Abrainc cobra regulamentação dos distratos e cogita publicação de MP – IstoÉ Dinheiro

Você pode gostar...

Comments
  • Marcio 13 de dezembro de 2016 at 21:20

    Como assim “cogita publicação de MP”? Quem eles pensam que são, donos do Brasil?
    São um dos principais causadores da crise e agora querem que o governo resolva o problema deles e que o povo pague a conta de novo?

    34+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Camika 14 de dezembro de 2016 at 06:59

      Os donos do dinheiro são os donos do Brasil. Só trouxa acha que político serve a algum interesse que não o seu próprio e de quem está lhe pagando.

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Jose Ferreira 14 de dezembro de 2016 at 09:32

      O título da matéria não condiz com o conteúdo. Jornalismo está um lixo. Pelo título, parece que o cara é o presidente da republica, mas quando lê a matéria, ele diz: “Se o governo optar por medida provisória, me parece a melhor saída, é a mais rápida”, completou, durante entrevista coletiva à imprensa.
      Ou seja, ele apenas deu uma opinião sobre a forma jurídica que o governo deve tratar o assunto. Fez o papel dele.

      6+
  • De-boa-na-bolha 13 de dezembro de 2016 at 21:37

    O resultado é que já há quem estime queda do Produto Interno Bruto (PIB) de quase 1% em 2017.
    ttp://economia.estadao.com.br/noticias/geral,pessimismo-atinge-mercado-e-aumentam-projecoes-que-mostram-retracao-do-pib-em-2017,10000094299

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Nofimdomundo 13 de dezembro de 2016 at 21:39

    Visão do mercado.

    Em resumo, que não realiza o prejuízo cada vez mais toma no to…

    http://www.vincipartners.com/uploads/noticias/385744801.pdf

    Trata-se de um artigo de 03/2016. Vejam o belo gráfico do caos nos imóveis comerciais. O mais legal está no final. Jargões geniais:

    “nem toda a racionalidade do mundo resolverá sozinha o problema” = esquece os números, e vai

    “Estas soluções exigem uma boa dose de criatividade por parte de investidores-compradores e mente aberta do lado vendedor.” = se não abaixar o preço, não vai

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Nofimdomundo 13 de dezembro de 2016 at 21:41

      “É a única maneira do preço de mercado de ativos imobiliários voltar a uma relativa normalidade transacional e ajustar-se
      a nova realidade de mercado com menos traumas.” = se o carinho do Motumbo é inevitável, relaxa

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • fanfarraum 14 de dezembro de 2016 at 08:54

        Parece que usaram o gerador de lero lero ai pra deixar a leitura mais díficil pro 666.

        6+
        • avatar
  • MARK 13 de dezembro de 2016 at 21:53

    O preocupante é que o Temer já acena com possibilidades de melhorias no crédito imobiliário, só pedalando, pedalando… CVR 1 – Estava inspirado e fiz umas propostas nuns imóveis aqui de Santos, na verdade na intenção de dar uma trolada nos corvos, ofereci 300k num sobrado velho que estava anunciado por 650k. O corvo demorou uma semana para responder, mas estes dias apareceu irado e indignado com a minha proposta… nem retruquei muito, apenas disse que “não pretendia ofendê-lo, apenas me dispus a fazer uma oferta.”. O corvo “me perdoou” e disse que era um absurdo eu oferecer menos da metade do valor. Aproveitei a dica de um bolhista e disparei “A propósito, quantas foram as ofertas que o senhor recebeu até agora?” Não recebeu propostas mas baixou 10k para vender logo. Deixa ele arder né… tá merecendo. CVR 2 – Questionei um corvo que anunciou uma outra casa num bairro classe média baixa aqui de Santos. Pediam 420k e não aparecia se tinha garagem, respondeu que “não tinha, mas na rua era tranquilo estacionar, sempre tinha vagas” Dei risada né… mas não estava perdoando e disse para ele que havia uma casa próxima, em local melhor do mesmo bairro, tipo e condições sendo vendida por 260k HÁ TRÊS ANOS, Esse vai arder bastante também. CVR 3 – Estava hoje esperando terminarem um serviço no meu carro e estava em frente à loja mexendo no celular. De repente aparece um cara arrumado e do nada me pergunta as horas. Achei estranho, mas em seguida compreendi, era um corvo que, meio constrangido me ofereceu um folheto dum apartamento de um prédio erguido na rua (cheia de oficinas mecânicas), um achado… Desse fiquei até com dó, a cara dele era de puro desespero. Tive que dizer que acabara de comprar meu apartamento novinho (mentira).

    46+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 13 de dezembro de 2016 at 22:02

      Coitado do último.
      Oficinas é? Boa localização, só que não. O tanto de ‘empreendimento’ erguido no meio do nada nos últimos anos é algo incrível. Nem se viesse a população de outro planeta morar no Brasil haveria demanda para tanto, e para se morar tão mal.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Jonny32 14 de dezembro de 2016 at 02:02

      É o “Edifício Inside” da Comendador Martins?
      Se for, as oficinas nem são o pior problema; tenso mesmo é quando elas fecham e ficam na rua só os nóias zumbis praianos.

      12+
      • avatar
  • Antigo 13 de dezembro de 2016 at 21:58

    Se for para criar um normativo que regularize o distrato, o mais certo seria beneficiar o motumbado e nunca a empresa.
    Algumas coisas que deveriam aparecer nesse normativo:
    1) O distrato tem que ser reconhecido em no máximo 90 dias
    2) O motumbado tem direito a 80% do que pagou
    3) Em caso de distrato com culpa exclusiva da empresa (atrasos, baixa qualidade da obra, descumprimento de cláusulas) o motumbado tem direito do valor em dobro

    34+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lord of All 14 de dezembro de 2016 at 13:16

      Excelente.

      1+
  • thiago fm 13 de dezembro de 2016 at 22:26

    Puxando do tópico anterior…

    thiago fm 13 de dezembro de 2016 at 22:01

    Eu retiro o que eu disse sobre estar cansado da ladainha do SAM ZELL. Na verdade eu até gosto e tenho certeza que os demais também. Por favor repita todo dia a partir de agora, pois como dizia minha avó: “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”. Que já ouviu centenas de vezes nos últimos 4 anos, pode ouvir um pouco mais.
    Sobre a recuperação judicial da PDG confesso que estou chocado de ver uma empresa quebrando em meio a maior recessão já vista na história recente do país. Estou verdadeiramente perplexo. Afinal isso vai ser algo difícil de se repetir nos próximos tempos.

    Agora sobre os demais comentários direcionados à mim:

    1 -“Veja bem, o golpe não é das “empresas” e sim dos gestores delas” /”Não entende que são PESSOAS que dirigem empresas e que são PESSOAS que tem ganhos com os golpes, mesmo que destruam empresas para isto?”

    Em primeiro lugar o nosso caro CA não fala só em golpe, o que colocaria a ação num nível PESSOAL. Ele aponta algo muito maior, qualificado como “ESQUEMA de vendas falsas”, o que sugere um patamar mínimo de organização e premeditação, portanto acima do nível que poderíamos qualificar como fruto de ganância pessoal. Quem não conhece o blog e lê pela primeira vez tem realmente a impressão que foi uma espécie de quadrilha do setor imobiliário que orquestrou uma esquema para sugar o sangue do sistema.

    Além do mais é fácil dizer que a culpa é das pessoas. Se pensarmos assim as pessoas jurídicas não existem de fato, pois em última instância sempre haverá um gestor para tomar decisões sob seu ponto de vista pessoal em nome da corporação Aliás, para isentar seu governo a Dilma cansou de dizer que as pessoas eram corruptas e não as instituições, como se não tivesse sido ela que escolheu as pessoas. Da mesma forma é conveniente esquecer que foi a maioria da população que a elegeu democraticamente duas vezes para a função de ditar o rumo do país e para tomar as decisões pelas quais pagaremos por décadas a fio. Pelo mesmo motivo, as instituições GAFISA e PDG são responsáveis pelas pessoas que colocam em seus quadros executivos para decidirem os rumos da empresa. Empresas respeitáveis investem em governança corporativa para aperfeiçoar os trâmites decisórios da empresa em prol do coletivo e da sustentabilidade da empresa.

    2 ” Eles tiveram lucros BILIONÁRIOS em troca de MILHARES de famílias terem tido prejuízos relevantes por dinheiro que PERDERAM que muitas vezes era tudo que tinham?”

    Quase derramei uma lágrima agora por essas pessoas…Sorry, isso se chama capitalismo. Timing é tudo nas oscilações do mercado. Enquanto o mercado ascendia em 2008 e eu hesitava por medo de me endividar, tive a oportunidade de ver muita gente ganhando dinheiro fácil sem poupar como eu fazia, apenas por terem tido o ímpeto de assinarem ser ler uma venda na planta e um contrato de financiamento no banco. Além disso, não me recordo ao certo quantas vezes tive de responder sobre o motivo de continuar no aluguel e não comprar na planta como fez um dos meus irmãos.

    A verdade é que na esteira do crescimento do mercado ganharam todos que entraram na ciranda: famílias, investidores, corretores, engenheiros, pedreiros e grandes gestores de incorporadoras. Quem insistiu em permanecer após os sinais de inflexão perderam ou deixaram de ganhar. Simples assim. Por isso, entrar e sair no momento certo ou ao menos não entrar depois da hora não é uma questão de sorte, mas COMPETÊNCIA. Fica meus parabéns para os senhores Zell e Banuelos pela visão que tiveram e um salve especial ao nosso “Pandeiro”, já que também se desfez de sua posição em imóveis na alta, partindo para mercados mais promissores.

    E DOS COMPRADORES NINGUÉM FALA?

    Por acaso, alguém já viu o CA falando o que devia das pessoas que entraram na fila para comprar imóvel sem terem condições pra isso? Alguém obrigou essas pessoas a pegarem a fila dos estandes nos lançamentos durante o boom imobiliário?

    O corretor é um vendedor e o estande é uma loja. Alguém já viu um vendedor de loja criar objeções sobre o produto ou dar conselhos sobre compra consciente se o cartão de crédito tiver limite para a compra no momento? O corretor está ali pra sua função de vender e garantir sua comissão. É óbvio que é prudente que a empresa tome precauções para avaliar as perspectivas de sustentabilidade da compra, mas se tem alguém que tem por obrigação saber se poderá ou não pagar pelo bem esse é o comprador.

    É natural que na fase de euforia entrassem na fila compradores de todos os bolsos, com ou sem capacidade de pagar e tamanha era a procura que os lançamentos esgotavam-se praticamente em um final de semana. Nesse cenário é razoável imaginar que se as construtoras tivessem tomado maiores precauções no sentido de encurtar a flexibilização dos pagamentos por meio das “parcelinhas” e filtrado os promitentes compradores, em mais ou menos tempo os lançamentos seriam sido todos vendidos. Não por acaso até 2012 as construtoras vinham conseguindo absorver razoavelmente os distratos com preço nominal superior ao de origem.

    3 “Lançamentos já estão no pior nível de 10 anos, mas “por acaso” você viu que a Gafisa através do segmento Tenda, a MRV e Direcional aumentaram os lançamentos no segmento popular, mesmo estando todas elas com estoque de imóveis ANORMAL e superior a 1 ano de vendas e para imóveis populares que são justamente aqueles que são recordistas nacionais em distratos?”

    Por isso eu reafirmo que planejamento e gestão são prerrogativas empresariais, sendo que cada uma deve assumir e pagar pelas consequências de suas escolhas. A EZETEC parou de lançar no 3T16, evidenciando posição de cautela frente a uma recuperação da economia e da demanda que ainda não vingaram. Já a Gafisa e MRV demonstram ousadia ao investirem de forma antecipada ainda no escuro. Se houver uma pequena melhora nos próximos anos as duas últimas terão largado na frente, provavelmente com custos menores. Se esse cenário não acontecer e a economia afundar de vez a EZETEC estará menos exposta.

    3.1 “Você que usa os dados do SECOVI SP por acaso observou que em setembro/2016 eles AUMENTARAM os lançamentos em São Paulo? Por acaso você parou para pensar que se temos estoques de imóveis que em proporção às vendas são o recorde de todos os tempos, muitas vezes equivalentes a ANOS de vendas,”

    Nunca ignore a sazonalidade colega. Lançamentos na capital de São Paulo caíram 22% em relação ao ano passado. Se quiser entender melhor a tendência de alta no trimestre recomendo a revisão do gráfico que postei sobre lançamentos x PIB em São Paulo. Em relação à proporção de estoque/vendas é tratado melhor naquele famigerado PDF dos distratos e a relação é de fato a pior desde 2004, mas não tão distante assim do registrado naquele ano.

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 03:40

      Thiago fm
      Imagine que um administrador seja contratado por uma incorporadora, além do salário fixo ele, é a diretoria recebem bonus de acordo com os dividendos distribuídos aos acionistas, por causa disso, fazem a opção de uma estratégia agressiva de lançamentos de projetos imobiliários, os investidores majoritários concordam com a estratégia, quando este modelo insustentável de negócios começa a declinar, todos pulam fora com seus bolsos cheios, diretores e gestores são substituídos, investidores vendem suas ações e deixam a bomba explodir na mão dos “otários”.
      Você não acha que estas pessoas que provocaram o problema e lucraram com isso, deveriam ser processados por GESTÃO TEMERÁRIA?

      26+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • thiago fm 14 de dezembro de 2016 at 06:49

        Eu acho isso. Da mesma forma que acho que os governantes que não respeitaram a lei de responsabilidade fiscal deveriam ir pra cadeia, haja visto as catástrofes que isso provoca com o tempo.

        O problema é que depois de desviado dificilmente o dinheiro volta e mesmo que sejam punidos isso não mudará o fato de que os estragos já forma feitos. A Petrobrás nunca apagará os estragos feitos no passado, mas talvez uma gestão melhor possa melhorar as perspectivas no futuro. Os lucros retirados do setor imobiliário já foram levados embora, gastos ou reinseridos no sistema e a roda seguiu seu rumo.

        De qualquer maneira uma bolha imobiliária é um fenômeno muito além das mãos de algumas pessoas, por mais icônicas que elas possam ter sido. Ela envolve inúmeros agentes de mercado e é justamente através da ramificação e profundidade da espiral especulativa que ela denota, a qual geralmente se espraia dentro dos bancos, que podemos ter noção dos estragos que ela provoca. Em suma bolha não tem PAI, nem MÃE

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 07:16

          Sabe, o combate a bolhas é um dos poucos aspectos que eu concordo com o pensamento Keynesiano

          Uma bolha no consumo provoca desequilíbrio entre oferta e demanda, criando uma elevação de preços e salários.

          Medidas anticíclicas deveriam ser tomadas para evitar o inflamento de bolhas.

          Desta forma, quando as incorporadoras brasileiras fizeram IPOs em 2005, de uma hora para outra ficaram com 12 bilhões nas mãos, e utilizaram para formar um landbank como os melhores terrenos em diferentes capitais, o governo deveria ter intervido, para evitar uma escalada de preços. Mas o que o Lula fez foi justamente o contrário, incentivando o consumo com linhas de financiamento.

          Nunca existiu déficit imobiliário para as classes A e B, sendo que 90% deste déficit se encontra nas classes D e E, mas quando começaram a lançar os empreendimentos, o foco era justamente as classes mais elevadas. Foi a época que muita gente ganhou dinheiro simplesmente comprando na planta e vendendo as chaves no momento da entrega.

          Pedreiros, eletricistas, azulejistas e outros eram contratados a peso de ouro, ganhavam mais que engenheiros. Toda a cadeia de negócios ligada a construção civil teve que ampliar sua produção para atender esta demanda: ferro, cimento, canos, fiação, tijolos, etc.

          E de onde saiu este dinheiro que enriqueceu algumas poucas pessoas ? Ele veio do FUTURO!
          Como a maior parte das pessoas financiou seu imóvel, elas fizeram financiamento, ou seja, a expectativa do que irão receber lá no futuro foi moniterizada e colocada no presente, e pagando um “aluguel” por este dinheiro (juros)

          Então quem perdeu dinheiro com isso:
          1) Aqueles que compraram um imóvel acima da “median line”, pois pagaram por algo que não valerá mais isso.
          2) Aqueles que alocaram recursos em algo que dá pouca rentabilidade (aluguel X custo de oportunidade)
          3) Aqueles que irão se escravizar por 25, 30, 35 anos do seu futuro, pagando 50% disso com juros e os outros 50% por algo que, de fato, não vale o que pagou.

          E quem ganhou dinheiro:
          1) Os que “surfaram na onda” comprando na baixa e vendendo na alta.
          2) Os que receberam bônus pela escalada de preços do mercado imobiliário e depois pularam fora.
          3) Os bancos, com o recebimento de juros.

          26+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • thiago fm 13 de dezembro de 2016 at 22:27

    Complementando…

    4 “Sério mesmo que não lhe ocorreu que a distorção entre estoque e vendas que existe no segmento imobiliário é muito mais absurda que em qualquer outro setor, no entanto eles são os únicos que não radicalizaram tanto na redução de lançamentos em base anual.”

    O ciclo produtivo da construção é muito peculiar e muito mais complexo do que o que se vê usualmente nos demais setores de atividade. Entre a fase de aprovação do projeto e obtenção de licenças até a entrega e habite-se o ciclo é de no mínimo 4 anos, sem contar os atrasos recorrentes, ou seja, muito diferente do que ocorre no setor automobilístico cujo ciclo se conta em dias. Basta comparar a conjuntura do final de 2012 com a atual e você perceberá que 4 anos no Brasil é uma verdadeira eternidade. Me admira que mais da metade dos compradores ainda mantenham a posição de compra na planta num cenário caótico como esse.

    5 – “Ah, então interessa só o que a “mídia reconhece”?…
    Não disse que a discussão não interessa. Pra mim continua interessante, tanto que estamos discutindo ainda após tantos anos. O fato é que se 300 não faziam verão antes, menos de 100 muito menos o farão.

    O que quis dizer é que explosão de bolha imobiliária não é apenas uma singularidade que afeta de forma exclusiva o campo econômico, mas também alcança o social. Ainda que só se perceba seu desfazimento concreto após seu colapso, se a sociedade não chegar nunca a consciência do fato em algum ponto, distinguindo crise de bolha por exemplo, não haverá espaço ou estopim suficientes e necessários para desencadear movimentos de massa que empurrem os preços para baixo, os chamados efeitos de “manada”. Se não há no curto prazo pressão de queda por parte de inadimplência dos financiamentos bancários (conforme já demonstrei) e se o brasileiro tem o hábito de enxergar no imóvel uma espécie de reserva de valor nos para os momentos de crise, me explique de que forma virão os ajustes abruptos de preço que você e muitos aqui tanto esperam. Que fatores ainda não revelados balizarão essa queda? A recuperação judicial de construtoras?

    6 – “Inocência e sorte parecem acompanhar estas empresas o tempo todo, pelo menos no Mundo de Poliana, não é mesmo?

    Quem falou em inocência e sorte aqui? Os incompetentes acreditam na sorte..os competentes fazem sua própria sorte

    7 -“Para finalizar, o interessante é que até hoje não sei porque tivemos todo aquele impacto em 2012. Nem mesmo a menção ao “brilhante” Mantega esclareceu: em 2012 tínhamos a menor SELIC, verba de poupança, empregos e renda crescentes, BB e CEF turbinando empréstimos imobiliários com as menores taxas, tudo isto extremamente favorável ao mercado imobiliário e segundo aprendi por aqui com mestre Thiago FM, esta combinação era perfeita para o segmento imobiliário, então porque eles tiveram o pior resultado até hoje?

    Me admira você não saber que o impacto da Selic e demais medidas anticíclicas não têm efeito imediato. A taxa Selic atingiu a mínima no terceiro trimestre de 2012, mantendo-se nesse patamar até o início de 2013. Basta observar que a atividade da construção civil e os lançamentos foram retomados logo em seguida com reajustes nos preços na maior parte das capitais, sem contar o fato que todos os principais índices de preços de imóveis reagiram positivamente em alguma medida – Fipezap e IVG-R interromperam trajetória de desaceleração e EMBRAESP e CRECI-SP simplesmente dispararam em 2013 na comparação com o ano anterior. Então a pergunta correta a se fazer não é por que em 2012 o setor imobiliário apresentou o pior ano dentro da curta série histórica que você acompanha, mas por que essa queda foi interrompida/arrefecida no ano seguinte se a bolha explodiu em 2012? A menos que você considere a continuidade da alta dos preços em 2013 como “bull trapp” é notório que esse movimento não se encaixa num processo de estouro de bolha especulativa. Mas talvez você possa explicar melhor…

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 14 de dezembro de 2016 at 04:57

      Respondendo os 2 comentários de uma vez só:

      DESVIOU do assunto, distorceu, FINGIU que não entendeu. Alguma novidade???

      Não falo todo dia sobre Sam Zell e Enrique Bañuelos, aliás cheguei a ficar meses sem falar deles, mas sempre há um imbecil que FINGE esquecer deles, então é bom lembrar. Quem se ofende com isto, é só porque foge DESESPERADAMENTE da realidade e das evidências.

      Sobre ter culpado as empresas e também trata-las como vítimas do Mantega por terem acreditado nele, não fui só eu que teve um entendimento CLARO quanto a isto, outras pessoas também perceberam e comentaram, alguns até antes que eu tivesse feito qualquer comentário a respeito, mas se como sempre quer fingir que não aconteceu, fique a vontade todos já sabem que você sempre faz isto. Outro ponto é que só para variar FUGIU também do grande número de evidências quanto a estratégias premeditadas de DIFERENTES construtoras já se preparando para um volume ANORMAL de distratos, o que caracterizou a ação planejada das mesmas. Preferiu FUGIR das evidências e desviar o assunto, alguma novidade neste comportamento?

      Várias vezes comentei que as pessoas que compram na planta sem pensar também tem responsabilidade sobre as consequências, o que você está fazendo é só mais uma das suas INÚMERAS distorções da realidade e FUGA do foco da discussão. O fato é que a discussão era sobre a suposta “inocência” destas construtoras que segundo você teriam sido enganadas pelo Mantega, como mantenho o foco e não fujo covardemente dos assuntos, falei sobre uma infinidade de evidências de que estas construtoras não eram inocentes, o que, só para variar, você não tem nenhum argumento que desmonta as evidências, então tem que mudar o foco, que foi o que você fez.

      Sobre sazonalidade, comparei dados do SECOVI SP de set/16 com set/15, ou seja, respeitei a sazonalidade, como sempre, você desinformou. Já para o ciclo de vendas de imóveis e a “estratégia” das construtoras, para começar, a comparação inicial sempre foi com o resultado delas mesmas, onde nunca tivemos super estoques tão absurdos neste segmento. Relatórios oficiais destas próprias construtoras davam a informação de que o desejado era manter estoques equivalentes a 6 meses de vendas, hoje o MÍNIMO que estas construtoras tem é estoque de 1 ANO, sendo que temos construtoras com estoques equivalentes a 6, 9, 12 e até 18 ANOS de vendas, uma ABERRAÇÃO que só existe dentro de uma bolha imobiliária. Em qualquer segmento, independente do ciclo de produção, é absurdo que a qualquer momento você aumente a produção quando o super-estoque da sua empresa e do mercado como um todo é esta ABERRAÇÃO. Outra enorme DESINFORMAÇÃO passada pelo Thiago FM quanto a este assunto foi dizer que estas construtoras que estão aumentando os lançamentos AGORA estão tendo a visão estratégica diferenciada pensando em daqui a 4 anos quando entregarem imoveis: sabemos há muito tempo que as construtoras PRECISAM vender durante a construção e buscam vender o máximo que puderem no lançamento, simplesmente NÃO EXISTE isto que ele disse da construtora lançar pensando que daqui a 4 anos ela podera ter vantagem competitiva com isto, é uma completa FALTA de lógica da parte dele, como sempre, porque estas construtoras, se apostam só no FUTURO, deveriam aguardar com dinheiro do caixa aplicado para aumentar lançamentos quando a situação melhorar e não antecipar despesas sem encontrar as receitas correspondentes no presente.

      Sobre o resultado do segmento imobiliário em 2012, só para variar, ele forneceu informações ERRADAS para enganar as pessoas. Todos os usuários mais antigos do blog sabem e isto já foi demonstrado várias vezes por aqui, que as promoções e quedas de preços começaram exatamente no segundo semestre de 2012, sendo que em 2013 tivemos pesquisas de diferentes empresas (Geoimovel, EMBRAESP, CRECI) baseadas em preços NEGOCIADOS e apontando quedas de preços em diferentes localidades, ao contrário do que ele disse sobre crescimento de preços em 2013 como se tivesse sido algo amplo e irrestrito, ma realidade foi exatamente a partir daí que começamos a ter estas evidências de quedas de preços. Dizer que todos sabem que SELIC baixa ajuda segmento imobiliário foi só outra forma dele FUGIR do assunto e não explicar porque no ano que tivemos a menor SELIC de todos os tempos os resultados do segmento imobiliário também foram os piores de todos os tempos. É imprescindível para Thiago FM FUGIR destes assuntos simplesmente porque ele sabe que as causas tem relação com as vendas FALSAS na planta, excesso de investidores e preços incompatíveis, como ele não quer admitir o ÓBVIO, fica fugindo…

      Sobre a PDG, ela já está quebrada desde 2012 quando teve R$ 2 BILHÕES de prejuízo, depois disto foi ficando como uma zumbi do mercado, assim como Viver, Rossi e outras, sendo que o início da quebra em 2012 foi característica destas empresas do segmento imobiliário e não de todos os segmentos, ao contrário do que DESINFORMA Thiago FM. Repito: não fomos “adivinhos” ao dizermos desde 2013 que a PDG, VIVER, Rossi e outras estavam quebradas .

      28+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Fernando 14 de dezembro de 2016 at 19:09

      ??? com louvor por dizer umas verdades.

      É bem por aí.
      Cadê a queda abrupta? Onde está?
      O que vejo é o povo comprando até morrer…
      25 de março abarrotada e Av. do Estado com trânsito o dia todo. Braz lotado. Shoppings lotados.
      Rodovias abarrotadas de carros.
      Estoques de bons imóveis sendo vendidos… e preços subindo…
      Carro popular a 55 mil e carro médio a 90 mil.
      Preço do kilo da comida em um bom restaurante a 60-70 reais.
      Isso em São Paulo/Capital…
      E não tem nenhuma mentira nisso!

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • John Horse 14 de dezembro de 2016 at 22:17

        Sonho meu…

        Que droga você é esse Tiago AM injetam?

        3+
  • JJJ_brasilia 13 de dezembro de 2016 at 22:54

    Tá fácil resolver esta questão:

    Se o problema é o distrato, para de vender na pRanta, simples assim, como em qualquer país civilizado do mundo.

    Só vende o imóvel pronto, sem INCC, juros de obra e todas as bananisses inventadas pelo setor imobiliário atrás de mais uma MAMATA pública.

    Outra o FGTS não é das construtoras, deixa o governo librar para pagar dívidas.

    Este pessoal parece taxistas.

    39+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 03:53

      Já imaginaram se fosse possível comprar um carro na planta?
      O sujeito se dirige a uma concessionária, comprasse a promessa de entrega de receber um carro em 6 meses, pagando R$ 500 por mês.
      Ocorre um atraso de 3 meses na entrega, e na hora de pegar o carro vê que a concessionária e outros clientes estão vendendo mais barato do que ele pagou.
      Quando vai no banco, vê que as parcelas serão de R$ 1.000

      Se vocês acham uma loucura isso, este é o mercado imobiliário brasileiro e quem compra nestas condições, por desconhecimento, merece ser motumbado.

      48+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Antigo 14 de dezembro de 2016 at 08:31

        Hehehehe

        Boa comparação.

        Mas não dá ideia, que do jeito que a produção das automobilísticas está parada, daqui a pouco alguém resolve implementar esse modelo.

        Feijão na planta, você compra parcelado e recebe após a safra.
        Novela na planta, você assiste a propaganda agora e com esse dinheiro eles produzem a novela.
        Corte de cabelo na planta, você paga uma parte agora, o cara faz um curso de cabeleireiro, e depois corta seu cabelo.

        Sem querer você encontrou a solução para o Brasil. Virei seu fã.

        22+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • chigo 14 de dezembro de 2016 at 12:23

          Feijão na planta ja existe. Além da planta (pé de feijão) também existe o mercado futuro agrícola.

          10+
          • avatar
          • avatar
  • De-boa-na-bolha 14 de dezembro de 2016 at 06:18

    Passando o projeto de devolução de salários retroativo a cinco anos estimularia alguém a vender tijolos para fazer caixa ???? Brasília e Cisterco city irão retroagir cinco anos ?

    7+
    • avatar
    • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 06:27

      Se passar assim irão entrar com uma ADIN

      4+
      • avatar
    • Juros Lover BSB-BH 14 de dezembro de 2016 at 10:15

      Sabe qual a chance dos juízes mandarem os juízes devolverem retroativo?

      É ZERO…

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • De-boa-na-bolha 14 de dezembro de 2016 at 06:34

    ADIN ? O Roberto Veloso da Ajufe estava desesperado !!!! Sei não……

    5+
  • Seguidor do Bolha BH 14 de dezembro de 2016 at 06:58
  • Camika 14 de dezembro de 2016 at 07:01

    De cara com a galera que bate ponto aqui antes de 5 horas da manhã. o.O

    14+
    • avatar
    • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 14 de dezembro de 2016 at 07:04

    O último parágrafo da reportagem do tópico foi o que mais me chamou atenção. Estão DESESPERADOS mesmo.
    Ardam, sangrem, queimem.

    7+
    • avatar
    • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 14 de dezembro de 2016 at 07:07

    Cidade italiana ainda está oferecendo casas de graça para quem quiser morar lá
    http://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/5537004/cidade-italiana-ainda-esta-oferecendo-casas-graca-para-quem-quiser

    6+
    • avatar
  • thiago fm 14 de dezembro de 2016 at 07:32

    Eu não fujo de nada CA, não sei como ainda não percebeu. Já disse que além de expor meu ponto, em virtude da sua postura terei de expor todas as fragilidades do seu. Ganhará mais quem está de fora, saindo mais informado.

    Pretendo consolidar todos os indícios que mostram que houve sim uma reação do mercado em 2013, ainda que efêmera, dada à reviravolta da economia no segundo semestre do mesmo ano.Por ora vou deixar um dos índícios que estão no rol das “infinidades de evidências” que escoram a tese de estouto da bolha a partir de 2012. Sem entrar no mérito de que elas são quase todas de três ou quatro anos atrás, veremos que o Fipezap é tão tosco assim como se diz:

    PARTE 6 – A NOVELA FIPEZAP X EMBRAESP

    LINK DA ANÁLISE

    https://s29.postimg.org/fii4vs2pj/EMBRAESP_x_FIPE.png

    Bom dia pra todos

    10+
    • avatar
    • avatar
    • CA 14 de dezembro de 2016 at 07:38

      A partir de agora teremos um “bônus especial master plus”; (sic): a cada nova mentira, desinformação, tentativa de induzir as pessoas ao erro, fuga covarde de responder as questões mais óbvias inventando outros assuntos para que não se perceba as inconsistências e falta de respostas e assim por diante, tudo dentro das estratégias de um corvo de décima categoria, que tem sido praticadas por aqui , apresentarei não somente a resposta ao que foi postado, como também mais duas evidências de situações anteriores em que estas estratégias sujas foram desmascaradas e o golpista baixo não respondeu, ou em que ele se FINGIU de desentendido, FUGIU COVARDEMENTE e ainda, não contente, voltou a aplicar o mesmo golpe.

      Esta será uma excelente forma de demonstrar a todos como os corvos trabalham, neste sentido, quero agradecer e muito pela demonstração ao vivo e a cores, que permite termos uma visão cada vez mais clara sobre como estas pessoas são.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • CA 14 de dezembro de 2016 at 07:40

        Thiago FM versus Thiago FM: o problema da “amnésia seletiva quanto a assuntos imediatamente posteriores um ao outro e escritos por ele mesmo, ou um mentiroso compulsivo? Um caso grave para a psiquiatria investigar”:

        Trecho 1:

        “2 – “não explique sobre o “cíclico” que você não demonstrou nenhuma vez”
        FRASE DE THIAGO FM: “Já que você conseguiu apenas focar na questão dos ciclos dentro de todo aquele conteúdo, façamos assim”

        Trecho 2 (próximo parágrafo colado pelo próprio Thiago FM!):

        “3- “fuja da explicação sobre os distratos do SECOVI SP que você SEMPRE soube que eram furados pelas diversas vezes que demonstrei para você”

        Observa-se pelo texto escrito pelo próprio Thiago FM que consta logo acima e por diversas ocorrência anteriores JÁ DEMONSTRADAS, que ele possui o distúrbio acima: ele escreveu que FOQUEI APENAS no “cíclico” e no parágrafo seguinte ele mesmo colocou um ponto diferente em que eu o questionei, desmentindo a si mesmo!!! Este é um caso grave para estudo da psiquiatria: aqui ele não pode FINGIR que não se lembra que eu também havia falado sobre os distratos, no parágrafo SEGUINTE ele mesmo entregou sua mentira, ou seria seu distúrbio?

        E aí Thiago FM, qual a resposta para o caso acima, você é um mentiroso compulsivo ou sofre de uma amnésia seletiva para assuntos imediatamente posteriores uns aos outros e que foram escritos por você mesmo?

        Até agora você não esclareceu esta dúvida, só continuou FUGINDO de mais este assunto…

        12+
        • avatar
        • avatar
        • CA 14 de dezembro de 2016 at 07:46

          Abaixo, um caso gravíssimo, onde temos uma completa FALTA DE LÓGICA em seu nivel mais básico, ou então uma atitude de extrema má-fé, em que Thiago FM DISTORCE por completo o que eu digo  SEGUIDAS VEZES, uma vez que ele está desesperado para FUGIR de uma questão que ele não consegue responder.

          Aqui a estratégia clara é: se não consigo responder, ADULTERO aquilo que foi dito para FAZER DE CONTA que uma informação não é confiavel: “lógicas” TORTUOSAS de quem está acostumado a jogar sujo. Vejamos:

          Escrevi o seguinte, já em resposta a uma distorção clara de Thiago FM quanto ao que eu havia dito:

          Frase de CA:

          “CA 8 de dezembro de 2016 at 22:00

          Ah, só para lembrar, nunca disse que distratos de 10% são IRRELEVANTES, esta é só mais uma das formas de você ENGANAR e MENTIR, que você prática todo o tempo!”

          Resposta de Thiago FM:

          “thiago fm 9 de dezembro de 2016 at 07:20

          Então vamos entender assim:

          – ambos concordamos que 10% não é um patamar irrelevante
          – relatórios das construtoras tratavam como irrelevantes e nem seque divulgavam antes de 2011, correto?
          – nesse caso os relatórios das construtoras não são tão confiáveis;
          – você se baseia exclusivamente neles;

          Conclusão: Seus levantamentos não são tão confiáveis quanto você pensava”

          A minha resposta para isto:

          “CA 9 de dezembro de 2016 at 08:11

          Nossa, que falta de LÓGICA e que DESINFORMAÇÃO ABSURDA!

          Nunca disse que antes de 2011 era 10% de distratos, pare de DISTORCER! Só disse que 10% era muito e não irrelevante.”

          Vamos lá Thiago FM, agora você tem a chance de provar que alguma vez na vida eu disse que 10% de distratos eram IRRELEVANTES ou que alguma vez na vida eu disse que os distratos anteriores a 2011 eram de 10%.

          Se você não provar nenhuma das duas coisas e continuar FUGINDO de responder estes pontos, ficaremos com duas alternativas, podendo ainda ser uma combinação de ambas:

          a) Você sofre de um problema gravíssimo de falta de lógica, no nível mais básico, o que não o habilita a qualquer debate;

          b) Você age de má-fé, ao distorcer por diversas vezes o que a outra pessoa diz, para MANIPULAR o público de forma DESONESTA, levando-os ao erro. Resumindo: comporta-se como um corvo de décima categoria!

          12+
          • avatar
          • avatar
          • CA 14 de dezembro de 2016 at 08:34

            Sobre a “suposta” evidência acima trazida pelo Thiago FM, que ele chamou de PARTE 6 – A NOVELA FIPE ZAP VERSUS EMBRAESP, vejamos:

            Não provou que utilizei informação errada. Não provou que a evidência trazida estava errada. Pior, temos fortes evidências de que mais uma vez utilizou uma base errada para enganar as pessoas propositalmente, de forma CONSCIENTE. As evidências estão explicadas abaixo, cabe a Thiago FM demonstrar que não agiu de má-fé e que sua comparação não foi distorcida, ou ele demonstra isto, ou fica com mais uma prova de como ele age e porque…

            Sim, a EMBRAESP apresentou uma queda nos preços NEGOCIADOS de lançamentos no primeiro bimestre de 2013 na comparação com mesmo período de 2012, onde tivemos uma queda de mais de 16% no caso de imóveis novos lançados de 3 dormitórios em São Paulo, enquanto a pesquisa do FIPE Zap mostrava um comportamento DIAMETRALMENTE OPOSTO a este, com o preço ANUNCIADO de 3 dormitórios tendo subido acima de 16% no MESMO PERÍODO e também para a cidade de São Paulo. No total geral da cidade, a queda apresentada pela EMBRAESP foi menor, mas também DIAMETRALMENTE OPOSTA ao crescimento apresentado pelo FIPE ZAP.

            Observem aqui como Thiago FM tenta pela nogentésima decepcionésima vez enganar, DE MAIS DE UMA FORMA:

            1) Ao fazer a comparação entre os resultados do FIPE Zap e os da EMBRAESP, em nenhum momento disse que as duas tinham que ter resultados “idênticos”. O que eu disse, foi que era absurda a distorção dos resultados, os mesmos eram DIAMETRALMENTE OPOSTOS, como os números que mencionei acima confirmam;

            2) A informação da EMBRAESP divulgada pelo SECOVI SP não combina com a pesquisa da própria EMBRAESP feita a pedido da Zap Imóveis!!! Observem no gráfico colocado pelo Thiago FM que no período de 12 meses a EMBRAESP NÃO apresentou nenhuma queda nos preços de lançamentos até o ano de 2016. Por que isto acontece? Thiago FM, onde está a sua evidência de que a pesquisa feita pela EMBRAESP e encomendada pelo SECOVI SP seguiu o mesmo critério da pesquisa feita pela EMBRAESP e encomendada pelo Zap Imóveis? Você percebeu esta incongruência nos números da própria EMBRAESP, com certeza tendo percebido isto, foi se informar sobre os critérios, correto? Vamos “supor” que esta incongruência se deva aos seguintes fatores: quando a Zap Imóveis encomendou a pesquisa, solicitou que fosse com base nos preços NEGOCIADOS. Quando o SECOVI SP encomenda as pesquisas, solicita com base no preço de OFERTA (=ANUNCIADO). Só isto já explicaria o que aconteceu, certo? Não vamos parar por aí: no caso da pesquisa do SECOVI SP, eles informam que a pesquisa da EMBRAESP se refere à MÉDIA DE 12 MESES, sendo que em nenhum lugar que a reportagem fala sobre a queda de preços na pesquisa da EMBRAESP feita sob medida para Zap Imóveis eles falam sobre MÉDIA DE 12 MESES. Thiago FM, seria extremamente IRRESPONSÁVEL e MAIS UMA gravíssima demonstração de MÁ-FÉ se você não se preocupou MINIMAMENTE em verificar os critérios, não nos dê mais estas evidências, pelo menos uma vez na vida, PROVE que você fez uma comparação HONESTA.

            Atenção: embora a empresa que fez a pesquisa seja a mesma, ela fez SOB ENCOMENDA e seguindo os critérios acordados com os demandantes, de um lado a Zap Imóveis, de outro o SECOVI SP. A incongruência dos dados indica que os critérios são diferentes, assim como a notação sobre média de 12 meses que consta na pesquisa solicitada pelo SECOVI SP e não consta na pesquisa solicitada pelo FIPE Zap, agora cabe a você provar que pela nogentésima decepcionésima vez você não mentiu!

            Atenção (2): se apesar de tudo isto você FINGIR que não entendeu o que consta acima, dar uma resposta VAGA, sem NENHUMA evidência, FUGIR do assunto, como você sempre faz, não se preocupe, utilizarei MAIS ESTA EVIDÊNCIA das suas ações de má-fé. Obrigado por ajudar cada vez mais a engordar as evidências que DEMONSTRAM que se você não é um corvo de décima categoria, no mínimo se comporta de forma idêntica, utilizando as estratégias mais sujas que conseguir…

            13+
            • avatar
    • Fernando 14 de dezembro de 2016 at 19:22

      Olha que coisa interessante, pelo gráfico da EMBRAESP, comprei meu ape exatamente no vale, e depois subiu… tudo na teoria… mas eu prefiro a teoria da EMBRAESP do que a do CA! Sem ressentimentos!

      4+
      • avatar
      • avatar
  • De-boa-na-bolha 14 de dezembro de 2016 at 07:53

    Lá vem o CORVO
    Pata aqui, pata acolá
    Lá vem o CORVO
    Para ver o que é que há

    O CORVO pateta
    Pintou o contrato
    Surrou a 666
    Bateu no incauto
    Pulou do poleiro
    No pé do cavalo
    Levou um coice
    Criou um galo
    Comeu um tijolo
    De puropapo
    Ficou engasgado
    Com dor no papo
    Caiu no seu próprio fosso
    Quebrou a PDG, ROSSI E VIVER.
    Tantas fez o moço
    Que foi pra panela…LÁ VEM O CORVO PATA, PATA ACOLÁ !!!!!!

    27+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 08:18

    BOMBA: A farsa do déficit habitacional

    Garimpando na net, achei uma apresentação em Power Point do IBGE, ele foi utilizado para fazer uma apresentação interna, feita em 2006, sobre a questão do déficit habitacional do censo realizado no ano 2000.

    De um total de 54.265.618 domicílios particulares, 9.244.140 não estavam ocupados, ou seja, 17% (slide 16)

    Comparando com Estados Unidos, este tinha em média 9% de domicílios não ocupados.(slide 19)

    Existe uma diferença técnica na forma como Estados Unidos e Argentina definem a “família convivente” (slide 21)

    O IBGE não considera que parentes vivendo juntos seriam a mesma família, mas sim que são distintas famílias conviventes (slide 23)

    Exemplificando, numa grande residência de 4 quartos, que morem um casal de idosos (os avós), um casal (os pais) e a filha deste casal tem um filho (o netinho), o IBGE considera que são 3 família conviventes no mesmo domicílio, que resulta num déficit habitacional de 2.

    A conclusão é que, se o Brasil utilizasse o critério de família utilizada por outros países, como Estados Unidos e Argentina, no ano 2000 existia um SUPERAVIT HABITACIONAL DE 6.1 MILHÕES DE DOMICÍLIOS, mas, ao invés disto, o IBGE utilizou um critério que resultou num déficit habitacional fictício de 3.2 milhões de domicílios. (slide 18)

    http://www.censo.gov.br/confest_e_confege/pesquisa_trabalhos/CD/mesas_redondas/301-1.ppt

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 08:36

      É por causa desta diferença de definição de “família convivente” que são fabricados os números da matéria abaixo.

      FGV: Brasil precisa de R$ 76 bi ao ano para zerar déficit habitacional

      Embora o programa “Minha Casa, Minha Vida” tenha reduzido, em cinco anos o déficit habitacional do país em 8%, o número de famílias de baixa renda sem condições adequadas de habitação continuará crescendo, conforme a população se expande. Levantamento feio feito pela Fundação Getúlio Vargas para o Sinduscon-SP estima que serão necessário R$ 760 bilhões em investimentos em habitação popular até 2024, ou o equivalente a R$ 76 bilhões ao ano.

      É este o volume necessário para atender 1 milhão de famílias em estado de necessidade ao ano. O déficit habitacional — estimado em 5,2 milhões de lares em 2012 — considera desde as famílias que moram em condições precárias, como favelas, até aquelas que dividem o imóvel com outros parentes ou gastam uma fatia alta de sua renda com aluguel devido às faltas de condições para adquirir um imóvel próprio ou financiamento. Até 2024, esse déficit terá crescido par a 20 milhões de famílias em estado de necessidade.

      Para chegar a esse número, o estudo levou em consideração os dados mais atuais da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), de 2013, que apontou para a existência 68,4 milhões de famílias no país. Em 2024, com o crescimento da população, a estimativa é que 16,4 milhões de novas famílias se formem no país, das quais 10 milhões deverão ser da faixa mais dependente atualmente das políticas de habitação popular, que são aquelas que ganham de um a três salários mínimos.

      http://www.valor.com.br/brasil/3733244/fgv-brasil-precisa-de-r-76-bi-ao-ano-para-zerar-deficit-habitacional

      10+
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 14 de dezembro de 2016 at 09:04

        olhem as mentiradas:
        até 2024 a pop vai crescer para 217.193milhoes
        hoje:206.081
        qual é esse crecimento da população deles até 2024
        a diferença é de apenas 11,11 milhoes de pessoas, contando os idosos que estão sobrevivendo..
        não são 11 milhoes de familias. a mais
        eles estão projetando para a população total de 2024 mantendo a proporçao de hoje
        mas a maioria será pelo aumento dos idosos. só falta 8 anos. não é nada.
        daqui 8 anos todo mundo que tem casa hoje ainda estará na mesma casa… é uma piada. dá até raiva.
        se tiver um deficit ele não é pra 20 milhoes de familias… !! hoje já estão sobrando 112 mil imóveis novos (de 21 construtoras apenas)..

        15+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 09:19

          A falácia do Amorinha é maior ainda, alega que independente do crescimento da população, somente por causa dos casamentos e divórcios existiria uma demanda de 1 milhão de domicílios por ano.
          No Japão também tem casamentos e divórcios, mas todo ano está aumentado o superavit habitacional e a vacância, simplesmente porque a população está diminuindo em 300 mil por ano.

          12+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • Carlos 14 de dezembro de 2016 at 09:14

        Não precisa nem de um estudo para se duvidar deste mito do tal do deficit habitacional, onde todas estas pessoas que respondem pelo tal deficit estão morando agora? Embaixo da ponte? No meio do mato? Não, elas estão em imóveis alugados ou querem algo que pensam ser melhor.
        Se você sair perguntando provavelmente muitas pessoas vão dizer que tem o tal “sonho da casa própria” ou querem comprar um imóvel depois é só chamar isto de deficit como se os imóveis onde estas pessoas moram hoje simplesmente evaporassem.
        Obviamente que existe o crescimento populacional e as pessoas que querem sair da casa dos pais, mas o crescimento hoje não justifica o tal déficit muito menos o número de pessoas querendo abandonar a casinha dos pais, boa sorte convencendo os nem nem e millennials a abandonar a caminha fetia, roupas lavadas, comidinha da mamãe e contas todas pagas.

        Um pouco de lógica basta.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Alemon Fritz 14 de dezembro de 2016 at 09:18

          pois é a populaçao vai aumentar 5%, o número de novas famílias 23% (como isso) e a demanda habitacional 340% kkkkkk…

          9+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 09:36

            Aqui a explicação para estas discrepâncias

            Exemplificando: um casal com dez filhos é uma família única (12 pessoas), mas um casal com apenas um filho se torna duas famílias se este filho se casa e o cônjuge for morar no mesmo domicílio. Nesse segundo caso teríamos uma família principal (composta pelo casal de pais) e uma família secundária composta pelo casal formado pelo filho/a e genro/nora. Teríamos, então, duas famílias nucleares compostas de duas pessoas cada uma.

            Da mesma forma, se algum filho/a de um casal de família principal tem um filho/a que vá morar debaixo do mesmo teto (neto/a do casal responsável pelo domicílio), então, o IBGE classifica como duas famílias nucleares. Se uma terceira família nuclear (um irmão ou primo com o respectivo cônjuge ou filho) for morar sob o mesmo teto, então, teríamos uma terceira família convivente (mesmo sendo parente próximo), e assim por diante.

            O resultado da metodologia adotada pelo IBGE provoca um inchaço artificial do número de famílias existentes no Brasil, vis-à-vis a outros países do mundo. A tabela 2 mostra que para 2,89 milhões de famílias principais, segundo o censo demográfico de 2000, existiam no Brasil 3,4 milhões de famílias conviventes, sendo 2,89 milhões de famílias secundárias, 298 mil famílias terciárias e 250 mil quartas ou mais famílias conviventes.

            1) Calculo do déficit habitacional – A Política Nacional de Habitação, definida pelo Ministério das Cidades, em novembro de 2004, considera toda coabitação como déficit habitacional. Isto significa que as 3,4 milhões de famílias conviventes, conforme metodologia do IBGE, se transformam automaticamente em 3,4 milhões de unidades do déficit habitacional. Contudo, esse procedimento ignora que a maioria das famílias conviventes são na realidade famílias estendidas que compartilham um mesmo espaço domiciliar e não, necessariamente, podem ser consideradas famílias nucleares que estão demandando uma nova moradia.
            2) A “feminização da pobreza” – A “feminização da pobreza” é um termo utilizado para dizer que entre os pobres as mulheres são maioria. Contudo, qual é o critério para se medir essa pobreza? Se for a renda do responsável pela família, então, já sabemos pela tabela 3 que as famílias secundárias e terciárias, que geralmente são chefiadas por mulheres, possuem maior proporção de pobres. Mas uma adolescente que teve um filho fora do casamento e foi morar com os pais, mesmo tendo renda zero, não quer dizer necessariamente que seja pobre, pois neste caso devemos olhar para a renda domiciliar e não a renda do chefe da família convivente.
            3) O programa Bolsa Família – O alvo do programa Bolsa Família, do governo Lula, é atingir 11,5 milhões de famílias pobres. Mas este número pode estar exagerado ao se incluir nesse número as 3,4 milhões de famílias conviventes, pois nem todas vivem em domicílios pobres.

            http://www.ie.ufrj.br/aparte/pdfs/notametodologica_familiasconviventes.pdf

            14+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Carlos 14 de dezembro de 2016 at 09:49

              Excelentes pontos Cesar.

              6+
              • avatar
              • avatar
        • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 09:23

          A questão é que estes suposto déficit habitacional “constatado” no ano 2000 orientou as políticas públicas, resultando num “investimento” em passivos desnecessários, ao invés de aplicar na melhoria da infraestrutura brasileira, na verdade, o próprio BNDES aplicou mais dinheiro em usinas termoelétricas, portos e rodovias fora, do que dentro do Brasil.

          12+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 12:39

            Cesar, te pergunto, se a filha de 13 anos engravida, ela já vira uma nova família?
            ou só depois que nasce?
            ou só depois que fazem um puxadinho pros mancebos e pro birretinho não acordar a casa de madrugada?

            6+
            • avatar
            • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 18:19

              Lucas, depois que a criança nasce, ela mais a mãe já é considerada como mais uma família convivente no mesmo domicílio, o que significa para o IBGE o déficit habitacional de mais 1 domicílio

              5+
              • avatar
              • avatar
              • Fernando 14 de dezembro de 2016 at 19:13

                Aqui o cara mora até com a sogra para não comprar ou pagar aluguel… isso sim é ser bolhista!

                6+
                • avatar
                • avatar
  • Alemon Fritz 14 de dezembro de 2016 at 08:39

    olhem a reportagem das desvalorizações Purtugal = Brasil em 1o , é noisx!!

    “Outros mercados, que no pré-2007 tinham escapado às bolhas imobiliárias (…), têm hoje comportamentos de preços que dificilmente poderão deixar de ser classificados como “bolhas””, alertou em outubro.

    http://www.dn.pt/dinheiro/interior/fmi-alerta-imoveis-estao-a-voltar-a-precos-pre-crise-5545508.html
    ver gráfico mais abaix na reportagem…

    6+
    • avatar
  • Carlos 14 de dezembro de 2016 at 09:21

    Notícias da bolha down under.

    “AUSTRALIA, we’re about to stop building. The trouble we see in Perth could spread to the rest of the country.
    As we all know, Australia has been building a record number of apartments. Our cities’ skies are crowded with cranes.
    The big property developers who fund all this building have been making fat stacks of cash for a long time now. But the end of the good times seems to be coming. There is a lot of talk about an apartment crash.”

    http://www.ntnews.com.au/business/economy/boom-to-bust-mkii-what-happens-to-australia-when-construction-dries-up/news-story/a9e436a8ac04fe00f8d767866958cfb1?nk=1b57132019f303d815bcf0a2a6cead7c-1481717922

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 09:25

      Na minha opinião, aqueles trilhões de dolares injetados pelo FED na economia mundial, mas a baixa taxa de juros, estão contribuindo para pipocar bolhas imobiliárias pelo mundo.

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Louro José 14 de dezembro de 2016 at 09:22

    Conta aí, CA, vai dar certo?

    Depois de aprovar no Congresso a proposta de emenda à Constituição (PEC) que fixa um teto para os gastos públicos, o governo anuncia amanhã o pacote para reanimar o Produto Interno Bruto (PIB, conjunto de bens e serviços produzidos no país). Nessa lista, o setor de habitação é um dos protagonistas.

    Entre as medidas em estudo está a possibilidade de uso de recursos do FGTS para financiar imóveis até o limite do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), em condições facilitadas. Hoje, o valor máximo a ser financiado pelo Fundo é de R$ 225 mil nas capitais (Rio, São Paulo e Brasília) para famílias com renda de até R$ 6.500. O limite deve ser dobrado e incluído em nova faixa de renda do programa Minha Casa Minha Vida.

    Segundo interlocutores da área econômica, a iniciativa permitirá ao mutuário tomar financiamento entre R$ 600 mil e R$ 700 mil com juros de 8,5% ao ano, sem subsídio. Neste caso, não necessariamente, o comprador precisa ter conta no FGTS. O governo estuda reduzir as taxas de juros do Minha Casa Minha Vida para as faixas de renda mais baixas.

    Outra ação para beneficiar a construção civil é a edição de medida provisória (MP) para dar força legal aos acordos firmados entre construtoras e órgãos de defesa do consumidor para reduzir o número de distratos (quando o comprador desiste da compra). Faz parte do pacote a regularização fundiária para dar aos moradores das áreas urbanas as escrituras das casas, desde que não sejam em áreas de risco.

    http://oglobo.globo.com/economia/pacote-para-economia-tem-acoes-com-foco-em-habitacao-impostos-20644556

    4+
    • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 09:28

      Eu não votei no Temer, acho que ele também está no meio da corrupção institucionalizada via grandes construtoras, mas admito, o cara está tendo coragem de implantar medidas extremamente impopulares mas necessárias, coragem que nem o FHC e o Lula tiveram quando prometeram mas não cumpriram na implantação destas medidas.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • SampaBoy 14 de dezembro de 2016 at 09:39

        Essa PEC que é uma medida razoavel mais ainda bem meia-boca pra resolver a questão fiscal ja esta resultando em quebra quebra e impopularidade , imagine so quando o cinto tiver que ser apertado de verdade. Ja nao sei se o temeroso vai durar ate 2018

        4+
        • avatar
      • Alemão 14 de dezembro de 2016 at 10:21

        O primeiro governo do FHC teve medidas “corajosas” que modernizaram o país. Entre elas (sem citar o Plano Real que foi no governo Itamar, mas quem coordenou e fez acontecer foi o FHC):

        – Primeira grande reforma da previdência através da Emenda nº 20/1998, que entre outras coisas, acabou com a contagem de tempo fictício, aumento das idades para aposentadoria (+https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Emendas/Emc/emc20.htm);

        – Privatização de oitenta empresas públicas (+https://pt.wikipedia.org/wiki/Privatiza%C3%A7%C3%B5es_do_governo_Fernando_Henrique_Cardoso);

        – Lei de responsabilidade fiscal (+http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LCP/Lcp101.htm);

        – Proer, que privatizou banco públicos estaduais (ou saneou) e acabou com a farra dos governos estaduais se financiarem diretamente com seu bancos (que era uma das grande causas da hiperinflação);

        – Gestão do Pedro Malan no ministério da fazenda, que no meu entender foi o melhor ministro e juntou a melhor equipe.

        E, vale ressaltar, que o primeiro governo FHC (contando ainda ele no ministério da fazenda do Itamar) pegou um país bem diferente do Lula em 2003.

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Juros Lover BSB-BH 14 de dezembro de 2016 at 10:25

          Primeiro mandado dele foi bom mas o segundo…Sai de baixo…Mas começou com compra de pec e farsa no cambio né, então começou mal e terminou pessimo…

          8+
          • avatar
    • Felipe 14 de dezembro de 2016 at 09:35

      vão dobrar a aposta

      2+
      • Felipe 14 de dezembro de 2016 at 09:38

        mas essa do FGTS já existia… limite nas capitais era bem mais que 225mil, só era necessário ter 10% do valor do imóvel no FGTS e a taxa de juros era 7,8% mais TR

        3+
      • Felipe 14 de dezembro de 2016 at 09:42

        agora entendi… vendo em outro site – eles querem aumentar o preço limite MCMV pra 300mil.
        Supresa surpresa – Capitão óbvio manda lembranças! Olha, imagina o que vai acontecer? Tudo que é lixo vai ser anunciado por 300 mil.

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Felipe 14 de dezembro de 2016 at 09:36

      vão dobrar a aposta…. que cagada hein.

      3+
    • CA 14 de dezembro de 2016 at 10:02

      Louro José,

      Apagar incêndio com gasolina. Vão destruir a economia sem conseguir ajudar efetivamente o segmento imobiliário.

      Sobre este trecho: “Segundo interlocutores da área econômica, a iniciativa permitirá ao mutuário tomar financiamento entre R$ 600 mil e R$ 700 mil com juros de 8,5% ao ano, sem subsídio. ”

      Quantas famílias tem renda para financiar imóvel com preço entre R$ 600 mil e R$ 700 mil que ainda não tem imóvel e que acreditam que valha a pena ter agora, mesmo com uma taxa de juros subsidiada via FGTS? Onde está o estudo do governo ou do segmento imobiliário que demonstra, com números reais relacionados a renda das famílias, necessariamente cruzadas com intenção de compras, que indicam que esta ação vai ter alguma efetividade? Pode ter certeza que tal pesquisa não existe, ou se existir, é completamente adulterada quanto ao conteúdo ou as “análises” sobre o mesmo, como é praxe para o segmento imobiliário e seus asseclas.

      O que os números do IBGE demonstram é exatamente o contrário disto: menos de 10% das famílias teriam renda para adquirir imóveis por preços acima de R$ 600 mil, mesmo que fosse em financiamento em 35 anos e com os juros subsidiados do FGTS mencionados na reportagem. Considerar que hoje temos mais de 75% dos brasileiros que já possuem imóvel próprio. Nas famílias com renda suficiente para comprar estes imóveis financiados, 90% delas ou mais já devem possuir imóvel próprio, fora isto, temos famílias que simplesmente optaram por não ter e ficar no aluguel, por diversos fatores (mobilidade dentro do Brasil, aplicações mais rentáveis do que aquisição, possibilidade de se mudar para Exterior e não querer fixar raízes, etc., etc., etc…), famílias nesta faixa de renda que sabem da total desproporção dos preços dos imóveis e que os mesmos tendem a cair e ainda famílias que não querem entrar em financiamento por um prazo tão longo, principalmente em meio a uma crise, com queda em sua renda, insegurança financeira elevada, etc., etc., etc… O que “sobra” de compradores potenciais para isto, ponderando tudo que consta neste parágrafo, certamente é bem menos do que 1% das famílias, em contra-partida a um número de centenas de milhares de imóveis espalhados pelo Brasil com estes preços ou acima disto.

      13+
      • avatar
      • avatar
      • CA 14 de dezembro de 2016 at 10:12

        Sobre o trecho:

        “Hoje, o valor máximo a ser financiado pelo Fundo é de R$ 225 mil nas capitais (Rio, São Paulo e Brasília) para famílias com renda de até R$ 6.500. O limite deve ser dobrado e incluído em nova faixa de renda do programa Minha Casa Minha Vida.”

        Já tivemos uma frase, se não me engano, do coordenador do NRE (Núcleo Real Estate), que se encaixa bem no que consta acima, era algo mais ou menos assim: os preços dos imóveis foram subindo muito acima da renda, para as pessoas comprarem imóveis, elas foram aceitando localizações cada vez piores e imóveis cada vez menores, só que tudo tem limite, as famílias não vão sair de um imóvel grande no Paraíso para ir morar em um cubículo em Paraisópolis.

        No caso do MCMV, são imóveis POPULARES, com PÉSSIMA qualidade de construção e localização, este é um estigma claro no mercado. Até conseguiram convencer os jovens em início de carreira a adotarem o MCMV pelas condições facilitadas, mas eles tinham expectativa de com o tempo crescerem profissionalmente e trocar de imóvel “com lucro” (por isto e vários outros motivos que a UTOPIA do ETERNO crescimento de preços é fundamental para o setor imobiliário). Para nova faixa de renda, não estamos mais falando deste público jovem em início de carreira, nem mesmo de famílias que aceitariam esta mudança radical de “status” (lembrando que ter um imóvel é um símbolo de status para muitos, mas neste caso, se a família não é de jovens em início de carreira e só conseguiu comprar um “MCMV”, o efeito é o contrário).

        De novo, certamente não há nenhum estudo fidedigno do segmento imobiliário que demonstre a viabilidade do mesmo. Falando agora sobre o outro lado da moeda, a questão da verba para este novo combustível para a bolha imobiliária:

        Em 2014 Dilma PROMETEU 3 MILHÕES de imóveis no MCMV para que estivessem em construção como parte da fase 3 do programa até 2018. No primeiro semestre de 2016, Dilma teve que reduzir esta previsão em 1 MILHÃO de imóveis. Por que uma redução tão radical?

        Porque tínhamos à época (1S16, antes da saída de Dilma), uma estimativa de déficit fiscal de R$ 97 bilhões e o MCMV requer uma parcela de dinheiro vinda diretamente do governo e não do FGTS. O governo teve que reduzir muito suas despesas e não poderia mais colaborar com sua parte referente àquela “meta” de 3 milhões.

        O que aconteceu depois disto?

        A previsão do déficit fiscal de 2016 subiu para mais de R$ 170 bilhões em 2016. Para 2017, havia uma previsão de déficit de R$ 139 bilhões, só que o governo reviu o crescimento do PIB em 2017 de 1,6% para 1% e com isto, o déficit de 2017 certamente vai aumentar (sem contar que previsões do mercado são muito inferiores a deste crescimento de 1% revisto, algumas até já falam em queda de até 1% do PIB).

        Observando o que já aconteceu em 2016 devido ao déficit fiscal e as expectativas quanto ao agravamento deste déficit, o que deverá acontecer ao final do 1T17 quando constatarem que o PIB terá um resultado muito aquém das “expectativas” do governo? Serão obrigados a reduzir novamente a meta do MCMV.

        Com tantas reduções, incluir novas faixas de preços significará apenas um cobertor cada vez mais curto e que vai atender cada vez menos pessoas no total. Vão distribuir um pouco mais aquilo que terão muito menos… Análogo ao que fizeram no caso do uso ampliado do FGTS via Pró-cotista, algo absolutamente inócuo, que só desviou quem iria fazer financiamento via SBPE, mas não conseguia, para esta modalidade, ainda assim, com impacto pífio na derrocada do segmento imobiliário, basta ver que as quebras de construtoras e aumento nos distratos e na desproporção entre estoque e vendas não deixaram de acontecer em virtude disto…

        8+
        • avatar
        • avatar
        • Louro José 14 de dezembro de 2016 at 10:18

          Medida unicamente populista. Construtoras estão cobrando e ele vai lá e faz o básico pra amansar o desespero deles.

          8+
          • avatar
          • CA 14 de dezembro de 2016 at 10:25

            O governo está nas mãos das construtoras, em função do Lava-Jato. Precisa fazer o possível e impossível para agradá-las em troca delas “amaciarem” as denúncias.

            Não se esqueça que temos algumas empresas no segmento de construção civil leve como Odebrecht Residencial, OAS, Queiroz Galvão e outras que também tem braço na construção civil pesada e que tem muito a dizer em delações…

            8+
            • avatar
            • Zé Carioca 14 de dezembro de 2016 at 16:01

              Você até pode dizer que governo está na mão das construtoras que atuam nas grandes obras de construção civil, e concordo contigo, basta ver que essas empresas tem concessão de diversos setores, como aeroportos, rodovias, mas te garanto que o interesse da Odebrecht na construção residencial é quase zero. O faturamento da construtora na holding é bem menos de 50%, o grosso do faturamento vem da petroquímica. E construção civil leve é insignificante para a Odebrecht, Camargo, OAS, Andrade, etc., então para que elas vão fazer lobby por esse setor?

              2+
              • avatar
              • CA 14 de dezembro de 2016 at 18:33

                Zé Carioca,

                Elas NÃO PRECISAM fazer lobby, o “agrado” já é implícito como uma parte do que o Governo PODE fazer sem chamar demais a atenção que estaria beneficiando estes grupos. O governo pode usar mais o FGTS para TENTAR auxiliar o setor de construção civil LEVE? SIM! Ele pode fazer o mesmo para construção civil pesada via FI-FGTS? NÃO. Por que? Primeiro porque daria muito na vista sobre a ferramenta de troca, segundo porque também tiraria ainda mais dinheiro do segmento de construção leve e aumentaria a chiadeira contra o governo na mídia, terceiro porque nem dando auxílio financeiro em larga escala para as grandes envolvidas na Lava-Jato o governo conseguiria salvá-las em definitivo, ou seja, seria um risco muito maior de ser desmascarado quanto a sua estratégia combinado com um resultado igualmente pífio e por isto não valeria a pena. Este é o ponto, o governo faz o que consegue, não o que QUER e muito menos o que seria o mais EFETIVO para socorrer seus parceiros de primeira instância.

                2+
                • avatar
                • CA 14 de dezembro de 2016 at 18:39

                  Claro que além do rabo preso com o setor de construção civil pesada pelas referências que você colocou, não podemos esquecer de uma série de negócios estranhos com parceiros envolvidos ao mesmo tempo com o setor de construção civil pesada e leve, também relacionados na Lava-Jato.

                  Lembra-se da BTG? É aquela empresa que foi “parceira” da CEF naquela negociata no Banco Panamericano? A mesma que teve ex-dirigentes que assumiram o controle da PDG? Aquela que já trabalhou para salvar a PDG antes, comprando lotes de imóveis em larga escala e com grande desconto. A mesma que também comprou grande rede de imobiliárias e que tem alguns fundos imobiliários por aí. Não por mera coincidência, é também uma das empresas que tem um ex-presidente na cadeia em virtude de envolvimento com a Lava-jato. Quer a mais recente? A PDG queria R$ 250 milhões para viabilizar sua recuperação judicial e tentar continuar tocando suas obras, adivinha quem deve fornecer este dinheiro? Uma parceria entre PDG e CEF.

                  Este é só um exemplo mais visível e onde as conexões apareceram várias vezes. Imagine que existem outras, envolvendo por exemplo o nome de MRV e de outras construtoras vinculadas ao MCMV. Apoio ao governo, doações de campanha e uma série de itens que requerem “retribuições” também. Este é o lado em que o segmento de construção civil leve também tem uma relação “mais íntima” com o governo e complementa o que coloquei quanto ao setor de infraestrutura.

                  Tem muito mais nesta história do que pode imaginar nossa vã filosofia…

                  1+
                  • avatar
                  • CA 14 de dezembro de 2016 at 18:41

                    Correção: uma parceria entre BTG e CEF para salvar a PDG. Na pressa escrevi acima uma parceria entre PDG e CEF…

                    0
                  • Zé Carioca 14 de dezembro de 2016 at 22:59

                    A construção civil leve tem um lobby (aka propina) menos pesado que as grandes empreiteiras. O lobby é mais voltado para as prefeituras, para obter autorizações e licenças. O lobby delas no governo federal é maior por ser um setor que usa muita mão de obra e uma parada significa aumento grande no desemprego, acho que isso leva aos aumentos do teto do financiamento pelo SHF, só que não resolve nada porque a população está sem dinheiro e poucos têm coragem de comprar um imóvel hoje.

                    1+
                    • avatar
        • CA 14 de dezembro de 2016 at 10:23

          Sobre o trecho:

          “Outra ação para beneficiar a construção civil é a edição de medida provisória (MP) para dar força legal aos acordos firmados entre construtoras e órgãos de defesa do consumidor para reduzir o número de distratos (quando o comprador desiste da compra). Faz parte do pacote a regularização fundiária para dar aos moradores das áreas urbanas as escrituras das casas, desde que não sejam em áreas de risco.”

          Transferir todo o ônus do distrato para o comprador do imóvel, isentando por completo a construtora de responsabilidade, via MP, terá efeito INÓCUO, por uma SÉRIE de fatores:

          1) Hoje o contrato já regula que a parcela de devolução para comprador em caso de distrato é mínima. O que ocorre é que o juiz, considerando o código de defesa do consumidor, muitas vezes obriga uma restituição muito maior. Uma MP não mudará nada disto, pois não poderá alterar a alçada do juiz na análise do desacordo entre comprador e vendedor, a MP não poderá dizer: juízes serão proibidos de rever os valores referentes a distratos. Aliás, os juízes muitas vezes encontram fartos subsídios para tomarem estas decisões contrárias às construtoras:

          1.1) Atraso na obra: os atrasos tem sido muito relevantes;

          1.2) Argumentações de uso de má-fé por parte dos vendedores: os compradores muitas vezes informam que não foram informados sobre grande número de variáveis envolvidas no negócio e que promessas verbais foram feitas com conteúdo contrário ao que consta no contrato. Para casos isolados, os juízes poderiam simplesmente ignorar este ponto e fazer valer o contrato, só que eles tem sido submetidos a um volume sem precedentes de pessoas usando estes argumentos, o que já chamou a atenção deles de que há algo muito errado no processo, o que é PARTE do motivo para obrigarem devoluções de dinheiro maiores do que aquelas que constam no contrato.

          2) Se a grande maioria dos distratos ocorre porque as famílias NÃO TEM RENDA para adquirir o crédito imobiliário, penalizar mais o comprador vai fazer com que, por acaso, da noite para o dia, as famílias venham a ter renda e desistam do distrato? Ah, mas temos os investidores que desistem porque veem que vão ter prejuízo na revenda que também desistem, para estes, vão reduzir os distratos. Pode até ser que se reduza para investidores, mas não resolverá o problema do mercado imobiliário como um todo, pois a consolidação destas maiores punições irá gerar um grande volume de reclamações e isto acabará tendo que ser publicado na mídia, fazendo com que muitos incautos / investidores DESISTAM de comprar imóveis na planta. É o famoso “tiro no pé”: a construção civil dependeu DEMAIS de vendas FALSAS na planta que viram distratos em volumes ANORMAIS e de um volume ANORMAL de investidores, na medida em que entra em guerra com os incautos e investidores para tentar SOBREVIVER, está só afastando aqueles que sustentam a pirâmide e acelerando o desmoronar da mesma…

          9+
          • avatar
      • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 10:19

        Financiar por 15 anos um bem de 600K, dando uma entrada de 20%, significa uma parcela mensal de 5K e uma renda familiar de 15K.
        Estamos falando então da classe B, onde nunca existiu déficit habitacional.
        O que estão esperando que as classes A e B façam? Que comprem estes imóveis e os coloquem para alugar, como investimento ? kkkkkkk

        15+
        • avatar
        • avatar
  • Baby Boy 14 de dezembro de 2016 at 09:40

    Procedimento padrão dos Corvos…

    1 – Documentação falsa: o Corvo obtém a cópia da escritura no cartório com os dados do verdadeiro dono e falsifica documentos, como o número da carteira de identidade e CPF. Quem comparece para assinar a nova escritura não é o dono e sim o falso vendedor.

    2- Quem chegar primeiro leva: o Corvo vende o imóvel para várias pessoas, aproveitando a mesma documentação. Ao receber o sinal ou até mesmo o valor total dos compradores, desaparece. Legalmente o dono é quem registrar primeiro.

    3- Localização errada: a localização de um lote vendido não corresponde ao endereço de registro de imóvel.

    4- Loteamento que não existe: é a venda de lotes que ficam em áreas inabitáveis.

    5- Golpe da portaria: o Corvo vê o anúncio no jornal e avisa que as chaves do apartamento para locação estão na portaria. Ele leva interessados para ver o imóvel, fazendo o papel do corretor, e os convence a pagar uma taxa para reservar o imóvel. Depois de pagar, o interessado não vê mais o “corretor”.

    6- Outro caso conhecido que segue a mesma linha: o golpista que se diz Corvo na portaria do prédio, sobe ao imóvel, faz um molde de cera com a chave e passa a ter livre acesso.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Luladranus 14 de dezembro de 2016 at 09:59
    • Luladranus 14 de dezembro de 2016 at 10:00

      “O presidente da CBIC vê risco de o presidente Michel Temer cometer os mesmo erros da ex-presidente Dilma Rousseff ao tentar “tapar o sol da peneira” com medidas paliativas que acabam agravando o problema. “Eles não têm noção do estrago que podem fazer no FGTS”, afirmou. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.”

      4+
      • Felipe 14 de dezembro de 2016 at 10:08

        cara, acho que esse país vai ser estudado por muitas décadas no futuro.
        Um cara da construção falando do risco de se mexer no FGTS dos outros! é quase igual pedir a opinião de um macaco sobre fusão nuclear

        17+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Felipe 14 de dezembro de 2016 at 10:05

      esse limite é de 1 mil e deve ter aquelas regras toscas do fgts. provavelmente vão poder tirar 1 mil a cada 2 anos.
      Tudo bem que a média de valor nas contas do fgts não deve ser alta, mas não vejo diferença alguma pra uma compra, baseado no que uma pessoa pode fazer com isso, principalmente em relação aos preços que vemos anunciados hoje.
      Agora, quando se analisa o fato de que as empresas lavajatianas usam esse dinheiro baratinho baratinho pra financiar as [email protected]#[email protected]# que eles fazem, vc entende o “problema”.

      5+
      • Luladranus 14 de dezembro de 2016 at 10:20

        Independente do uso do FGTS, esse governo está mais perdido do que calcinha no meio de suruba, que loucura, todos os dias pipocam escândalos por todos os lados, sinceramente, é muito triste e desanimador, ser honesto neste país te faz passar vergonha, e não só em relação aos políticos, mas na sociedade como um todo, a cultura do povo desse país é muito medíocre, infelizmente não se vislumbra ninguém que possa começar a dar jeito nessa joça, pelo jeito tudo o que se fala e discute por aqui será brincadeira de criança se uma mudança realmente radical não for tomada nos rumos dessa nação.

        7+
        • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 10:23

          Qual é o doido de investidor que iria querer colocar dinheiro no Brasil agora, ainda mais com uma possível presidenta Marina Silva???

          7+
          • avatar
          • Felipe 14 de dezembro de 2016 at 10:25

            marina silva e celso russomano sempre lideram pesquisa.

            13+
            • avatar
            • From_The_Tower 14 de dezembro de 2016 at 10:42

              kkkkkk
              cavalos paraguaios !
              ARDAM !

              6+
  • Cajuzinha 14 de dezembro de 2016 at 11:14

    14/12/2016 às 10h29 1 Gafisa vende até 30% da Tenda para Jaguar Real Estate Partners Por Juliana Machado e Rodrigo Rocha | Valor

    http://www.valor.com.br/empresas/4805123/gafisa-vende-ate-30-da-tenda-para-jaguar-real-estate-partners

    3+
    • Cajuzinha 14 de dezembro de 2016 at 11:18

      A Gafisa oficializou, em comunicado enviado nesta quarta-feira, à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a desistência da oferta pública secundária de ações da incorporadora Tenda, sua controlada. A informação foi divulgada inicialmente pelo site “Brazil Journal” e confirmada ontem pelo Valor.

      Segundo o aviso, o cancelamento do pedido de registro da oferta acontece “em decorrência da atual conjuntura de mercado desfavorável”.

      3+
  • Cajuzinha 14 de dezembro de 2016 at 11:19

    A Gafisa oficializou, em comunicado enviado nesta quarta-feira, à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a desistência da oferta pública secundária de ações da incorporadora Tenda, sua controlada. A informação foi divulgada inicialmente pelo site “Brazil Journal” e confirmada ontem pelo Valor.

    Segundo o aviso, o cancelamento do pedido de registro da oferta acontece “em decorrência da atual conjuntura de mercado desfavorável”.

    4+
    • CA 14 de dezembro de 2016 at 11:33

      Cajuzinha,

      Só rindo mesmo…

      Até outro dia falavam que o segmento popular era fantástico, à prova de crise, blá, blá, blá.

      Só para lembrar:

      O volume de distratos da Tenda até 2012 foi tão elevado e anormal, que simplesmente cancelaram lançamentos de imóveis populares em 2013 e tiveram que vender 70% do segmento Alphaville para pagarem as dívidas geradas e poderem continuar pedalando.

      “Curiosamente”, retomaram lançamentos com tudo em 2014, aproveitando o dinheiro da venda da Alphaville. Em paralelo, tentaram, sem sucesso, separar e vender o segmento Tenda para outra empresa, até ano passado (2015).

      Em 2016 vieram com a estória de abrirem capital da Tenda.

      O que estava por trás destes movimentos?

      Quando cancelaram lançamentos da Tenda em 2013 e o prazo de entre lançamento, construção, habite-se e tentativa do crédito imobiliário é de 3 anos ou mais, eles sabiam que os distratos em 2016 iam diminuir, assim aumentaram muito os lançamentos da Tenda em 2016, fizeram mais um grande volume de vendas FALSAS na planta e sabendo que o volume normal de distratos só ia aparecer de novo a partir de 2017, como não conseguiram vender o segmento Tenda, bolaram a alternativa de fazer um IPO da Tenda e capturar grana de sardinhas, apresentando os “excepcionais” resultados de 2016 da Tenda.

      Por que não deu certo? Perderam o timing e também ficou muito difícil de venderem o Mundo de FANTASIA, mesmo para os sardinhas. Viver quebrou, PDG quebrando, distratos bombando no segmento imobiliário como um todo, ficava difícil para eles ILUDIREM as pessoas fazendo de conta que viviam em um mundo onde estavam isolados destes e de diversos outros problemas que estão muito visíveis para cada vez mais pessoas. Tem ainda os aspectos PRÁTICOS ligados aos imóveis populares, incluindo aí o MCMV: com o PIB 2017 com projeções cada vez piores, fica claro que o governo será obrigado a fazer NOVAS reduções no tamanho do MCMV, isto provavelmente será revelado ao final do 1T17 e ANTES de conseguirem fazer o IPO, logo esta parte do Mundo de FANTASIA também cairá. Além disto, como a abertura de capital leva muito tempo, ficaria difícil represar os distratos referentes às vendas FALSAS que eles retomaram nos lançamentos de 2014, isto também acabaria aparecendo e melando o IPO junto com estes outros fatores.

      Como dizem: não dá para mentir para muita gente por tanto tempo. O esquema deles durou tempo demais, só que a esta altura, já enganaram gente demais, daí os furos do barco começam a fazer efeito…

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 14 de dezembro de 2016 at 12:06

        Ah, sobre a compra de 30% pela Jaguar Real Estate, foi o máximo que aqueda Gafisa conseguiu. O que eles desejavam até 2015 era a venda integral ou no mínimo, da maior parte das Ações. Outro detalhe é que venderam por preço por Ação bem inferior ao preço-alvo que tinham para o IPO (33% inferior).

        Já sobre o “feliz” comprador deste montante de Ações, em 2017 terão uma surpresa bem desagradável quando os distratos voltarem a crescer e os resultados REAIS e não maquiados pelas situações que expliquei acima, também aparecerem.

        6+
  • CA 14 de dezembro de 2016 at 11:20

    Sobre as medidas do governo que foram colocadas em comentário mais acima de Louro José, além de serem totalmente inócuas quanto aos resultados esperados para o segmento imobiliário (comentei mais acima), por que elas serão destrutivas para economia?

    1) A cada nova “esperança” que o governo dá para o segmento imobiliário, mais incentiva as construtoras a manterem lançamentos ou não reduzi-los tanto quanto DEVIAM. Na medida em que estas ações se demonstram INÓCUAS, aumenta ainda mais a distorção já ABSURDA entre oferta e procura. O resultado disto? serão obrigados a continuarem reduzindo os lançamentos por mais tempo, amplificando o desemprego na construção civil. Não reduz tanto quanto deve e no momento certo? Terá que reduzir muito mais depois. É EXATAMENTE o que já aconteceu antes e continuará acontecendo;

    2) No período de 2005 a 2015, a dívida das famílias com o crédito imobiliário em PROPORÇÃO à sua renda dos últimos 12 meses simplesmente SEXTUPLICOU. A partir de 2010 até 2015, esta dívida TRIPLICOU, mas o fôlego destas famílias super-endividadas com imóveis minguou, com isto, a dívida das famílias para outros assuntos em proporção à sua renda CAIU, junto com a queda do PIB do consumo e com o aumento ANORMAL da inadimplência geral do consumidor. Conclusão: quanto mais famílias entrarem em financiamentos imobiliários para imóveis que estão claramente incompatíveis com a renda ou com qualquer outra variável, maior o prejuízo para o consumo de qualquer outro item. Aliás, esta é uma característica típica toda vez que temos incentivo exagerado para um setor, acaba estrangulando todos os outros. Com o tempo, este estrangulamento retorna para o próprio crédito imobiliário: as famílias deixam de ser boas pagadoras, ou deixam de ter renda porque a queda elevada de consumo aumentou o desemprego geral e portanto deixam de ser compradores de imóveis. Novamente, o que já tem acontecido no Brasil HÁ ANOS.

    3) O preço do aluguel comercial de imóveis ainda continua proibitivo, assim como o preço de aquisição, ambos fora da realidade quando analisamos a situação da economia, como estes preços evoluíram, etc. Quanto mais esperança se dá ao segmento imobiliário como um todo, menos os proprietários destes imóveis comerciais se sentem “motivados” a darem reduções maiores nos preços: por um lado isto faz com que muitas lojas CONTINUEM fechando ou deixando de abrir, mais uma vez prejudicando a economia e por outro lado, também prejudica a economia porque na pratica, o volume de imóveis comerciais NEM-NEM (nem aluga, nem vende) sobem sem parar, novamente, o que já está acontecendo HÁ ANOS e será reforçado por mais estas “ações”.

    4) No caso de imóveis residenciais, a “esperança” faz com que os proprietários não baixem os preços para que voltem à normalidade e com isto aumente o número de imóveis NEM-NEM também, com os ex-inquilinos e ex-interessados em comprar imóveis optando por morar com familiares, amigos, etc. Com isto, os proprietários destes imóveis ficam com a renda cada vez mais estrangulada: eles tem que pagar condomínio, IPTU, manutenção, etc., sem nenhuma renda em contra-partida. Aumenta-se inadimplência de condomínios e impostos, diminui o dinheiro para consumo, de novo, efeito negativos para empresas, empregos, etc.

    5) O conjunto acima, prejudica a liquidez da economia como um todo, o que faz com que a inadimplência se mantenha alta, o spread dos bancos se mantenha em patamar recorde e assim, os juros finais cobrados pelos bancos se mantenha muito elevado. Como evidência, estes juros finais subiram muito no último ano e bateram recorde, apesar de não termos tido aumentos na SELIC. Estas medidas erradas do governo são apenas um incentivo para que a situação piore cada vez mais.

    6) Redução da SELIC: até antes de 2007 e do inflar mais forte da bolha imobiliária, cerca de 30% do crédito concedido era direcionado / subsidiado. A partir daí, passou a ser de cerca de 50% do total, em parte graças ao MCMV e outros incentivos do governo ao segmento imobiliário (além é claro dos auxílios aos amigos do Rei). Como estes juros são subsidiados e muito menores que os “juros de mercado”, para que o BACEN possa controlar a inflação com a política de juros, tem que trabalhar com uma SELIC muito maior que o NATURAL, pois o efeito da SELIC é só sobre 50% dos casos, os outros 50% já estão fora. Este é UM dos motivos pelos quais temos o maior juros REAL do Mundo e que só PIOROU com estes incentivos.

    Como sempre digo, existe muito mais do que consta acima, no entanto, como amostra é o suficiente. Se alguém ainda não entendeu, basta refletir sobre o seguinte: o que Temer está fazendo é exatamente o que Dilma e cia. já faziam antes, como esperar um resultado diferente? Alguém já ouviu falar da frase de Einstein sobre as pessoas que fazem sempre a mesma coisa esperando resultados diferentes?

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Louro José 14 de dezembro de 2016 at 11:41

      Sobre o item 3, sei de relatos na barra da tijuca de proprietários aceitando alugar imóvel comercial a troco de condomínio + despesas, ou seja, aluguel zero.

      7+
      • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 12:36

        Meireles é um mantega light, um margarina

        conforme falei anos atrás, o BRe stá tão viciado em dinheiro publico fácil que cortar as tetas vai derrubar o PIB por anos.

        9+
        • avatar
        • avatar
  • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 11:23

    Acho que é isto que realmente os governadores: poder colocar a culpa no governo federal pelas medidas que terão que implantar .

    Imaginem o impacto que terá na MASSA SALARIAL do Rio de Janeiro a redução de jornada e salário, além do aumento da contribuição previdenciária.

    A proposta prevê a suspensão do pagamento das dívidas desses governos à União por 36 meses. Esse período de carência nos pagamentos vai durar enquanto o Estado estiver sob o regime especial – a suspensão dos pagamentos, porém, não poderá ser prorrogada, e a dívida não será perdoada. Em compensação, os governadores terão de adotar algumas medidas, como aumentar a alíquota de contribuição previdenciária dos servidores para, no mínimo, 14%; congelar reajustes salariais e adotar programa de redução de jornada e de salário.
    http://istoe.com.br/estados-em-calamidade-terao-divida-suspensa/

    7+
    • avatar
  • Cajuzinha 14 de dezembro de 2016 at 11:26

    O ex-secretário de Orçamento e Planejamento de Santo André, Arnaldo Augusto Pereira, foi preso nesta terça-feira (13), acusado de receber propina para liberar empreendimento imobiliário na cidade. Ele comandou a pasta durante o governo Aidan Ravin e chegou a ocupar também a

    Em 2010, Pereira teria cobrado R$ 1,2 milhão da Construtora Rossi para liberar o alvará de construção de 15 torres residenciais que a empresa pretendia erguer em um terreno na avenida dos Estados, ao lado do Auto Shopping Global. De acordo com o Ministério Público, o montante foi pago em dez parcelas.

    3+
  • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 11:26

    Em 1 ano ocorreu uma redução de 26% nos partos, continuando assim o máximo da população brasileira será atingido bem antes de 2035

    http://istoe.com.br/aedes-faz-parto-cair-e-aborto-avancar-em-pe/

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 11:42

    Considerando o gabinete de Trump abaixo, alguem teria palpite para o dolar em 31/12 ?

    COMÉRCIO – Wilbur Ross, 78
    Conhecido como o “Rei da Falência”, o ex-banqueiro defende renegociar todos os acordos comerciais vigentes e quer tirar os EUA do Tratado Transpacífico

    SAÚDE – Tom Price, 62
    O deputado republicano pela Georgia desde 2005 é crítico ferrenho do Obamacare, programa que subsidia planos de saúde

    JUSTIÇA – Jeff Sessions, 69
    Senador pelo Alabama desde 1996, foi um dos primeiros a apoiar Trump. Já enfrenteou acusações de racismo e se opõe à recepção de imigrantes

    DIRETOR DA CIA – Mike Pompeo, 52
    Deputado pelo Kansas desde 2010, quando embarcou no movimento ultraconservador Tea Party. É contra o acordo nuclear

    DEFESA – James Mattis, 66
    Apelidado de “Cachorro Louco”, o general já apontou o islã político como a maior ameaça aos EUA

    SECRETÁRIO DE ESTADO – Rex Tillerson , 64
    CEO da ExxonMobil e aliado declarado de Vladimir Putin

    SECRETÁRIO DO TRABALHO – Andrew Puzder
    CEO de uma cadeia de Fast Food e crítico feroz das proteções trabalhistas implantadas por Obama

    AGÊNCIA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL – Scott Pruitt
    Liderou a luta contra implantação de medidas de proteção ambiental de Obama

    7+
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 12:34

      deixei de realizar lucro esse ano, mesmo com preju a vista e penso em voltar a comprar

      6+
      • avatar
  • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 11:55

    A respeito do Trump implantar medidas protecionistas, acreditam que se repetirá o “Smoot-Hawley act” ?

    A loucura que coroou o governo Hoover foi a tarifa Smoot-Hawley, aprovada em junho de 1930. Ela veio somar-se à tarifa Fordney-McCumber de 1922, que já havia colocado a agricultura americana em parafuso durante a década precedente. A lei Smoot-Hawley, a mais protecionista da história dos Estados Unidos, praticamente fechou as fronteiras a bens estrangeiros e desencadeou uma perversa guerra comercial internacional. O professor Barry Poulson menciona que não apenas 887 tarifas foram aumentadas acentuadamente, como a lei também ampliou a lista de commodities tributáveis para 3.218 itens [5].

    As autoridades no governo e no Congresso acreditavam que aumentar as barreiras comerciais forçaria os americanos a comprar mais bens produzidos internamente, o que resolveria o incômodo problema do desemprego. Eles ignoraram um importante princípio do comércio internacional: o comércio é, em última análise, uma via de mão dupla; se os estrangeiros não podem vender seus produtos aqui, então não conseguirão os dólares de que precisam para comprar aqui.

    As empresas estrangeiras e seus empregados foram prejudicados pelas tarifas exorbitantes da lei Smoot-Hawley e os governos estrangeiros logo retaliaram com suas próprias barreiras comerciais. Com sua capacidade de vender no mercado americano seriamente limitada, cortaram suas compras de produtos americanos. A agricultura americana sofreu um golpe especialmente duro. Com uma canetada presidencial, os fazendeiros neste país perderam quase um terço de seus mercados. Os preços agrícolas despencaram e dezenas de milhares de fazendeiros foram à falência. Com o colapso da agricultura, os bancos rurais faliram em quantidades recordes, arrastando consigo centenas de milhares de seus clientes

    Quando o presidente Hoover anunciou que ele aprovaria o projeto de lei da tarifa, as ações industriais despencaram 20 pontos em um dia. O mercado de ações corretamente pressentiu a depressão.

    Os protecionistas jamais aprenderam que a restrição de importações inevitavelmente gera uma obstrução das exportações. Mesmo que os países estrangeiros não retaliem imediatamente essa restrição às suas exportações, as importações desses países são limitadas pela sua capacidade de vender produtos no exterior. Se um país não consegue exportar, ele não vai conseguir divisas para fazer suas importações. Logo, um país que restringe suas importações está fadado a não conseguir exportar também.

    É por isso que a tarifa Smoot-Hawley, que fechou a fronteira americana para os produtos de fora, também levou a um fechamento dos mercados externos para os produtos americanos. As exportações americanas caíram de $5,5 bilhões em 1929 para $1,7 bilhão em 1932. A agricultura americana habitualmente exportava mais de 20% de seu trigo, 55% de seu algodão, 40% de seu tabaco e de sua banha de porco, e vários outros produtos. Quando o comércio internacional foi interrompido, a agricultura americana desmoronou. Na realidade, as crescentes e rápidas restrições comerciais, incluindo tarifas, quotas, controles cambiais e outros artifícios, estavam gerando uma depressão mundial.

    9+
    • avatar
    • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 12:26

      CURIOSIDADES sobre Hoover:

      – deu sobrevida à lei seca, mas assim que ele saiu a lei caiu
      – seu xará criou o FBI, mas não são parentes, apesar de confundirem muito, mesmo naqueles tempos
      – prendeu Al capone
      – doou todo o seu salário de presidente
      – era um quaker (uma espécie de fundamentalista cristão)
      – e a melhor de todas: construiu a represa do filme do superhomem

      8+
      • avatar
      • avatar
      • Felipe 14 de dezembro de 2016 at 12:42

        hoover dam, grande maravilha do civilization
        nerd vai entender

        8+
        • avatar
        • avatar
      • Cesar_DF 14 de dezembro de 2016 at 12:47

        Ele começou a construir a usina hidrelétrica, que foi concluída em 1936, mas foi em 1935 que o Roosevelt batizou como Hoover Dam
        https://en.wikipedia.org/wiki/Hoover_Dam

        4+
        • avatar
      • Rico 14 de dezembro de 2016 at 21:06

        O do Christopher Reeve imagino, não esse novo que usa collant de lycra…

        0
  • Seguidor do Bolha BH 14 de dezembro de 2016 at 12:10
    • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 12:33

      cobertor curto

      5+
      • avatar
  • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 12:16

    COMENTÁRIO DO DIA

    Fernando

    É o único que diz alguma coisa aproveitável. Thiagofm, continue com as suas valiosas contribuições.

    Saudações!

    7+
    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 14 de dezembro de 2016 at 12:19

      Tão valioso para atribuir confiabilidade quanto se Lula desse um depoimento para defender o Cunha dizendo que ele não é corrupto…

      9+
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 12:30

        porisso minha comparação com o vôo da Lamia:

        a bolha estourou (a gasolina aacabou)
        e eles continuam negando os problemas

        chega ser esquizofrenico, no reclameaqui vemos milhares de vítimas relatando o desastre
        e eles continuam negando o desastre.

        CA, qualquer dia desses escrevo sobre propaganda subliminar e hiperliminar, é o que eles fazem todo dia.
        Debater com eles é alçar essa gente ao reino dos argumentos válidos
        mas Deixar eles sem resposta é algo que me causa engulhos

        10+
        • avatar
        • avatar
    • Antigo 14 de dezembro de 2016 at 12:27

      Bom do blog que além de informação tem humor.

      11+
      • avatar
      • avatar
    • Fernando 14 de dezembro de 2016 at 19:34

      Reitero!

      3+
      • avatar
  • chigo 14 de dezembro de 2016 at 12:28

    Meu primeiro CVR:
    Clima da empresa tá pessimo. Tipo fim de festa. RFB não renovou projeto S1c0b3. Centenas de técnicos perderão seus ótimos empregos, que pagavam bem acima do mercado. A farra acabou. E no pior momento possível. Quando a degola começar haverá muito choro e ranger de dentes. O “pessimista” aqui tá tranquilo. Quem se preparou está tranquilo. Os otimistas, que não gostam de sofrer por antecipação, vão ficar desesperados. Eu avisei.

    31+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 14 de dezembro de 2016 at 12:45

      Depois da PEC do teto, pode ter certeza que muitas empresas que vivem de contratos públicos vão simplesmente desaparecer

      16+
      • avatar
      • avatar
  • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 12:32

    BOMBA
    BOMBA

    como sabem em julho agora perdi o verão por um pequeno atraso de 180 dias, que no fim foi até conveniente, um familair teve problemas de saúde na mesma data, e eu precisei estar aqui, de arrepiar certas coincidências.
    MAS VEJAM ESTA AGORA:

    Casa da Moeda suspende produção de passaportes por falta de pagamento
    Confecção do documento está paralisada desde a última quarta (7); pagamento do serviço é responsabilidade do Tesouro Nacional.
    http://g1.globo.com/economia/noticia/casa-da-moeda-suspende-producao-de-passaportes-por-falta-de-pagamento.ghtml

    7+
    • avatar
    • Felipe 14 de dezembro de 2016 at 12:40

      é só viajar pelo mercosul, não precisa de passaporte 😀

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Seguidor do Bolha BH 14 de dezembro de 2016 at 13:01

      Esta historinha de interrupção na emissão de passaportes na banania já está batida. Quando não é por falta de pagamento, é por falta de papel próprio para o documento.

      7+
      • avatar
      • avatar
  • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 13:01

    ATENÇÃO ATENÇÃO

    ontem falei do charles chaplin um dos grandes pensadores britanicos que admiro junto com churchill (o alcolatrae, outros mais)
    agora vou mandar uma que pertence às minhas origens vcs talvez nunca tenham ouvido falar, eles sucederam chaplin e são os pais do tv pirata, casseta e planeta e etc.

    Monty Piton
    https://www.youtube.com/watch?v=IfxewiOu9_k

    sobre ser extremista ou moderado
    vou ficar enxendo o saco pra todo mundo assistir, é hilário

    5+
    • Diego F. 14 de dezembro de 2016 at 15:01

      Postei esse vídeo há um tempo lá do outro lado. Monty Python é genial.

      O que acho engraçado é que muita gente de um lado do discurso só enxerga o outro no vídeo.

      3+
      • Diego F. 14 de dezembro de 2016 at 15:03

        No vídeo não, na vida. O vídeo esses desqualificam dizendo estarem do lado certo do extremismo, que seu extremismo é só uma resposta ao extremismo do outro, etc.

        3+
      • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 15:11

        eu adoro monty piton
        usei ele pra aprender inglês britanico maldito acent que não é acent
        ontem postei uma discussão que acabou em charles chaplin,
        por uma coincidencia escabrosa logo que ligo o computador deescobri que me enviaram o monty piton

        o humor e as lágrimas tem um certo poder, que nenhuma teoria consegue ter.

        https://pensador.uol.com.br/autor/charles_chaplin

        2+
        • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 17:14

          diego

          Diego F.

          No vídeo não, na vida. O vídeo esses desqualificam dizendo estarem do lado certo do extremismo, que seu extremismo é só uma resposta ao extremismo do outro, etc.

          1+

          sobre extremismos
          isso é verdade sim, um extremo sempre provoca outro extremo

          quem pensou que o lulopetismo poderia ser contido sem meios extremos, sinto muito, inocencia total.
          aliás lula é cria daquele extremo, foi informante do regime, foi produto deles, conece isso aqui: https://www.facebook.com/ReinaldoAzevedoColunista/posts/10154835353784839?comment_id=10154835653309839&ref=notif&notif_t=like&notif_id=1481743584758461
          procura ler e saber sobre os personagens, o pazianoto e tals

          o problema disso, e eu citei a questão no artigo chess o sacrifício do MORO há meses e meses atrás é que uma vez aberta a caixa-de-pandora, e pode ser só uma brechinha, vc nunca mais consegue conter a escuridão, ou vc pensa que existe selo de legitimidade para vazamentos???

          Deu no que deu, o caos, e no caos, no esgoto quem visceja? as bactérias, falando de modo pragmático, a mentira de que lula roubava para os pobres é uma mentira que goza de certa nobreza. A opção que todos roubam, e a de que ninguém rouba para fins práticos é a mesma coisa. A não ser que apareça uma figura imaculada salvador-da-pátria, o que como já vimos antes inúmeras vezes na história, ou a pessoa é uma farsa, ou um incompetente tão grande que seria melhor os ladrões antigos, Maluf cansou de usar esse argumento aqui em SP, e o pior é que ele tem razão, mil vezes ele do que a Erundina. OU é uma farsa E incompetente, cujo mérito é ter sido fracassado o suficiente pra nunca ter sido exposto a situações realmente difíceis E sectário, afinal ninguém brota do nada, todos tem raízes, e essas raízes sempre tem problemas como qualquer coorte social, o que faz tudo voltar a estaca-zero, seja poilítico, seja general, vieram dalgum lugar.

          Mas a melhor parte nem é essa, dizem os velhos sábios da antiguidade que vc deve ser uma pessoa boa, mas sempre é bom criar um cão bravo pra devez em quando ter que fazer o trabalho-sujo, não exatamente nessas palavras, estou adaptando.

          O problema é quando solta o cachorro e depois mandar devolta pra casinha, dependendo da raiva do bixo ele começa a atacar o próprio dono, mas nunca vai conseguir ser o dono do dono, pq ele é um cachorro, oras. Isto pra te dizer que: repare net afora, os queridinhso do próprio movimento sendo atacados pelo movimento, não vai sobrar ninguém, vai até aparecer PTralha no meio dizendo: “eu avisei” “eu sabia”
          procura pela carmem, pelo vilas-boas, ou por dezenas de outras peças na linha.

          Minha questão pessoal com tudo isto:
          – Previ exatamente estas coisas e apostei no PMJ
          – Se eu conseguir sobreviver ao tsunami, eu simplesmente estarei mudando de vida da água pro vinho, lentamente.
          – Continuo atento aos fatos, limpos de todas as versões que os encombrem e atrapalham a minha visão, pq o dia que eu passar pra torcida, eu começo a perder ou dinheiro ou saúde, ou humor, ou tudo de uma vez. Prever e se antecipar é o nome do jogo
          – É “quase” divertido assistir o show, acabei de voltar da padaria, está lá na TV do povão, Dilmo pedalando ajuda aos Estados, o Hell que prendeu o presidente do TCU na mais profunda esbórnia e piorando. Só assisto TV nessas horas, desculpa aí se falei coisa repetida.

          5+
    • Zé Carioca 14 de dezembro de 2016 at 19:53

      Excelente vídeo, muito bom mesmo. O que tenho visto é que o pessoal na ânsia de acabar com a esquerda se tornou uma antítese do PSOL, usa a mesma desinformação e só aceita opiniões similares, e classifica quem é moderado como em cima do muro ou acha que está fazendo o jogo do PT. Só se cresce sem radicalismo, tão ignorante quanto os barbudinhos que vivem de mesada e com a camisa do Che são os libertários que acham que o livre mercado resolve tudo é não precisamos de governo para nada. Qualquer posição muito extrema cai na caricatura.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Rico 14 de dezembro de 2016 at 21:34

      Vi e depois veio esse:
      https://www.youtube.com/watch?v=St5DY7h19tQ

      Tenho certeza que no papel estava escrito sobre investir em imóveis.

      1+
      • avatar
  • Baby Boy 14 de dezembro de 2016 at 13:06

    Esse ano foi bom.

    – Empresas indo a falência.
    – Desemprego aumentando
    – Poder de consumo caindo
    – Viagens para exterior se tornando inacessível para o bananenses.
    – Corvos jogando paciência nos stands de venda
    – 666 perdendo seus bolhudinhos para o banco.
    – Diminuição do crédito.

    Perfeito!! Perfeito!!

    Que venha 2017 !!!

    PMJ!

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 13:27

      adeeeus ano velhoooo
      feliz ano novoooo
      muito juros no bolso
      saúde pra sorrir e acenar

      cantem comigo

      12+
      • avatar
      • Baby Boy 14 de dezembro de 2016 at 13:45

        Desejo que em 2.017 o TRUMP deporte todos dos bananenses!!!! até aqueles que conseguiram se legalizar, limpando privada e dando a bunda!

        8+
        • avatar
        • bolha real 14 de dezembro de 2016 at 19:21

          E o que você ganha com isso?

          Não entendo gente comemorando a economia estar uma merda. Preferiria que estivesse boa, a possibilidade de dobrar meu bônus seria maior, agregaria mais dinheiro pra render ainda mais.

          Tô cagando e andando se fulano corvo ou não está numa pior, não cheira e nem fede para praticamente ninguém, a não ser que esse que adora que esses estejam mal por ter sido enganados por eles algum dia.

          15+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Carlos 14 de dezembro de 2016 at 20:07

          Baby Boy, por que tanto rancor com tanta gente que você nem conhece?
          Porque tiveram a coragem e a capacidade que você nunca terá?
          Você deve ter uma vidinha de merda mesmo.

          7+
          • avatar
          • avatar
    • From_The_Tower 14 de dezembro de 2016 at 13:46

      YEAH !!!!!
      BURN 2017 !!! BURN !!!

      5+
      • avatar
    • tfox 14 de dezembro de 2016 at 13:48

      cara, espero que você tenha sido irônico. Apesar de achar os bananenses merecerem o que estão recebendo eu não comemoro porque isto se reflete em mais violência, mais famílias morando na rua. Tomei as providencias / cuidados necessários para estar tranquilo neste momento da economia mas não consigo comemorar desgraça alheia ( e que no final vai refletir na nossa vida PMJ também)

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Baby Boy 14 de dezembro de 2016 at 14:21
      • Loucodf 14 de dezembro de 2016 at 14:46

        tfox, esse “Baby Boy” defende que os “Corvos” merecem um tiro na cara.
        Tem vontade de “Cuspir em corvo”.
        Torce para que os servidores públicos sejam “Mandados embora”.

        Não vale nem a proza.

        11+
        • avatar
        • Baby Boy 14 de dezembro de 2016 at 14:57

          Pessoal…
          Retifico o que eu disse….
          Acho que todos aqui sabem discernir o que é certo e o que é errado…
          Eu estava comentando em um contexto onde o corvo passava a perna em outra pessoa. é muita estupidez cometer um ato violento contra outro
          E que eu estava dizendo a um imaginário, que nem existe, fantasiado.

          3+
          • avatar
          • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 15:15

            dica
            sabe daqueles corvos que passam o dia sobrevoando o blog pra encontar uma v´rigula fora do lugar e causar O caos
            eu tbm não gostei do que vc disse, mas por educação e respeito ao resto do blog sabe o que fiz?
            1- um textão polemizando
            ou
            2- ignorei, fingi que nem li

            Advinha???

            13+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Loucodf 14 de dezembro de 2016 at 15:59

              3- Veio aqui encher o saco.

              10+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
      • rogerio 15 de dezembro de 2016 at 22:40

        Entendo o seu ponto, também é minha preocupaçao. Nao tenho dividas tenho boas reservas mas me preocupo se nao puder mais sair na rua….

        2+
  • Antigo 14 de dezembro de 2016 at 13:41

    http://www.valor.com.br/brasil/4804877/brasil-ocupa-o-6-lugar-em-indice-de-ignorancia-da-realidade

    da nossa dificuldade com matemática simples e proporções, à cobertura da mídia, passando por questões de psicologia social que envolvem nossos atalhos mentais, e também nossos preconceitos”, disse.

    Sensacional, explica bem a nossa situação.

    5+
  • From_The_Tower 14 de dezembro de 2016 at 13:59

    A Banânia é um país onde:
    – “Anarquistas” defendem mais estado;
    – Os contrários às mudanças se acham progressistas;
    – Intolerantes acreditam que são tolerantes;
    – Um ministro déspota do Supremo se acha iluminista (e tem certeza que é Deus);
    – Fascistas chamam aqueles que discordam deles de fascistas;
    – Um coronel de Alagoas está acima da lei;
    – Ciro Gomes é levado a sério;
    – 60 mil homicídios acontecem por ano e a solução é garantir que a população não se defenda;
    – Quem se diz preocupado com os mais pobres defende que os pobres sejam obrigados a financiar universidades estatais;
    – A mídia é inteira de esquerda mas é chamada de golpista pela esquerda;
    – Ficar com o próprio dinheiro é crime mas entregá-lo ao estado é contribuição social;
    – Luiz Carlos Bresser-Pereira ainda é levado a sério;
    – Marilena de Souza Chaui ainda não foi internada num hospício;
    – Lula ainda não foi preso;
    – Dilma Rousseff não pode ser presa por quebrar o país por anos;
    – Esquerdista pensa que entende economia;
    – Karl Marx ainda é levado a sério;
    – Terrorista é manifestante;
    – O curso de “economia” da Unicamp ainda não foi fechado;
    – Quem vive de invadir propriedades é chamado de trabalhador;
    – Bandido é chamado de “homem”, “jovem” e “menino” pela mídia;
    – Social-democrata é chamado de “direita”;
    – Cantor de banda decadente vira analista político;
    – Participante de reality show vira deputado;
    – Pessoas compram imóveis…de corvos que prometem valorização e a porcaria perde até para a TR anual……
    – E ainda há quem acredite em “socialismo e liberdade”.

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 14:35

      Monty Piton
      https://www.youtube.com/watch?v=IfxewiOu9_k
      assite caralho

      2+
      • Felipe 14 de dezembro de 2016 at 15:34

        da hora, me lembra os tempos de escola pública em que nos sentíamos os galácticos odiando os estados unidos e falando que comunismo é o futuro

        6+
        • avatar
  • tfox 14 de dezembro de 2016 at 14:44

    CVR Off Topic

    Meu primo é FP e foi convocado para participar de um inventário no orgão em que trabalha . Mais de 12.000 itens para inventariar e ele ficou assustado com a “ferramenta” de trabalho utilizada pela área responsável : simplesmente uma lista excel impressa para que possam fazer o trabalho totalmente manual. Inconformado pelo trabalho manual necessário ele me procura e em 30 minutos resolvemos o problema : aplicativo disponivel na Apple Store no valor de R$ 4,60 que já transforma o celular em um leitor de código de barras atualizando diretamente o arquivo excel, incluindo campos automáticos como data / hora da vistoria e com backup direto na nuvem.. Resultado : trabalho 6x mais rápido e com melhor qualidade.

    O meu ponto é que este trabalho já há feito hás muitos anos e ninguém havia se dignado a procurar uma solução melhor, mais eficiente. Simplesmente alocam mais servidores para fazer o serviço sem se preocupar com o custo disto. Além de um descaso da liderança há também a falta de iniciativa dos próprios funcionários : todos tem “aifones” mas não sabem usar nem 10% de sua capacidade, só tem por uma necessidade de “status”.

    Por isto sou a favor da PEC do Teto e de principalmente de uma revisão completa de como o nosso governo funciona: não é apenas uma questão de alocar cada vez mais orçamento ( as custas de mais impostos, claro), o ponto é fazer um uso mais eficiente dos recursos já existentes ( e assim diminuir o tamanho do estado).

    22+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • EngenheiroSP 14 de dezembro de 2016 at 15:57

      Um iPhone de 3k é barato, mas uma ferramenta que custa menos de dois dólares é muito caro, afinal quem paga por programinha com tanto joguinho legal grátis?

      9+
  • Anonymous 14 de dezembro de 2016 at 15:47

    Antigo

    Se for para criar um normativo que regularize o distrato, o mais certo seria beneficiar o motumbado e nunca a empresa.
    Algumas coisas que deveriam aparecer nesse normativo:
    1) O distrato tem que ser reconhecido em no máximo 90 dias
    2) O motumbado tem direito a 80% do que pagou
    3) Em caso de distrato com culpa exclusiva da empresa (atrasos, baixa qualidade da obra, descumprimento de cláusulas) o motumbado tem direito do valor em dobro

    24+

    NEGATIVO. As pessoas precisam arcar com as consequências das decisões erradas. Se o Papai governo socorrer, elas não terão incentivos para precaver-se contra riscos (moral hazard, um conceito desconhecido na Banânia). Quem comprou na planta deve perder tudo o que pagou. Está na Bíblia – o preço do pecado é a morte.

    25+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • JJJ_brasilia 14 de dezembro de 2016 at 15:55

      Anonymous,

      tenho que concordar, enquanto o brasileiro não aprender que seus atos geram consequências, NÃO FEITO.

      9+
      • avatar
      • avatar
    • Money_Addicted 14 de dezembro de 2016 at 16:41

      concordo plenamente, assinou sem ler ou aceitou o q estava escrito, dane-se.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Coelho da pascoa 14 de dezembro de 2016 at 16:50

      Concordo com o Anonymous.

      Explicação resumida:
      Isto motivaria distratos para recompra com desconto.

      Explicação detalhada:

      Em abril de 2013 eu visitei o estande de uma uma jaula de 55 m2 que estava sendo construída próxima a estação Autódromo da CPTM, o valor pedido na época era 287 mil e ainda haveriam correções do INCC, corrigindo o valor pelo IPCA seria hoje 373 mil reais. Atualmente a mesma construtora está construindo outra jaula, de 65 m2, ao lado da estação presidente Altino num valor “promocional” de 279 mil, isso dá uma diferença de R$84 mil. O apartamento é muito melhor localizado do que o anterior, é maior e é vendido mais barato. Supondo que neste exato momento os dois imóveis ainda estivessem em construção, um comprador do imóvel próximo a estação Autódromo poderia dar uma de experto e pedir o distrato, receber aproximadamente R$80 mil reais e comprar um apartamento melhor localizado, ele perderia 20 mil pra ganhar R$84 mil. Nossa bolha trouxe consequências sociais, todo mundo está pagando o pato de alguma forma, proteger esta gente que comprou na planta passa inevitavelmente por agredir indiretamente toda a sociedade socializando os prejuízos.

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 14 de dezembro de 2016 at 18:19

      Anonymous,

      Na prática e pela intrincada legislação brasileira, isto não seria tão fácil. Os juízes seguem código do consumidor, protecionismo ao comprador, evidências de que atrasos relevantes ocorreram combinados com desinformação extra-contrato incompatível com contrato para iludir compradores, além de todo apoio ao “coitadismo” que impera nos tribunais, não creio que uma simples MP vá mudar a cabeça dos juízes ou obrigá-los a deixarem de seguir esta cartilha.

      Por outro lado, se acontecesse como você sugeriu, teria um impacto colossal e ainda pior para o segmento imobiliário: destruiria a base da pirâmide financeira que eles construíram! Esta ocorrência em larga escala que você sugeriu não poderia passar desapercebida na mídia convencional e muito menos na Internet e redes sociais, com a informação se espalhando, o número de incautos que compra imóvel sem pensar se teria renda, estabilidade, etc., cairia drasticamente, assim como cairiam os investidores na planta que antes eram convencidos por corretores de que em qualquer imprevisto quanto aos preços poderiam cancelar a compra sem prejuízo…

      De fato não existe solução MIRABOLANTE para uma ANOMALIA do tamanho de nossa bolha imobiliária.

      Esta “brilhante” solução da MP dos distratos me lembra outra solução “jenial” (sic) que depois se demonstrou uma grande farsa: lembra a história das empresas individuais por obra, para “garantir” que as construtoras não pedalariam com o dinheiro de uma obra para sustentar outra obra, ou para “garantir” que em caso de quebra de construtoras os clientes “não teriam prejuízo”? O segmento imobiliário e seus asseclas diziam que tínhamos inventado outra jabuticaba, agora a “fórmula mágica para impedir prejuízos com imóveis”, alguns até diziam que isto “impediria a quebra de construtoras”, dentre outros completos absurdos. Na prática, é um mecanismo extremamente FRÁGIL, que é facilmente burlável e os problemas pipocam com frequência demonstrando que não serviu para nada.

      11+
      • avatar
      • avatar
    • Antigo 14 de dezembro de 2016 at 18:35

      Pode ser. Na verdade não tenho opinião formada, os dois lados estão errados. Tanto a construtora malandra que enriqueceu com pirâmide quanto o motumbado que ‘investiu’ na planta esperando ganhar 30% ao ano. Mas o pensamento vigente no país é de proteger a parte mais frágil, no caso, o motumbado (ainda mais frágil depois da visita do motumbo).

      Embora eu nutra certo desprezo pelos 666 que caíram no golpe, tenho mais raiva das destrutoras/encalhadoras.

      5+
  • Cajuzinha 14 de dezembro de 2016 at 15:53

    É…

    Motéis tentam driblar a crise com aplicativo que oferece descontos
    Rede mineira lança aplicativo que permite reserva on-line com descontos com objetivo de reverter queda no movimento

    Sem revelar o quanto o setor faturou neste ano, a entidade já divulgou que o setor moteleiro fechou 2015 com 10% de retração.

    http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2016/12/14/internas_economia,832428/moteis-tentam-driblar-a-crise-com-aplicativo-que-oferece-descontos.shtml

    6+
    • avatar
    • avatar
    • LZ 14 de dezembro de 2016 at 15:57

      Descontos no Peixe Urbano e Grupon é todo dia que tem para tentar melhorar.
      Nem Motel os BR tem dinheiro, tão indo pro DriveIn mesmo ou dentro do carro hahaha

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Felipe 14 de dezembro de 2016 at 15:57

    “setor moteleiro” e “retração” são expressões que não combinam na mesma frase.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Libertario 14 de dezembro de 2016 at 16:10

    CA

    Louro José,

    Apagar incêndio com gasolina. Vão destruir a economia sem conseguir ajudar efetivamente o segmento imobiliário.

    Mas CA, gostaria de te fazer umas perguntas:

    a) se uma parcela tao pequena da população teria condições de financiar o bolhudo, porque a medida afetaria ainda mais a economia?

    b) Como essa grana chegará nas maos das destrutoras, se ninguem tem *cacife pra se endividar ?
    (*e quem ainda pode, não é louco de se arriscar)

    c) Afinal, o que é o pior dessa medida:
    terão muitas familias que pegarão o credito e nao conseguirão pagar (gera distrato), e o governo acabará tendo que bancar ?
    ou a baixa procura, pois ninguem quer e/ou tem condições de se endividar agora ?

    3+
    • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 17:25

      não sou o CA
      mas vou aproveitar e filosofar

      a idéia agora é sanear balanços, ao menso dar sobrevida e dar tempo para a inflação fazer o resto, ou pelo menos que a bomba caia nas mãos do próximo eleito.

      O efeito prático é vc ver Fernandos a fazer aquelas constas estaparfurdias e achar que não está tendo um prejuízo entre 400% e 900% ao mês, que só custa um picolé de limão por dia. Pelas regras contábeis que ignora o custo de oportunidade ou o fluxo a valor real, ou se não ignora, maquia, dá pra contar uma bela historinha. Os que acreditaram nela, vc lê no reclameaqui o final feliz.

      7+
      • avatar
      • Fernando 14 de dezembro de 2016 at 20:22

        Cara, prejuízo de 900% ao mes……

        0
      • Libertario 15 de dezembro de 2016 at 09:31

        Bateu exatamente com o que o CA explanou.
        A simples empurrada com a barriga no problema, é o maior mal que a medida em si causará.

        2+
        • avatar
    • CA 14 de dezembro de 2016 at 18:03

      Libertário,

      Tem muito impacto psicológico que afeta negativamente a economia. Detalhei mais acima, vou tentar resumir em resposta a cada item que você mencionou:

      a) se uma parcela tao pequena da população teria condições de financiar o bolhudo, porque a medida afetaria ainda mais a economia?
      RESPOSTA (CA): lembre-se que embora não venhamos a ter um aumento tão relevante a ponto de “salvar” o mercado, uma manutenção do volume atual de vendas ou até um pequeno aumento podem ocorrer, em um momento em que o melhor para economia como um todo seria que caísse, em primeiro lugar para não continuar aumentando o número de famílias que ficam super-endividadas e com consumo reduzido e em segundo lugar, porque ajudaria a acelerar o retorno ao preço que seria o mais razoável e dentro dos fundamentos. Na medida em que se geram FALSAS esperanças, construtoras não reduzem lançamentos como deveriam, algumas podem até voltar a aumentar lançamentos, com isto desproporção entre oferta e procura aumenta e força maiores quedas em lançamentos e empregos em sequência, proprietários de imóveis comerciais relutam em baixar preço e várias lojas continuam inviáveis para se manter ou abrir, colaborando para destruir PIB, dentre outras consequências que detalhei pouco acima.

      b) Como essa grana chegará nas maos das destrutoras, se ninguem tem *cacife pra se endividar ?
      (*e quem ainda pode, não é louco de se arriscar)
      RESPOSTA (CA): mais uma vez, a esta altura do campeonato, utilizarão a pseudo-euforia para aumentar o número de pessoas a serem ILUDIDAS. As construtoras que aumentarem os lançamentos ou não os diminuírem o quanto deveriam, irão forçar ainda mais um aumento no volume de vendas FALSAS na planta, com a finalidade de SIMULAR uma recuperação e tentar “reativar” o mercado na base de truques de ILUSIONISMO e dizendo que são efeitos das medidas, aliás é o que eles já fazem HÁ ANOS. Lembra-se quando aumentaram o limite do imóvel a ser financiado com uso do FGTS para R$ 750 mil e seria a “salvação” do mercado, ou quando lançavam os pacotes de verba extra via Pró-cotista com a mesma argumentação, ou quando aumentaram antes destes dois os prazos de financiamento com verba do SBPE para 35 anos, ou mais recentemente quando aumentaram o teto do imóvel financiável com verba do SFH para R$ 1 milhão, dentre DIVERSAS outras ações APELATIVAS e a cada uma destas ações sempre seria “a salvação”, sendo que a situação ia ficando cada vez mais crítica com a distorção entre oferta e procura só aumentando, a situação financeira das construtoras só piorando e assim por diante? É só mais um conjunto para engordar esta lista. É claro que as construtoras irão TENTAR faturar o máximo possível com as vendas FALSAS na ESPERANÇA que ficarão com 100% do dinheiro dos distratos para cobrirem os ROMBOS financeiros que serão gerados, mesmo assim, será uma tentativa de SOBREVIDA, pois quanto mais cavarem o buraco via vendas FALSAS, logicamente mais enterrados estarão quando chegarem ao fim do processo, é só ver o que aconteceu com aquelas que eram as recordistas de vendas FALSAS / DISTRATOS no começo desta história (Viver, PDG, Rossi, etc). Sobre a MP ser a reversão desta tendência de perdas com distratos, não acredito e expliquei detalhadamente em comentário mais acima, resumo uma parte no próximo item.

      c) Afinal, o que é o pior dessa medida:
      terão muitas familias que pegarão o credito e nao conseguirão pagar (gera distrato), e o governo acabará tendo que bancar ?
      ou a baixa procura, pois ninguem quer e/ou tem condições de se endividar agora ?
      RESPOSTA (CA): se família pegar o crédito imobiliário e não pagar, não é distrato, mas sim inadimplência. Nem considerei este ponto, embora seja possível via CEF, se esta for a determinação do governo e daí a CEF teria que encontrar novas formas de MAQUIAR a situação, o que de qualquer forma, como qualquer PEDALADA / MAQUIAGEM só aumenta o tamanho da destruição no momento seguinte. O governo não tem dinheiro para bancar ampliações no MCMV (uma parte, algumas dezenas de bilhões de R$, vem direto dos cofres públicos e não do FGTS) e a verba do FGTS não é infinita, sobre este tema, expliquei em comentário anterior sobre redução radical que já ocorreu no MCMV e ninguém “lembra” e a tendência que volte a acontecer de novo quando sair resultado do PIB ao final do 1T17, ou seja, esqueça estas soluções MIRABOLANTES (detalhes em comentários anteriores). A baixa procura não é o problema, o grande problema para economia é o que mencionei no item a) e está detalhado mais acima em meu comentário anterior. No caso das construtoras e segmento imobiliário, o grande problema é que vão se afundar cada vez mais no buraco, como explicado no item b). Já no caso das famílias, o maior problema vai ser sua exposição a distratos inevitáveis onde elas terão mais dificuldade em reaver o dinheiro, mas creio que a MP não resolverá o problema das construtoras 100%, talvez só dê mais trabalho para que os ex-compradores recuperem seu dinheiro, pois juízes negam cláusulas de distratos porque existem evidências de prejuízos quanto a atrasos e/ou enganações verbais ou por outros meios extra-contrato que eles tem visto em larga escala, portanto não seria uma MP que mandaria nos juízes e impediria que eles mantivessem esta mesma avaliação, a não ser que a MP seja tão revolucionária que impeça um recurso na justiça. Se de qualquer forma der muito trabalho ao ex-comprador para reaver parte do que pagou, com as construtoras ficando com parcela maior do distrato para grande parte dos contratos cancelados, o barulho e número de afetados será tão grande, que desestimulará ainda mais os compradores na planta, ajudando a desmoronar com a base da pirâmide (vendas FALSAS em larga escala + investidores em patamares ANORMAIS), ou seja, será o famoso “tiro no pé”.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • Libertario 15 de dezembro de 2016 at 09:29

        Obrigado pelos esclarecimentos CA.

        0
    • Zebolheu 15 de dezembro de 2016 at 08:31

      Ainda tem gente com dinheiro pra gastar, que acham que o imóvel vai valorizar “lá na frente”. Daí fazem aquela conta do Fernando: (9 ou 10% de C.E.T + 2% TR ) < 15% de renda fixa, e voilà!, estou adquirindo um bem pagando "juros negativos", com aquela vã esperança no coração de que o bolhudo vai se "abolhudar" ainda mais no futuro mágico, afinal o tempo cura todos os males. Ou seja, mais fôlego para os preços distorcidos, e mais gente sem dinheiro para fazer a roda da economia girar... Ah, mas e o salário dos operários da construção? Isso não é girar a economia? Não! Afinal esse dinheiro só é liberado APÓS o término da obra, vai pro caixa das construtoras, aumenta o bônus dos executivos e não resolve o problema da dívida, que vai estourar de qualquer jeito. Qualquer demanda gerada artificialmente pelo governo é nociva à economia, e canalizam a grana para as mãos dos canalhas de sempre. O resultado é sempre uma concorrência desleal que mata iniciativas de pessoas comuns que poderiam dar certo e fazer a economia se movimentar.

      2+
      • avatar
  • Alemão 14 de dezembro de 2016 at 16:12

    Fazenda divulga projeto de lei de recuperação fiscal dos Estados e DF
    +http://www.valor.com.br/brasil/4805463/fazenda-divulga-projeto-de-lei-de-recuperacao-fiscal-dos-estados-e-df
    O Ministério da Fazenda divulgou nesta quarta-feira o projeto de lei complementar que trata do regime de recuperação fiscal dos Estados e do Distrito Federal.
    (…)
    Durante o novo regime, os Estados deverão reduzir o crescimento automático da folha de salários e elevar contribuições previdenciárias de ativos, inativos e pensionistas até o limite de 14%.
    (…)
    Segundo a nota, em contrapartida, a União irá indicar ativos a serem privatizados. “Após privatização, os serviços da dívida suspensos serão abatidos. Caso a privatização não ocorra até o final do Regime, ou os valores apurados na privatização sejam inferiores às prestações suspensas, os valores não pagos serão recompostos no saldo devedor para pagamento no prazo restante”, informou a Fazenda.

    Mais detalhes em: +http://www.fazenda.gov.br/noticias/2016/dezembro/projeto-de-lei-complementar

    7+
    • avatar
    • avatar
  • Alemão 14 de dezembro de 2016 at 16:24

    Sobre o aumento na interest rates dos EUA, duas análises:
    +https://mises.org/blog/what-federal-reserve-will-do-today
    +http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2585

    5+
    • avatar
  • Alemon Fritz 14 de dezembro de 2016 at 17:04

    mês passado também teve um, cuidado com eles, muitos são mentirosos psicopatas, e estão estressadinhos

    A médica Nislaine Colman Benites foi assassinada com três tiros desferidos pelo ex-marido identificado como o corretor imobiliário Rafael dos Santos, 35 anos.
    Rafael desferiu um tiro contra a porta e, em seguida, assassinou a mulher com disparos de arma calibre .380.

    “Médica e filha de vereador é executada com três tiros em posto de saúde.”

    http://www.correiodoestado.com.br/cidades/ponta-pora/medica-e-executada-a-tiros-em-posto-de-saude/293426/

    4+
    • avatar
    • avatar
  • From_The_Tower 14 de dezembro de 2016 at 17:16

    Avoa FED
    Juros futuros saltaram de 11,84% para 12,01% (2021)
    kkkkk
    Tá complicado dos juros caírem na Banânia !
    PNJ ! PMFI !

    8+
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 18:26

      tempestade perfeita
      inda bem que eles ganharam a eleição né, já pensou isso cair no colo da gente

      3+
      • avatar
  • From_The_Tower 14 de dezembro de 2016 at 17:19

    Anonymous…. recebi um cheque ontem pelo correio do Florida Hospital. Referente a garantia que eu deixei em Janeiro do atendimento da minha filha. 96 USD.
    Felizmente o seguro da Mastercard pagou a conta de quase 1000 dólares. (corte no queixo) ……
    Fico imaginando se ela tivesse se machucado mais seriamente. A conta passaria dos 50.000,00 dólares.

    Então….. peguei o aplicativo do Chase … capturei frente e verso e voilá….. estava com o depósito aceito.
    WE SUPPORT OUR TROOPS !

    P.S. Pessoal não dependam só do seguro saúde do cartão de crédito… façam mais um em grandes seguradoras. Recomendo a Allianz.
    A conta pode ficar muito salgada.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 17:43

      CVR dum amigo
      chutou uma pedra na praia e quebrou o mindinho
      além da dor horrorosa, 5 paus.
      o que era pra ser viagem de 1 ano virou 15 dias.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 15 de dezembro de 2016 at 10:57

        deixa eu completar a explicação
        ele junto 20 paus pra passar 1 ano mochilando, andando e trabalhando e morando na casa de amigos na california
        logo nos primeiros dias ele gatou quase metade da verba, sem poder andar, sem poder trabalhar … VAZOU

        mochilão só funciona nas zoropa

        2+
    • Anonymous 15 de dezembro de 2016 at 04:45

      Recomendo o seguinte pois pode ser renovado pela Internet.

      https://www.sevencorners.com/liaison-majestic#/quote

      PS: Já comentei aqui no BLOG várias vezes. Na minha experiência, healthcare nos EUA é basicamente uma enorme fraude. Custa 30 (sim trinta) vezes mais do que na Alemanha e os médicos, em sua avassaladora maioria, são do nível dos médicos do SUS.

      6+
      • avatar
      • From_The_Tower 15 de dezembro de 2016 at 07:07

        O atendimento foi muito bom. Mas os preços são assustadores.
        As passagens custaram 4 mil reais. (4 pessoas) e o atendimento de 01 hora no hospital deu os mesmos 4 mil reais. (seguradora pagou)

        4+
        • avatar
  • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 18:08

    CVR gostoso
    colegas da universidade publica, aqueles marxista que virou tudo professor ou baixo FP e divide o aluguel da herança com os irmãos
    Tudo puto com a PEC, mesmo os das particulares

    Por algum motivo que eu ainda não sei, ao congelar salario de professor pelos proximos 20 anos (eu sei que não é congelamento, viu)
    as particulares resolveram ou cancelar dissídio, ou baixar valor, ou alguma maldade que eu ainda vou descobrir.

    É aquela coisa, o BR é tão viciado na grana publica fácil, que quando acaba, até os particular sofre no efeito dominó

    Eu devia comemorar??? eu poderia rir???
    eu vou é fingir que estou chateado, afinal tantos anos estudando marx pra isso?
    que traição, esses golpistas do PSDB, isso mesmo, kkkk, pmdb então, é puta pra baixoooo, kkkk

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 14 de dezembro de 2016 at 18:20

    FED x TRump

    chegou aos meus ouvidos uma teoria conspiratória que o FED (empresa privada dona do dolar americano e dos juros) está em guerra contra o Trump e que vão elevar os juros pra ferrar com o homi.

    Eu escrevi isso semanas atrás.
    achei meio doidera, mas olha aí os resultados

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 14 de dezembro de 2016 at 20:15

    Bom, da Foxnews não dá para falar que é intriga da oposição.

    The Federal Reserve would do Donald Trump and his supporters a favor by raising interest rates.

    http://www.foxnews.com/opinion/2016/12/12/why-fed-interest-rate-hike-would-help-not-hurt-trump.html

    1+
    • Lucas 15 de dezembro de 2016 at 11:03

      a própria situação é quem mais gosta de teorias da conspiração
      eu não gosto de entrar nesses jogos, pra mim é tudo mentira
      outro dia foi a CIA acusando trump de ligação com os russos, no dia seguinte o FBI dizendo a mesma coisa da rilari
      99% das vezes é tudo sem pé nem cabeça

      os 1% real, todo mundo faz vista grosa, pq normalmente é aquela conspiração boa que deu certo que funciona
      como a dos petrodolares e f-15 manter semideuses árabes em troca do dinheiro girar de volta por uau strit financiando GMs e F15s e da gasolina barata.
      quero ver mexerem nesse vespeiro, se bem que alguns querem mesmo, seria a ww3, filhotes da década de 80, do survaivelism, hoje existem 3 milhões de americandos que realmente estão preparados para uma catastrofe3 zumbi, isso é real, eles tem algum problema, seilá, eles querem!

      1+
      • avatar
  • CarlosL 14 de dezembro de 2016 at 22:40

    Coelho da pascoa

    Concordo com o Anonymous.

    Explicação resumida:
    Isto motivaria distratos para recompra com desconto.

    Explicação detalhada:

    Em abril de 2013 eu visitei o estande de uma uma jaula de 55 m2 que estava sendo construída próxima a estação Autódromo da CPTM, o valor pedido na época era 287 mil e ainda haveriam correções do INCC, corrigindo o valor pelo IPCA seria hoje 373 mil reais. Atualmente a mesma construtora está construindo outra jaula, de 65 m2, ao lado da estação presidente Altino num valor “promocional” de 279 mil, isso dá uma diferença de R$84 mil. O apartamento é muito melhor localizado do que o anterior, é maior e é vendido mais barato. Supondo que neste exato momento os dois imóveis ainda estivessem em construção, um comprador do imóvel próximo a estação Autódromo poderia dar uma de experto e pedir o distrato, receber aproximadamente R$80 mil reais e comprar um apartamento melhor localizado, ele perderia 20 mil pra ganhar R$84 mil. Nossa bolha trouxe consequências sociais, todo mundo está pagando o pato de alguma forma, proteger esta gente que comprou na planta passa inevitavelmente por agredir indiretamente toda a sociedade socializando os prejuízos.

    11+

    Essa historinha me lembrou uma outra:

    Era uma vez o Sr. A que tinha um vizinho de andar recém chegado chamado Sr. B
    Certo dia, em meio a uma bebedeira Sr. A contou ao Sr. B que havia comprado o seu apto por “apenas” 600k e “”já”” havia pago 2 anos do seu lindo imóvel e estava com ainda 33 anos de parcelas. Pagou até então o total de 50k, amortizou do saldo devedor 10k (só isso?! sim, só isso mas essa parte ele ainda não sabe)…
    Sr. B virou espantado e disse: Nossa Sr. A, eu fui naquele última chance que aconteceu a sexta vez no ano chamado Even Day e consegui negociar o meu por 450k. Que tal o Sr parar de pagar o imóvel, deixar o banco tomar e após isso fazer a re-compra nesse mesmo andar pelo preço que paguei, nem que seja financiando pela Sra. A caso tenha problemas para fazer novo financiamento em seu nome ?

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 15 de dezembro de 2016 at 06:49

    Preço do aluguel sofre queda real de 9,56% nos últimos 12 meses
    Índice FipeZap de Locação mostra que o preço médio dos imóveis para alugar caiu 0,11% em novembro e 3,21% em 2016

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/preco-do-aluguel-sofre-queda-real-de-956-nos-ultimos-12-meses/

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 15 de dezembro de 2016 at 07:06

      Que maravilha !!!
      Ardam Brick-Lovers !!!

      3+
      • avatar
    • Ilusionista 15 de dezembro de 2016 at 07:13

      tristeza de uns, alegria de outros, locatários e Granero agradecem……

      a queda é tão significativa nos últimos anos, que para muitos a preocupação da escolha do imóvel, está sendo maior pelo valor do condomínio e IPTU do que pelo valor do aluguel.
      Devido as incertezas do futuro e contenção de gastos, muitas famílias trocando por imóveis mais compactos de baixo custo, não duvido que em breve um aluguel de 1 ou 2 dorm deverá valer mais do que um de 4 dorm com condomínio bolhudo…..procura por casas deverá crescer também.

      4+
      • avatar
      • From_The_Tower 15 de dezembro de 2016 at 07:16

        O que mais tenho visto é essa bizarrice.
        Apês de 04 quartos …. grandes… e que não alugam.
        Casas grandes então? Centenas á venda aqui em Curitiba. Ninguém mais quer esses trambolhos dos anos 80 e 90. As famílias estão tendo menos filhos e mesmo assim não há renda para esses preços maiores. (mesmo que no metro quadrado fique mais barato).
        O que vende mesmo são os apertamentos (iguais ao da minha cunhada) e ou sobrados de 120 metros quadrados, feitos um coladinhos nos outros.
        Enquanto isso… os rentistas opressores do PMJ pagam tranquilamente o aluguel com parte dos juros recebidos.
        Se eu soubesse que seria assim.. teria me tornado rentista antes.
        Avoa !
        PMJ E PMFI !

        5+
        • avatar
        • avatar
  • From_The_Tower 15 de dezembro de 2016 at 07:12

    Ouro e Prata desvalorizando no mercado internacional
    -2,20% e -3.71%

    3+
    • avatar
    • reznor 15 de dezembro de 2016 at 08:02

      Soros tomou fumo dessa vez.

      2+
  • Alemon Fritz 15 de dezembro de 2016 at 07:20

    corvos narigudos

    Quase 80% dos compradores acham que preço dos imóveis está caro
    os corretores e imobiliárias estão flexibilizando os preços para o próximo ano (que merda é essa…).. todos esperara a estabilidade dos preços (que merda é essa)

    Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/5926293/quase-dos-compradores-acham-que-preco-dos-imoveis-esta-caro

    2+
    • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 15 de dezembro de 2016 at 07:23

    Vejam só o que a MRV anda chamando de muro de contenção.

    Prédios são interditados e deixam 40 famílias desalojadas em Belo Horizonte
    http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2016/12/14/interna_gerais,832714/predios-sao-interditados-e-deixam-40-familias-sao-desalojadas-em-belo.shtml

    2+
    • avatar
    • Seguidor do Bolha BH 15 de dezembro de 2016 at 07:24

      Condomínio de BH tem 40 apartamentos interditados após queda de muro
      http://www.otempo.com.br/cidades/condom%C3%ADnio-de-bh-tem-40-apartamentos-interditados-ap%C3%B3s-queda-de-muro-1.1412222

      “Devido ao problema, que segundo moradores é antigo, várias famílias de outros blocos preferiram também deixar suas residências com medo de que rachaduras em outros pontos possam representar riscos.“É uma construção de um ano e meio e já tiveram outras ocorrências de rachaduras, além de alagamentos. O problema é má construção”, contou uma mulher, que pediu anonimato.”

      4+
      • avatar
      • avatar
    • Seguidor do Bolha BH 15 de dezembro de 2016 at 07:25

      Ops, a construtora é a TENDA. Desculpem a falha.
      hehehe
      Mas dá no mesmo.

      2+
      • avatar
      • Alemon Fritz 15 de dezembro de 2016 at 07:38

        por isso se chama “Tenda”, é na que vc vai morar..
        ou “Tenda” paciência,

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • md_bh 15 de dezembro de 2016 at 15:45

        Moro próximo, ali é um morro, dá até medo e tem vários construindo nesses barrancos. Só empilharam os blocos e o enchimento com concreto e colunas com ferragens, kd?

        0
  • thiago fm 15 de dezembro de 2016 at 07:42

    Agora que assumi uma segunda jornada de corvo e assecla do mercado imobiliário, confesso que o tempo tem ficado um pouco mais escasso pra mim, mas acho que conseguirei conciliar sem problemas, desde que trate um assunto por vez, como venho fazendo nos últimos dias.

    Depois que terminar de expor meu trabalho e concomitantemente elencar todos os capítulos da série especial do CA, pretendo consolidar tudo, cortar as pontas soltas e revisitar os pontos que ainda geram dúvidas e polêmicas. Sobre a eventual demora para algumas respostas é porque depois de tantos anos, penso que já passou da hora de escrever menos e mostrar mais. Evitarei ao máximo discutir questões centrais sem o auxílio de dados que sustentem meus argumentos. Aliás se o CA atualizasse seu trabalho seria de bom uso para elevar o nível do debate, já que o mesmo estranhamente deixou de fazê-lo há pelo menos um ano, mesmo já tendo publicado dezenas de tópicos por aqui.

    “fuja da explicação sobre os distratos do SECOVI SP que você SEMPRE soube que eram furados pelas diversas vezes que demonstrei para você”

    Já foi explicado por mim, pelo DEPEC Bradesco e pelo próprio SECOVI-SP, mas não custa reforçar:

    Dados do gráfico são baseados nas vendas brutas acumuladas nos últimos 12 meses, dividido pelos distratos registrados no mesmo período. É por isso que o destaque setorial do Bradesco (publicado como complemento) faz a involução dos dados com defasagem de 36 e 48 meses, justamente para terem uma noção melhor da safra de venda que deu origem aos distratos do ano corrente. A ressalva dos 36 meses só é feita pelo Secovi-SP em relação ao acompanhamento do estoque disponível. De qualquer maneira, como sei que você não aceitará nenhuma explicação, por mais plausível que seja, vou tentar contatar por e-mail o departamento de economia do Secovi e pedir mais informações a respeito da metodologia. Não posso garantir que me responderão e em quanto tempo, mas posso tentar. Aliás já fiz isso outras vezes com a Fipe, IPEA e CRECI-SP. Adivinha qual a única instituição que não respondeu ao meu e-mail?

    Comentários rápidos sobre o capítulo da novela EMBRAESP X FIPE:

    1- ” (…)encomendada pelo Zap Imóveis?
    A revista eletrônica do Zap replicou a notícia sobre a pesquisa no primeiro bimestre, mas em nenhum lugar consta que foi o Zap que encomendou a pesquisa, como você sempre afirmou. Por favor seja ético e mostre a origem da informação;

    2 “A informação da EMBRAESP divulgada pelo SECOVI SP não combina com a pesquisa da própria EMBRAESP feita a pedido da Zap Imóveis!!! ”

    Então temos um dilema aqui. Nesse caso o que você julga mais prudente num estudo que se preze: acreditar numa fonte secundária postado num link de notícia de outro veículo de informação, ou numa série de dados atualizada mensalmente e postada num portal que sempre foi o veículo tradicional de replicação dos estudos da EMBRAESP? Se você tivesse que defender seu trabalho numa banca de TCC qualquer, qual das fontes você acha que seu orientador diria para usar, no caso de um impasse como esse? Esse é o risco de usar links para embasar seus artigos.

    3 – Somos co-responsáveis pela informação que replicamos aqui. Durante quase quatro anos você replicou essa notícia com o intuito primordial de desqualificar o potencial da pesquisa Fipezap em apontar uma tendência e também de demonstrar que tinha havido queda de preços dos imóveis novos naquele período. Por que não fez a ressalva sobre a alta dos preços no acumulado daquele ano ou a meia culpa em relação ao Fipezap, tendo em vista que, independentemente de incongruências sazonais comuns na apreensão de períodos curtos, as duas séries demonstram incontestável similaridade? Contou que ninguém buscaria a validação das suas informações, não foi?

    Sobre a questão cíclica postarei até amanhã a consolidação do material de referência que embasou a leitura presente no meu trabalho e os apontamentos que justificam ao meu ver a ligação da teoria como a conjuntura brasileira. Como muitos já devem ter percebido eu cumpro as promessas que faço nesse blog.

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 15 de dezembro de 2016 at 08:22

      Thiago fm
      Uma sugestão para você como corretor

      Ficar alardeando que imóvel nunca baixa, apenas faz adiar o inevitável, isto provoca um nem-nem no mercado, porque o vendedor não quer abaixar e o comprador espera pela queda. Isto beneficia apenas:
      incorporadoras (que continuarão pedalando),
      bancos (que não irão precisar declarar o prejuízo quando requalificarem as garantias dos empréstimos das incorporadoras), e
      governo, que posterga mais uma dor de cabeça do caos social e econômico.

      Mas isto atrapalha mmmmuito o trabalho dos corretores e imobiliárias, pois apenas ficam adiando o inevitável.

      Se ocorresse um rápido ajustes de preços, voltando ao “median line”, da mesma forma que foi no Estados Unidos, em pouco tempo seria recuperado o volume de vendas, o que geraria comissões para os corretores.

      Mas ficam nesta lenga-lenga, igual a Espanha, Grécia e Japão, que empaca todos os negócios, esperando que com o tempo as coisas “naturalmente” se consertem.

      Sei que os imóveis já caíram bastante, mas terão que cair muito mais até ocorrer um reequilíbrio com a renda e a rentabilidade.

      Se você quer defender a classe dos corretores imobiliários, saia anunciando que A BOLHA EXPLODIU E OS IMÓVEIS IRÃO CAIR MAIS DE 50%

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 15 de dezembro de 2016 at 09:05

      Vamos lá, como ele continua FUGINDO de tudo que foi colocado, vale repetir, fazer o que?

      Distratos: você insiste na tese da PREMONIÇÃO??? Quer dizer que Ricardo Eng, CA e grande número de usuários deste blog ADIVINHARAM a ABERRAÇÃO dos distratos com dados a partir de 2012, apesar de segundo você e suas fontes isto só ter se tornado anormal a partir de 2014??? Os dados OFICIAIS de 12 construtoras com Ações na BOVESPA não apresentaram distratos anteriores a 2011. Em 2011 distratos de mais de R$ 2 BILHÕES, que mais do que dobraram em 2012. Em 2012, os piores resultados do segmento imobiliário de todos os tempos em função destes distratos de mais de R$ 5 BILHÕES. Foi este conjunto de ABERRAÇÕES que fizeram com que por aqui pudéssemos prever, não só a DERROCADA da economia, como ainda exatamente quais as construtoras mais afetadas e que na prática já haviam quebrado.

      EMBRAESP e FIPE ZAP: a persistência e o ACRÉSCIMO de MENTIRA e OMISSÃO por parte de Thiago FM. Não só vou repetir as evidências como complementá-las, uma vez que você AUMENTOU suas mentiras:

      Trecho do comentário acima de Thiago FM:

      “A revista eletrônica do Zap replicou a notícia sobre a pesquisa no primeiro bimestre”

      Link: http://msn.revistaimoveis.zap.com.br/155982-precos-dos-imoveis-novos-caem-em-sao-paulo.html

      Trecho do link acima, destaco a referência ao mesmo ter sido obtido com EXCLUSIVIDADE pelo Zap Imóveis. O que foi que eles REPLICARAM como você disse acima? Replicar é sinônimo de obter com EXCLUSIVIDADE? Se foi obtido com EXCLUSIVIDADE, como poderia ser a mesma pesquisa que a do SECOVI SP??? Você sabe o significado da palavra EXCLUSIVIDADE? A fonte de onde eu tirei esta informação??? A fonte OFICIAL, a própria revistaimoveis.zap.com.br, conforme link que consta acima.

      “Segundo levantamento da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), obtido com EXCLUSIVIDADE pelo ZAP Imóveis…”

      No seu documento com link em tópico anterior, você disse que ao final de dezembro/2013 o preço havia subido em São Paulo. Você lembrou de dizer que o dado da EMBRAESP usado pelo SECOVI SP é a MÉDIA dos 12 meses? Como você sai dizendo que ao final de 2013 o preço havia subido segundo a EMBRAESP usando como referência uma MÉDIA de 12 meses e não o preço em dezembro/2013??? Esta é a famosa ENGANAÇÃO estatística, que você também pratica com intensidade: uma pessoa está com a cabeça no freezer e o pé em um forno ligado, a cabeça está a zero graus centígrados, o pé está a 74 graus centígrados, você mede o pé e a cabeça, divide por 2 e diz que a pessoa está bem e saudável, com temperatura corporal de 37 graus, quando na realidade, esta pessoa já morreu!

      Você também vai dizer que não viu no relatório do SECOVI SP que eles tinham um * e explicavam que os valores eram MÉDIOS de 12 meses e por isto que “sem querer” mentiu ao “concluir” que os preços haviam subido ao final de 2013??? Vai alegar o que desta vez, que não sabia o significado da palavra MÉDIA???

      O gráfico do SECOVI SP com dados da EMBRAESP NÃO BATE com os dados divulgados da pesquisa da EMBRAESP divulgados com EXCLUSIVIDADE pela ZapImoveis: em 2013 não consta em NENHUM mês com resultado negativo no gráfico do SECOVI SP, sendo que no primeiro bimestre de 2013, segundo o que consta na revista ZapImóveis, o primeiro bimestre teve queda nos preços. Qualquer pessoa que olha o gráfico DE IMEDIATO identifica esta DISCREPÂNCIA, tanto é que apontei assim que vi o gráfico que você mencionou. Você viu isto, sabia disto, tinha certeza que sua argumentação era INVÁLIDA, utilizando um embasamento INCORRETO e mesmo assim insistiu em mentir??? Não foi sequer levantar se as bases eram as mesmas e se eram, porque a discrepância??? Não lhe ocorreu sequer a base do SECOVI SP poderia ser preço OFERTADO e da ZapImóveis os preços negociados???

      De novo, você demonstra que tira as conclusões primeiro, omite, distorce, mente, para depois apresentar suas FALSAS evidências, lamentável. Não adianta vir com DESCULPINHA ESFARRAPADA de TCC, o fato é que você agiu de má-fé pela nogentésima decepcionésima vez e mais uma vez isto está sendo demonstrado. Guarde suas desculpinhas de porque acreditou nisto ou naquilo, de porque omitiu e mentiu para a corja de corretores que acreditam em qualquer coisa…

      Sobre o cíclico, a completa estupidez demonstrada continua: faz um trabalho em que “conclui” que é cíclico, só que no trabalho, todas as evidências apresentadas demonstram exatamente o contrário. Quando é questionado sobre isto, o que faz? Alega que colocou evidências que demonstram que não era cíclico, que elas estão até no trabalho para quem quiser ver! Confrontado novamente, o que diz? Precisa de uma semana para INVENTAR evidências, sendo que com certeza, em relação à infinidade de itens que nunca aconteceram antes, certamente será um novo e grande conjunto de DESINFORMAÇÕES, como as DIVERSAS que tem sido desmascaradas e a GRANDE MAIORIA que ele não responde, ou responde com novas enganações, como no caso acima da EMBRAESP…

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 15 de dezembro de 2016 at 07:42
  • Cesar_DF 15 de dezembro de 2016 at 07:43

    Eu esperava uma queda no PIB, mas não de 7,6%

    IBGE diz que setor de serviços caiu 2,4% entre setembro e outubro
    Na comparação com outubro de 2015, a queda do volume de serviços chega a 7,6%, o maior recuo mensal da série histórica
    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2016/12/14/internas_economia,561234/ibge-diz-que-setor-de-servicos-caiu-2-4-entre-setembro-e-outubro.shtml

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 15 de dezembro de 2016 at 11:16

      confere, serviços desabou é sempre o ultimo a sentir e o ultimo a recuperar
      vem depois do comercio
      rosinha avisou

      2+
  • reznor 15 de dezembro de 2016 at 07:54

    Comprar imóvel ainda exige cautela
    http://www.valor.com.br/financas/4804511/comprar-imovel-ainda-exige-cautela

    Estoques altos, economia em crise, portanto, menos dinheiro circulando, e juros elevados. É esse o cenário do mercado imobiliário que, se em anos recentes, apresentava valorização constante, agora está bastante desaquecido. Um dado recente sobre o Estado de São Paulo aponta que de cada 100 apartamentos entregues em 2015, 41 foram devolvidos. Apesar de o mercado imobiliário ser sempre visto como investimento seguro, essa situação provocou forte queda nos preços, dificuldade para quem precisou vender seu imóvel e problemas sérios de liquidez para o investidor que concentrou seu patrimônio nesse tipo de ativo. Será hora de voltar a comprar?

    Para o educador financeiro Rafael Seabra, nesse cenário sensível da economia dificilmente a compra de um imóvel é uma boa escolha, seja para morar, seja para investir. A conta que ele faz é simples: quem tem R$ 500 mil para comprar um imóvel (que poderia ser alugado por cerca de R$ 2 mil mensais) terá mais vantagens se aplicar o valor em renda fixa, que, rendendo acima de 1% ao mês, oferece rentabilidade próxima a R$ 5 mil. Ao decidir imobilizar R$ 500 mil, o investidor está abrindo mão de R$ 5 mil por mês ou R$ 60 mil por ano. Esta seria a rentabilidade atual deste montante investido em aplicações financeiras de baixo risco”, alerta Seabra.

    4+
    • avatar
    • avatar
    • Louro José 15 de dezembro de 2016 at 08:35

      Comprar imóvel SEMPRE exige a máxima cautela. É um mercado com ampla assimetria de informação e envolve altos valores, quase sempre a maior quantia de dinheiro que uma família ou indivíduo transacionará na vida.

      4+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Louro José 15 de dezembro de 2016 at 08:40

    Anonymous

    Recomendo o seguinte pois pode ser renovado pela Internet.

    https://www.sevencorners.com/liaison-majestic#/quote

    PS: Já comentei aqui no BLOG várias vezes. Na minha experiência, healthcare nos EUA é basicamente uma enorme fraude. Custa 30 (sim trinta) vezes mais do que na Alemanha e os médicos, em sua avassaladora maioria, são do nível dos médicos do SUS.

    0

    Qual seria a solução pra esse problema americano no setor de saúde?
    Liberalizar mais o mercado?

    1+
    • Anonymous 15 de dezembro de 2016 at 09:34

      Ao contrário do que muitos acreditam, o mercado de tratamento médico nos EUA é fechado, não existe concorrência o que leva a preços fantásticos. Aqui a expressão “Máfia de branco” faz o maior sentido.

      Um seguro médico de um estado não vale em outro estado. Em alguns estados, a pessoa tem que escolher a farmácia onde vai comprar os medicamentos com receita. Não vai poder comprar em outra farmácia, a menos que peça uma autorização formal, o que pode leva alguns dias.

      Aqui está uma estória recente de uma familia mudando da Flórida porque não consegue tratamento para a filha. O medicamento para evitar convulsões da filha custa $ 250 USD a dose. O programa Medicaid (um programa para os pobres) só paga 4 doses por mes e a criança precisa de 12 doses. Este medicamento nada mais é do que Diazepam na forma de gel. A patente do Diazepam expirou em 1985. Qualquer farmácia de manipulação na Banânia faz Diazepam na forma de gel por alguns poucos reais.

      http://www.cnn.com/2016/11/28/health/health-care-refugees-part-1/

      Medicina é cursada em 3 anos após qualquer curso de graduação (sim qualquer). A relação candidato vaga nos cursos de medicina é, na média do país todo, somente 2.5:1. A dificuldade não está em entrar na faculdade, mas em pagar cerca de $ 100,000 USD/ano. Isto explica a baixa qualidade da avassaladora maioria dos médicos. Não se iluda com a qualidade dos prédios das clínicas e hospitais.

      Os exames médicos não são entregues aos pacientes. Os exames são enviados diretamente aos médicos, o que dificulta voce consultar um outro médico, pois vai ter que pedir cópia dos exames para o médico e explicar o motivo. Aqui novamente, um aspecto de um sistema extremamaente fechado, dificultando a competição.

      A situação é tão ridícula que recentemente 12 estados aprovaram Lei para obrigar os prestadores de serviços médicos a divulgar os preços para os pacientes. Os hospitais enviam a conta diretamente para as empresas de seguro e os pacientes não ficam sabendo do valor. Neste ponto está a maior parte da corrupção.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Anonymous 15 de dezembro de 2016 at 09:59

        As consequências do sistema de saude dos EUA aparecem na taxa de mortalidade infantil, onde o país perde para muitos países da Europa, incluse alguns pobres com a Polonia. A mainstream media reluta em aceitar este fato e oferece as mais estapafurdias explicações.

        https://www.washingtonpost.com/news/wonk/wp/2014/09/29/our-infant-mortality-rate-is-a-national-embarrassment/?utm_term=.7b322d755e54

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Alemão 15 de dezembro de 2016 at 10:20

          Para complementar o comentário do Anonymous:

          +http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1851

          2+
          • avatar
          • avatar
          • Alemão 15 de dezembro de 2016 at 10:26

            E um complemento em inglês:
            +https://mises.org/library/myth-free-market-healthcare

            1+
            • avatar
        • Lucas 15 de dezembro de 2016 at 11:15

          anonymous
          conhecia estás histórias por alto, e pelo que vc relata é bem pior do que eu sabia
          e o obamacare???
          onde ele entra nisso?

          eu vi ao vivo no original sem dublagem:
          “obamacare was a complete disaster need to be closed imediately” ou algo assim, depois falou de custar bilhões do contribuinte pra nada
          cara que merda…

          Tive problema uma vez na zoropa, em 5 minutos tudo resolvido, bastou dar o numero do passaporte, e nem era médico, era só dentista

          0
      • Leonardo M. 15 de dezembro de 2016 at 10:17

        Muitos americanos viajam até o Belize(ex colônia britânica e do lado do México) e vão se tratar lá com seus valiosos dólares.
        Custa mais barato e ainda por cima aproveitam umas férias no mar do cáribe.

        2+
        • avatar
      • baiano 15 de dezembro de 2016 at 11:22

        Nunca vi tanta besteira escrita sobre medicina no EUA ou curso médico aqui. Depois que uma vez vc postou,e temou, que para brasileiro exercer medicina aqui era só validar diploma eu entendi o grau de ignorância sobre o assunto lol

        1+
        • Lucas 15 de dezembro de 2016 at 11:28

          prove o que vc falou

          0
          • baiano 15 de dezembro de 2016 at 11:52

            Sobre formação médica no EUA:
            1 Qualquer livro de qualquer especialidade médica usado no Brasil ou qualquer lugar do mundo e baseado em 80% do que é produzido aqui. Abra qualquer livro médico e cheque as referências após cada capítulo.
            2. Quase todos os tratados médicos de qualquer especialidade vem dos EUA
            3. Os médicos do Eintein, Sírio cia vem aprender a reciclar aqui
            4. Grande maioria das pesquisas médicas de relevância vem daqui
            5. Seis dos top 10 cursos medicos do mundo estão aqui http://www.topuniversities.com/university-rankings-articles/university-subject-rankings/top-medical-schools-2015
            6. Curso médico aqui e o mais concorrido e difícil de entrar mas é caro. Contudo, vc consegue empréstimo p pagar seu curso. Nao conheço quem não tenha feito por falta de $$$ – mas sai com uma boa dívida
            Tá bom?!

            4+
            • avatar
            • Anonymous 15 de dezembro de 2016 at 11:55

              Sim, concorridíssimo segundo a AAMC – 2.3:1 (dois ponto tres para um). Cai na Real, qualquer coisa além de unha quebraba, é melhor ir para o AEROPORTO.

              2+
          • baiano 15 de dezembro de 2016 at 11:55

            Claro que maus e ótimos profissionais vc encontra em qualquer lugar. O Brasil tem ótimos médicos tb, mas estamos falando de curso medico

            1+
            • Anonymous 15 de dezembro de 2016 at 12:10

              Baiano, explica o Diazepam gel custando $ 250 USD a dose – cerca de 800 Reais. Se voce pedir 800 Reais de Diazepam gel numa farmácia bananense de manipulação, o farmacêutico é capaz de perguntar se voce vai vir buscar de carro.

              2+
              • avatar
            • Lucas 15 de dezembro de 2016 at 13:31

              baiano
              vc deu informações complementares que de modo algum invalidou as tais “besteiras”
              a menos de um * a mais pra desambiguar, ou contextualizar algum detalhe ou outro.
              medicina nos EUA realmente é caríssima e a qualidade não justifica o preço em 90% das coisas básicas, talvez só nas tops
              sobre remédios temos 2 mundos, os remédios mais baratos e mais caros do mundo ficam aí, toda a ciencia está de cócoras pra industria.
              eu mesmo que tomava piluas pra intolerancia lactose, que nem remédio exatamente é, eu sei o quanto pode ser mais barato, ou mais caro a depender mais dos direitos que guardam do que realmente o custo do produto em si.

              1+
        • Anonymous 15 de dezembro de 2016 at 11:53

          Eu resido nos EUA e já tive esperiência como paciente aqui, na Banânia e na Alemanha. O que contei não é algo de ouvi dizer, mas experiência própria.

          Eu nunca disse que era só validar o diploma, mas acredito que mesmo os médicos formados nas UNIESQUINAS bananenses conseguem trabalhar como médicos nos EUA sem qualquer dificuldade. Em particular conheço duas médicas bananenses que estão trabalhando aqui e uma outra que está prestando algum tipo de exame para poder trabalhar. Uma foi contratada praticamente recém formada da Unicamp porque – tinha experiência em cirurgia adquirida em residência no hospital universitário.

          Entre em qualquer universidade dos EUA e voce verá que praticamente nenhum professor de medicina tem doutorado e quando tem não é em medicina. Faça a mesma coisa na faculdade de medicina na USP.

          The Real Medical School Acceptance Rate
          http://www.doctorshadow.com/the-real-medical-school-acceptance-rate/

          In 2012, there were approximately 636,309 applications submitted to the 141 medical schools recognized by the AAMC. Of the applications submitted, only 19,517 applicants were admitted to medical school. That is an acceptance rate of approximately 3 percent. The only problem is that this number is wrong! In fact, there were only 45,266 applicants that submitted those 636,309 applications. Of the 45,266 applicants to medical school, 19,517 became medical school students. This means that approximately 43.11 percent of medical school applicants became medical school students.

          A fonte para o texto acima é a AAMC – Association of American Medical Colleges.

          Taxa de aceite nas escolas de medicina = 43.11% ou seja 2.3 para 1 (menos do que a SEGUNDA fase dos vestibulares na Banânia)

          CVR: Em certa ocasião, um amigo Americano estava fazendo um tratamento para dor na coluna numa “pain management clinic” – na minha opinião, uma vigarice que compete com os traficantes de drogas. Pesquisei o médico dele e descobri que a graduação foi em artes, sim ARTES!. Então pedi que o resultado de uma tomografia da coluna desse meu amigo fosse colocado num DVD. Detalhe, tive que mostrar a Lei e ameaçar processar para conseguir o exame. Enviei para a Banânia para um médico de confiança que por sua vez conversou com colega da área. O resultado é que meu amgo estava tomando inheção na vértebra ERRADA.

          4+
          • baiano 15 de dezembro de 2016 at 13:46

            Eu tambem resido e sou medico aqui (parte da mafia de branco USA kkkk) mas formado no Brasil. Recebo ligacoes semanais de medicos brasileiros, muitos renomados (seus medicos do Einstein ou Sirio), querendo saber do processo para vir trabalhar aqui. Parece que por preguica kkkk, desistem depois de saber de todo o processo (depois baiano que e preguicoso kkkkk). Acho que eles querem vir para ca para ajudar elevar o grau da medicina Americana kkkk.

            Fico feliz em saber da facilidade de entrar no curso de Medicina aqui pois fiquei mais aliviado com meus filhos kkkk. Alias, esses Americanos devem ser muito burros mesmo, pois com toda essa facilidade, qualquer um se formando e os altos salarios (vc pesquisa – vc e versado em internet) nao sei como a procura nao e maior. Realmente, dinheiro nao leva a nada (PMJ) e a sociedade Americana nao se interessa por ele. Se sua descupla for o preco do curso, qualquer um consegue emprestimo para pagar o curso. Debito alto no final do curso? Pesquisa os salarios de novo kkkk

            Sim, o custo da Medicina aqui e caro e se vc nao tiver seguro para cobrir os remedios, consultas, etc… (sim, como vc sabe, o seguro cobre o remedio – parcialmente (80%) ou integralmene, dependendo do seu seguro) e for pagar os custos do seu bolso, ganha na sena ou volta para Banania. O sistema medico nao e perfeito (tem muitos problemas sim) mas estamos falando de ensino medico e formacao.

            Vejo pacientes semanalmente vindos do Brasil a procura de consultas para resolver problemas nao resolvidos no Brasil ou segunda opiniao (todos pacientes com acesso a melhor medicina do Brasil). Para cada um que vai procurar ajuda medica no Brasil, vindo daqui, deve ter 1000 da Banania vindo para ca enquanto vao a NY e Disney kkkkk

            Nao sei o que suas amigas fazem, mas o que mais tem e medico brasileiro trabalhando de assistente em laboratorio e posando de medico aqui (conheco varios). Estrangeiro so se forma aqui se matar uns seis leoes durante a formacao. So entra na residencia com notas 9 para cima (estou falando entrar em curso bom e especialidade com boa procura). Family medicine e bem mais facil…

            PS beijinho no ombro kkkkkk

            5+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
  • Louro José 15 de dezembro de 2016 at 08:41

    CarlosL

    http://oglobo.globo.com/economia/minha-casa-minha-vida-setor-de-habitacao-quer-nova-faixa-para-renda-ate-15-mil-20639705

    Super trópico ?!

    1+

    Mano, MCMV pra quem ganha 15K?
    Quem com 15K vai querer morar naquelas porcarias?

    Outra: pra que programa de governo vai se meter em mercado de alta renda, meu zeus?

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • fanfarraum 15 de dezembro de 2016 at 11:02

      “Nós não queremos nenhum subsídio, queremos melhorar a regulamentação”, ressaltou o vice-presidente da Abrainc e diretor de Relações Institucionais da Cury Construtora, Ronaldo Cury.

      Hahahahahaha

      2+
  • Louro José 15 de dezembro de 2016 at 08:43

    From_The_Tower

    Avoa FED
    Juros futuros saltaram de 11,84% para 12,01% (2021)
    kkkkk
    Tá complicado dos juros caírem na Banânia !
    PNJ ! PMFI !

    6+

    Crise política se agravando;
    Reforma da previdência não vai sair como eles desejam.

    Temer ainda tem uma base grande pra aprovar o que quer, mas a crise da política é imprevisível.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • De-boa-na-bolha 15 de dezembro de 2016 at 08:45

    Eu sou o Tijolo, não importam eras… mesmo que glaciais, ou meteoritos ainda que flamejantes, eu sou absoluto, e isso me basta!

    Quanta mentira ! Vai juntando moedas …que cédulas ficarão difíceis….

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 15 de dezembro de 2016 at 09:03

      Belo poema.

      Com o estado do mercado imobiliário só o Super Mario mesmo para conseguir tirar alguma moeda dos tijolos.
      Vender não vende, alugar só com desconto.

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Louro José 15 de dezembro de 2016 at 09:00

    Aí eu abro o estadão e sou obrigado a ver o Fabio Gallo chamar o consórcio de poupança forçada…

    http://economia.estadao.com.br/blogs/fabio-gallo/2016/12/12/consorcio-e-uma-forma-de-poupanca-forcada/

    6+
    • avatar
    • Lucas 15 de dezembro de 2016 at 11:08

      bateu a cabeça

      2+
  • CarlosL 15 de dezembro de 2016 at 09:39

    Sei que postei o link acima, mas permitam-me reproduzir o texto:
    http://oglobo.globo.com/economia/minha-casa-minha-vida-setor-de-habitacao-quer-nova-faixa-para-renda-ate-15-mil-20639705

    Minha Casa Minha Vida: setor de habitação quer nova faixa, para renda até R$ 15 mil

    SÃO PAULO – O presidente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Rubens Menin, disse nesta terça-feira que a indústria de construção está pleiteando junto ao governo federal a criação da faixa 4 do programa Minha Casa Minha Vida, em que o limite de renda seria de R$ 15 mil.

    – Propomos essa faixa 4 para atender população fora do radar. Nosso pleito é ambicioso – disse Menin, que também é fundador da MRV.

    Segundo ele, o governo teria sinalizado um limite de R$ 10 mil para renda nessa modalidade do programa.

    1+
  • Cadeludo 15 de dezembro de 2016 at 10:16
  • Camika 15 de dezembro de 2016 at 10:41

    CVR
    Nem consigo comentar, só rir
    http://imgur.com/a/Myfdc

    8+
    • avatar
    • Lucas 15 de dezembro de 2016 at 11:08

      CVR me lembrou uma coisa
      este fds estive num shopping propaganda de suv (a kicks caso queiram) pra ir no teatro, fato rarísimo eu dentro dum shopping
      copinho da raguendas 35 reais
      no café gurmê (horroroso) a mesa do lado a mulher chegou com 18 mil reais em compras pra trocar por cupons de 1,200 e concorrer ao carro.
      porisso digo e repito, tem ainda muito çangui no mercado, tem ainda muito pedal pra girar, tem ainda muita inflação, muito ajuste.

      9+
      • avatar
      • avatar
    • From_The_Tower 15 de dezembro de 2016 at 11:13

      TONY`S BREAD INDEX
      kkk

      0
  • Lucas 15 de dezembro de 2016 at 11:20

    TRUMP vai estourar a bolha mundial de dollares

    estou neste momento ouvidno a foxnews esse link aí em cima, seja com fed seja sem fed o efeito vai ser esse.
    a mãe de todas as bolhas, senhores, vai ser um arraso.
    nem maquiar mais será possível
    conforme meu cvr do shopis, o mercado ainda tem muita bosta pra voar pra cima, está longe de secar.

    2+
    • avatar
    • CarlosL 15 de dezembro de 2016 at 11:27

      Não é beeeeem assim pelo visto….

      Vi uma reportagem esses dias que o segmento de artigos de luxo subiu o faturamento em 10% esse ano.
      Acho que na verdade, a pirâmide social tende a ficar com um buraco bem no miolo e a maior parte da sustância desse vai esparramar para a base, enquanto uma pequena parte sobe……

      3+
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 15 de dezembro de 2016 at 11:36

        POSTEI UM cvr sobre a turma dos AAA+
        proucra aí acho que foi no topico passado

        estão nadando de braçadas

        uma mulher gastar 18 mil em meia duzia de sacolinha pequenas e não era nem 4 da tarde.
        o marido do lado fez cara de paisagem, só soube da conversa pq o café ficava do lado de onde troca o cupom e minha cadeira estava colada na do gordinho, o cara nem piscou, com 18 mil, até troquei umas palavras de boa tarde com ele, aquele foi 1 dia comum pra eles.

        4+
        • avatar
        • avatar
  • Lucas 15 de dezembro de 2016 at 11:27

    Zé Carioca

    A construção civil leve tem um lobby (aka propina) menos pesado que as grandes empreiteiras. O lobby é mais voltado para as prefeituras, para obter autorizações e licenças. O lobby delas no governo federal é maior por ser um setor que usa muita mão de obra e uma parada significa aumento grande no desemprego, acho que isso leva aos aumentos do teto do financiamento pelo SHF, só que não resolve nada porque a população está sem dinheiro e poucos têm coragem de comprar um imóvel hoje.

    1+

    está parcialmente certo
    é mais leve sim, mas não é só local, uma vez que vc tem os agentes financeiros dipostos a aprovar qualquer coisa
    quando vc aprova crédito para uma empresa investir, ampliar, ou uma cidada, uma infra, é uma coisa
    quando vc libera a farra pra ostentar TV, ostentar railux, ostentar xoxoteca, não precisa ser nehum fermando financeiro pra perceber que vai dar MERDA!

    zé, que aconteceu contigo?
    andou fazendo lavagem estomacal?
    dá até pra comentar as coisas que vc escreve… parabéns, continue se tratando, seilá o que vc tomou, os cisticercos estão regredindo

    2+
    • avatar
    • CA 15 de dezembro de 2016 at 11:50

      Lucas,

      O debate acima começou porque relacionei as ações propostas pelo governo com a Lava-Jato e com construtoras que atuam tanto no segmento leve (residencial e comercial) quanto pesado (infraestrutura) e que seriam beneficiadas por estes atos.

      Claro que, como mencionei depois, temos ainda os relacionamentos mais do que suspeitos entre BTG, CEF e PDG, o relacionamento da MRV com o governo, dentre outros, que também influenciam nestas ações do governo.

      Já mencionei algums tópicos atrás, mas vale a pena ressaltar:

      Não interessa a nenhum governo ver a bolha imobiliária explodir de forma mais visível, pois isto traz uma queda maior na economia no curto prazo e ainda, as pessoas ficam mais pessimistas e revoltadas com o governo, porque descobrem que não tinham ficado milionárias com tijolos da noite para o dia e sem nenhum esforço, que é a peça de ficção sempre vendida pelo segmento imobiliário e seus asseclas. O problema das pedaladas, como já foi amplamente demonstrado em tempos recentes aqui no Brasil, é o fato que quanto mais pedalam, piores serão as consequências para a economia.

      Por último entra até o que o Ze Carioca falou, a intenção do governo de não aumentar o desemprego na construção civil, só que aqui é um grande equívoco, pois ao darem FALSAS esperanças ao segmento imobiliário, algumas construtoras não diminuem o quanto deveriam os lançamentos, enquanto outras até aumentam, com isto, a distorção entre oferta e procura só cresce e como consequência, o desemprego gerado em seguida só aumenta. Novamente, isto não é apenas uma “tese”, mas sim um fato amplamente comprovado: quando o governo aumentou o limite do financiamento do SFH para R$ 750 mil, quando ele aumentou o limite de financiamento da CEF para R$ 3 milhões, quando ele aumentou os repasses do FGTS para aumentar a verba disponível via Pro-Cotista, quando ele reduziu o quanto os bancos precisavam reter da poupança e ainda deixando sem remuneração se não usar para empréstimos imobiliários, para aumentar a liquidez e também para forçar os bancos privados a emprestaram mais, dentre uma INFINIDADE de medidas apelativas, o que aconteceu? Os distratos continuaram aumentando, a desproporção entre estoque e vendas continuou subindo, as construtoras continuaram quebrando, o desemprego na construção civil continuou crescendo, os preços dos imóveis e aluguéis continuaram caindo, etc,etc,etc…

      3+
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 15 de dezembro de 2016 at 12:04

        CA
        dizer que é mais leve, não quer dizer que é enorme
        obviamente a bandalheira envolvendo itaipus, pontes rio-niterói, são-franciscos, torres de petróleo, centrais nucleares, qualquer maquininha ali custa alguns milhões.

        o nefasto da bolha no segmento “leve” é que ela pega pelo sonho do cidadão. daí o moral hazard é muito maior.

        FHC no caso Encol não só deu uma banana pros caras que vieram com pires na mão, a sede da Encol era ali do lado do palacio, como decretou intervenção e alguns ali ficaram vários dias presos, acho que uns 5. Foi pouco mas pra época foi um escandalo de proporções épicas. Resultado FHC até hoje é odiado pelas vítimas da Encol. Lula fez 20 vezes pior e logo vão esquecer assim como ninguem mais liga Mario andreaza com costa e silva com Rotschild & sons, com 23 perdeiros soterrados no cimento que é mais barato contiunuar bombeando que puxar eles pra cima https://pt.wikipedia.org/wiki/Ponte_Rio%E2%80%93Niter%C3%B3i

        0
  • Leonardo M. 15 de dezembro de 2016 at 11:34

    Preço do aluguel de imóveis cai 0,11% em novembro, 18º queda em 19 meses

    O preço anunciado de locação dos imóveis residenciais caiu 0,11% em novembro na comparação com outubro, de acordo com pesquisa realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) com base nos anúncios do site Zap Imóveis em 11 cidades. O recuo de novembro foi o 18º nos últimos 19 meses.
    A queda de 0,11% em novembro, porém, foi mais branda do que em outubro, quando a retração atingiu 0,17%. Segundo o levantamento, o recuo no acumulado do ano chegou a 3,21%. Com a baixa, o preço médio do metro quadrado de locação chegou a R$ 30,00.

    No mês de novembro, nove das onze cidades monitoradas pela pesquisa mostraram quedas nominais no preço anunciado dos aluguéis. O Rio de Janeiro apresentou o maior recuo no mês (-0,47%), seguido por Curitiba (-0,28%) e Porto Alegre (-0,20%). São Paulo, a maior cidade do País, teve baixa de 0,10.

    Apenas Salvador e o Distrito Federal tiveram elevação nos preços dos aluguéis, que subiram 0,15% e 0,89% respectivamente.

    A pesquisa também mostrou que a relação entre os valores de locação e os valores dos imóveis – medida que representa a rentabilidade do ativo – ficou em 4,4% em novembro.

    O preço de locação tem sido afetado pelo excesso de imóveis disponíveis para comercialização. Como muitos proprietários não conseguiram efetivar uma venda, decidiram direcionar o imóvel para locação, repassando custos como condomínio, IPTU e manutenção.

    Além disso, muitos consumidores estão reticentes em fechar negócios devido ao cenário econômico incerto.

    2+
    • Lucas 15 de dezembro de 2016 at 11:37

      fingezap denovo com seus zero virgula qualquer coisa negativos
      no mundo real mulitpilica por 10x

      2+
      • Leonardo M. 15 de dezembro de 2016 at 11:42

        Concordo

        Eu aluguei um AP novinho em uma área residencial classe B em uma cidade média por módicos R$13,11 o m² mensais.
        Garagem, 2 quartos, último andar, poucos vizinhos(e os que têm tudo padrão A às casas) construção TOP(nada de padrão MCMV)
        O mundo real é outros quinhentos…

        2+
        • avatar
        • Diego F. 15 de dezembro de 2016 at 11:52

          Você é de Florianópolis, certo? Imagino que tenha alugado no continente… Coqueiros? Em bairro bom da ilha o aluguel continua subindo ou estável.

          1+