Mercado de locação se transforma e reduz preço do aluguel – Correio do Estado

Você pode gostar...

Comments
  • CA 6 de março de 2019 at 12:10

    Sobre o tópico:

    Como sempre dizemos por aqui, o aluguel é muito mais sensível à realidade.

    De qualquer forma, os corretores estão em uma sinuca:

    Eles mentem e dizem que os preços de vendas não estão caindo e que o preço do aluguel vai parar de cair. Fazem isto para não afastarem os INCAUTOS, que ao perceberem que os preços estão com tendência de queda, adiariam a aquisição do imóvel para uso ou aluguel, mas ao se ILUDIREM com a DESINFORMAÇÃO, poderiam manter sua aquisição. Só que INCAUTOS e DESINFORMADOS com dinheiro são a EXCEÇÃO.

    E o pior, ao mentirem, convencem aos proprietários atuais a não reduzirem os preços.

    Pela combinação acima, intermediam uma quantidade insuficiente de vendas e aluguéis e passam por dificuldades financeiras, que vão se agravar ainda mais com a explosão mais visível das bolhas no Exterior e a volta à REALIDADE por aqui, quando passar a euforia com o “milagre” da previdência e verem que nada melhorou, ao contrário, os indicadores negativos continuaram PIORANDO…

    41+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Dr. Estranho 6 de março de 2019 at 13:25

      CA.
      Pessoas equlibradas nem precisam de indicadores financeiros. A coisa fica evidente no dia a dia. Entre no mercado, na sapataria, no banco ou em qualquer estabelecimento comercial. Tudo parado. Os voos de aeronaves da Record Rio mostraram cenários de hotéis vazios em vários pontos do Rio. Nós temos a percepção que vai piorar. Mas não estamos sozinhos. Tem um grande número de pessoas que reduziram sua exposição a dividas e mantém-se líquidas. Eu quero, mas não compro. Estou nesse patamar. Até moeda estrangeira parei de comprar. Vai piorar com ou sem ajuste fiscal. A solução é a própria crise. Por via indireta os erros macroeconomicos são corrigidos. E depois retorna o ciclo de crescimento. Mas, sem dor, sem ganho. A conferir.

      51+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 6 de março de 2019 at 14:36

        Dr. Estranho,

        Só não concordo na parte de muitas pessoas que reduziram sua exposição à dívidas para aumentarem sua liquidez por observarem o agravamento da crise. O que tenho visto, é que muitas pessoas e empresas NÃO CONSEGUEM mais PEDALAR com suas dívidas, mas isto não significa que estão líquidos, ao CONTRÁRIO, significa que estão SUPER-ENDIVIDADOS, muitas vezes já INADIMPLENTES com “N” contas e por causa disto não obtiveram novas dívidas, mas se deixarem, se endividam e se enforcam ainda mais!

        Vamos lembrar do RECORDE de saque da poupança em janeiro/2019 e também, da pesquisa do SPC ao final de 2018 que demonstrou que apenas 25% das pessoas que estavam INADIMPLENTES iriam utilizar o décimo terceiro para pagarem suas dívidas, o restante (75%) ia CONSUMIR com aquele dinheiro, mesmo já estando inadimplente. Estes são exemplos de que as pessoas não se contém porque estão visualizando uma piora na economia em seu dia-a-dia.

        Por natureza, após ANOS de crise, as pessoas querem se “auto recompensar” e voltar a consumir como antes, mesmo estando em uma condição financeira ainda pior e com muito mais dívidas, elas buscam isto como um mecanismo de “compensação” por todas as frustrações e dizem a si mesmas que “merecem” tal recompensa.

        Junta-se a isto, um governo que DESINFORMA, manipulando as estatísticas e apresentando melhorias inexistentes nos indicadores, daí estas pessoas veem isto e dizem: “nossa, deve estar melhorando, só que ainda não dei “sorte” e não chegou aqui esta melhora, ah, mas eu mereço uma recompensa, já vou comprar por conta, daqui a pouco esta recuperação chega até mim”.

        Sim, vemos lojas ainda fechando, cada vez mais pessoas indo para a INFORMALIDADE, com rendas menores e incertas, cada vez mais pessoas se “enrolando” com as contas a pagar, lojas vazias em grande quantidade e por período contínuo, plantas fechando, outras prometendo reduzirem seus volumes de produção de forma substancial, inadimplência dos condomínios disparando como nunca antes, etc, mas infelizmente, para muitas pessoas, nem isto é o suficiente para ACORDAREM, elas preferem acreditar que tudo está melhorando porque isto foi dito pelos apresentadores do Jornal Nacional e elas confiam neles, afinal, já dão informações “confiáveis” há anos, são quase parte da família (e ainda dizem: nossa, mas ele PARECE tão honesto e sincero, não é mesmo?) e por fim, acreditam que daqui a pouco esta melhoria do JN chegará nelas. Tudo isto faz parte da natureza humana, o famoso “wishful thinking”…

        32+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cajuzinha 6 de março de 2019 at 15:17

          CA, essa frase “mas ele PARECE tão honesto e sincero, não é mesmo?” escuto muito de minhas amigas, kkkkkk, não sabem nada sobre o cara, apenas o que ele fala e ele ”

          Ainda bem que sou bolhista kkkkk

          Sei que existe gente sincera e honesta sim, mas é preciso avaliar bem antes de chegar a esse diagnóstico.

          14+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • socrates 6 de março de 2019 at 17:06

            Tem um episodio do southpark, cajuzinha, que fala sobre isso (na verdade, uma sequencia). As pessoas acabam agindo como propagandas para proteger os proprios interesses. Coisas de paises de terceiro mundo ou emergentes (banania e north.banania,p.ex.) Lutar para que haja justiça e que o merito, transparente e decidido em conjunto, ninguem quer…. é creu

            8+
            • avatar
            • avatar
            • socrates 6 de março de 2019 at 17:09

              Lutar pelo merito,quis dizer. Uma pergunta: a quem interessa que nao haja meta ao estado mesmo?

              3+
  • EngenheiroSP 6 de março de 2019 at 13:24

    “a referência era cobrar pelo aluguel cerca de 0,5% do valor de venda do imóvel.”

    Na minha época era de 0,8% a 1%.

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 6 de março de 2019 at 13:59

      EngenheiroSP,

      O MÍNIMO de “retorno” que justifique comprar um imóvel residencial e colocar para alugar, que é um investimento de RISCO e SEM LIQUIDEZ, seria ele ter um rendimento LÍQUIDO que fosse o DOBRO de uma aplicação de risco bem menor e liquidez imediata, isto se o imóvel for de alguma forma uma opção “privilegiada” e que por algum motivo não se mistura com VÁRIOS casos em que proprietários demoram meses para alugar, ou que se enquadram em SUPER MEGA OFERTA, como no caso de flats no centro expandido de São Paulo e onde também por muita SORTE, o custo do condomínio não seja nem se torne PROIBITIVO e por tabela derrube a receita líquida do aluguel (*). Em condições NORMAIS de temperatura e pressão, para fazer sentido e não depender de SORTE quanto a estes itens, a rentabilidade líquida do aluguel deveria ser o TRIPLO daquela oferecida por aplicação financeira conservadora e com liquidez IMEDIATA.

      (*) O proprietário arcando ou não com o condomínio, se o preço do condomínio subir muito, a receita líquida do aluguel despenca, porque se for inquilino quem paga, ao arcar com muito condomínio não consegue e nem quer pagar aluguel alto, se for o proprietário que arca com o custo, abate da receita líquida do negócio.

      Lembrando: imóvel DEPRECIA com o tempo, tem vacância (que é quando proprietário fica com receita ZERO e DESPESAS para pagar, como IPTU, condomínio, manutenção, etc), sem contar o risco elevado de queda de preços, que se você tiver necessidade de dinheiro para uma emergência demorará muito tempo para vender, tem ainda o problema do custo do condomínio e sua influência sobre a rentabilidade líquida do aluguel, etc.

      PIOR (1): A DESINFORMAÇÃO é tão intensa, que eles comparam a rentabilidade BRUTA do aluguel, sem descontar o imposto de renda, sem descontar o percentual repassado à imobiliária, sem considerar períodos de vacância, sem contar o preço do condomínio quando é pago pelo proprietário, etc, com a rentabilidade LÍQUIDA de uma aplicação financeira conservadora e ainda assim, graças à queda de preços de venda e aluguel que ocorrem simultaneamente, comprar um imóvel e colocar para alugar ainda consegue ser uma opção BEM PIOR! Nem a MAQUIAGEM e TAPEAÇÃO salvam!

      PIOR (2): Neste momento, com recorde histórico de vacância, o proprietário pode demorar MESES para encontrar algum inquilino, só arcando com despesas e SEM RECEITAS. Soma-se a isto que durante este período, o imóvel dele vai continuar com o preço de venda CAINDO. Junte-se a estes fatores, a disparada da inadimplência dos condomínios que temos visto e que gera o aumento no preço do condomínio, que também prejudica ao proprietário. Em resumo, TRIPLO PREJUÍZO!

      Sobre usarem um percentual de “base de comparação” que é FALSO, isto faz parte da DESINFORMAÇÃO: eles fazem de conta que o “normal” era 0,5%, quando este percentual antes já era um patamar inferior ao do rendimento de qualquer aplicação financeira SEGURA e com LIQUIDEZ IMEDIATA, ou seja, usam um índice que já era ANORMAL como referência, para SIMULAR que agora não está tão baixo. De fato, a referência do mercado ANTES DA BOLHA era de 1%, mas dadas as condições atuais (vacância ANORMAL, inadimplência super-elevada impulsionando preços de condomínios, quedas nos preços de venda e aluguel, etc), creio que nem mesmo 2% de rendimento LÍQUIDO ao mês valem a pena…

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 6 de março de 2019 at 21:42

        Sim CA, entre IR, vacância, taxa de administração e depreciação dá cerca de 0,36%
        Então, de acordo com a FIPE, com uma rentabilidade bruta média de 0,37% a rentabilidade liquida será de 0,01% ao mês, 50X menos do que a poupança.

        15+
        • avatar
        • avatar
  • Oliveira 6 de março de 2019 at 13:37

    CRV – Parcial,

    A compra do imóvel está sendo um parto tive que fazer com uma corretora, estou a ponto de manda-la para a pqp mas pela minha e por entender que é uma boa( não excelente) mas boa oportunidade e urgencia para estou tentando tolerar …

    10+
    • avatar
    • Poucas Trancas 6 de março de 2019 at 14:21

      Não é urgente… quem precisa urgentemente, aluga rs

      10+
      • Oliveira 6 de março de 2019 at 19:10

        O fator X deste imóvel está em 140X.

        2+
      • Oliveira 6 de março de 2019 at 19:13

        Estou deixando detalhes mais pre frente,
        Mas o valor negociado é 2,65X o valor desde imóvel (na matricula) negociado antes de 2006, e 1,73X o valor negociado (na matricula) logo após 2006.

        5+
  • CA 6 de março de 2019 at 14:48

    https://www.infomoney.com.br/mercados/cambio/noticia/7946604/dolar-deve-voltar-para-r-4-este-ano-apontam-economistas-top-5-do-bc-em-2018

    Ué, não entendi!? Os economistas top 5, ou seja, os 5 que ficaram mais próximos da realidade em suas previsões sobre o ano de 2018, estão apostando que até o final do ano o dólar vai voltar para R$ 4??? Mas, mas e o “milagre” da reforma da previdência, não faria com que a Bolsa subisse a 200 mil ou até 500 mil pontos e junto com isto o dólar não iria despencar e ficar abaixo dos R$ 3?

    Pô, assim não dá, com alguns contando com o otimismo UFANISTA para que o dólar caísse e fosse um ótimo ponto de entrada e vem estes estraga-prazeres para falarem em termos mais realistas, absurdo!

    Vamos fazer um abaixo assinado para que a Info171Money só publique matéria daqueles aloprados que falam sobre a bolsa crescendo como um foguete e o dólar despencando, de preferência, alguns editoriais do Amorinha…

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Bellerian 6 de março de 2019 at 15:00

    Pessoas, acho que é tópico…
    https://auditoria.cgu.gov.br/download/12561.pdf

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • MARK 6 de março de 2019 at 15:24

      QUAIS AS CONCLUSÕES ALCANÇADAS PELA CGU?
      QUAIS AS RECOMENDAÇÕES QUE DEVERÃO SER
      ADOTADAS?
      A equipe da CGU concluiu que:
      • Há lacunas normativas em relação às
      operações de crédito imobiliário;
      • Os indicadores utilizados para o controle das
      operações de crédito imobiliário são
      inadequados;
      • Há erros materialmente significativos na
      classificação do risco das carteiras de crédito e
      na mensuração das garantias e dos imóveis em
      bens não de uso próprio (BNDU); e
      • Os riscos relacionados às operações de crédito
      imobiliário não são devidamente monitorados

      35+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 6 de março de 2019 at 16:17

        Outros trechos interessantes do relatório de auditoria da AGU, sobre o qual comentei por aqui inúmeras vezes:

        “Até o ano de 2017, a Lei n° 4.595/19643
        (BRASIL, 1964) estabelecia que os
        imóveis em BNDU deveriam ser vendidos dentro do prazo de um ano, a contar da data
        de recebimento do imóvel, sendo que esse prazo poderia ser prorrogado pelo BCB em
        até duas oportunidades. Porém, com a edição da Lei n° 13.506/20174
        , foi revogado tal
        dispositivo.”

        “A indefinição do tempo em que os imóveis em BNDU devem ser mantidos pelas
        instituições financeiras aumenta os riscos de liquidez e de mercado dessas entidades. O
        crescimento de estoques de imóveis em BNDU nas instituições financeiras
        (considerando os 4 maiores bancos, o estoque alcançou R$ 6,6 bilhões em dezembro de
        2017, com um crescimento nominal de 42,7% em relação à 2016) aumenta o grau de
        imobilização das entidades, reduzindo a sua liquidez.

        Em especial em um cenário econômico recessivo, o crescimento dos estoques
        pode contribuir para a piora ou não melhora dos preços dos imóveis (em razão do
        aumento da oferta de tais bens), o que, por sua vez, contribui para o aumento do risco
        de mercado das instituições (ver item 2.6.1).

        O aumento de estoques de imóveis pode levar a criação da figura já conhecida
        em outros mercados: os “bancos malos” (AYUSO e RÍO, 2012) ou “bad banks” (aqui
        entendido como as entidades que recepcionarão os ativos com baixa liquidez, após
        algumas tentativas mal sucedidas de alienações por parte dos bancos), o que é
        igualmente danoso para a estabilidade do SFN, quando esses “bancos malos” são
        instituições financeiras, ou para as contas públicas, quando são instituições não
        financeiras controladas ou suportadas financeiramente com recursos públicos.”

        20+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cajuzinha 6 de março de 2019 at 18:29

          CA, o relatório é da CGU, órgão de controle interno do Poder Executivo Federal.

          8+
          • avatar
          • avatar
          • CA 6 de março de 2019 at 18:36

            Cajuzinha,

            Obrigado pela dica. O MARK colocou mais abaixo, eu troquei a sigla em todos os comentários (rs)!

            4+
            • avatar
      • socrates 6 de março de 2019 at 17:17

        O mp deveria ser extinto para poder começar denovo. Serio. Peço por isso aos ets.Tem que vir um orgao do executivo e ensinar esses boçais a trabalharem

        7+
        • CA 6 de março de 2019 at 18:49

          socrates,

          Não querendo defender os MP´s, mas cada um tem seu papel. Em dez/2017, o MP pediu o afastamento de TODOS os VP´s da CEF tamanho o número de processos na justiça que demonstravam ilegalidades, corrupção, etc, inclusive com 2 ex-VPs da CEF que estavam presos à época, mas o MP não conta com corpo técnico habilitado nem tem responsabilidade por fazer auditorias, ele apenas recebe acusações e se forem bem fundamentadas, dá encaminhamento jurídico às mesmas, os papéis são diferentes.

          Não sei se o CGU poderia simplesmente fazer uma “denúncia” ao MP com base na auditoria, creio que não, foge da alçada deles. Fizeram o que podiam, que era relatar tudo que acharam de errado, mas infelizmente o BC é cúmplice, o governo não tem interesse em ir à fundo e aumentar a crise, então, estão tomando ações MINIMAS, só para “Inglês ver”, o que como disse por aqui, é um tremendo ERRO ESTRATÉGICO do novo governo, que vai acabar levando 100% da culpa quando não der mais para PEDALAR.

          13+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • CA 6 de março de 2019 at 16:05

      Bellerian,

      Embora o relatório seja de 30/out/2018, refere-se à 2017. Este relatório é EXCELENTE para deixar claros alguns dos PODRES do crédito imobiliário, embora ele tenha deixado de lado vários deles, como os “critérios” para concessão de crédito, as GAMBIARRAS do BC para sustentar as FARSAS, etc, etc, etc.. Sem contar que, depois disto, em 2018 a situação continuou PIORANDO.

      Vamos a um outro trecho interessante do relatório acima:

      “Por exemplo, nos exercícios de 2013 a 2017, o Banco  recuperou, em média,
      dos imóveis que a instituição conseguiu vender, apenas 52% do valor de mercado desses
      imóveis. Tal deságio foi tamanho que, na maioria das operações, o Banco  não
      conseguiu recuperar nem o valor da dívida. A mesma situação ocorreu em relação ao
      Banco , que apresentou, dos imóveis vendidos, uma taxa média de recuperação de
      65% do valor de mercado.”

      O que consta no trecho destacado acima, tem a ver com a medida recente do novo governo e do atual presidente da CEF, de solicitar que se aumentem as provisões contra clientes duvidosos do crédito imobiliário, referentes ao exercício de 2018, em R$ 7 BILHÕES.

      Lembram-se que o presidente da CEF alegou que este aumento nas provisões tinha relação com a queda de preços nos leilões? Então, é este mesmo prejuízo que é apontado no trecho acima da auditoria da AGU.

      Link e trecho correspondente sobre o aumento de provisões da CEF, entre “aspas”:

      https://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2019/02/caixa-economica-prepara-provisao-bilionaria-sobre-balanco-de-2018-dizem-fontes.html

      “A pedido do presidente-executivo Pedro Guimarães, a Caixa Econômica Federal está preparando uma provisão extraordinária de até 7 bilhões de reais para perdas esperadas com calotes no financiamento imobiliário e com a desvalorização de imóveis que foram retomados pelo banco, disseram à Reuters duas fonte com conhecimento do assunto.”

      Pois é, na realidade, relatórios de AUDITORIA não podem ser solenemente “ignorados”, aliás, não faria sentido um novo governo ignorar e virar CÚMPLICE sem sequer ter ganho algo com as GAMBIARRAS contábeis, não é mesmo?

      “Detalhe 1”: a ação do presidente da CEF, como eu disse antes, foi MENOS do que ele deveria ter feito. O MÍNIMO que ele deveria fazer, dadas as situações relatadas formalmente pela AGU que constam acima e uma INFINIDADE de outras evidências sobre ROMBOS FINANCEIROS na CEF, seria fazer uma DEVASSA, em especial, nos financiamentos imobiliários. Eles só não fazem isto agora, para não “melarem” os IPO´s (abertura de capital na BOVESPA) para as empresas-filhas da CEF, se mostrarem os podres da empresa-mãe, quem compraria Ações destas empresas?

      “Detalhe 2”: simplesmente aumentar a provisão contra clientes duvidosos é claramente INSUFICIENTE, porque em uma situação tão crítica como a relatada quanto à PERDAS com imóveis retomados e sua revenda em leilões, o MÍNIMO esperado é que diminuíssem os valores de avaliação, diminuíssem o percentual permitido de empréstimo em relação ao valor de avaliação, reduzissem o número de anos de financiamento, fossem mais criteriosos na concessão do crédito imobiliário (acabassem com a “facilidade” de aceitar FALSOS comprovantes de renda) e aumentassem os juros do crédito imobiliário e NADA disto foi recomendado pelo novo gestor da CEF;

      “Detalhe 3”: outra parte das ações CORRETIVAS e MANDATÓRIAS, em função do que consta no trecho acima e vários outros do relatório de auditoria da AGU, seria fazerem uma revisão nos valores de garantias dos imóveis que constam nos balanços dos bancos e que estão claramente SUPER-AVALIADOS, adequando-os à REALIDADE constatada nas negociações feitas pelo próprio banco, o que chamamos de impairment.

      Além do motivo de não quererem melar o IPO das empresas-filhas da CEF, o que mais justificaria não adotarem as ações contidas acima, MANDATÓRIAS após a exposição dos PODRES feita pela AGU em seu relatório de auditoria? Tais medidas acelerariam e aumentariam muito a visibilidade da explosão da bolha imobiliária, a redução dos preços dos imóveis e gerariam uma instabilidade no sistema financeiro, em função das perdas elevadas de garantias quanto à imóveis, o que poderia descambar em uma crise sistêmica, com forte perda de confiança nos bancos e agravamento da nossa crise na economia.

      FINGIR que não veem, resolve o problema? ÓBVIO que não, o problema só vai se agravar e suas consequências, incluindo o efeito manada para redução dos preços dos imóveis, só vai se intensificar quanto mais tentarem ignorar a REALIDADE…

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 6 de março de 2019 at 16:19

        Aqui o trecho do relatório da AGU em que falam sobre o “Detalhe 3” que mencionei acima, o impairment:

        “A imprecisão e/ou inadequabilidade dos critérios utilizados para a avaliação ou
        reavaliação dos BNDU pode levar a incorreta mensuração desses ativos nas informações
        contábeis das instituições financeiras, gerando superavaliações desses bens. A própria
        equipe do BCB recomendou recentemente a determinada instituição financeira que
        revisasse os valores mensurados de BNDU por estarem superavaliados, conforme
        informações obtidas durante a auditoria.
        A incorreta mensuração dos BNDU contribui para o aumento do risco de liquidez
        e de mercado das instituições financeiras.”

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • CA 6 de março de 2019 at 16:24

      Lembram do dossiê do Cesar_DF? Pois é, seguem trechos do relatório de auditoria da AGU a este respeito:

      “De acordo com o que o já foi descrito nos itens 2.1.1 e 2.2.2, existe o risco de que
      uma instituição financeira com problemas para cumprir os limites de capital, segundo o
      Acordo de Basileia (BANCO CENTRAL DO BRASIL, 2013b), busque reduzir os ajustes para
      perdas.

      A instituição poderia reclassificar os níveis de riscos das operações, melhorandoos (passando uma operação com o nível de risco “D” para o nível “B”, por exemplo) ou adiando o reconhecimento da piora do crédito, por meio de renegociações ou de
      reconhecimento direto para o prejuízo, sem a constituição do ajuste para perdas
      (conforme o decurso de prazo, de acordo com a Resolução n° 2.682/1999).

      Problemas com renegociações e reconhecimento direto para prejuízo foram
      práticas de algumas instituições financeiras já identificadas pelo BCB, conforme relato
      da equipe da autarquia.

      Uma reclassificação do nível “D” para o nível “B”, por exemplo, pode causar uma
      redução do ajuste para perdas de 9% (10% do nível “D” – 1% do nível “B”). Situação pior
      ocorre com uma reclassificação do nível “G” para o nível “E”, a qual implica em uma
      redução de 40%. Em ambos os casos os indicadores A.03.02 e A.03.03, respectivamente,
      não conseguiriam detectar tais reclassificações, pois apresentam uma visão agregada”

      Continua no próximo comentário…

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 6 de março de 2019 at 16:28

        …Continuação: trechos do relatório da AGU que apontam evidências quanto à prática comum dos bancos, sobre as quais sempre falamos, de subestimarem os riscos para aumentarem os resultados, um crime financeiro GRAVÍSSIMO…

        “A análise da classificação do nível de risco das operações de crédito imobiliário
        contém erros materiais, ou seja, ela não representa o real risco de crédito das
        instituições financeiras analisadas.

        Apesar da piora do cenário econômico brasileiro,
        durante o período entre 2013 a 2017, do aumento do estoque de imóveis em BNDU e
        da piora no indicador de perda efetiva, contrariamente ao esperado ocorreu melhora
        no nível de risco da carteira de crédito das instituições analisadas.

        Foram identificadas as seguintes situações:

        • Houve melhora no nível de risco da carteira de operações de crédito, apesar de
        muitos indicadores demonstrarem um cenário de aumento de risco; e
        • Os critérios da Resolução n° 2.682/1999 não estão sendo observados por
        algumas instituições financeiras.

        Os critérios utilizados para a análise foram: (i) Resolução n° 2.682/1999; e (ii)
        Estrutura Conceitual do Controle Interno do COSO.

        Como possíveis causas das situações relatadas estão:

        • A pressão por capital pode induzir as instituições financeiras a fazer uma melhora
        artificial na classificação do risco de crédito, para diminuir o montante de ajuste
        para perdas;
        • Os atuais critérios podem conduzir a uma superavaliação do ajuste para perdas,
        induzindo às instituições financeiras a interpretações mais favoráveis da
        Resolução nº 2.682/1999; e
        • O critério temporal pode ser inadequado quando se trata de operações de
        crédito de longo prazo.
        Como possíveis consequências, podem ser citadas:
        • O valor da carteira de operações de crédito imobiliário de algumas instituições
        pode estar superestimado, em razão da melhora artificial do nível de risco; e
        • O patrimônio de referência de algumas instituições financeiras pode estar
        subestimado, pois o valor do ajuste para perdas das operações de crédito
        também o foi.”

        15+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 6 de março de 2019 at 16:31

          Conclusão interessante do relatório da AGU:

          “Tal inconsistência não foi plenamente explicada nem pela equipe do BCB, nem
          pelas equipes dos Bancos. Essa situação aumenta a probabilidade de que a avaliação do
          nível do risco de crédito das operações de crédito imobiliário esteja incorreta. Por
          exemplo, no caso do Banco , pode ter havido uma subavaliação de até R$ 3,5 bilhões
          do ajuste para perdas das operações de crédito imobiliário somente no exercício de
          2017 (dados obtidos na análise das perdas incorridas na respectiva carteira, a ser melhor
          tratada no item a seguir) (ver apêndice XIII). Por consequência, as carteiras de crédito
          de alguns bancos podem ter sido superestimadas”

          13+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 6 de março de 2019 at 21:50

            CA
            O pessoal da CGU além de perceber a mudança irreal do rating dos contratos, também viu que mudaram do FIPEZAP para IVG-R sem ao menos escreverem uma nota técnica.

            199. Fora isso, a amostra utilizada para a conclusão de que o IVG-R sobrevaloriza o valor da
            garantia é uma amostra enviesada. O IVG-R (ou o FIPE-ZAP, que tem variação acumuladas muito
            próximas) estima a variação do preço de imóveis em condições de negociação ao longo do tempo.
            Na amostra utilizada é calculada a variação de preços dos imóveis que mudam sua condição no
            tempo: na concessão do crédito, quando o imóvel está sendo vendido em condições comparáveis
            aos demais imóveis no mercado, e na incorporação do imóvel em BNDU, quando este certamente
            não estar nas mesmas condições que os demais imóveis à disposição no mercado, o que resulta
            num valor e numa variação menor que os em condições comparáveis aos demais imóveis ofertados
            no mercado. Os imóveis retomados em geral apresentam problemas de conservação, dívidas
            associadas, e não estão em condições de ser alugado, como destacado pela CGU no item 2.5.1 do
            relatório.

            15+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Alemon Fritz 6 de março de 2019 at 22:19

              eu ia justamente comentar do ivgr- que havia caido 2pontos logo qdo lançaram em 1 mês.

              4+
              • avatar
    • CA 6 de março de 2019 at 16:52

      Resumindo este excelente relatório da AGU trazido pelo Bellerian (vale a pena a leitura na íntegra, quem não puder, pelo menos dê uma olhada nos trechos que destaquei acima):

      Apresenta uma PARTE dos PODRES do sistema financeiro quanto ao crédito imobiliário, dentre eles: o “milagre” da recuperação do rating de crédito dos títulos imobiliários em meio a uma piora da economia (relatório do Cesar_DF versão AGU), a FALSIDADE dos valores de garantia dos imóveis que não são estabelecidos e nem revisados como deveriam, ignorando por completo a REALIDADE quanto aos preços praticados em leilões, a falta de critério dos bancos que visam SIMULAR maior liquidez e lucro de diversas formas via aumento de riscos para o sistema financeiro, a CUMPLICIDADE CRIMINOSA do BC que FINGE não ver tudo isto, a ação do BC (CMN) de liberar o prazo para revenda de imóveis que vai contra a segurança do sistema financeiro, dentre diversas outras ameaças ao Sistema Financeiro Nacional que são destacadas nesta auditoria. ÓBVIO que não usam estes termos que constam aqui, mas o conteúdo da auditoria DEMONSTRA isto.

      Ainda assim, faltam diversos pontos críticos no relatório, como a falta de critério na concessão do crédito imobiliário (exemplo: a CEF que aceita depósitos entre contas como comprovação de renda), o cálculo de valor de mercado do BC (IVG-R) que foi manipulado / adulterado MAIS DE UMA VEZ, bem como o teste de resiliência contra queda de preços dos imóveis que também foi MAQUIADO, a falta de prazo também aplicável quanto à retomada de imóveis inadimplentes, a absurda ANOMALIA quanto à inadimplência do MCMV faixa 1, ou quanto a não existir uma retomada de imóveis “oficial” no caso de inadimplência do MCMV (o MCMV foi simplesmente ignorado, por ser de concessão exclusiva pela CEF e também por ser considerado um programa governamental de SUBSÍDIO às famílias e não um crédito imobiliário tradicional, aqui, um erro grave de interpretação, pois as DISTORÇÕES trazidas por este super-subsídio afetam diretamente a segurança do sistema financeiro como um todo), a super-dependência que existiu por mais de uma década de um banco público com critérios políticos para SUBSIDIAR um crescimento estratosférico e anormal na concessão de crédito imobiliário, o esquema de PIRÂMIDE FINANCEIRA das vendas FALSAS na planta que foi subsidiado por tudo isto, etc, etc, etc…

      Só pela PARTE que eles mostraram e que consta acima, reforço, seriam necessárias VÁRIAS ações de ajuste, tais como rever valores de garantias para baixo de forma geral, reduzir o volume e prazo do crédito imobiliário, aumentar seus juros e valor de entrada, etc, que fariam com que a explosão da bolha imobiliária se acelerasse. OBVIAMENTE que neste caso o governo vai continuar fazendo o MÍNIMO POSSÍVEL, para não gerar estes efeitos, postergando e piorando as consequências…

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 6 de março de 2019 at 18:36

        CA, repito só por uma questão de justiça. O relatório é da CGU, órgão de controle interno do Poder Executivo Federal

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 6 de março de 2019 at 18:44

          Cajuzinha,

          Sim, infelizmente só vi a correção quando o MARK pontuou abaixo, mas todas as referências que fiz acima com o uso da sigla AGU estavam erradas, o correto era CGU, obrigado por reforçar o alerta (só no último comentário da série abaixo, depois do alerta do MARK é que pude corrigir, infelizmente não tenho como editar os comentários anteriores, mas fica meu pedido de desculpas pelo erro).

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Brazil mode OFF 6 de março de 2019 at 16:55
    • socrates 6 de março de 2019 at 17:19

      O valor do pedagio vai cair? No hell a prefeitura fez um estardalhaço com a linha amarela e tudo continua igual. Empresas em meio a lavajato lucrando muito mais do que o justo e a toba com os ixpertos cariocas

      4+
      • Brazil mode OFF 13 de março de 2019 at 08:37

        30%

        0
  • MARK 6 de março de 2019 at 17:58

    CA, esse relatório da AGU apresentado pelo Bellerian só confirma tudo o que você e muitos aqui vem analisando. Você em especial sempre nos chamou a atenção quanto a essas pedaladas realizadas pela CAIXÃO e outros bancos. Desde a época da impeachment da Anta, a Ascenção do Temer e agora com o novo governo. Aqui não é um lugar para rasgação de seda, mas tenho que admitir que é um privilégio poder contar com as suas análises bem como aproveitar as valiosas dicas de outros tantos competentes bolhistas que procuram nos nutrir com o que há de mais atual em termos de economia e finanças. Tudo bem que de vez em quando você dá umas boas patadas, mas às vezes até precisamos para podermos acordar, pois tudo conspira para a eterna maquiagem e ignorância. Sim, nosso lema nunca foi tão preciso, “A bolha será o menor dos problemas” Ninguém está comprando nada, uma recessão lascada e quanto mais retardarmos a visibilidade do ploc, mais difícil e penoso será.

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • MARK 6 de março de 2019 at 18:00

      Ops… CGU…

      4+
      • CA 6 de março de 2019 at 18:23

        MARK,

        Valeu!

        Ops, na realidade fui eu que confundi acima e acabei colocando AGU mais de uma vez, sorry, o correto era CGU.

        Não podemos esquecer que eles também colocaram, com outras palavras, aquilo que o Cesar_DF detalhou por aqui quanto aos “milagres” da recuperação do rating dos títulos do crédito imobiliário em plena crise econômica, que ele foi o primeiro a depurar e DEMONSTRAR.

        Lembrando ainda que a CGU já tinha feito uma pesquisa em 2017 na CEF para saber se alguém tinha conhecimento de práticas não recomendadas e a maioria dos funcionários “se absteve” de responder, por que será, né?

        O relatório acima é GRAVÍSSIMO. Em um país um pouco mais sério, já levaria a uma DEVASSA no sistema financeiro e isto porque só falaram sobre uma PARTE do problema e ainda foram até “contidos” nas conclusões, por deveres do ofício de auditor (que não pode dizer tudo que pensa e tem que fingir acreditar naquilo que não consegue provar de forma inquestionável que é mentira), mas como estamos no Brasil, o que o governo fez?

        Apenas uma parte MÍNIMA do que deveria fazer, ou seja, vão aumentar as provisões na CEF quanto a clientes duvidosos do crédito imobiliário em R$ 7 BILHÕES referente ao exercício de 2018.

        Embora pareça muito, não é QUASE NADA perto do que eles deveriam fazer frente à gravidade e evidências apresentadas no relatório acima.

        E os governos sempre agem desta forma. Quem não lembra em dezembro/2017 quando o Ministério Público pediu o afastamento de TODOS os Vice-Presidentes da CEF de uma vez só, tamanho o número de investigações na Polícia Federal e o profundo envolvimento destes VP´s, todos indicações políticas para fins de corrupção, algo que estava sendo escancarado nas investigações (inclusive com 2 ex-VP´s da CEF na cadeia em função disto)? E o que deu? Tiveram que AMEAÇAR o Temer com MAIS UM processo na justiça e ele para “tapear” afastou 3 dos VP´s, só isto.

        Reitero (e um dia, o pessoal daqui vai lembrar disto): por mais que adiem, MAQUIEM, FINGEM que não veem o ÓBVIO, mesmo quando está DEMONSTRADO por uma AUDITORIA OFICIAL, não vão evitar as CONSEQUÊNCIAS, ao contrário, só vão agravá-las. As PEDALADAS e MAQUIAGENS do sistema financeiro brasileiro para acobertar a BOLHA IMOBILIÁRIA, com apoio explícito e constante do BC, são GIGANTES, muito maiores do que aquelas apresentadas pelo CGU (embora o relatório, dentro de suas limitações técnicas e legais esteja excelente), portanto, a persistência do governo atual em tratar isto de forma “minimalista”, acaba aumentando a probabilidade de que a explosão mais visível ocorra ainda neste mandato e de que eles levem toda a culpa, mesmo com os CRIMES FINANCEIROS tendo sido cometidos em governos anteriores.

        Claro que se fizerem aquele esquema de venderem R$ 100 BILHÕES em títulos do crédito imobiliário (muitos deles PODRES) para terceiros e usarem isto e mais dinheiro de privatizações para PEDALAREM com MAIS crédito PODRE, como proposto pelo atual presidente da CEF, eles passarão a ter uma parte da culpa, mas de fato, não toda a culpa. Só que no novo governo estão errando na ESTRATÉGIA, achando que se ignorarem as evidências dos crimes financeiros, para fazerem IPO das empresas-filhas da CEF, para ganhar na reforma da previdência, para evitar crise maior, etc, não serão culpados por isto no futuro, quando é exatamente o contrário. Pagarão CARO por não terem feito DEVASSAS logo no início do governo, anotem aí…

        15+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • odorico 6 de março de 2019 at 18:04

      Quem tem C* tem medo…. Eu confesso que li o relatório e estou ficando com medo… o FGC só segura 250k por instituição e 1kk por CPF né? Na primeira eu faço tchan…. mas na segunda hipótese tchan tchan tchan.. estou fuuuuuu

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cajuzinha 6 de março de 2019 at 18:39

      “mas tenho que admitir que é um privilégio poder contar com as suas análises bem como aproveitar as valiosas dicas de outros tantos competentes bolhistas que procuram nos nutrir com o que há de mais atual em termos de economia e finanças. ”

      Sou uma pessoa muito mais “evoluída” em razão desse Blog.

      Vida longa a todos nós!

      30+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • indiobolhista 6 de março de 2019 at 18:54

    Perdido em alguma parte do Estado de Mato Grosso existe um município chamado Poconé, no mesmo existe 2 propriedades em venda pelo mesmo preço 350 mil reais, um hotel com 8 apartamentos num terreno de 2 mil metros quadrados, faz meses tenta vender, também tem uma casa pelo mesmo preço, https://mt.olx.com.br/regiao-de-cuiaba/imoveis/hotel-funcionando-em-pocone-mt-65-9-9913-2312-577983242 a casa é uma piada para mim, se o hotel não consegue vender, imaginem a casa …… https://mt.olx.com.br/regiao-de-cuiaba/imoveis/casa-em-pocone-centro-574066369 , a banania tem surpresas que não acabam.

    12+
    • avatar
  • CA 6 de março de 2019 at 19:10

    Sobre o relatório do CGU, uma analogia com o caso da Vale em Brumadinho:

    https://moneytimes.com.br/vale-demitiu-auditor-que-alertou-risco-em-brumadinho-antes-do-colapso-diz-wsj/

    Pois é, a acusação acima é muito grave também. Uma outra empresa de auditoria não teria atestado a segurança de Brumadinho em set/18 e foi dispensada, sendo que voltaram a contratar a Tuv Sud para que ela reiterasse as conclusões do relatório anterior, de junho/2018, dizendo que Brumadinho tinha “segurança” (mesmo que com ressalvas no relatório não destacadas na conclusão como deveria ser).

    Normalmente é assim que funciona: a auditoria apresenta os PODRES, mas se não agradar, quando podem, afastam a auditoria. Quando não podem afastar, como no caso do CGU, fazem o MÍNIMO possível, só para “Inglês ver”, contando que depois vão inventar desculpinhas por não terem feito o que deveriam. Em ambos os casos, acaba em TRAGÉDIA…

    Observação: sem contar as auditorias PODRES também. Só para lembrar, a empresa que é parte das Big 4 de auditoria em todo o Mundo, que é quem audita a CEF é a mesma que auditava a Petrobrás quando ela gerou aqueles imensos PROPINODUTOS e que não viu nada, nem desconfiou de nada. Ela foi substituída na Petrobrás, porque depois dos escândalos, não dava para mantê-la por lá, mas adivinhem, continuou “auditando” a CEF… Bem, ela já teve outro caso de erro grave relacionado a uma fraude BILIONÁRIA de outro banco no Exterior que ela também “não viu”, se continuar com estes “equívocos” GRAVÍSSIMOS, vai acabar como a Arthur Andersen, que era uma das 5 maiores empresas de Auditoria do Mundo e que simplesmente deixou de existir por seus erros e ganhos ESPÚRIOS nos escândalos contábeis da Enron e da WorldComm no início deste século, que deram origem ao SOX. A conferir…

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 6 de março de 2019 at 20:05

    Varejistas chinesas cortam preços de iPhones para tentar aquecer vendas

    Por Thaís Augusto | 06 de Março de 2019 às 15h45

    6+
    • avatar
  • MARK 6 de março de 2019 at 20:10

    Adorei esta outra parte da análise da CGU quanto à percepção dos bancos na avaliação e reavaliação dos imóveis financiados “De modo igual ao uso de uma base de mensuração inadequada, relatado nos itens 2.1.2 e 2.4.1, o uso de mecanismos inadequados para a atualização reduz a percepção do BCB sobre os riscos de liquidez e de rentabilidade das instituições financeiras que possuem operações de crédito imobiliário. A crença de que os imóveis sempre vão valorizar não é verdadeira. “La vivienda nunca baja”, era a frase mais utilizada no mercado imobiliário espanhol antes da queda abrupta de preços dos imóveis naquele mercado (MENDOZA, 2011)..” Página 25 do relatório.

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 6 de março de 2019 at 20:19

    O Índice de Investimento do Empresário do Comércio (IIEC), que mede a intenção dos empresários por novos investimentos, sofreu leve queda de 0,8%. Caiu de 102,1 pontos em janeiro para 101,3 pontos no mês passado.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 6 de março de 2019 at 21:37

    “Antigamente, o índice era de 1% (100X) e hoje está entre 0,3% (333X) e 0,5% (200X)
    O último ano em que o retorno com a locação chegou a 0,5% do preço de venda foi 2013, antes do início da recessão, em 2014. No ano passado, o valor de aluguel passou a representar, em média, 0,37% (270X) do valor de venda.

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • indiobolhista 6 de março de 2019 at 22:03

    Empieza la ‘revolución social’ italiana con la renta básica ciudadana
    https://www.youtube.com/watch?v=PB0BtnE-4jo

    3+
    • avatar
  • MARK 6 de março de 2019 at 22:12

    O aumento do volume de crédito imobiliário pode pressionar o preço dos imóveis, artificializando-os.
    ” Ademais outros fatores destacados pelo ECB, não são considerados na avaliação
    do risco de crédito efetuado pela equipe do BCB. Por exemplo, nos últimos anos, o
    crédito imobiliário experimentou uma taxa de crescimento acelerado, 466,1% em
    valores nominais, para o período de 2010 a 2017. O ECB (EUROPEAN CENTRAL BANK,
    2018) afirma que o aumento do volume de crédito imobiliário pode pressionar o preço
    dos imóveis, artificializando-os. Assim, a taxa de crescimento do volume de crédito afeta
    diretamente o risco de crédito das instituições financeiras, pois a elevação artificial dos
    preços dos imóveis contribui para que as garantias a valor de mercado não representem
    o valor que será recuperado em caso de inadimplência, alguns anos mais tarde.
    ” página 33 do Relatório da CGU.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 7 de março de 2019 at 06:55

      MARK,

      E o tamanho do problema da ARTIFICIALIDADE do aumento de preços em função do crescimento EXPONENCIAL do crédito imobiliário é MUITO MAIOR do que consta acima:

      Em 2004, financiamentos imobiliários pelo SBPE (verba da poupança) não chegavam a R$ 2,5 bilhões, em 2014 passaram de R$100 bilhões, neste período cresceu mais de 40 VEZES o crédito imobiliário concedido!

      Se somarmos ao que consta acima o MCMV, que não foi considerado na auditoria do CGU, o crescimento do crédito imobiliário neste período foi de mais de 100 VEZES!

      Em nenhum país do mundo que passou por uma bolha imobiliária tiveram um crescimento tão ANORMAL quanto este. É um dos motivos pelos quais também batemos o recorde mundial do crescimento percentual dos preços dos imóveis e também o recorde mundial na desproporção entre o crescimento do preço dos imóveis e a renda das famílias!

      10+
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 6 de março de 2019 at 22:15

    Sobre o relatório da CGU

    Na prática, não vimos qualquer novidade, tudo dentro do previsto pelos 300.

    A última mentira é esta sequencia de reportagens sobre o disparo na venda de imóveis, quando na verdade estamos vendo um aumento do desemprego na construção civil e queda na produção nos insumos típicos (cimento, vergalhões e tintas residenciais)

    Adoraria ler os comentários do Thiago FM sobre isso, até hoje ele não respondeu

    Cesar_DF 18 de dezembro de 2017 at 14:15
    thiago fm
    Se está tudo tão bem assim para a CEF, então por que:
    – Vender carteira de créditos podres com 95% de deságio?
    – Esquecer de devolver mais de 5 bilhões não utilizados referente o programa Minha Casa Melhor?
    – Começar a fazer leilões sem valor mínimo de lance?
    – Solicitar emergencialmente um “empréstimo de 10 bilhões com prazo infinito de devolução”?
    – Ter que demitir todos os vice-presidentes?
    – Ser a única que não aceitou a proposta de recuperação da PDG?
    – Solicitar a mudança nas regras de execução, permitindo que um imóvel tomado permaneça por mais de 1 ano em carteira ?
    – Por que privatizar algo que estaria indo tão bem?
    https://www.bolhaimobiliariabrasil.com/2017/12/14/itbi-gera-aumento-de-receita-e-enxurrada-de-reclamacoes-pagina3/#comment-165376

    Os gráficos dele indicando a recuperação do mercado imobiliário
    https://www.bolhaimobiliariabrasil.com/2017/12/14/itbi-gera-aumento-de-receita-e-enxurrada-de-reclamacoes-pagina3/#comment-165544

    “Importante ressaltar a evolução recente da produção de insumos de CONSTRUÇÃO CIVIL e de bens de capital associados ao setor – essas estatísticas, em conjunto com a evolução do indicador de confiança dos empresários da construção, sugerem que o setor, que responde por mais da METADE DO IVESTIMENTO TOTAL na economia, COMEÇA A REAGIR após expressivo CICLO DE RETRAÇÃO nos anos anteriores.”

    “Na visão da área econômica do governo, máquinas e equipamentos serão os motores desse movimento, mas a CONSTRUÇÃO CIVIL deve começar a contribuir positivamente daqui para a frente. A taxa de juros baixa é considerada um elemento essencial nesse cenário, facilitando não só o crédito, mas reduzindo a disposição de manter dinheiro parado em aplicações financeiras já não tão rentáveis”

    “A confiança do setor da construção segue a tendência de uma alta paulatina, mas contínua. O cenário para 2018 é de continuidade desse processo, a não ser que mudanças bruscas na economia ou na política causem turbulência (…) Se não tiver nenhum choque externo ou interno nem incerteza política ou econômica, o setor vai continuar melhorando”, ressaltou Bezerra.”
    https://www.bolhaimobiliariabrasil.com/2017/12/28/indice-de-reajuste-de-alugueis-fecha-o-ano-com-queda-de-052-extra/#comment-166450

    Cesar_DF 20 de dezembro de 2017 at 08:00
    Thiago fm
    Você é um locatário de imóveis ao invés de um proprietário
    Mesmo tendo acesso a informações privilegiadas, como o do último leilão onde não existia “preço mínimo” você fez a opção de continuar locando
    Existem vários fatores que pesam no Alugar X Comprar
    – Preços justo (price to rent ratio – FatorX)
    – Custo de imobilização (perda de oportunidades)
    – Custo de oportunidade (só é valido para quem pretende ganhar dinheiro com a locação)
    – Custo efetivo de ser proprietário de um imóvel, considerando juros de um financiamento, depreciação, etc (TCO)
    Se você acha que já bateu no fundo do poço, e agora só irá valorizar, porque ainda não comprou um imóvel para ti ?https://www.bolhaimobiliariabrasil.com/2017/12/20/e-melhor-ser-pessimista-com-os-imoveis-exame/#comment-165565

    Cesar_DF 21 de dezembro de 2017 at 11:06
    Thiago fm
    Sua conclusão de que o mercado imobiliário deverá acompanhar a recuperação da economia, não leva em consideração alguns fatores
    1 – Muitos compradores eram, na verdade, investidores, ou seja, não adquiriram imóveis com o intuito de morar neles, mas sim para ganhar com a venda ou a locação destes imóveis. Como ocorreu uma SUPEROFERTA de imóveis, a rentabilidade do aluguel caiu e também ocorreu uma valorização dos imóveis acima do custo de construção deles, de forma inevitável irá ocorrer um retorno a normalidade, significando que estes investidores irão perder dinheiro na hora de realizar o investimento, a não ser que façam a opção de uma longa perda de investimento, através de um retorno negativo. Os investidores sabem hoje que o mercado imobiliário é uma furada, e não irão retornar para ele.
    2 – Você está fazendo a suposição de que a demanda manterá os índices históricos, mas existe uma clara tendência de que a geração millenials não saia da casa dos pais, permanecendo eternamente com eles, no máximo agregando um esposo(a) e mais um filho(a)
    3 – O superestoque de imóveis, estimado em cerca de 12 milhões de residências, nunca será zerado, mesmo até 2042, com o aumento da população em 21 milhões de pessoas, pois a taxa de fecundidade já quebrou a barreira de 2.1 em 2006 e tende a estabilizar em 1.5 conforme outros países europeus.
    A conclusão é que ocorre uma redução drástica da demanda, ao mesmo tempo que já existe um superestoque de imóveis, pela simples lei da OFERTA X PROCURA não existe fundamento para um aumento do valor dos imóveis, mesmo com a melhoria da economia.
    https://www.bolhaimobiliariabrasil.com/2017/12/20/e-melhor-ser-pessimista-com-os-imoveis-exame/#comment-165756

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 6 de março de 2019 at 22:16

    Lucas 21 de dezembro de 2017 at 14:52
    o thiago FM postou um grafico que a massa salarial do BR triplica nos ultimos 10 anos
    fonte do nefasto: FGV – fipe

    bem, eu enho outro gráfico mostrando que a massa salarial de SP é quase 10% menor que no ano 2000
    link
    http://www.seade.gov.br/produtos/midia/2017/12/Apres_PED_RMSP_396_nov_2017.pdf
    ver slide 14. base media 2000 = 100 ultimo numero = 94,4

    minha fonte é o velho e bom SEADE ao qual conheço pessoalmente, nunca se deixaram esquerdizar

    sobre a GV uma dita faculdade privada leiam esse depoimento
    http://www.ilisp.org/opiniao/como-fui-suspenso-da-faculdade-por-criticar-militancia-de-esquerda/
    está sendo expulso da GV por criticar o esquerdismo

    Querem saber o clima de censura na GV???
    procurem por denuncia d eprofessores, sendo achacados pelos alunos por racismo e machismo

    Alguem está mentindo e usando estatísticas falsas, usando fontes sem credibildade
    Isso que eu tenho adizer pra vcs entederem o quão profundo é a enganação no BR que o CA denuncia.

    Lucas 21 de dezembro de 2017 at 14:53
    epa, só agora reparei, a fipe é da fea….
    que barafunda que o nefasto faz…

    Cesar_DF 21 de dezembro de 2017 at 16:04
    Lucas, confirmando, ocorreu perda de massa salarial neste período

    DIEESE confirma que seus dados do SEADE estão corretos e o do Thiago fm estão ERRADOS
    http://www.dieese.org.br/analiseped/anualTabela/anualpedsaotab12.xls

    IBGE também confirma que os dados do SEADE estão corretos, a tabela abaixo não está desinflacionada
    ftp://ftp.ibge.gov.br/Trabalho_e_Rendimento/Pesquisa_Mensal_de_Emprego/Variacao/2016/pme_201602massaRendTTrabEfet.xls

    Lucas 21 de dezembro de 2017 at 17:55
    ele faz isso o tempo todo cesar
    já cheguei a pensar que era simples ignorancia, não é não, ele é meticulosamente nefasto

    https://www.bolhaimobiliariabrasil.com/2017/12/20/e-melhor-ser-pessimista-com-os-imoveis-exame/#comment-165821

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 7 de março de 2019 at 06:59

      Como o FGV vai atuar de agora em diante? Vão continuar a servir seus patrocinadores das destrutoras ou vão passar a divulgar a realidade já que temos um governo de “direita”?

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 6 de março de 2019 at 22:21

    Aqui temos a famosa sequência de gráficos do Thiago FM indicando que o mercado imobiliário em 2017 já havia batido no fundo do poço e agora só iria valorizar.
    https://www.bolhaimobiliariabrasil.com/2017/12/20/e-melhor-ser-pessimista-com-os-imoveis-exame/#comment-165845

    Vou colocar “N” matérias que poderiam ter virado Bola de Cristal, mas ninguém pediu tópico:

    INCORPORADORAS COMEÇAM A REPOR BANCO DE TERRENOS
    https://www.ibrafi.org.br/noticia/incorporadoras-comecam-a-repor-banco-de-terrenos
    CONSTRUTORAS PROJETAM RECUPERAÇÃO GRADUAL
    http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/12/especiais/perspectivas_2018/602550-construtoras-projetam-recuperacao-gradual.html
    DESCONTOS NA COMPRA DE IMÓVEL DEVEM ACABAR EM 2018
    https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/descontos-na-compra-do-imovel-devem-acabar-em-2018/
    CONSTRUÇÃO DEVE CONSOLIDAR MELHORA EM 2018
    http://www.gsnoticias.com.br/noticia-detalhe/gestao-e-trabalho/construcao-deve-consolidar-melhora-em-2018
    CRÉDITO IMOBILIÁRIO DEVE CRESCER 15% EM 2018
    https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/credito-imobiliario-deve-crescer-15-em-2018-frente-a-2017/
    PREÇO DO IMÓVEL DEVE SUBIR COM LANÇAMENTOS EM BAIXA
    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/11/1938765-preco-do-imovel-deve-subir-com-lancamentos-em-baixa.shtml
    CAEM RESCISÕES NAS VENDAS DE IMÓVEIS EM SÃO PAULO
    http://economia.estadao.com.br/blogs/coluna-do-broad/caem-rescisoes-nas-vendas-de-imoveis-em-sao-paulo-diz-secovi/

    https://www.bolhaimobiliariabrasil.com/2017/12/20/e-melhor-ser-pessimista-com-os-imoveis-exame/#comment-166184

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 6 de março de 2019 at 22:22

      Cesar_DF 28 de dezembro de 2017 at 10:54
      Thiago fm
      Peguei a primeira reportagem sobre reposição do land bank
      O cara da Lopes falando maravilhas do momento atual
      E procurando no Google encontrei a matéria mais abaixo

      Algumas matérias são pura fantasia como a “PREÇO DO IMÓVEL DEVE SUBIR COM LANÇAMENTOS EM BAIXA”, pois não explicam que, mesmo com a redução nos lançamentos está ocorrendo uma alta no estoque, como poderá ser evidenciado pelo próprio relatório do SECOVI.
      http://www.secovidf.com.br/novoportal/images/arquivos/pdf/boletins/2017/Boletim_Outubro_Amostras_Agosto_2017.pdf

      Olhando as outras matérias, vejo os empresários da construção civil falando do que eles TEM ESPERANÇA que aconteça, mas na hora de demonstrar os fatos concretos está muito distante do cenário cor de rosa que estão pintando

      http://www.valor.com.br/empresas/4967234/lopes-brasil-tem-alta-de-54-no-prejuizo-do-primeiro-trimestre

      Lopes Brasil tem alta de 54% no prejuízo do primeiro trimestre

      SÃO PAULO – A empresa imobiliária Lopes Brasil registrou um prejuízo líquido de R$ 940 mil no primeiro trimestre de 2017, aumento de 53,5% em relação ao resultado negativo de R$ 630 mil entre janeiro e março do ano passado.

      A receita da companhia caiu 33%, na mesma base de comparação, passando de R$ 39,3 milhões para R$ 26,2 milhões.

      O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) no período foi negativo em R$ 5,641 milhões contra R$ 5,862 milhões positivos no primeiro trimestre do ano passado.

      A Lopes vendeu 3.049 unidades no trimestre, queda de 31% ante os três primeiros meses de 2016.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 7 de março de 2019 at 07:00

        Cesar_DF,

        Se ele responder, será apenas mais do mesmo, contando estorinhas para boi dormir, repletas de falta de lógica, estatísticas enviesadas, informações falsas, conclusões SIMPLISTAS, etc.

        Ele, por exemplo, ignoraria por completo o relatório do CGU com algum copiar e colar de frases de presidente do BC dizendo que está tudo bem.

        Cara-de-pau e caráter deplorável foram as características dele que ele nunca cansou de demonstrar por aqui…

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Alemon Fritz 6 de março de 2019 at 22:34

    no jornal da noite:
    empresarios estao compartilhando lanchas e iates.. kkk. Ao inves de (não conseguir) vender os empresários agora estão comprartilhando suas lanchas.. um iate de 100k pode ser dividido em 4 pra marina, uso, manutenção…. é uma novidade em alta… (kkkk)

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 7 de março de 2019 at 06:56

      Quando começarem a compartilhar suas esposas bibelôs aí sim a coisa vai estar brava 😂😃😄😅

      23+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Money_Addicted 7 de março de 2019 at 08:56

        time share de mulher kk

        11+
        • avatar
  • Alemon Fritz 6 de março de 2019 at 22:53

    vamo que vamos.. pro buraco
    -Mortes de bebês motiva protesto em Guarapari.
    Gazeta Online-34 minutes ago … Um grupo de 25 pessoas fez um protesto na noite desta quarta-feira (6), na Praia do Morro, em Guarapari, por conta de dezenas de mortes de bebês…

    –Carnaval em SC tem aumento no número de homicídios e ..
    G1-6 hours ago.

    -Amazonas tem 69 casos e 17 mortes confirmadas por H1N1
    G1-3 hours ago.

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 7 de março de 2019 at 05:10

    Só pra rir:

    O preço médio do metro quadrado construído no Brasil subiu 0,08% no mês de fevereiro, segundo informações apresentada nesta quinta-feira (7), pelo índice FipeZap, que acompanha o mercado imobiliário em 50 das principais cidades do Brasil.
    Na soma dos dois primeiros meses do ano, o indicador acumula alta de 0,21%, o que eleva o preço do metro quadrado do imóvel já construído para R$ 7.189. Com o valor é possível dizer que considerado “padrão”, com 65 m² e até dois dormitórios no Brasil, é vendido por, em média, R$ 467 mil.
    Se descontada a expectativa para a inflação oficial de fevereiro, o FipeZap deve registrar uma queda real de 0,27%

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 7 de março de 2019 at 06:54

    OFF – Enquanto o bananistão sangra Bozo e seus acólitos continuam mais preocupados com os bons costumes e com aquilo o que as pessoas adultas fazem com seus orifícios.
    Algum apoiador por obséquio grite pro mito descer do palanque e começar a governar. Nem assim eu me empolgaria muito visto que o mito tem que demostrar ainda que tem qualquer capacidade notável.

    Bananistão R.I.P

    29+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Ilusionista 7 de março de 2019 at 15:07

      o que se poderia esperar de um personagem que ganhou notoriedade no Superpop da Rede TV, dividia o palco com com o Inri Cristo (um que andava de mobilete pelas ruas com roupas similares a de Cristo), Padre Quevedo do “isso no ecziste”, Agnaldo Timoteo e outras figuras meio bizarras…
      Já tem gente dizendo que a pior coisa que o PT deixou de herança para o Brasil foi o Bozo pelos próximos quatro anos. É muita atrapalhada em menos de 3 meses, discutindo temas que não ajudam em nada a economia e a geração de emprego.
      Ficaria melhor ele estivesse presente na Marques de Sapucai, promovendo o nosso carnaval que ainda consegue trazer alguns milhões de turistas estrangeiros que vem prestigiar a nossa festa centenária e que faz parte da cultura brasileira.
      Agora, querer divulgar para o mundo uma imagem de uma pessoa urinando na cabeça de outra, tentando induzir que a festa de carnaval não vale a pena, não é melhor caminho….

      15+
      • avatar
      • avatar
      • Ilusionista 7 de março de 2019 at 15:46

        milhões de dólares de turistas..

        3+
  • CA 7 de março de 2019 at 08:28

    Será que vamos parar de pagar parte da conta de luz dos agricultores? E como fica o BBB (Boi, Bíblia e Bala) antes das eleições para previdência? A conferir…

    https://www.terra.com.br/economia/produtor-rural-tera-subsidio-a-energia-regulado,e60cc60f17af271c1253b1ab1c68fd33kqvcd1y4.html

    Trecho do link acima:

    “Governo quer acabar com benefício para produtor rural
    Consenso é que ajuda tem de acabar de forma gradual nos próximos cinco anos; irrigantes terão condições especiais”

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 7 de março de 2019 at 08:28

      eleições não, VOTAÇÕES…

      4+
      • avatar
      • avatar
  • CA 7 de março de 2019 at 08:36

    Situação grave para quem tomou um tombo histórico como eles e tinha uma base extremamente baixa, que requeria crescimentos pujantes por ANOS para poder se recompor e já entraram em estágio de “desaceleração”…

    https://www.istoedinheiro.com.br/pib-grego-encolhe-01-no-4o-trimestre-mas-cresce-19-em-2018/

    Trechos do link acima:

    “O Produto Interno Bruto (PIB) da Grécia encolheu 0,1% no quarto trimestre de 2018 ante o terceiro e registrou expansão anual de 1,6% no período, segundo dados preliminares divulgados hoje pela agência de estatísticas do país, a Elstat.

    Os resultados vieram bem abaixo das expectativas de analistas consultados pela Trading Economics, que previam avanço trimestral de 0,5% e ganho anual de 2%.

    Em todo o ano de 2018, a economia grega cresceu 1,9%, mostrando forte desaceleração em relação ao avanço de 2,5% registrado em 2017, informou a Elstat.”

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 7 de março de 2019 at 08:44

    https://www.terra.com.br/economia/blue-chips-da-china-interrompem-4-dias-de-ganhos-apos-pequim-defender-politica-fiscal-proativa,0c662b837798043185fdd86f7970663bvlqlpnqm.html

    Trecho do link acima, entre “aspas”:

    “O ministro das Finanças da China afirmou nesta quinta-feira que uma política fiscal proativa não significa que Pequim abrirá as comportas do estímulo, acrescentando que as autoridades estão altamente preocupadas sobre os riscos da dívida de governos locais.”

    Sobre o trecho acima, está claro que as APELAÇÕES do governo Chinês para MAQUIAR a situação e PEDALAR com os problemas tem limitações e uma delas, típica da explosão de bolhas, é a questão do superendividamento dos governos locais. Mas não é só isto, o mercado como um todo já sabe do superendividamento de empresas e famílias, nada diferente do que temos no Brasil, nos EUA e em outros países que incentivaram BOLHAS, consequência mais do que previsível.

    Lembrando: no atual estágio, tanto para China, quanto Brasil, EUA, etc, os “estímulos” exagerados geram aumento na DESCONFIANÇA do mercado quanto ao tamanho REAL do problema para requerer tantas “balas de canhão” em sequência, ao mesmo tempo em que aumentam muito mais a ANOMALIA quanto ao superendividamento e inadimplência ANORMAIS dos agentes, sendo que em contra-partida, os resultados “benéficos” do aumento de investimentos e consumo no curto prazo são cada vez MENORES, ou seja, as GAMBIARRAS tem efeitos NEGATIVOS maiores que os POSITIVOS, mesmo no curto prazo, então, acabam não sendo úteis nas PEDALADAS.

    Enquanto isto mantém a estorinha que a culpa de tudo é a guerra comercial EUA X China, o bode mal cheiroso na sala. Podem dar o nome que quiser, só que não mudará a REALIDADE e o contexto que consta acima…

    11+
    • avatar
    • avatar
  • CA 7 de março de 2019 at 09:00

    E por enquanto, a tática de “desacelerar” com bodes mal cheirosos na sala, como no exemplo da Guerra Comercial EUA X China ou do impasse no orçamento americano por prazo recorde, vai atingindo a seu objetivo de conter o aumento de juros pelo FED…

    https://www.terra.com.br/economia/williams-do-fed-diz-que-crescimento-mais-lento-dos-eua-e-novo-normal,5229c06940b7d3883d0295a0980a7dfdloq6jsc6.html

    Trecho do link acima, entre “aspas”:

    “John Williams rebaixou ligeiramente as estimativas para o crescimento econômico a cerca de 2 por cento. Mas ele disse ao Clube Econômico de Nova York que o resultado “melhor possível” ficaria na meta com o crescimento potencial dos EUA, justificando a taxa de juros atual, que está em nível “neutro” –nem encoraja nem desencoraja a atividade econômica.

    O enfraquecimento do crescimento econômico da China e da Europa justificam a postura de paciência do Fed sobre os juros, disse ele, reiterando declarações anteriores.”

    Lembrando que o aumento de juros pelo FED é o gatilho mais reconhecido globalmente para disparar a explosão mais visível da bolha das bolhas americana e demais bolhas na sequência da derrubada do dominó inicial, MAS não é nem de longe o ÚNICO gatilho, pois as centenas de TRILHÕES DE DÓLARES em derivativos ao redor do globo, com grande volume de títulos PODRES / SUPERAVALIADOS, é uma outra potente ameaça ao dominó, assim como a enormidade de MAQUIAGENS e PEDALADAS no sistema financeiro ao redor do globo caso não consigam mais se sustentar e/ou a INADIMPLÊNCIA e SUPERENDIVIDAMENTO dos agentes (governos, famílias e empresas) que podem passar a não responder em absolutamente NADA aos “estímulos fiscais” ou “monetários” (= redução dos juros básicos) dos governos, dentre tantas e tantas ameaças existentes onde o aprofundamento muito VISÍVEL de uma ou algumas delas pode ter o mesmo efeito que o FED subir os juros.

    Em resumo, como sabemos e sempre destacamos por aqui, é uma situação INSUSTENTÁVEL e o volume ENORME de artimanhas utilizadas atrasa o INEVITÁVEL, na mesma medida em que agrava suas consequências negativas.

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Libertario 7 de março de 2019 at 09:09

    Sobre esse relatorio da CGU, tem muita cara de terem passado aqui pelo BiB para redigi-lo.
    São muitas as coincidências:
    Relatório de rating do Cesar, IVG-R do Azufre, expansão de crédito do CA…
    Usaram até a frase da bolha espanhola (la vivienda nunca baja).
    Só faltou meterem o Sam Zell e Enrique Bañuelos no texto pra fechar com chave de ouro.

    22+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 7 de março de 2019 at 09:34

      Libertário,

      Verdade, muitos pontos em comum com o que dizemos aqui, mas o fato é que eles tiveram acesso a muitas informações e “justificativas” que nós não podíamos obter e isto ajudou a dar ainda mais consistência a tudo que temos dito por aqui. Por outro lado, mesmo no caso dos bancos e do BC, eles ainda poderiam ter reportado VÁRIAS outras anomalias, como destaquei mais acima.

      De fato, temos pessoa atuante no blog que trabalha na CGU, mas nada sei se teve relação ou não com esta auditoria. A CGU tem uma atuação bastante abrangente e este tema tem relevância até em função do crescimento EXPONENCIAL do crédito imobiliário, logo, seria natural e esperado que em algum momento eles se dedicassem a este estudo. Quanto aos termos que utilizaram, pode ter sido coincidência ou não, afinal, são termos bastante comuns e de domínio público quanto às bolhas ao redor do globo.

      Sobre Sam Zell, Enrique Bañuelos e o esquema das vendas FALSAS na planta, infelizmente ficará fora do escopo desta e de outras auditorias.

      Quem poderia ter apontado este esquema desde o começo era a Fitch, umas das “big 3” dentre as agências internacionais de classificação de risco e que viu DESDE O INÍCIO o quão ANORMAL eram os distratos, já a partir de 2011, ou seja, MUITO ANTES e sem ter como causa qualquer relação com uma “crise na economia”, como acabou virando a desculpa ESFARRAPADA adotada pelo segmento imobiliário e seus asseclas.

      Por que a Fitch se fez de CEGA frente a esta ABERRAÇÃO das vendas FALSAS na planta? Porque ela, junto com as demais, deram “aval” para que as construtoras pudessem a partir de 2007 reconhecer como “venda” as negociações DE PAPEL feitas enquanto o imóvel ainda estava na planta ou em construção. Elas assumiram uma postura “parceira” para todo o esquema que depois se demonstrou um grande EMBUSTE. Se apontassem os CRIMES FINANCEIROS cometidos a partir daí, seriam lembradas que foram CÚMPLICES e FACILITADORAS para a montagem de todo este esquema.

      Idem para a CVM, Comissão de Valores Mobiliários da BOVESPA, que também aprovou a mudança e depois se viu de mãos atadas para desfazer o erro.

      Idem para Henrique Meirelles e todos os estragos que ele promoveu enquanto presidente do BC do governo Lula, ajudando e MUITO a alimentar nossas bolhas imobiliária e de consumo durante este longo mandato e depois, quando assumiu como ministro de Temer, mesmo sabendo decor e salteado os estragos gerados, acabou se fazendo de cego e apagando incêndio com gasolina. O Henrique Meirelles foi a versão tupiniquim do Alan Greespan nos EUA, no inflar das bolhas, aparece como “herói” da economia, depois é que descobriram que ele era o grande vilão. Aqui a DESINFORMAÇÃO é tão grande, que mesmo depois ainda vão achar que Lula e ele foram os grandes “heróis”, que no tempo deles era tudo melhor, quando na prática, estavam plantando as sementes e alimentando toda a destruição que vemos até hoje.

      E o que consta acima, não difere em nada do roteiro de outras bolhas imobiliárias ao redor do globo: as agências internacionais de avaliação de risco tiveram a mesma cumplicidade durante as bolhas imobiliárias dos EUA, Espanha e demais, sempre se fingindo de CEGAS para toda a profunda ANOMALIA que estava na cara deles. Eles que assinavam embaixo das auditorias dizendo que os títulos PODRES eram “AA” no caso do subprime americano e por incrível que pareça, elas continuam aí, com a mesma influência e confiabilidade, assim como vemos os absurdos do Amorinha passarem “despercebidos” e ele ainda ter um monte de “seguidores”. Tudo isto é natural, afinal os patrocinadores são os “donos” dos meios de comunicação e divulgam a “verdade” que quiserem quanto aos fatos…

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Jonny Deep Blue 8 de março de 2019 at 11:35

        RESUMINDO:
        MUITO AUDITOR GANHOU $$$ NESSA SALADA IMOBILIÁRIA. SÓ PROVA QUE A GESTÃO DE RISCO É MUITO ERRADA PELO GLOBO.

        1+
        • socrates 8 de março de 2019 at 15:18

          O hell tinha rating de “grau de investimento” com royalties de barril de petroleo a 120 dolares bancando aposentadoria de juizes e militares estaduais corruptos.

          2+
  • Alemon Fritz 7 de março de 2019 at 09:16

    quem diria que o comunismo venceu..

    -Compra coletiva de casas é o futuro da moradia?
    BBC Brasil|21 hours ago. Com a alta dos preços dos imóveis na Grã-Bretanha na última década, muitos jovens viram cada vez mais distante o sonho da casa própria. Mas cada vez mais pessoas estão optando por uma solução …

    9+
    • avatar
    • avatar
    • Rico 7 de março de 2019 at 09:39

      Se não me engano isso por aqui se chama consórcio.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 7 de março de 2019 at 10:21

        na hora do censo, como será que serão consideradas essa nova mania de “compartilhar” será demanda… ou quem mora sozinho é excesso de oferta…kkk casas voltarão a ter 4 pessoas

        6+
        • avatar
        • avatar
      • Rico 7 de março de 2019 at 15:38

        Pensando melhor isso aqui se chama cortiço.

        13+
        • avatar
        • avatar
    • andrezinho 7 de março de 2019 at 12:48

      Frase forte na reportagem:

      “Como Alex coloca: “Se você não tem pais ricos, de que outra forma você vai comprar uma casa?”

      9+
      • avatar
      • Rico 8 de março de 2019 at 10:00

        Não tenha, simples, casa própria não é condição sine qua non para prosperar.

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Alemon Fritz 7 de março de 2019 at 09:34

    olhem quanto investimento abandonado que valoriza… e a demanda do IBGE..

    -Força-tarefa encontra 175 focos de dengue em imóveis fechados… (1 bairro em Campo Grande)
    Correio do Estado-15 h ago. Conforme a pela prefeitura, 396 imóveis onde havia os focos …

    -Bauru não tem lei eficaz de imóveis abandonados que provocam perigo.
    JCNET – Jornal da Cidade de Bauru-Mar 6, 2019

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 7 de março de 2019 at 10:09

    correria:
    -Pedidos aposentadoria cresceram 30% em janeiro.
    cearaagora.com.br|12 days ago … muitos brasileiros estão correndo para conseguir se aposentar ainda pelas regras atuais. Em janeiro, mais de 234 mil pessoas ingressaram com o pedido no INSS – um crescimento de 30% na comparação com …

    – Quatro maiores Estados do País têm 100 mil servidores prestes a se aposentar.
    RD – Repórter Diário|3 days ago … gestores estaduais de aposentadorias começam a se preocupar com a possibilidade de que haja um “boom” de pedidos do benefício neste ano…

    (milhares de velhinhos colocando imóveis e puxadinhos pra complementar renda)

    9+
    • avatar
    • avatar
  • Libertario 7 de março de 2019 at 10:12

    Tem trechos muito interessantes no relatorio da CGU.
    Eles omitiram os nomes dos bancos, mas nessa parte aqui (pag.75P) vou colocar o que eu subentendi quem seriam……

    Os dados analisados durante a auditoria indicam outra direção: (i) os Bancos CEF e BB apresentaram menor percentual de ajuste para perda em relação ao total da carteira do que os seus pares os Bancos ITAU, BRADESCO e SATANDER.

    Desde de janeiro de 2000 até dezembro de 2017; (ii) houve fortes variações no ajuste para perdas dos Bancos ITAU,BRADESCO E SATANDER durante a última recessão econômica mundial, enquanto quase não foram notadas variações no Bancos CEF e BB (iii) a mudança do nível de riscos permitiu uma menor relação entre o ajuste para perdas e total do carteira, no Banco CEF.

    Observa-se que a simples aproximação de práticas, deveria produzir efeitos semelhantes quando comparados os Bancos CEF e BB com os Bancos ITAU, BRADESCO E SATANDER
    Contudo, isso não ocorreu, reforçando a tese que a melhora no nível de risco não pode ser explicada apenas pela mudança de metodologia.
    Em relação ao IVG-R, atribuir que o possível erro de mensuração dos imóveis é o principal responsável pelo viés do LTV corrente não parece adequado.
    Primeiro, apesar de haver problemas com a mensuração de garantias e dos BNDU (por utilizar o valor de mercado, enquanto que o valor realizável líquido se demonstra mais adequado), a forma como o IVG-R é apurado também contribui para o viés apresentado no cálculo do LTV corrente.
    O IVG-R reflete a variação de preços de imóveis a valor de mercado. Para o devedor da operação (o adquirente do imóvel) ou para o vendedor, tais variações podem ser consideradas razoáveis, conforme foi explicado anteriormente. ,

    Entretanto, para uma instituição financeira não o é, pois, a mesma não conseguirá receber o valor de mercado. Mesmo que a inadimplência ocorra pouco tempo depois da concessão do crédito, podem existir fatores que farão com que a instituição financeira não consiga alcançar o valor de mercado pago pelo devedor, conforme já relatado. Assim, para uma instituição financeira, o ajuste do valor do imóvel ao valor de mercado, poderá não refletir o valor recuperável em momento futuro, no caso de inadimplência da operação de crédito.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Libertario 7 de março de 2019 at 10:15

      Agora na pagina 28.
      De novo, eu que coloquei os nomes dos bancos. Pode ser que não sejam esses mesmo (kkkk)

      2.5.1 O deságio entre a avaliação em condições normais de mercado e o valor de venda é muito significativo
      No item 2.1.3, foi apresentado que na atualidade, os critérios são imprecisos e inadequados para a avaliação e a reavaliação dos imóveis em BNDU. Tais imóveis têm sido avaliados, como se fossem ser vendidos em condições normais de mercado.

      As instituições financeiras, dificilmente, terão as mesmas condições que possui uma pessoa física que busca adquirir um imóvel por meio de um financiamento imobiliário.

      Quando executam a garantia, as instituições financeiras nem sempre receberão um imóvel: (i) conservado, desocupado e em condições de uso; (ii) sem dívidas condominiais e/ou tributárias; e (iii) que possa ser alugado, gerando algum retorno, enquanto o mercado estiver em condições desfavoráveis para o vendedor.

      Em reuniões com as equipes dos Bancos CEF e BB foi relatado que em muitos casos, os avaliadores das instituições não conseguem nem ter acesso ao imóvel, pois os inadimplentes não costumam tratar de modo amistoso os representantes dos bancos.

      Mesmo com tantos impedimentos, os Bancos CEF e BB fazem uma avaliação do imóvel antes de incorporá-los como BNDU.
      Contudo, tais avaliações são feitas considerando condições normais de mercado, o que não parece adequado para as instituições financeiras. Tendo como o exemplo o Banco (CEF ou BB), na tabela seguinte é apresentada a relação entre o valor de avaliação do BNDU e o valor líquido de venda. Novamente, foi adotada a segregação por faixas de preço dos imóveis (ver apêndice VIII).

      7+
      • avatar
      • avatar
      • Libertario 7 de março de 2019 at 10:18

        Continuando na pag. 29 outro trecho legal com o percentual de retorno do leilão

        Na atualidade, de acordo com a estrutura de contas do COSIF, os imóveis em BNDU têm sido reconhecidos pelo valor de mercado e, depois, esse valor é reduzido por meio do reconhecimento do ajuste para perdas.

        Esse não é o procedimento descrito pelo CPC 31. Considerando os dados do Banco (CEF ou BB), verificou-se que o deságio médio foi de 48% (a instituição consegue recuperar, em média 52% do valor de mercado do imóvel).

        A título de exemplo, o ajuste para perdas dos imóveis em BNDU referente a este banco foi subavaliada. Isso decorre de diversos fatores: (i) o imóvel está ocupado; (ii) o grau de conservação do imóvel; (iii) as dívidas relacionadas com o imóvel; (iv) as condições do mercado (emprego, renda, preços etc.); (v) a concorrência com outros imóveis novos e usados; (vi) tempo de construção do imóvel; e (vii) localização do imóvel.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Alemon Fritz 7 de março de 2019 at 10:28

    na bolha dos EUA e espanha e portugal o céedito podre valia menos que 16% nos bancos abutres.. ou menos… e era vantagem
    aqui 48% de queda está uma “maravilha” qdo na verdade é 80%
    Isso mostra o resultado da cadeia de cumprir metas dentro dos bancos, imobiliarias, governo, cartórios, igual a china que vendeu a safra que não tinha por causa dos relatórios dos agentes… tudo uma estava uma maravilha…

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 7 de março de 2019 at 10:35

    FRANKFURT (Reuters) – Autoridades alemãs receberam 48 pedidos nos últimos meses de empresas financeiras que pretendem se mudar para a Alemanha após a decisão do Reino Unido de deixar a União Européia, disse uma autoridade nesta quinta-feira.

    Elisabeth Roegele, diretora executiva da agência alemã de defesa do mercado financeiro Bafin, disse que mais pedidos ainda podem vir.

    “Ainda há empresas que só agora estão lidando com a questão”, acrescentou ela.

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 7 de março de 2019 at 11:43

    https://moneytimes.com.br/farsa-declarada-paper-de-chicago-estima-que-economia-da-china-e-12-inferior/

    A economia chinesa é 12% inferior do que as estatísticas oficiais apontam, e o crescimento real está superestimado em cerca de 2 pontos percentuais em cada ano, de acordo com pesquisa de acadêmicos das Universidades de Chicago e Hong Kong.

    Os acadêmicos também alertam para a desaceleração corrente, afirmando que pode ser mais acentuada do que a relatada pelo governo. O PIB da China cresceu no ritmo mais lento desde 1990 no último ano, ao mostrar expansão de 6,6%.

    A análise dos acadêmicos compreende o período de 2008 a 2016, porém se o PIB de 2018 tiver com o mesmo viés de estimativa para cima do que o de 2016, calcula-se – de acordo com o Financial Times – que o nível de produto seja US$ 1,6 trilhão menor.

    Acompanhe o Money Times no Instagram!

    “Nós também utilizamos diversos indicadores econômicos locais que possuem propensão inferior à manipulação pelos governos locais para estimar o PIB local e o agregado”, afirmam os acadêmicos.

    Em relação aos números oficiais, o paper estima que o crescimento do PIB entre 2008 e 2016 foi 1,7 ponto percentual menor, acompanhado de taxa de investimento e de poupança nada menos que 7 pontos percentuais inferiores.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 7 de março de 2019 at 11:57

      Cajuzinha,

      Muito interessante a pesquisa acima!

      Sobre a China:

      – E o que vai acontecer quando descobrirem que o Shadow Banking chinês e o crédito PODRE contido nele são GIGANTESCOS e colocam em risco todo o sistema financeiro tradicional do país, na medida em que existem MUITAS empresas relevantes QUEBRADAS que apareciam como “saudáveis” e que sendo assim, NÃO EXISTE perspectiva de recuperação mais relevante dos investimentos?

      – E o que vai acontecer quando descobrirem que as cidades-fantasma chinesas NUNCA serão ocupadas dentro de patamares minimamente aceitáveis, o que significa que os PREJUÍZOS para todos que investiram nestes negócios ou são proprietários atuais destes imóveis terá que ser reconhecido e novamente, afetando MUITAS empresas relevantes QUEBRADAS que apareciam como “saudáveis”, novamente SABOTANDO qualquer chance de recuperação mais relevante dos investimentos?

      – E o que vai acontecer quando descobrirem que MUITOS chineses foram enganados por euforias típicas de bolhas e hoje estão sem liquidez, super-endividados e sem capacidade de recuperação de consumo. Junta-se a isto que a volta à REALIDADE mencionada acima trará novas ondas de medo e de retração em seu consumo, sendo que esta também não será uma vertente viável para recuperação da economia?

      Sobre os demais países:

      – E o que vai acontecer quando descobrirem que as FAANG NUNCA valeram aquele preço de mercado equivalente a TRILHÕES de dólares em sua somatória?

      – E o que vai acontecer quando descobrirem que das CENTENAS DE TRILHÕES de dólares em derivativos embutem volume relevante de títulos PODRES / SUPER-AVALIADOS?

      – E o que vai acontecer quando descobrirem que o volume de MAQUIAGENS e PEDALADAS apresentados pelo CGU quanto a nosso sistema financeiro, é ainda maior e mais grave?

      – E o que vai acontecer quando descobrirem que as ANOMALIAS no segmento imobiliário são PROFUNDAS e agravam por demais o item anterior?

      Tem muita coisa a ser “descoberta”, mas na realidade, mais do que “descobrirem o ÓBVIO”, os gatilhos só serão disparados quando estas “descobertas” acabarem se tornando “inegáveis”, uma vez que ainda estamos na fase da NEGAÇÃO. Parece que evoluiremos mais alguns passos neste caminho ao longo de 2019, este ano promete!

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 7 de março de 2019 at 12:15

    acho curioso os governos acreditarem em taxas de crescimento maiores que 3%.. a cerca de 6% um PIB dobraria a cada 9 anos..
    impossível, não tem como a população crescer pra sempre e produzir a mesma coisa ( ainda mais se tiver dereitos médios mesmo que não faça nada) .. além disso os juros são exponenciais, mas o resto dos componentes são lineares… a cada 10 anos voltamos pra patamares antigos..

    10+
    • avatar
    • avatar
    • rogerio 8 de março de 2019 at 10:56

      Sim, a redução populacional e sua influencia no PIB é algo que precisará começar a ser considerada.

      2+
  • andrezinho 7 de março de 2019 at 12:31

    Carioca é preso nos EUA por esquema que oferecia serviços ilegais para imigrantes brasileiros.

    https://g1.globo.com/fantastico/noticia/2019/03/03/carioca-e-preso-nos-eua-por-esquema-que-oferecia-servicos-ilegais-para-imigrantes-brasileiros.ghtml

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Senhor Bolha 7 de março de 2019 at 12:45

      é o tal do malandragem, famoso coiote bR.

      Porém ele foi preso por manter relações sexuais com uma menor e não por estar ilegal.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CA 7 de março de 2019 at 13:31

    Tanto lá como cá, colocam os juros no menor patamar possível e o mantém assim por prazo recorde e sempre postergado, no entanto, com efeito NULO para estimular a economia, com a inflação sempre abaixo da meta e das “expectativas” dos especialistas economistas, como reflexo da FRAQUEZA do consumo, ao contrário do que consta nos livros de economia em seu primeiro capítulo.

    Por que?

    Porque BOLHAS geraram DISTORÇÕES enormes na economia, sendo que uma delas, é a perda de liquidez e a outra, a disparada no endividamento e inadimplência de todos os agentes e neste contexto, não adianta baixar juros, aumentar compulsórios, refinanciar bancos como estão fazendo na Europa e “N” outras ações APELATIVAS, os resultados continuarão “frustrantes”…

    https://www.istoedinheiro.com.br/bce-adotou-novas-medidas-de-estimulo-para-impulsionar-inflacao-diz-draghi/

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 7 de março de 2019 at 13:35

      Ah sim, tem uma diferença entre lá e cá:

      Lá eles reconhecem a REALIDADE, aqui o PEGA-TROUXA é que a inflação muito baixa e sempre abaixo das expectativas dos especialistas economistas como reflexo da profunda degradação dos empregos e da capacidade de consumo da população, é um dos “méritos” do BC e do governo!!! Sim, aqui no Brasil pegam algo PÉSSIMO, que não conseguem reverter de jeito nenhum e simplesmente FAZEM DE CONTA que é algo “maravilhoso”… kkk

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 7 de março de 2019 at 13:41

      https://www.jb.com.br/economia/2019/03/987182-bce-reduz-sua-previsao-de-crescimento-para-2019-e-2020.html

      Trechos do link acima:

      “07/03 às 12h05
      BCE reduz sua previsão de crescimento para 2019 e 2020
      Jornal do Brasil
      +A -A Imprimir
      O Banco Central Europeu (BCE) baixou sua previsão de crescimento na zona do euro para este e para o próximo ano devido aos riscos que pesam sobre a situação, anunciou nesta quinta-feira seu presidente, Mario Draghi, em entrevista coletiva.

      O BCE prevê uma expansão do PIB da zona do euro de 1,1% em 2019 e 1,6% em 2020, contra 1,7% para os dois anos em suas previsões de dezembro.

      Para 2021, a entidade mantém sua previsão de crescimento de 1,5%.”

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Murilo 11 de março de 2019 at 09:10

        Corrijam-me se eu estiver errado, mas para países com crescimento populacional baixo ou negativo, e renda per capita já alta, crescer 1% ao ano já não está ótimo? É 1% sobre a base econômica grande e para dividir para uma população cada vez menor ou pouco maior. 1 % é um desastre para um país pobre e com população crescente com o Brasil.

        1+
  • CA 7 de março de 2019 at 13:38

    E o Tsumoney com o otimismo UFANISTA com a reforma da previdência? Se nem na nossa “Las Vegas” estão fazendo apostas, o que dizer dos investimentos diretos…

    https://www.terra.com.br/economia/investidor-estrangeiro-retira-r-498991-milhoes-da-b3-no-primeiro-pregao-do-mes,ddfb2a0d06df34631f20ffd63524fb3506w6d6ir.html

    Trechos do link acima, entre “aspas”:

    “Os investidores estrangeiros retiraram R$ 498,991 milhões da B3 no pregão da última sexta-feira, 1º de março. Naquele dia, o Ibovespa fechou em queda de 1,03%, aos 94.603,76 pontos, movimentando R$ 13,6 bilhões.”

    “No acumulado de 2019, o fluxo de recursos estrangeiros na bolsa está negativo em R$ 1,593 bilhão.”

    7+
    • avatar
    • avatar
  • CA 7 de março de 2019 at 13:59

    Então, como DEMONSTRADO no tópico anterior, o crescimento nas vendas das montadoras de veículos no país tem sido sustentados CADA VEZ MAIS pelas vendas DIRETAS, em especial aquelas direcionadas à locadoras de veículos para atender a nova linha de negócios criada por elas para atender a Ubers e outros motoristas de aplicativos, mais as vendas diretas para PcD (Pessoas com Deficiência) que tem tido crescimentos superiores a 30% ao ano nos últimos 2 anos graças ao governo ter “facilitado” a concessão do benefício e ampliado de forma relevante o número de doenças enquadráveis neste benefício.

    Como também já havia dito antes, temos uma SÉRIE de outros agentes que são fortemente prejudicados pelas estratégias acima, em especial, as concessionárias de veículos, porque quem compra de PcD não compra delas, quem aluga de locadora como Uber ou passa a usar este meio como transporte único também não compra das concessionárias e ainda, os preços dos semi-novos vendidos pelas concessionárias também caem, na medida que comprar um novo com o PcD sai mais barato do que um semi-novo. Abaixo, outro reflexo das quedas de vendas das concessionárias brasileiras, agora quanto a modelos importados da Argentina, que também não contam com “benefícios” acima:

    https://www.istoedinheiro.com.br/argentina-vendas-de-automoveis-ao-brasil-recuam-412-em-janeiro-na-base-anual/

    Trechos do link acima:

    “Argentina: vendas de automóveis ao Brasil recuam 41,2% em janeiro, na base anual”

    “Em nível local, as vendas a concessionárias de automóveis e utilitários nacionais caíram 54,1% em janeiro ante o mesmo mês de 2018, segundo dados da Associação de Fábricas de Automotores (Adefa), citados pelo Indec.”

    7+
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 7 de março de 2019 at 14:39

    Estava vendo 6 terrenos em leilão, loteamento SOROCAMIRIM em São Roque
    No ImovelWeb sendo vendidos por R$ 150,00 / m2
    Nos leilões da Sold sendo vendidos por R$ 4,20 / m2
    “Desconto” de 93%

    https://www.imovelweb.com.br/terrenos-venda-sorocamirim.html
    https://www.sold.com.br/lote/ver/1243702

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • DouglasteR 7 de março de 2019 at 16:37

      É que nem esse aqui:
      1º Leilão: R$ 2.869.522,6321/03/2019 às 10h30
      2º Leilão: R$ 311.231,89

      Queda leve, suave que nem o decaimento do uranio pro plutonio, só que explodindo coladinho no deutério

      Sério que teve um ser pensante capaz de pagar QUASE 3 MILHOES DE R$ em 100 m² !? PELAMORDEDEEEEEUS

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 8 de março de 2019 at 08:04

        O Veio Lucas profetizou que, em alguns casos, os “descontos” chegariam a 80%

        6+
  • Cajuzinha 7 de março de 2019 at 14:50

    Em Fortaleza

    A pesquisa ainda aponta que a taxa de inadimplência potencial teve acréscimo de +0,6 pontos percentuais, passando de 7,6%, em janeiro, para 8,2%, o número de consumidores que não terão condições financeiras para honrar seus compromissos neste mês.

    A proporção de consumidores com contas ou dívidas em atraso aumentou +1,4 pontos percentuais, passando de 19,3% dos consumidores, em janeiro, para 20,7% neste mês.

    https://g1.globo.com/ce/ceara/especial-publicitario/sistema-fecomercio/radar-do-comercio/noticia/2019/03/07/indice-de-endividamento-do-consumidor-e-divulgado-pela-fecomercio-ce.ghtml

    3+
    • avatar
    • avatar
    • CA 7 de março de 2019 at 15:00

      Cajuzinha,

      PREVISÍVEL!

      Incentivam cartões de crédito para quem tem nome sujo, os consumidores já SUPERENDIVIDADOS declarando em pesquisas próximas ao Natal do ano passado que iriam aumentar suas compras mesmo assim, o governo FORÇANDO cada vez mais os bancos via redução de compulsórios a aumentarem seus empréstimos para o consumo, muitas empresas que no desespero passaram a fazer QUALQUER NEGÓCIO, sem as checagens necessárias sobre a capacidade de pagamento dos clientes, bancos querendo aumentar a concessão de crédito para aumentar bônus de executivos, sem se preocupar com o futuro (“no futuro”, contam em já ter recebido o bônus e poderão até estar em outra, deixando o abacaxi para sucessor), os bancos concedendo mais crédito imobiliário “facilitado”, também com a mesma finalidade de bônus e se aproveitando da CEGUEIRA SELETIVA do BC (mesmo com todos os problemas apontados pela CGU) e todos pensando exclusivamente no aqui e agora, só que o “futuro” chega cada vez mais rápido…

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Jonny Deep Blue 8 de março de 2019 at 13:11

        CA,

        Como evitar o tsunami? A esta altura do campeonato, imagino que já jogaram a toalha…o tempo é o maior ativo neste momento… e só restará ao governo socorrer da melhor forma possível as vítimas…

        1+
    • Cajuzinha 7 de março de 2019 at 15:00

      Campinenses já devem mais de R$ 30 mi no comércio, diz CDL
      Número é 12% maior que o registrado no mesmo período do ano passado

      De acordo com a última atualização divulgada pelo órgão de proteção ao crédito, 2.144 pessoas adquiriram alguma dívida entre os meses de janeiro e fevereiro de 2019. O número é 12% maior que o registrado no mesmo período do ano passado, quando 1.910 consumidores deixaram de honrar com alguma conta.

      O mês de janeiro foi o que registrou o maior número de inadimplentes. Foram 708 frente aos 637 registrados no mês de fevereiro.

      Ainda conforme a pesquisa, 26.207 campinenses seguem com alguma restrição no cadastro nacional de inadimplentes. Juntos, eles somam uma dívida ativa de R$ 30.419.148,00.

      https://portalcorreio.com.br/campinenses-ja-devem-mais-de-r-30-mi-no-comercio-diz-cdl/

      8+
      • avatar
      • avatar
  • CA 7 de março de 2019 at 15:01
    • Cesar_DF 7 de março de 2019 at 15:39

      Poxa, que bom hein!

      Pensei que por causa agenda de aprovação das reformas da previdência, tributária e fiscal ele iria dar uma de populista e dar algum subsídio para a Ford

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 7 de março de 2019 at 15:57

        Cesar_DF,

        Também achei ótimo e coerente com aquilo que o Carlos da Costa já havia dito antes. Como havia comentado por aqui, foi com ele que cerca de 15 anos atrás aprendi sobre macroeconomia e já naquela época ele dava ênfase na questão do Moral Hazard, subsídios setoriais, excesso de apoio do governo, etc e o quanto estas “estratégias” eram extremamente prejudiciais para economia e sociedade como um todo.

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 7 de março de 2019 at 15:11

    Necton revisa estimativa do crescimento do PIB de 2019 de 2,1% para 1,8%
    Investing.com Brasil – 07/03/2019 – 14:49

    8+
    • avatar
    • avatar
    • CA 7 de março de 2019 at 16:18

      Cajuzinha,

      Em 2019, continuamos acelerando a toda velocidade com o PIB… DESCENDO a ladeira!

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 7 de março de 2019 at 15:31

    CA, kkkkkkk, “choque de realidade”

    06/03/2019 às 18h28 6 Mercado enfrenta choque de realidade e dólar bate maior nível do ano

    “A paciência do mercado está acabando. Havia uma expectativa maior para o primeiro trimestre.
    Mas o fluxo estrangeiro que sazonalmente ingressa no país no período de janeiro e fevereiro não
    veio. Isso é um sinal de que a valorização global da moeda americana e as indefinições e falta de
    comunicação do novo governo brasileiro retardaram esse fluxo”, diz Italo Abucater dos Santos,
    gerente de câmbio na Tullett Prebon. “Como se fala que o ano só começa após o Carnaval,
    tivemos a cereja do bolo com o vídeo que o presidente publicou no Twitter, azedando mais ainda
    o humor do mercado”, acrescenta.

    Será que ele quis dizer “esse país é um put…”?

    https://www.valor.com.br/financas/6147937/mercado-enfrenta-choque-de-realidade-e-dolar-bate-maior-nivel-do-ano

    7+
    • avatar
    • avatar
    • CA 7 de março de 2019 at 16:17

      Cajuzinha,

      kkk

      “Choque de realidade” para quem? Só para os “especialistas economistas” e aqueles que os seguem sem NENHUM espírito crítico, sem olhar para a REALIDADE escancarada à sua volta, lendo exclusivamente os títulos das notícias e não o que está escondido por trás delas.

      Outro trecho interessante da notícia acima:

      “O que deixa o ambiente de negócios um pouco mais delicado, no entanto, são dados mais fracos de atividade econômica no Brasil, o que está levando o mercado a reduzir as expectativas para o crescimento deste ano.”

      Segue um trecho de notícia que coloquei mais acima, sobre os investidores estrangeiros na BOVESPA:

      “No acumulado de 2019, o fluxo de recursos estrangeiros na bolsa está negativo em R$ 1,593 bilhão.”

      “Detalhe”: na reportagem da Valor que você colocou acima, eles dizem que os investidores nacionais estão mais confiantes que os estrangeiros e se mantém aumentando suas apostas na BOVESPA. O que ele esqueceu de dizer, é que temos uma ENORMIDADE de SARDINHAS, que já foram ENGANADOS em “N” golpes de DESINFORMAÇÃO. Um exemplo típico são as flutuações no preço da Ação da Gafisa, que dispara quando troca de comando ou ela compra as próprias Ações para DESPENCAR logo em seguida quando aparecem novos detalhes sobre a REALIDADE de PÉSSIMOS resultados e calotes se ampliando cada vez mais, ou o caso anterior da PDG que foi a primeira a ver o valor da Ação DOBRAR em 2017 para menos de 1 mês depois pedir recuperação judicial, ou casos como o da OGX e INÚMEROS outros que demonstra que os nossos SARDINHAS são mais INCAUTOS que os outros…

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 7 de março de 2019 at 15:48
    • Rico 7 de março de 2019 at 15:51

      Dá um Femur de Boi para o cachorro e volta daqui a uma semana. Ele ficará feliz e contente.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 7 de março de 2019 at 15:54

      Cajuzinha,

      Criatividade a mil por hora…

      E cada uma destas novas “áreas de serviços para clientes” reduz da estatística de vacância, esta é a “recuperação dos imóveis comerciais”. Análogo à recuperação dos empregos: cada novo DESALENTADO (DESISTIU de procurar emprego), diminui do percentual de desempregados. Fácil “recuperar” desse jeito, não é mesmo?

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 7 de março de 2019 at 15:58

    Vejam que história de “terror”: construiram uma mansão, e como não conseguiram vender, perderam para o banco

    Em abril de 2010 Sidinei Amorim vendeu o terreno para dois menores pelo valor simbólico de R$ 2.000,00
    Em dezembro de 2015 os dois ex-pirralhos, transferiram a propriedade ao banco Intemedium como garantia de um empréstimo de R$ 215.333,50
    Em janeiro de 2016 contruiram uma mansão de 340 m2
    Em outubro de 2017 o banco intemedium consolidou a propriedade por falta de pagamento, valor de avaliação R$ 1.206.000,00
    Hoje esta mansão está indo para leilão por R$ 259.000,00 (79% de desconto)

    https://assets.sold.com.br/cdn/anexos/7708/1243322/20190214_180145_911dac6c5de8ab9b9a14f3ed492f92f1.pdf
    https://www.sold.com.br/lote/ver/1243322

    29+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • LZ 7 de março de 2019 at 19:32

      Foda vai ser tirar esse povo dessa casa ai.
      Imóvel ocupado.
      Vai gastar uns 50 Mil fora o tempo.

      8+
      • avatar
    • Jonny Deep Blue 8 de março de 2019 at 12:45

      CEZAR e turma do blog, como faço para por fotos e gráficos?? Venho acompanhando mais passivamente o blog e vcs. O blog é atual, pertinente e oportuno . É show. .Porém, vez ou outra tenho vontade de postar uma foto ou gráfico.

      Valeu!!

      0
  • Cajuzinha 7 de março de 2019 at 16:33

    Avianca Brasil atrasa salários de pilotos e comissários, diz sindicato
    Trabalhadores se reuniram nesta quinta-feira e deram o prazo de quarta (13) para que a empresa se posicione antes de convocar um novo encontro para discutir uma eventual paralisação.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 7 de março de 2019 at 17:21

      Cajuzinha,

      Desde 2015 vemos um grande número de empresas, dos mais variados setores e portes, que estão QUEBRANDO. Isto possui um efeito em cascata bastante perverso, que é como a questão dos juros compostos: cada nova QUEBRA, alimenta o círculo vicioso que leva a outras derrocadas de empresas e os volumes acumulados de prejuízos vão ficando cada vez maiores.

      Quando o setor imobiliário iniciou sua DERROCADA em 2012, com o pior resultado do segmento em todos os tempos, de acordo com dados das construtoras com Ações na BOVESPA (*), isto ajudou a DESACELERAR mais fortemente os empregos formais, que haviam sido impulsionados ARTIFICIALMENTE pelo inflar da bolha imobiliária. Daí, em 2014, com a Lava Jato escancarando a PODRIDÃO na construção civil pesada, mesclado com novas PIORAS no segmento de construção civil leve (setor imobiliário), a construção civil foi a primeira a ter redução de vagas formais, puxando demais setores para baixo.

      (*) Distratos DOBRARAM e passaram de R$ 5 BILHÕES, quedas de 20% nas vendas, de 40% nos lançamentos e de 30% no faturamento, prejuízo consolidado superior a R$ 1 BILHÃO, 5 construtoras com dívida líquida de mais de 100% em relação ao patrimônio líquido, início de “descontos” relevantes nas vendas de imóveis novos e de declarações no ReclameAqui de clientes que viam as construtoras vendendo mais barato na entrega do que no lançamento, intensificação no despencar dos preços das Ações das Construtoras e na DESACELERAÇÃO dos empregos do setor, etc.

      Junto com o que consta acima, para MAQUIAR os efeitos da explosão da bolha imobiliária que se iniciava, em 2012 a Dilma disparou nos gastos do governo, nos benefícios setoriais inócuos, na redução ARTIFICIAL da SELIC, na redução do preço de energia elétrica NA MARRA, idem para a manutenção do preço dos combustíveis que aumentavam internacionalmente e depois, juntando a volta à REALIDADE para estas GAMBIARRAS com uma desaceleração acentuada puxada pela construção civil e que consta no parágrafo anterior, tivemos o início da crise na economia a partir de 2015, que na prática, vivemos até hoje (esquecendo os PIBinhos de 2017 e 2018 graças a eventos fortuitos e temporários que mencionei em próximo comentário).

      Daí já em 2015 começaram a “pipocar” as QUEBRAS de empresas e isto se manteve ao longo dos próximos anos. A cada nova empresa que quebra, toda a cadeia é afetada, desde os fornecedores que sofrem com os calotes, passando por funcionários desempregados que às vezes nem conseguem receber uma parte significativa de sua rescisão e chegando aos bancos e demais credores que entubam prejuízos RELEVANTES, sendo que isto se reflete em NECESSIDADE de juros maiores e mais critério na concessão de empréstimos para cobrir estes ROMBOS, o que de novo, só alimenta o circulo vicioso da crise. São empresas, famílias e bancos com investimentos, empréstimos ou consumo retraídos e cada nova empresa que “abre o bico” alimenta todas estas vertentes negativas para a economia.

      E o que os “jeniais” (sic) governos fazem? Alimentam incêndio com gasolina, sempre na esperança de gerar algum pulinho no fundo do poço, para fingir que está melhorando sem ter saído do lugar, na expectativa que as novas derrocadas que serão consequências destas GAMBIARRAS apareçam só na próxima gestão, o que faria com que eles parecessem os bonzinhos que estavam recuperando a economia e que os sucessores eram os “malvados” que faziam a situação piorar.

      E aí, com uma “estratégia” destas, vai? Não, não vai!

      10+
      • avatar
  • Cajuzinha 7 de março de 2019 at 16:36

    Segundo a associação, o transporte aéreo de cargas continua a enfrentar desafios consideráveis, com o enfraquecimento tanto da atividade econômica global como dos indicadores de confiança do consumidor. “O mercado de transporte de carga contraiu em janeiro. Isso representa a piora de uma tendência de enfraquecimento que teve início em meados de 2018. A menos que haja uma redução nas medidas protecionistas e uma diminuição nas tensões comerciais os prospectos de uma rápida recuperação são pequenos”, alerta em nota o diretor-geral e CEO Iata, Alexandre de Juniac. Conforme a Iata, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) tem indicado uma retração nas exportações desde setembro de 2018.

    A demanda mundial por transporte aéreo de cargas, medida em toneladas-quilômetro (FTK, na sigla em inglês), caiu 1,8% em janeiro ante igual mês de 2018, informou a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês). A performance, segundo a Iata, é a pior dos últimos três anos.

    Já a oferta global por transporte aéreo de cargas, apurada em toneladas-quilômetro disponíveis (AFTK, na sigla em inglês), subiu 4,0% em relação a janeiro de 2018. Em nota, a Iata destaca que esse é o décimo primeiro mês consecutivo em que a expansão da capacidade é superior à demanda.

    https://gauchazh.clicrbs.com.br/economia/noticia/2019/03/transporte-aereo-de-carga-cai-18-em-janeiro-pior-desempenho-em-3-anos-cjsyxvc8900yy01p5s1r2usff.html

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 7 de março de 2019 at 16:58

    https://www.infomoney.com.br/mercados/cambio/noticia/7971762/a-fala-do-presidente-do-bce-que-fez-o-dolar-subir-1-e-renovar-a-maxima-do-ano

    Como assim o dólar renovou a máxima do ano no Brasil???

    Onde fica o otimismo UFANISTA???

    Não bastou o presidente da câmara prometer 6% de crescimento do PIB nos 12 meses seguintes à aprovação da reforma da previdência???

    Não bastou o superministro da economia prometer 10 ANOS de crescimento GARANTIDO só em função da aprovação da reforma da previdência???

    Não bastou o Sachsida garantir 8 MILHÕES de empregos gerados A MAIS nos 4 anos seguintes ao da aprovação da reforma da previdência???

    Daí vem uma simples declaração de um presidente do BCE e já coloca o dólar em patamar recorde do ano?

    Onde fica a confiança no Brasil, o “país do futuro”, a meca da reforma da previdência, o único país do mundo que ignora por completo a desaceleração da economia mundial e tem seus representantes no alto escalão do governo garantindo resultados maravilhosos e pujantes graças à nosso Santo Graal, o cálice que garante a imortalidade do crescimento econômico?!

    E as PROMESSAS veiculadas na Info171Money, um “especialista economista” falando sobre a BOVESPA podendo passar dos 200 mil pontos, outro dizendo que ela pode voltar a aumentar mais de 500%, as “palestras” motivacionais do Amorinha para os corretores e outros públicos, todos na mesma linha, falando sobre o futuro maravilhoso que nos aguarda e ninguém levou isto a sério???

    Quer dizer que não confiam nos nossos “gurus” nem nos especialistas seniores em CHANTAGEM ao congresso para aprovação da reforma da previdência?!

    Que falta de fé!

    Agora, falando sério:

    Pela nogentésima decepcionésima (sic) vez, vemos o ÓBVIO sobre o que já havíamos falado por aqui INÚMERAS vezes: se não fizeram absolutamente NADA para a economia melhorar, se tudo o que “impulsionou” nosso PIBinho dos últimos anos teve a ver com SORTE (recorde de safra agrícola em 2017) ou PEDALADAS não recorrentes com verbas do passado não mais disponíveis (FGTS dos inativos em 2017, PIS/PASEP do passado em 2018) e se pior do que isto, observamos uma INEGÁVEL DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS, junto com contínuas disparadas na INADIMPLÊNCIA das famílias e ainda, empresas com faturamento BILIONÁRIO ou existência há DÉCADAS que estão QUEBRANDO, com déficit fiscal do governo federal que continua crescendo em proporção ao PIB e com alguns governos estaduais e muitas prefeituras em situação financeira cada vez mais CRÍTICA, por que cargas d´água alguém ainda achou que este conjunto ensejaria uma recuperação mais consistente e relevante da economia brasileira em 2019 e que isto levaria o dólar a ficar abaixo de R$ 3 e a BOVESPA a disparar???

    O que consta no último parágrafo acima é uma completa INSANIDADE! “Ah, não fizemos nada, então tem que melhorar!”. Por que? “Ah, porque no passado melhorava sozinho!”. PQP, daí entram os “grafistas”, aqueles para os quais pouco importa se a situação atual é 100% diferente do passado, mas que “garantem” que no futuro tem que ser igual! Os IDIOTAS não entendem, ou se fazem de TAPADOS, que se temos tudo que consta no parágrafo anterior e NUNCA tivemos esta combinação antes, muito menos com estas dimensões para cada assunto, é ÓBVIO que não ocorrerá nada igual ao que aconteceu no passado! Será que isto é tão difícil de entender?!

    Aproveitando para reiterar o que já foi dito por aqui algumas vezes: como a reforma da previdência só terá sua votação concluída na melhor das hipóteses até o final de junho/2019, podendo ser estendida até setembro/2019 ou outubro/2019, dependendo das polêmicas, foco, etc, até lá cada vez mais aparecerão evidências quanto à REALIDADE, que vão fazer com que as promessas UFANISTAS dos representantes do alto escalão do governo e seus asseclas soem cada vez mais RIDÍCULAS, que é exatamente o que elas são. A partir deste ponto, estas promessas NON-SENSE servirão apenas para tirarem uma onda em cima do governo e seus representantes e não mais para chantagear o congresso à aprovar a reforma da previdência e daí correremos um risco muito maior de não conseguirem aprovar sequer esta reforma que já será INSUFICIENTE e até INSIGNIFICANTE perto de tudo que tem que ser feito e o governo está adiando, ou pior, alimentando incêndio com gasolina e se isto acontecer, corram para as colinas! A conferir…

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • indiobolhista 7 de março de 2019 at 18:24
    • Hard Core 7 de março de 2019 at 18:32

      A casa parece ter boa estrutura mas precisa de uma reforma estética completa. Se assumir só o IPTU já corre risco de toma PREJU. Como pode isso acontecer? Se fosse na minha cidade e pudesse parcelar o IPTU em 35 anos, que sabe né…..kkkkkk

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Hard Core 7 de março de 2019 at 18:34

        O CA avisou incessantemente que isso acontecer… leilão por divida ativa? Provavelmente…

        6+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • CA 7 de março de 2019 at 18:56

    Sobre a reforma da previdência:

    https://globoplay.globo.com/v/7436021/

    Título e sub-título do vídeo acima:

    “Receio da reforma da previdência aumenta em 30% pedidos de aposentadoria”

    “O movimento cresce a cada discussão sobre a reforma da Previdência”

    Pois é, algo que já cantamos a bola por aqui INÚMERAS vezes:

    1) Os “efeitos colaterais” acima foram considerados no cálculo mágico do resultado com a reforma da previdência? NÃO! Eles simplesmente ignoraram este efeito bem como “N” outros efeitos CONTRÁRIOS aos objetivos do governo com a reforma da previdência, tais como a postergação de aposentadoria que tirará vagas do mercado de trabalho, a economia que aqueles poucos que ainda tiverem liquidez farão por medo de não poderem contar com a previdência social com aquele dinheiro deixando de ir para o consumo, etc. O que é GARANTIDO por qualquer reforma da previdência, em qualquer país do Mundo? Ela SEMPRE traz estes efeitos contracionistas, afinal, não tem milagres, ela é feita para reduzir os gastos! Então, apesar de ser “líquido e certo”, só consideraram o “caminho feliz” e se “esqueceram” destes “detalhes”;

    2) O que é mais “líquido e certo” que aconteça, os efeitos contracionistas mencionados no item 1 acima, ou o caminho feliz do governo e sua redução do ROMBO da previdência em R$ 1 TRILHÃO em 10 ANOS (lembrando: mesmo nos números mágicos, vai “sobrar” um ROMBO de mais de R$ 3 TRILHÕES nestes mesmos 10 ANOS, estão diminuindo o tamanho do déficit, mas ele continuará sendo gigante)? O pior é que o “líquido e certo” são os efeitos CONTRACIONISTAS para economia. Eles já estão acontecendo e tendem a se intensificar conforme os debates evoluírem, as informações e o “terrorismo” sobre o tema se espalharem pelas redes sociais e assim por diante. Já no caso dos “ganhos esperados”, primeiro que não será R$ 1 TRILHÃO, no melhor cenário será entre R$ 600 bilhões e R$ 800 bilhões, SEM CONTAR os efeitos contracionistas que deveriam ser abatidos, segundo, existe a possibilidade de nem aprovarem a reforma da previdência e ainda ficarem com os efeitos contracionistas já realizados!

    É, o mundo REAL sempre “cruel” com o governo e suas promessas UFANISTAS…

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • tmarabo 8 de março de 2019 at 10:42

      o que fazer, não reformar a previdência?

      3+
  • indiobolhista 7 de março de 2019 at 19:06

    no melhor cenário será 300 bilhões o ganho mais otimista, o país vai para a merda é um fato, mas mesmo assim é necessária a boba reforma, e sim não for o país será a nova Grecia em 2 anos, é necessário privatizar tudo realmente, educação tem que ser a distancia, saúde tem que permitir a migração de médicos do mundo para exercer livremente sua profissão, o ideal é que no estado só tenha salario mínimo para tudo mundo, tem doutorados babacas que só merecem salario minimo na verdade, e aposentadoria com salario minimo para tudo mundo, incluso os que já aposentaram no passado, vai para merda os direitos não retroativos. Mas como tudo mundo gosta de se enganar, nada disso será feito e mesmo se for feito só mudam um pouco as datas de quando seremos a próxima Argentina.

    11+
    • avatar
    • odorico 7 de março de 2019 at 19:21

      Interessante que também tenho essa visão sobre a Banânia e os Bananenses. Quando foi que fizemos algo preventivamente ou da forma correta que deveria ser? Independência (jogada do dom pedro), abolição (última do continente e outra jogada da princesinha), República (fachada), Café com Leite (troca troca para inglês ver), getúlio ditador (voltou eleito), Golpe/Ditadura(com apoio da igreja, da sociedade e famílias, da elite e da massa em alguns casos), redemocratização (com trancredo neves, sarney….pelo amor de deus), combate a inflação (milhares de planos e 20 anos de luta), fora collor (massa de manobra), plano real (só saiu com as aspirações políticas do FHC ), milagre do PT (surf nas commodities). Enfim, somos um país reativo, olhe para o lado e verá, só arrumamos o telhado quando tem goteira, só fazemos manutenção no carro quando quebra, só vamos ao médico doentes, enfim a nossa cultura é do “deixa a vida me levar” e não vejo outra saída, essa reforma se sair vai ser “remendada” e vai jogar o problema para frente e se não sair só vamos nos dar conta no dia 10 que não cair a aposentadoria, o auxílio, o salário , etc etc etc…

      29+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • indiobolhista 7 de março de 2019 at 19:44

        os petista dissem que luladrão foi o melhor estadísta da historia do mundo, que não somos singapore, apenas porque não deu para uma terceira eleição dele mesmo, shuashuashuashua, chupem esquerdopatas do bib

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Jonny Deep Blue 8 de março de 2019 at 13:21

      Estamos péssimos mesmo….

      0
  • Cajuzinha 7 de março de 2019 at 20:46

    deputado federal licenciado, Carlos Bezerra (MDB), acredita que o maior problema do Brasil não é a reforma na previdência e sim a dívida pública federal. Para ele, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) erra ao ‘esquecer’ este fato em baixo do tapete.

    “Estive em reunião com ele recentemente e disse isso: olha, presidente, a previdência é um problema? É. Mas o maior problema não é esse. O maior problema está escondido para debaixo do tapete. Nas eleições passadas, o único candidato que acertou em cheio foi Ciro Gomes, que falava sobre a roubalheira da dívida e sobre melhorias na política econômica”, disse o emedebista durante entrevista à Rádio Capital FM, na manhã desta quinta (7).

    Conforme consta, a dívida pública inclui os endividamentos do governo dentro do Brasil e no exterior. De acordo com a Agência Brasil, depois de encerrar 2018 próxima da barreira de R$ 4 trilhões e em nível recorde, a dívida deverá chegar ao fim de 2019 entre R$ 4,1 trilhões e R$ 4,3 trilhões.
    Nesse sentindo, Bezerra acredita que essa dívida precisa ser auditada. “Se ele fazer isso o seu governo vai ser igual aos outros”, complementou

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • indiobolhista 7 de março de 2019 at 22:00

      auditada estilo equador com Correa? ou auditada estilo Hugo Chávez? ou auditada estilo Fidel Castro? inventaram dividas para bananenses pagar feito otário? auditar é bom? ou só os países caloteiros seletivos esquerdopatas inventam essa merda depois que enrabaram dinheiro dos outros para poder roubar a vontade e o próprio povo que pegou alguns trocados via bolsa alguma coisa, achamos bom o calote seletivo?, se for pior o outro caminho e o calote geral, e vai para merda mundo financeiro, que nós somos a nova Cuba, extremista nada, quando o mercado mundial escutar do governo falar de auditar a dívida, a credibilidade dum país vai para a merda, com o histórico que tem Banania de ser caloteiro serial, seria bom ter nosso tipo de cambio 40 reais por dólar.

      8+
      • avatar
    • Senhor Bolha 7 de março de 2019 at 22:07

      Papo para boi dormir do ciro.

      Ele só não diz que é os planos desenvolvimentista que defende que faz com que a dívida exploda.

      13+
      • avatar
      • avatar
  • Carlos 7 de março de 2019 at 21:47

    OFF – Montadoras
    Notícias sobre acordos entre Ford e GM cada vez mais frequentes, muito poucos detalhes.
    Talvez uma fusão já que as duas estão morrendo?

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 7 de março de 2019 at 22:01

    De acordo com a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), um total de 155.872 clientes possuem débitos vencidos de conta de luz, totalizando mais de R$ 200 milhões em inadimplência. Para tentar receber parte dessas faturas não pagas, a empresa continua com a campanha de negociações com a retirada de 100% dos juros e multas, e parcelamento em até 80 vezes.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 8 de março de 2019 at 07:57

      eletricidade vai ser um próximo gargalo novamente. lembrar também da questão da Benezuela que pode dar chabu lá e afetar a banania com a necessidade de termelétricas… ah …e muitos podem tentar fazer gato e piora o caso.

      6+
      • avatar
    • DouglasteR 8 de março de 2019 at 08:56

      80 vezes.
      SIM, vc leu certo. 80x pra conseguir pagar uma conta de luz. OITENTA VEZES.

      8+
      • avatar
      • avatar
  • indiobolhista 7 de março de 2019 at 22:51

    bolhistas sucedidos e torradores de grana, faz mais de 2 anos tentando vender sua casa, a metade do preço que os vizinhos, e não vende casa com piscina a 100 metros do mar por só 150 mil reais https://ce.olx.com.br/fortaleza-e-regiao/imoveis/casa-de-praia-deliciosa-em-pecem-573994613?xtmc=alugadas&xtnp=2&xtcr=17

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 7 de março de 2019 at 23:04

    Um pouco sobre vício de subsidio.

    Demanda artificial e as distorções no mercado de crédito.

    A estratégia populista consiste em duas etapas: No primeiro momento o governo gera uma onda de crédito de baixo score fomentada por bancos públicos. Neste meio tempo o governo incentiva a população carente ” classe merdia” a assumir
    ” Parcelinhas”, Afinal para este pessoal o que importa é ter o bem no presente ! “666”. Para este pessoal pouco importa se você vai hipotecar o futuro seu e deus filhos para imobilizar em imóveis e outras bugigangas.

    Segundo movimento: O governo populista fomenta crédito podre por meio de bancos públicos, economistas desenvolvimentistas fazem injeção de capital em ” Obras públicas” , e fazem isso unicamente para fomenta emprego na construção civil e de quebra ganhar popularidade com os mais pobres. Ao longo do tempo este processo aumenta dívida pública, principalmente ao jorrar uma enxurrada de dinheiro em investimentos de baixo retorno.

    Estágios da loucura coletiva:

    Fase 1 = Conceder crédito via bancos públicos
    Fase 2 = Fazer obras públicas ( Fomenta construção)
    Fase 3 = Jorrar desoneração e incentivos fiscais par ao setor que mais empregam :Industrial, construção civil, agronegócio e afins.

    Realidade VS expectativa:

    Logo após o estouro do esquema por uma série de motivos que já relatei anteriormente, é muito comum que a realidade das empresas venha a tona. Afinal são empresas criadas em cima de uma demanda artificial ( Falsa demanda), e não podem se sustentar para todo sempre no mesmo esquema, tão logo o crédito podre suma também somem os colaterais das dívidas.

    Neste sentido alguns argumento espúrios são usados para manter o duelo de narrativas populista.

    Não pode fechar empresas : Vai ter desemprego
    Não pode demitir.
    Não pode tirar subsídios
    Não pode abrir mercado.
    Alguns especialista alegam que empresas não conseguiriam competir com outras empresas do exterior , empresa ao qual supostamente seriam mais capitalizadas e detentoras de uma tecnologias, logística e custos menores .Resumo : Não pode nada! Logo tem que continuar fazendo o mesmo de sempre e dobrar a meta.

    Ninguém nunca se perguntou a causa raiz das distorções; O porque políticos e ” Especialistas” agem apenas sobre os efeitos?

    Analogia do doente que morreu por excesso de medicamentos.

    Você ficou doente,Tome remédio! Não deu certo aumente a dose na droga.

    Fazem isso até o paciente morrer com fígado comprometido por excesso de substancias químicas. OBS A causa da morte pouco tinha haver com a doença inicial. Alguma vez você já se perguntou porque a população e políticos não agem nas causas? Agir nas causa é reconhecer que tudo aquilo que foram ensinados ao longo da vida não passa de uma mentira.

    A sociedade prefere se enganar, e os políticos nada mais são que reflexo da sociedade. Políticos e especialista do governo não podem dizer a realidade: ou seja, que após a contração da falsa demanda vai ocorrer demissões e perca de liquidez, e principalmente: Que o castelo de cartas vai cair porque não se pode crescer para todo sempre baseado em dinheiro sem lastro em criação de bens e serviços, dinheiro criado apenas por um mero capricho de um populista barato!
    No mundo atual governos sempre vão optar pela segunda opção, e qual seria esta opção?: Dobrar aposta no erro até onde conseguir rolar a sujeira para debaixo do tapete.

    Não importa o quão bom seja as evidências , isso nunca deu e nunca vai dar certo. Não se trata de estar certo ou errado, mas sim de manter votos. ” Calculo eleitoral”

    Vide mentirada sobre reforma da previdência , dívida pública e afins. Resumo: Não vamos mudar nada, porque perderemos os empregos falsos que criamos via endividamento público, logo saída adotada agora é dobrar a meta.

    Aprendam de uma vez por todas porque reformas que tocam na causa raiz das questões sempre vão ser evitadas por qualquer governo no mundo. No fundo as pessoas preferem se auto enganar. O sistema atual em sua base é uma grande pirâmide financeira; EX: Se você dizer a realidade capaz de espancarem por ter uma opinião correta e bem fundamentada.

    As pessoas sempre acreditaram ao longo do tempo que é comum depender de burocratas na sociedade
    OBS: burocratas ao qual são incapazes de gerenciar suas próprias vidas! burocratas estes que magicamente conseguiriam planejar curva de oferta e demanda usando modelos de econometria.

    Como diriam Albert Estein.
    A definição de insanidade coletiva : Continuar fazendo sempre a mesma coisa esperando resultados diferentes.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 8 de março de 2019 at 00:27

    OFF – Bananistão R.I.P

    Bananistão caminhando rapidamente pro abismo e os idiotas preocupados com a moral e os bons costumes a mando do aiatolvavo 😂

    Retorno das lives de Bolsonaro foi conselho de ‘guru’

    Jair Bolsonaro avisou que a partir de agora irá fazer transmissões ao vivo nas redes sociais semanais. Quem recomendou fortemente que a medida para o presidente foi Olavo de Carvalho, que afirma não ser “guru” nem “ideólogo” do governo. Dois dias atrás, Carvalho divulgou em sua página no Facebook: “Recomendo enfaticamente ao presidente da República: fale diretamente ao povo num programa semanal em rede nacional de televisão. E responda às perguntas do povo, não às de jornalistas”. Nesta quinta-feira, Bolsonaro voltou a fazer suas lives e respondeu perguntas enviadas pela internet. Faltou só ser pela televisão.

    https://br18.com.br/retorno-das-lives-de-bolsonaro-foi-conselho-de-guru/

    10+
    • avatar
  • Carlos 8 de março de 2019 at 04:34

    OFF – A marcha da idiotia continua

    PRA sempre foi uma pessoa coerente, capaz e honesta.
    http://diplomatizzando.blogspot.com/2019/03/o-chanceler-vestiu-carapuca-mas-nao-era.html

    3+
    • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 08:06

    Encomendas à indústria alemã caem 2,6% em janeiro e frustram expectativas

    O resultado frustrou a expectativa de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam alta de 0,5% nas encomendas.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 8 de março de 2019 at 08:11

      mistura de crise, geração milhonium e os que podem trabalhar desde a casa e automação… fora o uso de bikes e patinetes..

      7+
      • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 08:11

    BCE retoma política de estímulo à economia
    Autoridade monetária europeia vai retomar oferta de crédito barato a bancos

    7+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 08:16

    Endividamento crônico é realidade da maioria das famílias brasileiras

    De acordo com pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), duas a cada dez famílias no país precisam converter mais da metade da renda em pagamento de dívidas. O percentual de inadimplentes também cresceu, de 22,8% em dezembro para 22,9% em janeiro, atingindo principalmente famílias com renda de até dez salários mínimos.

    https://veja.abril.com.br/economia/dino/endividamento-cronico-e-realidade-da-maioria-das-familias-brasileiras/

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 8 de março de 2019 at 08:33

      só eu despedi 2 millenium .. Os pirralhos faltavam e não justificavam, comunicavam algum evento uma hora usando zap, outra por e-mail, as vezes eu fazia um questionamento por e-mail e eles respondiam pelo zap… FDPs. Não se prontificam e além disso não te respondem corretamente uma informação: ex: Mocréia que dias vc tem aula? resposta: eu Não tenho aula na manhã de quinta, das 19 as 20:40 de quarta e na segunda de noite (isso irrita!!!, não respondeu o que eu pedi.. ). fora o vácuo caso vc não atenda um pedido (nem pra dizer obrigado ou por favor). geração bostinha… a próxima aparentemente está melhor, (com menos de 21anos)

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 8 de março de 2019 at 09:00

        fora que essa geração é ótima pra sacanear o próximo: ex: fulano cadê a mocréia que ela não veio ontem??… resposta: ah, é que ela ficou fumando maconha e passou mal ontem… (uns FDPs).. kkk ou a fulana se mudou de cidade, o pais dela foi acusado de golpe na empresa, ela está agora no Paraná (fatos reais que eu vi)

        9+
        • avatar
        • avatar
      • Alemon Fritz 8 de março de 2019 at 09:01

        fora que essa geração é ótima pra sacanear o próximo:
        ex: fulano cadê a mocréia? que ela não veio ontem??… resposta: ah, é que ela ficou fumando maconha e passou mal ontem… (uns FDPs).. kkk ou a fulana se mudou de cidade, o pais dela foi acusado de golpe na empresa, ela está agora no Paraná (fatos reais que eu escutei)

        (ops deu erra lá em baixo)

        2+
        • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 08:20

    Exportações e importações da China têm forte queda em fevereiro
    Indicador reforça preocupações sobre a desaceleração da segunda maior economia do planeta, atualmente em uma guerra comercial com os EUA.

    As exportações em fevereiro caíram 20,7% por cento em relação ao ano anterior, maior queda desde fevereiro de 2016, de acordo com o governo. Já as importações recuaram 5,2%.

    O resultado veio pior do que o projetado pelo mercado, muito além das quedas de 5% e 0,6%, respectivamente, previstas em uma pesquisa da agência Bloomberg News.

    “Os dados publicados reforçam nossa opinião de que começou a recessão comercial da China”, disse Raymond Yeung, do ANZ bank. “Vemos poucos motivos para esperar uma recuperação a curto prazo”, completou.

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/03/08/exportacoes-e-importacoes-da-china-tem-forte-queda-em-fevereiro.ghtml

    6+
    • avatar
    • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 08:22

      é só uma marolinha

      Para completar, a China registrou em fevereiro um excedente comercial baixo para seus padrões, de apenas US$ 4,12 bilhões, muito aquém do resultado de janeiro (US$ 39,2 bilhões).

      7+
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 08:25

        Exportações da China em fevereiro têm maior queda em 3 anos, surgem temores de ‘recessão comercial’

        Índices da China têm maior queda em 5 meses em meio a sinais de maior regulação

        08/03/2019 às 07h50 Bolsas da Ásia fecham em forte queda devido à desaceleração da China

        China encolhe sua frota de jatos particulares
        Redução na atividade econômica levou diversos proprietários a venderem suas aeronaves no mercado internacional

        Por ser um ativo de elevado valor e com custo operacional alto, os aviões de negócios, geralmente, são os primeiros ativos a serem vendidos em caso de recessão.

        “Jatos particulares são, frequentemente, os primeiros itens colocados para a venda, à medida que seus proprietários não podem mais arcar com as despesas ou justificar sua posse”, afirma James Coak, vice-presidente para o desenvolvimento internacional dos negócios da Titan Aviation.

        https://aeromagazine.uol.com.br/artigo/china-encolhe-sua-frota-de-jatos-particulares_4206.html

        3+
        • avatar
  • Cesar_DF 8 de março de 2019 at 08:35

    Peço apoio do pessoal aqui para corrigir o valor de um imóvel
    https://assets.sold.com.br/cdn/anexos/7708/1243321/20190214_180120_cb0abcbe97cb49e2cf4e38e7c967a091.pdf

    Apartamento de cobertura, com 363 m2, no centro de Belo Horizonte

    Comprada em setembro de 1985 por Cr$ 515.000,00 (3.499,93061 UPCs do BNH)

    Pela Calculadora do Cidadadão, em INPC daria hoje R$ 833,30

    Pela Calculadora do Cidadadão, em IGP-DI daria hoje R$ 1.122,23

    Calculando em UPCs (09/1985 = R$ 45.901,91), daria hoje R$ 160 milhões
    https://www.debit.com.br/consulta30.php?indice=upc

    Depois foi comprada em maio de 2009 por 200K (pelo IGP-M seria hoje 351K)

    Alienado em 02/2016 com o valor de avaliação de R$ 2.089.000

    Sendo vendido em leilão hoje por 899K (2.4k/m2) com alegados 57% de “desconto”

    https://www.sold.com.br/lote/ver/1243321

    Vi que 1 dolar em setembro de 1985 valia Cr$ 6.995, o que daria apenas US$ 73.62, mas considerando uma infação média no EUA de 2% AA (96% em 34 anos), hoje seria US$ 144

    Pergunta: qual seria o valor correto HOJE destes 515K cruzeiros de setembro de 1985?

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 8 de março de 2019 at 08:41

      Para isso, basta você baixar a última versão do GCAP. Uma vez instalado o programa, você deve ir em “Ajuda” e depois em “Tabela de atualização de custo”
      Na tabela há valores em mil-réis, cruzeiros, cruzeiros novos, cruzados, cruzados novos, cruzados reais e reais. Os valores de conversão são relativos somente até 31 de dezembro de 1995 porque o real já começou a vigorar efetivamente a partir da data. Você basicamente irá dividir o valor expresso na moeda da época pelo índice relativo ao mês e ano (que está na tabela) para encontrar o valor atualizado. O valor convertido em real representa o valor pelo qual o imóvel foi adquirido.

      https://abacusliquid.com/tag/como-declarar-imovel-comprado-em-cruzeiros/

      3+
      • avatar
      • avatar
    • Jonny Deep Blue 8 de março de 2019 at 13:46

      Senhor Bolha,
      gostei da sua analogia. Ela me fez lembrar que a maior fonte de doenças e gastos na saúde são justamente os relacionados com educação básica e infra-estrutura básica (água, esgoto e cultura da prevenção). Ou seja, os bons indicadores de saúde refletem bons níveis de civilização e organização de uma nação. Porém, no Brasil, deixamos o cidadão torna-se paciente…criando a mercantilização da saúde. A diabetes e pressão alta crônica, assim como as fases agudas dessas doenças são altamente evitáveis com estilo de vida saudável. Porém, como dizem por aqui, a decisão é apagar fogo com gasolina….

      2+
    • Jonny Deep Blue 8 de março de 2019 at 13:48

      É o que o mercado está disposto a pagar….sempre! Esqueça os indicadores esotéricos dos matemáticos. Eles não funcionam bem para mercados muito fora do equilíbrio…como o atual. A questão é acertar o novo ponto de equilíbrio….

      2+
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 08:55

    Retórica de confronto que elegeu Trump fica em xeque com déficit na balança e migração
    Maior diferença entre importações e exportações e crescimento na imigração deixam o republicano em uma situação vulnerável com vistas à próxima disputa eleitoral

    Nem as tarifas impostas a seus principais sócios comerciais estão lhe permitindo diminuir a distância entre as importações e as exportações, como prometeu com seu slogan “A América em primeiro lugar”, nem seu empenho por construir o muro está criando o efeito dissuasivo que suas bases esperavam. E tudo isto acontece enquanto os últimos dados refletem que a expansão econômica tampouco rende com toda a força que ele antecipou com sua generosa política fiscal, e tende a se moderar. Este contexto deixa Trump mais vulnerável do ponto de vista político para encarar a próxima corrida presidencial, com os índices de popularidade em níveis mínimos e um adversário, o Partido Democrata, infestado de aspirantes a tirá-lo da Casa Branca.

    O fracasso colhido na dupla frente da migração e do comércio exterior, quando acaba de completar seu segundo ano de mandato, poderiam levar o republicano a justificar sua estratégia de pulso firme. Na campanha de 2016, Trump insistiu em que sua estratégia protecionista contra a China, o Canadá e a União Europeia reduziria imediatamente o déficit comercial norte-americano. “As guerras comerciais são boas e fáceis de ganhar”, tuitou Trump em março de 2018.

    https://brasil.elpais.com/brasil/2019/03/06/internacional/1551907316_168849.html

    4+
    • avatar
    • Cesar_DF 8 de março de 2019 at 09:35

      Isso é igual culpar o Bolsonaro por todo o deficit brasileiro e esquecer os 13 anos do PT

      O Obama foi de 2009 a 2017

      4+
      • avatar
      • Cesar_DF 8 de março de 2019 at 10:00

        Coloquei o gráfico errado

        5+
        • avatar
      • Cesar_DF 8 de março de 2019 at 10:01

        5+
        • avatar
      • Paulo Avelar 17 de março de 2019 at 01:28

        O Brasil é um dos maiores produtores de leite do mundo e importamos derivados do leite? Fecha tudo, voltamos ao tempos das cavernas.Estamos como a Venezuela que importa papel higiênico do Brasil!!!!

        0
  • Alemon Fritz 8 de março de 2019 at 09:00

    fora que essa geração é ótima pra sacanear o próximo: ex: fulano cadê a mocréia que ela não veio ontem??… resposta: ah, é que ela ficou fumando maconha e passou mal ontem… (uns FDPs).. kkk ou a fulana se mudou de cidade, o pais dela foi acusado de golpe na empresa, ela está agora no Paraná (fatos reais que eu vi)

    3+
    • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 09:10

    Laura Carvalho
    Opinião Econômica
    Edição impressa de 08/03/2019. Alterada em 07/03 às 22h34min Década perdida – Jornal do Comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/colunas/opiniao_economica/2019/03/673381-decada-perdida.html)

    Sem observar a tão esperada retomada dos investimentos, o governo acabou liberando o saque
    de contas inativas de FGTS e do PIS/Pasep, conferindo ao menos algum estímulo ao consumo
    em meio à recuperação mais lenta da história das crises.

    Desde então, a bala de prata tornou-se a reforma da Previdência. Uma coisa é defendê-la como
    forma de corrigir a tendência de crescimento das despesas oriunda do envelhecimento
    populacional ou as injustiças que ainda restaram no sistema.

    Outra coisa, bem diferente, é acreditar que a reforma vai resolver a crise. Conforme mostram as
    diversas simulações já realizadas, nem a reforma em sua versão original abriria espaço para a
    expansão de outros investimentos públicos.
    O máximo que irá lograr é reduzir o ritmo em que o Orçamento para as outras áreas vem sendo
    espremido pelo teto de gastos.

    O que as sucessivas frustrações já deveriam ter ensinado aos analistas é que nem tudo aquilo
    que gera agitação no mercado – impeachment, novo regime fiscal, reforma da Previdência ou
    eleição de Bolsonaro – faz as famílias consumirem e as empresas exportarem e investirem mais.

    Professora da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, autora de “Valsa
    Brasileira: do Boom ao Caos Econômico

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 8 de março de 2019 at 09:29

      Cajuzinha,

      Legal, uma opinião de “especialista economista” que utiliza o básico do BOM SENSO, aleluia!

      Sobre este trecho:

      “Sem observar a tão esperada retomada dos investimentos, o governo acabou liberando o saque
      de contas inativas de FGTS e do PIS/Pasep, conferindo ao menos algum estímulo ao consumo
      em meio à recuperação mais lenta da história das crises.”

      Cabe uma observação: as ações do governo acima e mais o caso FORTUITO do clima excepcional que levou à super-safra de 2017 é que geraram o PIBinho, se não fossem eles, não existiria nenhuma recuperação meramente ESTATÍSTICA, que não reflete em nada a REALIDADE do dia-a-dia das famílias, empresas e governo. Foram questões CONJUNTURAIS, mais SORTE, ambos com efeitos TEMPORÁRIOS, NADA que tenha sido ESTRUTURAL e que pudesse garantir a CONTINUIDADE ou INTENSIFICAÇÃO da recuperação da economia que tanto DESEJAM.

      O problema é que estão todos tão aferrados aos conceitos acadêmicos, que nem percebem o contra-senso acima! Ah, mas se o PIB está tendo evolução positiva, é recuperação! Ocorre que os eventos acima foram uma mistura de PEDALADA do governo com verbas do passado e SORTE, nada mais que isto! Não tem NADA de recuperação, reitero, foi CONJUNTURAL e TEMPORÁRIO.

      Outro ponto, sobre a menção “à recuperação mais lenta da história das crises”: o que os “especialistas economistas” deveriam se atentar, é que se 100% do contexto que temos hoje é DIFERENTE do passado (*), é uma tremenda INSANIDADE fazer uma comparação e esperar que a “recuperação” siga ritmos de ocorrências anteriores que não tem NADA em comum com a atual! Se não fizeram absolutamente NADA para puxar uma recuperação da economia, ela simplesmente não vai ocorrer! E se basear em PIBinhos motivados por questões conjunturais e sorte, com efeitos temporários, chamando de recuperação e ignorando tudo que está piorando no mundo REAL, é outra forma de ALIENAÇÃO DA REALIDADE intensamente praticada pelos “especialistas economistas”.

      (*) Nunca antes na história deste país tivemos tantos governos, empresas e famílias super-endividados e inadimplentes, nem uma degradação tão profunda nos empregos, nem crises externas simultâneas e tão impactantes como as que temos agora, bem como recordes de MAQUIAGENS e PEDALADAS no sistema financeiro e recorde de DISTORÇÕES no segmento imobiliário. Proporções épicas de cada um destes itens inéditos, garantem não só que a recuperação não vai acontecer sozinha e sem nenhuma ação no sentido certo, como também, que será impossível fazer comparações com crises anteriores com contextos completamente diferentes.

      De qualquer forma, ainda assim o artigo acima foi dos melhores e mais sensatos dos últimos tempos, sem dúvida.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 8 de março de 2019 at 09:38

        se inverter tudo teriámos o amorinha… autor do livro : “do caos econômico ao Boom”

        5+
        • avatar
        • avatar
        • CA 8 de março de 2019 at 09:43

          Alemon Fritz,

          kkkk

          Sim, ele é o mestre do ILUSIONISMO ECONÔMICO!

          6+
          • avatar
          • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 09:45

    CA, gostaria de sua opinião:

    Krugman é, desde logo, o primeiro a reconhecer que “nem o défice orçamental nem o défice comercial representam um grande perigo para a economia dos EUA”. Os países desenvolvidos que têm empréstimos nas suas próprias moedas podem acumular grandes dívidas, e fazem-no com alguma frequência sem consequências drásticas. E por essa razão reitera que o “o pânico da dívida vivido há alguns anos não teve qualquer sentido”.

    Uma nota positiva final? “Felizmente, uma grande nação como a América pode sobreviver a muita coisa, desonestidade e ignorância no topo (do comando do país) incluídas”.

    https://expresso.pt/economia/2019-03-08-Krugman-diz-que-Trump-nao-faz-a-menor-ideia-de-como-funciona-comercio-internacional#gs.00vhjx

    5+
    • avatar
    • CA 8 de março de 2019 at 11:27

      Cajuzinha,

      É uma visão keynesiana, bem contrária a tudo que falamos por aqui que é mais alinhado com Mises para alguns usuários do blog e escola de Chicago para outros.

      Vou dividir em duas partes a resposta, esta primeira focada na questão do déficit comercial e a segunda, no próximo comentário, focada no déficit orçamental.

      DÉFICIT COMERCIAL:

      RESUMO:

      Neste ponto e especificamente sobre o contexto dos EUA que é o abordado por Krugman, creio que ele está certo, a preocupação excessiva de Trump com a balança comercial e sua obsessão NACIONALISTA extrema não fazem sentido e trarão muito mais prejuízo para os EUA e o resto do Mundo do que qualquer ganho para os eleitores do presidente americano. Não é uma regra GENERALISTA como apresentado por Krugman, tem que ser analisado caso a caso.

      DETALHES:

      Sobre o déficit comercial, de fato não é algo tão grave, depende muito do contexto em que ele ocorre.

      Na visão de Trump que levou à guerra comercial com a China, que Krugman critica, o presidente americano defendeu em sua campanha reverter a balança comercial, promovendo uma espécie de volta à industrialização americana, tirando parte do que é produzido na China e trazendo para ser produzido localmente e assim, gerando emprego para o “cinturão industrial americano”, além é claro, de expandir as já bastante relevantes exportações americanas de serviços e do agronegócio.

      Dentro de um raciocínio SIMPLISTA, a visão NACIONALISTA de Trump que consta acima atraiu MUITOS eleitores, em especial, como mencionei acima, aqueles do cinturão industrial dos EUA, composto por diversas localidades de menor porte que tiveram um “passado glorioso” relacionado à industrialização e onde os seus moradores, saudosos daqueles “bons tempos”, sonhavam com a volta das indústrias para suas regiões e se sentiam, de alguma forma, prejudicados pelo excesso de “made in China” que tinham que consumir e que associavam com sua “perda de status”, que ocorreu a partir da desindustrialização que suas cidades sofreram.

      O que consta acima foi um fator DECISIVO para Trump ter ganho as eleições presidenciais.

      Agora, a questão de US$ 1 milhão é: faz sentido o que Trump vendeu em sua campanha e todo seu empenho na Guerra Comercial com a China? O resultado poderá de alguma forma ser benéfico para que o pessoal do cinturão industrial americano se sinta “prestigiado”, com a volta de seu status anterior, ao mesmo tempo que beneficiaria à economia e sociedade como um todo?

      No caso dos EUA, o percentual das Exportações em relação ao PIB é muito baixo, variando de 6% a 9% nos últimos anos, ou seja, os EUA não é tão dependente das exportações para gerar seu PIB e o crescimento de sua economia.

      Outro ponto importante: NESTE INSTANTE, o nível de empregos nos EUA já é MUITO ELEVADO. Eles tem em torno de 4% de desemprego, em tese, estão dentro do limite máximo do que seria “saudável”, o famoso “pleno emprego”, que se ultrapassado, em tese irá gerar mais prejuízos do que benefícios.

      No contexto acima, não faz nenhum sentido tentar puxar um número crescente de indústrias para os EUA, com capacidades produtivas adicionais.

      Pior ainda quando Trump tem ações conjuntas para dificultar cada vez mais a vida dos imigrantes. A pergunta que fica é: de onde viriam as pessoas para trabalharem nas novas fábricas?

      Se as pessoas saírem de empregos teoricamente “menos nobres”, para irem trabalhar em novas indústrias, que é o sonho delas, quem vai ocupar estes empregos anteriores deles? Passando do nível do “pleno emprego”, que é o que aconteceria neste caso, os custos com mão-de-obra tendem a disparar, junto com a inflação, a produtividade deixará de crescer e teremos uma série de outros PROBLEMAS prejudicando à economia e sociedade como um todo.

      Só pelo que consta no último parágrafo, já dá para ver que as ideias do Trump e o que ele defendeu em campanha, não fazem NENHUM sentido frente ao atual estágio da economia americana e sua política claramente anti-imigratória. Mas é MUITO PIOR que isto. Explico:

      Vamos usar a Apple, um dos ícones americanos, como exemplo: se você começar a produzir os IPhones nos EUA ao invés da China, o que vai acontecer? A produtividade da Apple vai cair, pois os chineses já se ESPECIALIZARAM na produção, leva um tempo para você transferir o know-how e atingir o mesmo nível de produção (ANOS), fora isto, o custo de mão-de-obra americano é maior e no mínimo no primeiro momento, eles precisariam importar muito mais componentes, daí as próprias barreiras e tarifas adicionais dos EUA vão encarecer muito estes componentes, fora o elevado custo logístico. Em resumo para este exemplo, os preços dos IPhones se tornariam completamente INVIÁVEIS e não venderiam para mais ninguém!

      O que consta no parágrafo acima, pode ser extrapolado para todos os outros segmentos industriais. Uma reversão como esta, teria um custo MUITO ELEVADO e para ser feita com sucesso e se tornar viável, iria exigir estratégias de LONGO PRAZO, algo para ser executado em mais de 10 ANOS e não em um mandato presidencial!

      Detalhe: tal reversão faz sentido? O pior é que não. O mundo todo passa por desindustrialização. A automação industrial, a indústria 4.0, o uso de IoT e IA, etc, reduzirão cada vez mais a necessidade de mão-de-obra em linhas de produção. Adicionalmente, a mudança de hábitos dos consumidores, a evolução para serviços utilizados no lugar de bens adquiridos (“uberização da economia”), reduzirão muito o volume de vagas em chão-de-fábrica e até mesmo de gestores nas fábricas, já existem algumas plantas, por enquanto experimentais, que operam quase sem funcionários. Seria muito mais nobre e focado no futuro, optarem por serviços mais sofisticados e formar mão-de-obra para isto, do que retroceder para uma re-industrialização. Esta estratégia do Trump é ANACRÔNICA e frente às tendências para economia e sociedade, não fazem sentido, estão sendo executadas apenas para agradar ao eleitorado que o elegeu e que possivelmente poderia elegê-lo novamente.

      PIOR: como sabemos, esta guerra comercial também está colaborando para forte desaceleração na economia. Embora ajude a ganhar tempo por adiar o aumento dos juros pelo FED, por outro lado, vai piorar as consequências negativas quando não conseguirem mais adiar a explosão mais visível da bolha das bolhas americana.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 11:43

        Valeu!

        1+
      • Cesar_DF 8 de março de 2019 at 11:53

        Exatamente, o deficit comercial é uma grande preocupação dos keynesianos, mas não preocupa nada para os da escola austríaca

        É que para o keynesiano, o foco é o CONSUMO + ENDIVIDAMENTO, enquanto para a escola austríaca o foco é a PRODUÇÃO + POUPANÇA

        5+
        • avatar
    • CA 8 de março de 2019 at 12:13

      Cajuzinha,

      Sobre o déficit orçamental, a visão de Krugman está DESATUALIZADA e FORA DE CONTEXTO.

      Ele está se baseando na “visão” de que crises financeiras anteriores, em economias emergentes, tiveram um forte contexto de dívidas muito elevadas em moeda estrangeira, com fortes ameaças de CALOTES a agentes externos ao país, levando à crise cambial e com isto, forçando a disparada dos juros e assim, aumentando os efeitos destrutivos para economia e sociedade de forma EXPONENCIAL, sendo que temos exemplos recentes de Grécia e Argentina, que foram traumáticos para estes países e VÁRIOS outros exemplos vindos do passado, inclusive no Brasil de décadas atrás.

      Ele está considerando ainda, que em economias desenvolvidas, como é o caso dos EUA a quem ele se refere, por terem dívidas em sua própria moeda, não gerariam crise cambial e nem o contexto que consta no parágrafo anterior, logo, estariam “imunes” a problemas advindos de déficits orçamentários elevados.

      Krugman ainda está considerando o histórico desde o final da década de 90 até hoje: “ah, tivemos uma bolha das .com, mas daí foi só fazer a bolha imobiliária para cobrir os prejuízos da anterior e gerar nova onda de euforia e depois quando esta explodiu, fizemos a bolha das bolhas americana para cobrir a imobiliária com nova onda de euforia e esta ´fórmula mágica´ pode ser executada ad eternum, se não gerou uma crise maior até agora, depois de DUAS DÉCADAS de pedaladas com uma bolha atrás da outra, fique tranquilo, não vai gerar mais!”.

      Entre outras coisas, Krugman acredita piamente no mito dos EUA como ETERNO porto seguro da economia mundial, por ser o detentor do dólar que é utilizado como referência em todas as principais transações comerciais ao redor do globo, por ser a maior potência militar e ter o maior PIB do globo, disparado à frente dos outros nestes quesitos, por ter um enorme mercado consumidor, tudo isto sem contar a aposta heterodoxa desenvolvimentista dele, típica dos Keynesianos, de que se o governo aumentar seus gastos, gera um moto-contínuo na economia que pode garantir seu crescimento eterno, dentre outras expectativas do mesmo naipe.

      O “raciocínio” de Krugman que consta acima é claramente SIMPLISTA.

      Krugman ignora que o valor de mercado das empresas americanas, em grande parte está INFLADO ARTIFICIALMENTE, não correspondendo aos resultados reais das mesmas. Um exemplo típico, são as FAANG. Uma situação ANTI-NATURAL como esta, não dura indefinidamente, cedo ou tarde os FATOS levarão uma enorme leva de investidores a se desfazerem destas Ações em um efeito manada que fará com que elas tenham enormes perdas de valor de mercado. A partir daí, observaremos uma série de efeitos em cascata, todos eles CONTRACIONISTAS para economia e sociedade.

      Outro ponto crucial subestimado por Krugman, é que temos também CENTENAS DE TRILHÕES DE DÓLARES ao redor do globo, com parte RELEVANTE deles que está “lastreada” em títulos PODRES / SUPER-AVALIADOS e isto fatalmente vai acabar aparecendo, sendo que neste momento que também será INEVITÁVEL, as simples ameaças de crise sistêmica e demais efeitos esperados, levarão a uma CONTRAÇÃO na economia global.

      Junto com pontos acima, Krugman ignorou as bolhas imobiliárias ao redor do globo, como a Chinesa, a Australiana, a bolha imobiliária de Londres, etc. Todas elas com fortes impactos negativos para economia quando explodirem.

      E qual a relação do que consta acima com a dívida americana em relação a seu PIB? Quando um dos gatilhos acima disparar, ou quando o FED aumentar mais os juros do que o desejado / esperado pelo “Mercado”, fatalmente teremos fortíssima AVERSÃO AO RISCO e isto pode fazer com que outros países olhem para os EUA de uma forma diferente e não mais como o “Porto Seguro”, primeiro porque ele estará no “olho do furacão” quanto à consequências dos eventos acima, segundo, em função de sua enorme dívida em proporção ao PIB, se isto acontecer, os investimentos diretos estrangeiros nos EUA irão DESPENCAR, juntamente com os investimentos nas bolsas americanas e isto vai intensificar em muito a crise econômica que pode acontecer por lá.

      O ponto então, é que embora a dívida em relação ao PIB no caso dos EUA por si só não gere uma crise cambial no mesmo formato visto em emergentes, ela acabará sendo um ingrediente importante para AMPLIFICAR os efeitos negativos de uma crise nos EUA gerada pela explosão da bolha das bolhas americana em conjunto com demais bolhas mencionadas acima. É isto que Krugman está ignorando solenemente.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 10:00

    Insatisfeitos com a decisão do governo de deixar para depois o projeto que
    mexe nas regras de aposentadoria dos militares, os parlamentares atuam para
    colocar em banho-maria a formação da Comissão de Constituição e Justiça
    (CCJ), primeira parada da reforma da Previdência e um dos colegiados mais
    importantes da Câmara dos Deputados.

    O próprio líder do governo na Casa, Major Vitor Hugo (PSL-GO), estima que a
    criação da CCJ deve se arrastar por “mais duas ou três semanas”, o que
    retardará o início dos trabalhos para depois do dia 20 de março, quando o
    governo prometeu enviar a proposta dos militares.

    https://economia.uol.com.br/noticias/estadao-conteudo/2019/03/08/parlamentares-tentam-atrasar-comissao-para-discutir-reforma.htm

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 10:05

    ROSANA HESSEL
    O clima das reuniões sistemáticas que os economistas fazem com diretores e técnicos do Banco Central está mudando e há uma divisão clara de opiniões entre analistas de grandes instituições e de corretoras. Esse é um sinal claro de que a ficha do mercado financeiro está começando a cair antes mesmo dos 100 dias do governo de Jair Bolsonaro.

    Depois de ficarem sob efeito anestésico da euforia com o resultado das eleições (que tinha poucos fundamentos concretos de uma retomada mais forte na economia), operadores estão começando a colocar as barbas de molho e começam a fazer previsões mais realistas. Os representantes dos grandes bancos e de consultorias são mais cautelosos sobre o crescimento da economia neste ano. Já os analistas de corretoras, que operam em bolsa, são os mais resistentes. Eles ainda não querem jogar a toalha totalmente, pois apostaram alto na retomada mais forte e que não vai se concretizar, segundo fontes do mercado.

    http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/a-ficha-do-mercado-comecou-a-cair/

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 10:40

    Eitha!

    Economia dos EUA cria 20 mil empregos em fevereiro, bem abaixo das expectativas do mercado
    Estimativa do mercado de criação de 180 mil vagas de trabalho no mês passado, segundo mediana do levantamento da Bloomberg

    3+
    • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 10:59

    Consumo de refrigerantes só deve apresentar recuperação em 2020

    Segundo dados da consultoria, o consumo de refrigerantes registrou queda de 2,6% no ano passado em relação a 2017 e o País foi ultrapassado pela China, caindo para a quarta colocação no ranking global. “Essa queda está atrelada ao cenário econômico, desencorajando o consumo fora de casa e fazendo com que a população corte gastos”, relata.

    https://www.dci.com.br/impresso/consumo-de-refrigerantes-so-deve-apresentar-recuperac-o-em-2020-1.784959

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 8 de março de 2019 at 11:18

    Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

    O que esperar do mercado imobiliário em 2019?

    Com melhorias visíveis em 2018, as expectativas para o novo ano não poderiam ser mais animadoras

    https://www.terra.com.br/noticias/dino/o-que-esperar-do-mercado-imobiliario-em-2019,b8df788cd0c42b284fc7ea7bb3fcddc0iqfx744a.html

    2+
  • Cesar_DF 8 de março de 2019 at 11:20

    CONTORCIONISMO VERBAL PARA NÃO DIZER QUE IMÓVEIS DESVALORIZARAM

    Alta no preço médio dos imóveis residenciais desacelera para 0,08% em fevereiro

    Resultado aponta para uma queda real no preço dos imóveis, considerando que a inflação esperada para fevereiro é de 0,35%

    https://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/7970773/preco-medio-dos-imoveis-residenciais-sobe-008-em-fevereiro-aponta-fipe

    8+
    • avatar
  • Cesar_DF 8 de março de 2019 at 11:22

    Prefeitura de Maceió aponta que 80% dos imóveis estão sem regularização
    https://gazetaweb.globo.com/portal/noticia/2019/03/_71630.php

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 11:29

    hum…

    https://economia.uol.com.br/noticias/estadao-conteudo/2019/03/08/tcu-tera-secretaria-para-fiscalizar-bancos-publicos.htm

    O Tribunal de Contas da União (TCU) vai criar uma secretaria para fiscalizar a
    atuação dos bancos públicos federais e de 38 fundos de pensão patrocinados
    por estatais federais. A ideia é ficar de olho principalmente no movimento de
    venda de ativos dos bancos públicos e nas operações de abertura de capital
    (IPO) em andamento, em especial da Caixa Econômica Federal e Banco do
    Brasil.

    Pela legislação, o TCU não precisa dar aval para os desinvestimentos dos
    bancos, mas a secretaria vai acompanhar passo a passo essas operações, que
    são prioridade da política econômica do ministro da Economia, Paulo Guedes. O
    secretário de desestatização, Salim Mattar, já disse que BB e Caixa vão
    continuar estatais, mas ficarão “bem magrinhos”. O presidente da Caixa, Pedro
    Guimarães, já antecipou que quer acelerar a abertura de capital das unidades
    de seguro, gestão de ativos, loterias e cartões

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 8 de março de 2019 at 11:45

    Estes “45 milhões de deficientes” é a maior balela, para o IBGE, se você usar óculos já é um deficiente.

    De acordo com o CENSO 2010, “Tabela 1.3.1.xls” os números reais seriam estes abaixo e entre parenteses os que estão entre 15 e 59 anos (idade produtiva)
    503.377 (276.106) Não conseguem enxergar de forma alguma
    344.206 (219.359) Não conseguem ouvir de forma alguma
    734.421 (263.820) Não conseguem se locomover de forma alguma
    2.611.536 (1.682.667) Tem alguma deficiência mental/intelectual

    Dai se temos 0,35% (734K / 209M) de pessoas que seriam cadeirantes, por que são reservadas 2% de vagas nos estacionamentos?

    https://g1.globo.com/mg/triangulo-mineiro/noticia/2019/03/06/justica-proibe-mrv-de-segregar-pessoas-com-deficiencia-em-imoveis-construidos-em-uberlandia.ghtml

    3+
    • avatar
    • Um dois 8 de março de 2019 at 12:40

      Como é moradia não se pode falar apenas em cadeirantes.
      Fora que as pessoas da família do deficiente que moram com ele também tem que ser incluídas…

      4+
  • Alemon Fritz 8 de março de 2019 at 13:14

    cvr
    a)conhecida dizendo que filho vai perder emprego… o cara faz representação pra vender roupas e badulaques pra cachorrinhos… roupas trazidas da china super luxo… ninguem tá comprando… as pets shopis dizem que estão lotadas das mais fuleiras e ninguem nem leva, então nem querem as mais caras..
    b) seçao do supermecado de produtos pra vencer (metade do preço) abarrotadas e lotadas desde quarta feira… nem isso a galera tá levando… biscoitos, bolos, pães, verduras, queijos e iogurtes…
    c) predio comercial aqui perto pronto há 3 anos… placa “ultimas unidades de 20 a 40 metros2 a partir 240mil…. alguem tá no preju..

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 8 de março de 2019 at 13:25

    Essa notícia é em homenagem àqueles que não entenderam NADA do que tem sido explicado por aqui e acham que as PEDALADAS vão ganhar força e empurrarem a explosão mais visível das bolhas para 2025, os seguidores das “teses” do Nefasto da CEF, aquelas sobre “Querer é poder”, “Governos são super-poderosos” e dai para pior…

    https://m.br.investing.com/news/stock-market-news/indices-da-china-tem-maior-queda-em-5-meses-em-meio-a-sinais-de-maior-regulacao-638209

    Trecho do link acima, entre “aspas”:

    “XANGAI (Reuters) – Os índices acionários da China registraram nesta sexta-feira o pior dia em cinco meses, caindo cerca de 4 por cento, conforme os investidores buscavam realizar lucros em meio a sinais de maior controle regulatório após recente ressurgimento do mercado ter alimentado preocupações com formação de bolhas.”

    No mundo REAL, vemos aqui no blog mais de uma dezena de noticias por dia dando conta que cada vez mais os governos estão acuados e que suas TENTATIVAS de PEDALADAS já não tem mais NENHUM efeito prático, isto quando eles não são OBRIGADOS a pararem de pedalar porque o efeito destrutivo imediato já está sendo maior que as PEDALADAS e ainda tem gente que acha, DO NADA, que a China vai fazer uma versão do QE americano para empurrar os impactos da crise para daqui a alguns anos, sem ter noção de que se TENTASSEM fazer isto, o efeito seria exatamente o CONTRÁRIO…

    6+
    • avatar
    • CA 8 de março de 2019 at 13:31

      “Ah, mas o EUA está com pleno emprego e o menor índice de desemprego em DÉCADAS, não tem como cair se já chegou no topo” (?!)

      Pois é a falta de lógica acima é INCRÍVEL, não é mesmo? No mundo REAL, se não tem mais como subir, o que acontece?

      Para quem ainda não entendeu, o Brasil chegou no pleno emprego e recorde de décadas em emprego em dezembro/2014, lembram do que aconteceu a partir de 2015?

      OK, nos EUA não vai ser tão imediato, mas não SONHEM com 2025… kkkk

      12+
      • avatar
      • Rico 8 de março de 2019 at 13:38

        Prefiro pagar para ver.
        Estou esperando essa bolha estourar desde 2010, ano que entrei aqui. Já presenciei situações piores e nada… Ainda acredito em desidratação de todos os indicadores do mercado do que um hecatombe repentino.
        Não duvido em um ponto no que diz CA, mas a contabilidade criativa tem me surpreendido muito mais do que deveria. Mas mesmo assim continuo líquido e devo ficar assim pelo menos mais uma década.

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 8 de março de 2019 at 14:09

          Rico,

          Quando o efeito MANADA ocorrer em nível global, a última coisa em que as pessoas vão pensar será em comprar um imóvel, salvo RARAS exceções em que a pessoa AINDA vai se sentir “segura” em função de ter, por exemplo, um emprego público “não ameaçado” por super endividamento do governo para o qual atua, combinado com liquidez privilegiada e mesmo estas pessoas vão pensar duas ou três vezes antes de optarem por perder esta segurança.

          Já a imensa maioria estará preocupada em SOBREVIVER, com imensas dívidas e patrimônio reduzido, com menos receitas e muito mais MEDO.

          Outros, em número bem menor, terão liquidez e no final irão rever seu DESEJO por imóvel e abdicarão dele, pois mesmo que não sejam tragados pela crise, finalmente entenderão que aquela liquidez poderá ser a salvação futura deles e que ficar com todo o dinheiro imobilizado em meio a uma crise que se agrava profundamente, é SUICIDIO FINANCEIRO.

          Aliás, curiosamente, o que consta acima será UM dos fatores que levará a uma maior derrocada nos preços dos imóveis.

          No contexto acima, sobre a queda mais relevante dos preços
          dos imóveis, se será neste ano, ou ano que vem, ou 2025, não DEVERIA ser a “neura” da grande maioria dos frequentadores deste blog. A grande maioria deveria estar preocupada é com o quão estarão preparados para o que está por vir, o quanto acumulam de LIQUIDEZ, o quão seus investimentos são diversificados e não expostos diretamente aos ativos, moedas e agentes que mais sofrerão com o que está por vir. Tenho a impressão que muitos, mesmo aqui no blog ainda não entenderam isto.

          A bolha É O MAIOR DE NOSSOS PRPBLEMAS, na medida em que é a principal causa RAIZ para eles e continua sendo alimentada para aumentar cada vez mais as consequências negativas para economia e sociedade. O menor dos nossos problemas, é o “sonho” de ter seus próprios tijolos. Acho que muitos só vão entender isto na prática e na própria pele…

          19+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 14:14

            “ficar com todo o dinheiro imobilizado em meio a uma crise que se agrava profundamente, é SUICIDIO FINANCEIRO”,

            vi isso acontecer em relação a um comerciante. Investiu tudo do bom e do melhor na estrutura do negócio, construção tipo A, acreditou no milagre econômico e agora está até devendo conta de energia. Tenho pena.

            20+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • CA 8 de março de 2019 at 14:24

              Cajuzinha,

              Vi pessoa próxima perder 2 imóveis em leilão por falta de pagamento de condomínio! Comentei antes a este respeito por aqui. Detalhes: os 2 imóveis foram comprados À VISTA pelos pais desta pessoa que os recebeu em HERANÇA, não tinham dívidas de financiamento! A pessoa tinha TUDO IMOBILIZADO, desde uma loja de peças automotivas com seu estoque de peças, ambos também pagos pelos pais (filho único), passando por estes 2 imóveis e por um carro, tendo ZERO de liquidez imediata. Com a crise, a loja foi entrando em uma espiral de INSUSTENTABILIDADE e como ele não queria desistir, ficou super-endividado e passou o negócio pra frente em troca do “comprador” assumir as dívidas. Não tinha outra profissão nem reservas, não aceitou vender os imóveis com grandes descontos, estando apegado a eles, no final, perdeu os dois por falta de pagamento do condomínio e algum tempo depois, acabou falecendo, por alguns problemas graves que tinha, agravados por estas situações super-estressantes, deixando esposa e filho sem terem como se sustentar. História muito triste também, que com certeza, está longe de ser uma exceção pelo que temos visto nos últimos anos.

              26+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • Jonny Deep Blue 8 de março de 2019 at 14:38

                É a sensação de que essas coisas, tragédias, não acontecem conosco.

                14+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
              • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 14:57

                triste demais!

                10+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
        • DouglasteR 8 de março de 2019 at 15:18

          É difícil perder com cheat de dinheiro infinito.
          Geralmente o que acontece é alguém poderoso se cansar do jogo e iniciar um novo.

          3+
          • avatar
          • CA 8 de março de 2019 at 15:59

            DouglasteR,

            Então, quando tivemos a bolha das .com, os estragos foram cobertos pela bolha imobiliária americana, quando esta estourou, inventaram a bolha das bolhas americana. Cada uma delas tem que ser maior que a anterior, para cobrir os estragos e sobrar uma dose de euforia ainda maior.

            A pergunta, que NINGUÉM conseguiu responder até agora, é como criar algo ainda MAIOR que a bolha das bolhas americana.

            Só para contextualizar, estamos falando das seguintes situações:

            – CENTENAS DE TRILHÕES DE DÓLARES em DERIVATIVOS, boa parte deles em títulos PODRES / SUPER-AVALIADOS;
            – FAANG avaliadas em TRILHÕES DE DÓLARES em sua totalidade, diversas outras empresas SUPER-AVALIADAS nas bolsas de valores;
            – Bolhas imobiliárias SIMULTÂNEAS espalhadas ao redor do globo:
            A bolha imobiliária da China com mais de 60 MILHÕES de imóveis vazios e CIDADES-FANTASMAS, a do Brasil tendo quebrado alguns recordes MUNDIAIS, como o do percentual de aumento de preços (mais do que QUADRUPLICOU), da multiplicação de crédito imobiliário concedido (cresceu 40 VEZES em 10 anos), da distorção entre preço e renda (preço subiu mais de 300% acima do que subiu a renda);
            – Recorde MUNDIAL no superendividamento e inadimplência de governos, empresas e famílias, em patamares SURREAIS;
            – Shadow Banking Chinês com TRILHÕES em títulos PODRES para ajudar a sustentar as FARSAS acima;
            – Recorde MUNDIAL em MAQUIAGENS e PEDALADAS no sistema financeiro;
            – Distorções profundas no segmento imobiliário em “N” países;
            – DEGRADAÇÃO PROFUNDA nos empregos, em especial nos países que mais abusaram com as bolhas;
            – etc, etc, etc…

            Além do que consta acima, que são efeitos diretos das bolhas, temos “N” ESTRAGOS ocorrendo em paralelo, em parte para tentarem adiar o INEVITÁVEL:
            – Guerra comercial EUA x China;
            – Problemas gerados pelo Orçamento x Muro nos EUA;
            – Aumento do super-endividamento americano versus subsídios fiscais sem contra-partida em redução de despesas do governo;
            – FAKE PIB Chinês;
            – Apocalipse do Varejo;
            – IA, IoT e cia ltda ameaçando o mundo convencional dos empregos (eliminação de empregos mais rápido que sua substituição);
            – “N” países com a pirâmide da previdência ameaçando desabar e requerendo ações urgentes;
            – etc, etc, etc…

            Se você souber como gerar uma bolha com números BEM MAIORES do que aqueles que constam acima, não só para superar os efeitos da bolha das bolhas, como também para gerar uma nova onda de super-euforia, superando inclusive os outros problemas paralelos que constam aqui, irá ficar TRILIONÁRIO.

            O “probleminha”, como disse acima, é que NINGUÉM conhece o “cheat mágico” da vez a qual você se refere, não é mesmo?

            13+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
      • Um dois 8 de março de 2019 at 13:56

        Eu só falei do número de desempregados, nunca disse que a situação era sustentável…
        Inclusive, da outra vez que o nº de desempregados nos EUA ficou tão baixo a recessão chegou logo no ano seguinte.

        3+
        • CA 8 de março de 2019 at 14:17

          Um dois,

          O que comentei não foi em relação ao que você disse, mas sim para a “leitura” que está ocorrendo em alguns meios de comunicação sobre a questão dos empregos nos EUA e que ajudam a jogar uma “cortina de fumaça” para alguns que leem aqui no blog também: de forma geral, tratam o pleno emprego dos EUA como um sintoma de sucesso da política econômica de Trump e seus antecessores, de novo, como ocorreu na época da Dilma, ignorando por completo o que estava por trás daquilo e o que poderíamos esperar em seguida.

          No mundo REAL, lá nos EUA, um dos grandes problemas, como aqui, é a DEGRADAÇÃO dos empregos, ou seja, a estatística SIMPLISTA sobre empregos gerados, número de pessoas pedindo seguro desemprego, etc, MAQUIA uma situação MUITO MAIS GRAVE, que fatalmente será um dos combustíveis para a crise, quando não conseguirem mais PEDALAR (sendo que o pleno emprego e recorde de DÉCADAS, apenas DIFICULTA as PEDALADAS).

          Exemplos: ver informações sobre 30% dos Ubers nos EUA ganhando menos que o básico para subsistência, com parcela relevante trabalhando NO PREJUÍZO (todos considerados como “empregados”), interprete o desejo dos Red Necks por Trump como “salvador” via re-industrialização dos EUA, para recuperarem “status e RENDA” que tinham nos tempos áureos (SONHO que NÃO vai se realizar, mas que esconde por trás disto o quanto a situação atual está LONGE do ideal para os trabalhadores) e DIVERSAS outras situações que deixam escapar a REALIDADE por lá também…

          4+
          • avatar
          • avatar
    • CA 8 de março de 2019 at 13:48

      Ah , o bce vai liberar mais grana para os bancos europeus, com a mesma finalidade que China e Brasil fizeram com os compulsórios, só que com outros mecanismos, então, junto com os juros básicos em seu menor patamar histórico, vai dar para PEDALAR até 2025…

      Claro, é só ver o “sucesso” de Brasil e China onde as jogadas acima tiveram efeito benéfico NULO e em contra-partida, fizeram com que fossem batidos novos RECORDES de super-endividamento e inadimplência para governos, famílias e empresas, dificultando cada vez mais a recuperação dos investimentos e do consumo, tem tudo para dar certo na Europa, não é mesmo?

      Kkk

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 8 de março de 2019 at 14:02

    hoje é dia de…
    Hoje o Globo reporter é sobre as primeiras padarias opressoras desde o Egito, sobre o pão. não percam.. Homenagem ao pandeiro.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • Jonny Deep Blue 8 de março de 2019 at 15:06

      Interessante. Apesar do granito ostentador e organização na área comum aos clientes, as padarias costumam ser bem desorganizadas na cozinha e na guarda de seus insumos. A maioria usa como critério para aquisição de insumos somente o preço. Achar uma padaria que use manteiga em vez de margarina é raro. Hoje é comum as “padarias truck”. Todos esses “comércios truck” são muito mais reflexos da degradação do mercado formal, do que uma solução para levar bens e serviços para locais remotos e carentes.

      7+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 14:27

    Obras inacabadas da Copa de 2014 causaram prejuízos ao comércio, diz presidente da Fecomércio-MT
    Segundo o presidente da Fecomércio-MT, José Wenceslau de Souza Júnior, as obras da Copa do Mundo deixaram uma ferida aberta em Cuiabá e Várzea Grande.

    “Esperávamos muita coisa. O comércio aguardou um movimento muito grande. E isso aconteceu em partes. Temos empresas fechadas até hoje, principalmente onde o VLT passaria. Esses comércios não conseguiram abrir as portas em função do estrago que ficou com a abertura dessa do VLT”, afirmou.

    Uma das principais obras citadas por José Wenceslau é a implantação do Veículo Leve sob Trilhos em Cuiabá e Várzea Grande, na região metropolitana da capital.

    As obras do modal estão paradas há quatro anos. Mais de R$ 1 bilhão foi gasto na obra, que não tem previsão para ser terminada.

    Segundo o presidente da Fecomércio, cerca de 60% dos comércios e lojas na Avenida da FEB, em Várzea Grande, onde o VLT passaria, fecharam por causa dos transtornos.

    “Abriu-se uma ferida nas cidades. A obra obstruiu a passagem por mais de um ano”, afirmou.

    https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/2019/03/08/obras-inacabadas-da-copa-de-2014-causaram-prejuizos-ao-comercio-diz-presidente-da-fecomercio-mt.ghtml

    3+
    • avatar
    • CA 8 de março de 2019 at 14:52

      Cajuzinha,

      É, o problema com a Copa do Mundo foram só as “obras inacabadas”, como colocaram acima, não é?

      O problema não foi o otimismo UFANISTA com copa do mundo, que levou a disparada IRRACIONAL nos preços dos aluguéis comerciais e fez com que um RECORDE de lojas viesse a fechar depois porque não conseguiam gerar vendas suficientes para cobrir tal custo, sem contar que foram os efeitos em cascata da bolha que também derrubaram o consumo destas mesmas lojas, ajudando a fechá-las.

      Ainda bem que o que consta acima não gerou um enorme montante de desemprego em cascata, nos mais variados setores, depois levando a uma profunda DEGRADAÇÃO nos empregos, graças não só ao que consta acima, mas também ao peso excessivo de prestações de financiamento de imóveis, que se multiplicaram por 40 VEZES em 10 anos, levando um enorme contingente de famílias a terem dívidas por DÉCADAS, em patamares de comprometimento financeiro que nunca tinham experimentado antes e roubando de sua capacidade de consumo, junto com um sem número de famílias que viu o aluguel subir mais que a renda e gerar o mesmo efeito de redução de consumo e de falta de capacidade para pagamento de dívidas.

      Ainda bem que as PROFUNDAS DISTORÇÕES geradas entre oferta e procura no segmento imobiliário não levaram este setor a ser o primeiro a desacelerar mais fortemente nos empregos formais em 2012 e ter sido o primeiro a puxar o DESEMPREGO, já em 2014, graças a combinação destas distorções do segmento imobiliário com os efeitos dos SUPER-PROPINODUTOS do setor de construção civil pesada.

      Pois é, continuam no mundo de FAZ DE CONTA, deslocando as causas reais dos problemas MAIS GRAVES, atentando-se a meros DETALHES perto do tamanho da destruição que foi gerada pelos itens acima…

      4+
      • avatar
      • Paulo Avelar 12 de março de 2019 at 22:14

        Esse país é um lixo!!

        1+
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 15:59

    Doria anuncia ICMS até 25% menor para montadora que investir pelo menos R$ 1 bi
    e gerarem no mínimo 400 postos de trabalho.

    1+
    • CA 8 de março de 2019 at 16:57

      Cajuzinha,

      Complemento: https://economia.uol.com.br/noticias/estadao-conteudo/2019/03/08/sao-caetano-oferece-incentivos-a-gm-e-espera-resposta-da-empresa.htm

      Nome do que consta no link do seu comentário e neste outro que coloquei logo acima: MORAL HAZARD.

      O governo coloca sua capinha de “super-herói” e tenta “salvar” uma empresa específica ou setor que ameaça com fechamento de plantas, demissões em massa, etc.

      Por que o governo faz isto? Manobra POPULISTA, para agradar ao “povão” e dizer que o governo, do lado dele, está fazendo o possível e impossível para “preservar os empregos”.

      Lembra quando a Dilma criou aqueles Franksteins para as empresas, os programas para preservação dos empregos, usando verbas do FAT, permitindo redução de impostos, etc? E quando ela utilizou centenas de bilhões em reduções de impostos setoriais, com a mesma finalidade? Qual o resultado prático disto para economia e sociedade? NENHUM emprego gerado / mantido, no MÁXIMO, adiou algumas demissões e quando estas foram INEVITÁVEIS, acabaram sendo em quantidades maiores que as planejadas anteriormente, porque a situação financeira das empresas havia PIORADO com as PEDALADAS.

      É sempre assim que ocorre, INÚMERAS experiências mundiais e nacionais demonstram a completa inefetividade destas ações, o quanto só adiam o inevitável e aumentam os prejuízos, sem contar que incentivam cada vez mais empresas a tomarem riscos maiores, fazerem ações mais irresponsáveis, sempre contando que se algo der errado, o “papai governo” vai salvá-las, ou seja, nova leva de problemas e prejuízos mais a frente…

      OBS: claro que a situação fiscal de governos e prefeituras só se agrava, porque o cálculo sobre o resultado prometido, “baseado” na teoria do moto-contínuo heterodoxo desenvolvimentista, de que em troca de impostos menores os negócios vão se ampliar muito e no agregado as empresas pagarão mais impostos, NUNCA ocorre como o prometido.

      6+
      • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 16:05

    https://g1.globo.com/mundo/blog/helio-gurovitz/post/2019/03/08/a-ilusao-do-mercado-financeiro.ghtml

    Mas o início do governo, as escolhas dos nomes para o ministério, a dificuldade de articulação com o Congresso, o estilo esdrúxulo da comunicação começam a deixar claro o que já era meio óbvio lá atrás: as chances de implementação de um programa liberal robusto, se existem, são mínimas.

    Alguém ainda acredita que o Congresso reformará algo pra valer? Boa sorte. Puro pensamento desiderativo, de quem põe fé na prestidigitação de Guedes, na pressão das redes sociais ou de algum espectro sobrenatural. No mundo real, no mundo das pedras duras e ásperas da política, a chance é ínfima – e encolhe a cada tuíte presidencial, a cada live no Facebook. Desta vez, o preço da aposta errada poderá ser ainda mais alto. O Carnaval acaba, como sempre, nas cinzas da desilusão.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 8 de março de 2019 at 17:51

      Cajuzinha,

      Outra promessa UFANISTA recente:

      https://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7973569/eletrobras-estende-perdas-da-vespera-apos-fala-de-ministro-siderurgicas-caem-com-dados-da-china

      No meio da notícia acima, dão conta que Paulo Guedes PROMETEU ajudar na aprovação da MP 868, que trata do marco regulatório para o setor de saneamento, para que seja aprovado até abril/2019 e de acordo com as “previsões” de Paulo Guedes, só isto já vai ajudar a gerar R$ 500 BILHÕES em investimentos privados neste setor até 2033!

      “Detalhe”: é aquela velha história, existe uma demanda GIGANTESCA (aproximadamente 50% das residências sem saneamento básico), logo, é uma verdadeira “mina de ouro” a céu aberto, não tem como dar errado! É o mesmo que vender biquíni fio dental na Arábia Saudita, NENHUMA mulher de lá usa, logo, é outra “mina de ouro” abrir este negócio por lá!

      Raciocínios SIMPLISTAS, RASOS, números sem NENHUM EMBASAMENTO, falta de conhecimento MÍNIMO de como opera o executivo, o legislativo e do quanto já tivemos de projetos dando com os burros n´água em função deste mesmo tipo de “análise”, sempre partindo de “premissas” que são “baseadas” exclusivamente no “caminho feliz” e ignorando uma infinidade de outros ROAD BLOCKS (fortes impedimentos) que sempre existiram para que estes projetos vingassem, bem como, ignorando por completo a situação do mercado externo e seus investidores, cada vez mais AVESSOS À RISCOS, versus projetos como este que são com retorno no longo prazo e em um país visto como de alto risco e onde até o passado é incerto, com empresas nacionais sem nenhuma condição de entrar nesta “brincadeira”, mesmo que fosse totalmente INCAUTOS quanto ao contexto real da economia no país e no mundo! Uma tremenda VIAGEM NA MAIONESE!

      Fico “IMPRESSIONADO” pela fábrica de centenas de bilhões e trilhões que é o Paulo Guedes! Ele é uma MÁQUINA de cuspir bilhões e trilhões, SURREAL! Reforma da previdência: R$ 1 TRILHÃO em 10 anos; Venda de imóveis do governo federal: R$ 1 TRILHÃO (antes era R$ 300 BILHÕES, TRIPLICARAM a aposta!); Privatizações: R$ 700 BILHÕES, boa parte em Tsumoney vindo do Exterior e agora, nova MP do Saneamento: R$ 500 BILHÕES.

      Pronto, a depender das promessas UFANISTAS do IPiraNaGrana, a dívida do país vai simplesmente acabar! kkkkk

      E o que o novo otimismo UFANISTA do Posto IPiraNaGrana sobre a MP 868 gerou? As Ações das empresas do setor reagiram e subiram, na contra-mão de outras empresas com maior dependência do cenário externo que deu uma “azedada”, com mais um PEDACINHO da volta à REALIDADE.

      TODAS as previsões pra lá de UTÓPICAS que constam acima e VÁRIAS outras, terão o seu preço cobrado pela volta à REALIDADE. Como disse antes, como a reforma da previdência demorará para ser aprovada, todo este monte de papagaiada vai servir só como novos motivos para exporem o atual governo ao RIDÍCULO, perdendo por completo o seu efeito “mágico” de servir para CHANTAGEAR o congresso para que aprovem tudo que o governo DESEJA. A conferir…

      11+
      • avatar
      • avatar
  • Senhor Bolha 8 de março de 2019 at 16:20

    Sobre previsões de mercado e datas especificas.

    9 a cada 10 especialista nunca previu uma crise usando modelos de econometria. As grandes crises são plantadas ao longo de anos e até décadas, geralmente o estouro se da sempre no sistema financeiro.

    Então não há sinais de quando e onde com perfeito exatidão de detalhes. O próprio sistema financeiro usa de maquiagem para encobrir os podres, acontece que existe indicadores de solvabilidade do sistema , e sim eles vem piorando.

    Só um adendo já estamos em crise moderada! Quando um banco central lança trilhões em moeda podre fiduciária e o crescimento tirando maquiagens é modesto ou quase nulo.
    Isso revela que algo anda muito grave no sistema financeiro! E o porque a crise não vai mandar sinal quando estourar abertamente ? Porque grande partes dos players do mercado estão comprados em ativos podres e super apreciados.

    Ou seja, quando ocorrer uma queda nos passivos dos bancos, este por sua vez vão ter que reconhecer a perda, e não existe colaterais para isto.

    Alavancagem do sistema financeiro hoje é inúmeras vezes maior que na crises anteriores, e os sinais de insustentabilidade já começam bater na porta.

    E o papo de dinheiro infinito é outra falácia que já cansei de rebater aqui: O produtividade não cresce quando você imprimi dinheiro, mas as dívidas sim.

    Alguns especialistas alegam que o governo pode imprimir dinheiro para gerar inflação e abater o déficit nominal! Porém isso gera inflação monetária, principalmente caso este dinheiro chegue ao sistema financeiro.
    Inflação = Subida de juros + rolagem da dívida pública . Não tem escapatória se economia crescer o mínimo que seja o juros vai ter que subir o gasto com juros da dívida vai explodir orçamento público.

    E se juros subir o castelo de cartas vai cair, muito disso porque todos estes investimentos foram feito com taxa de juros zero ou negativa.

    Então o BC tem que se contentar com um crescimento nulo e esperar a crise estourar do lado das despesas do governo.
    Se fizer o mesmo procedimento que fez nas outras intervenções ao longo do tempo o juros vai explodir!

    Lembrando que o PIB percapita vem se mantendo ou caindo, ou seja estamos ficando mais pobres e não mais ricos .

    Os governos vem empilhando endividamento , até o momento que não será mais possível sustentar a mentira. BOOm do dia para noite a crise estoura.

    Os sinais estão todo ai.
    A questão é que o sistema é fiduciário, antes é preciso que aja algum fator catalisador.
    Ataque especulativo, venda de ativos e quebra de instituições.

    No momento que acontece um destes três itens a crise estoura, visivelmente para massa . Porém tecnicamente já estamos em crise. O poder de compra e produtividade não acompanhou as dívidas, e o sistema de gastos sociais não pode mais ser sustentado pelo gasto corrente do governo.

    Existe até os espertões no mercado jogando água no chope torcendo para que não estoure a crise, inclusive alguns bilionários falando asneiras. Porém a espinha destes caras gela , quando ações deles caem 10% ou % com uma subida ridícula de 0,25% na taxa interbancária.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • rogerio 8 de março de 2019 at 17:03

      dinheiro infinito é como crescimento econômico infinito, não existe…

      6+
      • avatar
      • avatar
  • indiobolhista 8 de março de 2019 at 16:39

    loja de roupa para rockeiros, CONTAINER ROCK WEAR finalmente depois de mais de 2 anos tentando vender “enfiar” o negócio em alguém que nunca apareceu, finalmente fechou, só ficaram os contêineres no local, começaram pedindo 150 mil reais, depois baixaram para 100 mil reais, pagavam 6 ou 7 mil reais de aluguel e eles achavam barato porque estava incluso o estacionamento que nunca deu certo porque Jaraguá do Sul tem uma taxa de estacionamento mas baixo que a maioria de centro de cidades do Brasil enteiro, 1 real meia hora, 1.50 por 1 hora, 2 reais por 1 hora e meia ou 2.50 reais por 2 horas para estacionar na rua. Tem vários locais cobrando 2 reais por hora e jamais ficam cheios, e sim quase vazios, então são muitas lojas fechando e umas poucas tentando sorte no competitivo mercado do tudo por 1.99, desse tipo de loja estão aparecendo com muita ilusão, em que vai terminar aquelas novelas, só daqui uns meses os capítulos finais de cada loja https://www.google.com.br/maps/place/Container+Rock+Wear/@-26.4845143,-49.0810695,20z/data=!4m13!1m7!3m6!1s0x94de9502bd92fb63:0xa39b6ccb8596608b!2sRua+Reinoldo+Rau+-+Centro,+Jaragu%C3%A1+do+Sul+-+SC,+89254-700!3b1!8m2!3d-26.487685!4d-49.0808402!3m4!1s0x94de9502195321d5:0xe7630f5c7387a7ab!8m2!3d-26.4843318!4d-49.0808563

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Poeteiro Bolhista 8 de março de 2019 at 16:45

    Aos bolhistas de Brasília: é só impressão minha ou os terrenos do Jardim Botânico tem sofrido uma sensível queda de preços?
    Estava vendo terrenos pra comprar naquela região e muitos condomínios estão com preços bastante atraentes.
    Não cheguei a olhar os documentos (ou débitos) dos terrenos mais baratos, mas me parece que os preços tem caído de maneira expressiva na região.
    Outros lugares ainda apresentam preços muito exorbitantes, mas aquela região parece padecer com muitos lotes encalhados.

    3+
    • odorico 8 de março de 2019 at 16:54

      Não vi queda, mas está estagnado desde 2012. Tenho um conhecido que comprou em 2012 no ouro vermelho por 120 mil e pelo anúncios não vai conseguir muito mais que isso. Aliás, comprou um casa e um terreno, na casa pagou 600 mil e no terreno 120 mil. Ele disse que ia esperar a casa valorizar para vender e depois construir no terreno. Acho que a casa vai achar os mesmo 600 mil, sem contar que o “ânimo” para construir parece que passou. O que vejo desses terrenos e imóveis no jardim botânico, vicente pires e outros é a questão fundiária. Você sempre vai ter que achar alguém disposto a comprar a “incerteza”. Regularizar ou não, quanto vai custar, não dá financiamento. Enfim, não é só preço, é o “bicho da goiaba” que nesse caso não é uma pessoa ou família, é um governo, política fundiária, incertezas…. etc.

      8+
      • avatar
      • Jonny Deep Blue 11 de março de 2019 at 22:33

        Penso que tem dois tipos de crise. Aquela em que o papel-moeda continua valendo, e aquela que o papel-moeda ou outra garantia semelhante não vale nada. Resta saber qual dessas crises estar por vir…

        0
  • rogerio 8 de março de 2019 at 17:10

    Alguém já comprou ouro pela Parmetal ?

    2+
    • odorico 8 de março de 2019 at 17:21

      Tenho ouro escritural ozd1 pela xp…só reserva de valor…. o chato é a custódia….

      4+
      • avatar
  • Senhor Bolha 8 de março de 2019 at 17:57

    Ouro escritural tem gastos, mas serve como seguro em crise moderadas. Não é para atolar um grande % da carteira em seguros.

    2+
    • rogerio 9 de março de 2019 at 00:34

      Não vem uma crise moderada por aí…. vem algo bem pior.

      3+
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 18:12

    LONDRES (Reuters) – Os principais índices acionários da Europa registraram a maior queda semanal desde dezembro nesta sexta-feira, ampliando as perdas uma vez que dados fracos da China e da Alemanha, além de criação de vagas nos Estados Unidos, destacaram as preocupações com a desaceleração econômica.

    3+
    • avatar
  • CA 8 de março de 2019 at 18:27

    Reforçando aquilo que temos falado, sobre os efeitos das PEDALADAS e do quanto só AUMENTAM os problemas dentro do estágio em que estamos, segue abaixo mais um exemplo.

    Depois do recorde de saques da poupança em janeiro/2019, mais um recorde batido em fevereiro/2019:

    https://www.terra.com.br/economia/poupanca-tem-saida-de-r4021-bi-em-fevereiro-pior-resultado-para-o-mes-em-3-anos,b90614c5bd8daa3344aa23ea9f8bf3f7y8v87ph6.html

    Lembrando de outra referência importante vinda do mundo REAL, colocada pela Cajuzinha mais acima:

    https://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/2019/03/07/com-mais-de-r-200-milhoes-em-dividas-cea-oferta-parcelamento-de-ate-80-vezes-a-clientes.ghtml

    Título da notícia acima: “Com mais de R$ 200 milhões em dívidas, CEA oferta parcelamento de até 80 vezes a clientes”

    Do que estamos falando: de mais de 150 MIL pessoas inadimplentes em sua conta de luz só no Amapá e a situação é tão CRÍTICA, que a companhia elétrica ofereceu não cobrar multa nem juros e parcelar em 80 MESES!!!

    PIOR: o total de clientes que recebem energia elétrica no Amapá é de 215 mil, estamos dizendo que 70% deles estão INADIMPLENTES!!!

    MAIS UMA referência vinda do mundo real, também colocada pela Cajuzinha mais acima:

    https://portalcorreio.com.br/campinenses-ja-devem-mais-de-r-30-mi-no-comercio-diz-cdl/

    Acima a informação de aumento de dívidas em campinas, em especial em janeiro/2019, chegando a R$ 30 MILHÕES de inadimplência junto ao comércio, de novo, crescimento relevante na INADIMPLÊNCIA.

    Por que temos as situações acima (PEQUENAS AMOSTRAS) e VÁRIAS OUTRAS na mesma linha, sendo noticiadas logo agora no início do ano, em meio a nosso otimismo UFANISTA?

    No final de 2018, 75% dos inadimplentes que recebiam décimo terceiro diziam que iam gastar ao invés de pagar dívidas. Chegou o começo do ano e MAIS dívidas (IPTU, IPVA, material escolar, etc, etc, etc), o que fazer? Recorre a algum parente ou amigo que tem poupança e pega uma graninha emprestada! Ah, não tem ninguém nesta condição? Não faz mal, dá calote na conta de luz, nos boletinhos do comércio, no IPTU, no condomínio, no IPVA e por aí vai…

    Ainda no final de 2018, mais de 40% dos consumidores do Black Friday estavam inadimplentes, super-endividados, com nome sujo ou algo similar (pesquisa do SPC). Chegou o começo do ano, tiveram as mesmas necessidades que mencionei acima, sua situação também piorou com o consumo irresponsável da Black Friday e fizeram o mesmo que consta acima, saca da poupança de alguém próximo ou sai distribuindo novos calotes!

    Desde o final do ano passado e no início deste ano, o governo divulgando otimismo UFANISTA e expectativas de TRILHÕES DE DÓLARES em investimentos diretos, privatizações, reforma da previdência, vendas de imóveis, geração de 8 MILHÕES de empregos formais nos 4 anos seguintes à reforma da previdência, prometendo que o PIB vai crescer por 10 anos e no primeiro ano após a reforma da previdência, mais de 6% de crescimento do PIB, dizendo pela estatística do IBGE e com leitura ENVIESADA, que o desemprego continua caindo, de forma igualmente ENVIESADA, falando sobre a redução do endividamento das famílias, etc, com tudo isto, pintando “céu de brigadeiro” para economia. Do lado do consumidor, vendo esta MONSTRUOSA DESINFORMAÇÃO e completamente alheio ao Mundo REAL (pelo menos nos noticiários), achou que só ele não estava tão bem, que logo tudo isto chegaria nele, era só questão de tempo e daí, para se “recompensar” depois de tantos infortúnios, decidiu gastar por conta! Os efeitos? Os mesmos detalhados acima.

    Fora o que consta acima, “N” ações para PEDALAR com o problema e alimentar incêndio com gasolina, como reduzir os compulsórios dos bancos, intervir no relacionamento entre credores e devedores para FORÇAR novos empréstimos ou renegociações de dívidas, ampliar SUBSÍDIOS de forma direta ou MASCARADA e tudo que estiver ao alcance do governo para PIORAR a situação dos consumidores e por tabela, da economia como um todo!

    E acima, nos links colocados neste comentário, os efeitos que apareceram de forma IMEDIATA, DEMONSTRANDO que estas PEDALADAS não estão trazendo mais NADA de benéfico nem mesmo no curto prazo, só estão ampliando e de forma cada vez mais rápida e intensa os ESTRAGOS. Vamos ver até quando vão continuar com esta INSANIDADE…

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 8 de março de 2019 at 18:42

    https://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7973964/sabe-aquela-bomba-de-2008-prepare-se-vem-ai-mais-uma-

    Trechos do link acima:

    “Sabe aquela bomba de 2008? Prepare-se: vem aí mais uma. As CLOs em circulação totalizam US$ 700 bilhões, com novas emissões anuais de mais de US$ 100 bilhões. O número é bastante comparável aos volumes de CDOs subprime de 2008 ”

    “Vários aspectos desse risco não são bem compreendidos. A qualidade do crédito dos empréstimos alavancados que estão por trás da maior parte das CLOs é ruim, normalmente sem grau de investimento. Os tomadores de empréstimos estão altamente alavancados.

    Cada vez mais os empréstimos oferecem uma proteção mínima para os investidores, sendo que mais de 70 por cento carecem de qualquer acordo que permita monitorar a condição financeira e uma intervenção precoce para administrar tomadores de empréstimos problemáticos. Isso piora o risco de que ocorram prejuízos maiores.”

    “Como vimos em dezembro passado, os problemas com CLOs podem resultar em uma contração do crédito. As CLOs compram de 50 por cento a 60 por cento de todos os empréstimos alavancados, assim como as CDOs canalizaram fundos para hipotecas. A demanda das CLOs sustentou reduções no preço do crédito e prazos de empréstimo mais flexíveis.

    No caso de uma desaceleração, o risco é que as CLOs criem ciclos de feedback adversos. Os bancos acabarão ficando com estoques não vendidos de empréstimos subscritos. A queda dos preços, o aumento dos diferenciais e a baixa disponibilidade de crédito vão paralisar os mercados de crédito.

    O crédito mais apertado afetará a economia real, desencadeando perdas, vendas e declínios de preços. Os temores a respeito da posição financeira de bancos e investidores criarão contágio, enquanto os depositantes se recusarão a financiar bancos e os investidores exigirão seu dinheiro de volta.

    Há muitos paralelos com 2008 para não se preocupar. Os investidores, muitos deles com um conhecimento incerto e com baixo poder de permanência, aumentaram sua exposição em busca de retornos mais altos, que podem chegar a 20 por cento nos casos das equity pieces de maior risco.

    Os executivos do setor bancário têm realizado baixas contábeis agressivas de empréstimos alavancados e CLOs estruturadas, e ganharam cerca de US$ 2,8 bilhões no ano passado. Incorporada a este episódio especulativo, como no caso dos antecessores, há uma fuga eufórica da realidade e uma cegueira aos riscos que continuam aumentando.”

    4+
    • avatar
    • CA 8 de março de 2019 at 18:50

      “Detalhe”:

      O tamanho TOTAL do problema é de centenas ou MILHARES de vezes o que consta acima, ou se preferirem, centenas ou MILHARES de vezes o tamanho do problema do subprime americano em 2008! Basta ver que só o Deutsche Bank tem mais de 40 TRILHÕES DE EUROS em derivativos, muitos deles PODRES.

      Mas não se preocupem, o que consta acima é “irrelevante”, segundo um dos usuários do blog a China vai fazer um QE, EUA e Europa não vão subir os juros e com isto vamos pedalar até 2025 e segundo outro usuário daqui, é só fazer um “cheat com dinheiro infinito” que tudo se resolve!

      Bem que eles podiam ter explicado as soluções mágicas para aquele monte de banqueiros que se suicidaram nos últimos anos ou para os presidentes de bancos centrais mencionados acima que estão arrancando os próprios cabelos até por saberem que da última vez que os PODRES começaram a ser escancarados como agora, não demorou muito até o efeito manada de volta à REALIDADE…

      7+
      • avatar
      • avatar
  • Carlos 8 de março de 2019 at 19:20

    OFF – Varejo down under
    A coisa anda apertando com novos concorrentes e antigos tentando permanecer relevantes, cortar custos ou apenas sobreviver.

    Supermarket wars: Coles partners with eBay to drive online grocery shopping
    https://au.news.yahoo.com/supermarket-wars-coles-partners-ebay-drive-online-grocery-shopping-180003249.html

    Coles has become the first supermarket anywhere to sell directly on eBay.

    The Australian supermarket giant’s shopfront with the e-commerce behometh launched on Wednesday with a range of more than 4,000 products across categories including fresh food, personal care and household goods.
    While Coles already offers online shopping through its own website, it hopes to expand digital sales via eBay Australia, which boasts more than 11 million visits each month.
    eBay has previously partnered with a Korean grocery retailer but only through a local subsidiary.
    “We are like the Westfield of online: Coles makes sure they are in every Westfield, so they’re making sure they are in the Westfield of online,” Australia and New Zealand eBay managing director Tim MacKinnon said.
    eBay says more than 40,000 Australian retailers including Myer, The Good Guys and Target are trading on its site, but that only three per cent of people in Australia buy groceries online.
    http://www.thebull.com.au/articles/a/80565-coles-in-grocery-world-first-with-ebay.html

    Coles, Woolies under siege as German giant Kaufland eyes five superstores

    German supermarket giant Kaufland is poised to open five new superstores as it charges ahead with plans to shakeup Australia’s fiercely competitive $90 billion grocery sector.
    Kaufland, part of the world’s fourth largest grocery conglomerate, has put its foot on a development site in Melbourne’s sprawling eastern suburbs for about $16.5 million, giving it access to 3.5 hectares of land in Chirnside Park, one of the city’s growth suburbs.
    https://www.smh.com.au/business/companies/coles-woolies-under-siege-as-german-giant-kaufland-eyes-five-superstores-20180531-p4ziq8.html

    4+
    • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 20:50

    Em recuperação judicial, Saraiva fecha janeiro no vermelho
    PUBLISHNEWS, 08/03/2019

    Relatório publicado pelo administrador judicial aponta que receitas desabaram na comparação com igual período do ano passado o que redundou em prejuízo de R$ 10,6 milhões

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 8 de março de 2019 at 21:10

      Cajuzinha,

      INFELIZMENTE, como já dito antes, não tem salvação…

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CA 8 de março de 2019 at 20:57

    Replico comentário feito mais acima:

    CA 8 de março de 2019 at 17:57

    Opa, abaixo uma das poucas vezes em que o Posto IPiraNaGrana não falou em números na casa das centenas de bilhões ou trilhões, o que não significa que aquilo que consta abaixo é verdadeiro…

    https://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7974063/ibovespa-acelera-ganhos-apos-guedes-afirmar-que-faltam-48-votos-para-aprovar-previdencia-na-camara

    4+
    • avatar
    • CA 8 de março de 2019 at 21:01

      O comentario acima do IpiraNaGrana gerou disparada na BOVESPA e adivinhem o que “apareceu” depois…

      https://br.reuters.com/article/idBRKBN1QP2ES-OBRTP

      Título da notícia acima:

      “NOTÍCIAS PRINCIPAIS

      8 DE MARÇO DE 2019 / ÀS 18:54 / HÁ UMA HORA”

      “Porta-voz diz desconhecer mapa de votos para Previdência após declaração de Guedes”

      “BRASÍLIA (Reuters) – O porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, disse nesta sexta-feira desconhecer a existência dentro do governo de um mapa de votos favoráveis à reforma da Previdência no Congresso Nacional após declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, à Agência Estado, de que faltariam 48 votos para se chegar ao apoio necessário para aprovar a medida.”

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 8 de março de 2019 at 21:07

        Mais uma…

        Obs: depois acham que não é otimismo UFANISTA

        https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2019/03/08/joice-diz-que-nao-ha-mapa-de-votos-da-previdencia-mas-espera-aprovacao.htm

        Trecho do link acima:

        “Ricardo Brito

        Brasília

        08/03/2019 20h18

        A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), afirmou nesta sexta-feira (8) que não há um “mapa de votos” em relação à reforma da Previdência, mas destacou que o governo está otimista em aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que altera as regras previdenciárias no país.”

        5+
        • avatar
        • avatar
        • CA 8 de março de 2019 at 21:11

          Se o IPiraNaGrana já mente sobre números na casa de centenas e dezenas, imagine sobre os TRILHÕES então…

          7+
          • avatar
          • avatar
  • Cajuzinha 8 de março de 2019 at 20:58

    Entraram em vigência, nesta sexta-feira (8), novas condições de financiamento habitacional com recursos do FGTS nos programas Minha Casa Minha Vida e CCFGTS, destinados às pessoas físicas, tanto nas operações individuais como ligadas a empreendimentos. Dentre as principais novidades, estão a mudança nos limites de valor do imóvel para municípios com população inferior a 50 mil habitantes e do subsídio para imóveis em municípios com menos de 20 mil habitantes. Os limites de valor de imóvel para a faixa 1,5 permanecem inalterados.

    4+
    • avatar
  • CA 8 de março de 2019 at 21:18

    Na visão do governo, quanto mais promessas UFANISTAS para chantagear o congresso, melhor…

    https://jovempan.uol.com.br/noticias/economia/previdencia-pode-aumentar-r-58-mil-no-pib-per-capita-ate-2023-diz-rego-barros.html

    Trecho do link acima:

    “Previdência pode aumentar R$ 5,8 mil no PIB per capita até 2023, diz Rêgo Barros”

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 8 de março de 2019 at 21:21

    A política externa do novo governo é ainda menor do que a inteligência do seu messias, nem sei como isto é possível.

    Uma homenagem de Joao Amoedo e um pequeno segredo – Paulo Roberto de Almeida

    Aproveito esta mensagem elogiosa do meu amigo João Dionisio Amoêdo, a quem agradeço a homenagem (texto transcrito in fine), para agora revelar um pequeno segredo, que cumpre contar por inteiro.
    Estive com a equipe econômica do atual governo em meados de 2018, meses antes que o chanceler olavista fosse sequer cogitado pela equipe de Bolsonaro. Isso foi no escritório de Paulo Guedes, no RJ, com vários outros colegas que estão agora ocupando altos cargos, aos quais já conhecia desde algum tempo.
    Quando entrei na sala, me receberam como se eu já fosse o futuro chanceler, o que descartei de imediato, com palavras quase iguais a estas (cito de memória):
    “Não sou candidato a nada, só vim aqui conversar com vocês sobre economia e política externa. Não sou eleitor de Bolsonaro, não vou votar por ele, e sinceramente eu o acho um candidato muito fraco. Já tenho candidato no primeiro e no segundo turno e ele se chama João Dionisio Amoêdo.”
    Meus interlocutores ficaram um pouco chocados com a rudeza de minhas palavras, mas depois conversamos por aproximadamente duas horas, e eu tive de corrigir certas percepções deles sobre o Mercosul, sobre o Itamaraty e assuntos correlatos.
    Nos despedimos em bons termos, e eu continuei a enviar para eles alguns papeis que eu também havia feito especialmente para o João Dionisio Amoêdo, sem no entanto que eles tivessem sido refletidos no programa de Bolsonaro quando este foi elaborado.
    Quando finalmente saiu esse programa, eu os cumprimentei pela parte econômica, que achei bem elaborada, mas critiquei duramente a parte, medíocre, horrível, pequena, sofrível, relativa à política externa, que achei indigna de um programa de governo para inserir o Brasil no mundo. Escrevi isso num paper que continha 3 páginas de críticas contundentes à mediocridade dessa parte, e mais 3 com propostas que me pareciam adequadas de política externa. Um dia vou revelar esse documento (mas ele já pode ter circulado por aí).
    Depois que enviei esse documento, os membros da equipe econômica de certa forma “romperam” comigo, o que não me causou nenhum problema, pois eu não estava trabalhando, e não pretendia trabalhar para um governo Bolsonaro. Estava apenas colaborando voluntariamente com a equipe econômica.
    Nunca mais falei com qualquer um deles, e assim permanece até hoje. Estou sempre aberto a colaborar com todos aqueles que pretendam fazer reformas reais no Brasil, segundo as minhas condições.

    http://diplomatizzando.blogspot.com/2019/03/uma-homenagem-de-joao-amoedo-e-um.html

    6+
    • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 8 de março de 2019 at 22:36

    Caixa aumenta valor de imóveis financiados pelo Minha Casa Minha Vida
    Para as cidades de 20 mil a 50 mil habitantes, o valor máximo do imóvel a ser financiado passou de R$ 110 mil para R$ 145 mil
    https://www.otempo.com.br/mobile/capa/economia/caixa-aumenta-valor-de-imóveis-financiados-pelo-minha-casa-minha-vida-1.2147128

    6+
    • avatar
    • avatar
  • indiobolhista 8 de março de 2019 at 23:20

    o lixo que vendiam por 110 mil agora será vendido por 145 mil, bananense é uma maquina de tomar na orelha, o ultimo buraco virgem desses cidadãos que o cérebro neles é só um enfeite.

    7+
    • avatar
  • Alemon Fritz 8 de março de 2019 at 23:37

    -Resgate do FGTS para quitar dívida de imóvel está na pauta da CAE
    Portal de Notícias do Senado Federal-9 h ago.
    A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) pode votar na reunião marcada para esta terça-feira (12), a partir das 10h para a PLS.

    3+
    • avatar
  • indiobolhista 9 de março de 2019 at 01:22
    • Cajuzinha 9 de março de 2019 at 09:27

      Patricia Pereira, da Mongeral Aegon Investimentos, disse que a desaceleração da economia mundial dá espaço ao Brasil para manter os juros baixos. “O crescimento mais fraco faz os países desenvolvidos continuarem com estímulos monetários”, afirmou. “Isso para países emergentes é positivo, porque permite atração de investimentos e ajuda na previsibilidade da política monetária.”Por outro lado, o desaquecimento mundial é ruim para crescimento do país. “Vamos vender para quem? Um mundo que cresce menos compra menos”, disse.

      * Estagiário sob supervisão de Odail Figueiredo

      6+
      • avatar
      • Cajuzinha 9 de março de 2019 at 09:31

        As importações chinesas de minério de ferro caíram para o menor nível em dez meses em fevereiro, mostraram dados da alfândega nesta sexta-feira, impactadas pela desaceleração do comércio durante um feriado nacional de uma semana e uma forte alta nos preços

        5+
        • avatar
        • avatar
  • CA 9 de março de 2019 at 13:07

    A “previsão” do presidente da caixa em jan/19 sobre o quanto obteria com IPO de subsidiárias da CEF:

    https://www.correiodoestado.com.br/economia/caixa-cortara-recursos-de-grandes-empresas-e-focara-acoes/345048/

    Trecho do link acima:

     “A ideia é, com mecanismos próprios, levantar pelo menos R$ 150 bilhões em quatro anos para destinar a novos financiamentos imobiliários.

    Desse total, pelo menos R$ 100 bilhões virão da venda de carteira de crédito, e outros R$ 50 bilhões, da abertura de capital de quatro subsidiárias.

    Essa estratégia definida a executivos da Caixa pelo presidente do banco, Pedro Guimarães, significa uma reviravolta na política da instituição, que, até o momento, se comportou como as demais estatais -dependente de recursos do FGTS e do Tesouro para fazer negócios.”

    Como está a previsão hoje, 2 meses depois?

    https://br.reuters.com/article/idBRKBN1QQ0DY-OBRBS

    Trecho do link acima:

    “(Reuters) – O presidente-executivo da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, avalia que o banco pode arrecadar pelo menos 15 bilhões de reais com a abertura de capital de quatro subsidiárias —Caixa Seguradora, Caixa Cartões, Caixa Loterias e Caixa Asset.”

    —————————-

    O presidente da CEF seguindo os passos do Posto IpiraNaGrana, fazendo promessas UFANISTAS que ao longo do tempo vão se ajustando à REALIDADE.

    Aliás, ele nem voltou a falar sobre os R$ 100 bilhões que ele disse que obteria vendendo títulos do crédito imobiliário, deve estar torcendo para o pessoal esquecer.

    Mais ou menos como o PIB brasileiro, antes de iniciar o ano, aquela euforia, depois descobrem que não tinha nenhum fundamento e vai caindo, caindo…

    8+
    • avatar
    • avatar
    • MARK 9 de março de 2019 at 16:57

      Que isso… foi uma má interpretação sua, CA. De 50 a 150 bilhões para 15 bilhões não há tanta diferença assim. Fica tranquilo, mês que vem o presidente da Caixa estará falando em 1 bilhão, 500 milhões, mas o problema continuará sendo a sua interpretação de texto. kkkkkk

      8+
      • avatar
      • DouglasteR 11 de março de 2019 at 14:49

        Queda suave, estável e linear de 150 pra 15 bi.

        Se fosse um martelo no prego, teria furado a madeira e pego no pé do pregador.

        1+
  • Cajuzinha 9 de março de 2019 at 14:56

    Mais claro que isso, impossível!

    Inadimplência no MEI atinge quase metade dos inscritos no programa
    Apesar de o valor mensal da contribuição ser baixo, de R$ 50, quase metade dos empreendedores cadastrados estão com mensalidades em aberto
    AA Alessandra Azevedo

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 9 de março de 2019 at 15:00

      Especialistas têm dificuldade para identificar os motivos para esse aumento entre os microempreendedores, já que essa dívida inclui o trabalhador na dívida ativa, com risco de cancelamento do CPF, e, consequentemente, restrição de crédito. “Essa inadimplência elevada é uma situação complicada. Os trabalhadores estão perdendo benefícios e as condições de crédito ao não pagarem o MEI. O valor é baixo e não vem sendo pago por uma questão de prioridade ou por desconhecimento”, lamentou o coordenador do MBA de empreendedorismo da Fundação Getulio Vargas (FGV), Marcus Quintella.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 9 de março de 2019 at 16:57

        Cajuzinha,

        Os especialistas sempre tem dificuldades para entender qualquer coisa, vemos isto pelo excesso de reportagens falando sobre surpresas, frustração, mais lento que o previsto, etc….

        No Amapá, como você colocou mais acima, temos 70% dos consumidores que não estão pagando conta de luz, vão liberar multas e juros, parcelando em 80 VEZES para tentarem REDUZIR esta ABERRAÇÃO. Se o “especialista” acima visse esta situação, também ficaria em dúvida se é por desconhecimento das pessoas ou por priorizar o que vão pagar ou não?

        E no caso do Minha Casa Minha Vida, na faixa 1 com mais de 35% de inadimplência, o “especialista” também ficaria em dúvida sobre o motivo?

        E o FIES, com mais de 30% de inadimplência, o Minha Casa Melhor que teve 50% de inadimplência, o RECORDE histórico de inadimplência para IPTU, IPVA, Condomínio, multas de veículos e graças a tudo isto e muito mais, o RECORDE de mais de 63 MILHÕES de pessoas INADIMPLENTES segundo o SERASA e o índice de inadimplência geral do consumidor, seriam outros motivos de dúvidas pelos “especialistas”?

        Já sei, na visão deste “especialista”, as pessoas também não sabem que tem que pagar as contas acima, certo?

        Ele não sabe que MUITAS destas MEI fazem parte do empreendedorismo por NECESSIDADE e que por isto são negócios não planejados, em que as pessoas não tem NENHUMA reserva e que em qualquer imprevisto já deixam de pagar várias contas?

        Não sabem que aquilo que consta acima é causado pela profunda DEGRADAÇÃO dos empregos?

        Da mesma forma eles não fazem a menor ideia de que tudo começou a degringolar para as ABERRAÇÕES acima graças a um crédito imobiliário que se MULTIPLICOU por 40 VEZES em 10 ANOS com preços de venda e aluguel de imóveis que dispararam MUITO MAIS que a renda, roubando capacidade de consumo e de pagamento de contas, alimentando RECORDE de quebra de lojas e profundas distorções no segmento imobiliário, que resultaram neste setor puxando o desemprego e retroalimentando a degradação dos empregos, da renda, da LIQUIDEZ, forçando juros finais muito elevados, etc. Ele não faz a menor ideia do que foi isto…

        Ah, eles acreditam CEGAMENTE no que os bancos estão dizendo, que a inadimplência com o sistema financeiro está caindo, que o desemprego está caindo, por isto que não entendem as situações acima!

        Não entenderam que as pessoas preferem pagar as dívidas que tem os maiores juros junto aos bancos e dar calote em várias outras com multas e juros menores!

        Pobres coitados, tão ALIENADOS da REALIDADE, com certeza são os mesmos que não sabem porque a economia não está engrenando como o “prometido”…

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cajuzinha 9 de março de 2019 at 17:27

          Perfeito!

          Eu é que fico impressionada até hj quando as pessoas me dizem que “agora tá bom mesmo pra comprar imóvel” kkkkkkkkk

          Os preços aqui em Aracaju estão ainda fora da realidade, o estoque da ROSSI é absurdo e o corvo ainda não entende pq não consegue vender.

          13+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Cajuzinha 9 de março de 2019 at 17:33

          Oito mil contribuintes goianos devem ser inscritos em dívida ativa; veja consequências
          Serão inscritos aqueles com débitos no ICMS, multa e IPVA, em atraso a mais de 90 dias.

          7+
          • avatar
          • avatar
  • Dr. Estranho 9 de março de 2019 at 16:55

    Mais um hotel fechará as portas no Rio. É o tradicional Novo Mundo. 2019 começando.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 9 de março de 2019 at 17:17

      Dr. Estranho,

      Pois é, em meio a uma “recuperação da economia” com o PIB crescendo, as dívidas das famílias junto ao sistema financeiro caindo, queda no desemprego, inflação baixa, a SELIC em seu menor patamar histórico, BOVESPA que subiu muito nos últimos meses, com dólar que vinha caindo, mais as expectativas TRILIONARIAS sobre redução de deficit da previdência, venda de imoveis, privatizações, Tsumoney, etc, etc, etc, com tudo isto se refletindo nas expectativas otimistas de empresários e consumidores e de repente MAIS UMA empresa com DÉCADAS de existência vai fechar porque está atolada em dívidas? Poxa, isto deve confundir demais os “especialistas economistas”…

      https://diariodorio.com/historico-hotel-novo-mundo-vai-fechar-ainda-este-mes

      Trechos do link acima:

      “Após quase 7 décadas de atividades, um dos hotéis mais tradicionais e simbólicos da cidade do Rio de Janeiro, o Novo Mundo, irá encerrar as atividades no próximo dia 23/03. O motivo do fechamento são as dívidas.”

      “Soma ainda os 9,5 milhões de IPTU atrasado. No Rio de Janeiro, os hotéis têm 40% de desconto deste imposto, quando o mesmo está em dia. Sem esse desconto, o pagamento se tornou insustentável para a atual administração. Tal dívida já era sinal de que o hotel estava em situação financeira difícil.”

      “Há alguns dias, o Diário do Rio mostrou um grave problema em outro histórico hotel carioca. O Glória encontra-se em estado de total abandono.”

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 9 de março de 2019 at 18:48

    O aumento do desemprego tem forçado os brasileiros a se reinventarem. Nos últimos anos, cresceu o número de Microempreendedores Individuais (MEIs), pessoas que apostam no talento e criatividade e se tornam seus próprios chefes. No Vale do Sinos, são 61.962 MEIs, conforme dados do portal do empreendedor divulgados neste mês.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 9 de março de 2019 at 18:51

      Este aumento do microempreendedorismo está relacionado também ao desmembramento da cadeia produtiva. “As construtoras, por exemplo, antigamente contratavam 300 empregados para construir um prédio. Hoje, contratam 30 e o resto são MEIs. Hoje, pela legislação trabalhista, é possível esta terceirização. Houve um desmembramento da cadeia produtiva”, avalia Copetti. A busca pela formalização seria o terceiro ponto. “Muitos profissionais trabalhavam de maneira informal, como o cabeleireiro, o eletricista, o marceneiro e outras atividades, que viviam à margem da economia e buscaram no MEI uma forma de regularizar, conseguindo contribuir para Previdência Social, ter CNPJ, conta corrente, acesso a crédito e outras vantagens”, analisa o gerente regional do Sebrae.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 9 de março de 2019 at 21:20

        Cajuzinha,

        Contaram UMA PARTE da história, já é alguma coisa. O que não contaram?

        Primeiro, que o papo de informal virando MEI não bate com o recorde histórico de informais. Sim, uma parte deles talvez tenha se formalizado, mas nada diferente do que sempre aconteceu, por isto que a informalidade terminou 2018 no recorde histórico, não houve nenhuma migração relevante deles para a formalidade.

        Segundo, que MUITOS que se tornaram Ubers já começaram como MEI porque paga menos imposto do que como pessoa física pagando imposto de renda, pode comprar carro como pessoa jurídica pagando menos imposto, ou fazer um esquema melhor com locadora e seguro, fora esquemas para burlar pontuação na carteira. Lembrando que Ubers se multiplicaram por 10 só do final de 2016 a 2017 e continuaram crescendo depois disto.

        Terceiro que fora os Ubers e concorrentes, tem o pessoal que ficou desempregado e abriu food truck, começou a fazer BICOS diversos e estes se dividiram entre MEI e INFORMAIS, ampliando estas duas categorias ao mesmo tempo, assim como os Ubers.

        Quarto, que não mencionaram os aspectos relacionados à degradação dos empregos e as suas consequências para economia e sociedade. MUITOS destes que abriram MEI deixaram de ter convênio médico ou baixaram demais a qualidade do convênio, do mesmo jeito que cancelaram TV a cabo e uma série de outros gastos típicos de classe média. Por que? Foi gerada uma super concorrência com a disparada no número destes profissionais sem que a demanda acompanhasse, logo, a renda líquida despencou e tiveram que sair cortando os gastos com intensidade. Isto também ajuda na disparada de super endividamento e inadimplência com recordes batidos ano após ano.

        Quinto: tanto MEI quanto informais ajudam a DISTORCER as estatísticas sobre renda das pessoas e das famílias. O Uber, por exemplo, abate na informação para IBGE o quanto a empresa Uber cobra dele, mas NÃO desconta o quanto gasta com combustível e manutenção do veículo, não equaliza a falta de décimo terceiro, férias, FGTS, INSS, convênio médico e outros encargos e benefícios subsidiados pelos empregadores e que estes profissionais de MEI ou informais simplesmente não tem! A DISTORÇÃO é MUITO grande, por isto que a estatística do IBGE fala sobre “renda estagnada”, mas o que temos via RECORDE de informalidade e de microempreendedores na realidade é uma QUEDA BRUTAL na renda.

        E é pelas AMOSTRAS acima que fica claro porque os economistas especialistas sempre ficam decepcionados com os resultados da economia, eles não fazem nem ideia destes pontos e de seu impacto no mundo REAL…

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 9 de março de 2019 at 21:46

          Ah sim, sobre as construtoras, os números relacionados a empregos neste setor não corroboram esta informação do SEBRAE.

          Outro ponto quanto a isto em que eles também estão muito enganados, é que a nova legislação não permite contratar uma infinidade de MEI como se fosse funcionário e trabalhando de forma exclusiva para a empresa, por prazo indeterminado e com subordinação, etc. Toda e qualquer construtora que fizer isto arcará com enormes processos trabalhistas, pois esta situação não mudou NADA com as novas regras de terceirização: se trabalhar para apenas uma empresa (NFs sequenciais), por mais que 3 meses, estando subordinado a alguém da construtora, com controle de horário e presença, etc, o processo trabalhista dará ganho de causa para o terceiro e a empresa terá que pagar todos os direitos trabalhistas para estes profissionais. Inclusive as construtoras com Ações na BOVESPA são PROIBIDAS de fazerem isto e as auditorias verificam este ponto.

          O que as MEIs podem ajudar as construtoras são nos esquemas de LARANJAS para burlar regras de SPE e desviar dinheiro de uma obra para outra ou para o bolso do dono da construtora, fazendo NF para uma obra diferente da qual prestou serviço e/ou superfaturando o serviço, mesmo assim, não seria na escala insinuada pelo representante do SEBRAE.

          5+
  • Carlos 9 de março de 2019 at 19:47

    OFF – China

    China’s exports fall more than 20% in February; overall trade data come in much weaker

    China on Friday reported worse than expected trade data for the month of February, customs data showed amid Beijing’s trade dispute with the U.S.
    February dollar-denominated exports fell 20.7 percent, compared to an expected 4.8 percent fall.
    February dollar-denominated imports fell 5.2 percent, compared to an expected 1.4 percent fall.
    China’s overall trade surplus for the month came to $4.12 billion — much weaker than an expected $26.38 billion.

    https://www.cnbc.com/2019/03/08/china-february-trade-imports-exports-beijing-reports-china-economic-data.html

    2+
    • avatar
  • Cesar_DF 9 de março de 2019 at 19:53

    Putz, até colecionador perdendo carro em leilão

    VW Variant 1970, pneu facha branca, placa preta, por 28K

    https://www.parquedosleiloes.com.br/leiloes/lote_info/23288

    9+
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 9 de março de 2019 at 20:06

    US$ 32,5 milhões por ano pelo aluguel de um terreno !!!

    Edifício icônico de NY é vendido com forte prejuízo

    Um dos principais cartões-postais de Nova York, o edifício Chrysler está prestes a ser vendido com forte prejuízo, segundo informou o Wall Street Journal. O prédio deve encontrar um novo proprietário por US$ 150 milhões, disse o jornal, citando fonte próxima ao assunto.

    Em 2008, o Mubadala, fundo de investimento de Abu Dabi, havia comprado 90% do Chrysler Building, um arranha-céu que já apareceu em dezenas de filmes, por cerca de US$ 800 milhões. Os 10% restantes foram adquiridos pela administradora Tishman Speyer.

    O edifício deve agora ser repassado para uma companhia especializada em ativos imobiliários, a RFR Holdings – nem os compradores nem os vendedores comentaram as informações publicadas pelo WSJ e por outros veículos de imprensa norte-americanos ao longo do dia de ontem.

    O Chrysler Building foi colocado à venda no fim de janeiro. Mas por quê, então, a venda está sendo feita por um preço tão inferior e com um prejuízo tão expressivo? Segundo fontes ligadas ao acordo, os donos do edifício são obrigados a pagar um aluguel mensal pelo uso do terreno sobre o qual a construção foi erguida.

    O preço desse aluguel tem crescido rapidamente. Até o ano passado, segundo a CNN, o valor era de US$ 7,75 milhões; a obrigação foi reajustada para US$ 32,5 milhões no ano passado e vai ultrapassar a marca de US$ 40 milhões em 2028.

    9+
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 9 de março de 2019 at 20:36

    Crise na China? A grande bolha está tremendo

    Ideias Radicais – Publicado em 9 de mar de 2019

    É parecido com a bolha que Dilma criou no Brasil, mas muito maior. A bolha chinesa é o resultado de décadas de intervencionismo, crédito barato e manipulação de mercado. E está ameaçada.

    Preços de imóveis caindo, 20% de desocupação nos imóveis. Vendas de automóveis estão capotando, e demissões pesadas saindo nos setores de tecnologia. Pela primeira vez na história registrada, a quantidade de pessoas empregadas encolheu.

    O governo está tentando inflar a bolha, mas não consegue. Vão tentar mais forte, claro, e vamos ver no que dá isso.

    https://www.youtube.com/watch?v=uUYE5UCcNVE

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 10 de março de 2019 at 01:10

      A china nao é a unica… parece que a realidade vai bater a porta em breve. Conseguirao empurrar a naba para o terceiro mundo mais uma vez? De qqr jeito, a china aproveitou a bolha e fez metro e trem para tudo q é lado. Os chineses sairao da bolha bem melhor do que entraram… na banania, ficamos com o itaquerao, o estadio de cuiaba e manaus etc..

      5+
      • avatar
  • Cajuzinha 9 de março de 2019 at 20:57

    A crise cambial que assola a Argentina desde meados do ano passado está se refletindo na balança comercial brasileira. Nos dois primeiros meses do ano, o valor das exportações para o terceiro parceiro comercial do Brasil caiu 42,5%, de US$ 2,68 bilhões no primeiro bimestre de 2018 para US$ 1,54 bilhão no mesmo período de 2019.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 9 de março de 2019 at 21:21

    Será que vai acontecer?

    O governo Bolsonaro promete cortar 21 mil funções comissionadas e gratificações, economizando R$ 209 milhões por ano. Em 2018, o governo tinha 99.833 cargos comissionados e gratificações.

    O decreto que trará o corte dessas funções ainda não foi publicado e está em fase de ajustes pelo governo. A única pasta que já anunciou cortes até aqui foi o ministério da Economia, com redução de 2,9 mil cargos em comissão

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 9 de março de 2019 at 21:54

      Cajuzinha,

      Se fizerem 1/3 será muito…

      Veja acima sobre o IPO de subsidiárias da CEF, começaram falando 2 meses atrás em captar R$ 50 BILHOES, hoje já reduziram para R$ 15 BILHÕES.

      Idem para PROMESSAS TRILIONARIAS de previdência e de venda de imóveis do governo, as centenas de bilhões em privatizações, Tsumoney, etc. Este governo está conseguindo bater todos os recordes de UFANISMO e o preço será cobrado via perda intensa de credibilidade que poderá fazer muita falta na votação de medidas críticas…

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Carlos 9 de março de 2019 at 22:35

      Lembra a história da carochinha sobre reduzir os ministérios a 15?

      Para quem não se lembra ou prefere não se lembrar:

      Jair Bolsonaro foi eleito presidente da República com o compromisso de cortar o número de ministérios de 29 para 15. Depois, elevou o número para 17, para 20, 22 e pode ir além.
      https://br.noticias.yahoo.com/bolsonaro-nao-cumpre-promessa-de-reduzir-numero-de-ministerios-para-15-140433234.html

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • socrates 10 de março de 2019 at 01:06

        E ainda é pior se nao reduzir numero de cargos. Me lembro do temer que anunciou o fim de alguns ministerios e foi um aue danado… no fim, tudo igual. De pratico , so menos gente com foro privilegiado (como se fosse necessario… se lembram do caso daniel dantas?)

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Ilusionista 10 de março de 2019 at 07:33

        O Carnaval não foi fácil para ele. Teve xingamentos do público pela ruas, fantasias de laranjas, Queiroz, “latada” em boneco à sua imagem. Na terça ele “respondeu” aos ataques com um vídeo pornográfico, generalizando atos obscenos de alguns como prática de todo folião. Não deu certo. Foi criticado até na mídia internacional. Descobriram que, o tal vídeo pornô na realidade, tratava-se de um ato de protesto idealizado por um grupo de ativistas.
        Querer misturar moral, com conceitos doutrinários de família, com religião, com nacionalismo (como incentivar a cantar o hino nacional em detrimento aos direitos da cidadania, no Brasil, contidos nos artigos 5 e 6 da CF) e, ainda, mesclar tudo com economia, não dá certo. Por isto, as nações mais atrasadas do mundo vem seguindo este caminho a séculos. Política de “manter tudo do que jeito que está, para ver como é que fica” para perpetuar no poder um grupo seleto de famílias notáveis.

        18+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Carlos 10 de março de 2019 at 09:12

          Vai explicar isto para os doidos que assessoram o bozo e seus filhotes idiotas, agora o bozo vai pros estates falar como bufão laranja e em festa bancada por Steve Bannon, que é tão doido e escroto que acabou sendo colocado de escanteio pelos próprios acólitos trumpistas nos EUA.
          Não vejo nada diferente da campanha, apenas bate boca com outros idiotas e idéias atrasadas e estúpidas, não esperava nada diferente.

          11+
          • avatar
          • avatar
        • MARK 10 de março de 2019 at 11:05

          O pior é que boa parte dos apoiadores do Bozo está achando tudo muito lindo, o capitão tá certo, é tudo pouca vergonha. Não… não, não… pouca vergonha é não tratar o que interessa que são os assuntos tributários e econômicos. Fingir que não sabe dos esquemas do filho no laranjal também não cola. Não sei até quando vão conseguir contornar os pronunciamentos pueris e escatológicos dele. Toda hora vem um militar do alto comando tentando justificar o injustificável, “Não, ele quis dizer isto e não aquilo.”. O Mourão é que impressiona com sua sabedoria para sair das sinucas mais difíceis.

          13+
          • avatar
          • avatar
  • rogerio 10 de março de 2019 at 02:36

    Médio OFF
    Alguém se aprofundou nesse acordo que envolve MP+Petrobras+EUA??

    5+
  • bolhista cearense 10 de março de 2019 at 08:49

    Bom dia colegas bolhistas. Vamos começar o festival de boas notícias da semana:
    Saques da poupança superam depósitos em R$ 4,02 bilhões em fevereiro
    Os saques da caderneta de poupança superaram os depósitos em fevereiro. A retirada líquida (descontados os depósitos) ficou em R$ 4,020 bilhões, informou hoje (8) o Banco Central (BC). Foi o segundo mês seguido de retirada líquida – em janeiro chegou a R$ 11,232 bilhões.

    Em fevereiro do ano passado, também houve retirada líquida, no total de R$ 708,116 milhões. O resultado negativo do mês passado foi o maior para o mês desde de 2016, quando houve retirada líquida de R$ 6,638 bilhões.
    No mês passado, foram depositados na caderneta de poupança R$ 181,996 bilhões. Os saques durante o segundo mês do ano somaram R$ 186,017 bilhões.

    Em fevereiro deste ano, os rendimentos da aplicação mais popular do país chegaram a R$ 2,965 bilhões. O saldo atualmente depositado na poupança está em R$ 787,933 bilhões.

    Pela legislação em vigor, o rendimento da poupança é calculado pela soma da Taxa Referencial (TR), definida pelo BC, mais 0,5% ao mês, sempre que a taxa básica de juros (Selic) estiver acima de 8,5% ao ano.

    Quando a Selic é igual ou inferior a 8,5% ao ano, como ocorre atualmente, a remuneração da poupança passa a ser a soma da TR com 70% da Selic. Hoje, a taxa Selic está em 6,5% ao ano.
    http://www.oestadoce.com.br/economia/saques-da-poupanca-superam-depositos-em-r-402-bilhoes-em-fevereiro

    3+
    • avatar
  • bolhista cearense 10 de março de 2019 at 08:56

    Outra do Finge/ZAP:
    Metro quadrado de Fortaleza atinge R$ 5,86 mil em fevereiro
    No mês de fevereiro, os preços dos imóveis brasileiros oscilaram em 0,08%, em relação ao mês de janeiro (0,13%), sendo o primeiro mês de relativo avanço em 2019. Na passagem mensal, o mercado de Fortaleza registrou 0,24%, saindo da estabilidade observada em janeiro (0%) – sinalizando retomada dos preços, após fechar dezembro de 2018 com retração de -0,21%. Com o novo resultado, o valor médio da metragem na capital cearense atingiu R$ 5,863 mil, o segundo mais caro da região Nordeste. As informações constam do Índice FipeZap, elaborado pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) e pela Zap Imóveis, que trata de unidades residenciais e acompanha, mensalmente, os preços dos imóveis em 20 cidades brasileiras – incluindo Fortaleza e Distrito Federal.

    Na passagem entre janeiro e fevereiro, Fortaleza atingiu o 8º maior valor do País, considerando-se apenas as capitais monitoradas, acompanhado o movimento de alta registrado em mais nove regiões, sendo as maiores registradas por Florianópolis (1%), Goiânia (0,94%), Manaus (0,84%) e Brasília (0,56%). Individualmente, sete das 16 capitais registraram queda mensal de preço, com as retrações mais expressivas observadas em: João Pessoa (-2,3%), e Curitiba (-1,59%).

    Ainda na capital cearense, o ranking dos cinco bairros com a metragem mais cara, em fevereiro, é liderado por Meireles (R$ 7.847,00), seguido por Mucuripe (R$ 6.781,00), Cais do Porto (R$ 6.706,00), Engenheiro Luciano Cavalcante (R$ 6.604,00) e Guararapes (R$ 6.493,00). Por outro lado, entre os mais baratos, estão Itaperi (R$ 2.705,00), Conjunto Prefeito José Walter (R$ 2.704,00), Jangurussu (R$ 2.580,00), Farias Brito (R$ 2.545,00) e Bela Vista (R$ 2.393,00).
    Balanço
    No País, em fevereiro, após alta de 0,13% em janeiro, o Índice FipeZap encerrou o mês de fevereiro de 2019 com variação de 0,08% no preço de vendas de imóveis residenciais. O percentual é inferior à inflação esperada de +0,35% para o mês(IPCA/IBGE), segundo o Boletim Focus do Banco Central. Com base nessa expectativa, o preço médio de venda de imóveis residenciais encerraria o mês com queda real de 0,27%. Ao final do primeiro bimestre, o Índice FipeZap acumula ligeira alta nominal de 0,21% em 2019, face à inflação de 0,67% estimada para o período, medida pelo IPCA (IBGE). A comparação entre a variação acumulada do Índice FipeZap e a inflação medida pelo IPCA (IBGE) impõe ao preço médio de venda de imóveis residenciais uma queda real de 0,46% no inicio deste ano

    No ano, o Índice FipeZap acumula ligeiro avanço nominal (0,07%), resultado que mantém o comportamento do preço médio de venda de imóveis residenciais próximo da estabilidade no período. Como a inflação acumulada nos últimos 12 meses é de 3,81%, segundo o IPCA (IBGE), a variação real do Índice FipeZap no período é de -3,60%. Entre as 16 capitais monitoradas, Goiânia se destaca com o maior aumento nominal de preço no período (4,04%) – sendo, inclusive, a única capital a superar a inflação. Por outro lado, Maceió se mantém, entre as demais capitais, como a cidade com maior queda no preço de venda residencial nos últimos 12 meses (-5,38%).

    Valor médio
    Em fevereiro, o valor médio do metro quadrado, anunciado das 20 cidades, foi de R$ 7.528,00. Rio de Janeiro se manteve como a cidade com a metragem mais cara do País (R$ 9.402,00), seguida por São Paulo (R$ 8.829,00) e Distrito Federal (R$ 7.781,00). Por outro lado, as cidades com menor valor médio, por metro quadrado, entre as pesquisadas pelo Índice FipeZap foram Vila Velha (R$ 4.727,00), Goiânia (R$ 4.210,00) e Contagem (R$ 3.552,00).
    O valor médio do metro quadrado foi de R$ 7.189,00 entre as 50 cidades monitoradas. O município do Rio de Janeiro se manteve como a capital monitorada com a metragem mais cara do País (R$ 9.481,00), seguida por São Paulo (R$ 8.862,00) e Brasília (R$ 7.367,00). Já entre as capitais monitoradas com menor valor médio de venda residencial por metro quadrado, destacaram-se: Campo Grande (R$ 4.065,00), Goiânia (R$ 4.254,00) e Maceió (R$ 4.561,00).

    http://www.oestadoce.com.br/economia/metro-quadrado-de-fortaleza-atinge-r-586-mil-em-fevereiro

    Alguns termos merecem destaque: o primeiro é o Finge/Zap que mais uma vez só mostra o valor de fantasia, o segundo é a expressão: ” ligeiro avanço nominal” ; eufemismo para : tudo na mesma.

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 11 de março de 2019 at 09:51

      SOBRE A “VALORIZAÇÃO” DE FORTALEZA KKK

      Em agosto de 2015 foi o primeiro mês que o FIPEZAP subiu menos do que o IGP-M, com aumentos acumulados a patir de março de 2010 de 83,28% para o FIPEZAP e de 41,4% para o IGP-M

      Em dezembro de 2018, o FIPEZAP estava em 77,68% indicando uma queda nominal de 6,72% (5.6 pontos percentuais)

      Já o IGP-M de dezembro de 2018 indicou um acumulado de 70,2%

      Então, um imóvel de 1 milhão, em Fortaleza, adquirido em agosto de 2015, hoje valeria 933K, mas com o IGP-M do período (21,7396%) ele deveria estar valendo 1.217KK

      Uma aplicação de 1 milhão, com um CDI de 95% valeria hoje R$ 1.398.853 (39,8853%)

      Concluindo, considerando apenas a desvalorização do imóvel, a pessoa perdeu 284K (1.217 – 933)

      já, considerando o custo de oportunidade, a pessoa perdeu 465K (1.398 – 933)

      Se ela fez isso como investimento, tentando alugar e não conseguiu, os custos de IPTU e condomínio neste período devem somar mais 120K de prejuizo (30K por ano)

      Essa desvalorização está em aceleração, apenas nos útimos 12 meses, a desvalorização foi de 8,66%

      https://www3.bcb.gov.br/CALCIDADAO/publico/corrigirPorIndice.do?method=corrigirPorIndice

      http://fipezap.zapimoveis.com.br/

      2+
  • bolhista cearense 10 de março de 2019 at 09:01

    Gostaria de ter o otimismo do presidente da FENABRAVE:
    Vendas de veículos crescem 20,05% no primeiro bimestre, diz Fenabrave

    Os emplacamentos de veículos – somando todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros veículos) – acumularam crescimento de 20,05% no primeiro bimestre do ano, ante igual período do ano passado, somando 599.188 unidades emplacadas, contra 499.117 no acumulado do primeiro bimestre de 2018. Os números são do levantamento realizado pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

    Em fevereiro, foram emplacados 295.880 veículos, o que representa alta de 28,62% na comparação com igual mês do ano passado, quando foram licenciadas 230.042 unidades. Quando comparado com os 303.308 veículos emplacados em janeiro, o resultado é 2,45% menor. A média diária de vendas em fevereiro, que teve 20 dias úteis, foi 7,31% superior a registrada em janeiro, que acumulou 22 dias úteis de vendas.

    Recuperação
    Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, o desempenho do bimestre confirmou a expectativa da entidade. “Ao iniciarmos 2019, projetamos a retomada do crescimento das vendas para todos os segmentos de veículos, baseada na recuperação da economia, como um todo. Estamos atravessando mais uma etapa da recuperação do Setor, visualizando a continuidade da queda na inadimplência, um crescimento, ainda que modesto, na geração de empregos, o controle da inflação e das taxas de juros, a confiança do consumidor e do empresário em alta e, ainda, o aumento na oferta de crédito. Todos esses aspectos somados resultarão no desempenho das vendas de veículos, conforme a Fenabrave projeta para o ano” ressalta o presidente.

    Segundo os dados apresentados pela entidade, os segmentos de automóveis e comerciais leves, somados, totalizaram 380.502 unidades emplacadas neste primeiro bimestre, resultando em alta de 16,31% sobre o mesmo período do ano passado, quando foram emplacadas 327.149 unidades. Em fevereiro, os dois segmentos somaram 189.850 unidades licenciadas, o que representa 25,2% de alta sobre igual mês de 2018. Na comparação com janeiro, quando foram emplacados 190.652 automóveis e comerciais leves, fevereiro registrou leve retração de 0,42%.
    http://www.oestadoce.com.br/economia/vendas-de-veiculos-crescem-2005-no-primeiro-bimestre-diz-fenabrave

    4+
    • avatar
    • CA 10 de março de 2019 at 10:28

      bolhista cearense,

      Abordado aqui algumas vezes nos últimos tópicos, com uma série de evidências sobre o que consta abaixo:

      O crescimento é via vendas diretas das montadoras, uma parte para PcD (Pessoas com Deficiências) que desde 2017 tem crescido mais de 30% ao ano, graças ao governo ter expandido muito o número de doenças neste benefício fiscal e relaxado a fiscalização, outra parte, tem como causa a disparada de Ubers e afins, onde uma parte aluga de Locadoras de veículos que graças a este segmento, tem aumentado suas frotas mais de 20% ao ano e outra parte compra diretamente das montadoras como MEI e tem ainda a parcela de vendas para o segmento agrícola onde os empréstimos com juros subsidiados para a agricultura e mais condições especiais de negociação, fora as safras de anos recentes favoráveis, permitiram crescimento nestas vendas também.

      O que consta acima, que foi o principal driver para o crescimento das vendas de carros tem 100% a ver com SUBSÍDIOS mascarados ou não, que dão PRIVILÉGIOS a este setor sobre os outros e agravam as distorções para economia e sociedade como um todo.

      A DEGRADAÇÃO PROFUNDA dos empregos que leva a uma disparada de Ubers e afins, não tem nada a ver com “recuperação dos empregos” mencionada pelo presidente da ABRAVE.

      As vendas com impostos super-reduzidos para PcD, que fazem com que um novo fique mais barato que um semi-novo, não tem nada a ver com juros menores, inflação baixa, etc, tem a ver com um benefício exclusivo deste setor prejudicando as vendas de concessionárias quanto à carros novos e seminovos e ainda prejudicando as vendas de agências de veículos e todo e qualquer negócio que não tenha a redução drástica de impostos com a qual conta este setor PRIVILEGIADO, que com isto, rouba da capacidade de consumo das pessoas para outros bens e serviços.

      Muito diferente do MUNDO DE FAZ DE CONTA que divulgam acima, não é mesmo?

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • bolhista cearense 10 de março de 2019 at 09:06
  • bolhista cearense 10 de março de 2019 at 09:09

    MRV espera normalização do Minha Casa Minha Vida em março
    A MRV Engenharia, maior operadora do Minha Casa Minha Vida (MCMV), espera que o programa habitacional seja normalizado em março, após gargalos na liberação de recursos estrangularem os negócios no começo deste ano.
    “Tivemos retenção no repasse das unidades em janeiro. Em fevereiro foi melhor. E esperamos que em março seja resolvido e se compense o problema”, disse o copresidente da incorporadora, Eduardo Fisher, em entrevista ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.
    O Minha Casa Minha Vida funciona com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) complementados por subsídios do Tesouro Nacional. O problema está neste último, pois o governo federal restringiu a liberação de recursos a 1/18 do previsto na Lei Orçamentária ao mês. O ritmo normal de liberação é de 1/12 ao mês. Na prática, a medida funciona como uma espécie de contingenciamento, visando a revisão das contas e o controle preventivo. Por sua vez, o FGTS não pode antecipar a parte devida pelo Tesouro, sob o risco de configurar uma pedalada fiscal.
    Na quinta, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, disse, em audiência no Senado, que está ciente dos problemas provocados no Minha Casa Minha Vida e que já solicitou ao Ministério da Economia antecipação de um volume de recursos suficiente para regularizar a situação em março e também para compensar os atrasos de janeiro e fevereiro.
    “A equipe econômica é racional, mas tem pouca experiência no executivo. É natural que queiram rever algumas questões”, ponderou Fischer. “A mensagem desta semana foi bastante positiva”, emendou.
    O copresidente da MRV acredita que o mercado imobiliário destinado a famílias de baixa renda permanece com uma demanda saudável e que ainda permite expansão dos lançamentos e das vendas neste ano. “Continuo prevendo crescimento em 2019”, afirmou, sem dar meta oficial.
    Os lançamentos da MRV devem ser formados por cerca de 85% de unidades dentro das faixas 2 e 3, cerca de 10% na faixa 1,5 e cerca de 5% fora do programa, com financiamentos originados em recursos da caderneta de poupança.
    Investimentos
    Para 2019, a MRV também pretende acelerar os investimentos na transformação digital. A previsão é que os aportes subam 16%, para aproximadamente R$ 50 milhões neste ano. Um dos focos é a plataforma de comércio eletrônico que reúne eletrodomésticos, móveis e itens de casa diretamente de fabricantes, ofertados com descontos para compradores de imóveis da incorporadora.
    Como a MRV produz cerca de 40 mil apartamentos por ano, voltados principalmente para famílias, a base de clientes pode reunir mais de 400 mil pessoas daqui dez anos, estima. A plataforma serve para melhorar a experiência dos consumidores e, futuramente, também será uma fonte de receita e lucro importante, segundo Fischer. “Ainda não monetizo isso, mas no futuro vamos conseguir”, frisou.
    https://www.opovo.com.br/noticias/economia/2019/03/99418-mrv-espera-normalizacao-do-minha-casa-minha-vida-em-marco.html

    3+
    • avatar
    • socrates 10 de março de 2019 at 11:18

      Nois capota mas num breca. Ja diziam os incentivadores do credito imobiliario. Mole aguentar a tempestade estando em um cruzeiro enquanto a imensa massa esta em canoas…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Dr. Estranho 10 de março de 2019 at 11:40

    E, falando em crise, não se encontra nada no supermercado que não esteja de 20 a 40 % mais caro. Essa história é antiga, inclusive uma prática comum na indústria automobilística. Não vende aumenta-se os preços e demite-se funcionários. Entretanto, para imóveis, fica parado até o mofo se tornar o novo inquilino.

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Rico 10 de março de 2019 at 16:18

      Falando nisso recebi umas propagandas do quinto andar em Jundiaí. Apartamentos, sem fiador, com preço pouco acima do que eu pago. Só não mudo porque estou esperando o final de ano para ver se continuo na bananânia.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 10 de março de 2019 at 21:06

    kkk, como se isso fosse assustar:

    -Em todo o País há queda do Em todo o País há queda do estoque de imóveis
    Opinião Estadão-há 14 horas .A redução de estoques de imóveis já constatada no mercado paulistano tem dimensão nacional…

    mas,
    -Dengue: Sesau identifica 350 imóveis fechados e inicia vistorias …
    Jornal Midiamax-há 10 horas. A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) identificou 350 imóveis particulares fechados no perímetro central de Campo Grande…
    (como pode alguem com imóveis abandonados e fechados…

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 10 de março de 2019 at 21:08

    momento criminal, um por semana ou mais…
    -Corretor de imóveis está desaparecido.
    São Carlos Agora-há 11 horas. O corretor de imóveis Cesar Pizarro de Oliveira está desaparecido.

    3+
    • avatar
  • Alemon Fritz 10 de março de 2019 at 21:13

    -Pastor da Mundial sofre vingança após filho corretor cobrar dívida à administração da igreja..
    O Buxixo gospel (Blogue)-08/03/2019.
    -Corretor morre após cair de altura de 15 metros com carro.
    Rádio Jornal-06/03/2019
    e o IBGE acha que existe déficit aumentando

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 10 de março de 2019 at 22:07

    O banco central da China prometeu neste domingo (10) continuar a apoiar a economia, estimulando e reduzindo os custos dos empréstimos, após dados mostrarem uma queda acentuada nos empréstimos bancários de fevereiro por causa de fatores sazonais.

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 11 de março de 2019 at 05:17

      Cajuzinha,

      Ué, o governo precisa dar estímulos devido a quedas que teriam ocorrido por fatores sazonais? Se foi sazonal, já passou e não precisa de nenhum estímulo. Difícil para esta galera ter que ficar pensando a cada segundo em novas estorinhas para boi dormir, às vezes se atrapalham…

      5+
      • avatar
      • Cajuzinha 11 de março de 2019 at 07:58

        Os bancos chineses liberaram 885,8 bilhões de yuans (US$ 131,8 bilhões) em novos empréstimos em fevereiro, segundo dados publicados pelo Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês).

        O montante ficou bem abaixo do valor recorde de 3,23 trilhões de yuans registrado em janeiro e também um pouco aquém da previsão de 16 analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 900 bilhões de yuans em novos empréstimos.

        4+
  • Cesar_DF 11 de março de 2019 at 00:21

    Obras abandonadas do Minha Casa Minha Vida criam “bairro fantasma” em Fortaleza
    Quase 3.300 unidades habitacionais estão com obras paralisadas há pelo menos seis anos no bairro José Walter.

    https://glo.bo/2TIfJHS

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 11 de março de 2019 at 05:21

    Produção industrial alemã sofre contração inesperada de 0,8% em janeiro
    ECEstadão Conteúdo
    postado em 11/03/2019 04:1

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 11 de março de 2019 at 07:59

      Cajuzinha,

      Lá e cá, tudo “inesperado”…

      Ah, jogamos centenas de trilhões de dólares / euros na economia, o juros despencou pela lei de oferta e procura, muitas pessoas ANTECIPARAM seu consumo e empresas ANTECIPARAM o investimento, depois, foram OBRIGADOS a diminuírem a liquidez global e começou o movimento contrário, já haviam consumido e investido “por conta”, mas agora faltava dinheiro para continuar a farra, tinham que desacelerar. Tudo isto era mais do que previsível e por isto que falamos sobre o tema por anos aqui, mas para eles, foi “inesperado”…

      Sim, existem AGRAVANTES, que são na realidade, bodes mal cheirosos na sala, como guerra comercial EUA x China, orçamento x muro nos EUA, BrExit, etc, que por tabela afetam a economia global, mas a verdade é que mesmo se não existisse nada disto, a desaceleração estaria ocorrendo e de novo, lá como cá ainda veremos novas ondas de “situações inesperadas” nas reportagens.

      9+
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 11 de março de 2019 at 09:20

      Se aumentar a taxa de juros no MCE a Itália EXPLODIRÁ, levando junto Espanha e Grécia.
      Depois de subir a taxa de juros e antes de explodir o MCE, ocorrerá uma fuga de capitais do Japão, já a China irá impedir isso bloqueando legalmente a saída de divisas. (grande chance da bitcoin disparar)

      6+
      • avatar
  • Cajuzinha 11 de março de 2019 at 08:01

    Powell diz que Fed não ‘nenhuma pressa’ para mudar os juros em meio a riscos globais

    “não tem nenhuma pressa” para mudar o nível da taxa de juros de novo conforme observa como a desaceleração da economia global afeta as condições locais nos EUA.

    A desaceleração econômica na China e na Europa e outras questões globais atualmente apresentam os maiores riscos para as perspectivas dos EUA, disse ele, embora mesmo nesses locais ele acredite que “resultados muitos negativos” não são prováveis.

    https://extra.globo.com/noticias/economia/powell-diz-que-fed-nao-nenhuma-pressa-para-mudar-os-juros-em-meio-riscos-globais-23512306.html

    5+
    • avatar
  • Cajuzinha 11 de março de 2019 at 08:09

    Por que as previsões sobre o PIB estavam erradas?
    Por Samy Dana, G1

    “devido às emoções.”

    https://g1.globo.com/economia/educacao-financeira/blog/samy-dana/post/2019/03/11/por-que-as-previsoes-sobre-o-pib-estavam-erradas.ghtml

    9+
    • avatar
    • CA 11 de março de 2019 at 08:54

      Cajuzinha,

      Gostei deste trecho da reportagem acima:

      “As evidências não sugerem que os economistas foram ingênuos ou mal intencionados ao fazer previsões. Houve, no entanto, uma falha enorme: os bancos não sabiam mais do que as pessoas comuns sobre o estado da economia.”

      “É o que Vojtěch Zíka e Petr Koblovsky, dois economistas tchecos, chamam de “a maldição do especialista”. Pessoas acostumadas a determinadas tarefas ao longo do tempo acabam não dando a atenção devida a alguns detalhes. Eles citam um exemplo: entre 1998 e 2001 as empresas americanas gastaram US$ 2 trilhões em aquisições de outras empresas, que, todavia, logo estavam valendo US$ 250 bilhões a menos, um prejuízo para os acionistas.

      Para evitar disparidades, defendem Gennaioli e Shleifer, expectativas deviam ser incorporadas às projeções, em um modelo de probabilidades. Seria como dar um desconto devido às emoções.”

      ———————————————————————————————————————————————————————————————————————

      Vou destacar ainda um trecho específico do que coloquei acima:

      “Pessoas acostumadas a determinadas tarefas ao longo do tempo acabam não dando a atenção devida a alguns detalhes. ”

      Vou além: os “especialistas” olham apenas os índices que ao longo do tempo foram os “principais”, sem nunca pararem para pensar se os mesmos podem estar ENVIESADOS ou não naquele momento. Não fazem o famoso “double check” para confirmar se aquele índice faz sentido quando comparado com outros relacionados que apresentam números conflitantes. Não analisam índices ou informações “não oficiais”. Para eles, o mundo REAL, aquele em que vivemos e as situações que presenciamos, não significam NADA. Confiam CEGAMENTE nas justificativas oficiais do governo e daqueles que tem conflito de interesses ao falarem sobre os negócios que lhes dão tudo que recebem financeiramente. Por tudo isto e muito mais, que como sempre digo, eles estão presos em suas “torres de marfim”, muito longe de onde vivemos, é MUITO MAIS do que desprezarem alguns “detalhes”.

      Óbvio que com o intenso DESCASO e ALIENAÇÃO que constam acima, os “especialistas” SEMPRE vão cometer erros GROTESCOS em suas “previsões”.

      Alguns exemplos práticos sobre o que consta acima:

      No caso dos empregos, por exemplo, o pessoal olha exclusivamente o percentual de desemprego que está caindo. Em momento NENHUM pararam para pensar que o recorde histórico de DESALENTADOS (pessoas que desistiram de procurar emprego) ajuda e muito nesta redução do desemprego, só que isto, não é sinal de “recuperação” dos empregos, ao contrário, é sinal de que os empregos estão ficando cada vez piores e isto leva a um número crescente de pessoas a DESISTIREM de procurar um emprego! Em momento NENHUM pararam para pensar que recordes de “microeempreendores”, informalidade, subpemprego e mais o índice anormal de desempregados, junto com perda de 1 MILHÃO de vagas gerenciais em 10 anos, geração de empregos só na base da pirâmide e uma série de outros fatores na mesma linha traduzem uma PROFUNDA DEGRADAÇÃO nos empregos, pois as pessoas estão procurando todo e qualquer BICO para SOBREVIVEREM e que este conjunto jamais significaria uma “recuperação”!

      Jamais pararam para fazer uma paralelo entre tudo que consta acima e o recorde de inadimplência geral do consumidor que é batido ano após ano, ou com as inúmeras empresas com décadas de existência ou faturamento bilionário que estão QUEBRANDO todos os anos! No primeiro caso, veem apenas o índice de inadimplência junto ao sistema financeiro caindo e sequer param para pensar que o motivo é que as pessoas pagam aos bancos em virtude dos juros extorsivos e que deixam de pagar as outras contas que tem menos juros e multas, mas nada disto representa uma “recuperação” na capacidade de pagarem suas contas! Aliás, considerando a questão das pessoas físicas e jurídicas em situação cada vez pior mencionadas aqui, sequer conseguem entender que juros finais muito altos tem a ver com a REALIDADE, onde a inadimplência está pra lá de anormal e exige juros neste patamar. Também não conseguem ver as ANOMALIAS nas reduções de provisões de bancos frente a estes contextos, nem mesmo as reduções MIRABOLANTES no número de casos de inadimplência em meio a agravamento da crise, assim como não sabem interpretar a relação disto com os lucros recorde dos bancos e os bônus igualmente recorde dos executivos destas instituições. Não sabem analisar que tudo isto SEMPRE aconteceu ao longo do tempo em VÁRIOS países e exemplos, o famoso conflito de interesses levando a maquiagem dos números para aumentar os ganhos pessoais dos executivos.

      No caso do setor imobiliário, jamais olharam para os relatórios oficiais das construtoras para CONSTATAREM que existiram vendas FALSAS na planta que ajudaram na distorção profunda do setor (bastaria ver os DISTRATOS BILIONÁRIOS já a partir de 2011, muito antes de qualquer crise na economia), NUNCA pararam para olhar o ABSURDO de um crédito imobiliário que se multiplicou por mais de 40 VEZES no caso da verba da poupança para financiar imóveis (SBPE), ou que cresceu mais de 100 VEZES se considerar verba do FGTS e o MCMV também, nem olharam que os preços dos imóveis cresceram mais que o TRIPLO do que cresceu a renda, nem viram que estes itens foram RECORDE na comparação com qualquer bolha imobiliária ao redor do globo, assim como foi recorde o crescimento percentual dos preços e outras ABERRAÇÕES que temos por aqui.

      Já para o setor automotivo, não entendem os efeitos de um governo que dá SUBSÍDIOS a rodo, como o PcD super-ampliado, o subsídio no crédito agrícola usado na compra de veículos que não terão como finalidade o uso no campo, bem como, os efeitos diretos e indiretos da DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS, que empurra uma infinidade de Ubers e outros motoristas de aplicativos a alugarem carros de Locadoras, que veem crescer seu estoque de carros de forma substancial, ou comprando direto como MEI das próprias montadoras.

      Para os 2 últimos casos acima, dos setores imobiliário e automotivo, os “especialistas” não entendem as profundas distorções trazidas para os próprios setores e todos os demais.

      Os “especialistas” não entendem que o crescimento do PIB de 2017 foi 100% em função de um recorde histórico na safra agrícola combinado com saque dos inativos do FGTS e que em 2018, além do residual de 2017, teve ainda o efeito do PIS/PASEP liberado e neste contexto, NADA de estrutural ou que garantisse uma recuperação maior, principalmente quando combinado com tudo que consta acima.

      Como não entendem NADA do que consta acima e MUITO MAIS, vão continuar passando vergonha. A ALIENAÇÃO dos “especialistas economistas”, é MUITO MAIOR do que aquilo que foi colocado pelo Sammy Dana logo acima, passa bem longe de ser apenas uma falta de atenção à “detalhes”, a não ser que a tradução de “detalhe” seja o mundo REAL como um todo…

      9+
      • avatar
      • Cesar_DF 11 de março de 2019 at 09:05

        CA
        Acho que uma grande falha que os especialistas cometem é manter o uso de um indicador, mesmo quando acontecem inconsistências com outros indicadores.
        Por exemplo, tem uma série de notícias que aumentou a quantidade de vendas de imóveis, ao mesmo tempo que o IBGE está dizendo que está aumentando o desemprego na construção civil e diminuindo a produção de insumos ligadas a isso (vergalhões, cimento e tinta residencial)
        Isso deveria disparar todos os alarmes, mas na maior parte das vezes o “especialista” não tem a DISCRICIONARIDADE de poder ignorar este índice que apresenta inconsistências, que é o caso no nosso colega aqui da CEF, que se encontra desaparecido.

        9+
        • avatar
        • avatar
        • CA 11 de março de 2019 at 09:35

          Cesar_DF,

          Sim, esta é uma das situações que mencionei acima, com outros exemplos. Daria para escrever livros sobre o grau de ALIENAÇÃO dos especialistas economistas, principalmente quando estamos em meio a situações ANORMAIS, como no caso de BOLHAS, onde INÚMERAS regrinhas básicas deixam de funcionar como no “capítulo 1” do livro de economia.

          6+
          • avatar
          • avatar
      • Cesar_DF 11 de março de 2019 at 09:15

        CA
        Lembra-se no filme The Big Short quando eles só foram descobrir que havia fraude nas avaliações de rating dos CDOs quando foram a campo, viram um monte de casas vazias e um monte de gente que tinha comprado uma ou mais casas sem ter as condições financeiras de compra-las?
        No Brasil o valor dos imóveis mais do que dobrou em relação a renda per-capita, então de onde estaria vindo este dinheiro para compra-las ?
        Outra questão, um imóvel residencial é um PASSIVO, então o governo está lançando títulos da dívida pública para tirar dinheiro do futuro e coloca-las na presente em um passivo, e ainda construindo numa quantidade maior do que a demanda populacional, é claro que essa pirâmide um dia quebraria.
        Na verdade, quem entende da TACE só precisar sair abrindo buracos em locais específicos para encontrar um monte de esqueletos, mas os keynesianos tem uma visão parcial da dinâmica do mercado, além disso o keynesianismo está para ruir com o fim do bônus demográfico e dos ganhos de produtividade, é só olhar para o Japão de hoje para prever o mundo de amanhã.

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 11 de março de 2019 at 09:41

          Outro exemplo similar:

          https://economia.ig.com.br/financas/casapropria/2013-09-24/estouro-de-bolha-imobiliaria-no-brasil-teria-consequencias-menores-cre-shiller.html

          Trecho do link acima, nas palavras de Robert Shiller, ganhador de prêmio mundial de economia por ter previsto a bolha imobiliária americana e que já em 2013 dizia que tínhamos bolha imobiliária aqui no Brasil também (embora ele tenha subestimado o tamanho da mesma por não conhecer uma série de “detalhes”):

          “Exato, eu lembro que eu estava em Miami para um conferência e o taxista me disse: “olhe para todas essas construções em andamento – os preços haviam crescido muito então estavam construindo muito. Isso vai acabar mal”. E eu entrei na conferência com economistas profissionais e eles estavam fazendo equações num quadro, mas não tinham ideia do que estava acontecendo à volta deles. Uma razão para isso é que economistas profissionais não querem ser responsáveis por assustar as pessoas. Busquei sobre bolha imobiliária [ no site do Federal Reserve ] e só havia uma [ pesquisa ] que mencionava isso, dizendo ser “possível, mas improvável haver uma bolha.” Ele [ o pesquisador ] trabalha no Banco Central americano. Ele vai chegar e dizer que há uma bolha no mercado imobiliário? Não, ele precisa conseguir uma permissão. Ele não pode dizer isso, porque parece mal. É o que acontece: o problema é que você não pode provar [ a existência da bolha ]. Se houvesse como dizer isso em números, seria diferente. Mas você não consegue provar, e ninguém quer assumir a responsabilidade de dizer. É o taxista que vê a coisa vindo.”

          11+
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 11 de março de 2019 at 11:59

            CA

            Eu concordo com ele, hoje o único banco que está com exposição excessiva a uma queda no valor dos imóveis é a CEF, então sobrará para os pagadores de impostos pagarem esta conta.

            Também tem o fator que aqui não existem CDOs e nem CDS, além da baixa relação CRÉDITO IMOBILIÁRIO / PIB, o que reduz o impacto da bolha imobiliária no mercado financeiro.

            O que acontece é que aqui o PREÇO FANTASIA ainda está muito alto, mesmo tendo já caído cerca de 34% (em Brasília), tem espaço para cair mais outros 30 a 50%.

            Só um lugar no mundo superou (e por bem pouco) o crescimento do valor do imóvel dividido pela renda per capita: a IRLANDA.

            Mas lá o BCE socorreu, o governo comprou o “estoque excedente” e demoliu os imóveis.
            https://gauchazh.clicrbs.com.br/economia/noticia/2014/01/irlandeses-tentam-erradicar-os-fantasmas-da-bolha-imobiliaria-destruindo-casas-4380194.html

            Parece que no Brasil, muitos “investidores” compraram imóveis pensando em usar na aposentadoria com a renda do aluguel, mas como o próprio FIPEZAP mostra, hoje o rendimento bruto do aluguel é de 0,37%, o que equivale a um rendimento liquido de ZERO.

            6+
            • avatar
            • avatar
  • Cajuzinha 11 de março de 2019 at 08:22

    Vendas de veículos na China mantêm fraqueza no 1º bimestre
    Estadão Conteúdo

    11/03/19 – 07h51

    Os últimos números chineses ampliam o momento negativo do maior mercado de veículos do mundo, onde as vendas do segundo semestre de 2018 foram 11% menores do que do mesmo intervalo de 2017. Fonte: Dow Jones Newswires.

    6+
    • avatar
    • avatar
    • CA 11 de março de 2019 at 09:31

      Cajuzinha,

      A China é o principal mercado para veículos no mundo, mas a desaceleração é GLOBAL.

      A Honda vai fechar a sua única fábrica na Europa em 2021. Ação estratégica com planejamento ANOS ANTES, como é praxe para japoneses.

      Na Alemanha, as exportações dependem muito do Deutsche Bank que está em situação mais do que “delicada”, acumulando mais de 40 TRILHÕES DE EUROS em derivativos, muitos deles PODRES / SUPER-AVALIADOS. As montadoras sabem disto, não vão ampliar investimentos / capacidade de produção neste contexto, ao contrário, a tendência é de enxugamento.

      Fora isto, mão-de-obra de países desenvolvidos muito cara, parte relevante da produção já migrou para países do leste europeu, só que não é só uma questão de custo, as indefinições de BrExit, a desaceleração da China, o péssimo desempenho financeiro nos mercados emergentes, demais efeitos de guerra comercial EUA vs China e principalmente, a DESACELERAÇÃO INEVITÁVEL da economia global forçam este segmento a ajustar suas expectativas e ENCOLHER para sobreviver, mesmo em países com menor custo de produção, pois agora estamos no estágio de redução relevante na liquidez global, o contrário da euforia que se iniciou quase uma década atrás via QE dos EUA.

      No Brasil, Ford fechando fábrica de caminhões com aviso poucos meses antes da execução, sem tanta antecedência, como é de praxe por aqui. Antes, a Ford também já havia ameaçado “rever” suas fábricas na América Latina.

      Ainda aqui, GM já ameaçou fechar sua fábrica. Agora, está “barganhando” com sindicatos, fornecedores e governos para reduzirem seus custos e assim, prometem atrair R$ 10 BILHÕES em investimentos para os próximos anos. Já está prometendo fechar fábricas também em outros mercados, inclusive nos EUA, por todo este contexto e mais o que consta abaixo, difícil de manterem esta PROMESSA de investimentos.

      Exportações de veículos do Brasil para Argentina DESPENCARAM. Vendas locais no Brasil crescem em função do canal direto, com menos margens e ainda assim, ficando MUITO LONGE de voltarem ao período áureo quanto à demanda, o que garante manutenção de ociosidade de fábricas acima do normal e continuidade dos prejuízos.

      “Detalhes”: novo governo já promete que irá fiscalizar mais o PcD, esta vertente de crescimento está ameaçada e cedo ou tarde Ubers e afins também irão reduzir a demanda e não aumentar, devido a super-mega oferta, análogo ao que aconteceu com caminhoneiros e a greve do ano passado, o negócio vai ficar inviável para muitos e quando isto se escancarar, esta outra fonte de crescimento de vendas de automóveis vai para o vinagre. Já a safra agrícola, que ajudava parte dos veículos, neste ano não será tudo aquilo. E para PIORAR, estão ajudando a destruir os negócios de concessionárias e lojas de automóveis via desvalorização do semi-novo (com PcD novo mais barato que semi-novo) e disparada de locação que rouba clientes de concessionárias e lojas de automóveis de mais de uma forma. Por este conjunto, esta “recuperação” do setor automotivo que o presidente da ABRAVE comemora aos quatro ventos, novamente não é sustentável e os executivos das montadoras que atuam no Brasil sabem muito bem disto.

      No mundo REAL, as montadoras já gastaram MUITOS BILHÕES em investimentos na América Latina nos últimos anos, sem que tivessem retorno, agora, elas estão muito “ressabiadas” com as promessas MIRABOLANTES feitas pelos governos, provavelmente não farão apostas tão altas assim em meio a um cenário global claramente desfavorável e mais todas as expectativas REAIS sobre o mercado local que coloquei no parágrafo anterior.

      6+
      • avatar
  • Cajuzinha 11 de março de 2019 at 08:24

    https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/china-deixa-de-comprar-soja-brasileira-e-volume-de-negocios-cai-ao-menor-patamar-em-4-anos/

    Reflexo do país em transe, as importações de soja brasileira pela China, em fevereiro, caíram ao menor volume em quatro anos.

    “Os importadores não compraram muita soja brasileira”, exemplificou o analista de commodities chinês, Tian Hao, “porque estão esperando para comprar soja americana em meio ao otimismo de um acordo de comércio sino-americano”.

    O presidente Jair Bolsonaro anunciou que vai visitar Pequim neste ano, para “ampliar nossos negócios”, segundo informa a Folha.

    8+
    • avatar
    • CA 11 de março de 2019 at 09:00

      Cajuzinha,

      Sim, guerras comerciais SEMPRE trazem prejuízos à economia global, pois o número de efeitos diretos e indiretos é enorme e todas as experiências anteriores demonstraram isto.

      “Detalhe”: tem MUITO MAIS que a guerra comercial. Se no inflar a China disparou no consumo de commodities, o resultado ÓBVIO é que agora a desaceleração deles é INEVITÁVEL e significará muito menos consumo de commodities…

      Não adianta fugir desta realidade, ainda vai piorar…

      8+
      • avatar
      • socrates 11 de março de 2019 at 09:22

        Podemos dizer que as guerras comerciais que resultam em barreiras acabam repercutindo em aumento de preço de produtos e serviços, empobrecendo as populaçoes envolvidas, tirando o seu poder de consumo (+diminuiçao de qualidade por fim de concorrencia) e empoderando os detentores da produçao que fazem parte do oligipolio que se beneficiara com as barreiras,nao? Puxando o.assunto para a banani, alguem realmente acha que o Mp nao deveria intervir e exigir a simplificaçao dos impostos por iva, ja por medida provisoria, ainda nesta semana?

        2+
        • CA 11 de março de 2019 at 09:55

          socrates,

          Se o governo reduzir os impostos, em quanto vai reduzir dos 63 MILHÕES de INADIMPLENTES que temos no país? O quanto vai colaborar para que se reduza a inadimplência e se evite que mais pessoas entrem nesta situação?

          Se o governo reduzir os impostos, em quanto vai recuperar a PROFUNDA DEGRADAÇÃO dos empregos?

          O quanto vai afetar o resultado GLOBAL da economia e os impactos diretos e indiretos para o Brasil?

          Lamento informar, mas os impostos não cresceram tanto assim na última década, mas a crise geral DISPAROU, acima apenas alguns indicadores mínimos. Sabe o que isto significa? Que a crise que vivemos não tem como causa RAIZ os impostos!

          Não adianta martelar nesta tecla o tempo inteiro, se você trocar um cálice do Santo Graal que é o da inadimplência, por outro que é o dos impostos, estará na prática trocando seis por meia-duzia, pois nenhum dos dois teve mudanças profundas na última década e nenhum deles poderia ser portanto a causa raiz dos problemas!

          Sim, a reforma do sistema tributário é importante. Sim, a reforma da previdência é importante. Sim, o saneamento básico que não atende 50% das famílias no país é importante. Sim, a questão da criminalidade é importante. Sim, a paz mundial é importante…

          A pergunta que não quer calar é: o que é PRIORITÁRIO? O que foi fator DETERMINANTE para chegarmos nesta crise? Foram fatores que SEM DÚVIDA, tiveram profunda modificação na última década. A resposta para isto, quanto ao Brasil, é BOLHA IMOBILIÁRIA. Para o Mundo como um todo, a resposta é BOLHA DAS BOLHAS AMERICANA. Enquanto continuarem apagando incêndio com gasolina para estes assuntos (*), a situação só vai piorar. Eles é que deveriam ser a PRIORIDADE.

          (*) Exemplos de apagar incêndio com gasolina no Brasil: continuidade do MCMV com fortíssimo subsídio de governo / FGTS, a “estratégia” prometida pelo presidente da CEF de PEDALAR no crédito imobiliário com IPO de subsidiárias e R$ 100 BILHÕES em venda de títulos imobiliários para terceiros para poderem aumentar a oferta de novo crédito PODRE pela CEF, o INCENTIVO às vendas FALSAS na planta recentemente aprovados pelo congresso com a mudança na regulamentação de distratos, o BC e governo se fazendo de CEGOS para o que foi apontado e que é GRAVÍSSIMO quanto a inúmeras práticas dos bancos quanto ao sistema financeiro, etc, etc, etc… Exemplos de apagar incêndio com gasolina no resto do Mundo: reduzir ou manter juros baixos NA MARRA, reduzir compulsórios, aumentar subsídios e empréstimos para que a inadimplência e quebras anormais não apareçam tanto, etc, etc, etc…

          9+
          • avatar
          • socrates 11 de março de 2019 at 21:37

            CA, usualmente não cito a reforma tributária pela redução dos impostos; sim por uma cobrança mais justa
            De qualquer jeito, no caso especifico das guerras comerciais, que impoem barreiras ao consumo por parte da população, a critica ao sistema tributario é por outro motivo: sua complexidade.Aliada a complexidade, a chuva de legislações estaduais e ate municipais que influenciam sobre o tema, praticamente impedem qqr player externo de entrar por aqui sem tem que passar pelo crivo de políticos.
            As guerras comerciais, ao que me parece, limitam o acesso aos bens de consumo e serviço externos tão qual nosso sistema tributario esdruxulo o faz PROPOSITALMENTE.
            E isso nem “trabalhistas”, “sociais democratas”, militares, “mdebistas” ou “sociais liberais” sequer ousaram citar…

            1+
            • avatar
    • Cesar_DF 11 de março de 2019 at 09:00

      Neste momento a China reduziu a importação de TUDO e de TODOS.

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • indiobolhista 11 de março de 2019 at 08:32

    diariodocentrodomundo o que mersa é isso, só falta gritar Luladrào Livre shuashuashuashua viva o revolucionari che guevarini viva maduro shuashuashuashua

    5+
    • avatar
  • indiobolhista 11 de março de 2019 at 08:59

    brasil247 jornalixo livre como o luladrão

    4+
    • avatar
  • Cajuzinha 11 de março de 2019 at 09:21

    Mercado financeiro prevê mais inflação e baixa expectativa de crescimento do PIB de 2019
    Estimativa de inflação para 2019 passou de 3,85% para 3,87%. Previsão de alta do PIB neste ano caiu de 2,30% para 2,28%.

    2+
  • Cajuzinha 11 de março de 2019 at 09:25

    Conforme destaca o jornal ZeroHora, do Rio Grande do Sul, a Polícia Federal e a Controladoria-Geral
    da União (CGU) já começaram a rastrear convênios e verbas para dar impulso ao que o presidente Jair
    Bolsonaro anunciou como Lava-Jato da Educação.

    Entre os alvos estão importantes iniciativas do governo federal no setor: o Programa Universidade para
    Todos (ProUni), o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e o Fundo
    de Financiamento Estudantil (Fies), destaca a publicação.

    https://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7975043/petrobras-faz-plano-de-resiliencia-expansao-da-gol-tinha-como-base-modelo-de-aviao-que-caiu-e-mais-destaques

    7+
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 11 de março de 2019 at 09:26

    RJ – Aluguéis de 3.766 imóveis do estado só rendem R$ 11 milhões anuais

    E, por incrível que pareça, o governo sofre com falta de espaço para suas repartições. Por isso, arca com uma despesa sete vezes maior do que arrecada com locações: algo em torno de R$ 71 milhões anuais.

    https://oglobo.globo.com/rio/alugueis-de-3766-imoveis-do-estado-so-rendem-11-milhoes-anuais-23511556

    6+
    • avatar
    • socrates 11 de março de 2019 at 09:48

      E o brasil banca mordomias no rio . O hell teve a divida perdoada na pratica.

      5+
      • avatar
  • Cajuzinha 11 de março de 2019 at 09:34

    No Brasil, já se notam dificuldades para exportar, como mostram os últimos resultados do comércio exterior. A média diária de exportações brasileiras caiu 3,2% entre os períodos de janeiro e as primeiras três semanas de fevereiro de 2018 e de 2019. Em números, as exportações médias diárias caíram de US$ 855,2 milhões para US$ 828,1 milhões.

    As vendas de produtos brasileiros para o exterior não vêm sendo prejudicadas apenas pela queda das exportações de veículos para a Argentina. Caíram também, no mês passado, as vendas de semimanufaturados, o que só parcialmente foi compensado pelo crescimento das vendas de produtos básicos.

    As análises da OMC lançam novas preocupações para o comércio exterior brasileiro.

    http://www.midianews.com.br/agronegocios/piora-do-comercio-global-afeta-o-brasil/346131

    4+
  • Cajuzinha 11 de março de 2019 at 10:06

    Quatro em cada dez jovens até 37 anos têm dívidas

    Estudo aponta que cenário de inadimplência da Geração Z e dos Millennials impacta no tamanho das despesas dos pais
    A inadimplência está atingindo cada vez mais cedo às novas gerações. Pelo menos quatro em cada 10 jovens até 37 anos estão endividados. É o que aponta um estudo recente feito pela Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC), que mostrou ainda que o tíquete médio (média por pessoa) da dívida passa dos R$ 3 mil.

    “Esses números refletem um ambiente carente de educação financeira e de mentalidade de poupança. O que torna o problema mais grave para quem faz parte das gerações Z e Y é que há evidente escassez de emprego e dificuldade de acesso a este tipo de conhecimento”, analisa o presidente da ANBC, Elias Sfeir.

    https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/quatro-em-cada-dez-jovens-ate-37-anos-tem-dividas/

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 11 de março de 2019 at 10:37

      Cajuzinha,

      De novo, erros de diagnóstico que são GROTESCOS.

      Nas gerações anteriores, havia mais educação financeira???

      A Casas Bahia se tornou a maior empresa do varejo brasileiro graças a boletos próprios com juros embutidos que eram escorchantes, muito maiores do que aqueles praticados pelo mercado, para compensar a maior inadimplência por aprovarem crédito com mais “facilidade” do que bancos e financeiras no caso de cartão de crédito e no começo das operações dela e quando ela mais cresceu neste esquema que apostava tudo na IGNORÂNCIA FINANCEIRA da população, foi com os Baby Boomers e Geração X, nenhuma relação com gerações Y e Z!

      Antigamente carro USADO era visto como um “bem que valorizava” no país, assim como “linhas de telefonia fixa”, isto na época dos Baby Boomers e geração X. Onde que isto era sinal de maior “educação financeira”?

      Há DÉCADAS que se utilizam GOLPES para iludir o público, do tipo “juros zero” na venda de automóveis, de novo, com grande parte dos clientes que caem nestes golpes sendo baby boomers ou geração X. O que fazem: 50% de entrada e o restante em 24 meses. Tem como base o preço de TABELA do carro para o financiamento. Só que na venda à vista, dão um desconto de 10% no preço do carro. Conclusão: pegam 10% do desconto que não darão, que é sobre o preço TOTAL e este vira os JUROS que o cliente está pagando embutido sobre os 50% restantes financiados! Exemplo: carro com preço tabelado de R$ 100 mil, venda à vista por R$ 90 mil (este é o preço REAL do carro), ao financiar, entrada de R$ 50 mil, já o saldo REAL que é de R$ 40 mil, parcelam em 24 vezes iguais, só que o cliente pagará R$ 50 mil no financiamento, os R$ 10 mil adicionais são os JUROS!

      Análogo ao que consta acima, para “N” golpes financeiros aplicados ao longo de DÉCADAS e mirando como clientes, em pessoas das gerações baby boomers e X.

      O problema no Brasil e Global se chama BOLHA!

      Com a bolha imobiliária no Brasil, uma INFINIDADE de jovens resolveram entrar no Minha Casa Minha Vida, simplesmente porque estavam no começo de carreira e assim, seu salário era “elegível” e como este programa oferecia crédito SUBSIDIADO, com os menores juros do mercado, eles mergulharam de cabeça sem sequer se preocupar se o preço total do imóvel VALIA o quanto iriam pagar a assumindo dívidas relevantes por DÉCADAS! Esta ARMADILHA existia na época dos Baby Boomers e Geração X? NÃO! O BNH, por exemplo, teve uma escala MUITO MENOR do que o MCMV, assim como todos os programas governamentais anteriores e não eram formatados para atender os mais jovens, como no caso atual.

      Análogo ao que consta acima, como parte da bolha de consumo que sempre vem junto com a imobiliária, tivemos todas as “facilidades” dadas para o crédito para o consumo. Nunca antes na história do país tantos jovens tiveram cartões de crédito com limites tão elevados quanto hoje e com tantas “tentações” de “promoções” mirabolantes de itens de consumo, como os IPhones, os XBox, Playstations, etc, etc, etc, todos eles se aproveitando da ignorância financeira da população que SEMPRE EXISTIU, mas que foi TURBINADA com um FALSO poder de consumo.

      O FIES também foi outro canal para direcionar o público jovem ao super-endividamento: faça agora a sua faculdade, pague depois! O Brasil é o país do futuro, depois do seu curso, com toda a evolução prometida na economia, você terá um ótimo emprego e vai poder pagar por este empréstimo SUBSIDIADO pelo governo, aproveite a “OPORTUNIDADE”! Pois é, o futuro chegou, mas junto com ele a crise que sempre vem junto com as bolhas e como sempre, desemprego, subemprego, desalento e afins DISPARAM ainda mais para os jovens do que para os outros profissionais, obviamente, de novo ficaram sem condições de pagarem suas dívidas.

      Some o que consta acima, à bolha do “financiamento facilitado” dos veículos, do “financiamento facilitado e SUBSIDIADO” para os caminhões, o Minha Casa Melhor para quem tinha comprado um imóvel comprar os eletrodomésticos, etc, etc, etc, em todos estes casos, sempre EMPURRANDO dívidas e mais dívidas para as novas gerações realizarem mais sonhos de consumo ou “empregos fáceis e independentes” (exemplo: caminhoneiro de frete autônomo) do que em qualquer época de nossa história.

      Análogo ao que consta acima para os outros países que tiveram situações similares a esta.

      Mas é muito mais fácil ficar inventando estorinhas sem pé nem cabeça do que enfrentar a realidade de frente, certo?

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 11 de março de 2019 at 10:54

        “FALSO poder de consumo.”

        é o que eu sempre digo, teve tanta gente que estava se achando rica e agora amarga só tristeza. Provar, ficar viciado e depois não ter… Traficante também usa essa estratégia para conseguir mais viciados…

        17+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • tmarabo 11 de março de 2019 at 16:35

      “Quatro em cada dez jovens até 37 anos têm dívidas”.
      Os outros seis não têm dívidas porque os bancos/financeiras negaram crédito rsrsrsrsrsrsrs

      7+
      • avatar
    • Jonny Deep Blue 11 de março de 2019 at 21:59

      É até dracônico falar em educação financeira no Brasil. Pois, a renda média da população é muito baixa. O povo mal consegue comer com dignidade. Um monte de junk food e por aí vai…

      2+
    • CA 11 de março de 2019 at 11:11

      Senhor Bolha,

      UMA das causas para situações como esta se expandirem, é o fato de termos juros “muito baixos”.

      Na nossa cultura inflacionária, o percentual de juros é visto como “uma mixaria”, onde nem vale a pena deixar o dinheiro aplicado na renda fixa. Aqui começa o grande erro de avaliação: a pessoa não vê risco versus retorno (não faz nem ideia do que é isto), não sabe que tem que analisar o juros REAL (descontada a inflação), não entende que no ambiente anterior de juros muito alto e inflação também muito alta, como não são “sincronizados”, ele perdia muito mais que agora, não tem a menor noção do cenário REAL e GLOBAL da economia, que exige LIQUIDEZ e AVERSÃO À RISCO, etc, etc, etc…

      Isto leva pessoas, como no caso acima, a “aceitarem” a sugestão de um “corretor independente”, de ganhos MIRABOLANTES e típicos de pirâmide financeira, afinal, “não ganha quase nada na renda fixa”, por que não se aventurar?

      Isto leva pessoas a se aventurarem e pagarem preços SURREAIS por imóveis, porque o corretor de imóveis PROMETE ganhos fantásticos. O comprador não entende NADA sobre este segmento, mas se o corretor “garante” e a renda fixa tem “rendimento baixo”, então por que não se “aventurar”, não é mesmo?

      Idem para Ações na BOVESPA, o nosso “Cassino”: ah, o Guedes prometeu que faltam só 48 votos para o Santo Graal da Reforma da Previdência e o corretor da bolsa de valores diz que com isto várias Ações vão “bombar” e que é um ótimo momento para aumentar as “apostas” nas empresas? Bora comprar Ações, valorizam mais que qualquer renda fixa! Dane-se se é verdade ou não, se poucas horas depois mais de um membro do governo já tinha desmentido esta informação, pouco importa se a reforma em si da previdência vai ou não resolver nossos problemas mais graves (e não vai!), o que interessa é atrair SARDINHAS e faturar!

      Pois é, como o livro e o filme sobre o “Lobo de Wall Street” já demonstraram, os “corretores” SEMPRE tem conflitos de interesse e vão fazer aquilo que é mais lucrativo PARA ELES e não para os clientes!

      Mas os INCAUTOS, SARDINHAS e afins, não conseguem entender a lógica elementar que consta acima, sua ambição CEGA os tornam vítimas fáceis destes golpes…

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Senhor Bolha 11 de março de 2019 at 10:53
    • socrates 11 de março de 2019 at 11:13

      No passado, uma grande revista colocou na capa fotos do brasil com cidades organizadas, cheias de infraestrutura e progresso. A mensagem era explicita: esse tem que ser o brasil e nao a zorra orgulhosamente desorganizada, com pessoas alienadas e que vivem em funçao de futebol, festas ou religioes. O rio sera resistencia ao desenvolvimento do brasil e de qualquer outro lugar. Os jovens (nao me refiro aos adolescentes ou posadolescentes) nao tem tanto orgulho da malandragem,pois acabam sendo expulsos da cidade em um exodo quase que inevitavel. Ja perceberam a armadilha que foi plantada. Mas vai convencer as geraçoes antigas… quem realmente tem o poder e muitas vezes sequer moram no hell… uma pergunta: o hell é melhor ou pior por que sedia a globo? E se a resposta for melhor: melhor para quem?

      3+
      • avatar
    • CA 11 de março de 2019 at 11:56

      Cajuzinha,

      Não há NENHUM motivo para ganhos relevantes de produtividade no Brasil.

      Educação teve evolução sensível? NÃO! Disparada de cursos superiores de BAIXA QUALIDADE impulsionados pelo FIES, foram um DESSERVIÇO para a educação e para a produtividade que ela poderia agregar SE tivesse boa qualidade!

      Infraestrutura logística melhorou? NÃO! Ao contrário, em virtude da crise FISCAL causada pelas BOLHAS e mais visível e sensível a partir de 2015, governos federal, estadual e municipal reduziram ao máximo seus investimentos, em especial quanto à grandes obras que poderiam melhorar as condições de transporte de produtos pelo país. Entes privados que atuam com concessões, PPP, etc, também tiveram redução em demanda que diminuía a viabilidade de novos investimentos, então, até as manutenções ficaram comprometidas.

      Tecnologia melhorou de forma sensível? NÃO! No caso da “Indústria 4.0”, estamos MUITO ATRASADOS em relação a outros países. Idem para IA, IoT e relacionados. Temos alguns anacronismos que não existem na imensa maioria das localidades, como frentistas, cobradores de ônibus, etc. O Apocalipse do Varejo só não se consolidou mais, porque por um lado temos uma precariedade na infraestrutura de Telecom para link de dados em VÁRIAS localidades e fora isto, temos INÚMEROS gargalos logísticos em função de dimensões continentais e uma infraestrutura viária PRECÁRIA para vários acessos remotos, fora a questão da falta de hábito dos compradores em função de profunda desconfiança devido a “N” problemas na entrega dos produtos e mais as “Black FRAUDES”.

      No caso de tecnologia para SAC, Televendas, Telemarketing, etc, alguns poderiam dizer: ah, melhorou, agora você tem os Chatbots que em parte já estão tirando dúvidas dos clientes, ou então, você já recebe ligação via robô oferecendo produtos e serviços, etc. No caso do SAC, de fato isto se refletiu em redução de custos, pessoas foram substituídas por atendimento automático, pelo menos para questões mais comuns e triviais por enquanto. Isto até ajudou um pouco na produtividade para este serviço. Já no caso dos robôs e ligações automáticas oferecendo produtos e serviços, acho que estão perdendo mais clientes do que ganhando em função disto, a conferir.

      Burocracia no país melhorou? NÃO! Novos processos fiscais reduziram o trabalho das empresas e a necessidade de equipes fiscais só para cuidarem dos impostos? Tivemos alguma simplificação dos impostos em si? NÃO. Uma iniciativa que prometia melhoras relevantes, o e-Social, assim como diversas formas de SPED, tiveram apenas o objetivo de reduzir o custo do governo para obter as informações e auditá-las, aumentando o volume possível e velocidade quanto a multas a serem aplicadas para empresas, já do lado das empresas, investimentos elevados para implantar estas automações, que não reduziram o trabalho de quem cuidava deste assunto internamente, muitas vezes até aumentou. Do lado dos impostos em si, nenhuma simplificação. Pequenas reduções de burocrácia, mas IRRELEVANTES frente ao arcabouço super-exagerado que temos no país, inclusive para abertura ou fechamento de uma empresa.

      E as ações do governo de manterem e ampliarem SUBSÍDIOS, PROTECIONISMO, etc, colaboram com a produtividade? NÃO! Em Manaus, as indústrias não precisam se tornar mais produtivas para competirem com importações, afinal, os impostos sobre as importações e a redução de impostos setorial sobre o que é produzido aqui, inviabilizam qualquer concorrência vinda do Exterior, então elas ficam ACOMODADAS. Idem para o setor automobilístico e seus “N” subsídios, como os do PcD, crédito agrícola usado para compra de carros, subsídios setoriais, etc. Idem para o setor imobiliário, o que mais surfa com VÁRIOS subsídios, onde a produtividade também é PÉSSIMA e onde vemos uma infinidade de má alocação de recursos graças a isto.

      Tem como aumentar produtividade sem resolver o que consta acima? NÃO. Tem como evoluir sem fazerem o diagnóstico correto e sem adotar as medidas IMPRESCINDÍVEIS para corrigir o que consta acima? NÃO. Este é um dos motivos pelos quais a reforma da previdência sozinha NÃO VAI resolver os problemas do país “da noite para o dia” como promete o otimismo UFANISTA. E estão deixando de lado tudo que poderia ajudar quanto aos pontos acima e ainda, ajudar a combater desemprego, super-endividamento, etc, para focarem exclusivamente na reforma da previdência. É isto que os erros de diagnóstico causam, “soluções” priorizadas não resolvem os problemas mais urgentes e importantes.

      Sim, precisamos da reforma da previdência, mas ela não poderia ser nossa ÚNICA prioridade e PIOR, em paralelo com governo atuando para apagar incêndio com gasolina para outros problemas…

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 11 de março de 2019 at 12:05

        Se até o ADÉLIO BISPO, que é “mentalmente incapaz” rsrs conseguiu se formar em pedagogia pela Universidade Federal de Viçosa, qualquer um consegue se formar numa UNIESQUINA
        kkkkkk

        Poxa, fiz Bacharelado em Análise de Sistemas pela UFMS, dos 50 que entram, normalmente só 7-8 se formam em quatro anos, e mais 15-18 se formam em até 7 anos (antes de jubilar). Cursinho difícil, por isso normalmente é um dos primeiros colocados nas olimpíadas de programação entre universidades.

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Libertario 11 de março de 2019 at 15:58

          É que ele ficou mentalmente incapaz ao se formar.

          8+
          • avatar
  • Cajuzinha 11 de março de 2019 at 11:39

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pretende pedir mais US$ 8,6 bilhões em financiamento para um muro na fronteira entre EUA e México. O pedido deve constar no orçamento para 2020 e deve gerar outra briga com o Congresso dos EUA, disse o assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, neste domingo (10).

    O pedido, que será formalmente divulgado na segunda-feira (11), superaria em muito os US$ 5,7 bilhões que Trump exigiu no ano passado e que levou à paralisação de 35 dias no governo dos EUA, a mais longa de todos os tempos.

    Um barco-patrulha venezuelano passa pelo petroleiro Kim Jacob carregando 1 milhão de barris de petróleo bruto no estado oriental de Anzoátegui, na Venezuela.
    © AP PHOTO / EL NUEVO DIA,OMAR PEREZ
    EUA pressionam a Índia a interromper a compra de petróleo com a Venezuela
    Os líderes democratas do Congresso, Nancy Pelosi e Chuck Schumer, criticaram a medida, alertando Trump que ela levaria a mais uma derrota legislativa.

    3+
    • avatar