#BolaDeCristal – Preço dos imóveis: ao infinito e além! Será? – ValorInveste

Você pode gostar...

Comments
  • Money_Addicted 18 de fevereiro de 2020 at 09:48

    1 st 🙂

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • carioca_real 18 de fevereiro de 2020 at 09:49

    Hoje a Miriam Leitão trouxe a noticia do Subprime tupiniquim em estudo pelo BC

    29+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • EngenheiroSP 18 de fevereiro de 2020 at 10:34

    Recorda-me um causo em que o cidadão disse “tem que comprar logo, daqui a pouco ninguém mais vai conseguir comprar”

    Interessante que ninguém vai conseguir comprar, mas misteriosamente vão conseguir vender. Uma inédita venda sem comprador, digna de um Nobel de economia

    85+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • odorico 18 de fevereiro de 2020 at 14:16

      Eu diria que os FIIS são, em parte, isso.
      Já viu o tanto de propaganda… falando que você não precisa de 500 mil para investir em imóveis… compre cotas de um FII.
      Enfim, o subprime está aí….e pode até não estourar, mas vai murchar quanto mais eles diluírem e socializarem o prejú para bancos, corretoras, fundos, grandes investidores (a maioria já saiu né)….. será um ótimo negócio se livrar do bolhudo num fundo a um preço, depois um agência ou auditoria “independente” reavalia o ativos, o fundo perde valor em cotas… o bananense médio não aguenta perder 10, 20, 30% em um investimento e vende (quem compra é outro bananense ou alguém do primeiro grupo que já tinha vendido).
      Por isso não saio da renda fixa (dentro de limites bem prudentes do FGC), ganhar pouco é melhor que perder e perder pouco é melhor que perder muito.
      Agora os youtubers ixpecialistas estão empurrando o povão para renda variável e derivativos. O mesmo povão que nem sabia investir em RF na época dos juros altos….

      61+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CA 18 de fevereiro de 2020 at 10:41

    Este pessoal, que tem seus ganhos 100% dependentes do segmento imobiliário e tenta vender UFANISMOS, age como aquelas vacas com placas de “coma frango”, os interesses se sobrepõem a qualquer resto de honestidade.

    Sobre os imóveis comerciais, passando usualmente pela avenida nove de julho de Jundiaí, a principal e mais “badalada” da cidade, seja andando ou correndo no final de semana, vejo cada vez mais imóveis FECHADOS, inclusive alguns prédios pequenos. Nos shoppings, até as áreas de restaurantes que não tinham nenhum espaço vago antes, agora estão com sobra de área sem utilização.

    Mas no mundo de FAZ DE CONTA das estatísticas dos shoppings, por exemplo, as vendas por loja estão “crescendo”. MENTIRA tão DESCARADA, que a associação de lojistas de pequeno porte dos shoppings queria até abrir um processo na justiça contra os shoppings, pela divulgação desta DESINFORMAÇÃO.

    Qual é um dos “milagres” quanto a estas estatísticas ENVIESADAS? Aquilo que já falamos por aqui, o esquema de MAQUIAR a vacância, seja via um tapume com obra de arte, um espaço de uso comunitário e gratuito para os clientes e outros truques PRIMÁRIOS praticados pelos shoppings, onde cada um destes esquemas deixa de ser considerado como parte da vacância que não para de crescer.

    Os truques quanto a preços ANUNCIADOS do FINGE ZAP também são manjados e já falamos por aqui várias vezes. Tirou um anúncio devido a venda de um imóvel, tradicionalmente de menor valor? O preço médio sobe. Fora os anúncios fake de menor valor que eles tiram gradualmente quando querem gerar uma valorização FALSA no preço médio e “N” outros truques sujos.

    Tudo para atrair a galera via DESINFORMAÇÃO à apostar investindo neste “pujante” segmento, onde os investidores veem valores recebidos de aluguel inferiores ao que receberiam se deixassem o dinheiro em qualquer aplicação financeira, com maior vacância, com custos e dores de cabeça adicional e outros “benefícios”, ao mesmo tempo que os proprietários demoram ANOS para venderem imóveis, com altos descontos e prejuízos ao longo do tempo. Neste contexto, sem previsões completamente FURADAS como as que constam no tópico, como conseguiriam ENGANAR as pessoas?

    52+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • rogerio 18 de fevereiro de 2020 at 17:00

    Recuperando do tópico anterior.

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/02/17/japao-fica-a-beira-da-recessao-apos-contracao-do-pib-no-4o-trimestre.ghtml

    O mais engraçado é colocarem a culpa no corona virus.

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 18 de fevereiro de 2020 at 17:49

    UM BELO INVESTIMENTO !

    Custo de construção: 120 milhões
    Valor de avaliação: 78 milhões
    Valor de venda no leilão de 4ª praça: 27.5 milhões

    Mansão do ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira é arrematada por R$ 27,5 milhões
    https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2020/02/18/mansao-do-ex-banqueiro-edemar-cid-ferreira-e-arrematada-por-r-275-milhoes.ghtml

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 18 de fevereiro de 2020 at 17:52

    O diretor de regulação do Banco Central, Otavio Damaso, se antecipa à critica e diz que é irresponsabilidade falar em risco de bolha no crédito imobiliário no Brasil com os ajustes que a instituição está fazendo para popularizar o “home equity”, modalidade de crédito com garantia de imóvel.

    Essa mudança na regulamentação não pode gerar uma bolha imobiliária, como ocorreu nos Estados Unidos com o subprime?

    Essa discussão é totalmente exagerada. É só olhar os números do mercado brasileiro. Temos hoje aqui no Brasil uma relação dívida imobiliária/PIB da ordem de 10%. Quando se olha para um país emergente parecido com o Brasil, essa relação é de 25% a 30%. Nos países avançados, a relação é de 50% e, em alguns casos, chega a 100%. O grau de alavancagem em cima do imóvel aqui no Brasil é muito baixo. Temos um espaço para crescer muito grande.

    https://exame.abril.com.br/economia/falar-em-bolha-no-credito-imobiliario-e-irresponsavel-diz-diretor-do-bc/

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 18 de fevereiro de 2020 at 17:54

    Conforme eu tinha previsto, as capitais agrícolas e São Paulo – capital, são os que tem a maior chance de um aumento real do valor dos imóveis

    Pesquisa aponta crescimento de 60% nas vendas de imóveis em Goiânia e em Aparecida de Goiânia

    https://g1.globo.com/go/goias/noticia/2020/02/18/pesquisa-aponta-crescimento-de-60percent-nas-vendas-de-imoveis-na-capital-e-em-aparecida-de-goiania.ghtml

    9+
    • CA 19 de fevereiro de 2020 at 06:12

      A resposta saiu no lugar errado, replico aqui:

      Vamos ver uma parte da DESINFORMAÇÃO plantada aqui pelo corretor de imóveis Cesar_DF:

      “Em 2019, as vendas de imóveis cresceram 9% em comparação a 2018, de acordo com a pesquisa. Foram R$ 2,5 bilhões em vendas frente a R$ 2,3 bilhões em 2018. No ano passado, as vendas líquidas aumentaram 4,5%, com aumento de 292 unidades, e o número de empreendimentos lançados cresceu 40%, com 12 empreendimentos a mais do que o dado anterior.”

      Vamos agora TRADUZIR o que Cesar_DF, que frequenta este blog há ANOS, apenas FINGIU não saber:

      Por que cresceu 9% em vendas brutas que foi o DOBRO do crescimento em vendas LIQUIDAS (abatidos os distratos)?

      Porque dispararam nos lançamentos e vendas FALSAS na planta. Observem que os lançamentos cresceram 40% contra 4,5% de crescimento em vendas liquidas no ano passado, ao mesmo tempo que distratos continuam absurdamente anormais, comprovando o golpe aplicado das vendas FALSAS.

      Estão divulgando uma DESINFORMAÇÃO “baseada” nas vendas BRUTAS, fazendo de conta que não existem distratos, só para ENGANAR as pessoas e ainda, com percentual de crescimento em 3 anos sem destacar no título, outra estratégia típica de ENGANAÇÃO.

      Resumindo:

      O crescimento LIQUIDO e REAL foi bem menor que o divulgado e baseado em disparada nos lançamentos e vendas FALSAS na planta, onde grande parte vai virar distrato na entrega, o Cesar_DF sabe disso, mas não hesitou um segundo em tentar ENGANAR o pessoal…

      26+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 19 de fevereiro de 2020 at 06:20

      Ótima previsão 🙂

      Taxa de desemprego sobe em Goiás

      Exibição em 18 Fev 2020

      Índice foi o maior entre todos os estados.

      https://globoplay.globo.com/v/8331514/

      Desemprego em Goiânia tem o maior aumento do país
      terça-feira 19 novembro 2019

      Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Estado teve um crescimento de quase 27% na taxa de desocupados em relação ao mesmo período do ano passado
      https://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/desemprego-em-goiania-tem-o-maior-aumento-do-pais-221106/

      9+
  • Cesar_DF 18 de fevereiro de 2020 at 21:07

    Por que investidores estão receosos de vir ao Brasil

    Rejeição a planos de Moro na Câmara chega a 80%
    https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2020/01/04/rejeicao-a-planos-de-moro-na-camara-chega-a-80.htm

    Câmara e Senado desafiam decisões da Justiça contra parlamentares
    https://gauchazh.clicrbs.com.br/politica/noticia/2020/02/camara-e-senado-desafiam-decisoes-da-justica-contra-parlamentares-ck6ao0uc803kf01nw67cnyqbe.html

    STF mantém decisão que libertou empresário acusado de fraudes na área de Saúde do RJ
    https://www.migalhas.com.br/quentes/320267/stf-mantem-decisao-que-libertou-empresario-acusado-de-fraudes-na-area-de-saude-do-rj

    OCDE cobra explicações do Brasil sobre fim da prisão em 2ª instância
    No que é visto como um constrangimento internacional, o Brasil terá de apresentar explicações em março de 2020 diante dos outros 43 membros do grupo
    https://valor.globo.com/brasil/noticia/2019/12/13/ocde-cobra-explicaes-do-brasil-sobre-fim-da-priso-em-2-instncia.ghtml

    Decisão sobre prisão em 2ª instância pode pode barrar Brasil na OCDE
    Depois de aprovada, o País terá de cumprir os requisitos previstos em 253 instrumentos do órgão para ser aceito como membro. Alguns deles tratam de corrupção e meio ambiente.
    http://mspontocom.com.br/site/decisao-sobre-prisao-em-2a-instancia-pode-pode-barrar-brasil-na-ocde/

    11+
    • avatar
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 19 de fevereiro de 2020 at 04:07

      Parabéns, tirou 10 gadinhos no gadômetro 😉

      🐄 🐄 🐄 🐄 🐄 🐄 🐄 🐄 🐄 🐄

      40+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 19 de fevereiro de 2020 at 05:38

      Duvido que investidores internacionais saibam algo sobre prisão em segunda instância, sobre o marreco de Maringá ou se importem com a segurança dos brasilinos mas aposto que sabem quem foi Goebbels 😉

      Bolsonaro makes former soap star Brazil’s new culture secretary

      Regina Duarte takes over from Robert Alvin, who was sacked for borrowing language from Nazi propagandist Joseph Goebbels
      A former soap opera star, Regina Duarte, has agreed to become Brazil’s culture secretary, replacing the previous secretary who was fired for giving a speech that used language similar to that of Nazi propagandist Joseph Goebbels.

      https://www.theguardian.com/world/2020/jan/30/brazil-bolsonaro-regina-duarte-former-soap-star-new-culture-secretary

      27+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 19 de fevereiro de 2020 at 05:56

        Carlos,

        Goebbels pelo que os Bolsominions diziam ANTES, era a inspiração principal das campanhas esquerdistas no país, ele era o símbolo da esquerda e do quanto as campanhas de manipulação da população poderiam ser efetivas.

        Curioso que, na prática, foi o atual governo que pela primeira vez na história do país teve um ministro plagiando Goebbels DESCARADAMENTE. Pela definição dos próprios Bolsominions, tal fato signidica que este governo é de esquerda, certo?

        O fato é que isto não deixa os Bolsominions nem um pouco envergonhados, por um simples motivo: eles nunca tiveram o minimo de vergonha na cara!

        E vemos isto logo acima quando usam relações completamente FALSAS e RIDICULAS de causa e efeito, sem abdolutamente NENHUM fundamento, INVENTADAS, sem o minimo de logica, apenas mais uma tentativa PATÉTICA e DESESPERADA de enganar as pessoas.

        É ÓBVIO que os fatores elencados por Cesar_DF acima, não tem NENHUMA relação com a vinda de investidores. Os investidores não vem por motivos muito mais elementares: NÃO HÁ nenhuma recuperação efetiva da economia, nem previsão de que isto aconteça, apesar de inúmeras ações APELATIVAS do governo e sendo assim, eles não investirão alto onde não veem possibilidade de retorno.

        40+
        • avatar
        • avatar
        • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 19 de fevereiro de 2020 at 06:00

          Naaa….
          Acho que os investidores internacionais não investem no Brasil porque estão preocupados com a segurança do cidadão brasileiro e com a cara de enfado do marreco 😉

          24+
          • avatar
          • avatar
          • Zé do Brejo 19 de fevereiro de 2020 at 10:55

            Trocando em miúdos. Não investem aqui por que o risco é alto e a selic é baixa.
            Enquanto continuar com essa selic, ninguém vai investir aqui. pq aqui é Bananil e não é terra de amadores.
            Só vale a pena o risco se o retorno/juros forem altos.

            34+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
        • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 19 de fevereiro de 2020 at 06:11

          A própria imagem do atraso mental, cafonice e da boçalidade da nova “classe dominante” bananence, deve ser por conta disto que o mercado de pilotos de colhetadeira anda aquecido 🙂
          O marreco pedindo “aquela música francesa” não tem preço…
          Ainda que a grande maioria dos grandes investidores esteja obrando e andando com aquilo o que acontece com os cidadões dos países onde investem, senão como estariam China, Índia, Rússia, etc etc etc

          EQxnytw-Ws-AIx-Om-S

          19+
        • Cesar_DF 19 de fevereiro de 2020 at 20:25

          CA utilizando “Reductio_ad_Hitlerum” chamando o Paulo Guedes de “Goebbels” – o ministro da propaganda nazista

          Uauuu, não esperava por essa, o CA um cara tão inteligente utilizando a estratégia de reduzir tudo ao nazismo, algo que só os esquerdistas muito canalhas ou hipócritas o fazem.

          “Nazista, Fascista, não passarão !!!”

          7+
          • CA 20 de fevereiro de 2020 at 08:01

            Cesar_DF,

            Até para se fazer se IDIOTA tem limites!!!!

            Eu não me referia ao Paulo Guedes quanto ao pláguo de Goebbels, ou você é tão retardado e DESINFORMADO que é a UNICA pessoa do Mundo que não sabe quem foi o membro do goverbo que plagiou Goebbels?!

            15+
            • avatar
            • CA 20 de fevereiro de 2020 at 08:02

              Correçôes:
              de e não Se
              Plágio e não plaguo

              8+
              • avatar
            • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 20 de fevereiro de 2020 at 11:39

              Ele deve ter pego alguma daquelas supostas “doenças de esquerdistas” que ele vive bostejando sobre 😉

              7+
  • CA 19 de fevereiro de 2020 at 06:11

    Vamos ver uma parte da DESINFORMAÇÃO plantada aqui pelo corretor de imóveis Cesar_DF:

    “Em 2019, as vendas de imóveis cresceram 9% em comparação a 2018, de acordo com a pesquisa. Foram R$ 2,5 bilhões em vendas frente a R$ 2,3 bilhões em 2018. No ano passado, as vendas líquidas aumentaram 4,5%, com aumento de 292 unidades, e o número de empreendimentos lançados cresceu 40%, com 12 empreendimentos a mais do que o dado anterior.”

    Vamos agora TRADUZIR o que Cesar_DF, que frequenta este blog há ANOS, apenas FINGIU não saber:

    Por que cresceu 9% em vendas brutas que foi o DOBRO do crescimento em vendas LIQUIDAS (abatidos os distratos)?

    Porque dispararam nos lançamentos e vendas FALSAS na planta. Observem que os lançamentos cresceram 40% contra 4,5% de crescimento em vendas liquidas no ano passado, ao mesmo tempo que distratos continuam absurdamente anormais, comprovando o golpe aplicado das vendas FALSAS.

    Estão divulgando uma DESINFORMAÇÃO “baseada” nas vendas BRUTAS, fazendo de conta que não existem distratos, só para ENGANAR as pessoas e ainda, com percentual de crescimento em 3 anos sem destacar no título, outra estratégia típica de ENGANAÇÃO.

    Resumindo:

    O crescimento LIQUIDO e REAL foi bem menor que o divulgado e baseado em disparada nos lançamentos e vendas FALSAS na planta, onde grande parte vai virar distrato na entrega, o Cesar_DF sabe disso, mas não hesitou um segundo em tentar ENGANAR o pessoal…

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 19 de fevereiro de 2020 at 06:14

      Opa, era em resposta a post do Cesae_DF mais acima, sobre o pujante crescimento de vendas de imoveis em Goiania, depois repliquei acima no lugar certo.

      12+
      • avatar
  • Cajuzinha 19 de fevereiro de 2020 at 08:45

    CNC: Brasil perdeu mais com década de 2010 do que com anos 1980
    Recuperação foi mais forte na chamada Década Perdida, diz economista

    Segundo o levantamento, nos anos 1980, a crise encolheu a produção brasileira em 7,2%, enquanto nos anos 2010 a contração foi ligeiramente menor, de 6,9%. No entanto, conforme a CNC, a economia não conseguiu encontrar condições suficientes para voltar a crescer a partir de 2017.

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-02/cnc-brasil-perdeu-mais-com-decada-de-2010-do-que-com-os-anos-1980

    25+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 19 de fevereiro de 2020 at 09:14

    Atividade fraca eleva chance de novo corte do juro
    Lenta retomada da atividade reacendeu debate sobre um novo ciclo de redução da Selic ainda em 2019
    https://valor.globo.com/brasil/noticia/2020/02/19/atividade-fraca-eleva-chance-de-novo-corte-do-juro.ghtml ou as ferramentas oferecidas na página.

    26+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 19 de fevereiro de 2020 at 14:06

      Cajuzinha,

      E assim, o governo vai DOBRANDO A META da insanidade, algo que se repete ano após ano, sem NENHUMA efetividade quanto à recuperação da economia, ao contrário.

      Só para lembrarmos, quais os efeitos práticos desta SANDICE:

      1) Estimula PIRÂMIDES FINANCEIRAS e todo o tipo de golpe para atrair MANADAS: como o juros está muito baixo, no desespero por buscar uma maior remuneração, as pessoas se tornam presas fáceis destes golpes. Um exemplo típico, é a DISPARADA nas vendas FALSAS na planta;

      2) Estimula especulações financeiras gerando ativos super-avaliados e completamente fora da realidade: pelo mesmo motivo do item 1, os investidores vão sedentos por Ações na BOVESPA, ou por “imóveis como investimento”, ou diversos outros tipos de negócios. Quais as consequências? As distorções no mercado financeiro e imobiliário vão se tornando cada vez mais absurdas. Alguns sintomas: recorde histórico de entrada de investidores pessoas físicas e brasileiros na BOVESPA em 2019, enquanto os estrangeiros se mantém distantes e os resultados REAIS das empresas deixando muito a desejar, ou os estoques com construtoras em patamar excessivamente elevado por muito tempo, a CEF com o maior estoque de imóveis à venda do PLANETA, etc, etc, etc;

      3) O endividamento e a inadimplência se mantém em níveis ANORMAIS também: a pessoa consegue “refinanciar” suas dívidas com juros mais baixos e para “aproveitar” aumenta ainda mais seu endividamento, os super-endividados e inadimplentes se mantém em patamares recordes e nem com super-feirões de perdão a endividados o problema se resolve, aliás, ao contrário, a situação só se agrava, afinal, é o famoso “crime sem castigo”, que apenas estimula novos crimes;

      4) Pela combinação acima, a perda de liquidez de pessoas e empresas leva o consumo a não se recuperar efetivamente (apenas soluções via liberação de FGTS e outras APELAÇÕES), com isto, o ciclo de contínua DEGRADAÇÃO dos empregos continua, com a INFORMALIDADE batendo recorde atrás de recorde, junto com a disparada no emprego intermitente, no SUBemprego, no DESALENTO, queda na renda LÍQUIDA e REAL, etc, o que só alimenta o círculo vicioso que “surpreende” aqueles ALIENADOS pelo show de DESINFORMAÇÃO que “acreditavam” no “agora vai!” e que neste ano a economia vai “decolar”…

      37+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Zé do Brejo 19 de fevereiro de 2020 at 15:16

        Infelizmente, de liberal o Guedes só tem o discurso. Em termos econômicos, é só mais do mesmo.

        34+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Godinez 19 de fevereiro de 2020 at 16:59

          A impressão que eu tenho é que ele deve desembarcar do governo em breve…as cobranças sobre ele vão aumentar e se ele sair esse ano terá como colocar a culpa do baixo crescimento da economia no Congresso (por não fazer as reformas da maneira como ele desejava).

          34+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • Cajuzinha 19 de fevereiro de 2020 at 16:08

        O secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, avalia que a situação da economia está dentro do esperado. “Quando se desagrega o investimento, você vê que o privado está respondendo, o público que está caindo. Essa mudança no mix é uma quebra estrutural, e isso gera essa demora para o crescimento voltar”, argumentou.

        https://valorinveste.globo.com/mercados/brasil-e-politica/noticia/2020/02/19/retomada-da-economia-decepciona-mesmo-com-cenario-dos-sonhos.ghtml

        19+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • odorico 19 de fevereiro de 2020 at 19:00

          Nisso eu até concordo, ao mudar um paradigma ou modelo há uma demora na mudança cultural.
          Porém, algumas questões no ar:
          1.Será que a iniciativa privada vai responder no nível adequado? Talvez a resposta privada é essa de 1 a 2% de crescimento, e como sempre digo, o problema da produtividade não é só do trabalhador. O empresário brasileiro, na média, administra mal, avalia mal os riscos, tem pouca poupança e capital. E tem todo o ambiente que desestimula a competição, a produtividade, o trabalho, o estudo, etc.
          2.Será que a classe política está disposta a essa mudança cultural? Lembre-se que o Estado patriarcal e o capitalismo de Estado e conchavos foram criados por essa classe política que está aí (mesmo com algumas renovações) será que ela não está doida para voltar ao modelo anterior.
          3. Será que o eleitor está preparado e com paciência para a mudança? Em 2022 podemos ter uma guinada a esquerda. Já vejo em muitas conversas o velho papo, o PT roubou, o PT destruiu o país e o mais humilde responde “é mas eu consegui comprar casa e carro no governo do PT” (mesmo se endividando até a morte). As últimas piadinhas do bozo e tchutchuca já estão reverberando no meio evangélico (piadinha de duplo sentido só com o pastor Claudio Duarte), a mulherada também já está achando ele um boçal mesmo as mais conservadoras e muita gente mais humilde já está achando que o Tchutchuca não gosta de pobre (até acho que não é isso, mas a declaração foi infeliz).
          Pelo menos aqui na “repartição” é nítido ver que os bolsonaristas (exceto os fanáticos minions) estão respondendo a questionamentos de forma menos enfática, avaliando pontos positivos e negativos ou mesmo apenas dizendo que com o PT seria pior.
          Importante é o Brasileiro parar de endeusar políticos… É só lembrar que fanáticos do Collor, do FHC, do Lula, da Dilma, do Aécio e de outros “semi-deuses” pagaram a língua, porque acham que com o Dilmo será diferente?
          Ao invés de endeusarmos deveríamos focar no trabalho que está sendo feito, acho que tem coisa bacana, mas tem problemas também, vamos ver como será o resultado…

          28+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • CA 19 de fevereiro de 2020 at 19:08

          Cajuzinha,

          Este governo é como o agente 86. Quem viu a série antiga ou os filmes mais recentes, vai entender. O Agente 86 diz no começo da discussão com o bandido: “Tenho um exército do lado de fora e uma ogiva nuclear em foguete mirado para o endereço de sua família!”. O bandido diz: “Duvido!”. Agente 86 retruca: tenho um comando da polícia aí fora. O bandido: “Dúvido!”. Agente 86 persiste: “Tenho um velhinho com bengala que vai acertar sua cabeça e ele está vindo aqui”. O bandido só ri. No caso, assim como o agente 86 é o governo FALASTRÃO e cheio de PEGA-TROUXA, o bandido se chama REALIDADE…

          40+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • carioca_real 20 de fevereiro de 2020 at 18:22

          Esse cara já fez até video dizendo que o Nazismo era de Esquerda.

          5+
          • avatar
  • reznor 20 de fevereiro de 2020 at 00:02

    AGORA VAI, CAMBADA

    Bolsonaro mantém Guedes mas marca tempo para ministro “mostrar serviço”…

    O “prazo de validade” do ministro da Economia, Paulo Guedes, como superministro vence em julho. O blog de Tales Farial (UOL) apurou que é isso que o presidente Jair Bolsonaro tem dito a seus auxiliares mais próximos. Por que julho? Porque no segundo semestre as campanhas para as eleições municipais estarão a pleno vapor. Se até julho a economia continuar desaquecida, como atualmente, dificilmente criará um clima de otimismo até outubro capaz de eleger um grande número de aliados do presidente pelo país. A partir de julho, se a economia não tiver dado sinais de que, enfim, vai deslanchar, Bolsonaro pretende intervir mais fortemente na política econômica. Isso só será possível tirando os poderes de superministro de Paulo Guedes. O problema é que o ministro também já deixou claro que não aceitará ter seu superministério esvaziado.

    Numa das reuniões com o ministro, no mês passado, o presidente da República chegou a lembrar -em “tom de camaradagem”, como se diz na caserna- que Guedes havia lhe prometido, durante a campanha eleitoral de 2018, que em 2020 haveria uma grande retomada do crescimento no país. Bolsonaro deixa claro nas conversas com auxiliares que nunca foi um defensor do liberalismo econômico, apenas adotou as teses de Guedes porque foi convencido pelo ministro de que elas dariam certo e lhe trariam frutos eleitorais.

    De fato, o liberalismo ajudou Bolsonaro a conquistar apoio do empresariado na campanha de 2018. Isso foi decisivo para sua eleição. Mas agora o presidente tem recebido reclamações de empresários quanto ao ritmo da economia. E são reclamações cada vez maiores. O descontentamento do Planalto é percebido pelo ministro, que sabe da propensão do presidente pelo intervencionismo. Assim como prometeu a Bolsonaro trazer de volta um crescimento econômico robusto, Guedes também considera ter recebido a promessa de que seria o “Posto Ipiranga” da economia. Tudo, absolutamente tudo, passaria por ele. Como tem passado desde o início do governo.

    Mas se o presidente resolver esvaziar seus superpoderes, Paulo Guedes também não terá interesse em ficar no cargo. Foi esse o recado que ele deu ao “pessoal do Palácio”, como chama os ministros com gabinete próximo do presidente, hoje todos militares. O recado foi dado de forma mais enfática nesta terça-feira, quando, irritado, foi chamado às pressas ao Palácio para rediscutir o programa “Brasil Mais” de incentivo às pequenas e médias empresas. Haveria uma solenidade para anúncio do programa, que foi cancelada, mas o decreto de criação acabou sendo assinado logo após a reunião do ministro com o presidente.

    Na solenidade de posse de Onyx Lorenzoni como ministro da Cidadania, ontem mesmo no Palácio, Bolsonaro chegou a declarar, sem ser perguntado: “O Paulo Guedes não pediu para sair. Aliás, eu tenho certeza de que, assim como ele é um dos poucos que eu conheci antes das eleições, ele vai continuar conosco até o nosso último dia.” No futebol, quando um técnico está em crise, logo o presidente do clube vem a público e declara: “ele está prestigiado.” Pois é, Paulo Guedes “está prestigiado”, mas com “prazo de validade”.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Strike 20 de fevereiro de 2020 at 00:09

      Acho que foi um erro extinguir o ministério do planejamento. O Chicago Bode vai arrebentar o país com esse câmbio. Isso é loucura. Isso é Brargentina na veia! Eu não sabia, mas existe até uma bandeira pronta da Brargentina. Alguém me explica como postar ibagens por favor. Outra coisa, vai cortar os juros até zerar? Vai queimar totalmente esse instrumento sem nenhum resultado. De minha parte esse cara cairia fora já!

      25+
      • avatar
      • avatar
      • Strike 20 de fevereiro de 2020 at 00:11

        BRARGENTINA, Galera! Isso é loucura! Imagina se o dólar entrar em disparada? Ninguém vai conseguir derrubar isso mais, não!

        21+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • reznor 20 de fevereiro de 2020 at 00:21

          Meu amigo, no tópico anterior eu postei parte de um artigo do Mises metendo o pau nessa política monetária do Guedes/Campos Neto.
          Estão comparando o Guedes ao Ciro Gomes. kkkk
          Mas não dá pra dizer que foi por falta de aviso. O Guedes mesmo disse na época de campanha que não enxergava problema num dólar a 5 BRL.

          31+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • indiobolhista 20 de fevereiro de 2020 at 21:08

          macroeconomica e politicamente argentina e banania são gemeos …. ja é hora duma cotação verdadeira de 20 reais por dolar e subindo…

          5+
  • reznor 20 de fevereiro de 2020 at 00:22

    2+
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 20 de fevereiro de 2020 at 05:47

    Interessante, nada sore prisão em 2ª instância, corrupção bananence ou sobre o marreco estar chateado 😉

    Mercado questiona governo por causa de indefinições na agenda econômica

    Temas que pareciam estar na direção correta, na avaliação de investidores, como controle do teto de gastos e gestão orçamentária, voltam a receber atenção especial; há temor de retrocesso no ajuste fiscal e sobre articulação com Congresso

    Investidores estrangeiros já avisaram o ministro da Economia, Paulo Guedes, que têm interesse em colocar dinheiro no Brasil, mas cobram avanços sólidos nos marcos legais. Um ponto de incógnita é a reforma tributária. Ninguém quer trazer recursos para o Brasil “no escuro”, sem saber ao certo como ficarão as regras sobre impostos.

    Relatos obtidos pela reportagem sobre as conversas entre investidores e integrantes da equipe econômica mostram que há a percepção de que o governo tem patinado na articulação política, o que vem causando vácuos em negociações que podem custar caro mais para frente.

    Além do atraso nas reformas, o sinal mais recente de alerta, segundo uma fonte do time de Guedes, foi a apresentação, na terça-feira, do parecer à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prorroga a vigência do Fundeb, o fundo que banca o desenvolvimento da educação básica. O texto prevê a ampliação de gastos em R$ 79,7 bilhões nos próximos anos. Tudo fora do teto de gastos. Só em 2021 chegaria a R$ 8,3 bilhões.

    A articulação política do governo passou ao largo da negociação no Congresso para a PEC do Fundeb, o que deixou a equipe econômica irritada, tendo de dar explicações sobre o impacto da medida. A pergunta mais frequente é como o governo vai conter as pressões por mudanças na agenda do Congresso – onde estão três PECs fiscais – se não consegue nem sequer participar das negociações de um tema pontual, como o Fundeb.

    Um integrante da equipe admitiu que a desconfiança voltou e que o mercado está “superatento”, o que inclui também detalhes sobre as mudanças na meta fiscal deste ano, o acordo do Orçamento impositivo e a capitalização na Emgepron (estatal da Marinha).

    Presidente do Insper, o economista Marcos Lisboa avalia que, para piorar o cenário, começaram a sair medidas para “bypassar” o teto de gastos. “Como as despesas obrigatórias estão consumindo todos os recursos e as reformas foram modestas até agora, só teve a Previdência relevante, o governo está tendo problemas”, diz.

    Segundo ele, é nesse quadro que aparecem “ideias criativas”. “Está todo mundo querendo furar o barco”, ressalta o economista.

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,mercado-questiona-governo-por-causa-de-indefinicoes-na-agenda-economica,70003203771

    12+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 20 de fevereiro de 2020 at 09:06

    BC reduz compulsório sobre depósitos a prazo de 31% para 25%

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 20 de fevereiro de 2020 at 09:13

      BC altera regras do compulsório e mudanças devem injetar R$ 135 bi na economia a partir de março
      Mudança nos compulsórios do indicador de liquidez de curto prazo liberam outros R$ 86 bilhões no início do próximo mês.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 20 de fevereiro de 2020 at 13:30

        Cajuzinha,

        Só para lembrarmos:

        O que são os compulsórios?

        De forma simples, são como um “seguro” para o sistema financeiro, uma “reserva” em caso de problemas de liquidez.

        O que acontece quando o governo atual, a exemplo do que Dilma fazia e do que a China tem feito há anos também, vai se desfazendo deste “seguro”, para tentar no DESESPERO fazer com que a economia “engrene”, especialmente quando já estamos com o menor juro básico de todos os tempos (também imitando esta outra APELAÇÃO da Dilma e da China)?

        Todos aqueles efeitos negativos, que mencionei acima, relacionados à consequência do juro em patamar histórico de baixa em meio a contínua degradação de empregos e renda, mais recordes de super-endividamento e inadimplência, somados a alguns ativos em profundo desequilíbrio (Ações, Imóveis), se INTENSIFICAM! Por que?

        Com mais dinheiro liberado para qualquer uso, bancos emprestam mais e com menores juros, famílias e empresas super-endividadas geram novos recordes de inadimplência, neste contexto a degradação dos empregos acelera, retroalimentando este círculo vicioso, ao mesmo tempo que os golpes, pirâmides financeiras e distorções de segmentos que estão operando fora dos fundamentos (Ações, Imóveis) crescem ainda mais. Ao reduzir os compulsórios, estão tirando dinheiro da reserva para alimentarem BOLHAS, com isto aumentando os efeitos destrutivos quando não der mais para APELAR.

        PIOR: nos desfazemos do “seguro do carro” (compulsórios) e colocamos pneus “carecas” (juro básico em baixa histórica de forma apelativa), para tentarmos fazer o carro rodar mais rápido, só que este carro não acelera o quanto desejam, mas a velocidade em que está, já é o suficiente para derrapar e matar o motorista, principalmente com a tempestade (bolha global) que vai chegar…

        23+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • odorico 20 de fevereiro de 2020 at 14:28

      Pedala…..

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 20 de fevereiro de 2020 at 13:33

    Na minha opinião, mesmo que o PIB da construção civil tenha atingido o vale no início de 2019, isso não implicará necessariamente num aumento do valor dos imóveis, pois a queda da DEMANDA tende a se acelerar. Por exemplo, o DF está com algo entre 60 e 150 mil imóveis vagos, a taxa de fecundidade está com menos de 1.7 e com tendência de queda (no Estados Unidos é 1.8 na Alemanha é 1.5 e no Japão 1.44), um monte de família com apenas 1 filho, que, se sair de casa, vai ser lá pelos 40 anos. Então se construírem mais imóveis, não existirão pessoas para compra-los.

    O IBGE estimou que o pico da população brasileira será em 2042, com 228 milhões de habitantes. Seriam então 20 milhões de habitantes para os cerca de 12 milhões de imóveis residenciais vagos que existem atualmente. E ainda tem a tendência do teletrabalho, a conversão de imóveis comerciais em residenciais, o perfil não-proprietário dos millenials, etc. Tudo que contribui para uma baixa DEMANDA.

    Os eventuais locais onde irá haver aumento real dos imóveis tem a ver com o aumento da massa salarial local, seja pelo aumento do fluxo internacional (importações e exportações) ou da logística, seja as capitais agrícolas por causa de quebras de safra no exterior por causa de mudanças climáticas, ou qualquer outra condição local. É claro que a mídia iria colocar o foco justamente nestes locais, para fazer o marketing de uma das áreas que mais gasta com propaganda e publicidade.

    ——————————————–

    Construção civil interrompe série de 5 anos em queda
    Setor fecha 2019 com crescimento de 2% e deixa para trás período de perdas acumuladas, que ocorreu de 2014 a 2018

    O crescimento registrado em 2019 não repõe as perdas acumuladas de 2014 a 2018, que chegaram a 30%, mas aponta para uma guinada que, de acordo com a própria FGV, deverá manter o viés de alta para 2020. A projeção é de que o PIB da construção civil cresça 3% neste ano. Para Ana Maria Castelo, os números que fecharam 2019 e os previstos para 2020 são muito positivos

    https://www.cimentoitambe.com.br/construcao-civil-interrompe-serie-de-5-anos-em-queda/

    9+
  • odorico 20 de fevereiro de 2020 at 15:06

    Sobre vários posts dos bolhistas hoje….
    O problema do Brasil é que o que precisa ser feito em termos de reformas é caro, custoso e longo. Sabe aquela casa que reformar sai mais caro que derrubar e construir outra.
    A verdade é que precisamos de um “reset”, nova constituição, novo pacto federativo (quem sabe até com a possibilidade de emancipação estadual), municipalização dos serviços (dinheiro descentralizado e nas pontas), novo sistema eleitoral, etc.
    E não tem político, economista, militar, gestor, papa, professor, trabalhador, empresário, eu e você que queira fazer “de fato” ou está disposto a se desgastar por tanto tempo sem colher nada. É aquela frase: ” Alguém tem que tomar uma providência”…. o problema é que quando você está no posto que devia tomar a providência, você avalia prós, contras, benefícios de curto e longo prazo. Às vezes a pessoa até tenta, mas se a coisa não andar, porque vai se desgastar.
    Não tenho dúvidas que o Bozo vai abandonar a austeridade se a economia não deslanchar e a popularidade dele cair, as prévias serão as eleições municipais, se em 2021 a paciência para a chegada do “espetáculo do crescimento” acabar no povão, ele abre as pernas em 2022 para ser reeleito. Vai ter obra, concurso, desiste das privatizações, negocia reajustes de servidores, fatia o governo com partidos, etc.
    Aí vem ou minion e diz: “Ele não fará isso” e eu respondo: “Assim seja, espero morder minha lingua”.
    Mas aí ele não faz, não é reeleito e a mensagem para o próximo foi dada.
    Desde a criação da reeleição, todos presidentes tiveram dois mandatos, ter um só é um ponto fora da curva…. E lembrando que na história americana, presidentes que não foram reeleitos foram justamente os que não conseguiram resolver problemas econômicos (nem que seja jogando o problema para frente)

    34+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 20 de fevereiro de 2020 at 19:27

      Na minha modesta opinião não muda e não vai mudar porque a maioria de quem manda e boa parte de quem obedece está muito acostumada com as suas benesses, gatos, gambiarras, puxadinhos, maracutaias e esquemas que prefere mesmo é deixar como está.
      Pessoal reclama reclama reclama mas zero de tomar uma atitude, nem ao menos tentam melhorar seus comportamentos de 666 para um 665.
      Quem paga os impostos e segue as leis, uma minoria decrescente, segue sendo escrava desta orda de homúnculos.

      25+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • odorico 20 de fevereiro de 2020 at 19:51

        A questão é que de alguma forma todo mundo está dentro da matrix brasileira e já se acostumou com o seu modus operandi.
        O empresário reclama da corrupção, mas oferece um café pro fiscal, etc
        o eleitor reclama do político, mas vende seu voto e apoio em troca de benefícios
        o motorista reclama do trânsito, mas pára em lugar proibido, não respeita as regras de trânsito e oferece um café pro guarda
        o morador reclama das enchentes, mas joga lixo na rua.
        o médico público fala que não tem condições de trabalho, mas frauda o ponto ou falta o plantão
        reclamamos da empregada doméstica, mas não recolhemos o fgts
        O presidente conservador faz piadinha de duplo sentido.
        fazemos puxadinhos e torcemos para a prefeitura não cobrar iptu
        vendemos a laje
        não pedimos nota-fiscal mediante desconto
        compramos carros pcd sem merecer
        trabalhamos como pj para não pagar IR – a famosa eumpresa
        E assim vai….
        Não adianta, não temos apreço ao trabalho, à disciplina, à pontualidade, à austeridade, à poupança.
        Claro que o sistema não ajuda, mas se o sistema mudar de uma vez, será que não vamos reclamar….
        Brasileiro é cigarra e não formiga (admitir isso, já é um grande começo).

        38+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 20 de fevereiro de 2020 at 20:27

          O coitadismo é um esporte nacional, do sem teto até os mega empresários, baqueiros e políticos… todos choram as pitangas…

          15+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • indiobolhista 20 de fevereiro de 2020 at 21:01

      austeridade????? ja botaron teto salarial de 4 mil reais???? qual austeridade parasita???? o país vai para a merda é um fato garantido

      13+
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 21 de fevereiro de 2020 at 06:47

      22+
      • avatar
  • odorico 20 de fevereiro de 2020 at 19:03

    Divã bolhista…(preciso de aconselhamento…)
    Atualmente estou com investimentos em 4 corretoras e 5 bancos. (meta 2020 é ficar apenas em 2 corretoras e 3 bancos)…
    Alguém usa ou tem dica de apps para consolidar investimentos?
    Estou testando o app “real valor”, mas apesar de pegar informações da CEI e do tesouro (na verdade ele não conseguiu pegar) não achei muito intuitivo, vi vídeos do tal do flipper e kinvo, mas parece ainda pouco evoluídos…
    até mês passado o meu controle mensal era no início do mês pegar os valores de cada ativo geral (td, rf, ouro, usd) e entrar em cada corretora e banco e pegar os valores diários…. aí fazia alguns cálculos de rendimento, por tipo, período, global, etc.
    Mas tudo em planilha e bem rudimentar…. (levo 2 horas cada início de mês fazendo isso e não é muito preciso….).
    Para um controle mais preciso achei as exportações xls das corretoras muito ruins….
    Enfim, qualquer dica é válida….

    8+
    • avatar
    • reznor 21 de fevereiro de 2020 at 02:05

      Eu ainda uso planilha, mas aquela do Google (sheets). A vantagem é que essa tem algumas funções interessantes.
      Pra renda variável você pode colocar o ticker e obter os preços de compra/venda atualizados.
      Dólar a mesma coisa (ex.: =celula/GOOGLEFINANCE(“usdbrl”).
      Passei muitas horas elaborando o layout, incluindo sheets com gráficos por tipo de ativo (CDI, prés, RV, USD, etc). Evolução de patrimônio, etc etc. Um monte de frescuras 🙂
      Mas depois de concluído do jeito que queria não passo mais que 15 minutos atualizando os dados no início de cada mês. Tudo em net income, nunca bruto.
      Meu caso é mais simples, pois tenho pouco mais de 10 ativos diferentes. Quando estava comprado em ações a planilha era distinta.
      Tb tem todos os investimentos da patroa, pois essa me delegou as funções (faz parrrte).

      OFF
      Essa semana teve amortização da debenture da CEMIG.
      Bons tempos: 9,4% + IPCA a.a. kkkk Parece que foi ontem. Ano que vem vencerá.

      De resto sigo líquido e comprado em doletas.
      Avisei no final do ano que o USD tava barato na banda dos 4,15. Fim de ano ainda chegou a beliscar suporte dos 4. Isso foi pré-corona e pré-declarações-muito-infelizes do Ciro Guedes/Campos Neto.
      Situação hoje está bem diferente
      Indião aqui do blog está com razão. País na merda é fato garantido. Esse jogo de abater dívida pública via depreciação da moeda é perigoso.
      Real virando farinha… Sacanagem, única moeda decente que vivenciei nessa várzea (e olha que peguei época de muita tranqueira: Cruzado Novo com nota da Cecilia Meireles). Assim vão matar o Gustavo Franco de vez (cara infartou a pouco).
      Saída via GRU é o melhor investimento. Rezem pelos parentes e amigos.

      Estou muito pessimista? /s

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Jonny Deep Blue 22 de fevereiro de 2020 at 14:43

      Tem um tal de social bank. Já ouviram falar???

      1+
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 20 de fevereiro de 2020 at 20:26

    OFF – E muita gente tinha medo que virássemos uma Venezuela….

    Polícias de vários estados estão sob o comando de milícias dos mais variados tipos e origens..
    A familícia na presidência tem seu exército particular de bandidos os quais defendem, pagam e municiam enquanto outros governadores agora compram o comando ou brindam as policias dos seus estados com aumentos de salários descabidos.

    Estamos FUDIDOS…
    Espero muito mesmo estar enganado.

    Efeito cascata de reajustes de PMs ameaça controle fiscal e socorro aos Estados

    O movimento ganha força num momento em que muitos Estados ainda não conseguiram sair da crise financeira

    A decisão do governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), de propor reajuste dos salários de todas as categorias das polícias civil, militar, bombeiros e agentes penitenciários já provocou um efeito em cascata que ameaça o ajuste fiscal das contas dos Estados e as negociações do novo programa de socorro financeiro planejado pelo governo federal.

    Na véspera do Carnaval, quando as forças das PMs são reforçadas com escala especial de trabalho para fazer a segurança durante o feriado, pipocam no País pressão por reajustes. O movimento ganha força num momento em que muitos Estados ainda não conseguiram sair da crise financeira. Além de Minas Gerais, há novos focos de pressão por reajustes salariais no Ceará, Santa Catarina, Bahia, Espírito Santo, Paraná e Paraíba.

    O relator disse que teme o efeito em cascata e afirmou que não ter dúvida que o acirramento do movimento no Ceará já é reflexo da decisão do governador de Minas de dar o reajuste, que foi ampliado pela Assembleia Legislativa do Estado para outras categorias. Segundo ele, o acordo no Ceará já estava encaminhado e depois a situação se agravou.

    Ex-governador do Espírito Santo, Paulo Hartung avaliou que a situação é gravíssima e foi impulsionada em grande parte pelas anistias dados aos policiais militares que participam das rebeliões, o que não é permitido. Em 2017, Hartung enfrentou uma rebelião dos policiais no momento em que implementava um duro ajuste fiscal. Para ele, o tratamento diferenciado dado aos policiais na Reforma da Previdência também contribuiu para a situação atual. “As principais autoridades precisam se mobilizar para evitar o pior”, alertou.

    https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,efeito-cascata-de-reajustes-de-pms-ameaca-controle-fiscal-e-socorro-aos-estados,70003204952

    20+
    • avatar
    • avatar
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 21 de fevereiro de 2020 at 05:04

    E tem gado defendendo que o governo, coitadinho, está com problemas pra arrecadar e deve arrochar os brasilinos…
    Tem que ser muito, muito trouxa mesmo.

    Arrecadação federal de R$ 174,9 bi é recorde para o mês de janeiro
    Segundo a Receita Federal, resultado é explicado pelo aumento no recolhimento de Imposto de Renda, principalmente de empresas

    O governo começou 2020 com recorde na arrecadação de tributos federais. Em janeiro, a arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 174,991 bilhões, um aumento real (já descontada a inflação) de 4,69% na comparação com o primeiro mês de 2019. O valor arrecadado foi o melhor da história para o mês, de acordo com a Receita Federal.

    O resultado é explicado pelo aumento no recolhimento do Imposto de Renda, principalmente de pessoas jurídicas, o que reflete o aumento na lucratividade das empresas. “Olhando para o Imposto de Renda, vemos sinais claros de recuperação econômica”, afirmou o chefe de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias.

    Houve ainda aumento de 46,94% no recolhimento do IRPJ/CSLL na modalidade ajuste, utilizada usualmente por empresas maiores. Isso indica que o lucro das empresas foi maior do que o projetado ao longo de 2019.

    Para a Receita, cerca de R$ 2,8 bilhões recolhidos em janeiro foram “atípicos”, acima do patamar esperado pelo órgão. Parte desse valor é reflexo das operações de fusão e aquisição de empresas realizadas em 2019, que implicam em recolhimento de Imposto de Renda. No primeiro mês do ano, há a concentração de tributos que são recolhidos trimestralmente.

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,arrecadacao-federal-de-r-174-9-bi-e-recorde-para-o-mes-de-janeiro,70003204437

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 21 de fevereiro de 2020 at 08:16

    Matéria abaixo é interessante e traz alguns pontos sobre os quais falamos por aqui com frequência. Destaco alguns trechos “entre aspas”:

    https://economia.uol.com.br/noticias/bbc/2020/02/21/decada-perdida-por-que-mesmo-com-juro-baixo-e-dolar-alto-industria-brasileira-continua-em-recessao.htm

    “Década perdida: por que, mesmo com juro baixo e dólar alto, a indústria brasileira continua em recessão?”

    “Para a indústria, entretanto, que em tese se beneficiaria do câmbio desvalorizado — que deixaria os produtos brasileiros mais baratos lá fora —, o dólar mais caro não impediu que a produção recuasse em 2019. A queda de 1,1% levou a produção industrial ao mesmo nível registrado em junho de 2004, 15 anos atrás, de acordo com os cálculos do economista Alberto Ramos, do Goldman Sachs”

    “No acumulado entre 2011 e 2019, a queda é de quase 15%”

    “A pior situação é a do Espírito Santo (-35,2%) e de Minas Gerais (-27%), onde o desempenho do setor é bastante dependente da mineração. Na sequência vem São Paulo, dono do maior parque industrial do país, com perda acumulada de 20%, queda maior que a média nacional”

    “Dólar alto ajuda ou atrapalha? A indústria brasileira exporta pouco. Mais da metade de tudo o que o Brasil vende para fora são produtos básicos — 52% em 2019. Outros 12,6% são semimanufaturados e 34,5%, manufaturados. Em contrapartida, o setor tem importado cada vez mais. Se não produtos acabados, partes e peças que vão compor as mercadorias”

    “Isso quer dizer que, para parte da indústria, o dólar mais caro representa um aumento de custos”

    “O mesmo estudo do Banco Central que apontou que o coeficiente de penetração das importações voltou ao nível de 20% destaca que “o coeficiente de exportação não apresenta resposta significativa ao câmbio”. Ou seja, no período estudado, o câmbio não foi uma variável relevante para impulsionar ou desacelerar as exportações. “Por outro lado, o crescimento da economia mundial alavanca as exportações”, acrescenta o texto. Essa dinâmica explicaria porque as exportações brasileiras recuaram 5,8% em 2019, apesar do dólar mais caro”

    “Mais emprego, mais informalidade O mercado interno tem ajudado a indústria, especialmente a de bens de consumo, mas esse efeito benigno é limitado pela qualidade dos empregos gerados pelo país, ressalta o economista Nelson Marconi, da Fundação Getulio Vargas (FGV). A redução da taxa de desemprego tem se dado em parte à custa da geração de vagas mais precárias, informais ou por conta própria (categoria em que estão, por exemplo, os motoristas e entregadores de aplicativo). Além dos salários muitas vezes menores, quem trabalha sem carteira assinada tem acesso mais difícil a crédito — ou tem acesso a taxas de juros mais altas. Balassiano, da FGV, calcula que cerca de 60% da força de trabalho no Brasil esteja em “uma situação mais precária do mercado de trabalho”. Levando-se em consideração a média de 2019, são 67,4 milhões de brasileiros — que estão desempregados (11,6 milhões), na informalidade (41,2 milhões), que trabalham menos do que gostariam ou precisariam (6,8 milhões), que estão desalentados (4,6 milhões) ou que gostariam de trabalhar, mas que estavam impedidos de procurar (3,2 milhões), como as mulheres que têm de ficar em casa com os filhos porque não conseguem uma vaga na creche”

    “Juros e incerteza Os juros em mínimas históricas, por sua vez, ainda não alavancaram os investimentos — na indústria ou na economia por um todo. Para Cagnin, do Iedi, o impacto sobre o setor da mudança no patamar dos juros tem sido lento, entre outras razões porque as taxas aos consumidores e empresas não baixaram no mesmo ritmo da Selic”

    “Balassiano acrescenta ainda o nível elevado de incerteza — dentro e fora do país —, que estimula as empresas a manterem os projetos de investimento na gaveta mesmo com as taxas de juros mais baixas. O último Indicador de Incerteza da Economia da FGV, de janeiro deste ano, cresceu e chegou a 112,9 pontos, nível historicamente elevado (acima de 110”

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 21 de fevereiro de 2020 at 09:20

    Carros para o Brasil
    Híbridos com bateria de 10 Kw permitem rodar de 50 a 60 Km no modo totalmente elétrico

    Toyota RAV4
    A Toyota diz que o novo modelo consegue 17,4 km/l na cidade, 15,7 km/l na estrada
    https://www.car.blog.br/2020/01/toyota-rav4-plug-in-hybrid-e-mais.html

    Jeep Renegade e Compass
    Jeep Renegade que faz 52 km/litro será lançado este ano no Brasil
    https://www.youtube.com/watch?v=o5pVx-ENqOE

    Volvo XC60 T8
    Com a bateria totalmente carregada e dirigindo de forma suave, foi possível percorrer 47,6 km com 1 litro de gasolina. Apenas com o motor a combustão, são 17 km/l.

    9+
  • Cesar_DF 21 de fevereiro de 2020 at 09:26

    Georgia,assim como a Estônia um pais que saiu do comunismo e entrou no liberalismo econômico
    Está em sétimo lugar no ranking de facilidade de fazer negócios.
    https://www.youtube.com/watch?v=FypIfst2vkE

    12+
    • avatar
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 21 de fevereiro de 2020 at 12:37

      Os ex comunistas normalmente tem ótimos sistemas de educação e populações muito mais qualificadas do que a bananence 😉
      Adult literacy rate, 15+ years, (%) -> 100%

      Por falar em “liberalismo econômico “, a educação até os 18 anos é gratuíta na Georgia… 😉 😉

      Education in Georgia is free of charge and compulsory from the age of 6 until 17-18 years.[1] In 1996, the gross primary enrollment rate was 88.2 percent, and the net primary enrollment rate was 87 percent;[1] 48.8 percent are girls and 51.8 percent are boys. Constitution mandates that education is free. Related expenses that include textbooks and laptops are provided by the state free of charge;[1] in 2001 there were 47,837 children not attending primary school.
      https://en.wikipedia.org/wiki/Education_in_Georgia_(country)

      Fora que é um ovo:
      Population: 3.717 million (2017)

      http://datatopics.worldbank.org/education/country/georgia

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 21 de fevereiro de 2020 at 10:25

    Publicado em21/02/20 04:30Atualizado em21/02/20 07:46
    Crédito imobiliário com juros fixos da Caixa encarece financiamento em até R$ 57 mil

    O comprador de um imóvel de R$ 500 mil que optar pela nova modalidade de financiamento imobiliário da Caixa Econômica Federal com taxa de juros prefixada pagará, ao fim de 30 anos, até R$ 57 mil a mais do que se tivesse optado pelo sistema com correção pela inflação (IPCA), ou R$ 35 mil a mais do que o modelo tradicional, que considera como indexador a Taxa Referencial (TR). Os cálculos são de Michael Viriato, professor de Finanças do Insper.

    https://extra.globo.com/noticias/economia/castelar/credito-imobiliario-com-juros-fixos-da-caixa-encarece-financiamento-em-ate-57-mil-24262397.html

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • odorico 21 de fevereiro de 2020 at 15:08

      Curiosamente, fiquei tentado a entrar nessa do pré-fixado.. acho que o pré até 10 anos pode ser uma boa para quem está convicto da compra.
      O ap onde moro está na faixa de 700k, com 500k de entrada a prestação ficaria igual ao aluguel, então meu custo mensal seria o mesmo.
      Bem, na verdade eu perderia o rendimento dos 500k que bem alocado num mix de RF de banquinhos dá 0,4% líquido ao mês…
      Até avisei a mulher se ela queria olhar imóveis nesse faixa de valor, mas acho que ela se contaminou com minha visão da flexibilidade, ela mesmo disse que não tem certeza que quer ficar onde moramos pelos próximos 10 anos, outro lugar o risco seria ainda maior já que “de fato” leva pelo menos 1 ano para você ver os prós e contras de um lugar……

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 21 de fevereiro de 2020 at 15:12

        Vc conseguiu simular no site da CEF? Agora para mim só aparece os gráficos do com TR e com IPCA e nem deixa eu colocar o valor que teria intensão de financiar.

        2+
      • MARK 21 de fevereiro de 2020 at 16:06

        Acho que estou como as sua mulher, odorico. Este ano ensaiei a compra de um apartamento, mas como só estava por dentro dos preços das casas, precisaria olhar mais apartamentos e lugares. O saco de olhar apartamento é que você só consegue fazer isso através de corvos, ao acioná-los para ver um, já começa a ladainha “o que vc está procurando, vai até que preço, que bairro, que tipo de apto”, um porre. A minha sorte é que os que visitei entendo como altos ainda em seu preço e percebo resistência em propostas de 30% abaixo do preço. E como você diz mesmo, começamos a fazer os cálculos e aí danou-se tudo, é matemático, sai mais em conta alugar um apartamento em razão dos custos de condomínio e IPTU. Teve um dos apartamentos que talvez eu conseguisse um bom desconto pois a proprietária está doida pra voltar pra Sampa, tem toda a vida lá, mas eu resisti e comecei a procurar o máximo de defeitos possíveis. uahsuhasuhas 10 anos é muito tempo, já estou há mais de dois anos aqui, gosto do bairro, mas o jeito de viver e morar está mudando mesmo, nada é para sempre. Daí renovei aqui mesmo, depois de uma breve busca por aptos semelhantes no entorno, mesmo com um aumento ainda estou pagando abaixo da média por aqui. Só tomei o cuidado de pedir a isenção da multa após transcorridos 12 meses do contrato.

        9+
        • avatar
        • Jonny Deep Blue 22 de fevereiro de 2020 at 15:01

          Pois é…..chegou a hora de sair do flat de 55m2 com camareira e faxineira diária já incluso no condomínio. O aluguel com condomínio e IPTU era 0,666% do valor de “mercado” do flat. Excelente. Porém, preciso de um AP maior. Encontrei um com 1 vaga de garagem, piscina grande, 3/4, bem localizado, perto de lojas e galerias, 30 anos de construído. Já com armários. O valor total com IPTU, condomínio e aluguel está em 0,5% do valor do AP mais barato no mesmo prédio. Poderia ser 0,666/2 , mas tá valendo,rsrs. Está bom também. Já com armários em todos os ambientes. Precisa de uma pintura e revitalizar as portas e janelas. Nada muito difícil ou caro. Com certeza vale mais a pena alugar do que comprar atualmente.

          11+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Cajuzinha 21 de fevereiro de 2020 at 10:46

    Oxente!

    Confiança da construção cai 1,4 ponto em fevereiro
    Indicador chegou a 92,8 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos

    A queda de janeiro para fevereiro foi puxada pelo Índice de Expectativas, que mede a percepção dos empresários da construção sobre o futuro e que recuou 5,2 pontos, para 99 pontos.

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-02/confianca-da-construcao-cai-14-ponto-em-fevereiro

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 21 de fevereiro de 2020 at 16:45

    Desconfiado, investidor estrangeiro se afasta do Brasil e rombo nas contas externas dispara
    Publicado em 21/02/2020 – 11:38 Vicente NunesEconomia

    Os investidores estrangeiros dão sinais de que estão cada vez mais desconfiados em relação ao Brasil. Além de o ministro da Economia, Paulo Guedes, não entregar o crescimento econômico que prometeu — ele já vem sendo cobrado pelo presidente Jair Bolsonaro —, o país, com um governo autoritário, está se afastando de compromissos importantes na área ambiental.

    As saídas de recursos da Bolsa de Valores também estão a todo na Bolsa de Valores. Pelos cálculos do BC, apenas em janeiro deste ano, quase US$ 2 bilhões foram sacados. Isso ajuda a explicar o baque que o Ibovespa vem sofrendo depois de ter atingido o recorde de 119 mil pontos.

    Os investidores internos, que vinham sustentando o mercado acionário, infelizmente, parecem ter sido contaminado pelo pessimismo por aqui e no exterior. A ficha do mercado parece estar caindo.

    http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/desconfiado-investidor-estrangeiro-se-afasta-do-brasil-e-rombo-nas-contas-externas-dispara/

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 21 de fevereiro de 2020 at 21:04

      Cajuzinha,

      Acho cômico a forma como DISTORCEM descaradamente a REALIDADE, no trecho que replico abaixo:

      “Os investidores internos, que vinham sustentando o mercado acionário, infelizmente, parecem ter sido contaminado pelo pessimismo por aqui e no exterior. A ficha do mercado parece estar caindo.”

      Não é uma questão de ter sido “contaminado pelo pessimismo” o que está acontecendo é que não dá para enganar tantas pessoas por um tempo tão elevado, afinal, não existe NENHUM resultado seja nas empresas ou na economia que justifiquem os resultados da BOVESPA nos últimos 4 anos, ou seja, ela está completamente FORA DOS FUNDAMENTOS e ano após ano vivendo às custas de “agora vai!” que NUNCA se realiza…

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 21 de fevereiro de 2020 at 22:12

      Agora vai 🙂

      Se fosse só uma questão de pedir e cobrar o bozomiliciano devia ter feito isto antes, bem antes… 😛

      Bolsonaro cobra Guedes a entregar crescimento mínimo de 2% neste ano

      Ministro tem sido pressionado pelo presidente, preocupado com dados fracos, a mostrar feitos

      O ministro da Economia, Paulo Guedes, enfrenta desgastes com o presidente Jair Bolsonaro e passou a ser cobrado por resultados.

      Alçado a superministro no começo do mandato, Guedes tem sido pressionado, desde o início deste ano, a mostrar seus feitos na economia.

      Diante de um pessimismo com a redução da projeção do PIB (Produto Interno Bruto), o presidente reforçou a Guedes a necessidade de que, neste ano, a atividade econômica cresça, no mínimo, 2%.

      Segundo assessores presidenciais, Bolsonaro fez o pedido a Guedes em uma reunião nesta semana. Como resposta, o ministro afirmou que será possível atingir, ou até superar, o percentual. No entanto, a resposta não tranquilizou o presidente.

      https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/02/bolsonaro-cobra-guedes-a-entregar-crescimento-minimo-de-2-neste-ano.shtml

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • tmarabo 22 de fevereiro de 2020 at 17:40

      “está se afastando de compromissos importantes na área ambiental.”
      só se as fake news estiverem prevalecendo lá fora, com os esquerdistas garotos propaganda de um caos que não existe.

      8+
      • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 22 de fevereiro de 2020 at 20:59

        🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄 🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄 🐄

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • CA 23 de fevereiro de 2020 at 10:07

        E abaixo, o que o Ciro Guedes (by MISES), ainda idolatrado pelos Bolsominions, tem a dizer sobre isto, após voltar de Davos e ouvir o que os investidores internacionais tinham a dizer:

        https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/02/guedes-tenta-avancar-na-pasta-do-meio-ambiente-para-tranquilizar-investidor.shtml

        “Guedes tenta avançar na pasta do Meio Ambiente para tranquilizar investidor

        Ministro voltou de Davos incomodado com percepção de estrangeiros e pediu demissão de Ricardo Salles”

        O problema principal na situação acima, nem é se as noticias sobre a crise ambiental são FAKE ou não, mas sim a postura tacanha e escrota do governo em relação a isto, a falta de um MINIMO de diplomacia, os depoimentos estúpidos e desrespeitosos em relação a presidentes de outros países feitos pelo presidente do Brasil, as bravatas e uma série de outras ações NON-SENSE que servem para agradar exclusivamente à claque IRRACIONAL dos Bolsominions e acaba sendo MAIS UM motivo para afastar os investidores internacionais, embora não seja o principal motivo, como comentei mais abaixo.

        De novo: quando os Bolsominions vão conseguir entender o ÓBVIO que consta acima? NUNCA!

        15+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • CA 23 de fevereiro de 2020 at 07:35

    Pois é, até o IPiraNaGrana, quer dizer, Ciro Guedes (by MISES), já descobriu, tardiamente como sempre, que os problemas INVENTADOS pelos Bolsominions quanto a segunda instância e outras situações em que tentam jogar para o STF e Congresso a culpa pela promessa do Tsumoney não se cumprir, é uma tremenda ESTUPIDEZ e que o governo tem que olhar para o próprio umbigo para “descobrir” as
    causas.

    Talvez o Ciro Guedes demore mais 1 ano para descobrir que as causas ambientais NÃO são o motivo principal para o Tsumoney nunca ocorrer, mas sim, uma perspectiva sempre FRUSTRADA quanto a crescimento da economia ao longo de ANOS, juntamente com uma profunda e acelerada DEGRADAÇÃO dos empregos, uma inadimplência e super-endividamento mantidos em patamares recorde, junto com ativos super-avaliados e completamente fora dos fundamentos e tudo isto em uma PIORA CONTÍNUA graças a um governo que vive repetindo ações APELATIVAS de Dilma e China que apenas tentam apagar incêndio jogando gasolina.

    E quando os Bolsominions verão a ficha cair quanto ao que consta acima? NUNCA!

    https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/02/guedes-tenta-avancar-na-pasta-do-meio-ambiente-para-tranquilizar-investidor.shtml

    “Guedes tenta avançar na pasta do Meio Ambiente para tranquilizar investidor

    Ministro voltou de Davos incomodado com percepção de estrangeiros e pediu demissão de Ricardo Salles”

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • odorico 23 de fevereiro de 2020 at 10:43

    Imho a questão do Guedes e igual ao do moro. O bozó está refém. Eles tem que fazer uma grande burrada para serem demitidos. O Guedes até já fez, mas o bozó vai trocar por quem? Nome de outro pensamento aí que o mercado acorda que o governo arregou….. Se for da mesma linha ou será outro falastrão ou será um cara mais comedido que ficará quieto quanto ao otimismo ufanista. Se for falastrão, dá na mesma. Se for comedido ou sincero aí o povo e o mercado vai ter um choque de realidade. Enfim, torcer mesmo é pro Guedes calar a boca e trabalhar e que um cisne negro do bem aconteça e o crescimento venha, senão dólar a 4,40 vai ser deixar é saudade . E eu com apenas 10% em ouro e dólar…. Aí eu choro….

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • odorico 23 de fevereiro de 2020 at 10:48

    Ah só para comentar, como eu digo, quando você que tem que tomar providências o ego ismo fala mais alto. Viram o Zema falando sobre o reajuste dos policiais? Corrigindo distorção. Enfim, o novo envelheceu rápido.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • indiobolhista 23 de fevereiro de 2020 at 17:44

    Dívida pública pode subir para até R$ 4,75 trilhões em 2020, diz Tesouro Direto ……..nessa ordem progressiva 2021 , (Nessa tendencia 2021 passamos 5,35 trilhões … e dólar com certeza nós 5 reais no mínimo)
    Se previsão se confirmar, alta da dívida pública será de 11,8% em relação à registrada no fim de 2019, quando atingiu recorde de R$ 4,248 trilhões.

    Após crescer 9,5% em 2019, e atingir um total de R$ 4,248 trilhões, a dívida pública do governo federal continuará a avançar e poderá chegar a 4,750 trilhões no fim de 2020, de acordo com números divulgados pela Secretaria do Tesouro Nacional nesta terça-feira (28).

    Os R$ 4,750 trilhões são o teto, ou seja, o valor máximo que a dívida pode alcançar ao final deste ano.

    O Tesouro Nacional também informou que o crescimento pode ser menor, de R$ 252 bilhões, o que levaria a dívida pública a R$ 4,5 trilhões, valor que representa o piso para o crescimento em 2020. Neste caso, a elevação seria de 5,9%.

    A dívida pública federal é a contraída pelo Tesouro Nacional para financiar o déficit orçamentário do governo federal, ou seja, pagar pelas despesas que ficam acima da arrecadação com impostos e contribuições.

    Quando os pagamentos e recebimentos são realizados em real, é chamada de interna. Quando tais operações financeiras ocorrem em moeda estrangeira, usualmente o dólar norte-americano, a dívida é classificada como externa.

    Necessidades de financiamento
    Segundo o Tesouro Nacional, os vencimentos da dívida pública neste ano somam R$ 928 bilhões, dos quais R$ 808,2 bilhões são da dívida interna em mercado, R$ 11,5 bilhões são da dívida externa, e outros R$ 108,7 bilhões se referem a encargos do Banco Central.

    Além disso, há uma estimativa de que sejam necessários mais R$ 376,3 bilhões para “cobertura parcial” do déficit das contas do governo, e de mais R$ 11,8 bilhões para honrar contratos de garantias de empréstimos contraídos por governos estaduais com aval da União.

    “Os pagamentos esperados do Rio de Janeiro, único estado que aderiu oficialmente ao RRF [regime de recuperação fiscal], somam R$ 7,6 bilhões, em 2020. Adicionalmente, a previsão orçamentária para honras de garantias inclui margem de R$ 4,2 bilhões para cobrir os vencimentos de contratos garantidos dos estados do Amapá, Goiás, Minas Gerais e Rio Grande do Norte”, informou.

    Segundo o Tesouro, a “União está impedida de executar as contragarantias desses entes porque eles estão amparados por liminares judiciais”.

    Estados conseguem na Justiça liminares para não cumprir contratos com a União

    Para financiar os compromissos do governo neste ano, estão previstos R$ 248,6 bilhões em recursos orçamentários. Com isso, a necessidade líquida de financiamento é de R$ 1,067 trilhão em 2020.

    “O volume financeiro captado ao longo do ano poderá ser igual, maior ou menor do que a necessidade líquida de financiamento, a depender das condições de mercado”, diz o Tesouro Nacional.

    A instituição também informou que “atualmente conta com um caixa dedicado a pagamentos da dívida equivalente a mais de um semestre de vencimentos da dívida pública federal em mercado, incluindo os superávits financeiros de 2019”.

    Cenário econômico
    No Plano Anual de Financiamento, o Tesouro Nacional estima, em seu cenário macroeconômico, a combinação de um cenário inflacionário benigno, com manutenção das taxas de juros em níveis historicamente baixos, recuperação gradual da atividade econômica, e continuidade da agenda de reformas estruturais “de maneira a subsidiar o ajuste fiscal em curso”.

    No campo externo, a expectativa, com “maior probabilidade”, é de tensões moderadas EUA-China; encaminhamento do Brexit com acordo; acomodação da economia global e dinâmica fraca do comércio internacional e dos preços de commodities.

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 24 de fevereiro de 2020 at 07:28

    Desigual, recuperação do mercado imobiliário se concentra no Sudeste
    3 horas atrás

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 24 de fevereiro de 2020 at 07:35

      Estadão
      Desigual, recuperação do mercado imobiliário se concentra no Sudeste
      Pesquisa do SindusCon mostra que em 2019 o setor manteve o fechamento de postos de trabalho em 14 Estados; piores indicadores estão na região Norte do País, onde a economia depende mais de políticas públicas como o Minha Casa Minha Vida
      Luciana Dyniewicz – O Estado de S.Paulo

      24 de fevereiro de 2020 | 04h00
      Enquanto em São Paulo a indústria da construção civil começa a se recuperar de uma das maiores crises de sua história, em grande parte do Brasil o setor ainda demora a reagir. No ano passado, as construtoras mantiveram a política de fechamento de postos de trabalho em 14 Estados, segundo levantamento do Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP).

      LEIA TAMBÉM
      >
      ‘Aqui no Ceará seremos o pior pesadelo de sua família de canalhas e milicianos’, diz Ciro a Carlos

      De acordo com a pesquisa, porém, a média no número de empregos na construção aumentou 1,88% no Brasil em 2019. Em parte, esse crescimento foi impulsionado pelo Estado de São Paulo, que, no ano passado, concentrou 27% das vagas do setor no País.

      Cenário. Mesmo no Estado de SP, crescimento é irregular, com avanço de 49,6% nos lançamentos na capital em 2019 e queda de 4,1% na região metropolitana
      Cenário. Mesmo no Estado de SP, crescimento é irregular, com avanço de 49,6% nos lançamentos na capital em 2019 e queda de 4,1% na região metropolitana Foto: Hélvio Romero/Estadão

      Os dados do SindusCon indicam que a recuperação de um dos principais motores da economia está concentrada principalmente no Sudeste, um pouco no Sul e em algumas capitais do Nordeste. Em regiões como o Norte, onde a economia depende mais de políticas públicas e nas quais o Minha Casa Minha Vida tem maior relevância, a recuperação ainda não deu sinais.

      Até no Estado de São Paulo, onde os números são positivos, a retomada é desigual. Ela se concentra sobretudo na capital. Pesquisa do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) mostra que o número de lançamentos na cidade cresceu 49,6% no ano passado, enquanto na região metropolitana diminuiu 4,1%.

      A economista Ana Maria Castelo, do Instituto Brasileiro de Economia (FGV/Ibre), pondera que entre 2006 e 2013, período em que a construção deu um salto, o crescimento também não começou com a mesma intensidade em todo o País, mas logo acabou se espalhando. “Teve o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), por exemplo, um fator que contribuiu para que o crescimento acontecesse no País inteiro. Hoje, não tem uma força dinâmica com a mesma intensidade”, diz ela.

      Situação crítica
      Tocantins, Roraima e Ceará foram os Estados com os piores indicadores de emprego na construção em 2019, com uma queda média de 19,9%, 8,7% e 6,25% no número de vagas, respectivamente.

      De acordo com o presidente do Sinduscon do Ceará, Patriolino Dias de Sousa, no entanto, a sensação é que a construção cearense começou a se recuperar a partir do segundo semestre do ano passado.

      “Antes tinha muito estoque e quase não havia lançamentos. Nos últimos quatro anos, as incorporadoras só concluíam obras. Mas a queda dos juros começa a favorecer as vendas.”

      Como as obras costumam começar apenas seis meses após os empreendimentos serem lançados, a expectativa é que as construtoras cearenses iniciem as contratações agora. No ano passado, foram lançados imóveis que somam um valor de vendas de cerca de R$ 700 milhões no Estado. Para 2020, Sousa espera que os lançamentos cheguem a R$ 2 bilhões – ainda longe dos R$ 3,2 bilhões de 2014.

      Economistas e profissionais do setor, porém, não acreditam em uma grande mudança no modo de recuperação da construção neste ano. O vice-presidente de Economia do SindusCon-SP, Eduardo Zaidan, afirma que, para haver um crescimento em todo o País, seria necessário uma alta nos investimentos mais significativa. “Quando se faz um investimento, metade do dinheiro passa nas mãos da construção. Por isso, é tão importante que haja uma melhora. Se o investimento continuar como está, a construção vai andar mais ou menos como no ano passado”, afirma Zaidan.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 24 de fevereiro de 2020 at 10:11

        Cajuzinha,

        Golpe mais do que manjado e sobre o qual já falamos HÁ ANOS: com menos caixa, as construtoras são OBRIGADAS a concentrarem a PIRÂMIDE FINANCEIRA das vendas FALSAS na planta em menos regiões, mais especificamente, em São Paulo Capital. Destaco o trecho que consta acima:

        “Cenário. Mesmo no Estado de SP, crescimento é irregular, com avanço de 49,6% nos lançamentos na capital em 2019 e queda de 4,1% na região metropolitana”

        Os empregos cresceram 50% em São Paulo Capital? Não, cresceram MUITO MENOS que isto, sendo que uma parte foi através de empregos INTERMITENTES, outra parte foi através da INFORMALIDADE, ou no máximo, com empregos na base da pirâmide, onde a renda em termos LIQUIDOS E REAIS teve QUEDA, então, a explicação mais simples é: o crescimento de quase 50% nos lançamentos de imóveis e o crescimento também relevante nas vendas na planta, não tem NENHUM FUNDAMENTO, é só o mesmo de sempre, novas disparadas em vendas FALSAS na planta.

        E para PEDALAR com o GOLPE acima, o setor imobiliario conta com o apoio da CEF e sua propaganda de que vão oferecer juros zero para o crédito imobiliário, que qualquer um pode conseguir o crédito imobiliário na CEF e por aí vai, somado à certeza de IMPUNIDADE em função do congresso ter aprovado a BOLSA VENDAS FALSAS NA PLANTA (forçando restituição maior pelo comprador que cair no golpe das vendas FALSAS na planta).

        Este conjunto é a garantia de DISTORÇÕES cada vez maiores no segmento imobiliário em São Paulo, o que prejudica a todos

        9+
        • avatar
        • avatar
      • MARK 24 de fevereiro de 2020 at 13:58

        “Enquanto em São Paulo a indústria da construção civil começa a se recuperar de uma das maiores crises de sua história,…” Mas que crise, nunca tivemos crise na venda de imóveis… sempre estava tranquilo, estável, favorável. Agora o passado virou crise? Quem diria né… A mesma mentira de sempre, agora vai… o problema foi ontem…

        9+
        • avatar
        • avatar
  • Carlos, o vermelho dono do blog junto com o CA (boatos) 24 de fevereiro de 2020 at 08:39

    OFF – Estes animais imaginários chamados unicórnios… 9 bilhões de US$ depois…

    Theranos: BUSTED!
    https://www.youtube.com/watch?v=5tpsoWx7xmY

    7+
  • Cajuzinha 26 de fevereiro de 2020 at 16:01

    O mercado financeiro voltou a reduzir a perspectiva de crescimento da economia brasileira neste ano de 2020. A projeção de alta do Produto Interno Bruto (PIB) foi de 2,23% para 2,20% no Boletim Focus desta semana, que foi divulgado nesta quarta-feira (26/2) pelo Banco Central (BC).

    A perspectiva da inflação de 2020 também foi alterada. O mercado revisou a projeção da alta de preços de 3,22% para 3,20% – isto é, ainda mais distante do centro da meta de inflação. que é de 4% neste ano. Já a taxa básica de juros (Selic) foi mantida em 4,25%

    0
  • odorico 28 de fevereiro de 2020 at 11:07

    Se ibov romper os 100 mil, vai devolver 6 meses de alta….se descer ao 90 mil devolve 1 ano… Se bater 80 mil volta 2 anos …

    0
  • Post a comment
    You must be logged in to comment. Fazer login