Alta dos juros do financiamento vai encalhar mais imóveis – O Financista

Você pode gostar...

Comments
  • Seguidor do Bolha BH 30 de março de 2016 at 10:28

    Governo lança nesta quarta faixa 1,5 do Minha Casa, Minha Vida
    http://www.otempo.com.br/capa/economia/governo-lan%C3%A7a-nesta-quarta-faixa-1-5-do-minha-casa-minha-vida-1.1270191

    Em 2015, financiamento para faixa 1 caiu 97% em Minas

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • mestre dos magos 30 de março de 2016 at 10:37

    Um dia um amigo meu estava com um problema, e me pediu um conselho. Ele tinha feito serviços de projeto para uma empresa, e a mesma não queria pagar ele totalmente, devido alguns problemas no prazo de entrega. Ele queria ir para justiça e brigar com a empresa, e que nunca mais iria trabalhar com eles. Aconselhei que era melhor pegar o que iriam pagar, pois na justiça ele iria definhar para receber, e seria mais prejudicial para ele do que para a empresa. Já em relação a não trabalhar mais para a empresa, falei para não fechar a porta, mas que da próxima vez ele fizesse um orçamento cobrando de 60 a 100% o valor que ele cobraria normalmente, ou seja, quem iria dizer não para ele seria a empresa, e não ele.

    Acho que a caixa está com problemas de grana, assim aumentando a taxa, não será a caixa que irá negar o financiamento, mas os clientes que não irão mais conseguir adquirir o mesmo.

    50+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • andy.gamme 30 de março de 2016 at 11:11

      “Algumas vezes o melhor jeito de convencer alguém que está errado é deixá-lo seguir seu caminho.”
      Mestre dos Magos

      42+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Dutra 30 de março de 2016 at 11:00

    “Especialista culpa especuladores e sugere lei para barrá-los
    Especialista do mercado imobiliário, Luiz Antônio França defende uma melhora do arcabouço jurídico para barrar a atuação de especuladores que aumentam o volume de distratos com o desaquecimento do mercado imobiliário. “O distrato mostra um desequilíbrio muito grande entre a incorporadora e o comprador”, avalia o presidente da França Participações.”
    KKKKK … boa tarde das vendas são por conta de investidores, caso eles parem de comprar ai que quase ninguém vai comprar mesmo.

    Hoje no ESTV (jornal regional da globo) os caras me colocam o presidente do Sindicato das Construtoras para falar se está vantajoso comprar imóvel, sempre de forma imparcial conta aquele monte de mentiras sugerindo que sim, questionado por conta do aumento do juros da caixa, disse: o juros aumentou, mas com certeza terá um bom desconto. Entrevista totalmente imparcial, caso fosse um especialista da área que não tenha rabo preso com construtora diria que pode esperar mais, pois a tendência é abaixar os preços. Mas não adianta, pode mudar Presidente, Ministro da Fazenda, etc os estoques estão grandes e aqui no estado diferente do Brasil não despencaram tanto os novos lançamentos e município que eu moro que compreende cerca de 15% da população do estado é onde está cerca de quase 50% desses lançamentos, muitooooooo bom.

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Zek Ariok 30 de março de 2016 at 14:58

      Os especuladores, em certo nível, são até saudáveis para o mercado, visto que conferem liquidez ao mesmo e diluem o risco.
      Poucos especuladores podem lucrar muito se houver muitos idiotas pra quem vender os apartamentos, mas muitos especuladores (nosso mercado imobiliário) não encontrarão idiotas suficientes para repassar seus imóveis bolhudos.
      O que esses especuladores precisam fazer é se profissionalizar, deixar de ser amadores. Se deu ruim, assume o prejuízo e parte pra outra. Nada de ficar de mimimi culpando o governo, a crise econômica, os EUA, a CIA etc pelas próprias burradas.
      Assumam seus erros e PMJ!!

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • tmarabo 30 de março de 2016 at 13:58

      como sempre, fazem atropelando as leis e a população de sampa vai pagar caríssimo pelos terrenos e isto se não forem anuladas as desapropriações, caso em que se vai pagar um caminhão de dinheiro de honorários.

      0
      • tmarabo 30 de março de 2016 at 14:00

        Bom, reanalisando a reportagem, havendo previsão dessa intervenção no plano diretor, talvez estejam cumprindo todas as previsões legais.

        1+
  • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 11:11

    ” postado em 30/03/2016 10:55
    Agência Estado
    São Paulo, 30 – A taxa de desemprego na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) avançou de 14,0% em janeiro para 14,7% em fevereiro, segundo a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) divulgada nesta quarta-feira, 30, pela Fundação Seade. O resultado representa um acréscimo significativo na desocupação após quatro meses de relativa estabilidade.

    O nível do desemprego na região é o mais alto para o mês de fevereiro desde 2007, quando ficou em 15,3%. No segundo mês do ano passado, a desocupação estava em 10,5%. Nesta base comparativa, o aumento no número de desempregados foi de 479 mil, um avanço de 42,1%.”

    http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2016/03/30/internas_economia,748475/desemprego-na-regiao-metropolitana-de-sp-sobe-a-14-7-em-fevereiro-di.shtml

    2+
  • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 11:22

    Rindo muito…

    É incrível a cara de pau da Rossi. Coloca esse preço para depois dar um desconto de 20% e dizer que é para acabar com o estoque

    “Preço: R$904.000

    Detalhes do imóvel

    Tipo: Venda – apartamento padrão
    Área útil: 123 m²
    Quartos: 3
    Vagas na garagem: 2
    Localização

    Município: Aracaju”

    http://se.olx.com.br/sergipe/imoveis/jardins-de-londres-177489015

    4+
    • avatar
    • DRN 30 de março de 2016 at 11:25

      É tudo SURREAL.

      10, 12, 15, 20 mil o metro quadrado.

      Tudo isso é uma grande VIAGEM na MAIONESE.

      Quem comprou nesses patamares será MOTUMBADO de uma maneira avassaladora. O esfíncter ficará desfuncional. Será preciso usar fraldas até o fim da vida.

      35+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • OdeioTijolos 30 de março de 2016 at 12:57

      Essa Rossi é insana , vi no site deles tem mais 2 prédios em construção em Aracaju um deles deve ser triples mais 320m² chamado de mansão Roberto constâncio Vieira. Esse Jardins Londres o aluguel varia de R$2000, 00 a R$ 2300,00 e condomínio de 325 a 400 reais. Acredito se chorar bem , e adiantar 1 ano de aluguel leva por menos de R$ 1500,00. Reza a lenda pelos sites de custo de vida que Aracaju e´umas das cidades com melhor custo x beneficio da Banania. Sei não.

      4+
      • avatar
  • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 11:26

    “Matéria publicada nesta quarta-feira (30) no The Wall Street Journal, conta que as incorporadoras de imóveis têm cancelado projetos, reduzido preços e estão oferecendo incentivos como acesso a jatos particulares para impulsionar as vendas, uma repetição da crise imobiliária que atingiu duramente o sul da Flórida em 2009.

    Segundo a reportagem, financiamento fácil e preços em alta levaram as incorporadoras a construir cerca de 21 mil apartamentos no centro de Miami entre 2004 e 2008. Muitas dessas unidades ficaram vazias durante anos.

    As incorporadoras dizem que, desta vez, elas se protegeram ao exigir que os compradores adiantassem o pagamento de 50% do valor do imóvel até o momento do início da construção do prédio e ao cancelar projetos em vez de seguir em frente mesmo com a desaceleração do mercado.

    Ainda assim, pode não ser fácil para alguns evitar o prejuízo. No quarto trimestre de 2015, o volume de vendas de apartamentos em Miami Beach caiu cerca de 20% ante um ano antes, enquanto os estoques saltaram mais de 30%, segundo relatório da empresa de avaliação Miller Samuel Inc. A mediana do preço de venda caiu 6,6%, de acordo com o relatório.

    “O mercado para apartamentos já atingiu seu pico”, diz Neisen Kasdin, advogado especializado em incorporação imobiliária da Akerman LLP em Miami.

    “A velocidade das vendas caiu consideravelmente.””

    http://www.jb.com.br/economia/noticias/2016/03/30/wsj-sem-compradores-da-america-latina-febre-de-imoveis-de-miami-perde-forca/

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • DRN 30 de março de 2016 at 11:28

    TD segue com taxas sem vergonha.

    Dólar a 3,62

    IBOVESPA caminhando para 52.000 pontos.

    Preciso liquidar minhas petrobostas, realizando o menor prejuízo possível. Alguém tem algo a dizer sobre esse movimento de alta? Falida eu já sei que ela está.

    5+
    • OdeioTijolos 30 de março de 2016 at 12:18

      Depois das Olim- Piadas e do furação Dilma , acredito que esse dólar volte aos 3,90.

      5+
      • avatar
    • JeceValadao 30 de março de 2016 at 16:57

      Qual seu preço médio em petr. Está comprado?

      1+
  • OdeioTijolos 30 de março de 2016 at 11:44

    CVR – Caminhado pelos bolhudo

    Tenho o habito de fazer tudo a pé desde cedo já que de minha casa para para o centro da cidade é uns 10 minutos de caminhada , fiz um percurso de 5km andando de boa em 1h e contei 120 placas entre alugo e vendo. A que mais me chamou a atenção foi de um casarão antigo da década de 50 no centro da cidade que era usado como uma loja de ternos e vestidos de casamento. Fazia uns 2 anos que já estava abandonado o forro de madeira já estava podre e a casa inteira precisando de uma reforma . Vi a enorme placa de vende-se e por curiosidade entrei no site da imobiliária . Quase cai da cadeira quando vi o preço do ANUNCIO , R$ 2.7500.000,00 por um imóvel velho no centro da cidade com terreno de 530 m² , precisando de reformas . Detalhe não aceita financiamento. Só fico imaginando quem seria 666 o suficiente para largar 25k / mês de rentabilidade para comprar um lixo destes.

    29+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Soy Bananes 30 de março de 2016 at 12:53

      Este jamais será vendido… Se transformará numa ruína tomada pelo mato… A prefeitura deveria fazer algo já que duvido que a manutenção seja feita em dia, como você falou, e este local com certeza é um foco perfeito para o Aedes e outras ameaças (animais peçonhentos, por exemplo).

      8+
      • avatar
      • avatar
      • OdeioTijolos 30 de março de 2016 at 13:03

        Deve ser imóvel de herança e a partilha deve ser entre muitos parentes para pedir um absurdo desses. Minha cidade é abandonada não tem prefeito que nem a banania que não tem presidente, chama limeira -sp , campeã em perder empresas por péssima gestão da prefeitura.

        7+
        • avatar
        • Soy Bananes 31 de março de 2016 at 10:57

          Nem preciso perguntar o partido do prefeito… tenho um amigo de Limeira, vou perguntar a ele a situação kkkk

          0
  • fanfarraum 30 de março de 2016 at 11:50

    Prejuízo da PDG soma R$ 1,97 bilhão no quarto trimestre de 2015

    http://www.valor.com.br/empresas/4503264/prejuizo-da-pdg-soma-r-197-bilhao-no-quarto-trimestre-de-2015

    A PDG Realty teve prejuízo de R$ 1,969 bilhão no quarto trimestre de 2015, ante a perda de R$ 222 milhões em igual período anterior. O resultado e o patrimônio líquido foram afetados, negativamente, por R$ 1,4 bilhão em provisões e ajustes. Já nos ativos líquidos da companhia, o impacto foi de R$ 632 milhões e, no caixa, não houve efeito imediato.

    No quarto trimestre, a receita líquida da PDG caiu 88,3%, para R$ 130 milhões. A margem bruta do período ficou negativa em 166,8%. A PDG informou também margem bruta ajustada negativa em 149,4%.

    — Provisões e ajustes
    Do total de R$ 1,4 bilhão relativo a provisões e ajustes, R$ 320 milhões são provisões para devedores duvidosos e R$ 312 milhões se referem a baixas contábeis de terrenos e estoque.
    A companhia contabilizou também R$ 633 milhões em ajustes contábeis nas propriedades para investimento da sua empresa de shopping centers REP e outros créditos a receber, sem impacto nos ativos líquidos e no caixa.

    Trata-se de baixa de ágio de R$ 351 milhões, baixa em participações acionárias e créditos a receber de R$ 202 milhões, baixa contábil de R$ 33 milhões em créditos relativos a depósitos judiciais e impairment líquido nas propriedades para investimento da REP de R$ 47 milhões.

    A PDG provisionou R$ 137 milhões para contingências judiciais prováveis, com possível impacto futuro de caixa.
    No fim de dezembro, a companhia tinha R$ 3,6 bilhões em ativos líquidos.

    — Acumulado do ano
    No acumulado de 2015, a PDG teve prejuízo de R$ 2,76 bilhões, ante a perda de R$ 529 milhões em 2014. A receita líquida anual caiu 57%, para R$ 1,824 bilhão, e a margem bruta ficou negativa em 2,3%.
    A margem bruta foi impactada pelos descontos e pelos ajustes nas contas a receber.
    As despesas gerais e administrativas da PDG caíram 29% em 2015, para R$ 258,7 milhões. No quarto trimestre, o indicador teve queda de 33%, para R$ 59,7 milhões.
    O total de funcionários foi reduzido em 60% e, no quadro administrativo, o corte foi de 39%.
    O resultado financeiro ficou negativo em R$ 671,5 milhões no ano, 38% acima da despesa financeira líquida de 2014.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 30 de março de 2016 at 12:27

      Degradação acelerando ===>>> a caminho do DESPAIR

      3+
      • avatar
    • Shadowflare 30 de março de 2016 at 12:48

      Ia postar a mesma notícia! São 2,75 Bi de prejuízo! Existe possibilidade de salvação? Como ela continua operando? Como ela conseguiu não quebrar no ano passado?

      9+
      • avatar
      • avatar
  • DRN 30 de março de 2016 at 12:19

    taxas que perdi:

    NTNB 2050 7,71 em 23.09.2015

    NTNB 2026 7,43 01.02.2016

    NTNF 16,75 28.01.2016

    Quero ver o osso. Entre impedimento e votação das reformas, com aumento dos juros do FED, creio que teremos uma nova janela. Talvez não tão boas quanto as que passaram, mas com juros melhores que os atuais.

    4+
    • benyvitz 30 de março de 2016 at 12:53

      Também fico me lamentando de ter perdido esta taxa de setembro, achei que chegaria a 8. Até o meio do ano o Temer vai assumir e durante uns 2-3 meses acho que vai ser uma lua de mel depois devem se tocar que não adiantou nada e teremos mais uma chance de ganhar um juros escorchante 🙂

      7+
      • avatar
  • Cesar_DF 30 de março de 2016 at 12:33

    Política e futuro dos imóveis

    Na minha opinião, se houver impeachment, a entrada de investimentos e a confiança dos consumidores provocará um SOFT LANDING, algo entre a curva espanhola e a japonesa.
    Se o impeachment não ocorrer, dai o HARD LANDING atual continuará por mais 2 ou 3 anos, até que ocorra o reequilíbrio com o valor do aluguel (queda de 50 a 70%)

    6+
    • avatar
    • mestre dos magos 30 de março de 2016 at 12:38

      Eu já penso ao contrário. Se a Dilma ficar vai ser soft, se o temeroso entrar e realmente implantar aquele pacote que eles estão soltando na mídia, vai ser hard e dicom força.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • Soy Bananes 30 de março de 2016 at 12:55

        Concordo plenamente com o mestre dos magos… A petralhada vai pedalar até não poder mais, daí continuará este movimento “çófiti” ad infinitum… Entrando outro, de preferência um liberal, daí ele pode implementar medidas para sanear o mercado, neste caso será HARD com força atômica.

        9+
        • avatar
        • avatar
        • Soy Bananes 30 de março de 2016 at 12:55

          A hecatombe será visível da Lua.

          2+
        • Ogami 30 de março de 2016 at 14:24

          Mas desde quando o PMDB é Liberal? Conservador? O PMDB é o diabo… Pra governar faz pacto e o pacto não deixa governar…
          Curioso que eram a base do governo Dilma e também são a base do governo Alkmin.
          Assim como houve a república do café com leite, onde revezavam o presidente da elite Paulista e mineira ou entre monarquistas e republicanos, escravistas e abolucionistas… Vivemos na república do social / Liberal, vermelho / azul, pseudo esquerda / pseudo direita.
          Apenas mudamos a raposa que toma conta do galinheiro…

          14+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 30 de março de 2016 at 13:23
  • OdeioTijolos 30 de março de 2016 at 13:49

    Se um dia a Banania melhorar provavelmente estarei morto a muito tempo. Não da´para esperar que isso aconteça .
    Eu busco e priorizo a qualidade de vida , não me sinto mais parte da banania, se antes faltava 2 anos para atingir x $$$$$ para sumir daqui agora falta uns 6 anos. Não me importo em camelar em 2 ou 3 empregos para atingir a minha meta , mas cade o emprego ???

    Esse governo parasita acabou com pelo menos 1 seculo , isso mesmo , retrocedeu em 50 anos e mais uns 50 para tentar arrumar a bagunça.
    Simplesmente falta tudo na Banania , parece um hospício com os loucos , brincando e rindo correndo para o precipito .

    E`incrível a mentalidade do bananense de achar que questões como politica e economia não agitem a sua pacata vida, eles devem pensar que o simples fato de não darem atenção a esses assunto não terá interferência em suas vidas .
    A inadimplência não para de crescer , o numero de pessoas não estão aguentando pagar o básico , água e luz é incrível e cortando gastos com alimento a qualidade esta caindo e o preço subindo e as embalagem dos produtos encolhendo . . Desemprego em alta e atendimento de serviços uma merda .

    A banania esta entre o seleto grupo de países que não querem o bem para a sua população e escraviza por impostos.

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Louro José 30 de março de 2016 at 15:38

    ‘http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/03/servidores-do-rj-sofrem-com-salarios-atrasados.html

    avisamos

    7+
    • avatar
    • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 15:46

      “Uma das contas que está preocupando o casal é a conta do aluguel. Nos últimos meses, eles conversaram com o proprietário e conseguiram um parcelamento, mas, para o próximo mês, eles ainda vão precisar retomar essa conversa.”

      5+
      • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 15:48

        ““Eu tive um grande desafio quando o Tancredo faleceu e eu tive que assumir o Ministério da Fazenda em uma condição muito adversa. Mas eu tenho que confessar para você que esta é a situação mais trágica no campo nacional e estadual que eu já vi em toda a minha carreira política”, disse Francisco Dornelles.”

        10+
        • avatar
    • Cesar_DF 30 de março de 2016 at 15:56

      Vão dando alimento farto para os peixes no aquário e eles vão se multiplicando, quando atingir uma superpopulação é só reduzir os alimentos que os peixes viram canibais, sobram apenas os mais fortes, que inclusive se acostumaram a se alimentar de outros peixes e não consomem mais ração.
      A violência irá explodir no Hell de Janeiro, irá acontecer uma fuga de cérebros, Hell de Janeiro will be a new Detroit City.

      15+
      • avatar
      • avatar

      • ZenStress 31 de março de 2016 at 08:36

        A situação financeira do ERJ está tão crítica que, em breve, muitas categorias vão parar por impossibilidade de prosseguir trabalhando sem receber salário integral… inclusive polícias e sistema penitenciário. Os pagamentos vêm fracionados e incompletos. Já imaginaram que em algum momento, por falta de recursos e pessoal, será preciso liberar a população carcerária?

        2+
  • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 15:41

    “As linhas aqui traçadas não são fruto de previsão pessimista, mas profundamente realista. No Brasil, hoje, o pessimista é um otimista bem informado. A República tem um governo sem rumo e sem credibilidade.”

    https://www.bemparana.com.br/noticia/436363/governo-sem-esperanca-e-confianca

    7+
    • avatar
    • avatar
  • wade 30 de março de 2016 at 15:58

    Um breve CVR: kitnet que vi anunciada por R$ 900,00 está agora anunciada por R$ 700,00. Queda de pouco mais de 20%. Acho que é a queda mais severa que vi até agora.

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 16:06

    “Banco Central prevê para 2016 dívida bruta recorde
    A instituição também prevê agora a pior relação da Dívida Líquida do Setor Público ante o PIB desde agosto de 2008, no auge da crise financeira internacional”

    5+
    • avatar
  • Observador 30 de março de 2016 at 16:08

    DRN,

    Também triste pelas taxas.

    Tinha uma quantidade legal a 7,79….deu 16% líquido em 44 dias vendi.

    Agora sabe Deus se volta…mas não nos esqueçamos que passada a euforia e o impeachment continuamos com divida PIB na casa de 70%, déficit fiscal, recessão, problemas estruturais, de logística, desemprego, possíveis downgrades a mais, etc., etc.

    Acredito que pelo menos nos 7 nós voltamos.

    6+
    • avatar
  • deuruim 30 de março de 2016 at 16:18

    CVR: Como é triste morar na Banania! Após muita pesquisa e espera de promoção, finalmente comprei um celular, não o I-bolha claro, mas um celular com muitas funcionalidades que custou um valor q considerei “justo” … fui toda feliz correr com ele, pois uso uns aplicativos de corrida, ai lembrei que moro na banania, q os roubos de celulares no meu bairro estão aumentando muito e fiquei a corrida toda tensa, desconfiando de todo mundo na pista. Resultado: to usando o celular velho, q tá quebrado e super ruim pra ir correr, nem se pode desfrutar das poucas tecnologias q temos aqui.
    Aí fico imaginando como alguém tem gente com coragem de andar com celulares bolhudos por aí

    26+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 30 de março de 2016 at 16:30

    Especialista alerta: imóvel entregue com tamanho menor que o anunciado gera indenização
    http://estadodeminas.lugarcerto.com.br/app/noticia/noticias/2016/03/30/interna_noticias,49371/especialista-alerta-imovel-entregue-com-tamanho-menor-que-o-anunciado.shtml

    Caso do Paraná recém-julgado pela Justiça deu ganho de causa por danos morais

    4+
    • avatar
    • avatar
  • zedabolha 30 de março de 2016 at 17:18

    Quem mandou eu não acreditar na Banania?
    Eu fico imaginando como ainda tem gente entusiasmada como a banania. Ontem levei o circulador de ar na loja para fazer manutenção, que precisou trocar a hélice rachada e o eixo do motor o que me estava fazendo aumentar o consumo de energia elétrica. E foi aí que eu tomei uma paulada pelo que ouvi.
    Puxei um papo como o Alex, o dono da oficina, que se mostrou entusiasmado. Ele me contou que em Olaria RJ estão construindo um bloco de apartamentos, com lojas no primeiro piso, onde haverá padaria, restaurante, farmacia, academia de ginásitica, como apartamentos a partir de 500 k Dilmas, tendo todos já sido vendidos. Eu tentei dar um nocaute. Mas, as lojas comerciais da Zona da Leopoldina estão todas fechando. Não vendem nada, pra ninguem.
    Eu tentei ainda argumentar com algo como: Ma, e a crise? O pessoal está sem dinheiro para comprar. Falei em distratos, inadimplencia, e outros termos que nós bolhistas usamos. Mas, que ele parecia desconhecer por nunca ter ouvido falar.
    Eu fiquei ouvindo aquilo tudo, parado como um sapo que se sente enfeitiçado pela jiboia pronta para dar o bote.

    Quase entrei numa crise depressiva grave.
    Pois tem gente, que ainda acredita

    17+
    • avatar
    • avatar
  • Moreira 30 de março de 2016 at 18:03

    É só a maioria que acredita! Ontem também numa rodada de cerveja com amigos só escutei defesas acaloradas dos imóveis como investimentos certos! Puts, baixei a cabeça! Um ainda exemplificou: “no caso do camarada que não é investidor, que não tem tempo pra estudar essas coisas de investimentos, que tem família e tá com 100 mil na conta, vale a pena dar de entrada e financiar”.

    Respirei fundo e agradeci ao BIB e seus precursores!

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 30 de março de 2016 at 18:23

      claro que vale 🙂 nao discuta!!

      6+
      • avatar
  • Moreira 30 de março de 2016 at 18:17

    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2016/03/30/interna_cidadesdf,524771/construcao-civil-estima-fechamento-de-192-mil-postos-de-trabalho.shtml

    “São quase 280 mil desempregados nos últimos três anos, de acordo com levantamento do Sindicato da Construção Civil do DF (Sinduscon-DF)”

    “Não está ruim, está horrível. Está pior do que se imagina. Quase impossível trabalhar em obra”, lamenta o engenheiro civil. Josenildo tinha um emprego fixo e rentável, até o ano passado, em uma empresa de construção.

    “trabalhei muitos anos somente em águas claras, em várias obras, mas, agora, tenho que procurar em outros lugares e até fora de brasília. Mando currículo e as empresas respondem que já receberam outros 500, 600. è bem dificil”

    Professor da UnB Carlos Alberto Ramos “…não se sabe muito bem sobre a bolha do df, se vai conseguir manter o emprego, se o salário vai aumentar. São vários fatores que fazem com que a pessoa seja mais prudente”

    3+
    • avatar
    • avatar
  • claudio 30 de março de 2016 at 18:35

    OAS demiti Gerentão de Segurança do Trabalho, no trecho rodoanel norte, e até o final de semana, vai uma boa leva junto !

    1+
    • avatar
    • claudio 30 de março de 2016 at 18:45

      construçao civil, engenharia, arquitetura, cabou-se, nem o projeto executivo da barragem de mariana existiu, ja pensou agora nas vacas magras!!! ontem fui no zafari/bourbon e sondas matarazzo, nem promoçoes, nem clientes, fraco, fraco!!! nem buteco cheio, se via, com jogo do Brasil, que fase !!!!!

      2+
      • avatar
    • Coelho da pascoa 30 de março de 2016 at 19:20

      Relaxa galera! O gerentão de segurança do trabalho provavelmente é um funcionario fantasma 😀 usado pra superfaturar a obra.

      3+
      • avatar
      • avatar
      • claudio 31 de março de 2016 at 16:00

        deve ser por isso que um tunel desmoronou, la no trecho norte, ocasionando troca de trajeto !

        0
  • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 18:50


    Agência Estado
    Brasília, 30 – O Senado aprovou nesta quarta-feira, 30, a Medida Provisória (MP) 698/2015, que dá às instituições financeiras garantias em operações de financiamento do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) cujas prestações são parcialmente custeadas com recursos do FGTS. A proposta, que passou pela Câmara na semana passada, segue para a sanção presidencial.”

    1+
    • avatar
    • O Bancário 30 de março de 2016 at 18:57

      Ufa, ainda bem. Agora vai!

      0
  • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 18:58

    “Compro imóvel ou aplico no banco?

    Está fácil de adquirir um imóvel, mas difícil de vender. Aplique uma parte no Tesouro IPCA 2019, que ganha com facilidade da inflação, e após se estabilizar pode ser o momento adequado de comprar o apartamento.”
    http://m.cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/mauro-halfeld/MAURO-HALFELD-CBN-DINHEIRO.htm

    3+
    • avatar
  • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 19:06

    CA, veja que interessante essa parte da notícia sobre a Rossi de ontem:

    “Além disso, permitirá a venda, em condições normais de mercado, de seus estoques e ativos, preservando valor para seus acionistas e, de acordo com as condições de mercado, ”

    http://www.segs.com.br/seguros/10115-rossi-anuncia-reestruturacao-de-dividas-financeiras.html

    2+
    • avatar
    • CA 30 de março de 2016 at 20:19

      Cajuzinha,

      Eles dizem isso para tentar transmitir a mensagem para investidores em Ações, especuladores que compram imóveis na planta e outros potenciais compradores de imóveis, que graças a reestruturação da dívida eles poderão praticar preços com menos descontos e com isso manter a rentabilidade do negócio, mas o ponto-chave que faz o link com a realidade é o trecho: “…de acordo com as condições de mercado”.

      Quais são as “condições de mercado”?

      1) Alto índice de desemprego e piorando, queda relevante na renda real e piorando, alto índice de endividamento e inadimplencia das famílias, também piorando;

      2) Sangria da poupança que abastece o crédito imobiliário aumentando, como esta é a principal fonte de crédito imobiliário barato, faz com que o crédito imobiliário fique cada vez mais escasso e caro, o extra do FGTS para o ano todo de 2016 só cobre a sangria da poupança até abril;

      3) Desproporção entre estoque e vendas para todas as construtoras e para o mercado como um todo (incluindo usados) nunca esteve tão anormal e também está piorando, assim como a inadimplencia do crédito imobiliário está crescendo e cada vez mais ameaçadora para bancos, o que leva a mais restrição de crédito imobiliário e juros mais elevados;

      4) Ameaça do PMDB cessar com a sangria do FGTS para o MCMV, o que não afeta diretamente a Rossi, mas impacta no mercado como um todo, aumentando ainda mais as distorções gritantes entre oferta e procura.

      A Rossi é uma das construtoras com pior relação entre estoque e vendas, isso significa que o custo pesa demais e não há receita suficiente para cobri-lo, sem contar que em algum momento a Rossi terá que contabilizar o valor real de seus ativos e quando isto acontecer, será como o resultado da PDG em 2015, um prejuízo BILIONÁRIO, o que fatalmente se refletirá em perdas das garantias dos bancos credores e nova escassez de crédito e juros ainda mais elevados para captar dinheiro.

      Considerando o que consta acima, a Rossi deverá no curtíssimo prazo TENTAR manter o seu BLACK FRAUDE, até para não gerar mais distratos de investidores, além disso intensificando renegociações com quem está distratando e oferecendo imóvel menor, desconto, etc. para TENTAR conter novas disparadas nos distratos. Se ela conseguir algum caixa, via empréstimos com bancos (muito difícil de conseguir porque acabou de “entubar” prejuízos para credores), fará alguns lançamentos para poder aumentar o volume de vendas FALSAS na planta e SIMULAR uma recuperação mirabolante, como vimos para o mês de janeiro em São Paulo pelo relatório do SECOVI SP.

      Tudo que consta acima já estava nas minhas “contas” quando estimei termos 60% de chance que a explosão mais visível e abrangente da bolha imobiliária, com a maior redução de preços, irá ocorrer entre o segundo semestre de 2016 e primeiro semestre de 2017. O motivo é que estas ações apelativas tem um efeito cada vez menor, é a entropia se fazendo cada vez mais presente…

      4+
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 20:57

        Exatamente, e tem mais, no caso dos distratos que ainda estão ocorrendo, a Rossi vai ter que desembolsar uma grana e aumentar suas despesas com condomínio e IPTU.

        2+
        • avatar
  • Cesar_DF 30 de março de 2016 at 20:26

    Desemprego em alta.
    Administração pública e serviços são os setores que registraram maior queda na oferta de emprego na capital do país. Apenas no mês de fevereiro, 16 mil vagas foram fechadas

    A taxa de desemprego registrou nova alta no Distrito Federal, chegando a 17,2%. Com isso, o contingente de desempregados na capital da República atingiu 265 mil pessoas. Em apenas um mês, entre janeiro e fevereiro deste ano, foram fechados 16 mil postos de trabalho. Isso quer dizer que a cada dia, 552 trabalhadores foram demitidos. No acumulado em 12 meses, os números dão a real dimensão da recessão na economia brasiliense: 41 mil vagas foram eliminadas.

    O setor de serviços, que lidera a geração de empregos no DF, é um dos mais afetados pelas crises política e econômica. Foram 28 mil vagas eliminadas em 12 meses. O mesmo ocorreu com a administração pública (contratação de servidores, comissionados e terceirizados), que apenas em fevereiro demitiu dois mil trabalhadores e, no acumulado de 12 meses, oito mil.

    2+
  • Cesar_DF 30 de março de 2016 at 20:28

    Aumenta número de brasilienses que não conseguem pagar as contas

    O cartão de crédito continua sendo o maior motivo das dívidas. Do total dos endividados, 87,8% se declararam comprometidos nessa modalidade. Dentre as famílias com contas em atraso, 38,1% disseram ter condições de quitar suas dívidas totalmente e 56,9% afirmaram ter condições de quitar o montante parcialmente. Outros 2,5% declararam não ter condições de pagar.

    1+
  • Cesar_DF 30 de março de 2016 at 20:33

    Índice de miséria salta 6 pontos e alcançará 20% em 2016

    https://p2.trrsf.com/image/fget/cf/940/0/images.terra.com/2016/03/07/4159.jpg

    3+
  • Cajuzinha 30 de março de 2016 at 21:01

    “G1, em Brasília
    FACEBOOK
    O Ministério do Planejamento divulgou nesta quarta-feira (30), por meio de edição extraordinária do “Diário Oficial da União”, mais detalhes sobre o bloqueio extra de R$ 21,2 bilhões, anunciado na semana passada.
    Segundo os números do governo federal, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) teve seu limite de gastos limitado em R$ 3,21 bilhões, com a autorização para despesas, em todo este ano, caindo de R$ 26,49 bilhões para R$ 23,28 bilhões.
    Neste mês, após a cerimônia de posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro-chefe da Casa Civil, a presidente Dilma Rousseff publicou um decreto que transfere a gestão do PAC do Ministério do Planejamento para a Casa Civil. Lula, porém, ainda não assumiu o cargo.
    Minha Casa Minha Vida
    O anúncio aconteceu no mesmo dia em que o governo lançou, em uma cerimônia no Palácio do Planalto, a terceira fase do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida (MCMV), que terá a meta de entregar 2 milhões de moradias populares até 2018. O MCMV está dentro do PAC.
    Nos dois primeiros meses deste ano, os gastos do PAC já haviam recuado. Segundo números do Tesouro Nacional, as despesas do PAC caíram 6,8%, para R$ 6,96 bilhões, contra R$ 7,46 bilhões em igual período do ano passado.
    Já as despesas do Minha Casa Minha Vida tiveram uma queda mais forte ainda no primeiro bimerstre. Os números oficiais mostram que esses gastos somaram R$ 1,24 bilhão em janeiro e fevereiro deste ano, contra 2,75 bilhões no mesmo período do ano passado – uma queda de 54%.”

    0
  • pinpindonks 30 de março de 2016 at 21:13

    kkkk rindo pesado aqui com esse anuncio de um AP de 200 metros de area util para alugar por 2000 mil reais, um ape desses na minha cidade esta avaliado em 700 800 mil reais… uma retabilidade de 0,25 por cento… sendo que lci ta pagando mais de 1 por cento ao mes… kkkkkkkkk segue o link http://sp.olx.com.br/regiao-de-sao-jose-do-rio-preto/imoveis/apto-na-vila-imperial-155071157

    2+
  • Abutre v. 2.0 - Agora mais opressor!!! 30 de março de 2016 at 21:40

    Isso já foi dito aqui inúmeras vezes, em especial mais recentemente, mas é que é tão bom, que precisa ser repetido.

    O povo no trabalho, de modo geral, sem ter recebido aumento algum e com a inflação comendo a renda, acaba não dando conta de pagar as contas (parcelinhas do carro, parcelinhas da casa, parcelinhas da viagem para a Europa) e depois quer para eu ficar com “peninha” porque o banco tá cobrando “juros extorsivos”. Olha…banco tem que cumprir contrato, ponto: não pagou, toma o bem! Na hora de “bancar o gostosão” e me chamar de “pão-duro”, todos riam, mas agora todo mundo choraminga e quer a cabeça da Dilma. Como é a vida!!!

    Não é que eu queira o mal dessas pessoas ou que eu comemore a desgraça alheia, longe disso, pois já falei que não quero me macular com sentimentos indignos. Hoje sou apenas INDIFERENTE, e tal como creio, a lei da ação e reação é infalível – o que se planta é o que se colhe.

    Lembram do meu comentário épico sobre “o que se espera e o que se tem?”. Por exemplo: é lógico que sei que se eu não cuidar da minha saúde, vou ter problemas no fígado que talvez venham a me levar a óbito um dia…e eu não vou poder alegar ignorância. Se a gente de fato quer algo diferente, é preciso AGIR diferente.

    Para finalizar: tudo me é permitido, mas nem tudo meu convém. Apliquem essa máxima em suas vidas e serão felizes. Se não conseguirem levar a cabo esse ensinamento, lembrem-se dele, pois eventualmente irá ajudá-los.

    Um forte abraço da ave mais odiada e querida do Brasil.

    19+
    • avatar
    • From_The_Tower 31 de março de 2016 at 10:46

      PNJ !
      Avoa pro Caribe ! 😉

      0
    • DRN 31 de março de 2016 at 10:50

      Livre-arbítrio.

      2+
  • Cajuzinha 31 de março de 2016 at 05:36


    Imagem da história para mercado imobiliario de Folha de S.Paulo
    Folha de S.Paulo
    ‘Governo precisa reconhecer que seu tempo passou’, diz CEO da …
    Folha de S.Paulo-3 horas atrás
    Como está a empresa? Eu vivo do mercado imobiliário e não tem um mercado imobiliário hoje. Tem o …”

    4+
    • Rolde 31 de março de 2016 at 06:41

      (Escangalhado seria um adjetivo carinhosos)

      2+
  • Palmeirense Bolhudo 31 de março de 2016 at 07:46

    CRV – Terreno sempre valoriza

    Ontem na acadimia, vem um cara de uns 20 anos no máximo me oferecer um carro para comprar, e começa contar uma historia de sucesso, compra e vende carro batido e ganha 100% sem fazer nada nos carros, e que vai vender esses carros e vai comprar 2 terrenos, por que o pai comprou um terreno uns anos atrás por R$ 40 k e hoje adivinha quanto vale?!? Vale R$ 1.000.000,00 dilmas, nossa deu vontade de rir muito, não consegui nem sorrir e acenar, fiz uma cara de paisagem, não vai mesmo, a bananina já era.

    5+
    • avatar
  • Cesar_DF 31 de março de 2016 at 08:04

    Construção civil estima fechamento de 192 mil postos de trabalho no DF

    Sem obra, não há emprego para o pedreiro, para o engenheiro civil, muito menos para o mestre de obras. De 2013 para cá, o setor da construção civil da capital passou por reduções significativas em toda a cadeia produtiva. No fim de tudo, o maior impacto é sentido no fechamento de postos de trabalho. São quase 280 mil desempregados nos últimos três anos, de acordo com levantamento do Sindicato da Construção Civil do DF (Sinduscon-DF). Em cenário mais recente, a conta também desanima. A Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do DF (Ademi) estima 192 mil empregados atingidos pela recessão.

    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2016/03/30/interna_cidadesdf,524771/construcao-civil-estima-fechamento-de-192-mil-postos-de-trabalho.shtml

    3+
    • avatar
  • L.A. 31 de março de 2016 at 08:49

    CVR estatal

    A folha de pagamento do RS é gerada com 9 faixas de pagamento, e todas devem ser pagas sequencialmente.
    A folha do mês de Fev/2016 foi paga da seguinte forma:
    29.02.2016 – R$ 2.300,00 (três faixas: R$ 1.750,00, R$ 250,00 e R$ 300,00)
    02.03.2016 – R$ 350,00
    07.03.2016 – R$ 400,00
    09.03.2016 – R$ 1.150,00 (duas faixas: R$ 500,00 e R$ 650,00)
    11.03.2016 – Saldo dos vencimentos

    Hoje, já foram pagos R$ 1.250,00 (uma faixa), com, talvez, alguma perspectiva de recebimento de mais algo no final do dia (R$ 250,00 é a segunda faixa).
    A previsão é realizar o pagamento até o dia 19 de abril.
    Detalhe: em Abril ocorre o vencimento do IPVA para TODOS os veículos, gerando uma receita adicional.

    Imaginem o resto do ano.

    4+
    • avatar
    • DRN 31 de março de 2016 at 10:52

      O que mais me emputece no RS, estado de que eu gosto muito porque fiz umas 100 audiências ao longo de 5 anos nas mais diversas cidades, é o salário dos PMs. RS é um estado superavitário e os PMs ganham uma MERRECA. Trabalham muito mais do que os PMs do DF, mas os do DF são ELITE, RICOS, ganham uma fortuna perto dos PMs do RS.

      INJUSTO DEMAIS.

      2+
      • DRN 31 de março de 2016 at 10:57

        -http://anermb.com.br/?p=840

        Salário do DF descolado da realidade para uma unidade da federação que não produz um prego sequer.

        5+
      • L.A. 31 de março de 2016 at 11:39

        DRN, a questão é que não tem dinheiro mesmo.

        0
  • Louro José 31 de março de 2016 at 08:58

    De mal a pior
    A presidente Dilma deixou de governar porque deixou que as contas públicas se deteriorassem e que estas, por sua vez, deteriorassem o resto

    Tags: Celso Ming, Déficit Público, Crise Econômica, Dívida

    Celso Ming

    30 Março 2016 | 21h 00

    O rombo das contas públicas (déficit primário) vai assumindo proporções preocupantes. Apenas em fevereiro alcançou R$ 23 bilhões, um recorde. O resultado acumulado em 12 meses é de despesas superiores às receitas de R$ 125,1 bilhões, ou 2,11% do PIB.

    Relacionadas

    Com rombo de R$ 23 bi, setor público tem déficit recorde em fevereiro
    Crise fiscal não será resolvida com magia, diz Barbosa
    Leia aqui outras análises do colunista Celso Ming

    Cada rombo tem de ser coberto com aumento da dívida. Como a necessidade de financiamento está em franca disparada, a dívida bruta vai atrás. Em 2015, fechou em 66,2% do PIB, neste ano poderá saltar para os 74,0% do PIB e daí, para o que Deus quiser. É como ganhar R$ 10 mil por mês, mas manter uma dívida de R$ 66 mil, que ameaça disparar para R$ 74 mil e, depois, para R$ 80 mil. É como seguir rolando a dívida no cartão de crédito: logo o sujeito fica arruinado.

    Resultado primário do setor público
    Resultado primário do setor público

    É terrível engano afirmar que isso acontece só porque a recessão corroeu a arrecadação. É a despesa que cresce muito mais do que o PIB e do que a arrecadação, mesmo em tempos normais.

    No 1.º bimestre do ano passado, por exemplo, a despesa total do governo federal aumentou 16,8%, mas a receita cresceu apenas 6,4%. Não é verdade que o governo federal está fazendo de tudo para segurar o caixa. Ao contrário, os sinais são de que está soltando as rédeas.

    No caso da Previdência, os números mostram uma situação gravíssima. Em 15 anos, despesas com benefícios do INSS saltaram de 5,4% do PIB (em 1999) para 7,4% do PIB (em 2015).

    A resposta adequada para esse forte crescimento do dispêndio não é só a simples compressão do gasto público, embora ela também seja necessária; são as reformas estruturais. Os sindicatos e as esquerdas não querem saber da reforma da Previdência baseada no aumento da idade mínima para aposentadoria.

    Querem que, antes, o governo cobre as dívidas das empresas com o INSS, que ao fim de 2015 somavam R$ 374 bilhões. Fácil falar. Boa parte dessa dívida é de empresas que já faliram. Apresente-se quem for capaz de cobrar os R$ 3,6 bilhões que a Varig deve para o INSS e o R$ 1,6 bilhão de passivo da Vasp.

    Outra afirmação descabida é a de que a principal causa do avanço da dívida é a despesa com juros. É verdade que é uma enormidade. Acaba de ultrapassar os R$ 510 bilhões por ano, ou 8,6% do PIB. No entanto, chegaram a tudo isso não só porque o Banco Central foi obrigado a puxar os juros básicos para 14,25% ao ano para combater a inflação, mas, principalmente, porque a política fiscal, a mesma que expandiu as despesas públicas para 19,5% do PIB, tornou-se o principal fator de inflação.

    A presidente Dilma não está sendo empurrada para fora do governo porque o Congresso, o Judiciário e as ruas sejam golpistas, como ela repete. Deixou de governar porque deixou que as contas públicas se deteriorassem e que estas, por sua vez, deteriorassem o resto. O governo não percebeu que o programa de ação política não cabe mais no orçamento.

    O estado fiscal alarmante é a principal razão pela qual ninguém pode esperar moleza com a provável troca de governo. Vai exigir competência administrativa e correta distribuição do sacrifício. E, acima de tudo, vai exigir coesão política, o que pode ser difícil de obter nesse clima conflagrado em que vive o País.

    CONFIRA:

    Evolução da dívida bruta do governo geral
    Evolução da dívida bruta do governo geral

    O gráfico mostra como evolui a dívida bruta do governo geral.

    É mais embaixo

    Num pedaço de seu pronunciamento desta quarta-feira, o ministro do Supremo Marco Aurélio Mello está carregado de razão. Não basta mudar o portador da faixa presidencial. É preciso encontrar soluções politicamente aceitáveis para a crise da economia. O problema é que, até agora, a presidente Dilma nem reconheceu seus graves erros de condução da política econômica nem conseguiu liderar as reformas. É seguir por mais dois anos e nove meses nessa encalacrada?

    5+
    • avatar
    • DRN 31 de março de 2016 at 10:24

      Ontem no Jornal da GROBO, mostraram o gráfico da projeção da dívida para o ano que vem: mercado 83% e governo 72-73% (não lembro exatamente).

      Qualquer número assusta.

      O poder de compra do real está por um fio.

      3+
      • DRN 31 de março de 2016 at 10:42

        Basicamente assim:

        Tínhamos uma terra fértil. O PT foi lá e contaminou a terra. As plantas estão morrendo. Vamos ficar sem comida. Quem assumir terá de salvar a lavoura e descontaminar a terra. Tarefa bastante difícil.

        3+
        • avatar
  • Louro José 31 de março de 2016 at 09:22

    Déficit dos fundos de pensão cresce 151%

    Murilo Rodrigues Alves – O Estado de S.Paulo

    31 Março 2016 | 05h 00 – Atualizado: 31 Março 2016 | 05h 00
    No ano passado, segundo levantamento da Previc, o sistema registrou um rombo de R$ 77,8 bi; 241 planos terminaram 2015 no vermelho

    Funcef, Previ e Petros são sócios da Sete Brasil

    Funcef, Previ e Petros são sócios da Sete Brasil

    Relacionadas

    FI-FGTS reconhece perda de R$ 1 bi com investimento na Sete Brasil
    Mais de 30% do FI-FGTS estão em empresas da Lava Jato

    BRASÍLIA – O déficit dos fundos de pensão aumentou 151% em 2015. O sistema todo fechou o ano passado com rombo de R$ 77,8 bilhões, segundo levantamento da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), xerife do setor. Em 2014, o déficit acumulado do sistema foi de R$ 31 bilhões. De acordo com o órgão, 241 planos ficaram no vermelho em 2015.

    Dez planos concentram 80% do déficit de todo o sistema, sendo nove patrocinados por empresas estatais, das quais oito são federais. Os três maiores – Previ (dos funcionários do Banco do Brasil), Petros (Petrobrás) e Funcef (Caixa Econômica Federal) respondem por mais de 60% do rombo de todo o sistema. A Previ informou déficit de R$ 16 bilhões no ano passado e a Funcef, de R$ 13,2 bilhões. O rombo da Petros – que ainda não foi divulgado – deve chegar a R$ 20 bilhões.

    Um plano de aposentadoria registra déficit quando os ativos não são suficientes para pagar os benefícios previstos até o último participante vivo do plano. A nova regulação não exige o equacionamento de todo o déficit. A norma em vigor permite que planos com população mais jovem tenham mais tempo para administrar os desequilíbrios.

    A Previc calcula em R$ 39 bilhões o valor que deve ser equacionado pelos planos a partir de 2017, o que deve exigir contribuições extras de patrocinadores, participantes e assistidos. Em relação ao déficit acumulado de 2014, as novas regras diminuíram de R$ 23 bilhões para R$ 16 bilhões o valor que tem de ser coberto pelos fundos neste ano.

    A indústria dos fundos de pensão é composta por mais de 300 entidades, que administram 1.122 planos de benefício. Juntas, elas detêm mais de R$ 700 bilhões em investimentos. Do total dos planos, 393 fecharam 2015 no azul, com saldo positivo de R$ 13,8 bilhões. Outros 488 terminaram o ano em “equilíbrio técnico”.

    A Previc esclareceu que os números ainda são preliminares e podem variar em razão da precificação dos títulos públicos federais atrelados a índices de inflação que compõem a carteiras dos planos. O impacto desse ajuste – que só acabará em julho deste ano – deve ser positivo, o que reduzirá o déficit em cerca de R$ 5 bilhões, segundo estimativa do órgão.

    Contexto. O resultado de 2015, segundo a Previc, reflete o “contexto econômico adverso”, sobretudo para os investimentos em ações e crédito privado, relacionados ao desempenho da economia e do mercado financeiro.

    O principal índice de mercado de ações de São Paulo, o Ibovespa, caiu mais de 10% em 2015. A Previc também destaca outros dois pontos: o impacto negativo da alta inflação (o índice oficial fechou 2015 em 10,67%), que corrige as reservas matemáticas e aumenta as metas nominais de rentabilidade das carteiras, e o aumento da longevidade da população.

    “Sob a óptica de supervisão prudencial, a apuração dos resultados exige atenção, mas não indica comprometimento da solvência agregada do sistema, que segue sob rígido acompanhamento da Previc”, diz a superintendência. No entanto, casos de fraude e má gestão motivaram a criação de uma CPI na Câmara dos Deputados, para apurar irregularidades dos fundos ligados às estatais.

    Exemplo de investimento sob suspeita que reúne os maiores fundos de pensão do País é a Sete Brasil, empresa criada para fornecer sondas para Petrobrás. Previ, Petros e Funcef são sócios da companhia, que está à beira de pedir recuperação judicial.

    1+
  • DRN 31 de março de 2016 at 10:22

    Onde está o deputado?
    Brasil 31.03.16 06:40

    O mapa do impeachment do Vem Pra Rua contabiliza 118 votos a favor de Dilma Rousseff, muito distante dos 171 votos de que ela precisa para se salvar.

    O Palácio do Planalto sabe que nunca conseguirá atingir esse número.

    A tática, de fato, é comprar deputados avulsos para que eles se ausentem no dia da votação, impedindo a maioria de 342 votos necessários para aprovar o impeachment.

    2+
    • DRN 31 de março de 2016 at 10:23

      Dólar a 3,57.

      Janela vai ficando cada vez melhor até a véspera de votação do impeachment. Se não conseguirem os 342 deputados, haverá uma oportunidade ímpar de realizar muito lucro com dólar em pouquíssimo tempo. Se a projeção é de R$4,15-4,30 para o final do ano MESMO com o impedimento. Imaginem sem.

      3+
      • From_The_Tower 31 de março de 2016 at 10:43

        Serão momentos tensos.
        É complicado acertar o momento exato.
        Eu vou de estratégia mista: Dólar e Juros.

        2+
        • DRN 31 de março de 2016 at 10:46

          Tem de mandar na janela, esperar a alta, retornar metade e aplicar em juros e assim vai.

          0
          • From_The_Tower 31 de março de 2016 at 10:50

            Isso mesmo. Aproveitar as janelas e saber a hora de realizar.

            0
  • Espectador 31 de março de 2016 at 10:51

    Interessante acompanhar os últimos dias do setor imobiliário, cada um querendo puxar a sardinha (literalmente) pra sua brasa kkk
    http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,setor-imobiliario-teme-esgotamento-do-fgts-apos-mudanca-de-regra,10000024042

    1+
    • DRN 31 de março de 2016 at 11:01

      Mercado imobiliário acabou.

      Estoque elevado.
      População sem confiança e perdendo renda.
      CONTRAINFORMAÇÃO (muito mérito deste BROG nisso) desmistificando o PONZI formardo (a busca pelo tolo maior)
      Acabou o FUNDING (FGTS e poupança).

      Terra arrasada.

      4+
      • avatar
      • From_The_Tower 31 de março de 2016 at 11:03

        Não há renda para esse preços.
        Quem tem a renda já tem imóvel e ou não tem interesse em tijolos caros.
        Cabôu-se !
        Mesmo dando desconto ou torrando por 70% OFF não vai ter quem compre todo esse estoque.

        2+
        • DRN 31 de março de 2016 at 11:05

          A grande sacada, o ápice deste BROG, foi o momento em que sintetizamos o modo de calcular o preço justo dos imóveis.

          Quando vinculamos RENDA, CUSTO DE OPORTUNIDADE DO DINHEIRO e VALOR DO ALUGUEL, arrombamos, tecnicamente, o PONZI dos caras.

          Isso foi um momento mágico. Lembro desse tópico.

          6+
          • avatar
          • DRN 31 de março de 2016 at 11:07

            Lucas teve muito mérito nisso aí.

            O CA é DEZ. Textos muito robustos e lastreados. Técnica invejável. Mas vai dar para um bananense médio, analfabeto funcional, um texto daquele. O cara CANSA só de ver o tamanho do texto. Não entende BOSTA nenhuma.

            Agora quando vc explica a relação aluguel, renda e custo de oportunidade. Bom, daí a coisa muda de figura.

            3+
            • Lucas 31 de março de 2016 at 17:14

              o apice pra mim foi quando mesmo fazendo as contas certinhas, os preços pareciam continuar subindo
              um misto de desinformação, discalculia com o fato que especuladores continuam por inércia

              teve uma frase boa sobre isso, não lembro bem: “o mercado pode continuar mais tempo insando do que seu caixa pode aguentar”.

              isso resume tudo, o fingezap continua insano, as pessoas de fato não conseguem comprar o que elas querem quando elas querem, mas isto não muda o fato de que os comprados, mais dia menos dia, terão que arcar com o custo de suas escolhas.

              Inclusive a cosia foi tão longe que o custo é jogar um país inteiro numa crise épica, inclui aí a questão política de gente nefasta, seja por maldade, seja por imbecilidade.

              0
          • Louro José 31 de março de 2016 at 11:31

            sensacional trabalho de inteligência conjunta do blog
            o coletivismo, raras vezes, tem alguma serventia.

            6+
  • Espectador 31 de março de 2016 at 11:14

    Do lado dos compradores entramos na fase de esperar os preços baixarem para comprar, pelo lado dos proprietários (vendedores) daqui a pouco começa a corrida pra vender antes que perca mais valor…vai ser lindo de vê-los se estapeando pra ver quem vende mais barato

    4+
    • avatar