Só quem reduz os preços consegue vender imóvel – Jornal de Brasilia

Você pode gostar...

Comments
  • MARK 10 de agosto de 2016 at 21:37

    Olha só… até que enfim os 666 acordando pra vida. Gostei deste trecho:
    “É desestimulante. A gente cria expectativas. Além disso, acredito que os corretores avaliam o imóvel acima da realidade do mercado. Por causa da crise, estou me mudando para a Asa Sul”

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CarlosL 10 de agosto de 2016 at 22:51

      Acho na verdade ela vai se mudar mesmo é para Asa do Motumbo. Ouvi dizer que lá é bem quentinho….

      13+
      • avatar
      • Sergio Soares 11 de agosto de 2016 at 10:17

        Esquenta por dentro kkkkkkkk

        6+
    • Cesar_DF 11 de agosto de 2016 at 11:35

      E quanto mais saem os imóveis mais baratos do banco de dados do FIPE-ZAP, mais aumenta o índice KAKAKAKAKAKAKAKA

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Margarida 10 de agosto de 2016 at 22:54

    CVR
    Quinze dias atrás vi um anúncio novo num bairro aqui de Ditroiti. Apartamento de 95m2, localização interessante, por 400 mil.
    Pedi detalhes pro corvo, e eis que não tem portaria, nem elevador, e o condomínio é 250 reais – caro pra um prédio que não tem nada além de uma faxineira duas vezes por semana, no máximo. (Corvo ainda demorou uns dias pra responder ao email, pra se fazer de difícil kkk)
    Como eu cliquei e pedi informações, fico recebendo emails desse anúncio.
    Semana passada baixou pra 350 mil. Hoje baixou pra 330 mil.
    O vendedor tá sentido tão rápido e forte que a expectativa dele está absolutamente fora da realidade, e está tentando ajustar o preço? Não! Jogou o preço na estratosfera e tá tentando induzir algum idiota que a pensar que vai sair numa vantagem enorme se comprar, por 300 mil, um apartamento de 400 (que na verdade vale 100).
    E o proprietário fica lá “desetimulado” porque tá difícil vender. É, não tem mais quase otários dando mole por aí. A essa altura, os que já foram pegos estão cientes da roubada, e os que não foram é porque já estavam cientes do esquema antes.
    O corvo é burro e não avisa? Duvido que isso que a matéria diz seja verdade. É o proprietário que vê anúncio do FZ e sai logo achando que vai vender por aqueles preços.

    Só que não sobrou quase ninguém e as estratégias de venda vão ter que começar a mudar. O conto da parcelinha que cabe no bolso não tem mais fôlego; todo mundo sabe o resultado disso, porque caiu na boca do povo mesmo e os CVRs são ouvidos no dia-a-dia, não só no Reclame Aqui. Todo mundo conhece alguém que entrou pelo cano num negócio imobiliário mal feito nos últimos anos.

    “Nunca mais.”

    38+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Labar 10 de agosto de 2016 at 23:03

      Não se engane. Ainda existem muitos otários por aí, a diferença é que eles estão sem dinheiro (na verdade crédito), não tem ninguém pra bancar a idiotice deles. Dê um creditozinho pra essa cambada e vai ver o estrago…

      60+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Margarida 10 de agosto de 2016 at 23:24

        Entendo seu ponto e concordo.

        É que nesse momento, e pelos próximos anos, acredito que o crédito, se houver, e se houver pessoas com condições de tomá-los, vai ser usado pra outras prioridades. Tá osso mesmo, o povo tá todo danado.

        O funcionamento básico do 666 é: “se posso comprometer 30% da minha renda em financiamentos, por que não faria isso?” Problema é que essa renda está comprometida. E quando/se deixar de estar comprometida, o 666 vai estar entretido em coisas mais básicas, que terá deixado pra trás depois de anos tentando sair da bola de neve dos juros.

        Quero dizer que acho que não foi só a farra do crédito que levou tanta gente a essa insanidade de comprar imóveis caríssimos. Acho que também foi uma sensação de conforto e fartura que houve durante alguns anos. Inflação relativamente baixa e estável pros nossos padrões, os empregos pareciam menos escassos, as pessoas sentiram uma segurança que não deveriam ter sentido. Acho que hoje a sensação geral é de “medo da água fria”, que vai demorar bastante pra passar.

        Claro que se eu estiver errada a gente vai receber juros e se conformar, fazer o quê?

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Alemon Fritz 10 de agosto de 2016 at 23:27

    1- 76 % das casas e apartamentos que foram comprados tiveram desconto,
    2- desconto nos últimos 12 meses foi de 9,4% …
    3-distratos de 42%, estoque de +4 anos
    mas o indice FZ sempre está estavelmente estavel e vai subir… esses corvos se retorcem

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 11 de agosto de 2016 at 09:29

      é ÇOFTI !

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Andradez 11 de agosto de 2016 at 10:48

      É essa parte que eu ainda não entendo. Até que ponto esses descontos são verdadeiros sem que saibamos por exemplo, o custo da construção. Imagina o construtor que levantou o prédio onde gastou 200k por unidade, depois bota o preço em 500k e vende por 400k. Até que ponto esse desconto de 25% foi verdadeiro? Afinal de contas ele ainda saiu ganhando e muito…

      Esse pra mim ainda é o grande problema do nosso mercado. As construtoras e imobiliárias fabricam preços. Ai fica difícil de mensurar esses descontos. O colega que trouxe um CVR do apto de 400k que caiu pra 320k é um bom exemplo. Será que uma pessoas na “CNTP” reduziria o preço dessa forma, ou será que essa gordura já não estaria embutida e na verdade ele vendendo por 320k ainda estaria tendo um bom lucro?

      Qual seria a forma mais concreta de avaliar se esses descontos ai são verdadeiros ou produzidos?

      Abs!

      9+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 11 de agosto de 2016 at 06:09

    SÃO PAULO – A PDG Realty registrou prejuízo líquido de R$ 740 milhões no segundo trimestre, mais de três vezes superior à perda de R$ 231,07 milhões do mesmo período do ano passado. A receita líquida teve queda de 75%, para R$ 119,83 milhões.

    As informações foram divulgadas na noite desta quarta-feira no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

    A margem bruta ficou negativa em 47,6%.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • LZ 11 de agosto de 2016 at 11:34

      Acho que temos a maior canditada de quebra aparecendo.
      Até quando os bancos vão aguentar sem a grana e exercer a tomada de posse dos bens da PDG.
      No meu ver os bancos tem medo de gerar a tomada e os ativos perderem ainda mais valor.

      9+
      • avatar
      • Cesar_DF 11 de agosto de 2016 at 11:40

        O problema é que os bancos sabem que quando a primeira grande incorporadora quebrar, as outra vão junto, vão tentar ao máximo adiar isto para garantir suas próprias comissões, isto é típico de bolhas

        10+
        • avatar
  • gmlinux 11 de agosto de 2016 at 06:28

    É praxe anunciar um valor maior e dar desconto na venda, a pesquisa falhou em mostrar o que era praxe e o que temos agora.
    O problema é que não temos baseline para analisar as coisa neste mercado, quando temos os dados, nem sempre são confiáveis.
    Na boa, parece anúncio de corvetor, matéria paga, para tentar convencer os vendedores a baixarem os preços e tentar movimentar o mercado, afinal, sem venda, sem corretagem.

    10+
    • avatar
  • CA 11 de agosto de 2016 at 07:08

    Sobre o tópico:

    É importante lembrar que o FIPE Zap distorce inclusive as informações sobre os descontos realizados das supostas vendas, sempre com o intuito de enganar os incautos e fazer de conta que o preço não está caindo tanto.

    Vou retornar ao mesmo exemplo de sempre:

    Suponha que tenho 5 imóveis idênticos, cada um deles com 100 m2, no mesmo prédio, com mesma planta, em andares próximos, estado de conservação muito similar, com mesma visada, etc, que estão anunciados no Zap Imóveis, 4 deles com anúncio publicado com preço de R$ 500 mil e 1 deles anunciado por R$ 400 mil.

    Adivinhem qual o único dos imóveis acima que será vendido? O que está anunciado por R$ 400 mil. Só que ele será vendido com 10% de “desconto”, saindo por R$ 360 mil.

    No resultado da “pesquisa” do FIPE Zap o desconto publicado nos jornais é de 10%, daí a pessoa vai olhar no preço médio daquele imóvel e o que aconteceu? O preço médio do FIPE Zap subiu! Como isso aconteceu? Ao vender o imóvel anunciado, o mesmo é retirado do Zap Imoveis e com isto ele deixa de compor a média e como só sobraram os preços mais caros esta média de preços sobe! Sim, é isso mesmo, vendeu o mais barato com desconto e ainda assim o preço subiu! O INCAUTO vê aquilo e “pensa”: “uau, o mercado imobiliario é mágico mesmo, apesar do desconto subir um pouco, da crise na economia e de venderem quase nada, o preço anunciado continua subindo e na prática, mesmo com o desconto maior, o preço negociado continua estável! “.

    Este é mais um dos infinitos TRUQUES do mercado imobiliario para enganar os INCAUTOS…

    27+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 11 de agosto de 2016 at 08:01

    Os eufemismos andam sumidos ultimamente, pois enquanto os preços subiam (sem explicação), era valorização, quando os preços começaram a cair, era ajuste. Portanto, o título da reportagem está “errado”, o correto deveria ser: “Só quem ajusta os preços consegue vender imóvel”
    hehehe

    10+
    • avatar
    • Cesar_DF 11 de agosto de 2016 at 11:46

      1- Cassado por quebra de decoro(Safado).
      2- Controlador da taxa de densidade demográfica municipal (Pistoleiro).
      3- Redirecionador de verbas do INSS (Gatuno).
      4- Pesquisador de fontes alternativas de renda (Golpista; 171).
      5- Artista plástico perito em mensagens abstratas (Pichador).
      6- Técnico saneador das vias particulares baixas (Proctologista).
      7- Ilusionista expert em desaparecimento de objetos valiosos (Ladrão).
      8- Voluntário em testes científicos de novas substâncias (Drogado).
      9- Degustador contumaz de bebidas populares (Cachaceiro).
      10- Autoexcluído do mercado de trabalho (Vagabundo).
      11- Marido sexualmente comunista (Corno; chifrudo).
      12-Jovem muito aberta a novos relacionamentos (Periguete).
      13-Colaborador na geração de empregos na área de pneumologia(Fumante).
      14- Especialista em cultos e rituais afro-religiosos (Macumbeiro).
      15- Eremita social e sexual perito em computação(Nerd).
      16- Professora sexóloga perita em aulas práticas. (Prostituta)-
      17- Entregador de pizza a senhoras solitárias. (Garoto de programa)—
      18- Escalador de foco de luz de lanterna. (Doido).
      19- Futebolista dominical inimigo da bola (Perna-de-pau).
      20- Portador crônico de disfunção erétil (Broxa).
      21- Portador de ereção incontrolável (Tarado).
      22- Técnico alternativo em expansão urbana (Grileiro; invasor).
      23- Estudioso de fenômenos inexplicáveis (Ufólogo).
      24- Sujeitinho de caráter duvidoso (Pilantra).
      25- Divulgadora instantânea de notícias não comprovadas (Fofoqueira).
      26 – Perito em serviços gerais (Desqualificado).
      27- Assistente do perito em serviços gerais (Lascado).
      28- Mercador alternativo isento de impostos ( Contrabandista ).
      29- Delegacia da criança e do adolescente (Abrigo público para bandidos).
      30- Inadimplente (Caloteiro).
      31- Negativado ( Caloteiro documentado).
      http://www.recantodasletras.com.br/gramatica/3531439

      12+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 11 de agosto de 2016 at 08:06

    postado em 11/08/2016 00:12 / atualizado em 11/08/2016 07:42
    Estado de Minas
    Brasília – O presidente interino Michel Temer vai aproveitar o encontro com os empresários da construção civil, marcado para hoje no Palácio do Planalto, para apresentar ao setor mudanças na terceira fase do programa Minha casa, minha vida, lançada oficialmente pela presidente afastada Dilma Rousseff em março. Entre as novidades, estão o fim do cadastro obrigatório no Ministério das Cidades das famílias interessadas – pasta que passaria a ser responsável por selecionar e sortear os beneficiários na nova faixa de renda (entre R$ 1.800 e R$ 2.350) – e mais recursos para a habitação social, elevando o orçamento deste ano de R$ 43 bilhões para cerca de R$ 50 bilhões.
    Criado em maio por portaria do Ministério das Cidades, o Sistema Nacional de Cadastro Habitacional (SNCH) foi criticado pelos empresários do setor, que alegavam ingerência do governo no mercado e tentativa de politizar ainda mais o programa. O argumento é de que as famílias enquadradas na nova faixa não ganham a casa, como acontece na faixa 1 (até R$ 1.800). Elas assumem um financiamento habitacional, com juros de 5% ao ano e, portanto, devem escolher o imóvel a ser comprado, bem como a localidade. Com a mudança, caberá às empresas construir e vender as unidades.

    5+
    • avatar
    • joselito 11 de agosto de 2016 at 09:30

      Pedaaaala Dilma, ops, Temeeer…

      Engraçado noticiar que os empresários estão achando ruim a “ingerência do Governo”…….justamente por isso eles ainda sobrevivem, caso contrário quem tem cash para pagar as construtoras além de bancos públicos? rsrsrs

      7+
      • avatar
      • avatar
      • Rampion 11 de agosto de 2016 at 09:39

        Cuidado com essas observações. Daqui a pouco os coxinhas de plantão irão te chamar de mortadela.kkkk.
        Estão todos surfando na idéia de que a economia vai melhorar. Só não se ligaram que o surf está ocorrendo na baia de Guanabara, ou seja, com muito lixo e merda. kkkkk.

        22+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • bolha real 11 de agosto de 2016 at 14:28

        Vai demorar muito pra arrumar o estrago que a esquerda fez… A porcaria que os petistas colocaram no governo está menor pior pelo menos.

        Que estoure a bolha de vez.

        5+
        • avatar
        • bolha real 11 de agosto de 2016 at 14:28

          *menos

          2+
        • Rampion 12 de agosto de 2016 at 09:27

          bolha real,

          diferente de você me recuso a aceitar esse discurso de que pelo menos as coisas estão menos pior. Na minha vida tenho o hábito de descartar totalmente algo que não está dando certo. Me recuso a viver com o sentimento de que “é isso o que tem para hoje”. Nem me atenho a essa coisa de partido de esquerda e direita, sei que são todos corruptos e ladrões. Pena que o povo parece ver essas coisas de fora, como se não fosse ele o roubado, como se todos esses políticos não fossem os responsáveis maiores por essa crise. É muita ingenuidade chamar o ladrão que arrombou o cofre para consertá-lo. Mas taí o que poucos parecem enxergar.

          5+
    • Cajuzinha 11 de agosto de 2016 at 08:12

      Pelo português dá pra perceber a confiabilidade da notícia: ”
      Prando acredita que o segundo semestre é o momento certo para comprar um imóvel, pois, mesmo inseguras, as pessoas reconhecem que ouve uma parada no mercado imobiliário. “

      12+
      • joselito 11 de agosto de 2016 at 09:30

        num to ouvindo nada

        4+
      • deuruim 11 de agosto de 2016 at 11:26

        “… teremos uma avalanche de dinheiro indo para a compra de imóveis, que deve gerar a redução de ofertas em 2017” ahhahah
        Estou com medo dessa avalanche

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cadeludo 11 de agosto de 2016 at 22:27

          essa avalanche só quer juros
          eu também

          2+
    • Labar 11 de agosto de 2016 at 11:23

      Isso é ESPECIAL PUBLICITÁRIO. Toda semana tá saindo um desse no G1

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • wing 11 de agosto de 2016 at 13:34

      Só se for dos ultimos 2 anos.

      3+
  • job 11 de agosto de 2016 at 08:36

    CVR “Falência ao investir em imóveis”: amigo meu trabalha numa empresa pública aqui em SP, a qual tem um plano de previdência próprio (a entidade administra o plano de previdência de mais ou menos 2000 empregados). Era chamado de “Plano de Previdência I”. Lá pelo final dos anos 90, entrou uma nova administração nesse plano, e tiveram a brilhante idéia de investir em imóveis comerciais para diversificar.
    Resultado? Hoje o plano se chama “Plano de Previdência II” .
    Até hoje os motumbados indiretamente pelo “Plano I” estão pagando extra para tapar o buraco. Plano I faliu totalmente. Ninguém foi preso. Meu amigo comentou que foi conversar com o pessoal do plano e pra ver os benefícios e talz. Iria pagar 600 reais por mês dos 32 até os 70 anos, para aí sim ter uma aposentadoria com um valor mediano. Aconselhei o amigo a cair fora dessa cilada e colocar essa grana em Tesouro Direto, não precisei nem efetuar cálculo pra mostrar pro amigo que valia mais a pena.
    E aí, será que dei um bom conselho pro amigo?

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • EngenheiroSP 11 de agosto de 2016 at 08:59

      To pra ver um plano de previdência, ainda mais de empresa pública, que cuide mais dos beneficiários do que lucro imediato dos “administradores”.

      Uma furada total

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • From_The_Tower 11 de agosto de 2016 at 09:28

      Ah coitados.

      7+
      • avatar
    • Rampion 11 de agosto de 2016 at 09:43

      Onde trabalho somos obrigados a “contribuir” com valor mínimo ao plano de previdência. Pago o mínimo, pois, não acredito em nada envolvendo sindicatos ou qualquer coisa que envolva o “bem estar” do funcionário. Nunca vi ninguém oferecer bom negócio que não fosse ótimo negócio para ele próprio.

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Andradez 11 de agosto de 2016 at 11:08

      Depende colega. É preciso separar o joio do trigo nessas horas. Diferenciar os planos abertos dos fechados e os planos BD’s (saldados) do planos CD’s. Esse modelo de previdência que quebrou do seu colega não existe mais para novas adesões em nenhuma empresa. Era o chamado Plano A das previdências fechadas (ou plano de benefício definido, que você contribuía e sabia o valor que iria receber quando aposentasse). Era um plano solidário onde todos contribuíam para a constituição de um único “bolo grande”. E da mesma forma, se houvesse prejuízo, todos tinham que contribuir também para tapar o buraco. Na prática, todos os Planos A’s das grandes empresas estão dando prejuízos a um bom tempo (veja o POSTALIS, PETROS I, dentre outros). Esses antigos planos tinham a ideia de manter o funcionário na aposentadoria ganhando o mesmo tanto que ganhava enquanto trabalhava.

      Ocorre que os novos planos, normalmente chamados de Plano B ou Plano 2 (que é o plano de contribuição definida, onde você define o valor que irá contribuir mas não sabe o valor que irá receber) mitigam esse problema, pois esse plano nada mais é do que uma “poupança” individual onde o funcionário põe 1 e a empresa põe 1 (não dá 100% pois existem algumas taxas, mas chega em média a 70%). Ou seja, é preciso avaliar se a empresa dará essa contrapartida de 1 para 1 (que na verdade é 1 para 0,7 na maioria dos casos) e avaliar também a política de investimentos do plano. Pois imaginando nesse caso, ele já teria um rendimento de 70% do valor sem fazer esforço (ele colocando 1 e a empresa colocando 1 descontando as taxas). E o mais importante nesse caso: se o plano ficar ruim ele tem como saber e acompanhar os rendimentos. Ele não terá que fazer aportes adicionais pois não é um plano solidário e sim uma conta individual.

      Em resumo, ele precisa avaliar qual é a contra partida da empresa e quais são os perfis do plano de investimentos da previdência.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • bolha real 11 de agosto de 2016 at 14:33

      Pelo que me parece o problema é roubo e não o investimento no mercado imobiliário, porque se começou a “investir” no final da década de 90, foi antes da bolha. Se não me engano a bolha começou lá por 2007 e quem entrou depois sim pode ter sido motumbado. Quem entrou antes não quer dizer que fez o melhor negócio tbm.

      6+
      • avatar
      • avatar
    • Seguidor do Bolha BH 11 de agosto de 2016 at 09:48

      Tem quem compre este tipo de ideia. Aqui em BH muita gente investiu em quartos de hotéis que ainda não ficaram prontos para a Copa de 2014.

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 11 de agosto de 2016 at 11:56

      “Temos uma perspectiva negativa para o mercado imobiliário do Brasil”, diz Cristiane Spercel, analista da Moody’s Investors Services. “E provavelmente vai levar pelo menos mais dois anos para haver sinais de uma perspectiva positiva.”
      Mais 3 anos
      Mais 4 anos
      Mais 5 anos
      Mais 6 anos
      Mais 7 anos
      Mais 8 anos
      Mais 9 anos


      9+
      • avatar
      • avatar
      • CarlosL 11 de agosto de 2016 at 12:00

        2 ANOS para haver sinais…….. sinais de uma perspectiva………

        13+
        • avatar
        • avatar
        • Cadeludo 11 de agosto de 2016 at 22:31

          o corvo disse que quem é visionário compra agora e espera
          está sinalizado 30%

          0
    • Cesar_DF 11 de agosto de 2016 at 12:13

      “Pode ser necessário baixar os preços para atingir essa meta. Segundo a Moody’s, houve uma queda de 9% nos preços cobrados nos últimos 12 meses, enquanto os preços de venda na conclusão da transação caíram até 20% em relação a um ano atrás.”
      ISTO É MENTIRAAAA, O FIPE-ZAP NÃO CAIU!!!
      KAKAKAKAKA

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Danibolhista 11 de agosto de 2016 at 08:59

    job,
    Eu estou com um dilema parecido. Quando o rombo virou notícia um monte de gente foi procurar informação de como se desfiliar, porém já fizeram o contrato de um jeito para não valer a pena sair.

    5+
    • avatar
    • RC 11 de agosto de 2016 at 09:11

      Danibolhista não se precipite, geralmente estes planos de previdência complementar institucionais preveem aportes das empresas, geralmente limitada a um percentual do salário (Funpresp, por exemplo, vai até 8,5%). Quando você coloca até esse limite é no mínimo rendimento de 100%, impossível de conseguir no mercado.

      No geral esses fundos de previdência vinculados ao governo que quebraram, fizeram escolhas de investimento erradas e tinham (tem) muita corrupção (ingerência política). Atualmente os fundos não estão imunes a isso, porém o advento da transparência facilitou a vida dos participantes. A Funpresp, por exemplo, publica balancetes e tem uma área em que o participante pode ver o comportamento do seu “montante”.

      Acredito que a transparência seja uma tendência e o melhor para um participante de um fundo de previdência destes é exigir cada vez mais essa.

      4+
      • avatar
      • Danibolhista 11 de agosto de 2016 at 09:47

        RC,

        No meu caso, eram R$ 9,90 por 15 anos. Só que viram que não seria suficiente, hoje eu pago R$ 46,35 e já nem sei por quantos anos e o novo cálculo não dá um valor igual para todos, fizeram umas proporções malucas que ouvi gente dizer que ia pagar 2 mil de parcela. Isso agitou bastante o pessoal aqui, quando eu digo que agitou, agitou mesmo. Muita gente aderiu ao plano de demissão voluntária só para não pagar isso. A pessoa tinha a opção de sacar todo o dinheiro ou receber aos pouquinhos todo mês, que já optou por receber mensal, já está pagando o rombo também. O contrato prevê que você pode sair a qualquer momento, só que ao sair do plano sem sair da empresa, o dinheiro já pago fica retido. Eu acho que só compensa sair quem foi “condenado” a pagar uma parcela alta, aí sim entra no caso do Job, se for para pagar um rombo de 1.000 por mês é melhor investir, ainda mais se falta muitos anos para a pessoa se aposentar, porque até lá não se sabe se a instituição vai sobreviver. Agora para quem já está quase aposentando, compensa continuar. Não sei se para todos os fundos funcionam da mesma forma, mas o meu para cada valor que eu pago, o empregador paga uma parcela igual também, inclusive a parcela do rombo, então se eu pago 50 o empregador também paga 50.
        Se eu sair hoje do plano e continuar na empresa, 20 anos depois eu não terei dinheiro para sacar, mesmo investindo em outro lugar, para ficar equivalente, tinha que ser um investimento que corrigisse em 50%. O ideal seria uma portabilidade, mas isso só é possível se você sair da empresa.

        5+
        • avatar
      • job 11 de agosto de 2016 at 10:29

        Rc,
        a empresa pode fazer aporte de 500%, mas de que adianta só ver a cor do dinheiro com 70 anos?
        Esse é o meu dilema hoje, entrar num plano de previdência que vai comer quase 10% do meu salário, por toda minha vida, pra qdo eu tiver praticamente no fim da vida receber a grana em parcelas?
        Estou sempre aberto a novas possibilidades financeiras, por isso cogitei essa questão de plano de previdência, mas até agora ninguem conseguiu me convencer.
        Se tivesse como tirar a grana com o aporte da empresa e juros, em 10 ou 15 anos, aí a história já seria diferente….

        5+
        • avatar
        • avatar
        • RC 11 de agosto de 2016 at 15:33

          Job e Danibolhista vou tentar responder aqui sobre o apanhado total de argumentos que vocês colocaram ao longo da discussão.

          O fundo de previdência (também chamado de previdência privada) não pode ser comparado exatamente com as formas tradicionais de investimento (poupança, renda fixa, TD, Bovespa,…) pois existem regras e benefícios diferenciados. Porém, em algo ele é comum a todos, ele tem riscos.

          Um benefício diferenciado importante que tem, é o relacionado a invalidez. Imagine se resolver não aderir a um plano desses e sim depositar o mesmo valor em um outro investimento, e logo no primeiro mês sofre um acidente que o deixe inválido (pior hipótese possível), o montante acumulado não dá nem para o começo.

          Por causa desses benefícios (sobrevida, pensão para herdeiros, pensão por invalidez,…), vou usar o exemplo da Funpresp da qual sou participante, que o valor depositado não é exatamente o montante total acumulado. Lá os meus 100% (8,5% do meu salário) + os 100% do patrocinador (8,5%), ficam no final para mim apenas 140%, os outros 60% cobrem esses benefícios + a taxa de administração. Então em eventual necessidade de utilização desses benefícios não estão só os meus aportes, mas também os 60% de todos os participantes do fundo. Existe também o benefício de abater o valor do seu imposto de renda ao longo dos anos.

          Por não ser um investimento comum, se desejar sair antes do tempo acordado (se não for por portabilidade), o valor depositado pelo seu patrocinador fica retido. Aqui é compreensível pois o patrocinador está fazendo um “investimento” em você, e ai você o abandona? Nesse caso você nem sequer consegue retirar os seus 100% corrigidos. Podemos traçar um paralelo entre sair de uma renda fixa antes da data, a rentabilidade contratada não deverá ser a mesma (e não existe sequer aporte de patrocinador).

          Claro que a Danibolhista está passando a situação inversa ao de gozar os benefícios, e quando há rombo? prejuízo? Todos os participantes devem arcar. Mas ela alega que mesmo a divisão do valor está sendo de maneira estranha. A falta de transparência e de regras claras faz isso. Mas como falei anteriormente existem riscos. A poupança já foi confiscada/congelada (Collor), temos histórico de calote de títulos do governo na história do Brasil, e também teve a galera que virou credor de corretora e banco que faliram.

          Job, quando se fala de investir para gozar do benefício na aposentadoria (previdência), os consultores irão indicar prazos mais longos (um TD IPCA+ 2035 por exemplo) , e nesse caso não tem jeito, é colocar dinheiro até idades avançadas para utilizar na aposentadoria. Se você pretende utilizar em um tempo menor você não está investindo para sua aposentadoria, pelo menos não na forma em que os mortais empregados do Brasil o fazem. Se você é um daqueles que pretende se aposentar antes dos 50 anos ai a discussão é outra, previdência complementar é para quem precisa “complementar” a previdência que terá.

          Sobre receber o dinheiro em parcelas, essa não é a única opção. Você, geralmente, tem a opção de receber: a bolada toda (incide bastante imposto de renda); parcelas fixas por um período determinado; parcelas vitalícias.

          Até aceito a crítica de que a previdência complementar tem uma função meio que de parcelinha de consignado/imóvel/carro ajudando a controlar a forma de
          poupar dos que não são disciplinados (666). Mas ela não se limita a isso.

          Job, se você tem dificuldade de só se ver gastando o dinheiro somente aos 70, está apresentando sintomas de que terá dificuldade de ficar muito tempo só acumulando, onde é necessário disciplina, e vai querer um pouco de “Carpe diem”, e ai meu camarada se tiver vivo aos 70 vai parecer a cigarra e não a formiga.

          É bom deixar claro que minha visão é válida dentro do funcionalismo público brasileiro (servidores e empregados), pois aqui esse tipo de emprego é para a “vida toda”, diferente da iniciativa privada na qual só ficaria tentado a participar se tivesse cláusula clara de em demissão poder recolher o que o patrocinador colocou (e também avaliaria se o emprego e a empresa são o que espero para o resto da vida, pois ai para sair a proposta teria de compensar as perdas).

          Nós brasileiros, estamos longe da taxa de poupança de outros países; somando a previdência dos servidores e a complementar não devo estar juntando nem 15% do meu salário, ainda tenho pelo menos mais 15% de gordurinha para fazer outros investimentos de longo prazo para eventuais problemas com esses dois.

          4+
          • avatar
          • MINEIRO SPY 11 de agosto de 2016 at 15:40

            RC
            Vc entende que a Funpresp não estaria sujeita a ser a versão atualizada do Postalis? Sou servidor, mas não optei pelo Fundo. Realmente não acredito que funcionário público terá aposentadoria

            3+
            • RC 11 de agosto de 2016 at 16:57

              Acho que a Funpresp pode estar sujeita a ingerência política sim, não foi só o Postalis que teve problema (talvez seja o mais escancarado), também a Previ, Petros (que por sinal já está no Petros II a revanche), entre outros. Mas acredito que a Funpresp tenha um diferencial por ter sido criada posterior a Constituição de 1988, Lei de Responsabilidade Fiscal, Lei da Transparência, e até mesmo os erros cometidos e que se tornaram públicos nessas outras previdências complementares. Por sinal será composta de empregados públicos (seus concursos já estão rolando). Mas assim como estamos vendo na criatividade da bolha imobiliária brasileira (que usou artifícios diferentes da americana e espanhola para não chamar tanto a atenção), existe risco.

              Eles chegaram a propor (não cumpriram ainda) de ter a possibilidade de o participante até mesmo mudar o perfil de investimento de conservador para agressivo. Tem área do participante, no sítio oficial, que já traz bastante informação.

              Meu pai é um exemplo de que nem sempre ocorre o pior, a Infraprev (previdência complementar da Infraero) está pagando a ele mais do que ele recebe pelo INSS.

              Como sou funcionário público não tenho Fundo de Garantia para fazer poupança forçada para mim, nem para me ajudar a comprar imóvel. E depois de 2013 ter de se aposentar ganhando apenas o teto do INSS não rola. A Funpresp nesse momento me parece a melhor escolha dentre os rendimentos e riscos dos outros investimentos (com os meus 8,5%, pretendo fazer outros investimentos com outra parte da renda).

              Não estou aconselhando ninguém a aderir nada, estou apenas mostrando a minha visão e minhas decisões.

              7+
              • avatar
              • avatar
              • Loucodf 11 de agosto de 2016 at 17:35

                Legal a exposição da sua opinião, RC.

                3+
            • Andradez 11 de agosto de 2016 at 18:03

              Mineiro e RC.

              A grande questão não é nem a ingerência política (pois ela sempre tem e sempre terá). A diferença está no outro post que eu fiz. Basicamente os planos de previdência fechadas hoje são num formato de contribuição definida, ou CD com algumas variações como o CV (contribuição variável) e não estarão sujeitos a ocorrer o que aconteceu com o Postallis e o que vem acontecendo o Petros 1 e outros planos antigos, também chamados de planos BD ou “planos saldados” por força da LC 108 de 2001. Esses planos BD (benefício definido) foram feitos para que o funcionário recebesse o mais próximo possível da sua renda da ativa quando se aposentasse. Só que no caso, a conta era única e todos contribuíam para que o bolo aumentasse. Só que, por outro lado, com uma má gestão e forte interferência politica e sindical, os investimentos foram feitos de forma errada e o plano começou a dar prejuízo, pois como o benefício era definido, tinha mais dinheiro saindo do que entrando. Tanto que praticamente não existe essa modalidade de plano mais.

              No caso da Funpresp e de todos os planos atuais (CD, CV, etc) a conta do participante é individual. Ou seja, o máximo que pode acontecer é o seu dinheiro não render como esperado. Mas você não terá que pagar rombo de ninguém, afinal as contas são individuais. Como as empresas normalmente possuem paridade de 1 pra 1, que na verdade é 1 pra 0,7 mais ou menos por causa das taxas envolvidas, você já entra ganhando 70% de rendimento sobre o que você colocou. Então, mesmo num cenário ruim, seria bem difícil você perder dinheiro, mas nada é impossível. A vantagem é que o controle fica mais fácil e atualmente tem havido uma maior fiscalização por parte da Previc.

              Pra te falar a verdade, eu acredito muito mais numa Funpresp da vida do que na aposentadoria pelo regime próprio, que está sempre mudando e como todos sabemos, não existe direito adquirido subjetivo. Uma previdência complementar fechada pelo menos te dá a opção de contribuir por um período e independentemente de você estar ou não aposentado, já começar a receber, ou retirar parte da grana. Pra mim soa bem mais interessante do que contribuir por 40 anos por exemplo, só poder aposentar aos 70 anos e ter pouco tempo de vida pra “gastar a grana” de forma saudável.

              3+
          • job 12 de agosto de 2016 at 13:02

            Muito pelo contrário RC, vc confundiu totalmente o meu perfil, sou muito bem controlado com a grana, faz um bom tempo que tenho reaplicado todos os juros que recebo mais uma parte considerável do meu salário, quando preciso gastar em algum bem um pouco mais caro, não toco nos investimentos, junto do salário por alguns meses, essa é a minha regra básica. Então é inválida essa premissa de que virarei uma cigarra da historinha lá.
            A questão aqui é bem filosófica, e no meu ver não tem certo ou errado, é questão de opinião pessoal mesmo. Tenho um par de colegas que vivem uma vida extremamente humilde, economizam cada centavo, seja em roupa ou comida, mas de forma exagerada. Na opinião deles, vão desfrutar da vida qdo se aposentarem, la pelos seus 60 e poucos anos (estamos na faixa dos 30). Eu penso diferente, curto a vida, se tenho vontade de comprar algo que me trará uma felicidade eu compro, mas tudo sem exageros e respeitando as minhas regras de não encostar nos investimentos.
            Seu ponto de vista é interessante, caso a pessoa fique inválida, realmente não tem muito o que fazer se não tiver um plano de previdência. Mas tb a pessoa pode morrer, e etc e talz, então fica complicado argumentar com essas possibilidades mais extremas.
            Eu acho que há um meio termo entre aplicar dinheiro, fazer render, juntar e ainda curtir a vida, e eu to nesse meio termo aí.

            2+
            • avatar
    • job 11 de agosto de 2016 at 10:53

      Realmente é um dilema Danibolhista, eu particularmente acho que não vale a pena se come uma parte boa do seu salário que faz falta no dia dia da pessoa, ou se a pessoa é bolhista e sabe investir bem essa grana q estaria colocando no plano de previdência. Estou trabalhando no mesmo lugar faz 6 anos e resolvi não entrar nessa previdência em primeiro lugar pq no início a grana fazia falta, em segundo pq agora eu consigo analizar melhor a situaçao e vejo q é muita grana investida em 35 anos até eu me aposentar, e ainda tenho a chance de nunca ver essa grana se der alguma merda antes dos 70. Estou mudando um pouco a forma de pensar e acho que pensar tanto a longo prazo assim é bem provável que eu me arrependa. Mas é uma questão pessoal. Continuo achando que não vale a pena plano de previdência se o valor não for insignificante comparando com o salário que ganha.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • Danibolhista 11 de agosto de 2016 at 11:31

        Job, no meu caso, a idade do saque é 58 anos. Eu não ligo de pagar 3% do meu salário até completar 58 anos. O problema é o rombo. A notícia de um rombo de proporções catastróficas gera insegurança, o pessoal novo não está aderindo, se não tem novas adesões por causa do escândalo, vai ter muito aposentado para pouco contribuinte. Outro problema do rombo é o próprio rombo. Se tudo ocorrer bem, é vantajoso ter previdência privada, ainda mais no meu caso que todo mês eu tenho um depósito por parte do empregador em dobro. Agora com a história do rombo, já não é mais certeza que vamos nos beneficiar desta contribuição, primeiro começou com um valor baixo e agora está aumentando, já cheguei a pagar mais de 100 reais de rombo e isso se agrava quando o presidente de sua empresa fala que se ela não melhorar não vai ter dinheiro nem para pagar o salário. Então se for olhar pela ótica da crise e da insegurança dos acontecimentos, é melhor sair, mas se você é otimista e acredita que alguém vai dar um jeito na situação e que no final dará tudo certo, é melhor ficar. Mas no seu caso que você nem entrou, é melhor continuar fora. O dilema de quem já entrou é que mesmo saindo você não resgata o dinheiro, para resgatar o dinheiro tem que sair do emprego. Dependendo se sua idade não compensa aderir um plano do zero em outro lugar, compensaria fazer portabilidade, só que a portabilidade também é só para quem sai da empresa. Na minha opinião compensa sair quem até agora pagou pouco ou quem vai pagar muito de rombo. O dilema é: eu permaneço filiado para continuar recebendo a contribuição do meu empregador e aos 58 anos eu sacarei o valor que contribuí em dobro corrigido, porém esta opção tem o risco de assumir dívidas cada vez maiores e acabar em colapso por falta de dinheiro e de contribuintes novos ou eu saio, aplico em outro lugar a mesma quantia porém aos 58 anos eu garanti apenas o depósito da minha parte corrigida uma vez que não terei a parte do empregador? Se eu sair da empresa hoje e entrar em outro lugar público, eu não vou aderir nada, o problema é que eu já paguei 13 anos. A nossa previdência comprou ações de empresas que faliram em seguida e teve um lance imobiliário também, a juíza que analisou o processo disse que o negócio imobiliário foi tão prejudicial que se o dinheiro fosse investido em qualquer outra coisa seria menos ruim que aquilo.

        5+
        • job 11 de agosto de 2016 at 11:51

          Concordo Danibolhista, se a pessoa já está no plano e está prestes a se aposentar a situaçao é outra, e tem q pensar bem na decisão. Além do que o valor que está pagando é muito baixo.
          Mas tá aí mais um dos riscos pra quem tá pensando em entrar num plano de previdência, a chance de dar merda é grande, principalmente se tiver governo no meio.

          6+
          • avatar
          • avatar
          • yanborges 11 de agosto de 2016 at 13:14

            A empresa que eu trabalhava tambem tinha um plano de previdencia desses que eles tambem contribuiam. Condicoes pra sacar o dinheiro da empresa 1)ter mais de 5 anos de casa, 2) ter mais de 60 anos, 3)conhecer o papa e dar um tapa na careca dele.
            Nunca participei, mas varios colegas fizeram, na ilusao de ter o dinheiro da empresa e depois que foram demitidos viram a furada que era, nao ganharam nada da empresa e ainda perderam dinheiro por tirar de lá antes do prazo.
            Acho que o grande lance da previdencia é vc nao ver o dinheiro entrando na sua conta, entao pra muita gente é mais algo pra pessoa se controlar, nao gastar o dinheiro e ter uma poupanca ali que ela nem conta. Pra quem sabe investir e controlar suas finanças, acho a maior burrice.

            6+
            • avatar
            • avatar
  • Cajuzinha 11 de agosto de 2016 at 10:20

    11/08/2016 10h04 – Atualizado em 11/08/2016 10h16
    Mercado já prevê rombo para contas do governo em 2017 próximo do limite
    Previsão do mercado para rombo de 2017 sobe para R$ 138,5 bilhões.
    Meta fiscal proposta pelo governo para o ano que vem é de R$ 139 bilhões.

    4+
  • Seguidor do Bolha BH 11 de agosto de 2016 at 11:43

    “Irmãos à obra” ensinam 2 truques muito simples para vender um imóvel por mais dinheiro
    http://www.infomoney.com.br/onde-investir/fundos-de-investimento/noticia/5419404/irmaos-obra-ensinam-truques-muito-simples-para-vender-imovel-por

    6+
    • CarlosL 11 de agosto de 2016 at 12:03

      Eu sei um truque para vender um imóvel por 30% a mais :
      Na tela inicial que aparece a história pressiona : A, B, A, C, A, B, B.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • fanfarraum 11 de agosto de 2016 at 16:35

      2 truques, segundo a mídia brasileira:

      1. Compre.
      2. Espere.

      30% ao ano garantido.

      4+
      • avatar
  • Andradez 11 de agosto de 2016 at 12:14

    CVR:
    Casal de colegas jovens na casa dos 28, 30 e “bem esclarecidos” reclamando da crise em BH. São micro empresários e reclamando da queda nas vendas e tal desde o ano passado. Até ai tudo bem, mas o que me intriga é como que esse casal sabendo da crise desde o ano passado troca de carro e pegam um zero (o carrinho deles nem era zuado e ainda atendia bem) e a mulher grávida. Poxa! Não consigo entender o que se passa na mente dessa galera! O cara ta com o faturamento lá embaixo e tem a ideia genial de meter um boneco no mundo e comprar um carro zero! Esse país é um verdadeiro celeiro de JENIOS que mereciam ganhar o prêmio nobel da BURRICE!

    35+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 11 de agosto de 2016 at 12:17

      Você é livre para fazer suas escolhas, mas é prisioneiro das consequências.
      Pablo Neruda

      26+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Pure 11 de agosto de 2016 at 14:08

      Você mesmo já respondeu o motivo: ela está grávida.
      Mto provavelmente, trocaram por um carro com mais espaço. Qdo você tiver seu bebê, entenderá.
      Mais calma, antes de julgar o próximo…

      9+
      • avatar
      • Pure 11 de agosto de 2016 at 14:11

        E mais… na faixa dos 28 ~ 30 anos. Essa é a faixa etária próxima do “agora ou nunca” para ter filhos.

        10+
        • avatar
      • Danibolhista 11 de agosto de 2016 at 14:28

        Colega, entendo que carro novo confere conforto a uma família principalmente em expansão. Porém lhe digo que ter carro não é uma regra, muitos pobres não têm carro e tem mais de um filho. Quando minha irmã nasceu não existia carro em nossas vidas, minha mãe carregava o bebê morro acima e morro abaixo com chuva e tudo para a creche, era um sufoco, mas não tinha carro ué. Hoje ela tem carro novo, novos tempos é um alívio não pegar trem, metro e ônibus, mas ela comprou quando pode. O cara já tinha dito que o carro que tinham atendia a necessidade, em atual conjuntura de crise era bom economizar mesmo. Há e antes de ter carro novo, minha mãe já teve Gol quadrado, anos 90, dava problemas, gastava com mecânico, mas ela não podia fazer financiamento e foi o que deu pra comprar, minha irmã era um bebe, várias vezes ela deixou o carro quebrado na via e foi pra casa andando com bebe no colo. Todos estão vivos e nem se lembram disso hoje. Eu só concordo contigo quando se trata da idade de ter filhos, eu não tenho e morro de medo de não conseguir ter, já estou com 33 anos, eu fui adiando, adiando, se for esperar um momento ideal acho que ninguém teria filhos mesmo.

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Andradez 11 de agosto de 2016 at 17:10

        Se eu trouxe o CVR, É LÓGICO QUE ESTÃO FERRADOS NÉ! Se fossem ricos, não seria CVR. Pra se ter uma noção, o cara falou que ta pagando condomínio com 2 meses de atraso desde janeiro.

        É o que eu falei: são JENIOS! O cara pensa: “O país ta ferrado, mas vou engravidar a patroa pra garantir. Não posso esperar mais 1, 2 anos pra ver se a situação vai melhorar. Tenho que fazer isso agora!”. O cara é micro empresa, não tem plano de saúde corporativo. Vai torrar uma nota com parto, plano de saúde pro moleque, latas de leite em pó e sabe se lá mais o que no meio de tanta coisa que uma criança gasta sendo que o faturamento tá lá no chão.

        Esse é o grande mal do brasileiro, ele está sempre arrumando DESCULPAS para se atolar ainda mais em dívidas e gastar dinheiro. Como a colega falou, antigamente o moleque nascia e já dava o primeiro rolê de busão com dias de vida e ninguém morreu por isso. Falar que por causa de filho tem que comprar um carro ZERO e pendurar mais 20k, 30k no banco, por mim, que eles e quem mais pense dessa forma que se lasquem mesmo porque eu preciso de LASTRO pra minhas LCI’s/LCA’s.

        15+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • bolha real 11 de agosto de 2016 at 14:51

      Reclamar da crise não quer dizer que eles não tenham dinheiro. O presidente da Gerdau reclama da crise, mas se a empresa dele falir mais três gerações da família podem ficar sem trabalhar que estão garantidas.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • fanfarraum 11 de agosto de 2016 at 16:38

      Como falaram, cada caso é um caso.
      Eles podem ter diminuido a renda de 100k pra 70k, e cortaram custos (ou diminuiram o pé-de-meia).

      Quanto a colocar criança no mundo em meio a crise, se a pessoa ficar esperando o momento, não vai ter nunca filho (que nem no filme Idiocracy).

      8+
      • avatar
      • avatar
      • Money_Addicted 11 de agosto de 2016 at 17:17

        o mundo em crise eh uma coisa, mas na minha opniao o casal tem que ter condicoes de criar, do contrario eh sacanagem colocar um filho no mundo pra passar necessidades !!

        6+
        • avatar
        • avatar
        • fanfarraum 11 de agosto de 2016 at 17:41

          O CVR inicial dele não falava nada na situação atual do casal.

          Uma coisa é o casal ganhar 20k por mês e viver bem com 5k, e diminuir a renda em 25% (MUITO!) e ir pra 15k. Casal não vai perder em nada a qualidade de vida. Pois gasta 5k, ainda junta 10k por mês, mais do que o suficiente pra manter o padrão de vida pós-aposentadoria.

          Outra coisa é o casal ganhar 12k por mês e viver com 11k, e diminuir a renda em 10% e ir pra 10,8k. Casal vai se endividar.

          O CVR inicial dele NÃO DAVA pra tirar NENHUMA conclusão quanto a isso.

          4+
          • Andradez 11 de agosto de 2016 at 18:12

            Colega, ninguém aqui no blog traz CVR de milionários que reclamam que a crise está ruim e que vai ter que vender o iate de 20 milhões para comprar um de 15. Certas coisas são meio lógicas. Não interessa o quanto você ganha, e sim o tanto que você gasta! CVR não foi feito para expor a vida intima de ninguém. Se eu coloquei no texto que é um CASAL JOVEM de MICRO EMPRESÁRIOS dá pra se ter uma boa noção das coisas, principalmente para quem está acompanhando a devassa que essa crise tem feito com pequenos empresários pelo país afora.
            Pra mim não há desculpa…senão fica parecendo com aquele velho ditado: FAÇA O QUE EU FALO, NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO.

            8+
            • avatar
      • joselito 11 de agosto de 2016 at 17:31

        Bom, considerando os reajustes para a parcela dos 2% mais ricos da sociedade que estão no funcionalismo público (Juiz, MP, Legislativo, etc) mesmo com receita caindo, qual exemplo o bananense seguirá? rsrsr

        2+
  • Dutra 11 de agosto de 2016 at 12:14

    Cajuzinha

    11/08/2016 10h04 – Atualizado em 11/08/2016 10h16
    Mercado já prevê rombo para contas do governo em 2017 próximo do limite
    Previsão do mercado para rombo de 2017 sobe para R$ 138,5 bilhões.
    Meta fiscal proposta pelo governo para o ano que vem é de R$ 139 bilhões.

    0

    É só dar mais reajustes principalmente ao legislativo, judiciário , DPU, AGU, Receita, etc que resolve tudo. Ops esqueci não é reajuste, é recomposição.

    5+
  • Cesar_DF 11 de agosto de 2016 at 12:15

    Referente a matéria do tópico, coloquei o comentário abaixo, vamos ver se irão aprova-lo.

    Hold on, this is waiting to be approved by Jornal de Brasília.
    De acordo com o SECOVI-DF, são 38.777 imóveis a venda, e não menos de 9.000 como indicado nesta reportagem, além disso, nesta quantidade só entram os associados do SECOVI e não os particulares. Provavelmente juntando tudo devem ter mais de 100.000 imóveis à venda no DF.
    http://www.secovidf.com.br/nov

    http://www.jornaldebrasilia.com.br/economia/so-quem-reduz-os-precos-consegue-vender-imovel/

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 11 de agosto de 2016 at 12:22

    Só para lembrar dos SOFTs, NEM-NEM BOMBANDO
    QUARTA, 20/04/2016, 09:51

    Número de imóveis disponíveis para aluguel no Rio cresceu 213% nos últimos três anos

    Levantamento do Secovi-Rio a pedido da CBN mostrou que a crise derrubou os preços e aumentou a oferta para locação. Com o mercado em baixa, vale mais para o proprietário alugar do que vender.

    http://cbn.globoradio.globo.com/rio-de-janeiro/2016/04/20/NUMERO-DE-IMOVEIS-DISPONIVEIS-PARA-ALUGUEL-NO-RIO-CRESCEU-213-NOS-ULTIMOS-TRES-ANOS.htm

    6+
    • avatar
  • Cesar_DF 11 de agosto de 2016 at 12:50

    O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deverá anunciar, provavelmente ainda nesta semana, um prejuízo em torno de R$ 2,5 bilhões no acumulado do primeiro semestre. Será o primeiro prejuízo desde o período de janeiro a junho de 2003, quando a perda foi de R$ 2,4 bilhões.

    http://istoe.com.br/bndes-deve-anunciar-seu-primeiro-prejuizo-semestral-desde-2003/

    6+
    • avatar
  • Danibolhista 11 de agosto de 2016 at 12:53
  • Alemon Fritz 11 de agosto de 2016 at 13:26

    Governo vai retomar obras de mais de 10 mil unidades do Minha Casa
    Serão destinados R$ 3,8 bi para famílias com renda mensal de até R$ 2.350.
    Ministro diz que, em 2017, governo vai contratar 600 mil novas unidades

    http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/08/governo-anuncia-unidades-do-minha-casa-e-r-38-bi-para-renda-menor.html
    para cada casinha vai dar 380k, é isso mesmo hein… tá caro isso

    5+
    • avatar
    • Indiao 11 de agosto de 2016 at 14:40

      Obaaaaa

      Cada mutombuário do MCMD é um inquilino a menos no ‘mercado’.
      E, obvio, um imóvel vazio a mais.

      5+
      • avatar
    • CarlosL 11 de agosto de 2016 at 15:36

      Ahhhh, era para isso então o encontro das construtoras para apoiar o Dilmo… A confirmação de poder continuar fazendo porquisses verticais com $ público com uns 300% de lucro…

      7+
      • joselito 11 de agosto de 2016 at 17:34

        Poisé. Sabendo que vai ser injetado 3.8bi “para as famílias”, as construtoras já captam 1bi para construir e, em 3anos, receberão os 3.8.
        Meu pensamento ta muito errado?

        4+
  • Alemon Fritz 11 de agosto de 2016 at 14:37

    Lucro do BB cai e fica em R$ 2,5 bilhões no segundo trimestre
    queda de 18%
    O crédito imobiliário atingiu saldo de R$ 51,6 bilhões no segundo trimestre, com crescimento de 17%. de R$ 187,5 bilhões de carteira.
    http://www.conews.com.br/lucro-do-bb-cai-e-fica-em-r-25-bilhoes-no-segundo-trimestre/

    3+
    • Indiao 11 de agosto de 2016 at 14:42

      Olha quem ta chegando agora para financiar imóvel pelo topo de preço…. Kkkkk

      6+
      • avatar
  • MINEIRO SPY 11 de agosto de 2016 at 14:41

    1- Tentando vender parte da roça de meu pai. O que tem de gente querendo envolver imóvel como pagamento, é uma enormidade. Aqueles que valem 200 k e querem 500k.
    2- Vindo para o trabalho hoje, aguardo sinal abrir. O cidadão ao lado fala “se vc precisa 1500 emprestado, pede 3000, pq aí ele dirá que só pode arrumar metade. Se vc pedir 1500 ele te arrumará só 600”. Tática de como pedir grana para um conhecido.
    3 – O déficit arrombador já esse mês não contempla reajuste do funcionalismo, que só cairá mês que vem…vai aumentar e muito.

    6+
    • bolha real 11 de agosto de 2016 at 14:56

      1 – É o efeito crise, se colocar o carro pra vender aparece gente querendo dar um 1998 + uma CG. Se colocar um iphone pra vender vai aparecer alguém querendo dar um moto G com tela riscada + papagaio.
      Só tem quebrado por aí querendo ser malandro.

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Annoying Brick in The Wall 11 de agosto de 2016 at 15:30

    Quanto ao tópico, às vezes fico na dúvida se é má fé, insanidade ou falta de noção do ridículo, ou tudo isso…

    Prando acredita que o segundo semestre é o momento certo para comprar um imóvel, pois, mesmo inseguras, as pessoas reconhecem que ouve uma parada no mercado imobiliário. “Quando a taxa de juro começar a cair, teremos uma avalanche de dinheiro indo para a compra de imóveis, que deve gerar a redução de ofertas em 2017”, diz o vice-presidente da Secovi.

    hahahahahahahahahahahahahahahahaha

    11+
    • avatar
    • avatar
    • joselito 11 de agosto de 2016 at 17:37

      NAda disso.

      É encarte publicitário.

      Propaganda enganosa. Conforme CA falou, só será escancarada a “enganosidade” dessas propagandas após o estouro da bolha.

      Seria como uma propaganda da koka-kola dizendo ser saudável, ser vida, ser saúde. rsrs

      6+
  • Luke Bolha 11 de agosto de 2016 at 16:19

    De acordo com o Instituto Luke Bolha de Pesquisas, a situação ainda está ótima comparado com o que virá, as coisas ainda vão piorar muito antes de melhorar.

    4+
  • tnumaboa 11 de agosto de 2016 at 18:05

    É bolha ou não é:
    CVR 1 – personal trainer tentando vender apê no Noroeste que tinha financiado em 30 anos!
    CVR 2 – professor SEDF (salário R$ 5000, brutos) financia apê de 800 temer no Noroeste por 35 anos!
    CVR3 – dançarino de boate financia apê em Águas Claras por longos anos!

    A CEF e as construtoras estão pedalando! Estamos repetindo o filme: The Big Short! A culpa será dos contribuintes, pobres e imigrantes! Enfim, dos 666!

    12+
  • JJJ_brasilia 11 de agosto de 2016 at 21:03

    Hoje estava explicando para um conhecido, que a BOLHA é a verdadeira responsável pela crise:

    Imagine uma pessoa que paga 1k de aluguel, ela financia a casa própria com prestações de 2k (pagando 1,5k de juros ( aluguel do dinheiro)).

    Esta diferença para poder comprar de 1k que o sujeito está pagando para morar, ele deixa de consumir, quando é uma pessoa, OK, mas quando são milhões de pessoas, o consumo cai é a economia vai junto.

    Sendo que este mesmo sujeito financiou os móveis, o carro, viagem, agora tem que pagar, a festa acabou, tem que pagar, ou perde a sonhada casa própria.

    Expliquei ainda do aumento de preço, que o mercado imobiliário se aproveitou da ignorância financeira da população para aumentar os preços e fazer que os imóveis custasse o máximo que a pessoa poderia pagar com financiamento em 35 anos, com uma boa entrada ainda.

    Demais bolhistas com a palavra…

    9+
    • avatar
    • avatar
    • Luke Bolha 11 de agosto de 2016 at 21:16

      Pode-se dizer que a crise foi gerada por causa do endividamento dos 666 em geral, que como vc disse, se é uma pessoa tudo bem, agora quando se é quase todo mundo o consumo cai, então foi uma crise gerada pelo excesso de crédito. Teve a época boa em que o consumo foi acelerado quando o emprésitmo caiu na conta e agora tem o freio com as parcelas do consignado/financiamento/emprestimo etc..

      2+
    • Margarida 12 de agosto de 2016 at 08:22

      Segundo esse relatório (ABECIP), aproximadamente dois milhões de unidades financiadas entre 2008 e 2015.
      https://www.abecip.org.br/credito-imobiliario/indicadores/financiamento

      0
    • Rampion 12 de agosto de 2016 at 09:20

      JJJ_brasilia,

      descordo com a BOLHA ser a verdadeira responsável pela crise. Essa crise é consequência de anos de corrupção. Políticos, funcionários públicos, atravessadores, construtoras, corretores e 666s. Por que coloco 666? Não só porque eles compram coisas caras, acima do que valem, mas por que alimentaram toda essa engrenagem de corrupção. Dinheiro que deveriam ser destinados a educação, saúde, transporte e tomaram outros rumos. Quando você paga “quebra” para tirar ou renovar sua CNH você está sendo 666, quando você adota discursos de que esse ladrão é melhor do que aquele outro está sendo 666, quando assume dívidas baseado em falsas perspectivas de valorização esta sendo muito mais do que 666, quando você não se importa no fato de “templos religiosos” não pagarem IPTU você está sendo 666.
      Essa crise está longe de acabar, estamos vendo que a previsão de conter a inflação foi para as cucuias ou CUCUNHAS. Não haverá nenhuma mudança, pois, ninguém será punido, o Lula não será preso, o Temer não será julgado por caixa 2, o Aécio Neves não será processado, assim será com o Cunha, Serra, Alckmin e todos os outros políticos que aí estão. Ah, e quer apostar que em 2018 o presidente eleito será o menos ruim? kkkkkkk. Toda a crise passa por 666 antes de chegar no seu auge. E que venha a conta então.

      7+
      • Lucas 12 de agosto de 2016 at 17:57

        que comentário mais petista

        5+