Registro de imóveis apresenta queda de 5,9% em um ano, no Rio – Extra

Você pode gostar...

Comments
  • indiobolhista 29 de janeiro de 2020 at 09:56

    Caída de preços é fato comsumado em quase todo Brasil, percebo que nas cidades do norte de sc os preços ficaram estagnados nos ultimos anos.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Babuíno 29 de janeiro de 2020 at 10:34

      Esse mês de Janeiro percebi uma alta em diversos produtos e serviços. Minha conta da Tim ficou 5 reais mais cara, a gasolina aumentou, a carne também. Sem falar as verduras e legumes que estragaram por causa das chuvas e também estão mais caros.

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Babuíno 29 de janeiro de 2020 at 10:36

        Isso em Belo Horizonte, claro. Falando nisso a RMBH está um caos. Muita chuva, buracos, deslizamentos, mortes. Muito triste. Vi famílias que já não tinham nada perderem tudo e estão dormindo em escolas. Ontem o bairro dos granfinos foi atingido. Realmente foi a chuva de 1000 anos. Pediram o cancelamento do carnaval mas acho que não vai acontecer.

        34+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Pedro de Lara 29 de janeiro de 2020 at 10:55

          Estou preocupado com a situação aí, Babuíno. Tenho parentes queridos na região e estou sempre em contato com eles pra saber…
          De fato não está fácil por aí

          23+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • Alemon Fritz 29 de janeiro de 2020 at 12:17

        também já faço uma previsão:
        os “pacotes de serviços” estão ficando mais caros e brasileiro é boca aberta.. e já vi um observação que a poupança tem de mudar kkkk. (a antiga paga muito) e o presidente da caxão já está insinuando que a poupança tem que variar por outro fator pois compromete o imobiliário da caxao nas duas pontas (fgts e poupança)..e eles estão expostos pela queda e caso ocorra inflação.

        26+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Alemon Fritz 29 de janeiro de 2020 at 12:23

          -Juros imobiliários não têm mais espaço para cair, diz setor.
          Detalhado-EXAME.com-28/01/2020
          -Se Selic subir, Caixa deve elevar suas taxas de juros, diz guimaraes…
          Valor Econômico (Blogue)-há 30 min

          21+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • odorico 29 de janeiro de 2020 at 14:21

        Aliás, uma pergunta…. No cálculo de índices de inflação, em um determinado item é calculado a inflação quando o item tem seu tamanho reduzido. Por exemplo, vamos supor que o biscoito maizena esteja na lista aí de 500g ele caia para 400g será que isso é refletido. Por exemplo, eles fazem o cálculo no preço proporcional por 100g ou por 1g, etc….Já tem leite que se você não ficar esperto a embalagem diz que tem só 900ml

        23+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Alemon Fritz 29 de janeiro de 2020 at 17:00

          acho que eles medem uns 200 itens apenas..
          e andaram tirando alguns “antigos” (locar dvds, revelar fotografia …). o resto nem aparece.. ex: material escolar teve diferença de 1000reais em alguns locais…

          16+
          • avatar
          • avatar
  • Cajuzinha 29 de janeiro de 2020 at 10:08

    Nos últimos 12 meses, 48% dos brasileiros ficaram com o “nome sujo” em algum momento, segundo um levantamento feito em todas as capitais do país pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Não por coincidência, o percentual é o mesmo dos que admitiram não controlar os próprios orçamentos, seja porque confiam apenas na memória para anotar despesas (25%), não fazem nenhum registro dos ganhos e gastos (20%) ou delegam a função para terceiros (2%).

    https://extra.globo.com/noticias/economia/nos-ultimos-12-meses-48-dos-brasileiros-ficaram-com-nome-sujo-em-algum-momento-24216816.html

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Tagore 29 de janeiro de 2020 at 11:56

    “Existe uma bolha na bolsa brasileira”, diz Stuhlberger, gestor da Verde
    O risco é uma saída conturbada dos investidores que se sentirem expostos. “O problema é que a porta de saída é muito estreita”, complementa Xavier, da SPX

    https://exame.abril.com.br/mercados/existe-uma-bolha-na-bolsa-brasileira-diz-stuhlberger-gestor-da-verde/

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Tagore 29 de janeiro de 2020 at 11:59

      Stuhlberger, da Verde: as principais irracionalidades estão no mercado imobiliário e nos ativos alternativos

      23+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Tagore 29 de janeiro de 2020 at 12:27

      São Paulo – A decisão do Banco Central de reduzir a taxa de juros para o menor patamar da história, de 4,5% ao ano, tem feito os investidores tomarem mais risco. Com isso, os ativos têm se valorizado muito. “Não existe uma bolha nas bolsas no mundo, mas, no Brasil, sim. Os órfãos do CDI – os rentistas, e eu me incluo nisso – têm diversificado (seu portfólio) todos os dias com (aportes em) crédito privado e private equity. Esse movimento é muito bom para a economia brasileira, mas para o investidor pode não ser”, afirmou Luis Stuhlberger, gestor da Verde Asset, nesta quarta-feira (29), durante evento do Credit Suisse, em São Paulo.

      Rogério Xavier, fundador da SPX Capital, concorda que os preços dos ativos estão distorcidos. “Se é bolha ou não, eu não sei, mas foram valorizados pela politica expansionista. O risco é algum fator não previsto fazer as pessoas se sentirem muito expostas e quererem sair. O problema é que a porta de saída é muito estreita”, disse. “O risco, portanto, não é se os ativos vão continuar subindo ou não e, sim, o movimento de saída em caso de reversão.”

      Mesmo assim, os ativos mais caros, segundo Stuhlberger, não estão na bolsa – ainda há chances de altas em alguns papéis “eu vejo até mais racionalidade na bolsa” – e sim no mercado imobiliário e em investimentos alternativos. Segundo ele, 20% do fundo Verde está comprado em ações brasileiras. “Na SPX, a nossa visão ainda é positiva para ações.”

      “Eu acho que o BC deveria ter parado em 4,75%. Mas o mercado está forçando o BC a cortar mais na próxima reunião, e o 4,25% (patamar) já está precificado – apesar de eu estar posicionado contra isso no fundo, porque se perder é pouco”, acrescenta Stuhlberger.

      Sobre câmbio, Stuhlberger e Xavier não veem muito espaço para apreciação do real.

      26+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • steinherz 29 de janeiro de 2020 at 13:43

    Os dados de registros no Rio estão fracos e certamente muito piores que em SP. Contudo, deve-se mencionar que os números da notícia diferem dos últimos resultados que constam no site da FIPE: http://downloads.fipe.org.br/content/downloads/indices/indicadores-registro-imobiliario-201911.pdf.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 29 de janeiro de 2020 at 18:15

    -Novo crédito imobiliário prefixado terá taxa menor que 10%, diz CEO da Caixa
    Executivo disse que banco vai canalizar suas operações … e financiamento imobiliário.
    a linha de crédito imobiliário atrelada ao IPCA,.no ano passado, contribuiu para ..a possibilidade de securitizar parte da carteira do banco.
    A ideia, segundo ele, é financiar imóveis com prazos longos, de 20 ou 25 anos, mas na expectativa de que sejam quitados em até oito anos. … kkk, (o banco corre risco, mas pode securitizar..)
    Hoje, a duração do contrato já não é mais de 12 anos. É de nove anos e vai baixar pra sete”, afirma.
    Para ele, o objetivo é depender cada vez menos da poupança para financiar imóveis.
    valor

    15+
    • avatar
    • avatar
  • indiobolhista 29 de janeiro de 2020 at 21:16

    Tem algum antikeynesiano que pode me explicar o porque o governo fala que o rombo no 2019 foi de 95 bilhões sendo que a dívida cresceu 370 bilhões só no 2019, passando de 3, 87 bi para 4,24………

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 29 de janeiro de 2020 at 21:47

      também não entendi as contas.
      Outras contas que não entendi:
      – Coronavirus é menos mortal que Sars (9,5%) e Mers. Gripe H1n1 matou mais. 2 hospitais estão sendo construídos rapidamente (?). Para atingir a contaminação atual o começo seria de mais de 4000contaminados (ou algum paciente supercontaminador inicial).
      -trabalha escravo aumenta em santa catarina, em 2018 foi 90 casos e em 2019 foram 67. O documentário é lançado (com cenas de 2014)
      – Mulher que sobreviveu a auschvitz tem 91 anos. Sofreu experiências qdo tinha 6 anos. Auchtzwitz tem 75 anos (alguma tradução errada?)

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • From_The_Tower 31 de janeiro de 2020 at 08:25

      o pagamento de juros da dívida que ficou em 340 bilhões de reais em 2019 não entra no cálculo do déficit público.

      8+
  • Cajuzinha 30 de janeiro de 2020 at 09:12

    MERCADO IMOBILIÁRIO Edição impressa de 30/01/2020. Alterada em 29/01 às 21h30min
    Setor imobiliário de Porto Alegre espera retomada

    As vendas de novos imóveis em Porto Alegre totalizaram 4.409 unidades em 2019, desempenho inferior em 3,97% na comparação com 2018, com 4.584 unidades. Por outro lado, foram lançadas 3.626 unidades, um aumento de 31,47% em relação às 2.758 lançadas no ano passado.

    Segundo o levantamento da CNI, os principais problemas enfrentados pelo setor no quarto trimestre do ano passado foram a elevada carga tributária (apontada por 42,7% dos empresários), excesso de burocracia (28,7%) e demanda insuficiente (27,6%).

    https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2020/01/723100-setor-imobiliario-da-capital-espera-retomada.html

    RESUMO: A demanda está insuficiente, vendemos menos em 2019 do que em 2018, mas lançamos mais em 2019. AGORA VAI!
    KKKKKKKKKKKKKKKK

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 4 de fevereiro de 2020 at 09:36

      Cajuzinha
      Também vejo um movimento de lançamentos em Brasília, mas tal qual o Hell de Janeiro, a massa salarial está em queda no DF
      Então podem até lançar, mas não tem quem comprar

      0
  • Pedro de Lara 30 de janeiro de 2020 at 09:19

    Coronavírus
    Daqui a pouco isso pode virar enredo de série de streaming.

    Terra: Suspeita de coronavírus bloqueia 7 mil em cruzeiro na Itália
    Turista chinesa apresentou febre e problemas respiratórios

    https://www.terra.com.br/noticias/mundo/suspeita-de-coronavirus-bloqueia-7-mil-em-cruzeiro-na-italia%2cdaf22e378d41d0dad70a05f7cd831900ay1p8poz.html

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 30 de janeiro de 2020 at 09:52

    OFF – Toma gado “liberal”….

    Bolsonaro engorda estatal da Marinha e gasto militar fica ainda maior
    Investimento em Defesa é o maior do governo

    A Emgepron é uma estatal da Marinha que, basicamente, faz navios. Em 2019, o governo colocou R$ 7,6 bilhões na empresa a fim de construir corvetas (navios de guerra) e um barco para uso na Antártida.

    https://www1.folha.uol.com.br/colunas/viniciustorres/2020/01/bolsonaro-engorda-estatal-da-marinha-e-gasto-militar-fica-ainda-maior.shtml

    Receita Federal passa a cobrar adicional do RAT de indústrias

    Indústrias vêm sendo surpreendidas com cobranças milionárias da Receita Federal. Os valores se referem ao adicional da contribuição aos Riscos Ambientais do Trabalho (RAT) – a nova denominação para o Seguro de Acidente do Trabalho (SAT) -, pago quando há empregados com direito à aposentadoria especial. Os valores exigidos têm como base uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de 2015.

    https://valor.globo.com/legislacao/noticia/2020/01/28/receita-federal-passa-a-cobrar-adicional-do-rat-de-industrias.ghtml

    Vai?

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Pedro de Lara 30 de janeiro de 2020 at 10:41

    G1: Autoridades dos EUA descobrem o mais longo túnel na fronteira sudoeste do país
    Foi encontrada uma conexão de 1,3 quilômetro entre Tijuana, no México, e uma área de armazéns perto de San Diego, nos Estados Unidos.

    https://g1.globo.com/mundo/noticia/2020/01/30/autoridades-dos-eua-descobrem-o-mais-longo-tunel-na-fronteira-sudoeste-do-pais.ghtml

    Fico pensando: os caras sempre tiveram tecnologias, homens, cachorros e maritacas pra cuidar da fronteira. Mexem nela “com tanto zelo” que até muro querem construir. São tão cuidadosos com a peneira que fazem com quem entra lá, mas sequer sabiam desses túneis? kkkkkkkk
    Até no final do último Rambo (SPOILER) os caras do México vão atrás dele nos EUA por um túnel.

    Eu me surpreendo com tamanha surpresa 😀

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 30 de janeiro de 2020 at 15:13

      Calma, Trump prometeu um muro pra não deixar o pessoal entrar na gringolandia. Perai….

      11+
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 30 de janeiro de 2020 at 12:04

    recomendações culturais:
    assistir Os 12 macacos tomando uma cerveja mexicana.
    assistir Contagion (2011) e baixar o AVG ou avira, comendo chainainbox
    Tomar uma ducha (captaram?) , e não tomar vacina de Feble amarela (da china tbm?)
    comemorar o ano chinês do Rato, comendo um Lagarto com molho e batata.
    ler : Is the Coronavirus the Black Swan of 2020?
    The economic impact of the fast-spreading virus may be worldwide.

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 30 de janeiro de 2020 at 12:47

    Droga ouro disparando antes de aumentar posição KKKKk

    1584 e subindo.
    Dólar 4,26 !

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • odorico 30 de janeiro de 2020 at 12:50

      Dois….
      ouro estava a 200 reais e achei caro… só 250g a 154.
      e
      doletas 5k na latinha e 25k usd em fundo cambial….
      Agora é esperar para acalmarem e realizar algum lucro…..

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 30 de janeiro de 2020 at 15:10

    OFF ou meio OFF
    Tem gente já prevendo escassez de componentes eletrônicos e outros produtos da base da produção devido a gripe do morcego….
    Vejamos como os preços dos produtos vão se comportar nos próximos meses…

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • odorico 30 de janeiro de 2020 at 15:18

      Pois é, devido ao “supply chain” globalizado, já tem fábricas paradas em outros lugares da China, afinal a província que está isolada produz parte de outros produtos impactando toda a cadeia…. As maravilhas do mundo globalizado…

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Senhor Bolha 30 de janeiro de 2020 at 15:39

        Sobre as contas públicas.

        Resposta ao índio.
        em algum antikeynesiano que pode me explicar o porque o governo fala que o rombo no 2019 foi de 95 bilhões sendo que a dívida cresceu 370 bilhões só no 2019, passando de 3, 87 bi para 4,24………

        O resultado divulgado na matéria acima leva em conta exclusão dos juros pagos na dívida Pública.

        A dívida bruta subiu! O juros pagos caiu ( Consequentemente se paga menos juros para rodar a divida ” Dai vem a melhora maquiado no rombo” , governo anda trocando juros da dívida por cambio desvalorização da moeda corrente.

        O crescimento da dívida exponencial: O governo trocar divida antiga por uma nova, acrescentando juros em cima de juros. ( Rolagem) , retroalimentando a dívida.

        Dai necessidade de governos falidos como do Japão , EUA e boa parte parte da europa ( França , Inglaterra, Itália), em manter juros de bonds como tendo juros negativos ou zero.

        Imagina aumenta montando de juros pagos numa dívida superior a 100% do PIB.

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Senhor Bolha 30 de janeiro de 2020 at 15:43

          Neste contexto acima , nasce males de toda economia:
          Não se pode mais culpa rentistas pela falência estatal.

          Uma vez que você tem uma dívida superior 100%, rolada por uma taxa juros 0% em um boa parte dos títulos.

          Cai por terra primeira primeira defesa do estado de bem estar social .
          Logo após juros da dívida vem previdência, Funcionalismos e gastos sociais .

          A previdência é deficitária na maior parte do países , consequentemente + dívida + impostos ou uma combinação das duas coisas.

          12+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • odorico 30 de janeiro de 2020 at 16:03

            Por isso virei servidor público, quando estudei banco centrais para o concurso do BC, comecei a entender o “mecanismo” como já tinha alguns investimentos em renda fixa comecei estudar aonde meu dinheiro ia(follow the money), aí coloquei um pouco direto no TD (na época pelo BB), e cada vez estudando mais, entendendo o que era rentismo, títulos da dívida pública. Aí vi aquele documentário “The men who built america” ou algo assim, no History, e tem um episódio sobre o JPmorgan financiando o governo e criando todo esse sistema de financiamento estatal com garantia eterna. Para quem já foi da iniciativa privada, terceirizado, consultor e empresário, foi a gota dágua, resolvi mamar… Uma coisa eu concordo com os “esquerdistas” se fosse feita uma auditoria da dívida pública (aqui e em qualquer lugar do mundo) veríamos que o Estado está a serviço dos ricos para escravizar os pobres, por isso muitos “ricaços” financiam as demandas do bem-estar social e o estado assistencialista, manter os pobres escravizados com a medida certa de satisfação….

            27+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Catifunda 31 de janeiro de 2020 at 13:44

              2 anos sem visitar o bolha e volto pra ler a mais sàbia verdade. Ainda hoje eu falava exatamente a mesma coisa.
              Odorico, nao te lembraras de mim mas voltei aqui pra te agradecer todas as dicas de investimwnto que vc me deu há 2 anos. Obrigada mesmo. Aprendi um monte contigo. Forte abraço.

              8+
              • avatar
          • Senhor Bolha 30 de janeiro de 2020 at 16:27

            Conferir aqui.
            http://www.tesouro.fazenda.gov.br/documents/10180/246449/relatorio_dez19.pdf/a08047f4-da39-4a1c-907a-565012054fd9

            Em dezembro de 2019, o resultado primário do Governo Central, a preços correntes, foi deficitário em R$ 14,6 bilhões contra déficit de R$ 31,7 bilhões em dezembro de 2018. Essa melhora é explicada pelo acréscimo real de R$ 70,6 bilhões (+ 58,0%) na receita líquida, compensado parcialmente pelo aumento de R$ 52,1 bilhões (+33,7%) nas despesas primárias

            Comparativamente ao ano passado, o resultado do Governo Central passou de déficit de R$ 120,2 bilhões em 2018 para déficit de R$ 95,1 bilhões em 2019. A redução real do déficit primário no acumulado deste ano em relação ao ano passado decorreu principalmente do aumento real das receitas líquidas (+R$ 73,4 bilhões / +5,6%), compensado parcialmente pelo acréscimo real das despesas primárias (+R$ 39,1 bilhões / 2,7%).

            E COMO FOI FEITO ESTE AUMENTO DE RECEITAS? receitas extraordinárias com concessões e outras receitas de cunho extraordinário, receitas focadas no curto prazo, como por ex: aperto para informalidade, vendas em participações de empresas etc.

            Agora o que interessa fica por conta da parte das despesas: Compensado parcialmente pelo acréscimo real das despesas primárias (+R$ 39,1 bilhões / 2,7%).

            Ou seja, sem corte de despesas !
            No fundo nunca interessou qual lado da cerca estamos defender. A matemática não aceita desaforo.!
            Gastou mais que arrecada : Vai ter que se endividar ou tributar mais.

            Não existe dinheiro do governo . Todo governo toma seu dinheiro em forma de impostos para bancar despesas com todos itens acima. Esqueça hospital grátis, estrada grátis, programa social grátis.A falácia do almoço grátis foi um mito criado para ganhar votos das camadas mais pobres que recebe ninharias, mas que saem do próprio bolso!

            Outra falácia muito difundida sobre os ricos no capitalismo moderno e sobre fortunas baseadas no lucro ( Lucro astronômicos dizem alguns obtidos por empresas), mal sabem que o lucro deste caras é virtual” avaliação de mercado de empresas e não lucro real gerado na DRE.

            Ou seja, ricos ficam ricos por causa impressão de dinheiro dos bancos centrais inflando bolhas nas bolsas de valores ao redor do mundo, consequentemente subindo valor de mercado das empresas e suas respectivas participações ” Assim é avaliada o dinheiro destes caras”, ou seja, não existe relação alguma com aumento de produtividade, riqueza ou geração de valor ” Produtos” como de fato é o capitalismo do século passado.

            Ricos são ricos por causa da impressora estatal e não porque suas empresas são lucrativas!
            E sobre tributos no ricos que a esquerda defende como resolvendo todos os males do mundo.

            Uma vez que o lucro das empresas é tributado pela DRE, debater sobre renda , consumo é mero detalhe .

            Uma empresas que fatura 100% com margem líquida 10% , paga de 40 a 50% de carga tributária no faturado.

            O estado fica com 50%, 10% fica com o rico , ou nem isso porque é preciso reinvestir parte do capital ( Capex).
            Os outros 40% vão para insumos , funcionários etc

            Quem precisa combater desigualdade tem de combater impressora! Porque impressão de moeda que faz com ricos fiquem teoricamente mais ricos.

            Não precisamos criar bens, apenas podem gozar da valorização das empresas e pegar juros subsidiados com governos vpor meio bancos estatais.

            O capitalismo do século 20 e 21 é montando com governo como sendo causador da desigualdade, diferente do feudalismo atualmente temos tecnologia produtiva e acesso bens de consumo mais baratos.

            Sem impressora estatal do governos.
            Estes ricos só estariam ricos se tiverem gerando alguma produto para oferecer ao mercado.

            A desigualdade nunca vai deixar de existir.
            O que mudaria seria apenas o número:Sairia de bilhões, para milhões.

            Outro fator contabil de enorme importância para equação:
            Se todos ricos tivessem seus patrimônios liquidados a valor de mercado, suas fortunas direcionadas aos cofres públicos. O governo não conseguiria manter 1 ano de gastos público.

            Tão logo primeiro ano foste pago : Não conseguiria pagar o segundo , pois não teriam mais esta receita .
            Isso já acaba com falácia difundias pelo socialismo .
            A economia gira em torno dos ricos, mas os ricos não conseguem manter as contas públicas sozinhos, precisariam também esfolar os pobres!

            No fundo se trata de matemática.
            Um bem produzido vai continuar sendo um bem produzido, não importa quanto governo mandou imprimir e qual seja avaliação dos supostos ricos em seus patrimônios.

            Entendo isso você vai entender porque super ricos :Advogam para teorias da impressora estatal, aumento de impostos e todas estas besteiras.

            Eles não ganha dinheiro com seus negócios, mas com especulação e dinheiro publico!

            15+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
  • Alemon Fritz 30 de janeiro de 2020 at 16:33

    observações:
    – Medo na era do coronavírus: chineses já não são bem-vindos. (que tal comer peixe Panga da China ou India?)
    – Imprevisível Coronavírus coloca em risco promessas da China em acordo com EUA. (300 macpatos fechados lá)
    – A Gretinha se enganou, vamos morrer antes kkk. O virus foi mais eficiente que a proposta dela (alguém se ferrou)
    – alguém vai ter que pagar o Pato. (ou cisne negro)
    – se a Oms decretar ameaça global pra mostrar serviço: deduzimos que não vai adiantar nada.
    – O japão vai se lascar.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Senhor Bolha 30 de janeiro de 2020 at 16:38

      Nenhuma novidade , já estamos ferrados! KKk

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 30 de janeiro de 2020 at 18:10

    OFF – Bananence exportando tecnologia.

    Brazillian man will be kicked out of the country over ATM scam
    https://www.facebook.com/watch/?v=895686480834769

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 30 de janeiro de 2020 at 18:17

    vai que vai:
    -Imóvel poderá ser garantia de qualquer crédito .
    Governo planeja facilitar uso de garantias. Entre medidas em estudo, está possibilidade de usar imóvel como lastro de mais de um empréstimo. (Valor)
    – Berlim congela preço de aluguéis por cinco anos.
    – Crédito imobiliário com recurso da poupança cresce 37% em 2019. Por outro lado, as concessões de empréstimos com recursos do FGTS caíram 5% .

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 30 de janeiro de 2020 at 18:28

    Ideias Radicais “bolsominionicas”

    FINALMENTE! A privatização dos Correios e mais 14 estatais
    Temos um cronograma de privatizações, que inclui Correios, Eletrobrás, Casa da Moeda e mais um bando de coisas que você nem sabia que existia.
    https://www.youtube.com/watch?v=k2GftWem0NQ

    Como será a nova economia brasileira?
    Finalmente, o que deveria ser normal será a novidade do Brasil. Com as reformas, cortes de gastos, queda da SELIC e uma onda de empreendedorismo tomando o Brasil, a economia volta a crescer. Dessa vez, crescerá mudando, não com o dirigismo estatal que tinhamos no governo PT.
    https://www.youtube.com/watch?v=TQgQGA53fwc

    13+
    • avatar
    • avatar
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 30 de janeiro de 2020 at 20:26

      Tem gente que gosta de ser feita de trouxa 😉

      19+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • rogerio 30 de janeiro de 2020 at 20:39

      Um dos videos mais fracos dele, se entendi bem ele coloca a culpa do Viracopos, por exemplo, não ter dado certo, no governo e não em quem comprou?

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 4 de fevereiro de 2020 at 09:39

        rogerio
        O modelo de concessão de Viracopos foi “sui generis”, o modelo de negócios saiu da cabeça da Dilma, contabilizando lucros futuros baseado na premissa de que o PIB cresceria 5% ao ano.

        0
        • rogerio 4 de fevereiro de 2020 at 13:10

          Isso não importa. Por que alguem resolveu comprar mesmo nesse modelo?

          1+
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 30 de janeiro de 2020 at 20:37

    OFF – Alguém tem a mínima idéia sobre a razão das novas placas de veículos do bananistão e merdasul serem tão complexas?

    O que aparece no QR Code das placas do padrão Mercosul? G1 testou
    https://g1.globo.com/carros/noticia/2020/01/30/o-que-aparece-no-qr-code-das-placas-do-padrao-mercosul-g1-testou.ghtml

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 30 de janeiro de 2020 at 21:29

      galera banananse adora selos, carimbos, diplomas, adesivos brilhantes, Qrs, plaquinhas, e pra variar só um fornecedor oferece o serviço….

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 31 de janeiro de 2020 at 09:43

      Em 2016 os carros novos emplacados nos países de língua espanhola começaram a implantar a nova PIV, mas apenas para veículos zero km e assim se mantém até hoje. O Brasil quis acrescentar nomes de município e brasões de Estados e cidades. Isso encareceria o preço porque em vez de uma simples plaqueta, o proprietário seria obrigado a trocar a placa inteira toda vez que mudasse de cidade. Felizmente, essa aberração foi descartada. Só que voltou, em parte…

      Em 2018, com dois anos de atraso, o Rio de Janeiro começou com o novo padrão Mercosul, seguido por outros dez Estados; a partir do dia 31 deste mês, todos os demais. Mas, ao se mudar de município a PIV antiga terá de ser trocada. Porém isso ocorrerá apenas uma vez, enquanto na proposta anterior a cada troca de município exigiria novo par de placas.

      Outra polêmica se formou quando o Governo Federal, quase em cima do prazo fatal, dispensou dois elementos de segurança das placas Mercosul: ondas sinusoidais e efeito difrativo, que é o brilho no acabamento das letras e números quando iluminados. O governo alegou que encareceriam o produto pelo pagamento de direitos aos detentores da tecnologia.

      A Associação Nacional dos Fabricantes de Placas de Identificação Veicular, que representa mais de 3.000 pequenas e médias empresas, distribuiu no último dia 23 um comunicado assinado pelo seu presidente, Cláudio Roberto Gaiewski Martins. Ele garante que “nenhuma empresa nacional pagou royalties sobre os itens excluídos, que causariam sobrepreço nas placas veiculares”.

      “Com relação à prática de preços mais altos ao consumidor, especificações previstas anteriormente não alteravam em nada o custo das placas veiculares. O que se observou foi um aumento no custo final aos consumidores pela admissão de diversos atravessadores na cadeia produtiva e de comercialização, com acréscimo de até 350% do valor da placa quando sai da fábrica. Por esta razão a placa ora implementada tornou-se muito mais cara que a do padrão Mercosul inicialmente previsto”, a nota acrescenta.

      Se, de fato, as novas especificações nada teriam acrescentado aos custos anteriores, estes 350% podem cair rapidamente com a livre concorrência que os governos estaduais estão obrigados a implantar.

      https://www.autoentusiastas.com.br/2020/01/livre-concorrencia-para-placas-padrao-mercosul/

      4+
      • avatar
  • Alemon Fritz 30 de janeiro de 2020 at 23:04

    Noticias do fim do mundo (pra aparecer):
    -[VÍDEO] Pessoas jantam em restaurante alagado.
    Super Rádio Tupi-29/01/20. Pessoal jantando dentro dágua, com dedinho esticado enquanto a enchente carrega os carros em BH. água na canela e a galera filmando e comendo.
    – “Digital influencer” galega de SC é mordida por tubarão enquanto nadava… com tubarão. (O tubarão passa bem). Continua desconhecida.
    – Mãe filma criança brincando com capivara. Capivara ataca criança e cachorro. capivara malvada passa bem.
    – Mulher e cachorros são atacadas por capivaras em Balneário. Moradora saiu para passear com os cachorros em uma área atrás do prédio onde vive. A moça só queria passear no jardim e pro cachorro fazer suas necessidades… . capivaras malvadas. cachorro morreu de ataque cardíaco.

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • MARK 30 de janeiro de 2020 at 23:35

    CVR
    Fui visitar um empreendimento aqui perto da praia em Santos. Bons apartamentos novos em torno de 500k e 700k, entre 80 e 100m2, mas tinha unidades na casa do milhão… Síndico corvo pra mim quando perguntei quantos aptos estavam ocupados: “cerca de 20 de uns 70, inclusive muitos são locação, um ótimo investimento.” Locação do próprio empreendimento né… kkkkk Bons apartamentos, mas é rua com feira. Dois quarteirões da praia. Sinal que não tá vendendo fácil né… e acredito que a locação pode ser temporada, disse ele 3.800 00. Fui ver im usafo também, bom apto, mas caro. “E aí, Mark, gostou?” Sim é interessante, vou pensar, mas tenho outros aqui na gua de traz pra ver, novos e com ótimo preço. “Ah… mas tem feira naquela rua.” Eu sei, gosto de feira, mais ainda de bons preços. Fiz um olhar enigmático e abri um sorriso sapeca. Agora vai…

    25+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • indiobolhista 31 de janeiro de 2020 at 00:31

    Privatizar tudo é bom, o ruim é que vendem tudo só paras sustentar parasitas que consomen mais de 928 bilhões de reais em salários.

    Brasil está en vía de vender US$35.650M en activos este año, dice secretario de Privatizaciones

    Mattar dijo durante un evento de Credit Suisse que el gobierno vendió 105.400 millones de reales (US$25.050 millones) el año pasado, por encima del objetivo de 80.000 millones (US$19.000 millones).
    El secretario de privatizaciones y desinversiones, Salim Mattar, informó que el enfoque del gobierno de este año serían las compañías del grupo Eletrobras y que las desinversiones en Correos, Serpro y Dataprev se esperan para el 2021.
    30 de Enero de 2020, 15:21

    Sao Paulo. El gobierno de Brasil está en camino de vender 150.000 millones de reales (US$35.650 millones) en activos estatales este año, alrededor de un 40% más que en 2019, reafirmó el secretario de privatizaciones y desinversiones, Salim Mattar.

    Mattar dijo durante un evento de Credit Suisse que el gobierno vendió 105.400 millones de reales (US$25.050 millones) el año pasado, por encima del objetivo de 80.000 millones (US$19.000 millones).

    En enero ya había citado la cifra de 150.000 millones de reales. En ese momento dijo que el enfoque del gobierno de este año serían las compañías del grupo Eletrobras.

    También dijo que la privatización dela compañía estatal Correo no debería tener lugar antes de diciembre de 2021 y que las empresas de procesamiento de datos Serpro y Dataprev no se venderán hasta junio de 2021.

    “Desearía poder vender estas compañías más rápido, pero todo lleva demasiado tiempo en un gobierno”, dijo Mattar, uno de los fundadores de la empresa de alquiler de autos más grande del país, Localiza.

    Se espera que la compañía de comunicaciones EBC se venda para 2022, dijo Mattar.

    El plan del equipo económico del gobierno de Jair Bolsonaro prevé una reducción en el número de compañías en las cuales el gobierno tiene una participación a 300 a fines de este año, en comparación con 624 a fines de 2019. El número incluye compañías controladas por el estado, subsidiarias, afiliadas y compañías en El Tesoro tiene una participación.

    7+
    • avatar
  • indiobolhista 31 de janeiro de 2020 at 00:36

    7 milhos??? alguem conheçe a região??
    Casa grande principal sta cruz barato oportunidade unica
    Publicado em 26/01 às 15:10
    Descrição
    Principal Casa do bairro. Nao tem igual !
    Casa grande , enorme 500mts2 , casa de esquina no melhor ponto de santa cruz, bem no viaduto, de frente pra estaçao terreno de esquina frente pra rua , lateral pro viaduto.rua de frente e traseira pro viaduto super bem localizado no meio do comercio local. avaliado em 7milhoes .isso mesmo avaliado em 7milhoes .preciso vender urgente otimo preço bom pra comercio lojas ou moradia .
    casa de 4 quartos 2 salas cozinha 2 banheiros 2 varandas .quintal enorme 500mts2 cabe pra mais de 20 carros .super bem localizado bem no centro .nao existe local melhor .nao aceito trocas ou permutas.so quero vender mesmo .
    baixei o preço de 4.800.000 pra o preço 1.500.000,00 negociavel .falar com junior zap 9939… ver número junior
    casa situado na rua senador camara de frente pro viaduto e estaçao trem unico dono.melhor investimento na zona oeste .so valoriza o local .otimo preço .vem negociar .estudamos propostas .zap 9939… ver número
    Bom pra fazer lojas . Escritorios . Predio comercial . A casa principal do bairro

    https://rj.olx.com.br/rio-de-janeiro-e-regiao/imoveis/casa-grande-principal-sta-cruz-barato-oportunidade-unica-710434141?xtmc=urgente&xtnp=1&xtcr=24

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Adriana 31 de janeiro de 2020 at 15:05

      “casa de esquina no melhor ponto de santa cruz, bem no viaduto” …kkk
      “lateral pro viaduto.rua de frente e traseira pro viaduto super bem localizado” … kkk
      Tá com cheiro de herança, isso aí. Não quiseram vender quando o local começou a mudar de residencial para comercial, agora virou tudo comércio e ficaram isolados. Ninguém vai erguer edifício comercial nenhum aí. Quando você volta no Goocle Imagens, tem vários outdoors. Perderam o timimg da venda. Parece um caso desses de gente que morre abraçado com os tijolos, agora, quem quer levantar o dinheiro são os herdeiros… só to especulando.

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • steinherz 31 de janeiro de 2020 at 10:41

      Essa região é uma bagunça, e o bairro é dos mais pobres do Rio (embora dos mais populosos). Metade ou 1/3 do valor pedido ainda é caro, se conseguir vender. Ademais, o anúncio tem cara de mutreta.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • amongyou 31 de janeiro de 2020 at 11:28

        Cara, não vi anuncio nenhum!?
        Mas notei, à parte, que há dois concorrentes um frente ao outro. Lindo isso. Será que disputam a clientela a tapa! Rei das carnes e Realeza das carnes. LOL
        ão sei se são a mesma coisa, apesar de ser sugestivo, mas mesmo o fundo ser vermelho, o logotipo pelo menos é distinto. Concorrentes ou farinha do mesmo saco? LOL

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Festa Ploc 31 de janeiro de 2020 at 11:29

        Fica a cerca de 65 km do centro do Rio de Janeiro. Logo ali.

        11+
        • avatar
        • avatar
    • EngenheiroSP 31 de janeiro de 2020 at 11:42

      Vale 5 reais pra fazer caridade

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 31 de janeiro de 2020 at 07:59

    coincidências estatísticas interessantes
    Floripa pagou 18milhões para balneabilidade da Beira-mar norte. 3 pontos curiosamente sempre estavam muito bons. Hoje termina o contrato com a empresa. Um ponto já ficou ruim hoje. hmm o projeto era pra garantir a balneabilidade pra frente. Mais um projeto daqueles que não vai nunca.

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 31 de janeiro de 2020 at 12:45

    -Donos de restaurantes adotam ‘puxadinho’ para aproveitar seus imóveis.
    Estadão-há 6 h
    Num único imóvel na Rua Bela Cintra, ela instalou o restaurante Ema, de cozinha autoral, e outros dois bares completamente distintos entre si. (kkk) ( esses são os empreendedores conseguindo fugir do sistema… deixa o secorvi descobrir)

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 31 de janeiro de 2020 at 17:53

    OFF – E não é que os apoiadores “desinteressados” do desgoverno anda alimentando o mercado imobiliário 🙂

    O blogueiro Allan dos Santos, o “Allan Terça Livre”, está na berlinda. Apoiador intransigente de Bolsonaro, é cotado para a chefia da Secretaria de Comunicações da Presidência (Secom), caso Fábio Wajngarten caia mesmo, em razão do seu inegável conflito de interesses no cargo. Apadrinhado por Carlos Bolsonaro, o Carluxo, Allan está lucrando alto por esse apoio. Na edição da semana passada, ISTOÉ mostrou que o blogueiro recebe R$ 100 mil da Secom para defender o presidente. Ele negou, mas esta coluna apurou que Allan está se dando muito bem. Acaba de alugar uma mansão no Lago Sul de Brasília, na chiquérrima SHIS, Qi 19, usada também em algumas transmissões de seu blog. Corretores de imóveis dizem que o aluguel de uma casa nessa rua custa de R$ 10 mil a R$ 30 mil.

    https://istoe.com.br/a-mansao-de-allan/

    Aê gado trouxa, continuam apoiando o governo a troco de só tomar no rabo? Aprendam com os “profissionais” 😉

    Bônus: O astrólogo boca suja fez um vídeo falando que a gripe do morcego é obra da Microsoft e do Bill Gates, como eu quero o idiota leve um processo dos dois e perca até as cuecas sujas, aposto que vai fugir de volta pro bananistão se for processado… peraí … mas ele tem um monte de processo no bananistão tb 🙂

    36+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Joe banana 1 de fevereiro de 2020 at 08:21

      Tomara que leve um processo do Bill. Assim para de falar merda

      11+
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 31 de janeiro de 2020 at 19:18

    falando em mansão:
    -Luiz Estevão compra mansão oficial em que Dilma morou por 30milhões.
    Blogue-Correio Braziliense- 8 h
    – Gusttavo Lima publica foto em frente a sua mansão e viraliza .
    Zero Hora-29/01/ (pensei que era a 196 filial da havana)
    – Mansão do presidente dos rodoviários é assaltada e levam 200mil de cofre…
    Manaus Alerta-30/01
    – Eduardo Costa tem mansão bloqueada pela Justiça,
    F5-11/01/

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 31 de janeiro de 2020 at 23:56

    temos um padrão:
    – Morta que teve bebê levado foi assassinada por amiga, diz polícia.
    – Filha que tentou matar mãe em leito: doente deveria poder escolher.
    – SP: polícia indicia suspeitas de matar família (filha, namorada e homem)
    – CE: mulher é presa suspeita de morte .

    10+
    • avatar
    • avatar
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 1 de fevereiro de 2020 at 23:37

    OFF – Aliexpress e outras andam investindo em marketing para bananenses, neste caso não sei se é zueira já que muitas vezes a mensagem se perde na tradução ou se é pra anunciar que dividem as compras no cartão, Bangood tb passou a avisar faz algum tempo.
    Parcelar em cartão aparentemente é outra jabuticaba, nunca ví em outros lugares, bananences até reclamavam que em Oz não dava pra fazer parcelinhas 😉 e que o bom mesmo era a banânia.

    aliexpress-cartao

    4+
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 2 de fevereiro de 2020 at 09:39

      eu fui comprar um óculos e também trocar o escapamento do carro. nas duas opções os vendedores se atrapalharam em responder: tanto fazia a vista ou a prazo, débito ou crédito. a mentalidade deles ainda é a prazo e eu pedi a vista com desconto no débito. se atrapalharam todos, teve uma que levou 20minutos no computador pra emitir o recibo. Os espertos fazem um preço bem caro em prazo e desconto de 20% a vista por exemplo. (conselho regional, prefeituras, taxas, etc), isso também é absurdo se considerar as atuais condições. Ou seja eles não mudaram.

      4+
      • avatar
      • avatar
      • Krakenvader 2 de fevereiro de 2020 at 10:22

        Acho que já comentei aqui que recentemente fiz manutenções pesadas no carro na concessionária. >3 mil reais. A caixa não perguntou se era à vista ou não, simplesmente perguntou “quer parcelar em quantas vezes?” e eu “Parcelar? Eu quero desconto à vista!”. Ela, incrédula, ficou sem reação por algum tempo e disse que era de 5% o desconto. Falei “Se for 5, eu prefiro parcelar em 12x!”. Uma ligação, e pronto, 10% de desconto. Negócio fechado. Ela ficou surpresa e ainda comentou “Nossa, faz tanto tempo que alguém paga à vista, que não lembro quando foi a última vez…”. Esse é o retrato no nosso Brasil. Uma concessionária que o carro entry-level custa à partir de 60k, não vê há muito tempo alguém pagar uma revisão de um pouco mais de 3 mil reais… O brasileiro tá enforcado até o nariz no crédito!

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • bolhista cearense 2 de fevereiro de 2020 at 11:42

          Já aconteceu algo parecido comigo quando fui pagar a fatura do cartão de crédito: o caixa na agência lotérica nem perguntou, colocou logo o valor mínimo da fatura. Espantei pelo valor baixo e reclamei que pagaria o valor integral. Ele olhou para mim com uma cara de espanto que até hoje lembro.

          10+
          • avatar
          • avatar
        • odorico 2 de fevereiro de 2020 at 13:58

          E empresário brasileiro também é anta né, esses dias na escola… perguntei se davam desconto no pagamento da anuidade…resposta 3%….kkkk Dá vontade de atrasar algumas só para me chamarem para cobrar e eu falar:Tá vendo queria pagar o ano inteiro, mas vocês não deram desconto…
          Em outra ocasião….600 reais compra de uma cama, caixa pergunta: quer dividir? Eu respondo, “tem desconto à vista?”. Ela responde que não e eu pergunto qual o máximo sem juros, E ela responde que 12x, eu falo passa em 12x. Minha esposa me criticou, já que tinha os 600 na conta…. mas a gasolina baixa 10 centavos num posto e aqui em bsb faz fila, e ela vai em taguatinga comprar material escolar que no guará é 2 reais mais caro…. vai entender….
          Taí uma coisa que Brasileiro tinha que estudar, finanças e risco. Imóvel na planta, título de clube em construção, consórcio, pirâmide… ô povinho que não entende nada risco, valor presente, valor futuro, imobilização, fracionamento, etc.
          Falo nada, só “óleo” meus juros caindo todo mês….

          6+
          • avatar
          • Strike 3 de fevereiro de 2020 at 13:36

            Cara, coisa mais difícil que tem é conseguir desconto pagando à vista. Pagar a prestação já é um patrimônio nacional tão grande que os lojistas estranham quando a gente propõe pagar à vista mediante um desconto justo. Outro dia eu estava numa loja e vi que até coisas banais como cuecas e meais estão sendo vendidas a prestação.

            1+
      • Jonny Deep Blue 11 de fevereiro de 2020 at 23:03

        Pois é. Em 2015 comprei um carro a vista. Coisa de 60k. O gerente da ccs fez questão de me conhecer e fazer algumas perguntas para me conhecer melhor. Quanto mais eu falava, mais ele ficava espantado. Ele só tinha conhecido outra pessoa como eu. Um assalariado que ganha menos de dois dígitos por mês, mas com a vida organizada financeiramente para poder comprar a vista sem consórcio ou algo do tipo. Aí, quem ficou assustado fui eu. Eu disse um “é mesmo??!!!” bem alto.

        2+
  • bolhista cearense 2 de fevereiro de 2020 at 11:57

    Será que ainda existem tantas sardinhas assim? O aumento de lançamentos, mas ninguém fala dos encalhados…
    https://www.oestadoce.com.br/sem-categoria/os-lancamentos-de-imoveis-residenciais-no-pais-cresceram-239-no-terceiro-trimestre

    4+
    • avatar
  • Alemon Fritz 2 de fevereiro de 2020 at 13:12

    curiosidade: existem 7700 contaminados fora da china. A mortalidade é de 2,2%. Morreu o primeiro agora nas filipinas.. já deveriam ter morrido na taxa 170 pessoas mantendo a Taxa. Invertendo esse 1 para 7700 para a China a taxa de contaminados é mais de 2milhoes de pessoas com sintomas ou contaminadas de verdade lá (notem que a taxa é ainda menor). Não dá pra confiar na china mas dá pra confiar na matemática.. Já falei que o inicio dos dados não batem e o modelo tbm

    4+
    • Alemon Fritz 2 de fevereiro de 2020 at 14:00

      ops: o da NYT era 7.700 worldwide.
      corrigindo: 130 casos fora da China. 1 morte. = 0,007693. Na China houve 304 mortes, logo se deduz que são = 39.598 contaminados ou mais. Eles dizem 14.000 e crianças não exibem tanto.

      3+
      • avatar
    • Jonny Deep Blue 11 de fevereiro de 2020 at 23:12

      Caro Alemon Fritz,
      1- Pode ser que esse caso único fora da china não represente a taxa media observada para o conjunto de casos na China. É necessário mais casos de morte fora da China para uma comparação jestatistica justa.
      2- A condição sócio-economica e de saúde dos outros países podem ser melhores, o que diminui a letalidade da doença.

      0
  • Abomineve Homem das Naves 2 de fevereiro de 2020 at 15:29

    Boa tarde, pessoal! 😀

    Trago-lhes QE’s, digo, notícias…

    BC da China injetará 1,2 trilhão de yuans no mercado aberto nesta 2ªf

    Em comunicado, a instituição diz que atua para “manter liquidez razoável e adequada no sistema bancário e uma operação sólida do mercado monetário durante o período de prevenção e controle da epidemia” de coronavírus.

    https://www.istoedinheiro.com.br/bc-da-china-injetara-12-trilhao-de-yuans-no-mercado-aberto-nesta-2af/

    2+
  • Krakenvader 2 de fevereiro de 2020 at 15:57

    [img]https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcRlSjuSwAzKUu6ZT0FJKtbZC-LPC7Al-Viiz7JyqIwVYtCwxhqA[img]

    2+
    • avatar
    • Abomineve Homem das Naves 2 de fevereiro de 2020 at 16:02

      Esse aqui, Krakenvader?

      2+
      • Abomineve Homem das Naves 2 de fevereiro de 2020 at 16:06

        A sintaxe para colocar imagem é essa:

        1+
        • Abomineve Homem das Naves 2 de fevereiro de 2020 at 16:12

          Tive de procurar uma imagem para mostrar a sintaxe, Krakenvader.
          Por isso que não apareceu a sintaxe anterior, pois o HTML5 entendeu como sendo um comando e não uma frase. rsrsrs

          2+
          • Krakenvader 2 de fevereiro de 2020 at 16:26

            Muito obrigado! Me salvou!! hahahaha eu jurava que era “IMG” dentro de colchetes kkkkkk

            3+
            • avatar
      • Tagore 3 de fevereiro de 2020 at 11:32

        Families Go Deep in Debt to Stay in the Middle Class · 37

        The American middle class is falling deeper into debt to maintain a middle-class lifestyle.
        Cars, college, houses and medical care have become steadily more costly, but incomes have been largely stagnant for two decades, despite a recent uptick. Filling the gap between earning and spending is an explosion of finance into nearly every corner of the consumer economy.
        Consumer debt, not counting mortgages, has climbed to $4 trillion—higher than it has ever been even after adjusting for inflation. Mortgage debt slid after the financial crisis a decade ago but is rebounding.
        Student debt totaled about $1.5 trillion last year, exceeding all other forms of consumer debt except mortgages.
        Auto debt is up nearly 40% adjusting for inflation in the last decade to $1.3 trillion. And the average loan for new cars is up an inflation-adjusted 11% in a decade, to $32,187, according to an analysis of data from credit-reporting firm Experian.
        Unsecured personal loans are back in vogue, the result of competition between technology-savvy lenders and big banks for borrowers and loan volume.
        The debt surge is partly by design, a byproduct of low borrowing costs the Federal Reserve engineered after the financial crisis to get the economy moving. It has reshaped both borrowers and lenders. Consumers increasingly need it, companies increasingly can’t sell their goods without it, and the economy, which counts on consumer spending for more than two-thirds of GDP, would struggle without a plentiful supply of credit.
        In one sense, the growing consumer debt is a vote of confidence in the future. People borrowing money today expect to have the income tomorrow to pay it back. Consumer debt tends to rise when borrowers feel secure in their jobs.
        But the debt pile is also an accumulated ledger of economic risk. It should be manageable so long as unemployment remains low. If job losses begin to rise, it would become unsustainable for some share of borrowers, raising chances of an increase in missed payments and lenders writing off unpaid balances. The Fed lowered interest rates on Wednesday because it sees rising risks of a slowdown that could boost unemployment.
        Median household income in the U.S. was $61,372 at the end of 2017, according to the Census Bureau. When inflation is taken into account, that is just above the 1999 level. Without adjusting for inflation, over the three decades through 2017, incomes are up 135%.
        Average tuition at public four-year colleges, however, went up 549%, not adjusted for inflation, according to data from the College Board. On the same basis, average per capita personal health-care expenditures rose about 276% over a slightly shorter period, 1990 to 2017, according to data from the Centers for Medicare and Medicaid Services.
        And average housing prices swelled 188% over those three decades, according to the S&P CoreLogic Case-Shiller National Home Price Index.
        “The costs of staying in the middle class are going up,” said Adam Levitin, a Georgetown Law professor who studies bankruptcy, financial regulation and consumer finance.
        Jonathan Guzman and Mayra Finol earn about $130,000 a year, combined, in technology jobs. Though that is more than double the median, debt from their years at St. John’s University in New York has been hard to overcome.
        The two 28-year-olds in West Hartford, Conn., have about $51,000 in student debt, plus $18,000 in auto loans and $50,000 across eight credit cards. Adding financial pressure are a baby daughter and a mortgage of around $270,000.
        “I’m normally a worrier, but this is next-level stuff. I’ve never been more stressed,” Mr. Guzman said. “Never would I have thought with the amount we make I would have these problems.”
        They no longer dine out several times a week. Other hits to their budget were hard to avoid, such as a wrecked car that forced them to borrow more.
        Ms. Finol hasn’t used her T.J. Maxx credit card in more than a year. She makes the minimum monthly payment on its balance of approximately $7,500. Her monthly statement says if she continues at this pace, she will need about 23 years to pay it off.
        Earlier this year, Mr. Guzman put his credit cards in a Ziploc bag with water and placed it in the freezer. In May, however, they went to two weddings, and needed a card to cover the cost of a gift and a rental car.
        Mr. Guzman removed one of the credit cards from the freezer. “A lot of things came at once,” he said. Since then, he’s taken the rest of them out, too.
        U.S. households that have credit-card debt owed an average of $8,390 in the first quarter 2019, up 9% from 2015 when adjusted for inflation, according to an analysis of Federal Reserve data by research firm WalletHub.com.
        Taking on a mortgage to buy a house that could appreciate, or borrowing for a college degree that should boost earning power, can be wise decisions. Borrowing for everyday consumption or for assets such as cars that lose value makes it harder to save and invest in stocks and real estate that tend to create wealth. So the rise in consumer borrowing exacerbates the wealth gap.
        The U.S. economy roughly doubled in size from 1989 through 2016, data from the U.S. Bureau of Economic Analysis show. Counted together, everyone got wealthier. But gains in assets owned were heavily skewed toward the highest earners, according to a Journal analysis of the Fed’s Survey of Consumer Finances.
        The median net worth of households in the middle 20% of income rose 4% in inflation-adjusted terms to $81,900 between 1989 and 2016, the latest available data. For households in the top 20%, median net worth more than doubled to $811,860. And for the top 1%, the increase was 178% to $11,206,000.
        Put differently, the value of assets for all U.S. households increased from 1989 through 2016 by an inflation-adjusted $58 trillion. A third of the gain—$19 trillion—went to the wealthiest 1%, according to a Journal analysis of Fed data.
        “On the surface things look pretty good, but if you dig a little deeper you see different subpopulations are not performing as well,” said Cris deRitis, deputy chief economist at Moody’s Analytics.
        Counting all kinds of debt, including mortgages, consumers aren’t nearly as debt-burdened as they once were. In the fourth quarter of 2007, the last year before the financial crisis struck, households devoted 13.2% of their disposable income to debt service. In the first quarter of 2019, that number was 9.9%, largely due to low interest rates.
        Partly because of widespread refinancing, mortgage payments since the start of 2017 have claimed the smallest slice of disposable personal income in decades, in the low 4% range, according to Fed data.
        Other debt, such as auto and student loans and credit-card borrowing, consumed about 5.7% of disposable personal income in the first quarter. That was up from a low of 4.9% at the end of 2012 and back to 2009 levels. In contrast to a mortgage, most of this borrowing went to fund consumption.
        Elizabeth and Andy Bauerle have been trying to buy a house for seven years without success, despite having combined income of about $155,000—in the top 20% of households, according to census data.
        The two 34-year-olds face a common conundrum. Their jobs are in the Seattle metro area. In cities with strong job and wage growth, such as theirs, rising real-estate prices can put homeownership out of reach even for families that rate as well-off by overall national standards.
        The Bauerles have $30,000 in their down-payment fund, but the kind of house they want—a two-bedroom, two-bath with a yard—starts at around $600,000 in and around Seattle.
        They figure they would need to make a down payment of $70,000 to keep the mortgage payment manageable, given their other obligations. These include student-loan debt of about $88,000 that consumes around $1,000 of income every month.
        Ms. Bauerle said about half of their take-home pay goes out the door for that plus $1,750 in rent and $1,200 in child care for their son. “Four thousand dollars of our income is immediately spoken for,” she said.
        Like many families, they have stretched out the monthly payments on an auto loan. They have a 2013 Subaru, bought used three years ago. They won’t write the last $240 monthly check on the car until it is about nine years old.
        Families such as the Bauerles who want to live in solid middle-class neighborhoods with good schools and reasonable commutes are increasingly renting single-family homes. Taking advantage of this trend, the private-equity firm Blackstone Group Inc., with other investors, launched a business that is now the nation’s largest renter of single-family houses.
        The number of households that have inflation-adjusted annual incomes of $100,000 or greater but are renters nearly doubled from 2006 to 2016, according to the Joint Center for Housing Studies of Harvard University.
        Domonic Purviance, a senior financial specialist at the Federal Reserve Bank of Atlanta, said people earning the median income can no longer afford the median-priced new home, costing $323,000 last year, and barely have the means to buy the median existing home, which now about $278,000.
        “That’s a radical shift in the structure of the market,” Mr. Purviance said. “What we may have to prepare for in the future is that buying a new home, and in some markets even buying an existing home, may become a luxury.”

        The squeeze is likely even tighter because his affordability calculation doesn’t take into account buyers’ other debts and it assumes a 20% down payment. Home buyers’ median down payment in the third quarter last year was only 7.6%, according to Attom Data Solutions.

        Nowhere is the struggle to maintain a middle-class lifestyle more apparent than in cars. The average new-car price in the U.S. was $37,285 in June, according to Kelley Blue Book. It didn’t deter buyers. The industry sold or leased at least 17 million cars each year from 2015 to 2018, its best four-year stretch ever. Partly because of demand satisfied by that run, sales are projected to be off modestly this year.
        How households earning $61,000 can acquire cars costing half their gross income is a story of the financialization of the economy. Some 85% of new cars in the first quarter of this year were financed, including leases, according to Experian. That is up from 76% in the first quarter of 2009.
        Car trouble
        And 32% of new-car loans were for six to seven years. A decade ago, only 12% were that long. The shorter-term loans of the past gave many owners several years of driving without car payments.
        Now, a third of new car buyers roll debt from their old loans into a new one. That’s up from roughly 25% in the years before the financial crisis. The average amount rolled into the new loan is just over $5,000, according to Edmunds, an auto-industry research firm.
        Leasing, which often entails lower payments than purchase loans, accounted for 34% of financed new vehicles in the first quarter, up from 20% a decade earlier, according to Experian. Drivers of used cars also finance them—more than half did last year.
        One of the last stops for strapped consumers is personal loans, which often offer lower interest rates than credit cards and usually offer fixed monthly payments with a set end date. Banks pulled out of the sector after losses during the financial crisis, but solid recent returns have drawn in financial-technology startups. And many big banks, including Goldman Sachs Group Inc., Citigroup Inc., and SunTrust Banks Inc., are in the business.
        The unsecured loans are often pitched to consolidate credit-card debt as well as for home renovations, vacations and unexpected expenses. Personal-loan balances totaled a record $138 billion at the end of last year, vs. $46 billion at the end of 2011, according to credit-reporting firm TransUnion .
        The partial federal-government shutdown that ended in January exposed the vulnerability of many consumers. Discover Financial Services said thousands of government workers told it they were unable to make the minimum payments on their credit cards and the monthly payments they owed on personal loans and private student loans.
        Discover waived fees, allowed customers to skip a payment and held off on reporting missed payments to credit-reporting firms.
        In case of a broad economic downturn, these people’s debt levels could weigh on the economy for an extended period, because people who carry a lot of debt into a downturn tend to rein in their spending for years afterward.
        Angelo and Noelle Young of Laveen, Ariz., are going through their own economic downturn. The two-child couple earned just over $100,000 until 2017. They had a roughly $106,000 mortgage, about $97,000 in student-loan debt and $24,000 in car loans.
        Then Ms. Young, 33, moved from a full-time to a part-time faculty position at a university because of its budget cuts. With income reduced to around $70,000, they still felt confident enough in their earning power to borrow $48,000 to finance two cars in 2017.
        They rolled $13,000 of loan balances after trade-ins into loans for two modestly priced vehicles: a 2014 Hyundai Santa Fe and a new Chevrolet Cruze. The $1,070 monthly car payments were manageable until Mr. Young, 40, left his job working for the city after incurring several pay cuts.
        “We both had solid situations,” Ms. Young said. Then “mine became the dicey one and then we both got into dicey situations.”
        After another job didn’t work out, Mr. Young switched to selling real estate and driving for Uber and Lyft. The family’s income slipped to $58,000.
        Mr. Young cashed out $8,000 from a pension to pay off a credit-card balance racked up last year. The two have been able to postpone student-loan payments, citing financial hardship and Ms. Young’s Ph.D. studies.The Youngs have cut back on gym memberships, stopped buying organic groceries and canceled cable TV. Ms. Young was recently hired as an adjunct professor at another university beginning this fall.
        Growing up, Mr. Young says, he was taught to work hard to get a nice house and a reliable vehicle. Now he realizes how easily borrowing too much can undermine this plan.
        “Things we were taught could be assets aren’t really assets,” he said. “They’re liabilities.”
        Corrections & Amplifications
        Unadjusted for inflation, home prices rose 188% from 1987 to 2017, average tuition at public four-year colleges rose 549% and health-care expenditures rose 276% from 1990 to 2017. An earlier version of this article and an accompanying chart, based on incorrect inflation-adjusted data provided by Adam Levitin, a Georgetown Law professor, said home prices rose 290%, tuition rose 311% and health-care expenses rose 51%. The corrected data is in nominal terms, to avoid statistical issues tied to inflation adjustment. Meanwhile, household income from 1987 to 2017, not adjusted for inflation, rose 135%. The earlier article mentioned only the number adjusted for inflation. (Aug. 2, 2019)

        0
    • FabianoSJC 3 de fevereiro de 2020 at 21:20

      Ta doido , daqui a pouco nem ovo vai dar pra comer mais kkk

      0
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 3 de fevereiro de 2020 at 12:05

    Eita, o BIB pegou a gripe do morcego??? 🦇🦇🦇

    🙂

    0
  • Strike 3 de fevereiro de 2020 at 13:37

    Tudo segue dentro da normalidade, mesmo com Corona e tudo.

    0
    • Jonny Deep Blue 11 de fevereiro de 2020 at 23:16

      CVR,

      Andei acompanhando os valores de diárias da rede hoteleira pelo Google viagem. Os preços das diárias dos hotéis seguem como se nada tivesse acontecido em Wahan, China !!! Incrível!

      0
  • Cajuzinha 3 de fevereiro de 2020 at 16:28

    Faturamento da indústria cai 0,8% em 2019, informa CNI
    Massa salarial, rendimento médio, horas trabalhadas e emprego na indústria também apresentaram queda. Utilização da capacidade instalada cresceu.

    0
  • Loucodf 4 de fevereiro de 2020 at 08:19

    Compra e venda de imóveis cresce quase 10% em São Paulo e no Rio
    Mesmo que o preço não tenha se recuperado, transações voltaram a aumentar depois de estagnação no mercado imobiliário

    https://valorinveste.globo.com/produtos/imoveis/noticia/2020/02/04/compra-e-venda-de-imoveis-cresce-quase-10percent-em-sao-paulo-e-no-rio.ghtml

    0
  • Tagore 4 de fevereiro de 2020 at 08:30

    Off, mas nem tanto…

    Cresce número de brasileiros que ganham salário mínimo
    O Estado de S.Paulo – 03/02/2020

    Um terço dos trabalhadores do País ganha até um salário mínimo, situação agravada pela crise econômica, que empurrou milhões para a informalidade. No trimestre encerrado em setembro do ano passado, 27,3 milhões de pessoas recebiam até um salário, de acordo com dados da Pnad Contínua, do IBGE.
    […]
    Para o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio, embora mais pessoas tenham voltado ao mercado formal em 2019, houve uma precarização. “Sem um compromisso com o crescimento do País e políticas de inserção, o engenheiro vai continuar dirigindo Uber.”

    0
    • EngenheiroSP 4 de fevereiro de 2020 at 10:50

      Do fundo do coração, não sei como alguém sustenta uma família ganhando menos de 5k

      1+
  • Cajuzinha 4 de fevereiro de 2020 at 08:59

    Aposentados aumentaram o endividamento em R$ 13,5 bilhões em 2019
    Volume de débitos de segurados do INSS no crédito consignado bate recorde em 2019. Segundo técnicos do órgão, boa parte dos empréstimos é feita para atender pedidos de familiares. Dívidas crescem mais de R$ 1 bilhão por mês

    https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2020/02/04/internas_economia,825419/aposentados-aumentaram-o-endividamento-em-r-13-5-bilhoes-em-2019.shtml

    0
    • rogerio 4 de fevereiro de 2020 at 13:12

      injeção de dinheiro na economia pra sustentar a bolsa chinesa.

      0
  • Loucodf 4 de fevereiro de 2020 at 09:26

    Odorico, aquele anúncio foi embora do ap no maestri.
    Não durou nem 15 dias.

    0
  • Cesar_DF 4 de fevereiro de 2020 at 09:33

    3 grandes incorporadoras virando “Rozinhas”
    Um novo modelo de negócios ganha força: o imóvel como serviço

    Três grandes construtoras do país estão dando uma guinada que deverá permitir que muitas pessoas tenham condição de viver nas melhores áreas dos grandes centros urbanos — desde que abandonem o sonho da casa própria. Vitacon, MRV e Cyrela entendem que, nos próximos anos, as cidades de ponta concentrarão residências temporárias. Encontra-se por trás desse movimento uma conjuntura de fatores que passa pela capacidade das famílias de financiar novos imóveis, pela queda dos níveis da poupança e pelo aumento do valor de mercado das unidades. Assim, as empresas não querem mais vender uma casa ou um apartamento — desejam fornecer um serviço de habitação.

    Os sistemas de aluguel que as incorporadoras estão desenvolvendo se assemelham a outros serviços de compartilhamento de residências, como o Airbnb. Entretanto, em vez de alugar do dono de determinado imóvel, o inte­ressado loca direto da empresa. Tudo está incluído — manutenção, limpeza, contas como internet, luz e água, e toda a miríade de itens que compõem o orçamento residencial. São prédios inteiros que entram nesse sistema, e não somente uma ou outra habitação. Depois da Vitacon, a MRV, comandada por Rafael Menin, lançou o serviço em outubro. A Cyrela, de Elie Horn, anunciou em novembro que fará o mesmo. Num mundo conectado, onde pessoas podem trabalhar de diversos lugares, parece lógico que a aposta não será mais vender apartamentos e casas por meio de financiamentos que duram trinta anos. “A dinâmica na vida das pessoas está mais intensa. O consumidor quer que a comida chegue a ele. Ele não tem tempo mais de se deslocar até ela”,

    https://veja.abril.com.br/economia/um-novo-modelo-de-negocios-ganha-forca-o-imovel-como-servico/

    0
  • Cesar_DF 4 de fevereiro de 2020 at 12:06
  • indiobolhista 4 de fevereiro de 2020 at 12:45

    Bancos venezuelanos começam a economizar dólares em meio à liberalização permitida por Maduro (Em breve Maisburro confisca os verdes novamente)

    Os bancos locais cobram entre 1% e 2% de comissão mensal sobre o valor médio em moedas que mantêm nesses 30 dias nos cofres, disseram fontes. Em troca, os clientes têm disponibilidade imediata desse dinheiro e verificações de segurança dos tickets.
    A Venezuela agora está circulando mais dinheiro em moeda estrangeira do que em bolívares, a moeda local, então os bancos começaram a prestar serviços de custódia para moedas, sendo rigoroso ao selecionar clientes que aceitam o dinheiro e cautelosos com a origem das contas.
    04 de fevereiro de 2020, 10:53
       
    Caracas Pelo menos meia dúzia de bancos venezuelanos aceitam há meses manter em seus cofres pacotes de notas em dólares e euros que acumulam cadeias de supermercados ou indústrias pelos pagamentos que recebem, em um relaxamento inesperado dos regulamentos do governo do presidente Nicolás Maduro.

    Cerca de US $ 1,8 bilhão em dinheiro chegou ao país de petróleo no ano passado, segundo três fontes do setor financeiro, mas os bancos locais concordam em economizar o dinheiro em moedas de alguns empreendedores e cobrar um preço alto pelo serviço.

    A Venezuela agora está circulando mais dinheiro em moeda estrangeira do que em bolívares, a moeda local, então os bancos começaram a prestar serviços de custódia para moedas, sendo rigoroso ao selecionar clientes que aceitam o dinheiro e cautelosos com a origem das contas.

    Quatro executivos seniores confirmaram que só lidam com dinheiro em moedas de empresas antigas, mas preferem não mencionar os nomes de bancos privados que custodiam por motivos de segurança em um dos países mais homicidas da região.

    “É um serviço para clientes tradicionais”, disse uma das fontes consultadas no setor bancário.

    Nas vendas nas ruas ou nas lojas formais, agora é comum pagar em dólares ou euros, embora os comerciantes prefiram as contas dos EUA porque circulam de US $ 1 a US $ 100 e podem rapidamente pagar com fornecedores.
    O banco é uma amostra de como a chegada de notas estrangeiras à economia local se intensifica desde que Maduro relaxou os controles em 2018 e permitiu pagamentos em moedas proibidas por 16 anos, buscando incentivar o comércio local na severa recessão, no terceiro ano de hiperinflação e sanções financeiras dos Estados Unidos.

    A mudança nos controles foi feita sem eliminar o atual quadro regulatório.

    Algumas moedas chegam aos venezuelanos para remessas enviadas por milhões de familiares que migraram na crise, mas também o Banco Central oferece notas de 50, 100 e 200 euros por um ano por semana, enquanto o governo paga a seus fornecedores dinheiro nessa moeda, produto de uma parcela das vendas de petróleo e ouro a alguns de seus aliados, como a Turquia e a Rússia.

    O Ministério da Informação não respondeu a um pedido de comentários sobre as operações.

    Comissão em dólares. Os bancos locais cobram entre 1% e 2% de comissão mensal sobre o valor médio em moedas que mantêm nesses 30 dias nos cofres, disseram fontes. Em troca, os clientes têm disponibilidade imediata desse dinheiro e verificações de segurança dos tickets.

    Os bancos que possuem serviço de custódia também oferecem a cada cliente a transferência de parte dos tickets para outro cliente dentro da mesma entidade, o que evita a necessidade de removê-lo dos cofres, disseram as fontes. Por essas transferências, eles cobram mais 1% de comissão.

    “Os bancos não cobravam antes para receber grandes quantias de bolívares em dinheiro, porque emprestavam esse dinheiro e de lá vinham suas receitas financeiras”, disse o economista Leonardo Buniak. “A comissão pela custódia da moeda nas contas é alta porque esse dinheiro não pode ser emprestado”, explicou.

    De acordo com dados da Superintendência de Bancos, os fundos para cobrança de serviços bancários não financeiros aumentaram 29.089% em um ano e essas entradas ajudam a melhorar a receita dos bancos locais, o que reduziu os créditos devido a fortes regulamentações e inflação voraz ao mínimo. .

    As entidades não oferecem o serviço de transferir essas moedas em dinheiro para contas em outros países. As empresas também não têm instalações para mobilizar esse dinheiro fora do país devido às severas limitações dos bancos globais para aceitar dinheiro da Venezuela sob as medidas dos Estados Unidos, especialmente se for em dinheiro.

    “As notas da moeda não saem do país e se deterioram”, disse um dos executivos financeiros.

    Os bancos locais mal administram um décimo do bilhão de dólares e cerca de 700 milhões de euros em contas mobilizadas na economia local, segundo duas das fontes consultadas.

    0
  • Cajuzinha 4 de fevereiro de 2020 at 17:34

    Venda de veículos tem queda de 3% em janeiro, diz Fenabrave
    O total de 193.464 automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus foram emplacados em janeiro de 2020, contra 199.775 veículos no mesmo mês do ano anterior.

    0
  • indiobolhista 4 de fevereiro de 2020 at 18:52

    Arcuri e Guedes: inimigos do pobre
    https://www.youtube.com/watch?v=qbHaZ3MNeBI

    1+
  • MARK 4 de fevereiro de 2020 at 20:12

    Boss, a página desse tópico está com algum problema, não é possível curtir as portagens.

    1+
    • Bolha BOSS 5 de fevereiro de 2020 at 10:34

      Se o problema for só este, já estamos no lucro.
      Vários problemas com códigos obsoletos

      0
      • MARK 5 de fevereiro de 2020 at 11:43

        Ok, Boss! Vlw!

        1+
      • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 5 de fevereiro de 2020 at 12:19

        Links com http em vez de https?

        Blocked loading mixed active content “http://www.bolhaimobiliariabrasil.com/wp-includes/js/wp-emoji-release.min.js?ver=4.8.1
        Blocked loading mixed active content “http://www.bolhaimobiliariabrasil.com/wp-admin/admin-ajax.php”

        Aparentemente alguns links estão com problemas transgênero 🙂

        0
  • odorico 4 de fevereiro de 2020 at 21:02
  • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2020 at 08:38

    Viver de crédito é a escravidão moderna
    Muitas pessoas só conseguem levar a vida que têm porque optaram por viver de crédito. Porém, isso as tem levado a um tipo de escravidão moderna. Confira!

    https://bolsablindada.com.br/viver-de-credito-e-a-escravidao-moderna/#more-18132

    0
    • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2020 at 13:24

      Acho que o título correto, de acordo com o texto seria “Viver endividado é escravidão moderna”

      1+
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 5 de fevereiro de 2020 at 08:41

    “Tudo segue dentro da normalidade…”

    Já escravisaram os jovens, hora de tomar o patrimônio da velharada…

    #TODOSSERÃOESCRAVOS
    #PATRIMONIALISMOESTÚPIDO
    #MORRENDODEFOMEMASTEMBOLHUDOS

    Consignado de aposentados é recorde e governo tenta evitar prática abusiva

    Crédito para categoria cresce 11% em 2019 ante 2018 e vai a R$ 138,7 bilhões, mas, apesar de responder por uma das menores taxas de inadimplência, 2,6%, os juros ainda são muito altos, 22,2%

    Toda vez que o aposentado Fábio de Melo Campos, 82 anos, vai receber sua aposentadoria no quarto dia útil de cada mês, já sabe que a palavra mais dita por ele no caminho até chegar à agência bancária da Caixa será “não”.

    A recusa às várias propostas de consignado que recebe no percurso de representantes de bancos concorrentes e do próprio banco estatal é feita não só pessoalmente, mas também por telefone e por correspondência. Campos já até pegou um consignado de R$ 8 mil, há seis anos, para pagar uma dívida bancária mais cara, mas agora persiste em resistir às ofertas de crédito. “O que ganho já não é muita coisa, se tiver um desconto do empréstimo, não consigo pagar minhas contas, meus remédios”, afirma.

    Ele é apenas um exemplo do assédio de bancos a essa clientela, que levou as dívidas de aposentados e pensionistas do INSS no crédito consignado a bater recorde em 2019. Ao todo, foram R$ 138,7 bilhões, 11% de aumento em relação ao ano anterior. O governo tenta agora evitar que a prática seja usada de forma abusiva e trabalha para diminuir o custo desse tipo de empréstimo no cenário atual de queda dos juros básicos. O saldo da carteira de crédito cresceu R$ 13,5 bilhões ao longo do ano passado. Como o desconto é feito direto nas aposentadorias e pensões, o patamar dos calotes acima de 90 dias é um dos mais baixos do mercado — fechou 2,6% em 2019.

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,consignado-de-aposentados-e-recorde-e-governo-tenta-evitar-pratica-abusiva,70003185447

    0
  • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2020 at 09:13

    Preços dos imóveis sobem 0,16% em janeiro, maior alta mensal desde 2015, aponta FipeZap
    Aumento é em relação a dezembro. Percentual ficou abaixo da inflação esperada pelo IBGE para o período, de 0,71%.

    1+
    • rogerio 5 de fevereiro de 2020 at 16:05

      devagar e sempre…

      0
    • odorico 5 de fevereiro de 2020 at 17:21

      0,16 é a maior alta mensal desde 2015? Justamente no mês que inflação foi 0,71? Então vem consistentemente valorizando, só que perdendo para inflação.
      Corretor: preço de imóvel nunca cai!
      bolhista: imóvel sempre desvalorizando!
      E segue o barco…. japão aí vamos nós…..

      1+
  • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2020 at 13:21

    Imóveis usados, e não os novos, lideram recuperação do mercado
    Em 2019, o financiamento de usados cresceu 77%, enquanto o de novos caiu 7%
    https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/02/imoveis-usados-e-nao-os-novos-lideram-recuperacao-do-mercado.shtml

    0
  • odorico 5 de fevereiro de 2020 at 17:26

    Quem quiser analisar melhor o mercado de imóveis do DF (tem outras regiões).
    https://www.imovelweb.com.br/noticias/imovelweb-index/wimoveis-index-um-retrato-mercado-imobiliario-distrito-federal/

    0
    • odorico 5 de fevereiro de 2020 at 17:32

      Interessante é o tempo de retorno do investimento … acima de 20 anos de aluguel para recuperar o valor colocado no imóvel. Enfim, comprar um imóvel é antecipar um serviço (morar) por 20 anos. Mas se for para investimento a rentabilidade média está em 4,6% ao ano (curiosamente o CDI). Então se consegue montar um carteira que dê mais que 100% do CDI você está no lucro. A minha está dando consistentemente acima de 160% do CDI. Há que se considerar ainda, vacância, imposto, inadimplência, depreciação, manutenção, etc.

      0
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 6 de fevereiro de 2020 at 06:06

    NY, a cidade das máfias pareçe que tomou uma medida contra uma delas: a dos corvos do aluquel.

    Surprise for New York Renters: No More Broker Fees

    Regulators unexpectedly banned broker fees for renters, which in the city have long amounted to as much as 15 percent of the annual lease.
    In an unexpected addendum to last year’s rent laws, state regulators said renters can no longer be charged broker fees, potentially upending the market and delivering the latest blow to an industry already reeling from new regulations and sweeping tenant protections.

    New York is one of the few cities in the country with a broker industry that has such financial leverage over how people rent apartments.

    And the elimination of broker fees, in addition to the laws passed last year, pushes New York further as a national leader in creating rules favorable toward renters.

    Brokers can still collect a fee, the state said in the revised rules, but it must be paid by the landlord unless a prospective tenant hired them to help find an apartment.

    https://www.nytimes.com/2020/02/05/nyregion/nyc-landlord-rental-broker-fees.html

    0
  • Krakenvader 6 de fevereiro de 2020 at 08:04

    Mais uma pedra que eu cantei há uns 3- 4 anos aqui no Blog:

    Reza a lenda que a próxima grande crise nos US será causada pelo altíssimo endividamento estudantil por lá. Aqui já temos um combo de bolha imobiliária com estudante endividado. A prova está aí: SELIC a 4.25% e a economia nem se mexe.

    3+
    • Krakenvader 6 de fevereiro de 2020 at 08:05

      3+
      • Krakenvader 6 de fevereiro de 2020 at 08:20

        “O ano começou com alguns indicadores ruins sobre a economia. A venda de veículos caiu 3,2% se comparado com Janeiro de 2019. Se comparado com Dezembro, a queda foi de 27%”

        O brasileiro está muito endividado. Teoricamente, o primeiro setor que deveria abrir o bico é o imobiliário. Mas aqui é Brasil e tem o fator FGTS!!

        1+
        • rogerio 6 de fevereiro de 2020 at 09:16

          Outro detalhe que talvez resulte em uma pequena retomada é que renda fixa não está rendendo, então o pessoal opta por comprar imovel para “proteger” seu dinheiro da desvalorização inflacionária.

          2+
          • odorico 6 de fevereiro de 2020 at 13:58

            Sei não, pessoal já está notando que imóvel gera despesa, mesmo com aluguel. Afinal tem depreciação, manutenção, inadimplência… enfim, muita gente não está comprando imóvel só pelo fato de gastar… Principalmente padrões maiores…. onde falta renda não tem como manter… Em brasília eu apostaria que a maior queda foi no lago sul, mas é um mercado muito específico… Muita gente já notou que não vai vender, aí bota para alugar, mas aí o imóvel é antigo da década de 70 , 80, 90… verdadeiras mansões, mas até para alugar gera gasto e não tem quem vai querer comprar, pois a reforma fica cara.. Enfim, não tem jeito nos próximos anos os “sapos” patrimoniais serão cozidos….

            1+
            • Tagore 6 de fevereiro de 2020 at 21:46

              Os funcionários públicos estão no início de um processo de perda salarial. Em março, com o aumento das alíquotas previdenciárias, um servidor que ganhe 20 mil (não tão incomum no DF) vai ter um aumento da alíquota em 600 reais. Ou seja, menos 600 reais todo mês. Restrições orçamentárias devem reduzir parcelas não salariais (vale alimentação, participação dos órgãos públicos nos planos de saúde, etc.). A eventual aprovação da PEC Emergencial vai permitir a redução de até 25% dos salários por 2 anos. Ou seja, a época em que ser servidor público era um bom negócio vai ficar para trás, processo que já ocorreu com os ferroviários (1930/1940), professores (1950/1960), metalúrgicos (1970/1980) e bancários (1990/2000). Ou seja, a parcela da classe média representada pelos servidores vai desaparecer e não parece que vai ocorrer uma redistribuição de renda, mas apenas uma concentração no 1% do topo. Ou seja, vai se realizar a profecia aqui tantas vezes dita de que “Vai ter crédito, mas ninguém vai ter renda”.

              0
              • tmarabo 7 de fevereiro de 2020 at 14:18

                vai continuar sendo bom ser FP: estabilidade (por mais que mexam, não vai acabar, só no papel) altos salários e menos trabalho.
                ou quem ganha 20k na iniciativa privada??? mesmo perdendo com aumento de alíquota, não reposição inflacionária, ainda assim e´um baita negócio.

                1+
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2020 at 09:27

    Stênio Garcia é sempre lembrado por ser o eterno parceiro de Antonio Fagundes da série Carga Pesada, né? Quem não lembra do bordão: “É cilada, Bino!”

    E o ator de 87 anos realmente caiu em uma cilada nos últimos tempos!

    O artista disse que comprou três salas comerciais na Barra da Tijuca da SPE CHL XCII Incorporações, mas nunca recebeu. Após entrar na Justiça, ele conseguiu o direito de ter o dinheiro de volta, mas até hoje não recebeu nada.

    Segundo Stênio, mesmo ganhando na Justiça, não terá o dinheiro de volta porque a construtura faliu. A mulher do ator, Marilene, pensa que não tem mais nada a se fazer. Já ele não concorda. “Não aceito. Não dói menos, não. Dói profundamente”, lamentou. A empresa não se pronunciou.

    https://maxima.uol.com.br/noticias/famosos/stenio-garcia-tem-prejuizo-de-r-159-mil-e-lamenta-perdi-tudo.phtml

    1+
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2020 at 10:17

    Corte na Selic sinaliza descrença do BC em reação mais forte da economia… – Veja mais em https://josepaulokupfer.blogosfera.uol.com.br/2020/02/05/corte-na-selic-sinaliza-descrenca-do-bc-em-reacao-mais-forte-da-economia/?cmpid=copiaecola

    1+
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2020 at 10:36

    Os bancos Santander e Itaú Unibanco promovem a venda de 300 imóveis residenciais e comerciais em leilões, por valores até 73% abaixo das avaliações de mercado. O Santander promove dois leilões com datas de encerramento diferentes.

    https://extra.globo.com/noticias/economia/castelar/bancos-leiloam-300-imoveis-com-descontos-de-ate-73-24231564.html

    1+
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2020 at 10:43

    SÃO PAULO, SP – A recuperação do mercado imobiliário está sendo puxada pelos imóveis usados. Em 2019, o financiamento desse tipo de unidade cresceu 77%, enquanto o de novos caiu 7%, segundo dados da Abecip (associação de entidades de crédito imobiliário e poupança).

    O descompasso levou a uma inversão da tendência observada nos anos de crise, quando os novos superaram os usados em todos os anos, chegando a uma diferença de quase R$ 9 bilhões em 2016.

    “O mercado primeiro desovou o estoque de novos, para depois o de usados. Agora estamos em um momento de pouca entrega de novos apartamentos. Então vemos agora um mercado de preços atrativos, combinados com taxas de juro bastante atrativas também”, afirma Cristiane Portella, presidente da Abecip.

    Portella ressalta que embora o mercado esteja se recuperando, o preço dos imóveis está longe de alcançar o mesmo patamar que estava em 2014, antes da crise. Entre os imóveis usados, o valor ainda está em média 80% do que era há seis anos.

    Outra fator que pode ter contribuído para o aumento de 77% do financiamento de usados é o leilão extrajudicial de imóveis, diz Luciana Royer, professora da Faculdade de Arquitetura da USP e especialista em crédito imobiliário. Segundo ela, o número de imóveis leiloados desse modo em 2018 e 2019 mais que triplicou em relação a 2016.

    O aquecimento recente entre os usados, no entanto, não é generalizado, mas limitado ao segmento de imóveis acima de R$ 1,5 milhão, segundo Hermolin.

    “Na prática, no ano passado a economia real não mudou muito. Você continua tendo desemprego, e novos postos de trabalho ainda começam a aparecer de modo muito tímido. O mercado se aquece então nesse segmento [de alto padrão]”, avalia.

    https://www.selecoes.com.br/plantao/imoveis-usados-e-nao-os-novos-lideram-recuperacao-do-mercado/

    1+
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 6 de fevereiro de 2020 at 10:57

    OFF – Desabilitando a proteção de site no firefox traz as funcionalidades de volta.

    Click no cadeado, selecionar desabilitar proteção.
    Os navegadores estão forçando o uso de HTTPS (HTTP seguro) em todos os sites 😉

    2+
    • Bolha BOSS 6 de fevereiro de 2020 at 14:49

      Apesar de trabalhar com isto, eu não estava sabendo desta atualização.
      Vou editar o código fonte e já te digo

      0
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2020 at 11:13

    Para os especialistas, o consumo das famílias perdeu força, depois do impacto da liberação dos saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), e a indústria voltou a titubear (fechou 2019 com queda de 1,1%). As encomendas do comércio desabaram nos últimos dois meses.

    Além disso, os investidores, sobretudo os estrangeiros, estão desanimados com os rumos do governo. Ainda que a equipe econômica esteja tentando levar adiante projetos importantes de reformas estruturais, o presidente Jair Bolsonaro não desperta confiança suficiente para estimular o aumento do parque produtivo.

    Nas contas do BNP Paribas, o risco é de o Brasil não crescer sequer os 2% que estava prevendo. Os preços das principais mercadorias exportadas pelo Brasil para a China estão em queda livre. E esse quadro não deve se reverter tão cedo, uma vez que não se sabe o impacto real do coronavírus no PIB chinês.

    http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/economistas-admitem-que-brasil-pode-crescer-menos-que-o-esperado-2-esta-virando-teto/

    0
  • odorico 6 de fevereiro de 2020 at 11:20

    Alguém com conta na easy? Nós últimos dias bem instável, problemas, etc…

    0
    • MARK 6 de fevereiro de 2020 at 12:11

      Eu tenho, odorico. Está instável sim, no aplicativo aparece uma mensagem avisando desse problema.

      0
      • odorico 6 de fevereiro de 2020 at 14:10

        O chato é que minha conta está negativa(erro, pois deveria ter uma merreca positiva) e tem tesouro em liquidação, acredito que vão tirar o negativo da disponibilidade de aplicação…..

        0
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2020 at 15:51

    Indicador de Desemprego tem maior nível desde abril de 2019, diz FGV
    Quanto menor os números do ICD, melhor o resultado, isso porque ele funciona como um sinal semelhante ao da taxa de desemprego

    0
  • rogerio 6 de fevereiro de 2020 at 16:45

    Easynvest com cdb de curto prazo a 146% do cdi.

    0
  • rogerio 6 de fevereiro de 2020 at 16:48

    Para Rodrigo Maia, Brasil ainda está em crise, e Bolsa está ‘supervalorizada’.

    https://economia.uol.com.br/noticias/estadao-conteudo/2020/02/06/ha-um-longo-caminho-com-as-reformas-economicas-diz-maia.htm

    0
    • Strike 6 de fevereiro de 2020 at 17:59

      Maia jogou água no chopp…

      0
  • Cambura-SC 7 de fevereiro de 2020 at 00:46

    Passando aqui no BIB novamente para me atualizar com o Alemon Fritz sobre como andam no Brasil os assassinatos, feminicídios, suicídios, chacinas, acidentes, catástrofes, doenças e crimes passionais, kkkk, brincadeira a parte,
    São aquelas notícias que ninguém gosta mas todos lêem.
    Aqui no BIB tem bastante conterrâneos de Chapeco, Araranguá, Jaraguá, Itajaí, Joinville e Floripa que conheço bem, já que sou de B. Camboriú mas estou semanalmente lá.
    Grande abraço a todos.

    3+
  • Cambura-SC 7 de fevereiro de 2020 at 00:50

    Onde anda o Dr. Estranho?
    o Último post dele relacionava o não estouro da bolha a lavagem de dinheiro com imóveis.
    Relatava também um problema de saúde, espero que esteja bem.

    1+
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 7 de fevereiro de 2020 at 05:22

    E lá vamos nós…

    Indicado por Guedes, novo ministro anunciará “grande programa” habitacional

    A estes, já confidenciou alguns projetos como ministro. O principal deles é reativar a construção civil, para a criação de novos empregos, especialmente no Nordeste.

    Para isso, Rogério Marinho pretende anunciar o que chama de “um grande e novo programa” de habitação popular.

    Na prática seria uma retomada do Minha Casa Minha Vida. Mas há dúvidas quanto à manutenção do nome. O governo Bolsonaro quer se livrar de marcos da administração petista que ainda tenham peso na opinião pública.

    Se conseguir estabelecer um grande programa de geração de empregos, tentará refazer a imagem de vilão da classe trabalhadora. Um carimbo explorado por seus opositores desde quando ele atuou como relator do projeto de reforma trabalhista aprovado no governo de Michel Temer.

    https://noticias.uol.com.br/colunas/tales-faria/2020/02/06/indicado-por-guedes-novo-ministro-anunciara-grande-programa-habitacional.htm

    0
    • tmarabo 7 de fevereiro de 2020 at 14:15

      programa habitacional não é o problema. o problema é que provavelmente vá ser planejado e executado em cima dos preços inflados pela bolha imobiliária, pagando mais do que vale.

      0
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 7 de fevereiro de 2020 at 06:06

    E lá vamos nós… again…

    Protejam suas carteiras, o governo precisa de dinheiro, o seu.
    Vão cobrar impostos sobre “transações” da Google, Apple, Microsoft, Amazon e Facebook???
    Imposto de uso de gmail? Ou a notícia está confusa, ou tchutchuca está confuso ou ambos… mais jabuticaba vindo…

    Guedes insiste com senadores em novo imposto para desonerar folha salarial

    Ministro voltou a mencionar o ‘imposto do pecado’, que incidiria sobre cigarros, bebidas e alimentos processados com açúcar, e um tributo sobre transações eletrônicas; propostas já foram rejeitadas por Bolsonaro e pelo Congresso

    O imposto sobre “pecados” incidiria sobre produtos como bebidas alcoólicas, cigarros e alimentos processados com açúcar. Já o imposto sobre transações eletrônicas seria cobrado, sobretudo, das cinco grandes empresas de tecnologia: Google, Apple, Microsoft, Amazon e Facebook.

    A proposta de simplificação do sistema tributário é anunciada por Bolsonaro como prioridade para 2020, mas Guedes até agora não enviou o texto do governo prometido desde o fim da votação da reforma da Previdência na Câmara, em agosto do ano passado. A demora de Guedes têm irritado parlamentares da Câmara e do Senado.

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,guedes-insiste-com-senadores-em-novo-imposto-para-desonerar-folha-salarial,70003188418

    0
    • tmarabo 7 de fevereiro de 2020 at 14:13

      é difícil, pois o governo federal está em déficit e a dívida de hoje é o imposto de amanhã (gustavo franco).
      ou seja, mais honesto com as futuras gerações seria ou cortar gastos (difícil de fazer imediatamente) ou aumentar impostos de modo a pelo menos zerar o déficit primário.
      mas isto não vai acontecer, então vamos deixar as contas pros nossos filhos.

      0
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 7 de fevereiro de 2020 at 06:58

    OFF – Excelente vídeo com argumentos racionais e científicos.

    Why Gas Engines Are Far From Dead – Biggest EV Problems
    Engineering Explained

    https://www.youtube.com/watch?v=Hatav_Rdnno

    0
  • Loucodf 7 de fevereiro de 2020 at 09:01

    Novos salários no Banco do Brasil têm redução de até 40%
    https://www.metropoles.com/colunas-blogs/grande-angular/novos-salarios-no-banco-do-brasil-tem-reducao-de-ate-40

    Mordida forte do BB.

    Estranho falar que é só para novas promoções, minha mulher trabalha lá como terceira.
    Diz que tem gente chorando pra todo lado.

    Talvez eu tenha entendido errado a matéria.

    0
  • Tagore 7 de fevereiro de 2020 at 09:05

    O Uber e o emprego na Era Digital

    O Globo – Pedro Doria – 07/02/2020

    Já perguntou para um motorista de Uber quantas horas ele tem de trabalhar para fazer R $3 mil por mês? É um salário que, num agrande cidade brasileira, deixa a família na Classe B. Mas um casal com filho teria dificuldades para bancar aluguel, escola particular e plano de saúde com essa renda. Na quarta-feira, o Tribunal Superior do Trabalho definiu que dirigir Uber não cria vínculo empregatício. Pode ser—e a questão não tem nada de trivial. Mas esse problema não está sequer próximo de terminar.

    O caso analisado foi o de um motorista paulista que havia trabalhado com o aplicativo por quase um ano, entre 2015 e 2016. Ele perdeu na primeira instância mas ganhou no Tribunal Regional da 2ª Região. Lá, os desembargadores argumentaram que havia indícios que poderiam caracterizar vínculo empregatício: habitualidade e subordinação, por exemplo. No TST foi diferente. O ministro relator, Breno Medeiros, sugeriu que, como o motorista pode desligar o app e não trabalhar sempre que desejar, então não é a mesma coisa que um emprego formal. Ainda cabe recurso ao STF, e pode demorar.

    Esta não é a questão. O problema, de fato, é outro. E não do Uber, do iFood, da Cabify, do 99, da Loggi ou da Rappi. O problema não é culpa de ninguém e, no entanto, existe. Não foi à toa que o Parlamento da Califórnia, onde fica o Vale do Silício, decidiu tornar lei o vínculo empregatício entre apps equem presta serviços através dele. É uma solução de curto prazo. O problema, afinal, está no mundo.

    A Era Industrial está acabando. É por isso que inúmeras empresas estão sofrendo crises internas pelo processo de transformação digital. Automatizam processos, cortam funcionários a rodo e tentam sobreviver enquanto reinventam seus modelos de negócio. Muitas dessas empresas vão quebrar. Outras sobreviverão menores.

    A Era Digital está nascendo. Muita gente tem por voltados 40, 50, e um conjunto de habilidades que se tornou desnecessário. Inclusive quem vive solidamente na classe média. Suas profissões ou deixarão de existir ou exigirão um conjunto completamente distinto de habilidades. Vários vão se reciclar e começar novas carreiras. É duro, ma sé o jeito. Outros não vão conseguir. Os próximos dez a 20 anos serão duros.

    O resultado é que muita gente está perdendo o emprego por causa do digital, e encontrar um novo, com as condições às quais nos acostumamos na última era, será cada vez mais difícil. Trabalhar com os apps é um quebra-galho. No sufoco, quando o salário desaparece, resolve o problema imediato. Só que é precário. Dificílimo manter uma vida de classe média sem trabalhar muito mais do que as oito horas da legislação. A CLT caminha a passos largos dese tornar obsoleta e não por maldade da direita, como gostaria a esquerda. Mas porque é um registro dos anos 1930 e 40 e responde a problemas e circunstâncias que não existem mais.

    O grande drama social não é mais garantir direito a greve, evitar que crianças trabalhem no chão de fábrica ou garantir ao empregado férias, carga horária digna ou licença-maternidade. O grande drama social é que aqueles empregos em grandes empresas tenderão a acabar. Ainda existirão empresas muito grandes. Só que precisarão de pouca gente.

    Exigir que os apps deem algo mais a quem trabalha é tentador, e talvez até necessário por um tempo. Mas não custa lembrar. Em grande parte, essas empresas são start-ups que operam no vermelho, queimando o dinheiro de investidores na expectativa de montar um negócio de sucesso. Sim —até o Uber. E a solução é paliativa. Nuns anos, tudo vai funcionar como carro robô.

    Quem resolve a precariedade da vida dos que não terão emprego formal? Este é o problema.

    Há um problema, mas ele não está nos aplicativos. O problema está no mundo, com a passagem para a Era Digital

    1+
  • tmarabo 7 de fevereiro de 2020 at 14:08

    O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado nesta sexta-feira (7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ficou em 0,21% em janeiro. É a menor taxa para o primeiro mês do ano desde julho de 1994, quando se iniciou o Plano Real.

    0
    • odorico 7 de fevereiro de 2020 at 16:34

      Bom e ruim né? Bom porque a inflação está comportada e se acomodando, ruim pois é sinal que a atividade econômica não reagiu…. Exceto por efeito exógenos (como o da carne em dezembro), a inflação não reflete a recuperação (ou será que não há recuperação?)

      0
  • tmarabo 7 de fevereiro de 2020 at 14:11

    E o banco C6?? me pareceu uma boa, há boas aplicações acima do CDI, sem taxa de administração.

    0
    • odorico 7 de fevereiro de 2020 at 16:08

      Também cheguei abrir conta, mas ao acessar vi que há oportunidades com eles nas corretoras e com taxas equivalentes. Enfim, continuo achando que easy, xp e órama ainda são imbatíveis na oferta de cdbs e lcis . O único banco que chega perto, ao meu ver é o Daycoval, mas na verdade ja´está funcionando como uma corretora, pois oferta cdbs de outros bancos….. também, mas sempre tenta ganhar nas taxas….

      0
  • lmg 7 de fevereiro de 2020 at 14:18

    https://www.osul.com.br/stenio-garcia-revela-que-perdeu-r-159-mil-com-construtora/

    O ator Stênio Garcia, de 87 anos, revelou que vive uma situação complicada financeiramente. Ele contou que teve um prejuízo de R$ 159 mil com a construtora SPE CHL XCII Incorporações, do Rio de Janeiro.

    Stênio comprou três salas em um empreendimento, mas até o momento não recebeu os imóveis e nem o dinheiro investido, “perdi tudo o que tinha”, lamentou. Garcia entrou na Justiça para reaver a quantia após a construtora não cumprir o combinado e ainda cobrar taxas abusivas do ator.

    “O prédio está quase construído. Passo na frente dele todos os dias e vejo os andares em que as salas estariam prontas”, diz Garcia, cuja última novela foi “Deus Salve o Rei” (2018), na TV Globo. “Não tenho mais o que investir. Tudo o que eu tinha foi aí. Era o único dinheiro que eu tinha”, relatou.

    No entanto, Garcia não concorda com a companheira. “Não aceito. Não dói menos, não. Dói profundamente. Infelizmente, a empreendedora não empreendeu. Tenho de engolir essa revolta e aguentar”. Stênio disse que o objetivo do casal era aumentar a renda com o investimento. “Eu contava com isso para poder viajar e desfrutar [a vida]”, finaliza.

    0
  • indiobolhista 7 de fevereiro de 2020 at 22:44

    ECONOMIA
    Paulo Guedes compara funcionário público a ‘parasita’ ao defender reforma administrativa
    Segundo o ministro da Economia, máquina pública está quebrada. Servidores reclamaram e, em nota, ministério diz que Guedes ‘reconhece qualidade do servidor’.
    Por Daniel Silveira, G1 — Rio de Janeiro

    07/02/2020 14h25 Atualizado há 27 minutos

    Paulo Guedes compara servidores públicos a parasitas

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, comparou funcionários públicos a “parasitas” ao comentar, nesta sexta-feira (7), as reformas administrativas pretendidas pelo governo federal. Segundo ele, as propostas referentes ao tema serão enviadas ao Congresso na próxima semana.

    Guedes criticou o reajuste anual dos salários dos servidores que, segundo ele, já têm como privilégio a estabilidade no emprego e “aposentadoria generosa”. O ministro argumentou que a máquina pública, nas três esferas de governo, não se sustenta financeiramente por questões fiscais e, por isso, a carreira do funcionalismo precisa ser revista.

    Paulo Guedes em evento no Rio de Janeiro nesta sexta-feira (7) — Foto: Reprodução
    Paulo Guedes em evento no Rio de Janeiro nesta sexta-feira (7) — Foto: Reprodução
    “O hospedeiro está morrendo, o cara virou um parasita, o dinheiro não chega no povo e ele quer aumento automático”, declarou.
    A declaração foi dada pelo ministro em palestra na Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV EPGE) no encerramento de um seminário sobre o Pacto Federativo.

    Segundo o ministro, sua crítica é compartilhada pelos brasileiros. “A população não quer isso [reajuste automático do funcionalismo público]. 88% da população brasileira é a favor, inclusive, de demissão no funcionalismo público”, disse.

    Paulo Guedes se referiu a uma pesquisa Datafolha, divulgada em janeiro, que apontava que, para 88% dos entrevistados, o funcionário público que não faz um bom serviço deve ser demitido.

    “Nos Estados Unidos ficam quatro, cinco anos sem dar reajuste e quando dá todo mundo fica ‘oh, muito obrigado’. Aqui o cara é obrigado a dar [reajuste] porque está carimbado e ainda leva xingamento, ovo, não pode andar de avião”, continuou o ministro.
    Guedes afirmou que o texto da reforma administrativa será apresentado na próxima semana à Câmara dos Deputados. Segundo ele, é grande a expectativa do governo de rápida tramitação.

    “O clima no Congresso é extremamente favorável [à reforma administrativa], ao contrário do nosso clima no ano passado quando nós chegamos com a Reforma da Previdência”, disse.

    Já a reforma tributária, que está sendo desenhada pelo Executivo, “é um pouco mais complexa”, segundo o ministro. Ele destacou que ela deverá ser apresentada a um comitê conjunto, formado entre Câmara e Senado.

    Servidores reclamam
    A fala do ministro gerou repercussão entre os servidores nesta sexta. Em nota, a Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Unafisco) disse repudiar as declarações do ministro, afirmando que os auditores exercem “com orgulho e lisura” suas atribuições.

    “O assédio institucional que vem sendo praticado pelo Sr. Paulo Guedes em relação aos servidores públicos já ultrapassa os limites legais e merece reação à altura”, diz a Unafisco.
    A declaração também gerou reação do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Tipicas de Estado (Fonacate), que pretende acionar a Justiça contra o que considerou assédio moral aos servidores públicos.

    “É uma agressão gratuita e desmedida aos 12 milhões de servidores públicos do país. Nós não podemos admitir um nível de insulto tão vil de alguém que deveria zelar pelo funcionalismo público”, disse o presidente do Fonacate, Rudinei Marques.

    A Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais (Anadef) também se manifestou. “Como servidores públicos que são, os defensores prestam um serviço de qualidade a milhões de brasileiros que necessitam de assistência jurídica gratuita”, afirmou.

    “A Constituição Federal prevê que, até 2022, é obrigatória a presença de defensores em todas as cidades em que houver Justiça Federal. Hoje, no entanto, essa realidade só acontece em 30% dos municípios”, disse a Anadef.

    A repercussão chegou ainda nos funcionários do Banco Central (BC). O sindicato da categoria, o Sinal, disse que o discurso do ministro foi tendencioso, “recheado de inverdades e vazio de fundamentos técnicos”. Segundo o sindicato, o ministro “quer induzir a sociedade a acreditar, entre outras barbaridades, que o servidor recebe reajuste salarial automático, mas que “o último acordo negociado com o governo data de 2015”.

    Já o Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Federal e do Tribunal de Contas da União (Sindilegis) escreveu que “alguns agentes públicos desconhecem” a qualidade do trabalho dos servidores.

    “O Brasil precisa de um ambiente equilibrado e propício aos negócios para se desenvolver. Manifestações como essa vão exatamente no sentido oposto. Nós, servidores, trabalhamos duro todos os dias para dar rumo a este País”, defendeu o vice-presidente do Sindilegis, Alison Souza.
    Em comunicado, os Auditores-Fiscais da Receita Federal (Sindifisco-Nacional) afirmaram que o desequilíbrio das contas públicas tem por origem “excessivos subsídios fiscais praticados por anos, em favorecimento de setores econômicos com privilegiada relação com o Governo e com o Congresso.”

    “O maior deles, a desoneração da folha, foi responsável por mais de 600 bilhões de reais de subsídios nos últimos 10 anos”, disse o Sindifisco.

    Ministério diz que ministro reconhece qualidade do servidor
    Em nota, o ministério da Economia afirma que o ministro Paulo Guedes reconhece a qualidade do servidor público, e que a reforma administrativa é para “corrigir distorções”.

    “O Ministério da Economia esclarece que, após reconhecer a elevada qualidade do quadro de servidores, o ministro Paulo Guedes, analisou situações específicas de estados e municípios que têm o orçamento comprometido com a folha de pagamento”, diz a nota.

    “O ministro argumentou que o país não pode mais continuar com políticas antigas de reajustes sistemáticos. Isso faz com que os recursos dos pagadores de impostos sejam usados para manter a máquina pública em vez de servir à população: o principal motivo da existência do serviço público. O ministro defendeu uma reforma administrativa que corrija distorções sem tirar direitos constitucionais dos atuais servidores”.

    O que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

    As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.
    Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita.
    Inscreva-se e receba a newsletter
    São Paulo
    Corregedoria da PM considera legal ação que terminou com 9 mortes em Paraisópolis
    Há 6 horasSão Paulo
    Fuga do coronavírus
    Brasileiros resgatados em Wuhan estão a caminho de Goiás
    Há 1 horaGoiás
    Videogame, internet, banda: como será a quarentena em Goiás
    Há 8 horasGoiás
    Foragido
    Vídeo mostra suspeito de matar família comprando gasolina
    Há 2 horasSão Paulo
    Censura
    Denúncia de palavrão motivou pente-fino de livros em Rondônia
    Há 1 horaRondônia
    Administração federal
    Guedes chama funcionário público de ‘parasita’ ao defender reforma
    Há 8 horasEconomia
    Economia
    Dólar sobe mais, fecha a R$ 4,31 e renova recorde
    Há 6 horasEconomia
    Floresta ameaçada
    Área sob alerta de desmatamento na Amazônia bate recorde
    Há 7 horasNatureza
    Carnaval
    25% dos blocos desistiram de desfilar em SP; nº cai para 644
    Há 2 horasCarnaval 2020 em São Paulo
    Fim de semana no Rio tem estreia de Claudia Leitte e 40 blocos
    Há 3 horasCarnaval 2020 no Rio de Janeiro
    © Copyright 2000-2020 Globo Comunicação e Participações S.A.

    0
  • indiobolhista 7 de fevereiro de 2020 at 22:47

    com certeza a reforma dos parasitas será feita gradualmente estilo macri em 800 anos …….. parasitas são uma corporação de 12 milhões de chupadores

    0
    • odorico 8 de fevereiro de 2020 at 16:43

      Sem querer criar intriga, mas olhando por outro lado… lado do parasita aqui…kkkk
      Como sempre afirmei, virei FP por uma leitura do ambiente, já fui clt, pj, consultor, professor, tive empresa…. Mas um dia a ficha caiu… virei parasita, opa servidor público….
      Não se enganem quem criou o parasita foi a classe política, os parasitas sem estabilidade, que tem que sugar o máximo no menor tempo, já que não sabem que dia vão estar fora. Foi para aumentar suas regalias que a classe política criou a corte e seus benefícios…pois sabiam que suas regalias acabariam se não fizessem concessões aos servidores públicos estáveis que iriam barrar qualquer iniciativa….
      Enfim, se somos parasitas, fomos criados na simbiose com a classe política que tem zilhões de assessores, verbas, gabinetes, indicações, auxílios etc. para rirem fizeram rir.
      Que tal cargos eletivos terem prova? Que tal cargos eletivos serem somente para profissionais de carreira? Quer ser prefeito? Passe para um cargo qualquer no seu município? Quer ser governador? faça uma prova de direito administrativo. Quer ser senador? faça uma prova de direito constitucional . Quer ser ministro? que tal ser sabatinado, mas não pelo senado, mas por uma equipe técnica do ministério ou especialistas do setor?
      Enfim, as falácias do guedes são rasas e simplistas daqueles que acham que um homem ou um governo vai salvar o brasil ou que se pode achar um único culpado para tudo. A culpa é do pt, a culpa é trump, a culpa do lula, a culpa é do bolsonaro, a culpa é da constituição de 88? não, a culpa é de todos nós…. nós criamos o que está aí….
      Tocar na classe política, nos cargos comissionados, nas regalias e verbas o guedes não quer, afinal…. ele vai perder votos no parlamento, proteção no judiciário e influência no executivo
      Mas concordo que não preciso de reajuste nos próximos 10 anos que ainda vou ganhar bem.
      O que posso dizer é que a maioria dos servidores públicos presta um serviço melhor ao Brasil que prefeitos, governadores, deputados, senadores, vereadores, ministros, etc e mesmo aqueles que fazem corpo mole e não trabalham, pelo menos não roubam (se o fazem são valores bem menores).
      Enfim, preocupem-se muito mais com os cargos eletivos e de indicação do que com os FP concursados e estáveis. FP concursado tem algo a perder (estabilidade, carreira, emprego, salário, respeito)… Os políticos e afins são mercenários e vivem a vida de eleição em eleição….

      6+
      • MARK 8 de fevereiro de 2020 at 17:18

        Concordo odorico, se tem uma praga pode-se dizer que são os aspones indicados que vemos nas repartições públicas. Sempre teremos algum vagabundo no meio dos funcionários públicos, algum folgado, mas vejo muitos bem dedicados e responsáveis, não se pode generalizar.Quantas empresas privadas trabalhei e vi gente que nada fazia, mas era amiga do gerente, do diretor e continuava lá. Na autarquia em que trabalho, sou parasita também (ah tah… rs), convivo com uns 25 indicados políticos. Sabe quem faz o serviço de fato? Os concursados. A chefe de departamento nem sabe o que faz lá, a mesa uma bagunça e ela não se incomoda, pouco passa por lá e só vai por que alguém está ficando irritado com ele. O assessor de políticas públicas nem sabe o que é uma política pública, depois de um bom tempo colocaram um efetivo ensinando o cara a fazer alguma coisa, deram uma pasta de projetos e a incumbência é só ficar ao telefone oferecendo esses projetos e vendo onde podem acontecer, nada, zero de planejamento. Uma função que qualquer zé ninguém poderia executar. Isso para citar um exemplo, pois não vejo um único deles desempenhar satisfatoriamente suas funções, nem sabem o que fazer, tudo tem que vir perguntar pra nós ou jogar a bomba pra gente. Lembro muito da mesma lenga lenga quando davam como solução a terceirização, nossa quase acreditei e aí fui ver a prática. Era uma empresa de segurança patrimonial e limpeza. Agora estaremos seguros e o ambiente limpo…. E como… Os contratados da empresa eram todos indicados pelo prefeito e pelos vereadores, não se podia reclamar deles. A segurança patrimonial passava o dia no celular sem sequer olhar para a cara de quem estava entrando e muito menos cumprimentar e orientar as pessoas. A limpeza então nem preciso detalhar. Uma coisa eu aprendi aqui no BIB, quando muita gente está falando uma coisa ou pra fazer alguma coisa, desconfie. O que se quer é mudar o modelo, tira-se os concursados que possuem um nível de instrução melhor e são mais capacitados para colocar esses aspones que serão massa de manobra para os politiqueiros de plantão. Um concursado se recusa a executar tarefas que comprometam seu cargo, os aspones não estão nem aí, assinam qualquer coisa. O CA já bem falava quem era o Paulo Guedes e seus interesses.

        7+
        • indiobolhista 8 de fevereiro de 2020 at 23:12

          Paulo Guedes é um miseravel e os parasitas são seu enteados chupadores de sangue, não prestam nem para abono, nem 1 só, nem doutores, nem enfermeiras, nem bombeiros ….. cobram o triplo do que merecem( judiciario é mais lixo ainda), na real são a causa da quebra do Brasil, por babar ovo dos padrastros detonaram as contas públicas.

          3+
      • indiobolhista 8 de fevereiro de 2020 at 23:08

        quase choro de emoção ….. shuashuashua ……

        0
  • indiobolhista 8 de fevereiro de 2020 at 08:40

    Bom dia, alguem sabe quanto custa construir um posto de combustível parecido com aquele do anuncio? https://ba.olx.com.br/regiao-de-juazeiro-e-jacobina/comercio-e-industria/posto-de-combustiveis-apto-2-4-2-pontos-comerciais-616332578

    0
  • odorico 9 de fevereiro de 2020 at 14:55

    “Tava bom, já não tava muito bom, tava ruim também, disseram que ia mudar para melhor, mas agora parece que piorou”
    https://www.bbc.com/portuguese/geral-51272233

    1+
  • Cajuzinha 10 de fevereiro de 2020 at 09:48

    Segundo o representante do Sinduscon-MS, no ano passado o setor criou 2 mil vagas em Mato Grosso do Sul. “Foi um ano para esquecer, mas neste ano vamos mais que dobrar o número de empregos”, afirmou Melo.

    https://www.correiodoestado.com.br/economia/queda-dos-juros-estimula-crescimento-do-mercado-imobiliario/367370

    1+
  • MARK 10 de fevereiro de 2020 at 13:47

    Dias de chuva forte são ótimos para na rua, passei por diversos trechos totalmente alagados aqui em Santos. Na Av. da praia, do Canal 1 à divisa e em frente ao shopping Miramar do Gonzaga e seu entorno tudo alagado, coisa de 30 a 50 cm.Não era poça não, era alagamento total. rs

    2+
  • odorico 10 de fevereiro de 2020 at 13:55

    Meu deus, ouro a 218 o grama. Eu comprei a 154 e a 200 pensei em comprar de novo e deixei quieto….
    Agora esperar…..

    3+
    • avatar
  • odorico 10 de fevereiro de 2020 at 15:34

    Revisão….
    https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/02/10/mercado-volta-a-prever-queda-na-inflacao-oficial-de-2020-informa-bc.ghtml
    Quando vai ter um ixpecialista falando que se os imóveis não tobarem uns 30% (cabalístico), não haverá correção na economia que dê jeito….. E falo isso no valor e no aluguel…
    CVR loja fechada há mais um ano num prédio comercial guará II e pergunto aos vizinhos… porque não aluga… a “empreendedora” do lado responde… o dono não baixa o preço, 5k, prefere ficar deixar fechada… e eu pergunto? e você? (já que a loja é igual no tamanho). O dono da minha negociou e mesmo assim dou umas atrasadas, tem mês que trabalho para aluguel….
    Se não há sobra, onde vai haver consumo…?.

    1+
  • MARK 10 de fevereiro de 2020 at 17:02

    CVR DA TARDE – Tempos atrás fui ver uma casa que estava 650k, fiz proposta de 450k e fui bem relutante em aumentar a oferta. Cheguei a 480 e já estava achando demais pois a casa tinha virado comércio e estava muito modificada em sua planta, iria dar um trabalhão devolver a cozinha pro local de origem fora, pisos, revestimentos, escada, janelas… muita coisa. Um dos donos bateu o pé e por menos que 500 não vendia. Não aceitei. Depois cedi mas alegaram que já estava vendida. Ontem fazendo uma pesquisa aparece a casa “reformada”. Pintaram de verde, trocaram o laminado da sala, removeram uma porta de box que dividia a sala em duas e pintaram tudo por dentro. Agora querem 900k por uma casa velha que foi apenas pintada. Dei risada né… Que gente burra, não vão vender nunca. A do lado que demorou três anos pra vender saiu por 450 para um dos herdeiros.

    4+
    • avatar
    • odorico 10 de fevereiro de 2020 at 18:21

      Pois é, o valor fictício está fazendo muitos não verem que nesses preços não vão vender…. aquele que decide/precisa vender abaixa. Enfim, há dois mercados, um imobilizado com o preço fictício, “vale” mas não vende, não aluga, não negocia. O outro é o mercado real, o apê de 500k vendido por 350k. O carro de 20k vendido por 15k. a loja de 5k alugada por 3,5k. O mercado fictício está parado, esperando que as coisas mudem (para cima). O mercado real está girando sabendo que as coisas mudaram (para baixo). Um fenômeno que estou vendo nas redes sociais (face e insta), grupos de condomínios, mercado livre e whatsapp é a quantidade de empreendedores virtuais, isto é pessoas que apostam nas plataformas online para fazerem suas lojas. Esses dias recebi num grupo um link de uma distribuidora de bebidas online (não existe fisicamente), segundo o dono no whatsapp ele entrega num perímetro do guará com frete grátis (dependendo do pedido) ou valor do motoboy. A pessoa pode ir pegar também, ele separa o pedido, mas no local não tem nada que identifique o . Tudo se dá através do whats. Em unaí-mg, cidade próxima de bsb, uma conhecida tem uma loja de sapato na sala de casa (com mostruário, espelho e tudo), as mulheres se conectam via insta da cidade e marcam horário. Ela aceita sapato usado na troca para vender no brechó (também na sala de casa). E para algumas clientes, ela leva os pares em casa (afinal a pessoa só tem que experimentar, pois já viu o modelo no face/insta/whats…. etc. Só o fato de não pagar aluguel já faz diferença no resultado mensal….

      3+
      • avatar
  • Cajuzinha 10 de fevereiro de 2020 at 17:37

    1/3 dos brasileiros deve tomar empréstimo nos próximos 6 meses – a maioria para quitar dívidas, diz Serasa
    Cartão de crédito aparece como principal débito a ser pago, mostra pesquisa, seguido por crediário e cheque especial.
    Por G1

    10/02/2020

    Entres os endividados, 75% dizem ter ficado nessa situação porque ficaram desempregados ou tiveram algum problema inesperado. Uma parcela menor, de 18%, admite falta de controle financeiro e 7% dizem ter feito compras por impulso.

    3+
    • avatar
  • indiobolhista 10 de fevereiro de 2020 at 20:07

    cvr loja de materiais de construção antigamente sucedida falindo por falta de vendas, hamburgueria há 50 metros de onde moro, onde o hamburguer mais barato custa 30 reais fechou as portas por falta de freguesía faz 15 días, e uma folha na porta anunciando o motivo do porque fecha as portas, a não rentabilidade do emprendimento. Cada día tem pessoas pagando aluguel mais baixo, mesmo com desconto não conseguem nem pagar aluguel. MALDITOS PARASITAS FILHOS DA ÉGUA, LADRÕES MISERAVEIS, SÃO VOCES QUE SUGAM A SANGUE DE TUDO O MUNDO VÍA IMPOSTOS, E AINDA OS BUROCRATAS ENCHEM DE REGRAS TUDO, TAXAM ATÉ O SOL. Até o ladrão do Guedes reconhece seus enteados.

    3+
    • odorico 10 de fevereiro de 2020 at 23:40

      Só um minuto, então empreendimentos não são rentáveis por causa dos parasitas e dos burocratas? Entendi, vou avisar o Uber, o cowork, e outras empresas que só dão prejuízo sobre isso e continuam valendo mais a cada dia. No capital especulativo….Rentabilidade vem de ambientes de capital, produtividade, regulação, riscos, etc Então somos todos parasitas pois um trabalhador brasileiro produz pouco e com serviço de má qualidade e quer ter garantias do europeu, o dono da hamburgueria não deve entender uma planilha Excel nem preencher o e-social devidamente, não avalia riscos, na sabe formar preços, não tem capital e acha que o banco ou governo tem o dever de emprestar dinheiro barato, lembrando que é dinheiro do povo, mas acha que o quiosque dele ia virar Mac Donald se não fosse os impostos Ah, faz-se justiça, a regulação atrapalha, o FP burocrata atrapalha, mas provavelmente foi um empresário que não sabendo competir bancou regulação para se proteger ou como diz ele proteger os empregos. Eu faço a minha mea culpa.. Estamos todos no mesmo barco e nós que construimos. Os problemas do Brasil não estão no FP, no governo, no empresário, no trabalhador, no idoso, no jovem, no político, etc, ao mesmo tempo o problema está em tudo isso. Quem gosta de história pesquise sobre a vinda da família real e as concessões de serviços públicos, pesquise a origem do termo para inglês ver, só isso já dará um grande resumo do porque estamos desse jeito.

      4+
      • MARK 11 de fevereiro de 2020 at 07:10

        A incompetência em gerenciar o negócio é sempre culpa dos outros, né odorico…. rs

        5+
        • avatar
        • odorico 11 de fevereiro de 2020 at 08:59

          Não, claro que tem o fator ambiental e pessoas extremamente competentes que quebram justamente por carga tributária, corrupção, dificuldades regulatórias, etc. O que sou contra é o empreendedorismo amador. Tem muita gente que empreende justamente por que é um péssimo profissional, aí não aguenta ser corrigido pelo empregador e vai ser dono do próprio negócio. Aconteceu recentemente na minha família, não aceitava críticas e sugestões e foi abir seu negócio para não receber ordens. Quebrou em 1 ano deu tombo em mim e outros familiares que resolveram dar um voto de confiança. Deu tombo em aluguel e fornecedores e a culpa é do fp. Enfim, tem muita gente ruim no Brasil e não e de maldade não. É de gente desqualificada, preguiçosa, arrogante, desonesta, gastona, tanto no serviço público como no trabalhador como no empresariado. Eu faço minha culpa como brasileiro, tenho vários vícios e preconceitos, ao invés de ficar discutindo as regras jogo o jogo e se as regras mudarem eu mudo também. Taí uma coisa que não tenho medo no serviço público é produtividade e avaliação.talvez eu até derrube uns chefes.

          7+
          • avatar
          • Jonny Deep Blue 11 de fevereiro de 2020 at 23:57

            Faço suas palavras as minhas palavras. Tem muito chefe despreparado mesmo.

            1+
          • rogerio 12 de fevereiro de 2020 at 10:21

            Há de relativizar aqueles que empreendem por necessidade, sem nenhum perfil de empreendedor.

            0
      • indiobolhista 11 de fevereiro de 2020 at 08:53

        a prova que os parasitas não prestam nem para abono é que nem enxergam a realidade, banania no ranking de pressão fiscal é segundo posto, só depois de Cuba, se levam a metade do trabalhado vía impostos, poucos empresarios tem lucro real só para manter voces enteados da corporação política, em quanto muitos nem trabalho tem, os que ainda aguentam são expoliados com a força estatal para manter os miseraveís sugasangue odoricos …. ricos roubando vía impostos

        0
  • odorico 10 de fevereiro de 2020 at 23:13

    Prezados, há um tempo atrás, alguém aqui postou uma análise sobre o câmbio onde o dólar deveria estar em 8 reais.
    Nesse vídeo bem no final o ulrich fala em uma tcr 3,58
    https://youtu.be/340FFSl2iE8
    Não consegui achar a análise do colega, se ele ou alguém puder se manifestar, gostaria de revisar a análise e entender as diferenças.

    1+
  • indiobolhista 11 de fevereiro de 2020 at 08:48

    É IMPOSSIVEL PARA MUITOS EMPREENDEDORES TER LUCRO NUM PAÍS ASSALTADO AO EXTREMO PELOS PARASITAS E POR TANTA BUROCRAVIA, OS MEDIOCRES SEMPRE RESOLVEM VIVER ENCOSTADO NO ESTADO SUGANDO A SANGUE DOS QUE PRODUZEM ….. PARASITA SEMPRE PARASITA

    1+
  • indiobolhista 11 de fevereiro de 2020 at 08:54

    Num país normal empresario mediocre vai para falencia, na banania ficam falindo porque são escravos dos parasitas. Assim é impossivel ter lucro.

    1+
  • Cesar_DF 11 de fevereiro de 2020 at 17:51

    La BURBUJA que AMENAZA a COREA del SUR – VisualPolitik
    https://www.youtube.com/watch?v=YR6stzVTj_M

    1+
    • Cesar_DF 11 de fevereiro de 2020 at 17:57

      1+
  • Cesar_DF 11 de fevereiro de 2020 at 18:38

    #OFF – PARA OS AMANTES DA AVIAÇÃO, 2 protótipos revolucionários que fizeram voo inaugural em 2019

    7 passageiros, teto operacional de 65.000 pés, velocidade de cruzeiro de 450 Knots, consumo de 65 Km/l (é isso mesmo que você leu)
    https://www.cavok.com.br/blog/estranha-e-misteriosa-aeronave-celera-500l-teria-realizado-seu-primeiro-voo/

    Peso vazio 590 toneladas, envergadura 117 metros, 6 motores do B747 (750 toneladas de empuxo), capacidade para lançar um foguete de 590 toneladas (só lembrando que o Saturno 5 queimava metade dos seus 1.3 milhão de litros de combustível nos primeiros 15 Km de altitude)
    https://brasil.elpais.com/brasil/2017/06/01/tecnologia/1496303023_390070.html

    2+
  • Alves 11 de fevereiro de 2020 at 22:49

    Justiça autoriza cálculo de ITBI pelo valor pago em leilão de bem
    Pelo menos dez tribunais de Justiça possuem jurisprudência favorável ao comprador

    https://valor.globo.com/legislacao/noticia/2020/02/11/justica-autoriza-calculo-de-itbi-pelo-valor-pago-em-leilao-de-bem.ghtml

    0
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 12 de fevereiro de 2020 at 07:59

    Avisei que aquilo era uma várzea, e muito, muito caro de se viver nela…. 😉

    Aliás como em quase todos os lugares “razoáveis” das nossas grandes cidades.
    Muitos problemas de segurança tb, antiga área de armazéns e fábricas praticamente deserta à noite.
    Mas aparentemente os paulistóides adoram viver como o 007, andar com o carro brindado em velocidade e se enfiar rapidamente nas suas prisões de segurança máxima modernóides 😉

    Moradores e empresários da Vila Leopoldina sofrem com alagamentos
    Bairro que passou por valorização imobiliária na última década não escapou das enchentes que afetaram a Grande São Paulo; região já sofreu com as chuvas em outros momentos.

    SÃO PAULO – Uma Lamborghini submersa na garagem de um condomínio, outros 40 carros ‘afogados’ em uma concessionária de veículos importados, apartamentos que valem mais de R$ 850 mil reais sem energia elétrica ou água, estúdios fotográficos e produtoras de cinema completamente alagados.

    Esse era o cenário em parte da Vila Leopoldina, na zona oeste, um bairro que vive ao menos uma década de valorização e de crescimento imobiliário (a média do metro quadrado na região é de R$ 8.700), mas que não escapou da fúria das chuvas que atingiram São Paulo a partir da madrugada da última segunda-feira, 10.

    Às 5h da manhã, o telefone tocou no apartamento da advogada Erika Teixeira, 31 anos, em um condomínio de classe média alta na Avenida Doutor Gastão Vidigal. Era o porteiro avisando que a água estava subindo muito depressa e os carros na garagem estavam em risco. A partir daí, os moradores também se viram sem energia elétrica, com os elevadores parados e com um corte no fornecimento de água. “Eu e meu marido estávamos quase comprando esse apartamento. Depois do que aconteceu, vamos repensar isso. A gente não imaginava passar por algo assim”, contou Erika.

    Perto dali, na Avenida Mofarrej, outro condomínio de luxo teria a garagem invadida pela água. Em um vídeo que correu a internet e emissoras de TV, via-se uma Lamborghini sendo completamente tomada pelas águas. O prejuízo estimado é de 1.7 milhões. O proprietário não foi encontrado, mas outros moradores comentaram que ele estava em prantos e que o carro não tinha seguro.

    Aliás, a noite de segunda-feira foi bastante agitada no condomínio da Lamborghini. Localizado ao lado de uma igreja batista, os moradores puderem ouvir pedidos de socorro vindos do fundo do templo. Tratava-se de um grupo de 15 missionários, vindos de diversos países, ilhados dentro da igreja. Foi preciso de um bote salva-vidas para o socorro. Sem ter onde ficar, os missionários dormiram e se alimentaram no mesmo condomínio da Lamborghini afogada. “A gente não imagina algo assim acontecendo. Mas o mais importante é que todos estão vivos”, contou a moradora Ana Paula Tieko.

    Ainda sobre prejuízos motorizados, o bairro também teve uma concessionária de carros importados invadida pelas águas. Cerca de 40 veículos estavam no local e o prejuízo estimado é de R$ 5 milhões.

    A Vila Leopoldina também é um bairro em que a economia criativa está em alta. Agências de publicidade, produtoras de cinema e estúdios de fotografia florescem por lá. O PIC (Polo da Indústria Criativa) amanheceu alagado – com filmes, câmeras e computadores absolutamente perdidos. “Uma catástrofe. A gente já tinha passado por chuvas fortes, mas nada como essa. É um prejuízo que ainda não foi calculado, mas que deve ser bem pesado”, falou Paulo Schimidt, diretor da Academia de Filmes.

    Pelo Instagram, o fotógrafo Bob Wolfenson falou sobre os estragos em seu estúdio. “Pelo volume de água, provavelmente perdi coisas do arquivo e equipamentos”. Em outra foto, mostrando o interior de seu estúdio, Wolfenson escreveu: “Depois da inundação trágica, começar a reconstrução”.

    https://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,moradores-e-empresarios-da-vila-leopoldina-sofre-com-alagamentos,70003194086

    0
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 12 de fevereiro de 2020 at 08:03

      Do mesmo artigo:

      Histórico do bairro

      No século 19, a Vila Leopoldina era parte de um sítio chamado Emboaçava, que seria vendido para jesuítas alemães. Até quase a metade do século 20, o bairro desenvolveu-se lentamente. A água potável só chegou na década de 1950, junto com o telefone público e o primeiro cinema de rua do bairro.

      De região de chácaras e terrenos pantanosos (ruins para morar), a Vila passou a sediar muitas olarias, depois galpões industriais e, há mais ou menos quinze anos, tem visto seu perfil residencial ser contornado com mais força.

      Foi em maio de 1969 que a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo surgiu, resultado da fusão de duas empresas mantidas pelo governo do Estado de São Paulo: o Centro Estadual de Abastecimento (CEASA) e a Companhia de Armazéns Gerais do Estado de São Paulo (CAGESP).

      Desde a década de 1990 e até o fim dos anos de 2010, houve uma debandada das fábricas, atraídas por melhores incentivos fiscais em outras regiões do Estado. Nesse período, os donos dos terrenos estavam vendendo seus galpões. Era uma resposta à demanda da expansão imobiliária na cidade. Para as construtoras, era infinitamente mais vantajoso negociar os grandes espaços com um só dono do que empreender a desapropriação de vários imóveis. Além disso, o bairro é valorizado por sua localização: fica no encontro das marginais Pinheiros e Tietê e perto da USP e do Parque Villa Lobos. / (Informações Acervo/Estado)

      3+
      • avatar
      • avatar
      • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 12 de fevereiro de 2020 at 08:43

        Duas pessoas são atingidas por balas perdidas na Vila Leopoldina

        A polícia procura por três suspeitos de envolvimento no tiroteio que terminou com duas pessoas baleadas nesta sexta-feira (10). Um homem que estava consertando cabos de telefonia morreu.

        Exibição em 11 Jan 2020

        https://globoplay.globo.com/v/8229908/

        0
      • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 12 de fevereiro de 2020 at 08:44

        Garagem de condomínio na Vila Leopoldina continua alagada depois do temporal

        Exibição em 12 Fev 2020
        Vários carros ainda estão submersos dois dias depois da chuva.

        https://globoplay.globo.com/v/8314865/

        1+
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 12 de fevereiro de 2020 at 08:40

      E ainda tem mais, muito mais 🙂

      Lamborghini Huracán de R$ 1,6 milhão atingida por enchente em SP não tinha seguro

      Carro fazia parte de um projeto de preparação para chegar a 1.600 cavalos. Antes dos estragos causados pela chuva, donos planejavam leilão beneficente no final da transformação.

      O veículo estava em um condomínio na Vila Leopoldina, em São Paulo, quando as enchentes da última segunda-feira (10) começaram. “O que era um sonho acabou virando um pesadelo”, disse o projetista, que ainda não conseguiu dormir desde que a garagem do edifício foi tomada pelas águas.

      https://g1.globo.com/carros/noticia/2020/02/11/lamborghini-huracan-de-r-16-milhao-atingida-por-enchente-em-sp-nao-tinha-seguro.ghtml

      0
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 12 de fevereiro de 2020 at 08:17

    Aquela “retomada” nas vendas de bolhudos móveis….

    “aluguéis de longo prazo de veículos zero”, “carro por assinatura”, tucanaram o leasing???

    Interessante que bananence adora viver num padrão que não tem condições, nego não admite que não compra porque não tem como, talvez porque tenha enterrado a renda das próximas 2 encarnações no financiamento de um bolhudo.

    Locadoras ‘turbinam’ vendas de veículos, viram rivais de concessionárias e mudam jeito de se ter carro

    Além de revender usados, empresas conquistam espaço com aluguéis de longo prazo de veículos zero. Veja o que pensa quem aderiu ao carro por assinatura e como saber se vale a pena.

    Começar todo ano com carro novo é um desejo que “cabe” em poucos bolsos. Mas novos jeitos de se ter carro, que não a tradicional compra na concessionária, estão tornando isso mais possível.

    São aluguéis por prazos mais longos de veículos zero quilômetro comprados direto — e com desconto — das montadoras pelas locadoras. É o chamado carro por assinatura.

    Com mais esse serviço, além de terem se tornado rivais das revendedoras de usados, abrindo lojas para negociar carros que saem da frota, as locadoras agora disputam clientes com as concessionárias.

    A força é tão grande que as vendas feitas pelas montadoras direto para empresas , entre elas as locadoras, representam quase metade do total de emplacamentos de carros o ano no Brasil, o maior percentual histórico.

    Esqueça a imagem de carro branco e popular: nos aluguéis a longo prazo, as locadoras contam até com modelos luxuosos, variedade de versões e de cores, assim como as concessionárias.

    O empresário Thales Cruz, de 26 anos, optou alugar um Volkswagen Jetta por R$ 2,2 mil mensais depois de ficar descontente com o valor de revenda de seu último carro próprio, um Kia Cerato.
    Acho que estou economizando cerca de 20% com o carro por assinatura. Além disso, não teria como pagar um carro como esse”, diz Cruz.

    Para a economista Tijana Janković o que fez diferença foi a flexibilidade. Ela só usava o transporte por aplicativos, mas quis ter um carro depois de se tornar mãe, em julho. Entre financiar e alugar, ficou com a segunda opção e paga R$ 2,3 mil mensais por um Jeep Renegade.

    O gerente financeiro Thiago Ferreira começou a usar o serviço quando se tornou motorista de aplicativo, outro nicho importante de clientes das locadoras. Mesmo quando parou, continuou alugando.

    Mais em:

    https://g1.globo.com/carros/noticia/2020/02/12/locadoras-turbinam-vendas-de-veiculos-viram-rivais-de-concessionarias-e-mudam-jeito-de-se-ter-carro.ghtml

    3+
    • avatar
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 12 de fevereiro de 2020 at 08:33

      Bananence é trouxa mesmo e tem que se f… muito.

      Leasing de um Jetta no paraíso do gado:

      $ 2,499 +- 10,745 de entrada + $ 169 por mês +- 710 Reais
      = 19.265 Reais no primeiro ano

      Bananence pagaria 26.400 pra locadora…

      New Volkswagen Jetta Lease Offers | Fort Wayne, IN

      https://www.vordermanvw.com/research-jetta-deals.htm

      Se comparar a renda aí tamo fu mesmo…

      According to the Bureau of Labor Statistics (BLS), the median wage for workers in the United States in the fourth quarter of 2019 was $936 per week or $48,672 per year. Wages were 4% higher than on the same date for the previous year.

      $48,672 x $ 6,458

      2+
      • avatar
      • avatar
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 12 de fevereiro de 2020 at 08:38

      Para os muquiranas de plantão, 2200 por mêz dá quase 74 pilas por dia pra andar de uber.
      E os 2300 da dona economista dão 76.6666666666666 😉

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Zé do Brejo 12 de fevereiro de 2020 at 09:01

        No Bananil, apenas os pessimistas fazem as contas.
        Os otimistas, pulam de cabeça.

        13+
        • avatar
        • avatar
        • odorico 12 de fevereiro de 2020 at 15:56

          Pior que é chato saber fazer conta… você é o alienígena dos lugares….não só na questão da compra, da venda, do aluguel, tudo.
          Eu ia comprar um carango novo, aí fiz conta que era melhor vender o meu e alugar.
          Aí fiz a conta de novo e vi que é melhor não vender o meu e não alugar(deixar ele depreciar, fazendo só as manutenções básicas e pagar seguro apenas para um caso do sinistro, que seria um lucro para o valor dele e estado).
          Aí fiz a conta e caso aconteça um sinistro ou mesmo consiga vender um dia, é andar de uber, como disse o colega Carlos acima…. enfim, a pior coisa que aprendi a fazer foi conta… não consigo usufruir do dinheiro que tenho…..

          pensando bem….
          duas férias por ano
          mesadinha para esposa
          plano de saúde de pai e mãe
          queijos, cerveja e vinhos bacanas (sem ostentação, mas de boa qualidade)
          meio período com os filhos, participando da escola, tarefas, esportes, apresentações….
          tempo para academia e estudos (hobbies, diy, etc).
          alimentação bacana

          14+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • Strike 16 de fevereiro de 2020 at 05:22

      Pagar 2.300 por mês para andar de Renegade? Não valia a pena comprar um carrinho mais simples não? Bom, talvez a pessoa ganhe muito bem e tenha um padrão de vida elevado, porque, realmente, eu não pagaria.

      2+
      • avatar
  • Cajuzinha 12 de fevereiro de 2020 at 09:05

    Vendas no varejo variam -0,1% em dezembro e acumulam alta de 1,8% em 2019

    A média móvel trimestral mostrou redução de ritmo, com variação de 0,2% no trimestre encerrado em dezembro

    No varejo ampliado, o volume de vendas em dezembro teve decréscimo de 0,8%, frente a novembro de 2019, na série com ajuste sazonal, influenciado, principalmente, pelo recuo de 4,0% em Veículos, motos, partes e peças e de 1,1% em Material de construção ambos, após recuo de 1,6% e 0,1%, respectivamente, registrados no mês anterior.

    https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/26856-vendas-no-varejo-variam-0-1-em-dezembro-e-acumulam-alta-de-1-8-em-2019

    2+
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 12 de fevereiro de 2020 at 09:25

    OFF – Boa diversão 🙂

    Tribuna acompanha o despejo do “Rei dos b.os” do condomínio – Tribuna da Massa (06/02/20)

    https://www.youtube.com/watch?v=1qBDoXv3CWs

    1+
    • avatar
  • Cajuzinha 12 de fevereiro de 2020 at 10:44

    “Todo mundo está ‘chutando'” sobre impactos econômicos do coronavírus, dizem especialistas
    A maioria acredita que a China enfrentará um choque econômico curto, mas acentuado

    https://epocanegocios.globo.com/Economia/noticia/2020/02/epoca-negocios-todo-mundo-esta-chutando-sobre-impactos-economicos-do-coronavirus-dizem-especialistas.html

    2+
    • avatar
    • odorico 12 de fevereiro de 2020 at 15:57

      ótima oportunidade para correções… botando a culpa no vírus….bovespa a 60 mil pontos e os ixpecialistas avisando os clientes que a culpa foi do vírus, ninguém podia prever….

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • rogerio 12 de fevereiro de 2020 at 16:45
  • odorico 12 de fevereiro de 2020 at 23:28
  • Cajuzinha 13 de fevereiro de 2020 at 08:50

    Estadão Conteúdo
    postado em 13/02/2020 07:02

    As vendas de Natal frustraram as expectativas do varejo.

    A disparada da inflação em dezembro, que atingiu 1,15% – o maior resultado para o mês em 17 anos apurado pelo indicador oficial, o IPCA – e o uso pelo consumidor dos recursos extras do FGTS para quitar dívidas e limpar o nome são os motivos apontados por economistas para explicar o desencontro entre as projeções dos varejistas e a realidade.

    “Houve um exagero nas expectativas do uso do FGTS e do 13.º salário”, observa a economista da ESPM, Cristina Helena Pinto de Mello.

    https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2020/02/13/internas_economia,1121536/apos-natal-shopping-previu-alta-de-9-5.shtml

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 13 de fevereiro de 2020 at 09:01

    Caixa anuncia linha de crédito para empresas da construção civil
    De acordo com o banco, nova linha será baseada no IPCA e entrará em vigor no próximo dia 17. Até então, linha para empresas do setor era baseada na Taxa Referencial.

    O objetivo da medida anunciada nesta quarta-feira, segundo a Caixa, é oferecer mais alternativas ao setor da construção civil e descobrir qual é “mais eficiente”.

    O banco também divulgou nesta quarta-feira a redução dos juros cobrados nas operações baseadas na Taxa Referencial (TR).

    A queda, segundo a Caixa, é de 2,75 pontos percentuais para os clientes que mantiverem relacionamento com a Caixa.

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/02/12/caixa-anuncia-linha-de-credito-para-empresas-da-construcao-civil.ghtml

    4+
    • avatar
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 13 de fevereiro de 2020 at 09:15

    Bolha dos aplicativos

    Impulsionadas por locadoras, vendas de carros para empresas são quase metade do total no ano

    Modalidade inclui vendas de carros PCD, que também dispararam. Motoristas de aplicativos e revenda de usados movimentam os negócios das empresas de aluguel.

    As vendas diretas cresceram 70% em 4 anos, comparando os números 2015 com os de 2019 divulgados pela federação dos concessionários, a Fenabrave.

    Para Bacellar, as vendas diretas ainda são uma forma de movimentar o mercado. No entanto, ele acredita que essa modalidade deve começar a se estabilizar. “Vai chegar uma hora em que o fôlego vai diminuir”, disse.

    Mais em:
    https://g1.globo.com/carros/noticia/2020/02/13/impulsionadas-por-locadoras-vendas-de-carros-para-empresas-sao-quase-metade-do-total-no-ano.ghtml

    2+
  • Cajuzinha 13 de fevereiro de 2020 at 09:25

    MAIOR ARMADILHA DE TODOS OS TEMPOS

    Fui fazer uma simulação na CAIXA e o sistema IPCA deixa bem claro o que eles pretendem: estimular o consumo e deixar a bomba para depois

    Gráfico Valor de Prestação: Pelos índices atuais, em contratos com sistema de amortização SAC, o valor da prestação que utiliza a TR como indexador diminui com o passar do tempo, enquanto nos contratos que usam o IPCA, o valor da prestação aumenta porque sofre a mesma correção do IPCA aplicada ao saldo. Os resultados expressos pelo gráfico são hipotéticos ante as incertezas da variação futura do IPCA, da mesma forma do anterior.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • odorico 13 de fevereiro de 2020 at 10:44

      Nós tempos de bnh era assim meu pai perdeu uma casa. O pobre financiava pois a prestação cabia no orçamento e durante 12 meses ele pagava o mesmo valor, aí vinha o reajuste do saldo pela inflação se a prestação não subisse a diferença entre a amortização e a correção ia pro saldo ou reajustada a prestação. Em 4 anos meu pai perdeu a casa…..pois o saldo estourou o valor que ele podia pagar …. Adivinha o que aconteceu.?… Vendeu o ágio por menos do que tinha dado de entrada só para se livrar da prestação…

      9+
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 13 de fevereiro de 2020 at 11:14

        Pois é…

        4+
        • avatar
    • Bellerian 13 de fevereiro de 2020 at 18:55

      Cajuzinha, sempre que a amortização for maior do que a “correção monetária” que incidir sobre o saldo devedor, a parcela vai subir. Num contrato SAC no sistema IPCA de 35 anos, as amortizações nos primeiros 14 anos são inferiores a 4,5% da dívida, logo uma inflação igual ´a esse percentual implicaria em aumento da prestação durante este período.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • odorico 13 de fevereiro de 2020 at 13:45

    Aí gente quem tem RF da facada financeira
    Recebi e-mail da recuperação extrajudicial
    Agora é aguardar o fgc. Tenho uns 30 k, 2% da carteira de RF….

    8+
    • avatar
    • homelessbubbles 13 de fevereiro de 2020 at 13:53

      Recebi também. A primeira vez a gente nunca esquece kkk.
      Tenho uns 20k com vencimento em Out deste ano, pelo menos já rendeu grande parte do que deveria render. Agora é aguardar pra ver como funciona o famoso FGC. E torcer para que meus outros lixos, pagando até 140% do CDI, não tenham o mesmo destino.

      4+
      • avatar
    • From_The_Tower 13 de fevereiro de 2020 at 15:44

      Faz parte. Finalmente teremos relatos na prática de como funciona o FGC.
      Como é importante espalhar os doces nas cestas.

      5+
    • odorico 13 de fevereiro de 2020 at 15:50

      Isso aí, vai ser o primeiro teste do fgc comigo, mas também tenho pouco, a minha exposição máxima em uma mesma instituição é 5% do total..
      Acho que vai dar tudo certo, me preocupa é o prazo, dizem que 30 dias é normal, chegando a 60 dias tudo bem… agora se demorar mais…aí o dinheiro fica parado…. Tenho cdbs de outros na berlinda… Maxima, fibra, indusval, facta, mas sempre coloco pouco….

      5+
      • avatar
      • From_The_Tower 13 de fevereiro de 2020 at 15:55

        eu tive nessas 03 primeiras
        grandes emoções
        😉
        Média é 40 dias. Fica susse !

        4+
        • avatar
      • homelessbubbles 13 de fevereiro de 2020 at 16:06

        No meu caso, se demorar até uns 60 dias vou ficar até feliz kkkk. Venceria em Outubro, então vai ser como um resgate antecipado hehe. A única coisa que me preocupa é um eventual estresse burocrático. Quero que o dinheiro só caia na conta, sem eu precisar fazer nada rsrs.

        5+
        • avatar
        • From_The_Tower 13 de fevereiro de 2020 at 16:15

          Vc precisa acompanhar a informação de qual banco vai estar o seu crédito e ir lá resgatar / indicar uma conta para receber.

          6+
          • avatar
          • avatar
    • odorico 13 de fevereiro de 2020 at 15:53

      Na verdade o meu receio maior é recuperação de títulos que acabei de entrar, pois aí o dinheiro fica preso sem ter rendido nada… tipo: ” música parou quando eu cheguei na festa”…

      6+
      • avatar
    • rogerio 13 de fevereiro de 2020 at 16:39

      Espero nunca passar por isso e que não gere um efeito dominó.

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Loucodf 13 de fevereiro de 2020 at 15:52

    Que facada financeira é essa galera?

    4+
    • From_The_Tower 13 de fevereiro de 2020 at 15:54
      • Loucodf 13 de fevereiro de 2020 at 16:31

        Ah só
        Dacasa!

        Valeus.

        Procurei por facada e não achei nada.
        kkk

        4+
        • odorico 13 de fevereiro de 2020 at 16:44

          Foi mal loucodf eu nem notei o que o corretor mudou o que escrevi…. É dacasa…
          Se bem que foi uma facada também…kkkk
          Interessante que ela tirou os dados do banco data.

          10+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • odorico 13 de fevereiro de 2020 at 16:47
  • indiobolhista 13 de fevereiro de 2020 at 17:30

    Empresas de ônibus do Rio continuam dando um desconto belo e moral
    https://www.youtube.com/watch?v=KxEp-rOJQeQ

    2+
  • indiobolhista 13 de fevereiro de 2020 at 17:33

    Bolsonaro diz que há brecha para reajustar o salário mínimo pela inflação
    https://www.youtube.com/watch?v=nYTMunEIeR0

    3+
  • Cajuzinha 14 de fevereiro de 2020 at 07:57

    Setor que representa 60% do PIB tem crescimento de 1% em 2019, reforçando a percepção de que a atividade continua enfraquecida e que expansão da economia não deve passar de 2% neste ano

    Correspondente a mais de 60% do Produto Interno Bruto (PIB) do lado da oferta, o setor de serviços registrou alta de 1% em 2019, ante 2018, conforme divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Especialistas afirmam que esse resultado reduz as projeções para a economia em 2020, que deve crescer, no máximo, 2%. Os resultados dos setores industrial e varejista reforçam essa visão.

    Segundo o economista do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV- Ibre) Rodolpho Tobler, havia expectativa do mercado de resultados maiores em dezembro, justificando crescimento do PIB de 2020 em 2,5%. No entanto, os números obtidos vieram mais fracos do que o esperado, sugerindo cautela na recuperação econômica deste ano. “O cenário que tem se desenhado nos últimos resultados é que o PIB deve vir menor do que o esperado nos últimos meses de 2019. As projeções que estavam mais próximas de 2,5% passaram para 2%”, ressaltou.

    A redução da expectativa ocorreu devido aos resultados da passagem de novembro para dezembro, que foram “decepcionantes”, já que dezembro é o mês das festas e do 13°. Entre 1980 e 2014, a média de crescimento era de 2,8% ao ano. Se em meados de fevereiro já se prevê que será menos de 2%, a recuperação da economia do Brasil está muito mais lenta do que o imaginado.

    CA, KD VC, Meu filho?!

    https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2020/02/14/internas_economia,827872/especialistas-moderarem-expectativa-para-expansao-da-economia.shtml

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • MARK 14 de fevereiro de 2020 at 16:02

      CA, cadê você? Ressurja, vamos agitar esse blog pô! aushaushuash

      12+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 14 de fevereiro de 2020 at 10:23

    ‘Prévia’ do PIB do Banco Central indica que economia brasileira cresceu 0,89% em 2019

    Se confirmado, número mostrará terceiro ano de seguido de expansão da economia, mas com desaceleração. Resultados do IBC-Br nem sempre batem com o PIB, que será divulgado em março.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • rogerio 14 de fevereiro de 2020 at 16:48

      a maior parte do crescimento foi devido a liberação do fgts.

      12+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 14 de fevereiro de 2020 at 10:58

    STJ: taxa de condomínio mais baixa para imóvel não vendido por construtora é ilegal

    A decisão veio de uma ação movida por um condomínio pedindo a nulidade de uma cláusula da convenção que previa que as unidades não comercializadas, pertencentes à construtora, pagariam uma taxa condominial correspondente a 30% do valor integral, segundo nformações do Superior Tribunal de Justiça.

    https://extra.globo.com/noticias/economia/castelar/stj-taxa-de-condominio-mais-baixa-para-imovel-nao-vendido-por-construtora-ilegal-24247578.html

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 14 de fevereiro de 2020 at 11:24

    TRANSTORNO BIPOLAR ???

    23:59
    2020 já está bombando: procura por imóveis cresce 124% em São Paulo
    https://www.moneytimes.com.br/fast/2020-ja-esta-bombando-procura-por-imoveis-cresce-124-em-sao-paulo/

    00:00
    Não haverá crescimento do mercado imobiliário de SP em 2020, diz SECOVI
    https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/02/hesitacao-do-governo-com-reformas-pode-frear-crescimento-do-mercado-imobiliario-em-sp-diz-entidade.shtml

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • EngenheiroSP 14 de fevereiro de 2020 at 12:20

      Procurar até eu olho procuro, quando todos percebem que ta bolhudo desistem de comprar

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 14 de fevereiro de 2020 at 13:56

        exatamente

        15+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cesar_DF 14 de fevereiro de 2020 at 11:26

    Ibama acumula imóveis abandonados em área nobre de Brasília; CGU há anos alerta para a situação
    Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, diz que irá mandar vender todos os imóveis ‘imediatamente’.
    A última auditoria feita pela Controladoria Geral da União (CGU), publicada em 2018, diz que o Ibama é dono de 355 imóveis no país, 40% deles sem serventia.

    https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/02/13/ibama-acumula-imoveis-abandonados-em-area-nobre-de-brasilia-cgu-ha-anos-alerta-para-a-situacao.ghtml

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • indiobolhista 14 de fevereiro de 2020 at 11:28

    Funcionário público é um parasita
    https://www.youtube.com/watch?v=WslyIVo0UiI

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • odorico 14 de fevereiro de 2020 at 14:54

      “Esse cara sou eu…… ”
      Sem cinismos falou tudo.
      Concordo, o problema é o sistema e eu que não vou brigar com o sistema.
      Sou aquele cara que resolveu voltar para a matrix….

      19+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • From_The_Tower 14 de fevereiro de 2020 at 15:17

    Banco Pine e Máxima mandando e-mails oferecendo produtos de renda fixa para longo prazo… sem liquidez…
    hummmmmm

    Tô fora !

    24+
    • avatar
    • avatar
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 14 de fevereiro de 2020 at 19:59

    OFF – Segurança alimentar no bananistão = 0 zero niet nadie

    A Polícia Civil investiga casos suspeitos de intoxicação por dietilenoglicol, a partir da ingestão de cervejas da Backer, que teriam acontecido em 2018 e 2019. O inquérito, aberto há mais de 40 dias, começou em janeiro deste ano quando várias pessoas em Minas Gerais manifestaram sintomas semelhantes, dores abdominais, náuseas, vômitos, alterações neurológicas e insuficiência renal.

    “Um dos elementos foi o surgimento de pessoas que registraram no presente acontecimentos similares no passado, ou seja, elas indicavam sintomas, o histórico do consumo de cerveja em 2018 e em datas anteriores a outubro de 2019”, disse o delegado Flávio Rossi.

    https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/noticia/2020/02/14/caso-backer-policia-investiga-casos-de-intoxicacao-que-teriam-acontecido-ha-dois-anos-em-minas-gerais.ghtml

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • odorico 14 de fevereiro de 2020 at 20:17

      Por isso tenho seguro de vida… aposta certa…..especialmente na Banânia, no Rio eu dobraria a aposta…. a seguradora também…kkkk

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 15 de fevereiro de 2020 at 08:58

    OFF – Turma do chapeu de alumínio pira 😉

    EQxnytw-Ws-AIx-Om-S

    7+
    • avatar
  • felipe s 15 de fevereiro de 2020 at 23:57

    Deixa eu melhorar
    “Olho que Tudo Vê”
    kkkkkkkkk
    Bem esse olho tem ouvidos também, (…), largou a batina para virar político, se um padre reza missa pedindo Deus proteção e na calada da noite come as menininhas, vai para o céu ou para o inferno, uma coisa é certa tem sempre um bovino para chama lo de santo.

    11+
    • avatar
    • avatar
  • CA 16 de fevereiro de 2020 at 11:06

    Bom dia e um ótimo 2020 para todos (beeeem atrasado rsrsrs)!

    Após 7 anos de blog, tirei umas “pequenas” férias (rs), em virtude de uma sobrecarga com projeto de transformação digital que é um dos pilares da empresa para outro objetivo ainda mais ambicioso, o 4 x 4 (crescer 4 vezes em 4 anos). Junto com isto, minha filha passou na USP (curso de Exatas!) e vamos mudar de Jundiaí para São Paulo, estamos procurando imóveis para alugar, o que toma o restante do tempo. Claro que estes cenários deixam uma série de CVR´s a serem contados, aqui vai um deles:

    CVR 1: “A pessoa precisa ter pelo um imóvel pra dizer que é seu”

    Um profissional que era gerente de uma fábrica na divisa entre Extrema e São Paulo, foi “convidado” a assumir outras responsabilidades. Na prática, o demitiram (ele era contratado em regime CLT) e o recontrataram como terceiro, para vir trabalhar em São Paulo, na matriz, cuidando de uma área de NPI (introdução de novos produtos, sigla em Inglês) e outra de assistência técnica. Observação: para quem era gerente executivo responsável por todas as áreas de uma unidade industrial, incluindo assistências técnicas, o que aconteceu foi claramente um REBAIXAMENTO de cargo.

    O que o profissional acima fez assim que recebeu o dinheiro da rescisão CLT no começo do ano passado? Comprou um imóvel em São Paulo (ele morava em Extrema), o que imobilizou grande parte de seu patrimônio.

    Nos últimos meses, foi contratado um novo Vice-Presidente de Operações, que contando com uma “carta branca” da presidência, começou um takeover (tomada hostil), fazendo mudanças radicais e trazendo para a operação (Fábrica, Engenharia, Supply, etc) uma série de gestores que atuaram com ele em empresas anteriores, demitindo aqueles mais antigos, dentre eles, o ex-gerente geral da fábrica e agora ex-gerente de NPI e Assistências Técnicas.

    Curiosamente, cerca de uma semana antes deste profissional ser demitido, eu havia pedido referências para ele sobre o bairro onde ele estava morando, para procurar oportunidades de imóveis para alugar e ao final, quando perguntei a ele porque tinha comprado o imóvel com o dinheiro da rescisão (consumindo boa parte de suas reservas) a resposta dele foi “porque todo mundo precisa ter pelo menos um imóvel”.

    Pois é, agora ele está com mais de 50 anos, demitido depois de ter trabalhado por mais de 10 anos na mesma empresa, com últimos cargo e salário elevados, mas com um processo de REBAIXAMENTO no currículo e por este conjunto, sendo um profissional de difícil recolocação, mas que optou por IMOBILIZAR uma grande parte de seu patrimônio só para seguir a MANADA e poder dizer a todos que tem um imóvel para chamar de seu. E ele fez isto, bem quando foi DEMITIDO do cargo que ocupava em regime CLT e deveria ter se tocado que o seu rebaixamento de cargo como terceiro era um péssimo sinal quanto ao futuro.

    Principalmente em cargos de gestão, há pelo menos uma década aqui no Brasil, cada vez mais as pessoas mudam de cidade, estado ou país, por isto a ideia de ter um imóvel para dizer que é seu e IMOBILIZAR grande parte do patrimônio, é um completo contra-senso, ainda mais quando continua ocorrendo e tende a piorar a juniorização dos cargos de liderança, juntamente com a informalidade e a redução acelerada dos cargos mais elevados em regime de CLT, o que impacta em menores salários, menos benefícios, mais gastos extras, menos estabilidade e com isto, um grande conjunto de fortes motivadores para que a pessoa não se coloque na cilada de comprar um imóvel e ficar SEM LIQUIDEZ, mas como sempre dizemos, o efeito MANADA é algo absurdamente IRRACIONAL e faz com que muitas pessoas se AUTO-BOICOTEM…

    60+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • MARK 16 de fevereiro de 2020 at 13:30

      Parabéns pelo ingresso da menina na USP, CA! Senti no “em exatas” um prazer maior ainda… aushaushuas

      27+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Zé do Brejo 17 de fevereiro de 2020 at 08:07

      WELCOME BACK!

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cajuzinha 17 de fevereiro de 2020 at 09:04

      Que bom que vc está de volta, CA!

      Também tenho um CVR:

      Meu contrato de aluguel tem data de reajuste o final do mês de janeiro, entrei em contato com a imobiliária e pedi um desconto por conta da redução do valor líquido do meu salário em razão do desconto maior do valor da previdência. Eles repassaram meu pedido por e-mail par o proprietário que aceitou não reajustar conforme cláusula contratual e ainda deu um desconto de 10%. Essa foi a primeira vez que pedi para reduzir, antes eu só pedia para manter o mesmo preço que eu já estava pagando há 05 anos e sempre fui atendida.

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 17 de fevereiro de 2020 at 09:16

        Cajuzinha,

        Estou há 3,5 anos sem reajuste do aluguel em Jundiaí, mas agora vou ter que ir para São Paulo, depois contarei mais detalhes em outro CVR.

        15+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Bolha BOSS 17 de fevereiro de 2020 at 10:23

      Exatas, UFA !!!!
      Se fosse em humanas…Já pensou em lacração dentro de casa ??

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 17 de fevereiro de 2020 at 10:26

        Pois é Bolha BOSS, graças a Zeus que não foi por este caminho! Como Jundiaí não fica longe de Campinas, o pior dos mundos seria se ela optasse por Economia na Unicamp (*), daí seria o fim! kkkk

        (*) Para quem não se lembra, a política econômica heterodoxa da Dilma teve fortes raízes na Unicamp.

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • MARK 16 de fevereiro de 2020 at 13:18

    CVR DE ONTEM
    Marquei de ver um apto de 80m2, 2 dormitórios, seminovo aqui perto, na Vila Rica. A área, como o nome do bairro já diz é boa, mas achei um tanto snob. 650k (na minha cabeça no máximo uns 500 ou 550 e olhe lá). Prédio bom, bonito, mas tem o defeito típico dos apartamentos que não são de frente pra rua, não ser de frente. Esse dava para os fundos, nem era tão próximo do outro prédio e dava pra ver uma rua lateral à direita, mas da sala o que vc vê é aquele paredão. Me senti preso naquele lugar, até que bem decorado, mas meio sufocante, não sei se seria porque moro num apartamento de planta da década de 90 com 130m2 com cozinha e sala bem amplas. Enfim… visto o apto lá vem a corvetora pra sondar as possibilidades “E aí, Mark, era o que você esperava, você chega a que preço?” Então, é um bom apartamento, eu no máximo chegaria a uns 500k, quem cabe 550k. “Ah tah (já num tom como se eu fosse um pobretão)… então para você chegar num preço de 500k você tem que procurar apartamentos na faixa de 550k, um proprietário numa proposta à vista até aceitaria reduzir uns 50k, mas mais que isso seria muito difícil, fora de possiblidades. Vou ver o que eu tenho e passo pra você” Eu me segurei para não dar umas risadas boas, descemos para ver a piscina, garagem e salão de festas. Tanto o salão como a piscina era perceptível que não eram utilizados, uma coisa típica dos dias de hoje. Você tem piscina e varanda gourmet para dizer que o seu bem precioso possui esses itens, mas que as pessoas na prática não usam. A piscina quase ninguém vai, é muito intimista. A varanda já logo metem uma cortina de vidro e a integram à sala. Para quê então a varanda se não servirá como varanda? Sim, para dizer que “no meu apartamento tenho uma varanda ENORME”. Pra melhorar a garagem não era demarcada e privativa com rodízio bienal. Saí de lá tendo cada vez mais certeza que o meu perfil não é de apartamentos novos com cozinhas estreitas e quartos muito apertados. Minha cara mesmo é do apartamento atual que moro, amplo, arejado e numa rua movimentada, tem vida aqui. Achei aquilo lá uma tumba. uahsuahsuash

    35+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 17 de fevereiro de 2020 at 07:00

    Tua mansão vale quanto mesmo 🙂
    Picareta “rico” e brick lover, a missão.

    Mansão de Edemar Cid Ferreira vai a leilão pela quarta vez

    Imóvel inicialmente avaliado em R$ 78 mi agora exige lance mínimo de R$ 10 milhões

    Um dos imóveis que simbolizam o luxo tipo ostentação da alta sociedade pode ganhar um novo proprietário a partir de amanhã. A mansão de Edemar Cid Ferreira, ex-dono do Banco Santos, volta a ser leiloada – e o comprador poderá ficar com a casa pagando menos de 13% de seu valor original de avaliação. É a quarta vez que o imóvel vai a leilão. De acordo com decisão judicial, qualquer lance de acima de R$ 10 milhões será aceito. Inicialmente, a mansão havia sido avaliada em R$ 78 milhões.

    Localizada no alto de uma ladeira numa área nobre do Morumbi, bairro da zona sul de São Paulo, a casa de Edemar Cid Ferreira demorou anos para ficar pronta. Fazia poucos meses que Edemar, a mulher e os dois filhos tinham se mudado quando a falência do Banco Santos foi decretada, em 2004. De residência dos sonhos, o imóvel virou uma espécie de “bunker” da defesa do empresário, que chegou a ser preso. Em 2011, ele foi obrigado a deixar o imóvel.

    Caso não surja ninguém disposto a pagar um pouco mais, bastaria esse interessado repetir o lance durante o leilão para levar o imóvel por exatos 12,82% da avaliação inicial. Mas Amorim ainda tem esperanças de que o imóvel, por sua arquitetura icônica e vista privilegiada do Jockey Club, atraia lances mais altos. “Já temos 12 participantes habilitados, com possibilidade de fazer lances”, conta.

    Ostentação

    A reportagem do Estadão visitou o imóvel em uma das tentativas de venda, em 2017. Instalada em terreno de 12 mil m², a residência tem 4,5 mil m² de área construída e inclui facilidades como duas piscinas – uma coberta e outra ao ar livre –, uma adega que abriga 5 mil garrafas de vinho, duas bibliotecas (com coleção de livros de arte incluída). Alguns objetos de arte e móveis ainda restam na casa. Só a mesa de jantar de 24 lugares teria custado, na época da aquisição, US$ 350 mil (mais de R$ 1 milhão).

    Manter um imóvel dessa magnitude não é fácil nem barato. Desde a expulsão de Edemar, há oito anos, a residência – que, em um certo período, contabilizava quatro moradores e 54 empregados –, custou milhões à massa falida. Isso porque o projeto do arquiteto Ruy Ohtake já incluía, 20 anos atrás, a automação de persianas e um sistema completo de ar-condicionado – luxos que elevaram a conta de luz a R$ 100 mil por mês.

    Além dos gastos fixos salgados, um eventual novo dono também terá de arcar com uma reforma, já que os problemas se proliferam entre corredores de mármore e escadarias suntuosas: há pisos de madeira podres, lâmpadas caídas e portas que já não abrem e nem fecham.

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,mansao-de-edemar-vai-a-leilao-pela-quarta-vez,70003199862

    9+
    • avatar
    • avatar
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 17 de fevereiro de 2020 at 09:32

    OFF – Aquelas gambiarras que os bananences trouxas adoram…
    Agora imaginem estas [email protected] usadas e sem manutenção.

    FCA abre recall para quase 2 mil unidades de Fiat Toro e Jeep Renegade

    1 – Motor fire?

    em caso de batida frontal do veículo, o motor poderá se deslocar e danificar o filtro de combustível, permitindo o vazamento de combustível em regiões de temperatura elevada do motor.
    Em casos extremos, há risco de incêndio com potenciais danos materiais, físicos graves ou até mesmo fatais aos ocupantes do veículo ou terceiros.

    2 – Primeira vez na minha vida que ouço falar de pontos de fixaçao do conjunto da pinça de freio de um veículo quebrar do nada… qualidade Fiat Jeep 🙂

    Já no Jeep Renegade, foi identificada a possibilidade da quebra de um dos pontos de fixação do conjunto da pinça de freio, podendo ocasionar a redução da capacidade de frenagem do veículo. Isso aumenta o risco de um acidente com danos materiais e físicos.

    https://www.uol.com.br/carros/noticias/redacao/2020/02/14/fca-abre-recall-para-2-mil-unidades-de-fiat-toro-e-jeep-renegade.htm

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 17 de fevereiro de 2020 at 09:43

    A realidade que tem se imposto, porém, é totalmente diferente. A economia continua patinando e as contas públicas apresentam rombo próximo de R$ 100 bilhões ao ano. A incapacidade da equipe de Guedes de fazer o país crescer é tão grande, que nem a taxa básica de juros (Selic) no menor nível da história (4,25% ao ano) e a inflação abaixo da meta surtiram efeito.

    Desconfiança

    Embalada pelo discurso otimista de Guedes, a maior parte dos economistas chegou a prever crescimento de até 3% em 2019. A euforia entre empresários e integrantes do mercado era tamanha, que consultorias e bancos revisaram para cima suas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) por diversas vezes.

    Aos poucos, porém, a ficha foi caindo e a realidade dando as caras. Agora, o Banco Central informa que a economia brasileira cresceu apenas 0,89% em 2019. Quando se olha para os resultados mensais do IBC-Br, que funciona como prévia do PIB, o que se vê é o número de novembro revisado de alta de 0,18% para queda de 0,11% e o de dezembro apontando contração de 0,27%.

    http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/enquanto-guedes-mostra-todo-seu-preconceito-a-economia-afunda/

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 17 de fevereiro de 2020 at 10:24

      Cajuzinha,

      O show de ILUSIONISMO continua a pleno vapor! É o quarto ano seguido de estorinhas da carochinha e do famoso “agora vai!”, sempre sem NENHUM FUNDAMENTO.

      Estamos com o menor juro básico de todos os tempos HÁ ANOS, sempre batendo um novo recorde de baixa, governo após governo, ano após ano, sem NENHUM efeito prático para recuperação dos principais indicadores da economia, apenas um monte de estatísticas ENVIESADAS para enganar ao GADO. EXEMPLOS:

      “Ah, estamos com um crescimento pujante nos empregos” = A INFORMALIDADE bateu todos os recordes, as pessoas fazendo todo o tipo de BICO para SOBREVIVER, desde Uber até vendedor de docinho e tudo isto é considerado “emprego”. Em paralelo, empregos formais crescem em poucos lugares (exemplo: São Paulo) e ainda na base da pirâmide, enquanto funções gerenciais continuam em queda, sem contar o crescimento do emprego formal intermitente, daquele em que meio emprego conta como se fosse um.

      “Ah, estamos tendo crescimento contínuo do PIB”: às custas de GAMBIARRAS REPETIDAS desde a época do Temer e antecessores, tais como liberação de parte do FGTS, PIS, com governo turbinando a toda a velocidade o crédito PODRE via banco PÚBLICO tanto para o segmento imobiliário quanto para o consumo, fazendo vista grossa para a disparada ANORMAL do falso PcD que ajuda a sustentar o segmento automotivo, fingindo não ver o esquema das vendas FALSAS na planta e contando com apoio do congresso para incrementar o golpe (percentual mais elevado de retenção por construtoras do dinheiro do distrato), etc, etc, etc.

      “Ah, o crescimento relevante da BOVESPA é outro sinal de como a nossa recuperação veio para ficar e todos apostam nas nossas empresas”: recorde histórico de entrada de investidores pessoas físicas do Brasil na BOVESPA no ano de 2.019, enquanto os investidores estrangeiros continuam se mantendo distantes e com promessas renovadas de que uma hora eles virão e teremos o tão aguardado “Tsumoney”, com os preços das Ações claramente fora dos fundamentos, tanto quanto se percebe em outras bolsas de valores ao redor do Globo.

      No contexto acima, a renda líquida e real das famílias continua se reduzindo e junto com o super-endividamento, impedindo qualquer recuperação mais efetiva do consumo. Algumas empresas ainda estão fazendo apostas no “agora vai!”, mas de novo, sem NENHUM embasamento (será tema de outro CVR que contarei depois).

      Mal começamos o ano e o script de frustração já começa a dar as caras, mas mesmo assim, ainda tem a turma que adora se ILUDIR e/ou que tenta enganar a todos achando que está “abafando”…

      34+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • odorico 17 de fevereiro de 2020 at 14:29

        No início da crise me senti seguro, afinal tinha me preparado para ela
        Depois fiquei preocupado, afinal a crise estava durando demais e com efeitos não previstos.
        Depois fiquei com medo, familiares, amigos, conhecidos começaram a afetados, logo eu estava sendo afetado.
        Agora já estou entrando na fase do pavor, pois acho que essa crise vai culminar com alguma coisa disruptiva e aí todos serão afetados….

        28+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cajuzinha 17 de fevereiro de 2020 at 15:03

          “Depois fiquei com medo, familiares, amigos, conhecidos começaram a afetados, logo eu estava sendo afetado.” estou nessa fase, sem querer pensar em algo pior, mas realmente tá triste demais.

          14+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • MARK 17 de fevereiro de 2020 at 19:27

            É tanta gente próxima, de amigos a familiares, com problemas que não tem como não ficar preocupado. Tava como o odorico, tranquilo/favorável, mas as sirenes começaram a disparar por aqui. Oremos!

            9+
            • avatar
  • Cajuzinha 17 de fevereiro de 2020 at 10:29

    Juro baixo estimula investimento em imóveis
    Preços estão cerca de 20%, em média, abaixo dos valores antes da recessão, em 2014

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Bolhudo 17 de fevereiro de 2020 at 13:27

    Argentilização, lá vamos nós. Torrando nossas reservas intenacionais (poupança em dólares)
    https://www3.bcb.gov.br/sgspub/consultarvalores/consultarValoresSeries.do?method=consultarSeries&series=13621

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Bolhudo 17 de fevereiro de 2020 at 13:45

      Em um ano voltamos quatro no saldo das reservas, trágico.
      US$ (milhões)
      03/02/2016 358.799
      13/02/2020 358.798

      11+
      • avatar
      • avatar
      • odorico 17 de fevereiro de 2020 at 14:05

        Eu quero saber o que o adolfo sachida e o mansueto estão pensando? Acompanhava o trabalho deles antes do governo, eram bons, agora de dentro eles devem estar vendo que “na prática, a teoria é outra”. O que estão conseguindo fazer em termos de liberalização não tem dado resultado e o que queriam fazer já viram que não virá. Enfim, acho que estão só ajeitando um suspiro de crescimento para 2022 na “reeleição” do Dilmo.
        Os indicadores econômicos só estão piorando, ainda bem que tem bolsa família (pão) e carnaval (circo), senão isso aqui já tinha explodido….

        26+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Zé do Brejo 17 de fevereiro de 2020 at 15:14

          As vezes vc precisa demolir a casa pra construir algo melhor.
          Ficar passando massa corrida numa casa aos pedaços, não resolve nada.
          Eu imaginava que o Bolsonaro/Guedes/Maia seriam muito mais reformistas do que estão sendo.
          Só não sei, se é o congresso que atrapalha ou o governo também tem seus planos de manutenção poder e por isso não faz a faxina necessária.

          16+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2020 at 22:03

            Quem não está deixando passar as reformas é o CONGRESSO

            6+
            • avatar
            • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 18 de fevereiro de 2020 at 04:36

              Tá 😉

              5+
              • avatar
  • Cajuzinha 17 de fevereiro de 2020 at 15:10

    Ou seja, agora também não vai:

    Previsão para PIB cai e país tem 4º ano de expectativa frustrada
    Mediana das estimativas para o avanço do PIB em 2020, que chegou a 2,8%, está agora em 2,2%, indicando frustrações semelhantes observadas em anos anteriores

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 17 de fevereiro de 2020 at 15:15

      Baixa a Selic que resolve… #sqn

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • odorico 17 de fevereiro de 2020 at 16:45

      Acho que vou virar astrólogo….(na verdade todos do bib podem)
      Na euforia, avisamos… a conta vai chegar….
      No gópi, avisamos… o problema não é esse….
      No reformas temerárias, avisamos… não é suficiente…
      No dilmo, avisamos…. não é o salvador…não fará milagres
      No tchutchuca, avisamos…. otimismo sem fundamentos…falácias…promessas….
      Agora, prevemos… não vai…. é esse crescimento de 1% toda a década e acabou….
      sem boom demográfico, sem melhora na produtividade, sem melhoria na educação…. não tem como crescer acima de 2%
      Em 2020, eu vejo na minha “bolha de cristal”… ou tem um suspiro de 3% de crescimento ou a esquerda volta….
      Não se vira argentina ou venezuela da noite pro dia, mas “juntos chegaremos lá”…

      29+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 18 de fevereiro de 2020 at 09:30

      Cajuzinha,

      O mais legal é a “expectativa”. Em NENHUM dos anos havia qualquer FUNDAMENTO para tal “expectativa”, mas os tubarões do mercado sempre geram novos DEVANEIOS para atraírem SARDINHAS e aqui no blog mesmo, encontramos exemplos daqueles que ano após ano se deixam enganar… kkkkk

      10+
      • avatar
  • odorico 17 de fevereiro de 2020 at 16:35

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/02/17/japao-fica-a-beira-da-recessao-apos-contracao-do-pib-no-4o-trimestre.ghtml
    Vejam o comentário do PrincipalSuspeito, temos que chamar ele pro brogui….

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • odorico 17 de fevereiro de 2020 at 16:48

      “No Rio de Janeiro, nas mesmas bases, a locação recuou 22,9% em termos nominais e 40,49% reais. Os valores de venda, por sua vez, caíram 13,31% nominalmente e 33,03% com ajuste da inflação.”

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • MARK 17 de fevereiro de 2020 at 19:44

      “O índice Fipe-Zap, que mede a variação de preços anunciados de imóveis residenciais, mostra uma alta média nominal de 8,14% em São Paulo entre 2015 e 2019, para venda, e subida acumulada de 7,9% na locação. Mas quando se considera o resultado real, ou seja, corrigido pela inflação, os dados indicam perda de 16,64% no caso dos aluguéis e variação negativa de 16,46% para as negociações de compra e venda.” Tudo mentira dessa gente pobre, imóvel só aumenta…. uashaushuashasuhs

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2020 at 22:00

    Um dos imóveis que simbolizam o luxo tipo ostentação da alta sociedade pode ganhar um novo proprietário a partir de amanhã. A mansão de Edemar Cid Ferreira, ex-dono do Banco Santos, volta a ser leiloada – e o comprador poderá ficar com a casa pagando menos de 13% de seu valor original de avaliação. É a quarta vez que o imóvel vai a leilão. De acordo com decisão judicial, qualquer lance de acima de R$ 10 milhões será aceito. Inicialmente, a mansão havia sido avaliada em R$ 78 milhões.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2020 at 22:18

    La garantia soy yo

    A interdição do prédio que ameaçava desabar no último dia 10, na QNN 11, em Ceilândia, reacendeu a discussão sobre a qualidade das construções espalhadas pelo Distrito Federal. Em 2019, a cada três dias, pelo menos uma edificação foi lacrada pela Defesa Civil por apresentar risco estrutural. As 125 ocorrências registradas no ano passado representam um acréscimo de 86% em relação ao apurado em 2018 (67).

    9+
    • avatar
  • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2020 at 22:24

    O diretor da Ourinvest Real Estate e professor do Insper, Rossano Nonino, estima uma elevação de preços do metro quadrado e de locação de 12% a 15% ao ano, em média, até 2025. Quem lidera o movimento hoje é a capital paulista, mas outras regiões devem seguir o avanço nos próximos anos. O especialista faz algumas ressalvas sobre a projeção. “O mercado imobiliário tem características muito específicas e o comportamento dos preços obedece a inúmeras variáveis, como localização – existem cidades em que o preço ainda cai -, tipo, ou seja, se é comercial ou residencial, perfil e diversas outras considerações”, pondera.

    Apesar de os municípios e segmentos apresentarem ritmos de recuperação diferentes, existe uma tendência consolidada de os valores ou terem estabilidade ou subir. O CEO da RBR Asset Management, Ricardo Almendra, revela que seu cenário base para os imóveis comerciais contempla uma subida média de preços, tanto do metro quadrado quanto da locação, de 15% em 2020 e mais 10% em 2021 na capital paulista, o maior mercado do país. Mas considera grande a possibilidade de as elevações se manterem nesse patamar por mais tempo.

    O gestor explica que hoje os preços de vendas de imóveis estão em torno de 20%, em média, abaixo dos valores atingidos antes do início da recessão, em 2014. “Vejo grande possibilidade de os valores, inclusive, superarem o pico visto cinco anos atrás” até o fim do atual ciclo, afirma Almendra.

    7+
    • avatar
  • reznor 18 de fevereiro de 2020 at 00:30

    Aviso ao Ciro Guedes: uma moeda desvalorizada é um ataque direto ao padrão de vida da população
    Nenhum país jamais prosperou destruindo sua moeda

    Quem poderia imaginar que Ciro Gomes assumiria o comando da economia? Pois foi o que ocorreu. A atual política cambial defendida por Paulo Guedes (e chancelada pelo Banco Central) é uma cópia esculpida em carrara daquela que sempre foi defendida por Ciro. Guedes passou até a falar abertamente em substituição de importações, algo que remete a Luiz Carlos Bresser-Pereira. Não é à toa que o pedetista já até deu uma amaciada, e passou a elogiar abertamente alguns pontos da atual política econômica. Por uma questão de justiça, Ciro deveria até ganhar algum cargo na área econômica do governo, em homenagem ao fato de algumas de suas ideias estarem sendo desavergonhadamente copiadas.

    Matéria do Brasil 247? DCM? Folha? Nah, artigo do Mises Brasil. kkkkkkkkkkkkkk

    PS.: Welcome back CA da chibata!

    29+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 18 de fevereiro de 2020 at 04:36

      Thutchuca tá nem aí…
      Deve estar preparando as malas pra se muda para Miami. 🙂

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • indiobolhista 18 de fevereiro de 2020 at 00:36

    cheguei hoje a pedro juan caballero, dolar na maioria de casas 4.40 reais , o real aqui é tratado quase como o peso argentino …. como moeda lixo …. banania esse ano aumenta emisão monetaria em 12% via dívida pública, se todos os tenedores de reais seja em físico, dívida ou depositos pedessem dólares o real estaria em 20 x cada dólar ……

    6+
    • avatar
  • CA 18 de fevereiro de 2020 at 09:28

    Os fundos imobiliários são apenas MAIS UM reflexo das INÚMERAS BOLHAS que continuam sendo cada vez mais estimuladas, seja por um juro básico da economia em patamar de recorde de baixa e sempre diminuindo, pelas GAMBIARRAS dos esquemas de vendas FALSAS na planta contando com cada vez mais “incentivos” para se perpetuarem, ou pelas políticas econômicas que visam estimular o crédito imobiliário a QUALQUER CUSTO, dentre tantas e tantas ANOMALIAS, que de forma NATURAL, acabam gerando movimentos de crescimento IRRACIONAL e ESPECULATIVO na procura por um determinado investimento, para depois isto DESPENCAR.

    E o mais engraçado é que no artigo abaixo, dizem que este “pequeno ajuste” foi exatamente para evitar bolha! kkkkk

    Lembrando que, uma vez que os “FUNDAMENTOS” do segmento imobiliário e seus pseudo-resultados são 100% PODRES, todo e qualquer produto ou serviço derivado dos mesmos será afetado pela volta à REALIDADE…

    https://economia.uol.com.br/noticias/estadao-conteudo/2020/02/17/fundos-imobiliarios-perderam-este-ano-r-328-bilhoes-em-valor-de-mercado.htm

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar