Investir em flats? Já era – Veja, Novembro de 2005

Você pode gostar...

Comments
  • Luiz 30 de julho de 2012 at 18:20

    Sensacional. Bolha, não é melhor salvar um PDF disso aí?

    o fato da revista Veja esconder essa reportagem é TÃO SIGNIFICATIVO QUANTO a reportagem em si

    0
    • Bolha Imobiliária 30 de julho de 2012 at 18:28

      Pra que salvar em PDF, agora temos uma cópia no blog, e outro no webarchive. 😀

      0
      • Luiz 30 de julho de 2012 at 18:57

        esse webarchive é confiável?

        0
        • Bolha Imobiliária 30 de julho de 2012 at 19:01

          Ele é um cache de páginas a nível mundial. Muito site antigo, você pode relembrar acessando lá.

          0
          • Luiz 30 de julho de 2012 at 19:27

            Convem mandar e-mail a revista VEJA
            colocar esses caras de saia justa
            se eles querem combater os [email protected] tem que ser em todos os campos

            0
    • Ricardo 15 de agosto de 2012 at 00:14

      Totalmente verdadeiro, eu tive a sorte de investir em flats em sao paulo, porem comprei 3 unidades em 2005 justamente de quem estava vendendo pela metade do que pagou, paguei em media 50.000 cada flat. hoje, eles se valorizaram e estao sendo vendidos por 400.000 . peguei o pior momento da bolha pra quem vendeu, eu no caso, por sorte me dei bem, pois não previa esta valorizacao.

      0
  • Renato Ramon 30 de julho de 2012 at 18:23

    Rapaz, onde estão esses flats de 90k ??? em, SP que nao tem.

    0
    • Bolha Imobiliária 30 de julho de 2012 at 18:24

      Por favor, leia o título da reportagem

      0
  • André Luis ZS/RJ 30 de julho de 2012 at 18:32

    Luiz

    Pra não ficar perdido no outro post.

    Luiz é complicado debatermos isso, pois tenho uma opinião muito meio termo.

    Sou bisneto de Augustino Dias, ele mesmo, o homem que tomou Natal na intentona comunista.

    Ao mesmo tempo sou filho e neto de dois ex oficiais do SNI.

    Eu mesmo tenho minha passagem em operações especiais (dois anos apenas, mas suficiente pra aprender muito sobre a vida).

    Meu biso falava que o comunismo era uma ideia furada (ele morreu acreditando nisso depois de toda luta).

    Já meu avô e pai sempre me diziam que a democracia, era o melhor sistema.

    Como você pode ver, venho de uma família de ideias misturadas, não seguimos ideologias, eu também sou assim.

    Carrego os dois dentro de mim, sou anarquista e legalista, se é possível compreender isso, mas sou assim acredite.

    Então amigo, me catequizar é meio difícil, eu mesmo já me catequizei com esse mosaico de influências rssssss.,
    []`S

    0
    • Luiz 30 de julho de 2012 at 18:48

      Andre, me defino exatamente como vc, e jamais iria te catequizar mesmo que pudesse ou quisesse A questão que eu coloco é como atingir o objetivo, tática é diferente de estratégia.

      Disseminar a palhaçada que os corretores espalham é importante, pq é crime o que eles fazem, enganam mesmo muita gente, mas a gente não pode perder a visão de escala. Esse blog uma gota na areia, por isso não vale a pena gastar cartucho a toa.

      Tbm não acho certo a gente se meter em discussão que não agrega, sejamos sinceros, a gente não sabe se a crise se aprofunda ou se a crise acaba.

      Vamos nos concentrar na bolha de preços que a meu ver já inciou a fase de Boom, começa lentamente, depois pode se acelerar. O depoimento que vc deu da sua cliente é fantastico.

      Outra coisa, fica cansativo pra maioria que nos lê colocar egos pessoais em jogo, se quiserem nos acusar de traficante, tanto melhor que eles façam isso. Aos olhos da maioria fica claro o nivel que os coretores chegam.

      0
      • Luiz 30 de julho de 2012 at 18:52

        complementando:

        há 1 ano quando comecei aqui, xingavam a gente de louco, drogado, alucinados, ignorantes, analfabetos e por aí vai

        Aos poucos fomos fazendo contas, e mostrando os numeros.
        A tática deve ser suave, mas sem dar chance de fuga.

        0
        • GB 30 de julho de 2012 at 19:20

          “Primeiro te ignoram, depois te ridicularizam, depois te combatem e por fim você ganha” Gandhi

          0
        • O Irritado 30 de julho de 2012 at 20:33

          Perfeito!

          0
      • André Luis ZS/RJ 30 de julho de 2012 at 22:19

        Luiz, só descordo em um ponto, esse blog não é uma gota.

        Acredite 5-6k diários de acessos, é coisa pra canudo.

        Acredite, não devemos dar espaço a eles, eu não pretendo ceder um milimetro de espaço aqui, fora se solicitado pelo moderador.

        []`S

        0
        • Curioso 30 de julho de 2012 at 22:51

          Concordo!

          0
  • André Luis ZS/RJ 30 de julho de 2012 at 18:35

    Repeat after me:

    Imóvel nunca desvaloriza

    Imóvel nunca desvaloriza

    Imóvel nunca desvaloriza

    Sei, e nem Deus afundaria o Titanic né?

    Tão ingênuos esses brasileiros.

    0
  • RosinhA 30 de julho de 2012 at 18:37

    Lion para não ficar perdido no outro post….

    Posso fazer a cartilha da RosinhA, de conhecimento com o título:

    “Tudo que o corretor faz por debaixo dos panos e você nunca desconfiou”

    Talvez após a leitura mude seus conceitos, pois você não imagina a tática que usam para levar as sardinhas para boca do tubarões…. enganam, mentem, e quando chega o problema dizem que foi culpa do banco oou cartório não se iluda são lobos com pele de cordeiro sim….

    0
    • RosinhA 30 de julho de 2012 at 18:41

      Vem aqui bancar de coitados quando as vendas caíram, se estivessem a todo vapor nunca apareceriam, pense nisso tb…. quanto a zueira, eles merecem ou nunca te olharam da forma “SE NÃO PODE PAGAR, DEIXA EU ATENDER QUEM PODE”….. se isso não for a maior zueira do mundo, eu nem debato mais

      0
    • Luiz 30 de julho de 2012 at 18:55

      Rosinha, confirmo

      Estive em stands e me contaram tanta mentira, mas tanta que sai de lá no mesmo dia comecei a divulgar a plahaçada, encontrei esse blog.

      Acontece que na mesa do lado do mesmo stand um casalzinho acreditava em tudo. Hoje a obra está parada. Quem comprou ficou sem o dinheiro e sem a casa.

      0
      • RosinhA 30 de julho de 2012 at 19:06

        Também fico com dó, tem pelo menos 100 itens que eles não mencionam e que as pessoas nem sabem que pode dar problema.

        Garagem: primeiro item, se tiver que manobrar 400 vezes de que adianta o ap ser ótimo?

        Infiltração: Já foi resolvida senhora, agora está secando para pintura o condomínio é muito eficiente.

        Favela: E aquela favela aqui do lado? Moça a reintegração já saiu, eles vão sair pacificamente para 300km daqui onde estão construindo moradias novas.

        Taxas: Mas eu tinha lhe dado o papel com o valor do Iptu não, ai ai ai vou mandar embora a secretária.

        Estrutura: Mais eu disse que a reforma iria aumentar 400% o condomínio, depois veja pelo lado bom, o valor do ap subirá 1000%.

        Entre outros milhares de itens que poderia escrever a noite inteira…..

        Comprar imóvel não é comprar bala juquinha, não acreditem nesses caras !!!!!!

        0
        • O Irritado 30 de julho de 2012 at 20:38

          M-e-u D-e-u-s… (ao som de Jailhouse Rock)

          Para se executar na Justiça nesse mercado, não custaria tanto, pode-se economizar bastante na construção/,manutenção de presídios: era só gradear as imobs e stands…

          0
          • RosinhA 30 de julho de 2012 at 20:52

            Excelente comentário Irritado 🙂

            Vou fazer outro mega post com outros fatores, “Compra de Imóveis com Coretores para Leigos” 😉

            0
            • O Irritado 30 de julho de 2012 at 21:17

              Se for igual ao anterior, estou esperando ANSIOSAMENTE 😉

              0
            • seeder 31 de julho de 2012 at 22:24

              Excelente idéia!

              0
    • Lion 30 de julho de 2012 at 21:49

      Gente, em nenhum momento no meu post eu defendi o corretor! O que eu defendo é a chance da livre manifestação! Todos devem ter a oportunidade de dizer o que pensam! Simples assim!

      Este site é extremamente enriquecedor, principalmente pelos comentários que postam aqui! São links, relatos de experiências, estratégias, valores, cópia de e-mails, tem até fofoca de botequim! Tem gente de todo o Brasil! De vários setores da economia! De diveras classes sociais!

      As pessoas gastam tempo e energia aqui, lendo e alimentando o site diariamente, cada um coopera como pode! E tudo é válido! Desde uma aula de um engenheiro até a dúvida de um assalariado mínimo. Por isso quando vejo alguma coisa boba que vai rendendo absurdamente fico incomodada! É uma bolha de bobagem!

      Fala-se em proteger um novo leitor de idéias erradas sobre o site! Mas o que será que espanta/assusta mais este novo leitor? Um post mal embasado defendendo uma valorização eterna ou comentários pouco educados, pedidos de censura e egos feridos? Vamos pensar sobre isso!?

      No Brasil o Facebook atingiu a marca de 50 milhões de usuários, então, ainda que alguém jogasse na busca deste site de relacionamentos,um primeiro nome relativamente comum + o nome da cidade, segunda maior metrópole do Brasil (lembrando que, estes dados podem ser verdadeiros ou não!). Qual a chance de encontrar uma pessoa que vc só viu em uma foto de 1cm?

      É tão descabido que chega a ser persecutório! Porque e para que alguém faria isso??

      Rosinha, gosto muito do que vc escreve, é uma combinação de conhecimento, bom humor e cordialidade!

      O respeito às diferenças faz a diferença! 🙂

      0
      • André Luis ZS/RJ 30 de julho de 2012 at 22:23

        Ok, guarde o seu direito de ser achincalhada por alguém, em nome da livre expressão, para você.

        Eu me reservarei ao direito de me defender.

        O seu direito de escolha.

        O meu direito de defesa.

        E por favor, caso queira expor o caso, pode se dirigir direto a mim.

        Boa noite.

        0
        • PBR 31 de julho de 2012 at 00:56

          Não se pode levar a sério alguém que não sabe rir de si mesmo.

          0
          • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 01:23

            Francamente, não espero que você me leve a sério. Meu bem estar não está condicionado a isso.

            E francamente não entendo em que isso lhe incomoda a ponto de você dar a sua opinião sobre.

            0
            • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 01:26

              No mais se a minha conduta lhe incomoda, antecipadamente lhe peço desculpas.

              0
            • PBR 31 de julho de 2012 at 07:33

              Bom, já que tu não entendeu então eu vou ter que te explicar: Desde que tu começou a participar ativamente do blog, tu tem te esforçado em monopolizar a discussão em torno dos teus pontos de vista e em afastar todas as opiniões divergentes atacando e mobilizando os outros usuários para atacar aqueles cujas idéias tu considera inaceitável. E tu não faz isso atacando as idéias em si, pelo contrário, tu ataca o usuário e o direito dele de expor a idéia. Normalmente isso faria de ti só um chato, que não consegue participar de uma discussão em que os debatedores não tenham previamente concordado contigo. Mas acontece que tu faz isso com tanta intensidade, com uma quantidade tão grande de posts, que está estragando todo o espaço. Basta ver que, apesar do fluxo intenso de notícias relevantes, o tema principal no corpo de vários posts ficou sendo o “master reset”. Ah André, dá um tempo, sai da internet e vai pegar um sol, faz bem pra cabeça. Claro que tu pode continuar participando com as tuas paranóias, mas não monopoliza a discussão em torno delas, senão o troço fica muito chato. Eu ia concluir dizendo para ti não levar a mal, mas é claro que tu vai levar, já que tu faz isso com todos que discordam de ti, então, vou concluir dizendo vai pro diabo que te carregue.

              0
              • Matheus Moraes 31 de julho de 2012 at 08:19

                Magnífico, nota 10, disse tudo!

                Concordo Plenamente!

                0
              • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 10:51

                O engraçado é que ninguém te mandou para o diabo que te carregue. Mas olha como não acredito em inferno, vou ficar te de devendo essa tá?

                Sinto muito meu caro, mas se acredita que o estouro da bolha não está associado a crises financeiras, ou que estará pouco, tudo bem respeito a sua opinião.

                Agora eu particularmente acredito que a mesma está associada a crise em ambas direções, e até em um contexto maior que o brasileiro. E isso é a minha opinião, por isso sempre ligo uma coisa a outra.

                No mais você nem precisa vir aqui me mandar para lugar nenhum. Meu problema é om os corretores, qdo digo algo aos demais colegas, é sobre não dar espaço a eles, que chegam de conversa mole de mundinho cor de rosa. Qto a acreditar no que eu acredito, acredita quem quer, o que é chato pra você é interessante para outros..

                No mai, da mesma forma que eu posso ignorar um coretor, você pode me ignorar, tem a resposta abaixo do comentário, cada um conversa com quem quer.

                Eu decidi ignorar os corretores, você pode simplesmente me ignorar.

                Eu por exemplo de agora por diante conversarei apenas com aqueles que sei que o querem, simples assim.

                Um bom dia para o Sr. O meu vai ser ótimo, pois não acredito em inferno ou diabo. E em tempo, não preciso sair da net pra tomar sol, pra isso já inventaram o smartphone 😉

                0
                • Luiz 31 de julho de 2012 at 12:27

                  Andre, vc é um bom soldado, mas agora é hora de recuar um pouco

                  0
                  • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 22:28

                    Pode esperar sentado Luiz, e vou te dizer porque, o blog se chama Bolha Imobiliária no Brasil, ele não se chama mercado imobiliário no brasil, logo sendo parte-se da premissa de que aqui se acredita em bolha, ponto final. Não sou o único que abomina corretores, a maioria aqui não gosta deles. Um ou outro veio defender o tal sujeito.

                    Se você pensa que o que me incomoda é ego, ledo engano, simplesmente acredito que aos amigos tudo, aos inimigos a lei.

                    O sujeito foi burro, me escarneou me acusando de fato típico (crime), sem provas e em contrário a verdade, só lamento, usei mesmo contra ele, e o dito cujo ainda tem que me agradecer por eu não o processa-lo. Fosse outro, deixava passar, corretor não.

                    Como pode ver, não estou levando a sério, do contrario, rastreava o ip do fulano e o processava.

                    No mais amigo, me desculpe, mas a minha opinião sobre o mercado imobiliário, é de que o mesmo não se desvincula de uma crise, bidirecionalmente. Não xinguei ninguém que fosse contrário a minha posição (fora os corretores, mas, isso aqui todo mundo xinga, porque ninguém reclama?).

                    Os argumentos são duros? Sorry, o debate é uma disputa dura, ninguém entra em um debate para ceder e fazer afagos, mas não faltei com o respeito a nenhum membro (fora corretores, mas isso a maioria já fez aqui. Alguém vai enumerar todos os membros que botaram corretores pra correr e reclamar com cada um?).

                    Em resumo amigo, simplesmente acho estranho que alguém defenda corretores aqui, pois está óbvio que eles não são bem vindos, nunca foram porque um ou dois estão defendendo agora?

                    Simples, minha opinião sobre uma crise incomoda? Poxa que pena, ela vem, o que podia ser feito não foi feito, agora é tarde.

                    Querer se chatear porque não cedo a minha opinião que vai da merda? Sorry.

                    E a tal da pluralidade? Pois bem, acho que vai dar M a curto prazo, e vai da mesmo.

                    E não adianta bancar o otimista porque todos aqui são muito bem instruídos, e conhecem o minimo de história e economia pra saberem que vai dar M mesmo, Se estão preocupados porque isso vai atrapalhar o seus projetos, sorry, vai atrapalhar o de todo mundo.

                    Se o babaca do coretor tem direito a discordar de bolha e vender mentiras aqui, também o tenho de defender meu ponto de vista.

                    Não xinguei e nem faltei com o respeito a ninguém, fora é claro os coretores desonestos, mas a maioria o fez aqui, e quem quiser que debata comigo, será tratado com respeito, não xingarei, não mandarei para o diabo que o carregue, nem darei indiretas, serei honesto e claro, mas espere moleza.

                    []`S Luiz, o respeito, apesar de achar e acreditar piamente que as suas ideias sobre soft landing estejam completamente erradas.

                    0
                    • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 23:06

                      Só pra completar Luiz, acredito que as coisas tem que ficar claras. Te respeito e agradeço o seu apio por aqui.

                      Abraços!!!

                      0
                    • PBR 1 de agosto de 2012 at 00:26

                      André, vou tentar te ajudar: Imprime este post inteiro, leva na tua próxima sessão de análise e explica diretinho pro teu psiquiatra como a gozação que o sujeito fez da tua cara é criminosa. Não esquece também de detalhar como tu vai rastrear o IP dele e processá-lo. Se no teu íntimo tu tiver ainda planos de vingança que envolvam agressão, sequestro, tortura e/ou homícidio, tenho certeza que ele vai ficar muito interessado em ouvir. Vai por mim, conta tudo, com certeza vai ajudar no teu diagnóstico. Abraço e melhoras.

                      0
              • Escola Austríaca 31 de julho de 2012 at 14:26

                É isso aí. Aqui não é quartel.

                0
                • Luiz 31 de julho de 2012 at 15:34

                  peraí peraí

                  esse PBR vem aqui só pra tumultuar e falar asneira,
                  outro dia ele disse que a Petrobras é operada por funcionarios publicos

                  Quero ver eles se explicarem no STF sobre o mensalão, o silvinho land rover e a GDK.

                  André estamos contigo, esse cara não tem moral pra abrir o bico no blog

                  0
                  • PBR 31 de julho de 2012 at 16:39

                    Luiz, eu não tive tempo de te responder aquele post, pois estava com muito trabalho, que bom que tu voltou ao assunto. Vamos lá:

                    ____________________________________________________________
                    Luiz disse:
                    julho 24th, 2012 at 16:51

                    Peter de onde vc tirou essas idéias?

                    O presal é uma farsa esse oleo até existe mas não há viabilidade economica tirar ele de lá. Aliás deve existir presal em quase todo o planeta, ou vc pensa que Deus é brasileiro, tem as reservas das areias betuminosas do Canadá que são muito maiores e mais baratas de prospectar, tem um mundo de possibilidades.

                    Quem já trabalhou com a PBR que conte o que é aquilo lá, um exemplo ineificencia e todo tipo de pratica nefasta + arara politica + o diabo

                    Não tem teoria da conspiração internacional nenhuma.
                    As vezes parece que vc leu e decorou um folheto de propaganda do governo.

                    Taí a bovespa que não deixa a gente menitr. O eike perdeu 15 bi mês passado a PTBR outros tantos Bi. E isso é só o começo. O petroleo está artificialmente alto, a tendencia é de queda, vai cair como 1 arapuca na cabeça da pTBR

                    Minha réplica foi a seguinte:
                    __________________________________________________________
                    PBR disse:
                    julho 24th, 2012 at 18:54

                    Agora tu pisou no meu calo. Isso que tu falou sobre a petrobras é exatamente o mesmo que dizer que todo o funcionário público é vagabundo. Vai pra #@%#[email protected]$%¨#. Eu trabalho 12 horas por dia perfurando poços, num ambiente perigoso, com a gerencia no meu pé cada vez que tem uma hora de atraso, PARA TODOS VCS TEREM GASOLINA COM PREÇO SUBSIDIADO. SIM, PQ SE FOSSE PRATICADO O PREÇO INTERNACIONAL NA REFINARIA A GASOLINA CUSTARIA MAIS DE R$ 3,00. Claro que a petrobras tem problemas, mas tu preferia o que? Importar todo combustível? Olha Luiz, sinceramente, gosto dos teus comentários, mas essa foi demais. E sobre a viabilidade do pré-sal, pesquisa meus posts no bolha. Acompanho de dentro e te digo: tem petróleo pra burro aqui e é viável mesmo a preços relativamente baixos. Desafio qualquer um aqui a me provar o contrário.
                    ___________________________________________________________

                    Bom, pelo que tu acabou de colocar no post acima, a única parte que tu leu, ou que tu entendeu, vai saber, foi que na petrobras trabalham funcionários públicos. Vamos colocar de forma didática, imagine uma questão de interpretação de texto sobre o debate acima:

                    Questão 1- No terceiro parágrafo do texto escrito por Luiz ele afirma: “Quem já trabalhou com a PBR que conte o que é aquilo lá, um exemplo ineificencia e todo tipo de pratica nefasta + arara politica + o diabo”. Quando PBR diz, em resposta a esta afirmação, que “Isso que tu falou sobre a petrobras é exatamente o mesmo que dizer que todo o funcionário público é vagabundo” ele quis dizer que:

                    a-) Na PETROBRAS trabalham apenas funcionários públicos.
                    b-) O juízo de valor emitido por Luiz no referido parágrafo equivale ao juízo comumente emitido que afirma que de fato todo funcionário público é vagabundo.
                    c-) Compre apartamento na planta que valoriza 30% ao ano.
                    d-) Cirilo não morreu e voltará no dia do master reset.

                    Agora Luiz, asneira de verdade é dizer que processar areia betuminosa é mais barato que extrair petróleo em águas ultraprofundas. Pior ainda é dizer isso com toda autoridade de quem sabe o que está falando. Para tua informação, para tirar óleo desse troço tem que pegar toneladas de rocha e aquecer a uns 500°C. Para isso precisa-se de tchan tchan tchan ENERGIA!!!!! Logo, esse processo consome a maior parte da energia que ele é capaz de gerar.

                    Tanto é fato que perfurar em águas profundas é mais viável que processar estes minérios, que estão sendo perfurados os poços em águas ultraprofundas, e as areias betuminosas continuam lá, onde sempre estiveram e aonde ainda devem ficar por um bom tempo.

                    0
                    • Luiz 31 de julho de 2012 at 18:10

                      vai ver porisso tudo que a petrobras
                      está entre as que mais sobem na bovespa,
                      e a oGX não perdeu 15 bilhoes em uma semana

                      como dizia Cazuza: “tuas idéias nao corresponde aos fatos”
                      “Brazil mostra tua cara, quero ver quem apga pra gente ficar assim”
                      “me diz o teu negocio, o nome do seu socio, confia em mim”

                      0
                    • RosinhA 31 de julho de 2012 at 18:17

                      “me diz o teu negocio, o nome do seu socio, confia em mim”

                      Tirando do contexto agressivo essa frase é ótima.

                      0
                    • Luiz 31 de julho de 2012 at 18:37

                      que contexto agressivo rosinha?
                      é o processo penal no. 270
                      (vulgo mensalão)
                      Eles todos estão citados lá.
                      de resto citei os numeros da bovespa

                      0
                    • RosinhA 31 de julho de 2012 at 18:39

                      Contexto agressivo dos participantes do blog dãaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaam!!!!!

                      0
                    • Luiz 31 de julho de 2012 at 18:48

                      Mais noticias

                      Produção menor e novidades na Argentina derrubam papéis da Petrobras
                      Preocupação com a divulgação do resultado trimestral, na sexta-feira, também é assunto entre investidores

                      0
                    • Matheus Moraes 31 de julho de 2012 at 20:18

                      The end!

                      0
              • Henrique 31 de julho de 2012 at 23:02

                Apoiado! Que saudade do MRK…

                0
      • RosinhA 31 de julho de 2012 at 08:03

        Ok Lion entendi seu ponto de vista, não entro mais em discussões bobas, mas que todos precisam saber o que os coretores fazem e principalmente como fazem isso sim….

        Vou fazer uma postagem com os principais itens de dúvidas em um negócio, depois eu coloco aqui.

        0
        • RosinhA 31 de julho de 2012 at 08:37

          Você escreve muito bem Lion, deveria postar mais, ajudaria bastante….

          O grande problema é que esse negócio de bolha está deixando muitos com os nervos a flor da pele, por isso enquanto não houver uma luz no final do túnel, os ânimos ficaram acirrados por aqui, muitos se encontram em situãção difícil, querendo sair logo do problema, por isso postagens humorísticas causam tanto estrago, porque muitos acham que alguns daqui não estão nem aí para isso.

          0
          • RosinhA 31 de julho de 2012 at 08:38

            muitos, muitos, muitos, muitos, muitos, muitos, 😉

            0
  • Anonymous 30 de julho de 2012 at 18:39

    Os que investiram em um apartamento no Holiday Inn Parque Anhembi, por exemplo, pagaram 113 000 reais há quatro anos. Hoje, o mesmo imóvel é vendido por 40 000 reais.

    QUEDA DE 64%!!! E agora, como fica o coretor?

    0
    • RosinhA 30 de julho de 2012 at 18:44

      Onde é vendido por 40K anonymous?

      0
      • Bolha Imobiliária 30 de julho de 2012 at 18:54

        Rosinha, você não leu a reportagem ?

        0
        • RosinhA 30 de julho de 2012 at 19:00

          Hehehe Bolha li depois que li o que o Anonymous disse 😉

          Mas hoje está quase 300k esse pombalzinho……

          0
    • Luiz 30 de julho de 2012 at 18:56

      Alguns queda de 100% pq faliram, ou ficaram doentes e morreram

      0
      • O Irritado 30 de julho de 2012 at 20:42

        HA! HA!

        Nesse caso vai aparecer um “desses” e dizer que não tem problema, vai valorizar 200%, pega e mexe na calculadora, de novo para conferir, mais uma vez, e mostra, aqui ó: 200 – 100 = 100 😉 voltando ao preço inicial.

        100% em 1 ano! Eu garanto ! 😀

        0
  • Anonymous 30 de julho de 2012 at 18:41

    Observe o que se falava na época da bolha dos flats (tirado de reportagem da veja) e o que se fala HOJE.

    1997
    Até dois anos atrás, o maior bocado do dinheiro dos fundos que existiam na época ia para a Argentina. Agora há mais dinheiro, e o Brasil é a bola da vez. Em São Paulo, em restaurantes de comida exótica como o baiano Bargaço, a língua predominante nas mesas durante a semana é o inglês dos executivos que estão instalados provisoriamente nos flats dos Jardins, como nos antigos hotéis das vilas de garimpeiros do Velho Oeste.

    1999
    Os flats constituem também uma solução para contornar o problema da falta de inquilinos. Neles, os donos dos apartamentos podem reunir-se numa espécie de associação na qual a soma dos aluguéis recebidos no mês é rateada pelo número de integrantes do grupo.

    0
  • Anonymous 30 de julho de 2012 at 18:47

    A reportagem é de Novembro de 2005. Portanto, passaram somente cerca de 7 anos e parece que muita gente já esqueceu que imóvel também cai de preço. Até o Cirilo já sabia ler e escrever.

    0
  • Mineiro BH 30 de julho de 2012 at 18:56

    Oi Luiz,

    Olha , respeito – é claro – a sua opinião sobre a mudança no cenário, com o fim da expectativa de uma crise, na sua visão. Mesmo pq vc é um dos principais comentaristas do blog.

    Por outro lado, acho que sua postagem foi precipitada.

    Vc não pode, Luiz, simplesmente isolar como vc está isolando o setor da Const Civil do restante da economia.

    As suas (dele) ditorções são muito grandes, e alguma onda de choque será formada, em algum momento.

    Eu não consigo imaginar o desmonte de toda essa pirâmide imobiliária, de toda essa riqueza de papel que tanto prejudica o país e tb tanto nos irrita e/ou irritou nos últimos tempos, sem alguma conteminação…

    Teremos alguma gigante quebrada ou morimbunda, pelo menos; teremos desempregados; teremos terrenos e aps encalhados; etc etc etc

    Po outro lado, sei que é um grande desafio dimensionar o tamanho dessa onda de choque, mas negar a sua existência… sei não…

    Aguardo pontos de vista do pessoal!

    Sds.

    0
    • Luiz 30 de julho de 2012 at 19:07

      Mineiro, sabe pq a onde de choque vai ser pequena?

      Pq a constr. civil residencial ainda é pequena no BR

      Tanto em termos de Pib como o cement index, esses argumentos são idiotas, inuteis, pq não provam a sustentação da bolha de preços como bem descreve o Ricardo eng , mas por outro lado eles mostram que a propagação da merda será mesmo bastante limitada.

      E veja que esse cenário é o melhr possível, o BR vai se recuperar, menos alguns setores que apoiaram o seu crescimento na expectativa de crédito crescente infinito e concorrencia decrescente infinita com manipulação de preços

      Ocorreu o exato oposto, o crédito parou de crescer, a concorrencia aumentou e os manipuladores do emrcado vem perdendo força

      Teremos sobre oferta de produto e oferta estagnada de crédito.
      Preço de casas vão cair, assimo como o de carros já desabou 50% deflacionados nos ultimos 4 anos.

      E os corretores vão voltar a ser faxineiras, pedreiros, jardineiros, operários, balconista, ou seja profissões muito mais respeitaveis. Todos vão ganahr

      0
      • Leno 30 de julho de 2012 at 20:41

        Nossa!

        O que aconteceu com vc este fds que mudou radicalmente de opinião?

        De qualquer forma, tomara que vc esteja certo.

        0
      • Mineiro BH 30 de julho de 2012 at 23:04

        bem, vou refletir sobre isso…
        obrigado pela resposta

        0
        • Luiz 31 de julho de 2012 at 12:21

          Mineiro e Leno, não mudei radicalmente de opinião, apenas estou sendo racional com os numeros, apesar de ser um desejo que os [email protected] se estrepem, não é esse o caso.

          A atitude de pessoas inteligentes é buscar a melhor conclusão possivle diante dos fatos e numeros. Se virem alguma falha na logica acima, avisem.

          Não estamos aqui pra torcer e espalhar panico, nossa credibilidade não nasceu disto.

          0
          • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 13:45

            Luiz o que não encaixa pra mim é o superendividamento, a queda da produção, a estagnação dos setor de serviços e comércio, bem como lojas fechando portas.

            Como manter a piramide de consumo se quebraram ela na base.

            Não vejo crise só efeito do estouro da bolha, vejo catalizador, consequência e fator de retroalimentação, cada qual em um momento diferente.

            Não vejo constatar isso isso como pânico.

            Me espanta é a blindagem feita na mídia. Como se nada estivesse acontecendo, mas os relatos diários de vários participantes, bem como as notícias vindas da mídia alternativa, mostram algo bem diferente.

            N minha opinião, todas essas “medidas” e tentativas de rolagem do problema, só aumentam o buraco.

            []`S

            0
            • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 13:46

              *não vejo como

              0
    • GB 30 de julho de 2012 at 19:26

      A crise vai ser generalizada ? Que seja, e daí ?

      Ganância pura, esse povo analfabeto funcional acreditou que seria fácil ter um rendimento na moleza comprando imóvel na planta, caíram na lábia de coRetor, tem que aprender a não se meter a fazer bobeira e essa crise vai servir para isso.

      GB: MASTER RESET MODE ON

      0
  • Frei Mulambo 30 de julho de 2012 at 19:09

    Não sei se já foi postado, mas aí vai:

    “http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2012/07/construtoras-oferecem-brindes-para-manter-vendas-de-imoveis-aquecidas.html”

    As construtoras apostam numa velha tática para manter as vendas de imóveis aquecidas: brindes para quem compra um apartamento.

    A psicóloga Sara Proença recebeu o apartamento novinho, comprado na planta, e foi logo dar uma olhada nos armários. Prometidos e entregues pela construtora como “brinde” para todos que compram imóveis num prédio, no Rio de Janeiro.

    Tem armário na cozinha, nos banheiros, nos quartos e ela nem se importa que os móveis que ela está “ganhando” são iguais aos dos vizinhos. “É a sensação de você estar tendo uma vantagem em alguma coisa, acho que todo mundo gosta disso, né?”.

    A diretora da construtora, Joana Alvim, diz que oferece esses “agrados” para facilitar a venda dos apartamentos, nesses tempos de pós-euforia no mercado imobiliário. “Abrir a porta já ver o armário na cozinha, o armário na sala, armário no quarto é um diferencial, um conforto e atrai”.

    O presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio, José Conde Caldas, mostra outra novidade: um eletrodoméstico popular, que vem embutido no apartamento. “Vai ter um grande aspirador de pó conectado a toda casa”.

    Com essas promoções, pode até parecer que se está levando alguma vantagem. Mas o consumidor não pode esquecer de uma velha lei de mercado do comércio: nessas ofertas, como a dos armários embutidos e do aspirador de pó central, tudo está incluído no preço.

    As ofertas podem ir de piscinas, churrasqueiras, viagens ao exterior ao pagamento do registro de imóvel e que o cliente não se engane, porque nesses casos, sempre haverá espaço para pedir o apartamento com desconto, sem os tais “atrativos”.

    “Armários estão incluídos no preço, mas é uma vantagem para pessoa já receber o apartamento pronto. Está tudo incluído no preço”, avisa Caldas.

    0
    • RosinhA 30 de julho de 2012 at 19:14

      vou vender cocô enlatado com brinde, duvida que vende?

      Como bananense é burro.

      0
      • Frei Mulambo 30 de julho de 2012 at 19:17

        RosinhA,

        Com certeza. Bananenses são burros mesmo. Não sabem fazer conta. Acreditam que promoções pague 2 e leve 3 é vantagem!

        Se a maioria soubesse, não teríamos muitos dos problemas relatados aqui no blog.

        0
        • RosinhA 30 de julho de 2012 at 19:19

          Por isso que os corvotores fazem a festa aqui !!!!!!!

          Eles não são burros são mais espertos 3% acima da média somente.

          0
      • Cleyton 30 de julho de 2012 at 20:37

        Hahahaha, RosinhA, tá atrasada, dá uma olhada nisso:

        “http://minilua.com/homem-que-ficou-rico-vendendo-merda/

        Parece que os italianos também não são lá muito inteligentes.

        0
        • Fernandão Bolhudo 30 de julho de 2012 at 22:01

          Caracas!!!

          Esse cara deveria ser a próxima contratação da indústria automobilística brasileira!

          0
  • Matheus Moraes 30 de julho de 2012 at 19:21

    Mais uma Mentira da Mídia!!!

    Brasil pode sustentar crescimento de 4% nos próximos anos, diz Coutinho
    ‘País é uma das poucas economias que têm essas condições’, disse.
    Presidente do BNDES afirmou que Brasil tem desempenho fiscal saudável.

    O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse nesta segunda-feira (30) que o Brasil é uma das poucas economias que têm todas as condições de sustentar uma taxa expressiva de crescimento superior a 4% nos próximos anos.
    De acordo com ele, entre os motivos que dão ao país essa possibilidade estão um mercado rígido e saudável e um Banco Central capacitado, além de o país estar em processo histórico de redução de taxas de juros.
    “Poucas economias têm um desempenho fiscal tão saudável como o Brasil (…). Temos uma dívida pública sob controle, estabilidade da economia e uma fronteira de investimentos rentáveis”, disse. “O Brasil é uma das poucas economias que têm todas as condições de sustentar uma taxa expressiva de crescimento superior a 4% nos próximos anos”. Ele ressaltou que, sem dúvida, há uma crise internacional que torna o cenário mais difícil, mas “poucos países reúnem condições que o Brasil reúne”, afirmou.

    Em encontro promovido pela Associação Nacional dos Economistas de Finanças e Contabilidade (Anefac) em São Paulo ele reforçou a expectativa do BNDES de desembolsos na casa dos R$ 150 bilhões neste ano.
    Infraestrutura
    Coutinho disse ainda que o banco quer aumentar os projetos na área de infraestrura e logística. “O Brasil é um país que tem muita oportunidade, quero falar da infraestrutura, de portos, aeroportos, mobilidade urbana, são investimentos relevantes que o país Brasil precisará fazer”.
    O presidente do BNDES citou, contudo, que projetos em infraestrutura precisam ter planejamento a longo prazo, citando prazos de “40 anos ou mais”.
    “Precisamos consolidar a nossa capacidade de crescer, precisamos ter planejamento e preparação prévia de projetos, fazer isso em parceria com o setor privado. Estamos abertos e estimulando essa interação com o setor financeiro privado”, ressaltou.
    Em sua apresentação, ele citou que os investimentos em infraestrutura fecharam 2011 no patamar de R$ 56 bilhões. No acumulado dos últimos 12 meses até junho deste ano, estavam em R$ 54,6 bilhões. “Naquilo que a gente consegue enxergar, os investimentos em infraestrutura vão crescer e exigem apoio também do sistema privado”.
    Ele citou que é preciso aumentar a formação bruta de capital fixo (investimento das empresas) de 19% do Produto Interno Bruto (PIB ) neste ano para “alguma coisa superior a 22%” em quatro anos. Para isso, ele afirma que o BNDES tem trabalhado com entidades de mercados de capitais para aperfeiçoar a lei 12.431, de forma a torná-la mais eficiente. “Isso está prestes a ser aprovado no Congresso e esperamos que, com isso, o mercado de capitais possa crescer”, afirmou. A lei, de 2011, isentou de Imposto de Renda o rendimento das aplicações em títulos de dívida privada para investidores estrangeiros.
    “O governo pretende incentivar muito a participação do setor privado em novas concessões nas áreas de logística, portuária, ferrovias, na área de rodovias, de forma a poder acelerar investimentos não só no sistema logístico brasileiro. O que representa um gargalo é o custo das operações”, afirmou, acrescentando que, de sua parte, o BNDES poderá financiar, em condições favoráveis, novas linhas de logística.
    PMEs
    Ele ressaltou, ainda, o esforço do BNDES de aumentar o peso das micro e pequenas empresas nos desembolsos, que já atingiu em torno de 36% em 2011, saindo de 22% em 2006. Neste ano, nos 12 meses acumulados até junho, estavam em 34%. De acordo com ele, a alta é possível por meio do cartão BNDES (o total é de 535 mil cartões emitidos, segundo dados de junho de 2012). Segundo a apresentação de Coutinho, até junho, os desembolsos atingiram R$ 9,06 bilhões, alta de 56,4% em comparação 12 meses anteriores.

    fonte: G1

    Comentário:

    Falar até papagaio fala!!

    0
    • Shakespeare 30 de julho de 2012 at 20:16

      pelo visto este comentário só não vale para 2012…

      0
  • AlexJund 30 de julho de 2012 at 19:53

    Em resumo.
    Em 2001 estes flats estavam 113K
    Em 2005 os mesmos flats caíram para 40K
    E agora estão em 300K ????

    0
    • Anonymous 30 de julho de 2012 at 20:01

      Nessa sequência, o próximo valor será 105 mil Reais (0.35 * 300) e a perda será cerca de 200 mil Reais.

      0
      • AlexJund 30 de julho de 2012 at 20:10

        Em 4 anos caiu 65%
        Em mais 7 anos subiu 650%
        Vamos aguardar mais 4 anos para cair 65% novamente, e chegar aos 105K

        0
    • Cleyton 30 de julho de 2012 at 20:39

      Bull trap? Sinistro!

      0
  • Miguel Jacó 30 de julho de 2012 at 19:57

    Acabei de assistir na afiliada local da Rede Globo que a inflação do aluguel está superando os 7% a.a.

    Mais uma confirmação de que as vendas de imóveis estão cada vez mais fracas.

    0
    • xyz 30 de julho de 2012 at 20:15

      Este nome “inflação do aluguel” é extremamente impróprio.
      O IGMP é um dos índices de inflação mais amplos calculado pela FGV.

      Recebeu este nome porque é o preferido por locadores e imobiliárias para correção do aluguel. Este índice é aplicado durante a vigência do contrato, após o fim do contrato o proprietário pode reajustar como quiser.

      0
      • Cleyton 30 de julho de 2012 at 20:42

        Também acho.

        0
      • O Irritado 30 de julho de 2012 at 20:52

        É verdade.

        Porém, meu atual contrato foi feito na época em que o IGPM perdia feio para os IPC’s, e foi escolhido o IPC.
        Visão estratégica, de longo prazo, é com eles mesmo…

        0
        • Luiz 31 de julho de 2012 at 14:26

          Deviam chamar o IGPM de inflação dos apês comprados na planta.

          O ajuste da parcela vai queimar a classe C na alma

          0
  • xyz 30 de julho de 2012 at 20:18

    A CEF anunciou linha de crédito especial para “móveis projetados”.
    Aguardem reajuste no setor.

    E viva o crédito!!!. Viva o dinheiro fácil!!! Viva o PIB!!!

    0
    • xyz 30 de julho de 2012 at 20:31

      Em tempo: 8 anos para pagar. KKKKKKK!

      0
    • Cleyton 30 de julho de 2012 at 20:42

      Bolha mobiliária!

      0
    • RosinhA 30 de julho de 2012 at 20:56

      Outro ramo complicado…. encontrar uma loja de projetados ou um marceneiro de confiança é como achar agulha no palheiro.

      0
      • JPM 31 de julho de 2012 at 11:58

        De fato. A maioria destes móveis estará em péssimo estado ao final dos 8 anos de prestações.

        0
  • AAC 30 de julho de 2012 at 20:44

    O que é nítido (para aqueles que conseguem ver), é que vivemos uma grande farsa. Para aqueles que desejam apenas um teto pra morar, um pesadelo. Não tenho duvidas que todo o movimento especulativo com imóveis foi orquestrado e envolve governo, bancos, especuladores e mídia, e não é exclusividade do Brasil, estão seguindo a mesma receita que “arruinou” outros países. Uma rápida pesquisa e verão que o mesmo está ocorrendo em diversos países da America do Sul. Que vai dar m…não há duvidas, a quantidade de riqueza real é finita, e estamos sendo saqueados, estão roubando nosso trabalho e comodities=riqueza real, tanto os estrangeiros como os próprios brasileiros…é revoltante, sim é. Futuro: correções em tudo que é riqueza irreal, desvalorizando imoveis, ações, títulos, passes de jogadores de futebol, ouro, moedas etc…esse é um cenario onde os incautos e yuppies saem do jogo, amargam seus prejuizos e não geram praticamente nenhum problema pra economia, a grande questão é que eles vão querer que o mundo pague a conta, ai vai dar m…

    0
    • xyz 30 de julho de 2012 at 21:01

      É revoltante.

      O pior é que ainda tem gente que defende que o Brasil tem que desvalorizar o Real. E mostram como exemplo a China e outros países asiáticos. Estes têm uma certa vantagem em manter a moeda desvalorizada, pois exportam intensivamente uma mão-de-obra extremamente produtiva (coisa que o brasil não tem).

      Enquanto mais desvalorizado o Real, mais vulnerável fica o país ao saque externo de nossas riquezas (commodities, imóveis, alimentos).

      Quem trabalha é que vai pagar a conta da farra.

      0
      • AAC 30 de julho de 2012 at 21:17

        Pois é, gostaria que o Andre ou alguem que se sinta apto se manisfestasse e explicasse melhor o tal do Master Reset, que é assustador e particularmente não acredito…para mim significa caos total, onde pouco importa ter imovel ou não, ter economias guardadas ou não, ser bonito ou feio, bem sucedido ou fracassado…master reset é apocaliptico, e na minha opinião o interesse maior é que as coisas continuem como estão e melhorando. Há um nivel de organização mínimo, da sociedade, onde necessidades básicas continuarão sempre existindo, onde uma tonelada de minerio de ferro por ex, equivale a x kg de feijão, a x ipads, a x litros de gasolina, e x m2 de um imovel…o resto é papelada. Se os EUA consomem 1/4 dos recursos do planeta, é porque tem idiota que empresta riquezas reais pra eles, em troca de promessas que no futuro estes irão se privar do consumo e devolverão tudo aos credores…(titulos americanos x chinas principalmente), é complexo, mas no fundo se resume a credibilidade, e se isso for abalado (ja esta sendo), o mundo pode ter problemas…a não ser que dividas sejam perdoadas.

        0
        • André Luis ZS/RJ 30 de julho de 2012 at 23:55

          Já te respondi camarada, tá aguardando moderação porque coloquei um link.

          []`S

          0
    • André Luis ZS/RJ 30 de julho de 2012 at 22:36

      Brilhante observação.

      0
    • CKS 31 de julho de 2012 at 20:18

      Comentário perfeito. Com relação à mídia, vale acrescentar que a própria Globo há um tempo atrás era um player do setor imobiliário, por meio da São Marcos Empreendimentos Imobiliários Ltda, que foi vendida em 2008 para a Ancar IC S/A.

      0
  • O Irritado 30 de julho de 2012 at 20:56

    Isso que eu chamo de “Heartbreak Hotel” !
    Depois, só tem uma saída: “Surrender” porque a melô dos “coretores” (“It’s now or never) não toca mais.

    (ELVIS MODE ON)

    PS: “Já era” na manchete foi forte…

    0
  • "O" Nova 30 de julho de 2012 at 21:15

    Senhores, segue abaixo mais um exemplo de como estão as coisas em Curitiba! Valor anunciado do imóvel 230k.

    Com a seguinte proposta:
    Ola senhores, quando o imóvel em questão chegar a um valor aprox. De 170.000, favor entrar em contato para negociação! Mto obrigado

    Com a seguinte resposta:
    Precisamos marcar uma visita no imóvel para Senhor conhece-lo. Conversei com o proprietário e ele está disposto a negociar me ligue no telefone 9991-5494 ou me envie  um email com o seu número de telefone.

    “http://www.imoveiscuritiba.com.br/ficha-do-imovel/1307071

    0
    • Lucas Mendes 30 de julho de 2012 at 22:02

      Rapaz que inveja de vcs, aqui no Rio vc não compra nada a esse preço na Zona Sul e vai achar um quarto e sala na Zona Norte….oh inveja!!!

      Abraços do Lucas Mendes

      0
    • Bolha Imobiliária 30 de julho de 2012 at 22:10

      Muito bom. Bonito apartamento.

      0
      • "O" Nova 30 de julho de 2012 at 22:22

        Bom neh Bolha? Porém com meus contatos direto com corretoras, aposto 300% (rsrs) que logo logo oportunidades mto melhores aparecerão.
        Conforme for presenciando fatos reais, postarei para conhecimento geral dos usuários do blog. Abrax

        0
    • SF 31 de julho de 2012 at 15:23

      81 m² e 3 qts, por 230k

      Aqui no RJ uma gayola da MRV com 47 m² e 2 qtd e sacada de 10cm custa exatos 230k

      AP no nível desse de Curitiba aqui no RJ custa mais de 370K

      0
  • TS 30 de julho de 2012 at 21:28

    Galera, não sou a favor de crise, mas elas vêm e vão. É fato que elas podem retardar ou simplesmente serem atenuadas se houver vontade política e inteligência, mas evitá-las perpetuamente é impossível.

    A crise faz parte da nossa existência: na crise ousamos e somos desafiados a superar barreiras, na abastança nos acomodamos e nos sedentarizamos.

    A crise procura corrigir distorções e colocar o pé do ser humano no chão.

    Parei em um posto de gasolina agora a noite na Alameda Santos para tomar um café enquanto aguardava dar o horário duma reunião com cliente.

    Vamos lá… 2 pães de queijo gelados e um chocolate que deveria ser quente saiu por 14,50…

    Precisa dizer que há alguma coisa errada? E o cara do posto nem quis me deixar estacionar o carro no posto, disse que não poderia deixar o carro meia hora parado no posto! Tive que tirar o carro e colocar na rua e pagar mais 2 reais de zona azul. Se tivesse parado em estacionamento seriam 20 reais no mínimo a mais na conta.

    Esse é o retrato do ótimo país que nós vivemos, pão de queijo gelado e café por quinze reais.

    0
    • A citizen from Republic of Banânialand 30 de julho de 2012 at 22:15

      Colega, com todo o respeito, mas só existem estabelecimentos assim porque, na outra ponta, existem consumidores que o sustentam.
      Nesse posto que você comentou, eu me recusaria a voltar lá mesmo para colocar combustível e, ainda, faria propaganda àqueles que conheço para não irem lá também.
      E outra, hoje em dia ainda estou esculachado.
      Já aconteceu de um terminar uma compra no mercado e, no final, jogar um trident, p.ex. Quando vi que o produto custava o dobro do normal, ainda falei: “pode tirar isso daí, faz o favor. Eu não sou trouxa para pagar isso não”. O pessoal da fila ficou olhando com aquela cara…tiveram que chamar a fiscal para cancelar o produto…Tô nem aí.
      Não dá. Hoje em dia, qualquer coisa que vou comprar, faço uma conta mental rápida no sentido de tentar estabelecer o custo normal do produto. Qualquer coisa além disso, levando as peculiaridades de cada estabelecimento, eu não compro.
      Trabalho honestamente e o governo ainda garfa muito do meu salário só no IR, direto da fonte.

      0
      • Leno 30 de julho de 2012 at 22:21

        “Trabalho honestamente e o governo ainda garfa muito do meu salário só no IR, direto da fonte.”

        Colega, quando era CLT eu quase chorava quando olhava o desconto de IR e INSS no meu holerite.

        0
      • Comprei_em_2004 31 de julho de 2012 at 01:55

        Tão ou mais importante que saber ganhar, é saber gastar.

        0
      • TS 31 de julho de 2012 at 10:46

        Cara… gostei do seu comentário… o problema que só vi o preço quando estava no caixa… e nesse caso não daria para devolver o produto… outra coisa… não moro naquele lugar e não freqüento aquele posto, estava parado ali somente porque tinha uma reunião ali perto.

        0
        • TS 31 de julho de 2012 at 10:47

          Esqueci de dizer… cafézinho mais caro do que de aeroporto…

          0
    • FQ 31 de julho de 2012 at 12:04

      Eu sinceramente acredito que ocorreu uma grande inflação real no Brasil e que foi mascarada por índices oficiais.

      Esse preço que você falou não é uma exceção, está tudo caro em todo o lugar. Antes isso se chamava inflação, agora eu não sei mais o que é!

      Só sei que todo mundo que eu conheço teve seus gastos dobrado desde 2010. Peguem seus cartões de crédito e olhem: 100% em 2 anos. Tudo muito mais caro.

      Os índices oficiais de inflação são um embuste, consideram a variação de preço de produtos como milho, da farinha, minério de ferro, gasolina… A inflação real, aquela que vem direto nos seus gastos, foi muito maior. Pelo menos 100% desde 2010!

      0
      • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 12:15

        Antes isso se chamava inflação, agora eu não sei mais o que é!

        O brasileiro está delirando, acha realmente que houve um aumento real da riqueza nacional, que os salários realmente subiram.

        Outro dia de uma amiga que é engenheira e projeta sistemas para a Embratel: “Os preços são justificados pelo aumento da renda, o país cresceu e as pessoas ganham mais”

        Fala sério, as pessoas realmente acreditam nisso.

        0
        • Keyser(CE) 31 de julho de 2012 at 14:51

          O problema é que 90% das pessoas confundem reposição salarial com aumento salarial.

          Se meu salário aumenta igual a inflação, minha capacidade de compra aumentou ZERO reais. Quando o governo muda a fórmula do IPCA, ele está mascarando a inflação, de forma a “PARECER” que houve ganho (principalmente no salário mínimo).

          Mas todos sabemos que mais da metade da força de trabalho do país recebe salário mínimo e dessa forma, no Brasil, é praticamente impossível dizer que houve ganho real no SM sem manipular o índice. Na prática vemos quase tudo acompanhar o índice de reajuste do SM (em termos de preço dos produtos).

          Para quem ganha mais, a defasagem é sentida porque o salário é corrigido pelo IPCA, que está mascarado, não sendo suficiente para manter a capacidade de compra, mesmo para quem consegue 1% ou mais de ganho real, ainda assim está perdendo.

          No passado isso era notório, pois as coisas eram indexadas exatamente ao SM (não precisa mais explicar porque né), mas com a proibição dessa indexação, pois com ela, não se podia aumentar o SM, bem, não é que não podia, é que esse aumento iria gerar a inflação, que por sua vez iria gerar reposição INTEGRAL do poder de compra via indexação, se abriu espaço para a criação desses “Índices”, que na prática podem não repor integralmente a inflação.

          0
  • Dr 30 de julho de 2012 at 21:50

    Nos sinais de transito em BH a água vendida pelo camelo e 2 reais! A pipoca doce de saquinho (aritana) tb 2 reais! Morar no Brasil e caro d+!!!!

    0
    • FQ 31 de julho de 2012 at 12:05

      Eu sinceramente acredito que ocorreu uma grande inflação real no Brasil e que foi mascarada por índices oficiais.

      Esse preço que você falou não é uma exceção, está tudo caro em todo o lugar. Antes isso se chamava inflação, agora eu não sei mais o que é!

      Só sei que todo mundo que eu conheço teve seus gastos dobrado desde 2010. Peguem seus cartões de crédito e olhem: 100% em 2 anos. Tudo muito mais caro.

      Os índices oficiais de inflação são um embuste, consideram a variação de preço de produtos como milho, da farinha, minério de ferro, gasolina… A inflação real, aquela que vem direto nos seus gastos, foi muito maior. Pelo menos 100% desde 2010!

      0
    • CKS 31 de julho de 2012 at 20:32

      Na padaria daqui da esquina a Coca-Cola (2 litros) já está custando R$ 5,45

      Tenho absoluta certeza que o governo manipula os índices, como tem sido feito na Argentina, para ocultar o monstro que eles mesmos criaram.

      0
  • Ane 30 de julho de 2012 at 22:13

    Por favor estourem a bolha agora pois a proprietária do meu imóvel acabou de ligar dizendo que quer ele de volta pra morar ela mesma. Detalhe: eu moro no Rio de Janeiro.

    0
    • André Luis ZS/RJ 30 de julho de 2012 at 22:54

      Força Ane, e boa sorte, mas acredite, procurando bem você já encontra exceções.

      No mais se fosse possível, acho que qualquer um aqui estourava ela pra você hoje. 😉

      []`S

      0
    • Rodrigo 30 de julho de 2012 at 23:38

      Qual bairro?

      0
    • O Irritado 31 de julho de 2012 at 02:24

      Eu, de minha parte, duvido que seja a proprietária quem realmente irá morar

      0
      • Rodrigo 31 de julho de 2012 at 09:16

        Já ví essa história…

        0
  • Rodrigo P 30 de julho de 2012 at 22:45
    • Joao 31 de julho de 2012 at 08:06

      Bolha de custos que tentaram repassar para o preço final, mas não estão conseguindo. Por que ?
      Porque a demanda foi inflada pela especulação de imóveis na planta, nosso subprime, qualquer um compra um imóvel na planta, mesmo sem ter poder de compra para tal.

      0
    • Pablo 31 de julho de 2012 at 14:26

      Se o “Analista especialista” estiver certo, a maioria dos que aqui postam estão perdendo seu tempo:

      … Em relatório, ele explica que essa bolha é diferente por ela não refletir um aumento excessivo dos preços dos imóveis e nem a uma alavancagem das empresas, mas sim a estouros de orçamentos, o que deve refletir em menores lançamentos para 2012. …

      Quase TODAS, se não TODAS as Grandes Incorporadoras estão alavancadas!

      E quanto ao aumento excessivo dos preços, este analista deve morar ou no USA ou na Espanha e mandar de lá seu relatório via Iphone 4G ou Ipad WiFi 4G Plus!

      0
  • Lila Eule 30 de julho de 2012 at 23:12

    Oi,
    Primeiramente gostaria de pedir desculpas por não ter agradecido devidamente aos colegas pelos comentários que fizeram ao meu post.
    Muito Obrigada!!!:)
    Eu sempre penso muito antes de escrever porque tenho medo de falar alguma bobagem, mas espero contribuir bastante com discussões relevantes para o blog, apesar de não ser nenhuma especialista na maior parte dos assuntos tratados…rs
    Três tópicos depois, mas antes tarde do que nunca…Eu concordo com você, Sol de Sampa, quanto ao fato que as informações que recebemos na vivência diária em contato direto com a realidade é um parâmetro importante para analisar e comparar com o que a mídia diz.
    Eu realmente só havia considerado as informações já filtradas pelos meios de comunicação em meu texto, porque considerei que elas são bem impactantes para o comportamento do povo como uma massa única e desconsiderei as pessoas que se comportam(graças a Deus) como pontos fora de curva e ponderam sobre as escolhas que fazem.
    Falando em realidade, depois de ver com meus próprios olhos as placas de “vende-se” proliferando aos montes, edifícios entregues há quase 1 ano praticamente semi-escuros à noite, agora estou contando as placas de contratação de empregados dos comércios do meu bairro – elas surgiram em grande quantidade há uns quatro/cinco meses – e as vagas são para funções simples, como caixa de supermercado, balconista, faxineira, açougueiro, etc…e ‘estranhamente’ elas não estão sendo preenchidas com a rapidez que eu achei que seriam.
    São muuuuuuitas placas, calculo que uns 30% do comércio do meu bairro(moro na zn sudoeste de SP) esteve procurando pessoas para essas funções.
    No início eu achei que o comércio local estava bombando e que os funcionários atuais não estavam dando conta.
    Está certo que o salário que um comerciante de bairro paga possivelmente deve ser menor que os grandes centros…as pessoas então preferem trabalhar mais longe(centro de SP, Pinheiros, Lapa).
    Só que eu também ando muito nessas regiões e além de placas de contratação de pessoas, há um número imenso de placas “Passa-se o ponto”.
    Uma das conclusões que tive foi que para manter funcionários durante esses anos recentes, eles tiveram que subir os salários, agora que o movimento está caindo – estão demitindo e tentando recontratar com salários menores (como o André Luis falou em um tópico anterior).
    Mas esse movimento aqui está sendo lento, porque se, por exemplo, comércios fora daqui também estão fazendo a mesma coisa, antes dessas pessoas considerarem voltar a trabalhar no próprio bairro, ela tentarão um outro trabalho em que possam ter um salário maior.
    Um ponto contra a essa minha conclusão é o fato de que, apesar de estar diminuindo visivelmente, o movimento de clientes no comércio local ainda está intenso nos mercados, padarias, sacolões, docerias, lojas de 1,99, casas do norte.
    Já está fraco nos salões de beleza, locadoras, farmácias, lojas de roupas e calçados, lojas de cosméticos e bijuterias. As pessoas estão deixando de gastar com supérfluos por aqui.
    Vocês também estão notando isso?

    0
    • O Irritado 31 de julho de 2012 at 02:41

      Lila, sem stress…

      Para quem publicou um comentário pela 1a vez, “mandou mto bem”.
      Sempre somos, todos nós, especialistas em alguma coisa (às vezes até em mais de uma) e não-especialistas em todo o resto.

      Agora respondendo-lhe:
      No RJ (zona norte) houve sim uma “explosão demográfica” exponencial de plaquinhas de vende-se e aluga-se. Um dia desses contei 25 num percurso de 1800ms (antes não havia NENHUMA nesse mesmo caminho). Interessante é que começou com mais de Vende-se do que (algumas bem poucas) de aluga-se, hoje já está quase 50-to-50.

      Porém, em relação ao mercado de trabalho, não estou vendo aumenta da oferta e diminuição da demanda de empregos locais (até por morar em um bairro muito movimentado, com vocação para 2o. centro da cidade), pelo contrário, até os classificados de empregos estão mais “murchos”. Porém, nada mudou em relação ao achatamento de salários, como sempre foi.

      O que é grave e sintomático, e que eu pude testemunhar in-loco, foi o fechamento de 3 estabelecimentos comerciais por conta do aumento abusivo e repentino do aluguel (um bom recado para quem acha que a bolha imob só afeta seu mercado e não influi em nenhum outro setor da economia). A partir dessa experiência própria e do relato idêntico de outras pessoas em outros bairros, pude imaginar que a razão do aumento de placas de “passo o ponto” também passe por aí.

      Também acompanhei duas falências (inclusive, por “coincidência”, um dos sócios de um desses 2 estabelecimentos, estava sendo “desocupado” do apto em que morava à pedido do proprietário, depois de muitos anos), mas podem ser casos pontuais.

      É isso.

      0
    • RosinhA 31 de julho de 2012 at 11:47

      Lila noto isso desde o começo do ano, vem desacelerando devagar, itens supérfulos ou kit status como digo cabelo, jóias, roupas caíram primeiramente, os de necessidade como alimentos vem enfrentando quedas tb nos supérfulos como doces, guloseimas entre outros segundo relato de proprietários….

      Então dá para se concluir facilmente que as prestações de carro, condomínio, ap, estão afetando outros ramos, pois os salários não subiram na mesma proporção, quando começar aumentar assustadoramente a inadimplência dos condomínios aí o negócio estará prestes a estourar mesmo.

      0
      • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 12:18

        Aqui em copa houve um boom no comércio nos últimos 2 ano, inclusive de chefs grifados abrindo estabelecimentos. Falava-se em “revitalização” do bairro, tá bom.

        No entanto o que tenho visto esse ano, é muito comércio fechando, desde farmácias a restaurantes.

        0
    • Luiz 31 de julho de 2012 at 14:21

      lila, vc viu o mesmo que eu. A classe C está bombando, sim está mesmo, nunca houve tanta manicure, a cerveja no boteco subiu como nunca, mas para por aí. Eles não tem renda pra comprar casa acima de 180k (ou 800 de aluguel). Pra comprar carro financiado tem sido um parto. Cartao de credito é um problema sério, as recontratações a menor estão a toda. Vamos nos reequilibrar num patamar que será necessário ajuste de preços de casas e carros, ou ocorrerá encalhe e inadimplencia.

      0
    • Sol de Sampa 31 de julho de 2012 at 16:39

      Lila,, vc pegou o “x” da questão… ou seja, vc acordou para a realidade, e de agora em diante vai automaticamente refiltrar as informações que partem da midia.

      Um exemplo simples que posso te dar é que as vezes escapa alguma informação pela midia, hoje mesmo, aconteceu isso a Band News estava divulgando uma inflação de 1,13% em junho na tarja de informações… Mas, de repente a noticia sumiu e ficou só o desemprego da Zona do Euro…

      Não sei se ainda existe SNI no Brasil, mas com certeza o governo está baixando censura em tudo… Lógico, nenhum governo vai querer dessencadear pânico.

      De, resto, o que vc observou é o que vem ocorrendo em todo o País, alguns locais está mais percepítvel em outros menos…

      Mas observe uma coisa que é importante… as construtoras estão demitindo … sim … e contratando, com salarios muito menores para acabarem os empreendimentos a serem entregues … Quando o que foi vendido até inicio de 2011 ( no maximo) for entregue vai haver muito desempregado, pois até lá as construtoras estarão mais ajustadas com a realidade, por isso os lançamentos vão minguar cada vez mais….

      O único prolema que percebo que pode chacoalhar a economia ainda este ano é que o governo desembolsou muita grana e o PIB primario caiu muito … ou seja … os juros da divida externa estão pesando …. Hoje não tenho condições de dizer qual será o rumo, mas em meados de agosto, quando sairem os numeros de julho teremos a visão do que virá, ou será, até o final do ano …. softing ou harding ….

      Volto a dizer, bem vinda ao blog e continue postando … é legal trocarmos informações de cada canto …

      0
      • Sol de Sampa 31 de julho de 2012 at 18:17

        corrigindo inflçao 1,34$

        0
        • Sol de Sampa 31 de julho de 2012 at 19:53

          ooohhhh droga, corrigindo a correção ….. inflação 1,34%, e`PIB = resultados primários ….

          desculpa a mão … é a pressa…

          0
  • mauricio 30 de julho de 2012 at 23:15

    OLHEM ONDE ESTÃO OS NOVOS MILIONÁRIOS:

    Na lista das fortunas em nome de integrantes do bando do bicheiro Carlinhos Cachoeira, o que chama atenção é o patrimônio “franciscano” do próprio bicheiro:
    1,5 milhão de reais resumido em um terreno em Goiânia.

    A ex-mulher de Cachoeira Andrea Aprigio tem 16,3 milhões de reais em patrimônios,
    e a atual mulher, Andressa Mendonça, tem 20 milhões de reais resumidos em uma fazenda.

    Já os três irmãos “Almeida Ramos” de Cachoeira, tem fortunas distribuídas em quantias bem diferentes:
    Paulo (8,1 milhões de reais),
    Marco Antonio (2,7 milhões de reais)
    e Reginaldo (17,1 milhões de reais).

    Adriano Aprigio, ex-cunhado de Cachoeira fecha a lista das maiores fortunas com 9,4 milhões de reais.

    O patrimônio completo do bando de Cachoeira, segundo a PF apurou,
    envolve 36 fazendas e chácaras,
    58 apartamentos,
    treze casas,
    dezoito prédios e salas comerciais,
    74 terrenos,
    51 veículos de passeio,
    32 motos,
    quatro caminhões,
    21 empresas
    e 3 415 cabeças de gado.

    0
  • André Luis ZS/RJ 30 de julho de 2012 at 23:42

    Ao colega ACC.

    Bem camarada, antes de mais nada é importante salientar que não haveria um único cenário,que desencadearia o mesmo, como você mesmo colocou.

    Mas você já deu a principal resposta, nossos negócios são executados em sua grande maioria baseados unicamente em confiança mútua.

    Basta pensarmos na loucura que é o sistema de reservas fracionadas.

    Acho insana a ideia de nossa riqueza não passar de uma fração de um valor real, um mero numero em uma tela.

    Bastaria um desequilibro desse delicado sistema (perda de credibilidade como você mesmo falou) na hora e conjuntura errada, e tudo iria para os ares.

    Imagine um mundo onde as operações financeiras se tornassem ineficazes do dia para a noite, devido a maxi desvalorização das principais moedas hoje. Títulos não valendo nada e ações na bolsa despencado.

    Realmente pouca coisa além de commodities, metais e gemas preciosas valeria alguma coisa depois disso.

    O que desencadearia isso?

    Uma guerra, uma grande quebra de bancos, um default por parte de USA ou/e UK.

    Muitas seriam as causas.

    E as consequências sociais disso?

    Bem isso iria variar de acordo com a intensidade da crise, capacidade de reação do governo e do povo em si.

    Basta você comparar a situação de saques a residências em locais inundados aqui no Brasil, e a situação do povo japonês que m meio a catástrofe de Fukushima, aguardou de forma ordeira e honrada, pelas providências e auxílio.

    Mas

    Ao contrário do que muita gente pensa, somos minimamente organizados, e nossas estruturas são frágeis como cristal.

    Pense no simples fato de que a densidade demográfica nas favelas aqui do Rio, é quatro vezes maior do que a do “asfalto”, e toda essa gente vive em situação precária, sem estrutura alguma.

    Aí você se pergunta, “E por que essa gente não se revolta e toca fogo na cidade toda?”

    Aí meu caro, entra o grande trunfo das oligarquias – ALIENAÇÃO – claro que sabemos que o nosso povo não se revoltará, porque não se organiza, é alienado demais pra isso.

    No entanto imagine essa mesma gente, em completa condição de miséria, sem a menor capacidade de obtenção de sustento? Isso mesmo saques.

    E esse é só uma exemplo do que poderia ocorrer em uma situação desta.

    Um excelente vídeo (desconsiderando a propaganda de um livro no final) postado no Youtube, traça um dos possíveis cenários para isso, e narra um possível cenário de convulsão social.

    Vale frisar, que não é minha crença que ocorra como no vídeo, apesar de que muita coisa nele possa acontecer.

    Por que muitos negam com a força do seu ser essa ideia?

    Simples, assim como aqueles que investiram em imóveis, se negaram a acreditar e reconhecer uma bolha, pois isso implica em ver os seus “sonhos” de investitolos irem por água abaixo. Todo o nosso investimento (Tudo que você investiu na sua formação profissional, todas as horas trabalhadas, todo o suor derramado, toda a abnegação necessária, tudo que você programou para a sua vida), tudo irá por terra, assim como os sonhos dos investitolos.

    Por isso essa ideia nunca será aceita, até o dia que aconteça. Poucos estarão preparados, e muitos serão pegos de calças curtas.

    Quantos Master Resets já tivemos na nossa história, quantas guerras e massacres.

    Porque isso não pode acontecer agora?

    Porque somos diferentes, somos melhores e mais organizados?

    Não direciono esse comentário a ninguém em especifico, só acredito que isso seja tão pueril, quanto aquele sentimento que tínhamos numa tarde de 16 anos, achando que nada nos aconteceria e seriamos imortais.

    Você lembra disso?

    Isso faz parte de nossa prepotência humana, achamos que somos especiais, e maioria de nós, alimentamos em maior ou menor escala, um sentimento, uma esperança de que somos o primeiro a ser humano a ser imortal, que quem sabe poderemos fazer o que quisermos. Que quem sabe, nada nos acontecerá.

    Não, nós não somos especiais, e afora o que você possa fazer para se defender ou se proteger e se resguardar de todas as coisas que possam ocorrer no futuro, você, eu e todos nós estamos sujeitos a qualquer coisa.

    Nosso desejo de controle é uma mera ilusão, nada está sobre controle.

    Não somos especiais além do que somos para nós mesmo.

    Portanto amigo, acredito que somos tão passíveis de sofrer o que já sofreram outros.

    Mas não tome minhas palavras como nebulosas. Nada é mais libertador do que aceitar essa simples verdade, nada está sobre controle, e tudo pode ser reconstruído.

    []`S

    Link do vídeo:http://www.youtube.com/watch?v=B-OTnI7ni2A&feature=relmfu

    0
    • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 12:20

      *sob controle

      0
  • Rui 30 de julho de 2012 at 23:44

    Nao levem a mal , nao, mas estou triste pra canudo, com o despedimento, do nosso coretor. Isso tem graca? Infelizmente, o exame de despedimento dele, deu positivo.ahahahha.Logo agora, que eu estava, querendo, renovar, o contrato de permanencia, com ele.ahahahaha ta certo, que ele nos incomodava, com sua ganancia. Nos incomodava, com o pessimo habito, de traficar imoveis.ahahahaha Nos incomodava, com o horrivel defeito de cafetinagem, quer dizer, corretagem imobiliaria. ahahahha. Mas sempre, defendeu, com muito brio, a ganancia dos corretores. Sempre, desinteresseiramente, colocou sua ganancia pessoal, acima de tudo. ahahaha E’ decepcionante, seu despedimento. Eu apelaria, ate’ ao talo, que o Coretor, reconsidera-se e volta-se para nosso convivio fraternal. Sentar no nosso colinho, para nao ficar tristinho. nao se sentir, jogado fora.Claro, que a galera , tem razao, quando diz, que corretores sao uma raca, derivada dos vampiros.Sugam tudo. Descendentes do Maluf. malufam tudo! ahahahaha Mas ser corretor e’ uma dura. A profissao mais antiga do mundo. ahahahah. nao e’ facil ficar numa esquina,rodando casinha, para tosquiar um cliente desavisado.ahahahahah Se o mercado imobiliario, atrai vampiros, que atacam as presas e deixam marcas de mordidas, nas suas financas, a culpa dessa vampiragem,nao e’ do Coretor. Apesar de ele combater o mau combate, com suas opinioes gananciosas, eu tenho pena dele. Concordo, que corretores, sao seres pervertidos por natureza e se despedem apavorados, quando veem uma opiniao honesta, pela frente.ahahahah. Como alguem, pode ser corretor? existe gosto sinistro, para tudo. ahahahah Mas corretores, sao uma necessario. Corretor e’ como cu, cada um tem o seu.ahahahaha.
    Coretor, deixa de bobagem e volta. sai desse despedimento, jacare’! ahahahah

    0
    • André Luis ZS/RJ 30 de julho de 2012 at 23:53

      Você se supera a cada dia.

      Por isso ganhou o meu respeito rssssss.

      0
      • Rui 30 de julho de 2012 at 23:59

        ahahahah Um abraco, Andre. Ta tarde.Vou dormir! Boa noite!

        0
      • Virginia 31 de julho de 2012 at 05:40

        “rodando casinha”
        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        0
      • Bananildo 31 de julho de 2012 at 11:17

        O Rui vulgo José Simão tá atacado mesmo! Ri alto 😀

        0
    • Rui 30 de julho de 2012 at 23:55

      Errei,po! vou passar corretor, pra corrigir.ahahha
      Onde se le: “mas corretores sao uma necessario” leia-se: corretores, sao um mal desnecessario.

      0
    • O Irritado 31 de julho de 2012 at 02:50

      Kara,
      sou obrigado a dizer que o José Simão é que é o “Rui” da Folha, e não o contrário !

      Vou pedir para meu psi uma receita igual à sua 😀 já que ele fracassou em me tornar mais otimista.

      {só para provocar, já que o coretor jogou a toalha, que com certeza não pertencia a ele}: toda vez que vejo aquela foto histórica do Nixon e Mao (aquele que era Mao pra caramba) apertando as mãos, me lembro das suas previsões sobre a China… pelo menos no quadro de medalhas eles estão em 1o.

      Mesmo assim te agradeço pela oportunidade que me deu de rir em tempos tão emocionalmente poluídos 🙂

      0
  • xyz 30 de julho de 2012 at 23:56

    Além da bolha imobiliária, da bolha de crédito, da bolha da corrupção, da bolha dos benefícios sociais, da bolha dos funcionários públicos, da bolha do mercado de trabalho…
    Acabei de conhecer uma nova “bolha”

    A bolha do curso superior.
    O artigo é antigo (out-2011) e descreve a bolha do ensino superior nos EUA, mas parece até uma descrição da realidade do Brasil.

    ht tp://mises.org/daily/5533/The-HigherEducation-Bubble-Has-Popped

    E o governo ainda dá 45% de aumento para os professores universitários.

    0
    • Pimp 31 de julho de 2012 at 01:42

      Existe sim uma bolha no ensino superior, mas não é nas universidades públicas e sim nas *particulares*, a maioria oferecendo cursos medíocres, ou seja, não há motivo para criticar esse aumento aos professores das públicas, se a bolha está em outro lugar.

      Fui professor em gestão de TI por uma dessas pseudo-universidades. A média era 5. No final da segunda prova, muitos estavam reclamando para a coordenadora que minhas provas eram mto difíceis e chora aqui, chora lah. A mesma me ligou, e me notificou que faria uma normalização, lançando 3 pontos na MÉDIA deles. Alguns ainda não tinha conseguido passar e fui OBRIGADO a dar um trabalho valendo mais 3 pontos na MÉDIA. Depois do circo todo, uma aluna ainda reprovou e no semestre seguinte ganhou no grito, ficou sem DP.

      As faculdades privadas querem captar cada vez mais alunos (já peguei sala com 140) e vão fazer de tudo para mantê-lo. As públicas aqui na banânia, diferentemente da gringolândia não tem interesse nenhum em manter os mesmos, pois até onde sei nos EUA paga-se para estudar nas públicas, a menos que seja um estudante muito acima da média e consiga uma bolsa integral – ou seja, se você quer usar este artigo como base de comparação com a situação do Brasil, faça o favor de frisar que está se referindo às Universidades Particulares.

      No que tange a renda do profissional de ensino superior público, a realidade é que há varios pesquisadores ganhando muito pior que meros engenheiros de software, que basicamente sabem aplicar frameworks que se apoiam em linguagens de programação criadas com muito suor, PESQUISA e Desenvolvimento.

      A vida acadêmica é extremamente torturante, é pra poucos mesmo, pois exige (intelectualmente falando), mais que qualquer outra profissão existente. Caso você não saiba, na Universidade de São Paulo, por exemplo, o que se têm na grande maioria dos institutos são Pesquisadores. São rotulados de professores pois são obrigados a cumprir uma carga horária anual, com cerca de 6 a 10 horas aula/semana.

      Na banânia a Universidade Pública é um dos poucos retornos que a verdadeira classe média consegue obter para seus filhos após ser esfolada por anos a fio com a tributação infernal deste país. Por sorte, uma boa parte dos Pesquisadores está mais preocupado com a pesquisa do que em ganhar dinheiro, pois teriam totais condições de tomar os melhores postos de trabalho , o que levaria a qualidade do ensino para o ralo.

      0
      • O Irritado 31 de julho de 2012 at 02:58

        “No que tange a renda do profissional de ensino superior público, a realidade é que há varios pesquisadores ganhando muito pior que meros engenheiros de software, que basicamente sabem aplicar frameworks que se apoiam em linguagens de programação criadas com muito suor, PESQUISA e Desenvolvimento”

        caro colega, quando eu descobri isso, fiquei estarrecido. É isso mesmo.

        0
      • RGD 31 de julho de 2012 at 05:49

        Pimp, concordo com você que a maioria dos profissionais do ensino superior público não ganham muito bem, principalmente considerando que uma boa parte deles tem Doutorado. Isso só é um retrato de quanto o governo brasileiro valoriza a educação. Mas comparando com a ‘renda’ de fome dos profissionais do ensino médio, a situação do ensino superior nem é tão caótica assim.

        E a propósito, eu sou um desses meros Engenheiros de Software que você mencionou. Mas o meu trabalho é muito mais complexo e mais difícil do que “aplicar frameworks”. Atualmente, por exemplo, sou arquiteto de um software gigantesco com milhões de linhas de código escritas em C++, que é usado por quase todas as empresas de eletrônicos do mundo.

        Outro detalhe: existe uma carência muito grande de engenheiros de software aqui nos EUA. Mesmo aqui, um mero Engenheiro de Software geralmente ganha bem mais qu um professor de universidade.

        “http://techcrunch.com/2012/04/28/they-aint-making-any-more-of-them-the-great-engineering-shortage-of-2012/

        0
        • Sangue Bom 31 de julho de 2012 at 10:06

          Poxa, tem vaga ai pra gente não? Qro sair da banania! =)

          0
      • xyz 31 de julho de 2012 at 09:01

        “A vida acadêmica é extremamente torturante, é pra poucos mesmo, pois exige (intelectualmente falando), mais que qualquer outra profissão existente”

        kkkkk.

        Opinião é bom pois cada um tem a sua.

        Eu por exemplo acho que a universidade pública e gratuita é um câncer.
        Boas universidades privadas são muito mais eficientes e competentes (em quase tudo, inclusive pesquisa) que universidades públicas.
        Os melhores alunos estão na pública, mas se todas forem pagas essa realidade muda.

        0
        • Pimp 31 de julho de 2012 at 10:12

          @xyz: Não entendi o deboche, poderia desenhar? Cite uma universidade privada no brasil que é melhor que o ITA, USP, IMPA, etc. Pode existir um curso ou outro que se sobressaia em relação às públicas, mas no geral é só derrota. Sim, eu acho que as universidades públicas geram custos elevados, mas está longe de ser um câncer para o país, no máximo um tumor benigno.

          @RGD: Não quis desmerecer a profissão! Eu também atuo como arquiteto de software. Mas o fato é que o sentido de profissional Sênior está banalizado no Brasil. Nas entrevistas que faço a maioria dos candidatos tem conhecimento apenas de frameworks, quando você pergunta algo sobre algum algoritmo ou estrutura de dados menos trivial que listas ou hashtables os caras não sabem! Talvez no C++ não seja assim, pois a linguagem não tolera pseudo-programadores! 🙂

          0
          • xyz 31 de julho de 2012 at 12:44

            Se não existisse este câncer chamado universidade pública e gratuita, muito provavelmente a ciência e a tecnologia no Brasil teria desenvolvido.

            Mas o que vemos nesta área é uma estagnação perpétua.

            E não venha dizer que a produção de artigos científicos no brasil é comparada a este ou aquele país, pois apesar de ser importante, se não dá nenhum (ou quase nenhum) resultado prático, perde a relevância.

            0
            • Pimp 31 de julho de 2012 at 22:15

              Concordo que não é relevante o volume de produção, mas sim sua qualidade. Existe lobby no meio acadêmico também, alguns conseguem publicar em maior volume trabalhos de qualidade duvidosa.

              Agora falar que algo pesquisar algo que não dá resultado perde relevância é ridículo. Praticamente tudo que temos hoje é resultado de pesquisas muitas vezes completamente disconexas com a realidade do momento.

              Mas enfim, você insiste que universidades públicas são um câncer e que a ciência e tecnologia teriam se desenvolvido. A ciência pode se desenvolver independentemente da universidade, basta investimento. O país teria dinheiro de sobra pra investir, não fosse a corrupção e salários/benefícios ridiculamente altos para o pessoal do escalão superior, burocracia, licitações superfaturadas: Ex: já vi escritório de advocacia ganhar licitação para compra de hardware. O que eles fizeram? Ligaram pra dell, mandaram entregar e faturaram pelo menos uns 30% em cima, perdendo meia hora no telefone. Nem deram as caras para o contratante!

              Enfim, existe uma infinidade de problemas que tem muito mais prioridade de solução do que cortar custos com ensino/eliminar a universidade pública.

              Se São Paulo deixasse de repassar à união um milionésimo do que arrecadada hoje e investisse em P&D já teria feito umas 15 bases de Alcântara e o país seria líder no mercado de lançamento de satélites.

              0
              • Pimp 31 de julho de 2012 at 22:18

                *Sim, as vezes até eu acho que algo pode parecer bizarro demais para ser pesquisado. Mas meu ponto é, se você já sabe onde vai chegar, então não é pesquisa. Mesmo que uma pesquisa não dê em nada, é importante também saber “para que lado NÃO correr”.

                0
      • FQ 31 de julho de 2012 at 11:01

        Concordo amigo!

        0
    • O Irritado 31 de julho de 2012 at 02:54

      xyz,
      Procure no You Tube(?), tem um filme-documentário muito parecido no estilo com o “Inside Job” (e posterior a ele) exatamente sobre esse novo “skandal” do FIES do Bush-Obama. Não vi porque não estava legendado e eu não estava com “saco” de ter que decifrar um monte de gente que fala mascando chiclete 🙂

      Assim que eu redescobrir o nome dele, te digo.

      0
    • Eskeleto 31 de julho de 2012 at 07:57

      Hoje temos bolha em tudo, até os carinhas que tomam conta de carro antes era, qualquer coisa serve, depois é 5 conto, e agora é 10 e não demora que é só por meia hora.

      0
      • RosinhA 31 de julho de 2012 at 11:38

        Sem seguro 🙂

        0
    • ericvm 31 de julho de 2012 at 11:10

      A verdadeira bolha da educação superior está sendo gestada com base no FIES… Esse programa deve encarecer as mensalidades, mais ou menos como os student loans fizeram nos EUA. Antigamente, lá, se pagava a faculdade com um part time job, mas hoje é necessário se endividar, porque o governo subsidiou o crédito o que aumentou os preços. Aqui deve acontecer igual.

      0
  • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 00:08

    Ao colega ACC.

    Bem camarada, antes de mais nada é importante salientar que não haveria um único cenário,que desencadearia o mesmo, como você mesmo colocou.

    Mas você já deu a principal resposta, nossos negócios são executados em sua grande maioria baseados unicamente em confiança mútua.

    Basta pensarmos na loucura que é o sistema de reservas fracionadas.

    Acho insana a ideia de nossa riqueza não passar de uma fração de um valor real, um mero numero em uma tela.

    Bastaria um desequilibro desse delicado sistema (perda de credibilidade como você mesmo falou) na hora e conjuntura errada, e tudo iria para os ares.

    Imagine um mundo onde as operações financeiras se tornassem ineficazes do dia para a noite, devido a maxi desvalorização das principais moedas hoje. Títulos não valendo nada e ações na bolsa despencado.

    Realmente pouca coisa além de commodities, metais e gemas preciosas valeria alguma coisa depois disso.

    O que desencadearia isso?

    Uma guerra, uma grande quebra de bancos, um default por parte de USA ou/e UK.

    Muitas seriam as causas.

    E as consequências sociais disso?

    Bem isso iria variar de acordo com a intensidade da crise, capacidade de reação do governo e do povo em si.

    Basta você comparar a situação de saques a residências em locais inundados aqui no Brasil, e a situação do povo japonês que m meio a catástrofe de Fukushima, aguardou de forma ordeira e honrada, pelas providências e auxílio.

    Mas

    Ao contrário do que muita gente pensa, somos minimamente organizados, e nossas estruturas são frágeis como cristal.

    Pense no simples fato de que a densidade demográfica nas favelas aqui do Rio, é quatro vezes maior do que a do “asfalto”, e toda essa gente vive em situação precária, sem estrutura alguma.

    Aí você se pergunta, “E por que essa gente não se revolta e toca fogo na cidade toda?”

    Aí meu caro, entra o grande trunfo das oligarquias – ALIENAÇÃO – claro que sabemos que o nosso povo não se revoltará, porque não se organiza, é alienado demais pra isso.

    No entanto imagine essa mesma gente, em completa condição de miséria, sem a menor capacidade de obtenção de sustento? Isso mesmo saques.

    E esse é só uma exemplo do que poderia ocorrer em uma situação desta.

    Um excelente vídeo (desconsiderando a propaganda de um livro no final) postado no Youtube, traça um dos possíveis cenários para isso, e narra um possível cenário de convulsão social.

    Vale frisar, que não é minha crença que ocorra como no vídeo, apesar de que muita coisa nele possa acontecer.

    Por que muitos negam com a força do seu ser essa ideia?

    Simples, assim como aqueles que investiram em imóveis, se negaram a acreditar e reconhecer uma bolha, pois isso implica em ver os seus “sonhos” de investitolos irem por água abaixo. Todo o nosso investimento (Tudo que você investiu na sua formação profissional, todas as horas trabalhadas, todo o suor derramado, toda a abnegação necessária, tudo que você programou para a sua vida), tudo irá por terra, assim como os sonhos dos investitolos.

    Por isso essa ideia nunca será aceita, até o dia que aconteça. Poucos estarão preparados, e muitos serão pegos de calças curtas.

    Quantos Master Resets já tivemos na nossa história, quantas guerras e massacres.

    Porque isso não pode acontecer agora?

    Porque somos diferentes, somos melhores e mais organizados?

    Não direciono esse comentário a ninguém em especifico, só acredito que isso seja tão pueril, quanto aquele sentimento que tínhamos numa tarde de 16 anos, achando que nada nos aconteceria e seriamos imortais.

    Você lembra disso?

    Isso faz parte de nossa prepotência humana, achamos que somos especiais, e maioria de nós, alimentamos em maior ou menor escala, um sentimento, uma esperança de que somos o primeiro a ser humano a ser imortal, que quem sabe poderemos fazer o que quisermos. Que quem sabe, nada nos acontecerá.

    Não, nós não somos especiais, e afora o que você possa fazer para se defender ou se proteger e se resguardar de todas as coisas que possam ocorrer no futuro, você, eu e todos nós estamos sujeitos a qualquer coisa.

    Nosso desejo de controle é uma mera ilusão, nada está sobre controle.

    Não somos especiais além do que somos para nós mesmo.

    Portanto amigo, acredito que somos tão passíveis de sofrer o que já sofreram outros.

    Mas não tome minhas palavras como nebulosas. Nada é mais libertador do que aceitar essa simples verdade, nada está sobre controle, e tudo pode ser reconstruído.

    []`S

    Link do vídeo:http://w ww. youtube. com/watch?v=B-OTnI7ni2A&feature=relmfu

    0
    • Cicero Silva 31 de julho de 2012 at 11:58

      Gostei do seu texto.

      Claro, também, que o “master reset” referido pode ocorrer nessa geração ou daqui a 200 anos.

      Vai depender da capacidade de se (re)organizar da sociedade.

      Mas aí entra a história. Só que nessa mesma história, temos casos de vários séculos com relativa estabilidade, em algumas regiões do globo.

      Não vejo como teoria conspiratória. Simplesmente irá ocorrer. Quando, como e que consequências, fica tudo na indefinição.

      E concordo plenamente quando diz que sempre nos achamos especiais. Que vivemos numa época extraordinária.

      E, como vc bem disse, só somos especiais frente ao espelho…

      0
      • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 12:29

        Você tocou num ponto importantíssimo camarada.

        Muitos MR aconteceram de forma gradual, como revolução industrial. Assim como houveram períodos grandes de manutenção do status quo.

        Obrigado por complementar a questão.

        Eu particularmente tenho a opinião de que em nossa era globalizada associada a interdependência de mercados, um MR ocorreria de forma rápida e mais desastrosa.

        Eu particularmente vejo qualquer coisa que seja denominada “teoria da conspiração” meramente como estratégias de dominação de mercado

        []`S

        0
    • Sol de Sampa 31 de julho de 2012 at 17:07

      André, do que tenho medo não é de uma organização da sociedade, mas sim da desorganização…. Quando a coisa fica preta não há necessidade de se organizar para invadir, depredar e destruir.

      E nisso, temos tido excelentes propagandas subliminares nas novelas … vc não percebeu? A organização está sendo feito de forma subliminar … não vejo melhora na situação … então, abrigo, comida serão indispensáveis…

      0
      • Matheus Moraes 31 de julho de 2012 at 20:23

        Que mundo essa garotinha vive??!!

        Eita povinho com visão ultrapocaliptica….

        0
        • RosinhA 31 de julho de 2012 at 21:23

          Se prestar atenção em suas postagens, perceberá que essa “garotinha” não é do tipo Ctrl V e C, tem opinião própria, além de ter experiência vasta e absoluta em muitos assuntos, não é uma crítica, preste atenção nas palavras da SOL, depois concordará comigo.

          0
  • Charles 31 de julho de 2012 at 00:42

    Morei em Flat em SP de fev/2005 a Junho/2009. Quando cheguei em 2005, eu nao sabia que havia existido uma bolha dos flats, na época eu nem me ligava disso. Mas lembro perfeitamente que o valor do flat que eu alugava, para compra, era 32 mil.

    Quando sai em 2009 já estavam pedindo 80 mil.

    E pesquisando, por curiosidade, os preços dos mesmos flats, há um tempo atras, os preços pedidos estão entre 180 a 210 mil.

    Corre bino, corre que é bolha….

    0
  • ch0qw3 31 de julho de 2012 at 01:39

    Respingará por aqui!?!?!?

    “http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/2509198/EUA-sinais-confirmam-que-recessao-pais-esta-muito-proxima”

    0
  • Rodrigo 31 de julho de 2012 at 09:04

    A Bolha nos EUA parte 2.

    “Nos EUA, crise cria a geração aluguel

    NOVA YORK — Ela já foi chamada de geração bumerangue, por voltar para a casa dos pais depois de adulta, e de geração limbo, por viver à espera de que a crise passe para conseguir um emprego, uma casa, uma vida. Nos últimos tempos, sociólogos rebatizaram a juventude dos Estados Unidos de “geração aluguel”: carregando nas costas dívidas contraídas para pagar a universidade e entrando no mercado quando o crédito imobiliário está restrito, eles estão adiando indefinidamente a compra da casa própria, que sempre foi considerada parte essencial do sonho americano.

    – Historicamente, sempre foi mais fácil comprar uma casa nos EUA, em comparação com a Europa. A terra sempre foi mais barata, os transportes sempre foram mais baratos (seja o transporte público, no século XIX, ou a gasolina para os carros), a forma de construir dos americanos, usando madeira, é menos dispendiosa – diz o historiador Kenneth Jackson, professor da Universidade Columbia, em Nova York, considerado uma autoridade no processo de urbanização dos Estados Unidos.

    O bairro de Williamsburg, atual enclave de descolados no Brooklyn, a apenas uma estação de metrô do Lower East Side de Manhattan, é um bom exemplo do fenômeno da geração aluguel. Na década passada, no auge da bolha de especulação imobiliária cujo estouro foi um dos principais detonadores da crise econômica da qual os EUA não conseguem sair, centenas de apartamentos brotaram na antiga zona industrial, que até então estava praticamente abandonada. Galpões foram adaptados, e prédios residenciais, construídos com a premissa de que tudo seria vendido rapidamente porque Manhattan não tinha mais como absorver a demanda.

    Com o estouro da bolha, os prédios foram convertidos em rental buildings – edifícios exclusivos para aluguel, ocupados geralmente por jovens entre 20 e 35 anos. Nos EUA, 9,9% das casas pertencem a pessoas com idades entre 25 e 34 anos, enquanto 25,6% das residências alugadas têm inquilinos nessa faixa etária.

    Em maio passado, um desses prédios, com 62 apartamentos, foi vendido por US$ 55,5 milhões, o que dá US$ 895 mil por unidade. Analistas do mercado dizem que o fenômeno de venda rápida que acontecia com as unidades de condomínios até 2007 agora está se repetindo, em bloco, com os prédios para aluguel.

    A corretora Michele Witty, da imobiliária Williamsburg Realty, radicada há 15 anos no bairro, diz que, na contramão do desaquecido mercado de compra e venda de imóveis, os preços dos aluguéis dispararam. Um apartamento de quarto e sala, que custava US$ 1.100 por mês em média, hoje se aluga por uma faixa de US$ 1.800 a US$ 2.800 mensais. Já o valor médio das residências nos EUA caiu de US$ 292,6 mil em 2008 para US$ 267,9 mil em 2011, e os juros estão baixos. Mas, como as regras para a concessão de financiamento imobiliário endureceram, com a exigência de um sinal de ao menos 20% e de comprovação de histórico positivo de crédito, a saída para muitos é alugar.

    – Na época da bolha, vinham dois ou três agentes de instituições financeiras aqui todo dia, oferecer aos meus clientes financiamento com 5% de entrada, sem entrada, sem histórico de crédito, com mau histórico, sem problemas. Eles faturaram num tempo de leniência financeira absurda, era uma época maluca – afirma Michele.

    Nova realidade deve pôr fim a estigma

    Segundo a socióloga Katherine Newman, professora da Universidade Johns Hopkins e autora do livro “The accordion family”, que analisa o fenômeno da volta dos filhos adultos para a casa dos pais, a tendência de morar de aluguel deve ser duradoura, provocando uma mudança importante em uma sociedade onde o índice médio de proprietários ficou acima de 60% nos últimos 50 anos, e onde quem vivia em casa alugada era considerado um perdedor. Se comparado à tendência de voltar para a casa dos pais (entre 2007 e 2010 o número de pessoas com mais de 18 anos a viver em um lar compartilhado aumentou em 3,4 milhões), o aluguel é quase uma vitória.

    – Acho que viver de aluguel não será mais estigmatizado nas próximas gerações porque será muito disseminado, muito comum. Além disso, as pessoas estão se casando mais tarde, e estão preferindo ficar na cidade, onde há mais oferta cultural. O principal motivo para querer comprar uma casa e se mudar para o subúrbio sempre foi a qualidade das escolas – diz.”

    http://oglobo.globo.com/mundo/nos-eua-crise-cria-geracao-aluguel-5638454

    0
    • Rodrigo 31 de julho de 2012 at 12:01

      Índice que reajusta contratos de aluguel acumula alta de 6,67% em 12 meses

      Monitor Mercantil, 31/jul

      O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) teve variação de 1,34%, em julho, acima da taxa apurada em junho (0,66%) e bem superior à registrada em igual período do ano passado (-0,12%). No acumulado dos últimos 12 meses, o índice, usado como base de cálculo para a renovação da maioria dos contratos de aluguel, atinge 6,67%. Desde janeiro, o IGP-M já subiu 4,57%.

      O levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas (FGV), mostra que o índice foi influenciado, principalmente, por altas de preços das commodities (produtos primários com cotação internacional). Entre os itens que mais subiram estão a soja em grão (de 4,3% para 14,89%), o milho em grão (de -3,95% para 6,74%) e o café em grão (de -2% para 2,36%).

      O Índice de preços ao Produtor Amplo (IPA), um dos três componentes do IGP-M, aumentou de 0,74% para 1,81%. Também houve elevação do Índice de Preços ao Consumidor (de 0,17% para 0,25%), com a pressão exercida pelo grupo alimentação (de 0,61% para 1,06%). Entre os produtos do comércio varejista que ficaram mais caros no período estão as hortaliças e os legumes (de 7,53% para 15,39%).

      Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), que também entra no cálculo do IGP-M, apresentou uma leve redução no ritmo de alta (de 1,31% para 0,85%). O resultado refletiu uma velocidade menor de correções no custo da mão-de-obra (de 2,28% para 1,05%).

      Os cinco itens que mais pressionaram a taxa são: soja em grão (de 4,3% para 14,89%), farelo de soja (de 8,63% para 15,36%), óleo diesel (de 0% para 5,96%), milho em grão (de -3,95% para 6,74%) e tomate (de 10,38% para 93,12%).

      0
  • Rodrigo 31 de julho de 2012 at 09:56

    Obra do vizinho… já tem repasse!

    CUSTO DE R$280MIL + 14 PRESTAÇÕES DE R$13MIL

    “http://www.webcasas.com.br/comprar/apartamento/recreio-dos-bandeirantes/rio-de-janeiro-oeste-rj/3-dormitorios/280-mil/2658678.html?utm_source=trovit_lp&utm_medium=cpc&utm_campaign=trovit

    “http://www.sesmariaconstrucoes.com.br/elara/restrita.php

    “http://sesmariaconstrucoes.com.br/sagitta/1q2w3e4r5t6y7u/manual.pdf

    0
    • Rodrigo 31 de julho de 2012 at 10:06

      Detalhe um amigo promotor que recebe R$ 30.000 bruto disse que não tinha como pagar. “Pô sabe como é, pago duas pensões sobra aproximadamente 10k pra mim”

      0
      • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 10:30

        É como sempre digo, você pode ganhar bem, mas no fim das contas, é tudo uma questão de gastos.

        Caramba duas pensões de 10K.

        0
        • Rodrigo 31 de julho de 2012 at 10:36

          30% em cima do bruto de pensão, 15% para cada filho.
          27,5% de imposto de renda.
          Dentre outros impostos…

          0
          • FQ 31 de julho de 2012 at 10:57

            Já falei isso aqui:

            Um Salario de 30 mil bruto não chega a 20 mil liquido (Mesmo sem pensão).

            Um Salario de 20 mil bruto fica em torno de uns 12 ou 13 mil líquido.

            Resumo, para alguém conseguir financiar 500 mil no banco, deve ter uma renda de uns 30 mil, e com esses 500 mil não compra nem o apartamento barulhento e pequeno no Humaita que o colega aí de cima trollou!

            E o pior é que querem justificar esse descompasso entre os valores dos imóveis e o poder de compra da população com um índice macro-econômico qualquer do PIB!

            0
            • Stark 31 de julho de 2012 at 11:07

              É isso mesmo….por isso gosto de casos reais…analogias do dia a dia mesmo pra demonstrar o absurdo que vivemos. Eu teria qu epagar mais pra financiar esse ap safado do que eu pago pra ficar a uma quadra da praia num ap de 100 m2 e silencioso…….portanto repito o mantra: Alugue, meu filho. Não troque sua qualidade de vida hj pela promessa vazia de uma supervalorização infinita de amanhã.

              0
              • Rodrigo 31 de julho de 2012 at 11:12

                kkk, só saiu agora. Leia acima o que saiu hoje no jornal.

                0
                • Stark 31 de julho de 2012 at 11:27

                  Pois é, mas ainda acho a conclusão da matéria tendenciosa ou fraca. A realidade de Manhattan não pode ser extrapolada como uma fotografia americana. O caso da pequena ilha de New York é muito pontual e específico na minha opinião. Até ano passado, eu morava nos EUA. Eu tinha um bom salário pro padrões americanos e dando apenas 3% de entrada eu podia comprar (como fiz) uma casa lá e a prestação era equivalente a um aluguel no mesmo nível. Com a diferença que parte da prestação é dedutível do imposto de renda. Após 4 anos lá, resolvi voltar, porque PASMEM, prefiro a zona do Rio de Janeiro…..

                  0
                  • Rodrigo 31 de julho de 2012 at 11:35

                    kkkk sei como é… também adoro essa zona!!

                    0
          • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 13:10

            Como diz o professor Ewald, cada filho custa 1KK.

            Acho que ele esqueceu de colocar a pensão no calculo. KKKK

            0
          • Carlos Lopes 31 de julho de 2012 at 13:47

            Manda ele fazer mais filhos! Como ele já paga o limite (30% é o máximo de pensão que se pode pagar), cada filho a mais que ele tiver pega parte da pensão dos outros mais velhos. É a vingança do homem sobre as ex melheres!!!

            0
  • Stark 31 de julho de 2012 at 10:27

    Pessoal, mais uma para “causos da vida real”:
    Tenho um pdf de uns aps que ando acompanhando nos ultimos meses pra ver como anda o mercado dos bolhudos.
    Eis que vejo um deles lá no nosso querido flip-flap-zum-zum.
    O ap tava anunciado por já bolhudos 525 mil a mais de dois meses. Encalhado óbvio. Ap de 2 qtos no Humaita, 65 m2, fala sério, minúsculo. A rua é mais barulhenta que escola de samba e mais movimentada que supermacado no início do mes. Eis que os coretores, fizeram a mesma prática de sempre q só existe na Banania. Encalhado? Fácil…aumento o preço…e aumentaram pra 551 mil. EIs que eu, trollando mando uma prposta de 500. Recebi dois emails, interessaods na proposta. 1 veio do coretor e o outro do gerente da filial da imboliária bolhuda.
    Coretor:
    Peço se possível responder esse e-mail confirmando sua proposta
    de R$500.000,00 pelo imóvel na Rua do Humaitá XXX, ap XXX, proposta esta que será encaminhada ao proprietário.
    Aguardo seu retorno.
    Eu:
    Cometi um erro mandando a proposta. Acabei de verificar nos meus registros que esse apartamento estava anunciado a 525 e está encalhado a mais de dois meses, pelo menos, quando teve o valor aumentado e o anúncio reatualizado para poder ter margem de negociação. Como abomino tais práticas e o cenário é de desvalorização imobiliária retiro minha intenção de compra.

    0
    • Stark 31 de julho de 2012 at 10:28

      nada como dar um pouco de esperança….como diz no filme do Batman, só existe desespero, se existir a esperança (ou algo assim)….ha ha ha…….quando recebeu meu email de 500k, ele deve ter ficado todo assadinho e colocado o champagne pra gelar….ha haha

      0
      • Dr 31 de julho de 2012 at 12:34

        Agora eles bebem e suco, de maracujá!!

        0
    • chapolin 31 de julho de 2012 at 11:59

      Muito boa sua estratégia! Quebrou a cara deles! Pensavam que estavam dando uma de espertos e foram pegos com a boca na botija. Aposto que se respondessem iam dizer que o imóvel foi “reavaliado”.

      0
    • self 31 de julho de 2012 at 14:10

      Avise-nos se o coretor responder a seu comentário. Mas já aviso que isso não vale os 500K mas nem de longe.

      0
      • Stark 31 de julho de 2012 at 15:15

        Não vale mesmo, mas quero que ele demore a perceber isso…..
        Daqui a um mês mando outro email oferecendo 450. Ainda não vale, mas quero ver os olhinhos dele brilhando achando que se livrou de mais um mico, somente pra ter outra decepção.

        0
        • self 31 de julho de 2012 at 15:26

          Entendo a tática. Boa sorte!

          0
  • MrK 31 de julho de 2012 at 10:52

    Confesso aos amigos do blog que hoje me preocupo tanto com a bolha Brasil quanto a bolha imobiliaria, o país está muito caro, preços insustentáveis que vão muito além do aluguel, combine isso com uma economia declinante e gastos publicos fora de controle para 2 eventos caríssimos… e aí? O resultado pode ser assustador

    Isso tem sido sustentado em grande parte por politicas desastrosas do governo, por exemplo, com a entrada de carros chineses e coreanos, surgiu uma oportunidade perfeita para derrubar os preços absurdos dos veículos no país, mas ao inves disso, o governo se viu de joelhos perante 4 grandes empresários e suas ameacas de demissão, pera lá, quem tem mais poder na mesa de negociação, o governo ou a industria automobilistica? Claro que o governo! A quem interessa esses preços altos? Ao Brasil? Claro que não, isso não vai ao bolso do trabalhador do setor, isso não fica no país, isso vai a dividendos e é lucro emitido pras sedes.

    Esse país precisa quebrar seus monopolios e duopoloios, por isso temos tantos servicos caros e ruins, da TV a cabo as passagens aereas, sempre 1 ou 2 empresas controlando o mercado, ditando os preços confortavelmente, sem se preocupar com qualidade, vejam as cias de celulares como outro exemplo, que vergonha!

    Não se enganem, enquanto o governo proteger seus monopolios com carinho, continuaremos pagando caro por servicos ineficientes.

    Quanto as ultimas da bolha imobiliaria, bem, preciso me atualizar, passei um tempo sem ler as últimas, tenho olhado mais a economia como um todo e esse PIB patético, esses dados manipulados e esse povo mais endividado do que nunca, uma verdadeira bomba relogio que já falavamos ha muito tempo

    abracos

    0
    • Mineiro BH 31 de julho de 2012 at 12:19

      grande MrK
      seria muito interessante que vc enriquecesse as últimas análises do colega Luiz, que este final de semana andou revendo suas (dele) posições sobre o cenário econômico…
      valeu

      0
    • Luiz 31 de julho de 2012 at 12:33

      Mrk, a gente discutia isso 1 ano atrás. Manter o monopolio em imoveis é muito mais complicados que o de autos. O mercado imobiliario é muito mais capilarizado, praticamente qualquer um pode construir.

      O tripé da bolha, que vem estourando lentamente, é:
      oligopolio,
      crédito crescente e
      demanda artificial.

      Crise, recessão, estagnação do pib entra nas consequencias do estouro.

      0
  • KQT 31 de julho de 2012 at 10:53

    Bolha,
    Faça um topico: Como comprar ou vender sem corretores. Ainda não é hora de comprar, mas muitos pessoas gostariam de negociar sem a intermediação do corretor, porém por falta de informações optam pelo serviço. Ao comprar pretendo consultar um advogado especializado para orientar. Se alguem tiver conhecimento nessa área poderia ajudar a montar esse topico.
    Abçs

    0
    • RosinhA 31 de julho de 2012 at 11:36

      Kqt posso preparar, mas preciso de tempo, estes dias está punk por aqui depois coloco, mas são opiniões e conclusões minhas vou adiantando…

      0
      • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 12:38

        Posta Rosinha será ótimo.

        0
      • KQT 31 de julho de 2012 at 14:23

        Quando tiver um tempo, posta aí; quem sabe o Bolha anima e abre um topico sobre esse assunto.
        Valeu..

        0
      • Sol de Sampa 31 de julho de 2012 at 17:24

        RosinhA, tudo que vc colocar será de grande serventia….

        hehehehehe…. Rosinhapédia….

        0
  • Laranja 31 de julho de 2012 at 11:47

    Correio do Povo – Habitação & Mercado > Capa
    ANO 117 Nº 299 – PORTO ALEGRE, QUARTA-FEIRA, 25 DE JULHO DE 2012

    Medidas econômicas: vendas aquecidas

    Com um começo de ano promissor, a venda de imóveis na imobiliária A3 estagnou nos dois últimos meses do primeiro semestre de 2012. Um dos motivos apontados pela direção é a crise econômica internacional. Entretanto, a proximidade das eleições e a expectativa do anúncio de medidas que acelerem a economia devem movimentar o mercado imobiliário neste segundo semestre.

    Para o diretor da A3 Jacques Scherer, a guerra contra os juros declarada no início do ano pela presidente Dilma Rousseff e a redução de impostos tornaram os primeiros quatro meses do ano extremamente promissores em termos de venda de imóveis. Entretanto, em meados de maio a imobiliária já registrava queda na comercialização. “Houve uma redução na velocidade das vendas. Estamos atendendo menos pessoas, mas isto é reflexo de uma série de fatores”, aponta Scherer. O principal, na opinião do diretor, é o atual cenário internacional, a crise econômica, que mexeu com mercados dos Estados Unidos, Europa e China.

    O preço dos imóveis também é citado pelo empresário como um dos vilões da queda nas vendas. Segundo ele, a partir dos governos de Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma, vem ocorrendo o que se chama de efeito elástico nos valores dos imóveis, que aumentaram de 25% a 30% ao ano. “Então, em três anos registramos um aumento de 100% nos imóveis, enquanto que o salário aumentou o quê? 30%? Ou seja, o bolso não acompanha esse aumento; o poder aquisitivo das pessoas está no limite”, contesta.

    Além desses fatores, Scherer cita ainda a demanda reprimida, o inverno (época em que as vendas sempre caem), as férias, que também influenciam no resultado das vendas no semestre. “Tínhamos uma expectativa de 30% a 35% de aumento em relação ao primeiro semestre de 2011, mas o percentual ficou em 15%”, indica.

    Em termos de locação de imóveis, o empresário explica que o termômetro é sempre o mesmo: quando a venda vai bem, os aluguéis caem. “Atualmente, existe uma oferta expressiva no mercado, mas a demanda é baixa”, relata Scherer. Os motivos, segundo ele, são basicamente os mesmos da venda. Além disso, as exigências como fiador, renda três vezes superior ao valor do aluguel, entre outras, sempre dificultam o processo. “Nesse caso também tivemos um aumento de preços nos últimos três anos. Em 2010, alugávamos um apartamento de um dormitório por R$ 600 ou R$ 700. Hoje, o mesmo imóvel custa entre R$ 1200 e R$ 1500”, exemplifica.

    A expectativa é que haja uma modificação neste cenário ainda neste segundo semestre em função das eleições, de acordo com o empresário. “É um período em que o governo sempre anuncia medidas de aceleração da economia. Deve haver uma acomodação nos preços. Isto traz bons negócios para o mercado imobiliário”, frisa. Para ele, isto vem motivando construtoras a adiar o lançamento de grandes projetos no mercado. “Estão apostando num melhor desempenho das vendas a partir do período eleitoral”, finaliza Scherer.

    0
    • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 12:43

      Com as ações dessas construtoras derretendo na bolsa, mesmo com investimento combinados, quero ver até quando essa gente vai ter dinheiro pra pagar por essas reportagens.

      0
    • PBR 31 de julho de 2012 at 12:44

      Nooossa, Jênio… Ele realmente entende a mente dos compradores. Ano passado quando procurei ap pra comprar, vi o preço de meio milhão em 70 m^2 e nem me incomodei, achei até que estava barato (embora eu não tivesse o dinheiro)… mas aí eu pensei na grécia, na china e nos EUA e aí ferrou… Ah não, com essa crise toda lá fora eu não posso comprar apartamento. Ter ou não condições de pagar é detalhe.

      0
    • FQ 31 de julho de 2012 at 13:50

      Culpados:o inverno (época em que as vendas sempre caem), as férias, que também influenciam no resultado das vendas no semestre

      No início do ano a culpa era do Carnaval, final do ano foi culpa do natal, depois colocaram a culpa nas Chuvas, agora a culpa é do frio!

      Realmente este país é imprevisível, resolveram inventar um tal de carnaval em pleno fevereiro justamente neste ano, pegando todos os corretores de surpresa, e como se não fosse o bastante, resolvem agora dar férias escolares em julho e até mudar as estações climáticas 4 vezes por ano!!! Absurdo!

      0
    • AF 31 de julho de 2012 at 13:51

      Quando eu voltar das férias de julho, vou comprar uns quatro aps na planta.

      Mas fiquei intrigado com a “expectativa do anúncio de medidas que acelerem a economia”.

      0
      • FQ 31 de julho de 2012 at 14:18

        Já eu, vou esperara esquentar um pouco a temperatura para compra uns apartamentos… No frio é foda sacar dinheiro no banco.

        0
  • Rodrigo 31 de julho de 2012 at 12:00

    Não sei o que é melhor ir a pé para o Shopping ou não pagar o estacionamento.

    Jornal do Commercio, Confidencial, 31/jul

    Previsto para ser inaugurado no início de 2014, no Recreio, o Américas Shopping já está com 60% de sua área negociada para grandes marcas. O shopping vai gerar 2,5 mil empregos diretos e 10 mil indiretos

    0
  • BeastBoy 31 de julho de 2012 at 12:06

    Olá!

    Minha primeira participação no blog!! Tenho lido os posts há meses e só agora vim participar.

    Vou relatar minha única experiência com imóveis que são um retrato da cidade do Rio de Janeiro atual.

    Moro de aluguel junto com meus pais. Minha mãe comprou um apt. MCMV (46,92 m2). Nunca me interessei muito em vê-lo até que começaram as vistorias e fui dar uma olhada. Chegando no dito cujo olhei, olhei e pensei what the f…! Muito pequeno! Acabamento ridículo! Não moro nisso! Vamos vender!

    Ele foi comprado na planta por 100k e iria ser financiado. Qual não foi a surpresa quando vi que os apartamento do condomínio sem garagem, 10 APARTAMENTOS POR ANDAR, 12 ANDARES, 4 BLOCOS, estavam sendo vendidos por 185k. Com garagem e e mais altos, 195, 200k.

    Pensei comigo: “sou leitor do Bolha e sei que esses preços tão bolhudos” vou quebrar a banca… anunciei por 165k (ele corrigido pelo INCC já estava valendo 105k para nós). Recebi dezenas de emails de gente interessada e obviamente sangue sugas corretores querendo ganhar em cima.

    Fim da história: depois de muito rolo ele foi vendido a 170 mil para uma pessoa que ganha uns 8 a 9 mil por mês.

    Constatação: algumas pessoas com uma renda boa (eu acho 9 mil mto bom!) que precisam comprar uma apartamento right now, estão indo para os apartamentos que a princípio foram destinados para pessoas de baixa renda. Inúmeros casos como esse existem no condomínio, galera com grana indo morar num apartamento meia boca.

    As pessoas de baixa renda, por sua vez, não conseguem nem mais financiar nos apartamentos minha casa minha vida porque esses subiram absurdamente de valor. Isso eu vi de perto, muita mas muita gente entregando o apartamento porque não tinha grana pra bancar o financiamento.

    O déficit habitacional continua no Rio de Janeiro. A especulação já começa a tomar suas primeiras surras e o dinheiro ta guardado para quando as coisas voltarem ao normal.

    Acompanharei o mercado do Rio de Janeiro/RJ mais de perto e postarei minhas impressões (decepções) por aqui.

    Parabéns pelo excelente blog!!

    Abraços

    0
    • jacob 31 de julho de 2012 at 17:04

      Cara, excelente o seu post. Mas nao entendi uma coisa, como vc conseguiu vender mais caro pelo que anunciou (170k ao inves de 165k)?

      Abracos

      0
      • BeastBoy 1 de agosto de 2012 at 11:52

        jacob,

        Eis o motivo do rolo: um coRetor tava intermediando o negócio até que o comprador ficou puto pq o sangue suga não resolvia nada, a construtora ficou puta pq a imobiliária só fazia cagada com outros proprietários do condomínio e o comprador descobriu nosso telefone. O meu anúncio de 165 k já tinha saído do ar na época e a compradora decidiu dar parte da comissão do sangue suga para nós e pra ele nada. Resolvemos por conta própria em 1 semana.

        Mas vale a experiência: é MUITO dinheiro que você gasta pra vender um imóvel.

        0
    • Mineiro BH 31 de julho de 2012 at 17:21

      legal seu relato
      mostra que, na prática, nossas análises são pertinentes…

      0
  • Carrasco 31 de julho de 2012 at 12:44

    FMI alerta para risco crescente de inadimplência no Brasil

    ” O foco de preocupação, como o fundo já havia assinalado em seu relatório de avaliação da economia do país em geral, está no setor imobiliário, sobretudo em São Paulo e no Rio de Janeiro, e no endividamento doméstico, dado o histórico de baixo índice de poupança, e a combinação de endividamento de curto prazo e altos juros.”

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1129024-fmi-alerta-para-risco-crescente-de-inadimplencia-no-brasil.shtml

    0
  • RosinhA 31 de julho de 2012 at 12:52

    Como comprar sem coretor:

    Documentos necessários para compra de imóvel:

    – Matrícula do imóvel, certidão atualizada débitos reais e certidão de inteiro teor fornecida pela prefeitura.

    – Certidão negativa de débito IPTU, fornecida prefeitura, pelo número da matrícula.

    – Negativa de débito com o condomínio , fornecido pelo condomínio ou administradora

    – Certidões negativas do INSS e do ISS, receita federal

    – IPTU com parcelas pagas, se possível todas do último proprietário

    – Três últimas contas de luz, água e gás, se possuir mais sempre melhor

    – Habite-se, muito importante se for novo pois estará paga a tarifa de construção, e se for mais antigo conferir a área construída com a área descrita no IPTU, senão em nova medida da prefeitura ficaria a cargo o pagamento da diferença pelo atual proprietário. (SEMPRE CONFRONTAR A METRAGEM DA PLANTA COM A DO IPTU).

    Documentos do Vendedor Pessoa Física

    – RG original e cópia

    – CPF original e cópia

    – Certidões negativas de Cartórios de Protesto local

    – Certidão Negativa de Ações Cíveis e Família

    – Certidão Negativa de Executivos Fiscais, Municipais e Estaduais

    – Certidão Negativa da Justiça Federal, dívidas e outros problemas

    – Certidão negativa da Justiça do Trabalho, muita pessoas não tiram essa, mas se uma empregada doméstica diarista mesmo sem vínculo entrar na justiça, poderá complicar a venda do imóvel.

    – Comprovante atualizado do estado civil, hehe cuidado com as amantes 😉

    Documentos do Vendedor Pessoa Jurídica

    – CNPJ

    – Certidões negativas de Cartórios de Protesto

    – Certidão Negativa de Ações Cíveis e Família

    – Certidão Negativa de Executivos Fiscais, Municipais e Estaduais

    – Certidão negativa da Justiça Federal

    – Certidão negativa de débitos – INSS

    – Contrato social e última alteração

    – Certidão de Quitação de Tributos Contribuições Federais (Internet)

    – Certidão negativa de Falência e Concordata (se for gardenalfisa muito importante)

    – Certidão negativa da Justiça do Trabalho

    Primeiramente faça um contrato de compra e venda entre as partes, com todos os dados do imóvel, o que vai ficar, qual a situação de por exemplo: um motor do portão, vidros de janelas etc. Forma de pagamento e datas expressas com multas por atrasos ou desistência de ambas as partes.
    Essa parte é a única se não tiver experiência peça ajuda de um advogado especializado ou de uma pessoa que saiba sobre o tema.

    Todos esse documentos acima podem ser fornecidos pelo cartório de registro de imóveis de sua cidade, basta levar os documentos necessários acima com o número da matricula e local em que foi registrado, pois tem cidades com mais de 1 cartório e pode ser feito pela localização.

    Importante também é que as certidões e documentos são ônus do vendendor, não pague para tirar certidões que não são suas, o interesse de mostrar que tudo está correto é do vendedor.

    Se possuir alguma restrição, saia fora do negócio, pois tem milhares de ofertas de imóveis, se a opção tem que ser essa mesmo, procure ajuda de um advogado, lembrando que em caso de herança, as partilhas costumam demorar dependendo do número de pessoas, quantidade de atrasos na entrega e nos documentos fornecidos. Isso se alguém não possuir nenhuma restrição de qualquer ordem.

    Confira as divisas na prefeitura, com o número da matrícula pode se obter a quadra do bairro, sabendo quem são seus vizinhos e quais as metragens, isso também estará registrado na escritura, também é bom confrontar os dois.

    Depois de tudo isso, vem o registro da escritura no cartório imobiliário, onde o valor é diferenciado em cidades, paga-se o ITBI, taxas de registro entre outros, o custo depende do valor da venda do registro do imóvel, por isso a negociação antecipada é muito importante para ambas partes.

    Meio complicado né? Não é não, procure conversar com o pessoal do cartório, eles deixarão bem claro quais os procedimentos, se seguidos todos corretamente não haverá a necessidade de intermediação do coretor, depois o que economizará em corretagem certamente pagará todos os custos de cartório e com documentos registrados e ainda sobrará alguma graninha. 🙂

    0
    • RosinhA 31 de julho de 2012 at 12:53

      Depois posto como entrar em contato com proprietário sem coretor, ele vai me adorar a partir de agora com certeza 🙂

      0
      • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 13:03

        Grande Rosinha, já salvei aqui.

        PS: Lembrei agora da minha época de office boy com 16 aninhos aí em sampa, a eterna peregrinação para dar entrada nas certidões dos clientes do escritório de contabilidade.

        Saudades do churrasco grego (podrão kkkkkk) na praça da Sé na hora do almoço. Bons tempos! Adoro Sampa.

        []`S

        0
    • RosinhA 31 de julho de 2012 at 13:00

      Lógico antes de tudo isso, verificar a situação do imóvel:

      – Vizinhos, rachaduras, estado estrutural, potencial de venda ou valorização futura, desapropriação etc, isso acho que todos já sabem ver né ?

      – Passe em frente todos os dias da semana, veja se tem feira livre, pancadão (RIO/SP), enfim não compre pela emoção visite pelo menos 100 para escolher 1 vai ai mais uma dica.

      0
    • chapolin 31 de julho de 2012 at 13:28

      Valeu! Serviço de utilidade pública!

      0
    • self 31 de julho de 2012 at 14:01

      Excelente! =)

      Só uma dúvida: e no caso de financiamento? Muda alguma coisa?

      0
      • RosinhA 31 de julho de 2012 at 16:36

        Não muda só os documentos de quem vai financiar, o banco pede tudo então fica fácil, os documentos do imóvel são os mesmos, o banco barra qualquer restrição compra hiper segura, sem problemas algum.

        Se aparecer qualquer problema futuro, com a construção tem o seguro e o engenheiro que avaliou fica como responsável, se não for problemas causados por terceiros, no banco é mais seguro, mas pagou e muito juros por isso 😉

        0
    • AlexJund 31 de julho de 2012 at 14:30

      Show!!! Já guardei aqui!

      0
    • KQT 31 de julho de 2012 at 14:45

      Obrigado.. Não irei comprar agora, mas vc conhece um “despachante” ou escritorio de advocacia em SCS ou Sto Andre que faça esse serviço? Não tenho tempo, então gostaria de fechar com o dono e passar a função burocratica para alguem de confiança. Abcs

      0
      • RosinhA 31 de julho de 2012 at 16:43

        RosinhA´s Oficces 😉 brincadeira, chegue no segundo cartório na praça da matriz em Santo André, pergunte por dona Carmem, ela te atenderá super bem tirando todas as suas dúvidas, não precisa de coretor, leve a matrícula e a escritura registrada e os dados de comprador e vendedor, mas primeiro feche os valores com ele, antes de dar sinal consulte ela, quanto ao contrato pessoal tenho cópia pronta pré preparado, é só pedir mando pro Bolha e ele te manda.

        0
  • Bruno Gomes 31 de julho de 2012 at 13:02

    Pessimismo aumenta com a queda de lançamentos

    A queda dos lançamentos imobiliários no segundo trimestre acima do esperado pelo mercado, apontada pela maioria das prévias operacionais já divulgadas pelas incorporadoras de capital aberto, acirrou o pessimismo em relação ao desempenho do setor no curto prazo, que havia ganhado força nas duas últimas temporadas de balanço.
    As incertezas se acentuam ainda mais quando se considera que os lançamentos do segundo semestre dependerão tanto da decisão das próprias empresas, neste momento difícil vivido pelo setor e de desaceleração do crescimento econômico, quanto do ritmo de liberação de projetos pelas prefeituras, que pode ser influenciado pela proximidades das eleições.
    Das incorporadoras que divulgaram prévias operacionais até o fechamento desta edição – PDG Realty, Cyrela Brazil Realty, Even, Gafisa, Direcional (sem considerar os projetos para a faixa 1 do Minha Casa, Minha Vida), Rodobens Negócios Imobiliários e Rossi Residencial -, apenas a Rodobens não apresentou queda nos lançamentos ante o segundo trimestre de 2011.
    O mercado reagiu mal aos números apresentados. Na semana, as ações da PDG caíram 5,03%, da Cyrela, 7,65%, da Gafisa, 4,1% e da Rossi, 18,24%.
    De modo geral, as reduções do Valor Geral de Vendas (VGV) lançado não foram modestas: PDG apresentou queda de 80,3%, Even, de 71%, Gafisa, de 60%, Rossi, de 42,6%, Cyrela, de 34% e Direcional, de 26,7%. Na contramão do setor, os lançamentos da Rodobens cresceram mais de quatro vezes, mas é preciso levar em conta que a companhia optou, em 2011, por reduzir, significativamente, seu VGV lançado.
    Mercado avalia que novas reduções de metas para 2012 poderão ser anunciadas pelas incorporadoras
    A demora, acima da média, na obtenção de licenças dos projetos na cidade de São Paulo, maior mercado imobiliário do país, é apontada pelo mercado como a principal razão para a queda dos lançamentos das incorporadoras no segundo trimestre. O comentário é que os prazos de aprovação aumentaram após a saída de Hussain Aref Saab, ex-diretor do Departamento de Aprovação de Edificações (Aprov) da Prefeitura de São Paulo.
    Por meio de sua assessoria de imprensa, a prefeitura disse que “independentemente de opiniões contrárias, os processos de aprovação transcorrem em ritmo normal”. A média mensal de projetos aprovados, de 2009 a 2011, foi de 176, e no primeiro semestre de 2012, de 211. Já a média mensal de indeferimentos aumentou de 284, em 2011, para 342 em 2012, segundo a prefeitura.
    Seja por decisão das incorporadoras ou atraso na obtenção de licenças, novos cortes de metas de lançamentos poderão ser anunciados. A Rossi, por exemplo, precisaria lançar R$ 1,5 bilhão por trimestre – nível sem precedentes para a companhia, conforme o Barclays Capital – para atingir seu “guidance” (meta), de R$ 4,3 bilhões a R$ 4,9 bilhões. Segundo o banco, apesar de a Rossi ter entregado 28% de sua meta para o ano, as chances de corte na projeção são grandes, devido à necessidade de preservar caixa e reduzir a pressão na execução.
    No segundo trimestre, a queda apresentada nos lançamentos da maior parte das companhias se refletiu nas vendas contratadas do setor no trimestre. Apenas a Direcional não apresentou redução de vendas de incorporação no período. Boa parte do que foi comercializado pelo setor refere-se a estoques. No caso da PDG, por exemplo, a venda de estoques chegou a 92% do total. Na avaliação do mercado, embora a tomada de decisão dos consumidores na compra de imóveis esteja mais lenta, ainda não há problema de demanda.
    Nesse cenário de desaceleração do ritmo de lançamentos, algumas incorporadoras, como Cyrela, Rossi e Tecnisa fizeram cortes em sua folha de pagamento. Em junho, a Cyrela cortou 70 pessoas como parte do processo de unificação das áreas administrativas das divisões Cyrela, de médio e alto padrão, e Living, do segmento econômico. Conforme fonte, a Rossi demitiu 100 pessoas, como consequência de sua decisão de reduzir as operações regionais em que atua. A Rossi não se posiciona sobre o assunto.
    A Tecnisa demitiu 30 pessoas há um mês. Segundo o diretor de Recursos Humanos da Tecnisa, Marcello Zappia, o corte representa 4% do quadro administrativo e 1% do efetivo, e não está relacionado à desaceleração de lançamentos, mas a modelo baseado na “meritocracia”, ou seja, no mérito das pessoas, utilizado pela incorporadora para mapear o desempenho dos colaboradores. Ele cita que, em junho, foram contratadas seis pessoas para áreas específicas que estão em crescimento na sede.
    Se no curto prazo, reduções de lançamentos agravaram o pessimismo do setor, no médio prazo, o processo de “arrumação da casa”, que inclui esses ajustes, é visto como positivo pela maioria dos analistas ouvidos pelo Valor, por ajudar que as empresas consigam gerar caixa mais rapidamente. (Colaborou Aline Cury Zampieri)

    0
    • GB 31 de julho de 2012 at 17:24

      São uns sacanas mesmo, colocam a culpa da redução dos lançamentos na Prefeitura, ainda bem que o repórter foi lá ver se era verdade e a Prefeitura disse que não mudou nada, está tudo normal.

      Estão reduzindo por falta de interessados, mas não vão admitir isso nunca, queima o filme dizer que os especuladores caíram fora e os imóveis estão caros demais para consumidores finais.

      Tudo o que vem desse mercado doente a gente tem dividir por 10 para ter uma idéia da realidade.

      0
      • AF 31 de julho de 2012 at 21:12

        O desemprego no setor virá forte com a redução dos lançamentos.

        0
  • Elias 31 de julho de 2012 at 13:21

    Crescimento rápido de crédito no Brasil demanda supervisão–FMI
    31 de julho de 2012 | 12h 18

    Reuters

    O sistema financeiro do Brasil está “forte”, apesar do rápido crescimento de crédito às famílias ser um risco que precisa ser cuidadosamente monitorado, informou nesta terça-feira o Fundo Monetário Internacional (FMI).

    Em avaliação sobre o sistema financeiro do Brasil, o FMI informou que havia sinais de pressões emergentes em alguns setores e classes de ativos, especialmente famílias endividadas e aumento dos preços dos imóveis em São Paulo e no Rio de Janeiro.

    (Reportagem de Lesley Wroughton)

    0
    • augusto 31 de julho de 2012 at 13:32

      Começaram os avisos de quebradeira generalizada, pois os empréstimos que foram a única causa do surgimento da nova CRASSE SE, em parte foram irreponsaveis tanto de parte dos tomadores como de parte dos bancos. Com a palavra o fanfarrão do moluscão, que por sinal está sumido, por que? Algum problema com seu cancer?

      0
      • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 14:14

        O problema é que tem muita gente que não quer ver, acreditam que o pensamento positivo afastará a crise e seus projetos pessoais, estarão salvos.

        0
      • Mineiro BH 31 de julho de 2012 at 17:26

        o moluscão parece que tá declinando feio
        a tal participação na campanha virou uma foto com os candidatos ontem…
        notinhas nos jornais ontem:
        – moluscão puto com um candidato que insistiu pra ele (molusco) fazer um movimento que ele não pode fazer… (????!!!!)
        – moluscão reclamando que tá com o pescoço inchado, feio na foto, e que seria uma inflamação (!!!????) apenas, na garganta
        – e tem tb a história do molusco-móvel, um veículo espcial pra carregar ele na campanha de Sampa…

        eu heim…

        0
  • David 31 de julho de 2012 at 13:43

    Ontem eu estava matutando sobre o assunto e caiu uma ficha e acho que ainda não discutimos o assunto aqui: saldo devedor no momento da venda.

    Já pararam para pensar que todos os que compraram imóvel financiado a partir de meados de 2009 terão uma imenso prejuízo ao passar o imóvel a frente, independente do comportamento da bolha?
    O lance é, levando em conta um financiamento de 30 anos, eu abato 3,33% do meu saldo original por ano, no SAC, mas pago, só no primeiro ano, 7% de juros, o que equivale dizer que por ano eu pago 10% do valor do imóvel, valor que vai decrescendo a medida que se abate o saldo devedor. Quando vender, eu vou querer levar o que gastei com imóvel e passar a frente o saldo devedor, mas o saldo devedor abaixa na taxa de 3,3% a.a., enquanto meus gastos aumentam na taxa de ~10% do saldo devedor por ano. Ou seja, o valor do imóvel precisa aumentar em 7% a.a. para que eu fique na mesma. Isso é mais que a inflação.
    Se(quando) houver uma queda significativa no valor do imóvel, eu só vou conseguir passar o saldo devedor. Dependendo de quanto for o saldo, nem isso eu consigo.

    Imagine alguém com um imóvel de 10 anos, comprado em 2010, com valor de 300k, e saldo financiado de 240k com juros anuais de 7,5%. O sujeito terá gasto ~R$ 227k e terá um saldo em aberto de 160k. Teria de receber 387k pelo imóvel para ficar no zero a zero. Quais são as chances de isso acontecer? Isso pode travar o mercado, pois são aqueles que trocam de imóvel que fazem rodar o mercado. Se eles não conseguirem vender ou perderem dinheiro na venda, não vão conseguir comprar um novo. Lá se via mais um componente da demanda…

    0
    • Virginia 31 de julho de 2012 at 13:53

      Me parece uma excelente reflexão, apesar de eu não sacar a parte matemática…

      0
    • FQ 31 de julho de 2012 at 13:57

      Os juros no Brasil são criminosos, é assinar procuração de escravidão!

      independente de bolha, somente a parte dos juros que compões as prestações de um financiamento são mais caras que o aluguel.

      0
      • O Irritado 31 de julho de 2012 at 14:20

        …isso porque estamos comas menores taxas de juros em muitos e muitos anos (décadas)… e grávidos de uma inflação que, NORMALMENTE, que breve causará um aumento dos juros (pelo menos os nominais).

        0
      • Comprei_em_2004 31 de julho de 2012 at 18:09

        Foi exatamente isso que postei há um tempo atrás…

        0
    • Stark 31 de julho de 2012 at 14:05

      David,
      Por isso que eu digo: investir em imóveis é pra quem conhece muito bem. A matemática, principalmente quando vc financia parte dele é complexa. Vc ainda nem colocou na conta os impostos no fechamento do contrato, o custo de manutençao (que não é baixo) e claro, o custo de oportunidade do dinheiro dado de entrada. Tem muita gente que perdeu muito dinheiro e ás vezes até pensa que lucrou.

      0
      • David 31 de julho de 2012 at 14:19

        Eu fiz o cálculo baseado em uma tabela que eu montei baseado em meu apt, comprado na planta em 2009, se não me falha a memória. É uma tabela Excel com base no SAC.
        Mas o crucial aqui é a conclusão que os preços bolhudos vão travar o mercado lá na frente, pois o pessoal que troca de imóvel é um componente importante da demanda. Com menor dinâmica, não vão ser lançados mais apt, principalmente os apt maiores, que são comprados por famílias mais maduras, que possuem um FGTS graúdo e um bom dinheiro da venda do imóvel antigo. Isso ruim até pras formigas, que guardaram din-din na alta pra comprar na baixa, pois a qualidade dos novos imóveis irá cair. O excesso de estoque remanescente da bolha não é dos melhores, e essa queda da demanda futura pode atrapalhar.

        0
    • Matheus Moraes 31 de julho de 2012 at 14:45

      Discordo do cálculo. Pois, se for vender a vista, somente paga-se o saldo devedor sem os JUROS.

      0
      • Stark 31 de julho de 2012 at 14:56

        Matheus,
        Mas, ele não está discutindo a compra a vista e sim a financiada, a qula responde pela maior ou boa parte das transações.
        Segundo, pro camarada que comprou a vista o rendimento tem que ser maior que o que ele conseguiria numa aplicação financeira. O tal custo de oportunidade, que pode ser até o tesouro direto, por exemplo.

        0
        • Matheus Moraes 31 de julho de 2012 at 20:29

          Compreendido. obrigado.

          0
      • David 31 de julho de 2012 at 15:00

        Se for vender, tem o saldo devedor e o valor que o camarada pagou. O que ele pagou tem juros. O saldo, realmente não tem juros. Se for quitado à vista, o comprador vai pagar o preço de mercado. A diferença entre o preço de mercado e o saldo devedor vai ser o “ganho” do vendedor. Menos ITBI, corretagem e custos cartoriais. Se esse “ganho” for menor que os gastos com o financiamento, levando em conta a inflação, o cara perdeu dinheiro.
        Se o imóvel cair muito de preço, o valor de mercado não cobre nem o saldo devedor.

        0
      • Stark 31 de julho de 2012 at 15:00

        Mesmo se ele vender a vista, pois esse é precisamente o cálculo que ele fez. Pra valer a pena tem que ser o que ele já pagou, cerca de 227 mais o saldo devedor de 160, SEM nenhum juros que será = 387. Acho que vc não entendeu a conta.

        0
  • Pablo 31 de julho de 2012 at 13:43

    Mais AR para dentro da Bolha:

    Fundos imobiliários crescem 57%, para R$ 5,36 bilhões.

    Juros em queda leva investidor a buscar segurança em outros portos; há mais R$ 1,2 bi na fila da CVM.

    A busca por investimentos seguros, com perspectivas de ganhos no curto prazo está favorecendo fundos de investimento imobiliários, conhecidos como FIIs.

    Entre janeiro e julho deste ano as emissões de novas cotas foi de R$ 5,36 bilhões, um crescimento de 57% em relação a igual período do ano anterior, segundo dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

    Além dos 39 fundos que concluíram captação entre janeiro e julho deste ano, outros 11 estão em análise pela CVM, totalizam mais R$ 1,21 bilhão.

    A queda da taxa básica de juros (Selic) a patamares historicamente baixos, aliada à estabilidade monetária e à melhor distribuição de renda propiciou esse cenário, acredita Rodrigo Machado, diretor de produtos imobiliários financeiros da XP Investimentos.

    “Esses elementos foram se consolidando ao longo dos últimos anos. Então é natural que o investidor busque diversificar suas carteiras.”

    Especialistas acreditam que a perspectiva positiva observada até aqui deve ser mantida, pelo menos, até o final desse ano.

    E não só em termos de volume captado: os fundos devem passar a emitir, em uma única operação, volumes maiores comparados aos dos últimos anos; e também devem se sofisticar e atrair gestores cada vez mais qualificados para avaliar o melhor momento de ingresso em um determinado ativo.

    O consultor Sérgio Belleza, especialista em fundos imobiliários, diz que o segmento tem recebido investidores diferentes. “Dependendo do fundo, as cotas são vendidas em minutos. Por isso que, em períodos de abundância de oferta, os investidores precisam redobrar a atenção com a qualidade dos gestores.”

    A XP Investimentos, por exemplo, estruturou seis fundos, cujo volume levantado foi de R$ 800 milhões. Outros dois estão em fase de captação – TRX Edifícios Corporativos Fundo de Investimento Imobiliário FII e XP Gaia Lote I FII.

    Outra característica marcante desse mercado é a predominância de pequenos investidores. “A participação da pessoa física nas operações realizadas por nós recentemente foi de 95%”, destaca Machado, da XP Investimentos.

    O principal atrativo é a isenção de Imposto de Renda (IR) sobre o rendimento pago ao cotista. Contudo, este precisa ser classificado como investidor de varejo e deter menos de 10% das cotas do fundo. O veículo, por sua vez, precisa reunir ao menos 50 cotistas e ser negociado na BM&FBovespa.

    Somente os veículos listados na bolsa brasileira têm quase R$ 13 bilhões em valor de mercado, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), pouco menos da metade do valor de mercado das administradoras de shoppings com capital aberto, segundo Michel Gutnik Steinberg, diretor da Plural Securitização.

    “A maioria dos fundos lançados nos últimos meses tem cotas negociadas no mercado secundário. Isso é positivo, uma vez que o investidor tem a possibilidade de vender as cotas adquiridas no lançamento da operação.”

    No primeiro semestre deste ano, o volume transacionado com cotas de fundos imobiliários no mercado secundário foi de R$ 1,07 bilhão, de acordo com a UqBar, enquanto no mesmo período de 2011, o volume havia sido de R$ 374,5 milhões.

    A rentabilidade dos fundos imobiliários também atrai pequenos aplicadores, à caça de alternativas rentáveis e seguras.

    “Os investidores têm buscado retorno mais atrativo do que o entregue pelo CDBs e pelos fundos DI. Sendo assim, estão migrando para instrumentos com rentabilidade maior, e os fundos imobiliários são um deles”, diz o diretor da Plural Securitização. Belleza completa que o retorno médio das cotas de fundos imobiliários é de 0,75%.

    0
    • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 13:56

      Não conseguem captar mais incautos para venderem imóveis, e agora querem captar sardinhas.

      Eles se debaterão muito antes de morrerem.

      0
      • O Irritado 31 de julho de 2012 at 14:27

        Ora, ora, amigos do blog,
        alguém po racaso já ouviu algo semelhante alguma vez?

        ““Dependendo do fundo, as cotas são vendidas em minutos” .. que “Belleza”, hein?

        Melhor que isso só o ” com perspectivas de ganhos no curto prazo” logo no início. Mau sinal..
        Muitas coisas bastante ruins já aconteceram no mundo movidas a essa singela frase, que soa em meus ouvidos como os guizos(?) dos bois anunciando que estão chegando, estão próximos, cada vez mais próximos…

        Ainda bem que, pelo menos, avisaram que os ganhos são só no curto prazo, mesmo.

        0
        • Paulo D. 31 de julho de 2012 at 16:21

          O melhor é o título… numa leitura rápida achei que os fundos tivessem rendido R$ 56%….. e é pra enganar mesmo senão colocava que o volume de aplicação em título aumentou em 56%….

          0
    • Seu Madruga 31 de julho de 2012 at 14:44

      Depois da pegado há do mallandro…
      A PEGADINHA DO BELLEZA!!!!!
      Rá rá, ié ié!! Vem fazer glú glú!!!

      0
    • GB 31 de julho de 2012 at 17:31

      Já postaram aqui que o Fundo Imobiliário do Bradesco (o único que ele tem, diga-se de passagem), estava dando prejuízo, parece que era atrelado a um Shopping na Praça 13 (onde tem camelô pra caramba), maior mico.

      Sardinha é sardinha, o meu fica na poupança, pode render menos mas não perco os cabelos nem minha saúde.

      0
    • Comprei_em_2004 31 de julho de 2012 at 19:56

      A partir R$ 50k pode-se aplicar num LCI da CEF, que é RFixa e tb isenta do IRRF. Tem também é garantida pelo FGC, tenho conseguido cerca de 85% do CDI.

      0
      • Bolha Imobiliária 31 de julho de 2012 at 20:24

        Com R$ 1,00 é possível comprar LCI com liquidez de 60 meses no sofisa, pagando 90% do CDI

        0
  • Felipe 31 de julho de 2012 at 13:51

    O suporte dos 56000 da bovespa cai hoje…

    0
    • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 14:04

      Nesse momento em 56.228.

      A especulação se apoia no firme desejo humano de que tudo acabe bem.

      E assim conseguem uma façanha como a de sexta com um simples boato.

      0
      • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 14:25

        Só tem um detalhe Felipe, com certeza deve dar uma repicada agora lá pelas 16:00, acho que o suporte caí mais para o meio da semana, depois que a Merckel se reunir com prime italiano, e anunciar que não apoia a compra de títulos via BCE nem a pau.

        Mas se eu estiver errado e cair hoje, riu e muito.

        0
      • O Irritado 31 de julho de 2012 at 14:32

        O boato está para o IBOVESPA assim como o crédito está para o PIB (e/ou assim como o ar está para o volume – nominal – da bolha).

        Os caras assasinaram Lavoisier e não foram punidos até hoje.

        0
    • indião - ajudando a sustentar lucro de "desenvolvidos" a 512 anos 31 de julho de 2012 at 14:11

      e o de 52000 cai em agosto??

      o manteiga segue fazendo a parte dele, olha que beleza=

      http://economia.ig.com.br/empresas/industria/2012-07-31/isencao-de-ipi-para-automoveis-nao-sera-prorrogada-diz-mantega.html

      0
      • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 14:30

        Vi a entrevista dele agora pouco na Grobo.

        Não há motivo pra pânico!

        Só não falem dos botes…

        0
  • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 13:54

    Brookfild -1,88

    GaFezes -2,68

    Isso me lembra as tempestades que se forma no mar repentinamente em um belo dia de sol (sexta passada.)

    0
    • Stark 31 de julho de 2012 at 13:58

      Numa boa, até ia postar aqui quando na semana passada a Gafezes teve um pico de mais de 10%. IA postar o seguinte:
      Bull Trap na Gafezes….vai pegar mais sardinhas. Agora segura a onda…….ainda quero ver na loja de 1,99.

      0
      • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 14:05

        kkkkkkkk

        R$1.99 vai ser emblemático, vou dar print screen e salvar em PDF.

        0
        • Felipe 31 de julho de 2012 at 14:10

          Olha cara, já tá em -4,21 a GAFAFA

          0
          • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 14:19

            Karaca!!!!!!!!!!!!!!!!

            Não se preocupem, não há motivo pra pânico. HÁ BOTES PARA TODOS!!!!

            Não tem não?

            CORRE BINOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

            0
        • O Irritado 31 de julho de 2012 at 14:34

          Repito:
          Você pegará a MENOR NOTA em circulação (R$ 2), subtrairá a MENOR MOEDA em circulação (R$ 0,01) e com isso comprará a bendita.

          0
      • Felipe 31 de julho de 2012 at 14:13

        Stark, e o absurdo disso tudo é que se alguém seguiu só o que falamos sobre a gfsa3 nos últimos 30 dias, pode ter ganhado muiiiiiiiiiiito dinheiro nessas idas e vindas.

        0
        • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 14:28

          Já tem trader lá comprando.

          GaFEZES -3,06.

          Bem fim de almoço.

          Inté.

          0
          • Felipe 31 de julho de 2012 at 15:02

            Nossa cara, mais tá feio!
            Segunda-feira sangrenta – o alemão botou água no chopp europeu mesmo.
            Se essa pontuação não cair hoje, vai ficar beeeem no limite.
            Nesse momento está em 56190 .

            0
            • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 16:26

              Foi como eu disse na sexta, alta provisionada para a queda dessa semana, agora vamos ver se eles seguram a onda, depois q Merckel se reunir com o Monti, e negar a estatização da divida.

              Eu acho q não vai aguentar.

              0
              • Shakespeare 31 de julho de 2012 at 17:56

                Graças aos iluminados conselhos que li aqui no blog (especial agradecimento a este na sexta-feira) eu fiz um acertado movimento de pedir a liquidação de todos os meus fundos de ações nesta segunda e evitei perder alguns milhares de tostões que tinha colocado nesses investimentos.

                Com isso continuo capitalizado e com munição suficiente para comprar a vista quando a loucura do mercado passar 🙂

                Valeu bolhistas!

                0
                • Bolha Imobiliária 31 de julho de 2012 at 18:23

                  Quando você achar que o momento for propicio, me avise.

                  0
    • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 14:00

      *formam

      0
  • Luiz 31 de julho de 2012 at 14:33

    Vejam essa série de boas noticias no ESTADAO:

    – Governo vai gastar +16% e reduzir o superavit primario
    – Faltando poucos dias pra acabar a redução do IPI concessionarias tem fila de espera
    – IGPM subindo (e com ele as parcelas do financiamento)
    – Investimento sobe 30% no semestre
    – Fundos imobiliarios crescem 50%.

    Temos um cenário de SOFT PLOC, preços caindo, mas sem crise no curto prazo

    0
    • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 14:44

      Deade que façam uma magica que impeça a demissões.

      0
    • Luiz 31 de julho de 2012 at 14:45

      Dilma tenta salvar a semi-falida SJC são josé dos campos convocando seu soldado hugo chaves a comprar os aviões encalhados da embraer

      A estrategia é fortalecer os sindicatos da região e transformar SJC numa nova SBC.

      0
    • André Luis ZS/RJ 31 de julho de 2012 at 14:54

      No mais a alta do igpm não surtira efeito, a bolha já inflou o necessário para o ploc, esses 30% me parecem a alta de sexta, e esses 50% dofundos imobiliários, meus Deus que dó dessas sardinhas.

      []`s

      0
      • Tomaz 1 de agosto de 2012 at 00:07

        Os FIIs cresceram 50% em volume. Não foi uma alta de 50%.

        0
  • AlexJund 31 de julho de 2012 at 14:34

    O que me deixa revoltado aqui em Jundiaí é que tem muitos proprietários vendendo AR !
    Devido à geografia da cidade, a maioria dos condominios tem um forte aclive ou declive. Como diriam aqui no interior, “é só barrancada”
    Há muitos “terrenos” que quase não possuem terra. É só barranco. Nem sei como conseguiria construir alguma coisa lá, pois mais parece uma parede de terra do que um terreno.
    Mas mesmo assim anunciam como “ligeiro declive” e quando vou ver, não encontro terra. Daria para pular de asa delta em alguns terrenos…
    E assim vou continuando no meu aluguel e não construo minha casa…

    0
    • RosinhA 31 de julho de 2012 at 17:05

      Hahaha as casas mais bonitas e de design elegantes ficam em terrenos com esses, mas tem razão, as vezes são barrancos mesmo, ligeiro declive é piada mesmo. Fora que o gasto para construções assim oneram bastante…

      0
      • xyz 31 de julho de 2012 at 19:50

        Não é proibida a construção a partir de certo grau de declive???

        0
  • Dr. Estranho 31 de julho de 2012 at 14:36

    oglobo.globo.com/economia/queda-da-selic-pode-gerar-bolha-de-precos-de-ativos-no-brasil-diz-fmi-5641531

    Quando o FMI alerta é porque já aconteceu.

    0
    • Legião Brasileira 31 de julho de 2012 at 15:12

      “”haverá um impulso à busca crescente por retorno pelos investidores domésticos, o que, por sua vez, pode levar à formação de bolhas de preços dos ativos e uma subprecificação do risco. Isso, portanto, vai demandar um monitoramento vigilante” por parte das autoridades, diz a equipe do FMI.””

      Tipo assim:: monitoramento vigilante por parte das autoridades; mas como se as mesmas fecham os olhos a isso ??

      Além do mais como você disse, já acontece, as pessoas comentam, o sistema esta fadado ao desespero e inutilidade.

      “Esse é o nosso mundo: O que é demais nunca é o bastante… Ninguém vê onde chegamos: Os assassinos estão livres, nós não estamos… não temos mais dinheiro. Os meus amigos todos estão procurando emprego, Voltamos a viver como há dez anos atrás…”

      0
  • Pablo 31 de julho de 2012 at 15:01

    [email protected];

    O ASSUNTO FMI ESTA BOMBANDO! :mrgreen:

    Postado pelo Carrasco:

    “http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1129024-fmi-alerta-para-risco-crescente-de-inadimplencia-no-brasil.shtml

    Postado pelo Elias:

    Crescimento rápido de crédito no Brasil demanda supervisão–FMI

    Postado pelo Dr. Estranho:

    “oglobo.globo.com/economia/queda-da-selic-pode-gerar-bolha-de-precos-de-ativos-no-brasil-diz-fmi-5641531

    E agora por mim:

    FMI vê riscos de bolha no Brasil com expansão acelerada do crédito.

    “http://www.valor.com.br/financas/2771276/fmi-ve-riscos-de-bolha-no-brasil-com-expansao-acelerada-do-credito

    0
    • Pablo 31 de julho de 2012 at 15:07

      … o Fundo Monetário Internacional (FMI) ainda vê riscos decorrentes da expansão acelerada do crédito nos últimos anos e enxerga indícios de tensões em algumas classes de ativos, especialmente nos empréstimos às famílias e no setor imobiliário, que poderiam, em um ambiente de queda dos juros, levar à formação de bolhas.

      © 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este

      0
    • Curioso 31 de julho de 2012 at 15:10

      Eu quero que bombe e ESTOURE!

      0
  • Matheus Moraes 31 de julho de 2012 at 15:13

    FMI vê riscos de bolha no Brasil com expansão acelerada do crédito
    Por Fernando Travaglini | ValorSÃO PAULO – Mesmo com avanços do Brasil nas áreas de regulação e supervisão bancária, o Fundo Monetário Internacional (FMI) ainda vê riscos decorrentes da expansão acelerada do crédito nos últimos anos e enxerga indícios de tensões em algumas classes de ativos, especialmente nos empréstimos às famílias e no setor imobiliário, que poderiam, em um ambiente de queda dos juros, levar à formação de bolhas.

    A avaliação está no mais recente relatório elaborado dentro do programa de avaliação do setor financeiro, executado pelo FMI em conjunto com o Banco Mundial. De acordo com o documento, os ativos do setor financeiro mais do que dobraram ao longo da última década e as autoridades precisam estar atentas para os riscos externos e internos.

    “Há indícios de crescente tensão em alguns setores e classes de ativos, com destaque para o endividamento das famílias e o rápido aumento dos preços dos imóveis nas principais regiões, como São Paulo e Rio de Janeiro”, diz o relatório.

    Segundo o FMI, “essas incertezas são mitigadas pela supervisão bancária robusta e pelos elevados níveis de proteção em termos de capital e liquidez nos bancos, mas é preciso manter a vigilância, aperfeiçoar os dados e estar pronto para intervir e controlar essas fontes de aquecimento se necessário”.

    O documento vai além e afirma que até uma bolha de ativos poderia ser causada em função da queda dos juros, apesar de ressaltar que o risco sistêmico é pequeno no momento.

    “À medida que os juros no Brasil continuam a cair e se aproximar de níveis internacionais, a procura cada vez maior dos investidores internos por rendimentos mais altos pode levar a uma subestimação do preço do risco e à formação de bolhas de preços de ativos.”

    Com relação aos riscos externos, o fundo avalia ainda que “assim como o restante da economia brasileira, o sistema financeiro está exposto aos efeitos da volatilidade dos mercados internacionais, sobretudo os mercados de commodities e de capitais”.

    “Um novo conjunto de riscos pode ser vislumbrado no horizonte, o que exigirá um monitoramento cuidadoso daqui em diante”, diz o diretor assistente do Departamento de Mercados Monetários e de Capitais do FMI, Dimitri Demekas, em nota.

    Para Demekas, a expansão acelerada do crédito nos últimos anos apoiou o crescimento da economia interna e o aumento da inclusão financeira, mas essa expansão também pode gerar vulnerabilidades.

    “Existe o risco de que o sistema financeiro se torne vítima de seu próprio sucesso no país”, diz Demekas, que chefiou a equipe encarregada da avaliação, realizada entre os dias 6 e 21 de março.

    O Banco Internacional de Compensações (BIS) já havia alertado sobre os riscos do crescimento acelerado do crédito no país em seu informe anual divulgado em junho. O banco dos bancos centrais mostrou que o Brasil está na zona de risco: expansão do crédito num ritmo muito mais rápido que o PIB nos últimos três anos, “efervescência” que duplicou os preços de imóveis nas grandes cidades e endividamento na direção de patamar recorde.

    Na ocasião, o diretor-geral do BIS Jaime Caruana sugeriu que os países emergentes com rápido crescimento do crédito acelerassem a capitalização dos bancos e moderassem o ritmo dos financiamentos para evitar futuras crises.

    Avaliação do setor financeiro

    O relatório do FMI decorre de um reforço na supervisão dos sistemas financeiros após o estouro da crise da Ásia, em 1999. Desde então, o Fundo vem fazendo um monitoramento voluntário por meio do programa de avaliação do setor financeiro, executado em conjunto com o Banco Mundial, nos países de baixa renda e de mercados emergentes.

    Em 2010, o Fundo tornou essa verificação da saúde financeira um elemento obrigatório de sua supervisão a cada cinco anos em 25 países em que o setor financeiro tem importância sistêmica, como o Brasil.

    Fonte: Valor

    Veja só o final da reportagem:

    ” O banco dos bancos centrais mostrou que o Brasil está na zona de risco: expansão do crédito num ritmo muito mais rápido que o PIB nos últimos três anos, “efervescência” que duplicou os preços de imóveis nas grandes cidades e endividamento na direção de patamar recorde.”

    0
    • Curioso 31 de julho de 2012 at 15:22

      Notícia bem propícia para o título do post de hoje: JÁ ERA!!!

      0
  • Luiz 31 de julho de 2012 at 15:39

    Alguem se interessa pela bolha imobiliaria na Australia???

    acabou de explodir, junto com o BR, mas lá eles tem numeros confiáveis

    Not so Hot: Tracking “Hot Spots”
    Quedas de quase 10%

    “http://worldhousingbubble.blogspot.com.br/

    0
  • Joao 31 de julho de 2012 at 16:54

    Bolha, esta vale tópico

    FMI vê riscos de bolha no Brasil com expansão acelerada do crédito

    Leia mais em:
    http://www.valor.com.br/financas/2771276/fmi-ve-riscos-de-bolha-no-brasil-com-expansao-acelerada-do-credito#ixzz22EQuxnFh

    0
  • GB 31 de julho de 2012 at 17:48

    Nossa, li a reportagem do Manteiga e fico me pergutando em que planeta ele vive.

    Ele disse que a economia está dando sinais de reaquecimento já neste semestre, mas ele deve estar se baseando só nos carros, pois eles não podem contar mais com o imobiliário, que está às moscas.

    O problema é que quem planejava comprar um automóvel zero até o fim do ano já o fez aproveitando a redução, então as vendas neste 2º semestre vão ser muito baixas.

    E ele continua falando que o trabalhador não vai sentir a crise internacional, diz isso pros caras que estão perdendo os carros ou para os demitidos ou para os que estão sendo contratdos no lugar deles por salários menores.

    Mas para esse governo de aparências, demitirem 20k e contratarem 19k com salário quase pela metade é a mesma coisa estatistivamente falando.

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    0
    • GB 31 de julho de 2012 at 17:51

      Governo populista é muito trash.

      0
      • Seu Madruga 31 de julho de 2012 at 18:08

        Por falar em trash, o desgoverno poderia contratar o Zé do Caixão como porta voz do Manteiga.
        Ou para fazer propaganda do Feirão da Caixa:
        – Cooompre seu imóóvel financiado na caixa e ganhe uma maaaldição de 35 anos como brinde!!!!!
        Mais honesto do que colocar a Camila “Ouviria as piores notícias dos seus lindos lábios” Pitanga.

        0
        • RosinhA 31 de julho de 2012 at 18:15

          E na super promoção quem tiver mais de 60 anos ganha o enterro com caixão grátis, se não morrer até lá te damos metade do valor das parcelas pagas de volta, mas só os primeiros 90.000 idosos aproveitem. 🙂

          0
  • GB 31 de julho de 2012 at 18:04

    Sessão terror das sardinhas: IMOB -1,67%

    Ativo Últ. R$ Var.Dia %
    IGTA3 43,85 +4,48%
    ALSC3 18,98 +2,04%
    LPSB3 36,50 +1,96%
    GSHP3 8,92 +1,36%
    BRPR3 23,90 +0,84%
    EZTC3 21,78 +0,83%
    JHSF3 6,15 +0,65%
    EVEN3 6,55 0,00%
    TCSA3 7,23 0,00%
    HBOR3 9,10 -0,22%
    BRML3 23,92 -0,95%
    BBRK3 6,30 -1,87%
    RSID3 4,65 -1,90%
    MULT3 51,82 -2,08%
    MRVE3 11,15 -3,38%
    BISA3 3,07 -3,76%
    GFSA3 2,51 -3,83%
    CYRE3 14,80 -4,52%
    PDGR3 3,41 -7,34%

    0
    • RosinhA 31 de julho de 2012 at 18:13

      Acreditem no Corvotor sexta ele postou que apostaria na BISA3 hoje queda de 3,76% que pena que ele corvotor sumiu, mas ainda bem que se despediu pelo menos 😉

      0
    • Luiz 31 de julho de 2012 at 18:27

      A grande G no pico de 21 reais
      Se caisse 10% seria uma queda de 2,10 reais

      Se hoje subisse 10%
      seria um aumento de 0,25 centavos.

      0
      • RosinhA 31 de julho de 2012 at 18:30

        Calculadora de Turco 😀 só que as sardinhas não entendem.

        0
  • GB 31 de julho de 2012 at 18:15

    Êêêêêêê, mais uma resposta pro meu anúncio de “Procuro terreno por 50K”, mas essa se estressou, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk:

    Mensagem dela (deve ser coRetora):
    “amigo,meu querido na regiao que eu moro em Sao Roque os lotes estam avaliados 100mil,vc e muito pobre c50 nao da em nossa regiao,junta mais manei p comprar querido.$ ”

    Minha resposta educadinha:
    ‘Querida, não é questão de “ser pobre”, é questão de dar o valor justo às coisas (de não ser trouxa mesmo).

    Esses terrenos daqui (não posso falar sobre os da sua cidade), estão superavaliados, não valem o preço que pedem (é puro agio), e a maior prova disso é que não vendem, estão encalhados há muito tempo e pelo que eu tenho visto os valores pedidos são os mesmos de 7 meses atrás, portanto são um péssimo investimento.

    Mas um dia eles se cansam, caem na real e vendem pelo valor correto, eu não tenho pressa, deixo meu $$$$ rendendo para mim no banco até lá.

    Valeu.”

    GB: Luva de pelica, MODE ON

    0
    • Luiz 31 de julho de 2012 at 18:23

      GB eu conheço S. Roque e o tal Altos de S. Roque

      Se não for terreno grande no centro da cidade 50k é muito.

      Tem muita terra devoluta naquela região, os preços começam em 5k, a maior parte vale 30k. tem um sitio de 1 alqueire com casa, vinhedos, animais e lago a venda por 300k faz mais de 1 ano, não aperece interessado nenhum.

      0
    • GB 31 de julho de 2012 at 18:23

      kkkkkkkkkkkkkkkkkk, o e-Mail que ela passou era falso, voltou com mensagem de que “não foi encontrado”, deve ser o mesmo 1º que me respondeu, como não respondi pois ele não disse se aceita as 50k Dilmas agora está tentando me fazer melhorar a oferta, bobinho.

      Mas não adianta, eles se baseiam em “avaliação” de corretor como se isso fosse algo divino, mas para mim essas pseudo-avaliações baseadas em boatos e uma lata de m*r*a é a mesma coisa.

      Não falei que ficar espalhando propostas abaixo do que eles acham o certo e colocando palavras como especulação e ágio iam deixá-los bravos ?

      0
  • Luiz 31 de julho de 2012 at 18:17

    Prezado sr. BOLHA:
    JÁ TEMOS a capa de amanhã

    No ESTADAO.COM.BR

    “FMI alerta para riscos da expansão do crédito no País.

    Endividamento das famílias e BOLHAS EM PREÇOS NO SETOR IMOBILIARIO são os perigos mais evidentes, diz relatório

    “http://economia.estadao.com.br/noticias/economia%20brasil,fmi-alerta-para-riscos-da-expansao-do-credito-no-pais,121385,0.htm

    0
    • Timelo Rego 31 de julho de 2012 at 18:41

      Sabe o que eu acho mais melado nessa história toda?
      Eu morei fora por 4 anos, la no inicio dos anos 2000… e sempre vi que no Brasil tudo realmente sempre foi mais caro que nos países desenvolvidos, mesmo quando estávamos em crise e ngm tinha dinheiro TUDO aqui era mais caro… o kg do arroz, o carro zero, a carne bovina (apesar de sermos os maiores produtores!!)…
      Acredito e vejo a bolha… só nao vê quem está para perder dinheiro com ela.. (ou vê mas não aceita)… mas conhecendo a cultura de meu país e as maracutaias incriveis desse pessoal… pode ser que essa bolha estoure mas não murche… (prevendo o passado)
      Muitos falam em agosto… outros falam depois das eleições… outros em fevereiro… eu acho que vai demorar bem mais… eles (politicos e ricos) sempre compraram a verdade por aqui e o resto que se f…

      0
      • Luiz 31 de julho de 2012 at 18:54

        Timelo,

        os preços eram mais altos e a qualidade bem pior, mas não era esse escracho, vou te dar um exemplo:

        – aluguel de carro na espanha: 9 euros/dia = 25 reais
        – aluguel de bicicleta no Parque em SP = 25 reais a hora

        o carro vem de série com abs, air bag, ar condcionado, tudo eletrico, sensor de todo tipo, piloto automatico, motor 16v ou turbo, …

        a bicicleta vem com bagageiro e cadeirinha para criança

        0
        • Timelo Rego 31 de julho de 2012 at 20:23

          e pra completar a de que os politicos compram a verdade… um trecho da matéria do link que vc postou acima:

          “Esta foi a primeira vez que o governo brasileiro autorizou a divulgação do documento pelo FMI. A avaliação do setor financeiro é feita desde 1999, a cada cincos, em 25 países.”

          0
        • Matheus Moraes 31 de julho de 2012 at 20:36

          Seria cômico, se nao fosse trágico.

          0
  • RosinhA 31 de julho de 2012 at 18:44

    Bolha não me aguentei e tirei fotos dos corvotores sentados hoje na garoa e no frio, no banquinho de plástico, segurando guarda-chuvinha do vento, no terreno sem muros, sem nada, só na terra, escrito lançamento, pode enviar para você postar ou tem algum lugar pra colocar.

    Meu é muito traumático para novos corvotores, te garanto.

    0
    • Guilherme 31 de julho de 2012 at 18:57

      Perto de minha casa (Brasilia), no ultimo fim de semana, havia um churrasco de lançamento de um empreendimento.

      Quase tirei uma foto: Parecia uma confraternização de coretores, só haviam coretores (uns 30) e nenhum, nenhum visitante no momento que passei.

      0
  • Mineiro BH 31 de julho de 2012 at 19:13

    E aí, vejam o Krugman citando a bolha na Europa…
    Um dos fatores que ameaçam o Euro…
    Mas na Bananalândia tá tudo OK, não temos bolha, mas se tivermos bolha o Real é muito mais forte que esse tar de Euro… disse o moluscão…

    ———————–

    A queda do zangão
    31 de julho de 2012 | 14h51

    Paul Krugman

    Na semana passada, o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, declarou que sua instituição “está pronta para fazer tudo aquilo que for necessário para preservar o euro” – e os mercados celebraram. Os juros sobre as obrigações da Espanha, em especial, caíram bastante, e os mercados de ações prosperaram por toda parte.

    Mas será que o euro vai mesmo ser salvo? Esta é uma pergunta para a qual ainda não há resposta.

    Em primeiro lugar, a moeda única da Europa é uma construção extremamente imperfeita. E Draghi mostrou ter consciência disto. “O euro é como uma mamangaba (uma espécie de zangão)”, declarou ele. “Trata-se de um mistério da natureza, pois ela não deveria voar, mas voa. Assim, o euro foi uma mamangaba que voou muito bem por vários anos.” Mas, agora, a moeda deixou de voar. O que pode ser feito? Ele sugeriu que a resposta fosse “converter-se numa abelha de verdade”.

    Deixando de lado as questões biológicas, entendemos o que ele quer dizer. No longo prazo, o euro só vai funcionar se a União Europeia se tornar muito mais parecida com um país unificado.

    Pensemos, por exemplo, na comparação entre Espanha e Flórida. Ambas tiveram imensas bolhas imobiliárias seguidas por quebras dramáticas.

    Mas a Espanha enfrenta uma crise que não existe na Flórida. Por quê? O motivo é que, quando o declínio econômico nos atingiu, a Flórida pôde contar com Washington, que assumiu a conta da previdência social e do sistema de saúde, garantiu a solvência de seus bancos, ofereceu auxílio de emergência para os desempregados, e mais.

    A Espanha não pôde contar com tal rede de assistência e, no longo prazo, esta situação precisa ser revertida.

    Mas a criação dos Estados Unidos da Europa não vai ocorrer em breve – se é que um dia veremos tal coisa – ao passo que a crise do euro está ocorrendo agora.

    Assim sendo, o que pode ser feito para salvar a moeda? Bem, qual foi o motivo que permitiu que esta mamangaba voasse durante algum tempo? Por que o euro pareceu funcionar durante os seus primeiros oito anos, mais ou menos? Porque as falhas da estrutura foram mascaradas por um período de prosperidade no sul da Europa.

    A criação do euro convenceu os investidores de que era seguro oferecer crédito a países como Grécia e Espanha, antes considerados arriscados, e isto trouxe muito dinheiro a estes países – principalmente para financiar empréstimos privados, e não públicos, sendo a Grécia a exceção.

    E, durante algum tempo, todos ficaram felizes. No sul da Europa, imensas bolhas imobiliárias levaram a uma alta acentuada nos empregos ligados à construção, mesmo enquanto a atividade manufatureira se tornava cada vez menos competitiva.

    Ao mesmo tempo, a economia alemã, que andava estagnada, começou a prosperar graças à acentuada alta nas exportações destinadas às economias do sul, onde as bolhas tinham se formado. Tudo indicava que o euro estava funcionando.

    Então as bolhas estouraram. Os empregos na construção desapareceram, e o desemprego aumentou vertiginosamente no sul; hoje ele afeta mais de 20% da população da Espanha e da Grécia.

    Ao mesmo tempo, a renda caiu muito; em geral, grandes déficits orçamentários são o resultado da crise, e não a sua causa. Independentemente disso, os investidores fugiram, aumentando assim o custo do crédito.

    Numa tentativa de acalmar os mercados financeiros, os países afetados impuseram rigorosas medidas de austeridade que aprofundaram seu declínio. E o euro como um todo parece perigosamente instável.

    O que poderia reverter uma situação tão perigosa? A resposta é bastante clara: os governantes teriam de a) fazer algo para reduzir o custo do crédito no Sul da Europa e b) dar aos devedores europeus o mesmo tipo de oportunidade para quitar as dívidas por meio da exportação, como fez a Alemanha nos anos de prosperidade – isto é, criar na Alemanha um período de prosperidade semelhante ao período feliz vivido no Sul da Europa entre 1999 e 2007. (Sim, isto significaria um aumento temporário na inflação alemã.)

    O problema é que os governantes europeus parecem relutantes em aceitar a medida a e demonstram completa aversão à medida b.

    Em seus comentários, Draghi – que me parece compreender tudo isto – basicamente sugeriu a ideia de fazer o Banco Central comprar um grande volume de obrigações europeias para reduzir este custo do crédito. Mas, nos dois dias seguintes, representantes do governo alemão pareceram jogar água fria na proposta.

    Em princípio, Draghi poderia simplesmente anular as objeções alemãs, mas será que ele estaria disposto a fazer isto? E a compra de obrigações é a parte fácil.

    O euro não pode ser salvo a não ser que a Alemanha também esteja disposta a aceitar uma inflação substancialmente mais alta nos próximos anos – e, até o momento, não vi nos representantes alemães nenhum sinal de disposição em debater a questão, que dirá em aceitar aquilo que for necessário. Em vez disso, eles continuam insistindo, apesar dos seguidos fracassos – lembram-se de quando pensamos que a Irlanda estava no rumo da recuperação? -, que tudo ficará bem se os devedores simplesmente respeitarem seus programas de austeridade.

    Assim, será que o euro poderia ser salvo? Sim, provavelmente.

    Deveríamos salvá-lo? Sim, por mais que sua criação pareça hoje ter sido um grande erro. Afinal, o fracasso do euro não provocaria apenas perturbações econômicas; seria também um gigantesco golpe contra o projeto europeu mais amplo, que trouxe paz e democracia a um continente dono de uma história trágica.

    Mas será que ele será mesmo salvo? Apesar da determinação demonstrada por Draghi, esta é uma pergunta que, como já apontei, continua sem resposta. / TRADUÇÃO DE AUGUSTO CALIL

    0
    • O Irritado 31 de julho de 2012 at 22:13

      “E, durante algum tempo, todos ficaram felizes. No sul da Europa, imensas bolhas imobiliárias levaram a uma alta acentuada nos empregos ligados à construção, mesmo enquanto a atividade manufatureira se tornava cada vez menos competitiva.”

      Waw !! Até aqui, qualquer semelhança é mera coincidência.

      Só que, depois:

      “Então as bolhas estouraram. Os empregos na construção desapareceram, e o desemprego aumentou vertiginosamente no sul; hoje ele afeta mais de 20% da população da Espanha e da Grécia.

      Ao mesmo tempo, a renda caiu muito; em geral, grandes déficits orçamentários são o resultado da crise, e não a sua causa. Independentemente disso, os investidores fugiram, aumentando assim o custo do crédito.”

      Já temos um roteiro, então ?!

      0
  • Comprei_em_2004 31 de julho de 2012 at 19:38

    A questão do financiamento dos imóveis, pega da mesma maneira que nas empresas.

    O financiamento em empresas é, teoricamente, o dinheiro barato e que também tem o benefício fiscal de ser uma despesa dedutível. Essa afirmação é válida para empresas cujo, a grosso modo, retorno do ativo é superior ao custo de captação líquido do IRPJ.

    Para as empresas que não vão tão bem nos seus negócios, o financiamento deve ser usado só em última instância e/ou por curtos intervalos de tempo (capital de giro temporário), caso contrário estará destruindo valor.

    Fazendo uma analogia com imóveis, cujos juros pagos não são dedutíveis da PFísica e considerando que o all-in de um financiamento não fica abaixo de 9,5%, a grosso modo você só aumentará sua riqueza se o imóvel se valorizar mais de 9,5% a.a., é uma simples questão de spread. Valorizando menos, ou até, desvalorizando o investidor estará queimando patrimônio.

    Se estão pedindo R$ 10k/m2 por um apto de 100m2, o que dá uma milha, uma conta que pode ser feita é a seguinte:

    -> Na real esse apto vai ser alugado por uns R$ 3,5k (dado o poder de compra dos brasileiros) façamos a conta de quanto se consegue financiar (30 anos) e 9,5% all-in, pagando-se R$ 3,5k. Tem-se: (3,5/(0,00759+0,00278), que dá R$ 337,5k;

    -> O comprador teria que dar uma entrada de R$ 663k;

    -> Numa conta simplista (sem considerar a inflação), para um CDI de 7,83% a.a. à alíquota de 15% (dinheiro antigo) comprador seria remunerado em R$ 3,55k/mês o que já garantiria uma perpetuidade. Sem se comprometer com financiamento algum e tendo a liberdade de se mudar quando quisesse, ou ainda ter caixa para quando os preços caírem;

    -> Sendo mais rigorosos, poderíamos colocar CDI de 7%, alíquota de 15% e inflação de 4,5%, para chegarmos a uma remuneração líquida real de 1,388% a.a. O que possibilitaria a essa sua reserva pagar o aluguel por 213 meses. Mas em 213 meses, poupando R$ 3,5k da prestação o investidor conseguiria R$ 844k, quase o valor do apto;

    Os cálculos acima são válidos considerando-se que estamos no pico da valorização desses ilíquidos ativos que são os imóveis, e que os mesmos conseguirão acompanhar a inflação, o que é bem improvável.

    Havendo decréscimo no preço o valor do aluguel pode cair e o ponto de encontro entre o somatório da poupança nova + velha se dará bem antes dos 213 meses.

    0
  • AF 31 de julho de 2012 at 20:01

    Enquanto isso na FITCH:

    Já sobre o setor de imóveis, a agência não espera queda significativa dos preços no curto prazo, ainda que os preços pareçam caros e sobrevalorizados em algumas áreas. Há, no entanto, certos riscos para potencial declínio dos preços dos imóveis no País, como o comportamento da taxa de desemprego.

    “http://estadao.br.msn.com/economia/fitch-diz-que-monitora-obriga%c3%a7%c3%b5es-de-bancos-e-desemprego-no-brasil”

    0
    • AF 31 de julho de 2012 at 20:10

      O programa Conta Corrente 2 da GloboNews também pautou o assunto bolha imobiliária hoje. Como sempre, segue a negação. Quando sair o link coloco aqui.

      0
      • CAMBALHOTA 31 de julho de 2012 at 21:23

        Acabei de assitir, NEGAÇÃO PURA.

        Falaram para não se preocupar pois aqui no Brasil os bancos são muito criteriosos quanto ao processo de concessão do crédito.

        Conta outra, então como irão vender os imóveis bolhudos se não permitir crédito?

        0
  • Virginia 31 de julho de 2012 at 21:35

    O Profissão Repórter de hoje vai mostrar os estrangeiros, principalmente europeus, vindo para o Brasil devido ao “excelente momento” vivido pela nossa economia…

    oioioi

    0
  • Neo 31 de julho de 2012 at 21:56

    Boa noite, segue uma parte do boletim que recebo

    ps. Rosinha estamos esperando o restante da dica de como entrar em contato com o vendedor sem passar pelo corretor 🙂

    ———————————–

    EUROPA – A Espanha está inegavelmente “quebrada” e necessita de ajuda urgente do BCE… “Catalunha pede socorro financeiro ao governo da Espanha. A Catalunha está devendo 42 bilhões de euros e não tem como pagar os compromissos já a partir do segundo semestre. A região é a segunda mais rica da Espanha, atrás apenas de Castela, região de Madri.” (Fonte: Globo)

    Situação continua pioranndo de forma assustadora… “O número de desempregados na Espanha aumentou em 53.500 pessoas no segundo trimestre do ano, chegando agora a 5.693.100 pessoas, o que elevou a taxa de desemprego a 24,63% da população ativa. Com essa nova alta do desemprego, agor a já são quatro trimestres seguidos de dados negativos.” (Fonte: Globo)

    Agora é oficial… “A Espanha, pela primeira vez, reconheceu que pode precisar de um resgate integral da União Europeia (UE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) no valor de 300 bilhões de euros se os seus custos de empréstimo continuarem altos de forma insustentável, afirmou uma autoridade da zona do euro.” (Fonte: Reuters)

    0
    • RosinhA 31 de julho de 2012 at 22:00

      Neo esse post será cômico com certeza 😉 tenho medo de ser perseguida após a divulgação de seus métodos infalíveis.

      Leve o post para o novo para não ficar perdido.

      0
  • Glaucio 1 de agosto de 2012 at 00:04

    Comecei a notar que aqui em Curitiba uma diminuição no número de pessoas trabalhando na divulgação de empreendimentos. Antes eram meia dúzia em cada semáforo.
    Li há algumas semanas naquele jornal gratuito, Metro, que o percentual de famílias endividadas na capital paranaense era de 90%.

    0