Enquanto isto, em Curitiba…

Você pode gostar...

Comments
  • Duda 6 de agosto de 2011 at 22:15

    Todos querem “faturar” com os preços atuais… hehehehe Cara, vc vai comprar um belo dum ap, só aguarde um pouquinho…

    0
    • Duda 6 de agosto de 2011 at 22:17

      O que é incrível é que esse aumento todo aconteceu em menos de 3 meses.

      0
    • Bolha Imobiliária 6 de agosto de 2011 at 22:20

      Cara, tem apartamento encalhado desde março…E o preço não baixa…
      Só penso uma coisa, para os usados baixarem de preço, só se os novos fizerem isto. Como tem construtora meio quebradas, talvez aconteça

      0
      • Duda 7 de agosto de 2011 at 19:28

        Com este tsunami chegando de fora, teremos noticias bem rápido. E só uma ir para concordata que aí o pánico faz o resto do trabalho. Abs

        0
      • LB 7 de agosto de 2011 at 20:07

        Bolha,

        Conheço um aqui em Recife que está encalhado, no mínimo, desde novembro/2010 (mês que comecei a pesquisar preços de imóveis).

        Era anunciado a 220k, aumentaram para 250k, depois para 268k e agora ‘baixaram’ para 265k.
        Avalio que vale algo em torno de 170k – 180k.

        w w w.expoimovel.com/servlet/br.com.expoimovel.servlet.GerenciadorDetalhesAnuncioImovelServlet?operacao=exibirDetalhes&origem=fleischman&codigoAnuncioImovel=402_1_1_x51207515445210031282059230923&anunciante=fleischman&listagemPersonalizada=nao

        0
  • Ana 6 de agosto de 2011 at 22:52

    Gente pintou o desespero. Estão colocando a venda porque viram que é agora ou nunca. Vcs viram a reportagem do Globo sobre inadimplência com base nos balanços do Itaú, Santander e Bradesco, usaram até a expressão “bomba” de crédito, em vez de bolha. As ações estão despencando. O povo está deixando de pagar ante a inflação alta. A renda não está acompanhando. Os preços dos imóveis não correspondem a renda do consumidor em potencial. Os gringos que os jornais diziam que estavam comprando os imóveis, cadê?

    0
  • MrK 6 de agosto de 2011 at 22:56

    HAHAHA BOLHA, gostou da minha idéia né???? comenta aí a evolução do RJ que eu citei… copacabana e barra, aumentaram em mais de 20% a quantidade de imóveis a venda em coisa de 3 meses

    detalhe que juram que na zona sul (onde copa está) não tem mais espaço e por isso é cobiçado…tá bom…com 4mil unidades a venda SÓ no zap

    0
  • MrK 6 de agosto de 2011 at 22:58

    copiando meu post do assunto anterior

    “O SIMBOLO DOS 4MIL EM COPABACANA

    eu tenho acompanhado esse “indice” copacabana como uma medida, já que esse bairro é o mais badalado e está na zona sul do Rio (acompanho também barra+recreio e vi passar de 10.000 pra 12.800 unidades a venda) veja, quando comecei a medir (já no auge da bolha) havia 3.500 apartamentos a venda em copa, e a relação pra aluguel era de 1 pra 10

    Hoje passamos dos 4.020 e a relação pra aluguel é de 1 pra 15 quase, o que isso quer dizer?

    Quer dizer
    1- Os imóveis não giram mais, apesar de falarem a zona sul é “suuuuper cobiçada” e exclusiva
    2- Os proprietários de imóveis acham que o valor está no auge, se não, não correriam pra vender
    3- As vendas realmente estagnaram e o mercado do vendedor está passando pro mercado do comprador, descontos serão os próximos passos e em breve queda de preço
    4- Corretores: KISS MY ASS

    obrigado.”

    0
    • Fábio 7 de agosto de 2011 at 00:24

      To adorando tudo isso rssss, ainda bem q nao comprei hahahahahaha, imagina quem comprou e pode perder o emprego e ainda ter q pagar prestação em um estouro da bolha do credito???? Caramba o q o Ministro da Fazenda tem a dizer agora??? Q estoure tudo agora hahahahaha, agora q esta com o dinheiro no bolso como é meu caso vai assistir de camarote o circo pegando fogo.

      0
      • MrK 7 de agosto de 2011 at 12:20

        Fabio vc viu o balanco dos bancos cheios de inadimplencia e subindo? o nivel ainda está contornável, mas em breve fugirá de controle se não for feito nada… e as construtoras que publicarão agora?

        o mais engracado foi ler DE NOVO a mais cômica das afirmações: Não tem bolha porque o crédito imobiliario é só 5% do PIB… esses camaradas não evoluem não?

        0
        • Fábio 7 de agosto de 2011 at 12:35

          Eu pensei q a coisa poderia enrolar até 2016 mas estava errado, o desastre já esta rondando e como minha estratégia é sempre longo prazo minha carteira de ações por exemplo tem ELPL4, COCE5 e GETI4 ou seja boas Cia Eletricas q pagam sempre bons dividendos e 70% restante renda fixa e mesmo com queda da bolsa fiquei em uma situação confortavel. MRK estou prevendo um aumento no desemprego no Brasil e com isso mais e mais pessoas não terão como pagar suas dividas e com isso logo logo vão ter q entregar por preço justo os imoveis que compraram por preços de Suiça e França.

          0
          • trololó 7 de agosto de 2011 at 17:59

            fábio, considerando que a economia vive de ciclos, e neste atual ciclo, o desemprego está com baixa histórica, pra onde voce acha que ele pode ir, a não ser pra cima?

            a hora da verdade tá chegando, e essa semana ela só mandou o recado que tá vindo!

            0
  • Fred Henrique 7 de agosto de 2011 at 01:17
  • Anonymous 7 de agosto de 2011 at 01:35

    Para uma tentativa de estabelecer um preço ótimo, vamos supor que a quantidade de imóveis vendidos seja uma função do preço. Para estimar essa função, podemos supor: (1) Se o preço for zero, todo o estoque será vendido. (2) Se o preço for o preço que atualmente está sendo pedido, nada do estoque será vendido. Essas suposições, conduzem à seguinte expressão para a quantidade de imóveis vendidos em função do preço.

    q = -Q/P * p + Q

    Q: Quantidade de estoque
    P: Preço atualmente pedido

    A expressão para o faturamento (f) pode ser escrita como:

    f = p * q = -Q/P * p^2 + Q * p

    Para maximizar o faturamento, basta igualar a derivada do faturamento em relação ao preço a zero. Portanto,

    df/dp = 0 –> -2Q/P * p + Q = 0 –> p = P/2

    Ou seja, nessa análise simplificada, o preço terá que cair 50% e isso será o melhor que as construtoras/incorporadoras podem fazer.

    0
    • Tales 7 de agosto de 2011 at 06:06

      E=mc²

      0
    • Bruno 7 de agosto de 2011 at 08:56

      Cara, você está partindo de premissas equivocadas. Nem os valores atuais inviabilizam totalmente as vendas, nem é necessário baixar o preço para zero para vender todas as unidades.

      0
      • Anonymous 7 de agosto de 2011 at 20:08

        Bruno,

        É uma análise SIMPLIFICADA. Voce tem alguma sugestão melhor?

        0
  • Galvão 7 de agosto de 2011 at 08:53

    Bolha,
    o Google colocou um anuncio no site de lançamento de um empreendimento imobiliário (logo no topo da página) hehehehehe. Hilário.

    0
    • trololó 7 de agosto de 2011 at 17:57

      pode isso, arnaldo?

      0
    • Bolha Imobiliária 7 de agosto de 2011 at 19:31

      Normal cara…Eu não aguento mais censurar sites de ofertas de imoveis…Como o assunto chave é imóveis, então eles entendem que tem que lançar anúncios de imóveis…

      0
  • tulio 7 de agosto de 2011 at 10:05

    Olá Pessoal,
    apenas um desabafo.
    Sou leitor do site ha muito tempo, mas com poucos comentários.

    Pois bem, tenho R$ 140 k vinculado ao mercado de ações e, toda vez que lia esse site e o mises tinha uma certeza: tenho que tirar essa p… de lá e corria ao banco. Lá chegando a gerente (muito bonita) me convencia a deixar o dinheiro e eu aceitava (rss, é triste mas é verdade).
    Pois bem, tomei um maior preju e to me sentindo o maior burro por não ter “ouvido” vocês.
    Mas como não sou de ficar me lamentando, amargo um preju de uns 12k e amanha o que tiro sobrou do dinheiro, e trabalho o dobro para recuperar o perdido.
    Fiz esse comentário apenas para mostrar como vocês estão acertando e, principalmente, como podem ajudar muita gente a juntar elementos para tomar decisões inteligentes ( o que não foi meu caso). Espero que o site continue assim.
    Agradeço ao espaço e aos debates que pude presenciar.

    0
    • trololó 7 de agosto de 2011 at 10:48

      então chega lá segunda de manhã bem cedo, primeiro da fila, e fala pra gostosa tirar todo o dinheiro imediatamente, porque essa semana vai ser um festival de vermelho

      as duas bolsas que trabalharam no final de semana, a da arabia caiu 5.5, e a de israel 6%

      se tu quiser ver como vai ser ainda, aproveita pra ver hoje de noite nos noticiarios da internet como vão abrir as bolsas asiaticas na segunda

      0
      • MrK 7 de agosto de 2011 at 12:23

        calma

        tulio, voce precisa avaliar quais ações voce tem, dependendo do papel eu tiraria tudo ou nada

        é verdade o que o trololó disse (a tendencia é mais queda no curto prazo), mas pode ser que alguns papeis ainda voltem, principalmente os bons pagadores de dividendos, então analise com calma, não vá agir na emoção!

        agradeco seu comentário, abracos e boa sorte

        0
        • trololó 7 de agosto de 2011 at 16:14

          MrK, considerando que ele já teve um prejuizo de 12k pra um principal de 140k não acredito que seja necessário avaliar os papéis pra ver se tira ou não…

          claro, cada caso é um caso, mas acredito que o que aconteceu essa semana vai seguir na próxima: exceto que haverá como sempre uma pequena alta pra depois descer ainda mais forte

          como eu disse, vale ficar de olho hoje à noite pra esperar abrir os mercados asiáticos e ver o quanto no vermelho vão estar, e acredito que será mais ou menos igual aqui

          0
          • MrK 7 de agosto de 2011 at 16:26

            trololo, claro que a bovespa amanha vai sangrar, mas se ele tem um portfolio de dividendos bem montado, não é pra se desesperar

            ele certamente não irá recuperar tudo amanhã ou semana que vem, mas se tiver sangue frio e repito SOUBER o portfolio correto, ele pode sobreviver sem tantos danos, dado que já perdeu uma grana

            abs

            0
          • luiz 7 de agosto de 2011 at 21:27

            Tulio, hora de ter sangue frio, sai rápido e não se deixe taumatizar, volte qdo estiver no piso e refaça esses 12k em dobro usado o aprendizado do momento, volte lá qdo a enina disser q vctá louco de entrar. foi a cara quem e fizeram qdo entrei no cambial atentem. O verdadeiro perdedor é aquele que perde de aprender. tenha pacienca, que vc saberá a hoa certa devoltar.

            Outras pessoas, prisso minha pouca paciencia com estes do cntraponto qu vem com raciosimio quadrupede. Cadê eles agora?
            Imagine onde estarão os corretores q prometeram mundos e a cosa estourar

            0
          • luiz 7 de agosto de 2011 at 21:43

            não se se fui claro, meu teclado de casa tá falhando. Tulio saia agora e volte qdo estiver no pico de baixa, não se deixe traumatizar, com panciecia vc vai saber a HORA de voltar. E só pra informar, aplique pouquinho num fundo cambial na terça agora e ele só subiu, sobe todo dia

            0
        • tulio 7 de agosto de 2011 at 18:02

          é tudo vale5 e petr4

          0
          • trololó 7 de agosto de 2011 at 18:26

            seguinte: não tenho ações, nem invisto em bolsa (nem as de luxo)

            mas, a “perspectiva” que eu li a respeito, são que, devido a recessão que estaria pra vir, as commodities iriam baixar de preço, tanto petróleo quanto aço/ferro, o que ajudaria a explicar o motivo da queda das ações desse tipo de empresa

            0
          • Duda 7 de agosto de 2011 at 19:22

            Tulio, não tenho investimentos em bolsa, mas me atrevo a opinar: com crise o preço do petroleo cai muito (foi assim em 2008/2009, lembra?). A Petrobras terá que reavaliar seus investimentos, e sobre tudo postergar (ainda mais) ou ate cancelar o pre-sal… pois esse petroleo custa uma fortuna para ser explorado, os numeros não vão fechar. Com a Vale, acredito que o risco é menor, mas também em epoca de crise, a demanda por minerio cai (cai a produção de aço). Mas se a China resolver dar um “gas” na sua economia (como aconteceu em 2009), o preço pode recuperar, pois a demanda vem quase toda da China. Aí depende de vc. Eu venderia Petrobras e ficaria com Vale.

            0
          • MrK 7 de agosto de 2011 at 21:59

            tulio, eu tenho um pé atrás com esses 2 papeis, por serem atualmente administrados pelo governo..e esse governo não me inspira confiança de que fará o que é melhor pros acionistas e sim o que for conveniente pra ele, por exemplo: Não demitir funcionarios, direcionar investimento pra uma obra chamativa ou ainda comprar produtos mais caros pra valorizar a industria nacional (a petrobras foi obrigada a fazer isso com navios)

            agora, eu fico aliviado em ser petro e vale, APESAR do que citei acima, são empresas sólidas e uma hora voltam sim, pode levar um tempão, mas voltam, a petro tá em baixa já há muito tempo

            abraços

            0
    • trololó 7 de agosto de 2011 at 16:17

      depois de você sacar toda a grana, diga pra gostosa que voce pretende reinvestir tudo em ações da gafisa, mrv, pgd e outras do setor imobiliario pra ver o que ela diz

      depois que ela achar o máximo sua idéia de investimento, diga isso pra ela:

      youtube.com/watch?v=JD4hivFkwxA

      0
      • tulio 7 de agosto de 2011 at 18:18

        rrsrsr,
        vou mandar mesmo.
        só rindo para não chorar.
        mas tudo certo, vou recuperar o preju comprando um ap com um super desconto daqui alguns anos.
        obrigado a você e ao mkr.
        abraços

        0
        • tulio 8 de agosto de 2011 at 09:40

          Olá galera,
          to tentando agradecer mas não tá aparecendo a msg. Fui moderado? se sim, me diga porque para não cometer o mesmo erro no futuro.
          De qualquer forma, obrigado MKR, LUIZ DUDA E TROLOLO.
          Vou seguir o conselho do luiz.
          vender tudo, esperar cair mais e comprar novamente.
          vamos ver o que vai dar.
          Abraços

          0
          • Luiz 8 de agosto de 2011 at 11:58

            Tulio, o grande lance é acertar o timing.
            qdo será o pico da biaxa?
            amanhã, essa semana, mês que vem, 2 meses, 2 anos.
            entenda que não sou especialsita de nada do que se discute aqui, apenas um curioso que um dia resolveu muda prum apê maior.

            0
  • ildeu 7 de agosto de 2011 at 11:04

    esses dias estava num papo com uns amigos , e disse que nao compraria imovel pois acreditava que será um investimento ruim pros proximos anos , que diversificaria meus investimentos em renda fixa e açoes etc..fui crucificado ! as pessoas acham que receber 12% a.a. de retorno em renda fixa pior que comprar imovel .E mais , eram jovens universitarios ,que possivelmente nao vao ganhar nem 5 mil por mês , achando normal um casa de 100 m2 valer 400 /500 mil reais .Imovel parece estar na cultura do brasileiro desde o nascimento.Uma das meninas me disse que sou louco , como nao ter uma casa???pagar aluguel ..,mas eu disse ,nao vou pagar o aluguel , as aplicaçoes que pagarão …. mas e´dificil , as pessoas nao olham o dinheiro como patrimonio , apenas os tijolos reunidos tem valor …retruquei que uma casa dessas custava 150 mil a 4 anos atras , mas mesmo assim , a euforia que as coisas vao ficar sempre bem impera , ninguem poupa , apenas quer comprar, acham que só pq deu entrada num imovel , ele e´seu !

    0
    • Anonymous 7 de agosto de 2011 at 11:26

      Essa é a cultura que resultou de décadas de inflação alta e persistente. Em geral, pessoas acima de 40 anos, tem um verdadeiro pavor de deixar dinheiro no banco. Esses meninos estão apenas refletindo a mentalidade que foi adquirida através dos pais. Conheço pessoas de 60 anos de idade, que passaram toda a vida adulta em dificuldades financeira, mas não se desfizeram de fazenda que herdaram e imaginam valer milhões de Reais. No fundo, é uma negação da finitude da vida. Imaginam que vãi viver para sempre quando estão perto de precisar de um lote de tamanho 2 m x 1 m x 1.5 m de profundidade.

      0
      • trololó 7 de agosto de 2011 at 11:30

        na atual crise (aliás, como diz o kebler s, crise não, situação, porque crise é passageira!), é sim de se ter um pouquinho de medo de se deixar dinheiro no banco…

        olho aberto galera pra quem tem dinheiro em qualquer banco aí! pra quem tem em ações, só posso lamentar

        0
      • luiz 7 de agosto de 2011 at 21:33

        Já fiz essas cotas, gastei toda matematica financeira que eu tinha e a que tive de aprender.
        Em condições normais vc deve sair do aluguel assim que tiver dinheiro pra pagar por um imovel, em condições normais, repito, financiando uma parte pequena, que varia de situação pa situação, mas que dificilmente passa dos 40%. Percebe que esta conta entra no impodenravel, vc tem que estimar ainda qtos anos iria viver ou qtos anos o imovel dura.

        No momento alugar pode (é a minha) ser uma boa opção.
        Considero o argumento de que o mundo pode explodir e todos ficar sem dinheiro de uma leviandade master.

        0
        • MrK 7 de agosto de 2011 at 22:02

          as pessoas tem mania de dizer que aluguel é jogar dinheiro fora.. não entendem a contrapartida de rendimentos do principal que estaria imobilizado num imovel

          mas e juros?? é o que?? pagar juros é investir? pois hoje os juros do crédito imobiliario em muitos casos passa o valor do aluguel!

          quando as pessoas perguntam se eu jogo meu dinheiro fora com aluguel eu respondo: E voce joga seu dinheiro fora com comida?

          0
          • Hik 8 de agosto de 2011 at 02:33

            Eu acha difícil ser elogiado por eles, mesmo que todas as previsões mais catastróficas se realizem. Eu conheço gente assim aos montes, que não conseguem se desprender do dogma do imóvel próprio.
            Aprendi que o melhor é não argumentar, afinal não sou eu quem perde dinheiro.

            0
      • ildeu 8 de agosto de 2011 at 08:47

        Realmente , as pessoas acham que viverão pra sempre,por isso querem tanta segurança em imoveis , em detrimento de muitas coisas na vida ….mas existe a questão da vaidade,falar que tem isso ou aquilo e´ assunto predileto de muitos , numa sociedade de nível cultural tão baixo como a nossa , só o que e´ muito concreto chama atenção.

        0
    • trololó 7 de agosto de 2011 at 11:28

      o problema é que as pessoas, sempre que percebi isso, não entendem que é vantagem alugar TEMPORARIAMENTE NESSE MOMENTO, e não pelo resto da vida.

      você fala “use seus 400k na poupança e pague aluguel”, e as pessoas entendem “more pra sempre de aluguel, seu trouxa”, ao invés de entender: “na situação absurdamente desconexa com a realidade no brasil de hoje, é mais vantajoso você pagar aluguel e segurar o dinheiro, para num futuro muito próximo 3 a 5 anos comprar sua casa pelo preço que ela realmente vale, e quem sabe até um carro novo com o dinheiro que irá sobrar”

      0
      • aiwww 7 de agosto de 2011 at 14:55

        Concordo .. o problema é que muitos já perceberam isso e o preço do aluguel subiu 50% em muitos casos. Sugiro que aqueles que puderem asperar a oferta de aluguel aumentar, que fiquem onde estão. A situação não está boa como parece. Aluguéis a R$2.500,00 em apartamentos de 2qts num bairro como a Tijuca, onde sabemos que os preços estão nas alturas, é praticamente o mesmo que pagar R$500.000,00 no imóvel. Esse preço de aluguel também é reflexo da bolha.

        0
        • MrK 7 de agosto de 2011 at 16:28

          aiwwww. o preco do aluguel alto é reflexo da escasses de imoveis pra alugar, dado que todos os que tinham imoveis estão botando pra vender, motivo obvio = preço inflado

          como as pessoas precisam morar em algum lugar, elas correm pra pouca oferta que tem e o preço sobe, mas é claro que é temporario, pois esses imoveis a venda encalhados em breve voltarão ao mercado, pois custa muito mante-los assim

          abs

          0
          • aiwww 7 de agosto de 2011 at 18:23

            Sim, foi exatamente o que eu disse quanto a esperar a oferta de aluguel aumentar.

            Abraço

            0
      • LB 7 de agosto de 2011 at 20:26

        Também sofri com isto. Um colega de trabalho disse que queria mudar de Olinda para Recife, para o mesmo bairro onde fica nosso trabalho (um bom bairro, portanto muito valorizado). Ele me disse que sua casa deve conseguir ser vendida por 250.000,00. Eu sugeri a ele: venda sua casa, coloque em RF, com os rendimentos vc paga um aluguel de uns 2.000,00 (ou menos) e ainda junta uma graninha. Quando a bolha estourar, vc compra um AP muuuito bacana com estes 250mil.

        Ele faltou me matar: “Tá louco!!! Minha casa é o ÚNICO patrimônio que eu tenho!!” Ora ora… e o dinheiro não é patrimônio ? Diante desta sua afirmativa eu me calei…. não perco meu tempo discutindo com porta!

        0
    • MrK 7 de agosto de 2011 at 12:28

      ILDEU, mantenha-se firme, em breve voce será elogiado por esses amigos

      quando eu comecei a entrar fortemente no assunto bolha imobiliaria e crise americana com meus amigos, fui apelidado de “mensageiro do apocalipse”, hoje, com a crise americana evidente e a bovespa derretendo, todos perceberam que as análises estavam corretas e já estão dando ouvidos ao que falei sobre a bolha… a vida é assim, é dificilimo estár contra a midia e a massa, mas mantenha-se firme!

      0
      • Hik 8 de agosto de 2011 at 02:35

        Eu acha difícil ser elogiado por eles, mesmo que todas as previsões mais catastróficas se realizem. Eu conheço gente assim aos montes, que não conseguem se desprender do dogma do imóvel próprio.
        Aprendi que o melhor é não argumentar, afinal não sou eu quem perde dinheiro.
        (mal, eu postei no comment errado)

        0
  • Galvão 7 de agosto de 2011 at 11:12

    Mais uma da série ” o bicho vai pegar”:
    http://mariainesdolci.folha.blog.uol.com.br/arch2011-08-01_2011-08-31.html

    07/08/2011

    O aumento do calote
    A luz amarela dos riscos do superendividamento está piscando. Cresce o atraso no pagamento dos consumidores, muitos encalacrados com os juros elevados do rotativo do cartão e do cheque especial. A preocupação com os rumos da economia internacional fez aumentar a cautela dos bancos na hora de conceder crédito. E a inadimplência do consumidor medida pela Serasa Experian cresceu 22% no primeiro semestre, a maior alta em nove anos. O calote se concentrou em baixa renda, pessoas físicas e micro e pequenas empresas. Está mais do que na hora de frear o consumo e para quem tem condições, poupar.

    Escrito por Maria Inês Dolci às 09h21

    0
    • MrK 7 de agosto de 2011 at 22:05

      CANSEI DE FALAR

      inflação de 6% só se for em MARTE

      a inflação real no Brasil já passou dos dois digitos e o povo está fazendo das tripas coração pra fechar o mês, o aumento inflacionario verdadeiro é maior que a média dos aumentos salariais, estão todos enforcados, essa pedra era cantada e ainda vai piorar muito…

      0
      • Hik 8 de agosto de 2011 at 02:42

        Imagiiiiiiinaaaa!!!
        Tem gente falando nos posts anteriores que recebem o dissídio acima da inflação!

        Neguinho recebe 7% ao ano e acha que está ficando com salário de “bacana”. Já dá até para pagar a prestação de um “AstraSsauroRex” zero km…

        0
  • Jack Imóveis 7 de agosto de 2011 at 11:49

    Caros,

    Esse final de semana conversando com alguns conhecidos de Ribeirão Preto eles me comentaram que o empreendimento Alphaville que foi lançando no ano passado por lá com 100% vendido está com desagil de 40% no preço e várias unidades encalhadas.

    0
    • Anonymous 7 de agosto de 2011 at 19:48

      Esse desagio está de acordo com minha análise simplifica mostrada em mensagem anterior.

      0
    • Anonymous 7 de agosto de 2011 at 19:53

      Para ter certeza do deságio sugiro anunciar num jornal local algo como “Compro terreno no Alphaville, pagamento à vista, ligar para Fulano”. Eu fiz exatamente isso para descobrir que um condominio fechado em Indaituba (SP) era a maior furada, apesar de dizerem que estava tudo vendido. Recebi 8 telefonemas de pessoas querendo se desfazer dos terrenos.

      0
    • Hik 8 de agosto de 2011 at 02:59

      Aqui em SP-capital a coisa persiste. Neste domingo, fui em um tal de “Torre do Castelo” em Pirituba, zona Oeste, para dar uma sondada na periferia.
      AP 3 dorm (1st), 89m2, 2 vgs por R$ 421.000.
      Segundo o corretor “só” há 5 apartamentos das 2 torres para vender. No entanto, eu vi pelo menos 25% dos apartamentos vazios e com os fios do lustre da sala à vista. Conferindo a garagem (3 subsolos) pude constatar quase um terço das vagas vazias e não adianta dizer que tem morador com um só carro, pois a 2 vagas de cada ap são uma atrás da outra de 2 em 2. O empreendimento foi entregue faz uns 4-5 meses (o corretor jura que são 100 dias).
      Eu morei na periferia a maior parte da minha vida e sei que não há nada que justifique um valor quase 2 vezes maior que 4 anos atrás por um ap de mesmo padrão na região. A infra pouco mudou.
      Eu quero ver o que os “felizardos” investidores de Primeiramão farão se micarem com estes aps.

      0
    • murilo 18 de agosto de 2011 at 11:34

      isso é uma verdade…eu fui no lancamento deste empreendimento, tinham 500 lotes e 1200 pessoas na fil pra comprar….loucura….eu queria comprar….mas ninguem sabia dizer os precos…quando abriu as vendas as 8hs da manha…o preco inicial estava em 360/m2, quando chegou na minha senha(16hs), ja estava valendo r$ 520/m2….ou seja, tem otario pra tudo nesta vida….vazeiii e estou assistindo de camarote….tem gente que comprou 10 lotes de uma vez…comprando todos parcelados…..kkkkkkk ou seja…investindo o valor de um unico terreno, o cara comprou 10 lotes….

      se o cara comprou em 500/m2….. com taxa de juros de financiamento de 1% + igpm…pra esse cara ganhar dinheiro…o preco teria que estar hoje em 800/m2…. ou seja, com desagio de 40%….deve estar nos mesmos 500/m2 ou ate menos…..assim levou no rabo….. ganancia levou a isso

      0
  • MrK 7 de agosto de 2011 at 12:33

    o dia correto da semana pra medir a qnt de imoveis na minha brincadeira de copacabana era domingo (existe uma sazonalidade semanal, eu media sempre domingos) então só pra constar: 4.051 imoveis a venda!!!

    0
    • luiz 7 de agosto de 2011 at 21:36

      Brasil rumo ao hexa, Copa rumo ao penta

      0
  • Elias 7 de agosto de 2011 at 12:38

    Ildeu,

    estive pensando sobre esse pessoal jovem, que está entrando agora no mercado de trabalho, e imagino que como só agora eles tenham começado a procurar imóveis, devem estar achando que é “normal” estes preços.

    Talvez isto justifique uma notícia que saiu na imprensa há pouco, relatando que o perfil dos que compram estes minicubos de R$ 10 mil/m2 são “jovens executivos”.

    Pode ser que eles não tenham acompanhado a evolução absurda dos últimos 3 anos, e como ganham relativamente bem, entraram sem ter uma boa base de comparação.

    Agora, assim como você, já faz um tempo (alguns anos) que eu acompanho os preços, e considerando tudo o que temos discutido aqui, tenho certeza de que este nível de preços está desequilibrado.

    Lentamente, mas de forma nítida, as expectativas estão mudando, a curva dos preços mostra sinais de que está no ápice, as bolsas estão derretendo, e isso faz parte da inversão do ciclo.

    Uma notícia no Estadão disse que embora a bolsa esteja caindo, na economia real os balanços das empresas têm se mostrado saudáveis.

    Só que os balanços refletem o passado, enquanto a bolsa tende a refletir a expectativa dos fluxos de caixas futuros das empresas.

    Disto isto, não me surpreende as ações de Construtoras estarem em queda livre.

    0
    • claudio 7 de agosto de 2011 at 14:03

      Pois eh, Elias. Jovens executivos. Jovens comecam a ganhar salario de apenas um digito (milhares) por mes … Esta conta nao fecha certo??

      0
    • Fred Henrique 8 de agosto de 2011 at 18:14

      Tenho 22 e não acho esse preços normais.

      Acho que é por que sempre gostei de ler jornal.

      (Exemplo: casa em fortaleza, bairro nobre. Preço em
      janeiro de 2006: R$90.000. Hoje: R$450.000)

      0
  • Paulo 7 de agosto de 2011 at 14:32

    Moro em Recife, cruzei a cidade no sábado dia 06.08.2011 e em cada sinal recebi dois panfletos de novos edifícios sendo construídos. De onde vem o dinheiro pra comprar isso meu Deus? Tenho pena desse pessoal.

    0
    • Marcos 7 de agosto de 2011 at 16:22

      Provavelmente dos nossos impostos!

      0
  • trololó 7 de agosto de 2011 at 17:54

    é a bolha estourando:

    w w w .jb.com.br/economia/noticias/2011/08/07/governo-quer-politicas-para-evitar-volta-a-pobreza-dos-emergentes/

    0
    • MrK 7 de agosto de 2011 at 18:31

      rapaz, a equipe economica deve estar preocupadíssima, pois essa crise lá fora pode secar algumas linhas de crédito das quais dependemos pra girar nossas dívidas

      além disso, com a bolsa em ruinas as pessoas podem perfeitamente segurar gastos (uma tendência que eu estou cantando já há algum tempo, em função do alto endividamento do brasileiro hoje em dia), imaginem todo mundo poupando em vez de consumir mais? com medo de tomar mais crédito? esfria tudo, principalmente carros e imóveis.

      HOJE NOSSA ECONOMIA DEPENDE DO CRÉDITO COMO ALCOOLATRA DO ALCOOL, NÃO CONSEGUIMOS MAIS VIVER SEM, SEJA PRA ROLAR AS DÍVIDAS OU PRA NOVAS COMPRAS.

      enfim, aguardar pra ver, em breve iremos pro ReHab

      0
      • Duda 7 de agosto de 2011 at 19:08

        Esta segunda feira será reveladora. Por desgraça estarei em reunião o día completo, e não conseguirei acompanhar online o cataclismo… mas vou ter o computador comigo, tal vez possa dar umas espionadas…

        0
        • Duda 8 de agosto de 2011 at 10:42

          O dito: bovespa 4% abaixo, já no começo…

          0
    • Duda 7 de agosto de 2011 at 19:09

      que governo de amadores e incompetentes… para evitar a queda, a palavra que faz milagres se chama EDUCAÇÃO…

      0
  • Arruda 7 de agosto de 2011 at 18:33

    kkkkkkk….Eu fiz o mesmo comparativo para a região do ABC,aqui em São Paulo e cheguei em números bem parecidos…o número de imóveis em oferta aumentou aprox.10% nos últimos 45 dias….

    0
  • Elias 7 de agosto de 2011 at 19:38

    Pessoal, vejam essa notícia que saiu na Austrália dia 2/8.

    Reparem no gráfico de “Building approvals” – em jan/2009 ela estava bem baixa, e depois disparou e atingiu seu pico em jan/10.

    Desde então, só tem caído.

    Acho que lá estão faltando corretores tb. rs

    http://www.dailyfx.com/forex/market_alert/2011/08/02/Australian_Dollar_Weakens_on_Continued_Real_Estate_Sector_Weakness.html

    0
    • Anonymous 7 de agosto de 2011 at 20:14

      Não, na Australia devem estar faltando REALTORS 😉

      0
  • Elias 7 de agosto de 2011 at 20:00

    Em Toronto, a mesma coisa.

    “Toronto housing market cools in July”
    http://www.theglobeandmail.com/report-on-business/economy/housing/toronto-housing-market-cools-in-july/article2119580/

    Acho bom olharmos Canadá e Australia pois são dois casos em que o preço dos imóveis também cresceu muito e mostram sinais de bolha. E assim como o Brasil, são grandes exportadores de matéria prima para a China.

    Impressionante como nos comentários sobre as notícias, as pesoas desses países dizem as mesmas coisas que estamos falando aqui: preços nas nuvens, que a bolha vai estourar, como existem “tolos”que entram atrasados.

    0
  • LB 7 de agosto de 2011 at 20:36

    Prezados colegas,

    Eu tenho uma dúvida. Apesar de gostar de economia e acompanhar, de certo modo, os acontecimentos dos mercados, não sou profissional da área e gostaria de ter uma opinião de vcs.

    Com o iminente derretimento de ações e crise internacional vindoura (o segundo ‘vale’ do W),
    Renda Fixa, mais precisamente CDI, é uma aplicação segura ? Não sei o quanto estes movimentos da economia influenciariam os depósitos interbancários. Obrigado!

    0
    • trololó 7 de agosto de 2011 at 20:43

      hahaha, ninguém sabe ao certo…

      o que eu li, é manter em poupança ou cdb em bancos grandes até o limite do fundo garantidor de crédito, coisa que o governo te garante até parece 60k se o banco falir

      também falaram em titulos do tesouro do br

      agora, pros gringos (eua e europa) só falaram uma coisa: ouro, prata, platina e paládio

      0
  • luiz 7 de agosto de 2011 at 21:59

    Fico admirado como os ccomentários do blog são de alto nível, cada dia mais.

    A conta que fizeram no psot passado de mais médico do que crretor pelo indice pro habitante é genial e expõe as feridas podres dos argumentos da turma

    0
    • luiz 7 de agosto de 2011 at 22:00

      Outro dia meu gerente me disse uma boa, ter um clube no condominio é o mesmo que pagar por uma cosa que a maior parte do tempo vc não vai pdoer usar, e sai do foco de morar, clube é clube, casa é casa, só quem já teve piscina sabe a encrenca desnecessária que isso dá na maioria dos casos, e vc só pode usar justo qdo prefere ou precisa estar fora de casa.

      0
  • MrK 7 de agosto de 2011 at 22:12

    A TEMPESTADE PERFEITA… conhecem esse termo em inglês (perfect storm)? Acontece quando tudo se alinha num mesmo sentido, vejam isso.

    Nos EUA:
    – Entrarão numa crise com a taxa de desemprego já altíssima
    – Entrarão numa crise com os juros já extremamente baixos (sem margem de manobra)
    – Entrarão numa crise com o dolar já não valendo nada

    Ou seja, eles estão MUITO FRÁGEIS e sem cartas na manga pra aguentar uma crise!!! É muito pior que em 2008 quando eles entraram na crise mas ainda tinham cartas na manga!

    No Brasil:
    – Sendo contagiado por uma crise com a economia mundial em frangalhos
    – Sendo contagiado por uma crise com inflação fora de controle
    – Sendo contagiado por uma crise com a população muito endividada
    – Sendo contagiado por uma crise com uma bolha imobiliaria iminente

    É MUITA M… de uma só vez… apertem os cintos! Essa bolha não resiste muito tempo MESMO

    0
    • profeta do apocalipse 7 de agosto de 2011 at 22:25

      engracado que a coisa ta tao feia que ja falam em bolsa em 30k e tal.. a copa agora terá uma desculpa pro fracasso… as reservas que o brasil tem nao ajudarao tanto assim…

      na minha opiniao o governo continuará prometendo pac 1 , 2, lancara o 3. criará mais cargos pra combater a crise( kkk eh a cara do PT) .

      poderiamos ter ganho em produtividade e educacao. infelizmente nao tivemos ganhos substanciais.., merecemos uma crise.

      desculpem a maneira de falar: ja viram no exterior aquelas maquinas que vendem jornais? voce por uma moeda, ela libera e o cara pega um jornal e deixa o resto. isso aqui daria certo? voces acreditam no povo desse pais?queria muito acreditar! mas nem em bairros de classe media alta isso é viavel aqui.

      e outra.. apto depende muito do predio..nao so de area. tou vendo cada lixo vendido por 300 k… abram o olho que isso eh sinal de crise…eh pra cair 50 % ou mais. ate o pre sal pode esperar agora ja que a demanda crescerá menos. obras da copa acabar estadio e no dia decretar feriado pro transito ficar legal

      pronto!

      0
      • Gus 7 de agosto de 2011 at 23:33

        A Alegria do PT acabou…. Não tem mais como dar um jeitinho… de agora em diante vai ser sangue pra tudo quanto é lado… a situação só tende a piorar cada vez mais…

        0
        • Hik 8 de agosto de 2011 at 03:12

          O problema é que o sangue não é dos políticos ou especuladores.
          Quero ver a prepotência e o excesso de centralização da nossa governante quando a bomba estourar. Será que ela vai segurar sozinha? Daqui a pouco 100% dos ministérios serão PT ou aliados.

          0
  • trololó 7 de agosto de 2011 at 22:40

    bolsas da ásia que abriram fazem 1 horinha e pouco:

    festival de vermelho

    0
  • Gus 7 de agosto de 2011 at 23:27

    Risco de retrocesso da Classe C preocupa

    Um dos fatores de maior preocupação é o risco dessa classe perder fôlego pelas mesmas razões econômicas que a ajudaram na ascensão, já que ela é uma das mais vulneráveis à chamada volatilidade dos mercados

    A possibilidade de que os 39,5 milhões de pessoas que ascenderam à classe C na última década retrocedam para os estratos D e E da população preocupa governo, analistas políticos e economistas. Batizados de a nova classe média, esses milhões de novos consumidores – que correspondem à população da Argentina – injetaram dinamismo à economia brasileira e contribuíram para a expansão de novos negócios e investimentos no País. Além do apelo econômico, essa classe emergente também é vista como estratégica no aspecto político, pois seu apoio será fundamental para definir a eleição do próximo presidente da República.

    + Classe C representa 49% da população brasileira

    “O desempenho econômico de um governo é o principal fator que turbina qualquer aprovação política e, consequentemente, o respaldo da maioria da população”, afirma Marco Antônio Carvalho Teixeira, cientista político e pesquisador da PUC e FGV de São Paulo. Na avaliação de Teixeira, é essa mesma classe média que ascendeu nos últimos anos que terá papel determinante em eleições majoritárias como a de sucessão presidencial em 2014. O governo de Dilma Rousseff está atento a este fato, tanto que a nova classe média será tema de debate na segunda-feira (8) em Brasília. O seminário “Políticas Públicas para Uma Nova Classe Média” contará com a presença de especialistas e autoridades, dentre elas a presidente Dilma.

    De acordo com Ricardo Paes de Barros, titular da Secretaria de Ações Estratégicas da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE) – órgão que está organizando o seminário – o objetivo do evento é discutir o perfil desse estrato da população “de forma a traçar políticas públicas específicas para o setor e impedir que a nova classe média regrida para a pobreza”. Mas a preocupação maior do governo, segundo o secretário, é dar um “segundo empurrão” à nova classe média para que ela não recue. De acordo com o secretário, o primeiro empurrão foi dado pelo governo Lula e a nova administração deverá seguir nessa linha de atuação.

    Um dos fatores de maior preocupação do governo é o risco de essa nova classe média perder fôlego pelas mesmas razões econômicas que a ajudaram na ascensão, já que ela é uma das mais vulneráveis à chamada volatilidade dos mercados. Economistas apontam que um dos pilares que permitiram a ascensão dessa classe foi o câmbio apreciado. Na avaliação de Luís Eduardo Assis e Marcelo Kfoury, ambos ex-integrantes dos quadros do Banco Central, muito do êxodo das famílias das classes D e E ocorreu em razão do processo de desvalorização do dólar frente ao real. Isso barateou os bens de consumo e facilitou o acesso das famílias a esses produtos.

    Para Kfoury, hoje chefe do Departamento Econômico do Citibank, se por um motivo ou outro o dólar voltar a recuperar valor frente ao real, o poder de compra dessas famílias pode cair e a inadimplência, subir. Em cerca de dez anos, o dólar se desvalorizou em mais de 56%. No mesmo período, a classe média cresceu 13,7%. Com o dólar barato, o governo se viu menos pressionado. “Com o dólar mantendo a inflação baixa, o governo pôde soltar a economia para crescer”, diz Eduardo Assis, ex-diretor de Política Monetária do BC. Ele lembra que, de 2009 para 2010, a taxa de câmbio média caiu quase 12%. Para 2011, mesmo com um cenário volátil, ele prevê que o câmbio médio anual continue a ajudar na contenção de preços.

    Iniciativas

    O governo admite estar preocupado com a possibilidade de um regresso da classe C para os estratos D e E, mas não concorda que o câmbio foi o principal motor do enriquecimento e aumento do bem-estar dessas pessoas no País. As autoridades governamentais citam várias iniciativas, como a política de valorização do salário mínimo e a elevação da massa de salários e da renda, entre outras medidas. O analista político da Tendências Consultoria Integrada Rafael Cortez concorda com essa avaliação. Segundo ele, a apreciação cambial foi muito importante para catapultar milhões de pobres à classe média, mas não foi a única responsável por este feito na última década, em especial nos últimos 21 meses, quando 13 milhões de pessoas ascenderam à classe C.

    De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 94 milhões de pessoas compõem o total da chamada classe média brasileira, o que corresponde a 50,5% da população. “Há dois outros indicadores nesta conta: o aquecimento do mercado de trabalho, com a formalização de empregos combinada com a política contínua de ajuste real do salário mínimo no governo Lula, e o próprio crescimento do PIB”, lista Cortez.

    Para o professor e pesquisador de Desigualdade Social da Universidade de Juiz de Fora (UFJF) e doutorando em Sociologia pela Universidade de Berlim, Roberto Dutra, a responsabilidade pela ascensão social no Brasil na última década deve ser creditada ao aumento da renda do trabalho.

    “Claro que a apreciação cambial impulsiona o consumo, mas a base econômica que sustenta o processo são o crescimento do emprego e o aumento da renda do trabalhador”, diz o professor. “Num passado recente, a moeda nacional esteve muito mais apreciada do que agora e a ascensão social ficou travada”, complementa Dutra, que será um dos palestrantes no seminário da SAE.

    Educação

    O titular da Secretaria de Ações Estratégicas da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE), Ricardo Paes de Barros, disse, em entrevista exclusiva à Agência Estado, que uma das maiores preocupações do governo com a nova classe C está na definição de políticas públicas que assegurem a essas pessoas não apenas a manutenção do poder aquisitivo que adquiriram, mas também a inserção em novos patamares de progresso. “Algumas pessoas saíram da pobreza e chegaram à classe média baixa e, agora, querem continuar progredindo. Mas, com isso, elas vão se expor aos riscos de mercado”, afirma Barros, complementando que os 39,5 milhões de pessoas que compõem a nova classe C estão inseridos agora em um ambiente econômico diferente do que estavam antes.

    Segundo o secretário, nos últimos seis anos a renda per capita dos 20% mais pobres cresceu mais de 8% ao ano. “Ou seja, o Brasil conseguiu manter o processo de redução da extrema pobreza também em 2008 e 2009, anos péssimos para o mundo”, afirmou. “Portanto, a nossa grande preocupação é saber como vamos gerar um ambiente econômico e um conjunto de medidas públicas que irão permitir que o progresso que estas pessoas tiveram no passado possa ser reproduzido com o esforço, trabalho e perseverança de cada um”, frisou.

    O analista político da Tendências Consultoria Integrada Rafael Cortez alerta que, apesar de a demanda ter aumentado com a melhora de vida dessas pessoas, o novo status social não pode ser considerado consolidado. “Os efeitos mais estruturais, como escolaridade, que aumenta a capacidade de o indivíduo ter bons postos de trabalho e ficar menos tempo desempregado, por exemplo, ainda não estão garantidos. É um processo meio contínuo e por isso deve ser uma preocupação legítima e constante das autoridades governamentais”, salientou.

    Para o professor e pesquisador de Desigualdade Social da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e doutorando em Sociologia pela Universidade de Berlim, Roberto Dutra, o que falta para que as famílias e as pessoas possam manter-se na nova classe média é conseguir converter este sucesso econômico em qualificação e conhecimento capazes de garantir estratégias mais seguras no mercado de trabalho. “Ou seja, falta a conversão do capital econômico e da disposição para trabalhar e investir no futuro em capital cultural. É o acesso ao conhecimento técnico e universitário que permite consolidar as posições sociais”, destacou o professor da UFJF.

    Em relação ao risco de um retrocesso da classe da nova classe média, Dutra advertiu: “Vivemos no meio de uma crise econômica mundial e ninguém pode garantir que o pior não vai acontecer. Um processo de consolidação das posições sociais dos que ascenderam para a classe C pressupõe que a economia continue crescendo e gerando empregos. Mas daí a fazer previsões é uma enorme ingenuidade.”

    0
  • Marcos 7 de agosto de 2011 at 23:59

    07/08/2011 18h44 – Atualizado em 07/08/2011 21h41
    BC da Europa diz estar pronto para pôr em prática programa anticrise
    Conselho do BCE se reuniu de forma extraordinária neste domingo (7).
    Órgão irá implementar o seu programa de compra da dívida pública.

    g1.globo.com/economia/noticia/2011/08/bc-da-europa-diz-estar-pronto-para-por-em-pratica-programa-anticrise.html

    0
    • trololó 8 de agosto de 2011 at 00:11

      só vai fazer todo mundo sangrar ainda mais e não vai resolver nada

      0
  • Anonymous 8 de agosto de 2011 at 01:43

    Nem bem começou a contar o prazo de 30 anos dos financiamentos (a maioria ainda está pagando as intermediárias direto na construtora) e já estamos questionando a sobrevivência do DOLLAR. Os mais velhos aqui, já viram a Banânia mudar de moeda várias vezes enquanto o dollar permaneceu firme. Portanto, somente um louco (ou muito jovem) faz um financiamento de 30 anos num “pais” onde o economista Mario Henrique Simonsen dizia que até mesmo o passado é incerto. O que não dizer do futuro?

    0
    • Hik 8 de agosto de 2011 at 03:28

      “Mas o imóvel é investimento seguro!!! Antes 30 anos de financiamento que 30 anos de alugel!!!”
      Antes que me crucifiquem, pessoalmente não concordo com isso, mas tem um colega que me falou isso faz umas semanas atrás.
      Pode ser até que a segunda afirmação faça algum sentido em condições normais, mas o pressuposto de que pagar alguel hoje significa que vai pagar por mais 30 anos é um preconceito que beira a ignorância.

      0
    • trololó 8 de agosto de 2011 at 12:40

      nota 10 pra tua observação, parece que o óbvio ninguém quer enxergar

      0
  • Túlio 8 de agosto de 2011 at 07:56

    Opa,
    não consgui colocar o comentário no local correto (não abriu o link “responder”), por isso escrevo aqui.
    Apenas para agradecer a trololo, Mkr e Duda.
    obrigado pelos comentário/ajuda.
    Decisão difícil…

    0
    • trololó 8 de agosto de 2011 at 12:38

      decisão dificil? a bovespa nesse exato momento tá caindo 5,61% e voce acha que é uma decisao difícil saltar fora?

      0
      • Luiz 8 de agosto de 2011 at 12:45

        é dificil pq nunca se sabe se é ese o pico da baixa ou mais embaixo, eu tbm acho q cai mais, o que não é grande coisa a minha opinião

        0
        • trololó 8 de agosto de 2011 at 12:47

          hahahahaha

          bolhavespa em 50 MIL pontos, e voce se pergunta se pode cair mais?

          compara a pontuacao com as outras bolsas:

          money.cnn.com/data/world_markets/asia/

          e me diz quanto falta desses 50 mil pra chegar nos 5 mil das bolsas de outros países

          0
  • Felipe 8 de agosto de 2011 at 08:47

    Bom dia pessoal.
    Tava pensando em ouro desde a semana retrasada. Será que fiz besteira em não comprar?

    0
    • trololó 8 de agosto de 2011 at 12:34

      bateu $1700/onça hoje… e dizem que vai subir mais!

      0
    • Duda 10 de agosto de 2011 at 10:37

      Felipe, compra, ainda está barato…

      0
  • MrK 8 de agosto de 2011 at 09:41

    o que não sai da minha cabeca é o seguinte, muitos fundos só podem investir em AAA, os eua é o país com maior quantidade de títulos com esse rating, pra onde vai esse dinheiro todo? o resto dos AAA somados não tem o tamanho dos EUA

    por isso ouro subiu

    0
    • tulio 8 de agosto de 2011 at 09:45

      Olá mrk,
      vi algum comentarista dizendo que provavelmente os fundos vão “flexibilizar” as regras para manter o $$ nos títulos.

      0
      • Leandro 012 8 de agosto de 2011 at 09:56

        Oi pessoal do blog,
        comento pouco, mas leio tudo. As analises são muito boas.
        MRK, voce fala sobre a inflação maqueada e o custo Brasil. Coisas que eu to sentindo no bolso. Pesso desculpa ao escrever esse post por sair um pouquinho do assunto principal, mas essa eu tenho que contar.
        Já venho falando pra esposa que que a Coca-cola está nas alturas nas prateleiras dos supermercados. Não importa o tamanho, 1L, 1,5L, 2L, 3L… todas estão batendo aqui em SP em 3,99 ou 4,99. Ancoragem de preço descarada botam a de 1,5L a 3,49 e a 2L por 3,99.
        Na praça de alimentação o copo de 700ml numa pesquisa minha no sabado saia de 5,50 até 7,00 reais. E por final ontem eu fui a padaria a noite pra comprar uma dois litros pra tomar no jantar, e o preço dela gelada…. 7,00 SETE reais a COCA gelada no bairro.
        Enquanto isso o Dolly Guarana (não é tão inferior ao Antartica e é 100% nacional) custa entre 1,50 e 2,00.
        Minha analise é: estamos fazendo remessas voluptosas pros USA pra cobrir os rombos da matriz/sede, da mesma forma que as montadoras de carros estão fazendo.
        Deem sua opnião e se saí muito do assunto: denovo, desculpem.

        0
        • Felipe 8 de agosto de 2011 at 10:38

          Acho que no caso específico de refrigerantes, o preço subiu por causa de uma nova forma de tributação do imposto para refrigerante/água.

          0
        • MrK 8 de agosto de 2011 at 11:36

          Leandro, se voce medir a variação dos seus gastos aposto que nunca chegará a 6%, isso é ridiculo, tem que ser louco pra acreditar mais no governo que nos seus proprios olhos

          tudo que eu medi subiu muito mais que isso, me arrisco a dizer que 15% é um número mais realista pra inflação

          0
        • Fred Henrique 8 de agosto de 2011 at 17:29

          Mas faz tempo. Como eu costumo dizer:

          No Brasil, se algo vale R$100, ele será vendido a R$150,
          Se passarem para R$200, aí deslancha as vendas.

          No Brasil, as pessoas se acham ricas pois pagam (muito) mais
          por coisas que valem muito menos. O que importa é a prestação caber no
          orçamento (quando isso importa!) ou dizer para o vizinho que pagou
          R$25 em um hambúrguer cão (carne + pão).

          Faz tempo que montadoras, grifes e indústrias de alimentos descobriram
          o toque de “mierdas” que é o Brasil.

          0
      • MrK 8 de agosto de 2011 at 09:59

        tulio, essa possibilidade existe mesmo, se irá se concretizar só o tempo dirá, mas temos que ficar de olho, caso isso não ocorra, ou ocorra apenas parcialmente, teremos um fluxo de dinheiro que pode mexer com muita coisa

        abs

        0
    • Hik 9 de agosto de 2011 at 01:41

      Como o lastro na produção tá indo pro saco, o jeito é voltar ao antigo.

      0
  • Luiz Felipe 8 de agosto de 2011 at 10:39

    Bom dia pessoal, nunca postei, só leio. Tem uma notícia que não vi ninguém anexar aqui:

    RIO – Dos 2,1 milhões de postos de trabalho criados por ano, em média, na década passada, 1,994 milhão pagam até 1,5 salário mínimo por mês. Um contingente que representa 58,7% da população dos ocupados. Por outro lado, nas ocupações de três salários mínimos ou mais, houve uma perda de quase 397 mil vagas por ano, em média. Dessa maneira, o mercado absorveu trabalhadores na base da pirâmide social, favorecendo a redução da pobreza no país. É o que mostra estudo divulgado nesta quinta-feira pelo Ipea.

    – Não somos uma economia que está gerando altos salários. O que, em parte, tem a ver com a falta de qualificação da mão de obra e baixos investimentos em inovação e tecnologia pelas empresas. Ainda assim, esse retrato indica uma redução na pobreza – afirmou o presidente do Ipea, Márcio Pochmann.

    Texto completo em:
    oglobo.globo.com/economia/mat/2011/08/04/ipea-maioria-dos-empregos-gerados-no-pais-esta-na-faixa-de-ate-1-5-salario-minimo-925067398.asp#ixzz1URVdUAC3

    Ou seja, 58% da população ganha 817 reais na carteira? Somando-se 2 pessoas ativas em uma família, temos 1634 reais de renda. Jogando essa renda no simulador da CEF, o financiamento máximo que essa família poderia obter é de 41.941,80, e pagariam aproximadamente 500 reais de prestação. Me pergunto se é possível…

    0
    • Luiz 8 de agosto de 2011 at 11:54

      A gente já discutiu isso aqui tempos atrás, alias várias vezes.
      O grande ganho não só no rio mas no br é na base da pirâmide o que fez os apartamentos de luxo subirem de preço por efeito dominó, mas que numa análise geral não seria sustentável, correndo o risco de levarem a escada e o mercado ficar pendurado pela broxa.
      Falamos disso meses atrá, e olha só, está acontecendo.

      0
  • me 8 de agosto de 2011 at 10:44

    Puta merda, parece que agora fudeu tudo mesmo ein?

    Pessoal, os palpites de vocês continuam os mesmos? 40% a menos até final de 2012 e variações?

    0
    • MrK 8 de agosto de 2011 at 11:39

      40% a menos até final de 2012 é dificil dizer cara

      eu acho que em 2012 a baixa dos preços terá comecado sim, mas se vai terminar o ano com 10% , 20% ou 40% é irrelevante, pois a tendência de baixa vai ter iniciado, isso que não podemos errar

      repito, não devemos ficar focando em datas ou indices e sim no fato principal: é bolha? vai estourar? nisso eu respondo: sim e sim, o resto depende de muitas variáveis

      0
      • Luiz 8 de agosto de 2011 at 12:13

        Algumas pessoas tem a percepção de que quando os mercados entrarem em pânico haverá uma corrida para os imóveis e estes subirão de preço.
        Até acho que elas estão certas, no início haverá isso sim.

        Todavia o que sustenta estes preços no longo prazo é o crédito fácil e barato e a base social.
        Ambos ao se deteriorem, no médio prazo vão derrubar o preço de todos os ativos, aí sim f… mesmo, e acho que 40% vai ser pouco. Quem pagou até 2009 está praticamente blindado, dali em diante nada é sólido

        0
        • MrK 8 de agosto de 2011 at 13:45

          luiz, não faz sentido se proteger entrando num ativo em bolha…

          existem hoje basicamente dois grupos

          1- Os que estão convictos de que ha uma bolha imobiliaria
          2- Os que não acreditam em bolha, mas que acham que o preço está absurdo e chegou no teto ou ta perto do teto

          não importa o grupo que voce está, comprar imóveis não é bom negócio, o grupo 3 que acha que o preço tá barato simplesmente não existe mais

          0
          • Luiz 8 de agosto de 2011 at 14:07

            é Mrk, concordo do lado racional
            mas existe o panico e no curto prazo o cara que ia comprar acelera a compra, o que ia vender titubeia a venda, no curto prazo age a emoção.

            vc mesmo viu quantos questionamentos recebeu de gente que não sabe o que fazer com o dinheiro. Na ansiedade muita gente erra e perde, qdo as vezes o melhor é não fazer nada, qdo fazer o míniomo e perder pouco já é ganhar.

            0
        • Fred Henrique 8 de agosto de 2011 at 17:32

          Na minha opinião, isso não vai acontecer.

          Se acontecer, vai ser só mais um sopro para inflar a bolha.

          0
    • Duda 10 de agosto de 2011 at 10:17

      Me, so agora fui ver sua pergunta. Eu continuo na mesma 40% menos para fim de 2012… Se tivesse que mudar esse numero, só sería para cima…

      0
  • DRN 8 de agosto de 2011 at 11:25

    Prezados, vejam essa conversa com corretor. Leiam do final para o começo.

    __________________________________________________

    Me desculpe, mas não existe bolha, pois o Brasil e principalmente em São Paulo o mercado é sólido e mesmo em 2008 quando teve a crise imobiliária lançava-se empreendimento há R$ 10.000,00 o m² que zerava no lançamento e hoje esta avaliado 17 mil o mesmo m².
    Mas se acha que existe bolha, tudo bem.
    Azevedo

    Assunto: Re: LANÇAMENTO SALAS COMERCIAIS 30 A 451M² AO LADO DE DUAS FUTURAS ESTAÇÕES DO METRÔ – SANTO AMARO*
    Azevedo, boa noite.
    Obrigado por informar. Estou, por ora, fora do mercado. Os preços estão irreais. Voltarei depois de a bolha estourar.
    Boa sorte.

    Subject: RES: LANÇAMENTO SALAS COMERCIAIS 30 A 451M² AO LADO DE DUAS FUTURAS ESTAÇÕES DO METRÔ – SANTO AMARO*
    Boa tarde.
    Conforme solicitado, encaminho este para vosso conhecimento.
    Já estamos comercializando o empreendimento e já estamos com 50% do empreendimento vendido. O lançamento oficial será dia 11 de agosto.
    Convido a conhecer nosso plantão de vendas e nosso modelo decorado.
    Valor do m² a partir de R$ 9025,00
    Ao chegar no plantão de vendas, solicite atendimento do XXXX da XXX.
    Aguardo seu retorno.

    0
    • juliano 8 de agosto de 2011 at 11:33

      hahaha, grande PROFISSIONAL do mercado imobiliário esse aí, hein. além de ter um português horroso, é mal educado e prepotente.

      por essas e por outras, estou também quietinho, aguardando o estouro. pagar comissão pra corretorzinho tipo esse? tô fora!

      e depois o jornal nacional vem falar que o estado de SP precisa de 250 MIL corretores.

      hahahaha

      0
      • Arruda 8 de agosto de 2011 at 12:49

        Eu vi essa reportagem no Jornal Nacional no último sábado e achei um absurdo. Eles falaram que existia um déficit no numero de corretores de imóveis. Que hoje existem 80 mil, mas o mercado precisava de pelo menos 250 mil desses profissionais…Passando a idéia que o mercado está ultra-aquecido…gostaria de saber quem patrocina essas reportagens….

        0
    • Philis 8 de agosto de 2011 at 11:34

      O que me espanta é que é sempre a mesma conversa “50% do empreendimento vendido”. Se é tão bom assim, não precisa ficar mandando e-mail pra ninguém: os 50% restantes se vendem sozinhos.

      0
    • Luiz 8 de agosto de 2011 at 11:42

      agora inventaram esse novo termo: lançamento oficial.
      eles lançam umas 3 vezes antes do lançamento oficial, gastam vocabulário, é pré lançamento, interno, pós, oficial, social, exclusivo, e por aí vai

      0
    • Annibal 8 de agosto de 2011 at 11:42

      Um bom profissional sabe quando a situação está “desfavorável” e, em tese, tenta argumentar positivamente em cima disso….

      As pessoas com deficiência de caráter, irão se valer de argumentos soltos para enganar seus clientes e continuar ganhando, mesmo sabendo q estarão ferrando com a vida do cara…

      Mas no final, só entra quem quer….

      0
    • MrK 8 de agosto de 2011 at 11:45

      o phillis matou a charada

      se o empreendimento é sensacional, o antecessor zerou no lançamento, tem 50% vendido ANTES da data do lançamento oficial, pra que o cara manda email e ainda responde??????

      SERÁ que o encalhamento dos imoveis usados comecou a migrar pro encalhamento nos novos também???? tá tudo encalhando!!!!!!

      0
    • Anonymous 8 de agosto de 2011 at 11:49

      Para comparação com os EUA, no Rockefeller Center Building, que fica na 5 Avenida em New York, o preço de sala de escritório é 7500 Reais/m2. Existem escritórios à venda, já alugados pelos próximos 10 anos por esse preço.

      0
      • Adriano 8 de agosto de 2011 at 15:15

        Essa eu não sabia!!! Realmente, já saimos da fase da “brincadeirinha” para piada de mal gosto. Rockfeller é no centro do mundo!!!!!!!!! Numa cidade em que a infraestrutura é zilhões de vezes superior a do RJ. A renda percapita dos trabalhadores de NY deve ser 10X a dos trabalhadores do RIO. Realmente é ridículo. Não têm mais como esse esquema se sustentar, e eles estão desesperados para arrumar os últimos trouxas no mercado. O problema é que a base de investidores agora é bem maior, não têm como esse povo todo ganhar.

        0
  • Anonymous 8 de agosto de 2011 at 11:59

    Se alguém quiser comprar algum imóvel nos EUA, pode contar comigo para informar gratuitamente sobre a burocracia. Eu sou engenheiro civil e comprei uma casa nova em condominio em 2009 quando descobri que por um terreno residencial bem localizado, que pagaríamos 400 mil Reais na Banânia, aqui voce compra por cerca de 20 mil reais, ou seja, 20 VEZES MENOS!!!

    0
    • Rodrigo 8 de agosto de 2011 at 18:00

      comprou através de uma pessoa jurídica?

      0
      • Anonymous 8 de agosto de 2011 at 20:51

        Comprei como pessoa física. Não tem necessidade alguma de pessoa jurídica.

        0
    • Paty 8 de agosto de 2011 at 18:54

      Eu residi 2 anos e meio na Pensilvania e não compraria uma casa nos EUA não…Tudo é muito de brinquedo a casa que eu morava era nova e vivia com problemas era manutençao direto. É tudo muito lindo, muito maquiado pro meu gosto e sinto em dizer que no quesito qualidade deixa a desejar .. Anonymous eu sou engenheira tbm.. meu marido é engenheiro idem..Nos jamais comprariamos nada nos eua, mais isso é uma questão de gosto né.
      Acompanhando

      0
      • Anonymous 8 de agosto de 2011 at 21:09

        Paty,

        No que voce afirma, existe basicamente um problema de cultural. O EUA costrói casa de maneira a resistir aos esforços mais prováveis, economizando muito dinheiro com essa abordagem. Já no Brasil as casa são superdimensionadas. Concordamos que a estrutura de uma casa aqui nos EUA é um brinquedo quando comparado com o Brasil. Entretanto, uma casa nos EUA é muitas vezes mais confortável. A casa Americana é impermeável à umidade enquanto que no Brasil a casa é transparente à umidade. Basta observar que em 100% das casas cujos vizinhos tem uma parede em comum, aparece bolor. As casas Americanos são impermeáveis ao calor, enquanto que no Brasil a temperatura dentro da casa é praticamente a mesma de fora da casa. Quando voce coloca ar-condicionado para esfriar, gasta um absurdo de eletricidade justamente pela baixa resistividade térmica das paredes. O telhado das casas Americanas é muitas vezes superior (madeira + impermeabilização + shingle). Em 99.99% das casa Brasileiras existe goteira, que passa desapercebido por causa da laje de concreto usada como forro.

        Para finalizar, se ocorrer um frio na cidade em que voce mora (Campo Grande, se não em engano) tão severo como ocorre na Pensilvania, posso garantir que morrem todos os habitantes da cidade e nenhuma casa será danificada. Isso demonstra que as nossas casas são ótimas do ponto de vista estrutural, mas infelizmente totalmente inadequadas para proteger as pessoas.

        0
        • Paty 9 de agosto de 2011 at 10:29

          ok,
          Mais eu continuo não comprando…
          E sinceramente não via tanto conforto na casa em que residia ai nos EUA, mais como já te falei é questão de gosto pessoal..
          abraços

          0
      • Anonymous 8 de agosto de 2011 at 21:22

        Paty,

        Ao contrário do Brasil, aqui nos EUA voce pode construir com muitas tecnologias diferentes, inclusive casas de concreto. Veja o seguinte link www DOT cement DOT org/homes/ ou mesmo alvenaria. Vai custar uns 20% mais caro e depois ninguém vai comprar se voce quiser vender pois estará fora da cultura, mas é possível. Existe um ditado que diz: Em Roma, aja como os Romanos.

        0
        • Hik 9 de agosto de 2011 at 02:05

          Pois é, cada cultura com sua arquitetura. Imagine um imóvel desses na Banânia, sem portão de ferro e de madeira?
          – Se fosse no Rio, ou sua parede seria varada por uma tampa de bueiro perdida ou pipocada por tiros de AK47.
          – Se fosse em SP, poderia entrar um Porsche ou uma Land Rover (com um cara grudado no radiador) na sua sala e os bandidos na área aproveitariam para fazer um sequestro relâmpago contigo.

          0
          • Paty 9 de agosto de 2011 at 10:34

            Hik,
            Não entrei no merito segurança publica e ne infra estrutura porque isso nos EUA eles estão a 1000 anos na nossa frente, só disse da estrutura fisica de uma casa que não me agradou quando eu tive a oportunidade de conhecer só isso.
            abraços

            0
          • Hik 10 de agosto de 2011 at 02:17

            Paty,
            Não estou te criticando, de maneira alguma! Só refleti um pouco sobre o porquê de nos sentirmos “inseguros” em estruturas como as casas americanas.
            Abraço!

            0
      • Andrade 9 de agosto de 2011 at 10:59

        Só quero deixar um comentário sobre essa sua opinião em relação à qualidade das casas/materiais nos US, qdo vc fala k nao presta… qual é a sua referencia pra comparação? Não deve concerteza ser a qualidade das casas/materiais/acabamentos aqui no Brasil!
        Já morei nos US, Europa por décadas, e a qualidade aqui é 1000 X pior… e bota ruím nisso… é impressionante o nivel de qualidade ser tão baixo… tem no minimo 50 anos de atraso aos paises desenvolvidos!

        0
        • Duda 10 de agosto de 2011 at 10:27

          A qualidade da construção no Brasil, e “very poor” ate comparada com os nossos vizinhos, Argentina e Uruguay. Na Argentina tudo tem aqucecimento, seja por gas, caldeira com laje termica, e assim vai. Agua quente com aquecedor a gas encanado ate as casa mais pobres tem, esgoto é comum e normal, sem entrar no quesito estrutural, por lá a construção é tudo antisismico, impermeabilização de tetos com membranas de aluminio-asfalto, e muitos outros detalhes.

          0
  • Carlos Eduardo 8 de agosto de 2011 at 12:23

    olha a vergonha !
    êeee PT

    Inadimplência nos maiores bancos privados do país atinge o recorde histórico de R$ 64,9 bi

    SÃO PAULO – Os balanços dos maiores bancos privados do país no primeiro semestre mostram que, após uma sequência de quedas em 2010, a inadimplência voltou a subir este ano e já bate na casa dos R$ 65 bilhões, um recorde histórico. Segundo especialistas, a bomba de crédito é resultado do encarecimento dos empréstimos e da alta da inflação, que come a renda do assalariado. A perspectiva para esta segunda metade do ano, dizem, não é melhor. Além da desaceleração econômica interna, existe o temor de que um agravamento da crise internacional piore o mercado de crédito no Brasil.

    LEIA MAIS: Inflação em 12 meses é a maior desde 2005

    Itaú Unibanco, Bradesco e Santander se depararam, no primeiro semestre, com um volume de R$ 64,9 bilhões em empréstimos com atraso superior a 14 dias, segundo levantamento da consultoria Austin Rating. O valor avançou 17,7% em relação a junho de 2010, quase igualando o crescimento da carteira total de crédito no período, de 19,4%. Na comparação entre 2010 e 2009 – quando a economia brasileira vivia um vigoroso crescimento e o mercado parecia ter esquecido da quebra do Lehman Brothers, em 2008 -, os empréstimos atrasados recuaram 5,6%.

    – Esse saldo em aberto deve ficar entre R$ 72 bilhões e R$ 75 bilhões até o fim do ano – diz Erivelto Rodrigues, presidente da Austin Rating.

    A projeção do executivo considera o cenário negativo internacional, com a lenta recuperação econômica dos EUA e o aprofundamento da crise na Europa, que tende a aumentar o conservadorismo dos grandes bancos na concessão de crédito. O cenário pode piorar, segundo Rodrigues, caso a crise se aprofunde nos EUA e atinja mais fortemente Espanha e Itália. Na sexta-feira à noite, a Standard & Poor’s reduziu a nota dos EUA de “AAA” para “AA+”.

    – Nesse cenário, haveria deterioração profunda das carteiras dos bancos aqui, porque as empresas seriam atingidas e os bancos teriam dificuldades de captar recursos lá fora – disse.

    Para os três maiores bancos privados, a alta da inadimplência no primeiro semestre custou R$ 17,8 bilhões – valor descontado do lucro das instituições para engrossar as provisões contra o calote. A estimativa da Austin Rating é que esse valor chegue a R$ 40 bilhões até o fim do ano.

    O contágio de Espanha e Itália afetaria o investimento nos emergentes, em especial na América Latina, segundo o Deutsche Bank – que afirma que a exposição do Brasil aos bancos espanhóis é estimada em 8,6% do PIB. Segundo estudo do Nomura, de Nova York, o principal risco para os países da região viria da reversão do fluxo de investimentos (bancos espanhóis da região seriam convocados para socorrer matrizes). O Nomura estima que até US$ 28 bilhões poderiam deixar a economia latino-americana – US$ 21 bilhões do Brasil.

    – A reversão do fluxo de investimentos poderia levar a uma disparada do dólar, o que prejudicaria muitas empresas e pequenos bancos que captaram recursos lá fora – concorda Miguel Daoud, sócio da Global Financial Advisor.

    O economista-chefe da Federação Brasileira de Bancos, Rubens Sardenberg, afirma que a preocupação com os rumos da economia internacional fez aumentar a cautela dos bancos na hora de conceder crédito. No Itaú, após o aumento da inadimplência de 4,2% para 4,5% entre o primeiro e o segundo trimestres deste ano, o banco elevou a exigência de garantias para os empréstimos de capital de giro a pequenas empresas, de 25% do total emprestado para 50%. No Bradesco, a aprovação para a compra parcelada de carros está mais difícil, mesmo com a garantia do automóvel.

    Segundo Sardenberg, os indicadores de inadimplência não foram contaminados pelas expectativas externas. Isso ocorrerá se os EUA entrarem de fato em recessão e a zona do euro sofrer uma ruptura econômica:

    – Nesse caso, a piora no cenário internacional provavelmente será associada a uma piora para projeções da economia brasileira, que vai se refletir nos índices de inadimplência.

    E a alta do calote nos bancos e no comércio foi puxada por fatores internos. A inadimplência do consumidor medida pela Serasa Experian cresceu 22% no primeiro semestre, a maior alta em nove anos. Na pessoa jurídica, os atrasos cresceram 13,1%. O calote se concentrou em baixa renda, pessoas físicas e micro e pequenas empresas.

    A comerciante Jussara Ângelo ilustra os números da inadimplência. Ela usou o cartão de crédito e o cheque especial para levantar parte do capital de giro para sua empresa, mas não suportou os juros. Inadimplente desde o início do ano, tenta achar uma solução para a dívida, entre R$ 15 mil e R$ 20 mil: – Comecei a fazer o pagamento mínimo (do cartão) até que não deu mais. Apelei para o cheque especial. Usei o cheque especial, com juro menor, para pagar o cartão. Aí, perdi o controle e fiquei com duas dívidas.

    “Devo, não nego. Pago quando puder” passou a ser o slogan de outro consumidor, que preferiu não ser identificado. Ele percebeu, este ano, que tinha perdido o controle do que devia no cheque especial e no cartão. A dívida chega a R$ 40 mil.

    – A vaca foi para o brejo de um jeito que não tinha mais volta – reconhece o administrador de imóveis.

    Salvo uma piora do cenário econômico, a projeção da Serasa é que o atraso nos pagamentos dos consumidores siga em alta até outubro ou novembro. A partir de então, ficaria estabilizado, devido ao décimo terceiro e ao aumento da renda por causa de dissídios no segundo semestre. Para as empresas, a tendência é que o calote siga em alta até o fim do ano.

    – A pessoa física antecipa a inadimplência das pessoas jurídicas, porque são as pessoas que não pagam as empresas, e depois as empresas entram em dificuldades – explica Luiz Rabi, gerente de indicadores de mercado da Serasa Experian.

    http://oglobo.globo.com/economia/mat/2011/08/06/inadimplencia-nos-maiores-bancos-privados-do-pais-atinge-recorde-historico-de-64-9-bi-925078396.asp

    0
  • Anonymous 8 de agosto de 2011 at 13:11

    Cotação 08/Ago/2011

    Gafisa -2,34% $ 6,66 Reais – o número da besta 😉

    Cyrela -3,36%

    0
  • Philis 8 de agosto de 2011 at 13:14
  • Buginga 8 de agosto de 2011 at 13:27

    Galera, uma duvida:
    Estou querendo entrar com um $ em dólar pra aproveitar uma provável elevação no cambio fruto da saída de investidores estrangeiros do BR.
    Qual a melhor forma de investir em US$? Um fundo cambial do banco (todos tem) comprar contratos de dólar na BMF?

    0
    • Anonymous 8 de agosto de 2011 at 13:57

      Abra um “savings account” (poupança) nos EUA depositando um mínimo de $ 300 USD. O Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC) garante depósitos até 250 mil dólares. Voce precisa vir até os EUA e abrir a conta pessoalmente. Na qualidade de “non-resident alien” voce não paga imposto sobre o ganho de capital.

      0
  • Felipe 8 de agosto de 2011 at 13:32

    Eita porr….
    Marfrig -17,67%

    0
    • me 8 de agosto de 2011 at 17:42

      😮

      0
  • MrK 8 de agosto de 2011 at 13:49

    a bolsa está derretendo, gafisa, cadê sua publicação????

    imaginem essas imobiliarias sem caixa precisando captar grana nesse mercadinho bonito, heim?????????

    0
    • Fábio 8 de agosto de 2011 at 13:55

      Vai explodir a bolha.

      0
    • Leandro 012 8 de agosto de 2011 at 14:03

      MrK
      Até quando a Gafisa tem pra publicar o resultado trimestral?

      0
      • Tales 8 de agosto de 2011 at 14:04

        Sai quinta-feira dia 11 após fechamento do mercado

        0
        • Leandro 012 8 de agosto de 2011 at 14:06

          Boa Tales,
          sexta-feira vai ser um dia bem legal de ler os post aqui do Bolha. rsrs

          0
        • Tales 8 de agosto de 2011 at 14:16

          Ih…agora já nao sei.
          No site da Gafisa diz que é quinta-feira. Olhando em um site de investimentos diz que é hoje….
          bom…o certo é que sai essa semana

          0
        • Tales 8 de agosto de 2011 at 14:19

          E pelo andamento dela hj não acho que venha ruim….tá melhor que a media do ibov…
          Sendo que o ibov acho q nao fecha tao feio assim..

          0
  • Tales 8 de agosto de 2011 at 13:53

    Sabem qual será o novo papo de corretor para essa crise financeira que esta começando?
    Vão dizer que muitos “clientes” estão tirando dinheiro da bolsa e indo para algo mais seguro como imóveis. Que estão vendendo muito para diversas pessoas que tinham dinheiro na bolsa…

    aposto que esse será o novo papo

    0
    • Marcos1 8 de agosto de 2011 at 14:22

      Matou a pau Tales vão falar isso mesmo.
      E a bolsa derretendo a Marfrig com menos 19% aff
      As imobiliarias estão com queda pequena perto das outras a que esta acompanhando o indice de queda da bovespa é a MRV pois a bovespa agora está com queda de 6,2 e a MRV caiu 5,3 até agora.
      O ouro indo pras nuvens.

      0
      • Luiz 8 de agosto de 2011 at 14:33

        e a principio estariam certos em aconselhar imóvel, mas o mercado está em bolha, os fundamentos que elevaram os preços estão amarrados a todo o resto, se o resto cai, imovel pode cair junto e não ser o porto seguro como são os metais.

        0
    • MrK 8 de agosto de 2011 at 14:30

      isso não faz sentido, voce perde muito dinheiro de investimento, fica pobre, vai resgatar na baixa pra comprar um ativo que está hipervalorizado, na alta e com baixa liquidez?!

      se alguem for bur*o suficiente pra fazer isso, MERECE perder dinheiro, muito1

      0
    • Gaba 8 de agosto de 2011 at 14:33

      Pessoal, sempre ouvi disser que na bolsa se compra na baixa e se vende na alta……não acredito que irão migrar para imovéis (pois o valor esta em alta, no topo), quem é investe em imóveis já deve ter percebido que é tempo de sair…e o mesmo acontece com a bolsa, o que sobraria é o ouro…

      0
  • Luiz 8 de agosto de 2011 at 14:16

    PDG top5 em volume de negocios e em queda, junto com bancos e petroleiras.
    Alguém sabe interpretar isso.

    0
  • DRN 8 de agosto de 2011 at 14:27

    Acabei de ler um relatório do HSBC (The Southern Silk Road – Junho de 2011). No geral, consta que os BRICs estão comercializando muito mais para si. Basicamente, todos vendem para a China, que industrializa e vende para Europa e EUA. Pareceu-me ser essa a razao pela qual estão quebrados. O relatório projeta crescimento até 2050 dessa ordem. Em tese, se a China parar de vender, vai parar de comprar. E aí é que a porca torce o rabo para o Brasil. Antes de isso acontecer, será que vai dar tempo de EUA e Europa reavivarem suas economias?

    0
  • Marcos1 8 de agosto de 2011 at 14:29

    Nossa será que eu to loco ou tem gente fumando maconha estragada?

    “Hora é boa para comprar ações; evite vender, dizem analistas

    Maria Carolina Abe

    Do UOL Economia, em São Paulo

    Seja o primeiro a comentar

    O temor de uma recessão global causada pela crise da dívida pública nos EUA e na Europa levou as Bolsas do mundo todo a despencarem na semana passada. A Bovespa teve queda de 9,99% no acumulado da semana. As perspectivas para esta semana não são animadoras. As Bolsas continuam caindo após a agência de risco Standard & Poor’s rebaixar a nota dos Estados Unidos.

    O que o investidor em ações deve fazer quando o pânico toma conta do mercado?

    AMPLIE E COMENTE ESTE VÍDEO

    Com as Bolsas caindo no Brasil e no mundo todo, como deve reagir quem tem dinheiro investido na Bovespa? E para os novos investidores, seria este um bom momento para comprar ações? (Veja no UOL a cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa).

    A primeira dica é não entrar no desespero, nem na euforia, e “manter a fé”, recomenda Marco Aurélio Barbosa, analista-chefe da corretora Coinvalores. “Parece que o mundo vai acabar, mas nunca acaba. O mercado se recupera, sim, e dá ótimas oportunidades.”

    “Se tiver um dinheirinho, pode até comprar mais daqui a pouco”, afirma Barbosa. Ele acredita que esta é a década do Brasil e da China. Portanto, é improvável que a Bolsa fique no nível dos 40 mil ou 50 mil pontos por muito tempo.

    “As pessoas não devem comparar uma eventual queda hoje em dia àquela queda no auge do ‘fim do mundo’, em 2008”, afirma Paulo Levy, executivo da MyCAP, home broker da corretora de valores Icap. Segundo ele, as empresas estão maiores, ganharam dinheiro e patrimônio, e já estamos com uma “Bolsa barata”.

    DICAS PARA INVESTIDOR ENFRENTAR PÂNICO NA BOLSA

    Quem tem recursos aplicados na Bolsa, além de outros investimentos, e precisa de dinheiro agora…

    … deve resgatar as outras aplicações, e manter os investimentos na Bolsa por enquanto

    Quem tem recursos aplicados só na Bolsa e precisa de dinheiro agora…

    … o jeito é resgatar o investimento e arcar com o prejuízo. Da próxima vez, lembre-se de diversificar suas aplicações

    Quem tem recursos aplicados na Bolsa e não precisa do dinheiro agora…

    … deve manter os recursos na Bolsa

    Quem não tem recursos na Bolsa, mas pensa em investir em ações…

    … agora é um bom momento para começar, mas é precisa checar seu perfil de investidor

    Quem tem recursos aplicados na Bolsa e dinheiro para investir por um ou dois anos…

    … deve manter os recursos na Bolsa e investir o excedente em fundos mais seguros, como renda fixa

    Quem tem recursos aplicados na Bolsa e dinheiro para investir por mais de cinco anos…

    … deve manter os recursos na Bolsa e aplicar o excedente em ações de empresas de commodities e consumo; outra opção é começar com uma carteira de mais curto prazo e depois trocar por consumo e commodities

    Fonte: Marco Aurélio Barbosa, analista-chefe da corretora Coinvalores

    Quem tem ações não deve fazer nada agora

    Para quem tem dinheiro aplicado em ações, Barbosa é categórico: “Recomendo não vender nada, não fazer nada, tem que ter paciência.” Vender agora que o valor das ações está em baixa, segundo ele, é um péssimo negócio.

    “Quem não precisa de liquidez imediata, de forma alguma deve vender agora”, concorda Levy. Ele sugere resgatar quaisquer outros investimentos, se a pessoa necessitar de dinheiro na mão já.

    E se o investidor precisa muito do dinheiro bem neste momento, e não tem outra aplicação? Ai o jeito é vender as ações, e arcar com o prejuízo. “Se não tem jeito, aí paciência”, diz Levy.

    Com a baixa, Bolsa é boa opção no longo prazo

    Para quem pensa em investir na Bolsa pela primeira vez, a baixa das ações pode ser uma boa oportunidade. Mas o risco só compensa no longo prazo.

    “Quando a gente compra Bolsa, não pode nunca estar pensando em menos de um ano”, afirma Paulo Levy.

    Já o analista-chefe da Coinvalores é mais cauteloso: para quem precisa de resultado em um ou dois anos –para comprar uma casa, por exemplo–, ele sugere evitar a Bolsa e investir em aplicações mais seguras, como a renda fixa. “A tendência de curto prazo não é nada boa. A situação deve piorar, porque o mercado está muito tenso.”

    “Para quem está pensando em gerar poupança, de cinco anos para frente, a Bolsa é uma boa opção”, diz Barbosa. As regras de ouro são acreditar na economia mundial e local, diversificar seu portfólio e estudar o mercado no qual pretende investir.

    Os analistas recomendam que, antes de investir em ações, os aplicadores definam seu perfil. “O investidor de bolsa tem um perfil de risco maior”, lembra o analista (faça um teste no UOL Economia agora e veja se você é conservador ou agressivo nos investimentos).

    Ações recomendadas

    Para um prazo mais curto, o analista recomenda ações de empresas que são boas pagadoras de dividendos e com fundos de caixa previsível –por exemplo, de energia elétrica, telefonia, saneamento, concessionárias de rodovias.

    Para um prazo um pouco mais longo, Barbosa recomenda investir em mercados nos quais o Brasil tem vantagens: indústria primária (commodities) e consumo. Num prazo bem longo, opções de pouco risco são Vale e Petrobras. “Não dá para imaginar o Brasil em 2020 sem a Vale e a Petrobras”, diz ele.

    Outra alternativa seria começar a investir em uma carteira de mais curto prazo –energia elétrica, telefonia etc—e depois trocar por ações de commodities e consumo quando a crise der uma trégua. ”

    Sinceramente não concordo com essa anilise, pra mim o correto seria esperar pra ver onde vai e aplicar em renda fixa e quando o mercado mostrar pra onde vai ai sim decidir se entra ou não.
    Outra coisa que estranhei é que as ações das construtoras estão com indices de percas abaixo do que esta caindo a bovespa.

    0
    • Luiz 8 de agosto de 2011 at 14:38

      Isso é um jogo de nervos, Marcos
      Se vc esperar um sinal claro do mercado é pq o mercado já comeu boa parte da subida (ou da descida). O melhor momento é o momento em que ninguem sugere nada, é na calmaria que as coisas acontecem.

      0
  • DRN 8 de agosto de 2011 at 14:47

    Parece que a tal crise cambial vai demorar um pouquinho mais para acontecer. Destaque para o trecho: “Estão agora reforçadas as condições para que mais moeda estrangeira procure refúgio em economias emergentes, entre os quais a do Brasil. Dependendo do volume do desembarque de dólares, novas pressões sobre o câmbio interno devem acontecer. A economia brasileira está em melhores condições para enfrentar o tranco. Mas não se sabe ainda qual será a magnitude das ondas de choque”.

    Isso não significará mais fôlego para o crédito imobiliário e, conseqüentemente, para a postergar o estouro da bolha?

    Terremoto

    7 de agosto de 2011 | 13h33

    Celso Ming

    O rebaixamento dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos (conhecidos por treasuries) por uma das mais importantes agências de classificação de risco, a Standard & Poors (S&P), deve agora provocar um terremoto no mercado financeiro global, de consequências nem um pouco previamente mensuráveis.

    Este é um acontecimento sem precedentes na história financeira global. O título do Tesouro americano ocupou até agora o posto de referência internacional em excelência de ativo. Não é mais. Um punhado de países (Alemanha, Canadá, Suiça, Holanda, Áustria, etc) terá uma dívida melhor do que a dos Estados Unidos.

    A perda do primeiro A no conjunto de três equivale a admitir que passou a haver certo risco de calote da principal economia do mundo. Essa é consequência da insustentabilidade técnica da dívida do Tesouro americano, agora acima de US$ 14,3 trilhões, e da velocidade com que vai crescendo. O que a S&P está dizendo é que a atual equação entre receitas e despesas públicas do governo federal dos Estados Unidos não garante plena capacidade de que a dívida seja honrada.

    Se a lei ou disposições estatutárias forem observadas, grande número de instituições não poderá agora manter treasuries rebaixados em carteira. São bancos centrais, fundos de pensão, seguradoras e fundos conservadores. Os treasuries também entram como garantia (colateral) em operações de recompra de outras dívidas. Por essas razões, deveria começar agora uma impressionante desova desses ativos. O problema é que não há com que substituí-los. Isso sugere que todo o mercado deverá agora adequar-se a uma situação nova. Além disso, muitas instituições só começarão essa operação de troca de ativos financeiros se mais de uma agência importante de classificação de risco rebaixar a qualidade do ativo.

    De qualquer maneira, o dólar deverá perder valor nos mercados em relação ao ouro e às outras moedas fortes. Sempre que isso acontece, as commodities (especialmente petróleo e alimentos) aumentam de preço, em geral fixado em dólares. Por aí já se antevê forte potencial inflacionário que só poderá ser relativizado se a recessão derrubar a procura.

    Uma rejeição em massa dos treasuries deverá aumentar seu rendimento (yield), porque menos dinheiro comprará o mesmo título, que paga juros fixos. Sempre que isso acontece, ficam estabelecidas condições para alta dos juros.

    É preciso ver agora como reagirá o Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), que recentemente avisou que um rebaixamento da qualidade da dívida americana seria “inadmissível e insustentável”. Coincidentemente, terça-feira, reúne-se o Comitê de Política Monetária do Fed, já sob o impacto desse rebaixamento. Ficou mais provável que anuncie nova rodada de recompra de títulos do Tesouro, nos moldes das operações de afrouxamento monetário quantitativo.

    Estão agora reforçadas as condições para que mais moeda estrangeira procure refúgio em economias emergentes, entre os quais a do Brasil. Dependendo do volume do desembarque de dólares, novas pressões sobre o câmbio interno devem acontecer. A economia brasileira está em melhores condições para enfrentar o tranco. Mas não se sabe ainda qual será a magnitude das ondas de choque.

    O mercado financeiro abrirá amanhã atordoado. Levará bom tempo para absorver e precificar todas as consequências.

    CONFIRA

    Esforço inútil

    Os altos funcionários do Tesouro dos Estados Unidos tentaram de tudo até o início da noite de sexta-feira para convencer os diretores da Standard & Poors de que falta consistência técnica para esse rebaixamento.

    S&P Tea Party

    É provável que dirigentes e políticos redobrem as críticas às agências de classificação de risco. Foi também o que fizeram há algumas semanas o presidente da França, Nicolas Sarkozy, e o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi. Vão dizer que a Standard & Poors foi mais fundamentalista do que a facção Tea Party do Partido Republicano.

    Elas erraram

    As agências foram fortemente criticadas em 2008 e 2009, por ocasião do estouro da bolha das hipotecas, por terem anteriormente atribuído nota máxima a ativos que logo em seguida foram considerados lixo tóxico. Mas desta vez não há como atacá-las. Alguém tem de examinar e atestar a qualidade dos títulos de dívida, sejam eles emitidos por países soberanos (tesouros nacionais) ou por empresas.

    0
  • MrK 8 de agosto de 2011 at 14:54

    Pra uma bolha se manter é preciso 3 coisas:

    1- Expectativa de valorização do ativo
    2- Crédito farto
    3- Giro de vendas alto

    só a número 2 está se mantendo intacta… as expectativas estão derretendo, a economia em check, o giro baixíssimo… não vai dar pra segurar muito mais esses preços não

    0
    • Luiz 8 de agosto de 2011 at 15:05

      Mrk, acho q tem que ser uma comapração relativa, se o mercado imobiliario for mal e o resto pior, eles ganham uma sobrevida mais longa, mesmo que na UTI.

      0
      • Luiz 8 de agosto de 2011 at 15:15

        fui conferir e é isso mesmo, as “imobiliarias” estão caindo menos que o indice bovespa, fato raro.
        Exceto a PDG que cai feio talvez pq esteja ligada a um Banco.

        0
  • Tales 8 de agosto de 2011 at 15:25

    E eu que pensava que nao ia cair tanto…..começou a sangria

    RSID3 C 8,93 -15,36
    CYRE3 C 12,60 -8,03
    GFSA3 C 6,01 -12,01
    MRVE3 C 8,92 -13,15
    PDGR3 C 5,91 -14,47
    IMOB C 689,28 -9,49

    0
  • Marcos1 8 de agosto de 2011 at 15:50

    Circuit Breaker

    0
    • Luiz 8 de agosto de 2011 at 15:55

      “destaque” p Rossi e PDG.

      0
  • Said 8 de agosto de 2011 at 16:01

    estourou, estourou … quase, ainda não.

    0
    • Eduardo 8 de agosto de 2011 at 16:26

      Jornal Nacional de hoje… Vão dar a receita do arroz com ovo, porque a casa caiu.

      E nós contribuintes vamos pagar o pato!!!!

      0
  • Carlos Wagner 8 de agosto de 2011 at 16:09

    Dilma repete Lula e pede a brasileiros que não parem de consumir
    PUBLICIDADE
    ANA FLOR
    DE BRASÍLIA

    Atualizado às 14h46.

    Como Lula em 2008, a presidente Dilma Rousseff pediu na manhã desta segunda-feira que o brasileiro não deixe de consumir, como forma de ajudar a proteger o Brasil da crise econômica internacional.

    Quando falava sobre a necessidade de ser imune à crise, contando para isso com ações do governo, empresários e sociedade. “[Temos de ter] percepção de que não podemos brincar; e sair por aí gastando o que não temos. Temos que continuar consumindo o que estamos consumindo. Não temos de parar de consumir, porque não passamos por nenhuma ameaça.”

    Em entrevista no Palácio do Planalto, ela afirmou que não é um momento para “brincar e sair por aí gastando o que não temos”, porque o Brasil não é “uma ilha isolada no mundo” e não está “imune” às turbulências econômicas do mundo, mas que o consumo deve continuar porque o país não passa por “nenhuma ameaça”.

    Em 2008, a política adotada pelo governo Lula para reagir à crise internacional foi turbinar o consumo interno com isenções de impostos e ampliação de programas de redistribuição de renda.

    Nesta manhã, a presidente fez um apelo para que todos os segmentos da sociedade tenham “muita tranquilidade, muita calma e nenhum excesso”.

    Questionada se o Brasil, caso chamado a ajudar economias em crise, poderia prestar ajuda financeira, a presidente afirmou que o país “não se furtará” a cumprir seu papel.

    “Se houver necessidade de ajuda, seja ela qual for, o Brasil não se furtará. Mas não há perspectiva disso”, afirmou.

    Dilma disse que está “com aquela preocupação que me faz não ser uma penssoa alheia à realidade”, mas que tomará todas as medidas necessárias.

    A presidente falou logo após a visita do primeiro ministro do Canadá, Stephen Harper, ao Palácio do Planalto. Na declaração conjunta à imprensa, ela havia afirmado que a decisão da agência de classificação de risco Standard & Poor’s de rebaixar a nota dos títulos do tesouro dos EUA foi “precipitada” e “não correta”.

    Aos jornalistas ela explicou o porquê. “Todas as avaliações apontam que ela [Standard & Poor’s] errou. Ela errou porque fez um cálculo por erro de, me parece, US$ 2 trilhões”, disse.

    Dilma voltou a afirmar que o Brasil está em uma situação “muito mais sólida” do que em 2008, na última crise financeira. “É a segunda vez que a crise afeta ao mundo e é a segunda vez que o Brasil não treme. Vocês lembram muito bem como era no passado”, disse ela. A presidente também reforçou que os bancos brasileiros, públicos e privados, estão “robustos” porque praticaram uma “política muito sóbria”.

    Dilma afirmou que o mercado interno é uma “grande vantagem” que o país tem. “Estamos incentivando e tomando todas as medidas para que práticas de concorrências desleais não nos afetem”, disse.

    Mesmo assim, a presidente disse esperar que os EUA e Europa se recuperem, para que voltem a consumir como antes. “São grandes economias, é fundamental para todos os países do mundo que Estados Unidos e Europa voltem a consumir, a investir.”

    A presidente criticou a falta de política fiscal na Europa e EUA, disse que eles devem “tomar providências”, não o Brasil, e afirmou mais uma vez que foi uma “insensatez” o impasse político nos EUA na semana passada, que ameaçou toda a economia mundial.

    “O que se percebe é que não há política fiscal. Não há política fiscal na Europa e não há política fiscal nos Estados Unidos. Não é possível os países desenvolvidos acharem que o mundo pode ficar contemplando de uma forma perplexa o que aconteceu na semana passada e que todos viram. A insensatez não pode levar a que o mundo sofra a consequência de políticas locais”, disse ela, afirmando ainda que o Brasil, “sem alvoroço”, tomará todas as “medidas necessárias para continuar sua trajetória”.

    Ao final da conversa com os jornalistas, Dilma foi indagada se a nova crise era também uma “marolinha” –termo utilizado por Lula em 2008 para se referir o efeito que a crise econômica daquele ano teria no Brasil.

    Ela riu e, em tom de brincadeira, disse que não se deixaria levar por provocações.

    0
    • trololó 8 de agosto de 2011 at 18:42

      ÓTIMO DILMINHA!!!

      AINDA TEM 50% DA POPULAÇÃO BRASILEIRA QUE NÃO É TAPADA E NÃO TEM DÍVIDAS!!!

      VAMO ENDIVIDA TODO MUNDO UHUUUUUUUUUUUUUU

      0
      • MrK 8 de agosto de 2011 at 19:10

        É ISSO AI GALERA, VAMOS CONSUMIRRRRRRRRRRR, E POR FAVOR, COM CRÉDITO TÁ? NADA DE PAGAR A VISTA !!!!!

        0
        • trololó 8 de agosto de 2011 at 19:22

          No caso das turbulências no exterior, no entanto, o ministro admitiu que o governo pode lançar mão das reservas internacionais para ampliar o crédito e apelar para que bancos públicos e privados auxiliem na recuperação do mercado interno.

          “Não quero me antecipar porque pode ser que tudo isso acabe ainda nesta semana. O perigo não é aqui no Brasil. O Brasil não está no epicentro da crise, mas sofremos as consequências dela”, disse Mantega.

          0
  • Leandro 8 de agosto de 2011 at 17:09
  • ildeu 8 de agosto de 2011 at 18:24

    apliquei um dinheiro num fundo atrelado ao dólar[cambial] veremos no que dá; em relaçao a bolsa , essas quedas das construtoras tem motivos alheios a bolha imobiliaria,tradicionalmente essas ações caem primeiro e se recuperam tbém na frente[vide 2008].Iriam cair com ou sem bolha,pois uma ação cai nas crises por inercia ,contaminação[se todos estão mais baratos ,por que alguem iria comprar um ativo que nao se desvalorizou?].Nas ondas de elliot ,estariamos na onda 5? que traria o ibovespa talvez abaixo de 20k pts,pode ser .Mas o momento e´ de preservar capital ,ficar liquido , pois talvez possamos comprar gerdau ou petro com preços inacreditáveis.

    0
    • Luiz 8 de agosto de 2011 at 18:28

      20k é um patamar mto baixo, somente uma crise de guerra joga a bolsa nisso aí
      acredito que se baixar de 40k já começam a comprar, eu mesmo compraria.
      As imobiliarias seriam as ultimas a subir no cenário atual, acredito que o que foi feito levará anos pra ser corrigido

      0
      • Carlos__ 8 de agosto de 2011 at 18:40

        Também acho 20.000 baixo, mas só para recordar, em fevereiro de 2006, pouco mais de 5 anos atrás, ela estava com indíce de 26.300 pontos.

        O Brasil melhorou tanto assim nesses anos para a bolsa chegar a valer 3 vezes o que valia em 2006?

        0
        • MrK 8 de agosto de 2011 at 19:13

          DICA DE QUEM JÁ PASSOU POR DERRETIMENTOS DE MERCADOS OPERANDO EM MESA:

          Não tentem pegar a faca caindo virada pra baixo!!!!!!!!! Deixem ela cair, se estabilizar e andar de lado…deixem ela comecar a subir de novo e aí sim montem posição

          EU SEI que fazendo isso voces não acertarão o ponto minimo, mas de que importa? é melhor entrar tardiamente perdendo um pouco da valorização, do que entrar no meio da loucura e correr o risco de perder 20% de cara!! Quando o mercado está em pânico não há regras, limites nem nada

          esperem por um vale de calmaria, não sejam afobados!

          abs

          0
          • Bolha Imobiliária 8 de agosto de 2011 at 19:25

            Na primeira grande queda da bolsa, eu não tinha dinheiro para comprar no fundo do poço. Neste ano estou me comprometendo com o meu casório, novamente vou passar em branco 🙁
            SE lá por novembro, quando eu acredito ter quitado minhas dividas de festa, e se os preços estiverem atraente, acho que poderei comprar…

            0
          • Selvagem 8 de agosto de 2011 at 20:09

            Confesso que o preco dos ativos cada vez mais baixo dá vontade de pegar uma barbada na bolsa. Até mesmo acoes de imobiliarias que estao sendo vendidas a preco de ocasiao.

            Cá entre nós para quem acha que o preco de acoes de imobiliarias está baixo com o imob a 690 (estava em 1000 no comeco da crise) lembre-se que em 2008 ele chegou a 390., basta consultar o site da Bovespa.Ainda tem muita estrada ate o chao.

            0
  • Selvagem 8 de agosto de 2011 at 20:05

    Algumas semanas atrás estávamos discutindo no tópico de apostas qual seria o momento que seria fixado para considerarmos como o “estouro da bolha”. Pois bem naquela discussão sugeriram alguns indicadores. A gente naquele bate papo informal considerou que um deles seria que a notícia saísse na Veja e também no Jornal Nacional.

    E nada deles falarem disso… Até rimos em outro tópico da Camila Pitanga reclamando na novela dos preços altos no Rio.

    Pois então me chamou atenção essa fim-de-semana uma reportagem na veja, confesso que achei que fossem colar ela rapidinho aqui nesse cliping de noticias que tem sido coletivo. Só achei um link na net para ela em conteudoclippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2011/8/8/e-se-a-pressao-aumentar-mais

    Destaco só um trecho, não quero colar a reportagem inteira:

    ” O terceiro ponto é a ausência de “bolhas” na economia. Ou seja, embora se possa tecnicamente afirmar que os imóveis estão com os preços irrealmente altos no Brasil, isso ainda não configura uma bolha, pois eles não estão sendo financiados por instrumentos de crédito sem lastro, como ocorreu no mercado americano, abrindo caminho para a crise de 2008.

    Poxa, ninguém reparou?

    A Veja ao mesmo tempo nega mais indica a existência da bolha. Fala sério! Como é que o cara me nega que tem bolha usando a expressão “ É tecnicamente comprovado que os preços estão irrealmente altos”???

    Pra mim a própria afirmação tem um viés de afirmar, fingindo que nega! Deixo para cada um fazer sua própria avaliação.

    Agora para mim a permissa de falta “ alavancagem de crédito” está mais do que presente. Só cego não que ver. Temos juntado dezenas de reportagem aqui sobre endividamente dos bancos, concessão descontrolada de crédito, farra no cartões de crédito, utilização de mortgage no Brasil, .

    Os noticiários só vão admitir a bolha quando for muito tarde e ela já tiver passado a fase do “ploc” e a coisa toda tiver explodido na cara de todo mundo como um bola de chiclete.

    0
    • MrK 8 de agosto de 2011 at 22:47

      rapaz, me explica isso daqui por favor, o motivo pra negar a bolha:

      “pois eles não estão sendo financiados por instrumentos de crédito sem lastro, como ocorreu no mercado americano”

      quem escreveu isso? amy winehouse?

      tenho anos e anos de mercado e economia e não consigo entender essa frase, o nosso credito imobiliario tem lastro e o deles não, han?!? que frase mais nonsense

      é o mesmo que dizer “não tem bolha porque o ceu não é amarelo”

      0
  • Mr. R 8 de agosto de 2011 at 20:40

    Vocês viram a matéria do dia 6 no jornal nacional: “Faltam corretores de imóveis e mão-de-obra preparada na construção civil”?

    0
    • Susy 9 de agosto de 2011 at 01:22

      Mr. R, esse assunto da matéria no Jornal Nacional foi bastante comentado no tópico anterior. Dê uma olhada lá.

      0
  • Paulo 8 de agosto de 2011 at 20:51

    Pessoal vamos ser realistas, sei que a maioria aqui TORCE para que os preços caiam mas isso NAO VAI ACONTECER.
    O valor dos imóveis irão estabilizar daqui pra frente e se manterão nesta faixa por tempo indeterminado. Somente uma recessão no Brasil com corte de crédito faria os valores caírem aos patamares que todos queremos.
    Ou seja, quem aqui torce por uma bolha, torce por uma recessão e aí todos perdem!

    0
    • Philis 8 de agosto de 2011 at 21:39

      Bom, o que simplesmente vai acontecer é que ninguém mais irá comprar imóveis no Brasil, a menos que seja rico, pois a renda da população NÃO vai acompanhar esses preços.

      0
    • trololó 8 de agosto de 2011 at 22:00

      hahaha

      carinha, com a inflação galopante do brasil, estabilizar preços = desconto

      0
      • MrK 8 de agosto de 2011 at 22:49

        Paulo, sinto desaponta-lo, mas não é isso que ocorre

        veja bem, os preços não se estabilizam por 2 motivos:

        1- É caro manter imóvel parado, paga-se iptu, condominio, anuncios… logo os proprietarios que compraram e os especuladores nas chaves vão ter que se desfazer e se preciso for baixar o preço o farão.

        2- É impossível voce desinflar o mercado e achar que o preco fica igual… assim como a injecao de credito inflacionou o mercado, a saída dos especuladores desinflaciona, isso de achar que sem os especuladores que compram pra revenda os preços se mantém é matematicamente IMPOSSÍVEL

        0
        • Hik 9 de agosto de 2011 at 02:46

          No motivo 1 vc ainda não citou o custo de oportunidade.
          Mas, em um país que tolos acreditam que imóvel é porto seguro, custo de oportunidade não é nada comparado ao deleite de ver um imóvel vazio, deteriorando e custando tufos, mas que possa ser chamado de “seu”.
          É realmente muito inteligente e lógico…

          0
    • Fred Henrique 9 de agosto de 2011 at 09:45

      E digo mais: o mercado consumidor (quem compra casa para MORAR, não para INVESTIR) já está se posicionando à espera de uma bolha.

      Com o aluguel mais vantajoso que a prestação daquele financiamento esperto de 20 a 30 anos, as pessoas estão colocando na ponta do lápis e vendo que é melhor morar bem de aluguel, guardar uma boa grana e esperar a bolha explodir. Esse fator de pessimismo pode explodir a bolha.

      0
      • Fred Henrique 9 de agosto de 2011 at 09:58

        E tem mais, se imóvel fosse um ativo tãããão facilmente liquidável e rentável, estaria faltando casa e não sobrando. Quem fez carteira de imóvel, na melhor das hipótese vai esperar a próxima bolha para vender. SE eu tivesse uma carteira de imóveis HOJE, montada entre 2008 e 2010, tentaria vender pelo menos 50% para medir a reação do mercado (que não seria positiva, imagino), se conseguisse venderia tudo (o que seria quase impossível, mas otário é o que ainda tem demais no mercado).

        Caso não vendesse quase nada, manteria os imóveis (de preferência alugados) esperando a próxima valorização irreal num futuro incerto. Eu não venderia na baixa, pois sabendo como são os políticos do Brasil, não duvido que resolvessem inflar uma nova bolha de crédito assim que houvesse a estabilização após o estouro da bolha atual.

        0
  • ildeu 8 de agosto de 2011 at 21:14

    graficamente cai a menos de 29 k de 2008 , mas grafico tbém erra ,lembrem-se que vale começou a corrigir apenas de 1 semana pra ca´ e normalmente esses movimentos duram mais de 1 mês ,ou seja , muita agua pra rolar ainda …

    0
  • trololó 8 de agosto de 2011 at 21:59

    bolsa de toquio nesse momento: -3,78 %
    da australia -3,82%

    HAAAAAAAAAAAAAAAAJA CORAÇÃO MEU AMIGO!

    0
    • trololó 8 de agosto de 2011 at 22:15

      45 minutos, e já passou dos -4% a bolsa de toquio
      da australia, a -4.50%

      vai ser uma terça-feira sensacional!

      0
      • trololó 8 de agosto de 2011 at 22:24

        taiwan abriu agora a pouco com queda de 5%!!!!!!!

        0
        • trololó 8 de agosto de 2011 at 22:47

          que lindo festival:
          Australia ASX All Ordinaries Australia -211.70 -5.22%
          Shanghai SE Composite Index China -58.78 -2.33%
          Hang Seng Hong Kong -1,280.87 -6.25%
          Nikkei 225 Japan -398.04 -4.38%
          Taiwan TSEC 50 Index Taiwan -349.07 -4.62%

          isso só vai antecipar todo aquele nosso bolão de quando a bolha vai estourar..

          0
  • Elias 8 de agosto de 2011 at 22:15

    Lembro que no início desse ano, alguns analistas diziam que a bolsa iria terminar o ano em 80 mil pts.

    Putz, mas erraram feio.

    Concordo com o MrK – dos 3 fatores que sustentam a bolha, somente o crédito farto permanece hoje.

    Mas tem data pra acabar – poupança secando, linhas de crédito internacionais minguando… de fato, é esperar pra ver.

    Talvez o “ploc” venha antes do que prevíamos.

    0
    • MrK 8 de agosto de 2011 at 22:51

      aquele fanfarrão do ricardo amorim, que disse que não ha bolha imobiliaria, previu a bolsa a 100mil ainda em 2011

      fanfarrão…

      0
  • Elias 8 de agosto de 2011 at 22:34

    Saiu mais uma notícia no Valor negando a bolha de crédito, de um tal de Marcelo Carvalho do BNP Paribas, intitulado “Há uma bolha de crédito no Brasil? Ainda não”.

    Que tal comenarmos aqui? Alguém consegue a matéria?

    0
    • trololó 8 de agosto de 2011 at 22:44

      portaldoeconomista.org.br/noticias/ha-uma-bolha-de-credito-no-brasil-ainda-nao.html

      francamente, nemly & nemlerey

      só o fato do manolinho querer negar o óbvio já perde qualquer credibilidade, e se não for o suficiente:

      “Altas taxas de juros representam um importante fator de alívio de preocupações sobre uma bolha de crédito. Afinal, bolhas tipicamente prosperam em um ambiente de juros baixos.”

      “O estoque total de crédito já bate quase em 50% do PIB. Essa razão ainda não aparece particularmente elevada para padrões internacionais.”

      quanto a segunda frase que copiei:
      é, mas em todos os países que possuem crédito perto ou acima de 100% do PIB estão quebrados, ferrados, fritos e jodidamente jodidos

      0
      • MrK 8 de agosto de 2011 at 22:55

        trololo, eles cometem um erro crasso ao falar dos juros altos, eu explico:

        o que interessa são os juros REAIS e não nominais, comparados ao padrão histórico

        veja bem, os juros reais do brasil historicamente caminhavam perto de 8% a 9%…. na epoca que a bolha inflou, comecou em 2009, os juros reais estavam entre 3% e 4%, ou seja os mais baixos da nossa história (selic em +- 8% e inflacao +- em 4%)

        só que esses fanfarrões falam de juros nominais e comparam com outros paises, em vez de falar em juros reais e comparar com o nosso historico. assim é fácil né?

        0
        • trololó 8 de agosto de 2011 at 23:00

          não, não é fácil não… porque quanto mais voce pensa, mais dói na alma…

          pô, se os juros são exorbitantes como eles mesmo dizem, então quanto maior a % do crédito solto em relação ao PIB, não significa que a população está ficando cada vez mais escrava desse sistema financeiro, fazendo com que ela trabalhe mais pra ter cada vez menos, ao passo que eles acham que poderia haver mais crédito solto na praça?

          não é fácil não…

          0
          • MrK 8 de agosto de 2011 at 23:07

            eu sei, mas da forma q eles analisam te levam a uma conclusão errada

            faz parecer que os juros são absurdamente altos e por isso nao ha bolha de crédito, mas é mentira, os juros foram os mais baixos da historia e em termos reais eram baixos… perto de 3…4%…

            0
          • Hik 9 de agosto de 2011 at 02:54

            Pode ser mais fácil se você pensar que lá na frente pode se aproveitar dos que se acharam mais espertos a algum tempo atrás.
            Quem sabe não encalhe algum “imóvelzinho” de “especuladorzinho” e não consigamos comprar a preço de pechincha.
            Vou me preparar como urubu em bezerro doente… hehehehe

            0
    • Tales 8 de agosto de 2011 at 23:13

      Eles alegam que o percentual do credito imobiliario é baixo perante o PIB. Porem o fato é que a bolha nao está no credito imobiliario…A bolha nao esta nos imóveis JÁ COMPRADOS, já financiados e já com habite-se.
      A bolha está nos imóveis EM CONSTRUÇÃO, que estão sendo pagos diretamente as construtoras, e esse tipo de imóvel (que nao existe, e é apenas uma promessa de compra e venda) nao está contabilizado como crédito imobiliario.

      Logo…concordo que o credito imobiliario é baixo em relação ao PIB, porem o problema são os imóveis em construção! E ai esta a bolha que inflou todo o resto

      0
      • MrK 8 de agosto de 2011 at 23:33

        bem dito
        e tem mais.. o crucial nao é o tamanho do credito e sim a velocidade do crescimento do mesmo

        se o credito cresce mais rapido que a capacidade de resposta da industria, isso inflaciona o mercado, essa industria leva 3 anos pra entregar o bem, como o creditou cresceu de nada pra muito, em menos de 3 anos, jogou dinheiro num mercado que nao tinha como corresponder, então inflacionou o que existia

        so que agora, passando 3 anos, os bens serão entregues ai é oooutra historia na equacao oferta e demanda

        0
      • Anonymous 9 de agosto de 2011 at 00:37

        Não faz muito tempo eramos campeões mundiais em inflação. Atualemnte, somos campeões mundias em taxa de juros real. O mais importante é saber se o aumento do salário acompanhará o aumento da prestação do financiamento. Somente um tolo apostará nisso. Não importa se for por perda de emprego como nos EUA ou se for por defasagem salarial – o resultado é exatamente o mesmo: A inadimplência acabará por estourar a bolha. Fora que em 30 anos, podemos ter confisco de poupança, empréstimo compulsório, maxi-desvalorização, e atualmente um certo risco de comunização da Banânia.

        0
        • Hik 9 de agosto de 2011 at 02:58

          Não vamos tão longe, por favor! Prefiro não acreditar em um cenário tão catastrófico. Senão corro até para o Paraguai…

          0
          • Anonymous 9 de agosto de 2011 at 03:26

            HiK,

            Então corra já para o Paraguai, pois eu VIVI tudo o que está descrito e voce acha que é um mero pessimismo da minha parte.

            0
        • Hik 10 de agosto de 2011 at 02:26

          Eu não considero “MERO”, pois seria um descaso com sua avaliação e por nenhum momento eu quis levar para esta direção. Eu só prefiro ser um pouco (pouco) mais otimista, mesmo porque o Paraguai é apenas uma hipótes distante. Mas quem sabe o Chile…

          0
      • Guilherme Eduardo 9 de agosto de 2011 at 00:41

        A facilidade de compra e venda de um imóvel na planta (burocracia, não liquidez) fez com que muitas pessoas investissem ali, mas se pararmos para analizar o investimento nã é em imóveis, algo “concreto”, e sim em papéis. Imóvel de verdade tem que pagar registro em cartório, pagar taxa para prefeitura, se vender e segurar o $$$ antes de comprar outro imóvel tem que pagar imposto, tem o IPTU.

        Se algué te falar “compre na planta, invista em imóveis”, pense nisso, NÃO é imóvel.

        0
  • Fel 9 de agosto de 2011 at 00:01

    Sensacional…

    http://www.reclameaqui.com.br/1555190/ecoesfera-empreendimentos-sustentaveis/atraso-exorbitante-no-prazo-de-entrega/

    Pra quem não sabe, a Ecoesfera tem como dono um sócio da querida Encol….!!!! E agora investidor? Achou que ia se dar bem, né?!

    0
    • Anonymous 9 de agosto de 2011 at 11:32

      SIFU – Adquiri a unidade como investidor, pensando em vendê-la ao término das obras, entretanto, como a mesma está atrasada a mais de 12 meses, estou perdendo dinheiro.

      0
    • Carlos Wagner 9 de agosto de 2011 at 11:46

      Fel

      No “reclameaqui” tem centenas de reclamações de atraso na entrega de quase todas as construtoras, principalmente em relação a GAFISA. Além disso, outra centena de reclamações sobre negociações mal conduzidas pela representantes de vendas que chegam até ao ponto de serem consideradas criminosas, tudo em nome da venda e do lucro facil.

      0
  • Guilherme Eduardo 9 de agosto de 2011 at 01:02

    Outro fator que poderá “entupir” a torneira do crédito no Brasil é a rigidez na conceção de crédito pelos grandes bacos brasileiros. Eles não emprestam para qualquer um, e quando abrem um pouco a mão cobram caro. Um dos exemplos é o crédito para PF. Consignado INSS é 2 %am, outros convêncios em torno de 3~4 %am, sem nenhum convênio pula para 7~8 %am !!! é taxa de cheque especial !!! As pessoas estão se endividando com as construtoras, e não com os bancos. Procure e você encontrará pessoas que compraram na planta com a certeza que tinham o financiamento já aprovados, mesmo sem falar com niguém do banco, só o corretor, porém nas chaves descobre que sua renda não é o bastante e o banco não aceita aqueles “depósitos” em extrato bancário como renda. Ou o valor do saldo cresceu demais por causa do INCC (que alguns corretores não avisam) e o financiamento fica muito caro. Ou o que é o mais comum, as pessoas seguem as recomendações da Dilma e gastam a torto e a direito, e pinduram tudo. É carro, TV, lanche do Mc, tudo fiado no cartão ou no boleto, e esquece que os bancos não aceitam que você tenha mais que 30% de sua renda comprometida com financiamentos.

    0
  • Guilherme Eduardo 9 de agosto de 2011 at 01:07

    A Dilma fala para consumir. A minha mãe fala para poupar e comprar a vista por que ganha desconto.

    Quem será que eu escuto??? A minha mãe, é claro!!! E olha que ela não é economista, muito menos presidentA……

    0
    • Hik 9 de agosto de 2011 at 03:01

      Nas compras à vista está difícil de conseguir desconto ultimamente.
      Não sei na área imobiliária, não tenho tanta bufunfa assim…

      0
      • trololó 9 de agosto de 2011 at 19:41

        esse é o maior problema da bolha de crédito:
        se uma coisa custava 100, passou a 150 no avista, e 400 a prazo em prestações que cabem no seu bolso!!!!!!!!

        0
  • ildeu 9 de agosto de 2011 at 01:36

    Real sobrevalorizado ao extremo , big mac nos eua custa uns 4 doláres , aqui mais de 6 .Por isso uma casa aqui custa mais que lá ,Se o real desvalorizar , a moeda perde poder de compra , a economia esfria ,os preços caem.Não torço pra crise , mas quem trabalha no Brasil está sendo prejudicado,vejam as industrias como sofrem .Não conseguem exportar ….o Brasil virou colônia de novo , só exportando comodites,A industria tinha 32% do pib , hoje 16%.a classe média só perde ,pois os ricos pegam dinheiro a juros baixos , os pobres se endividam sem medo , pois “qualquer coisa” é ´so´não pagar .Não importam com cobradores na porta.Eu gosto de ver o povo prospero , mas sem melhoria da educação associada , virou” o novo classe média” ,tipo” o novo rico” que ninguem aguenta.O antigo povão ficou “metido a besta” como se diz no nordeste.Um pouco de humildade cairia bem no Brasil , esse papinho de meu AP vale 1 milhão já encheu.

    0
  • Marcos 9 de agosto de 2011 at 07:53

    Consumidores estão menos à vontade para comprar casa ou carro

    08 de agosto de 2011 • 16h54
    Por: Equipe InfoMoney

    SÃO PAULO – Os consumidores se mostraram menos confiantes quando se trata de comprar uma casa ou um carro agora, do que há seis meses. A confiança para comprar itens da casa, como fogão ou geladeira, também caiu em julho.

    De acordo com o INC (Índice Nacional de Confiança) divulgado nesta segunda-feira (8) pela ACSP (Associação Comercial de São Paulo), a parcela dos que se sentem um pouco mais ou muito mais à vontade para adquirir um carro ou uma casa caiu cinco pontos percentuais, passando de 35% em junho para 30% em julho. No sentido oposto, a parcela dos que se dizem um pouco e muito menos à vontade cresceu de 31% para 41% no mesmo período.

    O INC dos consumidores que se mostraram mais à vontade para comprar itens para casa recuou quatro pontos percentuais em julho em relação ao mês anterior: de 47% para 43%. Já a média dos brasileiros que afirmaram se sentir um pouco menos ou muito menos à vontade para comprar esse tipo de produto agora do que há seis meses ficou em 32%, frente aos 26% registrados um mês antes.

    Região e classe social
    Ao considerar as compras maiores, como as de um carro ou casa, a pesquisa aponta que a classe AB está mais à vontade, com 42% das respostas, contra 28% da C e 18% da DE.

    A região Sul apresentou 45% da população declarando estar um pouco ou muito mais à vontade com as compras maiores. O Sudeste ficou com 30%, seguido pela região Nordeste (24%) e pelas regiões Norte e Centro-Oeste, onde o índice se manteve em 18%.

    Já ao considerar compras de itens para casa, como geladeira e fogão, a classe AB foi novamente a que se mostrou mais à vontade, com 59%, seguida pela C (39%) e DE (33%).

    Considerando a mesma compra, a região mais otimista em adquirir esses itens foi a Sul, que teve 59% das respostas declarando um pouco ou mais à vontade com compras maiores. Na segunda posição, ficou a região Nordeste, com 42%, seguida pelo Sudeste (40%) e pelas regiões Norte e Centro-Oeste, onde o índice ficou em 37%.

    www .infomoney.com.br/financas/noticia/2178126

    0
  • MrK 9 de agosto de 2011 at 08:00

    VEJAM A DIFERENCA DE DISCURSO PRA PRÁTICA.

    DISCURSO = BRASIL VIROU SUPERPOTENCIA SEGURA E CONFIÁVEL PROS ESTRANGEIROS.

    PRÁTICA = NO PRIMEIRO SINAL DE CRISE EU PREFIRO POR MEU DINHEIRO EM TREASURY REBAIXADO E COM RISCO DE CALOTE DO QUE NO BRASIL.

    0
    • Marcos 9 de agosto de 2011 at 08:17

      Realmente o comportamento humano é estranho rs

      0
  • xyz 9 de agosto de 2011 at 08:23

    Senhores,
    Não se preocupem. Vi os noticiários hoje e os analistas são unânimes em afirmar que o Brasil está muito mais preparado para enfrentar a crise, que em 2009.

    ACONTECE que o Brasil foi salvo, à época, pela contrução civil e mercado imobiliário, regados a crédito fácil.

    HOJE esses fatores ainda têm fôlego para alavancar a economia?

    Ou eu sou muito idiota ou esses “analistas” estão de gozação.

    0
    • Marcos 9 de agosto de 2011 at 08:51

      Papel aceita qualquer coisa.

      E a inflação na China comendo solto.

      0
  • Felipe 9 de agosto de 2011 at 08:59

    Confisco na Poupança, pensou??
    Corram para as colinas………………………
    Alguém mais é como eu medroso e tem a maior parte das reservas na poupança?

    0
    • Felipe 9 de agosto de 2011 at 09:00

      Confisco na Poupança, pensou??
      Corram para as colinas………………………
      Alguém mais é como eu (medroso) e tem a maior parte das reservas na poupança?

      0
      • Lucas Mendes 9 de agosto de 2011 at 10:33

        Essa hipótese ventilada aqui de confisco na poupança é impossivel. Emenda Constitucional nº 32/2001 que restringe o uso de medidas provisórios acerca de confisco de bens, poupança popular. O que pode acontecer é o banco quebrar e o FGC garantir o depósito até o montante de R$ 60.000,00.
        Vão ter que rasgar a Carta Magna!!
        Abraços do Lucas Mendes

        0
        • Anonymous 9 de agosto de 2011 at 11:25

          Vão ter que rasgar a Carta Magna – Santa Ingenuidade como diria o Robim, parceiro do Batman 😉

          0
        • Anonymous 9 de agosto de 2011 at 11:29

          Por que contar com o FGC para garantir depósito de até 60 mil Reais quando posso (qualquer pessoa pode) depositar dinheiro nos EUA a contar com a garantia do FDIC até 250 mil dólares?

          0
          • Hik 10 de agosto de 2011 at 02:30

            Ou quem sabe um ap devolvido por inadimplência no inventário do banco quebrado.

            0
        • Zé Coxinha 9 de agosto de 2011 at 11:36

          Pois é, união estável entre parceiros do mesmo sexo também era contra a lei…

          0
          • Adriano 9 de agosto de 2011 at 13:43

            ahahahah. essa foi boa e é a pura realidade!!!! tá escrito lá na constituição “homem e mulher”!!! quando querem “reinterpretam” qualquer cláusula pétria, conforme for mais “apropriado”.

            0
          • Adriano 9 de agosto de 2011 at 13:43

            ahahahah. essa foi boa e é a pura realidade!!!! tá escrito lá na constituição “homem e mulher”!!! quando querem “reinterpretam” qualquer cláusula pétria, conforme for mais “apropriado”.

            0
    • RT 9 de agosto de 2011 at 09:11

      Somos dois.

      Só para contextualizar: comecei a trabalhar em 2008, e na época, passei a investir em ações. Era iniciante, e cometi o erro bobo de pensar que a valorização constante delas na época se manteria… e perdi a chance de sair da bolsa quando ela chegou no auge.

      Com a crise de 2008 / 2009, houve um momento em que meu investimento valia menos de metade do aporte original.

      Tive cabeça fria, e saquei tudo bastante tempo depois, tendo que suportar uma perda de 16%. Minha idéia era que a bolsa não retornaria aos níveis em que estava quando eu fizera a aplicação, no que acertei.

      Botei tudo na poupança… e tirei do ocorrido uma lição óbvia, mas valiosa: a hora de entrar na bolsa é o olho do furacão, quando todos estão saindo! Quem investiu num fundo Ibovespa no olho do furacão, no começo de 2009, conseguiu uma rentabilidade fantástica (acho que 80%) em um ano!!

      Então, por hora, estou na poupança (e um pouco em CDB’s), aguardando o próximo furacão, para fazer um bom investimento em ações.

      0
      • Fred Henrique 9 de agosto de 2011 at 10:19

        O próximo furacão é imprevisível, mas o atual já está na praça. Aproveite!

        0
      • Felipe 9 de agosto de 2011 at 12:01

        Então, tenho poupança, um CRI de baixo valor mais que por hora rende bem e um valor mais baixo ainda em ações da petrobras (que agora não devem estar valendo quase nada).

        Estava pensando em fazer uma LCI quando tivesse 50 mil na poupança, mais não sei se é bom negócio. No caso dessa bolha estourar logo, corro risco de perdar a letra? Sei que o FGC garante até $70 mil…

        0
  • juliano 9 de agosto de 2011 at 09:20
  • juliano 9 de agosto de 2011 at 09:22

    enquanto o link aguarda moderação, fica a notícia: vem aí a “bolsa cartão de crédito”

    Governo quer criar ‘super abono’ para nova classe média

    Publicidade

    SHEILA D’AMORIM
    DE BRASÍLIA

    O governo quer criar um “super abono” salarial para garantir a renda da classe C (também chamada de a nova classe média). O objetivo é tentar evitar que essas pessoas percam o padrão de consumo obtido com a melhoria nos rendimentos nos últimos anos, sobretudo diante dos desdobramentos do cenário internacional.

    Na prática, a exemplo do que foi feito com o Bolsa Família, a medida empacotará sob uma mesma marca benefícios que já são pagos aos trabalhadores de baixa renda, como o salário-família e o abono do PIS/Pasep. Para o governo, a medida será um estímulo à formalização do emprego.

    ‘Nova classe média’ obriga governo a se adaptar, diz subsecretário

    Segundo o ministro Moreira Franco (Secretaria de Assuntos Estratégicos), as ideias serão debatidas com os ministérios da Fazenda, Trabalho e Previdência. Ontem, foram tema de um seminário organizado pela SAE em Brasília.

    Segundo o secretário de Ações Estratégicas da SAE, Ricardo Paes de Barros, a base dessa nova rede de proteção social é aumentar o número de trabalhadores na faixa entre um e dois salários mínimos (R$ 545 a R$ 1.090), melhorar as relações deles com os empregadores e reduzir a rotatividade no emprego.

    “Temos uma série de pagamentos que são feitos aos trabalhadores de baixa renda e que são um incentivo ao trabalho formal. Mas eles estão dispersos em diferentes datas e são pagas por fontes diferentes”, explicou.

    A ideia é juntar tudo isso para mostrar ao trabalhador o ganho que esses benefícios representam no fim do mês. “Dependendo do salário, há um aumento de até 20%, o que significa muito para essas pessoas”, disse o secretário, explicando que o abono, seria um estímulo à formalização e à manutenção do emprego.

    0
    • Fred Henrique 9 de agosto de 2011 at 10:29

      Costumo dizer que distribuição de renda é redução da carga tributária. O resto é história pra lula dormir.

      0
  • Túlio 9 de agosto de 2011 at 09:40

    Mrk e demais bolhistas,

    Provavelmente os EUA vão lançar o Q3, o que significa mais alguns bilhões de dólares novos na economia mundial sem ter para onde ir.
    Vocês não acham que muito desses $$ podem vir para o Br inflando ainda mais a bolha imobiliária e/ou a bolhespa?
    Abraços

    0
    • aiwww 9 de agosto de 2011 at 10:51

      Isso está mais claro que o mar do Caribe. A bolsa vai disparar e despencar várias vezes nos próximos anos. O capitalismo vive de ciclos de baixa a alta, mas estou achando esses ciclos muito curtos e isso não é bom. As apostas sobre a economia real são infinitamente maiores que a própria economia. O mercado de derivativos passa dos 500 trilhões de dólares, enquanto a enorme economia dos EUA é de 14 trilhões. A desregulação no mercado de derivativos produziu a crise de 2008 e nada foi feito para regular esse mercado.

      0
    • MrK 9 de agosto de 2011 at 10:54

      Tulio, mais dolares no mundo só vai gerar uma coisa certa: Inflação

      mas onde é difícil de dizer…a tendência é ser em commodities, acho que com a aversão por aí, é mais fácil essa grana migrar pro ouro/prata do que pra imoveis tupiniquins

      veja o que eu disse acima da diferença do discurso pra prática, no discurso eles dizem que o Brasil é o país da vez, seguro, confiável, amam isso aqui etc… mas no primeiro sinal de dor de barriga eles tiram a grana daqui e metem pro treasury mesmo sendo em dolares desvalorizados, mesmo com rebaixamento e risco de calote… querem nem saber

      0
    • trololó 9 de agosto de 2011 at 19:32

      olha, pelo que eu vi, o anuncio hoje do fed/ben bernanke, é a confirmação do qe3, porque vão manter taxas de juros baixas… com AA+, que no final, dá juros negativos, vão captar da onde? pois é, das impressoras.

      se preparem, como dizia peter schiff e marc faber, um qe leva a outro qe e assim sucessivamente.

      isso não só vai atrasar as coisas, como também vai piorar tudo e fazer a ressaca ser pior a cada ano que passa

      0
    • trololó 9 de agosto de 2011 at 19:35

      na minha opinião a alta da bovespa e mercados europeus/americano foi por causa do anuncio do fed, mais dinheiro grátis pra comprar ações e depois vender faturando uma grana nas costas dos trouxas… subiu hoje, tem que ver se vai terminar a semana em queda ou valorização

      0
  • profeta do apocalipse 9 de agosto de 2011 at 09:45

    pessoal! bolha! ta na hora de um forum! pense nisso!

    0
    • Felipe 9 de agosto de 2011 at 12:06

      Tbm acho.

      0
      • Fred Henrique 9 de agosto de 2011 at 13:47

        Apoiado!!

        0
        • trololó 9 de agosto de 2011 at 19:29

          peloamordedeus bolha escuta esses caras…

          fórum que dá pra postar como anonimo, mas que de pra registrar e “visualizar posts desde a ultima visita”, porque ficar caçando comentários novos tá tão difícil quanto achar apartamento pra alugar!!!!!!!

          0
  • Marcos1 9 de agosto de 2011 at 10:31

    Nesse momento bolsa com quase 3% de valorização.

    0
    • aiwww 9 de agosto de 2011 at 10:44

      Essa subida é normal. Em 2008 foi exatamente assim. Despencava no final da tarde e subia pela manhã. Eu chamo isso de o famoso “pega mané” 🙂

      0
      • Fred Henrique 9 de agosto de 2011 at 11:00

        Normal. Esperado, até. Cai 8% ontem, hoje sobe 2 ou 3%. Amanhã cai mais 8%.

        0
        • MrK 9 de agosto de 2011 at 11:40

          e nessas horas a matematica é cruel…

          pra cada 10% que cai, é preciso subir 11% pra voltar ao mesmo preço

          isso sem mencionar custo de oportunidade heim…

          0
          • Duda 10 de agosto de 2011 at 10:40

            Bem lembrado Mrk. Isso sempre é “esquecido” pelos jornalistas, quando a base de calculo muda, o % deve mudar tambem.

            0
  • Carlos Wagner 9 de agosto de 2011 at 12:08

    Como já foi provado, em tempos turbulentos o caos se instala. Feito isso, é dificil voltar a racionalidade.

    Vejam essa reclamação do reclameaqui:

    http://www.reclameaqui.com.br/1493462/ecoesfera-empreendimentos-sustentaveis/ecoesfera-e-pdg-sao-desorganizadas/

    0
  • Marcos 9 de agosto de 2011 at 13:35

    Dólar subindo. Quem tem compras no cartão vai ter uma péssima surpresa!

    0
    • Marcos 9 de agosto de 2011 at 13:38

      Podemos ter aumento na inadimplência dos cartões.

      0
  • Marcos 9 de agosto de 2011 at 14:07

    Crise no Ministério dos Transportes. Crise no Ministério do Turismo.

    Esse governo chega ao fim?

    0
    • juliano 9 de agosto de 2011 at 14:20

      chega sim… o povo ainda tá maravilhado com a tv de lcd na sala. aliás, tá todo mundo mais preocupado com as declarações da sandy do que com os escândalos nos ministérios…

      0
      • Carlos Wagner 9 de agosto de 2011 at 14:48

        ahuahuahau

        É verdade. O povo comprova que é possivel ter prazer anal….rs

        0
    • xyz 9 de agosto de 2011 at 15:38

      Esquceu do ministério da agricultura.

      Parece que há “setores” do próprio PT insatisfeitos com ela. Sem falar do PMDB e PR.
      Tomara que ela tenha força para continuar a sanitização do governo herdado, embora acredite que mexer com PMDB e PT é tarefa que ela não encara.

      0
  • JARBINHAS S2 9 de agosto de 2011 at 16:15

    que acham dessa oportunidade de investimento? Alguém entra?

    ————————

    Participe como sócio investidor em um

    empreendimento “Minha Casa, Minha Vida”

    ü Investimento a partir de R$ 60.000,00;

    ü Taxa de Retorno estimada – Entre 40% e 60% de retorno em um prazo de 12 a 18 meses, dependendo da velocidade de vendas do empreendimento;

    ü IR de apenas 6%;

    ü Projeto aprovado e financiado pela Caixa Econômica Federal;

    ü Garantia de entrega da obra pela Caixa Econômica Federal;

    SOBRE O MINHA CASA MINHA VIDA

    ü Plano de Habitação Social desenvolvido com fins de reduzir o déficit habitacional de 7 milhões de moradias para 5 milhões;

    ü Já foram vendidas 1 milhão de unidades MCMV em aproximadamente 1 ano, sendo que a previsão inicial era de 1 milhão a cada 3 anos;

    ü Desenvolvido pelo governo federal e sendo difundido e homologado pela CEF (Caixa Econômica Federal)

    O programa “Minha Casa, Minha Vida” traz inúmeros benefícios para quem compra e para quem constrói:

    PARA QUEM INVESTE NA CONSTRUÇÃO

    ü Redução de Impostos

    ü Baixa exposição de capital;

    ü Alta velocidade de vendas;

    PARA O CONSUMIDOR FINAL (MORADOR)

    ü Subsídio de até 23 mil reais;

    ü Possibilita utilizar o FGTS reduzindo a taxa de juros (4,5% anuais);

    ü Possibilita utilizar renda informal (taxa de Juros de 5% anuais);

    ü Garantia de entrega de obra pela CEF;

    Att,

    xxxxx xxxxxx

    0
  • Rm 9 de agosto de 2011 at 17:37

    As bolsas parecem que reagiram e as acoes tiveram uma alta expressiva de acordo com a queda de ontem. Quem entende essas altas e quedas?

    0
    • JARBINHAS S2 9 de agosto de 2011 at 17:57

      ela, a volatilidade

      0
    • trololó 9 de agosto de 2011 at 19:26

      alta porque o fed anunciou que vai manter taxas de juros baixas até 2013…

      significa que vai ter mais dinheiro sendo impresso, e mais dinheiro vem pra cá no brasil pra abocanhar as taxas de juros altas, além de propiciar uma alta, pra galera comprar com dinheiro grátis do ben bernanke, e depois vender, fazendo tudo cair ainda mais.

      0
    • Duda 9 de agosto de 2011 at 20:39

      Só esperem ate amanha…

      0
  • Luiz 9 de agosto de 2011 at 18:23

    Prezados colegas,v eja o que o corretor Marcos pensa do seus clientes:

    “Nossa.. que pessima materia, que falta de conteudo… o que deveria dizer DÃÃÃÃÃÃÃÃ~… descobriram o Brasil.. rs rs rs rs… será que vcs vivem em que mundo???? Alguem ae é assalariado??? Seus trouxas.. ahh trouxas nao, tolos né, esse é o termo que ta usando ae.. OTARIOS… Povo com cultura nao ele um corrupto… povo com educaçao nao ganha um salario ridiculo.. ahhh o que? Voces ganham muito bem ou sao empresarios bem sucedidos??? Alguem paga imposto? Alguem usa combustivel da empresa alto suficiente do Brasil???

    Gente… eu sou um mero corretor de imoveis e sou desses que anos atras dizia aos meus clientes, ou troxas ou otarios e outros adjetivos que voces deram ae…. alguns compraram e estao felizes hj com os imoveis que residem, outros felizes ( eu sou um) que compraram e revenderam e assim construiram um patrimonio. Gente… para alguem ganhar.. alguem tem que perder.. sempre… em tudo.. lei do capitalismo.. agora eu leio textos como esse, que existem varios na net, sem conteudo, sem sentido e mera especulaçoes sem fundamento nenhum… ah 6 anos essa bolha vem sendo anunciada e todos os anos ela vai explodir…. Otarios foram voces que tem estudo e sao bons pra caramba e nao compraram… Só digo seguinte.. quem comprou comprou.. quem nao comprou fica no post aqui dizem.. EU FALEI EU FALEI EU FALEI…. Boa sorte pra vcs e desculpa o texto… mas convenhamos… ridiculo ler algumas coisas….”

    0
    • Luiz 9 de agosto de 2011 at 18:26

      Eles estão felizes hoje quenem pinto no lixo, agora leiam o comentário do corretor Marco Antonio:

      “Meu deus, quanta asneira.

      Vocês percebem o que fazem, ficam torcendo para uma bolha….que ignorancia.

      Bando de recalcado que não tem aonde cair morto.”

      0
      • Paty 9 de agosto de 2011 at 18:32

        Luizinho amiguinho, deixa isso pra lá já ta batendo o desespero. Tem um corretor que vive me perseguindo quase me obrigando a fechar negocio com ele, se eu não fosse a pessoa educada que sou já teria mandado ele a M… já falei todas as linguas possiveis com ele mais ele esta louco pra me vender um terreno. Os negocios estão pessimos para eles.

        0
        • Luiz 9 de agosto de 2011 at 18:36

          não amiga, não vamos deixar pra lá não, vamos divulgar mais ainda oque eles fazem, o que eles pensam, oque eles são.

          A melhor maneira de lutar contra um crime é expor ele, vamos abrir as cortinas, vamos abrir a sjanelas, vamos escancarar. Quanto amsi eles falam, mais eles se revelam.

          0
          • Paty 9 de agosto de 2011 at 19:01

            Sim Luiz o blog serve para isso mesmo, porem o mercado imobiliario começa a caminhar em uma estrada que beira o precipicio o que esta causando o desespero para esses profissionais acredito que de agora em diante este blog sera invadido por dezenas de tipos como este. Por isso disse nem ligue, nao precisamos dar ibope as mascaras já estão caindo…
            Abraço

            0
          • MrK 9 de agosto de 2011 at 20:05

            Luiz, isso é fruto de desespero

            veja bem, ele não refuta a bolha com argumentos inteligentes e bem embasados, ele parte para uma pura e simplea agressão pessoal, e pior, sem ao menos conhecer as pessoas, isso é atitude de desespero e de gente mal preparada pra situação

            creio eu ser nervosismo por não estarem mais fechando negócios e viramos NÓS os bodes expiatorios!

            0
          • Susy 9 de agosto de 2011 at 20:37

            Puro desespero dos corretores. Esta semana fui ver uma casa usada (preço irreal, claro. Só fui conhecer o lugar) com um corretor.

            Primeiro ele veio com aquela “panca”, mas bastou perceber que não sou tonta e ele revelou tudo (é só falar com eles com jeito, sem agredir): os corretores estão vivendo dos aluguéis que administram. O mercado de compra e venda está parado, os preços estão irreais, mas os proprietários não cedem. É o feitiço virando contra o feiticeiro. Afinal, os corretores ajudaram a inflar os preços.

            Quando falei em bolha, ele nem tentou me refutar e concordou comigo, enfaticamente.

            0
    • Hik 10 de agosto de 2011 at 02:56

      “Gente… para alguem ganhar.. alguem tem que perder.. sempre… em tudo.. lei do capitalismo.. ”
      Comentário ridículo baseado nas aulas de história da titia Antônia nos anos 70. Não entende nem sequer o que é construção de valor.

      “e mera especulaçoes sem fundamento nenhum…”
      1-Concordância verbal = 0
      2-Fumou ou cheirou??? Quem está especulando?! Será que ele sabe o que é especular?

      “ah 6 anos essa bolha vem sendo anunciada e todos os anos ela vai explodir….”
      Tem gente aqui que acredita que havia bolha em 2006? Ou também reprovou em matemática?

      “Otarios foram voces que tem estudo e sao bons pra caramba e nao compraram…”
      É inveja de quem tem alguma cultura ou é orgulho de ser ignorante, no amplo sentido da palavra.

      “Só digo seguinte.. quem comprou comprou.. quem nao comprou fica no post aqui dizem.. EU FALEI EU FALEI EU FALEI…”
      Se o cidadão não vender para alguém, até quando vai durar o “patriônio”?

      Lamentável, neguinho sai de ajudante de limpador de tijolo (nada contra profissões humildes, só contra pessoas com falta de humildade) a corretor, ganha um troco e acha que tem o rei na pança. Típico bananense…

      0
      • Luiz 10 de agosto de 2011 at 10:52

        Hik, acho que nem compensa ir atrás de cara erro gramatcial ou moral dessa gente.

        O QUE A GENTE PRECISA SALIENTAR É QUE ESSE TIPO DE GENTE POSA DE CONSULTOR FINANCEIRO, aluga um terninho, chama os parentes pra fazer volume na porta do stand, engana meia duzia do circulo de amigos (futuros ex-amigos) decora algumas sequencias de botões na HP12c e pronto está feita a ilusão que vai levar dezenas à merda por 30 anos.

        Claro que ele não precisa cumprir as promessas, até la´mudou de profissão, vendedor de carro talvez.

        Está mais do que na hora escrevermos um post sobre ÉTICA.
        Conheço outros países, não é assim em lugar nenhum do mundo civilizado

        E mais, a pá de cal nessa gente é o seguinte: a lei do inquilinato mudou, está super simples alugar. Hoje vc pode fechar direto proprietario/inquilino sem intermediários, sem custos extrasl.

        Em lugar nenhum do mundo tem tanto cartório, despachante e imobiliária.
        São profissões em extinção em qualquer país que se quer sério

        0
        • MrK 10 de agosto de 2011 at 11:01

          Prezados amigos,

          Quem entra aqui com argumentos INTELIGENTES (mesmo que contra a bolha) merece ser ouvido, mas quem entra aqui com agressões, escabujando igual nenem chorão querendo atenção, não merece nossa consideração…

          Esse rapaz com certeza está P. da vida com alguma coisa em relação a bolha e quer um bode expiatório, então veio pra esse blog culpar quem está fazendo análises sérias e discutindo o assunto, se ele acha que não há bolha, que compre apartamentos até não poder mais, se acha que há bolha, então não fica choramingando ou atacando os outros, afinal não fomos nós que criamos a bolha.

          Não me interressa se ele é corretor ou simplesmente investidor do ramo, ele não trouxe argumentos sólidos, agora numa coisa concordo com ele: Quem comprou há 2 anos fez um bom negócio caso já tenha vendido, afinal, os primeiros a entrarem num esquema de ponzi sempre se dão bem! Quem entrou há 2 anos e ainda não vendeu, trate de tentar correr, pois a liquidez já caiu muito….

          mas o ponto é: A gente aqui quer discutir o futuro ou o passado? 2009 já foi, vale agora é entender 2012…

          saudações

          0
          • Luiz 10 de agosto de 2011 at 11:06

            matou a pau

            0
          • Carlos Wagner 10 de agosto de 2011 at 11:37

            Uma frase dele me chamou a atenção, quando ele diz que “ficamos reclamando e inventando a tal bolha porque nao temos dinheiro pra comprar e somos recalcados”.

            Isso é tipico do brasileiro. O povo da banania compra tudo pelo dobro do preço que é vendido no exterior (vide carros por ex.) e paga sorrindo só pelo fato de poder desfilar com o seu Toyota de 80k pra mostrar que ele tem grana pra pagar por aquilo. Pouco importa se ele fez um pessimo negocio, o que importa é o status. É por essas e outras que seremos sempre um país rico em recursos minerais e naturais, com tanto potencial pra ser a maior economia global mas nunca chegaremos lá devido a cultura oportunista e mediocre que o brasileiro recebe durante toda a vida.

            0
        • Luiz 10 de agosto de 2011 at 11:55

          Boa Carlos,
          faz parte do Manual do Vendedor Matador

          A estratégia é o cara subir em cima de vc.
          Ao invés de vc que tem o dinheiro ser tratado como Rei, o vendedor te humilha, se mostra mais inteligente, mais culto mais matematico, mais expert que vc, apesar dele só ter segundo grau no supletivo do mobral e carterinha comrpada no cursinho de fim de semana.

          Aí qdo vc fica com aquela cara de amuado, se sentindo um pobretão fracassado, aí ele quebra o galho e te vende numa ocasião especial pq gostou de vc.

          0
        • Glaucio 10 de agosto de 2011 at 16:15

          Meu cunhado, que já morou em diversos países da Europa, falou que vendedor de carro usado é tudo igual, aqui e lá. Por sinal, tem alguns ótimos episódios dos Simpsons em que o vendedor de carros sempre engana o Homer.

          0
          • Luiz 10 de agosto de 2011 at 16:28

            “Você compraria um carro usado deste homem?” foi utilizada na campanha política do presidente John Kennedy, ex-presidente dos EUA, tentando destacar a desconfiança do eleitor na candidatura de Richard Nixon, na campanha presidencial americana de 1960, vencida por Kennedy.

            Amigo, malandro tem em qualquer lugar do mundo a diferença é que lá os malandros se dão mal.

            Os Simpsons exploram a igenuidade do americano médio
            No Brasil a gente já nasce esperto igual gato que já nasce de bigode

            0
  • Elias 9 de agosto de 2011 at 19:17

    Pessoal, gostei muito desse artigo do Valor:

    Seria mesmo o fim de um ciclo de crescimento?
    (Tony Volpon – diretor do Nomura Securities International, Inc.)

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2011/8/9/seria-mesmo-o-fim-de-um-ciclo-de-crescimento

    Ele não é catastrófico, mas descreve muito bem os problemas que estamos enfrentado, e denuncia o possível fim do atual modelo de crescimento baseado no tripé alta das commodities – expansão do crédito – mercado de trabalho.

    Achei muito interessante esses dois trechos:

    “Não é nenhum segredo que existe certo pessimismo em relação às perspectivas para a economia brasileira até antes da forte piora da crise fiscal dos países desenvolvidos. Depois do acelerado crescimento de 2010, muitos analistas estão notando um acúmulo de problemas domésticos. Talvez o mais preocupante seja como a economia brasileira preenche todos os requisitos clássicos de uma economia superaquecida: inflação e juros em alta, moeda supervalorizada, crescente prevalência de fluxos especulativos de curto prazo, possíveis “bolhas” nos mercados de crédito e imobiliários. Infelizmente a experiência nesses casos é muito clara: economias emergentes nessas situações normalmente entram em crise.Seria esse o destino da economia brasileira? Acreditamos que não, a despeito de o Brasil preencher muito das condições necessárias para ser considerado uma economia instável. A razão não tem a ver com as recentes tentativas do governo de gradualmente esfriar a economia. De fato, a experiência histórica é bastante clara: o gradualismo normalmente falha, e é quando o crescimento cai que os excessos acumulados durante o período eufórico finalmente se revelam.”

    (…)

    “Temos uma bolha de crédito no Brasil? Essa questão é urgente porque a experiência histórica nesse caso também é bastante clara: mercados emergentes que passam por rápido aprofundamento dos seus mercados de crédito muitas vezes sofrem crises. Excesso de otimismo por parte dos credores e de bancos inexperientes combinado com políticas prudenciais insuficientes levam a excesso de alavancagem. O explosivo crescimento dos empréstimos para aquisição de automóveis, que já supera 4% do PIB, como a aceleração do preço dos imóveis seriam sinais preocupantes, entre muitos outros, de que estamos a caminho de criar uma estrutura insustentável de passivos.”

    Foi escrito que para continuarmos crescendo de forma sustentável, faltam os investimentos em educação, infra-estrutura e as reformas (fiscal, etc.).

    Ele também diz claramente que a euforia está acabando, e que entraremos num período de menos crescimento.

    Na minha opinião, vejo nitidamente a euforia acabando, e em breve entraremos na fase de “Angústia”, quando os alavancados (ou “investidores” que compraram na planta) começarão a perceber que o lucro almejado não se concretizará.

    Quanto aos corretores, espero que tenham aproveitado a festa e tenham percebido a hora de sair, pois depois do “ploc”, vão ficar muito, muito tempo com as barbas de molho.

    0
    • Luiz 9 de agosto de 2011 at 19:30

      Elias, por outro lado há indícios de que o Br será um dos portos seguros dessa nuvem de recursos perdidos pelo mundo.

      Se isso ocorrer, haverá ainda muito ar pra inflar a bolha e continua a festa dessa gente que tirou carteirinha em cursinho de fim de semana, continua a farra dos gastos do governo, continuamos um pa´[ise de quinta sem investimentos, impsotos altos e toda a merda d esmepre financiada pelo desespero mundial

      0
      • MrK 9 de agosto de 2011 at 20:10

        luiz, eu cheguei a acreditar por um momento nessa teoria do Brasil porto seguro, mas meu amigo, depois de ontem esquece…

        ontem voce tinha titulo americano rebaixado, dolar em crise, EUA em crise politica, endividamento mostro nos EUA e o brasil “bonitinho” na foto

        mas na hora do aperto, pra onde foram os investidores, R$ ou US$?

        0
        • Luiz 10 de agosto de 2011 at 10:56

          Mrk, a bolsa iniciou agosto com saldo positivo de recursos estrangeiros, mesmo em bear market.

          E depois do Mantega decretar dolar a 1,50 e arredores pode ser que a estratégia de diversificação de carteiras do pessoal do norte mande alguns poucos porcentos pra cá, o que já seria suficiente pra segurar a gente.

          os dados ainda estão rolando

          0
    • trololó 9 de agosto de 2011 at 19:50

      legal como THIS TIME IS DIFFERENT

      o cara diz que preenche todos os requisitos pra economia superaquecida destinada a uma crise, mas acredita que no brasil dessa vez não será assim…

      THIS TIME IS DIFFERENT

      tem outra frase legal:

      people don’t change

      0
      • Carlos__ 9 de agosto de 2011 at 21:01

        Li o artigo e achei muito bom. Ele não disse que dessa vez vai ser diferente, mas que ainda dá tempo para se investir em infra e educação antes de perdemos de novo o bonde da história. Mas, como conhecemos o nosso governo, já sabemos o que vai acontecer…

        Detalhe importante, 4% do PIB em crédito para compra de carros!!!!!! Não sabia desse número. Absurdo! E o governo ainda lança um pacote para ajudar a industria automobilística, que no Brasil já tem a maior margem de lucros do mundo.

        0
  • trololó 9 de agosto de 2011 at 20:56

    acho que tá na hora de comprar ações da nossa querida gafisa

    vejam o que o ministro falou hoje:

    “Não se pode dar liberadde para o mercado financeiro. Foi isso que fez os Estados Unidos quase irem à bancarrota. Não permitiremos que empresas brasileiras se endividem demais em dólares, porque, quando a coisa vira depois, as empresas quebram e é o governo que tem que socorrer”

    destaque pra parte:

    as empresas quebram e é o governo que tem que socorrer

    já sabemos como será a quebradeira no brasil……… preparem-se pra inflação!

    0
    • trololó 9 de agosto de 2011 at 21:19

      A Even, construtora que concentra sua operação em São Paulo, teve lucro líquido de R$ 53,9 milhões no segundo trimestre, queda de 13% em relação aos R$ 62 milhões obtidos no mesmo período do ano passado. A receita líquida caiu 7,2% na mesma comparação e atingiu R$ 428 milhões de abril a junho deste ano.

      A dívida líquida subiu 81,4%, de R$ 469 milhões de abril a junho de 2010 para R$ 852 milhões no segundo trimestre deste ano. A empresa entregou 12 projetos nos primeiros seis meses do ano, equivalentes a R$ 799 milhões de valor geral de vendas.

      ————————-

      A companhia mineira MRV teve lucro líquido de R$ 189,8 milhões no segundo trimestre, alta de 26,1% sobre o mesmo período do ano passado e de 24,4% na comparação com o primeiro trimestre de 2011.

      A margem líquida, que havia caído para 17,6% no quarto trimestre de 2010, em função de estouros no orçamento, subiu para 19% de janeiro a março e para 19,2% no segundo trimestre de 2011.

      A receita operacional líquida, entre abril e junho, foi de R$ 988,4 milhões, alta de 40,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

      Com um total de R$ 751,1 milhões, os lançamentos da companhia caíram 32,5% em relação ao segundo trimestre do ano passado. As vendas contratadas recuaram 1,4% – a empresa atingiu 40% do ponto médio da previsão para o ano.

      O caixa líquido da companhia está em R$ 1,14 bilhão. A relação dívida líquida sobre patrimônio líquido é de 33,6%. Em julho de 2011, a empresa fez sua quinta emissão de debêntures no valor de R$ 500 milhões com prazo de vencimento final de cinco anos. O banco de terrenos da MRV cresceu 15,6% em relação a 31 de março e atingiu um potencial de vendas de R$ 16,3 bilhões.

      0
      • Anonymous 10 de agosto de 2011 at 11:39

        MRV

        > O caixa líquido da companhia está em R$ 1,14 bilhão.
        > A relação dívida líquida sobre patrimônio líquido é de 33,6%.

        Um patrimônio SUPONDO imóveis inflado em cerca de 4 vezes seu valor. Quanto será a dívida em DINHEIRO e não em patrimônio inflado? Será que será possível pagar esse dívida em DINHEIRO e não em patrimônio inflado?

        > O banco de terrenos da MRV cresceu 15,6% em relação
        > a 31 de março e atingiu um potencial de vendas de R$ 16,3 bilhões.

        Um POTENCIAL de vendas supondo SUPONDO terrenos inflados em cerca de 4 vezes seu valor.

        0
    • Tales 9 de agosto de 2011 at 21:52

      Veio bom o balanço da MRV….em compensação da Even veio bem feio

      0
      • MrK 9 de agosto de 2011 at 22:06

        o que mais pesa agora não é nem o lucro ou as vendas em R$ e sim as vendas em quantidade , a posição de caixa, a variacao do estoque e PRINCIPALMENTE a capacidade de honrar suas dividas.

        a gafisa é lider de mercado e publica na quinta, ela dará o tom em função de ser a maior

        0
        • Luiz 10 de agosto de 2011 at 11:02

          exato, e + eles estão numa armadilha, se parar de pedalar, cai.

          A Even lançou em SP aqui na periferia, metro S. Judas um emprendimento de 1 milhão a unidade, com 130 m2 mas se vc contar o deposito que fica no subsolo e a varanda enorme, tirando isso sobra um apezinho normal de 3 dorms a 10 estações de Metro do centro da cidade.

          Estava lá todo o exército de engravatados sentindo pessoalmente as vendas.
          Eles estão em clima de guerra, matar os ultimos otarios e fazer caixa.

          0
          • Carlos__ 10 de agosto de 2011 at 11:24

            O Brasil surtou. Esse preço é mais que irreal.

            0
          • Anonymous 10 de agosto de 2011 at 11:44

            A Banânia sutou faz tempo. Com 1 milhão de Reais, voce compra 4 casas novas, mobiliadas, em condomínio nos EUA.

            0
          • Luiz 10 de agosto de 2011 at 11:49

            ah anonimo, mas em SP vc esta no maravilhoso bairro do metro Saúde, em SP uma cidade fantástica, sem violencia, sem transito, sem poluiçao, sem arrastão, muito melhor que essas cidadezinhas horrorosas do interor do estados unidos

            0
        • Mori 10 de agosto de 2011 at 11:37

          É a primeira vez que posto, porém sempre leio as reportagens e comentários de todos, o que tem sido de grande valor para formar minha opinião. Não sou tão categórico quanto a maioria de vcs em relação ao estouro da bolha em um prazo muito curto (talvez nem longo), porém realmente vemos alguns exageros no mercado…

          Aproveitando a divulgação do resultado da MRV, acho que temos informações muito importantes que podem ser analisadas, inclusive demonstrando o que as empresas devem (ou podem) fazer para corrigir a rota dos exageros e o país seguir em um rota de crescimento sustentável, dentro do que for possível.

          Vejo com bons olhos o andamento e a meu ver, a empresa já está antecipando alguns movimentos do mercado, por exemplo:
          – Aumento do estoque de terrenos, porém com redução no ritmo de lançamentos (média no VGV R$ 1 bi por trimestre até 1T11 para R$ 750 mi no 2T11)
          – Mesmo com a redução do ritmo de lançamentos, o valor preço médio por unidade comercializada caiu 3% entre 1T11 e 2T11, versus um aumento de 30% em relação a 2T10 – sinal de que a empresa já percebeu que o preço atingiu o teto e tende a não impor mais pressão no valor do m2.
          – A empresa dobrou a alavancagem (16% para 33%) do patrimônio líquido, um patamar ainda aceitável e com dívidas de médio prazo (debentures com venc. em 5 anos) para manter o caixa estável no patamar de R$ 1 bilhão. Vamos ver se ela não cairá em tentação para aumentar a alavancagem nos próximos trimestres
          Não sou especialista do setor e tenho conhecimentos básicos de análise financeira, mas creio com os pontos de atenção levantados pelos participantes do fórum e a análise do resultado, tenho a percepção que a MRV está se preparando para um cenário de estabilização do volume de vendas e ajuste fino dos preços com queda moderada.
          Se o mercado de construção se resumisse ao cenário da MRV, creio que veríamos apenas o murchamento da bolha, porém sabendo de alguns excessos de construtoras (e seus clientes), crise mundial e como essa questão do sobrepreço será abordado pela mídia (com ou sem pânico), fica difícil saber o que o futuro nos espera…é pagar (ou não) pra ver…

          0
          • MrK 10 de agosto de 2011 at 13:31

            Olha, o balanco da MRV não está lindo, mas certamente está muito melhor do que o das concorrentes, ao que tudo indica, a MRV é das mais sólidas no setor E NÃO É COINCIDENCIA que enquanto gafisa e cyrela cairam mais de 50% a MRV caiu algo como 38%

            E NÃO É COINCIDENCIA também que hoje mesmo ela está em alta, enquanto cyrela e gafisa caem

            0
  • DRN 9 de agosto de 2011 at 21:52

    Sinceramente, não entendo como é que a imprensa brasileira noticia uma coisa dessas:

    “O pânico dos investidores castigou as empresas brasileiras negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Só ontem, perderam R$ 146,98 bilhões, segundo levantamento da empresa de informação financeira Economática. Em valor de mercado, as maiores perdas foram da Petrobras (cerca de R$ 22 bilhões) e Vale (quase R$ 21 bilhões)”.

    Fonte: IG.

    “Castigou as empresas brasileiras”? “Perderam R$146,98 bilhões”? Do jeito que escrevem, parece que a empresa tem de abrir o caixa, tirar o dinheiro e depositar na conta do vendedor da ação! Isso só serve para espalhar o pânico. Todos sabemos que quem perde dinheiro é quem comprou por valor maior do que o valor de venda, ou seja, quem especulou e se deu mal. Dependendo das condições, a diminuição do valor das ações na bolsa é até melhor. AÇÃO É DÍVIDA DA EMPRESA. Se o valor diminui, a dívida diminui. A empresa pode até especular, colocando ações na tesouraria para, depois, vendê-las por preço maior ou para cancelá-las (aumentando a participação do sócio majoritário e, portanto, sua fatia dos dividendos). Bolsa em queda só é prejudicial para as empresas que querem emitir mais ações na bolsa, ou abrir o capital. Aí sim a aversão a risco pode ser prejudicial. Fora dessas hipóteses, não é. Então, eu realmente não entendo como é que a imprensa em geral (não é só o IG não) fica noticiando que as empresas “tiveram prejuízo”.

    Eu me pergunto: qual é o interesse da mídia em propagar o pânico? Vender jornal/revista e colecionar “cliques” na internet para faturar com publicidade? Só pode ser isso, ou, então, a mais pura ignorância.

    0
    • MrK 9 de agosto de 2011 at 22:07

      pode ser só jornalista fraco (tem muito por ai) nao sabem nada de financas…

      0
  • aiwww 9 de agosto de 2011 at 22:37

    Outro blog sobre bolha imobiliária bolhabrasilia.blogspot.com

    0
  • Carlos Alexandre 10 de agosto de 2011 at 09:44

    Não sei como chegou a conclusão de que está saturado sem analisar a quantidade de vendas no mesmo período.
    Se a quantidade ofertada for crescente (constantemente) em relação as vendas ai sim pode-se dizer que o mercado está saturando, fora isto é mero achismo !

    0
    • Anonymous 10 de agosto de 2011 at 11:42

      Estoque = Ofertas – Vendas

      Se o estoque está crescendo é justamente porque as ofertas estão superando as vendas.

      0
  • Annibal 10 de agosto de 2011 at 11:18

    Se o balanço da Gafisa vier ruim, ela despenca mias ainda e vai parar na mínima histórica dela… la pros 3,50… ae pra salvar so o GOVERNO com nosso dinheiro suado…

    0
    • TH 10 de agosto de 2011 at 11:41

      O mercado já está antecipando um resultado ruim da Gafisa faz tempo, por isso a queda recente.

      Ela só vai cair mais se o resultado apresentado for ainda pior que o estimado pelo mercado. Se for “menos ruim” que o esperado, ela deve até valorizar um pouco.

      0
      • MrK 10 de agosto de 2011 at 11:46

        amigos, o mercado não está preocupado com lucro nem receita

        a preocupação é com a geração de caixa e quantidade de dívidas/patrimonio

        se o lucro cair 50%, mas a Cia estiver confortável com caixa e podendo facilmente honrar suas dívidas, é bem melhor do que o lucro subir 50% mas ela estar sem caixa e com estoques infinitos

        0
  • Annibal 10 de agosto de 2011 at 11:22

    Exportações de produtos básicos caem até 40% em julho e acendem alerta no governo para dependência de commodities

    BRASÍLIA – Os últimos números da balança comercial deixaram em alerta o Palácio do Planalto e aumentaram os temores de que a economia brasileira venha a patinar sem os bons ventos que sopraram sobre as commodities nos últimos anos. Houve queda da quantidade embarcada, de até 40%, da maior parte dos produtos básicos vendidos pelo Brasil em julho. Foi isso que ajudou a precipitar, por exemplo, a iniciativa de conceder aos produtores de manufaturados um crédito financeiro de até 3% de sua receita de exportação – o que surpreendeu o setor privado no anúncio do plano Brasil Maior, a nova política industrial – e que engatilha o estudo de novas medidas cambiais ainda para agosto.

    A equipe econômica repete que estes dados comprovam o risco de se depender das commodities em um momento em que o mercado internacional ainda luta, sem sucesso, para se recuperar da crise.

    Em julho, as maiores quedas de quantidade embarcada foram registradas para os óleos combustíveis (40%), carne suína in natura (34,7%), suco de laranja (32,5%), farelo de soja (30%), carne bovina in natura (19,2%), soja em grão (17,9%) e café em grão (17,8%).

    Minério, açúcar e petróleo (que tem nível de exportação errático) por enquanto estão fora desta lista. Da receita de US$ 22,2 bilhões com exportações em julho, US$ 10,7 bilhões correspondem a commodities – ou seja, praticamente metade da pauta brasileira.

    Se os preços ainda estão bons, eles não foram suficientes para evitar a queda das exportações de boa parte destes itens. No acumulado de 12 meses, os preços ainda se mantêm altos. Mas o IC-Br, índice calculado pelo Banco Central com base em uma cesta de commodities agropecuárias, metálicas e energéticas, mostra que os primeiros sinais de queda já são visíveis. No segundo trimestre do ano, o indicador já acumula uma redução de pouco mais de 9%. Somente em julho, o recuo foi de 3,34% em comparação com o mês anterior.

    – Este é um dos riscos de estarmos ao sabor das commodities. Não temos qualquer controle sobre o que pode acontecer com elas já que seus preços têm por base as cotações internacionais – salientou o vice-presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro.

    A presidente Dilma Rousseff está particularmente preocupada com a crise lá fora e mencionou o assunto diversas vezes num discurso de menos de 30 minutos no lançamento do Brasil Maior, terça-feira. Também manifestou apreensão com a turbulência durante reunião reservada com a indústria e seus ministros antes de anunciar o pacote.

    Ela disse na ocasião que, se 2008 foi uma “crise profunda”, hoje se trata de uma “crise crônica”. Interlocutores garantiram que ela abraçou a causa da indústria nacional porque é ela que “pode salvar o país”. Ontem, com sindicalistas, Dilma voltou à carga e disse que a situação, de gripe, passou a pneumonia crônica.

    – Essa onda de incertezas já está se refletindo num efeito de redução de riqueza fortíssimo com a queda das bolsas de valores no mundo todo e vai fazer com que a recuperação frágil das economias industrializadas e do mundo em geral seja mais lenta. Isso vai chegar nas commodites – alerta Carlos Langoni, ex-presidente do Banco Central e diretor do Centro de Economia Mundial da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

    Segundo o especialista, o equacionamento dos déficits públicos americano e europeus é complexo e politicamente extremamente desgastante. Por esta razão, considera irreversível o impacto sobre o crescimento econômico mundial. Além disso, a China, um dos países que mais cresce hoje, também deve pisar no freio para combater a inflação de dois dígitos que assola o país e já causa insatisfação na população. A produção industrial chinesa já desacelerou.

    – A fase de ouro das commodities de 2010 e do começo de 2011 chegou ao fim. Vai começar um processo de acomodação e correção gradual dos preços. A balança tem tido excelente desempenho basicamente por conta dos básicos – lembrou Langoni.

    O economista-chefe da Austin Rating, Alex Agostini, reconhece os sinais de arrefecimento da economia mundial e seu impacto sobre os preços das commodities brasileiras, setor em que o país é mais competitivo hoje. Mas acredita que o Brasil está preparado para mais do que compensar estas perdas, tendo em vista a enorme quantidade de recursos que deve ingressar no país. Segundo ele, só o setor automotivo deve receber cerca de US$ 8 bilhões até 2015.

    Para Castro, da AEB, o pacote para a indústria deve ajudar a balança comercial com medidas voltadas para os manufaturados, que têm mais valor agregado do que as commodities. Mesmo assim, ele afirma que as ações do governo sozinhas não serão suficiente para compensar a defesagem cambial, estimada em 30% em relação a 1999.

    – O dólar até subiu um pouco. Mas ainda está muito longe, não é nem do ótimo, e sim do mais ou menos.

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/economia/mat/2011/08/10/exportacoes-de-produtos-basicos-caem-ate-40-em-julho-acendem-alerta-no-governo-para-dependencia-de-commodities-925103596.asp#ixzz1UdUEScct
    © 1996 – 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

    0
  • MrK 10 de agosto de 2011 at 11:44

    MAIS UMA MARCA HISTÓRICA ATINGIDA, DEPOIS DOS 4MIL DE COPA:

    13MIL APARTAMENTOS A VENDA NA REGIÃO BARRA/RECREIO DO RIO DE JANEIRO

    Para quem não é daqui, esse número ano passado não chegava NEM em 10MIL, eu estou falando de uma alta SUPERIOR a 30% na oferta de vendas, e DETALHE: Nessa região serão erguidos mais 2.8MIL apartamentos da vila olimpica, fora lançamentos!!!!!!!

    se isso não é saturação, amigos, me digam o que é!

    0
    • Tales 10 de agosto de 2011 at 14:43

      Tem que ver se isso nao é aumento de anuncios referente a pessoas que vieram a conhecer o Zap.
      Eu nao conhecia…

      0
      • MrK 10 de agosto de 2011 at 15:06

        até entendo sua questão, foi bem colocada, mas particularmente eu não acho que justifique, no rio o zap é ligado ao jornal oglobo (principal classificados de imoveis), aqui ele é estabelecido há muito tempo

        duvido que pule de 10mil pra 13mil pq estão ‘conhecendo o zap’

        0
        • Marcos 10 de agosto de 2011 at 15:16

          MRK,

          30% em quanto tempo?

          0
          • Luiz 10 de agosto de 2011 at 15:25

            Estou propondo uma continha

            Se vc tem 1 milhao de habitantes = 300 mil familias, e zero de crescimento populacional
            Em média uma familia compra um imovel/se muda a cada 30 anos
            Resultado = 1 mil familias por ano trocando imóvel

            Se vc tem um estoque de 15 mil imoveis a venda vc tem quinze anos de mercado.

            Pfv Marcos, não se apegue a detalhes, vc pode fazer um cenário otimista, mesmo assim, o estoque é imenso.

            0
          • MrK 10 de agosto de 2011 at 16:04

            marcos, na barra subiu 30% em algo como 4 meses

            em copa eu vi subir 15% em 3 meses

            tá aceleradíssimo isso… há 2 dias comentavamos que copa tinha atingido 4.000 imoveis, hoje ja bateu 4.056, sendo que a pancada mesmo ocorre normalmente sabado e domingo, até o fim da semana já teremos passado com certeza de 4.100, talvez atinga 4.200

            0
  • Marcleo Mendes 10 de agosto de 2011 at 15:43

    Mais um que comprou achando que estava fazendo investimento:
    http://www.reclameaqui.com.br/1552140/pdg-realty/atraso-na-obra-e-recalculo-de-multa-pelo-atraso-melhores-con/

    Esse é apenas um que vai vender por um preço muito baixo em pouco tempo..

    0
    • Bolha Imobiliária 10 de agosto de 2011 at 15:45

      E ainda tem “especialista” cara de pau em dizer que os compradores são moradores…Suspeitei desde o princípio

      0
      • Marcleo Mendes 10 de agosto de 2011 at 16:09

        E vamos destacar a frase do cidadão : “SIMPLESMENTE UM VALOR QUE NÃO ESTAVA INCLUSO NO ORÇAMENTO E QUE FAZ FALTA TODO MÊS. ”

        Ou seja, não é nem um “investidor” de fato, é apenas um que caiu no papo de corretor de comprar um apartamento para pagar a parcela do financiamento com o aluguel do mesmo…

        0
        • Luiz 10 de agosto de 2011 at 18:16

          Qdo a gente paga a taxa de corretagem, o que a gente tá pagando?
          Por qual serviço?
          E o pós venda? tem assessoria juridica?
          Quando se compra um carro, uma geladeira. tem garantias…
          E quando alguém compra um serviço?

          A porcentagem que pagamos que é alta serve praquê? alguém pode me explicar?
          Pagamos pra ser ludibriado?

          0
          • Rodrigo 10 de agosto de 2011 at 18:29

            Taxa de corretagem essa é antiga agora todo corretor é consultor imobiliário, isto é, se prestar consultoria $$$$$$$$.

            0
          • Andre Luiz 10 de agosto de 2011 at 19:03

            Em regra, a corretagem é uma atividade de intermediação da compra e venda de um produto ou serviço. O papel do corretor é fazer a ponte entre vendedores e compradores. Como geralmente quem tem interesse em ganhar clientes (dinheiro) é o vendedor, em regra é ele quem contrata o corretor e paga a taxa.

            Mas como em se tratando de grandes valores, como um empreendimento imobiliário, há uma parte muito poderosa (construtoras) e outra muito fraca (consumidores) a corretagem é empurrada, muitas vezes de forma obscura, ao comprador.

            Acredito que a situação só mude quando as pessoas se recusarem a comprar imóveis na planta, nas condições oferecidas pelas incorporadoras.

            0
    • Philis 10 de agosto de 2011 at 15:57

      O brasileiro tem três problemas principais:

      1) Não lê contrato

      2) Tem muita confiança nas pessoas

      3) Se acha esperto

      Outro dia eu estava lendo no Reclame Aqui uma senhora reclamando que não havia recebido da construtora um carro de presente, que foi prometido no ato da compra de um apartamento na planta. Gente, parem para pensar: é a nova modalidade do golpe do bilhete premiado! Eu te dou um carro em troca de você comprar um apartamento na planta. No final, quem caiu nessa fica sem carro – porque a construtora não dá – e sem apartamento, por que ainda não saiu do chão.

      0
    • Philis 10 de agosto de 2011 at 16:25

      Olha, fico muito chateada com essas histórias, são pessoas que foram enganadas pela sanha das construtoras:

      http://www.reclameaqui.com.br/1067016/gafisa/gafisa-comprar-apartamento-na-planta-com-a-gafisa-pode-vira/

      0
      • Luiz 10 de agosto de 2011 at 17:42

        Essa doeu de ler.
        pergunto:
        quem na gafisa orientou ele no momento da compra?

        0
        • Marcos 10 de agosto de 2011 at 18:19

          “Para minha surpresa o valor do saldo devedor hoje é maior do que o valor do imóvel quando comprei, é exatamente isso, a Gafisa atrasou 02 anos mas não esqueceu de corrigir o saldo devedor, ou seja, se atrasasse 10 anos eu pagaria aproximadamente 900.000,00 por este imóvel. A Gafisa sempre diz que a correção é a forma de atualizar o valor do patrimônio.Vale uma pergunta para esta “TESE”: se demorasse 10 anos, um imóvel de 68m² e 03 quartos, na Freguesia – Jacarepaguá, custaria R$ 900.000,00? sem palavras…………..”

          É triste demais. Um contrato mal feito é perigoso.

          0
          • Luiz 10 de agosto de 2011 at 18:40

            Isso Marcos, já foi discutido aqui, e infelizmewnte não é só um contrato mal feito, seja por ignorancia da pessoa ou má orientação dos vendedores.

            Isso é pior, os caras quando vendem eles te prometem que o seu patrimonio ficará protegido da desvalorização, da inflação, eles te garantem valorização do imovel contra a ainflação, pra vc não perder dinehiro, só que eles omitem que vc é que paga pela proteção. E não me venham falar que não é assim, pq fui num stand desses 2 meses atrás. O INCC eles não dizem que um indice d einflação, eles dizem que é um indice de reajuste de custos da obra.

            0
    • Rodrigo 10 de agosto de 2011 at 18:41

      Todo investimento tem um risco, esse reclama (com razão), mas insiste no investimento, o lucro deve ser muuuuito bom!

      0
  • Marcos 10 de agosto de 2011 at 15:50

    Luiz,

    Vlw a dica.

    Só para avisar: Eu não sou o corretor boca suja rs

    Só perguntei por curiosidade.

    0
  • MrK 10 de agosto de 2011 at 17:50

    Alguém me perguntou se o acumulo de apartamentos pra vender no zap não seria por conta das pessoas estarem conhecendo mais o zap, vejam que curioso, a relação imóveis pra alugar/vender em Copacabana era de 1 pra 10 e hoje 1 pra 14

    Ou seja, quem quer vender apartamento em Copacabana estaria conhecendo o zap, mas quem quer alugar estaria “desconhecendo”? Se o argumento de conhecer o portal fizesse sentido, a relação deveria permanecer estável.

    * Eu monitoro Copacabana por ser um bairro grande, de muita oferta e cobiçado

    0
  • Rodrigo 10 de agosto de 2011 at 18:33

    Ações caindo mas, MRV tem lucro de R$ 189,8 milhões

    Jornal do Commercio, 10/ago

    A expansão nos resultados operacionais levou a MRV a registrar lucro líquido de R$ 189,8 milhões no segundo trimestre. O resultado ultrapassa em 24,4% o volume apurado nos três meses anteriores e 26,1% o montante registrado ano antes. De abril a junho, a receita operacional líquida da companhia atingiu recorde histórico, ao somar R$988,4 milhões, crescimento de 23% ante o intervalo de janeiro a março e de 40% contra igual período de 2010. “Os resultados operacionais, conjugados com a eficiência administrativa e financeira, resultaram no sólido desempenho financeiro do trimestre”, informou.

    Em nota que acompanhou os resultados financeiros, a companhia reiterou que con-tinuará trabalhando para atender à demanda gerada pelo programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), que prevê a contratação de 2 milhões de moradias até 2014 em sua segunda fase em sua segunda fase. Dos 6.477 imó¬veis lançados pela construtora no segundo semestre, 85% eram elegíveis ao programa habitacional do governo. No acumulado do ano até junho, o total de lançamentos estava em 14.691 unidades.

    Na nota, a companhia informou ter cumprido, no primeiro semestre, 40% do ponto médio de guidance de vendas contratadas para o ano, que vai de R$ 4,3 bilhões a R$ 4,7 bilhões. “O volume de unidades contratadas em 2010 (40.859) e no primeiro semestre (12.845) garante o financiamento de todos os projetos em andamento e nos fornece um estoque grande para efetuar os repasses de 2011” informou.

    A empresa reportou ainda que, ao final de junho, seu banco de terrenos correspondia a aproximadamente 159 mil unidades, volume 14,3% superior que o reportado no encerramento de março. O Ebitda (sigla em inglês para lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$255,8 milhões no segundo semestre, o que significou incremento de 27,2% contra o obtido nos três meses iniciais do ano e de 35,4% ante o apurado em igual período de 2010.

    0
  • Rodrigo 10 de agosto de 2011 at 18:54

    Construtora Even reporta queda de 13% no lucro líquido

    SÃO PAULO – A Even, construtora que concentra sua operação em São Paulo, teve lucro líquido de R$ 53,9 milhões no segundo trimestre, queda de 13% em relação aos R$ 62 milhões obtidos no mesmo período do ano passado. A receita líquida caiu 7,2% na mesma comparação e atingiu R$ 428 milhões de abril a junho deste ano.
    O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ R$ 76 milhões, queda de 21,6% em relação aos R$ 97 milhões do segundo trimestre de 2010. A margem Ebitda caiu de 21% para 17,8%.
    A dívida líquida subiu 81,4%, de R$ 469 milhões de abril a junho de 2010 para R$ 852 milhões no segundo trimestre deste ano. A empresa entregou 12 projetos nos primeiros seis meses do ano, equivalentes a R$ 799 milhões de valor geral de vendas.

    (Daniela D’Ambrosio | Valor)

    0
    • MrK 10 de agosto de 2011 at 19:05

      tem ai a variação da quantidade de imoveis vendida? pois veja bem essa conta de padeiro:

      A receita caiu 7%, mas receita é preço x quantidade

      tomando por estimativa que o preço subiu uns 40% de 1 ano pra ca (todos constataram isso), podemos dizer que pra se ter uma queda de receita de 7% é preciso ter uma queda de volume de 35% !!!!!!!!!!

      0
      • Duda 10 de agosto de 2011 at 20:34

        Eu estou aguardando os dados do Secovi-SP, com ansiedade…

        0
        • Duda 10 de agosto de 2011 at 20:35

          Como sempre, demooooraaaam muuuuito para publicar…

          0
      • Mori 10 de agosto de 2011 at 22:23

        Mas para as construtoras não interessa mais vender quantidade, isso significa mais mão de obra, compra de terrenos, isto é, queima de caixa. Isso foi valido para inflar resultados (e participações de lucro maiores). Agora vale a perpetuidade da empresa, então enquanto houver gente pagando 7 mil o m² ao invés dos 4,5 no caso da Even, mais fácil e melhor a administração pra ela… E pra economia tb, menos unidades, menor risco de sobreoferta alem da que já existe…e pior pros corretores, afinal é uma bolada a corretagem, mas agora dividida entre poucos.

        0
  • Rodrigo 10 de agosto de 2011 at 19:10

    Bancos e construtoras puxam reação
    Jornal do Commercio, 10/ago

    Investidores aproveitaram a sessão de ontem para ajustar posições após quedas excessivas nos últimos dias. A maior valorização do dia ficou com Gol PN, que galgou 17,76%, a R$ 10,74, beneficiada pela queda do preço do barril de petróleo, que despencou para menos de US$ 80. TAM PN evoluiu 6,05%, a R$ 24,70.

    Para Alfredo Sequeira, gerente de mesa de investimentos da Fator Corretora, ontem foi dia de fazer caixa com barganhas. “Nada como um dia após o outro para o investidor fazer a conta e perceber que alguns papéis estão muito depreciados. A alta pode se manter nos próximos dias e virar uma recuperação consistente”, acredita. OGXON fechou em alta de 12,61%, a R$ 10,36, após perder 16,36% no dia anterior. “Não descarto a possibilidade de um programa de recompra”, disse Sequeira.

    PDC SOBE 13,39%. As ações do setor de construção civil conseguiram bons resultados. PDG se valorizou 13,39%, a R$ 7,20; Cyrela se apreciou 11,2%, a R$ 14,30; Rossi ganhou 9,1%, a R$ 10,91 e MRV ganhou 9,63%, a R$ 10,81. Esta última divulgou seu balanço na noite de ontem, após o fechamento do mercado, com aumento em termos anuais de 26,1% no lucro líquido. Já a receita líquida cresceu 40,2%, para R$ 988,4 milhões – bem acima da projeção da corretora Ativa, de avanço de 16%, para R$ 930 milhões. A corretora recomenda compra para MRV, com preço justo de R$ 20,96 para junho de 2012.

    Lojas Renner ON evoluiu 11,2%, a R$ 50,04. “O papel estava bastante descontado, sem fundamento aparente. Os resultados do segundo trimestre da empresa, que será divulgado no dia 15, podem ser muito bons”, avalia a Ativa, que sugere a aquisição da ação, com preço alvo de R$ 68,73. Engrossando a lista de Varejo, Lojas Americanas PN se elevou a 3,08%, a R$ 13,71. A Fator Corretora recomenda a compra da ação, com preço justo de R$ 23,69 para dezembro deste ano. Já Pão de Açúcar tem recomendação de manutenção pela Concórdia Corretora, com preço justo de R$ 80,26. Ontem, a companhia subiu 0,71%, cotada a R$ 56,40.

    BB ON AVANÇA 7,11%. Banco do Brasil ON galgou 7,11%, a R$ 24,24. Para analistas, o resultado do banco no segundo trimestre foi melhor do que o esperado. A instituição teve aumento de 23,2% em seu lucro líquido, com R$ 3,357 bilhões. “Ao contrário dos outros grandes bancos que já divulgaram seus balanços, o índice de inadimplência da carteira ficou em 2%, recuo de 0,7% em relação a igual período do ano passado. Recomendamos compra para a ação”, disse em relatório a Socopa Corretora.

    A Coinvalores também recomenda a compra da ação do BB, com preço alvo de R$ 40. “O Banco do Brasil apresenta forte queda este ano, e seus papéis apresentam interessante upside, mas recomendamos cautela aos investido¬res na compra de participação nas outras instituições financeiras”.

    Já na pequena ponta vendedora, Duratex ON perdeu 0,53%, a R$ 9,40, na contramão das construtoras. A Planner Corretora acredita que este é um bom momento para tomar posição no papel, já que as ações acumulam queda de 23,95% no mês.

    Marfrig ON segue recuando e registrou ontem desvalorização de 0,33%, a R$ 8,99.

    0
    • trololó 10 de agosto de 2011 at 19:26

      preços irreais em ações, com uma alta temporária “pega-trouxa”, e já corre “especialistas” em jornais falando que é pra comprar?

      hahahahahahaha

      me engana que eu gosto!

      0
      • Duda 10 de agosto de 2011 at 20:33

        Nesta enganação muitos vão se ferrar… tem muito leigo comprando “porque está barato”, para que depois os espertos (de verdade) vendam com preço alto… e assim vai este sube e desce, que nem uma bolinha caindo pela escada…

        0
  • Anonymous 10 de agosto de 2011 at 20:56

    Variacao da Cesta Básica entre Jul/2010 e Jul/2011 segundo DIEESE

    Brasilia = 9.37%
    Goiania = 6.60%
    Belo Horizonte = 12.44%
    Rio de janeiro = 13.31%
    São Paulo = 10.03%
    Vitoria = 12.82%
    Curitiba = 10.49%
    Florianopolis = 15.09%
    Porto Alegre = 9.23
    Aracaju = 1.64%
    Belem = 8.28%
    Fortaleza = 18.15%
    Joao Pessoa = 6.92%
    Manaus = 7.08%
    Natal = 6.89%
    Recife = 5.84%
    Salvador = 1.85%

    0
    • aiwww 10 de agosto de 2011 at 23:51

      O Rio como sempre é o mais caro. Tenho conhecidos que já estão indo embora. Não é saudável morar num lugar onde se paga mais caro por tudo, se leva horas no trânsito e ainda se paga um absurdo para morar. Comento isso com muitas pessoas e vejo a maioria com vontatde de sair da cidade.

      0
  • Elias 10 de agosto de 2011 at 22:42

    Philis,

    triste mesmo a história deste cliente da Gafisa.

    Mas este rapaz teve sorte – ainda pôde ficar na casa do sogro.

    Creio que a maioria teria que continuar pagando aluguel, além das prestações reajustadas pelo INCC com a construtora.

    Agora imagine o saldo da dívida aumentando, como aconteceu neste caso concreto, mais a inflação comendo o poder de compra do salário, mais a restrição de crédito em virtude da crise mundial.

    Pense uma multidão, cada vez maior, de pessoas nessa situação, a medida que os empreendimentos vão atrasando.

    Pra quem viu o documentário “Inside Job”, sobre a crise americana de 2008, o “ploc” da bolha foi a falta de pagamento dos “mutuários” subprime, quando as parcelas subiram acima da sua capacidade de pagamento, de forma sistemática. Ou seja, “INADIMPLÊNCIA”.

    E mais, imagine esse pessoal, depois dos atrasos da entrega, pagando as chaves e assinando a dívida que vale mais que o valor inicial do imóvel. Mas imagine milhares nesta situação.

    Acho que o Volpon, que escreveu artigo recentemente no Valor, estava se referindo a isso quando mencionou uma possível “estrutura insustentável de passivos”.

    0
    • Philis 10 de agosto de 2011 at 22:56

      pois é, e ainda tem gente querendo negar as bolhas – de imóveis e de crédito.

      0
    • Anonymous 11 de agosto de 2011 at 00:25

      Já disse e repito: Não importa se for por perda de emprego como nos EUA ou se for por defasagem salarial – o resultado é exatamente o mesmo: A inadimplência acabará por estourar a bolha.

      0
  • Fel 10 de agosto de 2011 at 23:13

    Srs,

    Tenho info importante…informação de insider sobre espelho de vendas e preços Even. Exemplo:
    empreendimento Art Pompéia – lançamento jun/11.

    Preço 62 m2 – 1 vaga valores entre 460k e 530k (!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!)
    Total Unidades – 127
    Livres para venda – 98

    Conclusão: tudo empacado. para quem tinha tudo vendido no pré-lançamento, tá meio fraco de vendas, não acham?

    0
    • aiwww 10 de agosto de 2011 at 23:53

      .. essa foi boa! Temos 29 OTÁRIOS ! hauhauahuahau 🙂

      0
      • Fel 11 de agosto de 2011 at 00:04

        Alguém está interessado em saber algum outro? Luiz, qual é o nome do empreendimento do metrô Sao Judas?

        0
        • Luiz 11 de agosto de 2011 at 13:07

          via panorama

          0
        • Luiz 11 de agosto de 2011 at 13:08

          via panorama, é metro pça da arvore

          0
          • Fel 11 de agosto de 2011 at 22:51

            Luiz,

            O que tem é Panorama Vila Mariana (não sei se é o mesmo). Este está com 58% empacado (64 unidades no total).

            Preço médio de 960k com 136 m2.
            Detalhe: valor a financiar 620k

            0
    • Anonymous 11 de agosto de 2011 at 00:27

      Os otários “investiram” num papel (imóvel na planta) sem lastro algum de uma empresa cujo credit rating está longe de ser AAA 😉

      0
    • Selvagem 11 de agosto de 2011 at 07:45

      Que beleza pagaram MEIO MILHAO DE REAIS por um cubiculo. A capacidade dos corretores de convencer esse povo de que esta fazendo um puuuuuuuuuuuuuuta negocio me espanta.

      0
  • Selvagem 11 de agosto de 2011 at 07:30

    Fundos de pensão salvam a bolsa de valores

    Governo manda Previ, Funcef e Petros comprarem ações para evitar nova queda. Nos EUA e Europa, dia foi de prejuízo

    Rosana Hessel -Publicação: 11/08/2011 06:00 Atualização: 11/08/2011 06:08

    Brasília – Por determinação do Palácio do Planalto, os três maiores fundos de pensão do país, todos vinculados a estatais, entraram pesado nessa quarta-feira no mercado, comprando ações, e evitaram uma nova queda da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), mesmo com o mundo derretendo por causa das suspeitas em relação à saúde da economia europeia, sobretudo a da França, a segunda maior da Zona do Euro. A Previ (dos funcionários do Banco do Brasil), a Petros (dos empregados da Petrobras) e a Funcef (da Caixa Econômica Federal) intensificaram a atuação quando o pregão paulista computava queda de mais de 2% e um início de pânico tomava conta dos investidores.

    A operação chapa-branca, como os operadores estão chamando o movimento das fundações, fez com que o Ibovespa, índice que mede a lucratividade das ações mais negociadas, encerrasse nessa quarta-feira com valorização de 0,48%. Um resultado e tanto diante do rastro de prejuízos que se viu nos Estados Unidos e na Europa. “Durou apenas um dia a trégua nos mercados financeiros mundiais”, disse um operador de um banco estrangeiro. “No Brasil, só não houve o derretimento da bolsa por causa da ação dos fundos de pensão de estatais, que já respondem por quase 40% de todos os negócios da Bovespa. As fundações, por sinal, ensaiaram uma intervenção na segunda-feira, quando a queda de preços das ações encostou nos 10%”, acrescentou. Para ele, no entanto, não será tarefa fácil manter a Bovespa descolada dos principais mercados do mundo, tamanho é o pessimismo em relação aos EUA e à Europa.

    Títulos podres

    Não bastasse o temor de recessão nas maiores economias do planeta, os investidores passaram a vislumbrar a possibilidade de quebra em cadeia de bancos europeus, todos com os cofres abarrotados de títulos públicos dos países mais endividados da região: Grécia, Irlanda, Portugal, Espanha e Itália. Não à toa, as ações de instituições financeiras comandaram a derrocada dos mercados acionários. Em outro momento, a crença seria de que os governos seriam capazes de socorrer as instituições em dificuldades, como em 2008. Mas, agora, com dívidas monstruosas, os países não têm como liberar recursos para evitar uma eventual quebradeira”, disse Creomar de Souza, professor de Relações Internacionais do Ibmec-DF. “Na verdade, o problema é muito maior na Europa, pois ninguém acredita que os governos europeus consigam honrar seus compromissos. O fantasma do calote voltou a assombrar a todos”, acrescentou.

    dablidabliudabliu.em.com.br/app/noticia/economia/2011/08/11/internas_economia,244531/fundos-de-pensao-salvam-a-bolsa-de-valores.shtml

    0
    • Dan 11 de agosto de 2011 at 07:50

      Boa informação! Então, a grosso modo, devo entender o que governo está realizando um aumento de gastos públicos (talvez indireto?) em um momento extremamente não-recomendável pra isso? Ou uma coisa não tem nada a ver com a outra?

      0
      • Annibal 11 de agosto de 2011 at 08:41

        e o pior um gasto com o dinheiro dos servidores… esse dindin não e do governo, mas ele faz pressão em cima dos administradores…

        SERÁ Q SE A COISA FOSSE TÃO BOA PRO BRASIL PRECISARIAM USAR DESSES ARTIFÍCIOS?????????????

        0
    • Pedro 11 de agosto de 2011 at 09:23

      Isto quer dizer apenas uma coisa. Estão empurrando a queda maior com a barriga. Mas a queda vai acontecer, isso é inevitável. Por isso é que não acredito em dados e estatísticas que venham do governo.

      0
  • Selvagem 11 de agosto de 2011 at 08:08

    Na minha opiniao o governo esta sim aplicando dinheiro privado ( fundo de pensão é dinheiro privado) para artificialmente segurar o mercado. Acredito que isso é um risco enorme para os fundos, já que estão sendo colocados como barreiras para segurar uma enchente que é cada vez maior e pode fazer tudo ruir. Pense bem se você nào aplicaria em acoes neste momento, pois o mercado esta muito volatil e instavel, pq vai aceitar que o seu fundo de pensào aplique?

    0
    • Annibal 11 de agosto de 2011 at 08:45

      É isso mesmo Selvagem…

      é revoltante ver a falta de ética desse governo… fazendo uso de um montante q não lhe pertence…. lá em casa chamamos isso de jogo sujo….

      Se mais pra frente o resultado for ruim, quem vai pagar o pato serão os servidores dessas instituições q ficarão sem suas economias e aposentadorias complementares….

      0
    • Zão 11 de agosto de 2011 at 08:52

      Sei que se eu fosse funcionário do BB, Petrobrás ou CEF, estaria muito puto da vida por estarem aplicando o dinheirinho da minha aposentadoria em uma bolsa com tendência de queda, e isso porque o governo mandou.

      Fazer caridade com o dinheiro dos outros é mole.

      0
      • Marcos1 11 de agosto de 2011 at 10:27

        Sacanegm isso os fundos são privados são economias dos funcionários dessas tres empresas para pagamentos de suas futuras aposentadorias e tb ja pagam as aposentadorias atuais, os funcionários dessas empresas são celetistas e se esses fundos quebram so se aposentam pelo INSS, esses tres empresas que sempre geram lucro pro tesouro aff.
        Outra sacanagem foi a compra do panamericano pela CEF a mando do Grande molusco do mar, o q vai impactar no seu lucro do segundo semestre, não vai ser negativo o lucro mais vai ficar bem abaixo do que realmente séria o correto, ai pau nos funcionários novamente que perdem na sua PLR, mais pelo menos a tranqueira do panamericano começou a dar resultados com a nova adm.
        No Banco do Brasil tb está tendo perca de lucratividade que poderia ser maior ai pau nos funcionários novamente.
        Na Petrobras so pode comprar produtos nacionais mais caros e com demora de entrega, sem respeito aos principios da eficiencia e economia, ai por ordem deles os funcionários perdem parte de sua PLR.
        No fim quem paga esses abusos é o povo que é dono da empresa(nesse caso em tela principalmente os trabalhadores dessas empresas), o tesouro nacional perde receita do lucro reduzido dessas empresas e os politicos se dão bem.
        Será que os antigos donos do panamericano são colaboradores de campanha ou usam da midia?
        Será que essas plataformas de petroleo e navios nacionais, geram dividendos para os partidos da base?
        Será que os correios deram prejuizo ano passado atoa? (esse ano esta se recuperando graças a Deus)
        São sempre essas as perguntas que as vezes me faço.

        0
        • MrK 11 de agosto de 2011 at 11:40

          É IMPOSSIVEL o governo sustentar a bolsa alta só com fundos de pensão, isso pode funcionar no curto prazo, pode funcionar por 1 ou 2 meses no máximo, depois não tem como, até porque esses fundos tem limites de compra em bolsa (chamados mandatos) que são oficiais e não podem ser quebrados

          0
  • Zoom 11 de agosto de 2011 at 08:27

    Olha a ganância das construtoras em SP. Quem pagará essa conta?

    Fraude no setor de habitação de SP pode chegar a R$ 13 milhões.

    O valor do golpe das guias falsas aplicado por empresas da construção civil na prefeitura paulistana não para de crescer. A conta, atualizada, chega aos R$ 13 milhões.

    “Está provado que nós temos uma quadrilha [que atuou neste processo]”, diz Edilson Bonfim, corregedor-geral do município de São Paulo. Na terça-feira (9), quando divulgou a falcatrua publicamente, o desfalque estava próximo de R$ 4 milhões.

    São pelo menos três construtoras envolvidas, afirma a prefeitura (leia mais abaixo).

    Enquanto a Marcanni, única construtora que teve seu nome divulgado pela corregedoria, apresentou uma guia falsa, outras duas empresas da construção civil falsificaram, juntas, mais de uma dezena de documentos.

    De acordo com Bonfim, o esquema criminoso segue sempre o mesmo enredo.

    As empresas, para construir a mais do que o permitido por lei, precisam pagar a prefeitura por esse direito. É a tal da outorga onerosa dada pelo poder público.

    No caso específico da Marcanni, segundo Bonfim, a empresa deveria ter recolhido R$ 586.266,15 para obter autorização de construir o residencial Porto Santo, no Tatuapé, zona leste da capital.

    Mas este valor, apesar de existir uma guia autenticada em poder da empresa, nunca entrou nos cofres públicos.

    A sigla bancária que aparece no documento é de um banco fictício, indica a investigação da corregedoria.

    “É um golpe milionário aplicado por milionários. Quem falsificou as guias sabia como fazer. Funcionários públicos foram enganados”, diz Bonfim, conhecido no meio jurídico por ser um excelente orador.

    A varredura nas operações de outorga onerosa começou no final de junho, após uma denúncia ter chegado à vice-prefeita Alda Marco Antônio.

    Nesta quarta-feira, o corregedor-geral disse que identificou um documento falso de 2007.

    Apesar de existirem, em média, 30 cessões de outorga onerosa por mês na cidade, a prefeitura não conseguiu detectar por meios próprios o desfalque de R$ 13 milhões no fundo específico abastecido pelas operações.

    OUTRO LADO

    A construtora Marcanni afirmou hoje que é vítima no escândalo das guias falsas. E não culpada, como sustenta a prefeitura.

    De acordo com Sandro de Abreu, advogado da empresa, o serviço para obtenção da autorização de construir acima do limite é de responsabilidade de um terceiro.

    Abreu não revelou o nome desta empresa ou pessoa física contratada para fazer o serviço. E disse que a Marcanni solicitou à polícia que investigue o caso como um eventual estelionato.

    Na versão da corregedoria-geral do município de São Paulo, a empresa participou do esquema fraudulento. Desde o início, ela sabia que se tratava de um documento falso, diz Edilson Bonfim.

    O negócio proposto e aceito pela Marcanni, segundo a investigação, era um pagamento real de aproximadamente R$ 350 mil. Em vez dos mais de R$ 586 mil que deveriam ser efetivamente pagos.

    “O restante, a empresa disse quando ouvida por nós, era para ser trocado por precatórios municipais [papéis que funcionam como uma confissão de dívida por parte do poder público]”.

    Mas, de acordo com Bonfim, não existe legislação nenhuma que prevê esta operação. O advogado da empresa afirma que “a legislação federal” permite sim a troca.

    Mas não especificou exatamente qual é a lei que sustenta sua afirmação.

    O edifício em construção no Tatuapé teve sua obra embargada pela prefeitura. A construção, que está apenas no segundo andar, de um total de 18, é prometida para setembro de 2013.

    Fonte: Folha 11/08/2011

    0
  • Platao 11 de agosto de 2011 at 09:22

    Ola, primeiro parabenizo o blog, bastante esclarecedor….
    hj fiz uma busca no site de imoveis de Curitiba e retornou 8739 aptos a venda (houve uma diminuição), porem os até 200 mil diminuiram, e acima disso aumentou o numero. Vendo o povo do blog dizendo que é dificil discutir com amigos sobre o assunto, ontem fiz o teste, e realmente é dificil… o pensamento é ” se eu não comprar agora, nunca vou ter nada, pq depois vai estar muito caro e nao vou conseguir comprar… o jeito é tirar de outras coisas pra pagar a prestação!” nao teve jeito…falei de inflação, incc, juros, credito…até gastos depois de pronto como condominio, acabamento, moveis….nao teve jeito, hoje uma amiga vai comprar na planta, no Sta Candida (aqui em Curitiba) pra 2013… eu juro que eu tentei, fiz minha parte…
    outra coisa, estava vendo uns aptos pra comprar e por isso entrei em contato com uns corretores…ontem tive q desligar meu celular, pois me senti uma ovelhinha no meio de coiotes vampiros, ligações de meia em meia hora…ta tenso o negocio.

    0
    • Bolha Imobiliária 11 de agosto de 2011 at 11:01

      É cara. Isto se chama educação financeira. Seus amigos caem no efeito manada, e vão se quebrar…

      0
    • Bolha Imobiliária 11 de agosto de 2011 at 12:13

      É…hoje já está em 9405 novamente…hehe

      0
      • MrK 11 de agosto de 2011 at 13:25

        gente, tem que monitorar sempre no mesmo dia da semana

        pois normalmente segunda-feira da uma baixada (dia onde alguns anuncios vencem) , depois vai subindo de novo, mas se voce monitorar sempre no mesmo dia, eu faco todo domingo, verão uma subida

        0
  • MrK 11 de agosto de 2011 at 09:26

    Veja o que observo:

    No balanço das construtoras vejo queda acentuada da venda de imóveis (em torno de 30%)
    No SECOVI vejo queda acentuada da venda de imóveis (em torno de 40%)
    No ZAP acumulo constante de imóveis novos indo pra venda (5% de imoveis a mais por mês)

    isso tudo caminha pra uma única conclusão: Está tudo encalhado, e onde está agora o deficit habitacional? como vão desencalhar SEM baixar preços???????????

    0
    • aiwww 11 de agosto de 2011 at 09:55

      tenho certeza de uma coisa … a conta do anúncio, do condomínio, do iptu e da imobiliária chegam em dia todos os meses. Vendi um apartamento na rua Gonzaga Bastos no Andarai, semana passada e a corretora pediu pelo amor de Deus para fecha a venda porque ela não vendia algo há tempos .. as imobiliárias não pagam salário fixo .. já deve ter corretor pegando empréstimo e pedindo arrego! Eu vou investir o dinheiro da venda e continuar morando com meus pais. Tenho certeza que em 5 anos morarei num lugar muito bom e não terei dívidas 🙂

      0
      • Annibal 11 de agosto de 2011 at 10:29

        Creio q o segundo semestre de 2011 será decisivo para a confirmação de uma reversão incontestável nos preços dos imóveis, ainda sem desespero por parte dos proprietários, mas com mtas corretoras fechando as portas ou em vias de….

        0
  • Marcos 11 de agosto de 2011 at 10:42

    Quando a Presidente vai a público dizer que não teremos recessão, melhor ficar esperto.

    Essa mesma Presidente falou que o juros iam cair. Ainda bem que ela não derrubou o juros na porrada. Senão a inflação estaria pior.

    0
    • roberto 11 de agosto de 2011 at 11:04

      A mesma presidenta que em momento de crise financeira global aconselha a população a sair as compras e gastar mais.

      Ouça o que eu digo não ouça ninguém….

      O pior é que vai sobrar para todos.

      0
  • Anonymous 11 de agosto de 2011 at 11:19

    Emprego industrial cai 0,2% entre maio e junho, diz IBGE

    www1 DOT folha DOT uol DOT com DOT br/poder/957987-emprego-industrial-cai-02-entre-maio-e-junho-diz-ibge.shtml

    As quedas detectadas pelo instituto foram em atividades de papel e gráfica (-10,1%), calçados e couro (-5,4%), madeira (-11,2%) e vestuário (-3,5%).

    Que falta de patriotismo, justo agora que o povão está precisando pagar o Minha Casa Minha Vida.

    0
  • Annibal 11 de agosto de 2011 at 14:32

    Condomínio: ações por falta de pagamento crescem 20,4% em julho

    SÃO PAULO – O número de ações de cobrança por falta de pagamento da taxa de condomínio na cidade de São Paulo cresceu 20,4% em julho deste ano, na comparação com o mês de junho.

    De acordo com levantamento realizado pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação) e divulgado nesta quarta-feira (10), no mês de julho, foram propostas 937 ações na Justiça paulistana, contra 738 verificadas no mês anterior.

    O vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Sindicato, Hubert Gebara, acredita que o aumento observado em julho não vai alterar o quadro de estabilidade observado desde 2006. “Esperamos que ocorra queda nos próximos meses”, afirma.

    Acumulado
    No acumulado dos sete primeiros meses do ano, houve queda de 14,3%. De janeiro a julho foram movidas 5.636 ações, contra 6.577 no mesmo período do ano passado.

    Segundo Gebara, os inadimplentes preferem negociar e pagar paracelado a ter o nome incluído no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito). Para ele, o parcelamento também é mais vantajoso para o condomínio, pois evita a espera de anos por um resultado incerto.

    w.w.w. .infomoney.com.br/imoveis/noticia/2180445-condominio+acoes+por+falta+pagamento+crescem+julho

    0
  • Fel 11 de agosto de 2011 at 22:53

    Luiz, escrevi lá em cima sobre aquele empreendimento. Ao meu ver, bem empacado também.

    0
  • Marcão 16 de agosto de 2011 at 00:27

    Olha, não é dificil entender o pq da inadimplência. Vamos tomar como exemplo um imóvel de 450.000 reais que pelo menos aqui em SP é o valor de um apartamento de 80 a 85m2 em um bairro razoável (nem ruim e nem top). Obviamente um valor surreal, mas praticado. Pensemos em um financiamento. Que a pessoa tenha 50.000 para dar de entrada e financie o restante em 10 anos SEM JUROS (ou seja, financiado pela própria MÃE do indivíduo). Este seria um cenário ideal. Agora façamos as contas:

    10 anos = 120 meses
    400.000 reais em 120 meses
    400.000/120 = apx. 3.334,00

    Ora, para se pagar esta quantia mensal (lembrando que foi calculada SEM JUROS o que é algo impossível de se acontecer) deve-se ganhar NO MÍNIMO R$ 10.000,00 por mês o que sequer seria o ideal aconselhado pelos especialistas. Aí pergunto, quantos % da população recebem 10.000 por mês atualmente e compram apartamentos nesta faixa? Algo REALMENTE está errado e isso se refletirá em breve quando as pessoas começarem a perder os imóveis na justiça…

    0
    • ildeu 17 de agosto de 2011 at 00:32

      a pergunta deveria ser outra, quem ganha 10 mil por mês vai querer problema por tanto tempo pra comprar um apartamento , ver sua renda disponivel cair tanto , por tanto tempo?na verdade, poder não é igual a querer !

      0