Brasileiro não desiste da casa própria e busca por imóveis aumenta na crise – Valor Investe

Você pode gostar...

Comments
  • socrates 9 de julho de 2020 at 14:48

    o governo tem logo que proibir a aquisição de um segundo imóvel por quem já tem imóvel em um mesmo município.
    Juntou $$$? Parabéns! Pois que invista em algo produtivo, compre diamentes/ouro, aplique na bolsa, gaste com lazer, guarde debaixo da terra… Mas juntar imóveis em uma mesma região para viver de locação pois as pessoas PRECISARÃO morar ali?????????

    09/07/2020 , às 14:47 – Podem anotar: no futuro isso se assemelhará ao crime de escravidão

    A partir do momento que a ignorância acaba, sobra o que?

    13+
    • avatar
    • Strike 9 de julho de 2020 at 16:07

      Muita gente está indo para os imóveis, pois, com a queda expressiva do retorno no TD, a tendência é de aumentar a procura por imóveis, o que provavelmente fará com que os preços subam. Veja que, mesmo com a pandemia, eu particularmente tenho observado na minha região que as construções continuam.

      14+
      • avatar
      • CA 9 de julho de 2020 at 16:27

        Strike,

        A notícia acima é uma MENTIRA DESLAVADA, assim como todo o “conteúdo” que você traz aqui.

        Falam sobre “AUMENTO DE VENDAS”, mas na realidade, os percentuais que mencionam, são de “AUMENTOS NOS PREÇOS ANUNCIADOS”, porque o FIPE ZAP mede PREÇO ANUNCIADO e NÃO VENDAS!

        O nível de DESESPERO de colocarem notícias MENTIROSAS como a que consta acima e se utilizando de MENTIRAS PRIMÁRIAS, só demonstra o quanto o mundo REAL está PÉSSIMO. E você vir aqui para tentar ajudar a reforçar as MENTIRAS, só nos dá mais certeza quanto a isto…

        P.S. No mundo REAL, as VENDAS REALIZADAS de imóveis DESPENCARAM. Algumas notícias no tópico anterior dão conta disto…

        31+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 9 de julho de 2020 at 16:50

          Trazido do tópico anterior:

          REALIDADE: “Com a chegada da pandemia, número de transações tem queda expressiva em abril. No município de São Paulo, registros de compra e venda de imóveis recuaram 51,0% em relação a abril de 2019. Impacto significativo foi observado também nas operações concretizadas no Rio de Janeiro (-36,9%), Curitiba (-34,8%), Florianópolis (-40,2%), Maringá (-8,1%) e Joinville (-25,5%)”. https://downloads.fipe.org.br/indices/indicadores-registro-imobiliario-202004.pdf

          “Imóveis mais baratos são a aposta de imobiliárias para reaquecimento das vendas
          O segmento acompanhou uma queda de até 70% do volume de negócios durante o período de maior rigidez do isolamento social em função da covid-19”

          https://jc.ne10.uol.com.br/economia/2020/07/11953041-imoveis-mais-baratos-sao-a-aposta-de-imobiliarias-para-reaquecimento-das-vendas.html

          17+
          • avatar
    • Ulisses 13 de julho de 2020 at 14:34

      Limitar mais ainda o direito de propriedade?
      Enfim, não seria difícil para o governo, já que existe a tal “função social” da propriedade .

      3+
      • avatar
    • Strike 9 de julho de 2020 at 16:01

      O interessante nesse dado é que o crescimento ocorreu mesmo com o lockdown em quase todas as regiões durante maio.

      6+
      • avatar
    • Strike 9 de julho de 2020 at 16:04

      Ações das varejistas estão com altas expressivas no pregão de hoje e a tendência é que continuem subindo.
      Uma coisa curiosa sobre esse período de pandemia é que o agro praticamente não foi afetado. Eu tenho um gráfico aqui que mostra isso, gostaria muito de postá-lo. Alguém sabe como postar imagens?

      6+
      • CA 9 de julho de 2020 at 16:20

        Ah sim, a BOVESPA é um excelente termômetro da economia REAL!

        Em 2016, a MAIOR QUEDA DO PIB na história até aquele momento e a BOVESPA com crescimento de 30% e o melhor resultado dentre todos os investimentos!

        Nos anos seguintes, de 2017 a 2019, com o PIB per capta em QUEDA e a BOVESPA SEMPRE entre os top 3 dos investimentos com maiores retornos!

        Em 2020, a maior crise de todos os tempos, superando a de 2016, inclusive quanto à qualquer projeção de QUEDA do PIB e a BOVESPA, adivinhem? Voltou a disparar.

        Strike, quer dizer que se a BOVESPA desde 2016 SEMPRE tem tido um resultado que é o CONTRÁRIO do mundo REAL, pelo fato dela estar apontando crescimento significa que teremos uma recuperação maravilhosa da economia?!?!?! Onde está a LÓGICA disto? Não consigo entender…

        25+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Strike 9 de julho de 2020 at 16:12

      Algo a considerar é que o governo colocou muita grana no giro. Até agora parece que já foi algo em torno de 100 bi via auxílios. Preciso checar essa informação ainda, mas parece que foi isso mesmo. Agora, até o fim do ano, o governo vai injetar mais 250 bi !!!!!!!!!! 3% do PIB. Ou seja, o governo não vai deixar a peteca cair. O fato é que o governo pagou parte do salário da galera durante a pandemia e agora vai continuar auxiliando até o fim do ano, o que provavelmente será determinante para a recuperação.

      7+
      • avatar
      • CA 9 de julho de 2020 at 16:16

        É mesmo?

        Quer dizer que o governo não vai mais reduzir o auxílio emergencial nos próximos meses, como todos anunciaram? E depois que acabar os R$ 50 BILHÕES por mês que o governo tem injetado na economia, de onde virá a “recuperação”???

        “Recuperação” esta com QUEDA na comparação respeitando a SAZONALIDADE, sendo que é QUEDA RECORDE HISTÓRICA na comparação de mesmo mês em anos seguidos, é isto mesmo???

        16+
        • avatar
        • avatar
        • CA 9 de julho de 2020 at 16:22

          Ah sim, os R$ 250 BILHÕES que são parte das MENTIRAS PERMANENTES do IPiraNaGrana: ele coloca na conta a liberação de compulsórios para incentivar empréstimos, onde não realizaram nem 10% do PROMETIDO, ou seja, o dinheiro não chegou nos lojistas e tivemos um gigantesco fechamento de lojas, dentre outras FALÁCIAS, parte da IMENSA coleção de PEGA-TROUXA do IPiraNaGrana, o REI DOS TRILHÕES que virão facilmente e de forma rápida. Mas sempre tem algum TROUXA que acredita nisto, é só ver o Strike acima… kkkkkkkkkkk

          9+
    • CA 9 de julho de 2020 at 16:13

      Recuperação em “V”:

      “…depois da queda de 16,8% registrada em abril”

      “Contudo, na comparação com maio de 2019, as vendas no varejo caíram 7,2%”

      “Em relação a maio de 2019, o comércio varejista ampliado recuou 14,9%.”

      O velho e manjado GOLPE DE DESINFORMAÇÃO, típico de todo mundo que quer ENGANAR: FINGE que não sabe o que é SAZONALIDADE e de que a “recuperação” da manchete acima em parte é porque algumas cidades reabriram o comércio, mas principalmente, porque o governo já estava injetando R$ 50 BILHÕES por mês na economia, onde uma grande parte foi parar no consumo de itens essenciais, enquanto aqueles que fazem parte do “varejo ampliado”, mantiveram os MAIORES TOMBOS, na comparação honesta e considerando a SAZONALIDADE, é claro!

      “Detalhe”: e o que vai acontecer quando o governo for OBRIGADO a interromper os R$ 50 BILHÕES por mês do auxílio emergencial?

      Pois é, deixemos o pessoal MAU CARÁTER de sempre tentando ENGANAR, é a única coisa que lhes resta. Basta ver o tópico, onde MENTEM até para CONFUNDIR as pessoas, falando sobre CRESCIMENTO DE VENDAS, quando na realidade, é crescimento de PREÇOS ANUNCIADOS no FINGE ZAP!

      14+
      • avatar
  • CA 9 de julho de 2020 at 16:06

    Sobre o tópico:

    A MENTIRA, MÁ-FÉ e DESINFORMAÇÃO não tem limites!

    Pois é, vejamos o trecho destacado no tópico acima (destaco a MENTIRA DESLAVADA):

    “O índice FipeZap informa CRESCIMENTO NAS VENDAS de 0,18% em março, 0,20% em abril e 0,23% em maio”

    Qualquer um que ler “crescimento nas vendas”, vai interpretar o que? Que as vendas de imóveis, MILAGROSAMENTE cresceram em meio a uma crise aguda.

    Mas, uma pequena questão: o índice FipeZap mencionado neste trecho, mede VENDAS REALIZADAS, ou variação de PREÇOS ANUNCIADOS?

    A VERDADE, é que pelo FINGE ZAP, os PREÇOS ANUNCIADOS subiram 0,18% em março, 0,20% em abril e 0,23% em maio!

    PREÇO ANUNCIADO não tem NADA A VER com VENDA REALIZADA.

    Estão MENTINDO DESCARADAMENTE, tamanho é o DESESPERO do setor!

    Vejam abaixo:

    https://fipezap.zapimoveis.com.br/indice-fipezap-acelera-a-018-em-marco-e-encerra-trimestre-com-alta-acumulada-de-049/

    https://fipezap.zapimoveis.com.br/preco-de-venda-de-imoveis-residenciais-sobe-020-em-abril-e-acumula-alta-de-069-em-2020/

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/06/02/preco-de-venda-dos-imoveis-residenciais-sobe-023percent-em-maio-mostra-fipezap.ghtml

    Sim, nas notícias acima, fica claro que estão falando sobre PREÇOS e que foram eles que “cresceram” 0,18%, 0,20% e 0,23%.

    E sabemos a MATEMÁGICA do FINGE ZAP: como o preço médio é por ANÚNCIO, quando você vende o imóvel mais barato entre todos os ANUNCIADOS, que é o mais NORMAL, o preço médio do FINGE ZAP sobe!

    Não bastasse o golpe de DESINFORMAÇÃO do FINGE ZAP em si, agora estão ADULTERANDO a informação com a maior CARA-DE-PAU, com a única finalidade de ENGANAR as pessoas e fazer de conta que uma variação de preço ANUNCIADO, que é o OPOSTO da REALIDADE, como mencionado acima, seria um índice de variação de vendas realizadas, quando não tem NADA A VER COM ISTO!!!

    O DESESPERO é GIGANTE, vamos ver até quando vão MENTIR E ENGANAR e até que ponto vão chegar…

    15+
    • avatar
  • Lord of All 9 de julho de 2020 at 20:14

    Strike

    Algo a considerar é que o governo colocou muita grana no giro. Até agora parece que já foi algo em torno de 100 bi via auxílios. Preciso checar essa informação ainda, mas parece que foi isso mesmo. Agora, até o fim do ano, o governo vai injetar mais 250 bi !!!!!!!!!! 3% do PIB. Ou seja, o governo não vai deixar a peteca cair. O fato é que o governo pagou parte do salário da galera durante a pandemia e agora vai continuar auxiliando até o fim do ano, o que provavelmente será determinante para a recuperação.

    1+

    Como se o governo fabricasse dinheiro.
    Se antes da pandemia/queiroz já estava difícil pagar aqueles 119kkk da dívida primária, imagina agora q esse valor dobra a cada mês.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 10 de julho de 2020 at 06:33

    As investigações sobre FAKE NEWS estão a pleno vapor, agora chegaram no gabinete do ÓDIO do Bozo…

    https://epoca.globo.com/brasil/quem-tercio-arnaud-tomaz-elo-mais-forte-entre-bolsonaro-rede-de-paginas-derrubadas-pelo-facebook-sob-acusacao-de-espalharem-noticias-falsas-24523803

    E a prática de FAKE NEWS esta tão disseminada , que a própria noticia que ilustra este tópico é FAKE NEWS.

    Boss, caso leia, uma sugestão: coloque no título da noticia do tópico que é FAKE NEWS, para deixar claro que você não está tentando espalhar mentira por aí, porque hoje, em virtude da gravidade das mentiras plantadas pelos FANÁTICOS pelo governo, isto tem sido criminalizado.

    O FIPE ZAP mede preço anunciado e o corretor do texto que você destacou fala que o crescimento do FIPE ZAP foi “crescimento de vendas”, uma mentira DESLAVADA.

    Veja abaixo que os percentuais de 0,18%, 0,20% e 0,23% mencionados pelo corretor do artigo do tópico como “crescimento de vendas”, na realidade é o quanto variaram os PREÇOS ANUNCIADOS segundo o FIPE ZAP e não tem NENHUMA RELAÇÃO com o quanto variaram as vendas. Sugiro até colocar estes links no tópico:

    https://fipezap.zapimoveis.com.br/indice-fipezap-acelera-a-018-em-marco-e-encerra-trimestre-com-alta-acumulada-de-049/

    https://fipezap.zapimoveis.com.br/preco-de-venda-de-imoveis-residenciais-sobe-020-em-abril-e-acumula-alta-de-069-em-2020/

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/06/02/preco-de-venda-dos-imoveis-residenciais-sobe-023percent-em-maio-mostra-fipezap.ghtml

    11+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 10 de julho de 2020 at 06:36

    ONU pede que Brasil suspenda despejos durante crise
    Relator diz que despejar pessoas agora, sem oferecer abrigo ou moradia de longo prazo, entra em conflito com as medidas para impedir a propagação da doença
    Por Assis Moreira — De Genebra

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 10 de julho de 2020 at 06:38

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkjkkkkkkkkkkkkkk

    ” O alinhamento dos astros está favorável para os investimentos em imóveis”

    DESESPERO!!!!
    https://www.google.com/amp/s/www.seudinheiro.com/2020/colunistas/sextou-com-o-ruy/o-alinhamento-dos-astros-esta-favoravel-para-os-investimentos-em-imoveis/amp/

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 10 de julho de 2020 at 12:32

      Cajuzinha,

      kkkkkk

      O DESESPERO está passando de todos os limites!

      FAKE NEWS DESCARADA como no tópico, usando ÍNDICE DE PREÇO FAJUTO como se fosse ÍNDICE DE QUANTIDADES VENDIDAS (?!), alinhamento dos astros como “chamativo” para reportagem, argumentos pra lá de RIDÍCULOS em reportagens do tópico anterior (não tem dinheiro para supérfluo então vai comprar imóvel?!), a volta do Strike e as ALUCINAÇÕES dele, INÚMEROS artigos pagos SEM PÉ NEM CABEÇA, tudo na base da DESINFORMAÇÃO, mostrando a GRAVIDADE do problema para o setor imobiliário e que desta vez não tem “salvação milagrosa”, por isto que estão APELANDO DESCARADAMENTE.

      Podem sim capturar INCAUTOS E SARDINHAS com dinheiro para entrada, condição de financiar e interesse mesmo em meio à CRISE AGUDA, mas será a EXCEÇÃO e ficará MUITO LONGE da SUPER OFERTA que vai crescer exponencialmente a partir de uma base que já é alta…

      11+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 10 de julho de 2020 at 06:47

    Bancos leiloam mais de 100 imóveis com descontos de até 68%; veja oportunidade em Uberlândia e UberabaHá opções de casas, apartamentos, vagas de garagem e terrenos nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Sergipe, Paraná, Pernambuco, Amazonas, Maranhão e Pará
    09/07/2020 16h33

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 10 de julho de 2020 at 08:49

    Rede Ricardo Eletro tem 74 lojas com pedido de despejo
    Pandemia acentua crise e, segundo fonte, empresa avalia medida cautelar antecedente à recuperação judicial

    https://valor.globo.com/empresas/noticia/2020/07/10/rede-ricardo-eletro-tem-74-lojas-com-pedido-de-despejo.ghtml

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CArlos 10 de julho de 2020 at 08:59

      Este cara estava dando um golpe, sucateando as empresas, sonegando impostos e provavemente estava remetendo a grana para paraísos fiscais ou no nome de laranjas.
      Típico dos chamados “grandes empresários brasileiros”, acabam pagando multa ou algo similar, fica tudo por isto mesmo e acabam virando heróis já que boa parte do povo brasileiro idolatra bandidos e trambiqueiros.

      29+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • socrates 10 de julho de 2020 at 09:12

      A mídia, sócia.

      PECUNIA NON OLET e a legalidade sem moral que os “liberais” bananenses consideram justa…
      https://twitter.com/Marcelo_VictorC/status/1281020017094647808/photo/1

      6+
      • avatar
      • avatar
  • CArlos 10 de julho de 2020 at 08:56

    OFF – Todos pilantras

    Empresários ligados ao MBL são presos por lavagem de dinheiro, diz MP

    A Polícia Civil de São Paulo prendeu na manhã de hoje dois empresários ligados ao MBL (Movimento Brasil Livre) por suspeita de envolvimento no desvio de mais de R$ 400 milhões, segundo informações do Ministério Público Estadual.

    A operação, realizada em conjunto pelo MP e Receita Federal, prendeu Alessander Mônaco Ferreira e Carlos Augusto de Moraes Afonso, investigados por lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio.

    As buscas incluíram a sede do MBL, organização política brasileira que ganhou notoriedade após os protestos de 2013, o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e a eleição de Jair Bolsonaro, em 2018, a quem apoiou até o ano passado.
    https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2020/07/10/operacao-juno-moneta-pessoas-ligadas-ao-mbl-presas.htm

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 10 de julho de 2020 at 09:05

    OFF – Familícia agora procura abrigo da justiça em países comandados por déspotas amigos, nem no tempo do PT aconteceu isto, parabéns bolsopetismo, conseguiram aprimorar a máquina criminosa.

    Após cerco a gabinete do ódio, Carlos Bolsonaro avalia se mudar para EUA ou Brasília
    Ofensiva faz vereador, filho do presidente, anunciar ‘vida nova’

    BRASÍLIA – A ofensiva contra o “gabinete do ódio” obrigou a ala ideológica do governo a rever a estratégia de atuação para sobreviver e voltar a influenciar nas decisões do Palácio do Planalto. Diante do cerco imposto por inquéritos do Supremo Tribunal Federal (STF) e, mais recentemente, pela punição do próprio Facebook, o presidente Jair Bolsonaro tem se distanciado dos bolsonaristas mais radicais em uma tentativa de “pacificar para governar”. O movimento, no entanto, desagrada ao filho mais próximo do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), que nesta quinta-feira, 9, expôs a contrariedade no Twitter.

    https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,apos-cerco-a-gabinete-do-odio-carlos-bolsonaro-avalia-se-mudar-para-eua-ou-brasilia,70003359514

    9+
    • avatar
    • avatar
    • CArlos 10 de julho de 2020 at 09:08

      Detalhe: Isto mostra bem o que esta gentinha é: Um bando de ratos covardes…
      Tem que ser muito trouxa pra acreditar que estes ladroenzinhos pés de chinelo salvariam o Brasil ou o fariam um centímetro melhor;

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cajuzinha 10 de julho de 2020 at 14:26

      As operações de compra e venda também recuaram na cidade do Rio de Janeiro

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Sem Nome 10 de julho de 2020 at 14:45

        É muito normal entender que realmente a procura pode ter aumentado. Afinal, o brasileiro padrão da quarentena que está empregado está usufruindo das pequenas pausas do trabalho para fazer coisas que não fazia enquanto estava no escritório. O desejo de ter (ou trocar) um imóvel é natural e tem um valor que não é monetário, não é racional.

        Agora o fato é que essa pessoa não vai aceitar pagar o preço que se pede, a não ser que o juro do financiamento realmente caia ou que o preço realmente abaixe. Então vai continuar fazendo apenas aquilo que já faz: procurar.

        E quem quer vender vai ter que vender se for num preço mais baixo ou topar um parcelamento sem banco no meio da jogada (ou seja, embutindo o risco e custo dos juros).

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 10 de julho de 2020 at 14:15

    Shopping deve recuperar aluguel em 2021
    Na BR Malls, desconto aos lojistas está em 50% e no grupo Aliansce Sonae, varia de 40% a 70%

    https://valor.globo.com/empresas/noticia/2020/07/10/shopping-deve-recuperar-aluguel-em-2021.ghtml

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 10 de julho de 2020 at 14:23

    Só rindo mesmo…

    Os consumidores de João Pessoa, atentos a tudo isso e motivados por expectativas econômicas mais positivas, voltaram a pesquisar imóveis com intenção de compra, seja para morar, trabalhar ou investir.

    https://portalcorreio.com.br/facilidades-na-negociacao-e-otimas-opcoes-impulsionam-vendas-de-imoveis/

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 10 de julho de 2020 at 17:10

    Aparentemente a confiança do consumidor americano não é tão grande quanto a dos bovinóides bananences.
    Quem pensa que a economia vai se recuperar rapidamente lá está tão eganando lá quanto aquí.

    Os americanos estão diminuindo rapidamente sua dívida no cartão de crédito durante a pandemia

    A dívida do cartão de crédito dos americanos está diminuindo rapidamente durante a recessão do coronavírus. Esse é um forte contraste com as duas últimas crises econômicas.
    A quantidade de crédito rotativo do consumidor, que é principalmente cartões de crédito, caiu em mais US $ 24 bilhões em maio, informou o Federal Reserve na quarta-feira. Essa forma onerosa de dívida caiu mais de US $ 100 bilhões desde que atingiu um recorde em fevereiro e agora está abaixo de US $ 1 trilhão pela primeira vez em quase três anos.
    A pilha cada vez menor de dívidas no cartão de crédito é mais uma evidência de como o comportamento do consumidor está mudando drasticamente durante a pandemia e neste período de insegurança financeira.

    De muitas maneiras, faz todo o sentido que os americanos estejam passando menos plástico. A crise da saúde forçou o fechamento generalizado de restaurantes, bares e esportes profissionais. Isso foi especialmente verdade durante o período de março a maio, capturado pelos dados do Fed.
    “Os consumidores não tiveram escolha a não ser gastar menos em seus cartões de crédito”, escreveu Danielle DiMartino Booth, CEO e estrategista-chefe da Quill Intelligence, em nota aos clientes na quinta-feira.

    Desemprego em massa, onda de falências

    Ao mesmo tempo, os americanos estão sabiamente pagando saldos pendentes de cartões de crédito e evitando acumular novas dívidas durante esse período economicamente tumultuado.
    “Os americanos estão se comportando de uma maneira eminentemente racional”, disse Joe Brusuelas, economista-chefe da RSM International.
    Nas últimas semanas, grandes empresas como Brooks Brothers, Neiman Marcus e Chesapeake Energy (CHK) entraram com pedido de falência. A United Airlines (UAL) anunciou planos esta semana para fornecer até 36.000 funcionários, enquanto Levi Strauss (LEVI) e Harley Davidson (HOG) detalhavam centenas de cortes de empregos.

    Os consumidores estão se encolhendo

    As dívidas do cartão de crédito normalmente carregam taxas de juros exigentes – mesmo para os mutuários com as pontuações de crédito mais fortes. O fato de esse tipo de dívida caro estar encolhendo é encorajador, dada a incerteza econômica.

    No entanto, essa tendência, juntamente com o aumento da taxa de poupança, também reflete um abaixamento mais amplo entre os americanos, o que é problemático para uma economia de dois terços causada pelos gastos do consumidor.

    O debate sobre pagamentos de US $ 600 poderia ditar a recuperação dos EUA

    “Isso é uma má notícia para a economia”, disse Brusuelas. “Você quer que um consumidor confiante gaste sua renda. Só não estamos vendo isso agora.”
    A redução da dívida no cartão de crédito também destaca o suporte sem precedentes que está sendo fornecido pelo tio Sam no momento.
    Mais do que durante o início das duas últimas recessões, o Congresso e a Casa Branca tomaram medidas ousadas para fornecer ajuda de emergência a famílias e empresas por meio da Lei CARES.

    Especificamente, foram enviados cheques de estímulo de até US $ 1.200 por família na primavera. E o governo federal está fornecendo US $ 600 em benefícios de desemprego semanais extras para pessoas que perderam o emprego durante a pandemia.

    No entanto, essa tendência, juntamente com o aumento da taxa de poupança, também reflete um abaixamento mais amplo entre os americanos, o que é problemático para uma economia de dois terços causada pelos gastos do consumidor.

    Penhasco de estímulo

    Juntos, esses movimentos de emergência diminuíram a dependência de passar o plástico.
    “A necessidade de cartões de crédito como mecanismo de suavização foi bastante diminuída”, segundo Booth, CEO da Quill Intelligence. “O ciclo de crédito que começaria a emergir foi congelado pela Lei CARES”.
    Mas o problema é que os US $ 600 de benefícios de desemprego aumentados expiram no final de julho. E há um acalorado debate entre economistas e políticos sobre se estendê-los no nível atual – ou de todo – desencorajar os americanos a procurar novos empregos.

    O que está claro, no entanto, é que deixar esse benefício forçar alguns americanos desempregados, principalmente os de famílias de baixa renda, a depender de uma dívida cara do cartão de crédito para sobreviver.
    Isso significa que a recente queda na dívida do cartão de crédito pode ter vida curta – mas potencialmente pelos motivos errados.

    https://edition.cnn.com/2020/07/09/investing/credit-card-debt-recession/index.html

    8+
    • avatar
  • CArlos 10 de julho de 2020 at 18:50

    PAULO GUEDES BOT @pauloguedesbot

    Meio trilhα̃o em investimentos oriundos de um fundo gerido por um príncipe nigeriɑno.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • CArlos 10 de julho de 2020 at 18:52

      Golpe no Planalto

      Prometendo meio trilhão de dólares para o Brasil, um conhecido golpe da internet fez o gabinete presidencial mobilizar tempo e energia de técnicos para concluir o óbvio: a história não passava de uma fraude

      https://crusoe.com.br/edicoes/115/golpe-no-planalto/

      13+
      • avatar
      • avatar
      • CArlos 10 de julho de 2020 at 18:55

        Reportagem de André Spigariol, na edição desta semana da Crusoé, mostra como o gabinete presidencial mobilizou tempo e energia de técnicos para concluir que o Planalto havia sido alvo de um golpe conhecido na internet. No caso, a promessa era de meio trilhão de dólares para o Brasil.

        Leia um trecho:

        “Não é segredo para ninguém que a pandemia abriu um rombo nos cofres públicos. Em meio à crise, o Ministério da Economia teve de envidar esforços para analisar o que seria uma doação generosa de fundos ao governo brasileiro: 500 bilhões de dólares. A oferta chegou por meio de várias cartas enviadas para o presidente Jair Bolsonaro. A história estava toda contada lá. O dinheiro, em poder de fundações internacionais, teria origem em polpudas heranças esquecidas nos Estados Unidos. O gabinete do presidente não só acreditou como mandou que técnicos do governo avaliassem a proposta.

        https://www.oantagonista.com/brasil/o-golpe-de-internet-que-mobilizou-o-gabinete-presidencial/

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 10 de julho de 2020 at 20:25

    Bonde
    CASA E DECORAÇÃO

    NOTÍCIAS
    Crise criou novas oportunidades para compra e aluguel de imóveis, revela especialista
    por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
    10/07/2020 – 17h15

    No ano passado, 2019, o setor imobiliário foi um dos destaques da economia apresentando números bastante expressivos, com índices de crescimento de quase 10% nas vendas em comparação a 2018, de acordo com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

    Divulgação

    No entanto, com a pandemia do novo coronavírus, a maioria dos setores vêm sofrendo impactos. No entanto, no que tange ao setor imobiliário, este pode ser o melhor momento em décadas para quem deseja comprar imóveis para investir ou está à procura da casa própria.

    O especialista do setor e consultor imobiliário Rafael Scodelario fala sobre os reflexos da pandemia no setor imobiliário:” Temos visto uma retomada da demanda por imóveis desde o mês de abril nos principais mercados, como Rio e São Paulo. Vendas e locação de unidades residenciais estão em alta, devido à queda dos preços de até 17%”, ressalta.

    https://www.google.com/amp/s/m.bonde.com.br/casa-e-decoracao/noticias/crise-criou-novas-oportunidades-para-compra-e-aluguel-de-imoveis-revela-especialista-520435.html

    6+
    • avatar
  • Strike 10 de julho de 2020 at 20:39

    Trisul… Queda de 26% na venda de unidades em relação ao 2T19… Achei muito tímida a queda se considerarmos que ainda foi durante a pandemia. Em relação ao 1T20 crescimento de 77% !!!! O que vocês acham que isso tá indicando?
    https://www.euqueroinvestir.com/trisul-tris3-previa-operacional-2tri20/

    6+
    • CA 11 de julho de 2020 at 06:29

      Strike,

      A sua resposta está no link que você colocou acima e também em pontos de domínio público ou já amplamente explicados por aqui, mas vamos lá:

      1) As vendas do 1T20 da Trisul já haviam sido 50% inferiores às do 1T19, veja neste trecho ao final da notícia, que é de parte toda dedicada aos números do 1T20 da Trisul:

      “A companhia vendeu 278 mil unidades no período, uma diminuição de 50%.”

      TRADUÇÃO: como a QUEDA de vendas do primeiro trimestre foi MUITO ELEVADA, facilitou crescer no segundo trimestre em relação ao primeiro, ou seja, a base de cálculo do primeiro trimestre é que era MUITO BAIXA e não o resultado do segundo trimestre que foi muito favorável em relação ao primeiro;

      2) Para quase todos os negócios no Brasil, incluindo o imobiliário, o segundo trimestre vende mais que o primeiro, TODOS OS ANOS. Isto se dá por um grande conjunto de fatores, dentre eles: dívidas de pagamento de compras de Natal que caem no primeiro trimestre do ano seguinte, IPVA de veículos que via de regra começam o pagamento no inicio do ano, material escolar comprado no inicio do ano e já no segundo trimestre, o dia das mães que sempre ajuda a aquecer a economia por ser o segundo maior período de vendas do ano só perdendo para o Natal, dentre outros fatores.

      O que consta acima se chama SAZONALIDADE. É por isto que a comparação mais HONESTA sempre é com mesmo período de ano anterior.

      3) Como já amplamente DEMONSTRADO por aqui ao longo de ANOS, as construtoras “crescem” em vendas com base no esquema de vendas FALSAS na planta, que é vender para quem elas sabem que não tem condições de comprar e que na entrega, vai virar DISTRATO quando tentar o financiamento imobiliário e não conseguir financiamento, acumulando os BILHÕES DE REAIS em DISTRATOS que ocorrem todos os anos.

      A pirâmide financeira acima é altamente dependente de aumentos nos lançamentos, pois quando lançam é que capturam mais INCAUTOS, porque tem mais prazo para pagar até a entrega das chaves e dilui mais a entrada, cabendo no orçamento dos SARDINHAS.

      E como foram os lançamentos da Trisul no 2T20 em relação ao 2T19? Trecho que consta no link colocado por Strike:

      “Os lançamentos somaram R$ 319 milhões no período, um aumento de 25% em comparação com igual período do ano passado.”

      Pois é, mesmo disparando no aumento de lançamentos, ainda assim o que conseguiram de vendas FALSAS na planta ainda foi 26% MENOR do que em 2019!

      Em outras palavras, até para achar INCAUTOS para assinarem papeis e não conseguirem pagar, estava bem mais difícil!

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 11 de julho de 2020 at 06:37

        Opa, ignorar item 1 acima, pensava que tinham errado apenas em colocar o 278 MIL como quantidade, mas este número não faz sentido, deve ter sido erro do artigo.

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Ronilson 10 de julho de 2020 at 21:23

    CVR, desde 2013 resisto aos ímpetos do consumismo, ultima grande aquisição bananense um hb20 zero em 2013. De lá para cá reduzimos muito o consumo com supérfluo, e finalmente em Julho alcançamos a marca de 1 milho grande de bolsonaris. 7 anos de privações com a família, mas deu certo. Agora off ibovespa para relaxar um pouco. Quando mercado melhorar navegar novamente.
    Quanto ao imóvel, comprei um em 2012, reformei em 2015 e continuo em um simples até hj e quem sabe pelos próximos 5 anos. E talvez sim ir para outro melhor. A primeira base formada, antes dos 40. E sim usei muitas informações daki, para evitar vontade de comprar imóvel e muito do que o CA fala sem querer me orienta no que vou seguindo, valeu.

    37+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Master Yi 10 de julho de 2020 at 23:59

      Parabéns pelo milho grande! Sigo na jornada de uma vida simples. Quem sabe não chego lá um dia também!
      No seu caso você já tem um imóvel e pode relaxar investindo a grana. Já eu, em algum momento terei que optar entre ter dinheiro ou um imóvel. Dúvida cruel…

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 11 de julho de 2020 at 10:04

    Kkkkkkkk

    Até acabar o estoque…

    Sucesso nas vendas faz feirão imobiliário ser prorrogado

    Segundo o presidente da Ademi, Claudio Cunha, “o sucesso foi tanto que prorrogamos a realização do evento, e os interessados contam com ainda mais tempo para conhecer diferentes empreendimentos, tirar suas dúvidas com os corretores e fechar negócio, com toda segurança, de forma eletrônica e sem sair de casa”, conta.

    De acordo com Cláudio Cunha, a virtualização já era uma perspectiva a médio prazo, e o salão mostrou que ela veio para ficar.

    http://atarde.uol.com.br/imoveis/noticias/2132373-sucesso-nas-vendas-faz-feirao-imobiliario-ser-prorrogado

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 11 de julho de 2020 at 11:34

    Apesar da retomada, a Federação do Comércio de São Paulo (Fecomércio-SP) estima que 45 mil estabelecimentos fecharão definitivamente nos próximos meses em todo o país.

    No Brás, região central da capital paulista, há cerca de cinco mil comércios de ruas que são responsáveis por 700 mil empregos diretos e indiretos.

    Os comerciantes esperam pela volta das vendas, mas afirmam que a retomada está fraca. Ângela Maria estima que o movimento caiu 90% em comparação ao período antes da quarentena. “O movimento de gente, de 100%, tem uns 10% só. Baixou bastante. A gente estava vendendo pela internet e estava girando mais do que agora. Não sei o que aconteceu com as pessoas, né?”

    https://www.google.com/amp/s/g1.globo.com/google/amp/sp/sao-paulo/noticia/2020/07/10/comercio-de-sp-tem-retomada-fraca-e-estimativa-e-que-45-mil-estabelecimentos-fecharao-nos-proximos-meses.ghtml

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Ilusionista 12 de julho de 2020 at 10:00

      “Não sei o que aconteceu com as pessoas, né?”
      nada mais do que medo em se contaminar e morrer na semana seguinte.
      Mudança de hábito por extrema necessidade, o que era considerado um hobby meses atrás, um passatempo para milhares de pessoas em busca de vestuários da moda com valor mais acessível, hoje se tornou algo de alto risco de vida.
      Para complementar, conhecido que trabalhava na região da Berrini, que antes gastava com estacionamento e combustível para ir ao trabalho, consumia na região: refeições, happy hour no final do expediente, bons vestuários para o trabalho nos shoppings próximos, hoje, de home office, trabalha em casa de moletom e pantufa e se alimenta basicamente por Delivery.
      Realidade para milhares de outros trabalhadores que no fundo, causam um estrago inimaginável em inúmeras outras atividades econômica em que a presença física e aglomeração é fundamental.
      Realidade que veio para ficar, mesmo com o fim da pandemia. As empresas viram a enorme vantagem em transferir os custos do trabalho para os empregados, economizam com o aluguel ou compra de uma sede física, luz, água, limpeza, refeitórios, segurança, etc, etc, etc..

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 12 de julho de 2020 at 07:22

    O economista Márcio Salvato, coordenador do curso de Economia do Ibmec-BH, afirma que as empresas sairão dessa crise menores do que eram antes, e por isso o desemprego será maior e por mais tempo. E cita ainda o endividamento das famílias e das empresas, que também deve emperrar a atividade econômica. O endividamento das famílias, que era de 44% do PIB em dezembro de 2019, subiu a 46,15% do PIB em abril último. O comprometimento de renda com as dívidas passou de 20% para 21%…
    https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/07/12/brasil-vai-surpreender-na-velocidade-para-sair-crise-com-diz-guedes.htm?

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 12 de julho de 2020 at 08:48

    Quem não gostaria? Só falta o preço caber no bolso…

    Quarentena contra o coronavírus faz aumentar a procura por imóveis maiores
    Desejo por varandas, vista desimpedida e espaços dedicados para o home office entraram no radar de quem pretende se mudar.

    Para dar de entrada no imóvel, o casal juntou as economias depositadas no FGTS. As parcelas do financiamento têm o mesmo valor do que pagavam de aluguel. “Conseguimos negociar um valor 20% menor do que a tabela de mercado”, diz a advogada.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 12 de julho de 2020 at 08:50

      A projeção, inclusive, é de que a devolução de lajes corporativas de alto padrão em São Paulo cause uma vacância de 23% no fim de 2020. O Rio de Janeiro deve seguir o mesmo curso, o que significa mais dias em casa nas grandes cidades.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CArlos 12 de julho de 2020 at 09:35

    O pilantra do Paulo Jegues não consegue privatizar nem aquela porcaria de Ceitec e tem gente que acha que ele vai privatizar o caixão ou a petrobosta…

    Estatais imortais

    Desde 2008 a Viúva sustenta o Centro Nacional de Tecnologia Avançada (Ceitec). Entre outras atribuições, ela seria uma estatal fabricante de chips. A repórter Luísa Martins informa que fracassou a tentativa do ministro Paulo Guedes de liquidá-la.

    A primeira fábrica de circuitos integrados brasileira surgiu em 1978, com o óbvio amparo da Boa Senhora. De lá para cá a Apple virou a Apple, Bill Gates tornou-se um bilionário com a Microsoft e os chineses da Lenovo compraram a operação da IBM no país, mas os chips nacionais nunca emplacaram.

    As estatais, como o Fantasma da Selva, são imortais. A Valec, que deveria operar o trem-bala ligando o Rio a São Paulo em três horas, vai bem, obrigado. O governo dizia que o trem estaria rodando na Copa de 2014, mas o seu projeto foi transferido para outra estatal, a EPL. A ideia do trem-bala sumiu, mas a estatal continua lá.

    https://www1.folha.uol.com.br/colunas/eliogaspari/2020/07/sai-weintraub-entra-mendonca.shtml

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • The End 12 de julho de 2020 at 13:52

    CVR

    Em breve vou vender um apartamento na ZS do Hell de Janeiro que recebi de herança.

    O que fazer com o dinheiro? Pensei no seguinte:
    1 – Aplicar em algum investimento com liquidez diária por enquanto, como TD por exemplo.
    2 – Daqui a alguns meses sairei em definitivo do Brasil e poderei transferir esse dinheiro para um certo país da Europa. Sei que irei perder na conversão, mas penso na segurança do Euro comparado ao Real.

    Uma sondagem superficial me mostrou que a rentabilidade de aplicações conservadoras em Euro é baixa, porém a inflação também é. Pelo menos ficaria mais tranquilo com esse dinheiro aplicado em uma moeda mais sólida.

    O cenário político-econômico aqui no Brasil e a desvalorização do Real perante o Dólar e Euro me preocupam muito.

    Opiniões? Dicas?

    Obrigado.

    3+
    • avatar
    • Preocupada 12 de julho de 2020 at 22:32

      Como você vai conseguir ter lucros aplicando numa moeda que está valendo mais de 6 x a nossa? Acho mais lógico aplicar no Tesouro Direto daqui mesmo e esperar muito tempo, mas muito tempo mesmo, até valer a pena tirar daqui e aplicar lá

      4+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • socrates 12 de julho de 2020 at 23:25

      acho uma boa “marcar a mercado”, com liquidez.

      Estou muito longe de ser uma analista economico mas não me parece que a estratégia do “governo” de criar novos gastos sem cortar os excessos vai sair muito bem… Isso nunca funcionou por aqui, por que funcionaria agora? Entramos no time dos grandes? Somos o EUA?

      Me parece que o governo criaria um outro universo para não ter que fazer a reforma tributária.
      Sendo assim, uma hora a conta ifá chegar e a inflação deve explodir, levando com ela os juros.
      É realmente horrível viver sem poder planejar… Verdadeira tortura.

      Mas a melhor dica acho que é a mais simples e você, como bolhista, já deve praticar: poupe mais do que gaste.
      E quando for gastar em excesso, use o que poupou; não se endivide.

      2+
      • avatar
  • Krusty 12 de julho de 2020 at 16:43

    Poderiam me ajudar com um orientação?

    Fui ver um boleto de seguradora para pagar no DDA, e encontrei um outro boleto, em meu CPF, de uma administradora de cartões, com um valor bem alto. Não tenho cartões ativos nessa administradora, que é um banco. Tenho conta nele, mas apenas cartão de saque. Tive cartão desse banco no passado, mas foi cancelado há muitos anos.
    Chequei o Registrato no BC, no SCR. Consta lá uma dívida recente de cartão de crédito, em nome desse banco. Chequei os últimos 5 anos desse registro, e não tem nada em nome dessa instituição.

    O que pode ser feito a respeito? Não reconheço essa dívida. Chequei meu SPC, Serasa, e não consta nada. Nome limpo até agora. Meu cadastro positivo é acima de 800 pontos.
    Devo fazer B.O. e ingressar com alguma ação? Ou procurar antes o banco?

    5+
    • avatar
  • Cajuzinha 12 de julho de 2020 at 19:05

    Custo da construção civil por metro quadrado em Sergipe foi de R$ 1004 em junho, aponta IBGE
    Segundo o levantamento, valor é o menor da Região Nordeste.
    Por G1 SE

    12/07/2020

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Moreira 12 de julho de 2020 at 20:00

    CVR
    Vistando a minha mãe em outra cidade acabei encontrando um conhecido de velha data. Conversa vai, conversa vem, disse que acabou de comprar uma casa de 180m de construção em lote de 200. Segundo o próprio, sem necessidade de reforma e com excelente acabamento. Morava de aluguel pagando 2550 (aluguel mais condomínio), em águas claras, imóvel de 120 metros.
    Como conheço o colega a muito tempo e ele mesmo puxou o assunto, acabei perguntando como foram as condições da compra da casa e ele disse:

    240 meses
    prestação de 3.200, corrigido pela inflação
    imóvel de 550 mil e deu 110 de entrada. Jogou um carro no meio dessa entrada. Ou seja, tomou 440 mil emprestado.

    Então perguntei se a ideia dele era ir amortizando, pois pode haver um sério risco de a inflação mudar para pior no País. Ele disse que a ideia é quitar em 10 ou 12 anos.

    Perguntei se a esposa estava empregada e me disse que foi chamada no concurso pra professor. Bom fiz uns cálculos estimados e a renda da família chega a uns 16 líquidos.

    Mas o mais engraçado: no final ele me perguntou se fez um bom negócio.

    Poxa, fiquei com isso na cabeça porque como o sujeito faz uma operação dessa sem ter certeza, estando inseguro? Nem entrei no mérito se foi bom ou ruim, mas apenas fiquei pensando na pergunta dele. O bom é que nessa hora meu filho me gritou e eu disse que tinha de ir vê-lo.
    kkk

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Strike 14 de julho de 2020 at 02:47

      Acho que fez um mau negócio, mas, para uma pessoa que considera importante ter um imóvel próprio, qual a outra alternativa? Se for esperar baixar preço, vai ficar esperando a vida inteira e nunca terá um imóvel próprio. E se adiasse muito a compra talvez no futuro não conseguisse nem comprar o que comprou agora.

      0
  • Preocupada 12 de julho de 2020 at 22:27

    O CA já tinha postado mais cedo. Bom, o resumo da opera é que vem mais quebradeira por aí. Incrivelmente as mercadorias nos sites não baixam de valor

    2+
    • avatar
    • CA 13 de julho de 2020 at 05:54

      Preocupada,

      Como a história da humanidade nos ensinou inúmeras vezes, os sobreviventes serão os mais flexíveis.

      Construtoras orgulhosas por terem tido menos perda de vendas que outras, são as que mais baixaram os preços, junto com aquelas que mais flexibilizaram os pagamentos (ex: comece a pagar em janeiro/2021).

      Com lojas, aquelas que tem chance de sobreviver, são as que os Shoppings ou outros proprietários de imóveis foram mais flexíveis, congelando pagamentos, deixando de cobrar taxas, reduzindo cobrança em 50% ou mais, etc, ao mesmo tempo que o dono fez o mesmo quanto a outros custos, congelando salários, reduzindo salários, etc.

      Outros fatores a considerar:

      No primeiro caso acima, das construtoras, PEDALADAS e MAQUIAGENS, como aumentar lançamentos e vendas FALSAS na planta SIMULAM resultados melhores, mas amplificam a DESTRUIÇÃO futura em todos os sentidos, sendo que muitas construtoras sequer conseguirão fazer isto e outras farão de forma ainda mais criminosa, fazendo “lançamento” e depois não construindo NADA do empreendimento, com enorme prejuízo a grande número de clientes.

      Já para lojas, dependendo do segmento de atuação, nem a combinação mais favorável colocada acima vai funcionar. Exemplo: quanto menos essencial for o produto, maior será a queda das vendas e isto será inevitável.

      Sim, a tendência é de batermos o recorde histórico de fechamento de lojas que havia sido alcançado em 2016, assim como o recorde de quebra de construtoras de 2015/2016, o recorde de prejuízo para compradores de imóveis que ficarão sem nada porque a construtora quebrou muito antes de concluir a obras, o recorde de prejuízo para quem comprou imóvel recentemente a “preço de ouro” e verá preços muito menores por imóveis melhores do que aquele que adquiriu, dentre outras situações análogas.

      3+
      • avatar
  • Cajuzinha 13 de julho de 2020 at 06:25

    Crise freia venda de imóveis, mas governo ainda espera bater meta
    Com apenas seis unidades vendidas e arrecadação de R$ 172 milhões até agora, Ministério da Economia acredita poder concretizar previsão de R$ 5,9 bilhões para o ano
    Por Mariana Ribeiro — De Brasília

    13/07/2020 05h00

    2+
    • avatar
    • CA 13 de julho de 2020 at 07:47

      Cajuzinha,

      O “acredita” bater meta é por conta do LUNÁTICO do IPiraNaGrana…

      2+
  • Cajuzinha 13 de julho de 2020 at 06:34

    Crise faz até os mais endinheirados repensarem liquidez
    Pesquisa global do UBS mostra 34% dos brasileiros muito impactados financeiramente
    Por Adriana Cotias — De São Paulo

    13/07/2020

    A crise causada pela covid-19 trouxe angústias referentes não só à saúde física e mental, pelo temor de contágio e as políticas de isolamento social, como também inquietações do lado financeiro. Mesmo entre as famílias mais ricas, com folga maior no orçamento para se adaptar às intempéries econômicas, todo um planejamento feito antes da pandemia teve que ser repensado.

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 13 de julho de 2020 at 06:35

      Uma parcela de 81% disse estar preocupada com a liquidez, e não ter dinheiro suficiente caso ocorra uma nova pandemia. Outros 79% manifestaram preocupação sobre o impacto da desvalorização dos ativos sobre o dinheiro da aposentadoria, e 85% afirmaram temer ser um peso financeiro caso adoeçam.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • CA 13 de julho de 2020 at 07:56

        Cajuzinha,

        “Preocupação com liquidez” principalmente para aquela galera que comprou ativos CAROS, como imóveis, carros importados, etc, que tem um ALTO CUSTO de manutenção e que viram as reservas financeiras SECAREM e muitas vezes a renda ter uma QUEDA abrupta, agora também começando a entender que a renda e os preços UFANISTAS dos Ativos não voltarão mais aos patamares ARTIFICIAIS dos tempos de BOLHA IMOBILIÁRIA.

        “Preocupação com desvalorização dos Ativos sobre o dinheiro da aposentadoria” = pessoas de mais idade que colocaram todos os ovos em uma cesta só, ou seja, compraram imóveis para revender ou alugar e/ou apostaram alto no cassino da BOVESPA e ficaram sem nenhuma reserva financeira de liquidez imediata e que agora percebem que o papo de que imóvel nunca desvaloriza é um mito, assim como a cotação da BOVESPA é SURREAL e estão com muito medo da queda de preços comprometer a SOBREVIVÊNCIA já no fururo próximo.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 13 de julho de 2020 at 07:57

          RESUMO:

          Em tempos de crise, mais do que nunca, CASH IS KING!

          12+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Cajuzinha 13 de julho de 2020 at 10:03

            Uma pessoa “leiga” me falou recentemente: agora tá parecendo a época do confisco da poupança, o dinheiro sumiu = CASH IS KING!

            11+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
  • Cajuzinha 13 de julho de 2020 at 10:07

    Sem a ‘pausa do cafezinho’, consumo da bebida cairá pela primeira vez desde 2011
    Para piorar a situação, a pandemia provocou demissões e queda na renda das famílias, que tendem a reduzir suas despesas com refeições …

    https://oglobo.globo.com/economia/sem-pausa-do-cafezinho-consumo-da-bebida-caira-pela-primeira-vez-desde-2011-24529300

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 13 de julho de 2020 at 10:16

    Aumenta a taxa de imóveis comerciais vagos
    em São Paulo
    No início da pandemia da Covid-19, a tendência era apontada pelo Secovi, agora, o
    movimento ficou mais intenso

    Com a reformulação de empresas, a implementação do home office e a necessidade de
    procurar alugueis mais baratos, a taxa de imóveis comerciais vagos aumentou na cidade
    de São Paulo. As informações são da Ana Paula Rodrigues, da Rádio Bandeirantes.

    https://noticias.band.uol.com.br/noticias/100000994756/aumenta-a-taxa-de-imoveis-comerciais-vagos-em-sao-paulo.html

    4+
    • avatar
    • avatar
    • CA 13 de julho de 2020 at 11:54

      Cajuzinha,

      Desde o começo do home-office que foi implementado pelas empresas de forma intensa e ampla, abrangendo a imensa maioria, ficou claro que a VACÂNCIA de imóveis comerciais iria DISPARAR também.

      Tal vacância só não cresce de forma mais rápida e intensa, porque muitos proprietários de escritórios concederam DESCONTOS RELEVANTES, ao mesmo tempo que muitas empresas estão em período ainda distante da renovação e portanto, preferem não pagar uma multa elevada pelo cancelamento antecipado, aguardando o momento da renovação para efetivar uma redução significativa do espaço ocupado.

      Uma coisa é certa: quanto à “rentabilidade garantida dos imóveis”, este será um exemplo clássico, daqui até o final dos tempos, de que NADA É GARANTIDO! Aliás, como sabemos, não só a rentabilidade de imóveis em geral não é garantida, como tem sido PÉSSIMA e já HÁ ANOS, com muitas QUEDAS que são MASCARADAS por DESINFORMAÇÃO e índices GROTESCOS, como o FINGE ZAP…

      7+
      • avatar
  • Cajuzinha 13 de julho de 2020 at 11:51

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk – A volta dos 30% kkkkkkkkkkkkkkkkk

    “Nós tínhamos lançamentos programados para o fim do ano, para o 2º semestre, que nós estávamos inclusive revendo se iríamos realmente lançar e resolvemos lançar. O mês de junho foi preponderante na nossa decisão em resolver lançar, se não, a gente vai acabar o com o estoque dos imóveis em breve” afirmou Eduardo Consorte, diretor-executivo-comercial da construtora.

    Se compararmos com o ano passado, o mês de junho com certeza funcionado com 30% a mais em incremento nas vendas”, afirmou o vice-presidente do Secovi, Carlos Tarvanaro.

    https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2020/07/13/mercado-imobiliario-tem-alta-de-vendas-no-parana.ghtml

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 13 de julho de 2020 at 12:16

      Cajuzinha,

      O esquema de DESINFORMAÇÃO neste caso é o seguinte:

      MUITAS PESSOAS que estavam em etapa FINAL de aquisição de um imóvel novo, às vezes procurando há meses ou até mesmo ANOS, ADIARAM a compra do imóvel que estava prestes a se concretizar entre final de março/2020 até final de abril/2020, principalmente em virtude da QUARENTENA que impedia os contatos presenciais, mas também para verem como ia ficar a situação pessoal e os rendimentos.

      O que consta acima provocou uma redução DRÁSTICA nas compras de imóveis entre o final de março/2020 até o final de abril/2020 no caso do Paraná e com a maior abertura local a partir de maio/2020, aqueles que não desistiram, decidiram voltarem para fechar negócio em junho/2020. O nome disto NÃO É RECUPERAÇÃO, no máximo, é POSTERGAÇÃO gerando um resultado PROVISÓRIO.

      Claro que além disto temos alguns “fenômenos” à parte:

      Pessoas que resolveram entrar de cabeça no esquema das vendas FALSAS na planta, para as quais as construtoras dispararam nas “facilidades” (deixaram de vez de olhar a capacidade de compra, adiaram parcela inicial para janeiro/2021, etc), mas que como sabemos, uma parte não vai conseguir pagar durante toda a construção, outra não vai conseguir o crédito imobiliário no ato da entrega e só a MINORIA é que vai acabar comprando DE VERDADE;

      Outras pessoas entraram na onda de comprarem “chácaras” e residencias mais afastadas dos centros e maiores, em virtude do fenômeno do home-office. Nestes casos, como antes não se vendia QUASE NADA deste tipo de imóvel, qualquer crescimento agora é “assombroso” (base muito reduzida). Estas pessoas não fazem ideia dos custos de manutenção e dos transtornos por falta de infraestrutura local, dentre outros “contras” desta opção, apenas analisaram de forma SIMPLISTA e tomaram uma decisão EMOCIONAL E IMPENSADA, influenciadas pela DESINFORMAÇÃO que impera na mídia via matérias pagas pelo segmento imobiliário.

      Outra coisa é que ainda tem gente se utilizando do auxílio emergencial como se fosse um “extra duradouro” (aqueles que não tinham direito ao benefício, mas que conseguiram obtê-lo), “pensam” que este “benefício” não tem prazo para acabar e acham que podem se AVENTURAR a comprar um imóvel, o que compõe parte do primeiro grupo dos INCAUTOS que entram de cabeça no esquema das vendas FALSAS na planta. Outra parte é o INCAUTO típico: acredita que juros em patamar de recorde de baixa, que é CONSEQUÊNCIA de uma CRISE RECORDE quanto à GRAVIDADE, é sinal de um “ótimo momento para comprar imóvel”, como os corretores e mídia dizem, ao mesmo tempo que acreditam no IPiraNaGrana e na recuperação em “V”, portanto, estes SARDINHAS tem a “fé” de que seu emprego e renda não estão em perigo, de que “quem compra terra não erra” e assim por diante, aventurando-se a entrar em uma dívida RELEVANTE e que dura DÉCADAS em pleno momento de CRISE AGUDA (=SUICIDA FINANCEIRO).

      A volta à REALIDADE será mais INTENSA quando passarem os efeitos de postergação de compra para os meses imediatamente posteriores à quarentena, quando ACABAR o auxílio EMERGENCIAL do governo que atende a mais de 60 MILHÕES de pessoas e quando acabar também o prazo de carência para as empresas demitirem parte dos 11,5 MILHÕES de pessoas que tiverem sido colocadas em suspensão de contrato de trabalho ou que tiveram redução compulsória de salários. Será a partir deste ponto, ou seja, daqui a alguns meses, que as pessoas começarão a ver a REALIDADE quanto à esta CRISE, até lá, como SEMPRE, o setor imobiliário irá surfar na onda da DESINFORMAÇÃO, vendendo um NON-SENSE ABSURDO que em meio a uma CRISE AGUDA, é o melhor momento para se comprar imóveis (rs)…

      4+
      • avatar
      • CA 13 de julho de 2020 at 12:22

        Ah, lembrando um “detalhe” importante:

        Mudou a regra e o FGTS cobre 100% do MCMV, com isto, como o governo não precisa pôr dinheiro do Tesouro Nacional, a CEF passou a liberar mais verbas para o MCMV, transformando isto em aumento de vendas para o setor imobiliário, via concessão ainda maior de CRÉDITO PODRE, isto para um MCMV onde na faixa 1 a INADIMPLÊNCIA passou de 35% e nas outras faixas do MCMV, a inadimplência também estava bem acima do que em outras opções de financiamento. Sim, sabemos que o FGTS tem tido ROMBOS BILIONÁRIOS e INÚMERAS AMEÇAS de ser cada vez mais SUGADO, o que garante que esta nova fonte de PEDALADA também vai SECAR em breve, no entanto, o setor imobiliário aproveita enquanto ainda resta alguma gota de sangue…

        Obs: lembrando que enquanto MCMV cresce graças à FGTS cobrir 100% e vendas de chácaras e imóveis afastados crescem sob uma base diminuta em função de home-office, o ENCALHE para imóveis de maiores valores e nas regiões mais nobres dos grandes centros é MONSTRUOSO, seja nas mãos de construtoras, vendedores particulares pessoas físicas, leilões de bancos, etc…

        4+
        • avatar
  • tmarabo 13 de julho de 2020 at 12:59

    Pessoal, quais corretoras vocês têm usado para renda fixa, tipo CDBs e Letras?

    1+
    • MARK 13 de julho de 2020 at 20:55

      Eu uso a Easynvest, mas existem outras também.

      2+
      • avatar
      • tmarabo 14 de julho de 2020 at 10:53

        eu tenho a easy e a XP.
        na XP todos os dias adicionam os títulos de pessoas que querem vender seus investimentos em renda fixa antes do prazo, então aparecem boas ofertas, mas o sistema sempre fica instável e é muito difícil de conseguir comprar.
        na easy estão melhores investimentos sem precisar desse “mercado de balcão”.
        eu tenho essas duas, não sei se outras corretoras têm boas opções.

        3+
        • avatar
  • Cajuzinha 13 de julho de 2020 at 16:49

    FGV:PIB brasileiro entre 2020 e 2021 será um dos piores do mundo
    Publicado em 13/07/2020

    https://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/fgvpib-brasileiro-entre-2020-e-2021-sera-um-dos-piores-do-mundo/

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 13 de julho de 2020 at 18:49

      E os motivos REAIS para estarmos entre os PIORES PIB´s do MUNDO, independente de quem está fazendo a projeção, são claros FAZ TEMPO:

      1) PEDALADAS e MAQUIAGENS de forma incessante na BOLHA IMOBILIÁRIA, por um governo atrás do outro, sem interrupção. Isto causou um crescimento EXPONENCIAL no SUPER-ENDIVIDAMENTO e INADIMPLÊNCIA das famílias, empresas e governos, além de ter inflado a maior DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS E RENDA de toda nossa história, ao mesmo tempo que gerou ENORMES ROMBOS no sistema financeiro e nas reservas financeiras de forma geral, fosse o FGTS, o patrimônio LÍQUIDO E REAL dos bancos (hoje MAQUIADO via imóveis SUPER-AVALIADOS), dentre outros. Além disto, inúmeras e GRAVÍSSIMAS DISTORÇÕES no mercado, como na relação entre oferta e procura, entre preço de imóvel e renda, etc. Isto DESTRÓI qualquer possibilidade de “recuperação em V”, na medida em que o consumo é profundamente afetado por estas ANOMALIAS, sendo que isto FORÇA tanto spread quanto juros finais MUITO ELEVADOS, bem como dificuldades enormes para se recuperar um crédito minimamente SAUDÁVEL para os agentes, dentre outros efeitos DESASTROSOS para economia e sociedade;

      2) O PIOR governo federal DO MUNDO no “combate” à PANDEMIA e nas CONTRA-MEDIDAS. Por um lado, este governo é CONTRA-PRODUCENTE e com sua PROFUNDA ALIENAÇÃO, via NEGACIONISMO, PREJUDICOU de todas as formas possíveis o combate à Covid-19. Poderia ter seguido o exemplo da Coréia do Sul e buscado testes massivos desde o início e se isto fosse inviável tecnicamente, deveria ter puxado para si a coordenação de lock downs logo no início, como no caso da China, mas mesmo tendo estes exemplos CLARÍSSIMOS de situações que ocorreram antes do Brasil e ainda, vendo a catástrofe que ocorria nos EUA, Suécia e outros que COMEÇARAM como NEGACIONISTAS antes do Brasil, deveria ter NO MÍNIMO corrigido o rumo, mas o que vemos é o CONTRÁRIO, um governo completamente FORA DA REALIDADE e com isto, apenas INCENTIVANDO uma “desobediência civil” ESTÚPIDA com relação ao vírus, com os PIORES exemplos do mundo vindo de um governante e de forma reiterada, sem NUNCA exercer sua responsabilidade de coordenar ações para combater o vírus da maneira correta, ao contrário, incentivando SEU GADO e tentando convencer toda a população que é só uma “gripezinha”, totalmente ALIENADO. Nas “contra-medidas”, estão dentre as mais INEFETIVAS do mundo também, porque no caso do crédito para micro-empresas, até HOJE, passados 4 MESES do início da pandemia no Brasil, ainda não conseguiram fazer chegar ao micro-empreendedor que é quem mais precisa e destes, MUITOS JÁ QUEBRARAM e agora NÃO TEM MAIS VOLTA, dentre outras FALHAS GRAVES;

      3) Ações CONTRA-PRODUCENTES do governo com relação à preservação ambiental, críticas xenofóbicas contra países dos quais somos dependentes para exportações, declarações INFELIZES e por vezes RIDÍCULAS de ministros, casos de polícia do entorno do presidente, crises políticas SEMANAIS que duraram MESES em meio a PANDEMIA e uma série de outros fatores NEGATIVOS que não só expulsaram muito investimento do país, como também servem de MUNIÇÃO para políticas PROTECIONISTAS dos outros países em prejuízo ao Brasil.

      É principalmente pelos motivos acima que estaremos entre os PIORES DO MUNDO no pós-pandemia.

      4+
      • avatar
      • avatar
  • CArlos 13 de julho de 2020 at 17:57

    Volta da CPMF precisa ser discutida mais cedo ou mais tarde, diz Mourão

    Vice-presidente defendeu a criação de um imposto nos moldes da CPMF, mas informou em videoconferência que Bolsonaro é contra a possibilidade
    BRASÍLIA – O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, defendeu nesta segunda-feira, 13, a retomada do debate sobre a criação da nova CPMF, apesar da contrariedade do presidente Jair Bolsonaro em relação ao tema. Segundo ele, “mais cedo ou mais tarde essa discussão vai ter que ser colocada na mesa”. Em setembro do ano passado, o então secretário da Receita Federal Marcos Cintra foi demitido por defender a retomada do tributo.

    “A nossa proposta que vinha sendo costurada até a saída do Marcos Cintra era aquela proposta do IVA Dual e entrava aquela questão do imposto sobre transações financeiras que parece ser o grande satã da Reforma Tributária. Ninguém quer ouvir falar disso aí. Mas eu, na minha visão, inclusive têm vários deputados e senadores que defendem essa questão do imposto único, que também é defendido por empresas aqui no Brasil. Esse assunto tem que ser discutido sem preconceitos”, declarou Mourão em transmissão ao vivo promovida pela Genial Investimentos.

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,volta-da-cpmf-precisa-ser-discutida-mais-cedo-ou-mais-tarde-diz-mourao,70003362682

    5+
    • avatar
    • avatar
    • CA 13 de julho de 2020 at 19:14

      CArlos,

      O governo vai tentar fazer com que os impostos SUBAM, no MÍNIMO no médio prazo, mas provavelmente, já no curto prazo (menos de 6 meses).

      Se a “desoneração da folha” for mantida pelo congresso, boicotando a iniciativa do governo federal de CANCELAR este benefício fiscal multi-setorial, não teremos esta ação do governo que na PRÁTICA seria um aumento de impostos e assim, o governo será OBRIGADO a buscar OUTROS aumentos de impostos, ou “NOVOS” IMPOSTOS, como por exemplo, ressuscitar a MAL-VISTA CPMF.

      Aliás, mesmo que a “desoneração da folha” seja DERRUBADA pelo governo, vencendo o braço de ferro com o congresso, ainda assim ela sozinha não será NEM DE LONGE o suficiente para se buscar um equilíbrio fiscal no LONGO PRAZO (no curto e médio prazo já é INVIÁVEL).

      A verdade é que antes da PANDEMIA, já tínhamos uma relação de dívida em relação ao PIB que era 50% acima da média para os países emergentes. Como dentre os emergentes, nós já tínhamos também situações críticas que continuavam sendo IMPULSIONADAS pelo governo federal, como a BOLHA IMOBILIÁRIA, ao mesmo tempo que tivemos a PIOR reação à PANDEMIA dentre todos os emergentes e ainda, como uma série de outras SABOTAGENS por parte do governo, como detalhei em comentário mais acima, é NATURAL E ESPERADO que sairemos desta PANDEMIA com MUITO MAIS de 50% acima na relação dívida / PIB na comparação com outros emergentes, o que nos tornará um PÁRIA do qual os investidores estrangeiros irão FUGIR AINDA MAIS.

      Ao mesmo tempo, a ideia de se reduzir drasticamente os gastos do governo, embora interessante como “modelo liberal”, é INVIÁVEL em meio a uma CRISE da proporção que vivemos. Imagine dizerem que vão mandar embora MILHARES de funcionários públicos, que vão congelar o salário destes funcionários públicos de forma ampla gerar e irrestrita por anos, que vão cortar benefícios relevantes de forma intensa, que vão acabar com algumas empresas públicas e assim por diante. No contexto atual, a reação contrária será GIGANTESCA e dificilmente este governo terá cacife para realizar isto. PIOR: mesmo o MÁXIMO que o governo conseguir será absurdamente INSUFICIENTE em função do contexto destacado no parágrafo anterior!

      Isto significa uma PRESSÃO GIGANTESCA para aumento de impostos, até mesmo antes de qualquer recuperação REAL da economia. É por isto que um dos esforços do governo será o de FAZER DE CONTA que a recuperação “já começou”, que é uma “recuperação em V”, para poderem justificar aumento de impostos, como se eles fossem viáveis neste momento (e não serão, tanto por motivos POLÍTICOS, quanto pela ineficiência de se aumentar impostos em meio a uma crise profunda e apenas AGRAVÁ-LA). É uma gigantesca SINUCA DE BICO, porque o governo, ao TENTAR aumentar impostos e depois RETROCEDER pelas pressões POLÍTICAS e da própria economia, deixará claro para investidores internacionais e NACIONAIS, que aqui o BURACO é mais embaixo, com cenário BEM MAIS GRAVE do que para outros países emergentes.

      A conferir…

      4+
      • avatar
  • CArlos 13 de julho de 2020 at 18:07

    Guedes disse ser impossível saber quando a pandemia acabará no Brasil

    Falou que o país é muito grande

    Guedes disse ainda que a queda no mercado internacional não afetou o país, e sim o confinamento.

    “Não houve 1 impacto externo com tanta contundência como em demais países. O maior impacto é justamente pelo isolamento social. O que continua nos estimulado para entrar na OCDE. Queremos aumentar o nosso grau de integração da economia brasileira. Vamos continuar comprometidos com as reformas estruturantes.”

    “Precisamos de cooperação. Por isso, queremos entrar na OCDE, queremos melhores padrões, cooperação, integração. Somos 1 planeta”, falou.

    https://www.poder360.com.br/economia/guedes-disse-ser-impossivel-saber-quando-a-pandemia-acabara-no-brasil/

    4+
    • avatar
    • avatar
    • CA 13 de julho de 2020 at 18:56

      CArlos,

      Completamente ILÓGICO e SEM NENHUM EMBASAMENTO, como SEMPRE!

      Trecho do link acima:

      “Guedes disse ainda que a queda no mercado internacional não afetou o país, e sim o confinamento.”

      Por que a China não foi tão afetada quanto o Brasil, se lá o confinamento foi MUITO MAIOR?

      Porque lá, desde o INÍCIO, levaram a sério o vírus e praticaram um confinamento MUITO MAIS RIGOROSO do que no Brasil, evitando que o vírus se espalhasse tanto e que ficasse fora de controle por tanto tempo como ocorreu no Brasil! E quem LIDEROU estas ações? O governo CENTRAL da China, o equivalente ao nosso governo federal!

      Por que na Suécia, o grande exemplo do Bozo e de seus completamente LUNÁTICOS SEGUIDORES, estão vendo acontecer um DESASTRE em termos de MORTES na comparação com outros países similares da mesma região, ao mesmo tempo que projetam uma das MAIORES QUEDAS DO PIB do MUNDO em termos percentuais, de forma análoga ao Brasil, se lá é um exemplo de quem NÃO SEGUIU o confinamento praticado por outros países?

      Por que outros países que SUBESTIMARAM o vírus em sua fase inicial, estão SEMPRE entre os MAIS afetados NEGATIVAMENTE e ao CONTRÁRIO, aqueles que trataram com o máximo de SERIEDADE e RESTRIÇÕES e/ou TESTES MASSIVOS, DESDE O COMEÇO, estão entre os MENOS afetados NEGATIVAMENTE?

      Pois é, o que consta acima, SALTA AOS OLHOS, mas é claro que só para quem tem 2 ou mais neurônios e como sabemos, o IPiraNaGrana discursa para dar PASTO, ora para o GADO do BOZO, ora para os SARDINHAS da BOVESPA…

      6+
      • avatar
      • avatar
    • Lord of All 13 de julho de 2020 at 20:30

      Na lógica acéfala dos bolsominions a quimioterapia é pior que o câncer.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 13 de julho de 2020 at 21:46

    Os números mostram uma queda mais acentuada nas vendas de imóveis de alto padrão no trimestre, de 79% na comparação anual

    Navegar

    Busca
    Economia
    Saúde
    Política
    Geral
    Entretenimento
    Polícia
    Esportes
    Vídeos
    Colunas
    Cidades
    ECONOMIA
    MAIS NOTÍCIAS
    ESPECIAL
    Carreiras e Profissões
    Caminhos do Desenvolvimento
    Transformação Digital
    Nova Previdência
    Especial Mercado Imobiliário
    Saque do FGTS
    SAÚDE
    MAIS NOTÍCIAS
    ESPECIAL
    Especial Mente e Corpo
    POLÍTICA
    MAIS NOTÍCIAS
    GERAL
    MAIS NOTÍCIAS
    Instituto Américo Buaiz
    Publicidade Legal
    ESPECIAL
    Tragédia em Brumadinho
    Riquezas de Norte a Sul
    Especial Mulher
    Especial Torta Capixaba
    Especial Educação
    Adote uma Causa
    Chuva no Espírito Santo
    Meio Ambiente
    Conflito EUA X IRÃ
    Coronavírus
    MULTIVERSO CORPORATIVO
    Quero Ser
    Quero Ter
    Quero Aparecer
    Quero Voltar a Vencer
    ENTRETENIMENTO
    MAIS NOTÍCIAS
    HOTSITES
    Mais Doce
    ESPECIAL
    Conexão Verão
    Carnaval 2020
    POLÍCIA
    MAIS NOTÍCIAS
    ESPORTES
    MAIS NOTÍCIAS
    ESPECIAL
    Geração Gamer
    Circuito Rede Vitória de Tênis
    Circuito Rede Vitória de Golf
    VÍDEOS
    MAIS VÍDEOS
    TV VITÓRIA
    ES no Ar
    Fala Manhã
    Balanço Geral
    Fala ES
    Cidade Alerta
    Jornal da TV Vitória
    FOLHA VITÓRIA
    De Olho no Poder
    COLUNAS
    SOCIAIS
    Helio Dórea
    Andrea Pena
    ECONOMIA
    Mundo Business
    ENTRETENIMENTO
    Resenhando
    BLOGS
    ECONOMIA
    Carro, Moto e Cia
    Gestão e Resultados
    Empreendedorismo Digital
    SAÚDE
    Mente Sã
    POLÍTICA
    De Olho no Poder
    Esplanada
    GERAL
    Livre Pensar
    Empregos e Concursos
    Mídia & Mercado
    Pet Blog
    Vem Ler Comigo
    Direito ao Direito
    Bem Pensado
    ENTRETENIMENTO
    Na Balada
    Espaço Gourmet
    ESPORTES
    Corrida de Rua
    Louca por Esportes
    Tribo MMA
    No Pique
    CIDADES
    Domingos Martins
    Guarapari
    Linhares
    CLICARROS
    IR PARA O SITE

    ECONOMIA
    Vendas líquidas de imóveis no 2º trimestre somam R$ 818 milhões, queda de 57,3%
    Os números mostram uma queda mais acentuada nas vendas de imóveis de alto padrão no trimestre, de 79% na comparação anual

    Estadão Conteúdo

    Redação Folha Vitória
    13 de Julho de 2020 às 19:25
    Atualizado 13/07/2020 20:10:57
    Foto: Divulgação
    Em suas prévias operacionais do segundo trimestre de 2020, a Cyrela registrou uma queda de 57,3% nas vendas líquidas na comparação com o mesmo período de 2019, para R$ 818 milhões. No acumulado do primeiro semestre, as vendas somaram R$ 2,175 bilhões, recuo de 26,6%.

    Os números mostram uma queda mais acentuada nas vendas de imóveis de alto padrão no trimestre, de 79% na comparação anual. Já na categoria Minha Casa, Minha Vida (MCMV), a queda foi de 11%. Os imóveis de médio padrão tiveram vendas 63% menores no trimestre.

    PUBLICIDADE

    De todas as vendas entre abril e junho, 17% foram de estoque de imóveis prontos, 63% de estoque em construção e 21% de lançamentos. A velocidade de vendas de lançamento atingiu 43% no trimestre.

    Excluindo as permutas e tomando por base somente a participação da Cyrela nas vendas, o volume ficou em R$ 592 milhões no trimestre, queda de 56%. No semestre, o valor ficou em R$ 1,509 bilhão, recuo de 27,8%.

    https://www.folhavitoria.com.br/economia/noticia/07/2020/cyrela-vendas-liquidas-no-2-trimestre-somam-r-818-milhoes-queda-de-57-3

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 14 de julho de 2020 at 06:06

      Cajuzinha,

      É natural e INEVITÁVEL uma queda MUITO GRANDE nas vendas de imóveis.

      Observar que no caso da Cyrela, como para demais, a menor queda foi no MCMV, beneficiado por maior repasse do FGTS que agora cobre 100% do preço do imóvel e com isto deixa de ser dependente de verba do governo.

      Lembrando que neste mesmo segundo trimestre em que aumentaram o quanto estão SUGANDO do FGTS, a ser reposto em suaves prestações ao longo de “módicos” 35 ANOS, o FGTS acumulava ROMBOS mensais BILIONÁRIOS em função da combinação de suspensão de depósitos por empresas e profunda e rápida piora na DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS E RENDA e a tendência é que mesmo quando as empresas voltarem a depositar, o FGTS não terá mais fôlego para aumentar as PEDALADAS do setor.

      Outro ponto relevante sobre o FGTS, é que mais do que nunca existem “N” ideias de como utilizá-lo para outros fins, não relacionados ao setor imobiliário e sim como ação de EMERGÊNCIA frente ao tamanho da CRISE.

      Cobriram PARTE do ROMBO BILIONÁRIO do FGTS com cerca de R$ 20 BILHÕES do PIS/PASEP, secando de vez esta fonte, outra PARTE veio da CEF que mesmo não cobrando parcelas do MCMV está repassando para o FGTS, mas a CEF também está mais QUEBRADA do que nunca e não conseguirá manter estas PEDALADAS, sendo que.mesmo.cpm estas APELAÇÕES, como disse acima, ainda sobraram ROMBOS BILIONÁRIOS e mensais no FGTS.

      E ainda, quando a CEF for OBRIGADA a voltar a cobrar as parcelas do MCMV e de outras linhas de financiamentos e a INADIMPLÊNCIA do crédito imobiliário DISPARAR, ao mesmo tempo que acabar o auxilio emergencial do governo e o período de carência para demissões passar, levando a um novo volume gigante de desempregados e aumentando ainda mais os rombos BILIONÁRIOS do FGTS, se não acharem mais “verbas mágicas” como as do PIS/PASEP para cobrir estes rombos e nem a CEF conseguir mais PEDALAR, como vão conseguir segurar o castelo de areia do MCMV e a pirâmide financeira de nossa BOLHA IMOBILIÁRIA?

      A resposta elementar é: não vão segurar e a QUEDA do setor será HOMÉRICA arrastando várias construtoras para a falência e dezena de milhares de pessoas que compraram na planta destas construtoras para o maior prejuízo da vida delas, fazendo com que o caso emblemático da ENCOL de décadas atrás pareça “brincadeira de criança”.

      E no caso de imóveis de médio e alto padrão?

      Estes apenas COMEÇARAM sua DERROCADA de vendas. A tendência é que se mantenham com vendas MUITO MENORES do que no ano passado em mesmo período e que a situação se agrave quando acabar o auxilio emergencial e o período de carência em que empresas que suspenderam contratos ou reduziram salários não poderão demitir, quando neste momento, a volta à REALIDADE será mais inequívoca e TODOS perceberão que a “recuperação em V” era apenas MAIS UMA GIGANTESCA FALÁCIA do IPiraNaGrana.

      E junto coma evolução NATURAL da crise que consta acima, a NECESSIDADE de vender e alugar por proprietários será cada vez maior, o que fará com que aumentem os casos em que as reduções de preços serão mais relevantes.

      A conferir…

      3+
      • avatar
      • avatar
  • MARK 13 de julho de 2020 at 21:49

    CVR da semana – sobreposta Ponta da Praia.
    Recentemente encontrei uma sobreposta à venda na Ponta da Praia, 3 dormitórios, 120 m2, 500k. Casa boa, projetada, mas que precisa de modernização.
    Comparando com uma casa semelhante que vi em 2016 a 550k (o menor preço à época) no mesmo bairro, fica evidente a depreciação do valor. O valor atualizado corresponde a 700k, uma diferença de 28% de queda.
    Comparei essas duas casas pois são do mesmo tipo, no mesmo bairro e com uma diferença de duas quadras entre uma e outra.
    Pela minha experiência vejo que nesse bairro uma casa de 120 a 170m2, que precise de modernização não consegue preço maior que 500k, talvez alguma variação. E essas vendem nesse preço pois é o preço mais “barato” naquela área.
    A queda foi de quase 30% e, claro, que isso não quer dizer que estão baixando todos os preços aqui na cidade. A constatação é que quem quer vender, se quiser mesmo vender, precisará acordar pra realidade.
    As casas que venho acompanhando lá na Ponta da Praia, Boqueirão, Gonzaga e Embaré, aqui em Santos, vendem nessa faixa, 500k. Mais que esse valor, só casas muito próximas à praia, uma quadra ou duas da praia, boa parte das vezes como troca de área para construção de prédios.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 14 de julho de 2020 at 06:07

      MARK,

      Imóveis desta faixa de valor de R$ 500 k para cima serão os que irão experimentar as maiores QUEDAS de vendas e de preços nos próximos 12 meses, ver os 2 comentários imediatamente anteriores ao seu com mais detalhes.

      5+
      • avatar
      • avatar
  • CArlos 13 de julho de 2020 at 22:21

    OFF – Toda a competência e capacidade da petrobosta, aposto que como o caixão e o BB eles tem governança “exemplar” e até ganharam prêmios por isso.

    Problema de qualidade em gasolina importada pela Petrobras suspende voos executivos

    Após relatos de corrosão nas peças, empresas interrompem fornecimento e ao menos 19 aeroportos estão sem o combustível

    Suspeitas de problemas de qualidade em combustível de aviação importado pela Petrobras já provocam desabastecimento em ao menos 19 aeroportos brasileiros, limitando a operação de pequenas aeronaves por todo o país. As vendas do produto foram interrompidas pela estatal no sábado (11), depois de alertas feitos por pilotos e proprietários de aviões.

    Eles identificaram corrosão e derretimento de peças do sistema de combustível dos aviões, levando a Aopa (Associação dos Pilotos e Proprietários de Aeronaves) a emitir no sábado recomendação para suspender as operações de aviões e helicópteros de pequeno porte.

    O problema não afeta a aviação comercial, já que os aviões movidos a turbinas utilizam outro combustível, o querosene de aviação. Mas cria dificuldades para aviação executiva, pulverização de defensivos agrícolas e empresas que fazem aviação médica.

    https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/07/gasolina-adulterada-importada-pela-petrobras-leva-a-suspensao-de-voos-da-aviacao-executiva.shtml

    4+
    • avatar
    • avatar
    • bolha_dos_pampas 14 de julho de 2020 at 10:05

      Agora imagina se a nuvem de gafanhotos estivesse no RS e acontece algo assim nos aviões para pulverização?

      4+
      • avatar
      • avatar
  • CA 14 de julho de 2020 at 07:42

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,crise-faz-numero-de-falencias-dar-salto-de-71-3-em-junho-especialistas-veem-piora,70003363029

    Trechos do link acima, entre “aspas”:

    “Crise faz número de falências dar salto de 71,3% em junho e especialistas veem piora”

    “Levantamento da Boa Vista SCPC mostra ainda alta de 44,6% nos processos de recuperação judicial; pequenas companhias respondem por mais de 90% dos negócios afetados”

    “A má notícia é que o movimento está apenas no começo e, segundo especialistas, deve se acelerar ao longo deste semestre tanto no número de recuperações judiciais como no de falências.”

    “Ele afirma que em mais um mês e meio será possível saber melhor o que virá pela frente. “Na minha avaliação, a onda maior virá em setembro e outubro.” Para Galdino, os setores que mais correm risco de irem para recuperação judicial são os de turismo e de varejo. “Esses setores já cortaram despesas e já demitiram. Agora, tem de reequilibrar ascontas.” ”

    “Na avaliação de economistas, a saída da crise atual é uma incógnita. Ninguém sabe quanto tempo vai demorar para voltar aos níveis pré-pandemia. Em alguns setores, a dúvida é ainda mais latente, como as áreas de entretenimento e restaurantes, por causa do comportamento da população ao fim do isolamento.”

    “O advogado Sergio Emerenciano, da Emerenciano, Baggio & Associados, lembra que algumas atividades já voltaram, mas as vendas continuam estagnadas. “As empresas estão funcionando, a dívida aumentou, mas o caixa não voltou.” “

    4+
    • avatar
    • Lord of All 14 de julho de 2020 at 07:55

      Já são os sintomas decorrentes de o BR não ter aceitado tomar o remédio amargo do lockdown logo no começo da pandemia.

      9+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 14 de julho de 2020 at 07:59

    Fed de Dallas vê perda de fôlego da economia
    Kaplan é membro votante do Fomc
    Por Dow Jones Newswires

    14/07/2020 05h00

    A economia dos Estados Unidos está desacelerando após uma explosão de atividade em maio, disse o presidente do Federal Reserve de Dallas, Robert Kaplan.

    3+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 14 de julho de 2020 at 09:27

    Crise econômica vai durar mais de 12 meses, dizem executivos
    Pesquisa da PwC ouviu 989 diretores financeiros de 23 países ou regiões, incluindo o Brasil

    https://valor.globo.com/empresas/noticia/2020/07/14/crise-economica-vai-durar-mais-de-12-meses-dizem-executivos.ghtml

    4+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 14 de julho de 2020 at 09:53

    e-mail recebido agora, rs

    “Agenda de Leilões – A Retomada da Economia”

    SOLD Leilões

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar

    • CA 14 de julho de 2020 at 11:24

      Cajuzinha,

      As PROFUNDAS CONTRADIÇÕES do setor imobiliário e demais agentes que orbitam ao redor dele, são FANTÁSTICAS!

      Em todos os lugares do MUNDO, aumento de leilões de imóveis é sinal CLARO de PROBLEMA GRAVE, usualmente, efeito de BOLHA IMOBILIÁRIA.

      Aqui no Brasil, no ano passado, a CEF anunciou, com a maior “naturalidade”, que é a maior proprietária de imóveis à venda do PLANETA, em função de INADIMPLÊNCIA e imóveis retomados e isto porque ela não retomou nem metade do que deveria e não é que todos encaram isto como se fosse a coisa mais normal do mundo e não um sinal claríssimo de ANOMALIA, mais especificamente, BOLHA IMOBILIÁRIA!?

      Daí os demais bancos e empresas URUBUS, que compraram crédito imobiliário PODRE dos bancos, começam a retomar os leilões, até pelo DESESPERO de gerar LIQUIDEZ, uma vez que os estoques de imóveis, especialmente aqueles de padrão médio / alto, está GIGANTE COMO NUNCA, tanto em poder de construtoras, como aqueles que estão com bancos / empresas URUBUS e principalmente aqueles que estão à venda por particulares, onde agora já estamos batendo o RECORDE, que já era antes absurdamente ANORMAL, do número de ANOS que seriam necessários para se vender toda esta oferta, principalmente pela QUEDA DRÁSTICA na procura de imóveis neste padrão e exatamente porque a economia está em uma crise AGUDA e com PÉSSIMAS expectativas para o curto e médio prazo (no mínimo) e não é que neste contexto, “comemoram” uma agenda de LEILÕES falando sobre “A retomada da economia”!? LEILÕES que disparam em função da DISPARADA da INADIMPLÊNCIA e de uma visão CLARA de que vai PIORAR ainda muito no curto prazo, então é melhor tentar vender agora enquanto isto não fica tão visível, tem a ver com “retomada da economia”!?

      E ainda tem gente que acredita nestas estorinhas para boi dormir e cai nestes GOLPES PRIMÁRIOS DE DESINFORMAÇÃO, que vão crescer como NUNCA, sempre com aquele discurso enjoativo de que “agora é o melhor momento para se comprar imóveis”.

      Veremos os mais AFOBADOS, se dispondo a comprar um imóvel com “desconto” de 10% ou 20%, achando que fez “um negócio da China” e que está pegando o “vale dos preços”, o famoso BULL TRAP, sendo que os preços, embora muito menores que ANOS atrás e reduzidos em relação há poucos meses, ainda estão COMPLETAMENTE FORA DOS FUNDAMENTOS e cada vez mais DISTANTES da capacidade de compra das famílias, até porque esta capacidade de compra está sendo simplesmente DESTRUÍDA com a crise AGUDA que mal começou a mostrar seus efeitos.

      Estas pessoas ANSIOSAS, que entrarem nessa, acabarão vendo nos próximos meses, novas QUEDAS dos preços e descobrirão que perderam a oportunidade de pagar um preço mais próximo do JUSTO, apenas pela dificuldade em se conter e por tomar uma decisão emocional, sem ponderar a situação atual e prevista. Sim, estas pessoas ainda serão as EXCEÇÕES, sem sombra de dúvida e pouco darão de “fôlego” para o mercado, ao contrário, a PIORA da capacidade de compra das famílias será MUITO MAIS INTENSA do que este BULL TRAP, que só vai amortizar um POUCO e TEMPORARIAMENTE a QUEDA.

      A “fórmula mágica” da volta à REALIDADE é:

      a) Disparada nos leilões de imóveis por elevação ANORMAL na inadimplência de imóveis financiados por pessoas físicas e também naqueles dados como garantia por construtoras que não vão conseguir pagar suas dívidas, em função da crise e NECESSIDADE de bancos, empresas URUBUS e outros agentes buscarem maior LIQUIDEZ, para isto, disparando também nos “descontos” super-atrativos (acima de 50% de “desconto” em relação ao preço de mercado)

      +

      b) Situação análoga à item “a” para construtoras quanto aos descontos para desovar imóveis, em especial as que estão com mais problemas de caixa e são mais dependentes de imóveis de padrão médio / alto no CURTO prazo

      +

      c) Situação análoga ao que consta acima para proprietários de imóveis usados que estiverem em maior apuro financeiro e onde não conseguem se virar e pagar as contas / dívidas só com o dinheiro do aluguel destes imóveis, ou que sequer conseguem alugar estes imóveis pelos altos custos do mesmo e dificuldade extrema de encontrar quem possa pagar por estes custos elevados (aluguel + condomínio + IPTU)

      +

      d) Término do auxílio emergencial do governo que atende a mais de 60 MILHÕES de pessoas, APROFUNDANDO a crise quanto ao consumo interno de forma relevante e levando um número ainda maior de empresas à falência, bem como colaborando para novas disparadas na DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS E RENDA

      +

      e) Vencimento do período de carência que as empresas tem porque adotaram suspensão de contrato de trabalho ou redução de salário, o que frente ao contexto acima, empurrará MUITAS DELAS para demitirem funcionárias, alimentando o círculo vicioso mencionado no item “d” acima

      +

      f) Término do FÔLEGO para PEDALADAS E MAQUIAGENS por CEF / FGTS no suporte à pirâmides financeiras de vendas FALSAS na planta e crédito PODRE especialmente via MCMV SUBSIDIADO por FGTS, uma vez que a INADIMPLÊNCIA vai DISPARAR, assim como os ROMBOS BILIONÁRIOS do FGTS irão continuar e isto se não decidirem usar o FGTS para outros fins, o que só agravará a situação para o IMOB

      +

      g) NECESSIDADE do governo de começar a busca por um caminho de EQUILÍBRIO FISCAL uma vez que a relação dívida / PIB vai passar de 90% e ficar AINDA PIOR que a média dos emergentes e assim, sem mais “verbas mágicas” (PIS/PASEP, FGTS, etc), não conseguir conter a DERROCADA DA PIRÂMIDE FINANCEIRA do setor imobiliário

      =

      EFEITO MANADA de pessoas e empresas querendo vender imóveis com descontos cada vez maiores, para não ser o último e ficar com o maior prejuízo ou simplesmente não conseguir vender.

      Nunca foi tão provável que tivéssemos a combinação dos fatores acima, que podem ocorrer já daqui a alguns meses.

      A conferir…

      5+
      • avatar
  • CArlos 14 de julho de 2020 at 11:47

    OFF – Hora de lembrar a “nova direita” inglesa que eles ainda tem que implementar a porcaria do Brexit…

    PIB do Reino Unido tem queda de 19,1% entre março e maio por coronavírus

    O Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido registrou forte queda de 19,1% entre março e maio, na comparação com os três meses precedentes, devido ao impacto do novo coronavírus e as medidas de confinamento que frearam as atividades.

    https://economia.uol.com.br/noticias/afp/2020/07/14/pib-do-reino-unido-tem-queda-de-191-entre-marco-e-maio.htm

    5+
    • avatar
  • CA 14 de julho de 2020 at 17:29

    https://www.terra.com.br/noticias/coronavirus/bolsonaro-edita-decreto-que-prorroga-reducao-de-jornada,d5939b903e0e7e429e380ada44fcca81kn4gxmhl.html

    A prorrogação das concessões especiais para empresas quanto à redução de salários e suspensão de contratos, adia também a visibilidade da REALIDADE, uma vez que a “carência” para poder demitir depois de usufruir da concessão aumenta proporcionalmente.

    Por que muitas vezes programas de preservação como este não funcionam?

    Para recuperar emprego, tem que recuperar demanda. Falando exclusivamente da crise atual:

    Se fosse “apenas” uma queda de demanda TEMPORÁRIA, causada EXCLUSIVAMENTE por restrições às pessoas saírem de casa e fazerem compras em lojas físicas, ou até mesmo por não poderem usufruir de entretenimento, viagens, etc, pelos mesmos motivos, a demanda PODERIA até ser retomada de forma rápida e intensa ao passar o MEDO de contaminação da população, mas o problema em si é BEM MAIOR que este, pois as empresas e as pessoas já entraram nesta situação, em sua GRANDE MAIORIA, sem reservas ou com reservas MUITO BAIXAS, que foram rapidamente consumidas, ao mesmo tempo que o auxílio de crédito para as pequenas empresas pelo governo foi EXTREMAMENTE DEFICIENTE, o que ajudou no processo de QUEBRA e dessa vez, o APOCALIPSE DO VAREJO via vendas pela Internet combinadas com Home Office, irá causar um ESTRAGO SEM PRECEDENTES nas vendas das lojas físicas.

    A partir daí, um círculo vicioso muito difícil de ser quebrado, principalmente em função de SUPER-ENDIVIDAMENTO e INADIMPLÊNCIA ANORMAL dos agentes, mais a DEGRADAÇÃO dos empregos e renda que também já vinha MUITO ANORMAL antes, acelerando. Tudo isto em meio a fontes para ações APELATIVAS que também estão em estágio MUITO PIOR do que no início do biênio 2015 / 2016 (FGTS, CEF e Governo Federal MUITO MAIS QUEBRADOS agora do que logo antes do biênio 2015/2016, DISTORÇÕES do setor imobiliário e do segmento financeiro BEM MAIORES do que naquela época, etc).

    Acima, apenas uma AMOSTRA de porque esta crise será MUITO MAIS GRAVE do que a do biênio de 2015/2016, temos ainda DIVERSOS AGRAVANTES, como o PIOR governo do mundo no combate à PANDEMIA, as crises políticas semanais que duraram meses, a persistência em PEDALAR com a BOLHA IMOBILIÁRIA insistindo em tentar salvar os amigos do rei do IMOB em detrimento de todo o restante da população e “N” outras situações que só reforçam esta leitura.

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 14 de julho de 2020 at 18:18

    Especialistas apontam mercado imobiliário como a bola da vez entre os investimentos
    1 hora atrás – ESTADÃO

    5+
    • avatar
    • avatar
    • CA 14 de julho de 2020 at 18:43

      Cajuzinha,

      Conteúdo patrocinado de vaquinhas do IMOB segurando placas com os dizeres “comam frango”.

      É o sustento deles, tem que vender otimismo para atraírem SARDINHAS, não tem outro jeito.

      Como sempre, não falam sobre a QUEDA ABISSAL nas vendas de imóveis para alta renda (exemplo: 79% de QUEDA no relatório do 2T20 da Cyrela), ao contrário, FAZEM DE CONTA que está tudo bem, naturalmente, sem mostrarem qualquer fato ou dado, apenas usando as mesmas LADAINHAS de sempre, os juros baixos que atraem INCAUTOS para BOVESPA e imóveis, apesar destes juros em recorde de baixa serem CONSEQUÊNCIA da GRAVIDADE DA CRISE e portanto, nada a se “comemorar”, falam sobre as FACILIDADES para compra de imóveis, trazidas pela NECESSIDADE das construtoras de venderem A QUALQUER PREÇO em função da CRISE, mas isto também não falam, é claro e aliás, chegam a DESFAÇATEZ DE FINGIREM que não existe uma CRISE SEM PRECEDENTES na economia, que é a parte MAIS CÔMICA. kkkkkk

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 14 de julho de 2020 at 18:22

    O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse, nesta terça-feira, em entrevista ao Gaúcha Atualidade, que o banco vai ampliar o prazo de pausa no pagamento das prestações dos financiamentos habitacionais. Por conta da pandemia do novo coronavírus e da crise econômica desencadeada, já era possível adiar a preocupação financeira por 120 dias, mas a tendência é que a suspensão passe a valer por seis meses.

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 14 de julho de 2020 at 18:24

      A Caixa nunca lucrou tanto e ajudou tanto a população. Esse é o equilíbrio entre ser um banco social e um banco que ganhe dinheiro para poder fazer uma pausa de seis meses que nenhum outro banco tem. Há uma conversa muito próxima de anúncio. Se a crise continua muito forte, vocês já sabem a resposta… vai aumentar a pausa — afirmou Guimararães no programa.

      Segundo ele, a decisão de aumentar o prazo de suspensão dos pagamentos já foi tomada e aprovada internamenta. Mas o anúncio oficial ainda depende de uma conversa com o presidente Jair Bolsonaro, embora, segundo o próprio, a etapa não seja necessária.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 14 de julho de 2020 at 18:56

        Cajuzinha,

        Pois é né, isto que é banco!!!

        Tem o maior estoque de imóveis à venda do PLANETA, graças ao que retomou por INADIMPLÊNCIA e ao mesmo tempo afirma que “nunca lucrou tanto”!!! O Lehman Brothers, por exemplo, QUEBROU por menos do que isto, sem sequer ter batido este recorde!!!

        No mundo da MATEMÁGICA da CEF, não importa se extorquiu por ANOS o FGTS com uma “taxa de administração” de 1%, não interessa se recebeu durante mais de uma década pagamentos ANTECIPADOS do governo referentes a DÉCADAS de financiamentos via MCMV, não importa se teve repasses de DEZENAS DE BILHÕES DE REAIS do Tesouro Nacional por um longo período A FUNDO PERDIDO, dentre INÚMERAS outras PEDALADAS típicas de vender a janta para poder almoçar, ao final, na brilhante tese do “lucro recorde”, basta se “esquecer” de tudo isto.

        Daí também se esquecem das IRREGULARIDADES GRAVES apontadas pela CGU, da classificação FRAUDULENTA de títulos PODRES como se fossem os “melhores”, esquecem das renegociações MIRABOLANTES, das vendas de títulos PODRES em grandes volumes para empresas URUBUS (com “descontos” de 90%) e das condições sem precedentes de prazos SEM PAGAMENTO para os clientes, MUITO ANTES das concessões acima, dentre INÚMERAS JOGADAS para MAQUIAR os resultados e o tamanho do DESASTRE quanto à INADIMPLÊNCIA. Aliás, ao CONTRÁRIO, não só PEDALAM despudoradamente, como aplicam as mesmas “facilidades” para os novos financiamentos de imóveis, tudo para tentarem dar alguma sobrevida para a BOLHA IMOBILIÁRIA.

        O esquema da CEF é tão grave que “põe no chinelo” o que aconteceu com a Enron e a WorldComm nos EUA no início do século e levou à criação da SOX/SOA. A FRAUDE CONTÁBIL também bateu todos os RECORDES MUNDIAIS, mais uma conquista da CEF!!!

        E de novo, como na notícia que coloquei mais acima, lá vai o governo POSTERGAR a visibilidade da REALIDADE. E como sempre digo, a cada vez que fazem isto, mais fundo fica o BURACO onde TODOS nós iremos pagar a conta ao final.

        P.S. curiosidade do dia: se estamos com uma recuperação em “V” que segundo o IPiraNaGrana e outros LUNÁTICOS do governo até já teria começado, qual o sentido de ficar postergando medidas EMERGENCIAIS e APELATIVAS?!?!

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cajuzinha 14 de julho de 2020 at 19:18

          ” Se a crise continua muito forte, vocês já sabem a resposta… vai aumentar a pausa — afirmou Guimararães no programa.”

          3+
          • avatar
          • avatar
  • Murilo 14 de julho de 2020 at 21:02

    Gostaria de conseguir viver nesse mundo de fantasia e otimismo dessas construtoras, pior que há muita gente que acredita que está ótimo para comprar agora. Ainda há muito para as taxas cair, há muito para o desemprego subir, as pessoas querem viver como se nada de gravíssimo estivesse acontecendo ou que nada de ruim possa sobrevir. Governo sem governabilidade e dívida pública muito acima do aceitável ainda por cima.
    https://economia.estadao.com.br/noticias/mercados,especialistas-apontam-mercado-imobiliario-como-a-bola-da-vez-entre-os-investimentos,70003363854

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 14 de julho de 2020 at 22:14

    Reuters, em Brasília

    14/07/2020 17h46

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, trabalha em proposta para a destinação de imóveis da União em áreas centrais de grandes cidades a empreendedores privados, que deverão oferecer contrapartidas de política pública em valor pelo menos equivalente ao imóvel recebido.

    4+
    • avatar
    • Cajuzinha 14 de julho de 2020 at 22:18

      De um lado, o governo quer eliminar custos com a administração desses imóveis, ao mesmo tempo em que induz investimentos privados para promoção de políticas públicas de produtividade urbana.

      De outro, a equipe de Guedes também avalia que o incentivo a esses investimentos ajudará na retomada após o forte impacto sofrido pela economia com a crise do coronavírus

      3+
      • avatar
      • avatar
    • Lord of All 15 de julho de 2020 at 08:16

      Kd o liberalismo, fim do estado e blá-blá-blá?
      Tem q ser muito idiota pra acreditar no JB e no PG.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • socrates 15 de julho de 2020 at 11:34

        é só colocar o óculos que tem a referência certa:

        TUDO PARA NÃO TER A REFORMA TRIBUTÁRIA – esse é o referencial

        Estão todos juntos, PSDB + Bozo + Centrão + PT + Justiça + PGR …

        O circo segue em Brasília

        2+
        • avatar
      • Strike 15 de julho de 2020 at 17:50

        É o socialismo para os ricos.

        3+
        • avatar
  • Cajuzinha 15 de julho de 2020 at 06:31

    Preço do aluguel cai 0,13% em junho, primeira queda desde 2018
    A crise do novo coronavírus torna o momento propício para negociar o aluguel, segundo especialistas
    Por Júlia Lewgoy, Valor Investe — São Paulo

    15/07/2020

    5+
    • avatar
    • avatar
    • CArlos 15 de julho de 2020 at 08:31

      Meio velhinha mas deve representar melhor a realidade, preço do aluguel / valor imóvel despenca deve ser o novo normal.

      Poder de barganha: preços de imóveis despencam durante a quarentena
      Com o achatamento da renda na quarentena, cariocas não estão encontrando outra alternativa a não ser renegociar o aluguel. Descontos chegam a 40%

      Moradora de Campo Grande, Renata Martins, que trabalha como autônoma, queria sair do aluguel. Com dinheiro guardado, procurava outra casa no mesmo bairro, mas os preços ainda não cabiam no bolso. O que ela não esperava era que, por causa da pandemia do novo coronavírus, o sonho da casa própria finalmente poderia ser realizado. O valor do imóvel que ela estava querendo baixou de R$ 150 mil para R$ 110 mil em apenas um mês, uma redução de 27%.

      Com a expressiva queda de 60% na procura por imóveis, o mercado imobiliário está vendo os preços despencarem. De acordo com levantamento feito pelo departamento de estatística do Sindicato da Habitação do Rio de Janeiro (Secovi Rio), especialmente para O Dia, o valor médio do metro quadrado de venda de imóveis residenciais caiu 1,34% de março para abril, baixando de R$ 8.668 para R$ 8.552. De janeiro até agora, a queda chega a quase 2%.

      Inadimplência deu um salto na pandemia

      A pesquisa do Sindicato da Habitação do Rio apontou que, de janeiro a março de 2020, o índice de inadimplência dos aluguéis se manteve estável em 9%. Em abril, após a pandemia do novo coronavírus, esse índice subiu quase três vezes, batendo os 25%. Com o aumento das negociações ao longo do mês, a inadimplência caiu cinco pontos percentuais, ficando em 20%.
      No condomínio Jardim Iaraquã, de Campo Grande, antes da pandemia 81% dos 400 apartamentos pagavam a taxa condominial de R$ 400 em dia. Agora, 65% arcam com essa despesa dentro do prazo. “Preocupante porque temos 45 funcionários e as despesas de manutenção e limpeza, que não podem parar”, conta o síndico Carlos Bottino, que comanda o condomínio de 25 blocos há 19 anos.
      “Muitos inquilinos têm a ciência de que os valores de locação já estão achatados por conta das crises dos últimos anos”, completa Leonardo Schneider.

      “Dá um descontinho aí” Grande parte dos contrato é renegociado

      Em toda a cidade, prédios comerciais estão praticamente fechados. Por conta disso, honrar o compromisso com o aluguel ficou muito mais difícil. O gerente geral de imóveis da imobiliária Apsa, Giovani Oliveira, revela que 34% dos contratos de locação de imóveis comerciais estão sendo renegociados. “Muitos escritórios, consultórios e outros tipos de negócios estão sem clientes e, com isso, não têm como arcar com o aluguel integralmente”.
      A bonificação para esses inquilinos está girando em torno de 42% pelo tempo médio de três meses. “Na maioria dos casos, o aluguel não está sendo alterado em contrato. As pessoas estão recebendo esse desconto temporário mas os proprietários vão cobrar a diferença após a pandemia”, explica Oliveira, lembrando que, no segmento residencial, os descontos estão na faixa de 27%.
      Esse foi exatamente o abatimento que uma moradora do condomínio Jardim Iaraquã, de Campo Grande, conseguiu. A psicopedagoga, que não quis se identificar, conseguiu uma redução de R$ 700 para R$ 500 no aluguel do apartamento de dois quartos. O administrador do imóvel, Antônio Bottino, foi quem mediou a negociação.

      “Ela é autônoma e recebia clientes em casa. Sem os atendimentos, ficou difícil pagar o valor total. A proprietária foi bastante compreensiva e não vai cobrar essa diferença depois”, revela Bottino, que administra mais sete imóveis no condomínio. “Apenas dois moradores, que são funcionários públicos, estão com o aluguel em dia”.

      Oferta de imóveis também caiu em toda a cidade

      Não foi apenas a procura por imóveis que teve uma retração. A oferta também teve queda expressiva desde o começo da quarentena. Dados do Secovi Rio revelam que, em março, havia em toda a cidade 94.112 unidades disponíveis para a venda. Em abril, esse número caiu para 77.467, ou seja, 18% a menos. Já no ano passado, percebeu-se aumento gradual da oferta de janeiro a dezembro. Para locação, e redução na oferta entre março e abril de 2020 foi de 15%, caindo de 14.442 para 12.298 unidades.

      Segundo Leonardo Schneider, a explicação é bem simples: “os proprietários estão cautelosos, esperando o que vai acontecer, e por isso preferiram tirar seus imóveis dos anúncios. Além disso, os prováveis compradores e inquilinos estão evitando fechar negócios agora devido à preocupação com o comprometimento da renda”.

      Mas o que pode parecer um momento de crise imobiliária, na verdade representa uma excelente oportunidade de fazer negócios. “O desejo de ter um imóvel próprio é cultural e permanece vivo a longo prazo. No futuro, é provável que a procura volte a subir. Mas o momento está propício a boas negociações”, pondera Schneider.

      https://odia.ig.com.br/rio-de-janeiro/2020/04/5908135-poder-de-barganha–precos-de-imoveis-despencam-durante-a-quarentena.html

      2+
      • avatar
  • Ulisses 15 de julho de 2020 at 11:13

    Não sei no mundo civilizado de vocês, mas no meio do mato (Manaus) eu não consegui perceber qualquer queda no valor do aluguel ou no preço dos imóveis não comerciais. Na verdade, os preços ficam mais absurdo cada vez mais.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 15 de julho de 2020 at 11:26

      os cartórios de registro de imoveis tb são provados por aí, né?
      Eles tem as propriedades e ainda vivem de juros do governo direta ou indiretamente

      Por eles, que fique tudo fechado.
      Se bobear ainda conseguem imunidade de tributos com negociatas vide exemplos de propriedades “religiosas”

      Se no Sudeste já é um lixo de corrupção, imagina no Norte…

      5+
      • avatar
    • Strike 15 de julho de 2020 at 17:48

      Eu tô falando o mesmo há tempos…

      1+
  • Cajuzinha 15 de julho de 2020 at 16:53

    Aumento de casos da Covid-19 põe em xeque recuperação econômica dos Estados Unidos às vésperas da eleição
    Aceleração do contágio aponta para danos econômicos mais sérios que podem ser empecilhos para campanha de reeleição de Trump

    4+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 15 de julho de 2020 at 16:56

    Confiança do consumidor no mundo despenca no 2º tri; recuperação apenas lenta é esperada

    O índice do Conference Board para avaliação dos consumidores caiu de uma sólida leitura
    de otimismo de 106 no início do ano para um nível pessimista de 92. Qualquer patamar
    acima de 100 é considerado positivo.
    A pesquisa online com 33 mil consumidores em 68 países também apontou lenta volta à
    alta. A expectativa é que a confiança em mercados importantes como Estados Unidos e
    grande parte da Europa “permaneça deprimida por um período prolongado” devido ao
    aumento na contagem de casos de Covid-19, à incerteza sobre empregos e renda e à falta de
    confiança na capacidade do governo de controlar a pandemia, concluiu a pesquisa.

    Uma parcela crescente de entrevistados diz que planeja reduzir gastos com refeições fora de
    casa e férias e mais de 20% planejam reduzir despesas com roupas e entretenimento fora de
    casa no longo prazo.

    https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2020/07/15/confianca-do-consumidor-no-mundo-despenca-no-2-tri-recuperacao-apenas-lenta-e-esperada.htm

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 15 de julho de 2020 at 18:45

      Cajuzinha,

      A exceção quanto ao pessimismo, é o Brasil e a recuperação em “V”… de VERGONHA!

      Segundo o IPiraNaGrana, somos privilegiados, porque quando veio a PANDEMIA, já estávamos DECOLANDO, seja no PIB de 2019, o MENOR dos PIBinhos em 3 ANOS ou no caso da INADIMPLÊNCIA e DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS que batiam RECORDES, como sinal da nossa “pujante recuperação”… kkkkk

      O mais engraçado é ver a PROFUNDA INCOERÊNCIA nas notícias pagas na mídia:

      Em um momento, vem a CEF, toda “orgulhosa” e diz: vamos estender para 6 meses a “carência” em que as pessoas não vão precisar pagar as prestações da casa própria e depois estenderemos o quanto for preciso enquanto estivermos em crise!

      No instante seguinte, o IPiraNaGrana ou algum fiel escudeiro que trabalha com ele, dizendo que “a recuperação em V já começou!”

      Daí vem o próprio pessoal ligado ao IPiraNagrana e diz que vão estender os programas de preservação dos empregos, que vão dar mais meses para suspensão de contratos e redução de salários, que estão sensíveis à crise, que vão fazer com que o crédito finalmente chegue ao micro-empresário (DEPOIS da quebradeira geral, “só” uns 4 meses atrasado) e daí por diante.

      Depois vemos o pessoal do IMOB, inspirado no discurso do IPiraNaGrana, dizer que “é o melhor momento para se comprar imóveis”, porque os juros estão muito baixos, existem excelentes ofertas de preços e condições de pagamento e que a economia já está recuperando!

      O engraçado ao analisarmos o parágrafo acima, é que ele SOZINHO já possui PROFUNDAS INCOERÊNCIAS! Os juros estão no menor patamar de todos os tempos e podendo baixar ainda mais, em virtude de uma CRISE sem precedentes no país, no entanto, na mesma frase eles dizem que a economia está recuperando! Idem quando falam que existem excelente ofertas de preços e condições de pagamento, que também são consequências da CRISE e dizem isto associado a uma “economia em recuperação”!

      É muito NON-SENSE junto, coisa de gente completamente MALUCA, ou seja, a cara do país e de seu “líder supremo”…

      4+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • MARK 15 de julho de 2020 at 19:09

    SOBRE O CVR DE ONTEM – CASA SOBREPOSTA PONTA DA PRAIA.
    Não são muitos, mas tem gente comprando durante a Pandemia, a casa sobreposta de 500k que falei ontem, foi vendida, soube hoje. Já até imagino as condições, parcelas a perder de vista, com certeza.

    5+
    • avatar
  • CArlos 15 de julho de 2020 at 21:31

    OFF – Várias contas de personalidades no Twitter foram invadidas hoje, entre elas as de Trump, Jeff Bezos, etc

    Tá uma festa, gente usando as contas pra praticar golpes com bitcoins e outras coisas mais divertidas…. 🙂

    Twitter bloqueou todos as contas verificadas de mandar mensagens, dia dos plebeus se divertirem.

    1+
    • avatar
  • Cajuzinha 15 de julho de 2020 at 21:51

    Depois de quatro meses distantes e trocando farpas, o ministro Paulo Guedes (Economia) e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tiveram um longo encontro nesta quarta-feira (15) para discutir a reforma tributária, considerada prioridade para o governo e para o Congresso.

    Pela primeira vez, o governo colocou à mesa a ideia de simplificação de impostos que será enviada ao Congresso nos próximos dias. A ideia é que, no parlamento, a proposta seja fundida com os textos já existentes.

    A proposta inclui a ideia de criação de um imposto sobre transações eletrônicas, chamado de “nova CPMF”, para financiar o Renda Brasil, com alíquota de cerca de 0,2%, com duração de dois anos. Ao blog, Rodrigo Maia disse ser contra a criação de um novo imposto.

    No Congresso, ainda há forte reação à proposta de se criar o Imposto Sobre Transações Eletrônicas, mas o governo começou a atuar para vencer essa resistência.

    3+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 16 de julho de 2020 at 06:27

    Entre os mais pessimistas, estão 39% que disseram que o ritmo pré-crise só voltará a partir do segundo semestre de 2022, ou seja mais de dois anos. Para 67% dos entrevistados, a economia brasileira não começou a se recuperar ainda, enquanto apenas 31% afirmaram que a retomada já começou.

    A natureza da crise, que tem origem sanitária, e não econômica, faz com que o sentimento de insegurança seja mais latente na população. “São muitas incertezas e a doença exige a manutenção das medidas de distanciamento em diversos aspectos, e isso faz com que os efeitos da crise perdurem por mais tempo”, explica Marcelo Azevedo, gerente de análise econômica da CNI. A pandemia fez com que 71% das pessoas reduzissem os gastos, e 36% afirmaram que a medida será permanente. Apesar de 29% terem dito que perderam parte ou totalmente da renda na pandemia, o receio de não ter dinheiro no futuro é o principal fator desta redução de consumo, justificado por 41% do total. A medida também tem relação com o risco de perder o emprego: 45% dos brasileiros temem passar por isso por causa da crise. O levantamento foi realizado pelo Instituto FSB, por telefone, com 2.009 pessoas, entre os dias 10 e 13 deste mês, em todos os estados do país.

    3+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 16 de julho de 2020 at 09:12

    Planalto vê retomada com preocupação
    No entorno do presidente Jair Bolsonaro, há apreensão em relação ao emprego e à reabertura das empresas

    https://valor.globo.com/brasil/noticia/2020/07/16/planalto-ve-retomada-com-preocupacao.ghtml

    3+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 16 de julho de 2020 at 10:50

    Jornal O Globo
    Para fazer caixa, prefeitura tenta aprovar entre vereadores ‘vale-tudo’ imobiliário
    12 horas atrás

    3+
    • avatar
    • avatar
    • CArlos 16 de julho de 2020 at 11:24

      RIO – Enquanto as atenções se voltam para a Saúde durante a pandemia de coronavírus, a prefeitura do Rio tenta fazer passar na Câmara de Vereadores alterações polêmicas nas regras de uso e ocupação do solo na cidade. Aprovado em primeira discussão na última terça-feira (14), um projeto de lei de autoria do Executivo municipal pretende atropelar as normas com o pretexto de fazer caixa para o enfrentamento da crise sanitária. O texto prevê que, mediante pagamento, será possível transformar apartamentos em salas comerciais, desrespeitar gabaritos e legalizar obras irregulares por meio da lei da “mais-valia”.

      Para tentar impedir que o projeto de lei seja apreciado nesta quinta-feira em segunda discussão, o Ministério Público estadual recorreu à Justiça: ajuizou uma ação civil pública com tutela de urgência para que o texto seja devolvido ao Executivo e só volte para a pauta quando técnicos da prefeitura apresentarem estudos que embasem as propostas.

      Até o momento da publicação desta reportagem, não havia decisão sobre a ação civil do MP.

      O projeto foi enviado ao Legislativo no dia 12 de maio e gerou reação imediata de entidades, que enviaram cartas aos vereadores alertando para o fato de que a proposta contraria o Plano Diretor, que está em processo de atualização.

      — A prefeitura não fez audiência pública antes de levar o texto à Câmara nem apresentou o projeto para o Conselho Municipal de Política Urbana (Compur). Enquanto as reuniões do Plano Diretor, que estavam sendo conduzidas pela Secretaria de Urbanismo, estão suspensas por causa da pandemia, eles enviam uma proposta que afeta toda a cidade — apontou o arquiteto e urbanista Lucas Faulhaber, coordenador da Comissão de Política Urbana do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU-RJ).

      O projeto permite, por exemplo, o aumento do gabarito de edifícios construídos no entorno das favelas. Também autoriza a construção de sedes de empresas, asilos e hospedarias em terrenos que estejam a cem metros acima do nível do mar, o que é vedado pela Lei Orgânica do Município.

      — Essa legislação contraria o Plano Diretor e a Lei Orgânica, no sentido de que muda o zoneamento, os gabaritos e converte áreas de expansão restritiva. Além disso, carece de estudos técnicos sobre os possíveis impactos viários, ambientais e de saneamento — avaliou a jurista Sonia Rabello, professora do Lincoln Institute of Land Policy, dos Estados Unidos.

      Procurada, a prefeitura não respondeu aos questionamentos da reportagem.

      1+
      • avatar
  • CArlos 16 de julho de 2020 at 11:23

    Muito picareta mesmo, privatizar? Que nada, basta anunciar 🙂

    “Queremos anunciar três ou quatro grandes privatizações”, diz Paulo Guedes

    O ministro reforçou ainda durante entrevista à Jovem Pan o comprometimento com a retomada da agenda de reformas

    Durante entrevista para a Jovem Pan, Guedes afirmou que não se faz até quatro grandes privatizações em quatro meses, mas a ideia do governo é “anunciar” que fará essas privatizações.

    “Queremos anunciar três ou quatro grandes privatizações”, afirmou Guedes.

    O ministro disse que um “meteoro” que cai sobre a terra a cada cem anos – em referência à pandemia do coronavírus – não altera a linha de redução do peso do Estado na economia.

    https://www.infomoney.com.br/politica/queremos-anunciar-tres-ou-quatro-grandes-privatizacoes-diz-paulo-guedes/

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • homelessbubbles 16 de julho de 2020 at 11:30

      O Guedes é o maior encantador de burros do governo. É brincadeira a quantidade de gente que vejo falando que o Guedes “é bom”. A hora que o povo perceber que até agora nenhuma promessa, nenhuma grande analogia, nenhum dos seus grandes anúncios e nada do seu imenso otimismo se concretizou, ele vai cair.

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Ilusionista 16 de julho de 2020 at 12:42

        Uma marca importante de todos integrantes deste governo quando eles não sabem o que fazer ou dizer, ou seja, quando já não cola mais culpar inimigos imaginários pelo fracasso, ai eles se socorrem a frase do saudoso Chacrinha: ” eu vim aqui para confundir, eu não vim aqui para explicar”

        https://www.youtube.com/watch?v=e3zPSPyQCek

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Cajuzinha 16 de julho de 2020 at 11:35

      Guedes: não vamos privatizar 4 grandes empresas em 4 meses, mas sim anunciar

      É diferente, gente! É só promessa…

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • socrates 16 de julho de 2020 at 15:49

        só a Eletrobrás acho que já foi privatizada umas 15x nos últimos 2 anos

        4+
        • avatar
  • Cajuzinha 16 de julho de 2020 at 14:35
    • Cajuzinha 16 de julho de 2020 at 14:37

      KKKKKKKK

      Desde 2017, o mercado imobiliário vem enfrentando desaceleração. Os preços dos imóveis ficaram em média abaixo da inflação. A expectativa vem sendo de recuperação do setor, mas até o momento, ela ainda não aconteceu.

      3+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 16 de julho de 2020 at 14:41

    BEM ABAIXO!

    Itaú coloca para leilão 32 imóveis com preços bem abaixo do mercado

    https://www.istoedinheiro.com.br/itau-coloca-para-leilao-32-imoveis-com-precos-bem-abaixo-do-mercado/

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 16 de julho de 2020 at 16:25

    IBGE: 4 em cada 10 empresas que paralisaram atividades apontam como causa a pandemia
    Das 2,7 milhões de empresas em atividade na primeira quinzena de junho, 70% disseram que a Covid-19 teve impacto negativo

    No total, cerca de 1,3 milhão de empresas encerraram as atividades de forma temporária ou permanente nos primeiros 15 dias de junho. Desse número, 39,4% apontaram como causa as restrições impostas pela pandemia do coronavírus.

    https://jovempan.com.br/noticias/brasil/ibge-4-em-cada-10-empresas-que-paralisaram-atividades-foi-pela-pandemia.html

    2+
    • avatar
  • Cajuzinha 16 de julho de 2020 at 21:33

    Folha – Uol · 4 horas atrás
    Economia não deve voltar tão rapidamente à normalidade, diz presidente do Banco Central

    2+
    • avatar
  • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 06:27

    Engraçado que todo dia tem notícias do mercado imobiliário no ESTADÃO

    Mercado imobiliário aponta melhora nas vendas e fala em retomada em ‘V’
    1 hora atrás

    2+
    • avatar
    • CA 17 de julho de 2020 at 06:52

      Cajuzinha,

      “Melhora” nas vendas, como vimos, foi aumento no repasse da CEF quanto ao MCMV porque agora não precisa mais de verba do governo, junto com oferta de crédito pela CEF que já nasce PODRE com carência de meses para começar a pagar, junto com construtoras fazendo o mesmo (pague a primeira parcela só em janeiro/2021), somados a descontos relevantes nos preços, permutas que contam como vendas dobradas e mais o de sempre, a disparada em lançamentos para subsidiar as vendas FALSAS na planta e todo este conjunto focado em imóveis do MCMV ou outros populares, não aplicável a imóveis de média ou alta renda que viram a procura DESPENCAR.

      Sim, o Estadão precisa muito de dinheiro e matérias pagas caem muito bem, ao mesmo tempo que o desespero do segmento imobiliário é GIGANTE porque sabe que as FALCATRUAS, PEDALADAS e MAQUIAGENS da CEF com dinheiro do FGTS estão com os meses contados, porque o FGTS tem tido ROMBOS gigantes e sem perspectiva de melhora consistente e a CEF está destruindo ainda mais rapidamente sua LIQUIDEZ com esta nova e gigantesca BOLSA CALOTE, sendo que quando ela for OBRIGADA a parar com isto, irá aparecer uma nova disparada de inadimplência e leilões e também porque mesmo com tudo que consta acima que é ARTIFICIAL e TEMPORÁRIO quanto a “crescimento nas vendas” de imóveis populares, algumas construtoras que não são focadas no MCMV vão mostrar parte dos números que são CATASTRÓFICOS, como no resultado da Cyrela do 2T20 com queda de 79% nas vendas de alto padrão. Outra contagem regressiva é a do auxilio emergencial do governo e da carência das empresas que suspenderam contrato de trabalho ou diminuíram salário e que quando o “marcador zerar” e não existirem mais estas “interrupções da realidade”, veremos novas QUEDAS BRUTAIS nos empregos e na renda.

      O IMOB está correndo contra o tempo e gastando fábulas de dinheiro para ENGANAR agora e com o máximo de intensidade e urgência, porque sabe que a contagem regressiva já se iniciou e bastam poucos meses para a verdade nua e crua aparecer, em outras palavras, eles capturam SARDINHAS e INCAUTOS agora ou nunca mais…

      4+
      • avatar
      • avatar
      • CA 17 de julho de 2020 at 06:59

        opa, cliquei no like de comentário errado, era para ter clicado no comentário logo abaixo, desconsiderar…

        1+
  • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 06:34

    Kkkkkkkkkkkkk

    Jovem Pan Online

    NEGÓCIOS
    Por que o aluguel de 28 agências do Santander está gerando apreensão no setor imobiliário?
    O Santander tenta na Justiça reduzir o valor do aluguel de 28 agências que fazem parte de uma carteira de um fundo imobiliário. Mas essa ação está causando indignação e preocupação em diversas gestoras de fundos imobiliários. Entenda o motivo

    Ralphe Manzoni Jr.Ralphe Manzoni Jr. •16/07/20 • 18h36

    Santander questiona na Justiça valor de aluguel de 28 agências

    Quanto vale o aluguel de 28 agências do Santander? Essa é uma questão que está deixando o setor de fundos imobiliários em polvorosa.

    Tudo porque o banco espanhol resolveu ir à Justiça pedir a redução do aluguel de 28 agências que estão na carteira de um fundo imobiliário administrado pela Rio Bravo Investimentos.

    No meio de uma pandemia em que muitos setores da economia são afetados, renegociar contratos pode ser considerada uma prática normal. Mas a ação do Santander está causando preocupação e indignação em diversas gestoras de fundos imobiliários, que acreditam que o caso pode trazer insegurança jurídica ao setor.

    O caso se refere ao fundo imobiliário Rio Bravo Renda Varejo (RBVA11). Os contratos de aluguel dessas agências são de natureza atípica, que não estão sujeitos a Lei do Inquilinato, e, portanto, não cabem revisão do valor do aluguel.

    Segundo relatos ouvidos pelo NeoFeed, esses contratos são chamados de “sale and lease back”, em que uma empresa vende os ativos para um fundo e, na sequência, faz um contrato de aluguel dos mesmos imóveis.

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 06:40

    Caixa, Itaú e Banestes ampliam pausa na prestação da casa própria
    Saiba como suspender as parcelas e ampliar a carência para pagar o financiamento imobiliário e quais as condições para que isso ocorra
    Siumara Gonçalves
    [email protected]

    Já o Santander respondeu que, até o momento, não vai prorrogar, mas que acompanhará as demandas dos clientes. De acordo com o banco, em março, foi realizada a primeira prorrogação de pagamentos de parcelas por mais 60 dias. Nessa primeira fase, mais de 55 mil contratos que foram prorrogados. Depois, o prazo foi estendido por mais 60 dias e, nesse período, ocorreu uma queda de 70% no número de pedidos.

    https://www.google.com/amp/s/www.agazeta.com.br/amp/es/economia/caixa-itau-e-banestes-ampliam-pausa-na-prestacao-da-casa-propria-0720

    3+
    • avatar
    • avatar
    • CA 17 de julho de 2020 at 06:58

      Cajuzinha,

      Que recuperação em “V” mais estranha!!!

      Tem que prorrogar auxilio emergencial do governo, tem que prorrogar auxilio emergencial para empresas, tem que prorrogar suspensões de contratos e reduções de salários que foram medidas emergenciais contra a crise, tem que prorrogar a carência emergencial dos meses sem pagar do financiamento imobiliário…

      Afinal, se TODAS as ações EMERGENCIAIS continuam e a situação é tão GRAVE que requer as MEDIDAS mais APELATIVAS, INTENSAS e DURADOURAS de toda a história do país, no meio de tudo isto, onde está a “recuperação em V”?!?!?!

      4+
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 07:40

        Cajuzinha 14 de julho de 2020 at 19:18
        ” Se a crise continua muito forte, vocês já sabem a resposta… vai aumentar a pausa — afirmou Guimararães no programa.”

        1+
        • avatar
  • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 08:28

    Lucas Nogueira, diretor de recrutamento da Robert Half, aponta que houve queda na demanda de contratações exatamente em função do cenário da crise, a partir da segunda quinzena do mês de março e, de uma maneira mais aguda, em abril e maio.

    “Temos observado pelas conversas e interações com nossos clientes que há ainda um cenário de bastante incerteza econômica, o que impacta em investimentos sendo retardados, adiamento de projetos e engavetamento de propostas, especialmente entre as multinacionais. Não vemos efetivamente o cancelamento dessas iniciativas, mas adiamentos e redimensionamentos de projetos em virtude deste novo cenário”, conta.

    https://www.google.com/amp/s/g1.globo.com/google/amp/economia/concursos-e-emprego/noticia/2020/07/17/recrutadoras-registram-aumento-na-busca-de-temporarios-mas-queda-na-abertura-de-vagas-veja-setores-em-alta.ghtml

    0
  • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 08:43

    Para entregar o prédio alugado, Wanda transferiu máquinas e material para um imóvel da família. “É um prédio nosso que estava alugado, e o negócio do inquilino também quebrou na pandemia. Agora estou tentando vender as máquinas, como lixadeiras de couro e máquina de costura reta, que são muito boas. Temos também uma quantidade grande de material”, disse.

    O prédio da sapataria, na rua Siqueira de Moraes, região central era alugado, mas o contrato já foi desfeito. De acordo com Wanda, a sapataria sempre se manteve lucrativa, mesmo nas diversas crises econômicas vividas pelo País. “Por ser uma região valorizada, o aluguel é caro.

    https://noticias.r7.com/sao-paulo/em-jundiai-sapataria-centenaria-nao-resistiu-a-crise-na-pandemia-17072020

    1+
    • avatar
  • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 08:45

    Guedes diz que só sai do governo “abatido à bala, removido à força”
    Ministro da Economia reforçou que tem uma agenda de reformas a cumprir e fica até o fim do governo

    https://www.metropoles.com/brasil/economia-br/guedes-diz-que-so-sai-do-governo-abatido-a-bala-removido-a-forca

    1+
    • avatar
  • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 08:55

    Imobiliária de SP renegocia R$ 12 milhões em contratos de aluguel

    A Lello bateu a marca de R$ 12 milhões em renegociação de aluguéis nos últimos três meses em São Paulo, durante a pandemia de coronavírus, entre descontos, abonos e adiamentos.

    Segundo a empresa de real state, que segue em pleno funcionamento com toda a equipe em home-office, os aluguéis negociados até junho representaram 35% do total dos seus contratos de locação, sendo 63% do total dos contratos de imóveis comerciais e 27% do total dos residenciais.

    E também foi pensando em seus inquilinos, nesse momento conturbado, que a Lello fechou parceria com a PicPay, permitindo a eles optarem pelo pagamento do aluguel via cartão de crédito, com possibilidade de parcelamento em até 12 vezes, via app e ainda com benefício de um cashback.

    https://www.terra.com.br/noticias/dino/imobiliaria-de-sp-renegocia-r-12-milhoes-em-contratos-de-aluguel,8597c2f7f9a6d6d5c17fe8d16a9e186f0tq72mpf.html

    0
  • Cajuzinha 17 de julho de 2020 at 10:12

    TÓPICO NOVO!

    0
  • Post a comment
    You must be logged in to comment. Fazer login