É melhor ser pessimista com os imóveis – Exame

Você pode gostar...

Comments
  • Ribs 20 de dezembro de 2017 at 06:05

    Penso em comprar, mas estou pessimista.

    39+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 20 de dezembro de 2017 at 06:50

    O Nefasto colocou ao final do tópico anterior uma nova rodada de gráficos de DESINFORMAÇÃO, onde pela nogentesima decepcionesima vez ele FINGE ignorar o que já foi explicado para ele INFINITAS vezes, inclusive recentemente. Vou dividir o comentário em partes, esta é a primeira:

    Ele fala, em comentário de gráfico postado, sobre recuperação de vendas de imoveis novos em São Paulo em 2017, com base em dados do SECOVI SP. Neste caso, o que já foi dito para ele um milhão de vezes e ele “esquece” de mencionar?

    1) O SECOVI SP OMITE informações sobre imóveis com mais de 36 meses do lançamento. Ocorre que cada vez mais temos atrasos nas obras. Os distratos permanecem em patamar absurdo e a maioria deles ocorrem exatamente após a entrega do imóvel, quando o comprador não consegue o financiamento, ou seja, depois de 36 meses do lançamento e desaparecendo das estatísticas do SECOVI SP. Qual a consequência desta combinação de fatores? Temos um grande volume de distratos que estão ocorrendo, mas que não estão sendo abatidos das vendas e nem acrescidos nos estoques do SECOVI SP, o que é a causa para SIMULAREM uma recuperação de vendas e uma redução em estoques;

    2) Algumas construtoras, que inclusive possuem muitas obras em São Paulo, estão QUEBRADAS, a exemplo de PDG, Viver e outras e por estarem completamente sem caixa, simplesmente não estão reconhecendo os distratos, especialmente desde este ano de 2017 (elas não tem dinheiro para devolver nem uma pequena parcela dos valores pagos aos ex-compradores). A PDG até informou isto oficialmente em seus relatorios trimestrais. Não estarem reconhecendo os distratos solicitados, significa que estes imóveis não estão sendo abatidos das vendas e nem acrescentados nos estoques, o que colabora para outra SIMULAÇÃO de melhoria, quando é exatamente o CONTRÁRIO disto;

    3) Temos construtoras que mesmo tendo caixa, com a finalidade de SIMULAR uma recuperação nas vendas, simplesmente “adiam” o “reconhecimento” dos distratos por meses ou até ANOS, o que pode ser comprovado por grande número de depoimentos no ReclameAqui, um dos casos é a MRV;

    4) Desde 2011, muito antes de qualquer crise na economia, passamos a ter distratos em percentuais e montantes que nunca haviam ocorrido antes no Brasil ou em qualquer lugar do Mundo, apesar de aqui e em outros países a venda na planta já existir HÁ DÉCADAS e inclusive, algumas construtoras que ja operavam no Brasil HÁ DÉCADAS também nunca terem tido distratos nestes percentuais antes. Esta ABERRAÇÃO permanece TODOS OS MESES desde então. Estamos falando de BILHÕES de Reais em distratos todos os anos. As construtoras, apesar de estarem com super-estoques desde 2012, muito antes de qualquer crise na economia, não reduzem seus lançamentos, pois estes são a base para vendas FALSAS na planta, venda para quem não tem renda para o financiamento, mas que SIMULA uma “recuperação”. No 3T16, 6 construtoras com Ações na BOVESPA zeraram os lançamentos para tentarem reduzir seus estoques e todas elas tiveram vendas líquidas de distratos NEGATIVAS, ou seja, mais cancelamentos de vendas do que vendas realizadas, outra ABERRAÇÃO. No primeiro bimestre de 2017, tivemos o pior resultado de vendas para o período em todos os tempos na cidade de São Paulo exatamente porque reduziram de forma relevante os lançamentos e toda vez que fazem isto, fica claro que não conseguem fazer volume de vendas REAIS. Se temos estas vendas FALSAS que são demonstradas por distratos completamente ANORMAIS, TODOS OS MESES desde 2011, ou seja, mais de 70 meses consecutivos, por que o Nefasto e suas “estatisticas” FAZEM DE CONTA que agora 100% destas vendas na planta são reais??? Depois de 70 MESES SEGUIDOS em que esta anomalia se repete, depois que as próprias construtoras não reduzem os lançamentos o quanto deveriam exatamente para continuar com esta ANOMALIA, ele “assume” do nada e sem nenhuma base lógica de que isto vai acabar “da noite para o dia”??? Esta é uma das partes SURREAIS dos gráficos e “informações” do Nefasto, a negação IRRACIONAL do ÓBVIO como vimos em todos os casos anteriores. Neste caso ele não abate NADA das vendas na planta, ele diz que é sinal de recuperação e sequer menciona esta incrível ABERRAÇÃO que já dura mais de 70 MESES SEGUIDOS. Haja ALIENAÇÃO!

    Existem muito mais evidências do quanto os gráficos e “informações” do Nefasto e seus amigos ESCONDEM fatos e dados extremamente relevantes e que anulam por completo as suas “conclusões”, como neste caso, de que estaríamos tendo “indícios de recuperação no mercado imobiliário em São Paulo”, quando na realidade, é exatamente o contrário, a SIMULAÇÃO de recuperação exige aumentarem lançamentos, deixarem de registrar grande volume de distratos e pioraram cada vez mais as distorções entre oferta e procura, sem fazerem crescer em nada as vendas REAIS…

    41+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 07:44

      CA
      Parece que o Thiago fm não percebe que, não faz diferença de anúncios que o “preço por m2 subiu” ou o “volume de vendas aumentou”, tudo isso aconteceu durante o esvaziamento da bolha japonesa.

      Quando as pessoas começam a fazer as contas sobre por quanto X aluguéis valeria a pena comprar, é inevitável que a longo prazo, o valor do imóvel irá cair.
      Quando percebem que os proprietários de imóveis estão ficando mais pobre e não mais ricos, por causa da rentabilidade negativa, o valor do imóvel irá cair.
      Quando percebe-se que existem muito mais imóveis vazios do que pessoas interessadas em adquiri-los, o valor do imóvel irá cair.
      Quando constatam que os millenials não estão interessados em sair da casa dos pais, acabando com a demanda, certamente o valor do imóvel irá cair.
      Quando vêem que, para um tele-trabalhador, não faz mas diferença morar dentro ou fora de uma cidade, o valor do imóvel irá cair.
      Quando um jovem proprietário de imóvel vê seus colegas mudando de emprego, para uma cidade ou país mais favorável aos seus rendimentos, e ele vê que está ficando para trás por estar aguilhoado a algo “imóvel”, percebe que fez uma burrada e com isso o valor do imóvel irá cair.
      Como fatores que aumentariam o valor do imóvel, temos a longo prazo, a melhoria da infraestrutura do bairro.

      Temos uma série de forças influenciando o vetor do “valor do imóvel” a maior parte delas com intensidade e direção para baixo e apenas uma com pequena intensidade e direção para cima.

      Ou seja, podem acontecer eventos pontuais de valorização dos imóveis, através da propaganda e disponibilidade de crédito, mas a tendência de longo prazo é a queda dele, até que haja reequilíbrio com o “valor justo”

      66+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • danielbh 21 de dezembro de 2017 at 14:55

        Cesar, mto mas mto bem colocado. Tá certíssimo!

        6+
        • avatar
        • avatar
        • thiago fm 29 de dezembro de 2017 at 20:17

          Teste

          0
    • CA 20 de dezembro de 2017 at 07:56

      PARTE 2:

      No gráfico das vendas POR IMOBILIÁRIA, qual o truque escondido? Como ficou o número de imobiliárias em São Paulo? Está diminuindo sem parar, estão fechando muitas imobiliárias. Qual a consequência? As vendas ficam cada vez mais concentradas em menos imobiliárias, ou seja, aumenta o número de vendas por imobiliária.

      O que consta acima é o que acontece com qualquer segmento que tem SUPER-OFERTA e distorção elevada entre oferta e procura: os mais fracos fecham e saem do mercado, os mais fortes sobrevivem. Aqueles que sobrevivem vendem um pouco mais, pois pegaram aquelas vendas que sobravam dos que não conseguiram sobreviver. Com excesso de Ubers, o negócio ficará inviável para muitos taxistas e continuando nesta proporção, teremos também queda no número de Ubers e outros aplicativos, porque a demanda não acompanhou o crescimento da oferta.

      Ao trabalhar com vendas POR IMOBILIÁRIA, o Nefasto praticou o que chamamos de DESONESTIDADE INTELECTUAL: ele SABIA da situação acima, tem plena consciência que tivemos grande número de imobiliárias fechadas e que isto causaria aumento de vendas por imobiliária, assim como sabia que ao contrário de sinal de recuperação, isto era nova evidência de agravamento da “crise imobiliária”.

      Sites como CRECI SP, SECOVI SP e outros estão dificultando cada vez mais os acessos às pesquisas, estão fazendo cada vez mais MALABARISMOS para ILUDIREM as pessoas e não querem fácil acesso ao que possa desmascarar este malabarismo e show de ILUSIONISMO. Esta “estratégia” deles, junto com o DESESPERO do Nefasto em mentir e tentarem ENGANAR as pessoas são a maior demonstração do quanto a situação está realmente CRÍTICA para eles.

      Por outro lado, um volume absurdo de manipulações e distorções em práticas de negócios como mencionei no comentário anterior, ou adulterações em “análises”, fatos e dados omitidos / distorcidos em larga escala pelos “especialistas”, além do que consta no parágrafo anterior, junto com as incessantes maquiagens, pedaladas e golpes sujos da CEF que aparecem “espontaneamente” na mídia toda semana, é o que deixa claro que não preciso mais fazer nenhuma grande pesquisa para constatar o ÓBVIO: este segmento e suas podridões vão de mal a pior…

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 20 de dezembro de 2017 at 08:16

      PARTE 3:

      Os preços dos imóveis continuam nas alturas, eles são “à prova de grandes quedas”.

      O que está por trás das “brilhantes” estatísticas do segmento imobiliário que o Nefasto copia sem parar?

      EMBRAESP: traz os preços de vendas na planta. Quais os fatores de distorção: 1) estão reduzindo cada vez mais o tamanho dos imóveis. Alguém ouviu falar sobre os imóveis de 10 M2 em São Paulo? Pois é, nestes imóveis, conseguem preço superior a R$ 10 K o M2, porque os compradores olham exclusivamente para o preço total e se cabe no seu orçamento. Qual o problema desta estratégia para subir o preço médio do M2? O principal problema, é que não vão conseguir vender uma caixa de fósforos por R$ 200 o centímetro quadrado e dizer que mudaram a unidade de medida do segmento. ÓBVIO que isto não vai durar para sempre, qualquer idiota percebe que a miniaturização tem limite ; 2) MUITAS vendas na planta são simplesmente CANCELADAS, PRINCIPALMENTE aquelas que tem preço muito elevado do M2, que no ato da entrega o comprador percebe que a construtora está vendendo bem mais barato. MAS, no ato do lançamento dos imóveis e suas “vendas” na planta, os preços estão lá na estratosfera, afinal, que mal há em colocar um preço lá em cima, se de qualquer forma você sabe que no final as pessoas não vão comprar mesmo?

      CRECI SP: ele voltou a replicar o mesmo gráfico que eu já havia explicado para ele 1 ANO ATRÁS e que ele já tinha colocado em tópico anterior há poucos dias. Esta é a TERCEIRA VEZ que ele aplica o mesmo GOLPE SUJO e será desmascarado, o que é apenas MAIS UMA demonstração do quanto é CARA-DE-PAU. Depois ele vai reclamar que eu sempre repito as mesmas coisas quando ELE REPETE os mesmos GOLPES… Em resumo, mudança relevante no mix como ocorreu e foi DEMONSTRADA para o Nefasto, não permite esta “análise histórica” como ele fez;

      O milagre de índices que tem critérios OPOSTOS, bases de dados completamente diferentes, com diferença inclusive no tempo, que chegam ao mesmo resultado: já explicado em tópico anterior. Aliás, a referência de “qualidade” do Nefasto, que é o FINGE ZAP, dá ideia clara do grau de alucinação dele, vou colocar com um pouco mais de detalhes os exemplos já demonstrados para o Nefasto INÚMERAS vezes:

      Se no FINGE ZAP você tem 5 imóveis anunciados para venda ou locação, todos com condições muito similares e um deles é o mais barato e acaba sendo vendido ou alugado, o que acontece? Este imóvel que foi vendido ou alugado, normalmente o mais barato, sai da base de dados do FINGE ZAP. Ao sair da base, o preço médio ANUNCIADO SOBE! Sim, é isto mesmo, vendeu ou alugou o mais barato, ao invés do preço médio cair, ele sobe!

      Graças à “brilhante lógica” acima, o que acontece? Outros anunciantes veem que o preço subiu e empolgados, aumentam o preço do ANÚNCIO deles! Com isto, se em 2014 na cidade de São Paulo tínhamos pouco mais de 200.000 imóveis anunciados só para venda e só em 1 site (imovelweb.com.br), hoje temos mais de 500.000 imóveis anunciados! O mundo de ILUSÃO, do mesmo jeito que provocou PROFUNDAS distorções em oferta e procura para imóveis novos, tanto pelo esquema das vendas FALSAS na planta, quanto pelo EXCESSO de investidores e outras anomalias, também intensifica cada vez mais estas distorções GRITANTES quanto a imóveis usados e tudo isto irá piorar MUITO MAIS conforme não conseguirem mais esconder o grande número de imóveis inadimplentes que deverão ir para leilão. A lei de oferta e procura existe para todos os segmentos, quanto mais o segmento imobiliário e seus Nefastos de estimação FINGEM que ela não existe, mais graves vão ficando as distorções e maiores terão que ser os ajustes…

      29+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 07:29

    Longa Manus 19 de dezembro de 2017 at 23:54
    Realmente, o servidor público é o grande mal deste país. Aliás, deveriam todos ganhar só um salário mínimo por mês, três é muito. Aliás, não deveria nem mesmo ter concursos públicos. Todos os cargos deveriam ser de comissão, onde os políticos colocam os seus cupichas e cabos eleitorais….esses camaradas que estudam para concursos públicos, que ficam anos dentro do quarto se aplicando, se esforçando, deixando para trás momentos importantes com a família e amigos, que nunca voltarão. Esses caras que, por pura sorte conseguiram passar nos concorridos concursos e hoje ganham bem, esses sim nem deveriam mais receber salários. Os servidores públicos são o mal do país, e os fodinhas do blog são os picas da galáxias….Fala sério…
    ReplyLinkQuote

    Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 07:25
    Longa Manus
    – Delegados
    – Peritos
    – Fiscal de rendas
    – Juízes e promotores
    Imagine todos estes ganhando 3 salários mínimos, colocados por indicação política
    Algum político que não fosse com a cara do “Longa Manus”, por exemplo, mandaria o delegado te prender, o perito produzir provas e o juiz condenar

    47+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 20 de dezembro de 2017 at 09:03

      Esse é um assunto delicado, acho que as vezes estrapolamos, exageramos na dose devido nossa revolta com a coisa pública como um todo.
      Eu mesmo também acho que tem muita coisa errada no funcionalismo público e gente demais, tornando o estado gigantesco e aposentadorias vitalicias numa economia carcomida. Mas reconheço que eu exagero quando reclamo dos funcionários públicos. Assim como em todo lugar existem os bons e os maus funcionários.

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 09:24

        Eu sou um libertário minarquista, bem ao estilo MISES
        Acho que o estado deveria cuidar apenas de defesa, segurança e justiça
        https://direitasja.com.br/2016/01/12/resumao-sobre-o-minarquismo/

        24+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cambura-SC 27 de dezembro de 2017 at 01:43

          Mais um pseudointelecual, pseudoeconomista, pseudodireitista que acha que todos os problemas do pais é culpa dos funcionários públicos… coitado

          3+
      • danielbh 21 de dezembro de 2017 at 15:30

        Sinceramente, mesmo sendo funcionario publico federal, eu confesso: É um absurdo a obesidade mórbida do Estado. O funcionário público não é o pior, apesar de ser parte importante desse absurdo, o pior está no Legislativo (cargos políticos) e judiciário (eternos marajás). Acho mesmo que tem que passar a faca no funcionalismo público, mas cortar sem atingir esses dois outros poderes é um absurdo ainda maior.

        15+
        • avatar
    • rogerio 20 de dezembro de 2017 at 17:33

      Se formos comparar a proporção de funcionários públicos do Brasil com o resto do mundo, o Brasil fica bem abaixo em quantidade dos demais, o problema são os altos salários, principalmente do judiciário e legislativo, que acabam fu..ndo.

      15+
      • avatar
      • BolhistaBR 26 de dezembro de 2017 at 10:37

        No judiciário, favor separar servidor de magistrado.

        São duas coisas completamente diferentes. Regras diferentes, leis diferentes, responsabilidades diferentes, status constitucional diferente e, lógico, salários,benefícios e PODER totalmente diferentes.

        Executivo tem a média salarialmente mais maixa. Lógico!
        1 zilhão de cargos. De motorista e cafezinho até o planejador orçamentário.

        Legislativo e judiciário, têm apenas 2 cargos de servidores. Lógico!! Média salarial bem maior.

        Deputados, senadores e magistrados são MEMBROS DE PODER!

        Por favor, deixem o salário deles fora da média.

        E não adianta generalizar dizendo q servidor ganha demais. Depende do cargo, da responsabilidade, do conhecimento técnico e etc..

        3+
        • rogerio 28 de dezembro de 2017 at 11:20

          recentemente saiu um gráfico que mostrava que os salarios de juizes no Brasil era um dos mais desproporcionais em relação aos demais trabalhadores entre varios paises… nao me venha falar de responsabilidade blablabla

          2+
    • Paulo Avelar 23 de dezembro de 2017 at 00:36

      Ele é só mais um que aglutina em uma só noção conturbada a figura de um Juiz, Promotor, Auditor fiscal ou Deputado, com todo o resto dos servidores públicos, e acaba falando mal das regalias do Juiz e do Deputado, nomeando-os com o rótulo como se fossem todos servidores públicos, todos privilegiados como Juízes e Deputados.
      Porém, na verdade, a crítica que se faz em termos de prevideência é que servidores, alguns , se aposentam cedo com integralidade e paridade, e é fato notório que 80% da folha é ocupada por categorias que se aposentam na dita “aposentadoria especial”, são da área da saúde, da educação , policia, e no caso da União, dos militares.
      Na verdade, a idade mínima é a solução, pois não pode 80% se aposentar cedo, a não ser que seja um policial, um radiologista, um eletricista, um minerador de uma usina de urânio ou carvão.
      Um professor, ou um enfermeiro, médico, não tem motivo para terem aposentadoria especial, conheço um professor universitário que trabalha 5 horas por semana, e ainda tem “dedicação exclusiva”, passa o dia lendo revista, jornal, tablet, no quiosque do condomínio,na piscina, com certeza se o trabalho dele lhe causa radiotividade, como a do radiologista, é em virtude do ócio no sol, e não do trabalho como professor.

      4+
      • avatar
  • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 07:49

    MAIS UM MONTE DE IMÓVEIS QUE ENTRARÁ NO MERCADO EM 2018, CONCORRENDO COM OS PROPRIETÁRIOS ATUAIS
    VENDA DIRETA DE IMÓVEIS DO GOVERNO FEDERAL

    MP elimina licitação para governo vender imóveis de até R$ 5 milhões

    O governo pretende anunciar no início de 2018 um pacote de mudanças na legislação que disciplina o tratamento dos imóveis de propriedade da União. Os detalhes finais de uma medida provisória estão sendo discutidos entre equipes da Casa Civil e da Secretaria de Patrimônio da União (SPU), que é ligada ao Ministério do Planejamento.

    A atualização tem como objetivo simplificar a cessão e a venda de terrenos ou prédios públicos. Entre as principais medidas está a retirada da exigência de licitação para a comercialização de imóveis cujo valor seja avaliado em até R$ 5 milhões Também estão previstos reajustes nas taxas cobradas pela ocupação ou pela transferência desses imóveis, sobretudo aqueles que estão localizados na faixa litorânea do país.

    A dispensa de licitação visa tornar mais ágil a comercialização dos prédios ou terrenos públicos considerados “inservíveis” para a União. A proposta da medida provisória é de que esses imóveis sejam alienados mediante chamamento público, sem a necessidade de leilões.

    Os interessados deverão pagar à vista e poderão acessar linhas de financiamento disponíveis no Sistema Financeiro Nacional. Para imóveis avaliados em mais de R$ 5 milhões, seguem as regras atuais, com exigência de leilão. Em 2015, o Planejamento anunciou a meta de arrecadar R$ 1,9 bilhão com a venda de imóveis da União. Não se sabe, porém, quanto desse valor entrou nos cofres públicos.

    A nova legislação também prevê a extinção do Fundo Contingente da extinta Rede Ferroviária Federal (RFFSA). Criado para cobrir despesas referentes à indenização de acionistas minoritários e outros passivos herdados pela União, o fundo foi constituído com recebíveis da RFFSA decorrentes de contratos de arrendamento das malhas ferroviárias.

    O fundo também deveria receber os recursos provenientes da venda de imóveis da União no valor de até R$ 1 bilhão. A SPU recomendou a venda de 1.250 imóveis para este fim, mas por conta da burocracia e das dificuldades do mercado, somente 102 foram comercializados, arrecadando somente 17,1% do planejado.

    Agente operador do fundo, a Caixa Econômica Federal informou que a manutenção do fundo, nesse cenário, impõe custos administrativos consideráveis, que não justificam a manutenção de seu funcionamento.

    http://www.valor.com.br/brasil/5232891/mp-elimina-licitacao-para-governo-vender-imoveis-de-ate-r-5-milhoes

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 08:46

      Temos mais um “player” no mercado imobiliário

      Uma “imobiliária” – o governo federal, com um mega land banking de bilhões de reais

      Agora restará ver como serão elaborados os laudos de avaliação destes imóveis (NBR 14653), se baseados no preço fantasia do FIPEZAP ou nos valores praticados pelo mercado

      https://www.galaxcms.com.br/up_arquivos/1149/21-20170124191446.pdf

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • MINEIRO SPY 22 de dezembro de 2017 at 14:44

        Não queira saber como funciona o sistema de imóvel da União. Avaliação, condição de venda, velocidade de venda é absolutamente fora das condições de mercado, o que dificulta a alienação. Vá até CEF e observe a lista de imóveis da União à venda…algo gigantesco. Pergunte as condições e desista na hora.

        1+
    • LZ 20 de dezembro de 2017 at 10:12

      Governo tá vendendo até esses imóveis ai para arranjar dinheiro para 2018!
      Tá feio o negócio.
      Por outro lado é um monte de imóvel no mercado, calma que tem pouco hahah

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • thiago fm 20 de dezembro de 2017 at 07:53

    Replicando do fim do tópico anterior…

    Como prometido seguem dados do DF sobre a arrecadação do ITBI

    Relatórios:

    http://www.fazenda.df.gov.br/area.cfm?id_area=1421

    Se descontarmos os efeitos do reajuste da alíquota base em 2016, fica claro que o mercado imobiliário do Distrito Federal apresenta o recuo mais expressivo de receita entre as principais capitais, sugerindo uma queda mais relevante dos preços nominais a partir de 2014, a ser ponderado pela queda das vendas, nesse caso.

    Antes de procurarem links diversos para justificar a tendência atual de alta do ITBI (que vem acelerando diga-se de passagem), recomendo a leitura da pesquisa da ADEMI/ SINDUSCON-DF no link abaixo, que corrobora com os sinais de estabilização e recuperação gradual já em andamento do mercado de imóveis novos do DF, principalmente em relação à velocidade de vendas. Se não se pode garantir que a recuperação atual da arrecadação é reflexo direto desse movimento, é razoável acreditar que mais cedo ou mais tarde esse efeito vai aparecer.

    http://www.sinduscondf.org.br/portal/noticia/2828/velocidade-de-vendas-de-imoveis-novos-legalizados-no-df-teve-bom-indice-em-setembro

    6+
    • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 08:00

      Thiago fm

      Você é um locatário de imóveis ao invés de um proprietário

      Mesmo tendo acesso a informações privilegiadas, como o do último leilão onde não existia “preço mínimo” você fez a opção de continuar locando

      Existem vários fatores que pesam no Alugar X Comprar
      – Preços justo (price to rent ratio – FatorX)
      – Custo de imobilização (perda de oportunidades)
      – Custo de oportunidade (só é valido para quem pretende ganhar dinheiro com a locação)
      – Custo efetivo de ser proprietário de um imóvel, considerando juros de um financiamento, depreciação, etc (TCO)

      Se você acha que já bateu no fundo do poço, e agora só irá valorizar, porque ainda não comprou um imóvel para ti ?

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Marcio 20 de dezembro de 2017 at 08:36

      Resumindo esse gráfico do ITBI do DF: a arrecadação de 2016 foi inferior a de 2012, mesmo com o aumento da alíquota em 50% (de 2 para 3%).

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Lucas 20 de dezembro de 2017 at 12:11

      o aumento sugere uma queda?
      hein, aumento sugere aumento ué… ou Lafer virou amigo de vcs também?
      ô nefasto, valor nominal? o que vc tem contra gráficos de valor real?
      será que 5 anos de inflação é irrelevante?
      ou será que é feio mostrar a arrecadação caiu em valores reais para 2007?
      o outro gráfico vc usa base 100 dez de 09 mas a curva começa meses depois…
      eu vou só boservando, nem discuto mais, vou apreciando de camarote.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • thiago fm 20 de dezembro de 2017 at 07:54

    Tenho percebido que vocês se concentram mais nas descrições e opiniões que desfiro do que nos dados em si e é claro que o sabichão se aproveita disso para tergiversar e desviar a atenção de vocês do que realmente importa – a informação.

    É óbvio que tenho minhas percepções e de uma forma ou de outra elas são transmitidas através dos tópicos que abordo e dos gráficos que disponibilizo, porém minha intenção principal aqui não é convencer ninguém a enxergar o que eu enxergo, até porque isso seria muita ousadia da minha parte, considerando o espaço e a proposta do blog em questão.

    Quando escrevo muito, a tendência natural é que vocês repliquem ou me questionem, e acreditem quando digo que minha rotina não me permite tanto tenho para ficar discutindo ou rebatendo as cutucadas. Contei só neste tópico umas 150 referências a mim, seja como thiago ou nefasto e nesse ritmo não vou dar conta de responder e cumprir a promessa que fiz de que postaria os dados que acompanhei de um ano pra cá, sem prejudicar minha rotina extra-blog. Olha eu até curto brincar com vocês, mas minha vida definitivamente não gira exclusivamente em torno desse blog, como a de algumas pessoas, principalmente depois que passei da fase da conformação. Além disso, preciso descansar um pouco à noite antes de perder umas horinhas com a meretriz no dia seguinte.

    Então a partir de agora, podem me xingar e provocar o quanto quiserem que vou evitar ao máximo as réplicas desnecessárias e tentarei ser o mais objetivo possível em relação aos temas que abordarei. Quem tiver dúvidas sinceras e fundamentadas e puder manter o respeito será respondido. De resto continuo acreditando que os dados e gráficos falarão por si. Se acharem que faz sentido, absorvam, caso contrário rolem a janela, mas a promessa será cumprida e depois disso, provavelmente voltarei ao estado de observação.

    Enfim..escrever é a mais especialidade do sabichão, a minha vocês já perceberam que é outra:

    Desempenho do Mercado de Imóveis Novos em São Paulo

    Desempenho de Vendas dos Imóveis Usados em São Paulo

    Índice e Variação dos Preços de Imóveis Usados CRECI-SP

    Variação dos Preços Anunciados de Venda e Locação em São Paulo

    Preço do M2 de Área Útil dos Imóveis Novos em São Paulo

    Em breve disponibilizarei os dados detalhados com o valor de referência de todas transações de compra e venda de Belo Horizonte até maio de 2017, além de metragem e região, com o qual poderão constatar que os preços médios nominais se mantém no mesmo patamar de 2014. Ainda assim sei que vão arrumar um jeito de dizer que não é conclusivo, mas tudo bem, pois tudo que parte do Nefasto mau-caráter é suspeito.

    Boa noite!

    PS: Por favor..não invadam o espaço abaixo reservado ao mi-mi-mi do sabichão

    9+
    • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 08:14

      Thiago fm

      Na minha opinião, alguns destes dados são desprovidos de qualidade

      Por exemplo, se você coloca um dado de que o valor do imóvel estaria aumentando, mas se você mostrasse a VACÂNCIA, que também estaria aumentando, isto estaria demonstrando uma total afronta a lei mais básica do mercado: OFERTA X PROCURA

      Afinal, qualquer coisa que “valorize” sem que haja um motivo para isso, sabemos que isto é algo artificial, um mero descolamento temporário.

      Sabemos que, os laudos de avaliação, por exemplo, não estão seguindo as regras da NBR, ignorando os valores praticados e utilizando apenas os anunciados.

      Nos próprios laudos da CEF, apesar de recentemente ter ocorrido uma grande redução no valor por m2, na parte do “diagnóstico do mercado” continuam dizendo que está tudo “cor-de-rosa”, quando os próprios leilões da CEF indicam que o mercado está com muitas ofertas e de difícil absorção.
      https://s3-sa-east-1.amazonaws.com/vlance-cdn/public/multleiloes/anexo/1511977410.pdf

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • thiago fm 20 de dezembro de 2017 at 08:34

        Pra dizer a verdade eu não acho que os imóveis já estejam aumentando. Há aparentemente uma descompressão em função das correções no período mais agudo da crise e os preços estão estabilizando, da mesma forma que os descontos agressivos começam a ficar mais raros. Em São Paulo tudo indica que as coisas estão um pouco “adiantadas” aos demais mercados, mas não vejo a continuidade dessa alta se a economia não vingar. Como o fulano do tópico disse, o ciclo do mercado imobiliário é mais longo, o que sugere um “vale” mais extenso e geralmente a valorização é puxada pela alta dos lançamentos e construções que demandam um cenário de horizonte estável no médio e longo prazos, o que não se tem ainda no caso brasileiro.

        Time is up! Volto à noite provavelmente…

        8+
    • CA 20 de dezembro de 2017 at 08:32

      Coloquei a primeira parte das informações que desmascaram os truques sujos do Nefasto logo no segundo comentário feito neste tópico, antes dele replicar o festival de enganações dele. As demais partes, coloquei na sequência. Aqui um resumo do que consta acima:

      1) Recuperação de vendas – gráfico do SECOVI SP: construtoras quebradas passaram a não reconhecer distratos, isto não abate das vendas e nem acrescenta nos estoques, o Nefasto chama isto de “recuperação do segmento imobiliário”; outras construtoras não quebradas, também adiam o reconhecimento de distratos por meses ou anos e isto não é considerado nos relatórios do SECOVI SP porque ocorre após 36 meses, novamente o Nefasto considera isto um sinal de “recuperação” do segmento; há 70 meses seguidos temos um volume e percentual absolutamente ANORMAIS de distratos todos os meses, o que indica que sobre todas as vendas na planta SEMPRE teremos vendas FALSAS, que não vão se concretizar, aliás, as construtoras sabem disto melhor do que ninguém e não reduzem o quanto deveriam os lançamentos principalmente para SIMULAREM recuperação usando estas vendas FALSAS na planta, apesar de terem super-estoques (quando reduziram muito ou zeraram não venderam quase nada de seu SUPER-ESTOQUE). Este conjunto de ANOMALIAS e TRUQUES DE ILUSIONISMO, segundo o Nefasto são indicações de recuperação do segmento;

      2) Vendas por imobiliária: se diminuiu demais o número de imobiliárias graças à “crise do segmento imobiliário”, o que acontece como consequência NATURAL? Cada uma das imobiliárias que restou passa a vender mais. O fechamento incessante de imobiliárias que leva as que sobrevivem a vender mais, segundo o Nefasto é outra demonstração de melhoria para este segmento;

      3) Preços de vendas de imóveis: miniaturização (imóveis de 10 M2 em SP), vendas FALSAS na planta que depois não vão se concretizar na entrega, como já ocorre em LARGA escala nos últimos 70 meses e um índice que AUMENTA o preço médio quando vende ou aluga o MAIS BARATO são as evidências do Nefasto de uma recuperação dos preços dos imóveis e de que isto é sustentável, basta vender caixas de fósforos por R$ 200 o centímetro quadrado, continuar pedalando com vendas FALSAS na planta e gerando SUPER-ESTOQUES e distorções cada vez mais profundas entre oferta e procura e MAQUIAR e PEDALAR incessantemente, mentindo e enganando SEM LIMITES, exatamente como ele faz…

      12+
      • avatar
      • avatar
  • Money_Addicted 20 de dezembro de 2017 at 08:12

    Cvr – milionários bananenses

    Esses tempo atrás falei d um colega de trabalho q tinha uma imóvel q valia 1 milhão mas q ngm pagava kk

    Ontem por engano dele ele compartilhou por e-mail uma cópia d acordo com uma varejista pra tirar o nome do Serasa

    Rip

    61+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • EngenheiroDF 20 de dezembro de 2017 at 14:16

      O que tem de gente em Brasilia andando de carro novo (financiado) e devendo o condomínio não está no gibi.

      25+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • thiago fm 20 de dezembro de 2017 at 08:24

    Gostei do tópico. Se lermos nas entrelinhas o fulano está dizendo que o mercado imobiliário segue a tendência da economia, o que significa dizer que não está descolado dos fundamentos. Se prestarem atenção, o trabalho que postei o ano passado e que já começo a atualizar segue basicamente a mesma linha.

    Se querem ver o mercado afundando novamente comecem a torcer para as coisas começarem a desmoronar de cima para baixo, caso contrário o mercado tende a estabilizar e eventualmente melhorar se as coisas engrenarem. Estou dizendo que a economia vai engrenar? Não..

    A galinha tomou um impulso, principalmente por causa dos efeitos da distensão monetária, mas não tem milagre se a questão fiscal não for solucionada. Nesse contexto a questão previdenciária é a única pirâmide que certamente ruirá sem uma definição, não a suposta pirâmide dos imóveis, que como disse a profecia, passou a ser o menor dos problemas.

    Se passarmos ao cenário dos voos de galinha alá anos 80, combinada com pressão inflacionária, penso que provavelmente o mercado imobiliário vai começar a andar de lado, como fez naquela época. No entanto isso ainda é incerto, como tudo além de 2018.

    Quando voltar, se tudo der certo, pegarei carona no tópico e começaremos a tratar da questão macro, para depois fazer a ponte com o mercado imobiliário.

    9+
    • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 08:30

      thiago fm
      Os imóveis já estavam em crise, mesmo durante a fase dilmesca da economia, com juros lá em baixo, crédito lá em cima, programa mcmv bombando, combustivel, energia elétrica, inflação e desemprego sendo mantidos artificialmente lá em baixo.
      O descolamento do valor de venda do imóvel, se comparado a renda per capita, o descompasso com o valor do aluguel, a construção numa quantidade muito maior que a demanda, tudo isto aconteceu durante os anos de “pujança” da economia, e nada tem a ver com a crise que entramos após a segunda eleição da Dilma.

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 20 de dezembro de 2017 at 08:54

      Aqui o Nefasto está MAIS UMA VEZ, FINGINDO que não sabe da realidade, insistindo em teorias pra lá de esdrúxulas. Vamos repassar os principais pontos que já desmentiram e DESMASCARARAM as teses sem pé nem cabeça do Nefasto e demais “especialistas” do segmento imobiliário:

      1) Em 2011, BILHÕES em distratos de algumas construtoras, algo que nunca havia ocorrido nesta PROPORÇÃO, nem na história do Brasil ou de qualquer lugar do Mundo. O INÍCIO da derrocada do segmento imobiliário. Qual a “crise na economia” que existia em 2011?

      2) Em 2012, com base em análise feita por consultoria junto à 12 construtoras com Ações na BOVESPA, o pior resultado de todos os tempos. Estoques DOBRARAM, vendas tiveram queda de mais de 20% em quantidades e valores, lançamentos caíram em mais de 40%, prejuízo no consolidado das construtoras foi de mais de R$ 1 bilhão, 5 construtoras ao mesmo tempo ficaram com endividamento líquido superior à seu patrimônio líquido, os distratos mais do que DOBRARAM passando de R$ 5 BILHÕES, dentre diversos outros indicadores de PÉSSIMOS resultados deste segmento. Em 2012, tínhamos empregos crescentes, PIB positivo, renda crescente, disponibilidade muito elevada e crescente de verba de FGTS e Poupança, reduções constantes na SELIC que atingiu o menor patamar de todos os tempos, dentre uma infinidade de variáveis macroeconômicas MUITO FAVORÁVEIS ao segmento imobiliário, qual a causa para uma crise tão intensa neste setor se iniciando nesta época?

      3) De 2006 a 2009 a geração de empregos formais pela construção civil, medida pelo CAGED, simplesmente DOBROU em termos percentuais em relação ao total do Brasil. Começou a desacelerar já em 2010 e teve desaceleração ainda mais intensa a partir de 2012, em função do que consta no item 2 acima. Esta situação foi causada pela crise na economia, que só começou a aparecer em 2015?

      4) Sobre os lançamentos que “impulsionam” o segmento, já expliquei acima, mas cabe ressaltar: para qualquer segmento de negócio, em qualquer lugar do Mundo, se a distorção entre oferta e procura é muito grande, ANORMAL e está piorando, a estratégia natural é reduzir ao máximos os lançamentos, se possível zerá-los e vender o SUPER-ESTOQUE já existente. O segmento imobiliário, todas as vezes que tentou fazer isto na intensidade que era necessária, viu as vendas DESPENCAREM. Inclusive tivemos uma ABERRAÇÃO que foi 6 construtoras com Ações na BOVESPA zerarem seus lançamentos em um trimestre e todas elas terem vendas liquidas de distratos NEGATIVAS, ou seja, mais cancelamento do que vendas! No primeiro bimestre de 2017 em São Paulo, as piores vendas para um primeiro bimestre em toda a história, exatamente porque reduziram muito os lançamentos. Se as construtoras tem SUPER-ESTOQUES, que são o suficiente para no mínimo 1 ANO de vendas, por que elas não focam em vender este estoque ENORME ao invés de fazerem lançamentos? A resposta é simples: no lançamento elas fazem vendas de papel, vendas de faz de conta, para quem elas sabem que não terão condições de arcar com o financiamento na entrega, com isto, elas SIMULAM que a situação não está ruim. O histórico de vários ANOS demonstra isto CLARAMENTE, mesmo antes de qualquer “crise na economia”.

      5) Além dos fatores acima, que começaram a acontecer de forma ANORMAL alguns ANOS antes de qualquer crise na economia, o segmento imobiliário com os aumentos de preços completamente fora dos fundamentos, ou seja, sem acompanhar renda, sem acompanhar proporcionalmente a evolução da economia, sem acompanhar nenhuma aplicação financeira, variável ou lógica, levou a outros profundos DESEQUILÍBRIOS que prejudicaram a economia como um todo, desde a desaceleração nos empregos gerados que se intensificou a partir de 2012, até os preços proibitivos de imóveis comerciais no mínimo a partir de 2011 que impediram a abertura e manutenção de um grande número de lojas em todo o país, até o super-endividamento e inadimplência anormal para famílias que viram o peso do custo para alugar ou pagar financiamento imobiliário ficar cada vez maior no seu orçamento, drenando recursos para consumo, dentre uma infinidade de evidências já apresentadas aqui no blog.

      O Nefasto vai insistir na mesma estratégia de sempre: se primeiro apareceu um sol escaldante, DEPOIS as pessoas passaram a consumir muito mais picolé de limão, qual a conclusão brilhante do Nefasto? Os picolés de limão provocam sol escaldante!

      11+
      • avatar
      • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 09:06

        CA

        Sim, a afirmação de que ocorreu uma crise imobiliária em função da piora da economia é uma completa FALÁCIA

        Da mesma forma que a afirmação de que a crise imobiliária irá acabar quando a economia melhorar também é completamente falsa.

        A crise imobiliária começou antes da crise econômica, e irá continuar após ela

        30+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Carlos 20 de dezembro de 2017 at 09:16

        Situação do mercado imobiliário: em compressão, leve queda estável e comandado por meretrizes.

        Tá tranquilo, tá favorável

        Uma musiquinha em oferecimento a um dos envolvidos:
        https://www.youtube.com/watch?v=sRPYV6vLKdM

        11+
        • avatar
  • Alemon Fritz 20 de dezembro de 2017 at 08:29

    seja otimista:
    – Não existe bolha imobiliária e setor ganhará força após a Copa, diz …
    25/06/2014 – (SÃO PAULO)

    -10/05/2015 – ‘Esta é a melhor hora para investir’, (Frutinha amorinha)

    -28/10/2016 – Com todas as transformações da economia brasileira nos últimos 5 ou 6 anos, o mercado nunca esteve tão favorável para a compra de imóveis como em 2016. Conforme a análise do economista…

    – A virada no mercado imobiliário mostra a força da recuperação …
    11/10/2017 http://www.gazetadopovo.com.br.

    -Qual o melhor momento para investir em imóveis?
    Globo.com-30/08/2017 Se tem uma prerrogativa que não mudou muito nos últimos tempos é a de que investir em imóveis é um dos negócios mais seguros que existem. … O otimismo vem se alastrando e agora especialistas apontam, entre eles o XXXX , que estamos diante de uma das maiores janelas de
    kkkkkkkk

    26+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • EngenheiroDF 20 de dezembro de 2017 at 14:19

      Samy Dana podia mostrar um apanhado como esse no conta corrente e mostrar como a propaganda tem enganado os brasileiros.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 20 de dezembro de 2017 at 08:43

    pressa:
    -MP elimina licitação para governo vender imóveis de até R$ 5 milhões
    Valor Economico-há 3 horas.

    6+
    • avatar
  • Longa Manus 20 de dezembro de 2017 at 08:43

    Cesar DF,

    Concordo. Estava respondendo ao colega que não gosta de servidor público concursado….

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 20 de dezembro de 2017 at 09:26

      Se concurso fosse prova de capacidade e caráter creio eu que teríamos serviços muito, muito melhores.

      13+
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 09:48

        Carlos, sou favorável a uma profissionalização dos cargos eletivos
        1) Duas fases: 1ª de concurso com provas e títulos e 2ª eletiva (hoje já existe isto no conselho tutelar)
        2) Na parte de títulos, formação em administração pública para a carreira executiva e de direito para a carreira legislativa
        3) Plano de carreira, obrigatoriamente seguiria um caminho ascensional, por exemplo: vereador, deputado estadual, deputado federal, senador
        4) Excelente remuneração, proporcional a responsabilidade, de forma que os melhores quisessem ser políticos
        5) Abdicar da privacidade financeira: toda sua movimentação financeira e patrimonial seria pública

        21+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Carlos 20 de dezembro de 2017 at 09:52

          Eu concordo contigo, se com concurso já é esta b… imagina sem ele, minha “birra” é com esta falácia que basta o concurso ou que todos os FPs merecem as regalias que tem simplesmente por terem sido aprovados nos ditos.

          9+
          • avatar
        • Avulso 20 de dezembro de 2017 at 10:37

          A 5 deveria ser para todos que trabalham no Estado, na minha opinião.

          7+
          • avatar
          • avatar
      • Avulso 20 de dezembro de 2017 at 10:35

        Alguns serviços são bons, seriam melhores se a fiscalização e a cobrança fosse mais incisiva sobre os concursados vagabundos. Acaba que hj vc depende mais do caráter da chefia do que de outra coisa. A politicagem atrapalha muito tb, há muita influência sobre a qualidade do serviço.

        5+
        • avatar
        • avatar
        • to bolhado 20 de dezembro de 2017 at 10:47

          o problema é essencialmente cultural e gestão. Resolvendo isso você melhoraria uns 70%. O serviço público é uma máquina de moer motivação; muita gente entra animada, com energia para contribuir, e essa energia vai sendo rapidamente sugada pela cultura. O cara aprende na marra que é melhor não se destacar, não fazer marola na água da piscina.

          23+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 12:38

            Não é só isso

            Um funcionário privado faz uma inovação, por exemplo
            1 – Se der certo = ganha aumento de salário e ascensão hierárquica
            2 – Se der errado = é demitido

            Um funcionário público faz uma inovação, por exemplo
            1 – Se der certo = não ganha nada
            2 – Se der errado = processo administrativo disciplinar

            25+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Avulso 20 de dezembro de 2017 at 13:25

              Cesar,
              Se der certo o público é ameaçado de remoção compulsória, se federal, para o norte do país. Se der errado passa a ser o queridinho do local, quem sabe ganha uma função de confiança.

              12+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
            • Master Yi 21 de dezembro de 2017 at 10:34

              Adiciono mais uma característica ao serviço público: falta de meritocracia.

              Tenho um colega de trabalho que é extremamente dedicado e comprometido. O cara trabalha umas 10 horas por dia. Nem horário de almoço ele tem, leva marmita e almoça na frente do computador. Trabalho com ele há um tempo e posso afirmar: o cara é muito competente. O que ele ganhou por adotar essa postura? Mais trabalho, somente.
              Tive outro colega de trabalho que enrolava mais do que tudo, não produzia nem 1/4 do que o meu outro colega mencionado, entretanto era bem articulado, bom orador e bem relacionado no órgão. O que ele ganhou? Um cargo de chefia.

              18+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • Bsbguy 22 de dezembro de 2017 at 10:45

                ohhhhhhhhhh isso é o que maisssss acontece…

                4+
              • Paulo Avelar 23 de dezembro de 2017 at 01:04

                O “DAS” se destina a direção e ao assessoramento tão somente.

                Na cabeça do político que cria regras do direito administrativo, todo local , todo setor tem que ter uma DAS(chefia ou assessoramento), ou seja, ao pé da letra, um DAS não pratica o serviço dos subordinados, vc tira um servidor do trabalho para ocupar ele com a gestão de outros dois ou 3 gatos pingados.
                Quando vc destina um servidor a um DAS, vc o perde como servidor, quando vc cria um DAS com uma pessoa de fora do quadro, vc está apenas criando uma despesa.

                3+
            • DAN 23 de dezembro de 2017 at 18:06

              Se der certo, ele é recompensado com mais trabalho.
              O serviço público é igual a esse país. Está de cabeça para baixo.

              2+
    • rogerio 20 de dezembro de 2017 at 17:37

      se tirassem CCs de politicos melhorava 50%, pois exercem os cargos de chefia…

      7+
      • avatar
  • Marcio 20 de dezembro de 2017 at 09:13

    Leilão vale?
    https://www.oroleiloes.lel.br/lotes/visualizar/13035
    Valor de avaliação do terreno: 120.000.
    Valor de venda (único lance): 60.000.

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 20 de dezembro de 2017 at 09:18

    Ana Maria Brega mostrando guria que ganha 8k e gasta 9,5k; a guria nunca fez conta:
    – Balada e são de beleza toda semana 450
    – faxineira (600 por mes)
    – aluguel- 2,400
    – parcelinha do na planta.
    -carro
    -> resultado: a faxineira vai dançar, vai mudar de ap alugado (propriotário dançando), nada de balada e badulaque..

    35+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • indiobolhista 20 de dezembro de 2017 at 09:25

    mais se alguem tem salario de 8 mil, nao se supor que tem inteligencia pela acima da media??? nao é daquelas pessoas superiores aos que ganham menos??? , eu dissia que qualquer idiota hoje em dia tem doutorado ….. seja em dereito, engenharia, inclusive tem 666 medico, ah, sim eles se esforçaram para ganhar concursos ou sao especialistas em alguma coisa que outros cidadaos nao sao …….

    12+
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 20 de dezembro de 2017 at 09:34

    não prestei muita atenção mas 7.500 parece que vem de acordo com ex marido… kkk a tansa gasta tudo.. na planta carro, balada… kkk o ex que era burro..

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • indiobolhista 20 de dezembro de 2017 at 09:36

    kkkkkkkkkk, kkkkkkkk, kkkkkkkkkk, por gentileza se a pode conseguir o link da guria, obrigado

    7+
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 10:21

      Agora que a inadimplência começou a cair, é hora do governo criar mais escravos de dívidas

      Mas acho que para o capital de giro de empresas seria útil sim

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 20 de dezembro de 2017 at 10:29

        Cesar_DF,

        Ao contrário, a inadimplência está maior do que nunca. Por isto que os juros dos bancos continuam muito altos. De forma heterodoxa, REPETINDO a ação da Dilma, estão apenas tentando apagar incêndio com gasolina e garantindo que as consequências no futuro próximo serão ainda PIORES, exatamente como vimos a partir do início de 2015.

        Veja abaixo:

        http://epocanegocios.globo.com/Economia/noticia/2017/11/natal-tera-numero-recorde-de-brasileiros-inadimplentes.html

        “NATAL TERÁ NÚMERO RECORDE DE BRASILEIROS INADIMPLENTES”

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 20 de dezembro de 2017 at 10:33

          Outra informação recente, para complementar o que consta comentário anterior:

          https://br.reuters.com/article/domesticNews/idBRKBN1DU1WI-OBRDN

          Trecho do link acima:

          “Inadimplência de micro e pequenas empresas bate recorde em outubro, diz Serasa Experian”

          9+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 10:41

            Esta notícia reflete bem a situação

            Inadimplência sobe e recuperação da economia ainda não reflete no bolso

            Fonte: Economia – iG @ http://economia.ig.com.br/2017-12-11/inadimplencia-novembro.html

            6+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • CA 20 de dezembro de 2017 at 10:57

              Cesar_DF,

              Isto “confunde” alguns “especialistas”. Como é que pode termos recuperação da economia e não se refletir no bolso das pessoas?

              É que estes pseudo-especialistas, assim como o Nefasto aqui no blog, FINGEM que não veem uma INFINIDADE de evidências ÓBVIAS que são contrárias as “teorias” que eles defenderam antes e/ou não possuem a menor capacidade cognitiva para analisar os fatos e dados, simples assim.

              Começa que precisamos entender a “recuperação da economia”:

              Recorde de desemprego para um mês de outubro atingido em outubro/2017 é “recuperação”? Recorde recente na somatória de desempregados mais desalentados mais SUBempregados é sinal de “recuperação”? Crescimento de vagas, apenas as informais, é sinal de “recuperação”?

              Crescimento mínimo do PIB e desacelerando a cada trimestre, que no total vai ser equivalente a menos do que a somatória de eventos não recorrentes, como a super-safra agrícola, o saque dos inativos do FGTS, ações de aperto em fiscalização contra sonegação, dentre outros não recorrentes, é sinal de “recuperação”, mesmo sabendo que por definição não vão se repitir?

              E a queda de inflação e juros? Foram motivadas em grande parte pela super-safra agrícola que não vai se repetir, combinada com queda de consumo e manutenção do mesmo em patamar muito baixo, além de fatores internacionais fora de nosso controle e promessas NÃO CUMPRIDAS quanto à ajuste fiscal e reforma da previdência. Isto por acaso é em algum momento algo “motivador”? Nem os juros básicos (SELIC) caírem não é tão auspicioso, pois o super-endividamento e inadimplências anormais continuam mantendo os juros finais lá em cima…

              Ajuste fiscal, está aí algo para nos animar… Quer dizer que batermos o recorde de déficit fiscal em 2016 e prometermos que de 2017 a 2018 conseguiremos manter déficits fiscais próximos deste recorde e sempre superiores aos da era Dilma e antecessores é algo positivo? Reduzir o escopo da previdência pela metade, depois para 1/4, depois para 1/8 e mesmo assim demorar anos sem conseguir aprovar é outro motivo para estarmos felizes com nosso “ajuste fiscal”? Termos rombos de mais de R$ 20 bilhões no orçamento de 2018, que se somam à promessa de déficit de R$ 157 bilhões é algo para nos deixar tranquilos e sentido que fizemos nossa parte, estamos combatendo o déficit fiscal?

              E a “ilha da fantasia” ao redor do setor imobiliário? Grandes construtoras continuam quebrando, assim como milhares de outras pequenas e médias, agora em dez/17 disseram para o Temer que estavam “no fundo do poço”, já temos dezenas ou centenas de milhares de pessoas que ficaram sem seus imóveis porque as construtoras quebradas, um efeito ENCOL multiplicado por “N”, os leilões crescendo exponencialmente e não retomaram nem 10% do que deveriam, distorção entre oferta e procura CONTINUA completamente absurda, etc, etc, etc…

              Tem MUITO MAIS do que consta acima, como sempre, são só AMOSTRAS.

              11+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
        • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 10:37

          CA

          Eu estava acompanhando a inadimplência até uns 2 meses atrás
          Sinceramente, achei que já tínhamos batido no fundo do poço
          Afinal, é padrão após a ocorrência de uma bolha, ou de um período de recessão econômica, que a maior parte das famílias reduza seu consumo, em favor de quitação de dívidas e recomposição de poupança.
          Mas agora vendo as notícias recentes, constato que ainda não batemos no fundo do poço

          https://www.google.com.br/search?q=inadimpl%C3%AAncia&num=100&newwindow=1&source=lnms&tbm=nws&sa=X&ved=0ahUKEwi_0ajOzJjYAhUGgZAKHYvbDmoQ_AUICigB&biw=1440&bih=769

          14+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • CA 20 de dezembro de 2017 at 10:43

            Cesar_DF,

            É fato que não bateremos no fundo do poço do endividamento e da inadimplência, porque enquanto governo continuar pedalando, via CEF ou por iniciativas de BC e relacionados, as consequências só irão piorar. É fato que não bateremos no fundo do poço enquanto a própria bolha imobiliária não atingir o fundo do poço, o que só poderá ocorrer quando os preços ficarem ABAIXO dos fundamentos, pois é irracional acreditar que a RESSACA não será proporcional à FARRA.

            Com estas novas ações do BC / Governo, inicialmente irão gerar mais euforia, será como aquela pessoa que bebeu demais, já está sofrendo com uma tremenda ressaca, vomitou um pouco, se sentiu minimamente melhor e logo em seguida voltou a beber “como se não houvesse amanhã”. Dependendo da intensidade e prazo em que está pessoa continuar bebendo, vai entrar em coma alcoólico. O que o governo quer, é que o excesso de bebida gere uma euforia imediata e que possa durar até as eleições de 2018, se a pessoa vai morrer de coma alcoólico no início de 2019, daí já é outro problema…

            14+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 10:56

              CA
              Isto está bem claro na Escola Austríaca
              Enquanto não ocorrer um aumento da produtividade das pessoas, ou redução do custo via melhoria da infraestrutura e/ou redução da regulamentação, não existe fundamento econômico para melhorar a renda das pessoas
              O que o governo está fazendo é a injeção de recursos econômicos na economia, utilizando o consumo para tentar manter o moribundo vivo
              Enquanto os economistas do governo continuarem olhando para o consumo, e não para a produção, não haverá saída.

              23+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • CA 20 de dezembro de 2017 at 11:06

                Cesar_DF,

                Sim, é por aí, a eterna teoria do Keynesianismo como moto-contínuo da economia, para o qual já vimos as consequências com a Dilma.

                O agravante é que as bolhas são anomalias e requerem ações adicionais que forçam a ida para o fundo do poço, para só após isto a recuperação se viabilizar. Quem briga com a realidade de forma intensa e prolongada, como o Japão, vê que ao final o prejuízo é MUITO maior, mas só para lembrar, graças a uma infinidade de diferenças entre Brasil e Japão, sequer conseguiríamos pedalar por tanto tempo quanto eles…

                16+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
              • Lucas 20 de dezembro de 2017 at 11:53

                eu concordo, enquanto o ajuste não for feito no volume necessário vamos continuar esperneando na areia movediça
                não existe milagre, existe trabalho e muito suor.
                mas como disse o from, o homem-fluido do blog, o guerreiro-zen do blog, essas situação gera grandes oscilações, que gera grandes oportunidades, isso é bom pra quem está liquido, e até mesmo pra quem souber comprar imóvel a depender do preço, sempre haverá boas oportunidades.

                10+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • Zé do Brejo 20 de dezembro de 2017 at 12:20

                  Melhor oportunidade se chama AEROPORTO, essa terra aqui precisa ser colonizada e quem sabe um dia proclamar uma república.

                  14+
                  • avatar
                  • avatar
                • Lucas 20 de dezembro de 2017 at 12:23

                  eu não tenho essa opção zé
                  tenho que cuidar de questões de saúde
                  e não tenho nenhum passaporte de lugar nenhum.

                  7+
                  • avatar
                  • avatar
                  • avatar
                  • avatar
                  • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 12:34

                    Lucas
                    Antigamente não tínhamos qualquer esperança numa reforma liberalizante
                    Hoje já temos duas: Amoedo e Bolsonaro

                    7+
                    • avatar
                    • avatar
                    • avatar
    • CA 20 de dezembro de 2017 at 10:27

      Zé do Brejo,

      Na notícia acima, nova euforia, porque o BC reduziu a obrigatoriedade de compulsórios para bancos.

      Por que ele fez isto?

      Problemas de FALTA DE LIQUIDEZ. O mesmo motivo pelo qual a CEF EXTORQUIU R$ 15 BILHÕES do FGTS.

      Estes problemas de falta de liquidez OBRIGAM aumento de juros, redução na concessão de crédito e outros efeitos. São consequências TÍPICAS da explosão de bolhas, tanto imobiliária quanto de consumo.

      Quer dizer que o Brasil é “jenial” (sic) e descobriu a “fórmula mágica” para combater as consequências das bolhas de forma “simples, rápida e sustentável”? É só diminuir o compulsório, como a Dilma já havia feito antes de 2015, ou EXTORQUIR mais dinheiro do FGTS, como a CEF já havia feito antes de 2015 e não vai aparecer nenhuma crise, como apareceu em 2015? Pois é, a lógica do histórico recente quanto a isto é bastante elementar, mas vão insistir em negar o ÓBVIO e fazer de conta que somos “mágicos”…

      O que consta acima são mais ESPARADRAPOS para tentarem tampar as HEMORRAGIAS. Querem a todo custo estimular a economia, de forma CONTINGENCIAL e com efeitos TEMPORÁRIOS, para não deixar cair a máscara do otimismo UFANISTA antes das eleições de 2018.

      Por que estas ações e diversas outras não são sustentáveis “eternamente”, como os “especialistas” e Nefastos defendem?

      CEF: R$ 15 BILHÕES extorquidos do FGTS, são apenas uma FRAÇÃO dos ROMBOS de dezenas de bilhões de Reais da CEF. As MAQUIAGENS e PEDALADAS da CEF estão ficando cada vez mais VISÍVEIS, como no exemplo da CEF ter sido o ÚNICO banco a se “enganar” com as provisões para o processo da poupança, ou por ter sido o ÚNICO credor a não aprovar o plano de recuperação da PDG porque ela não tinha “previsto” que teria aquela inadimplência, ou porque o processo de “renegociação” do crédito imobiliário e de consumo é igualmente ÚNICO no Brasil e no Mundo quanto a seus resultados MIRABOLANTES. Não existem centenas de bilhões no FGTS que ficarão eternamente disponíveis, principalmente quando uma parte destas máscaras caírem. O MP já solicitou o afastamento de TODOS os Vice-Presidentes da CEF em 45 dias, vários e vários processos na PF contra GOLPES da CEF e seus funcionários, o TCU já coibiu alguns dos golpes que eles aplicaram e está solicitando restituição dos prejuízos para parte deles. Os Nefastos querem que todos sejam cegos, surdos e mudos, fingiram que não viram que o castelo de cartas da CEF cai sem parar, mas temos “novidades” frequentes que tornam as mentiras deles igualmente insustentáveis…

      Redução do compulsório: por acaso o aumento de liquidez para bancos via concessão de compulsórios do BC diminui o número de pessoas que estão inadimplentes ou com endividamento em patamar anormal? NÃO. Por acaso isto faz com que empresas que estão sem caixa e sem resultados que as habilitem a conseguirem empréstimos, possam obter este dinheiro? NÃO. Os bancos deixam de manter os juros nas alturas se os principais riscos continuam exatamente como antes? NÃO.

      NENHUMA NOVIDADE, repito, a Dilma fez exatamente isto antes de 2015 e estas ações “jeniais” (sic) não só não evitaram a chegada da crise, como intensificaram suas consequências negativas. No caso acima, quanto mais a CEF MAQUIAR, PEDALAR e EXTORQUIR dinheiro do FGTS, mais pessoas vão entrar no super-endividamento e inadimplência, o FGTS será MAIS UM ameaçado de se tornar insolvente, junto com a CEF e o Governo Federal, aumentando cada vez mais a visibilidade quanto ao risco Brasil. No caso do compulsório, reduzi-lo é como economizar com o seguro e usar o dinheiro para gastos que não terão nenhum retorno, ou seja, também aumenta o risco percebido no país, assim como, se realmente os bancos se “entusiasmarem” e PEDALAREM aumentando os empréstimos, do mesmo jeito só veremos aumento de inadimplência e endividamento. Estes ESPARADRAPOS novamente não resolvem NADA da causa raiz do problema, repetir exatamente o que a Dilma fez não é nenhum sinal de “jenialidade” (sic), ao contrário…

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Zé do Brejo 20 de dezembro de 2017 at 10:43

        CA,
        Pra mim está claro que o Temer é cópia da Anta, não reformou nada, está se segurando com unhas e dentes ao cargo e apenas empurrando os problemas para a próxima gestão. Resta saber se o próximo ciclo de governo terá coragem e competência para colocar a casa em ordem.
        Sinceramente eu acho que será muito dificil alguém conseguir dar jeito nisso aqui, enquanto isso segue o jogo, segue a crise, viva a novela e o futebol.

        17+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 10:46

          Zé do Brejo
          Num presidencialismo de coalização e com uma extensa constituição semi rígida, somente seria possível
          1 – O presidente conseguir uma coalização de 2/3 do congresso
          2 – Propor mudanças constitucionais por plebiscito e/ou referendo

          7+
          • avatar
          • avatar
          • perdido no rio 20 de dezembro de 2017 at 10:50

            Exato, e parece que as raposas não querem deixar de ser as guardiãs desse galinheiro. Lembrei que a Dilma propôs plebiscito e achei notícias da época. Vale ler o comentário do nossos Imos. Ministros do STF sobre o tema. Estamos de mãos atadas.

            http://g1.globo.com/politica/eleicoes/2014/noticia/2014/10/bandeira-de-dilma-plebiscito-enfrenta-resistencia-no-congresso.html

            Segundo Marco Aurélio Mello e Gilmar Mendes, o Congresso Nacional deve decidir diretamente sobre as alterações no sistema político e eleitoral do país, sem consultas à população. Segundo eles, a reforma envolve questões técnicas, que dificilmente seriam compreendidas por toda a população.

            6+
            • avatar
          • Zé do Brejo 20 de dezembro de 2017 at 10:56

            Exatamente por isso Cesar, que meu pensamento é alinhado com o CA, eu também acho que a coisa tende a piorar muito, por que o estrago feito pelas bolhas de crédito/imobiliária foram brutais e a correção que já deveria ter sido feita, continua sendo maquiada a todo custo pelo governo porque o mesmo precisa continuar pedalando para sobreviver. Claro que temos os Thiagos, Fernandos, etc, achando que o problema é bobagem e que em breve a economia voltará ao normal, só digo que o governo tem muita sorte que a maioria da população é alienada.

            14+
            • avatar
            • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 11:01

              Em outros países que a previdência sufocou o governo, partiram para a redução das aposentadorias, vide Portugal e Grécia.

              Mesmo que não estoure a bolha imobiliária chinesa e a bolha de ações do estados unidos, é consenso que a previdência brasileira estrangulará completamente o governo até 2021

              13+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
            • Lucas 20 de dezembro de 2017 at 12:21

              não tem bolha nos EUA nem na China
              o senhor bolha que aqui esteve semana passada apostou contra todas essas bolhas e ganhou
              não tem bolha porque ambos os países estão calcados em trabalho duro e inovação, há ainda muito o que fazer pela frente, só o projeto das novas silk roads de 1 trilhão de dolares bastaria para o mundo ter décadas de prosperidade, sem contar as estradas virtuais, as milhares de startapis.

              O ponto é: o BR vai entrar como nessa nova reorganização global???
              ah! eu sou um grande admirador da cultura chinesa, ainda que uma ditadura soçialista, há outros valores ali latentes na simplicidade, na suavidade, na força do caráter e da ética. Que venham os chinas.

              9+
              • avatar
              • rogerio 20 de dezembro de 2017 at 17:43

                Mas isso é hipocrisia. A China ficou fechada numa ditadura comunista (nem socialista era) por décadas e agora vem defender o os Chinas no Brasil? Eles vem pra rapinar tudo que puderem…

                7+
                • avatar
                • avatar
                • rogerio 20 de dezembro de 2017 at 17:45

                  ficaram anos amadurecendo sua economia e fortalecendo a industria nacional antes de abrirem as portas pra dominar o mundo.

                  4+
                  • avatar
                • Lucas 20 de dezembro de 2017 at 18:18

                  e temos escolha?
                  pega os lixos que a vw produz, olha o preço daquilo, olha como o carro vem depenado eles chegam a caradepau de anunciar porta-treco pra celular entre os opciionais de acessórios!!!

                  olha os produtos china, estão ultrapassando a vw BR por menos da metade do preço, já ultrapassaram, foi esse ano… E os indianos logo mais tbm.

                  Tbm não gosto de ditaduras, só que a china tem outros valores latentes, e sinceramente, entre essa democracia e uma ditadura, já disse tenho saudades dos generais que junto com o mesmo delfin neto guru do lula fizeram merda, mas muita mesmo, entretanto eu era feliz e não sabia.

                  A mudança do eixo economico pra china-india (que é democratica), pro pacifico, nós consumidores temos muito a ganhar de todas as formas, não aguento mais ser explorado por essa raça politica que nda mais é que a sombra dos donos do país, uma gente mesquinha, escrota e criminosa.

                  12+
                  • avatar
                  • avatar
                  • avatar
                  • avatar
                  • rogerio 20 de dezembro de 2017 at 23:15

                    Respeito, mas entendo que sua visao é contraditória. A proteçao da industria nacional, fez a China ser o que é hoje e nao a sabedoria oriental ou sua filosofia. Tenho que reconhecer que alguns paises tentaram o mesmo mas nao resistiram. Não foi a sabedoria oriental. O próximo passo Chines será se militarizar.

                    4+
                    • Rico 21 de dezembro de 2017 at 08:15

                      A China é a nova fachada da comunidade Judaica. Todo dinheiro investido lá é deles. Eles só permitem que os Chineses ganhem dinheiro para continuar girando a roda. Europa é muito complacente com isso, até que comecem a fazer festa no seu quintal. Logo eles enjoam e manda para outros lugares. Se a China encher muito o saco eles lançam um “tigre africano”.

                      3+
                    • Lucas 21 de dezembro de 2017 at 11:51

                      Rogerio, tbm respeito sua opinião, ainda que sua premissa seja verdadeira de proteção da ind. nacional (na verdade há mais detalhes aí, então é parcialmente verdadeira, por arredondamento vc está certo, mas não na mosca) vamos conviver com essa divergencia diametral, eu acho mesmo que a cultura ajuda a moldar o destino e a prosperidade de um povo, aliás não é esse o discurso de vcs com aquilo de escola de frankfurt? bem, essa contradição ambos carregamos, eu não acho determinante há outros fatores, mas tbm não é fator insignificante. Agora só te peço um favor, jamais separe o sujeito do verbo por vírgula.

                      3+
        • CA 20 de dezembro de 2017 at 11:01

          Zé do Brejo,

          Infelizmente é isto mesmo, o Temer é uma cópia da Dilma, minimamente melhor em aspectos irrelevantes (sabe falar e não diz aquelas coisas absurdas que ela dizia, em compensação, os humoristas perdem uma excelente fonte de piadas) e que consegue ser ainda pior que a Dilma em aspectos relevantes (extorquir bilhões do FGTS, criar “incentivos” via BC ou CEF ainda mais arriscados e com piores efeitos, etc).

          13+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 11:05

            CA
            A Dilma acabou com a economia via planejamento central (nova matriz econômica)
            O Temer está acabando com a economia com o estímulo ao consumo e não a produção
            Os dois refletindo o que tem de pior no Keynesianismo

            17+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
          • Lucas 20 de dezembro de 2017 at 12:02

            uns 2 anos atrás coloquei a questão
            Temer seria um novo sarney ou um novo Itamar:????

            -na melhor das hipoteses um novo Itamar, seria uma figura fraca, mas com uma boa equipe e deixaria o mercado rolar livre, as coisas iriam naturalmente se ajustando…
            ERRADO

            – Temer escolheu o pior caminho, o do novo Sarney levemente melhorado, um governo populista de coalizão com o que há de pior e mais atrasado nesse país, as mesmas forças que lula jurou lutar contra, mas se vendeu para os mesmos, Temer é um Sarney sem a hiperinflaçao, até porque numa economia globalizada isso não cabe mais.

            18+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
    • Intendente 20 de dezembro de 2017 at 18:28

      Se já não estava bom terem baixado ainda mais a Selic…

      Opa, aumento da base monetária, mais dinheiro na praça.

      Parece que estão aproveitando a inflação baixa para fazer uma política monetária expansionista.

      Agora vamos ver se sai algum investimento desse cenário.

      7+
  • perdido no rio 20 de dezembro de 2017 at 10:47

    Copiando o comentário que fiz sobre esse texto no tópico anterior:
    Isso é genial, logo depois de falar: “A situação do Rio é trágica, e houve muitos lançamentos. Na Barra da Tijuca, por exemplo, sobram imóveis residenciais. Até a economia do estado começar a se recuperar, não vale a pena.”

    Ele responde assim:

    Quem está procurando um imóvel para morar também deve esperar?
    Não. De forma geral, o mercado imobiliário bateu no fundo do poço no começo do ano. Agora, estamos na fase de recuperação, que tende a continuar independentemente do resultado das eleições.”

    Teve até a frase: “Para quem quer comprar um imóvel para morar, a hora é esta: daqui a um ano, os preços devem estar mais altos.”

    Mais um exemplo para a coletânea “a hora é agora” bananense.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • rafa_fv 20 de dezembro de 2017 at 11:08

      Mas também isso é pergunta que se faça a uma gestora de imóveis, pelo amor de meus filhinhos, a resposta obviamente será ‘compre d’já’. Se a entrevista ainda fosse com algum economista está pergunta faria algum sentido.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • rafa_fv 20 de dezembro de 2017 at 11:10

    rafa_fv

    É muito interessante, para eles colocarem o dinheiro deles é necessário muita cautela, focar no segmento auto padrão(que segundo eles ainda há mercado) e principalmente comprar a valores baixos devido as incertezas; já quando o dinheiro é dos outros o momento e agora, não analise nada e compre d’já, pois ano que vem estará mais caro.
    É muita cara de pau, ou bipolaridade mesmo, kkkkk.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
      JJJ_brasilia
    • avatar
    • avatar
    5+
    • avatar
    • avatar
  • SP 20 de dezembro de 2017 at 11:32

    [off] Portal de Transparência

    Pessoal estava olhando o portal e me deparei com a seguinte informação.

    “MODERNIZAR E APARELHAR O SISTEMA PRISIONAL DO ESTADO DE SAO PAULO, POR MEIO DE AQUISICAO DOS 2270 RADIOS TRANSCEPTORES DIGITAIS PORTATEIS E 67 RADIOS FIXOS VHF/FM.
    Valor Total (R$) 12.333.808,55”
    http://www.portaldatransparencia.gov.br/despesasdiarias/empenho?documento=200324000012017NE800024

    Não localizei os valores, pois não houve licitação. deste modo dividi o valor em 2.

    Valor Total R$ 12.333.808,55 / 2 = R$ 6.166.904,28
    R$ 6.166.904,28 / Quantidade de aparelho 2270 = R$ 2.716,70 CADA!
    R$ 6.166.904,28 / Quantidade de aparelho 67 = R$ 92.043,35 CADA!

    Agora vamos a análise.
    Motorola DGP sai por cerca de R$1950,00, com ele você pode mandar mensagem, conversar e utilizar criptografia e a licença digital com distância máxima de 70 Km.
    https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-918371613-radio-motorola-digital-ht-dgp-5550-vhf-_JM

    Motorola DGM sai por cerca de R$2000,00, idem as informações anteriores e com maior alcance.
    https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-937876543-kit-com-5-dgm8500-vhf-_JM

    como o edital não informou sobre instalação de antenas tipo base, estou excluindo da aritmética bem como também, a possibilidade de desconto devido a quantidade adquirida. Agora vamos lá.

    2270 * R$1950,00 = R$ 4.426.500,00
    67 * R$2000,00 = R$ 134.000,00

    Total = R$ 4.560.500,00

    R$ 12.333.808,55 – R$ 4.560.500,00 = R$ 7.773.308,55

    Ou seja, comprando as melhores tecnologias disponíveis no Brasil e regulamentada pela Anatel o valor ficaria R$ 7.773.308,55 abaixo do valor pago pelas aquisições.

    Pessoal se houver alguém aqui tem conhecimento deste tipo equipamento e possa comentar se minhas análises estão errados, agradeceria.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 11:44

      Sempre um produto comprado via licitação será mais caro que no mercado, por causa do fator risco
      – Risco de atraso no pagamento
      – Risco de não pagar
      – Risco do concorrente questionar juridicamente o processo
      – Risco da suspensão do processo por conta de questionamento jurídico, até que produto saia de linha
      – Etc

      5+
      • avatar
      • avatar
      • SP 20 de dezembro de 2017 at 11:50

        Neste caso não houve licitação e em relação aos apontamentos, justificam um valor 270% superior?

        3+
        • DouglasteR 20 de dezembro de 2017 at 14:20

          Tem várias outras questões, não é só o produto em si. Temos:

          1 – Garantia exclusiva e pro-ativa
          2 – Suporte em qualquer caso

          Só esses dois custam muito mais do que se imagina.

          3+
          • avatar
      • Rico 20 de dezembro de 2017 at 15:19

        Meu pai quando tinha empresa negociava com o governo. O custo de se negociar com o governo é maior. Uma vez ele colocou na licitação um valor de mercado nos produtos. Quando percebeu pediu desistência da licitação, pois ia tomar prejuízo.

        6+
        • SP 21 de dezembro de 2017 at 11:47

          Obrigado pessoal pela informação, então é muito complicado negociar com o governo.
          Uma faixa bruta de 270% é gigantesca e pelo que vi o retorno líquido não é elevado.

          2+
          • avatar
  • Cadeludo 20 de dezembro de 2017 at 11:58

    CVR Torres-RS
    Observei atentamente, troquei ideia com o povo de lá
    ninguém aluga nada nem pra natal nem ano novo nem janeiro, nada.
    restaurantes , lojas e camelódromo tudo vazio, dinheiro sumiu
    consumo das famílias é mínimo, nunca vi isso nessa época

    CVR POA -RS
    Supermercados vazios com freezers atrolhados de peru, chester e bruster
    Parece que ninguém comprou ainda
    falta 4 dias pra desovar tudo
    eu pretendo comprar um chester pela metade de preço dia 23 ou 24, acreditem, vou conseguir
    caso não consiga vou assar uma costelinha de porco que comprei congelada por R$ 9,90/kg
    comprei também 36 estrella galícia 350ml por R$ 1,34 pensei que estaria pra vencer mas vence em mar/2018
    é hora de garimpar e só comprar o que precisa, coisa que faço desde os anos 90
    só não garimpo imóveis pra comprar, quero que esse mercado se exploda e todos se ferrem mesmo
    pago meu aluguel baratinho pro senhorio, nem precisei procurar muito, satisfação total, não devo 1 real
    pena que tomei no rim com os bancos, me pagam só a metade do que pagavam ( ministros banqueiros ) e isso é uma baita sacanagem

    carnaval 2018 será o último suspiro

    42+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 20 de dezembro de 2017 at 12:03

      Nem me fala, renda fixa caiu de 1% para 0,5%, já costurei o nome do Meirelles Manteiga e do Conde Drácula na boca do sapo.

      23+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cadeludo 20 de dezembro de 2017 at 11:59

    na banãnia só tá crescendo a intenção e as dívidas

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 20 de dezembro de 2017 at 12:03

    Só faço um senão, Temer foi empurrado para isso, ele quase sofreu um golpe de forças esquerdistas entranhadas no dito direitismo, foi o tiro no pé do século, que obviamente nada adiantou um velho louco num blog obscuro avisar, avisar, prever… Claro que não podemos culpar apenas as circunstancias, aquilo jáe stva latente nele, inclusive seu apego à bolha imob, como vcs sabem temos parentes distantes comuns eu e ele, sou dum ramo pobre que junto com a parte falida de grandes agriculotres do meio oeste paulista, por conta da revolução de 32, temos no sangui o ódio a nossos inimigos mortais os cariocas e os gauchos traíras, temos em MMDC. nossos grandes heróis apesar de não ser Paulsita de nascimento carrego ele na minha veia.

    voltando: Temer e companhia tem interesse carnal na bolha imob, ele fará de todo o possível para suavizar, maquiar o estouro, nem que para isso ele precise quebrar o BR 3x.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 20 de dezembro de 2017 at 12:16

    Pessoal, segue alguns excertos do meu filosofo favorito, outro velho louco, morto recentemente:

    “As mídias sociais deram o direito à fala a legiões de imbecis que, anteriormente, falavam só no bar, depois de uma taça de vinho, sem causar dano à coletividade. Diziam imediatamente a eles para calar a boca, enquanto agora eles têm o mesmo direito à fala que um ganhador do Prêmio Nobel. O drama da internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade”.

    (cerimônia em que recebeu o título de doutor honoris causa em comunicação e cultura na Universidade de Turim, em 2015.)

    “A internet não seleciona a informação. Há de tudo por lá. A Wikipédia presta um desserviço ao internauta. Outro dia publicaram fofocas a meu respeito, e tive de intervir e corrigir os erros e absurdos. A internet ainda é um mundo selvagem e perigoso. Tudo surge lá sem hierarquia. A imensa quantidade de coisas que circula é pior que a falta de informação. O excesso de informação provoca a amnésia. Informação demais faz mal. Quando não lembramos o que aprendemos, ficamos parecidos com animais. Conhecer é cortar, é selecionar”.

    (Em entrevista à Revista Época, em 2011.)

    “Atribuem-me muitas frases célebres de outros. Ou mesmo situações erradas como a que me atribuíram há uns anos de que eu dissera que um escritor famoso tinha morrido e até o jornal The New York Times me ligou para confirmar. Mas nem sempre confirmam se é verdade, o que já não me incomoda porque acredito na fraqueza da memória das pessoas. Sabemos sempre que no dia a seguir já nada é notícia”.
    (Em entrevista ao Diário de Notícias, de Portugal, em 2015.)

    “O problema da internet é que produz muito ruído, pois há muita gente a falar ao mesmo tempo. Faz-me lembrar quando na ópera italiana é necessário imitar o ruído da multidão e o que todos pronunciam é a palavra ‘rabarbaro’. Porque imita esse som quando todos repetem ‘rabarbaro rabarbaro rabarbaro’, e o ruído crescente da informação faz correr o risco de se fazer ‘rabarbaro’ sobre os acontecimentos no mundo.”
    (Em entrevista ao Diário de Notícias, de Portugal, em 2015.)

    “A aprendizagem não consiste apenas em saber o que devemos ou podemos fazer, mas também saber o que poderíamos fazer e, talvez, não deveríamos”.
    Trecho do livro O Nome da Rosa (1980).

    “Na medida em que envelheci, comecei a odiar a humanidade. Portanto, se eu tivesse um poder absoluto, deixaria que ela continuasse em seu caminho de autodestruição. Ela seria destruída e eu ficaria mais feliz. Pessoas como eu são intelectuais: nós fazemos o nosso trabalho, escrevemos artigos, temos maneiras de protestar, mas não podemos mudar o mundo. Tudo o que podemos fazer é apoiar a política de empatia”.
    Em coluna ao portal UOL, em 2016.

    “Eu passei a acreditar que o mundo inteiro é um enigma. Um enigma inofensivo que é feito por nossa própria tentativa de interpretá-lo, como se houvesse nele uma verdade subjacente”.
    Umberto Eco.

    “Todos os poetas escrevem poesia ruim. Poetas ruins as publicam, poetas bons as queimam”.
    Umberto Eco.

    “Nós temos um limite, muito desencorajador e humilhante: a morte. É por isso que nós gostamos de todas as coisas que nos parecem ilimitadas e, portanto, sem fim. É uma forma de fugir dos pensamentos sobre a morte. Nós gostamos de listas porque não queremos morrer”.
    Entrevista à revista alemã Der Spiegel, em 2009.

    “Quando os homens pararem de acreditar em Deus, isso não significará que eles não acreditam em nada, mas que eles acreditam em tudo”.

    10+
    • avatar
    • antifragile 21 de dezembro de 2017 at 21:43

      No segundo parágrafo já deu pra perceber de quem você tava falando.

      Obrigado pela leitura.

      1+
  • Bolhudo 20 de dezembro de 2017 at 12:29

    Matéria comprada .

    Pesquisa revela que vizinhança boa é tão importante quanto o imóvel na hora da compra

    Para 75% dos entrevistados, as características do bairro e entorno são tão importantes quanto a estrutura do imóvel, aponta pesquisa
    -A localização é tão relevante na hora dessa escolha que 33% dos entrevistados disseram que pagariam até 10% mais caro por um imóvel similar em outra região que considera ideal para viver – 16% chegaria a pagar até 30% a mais. “Como muitas vezes os imóveis possuem características similares, o que pode fazer uma grande diferença entre escolher entre esta ou aquela casa é o bairro onde ela está localizada e o que ela oferece”, explica Igor Pereira, vice-presidente de imóveis da OLX.
    fonte http://www.bandab.com.br/nacional/pesquisa-revela-que-vizinhanca-e-boa-e-tao-importante-quanto-o-imovel-na-hora-da-compra/

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 20 de dezembro de 2017 at 12:31

      Eu pagaria 30% mais por um imóvel na Florida, a pesquisa faz sentido 😀

      29+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 20 de dezembro de 2017 at 18:21

        eu pagaria 1 bitcoin a mais por um imovel igual ao meu em Miami , 2 a+ em NY e 3 na california

        10+
        • avatar
        • avatar
    • rafa_fv 20 de dezembro de 2017 at 13:58

      Bolhudo não vejo nada no sentido de ser comprada, pelo contrário, é algo meio óbvio. Não dá para comparar preços de imóveis ‘similares’ em características físicas se um fica na cidade Tiradentes, outro na Saúde e outro nos Jardins(todos bairros de SP).
      Tanto é assim que muitos anunciantes ‘erram’ na hora de colocar o subdistrito e por coincidência sempre colocam o melhor e mais conhecido. Já me deparei com vários anúncios de casas boas, com preço ‘razoável para o bairro’, mas quando vou conferir fica a alguns km do bairro indicado no anuncio.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Antigo 20 de dezembro de 2017 at 18:18

        Verdade, o cara só falou o óbvio.
        Um imóvel na Praça da Árvore vale muito mais que qualquer outro bairro de SP, devido à presença de Porsches na vizinhança.

        22+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • rafa_fv 21 de dezembro de 2017 at 08:41

          Antigo boa piada, falei Saúde justamente para não puxar a praça novamente aos tópicos, mas falando sério agora, não foi isso que quis dizer. Não vou falar de outros estados, pois não conheço o suficiente para tanto, mas aqui em SP já aconteceu de eu estar em uma rua bonita, com belas casas e ao dobrar em uma esquina cair em um bequinho de dar medo, apesar da proximidade(é possível que seja até o mesmo bairro) não há como o valor do m2 ser igual.
          Como já mencionei várias vezes ainda faço minhas buscas e se achar uma casa que me agrade por um valor interessante compraria para morar, hoje estou no aluguel, meu primeiro filtro sempre é o bairro(próximo ao trabalho e com boa mobilidade), somente depois vem o resto. Já encontrei imóveis bem interessantes e com preços até que razoáveis, mesmo antes de fazer uma contra proposta, mas para mim não compensa voltar a gastar 2 horas por dia em locomoção. O imóvel como o próprio nome já menciona é casado com sua localização física, é diferente de um carro que posso pesquisar o preço no Brasil inteiro(desde que o frete compense) e comprar o ‘porsche’ no Nordeste ou no Sul do pais.

          1+
          • avatar
          • to bolhado 21 de dezembro de 2017 at 10:18

            falei isso no tópico passado. Um dos grandes problemas é esse heurística de preço de imóvel no Brasil, preço por metro no bairro e pronto, quando dentro do mesmo bairro você pode ter uma variação gigante. As vezes 4 ruas faz uma diferença. Onde moro atualmente é bem assim; você tem um eixo de 5 ruas / 3 quadras por ruas que são mais valorizadas, pq são melhores mesmo, mais tranquilas, tudo a pé, padaria, mercadinho, restaurante, mas sem agitar demais, prédios bonitos, maior sensação de segurança. Por vários motivos diferentes, você se afasta um pouco desse eixo piora, ou pq fica mais agitado, ou pq cai numa avenidona, ou pq os prédios ao redor são de pior qualidade. Procurando apto você vê muito essa diferença nos anúncios x preços.

            1+
            • avatar
  • Alemon Fritz 20 de dezembro de 2017 at 12:33

    muito bom:

    -Caixa não pode usar o FGTS para resolver problemas de capital.

    Júlio Marcelo de Oliveira é procurador do Ministério Público de Contas junto ao Tribunal de Contas da União.

    Reforçando o risco moral, está o fato de não se tratar de relacionamento entre duas instituições independentes, com assimetria de informação, mas, sim, de uma instituição agindo nas duas pontas da relação contratual, com conflito de interesse e possibilidade de abuso de poder.

    https://www.conjur.com.br/2017-dez-19/caixa-nao-usar-fgts-resolver-problemas-capital

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 20 de dezembro de 2017 at 12:37

      Excelente!!!
      #PrivatizaCEF

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • EngenheiroDF 20 de dezembro de 2017 at 14:26

      Eu já ia postar essa notícia aqui! O procurador Julio Oliveira é poderoso no TCU. Estou otimista que essa grana não chega a CEF, e o governo falou que só fará a manobra se o TCU aprovar. Assim como o BNDES sofreu um belíssimo choque de gestão, a não entrada dessa grana do FGTS na CEF a obrigará a um belo choque de gestão tb.

      Temer não é igual a Dilma.

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 20 de dezembro de 2017 at 16:02

        EngenheiroDF,

        Torço para que você esteja certo, as pedaladas absurdas da CEF uma hora tem que acabar e de preferência, antes de acabarem com o FGTS, como planejam.

        Destaco o trecho do link acima que menciona a parte ILEGAL desta manobra:

        “A pretendida operação, no entanto, viola o ordenamento jurídico, representando utilização irregular dos recursos do FGTS, em afronta ao parágrafo 2º do artigo 9º da Lei 8.036/1990 e ao artigo 1º da Lei 11.491/2007, com conflito de interesses entre FGTS e Caixa, abuso de poder da Caixa em relação ao FGTS e quebra dos parâmetros de mercado estabelecidos no artigo 173 da Constituição, especialmente no inciso II de seu parágrafo primeiro.”

        O pior é que a parte ilegal da manobra é a menos danosa para os trabalhadores que possuem FGTS. A parte que é extremamente danosa, é o fato da CEF estar QUEBRADA, com ROMBOS de dezenas de bilhões de Reais e ainda pior que isto, grande parte destes rombos que já se utilizaram do próprio FGTS, que já está acumulando PERDAS graças à CEF FAZ TEMPO!

        UM dos motivos pelos quais a CEF intensificou suas MAQUIAGENS CONTÁBEIS recentemente, com provisões contra processos na justiça e inadimplência com furos na ordem de bilhões de Reais e “renegociação” mirabolante para inadimplência imobiliária e de consumo como não ocorreu em nenhum lugar do Mundo, é exatamente para SIMULAR que a CEF está em excelente situação financeira e portanto, seria um ótimo “investimento” para o FGTS, algo que é exatamente o CONTRÁRIO da realidade.

        Só acho que a oposição do TCU, as inúmeras investigações da Polícia Federal, que relacionam crimes da CEF com o PMDB do Temer, a ação do Ministério Público que pede a substituição de TODOS os Vice-Presidentes da CEF e INÚMERAS outras operações policiais para investigar os golpes sem fim da CEF, já foram MUITO MAIS do que o suficiente para que o governo, o BC, o ministério da fazenda ou algum órgão forçasse uma intervenção na CEF. Se o governo quisesse fazer com que todos estes GOLPES da CEF cessassem, para começar teriam colocado pessoas técnicas FAZ TEMPO. Mesmo que quisessem fazer o movimento sem aparecerem como autores, que é sua tese, poderiam manobrar por fora para que o Conselho Curador da CEF não aprovasse, poderiam manobrar por fora para que a CEF não recebesse tantas e tantas medidas heterodoxas via BC como receberam e por aí vai…

        Ainda acredito que o governo, seja ele Temer, Meirelles, BC, etc, SEMPRE vão optar pela alternativa PEDALAR, MAQUIAR, mais ainda quando estamos entrando em pleno ano de eleições presidenciais! Eles não querem em nenhuma hipótese permitir que a QUEBRA da CEF apareça para todo mundo, que o mercado imobiliário definitivamente vá para o vinagre porque o ÚNICO banco que sustenta todo o CRÉDITO PODRE e é essencial para manter os esquemas afundou, imagine, eles farão o possível e impossível para evitar isto. Se já mobilizaram 308 deputados para aprovarem em regime de urgência a EXTORSÃO dos R$ 15 BILHÕES para a CEF, no mesmo dia que o TCU disse que não comentaria mais sobre o assunto em 2017, você realmente acredita que eles desistiriam assim fácil?

        Vamos lembrar de alguns pontos: Meirelles também é candidato a presidente, ele foi presidente do BC durante período de inflar INTENSO da bolha imobiliária, ele não tem como escapar impune dessa. Temer não quer ser derrubado antes da hora, ele tem processos pendentes na justiça que poderiam se antecipar, ele ainda sonha em eleger alguém que o apoie, ao partido dele e amigos. Eles NUNCA demonstraram preocupação real em seus ATOS, seja para preservar o FGTS ou para acabar com todas as enormes ANOMALIAS que cercam o segmento imobiliário. Acho muito otimismo, a esta altura e depois de tudo que demonstraram, que eles se “sacrificariam pelo bem público”, pois tudo que eles tem feito, é exatamente o contrário disto…

        Agora, se o TCU realmente vetar, pode ter certeza, o governo e parlamentares virão com tudo para BURLAR este veto na cara-dura, se precisar, vão mudar ainda mais a legislação, indo além do que já fizeram na MP. Muitos deles estão envolvidos até o pescoço nesta PODRIDÃO… OBS: uma hora a casa cai, pois Lava-Jato, PM, PF, TCU, etc, já estão cercando cada vez mais a CEF, ÓBVIO que isto não é sustentável “eternamente”como sonham alguns, de novo, só espero que aconteça ANTES de conseguirem destruir por completo o FGTS…

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Leonardo M. 20 de dezembro de 2017 at 12:53

    CVR novela mexicana
    Fortes emoções

    Nosso querido canal bananense mandou ZAP
    Disseram que a empresa onde o marido trabalha está com fortes rumores que vai fechar em janeiro. E quem avisou isso foi o próprio gerente da empresa para todos irem se preparando.

    Mas o que são 30 anos pagando tijolos sem fortes emoções?
    É que nem fazer tirolesa e o rapaz pergunta:
    “Com ou sem emoção?”
    Nesse caso o banco não pergunta se é com ou sem, está no contrato que é com muita emoção mesmo.

    53+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 13:01

      Urucubaca do Leonardo M.

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Libertario 20 de dezembro de 2017 at 13:09

        Certamente eles vão pensar que foi isso mesmo.
        Bananense sempre repassa seus problemas a terceiros.

        34+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 13:24

          Psicologicamente falando, é muito mais confortável atribuir a culpa para um elemento externo, ao invés de si mesmo

          “O sucesso tem vários pais, mas o fracasso é órfão”

          34+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Antigo 20 de dezembro de 2017 at 18:02

            Pelo menos vão perder o apartamento no início do financiamento, o prejuízo é menor.
            Se forem espertos aprendem a lição.

            13+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
      • Avulso 20 de dezembro de 2017 at 13:26

        Tô começando a concordar com isso

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Buck 21 de dezembro de 2017 at 16:50

      To achando que é empresa onde trabalho…aqui também está pra fechar em janeiro….kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      4+
      • avatar
      • avatar
    • jros 28 de dezembro de 2017 at 16:14

      já ???? PUTZS, não chegaram nem no sexto mês de financiamento =/

      0
  • Loucodf 20 de dezembro de 2017 at 12:56

    Sobre o endividamento:
    A notícia é do 13 salário.
    Mas vejam no que o pessoal vai gastar o 13 e onde está a divida.

    https://g1.globo.com/economia/noticia/13-salario-termina-nesta-quarta-feira-prazo-para-pagamento-da-2-parcela.ghtml

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 13:19

    Dívida Pública Federal avança para R$ 3,49 trilhões em novembro

    BRASÍLIA – A Dívida Pública Federal (DPF) subiu 1,6% em termos nominais em novembro, na comparação com outubro, somando R$ 3,493 trilhões. Conforme as metas estabelecidas no Plano Anual de Financiamento (PAF), a DPF deve oscilar entre R$ 3,45 trilhões e R$ 3,65 trilhões.

    Do total líquido, R$ 35,74 bilhões referem-se à emissão líquida da Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) e R$ 6,26 bilhões de colocação de Dívida Pública Federal Externa.

    http://www.valor.com.br/brasil/5233261/divida-publica-federal-avanca-para-r-349-trilhoes-em-novembro

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 14:40

    Protestos por IPTU não pago aumentam 476% em um ano
    Devedores podem ter nome incluído no SPC e ter dificuldades na hora de buscar crédito

    Crescimento. E os protestos feitos pela PBH vêm crescendo de forma expressiva nos últimos anos. Em 2015, eles somaram 65.463. No ano seguinte saltaram para 377.057, alta de quase 476%. Neste ano, considerando-se os oito primeiros meses, foram 359.855 protestos relativos ao IPTU na capital mineira.

    http://www.otempo.com.br/capa/economia/protestos-por-iptu-n%C3%A3o-pago-aumentam-476-em-um-ano-1.1546610

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 14:59

    Robô consegue imprimir esta casa em apenas 8 horas

    https://hypescience.com/robo-consegue-imprimir-esta-casa-em-apenas-8-horas/

    31+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 20 de dezembro de 2017 at 18:00

      Oito meses de obra para construir um apartamento lixinho estilo minha casa minha vida.
      Detalhe: menor que essa casinha aí, que apesar de pequena, é charmosa.

      Estamos bem.

      11+
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 15:08

    DEU NA GROBONEWS – Com crise, preços dos imóveis caem e oferta aumenta

    No Hell de Janeiro, durante 2017, ocorreu um aumento de 116% no estoque de imóveis.
    Queda no aluguel de 11%
    Oferta de imóveis para locação subiu 35%

    http://g1.globo.com/globo-news/jornal-globo-news/videos/v/com-crise-precos-dos-imoveis-caem-e-oferta-aumenta/6363965/

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 15:10

    DEU NA GROBONEWS – Bom Dia Paraná
    Construtora vendia na planta e não entregava os imóveis

    Só um investidor perdeu mais de 5 milhões de reais.

    http://g1.globo.com/pr/parana/bom-dia-pr/videos/v/construtora-vendia-na-planta-e-nao-entregava-os-imoveis/6353522/

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 20 de dezembro de 2017 at 15:10

      Investidor “Jenial”

      7+
      • avatar
  • Bolhudo 20 de dezembro de 2017 at 15:15

    É soft !!!!!

    8+
    • avatar
  • DouglasteR 20 de dezembro de 2017 at 15:19

    É só repetir o mantra “agora é a melhor hora de | investir |”

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 20 de dezembro de 2017 at 15:48

    caixa lixo… só credito
    Clientes da Caixa enfrentam problemas para uso do cartão de debito e banking…
    Hoje em Dia-há 21 minutos

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 20 de dezembro de 2017 at 18:03

      Aconteceu comigo hoje!! Meu cartão não passou, e tive que pagar no dinheiro.
      Sim, eu uso Caixão, sou funça e fui obrigado.
      Bom saber que é um problema generalizado.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • NOMADE 20 de dezembro de 2017 at 21:59

      hj também aqui na paraíba

      3+
  • Leonardo M. 20 de dezembro de 2017 at 16:02

    Para quem tem conta na XP

    LCI 98% do CDI mínimo R$5k
    CDBs do banco Pine e Indusval 114% do CDI e mínimo de R$1 e R$1.000 com vencimento para maio de 2018
    Alguns CDBs com 119% e 123% do CDI mas daí o vencimento é aporte em que ser maiores.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Tem Mas Acabou 21 de dezembro de 2017 at 15:07

      Não coloco mais $ no Indusval. Tenho um CDB lá a 103% do CDI que vence em junho. Pelo Banco Data, é uma instituição financeira que vem tendo prejuízo há anos. Nesse não arrisco mais. Fico mais seguro com Sofisa e Inter. Já o PINE eu não conheço.

      2+
  • Zé do Brejo 20 de dezembro de 2017 at 16:03

    Meirelles está fazendo estágio para comediante, problema é que o povo não entendeu a piada…
    https://economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2017/12/20/brasileiros-nao-estao-satisfeitos-com-discurso-de-crescimento.htm

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 20 de dezembro de 2017 at 16:51

      Zé do Brejo,

      Estou curioso para saber como as pessoas estariam compartilhando deste otimismo UFANISTA do Meirelles:

      Viraram Uber ou se tornaram empreendedores por NECESSIDADE com micro empresa própria, depois de muitos meses ou mais de 1 ano procurando emprego formal sem encontrar, ou então, simplesmente desistiram. Estão trabalhando menos horas com bicos em regime de SUBemprego, ganhando menos, pagando aluguel ou financiamento do imóvel que já consumiam muito da renda anterior, da atual então… Na leitura de Meirelles e outros Nefastos da vida, o desemprego continua reduzindo, isto está deixando as famílias mais felizes. No mundo REAL, as famílias cada vez mais frustradas e preocupadas com o futuro, sem conseguir equilibrar as contas, com a inadimplência das famílias e micro-empresas batendo todos os recordes e eles vendo o pouco patrimônio que tem, quando tem, sob risco, em situação de constante estresse.

      Todos os meses, mais algumas milhares de pessoas que veem os imóveis sendo entregues e eles não conseguindo adquirir o crédito imobiliário, entrando em uma briga de foice no escuro com a construtora para tentarem reaver uma parte do dinheiro que pagaram, que representa uma parcela muito grande de tudo que conseguiram juntar até hoje. Outros milhares que veem obras paradas há meses ou ANOS, sem perspectiva que as obras sejam retomadas, em alguns casos, com as construtoras já nitidamente QUEBRADAS e eles envolvidos em um enorme IMBRÓGLIO. Outras milhares de pessoas que conseguiram superar estas etapas críticas, mas tristes, porque não conseguiram pagar o financiamento do imóvel, ou não conseguiram pagar o condomínio, ao longo de vários meses, já tendo recebido cartas ameaçando da perda do imóvel ou já tendo perdido o imóvel e visto o mesmo indo para leilão, perdendo tudo que pagaram até então, o aluguel mais caro de suas vidas e uma das maiores frustrações. Mais alguns milhares que se sacrificam extremamente, abdicando de muitas coisas com as quais estavam acostumados antes, para conseguirem pagar seu financiamento imobiliário, seu aluguel, sempre em valores muito elevados e desproporcionais ao que pagavam no passado. Estes milhares e milhares no total representam VÁRIAS vezes o que tínhamos no passado, são MUITO MAIS pessoas afetadas por estas situações mencionadas neste parágrafo. Na leitura de Meirelles e outros Nefastos da vida, uma situação cíclica, que embora NUNCA ANTES tivesse acontecido desta forma ou proporção no país, é algo normal e natural, que embora continue acontecendo de forma intensa, também está melhorando. No mundo REAL, famílias cada vez mais DESESPERADAS.

      Imaginem quando Meirelles e Nefastos não conseguirem mais viver no seu mundo de ILUSIONISMO e quando o pessoal, já estressado com esta situação, ficar revoltado com tanta DESFAÇATEZ, com um Mundo de FAZ DE CONTA tão distante das vidas das pessoas…

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Zé do Brejo 20 de dezembro de 2017 at 17:27

        CA,
        Uma coisa que sempre faço é minha pesquisa de campo, (IBGE, Datafolha, Ibope, etc – Não acredito neles) busco meus dados na vizinhaça, familia, amigos, inclusive visito outros bairros para fazer minhas próprias pesquisas e o que mais tenho notado além do aumento do nro de desempregados é que aqueles que conseguem recolocação não estão conseguindo nem 50% do salário anterior e todos reclamam que é isso ou nada.
        Fora esse cenário de deteriorização da massa salarial das familias que possuem dividas de longo prazo, a escalada da violência está generalizada. O que chega à televisão não é 1/10 do mundo real.

        27+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • DAN 24 de dezembro de 2017 at 14:27

          CVR: Ontem, eu conversei com o dono de uma instaladora de ar condicionado automotivo. O ar do carro de minha mulher, um Ford KA 11/12 deu problema. Papo vem papo vai, ele comentou q era técnico no complexo industrial em Camaçari. A 20 anos atrás,, e como técnico, ele ganhava 7 salários mínimos. Hoje, os colegas dele ganham cerca de 3 salários mínimos na mesma função. Para ganhar 10, só sendo engenheiro e com cargo. De duas uma: 1- o salário mínimo subiu muito, ou, 2- estamos sofrendo um processo forte de desvalorização do trabalho.
          E os colegas do grupo, o que acham?

          4+
          • avatar
    • Lucas 20 de dezembro de 2017 at 16:57

      vi esse filme antes na década de 80, houve lá vários surtos de crescimento passageiro, os tais voos de galinha
      sempre incorre em problema de liquidez, a tal armadilha de liquidez onde os keynesianos se enfiam de ciclos em ciclos.
      quem vai na onda se FERRA, já contei né, 1985, acreditamos, 87: motumbo, 91 adeus apartamento bonito, de volta ao kitnet.
      sabe tenho pensado sobre isso, talvez tenha deixado um trauma crescer demais, acredito que ano que vem estarei mais ousado em ganhar
      segura aí padeiro que virou liquido que vou entrar nessa.

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Leonardo M. 20 de dezembro de 2017 at 20:27

        Daqui 20/30 anos teremos outro boom em comodidites e o presidente que tiver no poder vai surfar nas ondas de dinheiro farto e lá vem mais notícias no NY times, globo, Financial times, folha etc
        “Brasil, agora vai”
        “O crescimento mágico da economia brasileira”
        “Brasil crescendo igual China”

        10+
        • avatar
        • avatar
        • SP 21 de dezembro de 2017 at 12:01

          Economia baseada no keynesianismo pirá no movimento cíclico.

          1+
          • Senhor Bolha 23 de dezembro de 2017 at 14:40

            O legal do keynesianismo é apostar contra ele operando ciclos intervencionistas. hahahaha

            1+
            • Kasparov 23 de dezembro de 2017 at 22:11

              Senhor Bolha, pode falar mais sobre isso? também quero aprender a operar ciclos intervencionistas. Às vezes fico pensando, se a crise ficar muito severa, de que adianta receber LCI 100% se o real não valer 0,2 USD. Da mesma forma, creio que se o Tesouro Direto voltar às taxas que vimos com a Dilma, imagino que o risco será bem maior, pois a dívida já estará muito mais alta.

              0
              • Senhor Bolha 24 de dezembro de 2017 at 16:12

                Se trata de um assunto extenso , dentro de uma mesmo segmento você tem inúmeras maneiras de operar, portanto não pense que basta ler um livrinho de economia, aprender x ou y e apostar contra.

                A primeiro coisa que aprendemos operando ciclo intervencionistas é que boa parte dos indicadores do governos devem ser sumariamente descartados como indicação séria de anomalias de mercado, uma vez que todo governo altera metodologia dos dados conforme sua conveniência, outra porque existe alguns governo que nem isso fazem! resumindo: acesso ao dados relevantes são inacessíveis.

                Exemplo temos aqui o tal rapaz dos gráficos das flores: Igual eles existe vários por ai.
                Vou dar um exemplo prático de como ganhar dinheiro operando ultimo ciclo intervencionistas na Bovespa: 2010, 2011, 2012 existia uma onde ufanistas por parte do mercado imobiliário, varejo e consumo.Havia na época velhos mecanismos intervencionistas que os especialista vivem usando como eufemismo para adotar os mesmo procedimento de sempre.

                Existe alguns indicadores que gosto de olhar no setor bancário:
                – Agregado monetário: Saber quando governo esta expandindo a base monetária e em qual velocidade
                – Fluxo de capital: Saber para onde esta indo este fluxo de dinheiro e para quais atividade o governo esta direcionando estes crédito.
                – Alavancagem do sistema financeiro: Procuro analisar balanços dos principais bancos ( Privados e públicos) procurando inconsistência em seus modelos de contabilidade e provisionamento de dívida para devedores duvidosos.
                – Ganhos de produtividade real: Procuro por indicadores indústrias como: estoques, produção industrial , ociosidade, alavancagem etc, com objetivos claros de entender em que nível a produção se encontra , e principalmente qual nível de alavancagem.
                – Crédito direcionado: Procuro saber para quais setores este tipo de crédito esta sendo direcionado, geralmente é direcionado para setores que mais vão gerar empregos : Construção civil, consumo e infra estrutura.
                – Política monetária: Procuro por indicadores clássicos de solvências das contas públicas a longo prazo: A divida esta aumentando? Então isso representando maiores impostos para geração futura pagar, em algum momento o crédito direcionado tende diminuir e as distorções de mercado entrando em todo vapor junto inflação de demanda, alguma coisa terá de ser feito no lado fiscal: Uma vez que maiores dívidas futuras acarretas pelo expansionismo feito no presente representam mais imposto no futuro, consequente retração de crédito = Recessão.

                O momento ideal para ir entrando num ciclos expansionista é quando depois de uma crise o governo começa com este papos de política anticíclica , gestão de choques ( Dão nomes diferentes para mecanismo absolutamente idênticos):

                EX: Constatei que este é momento ideal para surfar a onda: Nesta fase quero estar posicionado para onde crédito dinheiro esta sendo direcionado: varejo, serviços etc ( setores que se favorecem em cenários de juros baixos e crédito direcionado). Sendo assim compre algumas empresas ligadas ao consumo OBS: Se você não gosta de forte emoções, compre sempre as empresas com melhor gestão e alavancagem controlada, adiante monitore todas indicadores constantemente: Seja política monetária, dívida do governo, indicadores setoriais etc.
                Indicadores de mercado e procure por indicadores: Risco país, credit defalut swap etc

                Como alertei anteriormente não é algo simples de se fazer, uma vez que você tem de ficar em cima: Procurando pelo em ovo e monitorando não só indicadores clássicos , mas também indicadores nos balanços das empresas.

                -Na fase seguinte : Você tem de olhar até onde como anda o VOO da galinha.
                No Brasil um ciclo intervencionistas dura em média uns 5 ou 6 anos uma vez que não existe taxa de poupança e renda suficiente para fazer galinhar voar por mais de uma década, obviamente isso não significa que basta comprar num ano e esperar cinco anos para se desfazer, pode durar mais ou menos depende de inúmeros fatores.

                Gosto bastante de olhar o mercado futuro: Ex curva de juros 2021 já esta embicada em caso de não passar reformar alguma coisa vai acontecer por volta de 2019 no lado fiscal. Então monte carteira conforme cenário: Bom , crédito direcionado = consumo
                Na fase de contração jogue tudo para setores: Que não dependem do PIB ou tem correlação negativa operações no exterior dolarizadas.

                Ex: Quando dólar arrefece e as empresas com operações no exterior tem queda no faturamento é exatamente onde você deve comprar , tão logo venha um crise estas empresas vão se valorizar.

                Resumo:
                Fase expansionismo ( Compre na crise quando governo começar com velho papo de expandir gastos públicos para fomentar recuperação): Parte da carteira ligado ao consumo
                Fase do BOOM ( Quando tudo fica sobrevalorizado e turba predatória entra no mercado buscando ganhar lucro crescente promovidos pela farra de crédito e endividamento do governo) : Migre parte da carteira para renda fixa, empresas com ativos no exterior ou setores que não tem correlação com o PIB.
                Fundo do poço: Recompre estas mesma empresas de consumo por preço mais baratos, umas vez que os lucros foram afetados pela crise.
                Resumo: Quando a crise intensificar, compre os setores de consumo novamente: Até governo começar como mesmo papo de estímulos governamentais, redução de taxa de juros, fomento de crédito etc. ou seja adiante o governo intervém injetando mais dinheiro nestes setores: Repete o processo.
                Nesta fase tome cuidado com empresas que se alavancam muito, uma vez que o custo de capital é baixo, as empresas podem tomar dívida no mercado tendo em vistas novos projetos , se você comprar uma destas empresas super alavancadas numa inversão de ciclo vai perder muito dinheiro.

                Lembrando que é uma estratégia de longo prazo: Um ciclo pode durar até mais de 5 anos. Espero que tenha entendido: Na crise você tem de comprar empresas de consumo. No bom você tem de comprar empresas dolarizadas e em com baixa correlação com o PIB como setor utilidades.

                Uma vez que o manuais economia moderna, dizem que para sair da crises o governo tem de intervir no mercado ( Como diria o tal do tio keynes). O governo o faz por meio de gastos públicos e desonerações da folha pagamento , subsídios aos amigos do rei entre outros artifícios.

                Se você comprou todas estas empresas no meio da crise: Vai se favorecer quando governo entrar despejando dinheiro no mercado.

                Abraço

                6+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • Kasparov 26 de dezembro de 2017 at 12:41

                  Obrigado pela aula, salvei aqui no pc para ler mais vezes.

                  Até 2015 eu só investia na poupança o pouco do que sobrava (comecei um trabalho decente em 2013). Depois que casei, começamos a juntar uma boa grana para quem sabe comprar num futuro distante um apartamento aqui em Brasília. Mas logo vimos que era uma furada. Tive muita sorte de começar a investir em TD, FIIs e ações próximo da saída da Dilma, então, ciclos são realmente lucrativos.
                  Agora tenho que estudar uma forma de não viver o revés desse momento, e o seu texto faz muito sentido.
                  Feliz ano novo!

                  0
    • DouglasteR 20 de dezembro de 2017 at 17:17

      Ai ja é muita loucura haha

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Rico 20 de dezembro de 2017 at 17:23

        Na Gringolândia tem gente hipotecando a casa para investir em bitcoins.

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Alemon Fritz 20 de dezembro de 2017 at 19:01

          parece que estabilizou e vai começar a cair pois a galera vai achar que parou..

          -Bitcoin Prices Might Have Peaked, But Smaller Cryptos Have Not
          Forbes-há 4 horas

          -Bitcoin Is Down, but Ethereum and Other Cryptocurrencies Are Rising
          Yahoo Finance-há 10 horas

          Negative Bitcoin Chatter on the Rise
          Yahoo Finance-há 9 horas

          7+
          • avatar
  • Lucas 20 de dezembro de 2017 at 18:11

    saiu ontem no info71money uma lista de salarios e cargos da Toyota do BR
    a maioria dos cargos: operador, auxiliar recepctionista onde deve estar 90% da mdeobra era salario até 2 mil reais
    engenheiro de produção senior, o cargo top da lista, salario de 10 mil reais
    isso o cara que estudou a vida inteira, e fez uma carreira lá dentro é 10 mil brutos na CLT.

    não tinha cargos de diretoria, administrativo, presidencia, mas cacete, esse são 1 em mil, sem falar que são cargos temporários
    a pessoa fica presidente por alguns anos, é o top da vida duma pessoa, dali é aposentar
    mas operador passa a vida operador, ou coisa do tipo de estudar e fizer alguma especialização, vai de 2 mil pra 3 mil essa é a vida de 90% do brasileiro com renda, com emprego e que conseguiu entrar na toyota, alias tneho parente em sorocaba, o cara é geniiozinho muito esforçado, sempre foi bem por onde andou, fez alguns cursos, dá resultado, mas nunca conseguiu entrar na toyota.

    A realidade do brasileiro de sucesso de verdade é muito diferente do que pintam os corvos…
    temos uma elite rica acomodada a ganhar dinheiro com patrimonios d eherança, até aí a entrada das construtoras profissionais achei otimo em dar oferta ao mercado defasado em 200 anos, estão sim conseguindo lucrativizar fácil uma área quase morta no BR pela indolencia dos grandes proprietarios, mas longe disto é achar que esses preços de fingezap são viáveis, pelo contrário, isso é repassar renda pros mesmos indolentes, por meios financeiros que já expliquei aqui.

    A situação insuistentável demanda um forte ajuste de preços e de créditos.
    A renda tem que caber no produto, senão, não tem consumo, tem inchaço, tem antecipaçao de demanda com promessa duma renda que não existiu, não existe e não vai existir

    Mas como o from disse, querem se autoenganar? querem pintar graficos cloridos? não tem problema, nós provemos a liquidez necessária pra festa continuar.

    28+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 20 de dezembro de 2017 at 18:26

    essa discussão de fuincionario publico é uma merda
    vi agora a pouco a lista de salario de desembargadores do transparecnia BR
    o comentário era que parecia a ficha do real madrid, maioria recebe acima dos 100 mil reais /mês
    já o soldado barnabé, 13º em 5 estados só em 2018, aliás o de 2016 no RJ ainda não terminou de ser pago.
    Feliz anonovo????
    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/12/1944693-15-milhao-de-servidores-ficam-sem-13-nesta-quinta-feira.shtml

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Intendente 20 de dezembro de 2017 at 18:38

      Desta situação eu tiro um ensinamento:

      Quer ser funcionário público ?

      Seja da União.

      Lembrei aqui até de uma comunidade antiga do Orkut, kkkkkkk

      http://seumadrugainvestimentos.blogspot.com.br/2017/10/cronicas-da-matrix-financeira-luisa.html

      9+
      • avatar
      • avatar
    • Leonardo M. 20 de dezembro de 2017 at 19:31

      Concordo

      Minha esposa trabalha em uma autarquia da união e o número de servidores é de responsabilidade do presidente da entidade.
      Logo se está inchado o número de servidores é de única responsabilidade dessa pessoa, que lembrando ele é eleito por votos dos profissionais que pagam a anuidade a cada 3 anos.

      Colocar a culpa na minha esposa pq a máquina está inchada é como colocar a culpa de quem tem câncer na indústria do cigarro. Ué, é só não fumar então caramba!

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Intendente 20 de dezembro de 2017 at 20:28

        Sábias palavras.

        4+
        • avatar
  • Dr. Estranho 20 de dezembro de 2017 at 19:23

    Sou contra o argumento do post. Devemos ser otimistas. Basta comprar um carro novo, financiado em 60 meses, e trabalhar no UBER. Assim paga com folga a prestação do imóvel e ainda sobra um dinheiro para comprar smartphone e pagar todas as obrigações decorrentes da posse, uso e gozo do bem. E ainda será possível fazer poupança para contribuir com a maravilhosa ciranda de credito. Confiem, pois agora é a hora. Comprem.

    12+
  • Alemon Fritz 20 de dezembro de 2017 at 19:23

    – cerca de 10 ex governadores e esposas dos falecidos perderam ontem a pensão (33k por mês). kkkkk imagina o choque no fim de ano.
    mas,
    -Deputados de SC tem 1432 emendas pra votar amanhã, só 80 projetos na calada da noite, incluem aumentos de tarifas em órgãos públicos.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 19:49

    Lançamentos e vendas de imóveis novos mantêm trajetória de alta no ano

    Lançamentos e vendas de imóveis novos mantêm trajetória de alta no ano

    De acordo com informações de empresas associadas à Abrainc, os lançamentos de imóveis novos totalizaram 58.971 unidades entre janeiro e outubro de 2017, alta de 18,0% em relação ao registrado no mesmo período do ano anterior.

    Na mesma base de comparação, as vendas de imóveis novos totalizaram 87.618 unidades, volume 5,3% superior comercializado no mesmo intervalo em 2016.

    http://www.investimentosenoticias.com.br/financas-pessoais/imoveis/lancamentos-e-vendas-de-imoveis-novos-mantem-trajetoria-de-alta-no-ano

    Mas quando vai ler e interpretar a a matéria completa, vê que ocorreram
    58.971 lançamentos
    87.618 vendas
    35.600 distratos
    6.953 a mais para o estoque

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Leonardo M. 20 de dezembro de 2017 at 20:25

    Cuidado com as pegadinhas do Bradesco

    Entrei no site da Americanas e vi que pagando com o cartão de crédito da Americanas(Bradesco) tem um baita desconto de 14% pagando avista.
    Aí entrei no site, e achei as informações da anuidade do cartão:
    12 X R$16,90

    Ao menos que a pessoa compre muito, mas muito mesmo tem que tomar cuidado com isso.

    Sou amante do Nubank, aqui em casa temos dois cartões e não largamos dele. Tudo via aplicativo, fácil, rápido e intuitivo.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • indiobolhista 20 de dezembro de 2017 at 21:26

    Pergunta aos colegas da bolhaimobiliabrasil.com alguém sabe quanto custa em promédio construir 1 kitinete de 40 metros quadrados?

    4+
    • Leonardo M. 20 de dezembro de 2017 at 21:51

      Já tem o terreno?
      Vai ser para você morar?
      Conheço nego que construiu kitnet para alugar em Floripa e colocou tudo do mais barato, inclusive pegando materiais de demolição, tubulação menor, etc etc de economia.
      Aluga por R$700 em Floripa e tem 28m2
      Sai um e no outro dia tem outro entrando.

      Mas a média vai ser entre R$800 e R$1500 o m²
      Depende da qualidade dos materiais que você vai colocar e acabamento(que sempre são mais caros).

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • indiobolhista 20 de dezembro de 2017 at 22:46

        muito obrigado, bom estava analizando 12 quitinetes anunciado por 650 mil, fui conhecer pessoalmente aquela propiedade, lugar achei otimo, o dono baixou até 450 mil, pidiu contraproposta, ainda nao fiz …. e como sei que aqui a galera é tipo tanque de tubaroes para muita coisa entao pergunto http://sc.olx.com.br/norte-de-santa-catarina/imoveis/12-quitinetes-em-terreno-de-920-m-417286144?last=1&xtmc=12+quitinetes&xtnp=1&xtcr=1

        2+
        • indiobolhista 20 de dezembro de 2017 at 22:47

          o interessante que Luciano Dias é o dono, negocio sem corvo 🙂

          1+
          • rafa_fv 21 de dezembro de 2017 at 08:58

            Índio tem que conhecer a região, pois se for analisar somente pelo preço aparentemente ele está no prejuízo por 450k, mas se não tiver demanda não vale nada.

            0
            • indiobolhista 21 de dezembro de 2017 at 09:46

              tem muito para analisar, atualmente as 12 quitinetes estão alugadas, mais é certo o que vc fala, e ainda acho que não tem nem interessados, as vendas estão paralisadas na cidade, talvez ainda não chegou a hora ….. chegará a hora??? você conhece a historia de Carlos Slim Helú?? sabia que décadas passadas quando ainda era um pequeno rico, em México CAPITAL por uma crise os preços foram para o chão, e ele comprou médio centro da cidade, depois em 6 ou 8 anos os preços voltaram ao subiram (nova bolha) e ele vendeu e ficou muito rico tanto que deu para fazer mais investimentos e logo chegou a comprar a empresa de telefonia do governo mexicano ….. sonhar não custa nada, só me pergunto quando porra vai os preços de verdade …. será que o Blumenau é tipo os ducados na antiga Europa que centos de casas nas mãos dumas poucas famílias, e eles não se importam em baixar o preço, só que não é rico e viveu pela acima das possibilidades. aqui do lado onde moro, tem um pequeno edifício com 15 quitinetes, só 3 estão alugadas. Então não é tao bom negocio comprar para alugar …. só se vai render no minimo 1% liquido já descontado custos e fatores variáveis , se não for assim, não vou arriscar dinheiro em tijolos mágicos.

              1+
              • rafa_fv 21 de dezembro de 2017 at 11:34

                Ok, estão alugadas, mas por quanto? Pergunto, pois pelo desespero dele em baixar 30% e depois disto ainda pedir contar proposta, não condiz com o cenário de vacância zero. Pelo que você passou seriam 480m2 só das kits, fora áreas de circulação, incluindo estas deve chegar nos 530m2, dai você ainda tem que acrescentar os gastos com projetos, licenças/taxas e aquisição do terreno.
                Acredito que deve ter gasto algo na casa dos 600k ao todo, para estar vendendo da forma que você falou ele deve estar com um mico na mão. Na minha opinião corre que é ‘cilada Bino’, kkk.

                3+
                • avatar
      • socrates 21 de dezembro de 2017 at 06:59

        Ja nao sao mais poucas as empresas que “imprimem” casas boas por menos de 10k. Ontem mesmo rolou por aqui o link de uma ucraniana. A russia tem ha mais tempo e a holanda tb.

        2+
  • antifragile 20 de dezembro de 2017 at 21:58

    Pessoal, quais os melhores serviços para mandar dinheiro pro exterior?

    Quais vocês recomendam?

    As taxas são muito caras?

    É rápido?

    2+
    • Money_Addicted 20 de dezembro de 2017 at 23:14

      Eu uso o transferwise, chega em uns 3 dias, c

      3+
      • avatar
  • thiago fm 20 de dezembro de 2017 at 22:47

    UM PEQUENO PRÓLOGO ANTES DE RECOMEÇAR

    Como a maioria já sabe, para evitar as discussões inúteis e repetitivas com o sabichão & cia e também para aguardar que as tendências de médio prazo ficassem um pouco mais claras, resolvi observar de longe a discussão nos últimos meses. Para dizer a verdade, o certo seria esperar mais um pouco antes de um “update”, porém, como tenho percebido uma certa polêmica em torno da “retomada da economia” e possivelmente do mercado imobiliário, julguei que um punhado de dados e informações em troca da velha ladainha diária que todos conhecem, podem ser úteis para que cada qual possa formar sua própria opinião sobre o estágio atual do processo.

    Da mesma forma que já escrevi em defesa da bolha, ao retornar ativamente ao blog no fim do ano passado trouxe comigo uma leitura sobre o mercado imobiliário bem distinta daquela que surpreendentemente ainda subsiste no blog após tantos anos. Como já esperava, fui de imediato hostilizado e ironizado, principalmente pela abordagem “cíclica”, que de uma forma geral atrelou a trajetória do mercado imobiliário aos fundamentos e a trajetória macroeconômica observada nos últimos 15 anos, sem perder de vista como plano de fundo o contexto econômico das últimas quatro décadas no país. A polêmica foi tão grande na época que fui intimado a postar uma artigo complementar alguns dias depois, para explicar o que viria a ser os ciclos do mercado imobiliário. Quem se lembra? Por coincidência ou não vocês devem ter notado um aumento do emprego desse termo nas notícias durante o ano.

    É óbvio que ao chegar a conclusão de que períodos de “vacas gordas e vacas magras” são inerentes ao mercado e que este não havia se descolado tanto quanto se imaginava dos fundamentos econômicos, eu admito que coloquei em xeque a consistência da tese de bolha e suas subjacências, tais como a suposição de demanda artificial massiva e crédito imobiliário estruturalmente podre guiando a alta dos preços. Notem que não se trata de dizer que não tenha havido movimentos especulativos, vendas na planta mal feitas ou crédito mal concedido, até porque na CEF eu mesmo já pude presenciar alguns casos isolados, mas sobretudo de saber reconhecer e ponderar que, passados vários anos, tais eventos têm se mostrado marginais diante do todo, não sendo assim suficientemente representativos para comprometer o limiar de inadimplência ou para caracterizar uma bolha de fato nos preços imobiliários.

    Cabe lembrar que a concepção de bolha especulativa no formato que é defendida aqui, (inflada por uma combinação explosiva de vendas falsas na planta e crédito imobiliário podre da CEF) sugere um colapso já no período subsequente a expansão dos preços, isto é, no momento de inflexão negativa dos preços e da demanda, o que geralmente coincide com o período mais agudo da recessão da atividade econômica de um país. Sendo assim, ninguém acha incomum que a aguardada derrocada dos preços e o clássico efeito manada ainda prometidos não tenham sido disparados durante a maior crise econômica da História recente do país? Se o mercado imobiliário não cedeu muito quando a procura estava em queda, por que acham que o mercado faria isso agora que os indicadores macroeconômicos começam a melhorar e a demanda imobiliária demonstra no mínimo uma estabilização?

    Antes que empurrem por mais tempo a ladainha de que a correção profunda dos preços é mascarada ou adiada por golpes, pedaladas e maquiagens insustentáveis, seria conveniente perguntarem a si próprios se não lhes parece nem um pouco contraditório defender o mantra do “querer não é poder” , alegando que nenhum governo, Banco Central ou população conseguiu conter a explosão de uma bolha imobiliária e ao mesmo tempo crer que somente a pobre potência tupiniquim endividada do Hemisfério Sul tem obtido sucesso em disfarçar seus efeitos?

    É óbvio que se fosse maquiagem ou pedalada, a bicicleta já teria caído, seja pela incapacidade de pagamentos dos tomadores dos créditos ou pelo desajuste dos preços de venda dos imóveis, já que desde 2011 a suposta distorção é por aqui defendida. Nesse caso é oportuno lembrar que se a dupla dinâmica Dilma-Mantega, com o auxílio direto do bolso “quase sem fundo” do Tesouro Nacional, mal conseguiu pedalar por três anos antes de terem seus feitos revelados, disparando a crise, porque acreditar que o mercado imobiliário ou a CEF conseguiriam isso por muito mais tempo?

    Todos ou quase todos sabem que antes de me tornar o assecla mais nefasto do mercado imobiliário por anos fui defensor e garoto-propaganda da tese da bolha imobiliária por aqui, e se por um lado a subida dos preços sustentava a desconfiança da minha parte naquele momento, por outro lado a forma como os preços desaceleraram e declinaram no caso brasileiro levantou as suspeitas contrárias de que poderia não se tratar de um evento típico bolha especulativa. Afinal, como se sabe, uma bolha imobiliária só pode ser definitivamente reconhecida como tal, por meio de seu desfazimento.

    Passado já um ano da primeira leitura que fiz do processo e ressalvados algumas peculiaridades do setor de construção já estabelecidos, os dados mais recentes que serão postados em breve reforçam que o mercado imobiliário continua reagindo, com certa defasagem, porém de forma contínua aos estímulos agora positivos da economia. Esse movimento é um pouco mais direto e nítido do ponto de vista da oferta, demanda e distratos, mas também de forma indireta em relação aos preços, cujo ritmo de queda tem claramente perdido força a medida que as concessões de crédito estabilizam e os indicadores macroeconômicos melhoram. Mantida essa tendência, após os ajustes no volume e ritmo das concessões, direcionamento e subsídios, tudo aponta para uma mudança de paradigma do crédito imobiliário quando comparado a estado de letargia verificado no início da década passada, o que ao meu ver deve manter um suporte razoável para os preços num patamar real notadamente menor do que no ápice, porém significativamente maior do que se tinha no início do último ciclo de valorização.

    Quem me conhece sabe que sou do tipo precavido e até por isso insisto que o ideal seria esperar mais um tempo para que mais dados aparecessem e as coisas se mostrassem mais claras, tal como adverti no começo do ano. No entanto, penso que já é hora de antecipar algumas coisas para saber o que é boato e o que é fato até o momento nessa polêmica, com ênfase para “até o momento”, pois na economia nem tudo é previsível ou dispõe de botões ON/OFF.

    Na prática a economia pode ser compreendida por inúmeros processos e fluxos produtivos e financeiros caminhando em múltiplas direções, e por essa característica, nem tudo acontece ao mesmo tempo, ou no mesmo ritmo e intensidade. As coisas podem estar melhorando em muitas capitais como em São Paulo e piorando no Rio de Janeiro, por exemplo, sem prejuízo de um movimento geral. Por outro lado, quando tais fluxos e processos (ou a maioria deles) começam a se alinhar mais ou menos na mesma direção, alguns sinais surgem e com eles é possível traçar algumas tendências, que podem ser de curto, médio ou longo prazo. Aqueles que correm riscos e acertam com antecedência os pontos de inflexão tem obviamente melhores condições de ganhar financeiramente com isso, seja lá qual for o interesse específico e a depender de quão longe conseguem enxergar.

    Quem verificou a parte 1 do meu trabalho em dezembro do ano passado e naturalmente relevou alguns problemas de coesão que foram inevitáveis num artigo que tentou dar sequência lógica para mais de um centena de gráficos, pôde entender que quase tudo que aconteceu na economia e no mercado imobiliário pode ser entendido pelo prisma do modelo econômico implantado pelo governo federal na última década, o qual priorizou o crescimento através do crédito e uma questionável inclusão social por meio de subsídios e direcionamentos, cujo custo para a sociedade tem se mostrado ambíguo e certamente será muito maior que os benefícios reais no longo prazo. Infelizmente, num país como o Brasil, em que quase tudo passa pela mão do Estado é inevitável que as POLÍTICAS econômicas se coloquem como a linha mestra do desenvolvimento e tão cedo não dá para imaginar que a economia consiga se dissociar ou descolar da POLÍTICA por muito tempo, por maior que seja o descontentamento e o estado de letargia da sociedade nessa matéria, ou por mais que os mercados se esforcem para tanto.

    Por que eu estou dizendo tudo isso antes de atualizar dar minha leitura sobre o momento atual da economia e do mercado imobiliário?

    A resposta nesse caso é muito simples. É porque prefiro diagnósticos às previsões e, pelos diversos motivos que já coloquei, não se pode prever com segurança muita coisa além de 2018. Tal condição de imprevisibilidade está diretamente ligada a estimativa de consistência do recente processo de retomada ou uma eventual recuperação do mercado imobiliário, que é ainda mais prejudicada se não são certas que tipo de políticas econômica e fiscal vigorarão a partir de 2019 ou ainda se as reformas necessárias serão realizadas e em que profundidade até o próximo governo. De qualquer maneira, pra quem não desistiu da compra do imóvel, posso ao menos reafirmar as premissas que já venho colocando que podem ser de grande valia para aqueles que se permitem uma segunda opinião.

    Sob meu ponto de vista, para o bem ou para o mal, o mercado imobiliário e os preços dos imóveis (com alguma defasagem) devem seguir de forma razoável a trajetória geral da economia, seja para um cenário de recuperação mais consistente, uma queda mais profunda via repique da recessão ou para os já conhecidos voos de galinha, que no longo prazo poderão ser confundidos como um “andar de lado” do mercado, como disse outrora. Para que meus pitacos não sejam entendidos como um “chute”, decidi expor os dados atualizados, para não ficar só na velha regurgitação de discursos, suposições e retóricas sem dados que tem dado o tom da discussão por aqui os últimos tempos.

    Pra quem não se lembra, eu lancei uma espécie de desafio no começo do ano, que propunha uma reavaliação geral no final de 2017, a fim de vermos qual das leituras de cenário conseguiria se aproximar mais da realidade. Então fica a pergunta:

    Em relação ao ano passado, vocês diriam que a economia e o mercado imobiliário pioraram da forma que lhes foi prometido? Pra mim a resposta é óbvia, mas se vocês ainda têm dúvidas, recomendo que prestem atenção às informações que vou disponibilizar nos próximos dias e recomendo também que repassem a primeira parte do meu artigo no link que segue abaixo, não só para terem uma referência do que mudou de lá pra cá, mas porque grande parte dos gráficos que postarei a partir de agora constam naquele trabalho de um ano atrás:

    DAS VACAS GORDAS ÀS VACAS MAGRAS EM UMA DÉCADA

    https://www.bolhaimobiliariabrasil.com/2016/12/05/das-vacas-gordas-as-vacas-magras-em-uma-decada-parte-1-thiago-fm/

    6+
    • avatar
    • CA 21 de dezembro de 2017 at 06:50

      Resumo: o Nefasto esta repetindo todos os argumentos das outras vezes que foram desmascarados e não se incomoda em fazer isto, acha que se conseguem PEDALAR com os problemas sendo cada vez mais mau caráter isto é sinal de sucesso e inventa que bolhas tem que ter prazos fixos, embora NENHUMA bolha imobiliária do Mundo tenha tido timings ou efeitos idênticos uma a outra, inventa que vivemos algo cíclico embora NUNCA tenha acontecido desta forma ou nesta intensidade, ou seja, assume explicitamente sua completa INSANIDADE, inclusive pelo fato de ficar surpreso porque todos aqui continuam sendo completos idiotas 1 ano depois que só ele “viu o caminho da luz”, mas que mesmo assim ele insiste em gastar uma infinidade de horas para elaborar estatísticas FAJUTAS para tentar convencer completos idiotas que não perceberam o mesmo (???) Quem é tão louco a ponto de fazer isto?

      Bem, se estes completos idiotas viram antes a crise que ele disse que nem existiria, para a qual ele disse que era “só imprimir dinheiro” que resolveria, que depois no desespero depois que explicávamos o quanto era absurdo, ele dizia que o governo ia “dar um jeito” e no final quando a crise veio FINGIU que não disse nada disto e depois de ter visto que MUITO que dissemos por aqui aconteceu, não só quanto a crise, mas também quanto a nossas previsões para a contínua derrocada do setor, quebra de construtoras, derrocada da CEF, manutenção de super-estoques e distorção entre oferta e procura, etc, depois de ter visto que a gravidade da situação absurda de podridão da CEF é tão grave que o MP pediu a substituição de TODOS os vice-presidentes da CEF, o TCU bloqueou “N” golpes da CEF, a PF investiga vários crimes da CEF, etc, com algumas desras podridoes vindo a tona logo depois dele dizer que a CEF estava no caminho certo e sabendo que apresentamos mais de 10 evidências de que esta PODRIDÃO da CEF também existe para o crédito imobiliário, evidências das quais ele foge como o diabo da Cruz, dentre mais de uma centena de questões que ele NUNCA respondeu, então ele se mantém simplesmente FINGINDO que ele é que vê a realidade e os outros é quem fogem dela. Neste sentido, só reforça o grau de INSANIDADE mencionado acima e DEMONSTRADO INÚMERAS VEZES a cada tentativa de mentir e enganar que é desmascarada por aqui com explicações detalhadas.

      6+
      • avatar
    • Cesar_DF 21 de dezembro de 2017 at 11:06

      Thiago fm
      Sua conclusão de que o mercado imobiliário deverá acompanhar a recuperação da economia, não leva em consideração alguns fatores

      1 – Muitos compradores eram, na verdade, investidores, ou seja, não adquiriram imóveis com o intuito de morar neles, mas sim para ganhar com a venda ou a locação destes imóveis. Como ocorreu uma SUPEROFERTA de imóveis, a rentabilidade do aluguel caiu e também ocorreu uma valorização dos imóveis acima do custo de construção deles, de forma inevitável irá ocorrer um retorno a normalidade, significando que estes investidores irão perder dinheiro na hora de realizar o investimento, a não ser que façam a opção de uma longa perda de investimento, através de um retorno negativo. Os investidores sabem hoje que o mercado imobiliário é uma furada, e não irão retornar para ele.

      2 – Você está fazendo a suposição de que a demanda manterá os índices históricos, mas existe uma clara tendência de que a geração millenials não saia da casa dos pais, permanecendo eternamente com eles, no máximo agregando um esposo(a) e mais um filho(a)

      3 – O superestoque de imóveis, estimado em cerca de 12 milhões de residências, nunca será zerado, mesmo até 2042, com o aumento da população em 21 milhões de pessoas, pois a taxa de fecundidade já quebrou a barreira de 2.1 em 2006 e tende a estabilizar em 1.5 conforme outros países europeus.

      A conclusão é que ocorre uma redução drástica da demanda, ao mesmo tempo que já existe um superestoque de imóveis, pela simples lei da OFERTA X PROCURA não existe fundamento para um aumento do valor dos imóveis, mesmo com a melhoria da economia.

      5+
      • avatar
  • Carlos 20 de dezembro de 2017 at 22:48

    Mais da série: Tijolo, moeda forte….

    Preço do IPTU dispara em Embu das Artes
    http://g1.globo.com/sao-paulo/sptv-2edicao/videos/t/edicoes/v/preco-do-iptu-dispara-em-embu-das-artes/6370681/

    4+
    • avatar
    • avatar
  • thiago fm 20 de dezembro de 2017 at 22:58

    Como o conteúdo é grande, para a melhor compreensão do encadeamento das coisas, vou dividir essa atualização em alguns tópicos e eventualmente comentá-los, se necessário:

    PERCEPÇÃO DE RISCO DO PAÍS E DESEMPENHO DOS ATIVOS

    INDICADORES MONETÁRIOS

    Podemos discutir até que ponto o governo atual consegue justificar a manutenção da confiança do “mercado”, mas é nítido que a interrupção do governo Dilma representou um divisor de águas para a economia, visto que os principais indicadores econômicos e ativos apresentaram reação ou inflexão positiva durante e após a conclusão do processo de impeachment da Dilma. E não é por acaso, se recapitularmos que após a explosão da recessão, o governo do PT perdeu totalmente o apoio, não só da população mas principalmente do Congresso, veremos que essa é com certeza uma das diferenças fundamentais na distinção dos dois governos quanto à percepção de risco da população e dos investidores.

    É verdade que o governo Temer tem perdido força política, principalmente após as denúncias de corrupção e pode perfeitamente ser questionado pelas forma ambígua como negocia, mas ainda assim, mesmo diminuído e pressionado, o governo atual ainda tem muito mais força política do que tinha ou teria Dilma se tivesse continuado no poder. Isso é um fato.

    Basta lembrarmos que não só o déficit fiscal e o desemprego disparavam com Dilma, o que seria até esperado numa recessão, mas surpreendentemente a inflação e os juros cresciam de forma exponencial enquanto a atividade econômica despencava, o que não é só algo incomum para tal circunstância, mas na época representava a perda de controle sobre a economia, com um complicador a mais que era os juros altos aplicados sobre uma déficits primários e dívidas cada vez maiores. Quem não se recorda dos termos “estagflação” e “receflação” tomando as discussões no blog?

    Isso aconteceu não apenas por causa do refluxo dos preços represados, que era culpa do próprio governo aliás, mas porque as expectativas de inflação futura cresciam na mesma proporção em que o governo demonstrava sua incapacidade de aprovar qualquer coisa que fosse necessária para estancar o buraco fiscal que só fazia aumentar. Some-se a isso ao fato de diante das constantes pedaladas e divergências internas na equipe econômica, ninguém sabia exatamente qual era o real tamanho dos problemas dentro do governo, que na prática passava a imagem de “desgoverno”.

    Por esse motivo, não se pode atribuir a forte queda da inflação somente aos efeitos da recessão da atividade, que de fato foram intensos, ou a supersafra de 2016 que também tem sua parcela no processo de desinflação, mas há de se considerar que a mudança do governo e a entrada de uma equipe econômica senão melhor, menos ruim do que as anteriores, amenizaram a percepção de risco do país, o que retirou parte da pressão sobre o dólar e fez recuar as expectativas de inflação no país para bem abaixo das previsões mais otimistas do mercado. Como já disse, se o recuo da inflação fosse apenas reflexo do recuo da atividade, como explicar as trajetórias acelerando em trajetórias diametralmente opostas justamente até a instauração do processo de impeachment? Pura coincidência? Óbvio que não…

    CONFIANÇA, ATIVIDADE ECONÔMICA E CONSUMO

    Apesar da previsão de crescimento de 1% do PIB para 2017, se observarmos que até o fim de 2015 a queda da atividade vinha acelerando num ritmo superior a 5% e que a trajetória de reversão é gradual, porém contínua, tudo indica que o crescimento em 2018 será maior que o de 2017, até porque é possível notar não só pela defasagem natural, mas pelo próprio gráfico que o efeito da baixa da Selic ainda não foi integralmente repassado e incorporado pela economia.

    Será possível perceber nos gráficos a seguir que a alta do PIB começa a disseminar, sendo que o nível de consumo mantém a aceleração sem sinais de arrefecimento, por enquanto. Diante dos dados dos quarto trimestre ficará mais claro a tendência e a amplitude do crescimento em 2018, porém tudo indica que alta recente do PIB não é efeito exclusivo de medidas não recorrentes como a do FGTS, como insiste o sabichão.

    Alguém pode me explicar como olhar para esse gráfico e enxergar a tal “bolha de consumo”?

    EMPREGO E RENDA

    Notem que de uma forma geral o emprego na Construção Civil acompanha o desempenho da atividade econômica, o que justifica as velhas máximas:

    – Quando a economia vai bem, a construção vai melhor e vice-versa;
    – A construção é uma das primeiras a entrar na crise e uma das últimas a sair;

    Na prática é isso que o gráfico demonstra.

    Antes que o sabichão diga que em outubro tivemos o pior índice de desemprego amplo, somando gato, cachorro e papagaio, vale lembrar que o aumento da informalidade, que condiciona o levantamento é mais do que normal após recessões prolongadas, até porque as empresas ainda tem muita ociosidade para ocupar, antes de recomeçarem a contratar. Se considerarmos a estimativa da taxa de desocupação pelo mercado no início do ano, a verdade é que o resultado foi melhor que o esperado até o momento e diante da perda acelerada de empregos até 2016, frear a perda de empregos, já se poderia ser considerado um avanço nesse aspecto.

    Sem falar que na vida real, pior desalento do que pagar as contas com UBER, é não ter ocupação e renda nenhuma para pagá-las. Basta esperar mais um pouco e este índice chegará a um ponto de inflexão também

    Notem que tanto do ponto de vista da massa salarial formal, quanto da massa de rendimento habitual dos ocupados, a alta real em relação ao início da década passada é muito expressiva, o que do ponto de vista da demanda ampla ajuda a fundamentar grande parte da valorização dos imóveis. Já cruzei essa variável com o Fipezap Histórico com a massa do Estado de São Paulo e o resultado é bastante sugestivo. Se tiverem curiosidade de ver, me avisem.

    ANTES QUE EU ME ESQUEÇA…

    Antes de propagarem desinformação, como fizeram há alguns tópicos atrás, que tal atualizarem os dados antes de afirmar, por exemplo, que a massa de renda estava despencando com dados da póstuma PME de fevereiro de 2016 ? Em 18 meses dá pra ter dois filhos meus caros…

    Na sequência abordarei a questão do crédito, endividamento e inadimplência

    Boa noite e abraço do Nefasto!

    7+
    • CA 21 de dezembro de 2017 at 08:01

      Vamos aos fatos e utilizando um mínimo de lógica ao interpretar os números, fugindo dos devaneios e interpretações que são o inverso da realidade:

      Observação: como de praxe, são muitas mentiras, desinformação e desonestidade intelectual de uma vez só por parte do Nefasto, então para responder tudo isto, dividirei por partes, para cada um ler aquilo que julgar mais interessante:

      PARTE 1: causas para crescimento do PIB 2017 e comemoração com inflação menor do que a esperada até pelos mais “otimistas”:

      Questão de matemática elementar: se a diferença da super-safra em relação ao resultado do ano anterior mais o saque de FGTS dos inativos é maior do que o aumento do PIB de 2017, se estes dois eventos NÃO RECORRENTES não existissem, como teríamos o aumento do PIB neste ano? Em outras palavras, sem estes eventos não recorrentes o crescimento do PIB não existiria, quer algo mais simples do que isto? Não adianta, como sempre, FUGIR da matemática elementar, os números estão aí…

      Queda da inflação foi maior do que o esperado até pelos mais “otimistas”? Uma queda da inflação maior que o esperado até pelos mais “otimistas” só é algo positivo para economia, se for causada por mudanças ESTRUTURAIS que eliminaram as causas para ANOMALIAS quanto à inflação exageradamente elevada antes. Quais as mudanças ESTRUTURAIS que teriam sido feitas e causaram estes efeitos? Tivemos um conjunto de fatores CONJUNTURAIS que fizeram com que a inflação caísse mais do que o previsto, repito aqui: super-safra agrícola recorde de 10 anos, queda do consumo, PROMESSAS de ajuste fiscal, muito baseadas na reforma da previdência, uma cotação do dólar que no geral dos países se manteve mais comportado, riscos externos “adormecidos” e que estão tendo suas consequências proteladas, como os da bolha das bolhas americana e bolha imobiliária chinesa, dentre outros. NADA disto é melhoria ESTRUTURAL. Comemorar uma queda da inflação abaixo do esperado sem NENHUM motivo relacionado à correção ESTRUTURAL que tenha sido feita, seria como o Japão comemorar sua deflação persistente que dura mais de uma DÉCADA e é mais uma das evidências da destruição de sua economia, que “coincidentemente” aconteceu imediatamente após a explosão da bolha imobiliária deles.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 21 de dezembro de 2017 at 08:05

      PARTE 2: a expectativa de crescimento superior do PIB em 2018, que estaria “garantido” pelos efeitos da queda da SELIC:

      Quer dizer que se conclui que no ano que vem o PIB vai crescer mais porque vai dar tempo da SELIC cair mais e os efeitos dela se manifestarem mais fortemente no estímulo à economia?

      Não adianta nada uma queda da SELIC que não seja baseada em mudanças ESTRUTURAIS que sejam consistentes e permanentes. E se a PROMESSA NÃO CUMPRIDA da reforma da previdência não ocorrer, por EXEMPLO?

      Outra questão elementar e VÁRIAS vezes demonstradas por aqui, que o Nefasto também FINGE ignorar: temos recorde de famílias inadimplentes, recorde de micro empresas inadimplentes e em função desta situação, consequência típica toda vez que temos bolhas explodindo, os bancos aumentaram Spreads, o que compensou a queda da SELIC e fez com que os juros finais para empresas e consumidores continuasse exageradamente elevado.

      De que adianta a SELIC cair, se os juros finais para empresas e consumidores continuam exageradamente elevados?

      Como ação APELATIVA, o BC repetiu o que a Dilma já tinha feito antes, reduzindo os compulsórios, pois ao injetar liquidez para os bancos, acredita que possa convencê-los a fornecerem reduções relevantes nos juros finais para consumidores e empresas. Por problemas de liquidez também, a CEF está extorquindo R$ 15 bilhões do FGTS.

      Aqui teremos uma entre duas consequências:

      Se os bancos efetivamente reduzirem os juros finais de forma relevante, o endividamento das famílias e das empresas se tornará ainda mais elevado, batendo o recorde atual e na sequência, repetindo as consequências que já vimos no início de 2015 após a Dilma ter feito exatamente o mesmo.

      Se os bancos por outro lado não caírem nesta armadilha, tal ação para tentar estimular o consumo e investimentos não terá efeito.

      Outro ponto: quer dizer que se o BC é obrigado a APELAR com medida heterodoxa IDÊNTICA à utilizada pela Dilma antes, exatamente porque a queda da SELIC NÃO É o suficiente para estimular de forma relevante a economia, a aposta é que esta APELAÇÃO e a suposta continuidade da queda da SELIC, que nem é garantida porque não há neste momento NENHUMA questão ESTRUTURAL resolvida, “garante” que teremos um crescimento maior em 2018?

      Em outras palavras, estes fatores APELATIVOS e CONJUNTURAIS estão garantidos quanto à continuidade, embora por princípio seja exatamente o contrário disto, eles são temporários e não somente isto, eles vão sozinhos superar os efeitos da super-safra agrícola, do saque do FGTS e ainda, do ROMBO de mais de R$ 20 BILHÕES que vão faltar em receitas e obrigar redução adicional de despesas do governo, em função de medidas não aprovadas pelo congresso e que portanto, não poderão entrar em vigor em 2018.

      A “teoria” do Nefasto é completamente ILÓGICA, como sempre: se o próprio governo acabou de adotar uma medida APELATIVA já utilizada antes pela Dilma e que não funcionou, após o governo reconhecer que a queda da SELIC NÃO É o suficiente para retomada da economia porque os juros finais permanecem exageradamente altos, em função da inadimplência recorde, ele conclui que esta mesma medida que não teve efeito é que vai gerar todos estes resultados, superando todos os eventos não recorrentes de 2017 mais a quebra bilionária no orçamento? (*) Reduzir os compulsórios para estimular o consumo, é como a pessoa reduzir o seu seguro para poder gastar mais dinheiro com coisas que não trarão nenhum retorno financeiro e foi por isto que esta ação não funcionou com a Dilma, foi apenas MAIS UM motivo para perda de confiança e de rating, forçando que a inflação e os juros voltassem com tudo em seguida.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 21 de dezembro de 2017 at 08:12

      PARTE 3: a “recuperação dos empregos” e o crescimento da massa total de renda

      Quer dizer que é a ociosidade que estimula a informalidade após as crises???

      Que teoria brilhante!

      Uma coisa não tem NADA a ver com a outra, a ociosidade reduz necessidade de novos investimentos e afeta a recuperação de empregos de forma geral, NENHUMA relação com isto induzir à contratação no mercado informal.

      Ubers e empreendedores por NECESSIDADE que compõem a grande maioria do crescimento da INFORMALIDADE não tem NENHUMA relação com aumento de ociosidade.

      Até onde vão os completos DEVANEIOS e a intensa FALTA DE LÓGICA do Nefasto! É tão ridículo que fica difícil imaginar o que uma pessoa destas tem na cabeça…

      Vamos em frente:

      O que acontece em toda bolha imobiliária e de consumo, que também aconteceu em outros países durante estes eventos?

      A PEA (População Economicamente Ativa) cai muito.

      Por que?

      Durante o inflar, a construção civil e outros setores beneficiados de forma ARTIFICIAL pelas bolhas disparam nas contratações, gera super-aquecimento no mercado e isto junto com outros estímulos keynesianos, como o FIES, por exemplo, levam as pessoas a terem rendimentos maiores, ao mesmo tempo que motivam dependentes destas pessoas a não procurarem emprego e curtirem aqueles rendimentos maiores dos pais e mães, às vezes com as mães abandonando empregos também.

      Um exemplo típico do que consta acima foi demonstrado em reportagem replicada por aqui: um soldador terceirizado na Petrobrás que chegou a ganhar salário de R$ 12 mil e após a explosão este salário foi para R$ 4 mil, o que obrigou o filho e outros parentes a procurarem emprego, ou seja, a PEA começou a subir, o número de pessoas que PRECISAVAM de empregos começou a aumentar, como parte da volta à normalidade que acontece em toda explosão de bolha.

      Com esta volta à realidade, ocorreu o retorno a uma PEA mais elevada e com isto tivemos não somente o RECORDE de desemprego para um mês de outubro no ano de 2017, como também, junto com os efeitos da informalidade causada pelos empreendedores por NECESSIDADE, um recorde na somatória de desempregados mais desalentados mais SUBempregados, como os NÚMEROS vem demonstrando.

      Outro ponto: é o aumento da PEA que traz o aumento na massa de renda, se temos cada vez mais pessoas trabalhando, mesmo que com SUBempregos e ganhando menos, ao multiplicar este maior número de pessoas pela sua renda, mesmo que menor, causa um aumento na massa de renda.

      De novo, como nos TRUQUES publicados nos GOLPES anteriores de DESINFORMAÇÃO, o Nefasto usou da DESONESTIDADE INTELECTUAL, FORÇANDO conclusões completamente sem sentido.

      6+
      • avatar
      • avatar
    • CA 21 de dezembro de 2017 at 08:30

      PARTE 4: bolha de consumo

      Bolha de consumo:

      Depois de alguns trimestres de QUEDA do PIB do consumo, como o Nefasto justifica que isto não existe?

      Criando gráficos com critérios errados de agrupamento de dados e comparações.

      A situação da queda do PIB foi divulgada em todos os meios de comunicação, mas como passou um tempo, o Nefasto achou que era só FINGIR que não existia e tudo bem!

      Em 2016 tivemos o RECORDE HISTÓRICO de fechamento de lojas no Brasil, provavelmente mais uma comprovação da brilhante tese do Nefasto de que não existiu uma bolha de consumo!

      Na realidade, mais um exemplo da extrema CARA-DE-PAU dele!

      Para quem quiser ver sobre a queda do PIB do consumo, segue abaixo um gráfico.

      http://defendaseudinheiro.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Post-45-imagem-14-despesas-das-fam%C3%ADlias.png

      Procurem também no Google, vão encontrar várias notícias sobre os trimestres seguidos em que tivemos queda do consumo e foram parte relevante das causas para queda do PIB. Tudo isto, por sinal, aconteceu ao mesmo tempo que a inadimplência e endividamento das famílias disparava e logo depois dos preços dos imóveis terem subido estratosfericamente, como já foi demonstrado tempos atrás, segue link:

      http://defendaseudinheiro.com.br/a-bolha-imobiliaria-no-brasil-e-a-economia

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 21 de dezembro de 2017 at 08:45

      PARTE 5: “Normalidade” da construção civil, é cíclico!

      Vejamos o conjunto de fatos e dados que o Nefasto considera normal e cíclico, como consequência da situação da economia e não como causa dela:

      2006 a 2009: a participação do segmento imobiliário na geração de empregos formais no período de 2006 a 2009 em proporção ao total do Brasil, segundo dados do CAGED, simplesmente DUPLICOU, como NUNCA antes aconteceu na história do Brasil e sem acompanhar NENHUM outro indicador macroeconômico da época. Conclusão do Nefasto: normal, cíclico e proporcional a alguma variável macroeconômica que talvez algum dia ele ache para relacionar com este FATO, mesmo que não tenha NENHUMA relação e não seja variável macroeconômica;

      2011: Distratos BILIONÁRIOS, como NUNCA aconteceram antes na história do Brasil ou de qualquer país do Mundo embora vendas na planta e parte das construtoras que sofreram esta consequência também praticassem vendas na planta no Brasil HÁ DÉCADAS. Conclusão do Nefasto: normal, cíclico e consequência da crise da economia que se manifestou a partir de 2015, alguém voltou no tempo e fez esta consequência acontecer 4 anos antes da causa;

      2012: o pior resultado do segmento imobiliário em todos os tempos, com um resultado consolidado para 12 construtoras grandes com Ações na BOVESPA apresentando queda de 20% nas vendas, queda de 40% nos lançamentos, queda de 30% no faturamento, prejuízo superior a R$ 1 bilhão, distratos mais que DOBRARAM superando os R$ 5 BILHÕES, estoques DOBRARAM, 5 construtoras ao mesmo tempo ficaram com endividamento líquido superior ao patrimônio líquido, dentre outras evidências da forte derrocada do segmento imobiliário. Conclusão do Nefasto: normal, cíclico e consequência da crise da economia que se manifestou a partir de 2015, alguém voltou no tempo e fez esta consequência acontecer 3 anos antes da causa;

      2012: a desaceleração mais acentuada da construção civil para um momento em que as construções para Petrobrás, Copa do Mundo e Olimpíadas continuavam a pleno vapor, ou seja, OBVIAMENTE causados pelo que consta nos parágrafos anteriores. Conclusão do Nefasto: é normal e cíclico, embora não tenha precedentes no Brasil e NENHUMA lógica para desacelerar bem quando um grande montante de obras de infra pesada estavam no auge, sendo que o próprio segmento de construção civil leve tinha condições ainda extremamente favoráveis, tais como a menor SELIC de todos os tempos (até aquele momento), verba de poupança e FGTS abundantes, bancos emprestando como nunca, o governo pedalando com gastos crescentes como nunca, emprego em patamar elevado e crescente, idem para a renda das famílias, etc, etc, etc…

      Alguns outros fatos e dados da construção civil nos últimos anos:

      Desde 2012 mantém uma desproporção entre oferta e procura absurda. Não zeram lançamentos para vender estoques, porque não conseguem vendas REAIS em quantidade suficiente e quando tentaram fazer isto que seria o normal para qualquer segmento de negócio em qualquer lugar do Mundo perante uma ABERRAÇÃO persistente como esta, ficaram com vendas líquidas NEGATIVAS, uma outra ABERRAÇÃO. Conclusão do Nefasto: ABERRAÇÕES como esta, que não encontram paralelo na história do Brasil ou do Mundo, são demonstrações da situação cíclica e normal do segmento imobiliário.

      A construção civil depende umbilicalmente de apenas UM banco que é a CEF. Ficam em desespero e observam as consequências das DISTORÇÕES enormes apenas crescerem a cada vez que a CEF tem uma dificuldade com a qual não consegue pedalar de imediato. Conclusão do Nefasto: isto é normal e natural, se existem dezenas ou centenas de bancos que no agregado poderiam substituir a CEF, a eterna dependência de um banco PÚBLICO, para o qual já apresentamos mais de 10 evidências de que pratica o crédito PODRE e está envolvido em uma infinidade de GOLPES, com o MP pedindo a substituição de TODOS os Vice-Presidentes, esta dependência é absolutamente normal e natural.

      Tem MUITO MAIS ABSURDOS, MENTIRAS E DESINFORMAÇÃO nas estatísticas e “conclusões” do Nefasto, aqui como nos outros casos, é só uma pequena AMOSTRA…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 21 de dezembro de 2017 at 08:53

        Ah sim, aqui na parte 5 esqueci de mencionar que o Nefasto voltou a utilizar sua “brilhante lógica” dos picolés de limão:

        Se tivemos um sol escaldante e APÓS isto disparou o número de vendas de picolé de limão, qual a conclusão do Nefasto? Os picolés de limão causam sol escaldante!

        11+
        • avatar
        • avatar
  • Cesar_DF 21 de dezembro de 2017 at 07:07

    Thiago fm
    Como bem sabemos, de 2003 a 2008 o Brasil surfou na commodities
    Com a queda nas commodities, começou uma fase de intervencionismo na economia e distribuição de recursos financeiros, baseado em endividamento, ou seja, dinheiro foi tirado do futuro e colocado no presente.
    Esta intervenção na economia culminou com a Nova Matriz Econômica e com os exercícios de Contabilidade Criativa.
    Vemos, pelos seus gráficos, que ocorreu um aumento aparente do rendimento das pessoas.
    Mas, pelos princípios da Escola Austríaca, o que faria uma pessoa ganhar mais?
    – Ela se tornou mais produtiva, através da educação
    – A infraestrutura melhorou
    – A regulamentação diminuiu
    Os 3 fatores acima fazem com que se produza mais, utilizando os mesmos recursos, o que conduz a um aumento da renda per capita.
    Mas, o que de fato aconteceu, foi um aumento temporário do valor das commodities, tanto que a produtividade do brasileiro está praticamente inalterada desde a década de 1980.
    Pelos princípios keynesianos, quanto mais as pessoas gastarem, melhor para a economia, e o que vemos neste século foi uma forte injeção de recursos financeiros, e como sabemos, isso conduz inevitavelmente a clises que já foram claramente identificados na teoria de ciclos econômicos
    É uma situação semelhante a família que, aparentemente, melhora de vida, carro e casas novos, boas roupas, jantares, viagens, etc, mas tudo conseguido a base do cheque especial, um dia a conta irá chegar.
    Gostaria muito que você colocasse um gráfico do RENDIMENTO X PRODUTIVIDADE e verá que os rendimentos subiram de forma desproporcional a produtividade, e por isso, este rendimento NÃO SE SUSTENTA.
    Dai o governo direcionou recursos para habitação, mas nunca houve uma DEFICIT HABITACIONAL, de acordo com os CENSO do IBGE de 2000 e 2010, já existiam mais residências do que pessoas para morarem neles, ou seja, existia um SUPERAVIT HABITACIONAL e uma grande quantidade de pessoas que não tinham o dinheiro para comprar sua residência.
    Então, em todos os seus gráficos, não vi você realizar um estudo para demonstrar DESCOLAMENTOS entre renda e valor do imóvel.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • thiago fm 21 de dezembro de 2017 at 08:51

      1 -Em primeiro lugar eu não estou comemorando nada. Eu só faço o diagnóstico conforme os dados e não torço contra como vocês claramente fazem, apesar de negarem;

      2 – Não defendo a atuação do governo atual, que comete erros primários em diversas frentes, mas do ponto de vista estritamente econômico, o Temer não é um Dilmo. Isso fica claro por exemplo, quando se observa a maior previsibilidade da política monetária ou a trajetória dos crédito direcionado, depois que ele assumiu.

      3 – Eu não disse que a queda da inflação é estrutural, ou que os entraves de produtividade da economia e do trabalho. Eu pontuei apenas que ela (a inflação) não caiu somente em função de efeitos da “super safra” ou como efeito retardado da crise. Não se esqueçam que a tendência de reversão da trajetoria da atividade vem desde o primeiro trimestre de 2016 e a FGV já demarcou o fim da recessão naquele mesmo ano, o que significa dizer que a economia cresceria, (provavelmente menos), com ou sem os efeitos FGTS e demais fatores “não recorrentes”.

      4 – Eu fiz questão de dizer no prólogo (se é que leram) que não se pode garantir a continuidade do crescimento somente com base nos impulsos da distensão monetária ou na diminuição da percepção de risco dos mercados. Por isso não me arrisquei a dar palpites para além de 2019. A confiança não dura pra sempre e se essa “brecha” dos juros não se traduzir em ajuste fiscal efetivo, teremos inevitavelmente um “voo de galinha” ou mesmo um repique da recessão, porém não em função do desempenho do mercado imobiliário, visto que este não está no cerne da engrenagem macroeconômica, como sempre defendeu o sabichão. A macroeconomia sim impactará o mercado imobiliário de forma decisiva, já que a dinâmica de forças desta balança pende para isso.

      Antes de saírem afirmando coisas que não vocês não têm base pra dizer e passarem como ridículos – como no caso da massa de rendimentos – esperem eu terminar de expor os dados. Para adiantar:

      – Juros estão caindo mais devagar, mas estão caindo…
      – Spread está caindo devagar, mas está caindo…

      Enfim, eu até entendo o esforço de vocês de enxergarem o copo sempre meio vazio, mas contra dados não há argumentos. Isso não é o Thiago fm que diz. As fontes estão aí para serem consultadas e são elas que norteiam as decisões dos agentes econômicos. Como disse o que eu e vocês pensam não importa nem um pouco.

      6+
      • avatar
      • CA 21 de dezembro de 2017 at 09:16

        “Pobre Nefasto”…

        Ele “não sabe” que a queda da SELIC em que ele aposta como chave para recuperação da economia EM 2018, DEPENDE da queda ESTRUTURAL da inflação, ele não entendeu isto, ou FINGIU não entender de novo, apesar de ter sido DESENHADO para ele…

        O Nefasto mantém a tese dos picolés de limão que causam o sol escaldante! Em outras palavras, os problemas gravíssimos e ANORMAIS do segmento imobiliário a partir de 2011 e principalmente a partir de 2012, foram causados pela crise na economia que começou a aparecer em 2015! Vamos lá Nefasto, repita esta sua “brilhante lógica” um milhão de vezes, ela nos diverte muito!

        É isto aí Nefasto, se tivemos RECORDE de desemprego para um mês de outubro, se batemos o RECORDE de desempregados mais desalentados mais SUBemprego e só geram empregos informais, continue insistindo que isto é prova de recuperação dos empregos! Não se incomode com o ridículo, continue defendendo sua “brilhante tese” de que os empregos INFORMAIS típicos de empreendedores por NECESSIDADE, como Ubers, pessoas que montam salão de beleza ou food truck são gerados em função da elevada ociosidade na capacidade produtiva, é bem “lógica” esta conclusão e combina com suas “capacidades cognitivas”, não é mesmo?

        É isto aí Nefasto, continue apostando que o pessoal aqui não entende de matemática básica: se a diferença da super-safra agrícola com resultado de ano anterior deste setor mais o saque de inativos do FGTS são MAIORES do que o crescimento projetado do PIB e isto OBVIAMENTE significa que sem eles teríamos QUEDA no PIB, faça de conta que é o contrário da Matemática! Por que? Porque o Nefasto quer, ora bolas, o querer dele é superior a qualquer matemática ou lógica, é só ver que antes da crise aparecer em 2015 ele já dizia que não haveria crise, que não seria tão grave assim e depois que “o governo daria algum jeito”. E quando ele nos ensinou que a CEF estava “no caminho certo” recentemente, que brilhante e isenta conclusão, não é mesmo? Foi logo depois da CEF iniciar a EXTORSÃO bilionária sobre o FGTS, depois que ela já havia feito provisões a menor em BILHÕES para simular resultados positivos e continuar PEDALANDO, pouco antes dela divulgar estas maravilhosas MAQUIAGENS CONTÁBEIS e delas serem DESMASCARADAS em seguida pelo “engano” na provisão do processo da poupança, ou da reação negativa contra a recuperação judicial da PDG porque ela não tinha provisões para estes ROMBOS, aliás, a chave de ouro foi o MP pedir a substituição de TODOS os vice-presidentes da CEF de uma vez só, que exemplos maravilhosos de como o Nefasto é coerente com os fatos e dados e nós é que somos alienados, não é mesmo?

        Ah, a previsibilidade da política econômica é maravilhosa! Quer mais do que sabermos o quão é previsível que a reforma da previdência seria adiada VÁRIAS vezes? Aqui no blog prevíamos isto desde o início de 2016, embora o Temer, o Nefasto e outros “jênios” previssem exatamente o contrário. E a previsibilidade quanto ao impacto no segmento imobiliário? Os “especialistas” da Infomoney e outros Nefastos ligados ao governo diziam que o conjunto de redução dos juros (SELIC), combinados com a revisão das regras para distratos e a reforma da previdência trariam uma recuperação rápida para o segmento imobiliário. De imediato, previmos aqui no blog que aquilo era uma grande ENGANAÇÃO. O que aconteceu? Com o BOATO plantado pelo Governo e Nefastos de plantão, o segmento imobiliário foi o que teve a subida mais impressionante no BOVESPA e a PDG bateu todos os recordes, para 1 mês depois começarem a despencar e a PDG entrar com o pedido de recuperação judicial. E a previsibilidade do governo, que faz com que tenhamos uma oscilação absolutamente ANORMAL na BOVESPA no último mês, porque ora vai e ora não vai a reforma da previdência, quer uma evidência melhor do que esta quanto à confiabilidade do que o governo PROMETE? Pois é, você tem razão, para nós aqui no blog o governo sempre foi previsível, embora Nefastos sempre tenham errado as previsões, inclusive as feitas antes da crise que iniciou em 2015, quando eles nem acreditavam que haveria crise, ou que ela seria muito branda, afinal, era só o governo imprimir dinheiro que resolveria tudo, ou então, ele “acharia algo” para resolver o problema, não é mesmo?

        6+
        • avatar
        • avatar
        • CA 21 de dezembro de 2017 at 09:28

          Ah sim, o presidente atual não é um Dilmo, imagina…

          Acabaram de REPETIR a ação APELATIVA da Dilma de diminuírem o compulsório dos bancos para tentarem forçá-los a reduzirem mais os juros?

          REPETIRAM o uso de dinheiro DIRECIONADO do FGTS em larga escala para o segmento imobiliário, seja através de aumentos das verbas do pró-cotista ou da manutenção do MCMV, colaborando para o aumento da DISTORÇÃO deste segmento que já se utiliza de verba SUBSIDIADA há mais de uma década, mas manter o uso deste dinheiro direcionado pode, o do BNDES é que não podia, certo? Os ROMBOS multi-bilionários no FGTS via CEF são uma coisa “saudável”, só os rombos multi-bilionários via BNDES é que não eram, certo?

          PIORARAM as ações APELATIVAS para secarem todas as fontes de dinheiro possíveis e imagináveis em relação ao que a Dilma praticada, retirando mais de R$ 43 BILHÕES do FGTS para “estímulo ao consumo”, EXTORQUINDO R$ 15 BILHÕES do FGTS para cobrir ROMBOS da CEF.

          PIORARAM o déficit público, que em 2016 bateu o recorde histórico, com promessas do próprio governo de manter números ainda piores que os da Dilma também nos anos de 2017, 2018 e 2019, tudo com a desculpa que era uma “herança maldita”, mas ao mesmo tempo que PIORARAM a compra de deputados e senadores o que ajudou a aumentar estes ROMBOS, ao mesmo tempo que CONTINUARAM com os mesmos problemas de não conseguirem aprovar medidas para reduzir o déficit, como demonstrado no final deste ano de 2017 quando a não aprovação destas medidas aumentou ainda mais o rombo, em R$ 20 bilhões adicionais, exatamente como ocorria na época da Dilma, os “esforços” deles pelo ajuste fiscal vão longe, praticando exatamente as mesmas “concessões” que a Dilma praticava, ao reduzirem sensivelmente o escopo da reforma da previdência, ou seja, apesar de não terem mudado nada, estamos muito melhores quanto ao déficit fiscal, afinal fazemos promessas e não cumprimos, exatamente como a Dilma fazia, quer algo melhor do que isto para provar a “evolução”.

          Sim, a imprensa e especialistas morrem de medo de apresentar a realidade como ela é e com isto impulsionarem uma candidatura de Lula ou Bolsonaro, eles QUEREM o caminho do meio e auxiliarão em todas as maquiagens possíveis e imagináveis, sendo este o desejo do “Mercado” também, mas lutar contra fatos e dados tão ÓBVIOS e apresentados de forma contínua neste blog, é só se expor cada vez mais ao ridículo…

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 21 de dezembro de 2017 at 09:35

            CA, complementando
            Thiago fm, se tudo está cada vez melhor, como foi possível que em apenas um ÚNICO MÊS, novembro de 2017, a dívida pública tenha aumentado 54,9 BILHÕES DE REAIS, ou seja, um avanço de 1,6% em um único mês???
            https://g1.globo.com/economia/noticia/divida-publica-sobe-16-em-novembro-para-r-349-trilhoes.ghtml

            12+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • cosmos 21 de dezembro de 2017 at 10:47

              Por favor não me xinguem (hehe), afinal sou um dos 6% da população que aprova o Temer. Não pretendo mudar a opinião de ninguém, só dar meus “two cents” (na verdade nem sei porque estou comentando, pois desde a época do Orkut cheguei a conclusão que poucas pessoas mudam de opinião por meio de discussões de internet hehe).

              De todo modo, para mim parece que, dos últimos presidentes que tivemos, o “ranking” seria algo do tipo: Temer > FHC > Lula > Dilma.

              O Temer é corrupto? Quase certo que é. Tudo que o governo tem feito está certo? Certamente não. Mas pensem agora na quantidade de coisa que o vampirão fez nesse pouco tempo em que está no governo: reforma trabalhista (só ela já teria valido a pena), controle da inflação (ainda não completo, mas muito melhor que antes), baixa da SELIC, estabelecimento de teto pros gastos do governo, zerou tarifa de importação de uma penca de bens de capital, melhorou o modelo de exploração do pré-sal, aprovação da base comum curricular, primeiro esforço sério de reformar a previdência em muitos anos… sem contar que tudo indica que vão desenterrar a reforma tributária no ano que vem (primeiro reforma-se o lado da despesa, que é basicamente previdência, depois o lado da arrecadação, que seria o modelo tributário). Uma grande cagada foi ter aprovado reajuste pros funcionários públicos, mas felizmente voltou atrás e congelou o aumento nesse ano. Imagina se o Lula, com aquela popularidade toda, tivesse se dedicado a fazer reformas como essas ao invés de só expandir gastos?

              Acho que os frequentadores do blog (sou bolhista desde antes do blog e já lia ele ainda no tempo do MrK e outros) tendem a ter um conhecimento maior de economia que o restante da população. Creio, por isso, que quase todo mundo aqui sabe que melhorar a economia de um país é um processo longo e difícil, ainda mais com esse Congresso que temos, que não sabe nada de economia e só pensa em se reeleger.

              Beleza que o Temer não é nenhuma Brastemp, mas não dá pra compará-lo com dona Dilma… a diferença é que grande parte das mudanças promovidas por ele são para melhorar, ao passo que dona Dilma só mudava algo pra piorar…

              Abs!

              21+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • to bolhado 21 de dezembro de 2017 at 10:54

                concordo plenamente

                6+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
              • cosmos 21 de dezembro de 2017 at 10:56

                oops, o comentário ficou lá embaixo:

                Em tempo, mesmo achando que Temer e Meirelles têm feito um bom trabalho, nas atuais circunstâncias, não acho que parará o estouro da nossa bolha imobiliária. Pra mim, estamos na fase do “back to normal” e os preços podem até aumentar por um período, mas vão mergulhar depois.

                6+
                • avatar
                • avatar
              • Zé do Brejo 21 de dezembro de 2017 at 10:59

                Acho que tive um derrame, já volto.

                9+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
              • Cesar_DF 21 de dezembro de 2017 at 11:10

                Cosmos
                No começo eu achei que o Temer estava fazendo um bom trabalho
                Mas dai vi ele fazendo tanta bananice, voltando atrás e fazendo concessões quando a esquerdalhada fazia qualquer discurso vitimista
                Estava esperando alguém de pulso mais firme, cortando totalmente as verbas para UNE, MST, MTST, CUT, etc

                17+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • to bolhado 21 de dezembro de 2017 at 11:31

                  eu resumiria da seguinte forma: ele passou longe de fazer tudo que deveria ter feito. Até aí, quem fez? se medirmos em termos comparativos com os outros presidentes, e não frente a um ideal que temos, até agora o trabalho do Temer é de razoável para bom.

                  7+
                  • avatar
                  • avatar
                  • avatar
                • Lucas 21 de dezembro de 2017 at 12:46

                  sem falar que a queda da selic segura o deficit do governo, ao gastar nominalmente menos com juros
                  e ainda preserva o PMJ a valor real,
                  simplesmente o melhor dos mundos, ainda mais pra mim que comprei imóvel, estou descapitalizado e me preocupa hoje os outros custos de manutenção/moradia

                  4+
                  • avatar
              • CA 21 de dezembro de 2017 at 11:31

                Cosmos,

                A queda da inflação e da SELIC ocorreram em função da super-safra agrícola combinada com a crise, e com as PROMESSAS até aqui não cumpridas quanto à ajuste fiscal e bolhas no Exterior que não explodiram.

                Foi o Temer que atuou para baixar inflação e juros? Não. No máximo ele “ajudou” com PROMESSAS que
                ainda não cumpriu quanto a ajuste fiscal, isto significa que se ao final ele não cumprir, a inflação e os juros voltam a piorar, exatamente o que aconteceu com a Dilma, uma redução de curtíssimo prazo, promessas de crescimento e frustração depois disto.

                Teto de gastos foi bom para o ajuste fiscal? Pegamos o maior volume de despesas de todos os tempos, que fez parte do maior déficit fiscal de todos os tempos e prometemos que este será o teto, claro, com direito a reajuste pela inflação para garantirmos que este recorde de despesas será mantido! De 2016 a 2019, a cada um destes anos, déficit fiscal previsto superior ao recorde da Dilma. Tudo herança maldita da Dilma? E os BILHÕES para comprar deputados? E a reforma da previdência ainda nem aprovada e que já foi desidratada VÁRIAS vezes? E a “estratégia” de só cortar investimentos, o que garante queda ou menor crescimento do PIB e força por sua vez novos cortes de despesas do governo para se adequar ao teto e à meta de déficit, reiniciando o círculo vicioso? E o uso de receitas NÃO RECORRENTES variadas para chegar nos números, de maneira claramente não sustentável? Tudo isto, idêntico ao que a Dilma fazia nos últimos ANOS dela como presidente…

                PROMESSA de reforma fiscal? A Dilma também fez, interrompeu por causa do impeachment, aqui uma das poucas diferenças: o Temer foi ameaçado de impeachment, mas o dele não foi aprovado, por isto que ele continua tentando as mesmas ações que a Dilma tentou e teve que parar com o afastamento.

                Nos anos de 2015 e depois em 2016 a Dilma se esforçou do mesmo jeito pelas reformas exigidas pelo mercado, teve as mesmas dificuldades e um pouco mais, comprou os deputados do mesmo jeito e adotou outras ações apelativas, identicas às adotadas por Temer, como o exemplo de reduzirem os compulsórios dos bancos para tentarem forca-los a reduzirem os juros finais e assim incentivar o consumo, quando temos recorde de inadimplência, ou seja, apagar incêndio com gasolina. De novo o Temer está fazendo o mesmo que Dilma e Lula, focando no consumo, isto mesmo quando já estamos com inadimplência recorde, ele está repetindo a estratégia suicida dos antecessores e deixando de fazer qualquer mudança estrutural e relevante. Onde ficaram as privatizações bilionárias que seriam feitas, a dinamização da economia, os investimentos em infraestrutura? Nada evoluindo, ao contrário, continuam cortando estes investimentos e como a Dilma, se “sustendando” na PROMESSA de que “um dia” vão fazer.

                Reforma trabalhista? Sim agregou algo útil, como os processos trabalhistas. Colaborou em algo efetivo para eliminar os gargalos que impedem o crescimento sustentável dos empregos? Colaborou para ganhos de produtividade, redução de custos trabalhistas diretos sobre os salários e resolveu de forma efetiva o risco jurídico da contratação de terceirizados? Não, então ela foi “boa”, trouxe algumas melhorias, mas com atuação PERIFÉRICA, não tão relevante.

                Dilapidação do FGTS, manobras heterodoxas e SUJAS para salvar a CEF em escala muito maior, corrupção ainda maior que na época da Dilma, tudo isto foi o que ele conseguiu fazer ainda pior do que a antecessora…

                Fazendo um balanço do que consta acima, não vejo diferenças tão grandes…

                11+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • Zé do Brejo 21 de dezembro de 2017 at 14:31

                  As vezes tenho a impressão que as opniões não são apartidárias.
                  Não dá para esquecer que o PT sempre investiu pesado com blogs sujos e opniões compradas.
                  Daqui a pouco aparece alguém defendendo o Lula, Dilma e o Aécio.

                  5+
                  • cosmos 21 de dezembro de 2017 at 17:15

                    Velho, o nome disso é “paranóia”. Infelizmente anda muito comum no Brasil, pois é cada vez mais raro poder conversar educadamente com alguém na internet sobre qualquer assunto relacionado a economia e política sem ser acusado de “petralha” ou “tucanalha”. Sou liberal desde a época em que não era modinha no Brasil (época em que em e mais uns poucos gatos-pingados acompanhávamos Olavo de Carvalho e Rodrigo Constantino se estapeando no grupinho de e-mails de liberais que existia então) e nos reuníamos na casa do embaixador Meira Penna em Brasília. Ajudei o “Escola sem Partido” na época em que os MBL estavam ainda de fraldas. Nem todos que discordam têm uma “agenda secreta”, só uma opinião diferente. Sugiro que leia a parábola (budista, hinduísta e de outras religiões) dos sábios cegos e o elefante: pode ajudar a entender que opiniões distintas são, por vezes, todas verdadeiras.

                    Enfim, esse tipo de coisa é que tira a vontade de comentar por aqui. Vou voltar a só ler, mesmo. Abraço a todos!

                    10+
                    • avatar
                    • avatar
                    • avatar
                    • EngenheiroDF 21 de dezembro de 2017 at 21:52

                      Não deixe de comentar, Cosmos!

                      2+
              • EngenheiroDF 21 de dezembro de 2017 at 17:35

                E tem a PEC DO TETO!
                Pra mim o maior legado do governo Temer até agora!
                Bora , presidentO!!!

                5+
                • avatar
                • avatar
    • DAN 24 de dezembro de 2017 at 18:52

      Não vejo a hora do censo de 20120….

      0
  • Carlos 21 de dezembro de 2017 at 07:23

    OFF – Primo gringo do bolha.

    The Housing Bubble
    Examining the home price boom and its effect on owners, lenders, regulators, realtors and the economy as a whole.

    http://thehousingbubbleblog.com/index.html

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Antigo 21 de dezembro de 2017 at 08:49

    Bom dia!
    Quantos gráficos! Que beleza.
    Sou meio burrinho, me corrijam se eu estiver errado.
    Mas a conclusão desses gráficos é que a situação está melhorando desde o princípio de 2017?
    Os indicadores ruins tiveram redução e os bons aumento. Agora vai?

    Não lido com dados no meu dia a dia então nem tenho como afirmar nada se essas análises estão certas ou não.

    Mas a realidade que vejo na vizinhança, nas ruas, com meus colegas de trabalho… é totalmente diferente. Ainda não começou a melhorar, pelo contrário, nem parar de piorar começou ainda…
    A dobradinha DD (dívidas + desemprego) é uma constante em todos os círculos sociais.

    Inclusive, proponho uma análise individual coletiva nesse natal. Se houver reunião familiar, observem quantas pessoas estão sem emprego, entre parentes e agregados. Pelo menos na minha família esse número aumentou.

    26+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • rafa_fv 21 de dezembro de 2017 at 09:13

      Antigo, bom dia.
      A pergunta que fica para mim é como estariam estes gráficos se o governo não tivesse feito as manobras que fez para injetar dinheiro na economia, só das contas inativas foram 44 bilhões.

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 21 de dezembro de 2017 at 09:23

      Antigo
      Imagine que fizéssemos o gráfico de apenas uma família
      Quantidade de vezes ao mês que foram jantar fora
      Um gráfico indicaria que, no final de 2016 bateram no fundo do poço e agora está cada vez melhor, mas:
      E novembro de 2016 venderam o carro novo e compraram um mais velho
      Em fevereiro de 2017 pegaram um dinheiro do FGTS
      Em julho de 2017 pegaram o dinheiro do PIS
      Em novembro de 2017 entraram no cheque especial
      Se você olhar apenas para o gráfico de jantares fora por mês, vai parecer que está tudo melhorando, quando na verdade consumiram poupança (fgts e pis), baixaram o padrão de vida (carro mais velho) e se endividaram (cheque especial)

      43+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • SP 22 de dezembro de 2017 at 15:05

        Exato, podemos até traçar perfis.

        perfil 1 – Permanece no mesmo emprego, consegue dissidio.
        perfil 2 – Perde emprego, consegui um novo com salário inferior.
        perfil 3 – Perde emprego e vai para informalidade.
        perfil 4 – Ganha promoção no serviço e aumenta seus gastos.
        perfil 5 – Empresário fecha negócio e vive de PMJ.
        perfil 6 – Empresário diminuiu quadro de funcionários e permanece com negócio aberto.

        Na relação acima o que consideram que mais ocorreu em 2017? Na minha visão e realidade regional houve diminuição na riqueza das famílias.

        1. Quem teve dissidio comprou um carro novo ou casa a prestação,
        2. Quem esta com um salário menor está vivendo com menos ou estão no cheque especial.
        3. Quem está na informalidade creio que não mais de 10% esteja ganhando mais que anteriormente.
        4. A quantidade de pessoas que ganharam promoção é insignificante para considerarmos em uma mediana.
        5. em minha região fechou muito mais negócios do que abriu.
        6. Menos clientela, menos funcionários necessários.

        De forma geral tivemos queda ao invés de um retorno ao padrão no ano anterior.

        Thiago FM outro ponto que não entra nos seus dados, em tempos de bolha ou não, sempre haverá pessoas comprando ou vendendo, entretanto não podemos se basear apenas neles como Santo Graal. O problema que temos hoje é, estoque alto sem fluidez de negócio, nestes casos os proprietários seguram até não conseguirem mais arcar com as despesas inerentes ao negócio, considero que nos últimos 3 anos isso está acontecendo com muito mais frequência se comparado a tempos anteriores.

        1+
  • Oliveira 21 de dezembro de 2017 at 09:21

    Thiago FM, Considerando a proximidade das eleições e situação do governo e pressão do mercado – principalmente da construção-, considerando as concessões do FGTS, PIS(ao longo de 2017), coincidente liberação de perdas da poupança que se arrastava por anos, O descolamento dos preços no mercado imobiliário da renda(entre ~2006 e ~2016). Não transparece como um enforco incomum talvez associado a agenda eleitoral? Não parece razoável que com a perda de interesse eleitoral, medidas artificiais deve perder força a partir de janeiro de 2019 e expondo um realidade mais dura ?

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Zé do Brejo 21 de dezembro de 2017 at 09:27

    É senhores, não tá fácil pra ninguém… Mas para alguns, ano que vem vai bombar…kkkkkk 😀
    https://tvefamosos.uol.com.br/noticias/redacao/2017/12/21/belo-se-muda-na-calada-da-noite-sem-acertar-divida-de-aluguel.htm

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 21 de dezembro de 2017 at 09:36

      Trinta mil de aluguel… Com três mil já dá para morar confortavelmente, mas precisa ostentar né…

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Zé do Brejo 21 de dezembro de 2017 at 09:40

        Realmente não faz sentido gastar esse valor de aluguel

        7+
      • Libertario 21 de dezembro de 2017 at 09:44

        Mas se desde o inicio ele sabia que não ia pagar, melhor alugar a mais cara mesmo.

        36+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Libertario 21 de dezembro de 2017 at 09:49

    Vou imprimir todos esses gráficos e mostrar para os parentes e amigos que estão desesperados sem empregos e sem perspectiva nesse final de ano.

    Já vou mandar umas cópias pras construtoras também, porque apesar de não venderem nada, pelo menos eles vão saber que está tudo bem.

    39+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 21 de dezembro de 2017 at 09:54

      🙂 😊 Ótima ideia !

      “Muitas pessoas não querem dinheiro. Elas querem a sensação de estarem certas! ” Deiro, Pan. (2017)

      40+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 21 de dezembro de 2017 at 09:56

      kkkkkkk
      boa

      31+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 21 de dezembro de 2017 at 09:58

        Seu nefasto !
        Bandjito ilícito !
        😊😊😊

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 21 de dezembro de 2017 at 12:01

          eu não li esse livro, mas vivo fazendo isso aqui nesse blog, é assustador o nível raso de grau de compreensão das pessoas, mesmo as bolhistas sobre a simples matematica e estatistica, poderia citar os mais comuns:

          – troca da causa pela consequencia
          – falta ou falsa relação causa – efeito
          – premissas falsas
          – logica incorreta
          – uso de dados parciais pinçados
          – desconsideraçao do cenário completo de dados
          – desconsideração de sazonalidade
          – comparações enviesadas, distorcidas, erroneas
          – contradições internmas e inconsistencia nas série
          – erros crassos de aritmética
          – desconsideração de fatores relevantes
          – supervalorização de fatores irrelevantes
          – redução do problema a conjunto de fatores insuficientes
          – desconhecimento da metodologia de:
          —pesquisa
          —calculo
          – excesso de florais, degradês e cores
          – desuso total de linhas de tendencia, de alphas de tendencia,
          – desconhecimento da matematica mais simples de integral e derivada entre movimento, velocidade e aceleração na variação de fatores

          isso falando assim de cabeça.
          juro que listei isso em 30 segundos

          14+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • indiobolhista 21 de dezembro de 2017 at 19:51

            ooooooooohhhhhhhhhhhhhh que sabio , um exemplo de erro causa-consequencia eu cometo todos aqueles erros mil veces ao dia, entao sou burro, voce é inteligente mais com mais QI que sharon stone que no filme baixos instintos abriu as pernas numa sequencia, como voce supera a sharon stone voce é mais inteligente que ela abres tu cabeza de culo y cagas tanta genialidad em 30 segundos, na próxima chama o recorde de guinness genio

            4+
      • Cesar_DF 21 de dezembro de 2017 at 10:26

        SINOPSE

        Quando foi publicado pela primeira vez, em 1954, o livro de Darrell Huff foi saudado como pioneiro em conjugar linguagem simples e ilustrações para tratar de um tema polêmico e controverso- o mau uso da estatística para maquiar dados e abalizar opiniões. Hoje, em tempos de internet e big data, o livro continua genuinamente subversivo e ainda mais relevante. Qual é, afinal, o grau de confiança que devemos depositar nas análises estatísticas? Segundo Huff, vale ter sempre um pé atrás. Amostras enviesadas, gráficos dúbios, listagens incompletas- item por item o autor apresenta os vilões da interpretação de dados. Em um capítulo, ele aponta como os gráficos estatísticos, mesmo matematicamente corretos, podem não representar em nada a realidade. Em outro, vemos que uma mesma projeção pode mostrar um futuro positivo ou alarmante, dependendo da amplitude de dados que ela cobre. O livro termina com um brilhante passo a passo para o leitor aprender a diferenciar informação de enrolação. Escrito com humor e repleto de advertências tão atemporais quanto a ciência matemática, Como mentir com estatística é uma leitura agradável e absolutamente acessível. Indispensável para quem se vê bombardeado diariamente, seja pela mídia ou pela timeline do Facebook, por infográficos e estatísticas que se pretendem verdades incontestáveis.

        17+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • indiobolhista 21 de dezembro de 2017 at 10:06

    https://exame.abril.com.br/revista-exame/e-melhor-ser-pessimista/# ESSE FILHO DA SUA MÃE ESTA CONTRADIZENDO O TITULAR DO EXAME ABRIL, é melhor ser pessimista?, peraí é melhor ser ultra-pessimista se vc for investidor, agora se é para morar entao voce debe ser um 666, um super-otario que nao conhece o brogue mequetrefe, voce que quer comprar o que é seu, entao voce é um investiotario compre ja, que o poço ja passou, aproveite que os preços vai subir ????? como ????
    Quem está procurando um imóvel para morar também deve esperar?
    Não. De forma geral, o mercado imobiliário bateu no fundo do poço no começo do ano. Agora, estamos na fase de recuperação, que tende a continuar independentemente do resultado das eleições. É claro que a perspectiva de um novo governo comprometido com o ajuste fiscal e com as reformas acelera essa retomada, mas, em alguns lugares, os preços estão muito achatados. É difícil que caiam mais, porque os estoques estão acabando e valores mais baixos não cobrem os custos de novas construções. Para quem quer comprar um imóvel para morar, a hora é esta: daqui a um ano, os preços devem estar mais altos.

    5+
    • avatar
    • Zé do Brejo 21 de dezembro de 2017 at 10:44

      Trabalhar para ganhar o dinheiro ninguém quer… agora especular para roubar de quem ganhou esse dinheiro trabalhando, o mar está repleto de tubarões.

      12+
      • avatar
  • indiobolhista 21 de dezembro de 2017 at 10:10

    Muito interessante como o entrevistado tenta pegar de bestia ao povo de leitores, mais publicidade que tudo esta normal???
    É melhor ser pessimista com os imóveis
    Como a recuperação duradoura da economia é uma incógnita, só vale a pena comprar imóveis realmente baratos
    Maximo Lima, da gestora de imóveis HSI: aposta no mercado residencial de São Paulo (Germano Luders/Revista EXAME)
    A Hemisfério Sul Investimentos (HSI) é uma das maiores gestoras de imóveis do país. É dona de 302 empreendimentos, entre prédios comerciais, terrenos, galpões, loteamentos, shoppings e hotéis. Desde 2006, quando foi fundada, investiu quase 13 bilhões de reais no setor. Captou um novo fundo em 2016 e, hoje, tem cerca de 1 bilhão de reais para aplicar.
    Para ganhar dinheiro no mercado agora, segundo Maximo Lima, sócio-fundador da HSI, é preciso comprar ativos “à prova de PIB” — que ainda estão baratos ou podem valorizar mesmo que o desempenho da economia decepcione.
    Este é um bom momento para investir no mercado imobiliário?
    Depende. A perspectiva de recuperação da economia levou alguns proprietários de terrenos e grandes imóveis comerciais, especialmente, a aumentar os preços. Mas a alta foi rápida, enquanto os fundamentos da economia estão andando devagar. O país deve crescer neste e no próximo ano. A dúvida é se isso é o início de um crescimento sustentável ou mais um voo de galinha. Vai depender do próximo governo e da aprovação de reformas, especialmente a da Previdência. A situação em 2020 ainda é uma incógnita. Como o ciclo do mercado imobiliário é longo, isso nos preocupa. Temos de pagar preços condizentes com esses riscos, e não fazer uma aposta ousada no crescimento do PIB.
    Ainda assim, a HSI fez novos investimentos. Por quê?
    Fizemos aquisições à prova de PIB. Alguns empreendimentos foram baratos: se a situação do país continuar melhorando, teremos um bom retorno, mas, se algo der errado, não devemos perder dinheiro. Também investimos em imóveis residenciais em regiões onde a demanda continuou elevada, apesar da crise. O estoque de imóveis prontos e não vendidos em São Paulo esteve muito elevado durante a recessão, mas, analisando com cuidado, vimos que esse era um problema de bairros mais periféricos. Em bairros de alto padrão, como Itaim e Vila Nova Conceição, isso quase não aconteceu. Aproveitamos para comprar terrenos nesses locais e vamos lançar empreendimentos em 2018. Como pagamos mais barato do que concorrentes que compraram quando ainda havia euforia, temos condição de cobrar menos pelos apartamentos.
    Existem oportunidades semelhantes no Rio de Janeiro?
    Fizemos um investimento num galpão industrial em Duque de Caxias, que é uma cidade importante do ponto de vista logístico. Mas, recentemente, foi apenas isso. A situação do Rio é trágica, e houve muitos lançamentos. Na Barra da Tijuca, por exemplo, sobram imóveis residenciais. Até a economia do estado começar a se recuperar, não vale a pena.
    Quem está procurando um imóvel para morar também deve esperar?
    Não. De forma geral, o mercado imobiliário bateu no fundo do poço no começo do ano. Agora, estamos na fase de recuperação, que tende a continuar independentemente do resultado das eleições. É claro que a perspectiva de um novo governo comprometido com o ajuste fiscal e com as reformas acelera essa retomada, mas, em alguns lugares, os preços estão muito achatados. É difícil que caiam mais, porque os estoques estão acabando e valores mais baixos não cobrem os custos de novas construções. Para quem quer comprar um imóvel para morar, a hora é esta: daqui a um ano, os preços devem estar mais altos.
    Escritórios em São Paulo: um segmento complicado, na visão da HSI | Germano Lüders
    A HSI tem 11 shopping centers. Investir nesse segmento não é um risco no longo prazo, com o crescimento do comércio eletrônico?
    Não do jeito que fazemos isso no Brasil. Os shoppings que estão fechando nos Estados Unidos são os que estavam localizados em subúrbios e ofereciam serviços ruins. Não havia atrativo para as pessoas se deslocarem até lá, então muitos simplesmente pararam de ir e começaram a comprar pela internet. Além disso, nos Estados Unidos, a logística reversa funciona muito bem: é possível devolver produtos com facilidade. Aqui não é assim. Além disso, no Brasil, os grandes shopping centers oferecem muitos serviços, como teatros, clínicas, parques para criança, restaurantes sofisticados. Isso atrai os consumidores. Esse é um dos segmentos do mercado imobiliário que consideramos mais interessantes hoje. O outro é o de logística.
    Por quê?
    Os resultados dos shoppings estão melhorando porque a economia está se recuperando. Em logística, o crescimento do comércio eletrônico está criando demanda por galpões para o armazenamento de produtos. É importante estar perto dos grandes centros urbanos para garantir a agilidade das entregas. Por isso, temos galpões próximos às cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro.
    Quais são os segmentos mais complicados do mercado imobiliário atualmente?
    O de hotelaria é um deles. O comportamento desse setor depende do crescimento da economia, o que está apenas começando. Além disso, houve muita oferta nos últimos anos. Muitos hotéis estão em situação complicada, com a taxa de ocupação baixíssima. O outro é o de escritórios. Muitos investidores estão pagando caro para comprar imóveis comerciais porque acreditam que os preços vão valorizar como no começo da década. E não vão. A economia mudou. Por dentro do assunto: Descubra com a TOTVS cinco formas de usar CRM para melhorar a experiência do hóspede Patrocinado
    Os investidores estrangeiros estão mais otimistas com o país?
    O interesse deles está num nível médio. Em 2015, quando a situação do Brasil era caótica, decidimos captar um novo fundo. Muitos investidores ficaram receosos, mas entenderam que era o momento de pagar barato. O país melhorou, mas existe muita incerteza política — e os preços já subiram. A maioria dos investidores com quem trabalhamos está preferindo esperar para ver o que vai sair da eleição presidencial de 2018. Pode ser que os imóveis fiquem mais caros, mas esses investidores não parecem dispostos a correr o risco eleitoral.

    3+
    • avatar
  • Alemon Fritz 21 de dezembro de 2017 at 10:23

    ficou dificil.
    -Polícia investiga assassinato de corretor de imóveis em Balsas
    Globo.com-13/12/2017
    A polícia de Balsas, a 810 km de São Luís, investiga o assassinato de um corretor de imóveis no último domingo

    5+
    • avatar
  • cosmos 21 de dezembro de 2017 at 10:54

    Em tempo, mesmo achando que Temer e Meirelles têm feito um bom trabalho, nas atuais circunstâncias, não acho que parará o estouro da nossa bolha imobiliária. Pra mim, estamos na fase do “back to normal” e os preços podem até aumentar por um período, mas vão mergulhar depois.

    2+
    • Zé do Brejo 21 de dezembro de 2017 at 11:03

      Bom trabalho? Temos visões opostas, por que acho que ele só torrou bilhões de reais para se manter no cargo e não ser preso.
      Ele, Lula e a imbecil da Dilma, deveriam estar na cadeia. Desculpa, não tenho bandido favorito!

      25+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • cosmos 21 de dezembro de 2017 at 11:23

        Também não tenho e, como disse, acho que ele certamente tem envolvimento com corrupção. Mas, nesses últimos sete anos, morei ou visitei vários países que têm políticos corruptos (talvez em termos de “corrupção per capita” sejam até mais corruptos que o Brasil), mas eles oferecem melhor condição de vida para seus habitantes (inflação menor, segurança pública muito melhor, menos impostos etc). Por quê? Porque corrupção é um problema grave, mas não é todo o problema. Se no governo tivéssemos apenas santos incorruptíveis, o Brasil continuaria com a maior parte dos problemas que tem. Porque a principal causa não é a corrupção, mas a burocracia, a incerteza do ambiente de negócios, a Justiça lenta, o labirinto tributário (que faz que mesmo empresas “honestas” terminem sonegando impostos, pois a regra é tão confusa), a educação ruim etc. Qual a diferença desses países pro Brasil? É só ver o “ranking” de países de maior liberdade econômica. Pelo menos isso está, aos poucos, melhorando com o Temer (veja, por exemplo, os planos da Receita de unificar o pagamento de alguns impostos).

        Pense só na lei de licitações. Ela é feita pra prevenir ao máximo a corrupção, mas é tão complexa e o ambiente legal é tão incerto que a) deixa toda compra governamental muito mais cara do que deveria ser e b) desestimula o bom funcionário que precisa organizar uma licitação necessária, por exemplo pra comprar um equipamento médico de ponta pra um hospital público. Não sei, o discurso de que o problema do Brasil é a corrupção é muito simplista. Se não houvesse corrupção em Cuba, seria Cuba um país desenvolvido?

        11+
        • avatar
        • avatar
  • Brazil mode OFF 21 de dezembro de 2017 at 11:32

    CVR

    Caros, passei minhas ferias em Itapema (meia praia)- SC. Fiquei na casa de um amigo que mora em um condominio de luxo onde ate o Neymar e Alexandre pires possui um apartamento. Se nao me engano são 6 torres. La dentro vc tem restaurante, varias piscinas aquecidas e normais, sauna, ofuros, sala de jogos (a melhor que ja vi na vida, tudo de primeira qualidade), cinema (coisa de loco tbem) e academia (muito boa por sinal, equipamento de primeira linha). Eu fiquei impressionado com aquilo tudo, mas, maaaaassss a visao bolhistica que este blog me deu eu apenas pensei: “São apenas tijolos um em cima do outro”. Mas a experiência que tive foi muito boa. deve ser muito bom ter dinheiro kkkkkkkkkkk

    http://construtorapasqualotto.com.br/empreendimento.cfm?codigo=13

    https://extra.globo.com/esporte/neymar-promove-torneio-de-poquer-em-sua-casa-de-itapema-sc-21531591.html
    https://www.youtube.com/watch?v=cks681fo3bE
    https://www.youtube.com/watch?v=L9akfmzgVY0
    http://construtorapasqualotto.com.br/empreendimento.cfm?codigo=13

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • to bolhado 21 de dezembro de 2017 at 11:43

      deve ser muito bom ter dinheiro! (2)

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Money_Addicted 21 de dezembro de 2017 at 11:48

        Eh bom ter dinheiro!!! kkk

        21+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 21 de dezembro de 2017 at 12:13

          pro bem da lógica, neste caso especifico a conclusão correta seria:
          = é bom ter amigo com dinheiro

          32+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • Money_Addicted 21 de dezembro de 2017 at 11:47

      Aqui ngm nunca falou q ter dinheiro nao eh bom, MUITISSIMO pelo contrario. Quem nao gosta de dinheiro sao os bricklovers e afins q antes mesmo do dinheiro pingar na conta ja esta comprometido.

      Agora esse papo q fulano tem ap eu acho uma bobeira, desculpe falar

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Bolhudo 21 de dezembro de 2017 at 11:56

      A estratégia de dizer que um famoso tem uma unidade no empreendimento é antiga, mas funciona, faz a vítima desviar o foco das rachaduras das paredes.

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 21 de dezembro de 2017 at 12:28

        neymar em itapema tem comer bosta pra acreditar nisso???
        se ele foi 1 dia lá visitar um amigo já é suficiente pra invetarem mil mentiras
        bem, pode ser que seja verdade, o cara tem tanto dinheiro que largou umas merrecas lá pra investir.
        agora pensar que neymar frequenta esse lugar ou qualquer outro no BR,e xceto santos onde ele tem familia, é preciso desconhcer toda a europa, e desconhecer a pessoa em questão, vcs vão me chamar de ainda mais louco, tenho uma admiração por esse jogador de futebol e nenhum outro antes, só o fato dele se mudar pra frança diz muito sobre ele e sua familia, não senhores, dinheiro ali não é prioridade… eles nem ligam rpa ter dinheiro mais

        13+
        • avatar
        • avatar
        • to bolhado 21 de dezembro de 2017 at 12:29

          para Camburiú ele ia até uns 2 anos atrás, sei de fonte quentíssima.

          8+
          • avatar
          • avatar
          • Porto-alegrense 21 de dezembro de 2017 at 14:01

            Ele passa uns dias em Jurerê Internacional já faz algum tempo.

            5+
            • avatar
        • Brazil mode OFF 21 de dezembro de 2017 at 15:00

          Tem fotos dele lá no condominio

          4+
      • Alemon Fritz 21 de dezembro de 2017 at 12:29

        A Sheron istone era uma que morava num aqui em balneário e usada na propaganda pra vender unidades 3 anos. Nunca mais ouvi falar. Aquela que abriu as pernas no filme.

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Porto-alegrense 21 de dezembro de 2017 at 14:03

          Camboriú. Ela e o namorado argentino.

          5+
          • avatar
          • Alemon Fritz 21 de dezembro de 2017 at 14:47

            não, pesquisando aqui ela está em miami com o agente de esportes Lonnie Cooper, apontado como seu novo namorado.
            está filmando uma serie na HBO e mais 2 filmes. foi embora em 2014… ela tem QI maior que einsten, esperta ela.

            8+
            • avatar
            • avatar
  • Alemon Fritz 21 de dezembro de 2017 at 11:50

    off
    Comprei um molho de tomate com bitcoin, e paguei R$ 26 de taxas
    https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/comprei-um-molho-de-tomate-com-bitcoin-e-paguei-r-26-de-taxas/

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 21 de dezembro de 2017 at 11:59

    FICOU MUITO LÁ PARA CIMA

    thiago fm 20 de dezembro de 2017 at 22:47
    UM PEQUENO PRÓLOGO ANTES DE RECOMEÇAR

    Sob meu ponto de vista, para o bem ou para o mal, o mercado imobiliário e os preços dos imóveis (com alguma defasagem) devem seguir de forma razoável a trajetória geral da economia, seja para um cenário de recuperação mais consistente, uma queda mais profunda via repique da recessão ou para os já conhecidos voos de galinha, que no longo prazo poderão ser confundidos como um “andar de lado” do mercado, como disse outrora. Para que meus pitacos não sejam entendidos como um “chute”, decidi expor os dados atualizados, para não ficar só na velha regurgitação de discursos, suposições e retóricas sem dados que tem dado o tom da discussão por aqui os últimos tempos.

    Cesar_DF 21 de dezembro de 2017 at 11:06
    Thiago fm
    Sua conclusão de que o mercado imobiliário deverá acompanhar a recuperação da economia, não leva em consideração alguns fatores

    1 – Muitos compradores eram, na verdade, investidores, ou seja, não adquiriram imóveis com o intuito de morar neles, mas sim para ganhar com a venda ou a locação destes imóveis. Como ocorreu uma SUPEROFERTA de imóveis, a rentabilidade do aluguel caiu e também ocorreu uma valorização dos imóveis acima do custo de construção deles, de forma inevitável irá ocorrer um retorno a normalidade, significando que estes investidores irão perder dinheiro na hora de realizar o investimento, a não ser que façam a opção de uma longa perda de investimento, através de um retorno negativo. Os investidores sabem hoje que o mercado imobiliário é uma furada, e não irão retornar para ele.

    2 – Você está fazendo a suposição de que a demanda manterá os índices históricos, mas existe uma clara tendência de que a geração millenials não saia da casa dos pais, permanecendo eternamente com eles, no máximo agregando um esposo(a) e mais um filho(a)

    3 – O superestoque de imóveis, estimado em cerca de 12 milhões de residências, nunca será zerado, mesmo até 2042, com o aumento da população em 21 milhões de pessoas, pois a taxa de fecundidade já quebrou a barreira de 2.1 em 2006 e tende a estabilizar em 1.5 conforme outros países europeus.

    A conclusão é que ocorreu e ainda ocorre uma redução drástica da demanda, ao mesmo tempo que já existe um superestoque de imóveis, pela simples lei da OFERTA X PROCURA não existe fundamento para um aumento do valor dos imóveis, mesmo com a melhoria da economia.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 21 de dezembro de 2017 at 12:15

      -a galera já tá percebendo a pegadinha da valorização via IPTU e ITBI, ano que vem haverá choro e ranger de dentes e muitos reclamarão que agora desvalorizou…
      – houve repatriação de dólares, essa grana foi pra algum lugar.
      – a galera não faz conta, qdo faz não abandona o “que é meu na planta” no início, vide garota da ana Maria Brega… continua pagando achando que está fazendo bom negócio.
      – imóveis grandes estão sendo usados no Airbnb, ver caso do cara que sublocava pra 12 pessoas
      – juventude indo pra outras “alternativas” ou herdando mesmo, não vão manter o imóvel.
      – não foram ainda resolvidos os casos da emissão das LIGs e dos distratos (o esqueleto está no armário ainda)
      – os idosos estão alugando e mantendo imóveis antigos, muitos com problemas de regularização que ainda não apareceram.
      – regularização dos imóveis rurais (mais taxas e impostos e pegadinhas).

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 21 de dezembro de 2017 at 12:26

        ah, e ainda tem gente que acha que fez bom negócio: meu irmão vendeu uma Landrover, uma lancha (herança) de 75k, um apartamento por 475k, e ainda está devendo! e nem acabou as obras do apto novo… imagino onde ele vai arranjar um comprador no futuro pra vender esse apto. Provavelmente, o interessando compra um novo que ele pode modificar. Toda hora reclama que não consegue fazer nada pois está sem grana…

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Babuíno 21 de dezembro de 2017 at 12:03

    OFF – BITCOIN
    Um dos maiores defensores do Bitcoin, assumiu que ele é falho. Se ele chegou à essa conclusão, a “massa” pode chegar à mesma conclusão e começar a ter migração em massa para as outras coins.
    Vale a pena assistir:

    -https://www.youtube.com/watch?v=nqV5E52RUF8

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 21 de dezembro de 2017 at 12:12

      falho é exagero
      limitado sim
      aliás como todo sistema
      se esse ou qualquer outro diz isso, pode ter certeza ele já migrou pra outras moedas, questão de tempo a manada correr atrás, e oscilar violentamente o valor da moeda, ainda assim acho que o movimento de entrada permanecerá forte por muito tempo.

      4+
      • avatar
      • Bolhudo 21 de dezembro de 2017 at 12:18

        BTC tem se mostrado como opção de reserva de valor, uma moeda criptográfica para pequenas transações deve se destacar num futuro próximo, eu estou apostando em algumas como a IOTA. Após a poeira provocada pela manada baixar, as coisas vão “clareando”, mas uma coisa é certa, o futuro das moedas já chegou.

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Rico 21 de dezembro de 2017 at 14:50

          Brasil e Coreia do Sul pensando em bloquear o bitcoin. Começou o ataque com alfinete.
          Procurem no google. Estou com preguiça de colocar links.

          4+
          • avatar
          • avatar
          • Bolhudo 21 de dezembro de 2017 at 17:04

            Não faz sentido tentar impedir as moedas criptografadas, numa economia sedenta por dinheiro a tendência é facilitar a entrada de moeda “estrangeira”, o leão come uma parte para políticos desviarem e o resto movimenta a economia. Nem o Maduro proibiu na Venezuela, ao contrário, criou a sua própria. Quem vai fechar os olhos para 4 trilhões de dólares, quem quer rasgar dinheiro? Que o valor do BTC virou bolha é consenso, que as moedas criptografadas vieram pra ficar também.

            5+
            • avatar
          • Lucas 21 de dezembro de 2017 at 18:52

            impedir???
            bem faz sentido sim, pros gerentes do sistema old, até a dona janete presidAnta do cargo mais importante do mundo, mais que presidente americano, veja que houve 4 presidentes do FED enquanto passaram uns 8 pela casa Branca, até ela andou dando piti…

            quero ver é viabilizar esse impedimento
            a net é igual o mar, cai tudo ali dentro, de poluição a coisas boas, ninguem manda no mar, o mar é a lei da natureza.

            8+
            • avatar
  • Cesar_DF 21 de dezembro de 2017 at 13:36

    O Adolfo Sachsida está menos otimista que o Thiago fm

    Perspectivas para 2018: A Calmaria que precede a Tempestade

    http://bdadolfo.blogspot.com.br/2017/12/perspectivas-para-2018-calmaria-que.html?m=1

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Dr. Estranho 21 de dezembro de 2017 at 14:00

    Hahahahha. O cara trabalha e vive na França, mas, mas hahhahahaa, de vez em quando tb mora em SC. Aqui no Hell ate Mel Gibson tem imóvel tb. Hahahshaha. Aqui o Neymar comprou todos os imóveis restantes da Barra. Só que não tenho amigo rico e sou obrigado a passar ferias em Florença. Que chato! Quero um amigo rico no Brasil que conheça o Neymar.

    10+
    • avatar
    • avatar
  • Zé do Brejo 21 de dezembro de 2017 at 14:22

    Apenas me deram +1 motivo para não ir para Itapema.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Rico 21 de dezembro de 2017 at 14:51

      O que é Itapema?

      8+
      • avatar
      • Zé do Brejo 21 de dezembro de 2017 at 14:54

        Uma praia vizinha ao mar de bhosxta chamado Balneário Camboriú

        8+
        • avatar
      • Dr. Estranho 21 de dezembro de 2017 at 14:59

        Um lugar que todos milionários e famosos compram imóveis o que garante valorização de 30% ao ano mais convite para pé inchado frequentar.

        11+
        • avatar
  • Alemon Fritz 21 de dezembro de 2017 at 14:34

    tudo normal e estável,

    Fiz o financiamento de um imóvel, mas não estou conseguindo pagar…
    Época Negócios-há 20 horas

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Dr. Estranho 21 de dezembro de 2017 at 14:47

    Fico feliz em saber que no Hell ou Chiqueiro de Janeiro, como queiram, não estamos sozinhos. No RN tb não pagam salários e as polícias entraram em greve. Mas não se preocupem. Os entes federativos caloteiros são apenas RJ e RN. Os restantes são economicamente saudáveis o que garantira valorização de 30% ao ano para imóveis.

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 21 de dezembro de 2017 at 14:52

    o thiago FM postou um grafico que a massa salarial do BR triplica nos ultimos 10 anos
    fonte do nefasto: FGV – fipe

    bem, eu enho outro gráfico mostrando que a massa salarial de SP é quase 10% menor que no ano 2000
    link
    http://www.seade.gov.br/produtos/midia/2017/12/Apres_PED_RMSP_396_nov_2017.pdf
    ver slide 14. base media 2000 = 100 ultimo numero = 94,4

    minha fonte é o velho e bom SEADE ao qual conheço pessoalmente, nunca se deixaram esquerdizar

    sobre a GV uma dita faculdade privada leiam esse depoimento
    http://www.ilisp.org/opiniao/como-fui-suspenso-da-faculdade-por-criticar-militancia-de-esquerda/
    está sendo expulso da GV por criticar o esquerdismo

    Querem saber o clima de censura na GV???
    procurem por denuncia d eprofessores, sendo achacados pelos alunos por racismo e machismo

    Alguem está mentindo e usando estatísticas falsas, usando fontes sem credibildade
    Isso que eu tenho adizer pra vcs entederem o quão profundo é a enganação no BR que o CA denuncia.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 21 de dezembro de 2017 at 15:18

    kkk, segura coração
    juro a vcs semana passada comecei a entrar nos sites ver os aplciativos pra comprar criptomoeda até mesmo bitcoin
    idéia do buy and hold a principio, mas porra olah como caiu esses dias
    inda bem que eu sou lerdo, se me conheço vou levar 6 meses pra comprar a primeira moeda virtual

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • if 21 de dezembro de 2017 at 15:29

      Como diriam os corvos:
      “A hora de comprar é agora!”

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Brazil mode OFF 21 de dezembro de 2017 at 15:32

      “Agora é a hora, pois ficou mais barato” sarcastic mode on

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Zé do Brejo 21 de dezembro de 2017 at 15:35

      Mesmo assim, é mais fácil vender bitcoin do que vender imóvel

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 21 de dezembro de 2017 at 17:28

        – eu não comprei bitcoin porque:
        -O dono deve estar bilionário mas ninguém sabe quem é,
        -23% dos bitcoins estão perdidos no limbo (perda da senha, do hd, confiscos (bulgária), mortes..
        – eu li o paper, é interessante mas não conferi as referências nem as estatísticas.
        – enquanto sobe se vc quer vender algo ela vai desvalorizando: vc quer vender uma casa por 11bitcoins, daqui 3 meses ela deve ser rebaixada em 5bitcoins pois senão não vende nunca…. e ninguém quer perder bitcoin enquanto ele está a subir..
        – como ficam os impostos, os juros, as aplicações, as ações, salários
        – tempo e custos para negociar (leva 23x mais tempo que um cartão de crédito)
        – as taxas são altas pra pequenos valores (caverna do dragão, vc não pode sair)
        – as que eu quero eu não sei como comprar aqui (iota, lite e ethereum)
        – já estão vendendo casas em bitcoin, mas não apareceu ninguem ainda.. kkk os bancos não vão gostar, e como fica itbi, iptu etc..

        17+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Alemon Fritz 21 de dezembro de 2017 at 18:26

          – ah, os mercados estão empacotando derivativos com bitcoin, o derivativo é regulado, mas o bitcoin não é…
          alguns supermilionários estão trocando pra outras alts . .. o mercado de derivativos parece uma boa mas na verdade os tubarões nerds já estão abandonando, estão vendendo as suas pra provar que funciona, e as sardinhas estão indo atras da isca..

          4+
          • Alemon Fritz 21 de dezembro de 2017 at 18:32

            – Bitcoin Billionaires May Have Found a Way to Cash Out
            Bloomberg-há 3 horas

            5+
            • avatar
            • Alemon Fritz 21 de dezembro de 2017 at 18:39

              Os contratos de bitcoin futuros em dólar, vejam os derivativos:

              Futures trading gives new investors the choice to bet against Bitcoin and also allows them to settle contracts in dollars, boosting their liquidity. Plus, Bitcoin futures allows investors to trade off the cryptocurrency without actually owning it. This protects them from any volatility in the real-time spot market. This could reduce the demand for Bitcoin, pushing down prices.
              https://www.salon.com/2017/12/19/bitcoin-futures-trading-could-burst-its-own-bubble/

              1+
            • Lucas 21 de dezembro de 2017 at 18:49

              o bitcoin é a porta de entrada pra esse mundo de dinheiro psicodelico
              com ele vc compra as outras
              filme de terror: pague pra entrar, reze pra sair???
              ou o paraíso na terra???
              façam suas escolhas, façam suas apostas, ano que vem vou entrar, vai levar meses, mas vou
              como sempre, me toquei atrasado… mas antes a tarde do que nunca

              10+
              • avatar
              • avatar
  • Zé do Brejo 21 de dezembro de 2017 at 15:41

    Olha aí CA, nosso GRANDE ministro Keynesiano em ação.
    http://atarde.uol.com.br/economia/noticias/1922781-meirelles-sempre-se-pode-aumentar-impostos-que-nao-estejam-sujeitos-a-anualidade
    Não dá, não consigo defender essa raça de pilantra.

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Leonardo M. 21 de dezembro de 2017 at 16:07

      Quanto mais aumentar imposto mais Bitcoin e outras moedas vão ganhar mais adeptos.
      Antes não dava para escapar de governos e suas regulações.
      Em 10 anos se o governo brasileiro não abaixar os impostos e o estado inchado é bem possível que o Real quebre pois milhões de brasileiros vão migrar para moedas eletrônicas e sem IRPF

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Leonardo M. 21 de dezembro de 2017 at 16:11

      Só vetos argentinos
      Você acha ué eles insistem em ações, RF ou imóveis?
      Os caras compram dólares e deixam no Uruguai e outros paraísos fiscais.
      Bem provável que a nova geração de argentinos faça o mesmo, mas o dólar é uma cultura muito forte na Argentina de “segurança”.
      E eles estão errados?

      9+
      • avatar
      • avatar
      • JJJ_brasilia 21 de dezembro de 2017 at 21:10

        Dólar é reserva de valor, não é Investimento.
        Para ser Investimento tem que ter confiabilidade, o dólar tem, mas não gera renda como nas ações, renda fixa e até imóveis fora de uma bolha imobiliária.
        Mas no caso argentino é bom que dá para fazer.

        6+
        • avatar
  • Brazil mode OFF 21 de dezembro de 2017 at 15:54

    “Agora é a hora, pois ficou mais barato” sarcastic mode on

    4+
    • avatar
  • rogerio 21 de dezembro de 2017 at 17:20

    Lucas

    Rogerio, tbm respeito sua opinião, ainda que sua premissa seja verdadeira de proteção da ind. nacional (na verdade há mais detalhes aí, então é parcialmente verdadeira, por arredondamento vc está certo, mas não na mosca) vamos conviver com essa divergencia diametral, eu acho mesmo que a cultura ajuda a moldar o destino e a prosperidade de um povo, aliás não é esse o discurso de vcs com aquilo de escola de frankfurt? bem, essa contradição ambos carregamos, eu não acho determinante há outros fatores, mas tbm não é fator insignificante. Agora só te peço um favor, jamais separe o sujeito do verbo por vírgula.

    1+

    as vezes cometo estes crimes da língua culta.

    2+
    • Lucas 21 de dezembro de 2017 at 17:54

      eu gosto muito quando as pessoas discordam de mim de forma inteligente e leal
      muito obrigado por discordar

      10+
      • avatar
  • Lucas 21 de dezembro de 2017 at 18:54

    Alemon Fritz

    não, pesquisando aqui ela está em miami com o agente de esportes Lonnie Cooper, apontado como seu novo namorado.
    está filmando uma serie na HBO e mais 2 filmes. foi embora em 2014… ela tem QI maior que einsten, esperta ela.

    não é lenda
    um dos grandes QIs da humanidade essa mulher, o que não significa que vá fazer grandes inventos
    outro é o magic jonhson, venceu a aids empresario de sucesso, tá mais rico que quando jogava, numa epoca que os salarios da nba eram modestos

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Cadeludo 21 de dezembro de 2017 at 20:26

    http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2017/12/servidores-do-rs-vao-ter-que-contratar-emprestimo-para-receber-13.html
    isso por que a economia tá retomando…
    vejo uma corrida pelos imóveis
    corrida pra devolver pro banco kkkkk

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 21 de dezembro de 2017 at 21:55

    kkk, regras de basilixo, segurando a grana cada segundo..

    – Falha da Caixa atrasa pagamento de aposentados e pensionistas … (conte com a gente em 18)
    Gazeta do Povo-há 9 horas

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • cyberpsi 22 de dezembro de 2017 at 00:21

    CVR RS
    Critérios do governo RS para pagar o décimo:
    “Pelo projeto na Assembleia Legislativa, o governo do estado vai assumir o pagamento dos juros do empréstimo, de 1,42% ao mês. Quem não quiser aderir vai receber o 13º em 12 parcelas, pagas pelo governo a partir de janeiro e corrigidas com a mesma taxa de juros.”
    Quem está capitalizado vai conseguir uns bons juros 🙂

    25+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 22 de dezembro de 2017 at 10:24

      mas eu duvido q tenha alguem q esteja, tirando uma 1/2 duzia pessoal nao guarda dinheiro

      4+
      • avatar
    • Paulo Avelar 23 de dezembro de 2017 at 00:52

      Pagar salário com empréstimo de 1,45% am é o cúmulo da incapacidade em gestão pública e fiscal.

      O governador do meu Estado congelou os salários dos servidores ao mesmo tempo que contratou 20 mil novos policiais por concurso público, com salários de dois mil reais mensais para serem bucha de canhão da atividade econômica marginal,para completar equiparou o salário de delegados e defensores públicos aos de Juízes e MP.
      Sem mudar uma vírgula da CF de 88(direito dos manos) e nas leis penais e processuais penais.
      A criminalidade piorou e as delegacias e defensorias estão cheias de patricinhas, duas foram pegas recebendo mesada do tráfico, e eis que agora inventaram uma tal de audiencia de custódia e o que era frouxo antes, hj tá é escancarado.

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 22 de dezembro de 2017 at 08:07

    Endividamento atinge 89,1% das famílias no Paraná

    Quase 90% das famílias paranaenses estavam endividadas no mês de novembro, contra 62.2% da média nacional. Foi o que mediu a pesquisa da Confederação Nacional do Comércio (CNC), divulgada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR).

    A parcela de endividados que declara não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceriam inadimplentes, permaneceu estável na variação mensal e ficou em 10%.

    O endividamento é um pouco maior entre as famílias de maior poder aquisitivo, com 89,9%, ante 88,9% entre as famílias de menor renda. O cartão de crédito representou 72,8% dos motivos de endividamento no mês passado. O financiamento imobiliário subiu para 8,9% e o financiamento de veículos foi de 8,6%.

    http://www.rbj.com.br/economia/endividamento-atinge-891-das-familias-2057.html

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 22 de dezembro de 2017 at 08:09

    FecomercioSP: Inadimplência da família paulistana é a maior desde 2012

    No mês passado, 56,7% das famílias paulistanas declararam ter algum tipo de dívida, avanço de 2,2 pontos percentuais em relação a outubro, quando 54,5% estavam nessa situação, segundo dados divulgados nesta quinta-feira pela federação. Em comparação com novembro de 2016, a alta foi de 4 pontos percentuais. Atualmente, são 2,2 milhões de famílias endividadas em São Paulo.

    Na avaliação por renda, o endividamento continua sendo maior entre as famílias que ganham até dez salários mínimos em relação às de renda mais alta. Para o primeiro grupo, o percentual de endividados em novembro atingiu 60,2%, contra 57,6% do mês anterior. E o percentual de inadimplentes subiu de 24,4% para 25,3%.

    As dívidas no cartão de crédito continuam sendo as principais, com 73,6% das famílias endividadas nessa modalidade em novembro (eram 74,4% no mês anterior). Em seguida estão carnês, com 14,2% (em outubro, 13,9%); financiamento de carro, com 12,3%; e financiamento da casa, com 10,8%.

    http://www.valor.com.br/brasil/5227735/fecomerciosp-inadimplencia-da-familia-paulistana-e-maior-desde-2012

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 22 de dezembro de 2017 at 08:26

      quase 11% atrasados na casa, isso deve dar +- 40 bilhoes “a nível” de Brasil…

      5+
      • avatar
      • avatar
      • MauricioSP 22 de dezembro de 2017 at 10:57

        Pelo que entendi a pergunta é se tem dívida.Ou seja, quem está no aluguel é considerado sem dívida e quem está com financiamento (mesmo que com valor menor que o aluguel) é considerado com dívida.
        Depois vem inadimplência (dívida atrasada), que é 25%. Mas provavelmente a inadimplência é maior no cartão de crédito e cheque especial (que dá pra esquecer por uns anos e renegociar depois) do que no financiamento imobiliário.
        Enfim, analisar essas estatísticas é complicado.
        Quem está pior nos casos abaixo?
        Caso 1) Salário de 1 mil, aluguel de 600
        Caso 2) Salário de 1 mil, financiamento de 450
        Analisando somente utilizando o critério estatístico acima o Caso 2 está em condição pior do que o Caso 1, o que não é verdade.

        2+
    • Paulo Avelar 23 de dezembro de 2017 at 00:56

      Eles concluem que pelo fato de 76% das famílias comprarem a prazo no cartão estariam “endividadas”.
      Tipo assim essa metodologia fiel: “como eu tomo café, todo mundo toma café, é 100%”.kk

      0
  • Alemon Fritz 22 de dezembro de 2017 at 08:10

    feliz 2018,

    -Ao menos 18,5 mil imóveis de Florianópolis terão reajuste na taxa de lixo
    Globo.com-20/12/2017
    Pelo menos 18,5 mil imóveis de propriedade de empresas e de entidades da sociedade civil em Florianópolis terão reajuste na Taxa de Coleta de lixo, chegando a 100%.
    numa entrevista :imóvel de 40m2 vai pagar 1.247reais de taxa de lixo. kkk

    4+
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 22 de dezembro de 2017 at 08:39

    Esta notícia é de 2010, não me surpreenderia se no CENSO 2020 identificar algo entre 700 mil e 1 milhão de imóveis vagos na RMSP

    Há mais casa vazia que famílias sem lar em SP

    O número de domicílios vagos na cidade de São Paulo seria suficiente para resolver o atual déficit de moradia. E ainda sobrariam casas. Existem, na capital, cerca de 290 mil imóveis que não são habitados, segundo dados preliminares do Censo 2010. Atualmente, 130 mil famílias não têm onde morar, de acordo com a Secretaria Municipal de Habitação – quem vive em habitações irregulares ou precárias, como favelas ou cortiços, não entra nessa conta.

    Os recenseadores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) encontraram 3.933.448 domicílios residenciais na capital, onde vivem 11.244.369 pessoas. “Foram contabilizadas 107 mil casas fechadas, que são aquelas em que alguém vive lá e não foi encontrado para responder ao questionário”, explicou a coordenadora técnica do Censo, Rosemary Utida. Já as 290 mil residências classificadas como vazias não têm moradores, diz Rosemary.

    O Censo de 2000 já mostrava que a capital tinha mais casas vazias do que gente precisando de um lugar para morar, segundo a urbanista Raquel Rolnik, relatora especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para o direito à moradia adequada e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP. “Em 2000, tínhamos cerca de 420 mil domicílios vagos para um déficit de 203 mil moradias.

    https://raquelrolnik.wordpress.com/tag/imoveis-vazios/

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • thiago fm 22 de dezembro de 2017 at 08:40

    CONUNTURA GERAL DO CRÉDITO

    Podemos perceber que a variação real do crédito nos últimos doze meses, mesmo tendo apresentado atenuação gradual o ritmo de queda, ainda se encontra no campo negativo, porém em função da restrição maior do crédito às empresas. O gráfico acima, disponibilizado no RI do Banco Central revela que já há uma inflexão moderada do crédito às pessoas fisícas. A disparidade nesse caso se explica pela trajetória da inadimplência nos últimos anos, que cresceu muito no segmento PJ enquanto arrefecia no segmento PF.

    Quanto ao aumento real da carteira de crédito habitacional, nota-se que a alta em termos reais ainda não está consolidada e na prática depende de um aumento das concessões à classe média via SBPE, que pode vir a acontecer a partir do próximo ano.

    Por meio dos gráficos acima podemos notar que há um movimento em curso de realinhamento do crédito nos bancos públicos em relação ao privados, e sobretudo do uso do crédito direcionado a partir da saída do governo PT. Essa postura, caso se consolide, reforçaria uma possível mudança de paradigma na inserção do crédito controlado na economia, o qual certamente foi um dos responsáveis pelos desequilíbrios econômicos criados nos últimos anos, inclusive com impactos fiscais de longo prazo. Há de se considerar que uma diminuição do crédito direcionado indiretamente contribui para amenização das pressões inflacionárias e possibilita ao mesmo tempo uma maior eficácia da política monetária do Banco Central.

    ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA

    Nota-se uma diminuição gradual das taxas médias de juros do crédito no Sistema Financeiro, porém num ritmo e patamar ainda inferiores aos atingidos no último ciclo de baixa da Selic. Isso pode ser explicado em parte pela política atual de maior restrição do crédito nos bancos públicos, sobretudo na CEF e BNDES, que vêm segurando as taxas numa tentativa de controlar melhor os riscos de crédito e ajustar suas carteiras, aumentando suas margens. No caso da CEF se verifica um complicador a mais, visto que a instituição precisa concomitantemente ajustar seu nível de capital para se adaptar as novas regras da Basiléia que entrarão em vigor em breve, o que deve exigir uma nova injeção de capital no banco, principalmente no caso de uma possível expansão do crédito.

    Podemos notar que o nível atual de endividamento em relação à renda no Sistema Financeiro é o menor desde 2011, chegando aos patamares de 2007 quando se exclui as dívidas habitacionais

    Vocês devem conhecer bem o gráfico do endividamento em relação à renda, muito usado pelo sabichão para sustentar que o endividamento habitacional roubava a capacidade de consumo das famílias, principalmente a partir de 2012 quando as trajetórias das dívidas assumiram trajetórias opostas. Tal suposição não se sustenta por uma série de motivos:

    – Nos últimos anos o endividamento habitacional entrou em aparente equilíbrio em relação ao crescimento da massa salarial ampliada e mesmo assim o endividamento geral continuou sua trajetória de queda, o que reforça seu descolamento em relação à dívida habitacional;

    – Há uma certa defasagem entre as trajetórias de dívidas gerais e habitacionais, visto que pode haver um “delay” de até três anos para a entrada de uma parcela dessas dívidas em carteira nos casos dos financiamentos de imóveis novos, o que não ocorre com a maioria das demais modalidades de crédito, pois possuem amortização mais “curta”;

    – O endividamento total com habitação considera o total dos saldos devedores de dívidas de longo prazo, e por tal condição acaba assumindo um peso desproporcional quando comparado a renda de apenas um ano das famílias. Se mudarmos o ângulo de análise, considerando a dívida habitacional no serviço mensal da dívida, notaremos que o peso é diluído, tornando-se bastante restrito, conforme denota o gráfico acima. Se considerarmos que pouco mais de 2% da Massa Salarial Ampliada disponível mensalmente é direcionada para os pagamentos das parcelas habitacionais, chegaremos a conclusão que a penetração do crédito imobiliário, mesmo tendo crescido cerca de seis vezes em relação ao início da série, permanece ainda incipiente em termos macroeconômicos no Brasil. Isso não só em relação a renda, mas em quantidade, já que segundo a PNAD menos de 6% dos domicílios particulares se encontravam em situação de aquisição em 2016.

    Tendo como base a série longa da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) da cidade de São Paulo da Fecomércio, nota-se que a proporção de famílias endividadas permanece num patamar elevado, porém estável em relação aos últimos anos e num nível inferior ao registrado até 2006. Se combinarmos as pesquisas de endividamento em relação à renda e os dados de inadimplência no SFN, podemos notar que a alavancagem das famílias vem caindo já alguns anos, refletindo o freio do consumo. Isso sugere que grande parte das dívidas em atraso, capturados por outros levantamentos de endividamento e inadimplência, são de menor porte e curto prazo, provavelmente atreladas ao desemprego.

    Acima temos a pesquisa realizada pelo BC com 95% das instituições financeiras para mapear as expectativas do mercado bancário. (Vide Relatório de Estabilidade BC 10/2017). Notem que a maior parte do setor financeiro entende a apesar da alavancagem das famílias e empresas se situar em patamar elevado, a tendência agora passa a ser de queda

    PREJUÍZOS E PROVISÕES BANCÁRIAS

    É possível perceber através dos gráficos acima que o segmento que mais se desviou da média no quesito inadimplência foi o de pessoas jurídicas, o que justifica a maior cautela dos bancos na concessão geral de crédito, conforme o gráfico do Bacen. Já nas modalidades de crédito PF, as que mais impactaram a inadimplência e prejuízo dos bancos (ativos problemáticos), forçando o aumento maior das provisões nos últimos anos, estão atreladas à créditos do segmento comercial não consignado, o que reforça o que venho dizendo a respeito da maior resiliência e estabilidade das carteiras imobiliárias, inclusive na CEF. Isso não quer obviamente dizer que o crédito imobiliário tenha passado incólume pela crise, já que aumentaram a fatia da carteira reestruturada (renegociada) nos últimos anos e a retomada das garantias, mas ainda assim, se desconsiderássemos as reestruturações, não teríamos um deslocamento muito significativo do nível de inadimplência nesta modalidade.

    3+
  • thiago fm 22 de dezembro de 2017 at 08:42

    Bem, já que o problema não são tanto os gráficos em si, mas a leitura que eu faço deles, vamos fazer diferente dessa vez. Que tal lerem o último Relatório de Inflação do Banco Central, para vermos como a autoridade monetária tem enxergado a conjuntura macroeconômica atual, sobre os diversos aspectos que abordei ontem e os que abordarei em seguida.

    Vai parecer provocação (rs) mas vou ter que emprestar do sabichão a tática da caixa alta para selecionar os trechos literais mais importantes do relatório, para quem tiver preguiça de ler:

    http://www.bcb.gov.br/htms/relinf/port/2017/12/ri201712P.pdf

    A PROJEÇÃO para o CRESCIMENTO DO PIB em 2018 foi REVISADA de 2,2% para 2,6%, em linha com a RETOMADA GRADUAL da atividade econômica ao longo do ano e com as PERSPECTIVAS de sua CONTINUIDADE nos próximos trimestres.

    —————————————————————————————————————————
    Destaque-se, adicionalmente, a revisão no CONSUMO DAS FAMÍLIAS, de 0,4% para 1,2%,
    em linha com a EXPANSÃO, MAIS INTENSA DO QUE A ESPERADA, NO TERCEIRO TRIMESTRE.
    —————————————————————————————————————————

    No âmbito da DEMANDA, ressalte-se a manutenção do crescimento do CONSUMO DAS FAMÍLIAS em patamar SIMILAR ao observado no SEGUNDO TRIMESTRE do ano. Esse processo de recuperação ocorre em ambiente de MELHORAS nos MERCADOS DE TRABALHO E DE CRÉDITO, em parte relacionada ao CICLO DAS TAXAS DE JUROS, e de REDUÇÕES DO NÍVEL DE ALAVANCAGEM DAS FAMÍLIAS e, principalmente, da inflação.
    ————————————————————————————————–

    Importante ressaltar a evolução recente da produção de insumos de CONSTRUÇÃO CIVIL e de bens de capital associados ao setor – essas estatísticas, em conjunto com a evolução do indicador de confiança dos empresários da construção, sugerem que o setor, que responde por mais da \METADE DO IVESTIMENTO TOTAL na economia, COMEÇA A REAGIR após expressivo CICLO DE RETRAÇÃO nos anos anteriores.

    ————————————————————————————————–

    O avanço do processo de REFORMAS e de outros ajustes necessários no âmbito da gestão fiscal permanecem sendo FUNDAMENTAIS para REVERSÃO da trajetória ascendente da DÍVIDA PÚBLICA

    ————————————————————————————————

    Na análise de conjuntura, o BC afirmou que, embora a redução da taxa de ocupação reflita o aumento de ocupados em categorias informais, “houve REVERSÃO EXPRESSIVA na dinâmica de criação de empregos no MERCADO FORMAL” (…) Ou seja, mesmo associado a categorias mais informais, a redução da taxa de desocupação recente evidencia MELHORA NAS CONDIÇÕES DE EMPREGABILIDADE dos indivíduos”

    ————————————————————————————————–
    Em bases interanuais, a CARTEIRA DE PESSOAS FÍSICAS segue mostrando MAIOR DINAMISMO, em cenário de melhoras no mercado de trabalho, redução da inflação, DESALAVANCAGEM DAS FAMÍLIAS e maior otimismo dos consumidores. Destacaram-se na evolução recente do crédito às pessoas físicas, o AUMENTO no saldo de empréstimos nas modalidades crédito consignado, CRÉDITO IMOBILIÁRIO e cartão de crédito.

    ———————————————————————————————-
    Conforme já mencionado em outras edições do Relatório de Inflação, a recuperação
    efetiva do investimento está condicionada, em parte, pelo ritmo do processo de DESALAVANCAGEM DAS EMPRESAS não financeiras, que TENDE A SER FAVORECIDO, nos próximos trimestres, pelo CICLO DE REDUÇÃO DAS TAXAS DE JUROS.

    ————————————————————————————————-
    A taxa de INADIMPLÊNCIA da carteira de crédito do sistema financeiro apresentou relativa ESTABILIDADE, em 3,6%, no trimestre encerrado em outubro.

    3+
    • Cesar_DF 22 de dezembro de 2017 at 08:58

      Thiago fm
      Está ocorrendo um aumento na dívida pública numa velocidade muito maior que a mais otimista das previsões de crescimento do PIB
      Mesmo que o PIB cresça 3% ao ano, a dívida pública está subindo mais de 10% AA
      Por conta da LRF, inevitavelmente isto provocará a paralisação do governo
      Em Portugal e na Grécia ocorreram cortes na aposentadorias, o que poderá mudar totalmente o quadro atual de inadimplência, especialmente em cidades com forte dependência do funcionalismo público, como Brasília, Rio de Janeiro e Porto Alegre.
      Como você está considerando este vetor na sua elaboração de cenários ?

      9+
      • avatar
      • avatar
      • thiago fm 22 de dezembro de 2017 at 09:22

        César .
        Já disse que a economia até pode se descolar da política por um tempo, tanto que temos inflexão de indicadores pra todo lado que se olhe, mas não por muito tempo, visto que o ajuste fiscal depende de ação pró-ativa e vontade política para acontecer. Nesse ponto concordo em parte com o sabichão: o ajuste ainda não foi feito, ainda que o ritmo de “cavamento” do buraco tenha desacelerado com o Temer. Ele está lá e precisa ser tapado e se isso não acontecer no médio prazo voltaremos a flertar com a recessão ou a estagnação.
        É preciso que o fiscal agora suporte o impulso de recuperação, caso contrário ele perderá o fôlego, impactando a economia como um todo, inclusive o setor imobiliário

        4+
        • Cesar_DF 22 de dezembro de 2017 at 10:29

          Thiago fm
          Alguém ai no seu trabalho ainda acredita em reforma da previdência em ano eleitoral ?
          Reforma da previdência com um Ciro Gomes ou Maria Silva eleitos ?

          4+
    • Cesar_DF 22 de dezembro de 2017 at 09:04

      Thiago fm
      De acordo com a Teoria de Ciclos Econômicos da Escola Austríaca, que tem conseguido prever com um altíssimo grau de acerto, crises econômicas desde o final do século 19, tanto Estados Unidos quanto a China estariam no limiar de uma crise.
      A utilização de ferramentas keynesianas anticíclicas estaria apenas realizando um represamento e o rompimento desta represa seria inevitável.
      O que isto impactaria no mercado imobiliário brasileiro ?

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 22 de dezembro de 2017 at 10:43

        Teoria austríaca do ciclo económico
        Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
        A teoria austríaca do ciclo económico (TACE) procura explicar o ciclo económico através de um conjunto de ideias detidas pela Escola Austríaca. A teoria detém os ciclos económicos como uma consequência inevitável do crescimento excessivo da concessão de crédito, aumentada por políticas ineficazes e destrutivas do banco central, que diminuem a taxa de juro em demasia por demasiado tempo, criando bolhas especulativas e uma poupança menor.[1]

        Os defensores desta teoria acreditam que um período longo de taxas de juro baixas e crédito excessivo induzem um ciclo volátil e instável entre poupança e investimento.[2] De acordo com a teoria, o ciclo económico desenvolve-se do seguinte modo: taxas de juro baixas estimulam a concessão de crédito, aumentando desta forma a oferta monetária. A teoria sustenta que este aumento da oferta monetária leva a um período de crescimento insustentável, em que o dinheiro em excesso procura oportunidades de investimento progressivamente menos rentáveis. Apesar de disputado, os proponentes defendem que um boom suportado por uma expansão do crédito leva a uma generalização de malinvestmentos. Em teoria, a seguir ao crescimento insustentável segue-se uma correcção apelidada de credit crunch ou crise creditícia, geralmente conhecida por recessão, em que a oferta monetária contrai-se repentinamente, impelindo os mercados a realocar recursos.

        0
  • thiago fm 22 de dezembro de 2017 at 09:00

    Lucas

    epa, só agora reparei, a fipe é da fea….
    que barafunda que o nefasto faz…

    0

    A fonte dos dados é a folha salarial do “FGTS” e a divulgação é da Fipe. Se considerarmos que todo trabalhador formal recebe FGTS em função de seu salário bruto e que tais dados constam de forma integral na base de arrecadação, não vejo fonte mais confiável para calcular a massa efetivamente recebida desses rendimentos. Depois eu passo o link para quem quiser consultar por UF

    5+
  • if 22 de dezembro de 2017 at 09:09

    Off:

    O sangue jorrou nesta “crypto-madrugada”.
    Fico imaginando como deve estar a cabeça de quem se endividou (recentemente) para comprar

    12+
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 22 de dezembro de 2017 at 09:17

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • LZ 22 de dezembro de 2017 at 09:30

        Sangue tá jorrando desde ontem.
        E vai ser assim por um bom tempo.

        5+
        • avatar
        • Alemon Fritz 22 de dezembro de 2017 at 09:40

          – O melhor de ontem foi um cara do ISIs islã que egou emprestimo nos EUA (85000dólares ou mais) e converteu em bitcoin e mando pro EI… kkkk dupla bomba, ajudou o terrorismo e ainda deu prejuizo lá… mais uma garota tava fazendo isso em UK.
          – Outro foi o insider trading dentro do proprio bitcoin.
          – Wall street está invstindo em derivativos de bitcoin em dólares kkk o cara investe em bitcoin e não precisa ter nenhum e uxou o preço pra baixo (eu avisei desde segunda)…

          8+
          • avatar
          • avatar
          • SP 22 de dezembro de 2017 at 16:13

            Utilizar derivativo de qualquer forma em minha visão só perturba mais um ativo.

            2+
            • avatar
      • jodorowsky 23 de dezembro de 2017 at 16:36

        Eu acho que os humanos nunca gastaram tanto dinheiro e energia (megawatts) com algo tão inútil quanto o Bitcoin. Um dia, se a gente sobreviver ao Bitcoin, nossa era vai ser estudada com assombro pelos humanos do futuro. Independente do blockchain ser uma invenção interessante, o Bitcoin parece ser um fenômeno típico da era do capital improdutivo, nada sai do bitcoin, só se gasta energia, como se energia fosse algo a ser desperdiçado. Quem entra numa dessas tem mesmo é que estar meio lesado das ideias.

        3+
    • Babuíno 22 de dezembro de 2017 at 09:39

      No site coinmarketcap está mostrando uma queda média de 30% (número mágico-cabalístico) de queda em todas as moedas. Quase 100 bilhões em retiradas.

      7+
      • avatar
      • Marcio 22 de dezembro de 2017 at 09:58

        Um dos motivos que me faz ficar longe de bitcoin e afins (pelo menos por enquanto) é essa variação absurda, pra cima e pra baixo, de 20% ou mais, que ocorrem com frequência.
        Quanto tem essas variações frequentes, eu considero mais especulação do que investimento.
        É como o caso de ações como Cielo, Ambev, Itaú. Essas eu encaro como investimento. Não quer dizer que, eventualmente, não possam ter uma grande variação, por conta da explosão de uma crise. Mas, no dia a dia, normalmente, variam de 1 a 4%.
        Isso quer dizer que eu não poderia comprar bitcoin? Não, só quer dizer que, pelo risco de variações bruscas, colocaria ali, 1 ou 2% do meu patrimônio, assim como faria em ações especulativas, como eram as empresas X.
        Quem tá vendendo tudo pra comprar bitcoin, não é investidor e não sabe o que tá fazendo. Mudam os ativos, mas não os procedimentos:

        https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/as-licoes-do-investidor-que-perdeu-um-imovel-em-acoes-da-ogx/

        7+
        • avatar
        • avatar
        • Babuíno 22 de dezembro de 2017 at 10:17

          Exato. Coloquei 1.5% do meu patrimônio e estou fazendo trades de curto prazo. Já consegui uma valorização de 40% em dois meses, mesmo com a queda atual. Quando está muito volátil eu deixo em stand by e volto a comprar na estabilidade

          3+
          • avatar
        • Paulo Avelar 23 de dezembro de 2017 at 01:14

          Eu fico pasmo de como se ganha tanto dinheiro virtual com face, wsap, youtube e congeneres, sem se vender nada. O de games então…acredito que seja oriundo do mercado de ações,parece tudo o mesmo que bitcoin.

          2+
  • DouglasteR 22 de dezembro de 2017 at 09:20

    Melhor momento pra comprar.

    3+
    • if 22 de dezembro de 2017 at 09:24

      Concordo!
      E eu estou falando sério

      5+
      • avatar
  • indiobolhista 22 de dezembro de 2017 at 09:31

    Chegou a hora de comprar sem medo ……… lembrando as sabias palavras do oráculo de Omaha, O Warren Buffett sempre um investidor tem que conhecer profundamente o produto no qual investe ou contratar pessoalmente pessoas mais qualificadas para ajudar no analise do investimento, bom é ter nervos de aço na hora que umas ações ou instrumentos bursatils cambiais, nervos de aço e mente fria, além falta muito para chegar ao teto de 10 milhões de dólares por bitchcoin, paciência tubarões das finanças, paciência mente fria, que o efeito rebote em breve se faz realidade e o preço vai até as estrelas, só o céu é o limite, não se esqueçam da demanda quase infinita por bitchcoin.

    2+
  • indiobolhista 22 de dezembro de 2017 at 09:57

    O diretor do departamento de investimentos da empresa IC Piter Trust, Mikhail Altynov,Para ele, o fiasco das teorias financeiras é observado devido ao comportamento irracional dos investidores no mercado ligado a traços psicológicos e de caráter.
    No caso do bitcoin, suas circunstâncias são somadas ao fato de que a moeda digital não possui nenhum valor razoável, escala de preços nem valor intrínseco. “Pode ter qualquer cotação, porque é um fenômeno que não tem ponto de referência algum”, situação que se dá no contexto de “clara obsessão massiva que está aumentando”, disse o analista.
    Para Altynov, “prever o preço do bitcoin é como determinar quem elegerá júri do concurso de beleza em um manicômio: uma tarefa impossível”. Palavras claves: irracional (nobel 2017), manicômio (realidade 2018)

    2+
    • Cesar_DF 22 de dezembro de 2017 at 10:07

      Como assim “fiasco das teorias financeiras”
      O prêmio nobel de economia deste ano foi justamente uma demonstração de decisões irracionais
      Até mesmo as decisões ruins estão dentro do conjunto de teorias financeiras.
      O que acontece é que existem teorias financeiras, como a keynesiana, que funciona só até o médio prazo, mas não se sustenta a longo prazo, como a teoria dos ciclos econômicos da escola austríaca

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • indiobolhista 22 de dezembro de 2017 at 10:10

    Certo o premio nobel ganhou por aquele estudo que demostrou coisas que até nossos vovozinhos sabiam.