Cadastro de leitores

Você pode gostar...

Comments
  • CA 28 de dezembro de 2015 at 21:58

    Falando sobre bolha imobiliária e um item relevante, o crédito imobiliário, acessei há pouco o site da ABECIP, que por sinal também passou por mudanças de layout, avaliando como tem sido a evolução do crédito imobiliário ligado à verba da poupança (SBPE), que é a grande parte dos empréstimos imobiliários concedidos e pude constatar que:

    1) Evolução dos financiamentos – ACUMULADO – crédito imobiliário para aquisição de imóveis: queda de 35% em unidades e 30% em R$ na comparação do acumulado de janeiro/2015 a novembro/2015 com mesmo período de 2014;

    2) Evolução dos financiamentos – 3 últimos meses (Set/15 a Nov/15) – crédito imobiliário para aquisição de imóveis:
    2.1) Set/15: queda de 52,08% em unidades e 48,57% em R$;
    2.2) Out/15: queda de 64,52% em unidades e 59,13% em R$;
    2.3) Nov/15: queda de 58,65% em unidades e 53,79% em R$;

    O que os números acima nos dizem? A diminuição de participação da CEF a partir de maio/2015 em função da “sangria” na verba de poupança está tendo um forte impacto na queda dos financiamentos, junto com a redução de 42% nos lançamentos em 2012 (3 anos para construir e financiamento ser adquirido no ato da entrega), assim como a crise econômica também está cobrando seu preço.

    Dos números acima, a ABECIP justificou apenas o caso de out/15, onde a queda teria sido ainda mais intensa em função da greve dos bancários. Ocorre que nov/15 teve desempenho pior que set/15, apesar de ter sido beneficiado” por adiamento de financiamentos de outubro para novembro.

    Uma queda como a constatada nos 3 últimos meses é absolutamente anormal, assim como foi anormal o crescimento no crédito imobiliário concedido, que em 2011 foi o equivalente a 22 vezes o que foi concedido em 2006. É assim que funciona uma bolha imobiliária, com um inflar impressionantemente intenso e rápido, acompanhado por uma explosão que também ocorre em ritmo e intensidade anormais.

    Qual a tendência para 2016?

    Com o acirramento da crise nos próximos meses e possivelmente ao longo de todo o ano de 2016, a expectativa é que esta queda na concessão de crédito imobiliário baseado na poupança se intensifique ainda mais, até porque Itaú e Bradesco já haviam informado previsão de terem escassez de verba da poupança em meados de 2016 e os lançamentos de 2013 para entrega em 2016 contém um grande volume de vendas para especuladores, que na impossibilidade de repassarem o ágio (obterem lucro ao vender próximo à entrega em relação ao preço que pagaram na planta), também serão uma nova fonte de aumento nos distratos (cancelamentos de vendas = menos financiamentos imobiliários).

    Este é um dos pontos principais para intensificação e maior visibilidade da explosão de nossa bolha imobiliária, uma vez que provê uma redução substancial nos recebíveis das construtoras (cerca de 80% da venda de imóvel financiado é recebido pela construtora no ato do financiamento imobiliário por comprador do imóvel) associada a um “crescimento espontâneo” dos estoques via distratos, sendo que estes dois itens combinados com crise financeira e da economia se agravando cada vez mais, forçarão novos e mais relevantes “descontos”.

    Mecanismo similar ocorrerá do lado dos vendedores de imóveis usados, pois cada vez mais teremos casos em que a necessidade determinará o preço de venda, até porque a opção de colocar imóvel para alugar, visivelmente está ficando cada vez mais inviável, em função das altíssimas taxas de vacância aliadas a quedas de preços de aluguéis que já estão sendo observadas nas mais diferentes localidades.

    Para quem quiser acessar o site da ABECIP e dar uma olhada nestas informações, segue o link: “https://www.abecip.org.br/credito-imobiliario/indicadores/financiamento

    27+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 28 de dezembro de 2015 at 22:00

      Pequeno complemento: no item 2 do comentário acima, as comparações percentuais são com mesmos meses de 2014.

      33+
      • avatar
      • avatar
  • Azufre 29 de dezembro de 2015 at 06:13

    BOSS,

    Acho que aos poucos valeria a pena trazer algumas coisas para cá, em especial os tópicos com os gráficos do CA.

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Bolha BOSS 29 de dezembro de 2015 at 10:04

      Sim, aos poucos vou migrando algumas coisas importantes.
      Se bem que os tópicos do CA em 2015 eu rodei um comando errado e pedi os gráficos, mas irei pegar dos arquivos que ele mandou

      12+
      • avatar
      • maragato 29 de dezembro de 2015 at 10:15

        Tu realmente apagou todo o conteudo do wordpress antigo??
        Ou está disponivel off-line? Estava programando um app no GAE para gerar uma Lista de CRVs, automaticamente…

        7+
        • avatar
        • Bolha BOSS 29 de dezembro de 2015 at 10:17

          Não cara, tenho copias guardadas 😉

          13+
          • avatar
  • CA 29 de dezembro de 2015 at 07:26

    Outro item relevante para explosão mais visível da bolha imobiliária: desemprego.

    De 2007 a 2009 tivemos crescimento no saldo de vagas do CAGED, apesar da crise Mundial de 2008 deflagrada pela explosão da bolha imobiliária americana.

    Isto aconteceu graças a construção civil que dobrou a sua participação percentual na geração de empregos no período acima.

    A causa para crescimento tão relevante em período tão curto? Em primeiro lugar, os lançamentos de imóveis que cresceram muito acima do normal neste período e chegaram a dobrar se olharmos o período de 2007 a 2011, em segundo lugar, uma combinação de Copa do Mundo que apenas começava a gerar mais obras nas cidades sede e a Petrobrás que teve grande conjunto de projetos de infraestrutura envolvendo construção civil graças a uma combinação de forte incentivo da corrupção, que demandava projetos faraônicos para gerar pixulecos proporcionais, juntamente com a cotação do dólar e o patamar de juros que beneficiavam os investimentos e um endividamento que ainda não era catastrófico.

    Após este período de euforia a construção civil passou a desacelerar, em especial em 2012 quando as construtoras reduziram em 40% seus lançamentos, em função dos super estoques gerados pelo volume anormal de distratos, o nosso subprime. Já em 2013 a participação da construção civil no total de vagas geradas se aproximava do período anterior ao inflar da bolha.

    Em 2014 com a Copa do Mundo já realizada e com a Lava a Jato combinada com super endividamento da Petrobrás, juros e cotação do petróleo desfavoráveis, que causaram uma fortíssima desaceleração nas obras de construção civil em todo país, juntamente com novas quedas sensiveis em lancamentos de imoveis, tivemos um saldo negativo na geração de empregos da construção civil que puxou uma derrocada na geração de empregos.

    Agora em 2015, com a intensificação do que consta acima e Governo sem fôlego para pedalar e maquiar como antes, estimativa é fecharmos o ano com perda de mais de 1 milhão de vagas no total, sendo algo em torno de 500 mil só na construção civil.

    Outro fator importante é que a geração rapida e relevante de empregos sem ganhos de produtividade para empresas ajudou muito na geração de um nível anormal de inflação e crescimento de renda no período, este ultimo levando a um número recorde de jovens a deixarem de trabalhar e de só estudarem, por opção. Agora em 2015, com crescimento rápido e relevante no desemprego, queda na renda e com um número de chefes de família que perderam emprego 57% maior que 1 ano atrás, temos um cenário que é o inverso, com um relevante contingente de jovens desempregados.

    A tendência é de piora e de já em fevereiro/2016 o desemprego ter dobrado em relação a mesmo mês de 2015, sendo que ainda em 2016 chegaríamos a um desemprego de 2 dígitos.

    Observamos novamente um rápido inflar e desinflar dos empregos, em ritmo e intensidade anormais, novamente outra característica típica de toda bolha imobiliária.

    36+
    • avatar
    • avatar
  • Rolde 29 de dezembro de 2015 at 10:06

    Casa nova,parabéns!!!

    13+
    • avatar
    • avatar
  • Bolha BOSS 29 de dezembro de 2015 at 10:09

    Ao pessoal que fez o cadastro no blog e que ainda não teve confirmação.

    Queria pedir um pouco de paciência, pois em 12 horas foram mais de 600 inscrições, que terei que avaliar o histórico um por um, antes de aceitar o cadastro ou não.

    Anonymous, entre em contato na parte superior do blog, para me informar um e-mail válido para poder enviar sua senha.

    25+
    • avatar
  • From_The_Tower 29 de dezembro de 2015 at 10:39

    Valeu Boss pela iniciativa. É melhor levar um tempo para arrumar a casa e garantir a qualidade dos participantes. Que participe aqueles que realmente somem nas discussões e conhecimentos.

    16+
    • avatar
    • Bolha BOSS 29 de dezembro de 2015 at 10:43

      Valeu Pandeiro

      E com relação a aquela MP do IOF a 25% para transferências para o exterior, alguma noticia ?

      6+
      • From_The_Tower 29 de dezembro de 2015 at 10:51

        Até agora nada. Vou ficar de olho nas publicações do DOU.

        8+
        • avatar
        • Bolha BOSS 29 de dezembro de 2015 at 10:53

          Vou garantir minha parte e mandar uma remessa pelo preço atual, sem dó

          8+
          • From_The_Tower 29 de dezembro de 2015 at 10:58

            Pois é Boss, eu estou na dúvida se mando mais uma remessa. No meu caso tem que ser pelo Itaú e tem a tarifa salgada. hehehe
            Estou pensando seriamente em abrir uma conta no BB Americas de Orlando. Segundo você o spread é bem menor. O meu do CHASE cobra de 4 a 5% de spread em gastos no cartão de débito. (Real x Dólar)

            6+
  • Diego F. 29 de dezembro de 2015 at 10:56

    Foi uma boa alternativa essa encontrada, BOSS.

    Pelos termos, entendi que você quer que o blog volte a ser apenas sobre a bolha, certo? Ou economia e finanças pessoais estão valendo sempre também?

    Para os demais assuntos estamos procurando soluções que sejam mais “automoderáveis”, digamos assim, e que não comprometam ninguém.

    7+
    • Bolha BOSS 29 de dezembro de 2015 at 10:59

      Continua valendo economia e finanças.

      12+
      • avatar
      • avatar
  • FHMartins 29 de dezembro de 2015 at 11:03

    ok to aqui
    Mas tipo assim
    Onde é a opção de escolher senha.
    DAffgertDSAERF ta dificil de decorar em :/

    8+
    • Bolha BOSS 29 de dezembro de 2015 at 11:04

      Na aba lá em cima, editar perfil, tem um local para trocar a senha

      8+
    • Diego F. 29 de dezembro de 2015 at 11:05

      “http://www.bolhaimobiliariabrasil.com/wp-admin/profile.php

      5+
      • Diego F. 29 de dezembro de 2015 at 11:06

        Lá em baixo… Gerar senha, aí digita a escolhida e atualiza o perfil.

        8+
  • FHMartins 29 de dezembro de 2015 at 11:07

    o que esse “Delete ” logo embaixo do like ????

    6+
    • Bolha BOSS 29 de dezembro de 2015 at 11:08

      Era para aparecer só para mim, mas vazou…terei que arrumar isto.

      9+
      • avatar
  • Amadeus de Sampa 29 de dezembro de 2015 at 11:07

    Apoio total Bolha Boss! Acredito que agora com um maior controle nas postagens, os posts durem mais que 24hs. Aquela loucura de um post por dia era insano.

    10+
    • Bolha BOSS 29 de dezembro de 2015 at 11:21

      Mais ou menos esta a ideia, como comentei com o Padeiro, já fizemos a nossa parte, já aprendemos bastante, melhor focar na qualidade do que na quantidade. Não me importo com fama, pois nunca quis.

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Money_Addicted 29 de dezembro de 2015 at 11:49

    Valeu Boss, sem duvida nenhuma o crescimento do blog acabou desfocando um pouco/bastante as discussoes.

    8+
    • avatar
  • BolhaPOA 29 de dezembro de 2015 at 12:59

    “http://www.oantagonista.com/posts/governo-avanca-sobre-o-fgts”

    Não vi se postaram isso ontem, mas o que muda isso de fato? É apenas uma manobra para diminuir os déficits orçamentários?

    7+
  • Azufre 29 de dezembro de 2015 at 13:00

    BOSS,

    Já pensou em habilitar moderadores adicionais?

    3+
    • Bolha BOSS 29 de dezembro de 2015 at 13:12

      Sim, já estou pensando. Meu secretário Pandeiro seria um deles

      7+
      • avatar
      • avatar
  • Polaco 29 de dezembro de 2015 at 13:35

    Opa… ficou manero … e a versão mobile ficou top também, parabéns…

    8+
  • Azufre 29 de dezembro de 2015 at 13:36

    Teste

    123456789

    7+
  • Barnabezinho 29 de dezembro de 2015 at 13:42

    Vamos recomeçar:

    Oi BOSS, tudo bem?

    Este me parece ser um tópico inicial, onde podemos simplesmente ver como vai ser o novo blogue.

    Muita gente falou mal de ti de anteontem até agora. Pedi calma a todos porque acredito que aqui vai virar um espaço melhor com os ajustes. Defendendo o que tu fez sem motivo algum, além de achar que gratidão se paga com lealdade. Sempre fui leal ao blogue e ao grupo que existia. Não gostei do facão. Não é assim que se tratam os amigos, a meu ver.
    Agora muitos vão montar espaços para debater os assuntos “extra-blogue” FORA DAQUI. Nada de sujeira, nada de fofocas ou conversa fora do “disclaimer”. Isso é necessário e a meu ver, justo. Não vai ter mais bagunça aqui. Vamos ser profissionais, ou, ao menos, mais técnicos, específicos. Há novos lugares para a brincadeira, a comédia. Não vamos mais comer na mesa de trabalho.

    Eu aqui sou o Barnabé. Lá fora, vida real, sou Claudio, sou um cara comum, como todo mundo aqui. Não esquece de quantas pessoas comuns acham a sua ideia inicial boa, e dedicaram tempo e ideias a esta sua ideia. E não esquece: Paciência é virtude nos recomeços.

    28+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Bolha BOSS 29 de dezembro de 2015 at 13:46

      Acho que este reformulação do blog serviu para separar quem quer realmente ajudar, e quem é inimigo do blog. Ontem de madrugada dei uma olhada nos blogs em paralelo, e só li absurdos. Bem ao nível dos baderneiros de plantão. Enfim, fo****, sorrio e aceno.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • Barnabezinho 29 de dezembro de 2015 at 13:50

        Muita Gente boa do blogue não entendeu nada. O benefício da dúvida sempre é importante. E eu ainda tive de aturar o Rato.
        Pessoal se sentiu abandonado… realmente o blogue é importante para o pessoal, como referencia. Pessoal se mobilizou pra tapar o vazio. Agora é normal que tenha quem se sinta “excluido”, ou desconfortável, como é o meu caso, que nada tenho pra ofertar tecnicamente ao blogue. Vamos com calma, peço só isso.

        24+
        • Bolha BOSS 29 de dezembro de 2015 at 14:01

          O master reset do blog era necessário, por questões técnicas e por questões comportamentais.
          Um blog com 986.182 comentários já exigia bastante para manter, é melhor zerar tudo, e deixar todo o resto guardado. E do ponto de vista comportamental, talvez você entenda o que se passa na cabeça. Você já foi socialista, e se converteu para o outro lado…Liberdade em demasia não presta, totalitarismo demais também não presta. Simplesmente as pessoas perderam a noção. Então melhor passar a chave e controlar melhor, pois somente eu respondo por atitudes permitidas aqui dentro do blog.

          14+
          • Barnabezinho 29 de dezembro de 2015 at 14:22

            Acho que se todos lerem sua explicação, fica mais simples. Carece explicação este tipo de mudança radical.

            8+
          • Azufre 29 de dezembro de 2015 at 15:59

            Eu pensei que iria ter tópico especial para o comentário 1kk.

            Acho que este é o comentário 44, agora.

            Vamo que daqui a pouco chega!

            5+
  • dautonico 29 de dezembro de 2015 at 13:42

    Ano novo, casa nova, CA já iniciando os trabalhos com a qualidade já exemplar.

    BOSS o tópico de investimentos irá retornar? Fim de ano chegando e vou poder colocar em % o tanto que as dicas do pessoal daqui me ajudaram… então queria compartilhar isso com o pessoal como um agradecimento e também para ‘incentivar’ o pessoal que lê mas não comenta..

    Obrigado pela casa nova hehehe

    9+
    • Barnabezinho 29 de dezembro de 2015 at 13:46

      Tudo vai voltar aos poucos, parece.

      5+
  • Polaco 29 de dezembro de 2015 at 14:02

    Sugestão:

    Indicadores “imobiliários” no canto direito, TR, IMOB, valor de ações das construtoras…

    10+
    • avatar
    • BolhaPOA 29 de dezembro de 2015 at 14:24

      Nossa, ia ser ótimo. E indicadores econômicos também, como inflação e dólar. Você só precisaria estar com o site do bolha aberto que teria todas as informações.

      8+
  • CA 29 de dezembro de 2015 at 15:31

    Abaixo seguem cinco notícias “interessantes”, que tem relação com a crise na economia e o que pode vir a ser feito pelo Governo para combatê-la, afetando portanto de forma direta os próximos passos da bolha imobiliária no Brasil:

    “http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/4487372/quer-aliquota-para-mais-ricos-ipva-para-jatos-helicopteros

    “http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/4487191/ibovespa-sobe-seguindo-exterior-atento-cenario-politico-petrobras-sobe

    “http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/4486972/presidente-irrita-governo-dilma-rejeita-guinada-esquerda-como-partido-quer

    “http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/4486736/petistas-fecham-cerco-novo-ministro-barbosa-pode-encarnar-levy-2016

    “http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,governo-edita-mp-para-regulamentar-acordos-de-leniencia,10000005262

    Resumindo o que consta nos links acima: PT e seus aliados mais a esquerda (CUT, MST, etc) querem que Governo reduza os juros, que crie um programa para gerar empregos (não detalhado como poderia ser), que crie alíquota de 40% do IRRF para renda mensal superior a R$ 100 mil isentando aqueles com renda até R$ 3800,00, que crie um novo imposto equivalente ao IPVA para jatos, helicópteros e outros veículos não terrestres e que disponibilize mais crédito para pequenas e micro empresas. O PT condiciona que o Governo adote estas ações como “moeda de troca” para garantir o apoio dos partidos mais à esquerda e dos “movimentos sociais” contra o Impeachment. O Governo mantém, por enquanto, o discurso “pró-mercado”, sinalizando que teremos apenas pequenas “inflexões” na política econômica, mas nenhuma “virada à esquerda”, além de ações que vão contra os interesses do PT e de seus aliados, como reforma da previdência, flexibilização das leis trabalhistas, manutenção do ajuste fiscal, etc.

    Minha opinião sobre o que consta acima, é que o Governo escolheu “o caminho do meio”, onde ele tentará em um primeiro momento, fazer vingar os acordos de leniência com construtoras da Lava Jato, subir os juros o mínimo possível ou não subir, obter recursos limitados e “do sistema” (exemplos: FGTS, Bancos Públicos e Privados) para prover um mínimo de crédito subsidiado adicional (=insuficiente), ser um pouco mais leniente ainda quanto a inflação e quanto à sua saúde fiscal, sugerir propostas para mudanças na Previdência, flexibilizações trabalhistas e redução de despesas vinculadas no orçamento, mas tudo isto sempre em “pequenas doses”, tentando ao mesmo tempo não gerar a “fúria dos mercados”, não deixar que os impactos da crise fiquem ainda mais visíveis no curtíssimo prazo e assim ganhar algum “fôlego” junto ao PT, partidos mais a esquerda e movimentos sociais para que os mesmos ajudem a bloquear o impeachment. Acredito que este caminho é o pior possível, pois não irá satisfazer ao “mercado” nem ao PT e demais que o apoiam, fazendo com que expectativas, investimentos, US$, etc., continuem com comportamentos flutuantes e assim prejudiciais para economia. Continuo defendendo a tese de que o melhor caminho seria radicalização tanto na política fiscal quanto monetária, acompanhado de reformas estruturais, mas como sabemos, este Governo não possui o menor cacife para fazer isto.

    Por que ainda acho que apesar de toda a pressão de PT e aliados o Governo não fará uma “guinada radical à esquerda”? Porque o Governo tem os números da economia e sabe melhor do que ninguém que isto é absolutamente inviável neste momento, pois iria gerar uma inflação galopante junto com explosão do US$, forçando juros muito maiores, levando a um percentual ainda mais elevado de desemprego, quebra de empresas e agravamento de todos os fatores que hoje já estão muito prejudicados. O Governo sabe sobre o índice de endividamento das famílias que duplicou em proporção à renda nos últimos 10 anos, sabe que nos últimos 5 anos a inadimplência geral das famílias subiu 2,5 vezes mais rápido que no período anterior, sabe que o consumo das famílias teve uma derrocada nos últimos anos exatamente pela combinação deste alto endividamento e inadimplência, com uma inflação muito elevada, assim como os juros, ou seja, o Governo sabe que soluções mirabolantes terão efeitos piores. Lembrando que se o Governo adotar uma “virada à esquerda” para “morrer atirando” (tentativa desesperada de evitar o impeachment), as consequências serão rápidas e perceptíveis para toda à população quanto a piora na economia e nas questões ligadas à sobrevivência em um curto período de tempo (poucos meses). Em resumo, não acredito que o Governo adotará esta virada radical à esquerda porque ele sabe que é suicídio político e para economia ao mesmo tempo, no entanto, mesmo que faça isto sendo uma ação desesperada anti-impeachment, o fato é que só irá acelerar a derrocada na economia, intensificando ainda mais os efeitos e visibilidade das explosões das bolhas que este Governo ajudou a inflar (bolha imobiliária, de consumo e de corrupção, dentre outras).

    15+
    • avatar
    • Mephistopheles 29 de dezembro de 2015 at 18:06

      Confirmo o empenho em fazer vingar os acordos de leniência da LJ. Não houve recesso para esse assunto.

      4+
    • CA 29 de dezembro de 2015 at 18:39

      Recomendo a leitura da notícia do artigo abaixo, que complementa o comentário logo acima:

      “http://g1.globo.com/economia/blog/beth-cataldo/post/reajuste-do-minimo-reforca-riscos-de-maior-indexacao-na-economia.html

      Concordo com o que consta no artigo acima, o reajuste aprovado do mínimo tem efeitos colaterais muito piores do que o “benefício” esperado, pois estimula aumento no problema fiscal e na inflação, ambos em patamares que já são muito preocupantes. Por estar completamente desvinculado de ganhos de produtividades e da realidade da economia neste momento, será um motivador a mais para gerar aumento no desemprego, para as empresas que não puderem sustentar este aumento, ou para aqueles que prestam serviços vinculados a órgãos públicos que serão obrigados a reduzirem suas despesas com terceiros para acomodarem estes aumentos. Para piorar ainda mais, reforça a visão de muitos quanto a “indexação” na economia, o que faz com que a inflação se torne um mal ainda mais resistente “aos remédios tradicionais”, lembrando o cenário pré-real e reforçando as perspectivas de que tenhamos novo aumento da SELIC na próxima reunião do COPOM em janeiro/2016, isto sem contar a piora nas expectativas dos empresários por saberem destes efeitos, a redução dos investimentos das empresas pelos mesmos motivos, etc.

      Em outras palavras, é uma medida eminentemente populista, que visa enganar as pessoas com uma visão imediatista de “ganho” maior nos salários dos mais pobres, em troca de mais inflação, desemprego e outros efeitos que serão muito piores do que este pseudo-ganho.

      Esta é parte do “caminho do meio”:

      De um lado o Governo quer fechar acordo de leniência para preservar grandes empresas de infraestrutura, com o discurso do “vamos preservar empregos”, ao mesmo tempo que quer aumentar a flexibilização nas negociações trabalhistas e com isto, ter ambiente mais propício à geração de empregos, sendo que para complementar a “média” que faz com o PT e seus apoiadores em busca de se salvar do impeachment, agora divulgou este aumento do salário mínimo, do outro lado, promove mais inflação, desemprego, indexação na economia para deixar inflação mais resiliente e outros danos mencionados acima. Do lado do equilíbrio fiscal, se por um lado prometem aumentar a idade mínima da aposentadoria (que é apenas um dos problemas da previdência, embora seja relevante), por outro garantem um rombo relevante nas contas públicas via aumento elevado do salário mínimo. Pelo “conjunto da obra”, percebemos que “invertem o sinal” quanto aos resultados esperados, saindo de possíveis recuperações quanto a empregos e a economia como um todo para prejuízos muito maiores nos mais variados fatores e que afetam a todos, em outras palavras, o “caminho do meio” equivale a dar dois passos para frente e quatro para trás…

      18+
      • avatar
  • Azufre 29 de dezembro de 2015 at 15:59

    Achei que hoje a Petro iria renovar as mínimas do ano, mas não foi! (Ainda, ao menos)

    8+
  • Emer 29 de dezembro de 2015 at 16:10

    Boss,
    Não acompanhei o que aconteceu, mas de qualquer forma, parabéns pelo novo formato.

    8+
    • avatar
  • Emer 29 de dezembro de 2015 at 16:11

    Para o Tower,
    Alguma perspectiva sobre o que irá ocorrer com o dólar ?

    9+
    • avatar
    • maragato 29 de dezembro de 2015 at 19:41

      Up, e altas aventuras.

      4+
    • From_The_Tower 29 de dezembro de 2015 at 19:50

      Vai ficar nessa banda de 3,80 a 4,00. Quando a inflação chegar nos 12% ao ano encosta nos 4,50. Só uma questão de tempo.

      6+
      • Emer 29 de dezembro de 2015 at 21:41

        Meu caro, obrigado pela resposta.

        5+
  • rgsul 29 de dezembro de 2015 at 16:16

    Estava quase me sentindo abandonado. Final do filme do Show de Truman.

    O blog me ajudou muito na vida financeira, não na parte de economia, de gastar menos do que se ganha, mas onde investir.

    10+
  • Giqqs 29 de dezembro de 2015 at 16:36

    I’m in!

    Boss, entendo sua atitude. Na minha escola, a diretora tinha uma frase boa que nunca esqueci: “Não podemos confundir liberdade com libertinagem”. Lição de vida!

    27+
    • avatar
    • avatar
    • Azufre 29 de dezembro de 2015 at 17:05

      Pelo jeito, em toda escola se diz isso! Na minha tb

      7+
  • Bolhudo BH 29 de dezembro de 2015 at 17:34

    Ainda bem que o espaço voltou renovado e reformulado. Ontem já tive crise de abstinência.

    Ano novo, blog novo. Vida longa ao Bolha!

    10+
  • bolhista cearense 29 de dezembro de 2015 at 17:40

    Finalmente. Passei um susto danado com este blog durante estes dias. Pensei realmente que tivesse acabado.

    6+
  • Barnabezinho 29 de dezembro de 2015 at 19:16

    BOSS, o Papirante pediu pra tu encaminhar email pro yahoo dele!

    5+
  • DBA 29 de dezembro de 2015 at 20:30

    Há poucos dias, num debate sobre o futuro dos investimentos em educação, Mansueto Almeida alertou que a maioria dos programas de transferência de renda – responsáveis por 80% do aumento do gasto primário do governo na última década – são indexados pela inflação pregressa (a única exceção – vejam vocês! – é o Bolsa Família!). Isso significa que, ao contrário do que ocorria outrora, o aumento da inflação não concorre para melhorar a situação das finanças públicas. Eis mais uma contribuição de nossa presidanta para o descalabro em que nos encontramos!

    7+
    • avatar
  • DBA 29 de dezembro de 2015 at 20:34

    Dúvida: não é mais permitido postar CVRs, confere produção?

    5+
    • Amadeus de Sampa 29 de dezembro de 2015 at 23:15

      Acredito que CVR que nao fuja do assunto bolha/economia nao tenha problemas. Meu entendimento.

      5+
  • DBA 29 de dezembro de 2015 at 20:35

    Outra dúvida: o Boss se referiu a “blogues paralelos”, possivelmente mais livres do que este site. Alguém poderia passar os links? Quero aproveitar o lado bom de todos, tanto daqui quanto de lá.

    9+
    • Barnabezinho 30 de dezembro de 2015 at 10:25

      “http://www.bolhaimobiliaria.net/

      Somos irmãos, não há paralelismo. Apenas não vamos mais fazer bagunça aqui.

      “http://bodegaimobiliaria.forumeiros.com/
      Fórum inicial que o André Luiz/ZS abriu, para servir de becape em caso de emergência.

      12+
      • Barnabezinho 30 de dezembro de 2015 at 11:06

        “https://www.voat.co/v/bodegadabolha

        Esse é um becape do Nunes, também. O medo da dispersão fez o povo proliferar linques 😉

        8+
  • Bolha BOSS 29 de dezembro de 2015 at 20:47

    Pessoal, seguinte

    Estou com 870 pedidos de cadastro no blog, até o momento só consegui avaliar pouco mais de 100 usuários. Então não vai adiantar mandar e-mail para apurar por não estou conseguindo ir mais rápido, até pq ainda estou no trabalho com minhas atividades profissionais

    18+
    • avatar
  • Awulll 29 de dezembro de 2015 at 22:23

    Ufa! Estou dentro!
    Obrigado Boss!

    5+
  • DBA 29 de dezembro de 2015 at 22:39

    2016 o Ano do Colapso Fiscal, e uma sugestão com 23 medidas que podem evitar isso!
    por Adolfo Sachsida

    O ano de 2016 será o ano do colapso fiscal. As contas dos estados e municípios aguentam até junho de 2016, depois disso é o fim: calote generalizado em fornecedores e atraso no pagamento de funcionários públicos. A nível estadual e municipal existe um verdadeira bomba relógio: os fundos de previdência dos funcionários públicos. No Distrito Federal, no Rio Grande do Norte, e no Paraná o governo já andou botando a mão nesses recursos para pagar despesas correntes. Em Londrina e em outras cidades a situação da previdência também é bem complicada.

    A nível federal a conta de previdência irá gerar um déficit monumental, daqueles que colocam em risco a solvência de longo prazo do sistema. Os gastos federais continuam a crescer, e a arrecadação a cair. Junho de 2016 também é a data limite para o governo federal tomar as medidas necessárias para tentar reequilibrar suas contas. O governo federal já vem atrasando pagamento a fornecedores, o caso dos funcionários terceirizados também é preocupante pois o governo vem atrasando tais pagamentos também.

    Junho de 2016 é o limite: temos até lá para tomarmos medidas drásticas de redução de gastos e de reestruturação de longo prazo, caso contrário as contas públicas colapsam. O que o governo deve fazer? Segue uma lista com as 23 medidas necessárias:

    A. REDUÇÃO DO TAMANHO DO ESTADO NA ECONOMIA: LADO DA DESPESA

    Medida 1: Fim dos repasses do Tesouro para o BNDES.

    Medida 2: Substituir Investimento Público por Parcerias ou Concessões

    Medida 3: Acabar com a regra atual de reajuste do salário mínimo, e manter em 2016 o mesmo valor do salário mínimo que vigorou em 2015.

    Medida 4: Minimizar os custos decorrentes da Copa do Mundo de 2014 privatizando todos os estádios, e cobrando as dívidas de quem deve ao Estado.

    Medida 5: Minimizar os custos decorrentes de sediar as Olimpíadas de 2016.

    Medida 6: Projeto de Lei que aumente a idade mínima para aposentadoria para 67 anos tanto para homens quanto para mulheres.

    Medida 7: FIM da aposentadoria por tempo de serviço.

    Medida 8: Não elevação dos gastos com o bolsa família e implementação de uma regra compulsória de saída.

    Medida 9: Pente fino na necessidade de novos concursos públicos

    Medida 10: Congelamento dos Salários dos Servidores Públicos por um ano

    Medida 11: Forte redução com gastos de publicidade.

    Medida 12: Proibição do Banco do Brasil e da CEF de comprarem participação em bancos privados.

    Medida 13: Forte redução na quantidade de Ministérios.

    Medida 14: Imediata auditoria e cortes nos repasses para todas as ONG´s

    Medida 15: Revisão das Concessões de Indenização a Aposentadorias aos grupos denominados “Perseguidos Políticos”

    Medida 16: Regra para o “Restos a pagar”

    Medida 17: Redução nas despesas com saúde

    Medida 18: Redução dos gastos federais em educação

    Medida 19: Abandonar, pelos próximos 4 anos, os grandes projetos tais como o programa Minha Casa Minha Vida, ou o Minha Casa Melhor, ou o PAC

    B. REDUÇÃO DO TAMANHO DO ESTADO NA ECONOMIA: LADO DA RECEITA

    Medida 20: Suspensão de vários dos incentivos tributários setores específicos concedidos nos últimos anos

    Medida 21: Fim da Isenção de IR para LCI e LCA

    Medida 22: Grande processo de privatização de empresas públicas

    Medida 23: Ampla revisão da legislação ambiental

    Essas 23 medidas são capazes não apenas de ajustar o orçamento para 2016, mas são suficientes para reequilibrar a saúde fiscal do Estado brasileiro. NÃO é necessário aumentar impostos, precisamos de reformas estruturais e não de ajustes paliativos e transitórios. A ausência desse ajuste só pode ser corrigida por aumentos de impostos ou por uma inflação elevada, então façam suas escolhas, não há saída fácil para o caos fiscal gerado pelo PT.

    10+
    • CA 30 de dezembro de 2015 at 07:12

      O Governo já demonstrou que não adotará um conjunto de medidas tão impactante quanto o sugerido acima.

      No caso do item 3, ao contrário, não só o Governo não manteve o salário mínimo para 2016, como o aumento concedido ficou acima do que era o previsto.

      Não vejo este Governo suspendendo o MCMV como sugerido, é bem mais provável que ele continue sangrando o FGTS, como no caso do MCMV faixa 1 que foi alterado recentemente e está jogando dinheiro do FGTS a “fundo perdido”.

      Outras medidas mais radicais também são incompatíveis com a fragilidade e ideologia populista deste Governo. Mais provável é que apostem em mais aumentos de impostos.

      Já sobre a inflação ser o mecanismo que daria as verbas para ajudar a cobrir os rombos, consta acima comentário sobre artigo de Mansueto que defende o contrário…

      10+
      • Azufre 30 de dezembro de 2015 at 07:22

        Ao gastar o dinheiro do FGTS, que não pertence a ele, o governo está dando uma nova pedalada.

        Assume uma dívida, mas, smj, não a contabiliza

        12+
      • DBA 30 de dezembro de 2015 at 10:10

        Concordo com você, CA.
        Se estas medidas são necessárias para evitar o abismo e concordamos e que elas não serão adotadas, logo… MASTER RESET is coming!

        7+
  • Seu Madruga das Galáxias 29 de dezembro de 2015 at 22:40

    Sou meio analfa com tecnologia, então tive que mudar o meu nick, mas vambora!

    6+
  • Amadeus de Sampa 30 de dezembro de 2015 at 00:17

    Jah fazem dois anos que traduzi e legendei esse video do Robert Shiller.
    Nobel de Economia fala sobre a Bolha Imobiliaria no Brasil
    _https://youtu.be/CEtrWGIrECI

    8+
    • Amadeus de Sampa 30 de dezembro de 2015 at 00:19

      Jah faz dois anos…

      5+
  • Krusty 30 de dezembro de 2015 at 01:34

    Olá bolhistas!

    Sobre o reset: Achei até que demorou um pouco. Sempre achei que ia acontecer.

    7+
    • avatar
  • Margarida 30 de dezembro de 2015 at 11:03

    Passando pra deixar um olá e dizer que, não postando porque geralmente não tenho contribuições importantes sobre economia e finanças, fico feliz com a volta do blog, que acaba sendo pra mim uma fonte de informações confiável e importante.

    E aproveitando pra desejar sucesso em 2016 e agradecimentos aos que contribuem aqui.

    15+
    • avatar
    • avatar
  • Azufre 30 de dezembro de 2015 at 11:32

    Tópico novo… O primeiro!

    5+