“Esta é uma péssima hora para comprar um imóvel”, diz professor da FGV – Isto é

Você pode gostar...

Comments
  • Andre Luiz 28 de outubro de 2011 at 13:39

    O Samy Dana da FGV e o João da Rocha-Lima Júnior da USP são os acadêmicos a falar da bolha, ao menos na grande mídia.

    Daqui a algum tempo eles estarão bem famosos porque avisaram, mas ninguém quis escutar…

    PLOC!

    0
    • Fernando 29 de outubro de 2011 at 18:06

      Meu racicínio é extremamente simplista, mas não li ou ouvi nada à respeito ainda.
      O papinho que o Brasil têm déficit habitacional…blablabla, todo mundo sabe!
      Possui uma população de X pessoas, distribuídas demograficamente de má forma, mas MORAM em algum lugar(tirando os pobres moradores de ruas), seja de ALUGUEL ou residência própria.
      Pergunto: Estamos importanto chineses em navios cargueiros pra virem morar aqui e justificar tamanha atividade na construção civil?
      Ok, muitos brasileiros estão comprando sua casa própria, mas JÁ moram em algum lugar de alguma forma. Quando “saírem” do aluguel, esses imóveis ficaram vagos, a oferta crescerá, o preço cairá devido à avalanche de ofertas (tanto os preços dos imóveis como de aluguéis), e a o bola de neve só crescerá……É uma questão de tempo

      0
      • Fernando 29 de outubro de 2011 at 18:12

        corrigindo”…..ficarão…..”

        0
      • Troll 29 de outubro de 2011 at 22:41

        Esse papinho de déficit habitacional e demanda reprimida torra o saco, porque a Banânia tem déficit de tudo, segurança, saúde, educação, estradas, empregos, bons políticos, etc…

        0
      • Pedro Paulo Santos 29 de outubro de 2011 at 23:42

        O que deveria ser feito é uma campanha para não comprar ou alugar imóveis de investidores.
        Espero que eles fiquem com seus investimentos parados e dando prejuízo, pois por os preços estão abusivos por culpa deles.
        E quem realmente necessita sair do aluguel, pena para pagar o absurdo que o mercado pede.

        0
        • Elisson Forte 30 de outubro de 2011 at 07:15

          Pedro Paulo concordo plenamente e acho que poderíamos organizar uma campanha contra esses investidores, ou melhor especuladores. Como já disse minha esposa é corretora e eu já vi casos de gente “comprando” um apto dando uns 50k de entrada e 6 meses depois o cara quer repassar por 120k. DIGAM NÃO AO ESPECULADOR IMOBILIÁRIO.

          0
        • Camila 30 de outubro de 2011 at 19:45

          Concordo com você ! Em setembro recebi um email de um corretor de imóveis me oferecendo um terreno em Vargem Pequena, aqui no Rio de Janeiro, a 600,00 o metro quadrado, o que jah achei um absurdo, por conta de tudo o que eu sei que não tem na região: infraestrutura, água, gás, etc e tal. No início desse mês (outubro),recebi outro email com o valor jah aumentado R$900,00. Hoje recebi um email com outro lançamento de terrenos nesse mesmo loca (Vargem Pequena)l, em outro condomínio, pela mesma incorporadora, só que, pasmem….R$ 1255,00 o METRO QUADraDO !!! O que é isso? Tolas serão as pessoas que comprarem esses terrenos, aumentando e muito, o bolso gordo desses incorporadores e construtores ! Falam que a região estah valorizada por conta da Olimpiada, etc e tal..e quando a Olimpíada acabar?

          0
  • Elias 28 de outubro de 2011 at 13:46

    MP e SECOVI firmam TAC para incorporadoras incluírem nos contratos cláusulas sobre atraso em obras

    h t t p ://w w w.mp.sp.gov.br/portal/page/portal/noticias/publicacao_noticias/2011/outubro_2011/MP%20e%20SECOVI%20firmam%20TAC%20para%20incorporadoras%20inclu%C3%ADrem%20nos%20contratos%20cl%C3%A1usulas%20sobre%20atraso%20em%20obras

    0
  • Luiz 28 de outubro de 2011 at 13:46

    podemos discutir isso?
    htt p://www.zap.com.br/revista/imoveis/financiamento/brasileiro-financia-71-do-valor-da-casa-propria-20100915/

    É MUITO? É POUCO?

    Brasileiro financia 71% do valor da casa própria

    publicado
    em 15/09/2010 às 14:23
    por Gisele Tamamar | Fonte: Jornal do Tarde

    Mercado imobiliário começou a se valorizar mais fortemente há cerca de seis anos

    Com a valorização do mercado, quem recorreu ao crédito habitacional para comprar seu imóvel financiou, em média, 71% do valor da casa própria.

    Levantamento da Caixa Econômica Federal mostra que o valor médio financiado hoje ficou em R$ 80,5 mil – 223,29% acima da média registrada em 2002, de R$ 24,9 mil. Já o valor médio de cada prestação acertada com a Caixa é de R$ 406,75.

    O coordenador do curso de pós-graduação em negócios imobiliários da Faap, Ricardo Almeida, destaca que o mercado atual é completamente diferente de 2002, quando não existiam as facilidades e planos de financiamento. As altas taxas de juros cobradas não se encaixavam no orçamento da população de baixa renda. “O Brasil ficou mais forte e o mercado reagiu automaticamente. Só a crise econômica de 2008 deu uma esfriada”, afirma.

    Na comparação do valor médio de avaliação dos imóveis de 2002 com 2010, a alta foi de 230,5%.

    “O programa mexeu com toda a indústria, não só da construção civil, mas da linha branca e moveleira, por exemplo. O plano fortaleceu o mercado com subsídios e juros mais baixos, e trouxe um novo público que não era comprador”, afirma Almeida.

    Além do programa do governo federal, o economista-chefe do Sindicato da Habitação (Secovi-SP), Celso Petrucci, também destaca a queda das taxas de juros, maiores prazos e a maior facilidade para a comprovação de renda como fatores que ajudaram o mercado a evoluir.

    O economista do Secovi não vê como preocupante o financiamento de 71% do valor do imóvel. A explicação está na estabilidade da taxa de inadimplência em 1,5% desde o começo do ano.

    Na avaliação do gerente regional de Habitação da Caixa, Nédio Henrique Rosselli Filho, as pessoas estão perdendo o medo do financiamento. “O aumento do crédito e menores taxas de juros facilitam a compra da casa própria, além do processo de comprovação de renda ser menos burocrático”, completa.

    Os trabalhadores sem carteira assinada podem comprovar renda por meio de extratos bancários, contratos de aluguel e mensalidade escolar, por exemplo. “Por meio desses documentos, a Caixa avalia quanto a pessoa pode pagar”, diz o gerente regional.

    0
    • Jack Imóveis 28 de outubro de 2011 at 14:16

      Luiz,

      Eu acho um despropósito.

      Quando comprei meu apê em 2008 fiz exatamente o contrário. Durante a obra paguei 70% do valor (mesmo tendo risco de ser obra e tal) e já tinha conhecimento que poderia quitar os 30% assim que tivesse as chaves.

      Eu acho que até 50% é um valor adequado para você fianciar uma moradia que seja para a vida toda (mantendo em conta que seu padrão de vida não varie muito)

      Abraços

      Jack – Abaixo pagar fiado!

      0
      • DRN 28 de outubro de 2011 at 15:00

        Essa fórmula é fundamental para dormir em paz:

        Excedente para gastar = Renda – Despesas Fixas

        Pagar juros pra quê?

        Melhor é guardar o dinheiro (sempre, independentemente do valor do bem) e só comprar quando tiver bala na agulha.

        Para morar (lembrando que casa é custo de vida), se não tiver a grana, o melhor é alugar.

        Se tiver a grana acho que vale a pena ter casa, mesmo que 0,8% da grana (CDB) dê para pagar o aluguel da mesma casa com sobra. É que a casa onde se mora é bem de família e impenhorável. Fornece segurança. Além disso, existe o conforto psicológico de morar no que é seu.

        Saudações.

        0
    • xyz 28 de outubro de 2011 at 14:17

      Cuidado!!!

      Essa média pode ser a média simples e não ponderada.
      Ou seja, deve ser a média que mais interessa divulgar.

      0
    • Laranja 28 de outubro de 2011 at 15:10

      Será que a facilidade de crédito ainda é maior que a dificuldade dos 230% de aumento? Antes o cidadão tinha que dar uma entrada maior, mas este aumento já deve ter comido esta facilidade de financiar com prazo longo e juro mais baixo.
      Exemplo: Um apê custava em 2002 80k, e a entrada, sei lá… era de 50% = 40k (financiava 40k)
      Hoje custa 264k e a entrada é de 20% = 52k (financia 212k).
      Alguém teria condições de simular uma situação desta com números reais? Não esquecendo, é claro, de considerar o fabuloso aumento da renda do brasileiro…

      0
      • Luiz 28 de outubro de 2011 at 15:55

        o raciocinio está perfeito
        hj está tão dificil comprar uma casa quanto sempre esteve

        o aumento do crédito esta sendo 100% sugado pelo preço
        ganham os bancos, ganham os proprietários antigos

        com a diferença que antes a pessoa era livre de dívidas, hj ela está pendurada por 15 anos.

        0
        • RT 28 de outubro de 2011 at 19:51

          “hj está tão dificil comprar uma casa quanto sempre esteve”

          Discordo quanto a esse ponto.

          Acho que hoje está muito mais difícil do que antes, pelo menos no Rio… e digo “difícil” pra não dizer “impossível” mesmo.

          Hoje, com 10 mil de salário, você não compra um 2 quartos velho e quebrado em Botafogo (a menos que já tenha outro imóvel pra vender). E olha que não é todo mundo que ganha 10 mil. E olha que Botafogo nem é o bairro carioca mais nobre.

          Penso exatamente como estavam conversando acima: qualquer aumento de crédito e de renda da população nestes últimos anos já foi consumido (faz tempo!) pela subida desenfreada dos preços.

          0
          • Troll 28 de outubro de 2011 at 21:50

            Pois é. Tenho essa renda. Mas não consigo comprar um muquifo nem em Botafogo e nem na Tijuca. É a tal classe média do LULA subindo e f*dendo o resto. Eita Banânia!

            0
            • Prostenajic 6 de novembro de 2011 at 23:28

              Idem, idem, idem… Nem na Tijuca! E olha que tenho 100 k para a entrada. Desisti e vou morar de aluguel por mais uns anos e ver que bicho vai dar. F*da é a insegurança. Mas hoje pago 1100 reais de aluguel (que acabei de reajustar) em um qto-e-sala muito sem vergonha – porém bem localizado – que não me sairia por menos de 270 mil, gerando uma prestação de uns 2 mil por mais ou menos uns 20 anos. Tô fora! Vamos aguardar. Seja lá como for, concordando ou não com a tese da bolha, o destino definiu de que lado estou.

              0
  • Carcará 28 de outubro de 2011 at 14:28

    Não se tem o valor da mediana nem das medidas de dispersão. Mas façamos um exercício mental baseados nos dados. Que imóvel atualmente se compraria no Brasil com um financiamento médio de 80,5 mil e uma prestação mensal de R$ 406,75, ainda mantendo o percentual financiado de 71%? Existe alguma favela ou alguma roça onde se poderia comprar um imóvel com esses parâmetros.

    Menino do Rio, você que gosta dessas coisas de crédito, socorra-nos, por favor.

    Abraços.

    0
  • Paulo - RJ 28 de outubro de 2011 at 14:34

    O efeito Copa

    A confirmação do Brasil como sede da Copa de 2014 também contribui para o aquecimento do mercado imobiliário. Mas, até que ponto essa alta será sustentável? “As pessoas esperam que haverá um milagre na Copa. Mas não vai. O Brasil ainda tem muitos problemas estruturais”, diz…

    Finalmente alguém teve coragem de dizer isto na mídia (assunto mais que discutido aqui). Copa do Mundo e Olimpíadas pouco vai mudar a realidade das cidades e do Rio de Janeiro (Olimpíadas).

    0
    • RT 28 de outubro de 2011 at 19:55

      Sinceramente?

      E se a realidade daqui mudasse muito por causa da Copa? Digo, e se o Rio virasse uma cidade onde tudo funciona, tipo uma Paris ou Oslo… essa alta de preços seria sustentável? Pra quem venderiam?

      Minha opinião é que não adianta você cobrar caríssimo por um apartamento em Paris se ninguém lá tiver renda pra pagar o que você pede.

      Uma coisa é você pedir 500 mil numa mansão, voltada para os ricaços, pois para estes, você vai conseguir vender por qualquer preço. Outra coisa é pedir isso num apartamento apertado de frente pra favela, onde o rico não quer morar e pelo qual a classe média (que até poderia se conformar com a vista) não pode pagar.

      0
      • lopes51 28 de outubro de 2011 at 20:02

        Isso é o q sempre falo vai vender pra quem?
        Quem tem renda pra conseguir comprar os PALACIOS DE POMBA.

        0
      • Troll 28 de outubro de 2011 at 21:53

        O Rio jamais será uma cidade onde tudo funciona. Jamais.

        0
    • augusto 29 de outubro de 2011 at 16:19

      Se Copa do Mundo fosse uma panacéia para todos os males, a Africa do Sul hoje seria uma super-potência.
      Sem dúvida deve ter um efeito inicial de aumentar a mão de obra empregada na construção civil (e aqui ninguém distingue entre obras em Estádios e obras em prédios), e também no consumo de material de construção (também sem distinção entre estádios e prédios)..
      Mas para mim é como alguém ir a um fabuloso restaurante, beber e comer até não mais poder, e depois encarar a conta, e a ressaca do excesso. Mas ela foi trazida para o Brasil pelo Moluscão, que por sinal parece estar do-doi, em contatos com entidade como a FIFA, onde a grana perece pesar muito, para manter o povo eufórico e a midia mantendo esta euforia, pois certamente tb será em muito beneficiada
      Mas após 2014 veremos o tamanho e consequências da ressaca

      0
  • Paty 28 de outubro de 2011 at 14:58

    Acho que a bolha imobiliaria é o assunto do momento..

    Boom ou Bolha?
    Alta no preço dos imóveis liga alerta: estamos vivendo uma bolha imobiliária ou nosso crescimento é sustentável? Especialistas explicam o que vem por aí.

    Pohttp://casa.abril.com.br/comprar-imoveis/como-comprar/boom-ou-bolha-644918.shtmlr
    Bruno Versolato

    O preço do metro quadrado nunca esteve tão alto. Segundo o índice FipeZap, nos últimos 12 meses, o preço de venda dos imóveis em São Paulo subiu 28,8%. No Rio de Janeiro o aumento foi de 41,4% e Recife viu uma valorização de 30,4%. A alta no valor das unidades e a quantidade de lançamentos levantam dúvidas sobre a real demanda para os novos empreendimentos. É prudente comprar um imóvel agora ou vale a pena esperar? Os preços vão cair?

    O Casa.com.br ouviu especialistas em finanças e no mercado imobiliário. “Não estamos vivendo uma bolha; isso só aconteceria se os preços subissem de maneira artificial ou houvesse uma demanda artificial. Ainda não é o caso”, afirma o professor João da Rocha Lima Jr, do Núcleo de Real Estates do Instituto Politécnico da USP. Demanda artificial acontece quando um número grande de imóveis é comprado por pessoas que tem um único interesse: esperar um preço mais caro no futuro para vender. Sem intenção de uso. “Pode até haver risco de bolha em mercados e produtos específicos. Mas não de forma generalizada”. O conceito de bolha ficou conhecido por conta da crise norte americana, mas segundo o professor, mesmo nos EUA, em 2008, não houve uma bolha imobiliária generalizada. “Em cidades da Flórida a bolha era clara. Mas em Houston não teve bolha alguma”, diz ele.

    Crédito no Brasil versus Crédito nos Estados Unidos

    Não se discute, no entanto, os estragos que a bolha americana (mesmo não generalizada) causou. Felizmente, de acordo com a professora Ana Maria Castelo, da FGV, o Brasil está num momento de franco desenvolvimento imobiliário. E existe um déficit real de moradias – 5,6 milhões de unidades (metade na faixa de renda de até cinco salários mínimos). Os especialistas também descartam uma bolha semelhante à americana porque, aqui, o crédito é concedido de forma muito diferente do que se via nos Estados Unidos. “No Brasil se financia entre 70% e 80% do valor do imóvel” detalha Lima Jr. “O mercado norte-americano”, compara, “financia perto de 95% do preço das unidades”. No auge da especulação nos EUA chegou-se a oferecer 110% de financiamento. Cadastros de mutuários foram fraudados para serem aprovados mais facilmente pelos bancos. As instituições financeiras, por sua vez, geravam papéis lastreados em pagamentos futuros das hipotecas. Quem comprou os papéis não tinha nada. Só a promessa de receber a quantia devida por quem fez o financiamento. Quando a inadimplência começou, tudo desmoronou. “O crédito brasileiro é concedido com muito cuidado. Exige-se uma papelada enorme, nome limpo. Tudo é checado”, afirma Gallo. Some-se a isso o sonho da nova classe média: ter uma casa própria. “O brasileiro não financia um imóvel como investimento. A maioria da população quer um imóvel para morar”, afirma o vice-presidente do Sinduscon-SP, Odair Compro ou não?

    Agora, depois de ler esse texto todo, o que você quer mesmo saber é: devo comprar um imóvel agora ou devo esperar? Ninguém arrisca essa resposta pois ela não é única. Depende do seu interesse. Veja em que perfil você se enquadra:

    1) Encontrei o imóvel dos meus sonhos, sei que ele está com um preço salgado, mas realmente gostaria de morar nele.
    Então, nesse caso a resposta é: compre. Seja rápido para conseguir o crédito pois há uma crise no horizonte europeu. “Se a Itália quebrar, arrastará com elas bancos franceses e alemães. Isso fará com que o crédito se retraia no mundo inteiro”, afirma o professor de Finanças da Fundação Getúlio Vargas, Samy Dana.

    2) Gostaria de comprar um imóvel para investir.
    Talvez não seja a hora de comprar imóveis residenciais para investir. “Alguns produtos em faixa de renda específica apresentem alta de preço muito acima de outros ativos econômicos”, afirma o professor João da Rocha Lima Jr, do Núcleo de Real Estates do Instituto Politécnico da USP. Samy Dana, da FGV, faz um cálculo simples, usando como exemplo o mercado de São Paulo. Imagine que um apartamento de 100 m² custe R$ 1 milhão. Se for alugar ela consegue entre R$ 2,5 mil e R$ 3 mil por mês”, continua. “Se for colocar na Poupança esse dinheiro rende a ela 5 mil reais, ou seja, o dobro”. Só valeria a pena comprar imóveis que possam ser alugados como escritórios ou clínicas de saúde. O retorno nos alugueis chega a ser de 1,2% do valor do imóvel nas grandes capitais.

    3) Gostaria de comprar um imóvel para morar, mas não tenho pressa.
    Então, aguarde. “Após a Copa de 2014, o mercado deve voltar a um patamar mais racional”, comenta Dana. Os preços dos imóveis super, valorizados devem cair. Só não haverá grande mudança para o mercado da classe “C” e empreendimentos como o “Minha Casa, Minha Vida”, afirma Lima Jr. “São produtos com margens muito estreitas”. Além disso, não há especuladores nesse segmento.

    0
    • Jack Imóveis 28 de outubro de 2011 at 15:50

      Em resumo.

      Só compre se for para morar e se for o imóvel da sua vida!!!!!!

      Um jeito rocócó de dizer que o Rei está Nú!!!!

      Abraços

      Jack – O resumidor

      0
      • Luiz 28 de outubro de 2011 at 16:05

        isso do crédito limpo é uma meia verdade.

        Existe aí uma massa imensa de edificios em construção comprados por investidores que pagarão 10% de entrada, sem comprovação nenhuma de renda para o financiamento futuro e ainda com oferta de carros e motos de brinde. Estas obras estão todas atrasadas e fora dos padrões de acabamento prometidos.

        Tudo isto está gerando custos e sobreoferta que vão se acumular lá na frente acima da real capacidade de produção e renda.

        sobre a opção 1) … então alugue o do vizinho ao dos sonhos

        0
        • Leo 28 de outubro de 2011 at 20:34

          Nao sabia que era possivel financiar durante a obra sem comprovacao de renda. Se isso realmente estiver acontecendo a situacao é bem pior do que eu pensava….

          isso se aplica ao financiamento completo do imovel ou apenas a parte referente ao periodo de obra ?

          0
          • Mr. R 28 de outubro de 2011 at 23:15

            Um conhecido financiou 4 ou 5 unidades. Um AP grande e 3 ou 4 “kits”. Ele tem renda pra comprar apenas o AP. Imagino que ele tenha usado o mesmo comprovante de renda pra todos, e que as construtoras não verificaram se a renda dele já estava comprometida com outro imóvel na planta…

            Se ele não conseguir vendê-los quando forem entregues – a tendência -, imagina o drama…

            0
            • Troll 29 de outubro de 2011 at 00:23

              Espero, seriamente que existam diversos investidores Ponzi, deste tipo. Isso contribuirá para o grande PLOC.

              0
              • Mineiro BH 29 de outubro de 2011 at 12:36

                E esse nao seria o nosso subprime ?????

                0
          • Guilherme Eduardo 29 de outubro de 2011 at 23:13

            durante a obra os 10%~20% da entrada é pago de forma parcelada direto para a construtora, não precisa se de uma vez (na ganância de vender, fazem montagens com seus extratos e comprovantes de renda para liberar a compra. Até vale transporte vira renda). O saldo devedor quando a obra fica pronta é que precisa ser pago de uma vez só, aí é que entraria o financiamento pelos bancos.

            0
        • Guilherme Eduardo 28 de outubro de 2011 at 20:59

          O crédito nos bancos é rígido, o problema mora “na planta”. Fui várias vezes ver imóveis na planta com minha namorada, e em alguns a minha renda não era compatível. Os corretores então falavam que era só um ir depositando parte do salário na conta do outro e depois declarar como renda informal, assim 2+2=5 ou 6 !!! Eu perguntava se não ia dar problema na hora de financiar. A resposta era sempre a mesma: “Dá sim, com a CEF”.

          Muitos foram nessa onda, pensando que se demorasse para vender o imóvel supervalorizado, financiaria o saldo devedor na Caixa e colocaria para alugar.

          O problema, como muitos aqui já demonstraram, é que os bancos (Bradesco, BB, CEF, Santander, Itaú, etc) é muito mais rígido na hora de liberar o $$$. Aí vários “investidores” vão tomar na cabeça.

          0
          • Cleyton 29 de outubro de 2011 at 00:16

            Guilherme, acrescento aí os cabeças que dão entrada e depois a caixa não aprova o financiamento e o cara perde o sinal, só achei estranho a parte que dá problema com a CEF! Quem disse isso? O vendedor? Normalmente eles dizem que vai passar e tal, mas vc tem que dar o sinal agora porque esta oportunidade imperdível tem fila! Aqui em Curitiba vi hoje uma placa num poste escrito “Oportunidade, Ap. 6° andar de frente pra praça”, oportunidade pra quem? Pro vendedor? Fora que até onde eu sei aqui vão ter (só) quatro jogos da copa, será que é isso que está inflando os preços aqui? Demanda reprimida de gringos loucos por copa e por morar em frente à praça (que nem perto do estádio fica), que loucura!

            0
            • Guilherme Eduardo 29 de outubro de 2011 at 13:01

              Me expressei mal. Quando falei “Dá sim, com a CEF”, quis dizer que eles falam que A CAIXA FIANANCIA, e não que vai dar problema com a CEF. Desculpem-me.

              0
    • augusto 29 de outubro de 2011 at 16:41

      Bolha ou não para mim isto é semântica.
      Mas o fato é que o preço dos imóveis subiu muito e ultrapassou o ponto de equilíbrio do mercado. As próprias estatísticas de venda de imóveis novos ou usados mostra isto.
      Ninguém mais em sã consciência está disposto ou consegue pagar os altissímos preços para nossas condições econômicas. Como se sabe valores são relativos e aqui devemos utilizar aquilo que para um Pais pobre como o nosso encontra respaldo. Nova classe média com rendimento de 3 a 4 mil por mes é para dar risada perto dos padrões de paises ricos
      Parece que o fazedores de preço no mercado imobiliário, ultrapassaram os limites do razoável, utilizando argumentos em grande parte teóricos para nossa realidade, e como se diz deram um tiro no próprio pé.
      Os investidores profissionais que entram quase sempre para ganhar e com pouquisimas chances de perder estão ou já abandonaram o barco, e agora tentam atingir os amadores ue quase sempre perdem

      0
  • LP 28 de outubro de 2011 at 17:27

    Para quem considera que o crédito no Brasil é seguro e representa baixo % do PIB, é bom lembrar da imensa informalidade “destepaís”:

    http://oglobo.globo.com/rio/mat/2011/10/27/chefe-de-quadrilha-de-agiotas-presos-tinha-1-milhao-em-casa-925678203.asp

    Notem o tamanho da operação desta quadrilha. Certamente não é a única operando “nestepaís”.

    0
    • Felipe 28 de outubro de 2011 at 22:17

      AHH amigão, se corressem atrás realmente de doleiros e agiotas, iam achar ratazanas maiores do que capivaras.
      E a maioria delas se chamaria por algum título, como Excelentíssimo, Dr, Promotor, Delegado, Deputado, Senador e por aí vai….

      0
  • ninja 28 de outubro de 2011 at 18:54

    conheço um corretor de imoveis que “comprou”10%, 03 aptos na planta, a mais ou menos um ano, dia desses me disse que esta tentando vender 2, más tá dificil. ofereceu para mim. disse que vou esperar a bolha estourar. -são esses os investidores?!

    0
  • Troll 28 de outubro de 2011 at 22:18

    Me lembrei desse vídeo:

    http://www.youtube.com/watch?v=EqW9srTn7xM

    Muito, muito longe do mercado brasileiro, com sua irritante classe C….hahaha

    0
    • Carlos Wagner 28 de outubro de 2011 at 23:50

      Por falar em classe C, olha ela ai:

      http://www.youtube.com/watch?v=NzloIHo-5uw

      E dizem que é essa gente que sustenta o mercado imobiliario no brasil devido ao aumento da renda, bla bla bla….

      É, o povo tem fome!!!

      0
  • Regis 28 de outubro de 2011 at 23:16

    Ms. Ye, que acabou de pós-graduação, utilizado todas as suas economias para comprar um apartamento em Xangai, em julho. Ela nunca imaginou que o valor da sua casa de repente diminuir por um yuan milhões (157,4 mil dólares EUA) por causa da campanha do desenvolvedor de desconto, ela disse ao Evening News Yangcheng.

    “Ele vai me levar mais de dez anos para ganhar de volta o que eu perdi em dois dias”, disse ela.

    http://www.theepochtimes.com/n2/china-news/chinas-real-estate-developers-slashing-prices-investors-enraged-63353.html

    0
  • Marcelo 29 de outubro de 2011 at 02:34

    Estou neste momento na Florida e parte da minha familia mora aqui a 30 anos, recentemente adquiriu mais um imovel… Sei que não podemos comparar mas é impressionante a revolução dos imoveis que esta por aqui !!! Imoveis de US$350-400K na epoca da bolha por US$100-120K fora a enchurrada de oportunidades !!! Aqui é muito dificil as pessoas terem dinheiro para pagar a vista um imovel, mas quem tem, é assustador até onde o preço cai… vc anda pelas ruas e ve muitas mas MUITAS casas, prédios, condominios VAZIOS e as moscas , lugares lindos com estrutura de clube classe A…

    0
    • Anonymous 29 de outubro de 2011 at 06:40

      Sei que não podemos comparar – Não dá para comparar por que? Só porque voce está vendo algo muitas vezes melhor e mais barato? É claro que dá para comparar, pois só assim percebemos o absurdo que está acontecendo na Banânia.

      0
      • xyz 29 de outubro de 2011 at 14:53

        Caro,
        Não dá para comparar porque a renda lá é muito maior e a taxa de juros muito menor.

        0
        • Anonymous 29 de outubro de 2011 at 15:38

          É claro que dá, voce está comparando quando diz que a renda lá é maior. Observe que quando escrevo A > B, estou COMPARANDO A com B e dizendo que A é maior do que B. O ponto importante é que, apesar da renda ser maior, os preços são menores. Somente isso já é uma evidência de bolha imobiliária na Banânia.

          0
          • Carlos Wagner 29 de outubro de 2011 at 15:59

            Anonymous

            Voce tem toda razão. Onde há maior renda os preços deveriam ser maiores. É questão de logica, é óbvio.

            O absurdo é o preço ser mais alto num local onde o poder aquisitivo da população é menor.

            Seria como abrir uma loja da DASLU na favela de paraisopolis.

            0
            • Paulo Rocha 29 de outubro de 2011 at 21:32

              Só para dar um exemplo do custo de financimento no Brasil. Moro na Noruega e fiz um financiamento de R$310.000,00 quando comprei o meu apartamento. Por mes pago R$1.400,00 de prestação no financiamento. Uma vez fiz uma simulação no site da caixa em quanto teria que pagar por um emprestimo de 300.000 e a prestação dava mais do que R$5000/mes. Tudo bem que o na caixa o financiamento era para 15 anos aqui na noruega financiei em 20. O pior de tudo é que no brasil dificilmente o meu salário chegaria perto do que eu ganho na Noruega. Eu até tenho vontade de voltar para o Brasil mas só depois da bolha estourar!

              0
        • Carlos Eduardo 31 de outubro de 2011 at 02:24

          Também acho absurdo quando alguém diz que não dá para comparar ! por causa disso ou daquilo outro!

          na verdade todas as variaveis só torna a equação mais complexa, oque não deixa ser uma coisa comparavel!

          é comparavel e cada variavel absurda mostra a disparidade da coisa!

          já tinha certeza que o cenario, imobiliario do pais não se sustentaria assim que vi os preços começarem a subir! e nem sabia oque era uma bolha!
          O mercado imobiliario não aguentará e isso é fato! a não ser que percamos a moeda totalmente! oque eu acho possivel! tendo esse governo ridiculo do PT, mais sinceramente!

          veremos oque acontecerá, pois ainda acho que os “donos do país” tem mais dinheiro do que imoveis, portanto eles também perderia numa eventual desvalorização do país! acredito fortemente na deflação! Não por um poder divino, ou pelo copom! mais pelo desequilibrio, e desaquecimento. Além das greves e consequencias da inflação, que estamos sentindo!

          to me divertindo com o cenário atual do país, tenho que dizer que está sendo bem interessante acompanhar, o jogo de xadrez do mundo!

          0
  • Daniel 29 de outubro de 2011 at 08:27

    Bom dia todos, acompanho esse forum com muito interesse e pela primeira vez posto aqui uma mensagem e ao mesmo tempo gostaria das opiniões dos membros desta que, ao meu ver tem visões muito apuradas e realistas sobre bolha que com certeza está se formando na nossa econimia.
    Moro em Santa Catarina, na região de Itajaí/Navegantes cujo o complexo portuário troxe muito progresso e consequente demanda por imóveis em todos os níveis, pois ha uma escalada no pirámide social.
    Ha uns 10 anos atráz quando me mudei para cá após 35 anos de SP, lembro muito bem que a diferença de preços dos imóveis equivalentes em tamanho e padrão de acabamento e localização( pode crer, aqui também tem região muito valorizada, central) era, em torno de 25 a 30%. (mais caro os de SP, é claro) mas hoje a diferença cresceu muito e está na casa dos 100 a 120%.
    Minha dúvida (cruel) é se houver um estouro dessa bolha, como se comportariam esses mercados diferentes em realidades particulares de cada região. Pois como permutei um terreno que tinha por alguns apartamentos e estou para receber em alguns meses.
    Ex: um aprtamento de 2 dormitórios de 75m2 com bom acabamento pode ser comprado por 150.000,00 a 200.000,00 e reparei que alguns aptos. equivalentes que eu vi em SP não se compra por menos de 350.000,00.

    0
  • Q 29 de outubro de 2011 at 09:24

    A bolha esta estourando feio na China, só aqui que os preços não caem: http://www.theepochtimes.com/n2/china-news/chinas-real-estate-developers-slashing-prices-investors-enraged-63353.html

    0
    • Henrique 29 de outubro de 2011 at 19:09

      É, mas tem que esperar um pouquinho (semanas, não meses) para o mesmo acontecer aqui.

      Li, há um mês, que os chineses estão atrasando o pagamento de fornecedores. O Agnelli deve estar dando graças a Deus por ter saído a tempo. Lembro quando ele anunciou, em novembro de 2008, que a Vale estava suspendendo TODOS os novos projetos da empresa. Foi só depois que o Bin Bernanke disparou a imprimir dinheiro no final de 2008 que o oba-oba do minério de ferro recomeçou – e a bolha imobiliária no Brasil começou pra valer.

      Agora a China está no meio de um hard landing, a Europa dispensa comentários, o Estados Desunidos foram sequestrados por um bando de terroristas financeiros suicidas e o Japão está lidando com 3 meltdowns a 200 km de Tóquio. Mas, felizmente, vai haver Copa do Mundo por aqui, seguida de um Olimpíada no Rio – logo, não tem problema.

      Sobre o Japão – quem lembra do estrago que um aparelhinho de Raio-X de dentista causou em Goiânia em 1987 deve conseguir entender o que está se passando por lá. Além das emissões maciças continuadas de radiação desde março deste ano, o governo, para mascarar a coisa, manda queimar normalmente, sem nenhuma precaução, todo o lixo do tsunami que ficou exposto aos elementos durante meses. Isso, além da emissão continuada, está contaminando Tóquio inteira. E a produção industrial do país se contamina tb. Tem carro que, de tão radioativo, não pode ser exportado. O melhor site agregador de notícias sobre Fukushima é o Enenews (http://enenews.com/).

      0
  • Elisson Forte 29 de outubro de 2011 at 10:15

    Minha esposa é corretora de imoveis e o mercado está realmente parado e os preços dos imóvies estão realmente caindo, já vi preços de imóveis que antes os proprietários não queriam vender por menos do que eles queriam. Por exemplo um apartamento que era vendido por R$350mil e alguém fazia uma proposta de R$320mil o proprietário não vendia, pois achava que o preço continuaria aumentando, mas isso não aconteceu. Agora vários proprietários ligam para a minha esposa baixando o valor do imovel e mesmo assim não está vendendo, nesse exemplo que dei o proprietário baixou para R$280mil e não vendeu até hoje e já fazem uns 4 meses, todo mês ele baixa R$10mil e nada. Podem divulgar essas informações, pois como vejo o mercado sei o que está acontecendo.

    0
    • Troll 29 de outubro de 2011 at 15:27

      Elisson, só por curiosidade, em qual cidade são esses apartamentos? Santos/SP? Por aqui tem um esquema muito parecido….

      0
      • Elisson Forte 29 de outubro de 2011 at 21:56

        Troll isso já está acontecendo em SP. Vamos fazer uma conta rápida, vou tomar como exemplo um salario que está sendo discutido aqui no forum em torno de 10k. Você paga 27,5% de IR mais 11% de INSS + Plano de saúde + Educação + Vestuário + Carro + Alimentação + IPVA + IPTU + ALUGUEL + CONDOMINIO e outras coisas vai sobrar algo em torno de uns 2K mensais, então para comprar um apto de 350K com 25% de entrada ele terá que juntar uns 35meses vamos arredondar para 36meses, pois temos sempre despesas extras que aparecem. E o que acontece nesses 36 meses o preço do apto sobe mais de 100%, viu em que situação nos encontramos. Olha que um apto de 350k aqui em SP tem uns 60m².

        0
        • Troll 29 de outubro de 2011 at 22:13

          Pois é cara, aqui em Santos pedem 370k um de 80m2 com 40 anos de construção e condomínio de R$ 700,00. Aqui no prédio que moro tinha um pra vender desse jeito. Segundo o zelador (que mora no mesmo prédio, num apartamento próprio) eu podia comprar porque estava barato e ia subir mais de 40% esse resto de ano. Lembrei na hora daquela tradicional frase de 1929:

          “Se até um engraxate tá aplicando em ações tem alguma coisa errada com a economia.”

          No fim mandei na lata dele: “Por 340k tenho opções melhores.” O bicho ficou verde.
          Mas aqui em Santos as construtoras, com a construção de novos prédios, estão criando uma bolha só dos usados que estão encalhando. Nego pede em um usado o valor de um novo (ou o que falta de saldo pra ele quitar o “na planta”, que ele comprou). Saiu essa matéria em um jornal da cidade:

          http://www.boqnews.com/caderno_texto.php?sec=1&sub=2&cod=10173

          Creio que a cidade vive sua própria bolha.

          0
  • profeta do apocalipse 29 de outubro de 2011 at 10:38

    Ou eu sou muito ignorante ou muito burro. Essa enxurrada de novos aptos e carros têm algo de estranho. Esse ciclo começou com FHC privatizando a educação superior, sucateando o ensino médio e ampliando o ensino fundamental. Maneira perfeita de mascarar os índices sociais. Não temos mais analfabetos( na teoria) e temos muitos doutores(gente com canudo deibaixo do braço ou sei lá onde mais). Muita gente diz que é pouco o número de vagas do ensino superior. Concordo. Pouco em algumas áreas, mas nos cursos menos midiáticas e aceitos. Pra que alguém vai querer estudar física nesse país? E matemática? Ótimo, vamos lá. Todo mundo quer abrir um negócio, ser empreendedor! Que beleza. O povo nem fazer conta sabe, nem calcular juros nem encargos e por ai vai. Beleza, terceiriza para um contador, resolvido! Porra nenhuma, o bom administrador tem que ter noção de tudo. Por isso estou cansado de ver em meu bairro, considerado nobre ( não sei porque isso) aqui em Salvador.

    Vamos à pratica: recentemente abriu aqui perto uma cafeteria. Aquelas coisas bonitas, mesas boas, cadeiras chiques, decoração, etc. uma fatia de bolo R$ 9, um expresso R$ 3,5, um refrigerante R$ 4. Deveria ter dado certo, mas faltou público, o aluguel devia ser alto, o ponto mesmo sendo dentro de um bairro nobre tinha pouco comercio, estacionamento, etc. O cara devia pagar pelo menos R$8k de aluguel, deve ter investido R$ 100k de reforma e tal, alem dos equipamentos do lugar. Funcionário deveria ter 5 diretos e ainda terceirizar serviços como segurança e aluguel de alguns itens. Eita, pagava conta de luz e água! Pior que ele não tinha volume de vendas, se tivesse ele talvez teria durado mais que os 6 meses que durou. Deve ter tido um prejuízo absurdo! Imobilizado e perdido um capital alto e no fundo quebrou a cara. Provavelmente o cara vinha de uma classe média metida a besta e a emoção pesou mais que a razão. Aqui tudo é modismo, nada dura muito. Isso se dá pela economia. Salvador, queiram ou não é uma cidade POBRE.

    Com apartamentos acontece o mesmo. O povo não planeja. Vai pela emoção! Vai empurrando pra frente pra ver no que que dá. O Brasil não é esse paraíso todo não. Temos sérios problemas sociais, de segurança, logística e um custo alto em tudo. Nem em comida somos mais competitivos com outros países que poderíamos comparar.

    Esperem para ver. Apto da PDG em bairro distante de 48m2 por quase 150 mil dólares não mora nem um casal, quanto mais uma família. Se você consegue pagar tudo e juntar 1000 reais por mês( garanto que nem 10% da população junta isso). Você teria num ano 12k, em 10 ( se rendesse inflação e em dias de hoje, 120k. Imaginem. Um esforço desses e você não teria quase nada. Eu não assumiria uma divida de 200 k ( supondo que deram uma boa entrada). E tem mais: o povo fica doente, perde poder pra inflação, é roubado, perde emprego, tem filho sem planejar… enfim. A crise é questão de tempo. As coisas tão caras, a globalização não me deixa mentir. A crise virá para ajustar isso.

    Volto a repetir: quando o Brasil cair na real cortarão o supérfluo: carros tucson, ix35, viagem. Por que isso? Porque não terá mais crédito longo devido ao risco.

    Prefiro nem comentar sobre copa e olimpíadas. Será nosso atestado de losers perante o mundo.

    0
    • Troll 29 de outubro de 2011 at 14:44

      Um dos melhores comentários que li aqui, sem dúvida.
      Essa questão aí da loja de café entra no caso da BOLHA DO CAFÉ EXPRESSO. O Tucson, na BOLHA DOS CARROS IMPORTADOS. Hoje qualquer um pode ser um “empreendedor”. Imagine só, tá minha empregada vai montar uma pequena empresa…
      Eu torço sempre para que cada vez mais a “nova classe média” se endivide, comprando seus cubículos financiados em 360 meses em grandes prédios que nada mais são que grandes favelas verticais, seus carros 1.0 pseudo-offroads financiados em 84 meses, e que sejam cada vez mais empreendedores abrindo suas pequenas empresas sem ter noção nenhuma de mercado, juros, impostos, encargos e etc. Enquanto isso vou juntando meu suado dinheirinho, esperando o dia do grande PLOC.

      0
    • Troll 29 de outubro de 2011 at 15:37

      Aqui em Santos/SP tem um lançamento da PDG, chamado Fusion Home Office, vendido em torno de 6000/m2, num bairro desfavorecido, próximo ao porto. O lançamento era previsto para 24/09. Até agora só um terreno vazio, e várias garotas propagandas nos semáforos da cidade com “setas” indicando o caminho do empreendimento e distribuindo insistentemente seus folhetos.

      0
    • Vailton 30 de outubro de 2011 at 04:19

      Esse post foi realmente excelente

      0
  • thiago 29 de outubro de 2011 at 10:57

    Em tempo

    w w w1. folha.uol.com.br/mercado/998609-panamericano-manipulava-os-dados-dos-clientes.shtml

    Ainda bem que na Banânia só tem crédito seguro mesmo!!!

    0
  • marcio 29 de outubro de 2011 at 11:38

    Um dos melhores posts que já li aqui neste blog, parabéns!!!!!!!!!

    0
  • Menino_do_Rio 29 de outubro de 2011 at 11:43

    Caros,
    para justificar de que os preços dos imóveis não caírão, perguntei quando na história do Brasil isto aconteceu. Responderam que tb nunca os imóveis duplicaram de valor em 2 anos. Isso não é verdade, pois durante o “milagre econômico”, valorizações maiores ocorreram no início da década de 70, e nem mesmo com a crise do petróleo, logo em seguida, os valores caíram. Nem mesmo com a mudança definitiva da capital para Brasília os preços caíram na Z. Sul do Rio de Janeiro.

    BI (Bolha Imaginária)

    0
    • Troll 29 de outubro de 2011 at 14:46

      Tava em coma na década de 80/90?

      0
      • AMDKC 29 de outubro de 2011 at 14:53

        Devia estar por que ele esqueceu da quebra do BNH das crises da Rússia, Tigres Asiáticos, confisco da Era Collor, os planos econômicos, e todo o resto. Esse menino do Rio ou é burro ou desinformado ou os dois, esse é o tipo de pessoa que crê em valorização perpétua, algo que nem com o ouro aconteceu.

        Menino do Rio
        Ao invés de ficar fumando maconha do Vidigal e Rocinha vai estudar.

        0
        • xangai 29 de outubro de 2011 at 23:42

          kkkkkkkkk… nossa … nao consigo parar de rir !!

          esse site eh o maximo … muita informacao … muita coisa seria .. e tambem muita diversao !!

          eh simplesmente uma receita basica de sucesso num blog.. ou numa sala de aula !!!!

          parabens a todoss..

          PS.. por favor “menino do rio” continue postando ..
          por favor “bolha” … deixa ele postar ( so esses assuntos serios que ele coloca … logico )

          0
    • Sérgio 29 de outubro de 2011 at 15:20

      Existem duas formas de sobressair-se aqui no site:
      1 – Postar notícias novas e relevantes ou comentários que inovam ou implementam determinado ponto de vista;
      2 – Postar besteiras contrárias ao tema do site, tanto com fundamentos como sem sustentá-las com fatos repetitíveis ou ao menos lógicos e verdadeiros.
      .
      Acredito que, em se tratando da segunda hipótese, apenas a primeira situação deveria chamar-nos a atenção.
      Mas como não sou perfeito:
      Garotinho… o boom (no mercado imobiliário) a que se referiu nos no início dos anos 70 não existiu; ocorreu sim, no final dos anos 70. O BNH foi criado em 64, já no período ditatorial, mas só atingiu seu ápice entre 78 e 80, quando chegou-se a financiar 600 mil imóveis. No início dos anos 70 financiava-se em torno de 100 a 200 K. Uma enormidade, é fato, pois, que hoje se financia algo em torno de 400 MIL (vide BC, Sistema Financeiro Habitacional), mas menos que os 600 MIL de 1980.
      Como vivi nesse período, apesar de ainda jovem, posso afirmar que não houve especulação imobiliária.
      O BNH começou a quebrar a partir de 1980, com a inflação que vivemos, influenciada tanto pelas cagadas dos militares quanto pela crise mundial das prime rate. O BNH foi forçado a repassar os aumentos da inflação para os financiamentos e o bicho pegou.
      Mas em momento algum houve acrescimo desmensurado, irreal, dos preços dos imóveis. Nem na época da Encol houve tamanho descalabro.
      Sugiro estudar um pouquinho da história de nosso país antes de postar besteiras.
      .
      Sobre o avanço da BOLHA sobre a mídia: nada mais justo, lógico e aguardado. Ainda veremos por um bom tempo a negação midiatística; entretanto, cada vez mais economistas e outros de renome querendo ficar para a HISTÓRIA: quatro selos já foram abertos; quatro trombetas já foram soadas: faltam só três (para os preços chegarem aos níveis de 2008).
      Só para dar um pouquinho de tom apocaliptico.

      0
    • Ader 30 de outubro de 2011 at 16:04

      Você deve ter sofrido lavagem cerebral. Essa é a única explicação para tamanha tapadisse.

      0
  • AMDKC 29 de outubro de 2011 at 14:19

    Voltemos a 10 anos atrás, eu morador do Rio de Janeiro em Copacabana lembro que á época com 18 anos meu pai me levou para realizarmos o pagamento do apartamento da família na Rua Toneleiros, antes morávamos de aluguel, pagamos 300 mil R$ num 4 quartos de cerca 130 m2 e uma vaga na garagem concordo que o valor era relativamente abaixo do mercado uma vez que a média do mercado naquele tempo era cerca 450 mil R$, agora voltemos a 2011 o mesmo ativo está sendo avaliado por 1,6 milhão de R$, agora pergunto a vocês o que aconteceu a Copacabana e ao Rio para que os valores tomassem tal proporção, ou seja o que melhorou, honestamente nada, um ou dois anos antes o Metrô já havia chegado ao bairro pela Cardeal Arcoverde, faz mais ou menos 40 anos que não sobe um prédio no bairro, naquele tempo haviam apts de sobra para alugar muitos dos quais os donos negociavam extremamente para baixo o valor dos aluguéis. Lembro que a época o US$ valia 2.40R$ a 3.00R$ a ações da Petrobras e da Vale bombavam na Bolsa e o trabalhador ria á toa de seus rendimentos no FGTS e o povo estava ansioso pelo Lula no poder, acreditava em grandes mudanças e transformações uma vez que estava cansado do medíocre crescimento do país na era FHC, embora o mesmo povo não entendia que grande partes das reformas naqueles governos transformariam os governos subsequentes, as privatizações tão execradas pelo PT e que hoje o mesmo partido as realiza de forma envergonhada. FHC abriu a estrada para a queda de juros começou a enxugar a máquina pública, podre, e ineficiente que não atende ninguém a não ser seus próprios corpos funcionais (bem estáveis, e com aposentadorias integrais polpudas), começava a limar os tecnocratas e burocratas, o arcabouço da Agências Reguladoras que deveriam fomentar a concorrência e competitividade estava montado, para que no final o consumidor fosse privilegiado. Afinal de contas o Brasil não pode ter uma taxa de juros maior do que (Cazaquistão, Nigéria, Turquia), então LULA a grande esperança de acabar com os governos voltados para os banqueiros deveria reduzir a máquina, para assim reduzir a taxa, e acabar com as Oligarquias (Sarney, Barbalhos, Magalhães) e o que ele fez? Nada, colocou o país numa espiral de retrocesso, aparelhando tudo Agências, Bancos Estatais, Correios, Petrobras, resumindo tudo que era Estatal e que fora enxugado retrocedeu a década de 80, e o pior a dívida externa negociada com FMI e outros grandes bancos foi realmente sanada no governo LULA, como ? È claro com as medidas tomadas por FHC que deixou a economia enxuta mas sem Caixa para investir nos seus anos de governo, porque aqueles que sabem o mínimo de Macro e Microeconomia sabe que os efeitos são de longo prazo, sendo assim LULA sem mesmo uma única reforma pegou o país bem, e agora hoje a maioria dos Analfas (Sindicalistas, Func Públicos desinformados e Partidaristas, Teteiros em Geral) propaga as 7 ventos que o país na deve nada ao FMI e que não temos dívida, mas quem sabe o mínimo sabe que a dívida interna brasileira estourou no governo PTista detalhe a tal dívida é no mínimo 12 x + cara que a externa uma vez lastreada em SELIC ou seja devíamos ao Banco um Empréstimo pagável e substituímos por uma Taxa de Agiota, Cartão de Crédito que vamos rolar até o dia em que não der mais e o calote for inevitável ou de novo iremos ao FMI que como todo bom Banco ou pessoa que empresta dinheiro que ter a Garantia de ter o dinheiro de volta vai impor medidas impopulares como Privatizações, Demissões de Fun Públicos etc. Ou seja se passaram 9 anos de Gov Petista, e a realidade é que nesse invés de nesses 9 anos investirmos em Educação e Infra-Estrutura e melhores condições para população o governo foi o compremeteu o nosso futuro, por que não se enganem a conta chegará, e infelizmente não tardará. Hoje vivemos no país do absurdo, tudo aqui é mais caro do que em qualquer lugar do mundo, alguém aí falou em comida, no post anterior realmente nem mesmo nisso somos competitivos mais este ano fui a Roma, Londres e Paris e acreditem lá se come na rua, e se compra no mercado comida mais barata e melhor do que aqui um absurdo. Infelizmente a massa ignorante maior base aliada do atual Governo é a que paga e a que pagará a conta, afinal de contas são eles que pagam os maiores impostos e são eles que mais dependem dos serviços públicos para sobreviver, serviços esses medíocres, o que acho mais bizarro que foram eles os funcionários públicos os maiores beneficiados o número de concursos nunca foi tão grande e hoje o Estado paga R$ 5.000,00 para cargos técnicos, que não exigem nem mesmo experiência ou Nível Superior, hoje o jovem não pensa em produzir, não se fomenta nada no país todos querem ser teteiros profissionais trabalhar para que, eu mesmo me incluo nessa, trabalhei na inicitiva privada durante 5 anos e percebi que a maior parte de meus amigos que se formaram comigo ingressaram no serviço público ganhando um pouco menos que eu e tendo mais qualidade de vida, sendo assim me juntei ao lado negro da força e que explodam os pobres afinal de contas eles nunca terão noção do esquema que fazem parte, sendo assim ingressei no TJ-RJ finjo que trabalho da 08:00 as 14:00 o resto do tempo cuido do meu negócio próprio, afinal de contas as promoções são compulsórias e a aposentadoria integral já tá garantida e ainda com estabilidade. No final de contas são eles os que pagam as contas, o déficit habitacional realmente é grotesco nas Classes C e D mas nunca será coberto veja o Rio e o número de Favelas vê se existe alguma construtora ou política Governamental para retirar as pessoas dali e lhes dar legitimidade, não existe e nunca existirá imóveis abundam para Classe Média não existe e nunca existiu déficit algum, o aumento dos imóveis é grande parte dado não só pelo Lero-lero de Copa, Olimpíadas, mas também pela quantidade de dinheiro sujo neste segmento da economia e o pior como o aumento se dá de forma generalizada Classe C e D se verão cada vez mais enraizadas nas Favelas, enquanto isso a Classe média verdadeira que ganha até 10 mil R$ chora com seus salários agora achatados por que esqueceram que se incham os Gastos Governamentais em detrimento de Investimentos se fomenta a inflação que voltou galopante, ou seja hoje a classe média que se aboletou no Estado se vê obrigada a entrar em financiamentos que antes eram de 20 anos que agora foram para 30 com uma taxa de juros imoral, e estarão pagando algo muito pior que o aluguel, e o pior comprometerão a renda de uma vida inteira num Teto de Mierda geralmente cubículos mal localizados, só para ter onde morar e o pior acreditam que seus imóveis valem 500k, 1000k, 2000k e acham que sempre haverá valorização perpétua e sempre haverá alguém para venderem com ágio, esse é o Brasil de hoje, mas tenham certeza que o país do futuro está muito mais para o México do que para EUA, se querem saber nosso futuro leiam a história do México a partir de meados da década de 60 e vejam que petróleo e riquezas naturais não fizeram do México uma potência e sim um país que está anos-luz de ser desenvolvido e que o mesmo infortúnio está aqui entranhado porém tenham certeza quando o ajuste vir se preparem, e olhem para trás para achar os principais culpados. Não sou pessimista só vejo a realidade.

    0
    • Troll 29 de outubro de 2011 at 14:57

      Fatalitty?

      0
    • Troll 29 de outubro de 2011 at 15:02

      Cara, penso exatamente isso. Me lembro que na década de 90 a verdadeira classe média (que ganha em torno dos 10k) conseguia comprar seu imóvel à vista juntando dinheiro uns 4 anos aproximadamente. Um exercício simples para ver a realidade é o seguinte:

      -Quem já tem casa própria, conseguiria recomprá-la hoje?

      0
      • AMDKC 29 de outubro de 2011 at 15:11

        è impossível recomprar, hoje quem é esperto e sacou que está morando dentro de um bilhete de Mega-Sena está vendendo, é isso que a minha família está fazendo, por que pense com 1,6 milhão de R$ você consegue um CDB (Risco – Zero) de pelo 110 % que te dará pelo menos 11.600 líquidos R$ por mês, se você aluga o apt vc não consegue nem 3.500 R$, ainda tem a Justiça para te atrapalhar caso o Inquilino fique inadimplente, com 11.600 R$ eu moro no melhor condomínio de casas na Barra ou até mesmo na Avenida Atlântica.

        Viva o país do futuro.

        Um abraço.

        0
        • Troll 29 de outubro de 2011 at 15:18

          Exato, meu caro. To só juntando a grana e investindo em fundos que me dão rentabilidade que pagam meu aluguel e sobra. Após o grande PLOC, pode ser que eu mude de idéia.

          0
          • AMDKC 29 de outubro de 2011 at 15:39

            Sabe o que eu acho pior é quando falam que a renda aumentou, realmente a renda total aumentou, mas a renda per capita teve um aumento marginal, ou seja realmente há mais pessoas empregadas, porém em empregos de mierda. O pior é o governo saber que existe algo de errado no mercado imobiliário e ainda compremeter recursos da poupança com isso, ao invés de retirar os créditos designados para apt acima de 150 mil R$ onde estaria inflando os preços e prejudicando por consequência a redução do déficit habitacional, o governo ampliará para 700k o limite de financiamento inflando ainda mais a Bolha e compremetendo ainda mais os recursos da Poupança. Engana-se que diz que no Brasil não há Subprime, ele existe sim e está quase todo com a Caixa, a diferença é que não resecuritizamos esses créditos. Somos um país subdesenvolvido não temos como ficar financiando habitações de 500 mil R$ isso é irreal e ainda com juros e índices variáveis, que qualquer oscilação que mínima que seja come o valor que já foi pago. Hoje financiar um apartamento no país é suícidio financeiro, já trabalhei com Estrangeiros e possuo amigos lá fora, inclusive amigos que moram na Suíça, eles admitem que não tem como pagar os valores aqui praticados. Um exemplo em conversa com um amigo que trabalha no UBS em Genebra o mesmo me confessou que uma boa casa lá custava cerca 700 mil Euros porém o detalhe é que os Juros para o Financiamento são praticamente zero, sendo que é um casarão e não um cubículo ao mostrar a ele as coisa que estão vendendo aqui por 1 milhão de R$ o mesmo ficou chocado.

            0
            • Troll 29 de outubro de 2011 at 16:11

              Então, meu caro, não conheço nada de economia, muito menos de mercado imobiliário, mas creio que a renda só aumentou para a “nova classe média”, que ganha sei lá até 2k. Para a verdadeira classe média que ganha em torno de 10k, o salário ficou achatado, não se compra mais nada e não se é beneficiado por programa social algum. Uma pessoa da verdadeira classe média deveria morar numa boa CASA, ampla, condizente com sua faixa salarial e num custo, acredito eu, de aproximadamente 300 mil. Esse seria um valor que o sujeito juntando em torno de 4 anos teria condições de comprar. Hoje se o sujeito quiser morar bem vai desembolsar 2 milhoes, por uma casa legal. Me fala, quem na Banânia pode comprar uma casa desse valor? Um jogador, político, ou um traficante? To cansado disso. Hoje mesmo ganhando “bem” não compro um muquifo de dois quartos no Rio ou SP. Só financiando em 30 anos. Alem disso o que deixa puto são os políticos (leia-se PT) falando em marolinha.

              0
              • RT 29 de outubro de 2011 at 21:29

                “mas creio que a renda só aumentou para a “nova classe média”, que ganha sei lá até 2k. Para a verdadeira classe média que ganha em torno de 10k, o salário ficou achatado”

                Faço das suas palavras, minhas.

                Que bom que não sou o único a não cair na falácia de “nos últimos três anos, a salário de todos subiu tanto que dá pra comprar tranqüilo um imóvel de meio milhão de reais”!

                0
                • Troll 29 de outubro de 2011 at 22:00

                  RT, isto é uma falácia governamental, para que aqueles da “nova classe média”, acreditem nisso. Essas pessoas não pagam imposto de renda, nem sabem o que é. São totalmente alienados e acreditam em Globo, Época e no PT. Quem banca a “nova classe média” do Lula é a verdadeira classe média, que tem seus impostos aumentados para a criação de programas de bolsas-cotas para a “nova classe média”. Já viu algum benefício governamental para a verdadeira classe média? Eu não. Tudo que utilizo é privado: segurança. saúde, ensino, etc. Chega a dar raiva.
                  Tenho uma renda boa, mas nunca me senti tão pobre.

                  0
                  • RT 29 de outubro de 2011 at 22:18

                    Rs, esse papo me lembra de uma coisa que nunca me saiu da cabeça.

                    Faz uns dois ou três anos, o Cabral e o Paespalho foram para o Dona Marta, em Botafogo, inaugurar aquela banda larga grátis pra favela.

                    Fiquei assistindo, incrédulo, aquele pessoal que ocupa terrenos ireegulares e não paga luz nem tv a cabo ganhando de graça um serviço pelo qual o otário aqui paga 200 reais por mês. O otário aqui paga os impostos que custeiam aquilo e ainda tem que pagar pela própria banda larga.

                    Se você reclama da situação, ainda é taxado de egoísta e insensível. Nunca ganhei nada de graça na vida, mas sou chamado por essa gente de “filhinho de papai”. Os pais de classe média, que pagam caro pela educação dos filhos, são punidos com a criação de cotas nas universidades, e se reclamam, são acusados de quererem “privilégios” para seus filhos, quando na verdade só estão dando a estes condições para CONQUISTAR LEGITIMAMENTE uma vaga no ensino superior.

                    Quando eu era criança, li um texto que falava sobre como a classe média sustenta os ricos e os pobres. Na época, não entendi muito bem. Hoje, sei do que o texto falava.

                    0
                    • Troll 29 de outubro de 2011 at 22:26

                      Mais ou menos assim:

                      Vai transar?
                      O governo dá camisinha.
                      Já transou?
                      O governo dá a pílula do dia seguinte.
                      Engravidou?
                      O governo dá o aborto.
                      Teve filho?
                      O governo dá o Bolsa Família.
                      Tá desempregado?
                      O governo dá Bolsa Desemprego.
                      Vai prestar vestibular?
                      O governo dá o Bolsa Cota.
                      Quer entrar na internet?
                      O governo dá a internet popular.
                      Não tem terra?
                      O governo dá a Bolsa Invasão.
                      Foi preso?
                      O governo dá o Auxílio Reclusão.

                      Agora, experimenta estudar, trabalhar, produzir e andar na linha pra ver o que é que te acontece. Você vai ganhar uma bolsa de impostos nunca vista em lugar nenhum no mundo.

                      0
        • Jomar 2 de novembro de 2011 at 13:09

          Vejo sempre o raciocínio do aluguel x rentabilidade, aqui e em outros lugares, provando que é melhor investir no mercado financeiro do que aplicar em imóveis. Acredito que essa equação, para ser correta, deveria incluir também a valorização do bem. É evidente que as taxas recentes estão fora da realidade, mas imaginar que o aluguel é o único acréscimo de valor do imóvel no longo prazo também está errado. Não sei se tem gente que acha que os imóveis não deveriam se valorizar nem mesmo o índice da inflação, mas se concordarmos nesse valor como base no longo prazo, mais o aluguelzinho de 0,4 %, já não dá essa diferença toda para o CDB, não…Tudo bem, há outros custos, mas alguns se diluem ao longo do tempo (ITBI, cartórios, etc) e outros são pagos pelo inquilino (condomínio, IPTU), e também é razoável imaginar que, em sua maioria, quem compra imóvel pensa no longo prazo.
          Como todo investimento, há risco. Se alguém acredita que a curva dos preços vai ser ultrapassada pela da sua economia, vale a aposta. Mas o nome é esse mesmo: aposta. Vai uma historinha pessoal também: em 2006, um amigo meu tinha um 2Q na Barra, que valia uns 220K e estava alugado por 800. Ao mesmo tempo, o meu velho conseguiu juntar uns 280K, vendendo o 3Q no Méier em que morava e outras coisas menores. Meu amigo aplicou na Bolsa naquele auge de quase 80 mil pontos, esperando rendimentos de 5k por mês, e meu pai comprou um 3Q em Copacabana. Meu amigo saiu com 150K da bolsa, o Ap antigo dele vale 600k e o do meu velho mais de 1000K…
          No final, a verdade já foi dita em outras postagens aqui e de outros lugares: se você quer comprar um imóvel para morar, junte o máximo que puder, procure alguém encalacrado (dívidas, inventários, imóvel retomado, etc) e pague à vista e barato o melhor imóvel que encontrar. Desenrole o bichinho (o que dá trabalho, e também custa dinheiro) e comece de novo. Você vai chegar no imóvel dos seus sonhos bem antes e pagando bem menos do que os 30 anos de financiamento da Caixa…

          0
    • Profeta do Apocalipse 29 de outubro de 2011 at 15:40

      lembro que na época do brasil colonia a divisao era: rico ( quem veio de portugal com posses ou doações, a classe media que era pequena e sempre foi, a maioria profissional liberal ou funcionario do governo e escravos). hoje nao ta muito diferente não…

      isso que estamos discutindo no site não é bolha de imoveis mesmo nao. é bolha de comportamento, de nova classe média. Afinal, a classe media nao quer um gol power 1.6 (derivado de um polo e com mais mercado). Gol é carro de pobre e qualquer um tem. A nova classe media quer um JAC. Vejam quem faz comercial do carro: ana maria e faustao. Eu como habbib ainda colocaria ratinho. Quem nao compraria? Afinal: quem nao tem uma tec pix? ja viram o comercial? deve ser vendida até hoje graças a ignorancia do nosso povo.

      Eu vou juntando dinheiro tambem ( nao muito), mas o problema que a inflacao o corroerá. Não tem bolsa certa, nao tem nada certo… na crise todo mundo perde e isso acontecerá. A menos que alguem tenha ouro em casa ou alguma moeda forte ( franco suiço ou dollar- quem sabe) debaixo do colchao. na hora da crise esse será Rei se usar a cabeca ( de cima).

      bem pessoal. Eu fico feliz de ver que não estou sozinho e que todos pensam parecido aqui. Imovel deixa de ser investimento e vira custo quando pronto, menino do rio. Por nao ter liquidez o cara depois de 1 ano se desesperará e terá que vender. Afinal, um condominio médio varia de 300 a 600 reais, mais 600 reais de iptu por ano e outras taxas. Sem contar que o cara ficou descapitalizado e terá de vender. o que mais conheco eh nego com nome sujo. na epoca da facu um colega falou: nao posso so comprar celta devido a minha mae nao ter tido crédito aprovado. Partiu para outra marca e tal. provavelmente hoje seria diferente.. e olha que a mae dela tinha emprego estável e tal.. outra epoca (2001). o credito era mais sério. Quem não lembra da hyundai, suzuki e outras no inicio da decada de 90? depois no final da mesma decada! teve nego tao inteligente comprand carro indexado ao dollar..

      0
    • Carlos Wagner 29 de outubro de 2011 at 15:42

      Cara

      Voce tem um pensamento um tanto confuso e contraditorio. Ao mesmo tempo que voce critica o governo, a classe media e o sistema como nosso povo é doutrinado, voce se mostra um belo de um vagabundo fingindo que trabalha e, consequentemente, contribuindo para que as coisas continuem como sempre foram. Que moral uma pessoa como voce teria em criticar os politicos? A diferença é que voce, ginge que trablha e ganha seu dinheiro pago pela população. Já, os politicos, alem de fingir que trablham, superfaturam e se corrompem a fim de ampliar o volume monetario que será depositado em suas contas bancarias. Na verdade, voce são iguais.

      Na minha opiniao, como funcionario publico que estudou 15 horas por dia e concorreu com 402 mil condidatos, precisando abrir mão de vida social e sentimental durante alguns anos para conquistar a estabilidade financieira, acho que voce envergonha a classe.

      Mas não estou aqui pra critica-lo, cada um pensa como acha que deve. Quanto ao rstante das criticas eu concordo.

      0
      • AMDKC 29 de outubro de 2011 at 16:06

        Meu amiguinho Carlos Wagner vou falar assim com você por que vc deve ser um ser bem romântico e deve acreditar em fadas e gnomos.

        Não há nada de confuso e contraditório, chega uma hora na vida que você cansa de bancar a vagabundagem oficializada, por que para mim funcionário público de país sub-desenvolvido ter aposentadoria integral, Plano de Saúde que não o SUS, Auxílio-Creche tá de sacanagem enquanto o povo paga uma fortuna para subsidiar nossos confortos, o cara vai no Hospital e morre pq não tem maca, o filho do povo vai para creche do municipio, e vai receber aposentadoria do INSS no máximo 2 mil R$, você fala dos políticos, mas você acha que eles são o principal problema não seja romântico, para citar um exemplo básico quanto dos seus amigos da sua repartição aceitariam ter seus vencimentos reduzidos para salvar o país da crise, na minha nenhuma, o que te falo é que não existe amor a pátria não, aqui não é a Coréia do Sul ou o Japão aqui não temos população temos oportunistas e infelizmente é isso, porque no Brasil todos querem ser servidores públicos, para servir a nação, porra nenhuma o serviço público só serve a si mesmo a máquina só serve a si mesma e a seu corpo funcional, quando as leis do país não privilegiam a meritocracia dá nisso, aqui no BRasil não é o trabalho que é valorizado, e sim a malandragem e te falo nós fomos malandros. E te falo o concurso-público de democrático nada tem uma vez que a educação no país é um luxo para poucos. Nosso país ao invés de utilizar o serviço público como um meio para capacitar pessoas que não tiveram acesso a educação, premia nossos melhores cérebros com um trabalho irrelevante e insignificante porém muito bem remunerado pelo pouco que produz, e muito estável cheio de prêmios com aposentadoria integral e promoções compulsórias, tudo isso subsidiado com o maior Juros Reais do Mundo e a carga tributária mais cruel do planeta, falam dos EUA que subsidiaram os ricos durante a crise mas nós subsidiamos os nossos desde o ínicio da Republica.

        0
        • AMDKC 29 de outubro de 2011 at 16:14

          Carlos Wagner
          O problema é que existem dois tipos de pessoas as que conhecem os problemas e falam sobre eles, e que até tentaram mudar a situação, e aqueles que preferem negar que ele existe, que se parece com seu caso. Um abraço.

          Detalhe que funcionário´público que deveria ter privilégio mesmo que é professor e médico não ganham porra nenhum, nem condições de trabalho, além de um salário de fome, enquanto isso o burocratas da Justiça ( eu ) , BNDES, Caixa, BB, Previ, BACEN, Casa da Moeda, entre outras tetas, ganham muito bem obrigado.

          0
      • danilo 30 de outubro de 2011 at 10:46

        Carlos Wagner, devo concordar com voce.
        Nao é justo nivelar o funcionalismo público com base no exposto pelo colega acima. Eu também estudei 15 horas por dia para passar em um concurso público e digo o motivo que me levou a isso.
        Eu tive minha educaçao de base em escola pública, estudei em universidade particular (como boa parte daqueles que tiveram certas falhas na formaçao no sistema público, afinal faculdade pública é para quem estudou em escola privada, e das boas). Fiz pós no IME (público) e tive que ir para a França para fazer mestrado (sistema público novamente), afinal eu nao conseguiria pagar entre 60 e 80K em um curso de primeira linha no Brasil.

        Eu procurei qualificaçao e te asseguro que o sistema privado nao valorizou isso. Assim como qualquer investimento, penso que a educaçao deva ter retorno tambem, com juros. A soluçao? Trabalhar o mesmo período, mas com remuneraçao condizente com o investimento que fiz, mas para isso tive que parar e estudar por 2 anos. Isso é ser sanguessuga do sistema? Nao creio. Cada um busca o melhor para si e nao sejamos hipócritas em insunuar que esse é um privilégio brasileiro. Os gregos estao nao ruas nao pelo bem do país, mas pq seus bolsos individuais estao mais vazios. Os franceses lutam pela jornada de 35 h e para que a aposentadoria nao seja ampliada para os 62 anos de idade. Quem disse que a mobilizaçao é para o bem comum? A diferença é que lá nao tem novela, Época e Globo para imbecilizar a massa.

        Se o colega acima acha legal que o sistema público financie seu negócio privado, que seja, mas tenhamos mais equilíbrio ao rotular o funcionalismo público. Só um dado…nos 8 anos de LULA, foram nomeados mais de 30 servidores ao dia, sem concurso público.

        0
        • RT 30 de outubro de 2011 at 12:01

          Para contribuir com o debate… não sou servidor, mas sou filho de dois, e com base nisso, sou mais um a discordar da generalização (aliás, penso que generalizar nunca é uma boa).

          Meu pai trabalhou na Marinha. Foi um engenheiro dedicadíssimo por toda sua carreira. Buscou melhorar tudo que podia por lá, muitas vezes levando trabalho pra casa. Quem trabalha numa empresa privada só faz isso mediante possibilidades de, reconhecimento, crescimento, remuneração maior ou medo da demissão. Na Marinha, não existe medo de demissão, mas também não existe reconhecimento nem ganhos por produtividade. Só dá pra imaginar que meu pai fez tudo que fez por gostar do que fazia… e tinha que gostar muito, pra trabalhar assim enquanto criava três filhos sem um único aumento salarial, com a inflação corroendo sua renda ano após ano.

          Não tenho o atrevimento de imaginar que meu pai seja o único caso assim.

          Infelizmente, é disseminada pelo mundo a ideia que o servidor público é um “estorvo” para a sociedade. A verdade é que a maioria passou por concursos dificílimos. Se o governo os contrata em excesso por não administrar a máquina pública de maneira eficiente, é outra conversa.

          Globos e Vejas da vida promovem a admiração por empresas privadas. A maior parte destas paga mal e suga o sangue de seus empregados, que agüentam tudo isso não porque “querem produzir”, mas sim porque não têm opção. Tenho colegas que ganham mal, trabalham pra cacete, vivem estressados e não vêem os filhos crescerem. Não culpo quem “não quer produzir” nessas condições.

          Para que as pessoas queiram produzir, tem que haver o incentivo. Sei de pessoas que passam 5 anos se formando nos cursos dificílimos de engenharia para ganhar 5 mil reais em empresas onde entram às 8h da manhã saem de madrugada, trabalhando em muitos sábados. Se quiserem fazer Mestrado, que façam no tempo que “sobra”. Tenho um amigo que conseguiu, em sua empresa, liberação para fazer seu Mestrado À NOITE!

          Enfim, só queria apresentar alguns pontos para reflexão. Vejo servidores públicos serem alvo de injusto desprezo por parte de muitos, quando estão longe de serem culpados pelos problemas do país.

          0
    • Leandro 29 de outubro de 2011 at 20:26

      Mesmo sendo servidor público, sou obrigado a concordar!

      0
      • AMDKC 29 de outubro de 2011 at 20:55

        É bom senso.

        0
        • Wendell 29 de outubro de 2011 at 22:10

          AMDKC = ÍDOLO. Com ressalvas, mas Ídolo.

          0
          • AMDKC 30 de outubro de 2011 at 21:46

            Wendell

            Um abraço meu amigo.

            Acho que o meu post deveria com Carlos Wagner tinha que virar um off topic, a parte.

            Fico feliz que vc tenha reconhecido

            0
            • FQ 31 de outubro de 2011 at 09:43

              Muito bom o tópico.

              0
            • DRN 31 de outubro de 2011 at 11:33

              Excelente tópico.

              É de uma injustiça absurda que boa parte dos funcionários públicos se aposentem com proventos integrais.

              A previdência deveria ser uma só para todos (exceto a privada, de livre contratação). O grosso do dinheiro deveria ficar vinculado a uma conta específica e apenas uma pequena parte deveria ser destinada para custeio de benefícios de assistência social.

              E a pensão por morte, então? É um descalabro. Viúvas e filhas agraciadas com 10, 15, 20 mil reais (quando não mais) sem NUNCA terem trabalhado e poupado para merecer isso.

              Esse país não é mesmo sério e, sinto dizer, nunca será.

              0
              • Ivan 31 de outubro de 2011 at 17:57

                Sou funcionário publico e terei aposentadoria integral. Sabe por que? Porque contribuo com 11% do minha remuneração BRUTA. Se ganho 15 mil, pago 1.650 reais para isso. Na iniciativa privada paga-se 11% até o teto.. que é mais ou menos 3500 reais, ou seja, perto de 400 reais. Nada mais justo que eu me aposente sobre a base de cálculo que recolhi.

                0
                • AMDKC 31 de outubro de 2011 at 19:13

                  Ivan então me responde pq o rombo da previdência pública federal é do mesmo tamanho do rombo do INSS mesmo tendo tendo 1/200 do número de servidores do INSS. E me responde pq o Senado Federal aprovou um aporte do Caixa da Petrobras no PETROS com recursos da própria empresa enquanto para nós meros mortais toma Fator Previdenciário.

                  PQP mais um romancista.

                  E quanto isso tudo subsidiado pela carga tributária mais cruel do mundo e a taxa de juros mais alta do planeta. Mas não tem problema se eu estou bem o resto dos 198 milhões de Brasileiros que se explodam.

                  0
                  • Annibal 1 de novembro de 2011 at 11:06

                    Procure saber qual é o tripé da previdência… a parte das aposentadorias não é e nunca foi deficitária… o problema é a parte da assistência, saúde… e outras coisas penduradas na grana q depositamos, puta isso já foi tese de mais de um milhão de monografias… demonstrando por a+b que a parte das aposentadorias não é e nunca foi deficitária… isso é uma falácia q vcs engolem sem questionar… depois o cara q e romancista… melhor isso q ser cego…

                    0
                    • Annibal 1 de novembro de 2011 at 11:07

                      melhor dizendo o tripa da seguridade… q é o q dizem ser deficitária…

                      Art. 194. A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e à assistência social.

                      0
                • FQ 31 de outubro de 2011 at 22:39

                  Eu sou proibido de contribuir com mais do que o teto, mesmo que eu queira, não posso.

                  Um médico, um engenheiro ou advogado terão que trabalhar até morrer, ou tentar viver com 3 mil reais por mês.

                  A previdência, obviamente, deveria ser igual para todos, mesmas regras. Por que um médico não teria o mesmo direito que um concursado? Esse país é de quem e para quem?

                  0
                • Jack Imóveis 1 de novembro de 2011 at 10:30

                  Ivan,

                  Mesmo você contribuindo com esse valor você ainda não forma uma massa de $$ suficiente para bancar sua aposentadoria integral.

                  Nas páginas amarelas da VEJA dessa semana o Ministro da previdência disse que 950K funcionários públicos são responsáveis por 51 BILHOES de deficit. Como pode?

                  Na minha cabeça, deveriam existir duas contribuições previdenciarias:

                  1. Imposto para bancar o Securidade Social.

                  2. Conta individual de previdência ou seja todo valor contribuido seja pelo funcionario ou seja pelo empregador iriam para a aposentadoria do sujeito.

                  Todo mundod ainda livre para fazer uma previdência complementar.

                  0
                • DRN 1 de novembro de 2011 at 12:17

                  Ivan, seu argumento não se sustenta.

                  E a parte de contribuição social das empresas? Por que vc não levou isso em consideração no seu cálculo? Tenha certeza de que, somada ao valor descontado do holetire do empregado, vai dar muito mais do que os R$1.650,00 que vc recolhe.

                  E outra: nego trabalha 10 anos como funcionário público, soma com a contribuição da previdência social, e pimba: aposentadoria integral.

                  Isso não se sustenta. A aposentadoria é, sim, paga por quem está trabalhando. No caso dos funcionários públicos, pelos tributos.

                  E por favor, não venha dizer que funcionário deve ter aposentadoria especial porque passou em concurso público. Alhos são alhos, e não bugalhos.

                  Se vc recolhe R$1.650,00 ou R$3.000,00, excelente. Parabéns para vc. Não acho que o seu dinheiro tenha de ser espoliado. Acho que tinham de abrir uma conta no seu nome, outra no meu nome e outras nos nomes de cada um de nós trabalhadores e, na aposentadoria, entregar para o cara aquilo a que ele tem direito conforme a contribuição dele e os rendimentos que foram apurados mediante administração responsável e profissional.

                  O que proponho é a substituição do princípio da universalidade.

                  Piada é o caso do meu avô. Funcionário Público aposentado. Trabalhou 30 anos e já fez 35 de aposentadoria. Fez 88 anos em 03.10.2011. E o véio tá forte. Há apostas de que vá até os 100 anos.

                  Agora, Ivan, vc acha que a contribuição dele em 30 anos pagou os 35 de aposentadoria, ou vc acha que todos nós estamos pagando juntos via tributo?

                  Saudações

                  0
                  • Carlos Wagner 1 de novembro de 2011 at 13:07

                    A discussão sobre o regime especial de aposentadoria dos funcionarios publicos é improdutiva e inoportuna. Explico:

                    Voces acham mesmo que o governo concede tal beneficio, dese aposentar com salario integral, os func. publicos porque ele é bonzinho?

                    Engana-se quem pensa assim. Esse regime só é adotado pelo governo como forma de troca a desonerar sua folha na contribuição de outros beneficios trabalhistas que as empresas privadas são obrigadas a depositar em nome de todos seus funcionarios, como por ex: FGTS, 12% de contribuição previdenciaria em relação ao salario percebido pelo funcionario, enquanto o que o tralhador privado contribui com 8, 9 ou 11% conforme sua faixa de renda.

                    Somente a obrigatoriedade de deposito do FGTS já desonera o governo em bilhoes e isso traz vantagens financeiras em relação à concessão de aposentadoria integral.

                    Ingenuo quem pensa que isso é um beneficio e nao uma moeda de troca.

                    0
  • xyz 29 de outubro de 2011 at 18:18

    OFF-TOPPIC – MAS NEM TANTO.

    Enquanto eles bebem, nós trabalhamos para pagar a conta.
    E com o que sobra (500mil) dá até para eles comprarem um apzinho.

    h ttp://veja.abril.com.br/noticia/educacao/eles-bebem-voce-paga

    palhaçada! palhaçada! palhaçada! palhaçada!

    E O PALHAÇO SOMOS NÓS!

    0
  • Elisson Forte 29 de outubro de 2011 at 21:58

    Troll isso já está acontecendo em SP. Vamos fazer calcular, vou tomar como exemplo um salario que está sendo discutido aqui no forum em torno de 10k. Você paga 27,5% de IR mais 11% de INSS + Plano de saúde + Educação + Vestuário + Carro + Alimentação + IPVA + IPTU + ALUGUEL + CONDOMINIO e outras coisas vai sobrar algo em torno de uns 2K mensais, então para comprar um apto de 350K com 25% de entrada ele terá que juntar uns 35meses vamos arredondar para 36meses, pois temos sempre despesas extras que aparecem. E o que acontece nesses 36 meses o preço do apto sobe mais de 100%, viu em que situação nos encontramos. Olha que um apto de 350k aqui em SP tem uns 60m².

    0
    • Troll 29 de outubro de 2011 at 22:35

      A conta fecha certinho mesmo…

      0
  • Elisson Forte 29 de outubro de 2011 at 22:06

    Corrigindo o calculo que fiz foi com 20% de entrada.

    0
  • Cleyton 30 de outubro de 2011 at 10:38
  • MrK 30 de outubro de 2011 at 11:22

    A PROVA DE FOGO DO FIPEZAP

    Todos imoveis que olho do zap ou mantiveram ou baixaram seu preço em outubro, alguns baixaram pouco para ficar melhores posicionados perante a rivais (por exemplo de R$850mil pra R$849mil) outros baixaram de verdade (vi um baixar R$60mil) e a maioria manteve, não vi um se quer que subiu, se o fipezap me vier com outra leitura de alta vai ser digamos… no mínimo estranho…

    0
    • Carlos Wagner 30 de outubro de 2011 at 11:35

      O que tenho percebido é que os preços estão baixando em relação aos aptos novos, recem entregues que os especuladores não conseguiram repassar até as chaves. Eles começam assumir a possibilidade de não angariam os lucros desejados e admitem ganhar menos ou apenas empatar os capital, nao tendo perdas. Acontece que eles estão sendo concorrentes diretos das construtoras e dos aptos que ainda nao foram vendidos nesses empreendimentos, como ja foi previsto aqui ha tempos.

      Quantos aos usados, ainda não vi descontos significativos, apenas manutenção dos preços.

      Continuo acreditando que ainda falta o estopim pra desencadear a crise no mercado imobiliario. Tudo ainda está muito timido, apenas da bolha e dos negocios travados.

      0
      • Carlos Eduardo 31 de outubro de 2011 at 02:54

        percebi imoveis usados abaixando mais de 10%

        0
    • Anomalia 30 de outubro de 2011 at 12:06

      Quantos imoveis voce acompanha? Poderia colocar o link?

      0
    • Dr. Estranho 30 de outubro de 2011 at 18:08

      Também acho.

      0
    • TH 31 de outubro de 2011 at 13:28

      Já ouvi dizer que bolhas imobiliárias podem estar em estágios diferentes para regiões diferentes.

      No site do FIPE-ZAP podemos observar que ipanema e leblon apresentam 2 meses seguidos de queda nos preços. Seria um indicativo que a bolha estoura primeiro nos bairros mais caros?

      É interessante observar que em outros lugares os preços continuam subindo insanamente (ao menos no ZAP). Quando traçamos os preços de ipanema e gávea juntos, vemos que históricamente ipanema é bem mais caro, porém hoje ambos se encontram com o mesmo preço do metro quadrado. Então eu pergunto aos cariocas: alguém aqui prefere morar na gávea do que em ipanema?

      0
  • Andres 30 de outubro de 2011 at 11:54

    Uma coisa que notei aqui onde moro de aluguel – S.Paulo – Lapa – e que as reformas estao comendo solto. – caçambas na frente de todas as casas – pelo menos 20% devem estar em reformas – isso tem uma explicaçao – os altos preços fizeram com que os que ja tem imoveis e economias em vez de investir em um apartamento ou novo imovel – devido aos altos preços resolveram reformar o seu velho imovel – ja que nao podem comprar, o melhor e reformar – valorizam seu imovel e ainda ficam com a casa nova, gastando relativamente pouco.

    0
  • veigalex 30 de outubro de 2011 at 13:48

    Caraca.. só tem funcionário publico postando…
    Se vc´s que ganham por colta de 10k … o que dira de quem ganha 3k.. ou 2k.. a coisa ta feia mesmo.

    0
  • Ana 30 de outubro de 2011 at 14:50

    Só sei de uma coisa. Tem aptos. que estão no mesmo preço, outros diminuiram algum valor e tem aqueles que a cada mês aumentam 100k.
    A coisa está louca. E o certo é que, quem é classe média alta ou até alta de primeiro nível não tem dinheiro para comprar ou financiar esses imóveis. Estão preferindo manter nos seus imóveis ou ficar no aluguel em bairros nobres.
    Ou quem está comprando é quem está fazendo lavagem de dinheiro ou para fugir do IRPF, ou os especuladores/construtoras/Fipezap estão segurando esse preço.
    Porém, uma coisa é certa uma hora eles não vão aguentar manter esse preço.

    0
  • Ana 30 de outubro de 2011 at 14:53

    Além do mais, faço a seguinte pergunta: Uma família com renda boa, consegue juntar 1 milhão, vai ter coragem de empatar esse dinheiro todo num 2 qtos no Leblon usado e velho? Podendo se valer da renda da aplicação deste valor e mudar até de patamar de classe social e alugar um imóvel grande no mesmo bairro?

    0
    • RT 30 de outubro de 2011 at 17:55

      Você tocou num ponto interessante, que venho enfatizando faz tempo.

      Nos preços atuais, poucos podem comprar. Dentre os que podem, poucos vão querer pagar uma fortuna que não condiz com o tamanho e/ou localização e/ou estado de conservação do imóvel.

      Sigo juntando todo mês, mas mesmo que venha a ter 400 mil em mãos, não dou esse dinheiro nos muquifos que custam isso por aqui.

      Queiram ou não os corretores e interessados, o fato é que já se espalhou a percepção de que os preços atuais são irreais. Isso é facilmente constatado no dia a dia… muitos casais conhecidos meus, que ainda querem comprar o primeiro apartamento, já declararam que não pretendem comprar enquanto a loucura atual perdurar.

      0
      • veigalex 30 de outubro de 2011 at 18:51

        Sou um desses..caso ano que vem.. tenho 50% de entrads, mas nao compro agora nem morto . ja convenci minha noiva.. vamos acompanhar os numeros

        0
        • Rodrigo 30 de outubro de 2011 at 19:58

          Novo aumento do aluguel!!!!

          Os novos contratos de locação residencial assinados na capital acumularam alta de 17,55% em 12 meses, segundo pesquisa mensal realizada pelo Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação). Significa que um aluguel de R$ 1 mil há um ano hoje sai por R$ 1.175. Em setembro, a variação foi de 2,1% em relação ao mês anterior.

          Mesmo com a expansão imobiliária, ainda há muita gente sem condições de comprar um imóvel. Mas elas já podem, por exemplo, morar num bairro mais próximo do trabalho ou melhor. “Com a estabilidade financeira e maior poder aquisitivo, o paulistano se sente à vontade para procurar qualidade de vida”, diz Francisco Crestana, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi. “Um casal que morava na casa da família, vai para um lugar próprio. Quem morava longe do trabalho, aluga algo perto.”

          Para Crestana, os resultados refletem a lei da oferta e da procura. Por isso, estão além dos 7% do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), da FGV, que serve como base para os contratos dos aluguéis. “Ainda há menos imóveis para alugar e muita procura.”

          A tendência são os preços se estabilizarem, diz o professor Ricardo Gonçalves, coordenador do curso de pós-graduação em negócios imobiliários da FAAP. “Mas a médio e longo prazo, que é o que deve ocorrer com o mercado em geral. Há regiões com uma valorização absurda, baseada em especulação, como Itaquera. Nesses lugares já começam a sobrar imóveis. Para vender os preços terão que cair. Como os aluguéis refletem os valores das vendas, os preços das locações também terão queda.”

          Gonçalves afirma ainda que há uma migração para as locações porque parte do público não conseguiu comprar um imóvel por conta da alta dos preços.

          Segundo Sillas de Souza Cézar, professor de economia da FMU, outro fator foi a percepção dos donos de imóveis de que os aluguéis ficaram baratos. “Imagine um imóvel que custava R$ 100 mil, com um aluguel de 5%, equivalente a R$ 500. Por contrato, esse valor só pode ser reajustado pelo IGP-M, uma vez por ano. Com a valorização do imóvel, o patrimônio do proprietário passou a ser de R$ 200 mil. Seu aluguel ‘justo’ seria R$ 1 mil. Dessa forma, alguns preferiram vender seus imóveis, lucrando.” E diminuindo a oferta de imóveis para locação.

          0
  • Paulo SCSul 30 de outubro de 2011 at 15:03

    A pergunta é a seguinte:

    Todo mundo concorda que os os preços dos imóveis estão muito altos e que é necessário um reajuste, disto não há dúvida.

    Porem qual deve ser o verdadeiro valor do imóveis ? Isso ninguém sabe.

    Pesquisando no zap imoveis na região do ABC vejo sobrados no mesmo bairro com as mesmas caracteristicas, um sobrado o dono pede 1200 R$ o metro e no outro no mesmo bairro o dono pede 3600 R$ o metro.

    Tá um verdadeira zona. cada um pede o que quer e ninguem sabe o preço real dos imoveis.

    Espero que o estouro da bolha seja um arregaço para colocar ordem no mercado.

    0
    • Rodrigo 30 de outubro de 2011 at 20:00

      Venda à vista de imóvel é maioria.

      A maior parte das vendas de imóveis usados foi feita à vista em julho na capital (50,35%), o que não ocorria desde março, quando o porcentual atingiu 52,8%. É o que mostram dados do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado (Creci-SP).

      Para especialistas, o cenário pode estar ligado à opções de investimento dos consumidores, que fugiram da taxa básica de juros (Selic) e da Bolsa de Valores, ambas em baixa.

      “As pessoas estão olhando para o futuro e achando que as aplicações em ações ou renda fixa não estão atrativas. Desta forma, passam a investir em imóveis, que julgam ser uma aplicação mais segura no momento”, analisa Keyler Carvalho Rocha professor do Laboratório de Finanças da FIA.

      No ano, a Bolsa já registrou queda de 20,27%. “Isso somado aos juros que já caíram 1% nos últimos dois meses”, acrescenta o professor de finanças pessoais da Faculdade de Economia e Administração da USP (FEA), Roy Martelanc.

      O Creci-SP aponta como motivos da preferência na compra à vista dos imóveis a estabilidade econômica e a maior dificuldade de crédito. “As melhores condições salariais, maior número de empregos formais e boa fase da economia, principalmente no ano passado, permitiram que o brasileiro poupasse mais”, diz o presidente do Conselho, José Augusto Viana Neto. “Além disso, os bancos dificultaram o crédito, como uma das medidas para diminuir a inflação, o que desencorajou muitos a pedir financiamento da casa própria”, completa.

      Investimento sem ilusão – Para quem optou pela compra de um imóvel para investir, o conselho é que tenha cuidado e atenção. “Os imóveis valorizaram 100% nos últimos 12 meses e muitos acham que vão valorizar ainda mais. Na minha opinião, porém, os preços já atingiram um limite, o que leva a crer que o mercado vai ficar saturado”, aponta Rocha, da FIA.

      A regra, segundo o professor, não vale para alguns casos. “Regiões onde serão construídas estações de metrô ou mesmo onde ficará o Estádio Itaquerão devem continuar se valorizando”, diz.

      Martelanc chama atenção para o mesmo problema. “O que acontece é que, em épocas como esta (de juros e ações em baixa), todo mundo quer comprar imóveis ao mesmo tempo e, ao final do ciclo, vendem ao mesmo tempo, o que faz com que comprem caro e vendam barato”, ressalta. “Aí não adianta nada.”

      Nesse caso, mesmo com os juros caindo, a renda fixa ainda é apontada como a melhor opção para proteger investimentos das inconstâncias e imprevisibilidade do mercado. “Destaco aplicação no Tesouro Direto. As chances de o governo dar um calote são muito pequenas”, aponta Martelanc. Além disso, a modalidade foi considerada a mais rentável dos últimos dez anos dentre as de renda fixa.

      Se a intenção é pagar à vista para morar, a prática é altamente recomendável. “Para quem tiver recursos, a negociação do imóvel pode ficar extremamente mais vantajosa nessas condições. O desconto pode chegar a 12%”, lembra Viana.

      0
      • LUIZDVD 30 de outubro de 2011 at 20:20

        Para iniciar, isto é conversa do CRECI. O motivo é simples, historicamente, o número mais expressivo de vendas é feito com financiamento e estas coisas não mudam do dia para noite, com a renda da verdadeira classe média contida e a renda da classe CD, 2 ou 3k, com um aumento que não tem condições de sustentar qualquer compra, muito menos a vista. A outra opção é o creci estar trabalhando com um número de venda de um total de 10 imóveis que aumentaram para 12 e, com certeza, isto não justifica os argumentos apresentados.

        Outro negócio é o seguinte, alguém acredita mesmo que INVESTIR em imóveis, com custos de longo prazo e locativo caindo ou em vias de cair mais, é mais negócio do que aplicação financeira, com risco muito menor do que locação? Será mesmo que alguém achou a galinha dos ovos de ouro nos locativos? Com certeza a galinha dos ovos de ouro não está nas vendas, as quais, simplesmente estão paradas.

        Alguém se sujeita a comprar imóveis de 20 ou 30 anos por muito mais do que o custo de construção?

        TÁ NA HORA DE PARAREM DE PAGAR MATÉRIA EM JORNAL OU VÃO AFUNDAR A ECONOMIA DE UM JEITO QUE NINGUÉM VAI ESCAPAR ILESO.

        Segundo,

        0
      • Dr. Estranho 30 de outubro de 2011 at 20:56

        Venderam só dois.

        0
      • Carcará 31 de outubro de 2011 at 08:21

        A maioria comprou a vista. Foram 3 vendas: 2, a vista, 1 financiado. Estatística é uma coisa mágica. Percebam que dizem a maioria ou metade ou 1/2. Mas não dizem o número de vendas. Por isso, acho que foram 3.

        Abs

        0
    • xangai 30 de outubro de 2011 at 20:50

      Tambem sou do ABC e tenho acompanhado e analisado os precos pelo zap ou tudoimovel ou abcimoveis, etc .. ( alem de ter uns 20 corretores no meu p’e mandando emails diarios )

      E essa sua questao me parece fundamental … qual o real valor ( ou custo mais lucro ) de um imovel !?!?

      Em posts anteriores aparece uma materia colocando o IBGE com uma responsabilidade ( vindo direto da dilma ) de estabelecer esses numeros. Mas como o Luiz e outros comentaristas , tambem nao acredito que consigam fazer um trabalho serio.

      Mas eh isso … mesmo com muitas variaveis … qual seria o custo de um imovel / apto ?!?

      Ok … sao muitas variaveis ( um pouco diferente de uma casa terrea ) .. terreno … localizacao … posicao do sol .. .barulho .. andares … areas de lazer , jardinagem , sistemas de seguranca, elevadores, area util x area total , etc..etc…etc..

      Mas acho que nada eh impossivel para se estabelecer alguns numeros medios ..

      Quanto eh o custo para construcao de um predio ?!?

      Pode se considerar o basico, pelo menos , nas publicacoes oficiais de R$ 1.000 / m2 !?!?

      Sem duvida esse pessoal da Bolha podem dizer se eh possivel ou viavel ou bobagem.

      0
    • Sérgio 30 de outubro de 2011 at 20:55

      Na economia brasileira atual o valor justo é o aluguel que se paga no mercado vezes 200. No entanto, para ele chegar a esse valor poderá levar uns 2 ou 3 anos, tanto pelo reajuste negativo que ocorrerá, quanto pela própria inflação.
      Em 2012 chegará a um preço que muitos acharão razoável, principalmente em cidades abaixo de 1kk de habitantes, mas ainda não será a hora de compra. Esperemos os preçoes estarem compatíveis com os custos do aluguel, quando muito uns 20% acima.
      Essa é minha opinião.

      0
      • Rodrigo 30 de outubro de 2011 at 23:08

        Reajuste negativo????? e a cláusula que impede o reajuste negativo?! Não acredito que ainda estão fazendo contrato sem tal cláusula!!

        0
        • Luiz AG 2 de novembro de 2011 at 00:12

          Clausula nula Rodrigo. O aluguel é ajustado pelo IGP-M. Se esse indice for negativo, é obrigatório que se reajuste o aluguel para baixo.

          Já aconteceu comigo na era pós entrada do Lula, que o Dolar baixou de 4 para 2,5 reais e o IGP-M foi negativo.

          0
    • Troll 30 de outubro de 2011 at 21:44

      “Tá um verdadeira zona. cada um pede o que quer e ninguem sabe o preço real dos imoveis.”

      Na verdade o dono do “antigo” pede o valor que falta para quitar seu cubículo em um novo empreendimento que comprou na planta dois anos antes…

      0
  • Sérgio 30 de outubro de 2011 at 20:25

    Muito interessante esse último post:
    1 – vendas à vista superam as financiadas. Ou as vendas despencaram a níveis que não imaginamos, a ponto de as vendas que ocorrem serem feitas por preços absurdamente baixos – e mesmo assim em pouquíssimas quantidades, Ou passei a ser da classe F sem perceber;
    2 – “Martelanc chama atenção para o mesmo problema. “O que acontece é que, em épocas como esta (de juros e ações em baixa), todo mundo quer comprar imóveis ao mesmo tempo e, ao final do ciclo, vendem ao mesmo tempo, o que faz com que comprem caro e vendam barato”, ressalta. “Aí não adianta nada.””…… O espertão está criando uma nova causa para a bolha – que já existe.
    .
    O bom disso tudo é que a partir do fim do carnaval 2012 até depois da copa teremos muitas boas oportunidades de comprarmos a casa que quisermos.
    Quem mais esperar e se programar serão os que melhor se darão bem.
    Lembro-me que no início de 2008 deixei de comprar uma casa em minha cidade, Volta Redonda, sul do RJ, por 130K por achar que estava muito acima do preço; hoje ela esta (já há mais de um ano) à venda por 350K. Entre 2012 e 2013 ela chega novamente aos 130K.
    Como dizem aqui. PLOC.

    0
    • Gil 31 de outubro de 2011 at 14:50

      Isso não vai acontecer. Havendo ou não bolha, não há chance de uma queda dessa.
      Você pode esperar uma redução na ordem de 30%, no máximo.
      Uma despencada dessa, nem sonhando.

      0
      • Carcará 31 de outubro de 2011 at 15:49

        Meu caro Gil,
        a redução será na extensão da real demanda. E vai ser no mínimo de 40%, preços de meados de 2011. A grande maioria será de mais de 50%. Não haverá quem pague mais do que isso. Se pegar financiamento para fazê-lo, ficará no meio do caminho com imóvel leiloado.

        Se lembre que para financiar uma birosca de R$ 400K, o sujeito tem de ter uma renda de R$ 12K e pagar quase 5K de prestação mensal por 30 anos. Eita Brazilzão de milionas.

        Abs

        0
  • Sérgio 30 de outubro de 2011 at 20:40

    Certamente o pessoal dos creci’s, principalmente o de Spo, leem nosso site (perceberam o NOSSO, isso sim é democracia). Eles, apesar de hoje, ainda que mais timidamente, negarem a bolha e terem calafrios e dor de corno só de pensarem, eles sabem de sua existência; sabem que muitos já sabem e por isso (além dos altos preços) não compram mais nada.
    Tendo ciência disso:
    João Bostana…. você está extremamente fdd. Os trouxas que acreditaram em suas babozeiras também estão fdd até mais que você. Daria tudo para ver sua cara de mrd totalmente desesperada, procurando um lugar para enfiar o dedo, pois o c… já estar cheio de ferro. he he he he.
    Foi mal, pessoal… não aguentava mais, ainda mais por saber que eles leem muito do que é postado aqui.
    Abraços e me desculpem pelo baixo calão mal e porcamente codificado.

    0
    • Troll 30 de outubro de 2011 at 21:51

      hauhauahuahauahau…quem é esse João Bostana? hauahahauahuahauahua

      0
      • Luiz AG 2 de novembro de 2011 at 00:14

        Amigo do José Merdana.

        0
  • Dr. Estranho 30 de outubro de 2011 at 21:02

    Os corretores vivem de quê se pouco vendem? Será que ainda moram com o papai e a mamãe?Só assim justificam a sobrevivência. Não são registrados, não tem benefícios, tem entrar na fila para pedir o celular da imobiliária e etc. Eu ganho 7K brutos, mas com todas garantias e benefícios e ainda assim a vida não é um mar de rosas. Como sobreviver sem renda?

    0
  • Elisson Forte 30 de outubro de 2011 at 21:06

    Queria uma explicação de alguns imóveis usados com 20 ou 30 anos estarem custando o valor do m² igual ou quase igual a lançamentos com categorias iguais ou superiores a esses imóveis. Estou com dinheiro para comprar meu apto, mas minha esposa que é corretora tem me dito que não é hora de comprar, pois ela está vendo alguns imóveis cairem de preço não quedas de 1k, mas queda de 20% no imóveis. Eu vi um apto onde a “investidora” estava vendendo por 220k e queria passar o financiamento que ela fez de 220k. Minha esposa disse que esse imóvel foi vendido por uns 280k, ela pagou uns 50k e quer vender por 220k em 3 ano se isso não é especulação é o que, se fosse tão fácil de vender acha que ela teria entrado no financiamento, vejam como está o mercado. Eu desisti da compra desse apto e recomendo a todos que façam o mesmo.

    0
    • Troll 30 de outubro de 2011 at 22:23

      A explicação que vejo pro m2 dos velhos estar próximo à dos lançamentos, e a seguinte:

      O sujeito, assim que casou, comprou um apartamento que já tinha uns dez anos de uso, na década de 1980, criou familia filhos, etc. Morou pelo menos 25 anos nele. Após a independência dos filhos, e com o aumento do poder de compra da “nova classe média” conseguiram juntar grana pra dar entrada num “na planta”. Ficam pagando as parcelas irrisórias e morando no velho. Depois na hora da parcela de chaves e saldo com construtora, precisam vender a velharia pra obter o dinheiro. Aí não pensam duas vezes. Vê o que falta no novo e pede o mesmo valor no velho. Isso aproxima o valor do m2 em um apartamento que tem pelo menos 35 anos de uso contínuo e sem dó. Em Santos/SP isso fica muito claro. Velharias em prédios de três andares sendo pedido 300~350k.

      0
    • Guilherme Eduardo 31 de outubro de 2011 at 00:45

      Um outro motivo é esse. Quem te imóvel usado vê que que os da outros estão valorizando 20% aa. Depois vê os absurdos nos jornais de que imóvel sempre valoriza e ta. Somado a isso tiveram as várias notícias de vendas aquecidas e demanda reprimida. O que ele faz? Entra na onda. Joga o preço lá em cima e coloca o se para vender. Só que depois que entra, não sai mais. Se o empreendimento, ainda no papel, aumenta 10%, ele também aumenta o dele em 10%. E assim vai…

      0
  • ninja 30 de outubro de 2011 at 23:23

    Só tem um a maneira de acabar com essa putaria, não comprar, continuar postando, falar com o maior numero de pessoas , familiares, trabalho, amigos , na rua. de boca em boca a coisa cresce, o lema é NÂO COMPRAR. três anos passa rápido ; 2015 promete!- Enguanto isso vamos nós divertindo com o desespero dos Bostanas. Há deu no Fantastico, construtora dá um ano de faxina , para quem comprar um apto, RI-DI-CÚ-LO.

    0
  • Guilherme Eduardo 31 de outubro de 2011 at 00:58

    Quem possuir tweeter e/ou facebook pode disseminar a idéia de que “imóvel está caindo, por isso não compre agora”. As vendas vão parecer chumbo caindo (já estão hehehehe).

    0
  • Fernando 31 de outubro de 2011 at 09:56

    E olha a nossa economia “on fire” aí…
    Redução nos pedidos das lojas de varejo para o Natal chega a quase 10%

    ht tp://ww w.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=1186913&tit=Varejo-reduz-encomendas-para-o-Natal-em-ate-10

    0
    • Carlos Eduardo 1 de novembro de 2011 at 10:02

      O natal e o dia das mães são as datas que mantém muito comércio pelo ano todo!

      ou veremos deflação ou gente quebrando!

      tá bem interessante! ; )

      0
    • Carlos Eduardo 1 de novembro de 2011 at 10:12

      é por isso que o prefeito de Sâo Paulo está comprando briga com os camelôs!!!

      e a briga tá feia aqui no centro!

      cenário do caos!

      interessante! 😛

      0
  • Luiz 31 de outubro de 2011 at 11:53

    Pessoal olha o dsespero deles, estão patrulhando a internet, jogando informações falsas
    copio aqui um que veio recheado de falta de educação e bobagem:

    “”Você já esteve dentro (administrativamente falando) de uma construtora e/ou incorporadora? Pelo seu comentário, tenho certeza absoluta que não. Trabalho com isso e repito, tenho certeza absoluta que não. Então vamos por parte.

    1) Empresas de capital aberto (do setor de construção civil) representa uma parcela relativamente pequena da construção civíl no país. Faça uma pesquisa de tudo que é produzido no setor e compare com o que é produzido pelas empresas de capital aberto (do setor) e verá. Já que você curte buscar umas informações nos sites e tal… entra aí no IBGE e veja a composição do PIB, veja o tamanho do setor de que você está se referindo e pense se é coerente falar como esse setor funciona analisando uma meia dúzia de empresas de capital aberto (que são minoria absoluta).

    2) Empresas de capital aberto podem reduzir suas margens de lucro ou adotar margens pequenas pois não se capitalizam apenas com a produção. Se capitalizam também no mercado, o que não acontece com a grande maioria das empresas do setor, que adotam margens reais de lucro muito maiores (“líquida” é discutível, de acordo com o regime tributário, se analisado comparativamente… mas isso é outra conversa, pois pelo seu comentário você não entende nada disso também, ou tá fazendo o leitor de tolo.)

    3) Empresa de capital aberto tem um cuidado enorme em organizar bem suas finanças e balanços afim de não se ferrar com a divulgação dessas informações no mercado, portanto, muita coisa fica mesmo debaixo dos panos. Resumindo, mentem sobre sua produtividade e lucratividade.

    4) Você pode pensar na auditoria então. Você que gosta de “fundamentus”, que gosta de mercado de capitais e tudo mais, sabe como funciona uma auditoria? Deve saber, funciona tão bem que depois você explica pros leitores como passaram batidos casos como Sadia, Aracruz e Panamericano. Todas auditadas inúmeras vezes.

    5) Espertão de Miami, depois me explica porque que em quase todo post que é comentado aqui, vem um espertão comparando mercado de capitais com mercado imobiliário (investimentos completamente diferentes), muitas das vezes sem conhecimento em nenhum dos dois, pagando de gostoso e falando merda””

    0
  • Tiago 31 de outubro de 2011 at 11:59

    Bom dia bolhistas!

    Sem dinheiro e sem casa… é assim que me sinto. Mesmo há 3 anos atrás quando não havia bolha não tive coragem de empatar meu dinheiro num ap em osasco de 3 dormitórios que na época valia 100 mil. Agora por 250 simplesmente não basta a bolha estourar… tem que explodir… Hoje com um belo salário que eu e minha esposa temos sinto que meu poder de compra é o inferior ao poder de compra de 3 anos atrás… Mesmo ganhando hoje muito mais do que naquela época… Ou seja, não houve progresso nenhum para mim… apenas um mascaramento da corrosão salarial. Vow elaborar uma situação hipotética que pelo perfil dos participantes desse fórum dá para ter uma idéia. É melhor ganhar 3 mil e pagar 30 num ap de 2 dorms como o meu pai que o fez em 2002 ou agora ganhar 10 e pagar 200 no mesmo ap?

    3 mil valia muito mais do que atualmente 10 mil… querem ver a grosso modo? segue um estudo porco sem incluir juros, nem impostos, nem outras despesas pessoais, recebendo líquido os valores abaixo dá para ter uma idéia do rombo:

    apartamento de 2 dormitórios = 30 mil….
    carro popular = 15 mil (carro vale 50% da casa)
    ———————————————————–
    total = 45 mil (em 15 meses dava para pagar e quitar os 2)

    agora

    apartamento de 2 dormitórios = 250 mil…
    carro popular = 30 mil (carro vale 12% da casa – Fiquei rico PQP)
    ————————————————————
    total = 280 mil (necessário 28 meses para quitar os 2)

    aumento do salário = 233%
    aumento real baseado no tempo que vai demorar para quitar os bens = -46%

    Como gosto da bíblia vow mandar uma histórinha que muitos conhecem… Lembram de José do Egito? O primeiro economista da Bíblia depois de Deus! Ele aproveitou a grande oferta de alimentos para comprar e estocar no Egito. Quando chegou a época da fome vendeu tudo e obteve um grande êxito nessa transação.

    É assim galera… não há mistério… poupem os vossos recursos e aguardem o momento certo para usá-los…

    Uma boa semana!

    0
    • Luiz 31 de outubro de 2011 at 12:48

      agora imagina se todo mundo faz essa conta?
      a valorização se explica como?

      a resposta é: crédito fácil – mas até quando?

      0
  • Pedro 31 de outubro de 2011 at 12:29

    A grande verdade que a mídia esconde é a seguinte. O custo de construção de 1 metro quadrado varia de aproximadamente 500 reais (baixo padrão) a 1500 reais (alto padrão). Isso já incluído material, mão-de-obra, tributos e tudo mais. A única coisa que não está incluída aí é o terreno. Portanto, estamos pagando em um país continental, com cidades com possibilidades enormes de expansão urbana, sem falta de terrenos, preços absurdos baseados em especulação pura e simples, crédito e euforia.
    Um apartamento de médio padrão não pode custar mais do que 2000 ou 2500 o metro quadrado (já incluído o preço de construção – material e mão-de-obra, o terreno, o lucro). Pagar mais que isso é muito caro.

    0
    • MrK 31 de outubro de 2011 at 13:02

      Pedro, concordo em parte

      o problema das grandes cidades é que a expansao tá trava pela falta de transporte publico, vejo o caso do rio, a barra e região poderia ser a continuação da cidade (e tentam fazer) mas atualmente voce leva 2horas de lá pro centro, algo inviável pra fomentar um crescimento sério

      infelizmente o projeto do metro acho que vai ajudar um pouquinho, mas nem de longe solucionará o problema, nem de longe…

      0
      • Pedro 31 de outubro de 2011 at 14:14

        MrK. O RJ talvez seja a cidade que tem os maiores problemas de expansão em face da geografia acidentada. O que eu quero dizer é que na maioria dos imóveis vendidos hoje nas cidades com a bolha muito inflada o valor de construção (mão de obra + metro quadrado) representa menos que a metade do valor do imóvel, ou seja, o terreno e o lucro representam de 50% a 70% do valor.
        Por exemplo, a casas antigas de 300 m2 no lago norte de Brasília (um bairro nobre, a 15 minutos do centro) sendo vendidas a 1.250.000. Só que se você olhar o valor de construção de uma casa destas nova sairia por 450 mil. Ou seja, você está morando em cima de um poço de petróleo (o terreno). Isso não tem lógica num país como o Brasil, cheio de terrenos e lugares para crescer.

        0
    • LUIZDVD 31 de outubro de 2011 at 13:03

      Costumam dizer que o imóvel vale pelo aluguel que ele pode produzir. Contudo, em época de queda de locativo, aceitar um imóvel em que o m2 vale mais que 100% do valor de construção é burrice. Vale mais a pena assumir o risco e fazer o imóvel sozinho. As pessoas não se dão conta, mas tem que ser vantajoso para o comprador adquirir um imóvel. Se for só ônus, o comprador que tem dinheiro manda o vendedor chupar um prego até virar tachinha. E tem mais, não adianta ficar mantendo os preços altos, pois alguém vai ficar enforcado e vai vender mais baixo. Esta queda, além que gerar um efeito psicológico, vai fazer com que a demanda seja reduzida – já que não existem muitas pessoas com a capacidade de compra nos termos atuais. Se a demanda for satisfeita, quem quer vender não vai vender de jeito nenhum. Para quem não precisa vender, tudo bem, somente perdeu a oportunidade. Mas, para quem precisar, vai vender pelo preço que vier e lamber os beiços.

      0
      • Pedro 31 de outubro de 2011 at 14:20

        Concordo que o valor do aluguel é o principal indicador sobre a correção do valor de compra. Aqui em Brasília o aluguel de um apto de 2 quartos em área nobre está girando em torno de 0,25 a 0,40% do valor do imóvel, claro indicativo de bolha. Eu mesmo estou pagando 0,26%.

        0
    • FQ 31 de outubro de 2011 at 15:36

      Concordo Pedro.

      0
  • Saint Gobain 31 de outubro de 2011 at 12:51

    Só precisa lembrar que existem custos adminstrativos e margens altas nesse setor o que fez atrair os investidores que estavam perdendo muito dinheiro na bolsa.

    Acho que o principal aspecto está na margem de lucro que os “empreendedores” querem, que gira em torno de 20%, algo que acho muito alto.

    Obs: Nunca vi tanto aposentado demolindo casas antigas e construindo casas germinadas lixo e mal planejadas.Hoje qualquer um é engenheiro.

    0
  • Luiz 31 de outubro de 2011 at 12:59

    Maiores quedas 12h 42

    1 MRVE3 12,30 -4,50
    2 RSID3 11,03 -4,09
    3CYRE3 15,16 -3,93
    4
    5
    6 PDGR3 7,72 -3,62
    7 GFSA3 6,31 -3,52
    8
    9 BISA3 6,65 -3,20

    Medalhas de ouro prata e bronze para eles

    0
  • MrK 31 de outubro de 2011 at 12:59

    Estava lendo um livro famoso do Collins sobre empresas grandes que faliram, tem uma passagem que me chamou catenção, um professor de Harvard diz “Lembrem-se que voces pagam suas contas com dinheiro em CAIXA, lucro no papel não é caixa, eu já vi muitas empresas que reportavam lucros quebrarem” , não sei porque mas na hora me lembrei das nossas construtoras…

    PS : Peguei um voo em SP e li o jornal estadão, fiquei chocado, a cada 3 paginas 2 tinham propaganda de imoveis na planta, em todos cadernos, esporte, principal, classificados, moda.. em todo canto tinha uma propaganda de “invista”, que euforia! isso não vai acabar bem…

    0
    • Luiz 31 de outubro de 2011 at 13:05

      Mrk, boa viagem, mande noticias.

      0
    • Murdoch 31 de outubro de 2011 at 14:43

      O Collins é bom, mas ele e o Porras escreveram um livro chamado Feitas para Durar cheio de dados distorcidos. Pegaram e eles caíram um pouco em descrédito durante um bom tempo.
      Mas os caras são bons… Harvardianos e etc…

      0
  • MrK 31 de outubro de 2011 at 13:10

    Vejam bem…

    um bairro médio do rio (nada demais) seria botafogo… um apartamento de 2 quartos na planta lá hoje tá custando 1.000.000 (média entre o vogue e o estacão sorocaba)

    pra se pagar 1.000.000 a pessoa precisa ter a vista R$200.000 (tem que ser cash, não pode usar fgts pelo valor) e pagar um financiamento que custará perto de R$8mil/mes

    pra se pagar 8/mil a pessoa precisa ganhar liquido algo como 15mil (pois pagará muitas outras contas), isso em bruto vira um salario de R$20mil

    CONCLUSÃO: Pra se morar num bairro MÉDIO, num apartamento SIMPLES (2qts) no Rio, a pessoa precisa ter R$200.000 a vista + uma renda mínima de R$20mil, SERÁ QUE TEM ALGO DE ERRADO??????

    0
    • Jack Imóveis 31 de outubro de 2011 at 13:46

      Mrk,

      Mesma coisa na Vila Mariana em SP. Lá está sendo lançado um empreendimento com apartamentos de 108m2 por R$1.100.000,00.

      Não entendo.

      Abraços

      Jack – Eu achava que gente com essa grana morava na Vila Nova Conceição

      0
    • Dr. Estranho 31 de outubro de 2011 at 13:52

      Errado está. Ocorre que enquanto houver crédito fácil e mídia manipuladora as coisas não vão se acertar. Quando a crise bater forte, e as pessoas perderem seis empregos e verem seu patrimônio minguar, alguém se dará conta: “Por que eu acreditei nesse sistema?”

      0
      • Leonardo 31 de outubro de 2011 at 14:48

        Pra mim, o problema são os “investidores” que contratam vendas absurdas, gerando uma falsa demanda.

        eu até não tenho certeza se vivemos uma bolha, mas tenho certeza que os preços estão fora da realidade e causarão quebra de “investidores”e arruinamento de familias incautas.

        0
        • Leonardo 31 de outubro de 2011 at 14:51

          acredito em bolha em alguns bairros do rio de janeiro, como barra, tijuca e os da zona sul

          outros estão caminhando a passos largos para isso também, como Freguesia, Taquara e Recreio.

          0
          • Luiz 31 de outubro de 2011 at 15:16

            Só lembrando:
            Quem ganha acina de 15 salarios-minimos familiar pertence à Classe A1, representa 1% da população.
            Arriscaria dizer que 20k estaria na faixa dos 0,5% mais ricos da cidade, ou cerca de 3.000 famílias cariocas. Alguém neste blog está acima disto?

            0
            • Luiz 31 de outubro de 2011 at 15:26

              ops, 30.000 familias cariocas, e não 3 mil
              ou quase 100 mil pessoas

              0
              • rio2 31 de outubro de 2011 at 20:14

                teria a fonte desse numero amigo? já procurei no google e não encontrei. Seria de grande utilidade. Obrigado.

                0
                • Luiz 1 de novembro de 2011 at 10:24

                  A conta é chatinha de fazer, eu fiz uma vez e preguei a tabela num post-it.
                  faz o seguinte, vc tem que entrar no site do ibge e somar a renda familiar por setor censitário e dividir pelo numeor de SMs. Aí vc tem o perfil de cada faixa na cidade que vc quiser
                  As classes sociais segue-se a fonte critério-brasil (googleada vc ahca)
                  O link entre renda e classe social se faz por aproximações de mesmo quartil, o 1% mais rico é classe A1 se aproxima da faixa do primeiro 1% com renda mais alta, e assim vai.
                  Depois é só cruzar as porcentagens e vc sabe quanta famílias ganha x ou y SMs. na cidade
                  As minahs contas são afeirdas com o pessoal do geomarketing e outras fontes que tbm fizeram as contas. Há 2 erros no método um que puxa pra cima, o outro pra baixo. O perfil montado nos dados do IBGE é ano 2000, ultimo disponivel, de lá pra cá o SM ganhou muito da inflaçao, portanto pode ser que a renda esteja bem mais achatada em numeros de SM. Outra que o IBGE pesquisa por entrevista e a pessoa costuma declarar a renda formal, o que em áreas muito pobres chega a apenas 50% do efetivado, ous eja pode ser que a renda seja maior. Fora isso os dados oficias informados sobre renda média, sempre batem muito próximo da média que vc vai achar fazendo essa contas todas.

                  0
                  • Luiz 1 de novembro de 2011 at 14:25

                    esqueci de um detalhe, a renda é do(a) chefe de familia, 60% da renda familiar no cenário mais otimista

                    0
    • FQ 31 de outubro de 2011 at 15:30

      MRK,

      Você está sendo muito otimista, pois uma família que ganha 15 mil reais líquidos por mês, com quase toda certeza já deve ter um gasto fixo de aproximadamente 10 mil reais por mês. Conheço inúmeros casos no meu círculo social.

      O Salário funciona como a lei dos gases que preenche os espaços da sua remuneração com um dado padrão de vida.

      Não precisa ir muito longe, hoje qualquer apartamento melhorzinho na zona sul tem custo mensal (condomínio, iptu e seguro) de 1000 a 1500 reais. Qualquer escola de criança (criança mesmo) na zona sul custa numa média de 1500 ou 2000 reais. Inglês 500 reais, viagenzinha anual… jantares, salão de beleza, roupas melhores, ipva de carros melhores…

      Uma família da vida real com renda de 15 mil, na prática não pode pagar 8 mil de prestação! Isso não falo por achismo, mas por conhecimento de causa. Talvez um jovem precocemente bem sucedido possa pagar temporariamente enquanto mora com os pais e bebe cerveja em butiquim, mas uma família real, não poderia pagar.

      0
      • FQ 31 de outubro de 2011 at 16:59

        Ou seja, seu raciocínio é mais do que valido: Apartamentos de 1 milhão estão fora da realidade da classe média alta (a verdadeira) brasileira. Quem poderia pagar tais preços, seriam alguns poucos empresários muito bem sucedidos, entretanto, esses que têm 1 milhão no bolso para pagar, além de poucos, não querem nem sonhando morar num 2 quartos em Botafogo ou Copacabana.

        A demanda sumiu e os preços estão fora da curva do mercado consumidor, restam apenas alguns “investidores” e desinformados que estão subsidiando o final desta corrente de “ponzi”…

        0
    • Leo 31 de outubro de 2011 at 19:27

      MRK,

      NAO TEM NADA DE ERRADO…. Sempre vejo voce postando.. entao interpretei que voce é um cara que deve ganhar um bom salario assim como a maioria dos brasileiros. Ganhar 20k hoje é moleza… veja bem, mestre obra ta ganhando 10 / 12k.. entao uma pessoa que estudo tem que ganhar no minimo o dobro. Como eu me dediquei muito a minha profisso, deveria ganhar, pelo menos, 4 vezes o teto salarial do mestre de obra…

      Opa.. mas pera ai…. 4x o salario do mestre .. ??? Isso sao 48k.. eu nao ganho isso !!! Nem o dobro…. caramba ?!?! Meu salario é de mestre de obra ????

      Que pais é esse ? Ontem eu ganhava 5x .. 7x o salario do mestre de obra.. e hj nao ?

      Caramba…

      0
      • Felipe 31 de outubro de 2011 at 20:06

        hahahahaahhaha eu to no nível de pedreiro então hein!!
        Vi uma reportagem na TV Globo, há cerca de 1 ano atrás, que em Goiás, há pedreiros ganhando mais que engenheiros.

        0
  • Carlos Wagner 31 de outubro de 2011 at 15:14

    Boa Tarde galera.

    Alguns posts acima tem um colega alarmado pela quantidade de funcionarios publicos que fazem parte do forum e em outro comentario, outro colega menciona o fato dos funcionarios publicos ganharem bem acima da media nacional.

    Pois bem, acredito que esse seja um termometro muito importante da insanidade geral em que se transformou o mercado imobiliario. Pessoas que ganham bem, com estabilidade de emprego, virem aqui reclamar que nao conseguem comprar nada, é porque existe algo muito errado acontecendo e acho que os Cresci e SCOVISs da vida deveriam ser humildes suficientes para se atentarem para este fato e cairem na real.

    Apesar disso, não acho que meu salario seja alto, pois é a conta para eu viver uma vida simples, porém digna, sem muito luxo, com um corsa semi novo na garagem, pagar aluguel num ap de 3 dorms de bom padrão e ter que me privar de muitas coisas para conseguir guardar algum no final do mês. Em contra partida, chegamos a um ponto que acho quase impossivel sobreviver com uma renda menor que 2k, como dizem os especialistas. E é essa gente que sustenta todo esse esquema.

    Em outro comentario, um colega questiona quanto seria justo os preços cairem, pois o mercado está uma zona e ninguem mais sabe o valor real das coisas. Eu digo que o justo seria o suficiente para enquadrar cada padrão de construção na faixa atual de renda da classe a que se destina.

    Vejamos um exemplo pratico:

    Hoje, moro num apto de 3 dorm de bom padrão, lançado em 2007 por 89k. Como funcionario publico federal, nao tenho aumento desde 2006, continuo com salario bruto de 5k. Portanto, subentende-se que este nivel de apto que moro seria, na epoca, destinado a minha faixa de renda.

    Acontece que, hoje esse apto é vendido por 300k e alugado por 900 reais, menos de 0,4% do seu valor de venda.

    Percebam o deslocamento de preço deste imovel em relação a classe social a que se destina. Pois, hoje, uma pessoa que poderia financia-lo, dando 20% de entrada, é quem ganha 10k/mes.

    E isso está acontecendo em todas os padrões de imoveis. Por isso mesmo quando ouvimos alguem dizer que ganha bem e nao consegue comprar nada, na verdade a pessoa quer dizer que nao consegue comprar nada compativel com suas aspirações e sim apenas imoveis de pessimo padrão.

    Li uma citação de um tal de Crestana do CRESCI acima que dizia que o mercado era sustentado pela “estabilidade de emprego” entre outros fatores furados. Não sei onde ele vê estabilidade de emprego fora do funcionalismo publico.

    Sabado, conversando com um colega com alto cargo na GM em SJ dos campos, ele me disse que o Programa de Demissão Voluntaria é uma falacia. Está ocorrendo pressão total a fim de dispensar os antigos que ganham melhor e recontratar molecada pagando 3 vezes menos. A GM divulgou que dispensaram 400 funcionarios e na verdade é muito mais que isso, só no setor dele foram 300 dispensados.

    Hoje, estive no mercado municipal da cidade, coisa que nao fazia ha muito tempo. Pude vivenciar ali o cotidiano das pessoas mais simples e reparei que todos estão alienados a tudo que acontece no país. Essas discussões sobre imoveis, bolha imobiliaria, economia, investimentos, crise mundial, ações etc… não fazem parte da vida deles. Eles continuam pobres e desinteressados por tudo, porém endividados devido ao consumo excessivo.

    0
    • Luiz 31 de outubro de 2011 at 15:17

      Hj conversando com os colegas de trabalho sobre a Bolha, percebo que o assunto já está se popularizando, já está facil perceber.

      0
    • Álvaro 31 de outubro de 2011 at 17:14

      Bela análise Carlos.

      Estou nesse grupo e já consegui guardar em seis anos dinheiro que poderia em 2007 comprar um AP de altíssimo padrão.

      Mas devido à loucura que virou o mercado imobiliário, para comprar na minha cidade alguma coisa com 110 m2 e duas vagas teria que dispor de todo o dinheiro e ainda financiar no mínimo uns 180 mil.

      Sem condições.

      Não consigo pensar onde estaria essa mina de ouro, com tanta gente comprando imóveis a preços abusivos.

      0
    • RT 31 de outubro de 2011 at 20:21

      “Eu digo que o justo seria o suficiente para enquadrar cada padrão de construção na faixa atual de renda da classe a que se destina.”

      Muito bem falado!

      0
  • Tiago 31 de outubro de 2011 at 16:08

    viram a reportagem do fantástico ontem sobre o minha casa minha dívida???

    os ong’s surrupiando as vagas de pessoas que estavam nos moldes do plano para benefício de conhecidos e parentes???

    Em outras palavras… quem precisa realmente de uma moradia ou fica de fora ou vai viver de aluguel para o resto da vida.

    Porque com essa alta toda ocasionada pela euforia e especulação em torno da compra dos terrenos (como alguém disse acima) do mcmd, programa esse que não conseguiu vingar (onde estão as 1 milhão de moradias?) é de se esperar que o desgoverno resolva seputar de vez esse plano falido de reduzir o déficit habitacional.

    0
    • Carlos Eduardo 31 de outubro de 2011 at 16:33

      desde o meu primeiro post já suspeitava que esse MCMV fosse só um plano de lavagem de dinheiro disfarçado!

      agora tá provado! e não pense que o governo vai sepultar o próprio ganha pão!

      ele vai afrontar deus e o mundo para roubar mais!

      0
    • Tiago 31 de outubro de 2011 at 17:32
      • Luiz 31 de outubro de 2011 at 19:03

        não tem fiscalziação
        é fantastico mesmo
        estarrecedor, indico o video pros “estrangeiros” do blog

        ps: acho que a globo anda lendo o nosso blog.
        Globo, outra sugestão: põe um jornalista pra comprar 10 imoveis com o mesmo comprovante de renda

        0
  • Luiz 31 de outubro de 2011 at 16:50

    Be Very Afraid of The China Bubble, says Time Magazine
    That’s the title of Time’s recent article on China’s bubble. You can find out more on this subject by watching Jim Chanos’ video interview here.

    What’sthe most important economic question in the world today? One contender is whether the euro will collapse. Another is whether the U.S. will plunge into a double-dip recession. But a third, and possibly the most important over the long term, is whether China can save the world–or whether the entire country is a $6 trillion bubble that’s ready to pop.

    outras do site brazilian Buble:

    – Brasil ultrapassa inglaterra e é sexto no ranking do PIB graças à China
    – Eztec vai comprar Gafisa
    – Mafrig protegida do BNDES prestes a dar calote
    – Coca-cola brasileira é a terceira mais cara do mundo

    0
  • Luiz 31 de outubro de 2011 at 16:59

    Direto do túnel do tempo, entrevista de Ben Bernake o manda chuva dos EUA

    CNBC INTERVIEWER: “Ben, there’s been a lot of talk about a housing bubble, particularly, you know from all sorts of places. Can you give us your view as to whether or not there is a housing bubble out there?”

    BERNANKE: “Well, unquestionably, housing prices are up quite a bit; I think it’s important to note that fundamentals are also very strong. We’ve got a growing economy, jobs, incomes. We’ve got very low mortgage rates. We’ve got demographics supporting housing growth. We’ve got restricted supply in some places. So it’s certainly understandable that prices would go up some. I don’t know whether prices are exactly where they should be, but I think it’s fair to say that much of what’s happened is supported by the strength of the economy.

    0
    • Luiz 31 de outubro de 2011 at 17:00

      ano 2006

      0
      • Dr. Estranho 31 de outubro de 2011 at 17:03

        Parece o Mantega falando.

        0
        • Tiago 31 de outubro de 2011 at 17:26

          muito bem… parece que o povo daqui nem precisou criar um discurso..

          CTRLC+CTRLV de discurso

          0
  • Orozimbo 31 de outubro de 2011 at 17:37

    Prezados,
    A minha esposa estava ontem olhando imóveis na internet e constatou duas coisas:
    1- Os preços subiram absurdamente desde a última consulta. Um imóvel nos jardins, que há um ano estava sendo vendido por 500k, agora estão pedindo 800k, e não vendeu;
    2- Antigamente, apareciam nas pesquisas muito mais velharias necessitando de reformas. Agora, existe uma quantidade muito maior de imóveis reformados e decorados.
    Parece-me que as pessoas perceberam todas ao mesmo tempo que o negócio da vida é reformar apartamento e vender, o que fez mudar o perfil dos apartamentos usados à venda.
    Um abraço.

    0
    • Luiz 31 de outubro de 2011 at 17:43

      jogada ensaiada.
      todas as imobiliárias resolveram aumentar o preço dos usados em 30% num espaço de poucos meses.
      os numeros do CRECI mostram isso

      0
    • Andre Luiz 31 de outubro de 2011 at 19:05

      Orozimbo,

      Isso reflete m pouco o desaquecimento do mercado.

      Em 2009 e 2010 você podia oferecer o apartamento do jeito que ele estivesse que alguém compraria, pois todo mundo estava com medo que aumentasse ainda mais.

      Agora, como o número de compradores diminuiu muito, os imóveis reformados levam vantagem, como sempre la tiveram, em tempos normais. Assim, para que um vendedor consiga passar seu imóvel adiante, tem que ter um diferencial, no caso a reforma.

      0
    • Ader 31 de outubro de 2011 at 19:59

      Uma maquiada não justifica o aumento absurdo dos imóveis.

      0
  • Luiz 31 de outubro de 2011 at 18:38

    offtopic: mercado de automoveis

    Após boicote às 4 grandes montadoras “nacionais” iniciado na internet
    Brasil cai para sexto em vendas no ranking global

    Pq não boicote ao mercado mobiliario?
    Trate direto com o proprietário… não compre planta … não financie

    0
    • Dr. Estranho 31 de outubro de 2011 at 19:43

      Não precisa de boicote. Já não há mais compradores em potencial. A maioria que eu conheço desistiu e vai esperar a segunda metade do ano que vem.

      0
      • Ader 31 de outubro de 2011 at 20:08

        Já estou na fila… nada justifica comprar agora… somente quem está muito desinformado ou recebeu informações tendenciosas dessa mídia que não está nem aí, se vai ou não, prejudicar alguém com possibilidades até de desestruturação familiar… aliás, acho que é isso mesmo que uma grande rede de tv quer… Bingo!

        0
    • DRN 1 de novembro de 2011 at 11:57

      Luiz, só para constar. Também estou fazendo parte do boicote às montadoras. Não dá para pagar esses preços não. Meus carros estão com 6 e 3 anos. Comprei ambos com 0km rodado e pretendo levá-los comigo até os 10 anos de uso. Quero ver se rodam 200 mil km mesmo como está prometido no manual. Vamos ver no que dá. O FORD foi para a concessionária neste ano duas vezes por quebra de peças. Agora, se em 4 anos não conseguirmos abaixar os preços, daí eu peço arrego.

      Saudações.

      0
      • Luiz 1 de novembro de 2011 at 12:45

        DRN, tbm só comprava zero, o meu ultimo agora é de 2008.
        já estou caprichando na manutenção, filtros e oleos. Vou ficar com ele até não poder mais.

        Me sinto enganado, comprei ele 20% acima do valor do mesmo modelo zero hoje.
        E mais enganado ainda quando soube qual carro podia comprar com o mesmo valor na zona do euro: BMW pra cima

        0
        • Murdoch 1 de novembro de 2011 at 14:24

          Isso é que é uma das coisas mais bacanas da internet. A disseminação da informa~’cão faz com que seja cada vez mais difícil enganar as pessoas por mto tempo.
          Recentemente, um aluno de doutorado da USP escreveu uma tese na qual mostrava que o carro no Brasil era caro por causa da margem abusiva praticada pelas montadoras. Mostrou que, o imposto é alto sim, mas que mesmo ele não justifica um preço tão alto.
          Usou o exemplo do Honda City. No México custa o equivalente a R$ 28.000 e, aqui, com os mesmo equipamentos, R$ 52.000. Fez uma conta com os nossos impostos e usando a margem praticada lá fora e constatou que o carro deveria custar R$ 42.000. Ou seja, pelo menos + 25% de margem limpinha…
          Eu já não compro 0Km há um tempo. É insano o que se paga. Meu carro é 2002 com 140.000km rodados. NUNCA enguiçou. Faço a manutenção preventiva e pronto. A única peça que me deu problema nesse tempo todo foi um regulador de voltagem do alternador. Só! O resto foi filtro, óleo, pastilhas, amortecedores.
          Como gosto mto de carros, manutenção, etc, influencio o que meus pais vão comprar. Ninguem mais lá em casa compra GM, Volks, Peugeot. Fico puto com a postura dessas marcas. Colocam aqui produtos que já estão superados há mto tempo lá fora, fazem um face lift de merda e dizem que é modelo novo.
          O Vectra é o Astra da Europa de trocentos anos e com o motor do Monza. O Agile usa a base do Corsa antigo da década de 80. A Volks continua com o Golf de 3 gerações atrás… A Peugeot enxertou a frente do 207 no 206. Um escárnio… E por aí vai… O Fiesta novo é vendido a preço de BMW na Europa, a Fiat enche um carro de plástico e diz que é aquelas bostas são off-road, o Ecosport, que é um Fiesta com 4cm a mais de suspensão é vendido como Pajero e os donos acham isso mesmo se comportando como imbecis no trânsito…

          0
          • Luiz 1 de novembro de 2011 at 14:34

            sem dizer o atraso tecnoloicio
            um carro 1.8 diesel europeu faz quase 20 km/l com torque de carro 2.4

            a autonomia dos carros chega a 800 mil km facilmente
            acelera até 130 km/h em segundos
            e mantem essa velocidade sem o motor berrar.

            ou seja, consumo de 1.0, potencia de 2.0 e torque de 2.4

            ps: pra quem não é engenheiro, simplificadamente potencia dá a velocidade e torque dá a aceleração

            0
            • Luiz 1 de novembro de 2011 at 14:35

              ops 800 mil não, 800 mesmo

              0
  • Serpentarius 31 de outubro de 2011 at 20:28

    Encontrei no site infomoney, no topico sobre imóveis, falando de alavancagem usando imóveis. Aqui a gente usa outro nome …

    “Gostei dos assuntos discutidos aqui neste tópico.

    Todo mundo fala aqui fala dos vários tipos de investimentos em imóveis, ações, etc. A principal preocupação no momento é se está em formação ou não de ma bolha no mercado de imóveis.

    No que venho lendo há bastante tempo na opinião dos mais diversos especialistas a maioria fala que o mercado daqui está absorvendo a época de defasagem dos imóveis dos anos 80 e 90. A alta dos preços é devido sobretudo aos seguintes fatores: maior tempo de crédito e acesso ao crédito pela população, ascensão das camadas B, C e D para outros patamares e até o favorecimento da pirâmide populacional no Brasil que está na fase de maior população ativa no mercado de trabalho.

    Tudo isto junto a uma melhoria na condição das pessoas no Brasil e os investimentos estrangeiros devido o Brasil estar no foco do mundo faz com que a lei da oferta e demanda seja praticada no mercado de imóveis. Se não há oferta suficiente para tal demanda os preços sobem. Quando falo em oferta digo oferta de lançamentos e de terrenos disponíveis e de mão de obra especializada para trabalhar. Devido a tudo isto há um aumento nos custos de terreno e mão de obra, impactando diretamente nos preços dos imóveis. Com as vendas aceleradas e a falta de oferta em locais já consolidados, contribui ainda mais para o aumento dos preços.

    Com todo este cenário vale a pena ainda investir em imóveis pelo menos até os eventos da Copa e Olímpiadas pelos investimentos de infra-estrutura que o Brasil está passando e por ser a menina dos olhos do mundo no momento. Além disto, os financiamentos em imóveis ainda representa só 7% do PIB no Brasil contra os 80% dos EUA. Ou seja, o acesso ao crédito está apenas começando e ainda tem muito déficit habitacional no Brasil, sem contar com a rigidez do sistema bancário no Brasil que não permite que uma bolha igual a dos EUA cresça por aqui.

    A conta é simples para investir em imóveis, principalmente na planta. Voce desembolsa geralmente em média 25% até a entrega da obra e tem uma valorização em cima de 100% durante a obra. O que isto significa? Você está alavancando em 4x o seu capital. Se o empreendimento valorizar 30% (o que está sendo bastante modesto atualmente) durante as obras você na verdade está valorizando 120% do capital investido (faltando tirar as despesas de cartório, ITBI, etc). Há casos que dão lucros bem maiores. Depois falo da minha experiência em investir em imóveis.”

    0
  • Serpentarius 31 de outubro de 2011 at 20:29

    Também encontrei esta informação abaixo, de um inconformado “trouxa”:

    “Hoje tive que assinar um diploma de trouxa. Gosto de imóveis e sempre investi neles, porém agora acho que a coisa está mudando. A His´toria é a seguinte: Faz dois anos que pago um apt da EVEN , e hoje fui surpreendido com um e-mail de corretor da construtora me oferecendo o mesmo empreendimento por um valor MUITO menor do que eu venho pagando. Para ser mais claro, TUDO o que paguei até hoje está sendo dado de desconto para um comprador que comprar agora. É mais de 25% de desconto. EU SOU UM TRO UXA!!! Acabaram com meu investimento. É como se eu tivesse colocado fogo no meu dinheiro. Se há bolha, ela está começando a estourar.”

    0
  • Serpentarius 31 de outubro de 2011 at 20:34

    Mais uns dados: colega vendendo imóvel há 1 ano. Tinha semanas que ninguém livava pra ele. Foi a crise na Europa se agravar e começou a chover ligações. Hoje ele fechou a venda. Ele me disse que as pessoas estavam com medo e viam o imóvel como algo garantido.
    Entao, um agravamento da crise no exterior pode ter até mesmo efeito inverso no mercado de imoveis no Brasil.

    0
    • Guimarães 1 de novembro de 2011 at 01:54

      tem limite, pois os bancos tendem a ser mais criteriosos nos empréstimos.

      0
  • simone 31 de outubro de 2011 at 21:05

    Dívidas e atrasos da Gafisa não afetam seus parceiros nos Estados
    Os problemas enfrentados pela Gafisa (dívidas de R$ 2,9 bilhões e atrasos nas entregas de imóves vendidos) não afetam os parceiros que participaram das redes que montou nos Estados.

    . No RS, a Ivo Rizzo acertou negócios com a Gafisa em 2006, mas todos os 11 empreendimentos imobiliários que constrói com ela estão baseados em sociedades de propósito específico – um para cada caso.

    . A empresa gaúcha não compartilha sequer a mesma administração.

    – Os problemas da Gafisa encaminham-se para uma solução de mercado, ou seja, pela venda do grupo para um fundo do tipo GP Investimentos, que já foi seu sócio, ou de concorrentes, como a Eztec.

    0
  • ildeu 31 de outubro de 2011 at 21:33

    eu fico olhando essa geraçao que tem 18 anos hoje , será que ganharão mais de 5 mil por mês ? meu pai na decada de 60 saiu de balconista de loja de móveis a dono de 8 lojas grandes com mais de 70 funcionários {ainda assim perdeu muito na decada de 90 pelos planos econômicos que lascaram muitos empresários].Mas mesmo assim o mercado não era todo dominado como hoje.Hoje pra se montar 1 loja custa mais de 1 milhão .Qual balconista vai conseguir subir de vida?.Será uma geração de empregados que ganharão 2 mil reais .Se pelo menos as heranças fossem taxadas como nos EUA , até poderia ser , mas do jeito que é ,poucas redes donas de tudo e passando pros filhos tudo , fica dificil os carteis e monopólios cairem Eu quero ver quem dessa geração que está chegando aí vai comprar imóvel de 300 /400 mil ,quanto mais gastando tudo que ganha com roupa da moda , credito de celular e pagando 100 reais pra ver show de baianos e sertanejos bregas que é a base da cultura brasileira .

    0
    • Carlos Wagner 1 de novembro de 2011 at 01:05

      Ildeu

      Todo esse progresso economico alardeado pelo governo, nada mais é do que a maneira mais eficiente de escravizar e confiscar durante 30 anos todos os rendimentos e ganhos futuros dos cidadãos brasileiros, como se cobrar os impostos mais altos do mundo ja não fosse algo criminoso e vergonhoso.

      Hoje a tarde eu estava na locadora e na hora de cadastrar os filmes que eu estaqva levando, chegou um cara com um carro SMART for two e um grupo de pessoas que esperavam ali começaram a conversar como, de repente, as pessoas ficaram ricas e qualquer 50 mil virou troco de pinga. Vou quando falei da bolha imobiliaria e da ilusão da riqueza que o brasileiro está passando. Para minha surpresa, não houve contestações e todos concordaram que algo de muito estranho está acontecendo e que uma bolha imobiliaria e de credito é algo cada vez mais perceptivel.

      Ao contrario do meu post anterior onde eu mencionei que as pessoas simples com quem tive contato no mercado municipal, que parecem fazer parte de outro mundo quando se discute sobre bolha imobiliaria, ações, investimentos etc… essas da locadora eram, visivelmente, pessoas com melhor instrução e pertencentes a um grupo social economicamente mais ativos.

      Diante dessa simples realidade que acredito que todos podem constatar em suas cidades por todo o país, podemos concluir que os mais pobres, realmente, estão dando a falsa impressão de que estão sustentando o mercado por comprar e consumir inconsequentemente o quanto a renda suportar e lhes derem credito. Mas a verdade é que essas pessoas estão chegando no limite do endividamento.

      Vamos ver onde isso vai parar.

      0
  • EduLon 31 de outubro de 2011 at 22:23

    Seguem informações de Curitiba. Toda segunda de manhã passei a coletar os dados do imóveis curitiba. Vejam, desde 30.ago aumentou em 8,35% a quantidade de imóveis para venda e em 9,98% para aluguel.
    Detalhe: na semana de 03.out teve feira de imóveis, que disse ter 35mil imóveis para venda em Curitiba e Região. Ou seja, o site imóveiscuritiba aparentemente só mostra 28% do que têm disponivel.

    30. AGO Venda – 9613 Aluguel – 2663
    05. SET Venda – 9598 Aluguel – 2632
    12. SET Venda – 9789 Aluguel – 2685
    19. SET Venda – 9770 Aluguel – 2770
    26. SET Venda – 9882 Aluguel – 2787
    03. OUT Venda – 9813 Aluguel – 2819 – imoveis feira: 35 mil a VENDA
    10. OUT Venda – 9974 Aluguel – 2831
    17. OUT Venda -10185 Aluguel – 2870
    24. OUT Venda -10416 Aluguel – 2929

    Enfim, e mal começaram as entregas do que está sendo construído nos últimos anos. quando isto chegar no mercado, imagine a dificuldade para vender ou alugar…

    0
    • Bolha Imobiliária 31 de outubro de 2011 at 23:08

      E olha. Me recordo que em março tinha 7300 apartamentos a venda…

      0
  • Arrependido 1 de novembro de 2011 at 01:00

    No RIo o preço só aumenta… Eu fiquei ouvindo vc e nao comprei meu ap… Eu tenho pra pagar a vista… To comecando a achar que vcs tao completamente errados. NA revista Exame desse mês há uma matéria que diz que os preços só aumentam e que quem apostou na bolha se ferrou…Isso que dá dar ouvidos… Se conselho fosse bom, nao seria de graça… Obrigado por trem me feito um idiota…

    0
    • Dr. Estranho 1 de novembro de 2011 at 12:22

      Se vc acha que a revista exame está correta então vá em frente. Compre seu imóvel e suma do site.

      0
    • augusto 1 de novembro de 2011 at 12:43

      Mais um interessado na especulação imobiliaria que tenta passar a imagem de comprador que perdeu o ” excelente” timing de comprar imoveis

      0
    • Carcará 1 de novembro de 2011 at 13:02

      Troll Arrependido,
      isso aqui, ao contrário de exames, valores, folhas, estadões, é um fórum de discussão, no qual as pessoas absorvem informações, as discutem e projetam cenários. Aqui não se recebe dinheiro desse ou daquele setor financeiro para dizer que esse ou aquele investimento é o ideal. Não se tem por aqui a pretensão de dizer as pessoas o que elas devem fazer com o dinheiro delas. Essa é uma decisão de foro íntimo.

      Agora se você não fosse um Troll, eu lhe diria para ficar tranquilo, pois o ap de seus sonhos vai despencar de preços (atenção isso é uma projeção de cenário e você pode muito bem chamá-la de achismo). Como digo a todo Troll que aparece por aqui. Não adianta vocês tentarem deter a alvorada. O que está feito está feito – PLOC!

      Abs.

      0
      • Luiz 1 de novembro de 2011 at 13:22

        Sem dizer que o blog não é unanime,
        tem gente que discorda da bolha e participa ativamente.
        temos otimas discussões

        Eu por exemplo penso que no Rio o preço vai subir muito ainda, se vai vender isso não sei dizer

        0
    • Carlos Wagner 1 de novembro de 2011 at 13:20

      Arrependido

      Reclamar da vida e do que deixou de fazer é coisa de derrotado!

      Uma pessoa racional, ao constatar que havia 2 conrrentes divergentes quando a possilididade de investir em imoveis, compra-los para morar ou mesmo entrar no jogo especulativo, deveria procurar se aprofundar no assunto lendo teorias economicas, historias de outros ciclos economicos recentes que paises de todo o mundo passaram e comprar com a realidade do brasil para que uma decisão desse porte pudesse ser tomada.

      Portanto, afirmo que voce não foi feito de idiota aqui por ter dado ouvidos aos comentaristas que frequentam o forum, ao decidir nao comprar, voce já era um idiota apenas pelo fato de não saber nada de economia e se deixar influenciar pela maré,

      Agora que está arrependido, compre um apzinho e seja feliz.

      0
      • Luiz 1 de novembro de 2011 at 13:24

        se ele não fosse apenas um troll inutil
        se fosse honesto daira pra perguntar o quanto ele paga de aluguel

        0
    • Andre Luiz 1 de novembro de 2011 at 14:20

      Arrependido e demais foristas,

      Inicialmente, eu entendo o seu lado, Arrependido.

      Às vezes eu também tenho essa sensação, de que o sonho da casa própria está cada vez mais distante. Mesmo com os indícios claros de Bolha Imobiliária, os preços insistem em aumentar.

      Por outro lado, penso que, assim como no mercado de ações, é preciso ter sangue frio e acreditar nos seus fundamentos e, por que não?, intuição. Por sorte, tenho onde morar sem pagar aluguel. A casa não é propriamente minha, mas é como se fosse. Assim, posso esperar pacientemente até essa bolha estourar, apesar de estar morrendo de medo da inflação corroer meu suado dinheirinho poupado e investido.

      Mas fazer o que? Eu só tenho duas opções: me endividar 30 anos para comprar um imóvel abaixo do que mereço e entendo que posso comprar ou continuar líquido, esperando uma oportunidade de compra, arriscando perder para a inflação. Eu escolhi a segunda…

      Espero que você saiba fazer sua escolha, analisando com carinho as diversas opiniões sobre o tema. Só lhe digo uma coisa: em direito, economia e futurologia não existe certeza, cada um diz o que pensa e acredita quem quiser.

      Nesse ponto, deixo aos demais foristas minha opinião sobre a maneira como recebemos aqueles que vêm ao site expor opinião diferente da nossa.

      Em primeiro lugar, não creio que o Arrependido seja um troll (aliás, existe troll que deixa apenas uma mensagem?). Ele me parece muito mais alguém que está passando por uma situação difícil e veio aqui desabafar. Merece o nosso acolhimento e não nossos deboche, suposições e críticas.

      Sou bolhista há cerca de 11 meses, quando conheci o site e as idéias postadas aqui foram ao encontro do que penso. Minha contribuição é pequena ( o Bolha deve me ter no ranking, láaaa embaixo), pois não sou especialista no assunto como o Mrk e outros. Porém, não concordo com a maneira que os antibolhistas são tratados aqui.

      As opiniões divergentes devem ser bem vindas, pois não há verdade absoluta. Sendo todos bolhistas, é comum ficarmos repetindo os argumentos uns dos outros e concordando conosco, pois estamos na mesma “corrente doutrinária”. Mas é importante deixarmos os ouvidos abertos para o “outro lado da força”, pois eles podem enxergar coisas que não vemos.

      Um bom exemplo foi o cara da Procuradoria da Fazenda que foi logo sendo chamado de troll, corretor desempregado etc e contribuiu com vários argumentos no sentido de que não é interessante para o governo o estouro de uma bolha, pois ninguém quer ser impopular. As consequências dessa medida serão nefastas, mas é um argumento válido. Tanto que alguns bolhistas até concordaram, ou ao menos compreenderam o lado dele.

      Eu acredito que estamos vivendo uma bolha e ela vai estourar, pois já inflou demais, mas não concordo que o fórum destrate aqueles que discordam de mim.

      Saudações Bolhistas

      0
      • Murdoch 1 de novembro de 2011 at 14:39

        André Luiz, concordo contigo.
        E mesmo que fosse troll isso faz parte de todos os blogs. É o lado nefasto da internet. Ela é mto permissiva com os covardes.
        Qto aos preços tb concordo com o Luiz e já falei várias vezes aqui.
        O mercado do Rio é diferente da maioria e, se houver, estouro terá menor impacto nos valores daqui.
        Abs

        0
        • Andre Luiz 1 de novembro de 2011 at 14:47

          Murdoch,

          Também acho que o Rio é diferente, ao menos na Zona Sul. O grande problema aqui é que tem poucas áreas “moráveis” na cidade. Ao contrário de outros municípios, o nosso RJ só proporciona asfalto, segurança, limpeza etc na Zona Sul. Nunca vi uma cidade tão partida como a nossa. Sem contar que, infelizmente (na minha opinião) somos destino de estrangeiros que ganham muito mais do que nós. Aí os preços sobem mesmo.

          Mudando de assunto, você postou em outro tópico que não compra carro das grandes montadoras, poderia dividir com a gente quais marcas indica?

          Abraços.

          0
          • Luiz 1 de novembro de 2011 at 15:04

            Murdoch, me entenda por completo, acho que no rio sobe por mais um bom tempo, mas tbm acho que vai explodir forte, é o balanço do péndulo, quanto maios forte vai, mais forte volta.

            Aí vcs tem o aluguel de temporada pra sustentar, coisa que não tem no resto do país, o Rio é a 139o. cidade preferida para turismo no mundo.

            Mas isso é moda, o Brasil tá na moda, passado o momento, vai cair forte, o Rio volta a ser o que realmente é, desde D. João VI a Ronal Biggs: destino de fuga.

            0
            • Murdoch 1 de novembro de 2011 at 15:54

              Entendi Luiz.
              Discordo um pouco, até pq existe bastante folga nos preços pra sustentar a porrada.
              Tb não faço parte daqueles que acham que teremos outra cidade pós Olimpíadas não, mas esses eventos servem para colocar a cidade e o país de vez na rota do turismo.
              Contribui para que mais pessoas visitem e tirem um pouco da imagem de super exóticos que eles tem da gente.
              Mais gente vem, mais comum se torna o destino, menos exótico fica aos olhos dos gringos.
              Mas sem dúvida que há um enorme modismo! Haja visto a propaganda até em Hollywood.
              Por sinal, Ronald Biggs era meu vizinho…rs
              Mas sugiro que vc venha mais aqui. É mais do que uma cidade de fuga. Tem coisas mto bacanas.
              Fica o convite…

              0
              • Luiz 1 de novembro de 2011 at 17:21

                Murdoch, sou critico, mas sou quase da casa, adoro o Rio, parte da familai nasceu aí e pra piorar, flamenguista, rsrs. Conheço bem a ZS.
                Contudo por conta dos preços e do cambio tenho preferido gastar muito menos viajando pro exterior ou litoral norte de SP – ubatuba, Ssebastião, ilhabela – preservam um tanto de rustico, noite agitada e parte natural preservada… Ubatuba pra mim é a grécia tropical, a preços bons – aqui e na grécia.

                0
          • Murdoch 1 de novembro de 2011 at 16:30

            André, isso a gente se ferra mesmo. Bar e restaurante então…
            Eu compro de grandes montadoras sim, mas tenho saído do esquema GM e VW já há um tempo, pq acho que elas se acomodaram. Acho que ranço da época em que mandavam num mercado limitado.
            Gosto da VW, mas não dá pra pagar 50 paus num Golf de projeto de mais de 20 anos, ou 55 num Vectra que na Europa é Astra há mto tempo. Fora que lá eles tem um motor mto mais moderno e menos beberrão que esse de Monza que eles usam aqui. Acho que agora se tocaram e colocaram o Cruze.
            Mas sua resposta é difícil. Acho que depende da categoria. Eu tenho um Civic e, apesar de ser bem sem graça pra dirigir, é excelente. Não quebra.
            Acho que algumas marcas vem merecendo um voto de confiança. A Nissan, por exemplo, está com ótimos carros no mercado por preços bons comparados aos concorrentes. Vende o Sentra por 51 com tudo. Mais barato que o City que é menor com motorzinho 1.5. E o Sentra é um ótimo carro.
            Agora ela vai trazer o March. Excelente opção tb.
            A Renault tem coisa boa, tem carro resistente, manutenção não tão cara. O Megane, por exemplo, está por ótimo preço, o Fluence é um carraço, e o Sandero, apesar de feio é o com melhor custo benefício da categoria.
            Acho que a Kia e a Hyundai evoluíram bastante, mas ainda falta um pouquinho pra chegar nos japoneses no que diz respeito à qualidade de montagem. Fora que sofrem aqui do mal de serem importadas por um importador independente e não a fábrica. Isso, geralmente, deixa a manutenção mais cara e qto mais velho o carro vai ficando mais difícil é achar algumas delas… Mas os caras estão aí agressivíssimos no mercado e tem munição pra competir. Eu ainda não me arrisco, assim como não arrisco nenhum chinês.
            Acho que a Fiat vem melhorando bastante, principalmente agora com esses motores 1.6 e 1.8 da Tritec do Paraná, mas é uma marca que eu não curto pra manutenção.
            Acho que a Ford tem o Focus que é um grande carro, mas 52.000 um modelo 1.6 não dá! E 50k num Fiesta novo mto menos. Não aceito pagar isso!
            Bom, é ficar de olho em carros que usados tem grande depreciação e são facilmente encontrados em bom estado. Focus, Sentra, Megane, Subaru Impreza (manutenção mto cara, mas não quebra).
            Das tradicionais, acho o Jetta da penúltima geração com motorzão 5 cilindros do cacete.

            0
            • Andre Luiz 1 de novembro de 2011 at 16:48

              Obrigado, Murdoch.

              Não é projeto para agora, pois ainda não tenho filhos e carro é um passivo e tanto…

              Mas vou anotar as dicas para um futuro próximo.

              Valeu pelas infos.

              Abraço.

              0
              • Luiz 1 de novembro de 2011 at 17:16

                Andre, se me permite entrar no meio da discussão.

                estou satisfeito com a Peugeot, qualidade, economia, estabilidade e conforto, mas tem que ser em cidade que tem asfalto bom pq o carro é baixo e por ser macio demais pode durar menos, se o asfalto for bom, dura pra sempre, vai sem medo.

                além da minha marca tenho visto com bons olhos a Renault e a Nissan – sandero, sentra, march, duster, logan, clio, …

                assino embaixo do murdoch em tudo

                0
                • Andre Luiz 1 de novembro de 2011 at 18:23

                  Claro, Luiz.

                  Fique a vontade.

                  É até bom ouvir a opinião dos colegas, pois sempre ouvi falar muito mal dos franceses (a Citroen ainda não foi citada aqui. rsrs). Aqui no Rio o asfalto é uma m… Infelizmente, com base no que você falou, o peugeot ficaria devendo. Mas a informação pode valer para quando um dia eu conseguir me mudar daqui ou para outros colegas.

                  Abraços.

                  0
                  • Luiz 1 de novembro de 2011 at 19:17

                    olha isso do asfalto tem que ver de bairro pra bairro, mas to falando asfalto ruinzão mesmo, esses do interiorzão e nordeste. Pra Rio e Sp o carro vai muito bem.

                    Fiz vários test-drive em Citroen. É top, está acima de todas as citadas, mas não comprei pq achei o carro femino demais, muito porta bagulho, marchas muito longas que é pra não dar muito trabalho de ficar trocando, sensor de tudo, etc…, ia pagar por um monte de coisas que não preciso.

                    0
      • Paulo - RJ 1 de novembro de 2011 at 15:15

        Concordo em partes, André. Também não acho legal destratar as pessoas, mas tanto o arrependido quanto o cara da PGR chegam com um discurso agressivo ou pedante. É colocar a bola para quicar dentro da área.

        0
    • Jack Imóveis 1 de novembro de 2011 at 16:38

      Sério??

      É subestimar demais os prospects….

      De todos os Trolls, acho que esse tem o menor QI.

      Jack – Genius

      0
  • Anonymous 1 de novembro de 2011 at 02:46

    Movimento agora vai da MRV, dirigido ao morador e não ao investidor.

    www . movimentoagoravai . com . br

    Seja qual for seu caso, participe do concurso cultural enviando sua dica para marcar logo seu casamento ou então uma boa desculpa para adiar ainda mais o dia do sim.

    As 3 melhores respostas serão premiadas com um Iphone (1º lugar) , um enxoval (2º lugar) e uma bicicleta (3º lugar).

    0
    • Dan 1 de novembro de 2011 at 07:44

      Agora vai… agora vai pro brejo!

      É isso mesmo! Você que ainda não se casou, case-se e assuma uma dívida impagável! É, se você queria uma desculpa pra brigar com a futura esposa, não precisa mais procurar! Aproveite pra quebrar o apartamento novo decorado inteirinho no seu primeiro arranca-rabo!

      Ah, pelo amor de Deus… Esses publicitários!

      Alguém tem um saco de vômito aí?

      Argh…

      0
      • Luiz 1 de novembro de 2011 at 10:00

        esse ataque sujo já conhecia

        é pra pressionar o homem a fazer mal negócio se aproveitando da possível fragilidade e insegurança da mulher.

        mas as mulheres de hj em dia não são de porcelana e sabem fazer contas melhor que nós

        0
        • Paulo - RJ 1 de novembro de 2011 at 10:21

          Se depender da minha para eles venderem alguma coisa, tão ferrados, ahahahah

          0
  • Menino do Rio 1 de novembro de 2011 at 08:20

    http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/as-10-acoes-que-mais-subiram-em-outubro

    Empresa Código Preço (R$) Var. Mês (%)
    JBS JBSS3 5,16 42,15
    Gol GOLL4 13,51 31,93
    Cyrela CYRE3 15,01 28,18
    MRV MRVE3 12,1 25,65
    Rossi RSID3 10,85 23,58
    PDG PDGR3 7,57 23,49
    OGX Pet OGXP3 14,2 23,48
    Klabin KLBN4 6,32 23,05
    Hering HGTX3 38,35 22,09
    Marfrig MRFG3 7,45 21,53

    A Cyrela aparece na terceira posição do ranking. A incorporadora e construtora é ainda seguida pelas concorrentes do setor MRV, Rossi e PDG. Os papéis do setor imobiliário foram beneficiados pela continuidade do relaxamento da política monetária no Brasil, que foi acompanhado pela redução das estimativas do mercado para a inflação em 2012.

    Pelo jeito ainda existem muitos investidores que acreditam numa rentabilidade futura do mercado imobiliário.
    BI (Bolha Imaginária).

    0
    • Bolha Imobiliária 1 de novembro de 2011 at 11:03

      Bom, comece a fazer a conta da queda a partir do dia 31/10

      0
    • Jack Imóveis 1 de novembro de 2011 at 11:28

      Meninoto,

      Dá um print screen da tela com sua carteira de ações para a gente ver se vc realmente acredita nisso.

      Jack – Procurando Evidências

      0
      • Luiz 1 de novembro de 2011 at 12:35

        ontem eles ficaram com ouro prata e bronze de maiores quedas, vejam hoje:

        JBSS3 4,81 -6,78
        PDGR3 7,13 -5,81
        BISA3 6,24 -5,45
        RSID3 10,26 -5,44
        MRVE3 11,45 -5,37
        CYRE3 14,22 -5,26
        MRFG3 7,06 -5,23
        HYPE3 8,78 -4,98
        GFSA3 6,06 -4,87

        Subiu um mês e ficam felizes, pagam pra publicar materias em revistas
        Desabando essa semana, e olha que ainda é terça. E nada de matérias.
        Hoje só a Veja tem credibilidade

        0
    • Dr. Estranho 1 de novembro de 2011 at 12:24

      Hoje a rentabilidade foi pro brejo. Venda antes que perca tudo.

      0
  • AJW 1 de novembro de 2011 at 08:53

    Ontem o jornal Metro de Curitiba, mostrou em seu editorial que a ocupação do hotéis em Curitiba durante a copa será menor, sobrando leitos. Segundo o jornal a esperança e que um seleção da América do Sul fique sediada em Curitiba. Então o efeito Copa já esta indo terra abaixo! A pergunta agora: Sem a tal valorização com a Copa do Mundo como fica o preço dos imóveis??? Acho que a copa só foi mais pré-texto para inflar os preços.

    0
  • Carlos Eduardo 1 de novembro de 2011 at 09:53

    Olha a vergonha!

    agora na china! jajá começam aqui também!

    Preços dos imóveis residenciais na China caem 0,23% em outubro

    XANGAI – Os preços dos imóveis residenciais na China tiveram em outubro sua maior queda sequencial do ano, de acordo com um índice compilado por uma entidade privada, sugerindo que o antes aquecido setor imobiliário chinês encontra-se finalmente prestes a uma virada decisiva, depois de quase dois anos de uma campanha de aperto sobre o mercado.
    Nas 100 maiores cidades da China, os preços dos imóveis residenciais caíram 0,23% em outubro na comparação com setembro, depois de um leve declínio de 0,03% em setembro na comparação com agosto, segundo o Sistema de Índices de Imóveis da China. Os dados compilados pela empresa juntamente com a corretora imobiliária online SouFun Holdings são acompanhados de perto desde que a China encerrou um índice nacional de preços dos imóveis, em janeiro.

    No sábado, o premiê chinês, Wen Jiabao disse que a China busca “uma correção razoável”, sinalizando que o país pode querer apenas uma leve retração nos preços dos imóveis, na medida em que a economia doméstica em desaceleração e o crescimento das incertezas globais complicam os esforços para controlar a escalada de preços dos imóveis. As informações são da Dow Jones.

    0
    • xangai 1 de novembro de 2011 at 10:54

      Na verdade isso eh uma media da china , pelo menos aqui ( em Shanghai onde moro a 6 anos ) as coisas ja ha algum tempo tem se mostrado pior ou mais coerente , diria que ha 1,5 anos praticamente pararam de subir e agora estao dando descontos de 20% a 30%
      Parece que alguns proprietarios / investidores / corretores/ especuladores / etc.dores estao bastante irritados :::::

      Segue o pool dessa semana do Shanghaidaily . com :::
      ======================================================================
      w w w . shanghaidaily . com/poll/poll_list.htm
      2011-10-27 – 2011-11-2
      There have been a few cases of home buyers smashing the sales offices of their property developers to vent anger and demand a refund because the developers drastically lowered the prices of unsold apartments. What is your comment on this phenomenon?
      In a market economy, it is unjustified to demand a refund because of changing prices.
      69%
      Developers should not slash prices too much to upset old customers.
      5%
      The government should regulate the housing market to prevent such happenings.
      26%
      =====================================================================

      Duvido que alguem em sa consciencia .. acredite que so no Brasil vai ser diferente.

      E olha que o credito aqui eh simmmm controlado , e muito por cultura desse povo de 6 mil anos. Os chineses pagam tudo praticamente a vista ( imoveis me parece 80% a vista , veiculos ?! bmw, mercedez , audi, etc .. 90% a vista ) .
      Alias o povo ( ao ) ainda usa o bolso cheio de dinheiro e nao cartao de credito.

      Alias.. desculpem o desabafo … mas isso aqui eh China / Shanghai com 20+ milhoes de habitantes , mas onde vc em qq lugar ou hora do dia ou noite anda com o bolso cheio de dinheiro , com seu iphone 4 ( por R$ 850 ) na orelha , com joias, janela do carro toda aberta …
      sem a menor preocupacao .!!

      Ah .. ainda pode parar num banco onde a unica seguranca eh uma chines/guarda com um cacetete e um radinho ( alem de otimo skill em kung fu ).

      Bom .. alem de seguranca , se vao construir um predio/condominio ele pode ( vai ) ficar a 15 ou 20 kilomentros do centro ( Puxi ou Pudong ) . No caosss de pico vc leva uns 40 minutos de carro para atravessar a cidade , so que usando de inumeras avenidas de 6 pistas , viadutos , tuneis e vias elevadas ( gao jia ) que contornam e atravessao a citade inteira ( norte sul , leste oeste ) ..

      Se aqui com toda essa infraestrutura ( eh mesmo incrivel … so vendo ) de investimento … controle ( e cultura ) de credito comedido esta acontecendo isso , imaginem no Brasil
      onde so se fazem predios no meio de predios nos mesmos bairros ( valorizados )!

      Bom e por ai vai !!!

      0
      • Tiago 1 de novembro de 2011 at 11:14

        excelente comentário xangai… é ótimo ter pessoas de fora do país participando aqui…

        agora quanto aos número acredito que o governo tenha mascarado como aqui a realidade para não mostrar efetivamente o que passa no mercado imobiliário chinês…

        depois daquela reportagem assustadora das cidades fantasmas acredito que o mercado imob chinês esteja bem pior…

        agora falar que na média o mercado imobiliário só corrigiu 0,23% é muito pra cabeça né??? como um pais daquele tamanho tenta jogar um número desse com uma precisão tão milimétrica… 0,23% é no mínimo um desvio da pesquisa… tinha q ser coisa entre 1 e 2% para ter alguma credibilidade esses valores…

        0
        • Mr. R 1 de novembro de 2011 at 12:38

          Todo mundo aqui no Bra. sabe dessas tal “cidade fantasma” na china. Todo mundo aqui sabe que tem bolha na china. A imprensa brasileira noticia isso e ainda afirma que há manipulação do governo chinês. Mas que o Brasil tem uma bolha eles nao falam. Não falam do que tá acontecendo no quintal deles.

          0
          • Ader 1 de novembro de 2011 at 13:28

            Pura tática para desviar a atenção daqui, que somada à política do “pão e circo” vão iludindo o pobre do brasileiro que não passa de um fantoche na mão do governo.

            0
          • Carlos Wagner 1 de novembro de 2011 at 13:36

            Essa situação chinesa nos remete imediatamente a concordar com Ludwick von mises quando afirma que o governo é incapaz de criar riquezas, criando apenas dividas. Pois, como sabemos, a china precisa manter um crescimento acima de 8% para que sua economia não entre em recessão devido ao numero de habitantes.

            Com isso, o governo vem estimulando e bancando o pleno emprego, e grande fatia dessa mão de obra é empregada da construção civil.

            Recentemente o governo chines precisou fazer vultuosos aportes financeiros a bancos estatais.

            Conclusão: As cidades fantasmas chinesas existem, não pelo fato que há deficit habitacional e que esse o objetivo seja suprir esse deficit, mas sim pelo fato de manter os niveis de desemprego em patamares que deem sustentação a um crescimento do produto interno bruto acima de 8%.

            Quanto ao aumento dos preços dos ativos imobiliarios lá, apesar da imensa oferta que há no mercado, é fruto de especulação que levaram seus preços a patamares que exclui a grande maioria da população da categoria de potenciais compradores.

            A coisa não é tão complicada de entender. O complicado é resolver o problema e mudar os rumos da economia.

            0
  • Dr. Estranho 1 de novembro de 2011 at 10:03

    Senhores.

    Tenho que parar um pouco de ler este site. Esta noite sonhei que comprava à vista um imóvel que só vi por fotografia. Depois de fechado o negócio fiquei em pânico. Sorte que acordei logo.

    Curiosidade: uma corretora demostrou irritação quando disse que não estava disponível para ver, no fim de semana que passou, um imóvel do zap. Segundo ela eu só tinha até 31/10 para ver e fechar negócio, pois s proprietária ia desistir.

    Tive uma crise de pato Donald: quac, quac,quac,quac,quac,quac,quac,quac,quac,quac,quac

    Ora cara-pálida, quanto tempo precisa estar à venda um produto para alguém desistir?

    0
  • Henrique 1 de novembro de 2011 at 10:07

    01/11/2011 – 09h00 (Folha SP)
    Produção industrial tem queda de 2% em setembro, diz IBGE

    A produção da indústria brasileira caiu 2% em setembro na comparação livre de influência sazonais com agosto. O resultado representa uma acentuação da queda frente ao desempenho de agosto, quando o setor havia registradado recuo de 0,1%. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (1º) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

    O resultado mostra uma forte freada da indústria, que sente os efeitos de alta dos juros (processo encerrado em agosto), a menor demanda global diante da crise e a desaceleração do consumo doméstico. A queda de agosto para setembro é a maior desde abril (-2,3%).

    Confiança da indústria recua pelo 10º mês seguido, aponta FGV
    Mercado de trabalho perde ritmo após freada da economia
    Cenário externo acelera moderação atividade interna, diz ata Copom
    Rendimento médio dos ocupados cai 3% em 12 meses, diz Seade/Dieese

    Em relação a setembro de 2010, houve queda de 1,6%. Já no acumulado do ano, a indústria soma alta de 1,1%. Nos últimos 12 meses, o índice ficou positivo em 1,6%.

    Segundo o IBGE, as categorias com piores desempenhos foram as de bens duráveis (-9%), bens de capital (-5,5%), semi e não duráveis (-1,3%), intermediários (estável); na comparação setembro ante agosto.

    Já os setores com as quedas mais expressivas, na mesma comparação, foram: fumo (-30,6%), material elétrico e equipamentos de comunicação (-13,6%), veículos automotores (-11%). Por outro lado, as altas de destaque ficaram com material de escritório e informária (9,6%) e outros produtos químicos (4,2%).

    0
  • Luiz 1 de novembro de 2011 at 10:30

    Depois de 2 semanas subindo, as IMOB seguem desabando, até gafisa que já achou comprador pra salvar a patria

    MRVE3 -6,05
    JBSS3 -6,01
    RSID3 -5,65
    PDGR3 -5,49
    CYRE3 -4,87

    todas com queda quase 4vezes maior que a Bolsa

    0
    • Jack Imóveis 1 de novembro de 2011 at 10:39

      Luiz,

      Não sei se é impressão minha, mas as principais ações de construtoras estão descoladas do Ibovespa.

      Em alta sobem menos, na baixa caem mais.

      Abraços – Jack Super Bonder

      0
      • Luiz 1 de novembro de 2011 at 10:56

        é sim, outubro agora o melhor mês desde 2009 elas subiram nem metade do índice.

        0
  • Carlos Eduardo 1 de novembro de 2011 at 10:56

    Olha a vergonha ll

    esse pode virar até tópico! olha oque dá depender do governo 😛

    Com menos recursos públicos, construção civil desacelera
    http://not.economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201110311915_TRR_80418895

    O setor da construção civil já sente os efeitos da queda no ritmo de liberação de recursos públicos para obras de infraestrutura devido a ajuste fiscal, segundo a Sondagem Indústria da Construção de setembro, divulgada nesta segunda-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com a pesquisa, o indicador de nível de atividade do setor caiu em setembro na comparação com agosto e ficou em 48 pontos. Os indicadores variam de zero a cem pontos e valores acima de 50 pontos indicam aumento da atividade. Em agosto, o mesmo indicador havia sido de 50,1 pontos.

    Segundo a CNI, a queda da atividade atingiu pequenas, médias e grandes empresas dos três segmentos da pesquisa: construção de edifícios, obras de infraestrutura e serviços especializados. Em setembro, a atividade entre as pequenas empresas foi de 48,7 pontos, entre as médias empresas foi de 48,3 pontos e das grandes foi de 47 pontos.

    O segmento de atividade menos afetado foi a construção de edifícios, que ficou próximo da estabilidade, com 49,8 pontos. O setor de serviços especializados alcançou em 47,8 pontos. Com 46,5 pontos, as obras de infraestrutura puxaram os números para baixo.

    De acordo com o gerente-executivo da Unidade de Pesquisa da CNI, Renato da Fonseca, as obras de infraestrutura tiveram significativa queda no nível de atividade porque os desembolsos públicos caíram, tanto pela troca de governo quanto pelo ajuste fiscal promovido pela União.

    “Esse setor é muito dependente das obras públicas. O ano passado foi de campanha, por isso teve uma aceleração das obras. Este ano teve a troca dos governos, então aqueles que entram param tudo para reavaliar as obras”, disse Fonseca.

    Ele lembrou ainda que, do orçamento de R$ 65,2 bilhões da União para investimentos previstos para este ano, só 10,5% foram efetivamente pagos.

    Expectativas
    Apesar da queda na atividade, o empresário da construção civil continua otimista para os próximos seis meses. A expectativa do nível de atividade em outubro (a parte das expectativas na pesquisa leva a data da coleta dos dados) ficou em 57 pontos, ou seja, o empresariado espera um crescimento nos próximos seis meses.

    Em relação à criação de empreendimentos ou serviços, a expectativa ficou em 57,2 pontos. Também há expectativa de evolução positiva para a compra de insumos e matérias-primas, com 55,1 pontos, e do número de empregados, com 55,6 pontos.

    A Sondagem da Indústria da Construção foi feita no período de 3 a 18 de outubro, com 353 empresas, das quais: 173 são pequenas, 138 são médias e 42 são grandes.

    0
  • danilo 1 de novembro de 2011 at 11:36

    Carlos Eduardo.

    Se me permite, gostaria de ilustrar o que as construtoras têm feito para nos convencer do contrário. Estão comprando matéria. Eu já ri demais

    Indústria da construção prevê expansão do setor, diz CNI
    Agência Estado – AE
    Publicação: 31/10/2011 13:14 Atualização: 31/10/2011 13:23

    Apesar da retração no nível de atividade da indústria da construção, a expectativa dos empresários para os próximos seis meses ainda é de expansão. Segundo a Sondagem da Indústria da Construção, divulgada nesta segunda-feira (31) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o indicador que mede a expectativa do setor para os próximos seis meses ficou em 57 pontos em outubro, aumento de 0,8 ponto ante 56,2 pontos em setembro. O indicador, que vai de zero a 100 pontos, mostra a alta nas expectativas quando fica acima de 50 pontos. A expectativa de outubro deste ano, contudo, é 3,8 pontos menor que a apurada no mesmo mês do ano passado.

    Atividade no setor da construção cai no 3º trimestre
    Preços na construção civil sobem 0,2% em outubro, informa FGV
    Emprego na construção civil cresce 9,4% no ano, aponta Sinduscon Mais cedo, a CNI informou que o nível de atividade do setor caiu de 50,1 pontos em agosto para 48 pontos em setembro.

    A sondagem indica ainda que os empresários mantêm em alta a expectativa para empreendimentos e serviços nos próximos seis meses. O indicador, porém, apresentou uma leve queda em outubro em relação a setembro, passando de 57,6 pontos para 57,2 pontos. Em relação a outubro de 2010, a que é ainda maior, de 61,2 pontos para 57,2 pontos (-4 pontos).

    A expectativa também é positiva em relação ao aumento na compra de insumos e matérias-primas, apesar do leve recuo: em outubro, o indicador ficou em 55,1 pontos, ante 55,5 em setembro. Ante outubro do ano passado, a queda foi de 4,80 pontos.

    O mesmo quadro de expectativa positiva, porém com leve desaceleração, é vista no cenário esperado para o emprego na construção. O indicador que mede a expectativa no número de empregados nos próximos seis meses passou de 55,9 pontos em setembro para 55,6 pontos em outubro. No mesmo mês do ano passado, esse número de 58,8 pontos.

    0
  • Evandro CPS 1 de novembro de 2011 at 13:05

    Venda de imóvel usado cai 14,47% em agosto, diz pesquisa

    A venda de imóveis usados caiu 14,47% em agosto e a locação residencial diminuiu 4,89% na cidade de São Paulo em relação a julho, conforme pesquisa feita com 451 imobiliárias pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (CreciSP).
    Conforme o presidente do CreciSP, José Augusto Viana Neto, agosto foi um mês de refluxo, após bom desempenho das vendas e locação em julho. Em julho, as vendas haviam crescido 85,76% e a locação, 40,60%. Para Viana Neto, a desaceleração geral que começa a haver na economia não significa que os dois mercados fecharão o ano no vermelho, pois as famílias terão reforço de caixa com o 13º salário e os bônus salariais.
    Em agosto foram vendidos 165 apartamentos e 78 casas na capital. O preço médio do m² dos imóveis usados baixou 2,51% em relação a julho. As vendas de imóveis com preço superior a R$ 200 mil foram responsáveis por 66,67% dos negócios e os apartamentos de padrão médio construídos há mais de 15 anos e situados em bairros como Limão, Pari e Pirituba registram o maior aumento do m² de julho para agosto ( 56,1%) de R$ 2.553,54 para R$ 3.985,98.
    A maior queda de preços ocorreu nos apartamentos de padrão médio em bairros como Mandaqui, Mirandópolis e Moóca, com oito a 15 anos de construção. Esses apartamentos foram vendidos em agosto por R$ 3.293,29, valor 34,23% inferior ao valor médio de R$ 5.007,38 de julho.
    Conforme a pesquisa, a maioria das vendas (51,03%) foi feita por financiamento bancário, sendo 32,51% desses financiamentos realizados pela Caixa Econômica Federal (CEF). As vendas à vista representaram 40,74% do total, as feitas com pagamento parcelado somaram 7,82% e os consórcios ficaram com 0,41%.
    Locação
    Casas e apartamentos com aluguel mensal de até R$ 1 mil representaram 50,79% dos 1.045 contratos formalizados nas imobiliárias pesquisadas em agosto. O índice de locação fechou em 2,3171, recuando 4,89% em relação a julho.
    O valor médio do aluguel aumentou 0,43% em agosto em relação ao mês anterior. Em 47,32% das locações o fiador foi utilizado como garantidor do pagamento, seguido pelo depósito de três meses do aluguel (27,97%), seguro de fiança (24,43%), sem garantia (0,19%) e caução de imóveis (0,10%). O aluguel que mais subiu foi o de apartamentos de um dormitório em bairros da Zona E, como Brasilândia, Campo Limpo e Cangaíba, passando de R$ 350 em julho para R$ 470 em agosto, com aumento de 34,29%. As maiores quedas foram registradas em apartamentos de quatro dormitórios situados na Zona B, cujo valor caiu 27,05% de julho para agosto, passando de R$ 6.666,67 para R$ 4.863,64.
    As imobiliárias receberam 73,01% dos imóveis alugados em agosto, percentual 24,42% maior que o de julho (58,68%). O número de inquilinos inadimplentes em agosto foi de 4,36%, menor que o de julho (4,5%). O número de ações judiciais propostas em agosto foi 4,37% menor do que de de julho, passando de 4.711 para 4.505. As ações por falta de pagamento tiveram queda de 14,8% no período.

    h t t p : / / economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201111011323_TRR_80422412

    0
  • Ricardo 1 de novembro de 2011 at 13:30

    Notícia similar mas em outro site e com outro título (Bolha, pode ser tópico, pela relevância e reconhecimento de queda de preços e venda ):
    Agora, o presidente do CRECI acha que as vendas aumentarão , pois haverá reforço de caixa com 13o. salário e bônus. Haja bônus e 13o!!!!
    KKKKKKKKKKKKK

    w w w .infomoney.com.br/imoveis/noticia/2245188-mesmo+com+preco+queda+venda+imovel+usado+cai+agosto

    SP: mesmo com preço em queda, venda de imóvel usado cai 14,5% em agosto

    De acordo com o presidente do Creci-SP, agosto foi o mês do refluxo. “Essa retração já era esperada, dada a dimensão do movimento de negócios em julho”, afirma, explicando que “a desaceleração geral que começa a haver na economia não significa que os dois mercados fecharão o ano no vermelho, ao contrário, pois as famílias terão reforço de caixa, com o 13º salários e os bônus salariais”.

    0
    • Anonymous 1 de novembro de 2011 at 14:02

      Acho que vou comprar 2 apartamentos (na planta claro) com meu décimo terceiro salário. Faltar dcidir se compro um no RJ e outro em SP ou os dois no RJ já que é o lugar que mais valoriza e ainda tem vista para as “comunidades”.

      PS: Será que o presidente do CRECI é débil mental? Ou ele de fato é, ou ele julga que os outros são. Não existe outra possibilidade.

      0
      • Ricardo 1 de novembro de 2011 at 20:57

        Vou financiar alguns aptos com o 13o. salário , seguindo o conselho do CRECI. Depois vou revender e ficar rico……………..
        Pois o corretor “falou” que iria valorizar 30%, pelo menos……………..Acho que iria valorizar é o bolso dele.KKKKKKKK

        0
  • Annibal 1 de novembro de 2011 at 13:37

    165 apartamentos e 78 casas na capital = 243 imoveis residenciais.

    451 imobiliarias…

    Tem imobilaria q entra mês, sai mês, não vende nada…

    0
    • Felipe 1 de novembro de 2011 at 13:46

      o pessoal deve estar matando cachorro a grito

      0
    • Lucas 1 de novembro de 2011 at 14:08

      De todos os relatórios esse do CreciSP é o pior de todos, se não me engano desde maio o pessoal posta ele aqui no blog, e a exatamente 4 meses metade das imobiliárias não vendem nada e eles conseguem sempre falar que houve aumento disso e/ou aumento daquilo, quando o enfoque principal seria que várias imobiliárias não venderam nada no mês.
      Esses caras tem uma imaginação, parecem até malandro cantando menininha donzela.

      0
  • Mel 1 de novembro de 2011 at 13:49

    Como explicar que um prédio entregue há apenas 1 ano e meio já esteja com problemas graves estruturais? De acordo com a reportagem abaixo, ainda se trata de apartamentos que custam 750 mil reais!!

    ht tp ://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2011/11/01/interna_cidadesdf,276472/laudo-ira-avaliar-os-riscos-de-infiltracoes-em-predio-de-aguas-claras.shtml

    Laudo irá avaliar os riscos de infiltrações em prédio de Águas Claras

    Manoela Alcântara
    Publicação: 01/11/2011 07:54 Atualização: 01/11/2011 07:56
    Quem vê de fora o Condomínio Portal das Andorinhas, na Quadra 203 de Águas Claras, acredita se tratar de um prédio novo e com área de lazer ampla e completa. Mas ao passar pelo portão de entrada, os problemas estruturais começam a aparecer. As quadras de esportes estão com as placas de borracha soltas, o jardim teve a iluminação retirada devido ao risco de curto-circuito e o estacionamento subterrâneo tem rachaduras, mofo, infiltrações e tubulação enferrujada. Para piorar, quando chove, os moradores dos 240 apartamentos se desesperam. No último domingo, a tempestade que caiu durante a tarde fez minar água e barro das paredes e do chão das garagens. A Defesa Civil foi chamada e notificou o condomínio. O órgão exigiu um laudo técnico sobre a estrutura no prazo máximo de 10 dias.

    A surpresa é que o bloco com o maior número de avarias foi entregue pela Brookfield Incorporações há apenas um ano e meio e deveria ter uma estrutura nova, sem defeitos. O Bloco D, com apartamentos que chegam a custar R$ 750 mil. Embora a Defesa Civil garanta não haver risco de desabamento iminente, os moradores temem as consequências dos próximos temporais. “Nos orientaram a observar as rachaduras. Caso elas aumentem ou surjam outras em curto espaço de tempo, devemos evacuar todo o prédio. Exigimos uma solução”, disse a síndica do condomínio, Giselle Rocha.

    Das 12h às 16h de domingo, quem tinha o carro parado nos dois subsolos viveu momentos de tensão. As paredes pareciam cachoeiras. Algumas com água limpa, outras somente com barro. Do chão, minava mais água e os ralos entupiram. Para evitar que algo pior acontecesse, a síndica conversou com os moradores e decidiu bloquear 70 vagas dos pisos S1 e S2. “Diariamente, há canos pingando esgoto em cima dos carros. Não sabemos se as paredes vão cair, então, vamos deixar essa parte do estacionamento interditada até a análise dos técnicos”, ressaltou.

    A servidora pública Claudia Brilhante, 43 anos, conta que trabalhou muito para poder comprar o imóvel e ainda tem parcelas a pagar nos próximos 10 anos. A instabilidade quanto ao futuro do bloco gera preocupações. “Como posso descansar sabendo que o subsolo de um prédio de 15 andares pode não suportar sequer o peso dos carros?”, desabafou.

    Especula-se que o asfalto da área possa estar oco. Em um primeiro momento, não foi identificada nenhuma patologia que comprometa a estrutura do prédio. As fissuras podem ser corrigidas com reparos e com manutenção. Somente a partir do laudo, elaborado por engenheiros, saberemos o que causa isso”, ressaltou o agente de Defesa Civil Francisco Barros Cabral.

    Em nota, a Brookfield Incorporações informou ter enviado, no domingo e ontem, uma equipe técnica para avaliar a situação do prédio. Segundo a organização, será contratada também uma consultoria externa, especializada em contenção e impermeabilização, que poderá verificar a origem do problema. A empresa admite que o empreendimento está dentro do prazo de garantia e que, caso seja detectado algum problema de responsabilidade da construtora, a falha será solucionada o mais rapidamente possível.

    41 mil unidades
    Em 2008, as empresas Brascam, a Company e a MB Engenharia se uniram para formar a Brookfield Incorporações. A organização já entregou 41 mil unidades e, atualmente, tem 82 empreendimentos em construção no Brasil. Por ser uma incorporadora, ela participa de todo o processo até que o imóvel seja entregue ao comprador. É a Brookfield que compra os terrenos, constrói e vende as unidades.

    0
    • John 1 de novembro de 2011 at 17:05

      Eu vi essa matéria também. É uma reportagem muito didática para mostrar os riscos de se comprar na planta. Simplesmente não faz sentido o preço dos aps na planta serem parecidos com os preços dos aps usados. Quero ver o que será desses moradores se o prédio precisar ser interditado.

      0
  • Sérgio 1 de novembro de 2011 at 14:27

    Notícia antiguinha (julho/11), mas maneira: h t t p : / / oglobo.globo.com/economia/morarbem/mat/2011/07/01/imovel-na-orla-de-leblon-ipanema-fica-caro-ate-para-ganhador-da-mega-sena-924816658.asp
    .
    .
    Imóvel na orla de Leblon e Ipanema fica caro até para ganhador da Mega-Sena

    RIO – Semana passada, a Mega-Sena pagou mais de R$ 73 milhões a um único apostador. O maior prêmio dado este ano pela loteria da Caixa Econômica compra carros, viagens, festas e apartamentos. Apartamentos? Bem, se o sortudo de Santo André quiser investir no que há de mais luxuoso na área mais nobre do Rio, de frente para o marzão de Ipanema ou Leblon, só compra dois imóveis. Afinal, o metro quadrado mais caro da América Latina, que em alguns casos sai por mais de R$ 60 mil, teve uma unidade vendida há três semanas por R$ 32 milhões. Cenário bem diferente de 2001, quando um imóvel desse tope custava de R$ 6 milhões a R$ 7 milhões, e a maior Mega-Sena então, de R$ 32 milhões, valia cinco apartamentos premium.

    O valor de hoje ultrapassa mansões de astros de Hollywood. A atriz Cameron Diaz vive em Los Angeles num casarão de quatro quartos e mais casa de hóspedes. Comprado há um ano, o imóvel vale US$ 10 milhões (R$ 17 milhões). Já o ator Matthew McConaughey mora com a mulher, a modelo brasileira Camila Alves, e os filhos numa casa de frente para o mar de Malibu, Califórnia. São quatro mil metros quadrados avaliados em R$ 16 milhões. Nem a milionária herdeira Paris Hilton, que fez para sua cadela uma casinha de R$ 525 mil, investiu tanto: sua mansão em Beverly Hills custou R$ 15 milhões.

    Pois os milionários brasileiros que se dispuserem a pagar mais de R$ 30 milhões pelos apartamentos da Vieira Souto e da Delfim Moreira terão, sem dúvida, todo o conforto proporcionado por quatro ou cinco suítes, quartos de vestir, bibliotecas e piscinas. Além de salões de cem metros quadrados, emoldurados por uma bela vista e recheados de obras de arte – em paredes muitas vezes revestidas do mais fino mármore. Mas nada comparado ao espaço dos americanos. Afinal, mesmo as coberturas de Ipanema e Leblon não têm mais de 700 metros quadrados, ao menos originalmente. O que faz, então, esses imóveis custarem tanto?

    – As dimensões, a qualidade dos acabamentos e o bom gosto na decoração – explica Marlei Feliciano, presidente da imobiliária Ética.

    Já Vicente Coelho, diretor da Pronto Imóveis, reafirma que a localização é fundamental.

    – É, sem dúvida, a questão mais importante. Mas claro que a vista também conta muito. Assim como o estado do imóvel e os espaços bem planejados, alguns deles por renomados arquitetos.

    Fontes do mercado dizem que há pelo menos outros dois imóveis à venda em Ipanema por R$ 35 milhões e R$ 38 milhões. Um deles ficaria no edifício JK, que abrigou o presidente Juscelino Kubitschek, antes da criação de Brasília, e Caetano Veloso com a ex-mulher Paula Lavigne. De negócio concreto fechado ultimamente, sabe-se de um. Há três semanas, um apartamento de cerca de 600 metros quadrados no edifício Juan les Pins, no Leblon, foi negociado a R$ 32 milhões. O prédio é, ao lado do Cap Ferrat, em Ipanema, um dos mais caros do Rio. Somente o condomínio varia dos R$ 12 mil aos R$ 14 mil, grande parte em função de modernos aparatos de segurança.

    Mas não são apenas os endereços tradicionais que sofreram esta mega-valorização. O novo prédio da Delfim Moreira, o Exclusivité, mal acaba de ser construído e já teve três, de seus cinco apartamentos, revendidos: e há quem tenha feito propostas de R$ 50 mil o metro quadrado ali – o que significa um valor total de R$ 22 milhões.

    Para Marlei Feliciano, preços tão altos, mesmo em imóveis de alto luxo, são ruins para o mercado carioca pois acabam dificultando o fechamento de outros negócios:

    – O volume de negócios já caiu 40% de outubro para cá, quando os preços da Zona Sul atingiram seu teto. Agora, eles estão na fase final de ajuste e preços tão altos assim acabam sendo nocivos.

    0
  • Sérgio 1 de novembro de 2011 at 14:34

    Esta é IRRESTÍVEL: (é para o pessoal do secovi que acessa mais nossa página do que gostariam)
    .
    .
    Simpatia para vender ou alugar um imóvel

    Esta simpatia deve ser realizada por quem está querendo vender ou alugar um imóvel de sua propriedade mas está tendo dificuldades para isso.

    Em uma panela, junte 2 litros de água, 1 colher (sopa) de amoníaco, 1 colher (sopa) de pó de café, 1 colher (sopa) de arnica, 1 noz-moscada, 1 pedra de cânfora e 1 pedra de carvão.

    Ferva tudo por 3 minutos e jogue na frente do terreno do imóvel ou passe no rodapé da casa. Queime o pano com querosene e álcool e jogue suas cinzas em um ralo.
    .
    .
    Dispon´vel em: h t t p : / / magiadobem.blogspot.com/2009/01/simpatia-para-vender-ou-alugar-um-imvel.html

    0
  • Sérgio 1 de novembro de 2011 at 14:38

    O secovi amanhã vai anunciar que vendeu todos os imóveis que tem, mais os que serão construídos nos próximos cinco anos.
    .
    Ritual de Ossaim para a venda rápida de um imóvel

    Ossaim é um orixá masculino que habita na floresta. Sua ligação principal é com as plantas e os vegetais de modo geral, principalmente às destinadas à medicação.
    Você pode fazer esta magia para algo que deseja vender rapidamente, na resolução de negócios, compra e venda de artigos, carros etc.
    Porém não surte efeito se a causa for relacionada à questões de herança ou processos jurídicos que estão pendentes a muito tempo.
    Miticamente, temos um paralelo entre as histórias sobre duendes e gnomos dos povos nórdicos com Ossaim: são zeladores da natureza. Em troca do respeito a eles destinado, trazem boa sorte para seus simpatizantes.
    Este agrado ao deus fará com que você obtenha resultados financeiros rápidos e satisfatórios.
    Para esta magia você vai precisar de:
    • 1 prato fundo branco;
    • 16 moedas correntes;
    • 100 gramas de fumo de corda;
    • Mel puro;
    • 1 vela de 7 dias branca;
    Coloque em um prato, o fumo e regue com mel. Depois, coloque as moedas de face para baixo, uma ao lado da outra.
    Deposite o prato debaixo da copa de uma árvore frondosa. Acenda uma vela branca de sete dias. Ajoelhe-se e faça seu pedido. Esteja com as mãos limpas e ore. Depois de terminado, não dê as costas. Saia com a cabeça baixa, olhando para a oferenda.
    Após uns dez passos, vire e não retorne mais ao local.
    .
    .
    É tiro e queda… he he he

    0
    • danilo 1 de novembro de 2011 at 15:22

      Putz Sérgio, essa foi dose.
      Eu sou do Axé, mas essa aí ninguém aguenta.
      Se fosse para Exú eu até entenderia. kkkkk

      0
  • Sérgio 1 de novembro de 2011 at 14:42

    Tem até magia americana, que me pareceu bem mais lógica (he he he).
    .
    A Spell Of Attraction To Sell A House
    .
    As with any magical working, the first step is to do the mundane work:

    List the house with a good agent, clean it from top to bottom, put a sign out

    front and an ad in the paper, and tell everyone you know that you’re selling it.

    Assuming that’s done, begin your ritual by obtaining a green candle.

    Green was a traditional color for prosperity spells long before they decided to make US

    currency that color: It symbolizes a green and fruitful harvest.

    Now, go outside your house to some spot where you can see the house but not be

    disturbed (ie standing in the middle of the road is not r allmended). It’s best to do

    this at a time when the street is relatively quiet.

    If possible, face the house from the same side that a prospective buyer would when

    seeing it for the first time. Sit or stand allfortably, holding the candle.

    Close your eyes, relax and take a few minutes to begin breathing regularly

    and establish your concentration. (If you’ve ever done regular meditation or prayer,

    establish that same frame of mind.)

    Now visualize the house through a stranger’s eyes. In your mind, envision brilliant

    sunlight, whether it’s there in real life or not. Mentally walk from the driveway to the

    front door (or whatever entrance is closest), then into the house.

    As you do this, envision the house as the most beautiful it can be. If the paint is

    clean and white, envision it positively gleaming. If there are plants in the yard,

    envision them not just thriving, but seeming to beckon the passer-by, reaching their

    little green selves up into that same brilliant light.

    In your mind’s eye, walk through the entire house with the eyes of a stranger,

    dwelling on every good point it has. Do not let thoughts of its flaws disrupt your c

    oncentration (this is the tough part). That same brilliant sunlight pours through every

    window and door. See it fill up each room as you enter.

    When you have been through the entire house, go back the way you came. Envision

    the light from each room pouring into your mind, through your body, and out through

    your hands into the candle. Like a battery, the candle will absorb this light energy.

    Take a few moments in each room to let this happen. (There’s a lot of light; it won’t

    diminish in the room when it pours into you.)

    Now mentally go out through the same door and stand in the driveway, seeing the house

    covered with brilliant light. Again, feel the light that surrounds the house pour into you,

    and from you into the candle.

    When you’re done, continue to sit or stand for a few moments with your eyes shut,

    and let any excess energy that remains in your body flow naturally into the ground.

    Then open your eyes.

    Light the candle at an appropriate time – the night before a showing might be good.

    A Witch would probably wait for the full moon (a time of bounty) or the first quarter moon

    (a time for new beginnings). An astrological magician might do so on a Monday

    (the day of the moon) or a Thursday (the day of Jupiter, the Bestower).

    As you light the candle, intone the words of the spell:

    “Fill my home with energy, that it may bring me prosperity.

    Light and beauty fill my home, That its new owners soon may.”

    Let the candle burn all the way down. (I hope you didn’t get one of those 15-hour ones!)

    What this visualization does is to fill the house with positive energy.

    Buyers respond to this energy whether they’re aware of it or not.

    By dwelling on all your home’s good points, you’ve filled those places

    in the house with special energy so they won’t be overlooked.

    Also: Before each showing, subtly scent the house with cinnamon – incense, potpourri,

    maybe one of those lamp rings. Besides being a prosperity herb, cinnamon’s aroma makes

    people think of home cooking, which will make them want to settle down there.
    .
    .
    João Bostana (secovi/sp), sei que vc é um energúmeno que não tem qualquer formação acadêmica, por isso, sugiro que copie esta postagem e cole no tradutor do google.
    Essa é a melhor magia de todas.

    0
  • Paulo - RJ 1 de novembro de 2011 at 14:52

    Estive dando uma olhada no fórum do Pai Rico. Incrível como tem pessoas que compraram imóvel na planta para investir, estão querendo vender e não tem ideia nenhuma do que fez (alguns não sabiam o que é ITBI).

    0
  • Dr. Estranho 1 de novembro de 2011 at 15:01

    htt p://oglobo.globo.com/economia/mat/2011/11/01/venda-de-materiais-de-construcao-crescera-menos-em-2011-925716803.asp

    Separando importante:

    -“A entidade iniciou o ano com previsão de alta de 9 por cento para as vendas do setor, diminuindo a meta para 7 por cento, e depois para 5 por cento.”
    – “A indústria manteve o otimismo quanto a investimentos em expansão, se preparando para uma demanda que não veio”

    0
  • Andre Luiz 1 de novembro de 2011 at 16:22

    Olha aí, o Governo da Inflação…

    w w w .valor.com.br/politica/1079052/projeto-do-senador-linbergh-farias-amplia-competencia-do-bc

    Projeto do senador Linbergh Farias amplia competência do BC
    Por Raquel Ulhôa | Valor

    BRASÍLIA – A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal aprovou hoje, por unanimidade, projeto de lei que inclui entre as competências do Banco Central perseguir o crescimento econômico e a geração de empregos. Atualmente, a tarefa do BC é “assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda e um sistema financeiro sólido e eficiente”.

    De autoria do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), a proposta altera o artigo 9º da lei 4.595, de 1964, segundo a qual compete ao BC “cumprir e fazer cumprir as disposições que lhe são atribuídas pela legislação em vigor e as normas expedidas pelo Conselho Monetário Nacional”.

    Pelo projeto — que agora vai ao plenário do Senado — o artigo 9º passaria a dizer que “compete ao Banco Central do Brasil perseguir a estabilidade do poder de compra da moeda, garantir que o sistema financeiro seja sólido e eficiente, estimular o crescimento econômico e a geração de empregos e bem como cumprir e fazer cumprir as disposições que lhe são atribuídas pela legislação em vigor e as normas expedidas pelo Conselho Monetário Nacional”.

    Lindbergh afirma que sua proposta está de acordo com o discurso da presidente Dilma Rousseff. “A presidenta tem dito que o objetivo da política econômica do seu governo é perseguir a estabilidade monetária e combater a inflação, mas conjugar isso com crescimento econômico. Nós estamos colocando isso de forma clara.”

    Segundo o petista, o projeto é compatível com o que está sendo feito pelo BC. “Se o BC olhasse só a inflação, talvez não tivesse baixado a taxa de juros como está baixando. Está baixando porque está vendo que a economia está desacelerando demais e quer compatibilizar a luta para controlar a inflação com o crescimento econômico. Na prática, a política do BC, sob a presidência de Alexandre Tombini, já está de acordo com o que estamos propondo. Mas a ideia é colocar isso, de forma clara, entre suas missões”, afirmou.

    Em defesa do seu projeto, Lindbergh citou a relação entre a “esfera monetária-financeira” e a “economia real” presente na legislação relativa a bancos centrais de outros países, como o Federal Reserve Bank, dos Estados Unidos. Uma das missões do banco, segundo a legislação citada pelo senador, é atuar para influenciar “as condições monetárias e de crédito na economia em busca do emprego máximo, preços estáveis e taxas de juros de longo-termo moderadas”.

    O petista também deu o exemplo do Banco Central da Austrália, que tem como missão contribuir para “a estabilidade da moeda, a manutenção do pleno emprego, a prosperidade econômica e o bem-estar do povo da Austrália”.

    (Raquel Ulhôa/Valor)

    0
    • Dan 1 de novembro de 2011 at 16:50

      Estrada para a perdição… É bom que se saliente que, independentemente da legislação, esse é o caminho a ser trilhado pelo governo. Garantir a prosperidade instantânea em detrimento da estabilidade futura.

      É como ir a uma pizzaria, comer até saltarem os olhos das órbitas, e colocar na conta do seu neto.

      Não vislumbro um futuro brilhante para o Brasil.

      0
    • Carlos Wagner 1 de novembro de 2011 at 19:33

      Hoje, eu estava pasando os canais e acabei parando no canal que mostrava a reuniao da CAE (Comissão de Assuntos Economicos) justamente por ver que o Senador Lindbergh estava falando e queria ver se ele falaria algo sobre o prejeto de lei que reajusta nossos vencimentos.

      Acabei me deparando com a votação sobre esse projeto estupido que amplia os poderes do BC em nome da estabilidade da moeda, controle financeiro e garantia na criação de empregos.

      Outros senadores que pediram a palavra elogiaram e disseram que se tratava de um projeto inovador, inteligente, que só trará mais segurança ao sistema monetario nacional e todos parabenizaram o Sen. Lindão.

      Confesso que fiquei estarrecido com a falta de conhecimento e incompetencia geral de quem nos governa e por nós toma as decisões.

      Tudo isso é lamentavel. Com essa votação eles conseguiram garantir que o Brasil afunde ainda mais rapido.

      0
    • Carlos Eduardo 2 de novembro de 2011 at 00:35

      Pô, tudo isso é função do banco central ???

      corta o resto dos politicos e deixa só o BC ná parada!

      para quê tanto incopetente lá ?

      temos tantos ministérios e o BC tem que controlar inflação e crescimento!! parece até piada!

      0
  • Carcará 1 de novembro de 2011 at 16:36

    Notícias do mercado imobiliário baiano:

    Notícias terça-feira, 1 novembro, 2011 – 11:15
    Mercado baiano acumula maior estoque da história
    Por Pacheco Maia

    O mercado imobiliário baiano acumula o maior estoque de unidades de sua história. São 18 mil novos imóveis prontos e em construção à espera de compradores. A sobra nunca foi tão grande.

    “Canja de galinha e cautela não fazem mal a ninguém”, já dizia o velho provérbio. A Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário da Bahia (Ademi-BA) tem recomendado prudência aos associados na hora de lançar novos empreendimentos.

    Nas reservadas reuniões do setor, a orientação, como se diz no popular, é “só ir na boa”. Para não aumentar o encalhe diante da escassez de compradores, os novos lançamentos devem ser muito bem planejados, com acurados estudos de demanda.

    Num mercado que sempre demonstrou disciplina para equilibrar oferta e demanda, o estoque elevado surpreende. A euforia do comprador com o maior acesso ao crédito agora arrefece diante do aumento de preços dos imóveis decorrente da inflação de custos e da baixa produtividade do setor.

    Mas o problema não é exclusivo da Bahia. Outros estados também sofrem a retração nas vendas e o crescimento do estoque de imóveis novos, a exemplo de São Paulo.

    A questão agora é saber se a tradicional lei de mercado vai prevalecer, causando a queda dos preços dos imóveis diante de uma maior oferta que demanda. Quem se habilita a responder?

    http://noticias.bahianoticias.com.br/conteudo/imoveis/noticias/mercado-baiano-acumula-maior-estoque-da-historia

    0
    • Ricardo 1 de novembro de 2011 at 20:54

      Ótima reportagem.

      Aumento da Oferta e queda na demanda = baixa nos preços e Ploc……..

      0
  • leonardo 1 de novembro de 2011 at 16:48

    Bolha põe de manchete aí…

    http://www.zap.com.br/revista/imoveis/dicas-e-materias/preco-do-m-cai-em-alguns-bairros-de-sao-paulo-rio-e-porto-alegre-20111101?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=news_Imoveis_2011.11.01_Confira_as_regioes_que_registraram_queda_no_valor_do_m%C3%83%C2%82%C3%82%C2%B2

    Preço do m² cai em alguns bairros de São Paulo, Rio e Porto Alegre

    O valor médio do metro quadrado de imóveis novos ficou mais barato em um alguns bairros de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre pela primeira vez desde 2009, quando a Ibope Inteligência iniciou a pesquisa sobre a evolução de preços no mercado imobiliário dessas capitais.

    Nesse quadro a exceção foi Recife, que atualmente conta com os benefícios da construção do polo industrial de Suape. No entanto, segundo Antônio Carlos Ruótolo, diretor de geonegócios do Ibope Inteligência, mesmo com o surgimento de variações negativas em alguns pontos dessas capitais não há sinais de acomodação dos preços, visto que na média geral dos quatro municípios as altas ainda são expressivas.

    Ruótolo chama a atenção ainda para a discrepância de variação entre novos e usados. “Os imóveis usados tem valorizado em um ritmo mais acelerado que os novos. Essa oscilação atípica, no entanto, pode ter várias explicações, como o número insuficiente de lançamentos”, explica.

    Em reais, a média do preço do metro quadrado para imóveis residenciais novos em São Paulo está em R$ 6.019 (com a mínima atingindo R$ 2.071 e a máxima R$ 15.026). Para os usados essa média ficou em R$ 4.979, conforme a pesquisa. No caso do Rio de Janeiro, os indicares ficaram em R$ 6.000 e R$ 5.106. No segmento de novos, na capital carioca os valores oscilaram entre R$ 1.075 na mínima e R$ 22.639 na máxima.

    Em Porto Alegre, o preço médio para imóveis novos ficou em R$ 4.501 o metro quadrado, com os usados chegando a R$ 2.922. Na capital de Pernambuco, esses valores ficaram em R$ 4.074 e R$ 3.305 o metro quadrado, respectivamente.

    0
  • MrK 1 de novembro de 2011 at 17:02

    2 Noticias seguidas:

    Vendas de automóveis e comerciais leves caem em outubro
    Varejo de material de construção registra queda de 7% em outubro

    É gente, agora que o deram uma seguradinha no crédito ferrou, e ja pararam pra pensar como vai ser janeiro, depois do 13o, a saída dos temporários e com o aumento do pagamento minimo da fatura do cartão pra 20%???? Tá tendendo a ser feio

    Gostaria de aproveitar e comentar 2 outras coisas

    1- Alguem comentou de que com crise internacional os imoveis podem vender mais como proteção, olha, onde ja se viu buscar proteção em ativo em bolha?!?! muito pelo contrário, é dos imoveis que deveriam FUGIR, é a mesma coisa que procurar proteções em ações americanas no pico de 1929!!!

    2- Excelente o lance da EVEN, estamos vendo casos sensatos de quem comprou na planta pra especular se dando mal, muito mal, porque 25% de um apartamento não é pouca coisa não…

    0
  • MrK 1 de novembro de 2011 at 17:10

    O CUSTO DA IGNORANCIA

    Tem um dos Aps. que acompanho que está a venda há 1 ano, comecou pedindo R$900 e mesmo sem vender por meses, hoje pede R$950mil, isso no Rio.

    Se o camarada tivesse baixado lá atrás pra, digamos R$850mil, poderia ter vendido e com o dinheiro num fundo DI, hoje teria próximo de R$950mil, ou seja, teria nas mãos o que ele quer!!! mas quis ser ambiociso demais, hoje não vende, está encalhadaço , pagando condominio e IPTU.. vai acabar baixando o preço

    O Custo do dinheiro no tempo é relevante demais no Brasil, mas esses super “investidores” parecem não saber disso…

    0
  • Yoda 1 de novembro de 2011 at 17:19

    Duas observações.

    Duas semanas atrás a Mitsubshi de Brasília mandou uma propaganda de uma Triton com taxa 0 por R$124.000,00. Uma semana depois, o mesmo anúncio por R$104.000 com taxa zero. O preço baixou 20 paus e os caras devem estar tendo lucro. Sinal de crise?

    Ontem me ligaram do Banco do Brasil oferecendo crédito imobiliário. Sinal do governo mantendo uma bolha inflada?

    0
  • Arrependido 1 de novembro de 2011 at 18:42

    Aqui no RIO só aumenta!!!!! E as pessoas tao comprando a vista sim!!!!!!! Eu fui ouvir vcs e me f…

    0
    • MrK 1 de novembro de 2011 at 18:58

      primeiro que no Rio ja parou de subir… segundo que ninguem ta comprando a vista, pode ter um maluco ou outro, mas em geral ninguem… nao entendi seu comentárui

      agora, ta arrependido e prefere ouvir os corretores? vai e compra então, segundo os corretores valoriza ate 2016…

      0
      • Luiz 1 de novembro de 2011 at 19:02

        informação anti-troll

        Brasileiro financia 71% do valor da casa própria

        htt p://www.zap.com.br/revista/imoveis/financiamento/brasileiro-financia-71-do-valor-da-casa-propria-20100915/

        alguns anos era 40% agora é 71%,
        Todo mundo pagando fiado,
        Só o trol que não vê

        0
      • Jack Imóveis 1 de novembro de 2011 at 19:22

        Agora sim!

        troll bom é troll insistente!!!

        Quanto será que estamos rendendo para as agências que cuidam de redes sociais?

        Jack – Feliz com o troll

        0
    • Paty 1 de novembro de 2011 at 19:00

      OI ARREPENDIDO não perca mais o seu tempo aqui no blog vá e compre as ultimas unidades ainda da tempo com tanta procura e com tantos milionarios no Brasil daqui a pouco vc vai ficar sem ..kkkkk
      Com tanta gente com visao de investimento no Brasil vc foi acreditar logo nesse blog corra LOLA, financie em 30 anos com parcelas super em conta porque o que é ter uma divida que compromete 40 porcento do seu salario durante 30 anos né, as empresas no Brasil são tão solidas e vc podera contar sempre com o seu salario e depois quando se aposentar recebera um salario otimo que compensara o seu unico investimento em uma vida.. vá em frente

      0
      • Luiz 1 de novembro de 2011 at 19:09

        oi Paty, como esta aí nos EUA?
        tbm pensei nisso, tanto jornal, tanto epsecialista falando pra comprar e ele veio jsutamente confiar num blog qualquer sem nome nem documento.

        0
        • Paty 1 de novembro de 2011 at 19:20

          Oi amigo Luiz estou bem, curtindo minha vidinha nova em casa ainda não arrumei emprego e nem escola para a minha guria, mais as coisas estão se encaminhando bem.

          0
    • Thiago Ferreira 2 de novembro de 2011 at 00:06

      Rs rs comprando apartamento de 2 milhões a vista rs rs ,
      olha acho que só o Palocci consegue comprar um apto de 2 k a vista rs rs
      afinal ele é um genio dos negócios multiplicou sua fortuna por 20 em 4 anos rs rs , ele deveria dar palestras ensinando como multiplicar sem dinheiro rs rs

      0
  • BOLHABRAZIL 1 de novembro de 2011 at 18:43

    Sinais de uma bolha que ouvi hj pela manhã no consultório médico: ” vou comprar logo qualquer coisa (imóvel), pq hj em dia não existe investimento melhor”
    Me pareceu alta da Bolsa one depois de subir 100% no ano, o cara tira o $ da renda fixa e põe na bolsa pq tem sido o melhor investimento. ou seja compra na alta depois cai 30% bate o desespero e vende a qualquer preço e jura nunca mais “mexer com esse négócio” de Bolsa de Valores.
    Exemplo real de queda dos preços aqui no RJ: apto 4 quartos 150 mts no cidade jardim (bairro Curicica que insistem em chamar de Barra) era 750 mil e no Globo de domingo tem 3 anunciados: 645; 650;650 mil…..lógico que tem tb anuncio por 750 daqueles que não abaixam o preço e ficam pagando juros pra construtora carvalho hosken, depois quando não aguenta mais vende no ralo……
    isso ainda vai dar M*

    0
  • Arrependido 1 de novembro de 2011 at 19:22

    PATY, EU TENHO DINHEIRO PRA COMPRAR A VISTA. MORO NA GAVEA EM UM AP PROPRIO DE 120M E PRECISO IR PARA UM MAIOR, MAS NAO QUERO VENDER ESSE AQUI. ACONTECE QUE EU TO ESPERANDO O PRECO CAIR E ELE SO AUMENTA, SEMANA VARIOS APS OFERECIDOS PRA MIM JA FORAM VENDIDO A VISTA… AGORA UM AP DE 200 M NA GAVEA CUSTA DE 2.5K ATE 3K… O QUE EU FACO?

    0
    • Anonymous 1 de novembro de 2011 at 19:34

      Arrependido,

      Observe que aumenta, mas NÃO vende. Use a estratégia do Urubu quando pousa ao lado de bezerro doente – basta esperar.

      0
    • Carlos Wagner 1 de novembro de 2011 at 19:47

      Arrependido

      Voce ta de bricandeira com a gente?

      Um cara que mora na gavea e tem dinheiro pra comprar algo maior que 120m a vista não sabe o que faz com o dinheiro? Não entendi bem. Uma pessoa com esse perfil, acredito eu que deva ter de 600k a 1 milhao na mao, bom emprego, bom nivel cultural etc…

      Mas pelos seus comentarios, vc parece ser o oposto disso. Pedir conselhos do que deve fazer com seu dinheiro quando o obvio da situação nós presenciamos todos os dias nas ruas, comercios, conversas com colegas de trabalho etc…

      Eu acho que voce deve comprar seu apartamento maior e se a grana não der, financie o resto e seja feliz. Pois, apesar de tudo eu acho que os apartamentos vão subir ainda mais e por um longo periodo de tempo. E pra completar, com o aluguel do que vc ja tem, vc paga o financiamento.

      Obvio, nem precisava pedir conselhos aqui….kkkkk

      0
    • Paty 1 de novembro de 2011 at 20:09

      Compra amanha querido…kkkk

      0
    • lopes51 1 de novembro de 2011 at 20:21

      Caro Arrependido, aqui é um lugar para se discutir o q acreditamos como tendencia, portanto podemos estar certos ou errados, quando o preço para de subir se estoura todos tem os seus chutes, mais ninguem sabe quando isso vai acontecer se vai acontecer, pois pelo o q vc fala 2,5 milhões é dinheiro de pinga, infelizmente eu sou pobre, e não tenho mais como participar do mercado imobiliario como a alguns anos atras, tenho imoveis ok e eles se valorizaram muito, e sinceramente acho que o mercado não esta saudavel, mais vc mesmo tem que tirar as suas conclusões e fazer o q acha correto e não vir aqui falar que deixou de fazer por causa dos outros, pois se esta com vontade de fazer vai lá cria coragem, faz, o dinheiro é seu e vc sabe o quantpo é dificil pra ganhar, não tem que escutar conselho nem opinião de ninguem.

      Pelo o q vc tem guardado acho que vc poderia nos mostrar o caminho das pedras pra ganhar mais e conseguir sucesso no mercado, pela sua situação acredito que é vc que tem a nos ensinar e não o contrario afinal de contas vc é bem sucedido e eu não, pois o meu emprego que achava bacana hoje paga salario de pedreiro, mestre de obra e etc…..

      A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR?

      Quem compra nesses preços?

      Todo mundo virou jogador de futebol, pagodeiro, ator de novela, dupla sertaneja, traficante,
      politico, chefe do pcc, chefe do comando vermelho, tem pai e mãe milionario e etc………
      Em caso positivo eu to lascado mesmo e virei miseravel.

      Faça as suas escolhas pelo o q acredita e não coloque a culpa nos outros pelas suas escolhas.

      0
    • Ricardo 1 de novembro de 2011 at 21:03

      Compra, compra, compra………………

      “estão falando que se você não comprar, outro vai comprar”. Tem 10 na fila.
      Ah, e não se esqueça da valorização de 30% no ano.
      Ah, o metro quadrado do Brasil tá barato em relação a Mônaco.
      Ah, tem a COPA e Olímpiadas (põe mais 30% de valorização).
      Ah, tem déficit de habitação.
      Ah, a classe média tá crescendo.
      Ah, o Brasil tá em pleno desenvolvimento e não há chance de crise.

      Por fim, como procurador do Sr. Corretor da Silva, digo para o Sr. Arrependido comprar imediatamente. A bolha não existe e é coisa dos pessimista.

      TÁ DE BRINCADEIRA………..

      0
    • LUIZDVD 2 de novembro de 2011 at 00:03

      PREZADO SR. ARREPENDIDO,

      SE O SR. NÃO SABE O QUE FAZER COM O DINHEIRO QUE POSSUI, ENTREGUE PARA MIM, EU SEI O QUE FAZER. SE O SR. TIVER 1 MILHÃO, DEIXE COMIGO E RAPIDAMENTE EU DOBRAREI O SEU DINHEIRO E O COLOCAREI NO MEU BOLSO.

      A OUTRA OPÇÃO, COMO O SR. CRÊ QUE OS IMÓVEIS SEMPRE VALORIZAM, É ENTREGAR SEU DINHEIRO A UMA IMOBILIÁRIA E COMPRAR O IMÓVEL DA SUA VIDA. AÍ, NÃO SEREI EU QUE DOBRAREI O SEU DINHEIRO E COLOCAREI NO BOLSO, MAS ELES.

      FALANDO SÉRIO, QUEM TEM 1 MILHÃO EM CAIXA NÃO PEDE CONSELHO, FAZ ACONTECER.

      SE TEM 1 MILHÃO E FICA PEDINDO CONSELHO, NÃO ESTUDA SOZINHO, DESCONHECE OS DETALHES DO MERCADO, MERECE PERDER TODO O DINHEIRO.

      FELICIDADES.

      0
      • Luiz 2 de novembro de 2011 at 14:03

        Prezado Sr. arrependido
        Não dá rpa copmprar na Gavea onde os rpeços subiram, compra em Ipanema ou Leblon.
        Lá os preços estão caindo

        Luiz – o Maria Antonieta
        ps: qualquer milionario vai entender minha referencia à francesa

        0
  • Anonymous 1 de novembro de 2011 at 19:29

    Agora o link das “oportunidades” da Camargo Correa agora vai para Camargo Correa Desenvolvimento Imobiliario

    www . ccdi . com . br

    O empreendimento “Jardim Sul Ribeirão Preto” PRONTO PARA MORAR está listado como 100% vendido.

    Entretanto, nessa imobiliária voce encontra 3 casas à venda:

    www . ibiubi . com . br

    Rua Heradito Fontoura Sobral Pinto, Área útil: 253 m2, $ 850 mil Reais

    Avenida A, Área útil: 222 m2, $ 850 mil Reais

    Rua Heradito Fontoura Sobral Pinto, Área útil: 315 m2, $ 850 mil Reais

    E nessa outra imobiliária, voce encontra outras 2 casas à venda.

    www . imobox . com . br

    Referencia 97-19485, Área útil: 189 m2, $ 660 mil Reais

    Referencia 96-19323, Área útil: 252 m2, $ 850 mil Reais

    Será que é gente que comprou para morar ou para “investir”? Oh, dúvida cruel.

    0
    • Ader 2 de novembro de 2011 at 08:52

      Não seria Heráclito, o maior advogado que o Brasil já teve, nascemos na mesma cidade, meu conterrâneo das Minas…

      0
    • Ader 2 de novembro de 2011 at 08:54

      Heráclito Fontoura Sobral Pinto

      0
  • danilo 1 de novembro de 2011 at 19:47

    Compra ARREPENDIDO. Compra agora. 2 milhoes em um ap na gávea é sinal que a bolha já explodiu…tá de graça.

    0
  • Gaucho 1 de novembro de 2011 at 20:15

    Dae Galera, estou querendo comprar mau ap a vista, estou esperando o momento… hoje liguei para um corretor para ir olhar um AP de 1 quarto, 2 vagas novo já pronto, 180k… tipicamente de um investidor, que estava a venda a mais de 5 meses. Adivinha já tinham vendido..Porem tiveraram que fazer uma promoção e baixar 20k para vender. Se eu soubesse da promoção tinha comprado tbm… hehe já estão liquidando… uhuhuhu

    0
    • Anonymous 2 de novembro de 2011 at 05:01

      Gaucho,

      20% ainda é pouco, pois a queda deve superar 40%. Antes disso, use a estratégia do Urubu – apenas espere pousado ao lado do bezerro doente.

      0
    • Mr. R 2 de novembro de 2011 at 10:39

      Isso mesmo. Tem muito bezerro agonizando por aí. Daqui a pouco vai virar epidemia…

      Geralmente esses preços são artificiais. Eu tenho acompanhado um aqui onde moro. O prédio recém-entregue tem aproximadamente 25 unidades à venda com ágio e mais algumas que a construtora guardou pra vender após o final da obra (sei disso pois liguei para o corretor da construtora).

      Eu observava há uns 3 meses e os preços não subiam e não vendiam. De repente, chegou um novo anúncio com preço 15k maior que os demais. Em menos de uma semana, todos os preços subiram os 15k. Um mês depois, chegou outro 12k mais alto. Advinha o que aconteceu?? Isso mesmo, subiram os preços, mas ainda estão lá para venda… Conjecturo que esses anúncios mais altos sejam feitos pela construtora pra alavancar os preços, e imagino que isso não seja fenômeno isolado desse empreendimento.

      0
      • duartejc 8 de novembro de 2011 at 18:42

        Engraçado essa questão dos preços sendo “puxados” pelo primeiro que aumenta. Ontem a dona do AP que alugo me avisou que irá vender, perguntou se eu não tinha interesse. Falei que não tinha, mas gostaria de saber o preço. Ela também não sabia por quanto queria vender, mas veria com a zeladora por quanto estão vendendo outras unidades. Só para constar, moro em Cuiabá – MT, em um prédio de uns 30 anos, vários blocos de 4 andares, o famoso pombal. O preço que ela chegou ficou em 150k. Há uns 5 anos o mesmo apartamento era adquirido por 30k.

        0
  • BOLHABRAZIL 1 de novembro de 2011 at 20:16

    CIDADE JARDIM – RJ 4qtos 150mts. Antes 750mil agora 645mil. caiu 14%!
    Desses 645, 45 é comissão de corretor, onde 15 é para a margem do “choro” e 30 (5%) é a comissão. O dono leva 600 (tá arriscado a chegar com 550 ca$h e levar). Tem que ser muito burro pra deixar um aproveitador que se entitulam “consultor imobiliario” kkkkkk…. levar uma parte dessas do seu patrimônio. Basta fazer como eles: anuncio no Globo R$ 90,00 e esperar o telefone tocar.
    resumindo: Bols aquando entra em crise e despenca 40% no ano começa caindo 1%…..se já tão tirando 14% de cara a coisa tá feia. só de condominio são 1.200/mes + 300 iptu/mes. se fez besteira de financiar tá morto!

    0
  • Felipe 1 de novembro de 2011 at 20:26

    To com tanta pena desse cara que estou pensando em fazer uma vaquinha dos colegas do site para ajudá-lo a comprar o imóvel.

    0
  • Fernando 1 de novembro de 2011 at 20:52

    Pessoal

    Qual parte da frase “Não alimente os Trolls” os Srs não entenderam?

    0
  • Sérgio 1 de novembro de 2011 at 22:12

    Pô… eu nos states, com o remuneração que tenho, teria tranquilamente uma casa de 200 m2, com terreno de 600 m2 (lá é tudo em acre), mais um Camaro 2011 na garagem ao lado de um Honda civic 2011 (por exemplo). A Casa em Cape Coral SW, Florida, por U$52,000.00; os carros U$29,000 (Camaro) e U$20,000 (Civic).
    R$181.000,00 (cento e oitenta e um mil reais) por tudo!!!!!!!
    .
    Para quem acha que é piada: h t t p : / / w w w .ebay.com/sch/Residential-/12605/i.html?State%252FProvince=Florida&_dmpt=Residential
    e os carros (CARROS) h t t p : / / w w w.motors.ebay.com/?_rdc=2
    .
    .
    Da até uma tristeza em estar aqui no país da banana, com salário de classe média americana (U$60,000/ano), sou mendigo institucionalizado, pois, não compro nada!!!!!
    .
    .
    O bolha…. vem ni mim…. vem ni mim……

    0
    • Thiago Ferreira 1 de novembro de 2011 at 23:58

      Sérgio vendo os preços e a qualidade dos imoveis nos eua que vc mandou rs , me deixa mais triste ainda pois somos muito pobres .
      E tem gente que ainda se sente o rei pagando 500 mil reais nestas porcarias de apto que nem piso tem rs rs
      Realmente os preços estão fora da realidade no país , um apto da MRV com péssimo acabamento e minusculo custar 150 , 180 mil reais é o cumulo.
      Assim como nos EUA uma hora os preços vão ter que voltar a realidade , pois no ritmo que estão subindo daqui a pouco qualquer apto minusculo vai custar 300 mil reais e o salário não acompanha esse ritmo de valorização de 25 , 30 % ao ano , enquanto os salários tem aumento real descontada a inflação de no maximo 5 %

      0
  • Arrependido 1 de novembro de 2011 at 23:28

    Bolhistas que eu respeito,

    Eu não sou troll. Desculpe se eu fui um pouco grosso, mas a situação é grave aqui no Rio. Se uu falar a minha profissão vc vão achar que estou mentindo , então prefiro ficar quieto. Acontece que se eu tivesse comprado meu ap um ano atrás eu estaria maus tranquilo. Nao o fiz e agro me auto intitulo “arrependido”. Meu ap na Gavea vale( pelo menos minha vizinha vendeu a um mes atrás) 1.4 k. Eu paguei 350K em 2001… só que esse ap eu não quero vender, quero deixar pro meu filho. Eu tenho grana, fruto de muito suor, que minha profissao diferenciada, mas nem por isso melhor ou superior as outras, me trouxe. Sou economico e responsavel. E nao quero ofender ninguem, peco opiniao pois aqui no Rio ninguém sabe o que vai acontecer. Como disseram antes, aqui é uma cidade diferenciada. Apesar das UPPS serem uma farsa e eu tb achar que tá todo mundo louco com o mercado imob.

    0
    • LUIZDVD 2 de novembro de 2011 at 00:04

      PREZADO SR. ARREPENDIDO,

      SE O SR. NÃO SABE O QUE FAZER COM O DINHEIRO QUE POSSUI, ENTREGUE PARA MIM, EU SEI O QUE FAZER. SE O SR. TIVER 1 MILHÃO, DEIXE COMIGO E RAPIDAMENTE EU DOBRAREI O SEU DINHEIRO E O COLOCAREI NO MEU BOLSO.

      A OUTRA OPÇÃO, COMO O SR. CRÊ QUE OS IMÓVEIS SEMPRE VALORIZAM, É ENTREGAR SEU DINHEIRO A UMA IMOBILIÁRIA E COMPRAR O IMÓVEL DA SUA VIDA. AÍ, NÃO SEREI EU QUE DOBRAREI O SEU DINHEIRO E COLOCAREI NO BOLSO, MAS ELES.

      FALANDO SÉRIO, QUEM TEM 1 MILHÃO EM CAIXA NÃO PEDE CONSELHO, FAZ ACONTECER.

      SE TEM 1 MILHÃO E FICA PEDINDO CONSELHO, NÃO ESTUDA SOZINHO, DESCONHECE OS DETALHES DO MERCADO, MERECE PERDER TODO O DINHEIRO.

      FELICIDADES.

      0
    • Paulo - RJ 2 de novembro de 2011 at 11:18

      Arrependido,
      Na boa e sem ofensas
      Se você perceber, seu pensamento é igual ao de boa parte das pessoas que aqui participam. Creio que o problema da sua primeira declaração tenha sido você atribuir culpa ao site por uma decisão que você tomou e de forma um pouco agressiva, uma vez que ninguém aqui obriga as pessoas a nada.
      Decisões de comprar algo como um imóvel é sempre muito pessoal. Se você estava com grana na época, cabia a você analisar o seu momento e necessidade. Não culpar os outros por esta decisão.

      Se você está com grana em cash, significa que você tem um bom poder de negociação. acompanhe o mercado, tenha alguma paciência, que você vai saber o momento certo de comprar, já tem imóvel baixando.

      Agora se é questão de vida ou morte, não posso esperar, preciso muito de outro imóvel, quero mudar agora, sofro pressão para mudar e não estou conseguindo segurar, é o sonho da minha vida… Aí não tem jeito, paga-se o que está pedindo, então era para você ter comprado há muito tempo. Não é o caso da maioria aqui. Tenho percebido que o pessoal (me incluo) é bem paciente.

      0
  • Elias 2 de novembro de 2011 at 00:11

    Informação de dentro

    Falei ontem com amigo que trabalha em grande banco nacional, área de empresas, e me relatou que nos empréstimos pra pequenas empresas há previsão de perdas de 75%.
    Há pouco vimos balanços trimestrais desses grandes bancos provisionando perdas bilionárias e recordes, “como nunca antes na história deste país”.

    Junte a isso:
    No último quadrimestre do ano, o desemprego sempre cai – este ano ficou estável.
    Renda média do trabalhador cai.
    Inadimplência em nível recorde.
    Os preços do imóveis, antes “estabilizados”, já mostram sinais de queda.

    Vamos ver como o crédito imobiliário, item crucial, vai se comportar.

    0
  • Arrependido 2 de novembro de 2011 at 03:06

    Sr Luiz DVD,

    Sua agressividade é sinal de seu ranço e ignorância. Se não soubesse os detalhes do mercado, não teria o dinheiro que tenho. Já o senhor, parece ser movido pelo ódio e falta de educação. Não gostaria mais que me dirigisse a palavra. E saio desse site, espantado com a agressividade da maioria dos membros. Espero que ocorra a bolha, pois tenho apostado nela antes de conhecer este já abandonado (por mim) site, mas dá até vontade de torcer contra, por conta de pessoas como o sr., acontece que tb acho que essa especulação excessiva é prejudicial a quem trabalha honestamente. Passar bem. PS: A inveja dá muito movimentos aos olhos…

    0
    • Fred Henrique 2 de novembro de 2011 at 05:20

      “Espero que ocorra a bolha, pois tenho apostado nela antes de conhecer este já abandonado (por mim) site”.

      Clássico troll. Primeiro o cara diz que foi na “nossa” conversa de que há bolha imobiliária, depois diz que apostou nela antes mesmo de conhecer o site?

      Mera contradição ou pura trollagem?

      0
      • Fred Henrique 2 de novembro de 2011 at 05:28

        E este troll não consegue nem sujar a nossa barra, suja a deles!

        Ele diz que tem grana guardada a anos e tem uma profissão top. E mesmo assim não consegue comprar. Ou seja, o troll quis nos desqualificar mas acabou por confirmar o que nós dizemos aqui: nem carreiras top conseguem pagar os preços atuais e R$1mi virou troco de caldo.

        Continuem assim, trolls.

        0
    • Anonymous 2 de novembro de 2011 at 05:25

      Arrependido,

      Eu estou morando nos EUA. Se voce vender seu apartamente pelo preço que voce acha que vale, voce terá dinheiro suficiente para se aposentar nos EUA. Vai ficar morando na Banânia por que? Vende logo e vá para um lugar sem vista para “comunidades” e onde os bueiros não explodem.

      Esses preços na Banânia estão me lembrando de uma antiga piada sobre os Argentinos, nada contra eles, mas acho que decorre da tradicional rivalidade no futebol. Na piada voce pergunta qual o melhor negócio do mundo? Geralmente, a resposta é não sei. Ai voce diz, é comprar um Argentino pelo que ele vale e vender pelo que ele ACHA que vale. Estou vendo que a piada precisa ser atualizada trocando Argentino por imóvel na Banânia.

      0
  • Anonymous 2 de novembro de 2011 at 05:37

    Faz tempo que não visito o Rio de Janeiro. A última vez que visitei ainda não existiam “balas perdidas”. Entretanto, com a seguinte notícia posso assegurar que a Tijuca valorizou uns 15%.

    Bueiro pega fogo na Barra da Tijuca (RJ)
    www1 . folha . uol . com . br/cotidiano/1000371-bueiro-pega-fogo-na-barra-da-tijuca-rj.shtml

    O motivo é que enquanto os bueiros EXPLODEM nos outros bairros, na Tijuca eles pegam fogo – é um bairro muito mais seguro.

    0
    • Paulo - RJ 2 de novembro de 2011 at 10:56

      Anonymous,
      Só para esclarecer:
      Barra da Tijuca: Zona Oeste, região oceânica, lugar onde há uns 20 anos atrás, a galera do subúrbio que “emergia” ia morar. Hoje, apesar de uma região bonita e boa de se morar, você demora 2h para ir para o Centro da cidade, no horário do rush. E a maioria dos lançamentos da Barra atualmente é Jacarepaguá ou Curicica. Para ir a praia, só de carro.
      Tijuca, Zona Norte do Rio, onde eu moro. Apesar de bem localizada e com boas opções de transporte (padrão Rio de Janeiro), é cercada de morros por todos os lados, mas todos com UPP (o maior enodo). Se você mora longe deles, beleza. O Atrium, empreendimento novo a 6500,00/7000,00, fica de frente para o morro do Salgueirio.

      0
  • MrK 2 de novembro de 2011 at 06:33

    Arrependido, o Rio eh uma piada

    Estou morando em cape town hoje, uma cidade fantastica, tem tudo que o rio tem (praia, sol, otimos restaurantes, gente descontraida) com a vantagem de ter perto varias viniculas, ser mais limpa, ter menos transito e menos criminalidade, amo isso aqui, fora que aqui voce eh super bem atendido em qualquer lugar, no Rio eh aquele atendimento da pior qualidade, tudo caro e ruim, ruas fedem…

    Morei no Rio na Gavea e pagava pra viver num ap 2 quartos, sem mobilia, sem vista , sem sol nem nada, na marques de sao vicente (R$3700 por mes), aqui em cape town moro num apartamento luxuoso, mobiliado com tudo novinho, num dos melhores bairros da cidade, com seguranca 24h, wi-fi, cableTV, academia e servicos por R$3000 – tudo incluido

    sao apartamentos incomparaveis, pra ter isso no Rio eu pagaria facilmente uns R$8500 mes

    ta de brincadeira, ne???

    vou chorar o dia que tiver que voltar

    0
    • Luiz 2 de novembro de 2011 at 14:08

      e aí?
      já pegou gosto por Rugbi
      Go Boks!
      rs

      0
    • Anonymous 2 de novembro de 2011 at 16:40

      MrK,

      É aquela Cape Town da Florida?

      0
  • Sérgio 2 de novembro de 2011 at 07:32

    Se nos states, que são um país rico, de pessoas ricas (em se comparando conosco) os preços dos imóveis chegaram aos patamares do ano 2000, imaginem aqui?
    40% só, 50????
    Os preços nessa bosta de país subiram facilmente acima de 300 ou 400%. Logo, 50% é pouco.
    Agosto de 2014 é data limite para esse patamar (preços de 2006)

    0
  • AJW 2 de novembro de 2011 at 09:31

    “Bolsas na Europa têm mais um dia de queda devidi à Grécia”
    “Referendo pode levar UE a obrigar Grécia a abandonar zona do euro”
    Com rejeição do pacote – um calote controlado e aceito pelos credores – por consulta popular, a Grécia caminharia para a bancarrota.
    Ao que tudo indica. a Grécia sera nosso grande alfinete, cutucando a nossa estimada bolha, dai e só houvir o PLLOOOOCCCCC.

    0
  • Ader 2 de novembro de 2011 at 10:58

    Apenas para conhecimento e reforçar tudo que é comentado aqui no blog. E tem gente que ainda duvida do que pode acontecer no Brasil.
    http://economia.ig.com.br/criseeconomica/crise-faz-precos-de-mansoes-diminuirem-milhoes-de-dolares-nos-eua/n1597349338289.html
    Abraços

    0
    • Luiz 2 de novembro de 2011 at 14:46

      uma copisa importante sobre isso Eder.
      O topo não derruba a piramide
      quem derruba é a base

      A bolha explode a partir da base, demora a chegar nas mansões
      A estabilidade preços nos alto padrão daqui é apenas indicativo, não é causa.

      0
      • Ader 2 de novembro de 2011 at 15:22

        Concordo plenamente Luiz, e para mim a base é quem “investiu” na planta.

        0
  • Luiz 2 de novembro de 2011 at 14:48

    Fernando eles animam a festa, sabe aquele babaca de quem todo mundo dá risada.
    no mais desmoralizam ainda mais os corretores, os coitados fazem o trabalho sujo dos patrões, são chicoteados pelos dois lados, eu não tenho dó, dou com gosto

    0
  • observador 2 de novembro de 2011 at 15:55

    http://www.youtube.com/canalxptv#p/u/5/2YfK71Bgh7c

    o kra otimista ainda, acho que valia uma discussão no blog…

    0
  • thiago 2 de novembro de 2011 at 18:53

    Sou funcionário da CEF e posso dizer que a corda está começando a apertar. Há 3 anos minha agência foi campeã de habitação na região “oeste” de São Paulo. Esse ano percebe-se uma dificuldade bem maior pra se atingir as metas de crédito imobiliario no banco que detém 3/4 do mercado.

    E não é só isso…Pra quem não sabe, a principal fonte de recursos do sistema financeiro de habitação é a poupança, pelo menos a única alternativa barata para os bancos finacianciarem imóveis acima de 170k. Estou na empresa há alguns anos e pela primeira vez a CEF está lançando campanha interna nacional pra captação de poupança ( lembrando que a Caixa tem 35% do saldo total de poupança) em detrimento das captações tradicionais como previdência, fundos etc. Não é suposição! Nas reuniões, os dirigentes estão preocupados com a “seca” dos recursos pra manter o patamar do crédito a médio prazo. Sem crédito ninguém compra, preço cai e PLOC!

    O que inflou a bolha foi o crédito fácil e o MCMV e, nesse caso, o governo é responsável direto, tendo como agente a CEF

    de Em 2003 o crédito imobiliário da CEF que já era lider absoluta foi de 5bi. Em 2011 pode alcaçar 80 bi, o que representa um aumento de 1600% em em 9 anos. Não é por acaso que o período de maior salto no preço dos imóveis foi esse, principalmente a partir de 2008, quando do lançamento do MCMV, que incluiu por meio de subsídios, milhões de pessoas que não só não podiam, como não deviam entrar no mercado imobiliário. Tudo isso causou uma onda de baixo para cima. A onda segue até bater no fundo e quebrar na praia. Dó daqueles que acabaram de pegar a onda. A inadimplência é baixa por enquanto porque muita gente nem começou a pagar e a prestação da casa vem primeiro quando uma pessoa começa a se endividar.

    Eu sou um exemplo daqueles que estão angustiados, porque casei em 2008. Tinha condição de tomar financiamento total na época e tive receio de assumir uma dívida logo de cara. Agora o term já passou. Tenho grana para comprar o apto de ‘2008″, mas não o de 2011.

    Sou funcionário, tenho como financiar, mas agora não ouso. Sabe por quê? Porque um sinal da bolha reza em meu favor. O rendimento do dinheiro que tenho guardado paga meu aluguel e ainda sobra. Se o circo pegar fogo, meu álcool tá na mão!

    0
    • Elisson Forte 3 de novembro de 2011 at 08:26

      Thiago excelente post ontem passou uma promoção da caixa (SE ESSA CASA FOSSE MINHA) e antes mesmo de lê o seu post disse a minha esposa que era uma promoção da caixa para se capitalizar. http://www.seessacasafosseminha.com.br/.

      0
  • Elisson Forte 3 de novembro de 2011 at 08:33

    Tem pessoas que acham que o mercado é definido apenas com a alta dos preços dos imóveis, então se os preços estão subindo o mercado está bom, mas o que define é a venda. Tomem como exemplo a bolsa de valores quando chegou a quase 80k pontos todo mundo sabia que ia dá problema, mas tinha gente comprando com os preços das ações em alta achando que ia aumentar mais ainda é a mesma coisa que está acontecendo no mercado imobiliário agora. Tão comprando na alta. Falei com um americano amigo meu que viveu a bolha americana e também está vendo o que está acontecendo no Brasil e as mesmas coisas que aconteceram lá antes da bolha estoura está acontecendo aqui, por exemplo essas construtoras ainda aumentando o preço para dá uma falsa impressão de mercado aquecido. Minha esposa é corretora de imóveis e falou esses dias com vários corretores e alguns donos de imobiliárias e o mercado está completamente parado, pois não estão vendendo nada faz tempo.

    0
    • Rodrigo 3 de novembro de 2011 at 09:49

      Amigos realmente temos uma situação muito estranha e acredito que só vai piorar, acho que o governo deveria garantir os financiamentos caso fosse constatado posteriormente que o preço foi superfaturado, temos que lembrar que todas as regras de aluguel e retomada de imóveis foram totalmente modificadas ou seja nem o governo nem o dono que aluga perdem!!!!!

      Temos que fazer uma campanha de conscientização!

      0
  • L1 3 de novembro de 2011 at 10:19

    Olha a cara de pau do corretor abaixo… Só reforça a tese da galera da bolha… esses caras aconselham os compradores de maneira não saudável, construindo investidores meia boca…. tive q ser ironico pra arrancar o máximo

    Vendas – XXXXXX:
    Olá XXXXXX, como posso lhe ajudar?

    XXXXXX:
    boa tarde

    XXXXXX:
    estava olhando os quadros de unidades e vi que tem aptos de 240, 250…

    Vendas – XXXXXX:
    Lagoa Azul?

    XXXXXX:
    isso

    XXXXXX:
    tem chance de negociar o valor?

    XXXXXX:
    ou eles sao irredutiveis

    Vendas – XXXXXX:
    Dependendo do Valor de entrada e prestações durante a obra, vc tem descontos.

    Vendas – XXXXXX:
    qual seria o valor de entrada?

    XXXXXX:
    os descontos podem ser até que faixa %?

    XXXXXX:
    mais ou menos

    Vendas – XXXXXX:
    a vista

    XXXXXX:
    mto baixa… tenho 50 mil

    Vendas – XXXXXX:
    deixa ver quanto teria de desconto….quanto pode pagar de prestação durante a obra?

    XXXXXX:
    cerca de 2 mil

    Vendas – XXXXXX:
    desconto de 4.500

    XXXXXX:
    o desconto está abaixo do que eu esperava

    XXXXXX:
    nesse caso, voce tem empreendimentos mais baratos na regiao de jacarepagua?

    Vendas – XXXXXX:
    sem parcela de chaves

    Vendas – XXXXXX:
    esse é o mais em conta, pois as taxas de financiamento são as mais baixas do mercado 8.4%..pelo BB

    XXXXXX:
    entendo

    XXXXXX:
    nesse caso, agradeço a atenção e ajuda

    XXXXXX:
    mas não tenho poder aquisitivo para o preço praticado

    Vendas – XXXXXX:
    diminua a entrada, pague o minimo durante as obras e ponha pra vender nas chaves…

    Vendas – XXXXXX:
    é o que investidores fazem….a valorização do Lagoa vai ser grande…varios corretores estão comprando

    XXXXXX:
    mas nesse caso, eu teria que contar que haveria comprador com poder e compra pra pagar no minimo uns 270, 280 mil ou financiar tal montante

    XXXXXX:
    nao acho que terei muito sucesso na venda

    Vendas – XXXXXX:
    o que interessa na venda, é sobre o que vc pagou….em cima coloque o percntual…esqueça o saldo devedor…

    XXXXXX:
    nao acho que haverá mercado para absorver tantos lançamentos com procentagens de lucro

    Vendas – XXXXXX:
    ja existe aptos a venda, e é sobre o que ele deu que é pedido o lucro….deu 30 pede 50……ate as chaves a valorização será maior.

    XXXXXX:
    agradeço a intençao, mas acho q devemos ter cuidado c essa pratica

    XXXXXX:
    pq pode virar um problema

    XXXXXX:
    se nao conseguir vender nas chaves

    XXXXXX:
    o proprio empreendimento foi lançado ha mais de um ano e nao vendeu tudo

    XXXXXX:
    eu queria comprar para moradia

    Vendas – XXXXXX:
    engano seu….se vc comprar avista, acho dificil, mas com entrada pequena, vc não perde….

    XXXXXX:
    se o proprio empreendimento ainda tem unidades a venda, porque alguem compraria com ágio na minha mao?

    Vendas – XXXXXX:
    bom ..pra moradia é outra coisa….quanto estará valendo esse apto em 2013?

    XXXXXX:
    espero que esteja valendo menos, pois senao terei que morar em campo grande ou baixada

    XXXXXX:
    ou o rio de janeiro está cheio de milionarios

    Vendas – XXXXXX:
    existem aptos a venda pois não estamos no local, e fizemos um lançamewnto na Tijuca que desviou um pouco de lá…O da Tijuca foi vendido em 15 dias…

    XXXXXX:
    XXXXXX, nao acho que haja déficit de corretores querendo ganhar comissao

    Vendas – XXXXXX:
    e um apto de 2 quartos com 58m² na tijuca foi vendido por quase 400mil e numa área muito menor do que o do Lagoa

    XXXXXX:
    mas quem tem poder de compra pra pagar isso, XXXXXX?

    XXXXXX:
    será que todo mundo ganha mais de 10 mil?

    XXXXXX:
    e eu sou o ferrado?

    XXXXXX:
    o imovel nao é mera ferramenta de investimento… uma hora alguem precisara morar e nao terá como pagar

    XXXXXX:
    sei q a culpa nao é sua, mas o mercado nao ta saudavel

    Vendas – XXXXXX:
    Amigo, só sei que houve uma procura enorme por aptos na Tijuca, onde para cada unidade existiam mais de 10 clientes interessados….O povo ta com dinheiro,

    XXXXXX:
    nao estudo isso a fundo, mas falo do que percebo

    XXXXXX:
    procura há XXXXXX, e obviamente vc tem q fazer seu papel, obvio, que é vender

    XXXXXX:
    mas os caras compram pra revender sem pensar q uma hora as vendas travam pq o preço chega ao teto

    XXXXXX:
    com isso, me impedem de comprar, ja minha renda mensal é de 6 mil

    XXXXXX:
    eu q quero morar, fico impossibilitado

    Vendas – XXXXXX:
    Estamos em uma epoca de grandes investimentos na cidade, onde muitas mudanças ocorrerão, por isso essa sede de compra, não só de moradores como de estrangeiros.

    Vendas – XXXXXX:
    Vc com essa renda pode compra facilmente no Lagoa ..com a entrada que disse ter, e as prestações que pode pagar…

    XXXXXX:
    sim… os estrangeiros compram p revender uma hora e mais uma vez vao cair no problema da falta de compradores…. convenhamos q no rj,nao temos tantas pessoas assim capazes de pagar 300, 400, 500 mil em um apto, ne msm?

    Vendas – XXXXXX:
    acho que deveria pensar..se quiser posso fazer uma simulação e enviar pra vc…..

    XXXXXX:
    mas XXXXXX… se eu comprar por esse preço estarei vivendo c a corda no pescoço c uma divida de 30 anos

    Vendas – XXXXXX:
    XXXXXX…como vc não está no ramo, não tem ideia de como tem gente com dinheiro…..

    XXXXXX:
    é mais vantajoso comprar algo mais barato msm

    XXXXXX:
    nao da p ter noçao de como tem gente com dinheiro, se as pessoas só dao entrada, de 15, 20%

    Vendas – XXXXXX:
    Engano….vc pode amortizar a qualquer momento o saldo…e as prestações não são reajustadas por INCC ou IGPM, elas são pela TR

    Vendas – XXXXXX:
    as prestações que digo do financiamento… me de seu nome e data de nascimento que faço uma simulação e envio pra vc….confirme o email [email protected]

    XXXXXX:
    XXXXXX

    XXXXXX:
    XXXXX

    XXXXXX:
    XXXXXX… de qualquer forma mto obrigado… adorei o empreendimento. posso estar sendo conservador demais, porém nao concordo com os preços tão altos

    XXXXXX:
    especulação em qualquer ramo acaba ficando nociva pra sociedade

    XXXXXX:
    nao q vc tenha culpa

    XXXXXX:
    mas os investidores estao lucrando bastante e uma hora alguem terá q pagar a conta

    Vendas – XXXXXX:
    vou colocar a entrada que disse e a parcela de obras. Vc teria algo pra dar nas chaves(11-2013) ?

    XXXXXX:
    espero q estej bem demais nesse momento e tenha feito o dinheiro suficiente p nao depender mais do mercado

    XXXXXX:
    isso… pode fazer por favor

    XXXXXX:
    q analiso

    XXXXXX:
    obrigado mais uma vez pela sua ajuda

    Vendas – XXXXXX:
    ok envio logo…..

    Vendas – XXXXXX:
    obrigadopelo papo, e veja com carinho a simulação….abcs

    XXXXXX:
    abraço..

    0
  • Pobre coitado que não mora na comun000idade 5 de novembro de 2011 at 13:00

    Mora de aluguel na Tijuca e em 2006 eu vi um apartamento, de frente para a UERJ, mas tinha vista para a Mangueira, por R$ 55.000. 3 quartos. Não lembro a metragem, mas era bem maior do que moro hoje, pagando quase R$ 1000,00 para morar perto de uma das comunidades, isso porque meu aluguel é antigo, porém pós UPP.

    Apartamento que antes eram 60, 70.000 na tijuca, e que a 1 ano atrás passaram a custar 140.000, e que em alguns meses 190.000 e hoje, pasmem, do nada eu vejo os mesmos por 285, 300.000. Essas pessoas não querem vender, pois eu não pago, mesmo que tivesse, R$ 250.000 num apartamento colado nas comunidades do Borel, Casa Branca e Formiga.

    Minha realidade é no máximo um apartamento de R$ 150.000, mas para permanecer com o que pago de aluguel num financiamento deveria eu comprar um de R$ 120.000.
    Já procurei pro toda a Tijuca, não existe! Existe sim, apartamento horríveis na esquecida Zona Norte (Engenho Novo, Vila da Penha, Penha, etc..) que não vale nem R$ 100.000.

    Olhando-me no espelho eu vi que a Tijuca não é mais o meu padrão de vida, está fora do que sou hoje, com uma renda familiar de R$ 6.000. Passei a procurar por Jacarepaguá, porém só encontra-se prédios velhos, péssimos, por R$ 150.000.

    Percebi também que há uma padronização nos preços de muitos bairros.
    Entre R$ 130 à 150.000 de Engenho Novo à Bangu, de acordo com pesquisa no ZAP. Existem sucatas por R$ 100.000.
    Pra quem conhece Campo Grande, sabe que R$ 120.000 reais é caro para o Bairro. Isso à alguns meses.

    Eu fico pensando, como pode uma pessoa trabalhar na Zona Sul morar na Zona Oeste? É pedir para viver no transito, sem a possibilidade de no mínimo morar na Zona Norte, tem acesso ao Metro.

    Malandro é aquele que mora na Zona Sul e Tijuca em comunidades. A pouco tempo nem tv por assinatura eu tinha, mas olhando paras as comunidades tem mais antena do que em cima dos prédios do asfalto.

    0
  • Renato 10 de novembro de 2011 at 01:33

    Em referência ao comentário:
    “O Samy Dana da FGV e o João da Rocha-Lima Júnior da USP são os acadêmicos a falar da bolha, ao menos na grande mídia.

    Daqui a algum tempo eles estarão bem famosos porque avisaram, mas ninguém quis escutar…

    PLOC!”
    Sou formado em administração de empresas, e sempre escutei falar que quem dita o valor do preço é o mercado. Se há mais oferta que demanda, a tendência do preço é cair… Pior ainda… é se não existir demanda, pois pela alta absurda dos preços e o salário medío do brasileiro, o mínimo é conseguir um barraco ou um apartamento de baixo escalão em periferia. Tenho dito que existe sim uma bolha imobiliária… E espalho para muita gente que não bota fé, mais ainda apostei que eu iria repetir com orgulho que eu FALEI que iria acontecer… Mas resumindo… A minha revolta é, porque os caras ai de cima ficariam famosos, e eu não? hehehe Pra mim a bolha imobiliária é óbvia…
    Forte abraço.

    0
  • Thiago 14 de novembro de 2011 at 14:12

    Não precisa ser especialista do assunto para deduzir que estamos entrando numa montanha russa dos imoveis!

    Por onde se olha, existem grandes empreendimentos sendo levantados do dia para noite.

    Só que tudo que sobe, desce e se depender do nivel que as coisas estão andando a queda pode ser violenta para alguns!

    0
  • Marcos André 25 de novembro de 2011 at 11:21

    Esta mais barato comprar um imovel em miami do que em SP, logo a casa cai, ai quero ver acontecer no brasil o que aconteceu nos EUA em 2008, os preços irão despencar.

    0