Índice de acompanhamento dos preços imobiliários em Brasília – Fabio Portela

Você pode gostar...

Comments
  • Duda 2 de fevereiro de 2011 at 20:34

    Bom, que existe uma bolha é fato. Agora isto já é noticia em jornais no exterior também, comentario geral na empresa onde trabalho, no banco onde tenho a conta, e dos corretores em geral (não estão vendendo). Existe algum método estatístico para termos noção de quando vai estourar? Tenho lido que a vida das bolhas é de uns 7 anos, na media. Porém não sei quando devemos considerar o inicio da bolha brasileira. Se for 2007 vamos pelo 5to ano, se for 2006 vamos pelo 6to. Pode me dar uma dica?

    0
  • Apoena 4 de fevereiro de 2011 at 09:26

    Gostaria de parabenizar o Fábio pela legítima pesquisa, afinal não temos nada nesse sentido.
    Eu tenho um blogue também com outra temática e entendo que depois que passamos a produzir conteúdo, começamos a entender que o mundo das notícias convencional é muito pobre em conteúdo na verdade, são um bando de repetidores de informações.

    Esse seu trabalho é muito útil, e inclusive te sugiro criar uma página como aquela do link que você enviou com os preços nos EUA aqui para o Brasil. Com infomações de capitais importantes do país. Tenho certeza que seu site será muito acessado e cada vez mais útil nesse universo pobre de informações relevantes sobre o mercado imobiliário. Tenho certeza que com dedicação seu site se transformará em referência nacional para tomada de decisões imobiliárias.

    Eu fiz um comentário em outra matéria do site falando dos preços dos imóveis no Cruzeiro, acho que seria interessante incluir o cruzeiro na sua pesquisa. Essa “cidade” com certeza mostraria já o efeito da bolha na passagem de janeiro para fevereiro de 2011. Eu já constatei isso com minha observação de investidor… E arrisco escrever que os imóveis do Cruzeiro passaram por uma correção de aproximadamente 10 a 20% do mês de jan/2011 para fev/2011. Alguns podem até me chamar de louco, mas nesses horas de euforia, quem faz estudos sérios são criticados, mas são pessoas como você que terão sucesso no futuro, evitando e advertindo as pessoas de que a crista da onda está próxima.

    Parabéns
    Apoena

    0
  • Francisco Magalhães 5 de fevereiro de 2011 at 20:42

    Olá, tenho acompanhada o blog com interesse e gostaria que vocês me tirassem uma dúvida.
    Comprei um apartamento para morar (na planta) em Natal (RN), cidade cujos preços de imóveis são bastante inflacionados por causa dos estrangeiros que vêm morar aqui. A entrega está prevista para início de 2014. A construtora é bastante conceituada aqui e, pelos dados que temos, inspira confiança. Sou funcionário público estável, não ganho mal e programei o valor das prestações de modo que esteja dentro das minhas possibilidades.
    Nessa perspectiva, no que o estouro de uma bolha imobiliária poderia me afetar? Risco de a construtora não terminar a construção? Prestações aumentarem de algum modo? Falta de financiamento depois da entrega das chaves?
    Gostaria muito que me ajudadassem a entender melhor isso para poder decidir o que fazer enquanto é tempo.
    Grato.

    0
    • Bolha Imobiliária 9 de fevereiro de 2011 at 08:13

      Francisco

      Não vejo riscos de a construtora não entregar o imóvel. A unica coisa que pode acontecer, é dos preços baixarem um pouco, e acabar ocorrendo a sensação de ter pago caro. Parabéns pela aquisição.

      Abraço

      0
  • ALEXANDRE 8 de fevereiro de 2011 at 17:11

    o negócio é comprar imóvel em dubai
    http://www.bhomes.com/UAE/residential/sales/Dubai/Dubai_Marina/Marina_Diamond_4/294005.xhtml?areaUnit=Sq.M&currencyUnit

    com R$ 400 mil dá p comprar esse apt ai

    Acho que os “investidores” em brasília estão colocando em xeque a sanidade mental dos brasilienses…só pode!!!!!!!! ou serão eles os insanos?}

    0
    • Bolha Imobili&aacute 8 de fevereiro de 2011 at 18:51

      Hahahaha

      Vou comprar dois para mim !!!…hehe

      0
  • Jose 8 de fevereiro de 2011 at 18:01

    Parabens pelo estudo.
    So quero levantar alguns pontos. (Nao sou de Brasilia, sou do rio)
    Acho que temos que perder um pouco a vontade de achar que o que ocorreu nos EUA, talvez a segunda vez em 100 anos, ocorrera no Brasil semana que vem. A estrtura do mercado imobliário lá é muito diferente. O que startou a crise foi a classe dos subprimes, pessoas que muitas vezes nao tinha renda, davam 0 de entrada. Existia uma classe de mortgage chamada ARM (a taxa comecava bem baixa, ja que a pessoa nao podia pagar,e como se esperava q o imovel subisse, ela ia sendo reajustada pra cima)
    Outra coisa é o MEW (mortgage equity withdrawal), que com a valorizacao da casa, como a garantia no banco valia mais, a pessoa retirava essa valorizacao extra em $$ e logico q gastava, e ai qd os precos comecaram a cair, era o inverso, a pessoa era chamada em “margem”…
    como o mercado era MUITO securitizado, os bancos nao se preocupavam com as avaliacoes de credito, enfim.. acho q os mercados sao MUUUUIIITO diferentes.
    Voltando pro Brasil, acho q aqui (pode nao ser o caso de BSB) e fato q existe um deficit habitacional, a nossa piramide etaria ainda esta envelhecendo (o que aumenta a demanda por casa), aqui existe uma entrada razoavel no financiamento, o que faz que a pessoa nao devolva o imovel (aumento o estoque a venda e pressionando os precos), ela vai parar de comprar tv de led, viajar, vender o carro, antes de entregar a casa, ja que na nossa cultura a casa é o q a pessoa tem de mais importante..
    O credito imobliario aqui é 3% do PIB.. baixo.. somos um pais novo (so existimos a partir de 94) aprendendo a viver a estabilizacao economica…
    A compra de casas que tenho visto sao de primeiros compradores, nao é especulacao (ate pq as taxas aqui, nao fazem a casa ser tao liquido assim)
    Quantas pessoas vcs conhecem que querem comprar, mas ja que subiu muito estao esperando… ou seja .. qualquer queda ou estagnada tem uma demanda reprimida enorme..
    e mais (critica agora) .. quem ta falando que esta em bolha ha 2 anos, nesses 2 anos ja subiu
    30%.. se os precos cairem eles vao voltar ao que estava no meio de 2010.. e assim vai…
    enfim.. eh minha opniao.. qq coisa vamos discutir mais..
    abs

    0
    • Duda 9 de fevereiro de 2011 at 13:38

      Bom, sem dúvida o assunto não é tão simples, pode ter muitas interpretações. Porém, também existem muitas formas de avaliar. Uma delas é digitar “bolha imobiliaria brasileira” no Google, e ver como se multiplicam as paginas sobre este assunto. Pode se ensaiar digitar em inglés ou espanhol, e o resultado é o mesmo. Outra forma, é seguir os preços nos jornais. Infelizmente não guardo jornais antigos, pois senão podería ter a mais bela estatística de preços sobre os imóveis de POA, onde moro, tabelada com preços mes a mes, alugueis e quantidade de lançamentos. O aumento dos preços é assustador, porém os alugueis nem tanto. Nem falar da quantidade de lançamentos que existem. Há uns meses o setor de imóveis no domingo no jornal Zero Hora chegou a ter 80 paginas. Normal? O dobro que o resto do jornal. São coisas que chamam a atenção. E muito. Hoje a mesma seção tem 56 (ainda muito), sinal de que o ponto mais alto da bolha pode ter passado e estar a ponto de estourar. Vamos ver, realmente quando não se dispõe de dados confiaveis e imparciais, temos que usar nosso “instinto”, nossa propria inteligencia. Os sinais se multiplicam. Em outro comentario meu deixei o link dum jornal financeiro espanhol (que agora entende muito de bolhas) e diz que a situação aqui e a mesma que na Espanha antes de estourar. Mais uma coicindencia. E para não esquecer: os empresarios espanhois de setor imobiliario estão fazendo negocios no Brasil…

      0
      • Jose 9 de fevereiro de 2011 at 18:43

        acho esses sinais que voce citou muito fraco.
        ja viu os anuncios de carro?
        e de tv de lcd?
        e de viagem pros EUA?
        e de produto de beleza para as mulheres?

        eh tudo bolha?

        gente, o pais cresce, e esse crescimento é riqueza, e essa riqueza é distrubida aqui dentro (la pra fora tambem, via remessa de lucros e dividendos, que esta na maxima historica tambem), logo, as pessoas vao comprar mais, vamos virar um pais normal, onde as pessoas tem casa, viajam, trocam de casa, de carro, tem credito…oferta e demanda…
        O desemprego ta na minima…

        Sem duvida que a economia é cíclica (esse é um erro de muitos, achar que tudo será azul sempre), em algum momento (daqui a pouco na minha opnião) o país vai desacelerar, o desemprego aumentar, a inadimplência também, e os preços podem cair (não esqueca qeu aki temos inflacao de 4%-5% ao ano o que ajuda os precos das casas), agora daí dizer que é bolha, acho cedo.

        Antes da crise, todo mundo era genio da bolsa, dos IPOS, ia num chopp e so tinha mago, um ganhava 10%, o outro 20%, o outro 50%…

        Depois da crise, todo mundo quer achar alguma coisa pra dizer que é bolha.. acho precipitado ainda.

        pode ate ter uma bolha (e é facil falar isso, pq um dia os precos podem cair mesmo…, mas: “being early is the same as being wrong”) mas com todo respeito, acho que os sinais que voce citou nao servem

        0
    • Jose 9 de fevereiro de 2011 at 17:16

      mais dois pontos que queria colocar (um a favor e um contra a sua teoria)
      1 – a baixa relacao aluguel/valor do imovel, na minha opniao diz exatamente o contrario do que vc acha. Eu acharia que os precos tenderiam a cair se essa relacao estivesse alta, sinalizando que estaria tendo uma demanda por imovel para investimento de curto prazo, e nao seria uma demanda final… ao primeiro sinal de queda de preco, esses compradores “vomitariam” as casas. Como essa relacao esta baixa, me diz que essa demanda, eh demanda final, sao pessoas que nao estao preocupadas com isso, elas nascem “xort” (usar termo de mercado) em casa, e simplesmente “zeram” a posição quando adquirem um imóvel, ou seja, estão “zeradas”, pode subir ou cair, pra elas nao importam, elas querem é morar numa casa própria, no lugar que elas gostam. Agora imagina se essa relação estive em 3x o valor do CDI? TODO mundo iria querer ter um imóvel pra ter esse retorno, e só por isso, não para morar…
      2 – No seu caso em BSB, como os salários são mais previsíveis, acho que a conta legal de se ter na cabeça é: A renda média de um casal de BSB é sei lá (não faço idéia) 15mil… com as regras atuais esse casal poderia ter uma prestação de 3,5mil… em 360 meses isso da uns 350 mil de financimento, mais uma entrada de 100 mil, esse seria o preco medio de BSB… se as regras mudarem (e se mudar sera para favorecer o comprador) ou se os salarios aumentarem, isso muda, do contrario, acho q fica por ai.. acho q vc deveria torcer pra nao ter mais aumento pro funcionalismo publico que ai os precos param.

      so mais uma coisa: Existe bolha no mercado de automoveis? um carro popular ha 15 anos era 10mil, hoje é 30mil!!! e estamos falando de um bem de consumo… o pais ta enriquecendo, se o PIB per capita cresce, as pessoas ficam mais ricas….

      0
      • Duda 10 de fevereiro de 2011 at 15:27

        Não é para polemizar, mas nos carros temos os preços mais altos do mundo e em muitos dos artigos de consumo que tu mencionou (com certo sarcasmo, segundo entendo) também temos os preços mais caros do mundo, e isso não tem nada a ver com as pessoas mais ricas, e sim com o acesso a credito a perder de vista e com taxas mais baixas do normal para este país. Tudo mundo esta se sentindo rico e cosnsumindo por causa disso. Mas as dívidas terão de ser pagas, e o consumo cairá, o desemprego aumentará…ou seja a bolha vai estourar. Em dezembro / janeiro, foi subida a taxa de juros e os a venda de carros caiu em picado (mais de 20%). Entendo seu otimismo e eu também gostaría que o Brasil ficasse cada vez mais rico, crescendo “para sempre”. Mas essa não é a realidade.Os preços dos aluguéis não aumentam na mesma proporção que os imóveis, pois ninguém consigue “credito para pagar aluguel”. O pagamento de aluguel segue saindo do salario, que apenas aumentou nos ultimos anos. Isso sucede em todas as bolhas. Antes do estouro, na espanha, se multiplicavam nas redes sociais os conselhos para fazer estourar a bolha que existía por lá (não compre: alugue, basicamente). Por outro lado, e para finalizar, a avaliação por “quantidade de publicações” é a utilizada para classificar a lista das melhores universidades do mundo… por diversas consultorias americanas, inglesas e agora também chinesas. Sugiro rever sua opinião desse parámetro como um sinal fraco.

        0
        • jose 11 de fevereiro de 2011 at 07:49

          Duda, nao tem problema polemizar nao…
          e nao foi tom de sarcasmo nao.. eh q nos argumentos gosto de ir pros extremos pra facilitar..
          acho a discussao saudavel, anote meu e-mail [email protected].. se quiser podemos trocar uns e-mails… tem um relatorio de um banco gringo de mais de 100 paginas que saiu essa semana sobre housing no brasil se quiser te passo…gosto muito de debates

          Eu otimista? se meus amigos lerem isso vao me internar… trabalho no mercado financeiro e estou vendido ate o talo nessa bolhespa… e vou ver de camarote ele desaguar…

          acho que o melhor do Brasil ja passou… o salto que demos de 1994 pra ca (que era facil pq eramos um pais quebrado) nao sera possivel nos proximos 15 anos pq nao fizemos o dever de casa, com reformas fiscais, tributarias, nao investimos em educacao, temos a sorte de papai do ceu ter dado oil e minerio pra gente, senao… ja era…

          eu por exemplo acho q os juros aqui estao errados…juros de 1 digito aqui é sonho, esse pais aqui nao pode crescer um pouco que la vem inflacao…eh o custo brasil… na maior crise dos ultimos 70 anos a inflacao aqui foi NO CENTRO DA META…sou nada otimista com Brasil nao…

          Agora, tenho comecado a olhar o mercado de housing aqui com mais carinho e ainda acho q nao podemos podemos fazer esses paralelos com outros paises, PRINCIPALMENTE os USA…

          acho que voce falou certo.. nao temos que olhar o output (preco das casas) e sim o input (renda, emprego e credito).. se conseguirmos visualizar uma mudanca radical nessas variaveis, ai sim o output muda, mas falar em bolha (o greespan por exemplo no livro dele diz que pra ser bolha o ativo – financeiro, mas vamos roubar a definicao – tem q cair 40%!!!), ai eu acho pouco provavel… ainda mais do preco que esta…

          sei que as coisas aqui estao caras.. principalmente pros gringos, porque pela paridade do poder de compra, era pra nossa moeda depreciar, mas como ela ta apreciando lote, tudo aqui ta explodindo…

          pra concluir, vejo esse movimento como normal, de um pais que ta deixando de ser falido pra ser normal…

          antes de 94 eramos o pais dos famintos, ai comecamos a comer frango (quem nao se lembra do simbolo do real), declaravamos o telefone no imposto de renda, ai fomos comprar celular, nao tinhamos eletrodomestico, ai passamos a comprar geladeira, tv.. tinhamos carrocas, ai comecamos a comprar carro, somos hoje um pais dos sem casa, estamos mudando isso.. nao vejo bolha…vejo demanda final, sem ser forcado a vender, nao vejo os precos caindo 40%

          0
          • Duda 11 de fevereiro de 2011 at 11:09

            Cara, podemos trocar opiniões por aquí. Acho um espaço bom, sem “poluidores”, e de modo geral com opiniões consistentes, pelo que acho saudável outros opinarem também acima dos nossos comentarios. Concordo contigo em que um paralelismo com a Bolha de USA não faz sentido (isso foi o exagero dos exageros, a mãe de todas as bolhas, com exeção da chinesa que veremos como termina). Não acho possível os bancos brasileiros facilitar crédito a desempregados, ou pessoas com baixa renda, isso sería sonho. Mas sim é possível um paralelismo com a Espanha, muito forte. Foi o país “de moda” a partir da criação do euro, os investimentos fluiram, o dinheiro e o crédito abundou, as pessoas se “acharam” ricas, se endividarom a preços estratosfericos, e no primeiro espirro de crise mundial, o dinheiro saiu… e o resto tu já conhece. Muito parecido com o Brasil desde 2006 até hoje. Capitais entrando em abundancia, dolar caindo, excesso de confiança… Da uma lida no link que sugerí antes. SDS

            0
        • Edu 20 de fevereiro de 2011 at 15:03

          “taxas mais baixas que normal” ?
          Se vc se refere a taxas de juros saiba que são umas das mais altas do mundo.
          Abs

          0
      • Andre 13 de fevereiro de 2011 at 11:26

        Obs: 10 mil reais há 15 ano equivale + ou – a 30 mil hoje. É a inflação. O carro continua custando a mesma coisa, o $ é que desvalorizou, como é normal.

        Isso é muito diferente de dobrar de preço em 1 ou dois anos…

        Abs

        0
        • Jose 14 de fevereiro de 2011 at 12:11

          galera,
          quem puder ter acesso a um relatorio do JP Morgan sobre o mercado de housing no brasil, publicado dia 8 de fevereiro, acho muito valido

          sao mais de 100 paginas, dissecando o mercado, fala da estrutura de financiamento (SBPE e FGTS), estima o deficit habitacional por estado e principais regioes, numero de lancamentos, precos, enfim… um estudo com algum embasamento…

          0
          • Bolha Imobiliária 14 de fevereiro de 2011 at 13:11

            José

            Não sei quanto ao mercado imobiliário, mas sei que na bolsa de valores, quando se fala em ações que o JP Morgan indica, pode saber que eles estão querendo vender…São meio tendenciosos.

            Att

            0
          • josiasfgf 30 de abril de 2011 at 18:37

            isso é o que eles querem que vc veja JOSÉ!
            Moro em Recife e os preços aqui estão nas alturas, alta de 115% em média.Um apartamento de 2 quartos está em torno de 150.000 em um bairro regular.existem estudos afirmando que a renda nacional é em média em torno de 1500 e aqui no nordeste está em torno de 1000,ou seja,o cara passa de 4 a 5 anos na faculdade e vai ganhar em média em torno de 3000, e olhe lá! sei que isso não pode ser um perfil nacional,até porque essa realidade muda em diferentes lugares do país,principalmente nos lugares onde existem empresas de grande porte.mas serve como uma referência.Com essa renda só dá para financiar 100.000.O que o trabalhador faz?casa-se para poder juntar a renda,ou seja,exigi-se essa condição pregressa para o exercício do direito fundamental da propriedade.O Estado adota como princípio a não distinção de qualquer natureza, inclusive a de estado civil, mas com a atual política econômica adotada não tem outra saída.

            O que quero dizer é que a demanda existe porque fatores como esse estão ocorrendo. A razão da transformação se deve a mudança na estrutura familiar devido a uma nova conjuntura socioeconômica e que especuladores estão tirando proveito da situação. Aí vem a mídia dizendo que a renda do trabalhador melhorou e é por isso que o mercado está aquecido. Nada justifica os atuais preços. Pergunte quem teve sua renda dobrada ou triplicada nos últimos 3 anos.

            O que se observa são manobras políticas para o aumento do lucro das construtoras, dos bancos, do governo e dos especuladores, forçando através dessas manobras o aumento do endividamento não mais de um trabalhador brasileiro e sim de dois trabalhadores(casal) e por um prazo muito maior.

            É especialista falando que não tem bolha, jornal dizendo está cada vez mais fácil a compra da casa própria, banco cedendo crédito fartamente, e governo com programa para enrolar besta. Não que o programa não tenha um fundo social,porém aquecer demais uma determinada área da economia acaba causando distorções de preços e quem realmente se beneficia são apenas pessoas que se utilizaram fase inicial do programa tendo em vista que depois os preços se ajustam a demanda do mercado de forma que subsídio e taxas pouco interferem no valor final pago pelo trabalhador tendo como referência o valor inicial antes do programa.Porém para quem não se enquadra no programa os preços ficam nas alturas,dando margem para as 4 figurinhas mencionadas anteriormente tirarem benefício da situação.

            É preciso que as pessoas tenham consciência dessa situação,observem os anos trabalho a serem despendidos para aquisição do imóvel,não somente seus,mas de toda classe trabalhadora.Pense na opressão que acaba sendo exercida no casal.Tudo em favor das figurinhas!

            Vamos criar mais um modismo que hoje existe com o meio-ambiente,ou seja,evite o desperdício de água porque…recicle o lixo porque…evite comprar imóvel porque…

            Qual a sua opinião?

            0
        • Jose 14 de fevereiro de 2011 at 12:27

          Andre,

          vou colar um comentario de um relatorio entao… vou nem traduzir…

          Although the nominal price/m2
          has increased since 1996
          (+158%), the price/m2 adjusted
          by INCC inflation declined 9% in
          the same period. However, we
          believe that this has been
          impacted by a higher proportion
          of low-income units in the mix.

          detalhe: the price/m2 adjusted by INCC inflation declined 9%

          isso eh dado de lancamentos na regiao metropolitana de SP

          0
          • Jose 14 de fevereiro de 2011 at 17:00

            Bolha Imobiliária,

            trabalho ha alguns anos no mercado financeiro (nao de equity mas de FX) e acho o JP a mesma porcaria dos outros bancos em relação a equity.. eh so BUY, BUY, BUY, nao sei qts % de upside, tudo azul…

            Agora… cabe a cada um olhar as premissas (quem entende de valuation ne) e criticar se acha que tem alguma muito esticada…na verdade, como em qq coisa que a gente le ne…

            0
          • Andre 10 de março de 2011 at 16:50

            Quanto a Sp eu não sei, mas no Rio os preços de mercado estão o dobro dos preços de 1998 ajustados pelo IGPM, que é o índice de inflaçao mais conservador neste caso (o maior).

            Os imoveis vinham crescendo acompanhando a inflação até 2008, depois explodiram. Não sei de SP, mas não deve ser muito diferente do Rio, pois tirando o fator Olimpiadas (que é o de menos), o resto é igual.

            Estranho este dado do relatório que vc mostrou. Talvez o INCC não seja bom pra isso, não sei.

            Abs

            0
  • Duda 11 de fevereiro de 2011 at 08:58
    • Jose 11 de fevereiro de 2011 at 12:32

      bom texto, na verdade o que ele faz referencia eu achei melhor.

      se vc olhar no site do “IBGE” da espanha, a serie de precos de casas eh nova, desde 2007, mas olhando esse periodo do high ate agora os precos cairam 8% (parece puco ne), tem lugares que cairam 17 e outros nem sentiram….

      agora so uma coisa pra pensar..
      ate 2 anos atras achava que o santander ia quebrar (ou entao tinha uma magico na contabilidade), pq se teve bolha la, e estourou e la era muito mais concentrado (nao era como nos USA que alem de ter varios bancos, a fennie mae e freddie mac eram bem grandes), era pra ele sentir na veia…
      ai eu vi um estudo mostrando a diferenca dos mercados e o quao menos alavancado era o sistema de financiamento espanhol…quando comparado ao USA

      0
      • Duda 11 de fevereiro de 2011 at 15:59

        Isso. Se entrar seguido nesse jornal, tem muitas analises interessantes, e tambem muitos comentarios dos leitores (as vezes até melhores que a reportagem que os ampara). Justamente um debate que eles tem ha tempo por lá é porque os preços dos imóveis niguém admite que baixam. E o motivo é a maquiagem contábil de bancos e imobiliarias, se admitissem que os imoveis que tem no seu poder valem, vamos supor, 50% menos (o que tranquilamente pode ser verdade), muitos iriam direto á falencia… Por isso agora falam das imobiliarias como “mortos viventes” (Zumbis). Todos sabem que estão com respirador artificial. E muito interessante ler o que passa por lá, pois é um pais de cultura latina, proximo de nossa forma de pensar, atuar e negociar. E por lá falam (cada vez mais) do Brasil, como um caso parecido ao deles, por isso e bom ficar informado. SDS

        0
  • Santanna 11 de fevereiro de 2011 at 12:39

    Pessoal, ta parecendo que não é so especulação a bolha não, o Governo ta começando a se concientizar e ta querendo frear, mas vai acabar fazendo o contrario.

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/874041-governo-quer-criar-indice-de-preco-para-imoveis.shtml

    0
    • Duda 11 de fevereiro de 2011 at 14:06

      Concordo. O governo é como um elefante numa loja de cristais. Mais se move, mais quebra…

      0
  • Paulo 16 de fevereiro de 2011 at 16:46

    Com bolha ou sem bolha eu fico de fora do mercado. Acabei de vender meu apartamento e vou migrar para outras aplicações e morar de aluguel. De 6 meses para cá os preços estabilizaram (na minha opinião atingiram o máximo da capacidade de compra/pagamento dos compradores da minha região), os alugueis estão com relação de 0,4% ou menos em relação aos preços dos imóveis. Não acredito em uma desvalorização abrupta pelo menos até o fim das olimpíadas. Mas ganhar com imóveis como nos últimos 5 anos, não acretido mais. Resumo: quem já comprou pra morar, seja feliz; quem mora de aluguel, permaneça; que especula, venda!

    0
  • amore 17 de fevereiro de 2011 at 09:24

    amore tem uma abela de precos medio…vou olhar no jornal tb e te falo!!bjao!t

    0
  • RENATO TEMPESTA 3 de abril de 2011 at 14:09

    O grande problema é que os mananciais de abastecimento de água no Distrito Fedral estão no seu limite e faltará água em breve. O lago paranoá é improprio para o consumo pelo fato dos homônios femininos derivados dos anticoncepcionais engeridos pelas mulheres. A CAESB não está dizendo a verdade a população, ou seja esta ometindo esse fato que é grave. Este fato é gravará a situação da a bolha imobiliária.

    0