Construção civil fecha 441 mil vagas em 12 meses no país, diz Sinduscon-SP – Agência Brasil

Você pode gostar...

Comments
  • Dr. Estranho 9 de dezembro de 2016 at 21:12

    Vai piorar.

    27+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • O Cramulhao de FHCigienopolis45 10 de dezembro de 2016 at 08:14

      E vai mesmo. Só espere os anúncios das recuperações judiciais*. Eu não consigo imaginar como podem reverter carteiras de clientes cujos contratos de compras na planta têm cerca de 70% de atrasos acima de 90 dias e 38% acima de 180 dias.
      * sim, coloquei no plural.

      16+
      • avatar
      • avatar
      • CA 10 de dezembro de 2016 at 14:38

        Curioso, não é?

        Pior que dessas construtoras que você mencionou, a primeira teve prejuízo de aproximadamente R$ 2 BILHÕES em 2012 e a segunda, também em 2012, teve o primeiro prejuízo líquido anual de sua história de mais de 40 ANOS no segmento imobiliário, um prejuizo de mais de R$ 100 milhões, sendo que neste ano de 2012, cada uma delas teve mais de R$ 1 BILHÃO de distratos e aí é que foi o começo da derrocada delas e de outras deste segmento. Até que pedalaram demais e como já avisavamos desde aquela época, quando acontecer a inevitável quebra destas empresas, vão dizer que foi por causa da crise que só começou a ter seus efeitos visíveis em 2014, ANOS depois dos resultados catastróficos das construtoras no ano de 2012…

        Especificamente sobre o que você comentou, vem uma pergunta: como é que vendem na planta, muitas vezes no lançamento, e as famílias que “planejam” pagar um valor bem baixo durante a construção, de 10% a 20% do valor do imóvel parcelados em 36 meses, não conseguem sequer pagar durante a construção? A reserva destas famílias é ZERO, elas assumem uma dívida de DÉCADAS em um momento de crise na economia onde o desemprego cresce sem parar, com a renda das familias em queda e depois as construtoras ainda vão se dizer “surpresas” com estes resultados, ou pior ainda, irão considerar “natural”? É muita alienação o que vemos por aí, tem muita gente completamente sem noção da realidade, fazendo coisas absurdas e pior, ainda tem quem vendo isto só piorar ao longo de anos ainda FINJA que é tudo “sustentavel”, que é assim mesmo, que “aqui é diferente”, afinal somos muito mais ricos que nos EUA e por isto não precisaremos fazer nenhum ajuste radical aqui como foi feito lá, dentre uma série de outras baboseiras que até hoje temos que aturar dos corvos de plantão…

        Estas mesmas famílias teriam condições de adquirir o financiamento imobiliário depois? Não é a toa que os atrasos acima de 30 dias simplesmente triplicaram no caso de financiamentos imobiliarios:

        https://www.google.com.br/amp/m.economia.estadao.com.br/noticias/geral,triplica-fatia-de-devedores-que-atrasam-prestacao-da-casa-propria,10000091284.amp?client=ms-android-samsung

        Por enquanto veremos o segmento imobiliário e seus asseclas comemorando que a inadimplência oficial (atraso acima de 90 dias) está baixa, que a CEF irresponsavelmente não retoma os imóveis, que aplicam todos os tipos de golpes sujos, como antecipar reconhecimento de receitas do FGTS para MAQUIAR resultados ou transferir títulos podres para empresas abutres em escala ANORMAL (*), dentre outros esquemas podres, que só mesmo quem é do mesmo quilate de toda esta podridão tem a “capacidade” de ainda defender. Estão levando uma grande quantidade de famílias para o buraco financeiro e ainda se orgulham disso…

        (*) o que a CEF transferiu de títulos podres para empresas abutres, foi o TRIPLO da SOMATÓRIA do que transferiram Banco do Brasil MAIS Itaú MAIS Bradesco. Quando asseclas do segmento imobiliário dizem que a minoria destes títulos foram de crédito imobiliário, eles por acaso somaram esta minoria no total de inadimplência, uma vez que isto foi uma MAQUIAGEM descarada para esconder a inadimplência, ou fingiram que se esqueceram desta parte? Eles apontaram que mesmo sendo a menor parte, falavamos sobre um total absurdamente elevado, o TRIPLO do que somaram os 3 maiores bancos do país, será que lembraram disto, ou a matemágica parou pela metade, como sempre?

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Minions 10 de dezembro de 2016 at 17:16

          Quanto pessimismo!
          Esta crise é cíclica! Ano que vem começa a recuperação…melhor comprar imóveis este ano pois o preço irá subir.

          14+
          • avatar
          • avatar
          • Lucas 12 de dezembro de 2016 at 12:47

            vcs não param de chamar atenção
            desçam aqui no fundo do balde pô
            assim não vale, vcs estão machucando o meu ego

            1+
            • avatar
      • Bruno.12 12 de dezembro de 2016 at 11:31

        Começou> PDG está na reta final para seu pedido de recuperação judicial.

        1+
  • Carlos 9 de dezembro de 2016 at 21:13

    Calma, todos vão ser recontratados e com salários maiores na grande recuperação mágica em 2017.

    Bertelli , Bertelli , de onde voces tiraram este números???

    http://www.campograndenews.com.br/artigos/otimismo-na-industria

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 9 de dezembro de 2016 at 21:14

      “Pelo menos é o que demonstra o estudo divulgado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), que prevê a retomada do crescimento a partir do ano que vem. Segundo o documento, o PIB (Produto Interno Bruto) deve crescer 1,7% em 2017; 2,5% em 2018; 2,8% em 2019; e ultrapassar os três pontos em 2020. Com a recuperação dos investimentos privados, o emprego também voltará a crescer.

      Apesar do quadro otimista, a CNI faz um alerta: para dar conta da demanda do reaquecimento da economia, o Brasil terá de qualificar 13 milhões de jovens entre 2017 e 2020 para ocupações no setor industrial, incluindo pessoal de nível superior e técnico. De acordo com o estudo, as áreas de maior procura serão construção civil, com 3,8 milhões de vagas, seguidos de meio ambiente e produção (2,4 milhões), indústria metalomecânica (1,7 milhão); e alimentos (1,2 milhão).”

      Ha ha ha, pegadinha do Malandro!
      “Brasil terá de qualificar 13 milhões de jovens entre 2017 e 2020”

      18+
      • avatar
      • Cesar_DF 9 de dezembro de 2016 at 21:34

        PIB da Europa caindo por causa do brexit

        Politica protencionista do Trump

        Bolha chinesa explodindo por causa do Trump

        Investidores esperando para saber quem será eleito para presidente em 2018

        Demissão em massa de funcionários públicos no primeiro semestre de 2017

        Com todos estes sinais, é claro que 2017 vai BOMBAR

        36+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Carlos 9 de dezembro de 2016 at 21:48

          Brexit é fichinha perto da revolta dos cidadões de diversos países por terem tido que aceitar na marra imigrantes.
          Sente-se traídos e vão responder nas urnas, brexit foi um aviso a este respeito.
          Quero ver agora como vão “colocar o gênio de volta na lâmpada”, como vão lidar com todos estes imigrantes que já estão nos países?
          Vai bombar mesmo 😀

          22+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • Rico 9 de dezembro de 2016 at 23:25

        Trabalho em TI e tem vaga aberta a mais de um ano. Nem com crise brava conseguem contratar. Ninguém quer capacitar, só querem pegar pronto e pagar com banana. Assim si contratam macaco…

        34+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • O Cramulhao de FHCigienopolis45 10 de dezembro de 2016 at 08:21

          Entendo. Na minha empresa nos trabalhamos com Data Science e além do assédio de outras empresas querendo nosso staff, nos mesmos temos falta de staff especializado na área. Tanto que eu mesmo tenho que colocar a mão na massa e deixar a parte administrativa de lado muitas vezes. Hadoop, Spark, R, Pandas, MondoDB…nem pagando >10k se consegue staff decente.

          11+
          • avatar
          • avatar
          • Rico 10 de dezembro de 2016 at 09:03

            Sou assediado direto. A maioria é PJ. Ninguém vai se arriscar agora a sair, perder as multas para encarar salário mais baixo. Eu to fora, pois em breve estou partindo para o velho continente…. Sobre Data Science nem começou a brincadeira ainda… O que mais vejo por aí é o IBM Watson, inclusive usado na Lava Jato.

            9+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
          • Carlos 10 de dezembro de 2016 at 09:33

            10K reais?
            É pouco para este tipo de profissional.

            12+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Carlos 10 de dezembro de 2016 at 09:44

              Se o cara é relmente bom ele pode ir para o exterior onde a média de salário é próxima 100K Obamas ano.
              +- 28K temers / mês ou 175 a hora.
              Consultorias cobram ou cobravam entre 85 e 120 por hora para profissionais, deve estar nesta faixa.

              http://www.payscale.com/research/US/Skill=Big_Data_Analytics/Salary

              9+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • Rico 11 de dezembro de 2016 at 09:17

                Carlos, 10k aqui tá difícil. Tenho uma especialização que até hoje é considerada top no mercado e as propostas estão sendo ridículas, a maioria PJ. Por coincidência essa situação ridícula está batendo com meu planejamento de ir para fora, portanto é o último contrato que tenho aqui.

                7+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • Carlos 11 de dezembro de 2016 at 10:58

                  Rico, aconteceu o mesmo comigo a mais de 5 anos, simplesmente recusava as ofertas e até a fazer alguns daqueles testes idiotas que eles pedem.
                  Acabei arrumando trabalho da mesma maneira, estava líquido e podia esperar, no meu caso nunca tive de esperar mais de 40 dias.
                  Tinha notado este “comportamento” das consultorias desde 2011, simplesmente estavam mantendo os valores ano após ano, creio que em 2011 o valor hora era o mesmo a uns 5 anos.
                  Este foi um dos motivos que me motivou a botar o pé na estrada.

                  6+
                  • avatar
                  • avatar
          • Minino do TI 10 de dezembro de 2016 at 17:00

            MonGodb ?

            6+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
          • BolhistaFloripa 10 de dezembro de 2016 at 21:11

            Tenho interesse nessa área de data science, alguma dica sobre material que devo procurar, tecnologias, etc? Trabalho com desenvolvimento Java para Web, mas conheço um pouco de data warehouse (foi o assunto da minha monografia de especialização).

            7+
            • avatar
            • O Cramulhao de FHCigienopolis45 11 de dezembro de 2016 at 08:59

              A maioria de nós que foi para a área de Data Science é composta de PhDs em Física, Matemática Aplicada e Estatística que se frustraram com o valor das bolsas no meio acadêmico e partiram pra essa área.

              Não há no Brasil ( e mesmo no exterior, algo raro) cursos superiores em “Data Science”. Quase todo mundo foi aprendendo curso por curso nos últimos seis anos através de sites como Coursera, EDX, Udemy e Udacity, Kaggle. Aí vc consegue praticamente todos os cases necessários para aplicar Machine learning, Redes Neurais e etc. em casos reais da sua empresa.

              5+
              • avatar
              • avatar
            • Rico 11 de dezembro de 2016 at 09:15

              Como o Cramulhao falou, Udemy e Coursera são boas opções para iniciar. Como você já é Javeiro e conhece SGDB, fica fácil especializar, veja também Data Mining, BI e Big Data. É uma das áreas que vai bombar em TI, junto com Cloud e automação de processos.
              Tenha ciência que se não quiser ganhar salário de “Jornal Nacional” (impressionante, sempre tem um Phd lá ganhando 1430 reais com cara de sofredor) terá que ir para o exterior. Oportunidades não faltam e os países europeus estão sempre de portas abertas para quem tem especialização que eles precisam ou dinheiro.

              6+
              • avatar
              • avatar
              • BolhistaFloripa 11 de dezembro de 2016 at 11:33

                Rico e O Cramulhao de FHCigienopolis45, obrigado pelas informações.

                5+
                • avatar
              • O Cramulhao de FHCigienopolis45 11 de dezembro de 2016 at 13:09

                Eu penso o contrário. Trabalhei em Londres, Dublin e Berlim e agora estou no Brasil porque aqui a concorrência é menor e é muito mais fácil nadar na grana, já que a demanda só aumenta.
                Da pra cobrar fácil 400 reais/hora de trabalho aqui no desenvolvimento de redesconto Neurais que tem impacto de centenas de milhões em análise de crédito por exemplo…

                Aliás, é bem aí que me interessa: em geral mesmo os clientes acham caro o preço dos projetos nessas tecnologias, mas aí quando vc propõe parceria, tem a chance de ganhar muito mais.

                Já na Europa e EUA, vc tende a ficar só como empregado (sempre acima de 120k dólares anuais claro) mas dificilmente sera chamado para parceria. Algum indiano ou chinês gênio já terá essa posição…

                Ps: ainda tem muito cara bom e barato da USP, ITA e UNICAMP que só precisam de uma chance pra de colares mostrar talento na área.

                7+
                • avatar
                • avatar
                • Rico 11 de dezembro de 2016 at 17:46

                  Se você tiver informações de onde conseguir isso por favor. Estou na área de BPM e o mercado está travado. Os profissionais não se animam a deixar suas posições porque as vagas oferecidas estão com salário no subsolo e a curva de aprendizagem para ocupar as vagas superam os 5 anos. É um cabo de guerra.

                  3+
                  • avatar
                  • avatar
                  • Carlos 12 de dezembro de 2016 at 01:01

                    Rico, aproveite seu conhecimento de negócios, tem várias partes do processo que você provalvemente já tem algum conhecimento, Big Data requer vários tipos de profissionais, desde pessoal de banco de dados até gente com gosto e conhecimento avançado de modelagem matemática e algoritmos, creio que se você se focar onde tem mais conhecimento você poderá encontrar alguma coisa na área.
                    Não se assuste nem se sinta “fora da moda”, muita coisa de Big Data como em outras “novidades” da área de TI não passa de coisas conhecidas com outros nomes mais “bonitos”.
                    Não tenha medo dos fodões de academia tb, tá cheio de gente no mercado com diploma, PHD e caralho o quatro que não tem esperiência prática nenhuma e não consegue tocar um projeto por mais simples que seja, cansei de ver isto, estuda por conta e mete as caras. Creio que uma pessoa que possa te ajudar seja o Felipe Oliveira da SOA Expert, creio que vc conheça ele pois trabalha com BPM 😀

                    http://www.soaexpert.com.br/education/bigdata

                    1+
                    • avatar
                    • Lucas 12 de dezembro de 2016 at 13:07

                      Seu eu fosse começar tudo de novo hoje
                      eu escolheria ou isso, ou medicina
                      na verdade, com o tempo, acabei adernando levemente para ambos, só as raspas disso aí já é coisa impressionante, imagino meter a cara com tudo
                      estas áreas, redes neurais e aplicações são o futuro, Hawking falou semana passada algo sobre isso, é uma quebra de paradigma épica.
                      enfim, nunca é tarde pra recomeçar do ZERO, quem sabe! sou doido o suficiente pra guinadas assim.
                      pra quem está começando fica a dica
                      outra dica: saber aplicar faz mais parte do que saber fazer.

                      2+
                      • avatar
  • CA 9 de dezembro de 2016 at 21:23

    Sobre o topico:

    De 2007 a 2009 a participação percentual da construção civil em relação ao total geral de empregos formais gerados, simplesmente DOBROU.

    Isto aconteceu, em especial graças a disparada nos lançamentos dos imóveis, mais as obras da Petrobrás que fluíam a toda velocidade, para gerar o máximo de propina possível e ainda, o início das obras para Copa do Mundo, embora este último em uma escala não tão elevada naquele momento.

    Em 2012, graças a aberração dos distratos, que mais do que DOBRARAM naquele ano, passando de R$ 5 BILHÕES, combinado com o volume também ANORMAL de investidores na planta que estavam recebendo seus imoveis para revender, mais os preços dos imóveis que estavam incompatíveis com a renda levando a queda nas vendas, tivemos os piores resultados para construtoras até aqui, incluindo nestes péssimos resultados, a maior queda percentual de lançamentos de um ano para outro: os lançamentos despencaram mais de 40%.

    Já em 2013, vimos a participação percentual da construção civil na geração de empregos formais chegar a um percentual próximo do que era antes deste INFLAR ARTIFICIAL. Em 2014, com a explosão do esquema de corrupção da Lava-Jato, mais o término da Copa do Mundo e novas quedas em lançamentos e vendas, mais os aumentos naturais nos distratos, vimos os lançamentos caírem e junto com estes fatores, a construção civil puxou o desemprego e depois disto continuou a ter resultados ruins e desemprego de forma contínua.

    É assim que funciona em uma bolha imobiliária: euforia, crescimento e queda em intensidade e velocidade anormais. Intensidade e velocidade sem precedentes, o que denota a clara anomalia que é uma bolha.

    É o mesmo que aconteceu com a PDG que entre 2010 e 2011 era a maior construtora das Américas e já em 2012 iniciou a sua derrocada, ou o que aconteceu com o crédito imobiliário com verba da poupança, ou o que aconteceu com as vendas e lançamentos, ou o que aconteceu com os empregos, ou o que aconteceu com o consumo, etc, etc, etc…

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 9 de dezembro de 2016 at 21:28

      Sim, foi a época em que pedreiros se gabavam de ganharem mais do que “engenheiros diplomados”, distorção do mercado, durou pouco.

      30+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Leonardo M. 9 de dezembro de 2016 at 22:08

    Acho que vou comprar 3 apartamentos

    1 pra morar
    1 pra revender
    1 pra viver com 0.20% ao mês de rentabilidade de aluguel

    20+
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 9 de dezembro de 2016 at 22:12

      Compra logo uma meia-duzia e ajude a recuperação econômica do país, corvaida e peão de obra precisam pagar suas contas e nossos juros 😀

      14+
      • avatar
      • avatar
  • Rico 9 de dezembro de 2016 at 23:20

    Brexit como já disse é a maior khda que UK poderia ter feito. Alemanha não quer porque depende da UE para consumir seus produtos bancários senão a sua economia quebra. Todos os bancos em breve tirando suas sedes de Londres e indo para Dublin.
    Por isso que a Escócia está desesperada em voltar para UE.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 10 de dezembro de 2016 at 06:56

      Concordo totalmente
      Só ainda não sei se aquele monte de sheiks árabes que compraram imóveis comerciais no centro de Londres, irão permanecer lá ou se mudar

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • EngenheiroSP 11 de dezembro de 2016 at 11:57

        A sedução do UK era ter acesso a Europa numa moeda pouco sujeita aos PIGS da vida. Essa vantagem acabou

        4+
        • avatar
        • Lucas 12 de dezembro de 2016 at 12:44

          CONFERE
          mas estejam atentos ao exit do Brexit via tapetão.
          a revolução que não foi, a revolução pra inglês ver
          o exit está mais pra rainha da inglaterra do que realmente um fato!

          0
  • Rico 9 de dezembro de 2016 at 23:23

    Recebi hoje no shopping um Flyer promocional da even. Apartamentos aparentemente bons por volta de 300 k juntas militares.
    Quanta diferença de anos anteriores…

    9+
    • avatar
  • Ilusionista 10 de dezembro de 2016 at 06:07

    reforma da previdência com a redução das pensões para 50%.
    Deixar para família uma casa ou um apto com condomínio bolhudo vai fazer a maior diferença.
    Bateu as botas, muitas viuvinhas e dependentes geração nem nem

    11+
    • Ilusionista 10 de dezembro de 2016 at 06:12

      reforma da previdência com a redução das pensões para 50%.
      Deixar para família uma casa ou um apto com condomínio bolhudo vai fazer a maior diferença.
      Bateu as botas, muitas “viuvinhas” e dependentes geração “nem- nem” não terão mais renda suficiente do “coroa” nem para as taxas de condomínio e IPTU…

      14+
      • avatar
    • na_cloaca_do_fernando 10 de dezembro de 2016 at 09:24

      Isso me lembrou um CVR:
      Nego no trabalho estava comentando apavorado sobre a reforma na previdência. A maioria é de fernandos, cheios de parcelinhas pra pagar. Eu só ouvia e concordava com tudo.
      O consenso era que ninguém mais vai se aposentar pelo teto da previdência oficial, nego vai ter que investir por conta própria.
      Teve um momento que um fernando pareceu até ter uma gota de lucidez. Ele falou o seguinte:
      – Investir em imóveis pra alugar está dando um retorno muito baixo.
      Mas aí o fernando voltou ao seu estado natural com uma conclusão brilhante. Para ele, se o retorno com aluguéis de um imóvel está baixo, a solução é… investir em ainda mais imóveis!
      Só sorri e acenei. Deixa ele ir pegando financiamento pra cobrar um aluguel que no final não cobre nem metade dos custos. O PMJ agradece.

      56+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • SampaBoy 10 de dezembro de 2016 at 09:58

    http://economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2016/12/09/inflacao-na-meta-e-selic-de-13-no-radar-do-mercado.htm
    Essa noticia de queda na inflacao em novembro e possivel consequente queda na selic me parece que pertence a categoria do otimismo desmedido. A queda na inflacao esta mais para uma queda no dinheiro circulante doque para uma verdadeira recuperação da economia.

    29+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 10 de dezembro de 2016 at 10:36

    corvos narigudos e mentirosos

    Interesse por aluguel é maior que o de compra, mostra pesquisa…. (que ótimo ????!!! vejam depois)

    -as buscas por apartamentos para alugar na Bahia aumentaram 14% nos últimos dois anos. Já as buscas por imóveis do tipo à venda caíram 18% em 2016..

    os proprietários dos imóveis: eles adiaram planos de venda e passaram a disponibilizar mais os apartamentos para locação: …., o crescimento das ofertas de imóveis para locação foi de 20%, (kkkkkk oferta de 20 procura de 14%)

    O lado bom para o mercado foi a constatação da valorização dos imóveis como investimento. (kuaaaaaaaaaááá´) … Já, no caso dos aluguéis, o acirramento da crise inviabilizou maiores reajustes, com aumento do valor do metro quadrado de apenas 1% no mesmo período. (ótimo investimento!!!!!!!!!!!!!!!)… (que ótimo !!! ?????) kkkkkk

    http://atarde.uol.com.br/economia/noticias/1822954-interesse-por-aluguel-e-maior-que-o-de-compra-mostra-pesquisa

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 10 de dezembro de 2016 at 10:37

    Frases mais comuns nos grupos de “desapego” do fakebook:

    “Não aceito troca”
    “Só no dinheiro”
    “Não parcelo”

    Vem ni mim 2017, o ano em que os 666 farão contato… com o Motumbo…

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Marcio 10 de dezembro de 2016 at 13:11

    Aplicação em TD mudou. Agora, vc não não pode mais escolher a quantidade de títulos que vai comprar, só o valor.
    Isso porque vc só vai saber o valor que vai pagar por título e a taxa de juros no dia da liquidação. Pelo menos foi isso que eu entendi ao comprar ontem.
    Se alguém entendeu diferente e puder esclarecer…

    3+
    • Diego F. 12 de dezembro de 2016 at 12:18

      Marcio, isso que você disse só procede nos casos de compra fora do horário padrão de negociação.

      Quem comprar em dia útil das 9h30 às 18h, pega a taxa do momento, como sempre foi. Já quem comprar em fim de semana ou entre 18h e 5h, terá os investimentos liquidados com a taxa de abertura do dia útil seguinte.

      0
  • Cesar_DF 10 de dezembro de 2016 at 13:17

    Com as denúncias da Odebrecht, existe uma grande chance do Temer cair e ter eleições indiretas.
    Tudo que os investidores “adoram”

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 10 de dezembro de 2016 at 15:07

    Esta estimativa de crescimento de 1,7% do PIB para 2017, divulgada no final de novembro/2016, é ridícula.

    Para começar, assim que o governo divulgou sua previsão de crescimento de 1,6% para o PIB em 2017, já era tão óbvia a viagem na maionese que comentei por aqui de imediato que aquele número não se sustentaria. Dito e feito, após isto o governo divulgou outra previsão, desta vez informando que o crescimento do PIB ficaria em 1% para 2017. Agora a CNI fala em 1,7% depois desta revisão para baixo do próprio governo, que costuma ser o “otimista-mor” (sic)?

    Estudo recente da FGV aponta que o crescimento potencial do Brasil é de no máximo 1%, acima disto seria anti-natural, com efeitos colaterais piores do que se não tivesse o crescimento. A FGV aposta em 0,6% de crescimento e ainda acho que é otimista…

    Infelizmente existem pessoas que acreditam que alimentando um otimismo UFANISTA, sem NENHUM embasamento, estarão ajudando a economia,
    quando na realidade é exatamente o contrário disto, foi este otimismo UFANISTA que nos colocou na situação atual, foi ele que ajudou a gerar um super-endividamento das famílias e das empresas e o pior é que o governo, indo de esteira nestas “avaliações” completamente equivocadas, continua adotando as ações mais erradas possíveis, tentando apagar incêndio com gasolina.

    Pior mesmo é termos que aturar aqueles que aparecem por aqui para dizer que estamos “torcendo” pelo agravamento da crise para que os ajustes possam acontecer, mas nos esquecendo que o agravamento da crise trará consequências ruins para todos. São tão idiotas que não conseguem perceber que, primeiro, quanto mais PEDALAREM apagando incêndio com gasolina, piores serão os resultados, são tão estúpidos que não percebem que foi exatamente isto que Dilma fez ao longo de ANOS e foi por isto que chegamos a este tamanho de crise e em segundo lugar, eles não entendem que se pararmos de pedalar e adotarmos as medidas corretas, no prazo total até que uma recuperação efetiva possa ocorrer, as consequências serão muito menos dolorosas para todos. Em outras palavras, o que queremos é que seja feito o certo, mas a cabeça destas pessoas é tão torta e tão sintonizada com o errado, que jamais conseguirão entender isto…

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cadeludo 10 de dezembro de 2016 at 15:12

    CVR reclame aqui dos bancos:
    o mais pedido no natal é aumento de limite de crédito
    gostei, parece crianças pedindo brinquedo
    e tem uma legião de pedintes

    29+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Hunter 10 de dezembro de 2016 at 22:52

    Caros foristas.
    Vejo vários posts com indicação de que o preço justo do imóvel seria entre 100 e 200 vezes o aluguel.
    Aqui tenho uma dúvida.
    A rentabilidade alternativa que considero nessa análise seria a líquida de inflação, tributos e custos?
    No caso, uma boa renda fixa (TD, p.e.) tem garantido 0,4% a.m. real, líquidos de inflação, tributos e custos.
    Aí, com essa rentabilidade, o multiplicador máximo não deveria ser de 250?

    Exemplo:
    $ disponível = 500.000.
    Preço pedido do móvel = 500.000
    Rentabilidade real = 0,4% a.m.
    Análise: se aluguel menor do que 2.000, melhor alugar. Se maior, melhor comprar?

    Pergunto, porque considerar o multiplicador de 100 a 200 demandaria uma rentabilidade real de 1% a 0,5% a.m., e, particularmente, não tenho encontrado opções de investimento com essas condições.

    Como vcs entendem bastante sobre o assunto, queria saber onde a lógica acima poderia estar errada.

    Obrigado.

    11+
    • Tagore 10 de dezembro de 2016 at 23:46

      Não vou nem entrar no mérito destas contas (por falta de competência para isto), mas você parte do pressuposto que o preço do imóvel acompanha algum índice de inflação, o que não é necessariamente verdade. Nos períodos de bolha os valores dos imóveis ultrapassam em muito a inflação e, no período subsequente, do estouro da bolha (nossa atual realidade), registram baixa valorização ou desvalorização. Principalmente no caso do período posterior a uma bolha, o investimento em imóvel pode ser considerado um mau negócio por uma longo período (uma década ou mais).

      8+
      • avatar
      • avatar
    • RC 11 de dezembro de 2016 at 07:11

      Hunter

      A rentabilidade alternativa que considero nessa análise seria a líquida de inflação, tributos e custos?
      No caso, uma boa renda fixa (TD, p.e.) tem garantido 0,4% a.m. real, líquidos de inflação, tributos e custos.
      Análise: se aluguel menor do que 2.000, melhor alugar. Se maior, melhor comprar?

      Me parece que em sua comparação, você está esquecendo que nesses R$ 2.000,00 de aluguel irão incidir impostos. 27,5% se já estiver na última faixa (lembre-se que sonegação de impostos é crime). Fora que não existe garantia alguma que o valor do aluguel Irá acompanhar a inflação, mesmo que coloque reajuste pelo IGP-M no contrato (diferente de um TD IPCA+). Ainda tem o fato dos custos de manutenção do imóvel (desgaste de pisos, mobiliário,…) e taxas extras de condomínio. Além disso tem a possibilidade de vacância por um período ou inquilino mau pagador.

      Se quer comparar investir em imóvel, compare com o investimento compatível, bolsa de valores, renda variável, e não com renda fixa.

      7+
      • avatar
    • Hunter 11 de dezembro de 2016 at 09:38

      Amigos, só complementando. A minha dúvida é para uma situação de análise para a moradia mesmo, não para investimento.
      Neste caso, na situação exemplificada, eu teria a opção de comprar e deixar de ter a despesa com o aluguel so imóvel equivalente ou de manter o $ aplicado e de contar com a rentabilidade real para pagar aluguel.
      Penso que aqui as despesas com manutenção do imóvel serão as mesmas, já que como locatário também teria que custear isso.
      Com relação aos impostos, já que o aluguel não desconta do IR, considerei o valor total como custo meu, para, então, compará-lo com a rentabilidade de algum investimento.

      3+
      • Rico 11 de dezembro de 2016 at 10:47

        Sei lá cara, o mundo está mudando tudo… Minha opinião que há outros fatores intangíveis que não estão sendo levado em conta, como a mudança da sociedade.
        Em breve as cidades irão desinchar, pela melhora da tecnologia e a possibilidade de trabalhar remotamente. Eu não tenho hoje nenhuma ambição de comprar imóvel, os grandes centros tendem a virar locais totalmente caóticos.
        Preste atenção nisso antes de definir um local para morar seus pŕoximos 10/15 anos.

        10+
        • avatar
        • avatar
      • Cesar_DF 11 de dezembro de 2016 at 17:07

        Hunter
        Já para quem irá morar no imóvel, não entra a taxa de administração, nem imposto de renda, nem vacância, por isso vai a 150X.

        Acontece que, para os jovens, que tem grande desejam ter uma grande mobilidade em função de mudanças no trabalho, as desvantagens são enormes de ter uma casa própria, pois ele se limitará apenas às empresas e oportunidades do local de moradia.

        Para um empresário também é péssimo ter uma casa própria, pois ele poderia estar usando este dinheiro como capital de giro de sua empresa, a um custo muito menor do que via financiamiento bancário.

        9+
        • avatar
        • Cesar_DF 12 de dezembro de 2016 at 06:45

          Saiu no lugar errado, era para ser mais embaixo

          1+
          • avatar
      • Zebolheu 11 de dezembro de 2016 at 23:26

        Boss, obrigado por liberar meu acesso.

        Hunter, o Cesar_DF de certo modo respondeu isso mais abaixo quando falou dos bancos, mas nunca é demais enfatizar: investimentos com menor liquidez têm que pagar mais, senão não fazem sentido. Há inúmeros argumentos psicológicos em prol e contrários à compra do imóvel, mas pensando apenas no aspecto financeiro, o ganho com o (não pagamento do) aluguel deveria ser bem superior ao ganho do investimento. E isso nas CNTP… No nosso cenário atual, com excesso de oferta e incapacidade dos mutuários em em honrar os pagamentos pressionando negativamente os preços, 100X já é bem arriscado!

        3+
        • avatar
        • Money_Addicted 12 de dezembro de 2016 at 08:45

          eu concordo, 100 X seria o Max!

          0
    • Cesar_DF 11 de dezembro de 2016 at 16:42

      Hunter
      0,40%
      menos 10% de taxa de administração = 0,36%
      0,36% menos 27,5% de IR = 0,26%
      0,26% menos 12,5% de vacância (3 meses a cada 24 meses) = 0,227%
      0,227% menos 4% (condomínio e iptu que teve que pagar durante a vacância) = 0,217%
      0,217% menos 5% de depreciação (viram taxas extras de reforma predial) = 0,206%

      Sendo otimista, com uma pequena vacância e baixa depreciação, a rentabilidade bruta de 0,4% ao mês se transforma numa rentabilidade liquida de 0,206% ao mês.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 11 de dezembro de 2016 at 16:51

        Na verdade, considerando os padrões de qualidade de construção atual, deve-se considerar uma depreciação total de que em 50 anos este prédio se tornará inabitável, devendo ser demolido.
        Isto significará uma depreciação de 2% ao ano ou 0,17% ao mês
        Se a rentabilidade liquida já era de apenas 0,206 e subtraindo 0,167%, sobrará apenas 0,039% ao mês
        Em um “investimento” de 500K, dará um retorno ao mês de R$ 195 ao mês.

        Agora considerando o retorno de investimento, ou seja, daqui quanto tempo o investimento se pagou e a partir desmo momento começará a gerar lucro, então

        100 / 0,206% = 485, ou seja, este “investimento” demorará 40 anos para amortizar todo o investimento e só a partir dai dar lucro.

        7+
        • avatar
        • avatar

        • Lucas 12 de dezembro de 2016 at 13:10

          em 50 anos SERIA demolido
          OU,
          os custos de manuntenção, reparo, modernização dispendiados em 50 anos equivalem ao custo de marromeno construir um novo, a depender da qualidade.

          1+
          • avatar
      • Cesar_DF 11 de dezembro de 2016 at 17:03

        Hunter
        Para valer a pena como investimento, a rentabilidade bruta deveria ser de 1% ao mês, ou seja, um Fator X = 100

        Para você ter uma ideia, uma banco somente irá adquiri um imóvel para fazer uma agência bancária se estiver inferior a 65X, o motivo é que ele preferem pegar estes 1,5% ao mês e se manterem líquidos, concedendo empréstimos a uma taxa bem maior que essa.

        4+
        • avatar
        • geofisico 12 de dezembro de 2016 at 08:43

          O problema é que o seu retorno do investimento visa o pagamento de aluguel, ele nao será tão bom daqui pra frente. As taxas de juros estao caindo, logo nao vai dar pra tirar 1% liq ao mês, e sim 0.9, depois 0.8, 0.7 … e ai? vale continuar ficando no aluguel? ou compra a vista o apartamento?
          eu to de olho num bolhudinho, que antes era vendido por 7500k o m2. Isso em 2012, 2013. Hoje ja tem anuncio por 5500k (25% de desconto). Sendo que, se pagar a vista, o proprio corvo me disse que se bobear da pra tirar mais 25%. Entao sai a 4300k o m2. Valores pré-bolha giram em torno de 3500k.
          O foda é que todos os nossos dados corroboram que vivemos uma bolha…mas até que ponto? O brasileiro é uma raça diferenciada, nao sei se da pra comparar com EUA, Espanha, Japao ou o diabo a quatro. A distorçao renda/preço dos imoveis nao é parametro pra mim. Pagamos caro em tudo e…continuamos pagando.
          Queria saber quantos % dos financiamentos sao feitos por FP, e como andam os estoques/vendas no Rio. Pq tenho pra mim que se a economia se recupera um pouco, a ponto de estabilizar os pagamentos e neguinho ficar otimista a bolha infla toda de novo e ai ja era a oportuniade de comprar a espelunca desvalorizada.
          Complicado, dificil de prever. PMJ ta uma maravilha ainda, mas até quando? Morar de aluguel por consequencia ta otimo tb, mas ate quando?

          5+
          • avatar
          • Zebolheu 12 de dezembro de 2016 at 09:32

            Será que as taxas de juros vão cair tanto assim? Parece papo da Empiricus… Pelo que entendi a preocupação do COPOM é aliviar a Selic acompanhando a queda da inflação, mas os juros reais devem permanecer no patamar atual, senão o $$ evapora da Banânia. De que adianta abaixarem os juros se não houver grana pra emprestar? Olha que considerando os gastos com a transferência do imóvel, reformas, o risco de ter que se mudar depois, etc. a pechincha precisa ser muito boa.

            1+
          • Hunter 12 de dezembro de 2016 at 10:03

            Primeiramente, obrigado a todos os colegas pelas respostas.

            Pois é geofísico.
            Eu considerei tirar 0,4% a.m. real (líquido de inflação, impostos e custos) tendo por referência uma aplicação em NTNBs no preço do VNA, que pagam 6% a.a bruto, que dá pra tirar uns 0,4% a.m. líquido de tudo.
            Mas é como vc falou. Caindo a Selic, a remuneração vem junto.
            Entendo quando os colegas colocaram outras variáveis, como as despesas de transferência, de manutenção, bem como a questão da liquidez, a subjetividade de ficar livre…
            Mas o que sinto é uma dificuldade de fazer o trade-off de dispor de imóvel para moradia, vis-a-vis a manutenção de um investimento sem perda de valor real.
            Na minha cabeça, como estarei morando no imóvel (comprado ou alugado), as despesas com sua manutenção serão minhas de um jeito ou de outro.
            Além disso, se alugo, todo o valor do aluguel é despesa minha, já que não posso recuperar nada disso na declaração do IR ou de outra forma.
            Por isso que pensei de considerá-lo todo na comparação com a rentabilidade líquida da aplicação em comparação, que no caso, sendo 0,4% a.m, me levaria a um multiplicador de 250.
            Não sei o que está escapando a minha análise ou se os colegas fazem referência a opções de investimento que tenham rentabilidade real maior.
            Entendo o fator 100x, 200x para uma análise que olha para o imóvel como possível investimento (o que acho que roubada).
            Mas para a moradia mesmo, me parece que alguns fatores, mesmo somente financeiros, mudam, como esse de considerar o valor total do aluguel como despesa.
            Independentemente disso, sei que quanto menor o multiplicador melhor a compra, mas só queria entender melhor essas balizas de 100x, 200x para o caso de quem está fazendo uma análise para compra e não para investimento.
            Abraços

            3+
            • Zebolheu 12 de dezembro de 2016 at 10:11

              Opa, pera lá: ” a subjetividade de ficar livre” não é tão subjetivo assim. A menos que você seja milionário, há uma certa probabilidade de você *precisar* do dinheiro que está empatado no imóvel, e nesse caso será necessário vender às pressas recorrer a um empréstimo. Esse fator não pode ser subestimado. Já precisei dispor de 100K por motivo de saúde e, graças a não ter imóvel, me livrei de ter que emprestar. E olha que não tenho nem 40…

              3+
              • avatar
            • RC 12 de dezembro de 2016 at 11:55

              Hunter, meu comentário inicial foi com a premissa de que você estava escolhendo entre investir em renda fixa, ou investir em imóveis. Como a premissa se mostrou errada com seu comentário posterior, vou tecer outros argumentos.

              Quando se discute alugar ou comprar, a análise financeira nem sempre será o maior peso da escolha; já disse outras vezes que essa seria uma escolha multicritério. Existem lados bons e ruins em ambos os casos, mas o quanto cada um pesa na decisão é algo muito particular.

              Sobre o aspecto financeiro, você apresenta uma alternativa de ganho de 0,4% a.m. real com o investimento. Ou seja, você mantém seu patrimônio e essa rentabilidade “ad aeternum” por superar a inflação. Caso a valorização do aluguel respeite a inflação (o IGP-M costuma ficar próximo do IPC-A), você não terá problemas em continuar alugando também eternamente esse padrão de imóvel. Se buscarmos os dados atuais veremos que o aluguel está em queda e com tendência de queda para os próximos meses/anos, especialmente em relação a inflação. Ou seja, você estaria “lucrando” se o investimento estiver rendendo mais do que o aluguel reajustando.

              Vou interpretar que se você considera alternativa, a compra do imóvel se daria à vista (se for financiado piora e muito, pois entraria todos os juros do adiantamento do capital, correção com TR, seguros, custos cartoriais….). Assim você estaria disposto a deixar de ter o dinheiro de reserva (para este ou qualquer outro fim) e utilizar seu rendimento para moradia (deixando de ganhar quando o reajuste do aluguel for menor, mas deixando de perder nos casos em que ele for maior, vide bolha), para aplicar todo esse recurso em moradia. A meu ver, você poderia dar o tiro certeiro, de comprar o imóvel dos seus sonhos, com a necessidade de hoje e de amanhã da sua família (espaço para filhos, pais), com vizinhos excelentes que nunca o perturbarão, com síndicos responsáveis que buscarão diminuir custos ao invés de ampliar receitas,…, ou seja, nunca precisar se mudar e vender este imóvel. Como trabalho com análise de riscos, posso te afirmar com uma certa segurança que se buscarmos na captura da opinião subjetiva, dentro da curva de densidade de probabilidade, esse cenário seria de confiabilidade próxima a zero.

              O aluguel de certa maneira te blinda desses problemas. Mas não é solução de todos as mazelas, tem seus aspectos negativos. Mas um ponto que deve ser levantado caso o cenário hipotético de baixa probabilidade acima levantado não ocorra, é o fato de ter sim de vender e adquirir outro imóvel nos próximos anos que gerará custos e vai ser afetado diretamente pelos preços dos imóveis na região de venda e na de compra, além do fato de se há uma tendência de baixa no valor de compra dos imóveis nos próximos anos, com o mesmo recurso poderia comprar imóvel melhor (seja em localização ou estrutura).

              Quanto ao fator 100X, 150X, 200X, o usuário Cezar_DF tem trazido bastante material ao fórum e provavelmente poderá ajudar você a entender melhor.

              1+
            • Lucas 12 de dezembro de 2016 at 13:52

              Hunter
              depende, nas faixas mais baixas realmente ter uma moradia própria tem grandes vantagens
              nas faixas mais altas, melhor alugar
              tem um monte de fatores que entra nesse calculo, mas via de regra é isso.

              1+
  • Alemon Fritz 11 de dezembro de 2016 at 09:10

    Juro menor pode frear queda no crédito imobiliário
    Os financiamentos somaram R$ 37,2 bilhões de janeiro a outubro deste ano, montante 44,2% menor que o registrado em igual período do ano passado e 33% para 2014 …
    … sem considerar, por exemplo, as operações realizadas com dinheiro do FGTS.
    baixando a taxa básica “Para o próximo ano, não vejo falta de funding”, .. (kkkk)
    http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2016/12/11/internas_economia,831647/juro-menor-pode-frear-queda-no-credito-imobiliario.shtml

    lembrando que a caixa “tinha” 93bilhoes e só aplicou 40 bilhoes até agora..gasolina sobrando pro ano que vem ou pedalada, e o gov planeja usar o fgts para dívidas (e o empregado forçar demissão pra ganhar a multa..)…

    7+
    • avatar
    • avatar
    • thiago fm 12 de dezembro de 2016 at 07:18

      Alemon,

      Se me permite o adendo..

      O recuo dos financiamentos do SBPE foi grande realmente, mas é preciso lembrar que ele já não é o maior financiador de recursos para casa própria. Esse posto agora é do FGTS, onde a CEF concentra o foco desde meados do ano passado. Logo a previsão de R$ 45 bilhões é para o SBPE. Se o ritmo é sustentável para o FGTS eu não sei, mas já há planejamento de R$ 200 bi para habitação para os próximos três anos com esse funding.

      Última posição que tenho sobre as concessões da CEF é da posição de 07/10/16, a qual também constará no próximo artigo. Até esta data apenas a CEF tinha emprestado R$ 57,9 bi dos R$ 90 bi do orçamento para esse ano, entre recursos do FGTS e SBPE. Não acho que atinja esse número do orçamento, mas obviamente fechará bem acima dos 40 bi que você apontou.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 12 de dezembro de 2016 at 19:28

        sim, vc está certo, eu não achei mais dados e estimei entre 65 e 80milhoes o que tinha sido injetado. (40 até julho e dobrei). mas ainda estava abaixo do prometido..

        0
  • Alemon Fritz 11 de dezembro de 2016 at 10:27

    onde estão, ninguém viu….

    era pra já estar no mercado em 2016…
    LIG ” a garantida”
    A Letra Imobiliária Garantida (LIG) foi criada pela lei nº 13.097 e sancionada no início deste ano (2015), mas depende de regulamentação do BC e da CVM. Ela é semelhante a um Certificado de Depósito Bancário (CDB), mas isenta de Imposto de Renda e com lastro (garantia) em operações de crédito imobiliário, títulos públicos, derivativos e outros.

    A LIG foi inspirada nos “covered bonds”, títulos usados como fonte de recurso para o mercado imobiliário na Europa,
    (AAA) …. covered bonds na bananazuela, protegidos com o patrimonio de afetação… kkkkk
    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/as-alternativas-para-financiar-seu-imovel-agora/

    7+
    • avatar
  • Alemon Fritz 11 de dezembro de 2016 at 10:52

    já existem há mais de 200 anos nas zoropa,… aqui teriam que acompanhar a inflação pra alguma vantagem, nenhum banco quer…

    5+
    • avatar
  • Alemon Fritz 11 de dezembro de 2016 at 17:45

    de costa pro motumbo

    Preços estáveis atraem no litoral paulista
    De acordo com profissionais que atuam na região, momento é propício para quem deseja comprar ou vender um imóvel na costa. (compre djá, kkkk)
    estoque de 7000 unidades…

    http://economia.estadao.com.br/blogs/radar-imobiliario/precos-estaveis-atraem-no-litoral-paulista/

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Ilusionista 12 de dezembro de 2016 at 07:51

      sempre achei uma coisa meio idiota ser proprietário de um imóvel para lazer. Tem ótimas pousadas mundo afora a menos de 150 reais…
      Ou você se torna uma pessoa mesquinha, curtindo solidão enquanto seus amigos e parentes se divertem em outros localidades, só para ter a certeza que ninguém aproveita de você.
      Ou você passa a ser um “mão aberta”, por um lado terá o “prazer” de ostentar para parentada e amigus, convidando eles para se alojar nos seus tijolos para curtir um mar, garantindo churras e brejas.
      O único “probleminha” é que, enquanto eles voltarão felizes por ter usufruído tanto prazer ao custo de outro que ficará com os encargos de manutenção, carnezinhos do IPTU bolhudão( Guaruja é TOP, 3 dorm passa de 3 mil), além de um condomínio anual que poderá chegar a mais de 10 mil (com este valor dá para ir para zoropa)….
      Mais tranquilo e esperto quem aproveita as “promo” de cruzeiros, melhores destinos, decolar, tendo certeza que irá conhecer novos lugares, novas pessoas, novos prazeres….
      Descer a serra no fds para participar de reunião de “proprietário de condomínio vista mar” é para os fortis..

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Labar 12 de dezembro de 2016 at 08:54

        Como dinheiro de uma casa na praia aplicado pode-se viajar para o MUNDO inteiro para o RESTO DA VIDA!

        Dentro do TOP 10 de suicídios financeiros que uma pessoa classe média alta ou classe rica pode cometer, comprar uma casa de veraneio com certeza é o primeiro.

        Pelo que já percebi, esse era o sonho da geração dos meus pais (55-65 anos). O auge do sucesso era quando a pessoa chamava a parentada pra passar o verão na sua casa de praia. Hoje com trip advisor, booking, airbnb e o escambau, fixar raizes em tijolo na praia é loucura.

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 12 de dezembro de 2016 at 13:31

          sem falar nos caseiros/faxineiras que sublocam sua casa para todo tipo de atividade
          sem falar no efeito da maresia em eltrodomésticos
          sem falar nos bandos especializados em roubar casas de veraneio.

          fico até domingo lembrando dos detalhes
          já falei não canso de repetir, o diabo mora lá

          6+
          • avatar
      • Baby Boy 12 de dezembro de 2016 at 12:02

        Casa na praia são 2 alegrias:
        1- quando vende.
        2- quando aplica e passa a receber juros!

        PMJ!

        5+
        • avatar
        • avatar
  • Zebolheu 11 de dezembro de 2016 at 23:30

    CVRzinho carne de vaca, só pra constar… Sem reajuste no aluguel neste ano!

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Zebolheu 11 de dezembro de 2016 at 23:46

    CVR marromeno, pra pirar a ala çofiti…
    – Lançamento na região que o Veio Lucas gosta em 2013, sem varanda gourmet: 11K o m2
    – Lançamento na mesma região que o Veio Lucas gosta em 2016, em área mais silenciosa e COM varanda gourmet: 9K o m2
    Inflação acumulada nesse tempo: + ou – 25%
    Queda real no preço anunciado (sem cholo): 35%
    Já tem corvo me caçando pra oferecer outros lançamentos na região, os caras não desistem de assentar tijolos… Aí tem treta!

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 12 de dezembro de 2016 at 12:23

      ia falar sobre isso
      Trolei um corvo e ele me ofereceu por menos de 5k/m²

      queR uma história triste???
      um paranto estava em dificuldades não tinha mais de meio milhão pra gastar, acabara de vender o dele para saldar dívidas a preço-de-ouro
      daí queria comprar um menor…
      achou somente a 80km de distancia, financiado, e olha que graças a mim, que falei da bolha, senão ele tinha feito cagada ainda maior.

      Hoje ele pagaria a vista a 5 minutos do trabalho dele
      o estouro da bolha pra esse coitado é arriscar a vida +pedagio+gasolina 200km todo dia na rodovia (uma das melhores do país, mesmo assim né)
      eu nem consigo falar nada pra ele, o olhar de tristeza dele diz tudo
      pior, ainda está com medo do desemprego, sorte que ele é muito talentoso, ficou pros últimos, acho que escapa!

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 12 de dezembro de 2016 at 07:06

    Mais um fuzilado, como previsto…

    Polícia apura sequestro terminado em morte no Vale do Sinos
    O corretor, segundo a polícia, foi executado com diversos disparos.
    http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/policia/noticia/2016/12/policia-apura-sequestro-terminado-em-morte-no-vale-do-sinos-8704146.html

    4+
    • avatar
  • Alemon Fritz 12 de dezembro de 2016 at 07:29

    Outra previsão, quem acompanha lembra que eu sempre insisto sobre a alta mortalidade e redução da pob subestimada…

    bem, no ano passado eu estimei uma queda no número de partos iria ser alta.
    e que a mortalidade geral e por zika, dengue era mais alta.
    – Bom dia Brasil mostrando que o número de partos caiu quase a metade (eu estimei 25%).. calculei a redução geral em cerca 150mil nascimentos e aumento do número de mortes (parece que é maior ainda). = redução da população e demanda
    PS:
    notícia: banco central quer cpf nos boletos de quem paga. principalmente de valores altos… kkkk

    4+
    • avatar
    • Leonardo M. 12 de dezembro de 2016 at 10:42

      Se preocupa não…. Em 30 anos muitos alemães cristãos, católicos e ateus vão se mudar pra Santa Catarina pois serão expulsos pelos novos alemães e futura maioria islâmica.

      5+
      • avatar
      • Diego F. 12 de dezembro de 2016 at 12:22

        Também acho. Se as coisas continuarem assim, teremos novas ondas migratórias para as regiões menos piores do BR.

        2+
        • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 12 de dezembro de 2016 at 07:33
  • Camika 12 de dezembro de 2016 at 07:58

    As matérias sobre aposentadoria agora são todas um oferecimento do Capitão Óbvio
    “Para não depender do INSS, o negócio é poupar desde cedo”
    http://www.otempo.com.br/capa/economia/para-n%C3%A3o-depender-do-inss-o-neg%C3%B3cio-%C3%A9-poupar-desde-cedo-1.1410697

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Baby Boy 12 de dezembro de 2016 at 09:47

    Que venha estado de calamidade financeira em todos os estados da Banania.

    Bunker ativado!

    5+
    • avatar
  • Rene Fraçoá 12 de dezembro de 2016 at 10:40

    Tópico?

    Por que é tão difícil saber o preço exato dos imóveis?

    Apesar de contar com ao menos quatro índices de preços de alcance nacional, as informações sobre empreendimentos têm sempre algum tipo de viés.

    http://www.gazetadopovo.com.br/economia/por-que-e-tao-dificil-saber-o-preco-exato-dos-imoveis-1stpejqmrebrpfzjhlsh50zc7

    7+
    • avatar
    • avatar
  • Rene Fraçoá 12 de dezembro de 2016 at 10:41

    O meu índice que aprendi aqui é: o imóvel vale quanto estão dispostos a pagar.

    9+
    • avatar
    • Antigo 12 de dezembro de 2016 at 11:13

      Exato

      Acredito que um indicador mais realista seria um baseado nas transações de compra e venda registradas em cartório. Mas como os dados de cartório são muito fechados ainda, acredito que jamais tenhamos acesso a isso. É uma pena, pois essas informações são públicas, qualquer um pode requisitar, basta saber o endereço ou matrícula do imóvel (pagando uma taxa). O ITBI individualizado também cumpriria o mesmo papel.

      Mas para mim fica claro que não é interesse do mercado imobiliário ter um índice claro que demonstre o preço exato de um imóvel na região. É um mercado que vive de especulação, mentiras e desinformação.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • Rene Fraçoá 12 de dezembro de 2016 at 11:46

        Nós saímos da meio natural, passamos ao meio técnico, depois ao cientifico e agora estamos no cientifico-informacional, nele a informação é que produz o “valor”, e para isso dado a queda de rendimento a nível mundial a mentira é uma forma recorrente, some se a isso que o Brasil é reconhecidamente um povo sem memória, e com baixa instrução…..

        3+
        • avatar
        • avatar
  • Bruno.12 12 de dezembro de 2016 at 11:30

    Retornando depois de um longo sumiço desse blog opressor!
    Noticia (obvia):

    Recuperação judicial

    PDG está na reta final para seu pedido de recuperação judicial.

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 12 de dezembro de 2016 at 12:32

      pela lei nova
      recuperação judicial = 99% de chance de falência

      falência hoje, só é decretada quando já levaram até a mobilia do escritório sem luz, sem água, sem nada

      2+
      • avatar
  • Lucas 12 de dezembro de 2016 at 12:30

    geofisico

    O problema é que o seu retorno do investimento visa o pagamento de aluguel, ele nao será tão bom daqui pra frente. As taxas de juros estao caindo, logo nao vai dar pra tirar 1% liq ao mês, e sim 0.9, depois 0.8, 0.7 … e ai? vale continuar ficando no aluguel? ou compra a vista o apartamento?
    eu to de olho num bolhudinho, que antes era vendido por 7500k o m2. Isso em 2012, 2013. Hoje ja tem anuncio por 5500k (25% de desconto). Sendo que, se pagar a vista, o proprio corvo me disse que se bobear da pra tirar mais 25%. Entao sai a 4300k o m2. Valores pré-bolha giram em torno de 3500k.
    O foda é que todos os nossos dados corroboram que vivemos uma bolha…mas até que ponto? O brasileiro é uma raça diferenciada, nao sei se da pra comparar com EUA, Espanha, Japao ou o diabo a quatro. A distorçao renda/preço dos imoveis nao é parametro pra mim. Pagamos caro em tudo e…continuamos pagando.
    Queria saber quantos % dos financiamentos sao feitos por FP, e como andam os estoques/vendas no Rio. Pq tenho pra mim que se a economia se recupera um pouco, a ponto de estabilizar os pagamentos e neguinho ficar otimista a bolha infla toda de novo e ai ja era a oportuniade de comprar a espelunca desvalorizada.
    Complicado, dificil de prever. PMJ ta uma maravilha ainda, mas até quando? Morar de aluguel por consequencia ta otimo tb, mas ate quando?

    1+

    essa é a pergunta do milhão
    esperar demais e perder o timing
    claro que estamos falando em 2017 ou 2018 pra frente né?
    como vc sabe pelo TD quando juros caem o valor de face dispara
    Além do mais cair meio% no juros se a inflação cair 4% na verdade vc teve ganho real de juros e não perda, mesmo que vc tenha CDBs e 0,9 vire 0,8.
    Já o aluguel segue a renda que segue o desemprego, que segue a crise.
    Então vamos analisar a crise….
    Vc viu aí algo concreto realizado?

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 12 de dezembro de 2016 at 21:22

      Exatamente, aluguel varia de forma proporcional à renda.
      A previsão é que o fundo do poço seja atingido em 2018 e a recuperação do nivel da renda de 2013 só acontecerá em 2023.

      0
  • Lucas 12 de dezembro de 2016 at 12:39

    Bomba bomba

    embostalhamento internacional
    FED x TRump

    porfavor não me venham colocar que eu torço pra algum dos times, ou sou contra algum deles.
    o fed copmo vcs sabem é uma empresa privada dona do dólar e que controla autonomamente a impressão deles e os juros
    o trump é apenas presidente com influencia restrita no primeiro.

    Quandos os 2 se entendem, muitas vezes dá merda
    Os 2 inimigos nunca antes na história, bem, pode ser mentira que eles estejam inimigos, eu acho bem razoável supor que existe no mínimo este risco sim! E não é coisa só de mídia não, é tbm, mas não é SÓ!

    1+
    • avatar
    • Baby Boy 12 de dezembro de 2016 at 13:11

      Se eu fosse um “vidente”, iria a mídia e falar que :
      prevejo um presidente assassinado igual JFK nos próximos anos.

      3+
      • avatar