Construção civil demite em massa – Hoje em dia

Você pode gostar...

Comments
  • Rogerio 30 de setembro de 2011 at 13:39

    Gostaria de ver o presidente do Secovi explicar uma noticias dessas, qual seria o argumento dele para distorcer uma noticia assim. Contra fatos não há argumentos.

    0
    • Paty 30 de setembro de 2011 at 13:57

      é verdade .. concordo com vc Rogerio

      0
    • Duda 30 de setembro de 2011 at 14:31

      Esses caras de pau sempre encontram um argumento… tipo: os funcionarios ganharam muito dinheiro e decidiram sair dos empregos para tirar ferias… em massa, claro.

      0
  • Rogerio 30 de setembro de 2011 at 13:47

    Construtoras derretendo novamente 4 entre as 5 maiores baixas e são baixas consideráveis, isso porque o mercado está super aquecido!!! Imagina se não estivesse.

    Onde essas construtoras vão parar???

    GFSA3 -5,73% 13h30
    RSID3 -5,58% 13h30
    MRVE3 -4,78% 13h30
    PDGR3 -4,55% 13h30

    0
    • Luiz 30 de setembro de 2011 at 14:43

      vou repetir aqui
      sugestão de site pros favoritos o trading cafe,
      bom senso e bom humor
      olha o que ele postou hoje

      tradingcafe.com.br

      “Bolha Imobiliária no Brasil… Como não existe uma, as ações do setor demonstram isso…
      Posted on September 30, 2011

      Como todo mundo insiste em dizer que não existe uma bolha imobiliária no Brasil, os investidores afoitos estão vendendo as ações das empresas do setor à vontade… Eles certamente estão equivocados… O mercado está caindo como um todo mas as ações do detor imobiliário estão superando as quedas com folga, pelo simples fato que os preços praticados na comercialização dos imóveis está absurdo, o crédito retraiu e as vendas estão em queda também.

      Como o preço das ações representam os fluxos de caixa futuros trazidos a valor presente, as ações estão despencando.

      … A Bolha existe e vai estourar, os preços vão cair muito.”.

      0
      • Ader 30 de setembro de 2011 at 14:48

        Estão vendendo pra se livrar…

        0
        • Luiz 30 de setembro de 2011 at 16:32

          A grande G quase 4 reais a ação hoje, isso pq os especialistas do mercado que escreve em jornais sustentava que era pra comprar pq chegaria em 15 reais.

          Só não falou quando.

          Talvez qdo o bndes der um emprestimo de salvamento desses a fundo perdido

          0
          • MrK 30 de setembro de 2011 at 17:17

            [email protected] cara, como uma empresa que paga miserios 0,23 centavos de dividendos por ano pode custar R$15,00??????????

            tá de brincadeira????????

            isso porque ela estava na crista da onda do mercado dela… ou seja, quando o mercado cair vai pagar o que? 10 centavos?

            esse papel não vale nem 3,00 , é sério. Eu venho dizendo isso desde que ela tava a R$9,00

            0
  • Carcará 30 de setembro de 2011 at 13:54

    Essas duas notícias: desemprego em massa na CC e queda da ação das construtoras são algumas das consequências que podem ser lidas nas entrelinhas da reportagem CONSTRUTORA REDUZ DEMANDA POR CRÉDITO, diretamente dos depoimentos dos entrevistados.

    Acabei fazendo algumas interpretações (“repostagem abaixo), no sentido nietzscheano do termo, de algumas delas, duas das quais coincidem com desemprego e queda nas bolsas. Outubro vai ser ainda mais animado. E o ano de 2012, então…

    Abraços.

    Como diria Nietzsche: não há fatos apenas interpretações. Então seguem algumas interpretações sobre a reportagem : CONSTRUTORA REDUZ DEMANDA POR CRÉDITO

    1. “O financiamento imobiliário para pessoas jurídicas começa a emitir sinais de acomodação. O movimento estaria associado ao fim do primeiro ciclo de produção das construtoras, em meio ao boom que vem sendo experimentado pelo crédito habitacional no país.
    “As empresas estão, agora, focadas na entrega dos empreendimentos”, explica José Roberto Machado Filho, diretor executivo do Santander. Embora ele ainda não note no banco um arrefecimento da demanda corporativa, as conversas com empresários e as próprias projeções de lançamentos das companhias listadas na bolsa de valores fazem com que ele tenha essa percepção.”

    Interpretação 1 => Como nós, as construtoras, percebemos que o boom (bolha) criado por nós mesmas chegou ao fim, pois o “o idiota final”, especulador de 20%, percebeu que já não há mais o lucro esperado, nós, construtoras, não vamos assumir o risco sozinhas de construir imóveis que sabemos mais do que ninguém estarem sobrevalorados.

    2. “A participação da pessoa jurídica no bolo do sistema, hoje em torno de 50%, pode recuar para cerca de 40% ao longo de 2012. “Se considerarmos todas as unidades que serão entregues, a tendência é que a pessoa física tenha predominância, daqui para frente”, afirma Barbosa. “Essa diminuição no ritmo de crescimento do crédito imobiliário para empresas, que seguramente vai vir, é importante para a longevidade do setor”, acrescenta.”

    Interpretação 2 => Como o tolo maior, especulador de 20%, desistiu do papel, não vamos mais tomar dinheiro emprestado para construir mais nada. Conseqüências possíveis para o triênio 2012-2014: desemprego no setor de CC, queda de preços dos imóveis (VIVA BOLHA!) e falências.

    3. “Depois de abrirem capital em bolsa entre 2006 e 2007, as construtoras investiram boa parte do dinheiro captado, primeiramente, na compra de terrenos. A segunda fase de investimentos, entre 2009 e 2010, contemplou os lançamentos. Chegou, portanto, a hora de vender e apurar lucro.”

    Interpretação 3 => Como os custos com terrenos, mão-de-obra, e material foram baseados em preços inflados, vai ser difícil vender e apurar lucro simultaneamente. Ou vende ou apura lucro!

    4. “Seria natural que, ao mesmo tempo que o mercado imobiliário encerrasse esse primeiro ciclo de produção, já desse sequência a um segundo ciclo, buscando mais financiamentos para a compra de terrenos. O movimento vai, sim, ocorrer, porém de forma mais moderada, com as empresas sendo mais seletivas na escolha de futuros lançamentos.”

    Interpretação 4 => Como o tolo maior, especulador de 20%, caiu fora, não há mais ciclo, pois não há demanda, visto que alienígenas não virão ao Brasil comprar os imóveis que fizemos baseados na nova crasse C. Quem sobreviver, vai fazer um predinho ou outro de vez em quando.

    5. “A desaceleração da pessoa jurídica está vinculada, justamente, à tendência de maior seletividade para os próximos lançamentos. “A expectativa dos investidores era que a reposição de caixa das empresas do setor imobiliário fosse mais rápida e as margens, maiores do que efetivamente estão sendo entregues no encerramento desse primeiro ciclo”, afirma Barbosa, do HSBC. Ele acrescenta ainda o fato de muitas empresas terem se aventurado pelo mercado de baixa renda, no embalo do programa de governo “Minha Casa Minha Vida”, quando na verdade não estavam preparadas para atuar nesse nicho. “São poucas as empresas que têm essa especialidade, menos ainda aquelas que são listadas em bolsas”, diz Barbosa. “Não à toa, as ações de incorporadoras têm sido bastante penalizadas por investidores.”

    Interpretação 5 => Finalmente lemos os dados do IPEA e entendemos o que é a nova crasse C. Pedimos desculpas aos nossos investidores na bolsa – Sorry, periferia.

    Abraços.

    0
    • Platao 30 de setembro de 2011 at 14:17

      excelente…rsrs

      0
    • Tatanka 1 de outubro de 2011 at 10:09

      Boa analise, parabéns.

      0
  • Duda 30 de setembro de 2011 at 14:04

    Começa a parte feia do estouro.

    0
  • MrK 30 de setembro de 2011 at 14:14

    Ações de construtoras? Queda livre (-60%)

    Empregos no setor? Virando o ponto de inflexão

    Preços? Estagnados sem vendas

    Numero de imoveis a venda? Explodindo no ZAP

    Salao do imovel? Cancelado

    Inadimplencia? Em tendência de alta (estão tentando de tudo como mexer em FGTS e outras regras)

    Mas imagina que há bolha imobiliaria, é claaaaro que não, né??? Isso tudo é sustentável… tem que ser muito cego pra não ler tantos sinais cada vez mais evidentes

    0
    • Duda 30 de setembro de 2011 at 14:29

      As ações estão no ponto de vender pelo preço que for… Hoje já estão pelo 6%, e ainda faltam 3 horas…

      0
  • MrK 30 de setembro de 2011 at 14:15

    Gostaria de repetir um post que ficou perdido na noticia antiga,

    2 Amigos meus foram procurar imóveis para alugar no Rio de Janeiro (Zona sul), onde os jornais juram que não há mais oferta… ambos acharam diversos imóveis, muitos oferecidos há meses (confidenciado pelos corretores) e ambos fecharam seus imoveis abaixo do valor pedido, um com desconto de 10% e outro de 15%.

    Vai vendo…

    0
    • Evandro 30 de setembro de 2011 at 14:35

      Saiu no Metro reportagem “Na dúvida, renove o contrato de aluguel”. Há 1 mês eu mudei de apto.
      O dono do antigo pediu R$1200(eu pagava R$800), e era um 2 quartos em 1 andar, mal estado e prédio antigo.
      Pois bem, achei na rua de trás um 3 qtos por $1150 num andar alto e prédio mais novo.
      Depois a dona do antigo disse que na verdade ela queria negociar.

      E o melhor, o que acabei de alugar, o dono estava pedindo $1400.

      Não sei se essa bolha estoura, mas que está murchando, isso sim está.

      0
      • Luiz 30 de setembro de 2011 at 14:40

        jà falei isso, aquilo q vc cita era noticia plantada, noticia paga

        tem muita oferta, vc fecha abaixo do valor antigo em muitos casos.

        Querem empurrar o igpm pro aluguel pra sustentar valorização.

        0
      • Ader 30 de setembro de 2011 at 14:43

        Particularmente acho que já estourou…

        0
    • trackback 30 de setembro de 2011 at 14:52

      É, aqui no Espírito Santo, tá acontecendo a mesma coisa, imobiliárias – vendas paradas, o que restou foram os aluguéis para mantê-las.

      0
    • RT 30 de setembro de 2011 at 16:39

      Isso aconteceu comigo no começo deste ano, quando aluguei o apê onde estou agora.

      O preço originalmente anunciado, em Dezembro, era de 1500 reais. Ficou um tempão sem alugar. Quando caiu a 1400, fui na imobiliária, e disse que se baixasse pra 1300 e eu alugava. Eles toparam, então fechei.

      0
    • Leonardo 30 de setembro de 2011 at 18:34

      so pra eu ter uma ideia, por quanto eles alugaram o ap, em que bairro, metragem e com ou sem vaga de garagem…? pelo site do zap so tem ap pra alugar caro na zona sul!

      0
  • simone 30 de setembro de 2011 at 14:18

    esperando que em porto alegre rs , o preço comece a cair

    0
    • Diego 30 de setembro de 2011 at 21:42

      Eu tbm Simone. Quero ver o resultado fantástico dos feirões que estão acontecendo….

      0
  • Dani 30 de setembro de 2011 at 14:59

    Já estou ficando cansada de ver…desde semana passada todos os dias tem corretores de constutora tentando vender na planta na porta do meu trabalho! E nunca tem ninguém comprando, só às moscas…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…

    0
    • lopes51 30 de setembro de 2011 at 16:08

      Boa tade Dani!!!
      Se não me engano vc é funcionaria pública federal certo?????
      Se sim o problema é que tanto vc como eu (empregado publico federal) viramos pobres hoje então não conseguem vender as pechinchas para executivos tipo o presidente do Bradesdo o Trabuco que ganha 400 mil Reais por mês.
      Viva o Brasil
      Uma hora vamos descobrir que sempre somos pobres e nunca deixamos de ser apesar do pré sal, copa e olimpiadas.
      Esqueci da visita do PAPA isso traz paz de espirito, aumenta a segurança pois os traficantes se convertem a fé catolica kkkkkkkkkkkk…………

      0
      • Dani 30 de setembro de 2011 at 16:22

        Sim, sou servidora pública federal! Pois é, sempre tive orgulho do meu salário e agora me sinto uma miserável…kkkkkkkkkkkkk….tem que rir pra não chorar!

        0
        • trackback 30 de setembro de 2011 at 16:35

          Olá, também sou federal, estou preocupado, pois daqui a pouco vou ter que me inscrever no bolsa família ou no fome zero. Deprimente, é rir para não chorar!

          0
        • Ricardo 30 de setembro de 2011 at 16:43

          Também sou servidor público federal do ciclo de fiscalização . Se neste ano estamos nos sentindo “pobres” com os imóveis nesses patamares, imagine o ano de 2012 que não teremos reajuste e, conforme dados “extremamente confiáveis” das imobiliárias, os imóveis ainda vão aumentar.

          Um apê em bairro médio de SP sai “baratinho”: uns 500 mil, com 70m2. Se for alugar, uns 1.800,00.
          Prefiro alugar a comprar. Dizem que eu sou louco , rasgo dinheiro. Para mim, rasgar dinheiro é pagar juros e comprar imóvel no topo da valorização. Vai tentar explicar…

          0
          • Dani 30 de setembro de 2011 at 16:56

            Pois é, Ricardo, se for financiar esse mesmo imóvel vai pagar muito mais em juros, isso é que é jogar dinheiro fora, mas muitas pessoas não entendem isso… É uma pena!

            0
          • Luiz AG 3 de outubro de 2011 at 09:57

            Eer… Tem alguém aqui que não é funcionário público?

            0
            • Fred Henrique 3 de outubro de 2011 at 16:20

              HEHEHE, é mesmo,

              Eu também sou. FUNAI na cabeça!

              0
            • Oliveira 4 de outubro de 2011 at 02:11

              eu nao sou !
              CLT.

              0
        • Carlos Wagner 30 de setembro de 2011 at 16:51

          Dani e Lopes

          Tambem sou servidor publico federal e sou mais um do time dos “miseraveis”.

          Eu achava que ganhava bem, pelo menos acima da media nacional, mas se eu quiser comprar imovel, terei que me contentar com um 2 dorm, de no maximo 50 metros, sem sacada e construido pela MRV.

          Diante disso, pago aluguel e moro bem num 3 dorm de medio/alto padrao pagando um aluguel bem menor do que seria uma prestação de financiamento e ainda tenho folga de guardar algum no final do mes.

          Logo logo teremos a oportunidade de fazer bons negocios, pois alem dos preços despencarem os bancos olharão pra nós como um porto seguro ao conceder emprestimos imobiliarios, com juros mais atraentes e garantia de rcebimento, coisa que hoje não dão muita importancia por causa da farra do credito.

          Aguardemos

          0
          • Dani 30 de setembro de 2011 at 17:01

            CW, gostaria de ter esse seu otimismo! Será que teremos mesmo chance outra vez? Pelo menos no curto prazo? Cada dia perco mais a esperança quando falo com corretores e vejo que eles não têm pena da gente, e o governo ainda tem muita lenha pra queimar antes da coisa estourar, certo? Estou numa fase da vida (perto dos 40) que gostaria de realizar o sonho da casa própria…Será que só vou conseguir quando for uma velha? rsrsrsrss…………..

            0
            • Carlos Wagner 30 de setembro de 2011 at 17:10

              Dani

              estamos na mesma, tbm estou com 39 anos e procura imovel pra comprar ha 2 anos, só que me recuso a pagar esses preços absurdos. O sonho não pode virar pesadelo e comprar agora é o mesmo que comprar um atestado de burrice.

              Os ventos estão mudando. PENSE: os bancos vivem da venda do dinheiro (juros), o que mais lhes vão interessar num futuro proximo é que seus clientes sejam quem realmente tenham capacidade e garantia de pagamento, que por coincidencia – somos nós, funcionario publicos.

              Aproveitando a ocasião, pergunto: De onde voce é? Em que orgão trabalha? é solteira? o que acha de juntarmos holerites? rsrssrsrs

              0
              • Dani 30 de setembro de 2011 at 17:28

                Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk….essa foi boa CW! Ainda tenho 38, quase 39…kkkkk…Divorciada e solteira no momento! Vamos juntar holerites? kkkkkkk…Acho que só assim mesmo pra comprar alguma coisa! kkkkkkkkkkk….

                0
                • Hik 1 de outubro de 2011 at 00:55

                  Vou me lembrar de vocês quando começar a bolha das camisinhas…

                  0
  • Joy Division 30 de setembro de 2011 at 15:47

    As vezes chego a achar que a bolha está murchando, mas derrepente, quando olho o ZAP, sobretudo nos domingos, parece que os preços dão um pulo.
    Mudando o assunto. Nessa semana participei de uma pesquisa para sondar interessados em adquirir imóveis residenciais na zona porturária do Rio, em decorrência do “Porto Maravilha”, para quem não conhece e tem interesse em saber, eis o link h ttp://w w w.youtube.com/watch?v=P5FVL9vfWm8.
    Vamos lá, a pesquisa consistiu em reunir pessoas com renda familiar acima de R$ 20.000,00 e nascidos no RJ.
    Durante a pesquisa foi perguntado quem teria interesse em adquirir um imóvel na região com interesse de morar. Todos, entre os quais não me incluo, disseram que só comprariam com a intenção de investimento, já que os imóveis do RJ estão valorizando sem parar.
    Quando perguntaram para mim, disse que compraria sim, caso o metro quadrado fosse justo, além de outros fatores claro – planta, área de lazer, etc. Quando falei o termo “área de lazer” quase fui expulso pelos demais – “que absurdo área de lazer, isso só serve para encarecer o condomínio e reduzir a lucratividade do meu aluguel”.
    Continuando, pergutaram-me o que era preço justo do m2, eu disse em torno de R$ 5.000,00. Aqui outro participante pulou da cadeira, dizendo – isso não preço do RJ, há pouco comprei um apartamento de frente para lagoa e paguei bem mais que isso, com preço nesse patamar haverá desvaloriazação do patrimônio carioca. Claro que me calei, não vou retrucar isso, seria perda de tempo.
    Mas, não aguentei … perguntei ao malandro quanto ele pagou pelo apartamento de 130 m2, com três quartos. Pasmei galera … R$ 4 milhões, falou isso com se tivesse feito um negócio da china. De imediato me veio à cabeça, ou esse cara se endividou pelo resto da vida ou não sabe fazer conta. Deve haver alguma aplicação que remunere esse montante em 1%, com isso vc paga um aluguel e ainda guarda um bocado de grana.
    De tudo isso, tive o sentimento de que uma boa parte do povo, embora essa amostra não seja tão representativa assim, havia cerca de 20 pessoas com o mesmo perfil, ainda está disposto a pagar caro por um imóvel, sonhando que está fazendo um excelente negócio, infelizmente

    0
    • Luiz 30 de setembro de 2011 at 15:56

      olha Joy, minha opinião sobre o rio9 mudou um pouco depoiss q o Rodrigo me mandou uns links sobre aluguel p temporada no post anterior

      Apartamentos mega pequenos, de nenhum quarto alugado por 300 a diária, 2 pessoas, no inverno. Fiz as contas.
      O mais incirvel é que o apê esta indisponivel quase que o ano inteiro já.
      O cara faz a média ded 1.500 a semana e quase 4 mil por mês, em menos de 40 m2.

      Se isto tudo for verdade minha unica duvida é pq vcs aí no Rio não começaram a construir a Zona leste, urgente.
      Que bolha que nada, enqto hovuer turista pagando isso, os preços vão continuar subindo.

      Pessoalmente, tô fora desses preços, na França está mais barato, mas gosto é gosto

      0
      • MrK 30 de setembro de 2011 at 16:14

        não se engane, isso só aluga caro no carnaval, no reveillon (zona sul) e em eventos esporadicos como RiR, em 95% do ano não se aluga bem

        a barra alias tá sobraaaaaando imovel

        0
        • Luiz 30 de setembro de 2011 at 16:22

          se o cara consegue na media 4 mil por mes num studio, ta explicado pq vale no minimo 400 mil
          -> 1% de renda
          esse valor empurra todos os outros p cima.

          pode ser mesmo que o Rio tá na moda, tipo qdo a familia real chegou aí em 1808
          foram 13 anos de Versailles tropical.

          A grande questão é: E depois???

          O ultimo a sair apaga a luz e tranca a porta, e paga a conta.

          0
      • me 30 de setembro de 2011 at 16:39

        Porque na zona leste do Rio fica o oceano…

        0
        • Wendell 2 de outubro de 2011 at 10:37

          Não seria Niterói?

          0
      • Rodrigo 30 de setembro de 2011 at 17:12

        É por isso que não conheço quase nada do meu próprio pais, melhor ficar 1 mês na França, do que uma semana aqui, obrigado pelas dicas.

        0
    • MrK 30 de setembro de 2011 at 16:10

      Que ainda existe gente assim, existe

      mas são cada vez menos…

      todos esses sinais claros de bolha comecam a afetar o mercado, mas é óbvio que os “investidores” não saem todos ao mesmo tempo, primeiro vão os profissionais “sam zell”, depois vão os espertos, depois os atentos… e assim vai até os tolos, os últimos a sairem, provavelmente voce estava falando com um

      0
      • Rodrigo 30 de setembro de 2011 at 17:13

        ahah Esse saiu há muito tempo…

        0
  • Raio 30 de setembro de 2011 at 15:51

    A bolha sera mais imediata que se imagina.

    Conheco meia duzia de pessoas que adquiriram imoveis por precos absurdos e intencionavam vender. Nenhum dos seis sequer conseguiu vender o imovel por 70% do preco que pagou. Alem do mais, nao estao conseguindo pagar os financiamentos. Todos os seis estao com dividas crueis.

    Os precos dos imoveis em Porto Alegre estao mega inflacionados e as imobiliarias ja demitiram corretores e empregados. A crise e maior que se pode imaginar.

    Estou acompanhando a evolucao de tres imoveis. Um destes teve um incremento de 25% em dois meses. Os corretores estao loucos. O imovel foi para venda em abril de 2009 e ate agora nao foi vendido. O proprietario esta sendo enganado. Coitado. Mas tem gente que gosta de ser enganado. Po isso nao compre imovel e tenha pena do seu dinheirinho suado.

    0
    • lopes51 30 de setembro de 2011 at 16:12

      Mais isso não pode ser verdade kkkkkkkkkkkkkk …
      O Secovi mais que jurava por Deus que faltavam corretores…. Acho que essa OPORTUNIDADE UNICA não vende pela falta de corretores kkkkkkkkkkkkkkkk……..

      0
    • lopes51 30 de setembro de 2011 at 16:16

      Já descobri quem poderá nos ajudar o pai de santo desatador de nos que faz seu imovel ser vendido lá de piracicaba kkkkkkkkkkkkkkkk PAMONHA, PAMONHA, PAMONHA é o puro creme do milho ver kkkkkkkkkkkkkkkk

      0
    • simone 30 de setembro de 2011 at 18:24

      tb moro em porto alegre e tudo está caro ………

      tem apt da rossi o rossi caribe que fica na antonio de carvalho perto da vila bom jesus que está sendo vendido por 300 k na planta , esse é o mesmo preço que cobram no meu bairro petropoles , aqui na lucas de oliveira perto da ipiranga … pra mim tem algo estranho nesses valores ….

      0
    • Hik 1 de outubro de 2011 at 01:01

      |Uma voisa não entendi: porque demitir corretor se ele tem custo fixo zero?

      0
      • diego 1 de outubro de 2011 at 17:18

        normalmente, parte da corretagem eh dividida entre a equipe de corretores: menos vendas, menos corretagem, menos grana para dividir.

        0
    • shakespeare 23 de novembro de 2011 at 13:53

      tenho certeza de que esses endividados, quando a bolha estourar, vão começar um chororô e esse governinho populista do PT/PMDB vai acabar dando um jeitinho de usar os nossos impostos para:

      1) Pagar as coitadinhas das empreiteiras que geram muitos empregos e não tem culpa do mercado ter subido tanto

      2) Garantir o lucro dos bancos que emprestaram tanta grana para incautos especuladores que mal tinham renda para comprar imóveis por 1/3 do valor que tomaram emprestados

      3) Garantir o patrimônio desses coitadinhos que especularam com os preços, embarcaram numa barca furadíssima e ajudar a atrapalhar com a vida do resto dos brasileiros que não tem nem nunca tiveram a vontade de ficarem ricos sem trabalhar

      Bem, é isso o que eu imagino, estou sendo muito irracional?

      0
  • Raio 30 de setembro de 2011 at 15:59

    Nao tenham pena desse pessoal ganancioso. Muitas construtoras ainda irao quebrar nos proximos meses, pois a oferta e demasiada e pouquissimos tem recursos para comprar a 5 mil o metro quadrado em Porto Alegre ou 9 mil o metro quadrado em Brasilia. Quem comprou ja esta arrependido, pois nao tem o dinheiro para pagar os financiamentos.

    Existem casais que nem dormem e se alimentam mal de tanta preocupacao com as dividas feitas com os financiamentos imobiliarios. A depressao e grande. O calote ira quebrar o sistema. E o governo ja se deu conta disso.

    0
  • Luiz 30 de setembro de 2011 at 16:02

    Pra quem é de SBC
    amanha a terde, dia 1 tem boca livre do re-re-relanççamento
    Avenida Moinho Fabrini
    Independência – São Bernardo do Campo

    0
    • trackback 30 de setembro de 2011 at 16:22

      Hihihi
      Pelo visto vai ser a onda dos comes e bebes bancada pelas construtoras e imobiliárias Brasil afora.

      0
  • Raio 30 de setembro de 2011 at 16:05

    Se o calote nao quebrar as empresas construtoras, a bolsa de valores certamente quebrara.

    0
    • trackback 30 de setembro de 2011 at 16:29

      Um índice que vem caindo bastante nos últimos meses é o russo, um dos motivos é a crise e eu não sei se tem a ver também com a economia russa ou uma correção do índice, pois tinha subido bastante.
      MICEX Index
      http://finance.yahoo.com/intlindices?e=europe
      http://www.micex.com/

      0
    • Dan 30 de setembro de 2011 at 16:45

      Ops! 16:45h

      #GAFISA ON NM 5,35 -7,12%

      #ROSSI RESID ON NM 8,75 -6,12%

      #MRV ON NM 9,65 -5,85%

      0
    • Julio 3 de outubro de 2011 at 17:50

      E se a bolsa de valores não os quebrar, certamente o gasto com festinhas e comilanças pros “clientes” o fará kkkkkkkkkkkkkkkkk

      0
  • Dani 30 de setembro de 2011 at 16:29

    Gentem, conversando com minha chefe esta semana, ela tem um cunhado que trabalha com construção de casas para o MCMD…ela disse que ele falou que ninguém tá comprando, que a CEF freiou os empréstimos, e que as casas que já foram construídas estão dando muitos problemas, não valem nada, estão derretendo de tão mal construídas… Daí o negócio tá tão feio pra o lado dele que ele nem vai mais construir, vai vender os lotes que tem vazios mesmo para ver se perde menos dinheiro…

    0
    • Luiz 30 de setembro de 2011 at 16:39

      repeteco da epoca do BNH, anos 70 e 80

      As casa eram tão ruins, tão mal localizadas e a divida impagavel que os compradores levavam tudo embora: telha, fechadura, janela, torneira, privada.

      Depois da depenação devolviam a carcaça da casa e a dívida

      0
  • lopes51 30 de setembro de 2011 at 16:41

    Esses dias em um churrascos com amigos fiz um exposição de “MINHAS LOUCURAS E ALUCINAÇÕES” e no final concordaram comigo. kkkkkkkkkkk
    Fiz 2 demostrações primeiro de um carro que foi.
    Hoje um uno zero está sendo vendido por 23 mil e o seu 2006 vale 16 mil quando comprou pagou uns 20 mil, portanto perdeu 7 mil fora inflação e IPVA e etc….. so que se esse uno zero fosse vendido a 15 mil o q ainda seria um preço elevado, o seu carro iria valer menos e vc estária perdendo mais dinheiro certo? ai todos concordaram. e eu mostrei que eles pagariam menos IPVA e etc…… e que o seu carro valeria por exemplo 12 mil e que a volta seria menor para um carro zero portanto é ser burro pensar na perda menor de dinheiro (manutenção do preço de venda do veiculo) sendo que pra comprar outro carro vc gastaria menos.
    Ai usei esse exemplo no caso dos imoveis e falei que o financiamento so ferrou o mercado de veiculos e de imoveis ai eles concordaram.

    0
  • Sérgio 30 de setembro de 2011 at 16:48

    Conforme dito por mim e por outros colegas a etapa das demissões na construção civil estão a toda: esta etapa deve ter seu auge até o fim do ano, prosseguindo em menor escala durante o próximo ano.
    A bolha já estourou – de fato – mas não de direito; essa é a próxima etapa: INTERVENÇÃO GOVERNAMENTAL. O governo fará uso dos fundos do BNDES e do FGTS para ADQUIRIR construtoras e/ou empreendimentos (leia-se: prédios inteiros). Essa é a lei 11908: a lei que permitiu os caras construir o que eles quisessem, pois, o governo compraria tudo.
    .
    Mas o fato é que a bolha já estourou: para oficializá-la basta o governo, através da CAIXAPAR, a mesma que comprou 50% do Panamericano antes do rombo. Esta empresa da Caixa se tornará a maior imobiliária do país: a mais nova estatal IMOVELBRAS.
    Portanto, o próximo passo após (durante, na verdade) as demissões em massa é a interveniência (esculacho) governamental.

    0
  • Andrade 30 de setembro de 2011 at 16:53

    Bolsa às 16:50…

    – 6.94 % GAFISA
    – 2.28 % BROOKFIELD
    – 4.13 % CYRELA
    – 6.24 % MRV
    – 4.87 % PDG
    – 6.22 % ROSSI

    Tem que escrever rápido pois a queda é acelarada… no final de escrever já caiu mais ,,, kkkkk

    0
    • Luiz 30 de setembro de 2011 at 17:00

      A G quase chegando na casa dos 4 reais a ação

      Cadê os especialistas do mercado?
      Cadê a grande mídia?
      Cadê?

      Mas eles só repetem as palavras do Stevie Wonder quando viu o Cristo Redentor

      0
      • Carlos Wagner 30 de setembro de 2011 at 17:14

        ahauhauhuahuhauau

        Luiz

        O que o Steve disse?
        Será que foi o mesmo que ele disse a mim quando eu ergui o cartaz que levei pra ele no Rock in Rio? E olha que tive o cuidado de escrever o cartaz em braile….rs

        0
        • Luiz 30 de setembro de 2011 at 17:25

          eu vi o seu cartaz na TV:

          “invista num flat na zona leste do Rio
          a região mais espetacular da cidade
          100% de valorização em 2 anos
          financiamento garantido pela Caixa”

          0
          • Wendell 2 de outubro de 2011 at 10:42

            Aí ele respondeu: “Você abusou…”

            0
  • Rodrigo 30 de setembro de 2011 at 17:27

    Reajuste de aluguel no Rio é mais que o triplo da inflação
    O Globo, Danielle Nogueira, 30/set

    Os contratos de aluguel residencial no Rio de Janeiro tiveram reajuste de 28,5% nos últimos 12 meses encerrados em agosto, segundo o índice Fipe-Zap, uma parceria entre a instituição de pesquisa paulista e o site de locação de imóveis. A alta é mais que o triplo do aumento acumulado do IGP-M, que tradicionalmente serve de base para os contratos, no período. Em São Paulo, nas novas locações, os inquilinos estão desembolsando de 17% a 18% mais, segundo o Secovi-SP, o sindicato do setor de habitação.

    A Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgou, nesta quinta-feira, o IGP-M de setembro. Embora os dados mostrem um leve recuo no acumulado em 12 meses até este mês (7,46%, ante 8% até agosto), especialistas e administradoras avaliam que os preços dos aluguéis vão continuar a subir. No mês, o IGP-M avançou 0,65%, ante 0,44% em agosto, puxado pela alta de 0,74% dos preços no atacado (IPA) e de 0,59% daqueles ao consumidor (IPC), que respondem por mais de 60% do índice. No acumulado do ano (janeiro a setembro), a taxa está em 4,15%.

    Para o economista da FGV, André Braz, a alta de 0,65% de setembro já refletiu algum efeito do aumento do câmbio. Para outubro, ele estima que o IGP-M vai desacelerar, fechando o ano ligeiramente abaixo do teto da meta de inflação medida pelo IPCA (índice oficia de preços), que é de 6,5%.

    Caso o IGP-M de fato desacelere, o cabo de guerra entre inquilinos e proprietários só tende a aumentar com o descolamento entre o preço dos aluguéis e a variação do índice. Na Moura e Lopes Administração, que administra contratos de locação de 950 imóveis no Rio, todo dia um inquilino é convidado a retirar-se do apartamento em que mora por discordar do reajuste.

    – O proprietário quer que o aluguel acompanhe o preço de venda do imóvel, que explodiu em dois anos – diz o diretor da administradora, Júlio César de Moura.

    Um apartamento de dois quartos no Leblon, por exemplo, é alugado por R$ 2.200 ao mês, em média, segundo ele. Há dois anos, pagava-se R$ 1.400 mensais, alta de 57%. Segundo Rubem Vasconcellos, vice-presidente da Ademi, que reúne empresas do setor imobiliário, o preço do aluguel corresponde a de 0,5% a 0,6% do valor do imóvel. Na capital paulista, a mesma situação.

    – Se ele (o locatário) devolver o imóvel e for buscar outro no mercado, vai pagar um valor superior ao que vinha pagando por um das mesmas características – afirma Hilton Pecorari Baptista, diretor de locação do Secovi-SP.

    0
  • Rodrigo 30 de setembro de 2011 at 17:30

    Aluguéis vão subir 7,46%
    O Dia, 30/set

    Reajuste vale para os contratos de imóveis que vencem este mês e tem efeito em outubro

    Os contratos de aluguéis com reajuste anual e que vencem em setembro serão corrigidos em 7,46% a partir do mês que vem. O percentual é o resultado do índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) dos últimos 12 meses, principal parâmetro para reajustar os valores dos contratos de locação. Ontem a Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgou que o índice de setembro ficou em 0,65% contra 0,44% registrado em agosto.

    Se comparado com o acumulado de 12 meses até agosto, houve queda na correção dos aluguéis. No mês passado, o IGP-M de um ano foi de 8%, diferença de 0,54 ponto percentual em relação ao índice fechado em setembro.

    Assim, por exemplo, o inquilino que desembolsava R$1.000de aluguel no mês passado, passou a pagar R$ 1.080. Para os contratos vencidos em setembro, os mesmos R$1.000 subirão para R$1.074,60.

    ALIMENTOS MAIS CAROS

    A maioria dos itens que com¬põem o IGP-M tiveram elevação este mês. O índice de Preços ao Consumidor (IPC), por exemplo, subiu 0,59%, depois de ter aumentado 0,21% no mês anterior. Os produtos de alimentação (0,31% para 0,95%) foram os que mais encareceram, devido aos reajustes de hortaliças e legumes (4,70% para 2,74%), frutas (4,51% para 6,42%) e carnes bovinas (0,84% para 1,71%). Gastos com vestuário passa¬ram de queda para alta entre agosto e setembro (-0,86% para 1,36%) com aumento de preços das roupas após o fim das liquidações de inverno.

    Os custos de habitação também subiram (0,37% para 0,47%) por causa da eletricidade mais cara. Passagens aéreas forçaram gastos medidos na categoria recreação, educação e leitura (0,02% para 0,19%).

    O álcool combustível continua pressionando os transportes (0,06% para 0,19%), enquanto o alimento para animais domésticos fez subir os preços dos itens de despesas diversas (0,02% para 0,15%).

    0
  • DRN 30 de setembro de 2011 at 17:55

    Ainda está caro, mas já estão baixando os preços. Começaram com R$360.000,00 o de 2 dormitórios do 1º ao 4º andar. Ao vender por R$ 331.300,00 estão dando 8% de desconto. Vamos ver se o mercado vai engolir, ou se vai encalhar. Estou acompanhando de perto.

    LANÇAMENTO JAGUARÉ – DESCONTO PARA AS 1ªs UNIDADES

    AV. MARECHAL MÁRIO GUEDES – JAGUARÉ

    ATENÇÃO:

    PARA AGENDAR UMA VISITA RETORNE ESTE EMAIL

    OU PROCURE PELA CORRETORA MÁRCIA NO LOCAL,

    INFORMANDO SER CLIENTE DA PIETRA

    valence parque

    (2 dorms c/ suite)

    DESCONTO PARA AS 56 PRIMEIRAS UNIDADES!!!!!

    &

    quartier residence

    (3 dorms c/ suite)

    DESCONTO PARA AS 144 PRIMEIRAS UNIDADES!!!!!

    AV. MARECHAL MÁRIO GUEDES – JAGUARÉ

    Entrega em JANEIRO.2015

    ATENÇÃO:

    PREÇO MENOR PARA AS PRIMEIRAS UNIDADES!!!!!

    valence parque

    2 DORMS C/ SUITE – UNIDADES DE PONTA C/ TERRAÇO GOURMET

    1 TORRE – 19 PAVIMENTOS – 6 POR ANDAR – 1 VAGA COBERTA

    DESCONTO PARA AS 56 PRIMEIRAS UNIDADES!!!!!

    2 DORMS C/ SUITE – 61,90 M2

    1º ao 4º ANDAR – 1 VAGA

    (planta de meio – final 6)

    R$ 331.300,00

    Sinal R$ 5.160,00

    35 Mensais R$ 660,00 – 1ª em Janeiro.12

    4 Anuais R$ 5.590,00 – 1ª em Dezembro.11

    Chaves R$ 31.350,00 – Janeiro.15

    Única R$ 830,00 – Abril.15

    Financiamento SFH R$ 248.500,00 – Janeiro.15

    *Final 3 – R$ 341.000,00

    *Consulte demais andares*

    2 DORMS C/ SUITE E TERRAÇO GOURMET– 62,60 M2

    1º ao 4º ANDAR – 1 VAGA

    (planta de ponta – finais 1 e 5)

    R$ 336.200,00

    Sinal R$ 5.250,00

    35 Mensais R$ 670,00 – 1ª em Janeiro.12

    4 Anuais R$ 5.670,00 – 1ª em Dezembro.11

    Chaves R$ 31.780,00 – Janeiro.15

    Única R$ 840,00 – Abril.15

    Financiamento SFH R$ 252.200,00 – Janeiro.15

    *Finais 2 e 4 – R$ 345.800,00

    *Consulte demais andares*

    ATENÇÃO:

    DESCONTO PARA AS PRIMEIRAS UNIDADES!!!!!

    quartier residence

    3 DORMS C/ SUITE E TERRAÇO GOURMET

    4 TORRES – 18 PAVIMENTOS – 4 POR ANDAR – 1 OU 2 VAGAS

    8% DE DESCONTO PARA AS 144 PRIMEIRAS UNIDADES!!!!!

    3 DORMS C/ SUITE E TERRAÇO GOURMET– 70,00 M2

    TÉRREO – 1 VAGA

    R$ 349.400,00

    1º ao 4º ANDAR – 1 VAGA

    R$ 363.200,00

    Sinal R$ 5.670,00

    35 Mensais R$ 760,00 – 1ª em Janeiro.12

    4 Anuais R$ 6.360,00 – 1ª em Dezembro.11

    Chaves R$ 32.180,00 – Janeiro.15

    Única R$ 910,00 – Abril.15

    Financiamento SFH R$ 272.400,00 – Janeiro.15

    *Finais 1 e 4 – R$ 377.000,00

    5º ao 9º ANDAR – 1 VAGA

    R$ 367.800,00

    *Finais 1 e 4 – R$ 381.600,00

    10º e 11º ANDAR – 1 VAGA P/ 2 CARROS

    R$ 386.200,00

    *Finais 1 e 4 – R$ 395.400,00

    12º ao 18º ANDAR – 1 VAGA P/ 2 CARROS

    R$ 400.000,00

    *Finais 1 e 4 – R$ 409.200,00

    ATENÇÃO:

    DESCONTO PARA AS PRIMEIRAS UNIDADES!!!!!

    PARA AGENDAR UMA VISITA RETORNE ESTE EMAIL

    0
    • Dani 30 de setembro de 2011 at 17:59

      Vc é corretor, tem interesse na venda? Precisava colocar o anúncio inteiro aqui? rs

      0
      • DRN 30 de setembro de 2011 at 18:04

        Não, Dani, eu não sou corretor, nem comprei nada lá. Precisava por inteiro para termos uma referência. Havendo algum problema, é só usar a barra de rolagem aí à direita. rs

        0
        • Dani 30 de setembro de 2011 at 18:07

          Ah tá! rs Mas cansa minha mão! kkkkkkk…

          0
      • Paulo - RJ 30 de setembro de 2011 at 18:09

        Putz, caí nesta, acabei comprando 1 de cada, rs

        0
    • Ricardo 2 de outubro de 2011 at 12:09

      Essa rua é um lixo. É suja, impessoal, longe de tudo. Possui galpões de fábricas e prostituição.

      Em qualquer país sano seria uma rua para morar famíias mais pobres e não famílias que compram aptos de 300 mil.

      0
  • Dani 30 de setembro de 2011 at 18:04

    Peguei no G1:

    “17h38 Bovespa cai cerca de 2% nesta sexta e perde mais de 7% em setembro

    Ibovespa recuou 1,99% no dia, aos 52.324 pontos. No ano, indicador acumula baixa de 24,5%.

    17h33 Dólar sobe mais de 2% no dia e acumula alta de 18% em setembro

    Na terceira alta seguida, moeda fechou o dia vendida a R$ 1,8815. Alta mensal é a maior desde setembro de 2002.”

    Cabuuuuuuuuum……………………

    0
  • Paulo - RJ 30 de setembro de 2011 at 18:07

    Estive em uma palestra de um consultor de investimentos e as informações que ele passou são as seguintes:

    Imóvel é a terceira melhor forma de investimento, atrás apenas de fundo de ações e carteira de ações, mas melhor que o tesouro. Disse que não há bolha (o blá blá bla de sempre, a renda aumentou, aqui não tem subprime, etc). Fez algumas ressalvas, tais como desvalorização de imóvel dependendo da área (ufa, falou em desvalorização) e inadimplência em aluguel. Disse também que o investimento inicial é alto (pelo menos não falou em alavancagem).
    Até aí nada demais. A única coisa mais ou menos interessante que ele falou é que a empresa dele tem vendido muito CRI e tem muito estrangeiro entrando nesta, com vistas de ter uma grande rentabilidade.

    0
    • MrK 30 de setembro de 2011 at 18:32

      acho CRI o pior investimento do mundo, se entendi certo:

      retorno pouco maior que renda fixa
      risco de locatário

      ou seja, voce por um pouquinho de retorno a mais, joga seu risco da estratosfera..tem que ser muito maluco da cabeca

      0
      • Paulo - RJ 30 de setembro de 2011 at 19:14

        MRK, eu sou leigo, mas eu concordo com o que você disse.
        A questão é, o cara disse que tem muito estrangeiro investindo nisto. Se ele não estiver mentindo, e sinceramente acho que não está, que movimento está fazendo os gringos entrarem pesado nesta, com risco de preju no futuro. E não seria este movimento que, de certa forma e artificialmente, impede o estouro da bolha na atual conjuntura?. E se o volume de grana for muito grande, se estes caras saírem, aí sim, a coisa não ficaria feia?
        Estas são as minhas dúvidas

        0
        • luiz 2 de outubro de 2011 at 02:19

          Paulo, conheci um dos tais gringos que ivneste no BR, era porteiro do hotel, idiotas completos, não pense que é algum manager, executive, naãããõooo

          0
    • Pensativo 30 de setembro de 2011 at 19:29

      Paulo,
      Quando o papo do palestrante está difícil de se acreditar, considere o mais provável: Ele está MENTINDO!!!.

      0
    • carlos wagner 30 de setembro de 2011 at 21:45

      ” ele falou é que a empresa dele tem vendido muito CRI e tem muito estrangeiro entrando nesta”

      Haver muitos estrangeiros entrando nessa não é sinal de que seja uma boa aplicação e sim falta de informação dos estrangeiros.

      Outra coisa, só por ele ter dito que imovel continua sendo a terceira melhor aplicação ficando atras apenas das ações, isso, pra mim, ja faria que ele caisse no descredito.

      Portanto, acredito que a palestra tenha sido comprada ou ele é muito desinformado, o que acho dificil, pois não é preciso ser especialista em nada para perceber que as dicas desse cara são uma grande furada.

      0
    • Paulo - RJ 1 de outubro de 2011 at 00:27

      Pessoal,
      Antes de mais nada, deixarei bem claro meu posicionamento: Os preços atuais estão um absurdo, não compro nestes patamares, que eu acho que são insustentáveis e um dia vão cair. Só não sei precisar quando.
      Quanto a palestra, o cara não me pareceu estar mentindo. Ele falou muito rapidamente sobre imóveis, o foco dele era ações e “ensinar” como investir, fazendo propaganda do curso e do assessoramento que a empresa dele faz. Apesar de eu não concordar em algumas coisas, ele não foi um cara passional, inclusive quebrou alguns paradigmas básicos dos anti-bolhas de que imóvel não tem risco, pois para ele pode desvalorizar e outra coisa que ele falou é que para investir nisto precisa de uma grande soma de dinheiro, ou seja, não aconselhou entrar alavancado. O que ele disse é que o momento atual é bom para imóveis e citou os CRIs com boa possibilidade de retorno por que tem muito estrangeiro entrando. O que eu acho é que este movimento, ainda que ilógico, pode sustentar a bolha por mais um período e tornar o estouro mais dramático no futuro, só isto.

      0
  • Raio 30 de setembro de 2011 at 18:32

    Acabei de ver o preco atual da acao da Gafisa. Em novembro de 2010 mais de R$ 14,78 e agora, menos de um ano depois, R$ 5,37. As acoes vao desaparecer…..O que vai sobrar. Qual a desvalorizacao? Algum mais entendido do que eu me diga o que aconteceu? Nao e bolha?????
    rsrsrs.

    Acho que vou comprar meia duzia de imoveis desta a 15 mil o metro quadrado. rrsrsrsr, So sendo muito bobo mesmo.

    0
  • Sérgio 30 de setembro de 2011 at 18:39

    Demissões já começaram faz tempo. No início do ano falavam que era por causa da chuva; depois por causa de problemas MCMD; e agora?
    .
    Notícia de julho, na Bahia:
    “Construtora R. Carvalho irá demitir todos seus funcionários em Feira de Santana
    Segundo a Caixa Econômica Federal, caso as obras do programa Minha Casa, Minha Vida não sejam retomadas, outra empresa irá assumir.
    Redação CORREIO

    A construtora R. Carvalho irá demitir seus 5.200 funcionários em Feira de Santana, segundo ficou decidido após reunião nesta quarta-feira (20) no Ministério Público do Trabalho. As informações são da TV Bahia.

    O encontro reuniu representantes da empresa, dos funcionários e da Federação da Construção Civil. Ficou determinado que a R. Carvalho irá pagar o FGTS e o seguro-desemprego dos funcionários, assim como pagar até sexta parte dos salários.

    Segundo a Caixa Econômica Federal, caso as obras do programa Minha Casa, Minha Vida não sejam retomadas, outra empresa irá assumir. ”
    (h t t p : / / w w w.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-1/artigo/construtora-r-carvalho-ira-demitir-todos-seus-funcionarios-em-feira-de-santana/)

    0
  • MrK 30 de setembro de 2011 at 18:43

    JÁ DENUNCIEI ISSO AQUI, vejam que ridiculo, no fim do mês lancam uma série de imoveis com valores altos e metragens minimas no ZAP, na verdade não são nem imoveis, são anuncios de supostas compras de imóveis no lugar errado, esses anuncios jogam o valor do metro quadrado lá no alto e distorcem a loucura do fipezap

    vejam na gavea

    zap.com.br/imoveis/rio-de-janeiro/apartamento-padrao/venda/?tipobusca=rapida

    vejam no humaita

    zap.com.br/imoveis/rio-de-janeiro/apartamento-padrao/venda/?tipobusca=rapida

    e por ai vai…

    0
    • Pensativo 30 de setembro de 2011 at 19:26

      O ZAP e, conseqüentemente, o FIPEZAP não possuem credibilidade alguma. Todos sabem disso, só servem como chamariz para o mais desavisados, justificando os preços dos imóveis ala Mônaco.
      Te preocupa não que a m**** já está lançada.
      Os próximos meses serão aterrorizantes. KKKKK

      0
      • paulista 1 de outubro de 2011 at 09:16

        pô meu, puta sacagi isso.

        e a tal fipe, não tem uma tal de metodologia???
        cerrrto mano?

        0
  • valdecir 30 de setembro de 2011 at 18:56

    Na empresa que eu trabalho as coisas estão ficando feia, e no ramo de fundição a empresa por mês fabricava 3.000 ton peças e bolha para moinho de mineração e cimenteira, agora o perdido caiu para 2.000 ton mês, pensando bem o setor de fundição está em crise, isso vai ser reação em cadeia.

    0
  • Joy Division 30 de setembro de 2011 at 19:23

    Se alguém tiver interesse …
    Palestra/
    Invista em imóveis
    de forma inteligente
    Conheça os investimentos imobiliários.

    Dispense inquilino, imobiliária, reformas e corretor.
    Conheça ativos imobiliários isentos de Imposto de Renda.
    Troque o imóvel para locação pela rentabilidade fixa.
    1 hora de aula.

    h ttp://ww w.xpi.com.br/aprenda/palestras-gratuitas/invista-imoveis.aspx

    é de graça mesmo, fiz minha inscrição para o dia 10 de outubro

    0
    • Marcos 30 de setembro de 2011 at 20:25

      Querem desovar CRI e LCI. É a última carta na manga do setor imobiliário.

      0
    • luiz 2 de outubro de 2011 at 02:20

      nenhum interesse nessas palestras de merda se fosse bom não ensinavam assim de graça

      0
  • MrK 30 de setembro de 2011 at 20:13

    Querem saber porque tudo no Brasil é mais caro?

    Claro que existe a questão do imposto, mas não é só isso.. no Brasil os mercados principais são todos monopolio ou duopolio…vejam bem:

    Passagens aereas: GOL e TAM juntas dominam mais de 80% do mercado
    TV: Net e Sky juntas dominam mais de 80% do mercado
    Telefone: VIVO e TIM juntas dominam mais de 70% do mercado
    Carros: Volks e FIAT juntas dominam mais de 70% do mercado
    Cerveja: Preciso nem falar da Ambev né?
    Combustíveis na prática é um monopolio da petrobras
    e por aí vai..

    essencialmente os mercados no Brasil são ditados por 1 ou 2 grandes players que definem os preços e os demais players (pequenos) por diversos motivos só acompanham… enquanto isso perdurar, os preços continuarão sendo insanos!!!!!

    MAS A BOA NOTICIA É QUE… imóveis não são assim!!! É bem verdade que a loucura comecou com os precos na planta ditados pelas grandes construtoras, porém quem DETEM os imoveis no mercado são pessoas espalhadas, é pulverizado, logo EXISTE livre concorrência e os preços não se sustentarão como os outros casos citados acima!!!

    0
    • Duda 30 de setembro de 2011 at 21:23

      Sabe, de todas elas a que mais me preocupa e a intocável Petrobras …

      0
    • Hik 1 de outubro de 2011 at 01:20

      Quanto aos automóveis, foi só a chinesada entrar um pouco mais agressiva que já tomou uma solada por trás do governo e seus patrocinadores.
      Quem se %$#% com isso todo mundo já sabe.

      0
    • luiz 2 de outubro de 2011 at 02:22

      exclente raicocinio mrk, acontece que de certa forma imovel ainda é cartelizado por pequenosgrupos que pensam e agem igual, especialmente ai na sua terra

      0
  • Sérgio 30 de setembro de 2011 at 22:00

    Final de semana é período de nos divertirmos (mais). Por isso, posto um anúncio que encontrei num jornal em olinda sobre a comédia da corretagem, em todos os sentidos:
    “gomes o recordista – O PHD De imóveis encalhados convida você, que está lendo este anúncio, já sem esperança de fechar negócio, á contactar conosco urgente para sentir a velocidade de uma trasação. Com 15 dias é correr para o abraço! F:3075-2082/8815-4788/9437-5503/9985-2234
    (Anúncio publicado em 30/09/2011)” (sic)

    0
  • leobra 30 de setembro de 2011 at 22:05

    a bolha chegou!!!!!!!!!!!

    http://www.brasileconomico.com.br/noticias/mercados-vivem-pior-trimestre-desde-a-crise-de-2008_107582.html

    Já as empresas do setor imobiliário concentram muitas baixas. Papéis como Cyrela (CYRE3) e Rossi (RSID3) acumulam quedas de 45,29% e 39,36%, respectivamente.

    No topo da ponta negativa, aparecem Hypermarcas (HYPE3), Marfrig (MRFG3) e Gol (GOLL4), com 60,54%, 60,16% e 58,84%, nesta ordem.

    Para Caetano, as fortes quedas de papéis de construtoras e incorporadoras sinalizam uma bolha no setor imobiliário.

    0
    • Bolha Imobiliária 30 de setembro de 2011 at 23:09

      Até que enfim alguem assumiu a bolha

      0
    • Ar Quente 1 de outubro de 2011 at 04:49

      O primeiro passo pra se chegar a uma solução para esse pepino tamanho família é admitir que existe um problema.
      Pelo menos pra se tentar um pouso mais suave, o que já seria muita coisa dado a pretitude da situação…

      0
  • jsantos 1 de outubro de 2011 at 09:49

    gerente de Bco governo, tenta insistentimente me convencer aplicar num CRI, qdo gerente insiste muito , pra voce, é fria.captar $ para manter a bolha.

    0
    • Mrk 1 de outubro de 2011 at 10:19

      Rapaz, logo quando a bolsa comecou a cair meu gerente me ligou oferecendo pra investir em acoes na corretora do banco… Dizendo ser um bom momento e tal respondi: nao, obrigado, acho que ainda tem espaco pra cair mais… O resultado disso voces ja sabem…de la pra ca ja caiu mais de 10%

      0
      • RT 1 de outubro de 2011 at 10:36

        Um pouco de inocência minha… mas ainda fico impressionado em como te fazem recomendações sem se preocupar se são mesmo corretas, ou sem ligar muito se vai te dar prejuízo ou não… depois, você toma um tombo desses, e o cara lava as mãos.

        Você ainda teve o discernimento pra negar. Mas uma pessoa menos entendida do assunto (é o que não falta por aí) certamente embarcaria nessa. Olha o preju…

        0
    • xyz 1 de outubro de 2011 at 11:35

      Se forem CRIs da Petrobrás tem rendimento prefixado de 6,85 + IPCA e isenção de imposto de renda (mais interessante que títulos do tesouro, que não têm isenção). Neste caso você só não recebe se a Petrobrás falir.

      As LCIs também têm isenção de Imposto de renda e rendimento um pouco menor que os da Petrobrás e até 70 mil têm garantia do Fundo Garantidor de Crédito.

      A maior aberração é o governo cobrar impsto de quem compra um título público e isentar os títulos privados.

      0
  • GPTFN 1 de outubro de 2011 at 11:15

    Bolha, se possível, gostaria de que fosse criado um tópico especifico para a discussão sobre esse que é um dos maiores especialistas em ganhar dinheiro do mundo : Sam Zell;
    Diga-se de passagem que o mesmo nada produz de riqueza!!
    Assim como os Supermercados, ele é apenas um atravessador, mas fez fortuna com isso (atualmente estimada em mais de 3 bilhões).

    2 matérias sobre Sam e o Brasil (1 delas já foi citada anteriormente):

    exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/receita-sam-zell-556728?page=1&slug_name=receita-sam-zell-556728
    *Reportagem originalmente publicada na revista EXAME em 04/02/2010

    estadao.com.br/noticias/impresso,sam-zell-vende-participacoes-na-gafisa-e-br-malls,619804,0.htm
    *Reportagem originalmente publicada no jornal Estadão em 04/10/2010

    Lendo as duas reportagens fica clara a sua estratégia: Ele diz em fevereiro que “compraria o Brasil” ; mas a reportagem de outubro mostra que ele foi gradualmente saindo do mercado, vendas em maio, julho e outubro.

    Ou seja, já prevendo que ia azedar, ele saiu fora!!

    0
    • Mrk 1 de outubro de 2011 at 11:30

      Rapaz, quando tem dinheiro na mesa ninguem eh inocente e ingenuo, por isso q sempre digo pra desconfiarem e muito das “ofertas imperdiveis”… Seja de corretor, de gerente de banco, etc… As verdadeiras boas ofertas nao sao divulgadas!!

      0
      • Rodrigo 1 de outubro de 2011 at 12:10

        Essa é boa de verdade.

        Para os “investidores cariocas” só não vale investir em livraria ahaha.

        h ttp://www.joneslanglasalle.com.br/brazil/pt-br/Pages/PropertyDetail.aspx?ItemID=10318&MType=SqMtrs

        0
  • Rodrigo 1 de outubro de 2011 at 12:35

    Imóveis comerciais para locação:

    Taxa de vacância de 3,3%
    Novo estoque 0 (zero)

    Tudo bem, é só em alguns lugares, mas…

    h ttp://www.joneslanglasalle.com.br/ResearchLevel1/On.Point_Rio%20de%20Janeiro_1%c2%ba%20Trimestre%202011.pdf

    h ttp://www.joneslanglasalle.com.br/brazil/PT-BR/Pages/ResearchDetails.aspx?TopicName=&ItemID=6439&ResearchTitle=On.Point – Rio de Janeiro – 2%C2%BA Trimestre/2nd quarter 2011

    0
    • Rodrigo 1 de outubro de 2011 at 12:48

      “NEGÓCIO DA CHINA

      A Tishman Speyer vendeu o edifício VIRTUS, na Av. Presidente Vargas, Rio, por R$ 205 milhões à chinesa Stade Grid, gigante do setor de energia.

      O prédio tem 14 mil metros quadrados de área para aluguel.”

      FONTE: jornal O GLOBO edição impressa de hoje, coluna do jornalista Ancelmo Gois.

      0
  • Dr. Estranho 1 de outubro de 2011 at 12:47

    Amigo do trabalho, com bom dinheiro guardado na poupança, comprou 50 mil em ações da petrobrás. Recentemente ele me confidenciou que agora valem 21 mil. A única coisa que pude dizer para ele é que lugar de pequeno investidor e na poupança e que a única coisa que pode fazer é esperar(mensagem de otimismo). Só não disse que deveria esperar 200 anos(rs). Outro comprou está semana 5 mil da Cyrela. Todo contente disse que agora é o momento. Devem estar valendo uns 4.750(excelente negócio não acham?). Creio que eles também participam deste site, portanto, agora me chamo Dr. Estranho. Tentei vender minha casa(por sinal muito boa), pelo preço que o “mercado” acha que vale, com a perspectiva de utilizar o valor na compra de outro imóvel . Pois bem: não consegui até agora e provavelmente não consiguirei. O que estranho é não aceitarem a permuta.

    0
    • carlos wagner 1 de outubro de 2011 at 13:16

      excelente negocio do seu amigo que investiu na petrobras. Nessa brincadeira ele perdeu um carrinho popular.

      O que mais me impressiona é que essa gente que compra imoveis, ações por preços absurdos tentam justificar que fizeram um otimo negocio a qualquer preço. É o caso daquele cara que comprou um ap por 4 milhoes, citado por um colega num dos posts acima.

      0
      • GPTFN 1 de outubro de 2011 at 15:21

        Como esquecer o “negocio da china”, aquele cara que comprou o Camaro e não tinha como pagar por causa do aumento do IPI…. hahaha

        0
    • luiz 2 de outubro de 2011 at 02:26

      e ainda dizem que o estranho é vc, ê douutor, nem q vc rasgasse nota de 100, comprar imovel ou petrobras ou congeneres vc ainda não faz

      pelos menos te sobra confete p carnaval, els nem isso

      0
  • Anderson 1 de outubro de 2011 at 12:56

    Alem de todos os problemas exposto pelos colega,temos tambem a greve dos bancarios.A demanda por financiamento hoje é muito grande e extremamente importante para a receita das imobiliárias. Das transações de compra e venda, 80% são feitas através de financiamento. Se os processos ficam emperrados, a tendência é que outros clientes façam o negócio à vista ou que a frustração gere desistências ou cancelamento de pedidos.

    0
  • Anderson 1 de outubro de 2011 at 13:10

    Crise por todos os lados
    Ações do setor imobiliário também estão em baixa

    Além de queda nas vendas, no ritmo de produção e na demanda o setor imobiliário também está sofrendo desvalorização no mercado de ações que este ano já acumula perdas de mais de 7%

    2 de junho de 2011

    A crise no setor imobiliário brasileiro está se generalizando e também atingiu o mercado de ações.

    A cotação das construtoras na bolsa de valores está em baixa devido às preocupações de investidores com a queda nas vendas no setor. De acordo com um especialista do mercado de ações, “não é hora de comprar imóvel nem ação das empresas. O momento é muito delicado. Os preços, tanto de imóveis quanto de ações, perderam o contato com a realidade. Não é um bom investimento hoje.” (Reuters, 29/5/2011).

    Segundo o índice que mede o andamento de 18 ações relacionadas ao setor imobiliário que são negociadas na Bovespa, Bolsa de Valores de São Paulo, o Imob, há uma baixa crescente destas ações que já perderam este ano 7,6%. Já no índice Ibovespa as ações tem baixa semelhante, 7,2% de perdas.

    Para o analista, “enquanto a bolsa continuar enfraquecida, o setor imobiliário não deve ser uma aposta. Não acho que no curto prazo essa percepção negativa vá mudar, talvez no segundo semestre” (idem). A observação do desempenho das ações do setor imobiliário na bolsa de valores é bastante importante, pois estes investimentos são uma das fontes de lucros das construtoras e demais empresas do setor. Os prejuízos destas ações no mercado financeiro vão colocar as bolsas em uma situação delicada, pois são muito dependentes dos investimentos estrangeiros.

    A desvalorização das ações do setor imobiliário reflete a crise que está se generalizando em todo este setor. Depois do “boom” dos últimos anos o setor de imóveis que parecia o mais promissor de todos está se mostrando um mercado de risco, pois foi supervalorizado nos últimos anos e pode provocar, como já foi analisado por este jornal inúmeras vezes, o estouro de uma “bolha financeira” que pode levar todo o país a uma crise econômica aos moldes da que desencadeou nos Estados Unidos, mas com conseqüências ainda mais graves

    0
    • Selvage 1 de outubro de 2011 at 14:02

      Qual a fonte dessa reportagem?

      Pergunto pq ele fala que e de um jornal que considerou a existencia de bolha varias veZes?

      0
  • RT 1 de outubro de 2011 at 14:03

    Notícia interessante: “http://oglobo.globo.com/economia/morarbem/mat/2011/09/29/abecip-pede-aumento-do-teto-do-fgts-para-compra-da-casa-propria-925473120.asp”

    Para quem quiser ler, segue o link: “http://oglobo.globo.com/economia/morarbem/mat/2011/09/29/abecip-pede-aumento-do-teto-do-fgts-para-compra-da-casa-propria-925473120.asp”

    Os comentários do pessoal também estão interessantes…

    Já dei meu palpite: não adianta aumentar o teto se a pessoa tem 100 mil de FGTS e não tem renda pra financiar preços absurdos. E olha que juntar 100 mil em FGTS leva anos…

    Se aprovado, esse aumento não dará mais que uma sobrevida à bolha.

    0
    • RT 1 de outubro de 2011 at 14:04

      A manchete correta é:

      “Abecip pede aumento do teto do FGTS para compra da casa própria”

      Acabei botando o link duas vezes, por engano.

      0
  • Sérgio 1 de outubro de 2011 at 15:37

    A notícia acima Crise por todos os lados, apesar de relativamente correta – e necessária, não causa algum impacto, pois, é do site da causa operária.
    .
    Sobre mais esse novo pedido de aumento do limite fgts, o bc já negou uma vez e vai negar de novo, pois, além de saberem da existência da bolha, sabem que pouquíssimas pessoas no país possuem fgts acima de 500K: o fgts equivale, em média, a 01 salário por ano; se um camarada ganha hoje 10 K mensais e já trabalha a 30 anos, tem, grosso modo, 300K.
    .
    O desespero toma conta: próxima etapa da bolha – e sua oficialização – será a INTERVENÇÃO ESTATAL, ainda este ano. Anotem!

    0
  • Ana 1 de outubro de 2011 at 17:59

    Inicialmente, quero dizer que acho os preços dos imóveis um absurdo e torço que os preços diminuem.

    Mas vi uma reportagem abaixo transcrita, que me preocupou. E faço uma indagação a todos. Quem tem o dinheiro para pagar o preço destes imóveis?

    29/Setembro/2011
    Vendas de imóveis usados subiram 85,76% no mês de julho em São Paulo
    Segundo o Creci-SP, cenário é diferente do notado no primeiro semestre, quando as vendas caíram 29,22%

    Mauricio Lima

    O Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP) divulgou ontem (28) uma pesquisa que aponta alta de 85,76% nas vendas de imóveis usados em São Paulo em julho. Segundo a pesquisa, 286 imóveis foram vendidos no mês. A pesquisa, feita com 454 imobiliárias da capital, apontou também para alta de 40,6% no aluguel de imóveis no período, com 1.106 imóveis alugados.

    Segundo o conselho, o aumento nos dois índices “reverte o desconforto causado pelo desempenho desses dois mercados no primeiro semestre, quando as vendas recuaram 29,22% e a locação encolheu 12,23% no período”. “Os resultados de venda e locação em julho são muito animadores, mas, como sempre acontece no mercado imobiliário, é preciso cautela”, adverte José Augusto Viana Neto, presidente do Creci-SP.

    “A prudência recomenda esperar para ver qual será a tendência real dos dois mercados nos próximos meses, embora seja lógico esperar um crescimento, ainda que em ritmo menor, daqui para o final do ano”, acrescenta Viana. Com o aumento nas vendas e nas locações, os preços também subiram: imóveis usados ficaram 3,97% mais caros que a média geral dos imóveis vendidos no mês e o aluguel teve alta de 2,9% nos preços pesquisados no período.

    Uma questão que chama a atenção é o número de ações judiciais propostas nos fóruns da capital, que teve alta de 16,46% em julho. As ações renovatórias de aluguel aumentaram 38,33%; as de falta de pagamento subiram 26,87%; as de rito ordinário evoluíram 18,86%; e as de rito sumário aumentaram 11,29%. Somente as ações de pagamento em consignação diminuíram, com queda de 18,18%.

    http://www.piniweb.com.br/construcao/mercado-imobiliario/vendas-de-imoveis-usados-subiram-8576-no-mes-de-julho-238388-1.asp

    0
  • Ana 1 de outubro de 2011 at 18:03

    Vi comentários de alguns servidores aqui no blog e concordo com eles. Da noite para o dia quem achava que ganhava bem e tinha um salário alto, sente-se pobre. É desanimador.
    Fico pensando, se as vendas estão de vento em poupa, quem está comprando estes imóveis.
    Por outro lado, vejo nos anúncios de jornais sempre os mesmos imóveis HÁ ANOS não é meses e sim ANOS, e só aumentando os preços. Não vendem e aumentam os preços. Não entendo. Gostaria da opinião de vcs.

    0
    • Noord 1 de outubro de 2011 at 18:43

      Eu acho que eles não tem outra escolha. Imagine que ocorra a diminuição de preço – o corretor do lado vai acabar tendo que reduzir também e por aí vai – boom da bolha… A tática é a de achar algum afobado que compre sem pesquisar ou como aprendi aqui no site “um tolo maior” … Mas acho que não irão aguentar por mais muito tempo…

      0
    • carlos wagner 1 de outubro de 2011 at 19:15

      E podem acreditar, inda tem trouxa comprando achando que é um investimento pra tentar vender com agio.

      Hoje estive num plantão de vendas de um condominio de um padrao muito bom aqui na cidade. Fui até lá pra bater papo com meu amigo que corretor. Ele disse que estava esperando um cliente e que esse cara havia comprado um ap que o corretor havia me oferecido por 150 mil, num predio novo, 2 dorm mas que não vale nem 80 mil, na minha opiniao.

      Pois bem, esse cara compreou esse ap, pagou 150 mil, como o ap é novo, ele colocou armario embutidos, cozinha planejada e blindex no banheiro e esta pedindo 240 mil e ja esta vendo outro ap pra comprar e fazer a mesma coisa.

      Acontece que nesse predio onde o cara pede 240 mil, os aps de 150 mil não vendem. O preço é altissimo para o padrão das pessoas que la vão morar. Como um cara desses não está vendo isso?

      A nova meta do “investidor” é comprar esse ap de 450 mil pra vender nao se sabe la por quanto!

      0
    • luiz 2 de outubro de 2011 at 02:41

      ana essa gente é treinada nas mbas as mas modernas técnicasde negociação, assimtria de informação, jgos de estrategia, equilibrio de nash e um blabala do inferno a 1.500 a mensalidad pra arrancar sangue dos outros

      são tecnicas de manipulação de mananda, procure esses termos no google que vc va entender pq o preço sempre sobe, esmo que o mercadoe steja falido

      elesampliam a ilusão a nivel de governo, conseguem falir um país, essagente não tem limite, etica, não tem nada na cabeça, são piores que psciopatas, não sou euq ue digo veja o historico de noticias daqui

      0
    • aiwww 2 de outubro de 2011 at 12:08

      Olha, posso confidenciar que pelo manos na região da Tijuca no Rio de Janeiro, o que existe na realidade é a prática do CARTEL. Uma corretora confessou essa semana que os preços são combinados entre as imobiliárias e não há nada que os faça baixar.

      0
  • ajw 1 de outubro de 2011 at 20:06

    Mais uma da turma de Dilma, depois da inflação em alta, crescimento e baixa, o ministro já admite que emprego também ta indo para o brejo..
    “Geração de empregos ao longo de 2011 deverá totalizar 2,7 milhão de postos formais, afirmou o ministro. O resultado é inferior à meta anterior, de 3 milhões de vagas”
    É lobo uivando (ministro Carlos Lupi), agora só falta admitirem que existe quase uma bolha de crédito- imobiliária.
    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia%20geral,empregos-ficarao-abaixo-da-meta-em-2011-preve-lupi,86465,0.htm

    0
  • simone 1 de outubro de 2011 at 20:30

    Qnd olho os jornais de porto alegre fico triste os preços não baixam , será que vou ter que ir morar na lomba do pinheiro , vila nova , canoas , poxa ninguém merece …….

    0
  • Sérgio 1 de outubro de 2011 at 22:53

    Chegando a conclusões:
    .
    Segundo o BCG – Boston Consulting Group – em relatório de junho de 2010, o Brasil possuia 127 MIL indivíduos que possuiam – em cash – fora patrimônios físicos, mais de U$1.000.000; essa quantidade sobe para 146 MIL segundo o Merryl Lynch. Ambos os relatórios, que são anuais, a quantidade aumentou quase 50% de 2008 para cá???!!!!
    Nos EUA, esse número salta (eufemismo) para mais de 5.200.000 pessoas!
    .
    A pergunta (retórica) que não cala: como poderia as casas aqui custarem – em média – mais caros que lá???? Isso, sem considerar-se que os ditos classe média daqui serem considerados como pobres (também eufemismo) lá.
    .
    Sou servidor federal e, segundo o IBGE e a FGV, faço parte da classe B. No entanto, posso financiar – NO MÁXIMO – 190 K. Com 190 K compraria no máximo um cubículo onde judas perdeu as botas.
    .
    Como aguardo esse fim de ano; melhor: o início do próximo ano e poder assistir à queda desse sistema perverso… e RIR.

    0
    • carlos wagner 1 de outubro de 2011 at 23:04

      Sergio

      Tambem su func. publico federal e me sinto um miseravel, sem aumento desde 2006 e com capacidade de financiamento que nao dá nem pra comprar um MRV fuleiro.

      Vamos esperar essa loucura acabar pra tentar comprar algo digno que compense entrar num financiamento.

      0
      • Sérgio 2 de outubro de 2011 at 11:23

        Penso, que dependendo do cago, nós não estamos ganhando mal. O mercado – de forma geral – é que não está girando sobre seu próprio eixo.
        Há pouco tempo atrás pensava eu em ir para o exterior, sonhando em ganhar algo em torno de U$2K mensais. Hoje, ganho mais que isso (o dobro, na verdade) aqui, como servidor. Quem ganhava U$2K lá antes já não ganha mais em virtude do desaquecimento (recessão) nas economias desemvolvidas. A mesma coisa que acontecia nos EUA em 2007 está acontecendo aqui e agora: preços de tudo descolados da realidade em virtude de anos de boom econômico, mas que chegava ao fim.
        Vemos aqui hoje os mesmos sinais – NÃO ESTRANHAMENTE IDÊNTICOS – por serem os mesmos fundamentos econômicos (a BOLHA é um conceito macroeconômico elaborado em Harvard nos finais dos anos 70, que foi um estudo do que não era para se permitir acontecer: eu não encontrei prova disso, ainda) seja em que país que aconteça.
        Portanto, após as quedas nas vendas, nos financiamentos, no aumento das demissões no setor, os próximos passos serão a diminuição a zero de novos empreendimentos (não estou dizendo dos que já iniciaram) e paralização de grande quantidade dos já iniciados. A oficialização da existência se dará com a interveniência estatal, que já está próxima.
        .
        Logo, em questão de poucos meses, os preços de muitois produtos e, principalmente, serviços voltarão ao patamar normal do mercado, haja vista a demissão nos setores mais susceptíveis: serviços (que inclui construção civil) e indiretamente os da indústria. O setor público certamente será o menos atingido, digo, seus servidores.
        Os preços dos imóveis, que já começaram a cair, continuarão caindo, apesar do estouro da bolha, por mais 2 ou 3 anos: não pensemos que será imediato. Há a necessidade de tempo para digerir tamanho prejuízo. Basta ver EUA, Irlanda, Espanha e Portugal: nesses até hoje os preços dos imóveis não chegaram a um patamar emque as pessoas possam suportar.
        Portanto, para quem quiser comprar seu imóvel ano que vem, sugiro aguardar mais um pouco, no mínimo até o final de 2012. Quem comprar antes achando que está levando vantagem por ter comprado um ap por 250K, quando ele custava 300K, vai acabar levando um baita preju a médio prazo, pois, estes chegarão tranquilamente a valores abaixo de 200K.
        .
        Bom domingo a todos os bolhistas.

        0
        • Sérgio 2 de outubro de 2011 at 11:24

          CARGO, CARGO… e não cago, como jumentamente digitei acima.

          0
        • alex 3 de outubro de 2011 at 13:07

          vc esta errado sergio , 2000 dolares p/mes aqui em NY eh um salario muito baixo , eu pago mais que isso pra baba do meu filho que quase nao fala ingles.
          se ela sair da minha casa arruma outro emprego no dia seguinte

          a midia brasileira esta exagerando no que acontece fora do brasil para que os brasileiros nao se revoltem mais do que ja estao

          0
  • AMDKC 1 de outubro de 2011 at 23:46

    Infelizmente ainda há muitos instrumentos para o Gov ainda manter a bolha inflada, juros artificialmente baixos, subsídios a construtoras, aumento to teto do FGTS e por aí vai. Creio que existe sim o problema mas vejo que o governo vai empurrar isso com a barriga o máximo que puder. Para aqueles servidores que acham seus salários defasados, não se sintam sós pq a iniciativa privada assim tb o está, ainda acho que o Estado em geral foi mais generoso uma vez que temos absurdos como cargos de nível técnico sem nível superior ganhando quase 5 R$ mil, algo irreal, e reajustes muito mais gordos (exceto para médicos e professores esses só tomam no lombo). O cenário no país mudou muito a 3/4 anos atrás quem ganhava 10 R$ mil por mês vivia bem, dava para financiar um apt na Zona Sul do Rio tranquilamente e ainda sobrava uma grana para manter a família, cenário muito diferente do atual, onde creches para crianças estão entre 1R$mil e 2R$mil e o mesmo vale para escolas, não sei, mas o Brasil do nada tornou-se um lugar estranho irreal, e o problema foi que quem correu para o serviço público assim como eu esperando se manter com salários entre 7e12R$mil não consegue mais manter o mesmo padrão de vida e sofre com isso, e o pior disso tudo é que depois dessa farra nós servidores ficaremos anos achatados uma vez que somos os primeiros a ser impactados, numa crise mais profunda que infelizmente virá, nosso gov já deu claros sinais que não está nem um pouco preparado para enfrentar a crise e pior quer usar a fórmula de super endividamente público e privado que quebrou EUA e Europa para quebrar o país, então aperte os cintos.

    0
    • Miguel Jacó 2 de outubro de 2011 at 00:00

      Ou meus colegas da iniciativa privada estão ficando muito mais ricos do que eu, ou os brasileiros sem casa própria serão os pobres do futuro, inclusive eu.
      O que parece é o seguinte: no decorrer dos anos, quanto mais eu ganho, mais pobre eu fico.

      0
    • GPTFN 2 de outubro de 2011 at 18:11

      AMDKC eu nao acredito que o governo vá baixar mais os juros, por um simples motivo: a baixa de 0,5% já foi suficiente para gerar incertezas no mercado. Essas diga-se de passagem tiraram um montante absurdo de dólares do país. Isso ficou claro com a súbita valorização do dólar que quase bateu 2 reais novamente.
      O BC foi obrigado a queimar suas reservas para tentar conter o avanço do dólar, mas não surtiu muito efeito visto que a alta persistiu.
      economia.uol.com.br/cotacoes/cambio/dolar-comercial-estados-unidos-principal.jhtm
      veja o grafico dos ultimos 3 meses ( partindo do minimo de 1,55 até o pico de 1,92)
      No dia de hoje está a R$1,88;

      0
  • luiz 2 de outubro de 2011 at 02:30

    ontem fui ver um consultorio pra alugar

    o imbecil do corretor começou com papo de 1.200, deps q viu a minha cara já baioxu pra 900, aí apareceu um coordenador da imobilairia faland em 750, mais 15 minutoe ele foi lá fingiu q falava com o gerente e o aluguel estava em 700 e ainda deu verde que podia negociar.

    hahahahah, vou oferecer 350.

    o predio inteir vazio, não apgo nem 350, estão sobrevivendo alugando escondido pras putas do bairro fazer demotel, a coisa tá mto feia

    0
    • Rodrigo 2 de outubro de 2011 at 10:19

      Luiz,

      A negociação foi ótima, mas será que realmente vale a pena estabelecer um consultório (não sei de que) em um empreendimento vazio… Será que o ponto é realmente bom, será que vale a pena fazer o ponto, levantando nas costas o empreendimento todo, digo isso porque já vi casos tanto de fracasso quanto de sucesso, sendo que os dois com a mesma intensidade seja para cima quanto para baixo.

      Fui ver uma sala no AMERICAS AVENUE BUSINESS SQUARE apesar do preço R$ 240.000,00, não gostei da localização, diz que é fica localizado nas principais construções da Vila Olímpica de 2016 entre a Barra da Tijuca e o Recreio dos Bandeirantes, Transoeste Trasolímpica, realmente isso é verdade, mas levando-se em conta o público alvo que queria alcançar, é mal localizado, o acesso é ruim.

      Perto do local cujo ponto é melhor tem sala de R$ 180.000,00, (preço inicial) podendo sempre baixar… vou oferecer R$ 90.000,00 parcelados já no local trabalhando!!!

      0
      • luiz 2 de outubro de 2011 at 23:48

        Exato rodrigo,
        o consultorio não é pa mim, estava no papel de consultor da coisa.

        Foi a minha conclusão, alugar um imovel desses é o mesmo qu queimar o seu filme, seja de que área for. Brasl né, o local serve de seilá, depósito.

        A artimanha do corretor é tão pobre que cega a dar dó, ele pregou uma placa de advogados na porta, pra ver se valorizava.

        Se for bem localizado demais é ruim, se for mal localizado tbm é ruim, e pelso mesmos motivos.
        Alias vc conhece outro país onde tenha tanto motel?
        Essas áreas comerciais no meio do mato aí no rio vai tud encalhar, ou….

        0
  • luiz 2 de outubro de 2011 at 02:34

    ontem tbm vi o premio masters no Programa do amury junior

    esses filhos aputa já ganharam mto dinheiro, vcs não imagina o luxo da porra do rpemio que essa gente fracassaa se distribuiu

    quero ver pagarem a conta
    a ilusão acabou
    game over pra eles

    0
  • Yoda 2 de outubro de 2011 at 09:00

    Semana passada estava fazendo alguns test-drives em concessionárias de Brasília. Dentro de duas delas fui abordado por corretores oferecendo apartamentos.

    Ontem, um corretor me ligou oferecendo um apartamento de 128m2 que havia sido “devolvido” em um empreendimento de Águas Claras. Alguns meses atrás estive no mesmo empreendimento e já não haviam apartamentos disponíveis.

    Em 2008, quando comprei meu apartamento em Águas Claras (já estava achando o preço absurdo nesta época), era quase impossível ver corretores trabalhando aos domingos, sábados à tarde. Hoje vemos corretores trabalhando durante todo o final de semana.

    Não sei se os preços baixam ou irão ficar estáveis, sequer tenho certeza que exista uma bolha. Uma bolha seria prejudicial para todo mundo, com ela estourando vem recessão, desemprego, etc, etc, etc. Sinceramente, espero que não haja bolha e que os preços fiquem estáveis para aquelas pessoas disciplinadas que juntam dinheiro possam comprar seus apartamentos à vista, seja para morar ou investir.

    Servidores públicos já estão entrando na época das vacas magras, daqui a pouco será a vez da iniciativa privada.

    Veremos o que a crise internacional irá nos revelar.

    0
    • Carlos Eduardo 2 de outubro de 2011 at 10:54

      Acabei de Receber mais uma oportunidade de investimento na região da mooca!

      recebi pelo email do grupo da faculdade a qual faz anos que não vejo ninguém!!!

      nem respondi porque estou cansando de responder essas coisas!

      kkkk

      0
  • ajw 2 de outubro de 2011 at 10:18

    Notícia, na Gazeta do Povo Curitiba 02/10/11, jornal impresso: ” Fim da euforia afasta “atravessadores” da mercado.”. Nesta reportagem fala que passada a euforia do mercado imobiliário, os “atravessadores” que segundo a reportagem gira em tono de 10% rsrsrs, estão fora deste mercado, ficando somento os investidores. Em momento nenhum a reportagem fala sobre alguem comprando para morar. Então
    1-Agora já temos a impressa falando que mercado não está bem;
    2-Que a classe de investidores foi aberta em duas sub-classes os investidores e “atravessadores”, que para nós e a mesma coisa, mas será que este último serão os investidores kamikases rsrsr;
    3-Que o mercado só não parou porquê têm investidores comprando, veja não pessoas para habitar as casas;
    Mais alguns dias a Gazeta afirmará “Existe bolha, mas não fai estourar, pode continuar a investir com tranquilidade”.

    0
    • Rodrigo 2 de outubro de 2011 at 12:04

      ohhhhhh

      Atravessador = “investidor”

      Investidor = imobiliária e dependendo do caso, até corretor devido às facilidades, ahhhhhh, então é por isso que corretor trabalha de “graça”, tem interesse em vender os próprios imóveis que adquiriu na planta ou com preços muito abaixo do mercado.

      O lucro = Bancos, Construtoras e Imobiliárias, onde só restarão os maiores… monopólio ….

      0
  • Zoom 2 de outubro de 2011 at 10:50

    Gente, a próxima desculpa do SECOV/SP será a greve dos bancários que afetou as negociações.

    0
    • Zoom 2 de outubro de 2011 at 11:08

      Heheheheheheeeeee….
      Os caras não tem mais o que falarem…..

      0
    • Rodrigo 2 de outubro de 2011 at 12:36

      Greve pode atrasar financiamento
      publicado
      em 29/09/2011 às 9:45
      por Ligia Tuon | Fonte: Jornal da Tarde

      Além das dificuldades de pagar contas e resolver assuntos internos no banco, a greve dos bancários, que começou ontem em todo País, também pode atrasar as negociações relacionadas à compra e venda de imóveis, já que os pedidos de financiamentos que ainda não foram concedidos ficam parados nas agências que aderiram à paralisação.
      “A grande dificuldade é que os créditos disponíveis para programas de financiamento de imóvel – como é o caso do Minha Casa, Minha Vida – têm por ordem do governo prazo para serem utilizados pelos bancos”, aponta o advogado especializado em direito imobiliário Thiago Antolini. “A questão é se o governo vai estender esses prazos, para não prejudicar o consumidor”, acrescenta.
      Quem negociou a venda do imóvel sem intermédio de uma imobiliária também pode sofrer com o atraso. “Se o pedido de financiamento estiver parado no banco, o proprietário pode vender o imóvel para outra pessoa que aparecer com o dinheiro vivo. A não ser que possíveis atrasos e imprevistos tenham sido acrescentados no contrato feito entre as partes”, completa Antolini. O problema, segundo o advogado, não atinge quem já teve o crédito aprovado.
      Se o comprador ainda não entregou a documentação para participar de um programa de financiamento do imóvel, a alternativa é procurar outra agência. “Algumas não estão fechadas”, diz o advogado.
      As auditorias dos imóveis, feitas pela Caixa Econômica Federal, para a concessão de crédito imobiliário não serão afetadas no caso de pedidos que já foram feitos. “Esses profissionais não deixam de trabalhar, porque esse pessoal ganha conforme os trabalhos realizados. O que pode acontecer é que não recebam ordens da Caixa por causa da greve”, diz Antolini.
      Segundo a direção do banco estatal, ainda não é possível mensurar como a paralisação irá afetar o trabalho das agências, já que estas poderão ou não aderir à greve.
      Na paralisação dos bancários do ano passado – que durou 15 dias, entre setembro e outubro – os financiamentos imobiliários também ficaram atrasados, mas não houve maiores problemas. “Ninguém perdeu o direito ao usar linhas de crédito e algumas agências continuaram funcionando, como agora”, diz Antolini.
      De acordo com o balanço parcial feito pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, 621 locais de trabalho – agências bancárias e centros administrativos -, estavam fechados na manhã de ontem. Estima-se que 19.300 trabalhadores participam das paralisações na região.
      Transtornos – Apesar de algumas agências estarem totalmente ou parcialmente abertas (a maioria das que aderiram à greve encontram-se no centro da capital), muitas pessoas que foram ao banco ontem encontraram portas fechadas. “O que mais me preocupa é minha aposentadoria, que eu recebo direto do caixa, já que meu cartão está vencido”, queixa-se Manoel Gonçalves Moreira, de 57 anos.
      Para a operadora de cobrança Natália Caruso, 25 anos, o fechamento do banco junto com a greve dos Correios causa transtornos. “Não recebi meu holerite em casa e não tenho como saber quando cairá minha pensão. O problema é que também não consigo falar com o gerente.”
      Ao todo no País, a greve atingiu 4.191 agências e centros administrativos de bancos públicos e privados em 25 Estados e no Distrito Federal. O balanço foi divulgado ontem pela Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

      0
  • Mrk 2 de outubro de 2011 at 12:08

    Quando O fipezap apurar mais um indice de valorizacao eu venho aqui dar risada, todos aqueles anuncios falsos que vi…

    E o secovi, quando publica de novo heim? Abs

    0
  • Rodrigo 2 de outubro de 2011 at 12:23

    Venda de usados cresce 85,76% em julho em SP

    Fonte: Jornal da Tarde

    As vendas de imóveis usados e a locação de casas e apartamentos tiveram forte expansão em julho na capital paulista. As 454 imobiliárias consultadas pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP) venderam 85,76% a mais e alugaram 40,6% mais imóveis que em junho, resultado que reverte o desconforto causado pelo desempenho desses dois mercados no primeiro semestre. As vendas recuaram 29,22% e a locação encolheu 12,23% no período de janeiro a junho.
    Esse aumento do volume de negócios nos dois mercados em julho teve reflexos nos preços dos imóveis e dos aluguéis novos. Os imóveis usados ficaram 3,97% mais caros na média geral dos preços de casas e apartamentos vendidos em julho comparativamente a junho. O aluguel teve alta de 2,9%, considerada a média de todas as locações feitas nesse período pelas imobiliárias pesquisadas.
    “Os resultados de venda e locação em julho são muito animadores, mas, como sempre acontece no mercado imobiliário, é preciso cautela”, adverte José Augusto Viana Neto, presidente do CreciSP. “A prudência recomenda esperar para ver qual será a tendência real dos dois mercados nos próximos meses, embora seja lógico esperar um crescimento, ainda que em ritmo menor, daqui para o final do ano”, acrescenta.
    Os fatores de otimismo apontados pelo presidente do Creci-SP são os bônus de participação em resultados, o décimo-terceiro salário e os ganhos com aumentos salariais que vão engordar a renda de muitas famílias nos próximos meses.
    As 454 imobiliárias consultadas pelo Creci-SP venderam em julho na capital 286 imóveis, o que fez o índice de vendas crescer 85,76% – de 0,3391 em junho para 0,6300 em julho. Elas alugaram 1.106 imóveis, o que fez o índice de locação avançar 40,6% – de 1,7326 em junho para 2,4361 em julho. Vários fatores explicam esse desempenho. “Em julho, os dados divulgados pelo IBGE mostravam a economia em ritmo vigoroso, com mercado de trabalho aquecido, aumento da renda real e crédito em expansão. E isso se refletiu nos negócios imobiliários da cidade”, explica Viana Neto. Já a locação tem um fator histórico adicional de incentivo, segundo ele. “Meses de férias, como julho e dezembro/janeiro, costumam ser de grande movimentação nas imobiliárias porque estudantes e famílias costumam aproveitar esses períodos para mudar de bairro”.
    Vendas à vista – Mais da metade das vendas de imóveis em julho na capital (50,35%) foi feita à vista, segundo a pesquisa Creci-SP. As vendas por meio de crédito bancário somaram 45,8% do total. Os proprietários venderam de forma parcelada 3,85% de todas as casas e apartamentos negociados pelas 454 imobiliárias. Não foram registradas vendas por meio de consórcio.
    Os imóveis mais vendidos em julho foram os de valor superior a R$ 200 mil, com 76,28% do total de negócios formalizados nas imobiliárias consultadas. A pesquisa registrou 18 tipos de imóveis com preços médios maiores do que em junho e 8 tipos com preços menores.
    O preço que mais subiu foi o de apartamentos de padrão médio com mais de 15 anos de construção situados em bairros da Zona A, como Alto da Boa Vista, Campo Belo e Cidade Jardim, entre outros. O aumento foi de 52,21%, com o preço médio do metro quadrado passando de R$ 3.841,67 em junho para R$ 5.847,36 em julho.
    A maior queda do preço médio dos usados foi a de casas de padrão médio com até 7 anos de construção localizadas em bairros da Zona E, como Brasilândia, Campo Limpo e M´Boi Mirim. O valor médio apurado pela pesquisa CreciSP em julho foi de R$1.936,45, uma redução de 43,05% em relação a junho.
    Locação – As 454 imobiliárias consultadas pelo CreciSP em julho alugaram 1.106 imóveis, 40,6% a mais que em junho. O índice de locação avançou de 1,7326 em junho para 2,4361 em julho. Alugaram-se mais apartamentos (54,52% do total) do que casas (45,48%). A maioria dos novos contratos, somando 52,86%, foi de imóveis com aluguel mensal de até R$1.200,00.
    A pesquisa CreciSP registrou 16 tipos de imóveis com aluguéis maiores em julho e 16, com aluguéis menores que no mês anterior. O aluguel que ficou mais caro foi o de apartamentos de 4 dormitórios situados em bairros da Zona B, como Aclimação, Paraíso e Pinheiros.
    O aluguel subiu 83,62%, passando de R$3.630,77 em junho para R$ 6.666,67. A maior baixa foi a do aluguel de casas de 2 dormitórios em bairros da Zona C, como Aeroporto, Lapa e Mandaqui. O aluguel caiu de R$1.177,14 em junho para R$762,77 em julho.
    O número de contratos formalizados com garantia do seguro de fiança e do depósito de três meses do valor do aluguel foi maior (51,61%) que o daqueles que tiveram o fiador como garantidor do pagamento em caso de inadimplência do inquilino (48,3%). Imóveis alugados sem garantia representaram 0,09% do total.
    As imobiliárias receberam 649 imóveis de inquilinos que desistiram da locação por motivos diversos (86,29%) ou financeiros (13,71%), número que equivale a 58,68% do total de imóveis alugados em julho. As devoluções foram 11,59% inferiores as de junho. Já o índice de inadimplência teve alta de 12,78% ao passar de 3,99% do total de contratos em vigor em junho para 4,5% em julho.
    Ações judiciais – O número de ações judiciais propostas nos fóruns da capital cresceu de 4.045 em junho para 4.711 em julho, aumento de 16,46%. As ações renovatórias de aluguel aumentaram de 60 para 83 (+ 38,33%); as de falta de pagamento passaram de 1.150 em junho para 1.459 em julho (+ 26,87%); as de rito ordinário evoluíram de 228 para 271 (+ 18,86%); e as de rito sumário aumentaram de 2.596 para 2.889 (+ 11,29%). Só as ações de pagamento em consignação diminuíram – de 11 em junho para 9 em julho, queda de 18,18%.

    0
    • Adriano 3 de outubro de 2011 at 11:21

      Será que existe alguém que ainda analisa com seriedade resultado de pesquisa SECOVI, CRESCI, FIPE-ZAP e afins? Fala sério! Note que as reportagens não compara a totalidade dos dados, compara apenas o que convém.

      0
  • Ana 2 de outubro de 2011 at 12:34

    Vou dar um exemplo a vcs de como a coisa está louca ou tem muita gente rica neste país. No RJ, um Juiz e outros moravam na Zona Sul. Hoje não podem pagar nem um aluguel em um apto., por exemplo, de três quartos no Leblon. Isto porque equivale mais da metade do salário líquido do indivíduo. Ou seja, se um Juiz não pode sequer morar na Zona Sul de aluguel, chegamos a seguinte conclusão. Vivemos numa ilusão, pois até um Juiz agora é classe média média que somente pode morar na Tijuca, Jacarepaguá e outros, imaginem os demais patamares de salários.
    Tanto que vemos as pessoas que moram atualmente na Zona Sul que são classe média, são aquelas que compraram apartamento antes do boom.

    0
    • Rodrigo 2 de outubro de 2011 at 12:46

      ahaha

      Salário de Juiz com descontos realmente não dá para morar no Leblon!!! Se realmente for seu sonho vai ter que dar muitaaaaaaa aula ou então abre mais um curso jurídico.

      Quando se passa em concurso, mesmo que para juiz se tem duas certezas:

      Que não vai ficar pobre e também não vai ser rico.

      0
      • Ana 2 de outubro de 2011 at 12:54

        Vc vê, antes um funcionário nível técnico pagava tranquilamente um aluguel em Copacabana, Botafogo, Laranjeiras e outros, hoje em dia só sonhando e não com a Tijuca, rs, pois Tijuca é para Juiz, Auditor, etc. Rs. Vão ter que ir para Madureira e outros.

        0
  • Ana 2 de outubro de 2011 at 12:36

    Outra pergunta: Será que tem tanta gente que ganha mais que um Juiz no RJ para superlotar a Zona Sul de forma a não ter imóveis para alugar na região?
    Caramba, no RJ somente tem milionários.

    0
    • RT 2 de outubro de 2011 at 20:15

      De jeito nenhum.

      Morei na Zona Sul a vida toda, tenho amigos (diretos e indiretos, isto é, amigos da família) trabalhando em diversos ramos, e pouquíssimos chegam a ganhar que nem juíz.

      Se juíz está tendo dificuldade em arrumar lugar pra morar, é porque a coisa tá muito feia mesmo, como eu imaginava…

      Não é difícil de entender. O juíz, ganhando 20 mil e tal, quer moradia no Leblon ou Ipanema, à altura de sua renda. Mas morar nesses lugares tá custando 800 mil, 900 mil, no mínimo!! Por mais que se ganhe bem, ninguém junta essa grana da noite pro dia! E faz as contas pra ver quanto se tem que ganhar pra financiar isso…

      Pelo menos, fico feliz de ver que não estou maluco. Os preços estão mesmo surreais, a ponto de salários astronômicos serem insuficientes para comprar moradia!

      0
  • Ana 2 de outubro de 2011 at 12:56

    Vcs viram a reportagem do O Globo sobre um “golpe” com empréstimos de funcionários do Senado Federal. Vcs acreditam que uma Porteira do Senado ganha igual ao Ministro do Supremo Tribunal Federal? Isso é brincadeira.

    0
    • Marcelo 2 de outubro de 2011 at 19:01

      Trabalhar (sei, vai vendo) na Camara dos Deputados tambem e melhor que ganhar na Megasena acumulada.

      0
  • Rodrigo 2 de outubro de 2011 at 13:43

    Standard & Poor’s afirma não há bolha imobiliária no Brasil

    h ttp://www.youtube.com/watch?v=PbvD2G1kVzo&feature=player_embedded

    0
    • TH 2 de outubro de 2011 at 14:44

      Meio antigo esse video, né? A mulher fala que é esperado um crescimento de 5% em 2011. O próprio banco central já fala em 3,5%.

      0
      • Rodrigo 2 de outubro de 2011 at 15:49

        Bom não sei realmente a data de filmagem do video, apesar de constar a data de 01/10.

        Procurei outros e não achei.

        0
        • carlos wagner 2 de outubro de 2011 at 16:22

          Esses dias eu assisti a uma entrevista com a superintentente da Standart and Poor’s no Brasil, só não me lembro exatamente o programa. Mas, segundo ela, a visão da agencia é que realmente nao há bolha no brasil. No decorrer da entrevista percebi que ela é muito parcial nas suas considerações, não se aprofunda no assunto quando emite parecer sobre a conjuntura brasileira e tive a impressão que suas declarações foram feitas mais sob influencia de um efeito plateia do que pautado pela realidade.

          No meu parecer, essa agencia, pelo seu historico, principalmente quanto aos titulos podres estadunidenses que eram considerados AAA até o ultimo segundo, ela não merece qualquer credibilidade.

          O mundo ja percebeu isso.

          0
          • RT 2 de outubro de 2011 at 20:06

            Essas agências todas também falharam na previsão da bolha americana.

            O resto da história, todo mundo conhece.

            E ainda tem uma coisa: creio que o Brasil vive sim, uma “bolha”, no sentido geral do termo. Crescimento (em todos os setores) impulsionado pelo “boom” de crédito, insustentável pela própria natureza deste “motor”.

            Especificamente no setor imobiliário, entretanto, não acho que seja uma bolha nos mesmos moldes da americana – isto é, a bolha de crédito que ferra o sistema bancário e leva o país à crise econômica.

            Acho que a bolha imobiliária é de preços, e não de crédito inseguro. Quando parar de vender – se é que já não parou – vai estourar. Os preços vão cair até voltar a vender. Quem tiver contado com projeções de venda com base em preços malucos vai falir, ter prejuízo, etc. A meu ver, essa queda dos preços provocará uma crise no setor imobiliário e de construção civil, apenas.

            Agora, se o estouro da bolha imobiliária vai ser disparado pelo da bolha de crédito, que além de acabar com a farra dos imóveis, também vai mergulhar o país todo em crise, é outra história… mas não acredito que os preços dos imóveis em si sejam suficientes para isso.

            Acho que quando a agência diz que “não há bolha” no Brasil, está falando da economia como um todo. E acho que está errada. Não seria a primeira vez…

            0
            • RT 2 de outubro de 2011 at 20:08

              Ops, só agora percebi que fala especificamente do setor imobiliário, rs.

              Mas mantenho meus palpites…

              0
              • luiz 3 de outubro de 2011 at 00:01

                pq a S&P viria dizer q não há bolha, isto é um tipico ato-faho, ou sinal, ou pressagio, como queiram
                Eles não são bobos.

                0
  • Leandro 2 de outubro de 2011 at 14:21

    kkkkkkkkkk…….

    Ex-capitão dá palestra para corretores
    Tamanho da Fonte Redação Jornal da Comunidade

    Para o lançamento do Perfectt LifeStyle, seu mais novo empreendimento no Setor Noroeste, a EBM Incorporações promoveu no dia 28 de setembro, quarta-feira, palestra motivacional com Paulo Storani, ex-capitão do Bope e um dos inspiradores do personagem Capitão Nascimento do filme Tropa de Elite. Durante o evento, foram abordados temas como superação, determinação e objetividade. “Precisamos manter o foco quando somos desafiados. Missão dada é missão cumprida,explicou Storani.

    O encontro motivacional promovido em parceria com as incorporadoras Helbor e Terral contou com a temática de “Tropa de Vendas”, fazendo uma alusão ao filme que foi sucesso de bilheterias. Durante 1h30, cerca de 600 pessoas lotaram o Centro de Treinamento Lopes Royal, na Cidade do Automóvel, e aplaudiram de pé o palestrante após grito de “Eu quero! Eu posso! Eu faço!”
    Segundo o gerente regional da EBM Incorporações no DF, Fábio Teles, a iniciativa buscou despertar nos corretores mais compromisso com a marca, trabalho em equipe, superação de limites, espírito de liderança e autorrealização no cumprimento das metas. “Foram duas horas de muito aprendizado para todos nós”.

    0
    • carlos wagner 2 de outubro de 2011 at 14:39

      Ninguem falou pro capitão que o caso é tão grave que o grito de guerra: “Eu quero! Eu posso! Eu faço!” deveria ser finalizado com “Eu compro!”.

      Só se os corretores comprarem os imoveis encalhados é que a coisa se resolve, e olha lá heim, é capaz disso dar apenas uma sobrevida ao mercado.

      0
    • Marcelo 2 de outubro de 2011 at 18:57

      O problema e que sempre tem uma “tropa de burro” que compra mesmo com o preco nas alturas. No caso das vendas do noroeste ate que nao chega a ser essa tropa nao, la pode ser a tropa da lavagem de dinheiro, que eu sempre vou insistir em questionar neste mercado esquizofrenico.

      0
  • carlos wagner 2 de outubro de 2011 at 14:31

    Eis uma matéria que acabei de ler no blog do Reinaldo Azevedo e que mostra nitidamente que o Brasil está cometendo o grande erro. Esse artigo mostra que nosso país vai perder a grande oportunidade da sua historia para que podessemos partir rumo ao primeiro mundo.

    veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/esta-e-a-hora-dos-paises-emergentes-diz-especialista-mas-e-preciso-nao-cometer-o-grande-erro/

    0
  • Dr. Estranho 2 de outubro de 2011 at 16:39

    No Rio, corretores de imóveis continuam ganhando mercado

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/economia/boachance/mat/2011/09/30/no-rio-corretores-de-imoveis-continuam-ganhando-mercado-925480853.asp

    Destacarei as idiotices da reportagem:
    – A proximidade da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016 supervalorizou o mercado (traduzindo : acabou a copa e olimpíada acabou o emprego – esqueceram de avisar que o Brasil corre o risco de não sediar a Olimpíada).

    – Ouvimos falar que quem entra nesse mercado sempre se dá bem (traduzindo: Lei de Gerson; se for honesto não ganha)

    – A base salarial de um gestor de imóveis foi fixada em R$ 800 (traduzindo : vai ganhar mais se for cobrador de ônibus)

    – Ter honorários fixos ainda é uma conquista (traduzindo: vai ter que trabalhar de graça o resto da vida ou vender a qualquer custo).

    – O campo é vasto. Mas, insisto, é preciso estar preparado – conclui Fátima. (traduzindo: prepare-se ou profissionalize-se em outra área, pois esta já saturou.

    0
  • Zezinho 2 de outubro de 2011 at 18:09

    Pessoal, acompanho um empreendimento da Eztec aqui perto de casa, desde o pré-lançamento a 4 meses atrás.

    Bom no pré-lançamento o valor do apto de 105m2 estava a bagatela de R$ 680.000,00 (detalhe no 1.o andar). No lançamento (a 1 mês atrás) consultei novamente e o valor era o mesmo.

    Hoje entrei no chat e consultei de novo: R$ 580.000,00 em andar médio!!!

    Quem teve o “privilégio” de comprar no pré-lançamento deve estar feliz da vida… kkkk

    0
  • Mdc 2 de outubro de 2011 at 18:37

    Caros,

    Sou servidor público federal, carreira top 5, saí de SP para BSB em busca de melhores DAS para aumentar minha renda e agora estou no RJ, com o mesmo objetivo. Tanto BSB como RJ estão se tornando inviáveis. Neste ritmo, prefiro voltar para SP, apenas com o meu subsídio, ou seja, sem DAS, pois acredito que terei condições de morar em um bairro de classe média com o mínimo de conforto, dignidade, bons colégios e boa vizinhança. Atualmente moro no Leblon, mas o valor do aluguel irá inviabilizar minha permanência por aqui. Tirando a praia e as belezas naturais, sei que em SP terei várias opções, muito mais baratas, mantendo a mesma qualidade de vida (proximidade restaurantes, shoppings, colégios, cinemas, hospitais, etc). E no final de semana basta cair para o litoral norte, pois as praias não deixam a desejar. De fato, o RJ se tornou inviável e realmente duvido que a maioria dos moradores que já estavam com os seus imóveis quitados antes do boom e da irracionalidade de preços teriam condições de pagar os alugueis do Leblon. Compra cash, nem pensar. Olhe lá se teriam renda para buscar financiamento. Quem está com dinheiro na mão deve aguardar, pois a tormenta financeira mundial sequer começou. E depois da tempestade não vem a bonança. Vem a enchente!!!!

    0
  • Elias 2 de outubro de 2011 at 19:53

    Li uma matéria ontem no avião, na capa do WSJ, que achei interessante.

    Um indivíduo perdeu sua casa de férias após perder o emprego e parar de pagar a hipoteca.
    O banco tomou a casa e ele achou que o problema estava resolvido.
    Mas recentemente, ele recebeu uma “notificação judical” informando que havia uma ação do banco contra ele no valor de US$ 192,5 mil.

    Será que isso pode acontecer aqui no Brasil?

    House Is Gone but Debt Lives On (WSJ)

    h ttp://online.wsj.com/article/SB10001424053111904060604576572532029526792.html

    0
    • Sérgio 2 de outubro de 2011 at 19:59

      Acredito (não tenho certeza) que sim. A casa iria a leilão e a diferença (pois certamente haverá diferença entre o valor financiado e o leiloado) deverá ser assumida pelo ex-proprietário. Existe seguro em todos os contratos, mas não sei até que ponto eles cobrirão o rombo deixado.

      0
  • Sérgio 2 de outubro de 2011 at 20:14

    Estava fazendo uma pesquisa nos históricos de preços gerais e encontrei as seguintes preciosidades:
    Em dezembro de 2000, uma casa em minha cidade de mais ou menos 110m2 área privada, em terreno aproximados 360m2, em um excelente bairro, custava entre 60 e 80K. Na mesma época, em janeiro de 2001, segundo tabela fipe, um automóvel GOL MI 1.6 à gasolina, zero Km, custava 24 MIL reais. Ou seja, com o valor de 2 ou 3 GOLs daria para comprar um excelente imóvel.
    Hoje, um GOL semelhante, zero Km, não custa mais que 38K; já um imóvel semelhante ao citado acima, não é encontrado por menos de 350 K!!!!!!!!! Ou seja, além de termos os automoveis mais caros do mundo, hoje precisaria de uma quantia suficiente para comprar 10 GOLs 1.6 para adquirir o mesmo imóvel.
    A queda será ENORME. Não que esse exemplo acima signifique que o imóvel em questão caia para uns 130K, mas certamente pela metade cairá.
    Isso deve ocorrer ao longo de 2 a 3 anos, pois, o estouro – apesar de real – não será tão perceptível imediatamente, podendo causar estragos financeiros em alguns incautos apressados.
    Creio que já devamos tratar desse assunto – TEMPO DO ESVAZIAMENTO DA BOLHA – aqui no site, pois, é dos mais importantes de agora em diante.

    0
    • carlos wagner 2 de outubro de 2011 at 20:57

      Sergio

      Concordo com voce. Acredito que o estouro da bolha seja o colapso do mercado imobiliario, que a partir dai desencadeará uma serie de eventos como: Quebra de construtoras, burocratização da concessão de credito, excesso de oferta e baixa demanda, cancelamento de novos empreendimentos e eventos ligados ao setor, etc…

      Muitos desses sinais ja estamos vivenciando. A queda nos preços dos imoveis ocorrerá conforme a necessidade de venda de cada proprietario, seja ele construtora, “investidor”, “especulador”, ou mutuário e isso vai levar algum tempo sim. A queda será gradual, muitos vão comprar durante essa queda achando que estão fazendo um otimo negocio, mas a queda se acentuará mais e mais conforme o mercado for ficando estagnado com os preços praticados e uma nova queda será necessária para que as vendas voltem a ocorrer.

      Também acredito que 50% dos preços atuais seja um bom numero.

      0
      • Sérgio 2 de outubro de 2011 at 23:25

        Temos que chamar a atenção de todos para esse fato, principalmente do BOLHA. Muita gente vai acabar comprando imóvel no início da descida da ladeira – ou precipício – por puro medo ou por achar que está levando vantagem.
        Que a bolha já dá sinais claro de estouro é fato, mas em momento algum abordamos o período temporal do processo, que como em outros países, pode levar até mais de 03 anos, vide Espanha, Eua, Irlanda e Portugal.

        0
  • jsantos 2 de outubro de 2011 at 21:18

    Ótimo exemplo, aconteceu comigo em 2007, comprei um fox 1.0, 0km 2p completo por 32mil, hoje o fox vale 35ml . apto no bairro em 2007 90mil, hoje 270.
    2007- 3 fox
    2011- 8 fox
    preços fora da realidade, 200% em 4 anos , que investimento rende 4.16 am.

    0
    • Sérgio 2 de outubro de 2011 at 23:32

      É isso aí. Lembro-me, inclusive, de pessoas que vendiam o carro para dar de entrada no imóvel. Hoje em dia teríamos que vender nossos Audi A4 para DAR de ENTRADA numa casinha chulé.
      Mas é só por mais alguns meses.

      0
      • luiz 2 de outubro de 2011 at 23:53

        até aí eu acho normal q uma casa vaha 10 carros
        pensando no custo beneficio

        a comparação é pessima em tods os sentidos pq carro é cartelizado
        tudo bem que se comaprar a gente cosegue ver o movimento absuro, um cartel desabando enqto uma bolha infla

        o preço de um bom carro na europa aqui vc compra uma dessas motinhas 125 de boy

        0
        • Sérgio 3 de outubro de 2011 at 10:33

          Os chineses e coreanos que o digam sobre a cartelização!
          No entanto, os preços dos carros respeitam o mercado, pelo menos como eles estavam até antes da intervenção estatal no aumento do IOF.
          O exemplo poderia ser feito com o Kg da batata, do aço, da banana, ou com o dolar: não importa… todos respeitam o mercado. Eleve o preço da batata para R$20,00/Kg e veja quantos vão comprar. É simples.

          0
  • Paulo Rocha 3 de outubro de 2011 at 05:27

    Um artigo interessante mostrando como a situação na China está pior do que aparenta:

    businessinsider.com/suddenly-investors-getting-nervous-about-china-2011-10?op=1

    0
  • João Paulo da Silva Simões 3 de outubro de 2011 at 07:43

    Olha ai dito e feito, a casa está caindo mesmo… so não vê quem não quer.

    http://www.folhadecontagem.com.br/portal/index.php/destaques/85/4629-vereadores-pedem-cassacao-dos-alvaras-da-mrv.html

    0
    • Sérgio 3 de outubro de 2011 at 11:52

      O consultor financeiro dessa e de outras real estate é o desconhecido Bernard MADOFF. Arrecada dinheiro de um novo empreendimento para tentar concluir os anteriores. Isso é resultado da ganância de brasileiros que foram passados para trás pela ganância dos estrangeiros. O HOT MONEY que abasteciam a especulação entre 2008 e 2010 já estpa longe daqui. Isso explica a vinda do esquema Madoff.

      0
  • Juarez 3 de outubro de 2011 at 08:33

    “O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção de BH e Região, Osmir Venuto, associa a retração do número de trabalhadores no setor aos baixos salários.”

    Enquanto construtores contam proezas como a alta lucratividade que estão tendo nos últimos anos ao mesmo tempo não tem pudor algum em admtir que eles pagam muito pouco, é a lei da selva movida pela ganância extrema!

    0
  • Mais um novo pobre 3 de outubro de 2011 at 09:34

    Como muitos, também sou um novo pobre para o mercado imobiliário, fruto da bolha.

    Ocupo um cargo jurídico top, dou aulas em universidade, minha renda média líquida é de vinte mil reais, e, como outros colegas, só consigo comprar apartamento (financiado) na Tijuca.

    O que será isso? A Copa do Mundo? As Olimpíadas? O Rock in Rio? Os “chineses-que-estão-comprando-no-Leblon”? Os novos-milionários-de-30-anos? Ou o efeito manada, a assimetria informacional, a manipulação estratégica de uns poucos contra o desespero e a burrice de muitos?

    Será que meu futuro é comer churrasquinho de freezer feito na varanda gourmet?

    Tantas perguntas. Tão poucas respostas.

    0
  • jsantos 3 de outubro de 2011 at 10:03

    Cconclusão; tá fora realidade preço do carro e do imovel.
    concordo um imovel vler 10 carros.rel. custo/beneficio
    preço real, vai sonhando!!!
    imovel = 135mil
    carro = 17mil= 8 carros
    Quem compra???… tudo leasing carro e imovel, não pagou perde o bem , e vende para outro trouxa.
    Quem ganha???… bcos, governo construtoras especuladores
    Quem se ferra???… quem teve educação financeira, que apertou os cintos por anos a fio, para comprar o imovel a vista,ou financiar o minimo por pouco tempo , agora imposivelllllllllllllllllll.oxalá essa bolha arrebente.

    0
    • Rodrigo 3 de outubro de 2011 at 12:16

      Não entendi? Se é normal imóvel custar 10 carros, então:

      10 carros (Fiat uno 2012 – R$ 17.000) = a 1 casa básica = 170.000 (valor do MCMV)

      10 carros (Fiat Palio 2012 R$ 23.000) = a 1 casa melhor = 230.000

      10 carros (Honda Fit 2012 R$ 54.000) = a 1 casa boa = 540.000

      10 carros (Honda Civic 2012 R$ 60.000) = a 1 casa muito boa = 600.000

      10 carros (Honda CR-V 2012 R$ 100.000) = a 1 casa muitoooo boa = 1

      0
      • Fred Henrique 3 de outubro de 2011 at 17:05

        Tô f*dido então, meu Passatzinho 86 vale, por alto, uns R$2.000. Hehehe.

        (Mas eu não troco ele por nenhum Civic ou Corolla. De jeito nenhum.

        Carro velho me traz inúmeras vantagens: ninguém quer roubar, é isento de IPVA,
        as peças são muito mais baratas e qualquer um (até eu) sabe mexer na mecênica.
        Sem contar o charme de ter um dos poucos Passats 1.6 LSE quatro portas de Fortaleza. hehehe)

        0
    • Rodrigo 3 de outubro de 2011 at 12:17

      Não entendi? Se é normal imóvel custar 10 carros, então:

      10 carros (Fiat uno 2012 – R$ 17.000) = a 1 casa básica = 170.000 (valor do MCMV)

      10 carros (Fiat Palio 2012 R$ 23.000) = a 1 casa melhor = 230.000

      10 carros (Honda Fit 2012 R$ 54.000) = a 1 casa boa = 540.000

      10 carros (Honda Civic 2012 R$ 60.000) = a 1 casa muito boa = 600.000

      10 carros (Honda CR-V 2012 R$ 100.000) = a 1 casa muitoooo boa = 1M

      0
      • ildeu 3 de outubro de 2011 at 12:56

        Se no brasil mais de 90 % dos carros comprados são financiados,isso indica que o valor é alto para as pessoas pagarem … se o valor de 1 carro é alto , imagina de 10 carros !

        0
      • Luiz 3 de outubro de 2011 at 15:31

        Rodrigo, não entendi o q vc naõ entendeu…
        comparações deste tipo são sempre terríveis, mas mesmo assim, serve pra dar uma idéia de valor
        a comapração as vezes serve pra gente entender melhor os valores de uma sociedade uma cultura, do que entender a economia da coisa.

        Veja um anuncio de moto dessas de motoboy. anuncio d epromoção na TV: entrada facilitada + 50 x 200 reais = 10 mil reais.
        Agora comapra com um anuncio de um Peugeot 107 na promoção com 3 anos de seguro completo gratis, valor total financiado 5.500 euros, divididos em 10 vezes, juros de 0,6% (fiz de memoria, posso estar inexato). Quase o mesmo preço

        Um piso em região média = 60 mil euros, porisso falei 10x, me parece razoavel.

        O que a gente tá dizendo aqui é que o mercado de carro novo tbm está sobrevalorizado
        2 mercados distorcidos pelos mesmos motivos. O x vezes só depende de qual esta + distorcido pelo credito farto, caro e irresponsavel

        0
        • Rodrigo 4 de outubro de 2011 at 00:58

          O que não entendi é que os carros que vejo nas ruas não são populares. Será que essas pessoas tem imóveis de 10 vezes o valor do carro?? É muita gente!! Então esta barato?!? Vejo Porche na rua com certa frequência…

          0
          • Luiz 4 de outubro de 2011 at 11:36

            Rodrigo, não mesmo
            aqui em SP vc vê carro zero ou seminovo na garagem de casa na favela, o carro vale mais que a casa.
            São 3 distorções, o preço do carro, da casa e o valor que as pessoas dão ao carro.
            Em Paris agora vc aluga um carro eletrico por 10 euros/dia no mesmo lugar que tem akelas bcilcetas

            0
  • ilde 3 de outubro de 2011 at 10:08

    Mercados vivem pior trimestre desde a crise de 2008

    Weruska Goeking ([email protected])
    30/09/11 20:20

    No terceiro trimestre deste ano, o Ibovespa sofreu a maior queda desde a crise de 2008, com baixa de 16,15%, aos 52.324 pontos. Analistas estão pessimistas com desempenho do quarto trimestre.

    No mesmo período em 2008, em meio aos solavancos da quebra da Lehman Brothers, a bolsa caiu 23,80%, para 49.541 pontos, e perdeu mais 24,20%, a 37.550 pontos, naquele quarto trimestre.

    Embora a pontuação do trimestre encerrado nesta sexta-feira (30/9) não seja tão baixa quanto a observada durante a última crise, há chances de o principal índice de ações do país atingir 48 mil pontos, segundo a análise técnica de Wagner Caetano, diretor da consultoria de análise gráfica Top Trader.

    Ultrapassando esse valor, há dois suportes intermediários, em 45 mil e 42 mil pontos, e o Ibovespa deve correr ladeira abaixo até os 35.800 pontos – fundo marcado em 2009.

    “Houve queda forte o ano inteiro, em agosto teve sinal de fundo e depois de recuperação, mas ela já foi devolvida mais que a metade”, afirma Caetano.

    Ele considera o cenário atual diferente de 2008, já que a grande preocupação com a liquidez bancária resultou em uma queda brusca dos mercados e hoje vemos uma derrocada “previsível” e lenta.

    “A tendência não mudou e é de baixa, mas menos aguda e mais progressiva porque a crise não é tão desesperadora como naquela época”, diz Caetano.

    Ainda que improvável, uma inversão de tendência só deve ocorrer se o Ibovespa chegar aos 58.600 pontos.

    Cenário internacional

    Dois episódios marcaram a forte queda trimestral do Ibovespa: a crise da dívida na Zona do Euro, com destaque para a combalida situação fiscal da Grécia, e a elevação do teto da dívida dos Estados Unidos.

    “O pacote de emergência para ajudar a Grécia foi aprovado em julho e no início de agosto foi aprovado o aumento do teto da dívida americana. Os investidores começaram a ficar preocupados com a demora dos políticos”, comenta José Raymundo de Faria Jr., diretor-técnico da Wagner Investimentos.

    Os 17 parlamentos dos países que compõem a Zona do Euro aprovaram no ano passado um fundo para dar assistência às nações mais endividadas do grupo, mas ao final de setembro três deles ainda emperram o processo e têm até outubro para aprovarem o novo estatuto do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF).

    Nos Estados Unidos, o índice Standard & Poor’s 500 caiu para 1.250 pontos e desencadeou uma onda de vendas de ações em todo o mundo. “Enquanto estiver nessa região até que é bom. Se baixar para 1.080 pontos é que é a coisa fica ruim”, alerta Faria Jr.

    O analista também observa que, desde 1960, sempre que o Produto Interno Bruto (PIB) americano fica abaixo de 2%, a probabilidade de recessão é alta. Na última estimativa divulgada pelo Departamento de Comércio dos EUA, a taxa de crescimento do segundo trimestre foi de 1,3%.

    “O medo de recessão é alto e o Fed (Federal Reserve, o banco central americano) precisa agir para que os Estados Unidos não entre em recessão”, completa. O receio ganhou força após a China ter reportado queda na atividade industrial.

    Prova do aumento do pessimismo e, consequentemente, a busca por ativos considerados mais seguros, o dólar registrou em setembro a maior alta dos últimos nove anos, alcançando R$ 1,88, avanço 2,09%.

    Um sinal pior para o Brasil. “O dólar tende a ficar mais forte e com isso os países emergentes não vão performar bem”, afirma Faria Jr.

    A demora na solução da dívida europeia, os dados chineses e a alta da inflação brasileira devem continuar impulsionando o dólar frente ao real.

    Destaques

    No acumulado do ano, as empresas cujas ações se destacam entre as maiores altas são Cielo (CIEL3), com 33,28%, e Tim (TIMP3), com 30,88%. Os tradicionais papéis defensivos dos setores de telecomunicações e energia, como Telesp (TLPP4), com 30,46%, e Cemig (CMIG4), com 9,79%, também registram bom desempenho.

    Wagner Caetano, da Top Trader, acredita que os ativos das companhias de energia devem seguir com melhor performance em relação ao Ibovespa.

    “Os fundos de investimentos não podem ficar líquidos e vão para papéis mais defensivos e menos voláteis”, explica.

    [b]Já as empresas do setor imobiliário concentram muitas baixas. Papéis como Cyrela (CYRE3) e Rossi (RSID3) acumulam quedas de 45,29% e 39,36%, respectivamente.

    No topo da ponta negativa, aparecem Hypermarcas (HYPE3), Marfrig (MRFG3) e Gol (GOLL4), com 60,54%, 60,16% e 58,84%, nesta ordem.

    Para Caetano, as fortes quedas de papéis de construtoras e incorporadoras sinalizam uma bolha no setor imobiliário. [/b]

    Faria Jr. recomenda que os investidores fiquem fora da bolsa até que o cenário melhore. Nem as blue chips Vale (VALE5) e Petrobras (PETR4) se salvam. Em 2011, os papéis da mineradora e da petrolífera apuram desvalorização de 15,56% (a R$ 39,23) e de 28,05% (a R$ 19,10), respectivamente.

    “O investidor deve voltar quando a Vale estiver R$ 41 e Petrobras acima de R$ 22”, completa.

    Fonte: “http://www.brasileconomico.com.br/noticias/mercados-vivem-pior-trimestre-desde-a-crise-de-2008_107582.html”

    0
  • Selvagem 3 de outubro de 2011 at 10:28

    Pregão hoje abriu em baixa.

    Adivinha qual cavalo sai rasgando a largada?

    GFSA3 -3,15 R$5,13.

    Essa empresa precisa dar umas explicações ao mercado.

    0
    • MrK 3 de outubro de 2011 at 10:50

      Selvagem, a gafisa nao precisa prestar explicação alguma, quem precisa se explicar é quem comprava esse papel a R$15,00, isso sim que não me entra na cabeça!

      o fato da gafisa estar a R$5,00 e caindo é pra mim uma correção natural, vide que o papel paga miseros 0,23centavos de dividendos por ano, mesmo num ano “bombante”

      eu só compraria esse papel a uns R$2,00, não acho que cairá tanto, pois tem gente que compra mais caro, mas é o preço justo pra mim

      0
  • Jack Imóveis 3 de outubro de 2011 at 10:28

    Bolha.

    Matéria da versão impressa do estadão de hoje. Vale um tópico.

    h t t p : / / w w w .estadao.com.br/noticias/impresso,ha-bolha–imobiliaria-,780548,0.htm

    0
    • Leandro 3 de outubro de 2011 at 11:02

      Valeu pelo link.
      Nenhuma novidade nos argumentos apresentados pelas duas partes.

      0
      • Jack Imóveis 3 de outubro de 2011 at 11:04

        Achei interessante pelo fato do OESP, que é o maior anunciado em imóveis, ter colocado uma matéria assim na sua área de finanças pessoais.

        0
  • henrique 3 de outubro de 2011 at 11:18

    Ninguém engana o mercado financeiro. A queda dos papeis da construtoras é prova disso.

    Estou ficando preocupado com a grande quantidade de pessoas que irá perder suas economias no mercado imobiliário.

    O investidor ou morador que comprou na planta a partir de 2009 está correndo grande risco, principalmente os que entraram após 2010.

    Acredito que nem a queda da selic irá resolver o problema, pois os bancos estão cada vez mais restritivos na concessão de crédito, seja porque sabem do problema no setor, seja porque a inflação está corroendo seu spread. A selic até pode cair, mas os bancos não vão reduzir suas taxas, o que irá frustrar a expectativa do governo.

    Essa queda será longa. Muitos tontos irão comprar um pouco abaixo dos preços atuais acreditando que fizeram um bom negócio. O buraco é bem mais embaixo, pois é preciso tempo para que restem frustradas as expectativas de ganhos dos investidores/proprietários.

    Se a pressão de compra acabou, a pressão de venda ainda nem começou!

    0
    • MrK 3 de outubro de 2011 at 11:38

      É o velho “faça o que eu digo e não faça o que eu faço”

      Os bancos estão vendendo construtoras, travando carteira de crédito e aumentando a provisão pra inadimplencia

      mas na frente das câmeras o discurso é outro, falam que tá tudo bonito, o mercado é saudável, recomendando compram de construtoras e dizem que não há bolha

      ahãm

      0
  • FSH 3 de outubro de 2011 at 11:29

    Amigos, acabo de receber um e-mail da EZTEC que diz o seguinte:
    – Garantimos a renda do seu imóvel por 1 ano.

    Eles vão “alugar” o apto de quem comprar na planta (apenas empreendimentos selecionados).
    Se o mercado imobiliario fosse tão bom assim e o retorno do investimento tao garantido, eles não precisariam fazer isso.

    Esse negocio tem cheiro de desespero …

    0
    • MrK 3 de outubro de 2011 at 11:43

      Se o negócio tá muito bom como dizem, você vai ficar abrindo mão de parte do seu lucro e tendo maior trabalheira pra agradar comprador? claro que não.

      “cheiro de desespero”-> matou a charada.

      0
    • Sérgio 3 de outubro de 2011 at 12:17

      Essa é a mesma empresa que em 2010 oferecia uma Mercedes Benz na compra de um de seus imóveis. Repare que ela tem imóveis à venda, de um mesmo empreendimento desde 2006, prédios ditos de luxo que não venderam nem a metade e, que os compradores das outras unidades também estão todos tentando vender. São vários imóveis sob a alcunha SPLENDOR. Olha que essa real state é uma das mais enxutas financeiramente. Imaginem as outras.

      0
  • DRN 3 de outubro de 2011 at 11:33

    Eu gostaria da opinião dos colegas economistas a respeito do argumento do professor da FGV, disponível na matéria do Estadão acima citada:

    Sim O preço dos imóveis em São Paulo subiu 109% desde janeiro de 2008, diz o índice FIPE-ZAP. Por que tamanha valorização? Se calcularmos o valor do imóvel tendo como base o retorno obtido com os aluguéis vemos que os preços não fazem sentido. O aluguel hoje gira em torno de 0,35% do valor do imóvel. Aplicando na poupança, o investidor seria melhor remunerado. As pessoas, no entanto, compram imóveis pensando que estão investindo e esperam que apareça outra pessoa interessada em pagar um preço ainda maior. Aí está a lógica do comportamento de bolha que vivemos.

    Será que esse argumento da poupança continua válido se considerarmos que os 0,5% ao mês da poupança são estabelecidos por lei?

    Se não me engano, isso é como jabuticaba, só existe no Brasil.

    Quero dizer: se esquecermos esse “parâmetro” forçado pela lei (e não estabelecido pelo mercado), o argumento não perde validade para sustentar a bolha?

    Eu gosto muito mais do argumento que o professor da USP (Real State) usou para o artigo “Alerta de Bolha”. Ele calculou o preço justo a partir de todos os custos e depois aplicou uma generosa percentagem de lucro, concluindo, ao final, que o excedente era a sobrevalorização.

    Vejam trecho da matéria da folha sobre o artigo:

    “Para o professor, o mercado residencial pode ter sobrevalorização de 15% a 20% em relação ao valor justo”.

    Por isso acho muito elevado esse percentual de 50% de queda.

    Antes que algum desavisado jogue pedras, aviso que concordo com o absurdo dos preços, embora pense que a bolha não vá estourar, mas sim murchar pela estabilização ou pequena queda dos preços somada a forte inflação nos próximos anos.

    0
    • MrK 3 de outubro de 2011 at 11:41

      DRN,

      o valor aluguel/preço do imovel deve ser balisado pelo custo de capital do país em questão..

      em outras palavras: Nos EUA um aluguel de 0.35% am seria uma maravilha sem fim, já que os treasures rendem infinitamente menos que isso, já no Brasil trata-se de um rendimento muito ruim e que perde de lavada pra inflação, logo eu concordo com o argumento do economista e acho que não podemos invalidar a poupança como referencia só porque é um rendimento estabelecido por lei, é um referencial valido.

      0
      • Anonymous 3 de outubro de 2011 at 15:00

        MrK,

        Posso assegurar que nos EUA voce compra imóvel, comercial ou residencial, já alugado e rendendo entre 0.5% ao mes e 0.7% ao mes. O valor do rendimento decresce dependendo do prazo do aluguel. Aqui perto de onde estou, tem prédio residencial novo (construído em 2010), 2 pavimentos, 16 apartamentos, todos alugados, sendo vendido por 1,112,000 USD.

        Gross Income: $144,096
        Annual Expense: $54,288
        Net Over Investment: $89,808 –> 8% ao ano ou 6.7% ao mes (Isso antes do Imposto de Renda)

        Portanto, a Banânia está muito pior do que voce imagina.

        0
    • Leandro 3 de outubro de 2011 at 11:46

      O problema do cálculo do “preço justo” pelos custos é como mensurar esses custos.
      Todos os custos da construção civil hoje estão inflados (principalmente terrenos).
      Assim, creio que essa análise é equivocada.
      Se há bolha no custo (ex: terreno), haverá bolha no preço.

      0
      • Adriano 3 de outubro de 2011 at 12:04

        Existem sites de engenharia e construção, que estimam em bases confiáveis os custos por categoria de obra. Se o imóvel estiver num valor muito acima, existe um forte indicador de bolha, principalmente porque os custo de construção já estão indevidamente inflacionados.

        0
    • Luiz 3 de outubro de 2011 at 12:13

      DRN, não acho q precisa pedir licença, seus argumentos são sempre ótimos, eu gosto
      Tbm sou desses que acha que a bolha, se existe, é fato recente, do final de 2009 no maximo, começo de 2010 com certeza.

      Contudo acho q estamos caminhando pruma crise que jogará o valor dos imóveis pra baixo do preço justo.

      Enqto em países civilizados se investiu em tecnologia pra baratear materiais, se investiu em planejamento pra melhorar as cidades, a infraestrutrua, etc… O que fizemos aqui???

      Aqui fizemos obaoba e carnaval, mas a conta vai chegar.

      Quem vai pagar? Quem acredtiou nesse clima de festa, o peão que terá o salarios achatados pela inflaçao, o ultimo a sair da mesa.

      0
    • Sérgio 3 de outubro de 2011 at 13:32

      EN PRATIQUE, LA THÉORIE N’EST PAS SI!
      .
      É bem assim, a teoria – muitas vezes – é muito bela e … impressionantemente correta; os fundamentos elencados são como rochas de certeza; as perspectivas são nanometricamente analisadas e os dados são meticulosamente apurados. Mas aí alguma coisa dá errado: explicações pululam por entre os catedráticos; conclusõs midiáticas invadem nossos sentidos e, num instante, acatamos a profusão de informações analgésicas.
      Lá na frente, no futuro, irão afirmar que o erro ocorreu por causa da oferta de crédito, que descobriram não ser boa nos níveis em que foram praticadas; que os preços médios estavam muito acima da capacidade financeira das pessoas e que o que vale para um país, em termos conomicos, vale para outro. Somos gananciosos, por isso chegamos onde estamos.

      0
    • Carcará 3 de outubro de 2011 at 13:46

      DRN,
      quando o crédito farto e barato acabar, os preços caem mais de 50%. Enquanto houver crédito farto e barato, os preços tenderão a cair menos. Por isso, o cenário de compra vai ser aquele em que a torneira do crédito fácil for fechada. Julgo que o governo não aguente esse torneirão até 2014. Assim, espero uma correção de mais de 50% entre o triênio 2012-2014. Mas é condição sine qua non, para a queda de + 50%, a ausência do crédito farto, pois esse afasta por completo qualquer poder de especulação do tolo maior de 20%. Se ele souber que o crédito tá difícil, ele não se arriscará na planta para tentar repassar depois.

      Sem o tolo maior e o crédito fácil, desfazem-se as “real state” no Brasil e passamos a ter aquele nosso mundinho de construtoras que faziam prédios residenciais de quando em quando. Vejam que esse último raciocínio é confirmado pelo dado estatístico do SECOVI-SP, no qual é informado que nada menos de que 80% das vendas efetuadas no primeiro semestre foram vendas de lançamentos.

      Abraços.

      0
    • Carlos Wagner 3 de outubro de 2011 at 13:49

      DRN

      Eu acredito que os dois argumentos levantados pelas reportagens que voce cita, são válidos. Pois a bolha contamina varios setores da economia como setor de materia prima, mao de obra, etc… e o comprativo com outras formas de investimento são sempre levadas em consideração. Portanto, ao se comprar com a poupança, nota-se que o investimento em imovel não é viável e ao mesmo tempo camparando-se aos valores “justos” percebemos, ainda mais claramente, que há uma bolha desses ativos.

      Quanto a possibilidade da bolha desinflar e não estourar, eu nao acredito. Eu acho que o estouro é inevitavel, pois nenhuma construtora, empresario investidor ou banco vão jogar a toalha e correrem o risco de perderem dinheiro desinflando os preços dos ativos ditos como “mais seguros do mercado”, afinal imovel nunca cai de preço.

      O mais evidente é que eles levem a bolha às ultimas consequencias, caso contrario muitos países desenvolvidos não estariam passando por problemas tão parecidos quando se refere a supervalorização de ativos.

      Quanto à porcentagem, eu acho que 50% é um bom percentual de queda, haja vista que os indices da construção civil tem aumentado + ou – 7,5 a.a. Cito o exemplo do meu apartamento que em 2007 custava 90 mil e hoje custa 290 mil. Caso ele tivesse sido corrigido pelos indices da construção Civil, hoje custaria R$ 129,19. Como explicar a diferença de preços?

      Pra mim a explicação é “especulação imobiliaria”.

      0
    • Anonymous 3 de outubro de 2011 at 15:13

      O valor de 50% de QUEDA não é elevado. Esse professor usou preços de terrenos, materiais e mão-de-obra TODOS inflados para calcular o custo de DEPOIS aplicar um MARKUP. Para dar uma idéia, comprando Banânia e EUA, o preço de um terreno supondo qualidade de vizinhação similar está em 30 VEZES MAIOR na Banânia. Para ficar num exemplo concret, um terreno de 1000 m2 no Alphaville Campinas (SP), está “custando” 600 mil Reais. Aqui perto onde estou, compro terreno em vizinhança MELHOR por 20 mil Reais. A Banânia ficou completamento louca desde 2009. Na minha opinião, ou os preços ou caem mais do que 50% ou haverá instabilidade social – não tenho a menor dúvida disso. Os Bananense vão aprender o valor do dinheiro da maneira mais trágica possível.

      0
  • Rogerio 3 de outubro de 2011 at 11:45

    Vejam esta matéria: Safra vê potencial para ação da PDG quase dobrar

    http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/safra-ve-potencial-para-acao-da-pdg-quase-dobrar?page=2&slug_name=safra-ve-potencial-para-acao-da-pdg-quase-dobrar

    Será que acabou o estoque de gardenal!!!

    Destaque para esse parágrafo:

    Os analistas comentaram os esforços da companhia na transferência de clientes para os bancos, principalmente para acelerar o retorno de capital de projetos realizados em 2007 e 2008.
    Por conta disso, a companhia espera reduzir significativamente a queima de caixa no segundo semestre de 2011, passando a gerar caixa em 2012.

    transferência de clientes para os bancos!!! Duvido que consigam fazer caixa assim!!!

    0
    • Luiz 3 de outubro de 2011 at 11:52

      Rogerio, leia nas entrelinhas, a PDG é ligada (seilá como) ao Banco BTG Pactual que comprou o falido panamericano via emrpestimo do BNDES que é o braço financeiro do governo.

      Isto tudo às vésperas das eleições.

      Isso se chama manobra contábil, com o dinheiro dos seus impostos

      0
    • Carlos Eduardo 3 de outubro de 2011 at 19:33

      Tem que ser bem retardado para confiar nesses bancos mutreta ai!!!

      ultimamente não tenho confiado nem nos maiores do Brasil!!!

      imagina numa mutreta dessas ai!

      0
  • Anderson 3 de outubro de 2011 at 11:58

    Novo índice de preços será medidor de eventual bolha no mercado [imobiliário]

    2011
    (Gazeta do Povo) – 21/09/11

    Crescimento do crédito imobiliário foi ponto de partida para o governo federal criar o indicador

    A expansão do crédito imobiliário, assim como o crescimento do segmento e discussões em torno de uma eventual formação de bolha no setor levou o governo federal a criar um índice de preços de imóveis. O decreto 7.565, que estabelece sua criação e ma­­nutenção, foi publicado na última sexta-feira no Diário Oficial da União. As definições de metodologia de cálculo, implementação, manutenção e aprimoramento, ficarão a cargo do Insti­tu­to Brasileiro de Geografia e Es­­tatística (IBGE). O cronograma ainda será definido e não há previsão sobre data de publicação das primeiras estatísticas.

    Executivos do mercado imobiliário de Curitiba consultados pela reportagem aprovam a criação do índice, mas admitem certo receio. A expectativa é que o indicador retrate a situação do mercado corretamente. “É salutar, porque me parece que estamos vivendo uma descontextualização do mercado. As cidades têm um dinamismo muito diferente e o resultado de uma não pode ser transferido para a ou­­tra”, avalia o presidente da construtora Partilha, Antonio Carlos Marques Júnior.

    Ele cita como exemplo a queda em 31% nas vendas de imóveis novos em São Paulo, divulgada na semana passada. “Deve­mos lembrar que o mercado vem de uma fase de crescimento que é histórica. Claro que a base estatística au­­mentou”, afirma. Marques Júnior compara o desempenho recente das vendas com um time de futebol. “A equipe que ganha de 10 a 0 de seus adversários durante várias partidas seguidas e, depois, passa a ganhar de 3 a 0 não está em crise. Também é assim com os imóveis.”

    Brasil X EUA
    A situação vivida no mercado brasileiro tem sido comparada ao que ocorre nos Estados Uni­dos de forma equivocada, avaliam os executivos. “Lá houve uma de­­formação do processo. O Brasil tem demanda, déficit habitacional.” Segundo o diretor comercial da VCG Empreen­dimentos, Alexandre Vianna, pesquisas no mercado curitibano traçam um longo caminho a percorrer. “A procura por crédito é uma tendência natural. Vem com a entrega de empreendimentos lançados há dois, três anos, cujo saldo final está sendo financiado agora.”

    Confusão
    Para o presidente da Redeimóveis –, que reúne 12 imobiliárias de Curitiba, Sidney Axelrud, uma das desvantagens é a interferência no valor de mercado. “Dará uma balizada”, diz. Ele afirma ainda que há o risco de confusão no caso de diferenças no cruzamento de dados com o que existe, como o mapeamento realizado pela Caixa Econômica Federal e as prefeituras.

    0
    • Carlos Wagner 3 de outubro de 2011 at 14:00

      Eu acho que a criação desse indice, num momento delicado como este, é justamente para estabelecer preços nos patamares atuais para que os ativos não desabem levando a falencia das construtoras e, pior, os bancos ficando com ativos que não cobrem seus emprestimos, afinal foram concedidos em situação de supervalçorização imobiliaria.

      Esse indice vai funcionar como a tabela FIPE dos automoveis. É apenas um esparadrapo para um doente terminal, mas que pode confundir o mercado ainda mais.

      0
  • Luiz 3 de outubro de 2011 at 12:20

    Bolha o relatorio do SECOVI é uma perola, merece a capa:

    “Segmentação na Capital”
    Do total comercializado no semestre, 80,4% (9.396 unidades) se encontravam na fase de lançamento.
    Ou seja, a grande maioria dos imóveis foi negociada nos seis primeiros meses a partir do lançamento.
    Esse período compreende o momento de maior esforço de campanha promocional do produto em
    jornais, televisão e rádio, eventos no local do futuro empreendimento, dentre outras ações.
    O segmento de 2 dormitórios respondeu por 40,3% do total de vendas acumulado no semestre,
    com 4.708 unidades. Imóveis de 3 quartos ocuparam a segunda colocação, com 3.441 unidades e
    29,5% dos negócios realizados. Juntos, esses nichos representaram 69,8% do volume comercializado
    na cidade de São Paulo.”

    A melhor parte, olha a explicação

    0
    • Luiz 3 de outubro de 2011 at 12:21

      dei uma pausa preparem-se para rir, todos sentados:

      O mercado de imóveis novos residenciais na Região Metropolitana e, principalmente, na
      cidade de São Paulo sofreu em 2011 os efeitos de uma série de fatos econômicos e políticos,
      nacionais e internacionais, que afetaram o comportamento em relação a 2010.
      O País passou por mudança de presidente da República, o que sempre provoca receio e
      consequente cautela quanto ao destino da política econômica. Afinal, a aquisição de um
      imóvel é um investimento elevado e de longo prazo.
      A sinalização de avanço da inflação e consequentes medidas de contenção do crédito
      contribuíram para o clima de desaquecimento. Outros fatores influenciaram em menor escala,
      mas chegaram a afetar o desempenho do mercado. Como exemplo, vale citar o Carnaval, que
      ocorreu em março – esticando o chamado período de sazonalidade –, e as intensas chuvas
      do início do ano, fator que sempre interfere nas atividades do setor.

      aga tete pe://www.secovi.com.br/files/Arquivos/balanco-mercado-2011.pdf

      PÕE NA CAPA BOLHA

      0
      • MrK 3 de outubro de 2011 at 12:48

        a culpa é das chuvas….

        chuva, carnaval, dilma…

        dos preços não é, os preços bolhescos nada tem a ver, mas a chuva e a dilma sim, ano que vem o carnaval volta pra fevereiro, são pedro ajuda com o tempo e vai vender imovel pra caramba…

        0
        • Luiz 3 de outubro de 2011 at 12:55

          a culpa é de s.pedro, das estrelas, das galaxias, menso dos preços

          lendo o relatório tem outras: explodiu a venda de 4+ dorm, bem em linha com os resultados do IBGE de familias cada dia maiores, mas ué, e as justificativas deles de demanda reprimida? como se encaixa?

          essa gente não precisa de economista, precisa de psiquiatra, e umas receitas azuis

          0
          • Marcelo 3 de outubro de 2011 at 19:32

            Receitas tarja preta! Pra tentar controlar esquizofrenia.

            0
      • Paulo Rocha 3 de outubro de 2011 at 13:00

        É realmente a chuva atrapalha muito. Por isso que os imóveis são mais caros no Nordeste do que em São Paulo! A nova classe média morre de medo de pergar resfriado! 2011 foi o primeiro ano que o carnaval caiu em março isso afeta a venda de todo o semestre. rsrs

        0
        • Paty 3 de outubro de 2011 at 14:56

          KKK.. realmente Paulo esta td mundo com medo da gripe ..kkkk rachei de rir… as doenças sazonais impediram a venda dos imoveis..kkkkkkk

          0
      • Anonymous 3 de outubro de 2011 at 14:46

        Numa “venda” de “imóvel em lançamento”, existem pelo menos 2 mentiras:

        1 – A “venda” vale tanto quanto uma nota promissória, pois não passa de uma promessa de compra.

        2 – O “imóvel em lançamento” pode nem chegar a ser construído, por inúmeras razões, além da óbvia explosão da bolha imobiliária que está a caminho.

        0
  • Rodrigo 3 de outubro de 2011 at 12:55

    Maiores Baixas:
    Cyrela, CCDI, Gafisa e MRV

    h ttp://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/acoes/noticias/7-acoes-que-caem-mais-de-50-neste-ano

    Maiores Altas:

    h ttp://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/acoes/noticias/as-acoes-que-renderam-mais-de-1-500-em-10-anos

    0
  • Rogério 3 de outubro de 2011 at 12:55

    Ele esqueceu de mencionar:

    7/9/2011 – Independência do Brasil também deve ter atrapalhado

    30/09/2011 – Dia da secretaria deve ter sido o fator mais importante na queda das vendas

    0
  • Evandro CPS 3 de outubro de 2011 at 12:57

    h t t p : //fernandonogueiracosta.wordpress.com/2011/09/28/raposas-e-galinhas/#more-13364

    Raposas e Galinhas = Corretores e Compradores

    0
    • aiwww 3 de outubro de 2011 at 15:55

      é exatemente isso o que está acontecendo! … as raposas comeram quase todas as galinhas e agora restam puocas … creio que em breve as raposas morrerão de fome!

      0
  • ildeu 3 de outubro de 2011 at 13:06

    ontem num almoço em mha casa,rolou um papo de preços de imoveis ,é impressionante como as pessoas se fascinam com o aumento dos preços ,acham que isso indica melhora do país [que tá rolando dinheiro na cidade …]E eu fui falar de quando VALE mas as pesssoas só pensam em quanto CUSTA,E meus amigos que estavam lá são de classe media , falando que 500 mil é coisa normal ! sendo que eles não juntariam isso nem em 15/20 anos .E eu falando que alugar é melhor e neguim nem me dando assunto .E´ fácil tomarem todo o dinheiro de uma vida de trabalho dos brasileiros empurrando imovéis de preços astronomicos , e é merecido pro povo deixar de ser metido e sem noção do valor das coisas

    0
    • aiwww 3 de outubro de 2011 at 16:07

      quase a totalidade da classe média pensa assim… esse é um dos motivos que indicam que essas pessoas sempre serão classe média.. isso se ganharem muito dinheiro ao longo da vida … porque o normal é que vivam um curto período de bonança e um logo período de vacas magras pagando pelo curto período de bonança … isso não é uma exclusividade da classe média tupiniquim … vide a classe média americana, espenhola, irlandesa, japonesa… é a euforia do crédito que cria a ilusão da riqueza repentina… e é nesse momento que os ricos aproveitam para tirar mais e mais da classe média.. lembram do marvin dos titãs?… o seu destino eu sei de cor …

      0
  • Rodrigo 3 de outubro de 2011 at 13:40

    Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o morador de vila com rua fechada no Rio não pode ser obrigado a pagar taxas fixadas por associação de moradores local. A decisão, inédita, considera a cobrança inconstitucional e abre jurisprudência sobre o assunto, já que, até então, tribunais estaduais do Rio e de São Paulo costumavam dar ganho de causa às associações.

    0
  • Sérgio 3 de outubro de 2011 at 14:17

    Derretimento geral:
    .
    PDGR3 5,81 -5,2% -42,2%
    CYRE3 11,39 -2,7% -46,8%
    MRVE3 9,16 -4,9% -40,6%
    BISA3 5,28 -4,4% -36,7%
    GFSA3 5,19 -3,4% -55,8%
    RSID3 8,35 -4,9% -42,4%
    EZTC3 12,35 -0,4% -9,7%
    JHSF3 4,01 -1,0% 21,4%
    TCSA3 9,13 -1,0% -15,8%

    Dados de 14:00 horas.
    Qual o fundo do poço. Que hora que uma quebra ou o governo intervém.
    Eu não dou até o fim desse ano para o crash ou a intervenção.

    0
  • Carlos Wagner 3 de outubro de 2011 at 14:31

    Otimo post no TradingCafé, vale a leitura.

    De volta a São Paulo… Mercados caem, ouro sobe… Outubro noir
    Posted on October 3, 2011 by tradingcafe
    Estou de volta a São Paulo, com dor de garganta… Outubro começou e como nada de novo aconteceu em setembro… nenhuma solução significa agravamento da crise e é isso que vai acontecer neste mês, do meu aniversário, mas vai ser um Mês de oscilações fortes e quedas fortes. Se houver alguma quebra (falência), o que é uma grande probabilidade, o mercado vai cair muito forte e o dólar vai subir pela drenagem e zeragem de contas, para somente cair quando retornarmos aos fundamentos macro-econômicos. A bolsa brasileira, apesar de estar com preços de liquidação, ainda vai cair mais. O governo brasileiro, que extendeu seus tentacúlos com tendências ditatoriais dá ordens ao BACEN, que em apenas alguns meses cedeu toda a independência conquistada na gestão anterior. A nossa presidente e o nosso ministro determinam as taxas de juros… E à revelia dos fundamentos da atualidade determinaram que a SELIC deve cair. O fundamento é simples, ao invés de cortarem os gastos do governo e possivelmente abaixarem os impostos, eles optaram por tirar o juros real das aplicações, deixar a inflação subir e reduzir os gastos do governo em juros e manutenção da dívida pública. A outra coisa que poderia mudar nossa economia e acabar com a aberração da poupança pagar juros fixos de 6% mais TR. É uma aberração por não respeitar a oferta e demanda de mercado. Vai ser um mês agitado e de muito nervosismo nos mercados. O Ouro já retomou sua trajetória de alta, lembrando que é uma preservação de valor apenas… e por mais seguro que pareça, as pessoas compram ouro no sistema financeiro, nos mercados futuros e recebem apenas um documento que identifica isto, não recebem o ouro físico…

    0
    • MrK 3 de outubro de 2011 at 14:57

      Concordo com a análise dele: SE nenhum encaminhamento for tomado para solução da grécia, outubro será sim um mês de mais quedas

      só não concordo quando ele fala que a bolsa está em liquidação, eu acho que não, ela caiu sim, mas liquidação tá longe, pelo dividend yield (calculo não especulativo) a bolsa tem chão ainda pra cair, pô, não canso de falar… tem vários papeis que voce paga, digamos R$ 10 e ele te paga de lucro por ano R$ 0,50

      que sentido isso faz? 20 anos pra repor capital?!? tá doido…

      ou seja, o preço (10) tem que cair

      0
      • Evandro 3 de outubro de 2011 at 16:47

        Por lei, uma empresa só precisa “te pagar” 25% dos lucros.

        Muito cuidado ao fazer uma afirmação solta dessas…

        No seu exemplo, a empresa poderia estar lucrando 20% aa e continuar te pagando os R$0,50.
        E nesse caso vc teria seu retorno em 5 ano.

        0
  • MrK 3 de outubro de 2011 at 15:32

    hahah daqui a pouco as construtoras vão fazer tipo a gol, quando o avião ta meio vazio eles cancelam e tentam juntar com o voo seguinte pra ver se lota

    a gafisa vai comecar a pegar gente que comprou um imovel na planta e oferecer pra trocar por um outro empreendimento pra ver se lota hahahaha

    0
    • Jack Imóveis 3 de outubro de 2011 at 15:42

      Eles já tem isso aqui ó…

      h t t p : / / w w w .gafisa.com.br/reservaespecial

      Se a demanda é tão grande, como pode ter imóvel vazio???

      0
    • tulio 3 de outubro de 2011 at 17:02

      Apenas uma curiosidade que achei interessante.

      Estive em Aracaju – Se a trabalho e lá conversei com um sr. sobre o mercado imobiliário e ele me disse que na década de oitenta teve naquele estado um boom parecido com esse (mais fraco), com correria para compra e valorização absurda parecida com a atual.
      Pois bem, ele disse que após o estouro da crise teve construtora que esta DANDO o apartamento e quem aceitasse ainda levava um carro de brinde da construtora, pois elas estavam doidas para se livrarem do passivo.
      Não acreditando, perguntei para vários outros idosos que atendi (advogo para aposentados) e, pasmem, a maioria confirmou!

      Imaginem que situação bonita essa, rsrs

      0
  • Selvagem 3 de outubro de 2011 at 15:43

    Eu goto dos anúncios da gafisa que eu vejo nos jornais. Eles colocam um selo de que o imóvel da gafisa é moeda forte.

    Só se for o imóvel mesmo, pq as ações são fraquiiiiiiiiiiiiiiinhas.

    0
    • Carlos Wagner 3 de outubro de 2011 at 15:50

      Faça uma busca no site reclameaqui.com.br pra voce ver a quantidade de reclamações contra a gafisa. As reclamações vão de falta de informações na hora da venda até apartamento entregues em pessimas condições de acabamento e com defeitos gravissimos.

      0
      • Jack Imóveis 3 de outubro de 2011 at 15:55

        Carlos,

        Acabei de ver isso aqui por lá. Coloco na integra pois vale a pena:

        Minha mãe que é pensionista do Inss foi induzida a erro por corretores da Abreu Brockers e Cyrela plano e plano e comprou três unidades de imóveis na planta.
        Como uma pensionista do inss pode comprar 3 imóveis com valores superiores a R$:280.000,00 cada. Os corretores disseram a ela que ela não teria problema nenhum, que eles facilitariam pra ela o financiamento na caixa econômica federal quando fosse receber os imóveis. Gente isso não existeee! Não tem isso de facilitar nada. Ela só abriu os olhos quando viu a matéria no fantástico falando exatamente sobre isso.
        Agora, ela está tentando fazer a desistência da compra e a Cyrela diz que ela só tem direito a receber 10% do que pagou. É enganada e ainda perde 90% do valor pago? É isso mesmo gente? Não consigo ver uma coisa dessas como sendo certa.
        E ainda por cima o contrato é um contrato de adesão porque você só recebe o contrato 90 dias apos assinar uns papeis no stande de vendas deles.
        Como filha estou indignada, e aguardo um contato da Cyrela e da Abreu Brockers sobre esse problema e uma melhor solução sobre isso.
        Gostaria muito de não ter que ir abarrotar ainda mais a justiça brasileira com mais um processo, mas se as empresas não buscarem resolver tal situação não vou ter outra saída.
        http://www.reclameaqui.com.br/1751885/cyrela-brasil-realty/desistencia-de-compra-de-imovel-na-planta/

        0
  • Carlos Wagner 3 de outubro de 2011 at 16:10

    Anuncio de casa em São Conrrado – ZS da Rio.

    http://casa.mercadolivre.com.br/MLB-196131503-casa-em-so-conrado-juntinho-a-igreja-e-proximo-a-praia-_JM

    Atentem para “perguntas ao vendedor” e a resposta do anunciante.

    0
  • Carlos Wagner 3 de outubro de 2011 at 16:10

    Anuncio de casa em São Conrrado – ZS da Rio.

    h t t p : / / casa.mercadolivre.com.br/MLB-196131503-casa-em-so-conrado-juntinho-a-igreja-e-proximo-a-praia-_JM

    Atentem para “perguntas ao vendedor” e a resposta do anunciante.

    0
  • simone 3 de outubro de 2011 at 16:26

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/preco-dos-imoveis-vai-parar-de-subir-diz-maior-imobiliaria-do-mundo

    MAIOR IMOBILIARIA DO MUNDO

    PREÇOS IRÃO PARAR DE SUBIR.

    QUEM ESPECULOU. SE ralou

    0
    • Paulo Rocha 3 de outubro de 2011 at 17:18

      Tô tirando da segunda página da reportagem

      Assis – Aqui não tem bolha do crédito porque os bancos são prudentes. Se alguém quiser tomar um empréstimo de 500.000 reais para comprar uma casa, por exemplo, terá de comprovar uma renda mensal bruta de 23.000 reais. Há uma seleção rigorosa de quem terá acesso aos recursos. Não é à toa que a inadimplência do crédito imobiliário gira em torno de 2% entre os bancos privados. Isso não é nada. A Caixa Econômica Federal até tem uma inadimplência maior devido a contratos que foram assinados há muitos anos, sob regras e circunstâncias diferentes. Mas a legislação atual dá grande segurança aos bancos

      Há um tempo atraz li que aqui na Noruega a inadimplência em financiamentos imobiliários é de menos de 0,1% e no Brasil os bancos acham 2% pouco (20 vezes mais) . Não é a toa que os bancos brasileiros ganham tanto dinheiro.

      0
  • simone 3 de outubro de 2011 at 16:28

    Números da apuração do comércio de imóveis em São Paulo:

    Comparação de vendas de janeiro a julho de 2011 em relação a 2010: -28,6%
    Comparação de lançamentos de janeiro a julho de 2011 em relação a 2010: +3,5

    0
  • simone 3 de outubro de 2011 at 16:30

    Acho que o nordeste não esta tão inflado quanto aqui em SAO PAULO, RIO DE JANEIRO e BRASILIA

    brasilia com APT custando 8mil o m2
    Santos APT de 5mil o m2
    Rio de JANEIRO campeão 20mil o m2

    0
    • Carcará 4 de outubro de 2011 at 08:34

      Simone,
      tem ap em Salvador que estão pedindo mais de R$ 10.000,00/m2. Pedindo, claro. Gosto de usar esse termo, pois quem tem sua boca fala o que quer. Vender? Aí são outros 500…

      Abraços.

      0
  • simone 3 de outubro de 2011 at 16:33

    ALGUEM PERGUNTOU ALGUMA COISA BC??
    BC descarta formação de bolha no mercado de imóveis

    Para Anthero Meirelles, aumento do poder aquisitivo e maior bancarização impedem surgimento de bolha no setor

    em 2007 O FED DESCARTOU O RISCO DE BOLHA NOS USA

    0
    • Rogerio 3 de outubro de 2011 at 17:26

      Simone,

      Acho que o BC conseguiu perder toda credibilidade, a Dilma e Mantega fazem o que dá na telha deles e pronto. Se eu fosse o Tombini já teria pedido demissão e não ficaria fazendo papel de palhaço.

      0
  • simone 3 de outubro de 2011 at 16:43

    Bolha e afins
    Bem vou tentar ser o mais Didático e simplista usando a ‘linguagem de Orkut’(rindoooo!)
    Por favor, entendam como funciona a ótica e pensamento do mercado, é simples, se vc Trouxa,ops “Cliente” pega um empréstimo e não consegue pagar, renegociar ele, ou o pior, se nem o agente que te deu o empréstimo, consegue arrumar outra vitima,ops “Interessado’ em a$$umir esse bem, vc em uma escala digamos de 1 inadimplente para 10 Bons pagadores, Vc é uma gota de sal no saleiro, pois os outros 10 fazem a corrente se manter , pois aqui financiamentos são algo que é meio extorsão,então literalmente “O sangue de um morrendo pouco importa”

    Pelo que leio sobre a tal “Bolha”, não é de pessoas que fizeram financiamentos e não podem pagar como aconteceu nos USA, pois lá aconteceu isso, e o Pior, teve uma corrida a bancos com bilhões em saque$, afetando também o Credito (Só existe Credito, pois alguém depositou, e outro fez a corretagem, pois credito nada mais que isso, assim funciona os bancos), ai literalmente “ferrou tudo”.

    Pelo que Leio, a Tal Bolha e a desvalorização de coisas que nem ao menos ocupadas estão!, Isso é um Absurdo!, Os bancos lucram as Burras com os Asnos que compram e financiaram obras na “Terraplanagem” ainda!, Verdade!, Então as pessoas deram capital para se construir, e algumas pessoas depois graças a demanda reprimida por imóveis venderam suas ‘novas construções’ com valorização, lógico que um dia isso acaba!, mas se vc acha que deu sorte :dando dinheiro para bancos, que depois usaram seu dinheiro para fazer aquilo que vc vendeu com ‘Lucro”, Caiam na real!

    Se um camarada financiou algo que para ele custou 200 e vendeu por 300, se tu ganhou 50% o banco ganhou uns 150% nisso!,ahahaha!
    Creiam!, quando começaram a ter carros financiados, quem mais lucrou com isso foram os bancos!, tanto que até as fabricas de carros foram querer ter bancos pois a margem de lucro em fazer um carro é altíssima! E financiar uma venda de carro financiado é ótima também!

    Então didaticamente: Os bancos usaram os imóveis para lucrar!, Nada mais que isso, só é mais um ciclo de lucros deles!

    Quem comprou imóvel achando que ia lucrar uma fortuna em revenda, Senta e choraaaaaaaaaaa!,se não for para Morar!, Tu esta com um Pepino na mão!.,os preços estão caindo!, não existe mais demanda , para “recomprar” lançamentos!

    Pior ainda!, Imóvel Novo ainda mais em Prédio, nem vender abaixo do “mercado’ e receber por fora dá certo!, vai ter muito esperto tomando na fuça, se comprou Apto para especular

    As condições de se financiar um imovel nos USA, são bem diferentes e muito mais barata para eles que aqui!

    Quem acertar que mais ganhou nessa “Bolha”?”, ganha um colete escrito: Obrigado Sr Gerente não me interessa um Titulo de capitalização”, quando vc for em uma agência Bancária!,KKKKK!

    Bancos, o teu inimigo oculto!

    0
    • Luiz 3 de outubro de 2011 at 17:47

      Simone, adorei quase tudo, menos isso do banco inimigo oculto, essa ferramenta se bem utilizada pode gerar riquezas e properidade, claro que não to falando dos “nossos” bancos, ah e se vc tiver um colete desses sobrando eu kero.

      Do resto adorei e por um motivo extra, sou preconceituoso ao contrário, eu sempre considero as mulhers como a prova dos 9 se algo é verdade ou não. Vcs tem um inteligencia além da matematica, e tbm raramente mentem ou roubam, veja que falo raramente, não quero te misutrar com a Dilma.

      Com vcs a ultima palavra….

      COLEGAS, que não leu, leia, é longo but worth it

      0
      • simone 3 de outubro de 2011 at 17:53

        obrigada pela oportunidades de estar com vcs…

        obrigada moderador ……………

        0
  • Sérgio 3 de outubro de 2011 at 17:20

    Algumas real estate estão quase no mesmo nível de 2008. Isso porque eles ainda alegam que está tudo bem.
    PDGR3 5,84 -4,7% -41,9% -41,4%
    CYRE3 11,28 -3,7% -47,3% -53,0%
    MRVE3 9,12 -5,3% -40,8% -41,7%
    BISA3 5,21 -5,6% -37,6% -39,7%
    RSID3 8,30 -5,5% -42,7% -47,0%
    GFSA3 5,09 -5,2% -56,7% -60,0%
    EZTC3 12,20 -1,6% -10,8% 8,7%
    JHSF3 3,98 -1,7% 20,5% 40,4%
    TCSA3 9,04 -2,0% -16,6% -3,7%
    .
    Rompeu-se a barreira dos 60% de queda. Qual o limite até o desespero indisfarçavel.

    0
    • MrK 3 de outubro de 2011 at 17:39

      rapaz

      quem botou 100mil na gafisa em novembro do ano passado, hoje tira 33mil

      setor aquecido?

      0
  • Yoda 3 de outubro de 2011 at 17:26

    Abusurdo, três corretores entraram aqui no trabalho agora para oferecer imóveis…

    Sábado a noite em um restaurante em Águas Claras, o papo que se ouvia nas meses próximas era sobre imóveis.

    Só falta o engraxate falar da mesma coisa….

    0
  • Jonathas 3 de outubro de 2011 at 17:30

    Bolha imobiliária – Anselmo Gois: O Globo
    http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/posts/2011/10/03/bolha-imobiliaria-409100.asp

    A imobiliária Coelho da Fonseca vendeu, em parceria com uma imobiliária francesa, um castelo no vale do Loire, na França.

    Com vinhedos, dez mil metros quadrados, bosques luxuriantes, o castelo custou um milhão e oitocentos mil euros, preço de um apartamento de quatro quartos precisando de reforma, no Leblon.

    0
  • Mauro 3 de outubro de 2011 at 17:45

    Aqui dentro do prédio onde trabalho, no RJ, a CEF abriu um stand para oferecer crédito, principalmente imob à taxas competitivas!!!! rssssss Tá ruim o negócio!

    0
  • Mauro 3 de outubro de 2011 at 17:47

    … a taxas competitivas…

    0
  • Mauro 3 de outubro de 2011 at 17:48

    que exploda a bolha e despenquem os preços! quem comprou para especular que segure o preju! esqueceram da “função social da propriedade”!!!!!

    0
    • Luiz 3 de outubro de 2011 at 19:56

      Mauro este tópico que vc apontou é importante demais
      Imovel deve cumprir uma função social precipua conforme estabelecido em lei, não é matéria de especulação ou investimento como querem algunsd

      Então na hora de reclamar os seus direitos, os especuladores correm o risco de tomar uma enorme banana da justiça, que pode entender de forma diferente pro coitado que comrpou pra morar.

      E do jeito que tem juiz indignado com a bolha aqui no blog, não tenho dúvida da decisão da justiça

      0
  • Luiz 3 de outubro de 2011 at 19:53

    olha a bobagem que a maior imobiliaria do mundo disse:

    EXAME.com – Se os preços no Brasil não estão exagerados, por que as vendas de imóveis novos têm despencado em cidades como São Paulo?

    Assis – O que está ocorrendo é uma queda nos lançamentos. Estimamos que o total de imóveis novos que serão oferecidos ao mercado tenha uma queda de 12% menor neste ano. Mas não acho que haja alguma ligação com um possível exagero nos preços. O problema é que quase não há bons terrenos nas maiores cidades do país

    Ué, ele não leu o relatório do SECOVI, lançamentos subiram 3% esse ano
    Outro idiota dizendo que as vendas cairam pq diminuiu o estoque
    Esse aí é da winner, imagine o resto o que não deve falar pra enfiar esses preços

    0
    • simone 3 de outubro de 2011 at 21:57

      Sugiro ao moderador criar uma comunidade no orkut , assim mais pessoas possam compartilhar …

      0
  • simone 3 de outubro de 2011 at 21:10

    AÇÕES DE CONSTRUTORAS NAO TEM MAIS FUNDO

    GFSA3
    DE 14 REAIS

    PARA 5 REAIS

    PEQUENA QUEDA DE QUE?? 70%

    0
  • Elias 3 de outubro de 2011 at 23:41

    Hoje, voltando da pós, vim conversando com um colega com o qual falo só de vez em quando.
    Mencionei que estava difícil achar apartamento, os preços estão muito caros, etc. (evito falar de bolha porque, por mais evidências que existam, tem muita gente que acha isso impossível, estilo “los precios nunca bajan” do videozinho da Bolha Espanhola).
    Eis que ele me diz, do nada: não compre, há uma bolha! kkkk
    Aí o papo fluiu, mas deixei ele falar e vejam que interessante.

    Ele disse que trabalhou na MAPFRE (seguradora espanhola) e conhece muita gente do mercado financeiro. Ele comentou que faz um tempo a bolsa vem derrapando, que ele mesmo está travado em ações, e conhece gente que deixou de aplicar na bolsa e comprou até 10 aptos na planta pra especular.
    Esse pessoal, com essa mentalidade, já contando com o ovo no c. da galinha, saiu comprando TVs de led, i30 e sonatas, tudo financiado.
    Pois bem, quando eles compraram estes aptos, a parcela que era pequena cabia no orçamento mensal. Todavia, com o aumento do custo de vida, ou inflação, o orçamento começou a ficar apertado. Somado a isso, o INCC castigou os reajustes das parcelas, apertando ainda mais esse pessoal.
    Acontece que, como sabemos, o mercado imobiliário travou, e já tem “neguim” tendo seus i30 e sonatas sendo retomados pelo banco.

    Adivinhem qual o próximo ativo do qual esses pseudoespeculadores terão que se desfazer?
    Ou melhor, que serão “retomados”, porque vão segurar até o fim.
    Quando esses aí perderem os aptos, vão ficar com a cara do smeagle do senhor dos anéis dizendo “my precious” enquanto o anel cai no precipício. kkkkk

    0
    • DRN 4 de outubro de 2011 at 10:57

      KKKKKK, muito bom. A do Smeagle foi demais. KKKKK…

      Se vc souber do leilão dos Sonatas, por favor, avise-nos! Quem sabe não sai por 1/3 do preço!

      0
  • nelson 4 de outubro de 2011 at 08:56

    Fipe: preço de imóveis volta a acelerar e sobe 21% no ano
    04 de outubro de 2011 • 07h27 • atualizado 08h45comentarios
    33

    Preço médio do metro quadrado em 7 regiões é de R$ 5.936

    O preço de imóveis anunciados em sete centros urbanos do País subiu 1,9% em setembro, segundo levantamento divulgado nesta terça-feira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). No acumulado do ano, o preço médio do metro quadrado aumentou 21,3%, com Rio de Janeiro (28,7%) e Recife (25%) liderando a alta.

    O índice acompanha o preço médio do metro quadrado de apartamentos prontos anunciados no site de classificados Zap Imóveis. O preço médio do metro quadrado em setembro ficou em R$ 7.859 no Distrito Federal, R$ 3.452 em Salvador, R$ 4.460 no Recife, R$ 4.181 em Fortaleza, R$ 5.778 em São Paulo, R$ 4.489 em Belo Horizonte e R$ 7.082 no Rio de Janeiro. Na média das sete regiões, o valor foi de R$ 5.936.

    Em São Paulo, os preços anunciados subiram em média 20,9% em 2011. Desde janeiro de 2008, a alta foi de 113%. A região do Ibirapuera/Vila Nova Conceição apresentou o metro quadrado mais caro (R$ 8.837). No Rio de Janeiro, o bairro do Leblon, na zona sul, é a região com preço mais elevado (R$ 16.347). Já a região de Anchieta apresentou o menor preço (R$ 1.058).

    Terra

    0
  • FQ 7 de outubro de 2011 at 12:30

    ta
    ta

    0