Número de pessoas que compram e desistem de imóvel na planta aumenta em SP – Bom Dia Brasil

Você pode gostar...

Comments
  • Azufre 19 de fevereiro de 2016 at 09:43

    Mais uma vez não é novidade.

    Muito antes de sair na imprensa e nas agências de classificação de risco, o CA antecipava aqui. Anos antes!

    BI, quem lê, sabe primeiro.

    57+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 19 de fevereiro de 2016 at 09:45

    Contagem regressiva até a Globo falar abertamente sobre a bolha e fazer um bobo reporter alertando o populacho.
    Quem sabe aí o pessoal acorde para a realidade.

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • pequenoBolhudinho 19 de fevereiro de 2016 at 09:45

    Na minha opinião, o mercado imobiliário é igual o de ação, você precisa saber a hora de entrar e sair.

    Se você compra algo sem fazer um levantamento do que pode acontecer no futuro, você é que tem que arcar com o prejuízo, no caso do exemplo do vídeo, ele investiu errado, agora ele que pague por isso.

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Julio 19 de fevereiro de 2016 at 10:14

      Sim, entrar antes do ano 2.000 e sair antes de 2009.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • dilbertsc 21 de fevereiro de 2016 at 10:26

      É bem nessa mesmo.
      Os espertalhões caíram no conto do corvetor e agora se setem enganados. O certo pra esse bando de investitrouxa é realizar o prejuízo, como acontece no mercado de ações.

      1+
      • avatar
  • pequenoBolhudinho 19 de fevereiro de 2016 at 09:47

    E mais eu acho que deveria haver uma multa para quem fizer distrato, pois é um investimento que você está fazendo, se o imóvel ficou mais caro ou barato o problema é seu, você que quis investir no imóvel antes de ele ficar pronto.

    21+
    • avatar
    • avatar
    • eam 19 de fevereiro de 2016 at 09:55

      A multa são os 10, 20, 30% ou mais que as construtoras não devolvem pro comprador, caso o distrato seja realizado.

      O diabo é que nem isso estão fazendo, pq não têm dindin em caixa… ou seja, tome na kbça “investidor” !

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Zé do Brejo 19 de fevereiro de 2016 at 11:49

        Mais engraçado o Rodrigo Boquinha indignado que a construtora está vendendo mais barato…hahahaha
        Acho que ele está em situação igual ou semelhante. 🙂

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Carlos 19 de fevereiro de 2016 at 09:47

    Sybase, o cara devia usar uma camisa escrito “sem base”.
    Que dó… já passou }:B

    4+
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 19 de fevereiro de 2016 at 11:47

      A reporter segurou o “AGORA RECEBA”!

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • MINEIRO SPY 19 de fevereiro de 2016 at 09:48

    Não sei se é a mania de achar que imóvel é certeza de ganho. O CA já trouxe argumentos fortes sobre a desonestidade das construtoras, mas notem o discurso do cidadão motumbado. Ele diz que comprar o imóvel era investimento, era sonho, era para aposentadoria. Na verdade ele tinha certeza de ganho e talvez possamos traduzir as palavras dele em investimento (30% de ganho ao ano), sonho (de ganhar uma boa grana sem risco), aposentadoria (viverei de renda do aluguel).

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Wolf 19 de fevereiro de 2016 at 11:06

      O cara é só mais um idiota. A primeira lei para enganar alguém é atiçar a cobiça dele.

      As construtoras faziam isso muito bem. ” Compre meu apartamento, terá valorização eterna de 30%, você~e vai se aposentar e nunca mais precisará trabalhar. ” Pronto mais um mané que passamos a perna.

      Minha ficha caiu quando comecei a ver apartamentos para comprar… Ninguém vendia eles como uma moradia, mas sim como investimento, aí pensei “Tem alguma coisa de errado com isso”

      Lembro até hoje de uma corvetora que insistiu que eu comprasse o ap, senão ele iria ficar mais caro, ela disse, compra ele para investir, você ganha pelo menos 20% ao ano….

      Mesmo antes do Blog, cético do modo como sou, respondi tirando sarro dela. ” Verdade é? Vc me garante isos em contrato?

      Ela sorriu e desistiu de me vender 🙂

      37+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Money_Addicted 19 de fevereiro de 2016 at 11:39

        minha ficha caiu, qdo estava “sondando” um apartamento (em 2010+/-) e o corvo falou q tinhamos q chegar d madrugada para conseguir comprar, eu agradeci e nunca mais vi nada.

        Ia comprar algo de 300k e ter q madrugar na fila?? wtf

        [ ]s

        28+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Ilusionista 19 de fevereiro de 2016 at 13:10

          nesta época colocavam meia dúzia de pseudo compradores alvoroçados no início da fila, falando que é um bom negócio e que iram comprar três, um para morar e outros dois para investir…
          ai, os que iam chegando para sondar, foram no embalo da manada “compre logo antes que acabe”.

          6+
      • eam 19 de fevereiro de 2016 at 12:48

        “A primeira lei para enganar alguém é atiçar a cobiça dele.”

        Você resumiu toda a história da bolha brasuca, Wolf ! Brasileiro adora dar uma de sabichão, aplicar a infame “lei de Gerson”, e aí dá no que dá, e quando toma um revés quer colocar a culpa em alguém, e que esse alguém pague pela sua própria estupidez.

        Não é a toa que estamos neste buraco, em terra onde cada um vê apenas o seu lado, nunca o todo será beneficiado.

        17+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • BountyHunter 19 de fevereiro de 2016 at 16:03

      Aposentadoria com um apezinho de 40m²……deve estar de brincadeira.

      3+
      • avatar
  • Paulo Pedregulho 19 de fevereiro de 2016 at 09:58

    Não DESANIMA Ricardo!!! No fim vai dar certo!!!!!! Sempre dá!!!!

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 19 de fevereiro de 2016 at 11:53

      É isso ae, quem investe em sonho, nunca tem pesadelo. SQN!

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 19 de fevereiro de 2016 at 10:00

    as pessoas já estão aceitando que preços caem, que vão perder dinheiro de qualquer jeito, é a capitulation (capitulaçao)… sem lançamentos, com estoques de novos pra +2 anos… “ajuste de mercado”

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 19 de fevereiro de 2016 at 12:26

      Concordo contigo, para o DESPAIR acho que ainda demorará de 1 a 2 anos

      5+
      • avatar
      • avatar
  • Dgvl 19 de fevereiro de 2016 at 10:04

    Agora eles estão colocando a culpa da bolha na crise que o país vive.
    Como era fácil prever o que está acontecendo. Se digitassem “bolha imobiliária” no google, apareceria um link do melhor Blog sobre o assunto do mercado. Um blog cheio de videntes com bola de cristal.

    31+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • eam 19 de fevereiro de 2016 at 12:49

      Que nada, era apenas um site da internet, cheio de pessimistas e de gente recalcada que não tinha onde cair morto.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Dgvl 19 de fevereiro de 2016 at 21:33

        Todos sovinas que não sabem curtir a vida, não pensam que podem morrer a qualquer momento e vão deixar tudo por aí…..

        2+
  • Mcd 19 de fevereiro de 2016 at 10:11

    CVR – colega disse que a mulher tinha uma grana “parada” e juntos com outros conhecidos decidiram construir um prédio. Cada um ficaria com um AP. Um deles não teve mais condições de pagar o “investimento”, então os outros dividiram a conta e depois da venda dividiriam o resultado cfe. a aplicação de cada um. Colocaram a venda por 550 mil inicialmente. Foram baixando o valor, hoje estão oferecendo por 400 mil e mesmo assim está difícil a venda.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Julio 19 de fevereiro de 2016 at 10:16

      Conforme for administrado, essa é a maneira mais barata de se adquirir um apartamento. Mas é difícil encontrar apenas sócios honestos e pontuais. Pior ainda encontrar mão de obra.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Mcd 19 de fevereiro de 2016 at 10:25

        sim, na verdade quis informar mais a redução do preço que a intenção em si. Ou seja, aprox 30% de redução do valor pedido incialmente.

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Margarida 19 de fevereiro de 2016 at 10:15

    O próprio comprador explicou o argumento da construtora. Se tivesse tido lucro, não ia querer pagar mais, ia?

    Só faltou ele verbalizar claramente: “Acho lógico. Só não gostei porque quem tomou prejuízo fui eu.”

    43+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Ilusionista 19 de fevereiro de 2016 at 10:18

    não acredito muito em grandes reduções dos valores dos imóveis, mas que os preços anunciados permaneçam inertes por mais de cinco anos e o investimento nele sendo corroído com o tempo pela alta inflação.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • O Taliu 19 de fevereiro de 2016 at 10:48

      Acreditando ou não, os preços estão caindo e isso é apenas o começo.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 19 de fevereiro de 2016 at 12:28

        paguei 45% do que promete o fingezap

        venderia hoje por 20% de desconto da tabela,
        Quem compra? Se a turma do fingezap estiver certo vc lucra 20% em questão de dias

        não adianta só achar, tem que por dinheiro no que fala.

        senão é falastrão

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • CA 19 de fevereiro de 2016 at 12:02

      Ilusionista,

      Por trás do que você disse, tem uma questão eminentemente conceitual:

      De que preços estamos falando? O preço anunciado faz alguma diferença?

      Em todas as bolhas imobiliárias do Mundo, nos últimos estágios as vendas ficam extremamente escassas, mesmo com reduções nos preços das vendas REALIZADAS. O exemplo é o tópico anterior que falava sobre queda de preços de vendas anunciadas e mesmo assim não vendia nada. O pouco que vendia já era por preço ainda menor (negociado).

      No Mundo REAL, o que interessa é o preço da venda REALizada. Ah, mas vende muito pouco, “pra mim” não conta (kkkk). Esta lógica é “sensacional”, porque é como se esperassem que vendesse tudo e o preço caísse, ou seja, colocar de cabeça para baixo a lei de oferta e procura…

      Ah, mas “pra mim” só vou considerar quando o FINGE ZAP me disser que caiu!!! Este é o cara que GOSTA de ser enganado e se sente feliz com isto, o cliente perfeito para as informações do FINGE ZAP.

      O preço de venda realizada já está caindo e MUITO, como a queda do preço do M2 de 29% (nominal, sem contar inflação) para usados em São Paulo nos últimos 24 meses apurada pelo CRECI SP, a queda de 68% para imóveis premium da Tecnisa ou 36% para imóveis padrão médio da Viver no 2T15, as quedas apuradas por SECOVI SP que variaram de 20% a 40% com base no ticket médio tanto por metragem quanto por número de dormitórios para imóveis que representavam mais de 80% das vendas, isto sem contar os vários casos desde 2013 que coloquei links com evidências de pesquisas de EMBRAESP, Geoimovel e outras e constam no tópico anterior e mais diversos depoimentos de quem compra na planta e no ato da entrega, desde 2013, já presencia a construtora entregando e vendendo os imóveis por um preço menor do que ele pagou na planta. Aliás, o tópico de hoje traz MAIS UMA evidência neste sentido.

      Ah, mas tudo que consta acima é pesquisa com base em preço REAL, no “meu Mundo” que é dos preços ANUNCIADOS não caiu. É, talvez seja um momento de reflexão para ver se as opiniões baseadas em um Mundo 100% fictício fazem sentido, uma vez que mensalmente vende menos de 1% do que anuncia e mesmo assim são os 99% que não vendem que definem o preço e pior, se por milagre vende o mais barato o preço médio sobe porque este que vendeu sai da base. Talvez o melhor blog para discutir sobre este Mundo fictício seja o do Napoleão Bonaparte ou da Cleópatra, só não sei se eles tem atualizações diárias sobre o assunto…

      Sabe o que é pior de tudo? Está claríssimo que os preços estão caindo muito mais do que a inflação, até o pessoal da Moody´s falou sobre queda de 20% nos preços e olha que ela é conhecida por ser extremamente conservadora e atrasada (leia sobre o rating Brasil), o IVG-R que tem efeito “retrovisor” de 3 anos já aponta quedas nominais, além de notícias e depoimentos diários a este respeito (ver o tópico de hoje) e ainda temos pessoas com a pura “fé” de que “vai cair” (já está caindo faz tempo! kkk) só pela inflação. Parabéns pela sua credulidade em algo que quase ninguém acredita de verdade (muitos apenas FINGEM que acreditam, algo completamente diferente) e que já tem cada vez mais evidências que PROVAM o contrário, evidências estas que vem há anos sendo apresentadas…

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • leo_na_estrada 19 de fevereiro de 2016 at 13:06

        mestre CA! vc tem os dados do creci Rio? entrei no site e é meio complicado achar esses mesmos dados que vc apresentado de sampa…

        1+
        • CA 19 de fevereiro de 2016 at 13:38

          leo_na-Estrada,

          Não conheço mais dados abertos ao público referente ao RJ. Antes tinham os dados da Ademi RJ que já eram confusos e misturavam conceitos, mas eles fecharam o acesso.

          3+
          • avatar
      • Ilusionista 19 de fevereiro de 2016 at 13:48

        CA

        brilhante comentário, só falei em GRANDES quedas imediatas para os proprietários que adquiriram imóveis recentemente.
        ex. a 500 mil não vão querer receber 300 mil por não ter conseguido vender em poucos meses, salvo se precisar do dinheiro urgente, irão preferir deixar anunciados por meses ou anos pelo mesmo preço sem darem conta que estarão perdendo dinheiro pela inflação.

        3+
        • avatar
        • talexbh 19 de fevereiro de 2016 at 16:26

          Amigo, veja o artigo do Samy Dana (http://g1.globo.com/economia/blog/samy-dana/post/amor-de-mae-e-cego.html) sobre essas pessoas apegadas ao suposto valor de seus bens…

          Os graúdos talvez consigam segurar os preços a despeito do prejuízo… a sardinhada, coitada alavancada até o pescoço… aí já é outra história:
          “Como parte desse pessoal está apenas especulando, muitos esperam “desovar” seus “ativos” em breve e com lucros. O problema dos ratos é que eles são muito assustadiços, e a qualquer sinal de mudanças eles correm gritando desesperados e com o coração disparado, temendo perder dinheiro, e neste caso, muito dinheiro. Os ratos, ao contrário dos investidores, não tem tanto dinheiro extra para arriscar, e se algo der errado, eles podem se ver falidos de uma hora para outra. ”
          Fonte: http://www.elivros-gratis.net/artigos-mercado-imobiliario-e-a-bolha.asp

          4+
          • avatar
    • Equilibrium 20 de fevereiro de 2016 at 02:35

      Procure saber sobre o bairro Noroeste de Brasília. No lançamento o preço básico lá era de 12 mil o metro quadrado de apartamento regular, sem luxo. Vendas ditas “de luxo” chegava a 15 mil o metro quadrado. De dois anos para cá (algumas entregas feitas) os preços anunciados caíram para 9 mil o metro quadrado. Eu sinceramente ainda acho que está caríssimo. O bairro será bom somente na próxima década e quem vai para lá ja paga por algo nobre. Viver na poeira não é nobre. Mas imagina quem comprou a dita primeira tabela mais barata. Preços anunciados tem caído, timidamente mas já está rolando nos mercados mais caros a dois anos penso eu.

      2+
      • avatar
      • avatar
      • Boruto 20 de fevereiro de 2016 at 09:34

        9mil o metro quadrado e não tem infraestrutura nenhuma. Em alguns casos os próprios moradores tiveram que bancar a iluminação pública:
        “http://www.metropoles.com/distrito-federal/moradores-do-noroeste-reclamam-de-falta-de-estrutura-na-regiao
        “http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2012/12/26/interna_cidadesdf,341125/bairro-mais-caro-de-brasilia-noroeste-ainda-nao-tem-iluminacao-publica.shtml

        1+
  • Bolha RJ 19 de fevereiro de 2016 at 10:31

    Eu acredito, e já estou vendo quedas de preços.. Pelo menos na região da Barra/Recreio e Tijuca no Hell, mesmo pré Olimpíadas. Até mesmo porque a inflação também vai corroer o salário das pessoas mais o desemprego nas alturas..

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • carioca_real 19 de fevereiro de 2016 at 10:40

      Depois das Olimpiadas é Apocalipse Zumbi pelas ruas do Rio.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Nixwolf 19 de fevereiro de 2016 at 12:31

        Para mim o Rio sera a Detroit Bananense…. altamente dependente de royalties do petroleo que estão muito baixos…já esta começando a destruição da “cidade maravilhosa” …. caos para todo lugar.

        Contaram muito com dinheiro que iria vir do futuro, fizeram varias loucuras com o futuro dinheiro do pre sal e agora a conta esta vindo e o dinheiro não….tipico modo bananense de ser….

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • leo_na_estrada 19 de fevereiro de 2016 at 13:08

        e eu vou estar esperando um zumbi vender (me dar) um ap a preço de banana.

        a ordem agora é poupar, poupar, poupar, poupar

        4+
        • avatar
  • RicardoSP 19 de fevereiro de 2016 at 10:39

    “Inflação deverá cair dois pontos percentuais no semestre, diz Tombini”

    Ufa, legal, fiquei mais tranquilo agora.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Boruto 19 de fevereiro de 2016 at 10:43

      É aquela queda para cima, só se for.

      9+
      • avatar
  • Just A Simple Bubble Man 19 de fevereiro de 2016 at 10:54

    Não sei se já postaram,:
    “http://www1.folha.uol.com.br/colunas/viniciustorres/2016/02/1740923-mercado-de-imoveis-mal-parado.shtml

    Quando é óbvio todo mundo fala. Antecipa que é bom, só aqui mesmo.
    Mas segue um trecho que me lembrou algo que o CA sempre comenta:

    Mau sinal, pois o negócio imobiliário se tornou mais relevante na última década, repita-se. O total de dinheiro emprestado (estoque de crédito) para a compra de imóveis equivalia a 1,5% do PIB em 2007 (isto é, em relação ao tamanho da economia brasileira). No final de 2015, o estoque de crédito imobiliário chegara a 9,7% do PIB.

    É fácil perceber que a baixa da construção arrasta consigo vários setores. Siderurgia, cimento, vidros, química, máquinas e ferramentas, móveis, madeira etc. É uma desgraça com um longo encadeamento.

    Muita gente associa a queda do Mercado imobiliário como consequência da crise e não como um dos principais causadores. Só estão se retroalimentando.

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 19 de fevereiro de 2016 at 12:06

      o certo seria: mercado de imóveis bem parado.
      e ele compromete mais que esses 9% do PIB, se somar tudo mesmo vai dar 17 a 20% comprometido, e PIB caindo (geralmente podemos estimar como quase o dobro do calculado). 500bi da poupança, 250 bi dos CRIs, etc…fgts…

      2+
      • avatar
  • Ipanemense 19 de fevereiro de 2016 at 10:58

    Ipanema, 2 quartos, 80m2, a uma quadra da praia e do metrô.
    Porteiro disse que acabou de alugar por R$ 2.500,00 + condo. Valor inimaginável até há pouco tempo.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • parangaricutirimicuaro 19 de fevereiro de 2016 at 13:44

      Vi um no OLX com características parecidas com a desse ap, só que era de 90m², não lembro se era Ipanema ou Leblon, mas tava custando 3000 + 500 condo. Prédio aparentemente antigo, mas todo ajeitadinho.
      Esse é praticamente o preço que ainda estão pedindo aqui em Nova Iguaçu hahahahaha.
      Antes era impossível encontrar algo do tipo, agora já não nos surpreende tanto.

      5+
      • avatar
  • Totonho 19 de fevereiro de 2016 at 11:00

    OFF => mais um banco dando o fora do BR

    Citi pretende vender bancos de varejo em Brasil, Argentina e Colômbia

    “O Citigroup pretende vender suas operações de banco de varejo e cartões de crédito no Brasil, Argentina e Colômbia, informou nesta sexta-feira, tendo decidido focar esforços em clientes corporativos e institucionais nos três países (…)”
    _http://oglobo.globo.com/economia/negocios/citi-pretende-vender-bancos-de-varejo-em-brasil-argentina-colombia-18707046

    E o Citibank provavelmente vendeu a carteira de cartões para o Santander, pois a minha fatura do citicard do mês passado já foi emitida pelo 033.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • RicardoSP 19 de fevereiro de 2016 at 11:06

      Alguém tem dicas de bancos para migrar a conta?

      2+
      • avatar
      • avatar
    • Nex 19 de fevereiro de 2016 at 11:27

      Tinha aberto uma conta no Citi pra ter 100% de isenção de tarifa há uns 3 meses… desisti pq o Itaú (que já tenho conta faz muitos anos) tb me ofereceu a isenção.

      2+
      • avatar
      • avatar
    • Marc 19 de fevereiro de 2016 at 14:43

      HSBC x
      CITI x
      próximo?

      1+
  • Boba Alegre 19 de fevereiro de 2016 at 11:04

    CVR

    Algumas varejistas grandes pegam consultoria sobre antecedentes criminais e historico profissional quando vão contratar algum gerente.
    Pois bem: O sujeito Foi na Delegacia e registrou um B.O informando que estava indo pro estagio e foi abordado por dois meliantes desarmados. Capotou no soco com eles e no rala e rola apareceu um comparsa deles de moto armado e levaram a mochila dele.
    O Delegado macaco velho desconfiou da historia porque o 666 não tava machucado e não parecia convicto do que tava dizendo…mandou colocar o 666 na viatura e ir no local do crime pra explicar como aconteceu e ajudar a procurar os meliantes.
    Chegou lá o 666 se embananou todo não aguentou a opressão do guarda e confessou que era mentira a historia do roubo, e que registrou o B.O pra poder justificar a falta no estagio (faltou pra estudar pras provas).
    Resultado na epoca: respondeu termo circunstanciado por falsa comunicação de crime.
    resultado hoje: Aparentemente vai continuar desempregado.

    62+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Wolf 19 de fevereiro de 2016 at 11:18

      O cara que inventa todo uma história dessas envolvendo policia e o escambau não merece nenhuma confiança mesmo. Que falasse então que estava com dor de barriga etc, mas chegar ao ponto de efetuar um B.O?

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • RicardoSP 19 de fevereiro de 2016 at 11:20

        Perdeu um dia para fazer o BO para ter esse dia para estudar. Excelente cálculo o dele…

        34+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • EngenheiroSP 20 de fevereiro de 2016 at 09:32

          Não há empresa que faça redução de jornada em época de prova. E se tiver, não é uma empresa em que valha a pena ficar, já que além de tudo isso é lei.

          Agora o energumeno podia ter ido doar sangue, podia ter ido ao médico, mas escolhe o pior possível. Isso é sinal de alguma sociopatia, só pode

          2+
          • avatar
          • EngenheiroSP 20 de fevereiro de 2016 at 09:32

            que não faça*

            0
      • Boba Alegre 19 de fevereiro de 2016 at 12:03

        tem alguns grupos fechados de feminazis aborteiras no facebook que incentivam as meninas gravidas a registrarem B.O de estupro pra conseguirem realizar aborto “gratuito” pelo SUS.

        Custo feminazi: Pago 1 real pra Policia registrar o B.O falso e 1 real pro SUS realizar o procedimento medico = 2 reais jogados no lixo

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Louro José 19 de fevereiro de 2016 at 12:09

          putz
          que loucura

          4+
          • avatar
          • avatar
        • Skidwasted 19 de fevereiro de 2016 at 14:12

          Que absurdo!
          Mas e o corpo de delito? Não vai ter nenhum arranhão nelas, só o velho túnel mesmo.

          4+
          • avatar
          • avatar
      • chigo 19 de fevereiro de 2016 at 17:51

        Brasileiro é insuperável na malandragem e na burrice também.

        6+
        • avatar
    • Alemon Fritz 19 de fevereiro de 2016 at 12:09

      ele pode tentar montar uma corvolária agora, já tem curriculo.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Urso 19 de fevereiro de 2016 at 11:38

    Eu tenho certeza de que existe uma bolha. E todo mundo aqui sabe disso. Só não tenho certeza se essa bolha vai estourar mesmo, pois ela pode simplesmente murchar ao longo dos anos (preços estagnados sendo corroídos pela inflação).

    Acho que se essa bolha não estourar entre o segundo semestre de 2016 (pós olimpíadas/eleições municipais) e primeiro semestre de 2017, ela não estoura mais. Ela vai apenas murchar lentamente.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • carioca_real 19 de fevereiro de 2016 at 11:47

      Cara,
      É só acompanhar o mercado. Até no FINGE ZAP a coisa esta se deteriorando rapidamente. Anos de farsa e desinformação agora estão insustentáveis. Concordo com a tese do CA, os caras estão tentando disfarçar um softlanding via midia e desinformação, mas o CRASH está ai a olhos vistos.
      E o Pior é que todos os indicadores apontam para uma derrocarda maior ainda, há muito de má fé dos especialistas e muita esperança por parte dos “bagrinhos” que vão tomar na cabeça.
      Mal posso esperar para ver os balanços de 2015 das construtoras e também o da CEF para ver o tamanho da Motumbada.
      Estou falando, depois das Olimpiadas é #ApocalipseZumbimodeon

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Urso 19 de fevereiro de 2016 at 12:02

        Brother,

        Eu também estou torcendo pra isso. Mas me pergunto se realmente haverá uma “fase de desespero” como alguns estão prevendo aqui.

        Abraços!

        7+
        • avatar
        • avatar
        • pmoraesm 20 de fevereiro de 2016 at 07:48

          Paciência, ainda não é hora de comprar… Com desespero ou não os preços estão caindo. Hoje voltei a pagar um valor de aluguel semelhante ao que paguei em 2010, imóvel de nível e tamanho semelhante num bairro vizinho.

          2+
    • BountyHunter 19 de fevereiro de 2016 at 16:12

      Vai estourar sim, a maioria das pessoas que compraram aptos na planta/prontas não tem lastro financeiro sólido. Se a avó perder o emprego o gato vai passa fome.

      4+
      • avatar
  • Number0101 19 de fevereiro de 2016 at 11:56

    “http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/02/inflacao-do-aluguel-acelera-em-previa-de-fevereiro.html

    Nossa que coincidência uma notícia dessas logo depois de falarem que o aluguel está caindo.

    Matéria paga, pq o que acumula alta é o IGPM, o aluguel está em queda por motivos óbvios, a não ser no RJ…aqui ninguém obedece leis, daqui a pouco nem a gravidade…

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • marcosbolha 19 de fevereiro de 2016 at 11:58

    Brasileiro vai pagar mais do que o dobro de Imposto de Renda neste ano

    4+
    • avatar
  • RicardoSP 19 de fevereiro de 2016 at 12:03

    Prezados,
    Alguém aqui tem alguma posição diferente de que a inflação e cotação do US$ vão subir ao longo de 2016-2017?

    2+
    • avatar
    • Zé do Brejo 19 de fevereiro de 2016 at 12:09

      Sim, na Alemanha.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Boruto 19 de fevereiro de 2016 at 12:11

        Gooooooooooooooooool da ALEMANHA.
        rsrsrs

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Boruto 19 de fevereiro de 2016 at 12:10

      O dólar vai subir, mas não tanto quanto entre 2015-2016.
      A inflação vai aumentar justamente pela alta do dólar e pelo fato de o Brasil ser tão protecionista a ponto de fazer com que suas empresas fiquem acomodadas e percam competitividade e produtividade.
      O PIB vai cair por causa do endividamento das famílias, que estão sem dinheiro e, em breve, sem emprego por causa da retração da economia.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Libertario 19 de fevereiro de 2016 at 12:11

    Olha os 30% aí de novo….

    360k – 30% = 252k.

    é que desta vez foi um crescimento NEGATIVO de 30%……

    Mas achei bem interessante a matéria.

    A reporter explica que a queda de preços não ocorreu apenas em função da crise (ta certo que nós sabemos que a bolha foi uma das causas nao consequencia).

    Mas tambem ela cita o alto numero de distratos (endividamento das familias), e do elevado numero de imoveis em poder da construtora.

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CarlosL 19 de fevereiro de 2016 at 12:14

    *Duvida

    Estou pensando em de 5 em 5 dias pegar o rendimento de liquidez diária de DI, e ir em casa de câmbio e comprar em dólar de picado mesmo, independente da cotação que estiver no dia… Seria sempre somente o rendimento do período….. Viável?

    2+
    • avatar
    • RicardoSP 19 de fevereiro de 2016 at 12:17

      Minha opinião:
      Quer ficar muito rico? Não faça isso.
      Quer não ficar pobre nesse período inflacionário, e arriscar se dar bem? Compre

      3+
      • avatar
      • avatar
  • selvagem 19 de fevereiro de 2016 at 12:25

    Esse video me lembrou do dia que eu comprei um computador e descobri na semana seguinte que ele havia entrado em promoção.

    Fiquei puto e queria devolver. Obvio que não aceitaram.

    A proporção , claro, é bem diferente. Se qualquer um fica puto por uma situação dessas de R$100,00, imagine perder R$100.000, R$ 200.000 ou R$300.000.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Boruto 19 de fevereiro de 2016 at 12:49

      Eu fiquei puto uma vez que perdi 3mil imagina perder 100mil.

      1+
      • avatar
  • Lucas 19 de fevereiro de 2016 at 12:37

    Não se deixem enganar pela desinformação, a bolha estourou em meados de 2012 quando muitos corvos ainda vinha aqui no blog falando que valia a pena comprar, dali em diante quem comprou, exceto fatos raros, perdeu pro custo de oportunidade, depois foi perdendo até pra inflação em 2014 e agora em 2015 perdeu até em valor nominal.

    2016 os preços vão afundar ainda mais
    2017 provavelmente tbm ?!?
    2018 talvez ?!?!?!?
    2019 talvez pare de cai !?!?!?!?!?!?

    Só é preciso ficar de olho na quebra do Tesouro, se isto ocorrer, comprar imóvel seria uma forma proteção.

    AVISO, ainda estamos longe disto, na Venezuela foram 20 anos de muito pior e ainda não quebraram.

    O CALOTE se aproxima, mas ainda está longe, não deem bola pra empiricus e silas coul que vem aqui espalhar falsas previsões, esse povo atira pra todo lado, quando acerta e é raro, canta de galo. Eles erraram 90% do que falaram, mas só divulgam os 10% mais bonitos, erram no conteúdo erram no timing, porque eles mesmos são pessoas confusas, envolvidas na própria egotrip.

    22+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • RicardoSP 19 de fevereiro de 2016 at 12:40

      Empréstimo no FMI e uso das reservas cambiais não poderiam ser alternativas para não cair no calote?

      4+
      • avatar
      • avatar
    • O Taliu 19 de fevereiro de 2016 at 12:41

      #Lacrou

      3+
      • avatar
    • v.d. 19 de fevereiro de 2016 at 12:53

      80% da dívida é em real então o calote provavelmente seria por impressão de moeda. De qualquer forma o TD é apenas uma pequena parcela da dívida, menos de 2%, o grosso mesmo é de bancos, acredito que o TD está relativamente seguro no curto – e talvez médio – prazo. Não que não tenha risco de perda mas que perder tudo estilo confisco, difícil.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • DRN 19 de fevereiro de 2016 at 14:21

      Lacrar 100% TD é muito arriscado.

      Continuo na convicção de que agora é: 50% TD, 35% dólares e 15% ações (fora lugar para cair vivo).

      Vencendo REDE ou PT em 2018, redução de TD para 0 a 20%, cf. apetite por risco.

      Não creio em calote. Creio em hiperinflação. Dá quase no mesmo. Melhor se prevenir do que remediar.

      2+
      • avatar
  • Cesar_DF 19 de fevereiro de 2016 at 12:40

    Ricardo Amorim – 17/04/2015

    Desde 2008, fala-se que o Brasil teria uma bolha imobiliária para estourar. Com a venda de imóveis caindo 50% em algumas cidades, o ano passado foi a prova do pudim. Houvesse bolha, os preços teriam despencado. Em Nevada, nos EUA, em 2008 os preços chegaram a cair 80% em média. Não foi o que aconteceu por aqui.

    De acordo com o Índice Fipe-Zap, o preço médio anunciado dos imóveis residenciais em 20 cidades subiu 5,34% no último ano. Somada a uma rentabilidade de aluguel de 4,9% e a uma tributação menor, a rentabilidade líquida de um investimento imobiliário nos últimos 12 meses foi maior do que a da maioria das aplicações financeiras.

    http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/coluna/414448_RUIM+PARA+QUEM+VENDE+BOM+PARA+QUEM+COMPRA

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • O Taliu 19 de fevereiro de 2016 at 12:43

      E os 200.000 pontos, onde ficam?

      5+
      • avatar
    • Unreal_Estate 19 de fevereiro de 2016 at 12:50

      Parei de ler no “Ricardo Amorim”.
      Entretanto, resolvi dar uma chance pra ele, e continuei lendo.
      Mas tive que parar de novo no “De acordo com o FINGE ZAP”.

      19+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Zé do Brejo 19 de fevereiro de 2016 at 15:12

        Parei no Ricardo Amorinha, mesmo.

        5+
        • avatar
    • JJJ_brasilia 19 de fevereiro de 2016 at 12:51

      Amorinha ainda tá recebendo milho das destrutoras, e eu me pergunto, se imóvel fosse tão bom, porque as construtoras vendem? Não seria melhor construir e ficar com eles? Kkkk

      Agora sem sacanagem, este negócio de comprar para alugar é coisa de pessoa física, porque nenhuma empresa faz isto? Será que é porque empresa sabe calcular os custos envolvidos e as pessoas físicas não?

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Number0101 19 de fevereiro de 2016 at 13:07

      Não tem nem mais o que argumentar só mandando TNC mesmo.

      3+
      • avatar
    • Awulll 19 de fevereiro de 2016 at 14:47

      “De acordo com o Índice Fipe-Zap, o preço médio anunciado dos imóveis residenciais em 20 cidades subiu 5,34% no último ano. Somada a uma rentabilidade de aluguel de 4,9% e a uma tributação menor, a rentabilidade líquida de um investimento imobiliário nos últimos 12 meses foi maior do que a da maioria das aplicações financeiras.”

      É inacreditável que um economista seja capaz de escrever algo assim.
      Mesmo eu que sou leigo sei que é um absurdo isso.

      1+
    • wade 19 de fevereiro de 2016 at 20:07

      Aprendi com um senhor de idade que saber o momento certo em que você deve mandar alguém ir a merda é uma habilidade bem difícil de aprender, e bem importante pra vida. Vou perguntar pra ele se este seria um bom momento.

      3+
  • Alemon Fritz 19 de fevereiro de 2016 at 12:40

    lembrando que o distrato é previsto no negócio, tinha imóvel com 27 distratos… o corvo ganhou 27x

    2+
    • avatar
  • carioca_real 19 de fevereiro de 2016 at 12:48

    #BOLADECRISTAL
    “Entretanto, os preços em cada cidade escondem grandes disparidades dentro das próprias cidades. No Brasil, com a forte queda de vendas e aumento de distratos, construtoras liquidaram a preços bastante descontados unidades em empreendimentos não completamente vendidos, o que recebeu muita atenção da mídia, criando uma falsa percepção de queda generalizada de preços. É provável que boas oportunidades para os compradores, como estas, se repitam neste ano. Já indo além deste ano, vários fatores devem levar os preços e as vendas a se recuperarem. Há muita demanda reprimida. Além disso, os custos de construção têm subido muito. No longo prazo, eles balizam os preços de novos lançamentos, e estes, os dos imóveis usados. Há ainda fatores locais. Na cidade de São Paulo, o novo Plano Diretor deve aumentar em cerca de 20% os preços de novos lançamentos por limitar o potencial construtivo dos terrenos”

    Vai Amorinha! e o cimento kd?

    2+
    • avatar
  • windville 19 de fevereiro de 2016 at 13:03

    Tarde Folks,

    Whirpool pedindo auxílio ao governo do estado.Whirlpool pede ajuda ao Estado e cogita demitir 700 funcionários. Isso inclui todas as unidades no país. Fonte: “http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/geral/joinville/noticia/2016/02/claudio-loetz-whirlpool-pede-ajuda-ao-estado-e-cogita-demitir-700-funcionarios-4978620.html”

    1+
    • navlig00 19 de fevereiro de 2016 at 13:21

      +700 se ajuntarão ao contingente que não para de crescer. 🙁

      Número de brasileiros desempregados cresce 41,5% em um ano e bate recorde, diz IBGE

      … há 9,126 milhões de desocupados no País, o maior valor desde 2012; desemprego de 9% também foi recorde e a renda do trabalhador caiu 1,3%

      *http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,desemprego-fica-em-9-e-renda-do-trabalhador-cai,10000017192

      1+
      • avatar
  • Mente do Mal 19 de fevereiro de 2016 at 13:18

    Em relação aos bancos de varejo pulando fora da Banânia, é de arrepiar…
    Algum banco vai sobreviver?

    3+
  • Louro José 19 de fevereiro de 2016 at 13:18

    Atenção para o texto. Finanças inteligentes.

    Hora de parar com a brincadeira

    A cobertura dos jornais frente aos rebaixamentos dos ratings de crédito brasileiro pela agência de classificação de risco S&P (Standard & Poor’s) deixou muito a desejar. Foi depositada atenção em demasia ao fato de o rating de crédito soberano de longo prazo brasileiro em moeda estrangeira ter sido cortado de BB+ para BB, mantendo a perspectiva negativa.

    De fato, as notas de longo prazo em moeda estrangeira são as mais populares e, portanto, ocupam a maior parte (ou mesmo dominam) do noticiário econômico. Entretanto, existem outras notas tão importantes quanto à de longo prazo em moeda estrangeira, tal como a de longo prazo em moeda local na escala global e/ou a de longo prazo em moeda local na escala nacional.

    Se a S&P tivesse apenas rebaixado o rating soberano brasileiro de longo prazo em moeda estrangeira de BB+ para BB, seria apenas um cutucão a mais para baixo. Mas o que aconteceu ontem foi um verdadeiro desmoronamento das notas brasileiras.

    Além do rebaixamento acima citado, a S&P também cortou o rating de crédito soberano brasileiro de longo prazo em moeda local na escala global de BBB- (grau de investimento) para BB (grau especulativo). Foi um épico corte de dois degraus numa única tacada, com manutenção da perspectiva negativa. Também foi rebaixado o rating de crédito soberano brasileiro de curto prazo em moeda local na escala global de A3 (grau de investimento) para B (grau especulativo), com manutenção da perspectiva negativa. Já o rating de crédito soberano brasileiro de curto prazo em moeda estrangeira na escala global foi reafirmado em B, com manutenção da perspectiva negativa. Como se não bastasse, até mesmo o rating de crédito soberano brasileiro de longo prazo em moeda local na escala nacional foi decepado de brAAA (nota máxima) para brAA-, representado um corte de três degraus numa só tacada, com manutenção da perspectiva negativa.

    As consequências desses novos rebaixamentos são gravíssimas. A perda do grau de investimento para a dívida soberana em moeda local na escala global acende o sinal amarelo aos fundos de investimentos estrangeiros posicionados em títulos soberanos brasileiros emitidos em reais. Esses fundos não foram forçados a liquidar suas respectivas posições, já que, até então, apenas os títulos soberanos brasileiros emitidos em moeda estrangeira perderam grau de investimento. Isso significa que se outra agência de classificação de risco (Moody’s ou Fitch) seguir os passos da S&P e rebaixar o rating de crédito soberano brasileiro em moeda local na escala global poderá haver fuga de capital, com impacto na taxa de câmbio.

    Dados disponibilizados pelo Tesouro Nacional (até outubro de 2015), mostram que os investidores não-residentes possuem 479,1 bilhões de reais em títulos da Dívida Pública Federal, o que representa 19,1% do total, sendo que, desse montante, apenas 142,4 bilhões de reais são títulos da dívida externa (moeda estrangeira). Esses dados mostram que os investidores não-residentes estão bem mais posicionados na dívida em moeda local do que na dívida em moeda estrangeira. Por esse motivo, portanto, existe o risco de forte impacto de curto prazo no sistema caso uma segunda agência de classificação de risco siga os passos da S&P.

    Ratings soberanos de curto e/ou longo prazo em moeda local na escala global são acompanhados de perto pelos fundos de investimentos, players de mercado ou mesmo investidores individuais, pois a medida em que o País avança para baixo no grau especulativo, menores serão as chances de retomada no curto e médio prazo, acionando, consequentemente, mecanismos de segurança desses investidores contra adoção de medidas extremas, como o temido controle de capitais, por exemplo, já que esses investidores, além de liquidarem posição na dívida, precisam trocar moeda local por moeda estrangeira e saírem do País.

    Já a situação para os investidores residentes posicionados em dívida soberana, que até então era muito tranquila, mesmo com o agravamento do quadro macroeconômico, passa a incomodar. Isso porque o rating de crédito soberano brasileiro de longo prazo em moeda local na escala nacional caiu três degraus de uma só vez, de brAAA (nota máxima) para brAA-. Significa que a S&P considera que os riscos aumentaram, até mesmo, para as instituições financeiras brasileiras, fundos de previdência, fundos de investimentos nacionais, seguradoras e investidores brasileiros pessoas físicas.

    Ainda que o brAA- possa ser julgado como uma nota elevada, portanto, longe de ser considerado risco de calote, causa receio ao mercado assistir perda da classificação de risco de uma dívida soberana em moeda local numa escala nacional, algo de certa forma inimaginável. O corte de três degraus para brAA- é uma clara demonstração de que situação fiscal no Brasil está numa trajetória tão grave ao ponto de a S&P considerar aumento no risco da dívida soberana emitida em reais aos investidores residentes.

    Caso a deterioração fiscal persista e se agrave nos próximos anos, o que justificaria novos cortes nos ratings de crédito soberano em moeda local na escala nacional, haverá risco de calote aos residentes na próxima década. Entretanto, é importante salientar que o não pagamento total da dívida pública interna quebraria as instituições financeiras, fundos de investimentos, planos de aposentadorias, seguradoras, empresas e até mesmo o próprio governo. Em suma, não existiria mais uma nação.

    Esse tipo de calote simplesmente não existe. O que pode ocorrer, e ser considerado como calote, é uma troca parcial de títulos de curto prazo por títulos de longo prazo em posse de determinados credores, renegociação de taxas de juros de alguns títulos a serem pagos a certos credores, prorrogação de parte do pagamento da dívida a algum grupo de credores, entre tantas outras possibilidades.

    É importante destacar os “determinados grupos de credores”, pois o governo terá mais facilidade operacional para renegociar dívida com um grupo grande e concentrado (banqueiros e/ou gestores de fundos de investimentos, por exemplo) do que com um grupo inexpressivo e pulverizado (investidores pessoas físicas do sistema Tesouro Direto, por exemplo).

    Ainda que essa situação seja altamente improvável, ela pode ocorrer já no final da próxima década, mesmo com a manutenção da inflação persistentemente elevada (porém num patamar insuficientemente capaz de provocar alívio relevante na dívida), emissões de moeda e/ou outros artifícios desesperadores, caso o endividamento continue aumentando de forma agressiva.

    Isso significa que tanto a presidente Dilma, quanto seus (suas) sucessores (as), precisarão de força e capital político para tomar decisões difíceis a fim de se evitar que o Brasil não se aproxime de um caos fiscal irreversível. Não é somente o crescimento e/ou a viabilidade macroeconômica que estará em jogo nos próximos anos/décadas, mas sim a sustentabilidade política, econômica e financeira.

    Chegou a hora de parar com a brincadeira. Daqui pra frente será necessário esforço de diferentes forças políticas, sindicatos, economistas, investidores e agentes para que o partidarismo barato, atentado intelectual e sensacionalismo, constantemente presentes nos debates de política fiscal, deixem de existir para que o País possa encontrar a necessária rota de sustentabilidade no longo prazo.

    A bolsa de valores brasileira permanece trabalhando movimento de alívio no curtíssimo prazo, ainda sem demonstrar sinalização de fraqueza ou interrupção. O movimento, apesar de descolado da agenda doméstica, segue o direcional do fluxo global e não apresenta novidade.

    Taxa de câmbio e contratos de juros futuros permanecem leves no curto prazo, ainda sem causar ameaça a tendência de alta de longo prazo. Ainda que as taxas de juros, em especial, continuem trabalhando movimentos corretivos, seguindo as Treasuries, o quadro macro para o longo prazo corrobora com a sustentabilidade técnica da tendência de alta, já que os cortes de ratings provocam, inevitavelmente, impactos nos futuros custos de financiamento do governo e empresas. Além disso, ratings menores estimulam posições defensivas nas instituições financeiras, encarecendo o custo do crédito, provocam mudanças na alocação de portfólios de fundos de investimentos e fundos de pensão, deixam gestores o investidores mais receosos, portanto, mais exigentes nos preços, além de impactar negativamente a fundamental percepção de risco.

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • MINEIRO SPY 19 de fevereiro de 2016 at 13:23

    Compartilhar minha busca por apartamento em BH, savassi e funcionários.
    Desde o final de novembro tenho visto os anúncios de ap de 1 quarto, 45 a 50 m2 em locais q me permitam ir e voltar a pé para o trampo.
    São muitos, muitos imóveis ofertados, principalmente na Rua Alagoas, Timbiras, R.G do Norte, Aimorés, Pernambuco…mas são pouquíssimos os anunciados diretamente pelos proprietários. A soberba ainda paira e muitas vezes sequer respondem às perguntas.
    Preços entre 1500 e 2300 + condo. Se os donos soubessem o que os corvos fazem os seus imóveis, haveria tiros.
    Um especificamente, anunciado por 2400 (tudo incluso) está lá há 4 meses, fazendo companhia para outros 15.
    Veremos até onde conseguem sangrar.

    3+
    • avatar
    • O Taliu 19 de fevereiro de 2016 at 13:32

      Essa região sua é muito bolhuda. Eu moro na região da Pampulha, por aqui, eu passo longe de um tal de Castelo, vc de conhecer, Ouro Preto e Jaraguá. Nesses bairros é tudo bolhudo, e ainda por cima, sempre há altas chances de vc sofrer um sequestro relâmpago, ser assaltado a pé ou chegando de carro na sua garagem.

      Ano passado quando fui mudar, eu perguntei para uma corva se mesmo com tantas exigências eles ainda conseguiam alguém para alugar kkkk…, ela disse que sim, e eu acreditei, basta olhar para as plaquinhas de “Aluga-se” decorando as fachadas mil da belzonte.

      Deixa eles sonharem, pois a realidade se tornará um pesadelo para essa cambada.

      4+
      • avatar
      • talexbh 19 de fevereiro de 2016 at 18:26

        Vizinho,
        vc mora nos arredores do Sta Amélia, Itapoã etc? Em caso afirmativo, sabe me dizer como anda a banda por esses lados da Pampulha (segurança, etc)…
        Valeu!

        1+
    • Bruno.12 19 de fevereiro de 2016 at 14:24

      Essa região da savassi é caríssima! Tanto em preço quanto em placas de aluga-se, que andam brotando mais do que mosquito da zika. Melhor é afastar dessas zonas bolhudas (savassi, castelo, buritis, belvedere, etc), até local próximo de Metrô está mais em conta (também estou pesquisando para alugar).

      1+
      • MINEIRO SPY 19 de fevereiro de 2016 at 15:04

        Quando colocamos na ponta do lápis a redução de gasto com gasolina, estacionamento, tempo…acaba q fica mais aceitável

        0
  • Azufre 19 de fevereiro de 2016 at 13:30

    Eu falo que o trombose vale nada e vcs não acreditam…

    ‘http://blogs.correiobraziliense.com.br/cbpoder/gdf-vai-investigar-maquiagem-durante-acao-oficial-de-combate-a-dengue/

    2+
  • Cajuzinha 19 de fevereiro de 2016 at 13:32


    O MANTRA DE TOMBINI
    Publicado em 19/02/2016 08:30 Vicente NunesSem categoria
    O Banco Central está numa empreitada pesada para esvaziar a percepção dos agentes econômicos de que não há, pelo menos por ora, nenhuma intenção em se cortar a taxa básica de juros (Selic), fixada em 14,25% desde setembro do ano passado. Mas, dentro da instituição, o debate sobre o tema é latente e vem sendo estimulado, sobretudo, pelo presidente do banco, Alexandre Tombini. Ele acredita, fortemente, que há um processo de desinflação contratado que, em algum momento deste ano, permitirá ao Comitê de Política Monetária (Copom) dar a notícia que a presidente Dilma Rousseff tanto anseia.

    Na visão de Tombini, a equação para a possível queda dos juros está fechada. Ele acredita que, com os Estados Unidos sendo atingindo pela crise que tomou conta dos países emergentes, do Japão e da Europa, o dólar vai se desvalorizar, reduzindo as pressões sobre a inflação no país. O BC contaria ainda a seu favor com o fato de o Produto Interno Bruto (PIB) estar rodando muito abaixo do seu potencial (hiato do produto) — queda anualizada de 4% — e com o aumento do desemprego. Essa tese é compartilhada por todos os diretores que têm votado pela manutenção da Selic.”

    2+
    • avatar
    • Azufre 19 de fevereiro de 2016 at 13:35

      esvaziar a percepção dos agentes econômicos de que não há, pelo menos por ora, nenhuma intenção

      esvaziar -> não -> nenhuma

      tripla negativa! Ruim de entender, e ficou o contrário do que o autor quis dizer

      2+
      • avatar
    • Azufre 19 de fevereiro de 2016 at 13:36

      “vem sendo estimulado, sobretudo, pelo presidente do banco, Alexandre Tombini”
      “dar a notícia que a presidente Dilma Rousseff tanto anseia.”

      Azufre 19 de fevereiro de 2016 at 13:30

      Eu falo que o trombose vale nada e vcs não acreditam…

      3+
    • Azufre 19 de fevereiro de 2016 at 13:42

      “Na visão de Tombini, a equação para a possível queda dos juros está fechada. Ele acredita que, com os Estados Unidos sendo atingindo pela crise que tomou conta dos países emergentes, do Japão e da Europa, o dólar vai se desvalorizar, reduzindo as pressões sobre a inflação no país.”

      Em agosto o Copom escreveu, no processo de redução criminosa da Selic, que tanto prejudica o país até hoje:

      “Um cenário alternativo, construído e analisado sob a perspectiva de um modelo de equilíbrio geral dinâmico estocástico de médio porte, admite que a atual deterioração do cenário internacional cause um impacto sobre a economia brasileira equivalente a um quarto do impacto observado durante a crise internacional de 2008/2009. Além disso, supõe que a atual deterioração do cenário internacional seja mais persistente do que a verificada em 2008/2009, porém, menos aguda, sem observância de eventos extremos. Nesse cenário alternativo, a atividade econômica doméstica desacelera e, apesar de ocorrer depreciação da taxa de câmbio e de haver redução da taxa básica de juros, entre outros, a taxa de inflação se posiciona em patamar inferior ao que seria observado caso não fosse considerado o supracitado efeito da crise internacional. ”

      O fato de fazer cinco anos que esse “maná” deflacionário não der dados as caras não derrubou a esperança de Trombose.

      Dica cultural para o final de semana: “Esperando Godot”

      1+
      • Azufre 19 de fevereiro de 2016 at 13:42

        Agosto de 2011!!!

        0
      • Boruto 19 de fevereiro de 2016 at 18:47

        Mano se isso acontecer vou migrar para o IPCA+ 2019. Vai ser certeza que a inflação vai para uns 20% a.a ou mais.

        2+
        • avatar
    • DRN 19 de fevereiro de 2016 at 14:08

      Já tem o link da entrevista do TROMBOZIKA à Miriam Big-Pig?

      5+
      • DRN 19 de fevereiro de 2016 at 15:25

        Será veiculado hoje às 21h 30min.

        Vamos assistir.

        1+
  • navlig00 19 de fevereiro de 2016 at 13:34

    Banco Central dá recado que não vai cortar a taxa de juros

    *http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,banco-central-da-recado-que-nao-vai-cortar-a-taxa-de-juros,10000017156

    1+
    • eam 19 de fevereiro de 2016 at 13:40

      Considerando os antecedentes, preparem-se pois o corte virá.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • Money_Addicted 19 de fevereiro de 2016 at 14:09

        infelizmente acho q vc tem razao 🙂

        4+
        • avatar
        • avatar
        • mestre dos magos 19 de fevereiro de 2016 at 14:51

          Será que é a senha para os amigos do rei mudarem para os títulos pré-fixados?

          2+
  • navlig00 19 de fevereiro de 2016 at 13:39

    Volume de lançamentos de imóveis no ano passado foi 19,3% inferior a 2014

    …Para Eduardo Zylbertajn, economista da Fipe, o ano de 2015 se caracterizou por uma forte retração nos lançamentos, movimento que se justifica pela conjuntura desafiadora de nossa economia. “Mas chama muito a atenção o fato de as vendas terem sido quase o dobro do que a oferta de novas unidades.”

    O levantamento revela ainda que os distratos acumularam 12,9 mil unidades no último trimestre de 2015, alta de 20,2% frente ao número de unidades distratadas no mesmo período de 2014.

    *http://oglobo.globo.com/economia/volume-de-lancamentos-de-imoveis-no-ano-passado-foi-193-inferior-2014-18706663

    2+
  • navlig00 19 de fevereiro de 2016 at 13:42

    Dívida de R$ 1 mil no cartão vira R$ 5 mil em 1 ano; poupança leva 20 anos

    *http://economia.uol.com.br/financas-pessoais/noticias/redacao/2016/02/19/divida-de-r-1-mil-no-cartao-vira-r-5-mil-em-1-ano-poupanca-leva-20-anos.htm

    7+
    • avatar
  • Cajuzinha 19 de fevereiro de 2016 at 13:46


    postado em 19/02/2016 12:01
    Agência Estado
    Fortaleza, 19 – A apresentação do diretor de Política Econômica do Banco Central, Altamir Lopes, distribuída nesta sexta-feira, 19, a jornalistas traz a informação em um dos slides de que a convergência da inflação para a meta de 4,5% em 2017 não contempla reduções da taxa básica de juros, hoje em 14,25% ao ano.”

    1+
  • DRN 19 de fevereiro de 2016 at 13:59

    OFF – dois centavos sobre a decisão do STF.

    Está correta.

    Diz a CF: LVII – ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória;

    Não é preciso ser “considerado culpado” para ser preso. Existe prisão cautelar e a pessoa pode ser considerada inocente (ou seja, não-culpada) depois. Dá-se aqui a mesma situação: condenou na primeira instância, condenou na segunda instância, como PRESUMIR, ainda assim, que o cidadão seja inocente? Se cabe a exceção da prisão cautelar, cabe a execução provisória da pena.

    Mais dois pontos para acabar a palhaçada do sistema penal brasileiro: (i) pensar na e priorizar a vítima e (ii) condicionar a liberdade do condenado à indenização da vítima, porque bandido não tem medo de prisão; bandido tem medo de trabalho.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Bruno.12 19 de fevereiro de 2016 at 14:28

      Acrescento duas questões: os próprios presos bancarem os custos da prisão (no macro, desde vestes até muro de arrimo) e criar a “braçadeira” eletrônica (já pensou Sr. Odebrecth andando com um relógio prisional no pulso?).

      2+
      • avatar
  • Cajuzinha 19 de fevereiro de 2016 at 14:01

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Primeiro vez que vejo. Passou agora carro de som anunciando venda de imóveis.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • RecrutaZero 19 de fevereiro de 2016 at 14:03

      Em BSB tem faixa: “VENDO SEU IMÓVEL RÁPIDO! LIGUE XXXX-XXXX”

      3+
      • avatar
      • avatar
    • DRN 19 de fevereiro de 2016 at 14:09

      Eu só conhecia a do caminhão de gás e a da pamonha, pamonha, pamonha, o puro creme do milho, direto de PIRACICABA!!!

      3+
  • CA 19 de fevereiro de 2016 at 14:09

    Sobre o tópico:

    Existe um componente básico de toda bolha imobiliária que muitas vezes é subestimado. O nome dele é CREDULIDADE. Aquela crença CEGA, sem fatos e dados, que aliás, briga contra as evidências.

    No Japão muitas pessoas acreditavam que o palácio imperial valia mais que todo o Estado da Califórnia nos EUA!

    Esta credulidade não se dá apenas em relação às situações mais esdrúxulas como a que consta acima, mas também no dia-a-dia de toda bolha imobiliária. Acima temos o Ilusionista e o Urso que acreditam CEGAMENTE que apesar de todas as pesquisas baseadas em preços REALIZADOS que apontam quedas de preços dos imóveis MUITO acima da inflação HÁ ANOS, estes preços não estão caindo, na visão deles, todas as empresas que fizeram estas pesquisas e que tem MUITO mais anos de experiência no segmento do que o FIPE Zap estão erradas e o que é confiável de verdade é o FIPE Zap e o preço ANUNCIADO e não a venda realizada. Você pode apresentar os FATOS e DADOS um milhão de vezes para estas pessoas e o máximo que eles vão dizer é “na minha opinião…”, sem que exista qualquer fato ou dado que indique que a “opinião” dele faz sentido.

    Abaixo, temos 2 exemplos de depoimentos de 2013, que demonstram como é forte este Mundo de ILUSÃO que existe dentro de toda bolha imobiliária. Percebam como nestes casos que pincei, em cada um deles o “feliz” investidor afirma categoricamente que se sentiu enganado porque todos os outros imóveis valorizaram, menos o dele, que havia uma “certeza” de valorização e era “anormal” que ela não tivesse acontecido e assim por diante. Na sequência um link com diversos outros depoimentos que demonstram que aquilo que era “único” na visão alienada destas pessoas que estavam sendo hipnotizadas, que era a redução dos preços dos imóveis, estava acontecendo nas mais diversas localidades e com diferentes construtoras:

    CASO 1) Link: http://www.reclameaqui.com.br/6948247/alphaville-urbanismo/alphaville-sao-jose-dos-campos/

    Trecho do Link acima:

    “O alphaville Sao Jose dos Campos me vendeu lotes por 720,00 o metro. Mas “queima”lotes ate hoje por 650,00 o metro. O Lancamento foi em Outubro de 2011 …se colocamos a inflacao deveria estar no minimo a 740 o metro. Como pode isso? Faz propaganda pegando carona no boom imobiliario que ocorreu em todo pais desde de 2008. Qq imovel dobrou de preco nos ultimos 5 anos. Repito qualquer imovel.”

    CASO 2) Link: http://www.reclameaqui.com.br/4873949/momentum-empreendimentos-imobiliarios-ltda/ninho-verde-ii/

    Trecho do link acima:

    “Acho vergonhosa a forma como nós compradores estamos sendo tratados.Qualquer imóvel em qualquer cidade valorizou nos últimos anos, menos este empreendimento.”

    Para outros depoimentos do ReclameAqui que comprovam que desde 2013 no mínimo já temos casos, nas mais diversas localidades e das mais diversas construtoras, onde na entrega o imóvel estava mais barato que na planta, segue link com mais evidências:

    http://defendaseudinheiro.com.br/comprar-imovel-em-tempos-de-bolha-imobiliaria

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • DRN 19 de fevereiro de 2016 at 14:13

      Agora a questão filosófica e jurídica:

      Pergunto: o caboclinho que cai na ilusão é:

      (a) um desvalido, hipossuficiente, coitadinho, que deve ser amparado pelo Estado-babá via legislação e judiciário, ou

      (b) um indivíduo dotado de livre-arbítrio que deve RECEBER O FOGO (reação) de suas ações???

      E acrescento outra pergunta:

      O analfabetismo generalizado do bananense deve ser levado em conta para responder a pergunta anterior?

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Giqqs 19 de fevereiro de 2016 at 14:21

        Te respondo com outra pergunta: Está capacitado a votar? Se sim, que arque com as consequências de suas decisões!

        Quem não é capaz de tomar decisões para si, não é capaz de votar…

        9+
        • avatar
        • avatar
      • Lucas 19 de fevereiro de 2016 at 14:23

        vários indivíduos sãos foram enganados por Bernard Maodf, que pegou 150 anos de prisão

        Uma coisa não elimina a outra.

        Um cidadão comum entende que há fiscalização por parte do governo, que entregando a devida documentação, a empresa está lícita para operar, que conduta desonesta é vigiada pelo Estado, como foi o caso da telexfree, o judiciário fechou a empresa.

        Na minha visão, a 666 responde por suas ações de ter se deixado enganar, MAS TAMBÉM a empresa que o enganou deve ser retirada do ar e seus donos devem pagar pela simulação de lucro que por anos a fio e que ainda estão enganando a população ao afirmar que há estabilidade no mercado quando na verdade corre çangui e desespero nas ruas.

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Mente do Mal 19 de fevereiro de 2016 at 14:33

          Telexfria era amiga do rei?

          1+
          • Lucas 19 de fevereiro de 2016 at 14:42

            amiga só do bobo-da-corte

            3+
            • avatar
            • avatar
        • Libertario 19 de fevereiro de 2016 at 15:41

          Exatamente!

          Tudo bem que nao constava no papel que iria valorizar 30%.

          Ou seja, como alguem da construtora mesmo disse pro Ricardo Motumbado : Se valorizasse 100 mil ele nao estaria reclamando….

          Mas há o agravante dos balanços dessas construtoras serem muito MAQUIADOS como o CA já cansou de reforçar aqui. E me parece que é isso que dá muito credibilidade ao golpe.

          Em um país serio certamente seria identificado o crime contabil.

          4+
          • avatar
          • avatar
        • CA 19 de fevereiro de 2016 at 15:45

          DRN,

          Como todo bom advogado e por tudo que acompanho acredito que você seja um ÓTIMO advogado, diga-se de passagem, você claramente “puxou a sardinha para o seu lado” e deu duas alternativas em que a primeira (“a”) é ridicularizada para que só sobre a segunda como viável.

          Outrossim nobre doutor, data venha (sic), observando-se que não sei nem como usar estas expressões e se são escritas assim mesmo (rs), arrisco-me nesta discussão filosófica e jurídica e ouso concordar com a opinião do Lucas. As punições não são excludentes.

          No caso do comprador na planta, como já me manifestei antes, entendo que cabe uma regulamentação específica para que sejam proibidas as cláusulas abusivas / leoninas e que as mesmas caso persistam, sejam automaticamente anuláveis por qualquer juiz (talvez já seja até assim por serem cláusulas leoninas).

          Não é minimamente razoável supor que o comprador tenha que pagar pelos serviços do corretor. Não é razoável se assumir que a empresa que está vendendo não tem a menor responsabilidade de avaliar o crédito e a viabilidade do comprador adquirir o imóvel, ou colocando de outra forma: no caso em que o corretor, a imobiliária e a construtora atuaram de má-fé e não fizeram nenhuma avaliação (sim, existem vendas na planta sem comprovação de renda!), eles deveriam escapar impunes do crime claríssimo de PIRÂMIDE FINANCEIRA e todos os danos trazidos à economia e sociedade? Outro ponto nada razoável é como no caso da PDG onde o distrato tem prazo MÍNIMO de análise de 120 dias, mas sequer tem prazo máximo, além de não prever o prazo para ocorrer a devolução dos valores devidos e previstos no contrato e termos situações práticas em que o cliente reclama porque o distrato está “em análise” por mais de 1 ano e outras em que o cliente reclama que já aprovaram o distrato, prometeram verbalmente a devolução e está há meses sem depositar sequer a primeira parcela, sendo que todas estas parcelas não terão nenhum reajuste porque o contrato também não prevê isto. Há um volume enorme e incomparável de cláusulas leoninas. Sim, a grande maioria dos INCAUTOS são pessoas de baixa renda e baixa instrução, mas aqui não é este o ponto e sim o grau de MÁ FÉ que está por trás destes contratos, que desde o princípio já foram planejados para suportarem a PIRÂMIDE FINANCEIRA que foi criada.

          Acho que o exemplo do Lucas é bom porque tem a ver com uma outra pirâmide financeira. Telexfree, BBom e outras tantas pirâmides, merecem escapar ilesas só porque “a culpa é exclusiva de quem entrou nessa”?

          5+
          • avatar
          • avatar
          • DRN 19 de fevereiro de 2016 at 16:16

            CA, concordo em grande parte. Eu fiz uma provocação.

            Você pegou a “tática” da exposição das alternativas (embora velha, quase sempre passa despercebida).

            Em suma, penso que há flancos para atacar as construtoras e corretores, mas a promessa de valorização eterna, a meu ver, não é um flanco válido. A ocultação de informações nos balanços (pelos órgãos reguladores), a péssima qualidade dos produtos, a falta de detalhamento dos memoriais descritivos, a cobrança de comissão de corretagem sem serviço de corretagem (ou serviço contratado pela construtora e prestado para ela), e por aí vai, são os flancos pelos quais julgo justo atacar.

            2+
            • DRN 19 de fevereiro de 2016 at 16:17

              Sobre os balanços, não creio ser possível que dentro da CVM não existam pessoas capazes de ver as coisas que vc já viu e trouxe destrinchadas aqui para o BROG.

              2+
    • Urso 19 de fevereiro de 2016 at 22:58

      CA,

      Quem disse que acredito CEGAMENTE em alguma coisa?

      Eu apenas fiz um convite a reflexão.

      E eu, assim como você, acredito na existência de uma grande bolha imobiliária aqui no Brasil. E só perguntei quando vocês acham que ela vai estourar. E você me respondeu com os dados que ela já estourou.

      Nunca duvidei dos dados, pois contra dados não há argumento.

      Abraços!

      2+
      • avatar
  • Diego F. 19 de fevereiro de 2016 at 15:09

    Estão acompanhando o contingenciamento?

    23,4bi de cortes no orçamento
    4,2bi só no PAC
    Redução das despesas discricionárias ao limite de 2009

    http://g1.globo.com/economia/cobertura-mercado-bolsa-dolar.html

    PS: o Barbosão prevê PIB de -2,9% e inflação de 7,1% para 2016.

    1+
    • Boruto 19 de fevereiro de 2016 at 18:57

      A queda no PIB vai ser maior esse ano, arrisco -5% de PIB e inflação a +11%. Se reduzirem a Selic a inflação sobe mais.
      Enfim 2016 será pior que 2015. Como foi previsto aqui, as pessoas olharão com saudades para 2015.

      0
  • Jovem Estudante 19 de fevereiro de 2016 at 15:20

    TÓPICO!! (com direito ao número cabalístico!)

    “http://portalamazonia.com/noticias-detalhe/economia/mercado-imobiliario-tem-queda-de-30-nas-vendas-em-manaus/?cHash=753350f92d990d1129d23470c9466c80”

    Mercado imobiliário tem queda de 30% nas vendas, em Manaus

    Dificuldade de acesso ao crédito e juros altos, dificultam negócios e toma em comparação ao mesmo período de 2015

    MANAUS – O mercado imobiliário amazonense registrou redução de 30% nas vendas nos primeiros 45 dias do ano, em comparação ao mesmo período de 2015. A dificuldade de acesso ao crédito e o aumento de pouco mais de 30% na taxa anual de juros, que saltou no último ano de 7,5% a 9,9%, dificultam a adesão contratual do pretenso comprador e como resultado, há maior oferta imobiliária.

    Uma alternativa encontrada pelas incorporadoras nos últimos meses foi a abertura de financiamentos próprios.De acordo com o Sindimóveis-AM (Sindicato dos Corretores de Imóveis do Amazonas), tem contribuído com a manutenção das comercializações em meio ao cenário econômico local e nacional negativos.

    O presidente do Sindimóveis-AM, Aquiles Barros, afirma que o Estado abriga um alto número de empreendimentos estocados, que são os imóveis concluídos e disponíveis à venda. Ele explica que não há como precisar em números o quantitativo de imóveis prontos à comercialização e ainda afirma que o fechamento de contratos ocorre com maior frequência quando as condições de pagamentos são facilitadas e com taxas de juros reduzidas. “Há um alto índice de ocorrências de clientes que não conseguiram finalizar o financiamento por conta da restrição de crédito. Como resultado, eles devolvem os imóveis. Esses também fazem parte desse estoque que está à pronta entrega”, disse o presidente.

    De acordo com Barros, entre as alternativas encontradas pelas empresas para tentar enfrentar o período da instabilidade econômica nacional e manter as comercializações, está a redução expressiva nos preços e a abertura de financiamentos diretos. “Esse é o momento de comprar e não de vender. Os preços praticados hoje estão abaixo dos valores ofertados em 2012, tudo em uma tentativa forte de reduzir os estoques”, comentou.

    Na avaliação do presidente, o segmento espera que o segundo semestre chegue acompanhado de melhores resultados e que até o mês de setembro as dificuldades relacionadas ao ‘efeito crise’ sejam amenizadas. Segundo o presidente do Creci-AM/RR 18ª Região (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Amazonas e Roraima), Paulo Mota Júnior, as incorporadoras mantêm os descontos e buscam anunciar ofertas com o intuito de atrair os clientes. Ele afirma que as vendas não pararam, mas admite que o mercado está mais competitivo. “As vendas estão acontecendo e as ofertas, os descontos contribuem para a efetivação da compra”.

    Empresas postergam novos lançamentos Em meio ao cenário de dificuldades nas vendas, as imobiliárias também estão protelando a ocorrência de novos lançamentos imobiliários. Aquiles Barros informa que a expectativa é de que neste ano aconteçam ao menos sete lançamentos, o mesmo quantitativo registrado em 2015. O presidente relata que o mercado, em relação às inaugurações de empreendimentos imobiliários, sofre um desaquecimento desde 2012. Segundo ele, em 2011 o Amazonas contou com 45 inaugurações e que após 2012 esse número despencou e manteve a média entre sete e oito lançamentos anuais.

    “Muitas incorporadoras postergaram os lançamentos. Temos a previsão de que dois aconteçam até o final deste mês, mas não temos como precisar quantos serão oficializados neste ano”, disse.

    Setor registrou crescimento até dezembro de 2015

    Conforme a Ademi-AM (Associação das Empresas do Mercado Imobiliário) no final de 2015 o mercado imobiliário registrou crescimento com um aumento de 250% nas vendas. O faturamento triplicou passando de R$ 23,5 milhões em novembro, para R$ 71,3 milhões movimentados no mês de dezembro. Os dados, captados no último mês de dezembro de 2015, foram adquiridos por meio de pesquisa feita pela instituição com suas 28 empresas associadas, que juntas representam 90% do mercado imobiliário do Amazonas. “O saldo positivo mostra a confiança que o investidor está tendo no nosso mercado hoje, que é o melhor momento para se investir em imóveis, pois tudo é favorável para o comprador. Existe uma grande oferta de produtos, há facilidade na linha de crédito e juros flexíveis”, declarou o presidente.

    3+
    • avatar
  • Jovem Estudante 19 de fevereiro de 2016 at 15:25

    Essa é pra quem assina a Pholha ler e passar pra nós.

    “http://www1.folha.uol.com.br/colunas/viniciustorres/2016/02/1740923-mercado-de-imoveis-mal-parado.shtml”

    0
    • Just A Simple Bubble Man 19 de fevereiro de 2016 at 16:12

      Mercado de imóveis, mal parado
      19/02/2016 02h00
      Mais opções
      A gente ouve falar muito da queda das vendas de automóveis, um termômetro pop da crise. No ano passado, a baixa foi de horríveis 25,5%. A gente ouve menos a respeito das vendas de imóveis, mercado que ganhou importância maior na economia na década passada.

      Pois bem. Ou mal. No ano passado, o número de imóveis vendidos caiu 15,1% no Brasil, segundo os dados da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

      Cai o número de unidades lançadas, baixa de 19,3% em relação a 2014. Cai também preço médio do metro quadrado, cai o preço médio dos aluguéis de contratos novos.

      Antes de prosseguir, abra-se um parêntese prático a respeito de aluguéis. Considere-se o preço médio do aluguel de novos contratos (não daqueles de imóveis já alugados). Em São Paulo, por exemplo, o preço médio do aluguel “novo” baixou 12,7% nos últimos 12 meses contados até janeiro (em termos reais: considerada a inflação medida pelo IGP-M. Sem levar em conta a inflação, a queda foi de 3,2%, dado do Secovi).

      Isto é, se o seu aluguel velho está sendo reajustado pelo IGP-M, em um ano sua conta ficou quase 13% mais cara que a de um contrato novo. Trata-se de uma média, atenção. Não existe apenas um, mas vários mercados de imóveis. O preço de casas pode variar em meras duas esquinas.

      Ainda assim, convém pensar em renegociação de contratos ou procurar alternativas. Enquanto o aluguel novo na média caiu cerca de 3,2% (em termos nominais), a média de todos os aluguéis em São Paulo ainda subiu 7,2%, segundo o IPCA do IBGE. O preço do aluguel “velho” não está seguindo o “novo”. Há algum espaço para negociação aí. Fecha-se o parêntese.

      O preço do metro quadrado nacional caiu 9,4% nos 12 meses até janeiro, contas feitas com os dados da Fipe-Zap. Em São Paulo, a baixa é de 7,8%. Até novembro, dado mais recente, a queda das vendas na região metropolitana de São Paulo era de 18%, segundo o Secovi: de quase 42 mil imóveis por ano para pouco mais de 34 mil.

      Ou seja, o comércio, a construção e os preços dos imóveis despencam. Nenhuma surpresa, claro, dados os juros maiores, o crédito mais difícil e a profunda desconfiança do consumidor. Ou melhor, existe uma certa diferença no mercado imobiliário: preços menores. No mais, a inflação do Brasil anda resistente.

      Quem sabe o ajuste de preços contenha o ritmo de degradação do mercado imobiliário. Porém, é difícil imaginar recuperação quando se trata de bens de valor tão alto e de envolvimento financeiro de longo prazo quando as perspectivas são de aumento de desemprego por mais dois anos e de crédito minguante ainda neste ano.

      Mau sinal, pois o negócio imobiliário se tornou mais relevante na última década, repita-se. O total de dinheiro emprestado (estoque de crédito) para a compra de imóveis equivalia a 1,5% do PIB em 2007 (isto é, em relação ao tamanho da economia brasileira). No final de 2015, o estoque de crédito imobiliário chegara a 9,7% do PIB.

      É fácil perceber que a baixa da construção arrasta consigo vários setores. Siderurgia, cimento, vidros, química, máquinas e ferramentas, móveis, madeira etc. É uma desgraça com um longo encadeamento.

      2+
      • avatar
      • Jovem Estudante 19 de fevereiro de 2016 at 16:56

        VALEU!!!

        0
  • wade 19 de fevereiro de 2016 at 15:25

    CVR(eu acho):

    – pegando ônibus de madrugada, trocador diz que não tem moeda para troco. Alguns segundos olhando para cara dele, misteriosamente apareceram moedas.

    – na volta, peguei um taxi, por ser tarde e região perigosa. Corrida curta, só notei no final que o taximetro estava desligado. Cobrou 15. Como estava com pressa (problemas de saúde), não discuti. Vi depois que deveria ser 10.

    – Após ter emprestado 1.200 há quase um ano atrás pra um assunto bem grave(acreditei), comecei a pressioná-lo para pagar-me ao menos parte. Prometeu que pagaria tudo início de fevereiro. Enviou um printscreen de uma tela de confirmação de transferência, mas descobri depois que a tela não era de conclusão. Passado o carnaval, nada. Todo dia as 8 da manhã pedia um parecer, e cada hora um assunto novo. Pedi para mandar extrato, e ele me prometia para o dia seguinte. Prestes a ir no pequenas causas, mandei hoje um texto enorme com um ultimato (sem citar pequenas causas). Já caiu 1000 em minha conta. Como não estou bem de saúde e desgastado com isso (imagine quanta ansiedade estou passando desde início deste mês), vou deixar pra pedir mês que vem o resto, o que já deixei avisado.

    E é por essas e outras que quem tem problemas com dinheiro não tem minha simpatia. Não mais. Que se phodam. Vou assistir daqui do alto tudo pegar fogo e vou achar graça. Duas doses de schadenfreude, por favor.

    28+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Nixwolf 19 de fevereiro de 2016 at 15:40

      NUnca se empresata o dinheiro, é o caminho mais facil para perder a amizade, familiares rsrsrs….e dinheiro

      16+
      • avatar
      • avatar
      • wade 19 de fevereiro de 2016 at 16:04

        É por aí mesmo. A amizade já não quero mais. Os juros já perdi. A amizade, não quero mais. Se estiver passando fome, melhor pedir pra outro. “Não urino em em cima nem se estiver em chamas”. Vamos ver se perco os 200.

        2+
        • Money_Addicted 19 de fevereiro de 2016 at 16:18

          desculpa, mas isso eh basico, dinheiro nao se empresta (a nao ser q seja agiota, mas ai eh outra historia)

          Dinheiro se “doa” qdo a pessoa q pede emprestado for MTO querida, no meu caso soh Mae estaria nesse rol

          [ ]s

          7+
          • avatar
          • avatar
  • CA 19 de fevereiro de 2016 at 15:56

    Sobre a captação liquida da poupança em fevereiro/2016:

    Começou o mês negativa em quase R$ 1 bilhão, teve uma recuperação muito boa até o Carnaval com captação liquida passando de R$ 3 bilhões (provável relação com depósitos daqueles que acabaram de receber o salário), no entanto, logo após o Carnaval saques muito maiores que depósitos e neste momento, até o último dia atualizado (15/fev/2016) temos que a captação liquida acumulada de fev/16 está em -R$ 4,67 bilhões. Se continuar assim, vai secar a verba do SBPE e o crédito imobiliário barato mais rápido do que secou em 2015 e já gerou grandes impactos…

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 19 de fevereiro de 2016 at 15:56
      • CA 19 de fevereiro de 2016 at 15:58

        Ops, correção:

        Os números acima são do saldo TOTAL da poupança. Da parcela do SBPE que é o que conta para o crédito imobiliário, está NEGATIVA em R$ 3,74 bilhões (pasta SBPE da planilha Excel acima) dentro do mês de fevereiro (de 1 a 15 de fevereiro).

        1+
  • ZehMasNaoManeh 19 de fevereiro de 2016 at 15:56

    Alguem mais está passando por problemas de encoding quando tenta abrir o Bolha ?

    5+
  • Cervejeiro Bolhista e Opressor 19 de fevereiro de 2016 at 16:00

    CVR [off topic]

    Sábado passado eu a da dona Cervejeira resolvemos pesquisar os preços de uma luminária pendente para a Sala de jantar.

    Na luminária iríamos instalar lâmpadas LED.

    Pesquisamos em lojas físicas aqui de S.J Hell Preto (interior SP), tanto luminárias, quanto as lâmpadas LED.

    Encontramos a luminária por 649 barbosas.

    As lâmpadas de 15W LED sairiam por 67 barbosas (cada uma).

    Minha compra total ficaria em 917 cachorros loucos.

    Respirei fundo e não comprei, pois como diz SD, somos seres impulsivos, mas em se tratando de dinheiro, devemos ser calmos e esperarmos o momento certo para comprar alguma coisa.

    Tal qual um Sniper, que fica horas mirando até dar o tiro certeiro.

    Assim, durante esta semana resolvi fazer uma pesquisa pela internet e eis que encontrei a MESMA luminária e a MESMA lâmpada.

    Acabei de comprar.

    Seguem os preços:

    – Luminária = 299

    – Lâmpada = 37 cada

    – Total da brincadeira = 447

    Menos da METADE do preço.

    Como hoje é sexta-feira vou OPRIMIR e adquirir uma cervejas especiais.

    PMJ

    33+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • wade 19 de fevereiro de 2016 at 16:01

    Ouvi o audio do video O Calote da Empiricus. Estou tentando baixar pra analisá-lo com mais calma. O Lucas já disse que não leva a sério o alarmismo. Algumas pessoas gostaram da análise, mas não entendi se viram sentido no imediatismo que eles proferem.

    Talvez eu tenha perdido alguma coisa, mas a questão quando vi eles falando em inflação anos 80 ou calote, foi porque não consideraram a hipótese de pegar empréstimo com o FMI, o que já ocorreu anteriormente e foi integralmente pago. Embora minhas preconcepções com o partido no poder me faça considerar o pior, tecnicamente falando não vejo porque desconsiderar essa possibilidade.

    2+
    • Awulll 19 de fevereiro de 2016 at 16:04

      Sem contar que devem vir privatizações por aí.

      1+
    • Marc 19 de fevereiro de 2016 at 16:05

      melhor prevenir do que remediar? 🙂

      1+
  • Awulll 19 de fevereiro de 2016 at 16:09

    Precatórios não sacados viram superavit, quer governo:

    http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/02/precatorios-pagos-e-nao-sacados-viram-superavit-fiscal-quer-governo.html

    Cortar de verdade que é bom, nada. Vão só maquiar, como sempre.

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • edzf 19 de fevereiro de 2016 at 17:11

      O objetivo do governo não é gerar superávit primário para o pagamento dos juros da dívida, o objetivo deles é cumprir a META de superávit.

      Por isso esses malabarismos para criar bandas de tolerância para a meta, essa agora dos precatórios…, medidas que não geram efetivamente NENHUM CENTAVO de economia de gastos ou aumento de receitas, só servem para o governo dizer que a meta foi atingida (meta essa que, dessa maneira, não servirá pra nada no objetivo da redução da dívida pública).

      2+
      • avatar
    • Irineu 19 de fevereiro de 2016 at 17:18

      Governo querendo meter a mão em dinheiro que não é dele. É como fez a Caixa, que contou saldos de poupanças inativas como lucro em 2014.

      3+
      • avatar
  • Dutra 19 de fevereiro de 2016 at 16:12

    CVR
    Um assunto muito comentado hoje no blog e nesses dias, há muita gente ainda que acredita que imóvel na situação atual ainda é investimento. Conversando com dois advogados (fui no escritório deles com parente, resolver pepinos deste), eles (advogados) pro e eu contra, os argumentos deles e os meus são os que todos bolhistas já sabem, nem preciso prolongar, eu disse que há investimentos melhores atualmente, pois imóvel tão cedo não deve valorizar e eles não mudaram de ideia. Um deles disse que o pai ganhou muito dinheiro com imóvel na planta e é só questão de tempo e bla bla bla. Mais pare frente devo ligar para esse que o pai investe em imoveis e perguntar se tem algum encalhado para alugar a custo quase 0, não sei se vão querer, pois sempre se deram bem, caso não queira alugar barato eu digo tchau e feliz IPTU e condomínio para vocês.

    4+
    • avatar
    • avatar
    • DRN 19 de fevereiro de 2016 at 16:46

      Cuidado.

      Geralmente, advogados são ignorantes em finanças.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • Dutra 19 de fevereiro de 2016 at 16:55

        Obrigado DRN, mas o que vou fazer é ver se tem algum imóvel para alugar encalhado. Vou pedir a ele conselhos de finança não. rsss

        2+
        • avatar
  • Cervejeiro Bolhista e Opressor 19 de fevereiro de 2016 at 16:21

    Awulll essa estória de privatizações, algum insider em BSB ou somente um insight?

    Desculpe o trocadilho.

    rsrsrsr

    0
    • Awulll 19 de fevereiro de 2016 at 17:35

      Escutei na Band News ou na CBN, não lembro agora.
      Tentei achar a notícia, mas não encontrei.
      O que ouvi na rádio (anteontem) é que o governo prepara o maior pacote (ou saco, ou sacola, não lembro) de privatizações da história, pra levantar alguma grana.

      1+
  • Cesar_DF 19 de fevereiro de 2016 at 16:46

    No índice IMOB, o valor das 15 empresas que o compõe caiu de (em bilhões)
    ________R$__US$
    05/2015 41.0 12.9
    12/2015 32.0 8.2

    http://www.bmfbovespa.com.br/indices/ResumoCapitalizacaoBursatil.aspx?Indice=IMOB&idioma=pt-br

    0
    • Cesar_DF 19 de fevereiro de 2016 at 16:48

      Em maio de 2011 chegara a valer US$ 45.6 BI e hoje US$ 8.2 BI
      É SÓFITI

      1+
  • Controller_SP 19 de fevereiro de 2016 at 17:04

    Pesquisei hoje imóveis na região Sul e norte de SP pelo site FIPE ZAP, apenas para verificar como estão os preços anunciados, constatei diversos imóveis que estão no site a mais de um ano e não possuem redução de preço.
    Engraçado como as pessoas perdem dinheiro com o condomínio e manutenção mas não baixam os preços, a falta de conhecimento financeiro, faz a pessoa perder mais dinheiro e ainda dificulta o mercado aumentando uma bolha enorme…..

    3+
    • avatar
    • avatar
    • BountyHunter 19 de fevereiro de 2016 at 17:26

      Simples, é porque pra muita gente o imóvel tem um valor sentimental muito mais alto do que financeiro em si só. Compreensível, pois comprar um imóvel pra grande maioria é economia de uma vida inteira. Isso só vai mudar se o sujeito entrar em desgraça e faltar dinheiro para escola particular dos filhos, não poder mais pagar seguro de saúde, comprar comida no fiado..etc.. E infelizmente é isso que está acontecendo hoje, e se prepare que a bolha vai explodir e não murchar.

      1+
  • JulianZ 19 de fevereiro de 2016 at 17:15

    Dolar formou uma tendência de queda, logo vai abrir outros pontos para compra em R$ 3,90 ou até em R$3,70.

    2+
    • BountyHunter 19 de fevereiro de 2016 at 17:33

      Nesse governo lixo, é impossível prever qualquer tendência para o Dólar. Amanhã o governo faz cagada e o dólar vai pra $5…..

      4+
      • avatar
  • Superman 19 de fevereiro de 2016 at 17:17

    Moratória? O quanto estamos perto? Algo para se pensar…
    http://revistapiaui.estadao.com.br/questoes-da-politica/precisamos-falar-sobre-a-moratoria/

    0
  • chigo 19 de fevereiro de 2016 at 17:39

    Estou a mais de 4 anos querendo comprar um apto. ou um terreno para construir algo na região metro. de P. Alegre. De lá para cá os preços somente aumentaram. É impressionante a falta de noção das pessoas que precificam os imóveis. A ficha ainda não caiu. Proprietários ainda não se deram conta da situação que está o Brasil.
    Predio onde moro pago a partir deste ano R$1350 de aluguel. Vi anuncio de AP igual (com alguns badulaques a mais) por R$477k. Para investidor Daria 3,4% de rendimento bruto. Tirando taxa adm. e IR ficaria 2,2%, sem contar manutenção e vacância. Quem é louco de comprar um apt. a este valor. TD dá muito mais do que isso e com liquidez diária.
    Povo brasileiro não sabe calcular nada, claro, mas somente um asno pagaria este valor. Mesmo que seja “para morar”.
    Mas a questão toda é: até quando essa loucura vai durar? Quando vai cair a ficha? Ou até quando vão segurar estes preços absurdos?

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Galt 19 de fevereiro de 2016 at 17:41

    Pessoal de Floripa não percam a palestra do Ricardo Amorim sobre empreendedores de sucesso no Shopping Iguatemi.Comprem o ingresso rápido antes que os ingressos acabem..

    1+
    • avatar
    • Galt 19 de fevereiro de 2016 at 17:41
      • odorico 19 de fevereiro de 2016 at 17:45

        Alguém tem que ir lá perguntar do bovespa 200 mil pontos e porque o preço dos imóveis estão caindo se não há bolha.

        4+
        • avatar
        • Galt 19 de fevereiro de 2016 at 18:10

          Olha se fosse gratuito ,eu até me voluntaria para ver a cara de pau dele ao responder essas perguntas, mas pagar para ver amorinha NUNCA.Temos outros bolhistas manezinho que podem ir no meu lugar.

          3+
          • avatar
          • avatar
  • Pao de queijo com cafe 19 de fevereiro de 2016 at 18:34

    DRN,
    Tamos meio parecidos.
    Só que eu com 50% dólar, uns 35% renda fixa, 15% ações.
    Saí do TD.
    E cogito comprar mais verdinhas.. em detrimento da Renda Fixa.

    Ainda mais depois de ler o texto que o Louro postou.

    Louro, aliás, obrigado…

    DRN

    Lacrar 100% TD é muito arriscado.

    Continuo na convicção de que agora é: 50% TD, 35% dólares e 15% ações (fora lugar para cair vivo).

    Vencendo REDE ou PT em 2018, redução de TD para 0 a 20%, cf. apetite por risco.

    Não creio em calote. Creio em hiperinflação. Dá quase no mesmo. Melhor se prevenir do que remediar.

    0
    1+
    • avatar
    • Ludovico 19 de fevereiro de 2016 at 18:38

      PdQ, os 50% em dólar estão como? Manual do Anony, Latinha ou fundos? Abs!

      1+
      • avatar
      • Pao de queijo com cafe 19 de fevereiro de 2016 at 19:18

        Tudo nos EUA, manual.
        Agora, os novos eu tou considerando fazer latinha…. e/ou ir comprando e depois depositar lá, quando eu for… por causa do imposto que subiu né

        2+
        • avatar
        • Azufre 20 de fevereiro de 2016 at 07:13

          Para mandar para si mesmo tá pagando 25%?

          1+
  • Cajuzinha 19 de fevereiro de 2016 at 19:14

    Tópico


    As empresas terão dificuldade para vender as unidades dos 31 prédios da Vila Olímpica, onde 3.604 apartamentos foram erguidos para os jogos em agosto, ele disse. Menos de 300 deles foram vendidos até agora. Um empreendimento de quatro torres ao lado do campo de golfe Olímpico também está exposto à crise imobiliária, de acordo com Paes. Ilha Pura é uma joint venture da Odebrecht e Carvalho Hosken e o Riserva Golf, da Cyrela.”

    “http://economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2016/02/19/eduardo-paescrise-dificulta-venda-de-apts-feitos-para-olimpiada.htm”

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 19 de fevereiro de 2016 at 19:15


      “O mercado imobiliário desaqueceu muito”, disse Paes de seu escritório na Prefeitura. “Ilha Pura é um risco maior. Os caras fizeram 31 prédios de uma só vez e vão ter dificuldade.”

      Desde que o Brasil entrou na disputa para os jogos, há nove anos, o País e a cidade do Rio passaram da bonança à crise econômica. O boom nos preços dos imóveis, que por anos parecia não ter fim, acabou.”

      3+
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 19 de fevereiro de 2016 at 20:01

        Alô minha galera preste a atenção
        É a nova sensação, menino e menina não fiquem de fora …
        Mão na cabeça que vai começar..,
        o capitulation- tion-tion, capitulation-tion-tion,
        o capitulation- tion-tion, capitulation-tion-tion,
        o capitulation- tion-tion, capitulation-tion-tion,
        Se você fizer fica melhor..
        capitulatio é bom bom bom (6x)6x 6x.
        É a nova sensação, menino e menina não fiquem de fora …

        5+
        • avatar
        • avatar
    • Ipanemense 19 de fevereiro de 2016 at 23:15

      A região “olímpica” entre Abelardo Bueno e Salvador Allende é o epicentro da bolha no Hell de Janeiro. Além desse Ilha Pura, tem prédios comerciais sendo finalizados e hotéis que acabaram de ser inaugurados, como o Hilton.

      0
  • Pao de queijo com cafe 19 de fevereiro de 2016 at 19:19

    CVR semi-off de hoje !!!!

    1
    Paranto tem carro roubado a mão armada, carro tinha seguro OK

    2
    Paranto ganha bem, mas sente no ar alguma chance de ser mandado embora este ano (crise)

    3
    Paranto tem ativos (uns 400k?), porém tudo meio que agarrado em uma separação que caminha pra guerra judicial, sendo um dos ativos a se partilhar um imóvel (cof cof cof)

    4
    Paranto recebe indenização do seguro (Boba Alegre pira kkkkkk)

    5
    Paranto poderia aproveitar a chance (sim, o roubo foi uma chance !!!!, o tal mal que vem pra bem) de aplicar os 60k da indenização; bastaria andar uns tempos de táxi e metrô

    6
    Mas paranto é chique, tem de andar de carro e tem de ser carro caro… afinal, Paranto é bem sucedido né?

    7
    Paranto torra a grana toda, compra carro semi-novo, um jipinho TR-4 de 55k (um mega bebedor de gasolina, acho que faz uns 6 na cidade, e olhe lá)

    8
    PdQ ajuda indo buscar o carro, que ficou uma semana sendo “preparado” pra venda (agência ligada a concessionária)

    9
    PdQ chega no local e “o risco na pintura que ia ser reparado pelo Zé da Esquina etc e etc” ainda está lá; e o documento de propriedade que deveria estar pronto tb não está…

    10
    PdQ pergunta ao flanelinha (pseudo-vendedor de carros) porque o risco não foi arrumado, e escuta um mimimi como resposta; idem sobre o documento… PdQ implodiria o negócio na hora, mas Paranto, é claro, já fez a TED e mandou seu dim dim pra conta dos mequetrefes…

    11
    Flanelinha sai com o carro pra pintar na oficina da própria concessionária (porque o fdp não fez isso antes); prometeu meia hora, é claro que era apenas mais uma mentira

    12
    PdQ lembra do blog o tempo todo ao longo do processo, e se acalma tomando várias águas e cafés no “lounge” (WTF ???) da concessionária

    14 (pulei o número maldito)
    PdQ espera e espera; quando o flanelinha volta, hora de vazar com o carro, é claro que o tanque está no osso…

    15
    Pior é o flanelinha conduzir tudo isso com um sorriso falso na fuça, tentando manter o tal “clima bananense de amizade”

    16
    PdQ sai sem nem despedir do cara… v s f seu bananense, saí pensando nesta m. de país ridículo em que vivo, e nos tipos que aqui existem… “vc confiaria e emprestaria dinheiro pro brasileiro médio?”, disse Azufre do outro lado da rua…

    A aguardar:

    – Paranto ser demitido, ficar sem um puto, e eu ainda ouvir insinuações de empréstimos (negativo, nem vem)

    e/ou

    – Governo fracassar com a CPMF, entubar de novo a CIDE, e a gasosa subir pra 5 reais o litro

    Tá qui us pariu, desabafo, sempre que eu saio da minha rotina (calculada e intuitivamente anti-666) aqui na Banânia, a coisa azeda…

    E pra fechar: Paranto vai ????????????

    26+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Polaco 19 de fevereiro de 2016 at 19:30

      Perdão mas… Pq você se incomoda tanto com seu parente? O $$ é dele… Deixa fazer oq bem entende, çamus livris 🙂

      5+
      • avatar
      • Money_Addicted 19 de fevereiro de 2016 at 22:17

        fala pra ele pegar esses 400k e enterrar no quinta…..qro ver a mulher tomar kkk

        4+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Fmoura 20 de fevereiro de 2016 at 02:28

      O item 3 me lembrou de um vídeo que assisti algumas semanas atrás sobre um americano que estava se divorciando. Para que a ex não pegasse o dinheiro dele, ele vendeu tudo o que tinha, principalmente a casa, e comprou tudo em moedas de ouro. Na audiência de divórcio ele alegou que não tinha mais nenhum dinheiro pois tinha jogado todo ouro no lixo, e que o ouro estava em algum lugar do aterro sanitário da cidade…:)
      Esse é malandro mesmo, quando a poeira baixar ele vai lá pegar o ouro no lugar onde escondeu.
      Dá essa diga pro teu paranto rsrsrs!

      3+
      • avatar
    • Azufre 20 de fevereiro de 2016 at 06:36

      Deixa o paranto se dar mal…

      1+
      • Pao de queijo com cafe 20 de fevereiro de 2016 at 10:40

        to deixando, to nem aí
        agora, não resisto a relatar casos assim, DNA bananense impera…

        0
    • Boruto 20 de fevereiro de 2016 at 10:00

      Nada impede que aprovada a CPMF o governo não entube na CIDE e/ou outros impostos também. Sabe como é né, o governo tem que pagar os juros porque se rolar moratória nenhum gringo vai querer investir em títulos do governo bananense e como o governo bananense adora dinheiro…

      1+
  • marcosbolha 19 de fevereiro de 2016 at 19:32

    Decreto do Orçamento não autoriza novos concursos públicos em 2016

    Aperte 13 e confirma!

    10+
    • avatar
    • avatar
  • Margarida 19 de fevereiro de 2016 at 20:00

    BountyHunter

    Simples, é porque pra muita gente o imóvel tem um valor sentimental muito mais alto do que financeiro em si só. Compreensível, pois comprar um imóvel pra grande maioria é economia de uma vida inteira. Isso só vai mudar se o sujeito entrar em desgraça e faltar dinheiro para escola particular dos filhos, não poder mais pagar seguro de saúde, comprar comida no fiado..etc.. E infelizmente é isso que está acontecendo hoje, e se prepare que a bolha vai explodir e não murchar.

    0

    Isso é verdade, mas tem mais uma coisa:

    A grande maioria das pessoas pensa: “Se eu vender por menos do que eu paguei, vou perder dinheiro.” Ela faz a conta básica de quanto gastou e de quanto vai recuperar. Só sabe fazer isso, não consegue projetar o prejuízo muito maior que vai ter se não vender por preço menor do que pagou. Chega a ser ridícula essa miopia.

    (BountyHunter, estava sentindo falta dos seus comentários)

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 19 de fevereiro de 2016 at 20:26

    Crise econômica afeta aluguel e compra de imóveis no Maranhão
    É a maior crise no setor desde 2008 no Estado, diz ABMI.
    Juros altos, inflação e restrição de crédito dificultam negócios na área.

    mercado está cheio de opções, tem gente preferindo baixar o preço a ficar no prejuízo. “A gente sente que os proprietários estão dispostos a negociar os valoes de aluguel para que o imóvel não fique fechado, não fique parado …

    -http://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2016/02/crise-economica-afeta-aluguel-e-compra-de-imoveis-no-maranhao.html

    3+
    • avatar
  • Cajuzinha 19 de fevereiro de 2016 at 20:31


    Se voce falasse sobre a possibilidade de calote da dívida publica, ou restruturação forçada, há cerca de dois anos você seria considerado doido. Mas isso foi há dois anos. Hoje, se você falar sobre o mesmo assunto já não será considerado louco.”

    “https://mansueto.wordpress.com”

    3+
  • cokane 19 de fevereiro de 2016 at 23:06

    Às vezes me pergunto: não teria como fazer um índice baseado nos preços de venda dos imóveis que são assinados nos cartórios? O ibge poderia receber os dados e criar um indice mais realista com uma excelente capilaridade(municipal). Depender de Finge Zap…
    É muita utopia?

    4+
    • avatar
    • avatar
  • Ipanemense 19 de fevereiro de 2016 at 23:19

    Na Globo News, o jornal com Leilane Neubarth de hoje mostrou Itaboraí-RJ, do Comperj. Prédios residenciais e comerciais novos vazios. No mesmo canal, domingo à noite, o programa do Gabeira vai mostrar “o efeito da queda do preço do petróleo em Campos”.

    3+
    • avatar
    • FabianoSJC 20 de fevereiro de 2016 at 00:20

      Cara hoje no jornal regional aqui do Vale do Paraiba teve uma reportagem sobre as salas comerciais vazias aqui em São José dos Campos .

      “http://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/jornal-vanguarda/videos/t/edicoes/v/donos-de-salas-comerciais-estao-com-dificuldade-de-manter-imoveis-ocupados/4826577/

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • JJJ_brasilia 19 de fevereiro de 2016 at 23:47

    Hoje assistindo o programa Mariana Godoy Entrevista, sobre Zica Vírus, ela falou uma frase muito interessante, que serve para o mundo dos investimento e a bolha:

    Mariana Godoy: – “O ignorante sempre tem certeza, o especialista não!!!”

    Traduzindo para o mundo dos investimento: -“o Corvo sempre tem certeza, o especialista em investimento sempre tem dúvidas e te leva para o caminho com mais probabilidade de ganhos”.

    4+
    • avatar
    • avatar
  • Cadeludo 19 de fevereiro de 2016 at 23:59

    ‘http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/album-de-fotos/casa-na-vila-matilde-em-sp-esta-entre-as-melhores-construcoes-do-mundo#6
    essa o corvo arretado avalia por uns ….4 milhoes

    3+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 20 de fevereiro de 2016 at 06:45


    Especialistas e representantes do mercado imobiliário baiano esperam os efeitos das recentes medidas do Conselho Monetário Nacional (CMN) de incentivo aos bancos para o oferecimento de mais crédito imobiliário. Informações de fontes ligadas a bancos de Salvador geram a expectativa no mercado de que os efeitos dessa medida do governo comece a ser sentida já a partir de março.

    Na semana passada, o Conselho Monetário Nacional definiu uma resolução concedendo aos bancos um prazo de 12 meses para aplicar os recursos da poupança no crédito imobiliário. Com a resolução, em vez de recolher o dinheiro ao Banco Central e assim ter menos dinheiro para conceder crédito, os bancos têm um prazo maior para obter novos recursos e aplicar nos financiamentos imobiliários.

    Para o presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-BA), Luciano Muricy, a medida é positiva principalmente após meses de perdas históricas na caderneta de poupança, o principal recurso utilizado para o crédito imobiliário. Em 2015, R$ 53 bilhões foram retirados da poupança. Muricy, no entanto, avalia que não é suficiente.

    “Os bancos maiores estão com dificuldades para emprestar pela falta de recursos. Essa medida de certo modo vai ajudar um pouco. Mas nós precisamos de outras medidas estruturantes para consertar a economia. Essas medidas são pontuais e por isso têm eficácia pontual”, afirma Muricy.

    Presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-BA), Samuel Arthur Prado acredita que apenas uma redução na taxa de juros dos financiamentos poderia contribuir para a recuperação do mercado. Em sua avaliação, foram as menores taxas de juros um dos importantes fatores para o boom imobiliário do Brasil. “A gente vem cobrando que o governo baixe as taxas de juros para incentivar o mercado. Isso precisa ser realmente retomado para a retomada também do mercado, que está parado”, diz o presidente do Creci-BA.”

    “http://atarde.uol.com.br/mobile/imoveis/noticias/1748393”

    3+
    • avatar
    • Cajuzinha 20 de fevereiro de 2016 at 06:47

      “Dificuldades nas vendas

      A escassez de crédito virou rotina no trabalho do corretor Crisnilson Lacerda, gerando uma verdadeira peregrinação dos clientes aos bancos e até atrapalhando as vendas. “Não é mais como era antes, tem que ir procurando de agência em agência, porque há muitas que já atingiram a meta e não têm mais disponibilidade de crédito. Não está impossível, mas dá mais trabalho porque, anteriormente, o cliente chegava em qualquer agência e conseguia um financiamento”, conta Lacerda.

      Assessor imobiliário e corretor de imóveis Siney Vieira, por meio dos contatos com interlocutores de bancos, afirma que a expectativa do mercado é que as medidas comecem a fazer efeito a partir de março. “Há uma expectativa que na primeira semana de março a coisa volte a normalizar e o fluxo financeiro melhore. Eles (os bancos) assinaram o protocolo, mas ainda não aconteceu na prática a melhora”, diz Vieira. Neste caso, ele defende uma atuação maior dos corretores e correspondentes bancários, que auxiliam os clientes na busca por crédito.

      O bancário Ivan Alírio Castro Filho viveu essa peregrinação por crédito para financiar um apartamento que pretende comprar. O processo está aberto, mas ainda não recebeu respostas do banco.

      “Não estou tendo uma experiência muito boa. Os bancos estão solicitando documentos a ponto de cansar. Não falam que tem essa dificuldade abertamente, mas quem já comprou imóvel antes e tem conhecimento do mercado percebe a dificuldade da liberação”, afirma Castro Filho.”

      2+
      • avatar
      • Azufre 20 de fevereiro de 2016 at 06:49

        Bom dia!

        1+
        • avatar
  • Cajuzinha 20 de fevereiro de 2016 at 06:56

    Se a parcela couber no bolso …. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    “http://exame2.com.br/mobile/seu-dinheiro/noticias/site-pesquisa-imovel-pelo-valor-da-parcela-do-financiamento”

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Azufre 20 de fevereiro de 2016 at 07:06

    OFF

    Em 2005 certo presidente só ficou no poder porque um ex-presidente fez de tudo para que ele ficasse.

    Em 2016 o favor está sendo pago, com umas belas facadas nas costas. É a fábula do escorpião.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Pao de queijo com cafe 20 de fevereiro de 2016 at 10:44

      A admiração do ex-ex pelo ex- é atávica, e eu acabo dando razão aos que defendem a tese de que os socialistas intelectuais, meio os tais fabianos (o ex-ex) se consideram algo como “guias”, mentores de figuras mais toscas, como o 9-fingers…

      3+
  • motumbo_hardcore 20 de fevereiro de 2016 at 07:20

    Pessoal, estou enganado, ou é correto afirmar que o Samy Dana está sumido? Só vejo ele aparecendo em artigos sobre outros temas… Agora seria a hora de ele subir no ponto mais alto do prédio mais alto da Av Paulista de gritar EU AVISEI!!!!

    Será que ele está na geladeira por algum motivo? Tentou desmascarar a situação de forma mais clara e tomou um cartão vermelho?

    Aliás, estamos agora precisando de pessoas na imprensa para desmascarar a conversa de que é tudo conta da crise de 2015.

    4+
    • avatar
    • Bolha BOSS 20 de fevereiro de 2016 at 10:24

      Para isto ele conta com o nosso apoio na central do telespectador da globo. Só com elogios ao trabalho dele podem mante-lo por lá

      2+
  • Julio 20 de fevereiro de 2016 at 08:37

    Quem viu essa matéria ontem no JN?

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/02/empreendedor-vende-garrafas-de-ar-puro-ingles-a-r-450-para-cidades-poluidas-na-china.html

    Como dizia Bezerra da Silva, malandro é malandro, mané é mané, mesmo que os malandros em questão tenham a aparência de lordes ingleses e os manés tenham olhinhos puxados.

    Se conseguem vender ar caçado com redes, como não venderão apartamentos na planta?

    7+
  • Alemon Fritz 20 de fevereiro de 2016 at 08:40

    aceita que…

    Quebra de contrato com construtoras cresce e 50 mil imóveis são devolvidos
    Mercado imobiliário encerrou 2015 com queda nas vendas, nas entregas e nos lançamentos

    …com isso, o estoque de imóveis subiu para 109.398 unidades em dezembro do ano passado. Se fosse mantido o ritmo do mercado dos últimos três meses de 2015, seriam necessários 14,4 meses para vender esse estoque inteiro.

    -http://www.tribunahoje.com/noticia/170451/economia/2016/02/19/quebra-de-contrato-com-construtoras-cresce-e-50-mil-imoveis-so-devolvidos.html

    1+
  • Cajuzinha 20 de fevereiro de 2016 at 10:19

    “. Num dia de poucos negócios, o mercado reagiu bem ao discurso uníssono do BC e as taxas de juros futuras acabaram caindo ontem.

    Em menos de 24 horas, três membros do Comitê de Política Monetária (Copom) garantiram que não há espaço para cortes da Selic, atualmente em 14,25% ao ano. ”

    “http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2016/02/20/internas_economia,736027/bc-reforca-mensagem-de-juros-estaveis.shtml”

    2+
  • carioca_real 20 de fevereiro de 2016 at 10:37

    Agora se vira com os bolhudos encalhados.

    1+
  • Pao de queijo com cafe 20 de fevereiro de 2016 at 10:38

    uai, eu nao tentei, nem perguntei na verdade, pois nao fiz mais remessas…
    mas ficou sendo comentado que sim…

    Azufre

    Para mandar para si mesmo tá pagando 25%?

    0
    0
    • Azufre 20 de fevereiro de 2016 at 10:51

      Eu não sei, mas desconfio que para si mesmo não mudou.

      Mas e no geral? Será que agora vai?

      0
    • Azufre 20 de fevereiro de 2016 at 10:53

      Estou achando que até junho pode abrir uma janela grande. Possivelmente antes. Se chegar eu me posiciono e comento com vcs.

      0
    • Irineu 20 de fevereiro de 2016 at 11:09

      Fiz uma remessa BB S.A. => BB Américas no início de fevereiro e, até o momento, nenhuma cobrança adicional fora o IOF de 0,38%. No caso, as duas contas são de minha titularidade.

      5+
      • avatar
      • avatar
  • Palmeirense Bolhudo 21 de fevereiro de 2016 at 10:37

    Crise aumenta em 20,2% a devolução de imóveis comprados ainda na planta

    O número de distratos de imóveis cresceu 20,2% no País no último trimestre de 2015, em relação ao mesmo período de 2014, com o aumento da devolução de imóveis comprados na planta pelos consumidores

    O número de lançamentos também recuou, bastante influenciado pelo momento fraco da economia e pela baixa demanda de imóveis. Segundo a pesquisa, o setor registrou queda de 29,6% no último trimestre, em relação a igual período de 2014. Em todo o ano de 2015, a queda foi de 19,3%, na comparação com o ano anterior.

    “Uma quantidade razoável de pessoas comprou imóvel com o objetivo de fazer um lucro num prazo relativamente curto e, como não houve uma valorização no período, está desistindo da compra.

    +http://new.d24am.com/noticias/economia/crise-aumenta-202-devolucaode-imoveis-comprados-ainda-planta/147449

    0
  • Palmeirense Bolhudo 21 de fevereiro de 2016 at 10:45

    Mercado imobiliário esfria e preços de venda caem até 25%

    “A análise de crédito pela Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e até os bancos privados ficou mais criteriosa e há demora para liberação do financiamento”, avalia. Outro fator, segundo ela, é que muitas vezes os bancos não dispõem de dinheiro para dotação e têm que esperar para poder liberar o crédito, o que contribuiu sobremaneira para as vendas de imóveis recuarem.

    “Quem quer comprar vive de aluguel e está enfrentando dificuldade para obter a casa própria, então está preferindo sair do imóvel atual para locar outro de valor mais baixo. Isso não é só para a pessoa física, mas também para as empresas”

    +http://www.correiodoestado.com.br/cidades/campo-grande/mercado-imobiliario-esfria-e-precos-de-venda-caem-ate-25/271189/

    0
  • Palmeirense Bolhudo 21 de fevereiro de 2016 at 11:07

    Descontos de até 40% tiram atrativo de imóvel comprado ainda na planta

    Comprar um imóvel na planta era uma forma de conseguir um preço mais em conta quando o bem ainda era só uma promessa. A regra era que o apartamento valesse mais depois de pronto.
    Mas, devido ao excesso de estoque, muitas construtoras e incorporadoras têm vendido empreendimentos prontos com descontos de até 40% do valor pedido anteriormente, dimensiona Reinaldo Fincatti, 44, diretor da Embraesp.

    Com isso, muitos compradores que pagaram cerca de 30% do imóvel durante a fase de construção descobrem, na entrega das chaves, que o que resta para quitar o imóvel excede o valor de unidades idênticas, prontas, que estão com desconto.
    O resultado é que eles cancelam a compra e engrossam o número de casos de distrato, que, segundo a agência Fitch, bateu em 41% em 2015 no país, considerando nove empresas do setor.

    Os apartamentos devolvidos acabam sendo oferecidos também com desconto, o que eleva o número de distratos de quem comprou na planta.

    BRIGA JUDICIAL

    Os contratos preveem em geral restituir 30% do valor em dez vezes, além de multa

    “Não é justo devolver o imóvel porque ele não se valorizou como se imaginava”, diz Flavio Amary, 45, presidente do Secovi-SP. “Nos casos de quem não consegue crédito por dificuldade de renda, porém, as empresas têm sido mais flexíveis.”
    Celso Amaral ressalta que quem comprou na planta deve negociar. “Muito provavelmente o incorporador dará desconto, porque precisa pagar suas dívidas e sai perdendo ao ter o imóvel de volta.”

    +http://tools.folha.com.br/print?site=emcimadahora&url=http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/02/1741516-descontos-de-ate-40-tiram-atrativo-de-imovel-comprado-ainda-na-planta.shtml

    0