Desaceleração do Mercado Imobiliário – Blog do Samy

Você pode gostar...

Comments
  • antonio henrique BH 20 de agosto de 2012 at 13:41

    O que o Samy escreveu no artigo não é novidade para ninguém. Estou certo ou errado?

    0
    • ademirSP 20 de agosto de 2012 at 13:43

      Correto.

      PLOC!

      0
    • Bolha Imobiliária 20 de agosto de 2012 at 13:46

      Certo. É só para ter mais argumentos pró.

      0
      • Legião Brasileira 20 de agosto de 2012 at 14:27

        Sim Bolha,

        Vejo escrito na holy bible bubble, o doomsday housing bubble !
        Os 4 cavaleiros vem anunciando o fim…kkkk

        Esperar prá ver….

        0
    • Baiano 20 de agosto de 2012 at 13:57

      Bom artigo mas choveu no molhado. Sem novidades (para nos, pelo menos…)

      0
  • David 20 de agosto de 2012 at 13:50

    Boa matéria, mas para muita gente, só vai haver bolha mesmo se os preços caírem 30-40% de uma hora pra outra. Não adianta falar que nos EUA levaram quase 2 anos entre o estouro da bolha (2006) e as quedas de preço mais acentuadas (2008-2009). Alguém poderia postar essa matéria no blog da Kátia, pra ver a reação.

    0
  • FQ 20 de agosto de 2012 at 14:04

    A matéria do Samy, embora tenha alguns bons argumentos, é baseada num dado manipulado e irreal, o tal do “FipeZAP”, índice totalmente sem credibilidade e lastro, baseado em anúncios livres em classificados, basta procurar no Zap que verão a quantidade de anúncios “fakes” (irreais) que existem para especular e elevar os preços médios.

    Esse índice é criminoso e vergonhoso. Retrato da ‘idiotacracia’ brasileira e do tamanho do tombo que teremos quando nos dermos conta de onde estamos!

    Diversos setores e entidades já reconheceram que houve redução (queda) nos preços dos imóveis e não apenas uma “desaceleração” (=alta) como o FipeZap divulgou baseado em seus classificados. Em tempo, “desacelerar” significa um aumento de preços, só um aumento menor que antes!

    Se considerarmos que as informações do FipeZap estão corretas, os imóveis seriam hoje o melhor investimento possível no Brasil (1% ao mes e 20% ao ano).

    0
    • FQ 20 de agosto de 2012 at 14:15

      COMENTÁRIOS retirados do Blog do SAMY abaixo da referida matéria:

      Prof. Samy. Na minha opinião esse índice Fipe-ZAP é um crime contra o sistema financeiro, pois evidentemente é um índice construído com altissimo conflito de interesses. Não deveria em hipótese alguma servir para qualquer base de mercado. Rodrigo.

      “O índice Fipe ZAP não representa efetivamente os preços praticados, só os anunciados, por isso os especuladores podem se basear nele para garantir aos compradores que o mercado continua aquecido…” Claudio.

      A técnica de elevar os preços na tabela é prática comprovada. Serve para mostrar uma pseudo valorização. A valorização só ocorre no momento da venda. É comum encontramos produtos sendo revendidos por preços muito abaixo aos da lista dos contrutores. Eu pessoalmente, já constatei diferença de 20% num produto localizado no ABC… Roberto Stival.

      0
    • xyz 20 de agosto de 2012 at 14:36

      Acho que a idéia era fazer a cobra provar do próprio veneno, ou seja, usar o índice supostamente mais manipulado a favor do mercado imobiliário para comprovar a tese que o mercado imobiliário deixou para trás os anos de pujança.

      0
      • FQ 20 de agosto de 2012 at 14:42

        1% ao mês e 20% ao ano ainda seria uma grande pujança….

        0
        • peterson 20 de agosto de 2012 at 19:38

          extamente deve-se usar o proprio indice para provar a bolha, ACHAR que ele é manipulado não prova nada e descredita a metodologia adotada sem fundamentos. Assim o grafico mostra um pico e um patamar (alto) NÃO ESTAMOS VENDO A QUEDA estamos observando claramente a ESTAGNAÇÃO…. espero que consigam visualizar o que claramente vejo olhando este grafico e os numeros que ele apresenta….

          0
          • newbie 21 de agosto de 2012 at 08:19

            Os vários imóveis anunciados no ZaptiZum por 350 milhões ou mais (que as vezes alguém encontra e posta aqui no blog) e não valem 100 mil não são o suficiente pra provar que o índice é alienado?

            0
            • FQ 21 de agosto de 2012 at 11:01

              E todos os anúncios “piratas”, “fakes”, falsos, “tabajaras” plantados por corretoras e corretores?

              0
  • Legião Brasileira 20 de agosto de 2012 at 14:15

    Sem novidade mesmo…

    Não queremos ser pessimistas, “gorar”, ou cidadãos sem fé mas
    não vejo a hora de entrar nesse estágio de pânico geral e os preços abaixarem REALMENTE por que até agora é só prá “boi dormir”…

    0
    • xyz 20 de agosto de 2012 at 14:25

      O governo ainda tem muita lenha para queimar (literalmente) antes do desespero bater à porta do mercado imobiliário.

      O governo está se endividando brutalmente para repassar bilhões ao BNDES e CEF para que eles mantenham a situação sob controle.

      E AINDA, o mercado financeiro considera a situação fiscal do Brasil muito boa, ou seja, mesmo com um endividamento esponencial, o Brasil ainda tem muito crédito no mercado.

      Enquanto o Brasil tiver crédito, o desemprego e a inadimplência estão sob controle.

      Prefiro a bolha à crise, mas o governo não está dando muita opção, apesar de ainda ter muitos instrumentos para secar a bolha de forma controlada e evitar a crise.

      0
      • xyz 20 de agosto de 2012 at 14:26

        “exponencial”

        0
      • simone 20 de agosto de 2012 at 14:33

        dinheiro vai ter mas depois da copa e olimpiadas todo mundo foge

        0
        • newbie 20 de agosto de 2012 at 15:41

          Mentira isto, copa e olimpíadas não gera NADA de investimento.
          Quem investe em evento que dura 1 mês é idiota ou está desviando verbas/lavando dinheiro.
          Não existe nada de bom nestes eventos, apenas alienação do povo e mais dívidas.
          Estes eventos serão o golpe de misericórdia no Brasil, povo idiota vai colher o que está plantando.

          0
          • GB 20 de agosto de 2012 at 17:26

            Yeah !!!!!!!!!!!!!!!!!

            0
          • FQ 21 de agosto de 2012 at 11:02

            A Copa e as olimpíadas são eventos Te-le-vi-si-vos!!!

            0
    • FQ 20 de agosto de 2012 at 14:28

      Já começou a abaixar!

      Se esse índice “administrado” pelas corretoras e baseados em “anúncios” e não nas vendas reais, ficou em 1%, o mercado já deve ter caído uns 20% pelos menos!

      0
  • Pablo 20 de agosto de 2012 at 14:26

    Faltou comentar o custo de se manter um imóvel fechado!
    IPTU, Condominio e Taxas extras.
    Que “comem ” este 1% de valorização!

    0
  • self 20 de agosto de 2012 at 14:32

    A bicicleta está sendo pedalada com menos força.

    0
  • ademirSP 20 de agosto de 2012 at 14:39

    Gafisa subindo novamente.
    Quem comprou na baixa tá ganhando prakariao.

    0
    • Pablo 20 de agosto de 2012 at 14:47

      A Gafisa esta girando no mercado de opção.
      Sua valorização não está baseada à fundamentos e sim a expeculação.
      Estão especulando mais com ela e menos com a Petrobras, por exemplo!

      0
  • xangai 20 de agosto de 2012 at 15:10

    opa … curioso … no uol mudaram o headline do artigo para :::

    “http://economia.uol.com.br/
    Samy Dana
    Pesquisa mostra que preço de imóveis deve cair; aguarde para comprar ”

    hummm… “alguem” esta forcando em cima da materia do Professor/Doutor Samy …

    em relacao a comentarios como “chover no molhado” ou “nada de novo” … discordo em parte !! qualquer noticia de um Professor desse calibre tem que virar headline … tem que ser salvo como recente para enviar aos coretores. inclusive usando o flipzup ..mas deixando claro que eh tendencioso.

    0
  • Sérgio 20 de agosto de 2012 at 15:48

    Níveis de consciência e/ou aparência com relação ao assunto:

    1 – coRetor xiita: segue uma ideologia cega, apesar de não saber o que isso significa; crê piamente na normalidade da situação, mesmo já estando há mais de um ano pagando para trabalhar; acessa comunidades contrárias munido de pseudo informações-bomba; enquadra-se nessa categoria, apesar de ainda possuir rendimentos e de não ser coRetor, nossa animação eventual ricardo amorim, e diretores do secovi, além, é claro, do mantega;

    2 – coRetor: não sabe para onde vai ou de onde veio; tem intensa necessidade de ser convencido por uma das vertentes do mercado; é especialista em jogos como Paciência, Spider e Copas, tudo do Windows; digno de pena;

    3 – Corretor: sabe da gravidade da situação, mas não se alarmou; reconhece que os dias de glória se foram; já está preparado para descida; não se omite; é exemplo o digno Srº Plínio Gonzaga (aquele da entrevista CBN Curitba);

    4 – Bolhista moderado (ou eufemístico): crê na bolha, mas com uma perspectiva menos drástica, pois, que deixa-se levar (pelo espírito científico) pelos contos e fábulas de nosso “maior e mais confiável” índice de preços dos imóveis, o plunct-zapt-zum. Ademais, temem em arriscar-se a ser mais verdadeiros e “crueis” devido às posição e carreira; incluem-se nossos mais renomados porta estandarte: Sami Danna, Lima Jr (da USP), William Eid (talvez) e Luciano D’Agostinni; são dignos de crédito (Não absoluto… he h e e he);

    5 – Bolhistas nato: são os integrantes do BLOG, em sua grande maioria; são os que não precisam mais de convencimentos; não debatem com xiitas, não falam nada que não seja fundamentado e são, às vezes, deveras sarcásticos; por falta de espaço e de tempo, elejo arbitrariamente o GB, o Seu Madruga e a Rosinha (não desmerecendo nenhum dos outros), pois que são esses cujos posts (alguns) fiz questão de guardar. Não citei o próprio BOLHA e o sumido MrK por serem Hors concours; e

    6 – Bolhistas SUNITAS: felizmente são minoria excepcional quase em extinção; creem que a bolha fará um alvoroço espetacular (não que não vá fazer) e contam os segundos para isso acontecer; estão numa aflição tão grande que são capazes de explodir um stand de vendas assim que anunciarem “oficialmente” a bolha; apesar de formalmente serem bolhistas, materialmente não diferem dos coRetores xiitas, pois, que apenas uma tênue linha os separa; não sei se saberia indicar um desses.

    É bem verdade que, em cada uma dessas categorias, há algumas divisões, mas que desnecessárias para melhor compreensão das postagens no BLOG e das notícias reproduzidas.

    0
    • RosinhA 20 de agosto de 2012 at 17:16

      Espero as subdivisões hahahaha 😉

      0
    • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 09:50

      “são capazes de explodir um stand de vendas’
      Hahahahaha imagino a cena kkk

      0
  • Marcos 20 de agosto de 2012 at 15:58

    Proponho um SERVIÇO DE UTILIDADE PÚBLICA: O que acham de cada um enviar pra o maior número possível de pessoas (coRetores, gente que está pensando em comprar, amigos, etc etc) essa notícia ? Proponho enviar a todos esses o Título : Pesquisa mostra que preço de imóveis deve cair; aguarde para comprar e o link http://blogdosamy.blog.uol.com.br/arch2012-08-16_2012-08-31.html#2012_08-20_01_52_37-169990269-0

    0
  • Ricardo C. 20 de agosto de 2012 at 16:02

    Muito bom artigo, Bolha. É uma boa síntese do momento vigente.
    A própria natureza pouco líquida desse mercado faz com que as variações não sejam tão explosivas.
    Esperem calmamente, pois a batata só começou a assar…

    0
  • MrK 20 de agosto de 2012 at 16:14

    Legal o Artigo do Samy, realmente não é novidade, mas ele é um cara de peso, tem leitores, aparece na TV, é respeitado e tem um curriculo que não se pode desprezar, portanto é golaço!!!

    O Fipezap é uma mentira que demora pra cair, mas como toda mentira uma hora ou outra vai cair…

    0
    • RosinhA 20 de agosto de 2012 at 17:09

      Taí MrK um cara respeitado não tinha lido antes senão comentava aqui mesmo….

      E lembrem-se o Pifio PLoc começou em 2008, as subidas começaram em 2004, não se esqueçam disso…..

      0
  • Ar Quente 20 de agosto de 2012 at 16:18

    Caraca! Descobriram que os agentes econômicos não são racionais! Que os austríacos da lista tem a dizer sobre isso?
    E agora, mais uma da web, meio cópia total do infomoney…

    IMÓVEIS SÃO PÉSSIMO INVESTIMENTO, DIZEM ESPECIALISTAS
    Os preços dos imóveis no Brasil valorizaram 47,9% de agosto de 2010 a junho de 2012, de acordo com o índice FipeZAP, produzido em parceria entre a Fipe e o ZAP Imóveis. A alta valorização chama a atenção, principalmente para quem busca oportunidades de ampliar o patrimônio num cenário de mercado acionário em queda e juros com taxas baixas.

    No entanto, especialistas são unânimes em afirmar: neste momento não há como fazer bom negócio com imóveis no País porque já estão muito elevados. “Para mim, nós vivemos uma bolha do setor imobiliário, com preços muito aquém do que os imóveis valem. E preços que não vão se sustentar por mais muito tempo. Sendo assim, a compra de um imóvel nesse momento não é bom negócio, nem para investimento nem para morar”, afirma Willian Eid, coordenador do Centro de Estados de Finanças da FGV-SP (Fundação Getulio Vargas).

    Para o coordenador do curso de Real Estate da Poli/USP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo), João da Rocha Lima Júnior, comprar um imóvel agora é como comprar uma ação em época de alta da Bolsa. “O mercado imobiliário já está precificado. Essa história de comprar e esperar valorizar já não é uma boa opção, e, em minha opinião, nem investimento é. É especulação. Investimento é comprar para alugar, mas isso também não é bom negócio. Primeiro que alugar imóvel residencial no Brasil é muito difícil por causa da lei do inquilinato, que protege muito o locatário, fazendo o risco do negócio ser muito alto para o locador. Além disso, a relação entre valor de aluguel e valor de imóvel é muito ruim no País”.

    Ambos os especialistas concordam em mais uma questão: os rendimentos da renda fixa são mais vantajosos do que a renda de um imóvel alugado. “Hoje tá valendo mais a pena deixar o dinheiro na renda fixa, principalmente se for a antiga poupança, do que investir em imóveis”, diz Eid. Rocha Lima completa: “Não podemos esquecer que imóvel tem custo, corretor, imposto de renda e dor de cabeça, coisas que a poupança não tem. Isso precisa ser muito bem avaliado.” (infomoney)

    0
  • Ar Quente 20 de agosto de 2012 at 16:23

    E mais uma…
    Venda de imóvel usado registra queda de 15,09%

    Pesquisa do Creci realizada em Franca aponta ainda que aluguel teve saldo positivo de 1,31% no primeiro semestre

    Da Redação/DF

    O volume de imóveis usados negociados no Estado de São Paulo no primeiro semestre deste ano acumulou queda de 15,09% com o resultado das vendas em junho, que foi 10,23% inferior ao de maio. O mercado de locação estadual escapou por pouco de ficar também no vermelho. Mesmo com o saldo negativo de 9,44% em junho, o acumulado em seis meses terminou positivo em 1,31%.
    Outro indicativo do recuo desses dois mercados no Estado é a queda de 9,17% registrada no primeiro semestre no Índice Estadual de Preços de Imóveis Usados Residenciais do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci). O desempenho positivo de 5,65% em junho não foi suficiente para reverter o saldo negativo desses primeiros seis meses. O índice é composto pela média de preços de imóveis vendidos e de novos aluguéis contratados no Estado, inclusive em Franca.
    Em junho, foram computados preços de venda e valores de locação de 4.077 imóveis
    em média, pesquisados em 37 cidades. Os números apurados na pesquisa de junho e o acumulado do ano “mostram uma desaceleração que acompanha o ritmo geral da Economia. Ao final do ano passado, as previsões de crescimento do PIB para 2012 eram de até 5% e agora já recuaram para 1,9%”, explica José Augusto Viana Neto, presidente do Conselho.
    “O esfriamento dos dois mercados está em linha com o comportamento geral da Economia, mas daqui para o final do ano a situação poderá se reverter com a baixa das taxas de juros dos empréstimos imobiliários, movimento já iniciado por um grande banco de varejo que esperamos seja seguido por outros”, afirma Viana Neto. O banco em questão é o Santander, que reduziu de 10% para 8,8% ao ano mais TR (taxa referencial) os financiamentos (de imóveis até R$500 mil) para clientes que trouxerem a conta de outro banco e aderirem a um pacote de serviços.
    “A redução de juros e o alongamento de prazos dos financiamentos imobiliários são decisões que todos os bancos deveriam adotar neste momento, para ajudar a Economia a ganhar mais impulso e garantir empregos, renda e melhoria de condições de vida para milhares de famílias”, enfatiza Viana Neto. “Outro grande estímulo pode ser a inclusão dos imóveis usados no programa Minha Casa Minha Vida, providência que os corretores de imóveis entendem ser capaz de acelerar o acesso à casa própria para milhares de famílias em todo o País”, ressalta o presidente estadual do Creci.

    Vermelho
    A pesquisa feita com 1.444 imobiliárias de Franca e outras 36 cidades do Estado, incluída a Capital, apurou que o índice de vendas recuou 10,23% em relação a maio. Das quatro regiões que compõem a pesquisa, houve queda no Interior, de 38,81%, o que puxou para baixo o resultado geral apesar da alta na Capital (+ 33,85%), no Litoral (+ 5,82%) e nas cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco (+ 1,92%).
    Apartamentos superaram as casas na preferência dos compradores, registrando 54,02% e 45,98% das vendas, respectivamente. Os financiamentos bancários foram a forma utilizada na maioria das vendas feitas em junho na Capital (60,85% do total), no Interior (57,49%) e na região do A, B, C, D, Guarulhos e Osasco (69,71%). Somente no Litoral as vendas à vista (50,93% do total) superaram as feitas com financiamento (43,06%).
    No conjunto das quatro regiões do Estado, vendas financiadas pela Caixa Econômica Federal e por outros bancos representaram 57,28% do total; as vendas à vista somaram 38,99%; as vendas feitas com pagamento parcelado pelos proprietários atingiram 3,07%; e as efetivadas por meio de consórcio somaram 0,66%.

    ALUGUEL
    As imobiliárias consultadas alugaram em junho no Estado de São Paulo 9,44% a menos que em maio. Houve queda do número de locações na Capital (- 3,95%), no Interior (- 16,48%), na região formada pelas cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco (-8,15%) e alta no Litoral (+ 3,94%).
    Os imóveis mais alugados no conjunto das quatro regiões que formam a pesquisa estadual foram os de valor mensal até R$ 800,00, que somaram 51,1% do total de novos contratos. Por região, os mais alugados foram os de até R$ 800,00 mensais no Interior e nas cidades do A, B, C, D, Guarulhos e Osasco e os de até R$ 1.000,00 na Capital e no Litoral.
    Os novos inquilinos preferiram as casas (53,45% do total) aos apartamentos (46,55%) em junho. As imobiliárias consultadas na pesquisa receberam de volta o equivalente a 49,84% do total de novas locações. A inadimplência recuou 1,37%, de 3,64% do total de contratos em vigor em maio para 3,59% em junho último.

    0
    • peterson 20 de agosto de 2012 at 19:41

      exatamente como previsto … sem nenhuma virgula a mais ou a menos

      0
  • Ar Quente 20 de agosto de 2012 at 16:33

    E desse jeito teremos em breve mais que um cestão… Um conteiner de notícias!

    Número de imóveis para venda e aluguel cresce 30% em Uberlândia

    O número de imóveis à venda e para aluguel em Uberlândia aumentou em até 30% nos últimos dois anos, de acordo com imobiliárias da cidade, enquanto o tempo para fechar um negócio dobrou. Um imóvel que, em 2010, levava dois meses para ser vendido ou alugado, hoje demora cerca de quatro meses. Esse aumento pode ser explicado pela grande quantidade de imóveis ofertados. Além das construções feitas por empresas e construtores já estabelecidos no mercado, o setor tem atraído investimentos de profissionais de outras áreas, como médicos e advogados.

    O diretor do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (Sinduscon-TAP), Rubens Debs Procópio, afirmou que os “investidores de momento” desequilibram o mercado. “Todo empreendedor que não é do setor cria alguns transtornos. Com a grande procura, os terrenos e a mão de obra qualificada ficam mais caros e o valor do imóvel pronto também aumenta, além de diminuir a velocidade das vendas”, disse.

    Desde 2009, o advogado Eduardo Pires investe em construção de casas e apartamentos devido, segundo ele, ao aquecimento e à estabilidade do mercado. “O setor está sólido e existe uma grande demanda por habitação. É um ramo que não tem como perder dinheiro”, afirmou. Ele pretende continuar empreendendo no setor. “O Brasil é um país promissor que ainda tem um déficit muito grande em moradia.”

    Mas, o mercado mobiliário está em ritmo mais lento, de acordo com o corretor de imóveis Edivan Pereira. “Há alguns anos, a gente vendia todos os imóveis antes mesmo de terminar as obras. Hoje, como tem muita gente construindo e a oferta está maior que a procura, a gente demora mais a vender”, afirmou.

    Preço sobe, margem de lucro diminui

    A quantidade de construções em Uberlândia é crescente. De acordo com dados da prefeitura, só nos sete primeiros meses de 2012 foram concedidos 3.497 alvarás para todos os tipos de obras na cidade, o que corresponde a 80% do total de licenças emitidas em 2011. O aumento da concorrência do setor de construção civil fez com que o preço das obras e dos imóveis prontos aumentasse e a porcentagem de lucro do empreendedor diminuísse.

    O engenheiro de produção Daniel Naves, que investe na área de construção desde 2006, disse que, no início, o negócio era mais rentável. “Como o valor de mão de obra, terreno e materiais aumentou muito, agora não tem mais a mesma margem de lucro como antes”. Segundo ele, até 2009 os imóveis rendiam 45% de ganho e, em 2012, ele consegue uma margem de 30%.

    De acordo com o corretor de imóveis Cícero Antônio Pereira, há cerca de dez anos, um imóvel de dois quartos que valia R$ 50 mil e levava no máximo dois meses para ser vendido, hoje custa R$ 140 mil e leva em torno de três meses para fechar negócio. “Na época, eu vendia mais imóveis e mais rápido. Agora demora mais porque o cliente tem muito mais opções para escolher”, afirmou. Em 2002, ele conseguia vender nove imóveis por mês e, dez anos depois, no máximo cinco.

    0
  • Ar Quente 20 de agosto de 2012 at 16:38

    E essa acho que passou abaixo do radar da galera…
    Em cenário de desaceleração, construtoras prometem descontos nos imóveis

    Num momento em que ocorrem desaceleração nas vendas e queda no número de lançamentos imobiliários, construtoras organizam promoções para vender apartamentos.

    A construtora Even é uma delas e programou para este domingo (19) um dia especial em que promete descontos de até 36%. O evento ocorre em São Paulo a partir das 7h (rua Hungria, 1400, Jardim América) e no Rio de Janeiro a partir das 9h (shopping Downtown, av. das américas 500, bloco 14, loja 101).

    Para este hoje (18), haverá uma ação em Minas Gerais a partir das 9h, com descontos de até 30% (alameda da Serra, 891, Vila da Serra).

    A construtora Trisul organizou o “Mês Premiado Trisul”, que vai de 15/8 a 15/9. A empresa vai oferecer descontos de até 20% no valor dos imóveis, além de serviços como vale-compra e escritura grátis. São ofertadas na campanha 550 unidades no Estado de São Paulo.

    Já a construtora Cury tenta atrair compradores com o parcelamento da entrada do imóvel em até dez vezes. A promoção vai até o dia 31/8. Fazem parte dessa promoção os empreendimentos: Único Guarulhos, Parque dos Sonhos, Viva Mais Itaquá, Dez Vila Curuça, Mérito Aricanduva e Mérito Vila Curuça. Os imóveis custam a partir de R$ 103 mil.

    0
    • TG Brasil 20 de agosto de 2012 at 18:20

      òtima noticia…

      Quem não comprou, não compra mais, esperará o desconto.
      Quem investiu, acirrará briga com as construtoras…

      Será que demora pra chegar no ABC?? rs

      0
      • Charles 20 de agosto de 2012 at 18:31

        Deixa eles se matarem… Vai ser melhor que UFC. Vou assistir de camarote e quando um deles estiver quase morto eu faço uma oferta daquelas de enfiar a faca e torcer o cabo…

        0
  • GB 20 de agosto de 2012 at 16:39

    Muito bom o artigo do Samy, reflete 100% a realidade e os comentários do pessoal estão muito bons também, ampliam a discussão, só um foi lá dizer que “especulador não é bandido”, mas eu não acho certo especular com algo que é considerado “Direito Essencial”, só para ter lucro, se não são bandidos, pelo menos são uns FDP.

    Ele é o nosso Peter Schift, a diferença é que não vão ter coragem de rir do Samy em cadeia nacional como fizeram com o Peter.

    0
    • RosinhA 20 de agosto de 2012 at 17:14

      Yeahhhh bolhista rato, quero dizer nato 😉

      0
      • GB 20 de agosto de 2012 at 17:31

        Yeah !!!!!!!!!!!!!!!!!!

        0
  • Francisco Quiumento 20 de agosto de 2012 at 16:49

    OFF

    E ao redor da bolha imobiliária, o terreno movediço da lama interminável da bolha de crédito, já mostrando seus reflexos:

    Lucro do BNDES tomba 48% no primeiro semestre de 2012

    http://oglobo.globo.com/economia/lucro-do-bndes-tomba-48-no-primeiro-semestre-de-2012-5842992

    (Poético, não?)

    0
    • RosinhA 20 de agosto de 2012 at 17:39

      Tombar me soa como aqueles cachorros vira latas, que vagam por aí só aprontando. 😉

      0
      • TG Brasil 20 de agosto de 2012 at 18:12

        Para mim soa como aquele embriagado que só saiu quando o bar fechou, tah caído na sargeta, esperando o efeito do alcool passar..

        0
    • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 10:00

      Poético e como muitas poesias, trazendo um tom de dramaticidade…
      Se “A queda foi reflexo dos efeitos negativos da crise financeira global sobre o mercado de ações” e eles citam os resultados do BanesPAR, significa que este tombo foi causado mais pelas suas participações em empresas que tiveram desempenho ruim, do que a parte de crédito.
      Eles participam de muitas coisas, e vários empreendimentos deram com os burros n’água nos últimos tempos.
      Pode haver empresas “desmerecedoras” que recebam crédito sem ter ótima qualificação, mas o obtém por motivos até mesmo políticos, mas em linhas gerais, é difícil conseguir crédito com eles, pois são muitos os requisitos e burocracia. Acho que, por isto, não foi o crédito o grande problema dos resultados.
      (estou me baseando somente na matéria, ok!?)

      0
  • Ale 20 de agosto de 2012 at 16:58

    Sou novo no site e quero fazer uma observação quanto a investimento em imóveis.
    Aproveitando o exemplo de quem comprou por 500k dilmas e quer vender por 600k dilmas, e, num cenário improvável consegue este valor;
    valorização em 1 ano 20%
    IR sobre valorização imobiliária 15% eu acho – 15k
    ITBI na compra 2,5% – 12,5k
    Registro Escritura aprox – 7,5k
    Taxa de cornetagem na venda 6 % – 36k
    IPTU do ano que permaneu com o imóvel – 8k (varia de município para município)
    Condomínio para um imovel deste valor, em um ano – 10k aproximadamente

    Lucro real – 11k (2% em um ano) – péssima aplicação
    Posso ter me equivocado em algumas das despesas, mas só quero mostrar que por trás de um retorno de 20 % apregoado existem custos que não são contabilizados.
    Fui

    0
    • GB 20 de agosto de 2012 at 17:46

      Se a bagaça não valoriza, não há gente nova entrando no esquema, aí a base da pirâmide acaba ruindo, quem já está no jogo vai tentar vender também para sair dele, mas como ainda pensam em ter lucro, o tempo passa e as despesas se acumulam.

      No final vão ver que era melhor ter deixado na poupança, pelo menos não dava úlceras neles e nem perda de cabelos.

      Os coRetores também devem estar loucos com as cobranças dos proprietários, logo estes vão notar que coRetores não fazem milagres.

      0
  • RosinhA 20 de agosto de 2012 at 17:07

    Meu ces tão falando sério que o artigo do Samy foi moderado choveu no molhado…..

    O único artigo que vi até agora fora os nossos, que o cara teve peito de escrever ((((((( ESPECULADOR)))))))))), ou os sunitas 🙂 queriam que eel escrevesse que a bolha explodiu o Brasil vai acabar as construtoras vão falir etc.

    O cara é economista, é respeitado, e tem que falar aquilo que realmente está acontecendo, não previsões malucas do calendário maia….

    Palavras dele:

    Ninguém gosta de perder dinheiro, sobretudo especuladores, por isso, mesmo quando o mercado sinaliza que não está disposto a pagar o preço desejado, o investidor coloca uma oferta acima, pois atender ao mercado seria muito doloroso, uma vez que, estaria realizando ou conscientizando as suas perdas.

    Por outras palavras, em um primeiro momento o investidor prefere manter um preço alto e irreal a realizar alguma perda, mesmo que com esse preço não consiga vender o imóvel,.

    Acho que o post do Sérgio veio em boa hora, separando joio de trigo…..

    Ou alguém realmente acha que o cara vai escrever: Vai cair 50%, construtoras falidas, bancos quebrados em 2014… isso é loucura nunca ninguém escreverá isso, para mim o artigo foi excelente…

    0
    • RosinhA 20 de agosto de 2012 at 17:13

      Nós escrevemos o que queremos e chutamos do jeito que queremos, não temos público e ninguém tem como obrigação ou imposição os acertos ou erros, pensem nisso, se o cara tem peito de escrever em um veículo de grande circulação a coisa já está bem legal, ainda mais se saiu como capa como Xangai colocou, em um dia teve mais acessos que um trimestre de blog, e isso é muito importante.

      0
      • Charles 20 de agosto de 2012 at 17:32

        Rosinha

        Admiro seu modo de pensar. Voce, realmente, faz toda a diferença no blog.

        Obrigado pelas suas contribuições.

        0
        • RosinhA 20 de agosto de 2012 at 17:47

          Obrigada Charles mas não concordo o todo nos leva a um crescimento melhor.

          Todos são bons, cada um contribui de um jeito, só que eu sou mais boca aberta, tenho certeza que muitos não colocam suas idéias com medo de uma gozação ou coisa do tipo, eu não tô nem aí hahaha…..

          0
          • Eskeleto 20 de agosto de 2012 at 18:12

            Estou com a Rosinha se analisar o texto dele podem falar que é chover no molhado, mas vale lembrar que ele é um dos primeiros que está na mídia falando sobre isso e se ele jogar tudo de uma vez não vai ter espaço na mídia, pois a idéia é encobrir ao máximo isso, então se ele for aos poucos como está indo acredito que as pessoas vão cair na real.
            Pois se você fala para um amigo não comprar pois vai desvalorizar e que vai encalhar e colocar um pânico no cara ele vai achar que você é louco. Agora se você alertar aos poucos e ir mostrando ele vai entender melhor e vai digerir isso melhor. É assim que o mercado das ações funciona vão colocando aos poucos para no final não ser uma paulada só, mas se juntar tudo é a mesma cacetada.

            0
    • GB 20 de agosto de 2012 at 17:37

      Para mim foi excelente, tratou do assunto de forma séria, mostrou como está o mercado, a interligação entre seus agentes, como a parte vendedora age e até fez uma previsão de leve do futuro.

      0
    • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 10:02

      Verdade. E achei válido porque, ainda que pra nós sejam fatos já amplamente conhecidos, para o grande público ainda não é.
      Há muita, mas muita gente ainda alheia e sem saber o que realmente está ocorrendo.

      0
    • Baiano 21 de agosto de 2012 at 11:00

      Coloquei a expressao “chover no molhado” sobre as informacoes dadas para este blog. Acredito que qualquer um com um pouco de informacao ja sabia de todos estes fatores. O artigo e otimo para alertar a parte nao informada da populacao sobre a bolha (apesar de eu duvidar que esta parte va ler o Blog do Samy). Alias, achar que o problema e desinformacao sobre a bolha e tb ser meio ingenuo… Todos nos temos amigos muito bem informados e instruidos e que nao acreditam apesar de todos os dados. Vc acha que D. Maria e seu Ze entao vao acreditar??? Admiro e respeito o Samy! Informar e importante mas a maior parte do povo so aprende na porrada, qd a bolha estourar. Nao acho que eles continuam especulando e comprando pq nunca ouviram falar de bolha. Ta todo mundo querendo especular e ficar rico sem trabalhar mas o sistema e bruto e uma hora a conta chega. Ate la, parafraseando alguns aqui, vamos assistindo de camarote e Toddy de litro- apesar de eu agora achar que o final deste filme esta longe… Corre negadis!

      0
  • Zé Bolha 20 de agosto de 2012 at 18:30

    Impressionante como esse gráfico SpiftPlaft do artigo se parece com os gráficos do estouro das bolhas nos EUA e na Irlanda. Com a diferença de que, aparentemente, mal tivemos um topo, um período de meses de estabilidade. Bateu um pico e já começou a descer.

    Se tivéssemos os dados dos valores dos negócios estão realmente sendo fechados, poderíamos ver quedas mais significativas. Não tem nenhum insider de coRetora aí pra mandar um printscreen da evolução dos negócios fechados, não? Sem valores, só com variação %… rs

    Fico imaginando que, como porraqui estamos todos acostumados com taxas maiores, nossa subida foi mais íngreme e, talvez, a queda seja mais íngreme também.

    PS.: E eu que, depois de perder toda a onda de valorização, quase meti as fuças num bolhudo em agosto de 2011. Teria comprado EXATAMENTE no topo da bolha. Vai acertar do avesso assim lá na %$#&*@#!!!!

    0
    • peterson 20 de agosto de 2012 at 20:06

      na boa este grafico é totalmente diferente daqueles reflexos da bolha… são parametros diferentes e universos diferentes. O grafico dos lucros da Gafisa se parece mais que esse aqui… este grafico é de ganho aqueles eram de preços, volumes, etc…

      0
  • Comprei_em_2004 20 de agosto de 2012 at 18:42

    Agora que o estouro é inevitável vou detalhar o meu caso.
    Uso o imóvel para moradia e foi o resultado de muito esforço e planejamento, vamos aos valores por m2.

    Comprei em agosto de 2.004, na planta pagando em 36 meses, durante a obra. Após muita negociação no plantão fechei por R$ 2.850/m2, num andar alto, face norte, etc.

    Ficou pronto em 2007 e me mudei em 2008.

    Há coisa de um ano e meio, um cara vendeu um no terceiro andar por R$ 9.120/m2 e esse ano, e há uns três meses, venderam outro dois andares acima do meu por R$ 11.050/m2.

    São valores históricos, mas mesmo assim, sem guardar noção com a realidade.

    Como dizia uma amiga minha: Totally crazy!!!

    A farra deve ter acabado, espero.

    0
    • Guilherme 20 de agosto de 2012 at 18:53

      CoRetor detected.

      0
      • Guilherme 20 de agosto de 2012 at 19:02

        Respondi no tópico errado. Peço desculpas, meu caro.

        0
        • Comprei_em_2004 20 de agosto de 2012 at 19:45

          Tranquilo… acho um absurdo o que houve nesse mercado, dá a impressão que todos empobrecemos….

          0
      • Comprei_em_2004 20 de agosto de 2012 at 19:38

        Não… sou proprietário mesmo e nunca quis vender, mas nunca deixo de acompanhar o mercado tanto que me tornei assíduo leitor desse blog.

        É como a Rosinha disse, a loucura começou em 2004…

        Vamos lá CDI no período: 160,0%
        CDI líquido (15% de IR) : 125,3%
        INPC no período: ~ 46%
        INCC no período: ~ 75%
        m2 : acima de 250% (nem o salário mínimo teve esse ganho)

        Em 2.009, houve um outro lançamento na rua, um condomínio menor, de aptos mais simples, construtora pequena… etc. Formulei uma proposta de R$ 4.100/m2 (que teria sido aceita pois era uma tabela curta), mas no dia do lançamento não pude ir à imobiliária (sorteio de vagas onde moro), venderam tudo em 3 horas. Agora a torre está ficando pronta, é ver o quanto uns poucos investidores irão conseguir na revenda, digo pouco pois no pré-lançamento o que se percebia era que os interessados, queriam o imóvel para moradia. O pessoal que optou pelas tabelas longas pagou cerca de R$ 4,5k/m2.

        Em 2.010 lançaram outro que está na fase da estrutura, aptos para solteiros/casais mas de uma construtora conhecida, tipo condomínio clube, um montão de unidades, torre única, a pedida era R$ 6,5k/m2 demorou um pouco mais para vender (o plantão ficou uns 8 meses aberto), já vi que tem revenda no plunct-plact-zum por R$ 10k/m2… provavelmente de investitolos.

        No final de 2.010 lançaram mais um studio, com poucas unidades, mas bastante sofisticado e 200m mais próximo da Paulista… saíram pedindo R$ 11k/m2, o plantão ficou quase um ano e meio aberto e só agora está sendo desmontado, não sei se com 100% vendido.

        Isso mostra o que, para a mesma região:
        R$ 4,2k -> 3h para fechar o plantão;
        R$ 6,5k -> 8 meses para fechar o plantão;
        R$ 11k -> 18 meses para fechar o plantão;

        Mas pensando bem, se teve louco que pagou R$ 8/10k o m2, o incorporador consegue construir com menos de 25% das unidades vendidas e daí fecha o plantão, nénão? Ainda mais se o dono do terreno recebeu unidade no local (algo comum no início do anos 90 quando eu trabalhei em uma incorporadora).

        É isso, não sou corretor, não quero vender e espero a queda, como outros tantos que estão aqui…

        0
    • Zé Bolha 20 de agosto de 2012 at 18:56

      Véi, na boa, se eu não tivesse perdido o bonde gostaria de estar na sua situação. Aí eu vendia, aplicava e alugava por uns 3 – 4 anos.

      Como não comprei em 2005 – quando até procurei, mas não queria empatar o dindin, não tinha certeza se ficaria no Rio e não acreditava na tríade Copa / Olimpíada / UPP – agora só me resta alugar e esperar. Sem ganhar nada.
      <-(

      0
      • Comprei_em_2004 20 de agosto de 2012 at 19:48

        Tenho uma irmã que queria comprar aqui em Sampa também, mas tratei de dissuadi-la da idéia… ficar escrava de financiamento pra que? Ou deixar os outros ricos com seu rico dinheirinho… pra que?

        0
        • peterson 20 de agosto de 2012 at 20:09

          sua irmã é solteira? qual idade ? kkkk

          0
    • Mr.Crowley 20 de agosto de 2012 at 20:40

      O que esse coRetor ta querendo?

      0
      • Comprei_em_2004 20 de agosto de 2012 at 23:04

        Comprar mais um ou dois imóveis a preços bem atrativos, que me garantam renda futura, que possa deixar para os pimpolhos ou que sejam um plano B, caso as coisas deixem de ir como o planejado.

        Também quero um belo terreno, num lugar alto com vista para a mata com o intuito construir uma casa dentro das minhas estéticas e funcionais.

        0
      • Comprei_em_2004 20 de agosto de 2012 at 23:15

        Não sou corretor, mas se o negócio for bom, por que não fazer?

        0
  • alexandre 20 de agosto de 2012 at 19:54

    Os primeiro a ser beneficiados com a queda dos preços são os corretores, pois quando o proprietário se desespera e coloca para vender em valor realista, vem o corretor e diminui ainda mais o valor e acaba adquirindo. tipo comercio de carro usado.” o que é um peidinho para quem já está cagado.”

    0
  • peterson 20 de agosto de 2012 at 19:58

    pessoal vcs estão com muita expectativa, olhem o grafico o que vcs veem?… quem vê uma queda acentuada, aruptura, o fim da alta, o fim da farra, o topo dos preços, etc encontra-se na margem da ilusão…. O GRAFICO NÃO MOSTRA ISSO!!! o grafico mostra sim, o fim da alta valorização, ou seja trata-se do fim da subida da rampa, o inicio do perídodo de ESTAGNAÇÃO, para mim que sou um expert em análises gráficas observa-se que os preços SOBEM porém vão parar de subir, quando? pelo grafico há desaceleração media de 1,33% ao mês, quando chegar à nível de 7,5% ao ano que eu considero valor de valorização estagnado pela inflação, teremos portanto mais um ano pela frente, assim ninguém está tendo prejuízo nenhum pois a curva é POSITIVA e anda nos mares azuis, na ruptura este grafico estará no quarto quadrante de cabeça para baixo, assim o que este grafico mostra é o que venho dizendo a tempos, que estamos no periodo de ESTAGNAÇÃO até a ruptura, onde a curva de preços (que não é este grafico) atinge o topo limitado pela inflação então a curva muda de sentido, por causa do efeito manada ele é muito brusco, até lá veremos mais e mais aumentos de noticis boas e ruins, mas uma coisa é certa, neste periodo é quase inconsciente que quem quer comprar não compra e quem quer vender não consegue, mas mantêm…. espero que alguem consiga entender para poder olhar este grafico com outros olhos….simples e complexo…

    0
    • Justiceiro 20 de agosto de 2012 at 20:45

      Estagnação real foi no 2º semestre do ano passado.
      No 1ª semestre desse ano já tivemos quedas suaves, com queda real mais acentuada, mas não bizarra, neste 2º semestre.
      Esse índice Zap mascara alguns dados, conforme já informado no artigo.
      Pode ter certeza que quando esse índíce, no 1º semestre de 2013, estará com reajustes na faixa dos 5% aa, e no 2º semestre estará zerado.
      Na prática, os preços REAIS terão quedas mais visíveis pelo povão, mas ainda nada “insano”…
      De qualquer forma, estou na dúvida se a queda lendária ocorrerá entre os anos de 2016-2019…
      Ainda não consegui distinguir o início do estouro.
      Detalhe que estou utilizando de análise gráfica também.
      Abraço

      0
      • Justiceiro 20 de agosto de 2012 at 20:50

        Digo, o início dos aumentos descolados.
        Parece que foi em 2003/2004, conforme relato dos colegas.
        Mas tenha cá minhas dúvidas entre os anos 2000 a 2004.
        Estou fazendo pesquisas no site globalpropertyguide para averiguação dos dados gráficos, mas está complicado um pouco.
        O negócio é detectar aumentos descolados da renda populacional.
        A partir daí, muito razoável colocar uns 15 anos para o despair.
        Se o início foi em 2000, a queda total será em 2015. Se for 2003/2004 será em 2018/2019…

        0
        • peterson 20 de agosto de 2012 at 21:23

          de acordo com ESTE grafico, se considerarmos o limiar Y=0 com ponto de ruptura, (é provavel que seja antes) teremos que a ruptura será por volta de 3 anos no cruzamento do decaimento do ano (mês a mês) sendo que quedas mensais serão vistas em prazo inferior a 15 meses… mais alguem fez estas contas?

          0
        • RosinhA 20 de agosto de 2012 at 21:43

          Justuceiro o descolamento da renda pelo menos em minha cidade foi final de 2002 começo de 2003, mas aí o pessoal vai vir com a ladainha da estagnação do preço do imóvel por tantos anos, por isso a subida etc …..

          Pegue dados do aumento salarial de 2000 a 2003 eu tenho valores de imóveis da mesma época, pelo menos dá pra ter um parâmetro rústico…..

          O problema é fazer análise por localidade X nacional, pois o ABC com SP tem uma renda percapita maior que a média da população do país, e isso poderia interferir, se alguém conseguir os dados do ABC nesse período seria legal. Consegue Xangai o homem dos números escondidos? 😉

          0
          • peterson 20 de agosto de 2012 at 21:53

            verdade Rosinha, se agente cruzar o aumento de renda minima, por média mensal, com inflação mensal, com este grafico e tomar somente as diferenças podemos observar que com uma grande margem de erro que é provavel que o decaimento esteja se dando por causa de ações do governo, mas aí entra em contradição com os incentivos ao setor, além de que duvido muito que o governo encontrou uma maneira de desinflar a bolha, daí passo essa bola para que alguem deste blog mate essa charada pois eu não consegui resolver…

            0
            • RosinhA 20 de agosto de 2012 at 21:58

              Bem mais complexo do que imaginava 😉 mas tem razão, o rastro se dá por esse caminho mesmo.

              0
            • newbie 21 de agosto de 2012 at 08:38

              Incentivos que o governo nunca devia ter dado, deixa o mercado se regular em paz e investe em infraestrutura e reforma tributária pra baratear o preço. Ao invés de fazer o certo o governo populista incentivou de forma errada como sempre.

              0
          • Justiceiro 20 de agosto de 2012 at 22:02

            Qual a sua cidade?
            Irei fazer a pesquisa no tio google…
            Mas me passa a cidade aí, se puderes, é claro.
            Abç!!

            0
            • RosinhA 20 de agosto de 2012 at 22:07

              Santo André, SP

              0
          • Justiceiro 20 de agosto de 2012 at 22:36

            Rosinha, achei um amontoado de tabelas no google.
            Coisa de louco.
            As perguntas são:
            – quais tabelas precisamos para fazer a análise?
            – em quais sites precisamos pegar?
            – Vou salvando aqui no PC, mas, PQP, é MUITA coisa. Vou ter que limpar algumas, comparar elas ainda.
            – Vai demorar PRA CARALHO fechar as tabelas.

            0
            • RosinhA 21 de agosto de 2012 at 07:41

              Justiceiro sei analisar pela experiência agora os dados mais importantes seriam renda, aumento da renda, aumento consumo, aumento de vendas, aumento de construções, com certeza maioria subiu junto menos a renda onde foi deslocada.

              Peterson expert em análise gráficas ajuda aí !!!!!!!!

              0
              • RosinhA 21 de agosto de 2012 at 07:44

                Inflação, INCC

                0
          • xangai 21 de agosto de 2012 at 11:43

            oi RosinhA…
            na verdade sempre usei ibge maiiisss para renda domiciliar ..santo andre , scs , sbc … populacao cresce menos da media br … e a renda domiciliar acima de 20sal minimos diminui ( tambem eh um padrao br )!!
            em santo andre em 2010 tinhamos 8k familias com mais de 20 minimos .. em 2000 eram 10.000 familias !! logico que o salario minimo cresceu mais do que a inflacao nesse periodo.

            da pra ver tambem que o numero de novos domicilios cresceu 16% …mais do que a populacao .. desses 16 % … 17.000 novos domicilios quitados e 8.000 novos financiados …

            ahh .. no portal de transparencia de santo andre conseguimos ver o arrecadamento de itbi … crescendo nominal em 2007=20% , 2008=5% , 2009=10%, 2010 =13% , 2011=5% ( apenas ) ..

            ibge tem muita coisa … so que eh dificil .. daria pra saber ( atraves de comodos/banheiros ) se o que cresceu foram pequenos ou grandes domicilios… etc…

            anyway… em relacao a precos de imoveis fica dificil mesmo … so memoria e poucos dados…

            massss … santo andre hoje deve ter “apenas” umas 2000 familias que ganham mais do que R$ 20k ( sbc idem … scsul umas 1.000 ) … e apartamentos de mais de 800K em santo andre entregues ha 2 anos e sendo entregues ou planejados para 2013 … temos ai mais de 2.000 !!!!!

            as contas nao batem ( essa frase ja foi muito usada no blog ) !!!

            0
    • Mr.Crowley 20 de agosto de 2012 at 20:57

      QUaSe consigo ver. . .

      0
    • mauricio 20 de agosto de 2012 at 21:00

      “, para mim que sou um expert em análises gráficas observa-se que os preços SOBEM porém vão parar de subir”

      se você precisa ser “expert em análise gráfica” pra enxergar uma desaceleração no gráfico, então eu sou praticamente um semi-deus econômico

      é cada um que me aparece…

      0
      • peterson 20 de agosto de 2012 at 21:12

        é mesmo? e porque não associou a pulga com o cachorro? descreva o que parece obvio para vc neste grafico, fiquei curioso para saber seu nível de divindade…. cada um que me aparece.

        0
        • mauricio 20 de agosto de 2012 at 21:22

          o “óbvio”, que o “expert em análises gráficas” teve a genialidade de “observar” no gráfico, está escrito no texto que acompanha o dito gráfico

          0
          • peterson 20 de agosto de 2012 at 21:35

            nem de perto o texto fala o que falei… vc que não consegue compreender e fica desmotivando as pessoas que querem entender, trata-se de uma espécie conhecida no mercado como parasita da obviedade onde tudo é óbvio e nada é efetivado… assim faça como eu quando não entender fique quieto e medite, o silencio é a melhor forma de aprender a escutar….

            0
            • RosinhA 20 de agosto de 2012 at 21:47

              Pô peterson voce ajuda quando não fica com esses inxiricozinhos, coloque seus pontos, vamos debater na boa 😉

              0
    • Ar Quente 21 de agosto de 2012 at 07:51

      Exato. Lembrando que 10% ao ano é muito mais que a inflação e praticamente qualquer outro investimento que você possa fazer.
      Principalmente depois de 2 anos de crescimento pífio.

      0
    • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 10:09

      Mas, o grande problema de “batermos” o gráfico com a realidade é que estes números deste índice não são totalmente confiáveis, não é?

      0
  • Cambalhota 20 de agosto de 2012 at 20:24

    Pessoal anunciei meu Troller no webmotors por 75k informando q o motivo da venda é para compra de imóvel e olha a proposta que recebi por email:

    Aceita Casarao divisa Niteroi e Marica 500m2, 4 andares, piscina . terreno 1000m2, gastei 800.000, Mais Pego seu carro + 133.000 + 78.000 debito uq acha?

    ou seja o zé ruela gastou 800k e aceita vender por 75 + 133 + 78 = 286k?

    Ou seja um descontinho de leve de 514k?

    Xhupaaaa

    0
    • Shakespeare 20 de agosto de 2012 at 21:27

      tem treta!

      0
    • GB 21 de agosto de 2012 at 06:51

      Gastou R$ 800k o caramba.

      0
    • newbie 21 de agosto de 2012 at 08:45

      Eu acho que o cara tava te trollando pra levar o seu Troller cheio de lucro Brasil embora.

      0
  • bolhudo 20 de agosto de 2012 at 20:53

    Deu agora no JN em Portugal a exportação de ouro cresce mais de 80% a China é um dos compradores, -Vão-se os anéis, mas ficam os dedos ! Será
    o Ouro a bolha da vez ! Investidores estão querendo algo mais palpável do que apenas números em computadores ! Sinal dos tempos….

    0
    • Shakespeare 20 de agosto de 2012 at 21:26

      nos últimos anos o preço do ouro multiplicou por 6, parece familiar?

      0
    • MarceloSK 21 de agosto de 2012 at 02:42

      Eu acho que Wall Street não mudou muito o seu jeito de ser. Desde que a crise começou e o preço do ouro disparou, muitos títulos resgatáveis em ouro foram negociados por lá, os chamados GOLD – ETFs (Exchange Traded Funds), além disso os mercados futuros estão bombando com direto à muita alavancagem.

      0
    • GB 21 de agosto de 2012 at 07:48

      Eles têm minas de ouro ?

      0
      • xyz 21 de agosto de 2012 at 09:21

        O ouro deles não está vindo de minas.

        São jóias de família que estão sendo fundidas.

        0
        • xyz 21 de agosto de 2012 at 09:22

          Em tempo: se duvidar é ouro das minas gerais do Brasil colonial.

          0
        • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 10:10

          É vero… eu vi!
          Chamou minha atenção principalmente os aparelhos sacros. Eles estão se desfazendo de tudo…

          0
    • Thiago A. 21 de agosto de 2012 at 09:53

      Só trocaram uma bolha por outra

      Sério que esse pessoal acha que vão virar milhonário com isso?

      Se ficarem mesmo espero que tenham as armas e capacidade de se defender.

      Ah só estão comprando títulos de propriedade de ouro?!?! HAHAHAHAHAHAHA

      0
      • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 10:11

        Pelo que entendi, me corrijam se eu estiver errada, eles estão vendendo por necessidade, por causa da crise e não exatamente como um negócio voluntário

        0
  • Money Addicted 20 de agosto de 2012 at 21:06

    legado olimpico

    ”http://www.businessinsider.com/2004-athens-olympics-venues-abandoned-today-photos-2012-8#

    0
  • Zoom 20 de agosto de 2012 at 21:26

    “Reclamações contra construtoras crescem 31%, diz associação”

    A Amspa (Associação dos Mutuários de São Paulo e Adjacências) aponta que o número de reclamações referentes a imóveis comprados na planta aumentou 31% na cidade de São Paulo no primeiro semestre deste ano ante o mesmo período em 2011.

    No período, 1.163 compradores de imóveis procuraram a entidade em razão de queixas contra as construtoras, segundo dados divulgados hoje (20). As principais reclamações foram por atraso na entrega da obra, vícios ou defeitos de construção e taxas abusivas.

    No mesmo período, as reclamações contra os bancos atingiram 526 casos. As queixas por desacordo no financiamento atingiram apresentaram uma elevação de 35%.

    Segundo a associação, 46,4% reclamações resultaram na abertura de ação na Justiça.

    DESACELERAÇÃO

    O aumento no número de reclamações aconteceu num momento de queda no número de lançamentos. Segundo dados da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio) divulgados no último dia 8/8, o volume de lançamentos residenciais na cidade de São Paulo foi 37,2% menor no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado.

    A venda de imóveis residenciais novos, porém, apresentou alta de 2,6%, de acordo com o Secovi-SP (sindicato da habitação).

    fonte: -http://classificados.folha.com.br/imoveis/1140072-reclamacoes-contra-construtoras-crescem-31-diz-associacao.shtml

    0
  • Pablo 20 de agosto de 2012 at 21:44

    Eu adoro ano de eleição;

    Aval a imobiliárias embala reeleição de prefeito.

    “http://www.valor.com.br/eleicoes2012/2794910/aval-imobiliarias-embala-reeleicao-de-prefeito

    0
  • Pablo 20 de agosto de 2012 at 21:48

    CYRELA;

    Emissão de R$ 400.000.000,00 em debentures!
    É melhor do que baixar os preços?

    FATO RELEVANTE

    Nos termos da Instrução n.º 358, de 3 de janeiro de 2002, conforme alterada, da Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”), a Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações (“Companhia”), empresa com atuação no setor de incorporação imobiliária residencial, comunica aos seus acionistas e ao mercado em geral que, em 16 de agosto de 2012, o Conselho de Administração da Companhia aprovou a realização da 6ª (sexta) emissão de debêntures simples da Companhia, não conversíveis em ações, em série única, todas escriturais, da espécie quirografária (“Debêntures”), composta por 400 (quatrocentas) Debêntures com valor nominal unitário de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais), perfazendo o valor total da emissão de R$ 400.000.000,00 (quatrocentos milhões de reais). As Debêntures terão prazo de vencimento de 5 (cinco) anos contados da data de emissão e serão objeto de distribuição pública com esforços restritos de colocação, nos termos da Instrução CVM n.º 476, de 16 de janeiro de 2009, conforme alterada (“Instrução CVM n.º 476/09”), destinadas exclusivamente a investidores qualificados, conforme definidos na Instrução CVM 476/09, tendo como coordenador líder a Caixa Econômica Federal (“Oferta Restrita”).

    0
    • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 10:12

      Querem pegar mais recursos pra aumentar o Capital de Giro…
      Acho que já viram que o 3ºTri vai ser foguis.

      0
  • Pablo 20 de agosto de 2012 at 21:49

    E também abriu programa para recompra de suas ações!

    0
  • Sir Income 20 de agosto de 2012 at 21:50

    Bolha imobiliária. Sim ou não?

    www .dgabc.com.br/Columnists/Posts/73/7263/bolha-imobiliaria-sim-ou-nao.aspx

    0
    • RosinhA 20 de agosto de 2012 at 22:12

      Esse Orlando Morando é péssimo para debater, somente ai nesse pequeno post pode-se notar o embaralhamento de suas idéias, é o famoso papagaio de pirata.

      0
      • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 10:13

        Parece até um artigo pra chamar público. Será que ele anda por aqui escondido, Roses?
        Lançou uma pergunta, mas não respondeu “sim ou não”.

        0
  • MRCG 20 de agosto de 2012 at 22:11

    Bolha Automotiva

    Prefeitura recolhe 783 carros abandonados das ruas em junho e julho.

    “http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,prefeitura-recolhe-783-carros-abandonados-das-ruas-em-junho-e-julho,919151,0.htm”

    0
  • nicolas 20 de agosto de 2012 at 22:13
  • Dimeticona na Bolha 20 de agosto de 2012 at 22:24

    Ok, mesmo que o Samy não tenha falado novidades para nós, temos que lembrar que o Samy tem que continuar assim mesmo: declarando e confirmando que os novos dados mantem a previsão anterior de existência de Bolha.
    Só assim, as demais pessoas também terão conhecimento sobre a existencia de bolha.
    Valeu Samy!!!

    0
  • Socorro 20 de agosto de 2012 at 22:38

    conversando sabado com meu primo que mora num ap na rua Machado de Assis no Flamengo – RJ..tive as seguintes informaçoes

    estao terminando de construir um predio nesta rua que o pai do amigo dele comprou na planta por 36 5K mais ou menos….a pouco tempo atras a propria construtora ofereceu 815K pelo imovel…quem mora no Flamengo sabe que predio novo neste lugar e coisa rara pois nao existe mais terrenos..

    o predio que meu primo mora a uns 3 a 4 anos e do ano de 45…ele podia ter comprado por uns 185 k na epoca…segundo ele venderam um no predio dele por 515K …

    o Rio ta coisa de louco…..

    0
  • bolhudo 20 de agosto de 2012 at 22:57

    Animação explica a origem do dinheiro como riqueza fictícia

    http://www.vermelho.org.br/tvvermelho/noticia.php?id_noticia=160452&id_secao=29

    parece óbvio, mas muitos não sabem como funciona !

    0
  • Guilherme Eduardo 20 de agosto de 2012 at 23:08

    Site bom para acompanhar: ABECIP (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança)

    h ttp://www.abecip.org.br/

    TODAS essas são do dia 20/08

    1 – Número de imóveis para venda e aluguel cresce 30% em Uberlândia;
    2 – Minha Casa, Minha Vida: poucos avanços marcam os números do Programa;
    3 – Avança a portabilidade de crédito;
    4 – Reclamações contra construtoras crescem 31% no semestre;
    5 – Cohab/SC venderá casas por R$ 40 mil na edição deste ano da Construfair;
    6 – Venda de imóvel usado registra queda de 15,09%;
    .
    E AS MAIS PREOCUPANTES (para o corRetores…)

    7 – Imóveis são péssimo investimento, dizem especialistas;
    8 – Em cenário de desaceleração, construtoras prometem descontos nos imóveis

    0
  • Raposão 20 de agosto de 2012 at 23:41

    Compartilhando algo interessante…

    Um tanto in e um tanto out quanto ao desenrolar de idéias do tópico, porém é um vídeo bastante didático a respeito da BOLHA DE CRÉDITO (que tem a BOLHA IMOBILIÁRIA como fundo):

    http://www.youtube.com/watch?v=ufvS3X8YVKw

    Att.
    Raposão, bubbles and more bubbles!

    0
  • Murdoch 21 de agosto de 2012 at 00:05

    Quem quiser buscar meus comentarios desde que frequento o blog vai ver que defendo a mesma coisa ha tempos
    Antes de 2014 nada acontece.
    Temos eleicoes. O governo vem gastando o que pode e o que nao pode pra segurar. E assim vai continuar fazendo ate la. Depois, poddemos comecar os problemas.
    Se as Olimpiadas são desculpa pra segurar, pelo menos no Rj, isso deve segurar ate 2015. Imagina se o especulador vai esperar ate 2016 pra realizar se ninguem sabe o que veem depois.
    Minha aposta era e continua sendo. Fim de 2014, meados de 2015.

    0
    • xyz 21 de agosto de 2012 at 08:56

      O governo tem crédito no mercado e não vai ter o menor pudor em usar.

      Num dia anuncia investimento de 60 bi, no outro são mais 133 bi, Petrobras diz que vai investir 400 bi…..

      Num cenário desse, bolha não estoura, mesmo sendo sofrível a qualidade do “investimento”.

      Bolha estoura quando o mercado parar de comprar os títulos do governo.

      0
    • newbie 21 de agosto de 2012 at 09:08

      Eu concordo com você, até porque no Brasil com o povo ignorante e desinformado para segurar a crise é só não falar nela que o povo não percebe enquanto a merda não bate na cara.

      O governo vai segurar com “pacotes” mais uns meses e depois vai desviar a atenção e falar que ta tudo bem até as eleições.

      0
    • Charles 21 de agosto de 2012 at 11:18

      Até concordo com vc Murdoch, mas e quanto às construtoras que não conseguem desovar seus estoques? E os especuladores que não conseguem liquidez em seus investimentos? E quanto aos trabalhadores que estão sendo e serão dispensados dos seus empregos devido a redução dos lançamentos imobiliarios e consequentemente redução no consumo em geral e aumento acentuado da inadimplencia?

      É por isso que sempre defendi que: Para o governo ter total controle sobre essa situação tipica de mercado será necessário distribuir dinheiro pra todo mundo.

      De outra forma, pode investir aqui e ali, mas vai ser o famoso cobertor de pobre: Investe aqui beneficiando alguns e deixa outros tantos ao relento.

      A festa está acabando rápido demais…Não há como evitar!

      0
      • Ninja SP 21 de agosto de 2012 at 14:36

        È isso mesmo erraram o horario de começar a festa, começou muito cedo vai terminar antes começou em 2008, aqui só marolinha, prê sal,copa, olimpiadas, credito facil,MCMV,Banânia BOMBANDO, acharam que duraria até olimpiadas. mas por falta de convidados já começa a esvaziar, e o governo tentando segurar, servindo docinhos aos poucos, pacotinho hoje, pacotinho amanha. tentando segurar até olimpiadas. final de 2014 promete. é minha aposta.

        0
  • Leno 21 de agosto de 2012 at 00:05

    Sinceramente estou decepcionado com o pessoal daqui que não deu o devido valor ao artigo do Samy.

    Esse artigo pode ser mais do mesmo para nós, mas lembre-se que este blog é apenas um gota de lucidez em um mar de insensatez..

    Não tenho duvidas que suas palavras farão muitos crédulos refletir e começar a procurar sobre o tema, mesmo que em um primeiro momento não associem os fatos a bolha imobiliária.

    Sendo assim, parabéns ao Samy mais uma vez.

    0
  • Leno 21 de agosto de 2012 at 00:09

    …o Sandemberg virou o ancora do Jornal da Globo?? o que aconteceu com o Wack? será que falou demais?

    0
  • Sol de Sampa 21 de agosto de 2012 at 02:21

    Replico aqui

    Samy e Miguel, com respeito e muita admiração.

    Parabéns pelo post corajoso e verdadeiro.

    Muitos irão se beneficiar das informações e futuramente lhes agradecer.
    .

    0
  • Gabriel 21 de agosto de 2012 at 03:19

    Caros,

    gostei muito desse blog. Sou assiduo leitor do Zerohedge.com onde os contrarians americanos se divertem anunciando a destruicao da economia americana.

    Fui morar nos EUA em 2008, ja sabendo que a bolha imobiliaria de la tinha estourado dois anos antes. Quando chegou setembro e o Lehman Brs foi pro buraco comemorei porque o Obama estava eleito. Voltei dos EUA junho do ano passado e encontrei montes de amigos surfando na bolha brasileira… Falei para todos que aqui tambem iria estourar em grande estilo.

    Agora chegou a hora, outubro do ano passado a economia brasileira travou e de la para ca e so estimulo (Ah o Quantitative Easing!!). Taxa de juros zero ou menor que a inflacao eh novidade para os brasileiros, mas nao para japoneses e americanos. A destruicao do capital eh o estagio mais incrivel do pos-industrialismo. O problema eh que o Brasil nuna chegou a ser um pais industrial e muito menos pos-industrial.

    De qualquer modo fiquei feliz em encontrar companheiros no mundo virtual!

    0
  • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 21 de agosto de 2012 at 07:53

    ALICE NO PAIS DAS MARAVILHAS
    Amigos ontem conversei com minha mana a qual classifico como uma “nova rica” – apos o marido dela teer conseguido cargo de Auditor Fiscal. O fato é que eles compraram a 1 ano atras um terreno em alphaville 3 (Sorocaba), apos passar por um Leilão onde os compradores se apinhavam pra dar lances – se eu não me engano o deles saiu por 150K e acho que compraram 2 – Resultado do leilão – tudo vendido no dia – Mas se vc ver na internet – todos os especuladores estão revendendo por 400K cada um. Questionei os valores mas ele me disse que la tem muito $$$ – e pelo que entendi Ferraris, Lamborghines, e camaros são os carros do povão abastado.
    Disseme que a casa que estão fazendo levará 16 janelas com orçamentos variando de 30k a 80k??? Isso mesmo…de 30 a 80k em 16 janelas. Depois dessa convesa nem consegui dormir…achei que estava louco…ou que minha mana é que estava – Peço por favor que me ajudem a descobrir afinal se eu pirei ..ou foi ela que enlouqueceu.
    Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.

    0
    • GB 21 de agosto de 2012 at 08:23

      Imagina só o preço que vão cobrar nas cortinas.

      0
    • Fred 21 de agosto de 2012 at 08:50

      Devem ser à prova de bala, pra garantir qualidade de vida!

      0
    • newbie 21 de agosto de 2012 at 09:20

      Caralho, nem no Burj Al Arab as janelas são tão caras. O povo nesse país precisa de um choque foda de realidade, país de ferrado onde servidor público são os milionários, é muita coisa errada aqui

      0
      • Paulie 21 de agosto de 2012 at 11:38

        Ledo engano dizer que servidores são milionários. Sou servidora do judiciário federal (nível superior) e estou há 6 anos sem um mísero centavo de rejuste. Sinto-em cada vez mais pobre. Tenho que cortar despesas a cada ano. Comprar imóvel? Impossível. Nem juntando forças com meu namorado, também servidor (cargo ainda mais complexo), cosneguimos comprar apartamento em bairro de classe média em SP.
        Você deve ter ficado com a naração supra (do casal de alphaville), mas certamente se trata de um casal de megalomaníacos que vai contrair uma bela de uma dívida com tamanha extravagância.

        0
        • newbie 21 de agosto de 2012 at 11:49

          O que é melhor, ganhar 6 mil e não ter reajuste todo ano ou ganhar 2 mil e ter reajuste todo ano de 3%?
          A questão do servidor e que não precisa de reajuste, o salário já está MUITO acima da média do povo. Isto sem contar todos os benefícios, estabilidade, aposentadoria integral, licença, reajuste a cada curso, se você fizer merda no máximo vão te transferir…

          0
      • MRCG 21 de agosto de 2012 at 14:37

        Não Não….. tem coisa errada ai meu irmão, auditor ganha bem, uns R$15.000,00, mas não dá pra manter esse padrão de vida não.

        0
    • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 10:17

      Vão encher a casa de bay window rssss
      Pelo que entendi, ele acabou de conseguir o cargo e já vai torrar um dinheirão na casa. Bom pra ele. Rssss…
      Somos pobres mesmo! rsss.

      0
    • Ploc Monsters 21 de agosto de 2012 at 10:22

      Eu sei de um cara que é auditor tb da RF que tem até avião, mas esse não vale pq é no 1 pra Dilma 1 pra mim ! kk

      0
    • Marcio 21 de agosto de 2012 at 10:36

      Auditor ganha bem mas e’ assalariado… Ha algo de podre no reino da Babilonia… Em inicio de carreira, R$15.000/mes (BRUTO), nao da para fazer extravagancia..

      0
      • danilo 21 de agosto de 2012 at 13:16

        A maioria não sabe o que fala.
        Salário de auditor fiscal em início de carreira está próximo a 13,6k bruto. Quem ganha subsídio não tem aumento por fazer o que o colega chamou de “cursinho”. Tenho pós no IME e mestrado na França e ganho o mesmo que colegas com graduação. O reajuste do setor privado é geralmente um pouco acima da inflação (trabalhei 4 anos).

        Como citado pelo Bolha, deixemos esse blábláblá de público x privado de lado, principalmente quando se fala sem saber.

        0
    • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 21 de agosto de 2012 at 11:30

      Acho que ele esta na casa dos 20K bruto – Ja faz uns 4 anos que esta no cargo – mas pra tudo isso vendeu o ap que tinha em SP – Moema – comprou o lote ano passado e iniciou a obra. Porém nesse ritmo de gastança creio que vai ficar na música…Era uma casa muito engraçada não tinha teto não tinha nada…só vai ter janelas….
      Mas o que causa espécie é a realidade desses caras…acham tudo o mias normal do mundo e justificam as atitudes perdulárias na gastança da vizinhança abastada. Para ele “todos” tem $$$, e não podem ficar devendo nada a ninguém em termos ostentação. Não sei de quando, como, e porque minha irma passou a pensar assim pois ela ficou “chata” – com conversas que me fazem a todo o momento me auto indagar… -em que mundo ela vive???

      0
      • Tomaz 21 de agosto de 2012 at 11:58

        André,

        É só procurar o nome dele no link abaixo, que você descobre o salário dele.
        http://www.portaldatransparencia.gov.br

        Clique na aba “servidores” e escolha o critério da consulta (por nome ou CPF; por órgão de exercício; por órgão de lotação; por função ou cargo de confiança e órgão; ou por função ou cargo de confiança). Escolha por nome.

        Depois, nos informe, por curiosidade…

        0
        • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 21 de agosto de 2012 at 13:46

          e, ja com deduções deu cerca de 18.500 – tá bom ne???

          0
          • Marcio 21 de agosto de 2012 at 14:45

            Pelo que voce falou, ele compra somente as janelas com um ano de trabalho… Uma coisa é gastar, outra diferente é nao mostrar apreço pelo dinheiro….

            0
  • Joab 21 de agosto de 2012 at 07:57

    Interessante: http://www1. folha.uol.com.br/mundo/1140499-cidades-fantasmas-indicam-bolha-chinesa.shtml

    0
  • antonio henrique BH 21 de agosto de 2012 at 08:10

    Mais notícias sobre o mercado imobiliário.

    No Brasil:
    Justiça manda indenizar comprador de imóvel em terreno contaminado

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1140523-justica-manda-indenizar-comprador-de-imovel-em-terreno-contaminado.shtml

    Na China:
    Cidades-fantasmas indicam bolha chinesa

    http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1140499-cidades-fantasmas-indicam-bolha-chinesa.shtml

    0
  • Chino 21 de agosto de 2012 at 08:16

    Cidades-fantasmas indicam bolha chinesa
    h ttp://www1.folha.uol.com.br/mundo/1140499-cidades-fantasmas-indicam-bolha-chinesa.shtml

    Apesar de concentrar 20% da população do planeta e da migração urbana nas últimas décadas, a China convive com enormes cidades-fantasmas.

    O fenômeno de milhares de prédios novos e desabitados ocorre em várias regiões e alimenta o debate sobre o excesso de investimento imobiliário como causa de uma bolha prestes a fazer estragos na segunda economia do mundo.

    A escala dos empreendimentos vazios impressiona. Só em Chenggong, no sudoeste chinês, são 100 mil apartamentos vazios e uma vasta infraestrutura de universidades, escolas, bancos e até duas estações de trem.

    A cidade começou a ser erguida em 2003 para ser um satélite da vizinha Kunming, capital da província de Yunnan. Mas, até agora, nada.

    A várias centenas de quilômetros de Yunnan, na desértica Mongólia Interior, está Ordos, a mais famosa das cidades fantasmas.

    A expectativa inicial era de que a cidade, cercada por jazidas de carvão e gás, crescesse rápido.

    Mas, passados dez anos, a promessa não se cumpriu, e hoje são 300 mil apartamentos e uma vasta infraestrutura para uma população oficialmente estimada de cerca de 30 mil pessoas.

    “Os chineses pretendiam manter a migração para as cidades nos próximos 20 anos”, diz João Carlos Scatena, especialista em planejamento de transporte, há 7 anos na China como consultor.

    “Como a economia desacelerou, não estão conseguindo gerar empregos suficientes para retirar as pessoas do campo, apesar de estarem ainda construindo cidades para isso”, afirma.

    A anomalia se estende mesmo em áreas próximas a Pequim. Em Tianjin, cidade portuária a meia hora da capital via trem-bala, um novo bairro com dezenas de prédios de escritório está sendo erguido em meio a planos do governo local para criar um polo de empresas do mercado financeiro.

    Conhecida como Yujiapu, a região ficará pronta em 2019 e terá réplicas de edifícios de Manhattan, incluindo o Rockfeller Center. A um custo estimado de R$ 63 bilhões, o bairro acrescentará mais 9,5 milhões de metros quadrados de escritórios.

    A febre de construção também parece ter sido exagerada em Hainan, a ilha tropical no sul do país. Ali, está Phoenix Island, um arquipélago artificial em construção para abrigar um resort, incluindo uma torre de 200 metros. O projeto foi apelidado de “Dubai da China”.

    EXPLICAÇÕES

    Uma das principais explicações para as cidades vazias é a falta de opções de investimento. “Não há outro lugar onde colocar dinheiro, a não ser em propriedade ou sob o colchão”, escreveu neste mês o empresário britânico radicado na China Mark Kitto, na revista “Prospect”. “O mercado de ações é manipulado, os bancos operam de uma forma não comercial, e o yuan é não conversível.”

    Kitto prevê que a bolha estourará ou, numa hipótese mais remota, se desinchará lentamente, gerando risco de instabilidade social.

    A revista “Economist” tem uma avaliação menos pessimista. Em artigo de maio, avalia que a China não gera “superinvestimento”, mas investimento ruim.

    A publicação afirma que, apesar dos apartamentos vazios, há uma demanda reprimida e cita uma pesquisa de 2010 segundo a qual o país tinha um deficit de 85 milhões de residências urbanas, com três quartos dos migrantes viviam em desconfortáveis dormitórios das empresas.

    0
  • Vinicius 21 de agosto de 2012 at 08:34

    Mercado de imóveis usados em SP começa a rever preços
    Desde abril, valor do metro quadrado já caiu até 3,3% em algumas regiões
    21 de agosto de 2012 | 8h 11

    Hugo Passarelli, do Economia & Negócios

    SÃO PAULO – O mercado de imóveis usados da cidade de São Paulo já revê alguns preços para baixo. Além dos saldões pontuais, observados desde o ano passado, o movimento agora aparece na queda dos índices de preço do setor. É o caso da região Água Branca-Sumaré, na zona oeste da capital, onde o valor do metro quadrado caiu 3,3% de abril a julho, para R$ 6.578, de acordo com o FipeZap.

    Os consumidores, contam diretores de imobiliárias, estão menos dispostos a aceitar os preços ofertados. Com demanda menor, os corretores estão tendo de convencer os vendedores que, às vezes, os valores pedidos podem estar um tanto fora da realidade.

    “Os preços estão muito altos em relação ao poder aquisitivo das pessoas”, afirma Sueli Pacheco, diretora da imobiliária Pacheco, com atuação focada na zona oeste. Há cerca de dois meses, a empresa passou a oferecer uma TV de 32 polegadas para quem adquirir um imóvel acima de R$ 600 mil. “Não é o que vai decidir a compra, mas é um atrativo de marketing”, afirma Sueli.

    Segundo Sueli, as vendas na região estão lentas. Sem detalhar nominalmente, ela afirma que já negociou descontos para conseguir fechar um negócio. Já houve casos de apartamentos cujos preços passaram de R$ 750 mil para 700 mil (-7,1%), afirma Sueli. Ou de casas, antes ofertadas a R$ 2 milhões, que foram negociadas a R$ 1,7 milhão (-17,6%). Ela projeta, contudo, uma melhora no ânimo do consumidor assim que o ritmo de crescimento da economia acelerar.

    Na unidade Perdizes da imobiliária Lello, o clima é mais otimista. A gerente de vendas, Juliana Carmo, acredita na retomada do mercado em breve, após uma “paradeira” desde o fim do ano passado. Nos últimos tempos, a equipe da empresa se mobilizou para ampliar o leque de ofertas. Segundo ela, dobrou o ritmo de captações (imóveis que entram para o portfólio da empresa), de 70 para 150 novos empreendimentos por mês. Com mais ofertas, ela explica, aumentam as chances de fisgar o consumidor.

    Pela cidade, há outros bairros com comportamento mais estável ou de baixa de preços. Na região Congonhas-Jardim Aeroporto, por exemplo, o preço tem oscilado desde abril e entre altas e baixas, hoje está 0,4% mais barato – de R$ 6.265 o metro quadrado em abril contra R$ 6.238 no mês passado. No Sacomã, a desvalorização é de 0,98% no mesmo período. Em julho, o metro quadrado ficou em R$ 4.625.

    Índice

    O índice FipeZap pesquisa o preço de imóveis novos e usados, com exceção de lançamentos, em seis capitais do País e no Distrito Federal. Na próxima divulgação da pesquisa, referente ao desempenho de agosto, o índice pode apresentar nova desaceleração na comparação em 12 meses. Em julho, a alta nessa análise foi de 17,1%, a 11º vez seguida em que perdeu força.

    “Parte da demanda já foi absorvida. Acabou? Claro que não”, afirma Bruno Vivanco, vice-diretor comercial da Abyara Brokers. “O que vem acontecendo, contudo, é que algumas empresas têm feito promoções. A pessoa que está pensando a comprar, então, pisa o pé no freio”, completa.

    “Até meio do ano passado, toda a cidade vivia esse boom (de preços). Agora me parece que você tem uma situação mais equilibrada, de maior normalidade até, onde alguns bairros ou regiões têm uma velocidade de venda maior e outros, não”, afirma Eduardo Zylberstajn, coordenador do FipeZap. Ele ressalva que é preciso tomar cuidado com a análise. “Precisamos ficar atentos se esse movimento começar a se espalhar, o que pode indicar que o mercado está virando. Mas não é o caso agora”, diz.

    Cautela

    Nesse cenário, o comprador pode encontrar boas ofertas, mas é preciso cautela na análise das oportunidades de negócios. “Se o consumidor (dessas regiões) não está conseguindo comprar, há alguma coisa acontecendo, os preços e a quantidade ofertados podem não estar atrativos”, afirma Zylberstajn.

    h t t p : / / e c o n o m i a . e s t a d a o . c o m . b r /noticias/economa%20brasl,mercado-de-imoveis-usados-em-sp-comeca-a-rever-precos,123856,0.htm

    0
    • Eumesmo 21 de agosto de 2012 at 09:00

      eu ia comentar a mensagem acima q menciona os novos ricos dispostos a gastar 80k em janelas (por isso vejo tanta gente ganhando 15, 20 mil endividada até a morte), mas preferi comentar este aqui, principalmente esta parte:

      “…após uma “paradeira” desde o fim do ano passado. Nos últimos tempos, a equipe da empresa se mobilizou para ampliar o leque de ofertas. Segundo ela, dobrou o ritmo de captações (imóveis que entram para o portfólio da empresa), de 70 para 150 novos empreendimentos por mês. Com mais ofertas, ela explica, aumentam as chances de fisgar o consumidor.”

      já estamos no final do mês oito, então a “paradeira” já dura um ano! Ou seja, o topo dos preços dura pouco mais de um ano e agora começa a cair.

      mais q dobrou o ritmo de captações (de 70 para 150), ou seja, vai ter descontão, pra não dizer um grande estouro da bolha, pra poder “desovar” esses produtos encalhados.

      Bolha é isso, muita produção de uma coisa q ninguém quer, nem precisa estar caro. No caso dos imóveis existe a agravante dos preços imorais q são praticados por aqui.

      Coitados daqueles q escutaram os “especialistas”… não precisa medir a quantidade de cimento em relação ao nº de qq coisa, não precisa ver a % de endividamento de ninguém, também não precisa analisar gráfico. Basta ver o estoque do produto q está sobrando, q os consumidores não querem mais comprar.

      alguém pode dizer q chega a ser ridículo analisar da forma q falei. que existem milhões querendo comprar imóvel. Eu digo, querendo comprar existem uns duzentos milhões só no Brasil (quem não quer?). Temos q ver qual é o verdadeiro mercado consumidor. Quem nunca pôde comprar continua sem poder, e sempre será assim. tentar vender pra quem não pode pagar é = calote, pode dar prazo de 300 anos, virá um calote.

      O mercado para este tipo de bem é muito restrito no país pobre em q vivemos. As pessoas q podem ter, em sua maioria já têm. E aqueles q já têm são aqueles q compram o 2º, 3º. Os “especuladores”. E eles, em sua maioria, sabem fazer conta. Não vão empatar 500K, 800K, 1milhão! (é muito dinheiro) em algo q não vai dar retorno. Por isso a poupança bate seguidos recordes de captação, por isso tanta gente compra imóvel no exterior.

      hoje, imóveis no Brasil é um péssimo investimento.

      0
      • Marvin 21 de agosto de 2012 at 09:12

        putz, sem ver o seu comentário, postei um abaixo quase no mesmo sentido… milhões que não podiam comprar, continuam não podendo comprar e vão permanecer assim por muito tempo (ainda mais com esses preços absudos…)

        0
    • GB 21 de agosto de 2012 at 10:17

      “Os consumidores, contam diretores de imobiliárias, estão menos dispostos a aceitar os preços ofertados. Com demanda menor, os corretores estão tendo de convencer os vendedores que, às vezes, os valores pedidos podem estar um tanto fora da realidade.”

      O óbvio dos óbvios dos óbvios dos óbvios finalmente está sendo aceito.

      Reinventaram a roda !!!!!!!!!!!!!!!!! Einsteins !!!!!!!!!!!!!!

      0
  • Pablo 21 de agosto de 2012 at 08:38

    Mesmo com lançamentos imobiliários, Brás ainda é visto com ceticismo.

    Tudo na vida e Marketing, da uma maqueada e atola nos investrouxas!

    Com seis lançamentos previstos desde o início deste ano até fevereiro do ano que vem, o Brás entrou na rota dos empreendimentos do mercado imobiliário de São Paulo com metro quadrado em torno de R$ 6.000. Mas o ceticismo persiste entre os visitantes.

    O gráfico Rodrigo Cato, 32, vê vantagens no bairro, mas deixa claro que não moraria no local, por achá-lo “degradado”. “O Brás pode ter oferta de ônibus e metrô, mas é ruim e não acho que vá melhorar.”

    Opinião semelhante tem Estandislau Araújo, 73, taxista no bairro desde 1986 e que mora em São Miguel Paulista (zona leste de São Paulo). “Tá doido? Aqui é um lixo desgraçado”, respondeu, após ser questionado se teria interesse em comprar um apartamento no bairro.

    Brás aposta em projetos de revitalização

    Famoso por seu comércio, Brás começa a despontar no mapa de lançamentos

    A moradora Marcia Sakurata, 57, presidente do instituto Amigos da Praça nos Trilhos da Cidadania, com atuação no bairro, discorda: “Gosto muito daqui, pois o Brás é perto de tudo e atrai o mundo inteiro para suas lojas”.

    O professor de música Ricardo Vinícius Mantovani, 29, que viveu no bairro em parte da adolescência, considerava que “os condomínios eram ilhas familiares situadas em um bairro nada familiar”.

    MORADORES DE RUA

    Segundo levantamento da Prefeitura de São Paulo divulgado no primeiro semestre deste ano, o número de moradores de rua dobrou no Brás de 2009 para 2011 (quarta maior taxa entre os distritos).

    No ano passado, estavam nessa situação no Brás 495 pessoas (99% a mais do que em 2009). À frente do bairro, estão os distritos de Santa Cecília (1.197), Sé (1.171) e República (719), que ficam na região central.

    0
  • Joab 21 de agosto de 2012 at 08:46

    Interessante: http :// www1. folha.uol.com.br/mundo/1140499-cidades-fantasmas-indicam-bolha-chinesa.shtml

    0
  • Joao 21 de agosto de 2012 at 08:50

    Mercado de imóveis usados em SP começa a rever preços

    “http://economia.estadao.com.br/noticias/economa%20brasl,mercado-de-imoveis-usados-em-sp-comeca-a-rever-precos,123856,0.htm

    0
  • Troll 21 de agosto de 2012 at 08:52

    O índice Fipe-Zap é uma farsa.

    A única forma de acompanhar os preços de venda e compra é fazer levantar um histórico do ITBI recolhido pela prefeitura, classificando os imóveis por localização, nº de dormitórios, vagas de garagem, etc. Mas isso depende claro da boa vontade dos governantes, que não tem interesse nenhum em fornecer estas informações para realmente se comprovar a desvalorização imobiliária.

    0
    • GB 21 de agosto de 2012 at 10:25

      Um lugar em que a parte vendedora pode criar anúncios falsos, pode incluir o mesmo imóvel várias vezes e com valores diferentes, pode mentir para cima sobre a metragem, depois, se for pêgo é só dizer que computaram também o tamanho da vaga descoberta, não dá para dizer que seja confiável.

      Esse negócio só serve para o mercado tentar justificar os preços altos e para a mídia ter onde se basear em suas matérias compradas.

      Quem criou isso e permite seu uso criminoso devia ter vergonha.

      0
  • Marvin 21 de agosto de 2012 at 09:03

    “DEMANDA REPRIMIDA”… não aguento mais ouvir isso… desde que me conheço por gente, há imóveis novos, velhos, terrenos disponíveis para serem comprados… nunca conheci alguém que não tenha conseguido comprar um imóvel porque não tinha para vender!!!! a pessoa podia até não ter dinheiro, mas, o financiamento já existia há muito tempo atrás…. só não comprava quem não tinha condições nenhuma de comprar mesmo, e, estas pessoas, continuam não podendo comprar, logo, não podemos dizer que elas tem uma “demanda reprimida” (isso porque há uns dez anos era possível encontrar apartamentos novos em são bernardo do campo por pouco mais de 20K – ainda que em bairros afastados e de baixo padrão, mas, ainda assim melhor do que morar em áreas de risco). tenho vívido na memória o preço de alguns imóveis aqui na rua (sobrados de quatro suítes, 10 vagas de garagem) por “apenas” 230K (certamente, depois da negociação, deviam sair por uns 210 ou menos)… hoje, um imóvel muito menor e pior é vendido a 680K (quer dizer, não é vendido pois já está encalhado há quase dois anos kkkk)… enfim, demanda reprimida o baralho, sempre teve muito imóvel disponível, para todas as faixas de renda. Agora, eu vejo (diferentemente de alguns aqui), que o marco zero da bolha foi 2003/2004 (que coincidencia, incício do mandato do lula!!!!). Antes do lula assumir, eu já acompanhava os preços dos imóveis pelo menos aqui na minha região, e a variação seguia mais ou menos a inflação (e o padrão dos imóveis era muuuuiiiito melhor). Após 03/04, os preços começaram a subir, acentuando-se muito após 2007.
    Outro observação importante: os preços subiram muito enquanto a qualidade caiu drasticamente…. Exemplo: em 2003, comprava-se sobrados de 4 suítes, 10 vagas de garagem, sala com 50m2 (maior que muitos apartamentos) por 210, 230K…. hoje, você precisa de 380K para comprar um apartamento sem condomínio (num predinho vagabundo de 8 apartamentos) e duas vagas… logo, a discurso do governo de que hoje está mais fácil de comprar é pura balela…. como pode estar mais “fácil” se está muito mais caro??? por conta do financiamento??? antes já tinha, não entendo esse discurso que está mais fácil comprar porque há mais crédito, alguém pode provar isso matematicamente e com dados confiáveis???

    0
    • Marvin 21 de agosto de 2012 at 09:31

      resumindo, uma família que não podia dar 4K de entrada num imóvel de 24K, hojo pode dar 30K de entrada em um de 150????

      0
      • GB 21 de agosto de 2012 at 10:28

        O problema é: uma família que não podia dar 4K de entrada num imóvel de 24K, hoje pode dar 30K de entrada no MESMO imóvel de 150 ????

        É o que já postaram aqui: “sei que o imovel vale 60k Dilmas, mas peço 170k pois vai aparecer alguém que possa financiar em 35 anos com parcelinhas que cabem no bolso dele”.

        Muito legal.

        0
    • newbie 21 de agosto de 2012 at 10:07

      O cálculo de demanda reprimida desses cornetores é pessoas que QUEREM comprar, demanda pra eles não é quem PODE pagar, por que desta parte o governo da um jeito com financiamento de 35 anos.
      Justamente por este motivo não se vende mais por quanto o povo realmente pode pagar, se vende por quanto o idiota se propõe a pagar, que é uma coisa completamente diferente.

      Eu sinceramente não vejo diferença entre morar de aluguel a vida toda ou passar 35 anos pagando um financiamento, até porque 35 anos é praticamente a vida toda. A única diferença é que aluguel você se muda quando quiser, não tem um pepino na mão caso um incêndio destrua a casa e todos os outros benefícios de não estar comprometido ao imóvel.

      0
      • GB 21 de agosto de 2012 at 10:38

        É que o mercado foi socando a bronha nos trouxas enquanto ainda podiam comprar estoques de Xilodase, agora que eles cansaram disso e sumiram o mercado não vai se sustentar com poucas vendas e já está dando mostras disso com essas pseudo-promoções e choradeira toda de coRetor querendo que consumidor final pague preço de especulador, essa equação não bate.

        É melhor viver de aluguel e deixar a batata quente pro lado dos coRetores e do mercado, se não mudar então quando a pessoa se aposentar ela pega toda essa grana guardada e vai morar no exterior.

        GB: não tenho a menor dúvida sobre isso MODE ON

        0
    • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 10:21

      Concordo com seu ponto de vista.
      Tenho dito isto: quem não tinha condições reais de comprar um imóvel, continua não tendo.
      E quando falo “condições reais” é porque conheci pessoas sem condições de fazê-lo, mas que arrumou uma forme “irreal” ou sei lá que nome dar, para comprar estes imóveis.
      Gente que entrou nas “mensais de 199” e agora está perdendo o sono com as intermediárias e com o financiamento Motumbo que está lhe batendo à porta.

      0
    • Escola Austríaca 21 de agosto de 2012 at 10:35

      Eumesmo e Marvin

      O que vocês relatam já basta. Não precisa de gráfico, índice ou qualquer outra comparação ou equação. Os imóveis “descolaram” a partir de 2004. O preço “justo” é o de 2003/2004 mais a correção da inflação. Mais que isso é especulação/margem de lucro.

      Já foi dito várias vezes aqui. No Brasil não existe demanda reprimida e sim CARÊNCIA de imóveis.

      O jeito é acompanhar e esperar chegar no valor justo.

      Era isso.

      0
    • Charles 21 de agosto de 2012 at 11:04

      Eu sou um exemplo de demanda reprimida por comprar uma Ferrari GTO.

      Se fizessem uma pesquisa de campo, com certeza, eu estaria no gráfico da demanda reprimida.

      Mas se a pesquisa fosse mais fundo e perguntasse se eu tenho condições de pagar o preço dessa Ferrari: Ah, mas isso já é outra estória meu senhor. Você me perguntou se eu gostaria de comprar uma Ferrari e não se tenho como pagar por ela!!!

      Isso é demanda reprimida no Brasil! O resto é papo furado…

      0
    • RosinhA 21 de agosto de 2012 at 11:38

      Esse pessoal de Santo André é muito bom :mrgreen:

      Marvin morávamos na mesma região em 2003/2004, por causa dos terrenos maiores, a procura foi maior…. vamos ver aqueles idosos do bairro ficando pobres será ??????

      Terreno na AV EUA, 10X50 750K com declive, e os corretores da Colônia naquele terreno baldio e com mesinhas de plástico já viu, toda vez aponto pros corvotores e fico rindo da cara deles, ´´e a coisa mais ridícula que já vi na minha vida aquilo… uma mesa 3 cadeiras de plástico, terra e 5 corvotores kkkkkkkkk

      0
  • sobreabolha 21 de agosto de 2012 at 09:04

    Desde o final do ano passado venho acompanhando os preços de alguns imóveis em Recife, além do índice ZAP FIPE. Vou dar um exemplo concreto de como esse índice não é confiável. O ìmóvel Parque do Rosarinho da Pernambuco Construtora foi corrigido de dezembro de 2011 a agosto/12 em 3,89%. Enquanto isso o índice ZAP FIPE para PE no ano de 2012 é de 14,1%. Neste período venderam 8 unidades, restando ainda 14 anunciadas mês a mês. http://www1.pernambucoconstrutora.com.br/cms/opencms/peconstrutora/pt/imagens/empreendimentos/residenciais/rosarinho_prince/TABELA_PRAxA_ROSARINHO_PRINCE-_FINANC.pdf

    0
  • Marcos 21 de agosto de 2012 at 09:05

    Alguém quer comprar um apto lá?
    Justiça manda indenizar comprador de imóvel em terreno contaminado
    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1140523-justica-manda-indenizar-comprador-de-imovel-em-terreno-contaminado.shtml

    0
  • Rico 21 de agosto de 2012 at 09:23

    Nova matéria aí, bem vinda bolha…

    h t t p ://economia.estadao.com.br/noticias/economa%20brasl,mercado-de-imoveis-usados-em-sp-comeca-a-rever-precos,123856,0.htm

    0
    • self 21 de agosto de 2012 at 09:40

      Último parágrafo:

      “Nesse cenário, o comprador pode encontrar boas ofertas, mas é preciso cautela na análise das oportunidades de negócios. “Se o consumidor (dessas regiões) não está conseguindo comprar, há alguma coisa acontecendo, os preços e a quantidade ofertados podem não estar atrativos”, afirma Zylberstajn.”

      Eu complementaria: os preços, a quantidade e a QUALIDADE ofertados não estão atrativos.

      0
    • Zoom 21 de agosto de 2012 at 10:00

      O legal que na capa está assim.

      “Preços de imóveis usados começam a cair na cidade de São Paulo”.

      Título provocativo aos especuladores/coRetores/incorporadores.

      0
      • GB 21 de agosto de 2012 at 10:39

        Yeah !!!!

        GB: demanda reprimida, índice do cimento e 200.000 pontos na bolsa uma ova MODE ON

        0
    • Sir Income 21 de agosto de 2012 at 10:26

      “”Os preços estão muito altos em relação ao poder aquisitivo das pessoas”, afirma Sueli Pacheco, diretora da imobiliária Pacheco, com atuação focada na zona oeste.”

      Poder aquisitivo? kkkk

      Acho que tá mais para poder de endividamento.

      Viver de dívida não dá certo.

      Alguém tem feito o levantamento de repasses?

      0
    • MrJaime 21 de agosto de 2012 at 10:29

      Bolha,

      Isso dá um ótimo tópico, certo? Pela primeira vez se fala veladamente em QUEDA de preços em algumas regiões de SP.
      Já sabemos a reação dos iludidos: “Isso ocorrerá só nessas regiões…” hehehe

      0
  • Rico 21 de agosto de 2012 at 09:35

    A pergunta é o seguinte: Quando é a hora de entrar para jogar? Já tem gente de cueca na mesa de poker?

    0
    • newbie 21 de agosto de 2012 at 10:40

      Não se preocupe, ninguém vai perder a hora. A queda não é algo que vai ocorrer e depois de 6 meses vai estar la em cima de novo.
      Agora o chão é o limite, como mostra o Bank of America que estava dando imóveis de graça em Chicago para não precisar pagar os impostos.

      0
      • Rico 21 de agosto de 2012 at 12:54

        É muito imóvel para pouca gente e renda…

        Acho que depois dessa vai ser que nem carro a alcool em 1989: Ninguém vai querer porque não confia em usineiro (no caso, construtora).

        0
  • Fox 21 de agosto de 2012 at 09:39

    Off topic curioso.

    h t t p://oglobo.globo.com/blogs/pagenotfound/posts/2012/08/21/corretores-de-imoveis-protagonizam-pancadaria-em-pequim-461327.asp

    0
    • Zoom 21 de agosto de 2012 at 09:49

      kkkkkkkkkkkkk

      Já estou vendo isso acontecer por aqui.

      …..é meu, é meu, é meu….

      0
      • newbie 21 de agosto de 2012 at 10:37

        Existe algo ilícito em entrar em uma imobiliária e falar que você vai comprar com o corretor que vencer a pancadaria?

        0
      • GB 21 de agosto de 2012 at 10:42

        “o trouxa é meu, o trouxa é meu”

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Truque, é só dizer que tem 100k Dilmas na poupança velha, os coRetores vão desmaiar de emoção (imaginem o vídeo das cabras, mas com corretores no lugar delas e frases como “Quero comprar 3 imóveis !!!!” PLOC !!!!!).

        0
  • Eskeleto 21 de agosto de 2012 at 10:02

    Se a moda pega kkkkkkk.

    h ttp://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2012/08/corretor-de-imoveis-da-madrugada-busca-clientes-em-balada-e-mercadao.html

    Corretor de imóveis da madrugada busca clientes em balada e Mercadão
    Beato vendeu 14 imóveis em quatro meses na madrugada em São Paulo.
    Depois de buscar clientes nas baladas, passou a buscar feirantes na noite.

    0
    • rsmrsm 21 de agosto de 2012 at 10:06

      Ele só conseguiu vender pois encontrou com compradores bêbados.

      0
    • Chapolin 21 de agosto de 2012 at 10:38

      Tem informações interessantes nesta matéria. Ele é o segundo maior vendedor, entre 3 mil, e vendeu 14 imóveis em 4 meses. Se o segundo vende pouco mais de 3 por mês, imagina os últimos 2000 corretores!

      0
      • MrCitan 21 de agosto de 2012 at 12:35

        Se continuar assim, corretor de imóveis vai ser o mesmo que vendedor da Herbalife.

        0
      • GB 21 de agosto de 2012 at 16:46

        Vão colocar a foto dele no Hall da fama do SECOVI.

        0
    • GB 21 de agosto de 2012 at 10:43

      Logo coRetor vai se tornar trabalho de dedicação integral por 24 horas, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

      0
  • Visitante Carioca 21 de agosto de 2012 at 10:22

    IMÓVEIS ENCALHAM EM SÃO PAULO!!!

    “http://www.zap.com.br/revista/imoveis/dicas-e-materias/imoveis-encalhados-freiam-alta-dos-precos-20120820?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=news_Imoveis_2012.08.21_Imoveis_encalhados_freiam_alta_dos_precos”

    0
    • Laranja 21 de agosto de 2012 at 10:50

      São Paulo: 14.000 imóveis em estoque;
      Porto Alegre: 5.000 e subindo…

      0
    • self 21 de agosto de 2012 at 11:22

      Olha o próprio zip admitindo que a farra acabou!!!

      0
    • RosinhA 21 de agosto de 2012 at 11:32

      Não tem jeito, os grandes já caíram fora, os lebistes estão tentando pois as sardinhas tb já perceberam e sairam fora, estão ficando sem oxigênio e com a boca pra fora pra respirar, é só questão de tempo.

      0
  • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 10:34

    Uma coisa “engraçada” que constatei esta semana.
    No bairro onde trabalho, construíram um prédio comercial de uns oito andares no final do ano passado e nele tem algumas plaquinhas “aluga-se” até hoje.
    Ai, no mesmo pedaço, um construiu um prédio comercial de dois andares que terminou este ano e está com placonas imensas de aluga-se há meses.
    Não contente, duas ruas depois, um cara (eu acho que é o mesmo, porque o padrão das construções é idêntifco) comprou casas antigas, pôs abaixo e levantou alguns salões comerciais (uma caixona envidraçada rsss) que também estão com plaquinha há um tempo.
    Mais pra cima, mais gente construindo mais salões. Acho que tem mais uns quatro à duas quadras de distância.
    Eu fico pensando… mas, aqueles que já estão sem alugar já não sugerem que não está tão fácil pra desovar isto? Com que informação estas pessoas estão trabalhando???

    0
    • self 21 de agosto de 2012 at 11:23

      Esse construtor (admitindo que é um só) fez, por acaso, algum estudo de mercado antes de construir? Isso é BÁSICO, é o MÍNIMO. Pelo visto não fez…

      0
      • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 13:19

        Eu não sei… Este construtor fez dois destes préditos que eu vi porque são idênticos. Mas, além do cara, tem mais gente… Acho que num raiio de quatro quadras tem uns 07 empreendimentos do tipo.
        Eu não sei o que o cara fez e se fez, que informações ele tem como base. Que loucura!

        0
    • RosinhA 21 de agosto de 2012 at 11:30

      Hanna o famoso “Wash Money”, construção é a melhor maneira para fazer isso “legalmente , para o governo é ótimo recebe o seu tb.

      0
      • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 13:20

        É… pode ser.
        Acho que então é a temporada Brastemp rssss

        0
  • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 10:36

    Corretor de imóveis da madrugada busca clientes em balada e Mercadão
    Beato vendeu 14 imóveis em quatro meses na madrugada em São Paulo.
    Depois de buscar clientes nas baladas, passou a buscar feirantes na noite

    “http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2012/08/corretor-de-imoveis-da-madrugada-busca-clientes-em-balada-e-mercadao.html
    Kkkkkkkkkkkkk

    0
  • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 10:38

    Ahhh Sorry Eskeleto.
    Não tinha visto sua postagem

    0
    • Eskeleto 21 de agosto de 2012 at 12:25

      fica tranquila é bom para reforçar afinal essas matérias sempre vale a pena ver de novo kkkkkkkkk.

      0
      • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 13:17

        Hahahaha… verdade!

        0
  • ray 21 de agosto de 2012 at 10:55

    RELATOS DA VIDA REAL

    Um amigo vendeu seu ap em uma das regiões que mais se valorizam no rio.

    O valor pedido batia com os mais baratos do Zap na mesma rua.

    Mesmo assim, foi quase 1 ano de espera, e só fechou dando um pouco mais de 10% de desconto.

    O curioso é que é um dos anúncios mais baixos da região, e foi vendido para um profissional de carreira de alta renda. Me pergunto: quem vai comprar aqueles com valores 2 a 3 vezes maior, alguns ainda na planta?

    0
    • ray 21 de agosto de 2012 at 11:09

      só mais um detalhe: comprou pra morar, não pra especular.

      0
  • Sérgio 21 de agosto de 2012 at 11:02

    Interrompi meus estudos momentaneamente (prova TRE-RJ dia 25) para enviar email ao Gazeta do Povo, pois, que esse jornal vinha dando uma boa cobertura ao assunto e, de repente, parou. Segue:

    “”
    Uma notícia que não se cala.
    Sérgio sal

    10:48 (9 minutos atrás)

    para leitor
    Prezados Editores e Jornalistas,

    Cumprimentando-os, gostaria de manifestar meu respeito por esse jornal, pelas matérias já publicadas, mas também informar de um estranhamento – não só de minha parte – pela relativa e iniciante omissão acerca de um assunto que o Gazeta do Povo vinha trazendo a público: os altos preços praticados no mercado imobiliário – em todo o país – e que, de um instante para outro, sumiram das capas desse respeitado jornal.
    É fato que construtoras e imobiliárias são grandes anunciantes em qualquer mídia. Por outro lado, a informação correta e verdadeira à população deve ser o norte de qualquer jornal, especialmente esse.
    Não só ultimamente, mas já de um bom tempo para cá, notícias começam a ganhar destaque em diversas partes tratando do assunto BOLHA IMOBILIÁRIA. A maioria, diga-se, são negativas veiculadas em algumas mídias, estranhamente tratadas por corretores de imóveis, dirigentes de Secovi’s, investidores profissionais e outros: todos escacaradamente parciais sobre o tema.
    Entretanto, outros nomes – normalmente de pessoas altamente especializadas – e sem nenhum interesse financeiro vem ganhando terreno numa ou outra mídia.
    É o caso do Profº FGV Samy Danna, Profº da FGV William Eid, Profº da Politecnica de Real State da USP, Srº João da Rocha Lima Jrº, Profª Luciano D’Agostinni (UFPR), o primeiro a tratar sobre o assunto (de forma brilhante), ainda em outubro de 2010 na Revista de Ciência da UFPR e o não menos importante e mais contundente de todos, seja pelas palavras, pela coragem, seja pela posição que ocupa na sociedade curitibana, Srº Plínio Gonzaga, junto à radio CBN Curitiba.
    Abaixo demonstro alguns momento recentes de grandes mídias falando sobre o assunto:

    1 – “http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/imoveis/noticia/2531320/Para-quatro-especialistas-imoveis-sao-investimento-ruim-neste-momento – (saiu também na home page UOL mas com uma manchete mais “direcionada”;
    2 – “http://www.cbncuritiba.com.br/site/texto/noticia/Entrevista/7657 – (a partir da 2ª parte da entrevista, pois, que a primeira conta a história desse grande e corajoso personagem curitibano);
    3 – “http://economia.estadao.com.br/noticias/economa%20brasl,mercado-de-imoveis-usados-em-sp-comeca-a-rever-precos,123856,0.htm – (notícia de hoje do Estadão);
    4 – “http://economia.estadao.com.br/noticias/economia+geral-economia,analise-cenario-para-construtoras-e-incerto-apos-2o-tri-sombrio,123355,0.htm (outra do Estadão de hoje: sobre as grandes construtoras afundando em mares sombrios);
    5 – “http://blogdosamy.blog.uol.com.br/arch2012-08-16_2012-08-31.html#2012_08-20_01_52_37-169990269-0 – (Blog do profº Samy Danna – FGV);
    6 – “http://www.youtube.com/watch?v=6w50w9pDnlQ – (video feito por mim, sobre o que acontece em Cascavel/PR, onde há mais de 7 MIL IMÓVEIS NOVOS Á VENDA)
    7 – “http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/brasil-vive-bolha-imobiliaria-dizem-professores-da-fgv

    8 – “www.bolhaimobiliaria.com – maior BLOG sobre o tema

    Muitos “especialistas” como corretores e outros diretamente interessados no assunto, têm comparado o Brasil com Estados Unidos e o subprime; outros com o nível ou relação dívida imobiliária/PIB.
    Penso que não sejam as únicas coisas que caracterizam BOLHAS, pois, em momento algum compararam a renda do brasileiro com a do americano, ou espanhol e irlandes; tampouco compararam níveis de endividamento da população, quando no Brasil é bem superior ao dos outros países, sendo a renda drasticamente menor.
    Ademais, mais do que preços de imóveis exorbitantes, há uma banalização dos 100 MIL REAIS; qualquer pessoa hoje em dia, que ganhe em torno de R$1.000,00 trata 100 MIL como se fosse uma bagatela; logo, em tese, quem ganha R$7.000,00 deveria alegrar-se com casas de 500 MIL. Acontece que para financiar R$200.000,00 tem que se ter renda superior a 8 MIL REAIS. As casas abaixo de R$200.000,00 são cubículos extremamente mal localizados, lá com suas exceções.
    Nossa BOLHA – que não é só IMOBILIÁRIA – foi forjada pelo crédito e como consequência a banalização de grandes quantias.

    Agora pergunto: Por que ficar de fora? Por que o Gazeta do Povo não vem alertar a população? Por que não vem afirmar que o REI ESTÁ NÚ?

    Atenciosamente,

    Sérgio…”””

    Sei que pode dar em nada, mas não poderia me omitir.

    0
    • Laranja 21 de agosto de 2012 at 11:54

      Em Curitiba, de acordo com dados do Instituto Paranaense de Pesquisa e De­senvolvimento do Mercado Imo­biliário e Condominial (Inpespar), o volume de imóveis usados divulgados para a venda em Curitiba cresceu 27,3% em junho de 2012 em relação ao mesmo período de 2011. Somam-se a essa porcentagem os imóveis novos disponíveis no mercado da capital.

      “http://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?id=1288692&tit=Desaceleracao-nos-imoveis-influencia-fundos-do-setor”

      0
    • Shakespeare 21 de agosto de 2012 at 12:29

      Excelente iniciativa.

      O silêncio dos bons é algo que nào se pode tolerar e você atuou de forma a fazer sua voz ser ouvida.

      Abs

      0
      • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 13:22

        Concordo! Apoiado!

        0
  • FQ 21 de agosto de 2012 at 11:09

    BRASIL: O PAÍS DA PIADA PRONTA

    Já que acabaram os idiotas para comprar apartamentos caros nos stands, os corretores foram atrás dos bêbados (literalmente) no meio das boites!

    ———————————————————————————————————————————————
    CORRETOR DE IMÓVEIS DA MADRUGADA BUSCA CLIENTES EM BALADA E MERCADÃO – G1
    ———————————————————————————————————————————————-
    Beato vendeu 14 imóveis em quatro meses na madrugada em São Paulo.
    Depois de abordar clientes nas baladas, passou a buscar feirantes na noite.

    Já passa da meia-noite e um engravatado se encaminha a um dos boxes do Mercado Municipal de São Paulo, onde a partir desta hora são vendidas frutas para os atacadistas e recebidas as mercadorias para o dia seguinte. Invertendo os papéis, o corretor Nilton Fernandes Beato, de 39 anos, vai ao mercado em busca de clientes, gente interessada em comprar apartamentos durante a madrugada.

    O nicho inusitado foi descoberto por acaso. Corretor há cerca de oito meses, Beatonão tinha conseguido vender nenhum apartamento, atender nenhum cliente. Até o dia em que ficou depois da hora no estande e conseguiu o primeiro interessado. Nascia ali o corretor da madrugada.

    Entre os negócios fechados por Beato estão apartamentos na avenida Brigadeiro Luis Antonio (na região central da capital), de 40 e 57 m², por até R$ 450 mil, e no Brás, de 53 e 63 m², por até R$ 400 mil. Em Campinas, vendeu imóvel no bairro Cambuí, de 46 e 65 m², por até R$ 420 mil.

    O início
    Beato começou a nova rotina perto da balada, abordando quem estava a caminho de uma boate ou de um teatro, que ficam no centro de São Paulo. Vendeu seis apartamentos.

    0
    • self 21 de agosto de 2012 at 11:26

      Tem que ser bêbado para pagar 450K por um ovo de codorna na barulhenta Brigadeiro, ou muito bêbado para pagar 400K por um no Brás…

      0
    • GB 21 de agosto de 2012 at 16:53

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, eu não me canso dessa reportagem.

      Antigamente o camarada ia pra boate, bebia todas e acordava na manhã seguinte com uma baranga.

      Hoje o mesmo cara bebe todas e acorda na manhã seguinte com um financiamento de 35 anos.

      Ainda não descobri qual é o pior. kkkkkkkkkkkkkkkkkk

      0
      • FQ 21 de agosto de 2012 at 17:26

        kkkkkkkkkkkkkkk

        0
      • Leno 21 de agosto de 2012 at 17:27

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        boa GB!

        0
  • Maurício 21 de agosto de 2012 at 11:11

    Vejam como funciona o rendimento mínimo e como isso pode levar a conclusões erradas.

    “m.economia.uol.com.br/ultimas-noticias/infomoney/2012/08/21/alugueis-distribuidos-pelo-fundo-imobiliario-do-west-plaza-vao-despencar.htm”

    0
  • eam 21 de agosto de 2012 at 11:26

    Artigo publicado hoje no Estadão

    ========================================================

    Mercado de imóveis usados em SP começa a rever preços

    Desde abril, valor do metro quadrado já caiu até 3,3% em algumas regiões

    21 de agosto de 2012 | 8h 11

    Notícia

    Hugo Passarelli, do Economia & Negócios

    SÃO PAULO – O mercado de imóveis usados da cidade de São Paulo já revê alguns preços para baixo. Além dos saldões pontuais, observados desde o ano passado, o movimento agora aparece na queda dos índices de preço do setor. É o caso da região Água Branca-Sumaré, na zona oeste da capital, onde o valor do metro quadrado recuou 3,3% de abril a julho, para R$ 6.578, de acordo com o FipeZap.

    Consumidores estão menos dispostos a aceitar os preços ofertados

    Os consumidores, contam diretores de imobiliárias, estão menos dispostos a aceitar os preços ofertados. Com demanda menor, os corretores estão tendo de convencer os vendedores que, às vezes, os valores pedidos podem estar um tanto fora da realidade.

    “Os preços estão muito altos em relação ao poder aquisitivo das pessoas”, afirma Sueli Pacheco, diretora da imobiliária Pacheco, com atuação focada na zona oeste. Há cerca de dois meses, a empresa passou a oferecer uma TV de 32 polegadas para quem adquirir um imóvel acima de R$ 600 mil. “Não é o que vai decidir a compra, mas é um atrativo de marketing”, afirma Sueli.

    Segundo Sueli, as vendas na região estão lentas. Sem detalhar nominalmente, ela afirma que já negociou descontos para conseguir fechar um negócio. Já houve casos de apartamentos cujos preços passaram de R$ 750 mil para 700 mil (-7,1%), afirma Sueli. Ou de casas, antes ofertadas a R$ 2 milhões, que foram negociadas a R$ 1,7 milhão (-17,6%). Ela projeta, contudo, uma melhora no ânimo do consumidor assim que o ritmo de crescimento da economia acelerar.

    Na unidade Perdizes da imobiliária Lello, o clima é mais otimista. A gerente de vendas, Juliana Carmo, acredita na retomada do mercado em breve, após uma “paradeira” desde o fim do ano passado. Nos últimos tempos, a equipe da empresa se mobilizou para ampliar o leque de ofertas. Segundo ela, dobrou o ritmo de captações (imóveis que entram para o portfólio da empresa), de 70 para 150 novos empreendimentos por mês. Com mais ofertas, ela explica, aumentam as chances de fisgar o consumidor.

    Pela cidade, há outros bairros com comportamento mais estável ou de baixa de preços. Na região Congonhas-Jardim Aeroporto, por exemplo, o preço tem oscilado desde abril e entre altas e baixas, hoje está 0,4% mais barato – de R$ 6.265 o metro quadrado em abril contra R$ 6.238 no mês passado. No Sacomã, a desvalorização é de 0,98% no mesmo período. Em julho, o metro quadrado ficou em R$ 4.625.

    Índice

    O índice FipeZap pesquisa o preço de imóveis novos e usados, com exceção de lançamentos, em seis capitais do País e no Distrito Federal. Na próxima divulgação da pesquisa, referente ao desempenho de agosto, o índice pode apresentar nova desaceleração na comparação em 12 meses. Em julho, a alta nessa análise foi de 17,1%, a 11º vez seguida em que perdeu força.

    “Parte da demanda já foi absorvida. Acabou? Claro que não”, afirma Bruno Vivanco, vice-diretor comercial da Abyara Brokers. “O que vem acontecendo, contudo, é que algumas empresas têm feito promoções. A pessoa que está pensando a comprar, então, pisa o pé no freio”, completa.

    “Até meio do ano passado, toda a cidade vivia esse boom (de preços). Agora me parece que você tem uma situação mais equilibrada, de maior normalidade até, onde alguns bairros ou regiões têm uma velocidade de venda maior e outros, não”, afirma Eduardo Zylberstajn, coordenador do FipeZap. Ele ressalva que é preciso tomar cuidado com a análise. “Precisamos ficar atentos se esse movimento começar a se espalhar, o que pode indicar que o mercado está virando. Mas não é o caso agora”, diz.

    Cautela

    Nesse cenário, o comprador pode encontrar boas ofertas, mas é preciso cautela na análise das oportunidades de negócios. “Se o consumidor (dessas regiões) não está conseguindo comprar, há alguma coisa acontecendo, os preços e a quantidade ofertados podem não estar atrativos”, afirma Zylberstajn.

    0
    • GB 21 de agosto de 2012 at 16:56

      Se depender de mim, fico no aluguel e o mercado vai ficar assim, até passarem as Olim-piadas ou o pessoal parar de tomar gardenal e os preços baixarem, o que vier primeiro.

      0
  • Joao 21 de agosto de 2012 at 11:32

    Para mim já é fato o momento do PLOC. Será na mesa do gerente do banco, ao dizer que o crédito não será aprovado, pois a renda não é compatível, simples assim. Não adianta alongar o prazo para 35 anos, o valor da renda não não bate com o valor da prestação. Financiar 200 mil é ter renda de 8 mil. PLOC !

    0
  • jacob 21 de agosto de 2012 at 11:49

    Bom dia amigos bolhistas

    Palavras de um amigo corretor (nao me olhem assim, ele ja era amigo antes de virar corretor)

    “sim. os negocios estao diminuindo. mas acredito que ele esta se normalizando, por que ele estava super aquecido de 2 anos ate janeiro de 2012.
    O mercado de venda e construção vem sofrendo uma diminuição, mas eu ja esperava, devido ao crescente numero de financiamento pela caixa economica.
    Para o investidor que compra para alugar vai sofrer uma queda pequena. mas o que constroi vai sofrer mais por que vai ter oferta demais no mercado.
    Mas as grandes construtorar estao procurando outras areas de insvestimento, na agricultura…em agencias de viagens…hoteis…etc.”

    0
  • Skiner 21 de agosto de 2012 at 11:52

    http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2012/08/corretor-de-imoveis-da-madrugada-busca-clientes-em-balada-e-mercadao.html

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    Peraí, peraí…

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    não consigo parar de rir, vou pro hospital

    0
    • O Irritado 21 de agosto de 2012 at 12:28

      Não adianta, na porta da emergência do hospital também já há “coretores” de plantão – afinal, não ensinaram que compradores em situações emocionalmente frágeis são mais fáceis de se enganar?

      0
      • Henrique 21 de agosto de 2012 at 14:02

        Dias atrás eu fui em um show de música infantil, e o que estavam distribuindo na entrada? Panfletos de lançamento de apartamentos em Águas Claras, um bairro bastante bolhudo daqui de Brasília.

        Este bairro foi criado para ser mais verticalizado que o Plano Piloto (que só pode ter 6 andares), e estipularam a regra de 12 andares. Mas como a ganância é pouca, liberaram a quantidade de andares e permitiram que os prédios fossem construídos sem qualquer afastamento do prédio vizinho.

        Resultado: é um bairro hoje, mesmo sem estar totalmente construído onde não se acha vagas para estacionar, o trânsito está caótico nos horários de pico, apartamentos ficam muito quentes, devido a falta de ventilação, e o pior: a oferta está gigantesca. Quem investiu e agora pretende vender, não encontra comprador.

        E você tem que andar com as janelas do carro fechadas, senão os corretores avançam no seu carro, para entregar panfletos.

        0
    • MrCitan 21 de agosto de 2012 at 12:31

      Ao ler a reportagem, este foi esperto e aproveitou de um horário que não tem concorrência.

      O problema pra ele, vai ser quando outros muitos seguirem a idéia.

      0
  • Laranja 21 de agosto de 2012 at 11:56

    ENQUETE

    Sr. Empresário, qual a sua expectativa sobre o mercado para próximos meses de 2012

    Aumento nas vendas de imóveis
    Baixa na venda de imóveis
    Estabilidade ou manutenção nas vendas de imóveis
    Melhora nos preços dos imóveis
    Queda nos preços dos imóveis

    ATENÇÃO: SÓ EMPRESÁRIOS PODEM VOTAR!
    “http://www.sinduscon-fpolis.org.br/”

    0
    • Zé Bolha 21 de agosto de 2012 at 18:30

      re re re
      votei!

      0
  • RosinhA 21 de agosto de 2012 at 11:57

    Xangai coloquei aqui no final pra ficar mais fácil:

    oi RosinhA…
    na verdade sempre usei ibge maiiisss para renda domiciliar ..santo andre , scs , sbc … populacao cresce menos da media br … e a renda domiciliar acima de 20sal minimos diminui ( tambem eh um padrao br )!!
    em santo andre em 2010 tinhamos 8k familias com mais de 20 minimos .. em 2000 eram 10.000 familias !! logico que o salario minimo cresceu mais do que a inflacao nesse periodo.

    da pra ver tambem que o numero de novos domicilios cresceu 16% …mais do que a populacao .. desses 16 % … 17.000 novos domicilios quitados e 8.000 novos financiados …

    ahh .. no portal de transparencia de santo andre conseguimos ver o arrecadamento de itbi … crescendo nominal em 2007=20% , 2008=5% , 2009=10%, 2010 =13% , 2011=5% ( apenas ) ..

    ibge tem muita coisa … so que eh dificil .. daria pra saber ( atraves de comodos/banheiros ) se o que cresceu foram pequenos ou grandes domicilios… etc…

    anyway… em relacao a precos de imoveis fica dificil mesmo … so memoria e poucos dados…

    massss … santo andre hoje deve ter “apenas” umas 2000 familias que ganham mais do que R$ 20k ( sbc idem … scsul umas 1.000 ) … e apartamentos de mais de 800K em santo andre entregues ha 2 anos e sendo entregues ou planejados para 2013 … temos ai mais de 2.000 !!!!!

    as contas nao batem ( essa frase ja foi muito usada no blog ) !!!

    0
    • RosinhA 21 de agosto de 2012 at 12:12

      Xangai vamos lá, como disse nossa região sempre teve boa renda e com certeza foi descolada em 2002/2003….

      Quanto ao número de domicílios crescer mais que a população, existe aquele papo antigo nosso dos divórcios, filhos morando sozinhos, segundo imóvel, amantes 😉 etc….

      O principal para mim é o ITBI, não tem valores mas tem porcentagem, pois sabemos qual a taxa cobrada, então supondo que em 2004 pagava-se 100k e em 2008 pagava-se 350k a arrecadação caiu em quantidade e aumentou no volume, certo ???? vendeu menos com preço maior….

      Quanto as contas não baterem por números, a sonegação ainda é enorme, ainda se passa muita escritura pelo valor venal e o resto de pagamento por fora……

      Adorei saber que SCS tem menos ricos que SA E SBC 😉 sempre tive essa certeza 😉

      Concluindo o ITBI mé perfeito:

      2004 a 2007 subiu, em 2008 quando aumentou muito não vendeu…. mesma coisa em 2011 quando teve a maior queda e teoricamente na maior proporção que os valores chegaram….

      É Xangai achei legal nunca soube desses valores…..vão dizer que 2011 tiveram poucas entregas…… mas gostei bastante meu raciocínio estava certo… de 2000 a 2003/2004 primeira subida de 2004 a 2008 subiu pra caramba, de 2008 a 2011( primeiro semestre ) outra paulada, agora veremos……

      Valeu Xangai

      0
  • F. Paes 21 de agosto de 2012 at 12:21

    http://odia.ig.com.br/portal/imoveis/momento-%C3%A9-favor%C3%A1vel-para-a-compra-da-casa-pr%C3%B3pria-afirmam-especialistas-1.478481

    Momento é favorável para a compra da casa própria, afirmam especialistas

    Taxas e preços menores são alguns dos atrativos para quem está procurando por um imóvel
    POR CRISTIANE CAMPOS

    Rio – É um bom momento para comprar a casa própria aproveitando os financiamentos com juros mais baixos. Além disso, segundo especialistas, os preços dos imóveis estão estáveis e, em alguns, bairros até menores. Para completar, construtoras e imobiliárias oferecem vantagens para fechamento de bom negócio.

    Assim como a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil baixaram os juros do financiamento habitacional, o setor privado também mexeu nas taxas e reduziu os valores cobrados. No Santander, por exemplo, ela pode chegar a 8,8% ao ano mais TR (Taxa Referencial). O prazo de pagamento foi alterado, de 30 para 35 anos.

    “A queda da taxa de juros é importante para o mercado imobiliário, pois oferece melhores condições para a compra da casa própria. Com o financiamento mais acessível e o crescimento da economia, a demanda do mercado imobiliário continuará aquecida. É uma redução significativa e que aponta tendência, já seguida por outros bancos”, diz Rubem Vasconcelos, presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

    Segundo o diretor de Negócios Imobiliários do Santander, José Roberto Machado, quanto mais relacionamento com a instituição, melhores condições o correntista terá de conseguir taxa menor. O cliente conta com toda a assessoria especializada durante o financiamento.

    “As condições são favoráveis. O déficit habitacional é grande. O alongamento de prazos, queda da taxa de juros e aumento da renda da população vão manter a procura”, acredita Machado.

    Medidas são consideradas positivas por construtoras

    Os construtores apoiam as medidas adotadas para reduzir ainda mais as taxas de juros dos financiamentos da compra da casa própria. “A iniciativa é positiva. Apesar de o nosso sistema financeiro ser bastante rígido quanto à liberação deste tipo de crédito, o aumento da escala de empréstimos é que será no futuro o grande resultado dos bancos”, diz Carlos Eduardo Penna, diretor da Efer.

    Para o diretor do Grupo CPS Bruno Vaz, a competitividade entre os bancos é sempre vantajosa para todos os envolvidos no negócio. Hoje as empresas conseguem atingir um nicho de mercado maior em função das facilidades na concessão de credito.

    “Havia clientes que com o prazo de 30 anos não conseguiam financiar um imóvel e, hoje, com a ampliação para 35 anos, este mesmo cliente já se adequa ao perfil deste imóvel”, lembra Vaz.

    Bom relacionamento com o banco também define taxas

    Os bancos passaram a levar em consideração ainda mais o relacionamento que o cliente mantém com a instituição financeira. A estratégia está presente no Itaú, Santander, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Os clientes que optam por ter conta salário com o banco, por exemplo, também são beneficiados com melhores condições.

    A parceria da Brasil Brokers com o HSBC garante ainda mais vantagens para quem vai comprar um imóvel ofertado pelas 26 imobiliárias do grupo espalhadas pelo País. Segundo o diretor da empresa Josué Madeira, os juros são ainda mais competitivos e os prazos para assinatura do contrato menores.

    “Os nossos clientes contam com uma estrutura exclusiva para a concessão do financiamento imobiliário. O contrato poderá ser assinado no local que o cliente preferir evitando a ida em uma das agências do banco”, explica Josué Madeira.

    Confira as condições de financiamento

    A Caixa Econômica Federal oferece juros de 7,8% a 8,85% ao ano mais TR (Taxa Referencial). O percentual varia de acordo com o relacionamento que o correntista possui com a instituição. As taxas valem para imóveis de até R$ 500 mil. O prazo de pagamento chega a 35 anos.

    o Banco do Brasil, os percentuais variam de 7,9% a 8,9% ao ano mais TR, além do relacionamento que o correntista tem com o banco. O prazo de pagamento máximo é de 30 anos, conforme o percentual de financiamento, que pode chegar a 80% do valor do imóvel.

    O Bradesco trabalha com juros entre 8,9% e 10,5% ao ano mais TR, conforme o valor do imóvel no SFH, ou seja, avaliados em até R$500 mil.

    0
    • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 13:24

      É óbvio que, assim como a banda canções enquanto o Titanic afundava, vários irão tocar um samba animado pros pés dos desavisados enquanto o barco balança

      0
  • BauHerr engenharia imobiliária. 21 de agosto de 2012 at 12:34

    Sobre os últimos comentários – desaceleração …

    Não estamos dizendo : isso é novo, devemos, talvez, considerá-lo.
    Stamos dizendo: se é novo, é um perigo e, portanto, um adversário!

    Este elemento, em minha opinião, merecem ser destacados como o fundamento das polêmicas atuais.

    0
  • SF 21 de agosto de 2012 at 12:45

    OFF TOPIC

    pessoal, muito em breve acontecerá isso Braziu…….

    Corretores de imóveis protagonizam pancadaria em Pequim

    A abertura da economia da China tem gerado várias distorções no país, principalmente quanto à competição no mercado de trabalho.

    Corretores de imóveis em Pequim levaram a competição a sério e protagonizaram uma pancadaria coletiva em uma rua da cidade.

    A briga entre os rivais só acabou quando os corretores ouviram a sirene dos carros da polícia que se aproximavam do local. Muitos acabaram com a roupa rasgada e o nariz sangrando.

    0
    • SF 21 de agosto de 2012 at 12:48

      Bolha, pq não entrou o link da fonte???

      0
  • RosinhA 21 de agosto de 2012 at 12:48

    Novo blog do dono da MrV, peguem leve tem moderação, o cara vai ficar maluco tenho certeza, no primeiro dia mil postagens que o mercado não vai bem hahahahaha

    “https://mrvengenharia.wordpress.com/2012/08/21/presidente-da-mrv-lanca-blog-mercado-imobiliario-e-mais/#comment-7263

    Já deixei minha mensagem vamo ve se modera.

    0
    • Su 21 de agosto de 2012 at 12:55

      Parece que cada um defende unicamente seus interesses.
      Eu deixei um comentário aqui falando que achava que um corretor poderia me ajudar na compra do imóvel e moderaram. Por que, né?

      0
      • RosinhA 21 de agosto de 2012 at 12:59

        Se o corretor te ajuda não precisa desse blog.

        0
        • GB 21 de agosto de 2012 at 16:59

          Boa RosinhA, acabou com o Cirillo de novo.

          0
      • Escola Austríaca 21 de agosto de 2012 at 13:03

        Aparece cada um….

        0
    • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 13:27

      Eu achei oportuno a entrada deste Blog no ar.
      Quando o marido relapso chega com um bouquet de flores num dia comum, há de se desconfiar…

      0
    • hannamanana 21 de agosto de 2012 at 13:29

      Daqui a pouco eles começam a se estapear por aqui também hahahaha

      0
      • GB 21 de agosto de 2012 at 17:01

        Tudo para não virar homem-placa ou animador de piscina ou vendedor de salgados.

        0
  • BauHerr engenharia imobiliária. 21 de agosto de 2012 at 12:56

    “… apesar de tudo, no nível do setor da construção civil. Quero dizer que se pode facilmente desmonstrar muito bem que o leitor honesto, vê ao ler.”

    Mas o problema, e sua força, se prende ao fato de que aquilo que interessa não é o que é dito, mas o que faz quando é dito alguma coisa. É preciso que a situação seja de crise. Pouco importa a natureza das provas sobre a base das quais se o condena pois, nós bem sabemos, o essencial em uma crise não reside na qualidade das provas, mas na força daquele que a pronuncia.

    ” Em temas ideologicos dominantes, representa um perigo, quer dizer, um problema surgido ou a necessidade de uma mudança de análise, não se deve nunca torná-la um perigo ou um acontecimento, mas denunciá-la como um adversário “.

    0
    • FQ 21 de agosto de 2012 at 14:24

      Muito Bom.

      De onde vem isso?

      0
    • Sérgio 21 de agosto de 2012 at 17:51

      Realmente excelente.
      Contudo é isso um sofisma, incrivelmente bem “montado”, mas um sofisma: tem o condão de adiar a ocorrência de uma situação de fato, de convencer um juri e até um colegiado, mas nunca, jamais, em tempo algum, fazer brotar dinheiro no bolso da cRasse c, pagar suas dívidas ou fazer que um “miserável”, que ganhe 8k mensais, conseguir comprar um cúbico de 400k.
      Eis o limite da palavra.
      Mas ainda assim, são excelentes.

      0
  • Mineiro quer Bolha 21 de agosto de 2012 at 13:50

    Tem algum motivo de valorizações das ações de hoje da IMOB?

    0
    • GB 21 de agosto de 2012 at 17:01

      Nunca há, mas sobe mesmo assim, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

      0
  • Sérgio 21 de agosto de 2012 at 14:08

    Só para descontrair:

    21/08/2012 07h27 – Atualizado em 21/08/2012 12h53
    Fifa abre seleção de voluntários para trabalhar na Copa
    Interessados podem se inscrever no Parque da Juventude e Poupatempo.
    Site da entidade fará seleção via internet.
    A Fifa vai recrutar 6 mil voluntários para a Copa das Confederações e 18 mil para o mundial de 2014.

    Veja uma entrevista de um candidato a voluntário: “http://www.youtube.com/watch?v=U9V9We5wOCw”

    0
    • Zé Bolha 21 de agosto de 2012 at 22:23

      legal, recolocaão para coRetores sem trabalho.

      0
  • edmilson 21 de agosto de 2012 at 15:25

    olá, parabéns pelo blog,Eu moro em santos e os imoveis aqui estão um absurdo de caro,totalmente fora da realidade brasileira.Só q agora tem vários prédios vazios sem compradores ,em são vicente vai pelo mesmo caminho,varias sobrepostas encalhadas a mais de 1 ano,esperando os milionários.O q esta acontecendo aki ,é o aumento das favelas da região, isso Ninguém divulga, quem vem passear em santos só conhecem as praias ,mas a realidade e outra pode acreditar eu moro aki .Os corretores da região estão em guerra ,com diferenças de 20 a 30 mil de desconto.E mesmo assim continua o encalhe,a cidade ta cheia de prédios fantasmas buuuuuuuuuuuuuuuuuuuu…

    0