Video: Conspiração bancária

Você pode gostar...

Comments
  • Troll 10 de dezembro de 2011 at 22:18

    Vou de first hj!!!

    0
  • Cleyton 10 de dezembro de 2011 at 22:34

    Poderia ter sido melhor, perdeu muito tempo com bobagens e não aprofundou o assunto, mesmo assim valeu a intenção!

    0
    • veigalex 11 de dezembro de 2011 at 01:51

      Cleyton, permita um comentário.

      Esse assunto é muito complexo. A maioria das pessoas não entende nada sobre o que aconteceu lá.
      Divulguei para todos os meus amigos, e o mais interessante é que muitos me disseram:

      Caraca.. isso vai acontecer aqui.. rss
      Ja esta acontecendo… e o outro.. falou.. o Banco ja me ferrou.. só faltou levar o cachorro.

      O que achei legal é a forma como ele conta o acontecimento e a explicação.
      No meu caso, não posso afirmar se realmente a história teve o “Banco” como coadjuvante, pois é um caso para se pensar!

      Muita gente passa a entender.. ou fica com desconfiança!

      Abraço!

      0
      • Roberto Cesar 11 de dezembro de 2011 at 09:50

        Oi veigalex,

        Realmente o assunto é muito complexo é é preciso não apenas tempo para digerir toda a informação mas também é preciso estar com a mente preparada para aceitar alguns conceitos que a princípio podem parecer ilógicos.

        É interessante, quando eu falo pra algumas pessoas que o dinheiro é criado com dívida, elas me olham como se eu fosse um ET. Essa informação vai contra qualquer senso de lógica que os leigos tem e normalmente não são aceitas. É o famoso “entre por um ouvido e sai pelo outro”. Interessante também é que aqui nos USA ainda existem pessoas que acreditam que o dólar ainda é lastreado em ouro, mesmo 40 anos depois que o Nixon fechou a janela de conversão e acabou com o Brentton Woods.

        Aqui tem alguma informação sobre o tema:
        rcesar.net/2011/11/crescimento-eterno/
        rcesar.net/2011/11/e-possivel-pagar-a-divida-americana/

        0
      • Cleyton 11 de dezembro de 2011 at 17:25

        É veigalex, não tinha pensado por esse lado, de qualquer forma creio que poderia ter sido melhor, do meio pro final descambou geral, acho que isso acaba confundindo mais que esclarecendo. Mas o ponto chave é o que vc disse mesmo, fazer pensar.

        0
  • Jefferson 10 de dezembro de 2011 at 22:57

    Assisti. No começo, quando vi falarem “red shield” pensei: é uma forma de não dizer diretamente o nome dos donos do mundo, para que não excluíssem o vídeo do youtube. Mas então quando ouvi dizerem “Rothschild” vi que eles contam com a leniência dos donos do mundo, já que a maior parte das pessoas sequer irá ter paciência para assistir um desenho de 28 minutos. Achei que a história da guerra napoleônica foi descrita muito de forma muito rápida para que se entenda o contexto em que os rothschilds compraram a Inglaterra (e o mundo). Basta pesquisar um pouco para saber toda a história do escudo vermelho. E ainda tem gente que acha que o nazismo e o comunismo foram as piores coisas que a humanidade já criou. O escudo vermelho dos rothschilds ainda manda no mundo, embora de forma oculta, inclusive no Brasil. A história já mostrou várias vezes que junto com uma bandeira vermelha sempre tem sangue. Mas parece que como o personagem do desenho, quase ninguém consegue ou não quer ver a realidade. E a bolha imobiliária está aí para provar a estupidez do comportamento coletivo, se esbaldando em crédito fácil e entregando a alma aos bancos.

    0
    • LUIZDVD 11 de dezembro de 2011 at 12:38

      Olha, Rot(h)en Schild quer dizer Escudo Vermelho. Logo, a variação Red Schild não está tentando evitar nada.

      Muito embora o filme não cite suas fontes, eu não duvido nada, já que os Rothschild foram banqueiros do Brasil e do governo Português durante a independência do Brasil, certamente influenciando nas decisões tomadas então.

      Para quem quiser, tem um trabalho interessante sobre a origem da dívida pública no Brasil até 1963 – de Anderson Caputo Silva – http://www.tesouro.fazenda.gov.br/divida_publica/downloads/Parte%201_1.pdf.

      Isto não é teoria da conspiração.

      Lembro ainda que a maior façanha do Diabo foi converncer os humanos de que ele não existe.

      0
    • Cleyton 11 de dezembro de 2011 at 17:38

      Pois acho que foi bem isso que não gostei no vídeo, acho muito fácil culpar alguém sem rosto e ficar insinuando que devemos lutar contra os bancos, na verdade o problema não é o banco, o problema é o “dinheiro grátis”, barato que seja, e a avaliação de valores que as pessoas fazem das coisas, ou seja, o problema são as pessoas que tomam crédito, no caso do vídeo o governo também aparece com tomador de empréstimos, mas os juros para o governo são muito menores, por essas e outras acho que faltou profundidade, poderia classificar o vídeo como um bom começo, nada mais.

      0
    • Indecoroso 12 de dezembro de 2011 at 10:57

      O livro “As Veias Abertas da América Latina” (Eduardo Galeano) faz diversas referências à exploração do nosso continente pelos preceptores do Escudo Vermelho: petróleo, minério, agricultura, bancos, etc. Apesar dos exageros, essa obra é de leitura obrigatória para os latinos que prezam pelo seu torrão-natal.

      0
      • Fred Henrique 12 de dezembro de 2011 at 14:41

        Eu acho esse livro bem ruinzinho…

        0
  • FQ 11 de dezembro de 2011 at 02:31

    Excelente Vídeo!

    Só aqui mesmo pra descobrir estas fontes.

    0
  • danilo 11 de dezembro de 2011 at 08:48

    Achei o texto fantástico. Obrigado pela sugestao.

    0
    • danilo 11 de dezembro de 2011 at 09:02

      o video

      0
  • Mineiro quer bolha 11 de dezembro de 2011 at 08:48

    bom vídeo, o Brasil está no mesmo caminho!!!

    0
  • Ratinho 11 de dezembro de 2011 at 09:06

    A diferença é que aqui nem sabemos ainda o que vai acontecer quando começarem os atrasos de pagamentos em massa. O STF ainda está por decidir se é constitucional a execução extrajudicial de imóvel com as prestações em atraso. E nossos amáveis especuladores, será que conseguem devolver o imóvel à construtora com pequeno “preju”?

    0
    • Guilherme Eduardo 11 de dezembro de 2011 at 23:15

      O lobby dos banqueiros é forte. Eles não vão querer levar o prejuízo não….

      0
  • MrK 11 de dezembro de 2011 at 09:39

    Pessoal,

    Eu gostei do vídeo, é bem verdade que ele não se aprofundou em várias coisas, mas se o fizesse iria perder mais de 50% da audiência, as pessoas que não trabalham ou não leem muito sobre economia iriam viajar e achar o vídeo “chato”, por isso eles mesclaram sarcasmo com assuntos sérios.

    Aqui no Brasil a situação não é diferente, eu gostei muito da “chuva” de cartões de crédito e os bens de consumo pipocando na casa das pessoas, familiar, não? Ontem li uma reportagem no oglobo de que as fabricantes de carro estão já baixando o preço pelo desespero das vendas paradas e estoques altos, o povo simplesmente não tem mais condições de comprar, muita dívida, exatamente como mostra o vídeo.

    Agora, o Brasil que abra o olho, pois uma coisa é imprimir dolares (uma moeda aceita mundialmente, usada pra exportações, unica moeda para compra de petroleo, com decadas de historico favoravel etc…) outra coisa é imprimir reais, essa moeda que tem nem 20 anos de vida, não tem é convertível e vive de inflação mascarada

    0
    • RT 11 de dezembro de 2011 at 10:00

      Se para fabricantes de carros a coisa está feia assim, imaginem para quem quer vender imóveis.

      Isso que vc contou sobre não estarem mais conseguindo vender carros é que reflete o Brasil que vemos no dia a dia, onde apenas as faixas salariais mais baixas expermentaram um aumento mais apreciável, e onde ninguém brinca com 30 mil reais (muito menos com 400 mil).

      0
      • MrK 11 de dezembro de 2011 at 10:12

        sabe o que é mais ridiculo?

        eles atribuiram a queda nas vendas de carros a “crise internacional”

        tá de brincadeira, né? O governo baixa o ipi e solta crédito, todo mundo compra carro, depois solta mais crédito e todo mundo fica endividado, agora que a bolha arrebenta e ninguém consegue mais comprar a culpa é de portugal e da grecia?

        até parece que o Brasileiro médio entende alguma coisa da crise internacional pra mudar seus habitos de consumo por causa dela…

        0
        • RT 11 de dezembro de 2011 at 11:01

          Concordo com você.

          Mas se depender do que esses caras vêm dizendo de uns dois anos pra cá, o Brasileiro médio tem casa própria e graças ao forte aumento de renda, sobra grana para investir tranqüilamente em imóveis de 400 mil ou 500 mil reais.

          Poupança? CDB? Ações? Coisa do passado, ou de pobre que só tem 10 mil pra investir… hoje, o Brasileiro pega os 200 mil que sobraram da última viagem e investe num imóvel.

          0
          • LUIZDVD 11 de dezembro de 2011 at 12:11

            SÓ PARA CONSTAR, EU NUNCA TINHA RECEBIDO LIGAÇÃO DE CONCESSIONÁRIA VENDENDO CARRO, APESAR DE TER COMPRADO 5 CARROS 0KM EM 15 ANOS, UNS DESTRUÍDOS E OUTROS FURTADOS.

            NA ÚLTIMA SEXTA-FEIRA ME LIGA A CONCESSIONÁRIA LOCAL DA FIAT questionando se não estava na hora de comprar um carro novo. Eu perguntei se me venderiam por 50% do preço anunciado e disseram que não. Recusei o convite ao argumento de que tenho minha necessidade satisfeita e que posso passar tranquilamente mais 5 anos sem comprar carros.

            Aliás, disse que minha necessidade diminuiu e vou vender um dos meus e passar a andar de ônibus – vou mesmo – para não ter mais que dirigir neste trânsito maluco.

            Chegou a dar pena do suspiro de desolação da vendedora.

            0
            • Troll 11 de dezembro de 2011 at 12:47

              Tá com peninha?? hehehe

              0
    • Carlos Wagner 11 de dezembro de 2011 at 12:38

      Não costumo responder e-mails de corretores, mas alguns dias atras acabei respondendo e o corretor me devolveu a manesagem com ironia.

      Tornei a responde-la dizendo que os otários já compraram e estão endividados. Sobraram os mais bem informados e esclarecidos como potenciais compradores e que se ele continuasse com essa postura, iria perder credibilidade no mercado, já que sua profissão era totalmente dispensável hoje em dia. Afinal, quem precisa de um corretor de imoveis atrapalhando a negociação e servindo apenas de pombo correio?

      Não obtive resposta depois disso. Acho que deu o que pensar.

      0
      • Troll 11 de dezembro de 2011 at 12:49

        Essa trollagem nos corretores é muito legal….

        0
      • Eduardo 12 de dezembro de 2011 at 11:48

        Mas também tu responde desse jeito pro cara!!!!

        Ele primeiro ficou cego e depois mudo…

        0
  • Sérgio 11 de dezembro de 2011 at 10:48

    Muito bom.
    Há um outro tão bom quanto (euconsidero até melhor) que agora me foge o nome. Creio que seja a historia do dinheiro: são vários vídeos em partes. Só que tem brasileiro que esta editando o vídeo, mas ainda se acha o original.
    .
    O maior problema do brasileiro é a ignorância: peque um vídeo de alguém vomitando no trem ou outra idiotice qualquer e terá 20 MILHÕES de exibições; pegue esse ou o do Peter Schiff, ou a do Spanistão e terá, quando muito 50 MIL.
    Povinho de merda.

    0
    • Tatanka 11 de dezembro de 2011 at 11:03

      Infelizmente é verdade, posto assuntos no Facebook e a experiência é lamentar. Quando é sobre a bolha, educação ruim do pais, etc… o nível de “replay” é zero. Agora poste alguma coisa sobre o Faustão, Hebe, novela das oito, briga de cantores sertanejos, e outras bobagens e veras o gigantesco número de comentários.

      0
      • Sérgio 11 de dezembro de 2011 at 12:06

        É a realidade.

        0
      • Troll 11 de dezembro de 2011 at 12:55

        Pois é. Isso no fundo explica uma população passiva, omissa, e de baixo nível. Por isso a Banânia está onde está, paga-se imposto de 1º mundo, e vive-se num 5º mundo.

        0
        • Zoom 11 de dezembro de 2011 at 13:47

          Pior q eh.

          0
    • Atribulado 11 de dezembro de 2011 at 16:26

      Procure videos/sites de humor em qualquer idioma e voce verá que tem 100x mais acesso do que videos sérios, inclusive em países ditos de primeiro mundo. Se existe “povo de m.”, é o terráqueo.

      0
      • Paulo - RJ 11 de dezembro de 2011 at 19:06

        Se tivesse o botão “curtir”, eu clicaria

        0
  • Leo 11 de dezembro de 2011 at 11:14

    Pessoal… andei pensando em melhorar a divulgacao do site. Pensei em fazer anuncios nos classificados dos jornais e sites com oferta de imovel com um preço justo e fazendo referencia ao nosso querido site bolha imobiliaria. Seria uma maneira interessante de alertar os ainda desavisados… o q voces acham disso ? Com o movimento que temos aqui da p/ ganhar muita força em pouco tempo !!

    0
    • Troll 11 de dezembro de 2011 at 12:58

      Acho q poderíamos colocar um vídeo sobre o site no youtube (se ainda nao tiver). E também criar um anuncio fake no fipezap em que algumas fotos trouxessem o endereço do bolhaimobiliaria.com

      0
    • Zoom 11 de dezembro de 2011 at 13:50

      Tamu junto e misturado.

      0
    • aiwww 11 de dezembro de 2011 at 14:13

      Estou dentro … todos os dias eu divulgo esse site no facebook.

      0
      • Leo 11 de dezembro de 2011 at 22:40

        Ja colocaram anuncio no balcao…. vamo q vamo 🙂

        0
        • aiwww 12 de dezembro de 2011 at 09:26

          Gostaei de estratégia de publicar anúncios fake no jornal e indicar o site do bolha para contato

          0
    • Dany 11 de dezembro de 2011 at 21:11

      Nao so pode, como deve! Ideia aprovada!

      0
    • MrK 11 de dezembro de 2011 at 12:13

      Philis, a bolha imobiliaria é alimentada por 2 combustiveis: crédito e desinformação

      Para postergar o estouro, estão fazendo de tudo para manterem esses 2 combustiveis fartos, ou seja, despejando crédito na força da canetada e alimentando a desinformação para gerar vendas aos desavisados e ignorantes, esse é um exemplo

      se o crédito seca ou se o pessoal fica mais “sensato” a bolha estoura mais rapidamente

      0
    • Troll 11 de dezembro de 2011 at 13:01

      Eu particularmente acho que isso é bom. Imóveis em favelas sendo anunciados por esse preço. Isso só aumentará o tamanho da bolha. Será benéfico pós-estouro.

      0
      • Fábio 11 de dezembro de 2011 at 13:13

        Essa noticia do O Dia foi a mais absurda que vi nesse ano, fila para alugar por 2000 reais? O pessoal da favela ta ganhando tão bem assim? E quem vai preferir pagar esses preços do q tentar no asfalto? Favela no Rio milionaria? Acho q tem gente bebendo muito… ou acredita q estamos em outra dimensão.

        0
        • RT 11 de dezembro de 2011 at 17:40

          Bizarro mesmo.

          Eu pago 1300 de aluguel, e considero esse valor beirando o “caro”. Se tem fila de espera pra pagar um aluguel desses na favela, devem estar ganhando mais que eu! E eu pensando que ganhava bem, rs!

          Deuses nos protejam! Fomos ultrapassados pela “nova classe média”! Em breve, seremos nós os moradores das favelas e trabalharemos para eles, que tomarão nossas residências…

          0
  • rolab 11 de dezembro de 2011 at 12:47
  • Troll 11 de dezembro de 2011 at 13:15

    Já chegamos em outro nível:

    Vejam a definição de “bolhudo” no dicionário.

    h t t p : / / w w w . dicionarioinformal.com.br/bolhudo/

    0
    • Tiago 12 de dezembro de 2011 at 08:35

      Depende…

      investidor bolhudo – ok
      corretor bolhudo – aquele que tem que desovar os imóveis do primeiro

      0
  • Sérgio 11 de dezembro de 2011 at 13:39

    Aqui no meu serviço trabalho com mais uns 200 e poucos servidores, todos com renda de 8k mensais. Muitos já me veem como o cara da bolha imobiliária, outros como terrorista. Uma amiga que acabara de convencer sobre a bolha colocou sua casa à venda e, em menos de um mês conseguiu vender: havia comprado há um ano por 160K, gastou 40K em reforma e vendeu este mês por 275K (???!!!).
    Alguns dos que me veem como terrorista imobiliário vieram tentar ridicularizar minhas ideias; qual não foi a minha surpresa ao ser “defendido” (como se precisasse) pelos outros, que havia conseguido convencer, utilizando-se eles da “teoria do TOLO MAIOR”, além de argumentos e dados irrefutáveis aqui nessa cidade.
    Penso, com isso, que basta apenas uma pessoa que se consiga convencer,que já terá valido à pena.
    A desinformação reina, mesmo em setores ou ambientes onde todos tenham nível superior: a alienação, aliada à ganância faz coisas… me fez lembrar até de José Saramago.

    0
    • shakespeare 11 de dezembro de 2011 at 20:24

      Sérgio,

      MAs quem conseguir vender em tempos de preços altos estará se dando bem e, para eles a bolha não importa… os que não conseguirem vender é que se darão mal.

      Esta sua amiga que conseguiu 75 k no apartamento está surfando a onda e, para ela, essa sua argumentação de bolha não faz sentido nenhum… e ela está certa disso. O problema vai ocorrer se ela continuar investindo em imóveis e comprar outro na alta sem conseguir vender até o ploc…

      aí a coisa vai feder…

      0
      • Cleyton 11 de dezembro de 2011 at 21:45

        Ouvi um ditado no mercado de capitais (bolsa, não cidade), “quem perde primeiro perde menos”, com certeza muita gente ganhou e/ou ainda vai ganhar dinheiro, só que ninguém sabe quando vai encalhar e quando não vai mais vender, essa é a graça da especulação! O problema é que isso vicia, os que ganharam dinheiro dificilmente vão saber a hora de parar…

        0
        • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 10:03

          Com certeza o cara que comprou por 275 K já deve estar pedindo 350 K a 400 K e se ele não conseguir vender por este preço e a bolha “bolhar” é ele quem realiza o prejuízo… Se ele der sorte e vender, isso acontecerá com o próximo e assim vai. É este o mecanismo da bolha mesmo, fica no prejuízo o último incauto

          0
    • alsouza 11 de dezembro de 2011 at 21:12

      Sérgio, a que “argumentos e dados irrefutáveis” você se refere? E de que cidade está falando?

      0
    • aiwww 12 de dezembro de 2011 at 09:34

      Já passei por essa situação … já fui até chamado de corretor … mas realmente, muita gente tenta nos ridicularizar pelo simples fato de agora se sentirem milionários porque dizem que seus imóveis “valem” em torno de 1 milhão … como se isso fosse um achado e que aqueles que já possuem imóvel contam com uma potencial mina de ouro … não param para pensar que isso é inflação e influencia tudo, desde o cafézinho ao corte de cabelo … a cultura inflacionária está arraigada na cultura do brasileiro .. e muitos ainda pensam que o aumento não ocorre em cascata, influenciando tudo que eles consomem ..

      0
  • Banano 11 de dezembro de 2011 at 13:47

    Prezados,
    Desculpem-me, mas sou caipira e relativamente novo. Não entendi ainda o site vender espaço para anúncios….imobiliários? Entendo que o público é específico, talvez já tenha sido discutido o assunto, mas faturar com estes anunciantes?

    0
    • Ratinho 11 de dezembro de 2011 at 14:18

      Não são anúncios do blog… como o blog fala sobre imóveis, os ads são correlatos a imóveis…. Se vc usa o firefox, pode instalar uma extensão, como o adblock, para bloquear esses banners idiotas.

      0
    • FQ 12 de dezembro de 2011 at 12:34

      É automático. Não é o dono que escolhe.

      Eu entendo assim: o dono do site “aluga” o espaço em seu site para uma “empresa” especializada em propaganda, esta empresa explora este espaço colocando anúncios de seus clientes independentes da ação do site. Hoje, eu acho, quase tudo funciona assim.

      0
  • Zoom 11 de dezembro de 2011 at 13:54

    Bolha, cria um tópico “retrospecto” para postarmos algumas notícias que marcaram bastante esse ano 2011.
    O que achas?
    Vlw!!!

    0
  • Banano 11 de dezembro de 2011 at 14:10

    Somente para complementar, gosto muito do que leio aqui.

    0
  • Carlos Wagner 11 de dezembro de 2011 at 15:41

    Por favor. algum colega poderia me indicar um site ou esclarecer como investir em Titulos do Tesouro Nacional? Quais os riscos, rentabilidade, minimo a ser investido, tempo minimo e maximo, descontos de IR e outros sobre os ganhos de capital etc…?

    Desde já agradeço.

    0
    • Carlos Wagner 11 de dezembro de 2011 at 15:43

      Ah, Pediria também para comentar sobre esse tipo de investimento, se é bom no momento e se tem algum que seja melhor!

      Obrigado

      0
      • xiii 11 de dezembro de 2011 at 16:31

        xiii, tá no site errado, aqui é pra torcer pra que tudo quebre.
        nenhum investimento é bom.

        0
      • Cleyton 11 de dezembro de 2011 at 17:45

        No próprio site do tesouro tem materiais muito bons a respeito, www . tesouro.fazenda.gov.br, o investimento já esteve melhor (mais atrativo), mas na minha opinião ainda é o que tem de melhor em renda fixa.

        0
        • Carlos Wagner 11 de dezembro de 2011 at 18:59

          Clayton

          Obrigado.

          0
      • trackback 11 de dezembro de 2011 at 23:17

        http: //www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/calculadora/calculadora.aspx

        Achei legal esse simulador, pois fala em detalhes rendimentos e taxas.

        0
    • veigalex 11 de dezembro de 2011 at 16:31

      um começos1
      w w w.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/faq.asp

      0
  • EduLon 11 de dezembro de 2011 at 18:51

    Acabei de ler a noticia no Estadao

    Demanda por crédito cai pelo terceiro mês consecutivo

    SÃO PAULO – O Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, divulgado nesta sexta-feira, 9, mostra que os brasileiros estão bem mais cautelosos. O número de consumidores que buscaram crédito em novembro caiu 1,7% na comparação com outubro, registrando a terceira queda mensal consecutiva. Na comparação anual, a taxa ficou negativa pela primeira vez desde setembro de 2009, com recuo de 7,4% em relação a novembro de 2010.

    resumo – brasileiro está tão endividado que mesmo oferecendo mais crédito já não tem gente para contrair empréstimos. Ou seja, mesmo que as taxas de juro reais caiam, não vai adiantar, pois a economia está dando os seus últimos suspiros. Vamos ver o que nos aguarda em 2012…

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia%20geral,demanda-por-credito-cai-pelo-terceiro-mes-consecutivo,95453,0.htm

    0
  • KAO 11 de dezembro de 2011 at 18:56

    Gostei muito do vídeo, e fui procurar na internet material relacionado.
    Nessa procura, achei um vídeo incrível: Zeitgeist. Possui 3 partes.
    Recomendo que vejam com olhar crítico e de pesquisa, vale a pena ver!
    Será uma aula e tanto para o blog.

    http://video.google.com/videoplay?docid=-1437724226641382024

    0
    • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 14:44

      não gosto dos videos e do mivimento zeitgeist pq tem relaçõs anti semitas.
      tomem cuidado com esses caras
      é errado destruir um monstro alimentando outro

      0
  • Miguel Jacó 11 de dezembro de 2011 at 19:27

    Não aguento mais esperar esta maldita bolha estourar, acho que ela vai estourar é nunca. Quanto mais eu ganho, mais pobre eu fico nesta porcaria de país, meu sonho de morar em uma casa boa virou pó. Não aguento mais, nasci na época errada…

    0
    • augusto 11 de dezembro de 2011 at 20:01

      Calma, tudo na vida que sobe demais ultrapassando um determinado ponto, despenca em seguida. Com os imóveis só as tentativas desesperadas dos interessados na especulação, confirmam que os preços já atingiram patamares insustentáveis. Lógico que os vendedores tentarão blefar cada vez mais, mas as vendas também cairão cada vez mais, até o mercado achar o ponto justo de equilibrio.
      Uma coisa é certa quem comprar agora só para investir, perderá muito dinheiro.

      0
    • Sérgio 11 de dezembro de 2011 at 20:04

      Calma, camarada.
      Diferentemente dos EUA, aqui vai ser algo mais suave. Vide Espanha, Irlanda e Portugal: desde 2008 e os preços não pararam AINDA de cair.
      Aqui já começou (o estouro, por enquanto, se parece mais com um pneu furado que se esvazia aos poucos. A não ser que haja uma epifania, tipo quebra da gafisa (fusão com outra) ou efeito sino-euro-americano, a coisa aqui não vai degringolar de vez: teremos, nesse caso, preços justos em 2013 (preços de 2007/8) e preços mais baixos ainda a partir de 2014, com alguns bull traps nesse ínterim, que digo, pegará muito trouxa.

      0
    • Miguel Jacó 11 de dezembro de 2011 at 20:38

      O problema é o seguinte: sou servidor público, moro numa cidade pequena, sem muito entretenimento, mas inflacionada devido a empreendimentos, digamos, governamentais, de modo que a bolha aqui não estourará tão cedo, aqui é digamos uma nova Macaé.
      Alugo um apto bom, 70 e poucos m²,bem centralizado,novo, R$ 1250 c/ condom. mas sem garagem, e com uma porcaria de um ginásio esportivo a menos de10 metros do meu quarto, e que fica aberto até as 23 e pouca da noite, toda noite, com isolamento acústico ZERO. E alguns fins de semana tem torneio com direito a corneta e tambores, das 8 às 22:00, em pleno domingo. O corretor fdp, na época de mostrar o imóvel, só aparecia ao meio dia, horário em que o ginasio fechava, caí no conto do vigário.
      E simplesmente não acho, em um ano de pesquisa, NADA melhor para alugar ou comprar, por um preço justo na região, só caco velho, sem garagem, a R$1500,00 sem condomínio. E a cada dia aumentando de preço.

      0
      • xyz 11 de dezembro de 2011 at 20:53

        CUIDADO!!!
        Mesmo sendo funcionário público você pode se dar muito mal com o estouro.
        O governo está comprometido até a alma com a bolha e só vai parar de soprar quando quebrar o país. E pior, a quebradeira pode vir acompanhada da volta da hiperinflação.

        0
    • Anonymous 11 de dezembro de 2011 at 20:48

      Miguel,

      Voce acertou num ponto – a porcaria de pais. Considere abandonar a Banânia.

      0
    • shakespeare 11 de dezembro de 2011 at 20:54

      Miguel,

      Aguenta aí!

      Uns meses atrás andei procurando um ap em SP e encontrei um na zona sul que era legal e tal, mas estava cara, como tudo mais na cidade. Não fechei negócio e hoje chegou um e-mail do corretor:

      Na ultima quinta- feira tivemos algumas unidades que voltam no **EMPREENDIMENTO** para venda, e como a construtora esta fechando o seu balanço anual agora em dezembro, estamos com excelentes descontos, ou seja um grande oportunidade, segue os valores:

      Unidade de 96m² com 1 vaga de garagem = de R$ 367.000,00 por R$ 320.000,00

      Unidade de 96m² com 2 vagas de garagens = de R$ 411.000,00 por R$ 355.000,00

      Unidade de 69m² com 1 vaga de garagem = de R$ 277.000,00 por R$ 255.000,00

      Havendo interesse me retorne urgente, pois são poucas unidades.

      Ass: ***CORRETOR*** (desesperado)

      É da Gafisa!

      0
      • MrK 12 de dezembro de 2011 at 04:56

        veja bem, ja estao dando ai desconto de mais de 10%… com certeza se vc fizer uma contraproposta jogando ainda mais pra baixo eles fecham, no fim voce belisca 20%

        depois dizem que a bolha nao estourou, pra mim o ponto de inflexao ja foi ultrapassado, APESAR de que isso so’ ficara mais claro depois de Fevereiro, quando a economia deve sentir uma ressaca pos-natal e pos-ferias

        amigos que reclamam da demora, eu acho que de 2012 nao passa, acho que no 1o semestre ja veremos quedas como as que estamos vendo aqui neste post do poeta ingles, essas se aprofundarao no 2o semestre… mas o fundo do poco nao sei, pode ser 2013…

        0
        • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 09:58

          Este empreendimento em especial tem uma particularidade que é a existência de várias unidades de permuta, do dono do terreno, que está relutante em baixar o preço, mas o pessoal da empresa já tá fazendo qualquer negócio…

          O importante é ter paciência!

          0
      • JPM 12 de dezembro de 2011 at 09:03

        Um detalhe para se pensar: com esses descontos oferecidos, ela ainda não perde um centavo. Essa diferença ela já embolsou do “esperto” que comprou primeiro e teve que devolver.

        0
        • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 09:55

          Isso é bem verdade, eles só estão tentando testar o mercado para não ficar com o estoque elevado. O preço ainda está bem acima do que eu considero justo e foi essa a minha resposta ao pobre coitado. Enquanto os preços estiverem acima do que pode ser considerado o preço junto eu continuarei no aluguel…

          Só faltou ele chorar. 😀

          0
  • Sérgio 11 de dezembro de 2011 at 20:19

    PARA RIR NO INÍCIO DA SEMANA (eu não sabia disso)
    .
    Classificados – Carros, Imóveis e Empregos
    home > quem somos
    A EMPRESA

    O ZAP é o mais completo, moderno e eficiente portal de classificados da internet brasileira, com quatro canais verticais: imóveis, veículos, empregos (vagas e currículos) e mix (oportunidades e negócios).

    O portal reúne em um só lugar interessados em comprar, vender, alugar produtos e serviços, quem está em busca de uma vaga ou precisa contratar profissionais.

    O ZAP nasceu da união de dois dos maiores jornais do país: Estadão e O Globo. No mercado de imóveis em particular, é a evolução do principal portal imobiliário do Brasil: planetaimovel.com . O portal é também a seção de classificados do Globo Online e do Estadão.com.br e atua em parceria com os jornais O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo e Jornal da Tarde na oferta de produtos e serviços diferenciados e integrados em Internet e jornal para anunciantes (pessoa física ou jurídica) e internautas.

    Esta iniciativa, dos dois grupos que juntos lideram o mercado brasileiro de classificados impressos tem por objetivo alcançar, em curto espaço de tempo, a liderança em classificados online nas principais praças do Brasil.

    Milhares de ofertas novas entram na base de dados todos os dias, por isso, existe uma preocupação constante em oferecer informações válidas e confiáveis. Portanto, políticas de qualidade estão sendo constantemente desenvolvidas para oferecer aos usuários e anunciantes o melhor serviço. Aliás, no ZAP, o internauta também ajuda a auditar o banco de dados e a qualidade dos serviços prestados por nossos parceiros, através das funcionalidades: Critique Esta Oferta e Avaliação do Anunciante.

    Além do sistema de busca inteligente do ZAP (os resultados são filtrados dentro do próprio resultado de busca, levando o usuário à oferta perfeita de maneira muito rápida e prática), o portal ainda oferece:

    • Ferramentas para comparar, salvar e enviar para amigos as ofertas favoritas.

    • Fotos e vídeos dos imóveis, veículos, produtos e serviços e mapas de localização.

    • Exclusivo sistema de alertas que avisa por e-mail ou mensagem em texto no celular (SMS) sempre que um novo imóvel com as características procuradas forem inseridas no ZAP.

    • Dicas e matérias em texto (conteúdos exclusivos dos jornais Estadão e O Globo), podcast (Rádio ZAP) e vídeo (TV ZAP)

    Tudo com muita facilidade e agilidade, utilizando a mais alta tecnologia para que você tenha uma ótima experiência ao navegar pelo site.
    w w w . zap.com.br/informacao/quem-somos.aspx

    0
  • Miguel Jacó 11 de dezembro de 2011 at 21:10

    Olha, se em 1 ano esta bolha não estourar, tentarei me mudar de país, é a única saída. Conheço um amigo que era, há 4 anos atrás, motorista de ônibus, e teve a brilhante idéia de virar corretor (funcionário comissionado). Hoje, ele tem uma bela casa em um bairro nobre de minha cidade natal, ao lado ele tem um salão de festas, tem casa na praia e tem um carrão de 3 portas que não preciso dizer o nome. Claro que ele está ciente que a época das vacas gordas passou, mas ele aproveitou o momento. E eu, assim como muitos aqui, me f### estudando um curso difícil na faculdade, perdi muita festa, muita viagem, me quebrei pra passar em concurso, e pra ter o patrimônio deste cara (de visão, com certeza), demorarei mais uns 20 anos. Decididamente o mundo é dos expértos, como diria um amigo meu carioca.

    0
    • Atribulado 11 de dezembro de 2011 at 21:46

      Companheiro, voce fez a coisa certa. Digamos que seu amigo largou na frente, mas em poucos anos voce iguala.
      Corretor ganhou muito dinheiro nos ultimos anos, mas nos próximos ganhará bem pouco, sem contar que 2/3 terão que abandonar a profissão. Tomora que ele esteja estudando pra depois ter onde trabalhar…

      Em 1 ano eu não diria, mas em 4 ou 5 os imoveis devem voltar aos preços normais.

      0
      • Cleyton 11 de dezembro de 2011 at 21:48

        É, o Atribulado tem razão, você está indo pelo caminho do enriquecimento sustentável, manter um patrimônio pode ser até mais difícil que erguê-lo!

        0
        • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 14:39

          easy come easy goes

          0
    • Carlos Wagner 11 de dezembro de 2011 at 21:57

      Miguel

      Não sei se voce acompanha o blog a bastante tempo e ja teve a oportunidade de ler os relatos dos participantes sobre seus perfis, mas adianto a voce que aqui postam dezenas de funcionarios publicos igualmente revoltados como voce.

      Garanto uma coisa para voce: As pessoas vivem de aparência. A real situação financeira delas, geralmente, é de amargar. Se todas as pessoas que voce conhece, inclusive esse rapaz citado, colocassem seus problemas numa mesa e voce pudesse escolher quais dividas e problemas pegar, provavelmente escolheria os seus de volta. Creia nisso! hehe

      Moro num condominio com o mesmo perfil do citado por voce, mesmo tamanho de apto e mesmo valor de aluguel e cond. Porém, trata-se de um cond. de medio alto padrão na minha cidade, com lazer completo e acabamento de primeira. Como voce pode supor, moram pessoas que adoram status. Esses dias conversando com uma vizinha, meio idosa e antiga no predio, estavamos falando da situação financeira do país e ela me citou a situação de alguns vizinhos que eu acreditava estar nadando em dinheiro. É de chorar de rir. Um deles havia me dito que estava pensando em trocar a ecosport por uma IX35, mas pegou um punto veio. Por coincidencia, essa vizinha mencionou a situação desse camarada nas fofocas…hehe

      Observei que voce anda muito revoltado com a situação. Cuidado, pois quando a revolta se instala corremos o risco de fazer besteiras e teremos a vida toda para nos arrepender.

      Logo logo as coisas vão mudar. Quer um sinal? Em janeiro deste ano era inimaginável que em apenas 11 meses o mercado imobiliário estaria vivendo essa estagnação. Concorda?

      0
      • Miguel Jacó 11 de dezembro de 2011 at 22:08

        Acesso o blog há muito tempo, inclusive estes dias fiz a previsão de que a bolha explodiria dia 5 de março de 2012, devido a uma série de eventos favoráveis à esta data que estão por vir. Porém ainda persistirão bolhas localizadas, como por exemplo na cidade onde moro, também no Rio de Janeiro, em Brasília etc. O governo está realmente empenhado em salvar seu reinado, custe o que custar, mesmo que seja a quebra do país. Estou praticamente certo que isto está enraizado na cultura do brasileiro, “de tirar vantagem em tudo, que o próximo e que o futuro se explodam”. Como o futuro chegou, a explosão sobrará para nós, desta geração atual. É esta a minha maior revolta.

        0
    • shakespeare 11 de dezembro de 2011 at 22:02

      é, amigão, ele surfou a onda na hora certa, agora o mar tá cheio de surfista esperando a onda e um atrapalhando o outro, mas o mar tá perdendo a força e daqui a pouco só vai ter marolinha…

      Eu me dei bem em 2009 pois investi uma boa parte do meu dinheiro em um fundo de investimentos baseado em ações de construtoras que deu 200% no ano, mas agora tá fazendo água desde 2010… sendo assim tirei a grana rapidinho e não perdi nada, só estou esperando a bolha estourar para comprar um palacete baratinho e dar muita risada…

      Pena que não fiz dinheiro suficiente para me aposentar, mas vou conseguir viver bem com minha casinha nova.

      0
      • Miguel Jacó 11 de dezembro de 2011 at 22:26

        Me lembro perfeitamente que, com a queda abrupta da bolsa em 2008-2009, pensei: em que agora os especuladores investirão? Lembro que ações era inviável, as indústrias estavam demitindo, a Selic estava baixando e portanto até a renda fixa estava pouco atrativa,então pensei: o pessoal vai investir em imóveis! Se eu tivesse $$$ e tempo naquela época, estaria dando risada também até hoje…minha previsão se concretizou mas não agi.

        Hoje, com o mercado imobiliário no topo, talvez esteja na hora de novamente comprar ações (com certeza não vou comprar, pois sou muito conservador). Mas talvez não nascerão mais bolhas nos próximos 10 anos, já que a própria Dilma comentou que a crise européia não é de curto prazo, e isso afeta a China, que afeta o Brasil…

        Fica a pergunta: qual será a próxima bola da vez dos especuladores?

        0
        • Miguel Jacó 11 de dezembro de 2011 at 22:33

          http://www.estadao.com.br/especiais/confira-a-evolucao-da-selic-desde-o-inicio-do-governo-lula,3326.htm

          Estava verificando a evolução da Selic nos 8 anos de Governo Lula, e me espantei com a tendência clara de queda. Estamos indo rapidamente no mesmo caminho negro que os EUA chegou, apesar de sermos um país 100 anos mais atrasado em todas as áreas. Este gráfico é mais uma prova disto.

          0
          • joao 12 de dezembro de 2011 at 14:35

            po, quando o juros sobe nego relaclama, quando cai reclama tb… nintendo nada.

            0
            • Troll 13 de dezembro de 2011 at 20:17

              O que não dá pra entender é a Bolha Brasileira que o Molusco criou.

              0
          • Inteligivel 12 de dezembro de 2011 at 14:50

            Nosso governo está aceitando inflação alta. Por isso tem baixado a taxa de juros sem, em contrapartida, reduzir o gasto público e a quantidade de impostos.

            Não adianta ter crescimento a custas de inflação. A história econômica brasileira já provou isso. Quero ver até onde o governo vai insisitir nessa tática sem antes criar distorções monstruosas…

            0
        • manuelao 12 de dezembro de 2011 at 10:38

          Tenho umas tulipas aqui, lindas, barata, quem quer comprar?

          0
          • Wendell 12 de dezembro de 2011 at 13:47

            Tulipas? Excelente! Se quiser eu posso fazer um site pra você, um portal de vendas .com, totalmente online…

            0
            • shakespeare 13 de dezembro de 2011 at 09:54

              Tenho um ótimo imóvel para vocês armazenarem as tulipas e montarem o negócio ponto com… rsrsrsr

              0
  • Sérgio 11 de dezembro de 2011 at 22:53

    ======== ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE ============
    .
    h t t p : / / w w w 1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/14239-crise-europeia-faz-superavit-comercial-chines-desabar-35.shtml
    .
    Crise europeia faz superavit comercial chinês desabar 35%

    Americanos e Europeus reduzem compras de produtos da China
    DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

    Em crise, americanos e europeus compraram menos produtos chineses, e contribuíram para que o superavit comercial do gigante asiático desabasse 35% em novembro, para US$ 14,5 bilhões, na comparação com as cifras registradas no mesmo mês do ano passado.

    “O crescimento das exportações caiu pelo terceiro mês seguido, isso mostra que o comércio externo da China corre risco de declinar”, disse Zheng Yuesheng, estatístico chefe da Administração de Alfândegas da China.

    As exportações chinesas (US$ 174,5 bilhões) cresceram 13,8% em novembro. Em outubro a taxa foi de 15,9%.

    As importações (US$ 159,9 bilhões) também evoluíram num ritmo mais lento, aumentando 22,1% no mês passado, ante um incremento de 28,7% no período anterior.

    O superavit comercial com os 27 países da União Europeia encolheu de US$ 13 bilhões para US$ 11,8 bilhões entre os dois meses. Para os EUA, o saldo (US$ 19,4 bilhões) cedeu levemente.

    0
  • aiwww 11 de dezembro de 2011 at 22:54

    Tabela de preços de um empreendimento na Tijuca … bairro de classe média do RJ http: / / bbtijuca-sc.dyndns.org/svi/Simulador10/Simulador.asp

    0
    • shakespeare 11 de dezembro de 2011 at 23:28

      faz-me rir

      0
      • aiwww 11 de dezembro de 2011 at 23:32

        800 mil virou trocado …

        0
        • Guilherme Eduardo 12 de dezembro de 2011 at 00:07

          Se alguém conseguir juntar R$ 1.200,00 (02 salários mínimos) por mês, sabe em quanto tempo ee conseguirá ter $800K ???? 666 meses!!!!!

          0
          • Carlos Wagner 12 de dezembro de 2011 at 00:20

            É coincidencia o tempo ser 666, o numero da besta, ou isso demonstra a pervesidade que se tornou esse mercado…hehe

            0
          • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 09:49

            mais de 55 anos… vamos tomar emprestado! Já para os bancos! Yeah!

            0
  • Murdoch 11 de dezembro de 2011 at 23:24

    Pessoal, da uma olhada nesse anuncio
    http://flaviogomes.warmup.com.br/2011/12/one-comment-358/
    Tirei de um blog de automobilismo. Nada a ver com isso aqui, mas a foto foi flagrada em SP!!

    0
  • shakespeare 11 de dezembro de 2011 at 23:54

    11/12/2011 – 07h00
    Terrenos contaminados viram alvo de incorporadoras na capital

    CARLOS ARTHUR FRANÇA
    DE SÃO PAULO

    A escassez de terrenos vazios na Grande São Paulo começa a mudar a feição de regiões industriais. Áreas antes abandonadas devido à contaminação no solo voltaram a ser vistas como espaço para construção.

    “Existe uma demanda crescente por análise de terrenos poluídos que vão receber prédios residenciais”, avalia Elton Gloeden, geólogo da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

    Só na capital, a Cetesb contabiliza 3.675 terrenos contaminados -dado de 2010. Na estimativa de Gloeden, o número pode subir para 5.000 no balanço deste ano.

    Aí estão áreas que foram fábricas e postos de combustíveis -alguns dos usos que podem afetar o solo.

    Para o comprador de um apartamento, a prática não traz problemas. Só com a autorização da prefeitura e a avaliação da Cetesb é que o prédio terá seu Habite-se (autorização de ocupação).

    No entanto, o futuro morador deve estar ciente do processo de descontaminação, pois o tratamento pode deixar restrições de uso do terreno, como a proibição de poços artesianos.

    O risco é o de um síndico desavisado querer utilizar o lençol freático para fornecimento de água, por exemplo.

    Em unidades compradas na planta, a dificuldade pode ser o cumprimento do prazo de entrega. Em Guarulhos (Grande São Paulo), as chaves de um residencial atrasaram por um ano devido a exigências feitas pela Cetesb.

    Fonte: http://classificados.folha.uol.com.br/imoveis/1019434-terrenos-contaminados-viram-alvo-de-incorporadoras-na-capital.shtml

    0
    • manuelao 12 de dezembro de 2011 at 10:40

      Daqui a pouco, encostas de morros, pântanos, nuvens…

      0
  • MrK 12 de dezembro de 2011 at 05:07

    QUEM ESTA DO LADO CERTO DO TABULEIRO???

    Pessoal, com o ponto de inflexao dos precos ultrapassado, com os descontos pipocando e o encalhando dos imoveis, todo mundo sabe que o proximo passo sera a queda de precos, OBVIO que industria da construacao civil e seus “interessados” usam suas armas ate o limite, quem nao usaria? Vao tentar prolongar o maximo possivel, mas eles sabem que irao perder

    Nos aqui estamos do lado certo, deveriamos estar tranquilos, vendo tudo de “camarote” , esperando o momento certo para comprar… que sera’ o desespero dos especuladores de primeira viagem e das construtoras precisando de caixa.

    Nao fiquem nervosos ou muito preocupados, quem deveria estar com o suor escorrendo pelo rosto e’ quem especulou mal, quem alavancou… vejo muita gente aqui preocupada, CALMA amigos, voces estao do lado certo, mantenham-se firmes que a recompensa por ter a cabeca no lugar e poupar dinheiro vai chegar!! NUNCA na historia do capitalismo uma pessoa que se endividou ate a alma de forma irresponsavel foi melhor sucedida no longo prazo do que uma pessoa inteligente que soube poupar e investir

    0
  • MrK 12 de dezembro de 2011 at 05:17

    QUEM ESTA DO LADO CERTO DO TABULEIRO???

    Pessoal, com o ponto de inflexao dos precos ultrapassado, com os descontos pipocando e o encalhando dos imoveis, todo mundo sabe que o proximo passo sera a queda de precos, OBVIO que industria da construacao civil e seus “interessados” usam suas armas ate o limite, quem nao usaria? Vao tentar prolongar o maximo possivel, mas eles sabem que irao perder

    Nos aqui estamos do lado certo, deveriamos estar tranquilos, vendo tudo de “camarote” , esperando o momento certo para comprar… que sera’ o desespero dos especuladores de primeira viagem e das construtoras precisando de caixa.

    Nao fiquem nervosos ou muito preocupados, quem deveria estar com o suor escorrendo pelo rosto e’ quem especulou mal, quem alavancou… vejo muita gente aqui preocupada, CALMA amigos, voces estao do lado certo, mantenham-se firmes que a recompensa por ter a cabeca no lugar e poupar dinheiro vai chegar!! NUNCA na historia do capitalismo uma pessoa que se endividou ate a alma de forma irresponsavel foi melhor sucedida no longo prazo do que uma pessoa inteligente que soube poupar e investir!!

    0
  • MrK 12 de dezembro de 2011 at 07:50

    Reportagem de hoje do bom dia Brasil

    “Cresce o numero de Brasileiros que nao conseguem pagar financiamento do carro”

    Agora fica a pergunta: Se nao conseguem pagar o carro, que custa 10 vezes menos que um imovel, que dira a prestacao dos apartamentos?? A Vaca esta indo para o brejo…

    0
    • Cleyton 12 de dezembro de 2011 at 11:03

      Acrescente-se que automóvel a avaliação de crédito é feito uma vez só, imóveis tem uma da construtora (essa conta até VR) e outra avaliação, agora do banco, quando pega as chaves, ou seja, o cara só sabe se o banco vai liberar depois de pago as chaves e depois de corrigido pelo INCC, a chance de caca é grande!

      0
  • Fernando 12 de dezembro de 2011 at 07:59

    Outra noticia interessante… o crescimento de emprego no Brasil ocorre na faixa de até 2 salários minimos… na faixa de salarios mais altos, as demissoes tem SUPERADO as contratações…
    Ach oque com 1000 reais por mes tá facil de comprar ap de 10.000 o m²… rs

    ht tp://w ww.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=1202148&tit=Mercado-so-gera-emprego-que-paga-ate-dois-salarios

    0
    • xyz 12 de dezembro de 2011 at 10:27

      Não acredito que nos anos de pujança econômica isso tenha ocorrido, mas acho que esta onda vai ficar muito mais forte agora, com a capacidade da população de tomar crédito se exaurindo.

      Acho sim é que houve muita migração de trabalhadores melhor remunerados para formas alternativas de contrato de trabalho, como forma de não pagar INSS e IR.

      0
  • Marvin 12 de dezembro de 2011 at 09:13

    Mrk, também vi a reportagem do aumento da inadimplencia de automóveis: gostei de ver a cara do “gostosão da nova classe média” indo devolver o carro e ainda devendo 70% do valor… Para se atentar ao tópico, o video é interessante (apesar de que preciso pesquisar para confirmar as informações; não gosto de ver algo e aceitar como verdade; preciso me certificar…), e mostra como qualquer economia pode ser derrotada por seus cidadãos imbecis; como diria Hank Rearden, (quem leu a Revolta de Atlas sabe o que estou falando): “não vou assumir um compromisso que não posso cumprir” e “não vou assumir uma dívida que não posso pagar”, que vai ao encontro de uma das mensagens do livro: “ninguem deveria consumir mais do que pode produzir”… Essa deveria ser a máxima de qualquer individuo, mas, para nossa infelicidade, há os estúpidos, que se vangloriam ao comprar algo financiado e alardeiam: “SE EU NÃO FIZER DÍVIDA, EU NÃO CONSIGO COMPRAR”. Por isso o comunismo tem tantos adeptos ao sul do Equador: daqui a pouco, quando o brasileiro acordar do “new brazilian dream” (principalmente essa “nova classe média marrom”), e tiver todo fod…, vai esbravejar contra o capitalismo, contra os bancos, etc, etc, e tal!!! Já vi esse filme… Talvez, nosso desgoverno do PT esteja alimentando esta “estupidez coletiva” com um propósito: implantar o tão sonhado projeto de socialismo do PT, pois não faltará argumentos (ainda que falsos, claro, mas que fará sentido para os estúpidos como Pile do video) para “socializar” os meios de produção… Azar o nosso, que não participamos disso, mas seremos mais afetados que os “Pile’s” que merecem ser castigados e perderem tudo (inclusive a sua liberdade)

    0
    • Ze_Das_Couves 12 de dezembro de 2011 at 10:28

      Eh Marvin,

      Assim rapidamente o brasil passou de um pais de miseraveis para um pais de classe media chique ganhando 2 salarios por mes. Os dados da reportagem da gazeta do povo postado antes mostram que o que esta bombando sao empregos de ate 2 salarios no comercio. Agora emprego bom na industria continua encolhendo… a valorizacao do real fez com que tudo produzido no brasil ficasse caro e muita coisa mais qualificada mudou para fora do brasil e vai continuar mudando. Mas nao eh so a moeda nao. Mentalidade de empresa no brasil eh sempre contratar o mais barato e pagando o menos. Se tem alguem em uma empresa ganhando um pouco mais estao sempre de olho para mandar o cara embora e contratar um mais “baratinho”.

      Empresa brasileira e consultoria de RH adora aquele profissional chamado o “chefe” que anda durinho no terno, fala macio e nao faz nada mais do que pilotar uma escrivaninha o dia inteiro. O middle manager eh um profissional valorizado agora os que fazem eh sempre pega o mais baratinho que funciona. Alguem ja viu no brasil alguma empresa contratar um PhD em alguma area? Em sua grande maioria vc fez phd no brasil vc vira um leproso para o mercado de trabalho e presta para dar aula.

      Tem muita gente investindo em carreira, educacao e como o negocio nao cresce na area mais qualificada vai ficar cada vez mais dificil de arranjar um “bom trabalho” qualificado.

      Agora a tao falada seguranca dos emprestimos bancarios brasileiros eh conversa de banqueiro… se o cara da reportagem ganha 900tao por mes e esta “disposto” a financiar “ate 400” podemos ate assumir que sera um emprestimo bem seguro. O cara malmente vai ter grana para abastecer a “nave” todo mes.

      O outro “da reportagem do bom dia brasil” comprou um civic e tah la atolado de divida. Nem vendendo o carro paga mais de 30% da divida e ainda fica devendo 70%…

      Concordo com o MRK… darwin e a selecao natural vao “reclamar” toda a fartura de volta. O pais como um todo faz o mesmo erro de todos os que estao com problemas no momento… vai se endividar ate o pescoco para deixar os amigos e empreiteiros felizes. As obras necessarias vao custar 2, 3 … 4 vezes mais do que valem e quem vai pagar eh a gente daqui a 10, 15, 20 anos quando a previdencia estiver bem quebrada e ninguem quiser comprar titulos do brasil.

      0
  • Marvin 12 de dezembro de 2011 at 09:23

    Ainda sobre a reportagem dos automóveis, apareceu um outro idiota na concessionária disposto a fazer uma dívida de 400 por mês para comprar um carro zero; o salário dele? 950!!! com um “soldo de mierda” desse, como o indivíduo espera manter o carro??? gasolina a 2,70, seguro, ipva… depois, temos que ficar com dó de quem perde o bem para o banco??? nem fodendo, esse estúpido tem mais é que se afundar… Antes de pensar em comprar um carro zero, ele deveria pensar em gastar esses 400 com instrução, para melhorar a sua renda… 950 reais por mês??? Fala sério, aí o “bonitão” vai desfilar de carro zero (imagino, pela cara do individuo, que vai botar um som potente, para ouvir um funk, um pagode, um “sertanojo” e incomodar a vizinhança e os outros motoristas) PS. Nada contra esses gêneros musicais, desde que o indivíduo ouça só para ele; mas, aqui, outra demonstração de estupidez do brasileiro: a falta de civilidade e consideração com as demais pessoas (incrivelmente, o mesmo telejornal mostrou um caso de um assassino que matou um bebe de 10 meses, porque a família estava reclamando do som alto…) Eita povinho de “mierda”…

    0
    • MrK 12 de dezembro de 2011 at 09:32

      Para mim, um dos grandes genios da humanidade foi C. Darwin e sua teoria da selecao natural…

      esse povo que comprou mais do que poderia merece se ferrar mesmo, sao mais de 2.000 anos de biologia dizendo isso.. tem que se lembrar que quem sobrevive nao e’ o mais forte e sim o que melhor se adapta, o ambiente economico esta mudando rapidamente, quem esta em melhores condicoes para se adaptar, o endividado ou o poupador???

      0
      • Carlos Eduardo 12 de dezembro de 2011 at 10:49

        No caso, sou um dos poupadores!

        acho que o sistema atual como conhecemos, na base das dividas está ruindo!

        e o sistema muito provavelmente terá que se reinventar, pois quem paga a conta está deixando de pagar “vide europa com a alemanha”!

        e sobre o moço que comprou o carro é a mesma coisa que o cara que compra imovel hoje em dia !
        MERECE sim ir a falência, pois esse também faz parte do sistema e tem culpa por alimentar um mercado absurdo!

        O cara que compra um imovel ou carro, sem renda para isso, sem comprovação de nada, acha que está tudo bem??? é absurdo!

        as pessoas estão acostumadas a viver sem produzir, gastar oque não tem, oque não vem do seu próprio trabalho….

        acredito na hipótese de mudanças pela frente!

        0
        • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 13:17

          mas no (des)governo das bolsas não é assim mesmo?

          deve ser a bolsa-apê…

          0
      • Anonymous 12 de dezembro de 2011 at 12:24

        São bilhões de anos desde a origem da vida.

        0
    • Felipe 12 de dezembro de 2011 at 09:33

      “Fala sério, aí o “bonitão” vai desfilar de carro zero (imagino, pela cara do individuo, que vai botar um som potente, para ouvir um funk, um pagode, um “sertanojo” e incomodar a vizinhança e os outros motoristas)”
      eu ri…..

      0
    • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 09:35

      Marvin,

      Muito bem colocado o seu argumento mas eu lhe garanto que com esse governo que aí está vai sobrar um pedacinho da conta desse “pobre coitado” que se endividou para você e eu pagarmos… vai ser a Bolsa-empréstimo, para salvar os endividados!

      Os caras vão para a festa, se empanturram e a gente que ficou em casa trabalhando é que ajudará a pagar a conta…

      0
      • Marvin 12 de dezembro de 2011 at 09:56

        E para aqueles que acham que por eu estar falando isso, eu sou filhinho de papai, vai aí um pouco do meu histórico (o qual me orgulho): comecei a trabalhar muito cedo, e registrado a partir dos 14 anos (em 1994, início do plano real), limpei banheiro, aos 15/16 anos trabalhava no esquema de 12dias/2 de folga e estudava a noite em uma escola relativamente boa, mas pública… entrei na faculdade (paga com dinheiro ganho pelo meu trabalho, e não pago pelos pais, como a maioria dos filhos da “nova classe média”, que só vai pensar em trabalhar lá pelos 25/30 anos…), fiz pós (eu e minha esposa, tudo com muito suor), e agora, depois de muito suor e noites mal dormidas, estou começando a desfrutar um pouco de conforto financeiro… Mas, sempre vigilante, para não cair na tentação de consumir mais do que posso produzir… Não é de mim que o banqueiro vai arrancar seu lucro fácil…

        0
        • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 10:20

          Parabéns, Marvin, é isso aí! Seu esforço será recompensando.

          E de mim, banqueiro não recebe nem bom dia!

          0
          • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 13:06

            Marvin, vc é o marvin da musica? rs
            Vc tbm vai pagar essa conta de um modo chamado inflação (não viu o video?)
            Pra minorar isso o jeito é pular pra alguma moeda forte no momento certo

            0
        • Fernanda 12 de dezembro de 2011 at 10:46

          Ontem vi um anúncio em frente a um supermercado que me chamou muito atenção: “Parcele em 4 vezes as compras de produtos (bacalhau, cortes de carnes, frutas cristalizadas, etc) para a Ceia de Natal”.

          Imagine o que é ficar até meados de março ou abril pagando a Ceia de Natal!

          O brasileiro hoje não compra uma caixa de fósforo sem ser parcelada, toda a riqueza produzida está sendo gasta para a antecipação do crédito, ou seja, para pagamento de juros.

          0
    • xyz 12 de dezembro de 2011 at 11:18

      Um amigo me falou que tem um apto alugado recebeu telefonema do síndico dizendo que o inquilino estava com 3 meses de débito com a taxa. Ao ligar para a imobiliária que administra o imóvel soube que de aluguel são dois meses de atraso.
      Interessante é que o síndico falou que o referido cidadão comprou uma hilux e todo dia aparece com um novo acessório.

      0
      • augusto 12 de dezembro de 2011 at 12:44

        São os famosos COMEM FAROFA E ARROTAM PERU.
        Devem até as calças mas tentam demonstrar poder, e riqueza. Vá lá se for para impressionar suas muié ainda bem, mas………………………………..

        0
    • DanielCM 13 de dezembro de 2011 at 12:05

      1. com 400 de prestação ele vai conseguir um mille usado ou uma moto.
      2. por coincidência, ou não, o vídeo é o último na lista de ontem na página do bom dia brasil.
      3. se está assim no mercado de carros, imagine o mercado imobiliário, em que o bem tem liquidez beeeem menor que a de um carro.
      4. chapéu de otário é marreta.
      5. o mercado de imóveis azedou e eu já adotei uma providência. estou começando a poupar o valor que gastaria pagando um financiamento. tá chegando a hora de comprar.

      0
  • Observadora_cwb 12 de dezembro de 2011 at 10:40

    Chegou-nos uma informação deveras interessante: o deputado Edmar de Souza Arruda (PSC/PR) baseou-se nas informações contidas aqui no site do IMB — chegando, inclusive, a copiar trechos extensos de nossos artigos — para criar um projeto de lei que pede “informação ao presidente do Banco Central do Brasil sobre os procedimentos relativos à condução da política monetária no País.”

    http://w ww.mises.org.br/Article.aspx?id=1178

    0
  • Orozimbo 12 de dezembro de 2011 at 10:54

    Inadimplência do consumidor tem alta de 17,4% em novembro

    http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2011/12/12/inadimplencia-do-consumidor-tem-alta-de-174-em-novembro.jhtm

    É o espetáculo do crescimento!

    0
    • Anonymous 12 de dezembro de 2011 at 12:18

      Já na comparação entre os acumulados do ano, janeiro a novembro 2011/2010, houve um crescimento de 22,4%

      0
  • Jack Imóveis 12 de dezembro de 2011 at 11:09

    Caros,

    Acho que o vídeo explica bem como é feita a combustão de crédito hoje em dia.

    Não sou muito fã de teoria de conspiração.

    Acho que os bancos fazem a mesma coisa que o padeiro da esquina faz. Todos querem maximixar os lucros.

    Aí que entra o estado. O estado deveria regulamentar o padeiro e os bancos para que os mesmos obtenham seus lucros de forma sustentável.

    O problema é que nosso estado hoje quer se meter em tudo, mas não regula nada.

    Ainda vai muito dinheiro público para sanar essa loucura e daqui a pouco tempo seremos uma quase Grécia…

    Abraços

    Jack – Quebrando Pratos

    0
    • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 13:03

      Jack, aqui é pior, no BR qualquer casas Maria te faz um crediário, são finanaceiras fantasiadas de loja.

      0
  • Insanidade 12 de dezembro de 2011 at 11:21

    Estava vendo uma reportagem na Globo News sobre a crise na Europa e um dos entrevistados falou algo que devemos ficar atentos:

    Ele disse que no primeiro trimestre de 2012 vencem 300 Bilhões de Euros da dívida da Itália.

    Ou seja, no primeiro trimestre a Itália vai ter que pagar esses 300 Bi de Euros. O analista disse que essa será a “prova do pudim” – palavras dele.

    É um momento de atenção, pois se algo der errado (A Itália não pagar todo ou parte) pode ser a detonação da bomba atômica na economia mundial.

    Ainda na mesma reportagem, um outro participante professor da USP disse que a queda na economia brasileira nada tem a ver com a crise na Eurora. A queda veio por problemas internos mesmo. Os efeitos da crise ainda não chegaram aqui, segundo ele.

    Outra coisa que eles disseram foi que essas reuniões e supostas “soluções” ou “acordos” são apenas para acalmar os mercados, pois para arrumar a casa eles disseram que vai uma década de apertos.

    0
    • Marcos 12 de dezembro de 2011 at 11:37

      Foi no Globo News Painel?

      0
    • augusto 12 de dezembro de 2011 at 12:41

      O povo brasileiro está sem grana pois com o aumento dos preços de combustiveis, alimentos, medicamentos, vestuário, higiene, serviços, etc nada mais sobra para fazer novas compras mesmo que financiadas.
      Veremso a inadimplencia no segundo trimestre de 2012, deverá atingir niveis bem altos.
      Se as consequencias da crise mundial chegarem aqui , dai sim vais ser um caos.

      0
      • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 13:08

        Pois a contrapartida aos preços altos é a baixa do consumo, mas o consumidor bananense não apresenta este comportamento, em parte pela “cultura inflacionária das últimas décadas do século passado” e também pelo medo de fazer feio frente aos outros bananenses, dando demostração de que a situação dele está na pior… coisa terceiromundista…

        Se você for nos EUA ou Europa e acontecer um aumento de 25% em algo básico (tipo o pãozinho) é até capaz de cair governo, mas aqui o pessoal passa a comprar mais pão porque vai faltar…

        E depois faz farinha de rosca (com trocadilho!!!)

        0
    • Miguel Jacó 12 de dezembro de 2011 at 16:05

      Depois desta notícia, Insanidade, tenho certeza absoluta que a bolha imobiliária brasileira estourará até 5 de março, no máximo.
      Mas com a velocidade com que as notícias divulgam a mudança de panorama da nossa economia doméstica, estou começando a acreditar que será antecipado o estouro para final de janeiro…

      0
  • MrK 12 de dezembro de 2011 at 11:22

    pois eh..

    inadimplencia em alta… crescimento em baixa (2.9% com sorte), PIB zerado, inflacao nas alturas, europa e eua em crise, brasileiro com recorde de endividamento…

    Digam-me, quem num cenario desses vai conseguir comprar repasse de imovel milionario? eh cada vez mais nitida a bolha, hoje so’ nao ve quem nao quer, serio mesmo

    0
    • Anonymous 12 de dezembro de 2011 at 12:20

      Quem vai conseguir pagar AGIO?

      0
      • augusto 12 de dezembro de 2011 at 12:37

        Já estou com o sac__ cheio de atender telefonemas de corretores oferecendo imóveis. E olhem que meu número não consta em lista, não é fornecido pelo sistema de informações, mas há alguns anos atrás comprei um imóvel. Meu nome deve ter ficado esquecido no fundo de algum cadastro, reavivado agora, pois compradores são coisa rara.
        Mas como disse um amigo, se vc for atras de algum imovel via net, a técnica atual é dier que aquele imóvel está sob oferta, mas existem outras opções.Que oferta que nada, ninguem está comprando nada

        0
  • Marcos 12 de dezembro de 2011 at 11:42

    Segunda, 12/12/2011
    Educação deve ser o grande vilão da inflação em 2012

    cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/miriam-leitao/2011/12/12/EDUCACAO-DEVE-SER-O-GRANDE-VILAO-DA-INFLACAO-EM-2012.htm

    A educação é o principal alicerce para aumento reais de salário, mas agora a educação ficará mais cara. Vocês acreditam que a nova classe média é sustentável a longo prazo?

    0
    • xyz 12 de dezembro de 2011 at 13:12

      Não foi à toa que o governo diminuiu a ponderação da educação na inflação. A educação vai ser muito impactada pelo super aumento do mínimo. Também o trabalho doméstico teve a ponderação diminuída pelo mesmo motivo.

      Já o cigarro teve a ponderação diminuída porque está previsto super aumento do IPI para janeiro (impacto de +de 20% no preço final).

      ISSO É PARA QUEM ACHA QUE O GOVERNO NÃO ESTÁ PREOCUPADO COM A INFLAÇÃO.

      h ttp://oglobo.globo.com/economia/miriam/posts/2011/11/29/calculo-do-ipca-ibge-tem-de-explicar-melhor-as-mudancas-419170.asp

      0
      • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 13:20

        Mas é claro, se o doente está com febre, vamos colocar o termômetro na geladeira antes de fazer a leitura…

        0
      • Carcará 12 de dezembro de 2011 at 14:02

        Aos que se esqueceram,
        postei meses atrás que a mudança repentina no comando do ibge tinha como objetivo mascarar a inflação para permitir maiores queda na SELIC. O presidente anterior possivelmente não concordou com a mudança e… Segue a reportagem.

        IBGE diz que mudança de comando foi tranquila

        O GLOBO
        Publicado:
        2/09/11 – 0h00
        Atualizado:
        2/09/11 – 0h00

        Envios por mail: 0
        RIO – O ex-presidente do IBGE Eduardo Nunes enviou nesta sexta-feira nota à imprensa, com o assunto “Mudança na direção do IBGE”, para informar que a troca no comando do instituto ocorre de maneira “tranquila, natural e envolve quadros técnicos”. Reportagem do Globo publicada hoje mostrou que, após oito anos à frente da instituição, a saída de Nunes causou surpresa internamente. No comunicado enviado aos funcionários, não havia nenhuma indicação da nova presidente, Wasmália Bivar, primeira mulher a ocupar o posto.
        Leia a íntegra da nota:
        “O IBGE informa que a mudança na direção é um processo tranquilo, natural e envolve quadros técnicos da própria instituição. As mudanças no quadro de uma instituição com a grandeza do IBGE são naturais, benéficas e não implicam nenhum risco ao trabalho eminentemente técnico. Tanto o dirigente que sai como a que entra, Wasmalia Barata Bivar, são profissionais que conhecem bem o trabalho técnico da instituição. Isso representa autonomia e a garantia de continuidade do bom trabalho que vem sendo realizado pelos servidores do IBGE nos últimos anos.”

        Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/economia/ibge-diz-que-mudanca-de-comando-foi-tranquila-2703808#ixzz1gKvjmnrc
        © 1996 – 2011. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

        0
        • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 22:08

          para curar o doente muda-se o diretor do hospital

          0
        • DanielCM 13 de dezembro de 2011 at 12:36

          não sei onde li, mas tinha um cara na net que dizia que o governo brasileiro iria adotar algumas medidas adotadas pela argentina. a manipulação de dados da inflação seria uma delas. a verdade é que no brasil não há política, no sentido de se promover o bem comum. o que existem são projetos pessoais de poder, em maior ou menor grau.

          0
  • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 12:42

    Senhores, já conhecia este video e alguns outros
    sempre achei over introduzir este tipo de “ideologia”
    fikei com medo de vcs,
    agora sim o rei está ficando pelado mesmo

    0
  • Fabiano 12 de dezembro de 2011 at 12:51

    No meu prédio aqui em São José dos Campos 2 apartamentos já foram arrematados em leilão por falta de pagamento do financiamento.
    A inadimplencia na taxa de condominio que até 2010 éra entre 10 e 12 % hoje esta em assustadores 30 % , esta é a verdadeira face da tal “classe média” pintada pelos petistas

    0
    • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 13:31

      é a fatia de bolo daqueles que acreditaram que comeriam muito bem, mas descobriram que só tinha chantili…

      0
  • Paulo 12 de dezembro de 2011 at 12:54

    Santa Ignorância Batman!

    Brasilienses anunciam apartamentos e casas na internet para o mundial de 2014
    Valores chegam a mais de R$ 20 mil para 20 dias. Especialistas explicam como será a variação de preços e avisam: quem saiu na frente está agindo certo
    w w w .df.superesportes.com.br/app/noticias/copa-do-mundo/2011/12/12/noticia_copa_do_mundo,26739/brasilienses-anunciam-apartamentos-e-casas-na-internet-para-o-mundial-de-2014.shtml

    0
    • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 13:30

      Paulo, se a cara conseguir hoje vender um aluguel para 2014 e ainda receber à vista, qual o problema nisso?

      Ele se deu bem, em conseguir vender para algum otário algo que pode estar mais barato ou mais caro em 2014, não sabemos… mas todos aqui do blog torcem para que esteja mais barato.

      O absurdo que existe é o de algum otário ter essa grana para pagar e se dispor a isso, mas todo dia nasce um otário mesmo…

      0
    • Paulo - RJ 12 de dezembro de 2011 at 13:37

      Uma das melhore frases eu li aqui no Blog, não consigo lembrar o nome de quem citou: “Todo dia sai de casa um esperto e um otário. Voc não tem obrigação de ser o esperto, mas cuide-se para nunca ser o otário”, algo mais ou menos assim.

      0
      • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 13:44

        é isso aí!

        e tenho certeza de que os que frequentam o Bolha não são os otários…

        0
      • FQ 12 de dezembro de 2011 at 15:35

        rsrs

        0
      • Roberto Cesar 13 de dezembro de 2011 at 03:02

        Todo dia sai de casa um otário e um malandro. Quando os dois se encontram fazem negócio 🙂

        0
  • Paulo 12 de dezembro de 2011 at 12:57

    Se essa notícia não foi comprada eu mudo meu nome.

    Brasileiros terão crédito de R$ 160 bilhões para casa própria em 2012

    Nem a crise econômica mundial, que cada vez mais se aproxima do Brasil, nem a forte valorização dos imóveis nos últimos três anos vão segurar o mercado imobiliário em 2012. Os brasileiros que pretendem adquirir sua casa própria ou mesmo trocar de imóvel para um maior e mais confortável não terão problemas por falta de crédito. As projeções são de que, somadas todas as linhas disponíveis no mercado, serão disponibilizados cerca de R$ 160 bilhões para aquisição de imóveis prontos, construção e reforma — um recorde. O valor é 23% maior que o aplicado até o fim deste ano, de quase R$ 130 bilhões.

    Essa dinheirama deverá financiar cerca de 1,6 milhão de unidades no ano que vem em todo o país, conforme estimativas da Câmara Brasileira da Construção Civil (Cbic) e da Caixa Econômica Federal, que é responsável por 75% desse mercado. A maioria, R$ 100 bilhões, beneficiará a classe média — consumidores ou famílias com renda a partir de R$ 5 mil — e os recursos virão dos depósitos da caderneta de poupança.

    Outros R$ 60 bilhões são do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e de outras fontes, como o Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) e Fundo de Desenvolvimento Social (FDS), com recursos orçamentários da União. Os clientes dessas linhas de crédito, administradas pela Caixa, são os trabalhadores com renda familiar de até R$ 5,4 mil. Desse total, 72% vão para a nova classe C — famílias com renda até R$ 4,6 mil, conforme classificação da Fundação Getulio Vargas, utilizada pelo governo federal.

    Só a Caixa estima emprestar, em 2012, quase R$ 100 bilhões, incluindo R$ 38 bilhões da poupança destinados à classe média, para financiar 1 milhão de moradias, 15% mais que neste ano. “É um crescimento bastante robusto, considerando a carteira da instituição, de 75% do mercado”, afirma o vice-presidente de Governo da Caixa, José Urbano Duarte.

    Com um cenário desses de crédito farto, o consumidor que apostar em queda dos preços pode se decepcionar e não conseguir comprar depois o imóvel pretendido no orçamento programado. Neste ano, houve redução de preços em algumas cidades brasileiras, depois de um período de três anos de valorização expressiva, de mais de 100% em muitos casos. Mas a alta continuou, ainda que em ritmo menor, em localidades como Distrito Federal e Rio de Janeiro, apontam pesquisas da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), da Universidade de São Paulo.

    Jovens
    Os brasileiros também têm procurado comprar seu primeiro imóvel cada vez mais cedo, até os 35 anos, conforme os dados da Caixa, líder no segmento. Em 2000, essa parcela mais jovem da população representava 51% do total que tomou empréstimo para a casa própria. Em 2011, a faixa dos consumidores até 35 anos passou a abocanhar 57,3% do volume financiado. Em 2010, ano de maior crescimento do setor, eles ficaram com 59,2% de todo o crédito imobiliário.

    Aos 24 anos, a arquiteta Andressa Batista Arantes já garantiu o seu primeiro apartamento. Ela comprou o imóvel ainda na planta, em Águas Claras, e pretende pagá-lo em 12 anos e meio. “Assinei o contrato de promessa de compra e venda há duas semanas e estou muito feliz. Agora, tenho um lugar que é meu”, comemora. E não vai ser o único: “Pretendo comprar outros. Espero que esse seja apenas o primeiro”.

    O presidente da Cbic, Paulo Simão, afirma que o crédito disponível — recursos da poupança e do FGTS — não é afetado diretamente pela crise e que a alta demanda reprimida manterá as vendas aquecidas. Para ele, por mais dificuldades que possam assolar a economia, há clientela para comprar. “O que tem de ser feito é adequar o produto ao bolso do consumidor. Estou falando de preços, condições de financiamento e perfil das unidades ofertadas”, afirma. O vice-presidente de Governo da Caixa concorda: “Não há, nesse setor, as incertezas da economia mundial, até porque imóveis continuam sendo um dos melhores investimentos”.

    O presidente da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), Luiz França, reforça o fato de existir espaço grande para ampliar o crédito imobiliário, pois o volume concedido atualmente é um dos mais baixos do mundo. O Brasil aplica apenas 5,1% do Produto Interno Bruto no setor. França estima que os financiamentos possam atingir 11% do PIB em 2014.

    Otimismo
    Depois de um ano em que o mercado de venda de imóveis na planta desacelerou no Distrito Federal, devido à demora do Governo do Distrito Federal em liberar os projetos, o vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do DF (Ademi-DF), Rodrigo Nogueira, está animado com 2012. Para ele, a queda da taxa básica de juros (Selic) beneficia diretamente o setor. “Se a Selic cair em maior velocidade, como sinaliza a presidente Dilma Rousseff, poderá gerar um novo boom imobiliário”, diz.

    Nogueira, que também é sócio da construtora JC Gontijo, afirma que a preocupação é com a velocidade de aprovação dos projetos pelo GDF. “Isso pode implicar diretamente nos lançamentos dos próximos anos, especificamente de 2012”, alerta. A JC Contijo tem 12 empreendimentos em vias de lançamento.

    O diretor nacional de Negócio da João Fortes Engenharia, Luiz Henrique Rimes, destaca que a burocracia do GDF para aprovação dos projetos pode encarecer os imóveis. A João Fortes tem seis projetos em andamento, quase todos residenciais, voltados para as classes A e B, à espera das liberações. “O preço alto dos imóveis não é só pela demanda maior que a oferta, mas pelos custos que as empresas têm. Há o encargo financeiro pela compra de um terreno para um empreendimento que não consegui lançar no prazo previsto. Vai para o preço de venda”, esclarece Rimes.

    A diretora de empreendimentos da construtora Villela e Carvalho, Ludmila Pires Fernandes, também está otimista para o ano que vem. “Temos vários produtos engatilhados. Alguns já gostaríamos de ter lançado, mas não foi possível pelos entraves burocráticos.”

    http: / / correiobraziliense.lugarcerto.com.br/app/noticia/ultimas/2011/12/12/interna_ultimas,45371/brasileiros-terao-credito-de-r-160-bilhoes-para-casa-propria-em-2012.shtml

    0
    • john 12 de dezembro de 2011 at 13:17

      Esse jornal é terrível mesmo. Só serve como forma de passar o tempo, não deve ser levado a sério.

      “[…] nem a forte valorização dos imóveis nos últimos três anos vão segurar o mercado imobiliário em 2012. ”

      Olha a parcialidade! Como pode AFIRMAR isso? O jornalista tem bola de cristal, por acaso?

      0
    • xyz 12 de dezembro de 2011 at 13:21

      “Com um cenário desses de crédito farto, o consumidor que apostar em queda dos preços pode se decepcionar e não conseguir comprar depois o imóvel pretendido no orçamento”

      0
      • Paulo 12 de dezembro de 2011 at 14:58

        Jogo sujo do caral….
        Os caras estão apelando.

        0
    • Paulo - RJ 12 de dezembro de 2011 at 13:32

      Se ninguém vai conseguir mais comprar imóvel daqui a alguns anos, a pergunta que fica é: quem vai comprar então?

      O cara que nãom consegue mais comprar em Botafogo vai ter que se contentar em um AP na Pavuna, é isto?

      0
      • FQ 12 de dezembro de 2011 at 15:47

        Mas ainda sim, alguém teria que comprar (e morar, de preferência) estes apartamentos em Botafogo.

        …ou Botafogo se transformaria num bairro fantasma!

        Estamos falando de milhões de residências na zona sul. Isto mesmo, residências: Localidade onde uma pessoa ou família vive, que precisa de um tal sujeito esquecido, chamado morador, que por hora o mercado especulativo bovinamente acredita ser apenas um ativo virtual de investimento do mercado, que gera dividendos, controlamos numa planilha e guardamos numa corretora virtual!

        0
  • Paulo 12 de dezembro de 2011 at 12:59

    A mesma ladainha de sempre!!!

    A preferência por imóveis novos ainda é minoria entre os brasileiros

    A maioria dos imóveis financiados no Brasil é de usados. Na Caixa Econômica Federal, eles representam 52% do total, enquanto os novos ficam com 48%. Embora sejam a minoria, o percentual das unidades recém-construídas no bolo dos financiamentos bancários tem aumentado. Em 2002, elas correspondiam a 36% do volume concedido.

    Os brasileiros têm financiado imóveis bem mais caros. Entre 2003 e 2011, o valor médio dos imóveis adquiridos com a linha de crédito do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo(SBPE) saltou de R$ 78 mil para R$ 179 mil, uma elevação de 177,5%. Nos financiamentos com recursos do FGTS, esse preço médio subiu de R$ 37 mil para
    R$ 89 mil, 143% a mais.

    Para o vice-presidente de Governo da Caixa, José Urbano Duarte, não é só a disparada dos preços dos imóveis que explica essa alta significativa em oito anos. “Além da melhoria da renda e do emprego, as facilidades do crédito, com redução das taxas de juros, aumento do percentual que pode ser financiado e maiores prazos, permitiram às pessoas adquirirem apartamentos ou casas maiores e melhores”, afirma. O valor médio financiado, que pode chegar a 100% do imóvel, é de R$ 135 mil no caso das linhas da poupança e de R$ 65 mil para as do FGTS.

    De casamento marcado, a auxiliar administrativa Mariana Lais Fernandes, 24 anos, optou por comprar um imóvel já pronto. Mas isso só foi possível por causa da facilidade de obter crédito. “Não conseguiria comprar à vista”, diz. A cerimônia será realizada só em 2013, mas ela não quis correr riscos. “Fiquei com medo de comprar na planta e ter dificuldades na entrega”, explica. Ela financiou o apartamento em 30 anos, mas pretende quitá-lo em 10. “Depois disso, quero comprar outro imóvel.”

    Atrasos
    A preocupação de Mariana com a entrega é o problema que muitos consumidores enfrentam ao adquirir imóvel na planta. Pelo menos 30% dos empreendimentos estão com as obras atrasadas no país e não serão entregues no prazo contratado, conforme números da Câmara Brasileira da Construção Civil (Cbic). Em São Paulo, o Ministério Público firmou termo de compromisso com as empresas do setor para incluírem, nos contratos, a previsão de pagamento de multa e de valor equivalente ao aluguel, se o comprador for locatário, em caso de atraso, que ultrapasse o prazo de tolerância previsto. É comum as construtoras fixarem uma data de entrega, mas estipularem um período adicional, sem qualquer ônus para elas — em geral, de 90, 120 ou 180 dias — , para disponibilizarem as chaves.

    “O problema agora está maior porque, com o ‘boom’ da construção, muitas empresas pegaram obras acima da sua capacidade”, admitiu o presidente da Cbic, Paulo Simão. Para evitar aborrecimentos que podem, inclusive, culminar com a não entrega da unidade e a falência da construtora, o consumidor precisa se cercar de cuidados. “É preciso saber mais sobre a empresa e seu histórico”, diz o advogado Tiago Antolini, especialista em direito habitacional. Ele aconselha também verificar a situação do terreno e do projeto perante o governo local.

    Direito assegurado
    O Judiciário tem assegurado os direitos dos consumidores e concedido indenização mensal em caso de descumprimento do prazo de entrega pelas construtoras, além de proibir a cobrança de uma série de encargos que são devidos somente a partir das chaves, como taxa de condomínio. Em decisão em 11 de maio deste ano, a Primeira Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) estabeleceu que o cliente tem direito à indenização, equivalente a 0,5% do valor do imóvel, a partir do terceiro mês de atraso até a data efetiva de entrega das chaves. Ela admitiu como prazo de tolerância, sem ônus para a construtora, apenas dois meses, necessários para obtenção de habite-se perante o governo local.
    http: / / correiobraziliense.lugarcerto.com.br/app/noticia/ultimas/2011/12/12/interna_ultimas,45370/a-preferencia-por-imoveis-novos-ainda-e-minoria-entre-os-brasileiros.shtml

    0
    • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 13:13

      o preço dos imóveis no Brasil está igual o das bebidas na balada, um absurdo, mas tem um monte de gente pagando…

      No segundo caso se deve, em geral, porque o bacaninha que vai lá tá gastando a mesada recebida dos pais ou tá torrando o salário de estagiário/recém formado. No primeiro caso a farra tá sendo patrocinada pelo (des)governo mãe/pai que, com isso, vai socializar a conta para todos, enquanto alguns ganham muito dinheiro (os que receberam esses valores altos por ativos que não valem isso) e outros se aproveitam, ainda que momentaneamente, de apartamentos novinhos que não poderiam pagar…

      Nos dois casos, estão expondo seus fígados aos apetites vorazes de abutres e do álcool!

      0
    • Paulo - RJ 12 de dezembro de 2011 at 13:28

      “Estão procurando apartamentos maiores e menores…”

      Com cada pocilga sendo negociada a valores absurdos,
      Tá bom…

      0
      • LAR 12 de dezembro de 2011 at 13:42

        o mais bizarro é o povo, mesmo que nova classe média, se sujeitar a viver em 49 metros quadrados.

        é absurdo cara… muito pequeno.

        0
        • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 13:57

          LAR,

          Trata-se de uma questão de gosto e praticidade.

          Tenho uma casa bastante razoável com quase 300 m2 de área construída útil mas ela dá um trabalho enorme para limpar, cuidar e dar manutenção. Por sorte ela fica no interior onde os custos são menores, mas se fosse em SP estaria perdido.

          Em SP tenho um imóvel menor, mas estou pensando em outro, menor ainda, por uma questão muito simples, é mais fácil de manter e também mais barato, mas estou esperando os preços voltarem a normalidade para proceder a compra e vou alugar este que tenho atualmente.

          Na praia tenho um outro imóvel de 50m2, 2 quartos e ele é perfeito para uma família composta de um casal com dois filhos, com conforto, podendo até receber mais gente às custas de algum desconforto.

          Então, como pode ver, tudo depende da situação… realmente para uma família de 8 pessoas é muito pequeno!

          0
        • Menino_do_Rio 12 de dezembro de 2011 at 13:57

          Eu tenho uma quit de 51m, um ap de 49m para uma família é quase uma solitária…

          Mas minha pergunta é sobre a reportagem:
          http://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/2282108-venda+line+imovel+leiloado+pela+cef+dificulta+negociacao+com+mutuario

          Será que o paternalismo eleitoral do petismo não fará as pessoas que estão poupando pagarem essa conta (seja por baixa remuneração da renda fixa, seja por inflação)?

          0
          • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 14:26

            a inflação come o salario mais do que a aplicação que worst case fica no zero a zero

            a inflação corroi o poder de compra de milhões, os assalariados que estarão pagando, dando mais dinheiro pelo mesmo, inlcusive as dívidas, repito isso, fica claro no video.
            A estagflação ao memso tempo q derrete o poder de compra, congela o salário, é um demonio que só quem viveu consegue imaginar o poder disto deteriorar um país.

            e quando a merda todo estourar, os poupadores poderão ser beneficiados pelo tal valor/custo de oportunidade.

            0
          • Cleyton 12 de dezembro de 2011 at 19:12

            Ué, eu achava que quem entra pra comprar imóvel em leilão já deveria saber disso! Como a Caixa é um banco público com função social nem fica bem ficar despejando as pessoas e quem compra ocupado é sempre o responsável e não a Caixa!

            E conciliação é o caramba, ou vocês acham mesmo que o cara vai deixar a casa de boa? Ainda mais sabendo da fantástica agilidade da justiça brasileira!

            Em 2002 um vizinho entrou nessa e o advogado perguntou se ele não queria ir conhecer a família que ele estava pedindo pra despejar…

            O cara que entra no leilão e reclama só tem um nome: TROUXA!!!

            0
        • john 12 de dezembro de 2011 at 15:23

          Para quem mora sozinho é mais do que suficiente. Acho que até para um casal serve.

          0
    • Indecoroso 12 de dezembro de 2011 at 14:02

      Querem sempre demonstrar naturalidade nas publicações, mas o esperto sabe que se o mercado estivesse tão aquecido quanto pregam, não seriam necessárias tantas propagandas pra dizerem que “tudo vai muito bem” ou que “o lucro é certo”.
      Acredito em duas hipóteses: ou as matérias vem sendo “encomendadas” ou os respectivos editores-chefes possuem imóveis “embolhados”.

      0
      • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 14:20

        a nova estratégia agora é oferecer como segunda ou terceira residencia
        igual ocorreu nos EUA, oferecem um item de lazer e qeu ainda portege o patrimonio
        só não falam que o custo de manutenção é maior que de um hotel 5 estrelas

        0
      • pmoraesm 12 de dezembro de 2011 at 15:33

        Quando eu vejo esse todo esse burburinho sobre os ganhos no mercado imobiliário eu lembro das matérias de revistas e jornais sobre os novos milhonários da bolsa… quando saiu na grande imprensa, já tinha começado a derrocada.

        0
        • FQ 12 de dezembro de 2011 at 15:59

          …e a história se repete mais uma vez!

          Saem os profissionais com lucros realizados, entram os amadores…

          0
          • augusto 12 de dezembro de 2011 at 18:55

            Exatamente igual na bolsa de valores né, os profissionais ganham e os babacas perdem.

            0
    • Insanidade 12 de dezembro de 2011 at 16:49

      De casamento marcado, a auxiliar administrativa Mariana Lais Fernandes, 24 anos, optou por comprar um imóvel já pronto. Mas isso só foi possível por causa da facilidade de obter crédito. “Não conseguiria comprar à vista”, diz. A cerimônia será realizada só em 2013, mas ela não quis correr riscos. “Fiquei com medo de comprar na planta e ter dificuldades na entrega”, explica. Ela financiou o apartamento em 30 anos, mas pretende quitá-lo em 10. “Depois disso, quero comprar outro imóvel.”

      Comment 1: “Auxiliar administrativa” deve estar ganhando rios de dinheiro, só eu que sou o pobre da história.

      Comment 2: “Depois disso, quero comprar outro imóvel.” Vou trocar de profissão e virar auxiliar administrativo, porque como analista de sistemas não estou conseguindo pensar em ter o segundo imóvel.

      Quanto mais eu leio, mais fico arrepiado!

      0
      • Carlos Wagner 12 de dezembro de 2011 at 18:39

        Isso aconteceu comigo essa semana. Conversando com um casal de amigos: Ela – Auxiliar Administrativa, ele- matelugico, disseram que foram visitar um apartamento no predio onde eu moro que custa 300 mil. Mas não gostaram! Eles estão indecisos em comprar um apartamento de alto padrão recem entregue que custa 400 mil ou um duplex que custa 350 mil.

        E eu, cada dia me sentindo mais miseravel, apesar de ganhar mais que os 2 juntos.

        0
    • 12 de dezembro de 2011 at 20:07

      “A maioria dos imóveis financiados no Brasil é de usados. Na Caixa Econômica Federal, eles representam 52% do total”

      Engraçado, o pessoal diz que os usados “travou geral”…

      0
  • JPM 12 de dezembro de 2011 at 14:13

    E pode ser que a aventura dele ainda tenha um agravante: se ele não der nada de entrada, a prestação só será de R$ 400 no primeiro ano. Aqui em Ribeirão Preto as concessionárias Fiat estão com essa promoção do Novo Uno: 12 x R$ 438 + 12 x R$ 750 + 12 x R$ 998.
    Quero ver como ele fica no segundo ano de financiamento…

    0
    • JPM 12 de dezembro de 2011 at 14:14

      Saiu no lugar errado… no post acima eu estou falando do sujeito que quer comprar um carro zero ganhando R$ 950…

      0
    • augusto 12 de dezembro de 2011 at 18:52

      Vai engrossar os 10 bilhões de calote que os bancos e financeiras já levaram

      0
  • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 14:32

    Senhores, estive ontem na 25 de março e no mercao municipal de SP (faço visitas anuais quase na mesma época).

    Fiquei estarrecido em ver que os preços lá estão mais altos que em outlets e supermercados do primeiro mundo, os preços estão o triplo do ano passado, a inflação chegou na classe C.

    detalhe: movimento está um quinto do ano passado, mas isso talvez por causa do aumento de fiscalização).

    0
  • Wendell 12 de dezembro de 2011 at 15:27

    “Desaceleração do PIB em 2011 foi programada, diz BC”

    http://www.dgabc.com.br/News/5931509/desaceleracao-do-pib-em-2011-foi-programada-diz-bc.aspx

    AHAM!

    0
    • Cleyton 12 de dezembro de 2011 at 18:37

      hahaha! Essa foi muito boa! Sabe, eu tinha uma lojinha de 1,99, a quebra foi programada, não queria que os negócios interferissem na presidência, hahahaha!

      0
  • pmoraesm 12 de dezembro de 2011 at 15:28

    “Dilma: governo agiu para reduzir ritmo de crescimento do PIB”

    http ://economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201112070100_RTR_SPE7B600E&idtel=

    Reduzir taxa de juros e aumentar/facilitar crédito é agir para reduzir ritmo de crescimento?!?

    0
    • Carlos Wagner 12 de dezembro de 2011 at 16:56

      Não é a toa que o Augusto Nunes – comentarista da Veja – apelidou a Dilma de: Neuronio Solitario.

      0
    • xyz 12 de dezembro de 2011 at 17:02

      Ela se refere às medidas tomadas no início do ano (aumento da selic e restrição do crédito), que foram inclusive muito tímidas na minha opinião, pois o crédito continuou crescendo muito forte. Só agora o crédito da sinais de retração.

      0
      • pmoraesm 12 de dezembro de 2011 at 17:39

        Bom, as maiores altas da Selic aconteceram entre junho/2010 e março/2011, quando as previsões de crescimento para 2011 ainda eram de 4.5%. Ao longo do ano essa previsão foi sendo diminuida e agora é esperado 3% ou menos, e cada revisão da previsão de crescimento era acompanhada por uma redução na taxa Selic… Se o objetivo era segurar o aumento do PIB, pq essa diminuição da Selic quando a economia dava sinais de esfriamento? Fora que tenho pra mim que o governo mirou foi na inflação quando fez essas reduções…

        Ainda não consegui perceber ação do governo para diminuição no ritmo, não sou muito fã de teoria da conspiração mas pra mim ela deu essa declaração como uma tentativa de tranquilizar o mercado com uma afirmação do tipo “está tudo sob controle”

        0
  • Jack Imóveis 12 de dezembro de 2011 at 15:35

    Caros,

    http ://economia.estadao.com.br/noticias/economia%20geral,economia-brasileira-tem-2-maior-desaceleracao-entre-34-paises,95621,0.htm

    Vai indo…

    Abraços

    Jack – Lendo Jornal

    0
    • Anonymous 12 de dezembro de 2011 at 16:03

      www . oecd . org/dataoecd/19/63/49237796 . pdf

      Brazil: -7.9
      China: -0.9
      India: -8.7
      Russia: -0.7

      Anonymous – Consultando a fonte original

      0
      • Anonymous 12 de dezembro de 2011 at 16:06

        United States: +0.2 – o único sinal POSITIVO da lista, justamente o país que a Banânia acha que está em crise.

        0
  • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 16:08

    Crise na Europa, financiar veículos ficou mais difícil para classe C

    A crise da europeia já fez a luz amarela acender no Brasil e os consumidores da classe C estão enfrentando dificuldades para ter o financiamento de veículos aprovado.

    “Parece que os bancos que financiam veículos iniciaram um processo de redução de exposição neste segmento, principalmente para clientes da nova classe média emergente”, afirma o economista da agência de varejo automotivo M.Santos, Ayrton Fontes.

    De acordo com ele, a fragilidade das economias europeias e a desconfiança quanto à solidez dos bancos no velho continente tem feito com que os bancos brasileiros reforcem os critérios para a compra de carros no Brasil. “Os bancos daqui também estão expostos aos problemas europeus e existe um medo grande de que a crise se repita com a intensidade que aconteceu em 2008”, afirma Fontes.

    Vendas aquecidas, mas para empresas
    De acordo com dados da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), divulgados na semana passada, o número total de veículos leves comercializados chegou a 305.183 em novembro, o que representa uma alta de 15,7% na comparação com outubro, quando foram vendidos 263.750 veículos.

    Entretanto, segundo Fontes, mais de um terço desses veículos foram vendidos para frotistas, locadoras e empresas em geral. “Os consumidores da nova classe média que mantinham o mercado aquecido estão hoje quase totalmente fora dele. Eles não estão conseguindo crédito como no passado”, afirma o economista.

    0
    • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 16:10

      mentira isso da crise

      procurem por lucroBrasil no facebook:
      não vendem pq ninguém quer comprar, ou pq não têm dinheiro, ou pq têm cérebro

      0
    • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 16:15

      OLHA AÍ A NOSSA SUBPRIME
      http://www.brazilianbubble.com/2011/12/analysis-household-debt-service-ratio.html#more

      Analysis: Household debt-service ratio is very high in Brazil

      A lot has been discussed about the high debt-service ratio of households in Brazil, especially in 2011, considering it has increased substantially. Early this year, hedge fund manager Paul Marshall wrote an article raising the flag on the issue, warning that Brazil could be headed for “subprime crisis”. We will illustrate some of these points here and compare the Brazilian rates to other countries.

      According to the Central Bank of Brazil, the percentage of available household income committed to debt service remained around 20% from year-end 2008 to year-end 2010. This percentage rose from 19.9% in January 2011 to an estimated 22.5% in October. See the graphic below (courtesy of Credit Suisse).

      Paul Marshall wrote the following in his February 2011 article:

      “For consumers (in Brazil) specifically, the ramifications are serious as the debt service burden has risen to 24 per cent of disposable income and is set to rise further as rates push higher (actually they have been lowered). We expect the burden to rise to an exorbitant 30 per cent by 2012. To put this into context, the US consumer “blew up” when the debt service burden hit 14 per cent (with a current read of approximately 12 per cent). In other words, the Brazilian consumer has twice the debt load from a cash flow perspective relative to a US consumer who is still widely regarded as being over leveraged.”

      Now the household debt-to-income ratio in Brazil is around 22%, twice as high as the 11% ratio seen in the USA, Euro Area, and Chile (see chart above). The high debt-service ratio in Brazil is mainly due to the high interest rate and the average tenor of loans, which is still low.

      Nomura’s Tony Volpon recently wrote that the current high debt burden means that any negative unexpected shock to credit availability or income growth could, as consumers raise savings to pay back debt, add an important downward driver to growth. The consequences of its rising consumer debt burden could still be severely negative for future growth.

      From a macro standpoint, says Paul Marshall, a low savings rate and an overvalued currency are putting pressure on growth rates and on the competitive position of the Brazilian economy – hence the drive to push leverage (consumer credit? real estate mortgage?) into the system in order to prop up growth rates in line with Bric peers. But the reality is that countries like China and India have been more successful in driving rapid growth rates while retaining high savings rates and more competitive currencies. The issue for Brazil is that the country needs to re-balance towards higher ratios of savings and investment. The consumer spending alone will not solve its problems. The government seems to be aware of what they need to do, but many doubt they will succeed in this world economic crisis.

      Hence, expect consumer delinquency rates to stay high in 2012, and banking provisions to increase as the economy slows down.

      Will the high consumer debt be the pin that bursts the housing bubble? Only time will tell.

      0
  • LAR 12 de dezembro de 2011 at 16:41

    shakespeare

    concordo em partes

    para um casal, de fato seria vantajoso ir pra um imóvel pequeno pelas razões de manutenção, limpeza, etc

    mas creio que nenhuma familia de 4 pessoas consiga conforto em 50m², muito menos o minimo de privacidade

    abraço

    0
    • Pedro Bolha 12 de dezembro de 2011 at 20:21

      Concordo! 50 m2 é mais que suficiente pra um casal jovem, na correria do dia-a-dia. Mas para um casal com filhos é desumano. Tive meu segundo filho agora e minha esposa me fez mudar de apartamento, de um de 90 m2 úteis para um de 120 m2 úteis. Resisti no início por preguiça de fazer a mudança, mas não me arrependo. Ao contrário, acho que 120 m2 deveria ser o padrão mínimo para uma família viver com dignidade.

      0
    • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 22:07

      é o que eu falei, depende da situação… na praia 50 é o suficiente, em SP um de 100 tá legal e no campo a casa de 300 serve, mas dá trabalho!

      0
  • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 17:19

    offtopic, por Augsuto nunes

    Desde que a carranca de Jânio Quadros substituiu o sorriso de Juscelino Kubitschek, em 1961, o gabinete do presidente da República já hospedou napoleões de hospício, generais de exército de salvação, perfeitas cavalgaduras, messias de gafieira, gatunos patológicos, vigaristas provincianos e outros exotismos da fauna brasileira. A rotina da anormalidade — retomada pelo triunfo de Lula, um ex-operário metalúrgico que acha leitura pior que exercício em esteira, e mantida pela eleição de Dilma Rousseff, primeira mulher a chefiar o governo (e provavelmente a primeira figura a governar um país sem conseguir expressar-se de modo inteligível) — só foi interrompida entre 1° de janeiro de 1995 e 31 de dezembro de 2002, quando o Palácio do Planalto abrigou Fernando Henrique Cardoso. “A Soma e o Resto – Um Olhar sobre a Vida aos 80 anos” (Civilização Brasileira; 195 páginas; 29,90 reais) confirma que foi FHC o ponto fora da curva desenhada pela saga republicana.

    0
    • Felipe 12 de dezembro de 2011 at 22:29

      Quase um deus, façamos uma estátua para esse ser superior!
      Só não falem CAYMAN que ele treme…

      0
      • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 12:15

        descobriram, foi o collor que mandou fazer aquele dossiê
        próxima capa da revista Veja o ultimo arauto da democracia

        0
        • neandertal 13 de dezembro de 2011 at 17:53

          Saiu um livrinho chamado a “privataria tucana”
          Esgotou em 1 dia…
          Tentaram de tudo quanto é jeito impedir a publicação. Dá uma lidinha

          0
          • thiago 13 de dezembro de 2011 at 20:00

            Quanto mais empresas públicas mais tetas existem

            Mas lógico, a Dilma é santa e seus ministérios e novas empresas públicas não roubam nada não

            Bom mesmo era o SERVIÇO DE MERDA das telecoms públicas

            Legal como tem petralha reclamando na internet, mas se dependesse do governo a internet no BR seria um décimo do tamanho

            0
            • Troll 13 de dezembro de 2011 at 20:28

              Nego esquece que o bananense só tem “banda larga”, celular pré-pago, por que privatizaram a bagaça. Esquece também que a D. Dilma vai privatizar os aeroportos, pois o governo tá falido pra investir.

              Além disso o bananense típico acredita que o brasil foi descoberto em 1º de Janeiro de 2003.

              0
            • joao 13 de dezembro de 2011 at 21:29

              “Legal como tem petralha reclamando na internet”

              Colega, voce saberia me dizer quem foi que desonerou micros no brasil, tornando-os mais acessíveis?

              0
              • joao 14 de dezembro de 2011 at 19:47

                Ninguém, como eu imaginei…

                Gabarito:
                MP do bem, em 2005, no governo do… Ué, molusco?

                90% dos que escrevem aqui não tinha computador em 2005, que dirá internet…

                menos fanatismo político seria bom, todos os governos tiveram seus erros e acertos, e todos, sem exceção neste mundo, estão interessados unicamente no próprio umbigo, melhorar (ou piorar) a vida da população é um mero “acidente de percurso”

                0
          • Troll 13 de dezembro de 2011 at 20:22

            Pois é. Já pensou se saísse um “Roubalheira Petista”?? Ia encalhar pois o bananense pensa que Lula é Deus.

            0
            • neandertal 13 de dezembro de 2011 at 21:35

              Então se um rouba o outro pode?? O post foi pro sr. “presidente do fã-clube de fh”, que tem uma crença infantil e ingênua na santidade daquele canalha (tão ladrão quanto qualquer um outro, sejam estrelas vermelhas ou pássaros de bico longo) e na revista “último bastião da democracia”. pqp…

              0
              • Felipe 14 de dezembro de 2011 at 21:34

                Amém…
                Eles demoram a entender isso, neandertal.

                0
        • Felipe 13 de dezembro de 2011 at 19:07

          Disseram que foi o Collor, prenderam um pastor que pelo jeito caiu de gaiato na história. Todo mundo usou a turma do abafão. Bem a cara dessa turma tucanalha.

          0
          • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 14:19

            Incrível a quantidade de petralha que só entra aqui pra falar bem do pt e falar mal do FHC e da Veja.
            Não estão nem aí pra bolha imobiliária, obra e graça do PT.

            A dilma já perdeu 5 ministros por acusação de corrupção e não tem 1 ano ainda
            Mas os petralhas só conseguem reclamar das privatizações, da qual eu concordo, pena que não privatizaram a petrobras, o banco do basil, a caixa, o Bndes e os correios.

            0
            • Piaui 14 de dezembro de 2011 at 14:42

              Sobre as privatizações, é questionável o modo como foi realizada…leia o livro “A privataria tucana” que irá clarear sua mente. Bandido tucano e bandido petista comem no mesmo cocho. Não há diferenças.

              0
              • lucas 14 de dezembro de 2011 at 15:42

                vc escrever isso aqui no meio de 500 comentários e falar mais nada sobre a olha é a prova de que tem petralhas pagos pra monitorar a rede

                é estrategia suja justificar que o pt rouba pros pobres porque o psdb roubava pros ricos

                cada dia tenho mais nojo dos petralhas

                0
                • Piaui 14 de dezembro de 2011 at 15:57

                  Meu caro, vou repetir para vc parte do meu singelo comentário, acho que vc não leu por completo: “Bandido tucano e bandido petista comem no mesmo cocho. Não há diferenças”. Se você odeia petistas, tem todo direito, mas nao misture as coisas.
                  Sobre a bolha, acredito e confio que ela vai estourar logo logo e vai desmarcarar boa parte das irresponsabilidades do governo Lula. E não pense que quem vai arrumar essa bagunça virá dos partidos de oposição(vide SP e suas adjacências tucanas) , porque TÁ PRA NASCER quem vai arrumar essa zona.

                  0
              • Felipe 14 de dezembro de 2011 at 21:32

                Não sou petista nem tucano. Aliás, acho petista fanático o segundo pior ser da política. O primeiríssimo lugar, com certeza, são os tucanos fanáticos. Pq esses além de ladrões, são hipócritas (vide métodos abortivos) e acreditam em tudo que a Veja escreve.

                E amigos, não duvidem de uma coisa: tucanos que vigiam a rede.
                Eu não fiz nenhum comentário a favor de Lula!

                0
  • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 17:52

    do blog do observador:
    Valor: MP e Receita desmantelam esquema das construtoras
    O Ministério Público (MP) do Estado de São Paulo e a Receita Federal estão responsabilizando as construtoras pelo pagamento da taxa de corretagem nas vendas de imóveis. O MP abriu inquéritos para investigar a cobrança pelas corretoras, que fazem a intermediação dos negócios imobiliários. A taxa, de acordo com o órgão, deve ser paga pelas construtoras, e não pelos consumidores. A Receita Federal, por sua vez, passou a autuar as empresas de construção e engenharia sob o argumento de que deveriam recolher contribuição previdenciária e Imposto de Renda (IR) sobre esses valores. As autuações já somam mais de R$ 10 milhões.

    Para resolver a questão, o MP está negociando com as empresas de corretagem, e já homologou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a Abyara Brokers para que conste nas propostas para aquisição de imóvel a informação clara e precisa de que a responsabilidade pelo pagamento da comissão de corretagem não é do consumidor. A empresa tem 60 dias para se adaptar. Por meio de sua assessoria de imprensa, a Abyara disse que o acordo faz parte da regulamentação de todo o setor.

    O MP também tentou fechar acordo com a MRV Engenharia, mas não conseguiu e resolveu propor ação civil pública contra a empresa. Ao analisar a ação, a juíza Daise Fajardo Nogueira Jacot, da 15ª Vara Cível de São Paulo, decidiu suspender a cobrança da taxa diretamente pelos corretores, sob pena de multa diária de R$ 5 mil. Procurada pelo Valor, a MRV preferiu não comentar o assunto.

    Com a cobrança à parte da taxa de corretagem, segundo a promotora, as construtoras também levam vantagem fiscal. “Quando o valor é repassado diretamente ao corretor, esse montante não entra na contabilidade da incorporadora, como deveria ocorrer para fins de recolhimento de tributos”, afirma Camila, acrescentando que, quando não é firmado acordo, o MP pode notificar a Receita.

    O escritório Limoeiro e Padovan Advogados, por exemplo, assessora quatro construtoras e empresas de engenharia, com sedes em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, que sofreram 11 autuações fiscais referentes aos períodos de 2006 a 2008. As autuações oscilam entre R$ 600 mil e R$ 1 milhão.

    0
    • realidade 12 de dezembro de 2011 at 18:09

      Mais uma palhaçada….bananeiro nunca admite a culpa…é fato pelas experiências que tenho aqui e em outros países…. Culpar a Europa…hahhahahhahahahhaha

      Com crise na Europa, financiar veículos ficou mais difícil para classe C
      Comentários
      24
      LEIA TAMBÉM:
      Confira os 10 carros que desvalorizam mais e menos após um ano de uso
      SÃO PAULO – A crise da europeia já fez a luz amarela acender no Brasil e os consumidores da classe C estão enfrentando dificuldades para ter o financiamento de veículos aprovado.

      “Parece que os bancos que financiam veículos iniciaram um processo de redução de exposição neste segmento, principalmente para clientes da nova classe média emergente”, afirma o economista da agência de varejo automotivo M.Santos, Ayrton Fontes.

      De acordo com ele, a fragilidade das economias europeias e a desconfiança quanto à solidez dos bancos no velho continente tem feito com que os bancos brasileiros reforcem os critérios para a compra de carros no Brasil.

      Calculadora mostra que carro você pode comprar. Clique abaixo e descubra
      “Os bancos daqui também estão expostos aos problemas europeus e existe um medo grande de que a crise se repita com a intensidade que aconteceu em 2008”, afirma Fontes.

      Vendas aquecidas, mas para empresas
      De acordo com dados da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), divulgados na semana passada, o número total de veículos leves comercializados chegou a 305.183 em novembro, o que representa uma alta de 15,7% na comparação com outubro, quando foram vendidos 263.750 veículos.

      Entretanto, segundo Fontes, mais de um terço desses veículos foram vendidos para frotistas, locadoras e empresas em geral.

      “Os consumidores da nova classe média que mantinham o mercado aquecido estão hoje quase totalmente fora dele. Eles não estão conseguindo crédito como no passado”, afirma o economista.

      Segundo sondagem da M.Santos, as concessionárias relataram dificuldades na aprovação de crédito para o financiamento automotivo: a cada dez solicitações, em média apenas duas são aprovadas.

      No ano passado e até o primeiro semestre de 2011, a proporção era de sete aprovações para cada 10 pedidos de financiamento.

      “Antes, um cliente com renda entre R$ 2.500 até R$ 3.000 conseguia facilmente financiar um carro popular em até 60 vezes sem entrada. Agora, os bancos estão muito mais cautelosos e exigem uma série de comprovações. Eles checam o tempo que você está no trabalho, se tem estabilidade no emprego, se paga aluguel, uma série de outros pontos”, diz

      0
      • augusto 12 de dezembro de 2011 at 21:39

        Dados a seguir baseados em informações saidas na midia nos últimos dias:
        – PIB previsto para 2011 = 4 tri de reais.
        – financiamento de veiculos no Pais = 5% PIB = 200 bi reais
        – inadimplencia no setor veiculos = 5% do total = 10 bi reais (por si só já é dinheiro para burro)

        Agora uma suposição = preço médio veiculos vendidos = 35 mil reais. Isto significaria quase 300 mil veiculos caloteados e tomados pelos benaco e financeiras. Carros este que serão revendidos a preços de banana, pois o negócio de bancos não é vender carro, mas sim dinheiro.
        E os caloteiros perdem os veiculos e ainda ficam devendo. KKKKKKKKKKKKKK

        0
  • Carlos Wagner 12 de dezembro de 2011 at 18:35

    As bolhas do crédito e imobiliária próximas a estourar

    O crédito em cima de recursos públicos tem adiado a recessão ao custo do aumento da dívida pública e da inadimplência. A construção civil em crise. O fluxo cambial mudou na direção dos países imperialistas

    9 de dezembro de 2011

    O consumo das famílias caiu 0,1% no último trimestre, mas fechou em alta de 2,8% em relação ao mesmo período do ano passado. A expansão do endividamento tem dobrado nos últimos três anos, passando para mais de 40% da renda dos trabalhadores, e conforme aumentarem as demissões, que já começaram na indústria de maneira notória, no mês de de dezembro, disparará a inadimplência.

    A bolha do crédito continua crescendo de maneira acelerada, pois desde o colapso de 2007-2008 tem sido o principal instrumento do governo do PT para adiar a recessão no País.

    O crescimento artificial do consumo através do repasse de recursos públicos para os bancos aumenta o risco da inadimplência. O crescimento do crédito em 18% no último trimestre, tem aumentado de maneira artificial o consumo, garantido altas taxas de lucros aos bancos e ajudou a adiar a recessão da economia brasileira, mas ao custo do aumento da dívida pública.

    O governo do PT direcionou o crédito principalmente para a indústria automobilística e o mercado imobiliário.

    De acordo com a Anef (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras), o volume de recursos destinados ao crédito para o financiamento de automóveis somou R$ 199,4 bilhões em outubro, o que representou um crescimento de 7,3% neste ano. O presidente da Anef, Décio Carbonari de Almeida, destacou que os cortes de impostos promovidos pelo BC (Banco Central), com o objetivo de impulsionar as vendas no fim de ano, deverão elevar esse percentual para 10% neste ano. O total de crédito do SFN (Sistema Financeiro Nacional) aumentou 14,1% no mesmo período.

    O aumento do crédito, aumenta a dívida pública e os recursos necessários para o pagamento dos seus serviços. O aumento das importações, provocado pelo acelerado desmantelamento da indústria nacional, tem aumentado o déficit da balança comercial.

    O aumento artificial do consumo através do crédito e a propaganda do governo para os trabalhadores aumentarem o seu endividamento ainda mais, sobre a suposta panacéia da Copa do Mundo e das Olimpíadas, tem gerado uma bolha nos últimos três anos que deverá estourar no aumento descontrolado da inadimplência.

    Novos sintomas da proximidade do estouro da bolha imobiliária

    Devido à forte desaceleração da construção civil no terceiro trimestre deste ano, o valor dos imóveis começou a registrar quedas em São Paulo e outras metrópolis.

    As ações das construtoras tiveram os piores desempenhos da Bovespa. A Gafisa, por exemplo, que é uma empresa controlada pelos capitais especulativos imperialistas, viu seu valor despencar de R$ 5,1 bilhões para R$ 2,8 bilhões. As principais construtoras começaram a apresentar fortes problemas de fluxo de caixa. A Gafisa aprovou recentemente uma primeira emissão de notas promissórias comerciais no valor de R$ 230 milhões com o objetivo de cobrir “usos gerais da companhia – capital de giro”, segundo a ata da reunião do seu conselho administrativo.

    A construção civil cortou 20 mil postos de trabalho em Belo Horizonte entre agosto e outubro, o que representa 12% dos trabalhadores do setor.

    A enorme valorização de imóveis que tem acontecido nos últimos três anos, coincidindo com a migração dos capitais especulativos dos países imperialistas em crise, tem gerado um enorme dreno financeiro na economia em cima dos recursos públicos destinados ao crédito através do sistema financeiro.

    O fluxo cambial mudou na direção dos países imperialistas

    Com o aprofundamento da crise capitalista mundial, estamos assistindo a uma migração dos capitais especulativos em sentido inverso, em direção aos países centrais, para cobrir os rombos das matrizes, e o aumento da aversão ao risco e das taxas de juros exigidas.

    No mês de dezembro, acelerou o movimento de saída de dólares do Brasil. Dados preliminares do BC mostram que apenas nos dois primeiros dias do mês, a saída líquida foi de US$ 168 milhões. A diferença das últimas semanas, as operações de câmbio para o comércio exterior foram responsáveis pela remessa de US$ 987 milhões nesses dois dias. A entrada líquida de recursos foi de US$ 819 milhões considerando as transferências de dólares para negociação de ações e títulos de renda fixa, empréstimos e investimentos “produtivos”, que na sua quase totalidade são destinados à especulação.

    Neste ano, até o dia 2 de dezembro, a entrada líquida foi de US$ 67,054 bilhões.

    Em outubro, o fluxo cambial negativo foi de US$ 134 milhões. Em novembro, passou para US$ 942 milhões de um total de remessas de US$ 3,470 bilhões. O fluxo negativo só não foi maior porque as exportações alcançaram US$ 20,177 bilhões contra US$ 17,649 bilhões das importações. Com a tendência à queda das exportações e ao aumento das importações essa diferença negativa deverá continuar aumentando de maneira acelerada.

    A desaceleração da economia dos países do BRIC e o impacto da recessão no Brasil e na América Latina

    O crescimento econômico do Brasil na última década foi um crescimento fictício baseado na produção devastadora de commodities destinadas à especulação financeira nos mercados futuros, principalmente após a bancarrota da especulação imobiliária nos países imperialistas que levou à migração dos capitais especulativos para setores mais rentáveis. E, em paralelo, foi criada uma bolha imobiliária e uma bolha do crédito no Brasil e nos demais países atrasados.

    O Brasil teve o pior crescimento no terceiro trimestre de 2011 entre os países chamados BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Enquanto a economia brasileira acumulou um crescimento de 2,1% no período, a China teve alta de 9,1%, a Índia 6,9%, a Rússia 4,8% e a África do Sul 3,1%.

    Na comparação com o trimestre anterior, o PIB do Brasil estagnou (0,0%), ficando atrás do Japão (1,5%), Noruega (1,4%), México (1,3%), Coréia do Sul (0,7%), Chile (0,6%), Alemanha (0,5%), Estados Unidos (0,5%), Reino Unido (0,5%), França (0,4%) e a União Europeia (0,2%).

    A desaceleração é também forte na China. As suas exportações para a Europa caíram 9% em relação a 2010, e para os EUA 5%. O sistema financeiro apresenta um alto grau de endividamento e a bolha imobiliária atinge níveis alarmantes segundo o próprio governo.

    A estagnação da economia brasileira impactou em cheio à economia da Argentina. 20% das suas exportações têm como destino o Brasil. No caso da indústria automobilística atinge 80% da exportações de automóveis, e já apresentaram queda de 17,8% em novembro na comparação com o mesmo mês de 2010.

    A dependência das exportações do Paraguai é de mais de 20% da sua produção, mas considerando os produtos de outros países exportados para o Brasil a partir do Paraguai, o índice salta para 40%.

    A inundação dos caixas dos tesouros dos países atrasados com dólares norte-americanos criou a falsa ilusão, propagandeada pela burguesia, de que esses países estavam mais fortes. Pelo contrário, o que tem acontecido é que o imperialismo norte-americano tem inundado os mercados mundiais com papel moeda sem qualquer lastro produtivo como maneira de desviar a crise dos principais centros imperialistas. Outro dos efeitos foi a supervalorização das moedas locais, o que “derrubou a competitividade contra os importados”.

    0
    • Inteligivel 12 de dezembro de 2011 at 19:23

      “Países imperialistas”, “governo do PT” e “capital expeculativo” são termos que acho carregados de um viés político que não compartilho (ou ainda não, hehe). Mas, fora isso, acho o texto uma espécie de síntese de tudo que vem acontecendo que aponta para um fato: a bolha vai estourar e a crise aqui vai ser feia! Certamente teremos uma década difícil.

      0
      • Paulo - RJ 12 de dezembro de 2011 at 19:33

        Certamente, dias difíceis virão.
        Espero que seja uma década de aprendizado. Para o mundo inteiro

        0
    • Carlos Wagner 12 de dezembro de 2011 at 20:30

      Concordo com os colegas quanto ao vies politico. Mas o texto aborda as varias faces da economia que estão indo pro brejo.

      O que mais me chamou atenção nesse texto é o que vimos discutindo aqui ha anos e está sintetizada na frase: “O crédito em cima de recursos públicos tem adiado a recessão ao custo do aumento da dívida pública e da inadimplência.”

      0
      • Luiz 12 de dezembro de 2011 at 22:15

        O viés esquerdista do linguajar, que eu tbm não gosto, é na verdade uma boa notícia de que as esquerdas tbm estão contra o PeTismo e suas politicas estagflacionista e corrupta.

        0
      • Inteligivel 12 de dezembro de 2011 at 22:33

        Esse estímulo ao crédito no Brasil é no mínimo irresponsabilidade do governo. Temos aqui a maior taxa real do mundo (não me refiro a taxa selic, sim a taxa cobrada por instituições financeiras que em média passa fácil dos 50% anuais, se ponderarmos crédito consignado, cheque especial e cartão de crédito). Quanto mais crédito o consumidor médio toma, menos dinheiro no futuro ele terá, pois parte da sua renda futura está comprometida com juros. Isso é bom para a economia? Parece ser o mesmo que usar anabolizantes: no curto prazo os músculos ficam bonitos, o corpo parece saudável, mas no longo prazo o efeito é nefasto.

        A Dilma está brincando com álcool em frente a churrasqueira.

        0
        • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 22:41

          a grande verdade é que a turminha do PT não sabe brincar essa brincadeira. Ganhou a eleição dizendo que iam mudar a forma de brincar e, depois que ganharam, viram que se mudassem ia ser pior então continuaram brincando da mesma forma, copiando o que o PSDB tinha feito… mas agora que é preciso competência e conhecimento para mudar como se brinca, eles não sabem o que fazer!

          0
    • Jack Imóveis 13 de dezembro de 2011 at 11:08

      Caros,

      De onde é esse texto?

      Abraços

      Jack – Curioso

      0
  • Miguel Jacó 12 de dezembro de 2011 at 19:28

    A dinâmica da economia moderna está cada vez mais assustadora. Se continuarmos recebendo estas notícias do mercado no ritmo atual, a bolha estourará ainda este ano. Vejo um 2012 cheio de ofertas para quem tem seu dinheirinho guardado na poupança. Até estou vendo o pessoal aqui do blog competindo para ver quem fará a melhor compra, o m² mais baixo e mais bem localizado.

    Segurem por mais 84 dias apenas, companheiros, e presenciarão o “espetáculo do crescimento das ofertas e do rebaixamento dos preços”.

    0
    • xyz 12 de dezembro de 2011 at 19:52

      Que poupança?
      Aquela depositada em banco no brasil?
      Admiro seu otimismo.

      0
      • Miguel Jacó 12 de dezembro de 2011 at 21:19

        Se você não fez sua poupança nesses tempos de bolha, o problema não é meu. Otimismo é ver o óbvio? A explosão da bolha já não é mais otimismo, é fato. Basta agora ter o timming correto e não se afobar, comprar quando o preço estiver no seu devido lugar (patamares pré-2008 ou 2007).
        E pra quem quer vender, aproveite para ainda conseguir vender seu imóvel por 85% do valor do ápice da bolha, que ainda dá tempo…

        0
        • xyz 12 de dezembro de 2011 at 22:12

          Faço sinceros votos de que quando a bolha estourar o governo honre sua poupança e de todos os brasileiros.

          0
          • Felipe 12 de dezembro de 2011 at 22:32

            Otimismo, por favor!

            0
    • ananias 12 de dezembro de 2011 at 19:52

      outro Duda?

      0
    • Troll 13 de dezembro de 2011 at 20:24

      O bananense típico não tem poupança. Aliás não sabe o que é.

      0
  • rsmrsm 12 de dezembro de 2011 at 20:26

    Olhando o ZAP chega a ser cômico gente pedindo 40.000 em um ap de 32 m2, aí vc clica no anúncio aparece no texto que faltam mais 400.000 para pagar.

    http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-1-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-COPACABANA-/ID-2554764

    De certa forma deve ser para pegar os troxas.

    0
  • Jota Júnior 12 de dezembro de 2011 at 20:44

    Mercado de alta renda em São Paulo e no Rio de Janeiro nunca esteve tão bom, aqui na Coelho da Fonseca esse final de ano foi melhor que o do ano passado!

    Bolha? Que Bolha?
    PLOC?

    0
    • Carlos Wagner 12 de dezembro de 2011 at 22:20

      Não entendi a piada!

      Isso é piada ou é sério?

      Se for sério, voce tem graves problemas mentais e alienação esquisofrenica narcizista congenita.

      0
    • rsmrsm 12 de dezembro de 2011 at 22:43

      Deve ser algum tipo de donça mental reprimida.

      0
    • Inteligivel 12 de dezembro de 2011 at 22:56

      Com certeza deve estar uma maravilha. E tem mais: os preços vão continuar subindo, a hora de comprar é agora. Afinal, os preços nunca caem. Não é?

      Também vou comprar um quarto e sala com os 500 mil que sobraram do meu 13º. Vendo no ano que vem, com lucro de 30%, né?

      Sei que tem trouxa nesse mundo. Conheço bem o efeito manada.

      Quem acompanha o mercado de ações viu recentemente o caso da Mundial, teve um “investidor” aqui no meu trabalho que perdeu míseros 90 mil reais que não tinha por pura ganância, na onda do “subiu 100%, então vai subir mais 100%, vou pegar dinheiro emprestado no crédito consignado e vou ficar rico!”, deu no que deu, o cara entrou em depressão e ainda quer entrou com um processo contra a Bolsa. O culpado é a Bolsa? Claro que não. Culpado é o malandro que assumiu riscos desproporcionais ao seu conhecimento.

      Tá cheio de sardinha no mercado imobiliário. No começo de 2010 tinha um imóvel que coloquei à venda. Precisava fazer uma pequena reforma e vi a irracionalidade de perto: todo mundo vendendo o que tinha e o que não tinha para construir moradias para vender pelo MCMV. Nenhum investidor profissional. Tudo de ocasião. Sardinha.

      Imóvel na planta? A mesma coisa. Sardinha. Sardinha! Os grandes investidores já estão fora dessa (aliás, grande investidor não compra imóvel na plana, ele cria um empreendimento e com o dinheiro de quem compra na planta tem um lucro fenomenal…)

      Os primeiros a entrarem na curva e que já realizaram lucro estão sorrindo de orelha a orelha. Mas se tentarem repetir o “feito”, acreditando na famosa premissa de que o preço sempre sobe, podem acabar como meu “colega” de trabalho: traumatizado, sem dinheiro e culpando o mundo pelo seu fracasso.

      Lição nº 1: não perca dinheiro. (Saiba onde seu dinheiro está sendo aplicado, seja ele na forma de tempo – sua carreira, sela ele em espécie – fundos, poupança, negócio próprio, imóveis)
      Lição nº 2: não existe almoço grátis. (Quer ganhar dinheiro? Trabalhe muito: investimentos que não demandam esforço e prometem resultados expetaculares não existem – em um curto espaço de tempo é possível ganhar 20%, 30% ao ano, mas isso não é perpétuo, se algo está indo muito bem as sardinhas “entrarao” no esquema e forçarão o retorno dos resultados à média. Quer retornos expetaculares? Trabalhe muito para encontrar investimentos únicos. Não quer trabalhar muito? Então contente-se com retornos médios e silencie sua ganância).

      0
      • Paulo - RJ 12 de dezembro de 2011 at 23:24

        Processar a bolsa…

        Incrível…

        0
    • augusto 13 de dezembro de 2011 at 11:05

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk para corretores que alem de incompetentes são mentirosos

      0
  • Luis Santos 12 de dezembro de 2011 at 21:21

    Cadê o Ministério Público, PROCON, etc para multar essas construtoras e os corretores??? Ficam chutando a área do apartamento, vendem Recreio e Curicica como Barra da Tijuca no Rio, inventam qualquer coisa e o consumidor compra. É BRINCADEIRA, BRASIL-SIL-SIL!!!

    0
    • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 22:37

      Seria preciso um código de regulamentação do setor, bem como algum órgão de fiscalização.

      0
  • Anonymous 12 de dezembro de 2011 at 22:00

    O website da Camargo Correa lista o empreendimento Jardim Sul em Ribeirão Preto (SP) como 100% VENDIDO.

    www . ccdi . com . br/empreendimentos/jardim-sul-ribeirao-preto

    A construção terminou em DEZEMBRO/2010. ENTRETANTO, com uma simples busca no GOOGLE, voce encontra 6 REVENDAS!!!

    código: 104986, $ 800.000,00
    código: 104621, $ 650.000,00
    código: 8725, $ 745.000,00
    código: 8769, $ 750.000,00
    código: 15573, $ 710.000,00
    código: ####, $ 770.000,00

    Será que esses propietários não gostaram das casas? Po que vender tão cedo?

    0
    • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 22:35

      duas palavras:

      Investidores Espertos!!!

      0
  • LuizD 12 de dezembro de 2011 at 22:22

    Pessoal, espero que os preços dos imóveis não pegue onda nos preços dos carros, vale a pena ler esse artigo sobre o LUCRO BRASIL…

    “O preço não tem nada a ver com o custo do produto. Quem define o preço é o mercado, disse um executivo da Mercedes-Benz, para explicar porque o brasileiro paga R$ 265.00,00 por uma ML 350, que nos Estados Unidos custa o equivalente a R$ 75 mil.

    Por que baixar o preço se o consumidor paga?, explicou o executivo.”

    http://www.autoinforme.com.br/noticias.asp?id_noticia=10726&id_tipo_noticia=2&id_secao=6

    O POVO BRASILEIRO tem que PARAR de PAGAR altos preços para algo que não tem VALOR, é assim com o CARROS hoje, rezo para que não aconteça isso com os imóveis..

    0
    • pmoraesm 13 de dezembro de 2011 at 12:56

      Brasileiro é trouxa, isso sim… Eu mesmo fico me remoendo toda vez que olho pra minha mochila samsonite. Comprei há uns 4 anos e paguei mais de R$ 300,00 (!!!) por pura vaidade.

      Com algum esforço tenho trabalhado para me livrar das amarras da vaidade que fazem tudo nessa sociedade com mente de índio (dá o que tem e o que não tem por “espelhinhos” modernos) custar no mínimo o triplo do que vale.

      0
      • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 13:21

        o triplo???
        que triplo o quê..

        comprei uma mala no exterior de qualidade igual ou melhor a da sansonite, com cadeado, bussola, rodinhas, porta trecos, etc

        paguei 15 euros, 35 reais. vc pagou quase 10 vezes mais.

        0
        • pmoraesm 13 de dezembro de 2011 at 14:06

          Paguei isso entre 2007 e 2008…hj deve estar custando pelo menos uns 400 reais na mesma loja.

          Quando disse o triplo nao foi me referindo aa mochila, mas sim aa distorção mínima que pagamos em qualquer coisa aqui.

          E eu tambem comecei a me incomodar com os precos no Brasil justamente quando fui para a Europa e vi como temos custo de vida até maior que europeu com um estilo de vida de terceiro mundo.

          0
          • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 14:58

            o BR esta inacreditável

            carteira de couro falseta na 25 de março = 15 a 25 reais
            carteira de couro de marca verdadeira num outlet americano = 5 dollares

            a 25 de março é tipo uma feira do rolo aqui em saopaulo, cheia de chineses, bem popular, com produtos em amsotra no chão.

            0
            • Troll 13 de dezembro de 2011 at 20:29

              O verdadeiro Brazil (com Z).

              0
    • Cleyton 13 de dezembro de 2011 at 20:58

      É mas o carro tem mercado lá fora, se não vende é só por num contêiner e despachar pra onde tenha quem queira, e o imóvel, vai fazer o quê?

      0
  • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 22:30

    Esta é ótima:

    Recebi um e-mail de um corretor (provavelmente estagiário júnior) encaminhando uma série de razões para que eu comprasse o empreendimento dele, mas se analisando o e-mail percebe-se que foi um que ele recebeu do chefe para utilizar como argumento na hora da venda e não para ENCAMINHAR para os cliente…

    Dá para ter uma idéia de como eles fazem a lavagem cerebral. Transcrevo abaixo o e-mail retirando alguns pontos de identificação para não expor o rapaz muito (deve ter tomado uma senhora carcada):

    ——————————————————————————–
    Mensagem original
    De: ***CORRETOR INEXPERIENTE JUNIOR***
    Para: ***CLIENTES***
    Assunto: 10 MOTIVOS PRO SEU CLIENTE COMPRAR O ***EMPREENDIMENTO***
    Enviada: 12/12/2011 ***HORA***

    Bom dia

    Sou consultor de vendas da ***EMPRESA*** Incorporações, empresa que está construindo o ***EMPREENDIMENTO***. Um empreendimento de excelente qualidade e que estará localizado a 300 metros do Metro ***LOCAL***.

    Este final de semana será o lançamento do Empreendimento com apresentação do decorado.

    Gostaria de informar que comprando diretamente com a Construtora podemos oferecer vários Benefícios que as outras empresas não podem oferecer.

    Estarei no evento este final de semana e poderemos oferecer um desconto para os compradores.

    Caso haja interesse favor me procurar no plantão ou entrar em contato.

    ***DADOS DO JOVEM CORRETOR CHEIO DE BOAS INTENÇÕES E SEM MALÍCIA****

    ***EMPRESA***

    Subject:
    10 MOTIVOS PRO SEU CLIENTE COMPRAR O ***EMPREENDIMENTO***

    Amanhã teremos um “excelente” dia pela frente, de preferência com muuuuuitas vendas para todos nós. Para quem não pode ir ao ***EMPREENDIMENTO*** porque estava envolvido com outros projetos, seguem 10 boas razões para o seu cliente comprar o ***EMPREENDIMENTO*** e que ao longo destes dois meses percebemos que estes argumentos conseguiram garantir boas reservas para a gente:

    1 – O produto é infinitamente melhor do que os quatro concorrentes que temos na região:

    a.) ***EMPREENDIMENTO CONCORRENTE 1*** (apenas 8 andares, 4 torres, lazer no subsolo)

    b.) ***EMPREENDIMENTO CONCORRENTE 2*** (Não tem piscina, Planta antiga, 1 vaga de garagem para as unidades de 81m²)

    c.) ***EMPREENDIMENTO CONCORRENTE 3*** (não tem R.I., não tem data de lançamento, Construtora desconhecida ***NOME DA CONCORRENTE***, duas torres num terreno de 2.400m²)

    d.) ***EMPREENDIMENTO CONCORRENTE 4*** (já foi um fracasso o lançamento há duas semanas, fica num terreno horrível, planta antiga com a varanda distante da cozinha, vagas descobertas)

    2 – O ***EMPREENDIMENTO*** será um ponto de referência na ***RUA*** com seus imponentes XX andares.

    3 – Será um projeto de alto padrão para unidades pequenas. Guarda Corpo em vidro e janelas com persianas de enrolar ultimamente só encontramos em unidades maiores que 90m² (haja vista ***EMPREENDIMENTO CONCORRENTE 1***, ***EMPREENDIMENTO CONCORRENTE 2***, e o próprio***EMPREENDIMENTO CONCORRENTE 3*** que fica em frente com aquela meia janela em alumínio)

    4 – Preço do m² vai estar muito próximo dos concorrentes diretos. O ***EMPREENDIMENTO CONCORRENTE 1*** está a 4.900, a nossa tabela amanhã vai estar matadora com o m² médio (acima do 15º andar a R$ 5.200)

    5 – Esta primeira fase a torre vai ficar a 100 metros de distância da ***RUA*** (mais tranquilidade pro morador), em um excelente terreno de 4.750.

    6 – Lazer completo, e a maioria de suas áreas como Fitness, Hall de entrada e Salão de Festas Gourmet com “6m” de pé direito.

    7 – 6 elevadores sociais disponíveis para todas as unidades. Não serão divididos 3 para cada prumada, os seis estarão à disposição.

    8 – O Bairro ***BAIRRO*** vai passar por uma reformulação, ainda teremos muitos projetos sendo desenvolvidos por lá, e quem sair na frente e comprar agora vai colher ótima valorização em relação a quem deixar pra comprar no ano que vem (o ***EMPREENDIMENTO CONCORRENTE*** é um excelente exemplo, foi vendido a 2.900, e hoje já existem unidades a R$ 5.000 o m²).

    9 – A planta das duas unidades estão excelentes e com dois decorados matadores. Sentei em mais de 150 mesas e sem brincadeira, 95% do público que viu adorou o decorado. Quem conseguir levar o cliente amanhã lá fecha negócio.

    10 – Deixei este ítem por último não porque ele é o menos importante, pelo contrário, coloquei por último para não ser esquecido de jeito nenhum, o METRÔ ***LOCAL***. Este é um dos fatores que mais nos ajudaram nas reservas que fizemos. Não pelo fato propriamente que o cliente vai utilizar o metrô, mas aí vcs já sabem da valorização de cada projeto que existe perto dele. Mas neste ítem quero falar mesmo da Linha Amarela, é importante passar ao cliente as estações que estão incluídas nesta linha:

    Estações: Vila Sonia – S.Paulo/Morumbi – Butantã – Pinheiros – Faria Lima – Fradique Coutinho – Oscar Freire – Paulista – República – Luz

    ***FIM DO E-MAIL*** (todos os trechos em letras maiúsculas entre *** foram escritos por mim para omitir/comentar pontos do e-mail original)
    ——————————————————————————–

    Ao que parece ele recebeu esse e-mail do chefe, nem leu direito e saiu distribuindo para as pessoas da sua lista de contatos. Percebe-se claramente que o linguajar é de um vendedor dando argumentos para outros sobre as “vantagens” do empreendimento, as desvantagens dos concorrente, que ele cita nominalmente e eu omiti para evitar constrangimentos maiores.

    Eu ri tanto e logo me lembrei de compartilhar com os amigos do Bolha.

    0
    • Carlos Wagner 12 de dezembro de 2011 at 22:37

      É o famoso: CHAVÃO

      0
      • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 12:46

        começou o canibalismo entre eles

        0
  • Paulo - RJ 12 de dezembro de 2011 at 22:59

    O Jornal O Globo de ontem colocou trê gráficos de média de preço de imóveis de 3 bairros do Rio:
    Botafogo (3 quartos)
    Jun R$ 793.961,00
    Jul R$ 831.840,00
    Ago R$ 926.526,00
    Set R$ 944.655,00
    Out R$ 949.076,00
    Nov R$ 934.00,00

    Ligeira queda de outubro pra novembro

    0
    • Pensativo 13 de dezembro de 2011 at 00:02

      Precisa cair 60% para ficar caro. Pagar quase um milhão para morar no BOSTAfogo – aprazível bairro de passagem e de edifícios famosíssimos em reputaçao como o RAJÁ – é foda.

      0
      • joao 13 de dezembro de 2011 at 00:16

        tb acho.
        só falta encontrar algum proprietário que concorde…

        0
  • Paulo - RJ 12 de dezembro de 2011 at 23:03

    Ipanema (não especificou número de quartos)

    Jun R$ 2.082.973,00
    Jul R$ 2.165.078,00
    Ago R$ 2.303.961,00
    Set R$ 2.339.636,00
    Out R$ 2.206.210,00
    Nov R$ 2.270.770,00
    Queda em Outubro com recuperação, porém menor, em Novembro

    0
    • Leo 13 de dezembro de 2011 at 09:48

      Muito legal essa pesquisa… ja pensou em montar um blog com todos esses registros ?

      0
      • Paulo - RJ 13 de dezembro de 2011 at 11:06

        Leo,
        Manter um blog dá um trabalho danado e eu confesso, não tenho disciplina para isto. Então prefiro unir forças com o pessoal que já tomou a iniciativa, como o Bolha Imobiliária. Percebi que eu uso muito o blog e contribuo pouco com informação útil. Então, sempre que tiver alguma informação sobre o assunto eu tentarei colocar aqui. Estes dados eu tirei do caderno Morar Bem do O Globo. Não sei se é a melhor fonte, mas acho que qualquer informação é válida, pois temos capacidade para discernir sobre ela. Vou tentar, sempre que possível, colocar alguma informação da Tijuca, que é meu foco de interesse (Eu sei que o pessoal aqui é Zona Sul, muitos odeiam a Tijuca, mas eu adoro morar aqui, não me peça para explicar, rs), via ZAP mesmo.

        0
        • Leo 13 de dezembro de 2011 at 12:03

          Ja pensou em montar uma planilha com esses dados e deixa-la publica pelo google docs ? Seria interessante acompanhar o andamento .

          0
  • Paulo - RJ 12 de dezembro de 2011 at 23:12

    E agora pra galera da Zona Norte (Eu incluso):

    Méier (Não especificou o número de quartos):
    Jun R$ 242.577,00
    Jul R$ 266.061,00
    Ago R$ 272.321,00
    Set R$ 273.988,00
    Out R$ 274.566,00
    Nov R$ 287.788,00

    uma subida de preço leve, um pouco maior em Nov

    Apesar do preço nos 3 bairros estarem exorbitantes, observa-se uma certa estabilizada a partir de agosto. Para quem achava que ia subir muito e indefinidamente…

    Ligeira queda de outubro pra novembro

    0
    • Paulo - RJ 12 de dezembro de 2011 at 23:16

      ignorem a última frase, foi do ctr-c ctrl-v

      0
    • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 23:45

      Isso mostra que o pico foi atingido

      0
  • EduLon 12 de dezembro de 2011 at 23:36

    off-topic
    Vendo as discussões acima, falando de imperalismo, etc, eu me lembrei de um programa que passa na BAND todo domingo de noite, que é bem alto nível e fala de assuntos de economia e política etc. E eles falaram algo que fiquei muito surpreso, pois nunca havia ouvido falar em nenhum lugar da mídia.
    – Comentaram que a China possui reservas trilionárias, e tem usado um grande volume de dinheiro através de bancos off-shore, em paraísos fiscais, para valorizar a moeda de países concorrentes, como o Brasil. Para conseguirem manter suas exportações competitivas, eles apostam na valorização destas moedas em relação ao dólar, euro e fazem com que seus produtos fiquem caros em relação a tudo o que é exportado da China.

    0
    • shakespeare 12 de dezembro de 2011 at 23:44

      são 3 tri

      0
    • xyz 13 de dezembro de 2011 at 08:46

      Se você se refere ao programa do dia 4 foi nojento. Só havia economista chapa-branca. Nunca ouvi tanta bobagem. Até o homem que nos levou á hiperinflação estava lá defendendo a política de crédito fácil do governo.
      O Brasil se livrou da hiperinflação porque o governo da época não teve medo de tomar medidas austeras que eram necessárias, mas hoje todo o esforço do brasil está sendo jogado no lixo.

      0
      • EduLon 13 de dezembro de 2011 at 09:16

        Não seja tão radical. Em todo bem há um mal e em todo mal há um bem. Eles podem ter falado muitas asneiras segundo seu ponto de vista, mas esta informação que trouxeram é bastante válida, nem que seja para iniciar uma pesquisa por conta própria e validar a informação depois.

        0
        • Carlos Wagner 13 de dezembro de 2011 at 11:38

          Edulon

          Muitos economistas internacionais, especialmente os adeptos da escola austriaca, acreditam que o a dificuldade de recuperação economica mundial, especialmente europeia, venha da china. Eles estão desvalorizando artificalmente sua moeda há um bom tempo para que seus produtos fiquem mais baratos em relação a cotação das outras moedas e inundem o mundo com suas exportações.

          Isso não é novidade. E, convenhamos, assisti a parte desse programa. Quando vi o Mailson da Nobrega, mudei de canal.

          O mundo está pegando fogo, mas a midia e os economistas chapa-branca distorcem os fatos para que a população continue sendo manipulada. Não acredite em tudo que lê e assiste.

          Percebe como o fato da noticia é verdadeiro, mas a conotação que a inclui em nossa conjuntura economica é tendenciosa?

          0
        • xyz 13 de dezembro de 2011 at 12:59

          O programa é muito bom, mas neste dia faltou o contraditório, que geralmente está presente.

          A China só comete essa aberração pela permissividade, irresponsabilidade e conveniência dos governos populistas da América latina.

          0
  • Paulo - RJ 13 de dezembro de 2011 at 00:23

    Na medida do possível, postarei aqui a quantidade de imóveis a venda na região da Tijuca (tirando Estácio e Rio Comprido) a partir do ZAP, nas segundas:
    Andaraí – 146
    Grajaú – 413
    Maracanã – 262
    Tijuca – 2849
    Vila Isabel – 545
    Total – 4215

    Moda: 1526 imóveis no valor entre 400.00,00 e 600.00,00

    Me ajudem a entender isto: 131 imóveis com valor entre 1 mi e 3 mi.
    Pasmem: 17 imóveis acima de 3 mi (Na tijuca?????)

    0
    • Paulo - RJ 13 de dezembro de 2011 at 00:28

      Resposta quanto aos 17 imoveis acima de 3 mi: erro de digitação – Acrescentaram mais 3 zeros em todos os anúncios (tem um lá custando mais de R$900.000.000,00)

      0
  • Paulo - RJ 13 de dezembro de 2011 at 00:36

    E para terminar minha análise, segue ” excelente” oportunidade:
    h t t p ://www. zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-3-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-TIJUCA-/ID-2676473

    0
    • Philis 13 de dezembro de 2011 at 01:56

      Sabendo de antemão que a tijuca é cercada por morros, sempre desconfio de quem não coloca foto da paisagem no anúncio…

      0
  • peterson 13 de dezembro de 2011 at 00:43

    quase nada… é o que vcs sabem vendo este video… antes, não sabiam absolutamente nada … já é uma evolução!

    0
    • Fernando 13 de dezembro de 2011 at 08:45

      Ignorância não é defeito ou virtude. É apenas fato. Ignoram-se coisas durante a vida inteira, mesmo com o mais ávido apetite por ter ciência das coisas. Ignorância não é o problema.
      Já a Arrogância, essa sim é mórbida. A ideia do “eu já sei tudo”, “não preciso saber mais nada”, “sou bom demais para aprender qualquer coisa com quem quer que seja”. De fato, a Arrogância é o templo dos pobres de espírito, o oásis dos covardes e dos falastrões.
      O bom Arrogante é, antes de tudo, um Ignorante irreparável.

      “Ninguém fala com maior propriedade sobre um assunto que um completo ignorante.”

      0
      • Carlos Wagner 13 de dezembro de 2011 at 11:44

        Boa critica…

        Foi como disse em outro comentario meu: Muita bravata desse perterson. Não compartilha ideias, diz que sabe tudo e menospreza os participantes do blog.

        Perterson

        Explica pra gente o que voce sabe. É mais amigavel! Saiba que o conhecimento deve ser sempre compartilhado.

        0
        • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 12:11

          ele é arrogante sim, mas é engraçado pra cacete,
          peter continua assim.
          é o seu jeito de dizer que o video é bom pra caralho, eu sei.
          fazer o quê se vc é assim, rs

          0
          • peterson 14 de dezembro de 2011 at 00:29

            o video é amador, penso que o criador apenas colheu uma história de algum site de TDC, mas é legal, quanto ao que sei, já dizia certo filosofo, “só sei que não sei o que sei”, penso que ninguém saberá tudo, eu mesmo não sei nada de geologia, não sei fazer bolo floresta negra, ou pilotar submarino, isso que é o legal de viver, nunca você sabe nada, agora, só para topar os desafios ditos acima, se eu contar que se pegarmos todo o dinheiro (papel) do mundo e somar não daria nem 10% do “valor” que dizem valer as coisas, bem, vou piorar, se eu disser que se extrairmos todo o ouro de todas as minas existentes atualmente no mundo não paga esse “valor”, ok, se eu disser que apenas 15 empresas controlam os “valores” no mundo, que pouco mais de 400 controlam tudo que existe, agora vem a maior verdade, que sua vida só existe porque você vale a pena existir e não atrapalha em nada, bem, penso que no minimo 3 dessas afirmações serão novidades para 99% dos que leem este blog…. agora me contem como se faz um bolo floresta negra…

            0
      • peterson 14 de dezembro de 2011 at 00:56

        Ao Fernando, pois bem, você digitou com propriedade… existia um velho ansião que vivia jogando pedrinhas triangulares em uma lagoa, ele não deixava ninguém fazer isso naquela lagoa, fazendo-a aquaplanar por poucos metros, tocando poucas vezes na agua e afundando sem muita agitação, então um garoto viu tamanha arrogância por tão pouco resultado e pegou uma pedra chata e fez a mesma aquaplanar depois de muitos toques e por uma distância bem maior que a do ansião, então o garoto disse, viu só,pra que ficar com a lagoa só para sí se experiencia não é nada perto de inteligência, astucia, jovialidade, bem, o ansião então riu e disse, de fato, porém eu duvido você pescar com pedra tão leve e barulhenta e sem escutar os peixes submergirem…. eu sou ainda o garoto que escuto o que o ansião diz… sim, colega, você falou com toda a inteligencia de uma águia dentro de um ovo, ela só precisa saber que tem que romper a casca, então depois que a casca se rompe ele descobre que tem que andar, depois voar, depois caçar, aí sim, ele se torna predador… por enquanto ele é só uma presa bonitinha.

        0
  • MrK 13 de dezembro de 2011 at 05:34

    Um dos livros do Peter Schiff “How an economy grows and why it crashes?” (leitura ALTAMENTE recomendada, pois explica economia de forma facil e rapida para qualquer um) ele cita como o ponto simbolico do estouro da bolha imobiliaria um lancamento de um predio super bacana, bonito, com todas as “frescuras” de forno gourmet, varandinha nao sei das quantas etc… que simplesmente encalhou surpreendendo todo mundo

    A logica eh: Quando voce nao consegue vender um empreendimento que tem tudo que o povo gosta (localizacao, planta moderna, vaga, etc…) e’ pq a vaca ja foi pro brejo, o preco vai cair em seguida.

    Nesse dia os precos ainda nao tinha recuado, mas ele considerou o encalhamento do “empreendimento modelo” como algo tao importante que marcou o “ploc”, se a gente seguir esse mesmo criterio da pra dizer que a bolha estourou aqui, muitos empreendimentos “modelo” estao encalhando por aqui, nao acham?

    0
    • FQ 13 de dezembro de 2011 at 10:49

      Se formos seguir esta premissa.

      A Bolha já começou a estourar a alguns meses: Prédios prontos e, praticamente, vazios na Península! Cidade jardim Encalhada!

      0
    • Murdoch 13 de dezembro de 2011 at 11:08

      MRK, acho que no RJ ainda não, pq vc vê alguns poucos lançamentos venderem rápido. Em sua maioria os de padrão altíssimo.

      0
  • MrK 13 de dezembro de 2011 at 07:00

    Uma analise simples, mas que da o que pensar…

    Quantas vezes voce troca de casa, carro e geladeira na vida?

    Pra enfrentar a crise, o governo trabalhou com 3 subsidios: Reducao de IPI pra carro, linha branca e subsidios pra construcao civil, ou seja, a mensagem era clara: Se voce pretende trocar de carro, casa ou geladeira nos proximos 3 anos, antecipe pra agora e pague menos, garantimos subsidios e o credito! E assim foi feito, certo?

    O problema e’: MUITA gente comprou, muito consumo foi antecipado, agora essa “manada” so vai trocar de carro daqui a 5 anos, geladeira daqui a 8 anos e casa daqui a 15 ou 20 anos, ou seja, vamos ter um “deserto” de consumo nesse meio.

    Pra piorar um pouco, a demanda nao soh secou, como as pessoas estao endividadas pagando suas casas, geladeiras, maquinas de lavar e carros 0km, por isso a industria caiu, por isso o estoque de automoveis bate recordes e por isso (e pelo preco gerado pela especulacao) os imoveis encalharam…

    E’ claro que podem argumentar que ainda tem gente que gostaria de trocar de carro, geladeira e maquina de lavar por ai, mas se nao trocou com os beneficios, provavelmente sao pessoas sem condicoes financeiras pra tal, nao e’ uma “demanda reprimida” e sim uma demanda sonhadora e sem dinheiro.

    Acabou o folego da super classe media!

    E agora jose?

    0
    • Valdir 13 de dezembro de 2011 at 08:55

      Mrk bom dia,

      Segue um link interessante, que colabora com o seu raciocínio.

      http://www.dgabc.com.br/News/5930526/nem-desconto-leva-cliente-as-compras.aspx

      a noticia é fresquinha….

      0
      • MrK 13 de dezembro de 2011 at 11:21

        Valdir, bom link!!

        Sabe o que eh engracada nessa reportagem? As pessoas nao conseguem ver causa e efeito!

        O vendedor de usados culpa pelas vendas baixas os vendedores de carros 0km
        Os vendedores de carro 0km culpam pelas vendas baixas os carros importados
        e assim vai…
        mas como o dado de licenciamento mostra (queda) nao e’ culpa de uma categoria comendo a outra, seja usado, novo ou importado o setor como um todo empacou

        De quem e’ a culpa entao?? Da politica de credito+subsidio do governo que ha 2 anos veio criando esse monstro!!! Mas ninguem consegue ver isso?!

        0
        • Valdir 13 de dezembro de 2011 at 12:43

          Mrk,

          Estava dando uma navegada no Estadão e achei um índice que é de suma importância para o tema bolha imobiliária:
          O povo esta começando a ficar com medo perder o emprego, isso significa que a disposição de assumir riscos maiores como a aquisição de carros e imoveis ira diminuir sensivelmente, e os que assumiram esse risco devem estar sentindo alguns cala-frios nesse momento.
          Acredito que esse seja um dos índices mais significativos para se acompanhar, estava ouvindo muitas conversas de que emprego se acha rápido, é só trocar de emprego e pedir salario maior e pronto, agora vamos ver se o pensamento dessas pessoas estava correto.

          http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,cresce-medo-do-brasileiro-de-perder-o-emprego,95793,0.htm

          Forte abraço

          0
    • Anonymous 13 de dezembro de 2011 at 10:31

      MrK,

      Supondo que voce comece a comprar carro aos 20 anos, trocando a cada 5 anos até os 70 anos, voce trocará de carro 10 vezes. Considerando que um carro na Banânia custa 2.5 vezes o MESMO carro nos EUA, então durante a sua vida voce JOGARÁ FORA 15 carros. Supondo um carro barato nos EUA, carro de 15 mil dólares, então SOMENTE POR TER TIDO CARRO na Banânia voce JOGARÁ FORA cerca de 225 mil dólares (15 x 15), ou seja, o preço de uma casa de classe média (250 m2, 3 dormitórios, terreno de 1000 m2) nos EUA.

      Isso é um bom resumo do que significa morar na Banânia.

      0
      • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 12:35

        sua conta está errada,
        pq aqui vc dá o velho que tbm é supervalorizado como entrada do novo
        a gente joga fora só 8 carros e não 15, ou um apartamento em Orlando.

        0
        • Anonymous 13 de dezembro de 2011 at 12:59

          Luiz,

          Observe que não considerei o rendimento de cada um dos 1.5 carros jogado fora quando voce compra 1 carro. Também não considerei os 50 licenceamentoa anuais, onde cada licenceamento é cerca de 50 (é 50 mesmo!!!) vezes mais caro na Banânia. Portanto, o resultado está favorável. O Bananense JOGA FORA muito mais que 225 mil dólares somente por ter tido carro.

          0
          • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 13:08

            o pior da conta aparece nos juros
            esses 8 carros a mais financiados o povo aqui paga uns 25 carros no final.
            sem falar nos acesórios que precisaria acrescentar rpa ficar igual aos daí

            lembro que vi num jornal da Italia o juros de 0,05% no financiamento do carro, era um desses tipo mini que por lá custam por volta de 5 mil euros

            0
          • danilo 13 de dezembro de 2011 at 13:45

            Anonymous

            Acho que vc quis dizer LICENCIAMENTO. Nao existe LICENCEAMENTO na língua portuguesa. Espero que me perdoe pelo erro do S suplementar, o qual foi salientado por vc.
            Nao patrulhemos esse espaço com questoes desnecessárias.

            Sds

            0
            • Anonymous 13 de dezembro de 2011 at 15:27

              Concordo.

              0
    • Roberto Cesar 14 de dezembro de 2011 at 21:24

      Foi o que aconteceu aqui nos USA com o programa “cash for clunkers” (dinheiro pela furreca), onde o governo dava um “prêmio” de US$4 mil para que trocasse um carro velho (clunker) por um carro zero. Gerou uma demanda enorme mas logo depois que o programa acabou as vendas de carro zero despencaram. Nem podia ser diferente.

      0
  • ildeu 13 de dezembro de 2011 at 07:58

    Esses dias teve 1 leilão de uma obra de Pablo Picasso ,com lance inicial de 2,3 milhões de reais . Se baseando nisso , muitos aps do rio custam mais que uma obra dessa , que tem valor e cobiça nos 4 cantos do mundo .Assim como , alguns prédios poderiam custar mais que toda obra de Picasso reunida ,um verdadeiro absurdo !!! qual investimento é mais seguro ? comprar algo eterno e exclusivo , reconhecido em todo mundo , ou um apartamento que dura 30/40 anos no máximo ?

    0
    • Jota Junior 13 de dezembro de 2011 at 09:13

      Amigo, não fale besteira, algumas obras do Picasso estã cotadas acima de USD 100.000.000,00, isso uma única pintura.

      Incrível, o pessoal pouco já sabe sobre economia, agora alguns acham que entendem de arte.

      Lamentável.

      0
      • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 12:40

        Jota troll eu entendo de arte, alguns rascunhos de Picasso custam muito menos que milhões.

        Mas isso não importa, passei aqui só pra te dizer que vc tentar desmoralziar a gente com argumentos tão idiotas mostra o nível a que chegaram os corretores, e vou te avisar, vamos fode rmuito mais com vcs, pq vcs são sim responsáveis por essa merda toda.

        Agora o MP está em cima de vcs cobrando multa por não declarar as comissoes, cara vcs tão fudidos.

        0
        • Jota Júnior 13 de dezembro de 2011 at 14:03

          Sim, entende tão bem de arte quanto entende de economia e de português.

          PS.: #1. Esse ano realmente tive um belo “problema” com leão realmente, até maior que o de 2010, já que tive que pagar um baita imposto sobre as gordas comissões que recebi, pena que poucos acabam tendo esse mesmo “problema”.

          #2. Adorei o blog, um amigo aqui da Coelho que me indicou, depois do almoço entramos aqui e é mito proveitoso, sempre rende boas rizadas.

          0
          • pmoraesm 13 de dezembro de 2011 at 15:40

            Risada é com s, Jota.

            Abs,

            0
            • shakespeare 13 de dezembro de 2011 at 18:30

              pelo menas ele num iscreveu pobrema

              0
              • shakespeare 13 de dezembro de 2011 at 22:12

                rzrzrzrzrzrz

                0
          • Jack Imóveis 13 de dezembro de 2011 at 15:50

            Caro JJ,

            A Coelho da Fonseca não trabalha com muitos lançamentos. Apenas altíssimo padrão. Coisa de gente rica de verdade.

            Me parece óbvio que gente rica, sempre compra o que quer na hora que quiser. Não é sobre esse público que falamos no blog. (precisa ler direito)

            Quanto ao seu IR, acho que você até paga, um pedaço.

            Agora todo mundo sabe a estratégia de venda de vocês.

            Vocês assinam um contrato de exclusividade com o pobre coitado.

            O pobre coitado fica 3 meses sem receber uma misera proposta (afinal vocês o convenceram que o palácio dele vale 10, quando na verdade vale 2)

            Uma semana antes de vencer o contrato vocês milagrosamente acham uma proposta de 1.

            Convecem o sujeito a vender.

            E como você mesmo testemunhou, tem funcionado muito bem. Não é?

            Abraços

            Jack – O mundo é dos espertos, ainda.

            0
            • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 16:01

              Vcs estão brincando com a vida das pessoas. No SITE reclame aqui encontrei muitas reclamaçãoes.

              quase TREZENTOS PORCENTO DE AUMENTO DE RECLAMAÇÕES ao ano, desde que criaram o site em 2009? é isso mesmo? eu errei a conta?

              enquanto vc e seu amigo riem da desgraça do seus clientes, o número de reclamações prolifera quenem filhote de coelho. muito engraçado

              0
          • Piaui 13 de dezembro de 2011 at 16:18

            Como se ter dinheiro fosse sinônimo de burrice. Só sendo muito inocente para acreditar nas suas “gordas” comissões. Deixa de mentira e continue lendo aqui, mas nao faça força para rir não, porque a batata tá assando pro seu lado corretor!

            0
          • Carlos Wagner 13 de dezembro de 2011 at 17:01

            Jota

            Voce realmente é esperto. O brasil queria ser como voce, afinal, o povo, de forma geral, tenta! Percebe-se pelo país que estamos nos transformando.

            Tudo bem que voce tem ganhado comissões gordas. Isso, qualquer estelionatario ou traficante consegue, é apenas dinheiro, percebe?

            Acredito que voce e seu amigo devem rir porque nao entendem o que é dito por aqui, riem da sua propria ignorancia e se acham o supra sumo só porque negociam imoveis de alto padrão, se misturam a elite podre do nosso páis e acham que não fedem tanto como os nossos piores corruptos.

            Você é o exemplo vivo da ignorancia de um povo e a testemunha de que ainda existem muito alienados vivendo na nossa sociedade.

            PARABENS, voce é o cara!

            0
          • Carlos Wagner 13 de dezembro de 2011 at 17:03

            Ah, outra coisa, lembre-se:

            Seus ganhos tem prazo de validade, enquanto os da maioria de nós, meros funcionarios publicos estaveis, com excelentes contracheques não!

            Afinal, quem vai dar risadas por mais tempo?

            0
            • neandertal 13 de dezembro de 2011 at 18:06

              Há quantos anos que funcionario publico não recebe reajuste?
              O prazo de validade é o tempo que o salario demora pra perder o poder de compra pra inflacao

              0
              • Carlos Wagner 13 de dezembro de 2011 at 18:24

                Isso é relativo, como tudo mais na vida.

                Reajuste, não temos ha 5 anos. É verdade que nosso salario está muito defasado. Porém, apertamos o cinto, consumimos menos, enquanto a correção salarial não é feita, coisa que demanda tempo, haja vista tratar-se de lei especifica aprovada pelo congresso nacional. Mas uma hora, ela vem.

                Saiba que o maior desafio atualmente não é se alavancar economicamente e galgar classes sociais mais elevadas vivendo apenas de comissões de um mercado instavel e estagnado. Muito menos ridicularizar centenas de pessoas que discutem assuntos de interesse nacional, independentemente da classe social ou trabalhadora. Afinal, a recessão é prejudicial a todos.

                O maior desafio, atualmente, é manter o nivel social em que se vive. Pra isso, um ingrediente é fundamental: Estabilidade financeira.

                Por mais defasada que nossa renda esteja, o bom poupador sabe administrar na época das vacas magras o economizado na época da bonanza.

                0
              • Cleyton 13 de dezembro de 2011 at 21:35

                Humm, é verdade, não recebemos reajuste, então o negócio é pedir exoneração e … o que vc faz da vida mesmo? Inveja é fogo viu…

                0
                • Cleyton 13 de dezembro de 2011 at 21:36

                  Ah, desculpe, pelo apelido deve ser caçador né.

                  0
                • neandertal 14 de dezembro de 2011 at 16:37

                  a 6% em 5 anos o salario perde 26%, esse é o preço da estabilidade.

                  supondo 14mil vira o equivalente a 10,4. Sem falar que 99% dos servidores ganha bem menos que 14mil (bem menos MESMO).

                  não vejo motivo pra invejar.

                  0
                  • Carlos Wagner 14 de dezembro de 2011 at 21:16

                    Conta ai qual sua fonte maravilhosa de renda?

                    0
                  • Cleyton 14 de dezembro de 2011 at 21:21

                    É verdade, os cursinhos estão cheios de pessoas que estão entediadas, já que na privada ninguém é capacho de ninguém né, a propósito, você tá na privada né? Mas não esquente, a vida pública é mesmo um reflexo da privada (não resisti, hehe)

                    0
                  • Carlos Wagner 14 de dezembro de 2011 at 21:50

                    Cara, pela sua logica, um salario de 10 mil é pouca coisa!

                    Voce deve ser demente…

                    0
                    • neandertal 14 de dezembro de 2011 at 22:11

                      Não sou demente, mas voce não é esperto (e o Cleyton), pois eu não disse que 10 mil é pouco, e sim que é 26% menos do que 14 mil, só isso. Algo muito “comprexo” de entender.

                      Atenha-se ao que é escrito, não viaja. Se fosse interpretação em prova de concurso, já estavam os dois reprovados…

                      Quanto à minha renda e a fonte dela, não interessa a ninguém além de mim, e além disso eu poderia botar qualquer número aqui, e daí? Who cares?

                      0
          • Carlos Wagner 13 de dezembro de 2011 at 17:03

            Ah, outra coisa, lembre-se:

            Seus ganhos tem prazo de validade, enquanto os da maioria de nós, meros funcionarios publicos federais estaveis, com excelentes contracheques não!

            Afinal, quem vai dar risadas por mais tempo?

            0
            • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 17:31

              Por falar em Picasso, vi recentemente um filme sobre nazistas em Paris

              alguns matavam mulhres e crianças por medo de serem eles fuzilados
              outros faziam sem saber exatamente o que estavam fazendo
              outros, do pior tipo, faziam dando risada.

              0
      • ildeu 14 de dezembro de 2011 at 11:38

        a obra mais cara de Pablo picasso foi 55 milhões ,tem cobertura carioca perto disso …existem prédios com mais de 200 apartamentos , bem possivel que somados todos ficam acima das obras reunidas …mas o que eu tentei mostrar a insanidade de um apartamento normal do rio custar mais que 1 obra dessas .

        0
        • lucas 14 de dezembro de 2011 at 14:44

          desencana que o imbecil nem deve saber onde fica Guernica

          0
  • nelson 13 de dezembro de 2011 at 08:26

    Venda on-line de imóvel leiloado pela CEF dificulta negociação com mutuário
    12 de dezembro de 2011 • 13h41

    Por: Fabiana Pimentel
    SÃO PAULO – A ANM (Associação Nacional dos Mutuários) alerta que a CEF (Caixa Econômica Federal) tem desrespeitado os direitos dos consumidores.

    De acordo com a Associação, a instituição financeira pratica a venda on-line de imóveis leiloados, e esta prática exclui a possibilidade de negociação com o ocupante do imóvel, que em geral briga em juízo para obter a revisão dos contratos da casa própria. “A Caixa, como agente financeiro, não ingressa com a chamada ação de imissão de posse do imóvel, com o pedido de desocupação do mesmo pelo mutuário-ocupante. Ela transfere essa responsabilidade, que deveria ser sua, para um futuro comprador”, explica o presidente da ANM, Marcelo Augusto Luz.

    Segundo a ANM, estima-se que 700 imóveis devam ir a leilão por mês por meio da oferta on-line, só na Grande São Paulo. A entidade afirma que, em 2011, a quantidade de leilões de imóveis na concorrência pública cresceu 40%.

    Direitos do consumidor
    A Associação afirma que a CEF está desrespeitando os princípios básicos que regulam a expropriação de um bem imóvel. Em nota, a entidade explica que, desde o surgimento da execução pelo Decreto-Lei nº 70/66, não foram observados princípios constitucionais, como o devido processo legal e o contraditório. “O banco também desrespeita o consumidor ao não dar ao mutuário oportunidade de negociação equivalente à situação financeira apresentada por ele, nem tampouco abriu uma oportunidade de incorporação do débito ou uma restruturação da dívida”, completa Luz.

    Segundo o presidente, o mutuário deve ingressar com uma medida judicial para suspender a venda on-line do imóvel, pois existe um interesse social maior que uma execução e venda desses imóveis. “Somos contra a inadimplência, mas acreditamos ser equivocada a falta de sensibilidade operacional do banco em chamar o mutuário para um acordo na hora de uma negociação, antes de levar os imóveis a venda online”, comenta.

    Para quem tiver dúvidas sobre o que fazer nestes casos, a ANM possui o canal SOS Mutuário. O contato pode ser feito pelo telefone (11) 3159-3108 ou pelo e-mail [email protected].

    Negociação com a CEF
    Em nota, a CEF afirmou que procura solucionar todos os casos de execução de contratos de financiamentos habitacionais, por isso, a instituição explica que implantou uma política que privilegia a venda direta ao ocupante do imóvel retomado. Tais procedimentos de venda de imóveis adjudicados se encontram em vigor desde 22 de dezembro de 2009.

    Segundo o banco, esta forma de atuação tem possibilitado a solução de regularização da moradia de forma definitiva para milhares de famílias que atendem ao chamado de negociação do imóvel com valores incentivados.

    A Caixa também aconselha que o interessado procure a instituição para negociar administrativamente a regularização do imóvel que ocupa.

    Por fim, a CEF afirma que, desde o início deste ano, trabalha junto com os Tribunais Federais nos Mutirões de Conciliação da Justiça, para os quais são chamados os ocupantes ou ex-mutuários que ajuizaram ações relacionadas aos imóveis retomados em decorrência da execução do crédito.

    0
  • NTL 13 de dezembro de 2011 at 08:58

    Agora apto na Rocinha vai valer tanto quanto no Leblon. Até rede wi-fi será implantada na comunidade! 😉

    TIM testará rede híbrida 3G-Wi-Fi na Rocinha
    gizmodo.com.br/conteudo/tim-testara-rede-hibrida-3g-wi-fi-na-rocinha

    (..)

    O Tim Wi-Fi distribuirá 25 hotsposts de rede Wi-Fi pela Rocinha até o fim de janeiro que, segundo a operadora, cobrirá toda a área de 95 hectares da comunidade. A grande sacada do sistema é uma nova tecnologia que permite que o cliente da operadora (dos planos Infinity-pré e Libery) já seja reconhecido pela rede Wi-Fi sem precisar de qualquer login. A autenticação automática permite a troca de redes conforme a necessidade, o que é bem prático.

    0
  • xyz 13 de dezembro de 2011 at 09:14

    “Crise global afeta crédito e governo pode socorrer empresas”

    “Por isso, o governo estuda repetir medida tomada há três anos: usar dinheiro das reservas para suprir o crédito estrangeiro e financiar as vendas de produtos daqui lá fora. Há expectativa também de que o BNDES abra novas linhas para suprir a demanda dos exportadores que recorreram à equipe econômica para se queixar da dificuldade.”

    h ttp://oglobo.globo.com/economia/credito-de-fora-comeca-secar-3435595

    0
  • EduLon 13 de dezembro de 2011 at 09:19

    VENDA PARA ESPECULADORES EM CURITIBA – MATÉRIA DE HOJE NA GAZETA DO POVO

    Vai investir?

    No início do ano passado, escrevi algumas colunas mencionando uma tendência arriscada que vinha surgindo no mercado imobiliário: indivíduos que, mesmo com recursos limitados, vinham comprando vários imóveis na planta – pagando apenas uma fração do preço – para revendê-los à época da entrega, a preços mais altos. Alguns empreendimentos na cidade ficaram conhecidos entre corretores por causa dessa prática.

    h ttp://www.gazetadopovo.com.br/colunistas/conteudo.phtml?tl=1&id=1202640&tit=Imovel-nao-e-sabonete

    0
    • Anonymous 13 de dezembro de 2011 at 10:36

      O seguinte parágrafo é uma coleção de mentiras cabeludas!!!

      … As próprias incorporadoras tiveram participação no sumiço dos pequenos especuladores. Muitas se recusavam a vender para esse tipo de cliente. “Ele fazia mal ao negócio. Vendia depois a um preço mais baixo, forçando a construtora a segurar repasses de preços”, diz um executivo da área …

      0
      • Fernando 13 de dezembro de 2011 at 10:39

        Ia escrever sobre essa passagem agora mesmo… rsrsrsrs…
        é muito cinismo e cara de pau, com um pouquiiinho de vadiagem (by away).

        0
      • LAR 13 de dezembro de 2011 at 12:27

        Acho que esqueceram de avisr aos corretores….

        “… As próprias incorporadoras tiveram participação no sumiço dos pequenos especuladores. Muitas se recusavam a vender para esse tipo de cliente. “Ele fazia mal ao negócio. Vendia depois a um preço mais baixo, forçando a construtora a segurar repasses de preços”, diz um executivo da área …”

        0
        • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 12:31

          mentira
          vendem pra qualquer um e ainda dão dicas de como burlar o sistema, por exemplo o casal depositar o salario na conta do outro pra dobrar a renda

          0
          • Jack Imóveis 13 de dezembro de 2011 at 14:39

            Caro Luiz espanta corretor,

            Não sente saudades do nosso amigo Marcão?

            Abraços

            Jack – Nostalgico

            0
            • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 14:53

              nenhuma, mas acho que eles sentem saudade da gente
              somos uma luz pra eles

              0
              • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 17:05

                Jack nostalgico lembra aquela corretora vinha aqui falar de paris como se fosse na esquina, mas depois da humilhação de ter que admitir que nunca foi lá, desapareceu daqui?

                Esse aí gosta de Picasso. hmmmmm, rsrs

                O foda é que os corretores que encontrei mal conheciam desodorante, o maximo que eles conhecem da cultura francesa é a falta de banho

                0
                • Carlos Wagner 13 de dezembro de 2011 at 17:22

                  Teremos sorte de encontrar um que tem dente… que nao fale “Pobrema” e “perca total”.

                  0
                  • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 17:28

                    o dia que precisar de uma faxineira vou procurar uma num stand de vendas
                    se bem que pensando bem melhor não
                    faxineria tem que ser gente de confiança

                    0
                • Jack Imóveis 14 de dezembro de 2011 at 08:47

                  Caro Luiz,

                  Fico impressionado com essas aparições aqui.

                  JJ disse que nós somos motivo de entretenimento para ele.

                  Um homem tão sofisticado e bem sucedido deveria ter mais o que fazer.

                  Abraços

                  Jack – Quando “Rizada” é sinonimo de sucesso

                  0
  • shakespeare 13 de dezembro de 2011 at 09:27

    Boom imobiliário em Santos valoriza até prédio torto na praia

    13/12/2011UOL Economia – Da Redação

    Samantha Valdívia

    A constante valorização de apartamentos não se restringe somente aos grandes empreendimentos de luxo, que estão sendo erguidos em Santos (litoral de São Paulo). Os famosos “prédios tortos”, na orla da praia, mesmo com esse problema estrutural, chegaram a valorizar até 75% nos dois últimos anos.

    O edifício Maembi (o segundo da direita para a esquerda), no bairro do Embaré, em Santos (SP), é um dos mais tortos da cidade. Com o boom imobiliário dos últimos anos na região, o valor dos imóveis subiu Alex Almeida/UOLOs prédios tortos chamam atenção pela inclinação acentuada. Na época de sua construção, principalmente nas décadas de 40, 50 e 60 do século passado, as fundações usadas eram pouco profundas. Por causa do solo da cidade, os alicerces foram cedendo, e eles ficaram inclinados. Foram perdendo valor de mercado porque não queriam comprar um apartamento nesses locais.

    No entanto, o boom imobiliário da cidade, estimulado principalmente pelo petróleo do pré-sal, vem fazendo com que até esses prédios sejam valorizados.

    O edifício Maembi, no bairro do Embaré, de classe média, é um dos que apresentam mais desalinhamento, com 1,18 m de desaprumo. Um apartamento de dois dormitórios, com 100 metros quadrados, há dois anos, custava cerca de R$ 140 mil e atualmente está na faixa de R$ 230 mil, uma alta de 64%.

    Preço de imóveis em outros pontos chega a dobrar
    Para o corretor imobiliário Edmar Ribeiro Soares, que está no mercado há 42 anos, essa é a melhor fase de venda de imóveis na região. “Atualmente, as imobiliárias próximas à orla da praia estão vendendo de cinco a sete apartamentos por mês, e a tendência é que o mercado continue aquecido”.

    Ele também cita outros prédios tortos, no bairro do Boqueirão, em que um apartamento de 110 metros quadrados estava à venda por R$ 140 mil e hoje custa R$ 245 mil, variação de 75%.

    Para se ter uma idéia da valorização que acontece em Santos nos últimos anos, o delegado do Conselho Recional de Corretores de Imóveis (Creci) na Baixada Santista, Carlos Ferreira, cita um empreendimento no bairro do Gonzaga, uma região de alto padrão. No lançamento, estava à venda por R$ 380 mil. Hoje custa cerca de R$ 750 mil, quase o dobro.

    A valorização se estende a outros pontos da cidade. Um apartamento no bairro de classe média da Pompéia, custava R$ 550 mil no lançamento, mas agora vale R$ 980 mil, uma alta de quase 80%.

    Um sobrado em um condomínio do Marapé, bairro de classe média baixa, no início, valia R$ 230 mil, mas hoje em dia está em R$ 350 mil, mais de 50% de ganho.

    Prédios comerciais também se valorizam, dizem corretores
    Essa alta nos preços dos imóveis se estende também aos conjuntos comerciais. “Um empreendimento comercial no Boqueirão, em uma das avenidas mais movimentadas de Santos, no lançamento era vendido pelo preço de R$ 240 mil. Atualmente hoje custa cerca de R$ 380 mil, quase 60% de elevação. A valorização dos imóveis de alto padrão é de quase 27% ao ano”, afirma Ferreira.

    Em outra imobiliária de Santos, a corretora Cristina Baroni diz que as vendas estão mesmo em alta e também constata a valorização. “Num prédio com vista para o mar, no canal 5 (área de classe média), um apartamento de dois dormitórios com garagem custava cerca de R$ 160 mil. Hoje estão querendo vender por R$ 280 mil [75% a mais]”.

    Para o delegado do Creci, alguns fatores ajudam para que o preço dos imóveis continue subindo. “A descoberta do petróleo na camada de pré-sal, as obras de ampliação do porto de Santos, o projeto da ponte que vai ligar Guarujá e Santos e o projeto do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), entre Santos e São Vicente deram um impulso no mercado imobiliário da região. Se tudo isso sair do papel, nos próximos anos, teremos um boom imobiliário com crescimento constante não só em Santos, mas em todas as cidades da Baixada Santista.”

    0
    • shakespeare 13 de dezembro de 2011 at 09:31

      Um dos prédios, na década de 90 foi colocado no lugar através de um trabalho gigantesco e excepcional de engenharia. O projeto foi coordenado por um professor meu e o custo foi de 5 milhões de dólares, praticamente 250.000 dólares por apartamento. Depois que o prédio foi colocado no lugar, efetivamente ocorreu uma valorização das unidades e apartamentos que estavam praticamente sem valor de mercado passaram a valer 500.000 dólares.

      Será que o pessoal que está comprando o apartamento torto fez essa conta?

      0
    • Felipe 13 de dezembro de 2011 at 09:40

      Esses preços aí são de 2008…

      0
    • Paulo - RJ 13 de dezembro de 2011 at 10:40

      Ao contrário de muitos aqui, eu sou nacionalista, mas bastante flexível nas minhas ideias, então: se é para morar em prédio torto, os de amsterdã são bem mais simpáticos

      0
    • augusto 13 de dezembro de 2011 at 10:59

      Em Snato eu n]ao sei, mas nas demais cidades da baixada santista, as pesquisas do creci sp com dados das proprias imobiliárias, não msotra um boom nas vendas, muito pelo contrário, quase nada é vendido, e quando o é só os de preço menor

      0
    • gutocolen 14 de dezembro de 2011 at 20:15

      Santos, de acordo com IBGE,a populacao cresceu cerca de 3% em 30 anos. Já cidades vizinhas (Sao Vicente, Praia Grande e Guarujá) cresceram mais de 100% – é bem mais barato.
      Hoje, pra onde se olha na cidade só há esqueletos de construçoes de edificios. Estao vendendo imóveis como água devido ao pré sal???? até pode ser, coisa de especulador!!!!!……mas até realmente virar realidade…………ih….vai demorar, o petróleo está muito longe, nao tem tecnologia suficiente para tal e sai muito caro!!!!!
      Nessa semana encontrei uma corretora no semáforo!!!! entregando panfletos!!!!! Indo de carro em carro falar do novo empreendimento, eu quase chorei de rir………..
      Ontem recebi um email……nao sei como me descubriram……com uma super promoçao:
      Comprando um imóvel no lançamento, vc ganha geladeira, fogao e acho que um microondas (ou algo parecido), tudo da eletrolux e de inox…….
      O desespero tá batendo…..e na minha opiniao só uma palavra:

      PLOC!

      PS: parabéns ao site. Frequento sempre há mais de 1 ano, e nunca tive coragem de postar. Nao tenho tanto conhecimento de macro e micro economia como muitos colegas, e prefiro apenas observar e aguardar o estouro de vez. Aguardo ansiosamente isso ocorrer pra comprar um imovel. Abraços a todos.

      0
  • Ronaldo 13 de dezembro de 2011 at 09:28
  • shakespeare 13 de dezembro de 2011 at 09:36

    13/12/2011 – 07h45
    Casas em processo de tombamento vão ao chão em Perdizes, em SP

    VANESSA CORREA
    DE SÃO PAULO

    Apesar de protegido por processo de tombamento, um conjunto de quatro sobrados dos anos 1940 veio ao chão na quinta passada em Perdizes, zona oeste de São Paulo.

    Veja galeria de fotos

    As casas faziam parte de um estudo do Conpresp (órgão do patrimônio histórico municipal), aberto em setembro. No processo, 63 imóveis do bairro seriam avaliados e poderiam ser tombados.

    Os sobrados demolidos na rua Monte Alegre com a Turiaçu estavam no processo “por se tratar de um tipo de ocupação que predominou no período entre 1940 e 1950, antes da verticalização da região”, segundo o Conpresp.

    O dono, Carlos Manoel dos Santos Eloy Rodrigues Pereira, 58, afirma que não havia sido comunicado sobre a abertura de tombamento e que tinha o alvará de demolição. “Então, eu quero que vão para o raio que os parta”.

    Ele diz que o conjunto foi construído pelo seu avô para obter renda com o aluguel, “como fazia todo português”. Afirma que vai construir um prédio, também para locação.

    Reprodução

    Sobrados construídos na década de 40 em Perdizes, zona oeste de São Paulo, que foram demolidos na semana passada
    Fabio Braga/Folhapress

    Terreno onde ficavam os sobrados agora está cheio de entulho; proprietário pretende construir prédio

    O Conpresp diz que, como não havia autorizado a demolição, ela é irregular, e, “constatados os danos”, o proprietário pode ser multado.

    A multa pode chegar a até dez vezes o valor do imóvel. O Conpresp pode ainda pedir o embargo de obras no local.

    O poder do órgão, porém, é limitado. Muitos proprietários recorrem, alegando não ter sido informados sobre o tombamento ou questionando os valores das multas.

    Grande parte delas não são pagas –os multados ameaçam ir à Justiça devido à fragilidade das autuações. Os conselheiros do Conpresp, que devem votar pela aplicação, temem responsabilidade judicial, segundo apurou a Folha.

    O orçamento para 2011 vindo do fundo de multas é de R$ 800 mil. Mas o valor de autuações é bem maior: só o dono de um imóvel, no Brás, foi multado em mais de R$ 20 milhões.

    O processo de aplicação foi revisado e será enviado “em breve” à Câmara, diz o órgão.

    Destruição do patrimônio é ainda crime com pena de até três anos de reclusão, segundo a Lei de Crimes Ambientais.

    Outro caso, bastante conhecido, foi o da mansão Matarazzo, na av. Paulista, tombada em 1989. Tempos depois, bombas explodiram no subsolo e suas estruturas foram comprometidas por vazamentos.

    Os donos conseguiram, então, reverter na Justiça o tombamento e demoliram o imóvel.

    fonte: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1020479-casas-em-processo-de-tombamento-vao-ao-chao-em-perdizes-em-sp.shtml

    0
  • Anonymous 13 de dezembro de 2011 at 10:22

    Talvez um tanto fora do tópico, mas revelador da mentalidade Bananense. A Banânia merece tudo o que está acontecendo e muito mais. Estou achando pouco essa bolha imobiliária.

    www1 . folha . uol . com . br/saber/1020466-copa-deve-mudar-ferias-escolares-em-2014 . shtml

    A PROPOSTA: O projeto da Lei Geral da Copa prevê alterar o calendário letivo das escolas do mpais no ano dos jogos mundiais.

    OBJETIVO: Evitar tumultos no trânsito e facilitar que os estudantes assistam aos jogos.

    0
    • shakespeare 13 de dezembro de 2011 at 10:53

      mas justo no Brasil, onde as obras de infra-estrutura estão a ritmo acelerado e valorizando tanto as cidades sede?

      0
  • GPTFN 13 de dezembro de 2011 at 10:25

    Mais uma só pra descontrair:

    htt p:// w ww.tecmundo.com.br/iphone/16529-iphone-4s-brasileiro-e-o-mais-caro-do-mundo.htm

    Bolha do iphone?

    0
    • Indecoroso 13 de dezembro de 2011 at 11:25

      “iBolha” – que serve pra imóveis também!

      0
      • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 12:28

        entrem em lucrobrasil no facebook
        mas entrem sentados

        0
  • Davi 13 de dezembro de 2011 at 10:39

    09:59 IBGE: INFLAÇÃO E DESAQUECIMENTO DA ECONOMIA PREJUDICAM VAREJO

    Rio, 13 – A inflação e o desaquecimento da economia no País estão inibindo o crescimento das vendas no varejo, afirmou há
    pouco o gerente da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE, Reinaldo Pereira.

    Atividades importantes do comércio varejista registraram recuo ou desaceleração nas vendas em outubro, influenciadas pelos
    preços mais altos, como combustíveis, que caíram 0,8% ante outubro de 2010; e tecidos, vestuário e calçados, com queda de
    2,2%, no mesmo período.

    A atividade de hipermercados e supermercados também desaceleraram a alta, graças aos aumentos de preços, sobretudo dos
    alimentos. “Além dessas atividades estarem com seus preços crescendo acima da média, elas também não estão em um
    momento bom, porque está ocorrendo uma desaceleração no crescimento da economia como um todo”, explicou Pereira.
    (Daniela Amorim)

    0
    • augusto 13 de dezembro de 2011 at 11:49

      O próprio IBGE, já reconhece que a queda na economia é em parte devido ao aumento dos preços consequência direta da inflação que voltou por incompetência do governo do PT e do BC capitaneado pelo incompetente do Tombini.

      0
      • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 12:28

        brasileiros gastaram quase 15 bilhões, Bilhões no exteriro esse ano
        são 15 bilhoes a menos pra gastar no shopping
        e diga-se saiu muito mais satisfeito, pena que não dá pra trazer carro usado

        0
      • shakespeare 13 de dezembro de 2011 at 20:17

        Nos ultimos dois anos estive trabalhando no sul do pais e percebi o seguinte: Um prato para duas pessoas que era vendido em 2010 por R$ 40 a 50 em 2011 passou para R$ 60 a 70, aumento de 50%. Como eu recebia uma diária que antes dava e depois começou a faltar um pouco continuei consumindo, mas achei um absurdo, inclusive sei do caso de um prato no hotel, que aumentou 100%. Agora que voltei a SP percebo que ocorreu o mesmo, assim posso ter certeza de que a inflação real é bem maior do que a oficial, e as mudanças que estão sendo feitas no índice comprovam ainda mais essa suposição. Como não compro carro (vide o Lucro Brasil) e muito menos eletrodomésticos linha branca, não sei porque esses tem peso aumentado na composição do índice… Com isso estou iniciando um projeto de medir a minha inflação pessoal, com os produtos que pesam para o meu consumo e vamos ver quanto vai dar…

        0
  • Paulo SCSul 13 de dezembro de 2011 at 10:40

    Para rir

    h ttp://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2011/12/13/boom-imobiliario-em-santos-valoriza-ate-predio-torto-na-praia.jhtm

    0
  • MrK 13 de dezembro de 2011 at 11:10

    APERTEM OS CINTOS…

    voces ja viram uma reportagem do oglobo de hoje citando a falta de credito pras empresas nacionais devido a crise externa, certo?

    existem VARIAS empresas que se endividaram fortemente, pois projetaram um cenario de brasil-suica pros proximos anos, cenario que elevariam suas vendas e fariam com que pagassem seus emprestimos com folga.

    Pois bem, o Brasil-Suica ta cada dia mais pra Brasil-Grecia, as vendas caindo, tudo travado, povo endividado..aquela historia… sem dinheiro pra pagar seus emprestimos elas precisaram rolar (alongar) a divida, mas como essas empresas vao rolar suas dividas agora, sem o credito de fora???

    adivinha quem sao algumas das empresas na situacao descrita acima… uma chance…

    0
    • Carlos Wagner 13 de dezembro de 2011 at 12:05

      10 anos!

      Exatamente 10 anos o PT levou para desestabilizar o país com a sua incompetencia administrativa corporativista assistencialista.

      Agora é ladeira abaixo. A farra acabou.

      0
      • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 12:20

        MRK, não sei se vc leu acima, estive domingo na 25 de março e no mercado municipal de SP (faço visitas anuais na mesma época)
        2 coisas:
        – movimento fraco
        – preços mais altos que outlets americanos e supermercados europeus.

        Conseguiram!

        0
      • xyz 13 de dezembro de 2011 at 12:39

        É isso meu caro.
        Os cara são como “praga de gafanhoto” só vão parar quanto o pais quebrar.

        0
    • Leo 13 de dezembro de 2011 at 12:24

      Mrk .. muito bom !!

      Quem tiver interesse em ler a materia, segue o link:

      h t t p:// g1 . globo . com/bom-dia-brasil/noticia/2011/12/miriam-leitao-credito-restrito-mostra-que-brasil-nao-esta-imune-crise.html

      0
  • marcio 13 de dezembro de 2011 at 11:39

    Gafisa!! Acertei?

    0
    • augusto 13 de dezembro de 2011 at 11:45

      Pô Marcio esta não vale, pois é o óbvio ululante. Tente outra vá

      0
  • Vinicius Lima 13 de dezembro de 2011 at 11:50

    Vídeo sensacional…além de muito bem humorado!

    0
    • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 12:23

      Esse video mostra quem são as peças principais desse jogo onde os corretores são apenas peões.

      Sem eles a merda jamais ateria prosperado, assim como o nazismo precisava de soldados pra cometer seus crimes.

      Nossa maior arma é a informação.

      0
  • gekko 13 de dezembro de 2011 at 12:10

    Pessoal, finalmente acho que podemos começar a ter dados mais sérios e consistentes e não apenas mensagens oriundas dos sindicatos de construtores, que possuem óbvio interesse na manutenção da roda vida crescente de preços. Acho que este espaço contribui muito para o debate mas tem que começar a ser mais divulgado em jornais de grande circulação e na rede como um todo.

    Banco Central lança hoje pesquisa que mostra o ritmo da Construção Civil

    Victor Martins

    Publicação: 13/12/2011 10:54 Atualização:
    O Banco Central lançou nesta terça-feira (13) uma nova pesquisa, a Sondagem da Construção Civil. Em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), o estudo observa as expectativas dos empresários da construção para diversos segmentos, como preparação do terreno, construção de edifícios e obras civis, obras de infraestrutura para engenharia elétrica e telecomunicações, obras de instalações, obras de acabamento e aluguel de equipamentos de construção e demolição.

    Para o diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton Araújo, as pesquisas de sondagem são importantes porque dão a autoridade monetária informações sobre o ritmo da atividade econômica no país. “No Brasil, temos muitas instituições produzindo informações sobre inflação, mas sobre atividade é mais restrito. Esse convenio com a FGV procura preencher essa lacuna”, disse.

    0
  • gekko 13 de dezembro de 2011 at 12:11

    Acho que podemos começar a ter dados mais sérios e não apenas aqueles oriundos dos SINDUSCONS.

    Banco Central lança hoje pesquisa que mostra o ritmo da Construção Civil

    Victor Martins

    Publicação: 13/12/2011 10:54 Atualização:
    O Banco Central lançou nesta terça-feira (13) uma nova pesquisa, a Sondagem da Construção Civil. Em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), o estudo observa as expectativas dos empresários da construção para diversos segmentos, como preparação do terreno, construção de edifícios e obras civis, obras de infraestrutura para engenharia elétrica e telecomunicações, obras de instalações, obras de acabamento e aluguel de equipamentos de construção e demolição.

    Para o diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton Araújo, as pesquisas de sondagem são importantes porque dão a autoridade monetária informações sobre o ritmo da atividade econômica no país. “No Brasil, temos muitas instituições produzindo informações sobre inflação, mas sobre atividade é mais restrito. Esse convenio com a FGV procura preencher essa lacuna”, disse.

    0
  • Sérgio 13 de dezembro de 2011 at 13:04

    ===== A NOVA DEPERSSÃO e a ARCA (de Noé) BRASILEIRA =======
    .
    As principais mentes mundiais no campo da economia falam em DEPRESSÃO, TEMPESTADE do SÉCULO e DUPLO MERGULHO da economia mundial. As “grandes mentes (de amendoim) brasileiras” dizem que não.
    Ainda tem gente pensando em comprar casa, trocar de carro, de geladeira e fogão. E o nosso governo OH??!! Até o mises, quem diria!
    .
    h t t p : / / w w w .jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=510963 (Roubini)
    h t t p : / / w w w.mises.org.br/Article.aspx?id=721 (Krugman)
    h t t p : / / o globo.globo.com/economia/miriam/posts/2011/12/13/krugman-fala-em-depressao-mas-os-dados-nao-mostram-isso-421389.asp (krugman)
    h t t p :/ / w w w.publico.pt/Economia/joseph-stiglitz-preve-crise-com-menor-impacto-do-que-a-grande-depressao-de-1929-1342799 (Stiglitz)
    h t t p : / / w w w.estadao.com.br/noticias/impresso,risco-de-um-duplo-mergulho-nos-paises-ricos-e-de-mais-de-50,576011,0.htm (Robert Shiller)

    0
    • Eduardo 13 de dezembro de 2011 at 16:34

      Enquanto no Brasil tiver peneiras vai assim….

      0
  • DanielCM 13 de dezembro de 2011 at 13:20

    bem, acabei comentando algumas coisas por aqui e quase me esqueci do video. achei longo demais para o que ele pretendeu expor. mas serve para acender a luz vermelha de muitos que ainda acham que estão em clima de oba-oba.

    0
  • danilo 13 de dezembro de 2011 at 14:08

    Li o post do colega em outro tópico. Segundo ele, os preços do plano piloto de Brasília nao cairiam a patamar inferior a 6K o m2, apesar de centenas de apartamentos em construçao na regiao. Ele disse que 13K em BSB nao é lá essas coisas.

    Tem tanta gente assim ganhando 13K, 14K no país? Tem algo errado.
    No domingo saiu uma reportagem no Correio Braziliense que relata 2 dados importantes. Primeiro, que a % de funcionários públicos caiu para aproximadamente 23% na capital federal, frente aos 35% há 15 anos. Segundo, diz que o salário médio do funcionalismo do DF, considerado o alicerce econômico do DF, é de 4,9K.

    Seria equivocado dizer que a crise abaterá Brasília mais do que se pensa em virtude da provável desaceleraçao da economia, dos investimentos e do nível de emprego no setor privado(mais representativo que em 1995)? Se uma pessoa ganha mais de 10K no DF nao consegue ter um horizonte para adquirir um imóvel no plano piloto, onde a média do DF mora? Em Goiás?

    0
    • john 13 de dezembro de 2011 at 16:42

      Danilo, não subestimo a quantidade de ricos em Brasília, inclusive com condições de pagar a vista um apartamento de um milhão de reais. Nem subestimo quem já tenha uma poupança e possa dar uma boa entrada para financiar o resto. O problema é que atualmente investir em imóveis ficou muito arriscado. Os preços atingiram um patamar muito elevado e o aluguel não subiu no mesmo ritmo. Além disso, o cenário externo e interno estão nebulosos, inclusive com queda nos indicadores econômicos. Para completar, ainda há um bairro inteiro para ser entregue (o Noroeste). Por todos esses fatores, creio que há mais espaço para queda de preços em Brasília.

      0
    • Cleyton 13 de dezembro de 2011 at 21:14

      Ontem no Jornal da Globo (da noite) eles disseram que 19 milhões de brasileiros declaram pelo simples e que isso representa 70% das declarações, beleza, então podemos deduzir que o total de declarantes é de cerca de 27 milhões, ou perto de 14% da população, bom, isso quer dizer então que 85% da população não declara imposto de renda, é isenta! São 163 milhões de pessoas que a receita nem faz questão de saber! É esse bando de pé rapado que quer financiar esses imóveis a preços estratosféricos?

      0
    • Jomar 14 de dezembro de 2011 at 01:43

      A renda no Plano Piloto é alta mesmo, pois é bastante comum o casal ser funcionário público e somar os contracheques. O mercado aqui vive de fases: antigamente ninguém queria vir para cá e os apartamentos eram em sua maioria funcionais, então era tudo muito barato. Já houve uma época de explosão de condomínios (em sua quase totalidade irregulares…), foi criado o Setor Octogonal e depois o Sudoeste, depois o Setor Taquari e São Sebastião/Jardim Botânico, depois uma cidade inteira toda nova ao lado de Taguatinga (Águas Claras), agora foi construído quase um bairro “informal” no lado do ParkShopping e, por fim, o Setor Noroeste. O m2 desse aí no lançamento, se não me engano, foi 7.5K na primeira planilha, mas logo depois já foi para 10K, que é onde acho que está agora.
      Quem já tinha alguma coisa aqui, comprada ou herdada, se deu muito bem. Quem está chegando agora, todo feliz por ter passado no concurso depois de tanto sacrifício, está tomando um baita susto… Tenho visto o pessoal indo para Águas Claras e há inúmeros lançamentos no Guará, Taguatinga e até em Samambaia, além de outras cidades satélites que, até pouco tempo, eram bem menos cotadas…
      Mas, em compensação, você aluga no Plano um apartamento bom, que custa mais de um milhão, pois 2.5K/mês.Tudo bem que é velho, com uma vaga de garagem e em um prédio que só tem o elevador, mas pelo menos é grande e perto do trabalho…

      0
  • LAR 13 de dezembro de 2011 at 14:30

    Algumas noticias com respectivas manchetes:

    Construção civil começa a se preocupar com 2012
    htt p:/ /jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=81238

    Confiança na construção cai 10,2% na médial trimestral
    htt p://w ww.dgabc.com.br/News/5931679/confianca-na-construcao-cai-10-2-na-medial-trimestral.aspx

    0
  • leo 13 de dezembro de 2011 at 15:21

    Mercado imobiliário viverá boom até 2017, diz Consul Patrimonial

    http://colunistas.ig.com.br/guilhermebarros/2011/12/13/mercado-imobiliario-vivera-boom-ate-2017-diz-consul-patrimonial/

    A valorização no mercado imobiliário brasileiro deve atingir seu ápice nos próximos seis anos, na avaliação da Consul Patrimonial, empresa especializada em avaliação de imóveis.

    “Existe uma margem psicológica em função do pré-sal, da Copa do Mundo e das Olimpíadas, o que dá uma certa segurança aos investidores”, diz Marcus Vinicius de Oliveira, diretor da Consul.

    Segundo ele, a partir de 2017, o “cenário começa a ficar nebuloso”.

    Oliveira aponta, por outro lado, que o atual momento ainda pode render bons lucros para investimentos no setor.

    0
    • Anonymous 13 de dezembro de 2011 at 15:38

      Curriculo do rapaz.

      www . consulpatrimonial . com . br/docs/CVMarcus.pdf

      0
      • pmoraesm 13 de dezembro de 2011 at 16:23

        Eu entendi o CV dele errado ou ele era mesmo estagiário na Lebram Construtora e, ao mesmo tempo (2002~2003), diretor comercial, administrativo e financeiro da Consul Patrimonial?

        Bipolaridade profissional é novidade.. quando ele se apresentava será que dava o cartão de estagiário ou de diretor?

        0
    • Sérgio 13 de dezembro de 2011 at 16:16

      Saímos do campo econômico e fomos para onde só Freud explica… he he he … CAMPO PSICOLÓGICO…. e o campo financeiro da classe c, fica onde?

      0
    • MrK 13 de dezembro de 2011 at 16:26

      hahaha, a industria da desinformação atuando a pleno vapor!!!

      0
    • augusto 13 de dezembro de 2011 at 16:43

      Consul Patrimonial???!!!!!!
      Deve ser uma empresa enorme, respeitada mundialmente, e que certamente influencia em muito o mercado. Sua palavra deve ser lei e suas opiniões acatadas , aceitas e seguidas por todos.
      he,he,he,he,he,he,he

      0
      • Luiz 13 de dezembro de 2011 at 17:00

        rsrs ja imagino o anti-slogan: coloque seu patrimonio no freezer com a Consul patrimonial
        o ato falho ja começa no nome

        0
        • AJR 13 de dezembro de 2011 at 18:40

          Se ainda fosse uma Brastemp… rsrsrsrsrs

          0
        • Fred Henrique 14 de dezembro de 2011 at 09:34

          Luiz, você é o melhor!

          HUAHUAHUAHUAHUAHUA

          0
    • Carlos Wagner 13 de dezembro de 2011 at 17:17

      Esgotada toda a margem financeira, estamos entrando no terreno da margem psicologica que, segundo o estagiário Marcus, durará até 2017.

      Conforme alardeado, o mercado imobiliario crescerá até 2025, apesar de ficar nebuloso a partir de 2017, isso explicará o fim da margem psicologica e o inicio da margem holistica.

      São as fases da bolha brasileira, pois aqui é diferente.

      0
  • Profeta dos Pampas 13 de dezembro de 2011 at 16:47

    Jornal do Comércio – Porto Alegre -13/12/2011
    Painel Econômico
    Construção Civil começa a se preocupar com 2012
    ” Em outubro de 2011 foram negociadas 287 unidades, o que significa 57,79% em relação a setembro passado quando foram negociadas 680 unidades”..

    Aí gauchada o fim dessa palhaçada se aproxima…

    Facerito no más…

    0
    • Laranja 13 de dezembro de 2011 at 17:54

      A la pucha! tchê bagual! As venda cairam de vereda.
      Os plantão estão mais vazios que guaiaca de pobre!

      0
  • Dr. Estranho 13 de dezembro de 2011 at 17:16

    Mírian Leitão hoje:

    “O nível de crédito público na China é muito elevado e começa a haver suspeitas entre os investidores de que, talvez, uma bolha imobiliária esteja sendo criada. ”

    Será uma super, não; mega, não; ultra-super mega bolha imobiliária e ela diz:” começa a haver suspeitas…”. KKKKKKKKKKKKK

    0
    • thiago 13 de dezembro de 2011 at 20:13

      Não, imagina, bolha imobiliária na China?! CRECI, Serasa e outros negam veementemente

      Imagina só, só tem Cidades Fantasmas inteiras, bolha, imagina?!

      0
    • Cleyton 13 de dezembro de 2011 at 21:30

      É pra ver o nível da “jornalista”, se o segundo sol chegar (um meteoro do tamanho da lua em rota de colisão) ela é capaz de dizer que há suspeitas de que o mundo vai acabar! Só rindo mesmo…

      0
  • danilo 13 de dezembro de 2011 at 17:38

    Olha a pérola do Estado de Minas. Todo mês tem uma matéria no mínimo duvidosa. Ahhh…eles comparam 2000 com 2010. Por que será?

    Mercado imobiliário: investimento é uma boa opção?

    Quando o assunto é aplicar as reservas econômicas pessoais, seja para zelar ou ampliar o patrimônio, sensações de medo, euforia e risco se misturam em uma equação difícil de solucionar. É certo que essa não é uma angústia que cabe a todos os brasileiros, afinal, o país ainda encabeça as listas de países mais desiguais do mundo, onde muitos ainda batalham pela sobrevivência. Mas por outro lado, o Brasil desponta também como economia em franco crescimento e terreno fértil para um variado perfil de investimentos. Um deles chama a atenção pela aceleração acima da média nos últimos anos: o setor imobiliário, que vem refletindo rapidamente a ascensão econômica de parcela significativa da população que, agora, realiza o que talvez seja o principal projeto de consumo de toda pessoa, a aquisição da melhor moradia possível para seu padrão de renda.
    Mercado imobiliário em BH: o que esperar para 2012?

    Belo Horizonte é uma cidade que sente na prática o superaquecimento do setor imobiliário. Muitos mineiro devem encerrar o ano se perguntando: “Até quando o preço do imóvel vai aumentar”? Não é para menos. Um estudo realizado em 2010 pelo Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de MG (Creci-MG) mostra que, em dez anos, o valor da habitação aumentou 548%. Foi a maior alta entre os pesquisados na cidade e refere-se a imóveis de três quartos em bairro classe média. Veja tabela abaixo:

    O dado leva à conclusão de que investir em imóvel é mesmo um excelente negócio. Mas o coordenador de pesquisas do Ipead (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis da UFMG), Vanderlei Ramalho, explica que é preciso avaliar bem antes de fechar negócio. “Quando se trata de investimento, não há regra absoluta”, ressalta.

    O gerente regional de habitação da Caixa, Marivaldo Araújo Ribeiro, concorda. “Investir em imóvel tem sido um excelente negócio no Brasil. Quanto tempo vai durar? Isso vai depender da capacidade do mercado em produzir unidades”, afirma.

    “Investir em imóvel tem sido um excelente negócio no Brasil. Quanto tempo vai durar? Isso vai depender da capacidade do mercado em produzir unidades” – Marivaldo Araújo Ribeiro, gerente regional de habitação da Caixa
    No fundo, para essa área, não é possível chegar a resposta certa e definitiva. Mas o que não falta é especulação sobre o assunto e, quando o objetivo é lucro, não existe palavra mais adequada. Pensar sobre o futuro é exercício essencial para impulsionar atitudes e realizar os planos.

    Vice-presidente da área imobiliária do Sindicato da Indústria da Construção Civil MG (Sinduscon-MG), José Francisco Couto de Araújo Cançado, lembra que estudos recentes mostram que o imóvel ainda é um bem que tem espaço para continuar em ritmo de valorização. “O que realmente ocorreu foi uma recuperação de preço defasado por anos de crise no Brasil. O setor recuperou parte das perdas e, se pensarmos em mercado internacional, estão em patamar razoável”, afirma.

    Cançado explica que é natural as pessoas reclamarem, já que o preço do metro quadrado em Belo Horizonte subiu muito e está no pico da alta. Mas ele conta que um estudo que compara em dólares o metro quadrado nos países emergentes, o valor mais barato é no Brasil. “Na China, Índia, Rússia, ainda é mais caro”, afirma.

    O presidente do Creci-MG, Paulo Tavares, analisa o estudo realizado pelo órgão que apresenta um número exorbitante – 548% de valorização – e faz brilhar os olhos daqueles, que em meados dos anos 2000, optaram por investir no setor .“Aquilo foi uma euforia. Vamos sair dela e entrar na realidade. Todo mundo prefere a realidade, ninguém quer instabilidade”, observa.

    Apesar do “boom” ou “bolha” – expressões usadas pelos analistas do mercado imobiliário para esse período – Tavares enfatiza: “Tenho 45 anos de militância na área, 15 de chaves (referindo-se ao trabalho como corretor). Eu não conheço nenhum ser humano que tenha comprado um imóvel e tenha perdido dinheiro”.

    0
    • Indecoroso 13 de dezembro de 2011 at 19:19

      “Tenho 45 anos de militância na área, 15 de chaves (referindo-se ao trabalho como corretor). Eu não conheço nenhum ser humano que tenha comprado um imóvel e tenha perdido dinheiro.”

      Norte-americano é ser-humano? Espanhol é ser-humano? Que eu saiba, sim!

      0
      • Pensativo 13 de dezembro de 2011 at 19:44

        Não. Apenas que dizer que ele não conhece muita gente.

        0
        • Cleyton 13 de dezembro de 2011 at 21:32

          E que também está precisando de um barril de óleo de peroba!

          0
      • JPM 13 de dezembro de 2011 at 20:58

        “Eu não conheço nenhum ser humano que tenha comprado um imóvel e tenha perdido dinheiro”

        Eu queria muito, mas muito mesmo, que esse cara repetisse essa frase em uma praça pública na Espanha ou nos EUA (devidamente traduzida. claro).

        0
      • mauraosp 13 de dezembro de 2011 at 22:13

        E eu que comprei minha casa em bairro nobre de SP há 30 anos e só esperei 20 anos para que hovesse valorização.
        Morei?, sim .! PERDI DINHEIRO ? SIM se tivesse aplicado em renda fixa compraria dois imoveis hoje mesmo no preço que está.
        Tem que morar né !

        0
    • Fred Henrique 14 de dezembro de 2011 at 09:28

      A pérola:

      “Quanto tempo vai durar? Isso vai depender da capacidade do mercado em produzir unidades.”

      Quer dizer que o problema, agora, é construir. Não é mais vender!!!

      0
  • LAR 13 de dezembro de 2011 at 17:46

    amigos

    alguem saberia explicar se o processo de formação de bolha na china se deu de forma parecida com a nossa? e quais as semelhanças e diferenças?

    infelizmente ignoro essas informações

    abraços

    0
    • LAR 13 de dezembro de 2011 at 17:50

      foi crédito fácil + especulação + aumento repentino (2 ou 3 anos) acima de 50% em todas as grandes cidades? teve incentivo do governo pro setor pra geração de empregos?

      0
    • Carlos Wagner 13 de dezembro de 2011 at 18:11

      LAR

      O governo chines tinha um projeto ambicioso de elevar seu PIB e atingir a primeira economia mundial. Lá, praticamente tudo é incetivo governamental.

      O que aconteceu com o mercado imobiliario foi o grande incetivo que recebeu dos bancos estatais para que construissem mais e mais a fim de manter a população empregada e gerar riqueza aumentando o PIB, sem se preocupar se haveria gente pra morar ou nao. Morador, no nosso mundo moderno, virou detalhe quando se refere a imovel. Investimento e revenda com ágio é a bola da vez.

      Li num artigo do MISES que critica a interveção governamental na economia que cai como uma luva quando se fala em china: Esse artigo menciona a forma intervencionista governamental que para estimular a geração de emprego e gerar crescimento economico nacional ele deposita dinheiro dentro de garrafas e manda enterra-las. Com isso, estimula-se as empresas em contratar trabalhadores para desenterra-las.

      A grosso modo, é mais ou menos isso que acontece na china.

      0
      • Pensativo 13 de dezembro de 2011 at 19:42

        Ou melhor, contratar um monte de chinês para cortar grama das cidades utilizando TESOURINHAS DE UNHA!!!
        Assim o desemprego e demais consequentes problemas sociais somem em um passe de mágica.
        2012 Promete!!!

        0
      • Max 13 de dezembro de 2011 at 19:48

        Concordo plenamente, só que lá na china o dinheiro corre a doidado, e além disso tem um governo autoritário, que pode controlar(manipular) da forma que quiser a economia.

        0
  • MrK 13 de dezembro de 2011 at 17:53

    Eu adoro como o Peter Schiff é curto e grosso, ele responde sem enrolar

    um estudante perguntou a ele porque o preço da mensalidade da universidade ficou tão caro depois que o governo criou o emprestimo estudantil

    Schiff: “Toda vez que o governo direciona recursos via crédito pra um determinado setor, pra fazer ele ficar mais acessível a população, acaba fazendo o contrário, a demanda cresce muito rapidamente e o preço do bem sobe, seja ele casa ou vaga na universidade”

    a fagulha inicial da bolha americana foi o governo com sua fannie mae e juros baixos, convidando a especulação… a fagulha da bolha brasileira foi o alongamento do emprestimo de 20 pra 30 anos e os subsidios do minha casa minha vida, convidando a especulação…

    0
    • xyz 13 de dezembro de 2011 at 22:13

      ” O afrouxamento monetário não significa que a economia irá melhorar, pois o dinheiro criado pode perfeitamente ir para apenas determinados setores da economia…”

      h ttp://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1175

      0
  • Pedro 13 de dezembro de 2011 at 18:46

    Só a quantidade de comments em cada postagem do Bolha já se tem uma dimensão da quantidade de pessoas que se interessam pelo assunto bolha imobiliária que são justamente aqueles que como eu estão assustados com o que está acontecendo neste louco mercado. Que bom que muitos pensam como eu.

    0
  • RT 13 de dezembro de 2011 at 18:55

    Tem um corretor que sempre me envia as “oportunidades”.

    Faz uns dois meses, me enviou um listão onde o imóvel mais barato era uma quitinete em Copacabana, custando 395 mil.

    Hoje, me enviou ofertas na planta, no Recreio dos Bandeirantes. Um de dois quartos, 81 m2, por 740 mil. Outro uma cobertura, por 1,03 milhão.

    Nestes tempos em que Autódromo já virou Barra, só imagino o que ele chama de Recreio.

    E por módicos 700 mil!! Há três anos, quem tivesse esse dinheiro comprava um bom apartamento no Leblon. Já nos dias de hoje, em que tentam nos fazer crer que 700 mil NÃO é uma quantia quase inalcançável…

    0
    • Pensativo 13 de dezembro de 2011 at 19:36

      Um apartamento de dois quartos, com metragem equivalente, no Receio há 5 anos atrás custava em torno de R$150.000. Quintuplicou? é isso? Então o brasileiro ficou cinco vezes mais rico em cinco anos? Só o crédito fácil pode explicar isso.
      2012 Promete!!!

      0
      • gekko 13 de dezembro de 2011 at 19:52

        Concordo com o Pedro, mas acho que já está na hora de o site o blog ganhar a grande mídia e isto só será possível com veiculação em jornais de grande circulação ou até mesmo se o blog for citado em uma reportagem de um grande veículo de comunicação.

        0
        • Indecoroso 13 de dezembro de 2011 at 20:11

          É possível anunciar blogs no Google AdWords? Poderíamos fazer uma vaquinha aqui…

          0
        • Pensativo 13 de dezembro de 2011 at 20:25

          Pessoal,
          me desculpem, mas não consigo aliviar a minha indignação com o absurdo de ter que desembolsar R$ 740.000,00 em um apartamento pequeno (sim, 81 metros é pequeno), em um bairro muito, mas muito distante do Centro (sim, o coração econômico, administrativo e financeiro do Rio de Janeiro ainda é o Centro). Só de trânsito são três horas diárias perdidas (isso se não há nenhum ônibus queimando em algum túnel da cidade, pois, caso contrário, é melhor desligar o carro, telefonar para a patroa, reclinar o banco e dormir); mas nada que um bom helicóptero não resolva. rs rs rs
          Se considerarmos a renda média da família “recreense” que moraria em um empreendimento como este (marido, mulher e um único filho, pois dois já não cabem dignamente em 81 metros) gire em torno de R$ 6000,00 (sim, estou sendo muito generoso, pois a maioria dos brasileiros é, com o perdão da palavra, “fudida e mal paga”), o cafofo representa pouco mais de 10 anos de renda familiar. Isto é: o casal deve trabalhar arduamente e a família não pode gastar um centavo sequer por 10 anos para quitar um imóvel que. provavelmente, não seja definitivo, pois é pequeno para acomoda-los confortavelmente.
          Alguém sabe me dizer se em países análogos (Chile, Argentina, Colombia, etc) este valor de 10 anos é comum? ou estou a chorar em demasia.
          Para mim ou os preços dos imóveis despencam ou a inflação volta com toda a força, pois esta situação é insustentável.

          0
          • Pensativo 13 de dezembro de 2011 at 20:29

            R$ 6000,00 líquidos, ok? pois o leão e o INSS vão comer parte do seu salário de uma forma ou de outra.

            0
            • RPL 13 de dezembro de 2011 at 21:08

              Se você considerar os juros em relação a dívida em cerca de 1% a.m, a renda total da família não serve nem pra pagar os juros…

              0
          • Celso 13 de dezembro de 2011 at 20:30

            Tenho dó de quem acha que 81m² é um espaço bom para se criar filhos. Moro sozinho num apto de 60m² e sinto-me apertado… Não dá nem para receber visitas com conforto etc…

            0
          • Frank 14 de dezembro de 2011 at 09:48

            “Alguém sabe me dizer se em países análogos (Chile, Argentina, Colombia, etc) este valor de 10 anos é comum?”

            esse tipo de análise é bastante interessante e dá a correta medida para se comparar preços no Brasil X outros países.

            qtos anos de renda média familiar são necessários para se comprar – por exemplo – 100 m2.

            há ums bons meses atrás, surgiu essa discussão aqui no blog.

            alguma boa alma caridosa apareceu com informações comparativas bastante interessantes.

            acho q foi uma discussão com uns participantes + antigos q já não postam + por aqui (André, José, ou algum outro).

            se alguém tiver paciência de pesquisar o arquivo blog, deve encontrar alguma coisa.

            0
            • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 11:04

              esses manés só falavam bobagem, a compração que eles faziam esquecia de considerar 70% da populaçao entre outros erros crassos numa área que eles se dizem expert, era manipulação pura de números até hj não sei se por falta d econhecimento ou malandragem. o outro não passa de vendedor de livros, o site dele é um lixo.

              O fabio portela, sim, cara bom, fez uma comparação boa, pegou a renda média de cidades de vários países e comparou com o valor médio do apartamento dos respectivos lugares. Resultado (de cabeça) os preços no BR estavam até 13X acima do que deveriam.

              0
              • Frank 14 de dezembro de 2011 at 11:39

                calma, rapaz 🙂

                talvez tenha sido mesmo uma análise do Fábio, eu não me lembrava….

                0
                • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 12:01

                  foi bom vc ter lembrado disto

                  opequenoinvestidor . com.br/2011/05/relacao-entre-renda-per-capita-e-preco-dos-imoveis-tambem-indica-bolha/

                  tá desatualizado
                  piorou, rsrs

                  0
                  • problema 15 de dezembro de 2011 at 23:19

                    O problema é que o setor financeiro paga 5x mais do que os outros, então eles sempre acham que tá tudo azul (e tá mesmo, só que pra eles…)

                    0
    • Impressionado 13 de dezembro de 2011 at 19:38

      MEU DEUS DU CÈU, 9k o m2 no Recreio??!!

      kcta, isso é muito mais do que caro, ainda não inventaram uma palavra pra isso.

      0
  • thiago 13 de dezembro de 2011 at 20:08

    Mais um sintoma…

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia%20geral,confianca-na-construcao-cai-102-na-media-trimestral-aponta-fgv,95794,0.htm

    Confiança na construção cai 10,2% na média trimestral, aponta FGV
    Dado não sinaliza que o setor está em queda de atividade, mas patamar de crescimento deve ser menor

    0
  • FoxBravo 13 de dezembro de 2011 at 20:15

    Pessoal,
    Por incrível que pareça essa semana ouvi, de novo, pessoas falando em investir em imóveis na planta. Chegaram a sugerir a criação de um grupo de investimento para comprar um único apartamento.

    Olha a lógica:
    -Tiro o dinheiro de uma aplicação e pago a vista comprando na planta. Espero 2 ou 3 anos até a obra ficar pronta. A “valorização” pelo INCC é maior que quaqluer outra aplicação (não seria correção?). Aí, com o imóvel pronto, eu vendo com o “lucro” gerado pelo INCC.

    Pergunta 1: Não há imposto de renda sobre esse “rendimento”?
    Pergunta 2: O que acontece se o valor que o mercado, na época da venda, estiver disposto a pagar menos que o imóvel corrigido pelo INCC?

    A reposta, lógico, foi que eu não sei de nada!!!!
    Aí quando respondi que, para comprar um apartamento de 350.000,00, a pessoa tem que ganhar, CLT, uns R$ 13.000,00 bruto eu ouvi… ahhh.. só se for para financiar 100% do imóvel.
    Isso me mostrou como ninguém está refletindo sobre o valor final desses imóveis. Estão simplesmente pensando: “valoriza e pronto!”.
    A discussão só terminou quando disse: não, o comprador tem que dar 70.000,00 de entrada e arcar com prestações de 3.000,00 por mês! Aí só assim vi olhos arregalados!

    0
    • Pensativo 13 de dezembro de 2011 at 20:42

      Isso é o tão falado “sonho da casa própria”. É sonho mesmo? pois está parecendo pesadelo.

      0
    • Jomar 14 de dezembro de 2011 at 00:41

      O INCC não “rende” mais que qualquer aplicação, pois ele só é usado para atualização de dívidas, não para remunerar investimentos. A gente até pode considerar que o valor da entrada estaria sendo “atualizado” por esse índice, se quiser saber exatemente quanto o imóvel custou no final.
      De Set/2009 até Set/2011 deu uns 15%, contra mais ou menos 14,5% da poupança.Mas isso varia de ano para ano: em 2009 a correção foi de uns 3% (bom para quem comprou na planta antes), mas em 2010 e 2011 o índice subiu para em torno de 7%. Não é dos maiores, e costuma ser muito menor que o IGPM mais 1% que as construtoras cobram depois do Habite-se, mas ainda assim é uma paulada quando aplicado em valores altos, como vemos hoje.

      0
  • alsouza 13 de dezembro de 2011 at 21:02

    O povo está inspirado. Daqui a pouco vamos chegar a 400 comentários neste tópico. Tudo bem que as mensagens já não tem mais nada a ver com o assunto do tópico (o vídeo), mas, sem problemas, foi a forma que o grupo achou mais prático discutir.

    Bolha e demais companheiros,

    como poderíamos fazer um acompanhamento mais de perto dos preços dos imóveis pra tentar antever o estouro com mais exatidão? Todo domingo pego o jornal (no caso, OGlobo, aqui no Rio), escolho os bairros de interesse (Flamengo e Catete) e tento ver a razão aluguel/venda de imóveis similares. Consigo ter uma ideia – tem muito imóvel abaixo de 0,5%, o que é indicativo de descolamento da realidade – mas sei que tudo é muito chutado, meio amador.

    Como vocês fazem esse tipo de acompanhamento?

    0
    • Cleyton 13 de dezembro de 2011 at 21:51

      Não cara, o que você está fazendo está perfeito!

      É só imaginar o seguinte, se você compra um imóvel de 250k e aluga ele por 700 o “retorno” por mês é 0,28%, se invés disso pôr na poupança (que não é investimento também), já dá 0,5% livre (R$ 1250,00) fora a correção da TR (que é pequena mas já dá uma diferença).

      Ah, mas o Lula vai cobrar IR da poupança, beleza, tira aí 27% do 0,5% que excedeu os 50k vai dar 270, ainda dá uns milão limpo! Sem nego enchendo o saco com melhorias de condomínio, inadimplência, IPTU, IR que incide também, e tem gente ainda que diz que é bom negócio!

      0
  • Anonymous 13 de dezembro de 2011 at 21:31

    A mesma estratégia do governo militar, esgotada ha mais de 20 anos – substituiċão das importações. Estratégia que conduziu a termos as carroças mas caras do mundo até hoje. Quando o Collor permitiu a importação de veículos, o LADA (fabricado pelos comunistas) chegou a ser o carro mais barato do Brasil. Dessa época, lembro de um outdoor da Mitsubishi que dizia: por um pouco MAIS, voce compra um nacional.

    Governo prepara redução de IPI para carros nacionais
    www1 . folha . uol . com . br/mercado/1020917-governo-prepara-reducao-de-ipi-para-carros-nacionais . shtml

    o governo vai exigir das montadoras o cumprimento de uma série de etapas visando aumentar a nacionalização do processo de produção em troca da redução do IPI.

    0
    • Carlos Eduardo 13 de dezembro de 2011 at 21:35

      O governo vai punir a maioria para satisfazer uma minoria!

      PT

      0
  • RT 13 de dezembro de 2011 at 21:46

    “não, o comprador tem que dar 70.000,00 de entrada e arcar com prestações de 3.000,00 por mês! Aí só assim vi olhos arregalados!”

    O colega FoxBravo fez esse comentário mais acima, quando falava de im apartamento de “apenas” 350 mil.

    Faço abaixo uma reflexão sobre estes valores, que é o que me indica que não são sustentáveis.

    Aqui no Rio, acha-se facilmente imóveis comuns passando dos 700 mil… uma prestação de apenas 5265,43, considerando:

    – 100 mil de entrada;
    – Tabela PRICE, juros de 10% nominais ao ano;
    – SEM CONSIDERAR TR, taxa de administração, etc.

    Quem não crê na bolha e acha isso normal só pode argumentar duas coisas: 1) “tem muuuita gente por aí com 700 mil sobrando, e que portanto pode comprar à vista”, ou 2) “muita gente tem renda maior que essa prestação”.

    Quanto ao argumento “1”, eu duvido muito. Diria que quem tem 700 mil sobrando pra investir é exceção.

    Quanto ao “2”, eu diria que normalmente, uma família com renda de 20 mil normalmente não ganha esse dinheiro e gasta pouco. Pelo contrário, tende a ser relaxada com dinheiro e gastar muito, sem falar em despesa com colégio de criança, etc.

    Conheço muitas famílias assim, com renda boa, mas sem que sobre um tostão. Ganham bem, mas gastam muito com hábitos dos quais não abrem mão.

    O que quero dizer é: não consigo imaginar muitas famílias com 5200 reais sobrando.

    Por isso que sempre digo que os preços já ultrapassaram o limite do inviável faz muito tempo. Quem paga essas prestações é a exceção da exceção. Não dá pra achar que um preço desses tem como virar normal.

    Pessoalmente, não temo que “esses preços virem normais caso o brasileiro tope pagá-los”, como acontece com carros. Por mais caros que os carros estejam, envolvem valores muito menores e mais facilidades de pagamento.

    Falando em carro… se até as vendas deles estão caindo, o que dizer dos imóveis??

    É com base nisso tudo que sempre afirmo: “a renda do brasileiro não comporta nada nem próximo dos patamares atuais”.

    Gostaria da opinião dos colegas.

    0
    • shakespeare 13 de dezembro de 2011 at 23:59

      a julgar pelo preço de qualquer quarto-sala em SP eu acho que só tem gente no Brasil que ganha mais de 25 mil por mês, líquido, ou que tem 1 milhão guardado…

      0
    • FQ 14 de dezembro de 2011 at 10:52

      Colega,

      Financiando 600 mil, a prestação real, aquela que vem no boleto, seria de pelo menos 7.000 reais.

      Já fiz esta simulação varias vezes, 5 mil seria uma prestação teórica que não existe para um financiamento de 600 pau!

      Entre no simulador da caixa e olhe!

      0
  • Jota Júnior 13 de dezembro de 2011 at 22:10

    Complicado, pelo que andei lendo aqui boa parte dos que contribuem para esse espaço são funcionários públicos e acham que por serem “capachos” do governo estão no topo da pirâmide social.

    Sinceramente, o salário de servidores públicos, salvo os do judiciário e a receita, está completamente defasado, enquanto algumas profissões tiveram consideráveis aumentos nesses anos.Alguns aqui acham que R$10.000,00 brutos é o supra sumo dos ganhos e que com esse valor deveriam morar no mínimo em Copacabana.Complicado, bem complicado.

    E o pior, as perspectivas não são nada boas, por mais que os preços dos imóveis periféricos tendem a uma relativa correção, isso de nada adianta, visto que o salário da maioria não propicia nem a abertura de financiamento, mesmo em valores bem mais baixos que os atuais.

    Complicado…

    0
    • pmoraesm 13 de dezembro de 2011 at 23:47

      Até o jota virou bolhista…ele mesmo chegou a conclusão que os Imoveis estão num patamar tão absurdo que só ganhando 20 mil/mes é que se compra.

      Infelizmente pros colegas de profissão dele nao estamos em Mônaco e mais de 99% da população vive com menos de 5 salários mínimos/mes. Acho que só o jota e sua clientela do mundo de caras continuarão vivendo no país das maravilhas nos próximos anos.

      0
      • shakespeare 13 de dezembro de 2011 at 23:52

        até acabarem os brioches…

        0
        • Anonymous 14 de dezembro de 2011 at 08:05

          Além de brioche, ainda tem croissant, mas uma hora acabam. Acho que a Banânia vai caminhar na direção da Venezuela – uma espécie de comunismo do sul Americano imbecil. A Banânia não merece nada melhor do que isso.

          0
      • L1 14 de dezembro de 2011 at 00:51

        o Jota vai abrir seu proprio instituto de pesquisa, o IBJE.

        Eu trabalho na área administrativa de uma multinacional e garanto que o salários médios, excluindo gerentes, superintendentes e diretores, não passam de 4 ou 5k… isso sendo bem otimista

        concluo que o IBJE tem dados privilegiados e que o IBGE já era…
        concluo que tem mais cacique que indio no Brasil
        concluo que os funcionários públicos e os privados somente da minha empresa, vão começar a mendigar em breve
        concluo também que o MCMV tem como limite 170k de sacanagem, e só os mendigos usam o programa do governo… a nova classe C quer e pode dar 700k no recreio…

        0
        • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 10:31

          estou com a tabelinha do IBGE 2010 na minha frente.
          menos de 5% da população de SP ou Rio (cidades ricas) ganham acima de 10k

          No Rio Isso dá 300 mil pessoas, 100 mil casas.
          Agora compara com a população da zona sul do Rio.
          Os dados que ele afirma não bate com a realidade
          Isso que ele fala pode impressionar donas de casa, mas a gente sabe que é só mentira.

          0
    • Jomar 14 de dezembro de 2011 at 00:28

      Quem diz que 10K/mês deveria ser classe média alta não é o blog, é o IBGE… Tudo bem que os critérios dele podem ser questionados, mas quem tem essa renda está nos 10% superiores da pirâmide. Aliás, isso dá US$ 72K por ano, o que acredito que não seja um salário merreca em nenhum lugar do mundo…

      0
      • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 10:37

        US 72k seria uma das maiores rendas per capita do mundo

        1 Luxemburgo 111.182
        2 Noruega 94.359
        3 Suíça 64.011
        4 Irlanda 63.178
        5 Dinamarca 62.327
        6 Islândia 52.549
        7 Países Baixos 52.322
        8 Suécia 52.057
        9 Finlândia 51.060
        10 Áustria 49.902
        11 Austrália 47.498
        12 Estados Unidos 46.716
        13 Bélgica 46.486
        14 França 45.982
        15 Alemanha 44.471
        16 Reino Unido 43.089
        17 Canadá 42.031
        18 Japão 38.443
        19 Itália 38.309
        20 Singapura 37.600

        wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_pa%C3%ADses_por_PIB_nominal_per_capita

        0
    • RCesar 14 de dezembro de 2011 at 04:23

      Nosso papel de comentar o quanto essa situação é ridícula só pode mesmo incomodar quem se aproveita dela. Não me causa nenhuma surpresa que um sujeito como você, JJunior, escreva asneiras como essas pois é bem conhecido o nível de muitos dos parasitas que aproveitam essa onda especulativa.
      Uma vez que a sua arrogância parece que o impede de compreender certas situações aqui discutidas, cabe esclarecer que muitos dos “capachos” com salários de 10K na verdade têm renda familiar bem superior a esse patamar. E muitos possuem economias suficientes para adquirir imóveis até acima de 700K à vista ou com parcela mínima financiada. Portanto, prezado, não generalize quando fala do funcionalismo. Ao que parece, você sequer conhece a realidade de várias das categorias além do Judiciário e da Receita.
      Compreenda que nem sempre o problema é falta de grana pra comprar. O que boa parte das pessoas de bom senso se recusa a fazer é pagar aos parasitas especuladores um valor abusivo numa, digamos, kitinete de 25m2 sem garagem sendo oferecida por 600K como se fosse o supra-sumo da boa moradia. Enquanto o papel de gente como você é fazer as pessoas acreditarem que isso é normal, o nosso é informar que muitos(capachos e não-capachos) discordam dessa enorme especulação que usa argumentos de “Copa”, “Olimpíada” e outros pra justificar a usura que se estabeleceu nesse mercado. E se pela lei do mercado o vendedor tem o direito de pedir R$1 milhão num conjugado, o comprador também tem o direito de julgar esse valor abusivo e recusar, ainda que tenha dinheiro para pagar. E cada um na sua: quem quiser que compre e seja feliz morando numa caixa de fósforos.
      Portanto, caro JJunior, não perca o seu tempo conosco. Aproveite enquanto pode! Vá lá vender e ganhar os seus milhões, e talvez você chegue no verdadeiro “topo da pirâmide”. Só não esqueça de declarar o seu IR direitinho, viu? Afinal, algum “capacho” da Receita que frequente este blog pode querer conferir como você chegou lá.

      0
      • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 10:25

        RCesar, já denunciei essa estratégia meses atrás.

        O primeiro passo de um corretor é tentar se mostrar superior, humilhar o comprador, não importa o quanto ele ganhe. Convencer a vítima que ele é o cara.

        Esse imbecil aís e meteu a falar de arte, duvido que tenha visto um picasso na vida, bem provável tenha confundido obra do mestre picasso com pica de aço do mestre de obra.

        0
      • Roberto Cesar 15 de dezembro de 2011 at 02:29

        Cara, tomei um susto agora com esse post do Rcesar. Eu bati o olho e pensei: “eu não escrevi isso”. Depois é que fui ver que é outro rcesar 🙂 (Na realidade aqui no bolha eu sou Roberto Cesar, apesar do meu blog ser rcesar.net).

        Rcesar, concordo com você.

        Abcs,
        Roberto Cesar

        0
    • RT 14 de dezembro de 2011 at 08:28

      “Alguns aqui acham que R$10.000,00 brutos é o supra sumo dos ganhos e que com esse valor deveriam morar no mínimo em Copacabana.”

      Nem 8 nem 80.

      10 mil brutos pode não ser o supra sumo dos ganhos, mas também está longe de ser um salário ruim, que “qualquer um” ganha.

      Por outro lado, uma pessoa que ganha isso não deveria ter problemas para conseguir um apartamento normal (sem maiores luxos) em Copacabana.

      0
      • MrK 14 de dezembro de 2011 at 10:11

        tambem nao entendi essa..

        se copacabana que eh um dos bairros mais “low profile” da zona sul, o cara acha que precisa ganhar MAIS de R$10mil pra morar, entao pra morar na lagoa qual deve ser a renda? R$25mil? e no leblon R$50mil?

        ai ai ai.. a realidade mandou um abraco

        0
        • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 11:29

          O jotajota é de SP, ele não conhece copa, deve ter visto algum filme antigo.
          ele não deve nem ter entendido o que vc quis dizer com low profile

          o cara cospe merda sem saber do que está falando igual aquela tia corretora que vinha aqui falar de Paris, ou aquele outro corretor que discorria sobre monaco como se fosse mais perto que o Paraguai.

          Qaus eesqueci, o negopcio dele é falar de picasso

          0
      • danilo 14 de dezembro de 2011 at 11:43

        Bom dia!
        Gostaria de compartilhar minha curta experïência em Brasília e os comentários que ouço mais frequentemente sobre o mercado imobiliário dos próprios moradores.

        1 – “Brasília (plano piloto) é uma cidade que vale a pena alugar e nao comprar moradia, pois está muito caro”
        2 – “Vc está chegando na cidade agora. Se estiver pensando em comprar, compre agora, porque nao vai conseguir adquirir nada até as olimpíadas”
        3 – “O mercado da cidade vai, na pior das hipóteses, estabilizar os preços. Cair é impossível”

        Ninguém percebe a contradiçao nesse discurso. Impressionante!
        Pelo visto, há muita gente que ainda acredita na valorizaçao eterna e no “inabalável” mercado imobiliário.

        0
        • Roberto Cesar 15 de dezembro de 2011 at 02:35

          Danilo,

          É a velha retórica: “aqui é diferente”.

          0
    • Leandro 14 de dezembro de 2011 at 12:58

      Você deveria conhecer melhor a carreira do Judiciário Federal.
      Hoje, uma pessoa formada em Direito entra ganhando cerca de seis mil reais líquidos. Nas carreiras da Advocacia Pública o salário inicial de um bacharel em direito é de cerca de onde mil líquidos. Qual dos dois está defasado?
      No Judiciário só ganham bem os antigões que possuem funções incorporadas (algo que não é mais possível hoje) ou os que tem funções gratificadas altas (minoria).

      0
      • Carlos Wagner 14 de dezembro de 2011 at 13:21

        Leandro

        Eu acredito que 6 mil liquidos, salario de quem ganha mal na carreira do judiciario federal, deveria ser considerado um ótimo salario, haja vista esta pessoas estar nos 14% da população brasileira que declara imposto de renda.

        O problema não é que 6 mil é pouco e sim que vivemos uma bolha generalizada de todos os produtos no Brasil.

        0
        • Leandro 15 de dezembro de 2011 at 09:13

          Concordo Carlos!

          0
  • thiago 13 de dezembro de 2011 at 22:38

    Amigos,

    O estouro da bolha deve ser como no apocalipse bíblico. Virão sinais, mas de modo algum sabereis o dia e a hora. Portanto, vigiai!!

    Agora é serio. Não se estressem em prever com exatidão esse tipo de coisa. Tem um fator subjetivo muito forte nesse processo. Não é uma como numa equação matemática tradicional. O estouro de uma bolha acontece dialeticamente, por meio de fatores financeiros e psicológicos que se cruzam, criando paradoxos econômicos e sociais.

    Uma bolha é como um câncer, um tumor que se multiplica nos moldes da reprodução capitalista, só que de forma muito rápida e descontrolada. Resumindo…A BOLHA É UMA DISTORÇÃO, UMA CONTRADIÇÃO que se revela de várias maneiras ( VALOR DE USO X VALOR DE TROCA – OFERTA X DEMANDA – NECESSIDADE X CONVENIÊNCIA- INVESTIMENTO X RETORNO – DESEJO X CAPACIDADE DE REALIZAR etc)

    O tão esperado estouro ou CORREÇÃO DA DISTORÇÃO acontece quando se atinge o que podemos
    denominar de PONTO CRÍTICO. O mais provável a desencadear o estouro deve vir do paradigma entre CRÉDITO X ENDIVIDAMENTO

    0
    • peterson 14 de dezembro de 2011 at 01:18

      depois dizem que não têm gênios neste blog, post sensacional, os cruzamentos de informações que você citou geram gráficos perfeitos de como estamos atualmente, mostrariam claramente tendencias, pena que ninguém têm isso no mundo dos “mortais”, um grafico legal seria VONTADE X CAPACIDADE X TEMPO, exemplo minha vontade é 500 minha capacidade é 200 e o tempo(absoluto) seria 10 o ponto XYZ seria 5,2,10, o do meu amigo seria 2,1,30 , do vizinho 3,1,10, etc…. o grafico 3D(dispersão) seria uma BOLHA (ora vejam só) o lado que ela estiver inflando seria visualizado, saberiamos se é no tempo(financiamento), na capacidade(custo alto) ou na vontade(escasses)… o unico instituto que consegue fazer isso é do governo…. mataram a charada? nada é por acaso…. nada!

      0
      • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 11:31

        Tbm achei o Thiago genial.

        por falr nisso saiu o resultado da segunda semana de dezembro, revoada de dolares continua, começo a pensar em antecipar a compra.

        0
        • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 11:51

          já garanti os meus

          0
  • thiago 13 de dezembro de 2011 at 23:00

    mais lenha na fogueira

    O governo Dilma prepara redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) de carros nacionais dentro da reformulação do regime automotivo brasileiro.

    A medida visa reaquecer as vendas no mercado automobilístico, em queda nos últimos meses, e aumentar o índice de nacionalização dos carros fabricados no país.

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1020917-governo-prepara-reducao-de-ipi-para-carros-nacionais.shtml

    0
  • Sergio 13 de dezembro de 2011 at 23:27

    É…. Freud baixou aqui hoje. Atuou como consultor externo de uma sessão em grupo, onde o coordenador era Jung e os participantes Nouriel Roubini, Peter Schiff, Robert Shiller, Alexandre Tombini, João Crestana, Luís Inácio, Mãe Diná, Walter Mercado, Roberto Marinho e o palhaço Tiririca.
    O resultado do dia é que foi todo mundo internado lá no Dr. Eiras, na mesma ala em que se encontra Napoleão Bonaparte, Nero e Hitler.
    Só doideira… he he he… pra encerrar com bom humor.

    0
    • Henrique 14 de dezembro de 2011 at 01:11

      Há pouco tenho frequentado esse blog e aprendido bastante com tudo que tenho lido. Sonho em ter meu imóvel, mas não tive coragem de encarar o atual mercado com seus preços absurdos.Tenho aguardado o melhor momento como todos aqui. Moro em João Pessoa/PB e nunca vi ninguém por aqui perder dinheiro investindo em imóvel. Aparentemente o mercado imobiliário por aqui não dá sinais de acomodação.Tenho ficado angustiado. Se espero e perco a oportunidade ou arrisco e tenho prejuízo.

      0
      • Anonymous 14 de dezembro de 2011 at 09:34

        Caro Henrique
        Não fique angustiado por achar que está perdendo um ótimo negócio não comprando imóvel.
        Ninguém pode tomar essa decisão por ti, e não deve tomar essa decisão pela opinião dos outros. Só não aja por impulso.
        Desconfie quando uma coisa parece ser muito boa pra ser verdade e é propagandeada por quem ganha alguma coisa com ela.
        Abraço

        0
      • augusto 14 de dezembro de 2011 at 10:47

        Compre Henrique, e logo fará parte dos babacas que perderam dinheiro.
        Vc. nunca viu ninguem perder dinheiro com imóvel, mas tambem nunca viu uma especulação imobiliária como a atual. Por outro lado olhe para os americanos, espanhois, gregos, e agora recentemente para os chineses, e verá se não é factivel perder grana com imóveis. Mas compre logo Henrique, vamos lá

        0
      • Carlos Wagner 14 de dezembro de 2011 at 13:26

        Caro Henrique

        Talvez meu conselho seja util pra vc:

        O ponto principal que fez desistir, por hora, de comprar imovel foi a qualidade de vida. Veja bem, se eu comprsse, iria pagar de prestação de financiamento um valor muito maior do que pago de aluguel hoje num apartamento de medio/alto padrao. A aquisição do imovel proprio iria me condenar a morar num imovel de pessimo padrao feito nas coxas.

        Pense se vale a pena morar mal pagando caro ou morar bem pagando menos, mesmo que seja um aluguel.

        Aluguel é temporario. Alugue até que os preços caiam e continue tranquilo.

        0
        • Henrique 14 de dezembro de 2011 at 15:41

          Agradeço a atenção Carlos Wagner,

          na verdade nem moro de aluguel.Não sou casado e ainda moro com meus pais. A questão de comprar um imóvel é mais aquela velha ideia de que ter um apartamento é ter uma certa segurança no futuro.O imóvel por hora ficaria alugado pq não tenho pretensão de morar só, nos próximos 5 anos. Estou na torcida de que os preços caiam ,pq estão impraticáveis.

          0
  • MrK 14 de dezembro de 2011 at 05:27

    Reportagem do valor de hoje, sobre o BC monitorar o credito mais de perto

    “O estoque do crédito no Brasil, que dobrou de tamanho desde a chegada do Partido dos Trabalhadores (PT) ao Planalto há quase uma década, aproxima-se de 50% do PIB. E sua evolução inspira cuidados das autoridades monetárias, inclusive, porque a expansão de algumas modalidades de empréstimos mantém um ritmo forte. As famílias brasileiras têm se endividado mais rapidamente com financiamento de imóveis e com crédito classificado como do sufoco: cheque especial e cartão de crédito.”

    Tudo bem, que o povo ta devendo ate o que nao tem nao e’ novidade pra ninguem aqui, mas o pior foi uma reportagem do estadao hoje, que dizia que algumas empresas ja estao preparando demissoes na volta das ferias coletivas… claro que o Governo vai tentar evitar (por isso quer baixar o IPI de carros de novo), mas ate quando vai conseguir? Sem vendas nao tem jeito, as empresas precisam se reestruturar.

    Agora imaginem uma pessoa que paga prestacao de imovel e ta no vermelho no cartao de credito perdendo emprego… vai ser uma chuva de inadimplencia, triste Brasil, to achando que o PT nao leva 2014

    0
    • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 10:15

      Mrk, li uma analise boa no brazilian buble sobre a subprime à brasileira.
      Não é à toa que estão identificado revoada de dolares do Brasil

      0
      • augusto 14 de dezembro de 2011 at 10:43

        Não se preocupe Luiz, pois o super Mantega e SEU menino prodigio Tombini entrarão em ação, e impedirão a fuga de dolares daqui.
        Afinal de contas têm 450 bi em compulsórios bancários, quantia que representa só o total dos financiamentos com veículos e imóveis. Ou a quantia citada ontem pela Dilma e pelo Joelmir Beting é pequena, ou os financiamentos só neste dois setores ( e por enquanto) são muito grandes

        0
  • MrK 14 de dezembro de 2011 at 05:54

    ESPECIAL PRA VOCES DO RIO…

    Em Outubro notei algo estranho e comentei aqui, um predio novo na Gavea/RJ que vivia apagado, mesmo apos 2 meses de ser entregue, apenas UMA familia morando… pois bem vejam o que achei em 15 minutos no ZAP:

    1
    zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-GAVEA-/ID-2656007

    2
    zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-GAVEA-/ID-2656115

    3
    zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-GAVEA-RUA-MARQUES-DE-SAO-VICENTE/ID-2752554

    Achei 3 apartamentos em repasse no MESMO predio, somente no ZAP!! Se voce ir nos classificados ou encostar no porteiro e perguntar deve achar outros mais… agora me digam que a quantidade de “investidores” nesse mercado e’ insignificante…hahahaha PLOC!!

    0
    • Rodrigo 14 de dezembro de 2011 at 09:18

      Lembrei do comentário que apartamento de alto padrão não desvaoriza NUNCA! ahahahah

      0
      • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 10:06

        MRK entrei no reclame aqui pra pesquisar a situação da coelho da fonseca rizada e descobri 8 reclamações esse ano de promessas não cumpridas de repasse de imóvel, sendo que nos anos anteriores isso era quase inexistente. Detalhe a coelho é de altíssimo padrão, nesta faixa os reclamantes costumam ir à advogados ao invés de sites. A coisa deve estar muito pior.
        O primeiro desesperado que pular do prédio quero ver eles rirem.

        0
    • MrK 14 de dezembro de 2011 at 10:07

      prestem atencao..

      gastei mais 15 minutos e achei mais imoveis desse predio a venda pra repasse e nao parecem ser os mesmos

      agora detalhe, sabe quantos aps tem no predio, excluindo as coberturas? 20 !!!!! Como pode um predio com 20 imoveis ter tanto repasse anunciado?? especulacao total, alias os 3 predios novos da gavea estao cheios de repasse…vao vendo mais alguns…

      novaaliancaimoveis.com.br/07/imovel-apartamento-a-venda-gavea-rio-de-janeiro-rj?tituloimovel=07%2Fimovel-apartamento-a-venda-humaita-rio-de-janeiro-rj&visualiza=l&ordena=s&ehordem=codigo&ehtipoordem=&ehordematual=bairro&ehdescordem=Bairro&posicao=379&qtdereg=532&codigo=SA20148

      soatlantica.com.br/05/imovel-apartamento-a-venda-gavea-rio-de-janeiro-rj?codigo=CA20595

      agora virou moda vir nos anuncios as palavrinhas: “primeira locacao”

      0
      • Celso 14 de dezembro de 2011 at 10:34

        Pois é. E foto de dentro do apto que é bom, nada. Deve ser uma bela duma porcaria (e com certeza o é). Nariz de palhaço para o tonto que comprou e quer repassar e chapéu de burro para o idiota que se interessar. Um milhão num apertado de 80m² não vale em lugar algum..

        0
        • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 11:09

          não tem foto pq não tem piso, não tem armário, não tem espelho, não tem aquecedor, chuveiro, falta janela na area de serviço, falta pinutra, rodapé e outros “detalhes”.

          Do jeito que eles entregam a obra vai ainda uns 10 mil pra ficar minimamente habitável
          Se for seguir o mesmo padrão do preço chega fácil nos 40 mil em reforma.

          0
  • Marvin 14 de dezembro de 2011 at 08:34

    O governo atual já está igual aos pilotos do vôo 477 da Air France: o pitot está entupido, e hora eles aceleram, oram diminuem, empinam o nariz do avião, mergulham com tudo (acabei de ler que estão pensando em reduzir o IPI dos carros nacionais)…. Até que, após, todas as manobras “no escuro”, o avião se espatifa no mar, sem sobreviventes… Ou seja, de uma forma ou de outra, TODOS BRASILEIROS vão perder, pela irresponsabilidade de alguns.
    O crédito pode ser excelente, se usado com parcimônia e sabedoria, mas, quando usado de forma irresponsável e para o mero consumismo desenfreado por quem não tem condições de consumir, pode ser um tiro no pé…
    Quando aos prédios vazios (conforme comentários aí atrás), é bom que sejam bem altos, para não ter chance de sobrevivênvia quando começarem a pular lá de cima kkkk! Deveriam incluir nos novos lançamentos imobiliários prançhas no topo, com área livre embaixo para suicídios coletivos…

    0
    • augusto 14 de dezembro de 2011 at 10:37

      Dilma e o governo do PT estão criando o apagão do etanol. Só não conseguem criar o da gasolina porque esta pode ser importada, que é o que está sendo feito em quantidades enormes
      APGÃO DO ETANOL = GOVERNO DO PT

      0
  • Ricardo 14 de dezembro de 2011 at 09:21

    Postei um comentário no Blog do Guilherme Barros, colunista do IG a respeito de valorização imobiliária até 2017. A maior parte dos comentários citam a bolha imobiliária. Segue o meu comentário e logo abaixo, o site:

    “Prezado Guilherme Barros,antes de citar reportagens a respeito do boom imobiliário, valorização eterna, sugeriria verificar com o seu colega, Ricardo Gallo, colunista do IG as condições atuais do mercado.Provavelmente, estamos em um processo de esvaziamento de uma “bolha imobiliária”, devido, principalmente, ao aumento insano dos valores dos imóveis, assim como ocorreu nos EUA, Espanha, Japão, atingindo até a China. O Brasil deverá ser o próximo.
    Portanto, cuidado com “certas reportagens” , pois a sua credibilidade pode sair manchada.”

    h t t p://colunistas.ig.com.br/guilhermebarros/2011/12/13/mercado-imobiliario-vivera-boom-ate-2017-diz-consul-patrimonial/comment-page-2/#comments

    0
    • Ricardo 14 de dezembro de 2011 at 09:35

      – Poderia citar:
      1 – aumento do crédito e endividamento;
      2 – especulação;
      3 – apoio governamental (MCMV), criando um aumento na demanda a custo do endividamento exagerado.

      O resultado , em parte, está aí: o governo tenta aumentar o consumo através da redução do IPI, mas como o povo está endividado, o efeito da medida será baixo.

      Enfim, povo sem $$, aumento da oferta de imóveis = queda nos preços (Booom ou queda paulatina, eis a questão………… Façam as apostas!!!)

      0
  • TH 14 de dezembro de 2011 at 09:29

    E o ZAP atinge novos recordes. Ipanema agora tem mais de 2000 imóveis a venda, enquanto copacabana chega aos 5300. Cerca de 9 meses atrás copa tinha pouco mais de 3000 imóveis anunciados.

    0
    • augusto 14 de dezembro de 2011 at 10:33

      Com a palavra os corretores ociosos, pois não mais tem clientes, que costumam frequnetar sorrateiramente as discussões postando baboseiras, que é o que mais sai de suas cabeças.
      Contra números e fatos não há argumentos, mesmo sendo citados analistas e pessoas de nenhuma crediblidade

      0
    • RCesar 14 de dezembro de 2011 at 16:37

      Acredito que vocês, que acompanham o ZAP para embasar o número de imóveis disponíveis na Zona Sul do Rio, percebem que boa parte dos aptos anunciados encontra-se ocupada. Ou estão alugados ou são residência do proprietário. Portanto, não creio que pegar o número bruto de imóveis à venda necessariamente reflita a disponibilidade real de moradias nessa área do RJ.

      Muitos que oferecem imóveis estão aproveitando a oportunidade para vender no preço mais alto possível e não se importam em cobrar o que querem pois não são necessariamente investidores mas apenas especuladores de primeira viagem. Conheço várias pessoas que possuem apto na zona sul e querem se desfazer porque enxergam a oportunidade de obter valores que em outras épocas não obteriam NUNCA nesses imóveis. Se vender, ótimo. Senão, também não importa pois continuam a residir onde estão. Enquanto a situação for favorável a esse tipo de manobra, permanecerá o preço alto dessas unidades. E na Zona Sul do RJ é o lugar mais propício para que isto aconteça.

      Quem tem crédito e acha que aptos barulhentos, encaixotados, minúsculos, sem garagem e, por vezes, localizados em regiões perigosas(tem gente que acredita que UPP justifica quadruplicar valor de imóvel), valem isso que está sendo pedido, que pague.

      0
  • Eduardo 14 de dezembro de 2011 at 10:19

    Não sei se alguém postou mais pra cima.
    Saiu no UOL de hoje.

    Mercado imobiliário não vai conseguir manter preços altos em 2012

    São Paulo – O mercado imobiliário chega a um momento de inflexão na curva de crescimento, iniciada há cerca de quatro anos, avalia o presidente da Bueno Netto Empreendimentos, Adalberto Bueno Netto. Ele avalia que, em 2012, os consumidores já não estarão mais dispostos a pagar os elevados preços praticados pelo mercado imobiliário.

    Durante a mesa-redonda com o tema “Perspectivas para o Brasil em 2012 e Tendências do Setor Imobiliário”, realizada nesta quarta-feira (7) pela Fiabc/Brasil (edição brasileira da Federação Internacional das Profissões Imobiliárias), em parceria com a Secovi-SP (Sindicato da Habitação), Netto afirmou que o mercado consumidor já começou a dar sinais de que não pretende sustentar mais os elevados preços das casas. Desta forma, acredita que as empresas não vão conseguir continuar praticando preços altos.

    Valorização dos insumos
    Durante seu discurso, Netto explicou que, do lado das construtoras, o cenário não é otimista. Todos os principais insumos do setor, como terras, materiais de construção e mão de obra vêm apresentando aceleração nos preços.

    No caso dos terrenos, os preços chegaram a valorizar 300% nos últimos quatro anos, pontua Netto, ressaltando que não espera queda dos valores para os próximos anos. Ele cita os preços dos terrenos na periferia, que há quatro anos custavam R$ 300 o metro quadrado e hoje já são comercializados por R$ 1 mil.

    A mão de obra também segue pressionando os custos das construtoras, desde os profissionais mais qualificados, como os engenheiros, até os menos qualificada, como pedreiros, serventes e mestres de obras. “Qualquer engenheiro que ganhava R$ 3 mil há quatro anos hoje ganha na faixa de R$ 10 mil a R$ 12 mil. O pessoal de obras antes ganhava R$ 1 mil hoje tira R$ 5 mil, R$ 6 mil”, diz Netto.

    “Esse quadro completo de custos foi sendo transferido, até o momento, de uma forma direta para o comprador”, explicou Netto. O consumidor acompanhou nos últimos quatro anos esse aumento de preços, mas parece que chegou ao seu limite. “O mercado não suporta mais o aumento de preços, o comprador não quer e não vai pagar novos aumentos”, observa Netto.

    Para confirmar essa tendência, Netto ainda citou dados sobre o mercado imobiliário de Miami, onde cerca de 20% dos negócios feitos por lá são de brasileiros. “O comprador usa seu dinheiro onde melhor interessar”, afirmou Netto.

    Produtividade da construção civil
    Apesar do difícil cenário da construção civil, Netto ainda vê saídas. A melhora da produtividade, por exemplo, seria uma delas. É preciso rever o modelo atual de produtividade, já que este leva em conta um custo baixo de mão de obra, o que não existe mais.

    Permitir a abertura do mercado nacional para mais empresas estrangeiras, que comercializam materiais de construção, seria outra ajuda, já que aumentaria a concorrência e pressionaria os preços desse insumo para baixo.

    0
    • Jack Imóveis 14 de dezembro de 2011 at 11:58

      Caro Bolha,

      Matéria muito boa essa do Eduardo. Vamos criar um novo tópico?

      Abraços

      Jack – Do Inicio

      0
      • FQ 14 de dezembro de 2011 at 12:32

        Essa é praticamente a mesma matéria que já foi tópico a poucos dias.

        0
      • FQ 14 de dezembro de 2011 at 12:34

        “Praticamente” não!

        Essa é a mesma matéria que foi tópico a poucos dias!

        0
  • xyz 14 de dezembro de 2011 at 10:25

    Vejam porque a bolha nesses locais infla com mais força.

    h ttp://g1.globo.com/economia/noticia/2011/12/participacoes-de-sao-paulo-rio-e-brasilia-no-pib-cresceram-em-2009.html

    A única coisa que este governo fez em nove anos foi concentrar renda.
    O governo criou dinheiro absurdamente e repassou para o mercado imobiliário via CEF, “emprestou” para “determinados” empresários via BNDES e doou diretamente aos bancos via redução de compulsório (antes eu pensava que compulsório era algo que o governo retirava dos bancos, mas é exatamente o contrário).

    0
    • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 10:53

      Isso de calcular pib per capita de municípios é uma imbecilidade pra qualquer estagiário que estuda a área.

      Muito simples de ver: cidades pequenas que possuem por exemplo uma GM, uma refinaria, despontam como muito ricas o que nem de perto é verdade.

      Os dados de renda per capita do IBGE 2010 apontam para empobrecimento do perfil de grandes cidades como Rio, SP, Salvador. As cidades que o povo enriqueceu foram Vitória, Florianopolis, Santos, Niterói (ou seja cidades médias)

      0
    • Fabio 14 de dezembro de 2011 at 12:59

      Outra coisa a se considerar é que, no cálculo, consumo (ou gasto) é um dos indicadores de “riqueza”. Brasília, por exemplo, praticamente não produz nada (com exceção de corruptos) e tem um PIB altíssimo para o padrão da Banânia, graças aos gordos proventos dos políticos que alí residem.

      0
  • FQ 14 de dezembro de 2011 at 10:29

    Diferentemente de ações ou de um fundo de investimento, estes apartamentos, que por vezes são chamados de ativos de investimentos por alguns corretores, são na verdade uma unidade chamada de residência, ou seja, precisam de um sujeito que anda esquecido ultimamente, o bom e velho morador, aquela família ou pessoa que reside ou residirá neste bem!

    0
    • Cleyton 14 de dezembro de 2011 at 18:24

      Penso exatamente da mesma forma.

      0
  • pmoraesm 14 de dezembro de 2011 at 10:31

    Mais um capitulo da novel sobre um imovel a venda no prédio onde moro: agora o proprietário quer R$ 315.000,00…segundo o zelador (que leva uma “caixinha” por divulgar o apto) foram recebidas duas propostas no valor de 340 mil porém nenhuma delas conseguiu liberação do credito e o negocio acabou nao se concretizando.

    A propósito: o imovel esta anunciado em imobiliaria por 350 e já tinham me oferecido por 330…vamos ver se vai vender por 315

    0
    • Celso 14 de dezembro de 2011 at 10:37

      Telefona e oferece R$200 mil, cash, para ver a reação. :o)

      0
      • pmoraesm 14 de dezembro de 2011 at 11:03

        Quando fiquei sabendo do imóvel à venda, uns 6 meses atrás, ofereci R$ 270.000,00.

        Não foi em dinheiro, mas tinha uma entrada de 80 mil + FGTS (cerca de 30 mil) + uma carta de crédito que completaria o valor… na época disseram que eu só podia estar de brincadeira.

        Talvez eu telefone, para dizer que não guardei ressentimentos e minha proposta ainda está de pé.

        0
        • Carlos Eduaroo 14 de dezembro de 2011 at 15:18

          Oferece 200 k

          não vai se endividar! achando e o fato de ele baixar o preço vale alguma coisa!

          tem que pagar oque você tem ; )

          0
    • MrK 14 de dezembro de 2011 at 10:39

      pois eh, mas segundo o fipezap esse imovel sempre foi 350 e hoje vale 350, quando ele for vendido, digamos por 315 ou 305, esses 10% ou 15% de desvalorizacao vao entrar sabe onde na conta do fipezap? lugar nenhum…

      depois ainda tem gente que defende esse indice

      0
      • pmoraesm 14 de dezembro de 2011 at 11:18

        Firme e forte…

        http ://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-SAO-PAULO-ANALIA-FRANCO-/ID-2098157

        Detalhe 1: Apesar do “pronto para morar” na descrição, o apartamento está no contrapiso, nunca foi habitado. As fotos internas são do decorado, na época do lançamento. Só as do condomínio são atuais.

        Detalhe 2: Ele não fica no Anália Franco e sim na Vila Regente Feijó, bairro vizinho (detesto essa prática das imobiliárias usarem um bairro famoso pra “valorizar” os apartamentos da vizinhança).

        Detalhe 3: Só nas fotos do anúncio é possível ver 3 dos diversos outros prédios que estão sendo erguidos na região. O que eu moro é de 2009 e ainda tem unidades vazias. Demanda reprimida, sei…

        0
    • Paulo - RJ 14 de dezembro de 2011 at 11:36

      Interessante isto e baseado em fatos reais:
      Com crédito: R$ 340.000,00 (situação factível em que duas pessoas se dispuseram a pagar, embora não tenham consumado a compra).
      Sem crédito: por R$315.000,00 ainda não apareceu ninguém.

      Ou seja, se começar a ocorrer dificuldade na obtenção de crédito….

      0
  • Davi 14 de dezembro de 2011 at 10:38

    È um off-topic, mas acho que tá valendo:

    Sobre os preços dos carros no Brasil

    h t t p://mises.org.br/Article.aspx?id=1027

    0
    • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 10:55

      já falei do lucro Brasil no facebook

      exemplo que peguei de lá:
      porsche igual aquele que vais er sorteado no panico
      BR = +300 mil reais
      resto do mundo = 100 mil reais

      0
  • Marcos 14 de dezembro de 2011 at 10:56

    TERÇA-FEIRA, 13 DE DEZEMBRO DE 2011
    Brasil, Brasil Juros, Sem categoria | 12:19
    Vendas de varejo: despencam

    As vendas no varejo ( bom indicador para consumo das famílias ) está se desacelerando bastante, como vemos no gráfico abaixo marcado em amarelo, e se aproximando das taxas de crescimento que tivemos em 2009:

    O gráfico mostra a evolução da média de 3 meses da taxa de crescimento anual das vendas vendas no varejo, excluindo autos e material de construção.

    Indica que consumo está desacelerando bastante. Logo, prepare-se para uma bela esfriada da economia…..

    colunistas.ig.com.br/ricardogallo/2011/12/13/vendas-de-varejo-despencam/

    Tem um gráfico no link.

    Vendas de varejo desaquecendo. Veículos desaquecendo… Mas com certeza imóveis venderão como água. Afinal de contas, vivemos no Mundo de Alice!

    A conta do governo Lula esta batendo.

    0
  • Marcos 14 de dezembro de 2011 at 11:29

    Perspectiva de valorização das ações com Copa do Mundo esbarra na crise europeia

    www .infomoney.com.br/financas/noticia/2284259

    Só das ações. Imóvel continua garantido.

    0
  • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 11:48

    O que muito me espanta é como existem pessoas que se comprometem com esses financiamentos escravizantes e quase perpétuos em troca do sonho de uma casa própria, pequena, num lugar ruim e custando uma fortuna!

    0
  • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 11:58

    Encontrada a EXPLICAÇÃO da valorização dos imóveis na cidade de São Paulo:

    Para paulistano, cidade piorou nos últimos quatro anos

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1021036-para-paulistano-cidade-piorou-nos-ultimos-quatro-anos.shtml

    Paulistano gosta de morar mal…

    0
    • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 13:19

      Encontrada a EXPLICAÇÃO da valorização dos imóveis na cidade de São Paulo:

      Folha de hoje: Para paulistano, cidade piorou nos últimos quatro anos

      Paulistano gosta de morar mal…

      0
      • Carlos Eduaroo 14 de dezembro de 2011 at 15:00

        40% do povo que mora aqui não nasceu aqui!

        acho que em breve o povo de são paulo vai ser outro!

        rs

        0
  • Jota Junior 14 de dezembro de 2011 at 12:20

    Nossa, realmente, para quem mal pode comprar um apartamento na Tijuca hoje, Cobacabana é bastante low profile, uso o termo “poder” porque nem mesmo se quiserem conseguem abrir financiamento.

    Semana passada mesmo, vendemos 7 apartamentos no Leblon para um grupo de turistas italianos, bem estranho, as vendas não estão estagnadas e o preço despencando?

    Leblon e Ipanema? BRL 20K? Hoje quem compra nesses bairros apartamentos decentes tem mais que o triplo dessa renda.Funcionários públicos com seus “altíssimos” salários de BRL 10K irão ter que juntar uma vida para comprar um dois quartos novo, isso sem gastar nada.

    Falando nisso, MrK, você paga aluguel para morar onde? Barra?

    0
    • lucas 14 de dezembro de 2011 at 16:09

      falou jotajota o especialsita em pícasso.

      jotajota, pra falar aquela asneira vc não conhece nem copa, quanto mais ipanema ou leblon, conta outra, vc nem sabe onde fica Guernica.

      esse “vendemos” é o que restou de ética em vc, pq vc mesmo vendeu porra nenhuma lá.
      esse vendemos, esse nós oculto sabe lá deus quem vc pôs aí no meio.

      0
      • lucas 14 de dezembro de 2011 at 16:17

        jotajota, não esqueça que os juízes que vc humilha aqui serão os que lá na frente vão julgar as causas contra vcs .

        0
    • Jack Imóveis 14 de dezembro de 2011 at 16:37

      Caro JJ,

      O que um grupo de turistas italianos querem com 7 apartamentos no Leblon (curiosidade genuina)

      Bolha,

      Já sabemos se o JJ é quem ele fala que é?

      Abraços

      Jack – Curioso

      0
      • lucas 14 de dezembro de 2011 at 16:41

        essa é fácil Jack: eles querem ver o picasso italiano que jota prometeu pra eles

        Prego jotajota, vai me dizer que vc fala italiano?

        0
      • Bolha Imobiliária 14 de dezembro de 2011 at 17:40

        Eu reparei que ele vinha com ideias contrárias, e um certo tom de provocação, por isso preferi por moderar os comentarios antes de disponibilizar no blog

        0
    • RT 14 de dezembro de 2011 at 17:30

      São necessários R$ 60 mil de renda pra morar no Leblon ou Ipanema?

      Por tabela, a Lagoa seria o mesmo valor.

      Gávea e Jardim Botânico, uns R$ 30 mil ou 40 mil?

      Copacabana, que é bairro vizinho do outro lado, só que sem o mesmo prestígio de outrora, uns R$ 40 mil de renda, no mínimo.

      Botafogo, Humaitá e Flamengo, R$ 20 mil?

      Tijuca, Maracanã, Andaraí, Vila Isabel, R$ 10 mil de renda?

      PERGUNTO A QUEM SE HABILITAR: essas rendas refletem a realidade do Rio de Janeiro ou de qualquer outra cidade do Brasil ou do planeta???

      0
    • Guilherme Eduardo 14 de dezembro de 2011 at 22:57

      Não estou entendendo uma coisa:

      Brasileiro comprando imóvel em Miami a rodo e italiano comprando por aqui na baciada…. Compraram pela net, né?

      Tem coisa estranha aí hein…. ou são muitos ricos e qualquer R$ 1 milhão é trocado ou compraram pela net.

      0
  • Paulo _ SCSul 14 de dezembro de 2011 at 13:01

    Ola a todos

    Uma coisa que não entendo é a seguinte: os anti bolhas dizem que não ha bolha e que somente 5% do PIB é credito imobiliario. Nos EUA 50% do PIB era credito imobiliariao. Porem mesmo com 5% apenas, o aumento dos preços foi astronomico aqui no Brasil, mais que nos EUA. O que parece é que existe muito mais que 5% do PIB destinado ao credito imobiliario.

    0
    • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 13:08

      Este é um dos argumentos que fazem parte da estratégia de contra-argumentação dos anti-bolha. Eles trazem argumentos desse tipo para tentar negar o óbvio. Uma bolha não se faz com base num certo patamar de PIB direcionado para o crédito imobiliário, ela poderia até ser criada com 0% de crédito imobiliário. A bolha se cria quando o preço se descola do valor justo do bem, o que está acontecendo atualmente com os imóveis.

      0
      • xyz 14 de dezembro de 2011 at 15:13

        Sem o crédito fácil e farto “nossa” bolha jamais teria surgido, simplesmente porque não haveria dinheiro para alimentar a “mania”.
        Se o crédito é 5% do PIB então quase dobrou em menos de 2 anos (vide matéria abaixo).

        Ou seja, mais importante que o valor relativo em relação ao pib é a taxa de crescimento, que foi absurda.

        Outro detalhe é que neste 5% não estão incluídos os financiamentos direto com a construtora nem os imóveis na planta.

        h ttp://epocanegocios.globo.com/Revista/Common/0,,EMI113404-16359,00-CREDITO+IMOBILIARIO+SOBE+PARA+DO+PIB+EM+NOVEMBRO.html

        0
        • Atribulado 14 de dezembro de 2011 at 20:10

          “Ou seja, mais importante que o valor relativo em relação ao pib é a taxa de crescimento, que foi absurda.”

          EXATO, esse é o ponto

          0
    • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 13:10

      Bolha econômica é um processo de variada duração (pode durar alguns meses ou vários anos) em que um determinado ativo torna-se extremamente sobrevalorizado, por conta principalmente de comportamentos irracionais do mercado em circunstâncias momentâneas. Numa situação normal de mercado, o preço de um determinado ativo corresponde ao seu “valor fundamental”, isto é, ao dinheiro que se espera obter com ele, incluindo seus dividendos. Mas, quando um determinado ativo passa a ser vendido acima desse valor fundamental e esse processo persiste (sem a correção que normalmente ocorre nesses casos), em função de uma atitude irracional dos investidores em obter lucros cada vez maiores, baseada em expectativas no mercado futuro e em especulação financeira, forma-se uma “bolha”.

      fonte: How Stuff Works

      0
    • Jota Junior 14 de dezembro de 2011 at 13:37

      Mais um argumento, se o crédito imobiliário representa apenas 5% do PIB, imagina o que o governo, por meio de medidas “controversas”, pode fazer para promover a manutenção dos preços no mercado imobiliário.

      Sinceramente, vocês realmente acham que o governo vai permitir o estouro da bolha, assim sem mais nem menos?

      0
      • lucas 14 de dezembro de 2011 at 16:14

        puxa vida jotajota, como vc é um picasso de inteligente

        fico pensando se o governo brasileiro pode impedir o estouro da bolha
        porque raios o governo americano não impediu o estouro da bolha lá

        já sei, jota, vc vai dizer que o governo dilma é muito melhor que o governo americano
        A Dilma sim tem um picasso

        0
        • Guilherme Eduardo 14 de dezembro de 2011 at 23:04

          Tem também os governos da China, Espanha e Portugal, e não tão recente assim (mas que sente efeitos até hoje), o governo do Japão (a valorização foi tanta que apartamentos eram avaliados em valores tão altos que dava para comprar a California-EUA inteira).

          0
      • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 23:25

        o comPeTente governo do PT?!! não… de forma alguma iria permitir a bolha…

        0
    • pmoraesm 14 de dezembro de 2011 at 13:51

      Paulo, eu concordo plenamente com essa argumentacao dos nao bolhistas, afinal, foram as linhas de credito intermináveis que causaram a bolha das tulipas:

      http ://pt.m.wikipedia.org/wiki/Mania_das_tulipas

      Obs para os corretores que acompanham o blog: estou sendo irônico

      0
  • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 13:17

    Economia e Negócios
    A maior bolha econômica da história

    Febre imobiliária infla o patrimônio dos americanos em 5 trilhões de dólares.
    Mas essa festa pode ter um final triste

    Chrystiane Silva e Giuliano Guandalini

    Em 1991, o valor somado dos imóveis do Japão atingiu 18 trilhões de dólares, quatro vezes o preço de todos os prédios e casas dos Estados Unidos na época. Apenas o terreno do Palácio Imperial, em Tóquio, valia mais que todas as casas e prédios da Califórnia juntos. Embora fosse o auge da ascensão econômica e financeira do Japão, o preço estava muito além de quaisquer bons fundamentos econômicos. A bolha estourou, e vários dos bancos que financiaram a especulação imobiliária quebraram. O Japão entrou num longo período de estagnação econômica e os imóveis agora custam a metade do que custavam naquela época. Passados quinze anos, são os Estados Unidos que experimentam o mesmo fenômeno – só que em dimensões e com riscos muito maiores.

    Os dados são impressionantes: nos últimos dez anos, o preço médio das novas casas subiu 85%; metade dos empregos criados no setor privado americano desde 2001 relaciona-se ao setor imobiliário ou afins; em Manhattan, coração de Nova York, um apartamento de dois quartos custa em média 1,2 milhão de dólares. Diz-se que bolhas econômicas existem quando o preço de um determinado ativo sobe muito mais do que os conceitos econômicos conseguem explicar. É o que estaria ocorrendo hoje, segundo a maioria esmagadora dos economistas. Prova disso, dizem eles, é que a inflação, a renda e até os aluguéis nos EUA não acompanharam esses preços. Nos últimos dez anos, por exemplo, o valor do metro quadrado em Manhattan subiu 130%. No mesmo período, a inflação americana ficou em 25%. Se há uma bolha, como sustentam os economistas, ela um dia vai estourar, criando crises em cascata. Uma queda abrupta nos preços deixaria os americanos menos ricos e afetaria o crédito e o consumo – o que provavelmente afundaria o país numa recessão, com efeitos óbvios sobre toda a economia mundial. Na prática, se o preço dos imóveis despencar, os mutuários não conseguirão quitar os empréstimos que contraíram para comprá-los. A maioria dá o calote nos bancos, que, para ajustar seus balanços, cortam empréstimos às empresas. Daí à recessão é um pulo. Esse é o roteiro normal. Mas nesse caso existe uma agravante. Os consumidores e o ágil sistema financeiro americano descobriram uma maneira de ganhar ainda mais dinheiro com a própria bolha, usando suas casas como verdadeiros caixas eletrônicos. O mecanismo funciona da seguinte maneira: um imóvel comprado por 100.000 dólares há cinco anos pode valer hoje 150.000 dólares; o comprador vai até o banco, renegocia a hipoteca e faz um empréstimo dando como garantia essa valorização de 50.000 dólares. Se o preço dos imóveis desabar de uma hora para outra, o dono da casa terá dificuldades para quitar o empréstimo e fatalmente reduzirá os gastos de consumo. Como milhões de famílias americanas embarcaram na febre imobiliária, o estouro na bolha teria um grande efeito em cadeia em toda a economia do país, com possíveis abalos no sistema financeiro.

    Essa bolha, inflada pelas baixas taxas de juro, é atualmente o principal propulsor do crescimento da economia americana. A valorização anormal no preço das moradias tornou os americanos 5 trilhões de dólares mais ricos em dez anos, já descontada a inflação. Parte dessa montanha de dinheiro transformou-se em gastos, o que sustentou os elevados níveis de consumo no país nos últimos anos e mais que atenuou a alta do petróleo. O problema é que nenhum economista acredita que essa febre imobiliária se sustente, e, de fato, já existem sinais de arrefecimento no mercado imobiliário americano. O estouro dessa bolha é apontado pelos principais economistas do planeta como um dos maiores riscos para a economia mundial. A grande incógnita é saber até quando essa bolha durará – e qual será o tamanho do tombo quando o ajuste nos preços fatalmente ocorrer. Segundo cálculos do economista Dean Baker, do Center for Economic and Policy Research, o fim da bolha poderia significar uma queda entre 3,6 e 4,5 pontos porcentuais na taxa de crescimento do PIB. Ou seja, deixaria o país à beira de uma recessão. Isso ocorreria por dois motivos: um direto, que é a queda na atividade imobiliária; outro indireto, que é a freada no consumo que resultaria da eliminação do efeito riqueza. Outros economistas não acreditam em cenários catastrofistas. “O ajuste será feito com gradualismo, não haverá mudanças abruptas que prejudiquem mutuários ou que façam a maior economia do mundo perder o equilíbrio”, diz Mauro Miranda, especialista em investimento imobiliário da Fundação Getulio Vargas. E o que aconteceria com o Brasil se a bolha estourasse? Teoricamente, a redução no consumo americano afetaria as exportações brasileiras, mas não se sabe em que proporção. Riscos como esse fazem lembrar que a atual fase de crescimento da economia mundial não será eterna. E exigem de países como o Brasil pressa nas reformas que geralmente ficam na gaveta em tempos de bonança.

    Revista VEJA: Edição 1939 . 18 de janeiro de 2006

    0
    • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 14:22

      genial, só podia ser da Veja, 5 anos à frente do tempo
      no proximo numero vão contar como Collor forjou o dossiê Cayman
      lula e collor, de inimigos a aliados, motivo: dinheiro, o nosso dinheiro

      0
    • augusto 14 de dezembro de 2011 at 14:37

      E como todos sabemos a bolha estourou……….., e ainda vem mentacaptos afirmarem na midia que nunca viram ninguém perder dinheiro com imóveis.

      0
    • Miguel Jacó 14 de dezembro de 2011 at 18:03

      “Os dados são impressionantes: nos últimos dez anos, o preço médio das novas casas subiu 85%; metade dos empregos criados no setor privado americano desde 2001 relaciona-se ao setor imobiliário ou afins; em Manhattan, coração de Nova York, um apartamento de dois quartos custa em média 1,2 milhão de dólares. Diz-se que bolhas econômicas existem quando o preço de um determinado ativo sobe muito mais do que os conceitos econômicos conseguem explicar. É o que estaria ocorrendo hoje, segundo a maioria esmagadora dos economistas.”

      Se eles acharam 85% de aumento em 5 anos impressionantes, o que acharão então sobre a bolha brasileira?
      Normal??
      Apenas uma correção???

      0
  • MrK 14 de dezembro de 2011 at 13:27

    bolha, vou te mandar uma sugestao de topico hoje hechechec

    0
    • Bolha Imobiliária 14 de dezembro de 2011 at 15:35

      Ok, fico na espera

      0
  • LAR 14 de dezembro de 2011 at 13:30

    pessoal

    eu nunca tive nenhuma informação sobre isso, porém as vezes penso que pode haver algum esquema de falsificação de contra cheques para compra de imóveis… não é possível que tanta gente aprove crédito tão fácil

    se o brasileiro vive individado, como tem entrada razoável pra financiar com os niveis de salário que o IBGE afirma serem perfil do brasileiro?

    0
    • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 13:59

      existem vários esquemas
      os coretores conhecem todos eles
      um deles é o casal depositar o salario um na conta do outro
      só isso dobra a renda

      só os analistas que não sabem disso, pra eles não há subprime no Brasil

      0
  • LAR 14 de dezembro de 2011 at 14:07

    A droga deles poderia ser nossa corrupção? ou nosso crédito?

    Bolívia vive boom imobiliário estimulado por crescimento e, sem dúvida, a droga
    De Gérardo BUSTILLOS (AFP) – Há 18 horas

    LA PAZ, Bolívia — Cercada por montanhas andinas, La Paz está mudando de aspecto, sob o efeito de novas construções, refletindo o crescimento econômico mas também, segundo especialistas, a injeção do dinheiro da droga numa das nações mais pobres da América do Sul.

    Aninhada num vale a 3.600 metros de altitude, a capital possui um panorama andino inigualável. Mas os imóveis crescem como fungos, com centenas de projetos ou canteiros de obras em curso, um fenômeno vivido, também, em Santa Cruz (leste), Cochabamba (centro), Sucre e Tarija (sul).

    Nessas cidades, “a quantidade de metros quadrados recentemente construídos e entregues é equivalente à construção de 24 prédios de 100 andares cada”, assinalou um dos mais completos estudos sobre o assunto, realizado, em 2010, pelo grupo de cimento Soboce.

    As vendas de cimento, segundo a indústria, aumentaram 12% em 2008 e 13% em 2009, enquanto que a construção cresce 10% em média por ano, o dobro do PIB, Produto Interno Boliviano, o total de bens e serviços produzidos no país.

    Aqui, como em outros lugares, o progresso imobiliário traduz um dinamismo econômico, a presença de liquidez.

    “Vem das exportações, ajudadas pelos preços espetaculares das matérias-primas”, mas também pelas remessas de dinheiro de bolivianos do exterior, por créditos favoráveis e uma classe média emergente, num país historicamente pobre, destaca o economista Alberto Bonadona, da Universidade San Andres.

    Mas, entre as “exportações”, além dos minerais e hidrocarbonetos, está a cocaína, da qual a Bolívia é o terceiro produtor mundial. A superfície cultivada de folhas de coca, a matéria-prima, aumenta aí de ano em ano (são, pelo menos 31.000 hectares, segundo a ONU).

    “Nos países com forte presença do narcotráfico, um dos métodos usados para lavar os dólares é justamente com a indústria de construção: compra e venda de apartamentos, levantamento de prédios. pode-se pensar que este fator influencie o boom atual”, comenta Napoleon Pacheco, economista do Instituto Fundação Milênio.

    – Falha geológica –

    Nenhum estudo, certamente, permite ligar mecanicamente os prédios que se elevam ao dinheiro sujo. Mas, lembra-se na Bolívia, que o último grande boom imobiliário data dos anos 80, que coincide, também, com o auge da atividade do tráfico de droga.

    “Por oito dólares vindos da exportação legal, há uma parte ilegal. A economia boliviana se financia nesta proporção”, considerou Bonadona. Segundo a agência das Nações Unidas contra a Droga e o Crime (ONUDC), o dinheiro do narcotráfico pesaria entre 3 a 5% do PIB.

    Mas o boom imobiliário tem, também razões topográficas: esprimida em seu vale, La Paz não tem espaço e não pode crescer, senão verticalmente.

    Em Miraflores, bairro residencial do leste, casas velhas são derrubadas, substituídas por imóveis de cinco andares.

    Ora, a capital está situada em subsolo argiloso: uma falha geológica conhecida, e deslizamentos de terra, embora lentos, destruíram 1.500 residências desde 2011.

    Alvaro Cortez, delegado da associação de moradores ribeirinhos de Miraflores, mostra à AFP “uma casa num terreno que foi cedendo de 5 a 6 cm. É o que acontece à maioria das residências que têm a infelicidade de estar ao lado de um prédio em construção”.

    Os vereadores se preocupam também com a urganização, “que exige uma ampliação da rede de serviços básicos, dos transportes. Tendo em vista a topografia de La Paz, é extremamente complicado”, previne o arquiteto Javier Crespo, consultor da prefeitura, “estamos no limite da extensão do tecido urbano”.

    Mas quem vai interrompê-la? Para economistas como Bonadona, uma “bolha imobiliária” está prestes a ser criada, e seu estouro poderia ser doloroso para inúmeros bolivianos “que se endividam, sem ter o poder de compra para isso”.

    0
    • LAR 14 de dezembro de 2011 at 14:09

      Mas quem vai interrompê-la? Para economistas como Bonadona, uma “bolha imobiliária” está prestes a ser criada, e seu estouro poderia ser doloroso para inúmeros bolivianos “que se endividam, sem ter o poder de compra para isso”.

      HAHAHAHAHAHAH

      pobres bolivianos… nós brasileiros jamais teremos esse problema, pois nosso poder de compra é absurdamente maior

      0
      • augusto 14 de dezembro de 2011 at 14:31

        E alem do mais temos o Super Mantega e o seu Menino Prodigio o Tombini

        0
  • augusto 14 de dezembro de 2011 at 14:29

    Segue o link de um artigo em ingles, e isto é bom porque a grande maioria dos corretores que vem aqui fuçar não vão entender bulhufas. Fala sobre a bolha imobiliária na China.
    http://www.brazilianbubble.com/2011/12/china-housing-boom-turns-into-bust.html

    Prestem atenção na frase inicial do artigo:
    ” An old adage illustrates well what you are about to read here: “Everything that goes up, must come down.” After all, this time is not different…. history merely repeats itself. “

    0
  • Ana 14 de dezembro de 2011 at 14:31

    Preferência por imóveis usados ainda é maioria entre os brasileiros (publicado no jornal Estado de Minas de 14/12/11)

    A maioria dos imóveis financiados no Brasil é de usados. Na Caixa Econômica Federal, eles representam 52% do total, enquanto os novos ficam com 48%. Embora sejam a minoria, o percentual das unidades recém-construídas no bolo dos financiamentos bancários tem aumentado. Em 2002, elas correspondiam a 36% do volume concedido.

    Os brasileiros têm financiado imóveis bem mais caros. Entre 2003 e 2011, o valor médio dos imóveis adquiridos com a linha de crédito do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo(SBPE) saltou de R$ 78 mil para R$ 179 mil, uma elevação de 177,5%. Nos financiamentos com recursos do FGTS, esse preço médio subiu de R$ 37 mil para
    R$ 89 mil, 143% a mais.
    Saiba mais…
    Atraso na entrega do imóvel vira epidemia em todo o país
    Quantidade de documentos para compra e venda de imóveis é aliada do consumidor
    Quem compra imóvel deve se proteger dos vícios ocultos
    Antes de comprar o imóvel na planta, é importante pesquisar se a empresa é confiável
    Guia de compras do imóvel usado
    Compra de um imóvel com dois a três anos desperta a atenção de consumidores
    Consumidor lesado ao comprar imóvel na planta pode fazer valer seus direitos

    Para o vice-presidente de Governo da Caixa, José Urbano Duarte, não é só a disparada dos preços dos imóveis que explica essa alta significativa em oito anos. “Além da melhoria da renda e do emprego, as facilidades do crédito, com redução das taxas de juros, aumento do percentual que pode ser financiado e maiores prazos, permitiram às pessoas adquirirem apartamentos ou casas maiores e melhores”, afirma. O valor médio financiado, que pode chegar a 100% do imóvel, é de R$ 135 mil no caso das linhas da poupança e de R$ 65 mil para as do FGTS.

    De casamento marcado, a auxiliar administrativa Mariana Lais Fernandes, 24 anos, optou por comprar um imóvel já pronto. Mas isso só foi possível por causa da facilidade de obter crédito. “Não conseguiria comprar à vista”, diz. A cerimônia será realizada só em 2013, mas ela não quis correr riscos. “Fiquei com medo de comprar na planta e ter dificuldades na entrega”, explica. Ela financiou o apartamento em 30 anos, mas pretende quitá-lo em 10. “Depois disso, quero comprar outro imóvel.”

    Atrasos

    A preocupação de Mariana com a entrega é o problema que muitos consumidores enfrentam ao adquirir imóvel na planta. Pelo menos 30% dos empreendimentos estão com as obras atrasadas no país e não serão entregues no prazo contratado, conforme números da Câmara Brasileira da Construção Civil (Cbic). Em São Paulo, o Ministério Público firmou termo de compromisso com as empresas do setor para incluírem, nos contratos, a previsão de pagamento de multa e de valor equivalente ao aluguel, se o comprador for locatário, em caso de atraso, que ultrapasse o prazo de tolerância previsto. É comum as construtoras fixarem uma data de entrega, mas estipularem um período adicional, sem qualquer ônus para elas — em geral, de 90, 120 ou 180 dias — , para disponibilizarem as chaves.

    “O problema agora está maior porque, com o ‘boom’ da construção, muitas empresas pegaram obras acima da sua capacidade”, admitiu o presidente da Cbic, Paulo Simão. Para evitar aborrecimentos que podem, inclusive, culminar com a não entrega da unidade e a falência da construtora, o consumidor precisa se cercar de cuidados. “É preciso saber mais sobre a empresa e seu histórico”, diz o advogado Tiago Antolini, especialista em direito habitacional. Ele aconselha também verificar a situação do terreno e do projeto perante o governo local.

    Direito assegurado

    O Judiciário tem assegurado os direitos dos consumidores e concedido indenização mensal em caso de descumprimento do prazo de entrega pelas construtoras, além de proibir a cobrança de uma série de encargos que são devidos somente a partir das chaves, como taxa de condomínio. Em decisão em 11 de maio deste ano, a Primeira Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) estabeleceu que o cliente tem direito à indenização, equivalente a 0,5% do valor do imóvel, a partir do terceiro mês de atraso até a data efetiva de entrega das chaves. Ela admitiu como prazo de tolerância, sem ônus para a construtora, apenas dois meses, necessários para obtenção de habite-se perante o governo local.

    0
  • lucas 14 de dezembro de 2011 at 14:40

    site reclameaqui.com.br

    numero de Reclamações

    Gafisa 627
    Cyrela Brasil Realty 407
    Pdg Realty 572
    Mrv Engenharia 4014
    Caixa Econômica Federal 2162

    0
  • Mdc 14 de dezembro de 2011 at 14:55

    Primeira onda da bolha: já ocorreu! Especuladores saindo fora e ninguém está mais entrando na base da “pirâmide”.

    Segunda onda da bolha: aumento da inadimplência e desemprego. Vide notícia abaixo

    Terceira onda: deterioração da situação fiscal e fraco crescimento econômico por anos

    Em resumo: a bolha já estourou e os preços irão cair pelos próximos 3 anos, no mínimo

    Indústria paulista fechará 2011 com 41 mil vagas a menos, prevê Fiesp
    Demissão de 36,9 mil trabalhadores nas usinas de açúcar e álcool em novembro puxou para baixo a projeção
    14 de dezembro de 2011 | 13h 27
    Notícia
    Comentários 46 A+ A- Assine a Newsletter Anne Warth, da Agência Estado
    SÃO PAULO – As demissões nas usinas paulistas de açúcar e álcool superaram as expectativas da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e puxaram o nível de emprego industrial para baixo em novembro. De acordo com dados da Fiesp, o setor de produtos alimentícios, no qual se encaixam os produtores de açúcar, demitiu 32.718 trabalhadores no mês passado e o setor de coque, produtos derivados de petróleo e biocombustíveis, do qual participam os usineiros de álcool, dispensou 4.186. Juntas, as demissões chegaram a 36.904 e representaram a maior parte dos 46,5 mil trabalhadores demitidos pela indústria paulista no mês passado.

    O resultado foi tão ruim que fez o diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp, Paulo Francini, rever para baixo a projeção para o nível de emprego deste ano. Até outubro, a Fiesp esperava que o emprego registrasse um resultado positivo próximo de 0,5%. Agora, a entidade projeta para dezembro demissões de 77 mil trabalhadores, o que fará com que o saldo de empregos ao fim do ano fique negativo em 41 mil vagas. “Será um desempenho muito ruim para indústria e que contrasta com uma situação de amplo emprego em todo o País”, afirmou Francini.

    O resultado de novembro foi o pior para o mês desde o início da série histórica do Índice de Nível de Emprego, em 2006. Foram registradas 46,5 mil demissões, ante 21 mil dispensas em novembro de 2010. O pior resultado havia sido verificado em novembro de 2006, com 35 mil demissões.

    Outros destaques negativos em novembro foram os setores de veículos automotores, que demitiu 1.940 funcionários; produtos de metal, com 1.529 demissões; couro e calçados, 1.475; confecção e vestuário, 1.395; e produtos de borracha e material plástico, com 1.145 dispensas.

    Entre os destaques positivos, ficaram os setores de máquinas e equipamentos, com 592 contratações, bebidas, com 348, e produtos químicos, com 173.

    0
    • Ader 14 de dezembro de 2011 at 16:21

      Também acho que já estourou…

      0
      • realidade 14 de dezembro de 2011 at 17:14

        e o sassa mutema (vide molusco) pensando em se tratar nos EUA. Câncer fabricado do Lulla e da sapata Dirma. Alie-se a isso um imbecil nos M. da Fazenda e um idiota no BC. Realmente somos muuuuuuuuito melhores que EUA e Europa. Esta merda nunca deixará de ser colônia!

        0
  • Muca CG Muita Treta 14 de dezembro de 2011 at 14:58

    Desculpe se eu parecer misógino, mas tenho a impressão de que muitos dos que ainda compram imóveis com esses preços abusivos o fazem por pressão das esposas. Podem reparar: no nosso blog mesmo, é ínfima a participação das mulheres – seja lendo, seja comentando. Elas estão muito mais por fora do que os homens em relação ao assunto. E, culturalmente, mulheres têm a impressão de que morar em uma casa própria traz maior conforto, segurança e estabilidade para o casamento. Pode até ser, desde que o casal esteja pagando o justo. Eu mesmo pareço querer justificar minha pobreza quando digo à minha esposa que não é hora de comprar. Levada pelas ideias de amigas que compraram (com a ajuda da família), ela acha que também deveríamos nos arriscar. Ganhamos juntos cerca de R$ 5 mil. Não é um salário ruim para duas pessoas na faixa dos 25, mas hoje mal serve para comprar um ap em Itaquera. Então, prefiro manter uma casa na rua do metrô com aluguel na faixa dos R$ 1 mil do que comprar um ap de 50 m em uma quebrada e pagar até mais do que isso de prestação.

    0
    • Carlos_ 14 de dezembro de 2011 at 15:06

      Muca, o pior é que vejo isso também.

      0
    • Indecoroso 14 de dezembro de 2011 at 15:41

      Se dependesse da minha, eu já estaria “alavancando” nuns 3 apartamentos…

      0
    • LAR 14 de dezembro de 2011 at 15:50

      pior que concordo também

      muitos aqui não admitem, mas existe essa pressão feminina sim, pois elas costumam assimilar casar a comprar imóvel.

      felizmente a minha já está mais tranquila, mas realmente a uma pressão social

      0
    • Anonymous 14 de dezembro de 2011 at 15:51

      Muca,

      Considerando a sua idade, se voce comprar uma casa/apartamento, só terá dificuldade para eventualmente mudar para um emprego melhor. Fale para a sua esposa pensar no seguinte: Se eu tiver uma oportunidade de emprego melhor em outro estado, nós mudamos ou não?

      0
    • Carlos Wagner 14 de dezembro de 2011 at 15:53

      Muca

      Exatamente. Essa foi a questão que me fez desistir de comprar no momento. Pelas minhas contas, eu pagaria mais caro na prestação do apartamento proprio do que no aluguel de um de medio/alto padrão. Não tem nem o que pensar, pago aluguel e com gosto.

      Mais pra frente, quando eu achar que o imovel que posso comprar vale meu suor, compro, senão, continuo alugando e morando super bem.

      Ah, detalhes: Ainda economizo entre prestação de financiamento e aluguel, o que ajuda a engordar o valor que ja reservo para aplicações mensais.

      Simples assim.

      0
    • FQ 14 de dezembro de 2011 at 16:01

      Casa financiada NÃO é casa própria! A casa é do Banco, literalmente! Basta olhar a escritura.

      Além disso, aquele velho conceito dos antigos da segurança da casa própria se valia da máxima de que num eventual desemprego ou falta de dinheiro, teríamos um teto pra viver e só precisaríamos buscar o pão, já caiu por terra. Hoje, na primeira falta de dinheiro, o banco de toma a casa! Despejo!

      0
    • Paulo - RJ 14 de dezembro de 2011 at 16:15

      Concordo,

      Mas justiça seja feita, minha esposa é ponto fora da curva, pois não pensa assim.

      0
    • pmoraesm 14 de dezembro de 2011 at 16:18

      By the way, esse blog é uma importantíssima fonte de notícias para mostrar pra patroa e convencê-la de que, se tivermos paciência, é bem provável que poderemos comprar o “apartamento de novela” que ela tanto sonha pelo valor que pagaríamos num imóvel mediano, considerando os preços praticados atualmente

      0
    • Paty 14 de dezembro de 2011 at 16:46

      Ai nem todas..kkk alias na minha familia eu que apresentei a calculadora para os meninos..(pai, sogro, maridao, cunhado,etc..)

      0
      • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 17:09

        isso aí Paty vc é o cara, rs
        diria que hj em dia a minoria ainda é assim alienada.

        0
    • Bubble Breaker 14 de dezembro de 2011 at 18:39

      Muca, qdo comecei a acessar o blog, fiquei super feliz, pq vi que não estava sozinho em minha indignação com os preços…. fui falar com a minha mina para segurarmos o tchan e esperar pelo menos um ano para comprar alguma coisa… mano, ela ficou puta!!!!

      Começou a me chamar de homem-bolha, que estava no rumo da desgraça, que moraria com meus pais até os 60 anos… quebramos o maior pau, mas segurei a onda e hoje ela me apóia, pois viu que não há como considerar normal a situação que vivemos, na qual qualquer cubículo é anunciado a preço de mansão…

      Segure firme e tenha certeza que, se há amor, sua mulher vai te compreender. No final, os dois vão se dar bem.

      Agora, imagine se vc compra um ap bolhudo, se enforca no financiamento, e depois de dois anos o preço despenca???? Aí sim, vc verá o que é ter uma crise conjugal…

      Bom PLOC a todos!

      0
    • Muca CG Muita Treta 14 de dezembro de 2011 at 19:09

      Legal por vocês compartilharem essas ideias comigo. Vejo que não estou só. Claro que não são todas e nem posso garantir que seja a maioria das mulheres que pensam assim. Mas pelo menos metade das esposas sentem essa urgência de comprar uma casa própria, custe o que custar. Eu quase caí nessa armadilha, sorte que descobri o blog antes de fazer a maior burrada da minha vida.

      0
    • Andréa 14 de dezembro de 2011 at 20:17

      Então aqui em casa eu sou o homem da relação!
      Meu marido quer comprar de qualquer jeito, ainda acha que o mercado está aquecido e que tá todo mundo comprando, que a gente tem que comprar também (financiando em 30 anos).
      Não entro nessa de jeito nenhum!

      0
      • Carcará 14 de dezembro de 2011 at 20:52

        Andréa,
        a questão não é de sexo. É de inteligência. Só compre com 60% de desconto, tendo como referência 06/2011.

        Abraços

        0
      • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 20:55

        Isso mesmo, bata o pé e se imponha, mas lembre-se que dele sempre será a última palavra:

        – Sim, senhora!

        🙂

        0
    • Rebecca 14 de dezembro de 2011 at 20:51

      Gente, vou ser sincera: o nível da discussão está muito bom aqui, não vamos começar com sexismo, né? Se for para argumentar desse jeito, considero todo homem um ser incrivelmente idiota, por sempre querer ter um carro melhor do que o amigo ou vizinho. Conheço muitos que têm vergonha de andar de Uno porque o amigo anda de Civic. Então, correm para a concessionária e gastam num carro o preço de um apartamento.

      E aí, meninos? Ficaram bravos com a generalização?

      Então, não generalizemos. Mulher que faz pressão para comprar casa (mesmo a um absurdo) é assim porque é desinformada, não porque é mulher.

      0
      • Rebecca 14 de dezembro de 2011 at 20:52

        (mesmo a um preço absurdo*)

        0
      • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 23:16

        Qual seu carro? 🙂

        0
      • Observadora_cwb 15 de dezembro de 2011 at 01:36

        Mto bem observado.
        Tenho 24 anos, formação em economia, um salario em torno de 5k, nao pago aluguel e não tenho carro.
        O que muitos homens nessa situação fazem? Moram em um cubiculo ou com a mamae, e tem um carro de 60k. Eles que sustentam esse absurdo que é o preço dos automóveis.

        0
        • Asdrubal 15 de dezembro de 2011 at 08:45

          Po, num leva a mal não, mas a maioria dos carros vendidos no brasil são comprados por famílias, e a mulher é que tem influência decisiva na compra. Isso que disse foi um executivo do setor.

          0
        • pmoraesm 15 de dezembro de 2011 at 09:07

          Eu tenho 26 anos, moro de aluguel num apartamento que nao seria um cubículo se nao vivesse com minha esposa e filho e tenho um carro de 60k.

          Antes dele tive um semi-novo que só me deu problemas. Jurei que só compraria carro usado de novo de alguém que eu conhecesse muito bem.

          Como meu filho nasceu e eu nao tinha coragem de andar com ele naquela bomba, optei por trocar de carro. Como nao conhecia ninguém que vendia um usado, optei por um novo.

          Encontrar no nosso mercado qualquer carro que tenha abs e airbag por menos de 50 mil eh uma missão ingrata. No meu caso, preferi pagar um pouco mais e ter um carro razoavelmente decente do que comprar um cross-carroça ou um pé-de-boi adventure ou qualquer outro desses carros de projeto extremamente inseguro com acessórios remendados ao carro a módicos 50mil.

          0
    • Muca CG Muita Treta 15 de dezembro de 2011 at 13:16

      Desculpe se minha postagem ofendeu certas mulheres. Eu até fiz uma mea culpa para não parecer misógino, mas teve gente que não conseguiu interpretar o texto a contento. Tudo bem. Continuo com a opinião que a pressão na maior parte das vezes é feminina e há muito mais mulheres desinformadas sobre o tema do que homens. Uma amostragem prática está nesse blog. Basta mensurar quantos homens comentam e quantas mulheres fazem o mesmo. O percentual que sair dessa conta representa bem a realidade.

      0
  • Fernanda 14 de dezembro de 2011 at 15:11

    Previsões do Sachsida para 2012

    O ano de 2012 será uma dura provação para as contas públicas. O desastre, mais que anunciado, começa com o reajuste do salário mínimo que deve colocá-lo num patamar próximo a 620 reais por mês. Esse valor gera dois problemas automáticos: aumento no déficit da previdência social, e dificuldades gigantescas para prefeituras de cidades pequenas (que pagam um salário mínimo para boa parte de seus funcionários). Indiretamente, esse valor deve significar o desemprego para pessoas pouco qualificadas e jovens (os segmentos mais impactados pelo salário mínimo). As eleições municipais também serão um elemento a mais de pressão para o aumento do gasto público. A estratégia de gastar mais para tentar eleger mais prefeitos vai permear prefeituras, governos estaduais e governo federal. Pensam que acabou? Nada disso, com a justificativa de evitar os efeitos da crise, o governo federal vai aumentar ainda mais o gasto público federal. Em resumo, 2012 vai ser um ano de fortes gastos públicos.

    Se o lado fiscal da economia vai mal, pior ainda vai o lado monetário: a moda agora é falar de medidas alternativas de combate à inflação. Bom, a maneira alternativa de combater a inflação (que não seja aumento dos juros) é a restrição ao crédito. Contudo, o governo já deixou claro que não irá restringir o crédito em 2012, pelo contrário adotará medidas para expandí-lo. Uma política monetária frouxa, associada a um gasto público em alta, sugerem uma inflação alta para 2012. Não será surpresa alguma termos uma taxa de inflação superior a 6% no próximo ano.

    No que se refere ao crescimento da economia, a pior equipe econômica de todos os tempos continua acreditando que o gasto público é a resposta certa para a crise. E o que é pior, boa parte deles acredita que a carga tributária brasileira não é alta. Assim, não se espante se ao longo de 2012 você ouvir o governo sugerir novos impostos. Com o governo gastando muito, e tributando muito, é de se esperar um crescimento abaixo de 4% para 2012.

    Em resumo, para 2012 espero uma inflação acima de 6% e um crescimento econômico abaixo de 4%. Mas fiquem tranquilos, 2013, 2014 e 2015 serão piores. Em 2013 teremos que corrigir os estragos de 2012, mas além disso os gastos públicos para a Copa deverão sair do papel. Como tais obras estão atrasadas, é evidente que a pressa em finalizá-las implicará num custo bem superior ao originalmente estimado. Em 2014, teremos os evidentes aumentos de gastos públicos decorrentes desse ano ser marcado por eleição presidencial. Pobre de quem assumir em 2015, esse será o ano do inevitável ajuste.

    bdadolfo . blogspot. com

    0
  • Anonymous 14 de dezembro de 2011 at 15:23

    Saída de dólares do país supera entrada em US$ 424 mi em dezembro

    www1 . folha . uol . com . br/poder/1021167-saida-de-dolares-do-pais-supera-entrada-em-us-424-mi-em-dezembro.shtml

    0
  • john 14 de dezembro de 2011 at 16:06

    Eu acho que as construtoras estão num mato sem cachorro. Vemos que as vendas de imóveis esfriaram, mas mesmo assim em Brasília os preços de muitos apartamentos na planta chegam a superar o preço dos usados. O problema é que se forem baixar os preços dos aps na planta, como ficam os “investidores” que já começaram a pagar as unidades? Perde-se a credibilidade. A única salvação que eu vejo é manter os preços dos anúncios, se for o caso até combinar com as concorrentes para não baixar, e dar descontos na hora de fechar negócio. Nisso eu vejo que os corretores são essenciais: as pessoas não podem pagar o que cobram nos anúncios, então os corretores saem pescando clientes e oferecendo os descontos.

    0
    • realidade 14 de dezembro de 2011 at 17:23

      Há cerca de 20 dias abriu um lançamento residencial em frente ao meu prédio, o qual chamo de áquário sem oxigênio (stand todo envidraçado etc). Só dou risada em ver os corretores “gênios” coçando o dia inteiro. Não vendem nada pois está sempre vazio a qualquer hora do dia ou da semana. Esse entrou bem…..existe algo essencial em qualquer negócio ou mesmo na vida pessoal…TIMING!. Daqui um tempo vou ver se algum letrado corretor topa andar com meus cachorros – dog walker—- vai ganhar mais..hehehehhe

      0
  • Carlos Wagner 14 de dezembro de 2011 at 16:43

    Lendo o Blog do nosso colega RCESAR, achei uma definição excelente acerca dos corretores, que neste caso, refere-se aos profissionais chineses, mas cai como uma luva para os brasileiros:

    “É interessante notar que quando as pessoas tem uma doença vão buscar o melhor médico; estão sendo processadas, vão procurar o melhor advogado; caíram na malha fina, contratam o melhor contador. Agora na hora de fazer a decisão financeira mais importante de suas vidas confiam cegamente em um profissional que não precisa de formação, normalmente tem baixo nível de estudo e que cuja a natureza do negócio não criam nenhuma ligação de longo prazo com o cliente, ou seja, vendeu, nunca mais quer ver aquela pessoa. Qual o interesse de uma profissional desse?”

    Link da materia completa:

    http: // rcesar.net/2011/12/bolha-imobiliaria-chinesa-esta-perdendo-ar/

    0
    • Luiz 14 de dezembro de 2011 at 17:07

      ah Carlos, pode ser que a carteirnha do Creci sai num fds

      mas eles usam terno e blackberry, dedilham a hp como ninguém e ainda conversam sobre paris e picasso. não dá pra confiar?

      0
    • augusto 14 de dezembro de 2011 at 18:17

      Os corretores deram e continuam dando um tiro no pé com seus comportamentos anti-éticos e enganosos.
      Transformam a profissão totalmente desnecesária em transações imobiliarias, sendo substituidos com vantagens pelo menos financeiras, pelos porteiros e zeladores de prédios.
      Nada se perde por ser honesto, ético, e ter um mínimo de decência, e muito bom senso

      0
  • Paty 14 de dezembro de 2011 at 17:11

    Setor Imobiliário refém da crise
    http://w w w. fonsecamauromonteiro .com.br/home/secao.asp?id_secao=719

    Não há como evitar que a crise financeira global respingue no mercado imobiliário brasileiro. Escalada de juros nas linhas de financiamento de imóveis provoca inibidores para aquisição da casa própria. Prestações mais altas e exigências maiores para aprovação de cadastro deixam clientes cautelosos. Mas entidades do setor apontam conseqüências leves. Estimativa é de que o ritmo das vendas seja menor, mas que não caia o volume de negócios.
    Sem querer correr riscos graves nesse momento delicado da economia mundial, instituições financeiras estão mais atentas ao grau de endividamento dos consumidores e ao comportamento de renda nas novas contratações de empréstimos. Em muitos casos, além de maior seletividade, já se observa maiores restrições aos financiamentos.

    Redução de prazos é realidade.

    Diante desse cenário, Cida Moreira, conselheira do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci), diz que é impossível que a crise não tenha efeitos no setor imobiliário. “Na verdade, já fomos afetados. Por mais que os processos sejam a longo prazo, há um estado de inércia.

    Ela explica que “espera” é exatamente o que define o comportamento do consumidor neste momento. “Crédito diminui e fica mais caro, por isso clientes estão assustados e adiam investimentos. Querem se sentir mais seguros”.

    Cida diz que é cedo para previsões para 2009. “Deve haver ritmo mais lento de venda nos próximos meses. Mas acredito que aos poucos volte ao normal, pela estabilidade do setor”.

    Cautela

    Diretor comercial da imobiliária Borges Landeiro, Marco Túlio Borges Pereira é mais otimista. Diz que o desaquecimento econômico em virtude da crise proporciona mais cautela, mas não inibe desejo de compra. “Clientes estão pesquisando e demoram mais para concluir negócios”.

    Ele explica que se os bancos diminuírem concessão de crédito, o que vai acontecer é a migração de imóveis. Ou seja, aqueles que tinham poder de compra no valor de R$ 100 mil vão procurar empreendimentos mais baratos. Mas não deixam de comprar. “A avalanche de informações negativas proporciona mais receio à população. Mas essa crise reforça a segurança do investimento em imóveis, pois ouro e dólar, por exemplo, são muito voláteis”.

    Gustavo Veras, sócio proprietário de construtora, concorda. “Acredito que a crise afeta em termos de ritmo das vendas, mas não diminui o volume de negócios”.

    De acordo com o vice-presidente de lançamentos do Sindicato da Habitação de Goiás (Secovi-GO), Ademir Silva, o mercado continua fluindo naturalmente em Goiânia. “É natural que os bancos apertem a aprovação de crédito, mas isso não inibe o consumo, principalmente na Capital, que é uma cidade em franco desenvolvimento e cresce à parte da economia mundial”.

    O presidente do Sindicato da Indústria da Construção (Sinduscon), Roberto Elias Fernandes, diz que o pânico é pior que a crise. “As notícias negativas estão contaminado o mercado.” Segundo ele, o setor de construção civil não depende de credito internacional, se financia com recursos nacionais principalmente do FGTS e poupança. “Se a prestação couber na renda do comprador, ele pode comprar o imóvel porque o setor não está ameaçado pela crise.”

    Em Goiás, ele afirma que as construtoras estão trabalhando normalmente e que há previsão de muitos lançamentos em 2009 porque muitos projetos ficaram parados desde o início do ano a espera da aprovação do Plano Diretor e regulamentação do uso de solo e do código de obras e edificações. “Isso brecou o lançamento de muitas construções em Goiânia. Eu tenho um lançamento aprovado em março que vou lançar só agora”, conta.

    Quanto à evolução do preço dos imóveis, Roberto Elias diz ser uma incógnita. “Subiu muito o aço e o cimento e por outro lado houve o enxugamento do crédito, vamos ver como o mercado vai reagir a estas variáveis.” Segundo ele, se houver recessão, como alguns economistas prevêem, o valor do imóvel cai, se as construtoras repassarem o aumento do aço e cimento, sobe.

    Na opinião do presidente, o governo deveria, neste momento, financiar mais a produção, garantindo assim a manutenção do emprego e da renda, enxugar as despesas da máquina governamental, e flexibilizar as regras de contratação pelo menos durante este período do mais crítico. “Deveria reduzir os encargos e aprovar urgentemente a reforma tributária para o setor produtivo respirar.”

    Fonte: Diário da Manhã

    0
    • Ricardo 14 de dezembro de 2011 at 18:02

      Matéria muito interessante. Gostei da frase abaixo:

      ” Estimativa é de que o ritmo das vendas seja menor, mas que não caia o volume de negócios.”

      E a demanda reprimida, tão falada pelos corretores/CRECI/SECOVI?
      E a “garantia de valorização”?
      E a nova classe média?

      O “papo” agora é outro!!! Fase 2 da bolha: negação da mesma.
      Fase 3: Pequenas quedas e repiques (compradores desavisados acharão que estarão fazendo bons negócios).
      Fase 4: queda constante e , talvez, a bolha estoure.

      0
    • Miguel Jacó 14 de dezembro de 2011 at 18:15

      Mas essa matéria é de 2008. Da primeira crise ainda.

      0
      • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 23:14

        já ouviu falar de “deja vú”?!

        0
  • MCS 14 de dezembro de 2011 at 17:49

    Prezados,

    Vcs já viram a Nota relativa à reunião de 24 de novembro de 2011 da NRE-Poli da USP, eleborada pelo comitê de mercado, na qual foi debatido o tema “Perspectivas para o Setor do Real Estate no Brasil em 2012″? A referência do documento é CM-Nota-241111-final. Eles falaram que os preços dos imóveis deverão crescer no mesmo ritmo do INCC-FGV, sem haver espaço especulativo para variações equivalentes às verificadas nos últimos dois anos. E alguns estoques carregados de 2011 podem ser indutores de um crescimento de preços contido pela variação da rende de mercado (IPCA-IBGE), que tende a se situar abaixo do INCC.
    Fico perplexo em concluir, pela análise, que os preços ainda podem subir mais! Tá de sacanagem!!!!

    0
    • Carcará 14 de dezembro de 2011 at 20:48

      MCS,
      os preços dos imóveis pode subir o quanto eles quiserem – não haverá compradores mesmo…

      0
      • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 23:11

        É verdade, sempre pode subir mesmo, mas tem que ver se consegue alguém para comprar.

        Vamos imaginar que um iluminado resolver inovar e pintar as paredes de ouro. Isso, tinta a base de ouro e o imóvel dele passa de 500 mil para 5 milhões. Daí o sheik Jotajota Al Assar compra o apartamento e isso leva a um efeito manada e todos os ilustres proprietários de apartamentos da ZS embarcam na onda pintando seus apartamentos a base de ouro elevando os preços dos imóveis em 10 vezes.

        As construtoras adorarão pois vão ganhar dinheiro até dizer chega empregando seus pintores especialistas a preço de ouro (literalmente), os bancos vão nadar em empréstimos nababescos (afinal está garantido em ouro!) e o governo vai dar pulos de alegria por ver que o mercado está aquecido e o PIB dando pulos.

        Com isso os nossos amigos corretores vão estar esfregando alegremente suas mãos à espera dos lucros que obterão com essas vendas milionárias, mas só esqueceram de combinar com o zagueiro, no caso o pobre do comprador bananense que não teve seus rendimentos aumentados na mesma proporção áurea…

        E com isso, os proprietários vão ficar com seus apartamentos reluzentes sobrando duas opções:

        – Raspar a tinta toda na esperança de converter em ouro descobrindo que o mesmo se espalha por grandes superfícies e apenas alguns gramas foram utilizados para pintar o apartamento todo… isso se não for pirita!
        – Vender seu sonho dourados por alguns tostões a fim de minorar o prejuízo.
        – Casar com aquele apartamento porque não vai conseguir comprador.

        Essa é só uma pequena fábula, mas pode representar bem o sonho dourado da riqueza que se apossou do bananense nos últimos meses.

        0
        • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 23:12

          três opções… 🙂

          0
    • Anonymous 14 de dezembro de 2011 at 21:05

      … crescer no mesmo ritmo do INCC-FGV …

      Bando de ingorantes pois tratam um imóvel como se fosse uma aplicação financeira e ainda por cima uma aplicação INDEXADA ao INCC.

      0
      • neandertal 14 de dezembro de 2011 at 21:54

        hahahah
        são os mesmos ignorantes que estavam sendo endeusados aqui mesmo, quando do “Alerta de Bolha”

        0
        • Anonymous 14 de dezembro de 2011 at 22:12

          neardertal,

          De fato, são os mesmos doutos ignorantes que começaram a alertar para a bolha imobiliária muito depois desse BLOG. Esse últomo texto mostra que nunca abandonaram a mentalidade de correção monetária.

          0
  • Carlos Eduaroo 14 de dezembro de 2011 at 18:27

    Seria isso o desemprego batendo a porta ?

    Indústria paulista fecha 46,5 mil empregos em novembro, diz Fiesp

    A indústria do Estado de São Paulo fechou 46,5 mil vagas de trabalho em novembro, uma queda de 0,8% em relação a outubro, na leitura com ajuste sazonal. Sem o ajuste, a taxa ficou negativa em 1,74% no período, segundo dados divulgados pela Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) nessa quarta-feira. No acumulado do ano, a geração de empregos foi positiva, com aproximadamente 36 mil novos postos de trabalho.

    Cerca de 28 mil vagas fechadas foram no setor sucroalcooleiro, que apresentou queda de 1,05% em novembro em relação a outubro. De janeiro a novembro de 2011, o setor teve uma ligeira alta na criação de postos de trabalho, de 0,30%, com a criação de 7.596 vagas. Nos demais setores, a criação de empregos teve alta de 1,10%, com 28.404 contratações.

    Das 22 atividades analisadas, 14 tiveram retração no mês, três ficaram estáveis e outras cinco registraram variação positiva. A maior queda foi verifica no setor de biocombustíveis, com diminuição de 8,8% no mês, seguido por produtos alimentícios (8,3%). Os segmentos de bebidas e de máquinas e equipamentos registraram alta de 1,1% e 0,3%, respectivamente, segundo a federação.

    A região de Sertãozinho foi a que registrou maior queda no número de empregos (8,06%) causada principalmente pela baixa nos setores de produtos alimentícios (13,90%) e equipamentos de informática e produtos elétricos (-0,40%), seguida por Jaú (7,68%) e Piracicaba (6,51%).

    O destaque positivo fica com Jacareí, com alta de 0,16% puxado por setores como produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (3,45%) e produtos têxteis (1,48%). Marília fica em segundo lugar com alta de 0,15%, impulsionada pelos produtos alimentícios, com acréscimo de 0,78%, e máquinas e equipamentos (0,65%).

    fonte:
    http://not.economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201112141655_TRR_80607671

    0
  • Jota Júnior 14 de dezembro de 2011 at 19:54

    Metro quadrado no Rio de Janeiro chega a R$ 57 mil

    ANA PAULA CAMPOS
    COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

    Situada em um dos últimos terrenos disponíveis na zona sul carioca, uma cobertura de 160 m² com vista para a praia de Ipanema custa R$ 9.120.000.

    Essa é a unidade mais luxuosa de um empreendimento da RJZ Cyrela, que oferece, além de seis coberturas, apartamentos de 73 m² a 85 m² com duas suítes e uma área de lazer de 1.100 m².

    No prédio, o valor médio do metro quadrado é de R$ 38 mil.

    Se você pesou na balança e acha que vale o esforço, pode esquecer. Todas as unidades foram vendidas em menos de uma semana.

    “Perdemos a referência. Não imaginávamos que esgotaríamos em tão pouco tempo, sem sequer anunciar o lançamento”, conta Rogério Zylbersztajn, vice-presidente da RJZ Cyrela.

    O preço dos imóveis novos no Rio de Janeiro cresceu 18% de abril a outubro deste ano e 79% em relação a 2009, segundo pesquisa realizada pelo Ibope.

    Só os usados de Ipanema valorizaram 26% nesses seis meses, e o perigo de desvalorização passa longe. “Em uma área nobre que praticamente não tem mais terrenos, o imóvel será sempre valorizado”, considera Zylbersztajn.

    http://classificados.folha.com.br/imoveis/1004383-metro-quadrado-no-rio-de-janeiro-chega-a-r-57-mil.shtml

    E agora, como vou fazer para comprar meu apartamento no Leblon/Ipanema? As vendas não estavam escassas? A oferta não estava só crescendo? Os investidores já não haviam pulado fora? E o preço, bem o preço só está caindo!!

    0
    • L1 14 de dezembro de 2011 at 22:16

      JOTA

      O mercado de alta renda não é referencia…

      ia explicar, mas sinceramente, só posso dizer pra olhar os gráficos do IBGE

      0
    • shakespeare 14 de dezembro de 2011 at 23:22

      é isso mesmo, todo apartamento da Banânia deveria valer R$ 50.000 o m2 e ser vendido somente para milionários chineses, russos e indianos. Só assim a classe dos corretores receberia a justa remuneração por seus trabalhos e todos os bananenses pertenceriam a essa nobre profissão, pois seriam os únicos com condições de comprar alguma coisa

      0
      • Luiz 15 de dezembro de 2011 at 12:24

        compre um apÊ da Cyrela e ganhe um picasso de brinde

        jotajota, custar custa, e daí?

        eu mesmo quase casei com a Gisele Bundchen, só faltou um pequeno detalhe, o “sim” dela.

        0
  • thiago 14 de dezembro de 2011 at 20:13

    Atualização da crise 14/12/11

    A NEGAÇÃO

    BRASÍLIA – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, assegurou ainda em entrevista à Agência Estado que não há falta de crédito para empresas e pessoas físicas no Brasil. “Para pessoas físicas e jurídicas, o crédito está disponível no mercado. Não há falta de crédito para a atividade econômica no Brasil”, disse o ministro

    Ele lembrou que, no início do ano, o governo adotou medidas para restrição do crescimento maior do crédito, mas que foi a política adequada para aquele momento da economia brasileira. Ele ponderou, no entanto, que o crédito deve ter uma expansão de 17% em 2011 ante 20% em 2010.

    Mantega acrescentou ainda que NÃO HÁ BOLHA de crédito no Brasil. “Não vamos permitir a ocorrência de bolhas no Brasil”, disse. ( Ha HA! Agora estou aliviado!)

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia%20brasil,nao-ha-falta-de-credito-para-pessoa-fisica-e-juridica-diz-mantega,96029,0.htm

    AUMENTO DA INADIMPLÊNCIA

    SÃO PAULO – A inadimplência subiu 2,4% em novembro, em relação a outubro, a segunda alta mensal consecutiva apurada pela empresa Boa Vista, administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). No acumulado de janeiro a novembro, o número de novos registros cresceu 23,2%, ante o mesmo período do ano passado. A comparação em relação ao mês de novembro do ano passado registra alta ainda maior, de 24,6%.

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia%20brasil,inadimplencia-sobe-24-no-mes-e-246-em-12-meses,95974,0.htm

    QUEDA DAS VENDAS

    BRASÍLIA – O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) registrou em outubro queda de 0,32% ante setembro, na série com ajuste sazonal. Com essa variação, o indicador ficou em 138,61 pontos naquele mês. O resultado ficou perto do piso das estimativas colhidas pelo AE Projeções, que iam de queda de 0,40% a uma alta de 0,30%, com mediana de -0,10%.

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,atividade-economica-recua-032-em-outubro-aponta-bc,95955,0.htm

    QUERO VER A DILMA DIZER QUE VAI SER UMA MAROLINHA DESSA VEZ. COITADA, VAI PAGAR A CONTA DA FARRA!

    0
  • Carlos Wagner 14 de dezembro de 2011 at 21:17

    Jota

    Posta alguma coisa ai pra gente dar risada!

    Ta muito monotono hoje aqui. O pessoal com papo serio etc…

    To precisando dar risada (com “s”)…

    AH, chama seu amigo pra te ajudar a escrever besteira!

    0
  • Anonymous 14 de dezembro de 2011 at 21:39

    Aqui é o Anonymous imitando o JOTA, vou fazer o melhor que consigo.

    Esse BLOG está cheio de funcionário público com estabilidade no emprego que poderiam assumir um financiamento de 30 anos tranquilamente. Entretanto, ao invés de ganhar com a valorização dos imóveis, ficam dando rizada (*) dos que não compartilham da visão bolhista. É complicado, muito complicado.

    (*) com Z como ele escreve

    0
    • Ítalo 14 de dezembro de 2011 at 22:14

      Hahaaaaaaaaaaa !
      Ficou massa a imitação.

      0
  • Bolhudo 14 de dezembro de 2011 at 21:45

    offtopic

    Estou pensando em montar um site de comparativo de preços entre a Banânia e o resto do mundo. Alguém se habilita?

    0
    • Anonymous 15 de dezembro de 2011 at 09:40

      Bolhudo,

      Vou colocar minha experiência: No começo de 2009, comprei uma casa nova em condominio nos EUA pelo preço de um simples terreno numa das cidades do interior de SP. Desperdicei muito tempo tentando convencer amigos a trocar pelo menos 1 terreno (alguns tem vários terrenos) por uma casa nos EUA. Ninguém mostrou o menor interesse. Acabei concluindo que o problema da maioria das pessoas que nascem num determinado país é semelhante ao problema da maioria das pessoas que nascem e são educadas numa certa religião, ou seja, muito poucos conseguem escapar dessa prisão. Não conseguem pensar fora dessa caixa como dizem os Americanos.

      O melhor que podemos fazer é um website com fotos de edifícios com pouca ocupação, mostrando que os empreendimentos irão fracassar em pouco tempo, pois não foram comprados como moradia, mas sim como “investimento”. Isso talvez consiga alertar alguns.

      0
  • pmoraesm 14 de dezembro de 2011 at 22:04

    Putz,

    Até pro LinkedIn os corretores estão apelando agora…

    “Faça parte da minha rede no LinkedIn

    Paulo Roberto Oliveira PAULO XXXXXX CORRETOR DE IMÓVEIS
    To: Paulo M.
    Date: December 13, 2011

    Eu gostaria de adicioná-lo à minha rede profissional no LinkedIn.

    Accept | Ignore

    Hm… ignore

    0
    • Ítalo 14 de dezembro de 2011 at 22:15

      Ignore !

      0
  • Cleyton 14 de dezembro de 2011 at 22:20

    É, esperto é quem fala inglês e sabe que concurso público não tem interpretação de texto. Sem mais meritíssimo.

    0
    • neandertal 15 de dezembro de 2011 at 00:36

      tudosobreconcursos.com/interpretacao-de-textos

      ps. o meu chefe tá me chamando aqui, provavelmente pra limpar os sapatos na minha cara novamente. ê vida di cão 🙁

      0
      • Cleyton 15 de dezembro de 2011 at 17:36

        Talvez quem saiba o que significa ironia então: Se não sabia que tinha interpretação provavelmente não fez nenhum concurso.

        Vamos fazer o seguinte, esquece isso, não vamos chegar a lugar nenhum com isso mesmo.

        0
  • Elvis Pfützenreuter 15 de dezembro de 2011 at 20:34

    É, infelizmente este vídeo não fez justiça ao site. Ingênuo, beira ao anti-semita embora seja covarde na hora de dar nome aos bois (quem não se tocou que Escudo Vermelho é Rotschild? :), transforma mecanismos bem conhecidos e perfeitamente válidos (como a multiplicação do papel-moeda com base numa reserva de ouro menor) em “monstros”. Soou como um amigo meu que acredita no Protocolo dos Sábios de Sião.

    É o tipo de coisa que os “occupywallst” acreditam como se fosse o Evangelho, enfim, as pessoas estão desesperadas, perdem emprego, casa, aí os provocadores começam a eleger culpados. Nazismo começou assim. É triste a situação mas na hora do dinheiro barato, cartões de crédito abundantes, todo mundo gastou e festou sem pensar.

    Tecnicamente o video é bem-feito, divertido, mas não serve nem para fazer pensar.

    0