Inadimplente pode perder imóvel do Minha Casa, Minha Vida, diz secretária – G1

Você pode gostar...

Comments
  • Money_Addicted 2 de novembro de 2016 at 18:43

    eh o minimo que se espera, nao paga tem que ser despejado mesmo!

    47+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • John Horse 3 de novembro de 2016 at 10:58

      Então se o cara não paga uma parcela de R$25, qual foi a manutenção dada nesse imóvel
      durante o período? Fico imaginando o estado que vai estar quando for retomado. Vão
      roubar até os fios do chuveiro elétrico. Vai custar mais pra deixar em condições para o próximo da fila do que o valor que será pago.

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • ricardo.ramalho 3 de novembro de 2016 at 15:35

        Será que não sairia mais barato do que construir uma nova unidade para o próximo da fila?

        4+
        • avatar
        • John Horse 3 de novembro de 2016 at 16:28

          Não sei, pois nessa conta tem que por os custos com a retomada do imóvel, o tempo para isso acontecer, o que fazer com o que já foi pago, e por aí vai… Um belo pepino.

          3+
          • avatar
          • Money_Addicted 3 de novembro de 2016 at 17:13

            por mim tem q retomar nem q seja para nao beneficiar o caloteiro, e o que ja foi pago desconta as custas e se sobrar algo devolve (ou nao)

            9+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • John Horse 4 de novembro de 2016 at 06:31

              Conta complicada. O que o cara paga por mês não seria suficiente pros juros do que ele deve. Isso foi tudo subsidiado. Na verdade ele não poderia ter e nosso governo quer dar pra quem não pode cobrando mais caro de quem pode.

              5+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • ricardo.ramalho 4 de novembro de 2016 at 17:01

                Por isso mesmo que é preciso punir os “espertos”.

                1+
  • O Cramulhao de FHCigienopolis45 2 de novembro de 2016 at 19:13

    “”Se Temer não abrir os olhos, Brasil seguirá se arrastando”, diz empresário que defende Selic a 3%”

    “A cada 100 apartamentos vendidos em 2015, 41 foram devolvidos”

    http://www.infomoney.com.br/mercados/noticia/5646057/temer-nao-abrir-olhos-brasil-seguira-arrastando-diz-empresario-que?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=Lara+Rizerio

    Obs: de acordo com esse pessoal, a solução é botar a SELIC a 3%…rs

    35+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 2 de novembro de 2016 at 19:27

      vejam como os bancos estão perdendo sardinhas da rede que poderiam continuar clientes, até qdo vai essa situação..
      42% de distratos e 32% de inadimplentes, e dizem que vai melhorar… como isso está se sustentando..

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Zé do Brejo 3 de novembro de 2016 at 09:27

      Problema não são os juros, são os preços.
      Do que adianta ter taxa básica de juros à 3% se os preços estão 400% acima da realidade?
      Essa crise levará mais de uma década para passar. Enquanto isso, segue maldito governo populista jogando gasolina no incêndio.
      Alguém ouviu falar nessa M3RD4???
      http://www.habitacao.sp.gov.br/casapaulista/conheca_melhor_a_agencia_paulista_de_habitacao_social.aspx
      Esse chuchu POPULISTA sem vergonha, quer ser candidato a presidência.

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • odorico 3 de novembro de 2016 at 14:55

        A ideia dele é interessante, e até faz sentido, se não fosse o tamanho do nosso Estado. Se conseguíssemos reduzir a selic enquanto reduz o tamanho do Estado acho que faz sentido. A Dilma fez o contrário, baixou os juros, mas ampliou subsídios, gastos, etc. Mas que realmente uma selic a 7 faria toda diferença. Nós perderíamos, mas o Brasil ia ganhar. Mas para botar a selic a 7 muita coisa tem que mudar em termos de benefícios sociais e fiscais.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • O Cramulhao de FHCigienopolis45 3 de novembro de 2016 at 17:44

        Chuchu Populista e todo o PSDB são o maior mal do Brasil atual.
        Com a Esquerda Bolivariana morta, o PSDB, grande vencedor das eleições para prefeito no país, vai tomar o lugar , e como boa esquerda Fabiana irá dar continuidade à gastança pública.

        Se o Temer não for austero agora, menos ainda poderá se acreditar em alguém da quadrilha tucana…

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 4 de novembro de 2016 at 15:50

          historicamente ocorreu o exato contrário do que vc defende
          populista foi o pmdb, só lembrar do sanrye
          neoliberal privatista foi o T.A.L.

          mas como dizem por aí
          rentabilidade passsada não garante rentabilidade futura

          Só posso falar daquilo que vejo, não estou vendo o que vc vê, mas vamos dar tempo ao tempo.

          6+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • ricardo.ramalho 3 de novembro de 2016 at 17:16

      Eu fiquei me perguntando se os juros de 400% no cartão de credito teria, mesmo, tanta relação assim com a selic…

      10+
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 2 de novembro de 2016 at 19:16

    e a única que continuou “valorizando” kkk, seguida por Itajaí

    Florianópolis é cidade com mais endividados e inadimplentes em SC

    Com 87,2% das famílias comprometidas com dívidas, a Capital segue na liderança do endividamento… A principal dívida dos florianopolitanos ..é o cartão de crédito, responsável por 67% das contas, bem acima do percentual do Estado, com metade das parcelas concentradas nos cartões…
    também lidera em inadimplentes: 22,1% das famílias estão nesta situação.
    a Capital catarinense é vice-líder em endividamento, atrás apenas de Curitiba.

    http://dc.clicrbs.com.br/sc/noticias/noticia/2016/11/florianopolis-e-cidade-com-mais-endividados-e-inadimplentes-em-sc-8115900.html

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • dilbertsc 2 de novembro de 2016 at 19:20

      Também pudera. Tem muita gente vivendo de aparência em Floripa. Sem contar que os imóveis para aluguel estão uma fortuna. Imaginem os que estão pra venda.
      Viver em Floripa tem um preço que não vale a pena.

      36+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Leonardo M. 2 de novembro de 2016 at 21:56

        Concordo

        Moro em floripa faz 4 anos e tem muito nego ganhando R$1.500 mas com audi, I30, Veloster e outros carrinhos de R$50.000,00 pra cima…

        26+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Ilusionista 3 de novembro de 2016 at 07:13

        Não é Mônaco, Não é Dubay, é Floripa…..capital da ostentação

        https://www.youtube.com/watch?v=iW3xM638ZmQ

        em contrapartida, será que o consumismo é prejudicial a saúde….

        https://www.youtube.com/watch?v=nLSuwwCkUEk

        9+
        • avatar
    • Alemon Fritz 2 de novembro de 2016 at 19:21

      osx caloteiroxsh

      8+
      • avatar
  • Zizu 2 de novembro de 2016 at 19:20

    Burro tem que se ferrar mesmo. Que percam !!!

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Ilusionista 3 de novembro de 2016 at 06:59

    Black Friday,

    neste final de ano, corvaiada tentando despertar o desejo na sardinhada reprimida..
    “o momento é agora, compre antes do aumento!!!

    http://noticias.band.uol.com.br/jornaldaband/videos/ultimos-videos/16046942/mercado-imobiliario-aposta-em-promocoes-na-black-friday.html

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 3 de novembro de 2016 at 09:39

      Vou passar, meus juros opressores continuam me agradando muuuuuito mais 😛

      10+
      • avatar
      • avatar
  • CA 3 de novembro de 2016 at 07:11

    Replicando comentário mais acima:

    O Cramulhao de FHCigienopolis45 2 de novembro de 2016 at 19:13
    “”Se Temer não abrir os olhos, Brasil seguirá se arrastando”, diz empresário que defende Selic a 3%”

    “A cada 100 apartamentos vendidos em 2015, 41 foram devolvidos”

    http://www.infomoney.com.br/mercados/noticia/5646057/temer-nao-abrir-olhos-brasil-seguira-arrastando-diz-empresario-que?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=Lara+Rizerio

    Obs: de acordo com esse pessoal, a solução é botar a SELIC a 3%…rs

    ——————————————————————————————————————————————————————————–

    Os empresários SEMPRE defenderam a SELIC no menor patamar possível. A novidade é que agora eles querem “3%”.

    O “artigo” acima, assim como as “análises” deste empresário, são de chorar de rir.

    Por exemplo: segundo o empresário, parte da consequência da SELIC muito elevada, são os distratos, que em 2015 atingiram 41%. “Detalhe”: sabem qual o ano em que os distratos tiveram o maior crescimento de todos os tempos? Ano de 2012, quando os distratos mais do que DOBRARAM, passando de R$ 5 BILHÕES. Sabem qual era a SELIC em 2012? A menor SELIC de todos os tempos, em 7,25%! Pior: em 2012 o crédito imobiliário estava mais barato e farto do que nunca, em especial via CEF e BB, a verba disponível da poupança não parava de crescer, dentre outros fatores favoráveis para o segmento imobiliário.

    Outra “pérola” que consta na notícia: ele acha que uma redução radical da SELIC é que vai fazer com que os juros finais cobrados pelos bancos deixem de ser astronômicos. O que faz os juros finais estarem batendo todos os recordes, é o volume muito elevado de inadimplência, que força um aumento correspondente no spread dos bancos. A inadimplência geral do consumidor subiu 2,5 vezes mais de 2010 a 2015 do que no período anterior, onde seu crescimento já era anormalmente elevado! Isto aconteceu porque uma super-oferta de crédito imobiliário subsidiado via juros baixos de FGTS e Poupança, mais um alongamento absurdo nos prazos levou a um super-endividamento das famílias. Só no período de 2005 a 2015 a dívida das famílias com o crédito imobiliário em proporção a sua renda dos últimos 12 meses SEXTUPLICOU. Detalhe que neste mesmo “artigo”, o empresário defende que se aumente ainda mais os prazos de financiamentos, que foi um dos motivos para a DISPARADA da inadimplência que levou ao aumento dos juros finais, ou seja, o que ele defende é um completo non-sense, ele espera apagar o incêndio jogando gasolina.

    Mais uma: o empresário defende juros muito baixos no Brasil, comparando com EUA, México e outros países. Ocorre que no Brasil, temos empréstimos com juros subsidiados / direcionados que correspondem a 50% do total de empréstimos concedidos e que tem um custo de cerca de 25% dos demais. Passamos a ter este percentual absurdo de juros subsidiados, que não existe em NENHUM LUGAR DO MUNDO, a partir de 2008 e mesmo com todo este “incentivo” de juros subsidiados MUITO MENORES, não tivemos nenhum crescimento sustentável em investimentos, empregos, etc. Aliás, esta situação anômala gera uma série de distorções que impedem o BC de baixarem mais a SELIC, pois seu efeito é muito limitado, não atinge a este crédito subsidiado. Além disto, estimula e muito várias outras distorções na economia, como os preços dos imóveis no Brasil que tiveram crescimento que foi RECORDE MUNDIAL de 2008 a 2014, sendo que isto traz uma infinidade outros prejuízos à economia e sociedade. Para detalhes, ver artigo de Monica De Bolle que coloquei no final do tópico anterior e comentário complementar que fiz a respeito.

    O empresário ainda defende que a queda radical da SELIC ajudará a reduzir os juros da dívida e com isto facilitar a administração das contas públicas, sugerindo que isto é importante para “tirar o governo do sufoco”. Se reduzir os juros radicalmente e ficar completamente desproporcional em relação ao montante desta dívida e os riscos elevados por trás da mesma, em virtude de todo o nosso desequilíbrio fiscal, quem vai comprar os títulos públicos que servem para que o governo continue se endividando? Mesmo com a PEC241, temos uma infinidade de municípios e estados falidos, sem contar que nem a PEC241 é o suficiente para sozinha garantir a volta ao equilíbrio. Ainda que consideremos, de forma extremamente otimista, que tenhamos uma reforma da previdência, uma reforma trabalhista e outras ações para redução do déficit público, A PARTIR DE 2017, no melhor cenário, vai demorar ainda uns 9 anos até que tenhamos uma situação fiscal mais confortável / confiável e que torne uma redução drástica dos juros como a que foi sugerida, compatível com o risco país. O interessante é que o empresário deseja uma redução radical dos juros e ainda compara com os EUA, sendo que as agências internacionais de classificação de risco dizem que ainda iremos demorar ANOS até podermos voltar a ter um grau de investimento, enquanto os EUA e outros países tem uma avaliação muito melhor. O que é natural que aconteça se o governo seguir esta “brilhante” estratégia? Uma fuga de dinheiro de investidores do Brasil indo para outros países com menor risco, o que levaria a uma crise cambial aguda, refletindo inclusive na disparada da inflação e levando a um obrigatório aumento relevante na SELIC para corrigir este problema.

    O interessante é que o governo já baixou a SELIC “na marra”, atingindo seu menor patamar histórico em out/2012 e o que aconteceu? Logo no primeiro trimestre de 2013, tivemos a “revolução dos tomates”, com todos revoltados com a disparada da inflação. A partir de abril/2013 o governo foi obrigado a ir subindo a SELIC e continuou com este movimento de subida durante todo o ano de 2013. As outras ações heterodoxas, como reter o reajuste de combustíveis ou reduzir o preço da energia elétrica, também se transformaram em maiores aumentos para inflação em seguida, novamente forçando a subida dos juros para controlar esta situação. Dada a experiência recente, que DEMONSTRA que reduzir juros de maneira FORÇADA não funciona, além de gerar uma série de distorções na economia, qual a base REAL e tendo como referência o nosso cenário para agora exigir uma redução radical nos juros?

    A conclusão é que o DESESPERO dos empresários representados por este senhor que deu entrevista neste “artigo”, é muito elevada e agora eles apelam, de forma irracional, para soluções rápidas e MIRABOLANTES. A verdade é que uma crise fiscal combinada com explosão de bolha imobiliária e bolha de corrupção, em um país “em desenvolvimento” (na verdade, sub-desenvolvido), traz consequências muito dolorosas e não existem soluções mirabolantes, isto é puro wishful thinking. Inclusive aquilo que a imprensa vende para os incautos está MUITO LONGE da realidade quanto ao tamanho da nossa crise e as dores que teremos que enfrentar…

    45+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Louro José 3 de novembro de 2016 at 07:40

      Selic a 3% kkkkkkk

      26+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 3 de novembro de 2016 at 12:42

        o que essa gente finge que não entende
        na verdade, não é o governo que define a Selic

        é o MERCADO

        se o governo paga menos que o mercado pede, a conta vem pelo cambio
        ou nos pagam por bem: PMJ
        ou por mal: cambio, Inflação, impostos e crise

        não existe mágica
        lembrando: governo produz PN, quem paga é o povo

        24+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Cesar_DF 3 de novembro de 2016 at 11:28

      CA
      Desconfio que somente em janeiro de 2017 saberemos a real situação dos municípios.
      Devido a eleição, acho que os prefeitos atuais estão escondendo os números verdadeiros.
      Tanto o ISS, cota do ICMS, bem como o FPM caíram muito em 2016.
      Os gastos com funcionários públicos municipais teve um aumento enorme entre 2012 e 2016
      Aos prefeitos que forem assumir agora em primeiro de janeiro, vão ter que fazer profundos cortes de pessoal.

      http://oglobo.globo.com/brasil/gastos-per-capita-com-servidores-municipais-subiram-2105-desde-2000-20052468

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 3 de novembro de 2016 at 09:30

      Onix,

      Notícia muito interessante. Detalha parte dos mecanismos para que os rombos fiquem maquiados, neste caso, o famoso “vender o jantar para poder almoçar, depois passar fome à noite…”. A noite vai chegar e quando não der mais para esconder toda esta “contabilidade criativa”, estas pedaladas e maquiagens, é que veremos o que restou da CEF, do FGTS, do BNDES e tantos outros usados de forma super-intensiva pelo governo Dilma. No caso deste mecanismo denunciado no artigo acima, vale lembrar que está em uso até hoje, o que também coloca o próprio governo Temer em risco, afinal nada mais é do que outra versão das pedaladas da Dilma. Por isto que antes de Temer assumir insistíamos em uma “auditoria geral”, quanto mais o tempo passa, mais ele se torna “co-responsável” por estas mazelas…

      Curiosamente o pesquisador que apontou esta pedalada da CEF nem estava procurando por este problema, mas sim por um outro relacionado ao mau uso do FGTS e dos juros subsidiados e seus prejuízos à economia, em linha com artigo da Mônica De Bolle que coloquei em comentário de tópico anterior. Incrível, mas quanto mais você cava, mais problemas encontra, parece a piada do avião que caiu no cemitério e depois de desenterrarem mais de 500 corpos ainda não sabem quantas pessoas morreram na tragédia…

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Onix 3 de novembro de 2016 at 13:36

        CA ,Aonde mexer acha caca. ????

        5+
        • avatar
  • fanfarraum 3 de novembro de 2016 at 07:17

    na capa do Clicrbs (globo do RS):

    “Especial publicitário
    Realize o sonho da casa própria com entrada a partir de R$ 99,00 reais e documentação grátis”

    O que poderia dar errado né?

    http://diariogaucho.clicrbs.com.br/rs/pagina/publipost-blacktenda/

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 3 de novembro de 2016 at 09:52

      R$ 99,00 está muito para uma apartamento feito no Photoshop 😛

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • rogerio 3 de novembro de 2016 at 10:55

      impressionante o que as empresas do mercado imobiliário despejam de dinheiro na RBS (Globo do Sul).

      7+
      • avatar
  • chigo 3 de novembro de 2016 at 09:30

    Amigos do BIB:
    Sobre os titulos do TD, especialmente os Tesouro IPCA: está na hora de comprar ou de vender?
    Já aumentaram este ano entre 18 e 47%. Com este aumento ainda é um bom investimento?

    6+
    • avatar
    • na_cloaca_do_fernando 3 de novembro de 2016 at 09:52

      Com certeza são muito melhores do que tijolos.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Money_Addicted 3 de novembro de 2016 at 09:58

        fernando virando lenda no blog

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cadeludo 3 de novembro de 2016 at 11:42

          a cabeça do pimpolho tá de olho nele

          7+
          • avatar
          • avatar
      • Fernando 3 de novembro de 2016 at 21:27

        Eu achei que nomes nitidamente ofensivos (e reconhecidamente, conforme comentários), estariam vedados pela política do blog…

        3+
        • avatar
        • John Horse 4 de novembro de 2016 at 08:21

          Muda seu nick pra Magda entao

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • na_cloaca_do_fernando 4 de novembro de 2016 at 10:33

          Calma, Fê. Como sabe que estou me referindo a você? Não há outros fernandos por aí? Se não gostou, posso mudar pra “no_brioco_do_fernando”.

          3+
          • avatar
    • Louro José 3 de novembro de 2016 at 10:11

      Depende da sua estratégia, companheiro. Os juros estão em tendência de queda, portanto o valor de face dos títulos estão em tendência de alta. Contudo se você tá comprando pra aposentadoria, não vale a pena vender.

      8+
      • avatar
      • avatar
  • RC 3 de novembro de 2016 at 10:31

    “More perto da praia e ainda ganhe um carro zero na garagem”

    “Even Day terá descontos de até 50% e imóveis a partir R$ 143 mil”

    “Rio – Morar perto da praia, ter descontos de até 50%, ganhar um carro zero e ainda poder usar o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) são alguns dos mimos que a Even vai oferecer para quem comprar uma unidade no Even Day. O evento vai acontecer no dia 6, a partir das 8h, na sede da empresa na Avenida João Cabral de Mello Neto, 400, Barra da Tijuca. Os novos residenciais ficam na Praia do Recreio.

    O Viverde, por exemplo, já está pronto para morar. O Luar do Pontal, que será entregue ainda este ano, fica no bairro planejado Pontal Oceânico, ao lado das principais praias do Recreio (Macumba, Prainha e Pontal). Já o RG Personal Residences vai ficar pronto no primeiro semestre de 2017.

    Mas as ofertas não param por aí. Há imóveis em vários bairros da cidade e para todo tipo de orçamento familiar. São unidades residenciais a partir de R$ 229 mil. O Even Day vai contar com 15 empreendimentos nos bairros da Barra da Tijuca, Cachambi, Campo Grande, Centro, Jacarepaguá,e Recreio dos Bandeirantes e Tijuca.”

    http://odia.ig.com.br/imoveis/2016-11-03/more-perto-da-praia-e-ainda-ganhe-um-carro-zero-na-garagem.html
    .

    Propaganda confusa. O valor mínimo dos imóveis é o de R$ 143 mil ou o de R$ 229 mil? Porque na maior parte dos bairros citados se for o segundo, e se esse preço já estiver com 50% de desconto ainda está muito fora da realidade da renda do bairro (e nem estou avaliando o tamanho dos imóveis).

    7+
    • avatar
  • Carlos 3 de novembro de 2016 at 10:42

    R$ 99,00 está muito para uma apartamento feito no Photoshop 😛

    7+
    • avatar
  • Manoel Joaquim 3 de novembro de 2016 at 11:24

    OFF – Mas nem tanto

    Pessoal, alguém aqui saberia dizer qual um bom curso online para investimento em bolsa de valores?

    Obrigado.

    5+
    • avatar
  • Cajuzinha 3 de novembro de 2016 at 11:25

    2 horas atrás (Atualizado 12 horas atrás)
    Com distratos em alta, construtoras retomam preços antigos para desovar imóveis
    Somente neste ano, 30.321 unidades foram devolvidas às incorporadoras, segundo a Abrainc

    Com o volume elevado de imóveis distratados e os lançamentos, coube às incorporadoras reduzir o valor de venda dos empreendimentos. Só assim para diminuir os altos estoques.

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    “De acordo com ele, a “crise perfeita” fez com que os preços se ajustassem a uma nova realidade de mercado nos últimos anos.

    — Eu vejo que as incorporadoras estão vendendo os imóveis por um valor menor do que aquele que foi vendido há dois ou três anos.”

    http://noticias.r7.com/economia/com-distratos-em-alta-construtoras-retomam-precos-antigos-para-desovar-imoveis-03112016

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 3 de novembro de 2016 at 11:36
    • rodrigosp 3 de novembro de 2016 at 12:05

      Não acredito haver recuperação para o RJ, em absolutamente nada, saúde e segurança pública os dos piores problemas do RJ hoje, pelo menos para manter-se a ordem e a mínima harmonia!

      Vai chegar um ponto em que a população vai acabar arregaçando as mangas e começar a fazer por conta e isso independente da ignorância financeira, comprar ou não bolhudos, pois simplesmente se a população não intervir um fim que já será trágico de qualquer forma, poderá ficar pior ainda, com um cenário por que não, apocalíptico!

      Essas ações, por mais pequenas que sejam já começam a ser tomadas, por exemplo, a população comprando itens básicos como papel papel higiênico para delegacias…
      Tudo era previsto, motivos e causas são abordados aqui no site há anos e anos, esse caos instaurado no RJ era previsto também por pessoas que moram lá, mas é triste, sinceramente é um cenário bem triste, o RJ é uma verdadeira panela de pressão velha prestes a explodir e podem ter certeza que em breve deverá ocorrer um movimento migratório para MG e SP.
      Aliás, segundo um colega de profissão que atua também na região de Franco da Rocha, diz ele já ter percebido uma grande quantidade de cariocas por lá, estranhei o comentário dele e lhe perguntei por que essas pessoas tinham abandonado o RJ, se era por causa da crise e ele disse:
      “Ah não, normalmente esses que vieram pra cá estavam jurados ou são foragidos mesmo…”
      Salve-se quem puder!

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 3 de novembro de 2016 at 12:43

        11 de cada 10 que pedem intervenção militar são cariocas
        eles se afundam se acham no direito de afundar o país junto
        meiu vtnc pra eles, desculpa aí se acertei fogo-amigo, vcs me entendem

        21+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • rodrigosp 3 de novembro de 2016 at 13:57

          Fala Lucas!

          Não entendo essa intervenção militar também, que sentido isso faz, uma intervenção militar iria solucionar o maior problema do RJ?
          Toda vez é esse papo furado de intervenção militar quando as coisas estão ruins.
          Como se uma intervenção militar fossem acalmar os ânimos, ou colocar ordem em alguma coisa? Isso não existe, primeiro que se essa intervenção militar não for constitucional não será executada e mesmo que seja feita, colocando exército nas ruas ou uma PM mais truculenta ainda sim não vai sanar o problema da falência do estado e da miséria da população, isso sem esquecer que o RJ é a cidade preferida da Rede Globo que ama a cor vermelha!
          A grande questão eu acho, não é o RJ pagar por seus pecados e sim respingar esse estouro em outros estados ou cidades, como em SP que já não cabem mais periferias, por exemplo, se lá explodir um movimento de migração dessas pessoas que fatalmente deverá ocorrer e isso está muito mais próximo de acontecer do que possamos imaginar!
          Então não importa quem venha a migrar ou para onde devam ir, a migração de pessoas sempre leva consigo um crescimento em desordem que vai de aspectos sociais chegando até mesmo ao meio ambiente, ou seja, ruim para todos nós, enquanto SP deverá ser um possível destino para essas migrações, continuamos recebendo de volta 1/3 do PIB que geramos, não é uma frase separatista e sim uma obervação de quem produz muito e recebe pouco, se ocorrer uma debandada migratória, prepare-se, estamos no mesmo pais, com o mesmo povo, com a mesma cultura e pensamentos esquerdistas que nos assolam á décadas de sempre, será mais uma invasão territorial onde a grande questão não é a discriminação de quem vem ou deixa de ir, e sim os efeitos dessa falência carioca nos demais estados.
          A desordem não é do RJ e sim do pais inteiro, é o que sempre digo, partidos no Brasil são no máximo de esquerda moderada, é aquele pose de direita com atos e pensamentos camuflados na esquerda, pegue as 35 bandeiras dos partidos e passe uma espatula bem forte nelas e verá a corzinha vermelha surgindo por baixo de todas elas!
          Pra mim o RJ chegou a um ponto que, ou a população toma uma atitude ou o pior vai acontecer, ou seja, o pior deverá ocorrer, enquanto na Coréia do Sul o cidadão pega uma escavadeira para derrubar o prédio do parlamento, aqui nós esperamos o fim da novela, o fim do campeonato e o inicio do carnaval, é só sangue que jorra!

          14+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • RicardoNT 3 de novembro de 2016 at 15:19

            Só para explicar um pouco sobre a ideia da intervenção militar. Não estou dizendo que sou a favor ou contra a ideia.

            Porem a questão é que com uma intervenção militar, teríamos um “estado de exceção” e isso permitiria passar por cima de muita coisa inclusive demitir funcionários públicos, destituir os STF, etc. Lembrar que uma intervenção tem um tempo máximo estipulado de até 90 dias se me lembro bem.
            Claro que quais decisões seriam tomadas pelo exercito podem não ser as que voce espera, e ai é que entra o problema. Fora que iria gerar um grande problema de confiança do Brasil para com o exterior… imagina como iriam ficar os juros, contratos, investimento, etc.

            Como argumento a favor, como exemplo temos o caso Renan que tem vários processo no STF e não são julgados, a nova questão da linha de sucessão presidencial que impediria um réu de ser um sucessor ( que acabou de receber um pedido de vistas pelo Toffoli), etc. E ai te pergunto, como entrar com um processo contra o STF, quem iria julgar kkkkk . O mesmo vale para o STE, já viu alguém ser condenado?

            Outro exemplo:
            Estado do RJ quebrado. Solução seria cortar gastos e acima de tudo mandar embora metade dos servidores ( lembrar que muitos só enrolam, vivem de licença, etc.). Por questões políticas/corporativistas qual foi a solução? Declarar estado de “calamidade” com isso vão pedalar e afundar ainda mais.

            Com intervenção é capaz de criar um novo reinício e “desarticular” o corporativismo, etc.
            Assunto bem complicado.

            Espero ter adicionado uma visão diferente para se pensar.

            Abraços

            6+
            • avatar
            • rodrigosp 3 de novembro de 2016 at 15:48

              Com certeza adicionou Ricardo, pode ter certeza que sim, não tinha essa visão e agradeço!

              Mas mesmo com sua explicação, zerar o estado, ainda sim, acredito mais em um fim trágico, acho que dificilmente essa ação será tomada e se for tomada, ainda assim, será tomada de forma estapafúrdia, só digo isso pq tudo ao que refere a uma ação do Estado no Brasil é sempre seguida de erros, ora por sua incompetência, ora pelo simples fato de alguém precisar ganhar, sempre!

              No caso do RJ não acredito em recuperação, as ações como você mesmo disse de pedalar declarando estado de “calamidade”, por exemplo, é a grande questão, nunca se faz o necessário em um pais que o socialismo ou o esquerdismo impera o povo não deixa, não gosta!

              Os resmungões de hoje são manifestantes de amanhã, aqueles que pedem mudanças, também gostam da boa vida, melhor então viver com uma hérnia e trabalhar pouco…

              Infelizmente é assim, no RJ ou em qualquer outro lugar do Brasil!!!

              10+
              • avatar
              • avatar
              • Lucas 3 de novembro de 2016 at 15:53

                30% do RJ já é intervido desde o estado da guanabara
                é o lugar com mais FPs e militares por metro quadrado do planeta
                digo de cadeira pq moramos em botafogo, vizinho da urca

                Precisamos de MENOS ESTADO
                precisamos retirar toda a intervenção do Estado na vida das pesoas, desde politica, economia, cultura, comportamento
                A bolha imob se criou como?

                Somente uma mentalidade muito imbecil pode imaginar que mais do mesmo pode dar resultado diferente
                são umas dilmas ao contrário esse aí.
                só espero que não contagiem muito o resto do BR

                19+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
          • RC 3 de novembro de 2016 at 15:24

            Vejo muito exagero nessa comparação de Detroit com o Rio de Janeiro.

            Primeiro deveria ser pontuado se estão comparando com a cidade, ou com o estado, pois são situações econômicas muito distintas. E não me parece razoável comparar a cidade de Detroit com nenhum dos dois.

            A cidade do RJ não está passando por uma crise econômica sem precedentes, isso está acontecendo com o estado do RJ. A economia da cidade historicamente sempre foi mais sólida que a do estado e sempre muito independente. É claro que a cidade não está isolada e sofre consequências da crise econômica do estado, especialmente no quesito segurança pública (mesmo porque a constituição brasileira exige essa dependência).

            Não sou especialista na história de Detroit, mas lendo um pouco na Wikipédia me parece que a cidade entrou em decadência na década de 70 pela decadência e saída da indústria automobilística (que aparentemente tocava o PIB de Detroit), observando o aspecto populacional, posso deduzir que a saída da população da cidade (talvez migrando para a região metropolitana) começou a ocorrer entre as décadas de 50 e 60 e foi intensamente elevada entre as décadas de 70 e 80 (já sobe o efeito da decadência) e não exclusividade dela.

            Tanto a cidade quanto o estado do RJ de maneira alguma são dependentes de uma única indústria, o máximo que poderia se aproximar seria o efeito da industria do petróleo no estado do RJ, mas comparar indústria do petróleo com automobilística é insano. A indústria petrolífera será mais forte o quão maior estiver valendo o valor do barril de petróleo (commoditie), bastante variável ao longo dos anos e sem nenhum controle dos governos brasileiros (o máximo que fazem é controle de preços inflacionários quebrando a Petrobrás). A indústria do petróleo não sairá do RJ simplesmente porque o próprio petróleo não sairá do mar do RJ só porque seu valor está baixo (o RJ tem 74% da produção nacional), a indústria diminuirá seu tamanho ciclicamente, commoditie aumenta, investimentos voltam.

            O estado também se descontrolou financeiramente devido aos anos de ajuda do governo federal (PT + PMDB), que se tornaram avalistas de diversos empréstimos para bancarem investimentos para a COPA, Olimpíada, indústria naval, entre outros. Além das benesses do PMDB nas isenções fiscais. E do aumento da máquina estatal para tocar todas essas iniciativas.

            A cidade do RJ por sinal já não sobrevive de indústria faz anos, é só observar a avenida brasil e o número grande de construções de fábricas antigas abandonadas. Os funcionários públicos municipais por exemplo são melhor remunerados que os do estado e isso já a décadas.

            Acredito que a região metropolitana do RJ sofra mais com a crise econômica do estado, visto que é formada por diversos municípios pobres e mais dependentes da economia estadual, isso sim poderia ter um impacto de migração para a utilização dos serviços providos pela cidade do RJ e não a saída da cidade.

            .

            https://pt.wikipedia.org/wiki/Detroit

            https://pt.wikipedia.org/wiki/Rio_de_Janeiro_(cidade)

            https://pt.wikipedia.org/wiki/Rio_de_Janeiro

            https://pt.wikipedia.org/wiki/Regi%C3%A3o_Metropolitana_do_Rio_de_Janeiro

            http://www.opetroleo.com.br/quem-sao-os-10-estados-produtores-de-petroleo-no-brasil/

            7+
            • Cesar_DF 4 de novembro de 2016 at 12:40

              Detroit se tornou uma cidade muito cara, tanto que já teve a renda-per-capita mais alta do EUA
              De uma hora para outra, ele passou a ser deficitária, pois as grandes montadoras de automóveis saíram de lá, pois além do custo da cidade tinham os sindicatos que exigiam cada vez mais benefícios.
              Com um déficit de forma crônica, ela já não conseguia mas manter os serviços necessários para uma população de 2.1 milhões de habitantes, como policiamento e saúde.
              Com a queda no policiamento e escassez de recursos financeiros, a violência explodiu, o que provocou uma “fuga de cérebros” onde os mais capacitados acabaram indo para outras cidades, sobrando a escória na cidade.
              Com mais uma queda na arrecadação devido a fuga dos profissionais melhor remunerados, e espiral da auto destruição se acelerou, e hoje temos uma cidade com 700 mil habitantes, e pela wikipedia já deve ter visto como está a desordem total.
              A semelhança com e estado do RJ e a cidade do Hell de Janeiro é que, como concederam reajustes acima da inflação para funcionários públicos, aposentados e pensionistas, utilizando os royalts do petróleo, temos a situação do DÉFICIT CRÔNICO, de forma semelhante a DETROIT.
              O deficit do estado do RJ é de 2 BI por mês, o da cidade é menor, mas ano que vêm ela deveria começar a pagar pelos empréstimos tomados para as obras da olimpíada.

              4+
              • avatar
              • avatar
          • Ilusionista 3 de novembro de 2016 at 15:37

            difícil de acreditar, a que ponto chegamos no Rio, salários atrasados, sem papel para registrar as ocorrências, sem luvas para manusear cadáveres para perícia, falta até papel higiênico para limpar …..

            http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/11/policia-do-rj-comeca-pedir-ajuda-empresarios-na-proxima-semana.html

            9+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Lucas 3 de novembro de 2016 at 15:49

              realmente Detrroit não é boa comparação
              RJ tá virando cuba ou venezuela, escolham aí
              havanização
              caracalhização

              19+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
            • markito 3 de novembro de 2016 at 15:54

              esquenta não.. PEC dos gastos está ai para resolver o problema, até pq reajustando somente a inflação num sistema tão eficiente tudo irá melhorar. Até o repasse federal será maior para essa cidade onde a saúde é de primeiro mundo.

              9+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
          • CA 3 de novembro de 2016 at 16:42

            rodrigosp,

            Creio que a possível emigração dos cariocas em virtude da “Detroitização” (sic) seja para vários Estados diferentes e não apenas São Paulo, ou mesmo São Paulo e Minas Gerais, sendo que uma parte pode até visar o Exterior, para funções especializadas como TI ou mesmo em serviços braçais, claro que estes últimos seriam a menor parte. Além disto, acredito que alguns fatores poderão levar este processo a levar mais tempo e se dividir em “ondas”. Há um conjunto de motivos para isto:

            1) Desemprego: SP e MG estão com altos índices de desemprego, assim como o restante dos Estados do País. Não basta quererem ir para um ou dois destes Estados, não haverá emprego suficiente nestes Estados. Aliás, dependendo da escala desta emigração, nem espalhando em todos os outros Estados e em muitas cidades diferentes das Capitais, muitos serão obrigados a permanecerem no RJ, pelo menos por alguns anos a mais, mesmo com subempregos, queda na renda, tentativas de micro-negócios, ida para a marginalização, convivendo com péssimas condições de segurança, ensino, saúde, etc., acabarão ficando por falta de opção. Este cenário mudará com a melhoria que tenderá a ocorrer nos outros Estados, no entanto, como sabemos, este é um processo que levará ANOS ;

            2) Diferenças entre RJ e Detroit e entre Brasil e EUA: nos EUA, havia, apesar da forte crise, uma esperança mais CONCRETA na recuperação do país, pelo fato de já ser um país desenvolvido, de já ter diversos segmentos bem desenvolvidos e que mesmo em baixa davam uma visão mais confiável de recuperação, por serem o país “número 1” do Mundo e terem a força do US$ e o fato de ser a principal moeda nas transações internacionais a seu favor, dentre uma série de outros motivos, portanto apostar na emigração para outros Estados do País era sempre visto como “a melhor opção”, principalmente porque para os americanos, mudar de país e se sujeitar a trabalhos braçais ou empregos piores, era algo fora de cogitação, na visão deles, era sempre o contrário que deveria acontecer. Fora isto, no caso específico de Detroit, embora as montadoras americanas (GM e Ford em especial) estivessem em péssima situação financeira, as japonesas (principalmente Toyota e Honda) estavam com condições e mercado ainda sustentáveis e com expectativas positivas, isto dentro dos EUA, logo havia a possibilidade de buscar esta emigração (mesmo que com menores salários, mas pelo menos não tendo que se “sujeitar” a mudar de país). No RJ e no Brasil, o segmento petrolífero não tem nenhum Estado ou empresa que se salve, temos brasileiros no Exterior que se sujeitam a trabalhos braçais para os quais os americanos não se sujeitariam, há um movimento de alguns setores com maior saída de profissionais para o Exterior que outros setores (exemplo: TI), a nossa moeda é muito fraca e não se espera que venha a ter alguma relevância em termos internacionais, dentre outros motivos que levarão uma parte daqueles que querem abandonar o Rio de Janeiro a tentarem a sorte no Exterior, mesmo que em condições precárias (aumento de prostitutas e travestis brasileiros em outros países, por exemplo, além de trabalhos braçais e TI mencionados aqui). O segmento automotivo e de construção civil, que também tem participação relevante nos Estados de SP e MG, se demonstrarão inviáveis enquanto “oportunidades” para os próximos anos nestes Estados e a realidade que ficará cada vez mais visível nos próximos anos fará com que os cariocas vejam que estes Estados também sofrerão muito com a perda de opções de trabalho nestes setores, deixando de serem “opções preferenciais”;

            3) Questões pessoais: muitos cariocas detestam o “jeito paulista de ser” e vice-versa, parte deles também não curtem o mineirês, às vezes “não vivem” sem sua praia próxima e por aí vai. Isto também leva à diversificação das opções de para onde emigrar ;

            4) Temos profissionais especializados no RJ, em grande volume no setor petrolífero. Não encontrarão oportunidades compatíveis em SP e MG, buscarão outros Estados ou cidades específicas onde este segmento tenha uma participação mais relevante (Santos, Rio Grande, etc). Claro que hoje todos os locais que dependem do segmento petrolífero estão em dificuldades, que as vagas neste segmento estão muito escassas em qualquer um destes lugares, etc., no entanto, sempre existe a ESPERANÇA de recuperação e eles esperarão estar no “lugar certo” quando esta recuperação vier a acontecer (pelo menos esta é a esperança deles, não que vá acontecer como eles imaginam);

            5) Temos altíssimo volume de funcionários públicos no RJ, muitos deles com altas remunerações. Foi um dos maiores inchaços que ocorreu no país quanto a funcionalismo público. Estes profissionais irão teimar muito em não abandonar a sua “estabilidade” e também só vão migrar se ficarem em condições extremamente precárias quanto aos recebimentos, ou seja, pode ser que venham a representar uma “segunda onda de emigração”. Claro que se não houver outro jeito nem um auxílio federal, pode ser que esta inviabilidade ocorra no curto prazo e eles sejam parte da “primeira onda”;

            6) As favelas, que respondem por boa parte da população, tem alguns grupos ligados ao crime organizado que não encontrarão espaço para migrarem para outras cidades. Uma parte do pessoal que mora na favela, trabalha lá e tentará ao máximo se manter por lá. Outra parte da população que hoje está na classe média poderá ir morar na favela e SOBREVIVER com menores custos antes de buscar a opção de mudar de cidade / Estado. Esta dinâmica poderá dar uma sobrevida as favelas e até fazer com que temporariamente elas tenham algum crescimento, o que adiaria para alguns a migração para outros Estados, que só ocorreria como reflexo de um grande choque após enfrentar a realidade deste novo ambiente, ou seja, fariam parte também da “segunda onda” de emigração. Lembrando que esta também é uma característica específica do Rio de Janeiro não comparável a Detroit;

            7) Por fim, embora as condições para viver no RJ estejam se degradando rapidamente, ainda assim muitos, em especial os habitantes da Zona Sul, tem um orgulho muito grande da cidade onde vivem, eles irão resistir nem que para isto destruam todas as suas reservas financeiras na tentativa. Isto pode levar a algum tempo até que sua debandada se concretize e eles venham a fazer parte de uma “segunda onda”. A mídia brasileira é campeã mundial em ILUSIONISMO (veja a ausência de informações sobre bolha imobiliária e a visão otimista quanto a crise e sua superação), isto ajuda a dar FALSAS esperanças e levar as pessoas a exaurir suas reservas na tentativa. Claro que a este altura principalmente, este é um grupo menor, mas que também influenciará no total de emigrantes da primeira onda.

            15+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • rodrigosp 3 de novembro de 2016 at 17:36

              Oi CA!

              Quando escrevi é verdade, acreditava que o efeito EMIGRATÓRIO (perdoem meu erro), seria para SP, MG e até outros estados mais distantes, mas isso acreditando no caos do RJ, onde seria melhor viver uma outra realidade, por pior que seja, com um pouco mais de possibilidades ao ficar no RJ, isso em caso de um apocalipse carioca, com um apagão e a debanda na minha opinião seriam das classes mais baixas, minha aposta é mero achismo é claro que, com todos os dados e fatos apresentados por você não há contra-argumento, fato.
              Mas lhe pergunto e estendo a todos, em caso de caos extremo, de luzes apagadas, o que deverá acontecer?
              Vocês tem uma ideia se o RJ chega a um apocalipse?
              Pois não acredito em salvação com milagres, o RJ é recuperável na visão de vocês?
              Eu não sei por que, a impressão que tenho é que chegara um momento que o RJ ficará simplesmente inabitável ou algo próximo disso e não tenho essa concepção formada simplesmente por noticiários, mas sim por tudo o que já foi dito aqui no passado e confirmado no presente!
              Somente na questão da criminalidade eu não chego a discordar, apenas acredito que o crime e suas organizações se adaptam, são flexíveis, mas enfim, a que ponto chegamos!

              3+
              • avatar
              • CA 3 de novembro de 2016 at 18:29

                Oi rodrigosp!

                Não acredito em um apocalipse imediato, ou algo que torne o RJ uma Detroit da noite para o dia, em 2017 ou 2018, por exemplo. Acredito sim que o Rio de Janeiro teve um crescimento que foi o mais ARTIFICIAL e onde o inflar foi mais INTENSO no Brasil (*), logo a expectativa é que a explosão disto também seja MAIOR e com impacto MAIS RELEVANTE, levando sim a uma emigração para outros Estados e até países em escala muito superior a média histórica nos próximos anos, sendo que dentro deste processo, poderá sim evoluir para uma Detroit, mas ocorrendo por “ondas”, como mencionei no comentário anterior.

                (*) o RJ foi inflado pelo mega esquema de corrupção da Petrobrás que levou a construções relevantes relacionadas ao pré-sal, gerando expectativas muito elevadas de crescimento ao longo dos anos, em especial em Macaé, mas afetando toda a região metropolitana do RJ também, além disto, como o RJ sediava ao mesmo tempo a Copa do Mundo e as Olimpíadas, o volume de construções de infraestrutura para estes eventos também foi mais significativo que nos outros Estados, correndo por fora tivemos o maior inchaço no funcionalismo público do país e a maior bolha imobiliária também, este é o conjunto que tornou o RJ o campeão nacional do INFLAR ARTIFICIAL.

                Creio que o segmento petrolífero passou por um certo crescimento insustentável em escala mundial, que em grande parte foi impulsionado por um crescimento insustentável da China via bolha imobiliária e outras bolhas, além das medidas expansionistas dos EUA que são parte relevante do inflar da bolha chinesa também (sendo assim, as medidas expansionistas americanas colaboraram direta e indiretamente para o inflar artificial do preço do petróleo), isto foi o que alimentou o lado da demanda, ao mesmo tempo que durante este período a OPEP conseguia um bom domínio do mercado para garantir restrições de oferta que tornassem os preços maiores frente a esta demanda crescente.

                Ocorre que este crescimento insustentável do preço do petróleo “explodiu”, não só porque as medidas expansionistas americanas foram retiradas, mas também em função da explosão das bolhas chinesas e ainda, pelo surgimento de um grande produtor mundial de petróleo com nova tecnologia, no caso os EUA e o petróleo advindo do xisto. Junta-se a isto que, por mais que o lobby do petróleo seja forte mundialmente (e é, sem dúvida), o desenvolvimento de tecnologias substitutas para o petróleo e o seu desenvolvimento ao ponto de se tornarem viáveis comercialmente é inevitável, ao mesmo tempo que do lado da demanda, há um movimento incipiente nos EUA que pode se espalhar para o resto do mundo, onde os carros particulares deixam de ser “objeto de desejo” e passam a ser considerados, junto com as moradias, entraves à possibilidades de realizar outros sonhos de consumo relacionados com viagens, tecnologia, etc.

                Trocando em miúdos o que consta acima, parece-me que o preço do petróleo, pelo menos para os próximos anos, não tem nenhuma tendência para voltar a superar a barreira dos US$ 100 por barril, longe disto, a expectativa é que ele se mantenha em um patamar bem mais baixo que este. Além disto, a situação da Petrobrás é de DESINVESTIMENTO intenso para os próximos anos, ou seja, ela está se desfazendo de ativos e sem nenhuma possibilidade de aumentar investimentos no segmento. Temos sim empresas se aproveitando disto, mas ainda em uma escala insuficiente para significar qualquer retomada maior dos investimentos neste setor, ou seja, este importante pilar da economia do RJ está seriamente afetado.

                Quanto ao funcionalismo público e a situação financeira do RJ, a situação é de calamidade pública e como todos sabem, isto também não se resolve da noite para o dia, até porque o petróleo que é uma importante fonte de renda para o Governo, não irá colaborar neste sentido. Junta-se a isto que o segmento de construção civil tende a ter a maior DERROCADA do país, exatamente pelo fato do inflar ter sido o mais ABSURDO, o que se traduzirá na maior perda de empregos para construção civil no país. Sendo assim, a aposta é que os principais prejudicados serão aqueles que atuam diretamente com segmentos petrolífero, construção civil e funcionalismo público, que tem participação relevante nos empregos do RJ. Lembrando que em virtude desta relevância, teremos efeitos em cascata para demais setores que não serão nada desprezíveis. Por enquanto o RJ ainda guarda uma aura de “ilha da fantasia”, onde o ILUSIONISMO é ainda mais forte do que em outros locais, no entanto, como sabemos, isto apenas nos dá uma certeza de que o tombo será maior…

                11+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
              • Joe banana 3 de novembro de 2016 at 19:23

                o termo correto é migratório.
                https://pt.wikipedia.org/wiki/Emigra%C3%A7%C3%A3o

                2+
  • Baby Boy 3 de novembro de 2016 at 11:42

    E assim caminha a Banania…..
    De um lado os 666, ostentando um bolhudinho de gesso, pagando as parcelinhas de 30 anos, mas que promete quitar em 10 anos, hoje esta vendo o “investimento” derreter, mas “não liga”, pois comprou para morar e um dia será seu!
    Do outro os Bolhistas, poupando e reenvestindo, deixando os juros compostos fazer o trabalho ao seu favor, felizes e prósperos , com futuro em suas mãos e em busca do sonho da almejada Independência Financeira. Não depender do trabalho para viver.

    PMJ.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • SampaBoy 3 de novembro de 2016 at 12:18

      Sempre lembrando é claro que nao depender do trabalho para viver nao significa necessariamente nao trabalhar, pelo contrario, significa trabalhar da forma e intensidade que melhor que convier durante determinado periodo da vida.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 3 de novembro de 2016 at 12:46

    Notícia de 6 meses atrás, mas é sempre bom de ver rsrsrs

    Viver de aluguel é mais vantajoso do que comprar a tão sonhada casa própria
    Se fizer as contas, brasileiro verifica que é melhor investir grana ao invés de adquirir imóvel

    Na avaliação de economistas ouvidos pelo R7, adquirir um imóvel à vista ou parcelado é sinônimo de perder dinheiro, já que o valor investido em uma propriedade tende a render mais em outros fundos.

    O economista e idealizador do blog Quero Ficar Rico, Rafael Seabra, avalia que, do ponto de vista financeiro, é “sempre mais vantajoso” alugar um imóvel e investir parte daquele montante que seria totalmente utilizado para realizar um financiamento imobiliário.

    http://noticias.r7.com/economia/viver-de-aluguel-e-mais-vantajoso-do-que-comprar-a-tao-sonhada-casa-propria-28022016

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 3 de novembro de 2016 at 13:44

    25 reais e não conseguem pagar??? 0000(0)

    passou da hora de eu escrever sobre o BNH
    mesma história

    “somente um louco poderia pensar em ter resultados diferentes cometendo os mesmos erros” (Einstein)
    vtc einstein, qualquer idiota sabe disso.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 3 de novembro de 2016 at 13:51

    LEILÃO DE IMÓVEIS DA CEF

    Situação: encerrado

    Quantidade de imóveis ofertados: 144

    Quantidade de imóveis que receberam lances: 4

    http://www.gpleiloes.com.br/index.php?pg=leilao&idleilao=1003&buscar=&busca=&busca_l=&cate=&scat=&cat_l=&scat_l=&fav=0&lote=&pagina=0

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • deuruim 3 de novembro de 2016 at 13:52

    CVR
    Ape pronto, bem localizado pedindo 570 k, conhecido teve a audácia de oferecer 350, fecharam por 370….Quem, apesar de td, tiver coragem de comprar, não economize na indecencia da proposta

    48+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 3 de novembro de 2016 at 14:08

      bem localizado? comprou em outro pais 🙂

      bom, sem saber detalhes diria que nao foi um bom negocio, 370 + 5% (aprox de doc) rendem R$3.800,00 por menos disso se aluga bons apartamentos.

      mas posso estar errado qdo ao valor do medio do aluguel na regiao, se puder dar mais algum detalhe da regiao/cidade (e tambem do AP comprado)

      [] s

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • deuruim 3 de novembro de 2016 at 15:13

        Um aluguel ali seria 2k, 2,3 no max , claro q nao compensa, mas se a pessoa quer uns tijolos pra amar, só fico feliz em ver a queda no preço. Eu já tinha dado a dica pra essa pessoa, mas é bricklover. PMJ

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Baby Boy 3 de novembro de 2016 at 14:22

      Diga a ele que fez um excelente negócio. Sorrie e acene!
      PMJ!

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • markito 3 de novembro de 2016 at 14:40

      onde? se for um apt de 150m2 bem localizado tá com bom preço.

      5+
      • avatar
      • avatar
    • AndersonRS 3 de novembro de 2016 at 14:47

      Estou de olho em um ape que está por 500mil, SP, Tatuapé. Se aceitassem 350mil eu comprava. Vou fazer a oferta só ano que vem.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • AndersonRS 3 de novembro de 2016 at 14:48

        500mil preço anunciado

        5+
        • avatar
      • Zé do Brejo 4 de novembro de 2016 at 08:40

        Se não aceitarem, seus juros continuam trabalhando por você.
        Ou seja, você sai ganhando com qualquer resultado na negociação.

        6+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Zé do Brejo 4 de novembro de 2016 at 08:48

          Lembrando que daqui um ano seus 350mil serão 400mil.
          Enquanto o imóvel continuará dando mão de obra e despesas.

          7+
          • avatar
          • avatar
          • AndersonRS 4 de novembro de 2016 at 09:57

            Na verdade já estou com esta tática Há uns 2 anos … Se não aceitarem tudo bem, o dinheiro continua rendendo.

            6+
            • avatar
  • Bauru Bolhudo 3 de novembro de 2016 at 14:34

    Se é bom negócio não é possível saber, mas interessante ver choque de realidade chegando aos proprietários e eles aceitando desconto de 35%.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Aprendiz 3 de novembro de 2016 at 14:56

    “Prezados, boa tarde

    Segue abaixo uma verdadeira oportunidade dentro do mercado imobiliário.

    Empreendimento, pronto, entregue há 12 meses, localizado em frente ao Aeroporto de Congonhas, com salas a partir de 39m² até 197m² (junção de 5 conjuntos).

    Para fechar o ano, estamos disponibilizando as últimas 25 salas com uma condição impraticável no mercado. Para quem adquirir essas unidades até o dia 15/11/2016, além de ficar isento de condomínio e IPTU durante dois anos, firmaremos um contrato a qual iremos garantir uma renda de 0,47% ao mês por dois anos.

    Essa condição lhe garantirá uma renda mensal de no mínimo, 0,9% ao mês, pois nada impede de você, futuro proprietário, alugar o seu conjunto enquanto recebe essa locação garantida por dois anos e assim, maximizar o seu rendimento.”

    Olá Amigos do BIB,

    Acabei de receber… vejam !!!

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • fanfarraum 3 de novembro de 2016 at 15:09

      0,47% em 2 anos = 11,28% do valor do imóvel
      Digamos que trazendo pra data presente esses 11,28% representem uns 8% (vai ser mais, mas não quero ser tão preciso).

      2 anos de condominio e IPTU equivalem a quanto +- do valor do imóvel? 0,3% por mês?
      Realmente não sei… Mas digamos que seja 0,3%… Dá uns 5% nos 2 anos. Trazendo pra valor presente, digamos que seja uns 4%.

      Eles tão TENTANDO vender com “desconto” mascarado de uns 15% nessas unidades, além do que já devem estar anunciando de “desconto”.
      Fico imaginando quem pagou o preço da tabela cheia.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • fanfarraum 3 de novembro de 2016 at 15:11

        Acho que exagerei no % de participação do condominio e IPTU.
        Mas realmente não sei como é no mercado imobiliário comercial.

        5+
        • avatar
        • avatar
        • Money_Addicted 3 de novembro de 2016 at 15:17

          como diria o galvao -> ACABOU, ACABOU eh TETRA kk

          nao tem mais jeito, eles tentam de toda forma ludibriar os ultimos otarios, na vdd otario de sobra ainda o q falta eh otario com grana.

          me diz, pq vou querer 0.47 “garantido” por quem (?) construtoras a beira da falencia. Se tenho 1% “garantido” pelo FGC e/ou pelo Temer/Marcela 🙂

          ta certo q essa ultima garantia nao eh tao assim garantido rs mas ai ja eh outra historia

          [ ]s

          9+
          • avatar
          • avatar
  • Aprendiz 3 de novembro de 2016 at 15:07

    AndersonRS

    500mil preço anunciado

    0

    Se conheço um pouco da região, está vendo apto na faixa de 70 / 80 m2 … ainda acho o preço alto, pois com 3.500 (1% dos teus 350K) voce aluga um maior na região ou proximo

    Numa busca, achei na mooca por 3.000, apto 115m2 … condominio clube e alto padrão de construção … e CLARO que ainda dá pra negociar o valor do aluguel

    6+
    • avatar
    • avatar
    • AndersonRS 3 de novembro de 2016 at 15:44

      Sim aprendiz, é neste metragem mesmo (70/80 mt) porém parte do valor que tenho está parado no FGTS (rendendo pouco), mesmo assim conseguiria uns 2700 a 2800 de rendimento líquido.
      Eu compraria por opção, financeiramente falando não há vantagem.

      4+
      • avatar
      • avatar
  • Bolhudo 3 de novembro de 2016 at 15:19

    Olhe a MERDA no Horizonte !!!

    “Bolhas nos mercados de vários ativos são ameaça para a China”
    Maior bolha aparente é no setor imobiliário, mas os preços também subiram outros ativos
    Jornal do Brasil

    PUBLICIDADE

    Matéria publicada nesta quinta-feira (3) pelo The Wall Street Journal analisa que uma série de bolhas tem se formado na China, provocada pela onda de dinheiro especulativo injetado em ações, títulos de dívida e commodities. A maior bolha aparente é no setor imobiliário, mas os preços também subiram em ativos de nicho, como obras de arte e antiguidades. Em maio, os preços futuros do farelo de soja, usado como ração para suínos, aumentaram 40%. O volume negociado atingiu 600 milhões de toneladas, nove vezes maior que o consumo anual da China. O preço do PVC, material usado na fabricação de canos, subiu 40% este ano na bolsa de commodities de Dalian.
    Fonte : http://www.jb.com.br/economia/noticias/2016/11/03/wsj-bolhas-nos-mercados-de-varios-ativos-sao-ameaca-para-a-china/?from_rss=None

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Money_Addicted 3 de novembro de 2016 at 16:27

    CVR – PMI

    Essa semana caiu na minha conta US o primeiro interest bem pouco obviamente mas interessante receber em moeda forte

    PMI / PMJ

    [ ]s

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Zé Carioca 3 de novembro de 2016 at 18:27

    Meus 2 centavos sobre a situação do Rio de Janeiro. O processo de encolhimento do Estado desde que deixou de ser capital federal é claro. O Rio de Janeiro perdeu influência política para Brasília e poder econômico para São Paulo, visto que a maioria das empresas que aqui ficavam sediadas se mudaram para SP. Ao contrário de SP não temos um interior forte, de fato o petróleo é a única indústria forte fora da cidade do RJ, recentemente que algumas montadoras foram atraídas para o Estado com promessas de gordo subsídios. As cidades da antiga Guanabara tem pouco peso econômico, diferentemente do interior de SP que possui vários polos indústrias.

    O processo de queda foi acentuado pela péssima administração do PMDB, que achou que o dinheiro que jorrava dos royalties do petróleo seria eterno e inchou a máquina pública de forma absurda, concedendo generosos aumentos salariais para diversas categorias. Os salários que outrora se encontravam “defasados” (pro FP seu salário sempre está defasado), foram inflados no governo Cabral e junto com a abertura de diversos novos concursos e a contratação de terceirizados levou ao caos que vemos hoje.

    Acho que o RJ caminha para o caos, um caos ainda pior do que o que vivemos hoje, é um processo lento e sem volta, a desordem urbana impera na cidade e não temos fiscalização, é a terra do jeitinho, do pode tudo, a lei do mais esperto (ou porque não a lei da selva). Só que eu acho que em curto prazo a situação pode sim ser estancada, basta vontade política e coragem. O Estado só vai melhorar no curto prazo se cortar parte do salário dos funcionários públicos, diminuir a folha de pagamento mesmo.

    Isso de que a culpa não é do funcionário público, pra mim é balela, como administrar um Estado se 80% da arrecadação vai para a folha de pagamento? E o investimento? E a manutenção dos bens publicos? Na visão da maioria dos FPs isso é secundário, vide o judiciário que faz questão de receber no dia certo, não se importando com a saúde financeira do Estado, dos fornecedores, dos terceirizados que certamente precisam mais do dinheiro e especialmente não dando importância a situação de seus colegas do executivo. Se outras categorias tivessem a caneta na mão também agiriam assim.

    Não sei se os salários na Prefeitura são melhores que no Estado, como alguém afirmou acima, a prefeitura pode até pagar melhor o cargo médio, mas no topo o Estado paga bem mais. Vide os supersalários de juiz, desembargadores, promotores, procuradores, auditores fiscais, diversos cargos do legislativo e outras categorias com belos salários. Certamente qualquer um desses cargos ganha mais no Estado do RJ do que em SP, apesar de SP ter uma arrecadação muito maior que o RJ.

    O X da questão é que enquanto estava rolando o dinheiro fácil dos royalties de petróleo com o barril à cento e poucos reais era bem fácil manter a máquina publica paquidérmica fluminense, agora que a crise bateu e a arrecadação dispencou é cada um por si, cada categoria de FP vendo seu próprio interesse e ninguém olhando a real situação das contas públicas. Enquanto a folha de pagamento consumir quase 80% da arrecadação não tem como a conta fechar.

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Joe banana 3 de novembro de 2016 at 19:15

      E alguém acredita que o Tremeroso vai ser um bom presidente…. foi um horrivel vice, com todo o lixo do PMDB pendurado no RJ e nada aconteceu… vai vendo a m*****

      8+
  • Zé Carioca 3 de novembro de 2016 at 19:01

    Lucas,

    Vou lhe confessar que minha família é de SP, inclusive temos apartamento lá. Esse final de semana estive lá é realmente tenho que concordar que SP é uma cidade melhor para se viver que o Rio, ha varias boas regiões para se morar e quase todas muito melhor que a zona norte e oeste do Rio de Janeiro.

    Li também o artigo do blog do Portinho que ele analisa a diferença de preços entre Ipanema, Leblon e Gávea, região que ele chama de United Kingdom of Ipanema (UKI) e o resto da Zona sul do Rio e compara com a região dos Jardins, Vilas, Pinheiros, Higienópolis e Itaim Bibi. A diferença de preços entre a área “nobre” do Rio e de São Paulo é brutal, a despeito da renda em São Paulo ser muito maior. O Portinho tem uma visão meio de “playboyzinho da Zona Sul”, ele meio que acha Ipanema e Leblon a oitava maravilha do mundo e que a zona nobre de São Paulo é pior que o UKI. Apesar de morar nessa parte da cidade discordo, isso em geral é opinião de quem é nascido e criado por aqui, como o Portinho diz que é. Eu acho o UKI mais bonito, mas para se morar a região nobre de São Paulo é bem melhor, já que a cidade oferece salários maiores e um custo de vida menor (pelo menos na questão imobiliária).

    Além disso, acho que a região nobre de São Paulo oferece melhores imóveis, apartamentos que podem sim ser chamados de alto luxo, enquanto no UKI a maioria dos imóveis é composto por muquifos velhos, mal conservados, os quais a maioria dos proprietários não teria condições de recomprar, pois jamais vão juntar tanto dinheiro.

    A questão de valer tanto, acho que passa pelo fato de a cidade ser terrível, com péssima logistica urbana e de transportes, áreas próximas ao centro totalmente degradadas e favelizadas, o que concentra a maioria das pessoas em uma certa faixa urbana. Quem tem dinheiro quer morar na Zona Sul e na Barra e quem não tem também quer, já em São Paulo existem diversa opções de boas moradias distribuídas por todas as zonas da cidade. Não acho que justifique os preços absurdos que são praticados, mas dificilmente uma pessoa com renda alta quer ir morar na Zona Norte da cidade, já que o risco a sua segurança e a de sua família é real.

    Até já brinquei com o Louro José que ele é uma grande exceção, por morar numa zona violenta (perto do meu trabalho) e não querer sair dali mesmo podendo. Em geral para o carioca a questão de onde você mora é muito importante, seja como status social, seja questão de segurança mesmo. São Paulo tem várias boas regiões e além disso toda a cidade apresenta ordem urbana, aqui no Rio mesmo em regiões centrais, como a que trabalho, impera a desordem e o caos, é lixo jogado na rua em sacos plásticos que serão rasgados por cracudos, carros estacionados sobre a calçada de forma a não deixar o pedestre passar, sujeira, e violência a luz do dia.

    Sinceramente, não consigo entender como o mercado imobiliario ainda não colapsou por aqui, os preços são insanos, não tem renda para pagar (SP também não, mas a renda é bem maior e os preços bem menores), e a cidade não justifica a fama mundial.

    PS: Li o blog e o outro lado da rua bem superficialmente e vi que os bananas de pijamas cismaram com o Louro José também. Alguém precisa urgentemente receitar um remedinho pro nosso amigo. Louro, agora você entendeu porque existe uma certa rivalidade entre os lados do muro, o Sargento Pincel é louco e conseguiu expulsar quem mais contribuía com o blog (e não estou falando de mim, até porque quase não posto).

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 4 de novembro de 2016 at 21:35

      Zé Carioca, parabéns pela narrativa.
      Na minha opinião viver no Hell de Janeiro é uma questão de fetiche, como um produto da Apple, é caro mas sempre tem alguém disposto a pagar por ele.
      Se não fosse a classe média para sustentar toda a criminalidade pelo consumo de drogas, não seria a mesma coisa, aquela montanha russa de emoções, com crimes, sexo, drogas, e todo prazer à volta é como um viciado que sabe que aquilo irá destrui-lo, mas não consegue parar de consumir.
      Que outro lugar do Brasil e talvez do mundo um policial ou militar não pode sair fardado do seu quartel para ir para casa?
      Estas distorções que você citou entre o custo é a qualidade de vida tendem a se autocorrigir, como aconteceu em Detroit

      3+
      • avatar
    • CA 3 de novembro de 2016 at 20:24

      “CEO, CFO e presidente do conselho renunciam na PDG, que contrata assessor financeiro”

      A esta altura, precisam de muito mais do que um assessor financeiro, precisam de um consultor que seja também um “pai de Santo”, ou seja, precisam do PXdPF …

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Carlos 3 de novembro de 2016 at 21:53

        Mais um voto para o PXdPF, e ele vai precisar tomar muito destilados finos para dar uma morte decente a PEDEGE.

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • EngenheiroSP 4 de novembro de 2016 at 07:28

        Os ratos são os primeiros a fugir do navio naufragando.

        4+
  • Alemon Fritz 3 de novembro de 2016 at 21:56

    Tinham que contratar o Vidente Frutinha Vermelha, o astro dos corvos,
    para proferir e predizer ” O momento é agora” Compre Djá! (se lasquem)..

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Festa_no_Ap 3 de novembro de 2016 at 23:55

    eu queria São Paulo separado do Brasil e do PSDB

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • O Cramulhao de FHCigienopolis45 4 de novembro de 2016 at 01:11

      Meu sonho também: São Paulo , separado do Brasil e sem o lixo do PSDB!!!

      Um estado liberal, austero e moderno!

      Eu cada vez mais tenho esses sentimentos meio “1932”…Não tenho raiva do resto do Brasil, adoraria que fôssemos uma nação formada por Estados similares, mas não somos…

      Quando morava na Europa, eu tinha horror ao ver os brasileiros que eu conhecia falando mal do Brasil, nos deixando ainda mais mal-vistos aos olhos dos europeus. Todavia, aos poucos eu ia percebendo que nunca eram pessoas de São Paulo, mas de outros estados, aqueles que se sujeitavam a subempregos, e que tinham ódio de sua condição no Brasil. Eu não sentia nada daquilo, e mesmo tendo excelentes empregos na Europa. Eu sempre amei e sentia falta de São Paulo, até retornar esse ano. Não sou de família rica nem nada, quando era adolescente fiz escola pública estadual e ETEC antes de entrar na USP, e depois fui para o exterior, e so agora apos os 35 anos me dei ao luxo de morar sozinho nos Jardins numa cobertura (alugada). Nunca vou esquecer que, apesar de ter passado quase metade da minha vida fora do país, sinto que foi a cultura de Sao Paulo, e não Irlandesa , que moldou meu caráter.

      São Paulo vai balançar cada vez mais com essa crise pelos próximos anos, mas se todos caírem, São Paulo ainda será o último estado de pé.

      NON DVCOR, DVCO .

      26+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Unreal_Estate 4 de novembro de 2016 at 08:18

        Toma meu like pelo NON DVCOR, DVCO.

        12+
        • avatar
        • avatar
      • Zé do Brejo 4 de novembro de 2016 at 09:10

        São Paulo independente? Seria um sonho.

        10+
        • avatar
        • avatar
      • Lucas 4 de novembro de 2016 at 12:33

        NON DVCOR, DVCO

        lembrando que não nasci paulistano, nem paulista, minha vida daria um livro, mas é aqui que me identifico, por escolha
        Também queria comentar outra coisa. O GRande Estado de SP na verdade continha Paraná, Matogrosso e partes de Goias, SC e Minas. Ainda se percebe até hoje os rastros da comunidade. Viveríamos muito mais feliz separado, do vale do itajaí pra baixo e do vale do paraíba pra cima.

        Só discordo dos acima pelos meios, xingar uma sigla, qualquer sigla é sempre um mau sinal.
        como diz o slogan, devemos nós meter o dedo ali dentro e fazer as siglas, todas elas, trabalharem pra nós, do jeito que a gente quer, do jeito Paulista way of life
        Somos maiores que uma sopa de letrinhas;

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • CA 4 de novembro de 2016 at 05:49

    Sobre o topjco:

    Como o MCMV ajudou a inflar a bolha imobiliária brasileira?

    Ele ajudou a gerar uma “demanda garantida” para as construtoras, sem que houvesse a necessidade de renda por parte dos compradores, o que pode se observar por este absurdo índice de inadimplência, de 25% na faixa 1 do MCMV. Isto foi mais um incentivo para que o preço dos imóveis subisse de forma ANORMAL.

    Além disto, seu nível de exigência quanto a qualidade, localização e metragem junto às construtoras era muito baixo, visando garantir um lucro elevado para as mesmas.

    Outro ponto é que este programa implantou um subsídio em dinheiro que nada mais era do que uma descarada transferência de dinheiro para construtoras sem NENHUMA contra-partida, ou seja, os R$ 25 mil DADOS pelo banco para construtoras são imediatamente incorporados no preço do imóvel sem que a construtora acrescente qualquer benefício no imóvel que está sendo construído.

    Em função de tudo que consta acima, mais o prazo extremamente prolongado de pagamento (35 anos) que faz com que o valor a pagar mensalmente seja muito baixo e mais as “facilidades” da CEF para aprovar o crédito, os preços dos imóveis populares foi disparando. Demais vendedores observando isto pensaram: se aquele imóvel de péssima qualidade e localização muito ruim custa “x”, o meu imóvel tem que custar no mínimo “2x”. A partir dai, os preços dos imóveis foram crescendo em cascata. Em outras palavras, o MCMV foi um grande incentivo para o aumento IRRACIONAL nos preços dos imóveis.

    Além de toda a colaboração acima para a formação e crescimento de nossa bolha imobiliária, é importante lembrar que o MCMV também colaborou fortemente para a destruição dos resultados da CEF, é só observar os R$ 15 BILHÕES de antecipação de receitas do FGTS para a CEF, que serão prejuízo certo no futuro próximo, isto sem contar com o prejuízo trazido pela inadimplência ANORMAL, às vezes maquiada pela venda de titulos podres com 90% de “desconto”, outro fortíssimo prejuízo aos cofres públicos em meio a uma crise fiscal sem precedentes.

    Tudo que consta acima, trouxe qual “benefício social”?

    1) Imóveis de péssima qualidade, localização ruim, muito pequenos e com preços muito maiores do que VALEM;

    2) Famílias que antes viviam sem pagar condomínio, energia elétrica, etc, que agora em muitos casos continuam dando calotes nestas contas e no próprio MCMV, mais o condominio, prejudicando todos os demais que pagam suas contas em dia, seja pelo aumento direto do custo (exemplo: condominio) ou pelos serviços públicos que vão piorando ainda mais em função dos tombos adicionais causados por estes problemas;

    3) A bolha imobiliária, conforme demonstrado por aqui várias vezes, colaborou para o aumento da inflação, dos juros, do desemprego, do endividamento e inadimplência das familias, levou a crescimento sem precedentes no fechamento de lojas, perda de liquidez generalizada na economia, dentre outros fatores nefastos que levaram ao nível de destruicao da economia que vemos hoje e que afetam negativamente em especial as famílias mais pobres.

    “Belíssimo” programa social, não é mesmo? ???

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 4 de novembro de 2016 at 12:36

      o MCMV criou uma farta base da piramide financeira, não foi só isso que fez a piramide crescer (mas isto é assunto pra depois)
      não temos preconceito do pobre melhorar de vida, eu mesmo era um.
      acontece que foi uma base criada na ilusão de que crédito é renda e de que governo é a mãe de todos.
      agora chegou a conta
      PMJ

      8+
      • avatar
      • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 4 de novembro de 2016 at 06:48

    Após maior alta em mais de um ano, preço de imóveis no país desacelera
    http://oglobo.globo.com/economia/apos-maior-alta-em-mais-de-um-ano-preco-de-imoveis-no-pais-desacelera-20405161

    6+
    • avatar
    • Zé do Brejo 4 de novembro de 2016 at 10:05

      E os jornalecos dizendo: Comprem agora porque existe margem pra desconto, depois que a economia se recuperar (daqui 10anos) os preços voltarão a subir.
      Eu tenho nojo da mídia comprada dessa espelunca.

      4+
      • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 4 de novembro de 2016 at 06:51

    Sobre o tópico:
    Os inadimplentes devem estar olhando pelo lado bom da coisa, ou seja, se livrarão da imensa dívida transferindo para outros (classe média) a responsabilidade pelo pagamento dela.

    4+
    • avatar
    • joselito 4 de novembro de 2016 at 09:39

      No caso do MCMV o imóvel quitaria a dívida, então?
      Pois em determinados casos, o imóvel é a garantia real somente, ou seja, a obrigação é quitar a dívida, sendo que a inadimplência pode levar o imóvel a leilão. Se o valor do leilão for superior a dívida, devolve dinheiro ao executado. Se for menor que a dívida, abate o saldo devedor e prossegue a execução (ou seja, ainda tem dívida)…

      2+
      • avatar
    • Onix 4 de novembro de 2016 at 07:01

      crise no mercado imobiliário no Rio é cada vez mais preocupante. Os espaços vagos nos empreendimentos de alto padrão, construídos para sediar grandes empresas, subiu para 38,3% no terceiro trimestre, ante 35,4% no segundo trimestre, de acordo com a consultoria Engebanc. A situação é ainda mais grave no Porto Maravilha, região que recebeu boa parte dos novos empreendimentos da cidade nos últimos anos. Lá, a vacância chegou a 86%.

      7+
      • avatar
      • CA 4 de novembro de 2016 at 09:29

        Esta notícia reforça o que comentei sobre o RJ mais acima: lá é onde tivemos o inflar mais ABSURDO da bolha imobiliária no Brasil, onde os preços cresceram de forma mais IRRACIONAL, o natural e esperado, é que tenha a explosão mais INTENSA, tanto na super-oferta quanto na queda de preços e no impacto geral para economia, principalmente porque não são “só” os efeitos da explosão da bolha imobiliária, tem a explosão da bolha de corrupção da Petrobrás que tem maior impacto por lá, a Copa do Mundo e as Olimpíadas que já se encerraram, sendo que foi lá o único lugar que concentrou estes dois eventos e ainda, tiveram o maior inflar do funcionalismo público de todo o país que também está explodindo via calamidade pública. Não poderia ser diferente, fizeram o possível e impossível para destruir o RJ e conseguiram…

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 4 de novembro de 2016 at 12:41

          tá tranquil tá favorável
          a assembleia deles quase aprova uma pensão viltalicia pros vereadores, com Bolsonaro incluso entre os autores, mudou de idéia quanto explodiu na net, assim como o pai fez na PEC241, aliás toda bancada da bala, incluso major olimpio e levy fidelix dito liberal
          imagina um lugar onde até os heróis são bandidos,

          10+
          • avatar
          • avatar
    • Cesar_DF 4 de novembro de 2016 at 07:36

      Vacância comercial no Hell de Janeiro

      Fazendo as contas
      1,95 milhão de m2 a 24,3% de vacância a R$ 50/m2 de locação
      1.950.000 X 0,243 X 50 = 23,6 milhões por mês

      Porto Maravilha corresponde a 2,7% dos 1,95 milhão m2, mas está com vacância de 82,3% para um valor de R$ 109/m2
      1.950.000 X 0,027 X 0,823 X 109 = 4.7 milhões por mês

      http://www.revistaqualimovel.com.br/noticias/escritorios-top-custaram-r109m%C2%B2-no-rio

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • fanfarraum 4 de novembro de 2016 at 09:33

    http://oglobo.globo.com/rio/estado-divulga-pacote-de-austeridade-para-enfrentar-crise-20409708

    O Rio vai encarar, a partir do próximo ano, o pacote de austeridade mais duro da crise financeira que está enfrentando. Entre decretos que serão publicados no primeiro dia de 2017 e projetos de lei que chegarão hoje à Assembleia Legislativa, o Palácio Guanabara pretende adotar medidas como aumentar a contribuição previdenciária, inclusive com a criação de uma alíquota extraordinária, acabar com programas sociais, suspender reajustes salariais, cortar cargos comissionados, elevar impostos e recorrer aos fundos de outros poderes para pagar servidores. O resultado seria um ganho de arrecadação de R$ 13,4 bilhões em 2017 e de R$ 14,76 bilhões no ano seguinte. O governo do estado alega que, se nada for feito, o rombo ao fim de 2018 vai chegar a R$ 52 bilhões.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • fanfarraum 4 de novembro de 2016 at 09:34

      A mudança mais extrema será sentida na faixa de aposentados e pensionistas que ganham abaixo de R$ 5.189. Isentos até hoje, eles passarão a contribuir, caso o projeto de lei seja aprovado, com 30% de seus vencimentos.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • Louro José 4 de novembro de 2016 at 09:42

        Duvido muito que isso tudo seja aprovado, mas seria delícia total

        6+
        • avatar
    • joselito 4 de novembro de 2016 at 09:42

      Recorrer ao fundo de outros poderes? Como assim, achas que o judiciário permitirás? Só se for dos servidores, pq o bolo dos magistrados eu duvido que seria repartido

      3+
    • Ilusionista 4 de novembro de 2016 at 10:44

      deve ser bem tranquilo e sossegado…..
      1- ) Parcela grande do funcionalismo daquele Estado, justamente aqueles em que a população mais pobre do Rio depende e que, por coincidência, são os que ganham menos (policiais, professores e auxiliar enfermagem dos hospitais e postos de saúde, dentre outros), na sua grande maioria já tem descontado 40% com o empréstimo consignado no holerite.
      Com a elevação da contribuição para 30%, próximo reajuste da inflação somente em 2020….
      vai ser bem tranquilo e sossegado sobreviver com os 30% restantes. 2020 passa rápido….
      e ainda terão os cortes dos benefícios por tempo de serviço.
      2-) comércio. indústrias, famílias grandes que gastam mais de 300 kilowatts de energia, ICMS a 27%, não vai pesar nada no bolso e nos preços para os consumidores..
      3-) transporte público a $ 7,50
      bem tranquilo para grande parte da população que trabalha na informalidade
      4-) fim do aluguel social para desabrigados e renda mínima…..
      bem, uma centena de moradores de rua a mais ou a menos não vai fazer a diferença naquele centro caótico, só deve faltar espaço debaixo das marquises e viadutos para tanta gente..
      5-) fim dos restaurantes populares,
      só deve aumentar em dez vezes o número de pedintes nas ruas e nos restaurantes….

      vão mexer inclusive com os salários de quem segura os morros para não invadirem os asfalto…
      Deve vir muitas greves bem duradouras, incluindo o judiciário, vão querer parar de vez a cidade..
      Vai ser complicado a vida por lá..

      8+
      • avatar
      • avatar
  • Tiago 4 de novembro de 2016 at 09:44

    http://www.valor.com.br/empresas/4765111/pdg-troca-toda-administracao-para-reestruturar-divida-bilionaria

    Recorrer à recuperação judicial tornou-se, praticamente, inevitável, para a PDG, seja até o fim de novembro ou no início de 2017. A diferença de prazos depende do fôlego financeiro que a companhia ainda busca com os principais bancos credores para que não seja necessário ajuizar, às pressas, seu processo de recuperação

    3+
  • Shrek Oriental 4 de novembro de 2016 at 09:44

    “O preço dos imóveis subiu apenas 0,11% em outubro, segundo o Índice FipeZap. O indicador, que acompanha o preço de venda de propriedades em 20 cidades brasileiras, completou oito meses seguidos de altas nominais, mas o aumento foi inferior à inflação. É o caso do mês de outubro, cuja inflação esperada pelo Boletim Focus do Banco Central é de 0,3%.”

    ttp://epocanegocios.globo.com/Economia/noticia/2016/11/epoca-negocios-preco-dos-imoveis-sobe-em-outubro-pelo-8o-mes.html

    2+
  • Moreira 4 de novembro de 2016 at 10:03

    Alguns itens dentro do Pacote de natal proposto pelo Governo do Hell aos FP’s:
    a) contribuição previdenciário do servidor passar de 11% para 14% + uma contribuição de 16% por 16 meses. Total = 30%
    b) extinguir adicional por tempo de serviço do servidor;
    c) adiar reajustes concedidos em 2014 que começariam a valer em 2016 e 2017 para 2020;

    inativos/pensionistas:

    acima de 5.1889 – passam a enquadrar-se na letra (a)
    abaixo desse valor – passam a contribuir com 30% de contribuição previdenciária
    Extinguir:
    aluguel social
    renda melhor
    restaurante popular (caso os municípios não os assumam)

    2+
    • avatar
  • Moreira 4 de novembro de 2016 at 10:14

    Vamos simular:

    FP ganha 15k bruto ganha em média 10k líquido. Se essa medida passar, ganhará por 16 meses 7.665.
    Governo morde R$ 2,4k a mais.

    Imagine o FP que paga uma prestação de 2,4k de um pequeno bolhudinho?

    imagina a escola dos filhinhos, o cinema, a viagem da dondoca… o carro zero com teto solar. O Fiat uno bolhudinho dos quase ricassos: jeep RENEGAITONNNNNNNN.

    Situação do vovo e da vovo:

    de 5k para 3,5k. Fim do plano de saúde, da fisioterapia,. bancar o filho do filho já não terá qualquer chance objetiva.

    O cenário não é legal. Vejo uma violência social se agravando.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • FabianoSJC 4 de novembro de 2016 at 10:30

      Tenho amigos FP do Rio que davam risada quando eu dizia que estava apertado pois muitos de meus clientes estavam cortando custos inclusive cortando serviços que eu presto.
      Diziam “Toma vergonha na cara Fabiano , estuda um pouco e presta um concurso publico”, gostaria de ver a cara deles quando souberem que vão ter que dar uma “ajudinha” para cobrir o rombo do governo rs.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Zé do Brejo 4 de novembro de 2016 at 10:34

        Todos os governos (Federal, estaduais e municipais) precisam fazer uma faxina no funcionalismo público.
        Tem gente demais mamando nas tetas desse elefante.

        11+
        • avatar
        • avatar
      • Cesar_DF 4 de novembro de 2016 at 10:55

        Rio tem 32 mil servidores federais a mais do que Brasília
        http://oglobo.globo.com/brasil/funcionalismo-publico-no-governo-federal-aumenta-28-em-dez-anos-17354629

        Dominadas por cargos de confiança, secretarias do RJ são alvo de ações do MP
        Outra secretaria do RJ, a de Estado de Governo (Segov), não tem nenhum servidor próprio. São 620 ocupantes de cargos de comissão, dentre os quais apenas 10 são funcionários concursados, cedidos de outros órgãos. Em planilha encaminhada pela Segov, verifica-se que, em 2006, o total de comissionados era 233. No atual governo, esse número triplicou.
        http://jota.info/dominadas-por-cargos-de-confianca-secretarias-do-rj-sao-alvo-de-acoes-do-mp

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • FabianoSJC 4 de novembro de 2016 at 11:23

          E como eu digo não precisa aumentar imposto , basta cortar as tetas.
          Dificil é encontrar alguém que tenha aquilo roxo e tenha coragem de botar a mão nesse vespeiro rs

          11+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • calango_df 4 de novembro de 2016 at 11:44

    E ai?
    “Preço dos imóveis sobe pelo oitavo mês consecutivo, mas retomada fica para 2017”
    http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,preco-dos-imoveis-sobe-pelo-oitavo-mes-consecutivo-mas-retomada-fica-para-2017,10000086245

    4+
    • avatar
    • CA 4 de novembro de 2016 at 12:07

      calango_df,

      Trata-se do índice FINGE ZAP. Embora algumas notícias baseadas nesta “pesquisa” digam que o índice representa a evolução dos preços dos imóveis vendidos, é exatamente o contrário disto, este índice representa a evolução dos preços dos imóveis NÃO vendidos.

      Lembrando: se tem cinco imóveis de 100 m2 no mesmo prédio, com mesmo estado de conservação, andar, visada equivalente, etc, com 4 deles anunciados por R$ 500 mil e 1 deles anunciados por R$ 400 mil, dai acontece o mais provável e vende o que está ANUNCIADO por R$ 400 mil com desconto, por R$ 350 mil, retirando este anúncio do imóvel que foi vendido, o que acontece com o preço no FINGE Zap?

      Sobraram só os imóveis mais caros na base de dados usada pelo “índice de precos”, logo, o preço médio do FINGE ZAP sobe!

      É com base neste índice, que não serve para absolutamente nada, a não ser ENGANAR os incautos, que você gostaria de ter uma opinião?

      8+
      • avatar
      • avatar
      • calango_df 4 de novembro de 2016 at 12:55

        isso ai, meu caro CA. Só fico espantado como essa turma não tem vergonha de martelar

        2+
  • calango_df 4 de novembro de 2016 at 11:53

    CVR

    amigo esquerdista (daqueles clássicos, com o modus operandi que já conhecemos) posta no facebook que esta lendo “veias abertas da américa latina”, a bíblia da esquerda nos anos 70. Daí, resolvi trolhar e coloquei, como comentário, a entrevista do autor (Eduardo Galeano) em que diz que não releria o livro por estar ultrapassado¹. Ainda tive o cuidado de buscar uma fonte “oficial”, para não ter o mimi de ser imprensa golpista. Por sorte, encontrei a matéria na EBC de 2014 (ou seja, ainda no governo da querida).

    Para minha surpresa, em vez de causar uma reflexão na figura, a resposta foi “continuo lendo mesmo assim”. Putz, é uma religião, só pode !

    ¹ http://agenciabrasil.ebc.com.br/cultura/noticia/2014-04/galeano-diz-que-realidade-mudou-e-que-nao-releria-seu-livro-mais-conhecido

    13+
  • Cajuzinha 4 de novembro de 2016 at 11:59

    Pra não dizer que não falamos da Rossi…

    “De acordo com fontes do setor, as mudanças anunciadas podem ser vistas como um preparo da companhia para um possível pedido de recuperação judicial, aventado há meses pelo mercado. Homem de confiança de Ricardo Knoepfelmacher, fundador da RK, Ranevsky comandou a OSX justamente quando a empresa de construção naval fundada por Eike Batista entrou em processo de recuperação judicial, comandado pela RK Partners. Além da reestruturação do grupo X, Ricardo K, como é conhecido no mercado, foi responsável pelo processo de reorganização da antiga Brasil Telecom e, mais recentemente, assumiu a reestruturação das dívidas da Bombril e da incorporadora Rossi. Procurada, a RK Partners afirmou que não comenta o assunto.”

    http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/negocios/20161104/dificuldade-construtora-pdg-troca-comando/429146

    5+
    • avatar
    • fanfarraum 4 de novembro de 2016 at 12:31

      Tapai, no entanto, alerta que este não é o momento ideal para se comprar um imóvel. Na avaliação do advogado, os preços devem seguir em queda ao longo do próximo ano.

      — Se eu compro um imóvel hoje pelo valor que o mercado está pedindo, provavelmente, perco algo para o próximo ano. […] Para quem vai comprar e financiar, hoje não é a melhor opção, a menos que você compre o imóvel pela metade do preço.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • fanfarraum 4 de novembro de 2016 at 12:40

        Ele mesmo fala que estão vendendo imóveis por um valor MENOR que do há 3 anos atras.
        Digamos que seja 10% menor.

        Um imóvel de 200k hoje estaria sendo vendido por 180k
        Só que 200k depois de 3 anos seria cerca de 240k-250k considerando inflação/custo de oportunidade.

        Ele fala que o desconto deveria ser de 50% do preço (180k) = 90k.
        Comprar por 90k algo que deveria ser 250k = desconto REAL de 64% pra valer a pena

        Soft?

        8+
        • avatar
        • avatar
      • Minino do TI 4 de novembro de 2016 at 13:29

        — O distrato em qualquer país do mundo tem regras muito claras. Algumas vezes até penaliza o consumidor. Os compradores têm que entender que essa atitude do [b]distrato é ruim porque tudo tem que ser balanceado na vida.[/b]

        5+
        • avatar
        • Lucas 4 de novembro de 2016 at 14:01

          peralá
          distrato de contratos é uma coisa comum sim no mundo todo

          distrato de venda na planta, que eu saiba: SÓ NO BRASIL

          12+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Minino do TI 4 de novembro de 2016 at 14:31

            com certeza. E a simples justificatica de “por que ser tudo tem que ser balanceado na vida”, citado por quem vive dessa imoralidade imobiliaria chega a ser engraçado. Quando é para conseguir dinheiro especulando, vale desbalancear né?

            4+
    • markito 4 de novembro de 2016 at 15:52

      AHAHAHAH se aluga-se e ainda PAGASSE o financiamento tudo bem. Sei de relatos de pessoas que alugam o imóvel e NÃO PAGAM O FINANCIAMENTO.

      5+
      • avatar
  • Zé do Brejo 4 de novembro de 2016 at 13:55

    http://economia.uol.com.br/financas-pessoais/noticias/redacao/2016/10/22/voce-consegue-guardar-dinheiro-para-comprar-carro-ou-casa-faca-o-teste.htm
    Imagino o povo bolhista fazendo o teste, guardar dinheiro SIM, comprar casa ou carro NÃO!!! 🙂

    6+
    • avatar
  • Falido.com 4 de novembro de 2016 at 14:20

    Eba!! chegando aqui nessa conceituada casa e obrigado ao BOSS por liberar… 1o quero dizer que me divirto muito com vcs, adoro mesmo as polêmicas e menção honrosa pro dedicado CA e pro Lucas sempre explicando um monte de coisas que a gente pensa que sabe, mas… Não sou 666 nem bricklovers(já fui) e já comprei terreno financiado com aumento pelo IGPM época do FHC e quase perdi… já construi também sei como é… sei alguns termos daqui mas outros não, então espero que alguém me ajude… não ouvi ninguém falar duas coisas: sobre a reportagem das casas e prédios caindo aos pedaços e desabando(literalmente) do BNH, reportagem do fantástico e nem da promoção ROSSI compre um bolhudinho e ganhe longos 5 anos de condomínio…. alguém viu???

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • fanfarraum 4 de novembro de 2016 at 15:05

      Essa promoção da ROSSI e dos 5 anos já foi comentada.
      Acho que inclusive foi tópico. (Posso estar errado).
      Alguns meses atrás.

      2+
      • Cajuzinha 4 de novembro de 2016 at 15:08

        Aqui em Aracaju essa promo da ROSSI já está antiga

        3+
        • fanfarraum 4 de novembro de 2016 at 15:10

          Falei em Cajuzinha e ela apareceu mesmo hehehe…

          Segue post do CA na época (15/junho) sobre isso

          “Cajuzinha,

          Sem dúvida, ainda temos este aspecto de MAQUIAGEM da queda de preços. Pagar o condomínio por 5 anos é algo relevante, representando uma redução de preços que varie entre um mínimo de R$ 21.000,00 e podendo chegar a mais de R$ 60.000,00 no total.

          Temos as mais variadas formas de “promoções”: viagens, mobília completa da cozinha e de alguns cômodos, carro zero na garagem, dar “desconto” quando o cliente não consegue adquirir o crédito imobiliário, aceitar carro usado como parte do pagamento e considerando valor do veículo maior do que o real para revenda, dentre tantos outros artifícios, serve para ILUDIR as pessoas, passar uma visão de que é uma “promoção”, algo passageiro para “liquidar estoques”, enquanto no mundo real, a distorção entre estoque e vendas não para de crescer.

          A Rossi que você mencionou e consta com a promoção dos 5 anos de condomínio no seu comentário mais acima, é uma das candidatas à entrar em recuperação judicial, pois já está em pleno processo de reestruturação de dívidas (“recuperação judicial branca”), ou seja, já entubou prejuízos relevantes para seus credores e mesmo com alongamento de prazos, redução de juros, pagando com Ativos podres que não tem nenhuma liquidez e estão super-avaliados, ainda assim a sua situação continua crítica, porque continuam com vendas muito baixas, distratos em patamares anormais e com isto, sem vender DE VERDADE, nenhuma empresa sobrevive. Outras em situação similar dentre aquelas com Ações na BOVESPA são a PDG e a Viver, a Brookfield saiu da BOVESPA para se reestruturar, mas ainda está em situação crítica, algumas outras indo para o mesmo caminho, como a Tecnisa, por exemplo, sem contar as centenas de construtoras de pequeno e médio porte que já fecharam nos últimos anos e outro tanto que ainda está por vir entre este ano e os próximos.

          Como sempre digo, este cenário lembra as pedaladas e maquiagens do governo até 2014, apenas para ILUDIR as pessoas fazendo de conta que está tudo bem enquanto entupiam embaixo do tapete com problemas e mais problemas, em volumes absolutamente ANORMAIS, até que quando não conseguiram mais esconder a situação real, a bomba explodiu na economia em 2015. No caso do segmento imobiliário, em virtude de tudo que mencionei no comentário anterior, minha aposta é que a explosão mais visível, com as maiores reduções percentuais nos preços, ocorra entre o 2S16 e o 1S17, sendo que mesmo após isto os preços continuariam caindo, só que em percentuais menores. Vamos continuar acompanhando…”

          4+
          • Falido.com 4 de novembro de 2016 at 17:13

            Valeu fanfarraum…. não sabia que ja era assunto batido…. mas, acho que mesmo assim é um diferencial, alguém lá dentro tá tentando algo…kkkk

            2+
  • Lucas 4 de novembro de 2016 at 15:47

    estava lendo sobree outro assunto que me deu um insight interessante sobre a bolha imobiliária

    do outro assunto em ceticismo politico copio o finalzinho
    “Os intelectuais que amam o socialismo simplesmente fazem um investimento financeiro. Imoral até a medula, é claro. Mas não deixa de ser um investimento pragmático. Tomá-los como coitadinhos vítimas do “desconhecimento”, da “soberba” ou até do “ressentimento e da inveja” é adotar uma visão compassiva e tola do oponente.
    Às vezes fico imaginando se Bertrand de Jouvenel ou Jesus Huerta de Soto conseguiriam se safar da fraude da venda de um falso cartão da Loto premiado. Se usássemos o modelo mental da fé cega na crença, após comprar o falso cartão premiado – que não estaria premiado, é claro -, não iríamos denunciar o picareta à polícia. Ao contrário, buscaríamos encontrar os motivos pelos quais o vendedor do cartão falso foi tão “iludido” ou “desconhecedor dos fatos” ou até “acometido pela soberba” de não ter conseguido transformar o comprador do bilhete em um milionário.
    Adultos não podem agir assim. É preciso colocar a fé cega na crença sob o ridículo.”

    aí VEM O INSIGHT:
    a gente não pode pensar que corvos, empreiteiras e investidores sardinhas foram simplesmente iludidos pela euforia do espetáculo do crescimento
    a gente tem que mandar esses caras pro fundo do ridículo, porque eles pensavam (e alguns até Hoje) seriamente que estavam enriquecendo sem trabalhar, numa grande negociata com a mãe-estado, que agora era a vez do povo, e que se dane a elite.
    Já disse aqui, a elite é a elite porque é a Elite.
    conheci na europa uma família francesa muito muito rica que foi expulsa da argélia na época de alguma dessas revoluções islamicas. Tomara TUDO deles, e o que fizeram? recomeçaram do zero, em poucas décadas estavam ricos de novo…
    O mesmo raciocínio pro pobre que enriquece imerecidamente, é questão de tempo, vão perder tudo que ganharam, imóveis vão virar pó, a divida vai comer eles, e que seja muito BEM FEITO, porque quiseram isso, porque planejaram, conspiraram… e agora RECEBA!
    QUE VENHA A CRISE, estou de braços abertos.

    9+
    • avatar
    • avatar
  • markito 4 de novembro de 2016 at 15:55

    fanfarraum

    Essa promoção da ROSSI e dos 5 anos já foi comentada.
    Acho que inclusive foi tópico. (Posso estar errado).
    Alguns meses atrás.

    0

    Queria achar um apt desse bem localizado e que o proprietário me alugasse, pois seriam 5 anos sem condomínio.

    2+
  • markito 4 de novembro de 2016 at 15:57

    Cajuzinha

    Aqui em Aracaju essa promo da ROSSI já está antiga

    0

    E vocês acham que a Rossi dura 5 anos para pagar esse condomínio? Bem otimistas vocês aqui em.

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 4 de novembro de 2016 at 15:58

    04/11/2016 Fazenda não estuda resgate financeiro aos Estados, afirma Mansueto | Valor Econômico

    SÃO PAULO ­ O Ministério da Fazenda não estuda nenhum tipo de resgate ou ajuda financeira aos Estados
    e municípios com os recursos que ingressaram nos cofres públicos pela regularização de ativos no exterior,
    afirmou o secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida, em
    conversa com jornalistas após participar de evento para discutir a PEC do teto de gastos e o setor de saúde. A
    repatriação teve arrecadação de R$ 50,3 bilhões, segundo a Receita Federal.
    Os governadores têm pressionado a Fazenda por algum tipo de ajuda financeira, com reuniões inclusive com o
    presidente Michel Temer. Para Mansueto, porém, os Estados já obtiveram ajuda federal, com a renegociação
    das dívidas, que deu carência de seis meses para o pagamento das parcelas a partir de julho deste ano.
    Segundo Mansueto, parte dos recursos da repatriação será usada para quitar o saldo de restos a pagar inscritos
    no orçamento, que somam R$ 63 bilhões para novembro e dezembro. O secretário afirmou que nem tudo deve
    ser pago até o fim do ano, até porque parte das despesas empenhadas ainda não foi concluída. De qualquer
    forma, disse, o valor dos restos a pagar reinscritos no orçamento (depois de já terem sido inscritos no
    precedente), uma prática comum nos anos anteriores, deve cair consideravelmente em 2017, disse

    http://www.bolhaimobiliariabrasil.com/2016/11/02/inadimplente-pode-perder-imovel-do-minha-casa-minha-vida-diz-secretaria-g1/

    3+
  • rodrigosp 4 de novembro de 2016 at 17:08

    Depois eu faço outro texto do “Hoje é dia de maldade” e vocês não gostam…

    Olhem o que acabo de receber no e-mail:

    “Sua oportunidade de morar na primeira praia de Alphaville!!!”

    http://acquaparkalphaville.com.br/

    “Praia com 100m de extensão”

    Praia????Em Alphaville????kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    É brincadeira de mal gosto, só pode ser, não é possível!!!

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Exterminador de Corvos 4 de novembro de 2016 at 17:25

    Últimos seis meses do atual contrato de aluguel…
    E nesse aniversário, vejo que a correção do atual valor vai deixar o meu aluguel com um valor que me permite alugar outro com o dobro do tamanho…..
    Que pena para o dono….já achei 8 imóveis que me agradaram (quatro direto com o proprietário, quatro com corvo)….fiz proposta em três deles (ignorei os dos corvos) todas descontando 25% do pedido…..até agora apenas um proprietário se posicionou e disse que pra baixar o que eu pedi ele prefere deixar o imóvel fechado….os outros ainda não responderam…
    Depois vem jornalista comprado dizer que o mercado de aluguéis está aquecido…

    PMJ !

    6+
    • avatar
  • Lucas 4 de novembro de 2016 at 18:34

    Falido.com

    Eba!! chegando aqui nessa conceituada casa e obrigado ao BOSS por liberar… 1o quero dizer que me divirto muito com vcs, adoro mesmo as polêmicas e menção honrosa pro dedicado CA e pro Lucas sempre explicando um monte de coisas que a gente pensa que sabe, mas… Não sou 666 nem bricklovers(já fui) e já comprei terreno financiado com aumento pelo IGPM época do FHC e quase perdi… já construi também sei como é… sei alguns termos daqui mas outros não, então espero que alguém me ajude… não ouvi ninguém falar duas coisas: sobre a reportagem das casas e prédios caindo aos pedaços e desabando(literalmente) do BNH

    Prefiro ser lembrado pelo cara que ajuda os outros a pensar na resposta certa, não pelo que deu as respostas.
    nem de longe mereço ser citado ao lado do CA, ele faz disto uma profissão, estuda e calcula a fundo, eu sou mais institintivo, faço tudo por memória e tenho mil coisas e assuntos na cabeça, tipo hiperativo.

    Sore o BNH estou juntando material disto, guardei livros raros sobre este assunto por puro hobby, agora estou atrás de onde os guardei,
    lembro de cabeça que na época a pop recebia as casas, que era sempre em lugares horríveis, longe, sem condução, sem escola, eles iam lá e depenavam a casa: portas, janelas, fiação, telhas, torneiras, azulejos (que quando eram colocados, eram muito mal colados), madeirame do telhado, encanamento caixa dagua, deixavam literalmente no tijolo e sumiam, dando calote na dívida. E pior vinha alguém ainda mais pobre e invadia, ou vendiam o lote, foi assim que se formaram bairros tipo hoje cidade de deus (falo desse por ser o famoso do filme). Pro BNH o custo de retomar simplesmente não valia a pena, daí que foram surgindo as favelas. O BNH foi um imenso fracasso, hoje o MCMV cometeu erros alguns iguais, alguns diferentes mas o resultado estamos aí vendo.

    E a solução vou logo pro fim, qualquer país que vai pra frente ninguém fica dando casa de grátis, o governo simplesmente dá os meios para as cidades se expandirem, aumentando a oferta, aumenta a concorrencia, abaixa o preço, simples assim, basta investir na infra! É tão simples que chega a doer!

    10+
    • avatar
    • avatar
    • Falido.com 4 de novembro de 2016 at 19:20

      Obrigado Lucas… mas eu sempre aprendo com todos daqui sem nenhuma falsa modéstia… aprendi mais do mercado de imóveis e um pouco de investimentos aqui do que 30 anos fora do site…. muita mentira e enganação nesse país… mas você sabe tão bem disso quanto eu…. torço pelo Brasil, mas parece que nem os políticos estão nessa torcida… Deu dó do povo do BNH no fantástico….. até prédio no HELL de Janeiro desabou matando 7 ou 8 pessoas… todos desamparados….http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2016/10/casas-de-plano-habitacional-dos-anos-80-cairam-ou-estao-interditadas.html

      3+
      • Lucas 4 de novembro de 2016 at 20:18

        isso pra lembrar o que foi o regime militar
        que hoje se finge de vestais da moral e dos bons constumes
        tenho muita info insider deste período e ainda hoje, pra vc ter uma idéia fui amigo da casa do general lobo, falo dele pq morreu recentemente, mas tem outros.
        nem eles se aguentavam, taí, 30 anos depois. o MCMV é ainda pior
        agradeço o link.

        5+
        • avatar
  • Alves 4 de novembro de 2016 at 18:36

    Rio quer 30% do salário do servidor para cobrir deficit na Previdência

    O governo do Estado do Rio propôs nesta sexta (4) a criação de uma contribuição extraordinária a ser paga pelos servidores pelo próximo ano e
    meio. Se aprovada a iniciativa, servidores pagarão  30% de seus vencimentos para bancar o deficit do seu sistema de previdência.

    “http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/11/1829321-para-tapar-deficit-servidores-do-rio-pagarao-30-de-vencimentos-a-previdencia.shtml”

    2+
  • Falido.com 4 de novembro de 2016 at 19:09

    http://acquaparkalphaville.com.br/…… com direito a jet sky e passeio de banana boat…… kkkk….será que vão anunciar na praça é nossa??

    3+
    • avatar
  • Falido.com 4 de novembro de 2016 at 19:15

    encontrei isso de 2015…. acho relevante porque demonstra primeiro como acabar com uma empresa que valeu bilhões em tão pouco tempo; também porque mostra que a diretoria e acionista estavam cientes do grande problema já há tempos… nessa estória não há vítimas nem santos(opinião minha, posso estar errado) http://exame.abril.com.br/revista-exame/nem-os-donos-se-animam-a-salvar-a-construtora-rossi/

    3+
    • avatar