Alta de juros para financiamento de casa própria ajuda na queda de preços – Samy Dana/G1

Você pode gostar...

Comments
  • Habiba 29 de março de 2016 at 09:53

    O Samy Dana falou bonito, adorei o trecho sobre os preços devem continuar caindo… Madeiraaaaaa!!!!!

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CarlosL 29 de março de 2016 at 09:57

    60% off seria algo perto do negociável e um possível retorno a realidade….O que for alem disso é desespero e bacia de almas perdidas…

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CarlosL 29 de março de 2016 at 10:04

      Ah posso apostar que CASO ocorra um novo governo ainda esse ano, as boas oportunidades podem surgir logo em seguida assim que as aberrações populistas começarem a ser revistas….

      Acredito que exista uma espécie de “Zelotes” nas construtoras devido as regras bizarras que rotularam a base dos imóveis no país

      8+
      • avatar
      • avatar
      • Onix 29 de março de 2016 at 12:20

        Zeus te ouça.

        5+
        • avatar
      • Zé do Brejo 29 de março de 2016 at 13:34

        Acredito que no caso de um novo governo, teremos a fase do Bull Trap antes de reais boas oportunidades.
        Sinceramente, dúvido que tenhamos boas oportunidades nessa década. Essa aqui já acabou antes de começar.

        15+
        • avatar
  • Cajuzinha 29 de março de 2016 at 10:17

    Mas o dinheiro acabou… kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    postado em 29/03/2016 09:37
    Agência Estado
    Brasília, 29 – O governo vem falando em novas medidas para impulsionar o crédito, mas o pacote anunciado há exatos dois meses para irrigar setores como habitação, agricultura, infraestrutura e pequenas e médias empresas continua praticamente no papel. Levantamento feito pelo jornal

    O Estado de S. Paulo”

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 29 de março de 2016 at 10:19

      ” Antes do anúncio, o ministro havia rebatido as críticas de quem afirmava que não havia demanda por mais crédito dizendo que era necessário “levar o cavalo à água para ver se ele quer bebê-la”.

      Para o mercado, pelo jeito, não quer. “As pessoas estão mesmo é com medo de ficar desempregadas e as empresas, inseguras com o rumo da economia. Esse cenário é totalmente desfavorável para pegar mais crédito”, disse o economista Alberto Furuguem, ex-diretor do Banco Central.”

      “Para o crédito imobiliário, o conselho curador do FGTS aprovou, no fim de fevereiro, usar R$ 10 bilhões para adquirir Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), mas a programação é que os recursos sejam liberados em três fases. Os desembolsos da primeira parcela, de R$ 4 bilhões, vão até o fim de maio.

      Outros R$ 3 bilhões serão liberados até o fim de agosto e mais R$ 3 bilhões, até o fim de novembro. Segundo o conselho, pelo menos R$ 1,8 bilhão de cada parcela deve ser destinado à habitação popular, na maior parte para financiar, com juros mais baixos, imóveis novos.”

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 29 de março de 2016 at 10:23

    “Economista projeta queda de 4,4% no PIB neste ano
    POR MARCELO LOUREIRO28/03/2016 16:13
    Em reuniões com investidores, Pérsio Arida tem estimado a queda do PIB de 2016 em 4,4%, seguida de estagnação em 2017. Para o presidente do conselho de administração do BTG, o cenário base é o impeachment da presidente Dilma.”

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 29 de março de 2016 at 12:35

      Crises econômicas podem ser caracterizadas como brutas mudanças na atividade econômica, podendo gerar alguns efeitos negativos como queda da produção e da atividade comercial.

      Recessão econômica nada mais é que uma queda generalizada no crescimento de um determinado país, acarretando em efeitos intensos como grande queda do investimento, da produção e até falência de algumas empresas. Geralmente se considera como recessão um período a partir de 2 trimestres seguidos com tais características.

      Depressão econômica é caracterizada como uma queda no PIB em pelo menos 10% ou recessão por mais de 3 anos e apresenta efeitos bem mais intensos que de uma recessão, com um número bem maior de falências de empresas, grande queda na produção e investimento e/ou câmbio afetado negativamente e inflação.

      5+
      • avatar
      • Cesar_DF 29 de março de 2016 at 12:36

        Acho que o Brasil é o único pais que caminha para uma depressão, sem estar em guerra

        13+
        • avatar
        • avatar
        • Zé do Brejo 29 de março de 2016 at 13:38

          Só está faltando o tiro no arquiduque Franz Ferdinand para começar a guerra.

          13+
          • avatar
  • Cajuzinha 29 de março de 2016 at 10:30

    “29/03/2016 08h20 – Atualizado em 29/03/2016 08h30
    Confiança do consumidor volta a cair em março, após duas altas seguidas
    Índice de confiança recuou 1,4 ponto, segundo a FGV.
    Resultado foi influenciado pela piora nas avaliações sobre a situação atual.”

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Chapolin 29 de março de 2016 at 10:34

    Oportunidade para poucos! Uma vista, não para o mar, nem para as montanhas, mas um verdadeiro convite à reflexão. Por apenas R$ 860.000

    “(..)vista para comunidade do Cantagalo, apartamento que traz um olhar sobre o contraste social existente no Brasil.”

    http://www.zapimoveis.com.br/oferta/venda+apartamento+2-quartos+ipanema+zona-sul+rio-de-janeiro+rj+80m2+RS860000/ID-9236532/?paginaoferta=2

    42+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • JJJ_brasilia 29 de março de 2016 at 10:37

      KKKK, vista para o Cantagalo, é bala na janela na certa.

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Marcos CG 29 de março de 2016 at 11:18

      Esse corretor é um piadista nato! kkkk

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • SampaBoy 29 de março de 2016 at 11:29

      Vale a pena comprar 1 pra morar e 1 pra investir como obra de arte

      13+
      • avatar
      • avatar
    • Bruno.12 29 de março de 2016 at 16:23

      Deve ter pirado com a stuação atual. E olha o naipe do ap. que lixo!

      9+
    • Fernando-SSS 29 de março de 2016 at 17:40

      “apartamento que traz um olhar sobre o contraste social existente no Brasil” – MITOU!!!

      8+
  • Alemon Fritz 29 de março de 2016 at 10:41

    Balneário tem o m2 mais caro entre 35 cidades do Sul (orgulho sqn)

    ..devido à crise política e econômica, a construção civil está vendendo o estoque e lançando poucos empreendimentos…

    Unidades lançadas em 2015: 32.431 Residenciais
    e 2.878 Comerciais

    Oferta Atual (dez/2015): 48.917 unidades Residenciais (kkkkkkk!!!, aumentou 16k)
    4.059 Unidades Comerciais.

    temos que explorar o turismo diz a ave…
    http://www.pagina3.com.br/geral/2016/mar/28/5/balneario-tem-o-m2-mais-caro-entre-35-cidades-do-sul
    se os dados forem invertidos ainda assim seria estoque pra 2 anos, e a maioria aps de mais de 2 quartos… (11k o m2)

    4+
    • avatar
    • Cesar_DF 29 de março de 2016 at 12:42

      Pera ai, uma cidade com 130K habitantes tem 49K imóveis residenciais a disposição, que daria para alocar 147K moradores ????
      E ainda existe mais 10K imóveis desocupados (IBGE 2010)
      QUE DOIDEIRA !!!!

      10+
      • avatar
      • avatar
      • JJJ_brasilia 29 de março de 2016 at 13:03

        Cezar,

        São imóveis de veraneio, na maior parte do ano ficam vazios, até porque no inverno as pessoas não vão à praia, maiores informações com o padeiro.

        3+
        • Diego F. 29 de março de 2016 at 18:56

          Aquilo ali é uma loucura. Balneário tem imóvel para mais de 1 milhão de habitantes.

          1+
        • Fernando-SSS 30 de março de 2016 at 08:41

          Alugar para temporada jamais!!!!
          “Isto é coisa de baixa renda” kkkkk

          O Príncipe Africano agradece.

          0
  • Bruna 29 de março de 2016 at 10:51

    Quero ver quando começar a ter ocupação irregular, ação de usucapião. Tem precedentes…

    4+
    • avatar
  • Alemon Fritz 29 de março de 2016 at 11:02

    é devagar, é devagar é devagarinho..

    Para o crédito imobiliário, o conselho curador do FGTS aprovou, no fim de fevereiro, usar 10 bilhões de reais para adquirir Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), mas a programação é que os recursos sejam liberados em três fases.
    Os desembolsos da primeira parcela, de 4 bilhões de reais, vão até o fim de maio. Outros 3 bilhões de reais serão liberados até o fim de agosto e mais 3 bilhões de reais, até o fim de novembro.
    Segundo o conselho, pelo menos 1,8 bilhão de reais de cada parcela deve ser destinado à habitação popular,

    http://veja.abril.com.br/noticia/economia/em-dois-meses-menos-de-3-do-pacote-de-credito-de-r-83-bi-saiu-do-papel

    3+
  • Zek Ariok 29 de março de 2016 at 11:04

    O TD está aberto hoje de manhã, pra variar. E a LFT está pagando 0,02% mais a Selic; ela estava em 0,01% por alguns dias, o que já não é comum.
    O mercado está mesmo desconfiado da insolvência do governo? Se for, então por que as taxas dos outros títulos ainda não decolaram?

    4+
    • avatar
    • Bruna 29 de março de 2016 at 11:17

      Todo mundo em compasso de espera… mas as taxas de juros das NTNBs já achataram ao longo da curva, o que é um sinal importante também. Vencimento em 2035 pagando mais que 2050 também é algo atípico.

      1+
  • Number0101 29 de março de 2016 at 12:08
    • selvagem 29 de março de 2016 at 12:16

      vc foi mais rápido. Muito preocupante. A bolha da caixa sendo escondida por baixo do tabete. Só que esse tapete está tão cheio de sujeira que fede a cemitério.

      4+
      • avatar
      • Number0101 29 de março de 2016 at 12:21

        E não vai quebrar, eles vão pedalar de algum jeito e no final vc sabe quem paga a conta ne?

        Só que antes disso eles vão partir para uma sanguinolenta recuperação de receita e sabe como? Vão tomar imóvel a todo vapor, vão leiloar por qlq valor ! vai empurrar tudo pra baixo !

        6+
        • avatar
  • selvagem 29 de março de 2016 at 12:15

    http://www.oantagonista.com/posts/o-balanco-mas-nao-cai-da-caixa
    O balanço mas não cai da Caixa

    A Caixa Econômica Federal, segundo um especialista ouvido por O Antagonista, está maquiando os seus números — e não é de agora.

    A maquiagem é para esconder principalmente índices alarmantes de inadimplência.

    Quem examina as notas explicativas no balanço do banco, tem dificuldade de entender a barafunda em que a Caixa se meteu. Um exemplo é a reclassificação de seus créditos.

    Mais: todo o lucro do banco no último ano foi graças a um tal de crédito tributário e não a suas operações.

    Para piorar o quadro, a Caixa acabou de ser autorizada por lei a adquirir participações em empresas nada confiáveis

    8+
    • avatar
  • Cajuzinha 29 de março de 2016 at 12:27

    “Neste caso, a experiência de ver várias promoções tentadoras juntas acontecerá totalmente online”, diz Caio Ribeiro, diretor de Mercado Livre Classificados.

    A ação faz parte de uma movimentação do setor para superar a crise. O mês de janeiro deste ano foi marcado por queda de 66,8% em unidades de imóveis vendidas com relação a dezembro do ano passado. Na comparação com janeiro de 2015, as vendas por unidades subiram 28,5%, mas, em termos monetários, também houve uma redução, de 5,4%. Tudo isso tem relação direta com o momento de crise política e econômica.”

    http://m.infomoney.com.br/imoveis/noticia/4797189/mercado-livre-cria-campanha-para-movimentar-mercado-imobiliario

    5+
  • Cajuzinha 29 de março de 2016 at 12:32

    Não era no segundo semestre de 2016?!!!!

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    “ECONOMIA
    Ministro da Fazenda diz que espera volta do crescimento em 2017

    Notícia Publicada em 29/03/2016 12:20

    13+
    • avatar
    • Bolherengo 29 de março de 2016 at 14:14

      E assim, voltamos a ser o país do futuro.

      11+
      • avatar
      • Number0101 29 de março de 2016 at 14:19

        Ele vai ficar sentado esperando aahhahahahaa

        5+
  • jack 29 de março de 2016 at 12:35

    Off Medicina: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2016/03/brasileira-cria-simulador-ultrarrealista-de-cirurgia-e-leva-premio-internacional.html

    Destaco: “Depois, Giselle apresentou seu projeto de bebê simulador a várias universidades, mas ele sempre era recusado. O primeiro “sim” ela ouviu na Universidade Harvard, onde fazia um fellowship na área de planejamento cirúrgico que nada tinha a ver com a proposta do simulador.”

    Não lembro onde vi que no Brasil qualquer idéia/coisa que se tente fazer, ninguém dá uma chance, todos falam que não vai dar certo, etc. Confere para vocês? Citem exemplos!

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Bruno.12 29 de março de 2016 at 16:26

      Aquele neurocientista, que apresentou o aparelho que “faz andar” na abertura das Olimpíadas, também não teve moral aqui no Brazil…

      6+
      • avatar
    • Fernando-SSS 29 de março de 2016 at 18:02

      João Augusto Amaral Gurgel

      5+
      • avatar
  • pinpindonks 29 de março de 2016 at 13:23

    o preco dos bolhudinhos na minha opiniao vai ficar parado por 10 a 20 anos sendo corroido pela inflacao… em 2002 um imovel de periferia valia 25 mil reais (preco de um carro popular) e hoje o mesmo vale mais de 100 k… em 1986 houve uma bolha parecida com essa que estamos vivendo… passou ate no fantastico… e 15 anos depois de 1986, em 2003 os imoveis estavam a preco de banana… e fato… ja aconteceu antes e vai voltar a acontecer agora… em 2030 preco dos imoveis vai ter perdido 60 por cento do valor so pra inflacao… aqui nesse pais, a bananalandia, onde o que reina e a corrupcao e mediocridade ate a queda dos precos e atrasada e lenta…

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Coelho da pascoa 29 de março de 2016 at 13:50

      Sou de Osasco e tenho um amigo que viu um cara colocar a venda por 120 mil um ap que a turma cobra 300 mil, tem ap de 260 metros que dizem que vale 2 milhos que o cara aceita 800k, o buraco eh muito embaixo, um outro amigo me contou que o ap de 67 metros do Jardins do Brasil da Destrutora Azteca ta sendo fechado a vista por 260k sendo que o preço pedido eh 470k, o buraco eh muito baixo, um verdadeiro poço. Imóveis de leilão estão saindo mais de 80% off e logo o crime organizado vai se encarregar das ações de despejo nos apartamentos mais baratos. Ha uma diferença escandalosa entre os anos 80 e nossa década de 10: Nossa população não cresce tão rápido como antigamente, nossos estoques de imóveis vazios so para de crescer em 2019 se eu usar a projeção mais otimista. Creio numa queda de 80%.

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 29 de março de 2016 at 13:43

    subindo…
    Inadimplência no mercado de crédito brasileiro é de 5,5% em fevereiro, diz BC

    5,5% no crédito livre.. (nos EUA o Panico foi de 4% na inadimplencia)
    no total 54% do PIB

    Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/economia/inadimplencia-no-mercado-de-credito-brasileiro-de-55-em-fevereiro-diz-bc-rv1-1-18973760.html#ixzz44JKm8eBG

    3+
  • Seguidor do Bolha BH 29 de março de 2016 at 13:45

    CVR inocente:
    Colega meu do trabalho disse que nenhuma construtora constrói sem vender na “pRanta”, pois se não vender não consegue dinheiro para construir. Mais um 666. Ele não sabe que as construtoras contraem empréstimos a juros módicos na CEF, que cobra do povo juros 2 ou 3 vezes maiores em financiamentos a perder de vista. Fora o preço dos imóveis que ainda estão muito altos, justamente porque imóveis valorizam 30% a.a. #sqn
    Sabe de nada inocente.

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • O Bancário 29 de março de 2016 at 13:47
  • mark 29 de março de 2016 at 14:14

    Andando hoje pela barata ribeiro em copacabana aqui no Hell, percebi que as placas de compra-se e vende-se estão diminuindo, ano passado tinha muito mais. Mais alguem aqui do Hell esta percebendo isso?

    1+
    • Superman 29 de março de 2016 at 14:26

      Mark,
      Existe um movimento em Alphaville (SP) no qual as imobiliárias realizaram um acordo entre si para não colocarem placas de “vende-se” ou “aluga-se” com o objetivo de não escancararem a bolha. Assim quem visita Alphaville, tem a impressão que está tudo bem e que existem poucas unidades para negociação. Mas na verdade Alphaville está toda a venda. É uma maneira de tentar enganar as pessoas menos informadas. Se tiverem placas por todo o lado, um eventual interessado pode barganhar mais…. É isto que as imobiliárias não quererm para não “desvalorizarem” os imóveis ainda mais.

      Será que não está ocorrendo o mesmo em Copacabana?

      29+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 29 de março de 2016 at 14:30

        Exatamente!

        Percebi isso aqui em Aracaju. Imóveis que estavam com a placa de “vende-se” não foram vendidos, mas as placas foram tiradas e continuam sendo anunciados no OLX, p.ex., sem muita descrição do imóvel.

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Skidwasted 30 de março de 2016 at 11:38

      Sim, eu tinha notado isso em BH há uns 2 meses.
      Sumiram as placas de vende-se.
      Forma maléfica de maquiar a realidade.

      0
  • Cajuzinha 29 de março de 2016 at 14:27

    E isso quem está falando é do Data Popular:

    “”Perder dói muito mais que deixar de ganhar”, diz Renato Meirelles

    A ausência de uma parcela da população nas manifestações contra o governo de Dilma Rousseff não significa que ela esteja satisfeita. Ao contrário. O índice de rejeição da presidente de cerca de 80% mostra: o país não está dividido exatamente quanto a esse aspecto. A divergência reside nos motivos para o desagrado, diz o presidente do Instituto Data Popular, Renato Meirelles. Enquanto parte das classes A e B olha com desconfiança para programas sociais da última década e meia, o estrato social intermediário, onde se encontram 54% dos brasileiros, se ressente de “um passo atrás” nas conquistas e exige justamente o aprofundamento dessas políticas. “Perder dói muito mais do que deixar de ganhar”,
    diz Meirelles.”

    6+
    • avatar
  • zedabolha 29 de março de 2016 at 15:49

    Sr. Boss,
    Venho pedir que a Bolha que emita um comunicada sobre as preferencias políticos partidárias, para que a página não se transforme num palanque eleitoreiro, com opiniões indutoras a favor ou contra o governo brasileiro:

    “índice de rejeição da presidente de cerca de 80%”

    “parte das classes A e B olha com desconfiança para programas sociais”

    “Perder dói muito mais do que deixar de ganhar”
    Agradecido.

    1+
    • Money_Addicted 29 de março de 2016 at 15:55

      ??? vc ta passando bem?

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • mark 29 de março de 2016 at 15:57
    • Soy Bananes 29 de março de 2016 at 17:27

      Eu pergunto por ele!!!

      E aí? Vai?

      1+
  • zedabolha 29 de março de 2016 at 16:32

    Tive um amigo que pensei que fosse parceiro. Fizemos faculdade juntos. Ele se mudou para a Região Sul e virou corvetor. Ele é da linha que o negócio é comprar tijolos. Defende a tese de que o mercado não esteve tão bom como está nesse momento. Fui estivando a corda até ele rebentar. Chegou o dia em que resolveu romper a amizade, e não sem antes disparar sua “metralhadora” na minha direção. Adorei. Não sabe ele, o como me senti mais leve. Não se deve ter amigo corvo. São eles lá e nós bolhista aqui.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Bolhudo 29 de março de 2016 at 16:46

    Só Observo !
    -Existem imóveis que nunca serão vendidos, outros que nunca serão pagos, muitos que nunca serão entregues,casamentos que nunca serão desfeitos. Colega que separou precisa vender o bolhudo quitado para repartir com a ex-mulher, está a cinco ano tentando vender, a mulher já tá trocou dois namorados neste período.
    – “O que Deus uniu, o homem não separe” Primo meu separou da mulher, falta ainda 28 anos para quitar o AP da Caixa, financiamento feito com composição de renda 50%, dá pra anular o casamento na Igreja, dá pra divorciar no civil , mas na caixa não tem chorôrô é pro resto das miseráveis vidas ou enquanto durar o financiamento.

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Davy Jones 29 de março de 2016 at 17:00

    Ainda estamos na diretiva — amanhã será o melhor momento para comprar imóveis. Tudo caro ainda, e a queda considerável vem em forma de desconto. Mas quero ver o mercado em linha, em linha com nossa realidade. Fui ver um imóvel hoje, pra alugar. O corvo já veio chorando, dizendo que já tinha convencido a proprietária a reduzir o valor do aluguel por conta da crise — o cara ainda me dá a dica? — coitado . Não me emocionei. Vou lançar proposta pra reduzir mais ainda esse valor que ele colocou no viva real. Nego coloca valor no viva real e não quer que a gente peça desconto? Quanta ingenuidade.

    7+
  • Lucas 29 de março de 2016 at 17:37

    Samy deixa tudo claro como água
    caiu e vai cair mais.
    até segunda ordem.

    até os corvos oportunistas que surfaram na euforia agora querem ver o PT morto

    12+
    • avatar
    • Libertario 29 de março de 2016 at 17:52

      Você diz segunda ordem mundial ?

      1+
  • Cajuzinha 29 de março de 2016 at 18:01


    Por que a queda dos preços não destrava o mercado imobiliário
    José Roberto Castro 29 Mar 2016 (atualizado 29/Mar 17h31)
    Dificuldades em financiamento e negociação de usados são empecilhos para retomada nas vendas de imóveis novos”

    https://www.nexojornal.com.br/expresso/2016/03/29/Por-que-a-queda-dos-preços-não-destrava-o-mercado-imobiliário

    4+
    • avatar
  • pinpindonks 29 de março de 2016 at 19:12

    Cajuzinha

    E isso quem está falando é do Data Popular:

    “”Perder dói muito mais que deixar de ganhar”, diz Renato Meirelles

    A ausência de uma parcela da população nas manifestações contra o governo de Dilma Rousseff não significa que ela esteja satisfeita. Ao contrário. O índice de rejeição da presidente de cerca de 80% mostra: o país não está dividido exatamente quanto a esse aspecto. A divergência reside nos motivos para o desagrado, diz o presidente do Instituto Data Popular, Renato Meirelles. Enquanto parte das classes A e B olha com desconfiança para programas sociais da última década e meia, o estrato social intermediário, onde se encontram 54% dos brasileiros, se ressente de “um passo atrás” nas conquistas e exige justamente o aprofundamento dessas políticas. “Perder dói muito mais do que deixar de ganhar”,
    diz Meirelles.”

    4+

    cara os leiloes tao muito caros na minha opiniao… a avaliacao dos bolhudinhos esta nas alturas… so to esperando esses tribunais atualizarem suas tabelas de precos com precos competitivos e realista porqe senao os meus queridos leiloeiros vao ficar sem comissao nenhuma…

    3+
  • Coelho da pascoa 29 de março de 2016 at 19:25

    CVR OLX Huehuehuehuehe! 😀 Eu si divirto gente!

    Depois do Espaço Pet!
    Espaço Baby!
    Espaço Zen!
    Espaço Espaço!
    Vem aí!!!
    Espaço teleporte!

    A coRva boa das mamatática tá me dizendo que o imóvel fica a 700 metro do hospital Campo Limpo e a 600 metros da estação Autodromo!!! É óbvio que tem um teleporte pro hospital, que fica a 11,4 km do hospital!

    É por isso que eu sempre digo: Podem confiar nos coRvos, eles são formados, entendem do ramo, são altamente confiáveis e qualificados.

    http://sp.olx.com.br/sao-paulo-e-regiao/imoveis/apto-3-dorms-pronto-para-morar-interlagos-233-mil-177260498

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 29 de março de 2016 at 19:41


    Sotere acredita que parte dos clientes desse lançamento será de pessoas que compraram apartamentos quando o preço estava alto e agora que o valor de mercado caiu decidiram solicitar o distrato. “O mercado funciona assim. Quem faz distrato de um empreendimento, recebe parte do dinheiro de volta e investe em outro com preço melhor. E nosso empreendimento visa também atender a esse público”.”

    http://www.reporterdiario.com.br/noticia/2154070/em-plena-crise-incorporadora-aposta-no-mercado-imobiliario-de-s-andre/

    3+
  • Moreira 29 de março de 2016 at 20:05

    PINPINDONKS, como vc chegou no raciocínio apresentado, que transcrevo abaixo? Vc realmente acredita que não haverá redução/readequação real e drástica nos valores de imóveis antes dos próximos 10 anos? Algumas negociações – já de conhecimento notório – não fragilizam seu argumento, como – por exemplo – casos de ap anunciados/vendidos falsamente em 2014/2015 e hj sendo negociados a preços com “descontos” de 25,30 e ou 35% do valor comercializado na PRANTA? Aps com 100 mil reais de “desconto”? Faço essa indagação porque sou recente no Bolha e tb só recentemente procurei me informar de assuntos relacionados e de mercado. Em todo caso, percebo inconsistência no seu argumento diante do que vejo acontecendo no mercado e em relação a alguns comentários presentes no BIB. Gostaria de saber a opinião dos “papas” de BIB e de quem mais puder contribuir. Valeu, galera!

    “o preco dos bolhudinhos na minha opiniao vai ficar parado por 10 a 20 anos sendo corroido pela inflacao… em 2002 um imovel de periferia valia 25 mil reais (preco de um carro popular) e hoje o mesmo vale mais de 100 k… em 1986 houve uma bolha parecida com essa que estamos vivendo… passou ate no fantastico… e 15 anos depois de 1986, em 2003 os imoveis estavam a preco de banana… e fato… ja aconteceu antes e vai voltar a acontecer agora… em 2030 preco dos imoveis vai ter perdido 60 por cento do valor so pra inflacao… aqui nesse pais, a bananalandia, onde o que reina e a corrupcao e mediocridade ate a queda dos precos e atrasada e lenta…”

    1+
    • pinpindonks 29 de março de 2016 at 22:25

      ola moreira! complementando minha conviccao de que o preco dos imoveis sera corroido pela inflacao ao longo dos anos veja 2015 por exemplo, queda de 10 por cento frente a inflacao, acredito que deva haver ate 2018 tambem uma queda nominal devido a fase do despair que esta para acontecer… mas a historia nos diz com certeza que daqui uns anos imoveis valerao de um jeito ou de outro metade do que valem hoje… seja por despair do mercado ou desvalorizacao frente a inflacao…

      0
  • Moreira 29 de março de 2016 at 20:05

    Outra pergunta banal: por que a taxa de juros da caixa subiu?

    1+
    • Coelho da pascoa 29 de março de 2016 at 20:32

      Tem gente muito mais esperta que eu pra responder esta questão, acho que vou ser bem superficial.
      Motivo 1: Entendo que a Caixa seja uma vitrine do governo, ela é responsável pelos grandes programas do governo e fortaleceu o mercado imobiliário através de um crédito com juros abaixados na marra, então se vc olhasse as taxas de juros da CEF há dois anos atrás elas eram de longe as mais competitivas, hoje a Caixa não tem dinheiro pra emprestar (va nos tópicos passados e veja os posts do CA pra compreender melhor, aliás se eu fosse você eu parava de ler meu comentário e ia procurar agora). Acontece que agora a Caixa não tem dinheiro pra emprestar, então ela subiu as taxas de juros pra que não haja tanta gente interessada… Isso é o cumprimento da profecia dos sábios do BIB: “Haverá crédito mas não haverá quem o tome”.
      Então a Caixa anuncia que está emprestando dinheiro só pra dar moral pro governo.
      Motivo 2: Os juros também tem que subir para incorporar os riscos de inadimplência que estão cada vez mais altos.
      Motivo 3: Está na origem do dinheiro, antigamente a Caixa tinha muito dinheiro no FGTS, a remuneração do FGTS não cobre nem a inflação, é 3% mais TR, então a Caixa podia emprestar com juros mais barato, dá uma olhada no fundo pró cotista, outro dinheiro barato que tem é o da poupança, que também não cobre nem a inflação, acontece que o dinheiro da poupança e do FGTS acabou, então eles tiveram que lançar mão de Letras de crédito imobiliário (LCI) pra arranjar dinheiro pra emprestar, e as LCIs tem juros altos, que acabam fazendo a CEF ter que repassar isso pro consumidor.
      Espero ter respondido superficialmente sua pergunta :D.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • pinpindonks 29 de março de 2016 at 22:26

      porque os lastro para credito habitacional que e os depositos em poupanca esta diminuindo…

      0
  • Cajuzinha 29 de março de 2016 at 20:25

    TÓPICO

    Veja isso, CA

    “Foi aprovado junto ao Bradesco o alongamento da dívida corporativa no valor aproximado de 820 milhões, com novo prazo de 72 meses de pagamento e carência de principal e juros durante os primeiros 12 meses, afirmou a Rossi.

    No caso do BB, houve um alongamento da dívida de cerca de 228 milhões de reais, com o novo prazo de 48 meses para pagamento com carência de 18 meses.

    Segundo a Rossi, em ambos os casos as garantias serão constituídas por terrenos, unidades imobiliárias e/ou recebíveis de unidades prontas, além de cotas de controladas da companhia.

    De acordo com o documento, a repactuação permitirá um reforço dos recursos disponíveis da companhia, atualmente em cerca de 200 milhões de reais, adequando a geração de caixa ao fluxo de pagamento, além de criar condições para a venda “com tranquilidade” de seus estoques e ativos, incluindo a eventual venda de participação na sua subsidiária Entreverdes.

    Além disso, disse a Rossi, o acordo reduzirá de forma significativa as despesas financeiras e a retomada do ciclo de lançamentos, que, acontecerá quando os retornos forem “compatíveis com os níveis de risco do mercado imobiliário”.”

    http://m.infomoney.com.br/rossiresid/noticia/4805800/rossi-consegue-alongamento-prazo-mais-divida-com-bradesco

    5+
    • CA 29 de março de 2016 at 21:26

      Cajuzinha,

      Este é parte do resultado da reestruturação das dívidas. Para não fazer com que o devedor “quebre”, os credores aceitam prolongar o prazo, carências com condições “de pai para filho” e topam “garantias” com valores claramente superiores à realidade.

      Para quem acha que isso é “de graça” e não tem nenhum efeito colateral, vamos repassar algumas consequências:

      1) Crédito “novo” para qualquer construtora “seca” e se torna muito mais caro: a PDG na sua reestruturação de dívidas também entubou prejuízos para seus credores, incluindo bancos. Estes fatos forçam os bancos a dificultarem o crédito para todas as construtoras;

      2) A liquidez dos bancos de forma geral, a cada nova ocorrência como esta, vai ficando cada vez pior. Com mais riscos percebidos e menos dinheiro disponível o crédito imobiliário com os bancos privados também vai ficando cada vez mais caro e menos acessível, principalmente quando combinado com a sangria da poupança;

      3) Em função dos itens 1 e 2, os bancos públicos vão ficando cada vez mais sobrecarregados e não dão conta da demanda de crédito imobiliário que vai se acumulando neles. A contabilidade criativa da CEF vai ficando cada vez mais bisonha, começam a surgir temores no PMDB quanto ao uso irresponsável do FGTS à fundo perdido para o MCMV e se tivermos mudança de governo, o “novo” vai querer tirar os esqueletos do armário o quanto antes, caso contrário, sabem que acabarão virando responsáveis pelo que não fizeram.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 29 de março de 2016 at 20:45

    “O saldo negativo é quase o dobro da média estimada por 12 consultorias e instituições financeiras ouvidas pelo Valor Data, que projetavam déficit primário de R$ 13,4 bilhões do governo central em fevereiro. Esse resultado corresponde à diferença entre receitas e despesas, sem contar o pagamento de juros da dívida pública.”

    http://mobile.valor.com.br/brasil/4502838/governo-central-tem-maior-deficit-primario-desde-1997

    3+
    • avatar
  • Coelho da pascoa 29 de março de 2016 at 20:56

    Puxa vida Cajuzinha, isso aí vale como um belo tópico, muito bom, os caras estão fazendo de tudo pra segurar as falências, o Bradesco e o BB pagam de bonzinhos, engolem um calote as avessas perdendo custo de oportunidade pra não ficar ainda pior, o deficit primário recorde também aponta pra novas encomendas de máquinas de impimir dinheiro!

    5+
    • avatar
  • FHMartins 29 de março de 2016 at 22:03

    O balanço mas não cai da Caixa
    Economia 29.03.16 11:46

    A Caixa Econômica Federal, segundo um especialista ouvido por O Antagonista, está maquiando os seus números — e não é de agora.

    A maquiagem é para esconder principalmente índices alarmantes de inadimplência.

    Quem examina as notas explicativas no balanço do banco, tem dificuldade de entender a barafunda em que a Caixa se meteu. Um exemplo é a reclassificação de seus créditos.

    Mais: todo o lucro do banco no último ano foi graças a um tal de crédito tributário e não a suas operações.

    Para piorar o quadro, a Caixa acabou de ser autorizada por lei a adquirir participações em empresas nada confiáveis.

    ‘http://www.oantagonista.com/posts/o-balanco-mas-nao-cai-da-caixa?platform=hootsuite

    2+
    • avatar
  • Cajuzinha 29 de março de 2016 at 22:10


    Especialista do mercado imobiliário, Luiz Antônio França defende uma melhora do arcabouço jurídico para barrar a atuação de especuladores que aumentam o volume de distratos com o desaquecimento do mercado imobiliário. “O distrato mostra um desequilíbrio muito grande entre a incorporadora e o comprador”, avalia o presidente da França Participações.

    Ele também defende uma nova rodada de liberação de compulsório por parte do Banco Central, como a feita ano passado, aumentando os fundos para os bancos para o financiamento imobiliário. “Isso ajudaria a fechar o ciclo do estoque de imóveis que já está no mercado, não para novos negócios”, diz França. ”

    http://www.financista.com.br/noticias/alta-dos-juros-do-financiamento-vai-encalhar-mais-imoveis

    1+
    • CA 29 de março de 2016 at 23:07

      Cajuzinha,

      Aumento na liberação do compulsório para fechar o ciclo quanto ao estoque que já está no mercado? Ué, se precisassem disso não teriam aumentado lançamentos em São Paulo em 78% no mês de jan/16 na comparação com Jan/15, afinal quem tem super estoque e falta de crédito para vender, não opta por um aumento tão absurdo quanto este nos lançamentos, ainda mais em meio a uma crise que está se intensificando, não é mesmo?

      3+
      • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 05:36

        “29/03/2016 19h16 – Atualizado em 29/03/2016

        ” Queda
        Segundo pesquisa do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo, as vendas caíram 17,15% desde junho do ano passado. No entanto, segundo Najar, no Alto Tietê essa queda é de pelo menos 30%. Isso tanto para compra, venda, quanto locações.
        A estratégia das grandes construtoras para chamar clientes que agora estão com medo é oferecer facilidades e até reprogramar lançamentos. E para aqueles que optam pelo cancelamento do contrato, a primeira opção é renegociar. “Na medida do possível a gente chama o cliente para conversar entende a necessidade dele. Às vezes é uma reprogramação da condição de pagamento dele, é flexibilizar o valor da parcela que ele programou para fazer anual e não consegue naquele momento ou na pior das hipóteses trocar ele de empreendimento com metragem menor ou que está em construção”, explica o diretor de assuntos corporativos, Roberto Viegas.”

        http://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/noticia/2016/03/em-tempo-de-crise-especialista-alerta-sobre-compra-de-imoveis.html

        3+
        • avatar
  • bolhista fulano de tal 30 de março de 2016 at 08:24

    Olá pessoal
    Pesquisei na internet e não encontrei qual a taxa de CDI atual do BB. Onde posso acompanhar essa taxa?
    Grato


    CVR
    Colega aqui do trabalho semana passada disse que amigo recebeu uma proposta de ir trabalhar(transferido) para Recife no prazo de 24h e se não quisesse iria ser demitido. Isso pq ele trabalhava certo. Outros 130 colegas dele foram demitidos do dia pra noite. É uma empresa do ramo farmaceutico. É mole?

    3+
    • L.A. 30 de março de 2016 at 08:34
    • mestre dos magos 30 de março de 2016 at 10:30

      Vi uma matéria sobre a crise, e na mesma mostrava alguns brasileiros ingerindo remédios caseiros, garrafadas, chás e coisas do gênero para se tratar. Nenhum ramo saíra ileso dessa crise.

      2+
      • avatar
  • Alemon Fritz 30 de março de 2016 at 08:48

    Inflação do aluguel desacelera em março e sobe 11,56% em 12 meses
    No ano, de janeiro a março, IGP-M já acumula alta de 2,97%.
    De fevereiro para março, indicador passou de 1,29% para 0,51%

    http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/03/inflacao-do-aluguel-desacelera-em-marco.html
    textos confusos..

    0
  • Marcio 30 de março de 2016 at 09:26
    • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 09:32

      “A PDG Realty (PDGR3) registrou prejuízo de R$ 1,969 bilhão no quarto trimestre, ante resultado
      negativo de R$ 222 milhões frente o mesmo período do ano passado. No quarto trimestre, a receita
      líquida da PDG teve 88,3%, para R$ 130 milhões. A margem bruta do período ficou negativa em
      166,8%. A PDG informou também margem bruta ajustada negativa em 149,4%.
      No acumulado do ano passado, a PDG teve prejuízo de R$ 2,76 bilhões, ante prejuízo de R$ 529
      milhões em 2014. A receita líquida anual teve baixa de 57%, para R$ 1,824 bilhão, e a margem bruta
      ficou negativa em 2,3%.”

      4+
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 30 de março de 2016 at 10:06

        terceiro ano de quedas cada vez maiores, mas não é bolha.

        2+
      • Lucas 30 de março de 2016 at 11:09

        tópico
        tópico

        Isso que nem entrou ainda o efeito da lei nova que vai ferrar inadimplentes de condomínio, leia-se a dívida da PDG com os próprios condomínios vai comer o próprio estoque

        que tal CA.

        3+
        • avatar
        • avatar
      • fanfarraum 30 de março de 2016 at 11:46

        Textos da Infomoney sempre sem revisão… Frase “No quarto trimestre, a receita llíquida da PDG teve 88,3%, para R$ 130 milhões.” sem sentido, pq não escreveram “queda de “.

        Pegando do Valor Econômico:

        A PDG Realty teve prejuízo de R$ 1,969 bilhão no quarto trimestre de 2015, ante a perda de R$ 222 milhões em igual período anterior. O resultado e o patrimônio líquido foram afetados, negativamente, por R$ 1,4 bilhão em provisões e ajustes. Já nos ativos líquidos da companhia, o impacto foi de R$ 632 milhões e, no caixa, não houve efeito imediato.

        No quarto trimestre, a receita líquida da PDG caiu 88,3%, para R$ 130 milhões. A margem bruta do período ficou negativa em 166,8%. A PDG informou também margem bruta ajustada negativa em 149,4%.
        Provisões e ajustes

        Do total de R$ 1,4 bilhão relativo a provisões e ajustes, R$ 320 milhões são provisões para devedores duvidosos e R$ 312 milhões se referem a baixas contábeis de terrenos e estoque.
        A companhia contabilizou também R$ 633 milhões em ajustes contábeis nas propriedades para investimento da sua empresa de shopping centers REP e outros créditos a receber, sem impacto nos ativos líquidos e no caixa.

        Trata-se de baixa de ágio de R$ 351 milhões, baixa em participações acionárias e créditos a receber de R$ 202 milhões, baixa contábil de R$ 33 milhões em créditos relativos a depósitos judiciais e impairment líquido nas propriedades para investimento da REP de R$ 47 milhões.

        A PDG provisionou R$ 137 milhões para contingências judiciais prováveis, com possível impacto futuro de caixa.
        No fim de dezembro, a companhia tinha R$ 3,6 bilhões em ativos líquidos.

        Acumulado do ano
        No acumulado de 2015, a PDG teve prejuízo de R$ 2,76 bilhões, ante a perda de R$ 529 milhões em 2014. A receita líquida anual caiu 57%, para R$ 1,824 bilhão, e a margem bruta ficou negativa em 2,3%.
        A margem bruta foi impactada pelos descontos e pelos ajustes nas contas a receber.
        As despesas gerais e administrativas da PDG caíram 29% em 2015, para R$ 258,7 milhões. No quarto trimestre, o indicador teve queda de 33%, para R$ 59,7 milhões.
        O total de funcionários foi reduzido em 60% e, no quadro administrativo, o corte foi de 39%.
        O resultado financeiro ficou negativo em R$ 671,5 milhões no ano, 38% acima da despesa financeira líquida de 2014.

        1+
  • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 09:53

    “Com um cenário onde as perspectivas de melhorias são dificultadas pela incerteza do cenário político, chama a atenção o elevado índice de inadimplência das famílias, que na Bahia atinge a mais de 60% das famílias, alcançando patamar de 70% no país como um todo. “O comércio é o último nicho da economia, mas ele sobrevive se tiver um mínimo grau de confiança de quem produz e de quem compra. E para que isso se restabeleça, é preciso esse esforço conjunto com propostas que mudem o atual cenário negativo em que vivemos”, disse o presidente da FCDL Antoine Tawil. ”

    https://www.tribunadabahia.com.br/2016/03/30/empresarios-do-comercio-se-unem-contra-crise-economica

    0
  • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 10:05

    “Comprei meu imóvel na planta , paguei em 4 anos , prestações altíssimas , intermediárias e tudo mais.
    O imóvel ficou pronto e quitei o restante da dívida à vista.
    Para minha surpresa, paguei o ITBI e não consegui registrar o imóvel.
    O terreno está HIPOTECADO.
    Eles tinham um prazo que já expirou e nenhuma notícia positiva à respeito.”

    http://www.reclameaqui.com.br/TBqVjOHNuXB0qn_z/rossi-residencial/terreno-hipotecado/

    8+
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 30 de março de 2016 at 11:11

      imóvel
      investimento seguro

      já vi essa história antes
      o dono do terreno pode até exigir demolição
      daí entram num acordo como os novos proprietários dos apartamentos

      já digo o resultado, a pendenga jurídica vai se arrastar por anos e custar outro apartamento pra cada comprador.

      2+
    • Fernando-SSS 30 de março de 2016 at 13:03

      QUE M****!!!!

      2+