SP sofrerá onda de devoluções de escritórios no 2º semestre, diz consultoria – IstoÉ Dinheiro

Você pode gostar...

Comments
  • CA 23 de junho de 2020 at 08:24

    Sobre o tópico:

    Já falamos por aqui durante ANOS sobre os excessos cometidos na construção e oferta de escritórios, não apenas nos grandes centros.

    A BOLHA IMOBILIÁRIA neste caso inflou puxada pela DESINFORMAÇÃO de que graças ao FIES teriamos um número gigantesco de advogados médicos, dentistas e outros profissionais que precisariam montar seus consultórios, escritórios, etc, além da DESINFORMAÇÃO sobre o crescimento do PIB “garantido e pujante” que seria puxado pelo setor de serviços, dentre outras ALUCINAÇÕES.

    E agora estamos assistindo apenas a uma reedição da volta à REALIDADE que aconteceu em 2015 e 2016, só que desta vez, de forma MUITO MAIS INTENSA e com novas variáveis, como por exemplo, a disparada no home office.

    E veremos situações análogas a esta para o caso de lojas, onde o apocalipse do varejo será puxado pelo e-commerce com o qual tod9s se acostumaram, veremos algo similar para imoveis residenciais em especial os CUBICULOS inventados durante a BOLHA e que hoje só tem DESVANTAGENS e elevados custos de manutenção e assim por diante, alcançando todos os tipos de imóveis residenciais e comerciais.

    Toda a GIGANTESCA DISTORÇÃO plantada por governos, setor imobiliário, bancos e imprensa seja entre oferta e procura, preço e faturamento para imóveis comerciais ou preço e renda para residenciais, imóveis MINÚSCULOS e INDECENTES com preços EXORBITANTES e SURREAIS, vendas FALSAS gerando DISTRATOS BILIONÁRIOS todos os anos, recorde de crédito PODRE e de imóveis retomados por bancos e disponíveis para venda, etc, agora irão cobrar o seu preço e os agentes não tem para onde escapar, pois agora acabou o combustível. Exemplos de porque os agentes que promoveram a BOLHA IMOBILIÁRIA não tem saída desta vez:

    Governo passando de 90% de dívida pública sobre PIB, FGTS tendo ROMBOS BILIONÁRIOS todos os meses, SUPER ENDIVIDAMENTO e INADIMPLÊNCIA ANORMAL de famílias, que foram impulsionados pela BOLHA antes da pandemia, DISPARANDO AINDA MAIS, o que também IMPEDE os bancos de adotarem medidas APELATIVAS em larga escala, nova DISPARADA na DEGRADAÇÃO dos EMPREGOS e da RENDA, etc, etc, etc…

    33+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 23 de junho de 2020 at 08:43

    Inadimplência no aluguel atinge 15% dos locatários de Maceió no mês de maio
    A falta de pagamento, segundo o estudo, afeta os aluguéis mais caros;

    A falta de pagamento afeta os aluguéis mais caros. As cobranças mensais acima de R$ 5 mil tiveram no mês passado média de inadimplência de 25%, percentual que ficou em 20% nos valores até R$ 500; 14% no custos entre R$ 501 e R$ 1 mil; e 9% nos aluguéis entre R$ 1.001 e R$ 5 mil.

    Entre as cinco cidades pesquisadas, Salvador apresentou, em maio, uma inadimplência de 30% no mercado de locação, para uma média histórica de 7%. A seguir vieram Fortaleza, com 18%; Maceió e Recife, ambas com 15%; e o Rio, com 10%.

    https://gazetaweb.globo.com/portal/noticia/2020/06/inadimplencia-no-aluguel-atinge-15-dos-locatarios-de-maceio-no-mes-de-maio_108454.php

    16+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 23 de junho de 2020 at 08:51

    BB poderá se desfazer de até 20 imóveis
    Home office deve acelerar programa de eficiência já em estudo pelo banco

    https://valor.globo.com/financas/noticia/2020/06/23/bb-podera-se-desfazer-de-ate-20-imoveis.ghtml ou as ferramentas oferecidas na página.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Pedro de Lara 23 de junho de 2020 at 09:01

    CVR

    Tem uma universidade em São Paulo que muitos dizem na propaganda “ser 10”. Dia 22/06, demitiram cerca de 300 professores por SMS e pop-ups no sistema, sem qualquer outro contato, isentando inclusive de cumprir aviso prévio. Repentinamente, a instituição substitui as aulas por “palestras motivacionais”. Até onde sei os alunos pagaram por aulas, e não palestras estilo coaching.

    https://twitter.com/search?q=uninove&src=typed_query

    32+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Fino 23 de junho de 2020 at 11:37

      O problema eh que os alunos que agora reclamam, sao os mesmos que entraram na justica pedindo desconto de mensalidade, concedidos pela justiça sem criterios em 30%, 50 % da mensalidade.

      Inclusive com base em Leis, em alguns estados foram impostos descontos de 50 % por lei para todos os alunos.

      Em contrapartida a universidades viram seus gastos aumentar, com TI e outras coisas para digitalizar completamente suas grades.

      19+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Pedro de Lara 23 de junho de 2020 at 11:53

        Esta, especificamente está respondendo por lavagem de dinheiro e por pagamento de propina a fiscais da prefeitura pra isenção de imposto. O buraco é bem embaixo
        Boatos dizem que o reitor está em prisão domiciliar.

        19+
        • avatar
        • Fino 23 de junho de 2020 at 13:55

          De fato ai complica bem mais! ahahha

          8+
          • avatar
  • socrates 23 de junho de 2020 at 09:06

    incrível é como mesmo com opção de home-office, a União, Estados e Municípios continuam pagando aluguéis.
    Sem contar que existem milhares de imóveis vazios (ex: o icônico Palácio Capanema, no Hell. Imenso e vazio)

    O governo continua pagando alugueis apesar do aueee recente e de possuir inumeros imóveis vazios.

    Estamos ricos?

    15+
    • avatar
    • CArlos 23 de junho de 2020 at 09:18

      E como vão fazer a rachadinha de dinheiro público?

      Muita, muita gente mesmo neste pais vive de prestar “serviços” aos governos desde o sempre 😉

      18+
      • avatar
      • avatar
    • CArlos 23 de junho de 2020 at 09:21

      Mesmo com mais de 10 mil imóveis vazios, governo gasta 1,6 bi com aluguel

      O governo federal é proprietário de um total de 10.304 imóveis em todo Brasil e até no exterior que estão desocupados. Apesar do grande número de imóveis vazios, o Executivo federal gasta R$ 1,6 bilhão por ano com aluguel para abrigar órgãos públicos.

      A pedido da BBC Brasil, o Ministério do Planejamento listou o número de imóveis vazios em todo país.

      Do total de imóveis em desuso, 80% são prédios comerciais, residências, salas, galpões e terrenos que podem ser vendidos, alugados ou cedidos pela administração pública federal.

      Esses imóveis não têm uma destinação específica e, por isso, podem ser disponibilizados inclusive para o uso privado.

      Rio de Janeiro, Pará, Bahia e Santa Catarina, nessa ordem, abrigam 60% dos imóveis desocupados que podem ser negociados pela administração pública federal. São 1.587 no Rio e 1.586 no Pará (veja gráfico).

      O restante, chamado de “bens de uso especial”, são destinados à prestação de serviço público, como, por exemplo, repartições, escolas e hospitais.

      São Paulo (483), Mato Grosso do Sul (480) e Distrito Federal (165) lideram o ranking desses imóveis que não estão sendo usados. Quatro deles estão no exterior.

      Na ‘contramão’

      Mas, pelo menos na Funasa (Fundação Nacional da Saúde), o movimento é exatamente contrário.

      Mesmo com sede própria na capital federal, o órgão foi autorizado a alugar sem licitação os dois primeiros andares e parte do terceiro pavimento, além do subsolo, de um edifício na Asa Norte. O imóvel pertence ao empresário e ex-governador do DF Paulo Octávio. Ele é filiado ao PP, mesmo partido do ministro Ricardo Barros, da Saúde, pasta à qual a Funasa está ligada.

      O valor do aluguel é estimado em R$ 13 milhões por ano.

      De acordo com o estrato publicado no Diário Oficial da União que dispensou a licitação, o novo espaço de 17,7 mil metros quadrados seria usado para abrigar unidades da presidência da Funasa.

      https://www.bbc.com/portuguese/brasil-41719519

      14+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 23 de junho de 2020 at 09:20

    O grupo levava o dinheiro do tráfico na compra de imóveis na Região Metropolitana de Refice. Um dos membros da Orcrim já estava preso em Rio Branco, detido em flagrante por tráfico de cocaíca. Outros líderes da organização residem em Recife, entre eles, um ex-policial e um alemão.

    Nesta manhã, a Polícia Federal apreendeu três veículos e sequestrou seis imóveis localizandos em Pernambuco. Os bens apreendidos equivalem a mais de R$ 5 milhões, de acordo com o declarado.

    https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/seguranca/pf-cumpre-mandados-em-fortaleza-em-operacao-contra-trafico-internacional-de-drogas-1.2958532

    13+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 23 de junho de 2020 at 09:56

    Tempos depois, com a economia desbando, Guedes exercitava um discurso otimista sustentando que, quando passasse a pandemia, o Brasil seria o país que mais rapidamente recuperaria o crescimento, por ter sido menos afetado que os demais países. Todos os indicadores internacionais colocam o Brasil como a economia mais afetada e de pior desempenho no combate ao Covid-19.

    Ontem, outra afirmação de Paulo Guedes chocou economistas em geral.

    Em uma apresentação, Guedes inovou no cálculo da carga tributária. A conta correta consiste em comparar o volume de impostos arrecadados como proporção do PIB. Guedes resolveu somar a carga tributária com o déficit fiscal, resultando em um novo conceito de carga tributária inédita no mundo.

    https://www.diariodocentrodomundo.com.br/as-fakenews-de-paulo-guedes-em-relacao-a-carga-tributaria-por-luis-nassif/

    12+
    • avatar
    • avatar
    • CArlos 23 de junho de 2020 at 10:03

      PAULO GUEDES BOT @pauloguedesbot

      reformas podem gerar impacto de 873 zilhões em 10 anos

      9+
      • avatar
      • avatar
    • CArlos 23 de junho de 2020 at 10:04

      Nenhuma novidade depois que inventaram os tais PIB público e privado 🙂

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 23 de junho de 2020 at 13:02

      Cajuzinha,

      NADA de negativo deveria surpreender quando vindo do IPiraNaGrana ou do governo como um todo. Replico abaixo parte de comentário do tópico anterior em que falei sobre isto:

      O Ciro Guedes está no governo para plantar UTOPIAS, vender MILAGRES, convencer SARDINHAS a despejaram rios de dinheiro em BOVESPA, imóveis, Pirâmides Financeiras e outros GOLPES.

      Ele não está lá para fazer NADA concreto, nem NUNCA esteve!

      Observe que ele se enquadra perfeitamente neste governo:

      1) IPiraNaGrana é um perfeito ALOPRADO, completamente ALIENADO da realidade, ao ponto de prometer R$ 4 TRILHÕES (cerca de 60% do PIB) em 4 medidas que seriam “rápidas e fáceis de se implementar”, mas que no mundo REAL, todos sabem que algo assim NUNCA foi feito em NENHUM lugar do MUNDO e em tempo algum! É exatamente como o NEGACIONISMO INSANO do BOZO e DEMEBOZOS em relação ao vírus da Covid-19, algo completamente SURREAL!

      2) IPiraNaGrana DETESTA estudos, fatos e dados. Ele MENOSPREZA PROFUNDAMENTE tudo isto, o que pode se ver por suas promessas completamente SEM FUNDAMENTO, que não tem NENHUM subsidio em estudos, que ao contrário, menosprezam tudo que os números DEMONSTRAM. IPiraNaGrana ainda insiste na “tese” de que o Brasil estava “decolando” logo antes da vinda da pandemia ao Brasil, quando TODOS os FATOS, NÚMEROS e DADOS DEMONSTRAM exatamente o CONTRÁRIO! Ele insiste na mentira, por mais que seja RIDICULARIZADO, por mais que tenhamos EVIDÊNCIAS claras e indiscutíveis do quanto aquelas “teses” são SEM SENTIDO e sempre vai DOBRANDO A META das mentiras e enganações, acreditando que uma mentira contada mil vezes se torna verdade. É como o Bozo MENOSPREZANDO as MORTES trazidas pela Covid-19 e FAZENDO DE CONTA que não foi tudo aquilo, usando a Suécia como “exemplo de sucesso” e INÚMERAS outras MENTIRAS, ENGANAÇÕES E FAKE NEWS que este governo não se cansa de utilizar, mas que serve única e exclusivamente de PASTO para os DEMEBOZOS (DEMENTES do BOZO), revoltando a população que tem 2 ou mais neurônios e que percebe o grau de ABSURDO e DESFAÇATEZ de um governo frente ao problema mais sério que já tivemos.

      3) Tudo que o IPiraNaGrana faz tem interesse politiqueiro, SUJO e BAIXO, assim como o histórico dele. Ele já aplicava GOLPES desviando verba pública desde MUITO ANTES de entrar no governo (ESQUEMAS de uso de dinheiro de fundos de pensão para jogatinas lucrativas com fundos de investimento, de forma antiética, imoral e ilegal), já era associado ao que havia de mais PODRE no setor imobiliário (foi membro do conselho de administração da PDG, a LIDER e precursora do esquema de vendas FALSAS na planta) e não exita nem por um segundo em utilizar sua influência para MANIPULAR o mercado defendendo seus interesses ESCUSOS e visando beneficiar seus CÚMPLICES. É igualzinho à familicia do Bozo e o histórico de crimes do Fatura Bolsinho, os esquemas de defender os amigos que cometem ilegalidades que é uma das especialidades do Bozo, como no exemplo do.diretor da policia federal e dai por diante.

      Não se iludam, o papinho de “especialistas” de que o IPiraNaGrana é quem dá “moral” para o governo é só MAIS UM GIGANTESCO PEGA-TROUXA para atrair SARDINHAS para BOVESPA, imoveis, piramides financeiras e outros GOLPES. O IPiraNaGrana é farinha do mesmo saco deste governo, são duas partes PODRES e IGUAIS desta ABERRAÇÃO que temos no poder hoje…

      11+
      • avatar
  • Cajuzinha 23 de junho de 2020 at 10:23

    Pandemia faz estudantes saírem de imóveis e situação preocupa mercado imobiliário no interior de SP
    Em Bauru, alunos que estão prestes a se formar decidiram deixar a cidade e parar de pagar aluguel depois que as faculdades anunciaram a retomada do segundo semestre apenas de forma online.
    Por Júlia Nunes*, G1 Bauru e Marília

    23/06/2020 09h39

    Na pesquisa, 84% dos corretores informaram que não efetuaram nenhuma venda de imóvel no mês de abril e 65,6% disseram que a procura por locação diminuiu em relação ao mês passado.

    https://g1.globo.com/sp/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/mercado-imobiliario-do-interior/noticia/2020/06/23/pandemia-faz-estudantes-sairem-de-imoveis-e-situacao-preocupa-mercado-imobiliario-no-interior-de-sp.ghtml

    22+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CArlos 23 de junho de 2020 at 10:50

      Este é outro mercado que deve estar “aquecido” com muitas universidades mudando para cursos on-line.
      São Carlos e Araraquara, só para citar dois exemplos, boa parte da renda de aluguéis vem de repúblicas de estudantes.

      Ploc barbudinhos.

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • homelessbubbles 23 de junho de 2020 at 12:19

        Falando aqui da minha cidade… A UFSC tem mais de 30 mil estudantes só em Florianópolis. Já definiu que terá ensino a distância nos próximos dois semestres. Quantos imóveis alugados ficarão livres no mercado? Certamente é muita coisa! Neguinho que empilhava uma kitnet em cima da outra, que cobrava absurdo, pedia isso e aquilo, agora vai sentar e chorar. Vai ter até que aceitar crianças e animais kkk

        23+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CArlos 23 de junho de 2020 at 12:24

          Locação para estudantes normalmente é um porto seguro, são várias famílias, maioria de melhor renda média pagando para seus filhos.
          Fora que tem um monte de porcarias que só estudantes alugam mesmo.

          Ploc 🙂

          17+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • CA 23 de junho de 2020 at 12:52

            Carlos,

            Mesmo este “porto seguro” já vinha sofrendo ANTES da pandemia também.

            Em São Paulo, nos meses de janeiro/2020 e fevereiro/2020, já estavam com SUPER-OFERTA de imóveis de 1 dormitório, quitinetes, suítes alugadas e congêneres, daqueles focados em estudantes universitários vindos de outras cidades.

            Motivo: os jovens começaram a morar juntos em imóveis de 3 dormitórios e com infra muito melhor. O quanto cada um paga de aluguel / mês sai mais barato do que se alugarem os imóveis pequenos e individuais para universitários. Consequência? Já estavam com sobra para alugar nos imóveis de 1 dormitório, quitinetes e afins que eram focados em universitários.

            O que aconteceu com o ensino à distância em função da pandemia, foi a “gota d´água”…

            16+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
  • Cesar_DF 23 de junho de 2020 at 12:09

    O plano da ONU para converter o mundo ao keynesianismo, com um moeda e impostos globais
    A alegação é que só assim será possível combater as futuras pandemias e o aquecimento global.
    https://www.youtube.com/watch?v=HsWf_9mru7w

    10+
    • homelessbubbles 23 de junho de 2020 at 12:21

      Alguém leva essas ideias a sério?

      14+
      • avatar
      • CArlos 23 de junho de 2020 at 12:25

        Deve ser a confusão mental causada pelo supositório de cloroquina 🙂

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 23 de junho de 2020 at 12:36

          Viram o novo membro representante do Brasil no Banco Mundial? Deve ser um dos admiradores do Globalismo, um tal de Weintraub (kkkkkk)…

          Ou será que esse tal de Weintraub foi para o “globalista” Banco Mundial, mesmo sendo totalmente contrário à ele, só para escapar da prisão, no melhor estilo Lula / Dilma?

          E falando nisso, de novo o governo teve que fazer alterações no Diário Oficial para MASCARAR os ESQUEMAS de AUTO-PROTEÇÃO que não tem a MENOR RELAÇÃO com os interesses do país e visa apenas os interesses PARTICULARES, o mesmo que já tinham feito no caso da FALSIDADE IDEOLÓGICA quanto à assinatura do Moro na demissão do Diretor da Polícia Federal. O mais legal é o governo fazendo estas GAMBIARRAS VEXATÓRIAS em SÉRIE e repetindo o Lula, que tanto criticavam…

          16+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • CA 23 de junho de 2020 at 12:38

            Sobre o último ESQUEMA para preservar os interesses PARTICULARES de membros do governo e neste caso, preservá-los de investigações sobre CRIMES cometidos, no melhor estilo Lula / Dilma:

            https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/06/com-weintraub-governo-bolsonaro-volta-a-usar-diario-oficial-para-mudar-narrativa.shtml

            https://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/diario-oficial-publica-retificacao-sobre-demissao-de-weintraub.html

            11+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • CArlos 23 de junho de 2020 at 12:50

              Os idiotas legitimaram esta patifaria pro gado ver e comentar no Zap Zap.

              Ao mesmo tempo criaram uma situação de possível crime nos EUA, se o paspalho entrou com passporte diplomático depois de ter sido demitido cometeu crime lá.

              13+
              • avatar
          • socrates 23 de junho de 2020 at 12:55

            o Weintraub vai se sfar pq foi para o EUA
            Lá , assim como aqui, a moral não importa se ´”é legal””.

            Se eles resolverem punir o Weintraub o deportando vão abrir um precedente para acabar com 90% das elisões no imposto de renda.
            Na América??????????????????
            Rico pagar imposto proporcionalmente alto à renda????????????

            kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

            Acho mais fácil os ets aparecerem já em 2020

            9+
            • avatar
            • avatar
            • CArlos 23 de junho de 2020 at 13:01

              Trump anda mandando “recados” ao love of my life bolsobosta quase todos os dias, no última evento ontem disse que o Brasil, bem no Brasil eles estão tendo problemas com a covid…
              Tudo por conta da influência chinesa na região, pressão por conta da 5G, ele pode muito bem usar isto pra bater no Bozo, mandar o Weintrouble de volta no avião dos deportados, aqueles idiotas que em grande parte votaram no Trump e em Bolsonaro 😉

              Karma is a bitch.

              13+
              • avatar
              • avatar
              • socrates 23 de junho de 2020 at 13:34

                realmente poderia ser um ato para a platéia ver.
                Mas como acredito que são todos atores, acho mais fácil o Trump simplesmente abraçar a bomba porque aí o sistema poderá se “renovar” e dar a resposta à sociedade com alguém novo, que não precisa necessariamente ser democrata.
                Falo isso porque “de baixo dos panos” eles tentam escorar os absurdos todos em uma “legalidade” e ela tem que ser minimamente aceitável ou só restará a eles impor a força por tirania já que as tentativas de revoluções serão constantes.
                E no caso o que está em jogo é: a moral importa?

                Se importar, o Weintraub volta para o Brasil ou vai para outro lugar mas isso significará que a moral terá que ser avaliada em outros contextos também, como no caso tributário (a verdadeira criptonita). Se eles ignorarem, engolirão a ousadia de um governo estrangeiro que simplesmente cagou para as leis e soberania deles mas manterão o argumento da legalidade intacto.
                Outra coisa que pode acontecer é o Weintraub simplesmente sair do país e sumir (estilo Queiroz) para dar um tempo e ver se a poeira abaixa… Mas isso não irá resolver a boshta que nosso “governo” fez…

                O crime perfecto.

                Creio que o que importa é não perder o poder. Lá e cá.
                O laranja no trono não faz muita diferença. Melhor para eles , claro, manter o atual . Mais simples, confiável e queima menos cartas.

                4+
                • avatar
                • avatar
    • Ogami 5 de julho de 2020 at 23:14

      Só faltou falar dos reptilianos!

      0
  • Falido.com 23 de junho de 2020 at 13:00

    Bom dia confinados….
    A pergunta é: Dá pra piorar???

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CArlos 23 de junho de 2020 at 13:04

      Seu pessimista, fica torcendo contra, por conta de pessoas como vc é que o brazil não decola 🙂

      5+
    • Cesar_DF 23 de junho de 2020 at 13:10

      Nada é tão ruim que não possa piorar, vide ARGENTINA

      10+
      • CArlos 23 de junho de 2020 at 13:11

        Brasil tá muito melhor 😉

        8+
        • avatar
    • socrates 23 de junho de 2020 at 13:24

      claro que não

      Com o Bozo e o Centrão as perspectivas para os próximos anos são maravilhosas!!!

      Interesse público acima de tudo conduz a atuação dos nobres representantes

      8+
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 23 de junho de 2020 at 13:12

    Empresa do Pará culpa coronavírus e Tropical Hotel cai no colo da Nyata

    A novela do leilão do Tropical Hotel ganhou um novo capítulo.

    A empresa Geretepaua Engenharia Ltda, do Pará, que arrematou o complexo por R$ 255 milhões, em fevereiro, alegou que a crise do coronavírus inviabilizou o negócio.

    Assim, o empreendimento em Manaus, que já hospedou reis, artistas de Hollywood e presidentes de países, caiu no colo da empresa amazonense Nyata Serviços Financeiros Ltda.

    Foi dela o lance de R$ 135 milhões, o terceiro maior num leilão que teve até milionário envolvido.

    https://bncamazonas.com.br/poder/para-coronavirus-tropical-hotel-nyata/

    10+
    • avatar
    • avatar
    • CArlos 23 de junho de 2020 at 13:17

      O hotel de luxo que já recebeu reis, príncipes, celebridades internacionais, presidentes e comitivas de Estado parou de receber hóspedes em maio de 2019 depois da interrupção no fornecimento de energia elétrica devido a débitos de mais de R$ 8 milhões com a concessionária Amazonas Energia. O empreendimento acumula ainda dívida trabalhista que pode chegar a R$ 20 milhões, segundo o Sindicato dos Empregados do Comércio Hoteleiro do Amazonas. Desde 2011, a administração do hotel não depositava o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) dos funcionários.
      Memória

      Localizado às margens do Rio Negro, o hotel foi inaugurado em 1976 pelo antigo Grupo Varig com a presença de oitocentos convidados, inclusive, o então presidente da República, Ernesto Geisel. Com a falência da companhia aérea, o empreendimento passou, em sua totalidade, para o controle da rede Tropical Hotels & Resorts Brasil. Em 2017, o hotel passou a ter gestão própria e a ser o único do grupo a manter a marca Tropical.

      Em junho de 2019, a reportagem de A CRÍTICA esteve nas instalações internas do hotel e se deparou com o ambiente deserto e o clima sombrio devido à escuridão. Dentro do hotel, restaurantes e lojas, de joias e de artesanato, também estão fechadas. No mini shopping, que possui mais de 20 pontos comerciais, o clima também era de abandono.

      Nos 611 apartamentos, o mobiliário foi desmontado e a roupa de cama retirada. Das suítes, a presidencial é conhecida por ter hospedado os ex-presidentes Lula e Dilma e recentemente, em 2018, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence. As duas suítes tropicais do hotel têm piscinas no terraço. Uma delas foi residência do ex-vice governador Samuel Ranan, local onde ele costumava despachar.

      https://www.acritica.com/channels/manaus/news/nyata-nao-paga-caucao-e-tropical-hotel-vai-a-leilao-novamente-no-rio-de-janeiro

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Pedro de Lara 23 de junho de 2020 at 13:34

    Chiquinho Scarpa agora no pânico falando para o Samy Dana que a bola da vez é investir em imóveis. Disse que baixaram bastante e vão subir muito daqui a pouco!
    Mas um pouco antes, na entrevista, falou que sua mansão está à venda por anos! Baixou de R$120 milhões para cerca de R$ 60 milhões e nem com isso vendeu.

    tá serto intão. Eu si divirtu.

    39+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lord of All 23 de junho de 2020 at 15:08

    E a mulher do queiroz, vai aparecer ou não vai? espero que apareça viva pelo menos.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • Lord of All 23 de junho de 2020 at 15:09

      O mais engraçado é que a familícia não consegue disfarçar a tristeza com o caso queiroz.
      Se eles realmente fossem contra a criminalidade, o mínimo é que deveriam estar fazendo é comemorando a prisão do queiroz.

      19+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CArlos 23 de junho de 2020 at 15:24

        São criminosos, como podem ser contra a criminalidade, rachadinha, negócios com milícias, quer mais criminoso do que isto? 🙂

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • CArlos 23 de junho de 2020 at 15:30

        Quando vc aceita fazer negócios com estes tipos de organizações não tem como assinar contrato dizendo que vc é parceiro ISO9000 ecologicamente correto e que não aceita certos tipos de serviços….

        Extorsão,
        Tráfico de drogas,
        Assassinatos.

        Tudo parte da “franquia”, ou vc pensa que o capitão Adriano agia por conta própria? 🙂

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 23 de junho de 2020 at 16:43

    “A pressa de vender um imóvel desocupado que não raro custa dezenas de milhares de reais por mês ao proprietário, por vezes gera excelentes negócios para um comprador.”

    https://nilopolisonline.com.br/2020/06/23/investir-em-imoveis-residenciais-ou-comerciais-no-rio-de-janeiro-qual-e-mais-vantajoso/

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 23 de junho de 2020 at 16:57

    O Banco Central anunciou nesta terça-feira uma medida que tem como objetivo facilitar o empréstimo para empresas com faturamento anual de até R$ 50 milhões.

    Segundo o BC, a decisão tem o potencial de liberar até R$ 55,8 bilhões.

    Os valores dos empréstimos seriam deduzidos do recolhimento compulsório que os bancos têm de fazer de recursos depositados em poupanças.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • CA 23 de junho de 2020 at 19:02

      Cajuzinha,

      O que mais se diz é “a decisão tem POTENCIAL de…”

      As ações já adotadas, mais as prometidas, tinham POTENCIAL acumulado equivalente ao PIB do país (*). E porque não DOBRAMOS o PIB, com tanto “potencial” assim? Aliás, por que tivemos um dos menores crescimentos do PIB em todo o Mundo em 2019 e o menor crescimento do PIB em 2019 em 3 anos seguidos de PIBinho no Brasil?!

      (*) R$ 4 TRILHÕES em promessas relacionadas à Reforma da Previdência, venda de imóveis do Governo, Tsumoney das privatizações e cadastro positivo, mais a queda de 40% no preço do gás, as reformas “liberalizantes”, as liberações de compulsórios de bancos que foram feitas antes, todos os anos, as reduções recorde de SELIC feitas SUCESSIVAMENTE, as INÚMERAS ações do governo para SUBSIDIAR empréstimos via crédito PODRE da CEF ou “N” outras iniciativas de criação de novas modalidades de crédito, etc, etc, etc…

      Porque NÃO EXISTE NENHUM ESTUDO, é tudo feito ao acaso e de QUALQUER JEITO, na imensa maioria das vezes, só para INGLÊS VER! Ou melhor, para ajudar a alimentar ESPECULAÇÃO para BOVESPA, imóveis, pirâmides financeiras, etc, etc, etc…

      O governo está cansado de saber da total NULIDADE de redução da SELIC para fazer a economia crescer, mas sempre baixam o máximo, não dá NENHUM RESULTADO e daí DOBRAM A META!

      Idem para a liberação de compulsórios, como na notícia acima: ANOS que o governo vem fazendo isto, assim como a Dilma cansou de fazer isto e a China também (outras referências “capitalistas” deste governo?! rs), SEMPRE sem NENHUM resultado, mas fazem, porque vira mais uma notícia vazia para enrolar SARDINHAS e o GADO…

      E por que as promessas MIRABOLANTES NUNCA FUNCIONAM?

      Pelo que já foi explicado por aqui INÚMERAS VEZES: BOLHA IMOBIILÁRIA gera SUPER-ENDIVIDAMENTO e INADIMPLÊNCIA ANORMAL para governos, famílias e empresas, logo, ações focadas em aumentar o crédito concedido, facilitar CALOTES, etc, é como APAGAR INCÊNDIO COM GASOLINA! Exatamente o que estão fazendo DE NOVO e consta acima, ou seja, DOBRAR A META do erro e dos PREJUÍZOS para economia e sociedade…

      10+
      • avatar
      • avatar
  • Lord of All 23 de junho de 2020 at 18:23

    Alguém fala para o Bozo que estamos vivendo uma nova realidade econômica no planeta.

    “Fundos com US$ 3,7 trilhões alertam Brasil sobre desmatamento
    Gestores disseram que o fracasso do governo brasileiro em proteger as florestas pode obrigá-los a reconsiderar seus investimentos.”

    https://www.infomoney.com.br/onde-investir/fundos-com-us-37-trilhoes-alertam-brasil-sobre-desmatamento/

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 23 de junho de 2020 at 19:08

      Lord of All,

      O Bozo acha que é o Trump e que o Brasil é os EUA, como sempre, ele está completamente ALIENADO da realidade.

      PIOR: não são “só” os fundos que vão tirar dinheiro daqui ou deixarem de investir, os demais países vão aproveitar este viés ESCROTO do Bozo e equipe para BOICOTAR os produtos do agronegócio brasileiro e assim garantirem um PROTECIONISMO para seus produtores locais, ou seja, estamos dando a desculpa perfeita para termos PREJUÍZOS no comércio exterior enquanto os outros faturam, coisa de gente otária e SEM NOÇÃO, exatamente o pessoal que temos no governo…

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 23 de junho de 2020 at 18:50

    Antonio Temóteo

    Do UOL, em Brasília

    23/06/2020 15h05
    Atualizada em 23/06/2020 15h49
    O BC (Banco Central) autorizará, por meio de uma MP (Medida Provisória), que as pessoas possam dar como garantia um imóvel financiado para conseguir um novo empréstimo. A medida pode levar a liberação de até R$ 60 bilhões em novos empréstimos, nas contas do BC.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • CA 23 de junho de 2020 at 19:06

      Cajuzinha,

      Idem a anterior, que comentei acima: medida que não alcançará nem uma fração dos resultados, conforme expliquei antes.

      “Detalhe”: na REMOTA hipótese de vir a ter alguma efetividade, só vai ajudar a engordar os super-estoques de imóveis e a PERDA DE LIQUIDEZ dos bancos, ao retomarem imóveis de empréstimos não pagos. Sendo que os bancos já estão com os maiores estoques de imóveis de todos os tempos e com perspectivas realistas de que vai PIORAR MUITO no curto prazo em função de novas DISPARADAS em INADIMPLÊNCIA, ou seja, DE NOVO, o famoso TIRO NO PÉ… E não vão sossegar enquanto não QUEBRAREM o sistema financeiro e o país…

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 23 de junho de 2020 at 19:16

        JOSÉ PAULO KUPFER
        Expectativa do BC de recuperação mais rápida da economia não é realista

        15+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 23 de junho de 2020 at 19:25

          Cajuzinha,

          A palavra REALISTA e qualquer órgão ou pessoa do governo, simplesmente NÃO COMBINAM!

          NUNCA VI um governo tão UFANISTA quanto este. É um DELÍRIO atrás do outro e PIOR, eles não tem a menor vergonha na cara, fazem tudo sem ter NENHUM estudo, é só CHUTE, misturado com Wishful Thinking e CEGUEIRA SELETIVA, parece até os discursos do Amorinha para defender o próprio bolso às custas de enganar SARDINHAS do IMOB… Impressionante!

          15+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • CArlos 23 de junho de 2020 at 19:49

            Pessimista 🙂

            Bolsonaro vai decidir sobre privatização das apostas esportivas

            Depois de obter a aprovação do ministro da Economia Paulo Guedes, o projeto que privatizará as apostas esportivas no Brasil aguarda a avaliação direta de Jair Bolsonaro.

            No início deste mês, a modalidade de jogo foi incluída no Programa de Parcerias de Investimento (PPI), através do qual o governo visa criar empregos e mitigar as consequências negativas causadas pela pandemia do COVID-19.

            Na sexta-feira 19, o ministro Guedes aprovou o projeto, que foi publicado no Diário Oficial (DOU). Com a nova aprovação, as apostas esportivas poderão ser incluídas no Programa Nacional de Desestatização (PND), caso Bolsonaro também apóie a medida, de acordo com o BNL Data.

            O documento estabelece “a necessidade de reordenar a posição estratégica do Estado na economia e transferir as atividades indevidamente exploradas pelo setor público para o privado”. O governo busca regulamentar as apostas esportivas e estabelecer o processo de concessão de serviço público, de acordo com a Lei nº 13.756.

            Além disso, o texto menciona que o governo federal será o “principal beneficiário do sucesso da operação” por meio da cobrança de impostos e licenças. É provável que haja vários operadores e, portanto, o Brasil precisará desenvolver um sistema sistemático de monitoramento para garantir a integridade nos esportes.

            https://sbcamericas.com/2020/06/23/bolsonaro-to-decide-on-sports-betting-privatization/

            4+
            • Lord of All 23 de junho de 2020 at 20:47

              Com essa medida o BR irá angariar 6 trilhões em tributos.

              8+
              • avatar
              • avatar
  • Lord of All 23 de junho de 2020 at 20:49

    CVR
    Essa semana tive a notícia da terceira pessoa que eu conheci vítima de Covid-19. Pessoas reais com nome, rg e cpf.
    Isso que meu círculo social nem é tão grande assim.
    Só pra não nos esquecermos que estamos no meio de uma pandemia e temos um presidente com tendência sociopata,

    32+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 23 de junho de 2020 at 22:20

    Queda no movimento de padarias pode chegar a 45% e a grande maioria está demitindo
    Mesmo sendo considerada essencial, o segmento de padarias não tem atraído tanto o público quanto tinha antes das medidas de isolamento

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • if 24 de junho de 2020 at 07:57

      Eu mesmo deixei de comprar pão e passei a fazê-lo em casa. Provavelmente vou manter essa rotina no pós pandemia

      9+
      • avatar
      • homelessbubbles 24 de junho de 2020 at 10:37

        Muito mais gostoso um pão caseiro.

        8+
        • avatar
  • CArlos 24 de junho de 2020 at 02:42

    Párias

    Presidentes de Itaú e Bradesco alertam para perigo ambiental, enquanto Bolsonaro vê ‘desinformação’

    Embaixadas do Brasil receberam carta de 30 instituições financeiras que ameaçam tirar seus recursos do País, caso o governo não trabalhe para deter o desmatamento

    A preocupação com a forma como o Brasil está lidando com a questão ambiental ganhou espaço no debate dos principais banqueiros brasileiros, incluindo presidentes do Itaú e do Bradesco, mesmo em um ‘palanque virtual’, onde o assunto chave deveria ser tecnologia bancária. O alerta para consequências silenciosas e que podem se prolongar além dos estragos da própria pandemia ocorre em meio à repercussão do tema junto ao olhar estrangeiro enquanto o presidente Jair Bolsonaro vê apenas ‘desinformação’.

    A questão ambiental é, na opinião do presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher, o principal ‘perigo’ que ameaça o Brasil é o ambiental. “No momento em que a sociedade se percebe frágil, a gente deve olhar para outros perigos. As consequências ambientais podem até vir de uma maneira mais lenta do que as da saúde como a covid-19, mas são mais duradouras e difíceis de reverter”, avaliou o executivo, durante debate no CIAB, feira de tecnologia bancária, promovida pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e que teve a sua primeira versão virtual.

    O presidente do maior banco da América Latina, com quase R$ 2 trilhões em ativos totais, alertou para o aumento dos incêndios na Amazônia no início deste ano, enquanto o Brasil tenta combater a propagação do novo coronavírus – é o terceiro maior país em mortes por covid-19. “Estamos vendo neste início ano incêndios 60% maiores do que foram no ano passado e nós precisamos enquanto sociedade nos mover contra isso”, disse ele, acrescentando que os bancos têm um “peso importantíssimo” no tema.

    “Todo mundo falava de sustentabilidade, de problema com o Planeta, de aquecimento global, reflorestamento, derrubada, de qualidade do ar, da água. Todo mundo falava sobre isso, mas de fato nós temos de reconhecer que fizemos muito pouco em relação a isso”, observou o presidente do Bradesco, Octavio de Lazari.

    Correções
    23/06/2020 | 18h37

    A reportagem tinha informado que as embaixadas do Brasil na Europa receberam uma carta de um grupo formado por 29 instituições financeiras, com US$ 3,7 bilhões em ativos totais e que ameaçaram retirar seus recursos do País. Na verdade, o valor correto é de U$ 3,7 trilhões.

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,incendios-estao-60-maiores-na-amazonia-precisamos-nos-mover-contra-isso-diz-presidente-do-itau,70003342082

    8+
    • avatar
  • CArlos 24 de junho de 2020 at 02:46

    Desgoverno de criminosos.

    Subprocurador diz que alteração na data de exoneração de Weintraub ‘confirma fraude’

    Lucas Furtado, do TCU, requisitou que a Corte de Contas avalie se houve participação do Itamaraty na ida do ex-ministro aos Estados Unidos

    O subprocurador-geral do Tribunal de Contas da União (TCU) Lucas Furtado afirmou que a retificação da data de exoneração do ex-ministro Abraham Weintraub, nesta terça-feira, 23, confirma que houve fraude no processo. “Antes, era ilegal e parecia haver fraude. Agora, confirmou”, disse Furtado ao Estadão/Broadcast Político. O subprocurador requisitou ontem que a Corte de Contas avalie se houve participação do Itamaraty na ida de Weintraub para os Estados Unidos.
    A suspeita é que Weintraub tenha usado a sua condição de ministro para desembarcar em Miami no sábado passado e, assim, driblar as restrições de viagens para brasileiros em razão da pandemia de covid-19. O ex-ministro é investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e chegou a afirmar em entrevista que precisar deixar o País pois temia ser preso. Horas depois de ele chegar em solo americano, o governo brasileiro publicou edição extraordinária do Diário Oficial com sua exoneração, com a data de 20 de junho.

    Na manhã desta terça-feira, no entanto, o governo retificou no Diário Oficial da União (DOU) a data de exoneração do ex-ministro. Com a correção, o novo decreto do presidente Jair Bolsonaro informa que Weintraub foi exonerado “a partir de 19 de junho de 2020”, ou seja, sexta-feira, data em que ele embarcou para os EUA.

    “Antes, era ilegal e parecia haver fraude. Agora, confirmou. Em uma questão tão sensível, não se pode falar em mero erro”, afirmou o subprocurador que atua no TCU. Ele também disse que é preciso saber se a viagem de Weintraub foi paga com recursos públicos. Furtado defendeu, ainda, a atuação da Procuradoria-geral da República no caso.

    https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/subprocurador-diz-que-alteracao-na-data-de-exoneracao-de-weintraub-confirma-fraude/

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 24 de junho de 2020 at 03:14

    Interessante, reportagem apareçe na busca mas o link não funciona. Coincidência?

    Jornal da EPTV 2ª Edição – São Carlos/Araraquara

    Sem aulas presenciais, universitários entregam imóveis em São Carlos

    Prejuízo para os proprietários e trabalho para as imobiliárias que tentam renegociar os contratos.

    https://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/jornal-da-eptv-2edicao/videos/v/sem-aulas-presenciais-universitarios-entregam-imoveis-em-sao-carlos/8640922/

    7+
    • avatar
  • MARK 24 de junho de 2020 at 09:31

    Reportagem do Bom dia São Paulo falando sobre a disposição dos locadores em aceitar baixar o valor dos alugueis durante a pandemia. Tudo convergindo com o que falamos aqui. “Mais da metade das locações comerciais já oferecem descontos” “Vendedor volta pra casa dos pais e devolve imóvel por conta dos aluguéis atrasados, negociou e pagou 50% dos três meses que devia, inclusive condomínio”. Em abril os descontos variaram entre 10 e 50%. O número de novos contratos de alugueis residenciais caiu 50% desde o início da pandemia. Renegociam inclusive em parcelas quando for possível pagar.

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Ilusionista 24 de junho de 2020 at 10:49

      melhor tentar “salvar” o atual inquilino já com a água pela cintura, oferecendo descontos a la Casas Bahia “quer pagar quanto” , do que se arriscar a ficar com o imóvel vazio a espera de um outro que sabe lá quando irá vir.
      Imóveis comerciais serão com certeza os mais afetados devido a enxurrada de “bancarrotas” em decorrência do corona”. Não será raro encontrar anúncios de apartamentos para alugar “free”, apenas pagando taxas de condomínio e IPTU, só para se livrar do efeito “tijolos dilapidando renda”.
      Crise e seus efeitos nefastos virão mesmo perto do final do ano, quando acabar o auxilio emergencial e a distribuição de cestas básicas de sobrevivência, principalmente para aqueles milhões que já viviam próximo a linha da miséria absoluta.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 24 de junho de 2020 at 09:51

    Os protestos antirracistas que se espalharam por todo o território dos Estados Unidos nas
    últimas semanas levaram ao país um receio: o de que as aglomerações causariam um
    aumento expressivo nos casos de coronavírus no país.

    No entanto, três semanas após o início das manifestações, esse aumento não foi registrado.
    Enquanto alguns veem isso como um sinal de que o isolamento social não é tão importante
    quanto o uso de máscaras, mas especialistas alertam: é cedo para qualquer conclusão.

    A verdade é que nunca vamos saber com certeza, porque há muitas variáveis”, argumentou
    o epidemiologista Andrew Noymer, da Universidade da Califórnia, Irvine.

    https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2020/06/23/cidades-dos-eua-nao-tiveram-aumento-nos-casos-de-covid-19-apos-protestos.htm?cmpid=copiaecola

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CArlos 24 de junho de 2020 at 10:22

      Exatamente: Higiene, máscaras, distanciamento e testes, muitos testes.
      Eu tenho a impressão que os pessoal mais jovem está colaborando mais no geral, esta velharada perna aberta c… de burro pareçe mais resistente e ignorante.

      E apelar para o bom senso das pessoas, os organizadores dos protestos pediram para fazer os testes e ficar em quarentena.

      Exemplo:

      Se você começar a se sentir doente após um protesto, faça o teste.

      Independentemente dos resultados dos testes, você deve colocar em quarentena por 14 dias após seu último protesto.

      Tome medidas para reduzir o risco de contrair ou espalhar o COVID-19 em protestos.

      Você sabe o que fazer: use uma máscara, use um desinfetante para as mãos com pelo menos 60% de álcool, leve sua própria garrafa de água e outros suprimentos e tente manter uma distância física de um metro e meio de pessoas fora da sua casa sempre que possível. Murray também sugere o uso de sinal sonoro e sinais para expressar seu ponto de vista, em vez de gritar e cantar, o que pode espalhar ainda mais as gotas. Quando você chega em casa, é uma boa ideia lavar as mãos, tomar banho e trocar de roupa. (Aqui estão alguns conselhos para lidar com a roupa durante a pandemia de coronavírus.)

      Com isso dito, há muito que os manifestantes podem fazer, especialmente quando a resposta da polícia aos protestos pode exacerbar a pandemia. “Também precisamos de muito mais pressão [da] polícia para parar essas táticas de risco extremamente alto”, diz Murray, como empurrar os manifestantes para pequenos espaços e liberar gás lacrimogêneo, spray de pimenta e estrondos.

      Brown concorda. “Se alguém for pulverizado com pimenta ou com gás lacrimogêneo, estará tossindo, rasgando, sufocando, vomitando, talvez gritando. Isso tudo aumenta o risco de transmissão do COVID-19 para outras pessoas ou maior probabilidade de o COVID-19 ”, diz ele. Por fim, em sua opinião, “o risco número um da transmissão do COVID-19 durante um protesto é quando a polícia usa violência contra manifestantes”.

      https://www.self.com/story/coronavirus-testing-protests

      5+
      • avatar
      • avatar
    • Lord of All 24 de junho de 2020 at 10:33
  • Cajuzinha 24 de junho de 2020 at 10:09

    Apartamento de construtora encalhado desde 2015 – já até baixaram o preço e não conseguem vender:
    https://se.olx.com.br/sergipe/imoveis/mansao-sementeira-park-271m-em-frente-ao-parque-da-sementeira-579635606

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 24 de junho de 2020 at 10:35

      Cajuzinha,

      ANTES DA BOLHA IMOBILIÁRIA, até 2007, se demorava mais do que 6 meses para vender um imóvel, já era ENCALHADO, situação ANÔMALA, problema GRAVE e significava que aquele imóvel tinha algo de muito errado, fosse a conservação, o bairro, falta de infra, ou algo do gênero.

      Hoje o pessoal está acostumado com o ANORMAL e acha que é assim mesmo. Ano após ano o Amorinha e os corretores dizendo que “este ano está mais difícil, mas você vai ver como ano que vem melhora e você vende rapidinho e com bom lucro” e não é que depois de MUITOS ANOS ainda tem gente que acredita nisto?!?!

      Construtoras com estoque de imóveis equivalentes a ANOS de vendas e vai AUMENTAR e MUITO em breve.

      Bancos com recorde histórico de imóveis à venda em leilões. A CEF? A maior proprietária de imóveis à venda DO PLANETA!!!

      Só que agora temos um “detalhe”; a NECESSIDADE vai empurrar “descontos” MUITO RELEVANTES, porque as pessoas, construtoras, bancos, etc, vão PRECISAR daquele dinheiro e não vão poder ficar esperando por ANOS. Ah, mas é só colocar para alugar e você vai gerando uma “rendinha”. Bom, pra começar, vai ter muita sobra de imóvel para alugar também, o que significará VACÂNCIA e automaticamente MAIS DESPESAS para sustentar IPTU, condomínio, etc.

      A conferir…

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • bolha_dos_pampas 24 de junho de 2020 at 10:46

    OFF – Economia, política, coronavirus… Tudo muito chato. Vamos falar de coisas que o povo (acha que) entende: Futebol e televisão:

    https://esportes.r7.com/prisma/cosme-rimoli/na-briga-que-pode-tirar-copa-do-qatar-da-globo-disney-interessada-24062020

    5+
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 24 de junho de 2020 at 11:34

    Hahahahahahahaha

    Bolsopetismo, só mudaram as moscas, a [email protected] é a mesma.

    “Nossa missão agora é o crédito para micro e pequenas empresas”
    “O ministro Paulo Guedes tem um plano muito claro de governo. Ele não fala disso”

    ‘Nossa missão agora é o crédito para micro e pequenas empresas’, diz presidente da Caixa
    Pedro Guimarães afirmou também que acredita que governo manterá auxílio emergencial a autônomos; ele participou da série ‘Economia na Quarentena’, do ‘Estadão’

    Há chance de retomada do mercado imobiliário mesmo com a crise econômica?

    Há um mês e meio lançamos os financiamentos imobiliários com seis meses de carência para pagamento. Apesar do momento grave, há uma série de pessoas que têm comprado apartamentos a um preço mais baixo que o normal e aproveitado a carência para começar a pagar. De novo é uma questão de foco. No segmento imobiliário, em que somos fortes, vamos auxiliar sim empresas e empresários, buscando dar opções de escolha a nossos clientes.
    Como vai ser o processo de venda de ativos da Caixa?

    Não há discussão para privatizar o banco como um todo nem nunca houve. A Caixa tem um papel social que ficou claro nessa pandemia. Mas podemos abrir o capital de operações como asset, seguros e cartões. Nas loterias há uma discussão que depende (de legislação). São quatro ramos importantes para a Caixa, mas que não são o coração do banco. A entrada de novos investidores pode ser uma forma de aumentar a governança do banco como um todo. Com esse lado social escancarado, pode haver mudança de mentalidade da equipe econômica?

    O ministro Paulo Guedes tem um plano muito claro de governo. Ele não fala disso, mas a ideia de colocar os invisíveis num programa de distribuição de renda foi dele. Agora, é importante lembrar que as reformas são o coração (da política econômica). São elas que trazem a confiança para a retomada o investimento, para a taxa de juros de longo prazo estar a 2,25% ao ano, e não em 10% ao ano. Se não houvesse essa confiança nas reformas, isso não aconteceria.

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,nossa-missao-agora-e-o-credito-para-micro-e-pequenas-empresas-diz-presidente-da-caixa,70003342358

    4+
    • avatar
  • CArlos 24 de junho de 2020 at 11:51

    OFF – Petrobosta chegou ao século XX, só que a [email protected] que eles empurram nos brasileiros continua sendo a mais cara do planeta
    Vende logo esta [email protected]….

    Brasil produzirá gasolina de ‘nível europeu’ – e mais cara – em agosto

    O Brasil vai produzir gasolina com qualidade semelhante ao combustível vendido na Europa e nos EUA já a partir do próximo semestre, em que novas especificações nas refinarias da Petrobras passam a valer. Com isso, o preço do combustível irá aumentar.

    A informação foi dada por Anelise Lara, diretora de Refino e Gás da estatal, durante uma live da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva realizada ontem à noite.

    Entre as vantagens, segundo a diretoria, estão a redução do consumo e o melhor desempenho dos veículos. Anelise também disse que a “Petrobras está preparada” para produzir o novo combustível.

    “A qualidade da gasolina que é produzida e comercializada em outros países tem uma especificação um pouco diferente em relação à nossa gasolina. No Brasil, com a nova regulamentação da qualidade, nós vamos manter o mesmo percentual de etanol misturado à gasolina, mas aumentar a qualidade em termos de octanagem e massa específica. São características positivas”, iniciou.

    Os valores, por outro lado, devem ser elevados. “Como a gente pratica o preço de paridade importação, ela será mais cara porque será comparada com gasolinas de melhor qualidade do exterior. Mas vai compensar muito porque será uma gasolina mais eficiente, então você vai rodar mais quilômetros por litro. No final, em termos de custo para o consumidor, vai ser positivo”, explicou a diretora na live.

    https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/06/24/brasil-produzira-gasolina-de-nivel-europeu-a-partir-de-agosto.htm

    5+
    • avatar
    • avatar
    • CArlos 24 de junho de 2020 at 11:53

      Desculpem, agora notei a mentira descarada:

      “nós vamos manter o mesmo percentual de etanol misturado à gasolina”

      Mesma [email protected] de mijolina, cara e cheia de lixo.

      7+
      • avatar
      • avatar
    • socrates 24 de junho de 2020 at 12:30

      matou a charada, Carlos

      A “elevação da qualidade” é a desculpa para aumentar o preço. Com praticamente tudo automatizado, será que realmente se justificaria um aumento relevante nos preços? Na prática, é só para arrecadar mais.

      O que vai acontecer DENOVO é o repasse a toda população do custo das as mamatas e privilégios com a roupagem de “evolução”. Os estados faturam alto com o petroleo e as mordomias são bancadas em grande parte por ele.

      Revolução mesmo teremos o dia em que alguma universidade estadual conseguir refinar e der autonomia a um estado bem intencionado (isso existe?). Imagina só o mundo paralelo que a mídia iria ter que criar para esconder a novidade e o quanto essa UF não ganharia para “ficar quieta”.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CArlos 24 de junho de 2020 at 12:34

        Não tem como competir com a petrobosta, eles tem praticamente a reserva do mercado.
        Mesmo que pudesse quem se arriscaria com os mandos e desmandos dos desgovernos?
        Além do lobby da petrobosta tem o dos usineiros envolvido, é uma máfia poderosa.

        5+
        • avatar
        • avatar
      • CArlos 24 de junho de 2020 at 12:37

        Não precisa de universidades, refino de petróleo foi dominado lá pela metade do século passado 😉
        E universidades não são fábricas e nem devem se meter a fabricar coisas.

        1+
      • CArlos 24 de junho de 2020 at 12:41

        A primeira refinaria sistemática de petróleo do mundo foi construída em Ploieşti, Romênia em 1856, usando o óleo abundante disponível na Romênia.

        Samuel Kier estabeleceu a primeira refinaria de petróleo da América em Pittsburgh, na sétima avenida, perto da Grant Street, em 1853. [19] O farmacêutico e inventor polonês Ignacy Łukasiewicz estabeleceu uma refinaria de petróleo em Jasło, então parte do Império Austro-Húngaro (agora na Polônia) em 1854. A primeira grande refinaria foi aberta em Ploieşti, na Romênia, em 1856 a 1857. [20] Depois de serem dominadas pela Alemanha nazista, as refinarias de Ploieşti foram bombardeadas na Operação Maremoto pelos Aliados durante a Campanha do Petróleo da Segunda Guerra Mundial. Outro candidato próximo ao título de hospedagem da refinaria de petróleo mais antiga do mundo é Salzbergen, na Baixa Saxônia, Alemanha. A refinaria de Salzbergen foi aberta em 1860.

        Antes da Segunda Guerra Mundial, no início da década de 1940, a maioria das refinarias de petróleo nos Estados Unidos consistia simplesmente em unidades de destilação de petróleo bruto (geralmente chamadas de unidades de destilação atmosférica de petróleo bruto). Algumas refinarias também possuíam unidades de destilação a vácuo, bem como unidades de craqueamento térmico, como quebradores de viscosidade (quebradores de viscosidade, unidades para diminuir a viscosidade do óleo). Todos os outros processos de refino discutidos abaixo foram desenvolvidos durante a guerra ou poucos anos depois da guerra. Eles ficaram disponíveis comercialmente dentro de 5 a 10 anos após o término da guerra e a indústria mundial de petróleo experimentou um crescimento muito rápido. A força motriz desse crescimento em tecnologia e no número e tamanho das refinarias em todo o mundo foi a crescente demanda por gasolina automotiva e combustível para aeronaves.

        Nos Estados Unidos, por várias razões econômicas e políticas complexas, a construção de novas refinarias parou virtualmente nos anos 80. No entanto, muitas das refinarias existentes nos Estados Unidos renovaram muitas de suas unidades e / ou construíram unidades adicionais para: aumentar sua capacidade de processamento de petróleo bruto, aumentar a taxa de octanagem da gasolina de seu produto, diminuir o teor de enxofre da seus combustíveis diesel e combustíveis para aquecimento doméstico, em conformidade com os regulamentos ambientais e com os requisitos ambientais de poluição do ar e poluição da água.

        https://en.wikipedia.org/wiki/Oil_refinery

        2+
        • avatar
  • CArlos 24 de junho de 2020 at 12:31

    Outro pessimista…

    Do Marcelo: FMI projeta buraco mais fundo para a economia brasileira
    Marcelo de Moraes

    Se as projeções feitas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) estiverem corretas, o buraco em que a economia brasileira mergulhou será maior do que se imaginava. Enquanto integrantes do governo projetam uma reação a partir do terceiro trimestre e o mercado calcula que a queda do crescimento do PIB brasileiro em 2020 ficará entre algo em torno de 6,5% e 7%, o FMI faz uma estimativa muito pior. No seu relatório, a previsão é que o PIB brasileiro cairá em 9,1% em 2020.

    https://brpolitico.com.br/noticias/do-marcelo-fmi-projeta-buraco-mais-fundo-para-a-economia-brasileira/

    3+
    • avatar
  • CArlos 24 de junho de 2020 at 13:07

    Dá para acreditar?

    Grandes frigoríficos brasileiros declaram à China que carnes estão ‘livres de coronavírus’

    Chineses aumentaram a inspeção de alimentos importados após um surto de Covid-19 em Pequim. País pede que importadores evitem mandar carnes de frigoríficos que tiveram casos da doença.

    Grandes frigoríficos brasileiros assinaram declarações pedidas por autoridades chinesas dizendo que suas exportações estão livres do coronavírus, segundo empresas e fontes ouvidas pela Reuters.

    A BRF, maior exportadora de frango no mundo e fornecedora também de carne suína, disse em nota que assinou na última sexta-feira a declaração pedida pela China “assegurando a qualidade e segurança de seus produtos”.

    “Vale destacar que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e outras autoridades de saúde reconhecidas no mundo inteiro, não há evidências de que a Covid-19 esteja sendo transmitida por alimentos ou suas embalagens”, ressaltou a BRF.

    https://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2020/06/24/grandes-frigorificos-brasileiros-declaram-a-china-que-carnes-estao-livres-de-coronavirus.ghtml

    Justiça ‘fecha’ frigorífico com surto de Covid-19 no interior do Paraná

    A Justiça do Trabalho no município de Cianorte, no interior do Paraná determinou, nesta segunda-feira (22), a suspensão das atividades presenciais de todos os trabalhadores do frigorífico Avenorte Avícola Cianorte Ltda, que tem sede em Cianorte, na região Noroeste do Paraná. O afastamento deve durar ao menos 14 dias.

    Entre outras medidas, também foi determinada a testagem, com padrões técnicos específicos, para identificação da covid-19 em todos os trabalhadores do frigorífico. Entre as determinações sobre a forma da realização da testagem está a de que seja realizada após triagem dos trabalhadores, com exames certificados e acompanhada pelas autoridades sanitárias. A decisão determina ainda que a empresa afaste todos os trabalhadores contactantes de casos suspeitos de terem contraído a Covid-19 no raio de 1,5 metro.

    A decisão liminar foi tomada a pedido do Ministério Público do Trabalho (MPT) em razão de surto de contaminação do novo coronavírus no estabelecimento. A ação foi ajuizada pelo MPT após investigação que identificou a ocorrência de centenas de casos entre os empregados e a insuficiência das medidas implementadas pela empresa para evitar as infecções. A Justiça estabeleceu multa diária de R$ 500,00 por empregado em caso de descumprimento da decisão.

    https://www.bemparana.com.br/noticia/justica-fecha-frigorifico-com-surto-de-covid-19-no-interior-do-parana

    3+
  • Pedro de Lara 24 de junho de 2020 at 14:16

    o que alguém pode comprar por US$ 659k no Brooklyn, NYC.

    https://www.youtube.com/watch?v=mUyubCDxF8M

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CArlos 24 de junho de 2020 at 14:21

      Surreal…

      4+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CArlos 24 de junho de 2020 at 14:23

    Brasileiro tem que ser mesmo estudado pela NASA, quanto mais a coisa piora mais o bananence viaja na maionese.
    Povo de bobos alegres?

    Confiança do consumidor melhora em junho, aponta FGV

    Resultado do indicador foi influenciado pela flexibilização das medidas de isolamento durante a pandemia

    RIO – A confiança do consumidor aumentou 9 pontos em junho ante maio, na série com ajuste sazonal, informou nesta quarta-feira, 24, a Fundação Getulio Vargas (FGV), levando o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) a 71,1 pontos. Em dois meses de avanços, o índice recuperou 44% das perdas sofridas nos meses de março e abril, os primeiros meses com impacto das medidas de isolamento social adotadas para conter o avanço do coronavírus.

    “Em junho, a confiança dos consumidores manteve a tendência de recuperação esboçada em maio. Houve nova redução do pessimismo em relação ao futuro próximo e, desta vez, também uma discreta diminuição da insatisfação com a situação corrente. As expectativas em relação à economia parecem influenciadas por uma esperança de que a flexibilização das medidas de isolamento social leve a uma melhora das condições do mercado de trabalho, aliviando, assim, as finanças familiares”, disse Viviane Seda Bittencourt, coordenadora das Sondagens do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

    O comunicado cita, porém, que ainda é cedo para se vislumbrar uma melhora consistente do consumo das famílias, “como ilustra o indicador de ímpeto de compras de bens duráveis, que continua oscilando próximo aos níveis mínimos históricos”.

    Em junho, o Índice de Situação Atual (ISA) subiu 5,6 pontos, para 70,6 pontos, após três meses seguidos de perdas.

    O componente que mede a satisfação dos consumidores com a situação atual da economia aumentou 1,3 ponto, para 73,2 pontos, enquanto o item que avalia a satisfação com a situação financeira familiar no momento avançou 9,7 pontos, para 68,5 pontos.

    A expectativas em relação à situação econômica nos próximos meses também melhorou, aumentando 12,5 pontos, para 103,8 pontos, a maior influência sobre o resultado global.

    Houve aumento na confiança em todas as faixas de renda familiar, sobretudo para as famílias mais pobres, que recebem até R$ 2,1 mil mensais, sob influência de melhores expectativas para as finanças familiares e de melhores condições do mercado de trabalho.

    A Sondagem do Consumidor coletou informações de 1.810 domicílios em sete capitais, com entrevistas entre os dias 1 e 19 de junho.

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,confianca-do-consumidor-melhora-em-junho-aponta-fgv,70003343071

    4+
    • avatar
  • CArlos 24 de junho de 2020 at 14:30

    Párias…. Nunca na história deste país sentimos tanta vergonha, parabéns bolsopetismo.

    Associação de funcionários do Banco Mundial pede suspensão de nomeação de Weintraub

    Grupo quer que a nomeação do brasileiro para assumir uma diretoria executiva do banco fique suspensa até a conclusão de uma investigação do Comitê
    WASHINGTON – A associação de funcionários do Banco Mundial enviou uma carta nesta quarta-feira ao Comitê de Ética da instituição pedindo uma investigação sobre o ex-ministro da educação do Brasil, Abraham Weintraub. O grupo que representa os funcionários do organismo internacional quer que a nomeação do brasileiro para assumir uma diretoria executiva do banco fique suspensa até a conclusão desta investigação. O motivo do pedido são falas preconceituosas do ministro sobre a China e minorias, além do posicionamento a respeito da prisão de ministros do Supremo Tribunal Federal.

    “O Banco Mundial acaba de assumir uma posição moral clara para eliminar o racismo em nossa instituição. Isso significa um compromisso de todos os funcionários e membros do Conselho de expor o racismo onde quer que o vejamos. Confiamos que o Comitê de Ética compartilhe dessa visão e faremos tudo ao alcance para aplicá-lá”, afirma a associação de funcionários. O email com o pedido de investigação foi direcionado ao Comitê de Ética do banco e encaminhado a todos os funcionários da instituição nesta quarta-feira.

    “Embora sua indicação tenha sido condenada por vários países clientes, a Associação de Funcionários entende que a escolha deste diretor executivo é do Brasil e somente do Brasil”, afirmam os funcionários. Apesar disso, eles argumentam que são exigidos padrões de integridade e ética na conduta pessoal e profissional alinhados com políticas do banco, como a política sobre populações indígenas.

    O Banco Mundial prevê, por exemplo, que comunidades indígenas sejam ouvidas quando um projeto de desenvolvimento pode afetar um território indígena. Os projetos financiados pela instituição levam em contas prerrogativas como redução de desigualdades e proteção ambiental.

    “Solicitamos formalmente ao Comitê de Ética que reveja os fatos subjacentes às múltiplas alegações, com intenção de (a) colocar sua indicação em espera até que essas alegações possam ser revisadas e (b) garantir que o Sr. Weintraub seja avisado de que o tipo de comportamento pelo qual ele é acusado é totalmente inaceitável nesta instituição”, pede a Associação. Se eleito, Weintraub vai servir até 31 de outubro de 2020, quando será necessário nova nomeação e eleição.

    https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,associacao-de-funcionarios-do-banco-mundial-pede-suspensao-de-nomeacao-de-weintraub,70003343407

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 24 de junho de 2020 at 15:04

      Já vimos muitas tretas e trapalhadas, mas essa foi em outro patamar

      O mundo todo fechado como nunca antes na história desta dimensão por causa de uma pandemia.
      Todos se questionando e questionando os “detentores de poder” sobre o que vale mais: o $$$ de alguns ou a saúde.

      E vai a Banania é fura o bloqueio do país mais visado do mundo, [email protected] e andando para a soberania nacional deles na maior cara de pau!

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      E isso porque são aliados!!!!
      Sério, É OUTRO PATAMAR.

      Afinal, o Bozo continua se escondendo de perguntas de não-amigos?
      Alguém já perguntou objetivamente ao Bolsonaro se ele sabia dos planos do Weintraub? Se ele concordou em participar dessa “empreitada”?

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Não vi por aqui ainda.
      Saiu que aquela empresa da esposa do advogado do Queiroz e famiglia teve uma multa de dezenas de milhões de reais PERDOADA logo no início do governo do Bozo.
      Sério.. Não é possível….

      Um motivo de impeachman por dia é muita OSTENTAÇÃO

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CArlos 24 de junho de 2020 at 15:36

        Correm boatos que o bostão foi de voo “pirata” da FAB….

        Pago pelos contribuintes obviamente…

        5+
      • Lord of All 24 de junho de 2020 at 17:04

        Pelo jeito essa tal mulher do advogado pinóchio tem muita treta a ser revelada.
        O detalhe é que a tal empresa envolvida no rolo é “parceira” tanto do governo putê quanto do bozo, o que só confirma o bolsopetismo.

        6+
        • avatar
        • Lord of All 24 de junho de 2020 at 17:14

          Parabéns, vc tem um novo personagem desbloqueado: ex-mulher do wassef.

          4+
          • avatar
  • CArlos 24 de junho de 2020 at 15:39

    OFF – Enquanto isto naquele outro blog…

    Loucus 24 de junho de 2020 at 13:48
    O Nazismo ainda era Religioso, diferente do Comunismo, que tem de matar a Religião!

    Sem comentários….

    5+
  • Cajuzinha 24 de junho de 2020 at 16:59

    kkkkkkkkkk

    Quanto será que pagaram pela notícia?

    Isolamento social, restrições e piora na renda levaram a queda do consumo no Brasil. Apesar desse recuo, o mercado imobiliário tem se mostrado otimista.

    O mais recente projeto da incorporadora, chamado Collegiate Kitnets, é caracterizado por plantas modernas e compactas, que variam de 10 a 25 metros quadrados, situadas próximas às principais universidades e centros comerciais.

    https://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/especial-publicitario/menfe-empreendimentos/noticia/2020/06/24/na-contramao-da-crise.ghtml

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 24 de junho de 2020 at 18:13

      Cajuzinha,

      Ainda estão insistindo em JOGAR DINHEIRO FORA com as propagandas das JAULAS próximas de Universidades!

      USP, Unicamp e UNESP já definiram aulas à distância até o final do ano. O restante das Universidades, estão apostando que na melhor das hipóteses retomariam as aulas em setembro/2020.

      Que investidores, nesta conjuntura e vendo este negócio MICAR como NUNCA, estariam “ansiosos” para comprar este micro imóveis? Apostar na INCERTEZA e pagar uma FORTUNA pelo M2? E fora isto, todos já estão mais do que cientes da ROUBADA que é um micro apartamento para quem fica trancado em casa trabalhando ou estudando em home office, isto é a primeira coisa em que todos pensam agora, oferecer estas JAULAS INDECENTES com preços SUPER-FATURADOS, neste contexto não faz NENHUM SENTIDO!

      E o PIOR de tudo: CAIU a renda, DIMINUÍRAM os empregos, SUPER-ENDIVIDAMENTO e INADIMPLÊNCIA DISPARANDO “por tabela” e isto vai afetar “só” o consumo de itens mais baratos e os imóveis, onde os preços são os MAIORES DE TODOS e estão COMPLETAMENTE FORA DOS FUNDAMENTOS, que são extremamente CAROS e SUPER DEPENDENTES da capacidade de pagamento dos compradores, é só este setor que está “otimista”???

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Estão VIAJANDO NA MAIONESE, mais do que NUNCA…

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 24 de junho de 2020 at 17:03

    Compre Batom! Compre Batom!

    “A casa passou a ser muito mais importante para todo mundo”, disse Rafael Menin, copresidente da construtora MRV, em entrevista recente para o Seu Dinheiro.

    “Passou a ficar patente que a casa própria é o grande refúgio do patrimônio, pois representa segurança”, me disse Basilio Jafet, presidente do Secovi-SP, em entrevista recente.

    “Conseguimos até algo que parecia impossível: escrituras assinadas digitalmente. Essas questões cartoriais estão passando por uma modernização que é ótima para todos”, me disse Basilio Jafet, presidente do Secovi-SP.

    https://www.seudinheiro.com/2020/economia/imoveis-residenciais-5-mudancas-trazidas-pela-pandemia-que-podem-ter-vindo-para-ficar/

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 24 de junho de 2020 at 18:42

      Cajuzinha,

      kkkkkkkkkkkkkk

      “A casa é o grande refúgio do patrimônio”. O certo seria: “A casa é o grande ESCONDERIJO daquele dinheiro que você vai PRECISAR e NÃO VAI TER”.

      Imobilizar seu capital e deixar um grande montante INACESSÍVEL em uma CRISE AGUDA, onde CASH IS KING, porque há uma grande possibilidade de que você VAI PRECISAR deste dinheiro para alguma emergência???

      Fazer um SUPER-ENDIVIDAMENTO com financiamento por DÉCADAS bem quando estamos batendo TODOS OS RECORDES de DESEMPREGO, SUBemprego, DESALENTADOS e INFORMALIDADE p/ SOBREVIVÊNCIA? Quem vai entrar nessa, o pessoal que depende do auxílio do governo para SOBREVIVER, aqueles que viram suas lojas QUEBRAREM, outros MUITOS que estão SUPER-INSEGUROS assistindo isto à sua volta?

      Aquela pesquisa que mostrou que mais de 80% das pessoas não pretendia comprar imóvel nos próximos meses, gerou este nível de DESESPERO no setor, que agora APELA com os argumentos mais PATÉTICOS e ILÓGICOS de todos os tempos…

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • likebolhas 24 de junho de 2020 at 18:25

    Interessante ver como as coisas acontecem em determinadas épocas que forçam tudo a mudar, quer a gente queira ou não.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 24 de junho de 2020 at 19:56

    PANDEMIA

    Lojas Americanas do interior paulista terá desconto provisório de 50% no aluguel
    A diminuição do valor irá vigorar enquanto a abertura do comércio estiver proibida pelas medidas de isolamento social.

    QUARTA-FEIRA, 24/6/2020

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 24 de junho de 2020 at 19:58

    Nível de descontos de aluguel aos lojistas vai variar caso a caso, diz Iguatemi
    Segundo a administradora de shoppings, condomínio voltou a ser cobrado no nível normal
    Por Gustavo Brigatto, Valor — São Paulo

    24/06/2020 16h18 Atualizado há 3 horas

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 24 de junho de 2020 at 21:29

    Vivendo e não aprendendo, vamos ver a reação dos mercados.

    Atualizações ao vivo: novos casos de coronavírus nos EUA atingem o maior total em um dia

    Nos Estados Unidos, mais de 36.000 novas infecções foram relatadas pelos departamentos estaduais de saúde na quarta-feira – superando o recorde anterior de 34.203 ocorrido em 25 de abril. Texas, Flórida e Califórnia lideraram o caminho, com os três estados registrando mais de 5.000 novos casos cada.

    Três estados – Califórnia, Flórida e Oklahoma – reportaram recordes em novos casos de coronavírus em um único dia, enquanto as hospitalizações atingiram um novo pico no Arizona, onde as unidades de terapia intensiva se encheram rapidamente.

    Mesmo com o aumento do número de casos, circularam relatos de que o governo federal está prestes a parar de fornecer ajuda federal a locais de testes em alguns estados atingidos, incluindo o Texas, levando um alto funcionário federal a responder que os testes estavam aumentando.

    Desde o início da pandemia, os Estados Unidos registraram mais de 2,3 milhões de casos de coronavírus e pelo menos 119.000 mortes, enquanto o número global de casos ultrapassou os 9 milhões.

    qui estão alguns desenvolvimentos significativos:

    A média industrial do Dow Jones caiu 709 pontos, ou 2,7%, à medida que os investidores enfrentavam um aumento nas infecções por covid-19 em vários estados, alimentando preocupações de que uma recuperação econômica já prolongada será adiada.
    Os governadores da região dos três estados de Nova York / Nova Jersey / Connecticut anunciaram em conjunto um aviso de viagem, que exige uma quarentena de 14 dias para visitantes de nove estados cujas taxas de infecção atendem a certos limites que indicam “expansão significativa da comunidade”, de acordo com Nova York. Governador Andrew M. Cuomo (D).
    O Fundo Monetário Internacional disse na quarta-feira que a economia global encolherá este ano em 4,9% e será seguida por uma recuperação lenta, já que a pandemia causou danos mais generalizados do que o esperado.
    A Virgínia deu um grande passo na quarta-feira em direção a introduzir um novo conjunto de regras de segurança da era dos coronavírus que as empresas seriam obrigadas a implementar para proteger os trabalhadores contra infecções – a primeira no país e potencialmente um caminho a seguir para outros estados diante do governo federal. inação.
    Uma investigação independente sobre uma unidade de tratamento de longo prazo em Massachusetts, onde 76 pessoas morreram do novo coronavírus e outros 84 residentes deram positivo, descobriram que os erros das autoridades de lá contribuíram para a disseminação do vírus.

    https://www.washingtonpost.com/nation/2020/06/24/coronavirus-live-updates-us/

    3+
    • avatar
  • Cajuzinha 25 de junho de 2020 at 01:08

    diretor do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Espírito Santo (Sinduscon-ES), Leandro Lorenzon.

    “Já os imóveis comerciais estão em momento ruim. Ainda não tinham se recuperado da crise anterior e a pandemia trouxe novamente uma nuvem cinza sobre eles, com a história do home office. Essa ainda é uma opção de maior risco. Quem compra para investir, com o propósito de obter uma renda daquele imóvel, deve procurar fazer uma boa pesquisa, buscar imóveis com liquidez, que às vezes têm um valor menor e facilita na hora de vender”, afirma o diretor.

    http://www.agazeta.com.br/amp/es/economia/momento-e-bom-para-investir-em-imoveis-e-comprar-a-casa-propria-segundo-especialistas-0620

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Avulso 25 de junho de 2020 at 14:04

      CVR: É tão bom negócio que minha tem uma empresa e usava duas salas comerciais em um edifício, uma dela e outra locada. Bem, com a crise, reestruturou o local e devolveu uma sala à locadora que implorou para ela não devolver, disse que não precisava de pagar nada, só o condomínio e o iptu, mas minha tia recusou. Resultado: a salá está há 3 anos com a placa de vende/aluga. Tem alguém sangrando aí…e outra: o condomínio não é barato.

      8+
      • avatar
  • Cajuzinha 25 de junho de 2020 at 06:21

    Atrair para a armadilha


    “Nosso objetivo é atrair locatários, proprietários e investidores e apresentar um novo formato de negócios. Queremos oferecer diversas opções com facilidades e condições únicas para viabilizar o fechamento de negócios a curto prazo”, afirma Geraldo Victor, gerente geral de Imóveis da Apsa,

    Já pensou que a crise pode ser uma boa oportunidade para se mudar para a casa dos seus sonhos? Seja por aluguel ou compra, surgiram durante a quarentena diversas inciativas no setor, tornando o período da quarentena um bom momento para investir em imóveis.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
      • CA 25 de junho de 2020 at 06:55

        Cajuzinha,

        Se tivéssemos um apocalipse zumbi que matasse 99,9% da população mundial e tivéssemos mais de 1 milhão de imóveis disponíveis para cada habitante, o setor imobiliário diria:

        “É o melhor momento para se comprar um imovel! Com a super-oferta você consegue um bom negócio e depois é certeza de valorização, basta esperar alguns milhares de anos para a Terra se repovoar!”

        Se a NASA avisasse que um meteoro iria colidir com a Terra e acabar com o planeta, extinguindo a raça humana e que teríamos espaçonaves que sairiam daqui antes, levando cerca de 10 mil pessoas, na porta da entrada das espaçonaves teríamos corretores com panfletos dizendo:

        “Agora é a melhor hora para você comprar seu imóvel, garanta as melhores condições, para que quando você voltar, possa fazer uma reconstrução do que for destruído pelo meteoro e assim fazer sua casa do seu jeito!”

        E quem por acaso já viu tamanho DESESPERO do setor imobiliário para tentar convencer as pessoas de que “agora é a melhor hora para se comprar um imóvel?!

        Por acaso, quando um produto é muito bom e todo mundo quer, tendo condições de pagar por ele e portanto ele tendo uma boa relação de oferta e procura e até valer a pena investir nele, você tem que gastar rios de dinheiro para promove-lo e tentar convencer as pessoas, ou é exatamente o CONTRÁRIO disto?

        O setor imobiliário vai tentar esconder as estatísticas sobre as derrocadas nas vendas e o desinteresse da imensa maioria das pessoas em comprar um imóvel neste momento, ao mesmo tempo que continuará gastando rios de dinheiro para promover a DESINFORMAÇÃO, mas desta vez não tem jeito, nem que fossem adotadas as estratégias mais SUICIDAS por governo e bancos haveria alguma luz no fim do túnel para este setor, que vai pagar um preço MUITO MAIOR que os demais exatamente porque promoveu DISTORÇÕES GIGANTESCAS no mercado, que AMPLIFICAM de forma RELEVANTE a DESTRUIÇÃO dos negócios trazida pela CRISE AGUDA que vivemos.

        No entanto, como nos exemplos acima, eles vão continuar TORRANDO DINHEIRO na ESPERANÇA de encontrarem pessoas completamente ALIENADAS da realidade e cheias de dinheiro ou dispostas a se SUPER ENDIVIDAR (pessoas que nestas condições NÃO EXISTEM nos volumes que eles SONHAM) e este dinheiro que estão JOGANDO FORA com esta onda RECORDE de DESINFORMAÇÃO, vai fazer falta para eles…

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 25 de junho de 2020 at 06:36

    Desvalorização?! E imóvel desvaloriza?!

    “O importante no caso desses bens duráveis é comprar com o maior desconto ou desvalorização possível, essa é a única certeza de que se pode ter visando rentabilizar esse recurso no longo prazo”, reforçou.

    7+
    • avatar
    • avatar
      • CA 25 de junho de 2020 at 07:08

        Cajuzinha,

        Como sempre digo, queda nos juros em meio ao cenário completamente ANÔMALO que vivemos, em função de BOLHAS que geraram DISTORÇÕES GROTESCAS na economia, serve só para tentarem reinflar BOLHAS, promover um CASSINO na bolsa de valores, incentivar pirâmides financeiras, vendas FALSAS na planta e todo tipo possível de GOLPE.

        E para economia REAL?

        Bem, quando da volta à REALIDADE, o dólar vai DISPARAR ainda mais, levando a um risco de crise cambial, fazendo com que MUITAS empresas quebrem pelo seu endividamento em dolar que se tornará IMPAGÁVEL, muitos negócios que dependem fortemente de importados irão para o vinagre, veremos isto combinado com uma crise sistêmica, pois as DISTORÇÕES no mercado só aumentam e isto se refletirá até no balanço dos bancos e nas suas garantias SUPER-AVALIADAS em imóveis e daí por diante.

        A redução FORÇADA dos juros, terá outras consequências DESASTROSAS, dentre elas, algumas milhares de pessoas a mais que cometerão SUICIDIO FINANCEIRO fazendo altas apostas na BOVESPA, enquanto outras serão vítimas dos mais diversos tipos de GOLPES, pela ambição de terem “maior rentabilidade”…

        A conferir…

        8+
        • avatar
        • avatar
  • CA 25 de junho de 2020 at 07:17

    Pacote de ruído assusta o capital

    O Brasil tem sido visto como um pacote de problemas pelos investidores. Há baixa perspectiva de crescimento, alta acelerada da dívida, ruídos institucionais e má condução da pandemia. É o que explica Alberto Ramos, economista-chefe para América Latina do banco americano Goldman Sachs. Ele também avalia como tímidas as reformas aprovadas nos últimos quatro anos, como a da Previdência, porque ela não incluiu estados e municípios e manteve privilégios para algumas categorias.

    Ramos é português de nascimento e está na Goldman Sachs desde 2003. Antes disso, foi economista sênior do FMI. É PhD em Chicago, onde foi professor. Tinha tudo para achar que um governo que chegou ao poder defendendo um programa liberal estaria no caminho certo. Ele é defensor de um programa forte de reformas e acha que elas serão mais necessárias depois da pandemia, porque a projeção do FMI, divulgada ontem, é de que a dívida brasileira chegará a 100% do PIB.

    — O Brasil está sofrendo o que todo mundo está sofrendo na pandemia, mas, além disso, tem ruídos políticos e institucionais que persistem e podem levar à perda de governabilidade. São coisas que não ajudam, com risco fiscal elevado, e a economia sem crescimento e com desemprego alto — alerta.

    O economista faz uma lista do que considera como ruídos provocados pelo governo, que, em sua visão, trabalha com uma “polarização muito grande”, o que não ajuda na recuperação da crise.

    — Tem ruído entre governo e Congresso, entre governo e STF, entre governo e imprensa, entre o governo e o próprio governo, da equipe econômica do Paulo Guedes com assessores do presidente e outros ministros. Houve as saídas dos ministros da Educação, da Justiça, de dois ministros da Saúde em plena pandemia. Há fricção entre o governo federal e governadores — afirmou.

    Este ano, os investidores estrangeiros já tiraram R$ 73 bilhões da bolsa brasileira e o risco-país subiu acima da média de outros países emergentes. A recuperação do índice Ibovespa, que saltou da casa dos 65 mil para os 95 mil pontos, aconteceu principalmente pela entrada do investidor pessoa física brasileiro, que tem fugido da baixa rentabilidade da renda fixa. Muitos são pequenos investidores tendo a primeira experiência. A grande dúvida, para quem faz projeções de longo prazo no país, é se o Banco Central vai conseguir manter a taxa Selic em patamares baixos, caso o governo e o Congresso não consigam transmitir confiança de que vão conter a escalada da dívida.

    — O Brasil é como uma família que já estava no cheque especial e sofreu um acidente de carro. Vai ter que se endividar mais para consertar o veículo. E com isso pode ter que pagar juros mais caros no cartão. No pior cenário, pode até ficar sem o cartão — disse.

    A imagem do cartão serve para explicar a situação fiscal do Brasil. Já não era boa antes da pandemia. Agora, como em todos os países, o gasto está dando um salto pela crise da saúde. Na visão de Alberto Ramos, o aumento da “fricção” institucional diminui a chance de se obter consensos políticos para a futura aprovação de reformas.

    https://blogs.oglobo.globo.com/miriam-leitao/post/pacote-de-ruido-assusta-o-capital.html

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lord of All 25 de junho de 2020 at 07:23

      Faltou mencionar os problemas ambientais causados pelo desgoverno Bozo, que afundam ainda mais o país.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 25 de junho de 2020 at 08:06

    Quanto é 40% de nada/nula?

    Conforme pesquisa direta realizada pelo Sistema Verdes Mares, com cinco imobiliárias de Fortaleza, a busca por imóveis na Capital, durante o período de isolamento social, foi praticamente nula. Com a retomada, a procura ainda é tímida, mas já representa aumento em torno de 20% a 40% em relação ao período do isolamento.

    “Nesses três meses, houve uma paralisação no setor. Os proprietários dos imóveis se restringiram, evitando as visitas dos clientes, os próprios condomínios também criaram restrições às visitas, principalmente nas áreas comuns, e os próprios clientes também evitaram de fazer visitas”, relata.

    Na perspectiva do corretor de imóveis Alexandre Parente, mesmo com o retorno da procura, o volume de consultas por imóveis e locações ainda está muito distante do que se tinha antes da pandemia. Além disso, ele ressalta que o setor já estava em um mal momento, mesmo antes da chegada do novo coronavírus.

    Nós tivemos uma crescente no segundo semestre do ano passado e, essa crescente não se verificou no começo deste ano, houve foi um retrocesso, então veio a pandemia e deixou nulo a procura de imóveis”, relata.

    https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/negocios/com-retomada-procura-por-imoveis-cresce-de-20-a-40-em-fortaleza-mas-ainda-e-timida-1.2959038

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 25 de junho de 2020 at 08:26

    Meio milho grande de desconto é besteira:

    https://se.olx.com.br/sergipe/imoveis/mansao-cleonice-franco-barreto-299-m-c-3-suites-em-jardins-aracaju-se-739556306

    R$ 1.500.000
    R$ 2.000.000
    Mansão Cleonice Franco Barreto !
    O apartamento está localizado no bairro Jardins(Enfrente a ponte do shopping rio mar) possui 299 metros quadrados com 3 quartos sendo 3 suites(sendo uma master com banheira e closet) e 5 banheiros

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 25 de junho de 2020 at 08:38

    Mourão rebate instituições financeiras que temem pelo futuro da Amazônia
    Um grupo de quase 30 instituições financeiras em todo o mundo divulgou carta na qual exige que o governo brasileiro freie o crescente desmatamento no País

    https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2020/06/25/internas_economia,1159753/mourao-rebate-instituicoes-financeiras-que-temem-futuro-da-amazonia.shtml

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lord of All 25 de junho de 2020 at 10:48

      Proteção ao meio ambiente não é mais assunto de bicho grilo, hj em dia virou uma das faces do próprio capitalismo.
      Mas é difícil querer que os bolsominions entendam isso, afinal eles sequer entenderam que a terra é redonda.

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • tmarabo 25 de junho de 2020 at 11:50

        Qualquer um sabe disso.
        O que vocês não sabem é que essa história de “destruição” da amazônia é mentira. Ou seja, estão sabotando o Brasil no exterior.

        6+
        • avatar
        • tmarabo 25 de junho de 2020 at 11:57

          E mesmo que houvesse aumentado, ainda somos dos países que mais preservam no mundo, é ridículo deixar de investir aqui por causa disso.
          Mas vejo todo o mundo comprando esta narrativa.

          5+
          • avatar
        • homelessbubbles 25 de junho de 2020 at 13:20

          Entendo o que você quer dizer. E eu até não duvidaria que existe um lobby internacional contra o agro brasileiro, afinal “se a farinha é pouca, meu pirão primeiro”. Mas vamos fazer um exercício mental: Suponha que o Brasil seja, de fato, o país que menos desmate que esteja sendo sabotado. Como o governo comprovou tal proteção ambiental? Quais atitudes vem tomando e mostrando para o mundo? O governo faz uma propaganda de preservação ambiental? O Bolsonaro tem se mostrado, publicamente, um pró meio ambiente? O governo tem endurecido contra garimpeiros e grileiros ilegais? Que programas o governo tem criado para apoiar povos indígenas? Se todas essas questões puderem ser respondidas de maneira positiva a preservação do meio ambiente, aí sim concordo que estamos sendo sabotados internacionalmente. Caso contrário, o sabotador é o governo.

          20+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • homelessbubbles 25 de junho de 2020 at 13:28

            Na melhor das hipóteses, o governo estaria sabotando a si mesmo por preservar o meio ambiente, mas ficar brigando com o resto do mundo ao invés de liderar uma campanha pró meio ambiente. Na pior das hipóteses, há mesmo um afrouxamento nas leis ambientais favorecendo o desmate. E agora, qual será? Me parece óbvio.

            13+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
      • CA 25 de junho de 2020 at 12:51

        Lord of All,

        É um governo de ACÉFALOS que governa para ACÉFALOS, ou seja, focado nos ZUMBOZOS.

        Quando o “brilhante” Sales divulgou a estorinha de se aproveitar de uma PANDEMIA e de uma CRISE para a qual os IMBECIS até hoje não entenderam a dimensão, para que pudessem aumentar o DESMATAMENTO (depois tentaram DISFARÇAR e mudar a narrativa), ele abriu as portas para “N” manifestações em outros países que estavam doidos para arranjarem JUSTIFICATIVAS para BOICOTAR produtos vindos do Exterior e privilegiarem a produção nacional, sob a desculpa de preocupação com o meio ambiente.

        Quando o governo brasileiro ficava espalhando FAKE NEWS e DESINFORMAÇÃO, achando que estava “abafando” nas questões ligadas à Amazônia (e isto só fez sucesso entre os ZUMBOZOS, aqueles que não tem nem 2 neurônios), o que ele deveria ter feito, é adotado ações imediatas e efetivas (algo que este governo NÃO FAZ para nenhum assunto) para combater incêndios e desmatamentos, fosse qual fosse a origem e não ficar INVENTANDO novas TEORIAS DA CONSPIRAÇÃO e BRIGAS INSANAS, que só serviram para DESMORALIZAR este governo e o país quanto à questão ambiental.

        E os DEMEBOZOS (DEMENTES do Bozo) continuarão com suas “brilhantes teses”, PASTANDO E RUMINANDO e como sempre, achando que estão “abafando” e se o RESTO DO MUNDO diz exatamente o CONTRÁRIO, que eles são apenas PERFEITOS IMBECIS, para eles não faz mal, eles apenas dizem que é um problema de “narrativa” e uma “conspiração global contra o Bozo”, afinal, são pessoas COMPLETAMENTE SEM-NOÇÃO DE NADA… kkkkkkkkk

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CArlos 25 de junho de 2020 at 12:59

          Em setembro, 230 investidores institucionais assinaram uma carta pedindo ações urgentes para combater os incêndios na floresta amazônica, capturando a atenção global.

          No entanto, as sete empresas de gestão de ativos que conversaram com a Reuters – Storebrand, AP7, KLP, DNB Asset Management, Robeco, Nordea Asset Management e LGIM – foram mais longe ao expor a ameaça de desinvestimento, se não houver progresso. As empresas detêm mais de US $ 5 bilhões em investimentos vinculados ao Brasil, incluindo traders globais de grãos com grandes operações no país.

          O maior fundo de pensão da Noruega, KLP, disse estar envolvido com as empresas de comércio Archer Daniels Midland (ADM), Cargill e Bunge (BG.N) e julgando se suas políticas ambientais são adequadas.

          “Se nossa conclusão for negativa, o desinvestimento pode ser o resultado provável, potencialmente já neste ano, e esperamos que esse movimento faça com que outros investidores maiores sigam nossa liderança”, disse Jeanett Bergan, chefe de investimentos responsáveis ​​da KLP, via o email.

          Em resposta a perguntas sobre desinvestimento, a Bunge e a Cargill descreveram uma série de esforços para erradicar o desmatamento de suas cadeias de suprimentos, citando sua adesão à “Moratória da Soja Amazônica”.

          Nesse acordo voluntário, grandes empresas comerciais, como Cargill, Bunge e ADM, se comprometeram a não comprar soja de partes da Amazônia desmatadas desde 2008.

          A ADM não respondeu ao pedido de comentário.

          O fornecedor norueguês de seguros e pensões Storebrand e o maior fundo nacional de pensões da Suécia, AP7, também disseram que poderiam se desfazer da ADM e da Bunge se as empresas não adotarem medidas adequadas para combater o desmatamento.

          O DNB Asset Management AS da Noruega disse que os fundos de índice que gerencia, que incluem participações na Bunge, podem excluir empresas que não cumpram seus padrões de sustentabilidade.

          Outras empresas de investimento mencionaram preocupações relacionadas aos frigoríficos brasileiros, que no passado haviam examinado minuciosamente o fornecimento de carne bovina de áreas desmatadas da Amazônia.

          A LGIM está pressionando as empresas brasileiras, incluindo a maior frigorífica do mundo, a JBS (JBSS3.SA), e as rivais menores Marfrig (MRFG3.SA) e Minerva (BEEF3.SA) por “metas climáticas robustas e políticas de uso da terra, com inação potencialmente líder às sanções de votação e desinvestimentos direcionados ”, disse Yasmine Svan, analista sênior de sustentabilidade da LGIM, em comunicado por e-mail.

          JBS, Minerva e Marfrig disseram em declarações separadas que estão comprometidos com a eliminação do desmatamento da Amazônia de suas cadeias de suprimentos e detalham seus esforços.

          8+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • CArlos 25 de junho de 2020 at 13:00

            DEPOIS DA “QUARENTENA”

            O braço de gerenciamento de ativos do Nordea (NDAFI.HE), um dos maiores bancos dos países nórdicos, interrompeu as compras da dívida soberana brasileira no ano passado, depois que os incêndios florestais explodiram, colocando seus aproximadamente 100 milhões de euros (US $ 112 milhões) em títulos do governo brasileiro em ” quarentena.”

            Thede Ruest, chefe de dívida de mercados emergentes da Nordea Asset Management, disse que a empresa pode ir mais longe.

            “O próximo nível de escalada da quarentena na verdade significa vender nossos títulos do governo do Brasil, o que poderia desencadear outros fundos após o processo”, disse Ruest. “Estamos desapontados com a falta de progresso do atual governo, com as taxas de desmatamento continuando a subir antes de outra grande temporada de incêndios.”

            Da Costa-Bulthuis, da Robeco, que administra pelo menos 3 bilhões de euros em ações brasileiras e até 5 bilhões de euros ao incluir dívida e outros ativos, se recusou a comentar sobre participações específicas.

            Mas ela disse que a empresa pode reduzir sua exposição ao Brasil se seu registro ambiental se deteriorar ainda mais.

            Da Costa-Bulthuis, juntamente com Svan e Ruest, da LGIM, expressaram alarme sobre um vídeo recente de uma reunião do gabinete brasileiro, tornada pública devido a uma investigação federal.

            Na gravação, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sugeriu a Bolsonaro e outros ministros que o governo acelere a desregulamentação ambiental enquanto o público se distrai com a atual pandemia de coronavírus.

            “Ele está trabalhando contra o meio ambiente. O que ele disse foi inaceitável ”, disse Costa-Bulthuis. “Se eles (o governo) forem sensatos ou não, acho que uma maneira de começar seria mudar o ministro do Meio Ambiente, porque esse cara não tem credibilidade.”

            Salles e sua assessoria de imprensa não responderam aos pedidos de comentários sobre a declaração. Na época, o ministro disse que estava apenas pedindo o corte da burocracia inútil que dificulta o investimento.

            Bolsonaro despachou as forças armadas no mês passado para combater a destruição da Amazônia, embora o desmatamento tenha aumentado novamente em maio em comparação com o ano anterior pelo 13º mês consecutivo.

            Da Costa-Bulthuis disse que a implantação era “o mínimo” que o governo poderia fazer e não um substituto adequado para o fortalecimento de agências especializadas em fiscalização ambiental.

            “Não achamos que eles estejam fazendo o suficiente.”

            https://www.reuters.com/article/us-brazil-environment-divestment-exclusi/exclusive-european-investors-threaten-brazil-divestment-over-deforestation-idUSKBN23Q1MU

            7+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
  • Cajuzinha 25 de junho de 2020 at 11:01

    Esse faz parte daqueles que a Rossi “vendeu para um fundo de São Paulo”

    R$ 1.600.000
    R$ 1.999.000

    Mansão Roberto Constância Vieira 4/4, 219m²
    Publicado em 25/06 às 10:00

    cód. 448449712

    anúncio profissional
    Mansão Roberto Constância, Apto Em Frete ao Parque da Sementeira de; 219,19 m², 3/4, 3 Suítes Sendo 1 Suíte Master c/ Banheira de Hidromassagem! 2 Varandas Uma c/ Churrasqueira a Carvão! 4 Vagas de Garagem.

    No 13º Andar

    https://se.olx.com.br/sergipe/imoveis/mansao-roberto-constancia-vieira-4-4-219m-448449712

    No lançamento, EM FEVEREIRO DE 2015, o preço era de R$ 2.233.0000,00 – TENHO A TABELA no meu e-mail.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • tmarabo 25 de junho de 2020 at 11:51

      E tem pra vender, com valor agregado (cozinha, fechamento de sacada etc.) por 1,3kk
      https://se.olx.com.br/sergipe/imoveis/mansao-benjamim-de-carvalho-oportunidade-758343629

      4+
    • tmarabo 25 de junho de 2020 at 11:52

      Nao conheço Aracaju, este prédio é considerado como bem localizado na cidade, Cajuzinha?

      2+
      • avatar
      • Cajuzinha 25 de junho de 2020 at 14:33

        Esse tem uma localização muito boa, com vista livre para o parque da sementeira e dá para ver o rio Sergipe também, o GRANDE problema é que a frente dele é sul, o que significa muito quente à tarde na época do verão porque pega sol durante à tarde. Outro problema é o valor do condomínio que é superior a R$ 1.500,00

        7+
        • avatar
  • Cajuzinha 25 de junho de 2020 at 11:08

    LEILÃO JUDICIAL DA 4ª VARA CÍVEL DE ARACAJU
    LEILÃO JUDICIAL
    Online
    DATA 1°LEILÃO: 10/09/2019 08:00
    LANCE INICIAL: R$ 500.000,00
    DATA 2°LEILÃO: 30/09/2019 08:00
    LANCE INICIAL 2° LEILÃO: R$ 250.000,00
    AVALIAÇÃO: R$ 500.000,00
    Local do Leilão: – Aracaju – SE

    https://www.lancese.com.br/lote/11560/show

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 25 de junho de 2020 at 11:57

    Então, lembram daquele papo PARA BOI DORMIR, sobre PIB Público e PIB Privado em que os ZUMBOZOS diziam que o PIB Privado crescia e mostrava a “realidade” e o PIB Público cai em função de medidas “liberais” de diminuir o tamanho do Estado e que deveríamos olhar só para o PIB Privado para mensurar o crescimento da economia e blá, blá, blá…?

    Pois é, sempre ressaltei que era uma “conta” COMPLETAMENTE FURADA, primeiro porque desprezava o efeito de TRANSFERÊNCIAS do público para o privado (Concessões, PPP, etc), segundo porque muitas vezes o governo SUBSIDIAVA o setor privado com “benefícios” que viravam aumento do “PIB Privado” em troca de PREJUÍZO do setor público, mais uma vez, SOMA ZERO, dentre DIVERSOS outros motivos pelos quais não fazia e NUNCA FEZ SENTIDO o “pseudo raciocínio” acima, outra das INVENÇÕES da galerinha obcecada em DESINFORMAR deste governo.

    Só que o buraco é mais embaixo, porque na realidade, aqueles gastos do governo que colaboram com o PIB, não caíram!!! Pois é, o governo MENTE TANTO, que às vezes nem temos a noção do tanto…

    https://www.infomoney.com.br/colunistas/alexandre-schwartsman/r-1-000-000-000-00000/

    Trechos do link acima, entre “aspas”:

    “Ao contrário da crença geral, gastos públicos continuaram a crescer mesmo depois da criação do teto constitucional.”

    “A primeira conclusão que salta aos olhos é que os dados não corroboram a visão de uma política fiscal excessivamente apertada.

    Com efeito, desde 2016, quando foi criado o teto de gastos para o governo federal, o dispêndio dos três níveis de governo aumentou pouco mais do que R$ 75 bilhões, apesar da forte queda das despesas com juros da dívida pública. ”

    “Já as chamadas despesas primárias cresceram cerca de R$ 240 bilhões no período, ao ritmo de 2,8% ao ano, um tanto abaixo do observado no período 2010-14 (3,7% ao ano), mas muito longe de caracterizar uma contração que impedisse o país de crescer.”

    “Houve, por certo, redução do investimento governamental, de R$ 110 bilhões para R$ 99 bilhões no período, mas a queda de R$ 11 bilhões empalidece frente ao aumento de gastos com benefícios sociais (R$ 163 bilhões) e funcionalismo (R$ 63 bilhões).

    Em outras palavras, a redução do investimento não resultou do teto – que, lembremos, só se aplica ao governo federal –, mas de uma estrutura de prioridades que privilegia os gastos com grupos próximos ao aparelho estatal em detrimento daqueles relativos à infraestrutura e prestação de serviços públicos.

    Não houve também queda de gastos federais com educação (estáveis ao redor de R$ 166 bilhões) e saúde (que subiram de R$ 143 bilhões para R$ 153 bilhões entre 2016 e 2019).

    A ideia, portanto, que o teto de gastos sacrificou estas áreas é outra que não sobrevive ao confronto com os dados.

    Todos os números aqui apresentados estão disponíveis em sítios do governo, no caso o Tesouro Nacional, devidamente planilhados de maneira amigável e com várias notas explicativas.

    Não é preciso, portanto, um estudo trabalhoso para obtê-los a partir de extensas bases de dados, nem interpretações complicadas acerca do significado de cada linha de despesa, muito pelo contrário.

    À luz disso, pergunto: por que dados tão óbvios seguem ignorados no debate?

    Preguiça decerto desempenha um papel, mas o problema real é a existência de ideias preconcebidas e a falta da cultura do contraditório.”

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 25 de junho de 2020 at 12:16

    FMI alerta para risco de ‘desconexão entre mercados financeiros e evolução da economia real’
    Apesar das expectativas de uma recuperação rápida, órgão destaca que dados sobre a confiança do consumidor mostram uma realidade mais pessimista.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 25 de junho de 2020 at 13:23

      Cajuzinha,

      Engraçado o GIGANTESCO ATRASO para constatarem o ÓBVIO e ainda quando o fazem, com EUFEMISMOS e SUBESTIMANDO a REALIDADE…

      Já FAZ TEMPO que as bolsas de valores ao redor do globo estão DESCOLADAS DA REALIDADE e em muitos casos, refletindo o OPOSTO do mundo REAL.

      Falando sobre as FAANG (Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Google), onde algumas delas passaram de US$ 1 TRILHÃO em valor de mercado em determinado momento ao longo dos últimos anos, o que justifica isto? A Apple ainda muito dependente de IPhones, em um mercado de smartphones cada vez mais competitivo e onde ela tem perdido algumas posições no ranking de produção e vendas para marcas chinesas, parte dos demais, com PREJUÍZOS BILIONÁRIOS e PROMESSAS que nunca se cumprem, no geral, todos PROMETENDO INOVAÇÃO CONTÍNUA E DISRUPTIVA, mas cada vez com MENOS DIFERENCIAIS entre seus concorrentes, que também crescem. E aí, o que justifica a avaliação de mercado destas empresas???

      E os outros “Unicórnios”, muitos deles patrocinados pelo SoftBank, que estão vivendo na base de promessas MIRABOLANTES HÁ ANOS, também apresentando prejuízos RELEVANTES ano após ano e apenas renovando as PROMESSAS? Parte deles já com o destino selado, mas ainda não “precificado”, como no caso do We Work e a “descoberta” de que para trabalhar remoto não precisa alugar um “escritório”, você pode fazer de casa, como justificar que uma empresa desta não veja o valor de sua Ação DESPENCAR?

      E a Hertz que viu o valor da Ação subir em meio a pedido de concordata, onde está o racional para isto? E ela não foi um caso isolado quanto a isto…

      No Brasil, vemos a BOVESPA ter um desempenho que é o CONTRÁRIO da economia REAL desde 2016! Em 2016, RECORDE de QUEDA do PIB, junto com a BOVESPA subindo mais de 30% e sendo o “melhor investimento do ano”!!! De lá pra cá, PIBinhos RIDÍCULOS, sempre acompanhados de um resultado DESPROPORCIONAL na BOVESPA, a troco de que? Ah, mas é porque os juros estão sendo baixados, então todo mundo sai da renda fixa e vai para a bolsa, logo é uma PROFECIA AUTO-REALIZÁVEL, não tem como dar errado… Pois é, você FUGIR dos FUNDAMENTOS é a MELHOR FORMA de você garantir que vai dar ERRADO!!!

      E assim, temos ao redor do globo, um gigantesco CASSINO, ou melhor uma ROLETA RUSSA, onde a cada vez que se aperta o gatilho e a bala não sai, todos comemoram e dizem: “Não falei, é tudo garantido, não tem problema nenhum!”

      Quanto às expectativas REALISTAS de recuperação da economia, existem diferenças GIGANTESCAS entre os países:

      Aqueles que adotaram as medidas mais acertadas DESDE O INÍCIO, NUNCA subestimando a pandemia e seus efeitos, como a Coréia do Sul e os TESTES EM MASSA, a China e o ISOLAMENTO FORÇADO com redução de circulação FORÇADA e INÚMEROS outros exemplos ao redor do Globo, tendem a ter uma recuperação mais rápida, pelo menos quanto ao seu desempenho para consumo interno, uma vez que se tiverem uma dependência maior de exportações, terão um baque de qualquer jeito, em função da situação daqueles que importam os produtos deles.

      Já aqueles que como o Brasil, SEMPRE SUBESTIMARAM A PANDEMIA, NUNCA fizeram testes em massa, procuraram AMPLIFICAR OS PROBLEMAS com CRISES POLÍTICAS SEMANAIS, tiveram um governante que sempre que pôde tentou BOICOTAR as quarentenas e dar PÉSSIMOS EXEMPLOS e ainda, tiveram antes da pandemia uma PÉSSIMA GESTÃO, com uma política econômica orientada a tentar reinflar BOLHAS e assim, PIORAR cada vez mais a situação de SUPER-ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA dos agentes, ao mesmo tempo que acelerava a DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS, terão uma “recuperação” pós pandemia que será em “V” como diz o IPiraNaGrana, só que será o “V” de VERGONHA…

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Falido.com 25 de junho de 2020 at 13:47

    Boa tarde
    Teste….teste(pica pau feelings)🤣🤣🤣

    5+
  • Falido.com 25 de junho de 2020 at 13:49

    Se esse posto sumir vou pedir investigação no STB( supremo tribunal do Boss)….talkey?

    5+
    • avatar
  • Avulso 25 de junho de 2020 at 14:05

    Sala comercial um “excelente” negócio:
    CVR: Minha tia tem uma empresa e usava duas salas comerciais em um edifício, uma dela e outra locada. Bem, com a crise, reestruturou o local e devolveu uma sala à locadora que implorou para ela não devolver, disse que não precisava de pagar nada, só o condomínio e o iptu, mas minha tia recusou. Resultado: a salá está há 3 anos com a placa de vende/aluga. Tem alguém sangrando aí…e outra: o condomínio não é barato.

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • MARK 25 de junho de 2020 at 18:17

      Avulso, é isso mesmo, não tá nada fácil alugar no comércio, agora então… Minha irmã só conseguiu vender uma das duas salas, por sorte ficou com a melhor, mas ficou quase dois anos pra conseguir alugar, enfim conseguiu, pouco antes da pandemia, pra sorte dela. rs

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Falido.com 25 de junho de 2020 at 14:33

    O Boss libera minhas postagens!!!!

    3+
    • avatar
    • avatar
  • likebolhas 25 de junho de 2020 at 15:32

    Corretora me ligou agora pouco, oferecendo um ap em promoção. O AP é bom mesmo, boa área, varanda gourmet, e o preço razoável.
    Empolgado fui olhar no maps.
    É do lado de uma das maiores favelas de SP, uma que teve até serial killer famoso.
    Já to comprando já, pode deixar kkk

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lord of All 25 de junho de 2020 at 15:43

    homelessbubbles

    Na melhor das hipóteses, o governo estaria sabotando a si mesmo por preservar o meio ambiente, mas ficar brigando com o resto do mundo ao invés de liderar uma campanha pró meio ambiente. Na pior das hipóteses, há mesmo um afrouxamento nas leis ambientais favorecendo o desmate. E agora, qual será? Me parece óbvio.

    1+

    Ministro do meio ambiente que quer aproveitar a pandemia para “passar medidas provisórias” contra o meio ambiente.
    Desestruturação proposital dos órgãos de fiscalização ambiental….
    São apenas os exemplos rápidos que me vieram a mente.
    Mas os bolsominions só assistem as lives do Bozo e as aulas do autointitulado filósofo que não completou a primeira série, e não entendem q está acontecendo no BR atualmente.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 25 de junho de 2020 at 16:30

    Talk Imóveis: veja live sobre oportunidades no mercado imobiliário
    Nesta quinta-feira (25), o encontro, marcado para as 16 horas, vai contar com a participação do economista e comentarista da CBN, Teco Medina

    https://www.agazeta.com.br/imoveis/talk-imoveis-veja-live-sobre-oportunidades-no-mercado-imobiliario-0620

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 25 de junho de 2020 at 16:53

    Castelo ressalta que “ainda é um quadro muito difícil: a insuficiência de demanda é a maior limitação à melhoria dos negócios em todos os segmentos do setor. Apesar da abertura das empresas e estandes de venda na maioria das cidades do país, a deterioração do quadro fiscal, do emprego e da renda não favorece a demanda. De todo modo, face às incertezas que ainda prevalecem, é cedo para estabelecer o início da recuperação da atividade”.

    https://www.euqueroinvestir.com/sondagem-construcao-civil-fgv/

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 25 de junho de 2020 at 17:32

      Cajuzinha,

      Estas sondagens que medem o “otimismo” são curiosas, porque sempre fica a dúvida: até que ponto os empresários do setor não preferem mentir e fingirem que estão otimistas, para passar uma imagem que atraia investidores (SARDINHAS)? E mesmo assim, acho que até isto fica difícil nesta altura do campeonato, porque se muitos colocarem percepções FALSAS sobre o futuro, eles sabem que NINGUÉM vai acreditar. Os meses passando e as vendas continuando MINGUADAS, vão dar a melhor visão sobre a REALIDADE, no entanto, é possível que mesmo assim o setor mantenha o mantra de que “é a melhor hora para comprar imóveis” e o discurso de que “logo melhora”, mesmo que para ambos, não faça NENHUM SENTIDO…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CArlos 25 de junho de 2020 at 20:09

    OFF – Paulo Guedes no exato momento em que percebe que sim, pode piorar e muito

    https://twitter.com/MarceloAdnet/status/1276284163860111362

    4+
  • CArlos 25 de junho de 2020 at 23:12

    Pessimistas do dia: FMI

    Claro, Guedes é que tem um track record de acertos 🙂
    Eu tb acredito que vão errar e que o tombo vai ser de mais de 9%

    Guedes: FMI estimou queda de 9% para o PIB do Brasil em 2020, acho que vão errar

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que não acredita nas previsões para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro que vêm sendo divulgadas. Em transmissão de vídeo feita ao lado do presidente Jair Bolsonaro, Guedes disse que ninguém sabe de fato qual será o impacto da crise do coronavírus no PIB nacional.

    “A gente aprende em teoria economia que há momentos em que há rupturas em todos os parâmetros. Quando há um choque como esse, eu não acredito nas previsões que são feitas. Ninguém sabe a resposta. As pessoas começaram a chutar menos um, menos quatro, menos dez. A previsão do FMI é menos nove, e eu acho que vão errar”, falou Guedes, em referência ao Fundo Monetário Internacional (FMI), que prevê uma queda de 9,1% no PIB brasileiro.

    O ministro afirmou também que a queda no consumo de energia no Brasil está em 4%, considerando junho de 2020 em relação ao mesmo mês do ano passado. O movimento, para Guedes, é indicativo de que a queda no PIB pode ser menor do que se espera atualmente.

    Hoje, o Banco Central divulgou seu Relatório Trimestral de Inflação (RTI), e estimou a queda no PIB brasileiro de 2020 em 6,4% ante 2019. A previsão anterior era de estagnação.

    https://economia.uol.com.br/noticias/estadao-conteudo/2020/06/25/guedes-fmi-estimou-queda-de-9-para-o-pib-do-brasil-em-2020-acho-que-vao-errar.htm

    3+
    • avatar
  • CArlos 26 de junho de 2020 at 01:51

    Desgoverno e seus aliados
    Centrão está e sempre esteve com os usineiros, vamos onde a corda vai arrebentar 😉

    Por eleição, Trump pressiona Brasil a aumentar importação de etanol americano

    Com setor em crise pelo coronavírus, americanos querem fim de barreiras para vender mais combustível ao país

    O governo Donald Trump desencadeou uma ofensiva diplomática para que o Brasil aceite aumentar a cota de importação do etanol no país, sob o argumento de que o gesto vai melhorar as chances de reeleição do americano em estados produtores de milho.

    Segundo relatos feitos à Folha, os americanos trabalham pelo fim de uma cota de importação anual sem tarifa de 750 milhões litros de etanol —o que ultrapassa esse volume paga uma taxa de 20%.

    A cota em vigor já é resultado de um agrado aos americanos: até o ano passado ela era limitada a 600 milhões de litros por ano, mas foi incrementada para o valor atual após gestões da administração Trump.
    Os EUA produzem etanol a partir do milho, e o produto é mais barato que o similar brasileiro, feito com cana-de-açúcar.

    Os americanos são os maiores vendedores da substância ao Brasil: em abril, segundo dados do governo compilados pela UNICA (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), foram 142,5 milhões de litros importados, sendo que 127,6 milhões vieram dos EUA.

    A entrada do álcool estrangeiro no país afeta principalmente pequenos usineiros no Nordeste, que no ano passado tentaram, sem sucesso, impedir a elevação da cota de importação.

    O fim das barreiras de importação é um pleito antigo dos EUA, mas os americanos voltaram à carga nas últimas semanas com novos argumentos.

    O principal deles, apresentado em conversas com autoridades brasileiras, é que desta vez o tema é politicamente sensível porque Trump deve se beneficiar eleitoralmente do aumento de vendas de etanol nos estados do meio-oeste que fazem parte do Corn Belt (cinturão do milho).

    A cota de importação atual vence no final de agosto, quando o presidente Jair Bolsonaro precisará decidir se atende ao pleito de seu aliado estratégico ou não. Tentam resistir ou ao menos reduzir os impactos de uma nova concessão os produtores nacionais de etanol, a bancada ruralista no Congresso e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

    No governo brasileiro, as principais vozes em defesa do fim da cota para o etanol americano são o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente da República.

    Eles são expoentes da chamada ala ideológica e advogam por um alinhamento automático com os Estados Unidos.

    https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/06/por-eleicao-trump-pressiona-brasil-a-aumentar-importacao-de-etanol-americano.shtml

    7+
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 26 de junho de 2020 at 03:39

    OFF Vergonha alheia

    Mostrei isso para um pessoal que eu conheço e eles pensaram que é algum tipo de programa de comédia estilo SNL …
    Quando eu disse que é o presidente brasileiro e dois ministros eles concordarem que nós brasileiros tamos mesmo f….

    https://youtu.be/H4MHrYAoaMs

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Lord of All 26 de junho de 2020 at 07:21

      Parece que morremos em 2012 e atualmente estamos vivendo no inferno.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 26 de junho de 2020 at 07:07

    “Nos anos 80, Paulo Guedes ganhou o apelido de Beato Salu. O economista era conhecido pelo hábito de fazer previsões apocalípticas. Lembrava o personagem da novela “Roque Santeiro” que vivia anunciando o fim do mundo. A serviço do bolsonarismo, o pessimista crônico se converteu num mercador de ilusões. Faz profecias que não se confirmam e divulga planos que não saem do papel. Na semana passada, ele garantiu que ‘lá para setembro, outubro, novembro, nós já estamos num novo país’. Faltou dizer de que ano”, escreve Bernardo Mello Franco em sua coluna no Globo desta quinta-feira 25/VI.

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 26 de junho de 2020 at 08:01

    Crise deixa legado de endividamento e inadimplência
    Valor Econômico (Blogue)-2 horas atrás
    Crise deixa legado de endividamento e inadimplência. Um terço das famílias brasileiras tem alguém com dívidas em atraso, aponta pesquisa.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 26 de junho de 2020 at 08:33

    As vendas do varejo ampliado brasileiro terão retração de 18,47% em junho e 19,03% em julho, quando os meses são comparados com os mesmos períodos do ano anterior.

    Desta maneira, o setor no País terá uma retração de 11,13% nas comercializações acumuladas no ano até o fim de julho, e de 9,79% no primeiro semestre, na relação com igual intervalo do ano anterior.

    O segmento de livros, jornais, revistas e papelaria terá retração de 60,02% em julho, na comparação anual, seguido pelo ramo de veículos, motos, partes e peças, que apresentará queda de 50,99%.

    https://www.mercadoeconsumo.com.br/2020/06/26/varejo-ampliado-tera-queda-de-19-nas-vendas-em-julho/

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 26 de junho de 2020 at 08:36

    Aí ele acordou…

    “O presidente do Secovi-SP destaca ainda que a visitação cresceu 75% nos primeiros dois finais de semana de junho. Em uma demonstração da recuperação do setor”

    https://jovempan.com.br/programas/jornal-da-manha/sp-aumento-vendas-imoveis-maio.html

    É engraçado como as notícias sobre as maravilhas do mercado imobiliário estão aparecendo na mídia. Essa uma das demonstrações do desespero.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lord of All 26 de junho de 2020 at 08:58

      Notícia da Jovem Pano só podia ser “otimista”, já que eles passam pano para o Bozo.
      Esse aumento de 75% deve representar que no mês passado 10 pessoas visitaram estandes no Estado de São Paulo, enquanto que no mês atual foram 17,5 pessoas.

      4+
      • avatar
      • avatar
    • CA 26 de junho de 2020 at 09:55

      Cajuzinha,

      No caso do setor imobiliário, sabemos que MÁ-FÉ e DESINFORMAÇÃO são a ALMA DO NEGÓCIO!

      Na matéria PAGA, falam sobre aumento de vendas de maio sobre abril. Mas, só quem acessa vê que as vendas CAÍRAM 26% na comparação com maio/2020.

      Sem contar que subir vendas FALSAS na planta é a coisa mais fácil do mundo, é só ter LARANJAS ou INCAUTOS em volume suficiente, que mesmo sem ter a menor condição de aquirir o imóvel assinam um contrato de compra e venda que depois vai se juntar aos BILHÕES em DISTRATOS no ato da entrega dos imóveis.

      As VISITAÇÕES aos estandes subiram em relação ao período imediatamente anterior e não na comparação com o mesmo período do ano anterior, que é o mais adequado para respeitar a SAZONALIDADE.

      Outro “detalhe”: a visitação “subiu”, porque antes TODO MUNDO ficava em casa, os estandes só puderam ser reabertos na cidade de São Paulo em junho/2020, então a visitação estava próxima de ZERO no período comparado, logo, não dava para ter “visitações negativas”, a única possibilidade era subir.

      E vai continuar RUIM para o setor imobiliário, depois vai PIORAR conforme a PERCEPÇÃO DA REALIDADE subir.

      Por enquanto a estorinha da “recuperação em V” ainda ILUDE os INCAUTOS, ainda tem um “rescaldo” daqueles que estavam prestes a comprar imóvel e veio a pandemia e quando liberou, todos de uma vez foram FINALIZAR os negócios que já estavam em estágio muito avançado, ainda existe MUITA ILUSÃO via BOVESPA e artigos PAGOS, o auxílio emergencial do governo ainda não deixa as pessoas verem a realidade nua e crua, assim como as estatísticas, em parte em função da PANDEMIA e em parte em função dos INTERESSES dos envolvidos, estão atrasadas e às vezes DISTORCIDAS (exemplo: RECORDE HISTÓRICO de DESALENTADOS, em parte ocorre porque um número relevante de pessoas preferiu não procurar emprego durante a pandemia), mas toda esta CORTINA DE FUMAÇA tende a desaparecer daqui a alguns meses e vai ficar cada vez mais difícil de ESCONDEREM o que de fato está acontecendo, daí veremos a volta das velhas estorinhas de que “a situação atual surpreende, porque todos acreditavam que este setor estava melhor” e por aí vai…

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 26 de junho de 2020 at 08:53

    “As pessoas viram no e-commerce uma forma mais segura de realizar as suas compras. Além de não precisarem se expor aos riscos da Covid-19 indo à loja física, as compras on-line podem proporcionar preços e promoções mais atraentes”, afirmou Robson Parzianello, do Farmácias App.

    https://www.dgabc.com.br/Noticia/3464175/vendas-on-line-de-produtos-de-saude-e-beleza-saltaram-3-050

    E os aluguéis…

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 26 de junho de 2020 at 09:18

      o pior de tudo, Cajuzinha, é que como há uma concentração muito grande de propriedades com poucas pessoas e essas tem outras fontes de renda, pode acontecer de determinadas regiões manterem preços absurdamente altos só para selecionar quem pode ou não pode comercializar na região, impedindo a entrada de concorrentes.

      Por exemplo, se eu sou o dono de um quarteirão inteiro, posso anunciar que alugo por XX para voce 3 imóveis mas na verdade só efetivamente cobro X. E isso posso fazer de várias formas. Voce pode, por exemplo, empregar determinada pessoa que quero ver empregada e assim nem mesmo o X precisa ser cobrado.
      E o que eu ganho com isso?
      Ora, os preços da região serão aqueles que EU QUERO. Não tem como haver concorrencia mesmo… Qualquer empreendedor iludido tera que pagar o XX que quero e isso inviabilizara qualquer tentativa de jogar o preço para baixo. Se ainda assim ele conseguir, simplesmente eu aumento o aluguel.

      Considerando que estamos no Brasil…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Lord of All 26 de junho de 2020 at 09:06

    O advogado Pinóchio ficou com dó do queiroz e resolveu ajudar.
    Por que ficou com dó apenas do queiroz?
    Tem por aí milhares de pessoas pobres e doentes q tbm precisam de ajuda.

    “O advogado justificou a ajuda como um gesto humanitário, pois estava sensibilizado com a situação do ex-assessor de Flávio, que passava por um tratamento contra o câncer.”

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 26 de junho de 2020 at 09:24

    Gustavo Mioto, 23, precisou reduzir os custos e gastos dos funcionários e, portanto, dispensou cerca de 18 membros da sua equipe.

    O cantor Lucas Lucco, 29, por exemplo, tomou a decisão de cancelar sua agenda de shows até o fim de 2020 e, por isso, demitiu cerca de 20 funcionários da sua equipe.

    Até mesmo Elton John, 73, ficou no prejuízo. O astro perdeu 60 milhões de libras (R$ 401 milhões) e demitiu sua banda, incluindo parceiros de longa data, como o guitarrista Davey Johnstone e o baterista Nigel Olsson.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 26 de junho de 2020 at 10:42

    O resultado do Brasil é ainda mais decepcionante quando comparado com o de outros países. Apesar de toda a recente turbulência provocada pela crise sanitária, boa parte dos países vai colher algum crescimento econômico nesta década. Entre 2011 e 2020, o PIB do mundo deve ter uma alta de 2,7%, enquanto o conjunto dos países emergentes vai crescer 4%.

    “O desempenho do Brasil nessa década foi muito mais culpa nossa do que do resto do mundo”, afirma Balassiano. “Mesmo 2020 sendo um dos piores anos em termos de desempenho para o mundo inteiro, o PIB global ainda vai crescer nesta década.”

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 26 de junho de 2020 at 13:11

      Cajuzinha,

      BOLHAS nascidas na década passada deixaram uma herança maldita para esta década: SUPER ENDIVIDAMENTO e INADIMPLÊNCIA ANORMAL dos agentes, tanto governos, quanto empresas e famílias, como “nunca antes na história do país”, junto com uma DISPARADA sem precedentes no Brasil quanto à DEGRADAÇÃO dos EMPREGOS e RENDA, traduzida por números ABSURDOS da somatória de DESEMPREGO mais DESALENTADOS, SUBempregados e do “empreendedorismo” baseado na INFORMALIDADE para SOBREVIVÊNCIA. Tudo isto e diversas outras CONSEQUÊNCIAS da BOLHA, levam nossos resultados a estarem entre os PIORES DO PLANETA!

      Mas se existiram BOLHAS em diversos países, por que aqui no Brasil o resultado está sendo TÃO PIOR?

      Porque aqui, a DESINFORMAÇÃO, as PEDALADAS, MAQUIAGENS, PIRÂMIDES FINANCEIRAS e demais GOLPES aplicados bateram todos os RECORDES mundiais!

      Temos, por exemplo, a CEF, que é um banco PÚBLICO e possui o maior estoque de imóveis à venda do PLANETA, graças ao que foi retomado por INADIMPLÊNCIA e embora isto seja uma EVIDÊNCIA INEQUÍVOCA de uma gigantesca BOLHA IMOBILIÁRIA, todos FINGEM que é normal?!?!?!

      Para PIORAR o que consta acima, a CEF não retomou sequer 1/3 do que deveria! Para o restante, ela aplica um conjunto de PEDALADAS e MAQUIAGENS que também tem recorde MUNDIAL: descontos de 90% para pagar dívidas, deixa para pagar o que deve no final do contrato, daqui a algumas DÉCADAS, inverte os juros contratados colocando os menores juros para agora e os maiores no futuro, se pagar uma parcela vencida dentre 12 de um mesmo ano, FAZ DE CONTA que o cliente não está mais inadimplente, vende crédito PODRE em larga escala para empresas URUBU, MAQUIA os balanços colocando rating “AA” para parte relevante do crédito PODRE, para SIMULAR LIQUIDEZ, cobra taxa ABUSIVA para “administrar” o FGTS e manipulá-lo a favor do interesse de TENTAR salvar a BOLHA IMOBILIÁRIA, etc, etc, etc… E apesar de parte disto já ter sido até descoberto e apontado em relatórios de auditoria da CGU, a CEF continua a aplicar os mesmos GOLPES e todos FINGINDO que não veem isto!

      Do lado das construtoras, desde 2011 temos DISTRATOS BILIONÁRIOS, TODOS OS ANOS, algo que NUNCA havia acontecido antes no Brasil, apesar de já termos vendas na planta HÁ DÉCADAS, inclusive sendo realizadas pelas mesmas construtoras que “desaprenderam” como fazer estas vendas e passaram a ter DISTRATOS ABSURDOS (= vendas FALSAS na planta), sendo que tal ANOMALIA é extremamente PROFUNDA e não existe, para NENHUM PAÍS e nem NUNCA EXISTIU em qualquer outro lugar do MUNDO e para qualquer tipo de negócio ou produto! E apesar de ser uma verdadeira ABERRAÇÃO, não é que as pessoas acham isto “natural”?!?!?!

      Temos ainda nossa história “cultura” de VALORIZAR O CALOTEIRO! Como o SUPER-ENDIVIDAMENTO foi puxado de forma NATURAL pelas BOLHAS, como ocorre em qualquer país, existindo esta VALORIZAÇÃO A QUEM ESTÁ ERRADO, prejudicando aqueles que pagam em dia, o crescimento da INADIMPLÊNCIA no Brasil teve uma curva exponencial ainda mais ACENTUADA do que em outros cantos do GLOBO. E para ajudar nesta outra PROFUNDA ANOMALIA, veio o governo atual e DISPAROU na concessão de crédito via bancos PÚBLICOS e também nos “incentivos” ao crédito pelo sistema financeiro, junto com a MAIOR BOLSA CALOTE da história do país e certamente uma das maiores, senão a maior do MUNDO, promovida por um banco PÚBLICO, a CEF!

      Lembrando que também temos um conjunto de SUBSÍDIOS SETORIAIS que é GROTESCO, como no caso do FGTS, para o qual o setor imobiliário se sente o DONO, nas DEZENAS DE BILHÕES de Reais para o setor imobiliário em meio à crise, o setor que obtém o MAIOR SOCORRO entre todos os setores, tirando do que poderia ser utilizado para SOCORRER à pequenas empresas e outros segmentos, para beneficiar os AMIGOS DO REI e TENTAR salvar a BOLHA IMOBILIÁRIA.

      E acima, como sempre, apenas EXEMPLOS. Tem muito mais ANOMALIAS PROFUNDAS relacionadas à nossa BOLHA IMOBILIÁRIA e quanto mais continuarem PEDALANDO, MAQUIANDO, DESINFORMANDO e incentivando GOLPES e tudo que é ERRADO, mais FUNDO será o BURACO em que ficaremos ENTERRADOS, TODOS NÓS, com os “especialistas” ficando “surpresos” de porque o nosso resultado é um dos PIORES do MUNDO, ou então, INVENTANDO estorinhas ESTAPAFÚRDIAS, SEM PÉ NEM CABEÇA, autênticos PEGA-TROUXA…

      4+
      • avatar
  • Falido.com 26 de junho de 2020 at 11:31

    Bom dia pra quem está tomando cloroquina, fazendo arminha e esperando a ajuda emergencial…#vaidacertu👍

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lord of All 26 de junho de 2020 at 12:15

      Também inventando desculpas contra o caso queiroz e justificando o apoio do centrão.

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Falido.com 26 de junho de 2020 at 15:37

        Hahahaha

        0
  • Falido.com 26 de junho de 2020 at 11:58

    Itaú “briga” e ridiculariza publicamente a XP….. Ahammmm😉

    https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://www1.folha.uol.com.br/amp/mercado/2020/06/itau-deve-repensar-a-participacao-se-estiver-desconfortavel-diz-socio da xp

    Entenda a briga
    A “briga” começou na noite de terça (23), quando o Itaú veiculou um comercial dizendo que há um conflito de interesses na função de assessor de investimentos, uma vez que as corretoras “pagam comissão para seus assessores de acordo com os investimentos feitos pelos clientes”.

    Uma das principais empresas que faz este tipo de negócio é a XP, da qual o próprio Itaú é sócio, com 49% do capital. O CEO da XP, Guilherme Benchimol, respondeu ao comercial, que considerou um “ataque” do Itaú.

    O executivo afirmou que sua empresa “está há 20 anos lutando contra um sistema financeiro concentrado” e que “nunca se preocupou com o cliente”. Benchimol ainda usou o famoso slogan do Itaú, “Feito para você”, para afirmar que “se tem algo que o banco não é, nem nunca foi, é ser feito para você”.

    “Desde o início, levamos educação financeira para as pessoas e mostramos que investimento se faz com visão de longo prazo e transparência. Para alcançar a nossa missão, contamos com mais de 7.000 assessores independentes, que trabalham incansavelmente para trazer as melhores oportunidades para os investidores”, disse o executivo, em suas redes sociais.

    “A campanha do Itaú só reforça que estamos no caminho certo. Para o maior banco do país, com mais de 90 anos de tradição, ir a público e ofender uma profissão tão fundamental para o desenvolvimento financeiro dos brasileiros, é porque realmente percebeu que não consegue mais competir colocando o cliente em primeiro lugar”, declarou o executivo.

    A ABAAI (Associação Brasileira de Agentes Autônomos de Investimentos) também se manifestou contra a campanha publicitária do Itaú. Segundo a associação, o comercial faz uma “injúria ao trabalho de mais de 12.000 profissionais certificados”, lembrando que “os agentes autônomos de investimentos têm comportamento exemplar no relacionamento com seus clientes”.

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 26 de junho de 2020 at 16:58

    O Santander anunciou hoje uma redução da taxa de juro do crédito imobiliário de 7,99% ao ano mais taxa referencial (TR) para 6,99% ao ano mais TR.

    A taxa é válida para financiamentos de imóveis novos e usados, a partir de R$ 90 mil, até 35 anos. O banco financia até 80% do valor e o comprometimento deverá ficar em até 35% da renda, composta com mais de uma pessoa, mesmo sem ter parentesco.

    https://valorinveste.globo.com/produtos/imoveis/noticia/2020/06/26/santander-reduz-taxa-de-juro-de-crdito-imobilirio-para-699-pontos-percentuais-ao-ano-mais-tr.ghtml

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 26 de junho de 2020 at 17:11

    O presidente Jair Bolsonaro está convencido de que o caminho para reverter a queda de sua popularidade passa pelo reforço da área social. Por isso, determinou à equipe econômica que encontre recursos para turbinar o Bolsa Família, que passará a se chamar Renda Brasil, numa tentativa de se desvincular do programa criado pelo governo Lula.

    A pressa é grande. O governo sabe que toda a reformulação dos programas sociais tem que passar pelo Congresso. Assim, quanto antes o Renda Brasil estiver fechado, mais fácil será negociar com o Congresso. O Planalto acredita que o Centrão será fundamental nesse processo.

    http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/bolsa-familia-sera-turbinado-e-gastos-podem-chegar-a-r-70-bilhoes-por-ano/

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 26 de junho de 2020 at 18:34

    Faria Lima Elevator @FariaLimaElevat

    O ano é 2030 e o Ibovespa ainda oscila entre 93k com 97k. Traders ainda esperam os 100k ansiosamente

    6+
    • avatar
    • avatar
  • homelessbubbles 26 de junho de 2020 at 18:43
  • CArlos 26 de junho de 2020 at 18:45

    Párias

    Notícias de última hora: A UE proibirá a maioria dos viajantes dos EUA, Rússia e Brasil, que foram excluídos de uma lista de países considerados como limitadores do coronavírus

    A maioria dos viajantes dos EUA será barrada da UE Quando o bloco reabrir

    A Europa permitirá que pessoas de fora entrem novamente em 1 de julho, mas os EUA e a Rússia estão entre os países considerados muito arriscados porque não controlaram o surto de coronavírus.
    Bruxelas – A União Europeia proibirá a maioria dos viajantes dos Estados Unidos, Rússia e dezenas de outros países considerados muito arriscados porque não controlaram o surto de coronavírus, na UE. funcionários disseram sexta-feira.

    Por outro lado, viajantes de mais de uma dúzia de países que não são afetados pelo coronavírus serão bem-vindos quando o bloco reabrir após meses de bloqueio em 1º de julho. Os países aceitáveis ​​também incluem a China – mas somente se a China permitir que os viajantes da União Européia bem, disseram as autoridades.

    A lista de países seguros foi concluída pela UE. diplomatas seniores em Bruxelas após negociações tortuosas sobre como reabrir o bloco de 27 membros ao comércio e ao turismo sob um conjunto de padrões comuns após meses de bloqueio.

    A lista foi apoiada em princípio pela maioria da UE. embaixadores e não precisa de apoio unânime, mas ainda precisa ser formalizado nas capitais dos estados membros e na burocracia da União Européia Central antes de entrar em vigor em 1º de julho. Diplomatas não esperavam que a lista mudasse.

    EU. As autoridades divulgaram pela primeira vez na terça-feira que os Estados Unidos, que relataram mais mortes e infecções por coronavírus do que qualquer outro país, eram altamente improváveis ​​de fazer a lista final.

    A exclusão dos Estados Unidos, uma importante fonte de turismo para a União Europeia, representou uma forte repreensão à administração do governo Trump do flagelo do coronavírus.

    Os países que fizeram a lista segura, incluindo Canadá e Austrália, foram julgados por uma mistura de critérios científicos que incluíam suas taxas de infecção e a credibilidade de seus dados de relatórios de saúde pública. A lista será atualizada a cada duas semanas, aumentando a possibilidade de inclusão de países excluídos.

    As autoridades que revelaram o conteúdo da lista final falaram sob condição de anonimato antes do seu lançamento oficial na próxima semana.

    https://www.nytimes.com/2020/06/26/world/europe/europe-us-travel-ban.html

    2+
  • homelessbubbles 26 de junho de 2020 at 18:46

    E até tinha gostado da indicação. Mas isso, no meio acadêmico, é gravíssimo. E para alguém que quer ser ministro da educação….
    https://g1.globo.com/educacao/noticia/2020/06/26/reitor-de-universidade-argentina-diz-que-decotelli-nao-concluiu-doutorado-novo-ministro-diz-que-cursou-todos-os-creditos.ghtml

    5+
    • avatar
    • avatar
    • homelessbubbles 26 de junho de 2020 at 18:49

      Decotelli teria reprovado no exame de qualificação. Antes quem venham com teorias, meio doutorado não existe, é o mesmo que nada.
      https://www.oantagonista.com/videos/exclusivo-decotelli-foi-reprovado-em-doutorado-diz-reitor-argentino/?desk

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CArlos 26 de junho de 2020 at 18:53

        O reitor disse que a tese dele foi reprovada logo não tem o título, agora querem passar o pano dizendo que fez os créditos.
        Eita gentinha picareta.
        Este novo ministro já foi acusado de corrupção e segundo a imprensa tem “trânsito livre com o centrão”.
        Nada de novo no pior governo da história, e olha que ainda não chegou nem na metade.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • CArlos 26 de junho de 2020 at 18:50

      Volta e meia algum ministro ou similar vira notícia por ter mentido no currículo, como é no Brasil não vai virar nada como nunca virou.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • homelessbubbles 26 de junho de 2020 at 18:52

        Mentido no currículo, plagiado teses e dissertações…Enfim, isso (ainda) não desqualifica o atual ministro da educação, pois seu trabalho ainda não iniciou, mas mostra um desvio de caráter grave.

        5+
        • avatar
        • CArlos 26 de junho de 2020 at 18:57

          O Lattes é um documento oficial, ele cometeu crime de falsidade ideológica.
          Se este sujeito fosse minimamente honesto ou tivesse um pouco de vergonha na cara pediria pra sair.
          Mas ele sabe muito bem que brasileiro em boa parte adora bandido e tolera atos criminosos, bem como a nossa justiça então vai ficar de boa e será considerao um “ixperto” por muita gente.

          7+
          • avatar
          • avatar
          • CArlos 26 de junho de 2020 at 19:11

            Opa, esquecí que o Brasil sendo o Brasil as noções de certo e errado e conduta ética são mais “relaxadas”…

            MENTIR NO CURRÍCULO LATTES É CRIME?

            NÃO! O STJ ENTENDE QUE NÃO É CRIME MENTIR NO CURRÍCULO. VEJA A DECISÃO.

            Não é típica a conduta de inserir, em currículo Lattes, dado que não condiz com a realidade. Isso não configura falsidade ideológica (art. 299 do CP) porque: 1) currículo Lattes não é considerado documento por ser eletrônico e não ter assinatura digital; 2) currículo Lattes é passível de averiguação e, portanto, não é objeto material de falsidade ideológica. Quando o documento é passível de averiguação, o STJ entende que não há crime de falsidade ideológica mesmo que o agente tenha nele inserido informações falsas. STJ. 6ª Turma. RHC 81.451-RJ, Rel. Min. Maria Thereza de Assis Moura, julgado em 22/8/2017 (Info 610)”

            Quem quiser pode mentir a vontade…

            6+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
        • CArlos 26 de junho de 2020 at 19:01

          Outra coisa, pode ter ocorrido deste palhaço ter recebido gratificações ou outros penduricalhos por supostamente ter título de doutor como é muito comum no serviço público.
          Se o fez cometeu ainda outros crimes.

          5+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • homelessbubbles 26 de junho de 2020 at 19:03

            Aí é crime, sem dúvidas.

            3+
            • avatar
            • avatar
        • CArlos 26 de junho de 2020 at 19:03

          Do resto é a cara do brasil e da índole de muitos brasileiros, um MINISTRO DA EDUCAÇÃO que mentiu descaradamente no currículo, foi pego, e continua a mentir descaradamente…

          4+
          • avatar
          • avatar
  • CArlos 26 de junho de 2020 at 19:28

    OFF – Sobre a última patifaria da [email protected]

    Nova Gasolina: MELHOR e MAIS CARA. ENTENDA o que muda no nosso combustível. Vale a pena?

    A nova gasolina foi aprovada e começará a ser vendida em agosto de 2020. Mas o que muda? Será melhor? Mais cara? Trará menor consumo? Por que essa gasolina está gerando polêmica antes mesmo de começar a ser vendida? Nesse vídeo vamos explicar tudo o que muda e acabar com alguns mitos sobre a nova gasolina brasileira.
    Em Janeiro de 2020 foi aprovada a mudança na nova gasolina brasileira, mas nos últimos dias é que isso veio a tona, após o anúncio da Petrobrás afirmando que estava pronta para produzir. Ela chega para auxiliar os motores a atenderem a novas normas de emissões de poluentes que entrarão em vigor em 2022 e 2025, chamadas de PROCONVE L7 e PROCONVE L8 respectivamente. Ainda, promete diminuir ou pelo menos dificultar muito a adulteração, um dos principais problemas que temos nos postos de combustíveis atualmente.
    A nova resolução 807/20 da ANP para a gasolina tipo C fala principalmente em 3 modificações: na massa específica mínima, na octanagem e no ponto de destilação a 50%. Mas a porcentagem de etanol anidro presente permanece a mesma, 27% para gasolina comum e 25% para gasolina premium.
    Como engenheiros, fomos atrás de tudo o que irá acontecer e nesse vídeo explicaremos tudo para vocês. Todos os mitos e verdades sobre a nova gasolina, em relação à sua qualidade, consumo e valores.

    https://www.youtube.com/watch?v=ForBAt5YlWQ

    4+
    • avatar
    • homelessbubbles 26 de junho de 2020 at 20:58

      Ótimo canal sobre carros. Talvez o melhor do youtube.

      4+
      • avatar
  • CArlos 26 de junho de 2020 at 20:40

    Lojas de shoppings em SP têm queda de até 90% na receita após reabertura

    Lojistas de shoppings na capital paulista tiveram queda de até 90% na receita após a reabertura das atividades em relação ao período pré-pandemia, afirmou hoje a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop).

    Segundo levantamento da entidade, feito entre 24 e 26 de junho com associados representando quatro mil pontos de venda no país, 32% dos lojistas relataram que o faturamento caiu 90%, enquanto para 41% deles a receita caiu em até 80%.
    “A queda foi vertiginosa nas vendas, o que mostra o quanto o setor do comércio foi comprometido com a pandemia. Os prejuízos estimados estão em 35 bilhões de reais e só na grande São Paulo 10% das lojas não vão mais reabrir por falta de condições o que irá aumentar o desemprego, além da queda da arrecadação”, afirmou Nabil Sahyoun, presidente da Alshop.

    Em todo o estado há cerca de 180 shoppings que empregam milhares de pessoas, além dos empregos indiretos gerados pela atividade econômica dos empreendimentos.

    Para as lojas fora da capital paulista, 35% dos associados informaram uma queda de até 80% no faturamento, seguido de 29% que registraram queda de até 70% nas vendas.

    Ainda de acordo com a consulta, 41% dos lojistas afirmaram que as venda online ainda não são relevantes para o faturamento. Para 26,5% esse canal movimenta até 10% do faturamento e 23,5% deles contaram que isso responde por até 20% do total.

    Dos entrevistados, 71% afirmam aplicar descontos em produtos para estimular compras, mas 29% diz não ter condições de promover ações específicas no momento.

    https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2020/06/26/lojas-de-shoppings-em-sp-tem-queda-de-ate-90-apos-reabertura.htm

    4+
    • avatar
  • CArlos 26 de junho de 2020 at 20:42

    Recuperação prevista por Guedes em “V”, para analistas será em “U”

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a lançar mensagens otimistas fora da realidade sobre a economia brasileira nesta quinta-feira (25). Desta vez foi no programa semanal ao vivo do presidente Jair Bolsonaro, nas redes sociais. Guedes, que costuma se entusiasmar com a própria voz, previu uma recuperação em “V” da economia e declarou que “o Brasil vai surpreender o mundo”.

    Exceto o próprio Guedes, não é possível encontrar ninguém, com um mínimo de capacidade de analisar tendências econômicas, mantendo expectativas de recuperação em “V” para a economia brasileira. Recuperação em “V” significa que, depois de uma queda forte, a atividade econômica retorna, ou mesmo supera, rapidamente o nível imediatamente pré-queda. É mais provável que a atividade econômica brasileira apresente uma recuperação em “U”, demorando pelo menos dois anos para voltar ao nível existente antes da pandemia.

    Guedes diz não acreditar em previsões econômicas, mas não cansa de espalhá-las. No mesmo programa de Bolsonaro, para refutar as projeções mais pessimistas, em relação o desempenho da economia, o ministro mencionou informações do seu ministério sobre o consumo de energia. De acordo com Guedes, esse consumo estaria “apenas” 4% menor, comparação dos primeiros 20 dias de junho deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado.

    Para Guedes, isso significaria uma redução de atividade menor do que a alardeada. Aqui, no entanto, o ministro incorre no mesmo erro que ele próprio atribui aos que projetam queda forte do PIB em 2020. Está chutando.

    Artigo completo:
    https://economia.uol.com.br/colunas/jose-paulo-kupfer/2020/06/26/recuperacao-prevista-por-guedes-em-v-para-analistas-sera-em-u.htm

    4+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 26 de junho de 2020 at 20:55

    Propaganda do SANTANDER agora:
    Tem muita gente PRECISANDO vender e tem muita gente querendo comprar

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 26 de junho de 2020 at 20:57

      Inclusive o banco está PRECISANDO vender:

      O Santander Brasil (SANB11) está realizando, até a próxima terça-feira (30), a Super Venda de Imóveis, com leilões de 718 empreendimentos com até 70% de desconto.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • perdido no rio 27 de junho de 2020 at 00:28

    O Finge Zap sempre foi uma vergonha, mas alguém notou que pararam de atualizar os números?

    Fui lá agora para rir um pouco e vi que o último mês com dados do m2 é NOVEMBRO/19. Por que será?

    https://fipezap.zapimoveis.com.br/

    14+
    • avatar
    • avatar
    • perdido no rio 27 de junho de 2020 at 00:30

      Acho que eu não deveria ter colocado o link, era só para facilitar a visita.

      2+
  • CArlos 27 de junho de 2020 at 06:31

    Mais do mesmo, ou mudou tudo pra ficar da mesma maneira, petismo e bolsonarismo, moscas novas mesma [email protected]

    Negociação entre governo e Caixa trava duas faixas do Minha Casa, Minha Vida

    União quer diluir pagamento de subsídios pelo prazo dos contratos; banco, que hoje recebe à vista, resiste à mudança

    BRASÍLIA – Na tentativa de ampliar o número de novos financiamentos pelo Minha Casa Minha Vida, o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) tem encarado uma negociação dura com a Caixa, para diluir o pagamento dos subsídios a duas faixas do programa habitacional ao longo do prazo dos contratos, que podem durar até 30 anos. Segundo apurou o Estadão/Broadcast, o banco resiste à mudança, sobretudo num momento em que seu caixa já está pressionado pelas medidas adotadas na crise.

    O impasse acabou travando as negociações do novo programa habitacional, chamado provisoriamente de Casa Verde Amarela e que será uma das frentes da nova política social da gestão Jair Bolsonaro. Fontes do governo contavam em lançar o novo Minha Casa no fim de junho, o que não vai se confirmar.

    O entrave se soma à dificuldade da pasta em conseguir convencer a área econômica a reduzir as taxas de juros praticadas nesses financiamentos. Como mostrou o Estadão/Broadcast, o FGTS resiste porque a cobrança de um juro menor afetará a rentabilidade do fundo, que também está com o caixa sobrecarregado pelas ações de socorro durante a pandemia. O MDR quer agora viabilizar ao menos uma redução nos juros para famílias no Norte e no Nordeste, onde Bolsonaro tenta ampliar sua base de eleitores. A expectativa é que o assunto seja levado ao Conselho Curador do FGTS na próxima reunião, em julho.

    Os financiamentos das faixas 1,5 e 2 do Minha Casa, que contemplam respectivamente famílias com renda até R$ 2,6 mil e R$ 4 mil, são concedidos com juros subsidiados, ou seja, abaixo do praticado pelo mercado. Essa subvenção é bancada pelo FGTS. Dos R$ 9 bilhões previstos este ano para os subsídios do Minha Casa, cerca de R$ 6 bilhões serão repassados ao banco em forma de subvenção.

    O problema, na visão do governo, é que a Caixa recebe à vista o valor do subsídio referente a parcelas e juros de períodos ainda não decorridos, uma vez que o contrato de financiamento tem prazo de até 30 anos. Os defensores da mudança sustentam que o banco deveria receber os valores da subvenção no mesmo ritmo do vencimento das parcelas, ao longo do contrato. Na prática, esse formato abriria espaço para que o valor reservado aos subsídios no orçamento do FGTS financiasse ainda este ano um número maior de aquisições de imóveis.

    A Caixa é contra a mudança porque a medida poderia desfalcar suas reservas e comprometer os resultados do banco num momento em que a instituição já está pressionada pelas pausas de até 120 dias no pagamento de financiamentos, inclusive imobiliários, concedidas a clientes.

    Segundo apurou a reportagem, a Caixa deixou de cobrar as parcelas dos financiamentos imobiliários, mas continua efetuando as devoluções previstas ao FGTS nos contratos que têm recursos do fundo como fonte de financiamento.

    Críticos dentro do governo afirmam que a Caixa adotou a pausa de maneira indiscriminada, concedendo o benefício inclusive para servidores públicos que continuam recebendo seus salários normalmente, e isso acaba diminuindo o poder de fogo do banco em outras frentes.

    TCU

    O pagamento à vista do subsídio já foi alvo de questionamentos no Tribunal de Contas da União em 2016, após estudo da consultoria do Senado apontar que o balanço da Caixa estava sendo inflado pelas receitas da subvenção. Na época, detectou-se que a Caixa contabilizava todo o recurso como receita operacional de forma imediata, antes mesmo das contratações. Segundo o TCU, a impropriedade contábil foi corrigida ainda em 2016, mas o banco continua recebendo os valores à vista.

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,negociacao-entre-governo-e-caixa-trava-duas-faixas-do-minha-casa-minha-vida,70003346430

    5+
    • avatar
    • CA 27 de junho de 2020 at 08:44

      Carlos,

      Acima estão falando de apenas UMA das INÚMERAS GAMBIARRAS que a CEF utiliza para via SUBSÍDIOS bancados pelo governo ter LIQUIDEZ para manter a BOLHA IMOBILIÁRIA, especificamente no MCMV. Destaco trecho a respeito:

      “O pagamento à vista do subsídio já foi alvo de questionamentos no Tribunal de Contas da União em 2016, após estudo da consultoria do Senado apontar que o balanço da Caixa estava sendo inflado pelas receitas da subvenção. Na época, detectou-se que a Caixa contabilizava todo o recurso como receita operacional de forma imediata, antes mesmo das contratações. Segundo o TCU, a impropriedade contábil foi corrigida ainda em 2016, mas o banco continua recebendo os valores à vista.”

      A intenção do DESGOVERNO, como SEMPRE, é PÉSSIMA: para fins POLITIQUEIROS, visando recuperar a POPULARIDADE do BOZO a QUALQUER PREÇO, querem AUMENTAR o número de imóveis via MCMV.

      Apesar da PÉSSIMA intenção, a ideia de que o subsidio devesse ser pago ao longo dos 30 anos de financiamento e não de uma vez, é sem dúvida MENOS ERRADA do que pagar tudo de uma vez para a CEF, porque ao pagar tudo de uma vez, na realidade é uma PEDALADA FISCAL de ANTECIPAÇÃO de receitas para o banco gerar um caixa e liquidez que não vem de suas operações, mas sim, do dinheiro dos impostos que pagamos.

      É menos errado, mas ainda assim, o PIOR de tudo é que por trás disto, temos o SUBSÍDIO em si que querem aumentar e este é o grande CRIME, pois é ele que alimenta as DISTORÇÕES da BOLHA IMOBILIÁRIA e todos os seus efeitos NEFASTOS para economia.

      IMPORTANTE: MAIS DO QUE NUNCA, em virtude da CRISE AGUDA que vivemos, querer NÃO é poder!

      A CEF, o FGTS e o Governo estão QUEBRADOS e com ROMBOS BILIONÁRIOS no FGTS nos últimos meses e possivelmente nos próximos, as MAQUIAGENS e PEDALADAS da CEF para esconder INADIMPLÊNCIA e SIMULAR LIQUIDEZ, já estão NO LIMITE, logo, para operacionalizar a medida POPULISTA acima, vão acabar DESTRUINDO de tal maneira os fundamentos, que não haverá mais como ENGANAR e as FARSAS irão aparecer, ou seja, será o autêntico TIRO NO PÉ.

      A conferir…

      6+
      • avatar
  • Cajuzinha 27 de junho de 2020 at 09:13

    26/06/2020 18h46

    Lojistas de shoppings na capital paulista tiveram queda de até 90% na receita após a reabertura das atividades em relação ao período pré-pandemia, afirmou hoje a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop).

    Segundo levantamento da entidade, feito entre 24 e 26 de junho com associados representando quatro mil pontos de venda no país, 32% dos lojistas relataram que o faturamento caiu 90%, enquanto para 41% deles a receita caiu em até 80%.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 27 de junho de 2020 at 10:26

      Cajuzinha,

      Isto sem contar aquelas lojas de shopping que estão entre os 27% que não teriam tido queda de 80% ou mais na receita, mas por um péssimo motivo: as receitas deixavam a desejar desde ANTES da PANDEMIA e as contas já não fechavam, só que os donos insistiam no negócio esperando por alguma melhora futura, ou seja, mesmo com uma queda menor do que 80% nas vendas, foi sobre uma base que já era RUIM antes e o negócio agora ficou totalmente INSUSTENTÁVEL.

      Esta queda de 80% ou mas nas vendas afetando mais de 70% das lojas de shoppings, pode ser apenas no curtíssimo prazo e por exemplo, levar menos de 1 mês nestes patamares, em função das famílias irem “perdendo o medo” de frequentarem os shoppings, especialmente nos casos das cidades em que eventualmente se alcance um platô em casos e mortes por Covid-19 e assim haja perspectiva de redução no número de casos e mortes no futuro próximo, trazendo um sentimento de “menos riscos” para a população em geral, além é claro do DESEJO INCONTIDO de tentar voltar ao consumo e ao padrão de vida que tinham antes, no entanto, é bem provável que teremos uma redução ainda sensível nas vendas das lojas no mínimo no médio prazo (6 meses a 1 ano), com queda em relação ao pré-pandemia na ordem de 30% a 50% nas vendas para a grande maioria das lojas, considerando-se os pontos abaixo:

      1) A QUEDA nos empregos e na renda não terá duração tão curta, ao contrário: depois que o governo retirar os auxílios emergenciais, a tendência é o consumo cair ainda mais e isto retroalimente o circulo vicioso da perda de empregos e renda;

      2) O próprio fechamento de lojas que não aguentaram a interrupção prolongada nas operações e/ou não conseguiram os financiamentos PROMETIDOS pelo governo (incentivos estes que não alcançaram a IMENSA MAIORIA das pequenas empresas) será outro canal a alimentar o circulo vicioso de perda de empregos e renda;

      3) A indústria de forma geral, após o período de “estabilidade” de empregos para aquelas que suspenderam contratos de trabalho ou reduziram salários, frente a uma queda de demanda PERSISTENTE trazida pelos fatores acima, será OBRIGADA a reduzir suas estruturas de pessoal e mais uma vez isto alimentará o círculo vicioso da perda de empregos e renda;

      4) Provavelmente, segmentos muto dependentes de financiamentos de longo prazo e que já possuíam DISTORÇÕES ELEVADAS entre o preço de seus produtos e a renda, além de forte dependência de SUBSÍDIOS do governo e outras ANOMALIAS, como os setores imobiliário e automobilístico, terão um impacto MUITO MAIOR do que as indústrias em geral mencionadas no item 3. Isto ocorrerá porque no contexto acima, o SUPER-ENDIVIDAMENTO e a INADIMPLÊNCIA das famílias irão disparar MUITO MAIS e eles já partiram de patamares ANORMAIS em função da BOLHA IMOBILIÁRIA. Um consequência natural deste contexto será aumentar o número de construtoras entrando em recuperação judicial e fechamento de algumas plantas de empresas do setor automobilístico, provavelmente com mais algumas marcas deixando de operar no país. Outro fator para alimentar fortemente o circulo vicioso de perda de emprego e renda;

      5) O setor de serviços, fortemente dependente do que consta acima, verá uma QUEDA RELEVANTE nos negócios, em especial conforme estes cenários forem se confirmando. E isto será aplicável tanto aos serviços do empreendedorismo por NECESSIDADE, quanto às atividades mais sofisticadas, como aquelas ligadas a segmentos de tecnologia da informação.

      Possíveis AGRAVANTES:

      A) Liberamos quarentena gradualmente nos grandes centros ÀS CEGAS, sem que até hoje tenhamos testes EM MASSA para sabermos a REAL EVOLUÇÃO da PANDEMIA. Isto representa um alto risco de DISPARADA nos casos de contaminação e mortes poucas semanas depois da reabertura gradual, levando ao “efeito gangorra”, ou seja, a volta de restrições mais pesadas e assim, intensificando os efeitos negativos de tudo que consta acima;

      B) O governo continuando com seus discursos NON-SENSE e sua FALTA DE AÇÃO quanto a questões ecológicas, está alimentando o PROTECIONISMO no Exterior e isto poderá se refletir em perdas relevantes para o agronegócio já no curto prazo. Idem quanto às CRISES POLÍTICAS alimentadas SEMANALMENTE pelo governo que AFASTAM INVESTIDORES e ainda, as constantes ameaças de IMPEACHMENT devido a INÚMEROS CRIMES cometidos pelo governo federal, mais o risco relevante do Bozo virar um governo ZUMBI como aconteceu com o Temer caso as investigações sobre os crimes dos filhotes dele constatem o ÓBVIO e isto se reflita em total perda de GOVERNABILIDADE;

      C) Riscos de crise sistêmica e cambial não estão descartados, ao contrário, parecem cada vez mais possíveis, principalmente considerando-se todos os fatores acima misturados com o aumento nas PEDALADAS e MAQUIAGENS para TENTAREM manter escondida a BOLHA IMOBILIÁRIA, com ações SUICIDAS como a que foi colocada acima, do governo buscar aumentar o MCMV.

      A conferir…

      6+
      • avatar
  • CArlos 27 de junho de 2020 at 09:34

    Mais um sucesso da polítia externa bovina….

    Entidades europeias abrem processo para suspender acordo com Mercosul

    Questionado, o acordo comercial entre o Mercosul e a Europa passa a ser alvo de um processo formal em Bruxelas. Entidades de direitos humanos e ambientais da UE entraram com uma queixa formal diante da Comissão Europeia para que o tratado seja anulado. O motivo: as políticas de Jair Bolsonaro no setor de direitos humanos e meio ambiente.

    O acordo, depois de 20 anos de negociações, foi assinado em meados de 2019. Mas, imediatamente, o tratado que abre o comércio entre os dois blocos passou a ser alvo de críticas por parte de diferentes grupos. Três parlamentos já votaram moções contra o projeto, o que demonstra a dificuldade que governos terão para ratificar o acordo. Para que entre em vigor, todos os 27 países da UE terão de estar de acordo com os termos do pacto.

    A assinatura do tratado foi vendida por Brasília como um trunfo da política externa de Ernesto Araújo, na esperança de mostrar que o país não estava isolado.

    Os europeus, porém, admitem nos bastidores que o Brasil “entregou tudo” e cedeu em alguns dos principais pontos da negociação. Na prática, os exportadores europeus terão maiores vantagens que os exportadores do Mercosul, limitados por cotas consideradas como insuficientes para o setor agrícola. O argumento de que a Europa saiu ganhando tem sido usado pela Comissão Europeia para tentar convencer os demais parceiros dentro do bloco de que o pacto é vantajoso.

    Mas a oposição ganha contornos cada vez claros. Nesta semana, cinco entidades europeias entraram com uma queixa em Bruxelas oficializando o pedido para que o processo seja suspenso.

    A iniciativa conta com a Federação Internacional de Direitos Humanos, a ClientEarth, Fern, Veblen Institute e La Fondation Nicolas Hulot pour la Nature et l’Homme. A documentação foi entregue ao Ombusdman da UE, um canal pelo qual a sociedade civil pode questionar o funcionamento da Comissão Europeia e exigir mudanças.

    O principal argumento é de que a UE fechou o acordo sem que uma avaliação ambiental completa tivesse sido realizada, deixando ainda de fora aspectos de direitos humanos. “Ficou claro que a Comissão concluiu as negociações com o Mercosul sem ter concluído previamente o processo de avaliação ambiental”, diz o processo obtido pela coluna.

    https://noticias.uol.com.br/colunas/jamil-chade/2020/06/27/entidades-europeias-abrem-processo-para-suspender-acordo-com-mercosul.htm

    5+
    • avatar
    • CA 27 de junho de 2020 at 10:38

      CArlos,

      RESUMO:

      O acordo do Mercosul com UE, super-comemorado pelo Bozo e ZUMBOZOS, era puramente MARKETEIRO, pois era PREJUDICIAL para o Brasil ao impor muito mais restrições ao Mercosul do que à UE, ou seja, ficaríamos no PREJUÍZO, a UE no LUCRO, mas o que interessa, é que da forma SIMPLISTA de SEMPRE e com MUITA DESINFORMAÇÃO, o governo poderia vender isto como uma “vitória”.

      Só que a nossa situação é tão RUIM e o governo tão INCOMPETENTE, que o pessoal da UE já está reavaliando e achando que pode LUCRAR ainda mais: oras, se a UE puder BOICOTAR em percentual RELEVANTE as exportações do Brasil e de outros países do Mercosul, sob a alegação de PRESERVAÇÃO AMBIENTAL ou de NÃO INCENTIVAR REGIMES ANTI-DEMOCRÁTICOS, eles entendem que isto poderá ser muito mais benéfico para os produtores locais da UE, principalmente porque eles sabem que graças a este governo DESASTROSO do Brasil, deveremos ter uma das MAIORES QUEDAS DO PIB no MUNDO e isto se refletirá em menos importações ainda, ou seja, a UE teria muito pouco a perder se não ocorrer esta negociação.

      Pois é, este governo bate todos os recordes de INCOMPETÊNCIA e assim busca bater os recordes de ESTRAGOS para economia e sociedade também e neste caso, podendo até superar os PREJUÍZOS causados pelo PT, se continuarem fazendo os ABSURDOS que temos visto…

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 27 de junho de 2020 at 11:17

    A necessidade menor de locomoção em decorrência do isolamento social derrubou o setor de transporte urbano. No segmento de locação de veículos, por exemplo, a pandemia do coronavírus levou à paralisação cerca de 90% da frota cearense ao fim de abril. Com a demanda menor, cerca de 20% dos 4.466 trabalhadores que o ramo empregava antes do avanço da doença no Estado foram demitidos, de acordo com a Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla).

    diz o presidente do Sindicato das Locadoras de Veículos do Ceará (Sindiloc-CE) e diretor regional da Abla, Carlos Augusto da Silva. “Acredito que em 90 dias, nós teremos nos recuperado em cerca de 50%”.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 27 de junho de 2020 at 11:20

    Outrora apelidada de Calçada da Fama, a Rua Fernando Gomes, no bairro Moinhos de Vento, é hoje um exemplo vivo dos efeitos da pandemia na atividade econômica e dos percalços na retomada do setor de serviços na região e em Porto Alegre como um todo.

    Um dos seus bares mais tradicionais, o Dado Pub, encerrou em definitivo as atividades, assim como já havia fechado por tempo indeterminado o Constantino Café, dias antes. Dos que restaram, o Bar do Gomes ainda atua somente em delivery. À sombra das charmosas árvores decoradas com lâmpadas, somente o Maestro Gastronomia está de portas abertas.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 27 de junho de 2020 at 16:19

    Investidores e imóveis comerciais, um caso de amor abalado pelo coronavírus
    Inadimplência, novas tecnologias e home office abalam a estabilidade de investimentos imobiliários
    E-INVESTIDOR
    [email protected]
    27/06/2020, 15:13

    7+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 27 de junho de 2020 at 16:22

      Será que está acontecendo o mesmo no Brasil?

      O problema mais imediato é o atraso no pagamento de milhares aluguéis. Qualquer recessão sempre traz consigo algum grau de inadimplência, mas a quarentena está levando partes dessa indústria à anarquia. Cerca de um quarto das lojas de rua, metade dos locatários de espaços em shoppings e 60% dos restaurantes dos Estados Unidos e de outros mercados ocidentais não estão pagando o que devem. Isso pode ser efeito tanto de uma rebelião espontânea quanto de uma liberalidade dos locadores.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 27 de junho de 2020 at 16:24

        Administradores de espaços comerciais e veículos de investimento podem estar sendo empurrados a mascarar as dificuldades enfrentadas.

        Alguns deles, por exemplo, têm socorrido locatários em dificuldade, talvez para evitar admitir uma situação de inadimplência. Outros se aferram a avaliações irrealistas do valor dos imóveis – estratégia facilitada por práticas contábeis arcaicas, típicas do setor.

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cajuzinha 27 de junho de 2020 at 16:26

          Historicamente, os imóveis comerciais sempre foram uma classe de ativos lenta: os contratos duram anos e o comportamento dos locatários tende a permanecer relativamente estável. Com isso, proprietários e seus financiadores se acostumaram a um negócio que muda com a agilidade de um paquiderme. Durante duas décadas, comprar um edifício comercial foi uma receita certeira para quem queria uma fonte simples e confiável de dinheiro – e uma noite tranquila de sono. É hora de acordar.

          11+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • CA 27 de junho de 2020 at 19:32

            Cajuzinha,

            No Brasil temos muitos casos de herdeiros que ficaram com andares ou prédios inteiros e achavam que nunca mais iam ter que se preocupar com nada.

            Lembram-se do filho do fundador das Casas Bahia? Investiu pesado em imóveis comerciais com o dinheiro que recebeu da venda de parte da empresa.

            E da noite para o dia, o sonho virou PESADELO!

            Interessante observar que MAIS UMA VEZ o Brasil FINGE estar em um UNIVERSO PARALELO:

            Enquanto o MUNDO INTEIRO fala sobre a aceleração do APOCALIPSE DO VAREJO, a revolta dos locatários e os PREJUÍZOS super elevados para donos de imóveis comerciais, aqui no Brasil continuam FINGINDO que isto não existe.

            E esta mundo de FAZ DE CONTA, que já cansamos de ver quanto a imóveis residenciais, ao CONTRÁRIO do que muitos pensam, não significa que aqui somos mais “ixpertos” (sic) ou “poderosos” que os outros países, não significa que temos uma adoração cega e única por imóveis, ou qualquer outra estória que já ouvimos muito, até aqui no blog.

            O que temos é uma vocação para o NEGACIONISMO, uma tentativa IRRACIONAL e SEM LIMITES de nos portarmos como AVESTRUZES, o hábito secular de defender com unhas e dentes que o “Brasil é diferente do resto do mundo”.

            Ironicamente, a única grande diferença para o resto do mundo é exatamente este NEGACIONISMO IRRACIONAL.

            E será que se comportar como um avestruz e esconder a cabeça debaixo da terra irá nos salvar?

            NÃO! Ao CONTRÁRIO, enfrentaremos consequências MUITO MAIS NEFASTAS em função disto!

            Teremos a PANDEMIA mais duradoura e descontrolada entre todas as economias.

            Teremos uma das maiores QUEDAS do PIB em todo o Mundo.

            Teremos uma das maiores QUEDAS em preços de imóveis comerciais e residenciais em todo o mundo.

            O que estamos plantando, são os resultados acima e muitos outros do mesmo tipo, o tempo inteiro.

            Por enquanto, estamos em etapa intermediária mas no caminho certo para chegarmos neste destino.

            A CEF já é a maior proprietária de imóveis à venda do PLANETA.

            O MCMV faixa 1 já detém inadimplência que é RECORDE MUNDIAL de todos os tempos, acima de 35%,.

            Os DISTRATOS BILIONÁRIOS que ocorrem todos os anos desde 2011, não encontram nenhum paralelo, em nenhum lugar do Mundo, para nenhum tipo de negócio e em qualquer tempo.

            A curva de crescimento exponencial de super-endividamento e inadimplência também não é superada por nenhum país, assim como a maior BOLSA CALOTE do mundo.

            Temos diversos outros recordes mundiais na mesma linha do que consta acima, como o recorde mundial de maquiagens e pedaladas da CEF, o governo mais ESTÚPIDO e SEM-NOÇÃO do planeta, o maior número de SARDINHAS na face da terra, os juros finais mais descolados dos juros básicos do planeta (como CONSEQUÊNCIA das PROFUNDAS DISTORÇÕES que constam acima) e daí por diante.

            Temos uma relação divida PIB que já era 50% acima da média dos emergentes ANTES de qualquer pandemia e onde teremos um distanciamento ainda maior depois da pandemia. Tivemos recordes mundiais, mais de uma vez, quanto a FUGA de investidores, subida do dólar e queda da bolsa. Agora estamos em busca de novos recordes: o governo atual quer ser visto como o recordista em desmatamento e em atos anti-democráticos, além de querer bater o recorde em declarações preconceituosas contra parceiros comerciais dos quais somos dependentes e o recorde MUNDIAL de CRISES POLITICAS em meio a PANDEMIA, além é claro de já estarmos sendo a PIOR REFERÊNCIA do mundo quanto ao combate à Covid-19 e isto vindo da boca do próprio Trump, que é IDOLATRADO CEGAMENTE pelo Bozo e seus ZUMBOZOS!

            Tem que ser COMPLETAMENTE CEGO para não entender que as situações acima cobrarão um alto preço através de uma DESTRUIÇÃO MUITO MAIOR para economia e sociedade do que ocorrerá nos outros países e não o contrário, como alguns COMPLETOS ALIENADOS acreditam…

            7+
            • avatar
            • avatar
            • Cajuzinha 27 de junho de 2020 at 21:47

              “Conhecerá a verdade e ele vós libertará”, mas preferem a ilusão.

              6+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • Cajuzinha 27 de junho de 2020 at 21:49

                Conhecereis*

                5+
                • avatar
                • avatar
  • Cajuzinha 27 de junho de 2020 at 21:54

    Taxa de desemprego na zona do euro provavelmente ainda estará ‘visivelmente mais alta’ até 2022
    DANIEL ROLAND/AFP/JC

    Dirigente do Banco Central Europeu (BCE), Isabel Schnabel,afirmou que os efeitos econômicos da crise gerada pela pandemia de covid-19 serão sentidos “muito além” de 2020. “As mudanças em nossa economia induzidas pela pandemia são, portanto, com toda a probabilidade, não apenas temporárias, mas estruturais”, disse a dirigente, em um discurso feito neste sábado.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Jonny Deep Blue 28 de junho de 2020 at 02:26

      Toda a cadeia produtiva será revista. Não dá para a China produzir tudo…

      3+
      • avatar
    • CA 28 de junho de 2020 at 07:46

      Cajuzinha,

      A aceleração de alguns fenômenos, como o home office, vendas pela Internet e restrições de aglomerações ou contatos muito próximos com desconhecidos de forma frequente, além dos impactos diretos e profundos nos resultados das economias, tendem a deixar seus traumas, em especial para alguns setores e por alguns ANOS.

      O home office ACELERADO, derrubou de uma vez só, “Unicórnios” completamente FALSOS, como o We Work e congêneres, ao deixar claro para todo mundo que você pode trabalhar de casa e não precisa alugar uma área com infra para isto, ao mesmo tempo que derrubou a ocupação de escritórios e também mostrou o quanto é sem sentido pagar uma fortuna por um CUBÍCULO, que não dá nem para ser usado em home office e que é muito dependente de áreas compartilhadas, só porque é próximo de metrô e em região mais central.

      Só o fenômeno acima já derrubou muito do que havia de BOLHA IMOBILIÁRIA para comerciais e residenciais, mais uma parte do ILUSIONISMO dos UNICÓRNIOS.

      A aceleração das vendas pela Internet derrubou de vez o setor de imóveis comerciais, principalmente em países onde o preço do m2 para compra ou aluguel estava completamente fora da realidade quanto a demais indicadores da economia e assim aqueles que eram proprietários dos imóveis, ao alugarem para lojistas, viravam “sócios com relevante participação nos negócios”. Hoje, vemos até a revolta das lojas, um movimento que já foi até chamado de “anarquia” em noticia que você colocou mais acima e de novo, as pessoas perceberam que aquela cobrança de aluguel era desproporcional aos resultados e ABUSIVA, aqueles imóveis NUNCA valeram o que era cobrado por eles.

      A DERROCADA dos Ubers e afins chegou em momento em que esta função estava no AUGE em todo o globo, como consequência da PROFUNDA DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS E DA RENDA, o que afetou outros UNICÓRNIOS, os de motoristas de aplicativos, com empresas SUPER AVALIADAS ao redor do globo. Este AUGE da função de motorista de aplicativos também servia para impulsionar o segmento automobilístico ao redor do globo. Mais uma vez, de forma dolorosa e traumática, as pessoas descobriram que não existe uma ocupação e forma de renda “mágicas”, que sempre estão disponíveis e que não requerem muito conhecimento para serem mantidos, sem nenhum risco. Estas pessoas viram suas rendas evaporarem da noite para o dia e junto com isto, evaporou também aquele filão que promoveu disparadas nos segmentos de aluguel de veículos e vendas das montadoras.

      Pode ter certeza que o que consta acima foi TRAUMÁTICO:

      Aqueles que tiveram que FECHAR suas lojas físicas tendem a não voltar a investir nesta modalidade de negócio. Muitos que viram a DERROCADA deste tipo de negocio, também não.

      Idem para quem comprava imóveis comerciais para alugar.

      Idem para quem era dependente de ser Uber para sobreviver e passou por necessidades.

      Idem para quem mora em CUBÍCULO ou investiu em comprar CUBÍCULO para colocar para alugar.

      Tudo isto com fortíssimo impacto para setores que se acostumaram com DISTORÇÕES para viverem, como UNICÓRNIOS, setor imobiliário e automobilístico.

      E tudo isto com fortes efeitos em cascata sobre as cadeias produtivas dos setores acima e como eles são altamente dependentes de mão de obra em larga escala, afetando a economia como um todo.

      E TRAUMAS como os que constam acima, vem mesmo para mexer nas ESTRUTURAS e destruírem estas DISTORÇÕES, isto é INEVITAVEL e acredito que seu impacto e assimilação ao “novo normal” será algo que vai demorar bem mais que os 2 anos previstos na reportagem acima, em especial em países subdesenvolvidos, NEGACIONISTAS e que inflamam BOLHAS de forma completamente ABSURDA, como no caso do Brasil.

      A conferir…

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • bolhista cearense 28 de junho de 2020 at 07:31

    Pai bolhista cearense leu nas cartas e prevê muitos imóveis comerciais encalhados tanto este ano quanto em 2021:
    https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/negocios/home-office-conquista-empresas-e-deve-ser-mantido-apos-pandemia-1.2960215

    8+
    • avatar
    • avatar
    • CA 28 de junho de 2020 at 08:22

      bolhista cearense,

      Esta é uma situação que veio para ficar.

      Isto significa que o impacto NEGATIVO para o setor imobiliário vai ser por ANOS, principalmente em um país como o Brasil, onde já tínhamos DISTORÇÃO ELEVADA entre oferta e procura para imoveis comerciais.

      Como colocado por pessoal da UE e reforcei acima com exemplos, é uma mudança ESTRUTURAL.

      5+
      • avatar
  • bolhista cearense 28 de junho de 2020 at 07:36
    • CA 28 de junho de 2020 at 08:32

      bolhista cearense,

      É mais uma situação de mudança estrutural:

      Mesmo depois de passada a PANDEMIA, por uma mistura de um novo hábito de se deslocar com menos frequência (incluindo como motivo para isto a DISPARADA das compras pela Internet, que vai continuar acima do que era antes da pandemia), mais o crescimento ACELERADO da DEGRADAÇÃO dos EMPREGOS E RENDA, o que vai garantir uma queda da demanda por motoristas de aplicativos, juntamente com um TRAUMA daqueles que dependiam exclusivamente disto para sobreviverem e viram suas receitas evaporarem da noite para o dia, as pessoas irão se conscientizar que ser um motorista de aplicativo não é uma solução “mágica”, com “garantia de rendimentos” e “sem riscos” e com isto, este mercado que estava exageradamente INFLADO, tende a voltar à NORMALIDADE, o que por sua vez, irá ajudar a manter em baixa os negócios de locadoras de veículos e montadoras.

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 28 de junho de 2020 at 08:12

    Banco oferece imóveis com até 50% de desconto em Minas
    Há opções em praticamente todas as regiões do estado, com preços a partir de R$ 32 mil; negócio pode ser feito por meio de leilão ou venda direta
    Por Paulo Galvão
    27/06/2020 21:17 – Atualizado em 27/06/2020 22:14

    O Banco do Brasil está comercializando 713 imóveis e oferecendo descontos de até 60% em todo o Brasil, sendo 88 em Minas e seis em Belo Horizonte. São casas e apartamentos, dentre outros tipos, que podem ser comprados em leilão ou venda direta.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 28 de junho de 2020 at 08:17

      Para Moreira, apesar da instabilidade da situação econômica e de saúde pública no país, não aconteceram flutuações significativas nos preços dos imóveis. Segundo ele, não houve o desespero para vender, o que poderia puxar os valores para baixo, nem há espaço para que fiquem mais caros:

      — Os preços haviam subido muito e, nos últimos cinco anos, se adequaram a um valor justo de mercado. A expectativa é que se mantenham.

      https://www.google.com/amp/s/extra.globo.com/noticias/economia/castelar/mercado-imobiliario-se-surpreende-com-resultados-positivos-na-pandemia-vendas-ja-acontecem-de-forma-100-digital-24502091.html%3fversao=amp

      7+
      • avatar
      • avatar
      • bolhista cearense 28 de junho de 2020 at 08:21

        Realmente os preços não flutuaram, afundaram mesmo! Se ainda não houve desespero para vender, mas não tarda. A não ser que os donos queiram morrer abraçados aos tijolinhos. 😀

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • CA 28 de junho de 2020 at 08:47

        Cajuzinha,

        E porque será que precisam repetir isto o tempo inteiro? Coitados, tentam convencer a si mesmos que uma mentira contada mil vezes vira verdade!

        E as contradições de sempre: ao mesmo tempo que falam sobre leilões com 50% de desconto dizem que preços não caíram!?!?

        Em tempo: leilões de bancos com imóveis retomados SEMPRE foi o que mais puxou o preço dos imóveis para baixo, nas explosões de bolhas imobiliárias ao redor do globo. E o que vemos no Brssil agora? Os bancos aumentando o número de ofertas em leilões com descontos relevantes e com isto, roubando clientes de construtoras e particulares, o que naturalmente obrigará construtoras e proprietários de imóveis particulares a reduzirem seus preços para fazerem caixa em momento de crise AGUDA e NECESSIDADE EXTREMA de fazer caixa para MUITOS, exatamente o mesmo mecanismo que ocorreu em outros países e acabou levando ao famoso e temivel efeito MANADA.

        E de nada adianta os discursos vazios e ILÓGICOS de que “os preços já voltaram ao patamar normal”, sem NENHUMA EVIDÊNCIA, ao CONTRÁRIO, exatamente quando sabemos que os preços estavam desproporcionais à renda desde ANTES da crise e MUITO DESPROPORCIONAIS, ao mesmo tempo que sabemos que a crise em si aumenta esta desproporcionalidade na medida em que empregos e renda, bem como apetite de financiamento por bancos, verbas de FGTS, Governo e CEF, estão todos DESABANDO ao mesmo tempo e assim, DERRUBANDO os pilares das ANOMALIAS que sustentavam os preços dos imóveis FORA DOS FUNDAMENTOS.

        Não vai ter jeito, não é “no grito” e na base de uma DESINFORMAÇÃO vendida mil vezes, que eles vão conseguir evitar a DERROCADA dos preços…

        5+
        • avatar
  • Cajuzinha 28 de junho de 2020 at 08:16

    Quando não dá mais para negar a realidade…

    O mercado está otimista, mas há o receio de que a situação desande, se o desemprego continuar crescendo, e a economia não apresentar sinais de melhora nos próximos meses. Com isso, a tendência é que os preços permaneçam estáveis.

    O levantamento Raio-X Fipe Zap, realizado com dados do primeiro trimestre deste ano, apontava para uma expectativa de queda nominal de 5,6% no preço dos imóveis ao longo dos próximos 12 meses, em contraponto à alta nominal de 0,9% esperada pelos agentes do mercado no último trimestre de 2019. “Essa mudança no perfil das expectativas pode ser atribuída, em boa medida, aos impactos e incertezas decorrentes do avanço da Covid-19”, dizia o relatório.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 28 de junho de 2020 at 08:52

      Cajuzinha,

      Mesmo.assim, o DESESPERO é grande e tentam DESINFORMAR, como no trecho que coloco abaixo:

      “Com isso, a tendência é que os preços permaneçam estáveis.”

      Logo em seguida eles se contradizem:

      “O levantamento Raio-X Fipe Zap, realizado com dados do primeiro trimestre deste ano, apontava para uma expectativa de queda nominal de 5,6% no preço dos imóveis ao longo dos próximos 12 meses”.

      O fato é que estão DESESPERADOS e contradizem a si mesmos o tempo inteiro, como na outra noticia que você colocou logo acima, em que falavam sobre leilões com descontos de 50% e diziam que preços não estavam caindo…

      9+
      • avatar
      • avatar
  • bolhista cearense 28 de junho de 2020 at 12:55

    O sonho virando pesadelo (sem a participação do Freddy Krueger):

    ‘É uma bomba-relógio’: por que cada vez mais universitários precisam pagar dívidas cada vez maiores após se formar nos EUA
    A dívida estudantil é a segunda principal causa de endividamento para as famílias do país, atrás apenas das hipotecas e, portanto, uma das grandes preocupações da sociedade americana.
    John atende o telefone. Ele parece estar estressado. “Por favor, quero permanecer anônimo”, diz, ao pedir que seu nome ou detalhes de sua história não sejam revelados para evitar retaliações de sua faculdade.
    Ele não tem nem 30 anos, mas já possui uma dívida de US$ 130 mil (R$ 683 mil). Isso após só um ano de estudo em uma universidade particular dos Estados Unidos.

    “Meu sonho era me tornar dentista, mas nunca pensei que acabaria nessa terrível situação financeira”, lamenta, acrescentando que deve outros US$ 20 mil que pegou emprestado para pagar estudos anteriores de “graduação”.

    Quando terminar, John terá uma dívida acumulada de “mais de US$ 600 mil”.

    Seu caso pode parecer extremo, mas não é único. Embora a média da dívida federal dos estudantes seja de US$ 34 mil, o número de pessoas com uma dívida de pelo menos US$ 100 mil atingiu 3,2 milhões no segundo trimestre de 2020, 33,3% a mais do que em 2017, segundo dados do governo americano.

    Além disso, no início deste ano, mais de 270 cidadãos deviam pelo menos US$ 1 milhão. Esse número era de “mais de 100” em 2018 e apenas 14 há cinco anos.
    A dívida estudantil é a segunda principal causa de endividamento para as famílias do país, atrás apenas das hipotecas e, portanto, uma das grandes preocupações da sociedade americana.

    Os números são quase vertiginosos: em 2020, o total da dívida federal dos estudantes atingiu US$ 1,6 trilhão, mais do que o Produto Interno Bruto (PIB) da Espanha (US$ 1,4 trilhão).

    Políticos proeminentes como o senador independente Bernie Sanders defendem o cancelamento de toda essa dívida, e a pandemia de coronavírus mais uma vez fez essas reivindicações ganharem força, em meio ao aumento histórico do desemprego.
    ‘Uma bomba-relógio’

    Em meio a essa preocupação, John acabou recorrendo a Travis Hornsby, fundador da Student Loan Planner, uma das empresas líderes em ajudar pessoas com grandes dívidas estudantis.

    Hornsby diz que seus clientes geralmente têm cerca de US$ 100 mil em dívidas, mas ele também lidou com três casos de US$ 1 milhão.

    O consultor ajuda seus clientes a encontrar o melhor plano de pagamento entre os oferecidos pelo governo para evitar uma potencial falência que afete sua nota de crédito e, portanto, dificulte a compra de um veículo e o aluguel ou aquisição de um imóvel.

    “O sistema é tão prejudicial nos Estados Unidos porque não temos limites (nos valores de empréstimos federais para estudantes)”, critica Hornsby. Mas ele também critica o aumento no custo das matrículas nas universidades.

    De acordo com um estudo da organização The College Board, entre 1989-1990 e 2019-2020, a média das taxas de matrícula triplicou no caso de universidades públicas para cursos de quatro anos e mais do que dobrou no caso de instituições privadas, para cursos de dois e quatro anos, após reajustes inflacionários.

    Nos Estados Unidos, aqueles que optam por um diploma universitário passam por duas fases: graduação ou pré-graduação, de conhecimento mais geral, e pós-graduação, necessária para obter um diploma. No total, são até dez anos de estudos que precisarão ser pagos.

    No entanto, existem pessoas que continuam seu caminho rumo à especialização, o que aumenta ainda mais a conta.

    Os custos mais altos são encontrados nas faculdades de Medicina ou Direito, e Odontologia geralmente lidera a maioria das listas.
    Um dos casos que mais chamou atenção nos últimos anos foi o de Mike Meru, um ortodontista que, aos 37 anos, ainda devia mais de US$ 1 milhão e cujo caso foi relatado pelo The Wall Street Journal.

    “Nesse caso, a pessoa contratou empréstimos para seus estudos de graduação, depois foi para uma escola de Odontologia em uma das cidades mais caras dos Estados Unidos e solicitou um empréstimo de talvez US$ 500 mil e depois participou de outro programa para se tornar um ortodontista, no qual ele acabou pedindo outros US$ 300 mil. Além dos juros contabilizados enquanto estudava sem efetuar pagamentos. E foi assim que ele acabou com a dívida de US$ 1 milhão”, diz Hornsby.

    O consultor acredita que o sistema se tornou uma “bomba-relógio”. “Existem muitas áreas em que estamos produzindo diplomados em excesso”, enfatiza, apontando as dificuldades de alguns formandos para encontrar trabalho e pagar dívidas.
    ‘Não é uma catástrofe’

    No entanto, há quem diga que essa visão é um exagero. “A dívida é um problema, mas não uma bolha prestes a estourar”, diz o professor de economia David H. Feldman, coautor de Why does College cost so much? e The Road Ahead for America’s Colleges and Universities (em português: Por que a universidade é tão cara? ou O caminho para faculdades e universidades dos Estados Unidos).

    Feldman, da Universidade Pública William e Mary, explica que o total da dívida estudantil tem aumentado porque mais estudantes da metade da população com menor renda optaram pela faculdade.

    “Isso é bom, não é ruim”, diz ele. “A dívida dos estudantes universitários está em torno da média, e a média é um valor surpreendentemente pequeno se comparamos com alguns casos terríveis.”
    Em relação ao constante aumento do preço das mensalidades, o professor argumenta que o ensino superior está ficando mais caro “por causa das mesmas razões pelas quais tudo fica mais caro, dos serviços de saúde às creches”.

    Ele menciona, por exemplo, que o seu trabalho se tornou mais caro devido ao “progresso tecnológico” ou ao forte aumento nos últimos 40 anos no custo de equipes educacionais “altamente qualificadas”.

    De qualquer forma, o problema dessa dívida não tem muito a ver com os próprios empréstimos, ressalta.

    “As pessoas com maior probabilidade de falir nem têm a dívida média. Alguém com uma dívida de US$ 8 mil tem mais chances de inadimplência do que alguém com uma de US$ 35 mil.”

    Feldman menciona os casos em que um aluno inicia um curso, mas não o conclui. Portanto, ele não tem o benefício que esses estudos superiores podem trazer, mas permanece com a dívida e os juros.

    Em 2019, 17% dos adultos com dívida estudantil pendente estavam atrasados em seus pagamentos, de acordo com dados do Federal Reserve, o Banco Central americano.

    A economista Sandy Baum, que é professora emérita da Universidade George Washington e uma especialista em ensino superior, também rejeita a ideia de que “a maioria dos estudantes que solicitam empréstimos acaba arruinando suas vidas”.

    “Mais e mais pessoas estão indo para a universidade, e muitas não podem pagar do próprio bolso. Então, mais pessoas estão pedindo empréstimos. Mas poucas pessoas pedem muito dinheiro”, diz Baum.

    Um terço das pessoas com dívida estudantil deve “menos de US$ 10 mil”, enfatiza ela.

    Baum acredita que o debate “geralmente ignora o fato de que, embora nosso sistema não seja tão bem projetado quanto o de outros países, há programas de pagamento baseados em renda”.

    “Se você tem dívida federal estudantil, não precisa pagá-la se o seu salário não permitir”, diz a economista.
    No entanto, Baum diz ser preocupante o número de pessoas que abandonam os estudos e a desigualdade – “os estudantes negros pegam emprestado muito mais dinheiro e têm mais dificuldade para pagar” – ou com o aumento do preço da faculdade. “Os valores estão subindo muito rápido.”

    Ir para a faculdade “compensa para muita gente, mesmo com os preços das mensalidades subindo”, diz ele. “Não para todos, é claro, e você tem que proteger essas pessoas.”
    Futuro pausado

    A preocupação de ver a conta da dívida crescer enquanto estuda ou ao final desse período é palpável em todas as conversas que a BBC News Mundo, o serviço da BBC em espanhol, teve com estudantes ou graduados.

    “Estou esperando para poder construir a minha vida”, diz Paul, um professor de matemática de 25 anos de um instituto público, em tom resignado.

    O jovem teve “muita sorte” por seus pais terem pago pela sua faculdade em Matemática Aplicada, mas o mestrado que ele escolheu, em Pedagogia, exigiu um empréstimo de US$ 55 mil.

    Depois de terminar e conseguir um emprego com relativa rapidez, ele conseguiu pagar US$ 20 mil em um ano, mas precisou adiar sua independência e limitando outros gastos: ele mora com os pais e tem 52,6% de sua renda comprometida com a dívida.
    O professor espera receber uma ajuda federal que o isentará de pagar US$ 17 mil por ele dar aulas por cinco anos em um centro voltado para famílias de baixa renda.

    Ele quer comprar uma casa, mas isso terá que esperar. “E tenho sorte. Uma colega dá aulas há dez anos e ainda tem US$ 100 mil em dívidas”. Sua amiga tem 33 anos e “quer ser mãe agora, mas não pode”, lamenta Paul.
    Uma rota de fuga

    John, o aluno com uma dívida de US$ 150 mil critica duramente o papel que as universidades desempenham: “Elas dizem que você pagará a dívida em pouco tempo. E um adolescente sabe alguma coisa sobre empréstimos quando entra na faculdade?”

    Sandy Baum avalia que algumas escolas não ajudam os alunos como deveriam e critica especialmente o caso de instituições com fins lucrativos, nas quais “quase ninguém conclui os estudos de graduação”.

    Hornsby estima que, no caso de John, ele pode acabar pagando o valor total da dívida em cerca de 25 anos, através de um refinanciamento que “consumirá um terço” de seu salário.

    Para John, se ele atingir o salário médio de sua profissão após concluir os estudos (cerca de US$ 175 mil por ano) e optar por esse programa, isso pode significar pagamentos de cerca de US$ 1,5 mil por mês durante duas décadas.

    “Se você pensar bem, é muito raro que um graduado com US$ 1 milhão em dívidas (ou US$ 500.000, US$ 600.000) não tenha problemas com crédito.”

    Para o futuro dentista, o esforço valerá a pena se ele receber a bolsa de estudos que deseja. O impacto econômico da pandemia não o preocupa tanto. “Quando eu terminar meus estudos, espero que tenha sido resolvido”, diz.

    Em questão de três meses, mais de 30 milhões de pessoas ficaram desempregadas no país. A taxa de desemprego já é a pior desde a Grande Depressão.
    https://www.terra.com.br/noticias/mundo/e-uma-bomba-relogio-por-que-cada-vez-mais-universitarios-precisam-pagar-dividas-cada-vez-maiores-apos-se-formar-nos-eua,218ba6fe0ff30ff5fdd8eca18a61b6d5ved979hb.html

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 28 de junho de 2020 at 13:48

    Em Portugal… Kkkkkkkkk

    Questionado pelo SOL sobre a possível baixa de preços das casas, o presidente da APEMIP prefere falar numa estabilização. «Os preços do imobiliário mantêm-se equilibrados relativamente ao período pré-pandemia. Se, em alguns casos, os imóveis estavam no mercado a preços especulados, a situação que vivemos é um empurrão para os rever e corrigir para os reais valores de mercado.

    7+
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 28 de junho de 2020 at 17:08

    Casas e apartamentos amplos são mais buscados no isolamento social

    Com home office, kitinetes caem e imóveis com até 4 quartos crescem, assim como procura por bairros mais afastados e mais baratos, segundo QuintoAndar; outras plataformas apontam ainda alta por terraço gourmet e área de lazer

    De acordo com um levantamento da imobiliária digital QuintoAndar feito com exclusividade para o Estadão, enquanto a busca por apartamentos e kitinetes ou estúdios caiu 6% e 10%, respectivamente, nos últimos três meses a demanda subiu 8% por casas na rua e 20% por casas de condomínio.

    Ter maior número de cômodos também pesa na decisão. A procura por imóveis com apenas um quarto sofreu queda de 10%, enquanto aqueles com 2, 3 ou 4 quartos tiveram alta de aproximadamente 30%.

    Para Arthur Malcon, gerente executivo de estratégia do QuintoAndar, a pandemia fez as pessoas repensarem o lugar onde moram. “Quem está em home office pode ter sentido a necessidade de mais espaço para montar um escritório confortável, e quem passava muito tempo fora de casa talvez tenha sentido falta de mais espaço para uma área externa, um jardim.”

    A adoção do regime de trabalho remoto, que muitas empresas consideram tornar definitiva no futuro, também diminui a importância de viver em regiões centrais. “Morar mais longe, em bairros com imóveis maiores e mais acessíveis, pode não ser mais um problema tão grande”, diz o executivo, que relata um aumento expressivo da procura em bairros mais afastados do centro, como Tatuapé (15%), Santana (11%) e Ipiranga (9%).

    O valor do aluguel, bastante flexibilizado pelos proprietários neste período, é outro fator que joga a favor para fechar negócio em imóveis maiores. Ainda segundo o levantamento, os contratos fechados em abril e maio estão em média 6,5% mais baratos do que nos meses anteriores – e isso acontece em 80% dos bairros pesquisados.

    As maiores quedas porcentuais de valor foram em Santo Amaro (-29%), Itaim Bibi (-23%) e Ipiranga (-22%), mas houve variação em todos os perfis de bairro, incluindo Moema, com reajustes de até -17%, e Pinheiros, com -12%.

    Espaço e tranquilidade para trabalhar foram os fatores que levaram a analista de marketing Tainá Barbosa, de 27 anos, a alugar uma casa após o início da quarentena. Ela vivia em uma república, dividindo o andar de um imóvel com outras quatro pessoas. Quando o isolamento social foi decretado e sua empresa anunciou o trabalho remoto, a situação ficou inviável.
    Casas em alta em outros portais imobiliários

    A percepção sobre a guinada na busca por casas é geral. No portal da Lello Imóveis, a alta foi de 41,6% e as casas representaram 31% do total de vendas em abril, mais do que o dobro em relação a janeiro.

    https://economia.estadao.com.br/blogs/radar-imobiliario/casas-e-apartamentos-amplos-sao-mais-buscados-no-isolamento-social/

    5+
  • Cajuzinha 28 de junho de 2020 at 19:13

    Vargas informa, entretanto, que os valores de venda ainda não tiveram queda. A explicação pode estar atrelada à demanda por necessidade. A partir da retomada, projeta, donos de empresas vão precisar de capital para manter as portas abertas. Assim, considera que “passarão a vender imóveis com uma certa desvalorização para não ter que fazer uma capitação de dinheiro em banco.”

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 28 de junho de 2020 at 19:26

    “Não é um bom momento”
    Para o administrador da Construtora Zagonel, Cezar Henrique Haberkamp, ainda é cedo para falar em aquecimento no mercado. Embora perceba um “discreto aumento” na procura, a efetivação dos negócios está mais demorada. Além disso, embora as taxas de juros menores favoreçam os negócios, a instabilidade e a insegurança em relação ao futuro levam clientes a postergarem a decisão de compra.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 28 de junho de 2020 at 20:02

    PAULO GUEDES BOT @pauloguedesbot

    20 trilhões com ɑ tɑxɑçα̃o dɑs threɑds no twitter

    6+
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 28 de junho de 2020 at 20:46

    Marco Antonio Villa sobre bolsonarismo e a crise econômica.

    Live Domingo: O Brasil ignora a mais grave crise econômica da história republicana 28/06/20

    https://www.youtube.com/watch?v=WebILj095lM

    5+
  • CArlos 29 de junho de 2020 at 02:20

    Acabou a mamata hahahahahahahaha

    Bolsonaro eleva ‘penduricalhos’ para atender militares

    Aumento de até R$ 1.600 nos vencimentos começa a partir de julho; valor é aplicado sobre um adicional concedido para quem fez cursos ao longo da carreira

    BRASÍLIA – Com salários brutos que podem chegar aos R$ 50 mil, um grupo de militares terá a partir do mês que vem um aumento de até R$ 1.600 nos rendimentos. O reajuste ocorrerá em um dos penduricalhos que elevam o soldo e beneficiará, principalmente, o oficialato das Forças Armadas.

    A medida ocorre no momento em que a economia sofre com o impacto do novo coronavírus. Milhões de trabalhadores da iniciativa privada perdem empregos ou são atingidos por suspensão e corte de salários e o governo enfrenta dificuldades para manter um auxílio emergencial de R$ 600 aos informais. Ao mesmo tempo, o presidente Jair Bolsonaro está envolto em crises e busca reforçar sua base de apoio, composta por militares, policiais, evangélicos, ruralistas e, agora, políticos do Centrão.

    Chamada de “adicional de habilitação”, a benesse foi criada ainda na gestão de Fernando Henrique Cardoso e é dada para quem fez cursos ao longo da carreira. O valor era o mesmo desde 2001. No ano passado, Bolsonaro autorizou o reajuste para até 73% sobre o soldo, em quatro etapas. Na primeira delas, o penduricalho para quem fez “curso de altos estudos”, por exemplo, subirá a partir de julho de 30% para até 42% sobre o valor do soldo. O aumento vale para militares da ativa e da reserva.

    Com isso, um general de quatro estrelas, topo hierárquico das três Forças, passará a somar R$ 5.600 por mês ao soldo de R$ 13.400. Até então, o adicional era de cerca de R$ 4.000 mensais. Eles ainda acumulam outros adicionais que elevam o salário para, pelo menos, R$ 29.700 – a remuneração pode subir, a depender da formação, permanência em serviço, atividades e local de trabalho.

    Atualmente, recebem o adicional basicamente oficiais e, no caso do Exército, alguns praças. Militares de baixa patente da Aeronáutica e da Marinha também pressionam para receber. Questionado pelo Estadão, o Ministério da Defesa não informou quantos militares recebem o benefício e qual será o impacto total na folha de pagamento da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.

    Os penduricalhos acabam camuflando reajustes salariais, vetados pelo governo por causa da crise econômica. Desde que assumiu, em janeiro de 2019, Bolsonaro já fez outros agrados aos militares. Empregou 2.900 no seu governo e promoveu uma reforma previdenciária mais amena.

    ‘Ajuda de custo’

    Com a passagem para a reserva a partir de 2020, eles ainda fazem jus a outro benefício ampliado na reforma, a chamada “ajuda de custo” na passagem para a inatividade. O pagamento dobrou e passou a ser oito vezes a remuneração – o almirante Bento Albuquerque, ministro das Minas e Energia, teve direito a cerca de R$ 300 mil de uma só vez em maio.

    Hoje, os maiores salários brutos entre os 381 mil militares em geral são do general Luiz Eduardo Ramos (ministro-chefe da Secretaria de Governo) e de Bento Albuquerque. Em março, pagamento mais recente publicado pelo governo, eles receberam, respectivamente, R$ 51.026,06 e R$ 50.756,51, conforme o Portal da Transparência. Os valores, contudo, caíram para R$ 24.861,18 e R$ 28.140,46, pela regra do abate-teto. O redutor é aplicado porque servidores não podem acumular vencimentos além de R$ 39,2 mil, valor do salário de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). O que pode mudar em breve também por uma medida do governo Bolsonaro.

    https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,bolsonaro-eleva-penduricalhos-para-atender-militares,70003347552

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 29 de junho de 2020 at 06:38

    afirma o vice-presidente da Área Imobiliária do Sinduscon-MG, Renato Michel.

    Segundo ele, as vendas de imóveis mais caros caíram no período, porque, geralmente, eles são comprados por pessoas que já possuem casa própria e, por isso, não têm urgência — preferem aguardar este momento de incertezas passar.

    https://www.google.com/amp/s/www.otempo.com.br/mobile/economia/mesmo-com-pandemia-vendas-de-apartamentos-novos-crescem-em-bh-1.2352149%3famp

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 29 de junho de 2020 at 09:34

      Cajuzinha,

      É o famoso ESCAMBO, uma das únicas formas de vendas com relevância em período de BOLHA IMOBILIÁRIA, juntamente com as vendas FALSAS na planta e venda baseada em crédito PODRE do MCMV via CEF. E no ESCAMBO, o setor imobiliário vê também suas vantagens para estatísticas:

      – Cada TROCA realizada, equivale a “duas vendas” para efeitos estatísticos;
      – Ajuda a SIMULAR os preços de FANTASIA, como na analogia da pessoa A que trocou o Fusca pela Brasília da pessoa B. O Fusca “avaliado” em R$ 1 MILHÃO e a Brasília em R$ 1 MILHÃO e dois mil reais, sendo que a pessoa B pagou para A só a diferença dos R$ 2 mil e ambos se sentiram “milionários”, assim como o preço de venda para estatísticas transmite uma IRREALIDADE;

      E por que ninguém compra diretamente um imóvel mais caro?

      Porque como os imóveis estão com preço por M2 completamente FORA DA REALIDADE da renda das famílias, quanto maior e mais caro o imóvel, mais INVIÁVEL para comprar, mesmo para quem está no topo da pirâmide de renda e financiando por DÉCADAS!

      Só que agora, com a CRISE AGUDA, até mesmo a diferença de preços entre o imóvel mais caro e o mais barato está sendo “adiada” e com certeza MUITOS vão desistir de fazer o “upgrade” porque o MEDO perante a situação atual e esperada, irá predominar.

      E as construtoras e bancos, como vão fazer para DESOVAR o grande estoque de imóveis mais caros que ainda possuem? Se aceitarem outros imóveis SUPER-FATURADOS como parte do pagamento, no caso das construtoras, depois terão que revender aqueles imóveis com PREJUÍZO e altos descontos. Isto MAQUIA a QUEDA de preços dos novos e SIMULA que as maiores quedas de preços são apenas nos usados. Já os bancos, não aceitam na base de troca, então são obrigados a darem descontos de 50% ou mais e ainda parcelarem em até 420 meses, aceitando FGTS como parte do pagamento e aumentando a OFERTA de imóveis nestas condições para gerarem LIQUIDEZ.

      E assim, a REDUÇÃO REAL dos preços dos imóveis segue se intensificando, por mais MATEMÁGICA que os agentes envolvidos pratiquem…

      9+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 29 de junho de 2020 at 08:32

    A economia já está destruída…

    Kalil antecipa boletim de mortos e diz trabalhar pelo ‘princípio da vida’: ‘A economia já está destruída’
    Prefeito de Belo Horizonte falou sobre a estratégia de recuar na flexibilização da reabertura do comércio da capital

    10+
    • avatar
    • avatar
    • CA 29 de junho de 2020 at 09:42

      Cajuzinha,

      E a economia brasileira terá uma QUEDA do PIB maior que a média dos emergentes e maior que a média mundial, provavelmente um dos PIORES casos do MUNDO, exatamente porque apesar de termos a PANDEMIA iniciando no Brasil 2 meses depois do começo em outros países, não aprendemos NADA com as experiências do Exterior!

      Tínhamos duas fórmulas de sucesso que poderiam ter sido seguidas pelo Brasil, a da Coréia do Sul, que era aplicar testes EM LARGA ESCALA isolando todos os contaminados e pessoas próximas de imediato, ou da China, fazendo um lockdown bastante rigoroso desde o começo, em ambos os casos, interrompendo o crescimento exponencial das contaminações logo no início. Como fizemos exatamente o CONTRÁRIO disto, chamando a PANDEMIA de “gripezinha” e até hoje SUBESTIMANDO o impacto do vírus, iremos colher as consequências acima…

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 29 de junho de 2020 at 09:02

    O
    mercado financeiro ampliou a projeção de queda do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, de 6,50% na semana passada para 6,54%, mostra a edição desta segunda-feira (29) do boletim Focus, do Banco Central.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 29 de junho de 2020 at 09:49

      Cajuzinha,

      E isto porque provavelmente estão considerando o pagamento do auxílio governamental como um “amortecedor” para a QUEDA do PIB.

      Se fizerem as próximas 3 parcelas do auxílio de forma a reduzirem gradualmente o valor, como informado pelo Bozo, algo como R$ 500, R$ 400 e R$ 300 por pessoa para os próximos 3 meses (dobrados no caso de mãe solteira), veremos a REALIDADE aparecendo de forma gradual também no terceiro trimestre e com sua visibilidade plena apenas a partir de meados do quarto trimestre, quando terão acabado os resíduos de auxílio e ao mesmo tempo, as empresas já tiverem visto o período de carência em que não podem demitir por terem suspendido contrato de trabalho ou reduzido salários vencer e estarão aptas a demitirem e ajustarem seu quadro de pessoal à NOVA REALIDADE, idem para o comércio que já terá visto o tamanho e persistência da QUEDA de vendas e serviços seguindo os demais, com os setores imobiliário e automobilístico com extrema dificuldade em tentarem sustentar o MUNDO IMAGINÁRIO que até hoje ainda tentam plantar com reportagens pagas…

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 29 de junho de 2020 at 09:24

    Em nota, a FecomercioSP afirma que não há expectativa de recuperação do setor a curto prazo, uma vez que as famílias tiveram seus poderes de compra reduzidos por conta da alta do desemprego. “Assim, a intenção de realizar financiamentos e adquirir bens também caiu, uma vez que os consumidores estão majoritariamente em busca de itens essenciais, como alimentos e remédios. Por isso, a estimativa é que o fechamento de 2020 registre o pior desempenho da história”, diz a instituição.

    https://panoramafarmaceutico.com.br/2020/06/29/fecomerciosp-confianca-do-empresario-tem-3a-queda-consecutiva-e-chega-a-61-pts/

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 29 de junho de 2020 at 10:02

      Cajuzinha,

      Isto é fato. O irônico é vermos o setor imobiliário FAZENDO DE CONTA que já estão começando uma recuperação ou que enxergam um horizonte mais benéfico para os negócios deles do que dos outros!

      Bem o setor imobiliário, onde o preço dos produtos é o maior de todos e está completamente DESCOLADO da realidade da renda das famílias FAZ TEMPO, sendo MUITO DEPENDENTE de financiamentos de LONGO PRAZO, onde os bancos e as famílias estarão mais temerosos em função da INEVITÁVEL NOVA DISPARADA em SUPER-ENDIVIDAMENTO e INADIMPLÊNCIA!

      É MUITA ALUCINAÇÃO e tem que ser MUITO OTÁRIO para acreditar na DESINFORMAÇÃO do IMOB!

      O que veremos neste ano de 2020, é uma QUEDA de vendas RELEVANTE para as lojas de forma geral, mesmo depois de ter sido eliminada a quarentena, algo em torno de 30% a 50% dependendo do segmento e com isto, se bater o RECORDE DE LOJAS FECHADAS que havia sido alcançado em 2016, porque a CRISE agora é MUITO MAIS AGUDA e afeta ainda mais diretamente as lojas e por tabela, o segmento de imóveis comerciais, que também verá uma SUPER-OFERTA ficar extremamente visível e novamente teremos proprietários oferecendo seus imóveis para que os inquilinos paguem só o condomínio e o IPTU por 1 ano, como já vimos em 2016, só que agora, em volume bem maior.

      Veremos ser batido o RECORDE de QUEDA nas vendas REAIS do IMOB e do setor automobilístico. Em paralelo, deveremos ter DISPARADA de leilões de imóveis por bancos com descontos a partir de 50%, junto com a volta das “promoções” com descontos relevantes por construtoras e um número muito maior de vendedores de usados REDUZINDO OS PREÇOS POR NECESSIDADE.

      A conferir…

      7+
      • avatar
      • avatar
        • CA 29 de junho de 2020 at 10:24

          Cajuzinha,

          Sim, a QUEDA DE RENDA foi BRUTAL, como colocado na reportagem acima: antes da PANDEMIA, 8 em cada 10 microempreendedores ganhavam mais que 1 salário mínimo por mês e agora é praticamente o CONTRÁRIO, 7 em cada 10 ganham MENOS que 1 salário mínimo! É uma virada RADICAL!

          E se engana quem pensa que é só reduzir a quarentena que tudo voltará ao normal, não é isto que estamos vendo na prática.

          Falando sobre Ubers e afins, por exemplo, além da queda BRUTAL na renda, tendo que muitas vezes devolver veículo para locadoras e afetando por tabela o negócio delas e de montadoras, uma combinação de medo de contágio com FALTA DE RENDA farão que continuem com demanda MUITO BAIXA no pós-quarentena.

          E até termos uma vacina, será este cenário. Só que depois da vacina a destruição na economia estará tão espalhada e intensa, que de nada adiantará ter passado o medo de contágio.

          E o mesmo se aplica aqueles microempreendedores de food truck, vendedores de docinhos, salão de cabeleireiros (que terão “explosão” só no momento da liberação e por 1 ou 2 meses, para depois sofrerem com reduções), etc, etc, etc…

          Não tem “milagre”: tínhamos mais de 40 MILHÕES de pessoas na INFORMALIDADE do empreendedorismo para SOBREVIVÊNCIA antes da CRISE AGUDA que se instalou e estas pessoas estarão entre os mais afetados pela crise e daqueles que mais perderão renda, juntamente com demais que participavam do grupo que que compõem a PROFUNDA DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS, como os SUBempregados, DESALENTADOS e desempregados.

          9+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Cajuzinha 29 de junho de 2020 at 10:03

    https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2020/06/29/internas_economia,867681/imoveis-sete-motivos-para-comprar-a-casa-propria.shtml

    7 não é o número do mentiroso? kkkkkkkk

    Isso fez com que, durante a pandemia, boa parte da população, em trabalho remoto, passasse a desejar acomodações mais confortáveis para manter a segurança da família no isolamento e instalação de escritórios. Segundo Rodrigo Nogueira, presidente da Ecap Engenharia, desde março, a procura e a venda de casas aumentaram 15%.

    “As vendas aqueceram-se de 45 dias para cá, depois de uma quase paralisação do mercado. A compra, para uso ou para investimento, vale a pena”, destaca Nogueira.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 29 de junho de 2020 at 10:11

      Cajuzinha,

      É aquela história, pegam uma base PODRE, em que QUASE NINGUÉM estava comprando em função da quarentena e daí “comemoram” um crescimento de 15% em cima de QUASE NADA…

      Além disto, focam em um segmento específico que vendia BEM MENOS (casas em relação à apartamentos), mas que em função da pandemia, sofreram uma “inversão de valores”, com mais pessoas DAS QUE RESTARAM, procurando casas e BEM MENOS GENTE procurando apartamentos, então, o que fazem: falam sobre o aumento da procura por CASAS e em cima de uma base PODRE, ignorando a procura por apartamentos e o total geral!

      E assim, continuam DESINFORMANDO com matérias pagas o tempo inteiro, torrando muito dinheiro À TOA! Sim, é claro que algumas pessoas sem NENHUM ESPÍRITO CRÍTICO não irão notar o que consta acima, isto é comum, aliás, aplicável para a grande maioria, mas o “probleminha” é que temos MUITAS PESSOAS que viram a renda CAIR, ficaram DESEMPREGADAS ou estão com temor MUITO ELEVADO de que isto aconteça no CURTO PRAZO e neste cenário, mesmo que acreditem nestas estórias para boi dormir, não terão a MÍNIMA CONDIÇÃO de adquirir um imóvel, mesmo contando com crédito PODRE da CEF e pagamento em DÉCADAS, ou então, terão MUITO MEDO de fazer isto, restando uma quantidade MÍNIMA de compradores e QUEDAS muito relevantes nas vendas totais…

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CArlos 29 de junho de 2020 at 10:31

    Imóvel sempre valoriza não importa se caia um meteoro, se aconteça um apocalipse zumbi, se a economia imploda 😉

    Possibilidade de manter home office após a pandemia valoriza imóveis fora dos grandes centros

    Decisão de empresas de manter trabalho remoto leva profissionais a trocar bairro nobre por mais espaço

    SÃO PAULO E RIO – Com a pandemia do novo coronavírus, muitas empresas e profissionais adotaram o home office. Segundo o IBGE, a tecnologia permitiu que, com o distanciamento social, 8,9 milhões de pessoas no país permanecessem trabalhando em casa. Há um ano, havia 1,2 milhão nessa condição.

    A experiência forçada, com a ajuda fundamental da tecnologia, acabou funcionando bem para muita gente, principalmente os funcionários de setores administrativos.

    Muitas empresas, como a Petrobras e a corretora XP, já anunciaram que pretendem manter a prática do trabalho remoto, ainda que em alguns dias da semana, após a quarentena. E isso já se reflete no mercado imobiliário.

    Pós-pandemia: ‘Home office’ vai ficar no cotidiano das empresas e mudar os imóveis corporativos

    O desejo de morar perto do trabalho começa a dar lugar ao sonho de viver numa casa maior, com quintal, que pode até ser em outra cidade, sem precisar dar adeus ao emprego e nem ter que enfrentar o trânsito dos grandes centros.

    Essa tendência ganha força e muda o conceito de bairro nobre, tanto para morar quanto para uma empresa instalar o seu escritório. O tamanho do imóvel começa a ter mais peso na decisão de compra ou aluguel que a localização.

    A venda de casas em condomínios quadruplicou em alguns empreendimentos, e os preços deste tipo de imóveis subiram 20% desde o início da Covid-19 no Brasil. Lá fora, o movimento é parecido, e há quem tema êxodo dos grandes centros como Nova York.

    https://oglobo.globo.com/economia/possibilidade-de-manter-home-office-apos-pandemia-valoriza-imoveis-fora-dos-grandes-centros-1-24504116

    6+
    • avatar
  • CArlos 29 de junho de 2020 at 10:39

    MCMV com home office hahahahahahaha
    MCMV com cobertura? Vale laje?
    Breve lançamento: 28 metros quadrados com home office debaixo da cama e cozinha conjugada com banheiro.
    Xoxotecas em baixa, ng mais quer se socializar???

    Isolamento social muda exigências de quem compra ou aluga casa e apartamento

    Pandemia aumenta demanda por imóveis com mais quartos e área interna maior. Áreas comuns de lazer deixam de ser prioridade

    RIO — Com a temporada forçada em casa, o comportamento mudou tanto nas compras quanto nos aluguéis. As imobiliárias estão percebendo novas demandas, e construtoras já começam a fazer projetos baseados na nova realidade criada pela pandemia do coronavírus.

    Uma pesquisa da Loft, start-up que compra, reforma e vende imóveis, mostrou que 45% dos clientes acreditam que o período de isolamento social desperta o interesse por apartamentos maiores. E 70% desejam uma área reservada para o trabalho remoto.

    Pós-pandemia: ‘Home office’ vai ficar no cotidiano das empresas e mudar os imóveis corporativos

    — Mudou a maneira que as pessoas estão se relacionando com suas casas. A pesquisa mostrou também que as pessoas estão usando mais a cozinha (46%), superando o uso de serviços de entrega (22%) — salienta João Vianna, co-fundador da Loft.

    Na Apsa, tal movimento começou a ser sentido há poucas semanas. De acordo com Giovani Oliveira, gerente geral de imóveis da empresa, os clientes antes buscavam um imóvel pequeno para compra, mas não abriam mão de áreas comuns de lazer cheias de atrativos. Com a pandemia, esse perfil mudou: agora, o objeto de desejo é um apartamento com cômodos maiores, e os espaços de uso partilhado deixaram de ser uma prioridade.

    — Depois de três meses de isolamento, está havendo a valorização de plantas maiores e que tenham espaço para home office. As pessoas se deram conta de que não podem mais contar com as áreas comuns como extensões dos seus apartamentos. — analisa Oliveira.

    Já Marcel Galper, gerente de Vendas da Precisão Vendas, vem observando um crescimento na procura por imóveis com boas áreas comuns (como salas de estar e TV), em função de as famílias ficarem reunidas por mais tempo dentro de casa.

    — Tenho notado também uma procura maior por apartamentos de cobertura que tenham áreas livres.

    No segmento de Minha Casa Minha vida, o coronavírus já está modificando projetos. No empreendimento Vitale Eco, da construtora Vitale, o número de unidades foi reduzido: de 444 para 406. E 90% dos equipamentos de lazer serão ao ar livre.

    https://oglobo.globo.com/economia/isolamento-social-muda-exigencias-de-quem-compra-ou-aluga-casa-apartamento-24504241

    5+
    • avatar
  • CArlos 29 de junho de 2020 at 10:49

    OFF – Brazilino é boa parte analfabeto mesmo e tem memória mais curta do que a de um peixe dourado.

    Encolheram os produtos? Embalagens ficam menores, mas preço não cai

    Peso de itens alimentícios, de limpeza e higiene chega ser reduzido em até 20% e leva governo a notificar a indústria

    RIO – Os efeitos da crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus chegaram às prateleiras dos mercados em forma de redução de peso de alimentos, guloseimas, produtos de limpeza e de higiene.

    A diminuição, no entanto, não se reflete nos preços. Só para citar alguns exemplos, a batata palha extra fina da Elma Chips teve redução de peso de 16,67%; a aveia em flocos da Yoki, de 15%; os biscoitos da Nesfit, de 20%; a farinha de aveia integral da Quaker, de 17,5%; a sobremesa Creamy, da Batavo, de 10%; e o refil do Omo líquido também diminuiu 10%.

    A nova onda de “encolhimento” chamou a atenção da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão do Ministério da Justiça e Segurança Pública, que notificou grandes fabricantes, associações das indústrias de alimentos, de limpeza e higiene e de supermercados a prestarem esclarecimentos esta semana.

    — A redução de peso não é ilegal. No entanto, é preciso que a embalagem traga essa informação em destaque para que o consumidor não seja induzido a erro. Caso a informação não esteja adequada, os fabricantes terão que retificar as embalagens e poderão ser aplicadas punições — explica Juliana Domingues, diretora do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão da Senacon.

    A professora Nathalia Mazzini diz que a sinalização de redução de peso é quase imperceptível:

    — Os biscoitos diminuíram bastante de tamanho, assim como os produtos de limpeza, como sabão líquido. Mas os preços continuam iguais ou maiores. E o pior é que, às vezes, não dá para perceber.

    A biofísica Júlia Santana concorda:

    — As marcas diminuem aos poucos e colocam essa informação em letras pequenas para que as pessoas não notem.

    IR 2020: No último fim de semana para entregar a declaração, veja dicas para não cair na malha fina
    Estratégia recorrente

    Juliana Domingues lembra que a Portaria 81, de 2002, do Ministério da Justiça, determina que a informação de mudança de peso deve ser feita com destaque na embalagem por período mínimo de três meses.

    — Ao se deparar com letras miúdas o consumidor deve reclamar no Consumidor.gov.br ou aos Procons — orienta.

    Jorge Duro, coordenador acadêmico do MBA de Gestão Comercial e de Vendas do IAG PUC Rio, diz que reduzir peso ou volume é uma estratégia usada pela indústria em tempos de crise há décadas:

    — Para manter a lucratividade, ou se reduz custo ou aumenta preço. As empresas não querem correr o risco de campanhas negativas com aumento no preço nominal quando a economia registra deflação e optam por reduzir o peso. É uma maquiagem, pois o consumidor está pagando 15%, 20% a mais sem perceber. E depois ainda fazem promoção com a gramatura anterior.

    Para a economista Ione Amorim, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), a única forma de interromper essa prática é com a mobilização do consumidor:

    — A lei não impede, é fato, mas é um abuso. E a única forma de interromper essa prática é o consumidor constranger as empresas, expondo suas marcas.

    A Associação da Indústria de Alimentos (Abia) diz que as reduções no peso ou quantidade de produtos são definidas pelas empresas, de acordo com a demanda de mercado, pesquisas, mudanças de necessidades e comportamento de compra do consumidor.

    A Abia diz que suas associadas seguem rigorosamente a portaria 81 e informam de forma clara “qualquer alteração quantitativa no painel frontal da embalagem, em letras de tamanho e cor destacados”. A associação diz que “o consumidor tem a prerrogativa de buscar os produtos que melhor atendam à sua demanda quanto aos quesitos de quantidade e preço.”
    Tendências de mercado

    Paulo Engler, diretor-executivo da Abipla, que representa as indústria de produtos de higiene e limpeza, ressalta um aumento da procura por embalagens menores, sustentáveis e que possam ser armazenadas facilmente em suas casas.

    A Wickbold, responsável pela marca Seven Boys, informa que a redução de gramatura da linha Sanduíche, de 500g para 450g, está relacionada ao aumento de custos das matérias-primas. A fabricante disse ter optado por diminuir o peso e manter a quantidade habitual de fatias, o que estaria informado na embalagem de acordo com as normas vigentes.

    A PepsiCo, empresa que responde por Quaker e Elma Chips, diz que “o posicionamento de suas marcas é baseado nas necessidades do consumidor” e que oferece diversos tamanhos de embalagens. A companhia destaca ainda que não determina o preço no comércio.

    A Nestlé, que responde pela marca Nesfit, afirma que a redução foi feita em março e que a comunicação segue todas as regras legais. A empresa destaca que novos formatos e tamanhos de embalagens têm como objetivo acompanhar tendências de mercado e expectativas do consumidor.

    https://oglobo.globo.com/economia/defesa-do-consumidor/encolheram-os-produtos-embalagens-ficam-menores-mas-preco-nao-cai-24503822

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Pedro de Lara 30 de junho de 2020 at 09:47

      Uma vez eu reclamei sobre isso aqui no Blog e veio um cara dizendo que essa redução era pra evitar que o povo engordasse.

      Tá serto então. kkkk

      6+
      • avatar
  • CArlos 29 de junho de 2020 at 10:59

    E como ficam os trouxas que cairam no golpe dos mini apertamentos “bem localizados”?
    Lembrando que é um jogo de soma 0, ou melhor menor que 0, vai somente deslocar o interesse e ter menos gente com grana ou crédito devido a crise.
    O ploc dos bolhudinhos metidos a besta minúsculos e caríssimos nos centros das grandes cidades vai ser ouvido até em marte.

    Efeito home office: espaço começa a valer mais que localização no mercado imobiliário
    Testado na pandemia, o trabalho remoto estimula profissionais a buscarem mais conforto e tranquilidade fora dos grandes centros sem se aposentar

    SÃO PAULO E RIO – A dinâmica das cidades e das casas vai mudar com a pandemia do novo coronavírus, e os primeiros sinais começam a surgir nas metrópoles em quarentena. Segundo o IBGE, a tecnologia permitiu que, com o distanciamento social, 8,9 milhões de pessoas no país permanecessem trabalhando em casa. Há um ano, havia 1,2 milhão nessa condição.

    O desejo de morar perto do trabalho começa a dar lugar ao sonho de viver numa casa maior, com quintal, que pode até ser em outra cidade, sem precisar dar adeus ao emprego.

    Pós-pandemia: ‘Home office’ vai ficar no cotidiano das empresas e mudar os imóveis corporativos

    Isso já se reflete no mercado imobiliário: a venda de casas em condomínios quadruplicou em alguns empreendimentos, e os preços deste tipo de imóveis subiram 20% desde o início da Covid-19 no Brasil. Lá fora, o movimento é parecido, e há quem tema êxodo dos grandes centros como Nova York.

    — Agora tenho um escritório que nada deve ao da empresa, com espaço e privacidade— diz o executivo Rogério Pereira da Silva ao mostrar a casa para onde se mudou com a mulher e o filho, em Alphaville, na Grande São Paulo.

    Essa tendência ganha força e muda conceitos de bairros nobres. Embora especialistas e empresários do setor imobiliário afirmem que não será o esvaziamento completo das cidades, as mudanças atuais afetam os negócios.

    — O espaço está sendo mais considerado que a localização. Bairros ou cidades que não eram tão valorizados estão ganhando força — diz Angélica Quintela, gerente de marketing do Imovelweb, site de negócios imobiliários.

    Tomas Alvim, coordenador do Laboratório de Cidades Arq.Futuro do Insper, onde leciona, vê riscos. Para ele, em vez de esvaziar as cidades, o ideal seria repensar a mobilidade, os horários de pico, transformando as cidades em ambientes mais amigáveis, com as características que as pessoas buscam no interior.

    Ele teme que o êxodo das cidades piore o maior problema nacional: a desigualdade, com apenas a classe média com capacidade para escapar para áreas com mais espaço:

    — O risco é criarmos bairros exclusivos, guetos. O que a gente fez no Brasil foi mandar a pobreza para longe da cidade. Agora há uma tentativa de se inverter este jogo, mas não como uma proposta de inclusão, mas novamente como exclusão. Podemos perder a essência da cidade, que é o convívio de pessoas diferentes, com oportunidades.

    Na busca de uma casa mais confortável e perto da natureza, as regiões Serrana e dos Lagos do Estado do Rio já disputam em melhores condições com imóveis de bairros da Zona Sul da capital, e as espaçosas coberturas, até então mais difíceis de vender, são as preferidas nos lançamentos.

    O corretor Antonio Carlos Lima, da Região Imóveis, em Itaipava, vendeu cinco casas no último mês, todas a partir de R$ 1,5 milhão. A sua média de vendas era de uma por mês, antes da quarentena começar em meados de março:

    — Acabei de criar um perfil em rede social e já tenho 11 mil seguidores. Há uma procura enorme.

    A advogada Rosângela Delgado começa a fazer obras para tornar a sua então casa de campo mais adaptada para o trabalho. Instalará painéis de energia solar: o aquecimento da piscina é elétrico e a conta de luz subiu dez vezes com a família de quatro pessoas morando no local que só era frequentado nos fins de semana:

    — Queremos passar metade do mês em Itaipava e metade no Rio. Vimos que home office é possível. A casa, toda aberta, vai ganhar tratamento acústico para manter o silêncio no trabalho.

    Diego Dias, presidente da Ekko, incorporadora de casas na região da Granja Viana, na Grande São Paulo, antecipou para o fim deste ano um empreendimento previsto para o fim de 2021.

    — Temos que aproveitar o momento. No primeiro semestre, tivemos recorde de vendas, R$ 170 milhões, contra R$ 75 milhões no primeiro semestre de 2019— diz, acrescentando que o preço de casas e de lotes em condomínios cresceu 20% desde março.
    Escritórios e banheiras, as novas tendências

    No desenho dos imóveis pós-pandemia, o arquiteto Ronald Goulart vê três tendências: reformas para incluir escritório, para tornar a casa mais agradável (como a instalação de banheiras) e para ampliar a cozinha. Já no mercado corporativo, o movimento é de diminuição do tamanho de escritórios das empresas.

    — Estou reformando um conjunto de escritórios que funciona em quatro andares e vai passar para três com o avanço do home office.

    Com as pessoas mais tempo em casa, a banheira passou a ser um item de lazer, “além de servir para lavar as compras” na pandemia, brinca Goulart. A cuba da pia também deve aumentar, para caber mais louça:

    — As pessoas descobriram o que não funciona nas casas. O quarto de empregada sumiu de vez, virou escritório.

    O avanço repentino do trabalho remoto fez a incorporadora Bait mudar um projeto para Copacabana, na Zona Sul do Rio. Vai incluir escritório e melhorar o fluxo de sinal de internet, além de adotar reconhecimento facial na entrada da garagem e central de entregas, para evitar ao máximo o contato com estranhos:

    — Pandemias sempre provocaram transformações urbanísticas grandes. Acho que isso vai acontecer dessa vez. Com as pessoas ficando mais em casa, revimos os projetos para fazer uma casa mais compartimentada, mais organizada, que permita certa privacidade para trabalhar, com espaço para home office, ou aumentamos o quarto para caber uma escrivaninha —conta Henrique Blecher, CEO da Bait, que comprou o último terreno livre da Avenida Atlântica, de frente para o mar.

    Com o trabalho remoto, a proximidade do escritório já não é tão importante. Foto: Edilson Dantas / Agência O Globo

    João Batista Andrade, da Imobiliária JB Andrade, que atua na Barra e Recreio, na Zona Oeste, ainda não viu esse movimento de mudança para áreas mais distantes do centro por causa do trabalho remoto, mas nota aumento da procura. Ele relaciona isso aos preços no menor patamar histórico, juros em baixa e incertezas no mercado financeiro.

    —Fato curioso é que, nesses 90 dias, a cobertura, que é o imóvel de mais difícil venda, está vendendo acima da média. Acredito que alguns negócios foram por causa da pandemia. As pessoas querem ter um espaço aberto.
    Sonho de ‘casa no campo’ vira real com ‘home office’

    O trabalho remoto permitiu que Alex Pimenta, empresário de 39 anos, conseguisse realizar um sonho: comprar um terreno em um condomínio de chácaras, para onde planeja se mudar em breve com a mulher e os filhos, a 30 minutos de carro de Goiânia, onde mora:

    — A quarentena me fez sair do automático. Aluguei uma chácara, testei, e vi que é possível morar lá. Não preciso esperar as crianças crescerem ou me aposentar.

    Com pandemia: Cresce procura por uma casa no campo

    A casa fica pronta em 2021, e ele já procura nos arredores escola para os filhos Samuel, 8 anos, e Isis, 3. Se antes já queria uma casa grande, com o teste firmou a convicção de que espaço é fundamental.

    — Minha filha adorou ver galinhas, animais. Quero ter um galinheiro, que não estava nos meus planos.

    José Roberto Nunes, presidente da Planalto Invest, vendeu 190 lotes desse condomínio de chácaras perto de Goiânia durante a pandemia, média de 63 negócios por mês. Antes, vendia 15 . O valor do lote, que em janeiro era de R$ 140 mil, chegou a R$ 170 mil.

    — Estamos vendo terrenos próximos a São Paulo, Belo Horizonte, Cuiabá e Brasília — diz ele, que investiu R$ 100 milhões no empreendimento.

    A tecnologia é um fator essencial na decisão de mudar para o interior. Cidades médias e pequenas já têm infraestrutura para o trabalho via internet. Rodrigo Mello, dono da imobiliária Morabilidade, na Região Serrana do Rio, diz que a procura aumentou 300% na quarentena, principalmente por contratos de aluguel mais longos, como um teste para futura moradia:

    — Um obstáculo para quem tem filho é a oferta de escolas e hospitais. Empresas de educação devem ficar atentas a esse possível novo morador com poder aquisitivo alto.

    No interior de São Paulo, a infraestrutrura e os serviços de Itupeva convenceram o empresário Frederico Ribeiro a comprar um lote no condomínio Praia da Grama, que tem atraído quem pode pagar R$ 2 milhões por um lote com praia artificial, campo de golfe, floresta e pomar, a 45 minutos de carro da capital:

    — O condomínio é perto de uma escola excelente.

    Oscar Segall, sócio da KSM, empreendedora do projeto, diz que a procura cresceu com a pandemia:

    — Antes, cerca de 10% compravam para primeira moradia. Hoje são 30%.

    https://oglobo.globo.com/economia/efeito-home-office-espaco-comeca-valer-mais-que-localizacao-no-mercado-imobiliario-24503758

    5+
  • CArlos 29 de junho de 2020 at 11:18

    Tópico novo?

    ‘Nova SP’ é repleta de placas de ‘aluga-se’ e pessoas com máscaras no queixo

    Na cidade pós-quarentena, restaurantes definitivamente fechados, avenidas sem congestionamento, entregadores de delivery e obras

    Depois de mais de 100 dias de isolamento por causa do novo coronavírus, medidas de reabertura do comércio estão estimulando as pessoas a deixarem suas casas. Para quem tem cumprido a quarentena com rigor, e vai colocar os pés na rua após muito tempo, a primeira impressão é de que São Paulo transformou-se em uma cidade cheia de placas de “aluga-se” e de gente usando máscaras no queixo*.

    Decerto que três meses foram suficientes para mudanças drásticas na São Paulo que um dia a gente jurou que conhecia tão bem. Mas que cidade é essa que nos aguarda do lado de fora? Vamos fazer essa viagem juntos… Antes, se for mesmo sair de casa, não se esqueça da máscara. Quase ninguém esquece.

    Ao seguir com a nossa “reentrada” na atmosfera da cidade, é possível notar que as placas de “aluga-se” se impõem à paisagem. Grandes centros comerciais e áreas residenciais padecem do mesmo mal: lojas, restaurantes e bares que não resistiram à pandemia. Ao subir uma rua como a Teodoro Sampaio, em Pinheiros, na zona oeste, você poderá admirar portas de ferro cerradas (e quase sempre pichadas) que se repetem em sequência ou de forma intercalada. Trata-se de cenário de que só pode ser descrito como: “loja aberta, fechada, fechada, aberta, aberta, fechada, fechada…””

    “Essa semana descobri que o restaurante perto de casa fechou e que o café ao lado do trabalho também não reabre. É estranho porque até ‘ontem’ pareciam funcionar direitinho”, diz a secretária Renata Malezzi, 38 anos. O ‘até ontem’ muda de estabelecimento para estabelecimento. No restaurante Itamarati, o ‘até ontem’ significava desde 1940, ano da inauguração. O local, perto da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, não resistiu à pandemia e baixou as portas, com pouca chance de reabrir. A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) diz que 40% dos negócios podem ter destino igual.

    Em obras

    Mas você também pode ser otimista e, no reencontro, reparar que a cidade está em obras. Calçadas sendo refeitas, lojas reformadas e até novos bares e restaurantes prontos para abrir, como o The Punch Bar, no Paraíso; Bar Elisa, no Arouche; e o Belle Époque, em Pinheiros. Não é raro ver estabelecimentos ainda fechados, mas com funcionários fazendo pequenos reparos, limpeza ou mudanças para distanciamento entre futuros clientes.

    O que parece nunca ter fechado de verdade são night clubs e inferninhos. No Largo da Batata, os “porteiros laçadores” (homens que ficam nas portas das boates convidando pedestres para “conhecer o local”) estão a todo vapor. À reportagem, garantiram usar álcool em gel e máscara no interior das casas.

    Em geral, os habitantes mais reconhecíveis da nova cidade são entregadores de delivery. Adolescentes de bike, com baús nas costas, pedalando entre carros. Nas horas mortas, estão em praças, tentando relaxar ou esperando o próximo chamado pular no celular. E se tiverem um tempinho, almoçam uma coxinha de R$ 3 em botecos com mesinhas do lado de fora.

    Mas segue o reconhecimento: o trânsito está melhor, mas longe de apresentar vias livres. Radial Leste e Marginais já têm movimento intenso ao longo do dia. Por outro lado, como as aulas não voltaram, o engarrafamento do horário de entrada e saída não existe mais. Apesar da boa notícia, é chocante ver escolas silenciosas ao meio-dia – o idílico barulho de pátio no recreio cessou totalmente. O mesmo em locais com cinemas de rua, como a Augusta. Salas fechadas esvaziaram o vai e vem da calçada. Desde o início da pandemia, procura-se um pipoqueiro nunca mais visto por lá.

    O centro merece atenção especial. É onde a crise desenha de forma mais evidente e escandalosa o drama que nos espreita. Basta uma visita para notar o quanto a pandemia contribuiu para a precarização. Na Sé, pessoas em situação de rua se abrigam em pequenas barracas, dormem no chão e na escadaria da Catedral (fechada). Impossível cruzar a praça sem ser abordado por pessoas pedindo dinheiro, comida ou qualquer ajuda.

    É a cidade que, por enquanto, nos espera do lado de fora de nossas casas. Como uma velha conhecida que passou por meses difíceis e está um pouco mudada. Ainda é preciso ouvir a ciência sobre o momento certo para reocupá-la definitivamente e, talvez, transformá-la. Mas, calma, essa hora vai chegar. Seja lá como for, faça uma promessa para você mesmo: não use sua máscara no queixo.

    https://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,nova-sp-e-repleta-de-placas-de-aluga-se-e-pessoas-com-mascaras-no-queixo,70003347681

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 29 de junho de 2020 at 11:23

    Bolha de ferramentas online para vendas de imóveis.

    Ferramenta online garante venda de imóveis durante pandemia

    A lupa Apê11 permite selecionar o imóvel levando em conta uma combinação simultânea de 30 variáveis

    A pandemia pegou a imobiliária digital Apê11 num momento de transição. Em fevereiro, a startup tinha acabado de investir pesado numa ferramenta de busca mais ampla, que permite selecionar o imóvel levando em conta uma combinação simultânea de 30 variáveis De lá para cá, a empresa conseguiu vender nove imóveis, num momento complicado para o mercado imobiliário. Sem essa ferramenta digital que facilita encontrar o imóvel na medida certa, teria sido mais difícil ter fechado negócios na pandemia, diz Leonardo Azevedo, sócio-diretor.

    Qual é o diferencial da empresa neste momento em que as pessoas não estão saindo de casa?

    Temos uma ferramenta chamada lupa Apê11 que iniciamos em fevereiro, um mês antes da pandemia. Ela permite buscar um imóvel levando em conta a combinação de 30 variáveis, desde o preço, valor do condomínio, infraestrutura urbana, proximidade de metrô, parques, número de vagas de garagem, entre outras, por exemplo. Tudo usando mecanismos de georefenciamento. Você pode dizer, por exemplo, que é amante da natureza e que se interessa pelo bairro de Moema. Essa ferramenta permite fazer uma oferta direcionada, esse é o diferencial.
    Quantos negócios foram fechados na pandemia com o uso dessa ferramenta?

    Desde março, foram nove negócios. Sem essa ferramenta, seria mais difícil ter fechado negócios num momento em que as pessoas estão isoladas.
    Como foi o processo de negociação desses imóveis?

    Tivemos alguns casos surpreendentes: propostas que foram originadas digitalmente de pessoas que não tinham visitado os imóveis. E as propostas eram sérias. Tivemos um caso de um imóvel no Belém que a pessoa já conhecia o condomínio. Ela fez a proposta e fechou a compra sem visitá-lo. As outras vendas começaram no online, com a negociação das propostas, e o fechamento da compra foi no offline.

    A venda online é uma tendência?

    Ainda não se conseguiu eliminar a figura humana no processo de compra e venda imobiliária. A explicação psicológica é que a decisão é muito grande para ser tomada dessa forma. O nosso modelo começa muito intenso no online, é assistido por dados e, em algum momento, vai para o offline.
    Qual é o perfil da Apê11?

    Hoje temos 4,5 mil imóveis residenciais na prateleira na cidade de São Paulo, em 24 microrregiões ao redor do centro.

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,ferramenta-online-garante-venda-de-imoveis-durante-pandemia,70003347705

    4+
    • avatar
  • CArlos 29 de junho de 2020 at 11:35

    Notícia já um pouco velha.
    Agora imaginem quem pagou peso de ouro pelas xoxotecas e agora que quer não vai poder usar…
    Destruiram as cidades com estes caixotes escrotos mais parecidos com prisões agora que se virem nos seus bolhudos “premium”, “exclusive” com nomes italianos ou franceses, karma is really a bitch….

    Reabertura da economia pressiona síndicos por áreas comuns em prédios

    Com retomada do comércio, moradores demandam uso de áreas de condomínios, como academia e quadras; medidas de higiene e distanciamento devem ser obrigatórias, dizem especialistas
    Com a autonomia da decisão na mão dos síndicos, o jeito tem sido apelar para o consenso entre moradores. Sócio da Patrimonius e síndico profissional de 32 condomínios, Rafael Bernardes, de 38 anos, democratizou a questão. “Quando o prefeito passou para o mercado a informação de que essas decisões seriam de responsabilidade dos síndicos, teve uma onda de solicitações dos moradores, querendo saber se ia abrir playground, academia.”

    Ele então lançou uma pesquisa em grande escala e a maioria votou pela volta das academias e áreas abertas para tomar um pouco de sol. Outros espaços, quase que por voto unânime, devem continuar fechados.

    No caso das academias, Bernardes pretende adotar um procedimento de segurança contra o vírus, com limpeza de hora em hora e luzes ultravioleta para verificar a desinfecção. O uso será liberado sob agendamento e o espaço só poderá ser dividido por pessoas do mesmo apartamento. As decisões baseadas na pesquisa, que se encerrou nesta semana, devem ser aprovadas em assembleia virtual.

    A possibilidade de haver excesso de visitas ainda não desperta preocupação. “Não é fácil chegar a um consenso com um grupo tão grande, mas a maioria apoiou a flexibilização de forma comedida”, relata o advogado Edson Boschilia, de 42 anos, síndico de um condomínio com 650 moradores da Vila Anastácio (zona oeste).

    Moradora do condomínio Pateo das Flores, na Vila Andrade (zona sul), que possui grande área aberta, ela defende a liberação de espaços ao ar livre para aliviar um pouco o confinamento, mas com a condição de todos se comprometerem com as medidas de proteção.

    Já para os outros locais do prédio, tem opinião diferente. “Sou totalmente contra a abertura da academia por ser um lugar fechado, com demanda de mais funcionários para fazer a limpeza”, diz.

    https://economia.estadao.com.br/blogs/radar-imobiliario/reabertura-da-economia-pressiona-sindicos-por-areas-comuns-em-predios/

    5+
  • CA 29 de junho de 2020 at 12:42

    E o novo ministro da Educação, será que não é a Bel Pesce disfarçada? (rs)

    Trocaram o WeinTROUBLE pelo FAKEOtelli (kkkkk)!

    Pelo menos agora temos um “Dôto” (sic) que é “Mester” (sic) em FAJUTAR experiências acadêmicas, melhor ou pior que o WeinTROUBLE que era ZEROGLOTA? Depende, ainda não chegaram no “diploma” do jardim de infância, o pior vai ser quando descobrirem que ele nem foi alfabetizado (kkkkk)!

    Se fosse no Japão, na primeira FALHA GRAVE de alguém que é MINISTRO DA EDUCAÇÃO, já teria sido EXONERADO e talvez antes disto, o próprio ministro já teria se suicidado.

    Mas como estamos no Brazil zil zil… ele já está na terceira “falha” descoberta e deve continuar sorridente e firme no cargo, afinal, qual o problema de erros tão graves na experiência acadêmica, para alguém que é MINISTRO DA EDUCAÇÃO, não é mesmo (rs)?

    Para não perder a conta, primeiro ele tinha um Doutorado que NÃO EXISTE, pois a TESE NÃO FOI APROVADA, depois um Mestrado com evidência CLARA de PLÁGIO e agora, um Pós Doutorado que também não existiu, onde ele teria feito trabalhos por cerca de 3 a 4 meses e não obteve NENHUMA certificação, porque o período para pós doutorado onde ele curso era de 2 ANOS. Segue a mais recente descoberta:

    https://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/2275-universidade-de-wuppertal-ministro-da-educacao-nao-recebeu-titulo-de-pos-doutorado-na-alemanha-24504816

    13+
    • avatar
    • avatar
    • CA 29 de junho de 2020 at 12:45

      No trecho “pois o período onde ele CURSO…”, o correto era “CURSOU”, erro de digitação. Se bem que combina com o tema (rs).

      7+
      • avatar
      • avatar
  • CA 29 de junho de 2020 at 13:44

    Só para lembrar:

    Quais os PILARES da Bolha Imobiliária no Brasil?

    1) PEDALADAS do governo: antecipando receitas do MCMV em DÉCADAS para CEF (pagam à vista valor que será utilizado em 35 anos no financiamento do MCMV), mais PEDALADAS já feitas no passado para cobrir ROMBOS da CEF com grana do Tesouro (R$ 27 BILHÕES à fundo PERDIDO), dentre outras.

    Notícia de hoje:

    https://www.istoedinheiro.com.br/tesouro-ve-risco-real-de-nao-haver-superavit-primario-ate-fim-do-proximo-governo/

    2) PEDALADAS e MAQUIAGENS da CEF, INÚMEROS ao longo dos últimos anos: desde venda de títulos PODRES em grande quantidade para empresas URUBU, com descontos de até 90%, NEGOCIAÇÕES FAJUTAS para mascarar INADIMPLÊNCIA, “descontos” de até 90% em venda de imóveis, reclassificação FAJUTA de ranking de títulos, etc, etc, etc…

    Situações recentes:

    CEF suspende cobrança do MCMV por 4 meses, mas mantém repasse para FGTS = ESTRANGULA LIQUIDEZ
    Além do MCMV, suspendeu cobrança por alguns meses para outras modalidades de financiamento.

    Mais detalhes no link:
    https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/05/14/bolsonaro-diz-que-caixa-ampliara-para-4-meses-pausa-no-financiamento-da-casa-propria.ghtml

    O que fizeram acima, foi para que não aparecesse uma DISPARADA na INADIMPLÊNCIA, mas o efeito PRÁTICO é o mesmo: DESTRUIÇÃO DE LIQUIDEZ de um banco que já é o campeão mundial em PEDALADAS e MAQUIAGENS e que já é o maior proprietário de imóveis à venda no PLANETA e isto porque não retomou nem 1/3 dos imóveis INADIMPLENTES!

    3) PEDALADAS e MAQUIAGENS no FGTS, o FGTS sendo usado para SUBSIDIAR o MCMV e ao mesmo tempo, gerar caixa para que a CEF possa continuar PEDALANDO (taxa de administração da CEF sobre o FGTS, antecipação de receitas, etc, etc, etc) e neste momento, o FGTS está tendo ROMBOS BILIONÁRIOS todos os meses, sem expectativa de grande melhora no futuro próximo:

    https://www.otempo.com.br/politica/auditoria-da-cgu-diz-que-patrimonio-do-fgts-e-r-17-bi-menor-que-o-apontado-1.2226584

    https://gauchazh.clicrbs.com.br/economia/noticia/2020/06/apos-prejuizo-bilionario-ao-fgts-caixa-diz-que-revitalizacao-do-porto-do-rio-e-inviavel-ckb108lm5000d01p8wl7jixmu.html

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/03/16/ministerio-da-economia-anuncia-novas-medidas-para-reduzir-impacto-do-coronavirus-veja-lista.ghtml

    https://noticiasconcursos.com.br/noticias-concursos/fgts-vai-liberar-ate-r-100-bi-em-credito-para-novos-saques-entenda/

    4) Emprego, renda e capacidade de financiamento das famílias:

    A DEGRADAÇÃO dos EMPREGOS e da RENDA está acontecendo em alta velocidade, assim como a INADIMPLÊNCIA, como nos inúmeros exemplos dados recentemente aqui no blog. Com isto, cada vez menos pessoas aptas a obterem o financiamento imobiliário.

    CONCLUSÃO:

    Os PILARES da Bolha Imobiliária no Brasil estão estremecendo RAPIDAMENTE e de forma INTENSA com o “novo normal”, como poderão manter todo o ESQUEMA?

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 29 de junho de 2020 at 14:37

    Brasil entrou em recessão a partir do 1º trimestre de 2020, diz FGV
    O ciclo de expansão anterior à atual recessão durou 12 trimestres, do primeiro trimestre de 2017 ao quarto trimestre de 2019

    o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro do primeiro trimestre registrou baixa de 1,5% ante os quatro últimos meses de 2019, conforme os dados das Contas Nacionais Trimestrais, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) há um mês.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 29 de junho de 2020 at 15:12

      Um dos integrantes do Codace, o economista Marco Bonomo, professor do Insper, demonstrou preocupação com os dados levantados pelo Comitê. “Essa recessão é muito preocupante. É muito profunda. Tem potencial de ser a maior da história”, afirmou Bonomo ao Blog. Segundo ele, a economia brasileira vinha crescendo muito pouco no primeiro trimestre. “O choque devido à pandemia em meados de março foi suficiente para a economia registrar recessão logo no primeiro trimestre”, comentou.

      Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB brasileiro encolheu 1,5% no primeiro trimestre de 2020. Para Bonomo, a recessão não começou em janeiro, mas o PIB vinha apresentando um desempenho fraco nos primeiros meses do ano. “Se a economia estivesse registrando um crescimento forte, não ia ser o choque na segunda metade de março (devido à covid-19) que iria fazer o PIB cair no primeiro trimestre”, destacou. Segundo ele, por enquanto, o Comitê se eximiu de dizer quando no primeiro trimestre começou a recessão.

      “A recessão que durou mais tempo foi a última, de 2014 a 2016, que durou 33 meses. Mas a mais profunda será a da covid-19, mas ainda temos apenas os primeiros dados sobre ela. Ainda não dá para prever a duração porque estamos no meio dessa recessão”, destacou ao Blog, a economista Marcelle Chauvet, professora da Universidade da Califórnia. “A economia estava se recuperando muito lentamente desde 2017. Alguns setores estavam bem fracos antes da covid-19, outros, em expansão”, adicionou.

      http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/fgv-pib-de-2020-ja-estava-fraco-antes-da-chegada-da-covid-19/

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 29 de junho de 2020 at 15:13

      Cajuzinha,

      No geral estão atribuindo a queda do primeiro trimestre à PANDEMIA.

      O que me faz lembrar do seguinte:

      1) A PANDEMIA só começou a ter algum efeito na economia brasileira, na segunda quinzena de março/2020, com o INÍCIO das quarentenas PARCIAIS. O efeito de UMA QUINZENA em relação a SEIS QUINZENAS que compõem o trimestre foi tão “devastador” a ponto de virar o PIB de positivo para NEGATIVO??? E era apenas o COMEÇO da QUARENTENA e não em todos os Estados e Municípios, ainda havia muita gente trabalhando normalmente, consumindo, se locomovendo, mesmo assim teve todo este impacto?

      2) Sobre o impacto exclusivo da PANDEMIA, o IPiraNaGrana havia dito que pediu ao pessoal do IBGE para abrir os números e ver se de fato não havia sido a quarentena do Covid-19 quem havia derrubado o “avião que decolava”. Ele disse isto há algumas semanas, até agora o pessoal do IBGE não abriu os números, ou ele simplesmente preferiu FINGIR que esqueceu porque o resultado não era favorável ao que ele defendia? Conhecendo o IPiraNaGrana, acho que todos aqui sabem a resposta…

      3) O PIB de 2019 foi o MENOR de 3 anos seguidos de PIBinho. Isto mesmo com os “pulinhos no fundo do poço” via liberação de PIS/FGTS, mesmo batendo-se o recorde mundial de BOLSA CALOTE, mesmo utilizando-se de um banco PÚBLICO que foi a CEF para retomar a liderança do crédito imobiliário via crédito PODRE e mesmo com INÚMERAS outras ações APELATIVAS para TURBINAR o crédito A QUALQUER PREÇO! Em 2019, também batemos RECORDES ligados à DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS, como RECORDE de DESALENTADOS, SUB-EMPREGADOS e da INFORMALIDADE do empreendedorismo por NECESSIDADE. Em fevereiro/2020, antes de QUALQUER EFEITO da PANDEMIA, já batíamos o recorde de inadimplência novamente. Como este contexto combina com uma “recuperação da economia” e justifica a “tese” de que tínhamos um avião decolando que foi abatido pela PANDEMIA?

      Pois é, como sempre disse, a Covid-19 é uma mistura de Cisne Negro, com alfinete para BOLHA IMOBILIÁRIA e BODE EXPIATÓRIO! E nesta última característica da Covid-19, como já era esperado, estão jogando toda a conta de BOLHAS + INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO em cima da PANDEMIA…

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 29 de junho de 2020 at 15:45

        Os dados do Codace confirmando que o PIB de 2020 já estava fraco no começo do ano contradizem o discurso do ministro da Economia, Paulo Guedes, que sempre fala em suas apresentações ao mercado de que a economia brasileira estava “decolando” neste ano, mas o “avião foi abatido” pela crise provocada pela covid-19.

        “O ministro tem errado todas as previsões que ele tem feito para o mercado e o estudo do Codace, confirma o fato de que Guedes não acerta uma”, destacou o economista José Luis Oreiro, professor da Universidade de Brasília (UnB). Ele citou vários equívocos da equipe econômica que viraram piada no meio acadêmico e do mercado ao tentarem reinventar a roda da macroeconomia, como tentar separar o PIB público do PIB privado e, recentemente, incluir o deficit fiscal na conta de carga tributária.

        http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/fgv-pib-de-2020-ja-estava-fraco-antes-da-chegada-da-covid-19/

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 29 de junho de 2020 at 18:16

    explica Luiz Barcellos, vice-presidente de Avaliação Imobiliária do Conselho Federal de Corretores de Imóveis.

    Como o que dita os valores dos imóveis é a lei da oferta e da procura, no momento a demanda está reprimida, as incertezas influenciam os compradores levando muitos deles a adiar a decisão de comprar. Se hoje o vendedor desejar liquidez, provavelmente, irá reduzir o preço ou conceder desconto para chegar ao fechamento da venda.

    “Essa demanda reprimida será liberada assim que sairmos dos tempos de pandemia. Só há queda nos preços dos imóveis cujos proprietários desejam vender rapidamente. A tendência geral que se observa é de estabilidade”, detalha Barcellos.

    https://monitormercantil.com.br/imoveis-usados-mostram-recuperacao-com-alta-de-50-nas-transacoes

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 29 de junho de 2020 at 18:39

      Cajuzinha,

      Pela nogentésima (sic) decepcionésima (sic) vez o segmento imobiliário ADULTERANDO o conceito de “demanda reprimida”.

      A “visão” deles é a seguinte: “QUERER É PODER!”

      Em outras palavras, basta as pessoas saírem da quarentena e todas que quiserem poderão comprar um imóvel!

      Engraçado que outros setores com produtos que tem preços MUITO INFERIORES aos dos imóveis, já reconheceram que a QUEDA DE DEMANDA é algo INEVITÁVEL no PÓS PANDEMIA, principalmente por causa do impacto sobre empregos, renda, super-endividamento, inadimplência, insegurança, etc, etc, etc…

      Daí vem o setor que tem o produto com preço mais caro, completamente descolado da realidade, fora dos fundamentos, que depende muito mais do que os outros setores das condições elencadas no parágrafo anterior e de outras que também são DESFAVORÁVEIS (SUBSÍDIOS de governo e FGTS, crédito PODRE da CEF) e diz que há uma demanda reprimida que vai ser liberada quando “sairmos dos tempos de pandemia”. Como sempre, estão prometendo que no futuro vai ser melhor, com a ÚNICA finalidade de atrair SARDINHAS E INCAUTOS de forma geral!

      Demanda reprimida é quando existe um forte interesse de compra, muitas vezes puxado pela NECESSIDADE, onde temos combinado com isto, uma igualmente forte CAPACIDADE PARA COMPRAR o produto. E no momento, o que temos é o CONTRÁRIO disto, a NECESSIDADE das pessoas em sua IMENSA MAIORIA está focada na SOBREVIVÊNCIA e a grande maioria não tem a menor condição de comprar imóvel, nem mesmo com financiamento em DÉCADAS e com oferta de crédito PODRE pela CEF!

      Para termos uma visão ainda mais CLARA da REALIDADE, voltamos ao velho exemplo de que existe uma forte demanda reprimida por Ferraris e tão logo “saíamos dos tempos de pandemia” haverá uma corrida sem limite por Ferraris! E olha que tem MUITO IMÓVEL que está mais caro do que uma Ferrari, aliás, a MAIORIA dos imóveis anunciados no país!

      P.S. deixa a galera da Ferrari saber da “brilhante” lógica acima, que eles vão abrir várias fábricas no país! s.q.n.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • chigo 29 de junho de 2020 at 23:14

        Concordo CA, mas mesmo assim, não acredito que os preços dos imóveis voltem a realidade em pouco tempo. Desde 2010 (quando começou o blog mesmo?) ou antes, os imóveis se descolaram e nem nos piores momentos da economia nestes ultimos 10 anos vi preço dos imóveis cairem significativamente de modo a se aproximar da realidade. Acho que isso só vai ocorrer quando um verdadeiro e gigante PLOC ocorrer. Não sei como, mas os caras conseguem manter os preços inflados há muitos anos.

        9+
        • avatar
        • avatar
        • perdido no rio 30 de junho de 2020 at 01:20

          Acabei de postar o gráfico do FingeZap. Mesmo com todas as maracutaias deles, o CDI 2008-2019 alcançou a valorização falsa dos imóveis anunciados. Aí tem um monte de detalhes, enquanto investimento em CDBzão paga IR, imóvel para investimento tem vacância e taxas, por outro lado tem um monte de investimentos que renderam demais neste período, as próprias NTNBs deram muita alegria a muita gente daqui. É impossível comparar a seco. Mas serve de baliza.

          Eu ainda aposto na desonestidade que impera o setor. Não deixarão os preços anunciados caírem muito. Mas as negociações servirão de guia. Lembro de post recente deste site onde a reportagem da Globo indicava queda na ordem de 40% no imposto recolhido sobre venda de imóveis em alguma cidade do RJ, salvo engano. Vamos precisar buscar as informações de fontes outras, como sempre fizemos. A OMS e o FMI já avisaram que os efeitos da pandemia serão duradouros. Só está otimista quem quer vender algo. Isso inclui os Faria Limers e os corvetores de imóveis. Momento de ter cautela.

          8+
          • avatar
          • avatar
    • perdido no rio 30 de junho de 2020 at 01:25

      Nunca falarão que o preço vai cair. É sempre estabilidade. Agora inventaram que o home office vai fazer as pessoas comprarem aptos com mais cômodos, mas menores (?!?). Realidade é que ninguém tem $. Cada vez mais demissões, mais dívidas. Comprei pipoca e cerveja para acompanhar. Apesar de estarem marretando o CDI para baixo, ainda vejo como um seguro de liquidez.

      9+
      • avatar
      • avatar
  • perdido no rio 30 de junho de 2020 at 01:14

    teste de imagem

    5+
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 30 de junho de 2020 at 03:43

    Isso eu sei, já está surpreendendo, de forma negativa 😛

    ‘O Brasil vai surpreender o mundo’, diz Paulo Guedes

    Ministro da Economia disse que país vai retomar agenda de reformas e que as prioridades são destravar investimentos, encaminhar a reforma tributária, reduzir o IPI e dar maior acessibilidade à cesta básica

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a prioridade do governo para a recuperação econômica é a geração de emprego e manutenção da renda. “O Brasil vai surpreender o mundo. É um povo valente. Vamos furar as duas ondas e sair do lado de lá”, disse Guedes durante transmissão semanal ao vivo do presidente Jair Bolsonaro.

    Entre as medidas que a pasta estuda, o ministro elencou destravar investimentos – especialmente em gás natural, para tornar a energia barata –, o encaminhamento da reforma tributária, redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e maior acessibilidade à cesta básica.

    “Precisamos justamente abrir novos horizontes de investimento. Então vem investimento em gás natural: o choque da energia barata. Isso vai chegar no botijão de gás daqui a pouco, que vai ficar barato. Vamos fazer depois a reforma tributária e reduzir os IPIs. Vamos também tornar a cesta básica mais acessível. Tudo isso mais acessivel pra população. Comprar fogão e geladeira, se a gente tirar os IPIs, isso desaba, o preço desaba. Nós vamos retomar nossa agenda de reformas estruturantes”, afirmou.

    O ministro também indicou que estuda implantar um bônus a pequenos empresários que cumprirem com os pagamentos de empréstimos tomados durante a crise. “Para o sujeito pequenininho que foi lá, pegou empréstimo, trabalhou bem, conseguiu se recuperar e pagou o empréstimo, a gente dá o bônus de adimplência e perdoa o crédito. Estamos estudando isso”, afirmou Guedes.

    https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2020/06/25/internas_economia,1160056/o-brasil-vai-surpreender-o-mundo-diz-paulo-guedes.shtml

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Ilusionista 30 de junho de 2020 at 09:46

      nada melhor do que ser mais realista, inclusive no que se refere a esta”gourmetização” do trabalho home office, assista os comentários do Prof. Villa a respeito do assunto a partir do 21:30 minuto do vídeo, o impacto social da novas relações de trabalho daqui para frente.

      https://www.youtube.com/watch?v=30qW8qvmEso

      5+
      • avatar
  • Lord of All 30 de junho de 2020 at 09:50

    E essa história de auxílio emergencial, hein?
    Umas semanas atrás eu critiquei isso e fui malhado aqui no blog, mas cada vez mais fica evidente q negócio é uma maracutaia, pode até ter ajudado alguns, mas a imensa maioria dos casos é fraude.
    Conheço umas 10 pessoas que pediram, mas nenhuma delas estava efetivamente passando necessidade, o que é o objetivo primordial do programa, a grande maioria bolsominion “liberal”, “anti-establismnet”, “anti-corrupção” etc etc.
    Aliás, aqui na minha cidade tirando aqueles setores que realmente pararam (músicos de bar, profissionais de turismo etc), o resto está funcionando de forma absolutamente normal, ao menos desde a páscoa.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 30 de junho de 2020 at 09:58

      Uma coisa aconteceu com esse auxílio: quem não estava precisando usou e não guardou, tanto que em alguns setores que estavam funcionando houve aumento de vendas/serviço. O brasileiro realmente não consegue guardar dinheiro, é impressionante.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lord of All 30 de junho de 2020 at 10:00

        Bozo aprendeu bem com o putê e o bolsa-coxinha, que distribuir dinheiro público aleatoriamente “traz” apoio político.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cajuzinha 30 de junho de 2020 at 10:10

          TOPO
          Por Helio Gurovitz

          Diretor de redação da revista Época por 9 anos, tem um olhar único sobre o noticiário. Vai ajudar você a entender melhor o Brasil e o mundo. Sem provincianismo

          Bolsonaro recorre à tática de Lula
          Como o petista diante do mensalão, o presidente aposta na acomodação política e em programas sociais, de olho na reeleição. Desorganizada, a oposição repete o mesmo erro de 2005

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Pedro de Lara 30 de junho de 2020 at 10:18

            Eis aí!
            Lula e Bolsonaro são idênticos. Se elegeram dizendo ter a solução para todos os problemas, mantiveram ideologias populistas e distribuição de benesses para os seus, foram partidários do “dar o peixe sem precisar saber pescar” pra manter a lealdade de seus eleitores ao Estado. Sempre tiveram a ideia de culpar os outros lados pelas mazelas do povo… Ambos populistas, que é uma característica amplamente evidenciada em países latinos ou em graves situações econômicas: quando tudo está perdido e aparece um “messias” salvador da pátria, prometendo que vai ter forças pra mudar tudo, a galera cai matando no voto, apenas pra ver que era mais do mesmo no final das contas.

            Enquanto se mantiver aquecida a demanda por “salvadores” autoproclamados, realmente não iremos ver muita coisa além do que já está aí há algumas décadas aqui no Bananil.

            12+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Lord of All 30 de junho de 2020 at 11:24

              No caso do Bozo, realmente não tinha como acreditar que um cara e sua família que receberam dinheiro público a vida inteira fossem de uma hora para outra se tornar “anti-estado”.

              Na comparação Molusco X Bozo, embora realmente parecidos na essência, acho que o Molusco foi muito mais esperto, não entrou em polêmicas e maluquices, e teve em seu governo um sistema muito sofisticado de corrupção, só caiu por causa da burrice da DilmAnta, que não soube “dialogar” com o CN. Já o Bozo, além de completamente doido e “especialista em matar” (palavras dele mesmo), achou que poderia governar só para as olavetes e, além disso, está caindo por crimes de mais baixo nível, quiçá violentos.

              9+
              • avatar
              • avatar
              • socrates 30 de junho de 2020 at 12:11

                Tudo teatro…

                estão todos no mesmo barco.
                O bozo por sua ignorância + egoísmo e os petistas por seu egoísmo + orgulho

                Todos com um único fim: NÃO FAZER UMA REFORMA TRIBUTARIA DECENTE

                Até parece que a mídia não sabe disso…
                São outros a quem não interessa a reforma tributária. Tal qual as corporações…
                Todos nos condenando a DESNCESSARIA MORTE e ao enfraquecimento e empobrecimento dos recursos naturais.
                Merecem ou não merecem a morte? Se eles são a causa do nosso fim, antes eles do que nós, não?

                Já falei, não precisa ter dor de cabeça, depressão, confusão: é só ver tudo com esse referencial que é bingo!

                6+
                • avatar
                • avatar
  • Cajuzinha 30 de junho de 2020 at 15:35

    Intenção de consumo em Pernambuco tem forte recuo no mês de junho

    O Índice de Intenção de Consumo das Famílias Pernambucanas (ICF) atingiu, no mês de junho, 59,1 pontos. O valor corresponde a uma diminuição de 17,5% em comparação ao mês de maio (71,6 pontos), e uma diminuição de 24,8% em comparação a junho de 2019 (78,6 pontos). Estes foram os maiores recuos da série histórica iniciada em 2010 e refletem a queda na renda dos pernambucanos devido à pandemia do novo coronavírus. Os valores encontram-se na zona de avaliação negativa – abaixo dos 100 pontos – desde agosto de 2015.

    Nem mesmo as políticas de incentivo ao consumo, como as liberações do FGTS inativo, PIS e FGST ativo, tiveram efeito forte o suficiente para fazer com que a intenção de consumo voltasse à zona de avaliação positiva.

    Nos grupos de famílias que possuem renda abaixo e acima de 10 salários mínimos, o nível de consumo sofreu queda. Os de menor rendimento continuam com 57 pontos, enquanto os de maior renda encerraram o mês com 81,2 pontos, entrando pela primeira vez na zona de avaliação negativa.

    De acordo com a Fecomércio (Federação de Comércio de Pernambuco), o movimento de recuperação do nível de consumo das famílias já se mostrava lento e resistente antes da pandemia da Covid 19, ainda um reflexo das crises de 2015 e 2016.

    https://www.folhape.com.br/economia/intencao-de-consumo-em-pe-tem-forte-recuo-no-mes-de-junho/145581/

    3+
    • avatar
  • Cajuzinha 30 de junho de 2020 at 15:43

    Número de empregados com carteira assinada caiu para o menor nível da série histórica e, pela 1ª vez, menos da metade da população em idade de trabalhar está ocupada.

    Trata-se da maior taxa de desemprego desde o trimestre terminado em março de 2018, quando foi de 13,1%. E o desemprego só não tem sido maior porque muita gente simplesmente deixou de procurar emprego ou não estavam disponíveis para trabalhar em meio à pandemia de coronavírus.

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/06/30/desemprego-sobe-para-129percent-em-maio.ghtml

    7+
    • avatar
  • Lord of All 30 de junho de 2020 at 15:44

    “só uma gripezinha, não precisa se preocupar” (Bozo, 2020).

    China suspende importações de 3 frigoríficos brasileiros, diz ministério

    https://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2020/06/29/china-suspende-importacoes-de-3-produtores-de-carne-do-brasil-diz-ministerio.ghtml

    5+
    • avatar
  • Lord of All 30 de junho de 2020 at 15:47

    Já não dá mais pra saber se é o Guédiz ou o perfil falso dele falando, os exageros estão ficando idênticos.
    “Otimismo
    Para Guedes, medidas adotadas pelo governo têm conseguido atenuar crise econômica
    “Apesar da queda brutal da produção e do comércio, a massa salarial no Brasil subiu”, disse o ministro

    7+
    • avatar
    • avatar
    • CA 30 de junho de 2020 at 16:59

      Lord of All,

      A massa salarial subiu??? Ah, considerando-se o auxílio governamental, ou então considerando-se a variação ANUAL ou seja, metodologia IPiraNaGrana e de ZUMBOZOS, DESINFORMAÇÃO PURA, como o PIB Privado e outros “cálculos e estudos” que ele INVENTOU sem NENHUM EMBASAMENTO. Sem o auxílio governamental, a massa salarial CAIU 5%. OBS: como o nome diz, massa SALARIAL não inclui outros incentivos e outras formas de renda.

      6+
      • avatar
  • CArlos 30 de junho de 2020 at 16:43

    O homem é uma metralhadora de [email protected]

    Guedes diz que Brasil vai surpreender em até 90 dias e atrair investimentos

    Participou de audiência pública
    Crédito esteve ‘insuficiente’
    R$ 1 trilhão de estímulos

    O ministro Paulo Guedes (Economia) disse nesta 3ª feira (30.jun.2020) que o Brasil vai “surpreender” nos próximos 60 a 90 dias ao dar continuidade a agenda de reformas e de mudanças de regras em setores.

    Citou os setores de gás natural, petróleo, saneamentos, cabotagem e setor elétrico. “5 grandes frentes de investimentos para destravar juridicamente as fronteiras de investimentos”, declarou.
    “Temos 60 a 90 dias para destravarmos a fonte [de investimentos]”, afirmou. “Continuamos otimistas e eu diria, na verdade, realistas de que é possível o Brasil retomar as reformas estruturantes e o crescimento econômico antes do que a maioria dos analistas têm previsto”, disse.

    As declarações foram dadas durante audiência pública virtual da Comissão Mista de Acompanhamento das Medidas Relacionadas ao Coronavírus do Congresso Nacional.

    “Eu não diria que a economia cai 9%, 10% [em 2020]. Também não digo que vamos sair crescendo rápido, mas temos chance de recuperação mais rápida do que estão prevendo”, disse. Ao se referir à estimativa do FMI, de queda superior a 9%, disse que é “chute“.

    Ao fazer a retrospectiva de medidas fiscais e de incentivo ao crédito adotadas, o ministro disse que em 2 ou 3 semanas de pandemia o governo federal conseguiu mobilizar R$ 500 bilhões sem modificar a Constituição.

    Disse que o valor atualmente chegou a R$ 1 trilhão com as ações de estímulos. “Isso é duas vezes mais do que a média dos países emergentes. Isso é 10% acima da média dos países avançados”, afirmou Guedes.

    Depois da aprovação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) de Guerra, o Congresso e o governo criaram o auxílio emergencial, também conhecido como coronavoucher, que dá R$ 600 para as pessoas mais vulneráveis com a crise.

    Quando foi aprovado, era previsto para pagar R$ 50 bilhões por ano. Guedes comentou que o valor subiu para R$ 150 bilhões porque o governo descobriu “38 milhões de invisíveis”, que são pessoas que não tinham registros formais no setor público.

    Somados a este grupo, a União também custeou o benefício para 20 milhões de beneficiários do Bolsa Família e em torno de 10 milhões de microempreendedores.

    Guedes afirmou que, dos 38 milhões de invisíveis, de 8 a 10 milhões são pessoas pobres com pouca assistência. O restante são “empreendedores que trabalham por conta própria e estão se virando para ganhar a vida”.

    Para este grupo, o ministro voltou a defender a carteira de emprego verde e amarela, que formaliza trabalhadores. “O objeto do programa verde e amarelo é dar dignidade para os que lutam e que são desassistidos pelo Estado”, declarou.

    CHOQUE ECONÔMICO

    O ministro Paulo Guedes (Economia) disse que as medidas conseguiram “atenuar o choque econômico”. Reconheceu falhas nos incentivos de acesso ao crédito, mas afirmou que o país está conseguindo manter empregos.

    “Apesar da queda brutal na produção, no comércio, a massa salarial no Brasil subiu. É um dos pouquíssimos países que conseguiu fazer a massa salarial subir. Há mais recursos circulando hoje do que havia quando começou a crise. Então nós conseguimos efetivamente atenuar o choque econômico que seria dado nessa economia em caso não tivéssemos agido com tanta força”, disse o ministro.
    “Em 5 a 6 semanas, enquanto os americanos demitiram 30 milhões de trabalhadores do mercado formal, o Brasil protegeu 10 milhões de empregos”, disse Paulo Guedes, em referência aos contratos firmados por empresas que prometeram não demitir.

    Em troca, essas companhias negociam redução salarial e da jornada de trabalho, ou até suspensão do contrato. O Tesouro Nacional custeia valor compensatório de acordo com o que o trabalhador tem direito do seguro desemprego.

    Mais merda aqui:
    https://www.poder360.com.br/economia/guedes-diz-que-brasil-vai-surpreender-em-ate-90-dias-e-atrair-investimentos/

    6+
    • avatar
    • CA 30 de junho de 2020 at 17:30

      CArlos,

      Não pode ter o MÍNIMO de espírito crítico e de informação para acreditar na PAPAGAIADA do IPiraNaGrana.

      E reitero o que coloquei antes: ele se enquadra PERFEITAMENTE neste governo ALOPRADO, afinal o IPiraNaGrana é ESPECIALISTA em DESINFORMAÇÃO e FAKE NEWS.

      Só na notícia acima, alguns EXEMPLOS:

      1) Inclui auxílio emergencial como “massa salarial”;

      2) Considera valor NOMINAL ao comparar com MÉDIA de países emergentes e desenvolvidos e não o PERCENTUAL sobre o PIB, ou seja, compara “laranja com banana”, coloca no mesmo saco países com PIB´s MUITO diferentes e onde valores muito menores NOMINALMENTE tem impacto PERCENTUAL e REAL na economia MUITO MAIOR;

      3) O IPiraNaGrana pega um GRANDE MONTANTE que simplesmente não teve NENHUMA EFETIVIDADE, porque o crédito NÃO CHEGOU nas empresas e considera isto como parte do “realizado”, sendo que foi apenas DISCURSO que NÃO se concretizou. Estamos falando do crédito para pequenas empresas, por exemplo, dentre outras PROMESSAS;

      4) Compara a disparada no DESEMPREGO nos EUA com o do Brasil, como se estivéssemos “muito melhor”. Aqui, em que a comparação é DISTORCIDA?

      4a) Nos EUA as empresas não tem altíssimos custos para desligarem os funcionários, logo, as movimentações da demissão e recontratações podem ocorrer de forma muito mais dinâmica do que no Brasil. Por aqui, chegamos ao ponto de termos empresa que não demitiram por não terem condições de pagarem as verbas rescisórias;

      4b) O programa de preservação dos empregos do Governo, COPIOU o que já tinha sido feito pela Dilma nos anos de 2015 e 2016, com PEQUENAS VARIAÇÕES. O programa da Dilma só foi demonstrar seu FRACASSO depois de passar o período de ESTABILIDADE FORÇADA. Temos mais de 11,5 MILHÕES que tiveram salários suspensos ou redução no salário, vão prorrogar o prazo, mas a questão é: destes, quantos vão conseguir manter os empregos?

      4c) MUITAS LOJAS e empresas de forma geral que conseguirem SOBREVIVER à pandemia, vão precisar de um tempo DEPOIS da saída da quarentena para verem como vão ficar os negócios e só a partir daí é que vão decidir sobre a continuidade ou não dos negócios e só nesse momento veremos os efeitos das demissões que poderão ocorrer. A questão é que nos EUA a PANDEMIA começou 2 MESES ANTES, logo este contexto já está em estágio MAIS AVANÇADO, não dá para comparar em bases iguais e diretas AINDA.

      Como SEMPRE, tem MUITO MAIS FUROS nas teorias MIRABOLANTES e cheias de PEGA-TROUXA do IPiraNaGrana, acima apenas AMOSTRAS.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • CArlos 30 de junho de 2020 at 20:13

        Naquele blog lá que só tem “jênios” investidores hahahahaha

        ***** 30 de junho de 2020 at 17:08

        Gostei muito das Declarações do Guedes e do Bolsonaro. Maia claramente desconfortável em assinar documentos ao lado do Presida, mas Alcolumbre estava à vontade com o Bozo!

        5+
        • avatar
  • Cajuzinha 30 de junho de 2020 at 17:03

    O presidente Jair Bolsonaro tem sido aconselhado por auxiliares e parlamentares a ampliar
    sua “agenda positiva” na relação com outros Poderes e substituir os ministros Ricardo
    Salles, do Meio Ambiente, e Ernesto Araújo, das Relações Exteriores. Embora contem com
    o apreço do presidente e do núcleo ideológico, os dois são considerados problemáticos por
    integrantes do próprio governo e vistos como entraves para o avanço de acordos comerciais
    internacionais.

    https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2020/06/30/bolsonaro-e-aconselhado-a-trocar-mais-ministros.htm

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 30 de junho de 2020 at 18:54

    DESNOMEADO. O Brasil é uma triste comédia…

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 30 de junho de 2020 at 20:02

      Cajuzinha,

      E o pior, é que ele se enquadrava perfeitamente no perfil do governo: especialista em FAKES…

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Lord of All 30 de junho de 2020 at 20:19

    E isso não tem nada a ver com o coronavirus, mas sim com o desgoverno econômico bozo-Guedes:

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/06/30/real-e-a-segunda-moeda-que-mais-perdeu-valor-neste-ano.ghtml

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 30 de junho de 2020 at 20:43

    ???????

    Já os motivos para não comprar variam de acordo com a renda. “Quem ganha acima de R$ 11 mil sofre com as incertezas em relação à pandemia, algo mais psicológico. Já que possui renda até esse valor, desiste da compra por ter perdido o emprego” disse Fábio.

    https://www.google.com/amp/s/www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2020/06/30/internas_economia,868239/amp.html

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • EMA 30 de junho de 2020 at 21:18

    Ontem ouvia CBN SP no quadro do Mauro Halfeld e hoje consegui achar o áudio que tem o título: “Fui demitido, recebi o FGTS e estou pensando em comprar um apartamento na planta”, que está no seguinte link:
    https://m.cbn.globoradio.globo.com/media/audio/306459/fui-demitido-recebi-o-fgts-e-estou-pensando-em-com.htm

    Em 1:27 min o comentarista, que desaconselha a aquisição do imóvel, arremata dizendo que: “podem haver muitos atrasos nas obras e até quebra de construtoras no meio da confusão ” pois é claro: a culpa disso tudo é a pandemia. Apesar do viés, chamou-se atenção o fato de que houve pelo menos uma manifestação semi-honesta na grande mídia.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Master Yi 30 de junho de 2020 at 22:40
  • CArlos 1 de julho de 2020 at 02:17

    PAULO GUEDES BOT @pauloguedesbot

    Estɑmos prevendo um cenάrio onde trilhões podem ingressɑr no pɑís nɑs próximɑs semɑnɑs. Trilhões de gɑfɑnhotos.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 1 de julho de 2020 at 09:26

    Os desafios são muito grandes e vão desde a gestão financeira das empresas até mudanças de comportamento e renda dos consumidores.

    É preciso analisar as incertezas, tomar ações cautelosas e muito bem pensadas. Se agirmos assim, 2021 pode nos surpreender positivamente com a retomada

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Moreira 1 de julho de 2020 at 09:27

    CVR
    fui abastecer e estava uma fila enorme de carros (Brasília-DF). Pensei que fosse uma promoção. Mas notei que só havia uma frentista atendendo. Isso era por volta das 19h. Quando chegou minha vez perguntei a frentista pq apenas ela atendia e a resposta foi assim:
    “esses safados donos de postos. Demitiram oito de uma vez. ficou apenas dois frentistas.”

    Demonstrei surpresa e – como quem não acreditava – perguntei se não era férias forçada, pausa no contrato de trabalho e não demissão. Perguntei havia relação com o contexto da pandemia.

    Resposta:
    “sim: DEMISSÃO de OITO funcionários. Ficara apenas dois. eu sou uma delas. Tá difícil”. Enquanto isso olhei para trás e notei uma fila maior.

    Então fiquei pensando na letra que simbolizará a retomada da economia. Mas só me veio o “i”, de cabeça pra baixo.

    26+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 1 de julho de 2020 at 10:10

      o pior é que você poderia abastecer o seu próprio carro… SE a Banania fosse um país decente.

      Não era esse o governo “liberal” que iria acabar com esse tipo de regulação e exigência desnecessária.

      A gasolina poderia ser mais barata se não tivessem que ser custeados intermediários.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CArlos 1 de julho de 2020 at 10:16

        Um dos motivos de não termos mais self-service é o de que o brasileiro em uma parte significativa é incivilizado e vai querer levar vantagem (roubo).

        23+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 1 de julho de 2020 at 09:50

    Dados dos economistas Ecio Costa, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), e Marcelo Freire, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, mostram que o Nordeste pode ter a recessão econômica atenuada pelo auxílio emergencial do governo federal.

    Segundo os economistas, o auxílio emergencial pode chegar a 3,5% do PIB em Sergipe.

    Como NE Notícias informou, o auxílio emergencial foi prorrogado por mais dois meses.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 1 de julho de 2020 at 10:06

      tem um fator ainda mais importante quanto ao auxilio emergencial.
      Embora exista um grande numero de fraudes (infelizmente), o $$$ tende a circular no “chão”, na economia mais essencial.
      A imensa maior parte circula e tem efeitos dentro do Brasil ao contrário dos reajustes dos marajás que tende a ser gasto com produtos de luxo, marcas caras internacionais ou gasto diretamente lá fora.
      O fim do auxilio deve representar um tombo proporcional bem mais forte que os números absolutos.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CArlos 1 de julho de 2020 at 10:14

    OFF – Modelo do Samy Dana alguém sabe onde foi parar, estão fazendo “ajustes” ainda?

    7+
  • phrrocha 1 de julho de 2020 at 13:53

    Pessoal, boa tarde.
    Andei adoentado e sem acompanhar mercado. Meu investimento tem sido só em renda fixa na SOFISA, mas eu queria diversificar. Tenho conta na easyinvest e na rico. Estas ultimas continuam confiáveis:? Lembro que eu gostava mais da agilidade da Rico que da easyinvest. Alguem me indica algum investimento em renda fixa de empresa “segura”? aquele banco ABC continua bem das pernas?? Grato por toda ajuda.

    2+
    • phrrocha 1 de julho de 2020 at 13:56

      Ou pra pouca coisa (15, 20 mil) é melhor poupança? Pelo que leio, sempre desaconselham poupança. Falo assim por causa da pandemia,

      3+
    • Lord of All 1 de julho de 2020 at 14:13

      A renda fixa por ora acabou.
      Mas se vc não tem onde por o dinheiro e quer “risco zero”, pegue qq corretora sem taxas e “invista” em TD-Selic. Vai te dar uns centavos a mais q a poupança.

      8+
      • avatar
      • phrrocha 1 de julho de 2020 at 14:27

        renda fixa ta pior que poupança? queria algo com prazo de resgate menor ou mesmo c liquidez diaria. Fico c receio de precisar na pandemia.

        2+
        • MARK 1 de julho de 2020 at 17:31

          Aconselho Tesouro Direto, não paga tanto assim, mas remunera melhor que a poupança e tem liquidez diária. Tesouro Selic ou outro Tesouro Direto que seja viável, eles têm liquidez diária.

          5+
  • Cajuzinha 1 de julho de 2020 at 17:35

    https://einvestidor.estadao.com.br/educacao-financeira/brasileiro-sem-reserva-financeira-crise/

    Mais da metade dos brasileiros entrou na crise sem reserva …
    Estadão-4 horas atrás
    A educação financeira dos brasileiros ainda é muito pequena e a falta dela pode ser muito prejudicial em momentos de crise como o que …

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 2 de julho de 2020 at 07:53

      e 45% entrou com dívidas em atraso.

      8+
      • avatar
      • avatar
  • CArlos 1 de julho de 2020 at 19:03

    OFF – Sobre a falácia dos “curados”

    Aqui está o que a recuperação do Covid-19 pode parecer para muitos sobreviventes

    Falta de ar contínua, fraqueza muscular, flashbacks, nebulosidade mental e outros sintomas podem atormentar os pacientes por um longo tempo.

    Centenas de milhares de pacientes com coronavírus gravemente enfermos que sobrevivem e deixam o hospital estão enfrentando um novo e difícil desafio: a recuperação. Muitos estão lutando para superar uma série de sintomas residuais preocupantes, e alguns problemas podem persistir por meses, anos ou até o resto de suas vidas.

    Pacientes que estão voltando para casa após serem hospitalizados por insuficiência respiratória grave pelo vírus estão enfrentando problemas físicos, neurológicos, cognitivos e emocionais.

    E eles devem navegar no processo de recuperação à medida que a pandemia continua, com todas as tensões e recursos estendidos que ela trouxe.

    “Não é apenas ‘Oh, eu passei um período terrível no hospital, mas graças a Deus estou em casa e tudo voltou ao normal'”, disse o Dr. David Putrino, diretor de inovação em reabilitação do Sistema de Saúde Mount Sinai, em Nova York . “É, eu acabei de passar um período terrível no hospital e adivinhem? O mundo ainda está queimando. Preciso abordar isso ao mesmo tempo em que tento recuperar o que minha antiga vida costumava ser. ‘”

    Ainda é muito cedo para dizer como será a recuperação desses pacientes. Mas aqui está uma olhada no que eles estão experimentando até agora, o que podemos aprender com ex-pacientes com experiências médicas semelhantes e os desafios que provavelmente estão à frente.
    Que problemas os pacientes enfrentam depois de deixar o hospital?

    Há muitos. Os pacientes podem deixar o hospital com cicatrizes, danos ou inflamação que ainda precisam se recuperar nos pulmões, coração, rins, fígado ou outros órgãos. Isso pode causar uma série de problemas, incluindo problemas urinários e de metabolismo.

    Dr. Zijian Chen, diretor médico do novo Centro de Cuidados Pós-Covid do Sistema de Saúde Mount Sinai, disse que o maior problema físico que o centro estava vendo era falta de ar, que pode ser resultado de problemas nos pulmões ou no coração ou sangue. problema de coagulação.

    “Alguns têm tosse intermitente que não desaparece, o que dificulta a respiração”, disse ele. Alguns até usam oxigênio nasal em casa, mas isso não os ajuda o suficiente.

    Alguns pacientes que usavam ventiladores relatam dificuldade em engolir ou falar acima de um sussurro, resultado geralmente temporário de hematomas ou inflamação de um tubo respiratório que passa pelas cordas vocais.

    Muitos pacientes experimentam fraqueza muscular depois de permanecer em uma cama de hospital por tanto tempo, disse o Dr. Dale Needham, médico intensivista da Faculdade de Medicina Johns Hopkins e líder no campo de recuperação de terapia intensiva. Como resultado, eles podem ter problemas para caminhar, subir escadas ou levantar objetos.

    3+
    • avatar
    • CArlos 1 de julho de 2020 at 19:03

      Danos ou fraqueza nos nervos também podem diminuir a força muscular, disse Needham. Problemas neurológicos também podem causar outros sintomas. Chen disse que o centro pós-Covid do Monte Sinai encaminhou quase 40% dos pacientes a neurologistas em questões como fadiga, confusão e nebulosidade mental.

      “Parte disso é muito debilitante”, disse ele. “Temos pacientes que entram e nos dizem: ‘Não consigo me concentrar no trabalho. Recuperei-me, não tenho problemas respiratórios, não tenho dores no peito, mas não consigo voltar ao trabalho porque não consigo me concentrar. ”

      O centro também encaminha alguns desses pacientes para consultas psicológicas, disse Chen.

      “É muito comum que os pacientes tenham TEPT após passar por isso – pesadelos, depressão e ansiedade, porque estão tendo flashbacks e lembrando o que aconteceu”, disse Lauren Ferrante, médica pulmonar e de cuidados intensivos da Faculdade de Medicina de Yale, que estuda pós-UTI resultados de recuperação.

      Os problemas emocionais podem ser aumentados para os pacientes do Covid-19 por causa de seus dias hospitalizados sem visitas de familiares e amigos, dizem especialistas.

      “Essa experiência de estar extremamente doente e extremamente sozinho realmente amplia o trauma”, disse o Dr. Putrino, acrescentando que muitos pacientes estavam entrando em contato com seu programa para solicitar serviços de psicologia de telemedicina. “Eles estão dizendo: ‘Ouça, eu não sou realmente eu e preciso falar com alguém.'”

      Para descrever a grande variedade de desafios de recuperação, os especialistas costumam usar um termo genérico, cunhado cerca de uma década atrás: síndrome de cuidados pós-intensivos ou PICS, que pode incluir qualquer um dos sintomas físicos, cognitivos e emocionais que os pacientes encontram.
      O que torna alguém mais propenso a enfrentar desafios de recuperação?

      Estudos de pessoas hospitalizadas por insuficiência respiratória por outras causas sugerem que a recuperação provavelmente será mais difícil para pessoas que eram frágeis anteriormente e para pessoas que precisavam de hospitalizações mais longas, disse Ferrante.

      Mas muitos outros pacientes com coronavírus – não apenas aqueles que são mais velhos ou têm outras condições médicas – passam semanas em ventiladores e mais semanas no hospital após a remoção dos tubos respiratórios, tornando as colinas de recuperação mais íngremes para subir.

      “Você tem longos períodos de permanência em um ventilador e na I.C.U. agora são mais longos do que jamais vimos antes “, disse Ferrante. “Preocupa-se que isso tenha repercussões na função física e que veremos mais pessoas não se recuperando”.

      Outro fator que pode prolongar ou dificultar a recuperação é um fenômeno chamado delírio hospitalar, uma condição que pode envolver alucinações paranóicas e confusão ansiosa. É mais provável que ocorra em pacientes que sofrem sedação prolongada, têm interação social limitada e são incapazes de se movimentar – tudo comum entre os pacientes do Covid-19.

      Estudos, incluindo um realizado por uma equipe do Centro Médico da Universidade de Vanderbilt, descobriram que a I.C.U. os pacientes que experimentam delirium hospitalar têm maior probabilidade de apresentar comprometimento cognitivo nos meses após a saída do hospital.
      Qual é a trajetória de recuperação?

      Altos e baixos são comuns. “Não é absolutamente um processo linear e é muito individualizado”, disse Needham.

      A perseverança é importante. “O que não queremos é que os pacientes voltem para casa e deitem na cama o dia todo”, disse Ferrante. “Isso não ajudará na recuperação e provavelmente piorará as coisas.”

      Os pacientes e suas famílias devem perceber que as flutuações em andamento são normais.

      “Haverá dias em que tudo dará certo com seus pulmões, mas suas articulações estão tão doloridas que você não consegue se levantar e fazer sua reabilitação pulmonar e você tem alguns contratempos”, disse Putrino. “Ou seu atendimento pulmonar está indo bem, mas seu nevoeiro cognitivo está causando ansiedade e espiralando, então você precisa largar tudo e trabalhar intensamente com seu neuropsicólogo.”

      “Realmente parece um passo à frente, dois passos para trás”, acrescentou, “e tudo bem”.
      Quanto tempo duram esses problemas?

      Para muitas pessoas, é provável que os pulmões se recuperem, geralmente em meses. Mas outros problemas podem persistir e algumas pessoas podem nunca ter uma recuperação completa, dizem os especialistas.

      https://www.nytimes.com/2020/07/01/health/coronavirus-recovery-survivors.html

      5+
      • avatar
  • CArlos 1 de julho de 2020 at 20:23

    OFF – Quem poderia imaginar que isto iria acontecer?
    #trumpRetardados

    EUA relatam 47.451 novos casos de coronavírus até o momento hoje, estabelecendo um novo recorde com alguns estados ainda a notificar

    https://bnonews.com/index.php/2020/01/tracking-coronavirus-u-s-data/

    5+
    • CArlos 1 de julho de 2020 at 20:27

      Só um detalhe: Somos os próximos a entrar na segunda onda….

      #bolsobostaGenocida

      4+
      • avatar
  • Cajuzinha 1 de julho de 2020 at 21:54

    O secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercado do Ministério da Economia, Salim Mattar, afirmou nesta quarta-feira, 1º, que o Brasil talvez precise de dois anos para recuperar o PIB anterior à pandemia do novo coronavírus. Ressaltando que ainda é difícil saber o tamanho do “estrago” que a crise causará, Mattar lembrou que as projeções estimam uma queda de até cerca de 6% da economia neste ano.

    8+
    • avatar
    • CArlos 1 de julho de 2020 at 22:17

      Otimista o tal Mattar, será que ele já se tocou que a crise é mundial?

      6+
      • avatar
  • Cajuzinha 1 de julho de 2020 at 22:12

    Em maio, a Pride colocou à disposição dos consumidores condições especiais de compra da casa própria. Em todos os empreendimentos, a entrada fica para janeiro de 2021 e caso o interessado perca o emprego, esse valor é postergado para junho de 2021.

    https://www.google.com/amp/s/amp.diariodoscampos.com.br/noticia/construtora-aumenta-vendas-em-meio-a-crise-com-negociacao-online-e-condicao-de-pagamento-inedito-em-ponta-grossa

    8+
    • avatar
    • avatar
    • CArlos 1 de julho de 2020 at 22:27

      Hahahaha

      Reedição do imóvel na planta…. ou daqueles financiamentos malucos direto com a construtora…

      Não dona Diana, vc não conseguiu realizar o seu sonho, vc apenas conseguiu um boleto pra pagar….
      Brasilino tem mesmo é que ser estudado pela NASA.

      Atraída pelas condições especiais a vendedora Diana da Silva Santos, realizou o sonho da casa própria. Vinda do interior de São Paulo, a jovem de 19 anos, estuda Engenharia Civil na Universidade Estadual de Londrina. “Eu achei que não conseguiria, porque sou muito jovem e achei que não iam aprovar minha ficha, mas fiquei surpresa que em dois dias os documentos já estavam todos finalizados. Em breve, terei meu primeiro apartamento”, comemorou.

      CVR

      Quando comprei meu bolhudinho eu estranhei que vários moradores vinham perguntar quanto eu tinha pago (financiamento CAIXÂO), achei estranho, só descobri um bom tempo depois que muita gente tinha pago quase o dobro no financiamento direto com a destrutora…
      Sabem aqueles lançes de parcela mensal, semestral etc?

      Então, como brasilino não faz conta mesmo os tontos só perceberam o quanto foram tungados quando já era tarde…
      Daí começaram com as desculpas tipo: meu bloco é melhor construído, meu apertamento é em andar alto, etc etc etc
      Teve gente que entrou na justiça contra a destrutora, foi uma festa…
      Outros ainda mais idiotas “ostentavam” que pagaram mais, como se ser feito de trouxa seja motivo de orgulho, vai saber…

      19+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CArlos 1 de julho de 2020 at 22:15

    PAULO GUEDES BOT @pauloguedesbot

    Comércio de berrantes pode gerar até 5 trilhões de reais por ano

    7+
    • avatar
    • avatar
  • CArlos 2 de julho de 2020 at 01:44

    Tchutchuca anda fazendo escola

    Publicitários e seu bullshit usual, me pareçe mais matéria paga do que artigo, Tecnisa por exemplo é cliente deste cara 😉

    O novo antigo normal: em breve!
    Nossa retomada pode ser mais surpreendente do que os sacerdotes da Economia estão prevendo

    Não sou economista. Aliás, sinto-me um outsider nesta área do jornal, mesmo sendo seu leitor contumaz e pai de uma jovem economista. Mas não resisto à tentação de mexer neste vespeiro: as previsões sobre como serão os próximos meses em nossa economia.

    Nós temos convivido com múltiplas tentativas de antecipar o grau de dificuldade que enfrentaremos. Há apostas para a queda do PIB que vão dos otimistas 6% aos mais trágicos chegando quase a 10%. Na visão mais pessimista, cairemos o equivalente a quase meio Chile este ano. É isso mesmo que vai acontecer? Algumas coisas me inquietam e compartilho três ideias sobre o que esperar do segundo semestre.

    Em primeiro lugar, tem me parecido sempre que a visão do futuro é feita hoje com uma lente obscurecida pela poeira do presente. E olha que é muita poeira!

    Em segundo lugar, a projeção é feita, habitualmente, com a exclusão de uma variável que não costuma entrar plenamente nos cálculos econométricos, muito mais concentrados que eles são nos indicadores consolidados ou parciais do fluxo dos negócios e em seus porta-vozes. Estou falando de uma variável que pouco a pouco, década após década, tem se atrevido a entrar nas reservadas discussões dos economistas e seus pares.

    Daniel Kahneman ganhou o Nobel de Economia, em 2002, ao integrar em suas investigações considerações de natureza psicológica. Ou seja, mostrar o quanto o imponderável e nem sempre previsível comportamento humano pesa nas decisões que se refletem na vida do mercado. Em 2017, foi a vez de Richard Thaler ser laureado com o Nobel de Economia ao integrar pressupostos da psicologia em suas análises. O que ele disse é que as equações formais não resistem à irracionalidade do comportamento humano. E dizem que ele iria gastar o seu milhão de dólares de prêmio da forma mais irracional quanto possível.

    No território profissional de Branding em que estou metido, acompanho as mais variadas flutuações nas decisões de consumidores. Algumas fáceis de compreender racionalmente, outras de uma aparente total irracionalidade, se nos pautarmos por um sentido de fria sensatez. Por exemplo, vocês já devem ter visto em bairros de classe média carros numa garagem que é menor que o comprimento dele. Logo, cria-se um calombo na grade para acomodar o veículo. E gente que compra muitas roupas que acaba não usando, pelo receio de que fiquem velhas? Querem mais? Homens, principalmente homens, em restaurantes do tipo rodízio, que se empanturram de carne e sobremesas doces e, depois, encerram a refeição tomando café com adoçante. Convivo com uma interminável coleção de exemplos que deixariam R. Thaler feliz. Essa aparente irracionalidade é muito difícil de ser captada pelas métricas mais racionais. São irracionalidades, ainda que apenas aparentemente, mas movimentam a economia.

    Em terceiro lugar, os desejos e necessidades de consumo que estão sendo recalcados neste delicado período dos últimos meses não foram enterrados. Aposto que não veremos o nascimento de uma nova espécie humana. Mais provável que estejamos diante, mais uma vez, do novo antigo normal. Não surgirá o novo consumidor, fazendo uso matemático e racional em sua rotina de consumo – aliás, uma espécie que nunca existiu. O desejo vencerá o medo! O desejo pulsa em nós. No isolamento, o desejo espia pelas frestas esperando o momento de pôr a cabeça para fora. Nas aglomerações da Rua 25 de Março, no Brás, nas filas dentro da Leroy Merlin, nos pequenos mercados da periferia, nos parques, no Beto Carrero, em Florianópolis, o desejo já decretou sua alforria. Porque, como disse nosso poeta Ferreira Gullar, “dentro, no coração, eu sei, a vida bate. Subterraneamente, a vida bate”.

    Não ouso vaticinar, mas me encanta a chance de as equações não expressarem toda a verdade e de nossa retomada no segundo semestre ser mais surpreendente do que sacerdotes da Economia estão prevendo. Aliás, não seria a primeira vez que nos preparamos para um PIB que não responde à racionalidade técnica de economistas.

    *PRESIDENTE DA TROIANOBRANDING

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,o-novo-antigo-normal-em-breve,70003350062

    4+
    • avatar
  • Cajuzinha 2 de julho de 2020 at 06:18

    Após retomada, economia dos EUA dá sinais de enfraquecimento
    Economia americana parecia se recuperar da epidemia, mas nas últimas duas semanas houve uma piora nos gastos dos consumidores, que coincidiu com a disparada do número de casos de covid-19 em vários Estados
    Por Greg Ip — Dow Jones Newswires

    6+
    • avatar
  • Cajuzinha 2 de julho de 2020 at 06:57

    Os efeitos negativos da crise do novo coronavírus no emprego já ultrapassam aqueles vivenciados durante o auge da crise fiscal brasileira, em 2015. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), só nos três primeiros meses de pandemia, o Espírito Santo perdeu 28,5 mil postos de trabalho. Em todo o ano de 2015, pior ano da crise, a perda foi de 46,9 mil vagas.

    Comparando períodos iguais, os cinco primeiros meses da crise fiscal (janeiro a maio de 2015) terminaram com um saldo negativo de emprego de 9 mil. Isso significa que houve 9 mil demissões a mais do que admissões. Nos cinco primeiro meses de 2020, esse saldo já está próximo de 25 mil.

    Os dados do Caged mostram ainda que abril deste ano foi o mês com o pior saldo de empregos no Estado desde 1996, quando começa a série histórica. Só o setor do comércio fechou mais de 5 mil postos de trabalho.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
      • CA 2 de julho de 2020 at 07:51

        Cajuzinha,

        Não há a menor dúvida de que esta crise de agora será muito mais intensa do que aquela vivida no biênio de 2015 e 2016. E quais os motivos?

        1) Após 2016 não foi estimulada a poupança para famílias, ao CONTRÁRIO, os governos que vieram promoveram SAQUES de verbas de PIS/PASEP e FGTS, sempre em pequenos montantes a cada oportunidade, para forçar a utilização deste dinheiro no CONSUMO DE FUTILIDADES, só
        para gerar PIBinho, ajudando a SECAR as reservas das pessoas, ao mesmo tempo que ESTIMULAVAM o SUPER-ENDIVIDAMENTO e INADIMPLÊNCIA com DISPARADA no crédito PODRE para aquisição de imóveis via CEF, ou na maior BOLSA CALOTE da história e em inúmeros incentivos ao aumento do consumo via aumento nas modalidades e volumes de crédito concedido. Qual a consequência NATURAL de tudo isto? As famílias chegaram nesta crise com MUITO MENOS reservas financeiras e com RECORDE de SUPER-ENDIVIDAMENTO e INADIMPLÊNCIA, ou seja, entraram na crise em situação BEM PIOR do que no começo da crise do biênio 2015 / 2016.

        2) Esta CRISE em si é MUITO MAIS INTENSA do que a crise de 2015 / 2016, sendo que um dos fatores para isto, é uma aceleração SEM PRECEDENTES no APOCALIPSE DO VAREJO, graças a uma combinação de Home Office, com hábito de compras pela Internet e SANGRIA no caixa das lojas, de tal forma que as estimativas falam em fechamento de até 40% das lojas do país, batendo o recorde nacional de fechamento de lojas que havia sido alcançado em 2016. Lembrando que antes da crise, a DISTORÇÃO entre oferta e procura para imóveis comerciais já era maior que na crise de 2015 / 2016, ou seja, mais um AGRAVANTE para os impactos NEGATIVOS agora.

        3) Outro fator que torna esta crise mais intensa do que a do biênio 2015 / 2016, é o impacto sobre os escritórios, também trazido pela aceleração do Home Office e pelo fato da DISTORÇÃO entre oferta e procura que já estava MUITO MAIOR no início desta crise do que no inicio da crise de 2015 / 2016.

        4) Quanto a imóveis residenciais, entramos nesta crise com uma mistura de recorde de imoveis retomados e que ainda estão no estoque dos bancos em volumes bem maiores do que na entrada da crise do biênio de 2015 / 2016, com expectativas de batermos todos os recordes de inadimplência do credito imobiliário a partir do momento que a CEF for obrigada a encerrar as carências de meses em que clientes podem ficar sem pagar e ao mesmo tempo, como os agentes que sustentam os GOLPES do segmento MUITO MAIS QUEBRADOS agora do que estavam na crise de 2015 / 2016, com o FGTS tendo ROMBOS BILIONÁRIOS por meses, o governo passando de 90% da divida em relação ao PIB, a CEF tendo uma perda muito mais rápida da LIQUIDEZ e com tudo isto, uma expectativa de QUEBRAREM ainda mais construtoras do que no biênio de 2015 / 2016.

        5) Esta CRISE AGUDA de agora também é MUITO MAIS DESTRUTIVA quanto aos DEVANEIOS relacionados a inúmeros “Unicórnios”, onde ficará claro e inegável a inviabilidade de várias PROMESSAS IMPOSSÍVEIS feitas por estas Start Ups, o wue já está promovendo uma redução destes negócios em larga escala algo que também não ocorreu na crise de 2015 / 2016.

        6) O setor automobilístico já vinha vivendo em função de DISTORÇÕES que eram MUITO MAIORES do que aquelas que haviam antes da crise de 2015 / 2016 e esta crise terá um impacto MUITO MAIOR sobre estas ANOMALIAS do que a crise anterior. Um exemplo é a DESTRUIÇÃO do ILUSIONISMO quanto a Ubers e afins ser uma profissão sem risco, com ganhos garantidos e que qualquer um pode fazer. Isto está tendo fortíssimo impacto sobre negócios de Locadoras de Veiculos e Montadoras.

        7) Setores como Turismo, Entretenimento, Aviação e alguns outros, também estão sofrendo nesta crise em uma escala MUITO MAIOR do que na crise de 2015 / 2016, o que levará a um impacto de fechamento de empresas destes segmentos ainda mais relevante do que ocorreu na crise anterior.

        Acima, como sempre, apenas AMOSTRAS, temos MUITO MAIS EVIDÊNCIAS de porque esta crise será MUITO MAIS INTENSA do que aquela do biênio 2015 / 2016, inclusive um dos fatores adicionais é o fato de termos o governo mais ALOPRADO da história, o que também colabora de forma RELEVANTE para a DESTRUIÇÃO da economia.

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cajuzinha 2 de julho de 2020 at 07:55

          ” As famílias chegaram nesta crise com MUITO MENOS reservas financeiras e com RECORDE de SUPER-ENDIVIDAMENTO e INADIMPLÊNCIA, ou seja, entraram na crise em situação BEM PIOR do que no começo da crise do biênio 2015 / 2016.”

          vide notícia que postei acima: https://einvestidor.estadao.com.br/educacao-financeira/brasileiro-sem-reserva-financeira-crise/

          Mais da metade dos brasileiros entrou na crise sem reserva …
          Estadão-4 horas atrás
          A educação financeira dos brasileiros ainda é muito pequena e a falta dela pode ser muito prejudicial em momentos de crise como o que

          10+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Cajuzinha 2 de julho de 2020 at 07:58

          “o fato de termos o governo mais ALOPRADO da história, o que também colabora de forma RELEVANTE para a DESTRUIÇÃO da economia.” Ainda mais isso – triste realidade!!!

          6+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Cajuzinha 2 de julho de 2020 at 07:59

            “Há comentários insistentes em Brasília de que o presidente Bolsonaro, nessa fase de calmaria pós prisão do Queiroz, tiraria do governo outros dois ministros problemáticos, o das Relações Exteriores Ernesto Araújo e o do Meio-Ambiente Ricardo Salles”. diz Merval Pereira.

            “Seriam medidas saneadoras, para melhorar a imagem do governo, sobretudo externamente. Bom se fosse verdade. Mas não acredito, simplesmente porque os ministros citados, e outros, não fazem o que fazem porque querem, mas porque representam uma visão de mundo que é de Bolsonaro.”

            https://www.oantagonista.com/brasil/a-visao-de-bolsonaro/

            8+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
  • Cajuzinha 2 de julho de 2020 at 08:15

    Os efeitos da pandemia do novo coronavírus no saldo de empregos formais da Região Metropolitana de Campinas (RMC) já são comparados aos piores anos da crise econômica que provocou milhares de demissões. Segundo o Observatório PUC-Campinas, 32.620 vagas com carteira assinada foram fechadas entre janeiro e maio nos 20 municípios da RMC – número superior ao total de postos perdidos em todo ano de 2016, e que representa 80% do registrado em 2015, período de pior resultado na série história do Caged desde 2010.

    https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2020/07/02/com-pandemia-rmc-compara-numero-de-demissoes-aos-anos-mais-graves-da-crise-economica.ghtml

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 2 de julho de 2020 at 08:22

    kkkkkkkkkkkkk

    “haja visto que a aquisição de casas e apartamentos fica ainda mais difícil para quem não possui recursos.”

    Entre os motivos para a apreensão em relação às aquisições estão algumas das incertezas quanto ao futuro e ao bom negócio realizado, como a duração da pandemia (46%), a manutenção de emprego ou renda (24%) e a perda de renda (20%). “Não há dúvida de que é mais complicado, mas há vida neste momento”, resume Fábio Tadeu Araújo, sócio da Brain Inteligência Corporativa.

    Desse modo, é possível adquirir casas e apartamentos com o objetivo de alugar ou vender posteriormente. Isso porque, além dessas medidas que possibilitam o financiamento, os preços tendem a estar mais baixos. Para procurar por valores mais acessíveis, o investidor pode procurar por eventos como leilões de casas e apartamentos. 

    “Mesmo com imóveis de valores mais acessíveis, muitas pessoas buscavam uma negociação melhor, queriam economizar na compra para realizar outros investimentos, como o de melhoria no próprio bem. Agora, por conta da crise, podemos dizer que os proprietários estarão mais dispostos a isso, bem como os interessados em comprar também. Afinal, não sabem quando poderão encontrar bons preços novamente e a tendência é de alta com a retomada da economia nos próximos anos”, ressalta Adonias Reis, corretor imobiliário, em entrevista ao portal Terra.

    http://www.acritica.net/editorias/economia/vale-a-pena-investir-em-imoveis-em-campo-grande-durante-a-crise/460813/

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 2 de julho de 2020 at 08:48

    Menos crédito, apesar da pandemia
    Opinião Estadão-5 horas atrás
    Menos crédito, apesar da pandemia. Concessões para as empresas diminuíram 9,4% em maio mesmo com aumento da necessidade.