#BolaDeCristal – O preço do imóvel vai subir muito no Brasil, diz empresário – Valor Investe

Você pode gostar...

Comments
  • steinherz 17 de julho de 2020 at 09:48

    Não percebo redução considerável no preço nominal dos lançamentos. Em 2012-3 na ZS do Rio e Barra se verificavam usualmente R$18k-20k/m2; agora se encontram lançamentos a R$ 12k/m2. São preços ainda muito elevados, e há uma dificuldade gigantesca para vender mesmo no patamar inferior de preços. Os usados estão na faixa de R$ 10k/m2, chegando em alguns casos a R$ 7-8k. Não me espanto se realmente houver essa elevação mencionada, acontecerá apenas que os empreendimentos que demoravam 3 anos para ser vendidos demorarão 8 anos. Não entendo a lógica envolvida mas é completamente possível que ocorra.

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 17 de julho de 2020 at 14:07

      Para ocorrer algo tão deslocado da renda, tem que se repetir casos como esse:

      https://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2020-07-17/ex-mulher-de-bolsonaro-ana-cristina-comprou-14-imoveis-durante-uniao.html

      Não é a toa que em pleno 2020 os cartórios de registro de imóveis ainda são privados, não digitalizados e dificultam absurdamente a transparência…
      Isso permite o registro “ex-tunc”, por exemplo, possibilitando a lavagem de $$$ com imóveis.

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 18 de julho de 2020 at 07:25

      A CRISE atual não tem precedentes no país e está DESTRUINDO os pilares das ANOMALIAS:

      1) FGTS com ROMBOS BILIONÁRIOS TODOS OS MESES como nunca antes na história do país;

      2) CEF DESTRUINDO de vez a LIQUIDEZ dela com BOLSA CALOTE via “carências” de 6 meses sem pagar prestações do imóvel ou ainda INÚMERAS concessões a INADIMPLENTES em volume sem precedentes na história do país;

      3) Governo Federal vai fechar o ano com a relação divida / PIB acima de 90%, algo que NUNCA foi tão ruim na história do país e PIOR, antes da crise o país estava 50% acima da media dos emergentes neste indicador, depois ficará ainda mais distante;

      4) Teremos neste ano o RECORDE HISTÓRICO de fechamento de empresas, recuperações judiciais, e de DEGRADAÇÃO dos empregos de todas as formas possíveis e imagináveis, assim como a maior QUEDA do PIB;

      5) Bateremos todos os recorde de imóveis retomados e em garantia, assim como recordes de imoveis sem vender com construtoras e proprietários particulares, ao mesmo tempo que a NECESSIDADE de vender estes imóveis para SOBREVIVER também irá bater TODOS OS RECORDES.

      Portanto, dizer que uma ANOMALIA pode quase triplicar de tamanho ao mesmo tempo que todas as bases que sustentam as anomalias estão DESPENCANDO a olhas vistos e como NUNCA ANTES na história do país, é algo completamente ILÓGICO, assim como este trecho do seu comentário: “Não entendo a lógica envolvida mas é completamente possível que ocorra.”

      11+
      • avatar
      • steinherz 20 de julho de 2020 at 08:49

        Sim CA, mesmo não sendo especialista na área, compreendo que se os agentes de uma mercado atuam sem lógica, é de se esperar consequências. Com relação à observação (5), acredita nas insolvência de incorporadoras/construtoras nos próximos anos?

        1+
        • avatar
  • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 10:13

    Imobiliária de SP renegocia R$ 12 milhões em contratos de aluguel

    A Lello bateu a marca de R$ 12 milhões em renegociação de aluguéis nos últimos três meses em São Paulo, durante a pandemia de coronavírus, entre descontos, abonos e adiamentos.

    Segundo a empresa de real state, que segue em pleno funcionamento com toda a equipe em home-office, os aluguéis negociados até junho representaram 35% do total dos seus contratos de locação, sendo 63% do total dos contratos de imóveis comerciais e 27% do total dos residenciais.

    E também foi pensando em seus inquilinos, nesse momento conturbado, que a Lello fechou parceria com a PicPay, permitindo a eles optarem pelo pagamento do aluguel via cartão de crédito, com possibilidade de parcelamento em até 12 vezes, via app e ainda com benefício de um cashback.

    https://www.terra.com.br/noticias/dino/imobiliaria-de-sp-renegocia-r-12-milhoes-em-contratos-de-aluguel,8597c2f7f9a6d6d5c17fe8d16a9e186f0tq72mpf.html

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 17 de julho de 2020 at 14:09

      parcelar pagamento de aluguel?
      Mas no mes seguinte não tem que pagar outra conta igual?

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 10:21

    Banco Central autoriza uso de imóvel já financiado para novo empréstimo

    BRASÍLIA — O Banco Central (BC) anunciou o lançamento de uma nova linha de crédito para atender às micro, pequenas e médias empresas. Junto disso, também regulamentou a possibilidade de utilizar um mesmo imóvel em mais de uma operação de empréstimo.

    No segmento imobiliário, a medida permite que alguém que tenha financiado um imóvel de R$ 500 mil, por exemplo, e já pagou R$ 400 mil, possa ir ao banco e pegar “de volta” parte desse valor já pago nas mesmas condições do contrato original de financiamento imobiliário.

    https://extra.globo.com/noticias/economia/castelar/banco-central-autoriza-uso-de-imovel-ja-financiado-para-novo-emprestimo-24537265.html

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 10:37

    Mundo perdeu a paciência com o Brasil, afirma acionista da Klabin
    Para empresário, país corre sérios riscos de perder investimentos estrangeiros e prejudicar suas exportações

    https://valor.globo.com/brasil/noticia/2020/07/16/mundo-perdeu-a-paciencia-com-o-brasil-afirma-piva.ghtml

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 11:39

      Tensão política está repelindo investidor estrangeiro, diz Robert Wood, da ‘Economist’
      Segundo economista da revista inglesa, tensões entre Bolsonaro e outros poderes e aumento do protagonismo militar no governo causam apreensão entre gestores e empresas

      Ele é o principal economista da revista inglesa, atualmente à frente de uma unidade de inteligência que presta consultoria sobre política e economia para empresas e grandes fundos de investimentos em todo o mundo, e participou de conversa com a economista Rachel de Sá e o estrategista-chefe Fernando Ferreira, da XP, durante o evento Expert 2020, promovido pela plataforma de investimentos.

      Segundo ele, a liderança do presidente depende de resultados concretos na economia: “Neste ano, que também é de eleições, a posição do presidente pode ficar vulnerável caso não comece a haver uma recuperação”.

      https://valorinveste.globo.com/mercados/brasil-e-politica/noticia/2020/07/17/tensao-politica-esta-repelindo-investidor-estrangeiro-diz-robert-wood-da-economist.ghtml

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 11:35

    Desemprego chegou a 13,1% no país e atingiu 12,4 milhões de pessoas no fim de junho
    Depois de ficar três semanas estável, o desemprego voltou a subir no país. Dados da Pnad Covid, do IBGE, mostram que 12,4 milhões de brasileiros procuraram uma ocupação na última semana de junho e não encontraram. Com isso, a taxa subiu de 12,3% para 13,1% em uma semana.

    A flexibilização das medidas de distanciamento social começaram a gerar sinais no mercado de trabalho, fazendo com que o desemprego voltasse a subir no país. Entre a terceira e quarta semana de junho, mais de 675 mil brasileiros ficaram desempregados.

    https://extra.globo.com/noticias/economia/desemprego-chegou-131-no-pais-atingiu-124-milhoes-de-pessoas-no-fim-de-junho-24537387.html

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 17 de julho de 2020 at 13:39

    123123 Testando

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 17 de julho de 2020 at 13:51

    Finalmente consegui voltar comentar aqui.
    O plugin ficou desatualizado neste site, nunca mais consegui postar nada.

    E ai meu caros amigos bolhistas. Sentiram saudade.
    O que falei sobre dólar e ouro porque aqui. Deu certo ou não?
    Todas estratégia de gradualismo estatal e massiva tributação. Sobre tecnocracia e controle de mídia social por sistema de crédito social.

    E sobre governo fazer a mesma coisa de sempre em todas as crises, tentar pedalar com massiva impressão.
    Deu certo ou não .

    Conseguiram preserva ao menos os ganhos ao longo do anos?
    Eu consegui investir muito pouco em dólar : Não imagina que viria uma cisne negro para explodir o país e todos economias do dia para noite.Na minha contabilidade demoraria 3 anos para o país explodir:O vírus só adiantou este processo.

    E meus comentários sobre Guedes e escola da Chicago serem keynesianos , acertei ou não ?

    E os inúmeros argumento do porque governos dos ditos países desenvolvido iriam colapsar ! Acertei ou não?

    E sobre uma nova ditadura emergindo : A tecnocracia , acertei ou não.

    E da politização da ciência para atender grupos distintos : Acertei ou não?
    No final das contas é simples: Você é refém do estado, cabe você desenvolver ferramentas para lutar contra dominação.
    A luta individual: Não passa pela política!
    Agora viveremos o estágio MAD MAX!

    E o mercado imobiliario: explodindo de imóveis retomados: Os bancos vem segurando tudo com dinheiro do governo.
    Se liberarem todos imóveis que tem em posse: A oferta explode.

    Melhor ir se preparando, tudo indica que vai vir um massivo aumento de impostos sobre propriedade.

    33+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Falido.com 19 de julho de 2020 at 14:52

      Mesmo com seu conhecimento consegue ser humilde e reconhecer pequenos erros…
      Pra mim é exemplo fera….

      3+
  • CArlos 17 de julho de 2020 at 17:35

    PAULO GUEDES BOT @pauloguedesbot

    ɑpós o pedido de demissα̃o do Mɑnsueto, estɑmos procurɑndo um generɑl ɑposentɑdo prɑ ɑlocɑr no Ministério dɑ Economiɑ. Espero que sejɑ um tα̃o bom com os números quɑnto o Pɑzuello é com geogrɑfiɑ.

    8+
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 17 de julho de 2020 at 19:37

    Tem gente comprado imóveis, como em muitos casos para lavar dinheiro sujo #familícia.

    Ex-mulher comprou 14 imóveis quando casada com Bolsonaro e pagou parte em dinheiro vivo, diz revista

    Ana Cristina Siqueira Valle não tinha terreno, casa ou apartamento antes de se envolver com o então deputado federal, em 1997, segundo a ‘Época’

    RIO – Segunda ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle adquiriu 14 imóveis enquanto esteve casada com ele, entre 1997 e 2008. Dentre eles, cinco foram comprados com dinheiro vivo, segundo reportagem da revista Época.

    Ana Cristina é investigada pelo Ministério Público do Rio pela suspeita de ter sido funcionária fantasma do gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho de outro casamento do presidente, na Câmara do Rio. Ela foi lotada no gabinete entre 2001 e 2008.

    De acordo com a revista, Ana Cristina não tinha nenhum imóvel antes de se envolver com o então deputado federal Bolsonaro, em 1997. Os 14 bens adquiridos entre aquele ano e 2008, quando se separaram em confronto, somariam R$ 5,3 milhões, em valores corrigidos. Esses imóveis incluem apartamentos, casas e terrenos, apontou a reportagem. Os dois têm um filho juntos, Jair Renan.

    O próprio Bolsonaro não tinha patrimônio vultoso registrado antes do casamento com Ana Cristina. Possuía apenas dois apartamentos no Rio e um terreno em Angra dos Reis. Foi na década de duração do vínculo entre os dois que o casal passou a acumular patrimônio.

    Além da ex-mulher, outros membros da família Siqueira Valle integraram os gabinetes da família Bolsonaro. Eles também são investigados pelo MP – tanto no inquérito contra Carlos quanto na apuração do caso Queiroz, que mira o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). A Promotoria apresentou, na investigação, indícios de que esses parentes chegavam a transferir quase a totalidade dos salários como assessores para Fabrício Queiroz, o suposto operador de Flávio no esquema.

    Durante a eleição de 2018, a revista Veja revelou um processo movido por Ana Cristina contra Bolsonaro em que ela o acusa de ocultar patrimônio. Além disso, a ex-mulher também dizia que o atual presidente havia furtado um cofre de banco, recebido pagamentos não declarados e agido com “desmedida agressividade”. Depois, Ana Cristina se desmentiu. Atribuiu as acusações à separação conflituosa. Em 2018, ela já tinha se reconciliado com o ex-marido.

    O advogado Magnum Cardoso, que defende Ana Cristina Valle, informou que sua cliente não responderia às questões da revista. Segundo ele, “há evidente descompasso entre a realidade dos fatos e as ilações provocadas nesses questionamentos (feitos pela revista)”. Cardoso disse que repudia “com veemência qualquer afirmação, de quem quer que seja, indicando a prática de qualquer ato ilícito por parte de Ana Cristina Siqueira Valle”.

    https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,ex-mulher-comprou-14-imoveis-quando-casada-com-bolsonaro-e-pagou-parte-em-dinheiro-vivo-diz-revista,70003367510

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 18 de julho de 2020 at 09:22

    https://www.istoedinheiro.com.br/crise-vai-levar-milhares-de-empresas-a-falencia-ou-pedirem-recuperacao-judicial/

    Um estudo da Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia indicou que cerca de 3,5 mil empresas entrarão na justiça com pedidos de recuperação judicial ou vão declarar falência nos próximos meses. 

    Além disso, a taxa de inadimplência deve crescer 294%.

    A previsão é de que esse atraso nos pagamentos deva atingir 271 mil empresas.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Dutra 18 de julho de 2020 at 12:31

    https://economia.uol.com.br/noticias/estadao-conteudo/2020/07/18/desemprego-vai-bater-recorde-no-3-trimestre-e-atingir-15-milhoes.htm

    Mas está tudo bem. Bolsa de valores explodindo, procura e valorização gigantesca por imóveis.
    Lembra até a música …

    Tudo azul
    Todo mundo nu
    No Brasil
    Sol de norte a sul
    Tudo bem
    Tudo zen
    Meu bem
    Tudo sem
    Força e direção
    Nós somos muitos
    Não somos fracos
    Somos sozinhos nesta multidão
    Nós somos só um coração
    Sangrando pelo sonho
    De viver
    Eu nunca fui o rei do baião
    Não sei fazer chover no sertão
    Sou flagelado da paixão
    Retirante do amor
    Desempregado do coração

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 18 de julho de 2020 at 17:37

    A delegação brasileira relatou aos outros países do G20, em reunião ministerial virtual realizada hoje, que medidas adotadas no país estão mitigando o impacto econômico da pandemia de covid-19. E que agora, em vez de contração de 9% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, como projetado pelo FMI, o declínio é esperado para ficar em torno de 5%.

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 18 de julho de 2020 at 17:41

    Mais que vírus, falta de dinheiro segura brasileiro em casa
    Preocupação com saúde e renda explicam movimento fraco após reabertura do comércio

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 18 de julho de 2020 at 18:25

    Tenda diz que vendas líquidas somam R$ 576,4 milhões no 2º trimestre, alta de 20,1%
    Segundo a construtora, houve aumento nos distratos principalmente por conta do impasse entre os agentes do Minha Casa, Minha Vida na alocação de recursos para o programa

    Estadão Conteúdo

    Já os distratos somaram R$ 112,8 milhões entre abril e junho, um aumento de 97,9% em relação ao segundo trimestre de 2019. Em unidades, esse crescimento nos distratos foi de 91,3%, para 817. Assim, o número de unidades vendidas líquidas chegou a 4.129, avanço de 14,4%.

    Segundo explica a Tenda, esse aumento nos distratos aconteceu principalmente por conta do impasse entre os agentes do Minha Casa, Minha Vida na alocação de recursos para o programa. “Mesmo com os distratos no ano até agora, ainda há backlog de repasse de vendas realizadas desde o início de 2020”, ressalta a empresa.

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 18 de julho de 2020 at 18:30

    A Eztec (EZTC3) fechou o segundo trimestre com vendas líquidas de R$ 123 milhões. A cifra marca uma queda de 67% nas vendas líquidas, em comparação com o mesmo período do ano passado. Em relação ao primeiro trimestre, o tombo foi de 733%.

    As vendas brutas, entre abril e junho, somaram R$ 146 milhões, e os distratos (cancelamento de vendas) chegaram a R$ 23 milhões. O maior volume de cancelamento (R$ 7 milhões) se referiu a unidades já em construção.

    A Eztec não lançou nenhum projeto nos últimos três meses, refletindo a deterioração do cenário econômico, na esteira da pandemia de coronavírus.

    Cumprindo o roteiro
    O forte recuo exibido pela prévia operacional segue o roteiro previsto pelos analistas. Já em maio, o BTG Pactual (BPAC11) afirmava que o setor de construção civil registraria o maior impacto da Covid-19 no segundo trimestre.

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 18 de julho de 2020 at 20:22

      Cajuzinha,

      Alguns pontos interessantes sobre a noticia acima e as ocorrências anteriores:

      1) As primeiras construtoras a apresentarem as prévias, foram aquelas que tinham maior volume de vendas ligadas ao MCMV, que teve crescimento em função do FGTS repassar 100% do valor e não depender mais de dinheiro do governo e estas construtoras também aproveitaram para crescerem nos lançamentos, em plena PANDEMIA e quarentena (?!), só porque são estes lançamentos em alta escala que propiciam mais vendas FALSAS na planta;

      2) Depois daquelas do item 1 é que começaram a aparecer as construtoras que estão mais próximas da REALIDADE, ou seja, que não usufruem dos esquemas do MCMV e do credito PODRE da CEF para os imóveis populares com a mesma intensidade daquelas do item 1 e não PEDALARAM de forma tão IRRACIONAL no segundo trimestre quanto elas com as vendas FALSAS na planta para imóveis populares, como a Cyrela e a EzTec mais acima.

      3) As construtoras que estavam VIRTUALMENTE QUEBRADAS desde MUITO ANTES da PANDEMIA, porque estavam em recuperação judicial ou reestruturação e que agora não tem mais como FAZER DE CONTA que ainda existe alguma recuperação deverão ser as últimas a divulgarem as prévias para tentarem manter pelo maior tempo que puderem o ILUSIONISMO SURREAL de que justamente o setor imobiliario, aquele que tem as DISTORÇÕES mais gritantes, é que estaria tendo uma “recuperação mais rápida”.

      4) O segmento imobiliário aproveitou para COMPRAR artigos depois das prévias das construtoras do item 1 acima e antes das do item 2, para plantarem UFANISMO e atraírem SARDINHAS E INCAUTOS de forma geral, inclusive o DELÍRIO que consta no tópico em que estamos comentando, ou aquela “dica” que “agora é o melhor momento para comprar imóvel e que a recuperação em V já começou”.

      “Detalhe”: até outro dia tinha “especialista” que recomendou a compra das Ações da EzTec…

      Pois é, o castelo de cartas do IMOB está caindo…

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 19 de julho de 2020 at 08:25

        O segmento imobiliário aproveitou para COMPRAR artigos depois das prévias das construtoras do item 1:

        ” Otimismo no mercado imobiliário

        11 horas atrás”

        ESTADÃO

        Esse deve ter vendido um pacote grande de notícias. Praticamente dia sim dia não, falam bem do mercado imobiliário.

        7+
        • avatar
        • avatar
        • Cajuzinha 19 de julho de 2020 at 11:33

          Imóveis decorados virtuais remodelam lógica de lançamentos no setor imobiliário
          5 horas atrás

          3+
  • CA 19 de julho de 2020 at 07:40

    O governo brasileiro comentou em reunião com o G20, que está gastando 10% do PIB nas ações para combater a crise atual e que graças a isso, teremos mais gastos do que na média dos países desenvolvidos e também acima dos emergentes e ainda, uma queda do PIB que deverá ser menor que os 9% estimados pelo FMI e próximos dos 5% estimados pelo governo graças a estes gastos maiores. O governo também está comemorando por aí que o desemprego não cresceu tanto assim como em outros países.

    Qual a MATEMÁGICA quanto aos dados acima?

    1) DESINFORMAÇÃO: Enquanto outros governos usam como métrica os gastos EXCLUSIVOS do governo federal e demais entes públicos, o governo brasileiro inclui na conta dinheiro vindo do FGTS que é uma poupança que pertence aos trabalhadores e não ao governo, põe na conta dinheiro de bancos PRIVADOS que estão retidos em compulsórios e que tiveram liberação de uso maior pelo governo, mas que de novo não é dinheiro público e daí por diante, como sempre DISTORCENDO os números e MANIPULANDO as estatísticas;

    2) INEFETIVIDADE / não execução das verbas prometidas: no caso de empréstimos para micro e pequenas empresas, o dinheiro “disponilizado” pelo governo não chegou a 90% das micro e pequenas empresas, ou seja, como SEMPRE, ficou apenas nas PROMESSAS. Existem outros casos que também ficaram nas PROMESSAS, mas que mesmo sem serem executados entraram nos 10% do PIB que comentaram na reunião do G20.

    3) PEDALADAS = vender a janta para poder almoçar e depois quando chegar a hora do jantar, passar fome: ao fazerem por 6 meses ações como auxílio emergencial, não cobrar parcelas do crédito imobiliário, suspensão de contratos de trabalhos e redução de salários, o governo está apenas ADIANDO a visibilidade da REALIDADE, ele não está resolvendo NENHUM problema. O “detalhe” é que como consequência, se antes desta crise já tínhamos uma relação divida / PIB mais de 50% acima da media dos emergentes, após isto ficará ainda PIOR e isto levará a novas e mais intensas fugas de capitais de estrangeiros, ao mesmo tempo que obrigará aumentos relevantes nos impostos no curto e médio prazo e isto se refletirá em redução nos investimentos e no consumo, com tudo isto e mais algumas outras consequências, fazendo com que, quando o governo for OBRIGADO a encerrar os auxílios emergenciais, as carências de pagamentos de imóveis e os períodos de suspensão de contratos de trabalho e de redução de salários, o impacto de novas QUEDAS para emprego, renda, consumo e PIB sejam intensos, DESTRUINDO por completo a ILUSÃO da “recuperação em V” que não tem NENHUM fundamento.

    Mas enquanto der, o governo vai comemorar as ações POLITIQUEIRAS que está adotando e os “resultados” MAQUIADOS e PEDALADOS. Como sempre digo, passados alguns meses e quando não der para manter estas ações é que a VERDADE vai aparecer COM FORÇA.

    A conferir…

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 19 de julho de 2020 at 08:28

    Com queda na produção, Renault vai cortar 800 vagas de emprego no Brasil
    A empresa emprega 7,3 mil trabalhadores e propôs um Plano de Demissão Voluntária (PDV) que foi recusado
    Por Agência Estado
    18/07/2020 17:35

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 19 de julho de 2020 at 08:30

      Todas as montadoras afirmaram estar com excesso de pessoal e novos cortes devem ocorrer principalmente após o fim do programa instituído pela MP 936, que permite redução de jornada e salários e suspensão de contratos de trabalho, com parte dos salários bancada pelo governo.

      7+
      • avatar
      • avatar
  • CArlos 19 de julho de 2020 at 10:19

    Breve: PIB Militar

    Governo estuda cargos e gratificações para militares no Planalto e na Defesa

    O governo federal estuda editar medida provisória que cria cargos comissionados e gratificações para militares que atuam na Presidência e no Ministério da Defesa.

    O texto também propõe uma série de alterações em cargos de comissão, em funções de confiança e em gratificações cedidas no âmbito do Executivo federal.

    O Poder360 teve acesso à minuta do projeto. A proposta está nas mãos da equipe econômica, que estaria avaliando a medida.

    O texto define que o Executivo federal fica autorizado a “efetuar a alteração dos quantitativos e da distribuição de cargos em comissão, de funções de confiança e de gratificações” e propõe a criação das seguintes categorias:

    CCE (Cargos Comissionados Executivos): tem 17 níveis, com bonificações de R$ 330,79 a R$ 17.432,15, destinados às atividades de chefia, direção e assessoramento nos órgãos do Executivo federal;
    FCE (Funções Comissionadas Executivas): tem 16 níveis, com bonificações de R$ 330,79 a R$ 10.166,94, destinadas às atividades de chefia, direção e assessoramento nos órgãos do Executivo federal;
    CCM (Cargos Comissionados de Militares): tem 5 níveis, com bonificações de R$ 2.701,46 a R$ 6.991,73, para efetivos na Presidência e no Ministério da Defesa;
    GMFF (Gratificação de Militares Fora da Força): tem 5 níveis, com bonificações de R$ 999,54 a R$ 2.591,46, para efetivos na Presidência e no Ministério da Defesa.

    As mudanças poderão ser feitas desde que não implique aumento de despesa. O documento propõe a extinção de 15 modalidades, sendo duas categorias de cargos em comissão, 3 funções de confiança e 10 tipos de gratificações.

    A minuta não estipula quantas pessoas seriam afetadas nem o impacto fiscal das mudanças. Mas diz que haverá uma transição. Segundo o texto, o governo federal regulará as alterações.

    https://www.poder360.com.br/governo/governo-estuda-cargos-e-gratificacoes-para-militares-no-planalto-e-na-defesa/

    5+
    • avatar
  • socrates 19 de julho de 2020 at 12:24

    óbvio que só chegamos ao patamar absurdo da bolha imobiliária que temos que suportar por causa da passividade do Ministério Público e da Justiça, que sempre ignoraram completamente a função social da propriedade. Na melhor das hipóteses, a alienação dos funcionários dessas instituições deriva de profunda ignorância e não há porque nada mudar quando se é muito bem pago para não ver, né?

    Ao invés de impor que não pode haver especulação com imóveis em regiões onde a residência não é uma opção, eles apelam ao populismo “caridoso”, evitando remoções e retomadas de imóveis em casos singulares…
    Para ver como as coisas são, é só acompanhar o que vai acontecer com o desembargador do vídeo abaixo:

    https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2020/07/19/desembargador-humilha-guarda-apos-multa-por-nao-usar-mascara-em-sp-analfabeto.ghtml

    Não custa lembrar do caso absurdo da desembargadora do MT (terra do Gilmar Mendes) que tirou o filho da risão apesar do trafico de armas praticado porque “ele era doente”.
    Ou o caso do RJ, onde um juíz quase bateu em um bombeiro na praia…

    No caso do vídeo acima, é lá da sua área, Mark!
    Vai ser difícil os preços se aterem à renda com uma justiça assim, hein…

    Segue o circo…

    7+
    • avatar
    • avatar
    • MARK 19 de julho de 2020 at 23:15

      Pura verdade, Sócrates! Nossa referência de justiça, infelizmente.

      5+
  • Cajuzinha 19 de julho de 2020 at 13:22

    O quadro de dificuldade nos investimentos só foi agravado pela pandemia. Nos últimos anos, o país não conseguiu engatar um crescimento consistente dos investimentos. Em 2019, a formação bruta de capital fixo cresceu apenas 2,2%.

    O setor de máquinas e equipamentos – bastante sensível ao comportamento dos investimentos – só voltou a crescer em 2019, com avanço de 10% no faturamento. Foi a primeira alta desde 2013.

    “Hoje, o setor é 44% menor na comparação com a média de faturamento observada entre 2010 e 2013”, afirma o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), José Velloso.

    Neste ano, a indústria de máquinas e equipamentos planejava repetir o crescimento de 10%. Mas a crise provocada pelo coronavírus fez com que a previsão de melhora desse lugar a uma retração de 10%.

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 19 de julho de 2020 at 13:52

    Tem muita gente defendo governos mundo a fora e se iludindo ( pessoal que se diz acadêmico vive falando de cientificismo e outras balelas que a realidade contabil desconhece.

    E não foi falta de aviso ! ainda custo entender como pessoal se debate em cima de contabilidade tão simples, parece que não conseguem entender uma lógica básica. Algo que deviam aprender no ensino fundamental.

    O presidente seja qual, independente do viés ideológico que tiver :Não consegue mecher nem com 10 % do orçamento ( Gastos contratados).

    Outros 90% dos gastos do governo são ” Garantidos” pela constituição como direitos adquiridos.

    ou seja: Se entrar um governo ultra super , mega liberal , que tenha um congresso e senados na sua grande maioria também com mesmo viés ( impossível isso acontece no Brasil e na maior parte do mundo), Este governo ” mágico” só conseguiria fuçar em 10% do orçamento , ou menos !!!!!!!!!!! Ou seja , ficaria enxugando gelo.

    E estes cortes de gastos também seriam sentidos em grupos específicos : Que possuem lobby forte no congresso. ( Funcionalismo , judicaria, políticos e militares.

    Em suma! Esquece corte de gastos. Nunca nem vi e nunca verei.

    Nenhum governo no mundo desde 1970 tem cortado gastos ( Direita, esquerda, centro etc: Raros são os casos que isso acontece, muitas vezes não ocorre nem quando país vai para falência, Vide Brasil e argentina com recordes de calotes nas dívida pública.

    O que o governo faz é realocar gastos de setor x para y, mas cortar mesmo não existe.

    O tara do acadêmicos da disney, com modelos economicos falsos de eficiência estatal.

    No fundo é melhor não se iludir com países que pessoal vive afirmando como modelo de gestão pública.
    Alemanha, Itália, EUA, etc: Estes países vivem pendurados em dívidas, estaduais e federais.
    Peço encarecidamente que estudem contas públicas e dinâmica de gastos públicos ao redor do mundo. Não só no Brasil! E parem de ouvir besteirol de acadêmicos , especialistas ou gurus. Estudem contabilidade e façam contas. O resto é embuste, misticismo e Falsa ciência.

    Já vou dar uma palhinha para vocês: A divida pública &privada é responsável por quase 300 % do PIB mundial. Vai explodir para 1000%, 2000%, 3000%?

    Ainda temos uma questão do crescimento real negativo. Que os gênios ” Economistas de revistinha como The economist e afins nunca vão lhe dizer! O crescimento real do PIB + carregamento estatístico é nulo , este pessoal desconhece as leias mais básicas da matemática .

    EX: Se um país cresce 2% a.a , crescimento real deste país é 0% , ou até negativo em alguns casos. A realidade é que estes 2% a.a em média são atrelados ao crescimento da população mais jovem, ( crescimento demográfico), crescimento nominal. ( PiB nominal)

    Ou seja: se você tirar 2% de natalidade daquele país em questão, crescimento real pode ser até negativo.

    Na contra mão você possui uma população envelhecendo que demanda mais gastos com saúde e aposentadorias; gastos que vão se reverter não só em aumento das contribuições, mas também em aumento de impostos de outros setores para cobrir folha de aposentadoria.

    Como existe menor números de pessoas nascendo, e por consequência um número X de indivíduos que possuem uma renda muito menor comparado gerações anteriores. O governo seja ele qual for recorre para mesma coisa de sempre :Aumento de dívida e impostos, um circulo vicioso que começou no pós guerra, mas que foi pouco sentido pelo bônus demográfico e avanço tecnológico das ultimas décadas.

    A eterna luta para enxugar gelo:

    No fundo um governo liberal luta para gastos X ir para Y, Por exemplo cortar gastos de judiciário para alocar em aposentadoria.

    Porém num panorama geral: Mesmo que um governo faça tudo perfeito, a conta não fecha! O sistema keynesiano pós guerra, é insustentável . O estado se manteve nestes esquema de escravidão moderna, porque nascia mais gado pagador de impostos para contribuir com a dívida feita no presente ( Ademais tivemos uma melhora na produção e custos).

    Estamos sim rumando para um socialismo de viés tecnocrata PS: ( Quero meu chapéu de alumínio).
    As empresas vão automatizar e o governo vai ficar com a receita desta empresa e decidir , onde , quando e com quem gastar.

    O rombo da infindável da aposentadoria.

    O que governo faz nesta situação? Aumenta tempo de contribuição para mais velhos nunca se aposentarem e cobra valores maiores ao longo do tempo de quem estiver na ativa: No final da vida você vai receber uma merreca estatal , tendo em vista que contribuiu boa parte da vida com valores vultosos para pagar aposentadoria de outros.

    Explicando a tara por uma nova : CPMF.

    Porque governo quer avançar sobre uma CPMF? Porque é um imposto que arrecada muito com mínimo esforço.

    Imposto piramidal: Incide várias vezes sobre uma mesma quantia econômica.

    Ou seja: O governos sempre veio com um pretexto que é uma taxa mínima, porém esta taxa vai ser exponencial sobre uma cadeia de transações.

    EX: Você recebe uma venda de fornecedor efetua uma transação na sua conta.
    Governo come um % desta transação.
    Você pega este dinheiro para investir em maquinário, ou seja:Para cada maquinário que você comprar incide um impostos sobre tal transação. ( Digamos que você compre cinco maquinas), cada qual fez uma transação monetária , eletrônica: O imposto incidiu 5 vezes sobre o mesmo montante.

    Digamos que depois de um tempo, estas maquina deram uma receita x, receita esta que vai ser direcionada para sua conta: Na qual Incide também mais imposto.

    No final das contas: Toda Indústria que possui uma cadeia de produção longa vai pagar mais impostos. E isso vai dificultar calculo de rentabilidade real. A rentabilidade vai depender de uma série de fatores: Inclusive números de transações financeiras pelo sistema.

    Para boa parte dos governos uma nova CPMF é uma receita fácil:
    Vou repetir aqui: As empresas tem lucro baixo! Margem baixa, principalmente no setores de varejo.
    Tributar lucro não paga 1 ano de déficit público na maior parte dos países.

    Amazon fatura apenas 3% do seu faturamento ( lucro líquido), logo não tem como governo ganhar dinheiro tributando 3% do lucro , não faria nem cócegas nos rombos das contas públicas. Isso é papinho para socialista e desinformados baterem palma.

    A solução encontrada ( pelos gênios) , é taxar todas suas transações: Repassando o custo ao cliente.

    Porque é exatamente isso que as empresas vão fazer, assim como fazer com as taxas de transação de cartão. Esquece este papinho de trocar renda por consumo ( Papinho adorado pelos otários de wall street). No final das contas não existe rico, renda suficiente para bancar estados atuais, este pessoa sabe disso.

    Repassam estes custos ao cliente final eu auferem salários pela receita obtida.

    Outro X: Que guedes defende privatizações no modelo de dependência governamental: A empresas
    é privatizada , governo mantém estas empresas com recursos públicos ( Divida com bancos do governo), quando esta empresa obter lucro o estado abocanha estes lucros por meio de juros da dívida, imposto no faturado e lucro.

    Sendo a empresas de capital aberto, estado terceiriza o risco ao acionistas : Aló IRBR3.
    E quando tiver lucro governo fica com uma boa fatia.

    Escola de Chicago é maior embuste que pessoal pode acreditar:
    Se dúvida de mim : Procure uma gráfico de gastos públicos com diferentes governos “Alguns ditos liberais” E tu vai ver uma coisa : gastos aumentando e impostos idem.

    Pessoal precisa sair do mundo da imaginação: Não tem como cortar gastos no sistema monetário dos ultimo 50 anos. A tendência é só piorar, até chegar falência completa:Argentina, Grécia e afins.

    28+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Falido.com 19 de julho de 2020 at 14:45

      Como sempre simples e objetivo…
      Vc sempre faz muita falta por aqui Sr. Bolha..,.
      Cuide da sua saúde e continue nos ajudando a entender o Brasil e o Mundo….👍

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CA 19 de julho de 2020 at 14:40

    Sobre a PROFUNDA DEGRADAÇÃO nos empregos:

    Antes tínhamos as profissões INFORMAIS de motorista de aplicativo, vendedor de docinho, vendedor de alimentos em food truck, cabeleireiro, entregador de alimentos de aplicativos, vendedor de itens importados via market places e outras atividades similares e este conjunto ERA a “tábua de salvação” para todo mundo que era CLT, ficava desempregado e não achava outra colocação formal.

    E isto foi crescendo de forma EXPONENCIAL, até chegar a mais de 40 milhões de INFORMAIS em 2019 e a grande maioria relacionada ao empreendedorismo por NECESSIDADE, algo que as pessoas faziam, não por vocação ou por opção profissional, mas sim porque NÃO CONSEGUIAM uma recolocação formal que fosse o suficiente para seu sustento e de familiares e precisavam SOBREVIVER e pagarem suas contas.

    Com a pandemia e a crise atual, um grande número das funções acima, algumas delas que já estavam com profissionais SOBRANDO, viram a demanda DESPENCAR e o negócio que estava pouco lucrativo ou até operando com ligeiro prejuizo, se tornou INVIÁVEL para a grande maioria destas atividades.

    Por enquanto MUITOS dos que se enquadram nas funções com SUPER CONCORRÊNCIA de profissionais e FALTA DE DEMANDA estão SOBREVIVENDO graças ao auxilio emergencial do governo. Mas e quando este auxilio for OBRIGATORIAMENTE INTERROMPIDO e as pessoas perceberem que a demanda diminuiu muito, mesmo que não hajam mais nenhuma restrição de locomoção, mas sim, pela simples queda de renda e mudança de hábitos?

    Quando isto acontecer, as pessoas acima que estavam no grupo de DESALENTADOS (não procuram emprego) se verão obrigados a procurarem por outras alternativas de renda e este movimento levará a aumentar em MILHÕES o número de DESEMPREGADOS.

    Abaixo, mesmo ANTES de termos qualquer interrupção no auxilio emergencial, já vemos a PONTA DO ICEBERG:

    https://www.istoedinheiro.com.br/trabalhador-enfrenta-fila-de-espera-para-se-tornar-entregador-em-aplicativos/

    Trechos do link acima, entre “aspas”:

    “Trabalhador enfrenta fila de espera para se tornar entregador em aplicativos”

    “A falta de vagas para entregadores é a face mais perversa da lei da oferta e da procura. Com estabelecimentos fechados (temporária ou definitivamente) e consumidores gastando menos, é preciso calibrar o número de motoboys ou ciclistas nas ruas para assegurar que haja trabalho para todos. Se um contingente grande de entregadores é aceito nas plataformas, muitos ganham pouco e ninguém fica com o suficiente para pagar as próprias contas.”

    “No iFood, a fila de espera de entregadores registrou seu pico nos últimos 60 dias. De março a junho deste ano, a plataforma recebeu 480 mil novos cadastros e não deu conta de absorver todo mundo. O número é mais de três vezes a quantidade de entregadores que estavam habilitados em fevereiro (131 mil), antes da pandemia.”

    “Nas redes sociais e em sites de atendimento ao consumidor, há inúmeros relatos de quem espera até mais de seis meses para começar a trabalhar como entregador. ”

    “As reclamações em relação ao tempo de espera se avolumam em várias cidades do Brasil. No site Reclame Aqui, trabalhadores de capitais como Rio de Janeiro e Belo Horizonte pediam explicações ao iFood para a demora. A empresa respondeu reconhecendo que em todas as regiões do País há “excesso de entregadores e poucas vagas em aberto”. “

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 19 de julho de 2020 at 16:43

    A XP cancelou planos em São Paulo, onde o metro quadrado é mais caro, para construir um câmpus em São Roque, a 60 km da capital.

    Outro banco que pretende estender o trabalho remoto é o Itaú, apurou o Estadão, com a chance de devolução de escritórios localizados fora da sede principal. O Itaú diz, em nota, que manterá os colaboradores das áreas administrativas em home office pelo menos até 1.º de setembro. “Existe uma frente de trabalho dedicada unicamente a estruturar o nosso modelo de trabalho a partir de setembro”, afirma. Já o banco digital C6, que está em fase de expansão, vai frear por ora os planos de alugar novos escritórios. Os novos times serão acomodados nos oito andares que a empresa já ocupa na Avenida 9 de Julho, na capital paulista.

    https://www.google.com/amp/s/noticias.r7.com/economia/pandemia-impoe-dilema-sobre-escritorio-19072020%3famp

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 19 de julho de 2020 at 18:46

    Aqui disponho de mais alguns argumentos para complementar comentários do C.A sobre informalidade.
    O que acontece quando uma empresa formal ” registrada e operando conforme a lei se torna inviável”,l.Que fiquei claro, boa parte das empresas atualmente são economicamente inviáveis!

    Empreendedorismo real Vs aberração estatal.

    – Empreendedorismo real produtivo.
    Status: ( Extinto ).

    Como funciona na teoria:

    Poupe dinheiro
    Encontre uma demanda
    Desenvolva um produto
    Abra uma empresa, invista seu próprio dinheiro para obter lucros e pague impostos.

    – Como funciona na prática.
    ciclos de mercado ( Intervencionismo).

    Fase 1 do ciclo : Pedalada
    – Encontre um banco do governo, regional etc ( Tire um empréstimo).
    – A demanda nesta fase não é criada pelos consumidores, mas sim pelo governo ( crédito).
    ( Por exemplo), fomentando milhares de ações imobiliárias ( Crédito podre), para impulsionar vendas na planta.
    – Empreendedor atende esta falsa demanda com dinheiro emprestado do próprio governo.
    – O governo opera nas duas pontas: ( Seja oferecendo crédito para quem deseja consumir , seja mantendo empresas com empréstimos).
    – A demanda cresce artificialmente, consequentemente empreendedor observou crescimento na demanda de um setor X.
    – O empreendedor direciona seus recursos para atender esta falsa demanda.

    Fase 2 do ciclo : Maquiagem

    – A demanda começa apresentar sinais de estagnação.
    – Todos consumidores que podiam se endividar já o fizeram.
    – A renda da população não aumentou neste período.
    ( Nunca se criou capital produtivo) , mas sim um criação massiva de crédito por meio do Banco central.
    – Comum nesta fase calotes começaram aparecer nos balanços de instituições financeiras.
    – No final das contas, estas pessoas nunca poderiam arcar com estes valores.
    – Nesta fase alguns bancos tendem pedalar renegociando dívidas, retendo imóveis em seus balancetes.
    – Bancos deixam de emprestar = queda na oferta de crédito podre
    – As empresas criadas na fase 1 explodem em dívida.
    – Sem faturamento para empresas beneficiadas pelo esquema , só sobra dívidas impagáveis .
    – O governo ( Absorve as dívidas podres e incorpora ao balanço do banco central).
    – Governo Imprimi dinheiro para absorver dívida destas empresas falidas.
    – Estas empresas continuam produzindo , com uma demanda reduzida. ( Economia Zumbi)

    Fase 3 do ciclo : Quebra do sistema financeiro. ( armadilha de liquidez)

    O governo emitiu dívida para socorrer empresas e manter programas sociais.
    Trabalhadores que obtiverem renda oriunda da falsa demanda não possuem mais renda ou atuam no mercado formal e informal com uma renda reduzida.
    O governo possui um rombo orçamentário inapagável criado pela injeção de crédito e absorção dos mesmo nos balancetes podres do banco central.
    – O governo recorre ao aumento de impostos como forma de contra balancear seus gastos.
    – O setor produtivo repassa estes impostos recém criados para os produtos.
    – O consumidor agora sem renda opera num mercado com produtos mais caros e uma renda diminuta.

    Impostos crescem = Para manter gastos governamentais.
    Renda diminui= Não se pode manter uma falsa demanda AD eternum

    O governo pedala para jogar a crise adiante.
    O governo Precisa manter falsos incentivos para demanda ( incorrendo em dívida),
    A dívida recém criado vai ser paga com mais impostos no futuro ,( Impostos que afetaram o poder de compra e renda do consumidor , empresas e investimentos diretos etc). Isso explica porque mesmo com uma fartura de crédito, não se consegue obter um boom de crescimento.

    A renda não aumenta no período analisado
    No fundo se trata de um processo de transferência de renda de empresas e empregados para o governo, via impostos.

    O governo não pode tirar estes incentivos, porque quebraria todo sistema econômico. ( Curto prazo).
    Porém no médio longo prazo não vai funcionar.
    Não se pode criar dívida infinita esperando que no futuro teremos pessoas para cobrir a folha de pagamento com impostos.

    Já se fala em reset financeiro em alguns círculos.

    Eu vejo como ditadura tecnocrática: transferir patrimônio das pessoas para o governo mediante transações.

    Isso explica porque cresce informalidade no mundo inteiro.
    A medida que operar no mercado formal se torna cada vez mais proibitivo, mercado negro entre outros meios alternativos de pagamento começam fazem sucesso.

    Quer um exemplo de armadilha de liquidez atual e seus resultados nefastos? Japão. Fez exatamente as mesmas coisas descritas acima.

    Conclusão: Não existe empreendedorismo real.
    O que existe no Japão atualmente é um empréstimo compulsório piramidal com dinheiro governamental.

    Governo possui quase metade dos ETFS e bonds corporativos listados em bolsas. ( Estatizou a economia privada.)

    Bilionários: E sua hipocrisia habitual.

    Boa parte da fortuna deste grupo depende deste esquema continuar de pé.
    A empresas dependem de financiamento estatal e os ativos ( Valor em bolsa ) , dependem da compras recorrentes do governo.

    Ou seja: A empresas passa valer não mediante ao que produzem, mas sim conforme valor artificialmente estipulado pelo governo em bolsas, é dai que saem avaliações de ranking de patrimônio.

    O que acontecer caso governo deixar de intervir em bolsa e financiar empresas zumbis?
    Adeus ranking da forbes.
    A fortunas nunca foi oriunda de lucro obtida nas empresas ! São apenas ativo eletrônicos inflados em balancetes de bancos.

    2+
    • avatar
  • CArlos 20 de julho de 2020 at 05:32

    Redução de gastos…

    Bonificação a militares das Forças Armadas custará R$ 26,5 bilhões

    Valor será gasto em cinco anos e reajuste foi aprovado com a reforma da Previdência dos militares; manobra da Advocacia-Geral da União ainda pode beneficiar oficiais que estão no governo, permitindo que recebam além do teto

    O reajuste de até 73% na bonificação salarial concedida aos militares das Forças Armadas que fazem cursos ao longo da carreira custará R$ 26,54 bilhões em cincos anos. Chamado de “adicional de habilitação”, o “penduricalho” será incorporado na folha de pagamento de julho dos militares, com impacto de R$ 1,3 bilhão neste ano, em plena pandemia do novo coronavírus, de acordo com nota técnica do Ministério da Economia e dados do Ministério da Defesa, obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI).

    Na prática, o gasto anual com o pagamento dessa bonificação no soldo dos militares crescerá ano a ano, e em 2024 já estará em R$ 8,14 bilhões. O reajuste do adicional foi aprovado com a reforma da Previdência dos militares, no fim do ano passado. Os críticos argumentam que o benefício deveria ter sido suspenso até dezembro de 2021, junto com o congelamento dos reajustes salariais dos servidores civis, aprovado pelo Congresso com o socorro de R$ 120 bilhões aos estados e municípios.

    https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2020/07/01/interna_politica,1161685/bonificacao-a-militares-das-forcas-armadas-custara-r-26-5-bilhoes.shtml

    6+
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 20 de julho de 2020 at 05:44

    Eu pessoalmente acredito que a escola de economia praticada por PG seja aquela conhecida simplesmente como “PICARETAGEM” mas os especialista e acadêmicos tem que defender seus salários 😉

    O keynesiano mais relutante do mundo gasta muito no Brasil

    Como de costume em uma crise, os formuladores de políticas globais têm contado com as medidas de gastos associadas a John Maynard Keynes para conduzir suas economias pela crise do coronavírus.

    Talvez ninguém tenha feito isso com mais relutância do que o ministro da Economia do Brasil.

    Paulo Guedes, economista da Escola de Hard Money da Universidade de Chicago, tornou-se um queridinho do mercado ao prometer restaurar a disciplina das finanças públicas do Brasil. Ele está prestes a aumentar o maior déficit orçamentário do país. E ele está ansioso para voltar ao Plano A, mesmo que o Fundo Monetário Internacional tenha alertado o mundo contra uma retirada apressada do apoio fiscal.

    O episódio inteiro parece uma prova da piada feita por outro economista de Chicago, vencedor do Nobel Robert Lucas, após a crise financeira de 2008: “Todo mundo é keynesiano em um buraco de raposa”.

    Isso é irritante para Guedes. Ele é um defensor da privatização e orçamentos apertados – e um discípulo do guru do mercado livre Milton Friedman, frequentemente visto como o oposto de Keynes no mundo econômico. Guedes foi contratado pelo presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro com o mandato de reverter anos de crescimento em gastos públicos sob governos de esquerda.
    “Renda-se à realidade”

    O déficit orçamentário do Brasil subiu acima de 10% do produto interno bruto no meio da década passada, com a economia mergulhando em uma profunda recessão. A desordem fiscal custou ao país sua classificação de crédito em grau de investimento.

    Mas o déficit deste ano provavelmente será maior. O ministério de Guedes prevê 11,5% do PIB e os economistas prevêem um número ainda maior.

    Como seus pares em todo o mundo, os formuladores de políticas do Brasil tiveram que canalizar apoio financeiro a famílias, empresas e autoridades locais para amortecer o impacto da pandemia. A maior economia da América Latina provavelmente encolherá mais de 9% este ano, segundo o FMI.

    “Não acho que Guedes tenha se tornado keynesiano, mas teve que se render à realidade”, diz Julia Braga, professora de economia da Universidade Federal Fluminense e diretora da Associação Keynesiana Brasileira. “A economia do Brasil já estava muito fraca. Há uma enorme folga no mercado de trabalho. E nenhum gerente de dinheiro vai investir onde não há demanda. ”

    O Brasil tem o segundo maior número de casos de coronavírus do mundo depois dos EUA, com casos estimados em mais de 2 milhões. Bolsonaro, que testou positivo para o vírus, é responsabilizado por não levar o surto a sério o suficiente. Guedes recebeu confirmação de um resultado negativo, disse o Ministério da Economia na quinta-feira.

    Guedes, em março, se gabou de que poderia aniquilar o vírus apenas alocando 5 bilhões de reais a mais (US $ 930 milhões) ao Ministério da Saúde. Quatro meses e mais de 500 bilhões de reais em gastos públicos depois, ele mudou de ideia.
    “Como uma caixa de ferramentas”

    O ex-professor também tem discutido com críticos que chamaram a atenção para sua mudança de rumo. Guedes, cuja assessoria de imprensa se recusou a comentar esta história, diz que sua disposição de se basear em tradições econômicas fora da qual ele está associado é evidência de uma abordagem flexível e pragmática.

    “O próprio Keynes disse que a economia é como uma caixa de ferramentas, você ataca seu problema com as ferramentas certas”, disse ele à CNN Brasil este mês. “Se o seu problema é desemprego em massa, você precisa atacá-lo de frente”.

    Em outra ocasião, Guedes disse aos legisladores que ele está profundamente familiarizado com o trabalho da escola keynesiana: “Eu tenho uma história inteira de leitura desses economistas em seus idiomas originais. Foi muito fácil fazer uma inversão de marcha. ”

    De fato, Guedes foi levado a mais flexibilização fiscal do que esperava.

    A medida de assinatura do Brasil na luta contra a pandemia tem sido um pagamento mensal aos trabalhadores da economia informal. O estipêndio foi inicialmente fixado em 200 reais. Mas o Congresso aumentou para 500 reais – e, então, para evitar uma derrota política e receber crédito pelo que acabou sendo um programa popular, Bolsonaro ordenou que Guedes fizesse 600 reais.

    “Transforma-se em abóbora”

    Uma preocupação importante sobre os gastos com déficit associados à política keynesiana, especialmente em economias emergentes como o Brasil, onde sempre existe o risco de assustar os investidores estrangeiros, é que isso fará com que os preços fiquem fora de controle. Isso está longe de ser uma questão acadêmica no Brasil, que teve hiperinflação nos anos 90.

    Completo aqui:

    https://www.bloomberg.com/news/articles/2020-07-16/the-world-s-most-reluctant-keynesian-is-spending-big-in-brazil

    4+
  • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 06:30

    Mercado imobiliário segue com algumas condições macroeconômicas favoráveis, mas ainda há incertezas no horizonte; queda nas vendas não foi tão grande como o esperado, mas investimento tem pouca liquidez e depende muito da localização

    Kaype Abreu

    4+
    • avatar
  • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 06:35

    Juro precisa ir a 1% logo ou recuperação da economia vai demorar muito
    Gustavo Kahil – 19/07/2020 – 22:30

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 06:36

      A combinação de hiato do produto em terreno ainda significativamente negativo e a dinâmica bastante benigna esperada para a inflação à frente corrobora a visão de que o atual ciclo de afrouxamento monetário ainda não deve ter chegado ao seu fim”, destaca o documento também assinado por Gustavo Ribeiro e Leonardo Costa.

      4+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 06:44

    Segundo a especialista em mercado imobiliário Yslanda Barros, quem busca uma nova moradia provavelmente encontrará valores mais alto do que antes da pandemia. Ela explica que esta situação é um reflexo do aumento do custo da construção, que sofreu também com a alta no valor dos produtos. Sobre essa mudança, ela conta que as pessoas não desistiram de alugar ou comprar, mas adiaram o planejamento.

    A especialista ainda fala que quem quer investir em um imóvel, este é o melhor momento, já que a taxa de juros teve uma queda histórica. Em um cenário pós-pandemia, Yslanda acredita que a situação vai melhorar e lembra que outras crises já foram superadas pelo mercado. O setor imobiliário representa 5% do Produto Interno Bruto nacional.

    https://jovempan.com.br/programas/jornal-da-manha/mercado-imobiliario-alta-precos-pandemia.html?amp

    3+
    • avatar
  • Pedro de Lara 20 de julho de 2020 at 08:01

    Sobre o tópico, replico:

    Ainda não me esqueço do Chiquinho Scarpa, em entrevista ao Pânico, na Jovem Pan, chorando por não conseguir vender uma de suas mansões. Baixou de 120kk para 63kk e está encalhada há anos. Minutos depois, ao ser perguntado por Emílio e Samy Dana, sobre qual seria o futuro de investimentos no pós-pandemia, ele diz: “imóveis, pois vão subir muito”.

    Ok meu jovem. Boa sorte então. 🙂

    22+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 11:01

    Investimento imobiliário global despenca sob efeito da pandemia

    O investimento deve “permanecer bem abaixo dos níveis pré-pandemia durante o resto de 2020 enquanto investidores aguardam clareza no mercado”, disse Simon Hope, responsável por mercado global de capitais da Savills, em comunicado divulgado na segunda-feira. “No entanto, determinados setores devem ter desempenho superior à medida que investidores se concentram em ativos seguros, como logística, residencial e ciências da vida.”

    A economia global foi abalada pela pandemia: o Fundo Monetário Internacional projeta retração de 4,9% neste ano. A economista-chefe do FMI, Gita Gopinath, disse que a perda cumulativa para a economia mundial neste ano e no próximo, como resultado da recessão, deve chegar a US$ 12,5 trilhões.

    Ainda assim, a queda foi menos grave do que no início da última crise financeira no primeiro semestre de 2008, quando o investimento despencou 49% e continuou caindo até meados de 2009, disse no comunicado Sophie Chick, diretora da equipe de pesquisa mundial da Savills.

    https://br.financas.yahoo.com/noticias/investimento-imobili%C3%A1rio-global-despenca-sob-121146464.html

    4+
    • avatar
  • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 11:18

    Bolsonaro é alvo de três denúncias em corte internacional
    Presidente é acusado de crimes contra a humanidade por negligência no combate à pandemia de covid-19
    Por Assis Moreira — De Genebra

    20/07/2020 05h01

    https://valor.globo.com/brasil/noticia/2020/07/20/bolsonaro-e-alvo-de-tres-denuncias-em-corte-internacional.ghtml

    5+
    • avatar
  • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 11:20

    SUPER TÓPICO!
    Aumento da retomada de bens pelos bancos estimula compra de imóveis e valores devem ficar bem abaixo do praticado pelo mercado

    https://www.terra.com.br/noticias/dino/aumento-da-retomada-de-bens-pelos-bancos-estimula-compra-de-imoveis-e-valores-devem-ficar-bem-abaixo-do-praticado-pelo-mercado,9310350587154f5e12fcbdb94490bf79wk7x6r8r.html

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 11:23

      “A crise, infelizmente, vai prejudicar algumas famílias e alguns poderão perder seus bens. Por outro lado, com tantos imóveis já parados e outros que serão retomados, a expectativa é que a Caixa, entre outros bancos, diminua o valor de mercado e isso atraia ainda mais clientes, fechando novos negócios”.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 20 de julho de 2020 at 13:29

      Cajuzinha,

      Sem dúvida, é SUPER TÓPICO, principalmente porque a disparada em leilões sempre foi o gatilho para explosão mais visível de BOLHA IMOBILIÁRIA ao redor do globo, porque tem exatamente este efeito de forçar uma redução de preços em função da super-oferta e necessidade dos bancos de manterem a LIQUIDEZ, que é o CORAÇÃO deles.

      Curiosa a abordagem dos agentes ligados ao IMOB na notícia: apesar do que consta acima, eles FAZEM DE CONTA que DISPARADAS em retomadas e leilões é bom para o segmento imobiliário, porque ao reduzir preços, as vendas vão aumentar! Só que isto gera inúmeros efeitos em cascata, como FORÇAR a queda dos preços das construtoras para que as pessoas não passem a comprar em leilões ao invés delas, o que FORÇARÁ reduções maiores em preços por particulares quanto aos usados pelos mesmos motivos e todos estes com volumes RELEVANTES de empresas e pessoas sendo OBRIGADAS a adotarem estas reduções em função da CRISE AGUDA e NECESSIDADE de fazer caixa, o famoso EFEITO MANADA, que como sempre destacamos, tem a ver com o que as empresas e pessoas físicas PRECISAM fazer neste momento e não com o Whishful Thinking e o mundo de ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS, onde “querer é poder”, que eles tentam vender na mídia…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 12:25

    O cardiologista e empresário Fabiano Barcellos, de 40 anos, afirma que sua despesa no cartão de crédito caiu quase pela metade depois da pandemia. “Estou fazendo uma economia absurda ficando em casa.”

    Ele admite que sua renda não diminuiu tanto, entre 10% e 15%. No entanto, a nova rotina impôs hábitos mais econômicos.

    Antes da covid-19, sua família saía para comer fora toda semana. Agora, pede pizza a cada 15 dias e sua mulher, que gosta de cozinhar, assumiu o preparo das refeições.

    Outros hobbies, como cinema, ficaram para trás.

    Ele reduziu os canais de TV por assinatura, as idas da faxineira, mudou o plano de saúde da mãe para um mais em conta e adiou a troca do carro. “Cancelei por causa da incerteza.”

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 20 de julho de 2020 at 12:36

    China bloqueando saques KKKk

    https://www.youtube.com/watch?v=3y2fHoE-8V0

    6+
    • avatar
    • avatar
  • rsampaio 20 de julho de 2020 at 12:37

    https://www.resistir.info/eua/extorsao_declinio_colapso.html

    Charles Hugh Smith
    “Se examinarmos a “riqueza” da classe média/classe trabalhadora (geralmente considerada característica definidora a dependência do rendimento do trabalho, em vez de viver de rendimentos obtidos pelo capital), encontraremos também como capital primário a casa da família, que, como expliquei muitas vezes, é improdutivo, essencialmente uma forma de consumo e não uma fonte de rendimento.

    Numa economia globalizada e financeirizada, o único capital que vale a pena possuir é o capital móvel, capital que pode ser deslocado com um toque de tecla para evitar a desvalorização ou obter um retorno mais elevado.

    Habitação e planos de poupança reforma são “capital ocioso”, formas de capital que não são móveis, a menos que seja liquidado antes que as crises ou a expropriação ocorram. Também fico impressionado com as crescentes barreiras para iniciar ou mesmo operar pequenas empresas, uma forma básica de capital, à medida que as empresas geram rendimento e (potencialmente) ganhos de capital. (A pandemia apenas aumentou as barreiras que já eram altas.)”

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Strike 20 de julho de 2020 at 13:48

    IBOV 105k !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    2+
    • Strike 20 de julho de 2020 at 14:08

      Tem analista projetando IBOV 130k até novembro/dezembro…

      2+
      • CA 20 de julho de 2020 at 15:54

        Strike,

        Uhu!!!

        Isto reforça o comportamento esperado da economia REAL, aquela que REALMENTE INTERESSA:

        Em 2016, até então, o RECORDE de QUEDA no PIB do Brasil e a BOVESPA, com crescimento de mais de 30% e sendo o investimento mais rentável do ano!!!

        Depois disto, ano após ano, a BOVESPA sempre entre os investimentos mais rentáveis e o PIBinho, sempre RIDÍCULO, com o menor deles em 2019.

        Agora, repetindo o feito de 2016: a BOVESPA DISPARA, enquanto temos a projeção da maior QUEDA do PIB de todos os tempos!

        Parabéns, REALMENTE o que você colocou é a maior e mais INEQUÍVOCA evidência que a economia REAL vai mesmo para O FUNDO DO POÇO!!!

        6+
      • socrates 20 de julho de 2020 at 18:56

        Strike, bolsa significar algo de bom para economia já virou piada, né?
        Mesmo com COVID fechando o mundo todo no EUA a Bolsa alcançou patamares históricos.
        Tudo pq o FED resolver bombar de $$$ “vindo do ar” os banqueiros…

        Engraçado que se eu imprimir dinheiro aqui na minha casa é crime !

        6+
        • Strike 20 de julho de 2020 at 20:59

          Eu sei que foi o Fed que bombeou a grana. Eu até postei aí em cima um comentário do Sven Henrich, perfil muito bom por sinal, vale muito a pena acompanhar. Ele tem falado sobre isso em vários posts. Mas o fato é que isso não vai mudar. Muito pelo contrário, leia a matéria a seguir da CNBC. O próprio Fed já está anunciando que vai comprar ações, o que é inédito que faça isso oficialmente, muito embora já o faça por meio de intermediários. Não sou necessariamente adepto de teorias da conspiração, mas eu acredito que algo mais profundo está acontecendo, um processo de mudança muito grande está em curso, que possivelmente mudará totalmente a forma de organização social que conhecemos. Acho que estamos diante de um processo acelerado de nacionalização de toda a economia dos países. Acesse este site e você vai entender: https://dohadebates.com/
          https://www.cnbc.com/2020/07/20/bernanke-and-yellen-say-the-fed-needs-to-find-out-why-the-market-broke-down-in-march.html?__source=twitter%7Cmain

          4+
          • avatar
          • avatar
          • socrates 20 de julho de 2020 at 23:42

            pois é. Faz falta os profetas da Bolha, da origem do blog.

            Acho que eles eram seres de outra dimensão e que tiveram que se afastar pois não podiam interferir diretamente nos problemas bananenses (deve ser alguma espécie de ONU nutella intergalática). Mas ao menos deixaram escrito o passo-a-passo do apóscalypso que estamos vivenciando.

            Sobre os ensinamentos que eles deixaram para nós mortais encontra-se a profecia final: a G.E.E.L.E
            Global Economic Extinction Level Event

            O primeiro sinal que os profetas perceberam foi a GOME (Está escrito: “O comportamento dos bananenses, que se resume a ostentar um (falso) sucesso, nem que para isso seja necessário se afundar em dívidas, somado aos equívocos governamentais, acabou por gerar um monstro: a Grande Onda Marrom-Esverdeada, mais conhecida como G.O.M.E..”);

            Depois veio a BOSHTA (Está escrito: “Como se não bastasse a G.O.M.E., as barbeiragens macroeconômicas geraram mais um monstro: a BOSHTA.
            -Pois é, cliente endividado não consome mais: BOSHTA!
            -Infra-estrutura de trinta anos atrás, para o dobro da população: BOSHTA!
            -Sem consumo, sem produção: BOSHTA!
            -Sem energia, sem produção: BOSHTA!
            -Sem produção, sem emprego: uma avalanche de BOSHTA)

            Foram muitos sinais.
            Não chegamos aqui à toa.
            Até conseguimos vencer temporariamente o G.A.B.U, pois os reservatórios voltaram a ficar cheios, mas o nosso destino já estava traçado e os profetas da Bolha nos alertaram a tempo. Deixaram o CA e outros aqui para não cairmos em tentação e termos mais chances de sobreviver ao MAD MAX: Mandamento 1 – “bolso fechado”.

            Os profetas nos deixaram (assim como em Cocoon) e logo depois disso houve a grande cisão que originou o “outro lado da rua”, aparentemente durante uma noite de um dezembro longínquo. Mais ou menos como a Igreja católica e protestante ou os muçulamanos xiitas ou sunitas.

            De qualquer forma, o que acontece é que estamos VIVENDO a GEELE. E depois? O que virá?
            Que tipo de sacrifícios precisamos fazer para que os profetas voltem e nos indique mais uma vez o futuro?
            Seria muito interessante ver a opinião deles sobre o que é o ser “Bolsonaro”. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk x 666

            5+
  • Strike 20 de julho de 2020 at 13:55
  • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 15:26

    Cresce o número de empresas em recuperação judicial no RS
    Aumento nos pedidos é resquício da recessão de 2015 e 2016, avaliam especialistas; impacto da pandemia deve vir em breve

    Mas especialistas avaliam que esse cenário ainda não reflete o impacto da pandemia de coronavírus na economia gaúcha, que deverá ser sentido a partir do segundo semestre.

    https://gauchazh.clicrbs.com.br/economia/noticia/2020/07/cresce-o-numero-de-empresas-em-recuperacao-judicial-no-rs-ckctrm22b004s013g71fn2u0c.html

    4+
    • avatar
  • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 15:28

    “Do ponto de vista econômico, as pessoas continuam com dificuldades. As vendas no comércio em geral estão difíceis. Então, não temos expectativas de muitas vendas por agora”, acredita.

    A retomada, no entanto, não deve ser como antes, acredita Gláucio. “Acho que até o fim do ano, a recuperação vai ser lenta ainda. Não devemos voltar bem como antes”, avalia.

    https://www.metropoles.com/distrito-federal/comercio-geral-reabre-em-ceilandia-empresarios-esperam-recuperacao-lenta

    4+
    • avatar
    • avatar
    • CA 20 de julho de 2020 at 16:08

      Cajuzinha,

      O “X” da questão será o pós auxílio emergencial (64 MILHÕES de pessoas recebendo), pós carências que impedem demissões nos casos de contratos de trabalho suspensos e reduções salariais (mais de 11 MILHÕES de pessoas em “estabilidade TEMPORÁRIA de emprego”), pós carência em “prestações suspensas” do crédito imobiliário (outro grande contingente de pessoas), pós RECORDE de lojas FECHADAS no país, pós RECORDE de DEGRADAÇÃO dos empregos e da renda, pós QUEDA RECORDE do PIB, pós RECORDE da relação dívida / PIB do país (passando de 90%, como NUNCA antes na história), dentre diversos outras situações TEMPORÁRIAS que são “amortecedores” da crise e deixarão de existir e de RECORDES NEGATIVOS para economia e sociedade que irão aparecer. É só depois de tudo isto que começaremos a ver a REALIDADE NUA E CRUA.

      Até aqui os “especialistas da recuperação em V” FINGEM ignorar a situação que consta no parágrafo anterior, embora ela seja “líquida e certa” e tenha um efeito INEQUÍVOCO de APROFUNDAMENTO da CRISE e não de “recuperação”.

      A conferir…

      10+
      • avatar
      • avatar
  • Wolf 20 de julho de 2020 at 18:03

    CVR
    Pessoal, essa semana assino o contrato de venda do meu apartamento. Pessoal das antigas aqui acompanhou todo o processo quando comprei ele.
    Quando finalizar a venda posto um video que a imobiliária fez dele.

    Eu tenho um terraço de 120m com piscina, pergolado etc, nessa pandemia todo mundo quer espaço

    22+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 18:14

    Renda se sustenta com auxílio este ano, mas consumo recua

    Isolamento e temor com desdobramentos da crise vão levar famílias a restringir gastos, projeta estudo do Itaú
    Por Ana Conceição — De São Paulo

    20/07/2020 05h01

    4+
    • avatar
    • avatar
    • CA 20 de julho de 2020 at 18:52

      Cajuzinha,

      Não tenho acesso à notícia e a pesquisa que a subsidiou, mas intuitivamente não me parece que a renda vai se “sustentar” com o auxílio emergencial de R$ 600 por pessoa ou de R$ 1.200 em alguns casos.

      Se temos redução salarial e suspensão de contrato de trabalho para mais de 11 MILHÕES de pessoas, será que a grande maioria seria de pessoas com salários próximos do mínimo e que teriam no auxílio emergencial mais rendimentos atuais do trabalho o equivalente à renda de antes?

      E no caso de INFORMAIS? Quase 40 MILHÕES antes da crise atual, sendo que tinham ganhos LÍQUIDOS E REAIS baixos, como já discutimos por aqui várias vezes, mas será que para a imensa maioria seria tão baixo que o auxílio emergencial já cobriria?

      A única hipótese que vejo para “manutenção”, quanto à massa de rendimentos geral e não só aquela vinda do trabalho, seria pelo fato de muita gente ter recebido o auxílio emergencial sem que antes tivesse qualquer renda, somado com aqueles que receberam, mas preservaram suas rendas vindas do trabalho sem alteração.

      Mesmo assim, observar que um auxílio TEMPORÁRIO não dá NENHUMA segurança para a pessoa aumentar seu padrão de consumo, ao CONTRÁRIO, a pessoa sabe que aquele “dinheiro extra” vai acabar, então não dá para se endividar em “prestações a perder de vista” contando com aquele dinheiro do auxílio no futuro.

      Claro, sempre tem uma parte do pessoal que é SEM NOÇÃO e gasta assumindo que até acabar o auxílio vai achar outra ocupação ou fonte de renda para cobrir a ausência do auxílio emergencial, ou que pensa que este auxílio vai durar para sempre porque o governo está prorrogando, mas estes devem ser a EXCEÇÃO.

      Lembrando: o padrão de consumo no Brasil é orientado à “prestações que cabem no bolso”, que usualmente, para bens um pouco mais caros, se traduz em pelo menos 10 prestações, o que não combina com o “auxílio emergencial”.

      Enfim, voltando ao tema: se nem com auxílio emergencial, BOLSA CALOTE da prestação do imóvel, carência de empresas sem demitir, etc, é possível refrear uma queda maior do consumo, imagine quando não tiver mais nada disto…

      6+
      • avatar
      • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 19:25

        Em nova queda, intenção de consumo das famílias bate pior nível desde 2010
        3 horas atrás

        6+
        • avatar
  • CA 20 de julho de 2020 at 18:57

    O destino daqueles que enveredaram pelo NEGACIONISMO e tem líder ALOPRADO que vive procurando teorias da conspiração e justificativas para sua incompetência:

    OBS: quer dizer, o destino daqueles que tem as características acima, mas tem algum CACIFE para tentar NO FÓRCEPS, derrubar os concorrentes, no caso do Brasil, nem isto temos…

    https://www1.folha.uol.com.br/colunas/nelsondesa/2020/07/eua-perdem-a-esperanca-e-ameacam-china-se-recupera.shtml

    “EUA perdem a esperança e ameaçam; China se recupera
    ‘Executivos que se preparavam para meses agora estão pensando em anos’, diz WSJ; Tesla e JP Morgan avançam na China, diz Caixin”

    “Três dias após o secretário de Justiça dos EUA, William Barr, ameaçar até as gigantes do Vale do Silício e os estúdios de Hollywood por se “prostrarem” diante da China, o Wall Street Journal manchetou no domingo:”

    “Empresas dos EUA perdem a esperança de recuperação rápida da Covid.” Logo abaixo, “Executivos que estavam se preparando para uma disrupção de meses agora estão pensando em anos”.

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Godinez 20 de julho de 2020 at 19:24

    CVR:

    Ando meio sumido porque havia cansado um pouco do blog (mais das discussões dos pró e contra governo). Que bom que diminuiu um pouco nos últimos tópicos (não sou contra esse tipo de debate, mas a turma estava flodando e daí acaba não agregando mais).

    Com essa pandemia, estou com meu orçamento familiar bastante comprometido, diante disso, duas ações estão em vista: 1) Reduzir em 30% os gastos com plano de saúde, mudando de operadora – sondei com colegas que tem planos de saúde na minha atual e na que vou migrar e a experiência é similar, vale o risco; 2) Mudança de endereço, buscando uma economia de despesas com moradia (aluguel + condomínio + IPTU) de algo perto de 50%… aqui eu dependo da definição de como será a nova dinâmica do home-office lá no meu trabalho, se virar definitivo como tem sido debatido por lá, saio do centro de Sampa e vou para o interior. Perco um pouco pelos atrativos da capital (mais a parte cultural e gastronômica), mas ganho em outros aspectos (menos poluição, menor custo de vida e mais dinheiro sobrando no final do mês).

    Quem não deve estar gostando nada do teletrabalho é o mercado imobiliário da capital de SP… o apelo de pagar o preço que se paga hoje por determinadas localizações vai ser reduzido drasticamente.

    26+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 20 de julho de 2020 at 19:44

      um imóvel de 2 quartos em um bairro suburbano do hell sai por 140k novo;
      No Leblon, a cerca de 30 km, por 1kk o usado.

      Óbvio que tem muita diferença entre os bairros.
      Porém, todo esse “excesso” , de quase 800k, pode ser sugado para baixo em caso de necessidade pois ele não é baseado na essencialidade.
      Em outras palavras: o preço caro pode despencar que ainda assim continuará caro. E o despencar é importante para o mercado voltar a se movimentar “saudavelmente” (sem lavagem de $$$ , por ex., ou “impulsos” estatais)

      O exemplo que citei é o Hell mas óbvio que tb se aplica a SP.

      As cidades vão sangrar porque se as pessoas tiverem opção elas irão se mudar. Por baixo dos panos , pode ter certeza, tem muita gente fazendo força para NÃO TERMOS OPÇÃO.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 20 de julho de 2020 at 21:22

    pesquisa XP/Ipespe de julho mostra que a maioria dos brasileiros continua achando que a economia do país está no caminho errado –mas houve ligeiro aumento do otimismo, para além da margem de erro.

    Dos entrevistados, 52% acreditam que a economia está no rumo errado; eram 53% em junho. Aqueles que creem que ela está no rumo certo eram 29% no mês passado e, agora, são 33%.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 21 de julho de 2020 at 06:30

    É a economia, Estúpido!

    É a economia, presidente!

    Em carta aberta, 17 ex-ministros da Fazenda e ex-presidentes do Banco Central cobraram uma agenda de “recuperação verde”. Além de engrossar o coro de vozes que pressionam o governo a assumir suas responsabilidades ambientais, o documento tem especial interesse por elencar diretrizes formuladas por economistas de primeiro escalão, mostrando que a transição para uma economia sustentável, além de ser viável, pode ser lucrativa

    Assim como na recessão de 2008, os investimentos públicos em infraestrutura serão cruciais, mas deveriam ser ainda mais focados em infraestruturas sustentáveis. Estima-se que as infraestruturas de energias verdes gerem duas vezes mais empregos que as de combustíveis fósseis. De resto, “a expansão de investimentos sustentáveis, como no saneamento”, lembra a carta, “tem um impacto social tão ou mais importante que suas implicações ambientais”.

    Além de integrar esforços para “reconstruir melhor” a economia global, o Brasil precisa reconstruir sua reputação. Como apontou em artigo no Estado Rubens Ricupero, um dos signatários da carta, isso exigirá uma bateria de ações bilaterais nos fóruns internacionais e institutos financeiros, como demonstrar o empenho do País em atender aos compromissos do acordo Mercosul-União Europeia; propor uma coalizão internacional de organismos financeiros e instituições privadas; apoiar a negociação de acordos sobre comércio de bens ambientais; responder às recomendações da OCDE sobre políticas ambientais; ou participar ativamente das discussões nas Cúpulas Climáticas da ONU.

    Não há dúvida de que o presidente da República e alguns de seus principais correligionários no Planalto não se inclinam a reconhecer a importância da questão ambiental em si. Mas esse contratempo pode ser superado. Os dados e a pressão de investidores e dos mais destacados protagonistas da política econômica nacional das últimas três décadas bastam para mostrar que, sejam lá quais forem as convicções pessoais dos atuais governantes, o investimento em desenvolvimento ambiental é do interesse econômico do País.

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 21 de julho de 2020 at 06:42

    A dificuldade apontada pela pesquisa indica mais um entrave para a recuperação econômica do país. As pequenas empresas são responsáveis por 54% dos empregos com carteira assinada e respondem por 27% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

    Pela pesquisa realizada pelo Ibre, a confiança dos pequenos empresários ainda segue num patamar bastante ruim e não deu mostras de uma retomada mais robusta.

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lord of All 21 de julho de 2020 at 07:19

    E a tal inflação hein?
    Quem me conhece no blog sabe que sempre defendi que essa queda no IPCA é artificial. Não me venham com aquele papo de “cesta de produtos”, porque não adianta nada ter na composição do IPCA coisas como: “locação de DVD”, “lingeries especiais”, “peixe-serra” etc.
    Atualmente ir ao supermercado tem sido triste: leites e derivados com expressivo aumento. Minha última compra “do mês” gastei cerca de 50% a mais, e isso que sou apenas eu e minha esposa.
    E a gasolina tbm voltando ao patamar de antes.
    E o IPCA, vai subir tbm?

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 21 de julho de 2020 at 07:49

    “A palavra que define essa crise é incerteza. Incerteza sobre o vírus, a economia, a recuperação. Então, esse é o retrato dos dados disponíveis”, ponderou.

    https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2020/07/21/internas_economia,873812/estados-que-agiram-contra-a-covid-desde-cedo-tiveram-perda-economica-m.shtml

    3+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 21 de julho de 2020 at 07:52

    Preços de venda e aluguel de imóveis comerciais têm queda em junho, aponta Fipe
    Em 12 meses, alugueis recuaram 0,57%, e preço médio de vendas, 2,27%.
    Por G1

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/07/21/precos-de-venda-e-aluguel-de-imoveis-comerciais-tem-queda-em-junho-aponta-fipe.ghtml

    3+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 21 de julho de 2020 at 09:02

    TÓPICO NOVO!

    1+
    • avatar