Preço do imóvel usado dispara e venda trava – Gazeta do Povo

Você pode gostar...

Comments
  • Platão 19 de março de 2012 at 11:32

    Ou seja…não há déficit nenhum !!

    0
    • Laranja 19 de março de 2012 at 11:49

      kkkk. Só concordo se este comentário estiver abaixo de todos os outros…

      Agora, falando sério:
      Dizer que o imóvel tem que depreciar 30, 40% em cinco anos! Mais um comediante surgiu…

      0
      • GB 19 de março de 2012 at 11:57

        O negócio vai cair mais rápido que isso, nenhum setor tem tanta gordura assim para sobreviver a 5 anos sem vender nada.

        Caso contrário 95% vai se tornar animador de piscina ou vendedor de salgado.

        Eles podem até querer que os outros paguem preços bolhudos para eles, mas se o investiTrouxa está tentando cair fora por nítida falta de rentabilidade e quem queria comprar para morar já não estava comprando há muito tempo por causa dos preços altos, sobrou quem para comprar esses imóveis ?

        0
    • xangai 19 de março de 2012 at 12:30

      Nossa… fazia tempo que nao via essa frase !!! ha meses !!

      0
    • Roberto Cesar 19 de março de 2012 at 16:55

      “Tê tinha”, agora não tem mais. Mesma coisa em alguns lugares dos EUA. Na Florida, por exemplo, ainda existem apartamentos construídos na época do boom que até hoje não foram vendidos. Mesma coisa em Nevada. É oversuply, e isso vai trazer os preços pra baixo, cedo ou tarde.

      0
  • Rico 19 de março de 2012 at 11:33

    Incrível como o script está sendo seguido corretamente.

    Patão, déficit há, não há é dinheiro para comprar. E são de imóveis populares…

    0
  • Tiago 19 de março de 2012 at 11:52

    Ou seja, não há deficit nenhum é de minha propriedade… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    excelente análise que postaram em outro tópico

    excelente análise sobre o brazil em espanhol

    http : / /w w w .cotizalia.com/opinion/perlas-kike-vazquez/2012/03/19/brasil-el-paraiso-amenazado-6785/

    Brasil, el paraíso amenazado

    Han pasado unos años desde que Jim O’Neill coronara a Brasil como uno de los cuatro “BRIC”, Brasil – Rusia – India – China, la lista de países emergentes con más futuro según el “goldmanita”. Recientemente se dice que han superado a Reino Unido como la sexta mayor economía del mundo cuando en el año 1980 eran la 16. Unas reformas adecuadas en el pasado han obrado el milagro y sentado las bases de un largo camino de crecimiento, pero los recientes coqueteos con la recesión levantan incertidumbres sobre el futuro. Hoy hablamos de Brasil, un paraíso actualmente amenazado.
    Estamos ante uno de los países más ricos del mundo, no sé si en términos económicos, pero desde luego sí en términos de riqueza natural. Café, mineral de hierro o petróleo, azúcar o carne de res e incluso el Amazonas. Las materias primas que ostentan son innumerables, por lo que no es extraño que desde el año 2009 China se haya convertido en su mayor socio comercial superando a Estados Unidos. La dependencia del gigante asiático es creciente, no solo por las compras directas, también porque China es una de las principales responsables del aumento de precios en las commodities, así que sin ella nada habría sido lo mismo.
    Pero, a pesar de todo ello, estamos ante un país que actualmente tiene la cuenta corriente negativa. Puede parecer contra intuitivo que una zona con tal riqueza natural en materias primas, que además disfruta de unos precios altos gracias a la “voracidad” de los emergentes, pueda tener una cuenta corriente negativa. Generalmente los países con materias primas tienen una fuerte balanza comercial y compensan la cuenta corriente. Así fue en los últimos años, pero ya no.
    En la imagen podemos ver la balanza comercial. El ciclo inmejorable de la última década, con niveles nunca vistos de exportación, creó un espejismo en el cual Brasil reducía su dependencia exterior llegando a ser en 2008 un acreedor neto internacional, es decir, sus deudas con el exterior son menores que las deudas que otros le deben, sumando las reservas de 355 mil millones de dólares que posee el Banco Central.
    No obstante este dato esconde dos cosas. La primera que gran parte del dinero que entra en el país es “Hot Money”, el crecimiento de las reservas depende en parte de estos fondos. La segunda que a pesar de ser “acreedores” si miramos la posición internacional inversora, que además de deudas tiene en cuenta los activos, vemos que estamos ante un país que tiene numerosas obligaciones con el exterior, no en deuda pero sí en activos.
    El favorable ciclo internacional, con una demanda voraz por las materias primas y un aumento de precio de las mismas, oculta una gran dependencia de que todo siga girando igual de bien. Si algo falla la peonza pierde el equilibrio. Esto podemos comprobarlo fácilmente mirando por ejemplo a la balanza de pagos, especialmente en dos cuestiones:
    La primera es la balanza de servicios. Podríamos pensar que Brasil genera miles de millones gracias al turismo, como le ocurre a España, pero esto no es así. Aun siendo una actividad importante no consiguió compensar la balanza de servicios, que registró un déficit de 38 mil millones de dólares en 2011. Comparemos los 5 millones de turistas extranjeros del país con los más de 50 millones de España, China o Estados Unidos, o los más de 20 millones de México para tener una primera impresión del porqué.
    La segunda es la balanza de rentas. En 2011 obtuvieron un superávit de 30 mil millones de dólares en la balanza comercial compensando parcialmente los -38 mil millones en servicios. Lo que ya resulta insostenible son los -47 mil millones de déficit pagados en rentas a los acreedores internacionales, aproximadamente un 2-3% del PIB, cifra que ejemplifica lo difícil que les resulta tener una balanza equilibrada, ya que solo en un “superciclo” favorable para las materias primas lo han conseguido.
    Existe una gran controversia en los últimos meses por la que el Ministro Mantega llamó “currency war”, el Real Brasileño no deja de apreciarse lastrando la exportación. No voy a quitarle la razón, el rio anda muy revuelto en el mercado de divisas, pero en cualquier caso podemos intuir que detrás de lo que vemos no solo hay una “currency war”, también existe una necesidad de reformas estructurales porque un país no puede depender de que todo vaya realmente bien con las materias primas. O dicho de otro modo, sí están siendo perjudicados por los movimientos en las divisas pero su economía tiene también otros males.
    Recientemente el Banco Central de Brasil (BCB) rebajó los tipos de interés en 75 puntos básicos, sorprendiendo a la mayoría de analistas que esperaban un recorte menor. Es cierto que la inflación está bajando, aunque sigue por encima del objetivo del 4.5%, y que los últimos datos del crecimiento del PIB, -0.1% qoq en 3Q2011 y +0.3% qoq en 4Q2011, parecen dejar margen para bajadas. No obstante esto junto con las compras de dólares y las medidas del gobierno para limitar la apreciación, muestran claramente cuál es el objetivo prioritario de las autoridades: evitar la apreciación del Real. De hecho parece haber una línea ficticia que lo delimita como pueden ver en la anterior imagen. El círculo representa el efecto de las medidas.
    No voy a decir que no sea necesario que el Real vuelva a una valoración más acorde con sus fundamentales, en España tenemos una divisa sobrevalorada y sabemos lo duro que es, pero esa no puede ser la excusa para no aplicar medidas estructurales. Brasil está perdiendo competitividad y no es simplemente debido al tipo de cambio, un ejemplo es que actualmente fabricar en Brasil bienes industriales es más caro que en Estados Unidos. Una sobrevaloración de, digamos un 20%, no explica eso. Una parte sí, pero no todo.
    Así que, aquí existe un problema y de no solucionarlo lo que empezaremos a ver es un país que se endeuda para crecer porque no sabe cómo hacerlo de otra forma. Actualmente se dan contrasentidos como que los brasileños son los turistas que más gastan en EEUU, unos 5.400 dólares por persona y año, superando a los japoneses con 4.300 dólares, mostrando un Real sobrevalorado pero también un afán consumista. De hecho el consumo ha sido y es el verdadero motor de la economía.
    Aquí vemos como en los últimos años el consumo ha tenido una gran importancia en el “milagro” brasileño, es más, actualmente es lo único que tira de la economía. A la vez que esto ocurría el Real Estate empezaba a calentarse, siendo Brasil y ciudades como Sao Paulo, uno de los puntos más vivos del momento. Según Knight Frank la vivienda habría subido un 26% en los últimos 12 meses.
    ¿Burbuja? Así es como surgen las dudas de si ya actualmente se puede hablar de burbuja en el Real Estate, sobre los créditos al consumo que en Brasil parecen ser la última moda y sobre la sostenibilidad de todo esto. A principios del año pasado cuando el Banco Central trató de contener la inflación subiendo tipos, muchos analistas valoraron la posibilidad de que el incipiente endeudamiento se viniese abajo por un aumento en la morosidad. No ocurrió aunque es cierto que los bancos se están preparando con mayores provisiones.
    La peonza sigue girando pero las dudas no se han esclarecido. Según las cifras oficiales de endeudamiento, aunque el crédito ha crecido rápidamente, seguimos en niveles aparentemente sostenibles que son inferiores a cualquier comparación con un país desarrollado. En la imagen pueden ver que según su Tesoro se trata de un 46.6% sobre el PIB, 42.5% de crédito al consumo y 4.1% a Real Estate. Pero algo no va bien.
    No va bien que los créditos al consumo hayan crecido tanto en tan poco tiempo y que sus intereses ronden el 50%, de ahí las provisiones de los bancos. No va bien que, a pesar de la cifra irrisoria de deuda en el Real Estate, el 70% de las compras sean para inversión y solo un 30% para su uso. No va bien que existan partidas consideras “shadow banking system” que no aparecen en la contabilidad oficial. Pero sobre todo no va bien que el “debt service” que pueden ver en la imagen anterior se sitúe en el 26% de los ingresos, alrededor del 30% actualmente. Es más, se calcula que entre la “clase media”, que ya supone la mitad de la población del país, esta cifra subiría hasta casi el 50% de los ingresos.
    Comparen dicha cifra con algunos ratios europeos de 2009 ofrecidos en la página 16 de este informe del BCE. Los pagos de deuda sobre ingresos tan solo superan ligeramente el 20% en España, siendo inferiores en los demás países mostrados. Asimismo este ratio no superó el 15% en la generación de la burbuja de las subprime en Estados Unidos. ¿Sostenibilidad?
    Quizá todo esto tenga una lógica explicación, quizá, o quizá sea lo que parece. Ante los errores estructurales la solución suele ser la deuda, da igual que hablemos de una excesiva inversión, de un excesivo consumo o de una excesiva concentración de la riqueza, la deuda es un fantástico mecanismo para generar crecimiento y ocultar los problemas. En el caso de Brasil es cierto que el Real los está perjudicando, y mucho, pero también parece existir una falta de reformas para ser más competitivos que podría derivar en cualquiera de las conductas antes mencionadas. E incluso en un brote proteccionista, algo de lo que ya se está hablando en América Latina. Una curva de rentabilidad invertida en la deuda soberana parece indicar que algo no va bien, no obstante como dice el refrán “nunca es tarde si la dicha es buena”. Esperemos que Brasil lo ponga en práctica, un paraíso está en peligro.

    0
    • paulo 19 de março de 2012 at 12:06

      o governo sabe disso. me chamou atenção quando ele disse que o crescimento é movido pelo consumo. ora, ora, ora quem não lembra do presidente mula dizendo na tv para o povo comprar… o que o povo fez foi se empolgar com crédito a fole. em pouco tempo vem o golpe da realidade. ainda me lembro do primeiro cartão de crédito que fiz. parecia um homem rico do nada com renda pra dar e vender. depois da primeira fatura tive que apertar o cinto para ter a sensação de alívio novamente.

      0
  • Cleyton 19 de março de 2012 at 11:54

    “Em Londrina e Maringá … a oferta não explodiu como em Curitiba.”

    Claro né, lá não vai ter os quatro jogos da “segunda divisão” da copa!

    0
    • GB 19 de março de 2012 at 12:01

      Qual vai ser o grupo ? Coréia do Sul, Zâmbia, El Salvador e Moçambique ? Só jogão !!!!

      O povo está todo contente com a Copa, mas ninguém vai ter $$$ para entrar no estádio, adianta alguma coisa ?

      Se é para assistir pela TV, então que seja na França, Inglaterra, . . .

      0
  • MrK 19 de março de 2012 at 11:59

    Uma coisa eu acho curiosa

    Quando e’ pra explicar a alta dos precos, a lei da oferta e procura se aplica perfeitamente, “muita demanda empurram os precos” diziam os corretores e secovis da vida

    Mas quando e’ pra explicar o outro lado, a queda que comeca, ai ela nao se aplica (?!)

    Pela lei da oferta e procura, com uma quantidade cada vez maior de oferta (e tome oferta em construcao pra adicionar aos numeros em breve) e uma demanda reprimida, a queda de precos e’ inevitavel.

    0
    • GB 19 de março de 2012 at 12:06

      É que os corretores, SECOVI’s da vida e gnomos habitam uma dimensão paralela, na Rua do pirulito com a Rua algodão doce, lá as regras de mercado só se aplicam para cima, nunca para baixo.

      Oba, deixa trabalhar um pouco ou meu chefe me mata.

      0
      • Lucas Mendes 19 de março de 2012 at 12:27

        What? rua do pirulito com algodão doce>>>>>
        RSRSRS

        Abraços do Lucas Mendes

        0
    • xyz 19 de março de 2012 at 12:57

      Amigo,
      Você sabe melhor que ninguém que mercado bolhudo não tem essa de lei de oferta/demanda.

      A lei do mercado bolhudo é a lei da pirâmide. As pessoas entram na base achando que vão chegar no topo, e pronto.

      Acontece que a base ainda está sendo alimentada. Apesar de forte queda, as vendas não travaram.

      O governo aposta muito forte na manutenção desta pirâmide (vide últimas medidas de estímulo ao crédito).

      Além do mais, 90% da população quer comprar um imóvel para investir, mesmo com os preços atuais, não interessando quantas vezes já ouvio falar da bolha (ou seja, bolha não tem nada a ver com “consciêntização da população”). Só não o faz por pura incapacidade financeira de pagar as primeiras prestações dos 20% da construtora ou porque não tem um holerite (nem de parentes) para financiar na caixa.

      0
    • Luiz 19 de março de 2012 at 12:59

      Mrk, por causa deste aspecto acho a escola austriaca limitada
      Ela não dá conta de explicar a “malandragem latina”
      É uma escola por demais germanica

      0
      • DP 19 de março de 2012 at 23:14

        Luiz – o mesmo “fenomeno” acontece no Direto. No resto do mundo corrupcao eh um ato criminoso desencorajado. No Brasil eh incentivado.

        0
  • RAL 19 de março de 2012 at 12:17

    Brasil e BraZil o preço não cai jamais

    0
    • Pepper 19 de março de 2012 at 12:38

      Esse comentário contém alta dose de ironia, não?
      De acordo com o relato do brasiliense no último tópico, de um ano pra cá os preços já caíram bem, só o FIPE-Zap não admite. E pode cair mais!

      0
  • RMJ 19 de março de 2012 at 12:52

    Que conversa é essa de que “Valorização rápida e venda imediata são uma ilusão”? Ora, imóvel sempre valoriza…quem compra terra não erra…comprar imóvel é o melhor negócio do mundo….papai noel existe, assim como a mula sem cabeça…

    0
  • danilo 19 de março de 2012 at 12:56

    Mais uma matéria paga no Estado de Minas de hoje

    Nos últimos anos, o mercado imobiliário brasileiro vem notando que uma parcela da classe C está investindo em uma forma de negócio que, até pouco tempo atrás, não era acessível para esse público. Depois de adquirir a casa própria, pessoas dessa classe social estão em busca dos imóveis na planta como complementação da renda.

    Para o sócio-diretor da Mobyra Incorporações, Rodrigo Nunes, um dos motivos que impulsionam esse crescimento é a condição da economia, a estabilidade financeira do país e as promoções na venda. “Isso ocorre devido ao aquecimento da economia brasileira, que permite a manutenção e o aumento da renda das famílias, além da disponibilidade de linhas de crédito imobiliário”, observa.

    Segundo Nunes, de acordo com históricos dos índices de valor geral de vendas (VGV) – um dos indicadores mais importantes do mercado imobiliário –, foi percebido aumento significativo das negociações depois da abertura do programa Minha casa, minha vida, “por meio do qual o público vem fazendo a aquisição. Muitas vezes, eles não vão residir no imóvel depois de pronto, disponibilizando-o para aluguel ou venda, ou repassando-o para algum familiar morar.”

    Vice-presidente da Rede Imvista, Fabiano Taylor diz que a facilidade para pagamento é um dos grandes incentivos ao investimento nos imóveis na planta. “Geralmente, com pequenos sinais e baixas parcelas até a entrega das chaves. O levantamento é das redes e de pesquisas de mercado.”

    Com um mercado potencial de quase 100 milhões de pessoas, como informa o diretor da Give Imóveis, Leandro Palmeira, foi descoberto um novo público. “As construtoras perceberam que, por meio de um crédito facilitado e adequação do valor do imóvel à realidade da classe C, existe um nicho importantíssimo a ser explorado.”

    O retorno expressivo atrai quem quer e pode investir em busca de mais segurança financeira. “Com uma probabilidade de valorização média do investimento superior a 30%, a classe C, em busca de maior rentabilidade atrelada à segurança do investimento, está transformando a modalidade em uma de suas principais fontes de investimento”, diz Leandro Palmeira.

    FACILIDADES Uma das pessoas que viram uma boa oportunidade na compra de um imóvel na planta foi o empresário da Byte Software, Mário Saviotti. Ano passado, ele resolveu investir em um apartamento no Bairro Fernão Dias, na Região Nordeste de Belo Horizonte. Entre os motivos que o levaram a tomar a decisão estão o custo mais baixo, comparado com os prontos para morar, e a facilidade de financiamento.

    Especialista no ramo de software, Mário não se arrepende do investimento, que já teve uma rentabilidade de mais de 13% sobre o valor da venda, avaliado na época em R$ 230 mil. E o empresário já sabe o que fará com o imóvel quando ele estiver pronto: “Vou esperar a conclusão das obras, em meados de 2013, para comercializá-lo. A previsão é de que, quando isso ocorrer, o imóvel, que tem 72m2, seja avaliado em R$ 350 mil”, estima. E ele não pretende parar por aí: se o cenário permanecer favorável, a meta é prosseguir apostando em imóveis como outra fonte de renda. “Dependendo da valorização desse imóvel, pretendo investir em outros”, revela.

    0
    • Etmso 19 de março de 2012 at 13:07

      Desde que mandaram embora o Kajuru da TV Bandeirantes, quando ele meteu o pau no jogo Brasil x Argentina, onde o Aécio Neves havia separado 10.000 ingressos para convidados (inclusive belas modelos, como de constume) no Mineirão, a impressa mineira perdeu descrédito.

      Toda impressa Mineira é fechada com o Aécio, para solter um notícia ruim de MG eles pedem a bença para, hoje senador, Aécio.

      0
      • Atribulado 19 de março de 2012 at 13:37

        “perdeu descrédito.” ?

        Então ganhou crédito? É isso?

        0
        • Vinicius Lima 19 de março de 2012 at 14:17

          Hahaahhahahhahahhaa!!! Essa foi boa!!! Ele negou a negação…

          0
          • Ze Bom Dirolo 19 de março de 2012 at 16:02

            Devia ter um projeto de lei para tornar isso crime…

            0
            • Cleyton 19 de março de 2012 at 16:25

              Pior, o Ministério da (Des)educação ainda defende, criticar os quem fala ou escreve errado é preconceito linguístico!

              De qualquer forma, eu ri.

              0
    • Júlio Cesar 19 de março de 2012 at 13:24

      Então a coisa está pior que eu imaginava, pois se é a classe C que detem os imoveis para investimento, quando a coisa estourar eles terão muito menos estrutura fincanceira para suportar o rojão. Agora fiquei aqui tentanto entender como a classe C consegue comprar imóveis nestes preços absurdos. Acho que eles devem juntar umas dez pessoas para comprar um apartamento, igual bolão de copa do mundo kkkk.

      0
    • Ademir 19 de março de 2012 at 14:54

      Há algumas inconsistências nesta matéria:
      “Com um mercado potencial de quase 100 milhões de pessoas”, isto é mais da metade da população brasileira, será que andam contando até cachorro como potencial comprador?
      Imóvel comprado pelo MCMV pode ser alugado ou vendido?

      0
      • JPM 19 de março de 2012 at 15:49

        Não.
        E também não dá para usar o MCM(V|D) para comprar “um segundo imóvel para complementar a renda” como eles sugerem.
        Ninguém revisa essas matérias… incrível…

        0
        • Virginia 19 de março de 2012 at 21:44

          “Imóvel pra complementar a renda” foi o fim, né?

          0
          • LP 20 de março de 2012 at 08:23

            Matéria absurda como essa é sinal claro de desespero…

            0
  • Luiz 19 de março de 2012 at 12:58

    Excelente artigo e excelente comentaristas

    www . cotizalia.com/opinion/perlas-kike-vazquez/2012/03/19/brasil-el-paraiso-amenazado-6785/

    0
    • jibs 19 de março de 2012 at 13:49

      Luiz, dois comentarios:
      1) quem veja os graficos do artigo (no proprio link de cotizalia) pode ver o grafico de divida dos consumidores particulares. Este é um assunto que me preocupa muito, no Brasil parece nao haver esta estadistica, que é uma das mais importantes para o setor inmo, e o comportamente da mesma nos anos anteriores ao estouro em EUA , Espanha ou china e muito parecido. Porem esta estadistica foi tirada de um link do tesouro nacional. Ou seja o tesouro tem esta estadistica mas nao divulga ou a mass media nao divulga. Para mim é um espanto saber que a divida supoe já o 40 da renda dos lares ( pouco comparado internacionalmente) mas o serviço da mesma já responde pelo 26% da renda (o que é muito comparado internacionalmente e consequancia direta do alto juro brasileiro)

      Seria muito interessante ter tambem um indicador de custo promedio vs renda anual promedio. Na espnaha chegou a ultrapassar os 10 anos, hoje ja caiu para 8, na china tambem passou de 8 anos…enquanto que em paises que nao tem bolha este indicador fica contido abaixo de 5 anos. Se pelo exemplo o rendimento familiar medio anual no brasil é de 25.000 reais, uma casa promedio nao deveria passar os 125.000 R$ ,acima disso estamos em area de risco. E se chegar a 250.000 reais o imovel promedio estamos em area de começar a tremer. Porem isto nao considera que o custo da divida é muito maior no brasil conforme visto no parrafo anterior, por tanto a situaçao é terrivel já mesmo e deveria impeder qualquer valorizaçao promedio dos imoveis.

      0
      • Luiz 19 de março de 2012 at 14:14

        Prezado JIBS, Salvador Dali é praticamente cartesiano perto do surrealismo tupiniquim. Poderia parafrasear Heisenberg: Quanto mais a gente estuda o Brazil, menos a gente entende.

        Não é racional os preços continuarem a subir apesar destes números que vc acertadamente aponta. O seu caminho para entender o Brasil está no caminho certo e admiramos vc porisso.

        Meses atrás discutimos neste blog exatamente este ponto: o comprometimento da renda, o custo da divida, e o tempo de trabalho/m2 construído.

        Não sou o melhor participante para comentar sobre este assunto, convido o colega MRK para sumarizar a questão. Tambem indico este outro site – brazilianbubble.com – já publicou diversos artigos sobre a “subprime” a la brasileira de fontes do governo e diversas outras mais confiáveis de bancos privados.

        Mantenha sempre cuidado ao interpretar informações brasileiras.
        Por trás dos nossos números sempre há algo por debaixo do pano, uma pequena informação as vezes muda todo o sentido de um mesmo número.
        É dificil se acostumar com a nossa malícia latente.

        0
  • Júlio Cesar 19 de março de 2012 at 13:08

    Moro no interior de Minas Gerais. Aqui temos cenário parecido: vendas travadas, alguns imóveis caíram de preço, a grande maioria mantem o preço. Uma coisa que acho interessante é que a crença de que os imóveis se valorizam infinitamente ainda persiste, e como conseqüência a construção civil daqui continua a todo vapor, jogando cada vez mais imóveis novos num mercado travado. Eu que pretendo comprar imóvel a médio prazo gosto disto porque na minha visão me favorece, isto vai aumentar a concorrência dos vendedores. Uma segunda observação é a “dança” das imobiliárias que acontece aqui: Imóvel não vende na imobiliária A, o vendedor retirar ele de lá e passa para a imobiliária B. Acho que isto é um xeque-mate para os corretores pois ou eles reconhecem que o mercado está ruim e aconselham os clientes a baixar os preços ou reconhecem a própria incapacidade de vender os imóveis.

    0
    • DP 19 de março de 2012 at 23:20

      Julio – essa “crenca” pode ser explicada quando se conhece o analfebismo funcional no Brasil. 75% da população não possui o domínio pleno da leitura, da escrita e das operações matemáticas,

      Dentro desses 75% com certeza ha varios corretores e propriotarios. Sao 3 em cada 4 habitantes.

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Analfabetismo_funcional

      0
      • Júlio Cesar 20 de março de 2012 at 22:09

        DP, é verdade, acredito que a falta de educação de qualidade aqui no Brasil seja um fator decisivo nesta questão da crença da valorização eterna. Porém eu imagino que outros países também devam ter uma grande massa de pessoas desqualificadas para lidar com dinheiro, e o que me faz pensar assim são as bolhas imobiliárias que já estouraram em vários cantos do mundo.

        0
  • Fred 19 de março de 2012 at 13:11

    Ouvi de uma corretora à beira de um ataque de nervos, hoje: “Estou trabalhando com imóveis de repasse. […]. Não, não são apartamentos devolvidos. É estoque. Loja de camiseta, até LOJA DE CALCINHA não tem estoque? Construtoras também têm”.

    Desculpa aí…

    0
    • Luiz 19 de março de 2012 at 14:18

      Que horror

      Essa mulher esta dizendo que é normal repassar calcinha???

      E aí alguém vai querer as CUECAS do CIRILO ?

      0
      • Fred 19 de março de 2012 at 17:16

        kkkkkkk

        Em tempos de contenção, vale [quase] tudo.

        0
  • Paulo Franc 19 de março de 2012 at 13:12

    O engraçado é o comentário da Diretora da Gonzaga. ‘“Com tanta oferta, o proprietário que colocar o preço lá em cima pode perder a venda para o imóvel novo’. Acho que é bem ao contrario do que ela disse, são os corretores que inflacionavam na avaliação. Ela é a grande culpada e não quis admitir. heehe….

    0
    • Carlos_ 19 de março de 2012 at 13:24

      Paulo,

      Começou com os corretores, mas depois fugiu de controle porque subiu na cabeça dos proprietários. Pro corretor é melhor vender dois por 600 mil cada que um por 1 milhão;

      0
  • Leandro 19 de março de 2012 at 13:19

    Muitos corretores e imobiliárias já estão caindo na real ao avaliar imóveis para venda.
    Acontece que os proprietários não aceitam que seus imóveis baixem de preço.
    Exemplo:
    Em uma das áreas mais nobres aqui de Brasília, uma imobiliária avaliou uma residência de uma conhecida em 1.300.000,00. A proprietária acha que o imóvel vale mais e então obrigou a imobiliária a pedir 1.650.000,00.
    Parece que recebeu proposta de 1.200.000,00, mas não quis vender.
    Dessa forma, o mercado segue travado por algum tempo até que as quedas sejam generalizadas!
    Daqui a não muito tempo não vai achar nem 1.000.000,00.

    0
  • Virginia 19 de março de 2012 at 13:19

    Mais um “causo”…
    Perguntei à minha dentista se ela morava de aluguel, etc… Ela me contou que mora em um apê que foi presente de casamento, e que o marido, junto com outros colegas (são todos dentistas, acho) haviam comprado unidades de ¼ e sala próximo ao Casa Park (SOF Sul, Brasília), para INVESTIR.
    O imóvel, comprado na planta, está para ser entregue agora no meio de 2012, e o marido dela já está sem conseguir dormir direito, pois suou para pagar as intermediárias, não viu a tal valorização acontecer, não tem dinheiro para as chaves, e não só ele como os colegas, ninguém conseguiu vender! Falei pra ela abrir o olho dele, que se conseguir vender pelo valor que já foi pago à construtora, já estarão no lucro…

    PLOC² PLOC² PLOC²

    0
    • Ze Bom Dirolo 19 de março de 2012 at 15:42

      Virgînia….O problema do park sul é que tem gente achando que vai alugar lá por mil reais o quarto e sala. Quando começarem a perceber a queda nos preços, aluguel abaixo do que esperavam, uma dívida alta e um local sem muito atrativos…..vão ficar doidos…..A única vantagem que vejo naquele local é o interesse de algumas pessoas saírem das cidades mais longíncuas irem morar lá, mas nada demais….Um novo CA.

      0
    • D9 19 de março de 2012 at 16:08

      Virginia, no meu trabalho tem uma sra. na mesma situação.
      Comprou p/ investir no Park Sul e agora não tem como vender.

      O Park Sul é uma aberração, fica localizado no SOF Sul (SOF = Setor de OFicinas)
      Além disso, como se não bastasse, o trânsito na ÚNICA via de acesso (EPIA) é “tenso”.
      Os prédios gigantes todos apagados a noite, raro ver uma unidade com luz acesa.

      Como atenuante para esse cenário Dantesco, apenas o Park Shopping e o Carrefour,
      e apenas mesmo, depois das 18hs não tem nenhum outro comércio perto.

      Ah, se seu carro quebrar na garagem de casa, tem oficinas perto heheheheh …
      Outra coisa importante, a noite o local é deserto, sem iluminação adequada, sem policiamento…

      Na minha humilde e sincera opnião, quem comprou no Park Sul se …..

      0
      • Ze Bom Dirolo 19 de março de 2012 at 16:38

        Mas se alguém quiser vender, pago 90 mil no quarto e sala.
        Pelo menos vou ter uma oficina perto de casa….hahaha

        0
        • Virginia 19 de março de 2012 at 21:47

          opa, eu também!! 😀

          0
    • Henrique March 19 de março de 2012 at 16:31

      Park Sul é do lado da Rodoviária. E em que cidade do Brasil local perto da rodoviária é nobre? kkkkkk

      0
    • Ze Bom Dirolo 19 de março de 2012 at 16:41

      Ah…os imóveis do park sul estão ficando prontos….Imagina um, dois, três, quatro meses sem alugar….iptu…condomínio…..prestação…..vixi…..

      0
  • Anti-Bolha 19 de março de 2012 at 13:46

    Concordo com o comentário do Leandro. Claro que se o corretor puder vender por um preço bolhudo, ele assim fará, pois a comissão é melhor. Mas num período em que as vendas travam, é mais difícil para o proprietário admitir que o imóvel já não vale mais aquele valor, fica o sentimento de perda de patrimônio. Para o corretor, na dificuldade, vale a pena tentar diminuir o preço, pois garante uma comissão, mesmo que menor, e parte para tentar vender outros imóveis, já que a oferta será grande.

    0
  • Sérgio 19 de março de 2012 at 13:54

    ========= Valeu BOLHA, pela postagem ==================
    .
    Alguns argumentos da notícia do tópico, senão todos, estão totalmente desprovidas de base verdadeira. Além das mentiras já abordadas em post anteriores, há aquelas que afirmam que o mesmo não acontece no interior, citando MARINGÁ.
    Em Maringá a coisa está tão feia, mas tão feia, que acredito existir mais imóveis novos à venda do que o “anunciado” para Curitiba, que dizem ser de APENAS 19 MIL. Digo isso por Maringá ter mais imóveis que aqui em Cascavel (aqui tem aproximados 8 MIL NOVOS). E lá a coisa degringolou de vez. Para quem não acredita (sempre mato a cobra e mostro o pau) acesse h t t p : / / w w w .sub100.com.br/imoveis/venda/apartamentos/10-maringa-pr.
    Verá nesse site tantos imoveis de REPASSE (lá eles chamam de “valor dos direitos” he he he) que bota no bolso outros sites de venda de imóveis repassados, incluindo cidades maiores.
    .
    Outro fator mentiroso é o preço do m2 em Maringa e Londrina, que, a despeito de ser inferior a Curitiba, é bem maior que em Cascavel E NÃO O VALOR ANUNCIADO, vide trecho de matéria veiculado no O PARANÁ:
    h t t p : / / w w w 2 .oparana.com.br/economia/alta-oferta-e-valorizacao-de-imoveis-derrubam-vendas-8399/
    .
    “”Preço não vai cair

    Ao contrário do que ocorre em outros setores, no ramo imobiliário é raro, mesmo em função da oferta maior que a procura, existir a redução do preço de imóveis. A tendência, conforme o delegado do Secovi/Oeste, Luiz Antônio Langer, é a estabilidade de preços. Mesmo com a valorização de terrenos e imóveis nos últimos dois anos, Cascavel ainda tem o menor preço do metro quadrado entre municípios de porte semelhante no Estado.

    Em Cascavel, o metro quadrado está em R$ 2 mil. Já em Maringá é de R$ 3 mil; em Londrina é de R$ 3,5 mil e não é inferior a R$ 5 mil em Curitiba. O setor da construção civil, pelo menos nas cidades de médio e grande portes, vai continuar aquecido por mais alguns anos, segundo Langer. No caso específico de Cascavel ele associa essa condição ao fato de o município ser um polo regional. O mesmo já não ocorre em cidades pequenas e que não têm indústrias.””
    .
    Os secovi’s da vida estão batendo cabeça.
    Falta agora APENAS os BANCOS, com as restrições nas avaliações dos imóveis que financiam, que, CEDO ou TARDE irá acontecer.

    0
  • O Poeta da Bolha 19 de março de 2012 at 13:58

    Estaríamos nós, caríssimos confrades, adentrando, finalmente, a chamada fase da negação, no seguimento clássico de uma bolha? Não creio que “investitolos” (sagaz neologismo, devo notar) aceitarão, sem resistir, a inevitável queda do valor pecuniário de seus imóveis.

    0
  • xyz 19 de março de 2012 at 13:59

    Pobres corretores! São o bode expiatório preferido deste fórum.

    Enquanto isso o governo continua criando dinheiro (como nunca dantes) e direcionando para o mercado imobiliário, inflando a bolha.

    0
  • RD85 19 de março de 2012 at 14:08

    Atualizando – Zona Sul RJ

    Oferta de usados no ZAP:
    28/10/2011
    1 quarto – 1737
    2 quartos – 3508
    3 quartos – 4849
    4 quartos – 2331
    NI – 99
    Total: 12524

    19/03/2012
    1 quarto – 2115 + 22%
    2 quartos – 4354 + 24%
    3 quartos – 6064 + 25%
    4 quartos – 3058 + 31%
    NI – 60
    Total: 15651 + 25%

    Bairros Destaque:
    Botafogo +11%
    Catete +4%
    Copacabana +19%
    Flamengo +20%
    Gávea +90%
    Glória + 21%
    Ipanema +45%
    Lagoa +45%
    Leblon +39%

    0
    • Carlos_ 19 de março de 2012 at 14:36

      Obrigado pelo levantamento. Os números me impressionam.

      0
    • Ricardo 20 de março de 2012 at 00:43

      Esses números dos “Bairros Destaque” são referentes à valorização ou ao aumento da oferta?

      0
  • FoxBravo 19 de março de 2012 at 14:08

    Liquidez e mercado devem ser analisados em negócios imobiliários

    Estadão, caderno de economia
    SEGUNDA-FEIRA, 19 DE MARÇO DE 2012
    FINANÇAS PESSOAIS
    Seu Dinheiro
    Pergunte ao Gallo
    FÁBIO GALLO É PROFESSOR DE FINANÇAS DA FGV E DA PUC-SP

    Pergunta: Vale a pena comprar um apartamento na planta, no bairro da Barra Funda, em São Paulo? Quero comprar o apartamento para revendê-lo daqui a dois ou três anos. O meu intuito é fazer do imóvel um investimento. É possível mensurar o risco desse tipo de operação?

    Resposta: Sim, é possível você dimensionar o risco de operações deste tipo. Em negócios imobiliários os riscos existentes são basicamente a liquidez e o valor de mercado. Quando aplicamos em imóveis podemos perder dinheiro pela desvalorização da região, deterioração do próprio imóvel ou com a queda do preço dos imóveis por questões de mercado. Além disso, há a preocupação com a liquidez que é a possível demora para realizar a venda no tempo e preço que desejamos. Para quem comprar na planta para revenda há ainda outros riscos que são relativos ao atraso para entrega, erros de construção e até mesmo falência da construtora. Portanto, para mesurar os riscos desse investimento você deve avaliar muito bem a construtora, verificar a região e sua possibilidade de expansão, o perfil da vizinhança e, principalmente, analise com muito cuidado tudo sobre o apartamento que é o seu alvo. Alguns cuidados podem ser tomados como ir visitar o local em dias e horários diversos, comparar as construtoras que estão fazendo ofertas na região e principalmente solicitar o memorial com os dados da construção para que possa analisar em detalhes o imóvel.

    Meu comentário: A resposta é a padrão. Já se prepara para dizer que a culpa foi do investidor que escolheu errado a localização ou a construtora.
    O que mais me impressora é que ainda nos dias de hoje tem pessoas pensando em investir!

    0
    • Luiz 19 de março de 2012 at 14:34

      O GALLO SÓ escreveu merda,
      Como que vai ter deterioração se o cara compra na planta pra revender em 2 ou 3 anos?
      Mais provavel a obra nem ter acabado nesse tempo.

      Estamos na lama, a nossa elite intelectual é incapaz de compreender um texto de 3 linhas.

      Professor da GV… a mesma GV que calcula a inflação (IGPM, etc…)
      A mesma GV que escreveu aquela porcaria de estudo que não passava de poesia, ode à Presidenta

      0
    • eam 19 de março de 2012 at 15:15

      Não se impressione, FoxBravo, como já disseram anteriormente, todo dia sai de casa um bobo e um esperto, e quando os 2 se encontram sempre sai negócio. E como aqui no BR há muitos que se enquadram nestes 2 perfis, ainda há lenha pra queimar nessa fogueira, colega.

      0
    • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 19 de março de 2012 at 16:03

      Esse tipo de Noticia não passa de algo que “é plantado” O tal leitor provavelemnte não existe de fato, essa idiota pergunta nunca foi feita. (pode ate ter sida feita por um “LARANJA a mando das partes interessadas – apenas para que conste como um registro interno caso alguem conteste”. Apenas as construtoras mandaram um “JABA” bem bolhudo para esses “Especialista ASPONE” dar uma “opinião” isenta e eleaborda de como devemos investir nosso rico dinheirinho. Como ja foi dito por muitos aqui a FGV esta com QUALIDADE ZERO – a grande maioria de seus “BRILHANTES ALUNOS” ao inves de ficarem ricos aplicando os conhecimentos adquiridos em anos de estudos em causa própria, por total incompetencia e por não entenderem realmente nada de como “Ganhar Dinheiro” aplicando os fundamentos que deveriam ter apreendido na FGV – acabam por empregar-se em algum meio midiatico – rádio/TV/Site, ou em alguma repartição pública qualquer – o que explica as FABULOSAS MEDIDAS ECONOMICAS ADOTADAS por nossos governantes – enfim, podemos dizer que as Besteiras Prorrompidas por essas MENTES BRILHANTES são espalhadas aos sete mares como MERDA NO VENTILADOR. Qum for esperto, corre; que não for vai acabar literalmente na MERDA.

      0
    • Marvin 20 de março de 2012 at 08:23

      KKK FGV é uma piada… tem um monte de prefeituras do PT que contratam os “especialistas” da FGV para dar “consultoria”… E isso já vem de muito tempo… trabalhei em uma empresa da prefeitura (aquela do prefeito assassinado, inclusive), e tinha lá um figurinha da fgv que prestava consultoria por módicos 20 e tantos mil por mês… sem comentários!!!!

      0
      • Davi 20 de março de 2012 at 10:34

        Pois é, mas não é exatamente um dos professores da GV que defendem a idéia de bolha? O Tal Sammy … ou estou enganado?

        0
  • Mr. D 19 de março de 2012 at 14:32

    É verdade,

    Daqui a pouco teremos gente usando cheque especial para pagar parcelas, já que pretendem reduzir os juros para 3% não é mesmo….

    Esse governo tá fazendo M…..

    0
    • aiwww 19 de março de 2012 at 15:14

      Estamos vendo o espetáculo do crescimento!!! … só esqueceram de dizer que é o crescimento das dívidas!!!

      0
  • Corretor 19 de março de 2012 at 14:37

    CCIM3 subindo 6,84%

    0
  • Sérgio 19 de março de 2012 at 15:07

    Já contei essa história aqui antes e, novamente, acho oportuno recontá-la.
    .
    Imaginem uma mulher gorda (nada contra as gordinhas), mas gorda mesmo: tipo obesidade mórbida, 180 kg; imaginem agora essa coisinha de vestido floral, esvoaçante, e que vá até a altura do meio da coxa. Imaginarama cena.
    Agora imaginem o tamanho da buzanfa da dita: enorme; concluam que, em virtude disso, pedaços de suas “partes pudendas” traseiras acabem por ficarem à mostra, pois que inevitável que o vestido tampasse; imaginem agora que uma pessoa a alertasse que suas “popas” estavam parcialmente descobertas; a mulher, horrorizada, faria aquele movimento magistral do corpo, inclinando-se para trás; acontece, que com o movimento estrondoso para trás, o vestido acaba por se tornar “mais” comprido atrás. A senhora gordinha, triunfal, afirma que não há nada à mostra atrás, sem perceber a cara estupefata da pessoa que olha a monumental parte frontal, agora exposta.
    .
    Não há o que o governo, as construtoras e os economistas (os corretores eu nem cito) possam fazer: se cobrir um lado, expõe o outro e vice-versa: abaixar os juros na marra só trará mais problema em um curto espaço de tempo; seria como dar mais alimentação HIPERCALÓRICA para a gordinha acima.
    A não ser que nossa “governante” queira seguir o exemplo de um país africano.

    0
    • Carlos Wagner 19 de março de 2012 at 15:23

      Boa essa estória, imaginei, brochei mas rachei de rir…

      Realmente, tudo que discutimos aqui desde o inicio, apesar de ser apenas possibilidades de acontecimentos há algum tempo atrás, hoje se converte em realidade nos minimos detalhes.

      O ponto de ruptura foi ultrapassado há muito tempo. Não há mais volta. De agora em diante é o governo soprar o quanto o folego aguenta pra não deixar o trem pegar velocidade na decida da ladeira, mas acho que não há espaço pra isso sem comprometer toda a estabilidade econômica.

      Quem comprou imóvel na planta ou usado como investimento deve estar arrancando a cueca pela cabeça de preocupação. Se eu estivesse no lugar deles, nem dormindo estaria conseguindo em perceber a besteira que fiz e a perda de capital envolvida.

      Como diria o saudoso Mussum: Corre negadiz…

      0
      • Sérgio 19 de março de 2012 at 15:41

        É bem isso.
        Eu chamo de “DOR DE CORNO”.
        Não tem nada haver com o corno tradicional, mas a dor é semelhante.
        Há pouco mais de dois anos eu resolvi adquirir uma tv lcd. Nunca fui muito na onda do cunsumismo não, mas achava que já havia ultrapassado da hora de eu possuir uma, e assistir os meus filmes… he he.
        Fui, fiz uma pesquisa minuciosa de mais de semana: acabei por comprar no Ponto Frio, que havia feito o melhor preço. Uma LG, 32″ tipo Timemachine. Comprei-a… R$2 MIL já com o máximo de desconto encontrado nas ruas e nos sites.
        6 MESES depois a bendita estava sendo vendida em todas as lojas por 1,4 MIL… hoje por 1 MIL ou menos.
        Imaginem a DOR de CORNO que senti. Fui traído, e meu bolso espoliado em 1 MIL REAIS, no mínimo.
        .
        Agora imaginem um imóvel.
        Um conhecido meu aqui em Cascavel conseguiu juntar 190 MIL em seis anos (o cara comia miojo cru). Chega agora, final de 2011, deu os 190K de entrada num apartamento de pouco mais de 100 m2, que custava (era vendido) 350 MIL e financiou o restante em 30 anos, pagando quase 1,7 MIL por mês.
        Mora ele e mais umas 10 pessoas no prédio. Nota: o prédio tem 42 apartamentos e já está pronto há quase dois anos.
        O cara mais pão duro que conheci deu dinheiro para um esperto: enquanto houver cavalo (com dinheiro), São Jorge não anda a pé.

        0
        • LP 20 de março de 2012 at 08:35

          Muito boa essa do miojo cru! Conheço gente que faz mais ou menos isso pra desfilar por aí de iX35…

          0
      • Luiz 19 de março de 2012 at 16:34

        Carlos Wagner, o Cirilo deve estar tentando tirar a sunga pela cabeça,

        chama o batman carlos.

        0
    • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 19 de março de 2012 at 15:31

      Para isso ja temos aquele Ditado: “Cobertor de Pobre – Cobre a Cabeça, deixa os pés pra fora, Cobre os pés, deixa a cebeça de fora” Esse é nosso governo evitando a Bolha – A cada “plano para financiamento – entenda-se aumento do valor ” Mais ele infla a Bolha pois mais os preços sobem, e mais fode o mutuario e mais “ajuda” os interesses das construtoras e mais prejudica os bancos com financiamantos bolhudos” enfim, agora é só ter paciencia – o estouro se deu em setembro (incio do travamento do mercado com vendas ridiculas) Passados 6 meses, as consequencias ja começam a ser sentidas mas ainda há muita coisa para acontecer – falta ainda a Copa do Mundo que será a “desculpa” e a esperença de muitos investibolhas desovarem seu imovelbolha, porém cairão do cavalo ao perceber que a copa trará apenas alguns “GATOS PINGADOS” que, com certeza não pouparão criticas e reclamações a estrutura, organização e absurdos preços cobrados em tudo. Pós Copa, ganhando ou perdendo, nada mais segura desvalorização e baixa dos valores dos imoveis a patamares de 2006. Lógico que ate a Copa ainda haverá uma tímida queda – mas que nem de longe trará a justiça nos preços – Bull Trap ate 2014.

      0
  • Indecoroso 19 de março de 2012 at 15:36

    Subcomissão da Câmara irá fiscalizar o PAC e o programa “Minha Casa, Minha Vida”

    h ttp://correiobraziliense.lugarcerto.com.br/app/noticia/ultimas/2012/03/16/interna_ultimas,45651/subcomissao-da-camara-ira-fiscalizar-o-pac-e-o-programa-minha-casa-minha-vida.shtml

    Brasil…sil…sil!!!

    0
  • Guillermo Coria 19 de março de 2012 at 15:41

    Em um tópico anterior, teve alguém que pediu indicações de sites para pesquisa de imóveis, mas eu não cheguei a ver respostas….
    Alguém tem alguma indicação?

    0
  • CTO81 19 de março de 2012 at 15:53

    h ttp://g1.globo. com/bom-dia-brasil/videos/t/edicoes/v/construtoras-oferecem-descontos-para-apartamento-nos-fins-de-semana/1863147/

    E aí, já é hora de comprar?

    0
  • Luiz 19 de março de 2012 at 15:58

    Ontem conversei com o pintor que fez um trabalho em casa.

    Ele acaba de devolver o carro que comprou financiado, pq contava com uma renda que não veio
    Até agosto do ano passado ele estava pegando 6 pinturas por mês ou mais.

    Hoje ele tá praticamente sem trabalho, apesar do aumento de entregas de imoveis novos semiacabados.

    0
  • Laranja 19 de março de 2012 at 16:01

    Em Porto Alegre a promoção Cyrela Casa Mobiliada foi prorrogada!
    Não “PERDAM” essa oportunidade!!! HAHAHAHA!

    0
    • Anonymous 19 de março de 2012 at 16:18

      Está parecendo uma oportunidade imperQUível – rzrzrzrzrz

      0
  • Ze Bom Dirolo 19 de março de 2012 at 16:14

    Daqui a pouco sai a promoção de alguma igreja vendendo imóveis no céu pela metade do preço na terra.

    0
    • alex 20 de março de 2012 at 20:43

      Se eu fosse você comprava correndo, já que no seu caso só dá pra cuidar da alma, porque o corpo já tá podre faz tempo! shuashuashua

      0
  • FQ 19 de março de 2012 at 16:25

    O brasileiro sempre pensa que descobriu um jeito simples e fácil de ganhar dinheiro sem trabalhar. Acessível a todos, basta entrar e ganhar!

    Parece trote da mega sena! Entre e ganhe!

    A velha ilusão da máquina de fazer dinheiro. Basta comprar e vender imoveis, sem fazer nada, valorização eterna…

    0
  • Ze Bom Dirolo 19 de março de 2012 at 16:25

    Imóvel, a indulgência brasileira.

    0
  • Anonymous 19 de março de 2012 at 16:27

    A verdade caminha sempre sozinha, mas nunca para de caminhar. Uma hora ela chega e então é impossível negá-la.

    Brasil é o que menos cresce na América do Sul
    www1 . folha . uol . com . br/fsp/poder/31949-brasil-e-o-que-menos-cresce-na-america-do-sul.shtml

    O Brasil foi o país que menos cresceu na América do Sul em 2011.

    As taxas de expansão da economia brasileira perdem para as de outras nações emergentes, como China e Índia, de forma recorrente. Mas, desde 2006, o desempenho do país não ficava aquém do resultado de todos os vizinhos sul-americanos, segundo estimativas recentes.

    0
    • xyz 19 de março de 2012 at 16:47

      Este país quer crescer dando esmola e crédito ao povo.
      Assim não cresce, incha.

      O pouco investimento em infraestrutura é podre (vide copa, trem-bala e belomonte).

      Mas como você bem disse, a verdade uma hora chega.

      0
      • Cleyton 19 de março de 2012 at 19:15

        Crescer é fácil, difícil é desenvolver-se!

        0
    • Marcus 19 de março de 2012 at 17:08

      Estava deixando passar em branco … mas o despeito e a agressividade do corajoso anônimo no último tópico merecem uma pequena contra argumentação.

      Me causa espanto quem enche a boca pra falar mal do Brasil e do Rio de Janeiro como se o fato de nossas mazelas imunizassem todos os problemas dos outros.

      Agora o cidadão é particularmente infeliz quando enaltece os EUA na atual conjuntura. Os americanos vivem numa sociedade doente mentalmente e fisicamente. Os maiores índices de obesidade e distúrbios mentais por m2 do planeta. Viciados em medicamentos até a alma.

      h ttp:// en.wikipedia.org/wiki/Obesity_in_the_United_States
      h ttp:// http://www.mentalhealthamerica.net/go/state-ranking
      h ttp:// http://www.medicinenet.com/script/main/art.asp?articlekey=21466
      h ttp:// rt.com/usa/news/americans-hooked-vicodin/

      Agora imaginem que além de ser um país doente, possui problema grave de imigração clandestina, é extremamente xenofóbico e ainda leva ranços racista bem superiores aos nossos.

      h ttp:// http://www.humanrightsfirst.org/our-work/fighting-discrimination/2008-hate-crime-survey/usa/ii-violence-based-on-racism-and-xenophobia/
      h ttp:// en.wikipedia.org/wiki/Racism_in_the_United_States

      Tem histórico de intolerância religiosa.
      h ttp:// http://www.religioustolerance.org/relintol3a.htm

      Possuem uma lista gigantesca de serial killers.
      h ttp:// en.wikipedia.org/wiki/List_of_serial_killers_in_the_United_States

      São o país como o maior índice de school shooting do mundo(aqueles massacres onde um infeliz entra metralhando crianças no colégio). Nos EUA nos últimos 5 anos a incidência é SUPERIOR a 10 por ano.
      h ttp:// en.wikipedia.org/wiki/School_shooting

      Bom pelo menos a economia salva né … ou não ?
      h ttp:// peterschiffblog.blogspot.com.br/
      h ttp:// blogdoklebers.blogspot.com.br/2012/03/next-shoe-to-drop.html
      h ttp:// economyincrisis.org/content/america-falling-post-industrialism

      h ttp:// http://www.usdebtclock.org/

      Sem contar que você terá que criar um novo círculo de amizades dentro deste contexto, além de se afastar de sua cultura, familiares, amigos e do clima abençoado daqui (não vou entrar no contexto das catástrofes naturais de lá).

      Bom … mas nada disso importa … o importante é que vc consegue comprar uma casa em Maimi , um carro e um celular mais barato do que aqui.

      A banana do bananense carioca deve ter feito um estrago grande. Cada otário com sua sina, não é mesmo.

      By the way … Sua abordagem com relação ao crescimento do PIB é torta.

      O percentual de 2.7% pra sexta economia mundial não é ruim, crescimento a taxas de China, com regularidade, só a China tem (é impossível para países com legislação trabalhista evoluída competir com uma ditadura que utiliza trabalho semi escravo) … o número em si é razoável … a composição dele que não é a ideal.

      E comparar o crescimento do PIB do Brasil com o do Peru, Nicarágua, Uruguai, etc é brincadeira … qualquer peido eleva o PIB percentualmente dessas “potências” … em valor absoluto eles estão em outro universo.

      0
      • Luiz 19 de março de 2012 at 17:42

        Prezado Marcus, sem entrar no mérito, os dados de saúde e segurança, especialmente saúde mental e assassinato no Br são absolutamente subestimados. A subnotificação é enorme

        Lá não cai uma agulha sem que o governo não saiba.
        Um exemplo: as estações de medição de qualidade da água em SP são em centenas, no resto do BR é zero, nos EUA são centenas de milhares.

        Dados de valor imob eles tem desde o século XIX
        Nós temos fipezap desde 2008,
        O fipezap que nem os corretores acreditam, conforme o Cirilo confessou sexta.

        0
        • Marcus 19 de março de 2012 at 18:11

          Luiz,

          Concordo plenamente com a subnotificação brasileira. Aliás é escancarada.

          Mas o ponto meu nobre, não é esse … estou apenas mostrando para o cidadão que existem outros viés a serem observados e que a lógica da mudança para o EUA é canhestra.

          Viver bem consigo e com seus semelhantes é mais do que saber fazer conta. A simplificação da mudança para os EUA pq possui imóveis mais baratos é pouco inteligente.

          0
          • Murdoch 19 de março de 2012 at 22:09

            Marcus, to contigo!
            Este individuo deve ser mais um daqueles expatriados infelizes que ancoraram toda felicidade na compra de itens superfluos a preco de banana que so deixam aquele pais mais doente.
            Neguinho tem um recalque de carioca mto grande.

            0
          • Anonymous 19 de março de 2012 at 22:25

            … Viver bem consigo e com seus semelhantes é mais do que saber fazer conta …

            Explica como voce consegue viver BEM quando 1 em cada 4 dos seus semelhantes mora em favela? Talvez voce viva bem, justamente porque não saiba fazer conta e não compreende o que significa 1 em cada 4, ou seja 1/4 😉

            0
          • Carlão_RJ 19 de março de 2012 at 22:49

            Também acho uma simplificação de certa forma infantil. Mal comparando, me parece coisa de adolescente que está planejando fugir de casa. Me lembro de uma entrevista em que o Jô Soares falava com o entrevistado – não me lembro quem era – sobre esse lance de morar fora do Brasil e citou uma frase que acredito se aplicar bem a essa discussão: “Morar fora do Brasil é bom, mas é uma merda. Morar no Brasil é uma merda, mas é Bom.” Nada contra morar fora, ao contrário, acho que deve ser uma experiência legal mesmo, mas o Brasil é um bom lugar também. O Rio é um lugar legal prá se viver. Só falta os preços dos imóveis voltarem ao normal e os serviços melhorarem uns 2000%, rsrs.

            0
          • Leandro 19 de março de 2012 at 22:51

            Marcus, você lavou minha alma, esse cara estava precisando de uma pancada dessa.
            Tem ódio do Brasil
            Tem ódio dos Brasileiros
            Tem Raiva do Rio
            Por que passa o dia inteiro em Blog Brazuca, escrevendo em português.
            Só o recalque par explicar isso.
            O assunto é economia, destrinchar o mercado imobiliário, comprovar a Bolha, que pouquíssimos países não estão passando por esse problema, um problema de especulação. E o cara vem aqui, blog brazuca, para falar que sua vidinha esta uma maravilha no exterior, ótimo continue ai, que eu faço minha parte aqui.

            0
            • Anonymous 19 de março de 2012 at 23:06

              Leandro,

              A melhor maneira de mostrar que a Banânia passa por uma bolha é justamente mostrar que os preços da moradia estão TRES VEZES mais caro quando comparado com os EUA e cerca de DUAS VEZES mais caro quando comparado com a Alemanha. Se voce acha que isso não é motivo para chamar os bananenses de idiotas, então nada mais será. Eu contribuo para abrir os olhos de alguns aqui no BLOG, pois a atitude racional é abandonar a Banânia. Mesmo que a bolha exploda, todo o resto irá ficar PIOR por alguns anos. A menos que voce seja ETERNO, não aconselho a desperdiçar esses anos.

              0
              • Cai Cai Balão 19 de março de 2012 at 23:09

                Por vezes, tenho a impressão de que você quer se convencer de que fez a coisa certa, saindo do Brasil.

                0
              • Leandro 20 de março de 2012 at 00:56

                Qualquer analise minimamente embasada utilizaria uma linha de tempo.
                A menos de 15 anos no BRASIL somente 30% de sua população poderá ser chamada de cidadão, não tinham conta em banco.
                Menos de 10 anos a situação era inversa, os valores absurdos estavam nesses países, é uma questão cíclica, que deve ser resolvida pontualmente, pois depois de resolvida por aqui ira migrar para outro ponto do globo.
                40 anos atrás o PIB per capto era de 500 dolares. Enquanto na Alemanha e nos EUA já estava acima de 10 mil dólares, é a mesma coisa de comparar as conquistas de um doutor com um trabalhador braçal.
                Meu BRASIL tem uma serie de problemas e terá outros, como todas as potencias, porem estou aqui justamente para fazer parte desse momento, transformando-o em um pais mais digno sem perder a Brasilidade.
                Criticas, sugestões, analises, diagnósticos são sempre bem vindas.
                Ofensas, recalques, frustrações como seus comentários eu dispenso, e sugiro que repense a maneira de expor argumentos.

                0
                • Virginia 20 de março de 2012 at 10:00

                  Arrasou, viu? Falou bonito! 😀

                  0
                • Virginia 20 de março de 2012 at 10:06

                  Falou bonito!

                  0
            • DP 19 de março de 2012 at 23:34

              Nao deve-se generalizar. Nem muito menos transformar em uma discussao apaixonada, cheia de “odeia o Rio”, “odeia isso”,”deve ser isso”, “deve ser aquilo”.

              Eu gosto do Brasil, do Rio e dos EUA. Nao vejo nada de errado nisso.

              No entanto, eu amo a liberdade financeira, a democracia de verdade, o respeito pelo direito dos outros, as oportunidades abundantes, a eficiencia e a racionalidade no modo de lidar com o patrimonio publico, a policia e a justica eficientes, somado ao fato de nao ser roubado todo dia pelo (des)governo via impostos e corrupcao.

              O fato de tudo custar 3x menos eh apenas um “bonus”. Se custasse o dobro eu continuaria morando aqui.

              0
      • Anonymous 19 de março de 2012 at 22:12

        Marcus,

        Um lugar onde 1 em cada 4 pessoas vive em favela é uma MERDA – nada que voce apresente irá alterar esse fato. Na minha opinião (e voce é absolutamente livre para discordar) quem mora no Rio de Janeiro é idiota, idependente das cirscustâncias, ainda que o preço de m2 de moradia fosse 1 Real. Se a pessoa tenho laços de família, emprego ou amizade, deveria em primeiro lugar cair fora e depois ajudar as pessoas com quem se importa. A vida é uma só e não compensa desperdiçar na Banânia, muito menos no Rio de Janeiro.

        0
        • Marcus 20 de março de 2012 at 01:52

          Anônimo,

          Seu recalque é latente, sua noção de bem estar me causa náusea, sua forma de se expressar é patética e sua opinião formada não me interessa.

          Postei pq vc se comporta como um infantilóide no fórum, tecendo comentários desrespeitosos em todos os momentos, conseguindo a proeza de ultrapassar, a muito, o limite do bom senso … e pelo visto essa opinião não é só minha.

          Viver na favela certamente não é bom … mas ainda sim vc encontra felicidade em abundância no local … a ironia é um “abastado” maldizente perder as cores vivas da sua matiz há muito tempo.

          Estás em franco processo de se transformar numa caricatura e como tal ser tratado por aqui … uma caricatura triste e repetitiva.

          Pegue um pouco de sol … talvez lhe faça bem.

          0
      • Cicero Silva 20 de março de 2012 at 08:56

        Acredito que nem tanto ao mar nem tanto à terra.

        O Anonymous talvez exagere nas tintas, mas não está errado.

        Moro no brasil porque não tive escolha. Não tive acesso a conhecimento. Passei privação das necessidades mais básicas. Acreditava, até os 20 anos, que o melhor emprego do brasil era ser bancário no BB. Mesmo assim entrei num grande universidade. Fui ser servidor público, não devido a estabilidade, ou qualquer outra coisa, mas foi o que garantiu meu feijão de todos os dias. Hoje vou completar 50 anos. Consegui, três anos atrás, comprar minha primeira (e talvez última) casa – avaliada hoje, no preço bolhudo, em 160K. Tenho carro próprio desde os 38 anos. É a minha vida. E não tenho que me envergonhar disso.

        Mas me causa ranço saber que em outros países ricos como o brasil – até não tão ricos – eu seria mais respeitado. Seria um cidadão.

        Aqui no brasil sou, quando muito, um parasita – ou um marajá!

        Ainda quero conhecer outros lugares. Estou economizando para isso. Talvez antes de morrer eu tenha uma chance de passar uns seis meses num lugar onde possa correr pela manhã sem me desviar dos carros ou ir até um supermercado, pegar minhas frutas, pesar e não ter o saco lacrado – para que eu não “roube” do mercado. É assim no brasil, onde somos todos tratados como ladrões – até prova em contrário.

        Não tenho orgulho de ser brasileiro. Talvez eu tenha algum problema. E de fato tenho. Nasci aqui.

        Mas reconheço que lá fora é bom para quem lá nasceu.

        De qualquer forma, estou dando total apoio aos meus filhos para que eles lutem para fazer mestrado/doutorado fora. Quem sabe, serão mais felizes.

        Desculpem o “off topic”.

        0
        • Virginia 20 de março de 2012 at 10:07

          Me identifiquei com você em algumas coisas…

          0
        • jibs 20 de março de 2012 at 10:21

          gostei de sua visao, educaçao e conchecer outros lugares sao o maior bem que se pode ter na vida. Lamentavelmente vivemos numa epoca no qual o carro V16 o IPAD3 sao o ABC da sociedade. Muito triste para mim ver pessoas com carros ultimo modelo e sem nenhum interesse em conchecer o mundo, a unica arma para vencer o nacionalismo que tantas guerras, erros e milhoes de mortos tem provocad. Eu tive a oportunidade de viver aqui vindo da europa, com suas coisas boas e ruins, mas sobretudo aprendi muito da vida e a ver as coisas de um modo mais livre.

          Como fala um escritor espanhol, nao há pais na America Latina, tal vez eu acrecentaria no mundo, em que seus cidadaos nao achem seu hino o mais bonito do mundo. Quanto menos curioso.

          0
          • Marcus 20 de março de 2012 at 11:47

            Jibs,

            Pois é exatamente contra esse viés “mercantilista” torto de analisar a mudança de país que bati de frente. Também já morei na europa, que digasse de passagem é INFINITAMENTE mais interessante que os EUA.

            Passo longe do ultimo bastião que os imbecis se apegam … o patriotismo pelo patriotismo … não há ufanismo nas minhas idéias.

            A sua verdade pode não ser a minha e vice versa … apesar da experiência e de conhecer diversos países faço daqui minha moradia com tranquilidade. Só não vou ficar repetindo o mesmo mantra todos os dias para tentar converter novos fiéis.

            Haja paciência para a ladainha.

            0
      • Gabriel 20 de março de 2012 at 10:13

        Legislação trabalhista evoluída???

        É impressionante. Vai tentar ser empresário!

        E quem tu acha que gera empregos? O governo, com seus milhares de concursados? E da onde tu acha que vem o dinheiro que o governo usa para pagar o gênio que bolou essa legislação trabalhista evoluida?

        Isso me lembra a história que minha mulher contou outro dia…

        Foi a um congresso e um moleque apresentou um trabalho de mestrado, mostrando que os governos deveriam ser mais assistencialistas…para distribuir melhor a renda!

        O moleque vestia camiseta reebok, tenis nike, tirou uma nikkon proffisional da mochila, para registrar os momentos do congresso e depois passou as fotos para a internet com seu módico macbook pro…

        E para não deixar duvidas, saiu do estacionamento pilotando seu Audi…

        …..

        0
        • Marcus 20 de março de 2012 at 11:08

          Gabriel,

          Empresário eu já sou … a 14 anos aproximadamente. Independente financeiramente graças a muito .. muito suor … e um pouco de inspiração.

          Acho que deve ter lido rapidamente e acabou perdendo o contexto … eu explico. Os custos de produção chineses (ou paquistaneses, ou vietnamitas) são infinitamente menores que os custos de produção europeus, americanos ou brasileiros.

          Eu compro sistematicamente produtos dessas regiões e basicamente a diferença dos nossos custos são inerentes a mão de obra , encargos e a matéria prima em si.

          Substituição tributária, IPI, FGTS e otras cositas mas fazem parte do meu dia a dia … se vc quiser falar mal do governo seguramente eu tenho meus 2 cents para acrescentar … com embasamento.

          Não confunda as coisas. As conquistas trabalhistas existem em todos os países evoluídos … e até mesmo aqui. Fizeram parte do processo evolutivo do capitalismo. Talvez vc não saiba como funcionem exatamente as coisas na China.

          Vou simplificar para vc … não há como competir com a China nas atuais condições.

          Vou deixar alguns textos e links que talvez tragam luz a questão.

          ht tp://www. Manufacturingnews .com/news/06/0502/art1.html
          ht tp://www. Chinalaborwatch .org/
          ht tp://www. Clrlabor .org/alerts/1997/nikey001.html

          O oráculo moderno (Google) trás vasto material sobre o tema, basta pesquisar.

          0
      • jibs 20 de março de 2012 at 11:10

        se voce quiser comparar peras com maças tudo bem, más o unico modo de comparar paises de diverso tamanho em com a renda per capita

        53 Venezuela 11.388
        56 México 10.200
        57 Chile 10.117
        59 Uruguai 9.654
        63 Brasil 8.295
        64 Argentina 8.171
        69 Panamá 6.784
        73 Costa Rica 6.544
        78 Suriname 5.504
        84 Colômbia 4.989
        89 Peru 4.448

        0
        • Marcus 20 de março de 2012 at 11:59

          Jibs,

          Acho que vc deve se dirigir ao texto do anônimo. De lá que sai o artigo comparando os PIBs.

          0
  • Luiz 19 de março de 2012 at 16:31

    Bolha imobiliaria pod eter estourado na australia com a ameaça de hard landing chinês

    brazilianbubble .com/kaboom-an-epic-australian-bust-in-sight/

    Outra coisa interessante: vejam o gráfico desde 1890 até 1990 investir em imóveis nunca foi mais que um investimento apenas medíocre.

    0
  • Ze Bom Dirolo 19 de março de 2012 at 16:34

    Não é a galinha que queria voar…..na verdade……essa é uma estória da vaca que queria conhecer Marte…..

    0
  • Mr. D 19 de março de 2012 at 16:43

    Investir no crescimento somente do crédito é um perigo.
    Não existe crescimento sustentável sem investimento em ciência/tecnologia e infraestrutura.
    Uma hora vai dar M….
    E acho q está chegando…, ou será fedendo (Ironic level 10)

    0
  • Murdoch 19 de março de 2012 at 16:50

    Galera, um pouco de vida como ela é.
    Um amigo do trabalho queria comprar um apto na Tijuca e visitou um 2 qtos sem garagem pelo qual pediram R$ 600k antes do carnaval. Ele é arquiteto e já foi avaliador de um fundo de previdência. Olhou, olhou e disse pro corretor: “Amigo, o valor desse imóvel, considerando a valorização é de R$ 380K no máximo.”
    O cara riu, ele largou de mão.
    No sábado o corretor procurou por ele pra dizer que a dona queria R$ 430K e aceitava oferta.
    Ele comentou comigo que disse pro cara que agora vai esperar chegar a R$ 320.
    Acho que o ajuste vai vim mesmo.
    De repente, ele se ajusta antes de termos um problema maior, apesar dos esforços do Governo em inflá-la…

    0
    • self 19 de março de 2012 at 18:15

      Eu perguntaria para o corretor se, caso ele tivesse 430K na mão (isso é quase MEIO MILHÃO), ele acharia justo torrar para morar num apto pequeno sem garagem… Tem que pressionar.

      0
    • Anonymous 19 de março de 2012 at 22:33

      Murdoch,

      Diga para seu amigo arquiteto que nos EUA ele compra 3 dorm, 2 banh, 2 garagens, terreno de 1000 m2 em praticamente qualquer estado (nos suburbios) com os 320 mil Reais hoje. Terá ainda escola para os filhos e segurança sem ter que pagar adicionalmente por isso. Observe que a diferença é gritante e somente um não consegue perceber.

      0
    • Victor 20 de março de 2012 at 10:59

      Acredito que a copa não saia do Brasil pelo simples fato de que aqui é bem mais fácil para a Fifa desviar $$ do que na Inglaterra.

      0
  • Luiz 19 de março de 2012 at 16:57

    De 600 p 430 = 170
    170/600 = 30% de queda
    e acho que está só começando
    o Dia D seria a FIFA cancelar a Copa, que tal?

    0
    • Murdoch 19 de março de 2012 at 17:15

      Já pensei nisso, mas acho que isso não acontece nem a pau.
      O Governo gastaria o que tem e o que não tem pra segurar essa parada.
      Acho que a gente vai viver um ajuste mesmo.

      0
      • Luiz 19 de março de 2012 at 17:24

        Murdoch, sei que vc já viajou pra europa, talvez tenha morado lá um tempo.

        Diga pra gente qual tem que ser o nível de discussão e stress para um europeu chegar ao ponto de ameaçar ???

        Pode ser que a comissão da Copa não esteja entendendo a gravidade da situação.

        0
        • DP 19 de março de 2012 at 17:46

          Luiz – gostei da sua pergunto. Morei na UK uns anos e agora estou nos EUA. Digo de olho fechado: para um executivo como o cara da FIFA dizer um negocio destes, pode ter certeza que ja existe um PLANO DE CONTINGENCIA pronto, documentado e testado. A Copa sairia do Brasil e iria para outro pais. Ao contrario da cultura bananense, a palavra costuma valer mais em outros paises. Falar um negocio desses significa “querer e poder fazer”, “willingess and ability to do”.
          Mas meu lado Brasileiro me diz que o Governo gastaria tudo o que tem e o que nao tem para “dar um jeitinho” no problema: comecaria aumentando os impostos, interferiria nos recursos das estatais e quem sabe ate confiscaria recursos privados para financiar a copa.

          0
        • Murdoch 19 de março de 2012 at 22:46

          Luiz, nao sei se sou gabaritado pra responder isso.
          Vou tentar mto mais com a experiencia que tive na politica do que de ter morado fora.
          FIFA, COI, COB nada mais sao do que empresas. Como tal, visam o lucro e para isso precisam negociar. Essa historia de que a missao das Olimpiadas ou Copa do Mundo servem como ferramentas para desenvolver um pais e etc nao passam de uma grande bullshitagem para dar uma cara bonita ao negocio. Essa historia de legado serve pra vender onibus, trens, etc. Essas empresas, infelizmente, em sua grande maioria, sao administradas por gestores de etica duvidosa para dizer o minimo. Vide Havelange, Nuzman so pra comecar a exemplificar. Esses representantes “defendem” essas empresas. Vc acha mesmo que Mato Grosso precisa de linha de VLT?
          Portanto, por mais que o Jerome esculhambe a gente, trata-se de um negocio em que todos vao ganhar, que campanhas serao pagas, etc. Consequentemente, tb nao importa o qto vai ser gasto, afinal eh endividamento. A conta vem depois e o povo brasileiro paga.
          O Jerome eh frances que, normalmente, nao primam pela simpatia.
          Acho que ele fez o papel de dar o sacolejo, ai o Blatter vem aqui come uma carninha e a Dilma diz que vai honrar tudinho. Ai ele da mais uma puxadinha de orelha… Poxa, presidente conseguimos tanto para este pais, vcs nao podem fazer vergonha, bla, bla, bla.
          Essas coisas parecem mais tecnicas do que realmente sao. As grandes decisoes sao tomadas num belo restaurante tomando uma Chateau Lafite e ai o staff cuida da comunicacao, cuida de tocar os projetos e assim vamos…
          Nao posso de concordar com o Romario. Pelo que tenho visto e tenho conhecimento, chegaremos num montante roubado jamais visto..

          0
        • jibs 20 de março de 2012 at 10:08

          O assunto da copa esta ficando muito feio.

          Visto desde fora parece claro que tem uns ladroes de um lado, e ali baba e os 40 do outro. O reparto do saqueio esta feio e na fifa, ao igual que no COI, se pode roubar até um ponto que os politicos brasileiros nao conchecem.

          Este ponto é o da opiniao publica, se os escandalos começam a aparecer a fifa vai ter que recuar. Vendo como esta o brasil, pode trocar-se perfeitamente pelos EUA, inglaterra e até algum outro (o proprio blatter depois do churrasco alfinetou lembrando que muita gente fala que inglaterra estaria pronta e interessada)

          O povo braisleiro ainda nao caiu na real, mas quando começe a ver as verdadeiras despesas, quando saiba que os ingressos irao custar de 300 reais para cima e quando veja a sua selecçao perdendo mais um ou dois joginhos, vai passar muita indignaçao e vergonha.

          0
      • Leno 19 de março de 2012 at 21:49

        Essa Copa é uma das maiores propagandas do PT, ele jamais deixariam isso acontecer, mesmo que o preço seja a falência do país.

        Nas eleições de 2014 eles colocam um candidato fraco e “deixariam” o PSDB retormar o poder, assumindo um abacaxi gigante, a partir desse momento toda a crise, recessão e miséria que sugir, será culpa dos tucanos.

        Não é uma boa teoria da conspiração?

        0
  • Ze Bom Dirolo 19 de março de 2012 at 17:01

    Superávit da balança cai 50% no ano até 18 de março, para US$ 1,15 bilhão

    A balança comercial brasileira registrou superávit (exportações menos importações) de US$ 1,15 bilhão na parcial deste ano, até o dia 18 de março, informou nesta segunda-feira (19) o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Isso representa uma queda de 50,6% em relação ao mesmo período do ano passado, quando o saldo positivo somou US$ 2,33 bilhões

    0
    • jibs 20 de março de 2012 at 10:13

      Um problema no Brasil é a falta de noticias e espaço internacional em seus jornais. Olha ai o que se lé hoje pelo mundo e que afeta la linha de flotaçao a economia brasileira e a sua maior originadora de divisas…..a Vale.

      U.S. Futures Pressured by World Economic Worries
      FOX Business: The Power to Prosper

      Stock-index futures took a cue from Europe on Tuesday, sliding into the red as traders grew more concerned about China’s slowing economic expansion and shrugged off stronger-than-expected U.S. housing data.

      Today’s Markets

      As of 8:35 a.m. ET, Dow Jones Industrial Average futures fell 62 points to 13105, S&P 500 futures dipped 7.8 points to 1396 and Nasdaq 100 futures slipped 12 points to 2716.

      Australian BHP Billiton (BHP: 75.51, +0.82, +1.10%) sees demand for iron ore, which is part of the production process for steel, “flattening” to single-digit growth, according to Reuters, citing the company’s CEO. The statement from the world’s biggest miner speaks to broader growth concerns for the country, which has seen its furious economic expansion slow down recently.

      The news hurt European mining and commodity shares and weakened sentiment across the board, Ben Critchley, a sales trader at London-based IG Index said via e-mail.

      China was also forced to hike gasoline and diesel prices, which, unlike in the U.S., are centrally controlled. A gallon of 90-octane now costs a record $4.42 a gallon, the Wall Street Journal reported. As has been seen in many nations, this could take a toll on consumer confidence in the world’s No. 2 economy.

      Read more: http://w ww.foxbusiness.com/markets/2012/03/20/us-futures-pressured-by-world-economic-worries/#ixzz1pf80vR00

      0
      • jibs 20 de março de 2012 at 10:49

        Vale -3,8% em NY

        0
  • Rodrigo 19 de março de 2012 at 17:15

    A Associação Nacional dos Mutuários registrou um aumento de 30% no volume de consultas de consumidores que temem perder o imóvel financiado, devido à inadimplência. Segundo a instituição, foram, em média, 120 casos por mês entre janeiro e março deste ano. No mesmo período, houve um crescimento de 20% no número de ações levadas pela associação à Justiça para evitar que o imóvel com atraso nas prestações fosse levado a leilão. Segundo o presidente da entidade, Marcelo Augusto Luz, o aumento dos casos se deve à falta de conhecimento dos mutuários sobre as condições dos novos contratos de financiamento de imóveis.

    0
    • Leno 19 de março de 2012 at 21:34

      Eu recebo uma newsletter de uma imobiliaria que trabalha com imoveis da caixa com ação judicial e que foram para Leilão, e ultimamente tenho recebido com mais frequência do que há meses atrás.

      Tem imóveis de todos os padrões e em todos os bairros, desde cohab até Jardins.

      0
      • Leno 19 de março de 2012 at 21:35

        Corrigindo “a meses atrás”

        0
        • LP 20 de março de 2012 at 08:46

          Vc trocou o certo pelo errado.

          0
  • Luiz 19 de março de 2012 at 17:19

    E nas Olimpiadas do info money

    Maiores quedas

    1 PDGR3 6,89 -3,23 171.315.923 34.023 16h542
    2
    3 MRVE3 13,96 -2,85 72.334.241 11.366 16h54

    medalha de ouro e bronze pras bolhudas

    0
  • Murdoch 19 de março de 2012 at 17:22

    Mais uma ….
    Isso pq eh um lugar de merda! Esquina de Mena Barreto com São João Batista.

    AMIGOS DO MERCADO IMOBILIÁRIO

    PARA ACABAR DE VEZ COM O ESTOQUE, A GAFISA TROUXE UM RETORNO EM BOTAFOGO, DE UM EMPREENDIMENTO SUCESSO DE VENDAS, COM 100% VENDIDO NO LANÇAMENTO.

    RISERVATO 205 – 3 QUARTOS COM 90 m²

    DE: 987.176,90

    POR: 860.000,00

    NÃO FAZEMOS RESERVAS

    0
    • self 19 de março de 2012 at 18:09

      Não vale nem a metade desses 860K… Fala sério: quem dispõe de 860K para gastar num imóvel iria querer morar apertado em 90m²?

      0
      • Marcus 19 de março de 2012 at 18:31

        Só pra deixar claro. Sou pró bolha.

        Acho inclusive que os preços já começaram a cair … mas negócios contunuam sendo feitos a preços que eu jamais pagaria.

        Essa semana no condomínio onde moro, em Botafogo, um amigo vendeu seu apt. por 800k .. 75m2.

        Tinha 2 propostas … 1 de 740k e 1 de 750k … em cima da hora apareceu essa criatura que levou por 800k. Ele estava a uns 4/5 meses tentando vender por 760k e não estava conseguindo … mas acabou que funcionou.

        A zona sul carioca vai ter seus preços reduzidos … mas cairá infinitamente menos que locais como a Barra … lá eu creio em mico bem mais rápido.

        0
        • Carlos Wagner 19 de março de 2012 at 18:50

          Marcus

          Esse cara que pagou os 800k perdeu um Astra zero na diferença. Ele é o típico otário que vai tomar na cabeça ou o apto é muito bom, talvez ele saiba que o imovel foi de um mafioso e há ouro e dolares escondidos no interior das paredes. Vai saber.

          Esse otarios estão acabando. Não servem de exemplo para justificar a sustentabilidade do mercado imobiliario. Quem sabe esses 800k venham de dinheiro publico desviado por licitações?

          Fato é que o céu está desabando. Todos os indicadores economicos apresentam queda substancial na atividade economica, o que impacta diretamente na capacidade de consumo e endividamento.

          A hora da verdade se aproxima…

          0
          • Marcus 19 de março de 2012 at 19:24

            Carlos,

            O imóvel é bom … mas comum. O Condomínio é ótimo mas os apts pequenos.

            Foi uma senhora que segundo ele estava procurando a séculos e não conseguia comprar … segundo palavras do próprio, comprou na emoção.

            Ele vendeu bem bagarai … mas concordo que a tendência é que os preços caiam, os estoques e outros indicadores dizem isso … só não sei se o estoque de otário está acabando … rs

            0
            • self 19 de março de 2012 at 21:22

              Essa senhora me tem cara de lavanderia e cheiro de laranja. Só pode.

              0
            • Murdoch 19 de março de 2012 at 22:48

              marcus, to contigo novamente.
              ainda tem gente pagando. Tenho um amigo que acabou de pagar 1,2M em Copa e ele vai ter que destruir o apto pra poder morar

              0
  • Ze Bom Dirolo 19 de março de 2012 at 17:30

    Frase do Guido Mantega ao chegar ao trabalho hoje….
    fodeu!!

    0
    • Ze Bom Dirolo 19 de março de 2012 at 17:35

      Deixar claro que isso é uma suposição, pq daqui a pouco colocam a culpa na gente….

      0
  • Luiz 19 de março de 2012 at 18:25

    Investir em imóvel é bom negócio???

    Vejam este gráfico
    brazilianbubble.com/wp-content/uploads/2012/03/australia1.png

    Nem nos EUA, a meca da especulação e do crescimento investir em imóvel é bom negócio.
    Se comparar 1890 com 1999 (linha azul) a valorização real foi ZERO praticamente o tempo inteiro.
    Só foi bom negócio no período de Bolha dede que a compra tenha sido feita antes de 2000.
    Algo tão raro quanto ganhar no bingo ou na rifa.

    0
    • Carlos Wagner 19 de março de 2012 at 18:43

      Cabuloso!

      0
    • Leandro 19 de março de 2012 at 23:32

      Acompanho os preços em Brasília desde o ano de 2000 e posso dizer que de 2000 até 2008 também não houve ganho real (apenas acompanharam a inflação).
      Só a partir de 2008 é que duplicaram/triplicaram de preço.
      E ainda assim a maioria da população só olha para os quatro últimos anos e acha que a valorização vai durar para sempre.
      E é bom lembrar que uma queda de 50 % nos preços representa anulação do aumento de 100%.
      Acredito que os preços no Brasil voltem aos preços pedido em 2008, com correção pela inflação. Chutando por alto, acho que seria uma queda de 35 a 40% dos preços atuais.

      0
      • Marcelo 20 de março de 2012 at 08:54

        Espero que vc tenha razao. Vim para BsB justamente em fev. de 2008. A impressao que tive num primeiro momento e’ que as pessoas aqui estavam ficando loucas (ou entao eu, por nao aceitar o que estava ocorrendo no mercado imobiliario). Ate’ os parentes vinham com aquele papo que BsB era otimo para investir em imoveis, que ninguem perde dinheiro “investindo” em imoveis aqui, que o preco dobra em poucos anos (tem que comprar rapido viu!). E olha que ninguem era corretor, somente conselheiros familiares querendo “ajudar”. Eu pensava que o fenomeno era “local”, nao estava por dentro da estupidez arquitetada que estava ocorrendo em todo o Brasil – este blog foi o melhor anti-depressivo, pois ja estava querendo ir embora daqui, mesmo sendo concursado (adianta ter um bom emprego mas ter trabalhar a vida toda so’ pra comprar um imovel decente pra familia? Isso e’ desumano!).

        0
        • Leandro 20 de março de 2012 at 09:23

          Vamos aguardar Marcelo.
          Com certeza seremos recompensados.
          Esse blog também é meu antidepressivo. Não é à toa que o acompanho há quase dois anos.
          Vou dar um exemplo dos preços em Brasília, já que você conhece a cidade.
          Apartamento de 2 quartos no Sudoeste Econômico ( 60m2, sem garagem).
          Preço no ano 2000: 90 mil reais (um familiar comprou)
          Preço no ano de 2006, após boa reforma que valorizou o mesmo imóvel: 150 mil reais (familiar vendeu).
          Se jogar a inflação oficial do período (2000 a 2006), vai constatar que não houve ganho real.
          Preço do apto no início de 2008: entre 220 e 250 mil (até aqui mais ou menos também acompanhou a inflação).
          Preço em 2012: pedem entre 410 e 450 mil.
          Calculo que os apartamentos ali no Sudoeste Econômico deveriam estar custando hoje ao redor de 300 mil.

          0
  • Fernando 19 de março de 2012 at 18:34

    E essa notícia? Em pleno mes de março, a duas semanas da Páscoa… A notícia é do Yahoo.

    Emprego formal tem queda anual de 57% em fevereiro

    BRASÍLIA, 16 Mar (Reuters) – A economia brasileira gerou em fevereiro menos da metade de postos de trabalho com carteira assinada do que no mesmo mês do ano passado, informou nesta sexta-feira o Ministério do Trabalho.
    De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), foram abertas 150.600 vagas no mês passado. Um ano antes, foram criados 347.070 novos empregos. No acumulado de 2012, foram abertos 293.987 postos.
    O dado de fevereiro mostrou fortes quedas em sete setores da economia em relação ao mesmo mês do ano passado. O setor de serviços, que em fevereiro de 2011 gerou pouco mais de 134 mil postos, abriu no mês passado 93.170 vagas.
    A indústria da transformação, que havia tido uma contratação líquida de 60 mil empregados baixou expressivamente as admissões neste ano para 19.609.
    O desempenho negativo do comércio também contribuiu para a queda do emprego. Enquanto em fevereiro do ano passado, as admissões superaram as demissões em 17.394 postos, no mês passado, houve dispensas líquidas de 6.645.
    Mesmo a administração pública mostrou desempenho inferior ao do ano passado. Em fevereiro de 2011, as contratações superaram as demissões em pouco mais de 15 mil vagas. Em igual mês deste ano, foram abertas 14.694 postos.
    FRAGILIDADE
    Em janeiro foram criadas 118.895 postos de trabalho, no pior resultado para o mês em três anos.
    Em 2011 todo, o arrefecimento da atividade econômica teve impacto direto na geração de emprego, que foi 25 por cento menor do que em 2010 e ficou abaixo da expectativa do próprio governo.
    O ano passado terminou com a abertura acumulada de pouco mais de 1,9 milhão de postos de trabalho com carteira assinada. No auge do otimismo, o Ministério do Trabalho chegou a falar que poderiam ser criados 3 milhões de empregos. O resultado final ficou aquém mesmo da última previsão, que era de 2,4 milhões de postos.
    (Reportagem de Tiago Pariz e Luciana Otoni)

    De duas, uma: ou está faltando mão de obra em Pindorama, e por isso não se criam mais empregos novos, ou o bicho tá pegando mesmo.

    O que os Srs acham?

    0
    • Carlos_ 19 de março de 2012 at 19:10

      Sinceramente, estamos quase no pleno emprego. Não tem como o ritmo de contratação aumentar em um ambiente de emprego recorde.

      Não vou entrar na questão da qualidade desses empregos e se eles pagam bem ou mal. Mas a verdade é que hoje, não escolhendo o emprego, só não trabalha quem não quer.

      0
      • Virginia 19 de março de 2012 at 22:03

        “não escolhendo o emprego, só não trabalha quem não quer.” – fato!

        0
  • So observando... 19 de março de 2012 at 18:57

    resposta minha pra um corretor/consultor que me enviou um email com as caracteristicas de um imovel:

    “um ar condicionado split custa mil reais, que diferenca faz isso pra quem quer comprar um imovel de 860mil? nao entendi??O que 1 milesimo do preco do imovel vai mudar na minha decisao. sera que eu vou comprar porque tem ar split????
    eh cada uma! nao entendo a cabeca de voces, corretores ou consultores…”

    hehehehe
    tem que rir pra nao chorar. como falam aqui no forum, o nivel dos profissionais eh abaixo do ridiculo

    0
    • Homeless 19 de março de 2012 at 19:13

      Esperava o que pelo nível de escolaridade exigido ????

      Pra ser corretor de imóveis deveria ter, no mínimo, nível superiror.

      Falo com razão, pois tenho curso superior e já fui corretor de imóveis. Um dos motivos que me fez sair foi esse – muita ignorânica.

      É tipo pastor. Colocam um terno e já se acham “doutores”, os donos da verdade. Mal sabem o papelão que fazem com seus comentários sem fundamentos.

      0
      • So observando... 19 de março de 2012 at 19:47

        hehehe
        e´ verdade!
        consultei um apartamento e o cara enfatizou que tinha 1 ar split no ape…
        pensei com meus botoes: ta caro pra caramba, mas tem split!!! ahh bom! agora eu vou comprar…
        fala serio….
        um ape vagabundo, com preco bolhudo, carissimo, de 860k. pra mim, isso e´ preco de mansao.

        0
      • alex 20 de março de 2012 at 20:50

        Ainda sou mais o corretor e o pastor do quê Vossa Senhoria com comentários tão preconceituosos e estúpidos contra as pessoas com escolaridade mais baixa e contra religiosos em geral. Fazer o quê, vivemos num país de hipócritas, onde o mais fácil é jogar pedras. Não é por acaso que o Eng. Ricardo, um dos mais esclarecidos do blog, deixou de frequentar o espaço.

        0
  • Ze Bom Dirolo 19 de março de 2012 at 19:54

    Será que o João Havelange recebeu alguma notícia ruim? Tá internado em estado grave….

    0
    • mauricio 19 de março de 2012 at 20:18

      que vá, ele e o lula abraçados, ainda esse ano, praquele lugar, juntinho do tchê, e que mantenham contato breve com hugo chavez, dilma e kirchner

      0
  • Cai Cai Balão 19 de março de 2012 at 20:02

    Hoje estive na CEF, na tentativa de deixar “na agulha” um bom valor (carta de crédito), como complementação no ap que estou namorando. Fiz algumas constatações que me fizeram lembrar do Menino_do_Rio e sua célebre frase.

    1. As imobiliárias nunca simulam com a modalidade pré-fixada de financiamento porque essa tem um limite de tempo (15 anos). Se eu posso comprometer 30% de minha renda em 30 anos, por que vou fazê-lo somente por 15 anos? Eles dizem que há uma impossibilidade, mas o que eles não querem mesmo é restringir o poder de compra do proletariado.

    2. O município de Belém (e ele não deve ser pioneiro nisso) tem duas políticas para a cobrança do ITBI: uma para imóveis financiados e outra para imóveis adquiridos com créditos próprios. A alíquota é de 2% para quem compra com a própria grana; enquanto que incide somente 0,5% pra quem compra fiado (financiamento imobiliário).

    Se eu pagar metade com recursos próprios e a outra metade com dinheiro da Caixa, pago 2% em cima do que eu paguei e, sobre o restante, incide somente 0,5%.

    É o prestígio ao endividamento, em detrimento da poupança e do consumo consciente.

    País de merda!

    0
    • Cleyton 19 de março de 2012 at 20:21

      Cai cai, em Curitiba essa redução para 0,5% tem o limite de 80k sendo o normal 2,4%, só que até onde eu sei só vale pro SFH (tipo MCMV) e com registro alienado em cartório, a maioria está financiando pelo SFI e com contrato de compra e venda.

      Mesmo assim, pensa comigo o que vale mais a pena, pagar tudo a vista e 2,4% na bucha ou ficar vendo o saldo devedor sendo corrigido a 0,7%am durante 30 anos e sendo abatido somente à 1/360 do valor do financiamento?

      0
      • Cai Cai Balão 19 de março de 2012 at 23:30

        Não vou me endividar além das minhas necessidades para pagar menos ITBI.

        Mas, para quem se abdica de consumir por longos anos a fio no intuito de comprar a vista, é ou não é um insulto?

        0
        • Cai Cai Balão 19 de março de 2012 at 23:31

          Em tempo: para quem abdica (para quem se abstém).

          0
          • Carlão_RJ 19 de março de 2012 at 23:37

            Pô, Cai Cai Balão. Que susto!!! Já tava pensando em te mandar uma sunga de presente quando li esse “se abdica”,kkkkkk. Tava um português muito sofisticado, kkkkkk.

            0
            • Cai Cai Balão 19 de março de 2012 at 23:40

              hahahah! ainda bem que deu tempo, né?
              é o sono…

              0
        • Cleyton 19 de março de 2012 at 23:37

          O que eu quis dizer é que essa redução é aquela água fria que se usa pra reanimar o torturado classe D do MCMV que financia pelo SFH para que não desmaie enquanto o banco arranca o fígado dele.

          Se não me engano quem financia pelo SFI (a maioria que recebe acima de 3 SM na família) vai levar a facada toda, sem redução nem dó.

          0
    • Anonymous 20 de março de 2012 at 03:03

      Cai Cai Balão,

      País de merda! – Parabéns pois está começando a descrever a Banânia com as palavras adequadas, como eu venho fazendo. Eu entendo que isso é CLAREZA e não agressividade como alguns iludidos aqui imaginam. Aqueles que pagam (ou tem amigos que pagam) cerca de 1 MILHÃO de Reais para morar com FAVELADOS FELIZES – nunca li tanta bobagem – nem mesmo com o saudoso André 😉

      0
      • Cai Cai Balão 20 de março de 2012 at 07:48

        Ao menos eu tento crer que é transitório. A expressão que utilizei é apenas um desabafo, jamais um manifesto de desistência. Sei que meu país tem vários problemas, mas estou disposto a coexistir com eles e contribuir para a minoração dos seus efeitos.

        Ah, enquanto você fala que o Rio tem 1/4 de sua população vivendo em favela, aqui em Belém essa proporcão dobra, pois metade da população reside em invasões. Em bom português: favela.

        Gosto de suas análises, mas ultimamente tem sido difícil encontrar comentários seus sem alusão à “Banania”. Isso aqui ainda está uma merda, mas não vejo o aeroporto como solução viável.

        0
        • Virginia 20 de março de 2012 at 10:10

          Apoiado! 🙂

          0
        • Anonymous 20 de março de 2012 at 12:16

          Cai Cai Balão,

          Todos os animais, inclusive os humanos, passam por um processo conhecido como imprinting. Basicamente, nós tomamos como VERDADE o que vivenciamos ou aprendemos nos primeiros anos de vida. É somente por causa desse processo que nós temos dificuldades em abandonar o CONHECIDO. É também por causa desse processo que idéias como PÁTRIA, NAÇÃO ou TERRITÓRIO nos são tão caras. Quando voce entender isso, ganhará a LIBERDADE e começara a ver oportunidades onde jamais pensou existir. Então verá que essas idéais tão caras, não passam de algo tão produndo e reflexivo como o latido de um cachorro.

          Imprinting (psychology)
          en . wikipedia . org/wiki/Imprinting_%28psychology%29

          0
          • Cai Cai Balão 20 de março de 2012 at 13:59

            Abandonar isso aqui seria mesmo uma solução relativamente fácil, até cômoda. Já me imaginei longe daqui, com fácil acesso a bons carros e imóveis espaçosos, além de boas chances de ter minha independência financeira antes dos 50. Mas, não tenho vontade de ir embora.

            Quero viajar um bocado, conhecer outros países e até mesmo passar algum período lá fora. Mas, fico a me perguntar: para que estabelecer residência? Melhor do que ir é ter para onde voltar. Deixe-me morrer aqui. Enquanto permanecer viável, fico.

            Tenho muita qualidade de vida. Almoço em casa todos os dias, pego pouquíssimo trânsito e, por ter hábitos simples, sempre me sobra dinheiro para fazer uma boa gordura, viajar, rever meus pais e amigos, que moram a 3000km de distância. Quanto a eles, tanto faz: se eu permanecer aqui, vamos continuar nos falando pela internet todos os dias. Se eu for para qualquer país estrangeiro, será a mesma coisa. Não é por causa deles que permaneço na “Banânia”.

            Não é pelo medo do desconhecido que permaneço no Brasil. Fosse por isso, teria ficado em minha cidade natal, temendo pelas consequências das minhas escolhas.

            Será que sou patriota, nacionalista? Não sei, mas creio que não. Se nutro resquícios desses valores, são apenas rudimentos, pouco o suficiente para distinguir o que somos do que queremos ser; reconhecer que isso aqui ainda é um “país de merda”, mas pode vir a ser melhor. Acredito no futuro disso aqui e já vejo as coisas melhorando, mas reconheço que falta muito para ser razoável (ainda está uma merda).

            Tem outro detalhe importante: sou remunerado pelo Estado (lato sensu) e não seria racional abrir mão da minha carreira pelo sonho de viver no exterior. A minha formação é voltada para a realidade local. Que emprego você arranja nos EUA para um Bel. em Direito? Obs: não quero lidar com um ordenamento jurídico que mais parece uma concha de retalhos. A repartição de competências nos EUA não é algo com o que eu gostaria de trabalhar.

            Muitos foristas do Bolha vivem a mesma realidade. Muitos têm opção, outros simplesmente não querem ir. Nenhum dos grupos merece ser chamado de idiota, só porque vivem em cidades onde há carência de infraestrutura e muitas favelas.

            Fico feliz que você tenha uma boa vida nos EUA. Quando quiser voltar, nem que seja para nos visitar, será muito bem vindo. Mas, acho que você consegue defender bem suas posições sem ser tão ofensivo.

            0
  • Sérgio 19 de março de 2012 at 20:26

    PARA RIR.
    .
    CURSOS de GRADUAÇÃO
    Medicina: 6 anos, podendo chegar a 12 com a residência;
    Direito: em média 5 anos;
    Engenharias: em média 5 anos;
    Todas as demais profissões regulamentadas: 4 anos ou mais;
    .
    Corretor de Imóveis: de 3 a 9 ….. meses…. e a distância!!!!
    Requisitos:
    1 – estar desempregado;
    2 – saber falar português ou, ao menos, fazer-se compreendido;
    3 – conhecimentos em matemática elementar;
    4 – possuir ensino médio, EJA, ou MOBRAL, ou, em último caso, ter referências do último emprego;
    5 – ter ambição financeira.
    .
    Segue abaixo o conteúdo do curso:

    Curso CRECI – Curso de Corretor de Imóveis – Técnico em Transações Imobiliárias – TTI

    O Curso para o CRECI, Curso de Corretor de Imóveis, Curso Técnico em Transações Imobiliárias ou também conhecido como TTI, é um curso do Instituto Monitor e possui um currículo que atende às necessidades do mercado, formando profissionais aptos para atuar com competência no setor, realizando desde a captação, vistoria e corretagem de imóveis, até a condução do processo documental, e a prestação de serviços de consultoria e assessoria pós-venda.

    Nosso Curso para o CRECI é um dos mais conhecidos e conceituados do Brasil, pois somos uma das primeiras instituições a oferecê-lo na modalidade a distância.

    Se você pretende entrar nesta profissão, ou se já trabalha como corretor de imóveis, o Curso para o CRECI permite a você trabalhar em atividades que só um profissional formado e registrado pode desenvolver, já que é reconhecido e lhe garante o direito ao registro profissional no CRECI (Conselho Regional de Corretores de Imóveis) em nível nacional. Isto significa uma melhor remuneração, novas oportunidades de trabalho ou ter a sua própria imobiliária.

    Para se matricular no Curso para o CRECI, é preciso estar cursando ou ter concluído o Ensino Médio.

    Formas de Estudo

    Estudo personalizado a distância com material impresso
    Você recebe o material didático do Curso para o CRECI em casa – de acordo com o plano de pagamento escolhido (planos mais curtos permitem a conclusão do curso mais rapidamente) – tendo a flexibilidade de estudar onde e quando quiser, com autonomia, praticidade e respeito ao seu ritmo.

    Ao estudar o material didático do Curso para o CRECI você não estará sozinho! Uma equipe de professores qualificados para a educação a distância estará à disposição para esclarecer suas dúvidas e auxiliar em seu aprendizado sempre que você precisar. Além disso, o aluno corretor de imóveis do Instituto Monitor também tem acesso exclusivo a vários serviços pela internet (como consulta de notas, agendamento de provas, envio de mensagens aos professores), e ainda conta com a infraestrutura de uma instituição com mais de 70 anos de experiência, tradição e pioneirismo em educação a distância.

    Programa do Curso CRECI- Curso de Corretor de Imóveis – Curso Técnico em Transações Imobiliárias – TTI

    O programa do Curso para o CRECI é dividido em três módulos de aprendizagem. Para cada módulo completado o aluno recebe um Certificado de Qualificação Profissional correspondente.

    Módulo I – Captador de Imóveis

    Comunicação e Expressão em Língua Portuguesa
    Psicologia Organizacional
    Desenho Arquitetônico e Noções de Construção Civil
    Direito, Legislação e Ética

    Módulo II – Auxiliar de Administração Imobiliária

    Informática Aplicada
    Matemática Financeira
    Redação Técnica
    Gestão de Negócios Imobiliários

    Módulo III – Assistente em Transações Imobiliárias

    Problemas Socioeconômicos e Contemporâneos
    Economia e Mercados
    Técnicas Básicas de Vendas e Noções de Marketing Imobiliário
    Operações Imobiliárias

    Total de disciplinas: 12
    Total de avaliações: 12
    Estágio Profissional Supervisionado Obrigatório: mínimo de 150 horas

    Duração e prazo de conclusão

    O prazo médio para conclusão do Curso para o CRECI é de 3 a 9 meses. Entretanto, é você quem decide a duração do curso, por que depende do seu ritmo de estudos. A matrícula é válida por dois anos, portanto, prazo mais do que suficiente para concluir o curso. Após esse período, é possível se rematricular por mais um ano, sendo que a rematrícula pode ser feita por três vezes (totalizando cinco anos de prazo máximo para conclusão). Ao término desse prazo você terá de fazer uma nova matrícula e estudar todas as disciplinas novamente.

    Avaliações

    É você quem decide quando está preparado para ser avaliado, agendando as provas nas datas e horários mais convenientes. Pode realizá-las ao término de cada disciplina ou deixar todas para o final do curso.

    As provas são baseadas no conteúdo estudado. Por isso os materiais didáticos possuem exercícios de fixação e simulados semelhantes aos cobrados nas avaliações, preparando você para realizá-las com sucesso.

    0
    • Sérgio 19 de março de 2012 at 20:40

      O mais incrível não é isso: é o fato de pessoas entregarem suas economias de uma vida inteira, passada e futura (financiamento 30 anos) nas “indicações” desses indivíduos.
      Isso é que não dá para crer; só para realizar o sonho da casa própria.

      0
      • mauricio 19 de março de 2012 at 21:34

        que sonho? o pesadelo da casa própria (do banco)?

        0
  • Dudones 19 de março de 2012 at 21:40

    Como moro no Paraná, acabei de ouvir uma chamada na TV para as principais matérias da Gazeta do Povo para amanhã(terça) e uma delas é: “Construturas colocam pé no freio e oferta de imóveis cai”.

    Agora é esperar para saber se a matéria irá trazer mais indícios da crise que se instalar no setor!

    PLOC !!!!

    0
    • Bolha Imobiliária 19 de março de 2012 at 22:47

      Nossa, mais uma reportagem ?…Que combo da Gazeta

      0
      • Thomas 20 de março de 2012 at 08:12

        Podem esperar que vem mais bomba por aí.
        Boa parte do orçamento do jornal vem dos anúncios de imóveis.
        Na euforia todo mundo anunciava para vender, e o jornal faturava.
        Com a queda nas vendas as construtoras e corretoras começam a cortar custos, e a receita dos anúncios de imóveis começou a cair.
        Então eles pensam: já que o troço degringolou, vamos começar a falar a verdade. Assim os “investidores” começam a anunciar para vender logo o abacaxi.
        Quanto mais cedo vender, menor será o prejuízo.

        0
      • Dudones 20 de março de 2012 at 08:18

        Bolha, como comentei, segue a materia http :// www. gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=1235352&tit=Construtoras-tiram-o-pe-do-acelerador-e-tem-menos-lancamentos

        Vale um novo post!

        A Gazeta ta chegando junto auhauhauhauha

        0
        • Ademir 20 de março de 2012 at 08:44

          Tô vendo que a bolha vai começar por Curitiba.

          0
          • Ademir 20 de março de 2012 at 08:47

            que o estouro da bolha

            0
        • Virginia 20 de março de 2012 at 10:22

          “As empresas estão tirando o pé do acelerador, mas não estão colocando o pé no freio. Ainda vamos fechar o ano com números muito acima da média histórica do setor” – AhaM, Cláudia! Senta lá…

          0
    • Ze Bom Dirolo 19 de março de 2012 at 22:55

      Oferta cai?

      0
    • confe 19 de março de 2012 at 23:00

      Acredito que vai ser igual a reportagem da exame ,cheias de segunda intencoes

      0
    • Dudones 20 de março de 2012 at 08:05

      Bolha, como comentei, segue a materia http://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=1235352&tit=Construtoras-tiram-o-pe-do-acelerador-e-tem-menos-lancamentos

      Vale um novo post!

      A Gazeta ta chegando junto auhauhauhauha

      0
  • EduLon 19 de março de 2012 at 21:44

    Seguem alguns números do mercado imobiliario curitibano tirado do site imoveiscuritiba

    05. SET Venda – 9598 Aluguel – 2632
    03. OUT Venda – 9813 Aluguel – 2819 – imoveis feira: 35 mil a VENDA
    07 NOV Venda -10449 Aluguel – 2948
    09 JAN Venda -10467 Aluguel – 3145
    27 FEV Venda -11368 Aluguel – 3028
    13 MAR Venda -12178 Aluguel – 3096

    Desde setembro ate hoje: aumento de 27% nos imóveis a Venda
    aumento de 18% nos imoveis para alugar

    Dados da Ademi – número de entregas em 2012: – 7.354 imoveis
    2012: – 11.000 imoveis

    Hum… A venda de ansiolíticos vai bombar nos próximos meses…

    Cadê a demanda reprimida?

    0
  • Maurício 19 de março de 2012 at 21:54

    Gênesis 41,29

    E eis que vêm sete anos, e haverá grande fartura em toda a terra do Egito.

    E depois deles levantar-se-ão sete anos de fome, e toda aquela fartura será esquecida na terra do Egito, e a fome consumirá a terra;

    E não será conhecida a abundância na terra, por causa daquela fome que haverá depois; porquanto será gravíssima.

    0
    • EduLon 19 de março de 2012 at 22:29

      Ainda bem que nao estou no Egito… rsrsrs

      0
      • Ze Bom Dirolo 19 de março de 2012 at 23:37

        Você talvez não, mas tem colega aí que acorda todo dia do lado de uma múmia….

        0
    • mauricio 19 de março de 2012 at 22:58

      não sei vocês, mas falando com o povo na rua, a maioria já parece dar como certo o início dos anos de vacas magras, quando que no ano passado, era a euforia do brasil viro europa com o pt no poder!

      como as coisas mudam rápido

      0
  • Shakespeare 19 de março de 2012 at 22:27

    já estou mandando propostas de 2/3 a 3/5 dos valores pedidos (ainda acho meio cedo mandar 50% pois acho que o mercado ainda não irá assumir tal queda) e tenho recebido respostas.

    Em geral eles me questionam se o valor que escrevi está correto, ao que eu respondo de pronto:

    “aproveite o preço oferecido (2/3 do total) porque é por tempo limitado, uma vez que estou avaliando outras opções, mais interessantes (melhor localizadas, mais baratas, mais novas, etc.)”

    imagino a cara dos cirilos da vida

    0
    • mauricio 19 de março de 2012 at 22:56

      é isso aí!!!

      e vale lembrar, eu havia dito pra usar outras contas de e-mail e mandar outras propostas abaixo daquelas que você já mandou.

      não esqueça de guardar esses contatos, pra daqui uns 3 meses, mandar:
      “lembra quando eu te ofereci 2/3? pois é, agora só te ofereço 1/2, e olha que é pegar e lagar”

      0
    • Johnny 20 de março de 2012 at 08:56

      Isso em imóveis usados ou na planta?

      0
  • Pimp 19 de março de 2012 at 22:29

    Pessoal hoje estava conversando com um amigo que cogitou a compra de um repasse no mesmo empreendimento que ele já está pagando.

    Após se informar um pouco melhor sobre as formas de contrato sendo praticadas atualmente, logo desistiu.

    Segundo ele, aparentemente agora as Incorporadoras estão enrijecendo um pouco os contratos devido ao grande número de devoluções. Ele não soube precisar o quanto/como, mas quem devolver – segundo o contrato – não terá quaisquer chances de reaver todo o montante investido – ou melhor – gasto. Se já era difícil recuperar 80% imagina como vai ser agora!

    Pessoalmente acredito que as Incorporadoras já deviam trabalhar levando em conta uma margem de devoluções. Se estão mudando as regras é porque essa margem deve ter sido ultrapassada com folga.

    0
  • alda 19 de março de 2012 at 22:37

    Reclamação de uma investidora no reclame aqui, NAO COMPREM NO LANCAMENTO! QUEM COMPRA DEPOIS PAGA MAIS BARATO!!!!!

    Comprei no dia 30/11/11 o imovel Residencial Boa Vista em Sorocaba – SP. Dia 02/01/12 me dirigi ao mesmo plantao de vendas para verificar quanto tinha sido a valorização do meu imovel.

    Adivinhem??? Se eu comprasse o imovel hoje eu pagaria 5 mil reais mais barato!!!!!!!!!

    Embora o INCC tenha sido positivo todos esses meses meu imovel sofreu uma deflação!!!

    Como pode????

    Se eu quiser vender meu imovel hoje, eu perderia dinheiro, mesmo tendo o INCC positivo!!!

    Liguei na Rossi para tentar ter esse desconto de R$ 5.000,0 na minha mensalidade, ja que afinal eu comprei o imovel no lançamento e de uma forma estou cooperando com a construção do empreendimento, pagando minha parcelas em dia e inclusive adiantando algumas outras.

    Porem a ROSSI, através da atendente Juliana, protocolo 343745, se negou a me dar esse desconto.

    Por isso aqui fica meu aviso. Para aqueles que querem comprar na planta, no lançamento, para pagar mais barato e ver seu imovel valorizar NAO O FAÇAM!!!!!!!!!!!!! POIS VOCES PAGARAM MAIS CARO E VERÃO SEU IMÓVEL DESVALORIZAR AO INVES DE VALORIZAR!!!

    Quem nos garante que da alguns meses a Rossi nao jogue o preço mais baixo ainda??

    Estou decepcionadissima com a ROSSI, pois até então acreditava ser uma empresa renomada onde eu poderia investir meu dinheiro e teria meu imovel valorizado. Puro engano. Comprei um imovel, investi um dinheiro e o mesmo se DESVALORIZOU!!!!!!!!

    Fica aqui minha reclamação e aviso para que futuros compradores nao caiam nessa armadilha.
    http://www.reclameaqui.com.br/2225579/rossi-residencial-s-a/nao-comprem-no-lancamento-quem-compra-depois-paga-mais-barat/
    Espalhe essa reclamaçãoCarla Camila Oregana Guerra
    04/01/2012 10:58
    Provavelmente a ROSSI nao conseguiu vender os apartamentos e jogou o preço pra baixo, mesmo tendo o INCC positivo. Onde fica o respeito ao investido inicial, que acredita na ROSSI para aplicar seu dinheiro?

    0
    • augusto 20 de março de 2012 at 11:37

      Mais uma INVESTIMBECIL

      0
      • A citizen from Republic of Banânialand 20 de março de 2012 at 22:18

        “Quem nos garante que da alguns meses a Rossi nao jogue o preço mais baixo ainda??”

        La garantia soy yo!!!
        Imagina agora a desculpa que vc vai ter que dar para suas amigas, que pensavam ser você uma espécie de George Soros do mundo imobiliário quando, outrora, para elas se gabava do “excelente” investimento que fizeste.
        Senta, que é de menta!

        0
    • Adriano M 20 de março de 2012 at 17:55

      Por isso o mercado está assim, o nível dos “investidores’ é muito baixo. Pessoal realmente acredita que a valorização é garantida.

      “Quando até o engraxate entra na bolsa é bom vender suas ações…” (Keynes)

      0
    • Cleyton 20 de março de 2012 at 22:27

      Não sei qual parte foi mais hilária, o cara reclamando só por 5k (já que nem tem noção do tamanho da trolha vindo) ou ir chorar no “reclame aqui”!

      0
  • Sem Nome 19 de março de 2012 at 22:58

    Pena que a mídia em geral não apresente matérias deste nível….A Gazeta do Povo, apesar de ser um jornal desconhecido no Brasil, merece o nosso respeito.

    0
  • Paulo - RJ 20 de março de 2012 at 00:53

    Imóveis na Tijuca (Tijuca, Vila Isabel, Grajaú, Andaraí, Maracanã), segundo ZAP
    Em 04/10/2011 – 4201 ofertas
    Em 13/12/2011 – 4215
    Hoje (20/03/2012) – 4777.

    0
  • GB 20 de março de 2012 at 00:55

    É nítido que o mercado fez sua opção quando preferiu vender seus imóveis para investidores e não para moradores, assim é muito mais fácil para eles: investidores não reclamam de nada, é só prometer que vai valorizar 30% e que é fácil vender que eles compram qualquer coisa, em qualquer lugar e em várias unidades, não vão morar lá mesmo, só querem vender e embolsar o lucro.

    Então o mercado transformou-se numa grande pirâmide: prédios inteiros são vendidos na planta apenas para investidores, o negócio valoriza artificialmente, outro investidor compra deles, pois não há mais unidades sobrando, valoriza ainda mais e assim vai.

    E com a demanda aquecida pelos investidores, as construtoras programaram muitos lançamentos para fazer frente a essa necessidade deles, não se interessam em verificar se a demanda é real.

    Essa pirâmide traz dois problemas sérios:
    – valorização artificial dos preços: como o mercado está aquecido pela procura dos meros investidores, ocorre a valorização artificial, investidor compra na planta e depois vende para outro investidor, mas isso não é de graça, tem que valorizar 30% a.a., aí o valor chega a patamares inaceitáveis, falta renda e os investidores não conseguem mais comprá-los de outros investidores, as vendas caem, o ciclo de sustentação da pirâmide se rompe, a mídia e os órgãos interessados começam a falar em estabilização de preços ou em “leve alta”, irritando os investidores.
    – excesso de oferta: como esses imóveis não foram para moradores, é óbvio que vão voltar ao mercado na 1ª oportunidade ou frustração que tiverem os investidores, com a estabilização dos preços eles notam que não vale mais a pena manter o dinheiro parado em imóveis, pois não estão ganhando nada e começam a tentar vender tudo pelo preço bolhudo, o tempo passa, a inflação e os custos acabam corroendo o que passou de investimento a mero gasto e eles começam a reduzir o preço dos imóveis para sair com o menor prejuízo possível.

    Com a falta de interesse dos investidores o mercado começa a se interessar novamente em vender para quem quer morar nos imóveis, começa a praticar preços menores, mas ainda há oferta demais visto que muitos empreendimentos eram desnecessários, foram lançados apenas para fazer frente a necessidade dos investidores.

    O mercado fica na torcida para que os investidores se interessem novamente por imóveis, mas isso não acontece, os preços caíram demais, não há perspectiva de que subam e eles já tiveram prejuízo com isso, não querem mais tomar esse PLOC todo novamente, isso mantém a oferta alta, os preços baixam e os que compram para morar voltam a ter o devido interesse do mercado.

    0
    • Ari 21 de março de 2012 at 00:29

      GB
      Parabéns pela analise. Acho que ela reflete integralmente a nossa realidade atual

      0
  • MrK 20 de março de 2012 at 04:47

    A Gafisa ta que ta

    depois de baixar o preco do estacao sorocaba em mais de R$100mil e deixar os especuladores com frio na espinha, fez o mesmo com o tal do riservato botafogo, baixando R$90mil no desconto

    e o pior: esses imoveis ainda nem chegaram na fase critica (chaves), se ja esta havendo devolucao na planta, imagina nas chaves???

    os especuladores sao tao amadores, que possivelmente vao insistir em vender por R$900mil uma coisa que a construtora vende igual por R$800mil, aguardem, vai ser uma choradeira…

    0
    • Johnny 20 de março de 2012 at 08:53

      O que vai ter de investiotário que vai estar chamando o chapolin na hora da entrega das chaves é brincadeira.
      Investidor -“E agora? Quem poderá me ajudar?”
      Dilma -“EU!!!!……que não”

      0
    • alex 20 de março de 2012 at 20:54

      Esse é o melhor comentarista do blog: sempre se atem ao tema, e nunca enche linguiça, ou fala asneiras, fora que é sempre muito educado. Parabéns MrK. Admiro sua postura.

      0
  • Fernando 20 de março de 2012 at 07:45

    Veja cópia de e-mail enviado por um corretor de imóveis aquí em Curitiba, título da mensagem “Fox Imóveis Urgente”.
    Nota-se pelo “por favor” que o mercado anda meio parado por aquí… começa assim…

    Boa tarde.

    Gostaria de saber se os senhores ainda estão em busca de imóveis para compra em Curitiba?

    Por favor quem estiver em busca de um imóvel retornar esse email.

    Daremos 100% de atenção e fidelidade para a busca do imóvel ideal para você!!!

    Estamos com várias novidades em no site http://www.imoveiscuritiba.com.br….

    Aguardo o contato para que possamos identificar o imóvel e melhor lhe atender.

    FOX IMÓVEIS LTDA.

    Telefone: 41 30151304 ou 41 98181430
    http://www.imobiliariafoxcuritiba.com.br

    Claudio Mira Lourenço.

    0
  • GB 20 de março de 2012 at 07:49

    Eu não entendo como o mercado pôde ser tão burro, quem dá real sustentação ao mercado é quem compra para morar, ele compra e fica no imóvel, o imóvel não retorna para o mercado tão cedo, ele não se importa se o preço sobe ou desce, ele só quer que o imóvel seja no bairro que ele gosta, perto da escola dos filhos e por aí vai, já quem compra para investir vai vender assim que descobrir que rendeu menos que a poupança ou que não está conseguindo alugar por um valor que banque a mensalidade.

    E mesmo que 30% de um prédio seja comprado para morar e esse pessoal aceite pagar os preços praticados pelos investidores, fizeram isso justamente para fugir do aluguel e caíram naquela conversa de que é melhor pagar “aluguel” para o banco que para um investidor qualquer, assim o mercado do aluguel perde “clientes” (pois foram para o que é do banco, kkkkkkkkk), os imóveis que eles alugavam ficam desocupados e somamos a isso os imóveis novos dos ivestiTrouxas sardinhas que pensavam em alugar caro para que isso pagasse as prestações, ou seja, além do mercado perder interessados ainda há excesso de imóveis para alugar.

    Tem gente que acha que alugar e viver de aluguel é fácil, deixa cair na mão deles um picareta, ele vai viver lá de graça, vai dar o maior trabalho para tirarem ele de lá na Justiça e vai deixar o maior rombo nas contas.

    Somado a isso temos o grande número de lançamentos, o que levou o preço da construção às núvens por falta de material e de pessoal + a valorização dos terrenos.

    A pirâmide só se mantém enquanto os mais novos puderem bancar os mais velhos, depois que isso acaba a pirâmide desmorona e os mais novos ficam no prejuízo.

    O processo de queda nos preços ainda é recente, tipo 6 meses, mas é quase irreversível, a única maneira seria trazer os investidores novamente para que façam tudo igual de novo, mas como estão tomando uma bela rab*** agora, não vão mais se meter a “investir” em imóveis nunca mais, foram enganados por construtoras e corretores, deviam correr atrás deles como está acontecemdo na China.

    0
    • Thiago 20 de março de 2012 at 09:16

      Junte lei de gerson + analfabetismo funcional dos Brasileiros e tá aí feita a cagada

      E não estou falando de ‘pé-rapado’ não, a maioria dos empresários brasileiros tem mentalidade do séc XIX e entendimento de matemática (não só de matemática) rudimentar

      “Como o mercado pode ser tão burro” pois é, a oferta é esperta, a demanda é burra, como já foi falado aqui

      Pois imóvel não é fungível, especialmente pra quem compra pra morar. Aí quem comprou uma tranqueira bolhuda de 50m2 por meio milhão vai fazer o quê com isso?!

      Pirâmide – é assim que “os investimentos” funcionam aqui, vide Boi Gordo, Avestruz sei lá o que , etc

      0
      • Ari 21 de março de 2012 at 00:41

        Acrescenta-se a isso que quem comprou não tem dinheiro pra pagar vai perder, não tem jeito. Os bancos ficarão com abacaxi na mão (foda-se eles) mas eu fico pensando as contrutoras que tomaram empréstimos para contruir – o predio ta la pronto e ninguem compra.Os banco se fodem 2.
        As construtoras endividadas e sem vender os imoveis retomados quebram (a gafisa é a primeira da lista) fornecedores delas quebram também. O lado triste é o desemprego de pessoas que não inflaram o mercado e nem contribuiram com a bolha, mas vão se foder com ela.

        0
  • GB 20 de março de 2012 at 08:10

    Meu gerente sempre diz que “aluguel é dinheiro jogado fora”, eu sempre digo que “juros, taxas e seguros bancários de financiamento” também são, mas isso não é assim de todo verdade.

    Isso depende do valor do aluguel, se ele superar o valor da prestação o financiamento começa a ficar bastante interessante, ele pode durar 30 anos mas pelo menos no decrescente ele cai alguns reais todos os meses e um dia ele vai acabar sendo seu.

    O problema é que investidor é esperto, ele quer que o inquilino pague toda a prestação do apartamento por ele, isso aumenta o aluguel em edificios novos, os proprietários dos outros prédios mais velhos ficam sabendo que estão pedindo mais na região e aumentam também, o negócio é assim mesmo, todo mundo sabe disso.

    Mas se for para pagar um valor tão alto de aluguel o financiamento começa a ficar tentador e ele sai dali para algo que um dia vai ser dele, as construtoras estão fazendo seu papel inundando o mercado com lançamentos, o imóvel em que ele estava fica parado e o mercado do aluguel perde um interessado.

    O meu aluguel hoje é considerado barato, eu poupo a diferença e deixo rendendo para comprar alguma coisa não bolhuda no futuro, não tenho pressa, mas é divertido ver como o mercado se enveredou por caminhos perigosos só para atender aos interesses dos investidores, o final não poderia ser mais trágico para eles e muitos já devem estar se auto medicando para aguentar o momento.

    0
  • Elias 20 de março de 2012 at 09:15

    Alguém perguntou como foi o “Even Day” no domingo.

    Estava voltando do Parque do Povo em SP pela Marginal Pinheiros, sentido norte, e em quase todo o trajeto havia mocinhas nas esquinas com Bandeiras do evento.

    O que me chamou a atenção foi que, mais perto do evento, no meio das mocinhas da Even (vestidas de branco e verde) havia umas vestidas de vermelho com bandeiras da Gafisa anunciando promoções.

    Será que estão sem $$ até pra bancar uma promoção, e tem que pegar carona em outra construtora… kkk

    Patética a cena.

    0
    • MrK 20 de março de 2012 at 09:38

      o pior e’ que a Even e a Gafisa se odeiam mortalmente, sabia?

      Porque a Even copia os projetos da gafisa na cara-de-pau, mas com material inferior e em terrenos mais desvalorizados, vendendo apartamentos parecidos com custo bem menor, aqui no Rio e’ assim, a Gafisa lanca na barra a Even em jacarepagua.. e por ai vai… eles se odeiam, pessoal do ramo que me contou essa, acho curioso a Gafisa ir la na toca do inimigo hahahaha

      podiam chamar logo de”Bubble day” e unir todas as construtoras no meio pavilhao

      0
  • Elias 20 de março de 2012 at 09:18

    Se no Paraná as construtoras “botarem o pé no freio”, é sinal de demissões à frente.

    Vejam o desarranjo que essa bolha causa – se o crescimento fosse sustentado e ético, esses trabalhadores não precisariam perder o emprego.

    Aqui em SP, no ABC, as demissões já começaram.

    Ainda é tempo de salvar a indústria brasileira
    O Estado de S. Paulo – 20/03/2012

    A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, pondera que os países emergentes poderão entrar numa fase de desaceleração. O Brasil parece lhe dar razão, uma vez que começa a haver desemprego no ABC e, no Relatório de Mercado – Focus, a previsão do aumento da produção industrial em 2012 cai a cada semana. O último boletim apontou queda de 2,50%, um mês atrás, para 2,03%, nesta semana.

    h ttps://conteudoclippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/3/20/ainda-e-tempo-de-salvar-a-industria-brasileira

    0
    • GB 20 de março de 2012 at 09:37

      Ninguém quer que esse povo todo perca o emprego (corretores e pessoal da construção civil), mas o que mais se via até setembro passado era migração de pessoal de outras áreas que não exigem qualificação para essas que também não exigem, imobiliárias treinam novos corretores, construtoras treinando pessoal para dar acabamento.

      E isso só para atender aos anseios de investidores (70%, seja interessado em vender rápido ou alugar) e de gente querendo fugir do novos alugueis caros (30%, deixando outro imóvel encalhado), isso não é sustentável, no futuro isso ia dar problema.

      Agora os imóveis estão rendendo menos e dando mais gastos que a poupança, é natural que esses 70% queiram cair fora disso mas ainda tendo um belo lucro e que os outros 30% queiram devolver pois estão pagando por algo que não vale tudo aquilo.

      Mas quem vai pagar o que estão pedindo e ainda ter que herdar uma dívida impensada e de juros altos contraída por terceiros em um imóvel que já não vale tudo isso, muito em parte pelas próprias construtoras que estão dando descontos ?

      0
  • realidade 20 de março de 2012 at 09:32

    COMEÇOU A FARRA DOS BORRACHUDOS

    Governinho de merda…Quem paga a conta???? Os poupadores imbecis.Lamentável.

    http://not.economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201203201043_TRR_81003359

    0
    • Rico 20 de março de 2012 at 11:54

      Ué, o Banco Real pelo seu Realmaster dava no início 7 dias sem juros. Isso em época de inflação. O Santander através do Santander Master hoje dá 10 dias sem juros, pegando a política do Antigo Banco Real/ABN.

      Se esses bancos são populistas, eu sou o Lenin.

      0
      • xyz 20 de março de 2012 at 13:01

        Isso é ordem expressa da presidente. É interferência inapropriada (para não usar adjetivos mais apropriados) em uma sociedade anônima (BB).
        Quem vai pagar a conta são muitos dos que postam aqui.

        0
        • Rico 20 de março de 2012 at 13:28

          Isso não é ordem da presidenta, isso é ordem do Ministério da Fazenda. Banco público está aí para isso, para defender os interesses do governo. Quem não gostar que tire o investimento e invista no Itaú-Unibanco, por exemplo.

          Aliás, se dependessemos dos bancos privados, já estávamos ferrados faz tempo.

          Em tempo: Odeio o PT, tenho nojo do PSDB também odeio visões extremistas como Reinaldo Azevedo e Luiz Nassif. Aliás, preciso tomar partido para saber o que é certo ou errado? Não posso ter uma visão mediana? Nesse país onde pensar é crime parece que não.

          Espero que tudo acabe bem, não torço para ninguém perder o emprego só para eu obter lucro. Só que o reequilíbrio precisa acontecer, e isso pode ser bem amargo. Espero que não seja tanto.

          0
      • realidade 20 de março de 2012 at 17:26

        Só esqueceu de mencionar, que quando o Santander empresta de “pai pra filho”, o acionista torce o nariz e têm a opção de não ser mais acionista dessa instituição.Assim, como Bradesco, Itaú-Unibanco e por aí vai…. Quando o governinho e seus cabidões de emprego começam a enfiar ainda mais dinheiro na capitalização desses gigantes paralíticos, você como BRASILEIRO paga a conta, afinal é acionista amigão, quer queira ou não. Você todo dia compra ação desses bancos através de IMPOSTOS! Entendeu?

        0
  • MrK 20 de março de 2012 at 09:34

    Todo mundo que me pergunta porque eu “jogo dinheiro fora com aluguel”?

    eu respondo: “E por que voce joga dinheiro fora com comida?”

    ue, morar e’ uma necessidade tao basica quanto alimentacao, por que ninguem pergunta se eu jogo dinheiro fora com comida?! preciso morar em algum lugar, nao?!

    o termo “jogar dinheiro fora” SOMENTE pode ser usado se o aluguel for MAIOR que os juros, taxas e seguros… o que atualmente nao e’ o caso, pior ainda quase se paga tudo isso para comprar bens artificialmente valorizados, tendo looongos 30 anos pra se arrepender, que visao miope essa!

    0
    • Murdoch 20 de março de 2012 at 11:01

      Meu caro, eu ouvi do meu sogro que um homem só vira homem mesmo qdo pode dar uma casa pra sua família!
      Larguei pra lá.
      Eu devo merecer ouvir isso…

      0
      • Rico 20 de março de 2012 at 11:56

        Sou uma bichona então… srrsrs…

        0
        • Murdoch 20 de março de 2012 at 12:10

          Somos 2!
          Outra pérola foi: “onde já se viu casar sem casa?”
          Depois vou fazer uma coletânea das 10 mais do gênio…

          0
          • Leo 20 de março de 2012 at 12:44

            Acho que sou um cara de sorte. Meu sograo me apoia na ideia de nao comprar AP por agora… E melhor apoio moral que o dela é impossivel. Ele fornece um tipo de serviço as construtoras do RJ.

            Reparei que ele tem trabalhado feito um condenado.. perguntei a ele pq ele ta nesse ritimo tao louco. A resposta dele foi otima: “Nao sei até quando vai durar essa fase, entao devo aproveitar enquanto ainda tem demanda.”

            Outra coisa interessante. É comum as construtoras oferecerem imoveis como forma de pagamento e ele ja aceitou varios… mas de uns tempos p/ ca resolveu parar de aceitar imoveis. Pq sera ?

            Uma coisa sei.. ele nao torce contra a fonte de renda dele e sei tbm que de bobo ele nao tem nada.

            0
      • Pensativo 21 de março de 2012 at 01:34

        Eu retrucaria na hora dizendo que o dote foi muito baixo e não deu para comprar uma moradia para o novo casal.

        0
    • xyz 20 de março de 2012 at 11:46

      Desde o início do ano as imobiliárias estão conseguindo impor preços surreais para os aluguéis.

      Elas usam diversas “estratégias”, como por exemplo, convencer proprietários de que seus imóveis valem milhões em aluguéis e com isso retiram aquele imóvel do mercado, pois fica meses sem alugar.

      Com isso pressionam as pessoas a comprarem.

      Mas tudo tem limite:

      ht tp://g1.globo.com/bom-dia-brasil/videos/t/edicoes/v/inadimplencia-em-condominios-de-sao-paulo-tem-a-maior-alta-em-quatro-anos/1864931/

      0
      • Muca CG Muita Treta 20 de março de 2012 at 12:30

        Vocês têm muito azar. Sortudo sou eu, que não tenho sogro vivo e a sogra mora na Bahia. Ainda assim, meu pai sempre me pergunta quando vou comprar meu apartamento. Já tentei explicar a Bolha para ele, mas isso não entra na cabeça do véio. Eu desisti. Quando ele me pergunta sobre compra de imóvel, eu mudo o foco da conversa para não perder a paciência.

        0
  • GB 20 de março de 2012 at 09:51

    Vocês tinham que ver o tipo dos tiozinhos lá no plantão que teve aqui no sábado passado, sabe aquele pessoal sem muita cultura mas deslumbrado querendo ter uma segunda renda fácil ?

    Sinal dos novos tempos, não eram muitos, é verdade, mas todos tinham o mesmo perfil: compraram uma casa ou invadiram um terreno há muito tempo e agora querem um apartamento para alugar para alguém que esteja disposto a pagar a parcela do imóvel para eles “ganharem” o apto. na boa, pelo menos essa é a propaganda feita nos stands, alugue que eles próprios se pagam.

    Mas eles estão tão caros que não cabem no orçamento desse povo e os financiamentos são tão longos que eles vão morrer antes de quitá-los.

    Foram dando corta e o mercado se enforcou, se ele fosse sustentável e ético os preços teríam subido bem menos, a parcela que compra para morar não teria sido abandonada, não teria chamado tanta a atenção para o setor, corretores estariam vendendo imóveis mais baratos mas em maior quantidade, pedreiros teríam emprego por longa data, e por aí vai.

    Mataram o ganso dos ovos de ouro.

    0
    • Lucas 20 de março de 2012 at 12:37

      GB,
      Isso que você está falando é a mais pura realidade, com a disparada do preço do aluguel, agora a moda, e última etapa antes do PLOC, e a compra de imóveis objetivando o aluguel. E vai acontecer a mesma coisa que está acontecendo agora com a venda, a oferta vai disparar e o preço dos aluguéis, muito mais suscetível de variação, visto o que ocorreu em sampa no fim da década de 90, vão cair e aí tudo vai pro buraco mesmo.
      “Aguardem!”

      0
  • D9 20 de março de 2012 at 11:28

    http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2012/03/condominio-organiza-plantao-para-incentivar-moradores-pagar-contas.html

    Ops, então não tem o $ do condomínio ??
    Mas a economia, nova classe C, não tá tudo de vento em popa ???

    0
  • MrK 20 de março de 2012 at 11:30

    quem tem dinheiro na bolsa que pense duas vezes…

    petrobras = administrada pela dilma
    vale = indiretamente administrada pela dilma
    bb = administrado pela dilma
    e por ai vai

    a dilma claramente ja demonstrou que esta SE LIXANDO pros acionistas e vai usar suas empresas como maquina estatal a base do populismo, vai sacrificar o lucro dessas empresas pelos seus planos estatais

    eu que nao daria um centavo do meu dinheiro pra ser acionista da dona dilma

    0
    • Valdir 20 de março de 2012 at 14:06

      Mrk,

      Somente complementando sua visão, existe um Sheik (não sei se é assim que se escreve), que possuía perto de 1 bilhão de reais na Petrobras, vendeu tudo que tinha, por que sera hein??

      0
  • AGC 20 de março de 2012 at 11:50

    “Mas bolha ocorreria se os preços tivessem sido inflados artificialmente, desconectados da realidade, o que não ocorreu”, afirma. Não ocorreu? Esse cara é um fanfarrão!!!!

    0
  • Murdoch 20 de março de 2012 at 11:58

    Olha a matéria!

    Não há uma “siesta” espanhola
    Por Wolfgang Münchau

    Os mercados chegaram à conclusão de que a crise da zona do euro terminou. Vários políticos disseram que também eles acreditam que o pior já passou. A complacência está de volta. Lembro-me de declarações semelhantes no passado. Sempre que há algum progresso técnico – uma operação de socorro, uma injeção de liquidez, uma troca de dívida bem sucedida – o otimismo retorna.

    Se você acha que as políticas do Banco Central Europeu (BCE) “compraram tempo”, deveria perguntar-se: tempo para quê? A situação da dívida da Grécia permanece insustentável; o mesmo se aplica a Portugal, bem como ao setor bancário europeu e também ao espanhol. Mesmo que o BCE venha a oferecer financiamento barato e ilimitado durante o resto da década, isso não seria suficiente.

    Política correta de ajuste seria um programa para forçar uma deslavancagem do setor privado em três a cinco anos, apoiado por déficits continuamente substanciais do setor público e, sim, acompanhada também por reformas econômicas

    Na Espanha, a maior parte da dívida tóxica foi assumida pelo setor privado. O nível de endividamento do setor privado, especificamente das famílias e das empresas não financeiras, era equivalente a 227,3% do Produto Interno Bruto (PIB) no fim de 2010, segundo o Eurostat. Os dados do ano passado ainda não foram divulgados, mas o número será apenas um pouco menor. Uma das áreas onde o ajustamento está acontecendo é o mercado imobiliário. O melhor índice para a Espanha é a nova série compilada pelo Instituto Nacional de Estatística, que mostra que o índice geral de preços das casas caiu 11,2% só no ano passado, mas baixou apenas 21,7% desde o pico no terceiro trimestre de 2007. Devemos lembrar que a bolha espanhola foi muito mais extrema do que outras, mas os preços só baixaram cerca de 20%. Na região de Madri, os movimentos podem ter sido mais intensos, com uma queda de 29,5%.

    Segundo minhas estimativas, o ajuste nos preços das casas na Espanha ainda não chegou à metade. Em termos reais, o boom imobiliário americano já foi quase completamente cancelado. Os gráficos de bolhas históricas, se expressos em preços reais, tem belas curvas em forma de sino. Isso faz sentido, uma vez que a propriedade doméstica é um ativo real improdutivo. Na Espanha, como em outros países, seria razoável supor que os preços reais acabarão por cair para onde estavam entre meados e fim da década de 1990.

    O governo espanhol obrigou os bancos de poupança a depreciar suas carteiras de imóveis em € 50 bilhões neste ano. Isso é apenas uma pequena parte do que será necessário se o mercado imobiliário cair como, acredito, acontecerá. Estimativas oficiais assumem quedas suaves de preços e uma recuperação rápida da economia. Ambas as hipóteses são delirantes. Como poderá ocorrer uma recuperação da economia espanhola, se os setores privado e público estão se desalavancando ao mesmo tempo – e provavelmente assim continuarão por muitos anos?

    A desalavancagem do setor público será maligna. O déficit ficou em 8,5% do PIB no ano passado. Essa foi uma arremetida exagerada, mas o motivo não foi indisciplina fiscal. Isso foi necessário para evitar um desaquecimento maior. A meta recentemente revisada é de 5,3% para este ano e 3% para 2013. Assim, o ajuste total do setor público necessário em vista da regras europeias impostas para os déficits é de incríveis 5,5% em dois anos – isso, em meio a uma recessão. Se observarmos o grau de desalavancagem mundial que se avizinha, tanto no setor público como no privado, a questão não é se a economia espanhola conseguirá se recuperar em 2012 ou 2013, mas se poderá efetivamente recuperar-se antes do fim desta década.

    A típica reação europeia a essa última afirmação é dizer que as reformas econômicas aumentarão a confiança e produzirão crescimento. Os otimistas apontam para a Itália, onde a nomeação de Mario Monti para o posto de primeiro-ministro produziu um círculo aparentemente virtuoso de reformas e taxas de juros de mercado mais baixas. A principal reforma nos dois países foi um moderado relaxamento da leis trabalhistas. Embora isso seja provavelmente necessário, eu ficaria surpreso se produzirá um impacto relevante sobre as taxas de crescimento no longo prazo. Se assim for, grande parte da literatura sobre o mercado de trabalho teria que ser reescrita.

    Para a Espanha, a política correta de ajuste seria um programa para forçar uma deslavancagem do setor privado em três a cinco anos, apoiado por déficits continuamente substanciais do setor público e, sim, acompanhada também por reformas econômicas. O momento para enfrentar o déficit do setor público será após a desalavancagem do setor privado ter sido concluída. Tal política não apenas facilitaria o ajuste. Ela o aceleraria.

    Mas uma combinação de políticas monetárias ultrafrouxas e contenção fiscal atrasaria o inevitável ajuste. A Espanha continua aprisionada numa armadilha de endividamento cada vez mais profunda, cuja única saída será um calote. Se o país implementar as políticas acordadas, terminará onde estão Grécia, Portugal e Irlanda – sob um guarda-chuva de socorro. Esse é o cenário mais provável para a Espanha.

    Em novembro, eu disse que os líderes europeus tinham apenas 10 dias para salvar o euro. Meu diagnóstico, então e agora, é que eles falharam. As políticas do BCE não compraram tempo. Elas frearam o ritmo dos processos políticos e do ajustamento econômico necessário para solucionar a crise. O pior, temo, ainda está por vir. (Tradução de Sergio Blum)

    Wolfgang Münchau é editor do FT, especialista em União Europeia.

    0
  • Carlos Wagner 20 de março de 2012 at 12:04

    É o que sempre digo para os amigos: A ganância tomou o lugar da sustentabilidade e da manutenção do mercado visando sua longevidade.

    Agora, não adianta chorar o leite derramado, o mercado já degringolou, não há mais o que fazer, é ladeira abaixo.

    Fico imagiando o desgoto daquela tiazinha que fez a reclamação no site reclameaqui, postado logo acima, em que comprou im´vel em 30/11/11, quando o mercado já havia travado e agora vê que o apto custa mais barato que na época…

    Acho que ela saiu de casa para fazer a feira e acabou comprando um apto, pois o estande de venda ficava no caminho de volta e acabou fechando negócio.

    É isso, enquanto o brasileiro continuar comprando bens caros que tenham o potencial de comprometer toda sua vida financeira como se fosse um saco de laranja, vai ter gente tomando na cabeça.

    Só digo uma coisa a ela: Bem feito! Se tivesse procurado se informar sobre a viabilidade do negócio, coisa que qualquer ser racional faria, eu imagino, ela não estaria nessa situação.

    0
    • Shakespeare 20 de março de 2012 at 14:13

      Carlos,

      Concordo com você. Em final de outubro eu quase embarquei numa dessas de comprar um apt por impulso, mas parei, contei até 10 e fui pesquisar… daí encontrei o sito da Bolha e parei de me preocupar! 🙂

      Agora aguardo o melhor momento de realizar a compra

      0
  • Zoom 20 de março de 2012 at 12:05

    OFF TOPIC – Amigos, sei que não é o local exato, mas não irá prejudicar ninguém e o assunto discutido.
    Todos por uma boa causa.
    Abaixo-assinado para punir os que bebem e dirigem.

    Acessem ao site h ttp://naofoiacidente.org e ajudem.

    Desculpem.

    0
    • Xing Ling 20 de março de 2012 at 13:11

      Infelizmente se o governo não der uma contrapartida, oferecendo transporte público de qualidade e fomentando a concorrência entre os taxis, não adianta nada radicalizar. Tem que haver meios de a norma ser cumprida. A propósito, não vejo radicaismo com bons olhos porque são muitas variáveis que devem ser analisadas. Uma lei deve sempre prezar pelo bom senso e jamais ser um “apaga incêndio”.

      0
  • Zoom 20 de março de 2012 at 12:23

    Neurocientista relaciona bolhas especulativas a hormônios

    Pesquisador da Universidade de Cambridge diz que aspectos fisiológicos, como a variação no nível dos hormônios, podem influenciar no tipo de risco que os operadores estão dispostos a correr.

    SÃO PAULO – As decisões do mercado financeiro podem ser menos racionais do que os bancos e os fundos de investimento gostariam de admitir. Segundo o neurocientista John Coates, da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, aspectos fisiológicos, como a variação no nível dos hormônios, podem influenciar que tipo de risco os operadores estão dispostos a correr. Se os riscos forem grandes demais, pode haver uma bolha especulativa; se quase inexistentes, um ciclo de recessão.

    O pesquisador começou a desconfiar que fatores biológicos tinham um papel mais importante nos mercados do que a economia clássica supunha quando trabalhava no mercado financeiro. Coates diz que livros como “A Fogueira das Vaidades”, de Tom Wolfe, que retratam os operadores como “mestres do universo” ou “heróis”, descrevem com precisão o clima nas mesas. “Quando a pessoa está numa série de vitórias, sente-se um super-herói. E se torna idiota”, afirma Coates. “Fico com vergonha quando me lembro do meu comportamento nesses momentos.”

    Coates passou por empresas como Merrill Lynch, Deutsche Bank e Goldman Sachs e decidiu dedicar-se à neurociência depois da bolha da internet, em 2000, quando chefiava uma mesa de derivativos em Wall Street. Em entrevista à Agência Estado, Coates conta que, naquela ocasião, notou que os operadores estavam se iludindo e tomando riscos ruins para o negócio. Ele reconheceu, naquela situação, o mesmo comportamento que tivera anos antes, em situação semelhante. “Em alguns momentos de alta, em que eu esperava um bônus acima da média, meu comportamento mudava como se eu estivesse sob influência de uma substância química”, afirma Coates. “Eu queria descobrir o que era essa substância, essa ‘molécula da exuberância irracional’.”

    Para encontrar essa molécula da irracionalidade, Coates começou a acompanhar o que acontecia com o organismo dos operadores num dia de trabalho e descobriu que os níveis de testosterona e cortisol estavam diretamente ligados aos resultados, mas tinham efeitos opostos. Ele descreve suas conclusões no livro The Hour Between Dog and Wolf: Risk Taking, Gut Feelings, and the Biology of Boom and Bust (em tradução livre, “A hora entre o cão e o lobo: risco, intuição e a biologia do crescimento e do estouro”), que será lançado em maio na Inglaterra.

    Testosterona X cortisol

    Quando havia ganhos em série, o nível de testosterona dos operadores aumentava. Num primeiro momento, a elevação era benéfica, levando a lucros ainda maiores. Mas, a partir de um certo limite, a quantidade de hormônio masculino gerava uma espécie de euforia prejudicial para a capacidade de avaliar os riscos da negociação. E o resultado eram perdas maiores.

    O cortisol, liberado em situações de estresse, age na direção oposta, tornando os operadores avessos ao risco. Ao acompanhar as alterações fisiológicas de operadores londrinos, Coates observou que, quanto maior a volatilidade do mercado, maiores os níveis de cortisol no sangue dos profissionais. Em doses moderadas, o hormônio protege os investidores. Em doses altas, como no caso de estresse crônico, pode fazer os operadores enxergarem ameaças onde elas não existem – e perder grandes negócios.

    Em seus experimentos, Coates descobriu também que outros fatores, como a saúde do nervo vago, que controla órgãos como pulmão, coração e estômago, também são importantes para o mercado financeiro. Se o nervo funciona bem, o nível de adrenalina e os batimentos cardíacos aumentam diante de uma situação crítica, mas caem logo depois do evento estressante. Se há um problema com o nervo vago, a adrenalina e a frequência cardíaca continuam altas e prejudicam a capacidade de tomar decisões.

    Isso não quer dizer, porém, que o resultado das bolsas do mundo todo dependem dos níveis de hormônio dos operadores. Segundo Coates, os fatores fisiológicos não determinam o sobe e desce dos mercados. Isso geralmente acontece quando há alterações de juros ou novas tecnologias. Mas podem estar por trás das bolhas. “No fim de um ciclo de alta, a biologia pode se tornar importante e levar os operadores a tomar risco demais, gerando uma bolha”, diz. Ele acredita que esse tenha sido o caso em 2008, na bolha imobiliária americana.

    Os hormônios também podem ter um papel na dificuldade de recuperação dos mercados. “No pico da crise, com volatilidade e perdas tão grandes, os hormônios de estresse chegaram a níveis tão altos que se espalhou uma aversão ao risco”, afirma. “Ninguém queria comprar ativos de risco a nenhum preço. Por isso o governo teve de entrar no jogo e comprá-los primeiro.”

    Coates afirma que bancos e fundos têm recebido bem suas teses. Ele acredita que isso aconteça porque, depois da última crise, muitos perderam parte de sua fé na economia e nas finanças clássicas e estão em busca de novas explicações que ajudem a gerenciar o risco no futuro. Entram aí as novas descobertas da biologia e da medicina.

    Mesas de operação diversificadas

    O principal conselho de Coates para os bancos é diversificar a composição de suas mesas de operação. Mesclar os homens jovens – a maioria hoje -, com mulheres e pessoas mais velhas pode ser uma boa estratégia para minimizar os efeitos dos hormônios nas negociações. As mulheres têm apenas 10% da testosterona dos homens e têm níveis mais baixos de cortisol em situações de estresse. Homens mais velhos têm menos testosterona que os mais jovens. “Se houver um equilíbrio maior entre homens e mulheres, jovens e velhos, a tendência é ter um comportamento melhor”, diz Coates.

    Hoje, as mulheres são apenas 5% entre os operadores, mas já ocupam de 50% a 60% das posições de gerenciamento de ativos em Londres. Coates acredita que a ausência delas nas mesas tem a ver com o fato de que, nos bancos, as operações acontecem num ritmo muito rápido e os profissionais são avaliados por resultados em períodos muito curtos de tempo. Em suas observações do mercado, o pesquisador notou que as mulheres preferem ter mais tempo para pensar suas decisões e fazem apostas de longo prazo. Aumentar o intervalo para a avaliação do desempenho, para Coates, poderia incentivar a entrada de mulheres nas mesas de operação.

    0
  • GB 20 de março de 2012 at 12:34

    Que horror, é melhor ouvir isso a ser surdo !!!

    Acabaram de me ligar da GAFISA, oferecendo esse empreendimento, o Maraville em Jundiaí, esse do “Bar Brahma” e se eu não poderia ir lá para conhecer, aí disse que não tinha interesse e quando perguntaram o porquê eu disse que era por causa do empreendimento antigo do mesmo endereço, o Felicitá da TENDA, aquele que foi vendido faz tempo e que não saiu do papel.

    Nossa, a mocinha engoliu a seco, pediu para que eu jamais tocasse no assunto, que a GAFISA comprou a TENDA e descontinuo o projeto, que o Maraville é muito melhor e que não foi vendido sequer 1 apartamento nesse Felicitá.

    Falei que para mim pareciam ser o mesmo, apertamento de 50m² é tudo a mesma coisa e ela disse que não dá para construir nada maior lá que o terreno é pequeno, só 9.000m², tem terreno pra caramba pro clube mas não tem pros prédios.

    Aí eu disse que eu sempre passo lá na frente, que o stand e o decorado são os mesmos, que sempre tinha muito movimento quando tinham as placas do Felicitá, mas ela garantiu que em meses nenhum foi vendido, dá para acreditar ?

    E a propósito: preço do apê no Felicitá, R$ 185k, o preço do mesmo no Maraville é R$ 200k, mas o projeto é melhor, segundo ela.

    Pelo menos tirou minha dúvida: o Felicitá morreu mesmo, se alguém comprou ou não, isso não é problema meu, a gente vai saber dentro de um tempo quando descobrirem que nada foi construído lá.

    0
    • GB 20 de março de 2012 at 12:48

      Dar R$ 200k em um apErtamento de 50m² ? E ela disse que o perfil de comprador é daquele jovem que quer investir num apartamento com rentabilidade, kkkkkkkkkkkkkkkk. Mas eu só vi velho lá contando os trocados e somando as rendas da família inteira.

      Eu não sei o que eles estão tomando para dar esse “barato” neles, mas eu também quero.

      Já há apartamentos maiores por preços menores nos anúncios.

      Dá para fazer coisa maior e mais barato lá, mas querem que o povo viva apertado e ainda fique pagando por isso por toda a vida.

      Pelo menos vai ter animador de piscina, não falta espaço para o condomínio clube.

      Foi o que eu disse há um tempo: se daqui a alguns meses começarem a comercializar um terceiro empreendimento diferente no mesmo local, aí é 171 mesmo.

      0
      • Leo 20 de março de 2012 at 13:15

        200k em um de 50m2… dependendo do local eu pagaria. Veja como sao as coisas, eu morava em um no Leblon e quando estava por la, sondei com o porteiro o valor dos imoveis… pasme, 1.200.000 SurReais .

        Era um Flat… mas mesmo assim nao justifica.

        0
    • Paulo Rocha 21 de março de 2012 at 14:15

      A corretora mentiu, teve gente que comprou imóvel no felicita!

      htt p:// www. reclameaqui.com.br/1508734/tenda-construtora-s-a/atraso-obras-spazio-felicita/

      0
  • Adriano 20 de março de 2012 at 12:41

    INVESTOLO – A mulher repetidas vezes fala em “investimento” sem entender minimamente o significado da palavra. KKKKKKKKK. É pra morrer de rir. Quanto destes não existem no mercado!!!

    0
  • alda 20 de março de 2012 at 13:00

    Reclamação de um investiotario, Acilon Carvalho · São Paulo, Brazil
    Por favor tenho uma duvida , comprei um apartamento na planta , porem eu quero vende-lo mas não consigo concorrer com a construtora porque depois de seis meses eles não conseguiram vender a metade e estão vendendo por bem menos do que me venderam , eu posso entrar com um processo para baixarem o preço do meu imóvel pelo mesmo preço que eles estão vendendo?
    Responder · Curtir · sábado às 01:06

    0
    • GB 20 de março de 2012 at 13:15

      kkkkkkkkkkkkkkkk . . . , ops, caiu a dentadura !!!

      Não tem jeito, os investidores profissionais, aqueles que têm acesso a mais informação, começaram a sair do mercado já em setembro, os demais estão tomando consciência e estão tentando sair desde então, sem esse pessoal que impulsionava o mercado as Construtoras estão atirando para tudo quanto é lado, reduzem os preços, dificultam a devolução, que “bunito”.

      E ele não pode entrar com um processo, ele se prontificou a pagar X e é isso que ele vai ter que pagar, preço é condição momentânea de mercado, essa anta não reclamou quando os preços valorizaram, agora está com um elefante branco nas mãos, com certeza é um desses anúncios que a gente vê encalhados na mídia, logo ele vai ter que devolver ou vender mais barato.

      0
    • GB 20 de março de 2012 at 13:20

      Não tem jeito, os investidores profissionais, aqueles que têm acesso a mais informação, começaram a sair do mercado já em setembro, os demais estão tomando consciência e estão tentando sair desde então, sem esse pessoal que impulsionava o mercado as Construtoras estão atirando para tudo quanto é lado, reduzem os preços, dificultam a devolução, que “bunito”.

      E ele não pode entrar com um processo, ele se prontificou a pagar X e é isso que ele vai ter que pagar, preço é condição momentânea de mercado, essa anta não reclamou quando os preços valorizaram, agora está com um elefante branco nas mãos, com certeza é um desses anúncios que a gente vê encalhados na mídia, logo ele vai ter que devolver ou vender mais barato.

      kkkkkkkkkkkkkkkk . . . , ops, caiu a dentadura !!!

      ======================= TEM NOVO TÓPICO ====================

      0
    • Rico 20 de março de 2012 at 13:23

      Resposta: Enfia o dedo e rasga…

      0
      • Carlos Wagner 20 de março de 2012 at 13:41

        Rico

        Essa fala é minha e pra simpatia dar certo tem que rasgar em cruz.

        0
    • Rodrigo 20 de março de 2012 at 13:41

      ahahhhhhhhhhhhh!

      Nem agora quer advogado! Só consultoria jurídica!!! Depois só o mágico resolve!!!!

      0
    • GB 20 de março de 2012 at 13:44

      Espertão, quando valorizou ele não procurou advogado.

      0
      • GB 20 de março de 2012 at 13:48

        Preço é coisa de momento, comprou na alta = PLOC, ele devia saber disso.

        0
  • Coretor 20 de março de 2012 at 13:09

    maiores altas do Ibovespa

    PDGR3 +1,16%
    CYRE3 +0,79%
    MRVE3 +0,64%

    0
    • Bolha Imobiliária 20 de março de 2012 at 13:24

      Você chama isto de alta ???…Por favor né

      0
    • Carlos Wagner 20 de março de 2012 at 13:46

      Corre e compra…Assim voce vai ganhar 1,16 estalecas com PDG.

      Quando vc fica doente procura um bom medico, quando precisa de um advogado escolhe o melhor, mas quando trata-se de fazer a compra da sua vida será que vale a pena escolher alguem que mal sabe escrever e usar uma calculadora?

      Ah, esses corretores…

      0
  • Paty 20 de março de 2012 at 13:24

    Fala para ele que pode ser que em outra encarnação vc consiga casar com filha unica de fazendeiro rico porque vc jamais casaria com filha de pobre 2 vezes..kkkkk

    0
    • Paty 20 de março de 2012 at 13:36

      ops saiu em lugar errado

      0
  • GB 20 de março de 2012 at 13:46

    ====================== NOVO TÓPICO ===================

    0
  • Carlos Eduardo 20 de março de 2012 at 14:52

    Caraca!

    Cadê o crédito consciente desse pais! alguma coisa que o governo fala ainda pode ser considerado relevante ???

    0
  • felipe_rj 20 de março de 2012 at 17:18

    Pessoal!

    Infelizmente aqui em niterói-rj os preços continuam os mesmos!

    0