Carta do Ricardo Eng aos leitores

Você pode gostar...

Comments
  • RosinhA 13 de junho de 2012 at 19:05

    Otimo post mais uma vez Ricardo Eng, quanto ao SPE, não tem como controlar depende de mil fatores, se quiserem ops se quiserem é muito fraco, como roubam, e é muito fácil esse tipo de roubo, basta jogar a “Bola”, e terá sempre um monte jogador para aceitar.

    Ex: Meu marido copiou a nota de uma grande construtora de SP, levavam janelas de alumínio, distância 600KM, preço 250% maior que qualquer loja de departamentos, dono da fábrica apareçe abraçadinho com o dono da construtora em eventos sociais patrocinados por ela, eles devem roubar por boa causa Caridade, aí pode né, os investitolos que estão pagando mesmo.

    Gostem ou não de seus preconceitos ele é o cara !!!!!!!!!!!!

    2+
    • Ricardo Eng 13 de junho de 2012 at 22:43

      Caríssima Housinha,

      Sim! Concordo, é impossível de controlar! A lei não criou segurança alguma, pois a contabilidade criativa aplicada pelas construtoras, devido à lei, apenas deixou mais difícil de condenar judicialmente os responsáveis.

      Antes era simples: desvio de dinheiro devido à falência iminente. Hoje os processos ficarão discutindo a lista de pagamentos das SPEs, item a item, avaliando se são legítimos ou não.

      1+
      • Rodrigo 13 de junho de 2012 at 23:19

        Tem mais um fator importante: esse regime de CNPJ próprio e contabilidade própria para cada obra é FACULTATIVO, ou seja, a construtora só adota se quiser.

        Como o brasileiro é em geral mal informado, ninguém procura saber como é isso na hora da compra.

        Aqui em Recife uma construtora faliu recentemente e uma consumidora veio me perguntar “se não tinha uma lei que dizia que era pra ter contabilidade própria”. Eu disse que a lei diz que PODE EXISTIR a contabilidade própria, mas o consumidor é que tem que verificar caso a caso.

        1+
        • hannamanana 15 de junho de 2012 at 12:03

          Só que o engraçado é que IN 84 da Receita fala que a empresa deve fazer o rateio das apropriações de custos e tralalá por obra e deve possuir demonstração analítica – por empreendimento – dos custos.
          Ou seja, a empresa tem que tem um controle econômico para cada empreendimento, no mínimo!!!!!!
          Mas, a maioria nem isto faz!
          Isso também me faz lembrar de quando a gente pede balanço pra empresa optante pelo SIMPLES e ela fala – às vezes na figura do próprio contador – que não tem ou não precisa fazê-lo, pois está neste regime tributário… ah… que vontade de bater! “Lógico que vc tem fazer balanço, cidadão. Vá ler o código civil!”
          Ai, desabafei haahaha

          1+
      • Zé Bolha 14 de junho de 2012 at 21:50

        Uma empresa para a qual eu trabalhei fez algo nessa linha. Grosso modo, os donos tinham várias outras empresas alaranjadas, de aluguel de imóveis, de cópias, aluguel de computadores, de limpeza etc. A empresa principal comprava os serviços das outras por preços bolhudos. Quando a empresa principal faliu, pagou com o que tinha o que devia às outras empresas dos mesmos donos e deixou o resto a ver navios. Tomei um calotinho.

        2+
    • Eduardo 14 de junho de 2012 at 09:23

      Para o mundo que vou descer!!!!

      Existe um sistema para evitar roubos, os caras corromperam toda a cadeia produtiva para continuar roubando… E quem vai ganhar deles????

      Quanta roubalheira!!!

      1+
  • Eduardo Zé 13 de junho de 2012 at 19:09

    Perfeito, claro e objetivo.

    Estamos fudi$$$os!!

    kkkkkkkkkkkkk

    1+
  • Lucas Mendes 13 de junho de 2012 at 19:28

    Somente aqui neste blog que temos uma aula ímpar de como o mercado de imóveis está. Este texto vale mais que qualquer análise de economista pós-doctor que escutamos por ai. Não encontrei melhor assertiva em toda a internet. Uma aula de economia que vale mais que qualquer artigo escrito sobre o tema. Parabéns Ricardo Eng pelo brihante texto.

    Abraços do Lucas Mendes

    2+
    • Ze Bom Dirolo 14 de junho de 2012 at 01:46

      Eu não tenho dúvidas que estão entre nós grandes economistas coadjuvantes como grandes coadjuvantes economistas.

      1+
  • Anonymous 13 de junho de 2012 at 19:45

    Ricardo,

    Parabéns! Num texto relativamente curto, voce acabou com o mito da explicação de bolha imobiliária baseada em percentagem de empréstimos em relação ao PIB.

    1+
  • xyz 13 de junho de 2012 at 19:49

    “Bolha imobiliária não tem nada a ver com bancos”

    Desculpe amigo, mas acho que V.Sa. está equivocado.
    Se o governo não tivesse aumentado brutalmente a base monetária usando, principalmente, os bancos para este fim, nós não estaríamos em uma bolha.

    1+
    • RosinhA 13 de junho de 2012 at 19:58

      “Mas a polêmica atual diz respeito ao papel dos bancos em uma bolha. Vamos falar sobre alavancagem então, uma vez que o tópico “regulamentação de bancos” está cada dia mais associado ao assunto. Em cada país a alavancagem foi obtida de uma forma diferente. A seguir os exemplos de Estados Unidos e Brasil.”

      Leu tudo mesmo ?

      1+
      • Ze Bom Dirolo 14 de junho de 2012 at 01:49

        O problema Rosinha, acredito que vai ser semelhante aos problemas vivenciados pelos veículos atualmente. A venda do carro não cobre a dívida.

        1+
      • Pablo 14 de junho de 2012 at 08:24

        Não basta ler, tem que entender o que esta escrito!!

        É aquilo que lá pelos anos 80 se chamava “Análise e Compreensão de Texto” e lembro que tinhamos disciplina de português sobre este tema, mas hoje o importante é “gaguejar” no Twitter, MSN, …

        2+
    • Ricardo Eng 13 de junho de 2012 at 21:33

      Não tem “nada” a ver pois uma bolha pode ser alimentada a partir de de qualquer fonte. No Brasil a bolha foi alimentada pelas construtoras, como eu digo em meu texto.

      Isso não significa que os bancos não influenciem a economia. Influenciam sim, e muito. Apenas que no caso do Brasil o crescimento acelerado dos preços foi gerado por outros tipos de mecanismos.

      De uma forma geral a mensagem é: não é possível avaliar, ou descartar, uma bolha apenas olhando para os bancos. São apenas uma das possíveis fontes de financiamento do fenômeno.

      Portanto não procede todo esse papo de “PIB vs empréstimos” e outras besteiras de quem opina sobre um assunto após apenas 5 minutos de reflexão.

      2+
      • Luciano 14 de junho de 2012 at 15:26

        Oi Ricardo Eng, seu artigo ´ebem interessante, mas convenhamos que este “mecanismo” de “vender na planta” existe há muito tempo no Brasil, então, embora as construtoras tenham ampliado o uso desta ferramenta, houve um aumento brutal na disponibilidade de recursos, em grande parte provocado pelo aumento da base monetária, conforme xyz bem mencionou. Acredito eu que você esteja defendendo que nossa bolha é diferente da dos EUA, e por isso disse que “não tem nada a ver com bancos” e também que a relação PIB vs empréstimos nem sempre é apropriada para analisar a questão, o que concordo plenamente. Também não acredito que os maiores bancos brasileiros estejam sob forte risco, assim como os dos EUA estiveram, visto que a alavancagem (via derivativos) dos bancos brasileiros parece menor, mas já estamos vendo bancos menores quebrando (Votorantim, Panamericano, Cruzeiro do Sul, e sei lá mais qual), e sendo resgatados pelo governo, ou seja, por nós, pagadores de impostos. Ou seja, as coisas não são tão simples e de certa forma, está tudo inter-relacionado, tanto que um estouro da bolha imoboliária terá, como você mencionou (e eu já mencionei aqui antes) impactos diretos e indiretos em outros setores, por meio de um ciclo vicioso, como desemprego, causando queda de consumo, que provica menos produção e portanto mais desemprego, etc.

        0
        • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 19:24

          Sim, apartamento na planta existe há muito tempo. E olha o que aconteceu com a Encol (e seus consumidores) por causa disso.

          O que vocês não entendem é que o crédito não ajudou ninguém a comprar nada na planta. Todo esse boom está relacionado a novos lançamentos, que ainda não foram entregues.

          O crédito apenas mudou o nível de produção do mercado. Mas quem causou a subida acelerada foi a especulação, que gerou um reajuste periódico dos valores doa lançamentos na cidade.

          Se fosse uma questão de crédito, os imóveis usados estariam bombando. E não estão.

          2+
  • spina 13 de junho de 2012 at 19:51

    Tiro meu chapéu! Excelente artigo.

    1+
  • Johnny Real State 13 de junho de 2012 at 19:52

    Concordo com o texto, porém governo, banco e construtora lucraram muito nos últimos 5 anos e fizeram muita reserva, e essa reserva será usada agora no momento de crise para deixar os preço caírem e não despencarem.
    Se não a pedalada será ladeira abaixo, ainda acredito no soft landing onde a demanda reencontra a oferta após 2 anos de queda leve.

    0
    • Anonymous 13 de junho de 2012 at 20:17

      “Concordo com o texto, porém governo, banco e construtora lucraram muito nos últimos 5 anos”

      Não lucraram coisa alguma pelo simples motivo de que não houve venda alguma, mas sim a troca de espaço onde talvez exista uma edificação num futuro incerto por promissórias recebíveis nos próximos 30 anos.

      2+
      • Johnny Real State 13 de junho de 2012 at 20:38

        Anonymous,

        Os bancos não lucraram nos últimos 5 anos?
        Batendo recordes atrás de recordes?
        O banco lucrando é saudável para economia do país, pois se quebrar o governo muitas vezes é o primeiro a ajudar, porém para quebrar um dos 4 big foots ainda está um pouco longe.

        0
        • Anonymous 13 de junho de 2012 at 20:54

          Os bancos sempre lucraram com as taxas de juros absurdas que imperam na Banânia. Isso em nada está relacionado com o lucro dos negócios imobiliários. Lembre que toda essa farra de financiamento começou no máximo em 2007, ou seja, a cerca de 5 anos atrás. Para completar 30 anos, ainda falat UM QUARTO DE SÉCULO. Pra acolocar esse tempo em perspectiva, o Real tem somente 17 anos de idade.

          2+
          • Leonardo 14 de junho de 2012 at 15:33

            Não é só a taxa de juros, os bancos brasileiros são os únicos que podem cobrar o que quiserem de spread, pelo único e simples motivo de que são os únicos bancos do mundo em que TODOS os custos operacionais são bancados APENAS com a cobrança de tarifas. O que os bancos ganham de spread é lucro puro.

            1+
      • Ze Bom Dirolo 14 de junho de 2012 at 01:52

        Acredito que o governo conseguiu juntar muito dinheiro com programas de cobrança de impostos pela sociedade civil. Nota Legal e etc…. Mesmo com toda corrupção, as receitas são altas.

        0
    • Ricardo Eng 13 de junho de 2012 at 22:16

      Concordo com o texto, porém governo, banco e construtora lucraram muito nos últimos 5 anos e fizeram muita reserva, e essa reserva será usada agora no momento de crise para deixar os preço caírem e não despencarem.

      O governo sempre ganha. Seja no lucro ou no prejuízo, ele arrecada praticamente o quanto quiser. Visões mais republicanas diriam que o governo é nosso e não tem o que “ganhar” do cidadão, mas sabemos bem que não funciona assim.

      Já os bancos lucraram muito enquanto prestavam serviços legítimos para o cidadão. No Brasil não pudemos observar interferências do sistema bancário no mercado de imóveis. Os juros para empréstimos imobiliários são bem baixos, se comparados com as oportunidades que a nossa economia deficiente dá ao capital dos bancos. É difícil exigir juros ultra-baixos dos bancos quando o próprio governo compete (pagando juros altos) lado a lado com o cidadão na hora de tomar crédito. Além disso, as formas de captação de recursos (poupança, CDB, etc) são extremamente caras no Brasil e remuneram muito o dinheiro que fica parado.

      É claro que existem bancos e bancos. Tem muito banco por aí que tentou (mas não conseguiu – estão quase falindo) arrancar 3% ao mês financiando automóveis para qualquer um da rua. Não avaliaram direito os riscos do negócio e agora estão aí pedindo ajuda para o governo.

      Quanto às construtoras, a “reserva” que você está citando não existe. As grandes construtoras são Sociedades Anônimas e publicam balanços periódicos. Todas as grandes construtoras estão com problemas de caixa. A própria Gafisa precisou diluir a posição de seus atuais acionistas, por extrema falta de caixa, para conseguir pagar a parcela final pela Alphaville.

      Eu já disse isso em outro post, há mil anos atrás: empresas não são “pessoas ricas”. Quase toda empresa possui em caixa o suficiente para operar durante poucos meses. Sem vendas, o negócio quebra.

      Se não a pedalada será ladeira abaixo, ainda acredito no soft landing onde a demanda reencontra a oferta após 2 anos de queda leve.

      Depende de mil fatores. Pela forma com que tudo está caminhando, o soft landing é improvável.

      2+
      • Johnny Real State 14 de junho de 2012 at 09:38

        Empresas não são “pessoas ricas”…
        Concordo já trabalhei com alienação fiduciária de plantação de cana de açúcar e usina de álcool, muitas vezes a usina estava quebrada e o dono com milhões em patrimônio.

        Os bancos ainda lucram muito, mesmo diminuindo o ritmo, eles são instituições muito sólidas, falo dos 04 principais.
        O Brasil ainda tem as taxas de juros mais altas do mundo, como o valor dos imóveis vai cair nos próximos 02 anos e ao mesmo tempo vamos receber “alguns” investimentos externos nos próximos 04 anos, o financiamento ficando ainda mais barato para o consumidor final com a queda da SELIC a oferta vai encontrar a demanda de novo.
        E penso que quanto mais alto o valor do imóvel, mais ele vai se desvalorizar em %. Exemplo zona sul do rio e sp.

        0
        • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 12:33

          Concordo que os bancos estão lucrando. Mas a culpa não é deles, acredite.

          Eu já acho que fazem milagre financiando carros a 1,1% sendo que o custo de captação do dinheiro é próximo disso. Nos EUA os bancos podem ou emprestar o dinheiro para o governo a 0%, ou para hipotecas a 4% ou para automóveis a 6%.

          Aqui até o governo paga mais do que 6%. Não tem como exigir altruísmo dos bancos.

          Quando o valor dos imóveis cair muito, terão um grande prejuízo. Mas também a culpa não será deles: já são extremamente conservadores ao aprovar empréstimos. Quando um mercado inteiro sofre distorções é muito difícil continuar fazendo negócios sem assumir riscos ocultos.

          1+
        • Piuas 19 de junho de 2012 at 13:07

          Não acho que a demanda encontrará a oferta com a baixa nos juros simplesmente por que a oferta de crédito aumentou pra cacete e sua introdução vem sendo feito em etapas, de maneira que agora que as taxas caem, não adianta mais por que a demanda foi toda antecipada. Se as pessoas compram apês pra vender é outra história, mas as que compram pra usar, as que contam para a economia, não compram outra casa só por que o crédito tá barato, ela já comprou a única de que precisa… É isso que os governos fazem com esse estímulo idiota… eles hipotecam o futuro. Antecipam as demandas futuras, por isso que depois que a curva aponta pra cima, indicando o crescimento acelerado, ela sempre tende a estabilizar por um breve período e depois aponta pra baixo, até voltar ao ritmo normal do crescimento original.

          1+
  • Seu Madruga 13 de junho de 2012 at 20:01

    Parabéns e muito, mas muito obrigado pela aula! Se postam o texto no blog das sardinhas será uma verdadeira maré vermelha, com sardinha morta boiando e fedendo para todos os lados!

    2+
  • Ócio Livre 13 de junho de 2012 at 20:06

    Um dos textos mais sóbrios e verdadeiros sobre o assunto, parabéns e obrigada!

    0
  • FMJ 13 de junho de 2012 at 20:08

    Parabéns pelo texto.

    Isso é Brasil !

    1+
  • Raio 13 de junho de 2012 at 20:11

    Excelente artigo. Parabens.

    1+
  • Vinícius 13 de junho de 2012 at 20:14

    As vendas de imóveis residenciais usados tiveram alta de 14% na cidade de São Paulo entre janeiro e maio deste ano, na comparação com mesmo período de 2011.

    Pesquisa da Lello mostra que o valor médio das casas e apartamentos comercializados nos principais bairros do centro ficou em R$ 430 mil.

    Do total dos imóveis vendidos, 45% foram por intermédio de financiamentos bancários -mesmo índice registrado no ano passado.
    Publicado por: Folha de São Paulo – Mercado Aberto

    0
    • Seu Madruga 13 de junho de 2012 at 20:45

      Vendas de imóveis residenciais novos em SP caem 9,7% em abril
      Reuters –

      SÃO PAULO (Reuters) – As vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo caíram 9,7 por cento em abril na comparação com março, somando 2.007 unidades, informou nesta segunda-feira o sindicato que representa o setor imobiliário na capital paulista, Secovi-SP.

      A entidade não informou o dado referente a abril do ano passado.

      No acumulado dos quatro primeiros meses de 2012, as vendas exibem alta de 12,5 por cento, em 7.407 unidades, frente ao mesmo período de 2011.

      O resultado do quadrimestre está acima da previsão do Secovi para este ano, de crescimento de 10 por cento nas vendas.

      “Parte do ajuste ocorrido no quarto mês do ano foi reflexo de notícias econômicas, que sinalizam para este ano crescimento próximo ao de 2011, apesar das medidas anticíclicas governamentais, incluindo a redução da taxa básica de juros”, afirmou a entidade, em nota.

      Em termos de Valor Geral de Vendas (VGV), o volume comercializado entre janeiro e abril totalizou 3,6 bilhões de reais, aumento de 6,9 por cento em um ano.

      Em abril, foram lançadas 1.622 unidades em São Paulo, 2,8 por cento mais em relação a março. No acumulado do ano até abril, entretanto, o volume de lançamentos foi 27,6 por cento menor, atingindo 5.257 imóveis.

      Para o fechado de 2012, o Secovi estima queda de 5 por cento nos lançamentos.

      (Por Vivian Pereira)

      0
  • GB 13 de junho de 2012 at 20:14

    É uma pena que a ganância sempre fale mais alto, tem gente cuja casa foi avaliada em R$ 1kk e realmente acredita nisso.

    É por isso que para os preços subirem bastava um boato e colocar mais 20% nele, mas para cair a coisa precisa ser no fórceps mesmo.

    Mas logo o pessoal acorda desse conto-de-fadas e volta à realidade.

    1+
  • Paulo Franc 13 de junho de 2012 at 20:25

    excelente texto! 😉

    1+
  • NTL 13 de junho de 2012 at 20:28

    Excelente texto! Obrigado mesmo por compartilhar suas idéias!

    Já estou repassando para amigos que também se interessam pelo mercado imobiliário e vou colocar como resposta padrão para as mensagens de corretores que recebo.

    1+
  • GB 13 de junho de 2012 at 20:41

    Desespero total MRV:

    “http://www.youtube.com/watch?v=UTwd2XFRTJE&feature=youtu.be

    0
    • Eskeleto 13 de junho de 2012 at 21:02

      No comercial eles falam mensais a partir de 199,00 e na descrição eles colocaram:

      É o fim do aluguel, juros reduzidos e mensais a partir de R$ 299,00.

      Agora 199,00 por mês é desespero total mesmo.

      1+
      • GB 13 de junho de 2012 at 22:07

        O pior é pagar R$ 299,00 e depois descobrir que o restante foi corrigido pelo INCC.

        Aí é inadimplência mesmo.

        1+
      • Loren 14 de junho de 2012 at 16:24

        É o Peixe Urbano imobiliário.

        1+
      • hannamanana 15 de junho de 2012 at 12:12

        Nem creio mais

        1+
    • Eduardo Pena 13 de junho de 2012 at 21:13

      Que propaganda é essa? Ricardo Eletro ou Magazine Luiza dos imóveis?
      Imóvel virou eletrodoméstico!

      1+
      • self 13 de junho de 2012 at 22:01

        Agora só falta eles venderem garantia adicional de 1 ou 2 anos…

        1+
    • GB 13 de junho de 2012 at 22:05

      Pra mim pareceu mais comercial de Casas Bahia pra pegar a Nova Crasse Cê.

      1+
    • Guilherme 14 de junho de 2012 at 00:17

      Perai gente. Aqui em Brasilia, ha uns dois anos, a MRV vendeu MUITAS unidades de caixas de fosforos em ValParaiso – GO (menos de 1hr de BSB), por 100 reais a parcela, sem entrada! Juro! Conheço umas 3 pessoas (ignorantes em termo de economia) que compraram para investir….

      100 REAIS! SEM REAJUSTE! Era só entregar 24 ou 36 cheques (nao lembro ao certo) de 100 reais!

      1+
      • Luiz Souza 14 de junho de 2012 at 15:51

        E você acha que estes imóveis serão criados e entregues ?

        Isso é só um pega trouxa para botar $$ no caixa da empresa para tentar acabar outras obras somente.

        Os coitados que pagaram isso nunca mais vão receber o $$ devolta !

        1+
  • Cleyton 13 de junho de 2012 at 21:12

    Muito bom o texto!

    0
  • Ghaspar 13 de junho de 2012 at 21:23

    É o ESQUEMA PONZI IMOBILIARIO desmoronando…..kkkkkkkk

    0
  • Davi 13 de junho de 2012 at 21:29

    A questão da “falta de noção” de aceitarem estes financiamentos na planta é realmente um absurdo e mais absurdo ainda o governo permitir que a aliquota de imposto incidente sobre o lucro com a revenda de imóveis igual seja ela feita em poucos meses após a aquisição ou 10 anos depois. Quaria ver se tivesse imposto de 100% sobre o lucro para revendas em até 3 anos para usados e novos e fosse decrescente até atingir o patamar de aliquota atual em 10 anos se ia haver especulação, quem comprasse na planta certamente não seria especulador.

    Outra aberração que acho é financiar mais 70% de um imóvel, isso deveria ser o MÁXIMO a ser financiado, máximo, pois as pessoas fazendo poupança para ter os 30% seriam a fonte de recurso barato para financiar aqueles que já tem valor para dar a entrada, muitos ia retardar a sonho de entrar no seu imóvel? Sim, mas iam quando o fizessem seria com muito mais segurança. TUDO ERRADO, TUDO ERRADO, é revoltante.

    Agora tem uns pontos que pera lá:

    As fraudes nos Bancos Panamericano e Cruzeiro do Sul não tem absolutamente ligação alguma com momento economico, mercado de imóveis e/ou automóveis. Bandido tem em todo lugar em qualquer momento da economia, esteja ela andando bem ou mal. Fazer este tipo de associação é como dizer que os Tsunamis que aconteceram na indonésia ha alguns anos e no japão recentemente serem decorrentes de mudanças climáticas.

    Quanto a parte que fala que os bancos correm risco de levar na cabeça quanto ao financiamento de veiculos, ai não tem o que falar, é esperar para ver o desenrolar desta “caca”.

    No ponto que o amigo colocou usou o termo “PEDALAR”:

    “pedalar: lançar imóveis continuamente para que as entradas pagas pelos imóveis novos ajudem a terminar as obras em andamento e o pagamento das “chaves” dos imóveis concluídos ajudem a iniciar os empreendimentos recém-lançados.”

    Ai fica uma pergunta, não é ironia não, é pergunta de fato: diziam que “desta vez era diferente” (kkk), pois agora cada empreendimento tem caixa próprio, então o dinheiro destinado para “A” não poderia ser usado para “B” pois parece que isso ocasinou se não engano a quebra da Encol. Como que fica esta questão? Pois se for isso mesmo, este ponto do pedalar ficaria furado, alguma explicação? Tenho certeza que já deve ter sido discutido, mas desculpem é insanidade procurar …

    Ps: ia comentar no tópico anterior, mas a questão da renda mostrei pro meu chefe estes dias, e ele arregalando os olhos pqp kkkkkkkk estes caras que estão dentro do 1% há muito tempo tem visão totalmente distorcida da realidade financeira das pessoas, lembo-me de um almoço falando com a galera do trabalho, obviamente eu era o sem noção … “que nada a população teve um aumento real de salários absurdo” (diziam), não sei de onde estes cornos não enxergam o descompasso de preço e renda tão escancarados! Até mesmo este reportagem da VALOR demorou d+ lembro do MrK falando disso desde quando ele tinha uns 15 anos de idade kkkk zuera, mas faz mais de ano.

    Parafraseando os videos de gozação do Mundo Canibal estes são de fato: AS PESSOAS MAIS INTELIGENTEMENTE BURRAS DA TERRA!

    Desulpem o mega post!

    0
    • Davi 13 de junho de 2012 at 21:33

      Desculpem pelos erros de português, escrevi na pressa e mal revisei, deu até uma calor de vergonha.

      0
    • Ricardo Eng 13 de junho de 2012 at 22:29

      Fala, Davi Mega-Poster! hahaha

      As fraudes nos Bancos Panamericano e Cruzeiro do Sul não tem absolutamente ligação alguma com momento economico, mercado de imóveis e/ou automóveis. Bandido tem em todo lugar em qualquer momento da economia, esteja ela andando bem ou mal. Fazer este tipo de associação é como dizer que os Tsunamis que aconteceram na indonésia ha alguns anos e no japão recentemente serem decorrentes de mudanças climáticas.

      Na realidade as coisas estão sempre ligadas. Ninguém rouba de banco que está dando certo. Como a lei não vale para os muito ricos, essas fraudes são sempre efetuadas após perdas em massa durante as operações rotineiras dos bancos.

      Isso significa que os diretores (ou os donos) começam a desviar quando percebem que o negócio inteira foi pro brejo. O desvio é o “último lucro” dos gestores e até mesmo dos donos, como no caso do Banco Santos.

      Isso faz do Brasil um lugar muito interessante para operar bancos nanicos, e é por isso que temos tantas instituições desse porte. Junte isso à corrupção e o seu pequeno banco receberá diversos depósitos de empresas estatais e fundos de pensão.

      Uma vez operando, tente lucrar a todo custo em cima dos depósitos, assumindo qualquer tipo de risco. Se der errado basta desviar 200 milhões para a Suíça e deixar a porcaria toda quebrar.

      Ai fica uma pergunta, não é ironia não, é pergunta de fato: diziam que “desta vez era diferente” (kkk), pois agora cada empreendimento tem caixa próprio, então o dinheiro destinado para “A” não poderia ser usado para “B” pois parece que isso ocasinou se não engano a quebra da Encol. Como que fica esta questão? Pois se for isso mesmo, este ponto do pedalar ficaria furado, alguma explicação? Tenho certeza que já deve ter sido discutido, mas desculpem é insanidade procurar …

      Eu expliquei no fim do texto. O povo desvia dinheiro dos caixas das obras através de contratos de serviços e outras artimanhas. Uma delas, que é extremamente arriscada para o fornecedor (que pode ser preso) é pagar serviços e materiais para o prédio A utilizando o caixa do prédio A.

      É muito difícil controlar isso e todo diretor de empresa de sucesso faz essas ilegalidades imaginando que a empresa dele nunca terá problemas financeiros. Pois esse tipo de prática só é apurada caso tudo dê errado e a obra seja retirada à força (ou por motivo de falência) das mãos da construtora.

      0
      • RosinhA 14 de junho de 2012 at 12:28

        Ricardo como consegue conversar com outras pessoas, quando falo de uma coisa que tenho certeza e tento passar isso adiante, sempre tem um montão de bobão para ser delicada, que simplesmente me diz. ” Isso não pode funcionar assim, está louca”, pelo menos aqui encontrei uns 20 a 30 que me entendem e fico a vontade para debater.

        0
    • Carlão_RJ 14 de junho de 2012 at 12:45

      Ultimamente, diante da tremenda poluição de fofocada que virou o blog, tenho adotado o procedimento de teclar o Ctrl+F e pesquisar pelo nome dos comentaristas que de fato agregam algo. Vou direto no post deles e leio ou salto os comentários dependendo de quem os tenham feito. Como já conheço aqueles que não agregam praticamente nada – e que, infelizmente, são os campeões de postagens e de certezas – ganho um tempão e nem leio as baboseiras e a coleção de frases feitas e agressões gratuitas. Esses textos do Ricardo Eng e do Davi são muito legais mesmo e agregam muito ao blog. Parabéns aos dois. Gostaria de saber a opinião do Peterson sobre o que foi dito. Peterson, cadê você? Não era você que estava usando um modelo cheio de variáveis sobre a Bolha? A quantas anda isso? Não deixe o blog, não. Use o Ctrl+F e nem leia aquilo que você sabe que é só fofoca boba. Deve ter bastante gente aqui que gosta dos seus comentários, pode apostar.
      MrK
      O filósofo a que você se referiu é o Olavo de Carvalho. Tive a felicidade de frequentar o curso dele anos atrás. Ele tinha um curso de filosofia aqui no RJ todas as quintas na faculdade da Cidade em Ipanema. É um gênio. Recomendo todos os livros dele em especial o “Imbecil Coletivo” que tem dois volumes. Ele tem um programa semanal de radio pela Internet todas as quartas. Procurem aí o site dele, vale a pena ouvir o que ele tem a dizer.

      0
  • thiago fm 13 de junho de 2012 at 21:33

    Texto muito bom realmente, mas não concordo com a desvinculação entre a bolha e os bancos.

    É clara e límpida a constatação de que a disparada dos preços acompanhou a oferta de crédito imobiliário, especialmente por parte da CEF a partir de 2003 ( mais 1600% de crescimento). Some-se a isso a queda parcial dos juros e a implantação da alienação fiduciária, que tornou ainda mais “real” a garantia dos empréstimos.

    Com mais dinheiro no mercado, houve realmente uma aumento de demanda, porém muito inferior ao que se prega. Tal entusiasmo com o crédito farto abriu o semáforo do mercado para as construtoras, que, aliadas à abertura de capital, acumularam estoque de terrenos e despejaram lançamentos no mercado muito acima da capacidade de realizá-los no tempo previsto. Sem contar que a concentração e escassez de terrenos nas grandes cidades também fomentou parte do movimento especulativo.

    O problema é que na expectativa de faturar alto, não apenas as construtoras superestimaram o potencial real do mercado, mas sobretudo os compradores hiperestimaram a sustentabilidade do mercado, que encontra agora seu limite na renda restrita e no nível de endividamento da população.

    Como o Ricardo bem disse, de bolha entende-se a expectativa de lucro, advinda da valorização do imóvel na revenda do mesmo. Perfeito, mas em que se baseia tal expectativa de valorização? A expectativa de valorização do imóvel se baseia na perspectiva de que mais pessoas estarão financeiramente habilitadas e simultaneamente interessadas em adquirir imóveis em determinada região. O crédito é certamente um agente determinante nesse processo, no sentido de que habilita imediatamente consumidores que não teriam condições de pleitear um imóvel à curto prazo, especialmente num país como o Brasil, em que a renda média é relativamente baixa, o custo de vida é altíssimo e o nível de poupança é baixo.

    Desta forma, conclue-se que o recuo da bolha estará diretamente ligado a diferença entre a demanda real, desencadeada pós 2007 e a demanda estimada pelo mercado (excessivamente majorada). Quanto? Saberemos quando o derrame de imóveis atingir o lado posterior da elipse.

    0
    • Ricardo Eng 13 de junho de 2012 at 22:34

      Como o Ricardo bem disse, de bolha entende-se a expectativa de lucro, advinda da valorização do imóvel na revenda do mesmo. Perfeito, mas em que se baseia tal expectativa de valorização? A expectativa de valorização do imóvel se baseia na perspectiva de que mais pessoas estarão financeiramente habilitadas e simultaneamente interessadas em adquirir imóveis em determinada região.

      A expectativa em uma bolha nunca é “vender para um interessado”. É isso que faz a bolha ser uma bolha.

      Ninguém fez contas sobre “pessoas financeiramente habilitadas” ou filosofou sobre o mercado de crédito quando especulava com um apartamento na planta. A motivação era simplesmente não perder o bonde e lucrar igualzinho a todos ao redor dele estavam lucrando.

      O crédito é apenas uma explicação que pode ser costurada após que aconteceu. Mas não é a real explicação do fenômeno.

      Se fosse apenas pelo crédito, o preço teria subido sim: mas apenas para um novo patamar e não de forma contínua e especulativa.

      0
      • Álvaro Guilherme 14 de junho de 2012 at 13:49

        Ao Ricardo Eng,

        O texto está muito bom, porém, nessa história toda, me pergunto qual o papel dos imóveis usados nesta bolha.

        Pela minha percepção, embora muitos usem o ano de 2008 como base de comparação para aumento de preços, acho que foi a partir de 2009 que a aceleração dos preços realmente disparou. Não coincidentemente, logo após o governo aumentar o limite de uso do FGTS de 300 para 500 mil, além de muitos estímulos a empréstimos imobiliários, via CEF, por exemplo.

        Então, um sujeito que já possuia um quarto e sala e almejava ir para um dois quartos, ganhou de um lado (pela valorização de seu imóvel) e perdia pelo outro (o dois quartos também subia tanto quanto). Nada que um emprestimosinho pudesse complementar. Já o antigo dono de dois quartos queria um de três e também ganhava por um lado e perdia pelo outro, mas nada que um emprestimo também não ajudasse. E por aí vai.

        Essa reação em cadeia nos preços dos imóveis usados PODE ter estimulado a idéia de que isso também aconteceria com os imóveis novos. Com uma “grande vantagem” para o especulador: Bastava usar relativamente pouco dinheiro.

        As construtoras, que não são bobas, simplesmente aproveitaram a onda.

        Então vejo assim a dinâmica da formação da bolha:

        1) Mais dinheiro, via FGTS, empréstimos incentivados pelo governo, etc = aumento de preços, sobretudo dos usados;

        2) Aumento de preços = olho grande do especulador;

        3) Olho grande do especulador = corrida para imóveis novos;

        4) Imóveis novos = corrida das construturas;

        5) Corrida das construtoras = alavancagem grande destas, não necessariamente dependente de bancos;

        Em suma, concordo contigo que discussões sobre volume de empréstimos/PIB, regulamentação de bancos, etc, não são relevantes para esta bolha.

        Porém, na minha humilde opinião, a gênese, o “gatilho” de tudo foi aquela série de incentivos financeiros no primeiro semestre de 2009.

        0
        • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 15:09

          Na realidade uma coisa levou à outra e a história é longa.

          Antes e durante a crise de 2008 muitos investidores do mercado imobiliário americano migraram o capital para o Brasil. O Sam Zell é o mais famoso deles mas não é o único.

          Tal migração trouxe muito vigor à uma indústria que passou décadas desacreditada devido ao que aconteceu com a Encol e outras menores que não foram tão noticiadas na época. Essas empresas contavam uma estrutura técnica e administrativa relativamente moderna e que permitia que a empresa tivesse um grande potencial de crescimento. Isso significa que poderiam lançar 30%, 40% e até mesmo o dobro de imóveis caso recebessem o capital necessário.

          E as empresas fizeram o óbvio: aceitaram o dinheiro e começaram a crescer. Muitos ignoraram a demanda e começaram a construir qualquer coisa a qualquer custo. Quando a empresa cresce dessa forma, os funcionários (de todos os níveis) são os maiores beneficiados e é lógico que eles não rasgariam o bilhete premiado.

          Na mesma época o governo federal já tinha se alinhado com diversos empresários para tentar evitar a crise através do estímulo do consumo. A fórmula da China (construir qualquer coisa, a qualquer custo) já era muito bem conhecida e a construção civil ainda por cima é capaz de gerar muitos empregos nos segmentos de baixa renda.

          Esse crescimento de crédito apenas levou o mercado para um novo patamar. Em uma economia saudável o capital injetado nas construtoras geraria um aumento de oferta muito similar ao aumento de demanda gerado pelo crédito farto. Não foi o que aconteceu, e eu explico isso mais adiante.

          É importante notar que os empréstimos imobiliários continuaram seguindo os mesmos critérios e quem não podia financiar antes continou não podendo. Detalhes pontuais, como o uso do FGTS para imóveis mais próximos à faixa do luxo, não conseguiram afetar tanto o mercado.

          O que aconteceu então, entre 2008 e 2009, para que o crédito imobiliário crescesse tanto? Crescimento real de renda, principalmente em cargos de escritório, que são extremamente difíceis de serem escalonados em caso de crescimento da empresa. Ao mesmo tempo as universidades particulares soltavam no mercado dezenas de milhares de jovens portando o primeiro diploma de curso superior de toda a história de suas famílias.

          Expansões de programas como o Bolsa Família e o consumo irresponsável de bens não duráveis, além do crescimento (ainda não apoiado sobre uma demanda equivalente) insano das empresas de construção civil trouxeram, de fato, crescimento econômico. Por mais que não seja um crescimento legítimo e que sequestre o futuro em troca de ganhos imediatos, ele foi real e foi observado em diversos setores.

          Não estamos falando de uma grande revolução que nos transformou em um país de primeiro mundo. Mas foi suficiente para que cerca de 100 mil pessoas, um número minúsculo perto da população, entrassem na faixa do crédito imobiliário.

          Segundo a Abecip foram financiadas 300 mil unidades em 2009. Em 2010, o crescimento foi grande. Mas não passa de 200 mil novos clientes. Novamente uma ascensão social modesta, em número absolutos.

          Pense agora no cenário:
          + Crédito farto (aí sim mudaram as regras e o acesso) para o consumo fútil.
          + Consumo de bens não duráveis em alta, consumo de automóveis em alta devido ao crédito.
          + Petrobrás gerando um crescimento insano nas empresas de engenharia e nos fabricantes de válvulas e equipamentos.
          + Indústria liberando PLRs generosos, dando aumentos, devido ao boost no consumo.
          + De 100 a 300 mil pessoas ganhando aumentos ou promoções. Muitos saindo da faixa dos 1.500 e entrando em cheio nos 2.500-3.000. Outros tantos saindo dos 3.000 e entrando na faixa dos 4.000-5.000. Um número menor, mas significativo, passou a ganhar 10.000-20.000.
          + Povo afobado que já sai se endividando dois meses depois de ganhar uma promoção ou trocar de emprego.

          Resultado: os estoques de usados e os novos já prontos foram sendo consumidos em um ritmo nunca antes observados. As construtoras, que estavam acostumadas com alta concorrência e com empreendimentos encalhados, passaram a lançar muito mais.

          Até aí, estamos observando apenas um AJUSTE de mercado. O que fez o crescimento ser contínuo e bolhudo? A especulação. Um mar de espertalhões começou a comprar na planta para revender.

          Eu escrevi tudo isso para dizer que: O CRÉDITO DE 2009 NÃO ALIMENTOU OS PRÉDIOS LANÇADOS EM 2009-2010. Os 35 bilhões de 2009 alimentaram os imóveis que já estavam prontos. Os empreendimentos na planta foram alimentados por construtoras e especuladores.

          Como? Assim:
          + Prédio encalhado desde 2007 em Jan de 2009: vende em 1 mês o que demorou 2 anos para vender.
          + Lançamento de Jan de 2009 no Tatuapé: vende 100% em 1 mês, para um monte de especuladores.
          + Lançamento de Mar de 2009: a construtora já pensa “vendeu rápido demais” e aumenta o preço. Vende rápido.
          + Jun de 2009: mesma coisa. A forte tendência convence a construtora a lançar o DOBRO de prédios em 2010.

          O crédito ajustou o mercado para cima, com certeza. Não dá para negar que um nível maior de vendas dos estoques causaria um reajuste no mercado. Mas quem criou uma escada contínua de aumentos foi o reajuste da tabela de lançamentos, feito de forma periódica pelas construtoras.

          Ao mesmo tempo que reajustavam os lançamentos, induziam os especuladores a aceitar cada vez mais risco. Teve corretor que recebeu cliente querendo comprar 1 apartamento à vista e convenceu ele a dar entrada em 5.

          Tanto que até o fim de 2010 o mercado de usados ainda não refletia os mesmos aumentos do mercado de novos. Quando passou a refletir, parou tudo e ninguém mais vendia nada. Pois a demanda era artificial: era baseada na especulação dos 20% de entrada. Os novos não eram “vendidos” ao preço estipulado e sim reservados para especulação em troca 20% de entrada.

          Mas os novos foram vendidos para quem estava tomando crédito? Não. Pois são apartamentos na planta. Vendeu para quem pagou à vista ou ficou de tomar crédito em 2012.

          O crédito de 2009, portanto, não alimentou nada. Quem alimentou isso foi uma euforia proveniente tanto de especuladores quanto de idiotas que estavam se achando ricos e queriam se mudar para um palácio em 2012.

          O resto é história. A grana construção civil realimentou o resto da economia, o Brasil cresceu 7%. E cada vez mais grupos de 200, 300 mil pessoas passaram a ganhar aumentos que permitiam que se endividassem durante 30 anos.

          Eu conheço gente que comprou na planta em 2009 já pensando na promoção que “com certeza” teria em 2011, para em 2012 a prestação caber no bolso. Hoje estão devolvendo carro financiado.

          0
          • Bolha Imobiliária 14 de junho de 2012 at 15:45

            Vale um novo tópico, não acham ?

            0
            • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 19:27

              Acho que não precisa não…

              0
              • veigalex 14 de junho de 2012 at 20:42

                Ricardo,

                Meus parabéns!

                Seus post são excelentes.
                Simples e cheios de informações.
                Continue nos presenteando.

                Segue a dica de um blog sobre a bolsa que vale muito a pena.
                Não é muito técnico e deixa você antenado em tudo.

                “http://www.financasinteligentes.com/

                0
            • SF 15 de junho de 2012 at 10:30

              Vale um novo tópico sim!!!

              0
          • hannamanana 15 de junho de 2012 at 12:27

            Eu estava fazendo a mesma pergunta que o Álvaro.
            Acho que este seu complemento esclareceu a minha dúvida e de muitos outros aqui sobre o ponto de vista que você estava colocando.
            Desta forma completou de um jeito mais enriquecedor o post!

            0
          • AF 16 de junho de 2012 at 10:48

            Gostaria de contribuir quanto a parte da tomada de crédito. Eu creio que esta foi impactante para o boom imobiliário, porquanto houve uma explosão de liberação de financiamentos, e pelo que indica, sem lastro em poupança.

            0
            • AF 16 de junho de 2012 at 10:53

              Tentei incluir um gráfico no post anterior mas infelizmente não aparece. Basicamente ele mostra o boom de tomada de financiamentos e neste ano uma grande queda, quase em gancho, demonstrando a patinada que todos assistimos no setor.

              0
              • Cleyton 16 de junho de 2012 at 11:04

                Manda a imagem pro bolha (lá no contato) que ele põe pra gente.

                0
                • AF 16 de junho de 2012 at 12:56

                  “http://agp.dihitt.com.br/noticia/financiamento-habitacional”

                  Segue o link

                  0
                  • AF 16 de junho de 2012 at 12:59

                    “http://ibis.dihitt.net/f/big_b83137d13d8dce28112c-grafin.jpeg”

                    0
  • RPL 13 de junho de 2012 at 21:33

    Bolha,

    Pode abrir outro tópico.

    O Eng. Ricardo já falou tudo… Não precisamos nem fazer mais comentários.

    E pensar que há algum tempo, quase que perdemos ele do blog por causa de picuinhas.

    0
  • Sol de Sampa 13 de junho de 2012 at 21:43

    AGENCIA ESTADO…

    A festa das importações
    13 de junho de 2012 | 15h22

    Rolf Kuntz

    Exportações empacadas, importações em alta, demissões na indústria e consumo bem maior que no ano passado: esses dados são oficiais, mas o governo parece ignorá-los e por isso insiste num diagnóstico falho e numa terapia errada para os problemas de crescimento da economia brasileira. A política federal continua dando prioridade ao consumo, como se a retração dos consumidores fosse o grande entrave à expansão do Produto Interno Bruto (PIB), agora estimada em 2,5% pelos analistas do setor financeiro e de consultorias e em 2,9% pelos economistas do Banco Mundial (Bird). Os dados apontam claramente problemas do lado da oferta, prejudicada por uma porção de ineficiências e custos absurdos. Ministros admitem esses problemas, ocasionalmente, e a presidente Dilma Rousseff, de vez em quando, menciona alguns componentes do custo Brasil, mas sem jamais formular uma estratégia coerente e suficientemente audaciosa para aumentar o potencial de crescimento do País.

    Em março, o volume de vendas do comércio varejista foi 0,2% maior que o do mês anterior e 12,5% superior ao de um ano antes. No primeiro trimestre, o varejo vendeu 10,3% mais que no mesmo período de 2011. A expansão acumulada em 12 meses foi de 7,5%. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a mesma fonte, o emprego industrial diminuiu 0,3% de março para abril. A comparação com abril do ano passado mostrou um recuo de 1,4%, sétimo resultado negativo nesse tipo de avaliação. Se o governo desse mais atenção ao descompasso entre a evolução do consumo e a do emprego industrial, talvez se dispusesse a rever seu diagnóstico. Mas esses dados parecem causar pouco efeito em Brasília. Curiosamente, a combinação desses números com os do comércio exterior também parece despertar pouco interesse entre os formuladores da política econômica. Mas o resultado dessa combinação parece bastante claro para justificar uma revisão da estratégia de crescimento seguida até agora.

    Do início de janeiro até a segunda semana de junho, o Brasil exportou mercadorias no valor de US$ 102,9 bilhões e gastou US$ 96,9 bilhões com produtos importados. A receita comercial foi 0,4% menor que a de igual período de 2011, pela média dos dias úteis. Pelo mesmo critério, a despesa foi 5,3% maior e o superávit, 42,8% menor. Até o fim de maio a evolução havia sido um pouco menos ruim, com exportações 1,5% maiores que as de um ano antes e importações 4,4% superiores às dos primeiros cinco meses de 2011. Mas, no essencial, o cenário era o mesmo, com vendas externas estagnadas e compras em clara expansão.

    Esse descompasso ajuda a entender o contraste entre a evolução do consumo no mercado interno e o desempenho da indústria. Os brasileiros continuam comprando e, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira pela Associação Comercial de São Paulo, os consumidores se mostram mais confiantes do que em maio do ano passado. Para 51% dos entrevistados, a situação financeira atual é boa e para 59% deve melhorar. Um ano antes, essas avaliações haviam sido apresentadas por 47% e 51% das pessoas ouvidas pelos pesquisadores.

    O otimismo dos entrevistados, dirão alguns, pode refletir um erro de avaliação. Talvez, mas eles continuam comprando e mostram disposição de ir novamente às lojas nos próximos meses, até porque a situação geral do emprego ainda é boa. Houve ganhos de renda nos últimos anos e há crédito suficiente. A indústria brasileira, no entanto, desfruta limitadamente dessa festa, enquanto os produtores estrangeiros ocupam fatias crescentes do mercado. Isso já foi mostrado em pesquisa da Confederação Nacional da Indústria sobre a participação crescente dos importados no consumo interno: 22%, nos quatro trimestres encerrados em março deste ano, recorde da série iniciada em 1996. O levantamento incluiu tanto produtos finais quanto insumos processados no Brasil.

    A presidente Dilma Rousseff insiste em cuidar do crescimento da indústria com medidas protecionistas, políticas de preferência a componentes nacionais e pressões para redução de juros. Já fala menos sobre a valorização cambial, um de seus temas prediletos, por muito tempo, nos eventos internacionais.

    Mas o governo faz muito pouco para cuidar dos custos e das ineficiências mais importantes, limitando-se à política de pequenos remendos. A presidente já deixou clara a disposição de promover apenas mudanças limitadas no sistema tributário. Uma reforma séria e penosamente negociada com os governadores continua fora da agenda. Também fora da pauta permanece um esforço mais sério para eliminar o atraso nos investimentos em infraestrutura. É mais fácil discursar e inflar os números com os financiamentos habitacionais.

    0
    • RosinhA 14 de junho de 2012 at 12:29

      Sol aterrorizando a tudo e a todos 😉

      0
      • Sol de Sampa 14 de junho de 2012 at 23:49

        Rosinha, nada disso, só estava fechando o post do Ricardo Eng com chave de ouro… afinal ele merece … quem tinha alguma duvida (achando que ele viaja na maionese) pode entender que só nõ enxerga quem não quer… A manipulação existe – sempre existiu.

        Acho que o Ricardo Eng. propiciou para que muitos separem o joio do trigo.

        Eu adoro este blog, pois sinto que troco idéias com quem tem cérebro… não sou tratada como ET…. mas infelizmente a maioria das pessoas não param pra pensar… estão ligadas no automático …
        A convergência e permanência de quem encontrou o blog passa exatamente por essa atitude… pensar … juntar as informações buscando respostas. Nem sempre conseguimos enxergar sózinhos, mas o blog é um canal que facilita isso.

        Mais uma vez … Ricardo Eng. parabéns pelo post …. impecável, irretocável, perfeito.

        0
        • RosinhA 15 de junho de 2012 at 06:52

          Sol concordo com ele e com você em 1000%, sempre me questiono onde está o problema, e ele com sua experiência profissional e intelectual consegue enxegar e expor facilmente isso usando um texto com palavras simples e explicativo.

          Por favor amiga, estou jogando em seu time 😉

          0
          • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 16:25

            é isso aí amiga,

            Gde bj

            0
  • veigalex 13 de junho de 2012 at 21:46

    Muito bom.

    MRK.. por ande andas…

    0
  • Marci 13 de junho de 2012 at 21:50

    Valeu mesmo Ricardo. Obrigada.

    0
  • Lucas 13 de junho de 2012 at 22:04

    Texto fodástico, quero ver algum corretor rebater ele a altura.

    0
  • Bob Alex 13 de junho de 2012 at 22:13

    Alguém poderia me explicar porque as construtoras estão subindo na Bolsa? Eu sinceramente não consigo entender. Se a situação está tão ruim, elas não tem nenhuma garantia de recebimento das “vendas”, porque elas estão subindo direto?

    0
    • Rafael KM 13 de junho de 2012 at 22:44

      Altas e baixas diárias: especulação.
      Gráfico semanal: especulação/tendência.
      Gráfico mensal: tendência. Este é mais confiável. É este que você tem que olhar para saber uma tendência de mercado.

      Quando a Varig decretou falência em 2006 ou 2007 (não lembro), suas ações subiram, ao invés de virarem pó, o que seria o óbvio. E subiram MUITO. Alguns ganharam uns trocados. Muitos outros perderam. Especulação.

      O mercado de ações é imprevisível.

      0
    • Tomaz 14 de junho de 2012 at 09:52

      O movimento diário não tem muita relação com a realidade. Não tente entendê-lo. Mas no longo prazo (meses, às vezes anos) a bolsa é implacável, verdadeira juíza da razão.

      0
    • RD85 14 de junho de 2012 at 09:52

      Simples:
      1- especulação com Gafisa em função da questão do Alphaville (que não deve ser resolvida tão cedo)…
      2- Ontem tinha vencimento de opções de Ibovespa então manipularam o mercado pra cima pra garantir mais exercícios, subindo 1,54 mesmo com os EUA caindo bem…

      0
    • Francisco Quiumento 14 de junho de 2012 at 10:44

      “Espasmos de cadáver insepulto.”

      Ganhos de manipuladores no curtíssimo prazo em meio a um cenário catastrófico no longo prazo.

      1+
      • Luiz 14 de junho de 2012 at 10:52

        exatamente

        Quando a empresa dilui açoes o preço cai e não sobe, a não ser que a situação seja de quase falencia e a CVM finge que não vê com medo do efeito dominó.

        Pra quem está se afogando jacaré é bóia

        0
  • mauricio 13 de junho de 2012 at 22:15

    no brasil só existem duas certezas:

    1) imóvel nunca desvaloriza

    2) político nunca mente

    0
  • Sol de Sampa 13 de junho de 2012 at 22:23

    Ricardo Eng …. acho que o Bolha poderia mudar o titulo – para Venda e Compra de Imóveis – Verdades do Mercado Imobiliario, assim se alguem pesquisasse no google, automaticamente pegaria seu texto, que aliás, está perfeito.

    0
  • Ze Bom Dirolo 13 de junho de 2012 at 22:24

    Esclarecimentos.
    Estou começando a perceber que algumas pessoas em Brasília estão começando a ficar sem condições de honrar os financiamentos da CEF.
    Pergunta.
    Parou de pagar, o imóvel é tomado, vai para leilão….e se for vendido pela metade do preço?

    0
    • Sol de Sampa 13 de junho de 2012 at 22:30

      A questão é muito complicada sim… parou de pagar vai pra leilão, me aí vem outro problema, se conseguem ou não a venda em leiião, vai depender de quanto está financiado…. e outro problema é em questão a avaliação inicial do imovel pela CEF … Este pode ser um grave problema que vai contribuir para um grande prejuízo aos bancos em geral… pois seo imovel foi superavaliado e o financiamento é alto … não vão conseguir vender e aí kabum… estoura a outra bolha

      0
      • RosinhA 14 de junho de 2012 at 12:30

        RosinhA esfregando as mãos, e esperando.

        0
    • Ze Bom Dirolo 13 de junho de 2012 at 22:52

      E o restante vai para conta do devedor…..
      Peço desculpa aos roqueiros, mas vamos fazer a coreografia abaixo…….

      ttp://www.youtube.com/watch?v=Faavb1kW9Sg&feature=related

      Consegui vislumbrar até a Rosinha aí no meio….

      0
      • RosinhA 14 de junho de 2012 at 12:33

        KKKKKK Zé se me comparar com a comandante vou processá-lo por calúnia tome cuidado. 😉

        0
    • BELARMINO 14 de junho de 2012 at 18:23

      Tenho escutado nos consultórios jurídicos que vão aprovar à toque de caixa um projeto de lei que permite ao devedor hipotecário purgar judicialmente a mora por 01 vez a cada 5 anos e jogar os acessórios da divida para o fim do contrato. Quem sabe será verdade?

      0
      • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 00:02

        Belarmino, não conheço os contratos atuais do SFH (de 2008 em diante), mas na época da incorporação do BNH pela CEF fizeram isso, tanto que houve mudança na forma de calculo de parcelas e saldo devedor, adotaram definitivamente o SAC e revisaram as clausulas que mantinham a prestação de acordo com a renda ….. que deu na criação da ENGEA para absorver a porcaria juridica corrente, pois simplesmente esqueceram de amarrar o saldo devedor … passando a limpo, na época quem tinha financiamento ou se virou pra tentar baixar o saldo devedor ou ficou com um elefante branco, pois mesmo que cumprissem o prazo de pagamento havia saldo devedor que o valor do imovel não cobria…
        Atualmente as avaliações feitas para financiamento são baseadas nos preços de mercado … se o mercado está com valores inflados (bolhudos) as avaliações são distorcidas e por motivos diferentes havando o estouro da bolha teremos a mesma situação provocada pelos contratos antigos do SFH… mesmo que consigam pagar o financiamento por 30 ou 35 anos, na realidade estarão pagando um bem cujo valor de mercado ´não mais corresponde ..
        Portanto é presumível, sim, que já se esteja pensando em ações para purgar, (ou até rever) o contrato … Mas com certeza passarão uns 20 anos discutindo….

        0
        • BELARMINO 15 de junho de 2012 at 12:15

          Obrigado e muito SOL DE SAMPA pela explanação; no final das contas o “feitiço” vira contra o comprador de imóvel, mais ou menos isso né?!

          outra coisa,

          O Eng. RICARDO disse que os caras especulam só com a reserva, o que está certo a meu ver, mas quando assinam o contrato de promessa não tem que pagar as prestações mês a mês?

          Nesse caso, a especulação do imóvel traria traz despesas, já que não é´fácil vender APTO ou CASA rápido como acontecia antigamente com o mercado da telefonia [CESSÃO] em que uma linha TELESP ou plano de expansão Alfaville chegou a valer dez mil dÓlares

          ?

          0
  • Mário 13 de junho de 2012 at 22:34

    Qual será a diferença das olimpíadas de Londres e a do Rio de janeiro? Uma das diferenças esta aqui…
    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/06/120613_londres_budget_rc.shtml

    0
  • Ricardo Eng 13 de junho de 2012 at 22:35

    Obrigado pelos comentários, turma!

    []s

    1+
    • Engenheiro-SJC 14 de junho de 2012 at 11:06

      Muito bom texto, parabéns!

      0
    • Bananildo 14 de junho de 2012 at 11:28

      Ricardo, você deveria escrever um livro “Economy for dummies”. Ia fazer sucesso.

      0
      • RosinhA 14 de junho de 2012 at 12:34

        Não adianta você tem que ser bom em algo, ou tentar ser bom, ou simplesmente desistir, a última acho que cairia melhor.

        0
        • Bananildo 14 de junho de 2012 at 14:00

          É verdade Rosinha, mas sempre tem o sabichão que acha que pode dominar todos os assuntos da terra só lendo os manuais “for dummies” rsrsrs

          0
          • RosinhA 14 de junho de 2012 at 19:10

            Essa foi boa Bananildo 😉

            0
  • Dantas 13 de junho de 2012 at 22:36

    Realmente é um texto muito bom. Hoje recebi um e-mail da Camargo Correa ( CCDI) oferecendo até 20% de desconto nos preços oferecidos até agora no empreendimento Quartier em Curitiba, empreendimento este que visitei a uns 2 anos quando estava na planta e ainda está em fase de construção.

    0
  • F. Paes 13 de junho de 2012 at 22:58

    Verdade ou mentira?

    http://odia.ig.com.br/portal/imoveis/feir%C3%A3o-da-casa-pr%C3%B3pria-termina-com-r-12-2-bilh%C3%B5es-em-neg%C3%B3cios-fechados-1.451604

    Feirão da Casa Própria termina com R$ 12,2 bilhões em negócios fechados

    Valor supera em mais de R$ 2 milhões do que foi movimentado em 2011
    Brasília – A Caixa Econômica Federal encerrou a oitava edição do Feirão Caixa da Casa Própria no último fim de semana totalizando volume de R$ 12,2 bilhões em negócios, nas 13 cidades onde o evento foi realizado. O resultado supera os negócios fechados em 2011, quando foram contabilizados R$ 10 bilhões.

    A Caixa criou na internet um portal permanente do feirão, disponível no endereço eletrônico http://www.caixa.gov.br, com fotos, preços e indicação da linha de crédito mais adequada para cada imóvel. De acordo com o banco, os imóveis que serão oferecidos na internet já foram avaliados e estão habilitados para a concessão de financiamento.

    O portal é dividido em duas seções: Quero Comprar e Quero Vender. O proprietário que deseja colocar o seu imóvel à venda, seja pessoa física ou jurídica, deve entregar ao Correspondente Caixa Aqui Imobiliário, indicado no portal, a documentação completa e regularizada do imóvel, com foto. Se desejar, é possível colocar informações como vídeos e imagens das plantas, entre outras.

    0
    • JPM 14 de junho de 2012 at 12:53

      É mentira. No máximo, uma “verdade parcial”. A Caixa não tem como aprovar os financiamentos durante o feirão. Então esses “negócios fechados” estão, na verdade, apenas iniciados. Para fechar MESMO ainda vão alguns meses, entre levantar papelada, cartório, etc…
      E uma boa porcentagem deles pode não vingar.

      0
      • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 00:26

        JPM partilho exatamente da mesma lógica…. até porque se conseguem aprovar de imediato num feirão por que levam pelo menos 45 dias pra aprovarem fora do feirão????
        outra coisa, tiraram as certidões todas durante o feirão?

        acho que há um engano nisso … podem ter deixado aprovado o fato da pessoa poder pedir o financiamento …. quanto se vai ser ou não financiado o papo é outro…. a não ser que já inventaram a máquina do tempo ….

        0
      • hannamanana 15 de junho de 2012 at 12:33

        É a minha dúvida permanente.
        Negócio fechado ou Proposta encaminhada???
        Pra mim são duas coisas distintas

        0
    • BELARMINO 15 de junho de 2012 at 12:23

      Uma noticia honesta seria a CEF divulgar que teve 12 bilhões em negócios após o comprador obtiver liberado o dinheiro do pedido de crédito ou tomar efetiva posse do imóvel que aspira..

      SABE QUANDO ISSO VAI ACONTECER??!!?

      0
  • Rodrigo 13 de junho de 2012 at 23:15

    Amigos,

    No final de 2009 eu morava em Belém/PA. No prédio em que eu morava, os apartamentos custavam 350k (apto. 3 qtos, de 80 e poucos metros).

    Recentemente resolvi dar uma pesquisada nos preços, eis que me deparo com apartamentos à venda no mesmo prédio. Liguei ontem para a corretora e ela me informou que custam 350k.

    Achei muito estranho, até porque no final de 2009 tinha um shopping sendo construído a duas quadras do prédio, o qual foi inaugurado em 2010. A expectativa de valorização na época era muito grande.

    Assim, pelo visto, lá os preços já caíram.

    Alguém de Belém/PA pode confirmar ????

    0
  • Marcelo Arruda 13 de junho de 2012 at 23:26

    Refeição a R$ 30: preço da comida na Rio+20 incomoda estrangeiros

    Fonte: Terra – 13/06/2012 – 21:00

    Os preços cobrados pelos alimentos na Conferência Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) estão sendo considerados insustentáveis por várias delegações, principalmente as de países mais pobres, que frequentam o Riocentro e o vizinho Parque dos Atletas. Embora a variedade de opções seja enorme, para atender a todos os gostos e bolsos, quem quiser sair do lanche rápido e partir para um prato de comida vai gastar pelo menos R$ 30 por um estrogonofe de frango com arroz e batata palha, por exemplo.

    Se o apetite for por carne vermelha de primeira, o preço sobe ainda mais, podendo chegar a R$ 48, por um medalhão de filé. Um sanduíche misto especial, com presunto e queijo brie, sai a R$ 30. Se o sanduíche for de salmão, o valor é R$ 33. Para comemorar acordos em alto estilo, a pedida pode ser uma garrafa de vinho nacional ou importado, a partir de R$ 46, ou uma garrafa de espumante importado a R$ 95.

    Para o finlandês Niko Urho, o valor pago por um hamburguer e um suco de uva, cerca de R$ 20, estava só um pouco acima do que ele pagaria em seu país. Já para o integrante da delegação do Zimbabue Thomas Musukutusa. o valor pago por um copo de chá mate, para ele, equivalente a US$ 3, era o triplo do que pagaria em seu país. “Os preços estão muito altos. Alguma coisa deve ser feita”reclamou.

    O estudante chinês Shen Changkun também se impressionou por ter pago R$ 20 em uma porção de yakisoba. “É caro. É o dobro do preço que eu pagaria na China. Sou estudante e não tenho muito dinheiro”, lamentou.

    Uma israelense do Ministério das Relações Exteriores de seu país protestou contra a falta de bom-senso nos preços cobrados. Segundo ela, que pediu para não se identificar, por questões diplomáticas, os maiores prejudicados são as delegações de países mais pobres. “Eles estão ganhando muito dinheiro aqui. Mas deviam pensar em quem não tem recursos e cobrar um preço médio, que satisfizesse a maioria”, disse a diplomata: “O preço do café é o triplo do que eu pagaria em meu país”.

    A saída para enganar o estômago e preservar o bolso é apostar nos lanches rápidos como cachorro-quente a R$ 5; salgados diversos a R$ 4; fatia de bolo de chocolate a R$ 4; e sanduíche simples de atum a R$ 7. Para beber água, o valor é R$ 5; refrigerante, R$ 5; suco natural, R$ 6; e uma xícara de café expresso, R$ 4.

    Mas o que realmente pode salvar a pátria é o minimercado, que funciona na praça de alimentação. Um pacotinho com quatro biscoitos sai por R$ 0,99. Um bolinho de laranja ou chocolate, por R$ 3,25. Com R$ 1, compra-se uma maçã ou uma pera. A partir de R$ 0,50, é possível comprar uma banana.

    Mas se a fome não for muita e o objetivo for só o de vestir a camisa da causa verde, é possível comprar uma camiseta oficial da Rio+20, tecida com 50% em algodão orgânico e 50% em fibras de garrafas pet recicladas, por R$ 127.

    Agora pensem como vai ser a copa…. A bolha ta geral

    0
    • Cleyton 13 de junho de 2012 at 23:32

      Eu não sei se é a primeira vez que esse pessoal vem aqui, mas se fosse eu certamente seria a última!

      0
    • Felipe 14 de junho de 2012 at 00:29

      é bem a cara do Brasil isso. Não pode ter um evento, um pessoal diferente na casa, que eles já querem tosar o cara.
      Parece taxista no Rio recebendo estrangeiro, uma viagenzinha é R$ 300!

      0
    • Neo 14 de junho de 2012 at 00:32

      já me senti assim lá fora, irrita saber que esta sendo feito de trouxa.

      no aeroporto entao nem se fala.

      são os cariocas esfolando o couro dos gringos!

      já vi acontecer na bahia fora desses periodos bolhisticos

      0
      • augusto 14 de junho de 2012 at 07:51

        O brasileiro, em geral, é tão ESXPEEEEERRRTOO, que somos sub desenvolvido e os gringos potências mundiais. Lembrem-se os EUA foram “descobertos” apenas 8 anos antes de nós

        0
        • Leonardo 14 de junho de 2012 at 15:59

          Errado, os EUA começaram a ser colonizados 79 anos depois (1530 – 1609). Mas lá não teve colonização ibérica e não foi colônia e exploração. Daí em 1755 eles estavam formando um país, enquanto os portugueses estavam arrancando todo o ouro daqui pra reconstruir Lisboa na década seguinte.

          Não justifica as atitudes de hoje. Mas não dá pra comparar colonização.

          0
          • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 00:07

            Leonardo, só faltou incluir que os “colonos” dos EUA eram na maior parte bandidos, fugidos ou escurraçados de UK … e talvez por isso conseguiram impor uma democracia melhor (talvez) do que o resto do mundo…

            0
            • Frank 15 de junho de 2012 at 10:58

              “os “colonos” dos EUA eram na maior parte bandidos, fugidos ou escurraçados de UK ”

              exagerou um pouco.

              havia os q fugiram de perseguição (ou “desconforto”) religiosa (quakers e outras variantes protestantes).

              0
              • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 16:35

                ok Frank dou o desconto, mas acho que exatamente por terem conseguido uma nova terra é ue deram valor….

                0
    • Ze Bom Dirolo 14 de junho de 2012 at 01:38

      Esse é o espírito da Rio mais 20.
      Membros dos países ricos virem para conhecer elizes ou elizas, matsunagas ou samúdios, enquanto membros de país pobres acreditam na finalidade do encontro, fazendo fotossíntese.
      Se você for calcular quantos países acreditam no encontro, você vai entender o título.

      0
      • Ze Bom Dirolo 14 de junho de 2012 at 01:57

        *países

        0
      • GB 14 de junho de 2012 at 07:46

        O nome devia ser “Rio + R$ 20,00”.

        0
    • Carlos Eduardo 14 de junho de 2012 at 08:27

      Imagino que esse evento ridículo seja a tentativa do governo de renovar os contratos de cotas de carbono, que vencem esse ano!

      O Brasil ganhou alguns bilhões para vender a tua cota de emissão de carbono na atmosfera!

      Alemanha e Reino Unido não vieram e os EUA não assinaram nem o antigo!

      Isso é política barata, nada tem haver com meio ambiente!

      0
    • RosinhA 14 de junho de 2012 at 12:36

      Já escrevi isso Pão com Banana 50 dólares.

      0
  • Charles 14 de junho de 2012 at 00:16

    Ricardo Eng

    Parabens pelo texto.

    É por causa de membros como você que este espaço faz tanto sucesso…

    Obrigado

    0
  • Ze Bom Dirolo 14 de junho de 2012 at 01:24

    Ah, Ricardo…
    Parabéns pela objetividade no texto.
    Percebo a objetividade em alguns aqui.
    É bom ler um texto que coaduna com nossos pensamentos.

    0
  • antero P 14 de junho de 2012 at 01:47

    Parabéns Ricardo Eng. Teus textos e intervenções são muito elucidativos. Esperamos que continue aqui nesse espaço.

    0
  • Menino_do_Rio 14 de junho de 2012 at 08:02

    Mais uma aula de finanças imobilárias, agora do Ricardo Eng!!!!

    Brasil do pt, endivide-se ou deixe-o.®

    0
  • Marvin 14 de junho de 2012 at 08:44

    Excelente texto… é uma pena que a nova “crasse C” não sabe ler… infelizmente, cheguei a conclusão que esse povinho tem mais é que se lascar… Sugiro a leitura (para quem além de saber ler, consegue entender o que leu – ou seja, não é para a nova crasse C) do livro “Deu no New York Times” do Larry Rohter, aquele jornalista que foi “expulso” por falar que o lula gosta de umas biritas (onde já se viu falar mal do santo lula)… uma parte em especial do livro que achei interessante foi a que ele comenta que achou estranho quando chegou no brasil (na década de 70, embora a imprensa na época do problema com o lula tratou-o como um simples forasteiro que tinha acabado de chegar ao brasil), e a maioria das pessoas já tinham empregadas domésticas, enquanto nos EUA, ele e seus amigos da classe média (essa sim a classe c de verdade), não possuiam domésticas (e não possuem até hoje)… ele faz um comentário muito interessante sobre esse comportamento do brasileiro, que basta ganhar um pouquinho mais, que já acha indigno limpar a sua própria casa (e, obviamente, acha muito bom ter alguém para mandar – leia-se: humilhar…). Esse é apenas um ponto interessante do livro, mas entre muitos textos, é possível perceber porque somos um país de merda, e provavelmente continuaremos a ser pelos próximos 500 anos….
    PS ele também tece elogios ao brasil em muitos trechos do livro, parte obviamente ignorada pelos críticos de sua pessoa (mais uma vez, pelo simples fato de ter falado a verdade sobre nosso comandante em chefe)…

    0
  • foxbravo 14 de junho de 2012 at 08:52

    Outro ponto que contribui para a bolha e aumento de preços em geral é a forma como consumimos algum produto/serviço.
    Estamos acostumados a “pesquisar” o mercado. Alguns não pesquisam nada, outros pesquisam exaustivamente.
    Mas se todos os “vendedores” aumentam os preços ao mesmo tempo a pesquisa somente vai lhe indicar que você está pagando um preço considerado do “mercado”.
    Isso é o que eu mais escuto quando comento sobre o absurdo dos preços dos imóveis. “É o preço do mercado, é o que estão pedindo, o que podemos fazer?” Aí quando digo que ninguém está vendendo sempre aparece um dizendo “Ah.. mas o vizinho, o cunhado da vizinha, etc… vendeu com esse preço alto. Logo as demais pessoas também podem pagar esse preço pois É O PREÇO DO MERCADO”

    Ninguém leva em consideração a sua própria renda, o valor de outros bens, produtos e serviços para analisar se aquele preço realmente está dentro de um valor adequado.

    Acho que também precisamos passar por uma mudança de cultura em relação a isso.

    0
    • Marvin 14 de junho de 2012 at 09:00

      aqui vale a dica aí de cima novamente: leiam o livro “deu no new york times”… o brasileiro gosta de aparecer, logo, se o cunhado comprou um apartamento em 30 anos, a patroa começa e infernizar o maridão para comprar um também (afinal de contas, não podem ficar atrás dos outros)… é a mesma coisa com automóvel, o cara pode ter um seminovo simples, mas, se o cunhado comprar um civic top de linha, ele vai ter que financiar um também só para não se sentir diminuido…. é triste, mas esse é o padrão de comportamento do brasileiro médio… se ele tiver um bem inferior ao do outro, todo mundo vai achar que o pinto dele é menor kkkk….

      0
      • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 13:00

        Pois é. Infelizmente a maior parte das pessoas vive assim. E se endividam com base em relacionamentos pessoais que nem são tão profundos assim e em muitos casos as pessoas nem mesmo se gostam mas ficam prestando conta da vida para os outros.

        0
    • Vasconcellos 14 de junho de 2012 at 09:27

      Exatamente, Foxbravo.

      Costumo dizer que boa parte da culpa é nossa mesmo. As pessoas simplesmente aceitaram essa valor médio do mercado e tomam no bumbum por senso comum.

      Isso também vai distorcer a percepção quando os preços começarem a diminuir efetivamente, pois vão achar que está barato, quando na verdade sairá de caro pra caraleo para muito caro.

      E outra: Enchem a boca pra dizer “comprei um apto”, “comprei um carro”, quando poucos na verdade realmente possuem o bem, isto é, já o quitaram. Compraram foi uma dívida de longo prazo, geralmente.

      0
    • Zé Bolha 14 de junho de 2012 at 23:44

      Essa mudança de cultura passa por educação financeira. E mesmo isso não evita bolhas de tempos em tempos, é uma questão psicológica complexa, muitas expectativas emergindo como comportamento irracional coletivo.

      0
      • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 00:22

        Zé, não quero ser chata, mas acho que o probrema passa pela preguiçasicológica…..
        como eu disse varias vezes … o povão quer é se dar bem … a lei de gerson escancarada … querem ainda que governantes sejam honestos e produtivos, tudo menos arregaçar as mangas e tomar conta do galinheiro…
        então, toma zé …. eu digo que a democracia é a tirania da maioria, pois os poucos que pensam tem que se curvar para a enxurrada de porcarias ….

        acho que sou anarquista por natureza … que todos deviam ter bem definidos os valores e ações, deveres e direitos …. mas isso é pura utopia … o ser humano em geral não tem (e nem quer ter) essas atribuições, porque para muitos seria sacrificar horas e horas de não fazer nada e não pensar nada…

        então em resumo é preguiçasicológico o probrema e não afeta somente a crasse C ….

        0
        • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 00:33

          em tempo quando eu disse toma zé, não fiz referencia ao Zé Bolha ..

          0
        • SF 15 de junho de 2012 at 11:04

          Concordo com você Sol e tb concordo com Zé, acho que é um pouco do que cada um de vcs explanaram.
          Ontem aqui no trabalho percebi exatamente isso, qd fui a copa pegar um copo d’água e ouvi as 2 moças que fazem o serviço de limpeza da empresa conversando, não querendo desmerecê-las, mais ficou claro q falta de educação nelas e quando digo isso refiro-me a falta de cultura.

          Ela estavam conversando sobre o que aconteceu no programa A Fazenda.

          A população sabe de cor tudo que acontece nesse programas e novelas que não trazem produtividade ou beneficio a vida de qualquer ser humano, mas se vc perguntar a população sobre a constituição do país, sobre porque a Dilma baixou a taxa de juros, ou porque reduziu o IPI, aposto meu salário como ninguém sabe responder, digo a grande maioria da população, pois alguns como nós que frequentamos esse blog sabemos responder e por isso somos os ET’S, os ANARQUITAS – como a Sol disse -, os NEGATIVOS – porque estamos desejando uma crise no país.

          O povo precisa de educação/cultura, para depois sim tentar almejar uma educação financeira, uma educação de cidadão para saber votar e cobrar dos homens públicos de Brasilia, ações eficazes que beneficiem o povo e não meia dúzia de banqueiros, empresários, etc.

          A pouco citei a constituição do país, isso deveria ser matéria obrigatória do ensino fundamental nas escolas, porque é assim que se forma um cidadão, instruindo sobre os deveres e diretos dele no país que nasceu.

          0
          • SF 15 de junho de 2012 at 11:59

            Sol, completando….vivo de utopia igual a você e também sou chamado de ET…..rs

            ET sim, com muito orgulho, pq penso, questiono!!!!

            0
            • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 19:58

              SF, aqui o blog só tem ET´s … maravilha…. Unidos venceremos…

              quem sabe – como na pesquisa dos 100 macacos- a coisa funcione tb no nosso caso de ET`s e as pessoas comecem automaticamente a pensar, questionar e exigir as coisas corretas??? (Voei na utopia …. heheheheh)

              0
        • Zé Bolha 17 de junho de 2012 at 16:41

          Sol

          Concordo com vc que preguiça e “lei de Gerson” são nossos traços culturais. Mas me assustou o que vi nas corretoras e nas feiras da Caixa. Pessoas assinando sem nem ter lido! Conheço muita gente que não é preguiçosa ou quer se dar bem a qualquer custo, pelo contrário, que caem no conto do vigário. Acredito que pra essas pessoas educação financeira, que nós não temos, faria muita diferença nessas horas.
          O medo que você sente de ver tudo o que vc trabalhou e juntou pra comprar um imóvel indo pelo ralo faz vc cometer loucuras. Eu quase fui nessa.

          0
  • JPires83 14 de junho de 2012 at 09:03

    Hoje eu passei em frente a um móvel e, como era uma casa que eu me interessaria morar, peguei o telefone da imobiliária e liguei pra saber o valor. O dono da casa estava pedindo 330 mil numa casa de 150 m². Isso numa região onde uma casa do mesmo tamanho custa por volta dos 220 mil. Conversando com o corretor, ele me disse que a casa está a venda a 4 meses e nem sequer recebeu propostas……Agora veio a parte que me impressionou…….Ele ASSUMIU que a casa estava num valor fora do padrão para o bairro e que eu deveria levar uma proposta ao proprietário.
    Depois do primeiro susto com o valor, ele quis negociar comigo, pois eu disse que tinha um pequeno apartamento e um dinheiro guardado. O mesmo me informou que eu poderia dar o meu imóvel e o dinheiro como entrada e financiar o resto. Eu pensei que o nível da bolha não estava tão inchada aqui, mas percebi que o povo perdeu a noção de valores. Engraçado que, aparentemente, pelo menos esse corretor, já está ciente de que as coisas não estão tão boas assim.

    0
    • Álvaro Guilherme 14 de junho de 2012 at 14:16

      Sorte sua morar num lugar em que uma CASA (casa!) de 150m2, ainda que cara, custa R$ 330 mil.

      Aqui no Rio de Janeiro – “zona sul maravilha”, você não compra nem um quitinete de 28m2 num prédio pra lá de decadente.

      Não que não se possa morar em casas aqui no Rio de Janeiro, mas por esse valor, somente a umas quatro horas de distância do seu trabalho.

      0
      • JPires83 14 de junho de 2012 at 15:02

        Álvaro, a questão é que eu moro mal pra caralho. Moro aqui porque o aluguel é barato e fica relativamente perto do trabalho.
        Hoje pela manhã eu vi umas manchas sangue na rua lá de casa.
        .
        .
        .
        É sério.
        .
        .
        Se no meu bairro o valor está assim, em um bairro melhor a mesma casa valeria 1 milhão.

        0
  • MrK 14 de junho de 2012 at 09:08

    Senhores, aos que conhecem a dialética erística (a qual o filosofo Schopenhauer escreveu brilhantemente) facilmente identificam nessa técnica a estratégia usada pelos interessados do mercado em refutar a bolha, uma das 38 técnicas de dialética erística (que consiste em vencer qualquer debate per far et per nefas – expressão latin para “a qualquer custo, certo ou erado”) consiste em restringir a teoria do adversário de um aspecto amplo para um específico e com isso refutar o detalhe do aspecto especifico, fingindo estar refutando a teoria toda e vencendo o debate desonestamente.

    Exemplo:
    A bolha dos EUA teve o subprime por tras, logo bolha imobiliaria precisa de um subprime, um subprime não está nítido no Brasil, logo não há bolha no Brasil.

    Os espertos percebem a manipulaçao: A bolha nos EUA teve sim subprime por trás, mas isso não está por trás de toda ou qualquer bolha, eles fazem uma exceção parecer com uma norma e com isso refutam de forma desonesta o nosso argumento.

    Aos que se interessam pelo tema de manipulação da mídia, debates e coisas assim recomendo o livro do citado filósofo que pode ser lido e uma tarde

    abraços

    0
    • Marcia B. 14 de junho de 2012 at 09:45

      O sub-prime no Brasil e o pagador de imposto. O governo vai ter que IMPRIMIR o Real se as coisas derem erradas. Exatamente, o sub-prime e uma acao de seguranca para hipotecas perigosas que ao asseguradas e depois vendidas como acoes de valores.

      0
    • Jack Daniels 14 de junho de 2012 at 10:15

      Valeu pela indicação. Na mesma linha recomendo o livro Get Anyone to Do Anything, do David Lieberman. Procurei em português, mas não sei se tem. De uma forma ou de outra, é bem fininho.
      Ele trata dos instintos sociais humanos e como tirar vantagem disso, classifica os tipos de manipulação e por aí vai. Parece um manual sofista.

      0
      • MrK 14 de junho de 2012 at 10:47

        o livro do Schope tem em portugues, acho que se chama “como vencer um debate mesmo sem ter razão”, algo assim, o problema que enfiaram um prefacio de 200 folhas de um filosofo brasileiro, o livro mesmo é fino e muito bom, 38 estrategias maquiavelicas de vencer um debate heheh

        0
        • JPires83 14 de junho de 2012 at 12:16

          Achei um resumo.
          h t t p: / / scienceblogs.com.br/100nexos/2009/02/como-vencer-um-debate-sem-ter-razo/

          0
          • Luiz 14 de junho de 2012 at 12:56

            heheh, recomendo o livrinho, 10 real no supermercado.
            uma vez publiquei aqui na sequencia de um corretor, mta gente leu, reclamou do tamanho mas leu

            Mrk, acho que até a subprime teremos por aqui em versão adaptada

            0
          • Loren 15 de junho de 2012 at 16:01

            Olha, eu já sabia que o Schopenhauer era um pouco misantropo. Mas agora que li esse resumo fiquei com medo. Isso é coisa do demo!

            0
    • Será... 14 de junho de 2012 at 13:01

      Para quem quiser uma prévia, segue abaixo…

      Schopenhauer, os 38 estratagemas – Obrigado por Fumar

      “http://www.youtube.com/watch?v=5Nk9D1BLqYw”

      Por meio da analise do filme “Obrigado por Fumar” serão apresentados os 38 estratagemas postulados por Schopenhauer sobre a arte da Dialética Erística.

      0
  • Amadeos de Sampa 14 de junho de 2012 at 09:24

    Ola Ricardo Eng,

    Agradeco aqui tambem e aplaudo seu texto que discorre de maneira simples e clara sobre a formacao da bolha imobiliaria Bananense.

    A sua exposicao eh clara mas a meu ver incompleta nas variaveis causadoras. Bolha eh um sistema complexo porisso acredito que sua analise deixa de lado importantes aspectos tais como:
    – Credito abundante
    – Baixa regulamentacao na compra
    – Euforia nacional
    – Corrupcao.

    So pra elaborar um pouco mais esse ponto de vista, e longe de querer fechar assunto em torno de nenhum deles:

    -Credito abundante : bastante citado por mais bolhistas acima e concordo que eh o grande fator causador da big bolha brasil.

    -Baixa regulamentacao: nao falo por conhecimento tecnico de causa, mas como mero expectador. Me refiro a falta de mecanismos legais para diminuir a compra especulativa e direcionar o mercado para moradia familiar. Esse ponto eh para mim eh o mais chocante pois com a falacia dos recentes governos federais de promover a compra da casa para familias de baixa renda, na verdade se esconde uma maquina maliciosa com foco na especulacao financeira sem limites.

    Esse eh para mim um sistema nao apenas injusto mas, ouso dizer, criminoso. Como podem falar e promover justica social quando na verdade o que acontece na pratica eh um absurdo e tragico acumulo de capital indo parar na mao de poucos?

    Ninguem poderia poder comprar varios imoveis e especular livremente com eles como eh feito e divulgado no Brasil. Deveria existir mecanismos para coibir tal pratica. Detesto interferencia governamental no geral, mas esse caso se enquandra nas excessoes, e a mao do estado tem de se fazer presente para coibir abusos.

    -Euforia nacional . Sempre fiquei avesso ao oba-oba do “ta bombando” , “bola da vez” (pôxa, como odeio essas expressoes), BRIC, etc.
    Sempre estive incredulo ao ver que de repente, todos ao meu redor se sentiam ricos e poderosos e num verdadeiro frenesi. Uma orgia de gastanca. Na superficie uma maravilha, so se falava de infra-estrutura, grandes eventos internacionais, EIKE, pre-sal, etc.

    Mas na pratica do dia a dia, a coisa continuava a mesma ou pior, tudo ficando mais e mais caro . Em Sao Paulo, onde considero minha casa, e amo mesmo, fico pasmo com os precos de tudo. Ate bolha de Pizza temos por aqui.

    – Corrupcao geral: A parcela aqui eh dificil de mensurar, e tem varias facetas. So nos ultimos dois dias estamos a ver dois diferentes governadores na CPMI do Cachoeira se explicando (ou tentando rsrs) sobre venda e sobre compra de seus imoveis respectivamente. Precos bolhudos tambem, na casa dos milhoes, o que ja se tornou normal – fala-se milhoes com muita naturalidade. Afinal somos todos milionairios, nao eh ? As que me causam assombro mesmo sao as corrupcoes sistemicas do tipo da ocorrida na prefeitura de Sto Andre culminando no assassinato de Celso Daniel e aquela bem famosa do Mensalao em que ainda esta pra ser julgada. Outro recente eh sobre indicios de corrupcao, trafico de influencia muito fortes no caso do ex-secretario da Habitacao da prefeitura Sr.Hussain Aref Saab de SP que eh dono de +100 propriedades. Lista interminavel infelizemente, mas nao posso deixar de fora a falacia no passado recente sobre as “obras da copa com 100% recursos privados” dita pelo ex.ministro Orlando Silva – outra piada de mau gosto. Que reeeeeeeiva que da.

    Sao meus dois meus cents sobre a big bolha brasil.

    obrigado e abracos!

    Amadeos INDIGNADO de Sampa

    1+
    • Amadeos de Sampa 14 de junho de 2012 at 09:36

      “poderia poder”…que burro..

      0
    • Amadeos de Sampa 14 de junho de 2012 at 10:39

      CORRUPCAO

      O Ministério Público está agora cumprindo mandados de busca e apreensão na casa e na empresa de Hussain Aref Saab, ex-diretor afastado do setor de aprovação de prédios da Prefeitura de São Paulo.

      “http://blogs.estadao.com.br/sonia-racy/aref/

      0
    • RosinhA 14 de junho de 2012 at 12:40

      Muito bom texto Amadeo, e sempre tem aquela modinha da vez, Boi Gordo. Amway, Avestruz, e sempre se acaba todo Ponzi, e nunca mais se ouve falar, mas imóveis são diferentes as pessoas necessitam, quem sabe o povão cabeçudo, não aprende na carne dessa vez.

      1+
  • KQTT 14 de junho de 2012 at 09:38

    Muito bom o texto. Pessoal, quando os preços dos imoveis irão diminuir significantemente e os motivos? Opinião de leigo. Acho que será depois do carnaval de 2013; as medidas do governo irão manter o consumo ate setembro, out e nov queda geral; dezembro fraco porem melhor devido ao natal. Inicio de 2013 muitas contas para pagar, carnaval para tomar todas e esquecer das contas, ai.. depois .. acho que entraremos numa época mais dificil.. Opinem.. De medico, louco e economista todo mundo tem um pouco..

    0
  • Marcia B. 14 de junho de 2012 at 09:41

    APLAUSOS desde Miami!!!!!!!

    0
  • Johnny Real State 14 de junho de 2012 at 09:44

    Todos falam a bolha americana, mas só vi desvalorização no preço dos imóveis em Miami, quanto a Nova Iorque não ouvi nada.
    Alguém pode me indicar alguma leitura?

    0
    • augusto 14 de junho de 2012 at 09:47

      Como foi que a crise do sub prime começou lá? Com a BOLHA IMOBILIARIA.

      0
      • Luiz 14 de junho de 2012 at 10:28

        Johny,

        realmente NY houve pouco efeito, o que se diz nos blogs “ingleses” é que pode haver um novo estouro dentro do estouro, daí vai pegar as cidades que fugiram do primeiro estouro como Barcelona e NY.

        Lembre que a média de preços destes 2 paíes vem caindo a 4 anos seguidos

        0
        • Johnny Real State 14 de junho de 2012 at 11:21

          Então seguindo a linha de raciocínio São Paulo seria a última a ser afetada?
          Por ser a capital econômica do país?

          0
          • RPL 14 de junho de 2012 at 11:55

            Em 2010 estive em NYC e vi um prédio em lançamento… Ok, era lá em cima em Manhattan, tipo rua 103… Mas próximo ao metro e etc…

            O valor era em torno de R$ 420K por 80 m2 naquela época….

            Lembro que na época dava pra comprar algo similar em Osasco com a mesma grana…

            0
          • Luiz 14 de junho de 2012 at 12:20

            Seguindo essa linha de raciocinio seria o Rio a ultima a ser afetada,

            Pq apesar de SP ser a maior, no Rio a ligação internacional é relativamente mais importante pelo turismo e petroleo.

            E tbm a questão fisica, tanto Manhatam qto Rio estão afogadas pelo relevo que dificulta a acessibilidade, no caso do Rio não por falta de espaço mas incompetencia do setor de transportes, já SP tem mais de 18 linhas, 400km de ferrovia, mais de mil estações, 1 bilhão de passaeiros/ano e plano p dobrar a rede em 25 anos.

            0
    • Anonymous 14 de junho de 2012 at 11:34

      O preço está caindo no estado de NY desde 2008. Voce pode verificar a informação no ZILLOW. Isso sugere que haverá uma DÉCADA perdida na Banânia. Portanto, venda seus muquifos ai NA ALTA e compre aqui NA BAIXA. Nunca foi tão fácil.

      “http://www.zillow.com/local-info/NY-home-value/r_43/”

      1+
    • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 13:08

      Os preços em NY caíram muito, mas continua uma cidade cara de morar. Não é para qualquer um.

      Londres e Paris, por exemplo, são cidades que acumulam um número muito grande de milionários provenientes de outras regiões. A vida de uma pessoa rica nessas duas cidades é uma coisa de outro mundo, parece um eterno filme de cinema.

      Essa demanda artificial, alimentada por uma riqueza proveniente de outros países, sempre manterá a cidade em um status diferenciado.

      Isso significa que se algum dia a França, sofrer com o estouro de alguma bolha imobiliária (que está se formando por lá nesse exato momento) Paris continuará sendo uma cidade de elite, com avenidas espetaculares e monumentos históricos que nenhum investimento de país novo-rico conseguirá comprar.

      Muitos comparam São Paulo com essas cidades, e estão viajando na maionese. Nenhum milionário mora aqui por prazer e sim por necessidade de fazer negócios. Quem não nasceu aqui e não precisa mais morar aqui simplesmente vai embora pro país ou cidade de origem.

      O único atrativo de São Paulo são os negócios. O país é muito desestruturado e o interior é pouco desenvolvido.

      1+
  • anderson 14 de junho de 2012 at 09:50

    O resultado da pesquisa feita no blog sobre troca de carro(Mirian Leitão)

    Recentemente, o blog fez a seguinte pergunta aos internautas: “Você pensa em trocar de carro, aproveitando a nova redução do IPI de automóveis?”

    Cento e uma pessoas participaram, como mostra o quadro abaixo. Do total, 52,48% disseram que já tinham um automóvel, enquanto 32,67% responderam que não, porque estavam endividados. Apenas 14,85% afirmaram que sim, que era uma oportunidade.

    O blog fez essa pergunta, após o governo anunciar novos incentivos à compra de automóvel. A ideia é estimular a economia via consumo.

    0
  • Miguel Jacó 14 de junho de 2012 at 10:00

    “Dilma vai anunciar pacote de mais de R$ 10 bi em investimentos nos Estados
    Novas medidas de combate aos efeitos da crise global serão anunciadas nesta sexta-feira, em reunião com os 27 governadores no Palácio do Planalto
    13 de junho de 2012 | 23h 07”
    “http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,dilma-vai-anunciar-pacote-de-mais-de-r-10-bi-em-investimentos-nos-estados,116010,0.htm”

    Observem esta parte:

    “Segundo interlocutores, a presidente está inconformada porque a economia não reage, apesar das medidas já anunciadas. Ela acredita que é possível reverter a tendência de baixo crescimento ainda este ano. Daí a ideia de envolver os Estados que, segundo Déda, respondem pela maior fatia do investimento público no País.”

    0
    • Luiz 14 de junho de 2012 at 10:25

      10 bi é ninharia.

      Dá pra só 100 km de via, ou 10 km de METRO, uma doca a mais no porto, um terminal a mais no aeroporto.

      É uma pulga perto das necessidades

      0
      • Francisco Quiumento 14 de junho de 2012 at 10:48

        Bem dito. É “dinheiro de pinga” para as necessidades emergenciais brasileiras m infraestrutura.

        Não somará lhufas significativas em nossas taxas de investimento.

        0
    • Zoom 14 de junho de 2012 at 10:30

      “Governo vai cortar mais juros em empréstimos
      Taxas cobradas em financiamentos que utilizam recursos de Fundos de Desenvolvimento da Amazônia e do Nordeste deverão ser reduzidas.”

      –http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,governo-vai-cortar-mais-juros-em-emprestimos-,886110,0.htm

      0
    • Anonymous 14 de junho de 2012 at 11:30

      Não precisa ser nenhum Miguel Jacó para adivinhar que vai aparecer a DELTA-10 para fazer sumir grande parte desses 10 BI.

      0
      • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 00:48

        Anonymous… como voce pode ser tão incrédulo???

        Aliás, acho que o nome não será Delta -10, deve ser Gama 00, pois a Delta já deu o que tinha … vão ter que pegar a próxima letra.

        Mas sou esperançosa, quero que ela comece com 10 bi, e já que não estão mais falando em Copa 2016 pode ser que venha alguma melhoradinha na infra – estrutura … vão tapar mais buracos das vias depois da época das chuvas..

        0
    • Zé Bolha 15 de junho de 2012 at 00:44

      Por favor, gente, esse dindin não é para estimular a econommia, é liberação de verba para “alinhar” políticos nas eleições municipais.

      0
  • Luiz 14 de junho de 2012 at 10:14

    divergencias a parte, EXCELENTE TEXTO

    A bomba no BR tá na mão das construtoras, diversos indicadores já comprovam isso.

    Se a bosta vai resvalar nos bancos, ainda é uma polêmica (eu acho que vai e os bancos publicos foram convocados para abosrver isso aí)

    0
    • Joao 14 de junho de 2012 at 10:19

      Acredito que a crise ficará com as construtoras, investidores e governo.

      A maioria dos imóveis ainda não foram financiados, estão na mãos de investidores/consumidores finais.

      Os bancos seriam afetados se grande parte destes imóveis já estivessem financiados.

      0
      • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 13:11

        Isso não significa que os bancos não vão sofrer, e muito. Apenas não teremos quebras em massa de grandes bancos. Os pequenos já estão quebrando e continuarão quebrando, pois trabalham com crédito de altíssimo risco.

        Em caso de recessão, desemprego e estouro de bolha ao mesmo tempo, os bancos terão grandes prejuízos com imóveis devolvidos a um valor inferior da dívida restante. Só que isso significa apenas que não lucrarão mais 25 bi por ano.

        0
      • Álvaro Guilherme 14 de junho de 2012 at 14:09

        Não se esqueça dos imóveis usados, que também subiram tanto quanto, e que milhares já foram financiados.

        0
  • RAFAEL 14 de junho de 2012 at 10:18

    Amigos,

    Hoje, ao me deparar com a noticia que a Dilma vai dar uma grana preta para os Estados, me veio a seguinte dúvida:

    Como controlar e inflação com essa dinheirada toda aqui, desde os créditos que são dados, como bananas, ao cidadão como todos os outros tipos de créditos?

    Sou formado em Direito, por isso deixo uma ressalva caso minha pergunta não tenha nexo.

    0
    • Bananildo 14 de junho de 2012 at 11:42

      Rafael, eu sou de Exatas. Você vai ter que traduzir isso aí pra eu entender melhor.

      0
    • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 13:13

      A resposta é simples: a inflação já é um fato no Brasil em 2012.

      O governo simplesmente não irá controlar. Tentará manipular os indicadores oficiais, com a esperança de que a inflação dure apenas 1 ano ou 2 e o problema seja fácil de maquiar.

      Se a inflação durar mais de 2 anos, teremos o mesmo problema da argentina, onde os indicadores oficiais não são respeitados por nenhuma instituição financeira.

      0
      • Luiz 14 de junho de 2012 at 14:36

        Não é objetivo prioritario do governo controlar inflação, isso é fato.

        Todavia soltar as rédeas dos juros o dollar evapora do dia p noite.

        Os especialistas não acreditam em explosão inflacionaria como está havendo na argentina, nem a gasolina vai subir de preço.

        A maquiagem tbm não pode ser tão escrachada como a dos hermanos, ainda temos FGV e FIPE, além do IBGE.

        0
  • Luiz 14 de junho de 2012 at 10:22

    vale a pena ver de novo, uma forma resumida (Ja postado aqui)

    TEORIA DO TOLO MAIOR

    Segundo a teoria do TOLO MAIOR, um investidor compra títulos ​​sem nenhuma consideração à sua qualidade, mas com a esperança de revendê-los rapidamente para outro investidor (mais idiota), que também espera conseguir lançá-los rapidamente.

    Infelizmente, aa cadeia sempre se rompe, levando a uma rápida depreciação no preço dos ativos, devido à necessidade de liquidação em algum ponto da pirâmide.

    Fonte: Investopedia e outros (tradução livre minha)

    0
    • Bolha Imobiliária 14 de junho de 2012 at 12:03

      A mais ou menos 1 ano atrás o MrK fez um texto sobre a teoria do tolo maior…Lembra ?

      0
      • Luiz 14 de junho de 2012 at 12:23

        lembro sim, falava da bolha das tulipas.
        O Samy tem posterior bem parecido, mas não tão bom

        O que eu gosto da “TEORIA DO TOLO MAIOR” é ser simples, fácil e curto.

        0
  • rose 14 de junho de 2012 at 10:24

    Parabéns Ricardo, excelente texto. Vou indicá-lo a amigos.

    Segue mais uma notícia sobre a bolha dos automóveis, deu ontem no jornal hoje, da globo :

    “http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2012/06/clientes-nao-conseguem-pagar-financiamento-e-carros-vao-leilao.html”

    0
    • Luiz 14 de junho de 2012 at 10:39

      rose, issso da bolha dos autos o blog já vinha falando faz tempo.

      Os bancos usam o financiamento de autos como termometro para financiar casas.

      Isso é uma bola de neve:

      Quanto mais carro no leilão, mais cai o preço do usado, que é a garantia do financiamento, levando a mais prejuízo pro banco, que por sua vez segura ainda mais o crédito, diminuindo a demanda, que diminui ainda mais o valor do carro, e assim vai.

      0
      • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 13:18

        O incrível é nego com problemas financeiros financiar um carro de R$ 40 mil.

        Compra um carro mais modesto, nem que seja um zero de 24 mil ou um usado de 16 mil.

        0
  • Vinicius 14 de junho de 2012 at 10:41

    ÃO PAULO – O número de famílias paulistanas endividadas, com contas em atraso e sem condições de pagar os débitos é maior entre aquelas com renda superior a dez salários mínimos. Em maio deste ano, 30,8% delas afirmaram que não poderão honrar com o pagamento dos débitos no próximo mês.

    Segundo a Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), divulgada pela Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), 38,5% dos entrevistados que recebem mais de dez mínimos disseram que vão pagar parte do débito e outros 30,8% deverão pagá-lo integralmente.

    Considerando as famílias com as contas em atraso e que ganham até dez mínimos, 19,4% conseguirão honrar totalmente seus compromissos, enquanto 52,9% disseram que vão quitá-los parcialmente. Já 24,8% não terão condições de pagar nada.

    Do total de endividados inadimplentes, considerando todas as faixas de renda, 25,0% disseram que não terão condições de pagar as dívidas no próximo mês, outros 52,5% conseguirão pagar parte delas e 19,7% afirmaram que pagarão totalmente os débitos.

    Endividados
    A pesquisa mostra que, do total dos entrevistados, 11,6% disseram que estão muito endividados. Esse percentual é maior entre os que recebem até dez salários mínimos (12,1%) do que entre as famílias com renda superior a esse patamar (6,6%).

    De modo geral, 16,1% dos entrevistados estão mais ou menos endividados e 25,5% estão pouco endividados. Em compensação, 45,3% das famílias não têm dívidas, sendo que, entre aquelas com renda de até dez salários mínimos, o número cai para 43,6% e, entre aquelas com renda superior a dez mínimos, sobe para 63,5%.

    Cartão de crédito lidera
    Analisando os tipos de dívida, de maneira geral, o cartão de crédito lidera, com 77,2%* das respostas, seguido por crédito pessoal, 19,3% e carnês, 17,6%.

    Considerando as faixas de renda, novamente o cartão de crédito aparece no topo da lista, sendo o principal tipo de dívida de 78,5% das famílias que ganham até 10 salários mínimos e de 54,8% das que têm renda acima deste valor.

    Da mesma forma, o crédito pessoal endivida mais as famílias que recebem até 10 mínimos (19,7%) do que as que ganham acima disso (11,3%). Por fim, o carnê também endivida mais os de renda menor, 18,2% do que os de renda acima de 10 mínimos, 6,5%.

    * A pesquisa permite respostas múltiplas, por isso o percentual ultrapassa os 100%.

    0
    • Vinicius 14 de junho de 2012 at 10:43

      se nego não consegue pagar o cartão de crédito… vai conseguir pagar o carro ? e a casa ?

      0
  • Sérgio 14 de junho de 2012 at 10:42

    Como sempre, o BLOG conta com excelentes mentes, que ofuscam os poucos coRetores presentes.
    O texto é fabuloso no que pretendeu expor. Certamente não teve a intenção de ser um “artigo acadêmico”, como alguns aqui cogitaram, querendo que o mesmo contivesse todas as variáveis possíveis, mas CERTAMENTE é mais que suficiente para figurar página de grandes mídias.
    E não duvido que isso aconteça, haja vista o BLOG ter se tornado um termômetro (às escondidas) bastante confiável de vários jornais.
    Em dias veremos plágios estampados em um deles, ou até – quem sabe – uma reportagem dando o crédito ao autor e ao BLOG.
    Quem precisa de Paul Krugman?

    0
    • RafaelK 14 de junho de 2012 at 15:35

      Se fosse de nível acadêmico seria muito bom… os coretores sequer entenderiam…. poderiamos dialogar livremente em uma linguagem q eles nao compreendem!!

      0
  • Luiz 14 de junho de 2012 at 10:46

    Ex-diretora diz que multinacional pagou para liberar shoppings

    fonte: Folha

    Uma ex-diretora financeira da BGE, empresa do grupo Brookfield, diz que a multinacional pagou, entre 2008 e 2010, R$ 1,6 milhão em propinas para liberar obras irregulares nos shoppings Higienópolis e Paulista.

    Mas a Caixa é honesta, eles nunca recebem por fora.

    0
    • RosinhA 14 de junho de 2012 at 12:49

      Fichinha aqui em Santo André deixaram máquinas, carros, pessoas, tratores, marretas, paralisaram a obra e saíram correndo, adepropina na veia.

      Acho que alguém malvado derrubou a primeira pela do dominó de madrugada e saiu correndo, e agora todos estão desesperados tentando parar o inevitável.

      Pipoca aqui Pipoca ali, e o japa vendeu a Yoki na hora errada e acima de tudo virou bacon, Pipoca com Bacon, novo sabor das construtoras, quando o bicho pegar, muita gente vai correr para salvar suas peles.

      0
  • Murdoch 14 de junho de 2012 at 10:51

    Lancei num outro post e ficou perdido.
    Podemos lançar um bolão pra tentar adivinhar qual é o próximo banco a quebrar.
    Votorantin, BMG, Santander…
    Todos esses estão repletos de consignado!

    0
    • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 00:57

      consignado alem de ser atrelado direto no salario/beneficio – tem seguro, quem quebra (se é que quebra0 são as seguradoras…

      0
  • Francisco Quiumento 14 de junho de 2012 at 10:51

    Sobre o texto:

    BRAVO!

    0
  • Francisco Quiumento 14 de junho de 2012 at 10:56

    SEMI OFF

    Já tive barraco neste blog sobre o tema, e continuo firme em minha posição.

    Um dos desencadeadores do colapso de todo o contexto que vivemos, incluindo a Bolha imobiliária, será a situação de caixa da “poderosa”.

    http://ossamisakamori.blogspot.com.br/2012/06/petrobras-na-sinuca-do-bico.html

    0
  • MAR 14 de junho de 2012 at 11:06

    Caro Ricardo Eng,

    Parabéns pelo excelente texto.

    O que vem me preocupando é que justamente no centro do problema estão os maiores financiadores políticos: bancos e construtoras.

    Aí já viu. Até que ponto o Governo consegue segurar a peteca (ou a bomba) ? Já perceberam como tem sido as últimas medidas econômicas?

    Alguns(infelizmente, por ignorância ou por má fé) estão enxergando apenas a ponta do iceberg.

    abraços,

    0
  • klaus 14 de junho de 2012 at 11:16

    Outra coisa que tem de ser levada em conta: a redução dos juros, na verdade, pode ser um tiro no pé dado pelo próprio governo, pois com a diminuição do spread bancário o setor financeiro perde a fonte principal dos lucros exorbitantes obtidos no Brasil.

    A partir de agora os bancos serão muito mais seletivos para a concessão do crédito, pois cada contrato mal feito poderá influciar muito mais negativamente nos seus balanços, já que as outras fontes de receita, como as tarifas, não serão suficientes para cobrir os prejuízos.

    0
    • Francisco Quiumento 14 de junho de 2012 at 11:32

      BINGO!

      Não há almoço de graça, nem vendido a prazo sem juros.

      0
    • Sérgio 14 de junho de 2012 at 14:02

      Muito bem observado.
      Ou será isso, o que já ocorre, ou será a monopolização da caixa e bb de todo crédito no país, o que também já vem ocorrendo.
      Quais as próximas cenas?

      0
  • Socorro!! 14 de junho de 2012 at 11:46

    depois de alguns dias sem entrar no ZAP resolvi fazer uma consulta nos apartamentos que eu já visitei …seguem alguns exemplos

    um apartamento que o proprietario ( que mora nos EUA e viu a bolha imobiliaria ) queria 600K limpo na mao dele.. ta a 550K …o corretor ( de todos os mais bacana que conheci) falou que ninguem ta vendendo nada na Zona SUL- RJ , que nao entende como os preços estão tão altos e que isto nao vai se manter por muito tempo … na conversa com este mesmo corretor ele me informa que a mulher trabalha numa imobiliaria so de apartamentos TOPs da ZS-RJ e que este ano não tinham vendido nem 5 apartamentos ( esta conversa tem 1 mes e meio)…

    outro imovel ( este totalmente destruido) tava por 530…baixou para 500…dai procurei o mesmo no ZAP e nao achei…fiquei com medo, achando que algum maluco tinha comprado… quando vi que na verdade, o dono colocou novamente o preço para cima…ta 530/540….tem logica ? nao vende e aumenta o preço… ( este eu visitei vai fazer 3/4 meses)

    um outro AP estava por 540…o corretor falou que ia vender rapido, que tava tranquilo..era pegar ou largar …agora ta por 530 ….este vai fazer 2 meses…

    em cerca de 3 meses eu vi uns 20 imoveis …posso falar de cadeira que apenas 2 venderam …e estavam realmente abaixo do preço médio do mercado ( mas ainda caros se levarmos em consideração o passado)

    0
    • vitor 14 de junho de 2012 at 11:59

      Bom dia.
      Moro na ZS e hj fiquei com a pulga atras da orelha.
      Acompanho sempre o mercado de imoveis e hj para minha surpresa, vi que subiram um pouco de valor.
      Pq isso………………
      Vi um imovel na General Polidoro todo arrebentado, as fotos mostram que esta caindo aos pedacos e por 750k….nao entendi nada.
      Na Barra por exmeplo, com os mesmos 750k compro um ap bem maior e melhor, embora tenhamos o problema de engarrafamento.
      ZS esta com valores absurdamente altos.
      Nao tem logica alguma…..pagar 800k num ap de 70m2………nunca.

      0
    • Fabio 14 de junho de 2012 at 13:21

      Definitivamente não é hora para se comprar imóvel no RJ. O mercado se descontrolou.

      0
    • Álvaro Guilherme 14 de junho de 2012 at 16:40

      Imóvel na zona sul do Rio é isso: Apartamentos detonados por preços absurdos e ainda mais uns R$ 80 mil, pelo menos, para reforma.

      Em tempo, imagino quanto a prefeitura do Rio teve de aumento de arrecadação de ITBI por conta destes aumentos.

      No dia em que o vento virar, a prefeitura já não pode contar com esse dinheiro fácil.

      0
    • Loren 14 de junho de 2012 at 17:33

      Nos últimos 2 meses eu vi uns 40 imóveis em Sao Paulo, na zona oeste, apenas usados. De todos, apenas 1 foi vendido.

      0
  • RMJ 14 de junho de 2012 at 11:49

    Ricardo,

    Excelente texto.

    0
  • DanielCM 14 de junho de 2012 at 11:58

    off topic
    o assunto é outro, mas a reclamação é a mesma

    Refeição a R$ 30: preço da comida na Rio+20 incomoda estrangeiros
    invertia.terra.com.br/sustentabilidade/rio20/noticias/0,,OI5835247-EI20323,00-Refeicao+a+R+preco+da+comida+na+Rio+incomoda+estrangeiros.html

    0
  • Mr. D 14 de junho de 2012 at 12:05

    Parece que a Dilma e os corretores estão afinadíssimos, falando o mesmo discurso, como pode ser visto nessa reportagem abaixo

    Dilma defende queda de juros e medidas pró-consumo

    Valor Econômico – 14/06/2012

    Estimular o consumo, reduzir as taxas de juros e aumentar os investimentos governamentais fazem parte da estratégia da presidente Dilma Rousseff para enfrentar a crise internacional. Em evento, no Palácio Guanabara, sede do governo do Rio, em que celebrava um empréstimo de R$ 3,6 bilhões do Banco do Brasil para o Estado, Dilma disse estranhar que algumas pessoas digam que o poder de consumo brasileiro esteja estagnado e também criticarem a continuidade da queda dos juros num momento de crise. Foi o segundo dia consecutivo em que a presidente defendeu o consumo como um elemento importante do modelo de crescimento do país. Na terça-feira, em Belo Horizonte, o tom do discurso da presidente também foi esse.

    “Estranho que digam que tenha acabado o poder de consumo de um povo que mal acabou de começar a consumir. É estranho aqueles que dizem que o mercado de consumo brasileiro é maduro”, disse. ” Nós vamos ampliar o poder de consumo sim. É um mercado ainda incipiente de crédito”, afirmou.

    Dilma também afirmou que há “milhões de brasileiros” que ainda que não têm acesso a bens de consumo e que vão ter. “Nós somos um dos melhores mercados de varejo do mundo, por conta desta demanda reprimida”. A presidente ainda acrescentou que acha natural, diante da crise, que o setor privado reduza seus investimentos, mas, para isso, pretende aumentar os recursos provenientes do Estado. “É sobre isto que estamos tratando aqui”, disse ela, em referência à liberação do crédito ao Rio que será utilizado para financiar obras públicas tanto para a Copa do Mundo de Futebol e para a Olimpíada, como para estradas e moradia.

    O empréstimo concedido pelo Banco do Brasil ao Rio é o primeiro concedido dentro de uma nova disponibilidade do banco oficial. O governo fluminense terá cinco anos de carência e mais 20 anos para pagar em parcelas semestrais, com taxa de juros de Libor (atualmente em 1,07% ao ano) mais 3,8% ao ano.

    A presidente também reclamou de quem critica a queda na taxas de juros do país afirmando que ela continuará. “Não há razão técnica para o país não ter reduzido as taxas de juros que vem mantendo ao longo dos anos. Temos solidez fiscal. Somos um dos países que têm as melhores finanças públicas do mundo. Mostramos que podemos controlar a inflação por nós mesmos”, afirmou Dilma, acrescentando que porém, “não vai baixar os juros por decreto”.

    Dilma encerrou seu discurso afirmando que, diferentemente dos países europeus, não aceitou a máxima de “ou bem eu faço ajuste ou bem eu cresço. O Brasil só encontrou seu rumo porque cresceu, incluiu e ampliou. Não é um desenvolvimento para o PIB [Produto Interno Bruto ]é um desenvolvimento para as pessoas”.

    A presidente também disse que manter um conteúdo nacional elevado e incentivar a produção local para abastecer a Petrobras é um compromisso de governo, mas não falou em percentuais. “Vamos fazer uma política inteligente, com conteúdo nacional com alguma importação. A base da nossa política não é fazer vazar emprego lá fora. Porque os brasileiros têm condições de produzir tecnologia de qualidade”.

    Dilma acrescentou que as críticas quanto ao atraso das entregas da sonda nada tem a ver com a exigência do conteúdo nacional. “O que está atrasado são as sondas construídas no exterior”, disse ela.

    0
    • Sérgio 14 de junho de 2012 at 14:09

      Hoje é DEMANDA REPRIMIDA; amanhã será DEPRESSÃO DESCONTROLADA.
      Nunca tivemos uma sociedade de consumo em nosso país: tínhamos, sim, uma parte da população que podia consumir.
      Temos hoje, na verdade, uma massa imensa de população pobre com 3 cartões de crédito nas mãos, além dos antigos carnês (pobre adora carnê), mais as prestações do MCMD.
      Esse o retrato do brasileiro de uma massa de quase 2/3 de nossa população economcamente ativa.
      Esse o nosso consumidor.

      0
    • Álvaro Guilherme 14 de junho de 2012 at 17:38

      A bem da verdade, até a imprensa mais conservadora (pró-juros altos) admite que o Brasil (leia-se Meirelles) bobeou em 2008, quando ficou baixando os juros em ritmo de tartaruga com artrose no desenrolar da crise.

      Citam a Turquia como exemplo, que aproveitou a janela de oportunidade para derrubar os juros. Se tivesse que aumentá-los para fazer política monetária, partiriam de uma base bem mais baixa. Realmente não sei como está a Turquia hoje, sua inflação, seu crescimento.

      Li recentemente no Valor Econômico que Tombini, à época, teria sugerido um corte imediato de três por cento, mas foi voto vencido.

      O fato é que o governo federal tentou correr atrás do prejuízo em 2009 e acabou, como que numa reação, superestimulando a economia para ressuscitá-la. Não só conseguiu, como acabou superaquecendo-a também. O final da história nós sabemos, foi o vôo da galinha no período 2010-2011 (voou rápido para pousar logo ali adiante).

      0
  • Eskeleto 14 de junho de 2012 at 12:12

    Momento de Reflexão
    Quem tem uma grana na mão vamos dizer 400k e vai comprar algo bolhudo no centro de sp ou rio a 700 ou 800k e ainda sem muito luxo e se endividar pelos próximos 30 anos, acho que compensaria mais comprar uma casa no interior por 200k ampla e boa sobraria 200k ainda para investir em algo que realmente tivesse liquides e desse uma boa grana, sem se preocupar com muito, afinal gastar sua vida trabalhando para pagar algo que não vale, no final não ter e ainda ficar com nome sujo é melhor ir morar no interior e trabalhar com coisas mais simples de lidar.

    0
    • Johnny Real State 14 de junho de 2012 at 13:58

      Quem tem 400 k em mãos, não necessita comprar nada, deixa rendendo em uma aplicação segura e mora de aluguel.

      0
      • Luiz 14 de junho de 2012 at 14:14

        400k = 900/mes no minimo, já descontados impostos e inflação oficial

        0
        • Johnny Real State 15 de junho de 2012 at 00:41

          Luiz, não entendi sua conta? que investimento é este?
          Se na simples poupança daria mas de 2 k / mês

          0
          • JPires83 15 de junho de 2012 at 08:50

            Acredito que ele só esteja contando o valor que ele pode pegar já descontando a inflação. Somente o lucro real.

            0
  • Anonymous 14 de junho de 2012 at 12:27

    Para conter dólar, governo zera IOF para empréstimos no exterior

    “http://www1.folha.uol.com.br/poder/1104582-para-conter-dolar-governo-zera-iof-para-emprestimos-no-exterior.shtml”

    Nossa, acho que vou tomar um empréstimo no exterior EM DOLLAR e fazer um dos investimentos.

    1) Comprar uma kitinete de 1.000.000 Reais no Rio de Janeiro e ficar rico com a valorização.

    2) Comprar CDB de um banco Espanhol ou Grego, ainda não decidi.

    0
    • Fernandão 14 de junho de 2012 at 12:44

      Estou pensando seriamente em entrar forte nos hedge funds do financiamentos automotivos brasileiros. Juros altos e liquidez CERTA!

      0
      • Anonymous 14 de junho de 2012 at 13:24

        Outra grande idéia para ficar rico é vender “Credit Defaut Swap” para os bancos com financiamento automotivos. É claro que nós pagaríamos os bancos no caso de default dos tomadores do empréstimo, mas como é a Classe C que comprou carros, o risco seria baixíssimo. É lucro certo!

        0
        • JPires83 15 de junho de 2012 at 08:55

          Vcs tem que avisar que é ironia gente, eu tenho um colega de trabalho que acredita em tudo que lê. Esses dias ele estava muito feliz de ter comprado um ap de 55 m² longe do mundo e o ap ter sido avaliado em 200 mil.

          “Cara, me disseram que ele vai valorizar ainda mais!”

          Detalhe: Ele pretende alugar o mesmo ap pra outro amigo dele por 550 reais. Acho que ele não sabe fazer contas, mesmo sendo engenheiro.

          0
  • Eskeleto 14 de junho de 2012 at 12:32

    Segundo Guido Mantega, o prazo médio de empréstimos no Brasil é de 12 meses. “É fácil de pagar. Depois, temos os empréstimos habitaiconais, que são de mais longo prazo, mas são bons débitos. O comprador tem um ativo [imóvel] que só se valoriza”, concluiu.

    Obs: Ele é de que planeta?

    “http://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/2012/06/inadimplencia-esta-caindo-diz-ministro-da-fazenda.html”

    0
    • Amadeos de Sampa 14 de junho de 2012 at 13:41

      Momento Capitao Nascimento:

      Enquanto isso, numa varanda gourmet de alguma lancamento por ai…
      – Senhor Mantega, o Senhor disse que imovel so valoriza? Voce acha isso correto SenhorMantega? Porra , para de falar merda Senhor mantega. Acha que Brasileiro eh palhaco Senhor mantega?
      Ooooh zero2, traz o saco aii.

      0
    • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 15:16

      O triste é ver um MINISTRO falando uma coisa dessas. A história RECENTE de uma dezena de outros países diz extamente o contrário.

      Isso para mim prova de forma definitiva que ele está comprado, de forma imoral, com tudo que está acontecendo.

      0
  • Fernandão 14 de junho de 2012 at 12:47

    Vou comprar ações da GafEisa. Já está em mais de R$3. Os corretores já estão dizendo que valerá mais de R$20,00 em breve. Sardinhas, ATACAR!

    0
  • Laranja 14 de junho de 2012 at 13:02

    “Sudeste é a região mais cara para construir: R$ 875,40 por metro quadrado, incluindo materiais e mão-de-obra, enquanto que o custo médio nacional atingiu R$ 830,28 no mês passado.”

    “http://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/2457838-sudeste+regiao+mais+cara+para+construir+875+por+metro+quadrado”

    AGORA VOCÊ, QUE NÃO ACREDITA EM BOLHA, QUANTIFIQUE OS DEMAIS “ITENS” DA COMPOSIÇÃO DOS PREÇOS DOS IMÓVEIS!
    TERRENO, LUCRO E O QUE MAIS? A CONTA FECHA??

    0
    • Tomaz 14 de junho de 2012 at 13:44

      É por aí mesmo! O que vale é a comparação entre o custo de construção e o preço de venda. A comparação não apresenta valores saudáveis.

      Com isso na cabeça e o histórico dos anos recentes do mercado imobiliário, me dá tristeza pensar que, ao invés de estarmos sendo trucidados por aumentos irreais de preço, poderíamos TODOS estarmos era ganhando qualidade de vida, comprando imoveis cada vez maiores e mais confortáveis.

      0
      • Johnny Real State 14 de junho de 2012 at 14:01

        Nossa mas esta avaliação está totalmente diferente da revista casa e construção, que fala que pra construir o preço médio do m2 na região sudeste é de 1,5 k
        Deve ser outra manipulada também.

        0
        • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 15:19

          A revista Casa e Construção leva em conta outro universo, mais elaborado, e que inclui não apenas o acabamento mas também diversos itens necessários para que a casa seja habitável. É uma revista de quem é apaixonado por morar bem.

          Esse é o universo dos empreiteiros que constroem casas térreas por encomenda e das construtoras que fazem pequenos prédios, conforme encomenda dos moradores, no interior.

          Não é o universo das grandes construtoras, que entregam apartamentos sem nenhum tipo de acabamento e com paredes feitas de papel.

          0
          • Johnny Real State 14 de junho de 2012 at 17:29

            Ricardo, você constrói casas no interior também?
            Quero construir ano que vem em Indaiatuba.

            0
            • Muca CG Muita Treta 14 de junho de 2012 at 18:41

              Eu trabalho na Casa & Construção. Não é vendida. A editora Escala nos dá total liberdade na hora de escolher as fontes ouvidas. Não faz nenhuma pressão para que optemos por anunciantes da revista. Faço essa defesa mesmo sendo apenas frila da publicação.

              0
              • RosinhA 14 de junho de 2012 at 18:58

                Legal Muita Treta adoro a revista e tb suas matérias, tb não acho que é vendida pois tem anúncios de todas as novidades legais do mercado.

                Ps: Adoro quando falam de jardins e locais de descanso.

                0
                • Muca CG Muita Treta 15 de junho de 2012 at 19:37

                  Bacana, Rosinha. Eu escrevo na parte de serviços e saiba mais. Espero que leia e curta minhas matérias. Qualquer crítica, pode falar por aqui. Sou todo ouvidos.

                  0
                  • RosinhA 15 de junho de 2012 at 19:40

                    Vou prestar atenção tb trabalho com serviços Muita Treta. 😉

                    0
            • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 19:32

              Eu sou eng mecânico, fabrico equipamentos. =]

              0
      • Luiz 14 de junho de 2012 at 14:04

        a bolha americana era isso:
        Imoveis cada vez maiores e melhores

        0
        • self 14 de junho de 2012 at 15:38

          Aí que tá: por que que sempre que o Brasil copia algo dos americamos tem que copiar MAL?

          0
          • SF 15 de junho de 2012 at 14:10

            e copia mal mesmo

            imóveis cada vez menores, piores e bolhudos

            0
  • Juanito 14 de junho de 2012 at 13:45

    Olha a resposta do vendedor, DEPOIS DE ONTEM FALAR QUE JÁ FOI FECHADO O NEGÓCIO COM OUTRO CLIENTE:

    “Sr. Paulo, bom dia.

    Sim. O apto tem 2 vagas na escritura, todo em porcelanato com o acabamento impecável da Calçada. Tem vista indevassável e eterna da mata atlântica e de lá só se ouve o canto dos passarinhos.

    Existe sim, a possibilidade de fazer financiamento pela Caixa ou outro banco qualquer que o Sr. trabalhe, com uma entrada minima de 20% (R$156.000,00), dependendo da sua renda para fazer o financiamento.

    Os aptos do Renaissance são muito procurados, estou com varias visitas agendadas para amanhã e sexta além de uma negociação em andamento. Não acredito que este imóvel passe deste fim de semana sem vender. Quem vai à fonte primeiro bebe água limpa.

    Aguardo a sua resposta.

    Att.”

    DA VONTADE DE RIR JURO !!! AHAHAHAHAHAHAHAH…

    0
    • Virginia 14 de junho de 2012 at 13:53

      Gente, parece um “causo”! é hilário, afffff

      0
    • Stark 14 de junho de 2012 at 14:01

      Vc devia dizer:
      – quem vai a fonte primeiro, bebe a água envenenada também……

      0
    • CHARLES 14 de junho de 2012 at 14:05

      Se ele entrar em contato novamente a semana que vem diga que ele não tem visão de mercado e esse apto está encalhado.

      Ofereça 30% abaixo e estipule as regras do jogo nas suas condições.

      Ele perceberá quem manda na parada… E quem manda é sempre o dono da GRANA…

      0
      • Juanito 14 de junho de 2012 at 14:12

        Eu ofereci ontem, com um outro email, o apto tava pedindo 800k eu ofereci 500k em dinheiro ele recusou e tudo… Falou que já tinha um cliente que estava esperando autorização do financiamento. E ia financiar com 20% de entrada(156k). LEMBRANDO QUE É UM APTO DE 100m² e no bairro da TIJUCA no Rio de Janeiro !!!!

        0
        • self 14 de junho de 2012 at 15:34

          Como argumento para baixar o preço: além de não ficar exatamente perto do metrô e de ficar próximo a favelas, reclame da planta (eu as vi): o apartamento praticamente não tem área de serviço, a cozinha não tem ventilação adequada e os quartos são apertadinhos. Ou seja, CORTIÇO vertical. Alto padrão, só se for no ** de quem compra.

          0
        • Zoom 14 de junho de 2012 at 15:43

          Balela do camarada Coretor.

          0
        • Álvaro Guilherme 14 de junho de 2012 at 17:49

          Mata atlântica na Tijuca? Hummmm….

          Até 2016 pode ser. Depois das olimpíadas, adeus UP’s e “benvinda” favelização. Vai ser de frente para uma “comunidade”.

          Me lembro de uma história de um imóvel no Flamengo, preço anunciado como “pertinho do metrô”. É verdade, é bem perto do metrô, mas é também para esconder que fica de frente para o Morro Azul.

          Mesmo assim, liguei para conferir. Lá pelas tantas, o corretor comentou:

          – Bem, não sei se você tem algum preconceito com comunidades carentes.

          Respondi.

          – Preconceito, nenhum. Eu tenho mesmo é MEDO de bala perdida.

          0
    • Paulo - RJ 14 de junho de 2012 at 14:19

      Se for o da Homem de Melo, no futuro, quando o modelo de UPP se esvair, além dos cantos dos passarinhos, dará para ouvir os tiros de escopeta e metralhadora.

      0
      • Juanito 14 de junho de 2012 at 14:33

        HAHAHAHAHAHAHAHAH… Realmente é esse mesmo !!! É aquele que foi lançado recentemente na Homem de melo esquina com a Visconde de Cabo Frio.

        0
    • Socorro!! 14 de junho de 2012 at 14:58

      ….tem gente que vive perigosamente….tirando funcionario publico que ta com o emprego garantido…quem seria louco de parcelar 650 mil em 30 anos…ou eu sou muito medroso ou tem nego ai com coragem demais..

      0
    • vitor 14 de junho de 2012 at 15:17

      Eu fiz o contrario.
      Fiquei tao p… com o valor que me mandou por e-mail, algo impossivel…
      Resumindo: copiei o e-mail dele e colei 150x (nao eh exagero)….
      Acho que a caixa dele explodiu hehehehe….nunca mais me mandara e-mail.

      0
    • Zoom 14 de junho de 2012 at 15:41

      Brother, responde que vc irá esperar este final de semana passar e que não tem pressa sobre as outras ofertas. “Se comprar, comprou”. Paciência!

      0
    • Vinícius 14 de junho de 2012 at 22:31

      Rua Bom Pastor é furada. Já me ofereceram drogas ali uma vez. Corre dessa que é furada.

      0
    • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 01:10

      Juanito, eu responderia quem vai a fonte primeiro é picado por mais mosquitos (não tem concorrência) e corre o risco de cruzar com uma cascavel, principalmente em dia bonito ahahahaha

      0
  • CHARLES 14 de junho de 2012 at 14:03

    14/06/2012 – 10h13
    Governo zera imposto de empréstimo no exterior para baixar dólar
    Do UOL, em São Paulo

    E o emaranhado de medidas paliativas vai se complicando. Quero ver pra desfazer essa merda toda depois…

    Digo: Mais um vez, não vai resolver! Aguardem…

    0
    • Luiz 14 de junho de 2012 at 14:17

      do nosso ponto de vista de futuros compradores tudo isto aí reflete redução de custo dos produtos que iremos consumir no futuro.

      Vejo com bons olhos toda e qualquer redução de imposto, mesmo que por motivos errados e por [email protected]

      0
  • Joao 14 de junho de 2012 at 14:38

    Para mim, esta chamada ascenção da classe C serviu apenas para nosso dinheiro perder valor. Tudo ficou mais caro: Cortar cabelo, ir a um bar, almoçar fora, transporte, etc. A única que ainda está salvando é a gasolina.

    0
    • FQ 14 de junho de 2012 at 17:35

      Exato.

      0
    • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 01:12

      Não quero te decepcionar …. mas segura a gasolina depois das eleições… aí eu quero ver…

      0
    • SF 15 de junho de 2012 at 14:13

      João, nem a gasolina tá salvando.

      Acho um absurdo aqui no RJ, o litro da gasolina com 20% de etanol e Deus sabe lá mais o que, custar R$ 2,799999999

      0
  • Ze Bom Dirolo 14 de junho de 2012 at 14:46

    Notícias fictícias e surreais.

    Elo perdido.

    A Rio + 20 está sendo um sucesso. Hoje foram discutidas novas providências para evitar matanças e extinção de animais.

    Ao final, para comemorar os avanços, foi realizado um jantar, no qual os participantes puderam apreciar um maravilhoso churrasco com diferentes carnes (carneiro, jacaré e javali) e outras iguarias como ovas de peixe.

    0
  • MarceloSK 14 de junho de 2012 at 15:15

    Não há mais motivos de preocupação, o Mantega disse que o consumo e crédito no país são sustentáveis. Leiam:

    “O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta quinta-feira que o nível de consumo e de crédito no País é sustentável, pois a renda do brasileiro continua em crescimento. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira pesquisa mostrando que as vendas no varejo registraram em abril crescimento de 0,8% em relação a março.

    Mantega disse que a inadimplência está caindo e atingiu patamares considerados bastante ‘toleráveis’. Segundo ele, o endividamento das famílias está diminuindo: ‘temos pesquisas que mostram que as famílias andaram pagando as dívidas.’

    De acordo com o ministro, com a queda na inadimplência e o aumento da renda, também é normal que as famílias tenham mais crédito. Para ele, houve uma mudança no Brasil: mesmo com o aumento do endividamento, quem não tinha crédito, agora passou a ter. Mantega ressaltou, porém, que com a crise internacional, o consumidor brasileiro tornou-se mais prudente nos últimos meses e, com o aumento de renda, passou a quitar parte dos débitos assumidos.

    ‘Este é o diferencial do Brasil, onde a renda continua subindo, com o mercado de trabalho aquecido, diferentemente do que acontece nos Estados Unidos e na Europa. A maior parte dos empréstimos no Brasil é de 12 meses, o que é fácil de pagar’, disse o ministro. Ele destacou que apenas os empréstimos habitacionais são de longo prazo e, mesmo assim, devem ser considerados como ‘bons débitos’ porque o comprador tem uma ativo que se ‘só se valoriza’ ao longo do tempo.

    ‘Então, está havendo queda da inadimplência, e o crédito só aumenta. Vinha caindo, mas aumentou, permitindo um aumento do consumo que já pode ser visto na pesquisa do IBGE apresentada hoje. Estamos aumentando gradualmente o que é salutar: o nível de consumo e o de crédito.’ ”

    Agência Brasil
    Todos os direitos de reprodução e representação reservados.

    Ufa, agora que ele falou isso eu fiquei mais tranquilo…

    0
    • John 14 de junho de 2012 at 15:51

      “Mantega ressaltou, porém, que com a crise internacional, o consumidor brasileiro tornou-se mais prudente”

      Realmente o povo Brasileiro está muito “ligado” e cauteloso devido à crise internacional.

      0
    • CHARLES 14 de junho de 2012 at 17:39

      Puxa, esse palavrório do Mantega ja encheu o saco. Vira o disco ministro…

      Se não há crise nem problemas, por que ficar repetindo isso toda semana?

      0
  • RafaelK 14 de junho de 2012 at 15:18

    Pessoal… vejo mts posts sobre SP, Rio Zona Sul, ABC… e eu aqui no ES fico tão isolado.. tadinho de mim!!
    mas aqui tb tem bolha viu… e das grandes vista a proporção do nosso estado e da grande vitória (que abrange 5 municipios)!

    Então seguem as noticias locais destas q nao fazem sentido do tipo: Ai bem, esta bolsa é da coleção passada.. vende logo..dá desconto de 30%!!!

    http:// gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/06/a_gazeta/minuto_a_minuto/1273619-imoveis-prontos-com-desconto-de-ate-30.html

    0
    • Rafael 14 de junho de 2012 at 18:11

      Estive em Vila Velha esta semana, e sai para correr no sentido da estrada, ali perto da vila dos pescadores, rua do BobS. Fiquei impressionado com a quantidade de prédios a;to padrão na beira mar. Mas o que mais me impressionou, é que prédios quase inteiros estavam a venda. A noite parece um deserto aquilo.
      Eiita terra boa aquela!! Abracos

      0
  • Mineiro BH 14 de junho de 2012 at 15:47

    Vejam que péssimo efeito da bolha em BH…

    ——————-

    Rei dos Brinquedos deixa a Praça ABC, na Savassi

    Depois de disputa jurídica relacionada ao valor do aluguel, proprietário da antiga loja é obrigado a mudar de ponto

    Paulo Henrique Lobato –

    Publicação: 14/06/2012 06:00 Atualização: 14/06/2012 07:32

    Fundada em 1968, a loja mais antiga em atividade na tradicional Praça ABC, oficialmente batizada de Praça Coronel Benjamin Guimarães, fechou ontem suas portas no nobre endereço, cortado pelas avenidas Afonso Pena e Getúlio Vargas, no Bairro Funcionários, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. O estabelecimento, que ocupava um imóvel de 100 metros quadrados, será reaberto, na segunda-feira, em um espaço menor no quarteirão da Rua Alagoas entre Cristóvão Colombo e Inconfidentes, também na área da Savassi. A transferência de ponto se deve ao reajuste de aluguel, decidido por sentença judicial.

    Locação do imóvel na esquina da Av. Afonso Pena seria reajustada de R$ 4 mil para R$ 9 mil mensais

    “A batalha jurídica durou 17 anos. Pagava R$ 4 mil mensais de aluguel e o juiz determinou reajustá-lo para R$ 9 mil. Não tenho condições de arcar com o valor e decidi entregar o ponto. O dono do imóvel, porém, vai pedir ainda mais ao novo inquilino: calculo algo entre R$ 20 mil e R$ 30 mil”, disse o dono da Rei dos Brinquedos, Noel Charnizon, de 75 anos, esquivando-se de revelar outras informações acerca do processo judicial. Procurado, o dono do imóvel, que faz parte de um prédio onde há outras lojas e apartamentos, não retornou o pedido de entrevista do Estado de Minas.

    A transferência de endereço da Rei dos Brinquedos é o exemplo clássico do que ocorre com várias lojas tradicionais em BH. Não é só o reajuste do aluguel, um entrave enfrentado por vários empresários do varejo da capital, a causa da mudança do estabelecimento. A forte concorrência com shoppings e a invasão de mercadorias asiáticas, principalmente chinesas, também afetaram o faturamento tanto da Rei dos Brinquedos quanto de outros pontos de vendas. Para ter ideia, “seu” Noel Charnizon, mineiro descendente de romenos, chegou a ter sete filiais na cidade.

    “Vendo poucos produtos importados. Sou de um tempo mais antigo, trabalho basicamente com brinquedos nacionais”, afirmou o empresário enquanto observava alguns funcionários embalarem as mercadorias e desarmarem as prateleiras. O semblante triste era uma confirmação de que o imóvel vazio lhe doía como a perda de um ente querido: “A Rei dos Brinquedos fazia parte da paisagem da Praça ABC. Tive clientes que, hoje, são avós e vêm, aqui, comprar presentes para os netos. Muitos pedestres pararam em frente à loja e perguntaram se eu estava fechando as portas”.

    Um deles foi o publicitário Sérgio Pinto Júnior, de 46 anos, que não escondeu o saudosismo. “É um pedaço da infância da gente que parece ir embora. Quantas vezes, quando pequeno, estive aqui. Desde que me conheço por gente, essa loja faz parte de minha história”, comparou o homem, que mora alguns quarteirões atrás do estabelecimento. “Poxa! É uma perda para a praça”, exclamou uma jovem logo depois de receber de Noel a informação de que o imóvel seria entregue ao dono.

    Em caixas: tristeza para clientes que lembram os tempos de criança

    O destino do espaço é incerto. A única certeza é a de que, num período de dois anos, os dois estabelecimentos mais antigos da ABC fecharam suas portas. Em 2010, a Padaria ABC, inaugurada em 1959 e responsável pelo apelido da praça, encerrou suas atividades, depois de uma disputa entre os herdeiros do falecido dono do empreendimento. Depois de um acordo, o imóvel foi entregue, em regime de permuta, a uma construtora, que já ergue no local um moderno edifício comercial. O prédio, que terá 20 pavimentos, deve ser concluído em 2014. Estima-se que o metro quadrado seja avaliado em pelo menos R$ 12 mil. O projeto original prevê ainda quatro andares de garagem no subsolo.

    0
    • Álvaro Guilherme 14 de junho de 2012 at 17:57

      Aluguéis comerciais altos…explica, em boa parte, porque vemos até “bolha” no preço das pizzas. Este custo, afinal, tem que tentar ser repassado de alguma forma.

      0
      • self 14 de junho de 2012 at 19:44

        Solução para minar esta bolha: ainda que um tanto doloroso, PARAR de comer pizza. Galera vai ser forçada a baixar o preço.

        Não entendo porque as pessoas simplesmente continuam freqüentando lugares e serviços que sobem de preço. Esse povo gado não sabe o que é boicote, não? Esse povo gado não dá valor ao dinheiro? Só pode.

        0
    • Andre-Belzonte 15 de junho de 2012 at 09:45

      Aqui em BH venho acompanhando imoveis e fazendo alguns lances, no bairro fernão dias em um condominio que acabou de ficar pronto tinha duas unidades vendidas ao preco de 230 de dois investidores , sendo que a maioria dos preços no empreendimento estava 250, ofereci 190 , e corretor já abaixou até 210, e disse que nao pode mais abaixar pq senão quem comprou nao vai ter nenhum lucro , ou seja, o cara está desesperado pq financiou direto com a construtora, nao tem dinheiro para pagar a entregas da chave e ainda bate o pé que não vende por menos pq senao não terá lucro. Então meu amigo, que se afunde mais e daqui um tempo ofereço 150..

      0
  • Zoom 14 de junho de 2012 at 15:57

    –http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/06/a_gazeta/minuto_a_minuto/1273619-imoveis-prontos-com-desconto-de-ate-30.html

    Parafrasear o fala de um corretor.

    Corretor: “É um bom momento para o consumidor comprar. Essa tendência de queda nas taxas de juros vai trazer um aquecimento ao setor. Com isso, os preços dos imóveis, inclusive dos usados, que estavam estáveis vão aumentar”, diz Neto.

    Bolhaimobiliária: “É um bom momento para o consumidor não comprar. Essa tendência de queda nas vendas vai trazer um desaquecimento ao setor. Com isso, os preços dos imóveis, inclusive dos usados, que estavam estáveis vão diminuir”, diz Bolha.

    0
  • Evandro 14 de junho de 2012 at 16:12

    Gostaria da explicação do autor para 2 FATOS:

    1º “já estamos vendo tudo isso com os nossos próprios olhos: vendas menores no comércio, restaurantes vazios…”

    http://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=1265152&tit=Vendas-do-comercio-sobem-em-abril-e-tem-alta-de-92-no-ano

    2º “São muitas pessoas querendo vender (pois compraram o imóvel sem ter uso algum para ele)…”
    O que você me diz do ouro? Um ativo que não produz absolutamente nada, mas que são comprados na esperança de que alguém – que sabe também que o ativo será sempre improdutivo – vai pagar mais por eles no futuro. Certo?
    No entanto, o ouro não para de subir:
    http://www.drmoney.com.br/wp-content/uploads/2012/03/Ouro.jpg

    0
    • GB 14 de junho de 2012 at 17:23

      O ouro não é improdutivo, ele é usado em uma grande quantidade de produtos, principalmente eletrônicos, eu já vi até gente tomando suplementos alimentares com ele.

      0
      • Luiz 14 de junho de 2012 at 17:35

        pô GB enfeitar perua tbm é produção?

        0
        • GB 14 de junho de 2012 at 21:16

          “Enfeitar perua” foi legal.

          0
      • Evandro 14 de junho de 2012 at 17:49

        Certo, não é 100% improdutivo. Mas pode apostar que nem 10% do ouro existente tem utilidade real.

        0
        • Fernando II 14 de junho de 2012 at 22:11

          Years Indian demand
          (Figures in metric tons) Total World demand
          (Figures in metric tons) Indian demand as % of the total World Demand
          Average price
          (Rs per 10 grams)

          1996 508 2780 18% 5191
          1997 737 3054 24% 4556
          1998 815 2714 30% 4182
          1999 839 3284 25% 4327
          2000 830 3264 25% 4518
          2001 843 3218 26% 4080

          esse % deve ter crescido…

          0
    • CHARLES 14 de junho de 2012 at 17:46

      Ouro é reserva de valor. Moedas são lastreadas em ouro e sua desvinculação causa estragos economicos como estamos presenciando por todo o mundo.

      Compra-se ouro para proteger poder de compra e não para especulação.

      Quando a primeira questão, voce ja sabe a resposta: Experimente ler o mesmo jornal por 30 dias consecutivos. Voce vai se deparar com reportagens totalmente antagonicas e vai cancelar sua assinatura.

      Leio diariamente 3 jornais. Por isso passei a acreditar no que meus olhos veem no dia a dia, na vida real e não atraves dos olhos dos outros.

      0
      • Evandro 14 de junho de 2012 at 18:05

        Ouro é reserva de valor? que valor? ouro não agrega praticamente nada pra sociedade. São as tulipas do século XXI.

        Moedas são lastreadas em ouro? Em que mundo? Isso deixou de ser verdade há muito tempo. Mas a continuação da sua frase mostra que você sabe disso.

        Falar que é para proteger o poder de compra você estaria ignorando a valorização dele dos ultimos anos. E mais, porque proteger o poder de compra? Porque não proteger o poder de compra com… tulipas? ou imóvies?

        No passado, servia para fazer as pessoas acreditarem que o dinheiro de papel que elas carregavam não era só papel.

        Mas e hoje? É só status.

        0
        • CHARLES 14 de junho de 2012 at 18:14

          Saquei…

          Você é mais um troll sabidão…

          Desculpa pela minha ignoracia…

          0
        • Fernando II 14 de junho de 2012 at 22:01

          Evandro, voce tem razao sobre a utilidade real do ouro. Mas o mercado financeiro funciona assim mesmo. Grande parte da demanda do ouro vem dos bancos centrais (China) que tem que lutar pela preservacao de valor das suas reservas. Quando vivemos crises financeiras, com desconfianca do setor bancario e do valor das moedas, o ouro tem sido demandado como porto seguro.
          Faz sentido porque os bancos centrais (principalmente dos EUA, Europa e Japao) tem emitido muita moeda e comprado titulos depois que as taxas de juros chegaram a zero. Isto eh, a politica monetaria chegou ao limite de reduzir juros e passou a comprar titulos na tentativa de injetar liquidez e fomentar crescimento economico. Tem investidor que acredita ser melhor comprar outros metais preciosos como prata ou platinio que tem mais aplicacoes industriais e apostam no spread contra o ouro, mas acredito que a grande maioria compra ouro mesmo quando existe uma crise de confianca nas moedas.
          Em tempo, as moedas nao sao mais lastreadas em ouro a muito tempo… 1971. Bretton Woods comecou efetivamente em 1958.

          0
      • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 19:36

        Quando a primeira questão, voce ja sabe a resposta: Experimente ler o mesmo jornal por 30 dias consecutivos. Voce vai se deparar com reportagens totalmente antagonicas e vai cancelar sua assinatura.

        Pois é, se trata de uma questão de escolher períodos específicos para encontrar um crescimento nas vendas. Além disso essas estatísticas ignoram completamente a inflação real.

        Se compararmos tudo com os 5-6% ao ano do governo, todos os setores estarão em amplo crescimento. Quando a avaliação envolve o custo de vida real, não é bem assim.

        0
        • Evandro 15 de junho de 2012 at 09:54

          Ok a primeira questão é meio batida e questionável.

          Mas a segunda sobre o ouro ninguem me explicou até agora.
          O CHARLES ali em cima ficou sem saber o que me responder e me chamou de troll. ¬¬

          Volto a perguntar, porque uma coisa que não produz NADA, tem utilidade prática bastante limitada e reservas mundiais muito superiores a outros metais, pode valer tanto como o Ouro?

          0
          • Paulo Rocha 15 de junho de 2012 at 10:49

            Simplesmente por questões históricas e por ser um metal nobre conhecido desde o início das civilizações. Algo para ser valioso tem que ser raro o suficiente para ser o objeto de desejo de todos. Sál já foi mais valioso que ouro, tanto é que a palavra salário deriva de sál. Antigamente pelo menos sal era usado para conservar carne.

            0
          • Ricardo Eng 15 de junho de 2012 at 14:31

            É apenas uma convenção muito sólida.

            Enquanto existirem pessoas, existirá vaidade. E o Ouro é um objeto de desejo.

            1+
          • Francisco Quiumento 16 de junho de 2012 at 13:47

            Tire-se fora s aplicações do ouro.

            A questão é cultural, que em suma, é sempre o que gera confiança numa mercadoria.

            O ouro é, como bem tratou Keynes, uma “relíquia bárbara”.

            Se compra e se estoca sabendo-se que haverá quem quer comprá-lo e estocá-lo.

            😉

            0
      • Cleyton 14 de junho de 2012 at 22:40

        Charles, o ouro deixou de ser lastro de moedas depois do acordo de Bretton Woods em 1945, a ideia era de que a quantidade de ouro no mundo é praticamente fixa enquanto a riqueza cresce com o desenvolvimento, então o ouro não seria suficiente pra representar toda riqueza do mundo, escolheram o dólar em seu lugar.

        Só é estranho que as maiores reservas de outo do mundo estão nos países mais ricos, isso significa que se eles estão guardando é porque sabem o valor que tem e não porque tá na moda.

        0
    • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 14 de junho de 2012 at 20:02

      Evandro

      Ouro não é apartamento – ouro e grana viva na mão – precisa de $$$? – vende o ouro na hora, em dinheiro vivo – sei disso pq trabalho com isso (é o mesmo que dolar (só que “normalmente” melhor pois o valor do ouro valoriza em dolar ou raramente “desvaloriza”) o ouro é um ATIVO LIQUIDO E CERTO é um bem fungivel, independe de localização, bairro, ou detentor – onde estiver ele é $$$$ imediato – ja o imovel é outra historia – imovel não é um bem fungivel, sua aquisisão e venda não é imediata e o mercado é “incerto” – depende do estado – novo ou usado, bem como das particularidades de sua localização, de sua procura etc – no meu entender imovel não é dinheiro é moradia – e “MORADIA É DINHEIRO MORTO” – pra vender demora mesmo com a venda “ja fechada” – que pode demorar semanas – meses ou anos, VÃO-SE pelo menos 40 dias entre Certidões, cartórios, escritura, etc etc – além disso sobre elesrecaem manutenção, condominio, impostos, e os juros corroem o patrimonio pois o mesmo não é atrelado a “aplicaçãoes financeiras” ou seja, sua compraração não dá nem para para ser analisada – voce quer comparar alhos com bugalhos e isso é impossivel

      0
      • Evandro 15 de junho de 2012 at 09:49

        Não questiono isso, questiono o porque que ouro vale tanto se ele é um “ativo” que não produz nada e tem pouco utilidade prática.

        0
        • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 17:12

          Evandro, além do fato histórico de o ouro ter sido lastro monetário, em épocas de crise, normalmente ativos reais, como ouro, prata, platina e jóias , são evocados num mercado de trocas, fazendo o balizador entre as mercadorias… então ele novamente “vira” lastro de riqueza ou poder de compra…
          Por que o ouro? Por ser um elemento raro e muito estável quimicamente… é como diamante … entretanto o ouro tem muitas aplicações industriais, além do efeito “perua” … circuitos eletronicos por exemplo e outros tantos na área médica. A pureza do ouro é relativamente facil de ser testada.

          Já o diamante, que também tem valores economicos altissimos e tb tem aplicaçõe apresenta qualidades em diversas aplicações tecnologicas, mas que variam muito em formato e pureza, portanto seria impraticavel sua utilização como base de mercado… mesmo por que ainda é impossível derreter um diamante e reconstruí-lo para que sirva em uma industria especifica….

          Com o ouro, isso é possível …. ele permite a criação de diversas ligas uteis e pode ser reprocessado…por isso ele representa um ativo financeiro físico,
          por não perder as qualidades .

          Até hoje o ouro é o metal considerado mais nobre e com vasta utilização… por isso substitui o papel moeda com facilidade, pois além de tudo tem portabilidade física, o que não acontece com outros bens …. imoveis não podem sair do lugar, alimentos e outros bens moveis se deterioram com o tempo….

          0
        • Rui 15 de junho de 2012 at 19:20

          O ouro e’ simplesmente uma commoditie, que sobe e desce como uma acao. Em alguns momentos da historia foi usado como moeda. O ouro nao e’ lastreado em nada. O ouro em 1980 estava em $ 650,00 dolares a onca. Em 2000 estava a $250,00 dolares a onca. Quem investiu em ouro neste periodo e teve que vender, se estrepou todo. Levou um baita de prejuizo. Ouro nao lastreia papel moeda, porque tambem nao e’ lastreado por nada.
          O ouro de $250,00 a $350,00 dolares a onca, da prejuizo para extrair. Por isso os tugas, que desde o seculo 16, ja tinham mapeado algumas jazidas de ouro, nao o extrairam, porque nao era lucrativo. Esperaram o preco do ouro, dar lucro para o extrair.
          A proposito, o que a gente fez, com tanto ouro? Os tugas levaram
          o quinto (20%)segundo eles pelos custos de administracao do Brasil . Hoje nos pagamos de carga tributaria 50%. Vou querer os tugas de volta, ahaahaah .para onde foi os 80% do ouro que ficou com a gente? Alguem tem a resposta?

          0
          • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 15 de junho de 2012 at 20:04

            Rui mas hoje o ouro vale 1650 Dolares a Onça – ou seja, quem em 2000 guardou $ 250 na gaveta e outro que nessa mesma epoca tivesse comprado 1 onça troy de ouro – (31,1g) e guardado na gaveta Hoje, o cara dos dolares teria os mesmos $250,00 e o do ouro teria 31,1g avaliados em 1650 Dolares – Sem Impostos, Manutenção, Conservação – Comparar isso com um apartamento é Loucura. O Ouro Vale simplesmente porque é raro e tem propriedades unicas Maleabilidade – Anti Oxidentate e otimo condutor de Eletrecidade e Calor e principalmente, em forma de jóias, abre pernas – precisa falar mais – nenhum metal solido se compara a ele nesses quesitos.

            0
            • Rui 15 de junho de 2012 at 23:55

              Andre, foi o que eu falei.O ouro e’ uma commoditie como outra qualquer. O preco tem a mesma volatilidade e comportamento de uma unidade monetaria, acao etc. Para comprar ouro e se dar bem, voce tem que ter o senso de timing, conhecer como funciona o COMEX ( mercado de ouro) ou saber ler graficos, para saber se o ouro esta em bull market ou bear market. Mesmo estando em bull market, voce pode pegar uma correcao ou consolidacao, que pode demorar muitos anos. E se voce precisar vender, mesmo com o trend geral ascendente, voce poder perder muito dinheiro. Agora mesmo, a’ um tremendo esporro mundial sobre
              o desempenho espetacular do ouro, que subiu de $250,00 em 2001 para $1920,00 em 2011. Especulam que o ouro esta num bull market secular e que vai, nos proximos anos para $5000,00 ou mais. Para mim, o topo do ouro foi em $1920,00. Game over! nao tem mais subida! Acabou a festa! agora e’ ladeira abaixo. comprei um ETF , fazendo short selling (Apostar na queda) do ouro. E so’ vou vender quando o ouro cair abaixo de $900,00 dolares. Quando o crash do ouro, chegar nesse preco, voce vai escutar, o que a midia, nao te diz agora. Vao alegar que o ouro desabou porque as mineradoras de ouro, aproveitando o preco altissimo dos ultimos anos, extrairam demais e por tabela a’ um excesso de ouro no mercado.Comprar ouro fisico e’ uma merda. Voce fica com o franzidinho piscando, com medo que alguem te roube. Para botar numa caixa de banco, se paga uma nota. Passivel de confisco, como aconteceu nos EUA em 1933. O governo decretou que quem nao entregasse o ouro, seria punido com muitos anos de cana.Um dia Depois da data de expiracao, o governo americano, desvalorizou o dolar em 40%. As corretoras de ouro, te carcam comissoes gigantescas no ato da compra.A’ muita mitologia sobre o ouro.Acho que quem gosta muito de ouro, e’ ladrao. E’ facilimo de vender. E’ so’ derreter.

              0
          • Cleyton 15 de junho de 2012 at 20:44

            Rui, o ouro não é lastreado por nada porque seu valor é químico e é desse valor intrínseco que derivam todas as utilidades que se dá a ele.

            0
            • Rui 16 de junho de 2012 at 00:21

              Tudo bem Cleyton, mas se vamos aferir pelo valor intrinseco,a comida seria mais valiosa. Ninguem precisa de ouro, para viver.
              O valor atribuido ao ouro, e’ ficcional. Depende do sistema economico.Quando os comunas, tomaram o poder na URSS, mandaram fazer urinois publicos de ouro, para desmoralizar e descaracterizar seu valor. sifu. a galera, roubou todos os urinois. Dinheiro e’ o que as pessoas aceitam como tal. Pode ser ate tulipas.Ate o sistema de bancos centrais, so tem 25% em reservas de ouro.Como te falei, para mim, o melhor dinheiro, e’ comida, agua e casa.

              0
              • Sol de Sampa 16 de junho de 2012 at 02:02

                Rui, retorna a forma que comentei mais acima, o ouro tem portabilidade fisica… e não se deteriora …. num caso de catastrofe, seja por qual motivo for é mais facil de carregar e trocar… comida estraga, casa, a não ser que seja um trailer vc não tira do lugar….
                acho que do jeito que as coisas se encaminham agora na exonomia, a possibilidade de haver uma 3a. guerra faz com que o preço do ouro suba, afinal toda a guerra mundial foi detonada por problemas de economia…
                então, Rui o ouro seria apenas mais um hedge …. mas concordo contigo, guardar ouro fisico´deve ser um problemão mesmo….

                0
                • Rui 16 de junho de 2012 at 22:47

                  Voce ta certo Sol. A historia da humanidade, e’ a historia da violencia. Natureza humana! Inevitavelmente estamos indo para outra
                  porradaria global. Tem jeito nao! Quando a potencia dominante, comeca a ir a pique economicamente, afunda atirando. Guerra e’um grande negocio. O complexo industrial-militar de muitos paises que o diga.

                  0
              • Cleyton 16 de junho de 2012 at 10:37

                Entendo o seu ponto de vista, a esmagadora maioria das pessoas atribui ao ouro certos valores sem saber ao certo por quê, compram títulos em ouro porque em alguma época o avô dele comprou, porque alguém no rádio recomendou ou porque acha que ouro nunca perde valor.

                Essa percepção de valores que você menciona é a Lei da utilidade marginal (só que ela fala sobre diamantes invés de ouro, mas a ideia é a mesma).

                “O chamado paradoxo da água e do diamante ilustra a importância do conceito de utilidade marginal. Por que a água, mais necessária é tão barata, e o diamante, supérfluo, tem preço tão elevado? Ocorre que a água tem grande utilidade total, mas baixa utilidade marginal (é abundante), enquanto o diamante, por ser escasso, tem grande utilidade marginal.”

                0
                • Rui 16 de junho de 2012 at 23:08

                  E’ isso ai’ Cleyton! Voce vai ver a bolha do ouro broxar, junto com a bolha imobiliaria brasileira.Nada de comprar o embuste da midia, do ouro amado, idolatrado salve salve. ahahahah Senao seremos futricados. A midia sao os maiores alquimistas. faz os nossos investimentos virar merda. Isso claro se seguirmos a logica de merda deles. debaixo de nenhuma circunstancia, se deve dar credibilidade a esses marmanjos. Senao vai dar tudo errado. O negocio, e’ comer a isca deles e cagar no anzol. ahahahah . Podemos pensar por nos mesmos? yes we can!

                  0
  • casal20 14 de junho de 2012 at 16:28

    Olá

    Bolha, estou escrevendo do meu computador do trabalho, libere por favor!

    PS à parte, concordamos plenamente c/ o post , parabéns!!! muito bem escrito

    Postei um enorme post sobre nossa idéia de subprime ser o imóvel na planta, mas acredito ter ficado perdido no meio

    Resumindo, somos um exemplo REAL disso, fomos ver um apartamento na planta apenas p/ sentir como o mercado estava no início do ano, Brooklin, Brookfield , 162 m e 1 milhão e 200.

    P/ cair fora , oferecemos a quantia de R$ 100 mil de entrada, vejam MENOS DE 10% e ficamos muito surpresos quando levaram a negociação adiante, tentando nos convencer de qualquer jeito do excelente negócio , a corretora chegou a chamar o gerentão da Lopes p/ nos convencer!!

    As “suaves” parcelas seriam de R$ 4 mil , mas se contabilizassemos anuais,trimetrais , chaves, daria R$ 10 mil por mês!

    O saldo devedor , sem qualquer correção seria +- R$ 850 mil. Como alguém em sã consciência oferece uma coisa desta? Mas como o post explicitou bem , estes R$ 1 milhão e 200 entrariam como “vendido”, engordando o lucro virtual da construtora

    Por outro lado, existem pessoas loucas que entram nesta. Conhecemos um casal que entrou numa loucura destas de quase R$ 8000/mês (e se acontece qualquer coisa???um fica impossibilitado de trrabalhar?). Assim como uma amiga querida, que sofreu uma crise financeira e após 2 anos levando do jeito que dava (como a RosinhA já escreveu, imóvel é a ultima coisa) capitulou e teve que vender e mudar p/ um menor.

    Quantos destes apartamentos estão deste jeito? Esta aberração de compra na planta ? (cadê a propralada segurança já postada aqui por um corretor de que uma empresa grande e séria não vende sem 30% no mínimo de entrada?SE fossêmos loucos poderíamos ter “comprado” c/ 10%)

    O subprime brasileiro nada tem a ver c/ os EUA; é o imóvel na planta, já que todos estão se sentindo ricos e eufóricos, como na Espanha

    Alguém mais tem caso semelhante?

    Vida longa ao blog e paciência a todos!

    0
    • Oliveira 14 de junho de 2012 at 17:40

      Comprei o meu em 2009 com virtualmente ZERO de entrada.

      Eu passei 3 cheques, totalizando 10k, para os meses seguintes. Na prática eu parcelei a entrada também.

      []s

      0
    • CHARLES 14 de junho de 2012 at 17:51

      Casal20

      Todos temos estorias semelhantes, por isso chegamos até aqui, por acharmos estranho o que estava acontecendo no mercado e buscando informações a respeito.

      Pegue alguns posts de 1 ano atras e verás que quando o mercado ainda estava em lua de mel já previamos aqui o desfecho da historia.

      Essa politica é previsivel e está fadada ao fracasso desde sua concepção.

      É aguardar pra ver!

      0
      • casal20 14 de junho de 2012 at 23:41

        Pois é Charles

        Nós acompanhamos o blog há quase um ano, apenas não postamos antes.Foi justamente por achar que as coisas estavam ficando insanas e não engolir os argumentos da maioria e não querer nos render é que começamos a procurar informações e chegamos aqui.

        É muito interessante ver o processo todo e o aprendizado também tem sido muito valioso, não somos da área economômica e a cada dia tem uma contribuição, não só para manter os pés no chão , melhorar nossa percepção financeira e tentar colocar juízo na cabeça de alguns, o que ainda encontra na maior parte dos casos um sorriso cético.

        Mas tudo bem, paciência que uma hora a verdade virá a tona.

        Temos um condição financeira muito boa, embora insta’vel, pois somos profissionais liberais, temos que nos precaver e ser como a formiga, porque definitivamente não queremos entrar na onda e como alguém aqui disse penhorar o futuro por vaidade ou exibicionismo. Temos apartamento quitado que nos atende numa boa, realmente é apenas aquela vontade (não necessidade) de alo maior, etc

        Falando em política fadada ao fracasso, alguém recomendou no blog um documentário da bbc exatamente sobre a política mundial baseada no crédito, é execelente, recomendamos “the party is over: how the west went bust”, tem no youtube

        longo(2 partes de 1 hora), mas vale a pena

        vamos aguardar! comprar, só a vista!

        0
  • casal20 14 de junho de 2012 at 16:34

    Ricardo Eng, parabéns mais uma vez!!

    0
  • NINJA sp 14 de junho de 2012 at 16:55

    Mestre Ricardo Eng.
    Parabéns, Brilhante.

    O blog hoje está nota AAA+++++++++++++++++++++++++

    0
  • Luiz 14 de junho de 2012 at 16:58

    Descobrir um dado muito interessante

    A bolha americana no AUGE do desespero caiu apenas 19% em 2009

    Pena que não temos um indice sério de valores realmente fechados p comparar.

    0
  • KQTT 14 de junho de 2012 at 17:02

    Poderiam abrir uma enquete no blog para saber a previsao do estourou ou diminuiçao significativa dos preços dos imoveis.
    Vcs acham que ate o 2 semestre de 2013 os preços dos imoveis novos e usados serão uns 30 % menores ?

    0
    • Luiz 14 de junho de 2012 at 17:06

      a enquete é uma boa
      eu acredito que volta a subir até a eleição

      0
    • GB 14 de junho de 2012 at 22:22

      Eu acho que esse acordo com as empresas automotivas e a queda do IPI não vai dar certo e esse pessoal que está em férias coletivas e em cursos vai perder o emprego logo depois das eleições.

      Aí o governo não vai ter mais como segurar a coisa, nada de soft landing com tamanho shadow inventory.

      0
  • Felipe33 14 de junho de 2012 at 17:16

    Caro Ricardo Eng,

    Gostaria de parabenizá-lo pelo texto totalmente claro e objetivo, e principalmente reconhecer a atenção que teve ao responder todos os questionamentos dos demais colegas. Usuários como você enriquecem muito o blog.

    Grande Abraço, Felipe.

    0
    • Ricardo Eng 14 de junho de 2012 at 19:38

      Muito obrigado!

      []s

      0
  • Timelo Rego 14 de junho de 2012 at 17:39

    subir ainda mais? eu fiz uma busca rápida por preços (no site mais falsário sobre o assunto, é verdade) e o preço mais barato de 20m2 (kit) em um prédio bagaçeira no centrão de sp é de 120 mil….

    “http://www.zap.com.br/imoveis/sao-paulo/kitchenette-conjugados/venda/?tipobusca=rapida&ord=precovenda”

    me lembro em 2004, era vendido por 15 mil.

    0
  • Riodetudo 14 de junho de 2012 at 17:51

    Desconto não existe minha gente, os preços que estão caindo o CATSO!!!

    OBS: parabéns pelo post com comentários incrivelmente mais interessantes que o anterior!

    0
  • Fernando II 14 de junho de 2012 at 17:52

    Pra quem tiver tempo, vale a pena assistir ao painel promovido pela Reuters com os ex-presidentes do BC, Henrique Meirelles e Gustavo Franco. Este último bateu muito na tecla de que o modelo econômico de fomento do crédito para o consumidor está no mínimo desgastado, se não estiver totalmente exaurido.
    “http://reut.rs?LozDde”
    LatAm InvestmentSummit-Brazil: Is Slow Growth the New Normal?

    0
    • Fernando II 14 de junho de 2012 at 19:45

      link correto:
      “http://reut.rs/LozDdE ”
      ou
      “http://insider.thomsonreuters.com/link.html?cn=share&cid=781368&shareToken=MzAzNzM6ZmNlOTE1OTktZjI3ZS00MjFlLWExNTktMDM3Y2FkN2UxZjIw”

      0
  • Ploc Monsters 14 de junho de 2012 at 18:01

    Aqui em Campinas, nunca vi tanta placa de vende-se !
    como dizem por ai: Fujam pras montanhas !!

    0
  • Socorro!! 14 de junho de 2012 at 18:15

    hoje temos no ZAP cerca de 5120 imoveis a venda em copacabana… . Vamos considerar 4000 imoveis pois tem os repetidos que estão em varias imobiliarias..

    Segue o IBGE copabacana tem cerca de 73000 domicilios..ou seja 5,5% dos imoveis de Copa estão a venda …

    este numero só sobe…

    0
    • xangai 14 de junho de 2012 at 18:44

      ja foi discutido no blog e fiz minhas pesquisas tempos atras..

      na verdade vc nao deve diminuir o numero do flipzapt apenas porque temos anuncios redundantes.

      se observarmos melhor da pra imaginar que a oferta deste site eh ( +- ) a metade da oferta real !!! as imobiliarias nao colocam tudo neste site … ou vamos achar varios anuncios com: varias unidades disponiveis … ou mesmo … anuncia um apto no condo , mas qdo vc questiona existem varios andares disponiveis.

      well.. acredito mesmo que se tem 5k de ofertas no flipzopt … podemos ter uma realidade de 10k de oferta total.

      0
    • GodaPloc 14 de junho de 2012 at 19:14

      Como conseguiu a informação da quantidade de domicílios em copacabana? Não consegui encontrar esta informação no site do IBGE. Gostaria desta informação aqui no meu bairro em BH.

      0
  • Francisco Quiumento 14 de junho de 2012 at 18:49

    Mais do cenário:

    No meu blog >> de divulgação científica! << anúncio vertical enorme com "Consórcio Imobiliário":

    "A forma mais segura de investir no futuro de sua família!"

    Juro, dá vontade de chorar num cantinho de pena…

    0
  • Mineiro BH 14 de junho de 2012 at 18:55

    Muito bom o texto. Matou a pau….

    0
  • mauricio 14 de junho de 2012 at 19:49

    Projeto de lei do deputado estadual Roberto Engler (PSDB) quer tornar obrigatória a divulgação de valores em anúncios imobiliários. A proposta está em tramitação na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Engler também é o autor da Lei nº 14.734, que amplia a defesa do consumidor contra cobranças indevidas.

    O Projeto de Lei 369/2012 estabelece que o anunciante deve informar o valor do imóvel de forma “clara, objetiva e destacada”. A obrigatoriedade abrange anúncios veiculados em qualquer tipo de meio de comunicação. A medida vale para publicidades de imóveis – residenciais, comerciais, industriais, terrenos – independentemente de seu estágio de construção.

    Quem descumprir as regras estabelecidas pelo projeto estará sujeito a penalidades previstas nos artigos 56 a 60 do Código de Defesa do Consumidor, que vão desde multa até cassação de licença para atuação. Em caso de punição pecuniária, os valores recolhidos serão revertidos para o PROCON – Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor.

    O deputado Roberto Engler explicou as razões pelas quais crê que a aprovação de seu projeto é necessária. “A publicidade tem sua linguagem própria no sentido da ‘sedução’. Com a informação explícita do valor, o interessado poderá avaliar objetivamente a viabilidade do investimento, sem ter de, por exemplo, se dirigir a estandes ou escritórios comerciais para compreender de forma mais completa as condições do negócio”, diz Engler.

    0
    • Guilherme Eduardo 14 de junho de 2012 at 20:01

      Notícia muito boa. Aquele negócio de “apenas R$ 500 por mês” em apertamento de 50m2 custando R$ 300 mil no fim do mundo vai acabar…. ou aquele lance de R$/m2…… o legal é que ficará mais fácil de comparar, aumentando a concorrência.

      0
    • self 14 de junho de 2012 at 22:31

      EXCELENTE e ponto.

      0
    • Zé Bolha 17 de junho de 2012 at 20:55

      Gostaria de ver a obrigatoriedade de indicar juros, taxas de administração e um Valor Presente numa taxa padrão, para que as pessoas pudessem comparar diferentes cobranças.
      Será que um dia algo do gênero será possível?

      0
  • Guilherme Eduardo 14 de junho de 2012 at 19:59

    Quem acredita na queda de preços (eu sou um) deve esperar um pouco. A Dilma anunciou que fará mais estímulos ao consumo. Depedendo das medidas a compra de imóveis pode ficar mais facilitada, o que fará os preços ficarem por mais um tempo estabilizados ou até mesmo subindo, na esperança de que alguem da nova classe c venha a comprar o bolhudo.

    Fico eu pensando, quais poderiam ser essas medidas, e principalmente, quais poderiam ser direcionadas para o mercado imobiliário? Aumento no prazo? Liberar comprometimento de até 40% da renda? Liberar mais compulsorio para os bancos? Aumentar o teto de financiamento pelo SFH? aumentar o teto do Minha Casa Minha Dívida?

    0
  • RosinhA 14 de junho de 2012 at 20:06

    Casal 20 está no final pois ficou um pouco grande. hehehe

    No nosso círculo de amizades e família somente nesse ano 6 casais se separaram, a maioria por traição, todos os imóveis continuam a venda porque aí entra aquela briga de egos, e ninguém quer deixar barato para o outro lado.

    35 anos é muito tempo, a vida de uma pessoa muda em um acidente, a pessoa perde toda a qualidade de vida, e seus ganhos também serão afetados drasticamente, mas isso é somente um fator, vejo em todos os níveis socias e intelectuais as pessoas vivendo de cigarras cantando, o dia de amanhã chega, a maioria passa por um momento de perrengue, e quase ninguém está preparado para isso.

    Quanto ao futuro dos imóveis veja os que foram construídos a 35 anos atrás, se ainda estiverem de pé, a maioria foi mal construído, de estuque, sem vagas, planta ruim, mal planejado, mal colocado no terreno em sentido de ventilação e luminosidade, entre outros.

    Agora 35 anos para frente, cubículos de 35/40 m2 com infiltrações, sem pintura, rachados, mal tratados, locais que saíram da moda pelo trânsito e pelo próprio crescimento do país, e foram comprados no limite de $$$$ da população da época.

    As pessoas estão tão insanas, que já acham normal viver em lugares de alta criminalidade, poluídos, que enchem, que escutam a conversa do vizinho ao lado, em cima de área contaminadas (lixões), áreas de mananciais, mesmo que seja muito caro isso tudo. E os governantes só pensam em encher mais e mais seus bolsos, liberando todo tipo de aberração imobiliária.

    O país tem dimensões continentais, estamos matando nossas cidades, temos espaços para construirmos casas espaçosas, com qualidade de vida, com lazer para nossos filhos, e familiares que podemos receber, a população está se isolando em cubículos, pois tem que morar a 20/30 Km de onde trabalha, pois foi onde conseguiu comprar, chega em casa cansado, estressado, toma banho, come, não conversa com filhos ou esposa, vai dormir e sua vida sempre é o mesmo inferno. Não pode recebe ninguém pois sua residência é pequena, não tem local para a visita estacionar entre outros. Isso não é vida, tem que comprar o que está na moda, ter o kit status para seus próprios filhos e família lhe reconhecer, fora parentes e amigos, a pressão é simplesmente insuportável, a ponto de arrumar outra mulher ou homem e tentar renovar sua vida. Estamos criando uma geração de loucos, que simplesmente ainda não entenderam o sentido da vida, você é aquilo que se pode comprar ou ter, e ninguém tem mais caráter ou é simplesmente eu mesmo/a. O cara é capaz de te matar para ter seu emprego ou seu esposo/a, imagine daqui a 35 anos como estaremos, com a população que estamos criando hoje.

    Como infraestrutura não virá tão cedo mesmo, então nos resta deixar um pouco de lado os modismo de hoje, e morarmos em bons lugares, mesmo que ganhemos pouco, mas tendo uma família, filhos que vivam contentes e tenham orgulho daquilo que somos, não aquilo que podemos ter.

    0
    • So observando... 14 de junho de 2012 at 20:48

      Uma das maiores obras-primas ja escritas nesse site.
      Com todo o respeito ao mestre Ricardo Eng que escreveu outra obra que merece ser do conhecimento de todos.
      Seu penultimo paragrafo eh a essencia do que acontece no pais hoje, infelizmente.
      talvez isso seja um problema muito maior do que a propria bolha. quem vai pros Eua ou espanha, ve como as cidades sao estruturadas, como se vive muito melhor do que aqui.
      eu costumo dizer que o brasil virou um “pais-favela”! vertical ou na horizontal, no centro urbano ou no interior… paraisos turisticos do passado estao se tornando favelas imundas, violentas e tormantadas pelo trafico, poluicao e descaso da adm publica.
      triste.
      bom do brasil eh so o clima! o resto eh phoda!

      0
    • zé mané 14 de junho de 2012 at 22:28

      Grandes palavras. Uma verdade óbvia que parece invisível para a grande maioria.

      Parabéns.

      0
    • GB 14 de junho de 2012 at 22:53

      Qualidade de vida para mim seria ter uma casa num terreno de 1.000m², ter quintal, plantar uma árvore, ter um cachorro, mas só abrem loteamentos com terrenos de 120 m² com 7 metros de frente, caríssimos, em bairros onde os camaradas são obrigados a construir 2 ou 3 andares neles para valer a pena e parece que uma casa se apoia na outra para não caírem, é tudo muito feio demais.

      E não me venham dizer que falta terreno, qualquer um que pegue qualquer rodovia pode constatar facilmente que tem espaço pra caramba nesse nosso país.

      Reparem que a maioria dos empreendimentos às margens de rodovias são para empresas, os prefeitos só gostam de atrair empresas, não gostam de atrair famílias, pois as famílias precisam de transporte público, saúde, educação e vão exigir isso na Justiça.

      0
    • casal20 14 de junho de 2012 at 23:59

      Oi RosinhA!!

      Pois é

      Nós temos um apartamento ,que está quitado, não é grande, mas para os padrões de hoje está ótimo, 2 quartos c/ 68 m2 e, a raridade , 2 vagas de garagem demarcadas.Também fica na zona sul, perto da aclimação. Nos atende numa boa, é só aquela vontade de algo maior, poder receber melhor os amigos, etc

      Somos profissionais liberais e temos uma renda bem legal, mas é como a cigarra e a formiga , às vezes estoura e às vezes não, sem contar que não temos 13, fgts, férias…então tem que ter cabeça p/ segurar a onda e não cair em tentação, ainda mais com os amigos do mesmo círculo, renda semelhante “enricando” e aquela história de “perder o bonde”.

      Como você disse é triste ver o que está acontecendo, as pessoas só querem TER e APARECER, quando na verdade deveríamos pensar um pouco no SER. Esta loucura só fica alimentando um círculo vicioso de trabalho/consumo e muitas vezes esquecendo o mais importante, a família, os amigos, curtir a vida , trabalhar p/ viver e não viver para trabalhar. Essa bolha só vem a contribuir com a segregação social, realmente cada vez morando mais longe do trabalho, sem melhoria nos meios de transporte, segurança, etc e criando “redutos” cada vez mais segregados. São Paulo cada vez tem mais outras são paulos, c/ realidades totalmente diversas dentro da cidade.

      Essa minha casa minha vida é como alguém postou aqui é uma crueldade, pois além de não oferecer moradia digna, faz o cidadão se endividar p/ o resto da vida achando que está fazendo um super negócio…

      Ainda bem que não caimos nessa, estamos fazendo nosso pé de meia e esperando. Queremos um futuro seguro em primeiro lugar.

      Vamos espalhando a mensagem. Quem sabe um dia o pessoal acorde.

      0
    • Eskeleto 15 de junho de 2012 at 08:01

      Saudades dos tempos em que as famílias pagavam os pedreiros para construir e faziam estruturas bem reforçadas, material de qualidade, lembro-me quando ia quebrar uma parede com meu pai para colocar uma grade do lado de fora do vidro de casa e sofria para quebrar uma parede pois era bem resistente, as estruturas de hoje são isopor que não prestam, olhar uma casa que tem 30 anos e está inteirinha é sinal de que ela vai durar mais 100 anos sem muitos problemas e comprar um apartamento hoje daqui 5 anos bolor, infiltração entre outros problemas, da vontade comprar um terreno no interior e construir da forma que você sabe se aquilo irá cair na sua cabeça ou não, mas vale lembrar que construir afastado no interior as pessoas olham com medo de assalto pois lugares bem construídos e afastados chamam atenção. O perigo está em todo lugar, mas coloca mais medo em 1 família onde o marido sai para trabalhar e fica fora o dia todo, deixando a esposa e a filha em casa.

      0
      • MRCG 15 de junho de 2012 at 14:49

        Compre legalmente duas pistolas e ensine elas atirarem.

        0
    • Ricardo Eng 15 de junho de 2012 at 14:34

      Adorei o post, Housinha!

      Quanto às dimensões continentais, concordo mais ainda. O problema é a favelização. Nunca teremos cidades civilizadas enquanto a lei não ser imposta a TODOS.

      Hoje em dia a lei vale apenas para quem é honesto e tem um bom nome a zelar. De que adianta fazer uma cidade bonita se ela será cercada de ocupações ilegais?

      Aqui em SP, no Morumbi, tem até PRAÇA que virou favela.

      0
      • RosinhA 15 de junho de 2012 at 17:11

        Obrigada a todos postarei menos e com maior qualidade, afinal nem todos gostam de brincadeira, acho que fica muito chato mas vamos lá.

        0
      • Cleyton 15 de junho de 2012 at 20:17

        “Hoje em dia a lei vale apenas para quem é honesto e tem um bom nome a zelar.”

        Creio que isso se aplica em um âmbito muito maior, vale para quase todas as áreas.

        0
  • thiago fm 14 de junho de 2012 at 20:18

    Sou empregado da CEF e uma espécie de espião da bolha. No jornal interno da empresa disponibilizado hoje pela intranet, temos uma entrevista do presidente para a revista carta capital e estou compartilhando em primeira mão. O presidente explica porque não crê em bolha.

    Após anúncio da Caixa, na última semana, da ampliação do prazo máximo para a compra de imóveis de 30 para 35 anos e redução da taxa do financiamento de 9% ao ano para 8,85%, o presidente Jorge Hereda concedeu entrevista à Carta Capital, na qual garante que a redução não afetará de forma negativa o desempenho da empresa e rechaça os riscos:

    “Não tem nem vai haver uma bolha (imobiliária)”.

    “CartaCapital: Qual a expectativa da Caixa em relação ao prazo de financiamento imobiliário de até 35 anos?

    Jorge Hereda: Vivemos uma trajetória de crescimento do crédito imobiliário no Brasil. Já estamos em 5,2% do PIB, o que ainda é muito pouco em relação a outros países. O Chile, por exemplo, tem mais de 12%, o México também. Alguns países chegam a 40% e até mais. O Brasil tem um caminho muito grande a percorrer. E a nossa trajetória de crescimento é sustentável, embora existam ciclos diferentes de crescimento. A maioria das empresas lançou muitos imóveis em 2010 e 2011. Esse setor tem um ciclo de dois anos para concluir as obras, então existe um processo de desligamento muito grande agora. A Caixa, neste ano, já ultrapassou os 36 bilhões de reais em créditos imobiliários, mais de 40% de crescimento em relação ao mesmo período do ano passado. É uma velocidade maior do que a de 2011 em relação a 2010. Aumenta o volume de crédito imobiliário na Caixa e no mercado também. Mas a gente tem perdido fora em relação ao crescimento comparado dos anos anteriores. É preciso que esse estoque seja desovado para que se possam fazer novos lançamentos. A velocidade das vendas no mercado caiu um pouco. Com o esforço de baixar juros e alongar prazos, mais famílias poderão ser incluídas.

    CC: Mas os preços subiram muito. E há quem considere que vivemos uma bolha imobiliária, ainda que não nos mesmos moldes da norte-americana ou da espanhola.

    JH: Os preços estavam muito deprimidos quando voltou o crédito imobiliário no Brasil, a partir de 2005. Com as medidas tomadas naquela época, além do aumento da renda, criou-se um ambiente para ampliar o crédito. Em consequência, os preços aumentaram, mas o grande mercado são as famílias da classe C e um pouco da D. Esse é o perfil do déficit habitacional. Então, o mercado terá de criar produtos e se adaptar á capacidade de pagamento das famílias. Há agora uma adaptação dos preços, tanto que a valorização tem sido menor nos últimos dois anos. A tendência é se equilibrar. Por isso não tem nem vai haver uma bolha.
    CC: Por quê?

    JH: Nos Estados Unidos e na Espanha, os maiores exemplos de bolha, há um erro básico que no Brasil não acontece. Aliás, dois. 0 primeiro é que não havia, como há aqui, o cuidado com a originação do crédito. Delega-se a avaliação de risco a gente de fora do banco. A Caixa não delega, ela faz as avaliações. E são rigorosas. Segundo, não temos um mercado secundário com o grau de irresponsabilidade de lá. Aqui começamos a discutir um mercado secundário, muito mais regulado. 0 governo tem agido corretamente no Minha Casa Minha Vida, o grande alavancador desse mercado nos últimos anos, ao estabelecer limite de 170 mil reais, que não é alterado a todo momento. Em 2008, existia uma empolgação muito grande no setor. E foi fundamental a freada. A crise fez o mercado voltar a evitar exageros. Não é possível manter, crescimento de 50% ou 60%. Um crescimento de 30% está muito bom.”

    0
    • Guilherme 14 de junho de 2012 at 21:48

      Pô, entrevista do presidente da caixa (alguém com obrigação institucional de refutar a existencia de um bolha) dando entrevista para a Carta Capital, que é um folhetim do PT disfarçado…aí não dá.

      0
    • GB 14 de junho de 2012 at 22:25

      É como uma vaca carregando uma placa onde se lê: “COMA FRANGO !!!!”

      0
    • Ricardo 14 de junho de 2012 at 22:39

      Thiago, tambem sou funcionário da CEF, não sei se você leu os comentários da matéria. Até os funcionários estão discordando da opinião do presidente. Inclusive tem um colega que postou o link aqui do site bolha imobiliária. O cara é corajoso. Mas fiquei feliz de saber que existem mais colegas que tem consciencia dessa aberração que está acontecendo no mercado imobiliário.

      0
      • thiago fm 14 de junho de 2012 at 23:28

        Quando uma mulher pergunta se você a está traindo…amigo, ela já sabe!

        A cada dia se fala mais sobre bolha no Brasil. É perceptível. Ainda que seja para negá-la. Quando a conversa chegar no boteco, teremos chegado no precipício.

        Só espero que o sonho da casa própria não se torne um pesadelo.

        0
        • GB 15 de junho de 2012 at 01:23

          Só vai se tornar um pesadelo para quem cair nessa de financiamento de 35 anos (isso é um absurdo tão grande que devia virar tabu).

          O pessoal daqui já está vacinado.

          Hoje fui ao banco e depositei na poupança nova a diferença do aluguel para a “parcela do financiamento”, fiquei super feliz com isso, eu estou “pagando” para mim mesmo e está rendendo para mim mesmo, não para um banco qualquer, quanto mais tempo levar, mais eu terei e melhor será o imóvel que vou comprar.

          “Eu posso não estar onde gostaria de estar, mas estou feliz por saber que estou a caminho” (Joyce Meyer)

          0
  • RosinhA 14 de junho de 2012 at 20:24

    Outra coisa interessante fui agora o pouco na casa de uma amiga, em um bairro chamado Santa Terezinha aqui em SA, quem é daqui sabe que é um bairro antigo, pequeno sem muito glamour e dependendo do lugar enche.

    Mais uma vez a curiosa aqui esperando o elevador, começou a ler aqueles murais afixados, e novamente me deparo com notícias escritas em vermelho para os condôminos.

    ATENÇÃO INADINPLENTES A ÚLTIMA CHANCE DE RENEGOCIAR SUA DÍVIDA LELLO ADMINISTRADORA DE CONDOMÍNIOS.

    Como o prédio é antigo não tem água separada a conta era de 15K, divididos pelos número de moradores 0,320k por ap, quando subi papo vai papo vem, joguei um verde, e colhi um cacho de banânias maduras, o condomínio está 1,3k, ano passado estava 0,7k, e minha está vendendo por 35% abaixo da avaliação e nem interessado apareçe.

    É pessoal a coisa ta começando ficar interessante, aja varas especiais e leiloeiros para tantos casos, Sr Income pode preparar a cartilha de “COMO COMPRAR BARATO EM LEILÃO JUDICIAL”. 😉

    0
    • GB 14 de junho de 2012 at 22:31

      RosinhA, deixa que a gente faz os necessários Despejos.

      Já estou me preparando para muito trabalho.

      0
    • Leonardo 15 de junho de 2012 at 12:55

      Conheço uma família naquele bairro que pagava R$ 200 há dois anos atrás e hoje paga quase R$ 600.

      Essa questão dos condomínios não pode ser desprezada. Vai ter muita gente perdendo a casa por isso.

      0
    • Elio 17 de junho de 2012 at 07:26

      Rosinha, ontem fui comer uma Pizza no apto de uma amiga minha. O APTO é de 50m2 e lá estavam ela, o marido e a filha…chegou eu, minha esposa e minha filha de 1 ano e 3 meses. Depois chegou mais um casal com uma filha grande e uma outra bebê…a minha filha estava desesperada querendo sair daquela gaiola, ficou todo mundo apertado, asfixiado…

      Agora vem o pior: Você conhece o Alvorada em Santo André? Pois é minha amiga, lá naqueles predinhos…é a coisa mais horrível que se pode imaginar…a coitada financiou 25 anos e tá toda feliz pois “paga o que é seu”…ela pagou 140k e disse que “já está valendo 170k…”

      Eu comecei a explicar a bolha para eles e depois desisti pois ela já comprou mesmo…pensa se eu falasse que o AP dela vale na real uns 60K???

      Abraços,

      Elio

      0
  • rbc 14 de junho de 2012 at 20:45

    alguem aqui é da época das boybands? o vocalista shane, do westlife, acabou de ser declarado alio, apos perdeer sua fortuna na bolha imobiliaria irlandesa:

    myway.pt. msn. com/noticia/westlife_shane_filan_declara_falencia_8437.aspx

    0
  • rbc 14 de junho de 2012 at 20:46

    ops, falido*

    0
  • fcoelho 14 de junho de 2012 at 20:49

    Olá Pessoal,
    Venho acompanhando o blog ja faz um tempinho. Hoje recebi o e-mail de um leiloeiro aqui do rio oferecendo duas unidades no condominio barra sunday no recreio (leilão extrajudicial) por 230 k. O valor de anuncio desses apartamentos é de 525 k. http://vender-casa-apartamento.vivastreet.com.br/comprar-imovel+recreio/condominio-barra-sunday/48118684 Imagino que estejam repassando o financiamento pelo valor do leilão. Passei e-mail para o leiloeiro perguntando sobre o valor de repasse de financiamento (imagino que seja o caso), mas não tive resposta. O empreendimento ficou pronto recentemente, caso típico de compra por especuladores. Apelar para leilão extrajudicial, o pessoal tá com pressa!

    0
    • F. Paes 14 de junho de 2012 at 22:15

      Esse prédio está pronto há pelo menos 1 ano, acho até que 2 anos.

      0
      • chapolin 15 de junho de 2012 at 09:28

        Tenho um amigo que mora lá. Faz cerca de um ano e meio que foi entregue. Mas, se não me engano, o dele é de dois quartos. Ele morava na ZS e quando veio o reajuste do aluguel extorsivo ele se precipitou. Em um fim de semana botou a mulher no carro e foi procurar apartamento. Decidiu assim, de supetão. Acho que se arrepende, por causa da distância principalmente. Fica difícil de encontrar com os amigos. Por sorte vai sair do Brasil por um tempo para doutorado, e pelo que entendi na volta prentende procurar outro apartamento. Espero que quando ele voltar esta loucura já tenha passado e ele não tenha que voltar para lá.

        0
    • F. Paes 14 de junho de 2012 at 22:20

      E o prédio é na Salvador Allende, justamente no limbo – onde há 10 anos atrás era Jacarepaguá – mas agora ou é Barra ou Recreio.

      0
    • self 14 de junho de 2012 at 22:36

      Cabem 3qts/2suítes em 76m²? Mas cabem MEEEESMO?

      Meu, esses construtores tão de brincadeira com a minha cara. Isso seria, num patamar RAZOÁVEL, no máximo área para um apto de 2 quartos e sem suíte.

      Agora… o que é “coiffer”? E “pRayground”? Ah, valha-me.

      0
    • Sr. LB 15 de junho de 2012 at 10:01

      O valor anunciado é determinado por lei (Lei de Alienação Fiduciária em Garantia – para imóveis).
      O valor do primeiro e do segundo leilão são estabelecidos na lei.
      Lei 9.514/1997.

      “Art. 27. Uma vez consolidada a propriedade em seu nome, o fiduciário, no prazo de trinta dias, contados da data do registro de que trata o § 7º do artigo anterior, promoverá público leilão para a alienação do imóvel.

      § 1º Se, no primeiro público leilão, o maior lance oferecido for inferior ao valor do imóvel, estipulado na forma do inciso VI do art. 24, será realizado o segundo leilão, nos quinze dias seguintes.

      § 2º No segundo leilão, será aceito o maior lance oferecido, desde que igual ou superior ao valor da dívida, das despesas, dos prêmios de seguro, dos encargos legais, inclusive tributos, e das contribuições condominiais.”

      0
      • Cleyton 15 de junho de 2012 at 19:54

        No primeiro leilão o valor do imóvel será o que consta na escritura? Se for isso beleza, o pessoal registra por muito menos do que pagou (chuto em torno de 20%) pra “passar a perna” no leão, não creio que alguém ofereça o valor de mercado no leilão, se quisesse valor de mercado iria a mercado, não é?

        Agora se não sair no primeiro, no segundo certamente encalha porque só a dívida com o banco é pelo menos duas vezes maior que o valor.

        0
        • Sr. LB 15 de junho de 2012 at 23:55

          Cleyton,
          No primeiro leilão o valor é o do contrato fechado/assinado com a construtora. Com esses preços bolhudos de hoje, esses valores serão bem altos quando começarem a pipocar esses leilões (se houver inandimplência forte).
          Já no segundo leilão o apartamento pode sair pelo valor mínimo do saldo devedor. Esse saldo devedor poderá ser maior que o valor do bem no caso dos imóveis se desvalorizarem muito e os inadimplentes tiverem pago poucas prestações.
          Atualmente, esse segundo leilão é bem vantajoso.

          Recentemente fui assistir um desses leilões aqui em Brasília. O valor do segundo leilão estava estabelecido num valor tão pequeno que as pessoas já brigaram pelo imóvel logo no primeiro leilão (foi vendido no primeiro leilão). As pessoas ficaram com medo de no segundo leilão haver muito mais interessados.

          0
  • F. Paes 14 de junho de 2012 at 22:13

    Excelente texto. Muito explicativo, mas discordo de algumas percepções. Sinceramente, ainda não consigo enxergar essa crise toda com lojas e restaurantes vazios, preços de imóveis caindo, etc. Já disse diversas vezes aqui no blog, não discordo que os preços estão muito altos, mas ainda assim, continuo batendo na mesma tecla: ainda tem gente comprando. Não acho que o marcado travou como muitos falam.

    Final de semana passado estava na praia com amigos quando chegou um amigo de uma conhecida. Papo vai, papo vem, e ele disse que trabalhava na Gafisa, no depto de administração. Não me contive e comecei a perguntar da crise na construtora, na queda das ações, se ela ia realmente pedir falência etc. A pergunta do cara foi: “que crise?”. Ele disse que a construtora teve um mês de abril péssimo, mas ainda sim um ano “no verde” (mesmo com a queda das ações). A política de empresa está focando em imóveis de luxo, e muitas de seus problemas com os valores das ações é que a construtora vai reduzir drasticamente o nº de lançamentos, pois as vendas DEMORAM mais a acontecer. Mas ainda sim o valor geral de vendas ainda vem crescendo. Vender um apto de R$ 1 mi é melhor que vender 4 por 100k.

    No final, disse que estão lançando no Rio um novo empreendimento na Barra, tal de Scena Laguna, na Riviera da Lagoa, um local totalmente afastado, perto da Net. O preço de venda dos apto de 3 qts serão a partir de R$ 1,5 mi (150m2). Disse que a construtora gastou uma “baba” na inauguração do empreendimento, fez show com coquetel e o escambau pros funcionários, e está com uma expectativa muito boa nas vendas. Segue a foto do lançamento, que ele me mandou:

    http://a1.sphotos.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash3/545381_394801150555063_186918652_n.jpg

    Só acho que tem que ter coragem de comprar algo da Gafisa, mas é um bom empreendimento para acompanharmos o desempenho de vendas.

    0
    • F. Paes 14 de junho de 2012 at 22:25

      O comentário ainda está na moderação.

      0
    • Ricardo Eng 15 de junho de 2012 at 14:49

      ainda não consigo enxergar essa crise toda com lojas e restaurantes vazios

      Depende da cidade onde você mora e até mesmo do bairro. Note que eu disse restaurantes vazios, não lojas. As lojas continuam cheias… de curiosos. Toda vez que o povo consegue gastar menos se divertindo, ele vai para o shopping comer fast food barato e fuçar nas lojas.

      Conheço diversos empresários do varejo que operam em São Paulo e todos tiveram um Natal péssimo (ainda mais se considerar que gastaram com mão de obra temporária que não foi necessária) e um dia dos namorados onde todo mundo deu uma “lembrança” ao invés de um presentão.

      Não acho que o marcado travou como muitos falam.

      O de usados travou. Todos os indicadores oficiais apresentam números deprimentes como “0.3 imóveis por mês, por imobiliária”. A imobiliária que aluga meu apartamento demitiu 4 funcionários, dos 6 que tinha.

      E de novos apenas migrou para outros estoques de tolos. Estão lançando em bairros ultra distantes e extremamente pobres. Os tolos ficam maravilhados com apartamentos de 50 m2 por “apenas” 170 mil e esquecem que o negócio está a 3h de carro do centro da cidade. A questão é: tem muita gente mal informada ainda no mercado e 20% de 200 mil cabe no bolso dessa nova safra de idiotas.

      Disse que a construtora gastou uma “baba” na inauguração do empreendimento

      Jogam fora 2 milhões em festinhas e stands ao invés de reduzir o preço das unidades. Já não basta serem incompetentes em custo e ainda por cima jogam mais gordura ainda sobre o preço dos imóveis.

      E pior: esse show não foi feito para os compradores e sim para convencer o povo que ganha R$ 700 por mês + comissão a continuar trabalhando de graça. Esse tipo de euforia corporativa é sempre muito comum em períodos de crise, pois se perderem mão de obra não conseguirão repor aos custos atuais e com o mesmo nível de treinamento.

      1+
      • Cleyton 15 de junho de 2012 at 20:21

        “Esse tipo de euforia corporativa é sempre muito comum em períodos de crise”

        Tipo propaganda nazista, perdendo a guerra e fazendo festa, perfeito.

        0
  • GB 14 de junho de 2012 at 22:35

    Eu acho que a bolha do Brasil está mais pra Espanha que para os EUA:

    “http://exame.abril.com.br/economia/noticias/o-que-e-a-crise-e-espanhola-e-como-ela-pode-afetar-o-brasil

    0
  • Sir Income 14 de junho de 2012 at 22:47

    Dia C – Camargo Correia

    homebrasil.com/syn/mkt_dia/34_397/mkt_34_397.html

    0
    • Anonymous 15 de junho de 2012 at 00:19

      Nem mesmo o website funciona.

      “http://ccdi.com.br/diac”

      Server Error in ‘/’ Application.
      Object reference not set to an instance of an object.

      0
  • Murdoch 14 de junho de 2012 at 22:51

    Companheiros, gostaria de fazer uma pergunta de leigo.
    Qdo contraímos um financiamento imobiliário, pagamos uma taxa de seguro. Quem segura esse financiamento? O próprio banco?
    Desculpem a pergunta leiga, mas…

    0
    • GB 15 de junho de 2012 at 00:06

      Eu posso estar errado, mas pelo que me lembro na verdade são 2 seguros: um de vida e outro contra desastres.

      Você podia escolher entre uma seguradora ou próprio banco, os valores eram os mesmos.

      Essa não é uma pergunta leiga, a maioria do pessoal assina o financiamanto e nem sabe que está pagando isso também.

      Fora isso também tem a tal da “taxa administrativa”, outro absurdo pois os juros já deveríam ser suficientes para pagar por esse “trabalho” deles e a cobrança já está sendo questionada na Justiça por um Procurador do Nordeste.

      0
      • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 02:14

        GB, vc está correto – um seguro é do MIP – morte ou invalidez permanente o é outro é o DFI – danos físicos ao imóvel – o MIP é calculado sobre o saldo devedor, baseado na idade do tomador … por isso em alguns momentos ele “salta” durante os anos de financiamento – o DFI é mais comportado …é baseado especificamente na avaliação inicial do imovel e na sua atualização – normalmente mesmos indices do saldo devedor… mas acredito que tenha alguns ajustes de mercado com o passar dos anos e sobre a propria desvalorização do imóvel….ele preve a cobertura total em caso, por exmplo, de desmoronamento, mas só no que diz respeito a parte de alvenaria não em relação ao conteudo.

        JÁ a taxa administrtiva é absurda, pois não se vincula a nada … independe de idade ou vlr ou tempo financiados….e sobre o que ela atua realmente é dificil de explicar pois ao meu ver é muito cara…

        0
        • TG Brasil 15 de junho de 2012 at 09:12

          Acho que a questão do camarada ai em cima não foi respondida…

          A pergunta dele é quem segura o finaciamento. Se é o prorpio banco ou outra instituição qualquer…

          Ambas respostas, disseram o que é o financiamento, e não quem.

          Eu tbm não sei, gostaria de saber.

          0
          • TG Brasil 15 de junho de 2012 at 09:13

            ops…. o que é o seguro…

            0
            • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 17:27

              Obrigatoriamente são Seguradoras, reguladas pela SUSEP… que podem ou não ser do grupo do Banco…mas que tem habilitação especifica para financiamento imobiliario… Ex. Sul América (independente) ou seguradora Bradesco (do próprio grupo do banco)…
              Mas são empresas diferentes – bancos e seguradoras

              0
          • GB 17 de junho de 2012 at 09:14

            Foi respondida sim: “Você podia escolher entre uma seguradora ou próprio banco, os valores eram os mesmos.”

            0
  • simone 14 de junho de 2012 at 23:37

    Caixa Geral de Depósitos compra 100% das ações da Banif Corretora
    O Grupo Caixa Geral de Depósitos exerceu sua opção de compra dos 30% da Banif Corretora de Valores e Câmbio S.A. que ainda pertenciam ao Banif Grupo Financeiro, e passou a deter 100% da empresa, que passa a ter a razão social CGD Investimentos Corretora de Valores e Câmbio S.A.

    . Com a operação, a corretora passou ao comando do CEO Fábio Feola.

    . A Banif tem casa em Porto Alegre.

    0
  • casal20 15 de junho de 2012 at 00:12

    RosinhA, só p/ te avisar, se você não viu , eu ( a mulher do casal20, rsrs/ o homem só lê, rsrs) respondi no seu post

    Concordo plenamente!

    Mais valor às coisas importantes, pois que tiver cabeça terá vivido (e não vivido p/ trabalhar e pagar dívidas) e ainda sairá com paz de espírito e casa nova!

    0
  • Fabiano de Sá 15 de junho de 2012 at 00:22

    Caros participantes da tribuna Livre,
    Gostaria de saber do Ricardo Eng e dos demais participantes: Qual seria o “alfinete” que causará o “estouro” da bolha imobiliária no Brasil?

    0
    • Ricardo Eng 16 de junho de 2012 at 23:32

      Eu pelo menos juro que não sei!

      0
  • GB 15 de junho de 2012 at 01:14

    É tão legal ver esses especuladores se ferrando, ver como eles bagunçaram o mercado e agora estão pagando o preço por isso.

    Eu adoro quando aparecem anúncios novos no site de imóveis da cidade de gente vendendo terrenos e repassando dívidas de 80, 100 parcelas fatantes, isso é o máximo.

    Só hoje apareceram mais 2: um querendo R$ 35k e repassando 89 parcelas de R$ 700,00 e outro querendo R$ 30k e repassando 102 parcelas de R$ 750,00, ambos terrenos de 7,50 x 20 ou 150 metros.

    E o melhor de tudo é que enquanto não venderem eles vão ter que continuar pagando, sem garantia nenhuma de que vão rever esse $$$$, imaginem quantos espertões correram para comprar imóveis pensando em vender depois com lucro e estão nessa situação.

    E o pior: não tem nada construído nesse loteamento, é um bairro fantasma gigantesco, todo asfaltado e com luz e esgoto já passado, cheio de encalhes, é incorporadora lutando contra os vendedores para ver quem consegue se livrar dos micos.

    Com os descontos da incorporadora, logo esses especuladores vão ter que dar de graça só para se verem livres das parcelas.

    0
    • self 15 de junho de 2012 at 07:31

      Na boa… Terreninhos de MERDA esses, hein? Mal dá para fazer uma casa direito.

      0
      • Justiceiro 15 de junho de 2012 at 08:46

        E valem, estourando, uns R$ 20 mil.
        Que fiquem insolventes esses vagais!!

        0
  • Ze Bom Dirolo 15 de junho de 2012 at 02:11

    Muito engracado algumas reacoes. Falei mal do Brasil em um site. Ao final, falei que tinha dado meia noite e o Brasil precisava correr p carruuagem antes que ela virasse abobora. Teve gt que ficou braba.

    0
    • GB 15 de junho de 2012 at 07:16

      Mas é o que acontece quando um país vive às custas de dinheiro dos outros, quando der “meia noite” e o pessoal correr para a segurança de países mais sólidos (EUA e Alemanha), aí eu quer ver o que vai acontecer.

      Creio que eles já sabem que a redução do IPI não ajudou a indústria automoBolhística, mas não querem publicar para não causar pânico, mas também não vão conseguir esconder por muito tempo nem levar isso até as eleições.

      0
  • GB 15 de junho de 2012 at 07:18

    E tinha gente garantindo que o oba-oba ia seguri intacto até as, pasmem, olimPiadas brasileiras, coitados.

    Sem renda a coisa trava, não tem como fazer milagre se já comprometeram 30% dela.

    0
  • Ploc Monsters 15 de junho de 2012 at 07:47

    Dilma diz que falta de investimento torna SP ‘inviável’

    A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta quinta a construção de casas de qualidade para a população de menor renda e não “muquifos”. Ao receber líderes de movimentos de moradia em seu gabinete no Palácio do Planalto, a presidente disse não entender por que as empreiteiras “não têm interesse” em construir habitações para a população que ganha até três salários mínimos.

    Durante o encontro, Dilma falou da importância do Programa Minha Casa Minha Vida, assegurou que “não faltarão recursos para o programa, particularmente para quem ganha até três mínimos”, onde existe a maior parte do déficit habitacional brasileiro e cobrou do presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda, financiamentos para este segmento.
    Mércia Alves, da ONG Centro Don Helder Câmara e Nazareno Afonso, da Associação Nacional de Transportes Públicos, informaram que a presidente Dilma concorda com as críticas do Fórum Nacional de Reforma Urbana, que em seu documento inicial, apresentado na Rio + 20, deixou em segundo plano a questão da mobilidade urbana.
    Para reforçar a crítica, a presidente citou São Paulo, ao comentar que a cidade é um exemplo de local que começa a ficar inviável, porque não recebeu investimentos em transporte público. A capital paulista é administrada há anos pelo PSDB ou aliados, como o atual prefeito Gilberto Kassab. Ganhar a prefeitura paulistana é prioridade do PT nas eleições municipais de outubro.
    Muquifos
    Segundo Donizete Fernando de Oliveira, presidente da União Nacional de Moradia Popular, para ajudar na construção de casas para quem ganha até três mínimos, cujo déficit é da ordem de quatro milhões de moradias, conforme dados da Fundação João Pinheiro, o governo pretende ajudar com a concessão de terras públicas, ampliação de financiamentos e redução da burocracia.
    Mas Dilma reforçou que a sociedade civil organizada precisa estar presente para garantir a construção de casas de qualidade. “Temos de fazer habitação de qualidade e não muquifos”, afirmou a presidente, de acordo com relato de três dos participantes, lembrando uma expressão usada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

    0
    • Davi 15 de junho de 2012 at 08:23

      Sinceramente, agora sim putaqueoparil eu vi a presidenta falar algo correto no que diz respeito a planejamento habitacional em São Paulo.

      4.000.000 PARA ATÉ 3 SALARIOS MINIMOS = isso NÃO É demanda reprimida para apartamentos de 1 quarto a 300k.

      Caramba, será que precisaram de 2007, 2008, 2009, 2010, 2011 e 1/2 2012 para descobrirem QUE A PORRA DO DEFICT HABITACIONAL, QUE A PORRA DA DEMANDA REPRIMIDA está com os mais necessitados?

      Secovi: apzinho de BRL 300K subiu tnto %, mas tem muita demanda reprimida o preço se justifica por isso! OU SEJA, FODEM os mais necessitados e FODEM a classe média.

      Desculpem os palavrões mas fico maluco com constatações do ÓBVIO tão tardias por parte de quem JAMAIS deveria ignorar estes fatos. DESGRAÇADOS!

      0
      • Hertel 16 de junho de 2012 at 15:45

        O problema Davi, é que a presidenta não entendeu o óbvio.

        A afirmação é descabida, dizer que não entende porque não se produz habitações de qualidade em SP para famílias com até 3 salários é, no mínimo, demagogia. A afirmação é demagoga porque em grande medida esta impossibilidade se dá por consequencia direta de instrumentos e programas criados pelo governo federal.

        Ora, foi o Minha Casa Minha Vida assim como o aumento dos prazos para financiamento, a mudança da legislação do setor (alienação fiduciária sobretudo) e a redução dos juros que fizeram explodir o volume de credito e com eles os preços de terrenos e imoveis.

        A conta simplesmente não fecha. Como construir moradias de qualidade para famílias com renda de até 3 salários quando o valor dos terrenos, mão de obra e insumos disparou devido as alterações promovidas pelo governo nos ultimos anos?

        Quem constroi faz conta, não é bobo e muito menos caridoso. O construtor só investe, se expoem ao risco, se as margnes de lucro compesarem os riscos. O mercado para até 3 salarios míminos nunca foi atrativo para se construir no Brasil. O governo com o MCMV tinha como intenção propriciar as margens de lucro esperadas pelo setor de construção mas enfiou o carro na frente dos bois.

        Ermínia Maricado, (que participou da formulação do MCMV e hoje é uma de suas críticas), disse que a proposta de parte dos formuladores do programa (do pessoal tecnico por assim dizer) era que antes de lançar o MCMV, de facilitar o credito ou alongar os prazos de financiamento, deveria-se iniciar um profundo processo de reforma urbana no Brasil.

        A proposta era primeiramente aumentar a disponibilidade de terrenos habitaveis nos grandes centros, com investimentos em infraestrutura e transporte, alem de aplicar os instrumentos para coibir os aumentos dos preços dos terrenos fazendo valer o Estatuto das cidades de 2001 que prever, dentre outros instrumentos, a desapropriação de terrenos que estão promovendo a especulação imobiliária. Se o governo tivesse adotado inicialmente estas medidas, poderia lançar o MCMV, alongar os prazos de financiamento e baixar os juros sem provovar grandes solavancos nos preços dos imoveis.

        Mas estamos no Brasil, mais uma vez prevaleceu os interesses das oligarquias patrimonialistas, assim como das grandes construtoras (o presidente da MRV participou ativamente da formulação do MCMV) e do própio governo que acobou priorizando não uma refroma urbana cujo fruntos seriam colhidos a médio e a longo prazos, mas prefiriu, como de praxe neste país, não contrariar interesses oligarquicos assim como colher os supostos beneficios eleitorais no curto prazo, lançando o MCMV e promovendo as modificações mencionadas sem qualquer reforma urbana.

        Mais uma vez o país perdeu a oportunidade de fazer uma reforma urbana e são os mais pobres que sofrem com isso.

        A presidenta não pode ser tão ignorante para não se dar conta disto, então só pode ser demagogia mesmo.

        0
  • Dave 15 de junho de 2012 at 08:17

    Primeira página da Gazeta do Povo – Curitiba

    “Endividado, consumidor reduz procura por crédito”

    http://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=1265369&tit=Endividado-consumidor-reduz-procura-por-credito

    0
  • Renatao 15 de junho de 2012 at 08:45

    Olha o email que acabei de receber de uma corretora ds MRV, isso pq falei para ela que nao tinha comprado ainda aguardando uma correçao nos preços.

    Detalhe, fiz contato em nov/2011 e ela me mandou um email ontem perguntando se ja tinha comprado.

    Boa noite, Renato

    Redução de preço é algo impossível de acontecer devido a valorizações dos imóveis.

    Oque acontece para uma melhora na aquisição é a redução nas taxas de juros, e uma coisa vc pode ter certeza a MRV é a unidade que no período de obras consegue facilitar e muito o valor de entrada para o cliente, hoje até mesmo o imóvel pronto está facilitando a entrada.

    Nessa região que vc me passará(zona sul), temos imóveis à partir de R$ 166.251,00

    Passe-me os dados abaixo que irei verificar oque consigo de acordo com o seu potencial de compra.

    0
    • Renatao 15 de junho de 2012 at 08:50

      Olha a minha resposta:

      Renata;

      Vai me desculpar, mas se tivesse facil vender nao seria necessarios essas medidas desesperadas do governo em reduzir juros e a ultima em aumentar o tempo de financiamento.
      TODOS sabemos que os valores chegaram a patamares impossiveis para 90% da populaçao brasileira.

      Mas enfim, so o tempo dirá quem esta certo.

      Agradeço seu contato e ate peço desculpas se estou sendo intransigente.

      Obrigado.

      Renato

      0
      • Avoador 15 de junho de 2012 at 09:15

        Nunca baixa de preço?
        A MRV começou anunciando um apê (apertamento) de 2 quartos a 90 mil (novembro/2011) em minha cidade, Montes Claros. Depois, baixaram para 89 k, depois 88 k, e agora pedem 86 mil… kkkk
        http://montesclaros.olx.com.br/parque-monte-fiore-belvedere-iid-394784834
        .
        Mande isto para o corretor.

        0
      • self 15 de junho de 2012 at 09:15

        Por que você não incluiu na sua resposta que, além da questão de preços, faz questão que seu imóvel não tenha paredes de papel?

        0
    • GB 15 de junho de 2012 at 09:22

      Cara, eu estou sondando um apê pronto deles (deve ser retorno, imagine como deve estar), em janeiro queriam R$ 218k, um valor absurdo e está encalhado desde então, inclusive ele foi oferecido no feirão da CAIXA e nada.

      Neste mês já me passaram que querem R$ 213k dizendo que “valorizou pra caramba nesse ano”, kkkkkkkkkkkkkk.

      E eu sempre respondo que tenho plenas condições para comprá-lo, mas tudo indica que vai cair logo para preços justos, nem que tenhamos que esperar até o fim da Copa (ninguém liga pra olimPiadas).

      0
      • GB 15 de junho de 2012 at 09:25

        “Redução de preço é algo impossível de acontecer devido a valorizações dos imóveis.”

        Vamos ver: R$ 218k (jan) – R$ 213k (jun) = R$ 5k ?

        E esses “cincão que desapareceu misteriosamente”, ela chama do que ? Ou minha matemática está errada ?

        E o condomínio que pagaram nesses 6 meses, impostos e outras coisas ?

        0
        • Orozimbo 15 de junho de 2012 at 09:53

          Sem contar a tautologia. O raciocínio é: o preço dos imóveis sobe porque sobe. Esses corretores têm um preparo impressionante!

          1+
        • Cleyton 15 de junho de 2012 at 19:42

          Fácil, está com condomínio e IPTU atrasado, quem quiser comprar vai ter que pagar o imóvel e mais a “valorização”, no fim vai ter que pagar bem mais que os 218 iniciais, então o valor real aumentou!

          0
    • ray 15 de junho de 2012 at 14:50

      não dou mais papo pra mrv, é disparada a mais absurda… classifiquei os mails deles como spam, não quero nem olhar…

      0
  • Ploc Monsters 15 de junho de 2012 at 09:32

    Apertamento da MRV dos que eu vi a única vantagem era não precisar de escada pra trocar a lâmpada, e também baixar o colesterol pq se fizer fritura na cozinha sua roupa vai captar o aroma de batata frita, calabresa, bife acebolado…

    0
    • GB 15 de junho de 2012 at 09:37

      Pior que é verdade, um conhecido do trabalho comprou um de 50m².

      Eu só sondo para Trollar mesmo, preciso de um terreno de 1.000 m² para ficar feliz.

      0
      • luiz(esperando a bolha) 15 de junho de 2012 at 11:26

        Esse mundo é muito desigual, morei em Nova Mutum, MT numa casa não muito grande mas muito boa e confortável, com terreno de 1000 m, é outra coisa! Comprei por 240.000 em 2009 e vendi por 280.000 este ano.Casa de aproximadamente 170 m.

        0
      • Mr. C. 15 de junho de 2012 at 12:12

        GB, o que vc acha dos terrenos em Jarinu? Pelo que tenho visto, um terreno de 1000m2 tá em torno de 30k, 40k, ou se for em condomínio fechado uns 70k (Bothanica Jarinu).

        Atualmente moro em ABC, mas tava pensando em pedir remoção pra Jundiaí e ir morar em Jarinu ou Campo Limpo Paulista. Só preciso saber se o trânsito na região compensa – uns 20km até o centro de Jundiaí.

        0
        • GB 15 de junho de 2012 at 15:18

          Lá é legal, mas como é área de preservação invadida a maioria dos terrenos é ilegal.

          Nesses de R$ 30k vai ter que fazer contrato de gaveta.

          Qualquer coisa verifique antes na prefeitura de lá.

          0
        • GB 15 de junho de 2012 at 15:21

          O inconveniente de Campo Limpo é ter que atravessar a cidade de Várzea Paulista para chegar em Jundiaí.

          0
          • Pietro 15 de junho de 2012 at 22:56

            podes ir pela marginal do rio jundiai sem problema nenhum. nao precisa passar pela cidade da varzea.
            Se quiserem tenho lotes de 1000 mts quadrados em Jarinu em local muito bom a preco de R$100k.

            0
            • GB 16 de junho de 2012 at 15:06

              Bolha, tem corretor vendendo terreno a preço bolhudo e distante da civilização aqui.

              Dedetiza ele.

              0
              • Bolha Imobiliária 16 de junho de 2012 at 15:22

                Deixa ele, não sei se vai conseguir muita coisa aqui no blog…

                0
                • Cleyton 16 de junho de 2012 at 21:15

                  Pô Bolha, você precisa dar o exemplo aí cara, cadê aquela energia? O baygon tá só na tua mão agora! Não economize.

                  0
                • GB 17 de junho de 2012 at 09:20

                  kkkkkkkk, pra corretor tudo é perto, tudo é barato, pobre do camarada que depois vai ter que fazer esse percurso todo santo dia..

                  Eu não daria nunca R$ 100k pra morar a 3 cidades de distância daqui se aqui mesmo em Jundiaí no Condomínio Serra dos Cristais ou no Condompinio Capital Ville eles cobram até menos que isso (o problema desses concomínios é o padrão da casa que exigem que seja construída, seu correspondente IPTU pois a casa é chique e o próprio condomínio cobrado).

                  0
  • Ploc Monsters 15 de junho de 2012 at 09:46

    Na minha opinião se a coisa continuar assim é melhor comprar uma boa casa no interior.

    Só ver como exemplo que eu conheço mogi guaçu que é uma cidade boa com o preço que em SP você compra uma lata de sardinha de 50 m2, lá você compra uma baita casa com piscina

    O problema é o trabalho mas pra quem pode, não tem comparação quanto a qualidade de vida

    0
  • Davi 15 de junho de 2012 at 10:21

    h ttp://www1.folha.uol.com.br/mercado/1105112-inadimplencia-do-consumidor-cresce-21-em-maio-diz-serasa.shtml

    O Mantega ontem não falou que o endividamento está reduzindo? Ou estou maluco e ele não falou isso.

    0
    • Davi 15 de junho de 2012 at 10:22

      Achei, sim ele disse.

      h ttp://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2012/06/14/nivel-de-consumo-e-credito-do-brasileiro-e-sustentavel-diz-mantega.jhtm

      0
      • Eskeleto 15 de junho de 2012 at 10:50

        Sugiro o Sr. Amanteigado virar o gráfico no qual está olhando, pois tenho certeza que esteja visualizando de ponta cabeça.

        0
    • Carlos Eduardo 15 de junho de 2012 at 12:35

      é fácil explicar!

      O mantega usa lógica invertida …. .

      coloca um NOT na frente das frases dele e você consegue entender

      hahaha

      0
    • Paulo D. 15 de junho de 2012 at 14:56

      tá reduzindo sim… as dívidas vão sumir por inadimplencia….hehe

      0
  • Bananildo 15 de junho de 2012 at 10:46

    Da Folha de São Paulo
    15/06/2012

    Inadimplência do consumidor cresce 21% em maio, diz Serasa
    PUBLICIDADE

    DE SÃO PAULO

    A inadimplência dos consumidores brasileiros cresceu 6,2% em maio na comparação com abril, a terceira elevação mensal consecutiva. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, a alta foi de 21,4%.

    No acumulado de janeiro a maio, a alta foi de 20% na comparação com o mesmo período de 2011.

    O crescente endividamento do consumidor e as compras parceladas para o Dia das Mães foram as principais razões para a alta da inadimplência em maio, segundo economistas da Serasa.

    As dívidas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica e água) puxaram esse crescimento, com variação de 9% entre maio e abril.

    A inadimplência com os bancos também subiu 3,1% no mês passado. Os títulos protestados e os cheques sem fundos apresentaram variação de 14,8% e 9,2%.

    O valor médio das dívidas registrou crescimento de janeiro a maio de 2012. As dívidas não bancárias cresceram 17,5%, os cheques sem fundos apresentaram elevação de 11,9%, assim como os títulos protestados e as dívidas com os bancos, que aumentaram 9,3% e 0,1%.

    0
    • GB 15 de junho de 2012 at 11:20

      Yeah !!!!!

      “Estamos 300% preparados”, kkkkkkkkkkkkkkkk.

      0
    • Eskeleto 15 de junho de 2012 at 11:41

      “O crescente endividamento do consumidor e as compras parceladas para o Dia das Mães foram as principais razões para a alta da inadimplência em maio, segundo economistas da Serasa.”

      Interessante não sabia que ano passado não teve dia das mães, eles fazem uma comparação como se a culpa fosse da data.

      0
      • self 15 de junho de 2012 at 13:44

        Só faltava essa: botarem a culpa na mãe dos outros! xD

        0
    • xangai 15 de junho de 2012 at 11:54

      putsss… eh sempre assim , janeiro/ fev eh por causa do natal e impostos … marco eh por causa do consumo do carnaval … junho vai ser por causa dos dias dos namorados … agosto dia dos pais … outubro mais feriados … e novembro por causa do dia dos finados !!!

      masss … peraiii… peraiiiiii …
      dia das maes eh em maio …. se a inadimplencia subiu em maio por causa do dia das maes que eh em maio … entao os caras ja nao pagaram nem a primeira prestacao ou nem mesmo a entrada ?!?!?

      essa acho que forcaram um pouco hemmmm !?!?!

      isso nao vai dar certo … ahhh nao vaiiii

      0
      • Luiz 15 de junho de 2012 at 11:59

        bananildo e demais, o editorail do EStadao complementa o seu post

        A indústria cai enquanto o comércio varejista cresce

        A produção industrial brasileira no primeiro quadrimestre apresentou queda de 2,8%, e o comércio varejista ampliado apresentou, em volume, crescimento de 6,2% – o que permite concluir que o descasamento entre produção industrial e consumo doméstico (coberto pela importação) continua aumentando.

        A campanha irresponsável do governo para que se aumente o consumo……

        estadao.com.br/noticias/impresso,a-industria-cai-enquanto-o-comercio-varejista-cresce-,886627,0.htm

        0
        • Bananildo 15 de junho de 2012 at 13:50

          Perfeito complemento mesmo, Luiz! Ótima leitura.

          0
      • Paulo Rocha 15 de junho de 2012 at 12:14

        Sim, e increvelmente o fipe-flop só aumenta mes a mes sem nenhuma oscilação para cima ou para baixo…. Igualzinho a populariedade o PT/Dilma/Lula!

        0
  • F. Paes 15 de junho de 2012 at 10:47

    Excelente texto. Muito explicativo, mas discordo de algumas percepções. Sinceramente, ainda não consigo enxergar essa crise toda com lojas e restaurantes vazios, preços de imóveis caindo, etc. Já disse diversas vezes aqui no blog, não discordo que os preços estão muito altos, mas ainda assim, continuo batendo na mesma tecla: ainda tem gente comprando. Não acho que o marcado travou como muitos falam.

    Final de semana passado estava na praia com amigos quando chegou um amigo de uma conhecida. Papo vai, papo vem, e ele disse que trabalhava na Gafisa, no depto de administração. Não me contive e comecei a perguntar da crise na construtora, na queda das ações, se ela ia realmente pedir falência etc. A pergunta do cara foi: “que crise?”. Ele disse que a construtora teve um mês de abril péssimo, mas ainda sim um ano “no verde” (mesmo com a queda das ações). A política de empresa está focando em imóveis de luxo, e muitas de seus problemas com os valores das ações é que a construtora vai reduzir drasticamente o nº de lançamentos, pois as vendas DEMORAM mais a acontecer. Mas ainda sim o valor geral de vendas ainda vem crescendo. Vender um apto de R$ 1 mi é melhor que vender 4 por 100k.

    No final, disse que estão lançando no Rio um novo empreendimento na Barra, tal de Scena Laguna, na Riviera da Lagoa, um local totalmente afastado, perto da Net. O preço de venda dos apto de 3 qts serão a partir de R$ 1,5 mi (150m2). Disse que a construtora gastou uma “baba” na inauguração do empreendimento, fez show com coquetel e o escambau pros funcionários, e está com uma expectativa muito boa nas vendas. Segue a foto do lançamento, que ele me mandou:

    http://a1.sphotos.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash3/545381_394801150555063_186918652_n.jpg

    Só acho que tem que ter coragem de comprar algo da Gafisa, mas é um bom empreendimento para acompanharmos o desempenho de vendas.

    0
    • Joao 15 de junho de 2012 at 11:17

      Amigo,

      Tem muita gente pagando nao, tem muita gente comprando, pagando sim míseras prestações durante a construção. final de 2012/2013 ficará mais nítida a real situação. É simples, a renda não acompanhou a expresiva alta, assim, a prestação não caberá no bolso, de 2 uma: Ou o valor se ajusta à renda, ou os empresários vão engordar os salários. O que acha que vai acontecer ?

      0
      • Joao 15 de junho de 2012 at 11:21

        Digo final de 2012/2013 porque começarão ser entregues oa imóveis, dando a necessidade de procurar o financiamento REAL.

        0
      • F. Paes 15 de junho de 2012 at 11:34

        Mas então, com essa crise toda que muitos falam, qual a explicação de uma construtora que vê suas ações derretendo na bolsa lançar mais um empreendimento a preços bolhudos? Será que a Gafisa não tem analistas de mercado? Ou ela é louca?

        0
        • Leno 15 de junho de 2012 at 13:36

          Das 4 montadoras “nacionais”, a Ford sempre foi a que menos vendeu. Porque eles nunca pensaram em reduzir o valor de seus veiculos em 30% a menos que seus concorrentes para ganhar no preço?

          O livre mercado não é tão livre assim. Existem carteis que determinam a média de preços seus setores, e deixa as empresas reféns dessa imposição.

          Se a Gafisa lançar um empreendimento com preço 40% a menos que as demais, ela quebra o setor. Isso faz dela refém do corporativismo da construção civil, mesmo que isso signifique sua quebra.

          0
    • Luiz 15 de junho de 2012 at 11:18

      Morreu e esqueceram de enterrar, só serve para especulação barata.

      Tem uma obra deles em Baureri há 4 anos e nada de entrega
      os compradores dão graças a deus, pois n poderiam pagar s chaves, fica tudo num faz de conta, pra iludir trouxa

      0
    • Stark 15 de junho de 2012 at 11:22

      Po, pagar 1.5 milhões pra ficar 2 horas no transito pro trabalho? Tem maluco que eu não entendo. Mais fácil comprar uma mansão em Petrópolis. E olha que tem doido que compra. Nem ve o filho crescer, pois chega em casa a criança tá dormindo e a pessoa exausta. Minha concepção de qualidade de vida, deve ser radicalmente diferente mesmo.

      0
      • F. Paes 15 de junho de 2012 at 11:31

        É a partir de 1,5 mi. Tem os de 4 qts que devem estar mais de 2 mi. Como disse, é um bom empreendimento para acompanharmos a venda. E esse prédio nem é no centrão da Barra. Não sei se vc conhece, mas é perto da Net, onde o cara pra cegar na Av. das Américas tem que andar no mínimo uns 3 km.

        0
        • F. Paes 15 de junho de 2012 at 11:31

          chegar***

          0
          • Rodrigo 15 de junho de 2012 at 17:14

            Fala vizinho!! Festa Junina no Barra Bonita dias 29 30 e 01!! Tem 2 anos que vou, são muito boas, vale a pena levar toda a família.

            0
            • F. Paes 15 de junho de 2012 at 17:25

              Já fui também, realmente muito boa. Ruim são os preços bolhudos nas barraquinhas. rssss O povo mete a mão! Dessa vez estarei de férias, vou viajar com a namorada.

              0
    • Eskeleto 15 de junho de 2012 at 11:48

      Lançar não é o problema, o problema é vender e depois entregar.

      0
      • Luiz 15 de junho de 2012 at 11:56

        vender não é problema

        o problema é pagarem

        0
    • Riodetudo 15 de junho de 2012 at 12:33

      A Gafisa tinha uma dívida líquida maior que 3,2 BI-lhões de reais. Só no quarto trimestre de 2011, quase 1 bilhão de prejuízo. Realmente, a situação da empresa deve ser ÓTIMA!

      0
    • lion 15 de junho de 2012 at 13:42

      Vi as plantas, moro em um apto na Barra do mesmo tamanho, próximo a esse só que pertinho da av das americas. A diferença é que esse ai tem + 10 metros quadrados de “varanda gourmet” e 500 mil mais caro do que pedem no meu prédio. Ou seja pague 500 mil a mais pra ficar longe, com um belissima varanda e a garantia?! da Gagafalisa.

      0
      • F. Paes 15 de junho de 2012 at 17:28

        Isso porque estão vendendo na planta. O seu já está pronto! Nesse trecho já tem o Quintas do Rio e o futuro Alphaville. Não acho muito legal pq é muito afastado da Americas, mas parece que o povo que mora nessa área quer mais é não se misturar. rsss

        0
        • Frank 15 de junho de 2012 at 18:13

          ” mas parece que o povo que mora nessa área quer mais é não se misturar. rsss”

          não vai se misturar nem se quisesse, pois não vai conseguir sair de casa.

          prevejo um futuro sombrio para o trânsito na Américas pós Cebolão (com a retirada de 1 faiza de rolamento).

          0
  • Luiz 15 de junho de 2012 at 11:15

    ESPETACULO DO CRESCIMENTO

    Queda da prévia do PIB na comparação anual é a 1ª desde setembro de 2009
    Rrecuo de 0,02% na comparação com abril de 2011,

    FONTE: Estado

    É o pior desempenho desde setembro de 2009, quando o banco Lehman Brothers QUEBROU e deflagrou a crise.

    0
  • Luiz 15 de junho de 2012 at 11:30

    bolha essa vale a capa
    BOLHA DE ESCRITÓRIOS PRESTES A EXPLODIR EM 2012

    http //brazilianbubble.com/here-are-3-charts-indicating-that-the-price-of-office-space-in-brazil-might-fall-this-year/

    0
    • John 15 de junho de 2012 at 11:39

      Vão transformar tudo em quitinete.

      0
      • GB 15 de junho de 2012 at 14:38

        kkkkkkkkkkkkk, vão mesmo.

        0
    • fcoelho 15 de junho de 2012 at 14:27

      Na rua jardim botanico, no rio de janeiro, na altura do hospital da lagoa a joao fortes comprou o terreno de um posto de gasolina para construir um edificio de escritorios. A contrução, em virtude da legislacao ambiental que se aplica a terrenos de postos de gasolina, só poderia ser iniciada 1 ano após o fim da operação do posto. Desde a desocupação do posto colocaram tapumes com a logo da Joao Fortes. A compra se deu no meio de 2010. Ou seja, desde a metade de 2011 já se poderia iniciar a construção, mas isso nunca aconteceu. Ja estamos na metade de 2012 e até agora não construiram nada. Ha alguns meses apagaram a logo da joao fortes. Fiz uma pesquisa na internet e encontrei anuncios do mes de fevereiro de 2012 de corretores chamando para o PRE lancamento. Acho que a coisa babou, pois quando entrei no site das corretoras, este empreendimento não esta na lista de pre lancamentos. O nome do empreendimento é touch escritorios inteligentes.

      0
      • Riodetudo 15 de junho de 2012 at 15:31

        A João Fortes tb “prometeu” iniciar as obras dezembro passado num empreendimento em São Conrado, coloquei num post anterior. Já caminha para 7 meses e nem terminaram de demolir a concessionária que tinha lá. A corretora disse novembro passado que “foi tudo vendido como água” e me procurou mês passando falando sobre devolução (porém, ainda mais caras, hahaha!!!)

        0
  • Luiz 15 de junho de 2012 at 11:35

    IMOVEIS CONTINUAM VALORIZANDO MUITO
    e investidores ganhando muito dinheiro

    saiba aonde:
    http: brazilianbubble.com/video-brazilian-boom-brazilian-buyers-boost-miami-real-estate-market/

    0
  • John 15 de junho de 2012 at 11:37

    Eu tenho uma dúvida prática quanto à queda dos juros. Será que o sujeito que comprou imóvel em 2010 pode brigar para readequar as parcelas para pagar com as taxas atuais? Se não conseguir, não vai adiantar nem jogar a bomba para o banco porque vai ficar sem crédito na praça.

    0
    • Eskeleto 15 de junho de 2012 at 11:56

      Não, oque ele pode brigar é se não entregarem o apertamento, se usarem clausulas abusivas etc, mas brigar para ajustar taxas atuais não.
      A dúvida talvez seja se consegue mudar o financiamento já existente de 30 anos e ampliar para 35 anos com uma renegociação no banco no qual seria pior ainda pois mostraria que a pessoa mal está conseguindo pagar.

      0
    • Johnny Real State 15 de junho de 2012 at 13:45

      Claro que sim, o BB e a CAIXA Econômica Federal possuem as melhores taxas do mercado.
      Existe a portabilidade de financiamento imobiliário, você muda do seu atual financiamento para o banco que desejar e o trâmite burocrático vai ser todo feito pelo banco.
      Você pode pagar as taxas atuais sim, e se tiver conta salário diminui ainda mais.
      Abraços

      0
      • Vinicius 15 de junho de 2012 at 14:08

        Vc fala como se isso fosse fácil… Os custos envolvidos nessa mudança são altissimos !!!

        0
          • Vinicius 15 de junho de 2012 at 15:33

            Está em estudo ainda… “Quem tenta transferir uma dívida habitacional de um banco para outro, em busca de um juro mais baixo, encontra duas barreiras: a burocracia e os custos. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, já sinalizou que o governo pretende melhorar as condições da chamada portabilidade do crédito imobiliário. “

            0
        • Johnny Real State 15 de junho de 2012 at 14:34

          Pega a tabela SAC e compara, os custos se pagam em 02 anos.
          E agora tem novas leis que você não precisa paga o ITBI full.

          0
          • Vinicius 15 de junho de 2012 at 15:34

            Verdade… oq são 2 anos para que está atolado em dívidas por 30 😀

            0
  • Fabiano 15 de junho de 2012 at 12:24

    Desemprego batendo a porta a coisa vai começar a ficar feia no segundo semestre

    Vale perde 700 vagas em maio

    Regionais de São José, Taubaté e Jacareí fazem parte do grupo das 13 no Estado que reduziram quadro no mês passado

    Arthur Costa
    São José dos Campos

    Na contramão da maioria das cidades do interior do Estado, a região do Vale do Paraíba fechou cerca de 700 postos na indústria em maio. A dependência da melhora do mercado externo é apontada como responsável pelo resultado da região.
    No Estado, 21 mil vagas foram criadas no último mês. Das 36 regionais do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), 13 tiveram redução no quadro de funcionários, entre elas, São José dos Campos, Taubaté e Jacareí.
    O pior cenário foi registrado na regional de Taubaté, que abriga outros 28 municípios, onde 550 vagas foram cortadas no último mês. Foi o pior maio desde 2006 e a terceira queda consecutiva na geração de empregos.
    Os setores de Produtos de Metal, Produtos de Borracha e de Material Plástico, Veículos Automotores e Autopeças e Metalurgia puxaram os cortes.
    Para o gerente do Ciesp de Taubaté, José de Arimathéa Campos, o resultado era esperado pelo momento vivido pela indústria.
    “Não foi surpreendente se levarmos em conta a tendência que já vem sendo apontada pelos estudos do Ciesp, face aos vários fatores que são sobejamente conhecidos e debatidos, como a alta carga de impostos, os custos de mão de obra, as dificuldades de exportações e o crescimento das importações”, disse o gerente.
    No acumulado do ano, a regional segue com o saldo positivo de 50 vagas criadas.

    Tendência. Em São José, 100 postos foram perdidos. A regional, que abriga oito municípios, acumula oito resultados negativos seguidos. Somente em 2012, cerca de 1.200 vagas foram perdidas.
    O diretor regional do Ciesp São José, Almir Fernandes, credita o resultado à dependência da indústria da região nas exportações. “Não tem nenhum fato novo, portanto, não vemos ninguém contratar. A região é muito exportadora, está sofrendo com a economia internacional”, disse.

    Manutenção. Já na regional de Jacareí, que engloba três municípios, houve redução de 50 vagas em maio.
    Os setores de Produtos Alimentícios e Bebidas puxaram a queda.

    0
    • Engenheiro-SJC 15 de junho de 2012 at 17:53

      Aqui em SJC, o DESEMPREGO tem cada vez ganhado mais destaque no noticiário local. O processo já se iniciou na GM e Panasonic e há fortes rumores na Embraer, além de outras..

      Tenho acompanhado bem de perto isso, pois é o que vai fazer essa bolha estourar de vez e jogar uma pá de cal sobre os “pacotinhos” do governo.

      Estou esperando por isso para, de fato, poder comprar um imóvel por aqui!

      Maaaasss, ultimamente tenho visto tb outros 2 assuntos ressurgirem aqui na região:

      a) TAV (trem bala, a Dilma acabou de criar hoje a ETAV que irá gerir o negócio)

      b) Expansão do Aeroporto de SJC (A obra foi incluída no pacotão de obras da Copa e está previsto para iniciar em 2 meses)

      Ambos os temas ficarão mais evidentes no 1° SEM/2013 e tem um enorme impacto na economia local, daí pergunto:

      Vocês acreditam que se essas 2 obras se concretizarem haverá espaço para especulação imobiliária em SJC, mesmo ocorrendo um aumento do desemprego e a economia nacional cada vez mais estagnada???

      Gostaria de ouvir a opinião do pessoal por aqui…

      0
      • Fabiano 15 de junho de 2012 at 19:04

        Engenheiro até onde eu sei o tal investimento do aeroporto nada mais é do que aqueles puxadinhos tipo tenda ou então aqueles modulos prontos que parecem um frigorifico.
        Desde que eu éra moleque escuto essa história do aeroporto , mas o grande problema é o nosso aeroporto estar dentro do CTA os militares e a Embraer jamais vai deixar os caras mexeram no seu quintal.
        E aquela área gigante ao lado da Tamoios que a prefeitura tem inclusive projeto pronto para um novo aeroporto não vai sair tão cedo porque depende principalmente da esfera federal e vc sabe muito bem que existe uma queda de braço muito grande entre o PSDB no caso Eduardo Cury X PT Carlinhos de Almeida …
        Engenheiro o PT quer a prefeitura aqui de SJC ja tem 16 anos , eu não vou me surpreender se o Carlinhos ganhar as eleições deste ano e no mes seguinte o governo libere a construção do novo aeroporto e ainda diga aos 4 ventos que foi uma conquista deles rs , igual ao TAV não tenho duvidas que o projeto não foi para frente porque o governo do estado não é do PT pois se fosse te garanto que teria brotado dinheiro a rodo para o projeto.
        Como tudo no Brasil se trata de richas politicas ….

        0
        • Engenheiro-SJC 16 de junho de 2012 at 16:47

          Pois é Fabiano, estes assuntos só reaparecem em épocas eleitorais e como tudo nesse país tem viés político.

          Sinceramente, não acho que o tal “puxadinho” (ou MOP, como chama a Infraero) no aeroporto daqui consiga gerar alguma especulação imobiliária. O aeroporto ainda terá uma contribuição rídicula na malha aérea nacional e tal obra só servirá de complemento para atender ao pico de pax em direção a SP durante a Copa.

          Mas, se o PT ganhar a eleição municipal por aqui, vai pressionar a construção da 2° Pista com as facilidades do RDC (regime diferenciado de contratação) e resolver o conflito de interesses (Infraero, Aeronáutica e Embraer).

          Quanto ao TAV, o interesse político é enorme! O PT vai aos delírios com esse projeto! Isso será mais lembrado que Itaipu ou Ponte Rio-Niterói. Mas o problema aqui é outro: viabilidade técnico-econômica. Traçado inclinado, custos subestimados, impacto ambiental etc. Por isso que os 2 últimos leilões fracassaram. A saída já sabemos qual será: grande envolvimento financeiro do Tesouro garantindo o negócio! Não tenho dúvida que o PT usará o TAV na campanha de 2014.

          Tudo isso, como havia dito antes, ficará mais concreto em 2013 e se estas hipóteses se confirmarem, e pior, se forem quase que simultâneas acredito sim que farão forte pressão nos preços dos imóveis por aqui mesmo com o aumento do desemprego…. e meus planos de comprar um imóvel barato…

          0
  • Fabiano 15 de junho de 2012 at 12:28

    Olha a bolha dos automoveis explodindo tb ……… cade a tal nova “classe média” que o governo diz que esta comprando rs rs ??

    GM reduz produção em S. José

    Sindicato alega que empresa diminuiu a produção de carros de 46 para 29 unidades por hora no primeiro turno e 22 para 17 no segundo

    São José dos Campos

    Após anunciar a abertura de um PDV (Programa de Demissão Voluntária) em sua fábrica de São José, a General Motors reduziu nessa semana o volume de produção da linha conhecida como MVA, responsável pela fabricação dos modelos Meriva, Zafira e Corsa.
    Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José, no primeiro turno do MVA, a produção passou de 46 para 29 carros por hora. Já no segundo turno, de 22 para 17 unidades.
    A medida seria o início do ajuste da produção do complexo fabril da GM, o que, segundo a empresa, motivou a abertura do PDV, cujo prazo de adesão termina hoje.
    Em entrevista a O VALE após o anúncio da implantação do programa, o diretor de Assuntos Institucionais da GM, Luiz Moan afirmou que os modelos produzidos no MVA estavam em baixa no mercado, o que forçou o ajuste na produção.
    As minivans Meriva e Zafira, inclusive, saem de linha ao longo do ano. O veículo substituto dos modelos, batizado de Spin, já está sendo produzido na unidade da GM em São Caetano do Sul.

    Risco. Ontem, o Sindicato dos Metalúrgicos realizou uma assembleia com os trabalhadores da GM para debater a situação da fábrica.
    Na ocasião, foi aprovado o pedido de reabertura das negociações entre GM e sindicato para discutir investimentos na unidade.
    O esforço, no entanto, pode ser em vão. Moan afirmou que não estão previstos novos investimentos para o Brasil e que não seria possível atender às reivindicações apresentadas pelo sindicato.

    MVA
    Produz Meriva, Zarifa e Corsa e emprega cerca de 2.500 trabalhadores

    Risco
    Com redução do volume de produção, aumenta o risco de novas demissões e de um possível cancelamento de um dos turnos do MVA

    Reunião
    Sindicato busca apoio do governo Federal, Estadual e Municipal para tentar manter os empregos na fábrica

    0
    • Matuto 15 de junho de 2012 at 15:44

      Em relação a este caso da GM em São José, tenho informação de um alto executivo da GM que a intenção deles é abandonar esta fábrica por um único motivo: o Sindicato da região.

      Exigências sem o menor cabimento e totalmente descoladas do cenário atual estão fazendo com que a GM não tenha outra alternativa a não ser sair da região.

      Estão construindo mais andares em São Caetano para abrigar ainda mais modelos, mas em São José eles não lançam mais nada novo.

      Quem conhece a fábrica sabe que é uma fábrica fantasma, é um espaço gigante mas 80% do espaço é tomado por galpões vazios. E a tendência é esvaziar ainda mais, se os trabalhadores não se conscientizarem que o sindicato está acabando com a fábrica.

      0
      • Engenheiro-SJC 15 de junho de 2012 at 18:06

        então a GM prefere lidar com o sindicato do ABC??? ^o) Do qual muitas empresas fugiram por ser o berço da CUT…

        0
        • xangai 15 de junho de 2012 at 18:21

          tambem reconheco a historia do matuto..

          a gm em scs nao lida com sindicato ( nunca lidou ) do ABC… trata com sindicato de scs ! eh bem diferente ! sempre foi muito mais facil que sbc ou sa.

          0
          • Matuto 15 de junho de 2012 at 21:18

            Exatamente !

            Ford e VW lidam com o sindicato do ABC. GM de São Caetano, não.

            0
          • Engenheiro-SJC 16 de junho de 2012 at 16:52

            OK!

            Então que o sindicato de SJC acorde para a realidade!!

            0
      • Leonardo 16 de junho de 2012 at 00:54

        Em todo caso, Volks, Ford e Mercedes nem cogitam mais sair do ABC. Depois da evasão de empresas da região na década de 90 e especialmente depois que o Lula assumiu a presidência o comportamento do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC mudou muito, e as fábricas no ABC receberam bastante incentivo governamental, tanto que a Mercedes Benz mesmo passou a coordenar todas as operações pra América Latina em São Bernardo. A proximidade com SP também ajuda nisso.

        0
  • Ploc Monsters 15 de junho de 2012 at 12:29

    Esse é o Brasil, o espetáculo do crescimento baseado no consumo e na fabulosa classe C de fatasticos 1000 real de renda !

    A China agradece !!!

    0
  • Bolha Imobiliária 15 de junho de 2012 at 13:35

    Meio nada a ver, mas vou contar.

    Ontem um colega de trabalho me contou que o estacionamento onde ele deixa o carro vai fechar, e que o CEFET comprou. Depois descobri que o CEFET está comprando toda a quadra, do outro lado da Av Silva Jardim, aqui em Curitiba. Este meu colega de trabalho mora em um prédio que o CEFET quer comprar, e é o único terreno que ainda não foi comprado por eles. Eles ofereceram 500 mil reais por cada apartamento, que não vale 200 mil. E isto, tudo pago com o seu dinheiro, caro leitor…

    0
    • hannamanana 15 de junho de 2012 at 13:46

      Eu descobri que aqui na minha cidade estão fazendo o mesmo em determinada região.
      Pagaram um preço bolhudo por uns imóveis cacarequentos, estão derrubando e vão construir “fantásticos” apertamentos.
      Resta um proprietário guerreiro, bem no meio, que não quer vender. Mas, vai acabar fazendo. Já derrubaram as casas ao lado pra pressionar.

      0
    • Martinez 15 de junho de 2012 at 15:13

      Ola bolha, eu estudo no CEFET, nao sabia q eles tavam comprando os imoveis ao redor, pensei q fosse o contrario q iam vender e mudar pro campo comprido, alias ja tem o campus novo la. Se mudassem meu curso pra la seria bem melhor moro bem proximo.

      0
      • Gerson 15 de junho de 2012 at 17:13

        Interessante. Também já estudei no CEFET e ele já tinha uma área desse outro lado da Silva Jardim aí onde funcionava o centro de línguas e ouras coisas. Mas essas são situações de exceção creio eu. Acontece muito com empresas que precisam expandir sua área e compram imóveis próximos a sua infraestrutura já montada. Eles pagam um ágio grande para garantir a compra logo, tendo em vista que há para eles muitas vantagens logísticas. Meu cunhado teve sorte com isso, vendendo sua casa e terreno nos fundos da Coca Cola que precisava expandir aqui em Curitiba. Basicamente eles pagaram o que ele pediu, que não foi pouco.

        0
        • Cleyton 15 de junho de 2012 at 20:24

          Ô pessoal, o CEFET fechou faz anos!

          O Lula não disse que construiu sei lá quantas novas universidades? O que precisou fechar e de onde veio os professores acho que ele não disse.

          (Será que o Álvaro ainda tá funcionando?)

          0
          • Bolha Imobiliária 15 de junho de 2012 at 23:28

            Tá bom, UTFPR…
            O tudo do ônibus ainda é CEFET…

            0
  • Alex 15 de junho de 2012 at 13:55

    Estou procurando terreno para comprar em Jundiaí. É uma vergonha o que se passa aqui. Terreno que estava à venda por 450mil há 1 ano, agora está por 650 mil. Outro, que estava por 380 mil, agora esta por 500mil. Estão há quase 2 anos à venda, e aumentam 60% o preço.
    Mas sinceramente não tenho esperança que baixe. A proximidade de São Paulo faz com que muitos morem em Jundiaí e trabalhem em São Paulo.
    Há alguns proprietários que não querem vender agora seus terrenos pois acham que daqui a 2 anos, quando saírem os Shoppings Morumbi e Iguatemi, eles valorizarão ainda mais.
    Alguém pode dar uma dica do mercado imobiliário em Jundiaí, e mais especificamente sobre terrenos?

    0
    • Jack Daniels 15 de junho de 2012 at 14:44

      Engraçado… escuto esta história que o preço está alto devido ao pessoal de São Paulo ir morar e pagar qualquer preço em Campinas, São José dos Campos, Taubaté, Caçapava, Paraibuna.
      Será mesmo?

      0
      • self 15 de junho de 2012 at 15:25

        Se fosse mesmo ESSE o motivo, então os preços na capital deveriam CAIR… Ou seja, não faz sentido, não é isso o que explica. O que explica nós já sabemos há muito tempo aqui no blog.

        0
    • Anonymous 15 de junho de 2012 at 15:46

      Alex,

      A banânia perdeu o juízo FAZ MUITO TEMPO. Um terreno residencial de 1000 m2 nos EUA, com a qualidade de vizinhança similar a um AlphaVIlle custa cerca de 25 mil Reais. É iiso mesmo, não tem erro nenhum nesse valor.

      0
      • Engenheiro-SJC 15 de junho de 2012 at 18:14

        Em SJC,

        ->R$200K, 250m2… apenas 32 vezes mais!

        0
    • Alex 15 de junho de 2012 at 16:47

      Mas alguém sabe informar como está o mercado de terrenos em Jundiaí?
      Tende a cair mais vagarosamente que em outras cidades?
      Há algo que justifique Jundiaí ser mais caro que outras cidades do interior, ou que justifique uma queda menos acentuada daqui para a frente?

      Em conversas com corretores, logicamente eles não dizem que as vendas caíram. Mas “sem querer” alguns dizem “o forte de vendas foi em 2009 e 2010, em 2011 os preços se estabilizaram e agora estão se mantendo em 2012… as vendas “não estão tão fortes” agora como em 2 anos atrás…”

      Sinceramente, não sei o que fazer. Espero até o dia 02 de Julho? *rs*

      0
      • Engenheiro-SJC 15 de junho de 2012 at 18:10

        ehehhe.. estou neste mesmo barco amigo…

        Aqui em SJC terreno em condomínio não sai por menos de R$200K..250m2…

        0
        • Alex 15 de junho de 2012 at 23:56

          Aqui em Jundiaí o terreno em condominio fechado já está R$ 1000 o metro2.
          Logicamente ninguem compra.

          0
  • Ploc Monsters 15 de junho de 2012 at 13:56

    Olhem o tamanho do Pepino que Dilmão vai ter que encarar:

    INSS propõe indenização a quem volta a trabalhar
    Nos bastidores, governo negocia com STF proposta para recalcular benefícios apenas de aposentados que entraram na Justiça. Para os demais, saída seria pagar pecúlio
    POR ALINE SALGADO
    Rio – Direito ao recálculo de benefícios só para aposentados que já acionaram os tribunais e pagamento de pecúlio, um tipo de indenização, para quem não tem ação. Esta é a proposta que estaria em negociação nos bastidores entre o Ministério da Previdência e a Supremo Tribunal Federal (STF).
    Fontes revelaram à Coluna que, para solucionar o impasse que envolve 500 mil segurados que voltaram à ativa e frear a enxurrada de ações na Justiça, o governo já teria convencido os ministros do Supremo STF a votarem pelo direito à desaposentação para os que já reclamaram judicialmente.

    A fim de colocar um ponto final na questão, os ministros do Supremo determinariam que o INSS devolvesse as contribuições feitas pelos segurados já aposentados, e que retornaram ao mercado de trabalho, no momento em que decidissem parar de vez, em forma de pecúlio.
    Dos 11 ministros que compõem o STF, dois já teriam seu voto favorável à desaposentação. Sendo o posicionamento do ministro Marco Aurélio Mello deconhecimento público, já que ele votou a favor da desaposentação em setembro de 2010.
    Há dois anos a constitucionalidade do direito de ter recalculado o benefício de quem voltou à ativa aguarda votação no STF. Em dezembro de 2011, o Supremo reconheceu a existência de repercussão geral da causa. Em outras palavras, os ministros entenderam que a desaposentação é questão de interesse social.
    Em todo o País, são cerca de 70 mil ações correndo na Justiça para garantir o direito. Para o presidente da Confederação Brasileira dos Aposentados e Pensionistas (Cobap), Warley Martins, no entanto, a volta do pecúlio seria retrocesso histórico na luta pelos direitos dos aposentados. “O segurado perderia proteção maior e completa, até o fim de sua vida. Tudo tem que ser conversado”, criticou.
    AÇÃO CONTRA DESCONTOS
    INCONSTITUCIONALIDADE
    A Federação das Associações dos Aposentados e Pensionistas do Estado do Rio de Janeiro (Faaperj) planeja entrar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no Supremo Tribunal Federal (STF). A ADI questionará a contribuição obrigatória ao INSS imposta aos aposentados que voltaram ao mercado de trabalho com carteira assinada.

    DUPLO DESCONTO
    Segundo o assessor jurídico da federação, João Gilberto Pontes, os segurados são duplamente prejudicados com os descontos no salário. Primeiro porque precisam voltar à ativa para recompor o orçamento, já que os benefícios estão defasados. E, segundo, pelo fato da contribuição ao INSS, não garantir nenhuma proteção a mais.

    MENOS DIREITOS
    Hoje, mesmo contribuindo com o INSS, aposentados que voltaram ao mercado não têm direito às proteções do auxílio-doença ou acidente. Isso porque, a Previdência impede que o segurado mantenha dois benefícios de maneira simultânea.

    PECÚLIO
    Recurso extinto em abril de 1994, o pecúlio é uma espécie de indenização paga pelo INSS no momento em que o aposentado decidir parar de trabalhar de vez.

    QUASE R$ 3 BILHÕES

    Segundo o secretário de Políticas Públicas da Previdência Social, Leonardo Rolim, se a troca da aposentadoria atual por outra, que contabilize os anos a mais no mercado, for aprovada, o governo terá de desembolsar, por ano, R$ 2,8 bilhões. Para cada segurado seriam em média R$ 5,6 mil.

    0
  • Lara 15 de junho de 2012 at 14:01

    haja paciência pra esperar essa bolha estourar.

    morei num flat simplezinho nos Jardins em SP, em 2009. na época, o apartamento custava 130K. no ano passado, eu quis comprar, mas já estava por 280K, o que me pareceu um absurdo por 30m2.

    fui ver hoje: estão pedindo 400k. onde isso vai parar? estou torcendo pela profecia do Jacó…

    0
    • Luiz 15 de junho de 2012 at 14:12

      Segundo o pifezp (que é pro-proprietário) no bairro Jd paulista, o 1 dorm está caindo de preço a 4 meses seguidos

      0
    • CHARLES 15 de junho de 2012 at 14:20

      Tambem tenho estorias parecidas em relação a morar em flat em SP.

      De 2005 a 2009 morei num flat na av rio branco, champs elisees. O apto de 28m² em 2005 custava 32 mil e aluguel em 700 reais com condominio e demais taxas inclusas.

      Em 2009 sai de lá e pagava 1200 de aluguel mas o preço ja estava em 80 mil.

      Esses dias, consultando por curiosidade anuncios de flats naquele predio, deparei me com a insanidade de 210 mil pra morar em 28m².

      Será que é uma nova bolha de flats dentro de outra bolha ainda maior, a imobiliaria?

      0
      • Ricardo Eng 15 de junho de 2012 at 16:37

        O pior é que SP já eve bolha dos flats e esta estourou de forma desastrosa. Um monte de gente perdeu dinheiro.

        Teve até cara que se matou.

        0
  • ildeu 15 de junho de 2012 at 14:11

    comprei uma lojinha -box em um shopping popular por 18 e vendi por 25 mil depois de 3 meses.Esse valor é a luva [aluguel de 400 reais]
    A mulher parece que vai tentar revender tbém .Mas que dá um alivio vender essas bombas ,isso dá !tava pra inaugurar e começar o aluguel-condominio .Imoveís está igual aquela brincadeira da bexiga enchendo , cada um querendo se livrar antes que exploda na sua mão .

    0
    • GB 15 de junho de 2012 at 14:48

      É isso aí.

      0
  • Leonardo 15 de junho de 2012 at 14:44

    zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-3-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-FLAMENGO-/ID-2416918

    Pelo amor de deus, 700 mil neste apartamento? olha a cozinha e o banheiro? meu deusssssss, onde vamos parar?

    0
    • Stark 15 de junho de 2012 at 14:57

      HA HA HA….esse tipo de maluco, eu to trollando direto. Manda email oferendo 500. As respostas sáo engraçadas. Adiciona o ap nos seus favoritos e daqui a 2 meses ve se tá lá ainda.

      0
    • Ploc 15 de junho de 2012 at 15:09

      E tenho historico dele nas minhas capturas desde Nov/2011 por 699K.

      0
      • Socorro!! 15 de junho de 2012 at 15:25

        eu to procurando AP no flamengo e acho que um dos lugares mais caros do rio..

        predios velhos…aparmentos mais velhos ainda..e o Flamengo tem 45% da população ( segundo o IBGE 2010) acima de 65 anos..so Copacabana tem maios velhos…

        hoje para achar um apartamento bom no Flamengo (com garagem ) so acima de 800 K… com 80 M2…

        0
        • Ploc 15 de junho de 2012 at 15:59

          Aqui temos outros no bairro que estão anunciandos e parece que não venderam desde Nov/2011. O preço baixou. Para mim ainda tudo bolhudo.
          nov/2012 Jun/2012
          950.000 890.000 /Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-FLAMENGO-/ID-1521963
          2.000.000 1.800.000 /Apartamento-Padrao-4-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-FLAMENGO-AVENIDA-OSWALDO-CRUZ/ID-1709704
          800.000 780.000 /Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-FLAMENGO-RUA-SEN-VERGUEIRO/ID-2064889
          3.850.000 3.600.000 /Apartamento-Padrao-4-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-FLAMENGO-/ID-2306797
          860.000 760.000 /Apartamento-Padrao-3-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-FLAMENGO-RUA-SEN-VERGUEIRO/ID-2465761
          750.000 710.000 /Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-FLAMENGO-AVENIDA-OSWALDO-CRUZ/ID-2486724
          1.100.000 950.000 /Apartamento-Padrao-4-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-FLAMENGO-RUA-MARQUES-DE-ABRANTES/ID-2537760
          750.000 700.000 /Apartamento-Padrao-3-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-FLAMENGO-RUA-SEN-VERGUEIRO/ID-2677600
          850.000 709.000 /Apartamento-Padrao-3-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-FLAMENGO-RUA-MARQUES-DE-ABRANTES/ID-2709370
          330.000 315.000 /Apartamento-Padrao-1-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-FLAMENGO-RUA-BENTO-LISBOA/ID-2710087
          1.097.000 950.000 /Apartamento-Padrao-3-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-FLAMENGO-PRAIA-FLAMENGO,DO/ID-2731948
          997.000 918.000 /Apartamento-Padrao-3-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-FLAMENGO-RUA-HONORIO-DE-BARROS/ID-2752496

          Abraços,

          PLOC

          0
          • Socorro!! 15 de junho de 2012 at 16:31

            imoveis por 6 meses parados e em alguns Aps o cara nao baixa nem 10%…realmente nao estão necessitando de dinheiro…

            0
          • D. RJ 15 de junho de 2012 at 16:33

            Boa base de dados, PLOC!
            Interessantíssimo.

            0
          • Stark 15 de junho de 2012 at 16:44

            Na verdade, isso vai de acordo comuma teoria minha. A maioria desses imóveis usados a venda são de deslumbrados. Acham que estão ricos, pelo canto dos corretores. Aí colocam a venda e se algum “otário” comprar eles vendem. Mas, não dão descontos pq não podem. Todo mundo tá fazendo isso, então se o morador vender, não tem pra onde ir. Então ele só aceita o preço bolhudo dele, pois pode comprar um outro ligeiramente menos bolhudo e ficar com uma graninha.

            0
            • hannamanana 16 de junho de 2012 at 08:32

              Concordo plenamente.
              Acho que é esta uma das explicações.
              Repito… aqui na minha cidade não vi – na prática – nenhum redução no preço dos imóveis! Só mesmo multiplicação de plaquinhas, mas continuam segurando preço.
              Aguardando

              0
      • Stark 15 de junho de 2012 at 15:48

        Po, por ganancia do corretor que deve prometer venda na “semana” seguinte a quase um ano pro proprietário, o cara, perdeu a chance de ter alugado nesse período e a chance do rendimento se vendesse por um preço menos bolhudo.

        0
      • Stark 15 de junho de 2012 at 15:51

        Boa informação. Mandei um email trollando ele.

        0
  • Bolhudo 15 de junho de 2012 at 14:44

    Acabo de conversar com um cliente que é corretor a 30 anos, cara honesto e trabalhador ele disse não ver a hora de estourar logo esta bolha pois não ganha nada a meses, ele disse que o mercado imobiliário está nas mãos “dos grandes”

    0
    • Anônimo 15 de junho de 2012 at 16:11
      0
      • Paulo Rocha 15 de junho de 2012 at 19:18

        É a alternativa b)! 😀

        Tranalhador deveria ser trabalhador! rsrs

        0
    • Bubble Breaker 15 de junho de 2012 at 20:23

      O que ele quer dizer com grandes?? Corruptos?

      0
    • RosinhA 15 de junho de 2012 at 21:07

      O problema Bolhudo é que os corretores ficaram sem um grande filão de mercado…..

      Construtores micros, pequenos e médios, vendem seus imóveis direto, sem intermediação de imobiliárias, as grandes pagam micharia para eles e tb vendem direto, até pela internet agora.

      Como o mercado de imóveis usados caiu bastante, eles sentem na pele, pois muitos deixaram seus empregos estáveis e começaram se aventurar na profissão pelo sonho do lucro rápido e fácil, “formaram-se” milhões e ainda dizem por aí que faltam mais.

      Os usados tendem a demorar para vender pois geralmente os proprietários tem como único imóvel, e precisam da famosa venda casada, mas como todo mundo percebe que os valores estão irreais e que os corretores estão desesperados, pedem alto para ver no que pode dar, o famoso se vender vendeu. Estes imóveis estão velhos, mal construídos, e não vendem porque qualquer reforma ficaria inviável.

      “disse não ver a hora de estourar logo esta bolha pois não ganha nada a meses, ele disse que o mercado imobiliário está nas mãos “dos grandes”

      Grandes do mercado podem ser os investidores pesados, aqueles que compraram para lucrar, 10/15 unidades no mesmo prédio, aqueles que podem segurar por um tempo mais longo, ao contrário daquele que vendeu seu sobrado, mora de aluguel, e está esperando o término das obras para ficar com 2 unidades, este está ferrado totalmente, mas não podemos esquecer aqueles que tem condições de esconder $$$$ em imóveis, daí as notícias pipocando de construções irregulares, proprinas, corrupção entre outros, como poucas áreas estão atrativas, o pessoal correu e socou tudo em CV.

      Com o futuro incerto e nebuloso da economia, todos os grandes estão pagando pra ver no fim isso tudo vai dar, e isso nós já sabemos.

      0
      • hannamanana 16 de junho de 2012 at 08:36

        Ótima explicação.
        Às vezes tenho esta impressão: que parte do mercado está travado, onde alguns detém uma boa fatia dos imóveis disponíveis e estão segurando os preços.
        Existe gente oportunista ou desleal ou honesta em qualquer ramo profissional. Seja lá que tipo for, deve estar sentindo a adversidade do mercado neste momento.
        Notadamente, isto não se sustentará por muito tempo.

        0
    • Zoom 15 de junho de 2012 at 22:52

      Se eu pudesse eu matava mil….. (corretores). heheheheh

      0
  • Patricia Engª 15 de junho de 2012 at 15:16

    Só pra descontrair…rs

    Palácio de 48 quartos e nenhum banheiro à venda por R$ 7 milhões

    O governo da Inglaterra quer se desfazer dos custos de manutenção da propriedade do século XV.

    Um dos grandes palácios da Grã Bretanha está à venda por 2,5 milhões de libras esterlinas, o equivalente a cerca de 7,7 milhões de reais. Considerando o tamanho da propriedade, o montante é uma verdadeira pechincha. O imponente edifício conhecido como Apethorpe Hall possui 48 quartos, galeria de arte, biblioteca, jardins italianos e toda estrutura digna de um rei, menos uma coisa essencial: banheiro.

    A propriedade, construída entre 1470 e 1480 por Guy Wolston, está sendo vendida pelo governo britânico, que a comprou por R$ 9 milhões há oito anos, já gastou mais de R$ 12 milhões com reformas e agora quer se livrar das despesas anuais de manutenção.

    O novo proprietário terá que arcar com uma despesa anual de R$ 310 mil pela conservação do edifício, além de se comprometer a mantê-lo aberto ao público por, pelo menos, 28 dias por ano.

    O Apethorpe Hall foi propriedade particular por cerca de 350 anos, quando seu criador vendeu-o para a família Mildmay. Depois disso, chegou a funcionar como escola e também foi usado para produções de cinema e televisão.

    Anos de negligência, no entanto, chegaram a levar a propriedade à ruína. O governo gastou milhões para recuperá-la e a notícia da venda tem gerado críticas – teria sido muito investimento público para agora, simplesmente, devolver o palácio para a iniciativa privada.

    “http://www2.imovelweb.com.br/noticias/casa-e-cia/Palacio-de-48-quartos-e-nenhum-banheiro-a-venda-po.aspx?

    0
    • Leonardo 16 de junho de 2012 at 00:21

      Coloca uma varanda gourmet que vai ter um monte de “investidor” brasileiro indo comprar.

      0
  • ildeu 15 de junho de 2012 at 15:21

    comer num restaurante em bh : arroz , bife com queijo por cima , 4 pessoas tomand 1 coca em lata cada um =190 reais ! nada chic ou sofisticado .Se o dono tem 20 mesas dessas no almoço e jantar são 8 mil por dia ou 240 mil de faturamento por mês num restaurante médio .se dá 30% de lucro o cara ganha uns 70 mil por mês vendendo bife com arroz.Será que tem alguma cois errada nesse país?

    0
    • Eskeleto 15 de junho de 2012 at 15:40

      Talvez por causa da inflação na carne? :p

      0
      • Joao 15 de junho de 2012 at 15:57

        Alcatra e contra-file aqui no Rio você acha até a 10,90 por kg. Pegando o gancho: há um tempinho sem ir a um barzinho perto de casa (Jacarepaguá), levei um susto, Bohemia foi pra R$6,90 (fora os 10%). Pouco antes tava a R$4,50. Aonde vamos parar ? Que inflação é essa medida pelo governo ?

        0
        • self 16 de junho de 2012 at 00:12

          Se as pessoas pararem de tomar Bohemia, o preço vai ter que baixar. Continuo sem entender por que as pessoas são tão passivas com aumento de preços…

          0
    • RAL 15 de junho de 2012 at 16:54

      Na Avenida Paulista em São Paulo tem um Estacionamento com a seguinte Tabela de Preço:
      1/12 avos de hora = R$ 4,90
      30 minutos = R$ 14,90
      etc…

      0
    • RosinhA 15 de junho de 2012 at 21:23

      Ildeu pode esperar, os ramos que mais sofrerão com uma queda da economia serão os supérfulos, não falo da situação específica de seu restaurante, pois ele pode estar situado em um lugar onde existe mercado para sobrevivência e até crescimento.

      Mas lojinhas de perfume, roupas de médio padrão, acessórios, cabeleleiros finos, estéticas, academias, estão sofrendo e ainda sofrerão maiores impactos.

      Quanto aos 70K por mês tem muitos executivos que falam 8 línguas e não ganham isso nem em sonho, a conta é meio diferente depende de mil fatores, só os impostos e encargos comem 45k desses 70, fora outros milhões de outros, ter algum tipo de comércio nesse país é algo muitas vezes inacreditável. 🙁

      Mas tem total razão, muuuuuuuuuuita coisa aqui é absurda.

      0
  • Será... 15 de junho de 2012 at 15:58

    Brasileiro é muito espero mesmo….olha a frase do malaco:
    “Estou passando o financiamento por motivo de investimento em imóvel…”

    Ou pode ser…o que é um peido pra quem tá…

    “http://www.bomnegocio.com/rio_de_janeiro/grande_rio_de_janeiro/stepway___flex_e_gnv__novo__8055479.htm?”

    O carro é totalmente completo. O GNV está na garantia. IPVA 2012 pago e aguardando vistoria.

    Condições:

    R$14.000,00 de entrada + 37 de R$1194,00

    (Estou passando o financiamento por motivo de investimento em imóvel. A taxa de juros deste financiamento está muito baixa do que a atual)

    Só aceito com transferência imediata. Tem que comprovar renda para aprovação.

    Aceito carro ou moto, em bom estado e neste valor como entrada.

    Já paguei R$3.000,00 de entrada + 21 x R$1194,00 totalizando mais de R$28.000,00. Ou seja quero menos que a metade do que ja paguei.

    Favor entrar em contato somente reais interessados.

    0
    • Será... 15 de junho de 2012 at 16:11

      E vou te falar…

      O que tenho visto de repasse de financiamento de carro, tá demais.

      O pior é quando vc analisa o valor da prestação, a quantidade de parcelas e o local onde o carro se encontro…vc identifica logo o perfil da nova classe C, que só olha pra parcela, mete a mão aonde não alcança pra viver de aparência, e que é a mesma que fez o Brasil virar “potência” do dia pra noite…

      0
    • GB 15 de junho de 2012 at 16:40

      Esse aí se ferrou.

      E ainda tem 3 anos pagando R$ 1.200,00 por mês, será que alguém tira esse pepino da mão dele ou ele deve devolver, perder tudo e ainda ficar devendo ?

      0
      • self 16 de junho de 2012 at 00:19

        Esse aí MERECE se ferrar. Quem mandou não usar uma calculadora na hora de comprar? Fazer a continha básica: quanto vou gastar com este carro (parcelas + combustível + seguro + etc) ao mês? Quanto vai me sobrar? E se eu comprasse um carro mais simples, não seria melhor?

        Mais uma vez: MERECE. Tem gente que incrivelmente procura corda para amarrar no pescoço, viu.

        0
    • Leno 15 de junho de 2012 at 16:58

      Sempre a mesma desculpa. A maioria dos anuncios de repasse de financiamento tem como motivo compra de imoveis. O cara está na m.. mas quer manter a pose.

      0
  • Joao 15 de junho de 2012 at 16:14

    Se você soubesse o quanto vive de aparência na zona sul …. pergutem as empregadas …

    0
    • hannamanana 16 de junho de 2012 at 08:41

      Que é tão ou mais grave, pois muita gente com pseudo-rendona pegou um baita crédito e agora está ai inadimplente…

      0
  • Joao 15 de junho de 2012 at 16:17

    Olha mais uma da nova classe C.

    http://www.bomnegocio.com/espirito_santo/norte_do_espirito_santo/vectra_elite_2_4_16v_8547385.htm?&last=1

    Repasso o Vectra de graça, ISSO MESMO QUE VOÇÊ LEU É DE GRAÇA, não vou cobrar nada basta transferir o mesmo para seu nome assumir as prestações do carro faltam 47 x 1.388,00.

    O CARRO SÓ NÃO POSSUI TETO SOLAR, O RESTO É A VERSÃO MAIS COMPLETA DO VECTRA.

    FICO A INTEIRA DISPOSIÇÃO PARA TIRAR/MANDA FOTOS.

    O Carro esta novo, motor revisado há 40 dias.

    Estou passando o somente por não poder mais arcar com as prestações, pois será triste ter que voltar a andar de moto.

    0
    • Álvaro Guilherme 15 de junho de 2012 at 18:17

      47 x 1338,00. Por si só já é um absurdo.

      Num carro com motor MONZATECH (ah, mas GM é o bicho!), pior ainda.

      Brasileiro não leva gato por lebre, não. Leva urubu por faisão.

      0
    • thiago fm 15 de junho de 2012 at 20:34

      o carro vale na fipe ( que ninguém paga) R$ 34000,00 e ele deve apenas R$ 62886,00

      Está explicado porque está repassando de “graça”

      0
      • self 16 de junho de 2012 at 00:21

        Mais um que merece a corda que tem no pescoço.

        0
    • GB 17 de junho de 2012 at 09:28

      Caras, eu não aguento, tive que trollar um camarada desses:

      “Cara, mas em que enrascada você está metido e ainda quer cobrar R$ 14 contos pro camarada tirar o pepino das suas mãos ?

      Se você for dar uma olhada aqui no site tá todo mundo dando de graça para se livrar da dívida e mesmo assim ninguém quer.

      A única solução é devolver pro banco, torcer para leiloarem, ficar devendo a diferença pra ele e não fazer mais esse tipo de burrada.”

      0
  • Paulo D. 15 de junho de 2012 at 16:27

    olha como manipular uma notícia:
    ———————-
    Preço do carro desaba: queda de 2,6% é a maior desde a crise de 2008
    Desde a crise de 2008 que o Preço de Verdade do carro zero, isto é, o preço realmente praticado no mercado, não tinha uma queda tão violenta num período tão curto como a registrada em maio, conforme o estudo AutoInforme/Molicar, que há nove anos acompanha o comportamento dos preços de todos os veículos automotores vendidos no mercado brasileiro.
    Em apenas um mês os preços caíram 2,6%, o que revela a eficácia da ação do governo em relação o setor, que reduziu o IPI para veículos automotores em meados do mês passado com o objetivo de baixar os preços e a aquecer as vendas.
    ————————————-

    vem cá, se vc for comprar um carro que custa R$ 50k e o vendedor te dá 2,6% de desconto e ele vai pra R$ 48,7k vc pensa “nossa, o cara derrubou o preço lá em baixo, não dá pra perder” ou vc pensa “só esse descontinho?”…..

    o melhor é o cara afirmar que a estratégia do governo funcionou que reduziu o preço e aumentou as vendas sem mostrar um único dado de venda, só mostrando o preço….. hahaha

    mídia comprada é uma m….!

    0
    • Zoom 15 de junho de 2012 at 22:55

      Se 2,6 é sinônemo de desabar, imagina uns 10%. O que será?

      0
      • Zoom 15 de junho de 2012 at 22:56

        Ops.. sinônimoooooooooo….

        0
    • AAC 16 de junho de 2012 at 00:20

      Comprei minha camionete 0 em 2010, completa, mas desde 2007 que ia na concessionaria namorar ela (ja tinha o dinheiro nessa epoca), resultado, comprei 3 anos depois, onde meu capital rendeu uns 30% aplicados nesse periodo e ainda ela me custou 5/6 do valor de 2007 (acreditem se quiser)…Conclusão, fazendo umas contas de padaria, saiu quase que pela metade…Outra coisa, carro nenhum meu eu pago seguro para não alimentar a industria do medo e manutenção sô faço quando acho que é necessaria, não quando a concessionaria liga falando que ja deu os 6 meses e que vou perder a garantia se não fizer…foda-se, se der problema serio em 1 ou 2 anos não quero garantia, minha maneira de protesto é nunca mais comprar tal marca…até hoje tá tudo bem.

      0
      • Ze Bom Dirolo 16 de junho de 2012 at 01:52

        Eu também não pensava em seguro qd era mais novo, ate o dia que uma mulher de sainha me deu um prejuizo de cinco mil reais.

        0
        • hannamanana 16 de junho de 2012 at 08:44

          E que bom que ele mora num lugar com “bandidos bonzinhos”, pois aqui os feladamãe adoram roubar e queimar os carros na entrada da favela. Ou seja, baita prejuízo e às vezes PT.

          0
  • Stark 15 de junho de 2012 at 17:22

    PLOC? Acho que a coisa tá começando a acontecer. Ainda devagra, mas começa a dar as caras. Um corretor que eu to Trollando me ligou. Falando de um ap em 2 qtos na zona sul do rio. 570 mil, todo reformado. Segundo ele “acabou de entrar no mercado”. OK, acredito em tudo. Detalhe: no flip-zip-zapt-zum o mais barato na mesma rua custa 670 mil.

    0
    • Luiz 15 de junho de 2012 at 17:41

      começando devagar

      Aqui na ZO de SP estava monitoando 4 imoveis entre 30% e 40% abaixo da média. Levaram alguns meses mas já venderam 3 dos 4.

      2 imoveis que subiram o preço estão encalhados há mais de 1 ano.

      0
    • Juanito 15 de junho de 2012 at 17:46

      Em qual rua ???

      0
    • Socorro !! 16 de junho de 2012 at 08:10

      uma me falou isto tambem…quando fui ver era no terreo…e tava destruido…o imovel fica em Laranjeiras..por 450 K

      ve ai o imovel e nos fala

      0
  • Será... 15 de junho de 2012 at 17:54

    Tenho uma dúvida, se alguém puder ajudar agradeço.

    Um amigo comprou um apto na planta aqui no Rio (na nova Barra da Tijuca perto do autódromo rs) em 2011 pra entrega em 2013. O valor na época era de uns R$400k, ele fez o esquema de pagar R$100k durante as obras e o saldo devedor iria financiar após as chaves. Hoje ele diz que o apto vale R$600k e que está pensando se vende quando ficar pronto ou se fica com o saldo devedor de R$300k pra financiar e morar lá.

    Aparentemente ele diz que fez um ótimo negócio, mas…

    Minha dúvida é se o saldo devedor permanece esses R$300k ,pois foi o valor inicial que ele “fechou”, ou se ocorre alguma alteração devido ao aumento do preço do imóvel ou alguma outra variável???

    Uma coisa que fico pensando, pela simulação que faço no site da caixa, a renda dele não daria pra financiar isso tudo, mas ele disse que na época fez uma simulação com o corretor e que com a movimentação que ele tinha na conta na época (devido a uns depósitos dos pais, venda de carro, etc…) daria pra financiar o restante tranquilo…tenho minhas dúvidas quanto a isso!!!

    Abraço a todos!

    0
    • Riodetudo 15 de junho de 2012 at 18:01

      Perto do Autódromo é Jacarepaguá, e não Barra. Partindo deste princípio, as referências de preço dele já estão todas erradas.

      0
    • Joao 15 de junho de 2012 at 18:02

      Incide neste valor pelo menos a variação do INCC, no mínimo 10% …

      0
    • Frank 15 de junho de 2012 at 18:04

      “Minha dúvida é se o saldo devedor permanece esses R$300k ,pois foi o valor inicial que ele “fechou”, ou se ocorre alguma alteração devido ao aumento do preço do imóvel ou alguma outra variável???”

      o saldo devedor agora não é esse: tem ao menos o ICC-RJ, e pode haver tb juros (dependendo da construtora, algumas aderiram ao TAC de não cobrar juros durante as obras).

      o valor nominal a financiar é provavelmente mais perto de R$ 400 MM (e não 300 MM, como vc sugere).

      o fato de à época o corretor ter dito q o valor poderia vir a ser finanaciado na CAIXA não é garantida de NADA.

      se a situação é mesmo essa q vc descreve, seu amigo enfrentará problemas para conseguir o financiamento.

      0
      • Será... 15 de junho de 2012 at 18:15

        Já avisei pra ele tentar vender, mas o próprio corretor, que disse valer R$600k o apto hoje, afirmou que tá difícil vender por esse preço…ora, se vale isso tudo mas não consegue vender por esse preço, creio eu que é um sinal de que esse valor não é real!

        Agradeço as explicações de todos!

        Abraço

        0
    • Ze Bom Dirolo 15 de junho de 2012 at 18:34

      Já comprei um imóvel na planta. O que acontece geralmente é o seguinte. Enquanto o imóvel não é entregue, corre o juros do INCC. Quando você recebe começa a correr o IGPM. Geralmente as pessoas financiam pelo banco quando recebem o imóvel, pq o IGPM não é estável. De qualquer forma, muita gente não sabe que quando você recebe o imóvel vem um juros em cima do saldo devedor. E isso pega muita gente de surpresa.

      Resumindo. Estão correndo juros nas prestações e intermediárias pelo INCC. Quando ele receber, geralmente rola o juros do IGPM. Os juros são constantes. Uma prestação de 500 reais pode chegar ao final em 1200 reais, por exemplo.

      Se comprar um imóvel pronto já é uma besteira atualmente, imagina um imóvel na planta.

      0
      • Ze Bom Dirolo 15 de junho de 2012 at 18:55

        O desespero bate quando ele verificar, no momento da entrega da chave, que, com os juros de 12 % no saldo devedor mais os juros das prestações do igpm, ele, naquela data, tem o imóvel no valor de, por exemplo, 300 mil reais e em crescente aumento e outros semelhantes a venda por 190 mil.

        0
        • Ze Bom Dirolo 15 de junho de 2012 at 18:58

          Na minha opinião, o “pepoco” vai começar onde estiverem imóveis a venda na planta, com o posterior efeito dominó.

          0
      • hannamanana 16 de junho de 2012 at 08:50

        E vale observar que os bancos estão ainda mais criteriosos na aprovação de financiamento.
        Este negócio de juntar o saldo de contas, incluir outras variáveis qualitativas extra-renda oficial não é uma prática comum como era anos atrás.
        O banco está muito mais criterioso. Mas… vamos ver, né

        0
  • Frank 15 de junho de 2012 at 17:59

    notícia q mostra a força q as construtoras têm junto ao Governo:

    “Depois de quase 15 anos de discussão judicial, as construtoras e incorporadoras foram liberadas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) para cobrar dos clientes juros em parcelas de imóveis comprados na planta. Apesar de bem recebida no mercado, a decisão pode demorar a ter efeitos práticos. Isso porque diversas construtoras firmaram Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) com o Ministério Público (MP) para suspender a cobrança.”

    http://www.valor.com.br/brasil/2715610/construtoras-vencem-acao-sobre-juros

    0
  • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 17:59

    Bolha, e a entrevista do MrK com o pessoal da Band, rolou? …

    0
    • Bolha Imobiliária 15 de junho de 2012 at 18:10

      Acho que não…Mandei o e-mail para eles, mas não recebi nem um “obrigado”

      0
      • Paty 15 de junho de 2012 at 18:38

        Nem ligue .. depois do dia 2 de julho eles vão vir atras de novo ai vc cobra cache..kkk Brincadeiras a parte eu tenho um primo que é ancora de um telejornal local no estado de SC, ele levantou o assunto bolha imbiliaria, fez uma materia longa e bem detalhada, inclusive veio aqui no blog, mais nao deixaram ele divulgar a materia…

        0
        • Bolha Imobiliária 15 de junho de 2012 at 18:58

          Normal. Tenho um colega no facebook que trabalha na RPC, e sempre ele comentava sobre as matérias de bolha. Do nada ele passou a não comentar mais…

          0
          • Ace One 15 de junho de 2012 at 20:07

            Deve ter vindo ordem de cima pra parar de comentar, já que o dono da RPC é sócio da construtora Harbor em Curitiba.

            0
          • Ze Bom Dirolo 15 de junho de 2012 at 20:40

            Comprou um imóvel financiado, no mínimo.

            0
    • Engenheiro-SJC 15 de junho de 2012 at 18:17

      Bem lembrado!

      Por acaso a Band desistiu quando soube da grande m… que projetamos para o mercado imobiliário???

      0
  • Frank 15 de junho de 2012 at 18:00

    notícia q mostra a força q as construtoras têm junto ao Governo:

    “Depois de quase 15 anos de discussão judicial, as construtoras e incorporadoras foram liberadas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) para cobrar dos clientes juros em parcelas de imóveis comprados na planta. Apesar de bem recebida no mercado, a decisão pode demorar a ter efeitos práticos. Isso porque diversas construtoras firmaram Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) com o Ministério Público (MP) para suspender a cobrança.”

    valor.com.br/brasil/2715610/construtoras-vencem-acao-sobre-juros

    ficou na moderação, postando de novo.

    0
  • Zezinho 15 de junho de 2012 at 18:31

    GAFE.ISA

    Pra quem acompanha a BOLSA e utiliza análise gráfica, o repique TERMINOU!

    Ela “testou” o fundo anterior (suporte), que agora virou resistência!

    Agora é LADEIRA ABAIXO!

    0
  • Miguel Jacó 15 de junho de 2012 at 18:35

    Essa é para o ANONYMOUS:

    Ford vende Mustang 2013 no Chile por 98.600 reais

    “http://quatrorodas.abril.com.br/noticias/ford-vende-mustang-2013-chile-323137_p.shtml

    0
    • Anonymous 15 de junho de 2012 at 18:58

      Está absurdamente caro, pois nos EUA o modelo básico 2013 custa cerca de 44 mil Reais.

      “http://www.ford.com/cars/mustang/?searchid=61240949|2322902789|”

      0
      • self 16 de junho de 2012 at 00:26

        Mas pode ter certeza que no Brasil vai chegar (se chegar) por R$200K…

        0
  • Marci 15 de junho de 2012 at 21:43

    Vejam só que criativo…

    (site ademi)
    Imóveis
    DCI, 15/jun
    Aproveitando o bom momento para compra de imóveis, o empresário José Luís Ribas, que atua no mercado de imóveis há mais de 20 anos, criou a Homes4Less, um outletpremium para imóveis novos. O siteé responsável por intermediar a venda de unidades novas por preços até 30% abaixo da tabela. A loja tem mais de 100 oportunidades em São Paulo.

    0
    • RosinhA 15 de junho de 2012 at 21:57

      Com a popularização da internet, milhões de empregos serão enterrados, e pelo andar da carruagem, futuramente as providências das empresas serão inevitáveis, nesse ano implementamos na empresa uma aposta via internet que deu muito certo, e incrivelmente gratuita, por exemplo o plano de R$ 100,00 por mês de internet substitui 3 empregados, feliz ou infelizmente nem sei o que acho.

      0
      • Carlos Eduardo 15 de junho de 2012 at 23:10

        Ja fiz projeto para financeira que cortou mais de 300 pessoas! os tais analistas de crédito! e mais alguns que faziam manutenção!

        não podemos evitar os avanços temos que nos adaptar a eles e encontrar coisas úteis que possamos fazer para a sociedade !

        Se minha profissão acabasse eu faria outra coisa! é simples!

        tecnologia da informação reduz custos e traz conforto e comodidade para as empresas e pessoas que os consomem! assim como a eletrônica.

        0
      • Leno 16 de junho de 2012 at 00:19

        Rosinha,

        Eu sou da area de tecnologia. Posso te garantir uma coisa: A tecnologia só tira o emprego de pessoas EXTREMAMENTES operacionais, os famosos batedores de carimbo.

        0
        • hannamanana 16 de junho de 2012 at 08:58

          Com certeza…
          E acredito que estes caras que o colega citou que foram cortados, provavelmente eram – pelo menos a maioria – analistas de cadastro!

          0
        • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 16 de junho de 2012 at 10:10

          Leno, acredite se quizer nem os carimbadores mais querem fazer nada. Hoje um bom funcionario – seja na area que atuar, faça o que fizer é o PRESTATIVO, EFICIENTE e PRODUTIVO. Estava lendo um curioso POST no forum Bolha ImNmobiliaria da Espanha e um sujeito postou que bastariam apenas 2 horas de trabalho por dia para suprir nossas necessidades basicas – Deu um quebra pau mas é muito interessante. – Vale a Pena dar uma LidA

          “http://www.burbuja.info/inmobiliaria/burbuja-inmobiliaria/315976-comer-techo-cobertura-sanitaria-y-feliz-no-falta-duro.html

          0
    • Sol de Sampa 15 de junho de 2012 at 23:03

      exatamente, qual o endereço do site, pois não encontrei nada.

      0
      • Marci 15 de junho de 2012 at 23:13

        De fato não encontre a nota (que recebi por newsletter) no site da Ademi (www.ademi.org.br). Mas visite o site e assine para receber também. No alto da página veja “Uma Xangai brasileira” e ‘Alto padrão no Rio”. Os caras estão pegando pesado… quanta cara de pau!!!

        0
    • Anonymous 15 de junho de 2012 at 23:28

      “http://www.homes4less.com.br/site/”

      Preço de Venda: R$ 830.000,00
      Oferta exclusiva Homes4Less: R$ 8.000,00 em Cash Back
      Oferta válida até: 30/08/2012

      Vou correndo comprar 2, está muito barato e vai valorizar 30% só nesse ano.

      0
    • GB 16 de junho de 2012 at 08:35

      Eu já me cadastrei (só para Trollar).

      Gostei deles, são super otimistas no FAQ deles: “é provável que aquele apartamento que você viu no site ontem, não esteja lá amanhã.”

      Mas tudo indica que é um daqueles sites onde colocam preços monstros e dão descontos mosntros também, mas no final ainda fica caro pra caramba.

      Mas qual o problema deles pegarem alguns trouxas ?

      Essa “raspa do tacho no estoque de gente burra” é insuficiente para manter tantos corretores sobrevivendo no mercado por muito tempo.

      E é gente a menos para se aproveitar quando os preços caírem de verdade, bem mais que legal.

      0
  • GB 16 de junho de 2012 at 08:07

    Esses meios de “comunicação”, eles sabem o que está acontecendo mas não querem causar pânico, mas não ha saída, o negócio é deixar rolar.

    O pessoal se acostumou a vender para especuladores, sem exigências, pagam qualquer valor, não se importam com o imóvel, local, qualidade, nada, desde que valorize.

    Mas isso tem um preço: parou de valorizar eles caem fora rapidinho, essa é a idéia, não são consumidores fiéis, tudo o que compraram depois volta para a oferta.

    E qual é o problema se conseguirem pegar mais uns 10 ou 100 trouxas ? São 10 ou 100 trouxas a menos para se beneficiar do mercado quando as coisas voltarem ao normal, é gente a mais para morrer com os micos encalhados, venderem para quem teve o mínimo de senso crítico hoje e se arrependerem do que fizeram, vejam nos sites de anúncios quanta gente assim já há ali.

    O único meio de resolver o problema seria o governo aumentar a renda do povo (baixar juros não é aumentar a renda).

    Vamos esperar mais um pouco e nos divertir no processo vendo essas patetices deles e dessa gente tentando se livrar do pepino, se conseguirem levar até as eleições eu já vou ficar surpreso, de qualquer forma 2013 promete, já está na cara que não vão conseguir enrolar até a Copa.

    A maior prova de que o mercado está doente é que quem passou apuros mas conseguiu vender não compra outro imóvel, isso é certo.

    0
    • hannamanana 16 de junho de 2012 at 09:01

      Eu também estou achando que as coisas ficarão mais visíveis a partir de 2013.
      O emprego em SP (segundo a FIESP) deu uma leve esquentadinha… O que pode significar que as coisas, ainda que não sejam boas, não vão degringolar de vez neste ano.
      Eu torço pra que seja assim. Afinal, quem não quer manter seu negócio e emprego de pé?
      Mas, especificamente sobre o mercado de imóveis, acho que a partir de outubro (AAAACHO) começaremos a ver mais mudanças em todas as cidades.
      Na minha, estou aguardando.
      Depois da prefeitura fazer uma lambança deixando os empreendimentos andar e depois embargando as obras, deu uma abalada, mas acho que insuficiente para alterar as coisas de modo significativo.

      0
  • spina 16 de junho de 2012 at 08:46

    A qual ponto chegamos!
    Repasso o e-mail que recebi.

    Convite On Line Palestra RICARDO AMORIM‏

    VOCE É MEU CONVIDADO ESPECIAL: MAIS INFORMAÇOES:

    [email protected]#$$%%% YYYYYYra

    Corretor DIRECIONAL VENDAS

    Cel. (XX) XXXX-0478 / (XX) XXXX-0815

    [email protected]

    Abri o link e erra uma poster sobre uma palestra de investimento no mercado imobiliário com o Logo de um empreendimento em Manaus.
    “Participe desta palestra com um dos maiores especialistas sobre o assunto e descubra os novos rumos deste mercado promissor”.
    “O mercado imobiliário é apontado pelos especialistas como um dos mais seguros e rentáveis.”

    Não sei oq é mais triste a Direcional querer enganar os clientes ou o o Ricardo Amorin se vender sem o menor pudor?

    0
    • GB 16 de junho de 2012 at 14:23

      Eu ouvi falar que há um universo paralelo em que imóveis valorizam 30% a.a. para sempre.

      É o paraíso dos especuladores e corretores.

      0
      • GB 16 de junho de 2012 at 14:28

        Credo, nem naquele seriado “Sliders” eles tiveram uma idéia tão esdrúxula pra um capítulo (e olha que a maioria deles era bem fraquinha).

        0
  • Eskeleto 16 de junho de 2012 at 08:57

    ROSINHA,

    Realmente estive pensando nos prédios lá perto da avenida das nações, e estava analisando os prédios do alvorada, e pensei em 1 coisa que não tinha analisado ainda que é referente a água que é tudo junto naqueles prédios e além disso está estranho 64 apartamentos vendendo naquele lugar pode ser que esteja com uma inadimplência alta devido a isso.
    Vou aguardar mais 1 tempo lógico gosto de acompanhar os preços olhar, mas acredito que quando a coisa ficar feia teremos muitas opções por preços muito bons e o negócio é ir juntando o máximo que puder.

    0
    • RosinhA 16 de junho de 2012 at 12:29

      Eskeleto deve estar se referindo aos prédios novos da Rua Jorge Bereta né?.

      Vamos a algumas colocações, as primeiras 5 torres começo da rua vindo pela Av das Nações, são boas a planta é pequena mas ofereçe luz natural, vagas cobertas e não aconselho a última torre pois o lazer está lá, e a criançada não dá tréguas nunca 😉 não sei valores de condomínio mas esse não tende a aumentar pois é mais antigo.

      Os outros para cima são minúsculos, foram construídos de maneira meio porca, acabamentos, vagas de garagem por sorteio etc, o da Itamarati um pouco mais acima é aquele em que eu disse que o condomínio já estava atrasado em valor de um mês, isso 6 meses após a entrega.

      Uma dica, a maioria desses prédios novos ainda estão naquela fase de adaptação dos problemas, elevadores que não funcionam, não tem gerador, ralos entupidos, a piscina está vazando, as portas não fecham, as tomadas ligadas erradas 110 é 220V e vice versa, espere oou compre apts que estes problemas já foram sanados, isso somente depois de 2/3 anos de uso, pois como tem muito investidor com eles parados, ainda nem deu tempo de saber o que tem que ser feito em benfeitoria do prédio, e o mais importante: o valor do condomínio será drasticamente alterado devido esses problemas todos, a promessa de 0,300k por mês poderá virar facilmente 0,700k devido aos problemas.

      Só mais um adendo, conforme disse do interior, hoje pela manhã estava em Holambra, fuçando algumas novidades em plantas, e acho que foi o Ploc Monsters que mencionou Mogi Guaçu vizinha, AIIIIIIII QUE DÓ QUE DÁ VOLTAR PARA SP, quem puder morar por essas bandas eu recomendo.

      0
      • Leonardo 16 de junho de 2012 at 23:34

        Eu tinha comprado um dos “mais pra cima”, já na Itamarati, na planta, em 2008. Vendi no final de 2010 depois da primeira vistoria. Vimos que o serviço era muito porco e a obra já estava um ano atrasada.

        Engraçado é que naquela época eu vendi o apartamento por um preço “justo”. Era 2 dormitórios, comprei por 87, vendi por 130. Vendi em uma semana da data em que anunciei.

        Hoje tem gente vendendo apartamento ali por 200 mil. Eu não compro lá por nada, aquilo deve ser horrível pra morar, o prédio por dentro foi muito mal feito, coisa absurda mesmo, horrível. Não vale nem os 80/90 mil da época do lançamento, na prática.

        Sem contar que a coisa piorou bem depois que a prefeitura fez a duplicação da maneira mais porca possível e transformou em praça/semáforo todo aquele terreno ao lado dos prédios.

        A coisa tá absurda ali, em relação ao trânsito. Às vezes eu subo de carro a Jorge Beretta no final da tarde, no contrafluxo, e a descida INTEIRA da avenida tá congestionada. Pessoal leva meia hora pra descer. Coisa absurda considerando que ali é bairro, residencial e tal.

        0
        • RosinhA 17 de junho de 2012 at 09:26

          Se safou Leonardo, a inadimplencia lá já é enorme, e sim foram muito mal construídos, nada funciona direito ainda.

          Agora 200k ali, faça-me o favor, por isso que o vizinho com uma casa velha de 200 anos começa a pedir 400/450k, infelizmente.

          0
  • amadeos de sampa 16 de junho de 2012 at 09:38

    Bolhistas, Ja temos aqui material suficiente para tentarmos montar uma cronologia da nossa bolha, colocando numa linha de tempo, fatos e fatores importantes tanto internos e externos. Isso seria um verdadeiro script da nossa bolha brasil.

    Tenho certeza que gente talentosa e mais diferentes ideias nao faltam – menos ainda ferramentas de colaboracao gratuitas ou formatos de comunicacao.

    Mais alguem acha que vale a pena o esforco? ideias do que se poderia fazer?

    0
  • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 16 de junho de 2012 at 09:44

    Minha analise é que chega um momento que todos perdem com a bolha – proprietarios e compradores – Os proprietarios não vendem pois os compradores não tem dinheiro para pagar preço bolhudo – nem os mais bem remunerados conseguem tal façanha. Assim comprador (demanda reprimida) gasta em aluguel o que poderia estar gastando em compra de propriedade parceladas. Por outro lado quando os preços estão abusivos o proprietario não consegue vender, paga IPTU, condominio e manutenção – alem de perder renda caso em vez de imovel tivesse o capital vivo na mão. Com o passar do tempo, os proprietarios vão caindo na real de que não existem compradores para seus imoveis bolhudos por uma única questão – preço alto. Mas ai ja se passaram anos, e muitos deles começam a ter necessidas financeiras e precisam vender – ou locar afinal compraram o imovel para GANHAR DINHEIRO e não para morar – ficar com ele 2 ou 3 anos encalhado tentando vender é um baita prejuizo. Como o desaquecimento iniciou-se em setembro, nem fez um ano ainda do travamento de vendas, eles os proprietarios ainda continuam exibindo empafia e soberba mas na realidade não devem estar dormindo a noite preocupados em reaver o “investimento”. que ja sinaliza a dar em empate ou ate preujizo. com o agravamento da crise e o desemprego o dinheiro vais “secar” e mesmo que não seque psicologicamente as pessoas param de gastar por precaução o que faz com que as vendas que ja são baixas caiam ainda mais.
    Bom, durante todo esse tempo por sua vez a “demanda reprimida” gastou em aluguel – 1 ano de alugeuel dá em torno de 20K em media – ou seja, quando colocarmos tudo na balança – TODOS DE CERTA FORMA SE FODERAM, alguns mais outro menos – Para a demanda reprimida – vai depender de quanto se pagou de aluguel e por quanto tempo e para o Investidor – por quanto o imovel foi vendido, em quanto tempo, quanto foi gasto em sua manutenção…etc
    De cara, desde setembro os imoveis estão com seus valores estagnado e ate caindo (muito embora estejam fora da realidade) mas só isso ja causa um belo prejuizo nas espectativas dos investidores que pensavam em vender um imovel a 350K e nesses 9 meses alem de não venderem o preço ja não é mais 350k mas sim 320k – fora o rendimento do dinheiro se estivesse aplicado e despesas com impostos e manutenção. Nessa conta ja se vão por baixo uns 50K em apenas 9 meses.

    ESTO ES PARA LOS ESPECULADORES E “INVERSIONISTAS”:

    !!! SE ACABO EL CHOLLO, VOSOTROS MISMOS HABEIS MATADO A LA GALLINA DE LOS HUEVOS DE ORO, POR AVARICIOSOS !!!

    0
    • GB 16 de junho de 2012 at 12:32

      Eu não acho que quem ficou no aluguel se ferrou pois ele teve tempo para guardar a diferença entre a prestação do financiamento e o aluguel.

      Lembrem-se sempre que cada R$ 1,00 financiado significa depois pagar R$ 3,00 pro banco (é o preço que se paga para ter hoje algo que só teria no futuro).

      Vamos tomar por base o que eu pago de aluguel (com condomínio); R$ 1k, então são R$ 12k por ano, sabendo que a prestação de um financiamento passaria facilmente de R$ 2k, só para facilitar a lógica vamos supor que eu guardo outros R$ 1k por mês na poupança.

      Então tenho em um ano um gasto de R$ 12k e uma poupança de R$ 12k (por baixo, só para facilitar).

      Só que esses R$ 12k para dar no CASH são R$ 36k a menos para dar para o banco depois, no final das contas fico no aluguel, tenho mobilidade, pago R$ 12k pro proprietário e economizo R$ 24k do banco.

      Economizar R$ 24k por ano ficando no aluguel não me parece um mal negócio.

      E lembrem-se: bancos alugam todas as suas instalações, então aluguel não deve ser tão mal assim se eles fazem isso.

      0
      • GB 16 de junho de 2012 at 12:46

        E eu ouvi falar que não vão reajustar o meu aluguel: muito mais que excelente.

        0
  • Justiceiro 16 de junho de 2012 at 10:02

    Até o valor dos aluguéis está bizarro.
    Quando essa bolha estourar, muita gente vai até se matar.
    Tudo devido à ganância.
    Vendedores não estão perdendo grana não.
    O que estão tentando fazer é vender com ágio tremendo, devido a ganância.
    Caso pratiquem os preços de 2008, conseguem vender.
    Imóvel residencial é moradia, não investimento.
    Só o trabalho é investimento.
    Isso que dá querer ganhar grana fácil.
    Não tenho NENHUMA pena de pessoas que compram imóveis e ficam querendo esse ágio ridículo acima dos índices oficiais da inflação.
    E, quando estourar mesmo essa bolha, vou dar muita risada dessa galerinha que QUERIA tirar meu suado dinheiro, que está muito bem guardado, e vai ficar muito bem guardado até toda essa palhaçada acabar.

    0
    • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 16 de junho de 2012 at 10:17

      jUSTICEIRO;
      Uma coisa curiosa esta acontecendo na espanha e nos USA EUA – com a desvalorização dos imoveis – na Espanha a valores de 2006 – e caindo mais e mais e mais…os proprios espanhois que atuam em foruns igual a este hoje se questionam se vale a pena mesmo comprar imovel “barato” em um pais que não tem “futuro” . Muito deles se perguntam se não vale mais a pena pegarem suas economias e ‘cair fora” – Não tem emprego, não tem trabalho, altos impostos, governo paternalista (igual ao PT) Lá tem bolsa pra tudo quanto é vagabundo – e o trabalhador carregando uma corja nas costas. Para que comprar algo num lugar de merda? É o mesmo do que te dizer – VAMOS MORAR NO HAITI, LA TEM MANSÕES CUSTANDO r$500,00 O M² -.
      Agora pensa – Espanha que é um pais razoavel esta assim imagina o brasil pos copa….não quero nem pensar

      0
      • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 16 de junho de 2012 at 10:23

        Ah esqueci de dizer…com a queda acentuada dos preços começa haver uma compra dos imoveis por “estrangeiros” – tal qual os brasileiros em MIAMI – e isso gera uma nova bolha – a imprensa cai matando – tipo – os caras estão comprando tudo pq. tá barato – se vc. não comprar agora NÃO COMPRA NUNCA MAIS . Ou seja….se vc. espera ter sossego nesta vida esqueçe…tudo é especulação…vc tera sua propriedade quando estiver 7 palmos abaixo da terra …isso se não for cremado.

        “en cinco añitos pasaremos de pisitos de 300mi euros a 30 mil y nos parecerá de lo mas normal, y todo el mundo dirá que eso ya se veía venir…”

        0
    • amadeos de sampa 16 de junho de 2012 at 10:32

      Concordo plenamente Justiceiro: imovel residencial eh moradia e nao investimento!

      Falta regulamentacao nessa materia para coibir abusos. facil nao eh, mas impossivel tambem nao eh nao.

      Um dos problema foi a decepcao com a bolsa em 2008 e dai esse dinheirama foi em peso para imoveis.

      Mas desse ano nao escapa nao. Como bem disse o GB, eh ficar comendo pipoca e observando a piramide cair…

      0
      • Justiceiro 16 de junho de 2012 at 13:41

        Pois é, Amadeos.
        Só que um controle dessa magnitude aumentaria o controle do estado sobre a iniciativa privada.
        Eu acho bom, mas os empresários malandrões – esses que são ricos a custa de roubar da classe média e baixa – iriam fazer muito mimimi com o governo federal, que não tem pulso firme.
        Talvez a solução seja mesmo ir embora do Brasil, num futuro provável.

        0
        • Amadeos de Sampa 17 de junho de 2012 at 09:40

          Muito pode ser feito e cito o ex. da Alemanha, que tem um mercado de imoveis relativamente estável e livre de bolha, por la eles tem incentivo fiscal para quem mora de aluguel. Imagina que legal.

          Chega ao ponto de ter donos de imoveis, que moram de aluguel para ter o beneficio fiscal.

          E isso , ACHO, foi feito por um banco central polticamente independente do governo federal. Coisa que infelizmente o Brasil nao tem como foi recentemente demonstrado, onde a presidente tem sim poder sobre o nosso banco central. Isso eh triste.

          Sair do Brasil eh sempre opcao, mas o correto seria muda-lo. missao comlicadinha.

          0
    • Júlio Cesar 16 de junho de 2012 at 13:22

      “Imóvel residencial é moradia, não investimento” Eis uma verdade, mas infelizmente resolveram especular com imóveis, e que se dane quem precisa de uma casa pra morar. Bem que eles podiam especular com tampinhas de garrafa ou sei lá o que. Mas uma frase do guru das sardinhas é certa: o mercado costuma se vingar dos excessos.

      0
  • Justiceiro 16 de junho de 2012 at 10:10

    Colega anônimo, blz?
    Tens os links mostrando os preços de tais terrenos?
    “terreno residencial de 1000 m2 nos EUA, com a qualidade de vizinhança similar a um AlphaVIlle custa cerca de 25 mil Reais”
    Entendo como muito importante demonstrarmos essa tremenda discrepância no mercado.
    Abraço!

    0
    • Anonymous 16 de junho de 2012 at 13:04

      Existem muitos websites. O importante é notar que, ao contrário de qualquer outro país do mundo, nos EUA existem os SUBURBIOS, onde a qualidade de vida é melhor do que nas cidades. Os suburbios tem tudo o que voce encontraria nas grandes cidades, mas é preciso ter carro para absolutamente tudo. Tem ainda a zona rural e aí voce não vai acreditar, mas os terrenos custam cerca de 2 Reais/m2 com asfalto e água, mas sem rede de esgoto. O tamanho mínimo é geralmente 1 acre (cerca de 4000 m2), mas já imaginou pagar 8 mil Reais por um terreno que está a cerca de 1 hora de shopping centers que não existem similar nem mesmo na cidade de São Paulo?

      “http://www.landwatch.com/Homesites”

      “http://www.loopnet.com/”

      0
      • Justiceiro 16 de junho de 2012 at 13:30

        Obrigado pelos links.
        Vejo que quando eu me aposentar estarei bem tranquilo e vivendo em ambiente muito bem estruturado, mesmo que seja longe do Brasil, fazer o que, né.
        Até isso acontecer, o Brasil terá um razoável tempo para tentar fazer com que mudemos de ideia.
        Abraço!

        0
  • thiago fm 16 de junho de 2012 at 10:22

    MUITO IMPORTANTE

    Se isso se confirmar, os novos contratos terão sua probabilidade de devolução por parte dos compradores multiplicada, isto é, se apenas com INCC muita gente não cosegue pagar, imagina com juros. Isso pode ser um catalisador do estouro

    “http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/49047-imovel-na-planta-tem-cobranca-polemica.shtml”

    Imóvel na planta tem cobrança polêmica

    Decisão do Superior Tribunal de Justiça permite que construtora inclua juros no parcelamento de unidade nova

    Prática vinha sendo limitada pelo Ministério Público; para o Procon, medida é um retrocesso
    MARIANA SALLOWICZ
    DE SÃO PAULO

    Em um caso polêmico, as construtoras e as incorporadoras que vendem imóveis na planta conseguiram na Justiça o direito de cobrar juros dos clientes antes da entrega do empreendimento.

    A decisão foi tomada pela 2ª Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ), responsável por questões de direito do consumidor. Foram seis votos favoráveis e três contrários durante o julgamento do caso de uma cliente da Queiroz Galvão.

    A cobrança dos chamados “juros no pé” -em média de 1% ao mês sobre o saldo- era prática comum do mercado, mas vem sendo limitada. Hoje, a maior parte dos contratos durante as obras são reajustados somente por índices de mercado, como o INCC.

    A questão vem sendo discutida há anos. Em 2001, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Ministério da Justiça editou portaria declarando abusiva cláusula que estabeleça, no contrato de venda e compra de imóvel, a incidência de juros antes da entrega das chaves.

    No ano seguinte, as construtoras assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público de São Paulo suspendendo os juros. O mesmo foi feito em outros Estados.

    EMBUTIDO

    Para Claudio Bernardes, presidente do Secovi-SP (sindicato da Habitação), a decisão do STJ confirma que a prática não é ilegal.

    Segundo ele, os juros passaram a ser embutidos nos preços desde que a cobrança foi limitada. “Não há mágica: ou os juros são incluídos no valor do imóvel ou eles são cobrados diretamente.”

    Bernardes considera que, apesar do entendimento do tribunal, não deve haver mudanças em São Paulo. “Ficou convencionado que as construtoras não cobrariam, isso deve continuar ocorrendo.”

    No caso analisado, a cliente da Queiroz Galvão reivindica restituição de R$ 80 mil relativos aos juros de 1% ao mês antes da entrega do imóvel no Recife. A compra foi feita em 2000. O valor corrigido chegaria a cerca de R$ 200 mil. O advogado dela, Thelio Farias, afirma que vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF).

    “Consideramos os juros ilegais porque o consumidor está financiando a obra”, diz. Antes da derrota, a mutuária ganhou a ação nas instâncias inferiores.

    A 2ª Seção acompanhou os votos do ministro Antonio Carlos Ferreira, que deu o primeiro voto a favor da cobrança. O relator do caso, Sidnei Beneti, foi contrário.

    Durante o julgamento, foi argumentado que a cobrança deve ser feita porque os juros serão incorporados no preço final se não estiverem explícitos no contrato. Outras decisões anteriores do STF foram favoráveis à cobrança.

    O diretor-executivo do Procon-SP, Paulo Arthur Góes, diz que a decisão é um retrocesso e traz desequilíbrios.

    “O mercado já vinha se corrigindo após as assinaturas dos TACs. Agora voltamos a uma situação anterior com o julgamento de um caso antigo”, afirma.

    Procurada, a Queiroz Galvão não comentou a decisão

    0
    • Ze Bom Dirolo 16 de junho de 2012 at 11:45

      Pois é, com esses juros ou não, certo é que com a verificação de que o imóvel não vai dar mais aquele lucro esperado e tão comentado pelo corretor (Copa, Olimpíadas, visita do Bento XVI, Justin Bieber, Chico Bento), os compradores rescindem o contrato e devolvem o imóvel à construtora, com uma multa de aproximadamente 10 % do imóvel e recebimento do excedente.

      Ocorre que algumas construtoras já prevendo isso acabam por desviar seus lucros, para que não tenham que devolver os valores. Muitos que financiaram pelos bancos, por outro lado, se veêm amarrados. As construtoras que recebem ficam numa sinuca de bico.

      No começo de 2011, um colega me chamou para ver o projeto de um imóvel em Águas Claras aqui em Brasília. O corretor informou que o imóvel seria altamente sustentável. Faltou dizer que o prédio tinha um projeto para engarrafar peido e transformar em gás de cozinha.

      Pois bem, para espanto, o meu colega queria receber o imóvel o mais rápido possível. Geralmente quem compra um imóvel na planta visando o lucro, compra por um preço bem abaixo para receber só daqui a alguns anos, tendo em vista os gastos no recebimento e a possibilidade de atraso das obras, bem como outras encheções de saco.

      Para mim, imóvel na planta sempre representou um grande risco, ou seja, só compro ou compraria se fosse de uma grande empresa, impossibilidade de quebra e blá blá blá…

      Falei para ele não comprar. Resultado. Uma semana depois ele voltou conversou novamente com o corretor e comprou dois, quer dizer, deu entrada. Depois desse dia ele nunca mais tocou no assunto comigo.

      0
      • Bananildo 16 de junho de 2012 at 21:39

        “Faltou dizer que o prédio tinha um projeto para engarrafar peido e transformar em gás de cozinha.”
        RI ALTO. Acordei meu filho de 6 meses. Esse Zé é f…

        0
    • Anonymous 16 de junho de 2012 at 12:47

      “Consideramos os juros ilegais porque o consumidor está financiando a obra”

      De fato, na Banânia ocorre uma inversão de valores. Quando o apartamento é vendido na planta, a construtora nada mais é do que EMPREGADA dos detentores do CAPITAL, em nada diferente de cooperativas habitacionas.

      Venda na planta deveria ser proibido. Acredito que será, mas depois do colapso.

      0
  • anamirandabh 16 de junho de 2012 at 10:40

    Morar de aluguel é sinal de país fracassado?

    Vejamos na europa, de acordo com o site marginal revolution e o jornal el pais.

    Países com percentual mais alto de proprietários:

    1. Romênia, 97.5%

    2. Lituânia, 93.1%

    3. Croácia, 90.1%

    4. Eslováquia, 90.0%

    Países com percentual mais baixo de proprietários:

    1. Suíça, 44.3%

    2. Alemanha, 53.2%

    3. Áustria, 57.4%

    [i]Então fique no aluguel[/i] Por enquanto sim, com certeza!!!

    0
    • GB 16 de junho de 2012 at 12:40

      Cara, eu sou decendente de lituanos, lá você tem 6 meses de inverno com neve e 6 meses de inverno sem neve, se você não tiver uma casa: ferrou !!!!

      Lá não da para viver debaixo da ponte.

      0
    • Thomas 16 de junho de 2012 at 12:40

      É triste ver esse tipo de argumentação que demonstra a ignorância histórica de uma pessoa que provavelmente se deixou levar pela euforia da bolha.
      Os ditos países “fracassados” tiveram sim um grande revés histórico quando foram dominados pelo comunismo. No comunismo não há propriedade privada. Depois da queda da URSS a propriedade dos bens passaram do Estado para a antiga elite burocrática do partido (os camaradas). É por essa razão que quase todos moram de aluguel.
      No Brasil estamos indo, a exemplo da Argentina, em sentido de um regime “socialista” em que os “cumpanheiros” privatizam os lucros e socializam os prejuízos com a “Zelite” (classe média verdadeira).
      Num futuro próximo muitos brasileiros não viverão de aluguel, nem terão imóvel próprio. Simplesmente não terão teto.
      Mas não me darei ao trabalho de tentar explicar o restante, já que para quem caiu no golpe do “nunca antes na história deste país”, a verdade tem sempre o gosto amargo.

      0
      • jose 16 de junho de 2012 at 22:36

        Se o companheiro “esclarecido” se desse ao trabalho de ler direito o comentário da colega injustamente taxada de ignorante, veria que ela afirmou exatamente o contrário, ou seja, em países “ex comunistas” o número de proprietários era maior. Atenção mais acurada pode tornar menos constrangedores seus comentários panfletários e odiosos de direita.

        0
        • Thomas 17 de junho de 2012 at 00:44

          Caro sr. jose. Se vc não é a mesma pessoa que “anamirandabh” tenho realmente pedir desculpas a ela e dizer que comece a procurar fontes mais confiáveis.

          No blog indicado, o próprio autor da postagem informa que não há fonte online (o que é estranho) do que ele supostamente teria lido no jornal El Pais. Aliás, um blog com nome “Marginal Revolution” não precisa de mais comentários.

          Eu devia ter notado que a “estatística” apresentada não era contra a bolha imobiliária, mas uma CRÍTICA sub-reptícia à PROPRIEDADE PRIVADA.

          Sinceramente não me considero numa posição nem de direita nem de esquerda. Não faço, como vc disse “comentários panfletários e odiosos de direita”.
          Simplemente preferiro combater primeiro a esquerda para depois combater a direita, nessa ordem.

          Porque? Ora, a dominação promovida pela direita é sempre frágil, sem estratégia. É fácil derrubar. Veja só o nosso regime militar. Até hoje estão chutando o cachorro morto.

          Já a esquerda é ardilosa, sabe se infiltrar em todos os estratos da sociedade para promover uma dominação prolongada.

          Se vc é um esquerdista chão-de-fábrica, bucha de canhão, soldado raso, oreia-seca, não saberá quem é Gramsci. Mas se é um esquerdista de elite, certamente saberá.
          Gramsci é praticamente o papa da dominação comunista. Ele escreveu o manual de adestramento do amigo camarada.

          Pergunte para alguém “da direita” quem foi Gramsci ou como se procedeu a implantação do regime soviético. Simplesmente não saberão dizer nada. É essa a direita, que não saberia sequer fazer “comentários panfletários odiosos”.

          Vivemos em uma plena ditadura de esquerda e quase ninguém percebe isso. É marcha dos maconheiros, das vadias, dos sem-terra, dos desocupados. Só não tem marcha dos que estão trabalhando e sustentando o país.

          Pergunte a qualquer funcionário público federal quantos “companheiros” ocuparam cargos de confiança desde 2003. Nunca antes neste país isso tinha acontecido com tamanha intensidade. Parte do salário é cobrado como dízimo que pertence ao partido.

          A própria bolha imobiliária será explorada pela esquerda para dizer que é culpa do “capitalismo burguês”, do “sistema financeiro internacional”, dos banqueiros. Fizeram isso na Espanha “social-democrata” e é isso que farão por aqui também. O nome do novo bode expiatório é o “neoliberalismo”.

          Aliás, essa é uma prática antiga utilizada pelos comunistas. Você pode fazer qualquer coisa, mas negue até a morte e culpe alguém.

          A direita quando é pega com as calças na mão sempre tenta se justificar. Olha só o exemplo do senador Demóstenes. Ao invés de negar como fazem os companheiros (dizer que não sabia de nada), o tonto ficou tentando justificar o injustificável.

          Não vou ficar aqui tentando mudar a opinião de ninguém. Considero que esquerdismo após a adolescência não tem cura. Mas fico feliz em alertar aqueles que, como eu, não aderem a nenhuma posição ideológica específica, dos métodos utilizados para manipular a população.

          0
          • MyNameiscraudio 17 de junho de 2012 at 11:45

            Ótima análise sobre os canhotas!

            0
          • Noord 17 de junho de 2012 at 17:37

            Nota 10

            0
  • Bolhudo 16 de junho de 2012 at 11:31

    Inédito ! No lugar de programa de venda de automóveis estão passando um programa de venda de imóveis e o pior os apresentadores ” corretores” são os mesmos que vendiam carros com os mesmos trejeitos e chavões !

    0
    • RosinhA 16 de junho de 2012 at 12:31

      Tem razão percebi tb, adoro Trash TV

      0
    • GB 16 de junho de 2012 at 12:50

      Esses canais já se cansaram de tentar vender carros ou as concessionárias ficaram rápido sem $$$ para investir nisso ?

      Será que com imóveis a coisa vai ser diferente ? Parece que eles ainda tem $$$ (bala) na agulha para usar.

      A próxima bola da vez vai ser vender AVON e NATURA.

      0
      • RosinhA 16 de junho de 2012 at 13:22

        Off Topic mas interresante, dados da Chico Bento informations.

        A Honda Autos Brasil está passando por maus momentos, aguardemos definições…… sua linha é pequena e seus valores se tornaram bem adultos…..

        E qual louco neste planeta poderia prever que a Renault chegando perto das vendas da Ford que está em declínio….o mais incrível é saber que a Kombi, isso mesmo a famosa Kombosa, quase empatou com a Ecosport mes passado, venderam 32 ecos a mais.

        Logo veremos as construtoras no mesmo nível.

        PS: AAC não posso deixar de passar a piada da caminhote: “Não cantas pôneis malditos, pôneis malditos lalalalaalalalá ” 😉

        0
        • GB 16 de junho de 2012 at 14:31

          Eu adoro essa musiquinha dos pôneis, mas coloco “corretores” no lugar deles, kkkkkkkkkkkkkkk, a “viagem” é a mesma.

          0
        • AAC 16 de junho de 2012 at 19:03

          KKKKKKKKKKK…Rosinha, não tem ponei não, ela sobe até em coqueiro…

          0
        • Rafael KM 17 de junho de 2012 at 00:44

          Mais incrível ainda é existir a Kombi em 2012.

          Falam da (in)segurança dos carros chineses, mas viver no limite, na verdade, é andar de Kombi.

          Como não fazem crash test na banânia a Kombi ainda tá aí.

          0
    • Zoom 16 de junho de 2012 at 16:54

      Desistiram das vendas dos carros? Por que será? hehehehe

      0
    • Chapolin 17 de junho de 2012 at 00:17

      Já vi isso em Natal em 2010. Era uma espécie de revista eletrônica:
      – “E a próxima oferta, Fulano”
      – “É um apartamento, no bairro tal, 80 m2, 3 quartos, dependência..”
      – E o preço?
      – Ah, o apartamento é grande, mas o preço é pequenininho!
      – Onde fica o plantão?
      – Estamos na rua tal, numero 30, esperando você!

      E por aí, continuava…trash.

      0
    • Amadeos de Sampa 17 de junho de 2012 at 09:58

      anot’ai: o dia que o Botino comecar a vender imoveis, eh sentar e esperar o Armagedon,.

      0
      • Amadeos de Sampa 17 de junho de 2012 at 10:02

        ops, Bottini, Ciro Bottini.

        0
        • RosinhA 17 de junho de 2012 at 10:16

          Amadeos de Sampa, preferia o Bottini quando era locutor de rádio rock, como as coisas mudam hein, quem diria, 5 a 10 anos a vida da pessoa se transforma, mas em 35 não pega nada, também não muda nada, ainda mais o Brasil, super confiável. 😉

          0
          • Amadeos de Sampa 17 de junho de 2012 at 13:26

            Serio Rosinha? locutor de radio rock? nao sabia dessa nao!! haha. como as coisas mudam…..

            Pra mim ele eh o rei do trash na televendas, eh de doer as brincadeiras dele na TV.

            0
  • Cesar bolha 16 de junho de 2012 at 13:13

    Pessoal, tudo o que dizem aqui é pura realidade, eu sei pois sou amigo de um grande investidor em minha cidade e como tambem sou advogado acompanhei varios negocios. Este meu conhecido tinha perto de 40 milhoes, e a dois anos com o crecente lucro dos imoveis ele começou a negociar comprar vender e construir até que resolveu abrir sua propria imobiliaria. Assim eu posso dizer que acompanhei de perto toda a farra. A seis meses eu ja vinha falando que existia uma bolha e que era insustentavel, mas o cara como sempre né “piaozão” não acredita. A conta é simples, ele comprava terreno a 50k construia uma casa com 120k e vendia a 330k, em condominio ele comprava o terreno a 300k construia com 200k e vendia a 700k. Agora alguem acha que um negocio desses se sustenta? Isso não era só ele, era varios e varios “investidores” praticamente 90% das casas negociadas, terrenos vendidos e construções estavam nas mãos desses picaretas…digo “investidores”, até pedreiros pés de chinelo viraram “construtores” desmembrando terrenos para fazer duas casas com custo de 70k cada para vender por 110k cada no minha casa minha vida. Loteamentos que antes só podiam começar a vender após feita toda infraestrutura, asfalto, agua, luz, arborização etc. tiveram autorização para venda na “terra crua” , e assim mesmo se esgotava no dia do lançamento, porque? especuladores compravam aos montes, os corretores me diziam que o medico fulano de tal comprou 10 lotes o sicrano 15 e por ai vai. Bom mas isso acabou, aqui (interior de SP) não se vende mais nada, só se for “no preço” ou se pegar um trouxa, ha muitos “investidores” desesperados, mas ainda não querem abaixar os preços para um nivel real, apenas uma leve baixa de 20 a 25% ao meu ver muitos tentam manter a aparencia, pois não querem assumir o fracasso mesmo estando fudidos e endividados, pura soberba.
    Quanto a economia do Pais, muitos aqui talvez acham que não é assunto do blog, mas eu acho que sim, pois esta tudo ligado, inclusive e principalmente, quanto a onde investir nosso dinheiro nesse momento de recessão que estamos adentrando, o grau dessa recessão, que setores serão mais castigados, eu gostaria de investir em ouro, mas ele esta muito valorizado, em dolar, mas o Brasil tem reservas enormes e acho que pode conter uma alta, em imoveis, piada gente (só pra descontrair).
    Fica aqui minha contribuição, acho que se cada um trouxer suas impressões do dia-a-dia quanto a bolha e a economia relacionada a mesma, todos teremos uma visão melhor da situação e das melhores formas de nos proteger.

    0
    • Cesar bolha 16 de junho de 2012 at 13:26

      Em tempo, eu descobri este blog a 15 dias, vocês estão de parabens, aqui se consegue muita informação (um termometro) meu relato acima não traz (eu sei) qualquer novidade para a maioria de vocês, mas meu intuito é de reafirmar, demonstrar e ajudar a provar de uma vez por todas aquilo que se afirma aqui, principalmente por se ver vez por outra um MANÉ sei lá se corretor de imoveis ou simpatizante aqui falando asneira de que a bolha “no existeee”

      0
    • RosinhA 16 de junho de 2012 at 13:27

      Muito bom César diria como o Quiumento: BINGO !!!!!

      0
    • Enginner 16 de junho de 2012 at 15:22

      qual cidade ? Sorocaba-SP ?

      Abraços

      0
      • Cesar bolha 17 de junho de 2012 at 00:04

        Marilia

        0
    • Engenheiro-SJC 16 de junho de 2012 at 17:02

      Cesar,

      É EXATAMENTE o que vejo acontecer aqui em SJC e também conheço construtor nessa situação!

      A escalada dos preços é coisa do passado, agora a fase é segurar o preço…. vamos ver até quando…

      0
    • RMJ 16 de junho de 2012 at 20:18

      Caro César,

      Moro em BSB, mas sou originário de uma pequena cidade de Minas. Lá também houve essa febre de investimento em imóveis. Principalmente compra de terrenos pequenos para construção de casas geminadas e posterior venda dessas casas para “beneficiários” do programa minha casa minha vida. Lá Imóveis que na melhor das hipóteses valem R$60.000,00
      foram vendidos por mais de R$100.000,00. Um negócio da china para os investidores. Só que os preços dos terrenos e da mão de obra aumentaram muito na região, o que acabou elevando sobremaneira os custos dos investidores e o preço final dos imóveis. Atualmente os investidores estão tendo muita dificuldade para vender os imóveis. E o mais interessante é que as pessoas da cidade estão questionando os preços desses imóveis, inclusive os preços dos que foram vendidos no início do boom imobiliário local

      0
    • Frei Mulambo 18 de junho de 2012 at 17:33

      Isso não é caso somente para o interior e sim para o Brasil inteiro.
      Venho acompanhando o site faz algum tempo e resolvi me pronunciar também. Sou de SP, região Sul e vejo as placas de ALUGA-SE e VENDE-SE aos montes.
      Ano passado, próximo a minha casa demoliram duas residências antigas e iniciaram a construção de uma nova. Para meu espanto, após pouco mais de um ano de obra, o que eram duas casas viraram sete. Desde então, a placa de VENDE-SE encontra-se no condomínio e nenhum morador apareceu por lá. Valor de cada casa, 650k. Se o construtor financiou toda a compra e construção das casas, ele deve estar com um tremendo rojão na mão. Aquilo não vale mais do que 200k.
      Essa situação também ocorre no Brasil inteiro e em breve teremos um novo som nessa fase…um PLOC bem grande!

      Abs a todos bolhudos!

      0
  • Anonymous 16 de junho de 2012 at 13:20

    A Banânia vai acelerar sua caminhada ao buraco com essas idéias de que é MELHOR pagar MAIS por alguma coisa.

    Governo pagará mais por sapato e roupa nacionais

    “http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,governo-pagara-mais-por-sapato-e-roupa-nacionais,116242,0.htm”

    Medida estabelece em até 20% a diferença para produto fabricado no País em licitações; até maio deste ano, margem de preferência era de até 8%.

    0
    • Francisco Quiumento 16 de junho de 2012 at 14:16

      Lei de Murphy, Variações e Corolários de Quiumento para Medidas Governamentais:

      L1) Se o governo tiver alguma medida ruim possível de ser tomada, a tomará.

      L2) Se uma série de medidas erradas pode ser tomada, o governo as tomará na pior sequência possível.

      C1) Depois das medidas conduzirem a coisa de mal a pior, o ciclo se repetirá.

      Comentário:

      Seguidamente o governo toma a medida mais perfeita para o cenário que tomou a enfrentar. A infelicidade é que sempre analisa o cenário de maneira completamente erronea.

      Sobre máxima de H.L.Mencken

      Para todo problema econômico tremendamente complexo e amplo, o governo escolhe uma medida simples, clara, exata, precisa, bem definida, agradável às massas, mas infelizmente, grosseiramente errônea.

      0
  • Bolhudo 16 de junho de 2012 at 13:44

    Acho que a bolha estourou em Curitiba, na realidade duas em uma, esta semana e principalmente hoje estamos sendo bombardeados por comerciais nas rádios, tvs, panfletos, intenet, de cada 10 comerciais 9 ou são de venda de veículos ou imóveis, estão todos desesperados para vender a qualquer custo, sem pudor, sem responsabilidade social, sem dó nem pena!
    -Homem primata !Capitalismo Selvagem! hohohoho….