Carta da RosinhA aos leitores

Você pode gostar...

Comments
  • self 16 de agosto de 2012 at 18:52

    Bastante didático e ilustrativo da situação. Parabéns!

    0
    • RosinhA 16 de agosto de 2012 at 19:23

      Tem uma justificativa minha abaixo o post não é meu e sim de Rafael Seabra encontrei agora depois de procura muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito.

      Méritos a ele Rafael Seabra….. mas o post abaixo esse sim eu escrevi 😉

      1+
      • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 09:27

        Matou a pau!!!… É isso mesmo!
        E pra quem “está chegando agora” ficou bem esclarecedor
        Dá-lhe Roses!

        0
  • Sol de Sampa 16 de agosto de 2012 at 18:58

    second … snif snif…

    RosinhA, congratulations … excelente pegada. Acho que de agora em diante precisaremos fazer estes resumos.

    0
  • xangai 16 de agosto de 2012 at 19:05

    mais do mesmo :::
    Reclamações contra construtoras crescem 31% no semestre
    “http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/infomoney/2012/08/16/reclamacoes-contra-construtoras-crescem-31-no-semestre.jhtm”

    detalhe :::
    “….o caso de desacordos no financiamento com os bancos, houve 526 reclamações, sendo que no ano anterior foram registradas 390 queixas, um aumento de 35%….. ”

    de novo VGV my ass … vender so 10% eh facil ( aindaaa ) mas na hora do financ e receber tudo …!

    526 unidades com reclamacao de nao possivel financiamento ?!?
    vai pro pau ?!?!
    vao ter que devolver ate 80% do que o louco pagou !??!
    a unidade volta pro estoque rapido ou fica ate o final do processo ?!?

    0
  • Lion 16 de agosto de 2012 at 19:05

    Simples e didático, muito bom! Já havia lido no post anterior, quando vc postou como comentário! Mereceu ser tópico!

    0
  • Ral 16 de agosto de 2012 at 19:06

    Parabéns Rosinha ,

    Acredito também na Bolha no Brasil mais não acredito que seja uma bolha especifica no setor imobiliario:

    Observando dois fatores : 1) Preço e 2) Trabalho

    1) Os preços pelo menos em São Paulo tudo esta caro, muito caro como : Serviços, Combustivel , Cinena , Estacionamento , Mercado , assim temos uma BOLHA DE PREÇOS

    2) Trabalho : Aqui sim tem algo de errado, se tem uma coisa que o Lula fez de péssimo no Brasil foi criar o vagabundo oficializado; Hoje no Brasil muita gente fica pouco tempo no emprego ou força a demissão para receber o seguro desemprego , também tem aqueles que querem viver de bolsa familia , e os mais espertos querem viver de Renda , o camara tem 5 casas de aluguel e não quer mais trabalhar , não produz nada para economia , absolutamente nada , também deixo a critica para aqueles que se iludem com o crédito farto e sai gastando , Assim temos varias bolhas a saber : Bolha de Credito , Bolha de mão de obra ; etc

    0
    • RosinhA 16 de agosto de 2012 at 19:21

      SIm tem toda razão conversava com a Hanna sobre isso no outro post

      0
      • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 09:32

        É verdade…
        Uma boa parte de toda uma geração perdeu a noção de trabalho.
        Ontem, um exemplo emblemático.
        Meu irmão ofereceu um serviço no Mc Donalds pra um rapaz cuja família está, em tese (digo “em tese”, diante do desfecho que a história teve), passando necessidade. O rapaz tem 17, ainda terminando o segundo grau e não tem curso de nada a mais.
        Trabalhar lá não é fácil e no início “paga pouco”. Justamente por isto, o rapaz não quis. “Trabalhar de final de semana? Ah não?”. “Ganhar menos de 1.000? Ah não…”
        Gente… Fala sério! E é a crasse C!!! Trabalhar de final de semana não é fácil. Agora, o cara não tem estudo, não tem experiência, não tem nada, tá passando necessidade e quer – de cara – entrar num serviço pra ficar sentado o dia todo e ganhar mais de mil reais!? Demais né…

        0
    • Grazi 17 de agosto de 2012 at 02:01

      Também acho. Só imóveis apareceu mais pelo fato, que chegou a um ponto ridiculo.

      0
  • RosinhA 16 de agosto de 2012 at 19:15

    Bolha e colegas justiça seja feita o artigo não é meu…..copiei pedaços da internet,não saiu tudo dessa cachola 😉 por isso resolvi fazer um post para redimir minha indução ao erro desculpem-me:

    Minha estória de como enxergo o mercado: Esse sim saiu da minha cuca.

    De 2001 a 2010 os imóveis começaram a escalada de preços como foguetes, primeiro o lançamento um pouco lento, pois ainda não possuem nenhuma inércia, depois pega a grande força, subindo com alta velocidade, logo após permaneçe com sua velocidade em mesmo ritmo e começa a desaceleração. Sol se estiver errado essa é sua área 😉 física.

    Em 2007, 2008, 2009 com os dados da primeira crise Americana a bolsa despenca e os grandes investidores correm para um porto seguro o da alta valorização os imóveis, acho que mesmo que parte da população que perdeu em investimentos nesse período, voltou seus olhos para o setor, só que com taxas de corretagem que nos imóveis chegam a 6% e na bolsa 0,1% , começaram a colocar na conta esses números, e cada vez o aumento foi sendo maior, sem contar que a liquidez é muito pior, e o risco para mim depedendo do imóvel chega a ser o mesmo. O mais engraçado é que coincide 2008 com os aumentos expressivos que começaram por aqui.

    Os corvotore se aproveitam dessa fase e “mostram aos compradores (investitolos)”, lucros exorbitantes de 50% ao ano, lucro fácil, venda rápida, compradores aos montes, muitas vezes investindo só a entrada e revendendo em cima de lucros totais.

    Todo o mercado começa a se estruturar para os ganhos:

    – Corretores em geral começam a vender consórcios.
    – Bancos começam a lucrar com as grandes taxas cobradas.
    – Construtoras começam a especular áreas e locais mais requisitados.
    – Corretores de imóveis tendo lucros nunca obtidos antes.
    – Dono de imobiliárias, construindo para venda, começando a deturpação dos valores.
    – Donos de terrenos especulandos valores em casas de 80 anos.
    – Construtores e prefeituras fazendo acordos milionários.

    entre outros…..

    Final de 2011 começo de 2012, os grandes especuladores já percebem que o mercado começa a dar sinais de saturação, vendem o que podem, e começam a sair do mercado, ocasionando a queda de vendas e de lançamentos, os menos experientes ainda compram com preço 3x ou 5x a mais “bolhudo” esperando lucro de 10X. Bolsas extremamente enlouquecidas com altas e baixas estilo montanha russa, sem ter pelo menos um fundamento que pudesse explicar tamanha variação.

    Para mim a maior indicação de que o número de imóveis está acima do necessário, é que a multiplicação dos imóveis à venda é muito maior do que os imóveis para aluguel, percebe-se que a maioria já percebeu a real situação e está a espera de que o mercado se acomode, ou até mesmo começe a despencar, isso resume o seguinte: Pouca gente está comprando agora, a maioria já sabe que algo está errado, indo assim atrás do mercado de aluguel que começa ter altas expressivas.

    Quando começam muitos murmurinhos sobre um assunto é que a coisa realmente não anda bem, artigos aos montes em imprensa e jornais, e começam os primeiros pipocos aqui e ali na televisão aberta e principalmente por asssinatura sobre Bolha Imobiliária.

    Quando os corvotores, e pessoal do ramo começam a declarar que a coisa não está boa, dizendo que os negócios não vão bem, as construtoras com prejuízo, e todas as notícias ruins da economia, só podem significar o seguinte: O mercado está mal, ainda caminha porque muita gente ainda não obteve seu lucro, está empurrando, tentando empurrar a força, quando esse último pessoal cair fora, aí sim vamos ver qual a cor da roupa íntima de quem esta no lago, muitos vão se dar mal, principalmente aqueles que vão apostar a todas fichas no Cassino da construção civil bem próximo do estouro.

    Concluindo agora não é hora de comprar, muito menos de fazer ofertas, deixem quieto o mercado, os corvotores, para quem quer vender ou coretar, a pior coisa é não rebecer proposta alguma, verificar seu telefone para ver se funciona, assim ele começa a cair na real que o preço ou a qualidade de seu produto estão fora da realidade, e serão os primeiros a tentar refazer as besteiras que cometeram anteriormente. Sei que é difícil para quem é do tipo ansioso, mas quem vai fazer os melhores negócios, são aqueles que deixarem para comprar na hora do desespero total dos vendedores e corvotores, coisa que ainda está começando de forma tímida, portanto a hora é de sentar alugar e compra Toddy de litro, pipoca e bloggar bastante como fazemos todos os dias por aqui. 😉

    0
    • Seu Madruga 16 de agosto de 2012 at 23:59

      Parabéns Housinha!!!

      0
    • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 09:35

      Como não é hora de comprar? Você está louca? O mercado está bom, normal, bombando. Veja:
      “http://vilamulher.terra.com.br/imovel-ainda-e-um-bom-investimento-5-1-38-763.html
      Hahahahaha
      {Ironic Mode – Off}

      0

    • Rosss 17 de agosto de 2012 at 10:41

      Parabéns! Queria este talento de por as coisas tão as claras!
      Sentemos e esperemos, pois a coisa vai feder.

      1+
  • Sérgio 16 de agosto de 2012 at 19:59

    Grande Rosinha, suas postagens estão entre as mais apimentadas, sarcásticas, espirituosas e certeiras entre todos dos BLOG – sem sombra de dúvida.
    O texto acima é bem elucidativo, principalmente para visitantes do BLOG e/ou pessoas que não estão muito familiarizadas com o assunto.
    No entanto, para os que estão tarimbados no assunto, algumas afirmações não são cogentes com o modelo que estamos vivenciando, especificamente. Explico:
    É fato que investidores é que começaram com toda essa situação, com todo o apoio de nosso governo e de nossas construtoras. Entretanto, esses investidores são (ou foram) em sua imensa maioria composta de estrangeiros, através de diversos fundos, agregando tanto pequenos – aos milhares – quanto os gigantes, como o famoso Sam Zell.
    Esses provocaram uma alavancagem sem precedentes nas real state recém ingressadas na Bolsa. Essas, por sua vez, de forma coordenadas e extremamente rápidas adquiriram fábulas em terrenos a preços de banana, ainda entre os anos 2006 e 2008.
    Essa a primeira etapa, onde bananenses aspirantes a investidores nem sonhavam com as primeiras “peças” que eram “movidas”.
    Já nesse período, podia se observar um ligeiro aumento nos preços dos imóveis, que ganhavam por 2 ou 3 pontos percentuais acima da inflação. Esse aumento, verdadeiramente, correspondia ao verdadeiro espírito da lei da oferta e procura, além de refletir de fato com o aumento de renda verificado dos bananenses.
    No entanto, com relaçao aos terrenos, principalmente nos grandes centros e médias cidades próximas, já se podia “experimentar” aumentos meio que astronômicos. Sei disso, pois, que foi o período em que ingressei no serviço público federal e começava a “querer” comprar algo, pois que antes estava F.D.D.
    Percebi que alguns terrenos em minha cidade passaram de 30 para 70K em pouco mais de um ano (hoje os mesmos são “pedidos” por mais de 200K). Foi a época em que resolvi esperar, até por não mais estar morando em minha cidade, no sul do Rio.
    Voltando ao assunto. Foi nesse período também que a caixa passou de 240 para 360 meses o prazo para financiamento de imóveis.
    Na época, apesar de achar esse prazo pessoalmente desnecessário, achava “bom” para as pessoas que não tinham uma renda razoável, mal sabendo da merda que daria.
    Em 2008 a coisa já tinha subido bastante, os investidores estrangeiros monopolizavam quase todo o dinheiro envolvido.
    Nesse período aconteceu a bolha americana e a crise que se alastrou pelo mundo, inclusive na banânia. Foi então que o governo, atendendo ao programado anteriormente (muitos dizem que não) adiantou o programa MCMV, acalmando os grandes empresários bananenses e trazendo mais dinheiro estrangeiro ainda.
    Foi nesse momento, 2008/9, que os bananenses perceberam o filão. Digo, os especuladores tupiniquins. Nesse embalao vieram também toda a nossa “poderosa” cRasse c e parcela considerável da antiga.
    Foi nessa época que muitos especuladores e muitos cidadãos bananenses entraram de cabeça nos lançamentos de imóveis “na pRanta”. É certo que muitos aqui, senão todos, sabem que não há necessidade de se comprovar renda para aquisição desses “tesouros”.
    Foi a imagem do inferno: lançamentos esgotavam-se praticamente no mesmo dia do lançamento; alguns levavam um pouco mais de semanas; mas todos eram – invariavelmente vendidos. Foi aí que começaram as revendas: imóveis comprados na pRanta em um mês eram vendidos no mês seguinte com “valorização” de 20, 30 , 50%.
    Na banânia havia se descoberto a galinha de ovos de ouro.
    Nessa época, eu estava totalmente perplexo: via pessoas com renda bem inferior a minha comprando imóveis de mais de 100K (hoje esses, tanto em minha cidade no Rio, quanto aqui em Cascavel/PR, estão “avaliados” em mais de 300k).
    Eu não conseguia entender: 100k em 2008/9, assim como hoje, ainda reputo como muito dinheiro.
    Bem, fiquei meio depressivo por quase 2 anos, mesmo ganhando mais de 10 sm, achava-me extremamente pobre.
    Em 2010, descobri três coisas que salvaram minha vida: primeiro foi o artigo do Luciano D’Agostinni, publicado em outubro daquele ano; em seguida foi a descoberta do site O Pequeno Investidor, que argumentando, consubstanciou o pensamento do prof Luciano D Agostinni.
    Em seguida descobri esse nosso GRANDE BLOG.
    Estranhamente, foi nessa mesma época que grandes investidores sairam das real state bananenses (e de outras empresas) e começou a “descida” da Bolsa.
    Ou seja, os grandes investidores e fundos estrangeiros deram linha, deixando para trás só a gentalha marron.
    No início de 2011, como os preços já estavam estratosférico, as vendas começaram a cair, à taxas de 10, 20, 30% a cada semestre.
    Logo em seguida vieram as tão esperadas entregas das chaves.
    Acontece que a grande maioria dos investidores que compraram na pllanta (e não venderam) não tinham como pagar o restante ou, tampouco, financiar. Foi aí que começaram as devoluções, distratos, que se estendem até os dias atuais.
    Esses, em síntese (síntese??), são os pontos a que não concordo plenamente com sua postagem.
    Sobre o estouro, é certo que já ocorreu. O negócio é que não é nada assim do outro mundo, como foi nos EUA.
    As pessoas que tinham casas de 100k antes e que agora “valem” mais de 400K não irão admitir que ficaram pobres de um dia para o outro.
    O que faria, ou fará isso acontecer mais rápido, além da inadimplência, é o próprio desemprego.
    Mas lembre-se o que já foi dito às escâncaras aqui no BLO:
    Vivemos no país com o maior socialismo selvagem já verificado na história desse planeta.
    O governo vai vender a alma ao diabo para retardar o colápso, que já está a porta.
    No mais Rosinha (e outros amigos do BLOG), não me leve a mal, pois que a admiro muito, inclusive invejo-a por suas últimas postagens.
    Abraços,

    0
    • Ploc 16 de agosto de 2012 at 20:16

      Sergio,

      nâo poderia ser mais preciso.
      Só gostaria de adicionar que a frase “o preço dos imoveis está caindo” está na boca do povão. Todo mundo que falo desde o mais ignorante ou não está com essa frase na boca. E como o mantra do “imovel sempre valoriza” o “o preço dos imoveis está caindo” é tão perverso quanto.

      Abraços,

      PLOC

      0
    • RosinhA 16 de agosto de 2012 at 21:37

      Tentei resumir a situação e você escreveu todas as entrelinhas, certíssimo…

      No mais….. hahaha o cara deu uma aula e diz que invejo-a, inverto a situação e digo parabéns 3X eu que invejo 😀

      Por isso esse blog é bão, tem gente especilista de todos os ramos aqui, fora a diversão garantida, pelo menos de minha parte 😉 qualquer dúvida ligue no CVVC e terá um ombro amigo.

      0
    • Sol de Sampa 16 de agosto de 2012 at 23:50

      Sergio, ótimo post, esse tipo de informação deveriam dominar os primeiros post em cada tópico…

      Acredito que depois das eleições o governo não terá mais como intervir na economia e as quedas serão bem pronunciadas…

      Eu, quando entrei no blog acreditava que em outubro a coisa já estaria a beira do estouro, entretanto observei que em julho a bolha já havia estourado, e pelas peculiariedades e safadezas de nosso mercado sabia que esconderiam e esconderão o fato, mas não dá pra cobrir o sol com a peneira..

      A partir deste mes as coisas vão começar a tomar rumo, e as construtoras cada vez mais promoverão feirões. Agora, como diz GB, é pegar a pipoca e o litro de toddy… Quem espera comprar usados a partir de fevereiro/março de 2013 começaram a ter otimas oportunidades.

      0
      • Sol de Sampa 17 de agosto de 2012 at 00:11

        corrigindo … este tipo de informação deveria

        0
      • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 00:48

        Concordo plenamente com você Sol.

        Tô me guardando pra quando o carnaval chegar…

        0
        • LAM 18 de agosto de 2012 at 00:11

          Coincidência, André, o Samy também está se guardando pro carnaval! O que é que vocês sabem, hein?? Rs…

          0
      • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 09:38

        Concordo com você também, Sol.
        Estou aguardando o verão… o carnaval rsss

        0
    • Lucke 17 de agosto de 2012 at 11:20

      Você está corretíssimo. Compartilho contigo, pois sofria da mesma sensação de ansiedade e desânimo ao ver que apesar de ganhar muito mais do que a média da população os preços inviabilizavam que eu comprasse um imóvel a menos que fosse para especular. Esse não era o meu perfil e eu na verdade queria um bom imóvel para morar sem me endividar por longo tempo. Gostaria aqui de acrescentar somente alguns comentários:
      Também acompanho o mercado desde 2004, quando melhorei minha renda, comecei a poupar e pude pensar em adquirir o meu primeiro imóvel. É necessário enfatizar, que o meu aumento de renda, como me pareceu ser também o seu caso, não tinha nada a ver com o cenário de economia aquecida que começava a se iniciar nessa época.
      Em 2004, eu já sabia que o principal gatilho para a escalada de preços era a ALIENAÇÃO FIDUCIÀRIA (AL) que foi instituida no final dos anos 90, mas eu nunca sonhava que os preços atingiriam o patamar atual. Recentemente, foi aqui neste blog, o único lugar em que eu ví alguém se referir a AL, como um dos principais fatores desencadeadores do quadro atual. Em um post ainda deste ano, alguém citou, com muita propriedade, o novo marco jurídico regulatório ( eu o chamaria de ” desregulatório”) do setor imóbiliario que teria destravado o setor dando todas as garantias aos construtores que lançaram açoes na bolsa capitalizando grandes montantes e maximizando a preços cada vez mais estratosféricos. Não havia risco para eles à época. A meu ver a AL foi o maior golpe já dado na verdadeira classe média brasileira que hoje assiste inépta a farra de uns poucos e sustenta a “ascensão” das classes C,D,E.
      A trajetória do que aconteceu de 2005 até hoje foi muito bem comentado por você e pela Rosinha. Também me traz conforto sentir que podemos estar perto do final de um ciclo perverso da chamada bolha imobiliária. Gostaria de acrescentar uma última boa notícia. Estive ontem no banco Itaú procurando informações sobre as LCI. Fui informado pela gerente que o banco está sem lastro para as aplicações de LCI. Mais tarde, conversando com outro gerente do mesmo banco ele me revelou em OFF, que O BANCO ESTÁ COM O PÉ NO FREIO PARA OS EMPRÉSTIMOS IMOBILIARIOS E POR ISSO NÃO ESTÁ VENDENDO APLICAÇÕES COM LASTRO EM EMPRESTIMOS IMOBILIÁRIOS. Mais um sinal de bolha?
      Abraço a todos

      1+
    • GB 16 de agosto de 2012 at 20:57

      Sempre o próximo trimestre vai ser melhor que os anteriores, sempre o problema é o habite-se da prefeitura, o problema nunca é os preços absurdos.

      1+
      • Pablo 16 de agosto de 2012 at 21:26

        Sempre tem um bairro que esta valorizando;
        Sempre este milagre acontece em varios bairros de uma mesma cidade;
        Sempre tem uma cidade que esta se tornando uma otima opcao;
        Sempre …

        0
  • RPL 16 de agosto de 2012 at 20:19

    Pra alimentar um pouco mais os rumores sobre o Santander… Estava eu a fazer um DOC de minha conta e eles solicitaram o token via SMS….

    Só que eu não recebo SMS algum com o token (o que eu sempre recebo quando faço qualquer compra no meu cartão).

    Ou seja, o Santander está aparentemente dando um jeito de “prender” meu dinheiro lá…

    Obviamente que a superlinha e outros canais não funcionam…

    0
    • xyz 16 de agosto de 2012 at 21:02

      Parabéns pela criatividade!

      0
      • RPL 16 de agosto de 2012 at 21:12

        Se eu não recebesse nenhum SMS deles, eu poderia achar que era problema com o novo 9 em SP….

        Mas como eu recebo normalmente…. É estranho…

        0
  • Menina Flor 16 de agosto de 2012 at 20:43

    Saiu um texto meio confuso hoje no Globo.
    Primeiro diz que é arriscado comprar agora(certo), depois vem dizer que quem esperar pela desaceleração para comprar, vai ter que esperar sentado.( E agora, josé?)

    oglobo.globo.com/imoveis/rio-de-janeiro-esta-na-hora-de-vender-apartamento-investir-em-outro-5804682

    0
    • xyz 16 de agosto de 2012 at 21:01

      O artigo tenta desestimular os proprietários que acham que os preços já chegaram no pico e estão tentando vender o seus imóveis, concorrendo com as construtoras.

      A mensagem é bem clara: SE PENSA QUE VAI VENDER AGORA PARA COMPRAR MAIS BARATO DEPOIS, ESQUEÇA.

      0
    • Zoom 16 de agosto de 2012 at 21:57

      Eles querem diminuir a oferta de imóveis na marra.
      Chupaaaaaaa…

      O feitiço virou contra o feiticeiro. hahahahaha…

      0
    • Desconfiada 17 de agosto de 2012 at 13:45

      Linha do tempo:

      Perguntando para algum Sercovi qual a tendência de preço dos imóveis:

      “O preço dos imóveis? Vai subir 30% a.a.”
      “Vai subir entre 10% e 20% a.a.”
      “Vão subir menos de agora em diante, mas com certeza será acima da inflação”
      “O preço deverá ficar estagnado neste ano”
      “O comportamento dos preços não está definido”…

      Detalhe: não há muito tempo entre a época que usavam a primeira resposta e a de agora. É coisa de um ano pra cá.

      0
  • Pablo 16 de agosto de 2012 at 21:23

    O que fazer quando seu imóvel encalha

    Post do Site dos “Coretores”.

    A placa de “aluga-se” ou “vende-se” já está lá há meses, mas nada de o imóvel encontrar um locatário ou comprador. Uma casa ou apartamento encalhado pode até ser indicativo de um mercado mais difícil ou de um imóvel problemático, mas como no mercado se acredita que tudo é vendável pelo preço certo, o mais provável é que esteja na hora de o proprietário rever sua estratégia. O preço pedido é alto demais? Ou será que você está sendo intransigente ao negociar com os interessados?

    Em geral, quem procura anunciar seu imóvel por meio de uma boa consultoria imobiliária já encontra auxílio profissional para adequar os anúncios, o preço e a estratégia ao público do imóvel. Mesmo assim, cabe rediscutir a tática ou mudar de comportamento na hora de negociar se mesmo assim o imóvel não encontrar alguém para fechar negócio. Veja a seguir o que fazer se o seu imóvel encalhar em cada caso: venda e locação.

    Venda

    Segundo Roseli Hernandes, diretora comercial da Lello Imóveis, bons imóveis levam de três a seis meses para serem vendidos. A menos que estejam abaixo do preço de mercado – nesses casos, provavelmente a venda será imediata. Proprietários de imóveis anunciados há mais de um ano já devem rever sua estratégia.

    1. Foque a divulgação na internet. Para Roseli Hernandes, a melhor forma de divulgação hoje em dia é a internet, pois é a que atinge o público mais selecionado. Quem busca por imóveis em sites de classificados já define seus parâmetros para procurar exatamente o que deseja, vê antes as fotos e já conhece as condições da venda. Anúncios com foto são preferidos.

    2. Anúncios em jornais são caros e pouco efetivos. “As imobiliárias até colocam anúncio no jornal para marcar presença no mercado, mas é uma mídia cara e com resultado insignificante para atrair potenciais compradores”, diz Roseli.

    3. Placas são boas formas de divulgação. A placa em frente ao imóvel atrai compradores em potencial menos prováveis e pessoas que já buscam imóvel naquela região. Porém, seu uso é mais seguro quando o proprietário usa os serviços de uma imobiliária e pode colocar nas placas o telefone do corretor. Se puser seu próprio contato, além de se expor, o vendedor terá de atender o telefone continuamenteo para pessoas que busquem um imóvel totalmente diferente, corretores, pessoas mal intencionadas e até trotes.

    4. Deixe apenas uma placa. Quem usa os serviços de mais de uma imobiliária para estimular a competição entre os corretores pode acabar com o tiro saindo pela culatra. Várias placas de empresas diferentes em frente a um mesmo imóvel podem denotar para os possíveis interessados que o imóvel está encalhado porque tem algum problema.

    5. Deixe o imóvel em bom estado. Não deixe o imóvel com aspecto de abandonado. Ele deve parecer habitável, com jardim limpo, se for o caso, fachada sem pichação, interior bem cuidado e sem sinais de mofo ou infiltração. Deixe o interior bastante neutro, retirando qualquer sinal religioso, de time de futebol ou qualquer outra preferência que possa afastar algum grupo de compradores em potencial. Procure também pintar o interior com uma cor clara e neutra: uma sala de paredes roxas pode ser polêmica.

    6. Reveja o preço pedido. Se o preço estiver muito mais alto do que o valor médio da região, seu imóvel não vai sequer aparecer nas buscas pela internet dos compradores em potencial.

    7. Seja flexível nas condições de pagamento. Se você só aceita pagamento à vista, considere aceitar um parcelamento, por exemplo.

    8. Considere contratar uma imobiliária para melhorar sua estratégia de divulgação. Se arcar com o ônus da divulgação por sua conta não está dando certo, lembre-se de que imobiliárias podem conseguir uma divulgação mais efetiva, até mesmo por meio de anúncios pagos na internet, que sairiam muito caros para a pessoa física independente. Lembre-se de que a imobiliária apenas será paga quando o imóvel for vendido, por meio da comissão.

    Locação

    Segundo Roseli Hernandes, uma boa propriedade, em boas condições, é alugada em até três meses. “Alugamos cerca de 30% dos nossos imóveis no mesmo mês do anúncio”, diz a diretora da Lello. Os imóveis que encontram locatário mais rapidamente são os residenciais menores, de um ou dois quartos. Os de alto padrão levam até seis meses para alugar. Já para os comerciais, o tempo varia muito, diz ela.

    1. Valorize a divulgação pela internet. Procure divulgar todos os detalhes sobre o imóvel em sites especializados, com fotos, valor do IPTU, descrição, número de vagas e localização, bem como o preço correto de mercado, para que ele apareça bem nas buscas. Continuam valendo as regras do jornal e das placas do item anterior (números 2, 3 e 4).

    2. Seja flexível para negociar valores e condições. Todo locatário gosta de negociar o valor do aluguel, e pode ser que os candidatos a inquilino também desejem negociar, por exemplo, uma reforma ou um reparo antes de fechar negócio. Leve isso em consideração.

    3. Considere aceitar outros tipos de garantia. Uma imobiliária que só aceite fiador com imóvel na cidade pode não ser a melhor opção para quem quer acelerar a locação do seu imóvel. Aceitar seguro-fiança ou fiadores com imóveis em outra cidade aumentará suas chances de conseguir um locatário, mas é preciso verificar se a imobiliária escolhida aceita esse tipo de coisa. “Às vezes a imobiliária não tem estrutura para administrar essas outras formas de fiança”, explica Roseli Hernandes.

    “http://www.cofeci.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=449:o-que-fazer-quando-seu-imovel-encalha&catid=42:ultimas-noticias&Itemid=97

    0
    • Anonymous 16 de agosto de 2012 at 21:39

      Só faltou mencionar o óvio ululante – ABAIXE o preço, já que aumentar a renda dos potenciais compradores pode demora 1 ou 2 gerações.

      0
  • Visitante Carioca 16 de agosto de 2012 at 21:27

    Eu ando mto desanimado. Já deve ter caído uns 7 a 9% esse ano aqui no Rio, mas isso não é nada. 8% de 800 k num 3 quartos em botafogo dá 64k reais amenos.

    Sair de 800 k para 736 k não me faz nenhuma diferença.

    Eu continuo sem ter 700 k reais pra dar num pedaço de tijolo com tinta.

    E não me venham dizer que é pq sou fudido, pq eu duvido que tenha tanta gente assim que tenha essa grana. e eu pertenço aos 1% da população.

    E olha que estou sendo humilde, to pedindo botafogo, que é o bairro mais rico da Zona Sul pobre (glória, catete, flamengo, botafogo, copacabana) .

    Não consigo imaginar um 3 quartos em botafogo voltando a custar 350 k, 400 k como custava em 2008, embora eu quisesse demais.

    🙁

    0
    • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 00:58

      Não precisa acreditar amigo, só espere, e lembre-se, um país sem renda, poupança e lideres econômicos sérios, não suportará a tempestade que virá.

      Aguarde, 2008 é pouco.

      0
    • self 17 de agosto de 2012 at 08:41

      Sou mais humilde. Quero meu apto de 3 quartos, 130m² e 2 vagas na Tijuca por 300K.

      0
      • Visitante Carioca 17 de agosto de 2012 at 10:44

        No ano passado, o imóvel grudado de porta com o meu, na Prof. Gabizo quarteirão da Petrobrás, 3 quartos, 105 m², foi vendido por 350 k.

        Esse ano, na mesma rua, um prédio mais velho, 2 quartos, 75 m² foi vendido por 480 k.
        🙁

        Ô tristeza.

        0
    • charles 17 de agosto de 2012 at 11:56

      aMIGO

      Sorte sua não ter os 700 k na mão, assim voce não corre o risco de fazer besteira. Portanto, sendo frio e calculista, resta a voce sentar e esperar.

      Garanto que não vai perder nada com isso, pelo contrario, voce corre o serio risco de fazer um excelente negocio num futuro bem proximo.

      0
  • Pablo 16 de agosto de 2012 at 21:28

    Sobre o dia 17/8:

    Sera? BC divulga IBC-Br de junho na sexta-feira (17/8)

    0
    • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 09:48

      Ê lasqueira:
      IBC-Br sobe 0,75% em junho e fecha 2º tri com alta de 0,38%
      (…)A economia brasileira cresceu mais do que o esperado em junho passado, indicando que a atividade já estava dando sinais de recuperação(…)

      0
      • Sol de Sampa 17 de agosto de 2012 at 21:42

        é e faz de conta que o incentivo pra comprar mais automoveis nao teve nada a ver com isso …. me engana que eu gosto…

        0
  • Noire 16 de agosto de 2012 at 21:29

    Olha o que o André Trigueiro twitou:

    “O que dizer de um apartamento de R$30 milhões no RJ onde o m2 equivale ao custo de uma casa popular?Amanhã no #BomDiaBrasil ”

    Amanhã no Bom Dia Brasil vai passar a reportagem, vamos ver qual vai ser o nível de “enrolação” dessa vez.

    0
  • Anonymous 16 de agosto de 2012 at 21:44

    Eu abri uma poupança num banco Alemão, mas usando um passaporte Europeu. Vou perguntra como abrir com um passaporte bananense e depois escrevo o Manual do anonymous – Euroean version. O gerente disse que exsite uma garantia federal de 100,000 EUR por depósito. Também falou que os grandes bancos tem um sistema de garantia adicional e voluntária (não é todo banco Alemao que participa) cuja garantia é 8,000,000 USD. Bom, não acreditei mais vou verificar. Como diz o Peterson, VAI QUE …

    0
    • Sol de Sampa 17 de agosto de 2012 at 00:38

      Anonymous, no vai que…. não esqueça do gold in home…. e eu teria aberto na Suiça ….

      0
    • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 01:01

      É, pelo visto todo mundo está preocupado com o “vai que”.

      Menos amigos pegos de calças curtas.

      0
  • RosinhA 16 de agosto de 2012 at 22:05

    Saiu o link do Jornal da Cultura assistam foi legal, crasse C, começa aos 2 e poucos minutos aos 4:40 a Poli dá uma idéia genial vejam, aos 8:00 em diante outro absurdo das nossas leis:

    Jornal bem legal pelo menos comenta a notícia:

    “http://tvcultura.cmais.com.br/jornaldacultura/jornal-da-cultura-14-08-2012-2-bloco

    0
    • O Irritado 17 de agosto de 2012 at 00:41

      Quanto à bolha do subprime dos EUA, um dos convidados da Poli mandou essa:
      “a lógica é a mesma, (só) o tamanho que não”

      Ei !!? Eu escutei mais de uma vez a “palavra proibida”: BOLHA??

      0
  • Dr. Estranho 16 de agosto de 2012 at 22:32

    Meninas e meninos.

    Interessei-me pelo desconto da ULTRA-S_even de 36% e jogando no google achei um grupo de discussão sobre um dos empreendimentos na Barra Bonita. Cadastre-me e eis o que me enviaram:

    “Pessoal, concordo plenamente com o Marcelo e alguns outros vizinhos que já comentaram aqui o mesmo assunto. Trabalho no mercado imobiliário há 5 anos (atualmente estou na Cyrela), mas conheço bem todo o mercado. Temos que ter muito cuidado com nossos comentários, para não piorar ainda mais a imagem do Up Life, sei que todos estão com muita raiva do que vem acontecendo, inclusive eu também estou, mas a cada comentário que fazemos, estamos ajudando a desvalorizar ainda mais nosso investimento, a Even já está com o filme queimado e o Up Life também, cada pessoa que eu comento onde moro, já sabe a PORCARIA, que está, e isto para nós é péssimo, é um tiro no bolso. Já compramos, agora é que temos que fazer é tentar melhorar as coisas por aqui para garantirmos que não tenhamos um prejuízo no nosso investimento. O preço já caiu, isto é verdade, mas não podemos deixar que caia ainda mais. Vamos guardar nossas reclamações para nós, só entre nós galera. É o mesmo que pegarmos um carro que queremos vender e sairmos por aí falando que ele está uma M….. As coisas vão melhor se Deus quiser.”

    Tem muito mais de onde esse veio. Vou proteger os que enviam para não pararem a discussão. Mas para adiantar: todos os moradores estão fulos da vida com as mazelas da construção e da queda dos preços.

    0
    • Goela 16 de agosto de 2012 at 22:53

      Dr. Estranho, moro em BH e visitei um apartamento da Even (SPA), quatro quartos 190 m². Era um repasse, desconto de mais de 30%. Fiquei curioso e fui ver, conhecer o inimigo. Fiquei muito impressionado: QUE GRANDE PORCARIA ESTA CONSTRUTORA. Tudo da pior qualidade, a mão de obra deve ser a mais barata e inexperiente possível. O prédio atrasou muito, resultado, as pessoas se mudaram com o imóvel ainda em obra. Muito ruim, para te falar a verdade, fiquei com pena das pessoas que compraram aquele lixo para morar. Foram sumariamente traídas.

      0
    • Seu Madruga 16 de agosto de 2012 at 23:07

      Um feliz “Kid Bengala Day” a todos que compraram imóveis empreendimentos EVEN !!!!
      Regizem-se investidores! Otimismo! A cerimônia militar de comemoração da independência do Brasil está próxima, o que deve aumentar ainda mais a procura por imóveis!!! Também tem o Festival do Caqui de Codó, que trará um grande influxo de turistas!!! Não esqueçamos do Dia do Anão, que deixará o mercado em chamas!!! Podem aumentar mais 50.000,00 Dilmas na tapera!!

      0
      • Seu Madruga 16 de agosto de 2012 at 23:09

        Regozijem-se!

        0
        • Seu Madruga 16 de agosto de 2012 at 23:17

          Esse “auto-corretor” faz jus ao nome!

          1+
    • GB 16 de agosto de 2012 at 23:15

      Yeah !!!!

      Se ferraram, não adianta tentar esconder, o problema é generalizado.

      O trouxa paga caro achando que está arrasando (arrasando com ele mesmo), a destrutora vende 30% do imóvel e depois para vender o restante eles dão 40% de desconto e olha que isso não vai ajudar em nada, vai ter feirão EVEN toda semana.

      0
      • GB 16 de agosto de 2012 at 23:23

        Fato: a destrutora nunca vai se importar com seu cliente (esse trouxa já é problema do banco), se ala precisar de CASH para sobreviver, ela vai abaixar o preço o que for necesssário.

        E vocês repararam como eles estão preocupados com seus “investimentos ” ? “Vamos ficar quietos e reclamar só entre a gente”. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        GB: KKKKKKKKKKKKKKKKKK MODE ON (eu adoro esse mercado, há 1 ano ele nem parecia que ia se tornar tão divertido).

        0
        • Seu Madruga 16 de agosto de 2012 at 23:56

          Mal sabem que a bolha já sabe…. Corram investitolos, corram!!! Voltem para os seus apartamentos de paredes tortas, de piso desnivelado e com hidráulica podre… Anunciem mais caro, pois a contrutora vai anunciar mais barato!!! Sardinhas imobiliárias!!! Muitos doomsday ainda virão… As destrutoras irão procurar vender o máximo possível antes de quebrar, elas estão cagando se vocês pagaram 30% ou 50% a mais!!!

          0
      • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 09:51

        “Destrutora” hahahahahahahahahaha
        Hahahahahaahhahahaha
        Ah, vou usar. Junto com o “Dilmas Money”
        GB e seu diçonaurio divertido!

        2+
    • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 01:05

      “As coisas vão melhorar se Deus quiser”

      É como tenho dito, as pessoas se apegam as esperanças, e não conseguem ver o óbvio a frente.

      Great times are coming…

      1+
    • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 01:05

      E só para não perder a viajem, CHUPEM investitrouxas!!!

      0
    • Rafael 17 de agosto de 2012 at 11:31

      Chupem quem mandou comprar na alta, vai desvalorizar não adianta esconder HAHAHAHHA, não adianta mentir, compram e ficam fazendo papel de coretores.

      Chupa que é de uvvvvaaa,

      0
  • MG 17 de agosto de 2012 at 00:09

    Olá pessoal…

    Esse post é para quem mora em Curitiba….

    Dados do SECOVI:

    venda: h ttp://www.secovipr.com.br/img/inp/inp-12-07-cvb.pdf
    locação: h ttp://www.secovipr.com.br/img/inp/inp-12-07-clb.pdf

    0
  • Justiceiro 17 de agosto de 2012 at 00:20

    Dei um alô para o camarada Samy Dama, no blog dele, e citei o blog.
    Ele acompanha e demonstrou concordar conosco.
    Vamos levar o blog para todos os recantos.
    Divulgação total.
    Corretos e expeculadores do Brasil, acharam que o oba oba seria eterno?
    Não.
    E digo mais, não terei pena alguma, caso a Banânia não se adeque, em ir morar em países mais justos.
    Chegou a hora de mostrarmos pra esses empresários (não todos, é claro), que estamos sabendo dos custos e lucros praticados em QUALQUER produto vendido na Banânia.
    BASTA.

    0
    • Justiceiro 17 de agosto de 2012 at 00:21

      Ao invés de corretos, é coRetores mesmo.

      0
  • Justiceiro 17 de agosto de 2012 at 00:25

    CAMPANHA:

    SÓ COMPREM TERRENOS NA BANÂNIA NA RAZÃO 1000 METROS QUADRADOS, SIM, EU DISSE MIL METROS QUADRADOS POR 25 MIL REAIS.

    Sim, R$ 25.000,00 é MUITA grana.

    Sejamos fortes que tais preços acontecerão SIM, seja na Banânia (altíssimo patriotismo e amor ao país pagar esses preços), ou nos EUA (lá JÁ estamos nesse preço).

    Anonymous mode etc e tal OFF.

    1+
    • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 09:52

      Meu sonho!

      0
  • Rui 17 de agosto de 2012 at 00:45

    O RPL, parece que fez curso de censura no centro cultural da gestapo. Quem esse cara pensa que e’, para vir para aqui, dar uma de Goebels, querendo censurar e policiar os outros?
    E’ muita falta de vergonha na cara e sadomasoquismo,do hipocrita patrulheiro ideologico, ler todo o meu comentario e depois pedir moderacao.
    Se nao gosta, dos meus comentarios, faca sua propria moderacao. Nao leia! Mas pelos vistos, o hipocrita e’ gamado, nos meus comentarios. Nao perde nem um. ahahahaha E’ o cumulo da hipocrisia! Le tudo com avidez e depois faz o numero, de virtuoso. ahahahah Que hipocrisia mais sem vergonha!

    0
    • charles 17 de agosto de 2012 at 12:03

      Na boa…vc só escreve merda heim…

      1+
      • Rui 17 de agosto de 2012 at 15:48

        Que baixaria! ainda bem , que voce gosta de ler merda! ahahaha

        0
  • Sol de Sampa 17 de agosto de 2012 at 00:58

    publicado em 16/08/2012 às 19h57:
    Texto:
    .
    Clima para negócios na América Latina piora e apresenta risco de recessão
    Rio de Janeiro, 16 ago (EFE).- O clima para os negócios na América Latina caiu em julho ao seu pior nível em nove meses e mostra um “risco de recessão”, segundo o índice que o Centro de Estudos Econômicos da Fundação Getulio Vargas (FGV) mede trimestralmente em conjunto com a Universidade de Munique. O chamado Índice de Clima Econômico (ICE) para a América Latina desceu de 5,2 pontos em abril até 4,8 pontos em julho, com o que ficou abaixo da média dos últimos dez anos (5,1), segundo um comunicado divulgado hoje pela FGV. O indicador que mede o ambiente para os negócios na América Latina ficou em julho quase um ponto abaixo do registrado no mesmo mês do ano passado (5,6 pontos) e é o mais baixo desde outubro de 2011 (4,4). Segundo os responsáveis pelo estudo, o clima para negócios na região piorou em julho tanto pela baixa do Índice de Situação Atual (ISA, que avalia a conjuntura) como do Índice de Expectativas (IE, que avalia o esperado para dentro de seis meses). Enquanto o ISA caiu de 5,6 pontos em abril para 4,9 em julho, o IE desceu no mesmo período de 4,8 pontos para 4,6. “Os dois índices passaram à zona desfavorável de avaliação, o que indica que a região pode estar entrando em uma fase recessiva do ciclo econômico”, segundo o comunicado da FGV. De acordo com o estudo, o esfriamento do clima de negócios na América Latina refletiu a piora em nível global já que, após dois trimestres consecutivos de alta, o ICE Mundial desceu de 5,3 pontos em abril até 4,7 pontos em julho. O ambiente para os negócios só melhorou no período analisado na Bolívia, onde subiu de 5 pontos em abril para 5,4 em julho; no Paraguai (de 3 para 5 pontos) e no México (de 4,8 para 4,9). Os países nos quais mais caiu foram Colômbia, de 6,7 pontos em abril até 3,8 pontos em julho, Peru (de 7,2 a 5,9), Equador (de 6,7 a 5) e Brasil (de 6,2 a 5,2). Atualmente o Uruguai é o país com melhor clima para negócios com 6,2 pontos, seguido por Peru (5,9), Bolívia e Chile (5,4), Brasil (5,2), Equador e Paraguai (5), México (4,9), Colômbia (3,8), Venezuela (3,4) e Argentina (2,6). O índice de julho foi calculado mediante consultas a 147 especialistas de 18 países, segundo a FGV. EFE cm/rsd

    0
    • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 01:15

      Grande texto Sol, mas aqui vai a minha humilde opinião, já estamos em recessão, as coisas estão “andando”, pela inércia, ou caso prefira a analogia apocalipse zumbi, o que temos é uma economia morta viva, um zumbi.

      Caminha, ainda, mas já morreu.

      0
      • Sol de Sampa 17 de agosto de 2012 at 01:31

        André, nós deste Blog somos previlegiados, pois sabemos com muita antecedência….
        Mas concorda comigo, não é bom que outros que não são do nosso time comece a comentar…

        A recessão está vindo a toda, o Natal será anoréxico…. e só deus sabe quando teremos uma retomada estruturada mesmo…

        Ando acalentando muito a ideia de sair do país … tenho avaliado que é melhor recessão no 1º mundo, com estrutura do que aqui…. não sei o que será, o que nos aguarda pela frente, a nova geração não tem valores de longo prazo, de continuidade e isso me deixa confusa, pois não sei o que esperar … acredito sim num levante da população jovem que não tem o que perder… o futuro deles é o presente … acho que ´cabaremos com um colapso social, pois a grande maioria não vai se preocupar e muito menos querr reconstruir para outra geração….

        0
        • Sol de Sampa 17 de agosto de 2012 at 01:33

          corrigindo – cabaremos por acabaremos

          0
        • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 01:40

          Pode deixar, refletirei sobre as suas palavras.

          Qto a juventude atual, tenho mesmo sentimento, tenho medo de envelhecer aqui, pretendo ir.

          []`S

          0
        • Mauro 17 de agosto de 2012 at 11:26

          Prezado Sol de Sampa.
          Outro dia li um comentário que expressou aproximadamente, o que penso sobre o futuro.
          Quando os jovens perceberem que seu futuro foi comprometido pelo endividamento dos governantes, a coisa mudará de figura!
          Quando vejo nos jornais que o governo vai “investir”, isso me dá arrepios. “Investir” leia-se “endividar-se” para os mais jovens pagarem mais adiante.
          Recentemente, o governo central autorizou maior endividamento de alguns Estados, ou seja, se não for muito bem acompanhado (e sabemos que não será) os jovens irão pagar a conta.

          0
  • marcos 17 de agosto de 2012 at 01:00

    É hora de trollar os anúncios!!!!
    Achou um imóvel que vc compraria se não existisse a bolha?
    Mande mensagem e ofereça o valor real e use a bolha como argumento para dizer que o preço não se sustenta.
    Assim aceleramos a divulgação da bolha e quem sabe ela estoura mais rápido e tudo volta mais próximo do normal?
    Quem sabe também o anunciante aceita sua oferta realista? 😉

    0
  • Sol de Sampa 17 de agosto de 2012 at 01:01

    AGENCIA DE NOTICIAS JORNAL DE FLORIPA

    16/08/2012 às 16h20min – Atualizada em 16/08/2012 às 16h20mins

    Lucro de empresas de capital aberto no país cai 47% no 2º tri

    O lucro das empresas de capital aberto caiu 47,1% no segundo trimestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo cálculo da consultoria Economática.

    No segundo trimestre deste ano as empresas lucraram R$ 26,9 bilhões, ante os R$ 50,9 bilhões registrados no período de 2011.

    Os bancos ficaram com maior volume de lucros no período, ao registrar R$ 11,6 bilhões em rendimentos neste ano, ante R$ 13,1 bilhões no trimestre do ano passado. O setor teve queda no lucro de 11,1%, ou menos R$ 1,46 bilhões na comparação.

    Dos 24 setores analisados 14 setores apresentam queda de lucro no segundo trimestre de 2012 com relação ao mesmo período de 2011. Dez setores registraram crescimento de lucratividade.

    Na análise dos resultados de 290 empresas do setor industrial, excluídas a Petrobras e Vale, o lucro registrado foi de R$ 11,2 bilhões ante R$ 16,5 bilhões no mesmo período de 2011 (queda de R$ 5,26 bilhões ou 31,8%).

    No cálculo que inclui os resultados da Petrobras e Vale, com 292 empresas de capital aberto, o lucro registrado foi de R$ 15,24 bilhões no segundo trimestre deste ano, valor 59,6% menor do que o apurado no mesmo período de 2011 (R$ 37,75 bilhões).

    0
  • Rui 17 de agosto de 2012 at 01:06

    Eskeleto, voce nao colocou nomes, mas respondeu ao meu comentario, portanto estava se dirigindo a mim.
    Coisa errada e’ voce desconversar e nao assumir honestamente, que estava se dirigindo a mim.
    Coisa errada, e’ voce se melindrar, com algo que so’ dizia respeito a mim e ao Anonymous.
    Coisa errada, e’ voce achar, que quando alguem me insulta, eu nao tenho o direito, de dar de volta,o que lhe pertence.
    Ou sera’ que quando alguem te insulta, voce pede mais! E vira a outra face, para levar outra bofetada?
    Nao ha’ nada de errado, devolver um insulto.
    Eskeleto, desculpa o mau jeito, mas credibilidade, nao se conquista , dessa maneira , cara!
    Concordo plenamente comigo, que voce esta’ errado! ahahahah

    0
    • Eskeleto 17 de agosto de 2012 at 10:02

      Então continue devolvendo seus comentários e voltando insultos aos outros, mas no final sabemos que todos saem perdendo pois é um egoísmo pensar somente nos revides e nos insultos entre vocês dois ou outros que se insultam aqui, pois todos são obrigados a passar por esses comentários e no final vão bagunçando o blog. Acho que deveriam ter mais respeito com as pessoas que leem o blog e com o dono dele e ajudar se contendo e se entendendo,pois não basta ele moderar os comentários de pessoas que querem tirar a credibilidade do blog, agora moderar comentários dos que contribuem com ele.
      Cara não precisa nem responder você está certo bola pra frente.

      0
      • Rui 17 de agosto de 2012 at 16:33

        Ok Eskeleto, voce venceu! Me faca um favor: quando vir no cabecalho do comentario, meu nome nao leia.O comentario nao e’ para voce. Se voce ler, e’ um hipocrita sem credibilidade nenhuma. So’ le o que eu escrevo, quem tem interesse, naquilo que eu tenho para dizer.

        0
    • charles 17 de agosto de 2012 at 12:09

      Rui

      Na boa, dirijo-me a voce: VOCE SÓ ESCREVE MERDA!

      Pare de tumultuar…

      PS: Este recado é para os novos visitantes não levarem em consideração as atitudes deste elemento.

      0
      • Rui 17 de agosto de 2012 at 15:54

        Mais baixaria! Nao vou nem perder mais tempo, respondendo a besteirada.

        0
        • jacob 18 de agosto de 2012 at 12:21

          so nao xinga a mae de corretora, pq aih ja e apelacao….

          hahahaha

          0
  • Sol de Sampa 17 de agosto de 2012 at 01:08

    Aceleração da inflação TRIBUNA DO NORTE

    Publicação: 17 de Agosto de 2012 às 00:00

    Mais um índice em alta. A inflação pelo IGP-10 avança, de 0,96% em julho para 1,59% em agosto, segundo a Fundação Getúlio Vargas. Em agosto de 2011, a alta foi de 0,20%. A taxa acumulada no ano é de 5,49% e, em 12 meses, de 7,5%. As matérias-primas subiram 5,39%. Em julho, a taxa foi de 1,55%. O Índice de Preços ao Consumidor – com peso de 30% – acelerou para 0,29%, em agosto, ante 0,19%, em julho. A maior pressão partiu do grupo alimentação (0,85% para 1,11%). Hortaliças e legumes subiram 17,93%, ante alta de 9,81% no mês passado. O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), com peso de 10%, registrou, em agosto 0,49%, abaixo do resultado do mês anterior, de 0,84%.

    Recuperação

    A inadimplência das empresas, como já vem acontecendo com os consumidores, dá sinais de queda. O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência, metodologia permite antever os movimentos cíclicos da inadimplência com seis meses de antecedência, aponta queda para o segundo semestre. Recuou 0,3% em junho de 2012, na comparação com maio/12.

    CORRETOR

    A programação do Dia do Corretor será encerrada hoje, 17, com o Baile dos Corretores de Imóveis, no Versailles Recepções, no Cidade Jardim, a partir das 20h. A festa será animada pela Solari´s Band e as senhas estão à venda ao preço de R$ 300 a mesa para 6 pessoas, ou R$ 50 o convite individual. O valor inclui cardápio, uísque e espumante.

    1

    Cresce a procura por locação de imóveis em Natal, segundo o empresário Ricardo Abreu, diretor da Brasil Brokers Abreu. Entende que pode parecer estranho falar em locação depois das ações do governo federal em facilitar a compra da casa própria. Disse que de quatro anos para cá, a grande oferta de apartamentos com piscina, quadra de esporte e complexo de lazer prontos e completos, os chamados condomínios clubes, justifica essa alta procura pela locação.

    2

    Por conta desse crescimento da demanda por locação e do grande número de moradias prontas, principalmente de apartamentos, algumas imobiliárias abriram ou pretendem gerência ou mesmo filial com o objetivo de vender ou alugar imóveis prontos. O projeto dessas imobiliárias é para o último trimestre do ano, quando muitos condomínios estarão concluídos e, os investidores à espera do retorno, seja com a venda ou com o aluguel.

    0
    • Pablo 17 de agosto de 2012 at 07:57

      Alugar apartamento em prédio com lazer completo é bom!
      Vc aproveita todas as beneces e não tem que pagar os custos com reformas!
      Sempre tem que comprar cadeiras para piscina, trocar o conjunto do filtro da piscina, o motor e por ai vai.
      Como não pode colocar na taxa de condominio voce pode aproveita a diferença da grana para comprar PIPOCA e TODY, de litro, of course!

      0
    • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 09:54

      Baile dos Corretores de Imóveis?
      Sim, eles estão dançando faz tempo…

      0
      • Rosss 17 de agosto de 2012 at 12:21

        Muito espirituosa!

        0
    • jacob 18 de agosto de 2012 at 12:23

      Adoraria me infiltar neste baile, e ouvir a choracao dos corretores no final da festa, quando estiverem bebados.

      Perverse mode: ON

      0
  • Sol de Sampa 17 de agosto de 2012 at 01:15

    Recuperação econômica está mais lenta que o esperado, diz diretor do BC

    quinta-feira, 16 de agosto de 2012 20:44 BRT – REUTERS BR

    Por Natalia Cacioli

    SÃO PAULO, 16 Ago (Reuters) – A recuperação da economia brasileira será gradual, porém mais lenta do que o inicialmente imaginado, afirmou nesta quinta-feira o diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central, Luiz Awazu Pereira da Silva, que disse prever um ritmo de crescimento anualizado no final deste ano de 3,2 a 4 por cento.

    O diretor avaliou ainda que o modelo de crescimento baseado no incentivo ao crédito não está esgotado e elogiou o programa de concessões para investimentos em ferrovias e rodovias anunciado na quarta-feira pelo governo federal.

    “Não estamos nem tanto ao mar, nem tanto à terra… Estamos passando por um ciclo normal em meio a uma economia internacional complicada”, afirmou Awazu durante seminário “Os rumos da economia brasileira”, da InterNews em São Paulo.

    O diretor afirmou que a economia brasileira mostrará uma recuperação mais forte a partir do segundo semestre deste ano, em resposta ao afrouxamento monetário promovido pelo BC desde agosto de 2011, e também às medidas de estímulo ao crescimento implementadas pelo governo, principalmente as de incentivo ao crédito e ao consumo.

    “Em relação a outros países, o modelo de crédito do Brasil ainda tem muito espaço para crescer, o que não significa que esse crescimento deve ser conduzido de forma desordenada e irresponsável”, disse.

    Além do estímulo ao crédito, Awazu destacou a importância do investimento na carente infraestrutura brasileira e elogiou o pacote de concessões de ferrovias e rodovias que prevê a aplicação de 133 bilhões de reais ao longo de 25 anos.

    “O novo programa de concessões é uma iniciativa forte para diminuir o Custo Brasil e melhorar a qualidade do investimento. O governo está numa direção super correta”, afirmou.

    Apesar dos dados fortes de vendas no varejo divulgados nesta quinta-feira e do recente repique de índices inflacionários, o diretor do BC não sinalizou preocupações com eventuais pressões inflacionárias e disse que a inflação está caminhando para o centro da meta, de 4,5 por cento em 2012

    0
  • Sol de Sampa 17 de agosto de 2012 at 01:18

    parte 2 -Recuperação econômica está mais lenta que o esperado, diz diretor do BC
    quinta-feira, 16 de agosto de 2012 20:44 BRT

    No entanto, Awazu ressaltou que o BC está muito atento aos problemas de safra enfrentados no hemisfério norte e aos possíveis choques inflacionários que essa situação possa gerar no Brasil. Os Estados Unidos estão passando por sua pior seca em cinquenta anos, o que está prejudicando as colheitas e aumentando os preços dos alimentos no mercado global.

    QUEDA SUSTENTÁVEL DOS JUROS

    Também presente ao evento, o ex-diretor de Política Monetária do BC Luiz Fernando Figueiredo disse que a atual política monetária do Brasil mostra-se mais sustentável do que a feita durante a crise financeira de 2008.

    “O mix de política econômica que tem sido feito até agora é muito mais saudável do que o feito lá atrás… A queda da taxa de juros tem um componente muito mais sustentável atualmente”, afirmou Figueiredo.

    Awazu, por sua vez, quando questionado sobre a sustentabilidade da queda dos juros, respondeu: “Nós tivemos desde agosto de 2011 a visão de que havia fraquezas suficientemente fortes na economia internacional, notando que as condições futuras, ao longo de setembro, outubro, novembro, dezembro e o primeiro período de 2012 seriam um pouco mais negativas do que um conjunto de economistas pensavam”.

    “Então … fomos mais tempestivos do que outros bancos centrais e acertamos nessa decisão.”

    Em meio à deterioração da crise da dívida da zona do euro, o BC começou a cortar a taxa básica de juros em sua reunião de agosto de 2011 e desde então já foram feitos oito cortes. A Selic está atualmente em seu menor nível histórico, em 8 por cento ao ano.

    0
    • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 01:24

      “Não estamos nem tanto ao mar, nem tanto à terra… Estamos passando por um ciclo NORMAL em meio a uma economia internacional complicada”

      Um sujeitinho desse não pode se chamar de homem, no máximo, um homúnculo.

      Alguém que dá esse tipo de declaração, e com certeza virá com alguma balela quando a M**** estourar com gosto no ventilador, não preza uma das pouquíssimas coisas que temos verdadeiramente nessa vida, a palavra.

      Eu diria que o Sr. é um fanfarrão, mas nem isso o Sr. merece, o Sr. é um moleque mesmo.

      0
    • Sérgio 17 de agosto de 2012 at 11:14

      O interessante dessa notícia, assimcomo de outras assemelhadas, é que estamos “demorando um pouquinho mais para nos recuperar economicamente” sem, no entanto, termos passado por uma recessão, pois que viemos de índices chineses. Isso segundo eles.
      Ou seja, estávamos segundo o mantega, num ritmo excepcional, tendo ultrapassado a França e Grâ Bretanha e, de repente, estamos “tentando sair de uma crise”.
      Suprimiram da história o momento em que entramos na merda, num passe de mágica, se é que em algum momento tenhamos saído.
      .
      O bolso é o limite, seja do bananense, seja do desgoverno: esse o ponto em que a “descida” em que já estamos fica mais íngrime.
      Esse também o ponto de virada da trajetória da SELIC, uma das principais (senão a principal) consequências (e causa) da ruptura oficial de todas as outras recentes bolhas.
      .
      De outro lado, certo é que o governo tem grana guardada. Mas é muito pouco para tampar todo o rombo do setor privado: só do setor imobiliário, as cifras ultrapassam a casa do TRILHÃO de dilmas.
      O que nossos socialistas selvagens (eu sou admirador de Marx) estão tentando fazer é aplicar periódicas doses de adrenalina ANTES das paradas cardíacas: a IATROGENIA está a caminho.
      Não há para onde correr.

      0
  • Sol de Sampa 17 de agosto de 2012 at 01:23

    E seguiremos uma rotina de informação e contra informação… e a coisa tende a piorar, quanto pior estiverm as coisas hehehehe

    0
    • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 01:26

      Justamente.

      0
    • Zoom 17 de agosto de 2012 at 09:30

      E os 300% preparado, onde fica?

      0
    • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 09:55

      É verdade.
      Eles postam um sal, depois um açúcar… Com um tanto de água, vira soro caseiro. Remédio pra dor de barriga que vai dar em muita gente ainda…

      0
  • ch0qw3 17 de agosto de 2012 at 01:51

    Imóveis nunca caem de preço?!?!

    Tá, então porque temos DUAS destrutoras fazendo “liquidação” de apartamentos ao mesmo tempo em Porto Alegre??

    “http://www.imobiliariaiper.com.br/formularios/img/corrida-premiada-melnick-even.jpg”

    “http://www.rossiresidencial.com.br/outletrossi”

    Pô, não entendo. O índice de desempenho do ensino no RS teve um dos piores resultados da história. Eu jurava que isto seria motivo para os imóveis valorizarem pelo menos mais uns 42.78% pelo menos neste ano. :/

    Tem que tocar o terror nessa galera mesmo. Chega de debochar da cara de quem é previdente e sabe dar valor ao dinheiro. O tempo do oba-oba já era.

    Abraço para todos do site. Vocês realmente fazem a diferença!

    0
    • Laranja 17 de agosto de 2012 at 08:15

      Fazemos a diferença quando não compramos! Tenho aversão ao desperdício. Comprar imóvel na alta é rasgar dinheiro. Aquele terror do “se não comprar agora, nunca mais comprará” não cola mais.

      Quanto aos números do IDEB, me sindo desmotivado… minha esperança em um futuro melhor (no Brasil) cai juntamente com este índice.

      0
      • Zoom 17 de agosto de 2012 at 09:33

        Concordo.

        0
  • Grazi 17 de agosto de 2012 at 02:03

    Rosinha, ainda queremos o post de como contatar o dono do imóvel diretamente.

    0
    • Joao 17 de agosto de 2012 at 07:51

      É só ir no registro de imóveis e retiar uma certidão negativa. Lá constará os dados do dono.

      0
    • Zoom 17 de agosto de 2012 at 09:36

      Pode ser também na prefeitura aonde o imóvel está situado, eles detém os dados dos proprietários a efeito de IPTU.

      0
    • Rosss 17 de agosto de 2012 at 12:27

      Há uns 3 anos, fiz isso e o corretor só faltou bater em mim. Pena que o dono do ap era mais grosso que o corretor. Bem, deixei os dois de lado e achei coisa melhor antes de inflarem os preços aqui em Recife.

      0
  • Julio 17 de agosto de 2012 at 07:21

    Muito bom. Só faço uma ressalva quanto ao termo “investidor”. A maioria não é de fato investidor, e sim coitados que caíram no conto dos corretores.

    Um desses “profissionais” me ofereceu um “pré-lançamento” por 300 mil, mas com valorização garantido de 150% na entrega. E olha que estavam “quase todos” vendidos.

    Disse à que não compraria um imóvel de alguém tão burro como o proprietário da construtora, afinal, estava matando a galinha dos ovos de ouro ao vender um negócio tão bom. Ele deveria ficar com todos os imóveis. Ou o cara tem um coração enorme ao querer ajudar os outros.

    0
    • Rosss 17 de agosto de 2012 at 12:28

      Boa!

      0
  • Pablo 17 de agosto de 2012 at 08:09

    Mais uma do COFECI:

    Nova classe média quer lazer e conforto na hora de comprar um imóvel.

    Com as facilidades de crédito para o financiamento de imóveis a nova classe média esta cada vez mais realizando o sonho da casa própria. Esse público também passou a ficar mais exigente na hora de comprar um apartamento.

    Segundo pesquisa da MZM Construtora, o mercado de imóveis passa por readequações para atender as exigências dessa parcela da população que agora querem infraestrutura aliada a equipamentos de lazer.

    Com o preço metro quadrado em torno de R$ 4 mil, os apartamentos estão ficando mais compactos para incluir diversos itens de lazer no condomínio. :mrgreen:

    Os condomínios-clube, como são chamados, contam com academia, quadra esportiva, varanda gourmet, brinquedoteca, espaço mulher, entre muitas outras alternativas de lazer que chamam atenção e são determinantes na hora de efetivar o negócio.

    Segundo o presidente da MZM, Francisco Diogo Magnani, a nova classe média opta por imóveis mais próximos aos locais de trabalho e facilidade ao transporte público.

    “Existe uma demanda significativa de compradores do primeiro imóvel impulsionados pela melhoria do poder aquisitivo e as facilidades dos financiamentos imobiliários. Para este público, as opções de itens nas áreas de uso comum, aliadas à proximidade com o trabalho, a facilidade ao transporte público e um bom comércio local são requisitos fundamentais observados na hora de assinar o contrato”, explica Magnani.

    Com relação aos condomínios-clube, Magnani ressalta que os brasileiros procuram melhor qualidade de vida.

    Segundo dados da FGV (Fundação Getúlio Vargas), entre 2003 e 2011, cerca de 40 milhões de pessoas entraram para a classe média. O número subiu de 65,9 milhões para 105,5 milhões de brasileiros, um crescimento de praticamente 60%.

    0
    • self 17 de agosto de 2012 at 08:48

      Eu sou nova classe média e penso contra a corrente. Gostaria de itens de lazer, sim, mas acompanhados de uma espaçosa planta da porta para dentro. Isso é fundamental.

      0
      • Laranja 17 de agosto de 2012 at 09:27

        Contra a corrente, inclusive da classe A. Tem um lançamento aqui em Porto Alegre com apartamentos de 1,8 milhão, 244m², 4 suítes. Porém, três suítes são ridículas, medindo: 11,62m²; 10,20m² e gloriosos 9,08m². Dormitório e roupeiros não tem mais importância…

        Classe média? MCMV? Pode dormir em pé!

        0
    • Julio 17 de agosto de 2012 at 13:07

      Classe média é, segundo o governo, quem ganha no máximo R$ 1.019,00. Se contarmos um casal, a família terá renda máxima de R$ 2.038,00 reais, fora os descontos. Então essa classe média trabalha 2 meses para comprar 1 metro quadrado de apartamento. São 180 meses de trabalho sem descontar os impostos, comer, beber, se vestir, andar de carro, farmácia, escola para comprar o apartamento. Uma vez quitado, esta família vai ficar sem comer para pagar o condomínio destes edifícios de alto padrão, que vai custar 1/3 da renda familiar bruta.

      0
  • Cicero Silva 17 de agosto de 2012 at 08:55

    Relato,

    Como já disse, apesar de está na classe “se”, com renda de 10K, mas minhas origens são a classe F (Falta tudo). Então sempre aconselho meus conhecidos.

    Convenci uma amiga a não comprar um carro financiado, mas teve uma que não obtive sucesso.

    Comprou uma apertamento (42m2) na planta. Prestação “baratinha” e negociado por 120K.

    Agora, na entrega das chaves, a CEF só avaliou em 90K. Além de não ter as chaves, ainda tem que suportar 30K de diferença (é MCMV).

    Resultado: ela está desesperada. E não é investidora. Tem 2 empregos para conseguir tirar 1,5K. E sonhava com a casa própria.

    Agora tem pesadelos.

    Fico muito triste pois é esse tipo de pessoa quem realmente paga o pato.

    E o pior é que sabemos que essa situação em muito piorou pela “ajuda” do governo.

    Fico revoltado com isso.

    0
    • self 17 de agosto de 2012 at 09:30

      Desculpe, não entendi. Foi negociado por 120K e a CEF avaliou em 90K e ela tem que pagar 30K? Não seria o contrário? Desculpe pela minha ignorância.

      0
      • Rodrigo 17 de agosto de 2012 at 10:06

        É isso mesmo… banco quer garantias, na avaliação do Banco o imóvel vale sempre menos.
        O comprador paga a bolha, assim como o lucro do Banco (geralmente 2,5x o valor do imóvel) e o valor real é “pago” pelo Banco (na realidade sai de graça porque o dinheiro não é dele).

        0
      • Rosss 17 de agosto de 2012 at 12:35

        A Caixa só financia em cima do valor da avaliação, o que foi cobrado pelo vendedor pouco importa na hora da aprovação do financiamento. O restante ela tem que desembolsar e pagar do bolso + a prestação do financiamento. É nessa hora que a coisa aperta.

        0
    • Felipe 17 de agosto de 2012 at 09:31

      é a triste realidade

      0
    • Justiceiro 17 de agosto de 2012 at 09:56

      Por que ficou triste SE VOCÊ AVISOU ELA?
      Desculpe, mas quem avisa amigo é e quem não analisa os ensinamentos está pedindo pra tomar naquele lugar.
      E, outra, a mulher ganha 1,5k e financia algo de 120k???
      Incoerente e fora da capacidade remuneratória dela.
      Ou seja, quis dar passo maior do que a perna e, ahh, entrega das chaves???
      Negociou na planta…. pediu pros corvotores “pegarem ela”…

      0
      • Cicero Silva 17 de agosto de 2012 at 10:13

        Sabe o que é vim do interior, sem educação, lutar para ter um curso meia-boca de técnico de enfermagem e trabalhar em plantões surreais para ganhar 1,5K?

        Some a isso o fato da pessoa sempre ter morando em sua própria casa, sem estrutura, no interior e agora pagar um quarto nos fundos e o governo vim anunciando que ela pode ter seu próprio cantinho??

        Isso é inebriante.

        E ela ganha 1,5K exatamente porque nunca teve condições de estudo. É complicado exigir conhecimento assim.

        Na verdade classifico-a como uma “não-cidadã”, pois não consegue analisar simples pontos que, para muitos, é trivial (sim, existem pessoas sem educação que conseguem ver. Mas, para aquelas que não conseguem naturalmente, o estudo aponta caminhos).

        O banco vai repassar parte dos 90K. Os 30K que faltam para fechar o contrato não será financiado.

        Se alguém sofrer um acidente provavelmente será atendido por um desses profissionais (e tanto faz ser público ou privado), que trabalha muito, ganha pouco e dorme mal.

        0
        • Rodrigo 17 de agosto de 2012 at 10:20

          Foi o relato mais sincero que vi aqui, que infelizmente tenho que concordar.

          0
        • EDUARDO 17 de agosto de 2012 at 11:53

          Vejo a avaliação da BANCO como algo positivo, com uma avaliação dentro da realidade fica mais dificil de cobrar baseado no achismo, evitando que seja cobrado acima do que ele vale. É um dispostivo antibolha!
          O problema é que os consumidores só descobrem isso na hora do financiamento, pois quando está pagando para a construtora e nao para o banco tudo é festa!!!! parcelinha de 199 ao mês… (em caso de imoveis na planta)
          Já imoveis usados não tem como o vendedor cobrar acima do que ele vale, já que o banco nao vai liberar financiamento maior do que vale o imovel, a nao ser que o comprador pague a diferença, que ao meu ver precisa ser muito tonto para fazer isso!
          Voltando no caso dos imoveis: É por isso que as construtoras amam os investitontos, pois esses sempre pagam a vista, nao envolvendo as avaliações dos bancos.

          0
          • Rodrigo 17 de agosto de 2012 at 14:00

            Essa avaliação que é feita pelos Bancos é um dos argumentos daqueles que negam a Bolha.

            0
            • EDUARDO 17 de agosto de 2012 at 14:17

              quando na verdade a avaliação feita pelo banco fica abaixo do valor cobrado pelos vendedores apenas confirma o que já sabemos, que a bolha existe.
              o lado bom (no meu ponto de vista) que a avaliação serve de freio para o crescimento da bolha. Voce concorda?
              Abraços!

              0
    • Lucas 17 de agosto de 2012 at 09:58

      Cara, fico com pena de sua amiga, mas é esse tipo de atitude que a Caixa tem que tomar!!
      O preço não pode ser única e exclusivamente arbitrado pelo comprador e vendedor, como a Caixa vai cobrir a maior parcela do dinheiro tem que fazer parte da estipulação do preço!
      É o primeiro relato que eu vejo aqui dizendo que a Caixa discordou do preço!
      Vi um conjugado miserável no Leblon sendo anunciado por míseros 720k, se a caixa entrar numa dessas é assinar atestado de burrice!

      0
      • Rodrigo 17 de agosto de 2012 at 10:14

        Lucas,

        Na realidade o que escuto são só relatos, porque na prática o que vejo é isso mesmo. No caso desse conjugado de R$ 720K a Caixa vai avaliar por um valor bem abaixo, e o comprador se quiser que pague a diferença.

        0
      • Cicero Silva 17 de agosto de 2012 at 10:21

        Pois é.

        Mas o que quis reforçar é a atitude do governo!

        Se é do programa MCMV, o governo tem que tomar atitutes para que as condições sejam claras e bem definidas.

        Na verdade, acredito, o governo deveria ter ficado no canto dele. Mas já que fez a meleca, que faça direito!

        Nunca entendi porque o governo simplesmente não toma atitudes que preservem o bem estar da sociedade (tipo largura mínima das ruas, espaço para passeio, critérios mínimos de qualidade, etc).

        Em tudo, volto para o mesmo lugar: é uma republiqueta. E, novamente, só posso dar razão ao Anonymous.

        0
    • Ploc 17 de agosto de 2012 at 11:02

      Gente se isso tiver acontecendo mesmo seria a maior conto do vigário que já vi na vida.
      O cara pagou durante a construção por alguns anos as parcelas corrigidas pelo INCC sobre um valor ficticio inflado artificialmente.
      Na hora da pegar o imóvel descobre que caiu numa armação. E o banco não quer entrar nessa furada pois sabe que o mesmo não vale e que se emprestar o valor cheio sabe que não vai conseguir recuperar.
      É a coisa vai feder mesmo . Voces acham que os bancos não aprenderam nada com as outras bolhas?

      Boas compras.

      PLOCCCCCCCCCCCC

      0
    • GB 17 de agosto de 2012 at 11:14

      Mas os consórcios fazem isso há mais tempo, quando você é contemplado você paga para um cara do consórcio ir lá avaliar e se ele avaliar um valor menor é só esse valor que o consórcio vai liberar de imediato, o resto fica para o final do plano, eles não querem pagar preços absurdos se o imóvel vai ser deles até o final do plano.

      Não é de se espantar que os bancos estejam fazendo isso, eles não querem um imóvel de R$ 100k pagando R$ 300k, é muito arriscado, se esse camarada acordar para a realidade ele deixa de pagar pois o valor é maior que o que vale e o banco fica com um pepino nas mãos.

      É mais ou menos o que já acontece há um certo tempo com os carros financiados sem entrada, pra que o cara vai pagar se vale menos que a dívida ?.

      0
  • xyz 17 de agosto de 2012 at 08:56

    h ttp://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2012/08/veja-dicas-para-comprar-um-imovel-para-morar-ou-investir.html

    “se você pagar caro terá que esperar ele ficar ainda mais caro para obter algum lucro”

    “Cuidado com financiamentos – investir significa receber juros e não pagar juros como acontece em financiamentos.”

    0
    • GB 17 de agosto de 2012 at 11:20

      Eu não entendo como pode ser um bom investimanto o cara pegar um imóvel de, chutando, R$ 200k tendo que financiar 80% dele, no final, para ter valido a pena, tem que valorizar bem mais de 300% pois é isso o que a pessoa acaba dando para o banco (fora os impostos e taxas e outras coisas).

      E os gerentes de bancos continuam insistindo naquele discurso pronto de que aluguel é $$$$$ jogado fora”, como se juros bancários também não fossem (eu acho os juros ainda mais cruéis, pois os bancos não negociam os reajustes, estão pouco cagando pra isso).

      Se a inflação sair fora do controle ou o desemprego aumentar, todos os pesudo-investidores vão devolver esses imóveis e nem vamos precisar esperar pela Copa do Mundo.

      0
      • GB 17 de agosto de 2012 at 11:21

        Ops, pseudo-investidores, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

        0
  • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 09:39

    Imobiliária fecha as portas e causa R$ 3 milhões de prejuízo a clientes
    “http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2012/08/imobiliaria-fecha-portas-e-causa-r-3-milhoes-de-prejuizo-clientes.html
    Isso em Poços que é uma cidade de pequeno porte. Se acontecesse numa cidade maior, imagina o Motumbo!

    0
    • Zoom 17 de agosto de 2012 at 09:57

      Pessoal, reparem quem são as pessoas que são entrevistadas e irão entender quem são os compradores.

      Não sei se “rio” ou choro.

      0
      • GB 17 de agosto de 2012 at 11:23

        Bom trocadilho.

        0
  • Zoom 17 de agosto de 2012 at 09:44

    Lará, lará, larááááá… Subiu ou caiu? Depende o ponto de vista. fácil é pegar o mês de Junho e comparar com os meses anteriores e se pegar o 2T e comparar com o 1T, será que cai ou sobe? hehehehe…

    “Desaceleração no trimestre

    O IBC-Br acusou desaceleração do nível da atividade econômica no país no segundo trimestre de 2012. O índice subiu 0,38% quando comparados os dois primeiros trimestres deste ano. Do quarto trimestre de 2011 para o primeiro deste ano, o crescimento foi de 0,62%. Os números referem-se à série com ajustes sazonais.”

    -http://www.valor.com.br/brasil/2793192/previa-do-pib-indica-avanco-de-075-na-economia-em-junho-diz-bc

    0
    • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 09:59

      Hahahaha… ótimo, zoom.
      Em vários portais a notícia dada é assim:
      “IBC-Br sobe 0,75% em junho, indicando recuperação–BC”
      “IBC-Br sobe 0,75% em junho e fecha 2º tri com alta de 0,38 …”
      Ai você pensa: Olha, subiu! Ebaaaaaa

      0
      • Pablo 17 de agosto de 2012 at 10:45

        E se comparar:

        No ano, foi de 0,53%
        E nos ultimos 12 meses 1,09%

        Como o IBC-Br é um extimativa do PIB, para chegar nos 3,0%, faltam somente 2,47%, o segundo semestre será uma reprise do filme “À Espera de um Milagre”

        Governo reduz previsão de alta do PIB de 2012 de 4,5% para 3%

        “http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/07/governo-baixa-previsao-de-alta-do-pib-de-2012-de-45-para-3.html

        0
        • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 11:39

          Poxa… falta tão pouquinho… 2,47% é um tiquinho só hahahahahaha…
          Sendo assim, estou achando que vai chegar no 1,99 que a galera aventava.

          0
  • Sir Income 17 de agosto de 2012 at 09:57

    Para quatro especialistas, imóveis são péssimo investimento neste momento
    Preços demasiadamente altos reduzem o potencial de continuidade da valorização; já aluguel paga menos que a renda fixa

    www .infomoney.com.br/minhas-financas/imoveis/noticia/2531320/Para-quatro-especialistas-imoveis-sao-investimento-ruim-neste-momento

    0
    • xangai 17 de agosto de 2012 at 10:15

      Bolha … excelente artigo … vai pra headline !!!

      Willian Eid , Rocha LIma e Samy Dana… simples e direto ao ponto … e ainda ( re ) afirma a Bolha Imobiliaria.

      0
      • Pablo 17 de agosto de 2012 at 10:47

        CONCORDO!

        VALE NOVO POST!

        0
        • FQ 17 de agosto de 2012 at 12:13

          POST! POST! POST!

          Grande e em Negrito!

          Um dos maiores portais de investimento do Brasil assumindo publicamente a merd…

          0
    • Rodrigo 17 de agosto de 2012 at 10:36

      Ótimo artigo.

      Agora se os alugueis estiverem bolhudos isso vai ser complicado porque os contratos são de 30 meses em regra.

      0
      • augusto 17 de agosto de 2012 at 11:07

        Me parece que após 12 meses do inicio, o locatário pode romper o contrato sem pagar a multa, e o mesmo não acontece com o locador

        0
        • Rodrigo 17 de agosto de 2012 at 13:57

          Só se no contrato conter esta cláusula, caso contrário pagará multa proporcional.

          1+
    • Dr 17 de agosto de 2012 at 11:08

      Tem insiders na área!!! Leram aqui, olhem o ultimo especialista!! O negocio esta lindo!!

      Bolha, esse blog ta te deixando rico, fala serio? 🙂

      0
    • D9 17 de agosto de 2012 at 11:11

      Excelente matéria, vale post.
      É digna de um “E agora Cirilo?”

      0
    • GB 17 de agosto de 2012 at 11:26

      Esse tipo de notícia no InfoMoney ?

      Realmente os anunciantes estão pagando mais hoje que as destrutoras, já deve ter acabado o dinheiro destas para a contra-informação.

      0
      • FQ 17 de agosto de 2012 at 12:13

        kkkk

        1+
    • GB 17 de agosto de 2012 at 11:35

      kkkkkkkkkkk, realmente os anunciantes estão pagando BEM MAIS hoje que as destrutoras, elas jamais deixariam sair uma matéria dessas lá no InfoMoney, ainda mais uma falando claramente sobre as 7 etapas da Bolha.

      Agora fiquei impressionado.

      0
    • ch0qw3 17 de agosto de 2012 at 11:45

      Essa é para Tópico em!!

      Isso ta começando a ficar legal. 🙂

      0
    • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 11:46

      Ótimo, ótimo, ótimo!
      Já está nos jornais…
      A palavra proibida (bolha) está sendo espalhada aos quatro ventos…
      Só não replico este artigo pra quem torceu o nariz pra mim quando disse que não ia comprar imóvel agora porque os preços estavam absurdos, porque prefiro ver a cara deles com o carnezão na mão, vendo os apertamentos que nem começaram a pagar ainda, caindo de valor…

      0
    • FQ 17 de agosto de 2012 at 12:14

      POST! POST! POST!

      Grande e em Negrito!

      Um dos maiores portais de investimento do Brasil assumindo publicamente a merd…

      0
  • Luiz 17 de agosto de 2012 at 10:58

    boa rosinha,

    só penso que a Ines já é morta, as quedas já começaram, no inicio lentamente, aumentandop até atingir uma massa critica e entrar na fase da correira

    Vc já reparou quanto carro na rua com aqueles adesivos de vende-se no vidro? A correria já chegou nesse setor.

    0
  • D9 17 de agosto de 2012 at 11:24

    CBN Brasília (agora)

    Dr.Money (da Goeebels), questionado pelo entrevistador (Estevão Damásio):
    Não tenho o texto, nem o link obviamente, mas em resumo:

    Investir em imóveis é bom negócio ?
    R:
    A oferta está muito grande, os preços estão altos …
    Acredita-se que exista uma bolha imobiliária no Brasil …
    Melhor investir em DI, em poupança, Tesouro Direto …

    É impressão minha, ou o pessoal tá meio que “rasgando o verbo” ?

    0
    • GB 17 de agosto de 2012 at 11:38

      Yeah !!!!!!!!!!!!!

      Acho que o Cirillo perdeu o emprego imaginário de estagiário dele em um dos maiores bancos de negócio de imóveis, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

      GB: TOMA CIRILLO MODE ON

      0
    • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 11:53

      Sabe quando o marido da sua prima está pulando a cerca, mas o cara é gente boa, a prima nem sonha, e só uns agregados invejosos especulam, o resto não acredita (é intriga dos invejosos), e o assunto é proibido até que um belo dia a própria sogra pega o beleza andando de mãos dadas com a concubina no shopping?
      É a mesma coisa! Agora não tem mais tititi, especulação, dúvidas ou pudores. Os sinais (as provas) ficaram tão evidentes que muita gente já se arrisca.
      Eu nunca consegui afirmar para os meus colegas a existência de Bolha porque, ao contrário dos mais versados aqui, não tinha capacidade técnica para sustentar meus argumentos.
      Depois que aprendi mais por aqui, ai desisti de falar qq coisa pra eles.
      Mas eu sempre falei que os números estavam descolados da realidade. Não é possível que uma simples valorização ou um simples ajuste de mercado façam terrenos na beirada da favela, sem documentação, subirem de 10 pra 60 mil.
      Gente que comprava apartamento no Jd. do Lago em Campinas de 3 quartos por 60k Dilmas, agora tinha que pagar 120, 140… Qual a lógica???? O salário de ninguém subiu assim!
      Mas, não… todo mundo achando normal. Todo mundo pegando as mensais, conseguindo crédito na CEF, torrando o FGTS…
      E viva… e ploc…

      0
      • Luiz 17 de agosto de 2012 at 12:14

        hana, sem querer defender a bolha, que ja estourou com quedas incialmente leves, mas vc tem que considerar o total da massa salarial, e não o valor individual.

        a nossa explosão não sera o apocalipse que ocorreu nos eua, nem em alguns paises da espanha. Os preços vão derreter sim, fortemente e por um longo prazo, mas a economia já esta se recuperando da curta recessão, entrando em estagnação, veja o resultado da bolsa e o de desemprego, e +mil outros indices. A estagnação já é 1 vitoria pra esse governo de aparencias

        0
        • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 12:28

          Mini recessão…

          estagnação…

          Otimismo é pouco.

          0
          • Luiz 17 de agosto de 2012 at 12:44

            Andre, tbm gostaria que o que vc fala fosse verdade, mas infelizmente não é
            Muitos acessam o blog em busca de boas analises, em busca da verdade.
            É importante se manter a qualidade dos argumentos e afirmações e a diversidade de opiniões dentro de uma etica aceitável
            Vc vem me negando há semanas, e os numero vem me confirmando um após o outro, não se trata de ego, nem de torcida. Sim a bolha esta indo pro brejo, mas a economia não vai implodir junto, é o que os dados nos informam. Atrelar um acontecimento a outro é um erro, visto que a probabilidade dos 2 eventos acontecerem é muito pequena.

            O falso otimismo de crescimento ao invés de simples estagnação pode induzir alguem ao erro, e ai sim não tiro a sua razão, mas pensar em crise neste momento é uma hipotese que eu não encontro nenhum numero ou dado ou informação que fundamente isto, exceto a propria Bolha que vai ferrar com muita gente, mas não com o sistema todo, como era de se esperar, o BR ainda tem notas de risco maior que a Espanha por exemplo.

            Então muita calma nessa hora, ninguem opera no BR sem 15 cm de blindagem, não espere que os bancos sejam atingidos mais do que de raspão

            0
            • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 13:28

              kkkkkkkkkkkkk Os numeros vem te confirmando?

              kkkkkkkkkkkk parei de ler aí, falra de seriedade em minha huumilde opinião, são comentários “polyanisticos“.

              No mais me desculpe, nada pessoal, mas seus comentários “otimistas“ na mairia das vezes ofendem a minha inteligência.

              Mas tdo bem, o governo continuará a dar mais pinga/crédito, ao bebado/povo, é aí que residw minha opinião sobre o quall danoso é o falso otimismo, so almenta o buraco em que o desavisado vai cair.

              Só lamento, continuarei te negando, e seus ufanismos podem parecer verdadeiros aos incautos, a mim e muitos, que mais elegantes do que eu, não te confrontaram, não enganam.

              Falar no fim da sua mini recessão, equivale a falar em estabilização na crise européia, no mais caro amigo Luiz, fica com os dados magicos da midia comprada, eu sigo conforme Mr. Sammy, vou me guardando pra quando o carnaval chegar.

              []`s.

              0
              • Guilherme 17 de agosto de 2012 at 13:40

                Vai ver o Samy vai viajar para Salvador e está ansioso para seguir o Trio Eletrico. 😀

                E voces aí, esperando ele anunciar que o mundo está em colapso.,,

                0
                • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 14:05

                  Claro, justamente, está tudo bem, a Gafisa continuará subindo na bolsa, os encalhes serão desovados agora no segundo semestre, juntamente com a elevação do PIB, a alta da produção industrial, a diminuição do desemprego maquiado, e é claro, o fim da crise européia, já que eles virão ao Brasil pular com o Chiclete 🙂

                  Está tuuuuuuuudo bem!!!!

                  CHIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIICLEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEETEEEEEEEEEEEEE OBA OBA!!!!!!

                  Abraços!!!

                  0
        • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 13:27

          Verdade!

          0
    • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 11:54

      Ele já admite abertamente em sua aulas as turmas de MBA da FGV-RJ.

      0
  • ademirSP 17 de agosto de 2012 at 11:27

    Manchete de hoje ” BRASIL VOLTA A CRESCER”

    A única coisa que vejo crescer é a inadimplência.
    Esse governo contratou a mesma assessoria de imprensa do Eike!
    Tá tudo lindo!

    0
    • Luiz 17 de agosto de 2012 at 12:18

      a verdade é

      Brasil sai da recessão, mas n volta a crescer.

      Independente disto o preço dos imoveis vai continuar caindo, devido a sobeoferta e milhares de entregas planejadas para agora a té 2013, acrescentado que as construtoras PRECISAM voltar a lançar urgentemente (vide resultados contabeis)

      0
      • André Luis ZS/RJ 17 de agosto de 2012 at 12:32

        Saiu como? Distorcendo estatisticas publicadas no jornal?

        Sei.

        0
    • valdir 17 de agosto de 2012 at 17:33

      Ola Ademir,

      Desculpe discordar, mais a economia esta aquecendo sim, novamente volto a falar, não é hora de torcer, mas analisar.
      Uma coisa é tentar discordar do obvio, e outra é realmente dizer algo que condiz com a realidade.

      0
  • JKM- RJ 17 de agosto de 2012 at 11:55

    Olha o que um corretor me mandou de resposta dps que eu ofereci 500k no apto de 707k dele e citei a bolha :
    Prezado Sr. João;

    Bom dia!

    Quanto a lógica da atribuição de valor aos bens no mercado, sendo este móvel, imóvel ou de qualquer outra natureza, esta é fruto da congregação de inúmeros fatores que transcendem a nossa e a vossa vontade. Tenho certeza que o Sr. conhece os conceitos motrizes da Macro Economia.

    Em complemento, no que condiz ao empreendimento em tela, data venia, não temos como concordar com o senhor.

    Como esclarecimento, respeitosamente, sugiro a leitura do artigo abaixo transcrito:

    “O MERCADO IMOBILIÁRIO E O FANTASMA DA BOLHA.

    O mercado imobiliário gera paixões. Para muitos, a compra de um imóvel é a decisão financeira mais importante da vida. Para investidores, é um potencial de lucros às vezes fantásticos. Para o país, um poderoso motor de crescimento e geração de empregos.

    Desde 2008, venho refutando alegações de que o Brasil tem uma bolha imobiliária prestes a estourar. De lá para cá, os preços dos imóveis dobraram, triplicaram ou subiram ainda mais.

    Impressionado com o ritmo da atividade imobiliária e com a forte elevação dos preços, resolvi atualizar meus estudos sobre o assunto para checar minhas conclusões.

    Analisei as bolhas imobiliárias de todos os países para os quais consegui dados desde 1900. Ignorei apenas bolhas imobiliárias regionais como, por exemplo, a causada pela busca do ouro no oeste americano.

    Algumas conclusões saltam aos olhos. Primeiro, bolhas imobiliárias costumam envolver forte atividade de construção. Para tornar os dados de construção comparáveis entre diferentes países e períodos, analisei o consumo anual de cimento, per capita, em cada país no ano em que a bolha estourou. Não encontrei nenhum estouro de bolha com consumo anual de cimento inferior a 400 Kg per capita. Na Espanha, passou de 1.200 Kg e há casos, como na China atual, de consumo ainda superior, 1.600 Kg, sem estouro de bolha. No Brasil, minha estimativa é de que hoje estamos em 349 Kg.

    Segundo, uma bolha imobiliária sempre se caracteriza por preços muito elevados em relação à capacidade de pagamento das pessoas. Considerando-se quantos anos de salários são necessários para comprar um imóvel de preço médio nas principais cidades do mundo, nenhuma cidade brasileira está hoje entre as 20 mais caras. Por outro lado, Brasília, Rio de Janeiro, Salvador e Balneário Camboriú estão entre as 100 mais caras. Entretanto, mesmo por esse parâmetro, Brasília, a mais cara do país, ainda é duas vezes e meia mais barata do que Rabat, no Marrocos, a mais cara do mundo.

    O ar que infla qualquer bolha de investimento, imobiliária ou não, é sempre uma abundante oferta de crédito. Ela possibilita que investidores comprem algo que não poderiam apenas com suas rendas. Todas as bolhas imobiliárias que encontrei estouraram quando o total do crédito imobiliário superava 50% do PIB e, em alguns casos, passava de 130% do PIB. Nos EUA, em 2006, um ano antes dos preços começarem a cair, era de 79% do PIB. No Brasil, apesar de todo crescimento dos últimos anos, este número é hoje de 5% do PIB.

    Aliás, é sempre uma súbita ruptura na oferta de crédito, normalmente associada a uma forte elevação do custo deste crédito, que faz com que bolhas estourem. No Brasil está acontecendo exatamente o contrário. O crédito imobiliário está em expansão e o seu custo em queda.
    Por tudo que pesquisei, concluo que é bastante improvável que haja um estouro de bolha imobiliária no Brasil, pelo menos em breve. Se você vem adiando o sonho da casa própria por este medo, relaxe.

    Então os preços dos imóveis continuarão subindo no ritmo dos últimos anos? Dificilmente. Os preços atuais já estão mais elevados; em casos específicos, até altos para padrões internacionais.

    O mais provável, são altas mais modestas, às vezes bem mais modestas. Em alguns casos, até pequenos ajustes de preços para baixo são possíveis e salutares. São exatamente eles que garantiriam que bolhas não estourem em um futuro mais distante.”.

    Por: Ricardo Amorim
    Economista, apresentador do programa Manhattan Connection da Globonews e presidente da Ricam Consultoria.

    0
  • alexny68 17 de agosto de 2012 at 12:01

    Para quatro especialistas, imóveis são investimento ruim neste momento

    especialistas são unânimes em afirmar: neste momento não há como fazer bom negócio com imóveis no país porque os valores já estão muito elevados. “Para mim, nós vivemos uma bolha do setor imobiliário, com preços muito aquém do que os imóveis valem. E preços que não vão se sustentar por mais muito tempo. Sendo assim, a compra de um imóvel nesse momento não é bom negócio, nem para investimento nem para morar”, afirma Willian Eid, coordenador do Centro de Estados de Finanças da FGV-SP (Fundação Getulio Vargas).

    0
    • alexny68 17 de agosto de 2012 at 12:03

      ‘http://br.financas.yahoo.com/noticias/quatro-especialistas-im%C3%B3veis-s%C3%A3o-investimento-123200851.html’

      0
  • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 12:09

    Mais um surpreso com o reajuste do saldo do imóvel pelo INCC e ao cancelar (tentar) o contrato, descobrir que vai receber uma ninharia de devolução:
    “http://www.reclameaqui.com.br/3333463/lopes-imoveis/devolucao-de-valores-pagos-apos-cancelamento-distrato-de-imo/
    Corretores são nossos amigos!

    0
    • GB 17 de agosto de 2012 at 12:24

      Olha que patada que ele levou:

      “A Lopes esclarece que, conforme os termos do art. 725 do Código Civil, o valor cobrado pela intermediação imobiliária não pode ser devolvido se, posteriormente a conclusão do negócio, houver qualquer distrato entre as partes.”

      É o que já discutimos aqui: o que é pago para coRetor, esqueça, já era, já foi pra conta deles.

      0
      • GB 17 de agosto de 2012 at 12:30

        Quando eles te vêem, eles vêem só $$$ na conta deles, se você pode pagar a entrada, para eles já está bom, não estão nem aí para o que vai acontecer depois, é $$$$$$ seu na conta deles e caem fora rapidinho.

        Agora o camarada sugere que compremos imóveis sem utilizar os serviços dos coRetores, kkkkkkkkkkkkkk, coitado, esse aprendeu da pior maneira.

        0
        • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 13:30

          Pois é…!!!!!!
          Eu nunca negociei nada com um corretor/imobiliária, mas pelo que entendi você chega lá, escolhe/visita o imóvel, demonstra intenção de compra (eles devem dar uma olhada no Serasa, mas só), paga um dinheiro pra eles e pronto. O resto dos serviços são outros quinhentos. Corrija se eu estiver errado.
          Depois, pernas pra que te quero, como você descreveu.
          O duro é que conversando com qq mero mortal, ninguém sabe disto.

          0
  • FQ 17 de agosto de 2012 at 12:10

    Sensacional. Novo tópico. Tópico grande em negrito e fixo!!!!

    “http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/imoveis/noticia/2531320/Para-quatro-especialistas-imoveis-sao-investimento-ruim-neste-momento

    ————————————————————————————————————————–
    Para quatro especialistas, imóveis são péssimo investimento neste momento
    ————————————————————————————————————————–

    Preços demasiadamente altos reduzem o potencial de continuidade da valorização; já aluguel paga menos que a renda fixa

    SÃO PAULO – Os preços dos imóveis no Brasil valorizaram 47,9% de agosto de 2010 a junho de 2012, de acordo com o índice FipeZAP, produzido em parceria entre a Fipe e o ZAP Imóveis. A alta valorização chama a atenção, principalmente para quem busca oportunidades de ampliar o patrimônio num cenário de mercado acionário em queda e juros com taxas baixas.
    No entanto, especialistas são unânimes em afirmar: neste momento não há como fazer bom negócio com imóveis no País porque já estão muito elevados. “Para mim, nós vivemos uma bolha do setor imobiliário, com preços muito aquém do que os imóveis valem. E preços que não vão se sustentar por mais muito tempo. Sendo assim, a compra de um imóvel nesse momento não é bom negócio, nem para investimento nem para morar”, afirma Willian Eid, coordenador do Centro de Estados de Finanças da FGV-SP (Fundação Getulio Vargas).
    Para o coordenador do curso de Real Estate da Poli/USP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo), João da Rocha Lima Júnior, comprar um imóvel agora é como comprar uma ação em época de alta da Bolsa. “O mercado imobiliário já está precificado. Essa história de comprar e esperar valorizar já não é uma boa opção, e, em minha opinião, nem investimento é. É especulação. Investimento é comprar para alugar, mas isso também não é bom negócio. Primeiro que alugar imóvel residencial no Brasil é muito difícil por causa da lei do inquilinato, que protege muito o locatário, fazendo o risco do negócio ser muito alto para o locador. Além disso, a relação entre valor de aluguel e valor de imóvel é muito ruim no País”.
    Ambos os especialistas concordam em mais uma questão: os rendimentos da renda fixa são mais vantajosos do que a renda de um imóvel alugado. “Hoje tá valendo mais a pena deixar o dinheiro na renda fixa, principalmente se for a antiga poupança, do que investir em imóveis”, diz Eid. Rocha Lima completa: “Não podemos esquecer que imóvel tem custo, corretor, imposto de renda e dor de cabeça, coisas que a poupança não tem. Isso precisa ser muito bem avaliado.”
    Comprar para morar
    Embora o momento não seja ideal para a compra de imóveis, o professor Willian Eid diz que entende quem deseja comprar um imóvel para morar mesmo nesse cenário. “Aqui no Brasil as pessoas têm necessidade de ter a casa própria. Nem que você prove por A + B que pagar aluguel talvez seja mais vantajoso neste momento, as pessoas querem ter a casa delas e, quando conseguem condições para isso, não avaliam outros fatores”, explica.
    Para ele, quem tem esse objetivo, mais do que mirar em um bom negócio financeiro, deve se preocupar em encontrar algo que supra as necessidades de toda a família. “É importante observar se o lugar é bom, se no futuro não haverá uma avenida, um viaduto, ou alguma coisa que possa vir a atrapalhar o imóvel. Também é importante caber no bolso. Não acho que feirões tenham boas oportunidades e também não acho que construir seja vantajoso. Eu acredito que hoje, a melhor opção seja encontrar um imóvel usado que atenda às expectativas.”
    No entanto, o professor faz questão de frisar: “se a pessoa puder esperar um pouco, eu aconselharia o aluguel agora porque os preços devem começar a cair em breve.”
    Samy Dana, PhD em finanças e professor da EESP-FGV, completa: “Atualmente os imóveis não são investimentos. São bens de consumo que devem ser comprados por razões muito diferentes da eficiência financeira, tais como realizar o sonho da casa própria ou a sensação de segurança pessoal que o imóvel próprio pode oferecer.”
    Bolha Imobiliária
    O educador financeiro Rafael Seabra, em artigo para o portal Quero Ficar Rico, explicou em sete itens como se forma uma bolha imobiliária e porque no Brasil ela pode estar próxima de estourar. Confira:
    1) Aumenta a procura por imóveis e o preço sobe.
    2) Aumenta o número de investidores que compram imóveis para alugar ou ganhar dinheiro.
    3) Os preços começam a subir excessivamente, acima da capacidade de consumo das famílias.
    4) O preço chega a um patamar insustentável, afastando potenciais compradores, que passam a considerar a hipótese de alugar imóveis. Com o preço dos imóveis cada vez mais irreal, as pessoas deixam de comprar e passam a cogitar o aluguel. Até porque passa a valer mais a pena alugar do que comprar, financeiramente falando.
    5) Os preços dos aluguéis sobem pois a demanda por imóveis do tipo aumenta. Com tanta gente preferindo alugar do que comprar, o preço dos aluguéis disparam.
    6) O preço dos imóveis começa a baixar como um todo devido à diminuição da procura. O País ainda não alcançou esse patamar, mas o preço em muitas cidades já começa a subir menos ou mesmo estagnar. Já existem vários indicadores que mostram que a alta no preço dos imóveis novos desacelera em várias cidades.
    7) Há uma baixa mais expressiva nos preços dos imóveis pois os investidores começam a tentar vender os mesmos com urgência.
    Esse é o ponto que ainda não atingimos e que não há previsão de ocorrer. Vale ressaltar que esse já é o último item para decretar o estouro da bolha. E já percorremos praticamente todo o caminho para isso. O Brasil está em um dos momentos finais dese ciclo: o momento em que as pessoas deixam de comprar imóveis novos para ir atrás de casas de aluguel. É praticamente o último momento antes da bolha imobiliária efetivamente estourar nas regiões metropolitanas.

    ———————————————————————————————————————–

    0
  • Lucke 17 de agosto de 2012 at 12:24

    Estive ontem no banco Itaú procurando informações sobre as LCI. Fui informado pela gerente que o banco está sem lastro para as aplicações de LCI. Mais tarde, conversando com outro gerente do mesmo banco ele me revelou em OFF, que O BANCO ESTÁ COM O PÉ NO FREIO PARA OS EMPRÉSTIMOS IMOBILIARIOS E POR ISSO NÃO ESTÁ VENDENDO APLICAÇÕES COM LASTRO EM EMPRESTIMOS IMOBILIÁRIOS. Mais um sinal de bolha?

    0
    • Rodrigo P 17 de agosto de 2012 at 12:28

      MAis um sinal que o negócio imobiliário vai quebrar. Se um banco como o Itaú tá caindo fora imagina o tamanho da meleca que tá esse mercado…

      0
    • GB 17 de agosto de 2012 at 12:33

      O Bradesco se aventurou nisso e se arrependeu, eles vendiam LCI com lastro em um Shopping no Largo 13, em São Paulo, reduto de camelôs, só deu prejuízo.

      Mas segundo uma matéria postada aqui tem bancos menores vendendo sem lastro algum, vendem LCI sem ter imovel algum sendo construído, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

      GB: CORRI NEGADIS QUE É FRIIS MODE ON

      0
      • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 13:33

        Já pode fazer como as cabras?

        0
  • Vitor - Ctba 17 de agosto de 2012 at 12:45

    Concordando com os colegas acima… a notícia é relevante para tópico.
    e ajudaria os novos leitores que estão chegando.
    Que acham?

    Att.

    “http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/imoveis/noticia/2531320/Para-quatro-especialistas-imoveis-sao-investimento-ruim-neste-momento

    ————————————————————————————————————————–
    Para quatro especialistas, imóveis são péssimo investimento neste momento
    ————————————————————————————————————————–

    Preços demasiadamente altos reduzem o potencial de continuidade da valorização; já aluguel paga menos que a renda fixa

    0
  • KaTsu Nami 17 de agosto de 2012 at 12:51

    Tb no seguinte link a sugestao de topico dada acima pelo colega: “http://br.financas.yahoo.com/noticias/quatro-especialistas-im%C3%B3veis-s%C3%A3o-investimento-123200851.html

    0
    • Chapolin 17 de agosto de 2012 at 12:56

      Este tem que ser tópico. Acho legal olhar nos comentários e ver que tem muita gente consciente da situação. Mas melhor ainda é ver os coretores revoltados pela matéria, hahahaha.

      0
  • Luiz 17 de agosto de 2012 at 12:55

    IMPERDIVEL
    o Ricardo mauricio que faz as charges do BBB e etc
    A bolha de veiculos

    “http://charges.uol.com.br/2012/08/15/brasileira-canta-mercedes-benz/

    ps: precisamos pedir rpa ele fazer um dos imoveis

    0
    • Luiz 17 de agosto de 2012 at 12:59

      ele aceita pedidos
      “http://charges.uol.com.br/faleconosco.php

      0
  • JKM- RJ 17 de agosto de 2012 at 13:26

    Prezado Sr. João;

    Bom dia!

    Quanto a lógica da atribuição de valor aos bens no mercado, sendo este móvel, imóvel ou de qualquer outra natureza, esta é fruto da congregação de inúmeros fatores que transcendem a nossa e a vossa vontade. Tenho certeza que o Sr. conhece os conceitos motrizes da Macro Economia.

    Em complemento, no que condiz ao empreendimento em tela, data venia, não temos como concordar com o senhor.

    Como esclarecimento, respeitosamente, sugiro a leitura do artigo abaixo transcrito:

    “O MERCADO IMOBILIÁRIO E O FANTASMA DA BOLHA.

    O mercado imobiliário gera paixões. Para muitos, a compra de um imóvel é a decisão financeira mais importante da vida. Para investidores, é um potencial de lucros às vezes fantásticos. Para o país, um poderoso motor de crescimento e geração de empregos.

    Desde 2008, venho refutando alegações de que o Brasil tem uma bolha imobiliária prestes a estourar. De lá para cá, os preços dos imóveis dobraram, triplicaram ou subiram ainda mais.

    Impressionado com o ritmo da atividade imobiliária e com a forte elevação dos preços, resolvi atualizar meus estudos sobre o assunto para checar minhas conclusões.

    Analisei as bolhas imobiliárias de todos os países para os quais consegui dados desde 1900. Ignorei apenas bolhas imobiliárias regionais como, por exemplo, a causada pela busca do ouro no oeste americano.

    Algumas conclusões saltam aos olhos. Primeiro, bolhas imobiliárias costumam envolver forte atividade de construção. Para tornar os dados de construção comparáveis entre diferentes países e períodos, analisei o consumo anual de cimento, per capita, em cada país no ano em que a bolha estourou. Não encontrei nenhum estouro de bolha com consumo anual de cimento inferior a 400 Kg per capita. Na Espanha, passou de 1.200 Kg e há casos, como na China atual, de consumo ainda superior, 1.600 Kg, sem estouro de bolha. No Brasil, minha estimativa é de que hoje estamos em 349 Kg.

    Segundo, uma bolha imobiliária sempre se caracteriza por preços muito elevados em relação à capacidade de pagamento das pessoas. Considerando-se quantos anos de salários são necessários para comprar um imóvel de preço médio nas principais cidades do mundo, nenhuma cidade brasileira está hoje entre as 20 mais caras. Por outro lado, Brasília, Rio de Janeiro, Salvador e Balneário Camboriú estão entre as 100 mais caras. Entretanto, mesmo por esse parâmetro, Brasília, a mais cara do país, ainda é duas vezes e meia mais barata do que Rabat, no Marrocos, a mais cara do mundo.

    O ar que infla qualquer bolha de investimento, imobiliária ou não, é sempre uma abundante oferta de crédito. Ela possibilita que investidores comprem algo que não poderiam apenas com suas rendas. Todas as bolhas imobiliárias que encontrei estouraram quando o total do crédito imobiliário superava 50% do PIB e, em alguns casos, passava de 130% do PIB. Nos EUA, em 2006, um ano antes dos preços começarem a cair, era de 79% do PIB. No Brasil, apesar de todo crescimento dos últimos anos, este número é hoje de 5% do PIB.

    Aliás, é sempre uma súbita ruptura na oferta de crédito, normalmente associada a uma forte elevação do custo deste crédito, que faz com que bolhas estourem. No Brasil está acontecendo exatamente o contrário. O crédito imobiliário está em expansão e o seu custo em queda.
    Por tudo que pesquisei, concluo que é bastante improvável que haja um estouro de bolha imobiliária no Brasil, pelo menos em breve. Se você vem adiando o sonho da casa própria por este medo, relaxe.

    Então os preços dos imóveis continuarão subindo no ritmo dos últimos anos? Dificilmente. Os preços atuais já estão mais elevados; em casos específicos, até altos para padrões internacionais.

    O mais provável, são altas mais modestas, às vezes bem mais modestas. Em alguns casos, até pequenos ajustes de preços para baixo são possíveis e salutares. São exatamente eles que garantiriam que bolhas não estourem em um futuro mais distante.”.

    Por: Ricardo Amorim
    Economista, apresentador do programa Manhattan Connection da Globonews e presidente da Ricam Consultoria..

    0
    • JKM- RJ 17 de agosto de 2012 at 13:27

      Foi o que um corretor me respondeu quando ofereci 500k num apto que ele estava pedindo 707k e citei a bolha.

      0
      • hannamanana 17 de agosto de 2012 at 14:32

        Acho que as pessoas tem direito a pedir o quanto elas quiserem. Isto não tem discussão.
        A gente pagar são outros quinhetos.
        E mais uns quatrocentos é querer convencer-nos através do artigo do Cement Guy que não tem bolha quando agora os veículos de comunicação pipocam em massa notícias sobre a valorização irracional de imóveis.. é querer pegar os desavisados.

        1+
  • Zé Bolha 17 de agosto de 2012 at 13:54

    Estava escrevendo para postar no CESTÃO, mas como veio este texto, fica melhor aqui. Eu ia escrever mais, ia tentar adequar ao que já foi escrito, mas não vai dar tempo hoje e aí o bonde o post passa. Então lá vai:

    Gostei muito dos gráficos do Economist, que alguém indicou aqui http://www.economist.com/blogs/dailychart/2011/11/global-house-prices?fsrc=scn/fb/wl/bl/dc/locationlocationlocation

    Vou digitar meus palpites, olhando o Gáfico de Prices in Real Terms dos países cujos quais todo mundo concorda, incRusive os coRetores, bolharam e PLOCaram – EUA, Itália, Espanha e Irlanda.

    Parece que o mercado volta a ser favorável nestes países mais ou menos na mesma época, final de 1986. Mais ou menos. De 1986 a 1996, 13 anos, os valores variam, mas sobem bem na Espanha e na Irlanda (~100%), andam de lado nos EUA e a Itália já passa por uma bolha aparentemente menor que a atual.

    O início da valorização forte em todos estes países aconteceu em 1999-2000 e foi até final de 2007, 7 anos com preços dobrando. De 1986 até 2007, 20 anos, Espanha e Irlanda tri/quadruplicam os valores.

    A partir de 2006-2007, o PLOC se instaura e de então até hoje, 5 anos, é ladeira abaixo. Com uns trapzinhos nos EUA. Nestes países o “topo” durou aí 1 a 2 anos, com a valorização arrefecendo, estabilizando e finalmente invertendo a tendência. 20 a 10 anos de subida, 1 a 2 anos de topo e varada de 5 anos, até agora.

    Dá pra brincar muito com números e dizer muita coisa. Mesmo não sabendo brincar eu fiz minha brincadeira e vou falar de bolha como sendo um oposto ao esperado para o mercado de imóveis pela população. Espero que vocês comentem e até me esculachem se eu estiver muito errado… rs … com educação.

    Todos esperam valorização de ativos constante e infinita. Você compra, seu patrimônio fica seguro, valoriza sempre e quando você quiser vender sairá invariavelmente com lucro. Isso foi verdade com imóveis por ~20 anos na Espanha e na Irlanda e por ~10 anos nos EUA e Itália.
    Uma a duas décadas cobrem a boa parte da vida economicamente ativa de uma a duas gerações, reforçando gradativamente a idéia da valorização constante e infinita no ideário econômico da maioria, pois se encaixa perfeitamente na realidade econômico-financeira que essa maioria enxerga: ganha aqui, gasta ali e, quando dá, poupa um pouco para o futuro.
    E mais, todo mundo quer esquecer o tempo das vacas magras e só quer pensar no presente das vacas gordas. Os mais velhos esquecem-se das perdas passadas e os mais novos não conhecem perda. Com o tempo consolida-se a noção da “valorização constante e infinita” e vem o cansaço com o ganha-aqui-gasta-ali-e-quando-dá-poupa. Nessa hora ficamos todos prontos para o “AGORA VAI”.
    Vivi no laço, trabalhei vinte anos, estou com quarenta e não tenho tempo mais para esperar. Eu quero resolver em 5 anos, pô! Os mais novos não querem ter a vida de espera dos mais velhos, querem resolver com menos idade… AGORA VAI!
    E começa a “ir indo” mesmo, as pessoas começam a mudar para imóveis melhores, comprar uma casa de praia ou campo, ou comprar um segundo imóvel para familiar ou para alugar. O Smart Money já entrou e começa a ter retorno, então os mais antenados começam a ouvir as estórias de pessoas e empresas que estão fazendo a vida no mercado de imóveis. Os profissionais que vivem de comissões começam a melhorar de vida com o aumento do número e valor das transações. Pra estes, quanto mais, melhor.
    E vamos indo. As pessoas querem mais e começam a buscar financiamentos e as entidades laçadoras de almas chamadas de bancos caem matando, todo mundo começa a alavancar a bagaça, as derivadas vão subindo, a notícia se espalha. E vamos indo… É o gerundismo de mercado! Aí já entramos no caminho da bolha, quando a expectativa de valorização constante é inicialmente superada por uma forte e rápida valorização e os ganha-aqui-gasta-ali-e-quando-dá-poupa PIRA! AGORA VAI!
    Só tem uma coisa, amiguinho… alavancou, f*#&u! Deixa de ser brincadeira para os ganha-aqui-gasta-ali-e-quando-dá-poupa, cujo cérebro não processa matemática de juros compostos. E a nossa absoluta falta de educação financeira faz sua parte soprando a bolha de crédito, do consignado do vovô e do carnê da titia na Insinuante, passando pelas viagens e compras no cartão de crédito, pelo carro novo do papai, até andar no cadafalso do mercado imobiliário para investimento.

    PLOC!

    O Gráfico de % change mostra o que seria um pior caso naqueles países, quem comprou imóvel no início de 2006 e manteve o imóvel até hoje, acumulou perdas de até:
    EUA – 40%
    Itália – 12%
    Espanha – 22%
    Irlanda – 45%

    Dá pra brincar mais com os gráficos. Se eu tiver tempo no final de semana vou fazer umas sequências entre estas datas de subida e PLOC, de % change de dez em dez anos, 5 em 5 e 2 em 2.

    0
  • BELARMINO 17 de agosto de 2012 at 15:37

    O phoda é que quando os canalhas ganaciosos construtores/corrretores/ banquedores estão quase mortos e sufocados aparece o nosso “gunverno” com o antidoto e o suprimento de ar.

    0
  • torero 18 de agosto de 2012 at 12:43

    Em relação aos pontos 6 e 7, tenho uma consideração a fazer:
    Não acredito em quedas nominais bruscas de preços de imóveis. Acredito que os preços cairão moderadamente e de forma contínua por um bom tempo. O efeito, porém será o mesmo de uma queda brusca em razão da soma da queda moderada com a inflação do período e o custo de oportunidade. A resistência do sistema financeiro brasileiro (crédito fácil e de relativa qualidade), a mentalidade (“não vendo por menos do que comprei !!!”) e estrutura do mercado imobiliário nacional (alta demanda, pouca instrução financeira e sonho da casa própria) impediriam uma maior volatilidade negativa, mas não impediriam a inevitável depreciação real que vai acontecer nos próximos anos para trazer o reequilíbrio de mercado após a insanidade bolhuda dos últimos tempos (renda das famílias não suporta situação atual). Lembro que alguns aqui no blog se mostravam ansiosos para que a bolha estourasse e logo pudessem comprar seus imóveis por preços decentes. Digo que a bolha estourou e quando o povão puder sentir, não vamos ter tanta pressa em comprar imóveis, pois não vai fazer sentido financeiro comprá-los (já não está fazendo, mas até lá isso vai ser ainda mais evidente quanto jogar dinheiro pela janela). Aqueles que financiaram pelo menos 70% do imóvel nos últimos 1,5 – 2 anos já estão perto do empate em termos de rentabilidade com a renda fixa. Daqui a uns meses começarão a ter prejuízo. Levará mais uns meses além, entretanto, para perceberem a armadilha em que caíram. Só então o movimento de venda e a desvalorização do imóvel como investimento será massificada e a percepção de estouro se efetuará. Se fosse estimar um prazo, colocaria algo como dois anos pra frente para essa visão se consolidar. Até lá, essa sensação de congelamento e estagnação ainda se fará presente.

    0
    • Zé Bolha 19 de agosto de 2012 at 02:07

      Boa!

      0
  • Ricart 22 de agosto de 2012 at 13:47

    Achei interessante a abordagem, mas não entendi muito bem a relação que o item 5 tem com tudo isso (calma… não sou corretor de imóveis rsrs). Pra mim existem 3 grupos: os que já possuem casa própria, os que já vivem de aluguel e não compram imóveis pelo alto preço ou por não terem condiões e o terceiro grupo que compreende as pessoas que vão iniciar uma nova vida e por isso precisam de uma residência (seja alugada, seja comprada). Desta forma, o primeiro e segundo grupos em nada influência a alta do preço de aluguéis, pois quem tem casa própria não precisa de aluguel e quem vive de aluguel continuará vivendo de aluguel, fazendo então com que a demanda pelo aluguel permaneça inalterada. O que pode fazer a demanda de aluguel aumentar é o terceiro grupo, mas acredito que este grupo seja pequeno perto dos dois primeiros grupos. Além do mais, é normal que pessoas comecem vivendo de aluguel quando estão na sua primeira residência para só depois comprar algo. Além disso, se analisarmos apenas os jovens, sabemos que hoje as pessoas estão abandonando a casa dos pais muito mais tarde do que as gerações anteriores. Assim, este grupo não altera a demanda por alguel, já que o problema da casa própria pode ser adiado vivendo um pouco mais com os pais.

    Saudações a todos,
    Ricart

    1+
  • Fabio 27 de agosto de 2012 at 17:44

    Gostaria de tirar uma duvida, estou querendo adquirir um imovel porem com a tal “bolha” deve-se ficar calteloso.
    Caso eu consiga um imovel novo com a construtora com um desconto entre 15-25% será q ainda assim vale a pena. Pretendo morar nele por 15-20 anos, com isso, nao foco em lucro, devido ao longo tempo que irei usar o apartamento. Estou em Curitiba e o empreendimento em foco é o Botanica.

    0