Índice de reajuste de aluguéis fecha o ano com queda de 0,52% – Extra

Você pode gostar...

Comments
  • Gute 28 de dezembro de 2017 at 12:59

    Senhores como calcular o preço máximo, financeiramente viável, para o seguinte caso?

    Renda 5k
    Aluguel R$1.000; Compra R$300.000;
    FGTS 50k 4,8%a.a. ou 0,39%a.m.;
    Financiamento 10%a.a. ou 0,8%a.m.;
    Custo de oportunidade em aplicação financeira 10%a.a. ou 0,8%a.m;

    8+
    • avatar
    • avatar
    • Gute 28 de dezembro de 2017 at 13:09

      Um dos caminhos que pensei foi considerar perder de rentabilidade no FGTS e pagar juros de financiamento o mesmo que se paga de aluguel:
      50k de FGTS rendem, em média, R$195,73. Com o aluguel em R$1.000, o máximo de juros (R$1.000-R$195,73).
      FGTS+Financiamento = 50k + (1000-195,73)/(0,8%) = 50000 + 100859,72 = R$150859,72.

      Mas esse raciocínio não está suficiente. Ainda existem outras coisas a considerar. Documentação, valorização do principal, expectativa de variação de preços, juros.

      Enfim, tive dúvida. Observei que quanto maior o FGTS maior a disposição para pagar um valor mais alto.

      5+
    • MauricioSP 28 de dezembro de 2017 at 14:18

      Vou começar de trás pra frente: com financiamento de 10%a.a, em média 100 mil financiados equivalem a 1 mil de parcela. A regra do financiamento é que não pode comprometer mais que 30% da renda, ou seja 1,5 mil no caso de renda de 5 mil.
      Então essa renda permite financiar 150 mil. Com mais 50 mil de FGTS, dá para financiar um apto de 200 mil.
      Existem maneiras de abater o FGTS do financiamento, então seria possível abater os 400 mensais do FGTS das próximas 12 parcelas, e a parcela ficaria em 1100, bem próxima do aluguel. Mas o ideal seria conseguir abater anualmente o FGTS (que rende uns 3% com a TR zerada) do saldo devedor (que está a 10% mais TR).

      Se você “fingir” que comprou o imóvel e tem que pagar a parcela de 1,5 mil, mesmo efetivamente pagando o aluguel de 1 mil, e investir essa diferença, em 30 anos terá o valor do imóvel, além de manter o saldo do FGTS.

      Então, comprar só faz sentido se você quer mesmo, quer realizar um desejo pessoal. Morar no que é seu. Personalizar o imóvel do seu jeito. Ou como estratégia para retirar o dinheiro do FGTS, vender o imóvel e investir.

      Casar, ter filhos, comprar carro, comprar imóvel, na maioria das vezes são decisões que não fazem sentido do ponto de vista racional ou financeiro. Mas não somos máquinas, e nosso objetivo de vida não é acumular o máximo possível de dinheiro até morrer. Então você tem que avaliar todos os fatores antes de tomar uma decisão que é estritamente pessoal.

      57+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Gute 28 de dezembro de 2017 at 14:27

        Obrigado pela resposta. Penso parecido.
        Pensei numa forma de calcular o máximo valor razoável. Hoje não vale a pena comprar, racionalmente, porque está caro. Certo. Qual o desconto mínimo para a compra ser razoável?
        Para determinar esse valor é preciso considerar os parâmetros de alguma forma.

        6+
        • avatar
        • MauricioSP 28 de dezembro de 2017 at 15:34

          Existem várias formas de analisar, mas como eu disse, racionalmente, dificilmente você justificará a compra.
          Tem que pesar na decisão outros fatores pessoais, subjetivos.
          Durante os anos aqui tomei conhecimento de alguns critérios para uma compra racional:
          – multiplicar a renda: o imóvel não deveria ser mais do que 2 anos de renda, ou seja para uma renda de 5 mil, o valor máximo do imóvel a comprar seria 120 mil
          – multiplicar o aluguel: o aluguel deveria corresponder a 1% do valor do imóvel, pois acima disso o locatário iria preferir comprar do que alugar. Então o fator 120x a 150x seria um indicativo de que é melhor comprar o mesmo imóvel do que alugar. Como o aluguel é 1 mil, seria interessante comprar um imóvel de 120 mil a 150 mil na mesma região, com mesmas dimensões
          – parcela igual ao aluguel: se o valor da parcela é igual ao do aluguel, é melhor comprar do que alugar

          Tem algumas maneiras de conseguir se adequar a esses fatores, por exemplo achar um apto que consiga comprar pelo MCMV (valor teto de 190 mil e juros de 8% dependendo da região)

          10+
          • avatar
    • Cesar_DF 28 de dezembro de 2017 at 14:54

      Supondo que você estaria dando uma entrada de 50K de FGTS + 50K próprio
      Restaria 200K para pagamento parcelado
      Para pagamento em 15 anos, seriam parcelinhas em torno de 2K/mês
      Então, no final, foram 100K de entrada + 360K em parcelinhas
      Você terá feito um “excelente negócio” com um FatorX = 460X
      Isso sem contar os custos cartoriais e de corretores
      No final de 15 anos, terá um produto que sofreu uma depreciação típica de 2% ao ano
      Além disso, está comprando um produto que está em desvalorização, pois estamos num momento de retorno a normalidade
      Vai lá COMPRE COMPRE COMPRE, estamos precisando de mais pagadores de juros mesmo
      kkkkkkkkkkk

      29+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • MauricioSP 28 de dezembro de 2017 at 15:42

        Parcela de 2k/mês para financiamento de 30 anos, para 15 anos será bem maior com juros de 10% ao ano.
        Somar o total pago, sem descontar inflação e comparar com o valor presente é uma aberração, o valor presente é… o valor financiado.
        Depreciação de 2% ao ano é muito alto para imóveis, já morei em apartamento de 50 anos, e ele não valia 0.
        Os prédios de Brasília já estão com 50 anos… Tem um custo alto principalmente em renovação elétrica e hidráulica a cada 15 ou 20 anos, mas fora isso o custo anual em manutenção é bem baixo.

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 07:59

          MauricioSP
          – Fiz uma simulação e os valores estão dentro do que eu previ, conforme imagem abaixo.
          – Uma taxa de depreciação de 2% ao ano é condizente com os gastos regulares de manutenção, inclusive já foi discutido aqui com diversos CVR
          – O juros foram calculados sem considerar os reajustes anuais, e este dinheiro tem que sair do bolso de alguém, e não será do banqueiro.
          – Você nem falou nada sobre a questão que hoje os imóveis estão com seu valor real em queda, o que significa desvalorização real.
          – Se o cara quer se fuder comprando algo que não vale o que está pagando, gastando 460X aluguéis, deixa ele pô kkkkkkk

          19+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • rafa_fv 29 de dezembro de 2017 at 09:10

            Cesar só 2 detalhes referentes a simulação, todos os valores estão superiores a 2k e a renda necessária é bem superior a mencionada que seria de 5k, na verdade como o Mauricio já havia comentado para essa renda e com os juros atuais a parcela deveria ficar em torno de 1,5k, o que implicaria na necessidade de uma entrada de 50%.
            Nem vou comentar que por esse preço não é financeiramente viável, a pergunta dele era simples e já foi respondida varias vezes aqui no blog, para moradia a relação com aluguel é de 100, 150x e no pior dos casos 200x. Desta forma ele deveria buscar um valor entre 100k e 200k, sendo que quanto mais próximo de 100k melhor.

            9+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 09:43

              rafa_fv
              Fiz a seguinte simulação
              Imóvel de 300K, 50% de entrada, financiamento em 30 anos

              Resultou em
              Valor financiado = R$ 150.000
              Prestação inicial R$ 1.661,33
              Prestação final R$ 468,89
              Renda mínima R$ 4.746,66
              Soma das prestações (((1.661,33 + 468,89 ) / 2 ) * 360) = R$ 383.439,60
              Total de juros pagos = R$ 233.439
              Custo total do imóvel = R$ 533.439,60
              FatorX = 533

              http://www.financiamento.com.br/simulador/index.php

              6+
              • avatar
              • rafa_fv 29 de dezembro de 2017 at 11:07

                Cesar você considerou o custo total e o fator, somando as prestações que serão pagas ao longo de 30 anos e somando ao valor de entrada, como se fosse tudo pago agora, você acha que isto é matematicamente correto?

                2+
                • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 14:37

                  rafa_tv
                  Como não estou considerando os reajustes anuais das parcelas, sim, considero que isto esteja correto.
                  Num SAC com 360 parcelas, a parcela 181 tem exatamente a média aritmética da primeira e última parcela
                  Como nesta parcela já está embutido o juros real então ((((primeira parcela + ultima parcela) /2 ) * 360 ) – valor emprestado ) = total de juros a ser pago

                  4+
                  • rafa_fv 29 de dezembro de 2017 at 15:19

                    Mas os reajustes anuais não são somente em função da TR, e não da inflação como um todo, pois a taxa contratada já embute uma inflação estimada, mais risco de inadimplência, a TR é somente um mecanismo de proteção para os bancos caso a inflação fuja do estimado ? Em teoria os salários e o poder de compra devem subir mais do que estes reajustes na parcela/saldo devedor.
                    Esses 150k que ele pegou emprestado se eu corrigisse somente pela inflação estimada do período não seriam os mesmos 150k daqui a 30 anos.

                    2+
                    • rafa_fv 29 de dezembro de 2017 at 15:21

                      ops, faltou uma pontuação.
                      Esses 150k que ele pegou emprestado se eu corrigisse somente pela inflação estimada do período não seriam os mesmos 150k daqui a 30 anos?

                      2+
          • rafa_fv 29 de dezembro de 2017 at 09:36

            Fiz uma simulação no site da Caixa, mesmo no pró-cotista(é aparentemente abriu novamente) com taxa efetiva de 8,3499%aa+TR, seria necessário uma entrada de 160k e financiamento em 360 meses, com parcela inicial de 1,45k

            2+
          • MauricioSP 29 de dezembro de 2017 at 10:19

            Cesar muito estranho, mas acho que a diferença pode ser os seguros do imóvel e financiamento, não sei se estão incluídos nessa conta. Eu sempre faço a conta de 1 mil para cada 100 mil para financiamento em 30 anos, para pessoas de 20 a 40 anos (o perfil que normalmente financia). Por exemplo se o cara tem 60 anos, o seguro mensal fica em uns 500 reais, pois em caso de morte o financiamento é quitado.

            2+
          • MauricioSP 29 de dezembro de 2017 at 10:32

            Cesar_DF,

            Essa taxa de depreciação de 2% é muito alta, já discutimos várias vezes, se colocar essa taxa então nunca vale a pena financiar um imóvel, pois no financiamento paga 3% do principal ao ano…
            Seria o equivalente a usar uma taxa de 20% de depreciação anual para automóveis e financiar em 60 meses, ou seja ao término do financiamento o automóvel valeria 0. Não é real isso.
            Alegar que 2% ao ano é manutenção requerida para manter o valor do imóvel também não faz sentido. Um apto comprado novo por 300 mil que a pessoa mora há 5 anos. Custo de manutenção? Praticamente 0. Vai usar a regra de 2% de depreciação e manutenção? O apto perdeu quase 30 mil do valor? Não faz sentido isso. Pode ser regra contábil para empresas/legislação mas está fora da realidade. Só se incluir um IPTU de 1% na conta isso faça mais sentido…

            6+
            • avatar
            • Master Yi 29 de dezembro de 2017 at 12:07

              Eu já desisti de fazer essa cálculo pq é simplesmente impossível prever o comportamento de várias variáveis, tais como: taxa de juros futura, inflação, comportamento do mercado imobiliário, depreciação individual do imóvel etc. E olha que estou me atendo apenas as variáveis financeiras. Algumas pessoas tem uma carreira muito instável e pode mudar de estado/cidade, sendo obrigado a vender o imóvel com altas perdas.

              9+
              • avatar
              • avatar
    • Gute 29 de dezembro de 2017 at 21:19

      Obrigado pelas respostas.
      Obs.: Não é o meu caso. É CVR de terceiro.

      1+
  • Everybody hates bolha 28 de dezembro de 2017 at 13:08

    CVR’S

    CVR 1º No metrô de SP você escuta a conversa mesmo que coloque fone nos ouvidos. Então segue:
    Empregada doméstica reclamando da patroa que pediu pra ela usar os 35 reais da condução para comprar carnes no açougue no inicio da semana e não pagou. Reclamou que não deram nada de natal e que vivem enfiados em dívida. O que revoltou a mesma foi que eles anunciaram essa semana que vão para Orlando para fazer compras.

    CVR 2º Amigos inteligentes dizendo que já pensam em trocar de carro, fazerem dívidas porque o mercado está melhorando. Disseram que a crise passou e que não vão perder tempo. O problema é que eles já possuem dividas e vivem reclamando.

    CVR 3º Comentei por aqui um tempo atrás que uma amiga usa o cheque especial do BB para pagar o imóvel financiado. Pois é, vive reclamando que não tem dinheiro, mas saiu de férias e foi viajar com o discurso. Vamos de cartão de crédito mesmo.

    CVR 4º Parente cancelou o convênio do filho de 2 anos alegando que não tinha dinheiro, pois a mulher está desempregada. Mas há duas semanas atrás colocou um mega plano de internet e TV a cabo em casa. Não dá pra entender mais a cabeça desse povo.

    Que venha 2018!!

    94+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 28 de dezembro de 2017 at 13:24

      o unico alento que temos nessa terra sao os nossos juros q esse pessoal alimenta!!

      31+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Antigo 28 de dezembro de 2017 at 14:15

      É esperto. Quando o filho ficar doente vai colocar galinha pintadinha na TV a cabo para a criança distrair e não sofrer tanto.
      Se bem que tem de graça no Youtube… ~PÃ~ tela azul

      33+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • rafa_fv 29 de dezembro de 2017 at 09:19

        CVR relacionado.
        Há 2 meses minha esposa pediu para eu comprar uma TV nova para a sala( ainda era de tubo, kkk), comprei uma smart e depois vi que tinha direito a 3 meses grátis de Netflix, coloquei só para testar. Meu filho de 5 anos, não saiu mais do Netflix e youtube kids, resultado tchau Vivo, cortei o fixo e a TV por assinatura, mesmo quando começar a pagar o Netflix ainda vai ficar bem mais barato.
        obs.: O plano de internet já pagava mesmo.

        33+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Marcio 28 de dezembro de 2017 at 15:44

      “CVR 2º Amigos inteligentes dizendo que já pensam em trocar de carro, fazerem dívidas porque o mercado está melhorando. Disseram que a crise passou e que não vão perder tempo. O problema é que eles já possuem dividas e vivem reclamando.”
      Estou tentando entender a parte inteligente deles, mas tá difícil…

      33+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Kasparov 29 de dezembro de 2017 at 12:25

      Cara, definir prioridades não é o forte do bananense. Imagina agora bananenses como esses tomando decisões pelo país e tudo será compreendido.

      11+
      • avatar
      • avatar
  • Bsbguy 28 de dezembro de 2017 at 13:08

    alguém atualizou o aluguel para baixo ai com o propriotário?! Aqui eu deixei quieto os 50 reais que teria de desconto, mas vou lembrar dessa atualização ano que vem se for aumentar hehehe

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 28 de dezembro de 2017 at 13:26

      todo mes eu falo com a imob sobre isso, eles nao retornam, esse mes falarei com o propriotario, se ele nao baixar eu saio -> simples assim

      15+
      • avatar
    • Antigo 28 de dezembro de 2017 at 14:12

      Tentei, proprietário se recusou.
      Como eu ia gastar mais que o desconto na mudança, acabei deixando para lá.

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Money_Addicted 28 de dezembro de 2017 at 14:39

        eu acho q isso nao eh nem tentar, esta no contrato -> ponto
        eu ainda nao falei com o proprietario pois tem algumas variaveis no meu caso, mas resolvendo essas questoes falarei

        9+
        • avatar
        • avatar
      • Lord of All 28 de dezembro de 2017 at 16:14

        Manda uma notificação extrajudicial pra imobiliária (ou para o proprietário). Se eles não responderem, deixa quieto e quando encerrar o contrato, ajuiza uma ação simples de cobrança no Juizado.

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Antigo 28 de dezembro de 2017 at 16:23

          Agradeço as instruções
          Na época eu fiz a conta, daria 52 reais anuais de diferença.
          Achei que meu tempo valeria mais que os 52 reais.
          Mas se estivesse pagando aluguel bolhudo certamente perderia um tempo com isso, mas por enquanto resolvi deixar para lá.

          14+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • odorico 29 de dezembro de 2017 at 00:08

            Eu estou ardendo. Lci no Inter 6% + IGPM…. Kkkkkkkk, por outro lado negociei desconto no aluguel. 100 temers

            7+
    • Nuno Rj 28 de dezembro de 2017 at 17:01

      A imobiliária (Apsa) reduziu meu aluguel automaticamente =D

      11+
      • avatar
    • Intendente 28 de dezembro de 2017 at 20:10

      O meu não teve aumento, manteve-se na mesma.

      3+
  • CA 28 de dezembro de 2017 at 13:39

    Opa, segue um compilado dos episódios anteriores da saga “Um mau caráter desinformado e desinformante”:

    Tentativa PRIMÁRIA de manipular via ENGANAÇÃO: “poucos tópicos e CVRs, porque não tem muita coisa errada ou ruim para apontar quanto ao segmento imobiliário” – ao apresentarmos uma enxurrada de candidatos a tópicos, VÁRIOS que ele já conhecia, mudou de assunto, tentou disfarçar, “arrumar pelo em ovo” para que não notassem MAIS AQUELE golpe PRIMÁRIO que ele tentou aplicar;

    Dados enviesados para ENGANAR: “o crédito imobiliário continuou na mesma proporção do PIB” – mas o Nefasto “esqueceu” que o PIB despencou, esqueceu dos 35% da inadimplência do MCMV faixa 1 que deveriam sair do total do crédito, pois já deveriam ter sido retomados faz tempo, “esqueceu” das inúmeras maquiagens e adiamentos de retomadas de imóveis inadimplentes dentre outros itens que distorcem esta proporção entre crédito imobiliário e PIB.

    “Os preços não caíram, estão alinhados milagrosamente com o FINGE ZAP” – o Nefasto “esqueceu” que no FINGE ZAP os preços sobem quando vende o mais barato ao CONTRÁRIO dos outros índices, então, estarem alinhados é só outra prova da manipulação medonha que os asseclas do segmento fazem. “Esqueceu” também que boa parte do que vende na planta é FALSO e podem pôr o preço que quiserem porque não se concretiza, “esqueceu” que o IVG-R além de ter sido claramente MANIPULADO tem parte relevante da amostra que é de vendas de 3 ou mais anos e contabiliza condição de pagamento como aumento de preço, “esqueceu” das mudanças de mix e miniaturizacão que impedem análise histórica de preços, dentre outros “esquecimentos”.

    “As vendas em São Paulo estão se recuperando, os estoques e distratos estão diminuindo” – aqui o Nefasto “esqueceu” das construtoras em recuperação judicial qie ja declararam oficialmente que não estão contabilizando os distratos por falta de caixa, o que reduz os distratos, aumenta as vendas líquidas e diminui o estoque de forma FALSA, assim como o grande número de reclamações no ReclameAqui de outras construtoras que fazem o mesmo sem estarem com problema de caixa. “Esqueceu” que com o aumento do atraso nas obras, os distratos OCULTOS, de imóveis lançados há mais de 36 meses também desaparecem, “esqueceu” que se há mais de 70 meses seguidos um percentual relevante das vendas é cancelado no ato da entrega, ele não pode assumir que toda a venda na planta e durante a construção é real, “esqueceu” que temos imóveis nem-nem com investidores em volumea muito elevados, assim como os usados que em apenas um site passaram de pouco mais de 200.000 anúncios de vendas em 2014 para mais de 500.000 em 2017, esqueceu dos leilões tanto por inadimplência quanto por falta de pagamento de condomínio que cresceram exponencialmente nos últimos ANOS e que todos estes concorrem com os imóveis novos, dentre uma INFINIDADE de “esquecimentos”.

    Estes são os 3 últimos capítulos da série, as mentiras e enganações anteriores já foram DESMASCARADAS e possuem compilação, detalhes e evidências de que são mentiras nos tópicos anteriores. Em resumo, sobre as mentiras anteriores, parte dos gráficos são fraude explícita (ex: ao dizer que não teve queda do PIB do consumo), outra parte é enganação pura (ex: vendas por imobiliária cresceu porque várias fecharam), outra parte desconsidera mais de 10 evidências de crédito PODRE na CEF e FINGE que está tudo normal, teve a célebre frase de que a CEF estava no caminho certo por EXTORQUIR, MAQUIAR e PEDALAR, mais o relativismo moral e o fingimento fazendo de conta que o castelo de cartas dos corruptos e podres como a CEF não está caindo e daí para pior…

    Preparem os estômagos, ele promete um novo conjunto de mentiras e enganações…

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Leonardo M. 28 de dezembro de 2017 at 14:05

    Eu vou ter aumento no aluguel esse mês de R$40
    Como não tô com saco de me mudar então vou ficar por aqui.
    Como moramos no último andar então não escutamos salteado de menina chegando 3h da balada, copo caindo no meio da noite, arrastacao de móveis durante o dia para limpeza.

    Tem suas vantagens morar no último andar e estou disposto a pagar por essas vantagens que nos andares de baixo não possue.

    CVR
    Mudou 3 jovens (república) para 2 andares abaixo do meu faz 2 meses, e o que constatei foi:
    Todo final de semana tem karaokê até 2h dá manhã, churrasco e bebedeira.
    Amigos e os 3 ficam até 4h da manhã fumando maconha, o cheiro de maconha da pra sentir da sacada do meu AP
    Coitado de quem mora embaixo

    Por isso não penso em me mudar mesmo tendo que pagar R$40 a +
    Fazer o que? Nada é perfeito nessa vida

    35+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Manoel Joaquim 28 de dezembro de 2017 at 15:31

      Tempos atrás eu estava saindo com uma médica. Bonita e bastante trabalhadora a mocinha.

      Pagou 900K (com ajuda da família) em um AP de médio-alto padrão.

      1 semana depois descobriu que o apartamento de cima mora uma galera nem-nem. De quarta a domingo tem balada até as 5 da manhã. Mocinhas com seus saltos deslizando pela sala.

      A coitada tentou de tudo, de sínidoco a polícia. Nada resolveu.

      51+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Antigo 28 de dezembro de 2017 at 16:29

        A solução é isolamento acústico
        Custa uma nota e não resolve 100%, mas para quem gastou 900k compensa tentar

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Cesar_DF 28 de dezembro de 2017 at 17:06

        Já tentou contratar alguém para destruir o relógio de energia, inclusive removendo a fiação ?

        19+
        • avatar
        • avatar
      • Flyn 28 de dezembro de 2017 at 19:21

        Os condôminos tem poder para expulsar essa gente daí. Já houve casos assim. Via legal sempre.

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 28 de dezembro de 2017 at 15:19

    BOSS, não pudia deixar de postar, afinal é sobre black friday. kkkkk

    Rede vai à Justiça contra indulto de Natal assinado por Michel Temer
    Partido classificou a medida de “black friday do crime de colarinho branco”, com “descontos de até 84% nas penas de poderosos”

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 28 de dezembro de 2017 at 15:44

      *pude

      3+
  • cyberpsi 28 de dezembro de 2017 at 15:21

    CVR Demissão
    Pessoal, meu gerente está de aviso prévio e amanhã é o último dia dele. 6 filhos de 4 a 19 anos. É dureza.
    Passou. As decisões dele são consequência para a vida dele. Eu sou considerado maluco por não ter filhos com 32 anos. Incrível o que eu tive que aguentar no fim de ano em família. Até a frase “a família ajuda a cuidar” escutei. Esse pessoal vive no mundo da lua.

    72+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 28 de dezembro de 2017 at 15:25

      Dureza mesmo é se ele não tiver nenhuma reserva de segurança, e também dívidas de longo prazo

      23+
      • avatar
      • avatar
    • Manoel Joaquim 28 de dezembro de 2017 at 15:27

      Normalmente quando escuto: “Mas você não é casado e não tem filhos?!”

      Eu respondo: Não… (com um leve sorriso e um olhar de satisfação para o horizonte).

      39+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Marcio 28 de dezembro de 2017 at 15:59

      Se fosse 20 anos atrás, o problema seria bem menor.
      Meu pai também teve 6 filhos. E também ficou desempregado.
      Mas quando ele ficou desempregado, 2 dos 5 filhos que ainda estavam morando com ele (sendo que a mais velha tinha 20 anos) estavam trabalhando. Resultado: os 2 que trabalhavam (eu e minha irmã) seguraram as pontas até as coisas melhorarem.
      Hoje em dia muitos pais sustentam os nem nem até os 40. Aí quando perdem o emprego, é um filme de terror.

      46+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Bsbguy 29 de dezembro de 2017 at 21:57

        disse tudo!

        4+
        • avatar
    • Burbuja 28 de dezembro de 2017 at 16:35

      Caramba, 6 filhos? Onde esse cara vive, em 1970?

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Bsbguy 29 de dezembro de 2017 at 21:57

        onde ou em que ano?

        3+
        • avatar
    • FabianoSJC 28 de dezembro de 2017 at 18:49

      cyberpsi não se preocupe amigo , eu tenho 39 e também não tenho filhos e nem pretendo ter rs ..
      Mas é assim mesmo , neste natal por exemplo um primo meu de 30 anos desempregado mora com a esposa e um filho de 1 ano e meio num quarto na casa da minha tia virou para mim e disse , ” Não tenha medo de ter um filho , no final das contas sempre conseguimos dar um jeitinho de criar”. Detalhe desempregado , sem convênio e vai passar natal e ano novo viajando ..
      Eu passei o natal e já voltei pois tinha trabalho a fazer , não consigo entender como existem pessoas assim que não se preocupam com o futuro se tem contas a pagar … Deve ser por isso que ele não tem 1 fio de cabelo branco na cabeça rs

      34+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • BolhistaBR 30 de dezembro de 2017 at 22:08

      Meu Deus! É incrível!
      São todos iguais!
      “Vai ter filho quando?”
      “Não tá na hora?”

      Minha família, a dela e (pasmem!) até desconhecidos!

      Já to tocando o f*d*-se.
      Digo logo “vc vai pagar as despesas?”

      Tem q jogar duro com esse povo. Não importa quem seja.

      Tenho 33 e estou considerando fortemente não ter filhos. Patroa vai ser contra é lógico, mas pra mim isso é loucura total! Considero até mesmo terminar o casamento se for o caso.

      Sabem o q é criar filho no Rio de Janeiro????

      É coisa de doido!

      Tudo isso pq estou fazendo uma coisa que ninguém faz: refletir sobre o assunto.

      8+
      • avatar
      • avatar
  • Lord of All 28 de dezembro de 2017 at 16:29

    Thiago fm li os seus comentário anteriores.
    Ao contrário da maioria aqui do blog, não acho vc mau caráter ou “nefasto”.
    Só acho q vc representa a personalidade da grande maioria dos brasileiros, o senso comum, aquelas pessoas que ouvem uma notícia no jornal nacional e se enchem de esperança, acham que tudo vai melhorar “com fé”.
    De um certo lado até acho bonito isso.
    Ñ sou conselheiro nem nada disso, mas se eu pudesse te dar um conselho, esse seria: em se tratatando de Brasil, não acredite em tudo o que te contam. Nao seja ingênuo.
    Alguns números econômicos podem parecer melhores, mas não se esqueça de como funciona o sistema político por aqui. São as raposas que comandam o galinheiro e, acredite, elas não querem o seu bem no final.
    Olhe com mais cuidado os números estatísticos, não deixe a grande mídia te enganar, fuja do senso comum e crie um senso crítico mais alinhado com a situação moral e político do nosso Estado. Vc vai perceber que os zero qualquer coisa de número na economia não representam um avanço tão importante assim.

    34+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 28 de dezembro de 2017 at 16:52

      Nesta época com uma enorme massa de informações a disposição é importante ter habilidades em
      – Separar o joio do trigo (descartar informações contraditórias ou sem fundamentos)
      – Identificar o que é um fato concreto do que é meramente uma intenção
      – Identificar o que é meramente uma propaganda de um agente que tem interesse em profecias auto confirmatórias
      – Identificar relações de casualidade do que seria uma meramente coincidência
      – Diagrama de Ishikawa + Grafico de Pareto = identificar as causas principais
      – Comparações históricas = procurar semelhanças históricas para prever os próximos resultados
      – Evitar viés de confirmação se fechando dentro de uma bolha ideológica

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Oliveira 28 de dezembro de 2017 at 17:00

        Basicamente, isolar a interferência da predisposição individual interferindo na conclusão que os fatos permitem ter sobre o que e mais razoável que se considere a verdade. Estebelecer relação de causa efeito Classificar o que é mais relevante e o que é menos relevante.

        10+
        • avatar
        • Bs 28 de dezembro de 2017 at 17:19

          Para descontrair, lendo essa conversa eu lembrei desse conto (para quem não conhece):

          Os patos de Rui Barbosa

          Diz a lenda que Rui Barbosa, ao chegar em casa, ouviu um barulho estranho vindo do seu quintal. Chegando lá, constatou haver um ladrão tentando levar seus patos de criação. Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o ao tentar pular o muro com seus amados patos, disse-lhe:
          – Oh, bucéfalo anácrono! Não o interpelo pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo ato vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos à sorrelfa e à socapa. Se fazes isso por necessidade, transijo; mas se é para zombares da minha elevada prosopopéia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala fosfórica bem no alto da tua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que te reduzirei à quinquagésima potência que o vulgo denomina nada.
          E o ladrão, confuso, diz:
          “- Dotô, eu levo ou deixo os pato?”

          42+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • Flyn 28 de dezembro de 2017 at 19:32

        Acredito ser impossível essa imparcialidade.

        4+
    • Antigo 28 de dezembro de 2017 at 22:45

      Não acho que ele seja ingênuo. Ele estudou os dados e concluiu com forte convicção que está tudo normal e estável, tese essa que nenhum bolhista vai engolir, creio eu, dado as crenças econômicas razoavelmente uniformes que praticamos aqui.

      Também não o considero nefasto, só está tentando compartilhar a forte convicção dele aqui, usando seus tão famosos gráficos, planilhas e estudos.

      Só acho que isso é a mesma coisa que entrar com pentagramas e cruzes invertidas em uma missa no Vaticano para pregar o Satã… Além de inútil chega a ser falta de respeito.

      23+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 29 de dezembro de 2017 at 00:15

        Antigo,

        Se FIZERMOS DE CONTA que ele mesmo não disse antes que deixaria para postar depois pelo baixo movimento de fim de ano, ou seja, se FINGIRMOS que ele não sabia de antemão que não ter tantos tópicos e CVR tinham esta causa…

        Se FIZERMOS DE CONTA que ele não conhecia VÁRIOS dos candidatos a tópicos que já haviam sido usados RECENTEMENTE para explicar as anomalias para ele…

        Se FIZERMOS DE CONTA que a frase que ele usou não foi claramente para tentar MANIPULAR as pessoas a qualquer preço, sabendo do que consta acima…

        Se FIZERMOS DE CONTA que ele não sabia do grande número de imobiliárias em São Paulo que fecharam, sendo que isto foi dito para ele e comentado no blog VÁRIAS VEZES e por isto se “enganou” ao montar o gráfico só com esta variável e mostrando que cresceram as vendas por imobiliária, mas “esquecendo” de mencionar quantas e quantas imobiliárias já fecharam e causaram este efeito…

        Se FIZERMOS DE CONTA que ele já não estava cansado de saber sobre a queda do PIB do consumo que ocorreu por anos e foi divulgado inúmeras vezes nos meios de comunicação e infinitas vezes neste blog e por isto que ele “se enganou ” e fez gráfico completamente equivocado fazendo de conta que o PIB do consumo nunca caiu…

        Se FIZERMOS de conta que ele não sabia sobre os recordes de inadimplência recentes e mais uma vez, apresentados VÁRIAS VEZES para ele, assim como os recordes de desemprego e apesar disto, procurou meios para distorcer as informações e “conclusões”, mas de forma “inocente”…

        Se FIZERMOS DE CONTA que ele não sabe dos PODRES incessantes da CEF quanto ao crédito imobiliário, sendo que ele trabalha lá e estes podres foram DEMONSTRADOS INÚMERAS VEZES para ele…

        Se FIZERMOS DE CONTA que ele foi “inocente” ao comentar que a CEF estava no caminho certo em comentário logo depois da notícia sobre o início da EXTORSÃO BILIONÁRIA junto ao FGTS e depois do fechamento do trimestre onde a CEF apontou furos BILIONÁRIOS em provisões que foram DEMONSTRADOS em seguida junto com outros furos e a situação era tão grave que o MP pediu afastamento de todos os vice-presidentes da CEF e ele trabalhando lá dentro não saberia de nada desta podridão incessante e por isto que “acredita” que o crédito imobiliário da CEF é a virgem do bordel…

        Se FIZERMOS de conta que ele não está careca de saber sobre a FARSA do FINGE ZAP que foi demonstrada inúmeras vezes, assim como as distorções de cada pesquisa de preços, assim como as distorções dos dados do SECOVI, assim como as ABSURDAS ANOMALIAS do segmento imobiliário que começaram em 2011 MUITO ANTES do que qualquer crise na economia, e uma INFINIDADE de outras coisas que foram EXPLICADAS, DEMONSTRADAS E REFORÇADAS para ele, que apesar disto continuaria “inocentemente” sem entender nada disto e insistindo em teorias completamente sem sentido, tão ilógica quanto o sorvete de limão que causa sol escaldante…

        Se FIZERMOS de CONTA que ele não deu a palavra que não voltaria e voltou escondido em outro nickname até ser desmascarado e depois disse de novo que não voltaria e voltou ou FIZERMOS DE CONTA QUE isto não é um comportamento típico de pessoa de mau caráter…

        Se FIZERMOS DE CONTA que faz sentido eles gastar um tempo monstruoso para extrair dados que ignoram a lógica, o bom senso e a infinidade de evidências acima, só porque esta ALIENAÇÃO é necessária para convencer as pessoas a qualquer preço e que no fundo isto é algo “sem querer” enganar ninguém…

        Se FIZERMOS de conta que o relativismo moral dele de dizer que se a CEF é podre e todos são podres, então está tudo bem, dentre diversos outros exemplos de relativismo moral, também não são típicos de pessoas de mau caráter…

        Se FIZERMOS de conta que não ocorreu de VÁRIAS VEZES em anos anteriores ele já ter sido desmascarado, muitas vezes com as fontes de dados e criterios dele, ou FINGIRMOS que persistir nisto de forma insana e continuando a ser DESMASCARADO é só uma questão de fé cega e não um mau caratismo explícito…

        …Acabaremos nos tornando uma pessoa como ele é… Quem estiver disposto a ser assim, tire bom proveito e arque com as consequências de nem conseguir se olhar no espelho depois ao constatar no que se transformou…

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • BolhistaBR 30 de dezembro de 2017 at 22:27

        Concordo com a comparação que vc fez de “entrar com cruzes invertidas” no Vaticano.

        Mas discordo veemente sobre achar “falta de respeito” ele vir aqui expor suas ideias.

        Afinal de contas, esse espaço aqui não é pra debate????

        Quem quer debater apenas com quem pensa igual que crie sua própria igreja e se feche para o mundo.

        Mas num espaço como esse, quem pensa diferente não DEVERIA ser excomungado e ofendido com palavras como “nefasto” e “desonesto”!

        E digo mais!

        Alguns aqui, embora extremamente inteligentes, parecem q não saíram do jardim de infância! Não aceitam opiniões divergentes e tratam logo de enquadra-los como sendo “do time do nefasto”.

        Isso é extremamente contraproducente e uma VERGONHA para um monte de marmanjo com 35, 40 anos!

        Torcerei (inultimente, provavelmente) para q 2018 traga mais amadurecimento para alguns aqui.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cesar_DF 28 de dezembro de 2017 at 16:44

    Mesmo com a construção de milhões de imóveis, DEFICIT HABITACIONAL SE AMPLIA

    http://www.fjp.mg.gov.br/index.php/docman/cei/informativos-cei-eventuais/634-deficit-habitacional-06-09-2016/file
    http://www.en.ipea.gov.br/agencia/images/stories/PDFs/nota_tecnica/131125_notatecnicadirur05.pdf

    De 2010 para 2014 ocorreu um aumento de 30,6% para 48,2% do déficit habitacional causado por “Ônus excessivo com aluguel”

    Em 2013 o Brasil possuía 7,230 milhões de imóveis VAGOS

    Mesmo a coabitação, em 2014, representando 31,5% do “DÉFICIT HABITACIONAL”, 57% das famílias declaravam que eram CONVIVENTES por vontade própria.

    No Brasil, em 2013 o ônus excessivo com aluguel representa 43,7% do total do déficit habitacional; a coabitação familiar, 32,6%, as habitações precárias, 17,1% e o adensamento excessivo dos domicílios alugados, 6,7%. No ano posterior, o ônus excessivo com aluguel passa a representar 48,2% do total do déficit habitacional, a coabitação familiar, 31,5%; as habitações precárias, 14,2% e o adensamento excessivo dos domicílios alugados, 6%

    Critérios de déficit habitacional
    – Habitação precária
    – Coabitação familiar
    – Ônus excessivo com aluguel urbano
    – Adensamento excessivo de domicílios alugados

    Quadro 2.5: Principais conceitos e indicadores da metodologia de cálculo das necessidades habitacionais

    Carência de Serviços de Infraestrutura: domicílios que não dispõem de ao menos um dos seguintes serviços básicos: iluminação elétrica,
    rede geral de abastecimento de água com canalização interna, rede geral de esgotamento sanitário ou fossa séptica e coleta de lixo.

    Coabitação Familiar: compreende a soma das famílias conviventes secundárias (apenas aquelas que têm intenção de constituir domicílio
    exclusivo são consideradas déficit habitacional) e das que vivem em domicílios localizados em cômodos – exceto os cedidos por
    empregador.

    Cobertura Inadequada: domicílios com paredes de alvenaria ou madeira aparelhada e cobertura de zinco, palha, sapê, madeira
    aproveitada ou outro material que não seja telha, laje de concreto ou madeira aparelhada.

    Cômodos: domicílios particulares compostos por um ou mais aposentos localizados em casa de cômodo, cortiço, cabeça-de-porco,
    etc.

    Déficit Habitacional: noção mais imediata e intuitiva de necessidade de construção de novas moradias para a solução de problemas sociais e
    específicos de habitação detectados em certo momento.

    Densidade Excessiva de Moradores por Dormitório: quando o domicílio apresenta um número médio de moradores superior a três por
    dormitório.

    Domicílios Improvisados: locais construídos sem fins residenciais que servem como moradia, tais como barracas, viadutos, prédios em
    construção, carros etc.

    Domicílios Rústicos: aqueles sem paredes de alvenaria ou madeira aparelhada, o que resulta em desconforto e risco de contaminação por
    doenças, em decorrência das suas condições de insalubridade.

    Famílias Conviventes ou Famílias Conviventes Secundárias: são constituídas por, no mínimo, duas pessoas ligadas por laço de
    parentesco, dependência doméstica ou normas de convivência, e que residem no mesmo domicílio com outra família denominada principal.
    Apenas aquelas que têm intenção de constituir domicílio exclusivo são consideradas déficit habitacional.

    Habitações Precárias: conceito que contabiliza os domicílios improvisados e os domicílios rústicos, considerando que ambos
    caracterizam déficit habitacional.

    Inadequação de Domicílios: reflete problemas na qualidade de vida dos moradores. Não estão relacionados ao dimensionamento do estoque
    de habitações e sim a especificidades internas do mesmo.

    Inadequação Fundiária Urbana: situação onde pelo menos um dos moradores do domicílio declara ter a propriedade da moradia, mas
    informa não possuir a propriedade, total ou parcial, do terreno ou a fração ideal de terreno (no caso de apartamento) em que ela se localiza.

    Inexistência de Unidade Sanitária Domiciliar Exclusiva: domicílio que não dispõe de banheiro ou sanitário de uso exclusivo.

    Ônus Excessivo com Aluguel: corresponde ao número de famílias urbanas, com renda familiar de até três salários-mínimos, que moram
    em casa ou apartamento e que despendem mais de 30% de sua renda com aluguel.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 28 de dezembro de 2017 at 17:02

      Referente “Em 2013 o Brasil possuía 7,230 milhões de imóveis VAGOS”

      1-O pico de venda de imóveis ocorreu de 2008 a 2010 e o de entregas de 2011 a 2014
      2-A crise começou para valer em dezembro de 2014, quando a nova matriz econômica desmoronou
      3-A partir de 2015 que começou o grande movimento de: downgrade, solteiros e casais voltando para a casa dos pais, construção de puxadinhos, etc
      4-Também em 2015 que disparou o “ônus excessivo com aluguel” e o “famílias conviventes”
      4-Estes 7.230 milhões de imóveis vagos são apenas os residenciais, fora os comerciais.

      Considerando a quantidade de imóveis entregues e das desocupações pelos motivos citados que estimo hoje existiam 12 milhões de imóveis residenciais vagos.

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Brazil mode OFF 28 de dezembro de 2017 at 17:21

    Perceberam como a palavra “Bolha” foi divulgado e aceita bem mais rápido do que em relação a Bolha Imobiliária.
    Esse simples fato já diz muita coisa.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • Brazil mode OFF 28 de dezembro de 2017 at 17:21

      Corrigindo
      Perceberam como a palavra “Bolha” em relação ao Bitcoin foi divulgado e aceita bem mais rápido do que em relação a Bolha Imobiliária.
      Esse simples fato já diz muita coisa.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • rogerio 28 de dezembro de 2017 at 17:51

        aham….partindo principalmente de bancos hehe

        Apesar disso tb acho que há bolha na criptomoeda, acho que ela veio pra ficar, mas até ser confiável haverá muita oscilação…

        11+
        • avatar
        • avatar
    • Nelson Schadenfreude 29 de dezembro de 2017 at 13:18

      É porque é obviamente uma bolha.

      3+
  • JJJ_brasilia 28 de dezembro de 2017 at 18:35

    CVR – 1 – conhecido aluga apartamento de 3 quartos no plano piloto em Brasília, surgiram outros apartamentos para alugar no mesmo prédio, negociou um valor menor, para evitar mudança, entrou em contato com a coRvoária, o coRvo não aceitou a redução do aluguel, resultado, o imóvel vai ficar desocupado, cidadão providenciando a mudança.

    CVR 2 – estava eu em um comércio, quando 2 coRvos se encontram, conversas de coRvo e tal e trocam os números de telefone, um coRvo tem o telefone fixo final 6666, quase ri alto na hora.

    45+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Ilusionista 28 de dezembro de 2017 at 19:16
  • Seguidor do Bolha BH 28 de dezembro de 2017 at 20:52

    Reportagem do JN referente a este tópico jogou uma pá de cal no mercado imobiliário. Pra mim deixaram a entender que além de ser melhor morar de aluguel financeiramente falando, é melhor também tratar direto com o proprietário.

    27+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alves 28 de dezembro de 2017 at 21:49

    CVR – Off

    Durante o horário do almoço, enquanto aproveitava a comida caseira da marmita trazida de casa – como bolhista convicto, eis que ao conversar com o segurança do local em que trabalho ouvi que esse iria investir em Bitcoins. Afirmou ainda que um primo já havia “investido” R$ 3.000,00 em mineração (?). Quando comentei sobre a queda de quase 25% na semana, parou de comer, me olhou por cima dos óculos com surpresa e balbuciou: Ah…é…? Não sabia…”. Baixou a cabeça e voltou a almoçar em silêncio.

    Outra colega também disse que estava pensando em investir em Bitcoin e que o irmão já havia investido, nas palavras dela, numa “tal de IOTA”. Também comentei sobre a correção e também ficou assustada.

    O que leva as pessoas a investir o dinheiro, que às vezes nem se tem, em algo que não conhece ou sequer estudou?

    43+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • cyberpsi 28 de dezembro de 2017 at 22:26

      É esse tipo de gente que garante a rentabilidade dos espertos uhaauhauhahuau

      32+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Antigo 28 de dezembro de 2017 at 22:33

      Até onde eu sei o público em geral investe naquilo que ouve falar ser bom.
      Por isso tantas pirâmides prosperam aqui. Brasileiro confia muito na opinião de amigos, e vai a manada toda para o abismo.
      Paciência, burro se paga com capim e chicotada

      41+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Carlos 28 de dezembro de 2017 at 23:45

        Não sei se é confiar, acredito que seja preguiça de pensar e pesquisar mesmo com o plus de poder culpar outros se alguma coisa não dá certo.

        18+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • indiobolhista 29 de dezembro de 2017 at 00:47

      Alves, será que alguém tem coragem de fazer um analise estadístico do seu cvr ….. ? demanda quase infinita expressava alguém que nem lembro seu apelido ….. sim tem tanto 666 no mundo a demanda é quase infinita nesse sentido 🙂

      3+
  • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 08:18

    Leilão CEF

    Estava vendo um leilão ocorrido no dia 14 de dezembro
    Dos 40 lotes, nenhum recebeu qualquer lance
    Vi que vários lotes estão com o LANCE MÍNIMO acima do VALOR DE AVALIAÇÃO, significando que são casos onde a dívida imobiliária supera o valor do imóvel.
    https://www.leiloeirosdebrasilia.com.br/leiloes/1513281600-leilao-de-imoveis-caixa

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 29 de dezembro de 2017 at 08:21

      Todos os que eu ví estão como ocupados.
      Preços em queda + risco alto + pessoal sem grana = PLOC!

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Carlos 29 de dezembro de 2017 at 08:18

    OFF – Não é uma delícia quando políticos são vítimas das milhares de regras idiotas que eles mesmo criaram?
    Obs: Malcolm Turnbull é o atual primeiro ministro e é muito fraquinho.

    Malcolm Turnbull fined $250 for not wearing lifejacket while moving boat on Sydney Harbour
    https://www.brisbanetimes.com.au/politics/federal/malcolm-turnbull-fined-250-for-not-wearing-lifejacket-while-moving-boat-on-sydney-harbour-20171229-h0bd87.html

    10+
    • avatar
  • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 08:21

    Sobram imóveis em leilões. Entenda por quê.

    Se você se interessa por leilões imobiliários já deve ter notado o excesso de ofertas e as centenas de leilões frustrados pelo país. Não é difícil entender o porquê. Basta olhar um pouco para o nosso passado recente.

    Contextualização

    De forma bastante resumida é o seguinte: o que vemos hoje é fruto do boom imobiliário.

    Enquanto o mundo sofria para se reerguer da crise financeira mundial de 2008 o Brasil, por sua vez, vivia um dos períodos mais prósperos de sua história.

    A estabilização econômica e a recuperação do poder de compra da população deram origem ao fenômeno que ficou conhecido como o “boom imobiliário brasileiro” (2009-2012). Contudo, já no início de 2013 este movimento começou a perder força – embora muitos corretores, construtores, incorporadores, palpiteiros, especuladores, etc – tenham custado a admitir, alegando a proximidade de grandes eventos – como a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 – e os seus respectivos “legados”. Deste modo, inúmeros empreendimentos continuaram sendo lançados sem o mínimo cuidado em termos de análise de demanda e potencial de absorção de mercado, ainda que o fôlego dos compradores já mostrasse sinais claros de esgotamento.

    Deu no que deu!

    O fato é que o então novo cenário econômico brasileiro, infelizmente, não veio acompanhado do imprescindível desenvolvimento sócio educacional, tampouco da conscientização sobre a importância do uso racional e planejado do dinheiro. Consumir passou a ser sinônimo de “prosperidade”, “pertencimento” e “inclusão”, independentemente das consequências.

    Em pouco tempo (2010 – 2013) a tão festejada facilidade de acesso ao crédito somada ao despreparo de uma imensa parcela da população para tomar decisões financeiras complexas como, por exemplo, adquirir bens por meio de financiamentos de longo prazo com juros altos e/ou contrair dívidas sem avaliar o comprometimento do orçamento doméstico, das reservas, do patrimônio e da empregabilidade, etc, não tardou a cobrar um alto preço para o país, o que explica – em parte – a realidade atual:

    Superendividamento (mais de 60% das famílias – abril 2017);
    Disparada da inadimplência;
    Desemprego (14 milhões de trabalhadores);
    Falta de crescimento da economia;
    Incerteza e
    Desesperança.
    Um conjunto de fatores desastroso para qualquer economia, em especial para os setores industriais e imobiliários.

    LIQUIDEZ X ENDIVIDAMENTO

    Novamente a matemática e a racionalidade mostraram que tomar decisões por impulso custa caro, principalmente em se tratando da compra de imóveis.

    Quem não soube (ou não conseguiu!) esperar até a definição de uma tendência nos preços, ou seja, se o movimento abrupto de alta observado em 2009 se sustentaria após a fase de euforia, hoje provavelmente está preocupado ou tem bons motivos para isso, pelo menos até que a economia volte a crescer. No fundo é o custo do aprendizado, aquele que se paga quando se troca liquidez por endividamento, ainda que seja para realizar o “sonho” da casa própria.

    O resultado não poderia ser outro: milhares de imóveis sendo devolvidos, retomados ou recuperados judicialmente, enchendo os editais de leilões por todo o país.

    QUEM DÁ MAIS????

    Uma situação até pouco tempo inusitada e que ultimamente tem sido a regra nos leilões é a falta de compradores.

    Por mais que hoje seja possível oferecer lances pela internet a verdade é que sobram imóveis e faltam investidores, principalmente aqueles que costumavam arrematar os imóveis ditos “baratos” (até R$500mil).

    As “praças” ficam vazias (obs.: com a entrada em vigor do Novo CPC não se usa mais o termo ‘praça’, apenas leilão). Nem mesmo as “galinhas mortas” geram disputas animadas. Literalmente a monotonia tomou conta dos leilões. Ocorre que os grandes players do mercado imobiliário estão superendividados e com estoques encalhados e, por isso, dispostos a fazer qualquer negócio numa tentativa desesperada de sobreviver até a chegada de dias melhores.

    Neste cenário – para o pequeno investidor – comprar imóveis em leilões deixa de ser tão interessante, salvo por questões pessoais, dados os riscos inerentes a este tipo de investimento. Além disso, os descontos e a forma de pagamento facilitada dos imóveis novos fizeram despencar o percentual de ágio sobre os lances mínimos nas arrematações, fazendo com que raramente um bom imóvel seja negociado no primeiro leilão, sinalizando tempos difíceis à frente.

    Vale lembrar que a retomada de um imóvel pelo descumprimento de um contrato de alienação fiduciária leva – em média – de 1 a 3 anos, o que significa que com o agravamento da crise (2015 – 2017) nos próximos meses milhares de unidades devem ir a leilão, além das que já estão disponíveis. Some-se a isto o fato dos pequenos investidores estarem sem capital, uma vez que a maioria já imobilizou seu dinheiro no período das “vacas gordas” (2009 – 2013) na expectativa de rentabilizar em curto prazo, o que dificilmente aconteceu.

    Esses dias um leiloeiro amigo meu brincou dizendo o seguinte:

    “Daqui a pouco vamos ter que leiloar investidores, certamente dará mais resultado”.

    HORA DE COMPRAR!

    Hoje quem tem algum dinheiro guardado pode escolher COMO, QUANDO E QUANTO pagar

    https://www.g9investimentos.com.br/biblioteca/sobram-imoveis-em-leiloes-saiba-o-porque

    33+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 29 de dezembro de 2017 at 08:27

      O

      1+
    • Carlos 29 de dezembro de 2017 at 08:48

      Deixa eu analizar a demência de brazólia…

      QI 24 lT-1 A 13 Torre B Apto. 1910 SETOR INDUSTRIAL
      Apartamento, 164,57 m2 de área total, 104,62 m2 de área privativa,
      Constam 2 vagas de garagem, sem divisão interna. Proc. 0046053-68.2014.4.01.3400. IPTU: 52620158 Matrícula: 314799 Ofício: 3 – OCUPADO
      Avaliação R$ 443.000,00
      Lance Inicial R$ 475.852,00

      Quase 500K para morar nesta b…. de pombal?
      Isso é a própria imagem de um dos círculos do inferno na minha opinião, fora o nome metido a besta: Top Life Miami Beach 😀
      Detalhes: não está terminado pelas imagens do gugo, as piscinas e o “clube” estão no terrão.

      Aluguel: 900 temers
      http://www.wimoveis.com.br/propriedades/qi-24-lotes-01-a-13-torre-a-top-life-miami-beach-2933371920.html

      https://www.google.com.au/maps/@-15.8132514,-48.0797183,3a,75y,326.86h,105.2t/data=!3m7!1e1!3m5!1seWOXHS-b0HD05mXX8nIynQ!2e0!6s%2F%2Fgeo1.ggpht.com%2Fcbk%3Fpanoid%3DeWOXHS-b0HD05mXX8nIynQ%26output%3Dthumbnail%26cb_client%3Dmaps_sv.tactile.gps%26thumb%3D2%26w%3D203%26h%3D100%26yaw%3D228.39299%26pitch%3D0%26thumbfov%3D100!7i13312!8i6656?hl=en

      11+
      • avatar
      • avatar
      • Carlos 29 de dezembro de 2017 at 08:56

        Ops, peguei o ap de metragem errada, o imóvel do leilão é de cobertura.

        Valor Aluguel R$ 1.300

        http://www.wimoveis.com.br/propriedades/quadra-qi-24-cobertura-top-life-com-armarios-2934113849.html

        6+
        • avatar
        • Carlos 29 de dezembro de 2017 at 09:04

          Reparem na qualidade construtiva e acabamento desta bostha, e é praticamente novo.
          Lixo caros e terríveis, deve faltar espaço no planalto central, imagens de cima de brazólia me dão uma impressão terrível, monte de terra vermelha seca, sem árvores, tudo sujo parecendo periferia de cidade de cortadores de cana do estado de SP, mas com nomes chiques, carros caros e gente barata.

          14+
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 09:29

            Carlos
            As paredes internas são de papelão (DRYWALL)

            9+
            • avatar
          • Antigo 29 de dezembro de 2017 at 09:42

            Pior é ter que tirar essa terra vermelha do calçado quando chega em casa.
            Ela é fina, gruda que só, haja escovinha e muque para sair…
            Não é piada e nem menosprezando Brasília, só um problema pessoal que me incomoda nessa capital imaginária que vivo…

            20+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Carlos 29 de dezembro de 2017 at 09:49

              Conheço bem cidade de pés vermelhos 😀

              8+
    • Antigo 29 de dezembro de 2017 at 09:44

      Cesar, texto muito bom.
      Parece até que foi escrito por alguém daqui

      Superendividamento (mais de 60% das famílias – abril 2017);
      Disparada da inadimplência;
      Desemprego (14 milhões de trabalhadores);
      Falta de crescimento da economia;
      Incerteza e
      Desesperança.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 29 de dezembro de 2017 at 10:06

      Cesar_DF,

      Sobre este artigo quanto à leilões, achei interessante, porque pelo menos carrega uma boa dose de realismo quanto à completa indisciplina financeira das pessoas ao comprarem imóveis assumindo dívidas por décadas, fala sobre o crescimento exponencial dos leilões e do volume muito elevado e anormal de leilões que não tem nenhum lance, explica que estes leilões não tem lances porque as construtoras estão vendendo por preços muito mais baixos do que aqueles anunciados, no desespero em função do super estoque e pela necessidade de fazer caixa para sobreviver, além do fato de muito pequenos investidores que antes poderiam comprar nos leilões estarem completamente sem liquidez pelo elevado volume de imóveis nem-nem (nem aluga, nem vende) em seu poder e alerta que este é só o COMEÇO da super oferta nos leilões.

      Especificamente quanto ao tema acima, complemento que uma tendência é que o governo e órgãos reguladores busquem mudanças nas normas e leis relacionadas a leilões, para facilitar que os imóveis sejam desovados.

      ÓBVIO que o SONHO dos agentes envolvidos é que antes de fazerem estas mudanças, as construtoras possam desovar sua SUPER OFERTA de imóveis, em muitos casos superiores a ANOS de vendas, porque se facilitarem e viabilizarem muito os leilões, dando uma segurança jurídica REAL e ao mesmo tempo as construtoras ainda estiverem com super estoque, isto forçará um EFEITO MANADA, com construtoras e leilões reduzindo drasticamente os preços para não ficarem com muitos imóveis no vale dos preços, ou seja, para não terem o PREJUÍZO MAXIMIZADO.

      Qual o “probleminha” da “estratégia” acima?

      As construtoras estão com uma distorção ANORMAL entre oferta e procura desde 2012 e isto não vai se resolver enquanto elas não ZERAREM os lançamentos e reduzirem RADICALMENTE os preços. Só que as construtoras não querem fazer isto. Por que?

      6 construtoras com Ações na BOVESPA zeraram os lançamentos no terceiro trimestre de 2016 e o que aconteceu? Todas elas tiveram vendas líquidas NEGATIVAS, mais distratos do que vendas, aumentando os estoques mesmo com lançamentos zerados, outra ABERRAÇÃO de nossa bolha. Por que?

      Porque as construtoras não conseguem fazer vendas de VERDADE, daquelas relacionadas a imóveis prontos e onde os clientes REALMENTE tem condições de adquirir o crédito imobiliário no ato da entrega do imóvel, no volume que é necessário para desovarem seus super-estoques.

      Por isto que elas insistem em ter lançamentos, às vezes em volumes IRRACIONALMENTE elevados frente aos seus super estoques que estão desproporcionais a vendas há vários anos, porque estes lançamentos em maiores volumes permitem mais vendas FALSAS que cobrem os distratos das vendas FALSAS do passado e ajudam a esconder a realidade, só que ao mesmo tempo, garante a continuidade da total distorção entre oferta e procura.

      Ao mesmo tempo em que as construtoras estão “presas” no círculo vicioso acima, fazendo com que sua situação fique cada vez mais crítica, com várias construtoras de todos os portes QUEBRANDO porque não conseguem PEDALAR com o esquema acima, vemos o governo e seus agentes adotando uma série de ações APELATIVAS para que as ANOMALIAS GRAVES de nossa bolha não se tornem tão visíveis no curto prazo. Exemplos:

      Os TRUQUES aplicados pelo BC, CMN e órgãos relacionados, de deixarem os bancos sem retomarem imóveis após 3 meses e até criarem incentivos para que o Banco possa sugerir ao cliente o uso de FGTS nos casos de inadimplência até 12 meses, não exigirem que os bancos façam leilão em período de 1 ano após os imóveis terem sido retomados, FINGIREM que acreditam que a CEF consegue reduções MILAGROSAS na inadimplência em meio à crise, reduções estas que não tem paralelo no Brasil ou no mundo e que incluem apelações grotescas como inverter o SAC (paga primeiro o mais barato depois o mais caro), paga uma parcela de 12 vencidas e fingir que não está inadimplente, empurrar a inadimplência para o final do contrato, etc, mais uma infinidade de outras ações APELATIVAS, com o adulterar o IVG-R, adulterar o cálculo de resiliência dos bancos frente à quedas de preços de imóveis, FINGIR que não vê a gravidade absurda da CEF que é a recordista Nacional de processos na justiça contra ela, com grande diversidade de assuntos e de prejuízos gerados, superando até à Petrobrás, repetirem a ação APELATIVA da Dilma de reduzirem o compulsório para FORÇAREM liquidez e queda dos juros finais, ao mesmo tempo que ocorre a EXTORSÃO dos R$ 15 BILHÕES do FGTS a FUNDO PERDIDO para a CEF com a mesma finalidade de FORÇAR liquidez para ela continuar PEDALANDO com o crédito PODRE, tudo isto e MUITO MAIS, visa exclusivamente ganharem tempo, pelo menos até o fim de 2018, quando teremos as eleições presidenciais.

      A consequência natural do volume absurdo de PEDALADAS do governo mais acima, é que junto com as PEDALADAS das construtoras, estão aumentando e MUITO o tamanho do problema, ou seja, quando não conseguirem mais manterem esta infinidade de gambiarras, seja porque não conseguem forçar liquidez para a CEF (TCU bloqueando EXTORSÕES do FGTS), porque conseguiram destruir por completo o FGTS, porque viria uma crise cambial se não aprovarem a reforma da previdência ou por explosão de bolhas americana ou chinesa, dentre uma INFINIDADE de outras possibilidades, daí o siper-estoque total em poder de bancos e condomínios para leilões, mais o que estará em poder das construtoras e proprietários de usados PRECISANDO vender (incluindo investidores) será tão absurdamente elevado, ao mesmo tempo qie os potenciais compradores serão tão poucos, que o efeito MANADA será muito mais intenso e doloroso, assim como a perda de preços dos imóveis.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 12:36

        CA
        Minha profecia
        Se o Ciro Gomes ou a Marina Silva ganharem
        Irão desapropriar todos os imóveis vagos, utilizando recursos do FGTS e irão transferir para a CEF leiloar tudo, filtrando os possíveis arrematantes de acordo com sua classe econômica.
        Pau no rabo de todo mundo que tem saldo no FGTS

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Libertario 29 de dezembro de 2017 at 13:09

          Oi Cesar, não entendi bem qual seria a maior vantagem dessa manobra de desaproriação e que imóveis seriam esses?

          3+
          • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 13:12

            1-Deixar 18 milhões de pessoas felizes com uma barraco para chamar de seu
            2-Injetar 600 bilhões de reais na economia

            9+
            • avatar
            • avatar
            • Libertario 29 de dezembro de 2017 at 13:19

              Pois essa parte que não ficou claro.
              Vai desapropriar imóveis vagos, e fazer leilão baratinho?
              Não captei ainda a relação dos 600bilhoes do FGTS com isso.

              5+
              • avatar
              • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 14:32

                Libertário
                É apenas uma ideia para um governo keynesiano que injetaria bilhões e bilhões na economia, além de “dar uma casinha” para os pobres

                8+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • antifragile 30 de dezembro de 2017 at 01:14

                  Com IPTU e condomínio que eles não conseguem pagar.

                  Ah, mas isso já acontece com os casebres do MCMV.

                  3+
    • Libertario 29 de dezembro de 2017 at 13:27

      Pior a situação do parente, que se endividou pra comprar imovel em leilão de primeira praça na CEF.
      casa de praia (em condomínio) ainda por cima.
      Já gastou mais de 15 mil pra trocar o gramado da frente por piso – algo que ao meu ver não era prioritário -e agora está remando pra conseguir mobiliar.
      Como diz a matéria, tempos difíceis a vista….

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Carlos 29 de dezembro de 2017 at 08:31

    Ops, dedos rápidos…

    Acredito que as coisas estejam melhorando, que estamos saindo da crise e que o jesuis vai voar de novo, tenho gráficos coloridos, fé no São Keynes e palavras bonitinhas para embasar minhas crenças, nada destas besteiras de matemática e racionalidade 😛

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 09:31

      Carlos
      Kenesyanos e Comunistas são movidos pela FÉ = desta vez irá funcionar !

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Libertario 29 de dezembro de 2017 at 13:29

        O ser humano é assim. Mesmo sem motivos, tem esperança que o amanhã vai ser melhor.
        Mas esses daí captaram isso, e usam a seu favor.

        4+
  • Scaravelhoo 29 de dezembro de 2017 at 09:42

    E aí seus bolhistas safados… estava sumido deste blog.
    Também com a taxa de juros caindo desse jeito… da até um aperto no coração.
    Ha se há dois anos atrás eu tivesse pegado metade da grana que investi em TD, e colocasse em Bitcoins….!!!!!! Enfim, assim é a vida.

    CVR 1

    Compartilhando um CVR de natal com vocês.
    Minha esposa está grávida do nosso primeiro filho.
    Queremos mudar para um AP com mais espaço aberto.
    Pesquisei, pesquisei, pesquisei…
    Apesar do meu AP ter 4 quartos e uma excelente varanda “gourmet”….. Os condôminos são muito malas, ostentadores, viciados na panelinha pelo uso das xoxotecas do condomínio… espécie de clubinho caro às custas dos outros condôminos…

    Enfim, consegui um ap maior, com duas áreas privativas, em prédio apenas com 10 moradores, e com aluguel 100 reais mais barato!!!! Touché…!!!

    CVR 2
    A única coisa que acho chata em aluguel é depender da figura do avalista.
    Vou eu pedir para meu pai e irmão para “quebrarem o galho”.
    Meu irmão é um parceiraço. Mas as vezes alimenta na família a conceito ostentação…
    Vive em restaurantes caros, fotos no instagram da esposa estilo madame, carro BMW…
    Já sabia que ele não era muito organizado, atrasava IPVA, não pagava seguro da BMW e tals.,..

    No processo de avalista… recebo a ligação da corva da imobiliária…. Ficha negada. Assutado, perguntei, mas porque…? Nome do brother e da esposa estão no SERASA… dos dois…!!!

    Aí é foda!!!!!

    Tive que pedir para meu irmão mais novo… vendedor de carros… – Aprovado na hora.

    59+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 09:47

      No próximo apartamento que eu for alugar vai ser com cartão de crédito
      Não precisa de fiador, calção, título de capitalização, seguro fiança, nada
      E ainda ganharei uma porção de milhas
      Já vi 3 imobiliárias que aceitam cartão de crédito
      Pago o valor integral de 12 alugueis, dividido em 12 parcelas, a imobiliária e o proprietário receberão a vista

      38+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • odorico 29 de dezembro de 2017 at 09:53

        Meu deus…. Onde. Onde?

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Carlos 29 de dezembro de 2017 at 09:57

        O desespero dos proprietários e “investidores” cresce geometricamente ainda espero ver aqui no bolha relatos de gente locando sem burocracia e pagando só as despesas do imóvel como água, luz, gás e condomínio.

        Esperando o thiago “provar” com algum gráfico colorido que isto nunca irá acontecer….

        10+
        • avatar
        • avatar
    • Antigo 29 de dezembro de 2017 at 09:47

      Que bom que conseguiu um apartamento melhor!
      Vai ser importante para abrigar seu irmão parceiro e a esposa dele daqui a alguns meses.
      Já vai separando um quartinho!
      Boa sorte.

      27+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Dr. Estranho 29 de dezembro de 2017 at 10:12

    CVR. Esse natal foi diferente. Com a ajuda da minha mulher 666 tenho sempre que bancar a festança pra família toda e para os gatos, cachorros e papagaios. Eis que minha filha mais velha, num saque rápido de raciocínio empurrou a festança para a casa de alguém. Curioso: foi o primeiro natal que eu me lembro que acharam melhor dividir tudo. E os outros espertos, ja com medo do próximo natal, concordaram em dividir. Ano que vem vou dizer que fiquei desempregado. Hahahaa. Ficarei na aba.😁😁

    58+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • indiobolhista 4 de janeiro de 2018 at 01:38

      Dr. Rarinho siempre pagas la fiesta de los otros porque no tienes caracter blandengue ahuevonao, pisado sacolargo sin caracter …. y despues te metes de psicoanalista.

      0
  • Ilusionista 29 de dezembro de 2017 at 10:27

    aluguel ladeira abaixo….

    https://globoplay.globo.com/v/6387210/

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • fmassuia 29 de dezembro de 2017 at 10:27

    Pessoal, com a perspectiva de juros baixos para o ano que vem e a zona que devem ser as eleições, alguém aqui tá com estômago para investir em ações em 2018?
    Tenho visto algumas análises de “especialistas” mas confesso que ainda estou desconfiado que haverá crescimento da economia em 2018, talvez começar só em 2019.

    Minha ideia era montar uma carteira com algumas ações mais “especulativas” para ganhos no curto/médio prazo e outras para longo prazo com vista em formação de patrimônio e também tirar uma graninha com dividendos.

    Os “especialistas” estão muito confiantes com a recuperação, já em 2018 de alguns setores como construção civil, transporte, petróleo e infraestrutura.

    Alguém disposto a discutir sobre o assunto?

    6+
    • avatar
    • Carlos 29 de dezembro de 2017 at 10:38

      Qual seria o motivo para a recuperação além da vontade dela?
      Lembra das coisas que o governo diziam serem necessárias para a “recuperação”?
      Quer fim elas deram?
      Caixa e governo contavam com as reformas da maneira como foram concebidas originalmente por exemplo…

      Recuperação estranha esta.

      A ressaca fiscal em 2018
      O governo celebrará um resultado primário melhor que o previsto para 2017, mas as ameaças às contas públicas começam logo depois do réveillon
      https://g1.globo.com/mundo/blog/helio-gurovitz/post/2017/12/29/a-ressaca-fiscal-em-2018.ghtml

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 29 de dezembro de 2017 at 12:06

        Em 2018 teremos um problema “inédito”, ou melhor, um conjunto de problemas inéditos. Explico:

        Ano de eleições o governo precisa “gastar a rodo” para deixar toda a população feliz com a “pujança” da economia, só que o governo já vai começar o ano com um ROMBO adicional, não previsto no orçamento, de mais de R$ 20 BILHÕES, um “presente” do congresso que não aprovou a tempo algumas mudanças em impostos e outros. Isto obrigará o governo a reduzir seus gastos, em especial investimentos, no início do ano e com isto, ele colabora com redução ou menor crescimento do PIB, exatamente o que elw não gostaria em ano eleitoral.

        Fora a situação acima, se o BNDES não restituir R$ 130 BILHÕES o governo corre o risco de não cumprir o teto de despesas. Só que se o BNDES cumprir, por outro lado, menos R$ 130 BILHÕES de dinheiro subsidiado para as empresas que estavam viciadas neste dinheiro “de baixo custo” e com um corte tão radical, também serão obrigadas a reduzirem investimentos/ gastos, novamente impactando em menor crescimento ou queda do PIB.

        Tem ainda o problema que não poderão contar com a super-safra agrícola que tiveram em 2017 e que foi o recorde de 10 ANOS, não contarão com os R$ 43 BILHÕES do FGTS, dentre outras fontes de dinheiro NÃO RECORRENTES com os quais contaram em 2017.

        Correndo por fora, se não aprovarem a reforma da previdência, mesmo que neste formato de 1/8 de boca, pode gerar um forte impacto cambial, aumento de inflação e juros, tem a inadimplência ainda em patamar RECORDE para consumidores e empresas, assim como o desemprego, os riscos da CEF não poder PEDALAR se o TCU bloquear a extorsão de dinheiro do FGTS, os riscos de podres muito maiores da CEF, de outras empresas públicas ou de políticos do alto escalão aparecerem e melarem as maquiagens e PEDALADAS, risco de bolhas americana e chinesa darem sinal de vida, risco do Lula não se tornar inelegível em 2018, etc, etc, etc.

        O mais provável é que não seja “nem 8 nem 800”, uma boa parte do que consta acima pode até não acontecer EM 2018, mas será muito difícil equilibrarem todos os pratinhos. No DESESPERO, também poderão apelar para novos ROMBOS no FGTS, ou outras medidas MIRABOLANTES, sempre tendo em vista as eleições…

        24+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • MauricioSP 29 de dezembro de 2017 at 13:24

          Eu sou eterno otimista,

          – Lula preso/condenado em janeiro abrindo o caminho para Alckmin/2019
          – cadastro positivo nacional aprovado e implementado, diminuindo os custos de financiamentos/seguros/aluguel e acabando de vez com os “espertos” que ferram com a nossa economia
          – reforma da previdência aprovada
          – crescimento surpreendente do PIB de 3% a 4% em 2018 com crescimento de 150 bilhões na receita de impostos e estabilização da dívida
          – aumento do investimento de capital estrangeiro, com aquisição de companhias aéreas, terminais portuários, rodovias, eletrobrás, etc nem duvido da venda da Petrobrás em 2019
          – queda do desemprego para 8% no fim de 2018
          – continuação da baixa da Selic e inflação, forçando o capital a procurar opções melhores de rendimento investindo na produção
          – sem crises mundiais em 2018

          8+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • Money_Addicted 29 de dezembro de 2017 at 11:35

      eu to vendido…e se subir vendo mais

      7+
      • avatar
      • avatar
    • Nelson Schadenfreude 29 de dezembro de 2017 at 13:24

      No momento, estou somente perplexo. Vou ficar parado até o Carnaval para ver o que rola. Neste ano, a política (eleições) será tudo.
      A única coisa certa é que BTC implode espetacularmente. Até o Carnaval.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Money_Addicted 29 de dezembro de 2017 at 18:18

        certa? entao vamos operar vendido e alavancado 🙂

        em investimentos nao tem nada certo, eu nao opero btc mas seja qual for o invest, certo nao tem nada…..wait….investir em imovel eh certo, certo q vai perder

        [ ]s

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Carlos 29 de dezembro de 2017 at 10:53

    OFF – Curiosidade sobre aluguel sem fiador.

    Alguém aqui já alugou usando por exemplo este serviço do BNP Paribas? É um título de capitalização e não o tal do seguro fiança que é uma coisa infame.

    http://www.bnpparibascardif.com.br/pt/pid3240/cap-aluguel-garantido.html

    ALUGUE SEM FIADOR
    Agora você não vai precisar mais pedir favores, reunir um monte de documentos e ficar dependendo de aprovações de cadastros burocráticas.
    A Souza Gomes traz para Juiz de Fora, com exclusividade, o Seguro Aluguel Cardif.
    https://www.aluguefacilsouzagomes.com/

    2+
    • rafa_fv 29 de dezembro de 2017 at 11:16

      Carlos eu fiz pela porto seguro.

      4+
      • avatar
      • rafa_fv 29 de dezembro de 2017 at 11:18

        Dentre as opções que tinha foi a que achei mais viável, você perde parte do valor, mas não perde tudo. O inconveniente é que geralmente pedem algo superior a 3 alugueis, o meu foram 5.

        4+
        • avatar
        • avatar
        • Money_Addicted 29 de dezembro de 2017 at 11:34

          o meu foram 7 :@

          2+
          • avatar
          • Rico 29 de dezembro de 2017 at 11:41

            Nossa. Meu não deu 2. O que vcs fizeram na locação passada?

            4+
            • avatar
            • rafa_fv 29 de dezembro de 2017 at 13:27

              Rico eu não fiz nada, até então morava em imóvel próprio, este foi meu primeiro locado. Não sei como está hoje, mas um ano atrás o titulo de capitalização com esta finalidade era pouco conhecido, eu encontrei enquanto procurava a solução para meu caso, mas nenhum corretor falava dessa modalidade quando falavam das garantias eu sempre tinha de perguntar se podia ser via titulo, alguns nem conheciam. Quando pesquisei falava que o ‘normal’ era entre 6 e 12 alugueis, mas é claro tudo depende da flexibilidade da imobiliária e principalmente do proprietário.

              4+
              • avatar
              • avatar
              • Rico 30 de dezembro de 2017 at 08:41

                Rafa, eu me confundi, desculpe, estava pensando que vocês estavam falando do seguro fiança. Esse título de capitalização acho furada, para investir 12 alugueis prefiro pagar direto ao proprietário adiantado esse valor e tentar isentar do seguro.

                2+
                • rafa_fv 2 de janeiro de 2018 at 13:24

                  O difícil é conseguir chegar até o proprietário antes da assinatura do contrato, só tive contato com eles depois de assinarmos, senão com certeza teria tentado propor algo neste sentido.

                  0
    • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 11:40

      Tipicamente a rentabilidade destes títulos de capitalização é baixíssimo, coisa de 2% AA
      https://www.aluguelsegurocardif.com.br/novo/

      3+
      • avatar
      • avatar
      • Rico 29 de dezembro de 2017 at 11:44

        Ah tá… o título de capitalização. Uma vez uma imobiliária disse que só alugava desse jeito e pediu 10 alugueis. Devem estar com bala na agulha, pois com uma vacância como atual ainda ficar exigindo 10 aluguéis não é para qualquer um…

        6+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Money_Addicted 29 de dezembro de 2017 at 11:55

        sim, eh baixissima, mas eu optei por titulo ao inves de seguro q mesmo com a rentabilidade baixa ainda saia mais barato q o seguro fianca a outra opcao q tinha

        5+
        • avatar
        • avatar
      • rafa_fv 29 de dezembro de 2017 at 13:29

        Cesar o da porto não é tão ruim assim:
        ‘atualizada mensalmente no dia de aniversário do Título, pela Taxa de Remuneração Básica aplicada à caderneta
        de poupança no dia de aniversário do Título e capitalizada à taxa de juros de 0,5% ao mês, gerando o valor de resgate do Título.

        4+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • rafa_fv 29 de dezembro de 2017 at 13:32

        Mas realmente o da Cardif só fala da correção pela TR, ai fica bem ruim como opção.

        3+
        • avatar
        • avatar
        • Rico 30 de dezembro de 2017 at 08:44

          Cardif é a financeira estilo Crefisa do BNP Paribas, assim como os cartões Cetelem. É uma maiores instituições financeiras do mundo querendo pegar seu pedacinho do bolo no Cassino Brasil.

          2+
  • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 13:22

    Os financiamentos para a compra e construção de imóveis no País totalizaram R$ 3,15 bilhões em novembro de 2017, queda de 14,7% ante outubro e recuo de 20,9% em relação a novembro de 2016. No acumulado deste ano, foram financiados R$ 39,47 bilhões, montante 4,3% menor que o apurado em igual período do ano passado.

    Em unidades, os financiamentos englobaram 13,5 mil em novembro, queda de 14,6% em relação a outubro e baixa de 10,9% ante o mesmo mês do ano passado. No acumulado deste ano, foram financiados 161,05 mil imóveis, queda de 10,1% em relação ao mesmo período de 2016.

    https://www.istoedinheiro.com.br/credito-imobiliario-atinge-r-315-bi-em-novembro-209-em-um-ano-diz-abecip/

    6+
    • avatar
    • avatar
    • antifragile 30 de dezembro de 2017 at 01:19

      Ué, mas segundo o IVG-R do Banco Central o financiamento não caiu só zero vírgula alguma coisa, estável?

      1+
  • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 14:45

    Governo busca administrador para o Fundo Imobiliário do Estado

    “Não é expertise do governo vender imóveis. Nos últimos três anos, por exemplo, foram colocados à venda imóveis que somam R$ 380 milhões e apenas 8% foram vendidos porque publicar no Diário Oficial não é a forma mais moderna de vender ativos”, disse Alckmin, reforçando as vantagens desse novo modelo. “Assim, teremos mais recursos para investir naquilo que interessa à população e, por outro lado, atrair investimentos”, completou.

    http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/governo-busca-administrador-para-o-fundo-imobiliario-do-estado/

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • antifragile 29 de dezembro de 2017 at 16:01

    Pouco a pouco, o desespero causado pelos imóveis vai se tornando mais explícito na cidade.

    32+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 29 de dezembro de 2017 at 16:11

      Exato, barato aluga

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Senhor Bolha 29 de dezembro de 2017 at 16:27

    Da série nacional desenvolvimentismo ( Função social dos trouxas), pedaladas do rei vermelho.

    http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/7177212/conta-bilionaria-tesouro-comeca-pagar-calotes-sofridos-pelo-bndes-outros

    6+
    • avatar
    • avatar
  • thiago fm 29 de dezembro de 2017 at 16:44

    Já que o sabichão insiste em não trocar o disco vamos lá de novo…

    Antes de mais nada eu disse que postaria mais uma fonte de dados sobre a inadimplência do consumidor para demonstrar que não preciso escolher fontes. Segue portanto os dados da Boa Vista SCPC, que faz o acompanhamento há mais de uma década, com base nos registros de dívidas não pagas informadas pelos credores:

    https://www.boavistaservicos.com.br/noticias/indicadores-economicos/registro-de-inadimplencia/inadimplencia-do-consumidor-cai-31-em-agosto/

    No link poderão notar que tal qual o índice do Bacen, há uma clara tendência de estabilização virando para queda após 2012.

    ——————————————————————————————–
    1 – Tentativa PRIMÁRIA de manipular via ENGANAÇÃO: “poucos tópicos e CVRs, porque não tem muita coisa errada ou ruim para apontar quanto ao segmento imobiliário” – ao apresentarmos uma enxurrada de candidatos a tópicos..
    ——————————————————————————————–

    Eu não disse em nenhum momento que não haveria mais notícias ruins sobre o mercado. Na verdade eu disse que a frequência de notícias ruins e bombásticas caiu muito em relação ao passado e só um completo dissimulado não percebe isso. Se estou enganado ou tentando enganar como o sabichão diz, basta enfileirarem a tal “enxurrada” recente de candidatos à tópicos pro Boss postar no ritmo de um por dia, como se tinha há um ano e meio atrás. Assim veremos por quanto tempo o blog consegue manter o fôlego sem titubear. Garanto que se conseguirem, para cada notícia de viés ruim que aparecer, posso apontar outra de viés contrário, como já fiz há pouco, inclusive.

    Mas por favor..se querem realmente enveredar para isso, não tentem apelar para as notícias sazonais do Fipezap ou “tópicos” como o atual, pois convenhamos que a notícia da queda do IGPM (que é o índice tradicionalmente utilizado na correção dos aluguéis, mas que não tem relação direta como o mercado imobiliário) só reforça o que disse sobre a “agudez” dos tópicos de ultimamente.

    —————————————————————————————-
    2 – Dados enviesados para ENGANAR: “o crédito imobiliário continuou na mesma proporção do PIB” – mas o Nefasto “esqueceu” que o PIB despencou..
    —————————————————————————————-

    O que você esperava sabichão? O cerne da minha leitura é justamente apontar para o fato de que o ritmo e desempenho dos indicadores imobiliários são razoavelmente direcionados ou condicionados pela macroeconomia. Portanto a constatação de que o crédito se alinhou ao PIB, em seu movimento de retração, só fundamenta minha leitura. Quer entender melhor como se comporta a relação crédito imobiliário/PIB num verdadeiro estouro de bolha imobiliária vá buscar a trajetória desse indicador no caso estadunidense, por exemplo.

    ————————————————————————————–
    3 – (…)esqueceu dos 35% da inadimplência do MCMV faixa 1 que deveriam sair do total do crédito, pois já deveriam ter sido retomados faz tempo, “esqueceu” das inúmeras maquiagens e adiamentos de retomadas de imóveis inadimplentes dentre outros itens que distorcem esta proporção entre crédito imobiliário e PIB.
    ————————————————————————————————-

    Já disse um milhão de vezes que MCMV 1 não faz parte do estoque de crédito imobiliário, já que é um programa de transferência de recursos do Tesouro, tal como Bolsa Família. Vá buscar os dados diretamente na dívida do governo central, se puder encontrar. Você também diz que o estoque de crédito está superestimado em função do adiamento das retomadas e baixas por prejuízo não realizadas, mas se há de fato uma tentativa de pedalar com o saldo das carteiras inadimplentes, não deveria isso estar causando uma aumento explosivo dos calotes acima de 90 dias? Se pende para um lado da balança não pode pender pro outro, caro sabichão.

    —————————————————————————————————-
    4 – “Os preços não caíram, estão alinhados milagrosamente com o FINGE ZAP..
    ————————————————————————————————–

    Eu coloquei de cinco a seis fontes distintas que corroboram com a percepção de pequena queda nominal dos preços em termos médios nos últimos anos, incluindo uma fonte diretamente ligada às transações negociadas via ITBI. Nesse caso poderia perfeitamente inverter a sua oração e dizer que é o Fipezap que está alinhado aos demais índices de preços disponíveis. Não adianta vir com a desculpinha da “média dos que não vendem no prédio”, supondo que os proprietários que pagam pelos anúncios não se interessam ou não buscam informações sobre o preço negociado dos imóveis que saem do mercado no mínimo da vizinhança, para ajustarem o preço de oferta em seguida. Não diga que já esqueceu de quando esfreguei na sua cara a sua bem amada pesquisa dos preços de venda do CRECI-SP? Ou só vale enquanto te favorece?

    9+
    • avatar
    • avatar
    • CA 29 de dezembro de 2017 at 17:49

      CARA-DE-PAU EXTREMA DE NOVO NEFASTO???

      Você não sabe que o SERASA é a REFERÊNCIA do mercado quanto à inadimplência há mais de uma DÉCADA? Vai FINGIR que não sabe disto???

      Vai FINGIR que não viu os tópicos enfileirados que coloquei no tópico anterior, um abaixo do outro, mais alguns colocados depois por Cajuzinha, Cesar_DF e outros? Você respondeu logo DEPOIS de eu ter enfileirado os tópicos e consegue ser tão CARA-DE-PAU a ponto de pedir isto como se fosse uma “novidade”? Vai fazer de conta que não tentou manipular nojentamente as pessoas porque já tinha dito antes que SABIA do fraco movimento e por isto que ia adiar a publicação da próxima série de mentiras e ENGANAÇÕES?

      Também não sabe que a queda do consumo foi parte da CAUSA direta para a crise e que a causa RAIZ tem a ver com a inadimplência, desemprego e outras consequências típicas de bolha imobiliária? Queda de consumo acompanhando a queda da economia, quer dizer que de novo você faz com que o picolé de limão seja causador de sol escaldante??? Todo mundo sabe que a queda do consumo é que derruba o PIB e você defende o contrário sem NENHUMA LÓGICA, assim como a persistente defesa RIDÍCULA de que a CEF estava no caminho certo, de que a crise que começou a aparecer em 2015 causou a crise imobiliária que mostrou os primeiros podres em 2011 e por aí vai… Você acha que as pessoas não tem NENHUMA LÓGICA nem memória???

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 29 de dezembro de 2017 at 18:03

        Os calotes acima de 90 dias não estouraram? Para que então mudaram a regra para permitirem usar o FGTS para dívida acima de 90 dias e estenderam esta ANOMALIA para 2018? Por que então mudaram as regras e fizeram vista grossa para os imóveis retomados e não vendidos depois de 1 ano? Por que vemos FUROS bilionários nas provisões da CEF LOGO DEPOIS dela reduzir? Ela então é “milagrosa” e consegue reduzir a inadimplência em proporção que é recorde mundial? Mais de 10 evidências de crédito PODRE que você sempre finge não ver e ainda insiste em FINGIR que não vê e que a inadimplência apontada pela CEF é confiável??? Acreditar em milagre de renegociações da CEF, a empresa recordista nacional em envolvimento em processos na justiça???

        Ah, então não conta a inadimplência do crédito imobiliário do MCMV faixa 1 e o quanto deixaram de ser abatidos porque foi o governo que mandou? A CEF é o governo, nos seus devaneios de relativismo moral você sempre diz isto, o mesmo governo PODRE é quem manda na CEF PODRE, não há nenhuma diferença sobre fonte de recursos, os R$ 27 BILHÕES de 2008 a 2015 EXTORQUIDOS do tesouro pela CEF, ou aqueles BILHÕES transferidos diretamente do Tesouro para o MCMV Faixa 1 ou os R$ 15 BILHÕES EXTORQUIDOS agora do FGTS ou qualquer outra fonte com ou sem intermediários é crédito de qualquer jeito e entra no saldo do crédito imobiliário que você usou para calcular o percentual sobre o PIB, ou seja, você só FUGIU DO ASSUNTO, disfarçou e não respondeu, COMO SEMPRE!

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 29 de dezembro de 2017 at 18:11

          Sobre os índices de preços, foram explicadas as distorções uma por uma, mas o que impressiona é que bases de dados completamente diferentes, inclusive no tempo e em ANOS, onde uma parte se baseia em aumentar o preço quando vende o mais barato e as outras exatamente o CONTRÁRIO milagrosamente convergem para o mesmo resultado. TODOS os fatores de distorção foram explicados, sobre a variação elevada do mix do CRECI SP, foi explicado e demonstrado porque não permitia a análise histórica em virtude disto, várias vezes explicado no ano passado, mais algumas neste ano, você FINGIR que não sabe não adianta nada…

          8+
          • avatar
          • avatar
  • thiago fm 29 de dezembro de 2017 at 16:59

    5 – “Esqueceu” que com o aumento do atraso nas obras, os distratos OCULTOS, de imóveis lançados há mais de 36 meses também desaparecem, “esqueceu” que se há mais de 70 meses seguidos um percentual relevante das vendas é cancelado no ato da entrega
    ————————————————————————————————-

    Em primeiro lugar, até onde se pode provar, a única pesquisa que cita de forma clara que a amostragem vai até 36 meses do lançamento é a PMI do Secovi-SP, e fazem assim para manter aproveitável a estrutura da série histórica de 13 anos. Vocês verão quando der sequência aos gráficos que a queda da oferta e distratos no mercado de imóveis novos é disseminada e contínua também em relação a média dos mercados nacionais.

    Reconheço que a ressalva da pesquisa de São Paulo não é a ideal, mas de certo assegura que a metodologia se mantenha uniforme na série por inteiro. Nesse sentido, se parte da oferta e dos distratos escapa aos 36 meses no período recente, é natural acreditar que isso também ocorreu em alguma medida na ponta inicial da pesquisa em 2004. Sendo assim o que mais importa nem são os números absolutos, mas a captura visível das tendências e a manutenção da base de comparação que permanece inalterada se o universo é basicamente o mesmo.

    Eles devem estar de recesso agora, mas pra quem se interessa, basta entrar em contato com o departamento de economia do Secovi-SP ou consultar os balanços anuais divulgados por eles, para ter acesso ao estoque até 48 meses do lançamento. É fato que no segundo caso o estoque influi mais devagar tendo por base os fechamentos de 2015 e 2016, mas posso lhes assegurar que vem caindo também e não seguindo o caminho contrário como o sabichão parcialmente sugere na suposição de crescimento do estoque “oculto”. De qualquer maneira já se nota que ele não tem a mesma convicção dos SUPERESTOQUES de décadas que vinham sempre em letras garrafais quando abordava assunto.

    Sobre a suposição de que a queda dos distratos no último ano tem sido ocultada pelo não registro dos mesmos pelas construtoras em função da falta de caixa, espero que tenha uma fonte confiável para a alegação, que não somente um punhado de ocorrências do “Reclame Aqui” e que também me passe a fonte para verificação, porque a impressão que tive ao dar uma passada rápida nos balanços do terceiro trimestre de algumas construtoras é que com exceção daquelas que abriram recuperação judicial, a maioria já apresenta resultados menos piores que os anteriores. Aliás por que não nos brinda novamente com aquele gráfico verde famoso das vendas líquidas/estoques que foi parar na Folha de São Paulo?

    Quanto a oferta de usados ou imóveis prontos, diferentemente do estoque de novos, não ter caído ou até continuar aumentando em alguns casos – como apontou o Cesar sobre o DF- é preciso ter em vista que após a fase alta de entregas em 2014 -2015, nos anos que se seguiram, houve ainda um movimento relevante de entregas, que só agora completa seu ciclo. Além disso, ao perceberem um aumento (ainda que tímido) da liquidez do mercado e uma menor pressão de queda dos preços, é esperado que os proprietários mais resilientes, que puderam aguardar do lado de fora do mercado, passem a disponibilizar seus imóveis no mercado e isso obviamente se reflete na oferta, num primeiro momento. Por outro lado, se a procura começa a reagir, aumentando gradualmente a velocidade de vendas (VSO), como já se pode verificar em diversos mercados, esse aumento temporário de oferta é compensado e os preços tendem a entrar em equilíbrio no desenrolar do processo. De uma forma geral o mercado de imóveis novos sente primeiro a mudança de perspectiva.

    —————————————————————————————–
    6 – Em resumo, sobre as mentiras anteriores, parte dos gráficos são fraude explícita (ex: ao dizer que não teve queda do PIB do consumo (…)
    —————————————————————————————-

    Me mostre onde conta minha fala de que não houve queda do PIB do consumo sabichão…O que eu disse é que tendo a demanda de consumo acompanhado a alta da atividade e mantido sua trajetória de desalavancagem em relação a renda das famílias nos últimos anos, conforme diversos gráficos puderam demonstrar, não há brecha lógica para supor uma bolha de consumo, que aliás não passa de mais um devaneio na sua tese capenga para criar uma ponte entre a crise econômica e a bolha imobiliária.

    ——————————————————————————————-
    7 – outra parte é enganação pura (ex: vendas por imobiliária cresceu porque várias fecharam )
    ——————————————————————————————

    Já avisei pra não afirmarem nada sobre coisas que não têm base pra dizer, para não passarem por ridículos…

    Pra derrubar a consistência do gráfico o sabichão supôs que o total de imobiliárias vinculadas ao CRECI diminuiu porque teriam fechado em função da crise, fazendo assim com que mais vendas se concentrassem nas imobiliárias remanescentes da amostra do CRECI. Ainda que tal suposição fosse verdade, a inferência lógica da concentração de vendas por si só já seria questionável do ponto de vista geogrpafico, mas não só é outra inverdade do sabichão, como se verificou o movimento contrário: a quantidade de imobiliárias vinculadas à referida organização aumentou de 2015 até agora, diminuindo um pouco inclusive a representatividade da amostra em relação ao total:

    09/2015

    https://www.crecisp.gov.br/Files/pesquisa_estadual_setembro_2015.pdf

    (Ver final página 79)

    09/2017

    https://www.crecisp.gov.br/Files/b858e555ae_pesquisa-crecisp-estadual-setembro-2017.pdf

    (ver final da página 77)

    Podemos constatar na consolidação presente na última página das pesquisas estaduais do próprio CRECI que houve um aumento de 25% da quantidade de imobiliárias vinculadas ao CRECI de setembro de 2015 a setembro de 2017. Humm.. quem enganou quem sabichão?

    Na verdade eu escolhi mostrar a tendência de melhora das vendas na capital paulista através do índice de vendas por imobiliária (índice proporcional e relativo), porque confesso que nunca confiei nos números absolutos projetados a título de total de unidades vendidas em São Paulo, divulgado nas próprias pesquisas. Segundo a projeção – que na verdade é uma mera regra de três sem ponderação em função do total de imobiliárias – a cidade de São Paulo vendeu em 2013 pouco mais de 20 mil unidades usadas. Esse número é simplesmente ridículo em termos absolutos se considerarmos que o mercado de usados é por natureza muito maior que o de novos e se pegarmos como parâmetro o tamanho real do mercado de Belo Horizonte que segundo os dados de ITBI, apontam transações na mesma casa das 20 mil unidades nesta cidade. Se não se recordam, o gráfico de arrecadação do ITBI que postei há alguns tópicos atrás demonstra que o mercado imobiliário paulista é muitas vezes maior que o mercado de BH e portanto comercializa muito mais unidades por ano do que se pode perceber pela projeção do CRECI.

    Quem é mais velho no blog sabe o sabichão usava os mesmos números absolutos de vendas projetadas do CRECI-SP, que eram somados aos números do SECOVI-SP e cruzados com os do Imovelweb para estimar o tempo necessário para escoamento da oferta de imóveis por dormitório, o que chegou a apontar na época quase três décadas de vendas para imóveis de 4 dormitórios. Notem como o sabichão é realmente um verdadeiro mestre em tratar os dados e fazer projeções.

    http://defendaseudinheiro.com.br/a-bolha-imobiliaria-e-os-precos-dos-imoveis

    (Ver gráfico de vendas do CRECI do sabichão no link acima)

    Tudo bem então…já que a referência de vendas por imobiliária não é a mais adequada segundo o sabichão para apontar um aquecimento das vendas na capital paulista e já que ele notadamente prefere a projeção por números absolutos, vamos pegar carona no gráfico dele e atualizar os dados dos últimos dois anos:

    Vendas totais de imóveis usados em São Paulo projetadas de janeiro a outubro;

    2016 – 11071 unidades
    2017 – 13094 unidades

    Notem que não só o meu gráfico como o dele têm tendência semelhante quanto a trajetória das vendas e no caso da projeção verificamos um aumento de 18% no período. Se o sabichão quiser desmentir isso também, deve saber que terá de desmentir a si próprio dessa vez, o que, se pensarmos bem, já virou rotina ultimamente.

    Já deu por hoje!

    Desculpe sabichão… por ter te tornado o porta-voz das desculpas e o equilibrador de pratos oficial do blog.

    Feliz 2018 para você e para todos!!

    6+
    • avatar
    • Cesar_DF 29 de dezembro de 2017 at 19:01

      Thiago fm

      TODOS os países onde aconteceu um descolamento do valor dos imóveis em relação a renda per capita, tiveram seu RETORNO A NORMALIDADE

      Pode demorar 6 anos, como no EUA, ou 25 anos, como no Japão

      Enquanto os “price to income ratio” e o “price to rent ratio” for favorável ao aluguel dos imóveis, simplesmente deixamos os proprietários arderem.

      Quem, de fato, tem muito dinheiro a perder, são os que compraram após TAKE OFF, e até mesmo aqueles que pagaram caro, pode ser que nunca “percam dinheiro”, pois irão morrer achando que são ricos, amarrados aos tijolos mágicos, e assim nunca realizarão o prejuízo.

      Um banco, somente comprará um imóvel para montar uma agência bancária, se ele estiver com FatorX < 65 Eu só pretendo pensar na aquisição de um imóvel, quando encontrar um com FatorX < 150, se isso nunca acontecer, então nunca irei adquirir um imóvel. No final das contas, todos estes gráficos e informações são irrelevantes para quem tem dinheiro no bolso, e o dinheiro "busca" sempre o melhor investimento, e com esta rentabilidade na locação de imóveis, chegando até a ser negativa, ainda não consegui ver o fundo do poço do valor dos imóveis. Não foi só o descolamento do valor dos imóveis em relação a renda, os novos paradigmas, como o tele-trabalho, os valores da geração millenials, a queda na taxa de fecundidade, o fechamento de imóveis comerciais por conta das compras via internet, a conversão de imóveis comerciais em residenciais, o enorme estoque de imóveis vagos, etc, etc também levarão os imóveis a um novo patamar, muitos andares abaixo do atual, é uma consequência natural da grande oferta e baixa demanda. Comprar um imóvel hoje seria como ter comprado 1000 barris de petróleo quando ele estava US$ 150. Hoje caiu 3X este valor e com os novos paradigmas, como xisto betuminoso, energia solar e eólica, carros elétricos, fusão nuclear, tele-trabalho, etc, etc, indicam que a era do petróleo está no fim, nunca mais existirá demanda para ele, e os imóveis estão numa situação parecida.

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • thiago fm 29 de dezembro de 2017 at 22:00

        César,

        Eu acho que a trajetória do PIB per capita é sim uma boa medida para acompanhamento dos preços no longo prazo por ser uma variável que traduz poder de compra de forma ampla, mas como já disse, diferentemente dos países que recentemente passaram por bolha imobiliária, que já experimentavam um nível razoável de crédito alimentando o sistema, o Brasil passou por uma quase revolução do sistema de crédito habitacional, combinada e viabilizada pela estabilização da moeda e queda significativa dos juros reais. Isso posto, creio que enxergar a fundamentação ou não dos preços, apenas pelo prisma do PIB per capita nos últimos anos significa estreitar a visão para um horizonte muito mais amplo. Ainda assim vale ressaltar que a expansão do PIB per capita no país deve se estabilizar num patamar bem acima do que se tinha no início da década passada e acima dos indicadores individuais de renda do trabalho.

        Você também cita a trajetória da taxa de retorno e te digo que justamente por causa dela que tenho ficado cada vez mais convicto ao afirmar que não se trata de correção motivada por bolha especulativa. Numa bolha imobiliária a queda substancial da taxa de retorno revela a distorção e tal discrepância tende a ser corrigida em seguida (de forma gradual ou não) pela queda dos preços de venda num patamar muito acima da retração dos preços de locação.

        Se não há unanimidade sobre o estágio da queda e sobre a profundidade do recuo dos preços de venda, creio que aqui ninguém nega que os preços do aluguel caíram tanto ou mais que os preços de venda e ainda assim se mantém acima dos índices acumulados de inflação no mesmo período. Isso tem feito com que a taxa de retorno ou rental yeld não consiga recuperar terreno em termos proporcionais, se estabilizando por baixo justamente num momento em que as taxas de retorno dos demais investimentos também se alinham por baixo.

        Você pode observar através dos gráficos abaixo que mesmo se com as curvas se descolando, as trajetórias dos preços de venda e aluguel são semelhantes quanto ao movimento, o que sugere a mudança de patamar dos preços. Isso fica ainda mais claro no caso de São Paulo, onde as quedas nominais demonstram cessação pelo menos em relação aos preços anunciados, com clara estabilização da taxa de retorno do aluguel. Se considerarmos que já não se consegue retornos líquidos acima de 0,5% ao mês na renda fixa, sem comprometimento da liquidez, fica cada vez mais difícil acreditar que um investidor na capital paulista possa ceder muito mais em relação aos preços de venda obtendo 0,4% de yeld, com preço base do principal estável.

        Dizer que se o “fator X” não baixar nunca, nunca valerá a pena comprar é uma saída para sua conformação pessoal, mas na pratica significa sua capitulação, já que bolha que não estoura nunca, nunca existiu de fato.

        4+
        • avatar
        • CA 29 de dezembro de 2017 at 22:27

          Mais uma “brilhante logica”:

          Se a bolha nunca estoura, é porque nunca existiu!

          Se o Lula nunca foi preso, é porque nunca roubou!

          Se não prenderem todos os vice-presidentes da CEF, é porque ela nunca fez nada de errado!

          Estas constantes induções ao erro do Nefasto são uma prova de como ele tenta ENGANAR a qualquer preço…

          O texto acima é um absurdo atrás do outro! Para ele não existe lei de oferta e procura, crescimento exponencial de leiloes e de oferta de imóveis em sites, o novo patamar de crédito veio para ficar, mesmo com a CEF tendo que EXTORQUIR R$ 15 bilhões só para pedalar em 2018, isto é tranquilo, é só continuar fazendo o mesmo por décadas, o FGTS tem TRILHÕES para sustentar isto, se o CRECI aponta a maioria das vendas de usados em até R$ 300 mil e as ofertas em média e também na sua grande maioria são acima de R$ 700 mil, se a renda da imensa maioria da população não compra estes imóveis de mais de R$ 700 mil e por isto que as ofertas crescem exponencialmente, e não poderiam comprar nem que o financiamento por décadas pudesse se manter pelo resto da vida, isto não é problema… Uma INFINIDADE de outras “falhas” no “raciocínio” nefasto acima…

          5+
          • avatar
    • CA 29 de dezembro de 2017 at 19:56

      Nefasto,

      Mais uma infinidade se DESINFORMAÇÃO, mas vamos lá:

      Vou DESENHAR o que já foi explicado VÁRIAS VEZES para você, fazer analogias e o que foe necessário para desmascarar a nova série de DESINFORMAÇÃO:

      Onde está escrito no relatório do CRECI SP que o total de imobiliárias CADASTRADAS estão todas ATIVAS e OPERANDO??? O número do CPF no Brasil já passou dos 500 milhões, usando a sua “logica” devemos concluir então que existem mais de 500 milhões de habitantes no país, é isto mesmo? O IBGE também está errado?

      Outro ponto: se as imobiliárias a cada pesquisa estão mudando e o número de imobiliárias diminuindo, como no passado se pesquisava mais de 400 imobiliária em São Paulo Capital e mais de 1.300 no total do Estado, em hipótese NENHUMA você pode simplesmente usar a média por imobiliária pura e simples e colocar em um gráfico! Isto que estou tentando explicar para você é extremamente básico em estatística, se não me engano, você disse ter estudado estatística, você não aprendeu isto? Se não aprendeu, a primeira coisa que deve fazer é deixar de construir gráficos, pois saber Excel e Power Point não é o suficiente, você deve saber minimamente o que pode compor uma série confiável ou não.

      Se as imobiliárias mudam a cada pesquisa, você precisa saber qual a participação relativa daquele grupo de imobiliárias daquela pesquisa e assim, sabendo o total, chegar na quantidade projetada, exatamente como consta mas nas páginas do CRECI SP que você referência acima.

      DESENHANDO:

      Suponha que uma primeira pesquisa
      no mês de Agosto, em uma cidade hipotética “x”, use 5 imobiliárias como amostra, de nomes “A”, “B”, “C” “D” e “E” e que a participação delas no total da cidade “x” seja de 10% (participação no total apurada com uso de métodos estatísticos com base no histórico). Suponha ainda que estas 5 imobiliárias venderam 5 imóveis no total em Agosto e projetando, o total da cidade em Agosto seria de 50 vendas (5 imóveis = 10% do total, 100% do total = 50 imóveis = “regra de 3”)

      Na mesma cidade “x”, no mês de setembro, fizeram levantamento com 3 imobiliárias, a “E”, a “F” e a “G”. Elas representam também 10% do total e venderam 3 imóveis em Setembro. Projetando o total de vendas de Setembro, teríamos 30 imóveis vendidos (mesmos cálculos e conceitos do parágrafo anterior).

      Da forma SIMPLISTA e COMPLETAMENTE ERRADA que você fez, você deduziria que as vendas ficaram, na média, estáveis em 1 imóvel por imobiliária, quando na realidade, as vendas caíram de 50 para 30.

      REPITO: o que consta acima é MUITO BÁSICO em estatística, não é a primeira vez que você comete um erro grotesco destes, antes você reclamava do número de imobiliárias que era “baixo”, tive que DESENHAR mais de uma vez para você que as pesquisas eleitorais, por exemplo, consultam muito poucos milhares de eleitores, uma amostra que representa um percentual muito menor em relação ao total do que a amostra das imobiliária e em relação ao total. Agora, outro erro grotesco.

      Se você diz não confiar nas pesquisas do CRECI SP quanto às projeções, então é melhor não considerar a pesquisa como um todo, agora o que você não pode fazer, é adotar uma “logica” COMPLETAMENTE ERRADA como a que consta acima. Aqui não tem nada se opinião, REPITO, é conceito BÁSICO de estatística e const a inclusive nas páginas do CRECI SP que você referenciou os parâmetros que eles usaram.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 29 de dezembro de 2017 at 21:02

        Para DESENHAR ainda mais o que consta acima, observe que apesar de no link e página mencionados por você em 2015 termos um pouco mais de imobiliárias na pesquisa do que no link que você colocou de 2017, o índice de venda por imobiliária em relação ao total foi de 0,2305, no entanto, na pesquisa de 2017, com menos imobiliárias o índice de participação deste novo conjunto de imobiliárias no total foi de 0,3135.

        Resumindo: em 2015, mais imobiliárias com menos participação no total (pela média de participação de cada uma), em 2017, menos imobiliárias com maior participação no total (pela média de participação de cada uma), análogo ao exemplo do comentário anterior, onde precisava de 5 imobiliárias antes para ter 10% do total e depois precisava de apenas 3 (parte delas DIFERENTES) para chegar no mesmo percentual de participação.

        6+
        • avatar
        • avatar
        • CA 29 de dezembro de 2017 at 22:09

          Nefasto,

          O número de imobiliárias pesquisadas tem caído, como mencionado acima e as vendas por imobiliária tem subido, é o que consta nas próprias pesquisas que você colocou acima, quer que desenhe de novo?

          TODAS as imobiliárias que estão CADASTRADAS no CRECI SP estão ativas, você insiste mesmo em defender esta tese e a ideia de que as imobiliárias cresceram exponencialmente em São Paulo nestes últimos anos de crise?

          E você acha que este crescimento pujante de imobiliárias em São Paulo se deveu a grande queda nas vendas em relação ao ápice? Explique mais sobre esta “brilhante logica”…

          Li a introdução, que por sinal não menciona o que você disse, que aparece depois, mas a introdução em si é uma choradeira sem fim, exatamente o contrário do que você diz, assim como uma infinidade de variáveis já apresentadas aqui.

          Então a pesquisa está errada e se vende muito mais em São Paulo? Quer dizer que se tinham mais de 200.000 imóveis anunciados em apenas um site e agora tem mais de 500.000 neste mesmo site, é sinal de que estão vendendo muito mais do que uns 15 mil imóveis usados e mais algo similar a isto de novos e mesmo com redução de lançamentos a oferta mais do que DOBROU?

          Olhou os relatórios das construtoras e não viu que no mínimo tem o equivalente a um ano de vendas líquidas de distratos chegando a ANOS de vendas para outras? É E os demais relatórios que mesmo com todas as distorções inúmeras vezes explicadas por aqui continuam com uma desproporção anormal em relação a vendas, como em nenhum outro setor nesta proporção ou por tanto tempo?

          TODO ano em determinados momentos o segmento imobiliário e seus asseclas falam sobre a “redução dos estoques”, depois falam que no próximo semestre o preço vai subir porque estoques estão caindo, daí os preços continuam caindo no próximo semestre, dizem que é porque estoques estão altos e renovam as esperanças. Jura que você acha que está tapeação é a sua melhor tentativa de enganar as pessoas por aqui?

          Ah, são só as quebradas que estão atrasando os distratos e elas são poucas, se fizermos de conta que se restringem somente as grandes e com ações na BOVESPA, se não considerar as milhares de pequenas e médias na mesma situação, se FINGIRMOS que o ReclameAqui não vale como referência, se FINGIRMOS que antes de 2011 os distratos eram tão elevados quando sabemos que eles NUNCA tiveram esta proporção antes de 2011, se FINGIRMOS que não sabemos que as obras estão atrasando cada vez mais, que novas construtoras entram em situação crítica de caixa AUMENTANDO estas distorções, se FINGIRMOS que é normal um setor manter lançamentos elevados quando estão com super estoques há vários anos e tem um percentual ANORMAL de cancelamentos há mais de 70 meses SEGUIDOS, se FINGIRMOS que é normal a explosão de oferta nos sites como mencionado acima, se FINGIRMOS que o crescimento exponencial de leilões é normal, se FINGIRMOS que tudo está normal com a CEF, dentre tantas outras auto-enganações que deveríamos praricar e se assim, ao final, acabarmos internados no mesmo hospício que o Nefasto…

          5+
          • avatar
          • CA 29 de dezembro de 2017 at 22:15

            Ignorar o último comentário da série acima que ficou fora de ordem, repliquei logo abaixo, no lugar correto.

            2+
      • thiago fm 29 de dezembro de 2017 at 21:14

        Não adianta tentar a tática do “embromation” Onde consta que caiu o número de imobiliárias sabichão, a ponto de afetar a pesquisa? Além disso, eu não tirei média nenhuma em nenhum dos casos. O gráfico de vendas por imobiliária traz de forma pontual todos os índices mensais que foram divulgados pelo próprio CRECI no período abarcado. Essa não é uma construção minha. Basta acessar as pesquisas e constatar a divulgação literal da proporção de vendas por imobiliária na introdução. Se não for confiável, a responsabilidade é da fonte nesse caso.

        Enfim, como já disse, basta resgatarmos a sua forma de fazer, via projeção e o resultado será basicamente o mesmo. Afinal se A x B = C, temos que B x A = C , certo sabichão?

        4+
        • CA 29 de dezembro de 2017 at 22:13

          CA 29 de dezembro de 2017 at 22:09
          Nefasto,

          O número de imobiliárias pesquisadas tem caído, como mencionado acima e as vendas por imobiliária tem subido, é o que consta nas próprias pesquisas que você colocou acima, quer que desenhe de novo?

          TODAS as imobiliárias que estão CADASTRADAS no CRECI SP estão ativas, você insiste mesmo em defender esta tese e a ideia de que as imobiliárias cresceram exponencialmente em São Paulo nestes últimos anos de crise?

          E você acha que este crescimento pujante de imobiliárias em São Paulo se deveu a grande queda nas vendas em relação ao ápice? Explique mais sobre esta “brilhante logica”…

          Li a introdução, que por sinal não menciona o que você disse, que aparece depois, mas a introdução em si é uma choradeira sem fim, exatamente o contrário do que você diz, assim como uma infinidade de variáveis já apresentadas aqui.

          Então a pesquisa está errada e se vende muito mais em São Paulo? Quer dizer que se tinham mais de 200.000 imóveis anunciados em apenas um site e agora tem mais de 500.000 neste mesmo site, é sinal de que estão vendendo muito mais do que uns 15 mil imóveis usados e mais algo similar a isto de novos e mesmo com redução de lançamentos a oferta mais do que DOBROU?

          Olhou os relatórios das construtoras e não viu que no mínimo tem o equivalente a um ano de vendas líquidas de distratos chegando a ANOS de vendas para outras? É E os demais relatórios que mesmo com todas as distorções inúmeras vezes explicadas por aqui continuam com uma desproporção anormal em relação a vendas, como em nenhum outro setor nesta proporção ou por tanto tempo?

          TODO ano em determinados momentos o segmento imobiliário e seus asseclas falam sobre a “redução dos estoques”, depois falam que no próximo semestre o preço vai subir porque estoques estão caindo, daí os preços continuam caindo no próximo semestre, dizem que é porque estoques estão altos e renovam as esperanças. Jura que você acha que está tapeação é a sua melhor tentativa de enganar as pessoas por aqui?

          Ah, são só as quebradas que estão atrasando os distratos e elas são poucas, se fizermos de conta que se restringem somente as grandes e com ações na BOVESPA, se não considerar as milhares de pequenas e médias na mesma situação, se FINGIRMOS que o ReclameAqui não vale como referência, se FINGIRMOS que antes de 2011 os distratos eram tão elevados quando sabemos que eles NUNCA tiveram esta proporção antes de 2011, se FINGIRMOS que não sabemos que as obras estão atrasando cada vez mais, que novas construtoras entram em situação crítica de caixa AUMENTANDO estas distorções, se FINGIRMOS que é normal um setor manter lançamentos elevados quando estão com super estoques há vários anos e tem um percentual ANORMAL de cancelamentos há mais de 70 meses SEGUIDOS, se FINGIRMOS que é normal a explosão de oferta nos sites como mencionado acima, se FINGIRMOS que o crescimento exponencial de leilões é normal, se FINGIRMOS que tudo está normal com a CEF, dentre tantas outras auto-enganações que deveríamos praricar e se assim, ao final, acabarmos internados no mesmo hospício que o Nefasto…

          6+
          • avatar
          • avatar
          • thiago fm 29 de dezembro de 2017 at 22:55

            ??????????

            Quanta mais você procura desculpa, mais feio fica sabichão. Onde constam que são imobiliárias cadastradas, mas não ativas?? Pra quem não percebeu a taxa de representatividade da pesquisa é a razão das imobiliárias pesquisadas em função do total de imobiliárias do CRECI (o que não se alterou no último ano no caso específico da capital). Faz algum sentido incluir imobiliárias inativas num cálculo da representatividade?

            Dentro da sua mesma lógica de raciocínio, por que aumentaria o número de imobiliárias cadastradas, mas não ativas no contexto atual? Se o próprio CRECI, que faz a pesquisa, diz que o total aumentou porque eu devo questionar em função de um inferência lógica, por mais tentadora que possa ser?

            Mas a questão central nunca foi a quantidade de imobiliárias. A verdade é que você usou uma desculpa esfarrapada, que agora não consegue provar, para descaracterizar a conclusão do meu gráfico. O que fiz foi usar a pesquisa de vendas do CRECI, tal como você já fez quando lhe convinha, para reforçar em conjunto com outras fontes que já há um aumento de vendas na cidade de São Paulo, seja pela ótica da proporção de vendas por imobiliária, seja pela projeção que você prefere. Escolha a que preferir, não importa de qual ângulo se olhe, a melhora do mercado imobiliário em São Paulo, ainda que sutil, é um fato.

            Façamos assim…esqueça meu gráfico e atualize o seu:

            Vamos sabichão. Conclua o que começou…

            4+
            • avatar
            • CA 30 de dezembro de 2017 at 00:20

              Nefasto,

              Quer dizer que tivemos um enorme crescimento no número de imobiliárias, você insiste nesta tese, pela sua brilhante lógica quanto mais caíam as vendas, mais aumentavam as imobiliárias por isto que passamos a ter milhares de imobiliárias a mais só em São Paulo e só nos últimos ANOS que foram de crise, é isto mesmo?

              Quer dizer que o fato de ter vendas que vão ficar em 2017 cerca de 60% abaixo do ápice, mas 18% acima de 2016, que é o calculado por você com base ate outubro, é o sinal de “recuperação” e o choro enorme do pessoal do CRECI SP no proprio relatório que você colocou, que combina com o crescimento exponencial das ofertas nos sites de imóveis, que combina com a quantidade cada vez menor de imobiliárias nas pesquisas, que combina com a choradeira de pedirem reunião com o Temer porque estariam “no fundo do poço”, que combina com a queda que se vê no PIB e empregos da construção civil, que combina com a queda nos lançamentos, que combina com as restrições maiores da CEF porque está QUEBRADA e com uma infinidade de evidências colocadas aqui, não quer dizer nada?

              Multiplicar pelo total geral o índice não quer dizer absolutamente nada, se você tiver, por exemplo, dez, cem, ou mil inativas, o peso delas é ZERO nas vendas e portanto não faz a menor diferença.

              Exemplo:

              De 10 imobiliárias, 2 estão inativas. Levantaram vendas com 3 imobiliárias, chegando a conclusão que elas representam 10% do total das 10 imobiliárias e que estas 3 da amostra venderam 5 imóveis. Quais as vendas totais? 50 imóveis.

              Agora vamos excluir da base as 2 inativas. De um total de 8 imobiliárias, chegaram a conclusão que as mesmas 3 do exemplo acima representavam 10% do total e que estas 3 venderam 5 imóveis. Quais as vendas totais? 50 imóveis.

              O que interessa saber é se o peso das imobiliárias em relação ao total está correto, se existirem imobiliárias com peso zero, não faz diferença, isto se aplica não somente as imobiliárias inativas, mas também aquelas que não realizaram vendas. Observe que o número de imobiliárias é muito maior que o total de vendas, logo, existem muitas que venderam zero e/ou estão inativas, para este cálculo tanto faz ser inativa ou ter venda zerada no mês.

              Usando o cálculo do CRECI, se você deixar as inativas e dizer que individualmente o peso da amostra é 0,3205, ao multiplicar pelo conjunto com as inativas chegará no valor correto. Se tirar as inativas e o peso da amostra subir em relação ao restante, chegará no mesmo resultado, é só outra forma de representar o que consta acima, ou seja, com ou sem inativas, se o peso relativo estiver correto, o resultado final também estará, o que invalida seu raciocínio de que a prova de não ter inativas é o cálculo com base no total.

              Sabe o que é mais ridículo? Você foge de centenas de questões e acha que tem moral para cobrar respostas, sendo que continua fugindo destas mesmas questões sempre e de quebra, continua com argumentos ilogicos. Ah, vamos ter um crescimento de usados projetado pelo CRECI SP em 2017 como você disse? Sim, você está certo. E agora, vai ter a hombridade de responder as centenas de questões das quais FUGIU ou vai continuar fingindo COVARDEMENTE?

              4+
              • CA 30 de dezembro de 2017 at 00:33

                Antes que finja que não entendeu de novo:

                Mais de 8.000 imobiliárias

                Menos de 2.000 vendas no mês.

                Várias imobiliárias SEM VENDAS ou vendas iguais a ZERO, EXATAMENTE o mesmo que se estivessem INATIVAS, para o cálculo, estar inativa e vender zero é EXATAMENTE o mesmo que estar ativa e vender zero.

                O índice é multiplicado pelas mais de 8.000 imobiliárias, certo?

                Agora vamos voltar a sua pergunta:

                “Pra quem não percebeu a taxa de representatividade da pesquisa é a razão das imobiliárias pesquisadas em função do total de imobiliárias do CRECI (o que não se alterou no último ano no caso específico da capital). Faz algum sentido incluir imobiliárias inativas num cálculo da representatividade?”

                Pois é, está DEMONSTRADO que o cálculo de representatividade inclui imobiliárias com vendas ZERO uma vez que o número de vendas é bem menor que o número de imobiliárias. Para vendas ZERO, tanto faz ser ativa ou inativa no cálculo, ou seja, a sua pergunta e o seu raciocínio acima não fazem o menor sentido e se contradizem nos dados que você mesmo apresentou…

                7+
                • avatar
                • avatar
                • CA 30 de dezembro de 2017 at 00:36

                  Opa, correção: para São Paulo capital em set/17 mais de 5.800 imobiliárias, mesmo assim, muito acima das vendas que foram inferiores a 2.000 no mês, o raciocínio acima continua válido.

                  3+
                  • thiago fm 30 de dezembro de 2017 at 10:36

                    Tentando mudar a estratégia para confundir?

                    Alguém me viu dizer que a situação atual do mercado já pode ser considerada boa? É óbvio que dentro da média teremos imobiliárias com desempenhos melhores e piores e até aquelas que não vendem nada, mas quando os dados agregados começam a se alinhar para uma determinada tendência, podemos notar o ponto de inflexão. No caso específico de São Paulo e da pesquisa CRECI tudo indica que no quesito vendas o desempenho de 2017 terminará próximo do patamar de 2015, ainda que este limiar seja baixo ainda em relação à media.

                    O que eu disse e reafirmo é que o pior momento está ficando pra trás, principalmente no que concerne aos indicadores de demanda (vendas, estoques, distratos, lançamentos) e tal percepção ficará mais clara quando completar a atualização do trabalho. Depois que se atinge o fundo do poço é preciso escalar o poço para chegar ao nível da superfície e até que isso aconteça a sensação geral de quem observa sem dados é de que as coisas permanecem ruins. Nesse caso a primeira pergunta que deve ser feita é: parou de piorar?

                    Quantos aos preços, noto que de uma forma geral eles caem ainda, porém cada vez mais devagar em termos reais, tendendo a estabilização no médio prazo. Ressalto para alívio de muitos que por enquanto não há pressão consistente de alta dos preços, exceto em casos pontuais e isso se explica porque os estoques, mesmo com tendência de baixa, continuam acima da média e principalmente porque o crédito imobiliário ainda não embicou pra cima, apenas se acomodou. Um fator importante nesse caso é saber como será a postura da CEF nesse quesito a partir do ano que vem, quanto a dar um passo atrás, ficar no lugar ou dar um passo a frente em caso de uma possível recapitalização com retomada do crédito. Como essa questão ainda é muito nebulosa, prefiro esperar um pouco pra ver.

                    3+
                    • avatar
                    • thiago fm 30 de dezembro de 2017 at 10:45

                      Corrigindo…

                      Baseado no gráfico de vendas projetadas do sabichão que apontou aproximadamente 15 mil unidades no ano de 2014 e considerando que se tem 13 mil unidades vendidas até outubro de 2017, segundo o CRECI o ano de 2017 deve terminar no nível de demanda de 2014.

                      Obrigado sabichão pela colaboração!

                      2+
  • thiago fm 29 de dezembro de 2017 at 18:11

    Lord of All 28 de dezembro de 2017 at 16:29

    Thiago fm li os seus comentário anteriores.
    Ao contrário da maioria aqui do blog, não acho vc mau caráter ou “nefasto”.
    Só acho q vc representa a personalidade da grande maioria dos brasileiros, o senso comum, aquelas pessoas que ouvem uma notícia no jornal nacional e se enchem de esperança, acham que tudo vai melhorar “com fé”.
    De um certo lado até acho bonito isso.
    Ñ sou conselheiro nem nada disso, mas se eu pudesse te dar um conselho, esse seria: em se tratatando de Brasil, não acredite em tudo o que te contam. Nao seja ingênuo.
    Alguns números econômicos podem parecer melhores, mas não se esqueça de como funciona o sistema político por aqui. São as raposas que comandam o galinheiro e, acredite, elas não querem o seu bem no final.
    Olhe com mais cuidado os números estatísticos, não deixe a grande mídia te enganar, fuja do senso comum e crie um senso crítico mais alinhado com a situação moral e político do nosso Estado. Vc vai perceber que os zero qualquer coisa de número na economia não representam um avanço tão importante assim.

    ————————————————————————–

    Engraçado..

    Até onde sei é o Thiago Fm que é o cara do blog que nada contra a corrente e que entra no meio da torcida do Palmeiras e gritando “Vai Corinthians!” e sai sem apanhar. E você ainda que me deixo influenciar pela maioria? Reveja seus conceitos…

    Se tivesse lido de fato os tópicos anteriores teria percebido que eu sou o cara que não se baseia em notícias, aquele que vai direto na fonte para analisar por si próprio e formar opinião. Já me viu elencar “evidências” em links de notícias? E ainda acho que me deixo levar por elas? Reveja seus conceitos…

    Existe um limiar que separa o pessimismo do otimismo e este é a moderação. Quem fica no meio tende a estar mais perto dos extremos e tem assim menos chance de errar. Já me viste dizer pra alguém que é hora de comprar como fazem os verdadeiros asseclas do mercado? Então não acho que esteja entre os otimistas.

    Pra terminar vou deixar um exemplo de como a cautela e o pessimismo podem flertar com o erro, travestido de proteção. Deixo em seguida o link do último Boletim Focus de 2016. Foram pessimistas e cautelosos, apostando no 0 qualquer coisa e passaram longe em relação a Selic, IPCA, PIB, dólar etc. Nesse caso nem sempre o erro está na superestimação da confiança:

    http://www.bcb.gov.br/pec/GCI/PORT/readout/R20161230.pdf

    Sendo assim novamente insisto. Reveja seus conceitos…

    3+
    • CA 29 de dezembro de 2017 at 18:31

      Nefasto,

      O ano de 2017 não acabou! Você não pode dizer que o boletim FOCUS subestimou o PIB, ainda nem apurado de 2017, o certo a dizer é que ninguém previu fatores NÃO RECORRENTES que ocorreram, como a super-safra agrícola e o saque de R$ 43 BILHÕES das contas inativas do FGTS, APENAS ISTO. Eles não fazem previsões climáticas nem cálculo de nível de pedalagem para SIMULAR recuperação, eles estudam de forma objetiva o que se apresenta e naquele momento, sem saber do clima e dos planos de gambiarras do Temer, não dava para adivinhar, apenas isto. Ninguém foi excessivamente conservador, até o Meirelles diminuiu a previsão do PIB 2017 para menos de 0,5% por não saber ainda deste cenário e isto ainda em 2017!

      SELIC muito baixa como consequência de inflação muito baixa como consequência de crise na economia, super-safra agrícola, promessas NÃO CUMPRIDAS de reforma da previdência e outros fatores não estruturais NÃO é algo para ficar otimista. Só você, os “especialistas” e o governo dizem ficarem felizes com esta queda maior que o esperado por todos estes motivos, todos os outros países em que a inflação CAI mais do que o esperado por motivos conjunturais e parte relevante deles não recorrentes ou negativos, consideram isto PÉSSIMO, até porque está relacionado a desemprego crescente, endividamento elevado e total falta de dinamismo na economia, como os diversos números apresentados inúmeras vezes por aqui DEMONSTRAM. A deflação de mais de uma década no Japão NÃO é comemorada.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Dr. Estranho 29 de dezembro de 2017 at 18:26

    https://oglobo.globo.com/rio/com-brt-depredado-vans-liberadas-transporte-municipal-do-rio-ruma-para-colapso-22237347

    Esse é o Hell. Convido a todos à leitura. Nenhum argumento, repito, nenhum argumento, gráfico ou estatística de site oficial, ONG, site “xexelento” e um sem fim de informações inúteis e manipuladas podem corroborar a tese que está melhorando ou caminha para estabilidade. O legado olímpico destroçou o Hell. Nada aqui vale mais o preço. Mas aí o indivíduo dirá: O Leblon vale “trocentos milhos”. Leva de brinde São Conrado Rocinha e Vidigal. As super mega favelas no colo. Sim: São Conrado é mera continuação da favela.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 30 de dezembro de 2017 at 00:08

      Ligue os pontos: prefeito que representa uma instituicao que vive de esmola alheia + populistas e corruptos de sempre com mais dificuldade em roubar pelos meios tradicionais + nobreza que sempre teve o poder explorando a miseria alheia vendo seu chao rachar = caos incentivado

      4+
      • avatar
  • indiobolhista 29 de dezembro de 2017 at 18:32

    Empresas se unem em praça para incentivar a renegociação de dívidas
    Dividas com mais de 360 dias em atraso. Algumas empresas e bancos estão na praça Ary Coelho, no centro de Campo Grande, para incentivar clientes a renegociarem dívidas. A Caixa Econômica Federal está com uma agência itinerante. Descontos de 79%. Premio para os desorganizados (irresponsáveis ou com problemas que só eles entendem) em finanças.
    https://www.youtube.com/watch?v=mUeChB3re4k

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lord of All 29 de dezembro de 2017 at 19:07

    Chove sem parar, mas a tarifa de energia elétrica continua na bandeira vermelha.
    Neva sem parar na terra do Tio Sam, mas todo mundo continua acreditando no aquecimento global.
    A crise econômica continua assolando a Banânia, mas o thiago continua acreditando que agora vai.

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 29 de dezembro de 2017 at 19:11

    OFF – Robôs, IA e Big Data

    Excelente artigo com o grande mestre Garry Kasparov, recomendo a leitura.

    https://www.businessinsider.com.au/garry-kasparov-talks-about-artificial-intelligence-2017-12/?r=US&IR=T

    5+
  • Leonardo M. 29 de dezembro de 2017 at 19:24

    Eu até hoje não entendo como na minha há cidade só vejo terrenos de 120k pra cima em bairros afastados.
    Chapecoense deve ser milionário e não sei de onde o povo tira dinheiro pra isso.

    Até hoje não entendo como só construimos casas de tijolos e não de madeira.
    3…2…1… Para alguém vir falar que madeira no Brasil é de péssima qualidade e que nos EUA a madeira é de melhor qualidade.
    Sim os EUA devem colocar um pó mágico na madeira deles mesmo
    A verdade é que americano é inteligente.
    Gastam menos tempo e dinheiro construindo casas que nos.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Gute 29 de dezembro de 2017 at 21:14

      Qual o perfil dos compradores. Dá pra saber quando ocorre?
      Pessoas de outras cidades? Moradores com renda acima da média? Funcionários?

      4+
  • Gute 29 de dezembro de 2017 at 21:23

    Sobre alguns comentários acima:

    A depreciação é algo real. Imóveis com piso, mobília, decoração ultrapassados valem menos. Além disso, podem ocorrer reformas/revitalizações no prédio.
    Chutando. Para um apartamento de R$400.000 pode ser R$30.000 a cada 10 anos por exemplo. A depender dos eventos.

    2+
    • MauricioSP 30 de dezembro de 2017 at 10:15

      Ninguém disputa a existência de depreciação, a discussão é o percentual.
      No seu exemplo a taxa de depreciação de 30 mil em 10 anos para um imóvel de 400mil é de menos de 1%, o Cesar_DF estava.sugerindo uma depreciação de 2%

      Em se tratando de depreciação por necessidade de manutenção do imóvel, acredito que seja menos de 1%, talvez 0,5%. Por exemplo um prédio que conheço de 60 anos com uns 80 apartamentos teve que trocar toda a fiação elétrica há uns dois anos atrás por causa do AVCB. Custo? 400 mil. Bem alto, mas por apartamento ficou em 5 mil, parcelado em 12 vezes. Normalmente o custo maior é a hidráulica e elétrica que precisa ser mexida a cada 20 anos, além de telhado e paredes externas.

      O maior problema é a depreciação por outros fatores. Uma favela, um bar, um ponto de drogas que surge na vizinhança. Isso é muito mais difícil de prever e calcular. Como o Lucas sempre cita, a atual área da cracolândia em SP já foi um bairro nobre décadas atrás.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • indiobolhista 29 de dezembro de 2017 at 21:30

    Leonardo e como foi aquela proposta que você fez por um apartamento?, tem veces ofereço mixaria na esperança de achar uma galinha podre …. até agora não tive sucesso, mais como diz Warren Buffett: http://feliciteca.com/3-cosas-que-warren-buffett-nos-ha-ensenado/ Nunca tenha medo de pedir muito quando você vende, nem de oferecer pouco quando você compre, então eu tento oferecer por um imóvel com preço atrativo, a terceira parte no máximo a metade sempre á vista, até agora não consegui nada mais não tem outro jeito de comprar ao preço real, os 666 acham que os preços bolhudos são baratos e justos,(sao esses idiotas que cagaram o pais http://estamosricos.com.br/artigos/sociedade-da-vaidade/ ) eu sou mão de vaca de verdade e acho todo caro …. sempre. Bolhistas que tem vontade de comprar á vista peço vocês oferecer mixarias por hobbie.
    Nunca tengas miedo de pedir demasiado cuando vendas, ni de ofrecer poco cuando compres. O lo que es lo mismo, no tengas miedo de darle un valor justo y real a las cosas. No devalúes tu talento ni tu trabajo, sino quieres decepcionarte de lo que de verdad te apasiona en la vida. Pero también recuerda no subestimar lo que pueden hacer los demás.

    2+
    • avatar
    • Leonardo M. 2 de janeiro de 2018 at 12:38

      Ou o cara me chinga ou nem responde.
      Também desisti de achar um AP pelo fator 100X

      Povo aqui da minha cidade prefere morrer de fome do que entregar os tijolos por preços acessíveis.

      2+
      • avatar
  • Wind 29 de dezembro de 2017 at 22:54

    Como se calcula o valor X?

    1+
  • Wind 29 de dezembro de 2017 at 22:55

    Fator

    1+
    • JJJ_brasilia 29 de dezembro de 2017 at 23:27

      Wind,

      Fator X é quantos alugueis são necessários para comprar um imóvel, por exemplo (vou usar número redondo para ficar mais fácil de compreender):

      Fator X 100: aluguel R$ 1.000,00 X 100 = R$ 100.0000,00

      Fator X 150: aluguel R$ 1.000,00 X 150 = R$ 150.0000,00

      Fator X 200: aluguel R$ 1.000,00 X 200 = R$ 200.0000,00

      e assim por diante, dá para fazer ao contrário também, dividindo o preço de venda pelo aluguel.

      Mas o mais importante é que no Brasil o mercado imobiliário tem por regra avaliar o imóvel por metro quadrado, e o Fator X é uma outra forma de avaliar o imóvel, muito usado por investidores de Fundos Imobiliários (FII). Pois no mercado de FII a avaliação por metro quadrado que não chega ao bolso do cotista não interessa.

      O metro quadrado é um custo de construção, mas se este é o valor de mercado é outra história, a grande vantagem do fator X é que o aluguel não pode ser financiado em 35 anos pela Caixa Econômica Federal, ele vence todo o mês, então é real e não se cai na ilusão da parcelinha do financiamento imobiliário.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • JJJ_brasilia 29 de dezembro de 2017 at 23:41

        Wind,

        O fator X ideal para quem compra é 100, sendo aceitável 150 e no limite extremo 200, mais do que isto é suicídio financeiro.

        6+
        • avatar
        • to bolhado 30 de dezembro de 2017 at 06:57

          Você consegue fundamentar essa conta de fator x aceitavel pra comprar?

          3+
          • Cesar_DF 30 de dezembro de 2017 at 13:39

            To bolhado
            Já fizemos as contas pelos mais diferentes métodos
            – Benchmarking
            – Buy To rent ratio
            – Price to income ratio
            – Índices históricos
            – IVG-R x renda per capita

            E sempre acabamos chegando em 150X de média , sendo 100X para uma excelente compra e 200X como limite

            5+
            • avatar
            • avatar
            • to bolhado 30 de dezembro de 2017 at 17:12

              discordo dessa conta. Por isso queria ver o outro rapaz fundamentar. Acho que você estão enganados. O fator x de equilíbrio no próximo ano pode ser razoavelmente maior do que esse.

              6+
              • perdido no rio 3 de janeiro de 2018 at 11:03

                Por que voce discorda? Qual metodologia sugere?

                1+
  • FugidoRJ 30 de dezembro de 2017 at 00:26

    Pessoal, boa noite!
    Estou morando na América e tenho investimentos no Brasil. Minhas rentabilidades no ano estão entre 9% e 12%, percebi que caiu quase 50% de rentabilidade desde que saí do país.

    Existe algum investimento que eu consiga voltar para 16%?

    Realmente estou perdido e aquela história de pague meu juros não está mais me satifazendo.

    Abraço

    6+
    • avatar
    • JJJ_brasilia 30 de dezembro de 2017 at 00:31

      FugidoRJ,

      A Selic tá 7% a.a., então acho difícil conseguir 16% a.a., sempre vejo a rentabilidade líquida, conseguir muito acima da Selic só com mais risco, como bolsa, mas aí é para longo prazo e tem que acompanhar um pouquinho. Em renda fixa 9% a.a. já ta bom de mais.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • FugidoRJ 30 de dezembro de 2017 at 00:38

        Pensei em retirar esse dinheiro e comprar “drywall” vulgo tijolos aí, porém acredito que tenhamos uma bolha por aqui e o dólar x real está nas alturas. Esperarei a votação da reforma da previdência para definir o que farei com esse dinheiro. Possuo dois imóveis no Brasil, um em SP e outro no Hell de Janeiro, foram comprados antes da bolha e estou tentando vendê-los só que não aparecerem compradores, acredito em razão do valores serem acima da média da renda da população.

        Eita Brazzzzzeeeelllll!

        5+
  • Wind 30 de dezembro de 2017 at 00:52

    Obrigado JJJ!
    Meu CVR:
    Escapei de comprar qq coisa na bolha, maioria dos que eu conheço comprou (financiamento de décadas). Achei e acho os preços absurdos. Optei por morar de aluguel, sendo que o valor não representa 0.3% do imóvel, que é de excelente padrão, sem imobiliária, direto com a amiga da minha esposa. Mas é difícil pra família entender pq eu moro de aluguel…
    Este espaço é um oásis.
    Outra coisa, final de ano sempre tem encontro com familiares, este ano meu irmão perguntou pq eu não compro um imóvel, que eu deveria me procurar com o futuro. Respondi que, justamente por me preocupar com o futuro, eu não compro. Sigo com minhas aplicações no mercado rendendo juros, suficientes pra pagar o aluguel com sobra.

    35+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Leonardo M. 30 de dezembro de 2017 at 02:22

      Tentar explicar isso para um 666 é igual Albert Einstein tentando explicar para nós o átomo e sua explosão
      Não vai…

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Marcio 30 de dezembro de 2017 at 10:16

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/12/1947037-vaga-com-carteira-assinada-cai-ao-menor-nivel-em-5-anos.shtml

    A “recuperação” da economia e do nível de emprego veio do Uber e do cara que perdeu o emprego e foi vender lanches nas empresas.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • thiago fm 30 de dezembro de 2017 at 10:59

      Melhor ter renda informal do que renda nenhuma e desse contingente aposto que boa parte optou por trabalhar por conta própria.

      Trechos importantes da matéria:

      “Após recessão profunda, é natural que o emprego informal reaja mais rápido do que o emprego formal, justamente pela flexibilidade”, disse o pesquisador do Ibre/FGV, Fernando de Holanda Filho”

      “A economista-chefe da XP Investimento, Zeina Latif, diz que, com a melhora da economia esperada para o ano que vem, o mercado formal apresentará melhora a medida que as empresas conseguirem reestruturar suas finanças. “O que estamos vendo no mercado de trabalho é CÍCLICO”, diz ela, ao ressaltar que mudanças estruturais serão vistas a partir dos efeitos da reforma trabalhista. “

      2+
      • avatar
      • CA 30 de dezembro de 2017 at 11:56

        Ah sim, novas promessas de que o emprego vai melhorar em 2018, afinal 2017 está terminando com patamar recorde de desemprego, simultâneo com recorde de inadimplência de micro e pequenas empresas que graças a este recorde certamente vão reverter isto rapidinho, a dívida vai evaporar sa noite do dia, embora só tenha piorado em 2017 e com isto vão sair contratando à rodo.

        A nova lei trabalhista é “fantástica” para gerar empregos formais, basta ver os resultados do primeiro mês de vigor da lei e as PROMESSAS não cumpridas dos varejistas que levaram a uma QUEDA dos empregos formais totais (varejo cresceu menos que o “esperado” com a “flexibilização”), mas no próximo ano, com a consolidação do uso destas leis, tudo melhora, o varejista que antes precisava contratar temporários por 3 meses e período integral de trabalho, poderá contratar com escala reduzida e gastando menos, gerando mais SUBempregos no lugar dos empregos.

        Sim, é melhor inflar os Ubers, os food trucks e os salões de cabeleireiro dentre outros, ÓBVIO que como a demanda não cresce proporcionalmente, isto apenas significa tirar renda de quem já estava estabelecido e transferir para os entrantes, fazendo com que na sequência, muitos tenham que abandonar seus negócios porque os mesmos não eram mais viáveis nos novos volumes muito reduzidos, mas como o Nefasto nunca acreditou na lei de oferta e procura, na lei da gravidade ou qualquer outra “bobagem” como esta, qual o problema?

        6+
        • avatar
        • avatar
        • perdido no rio 3 de janeiro de 2018 at 11:06

          Concordo plenamente, CA. Este modelo de trabalho tende a minar novamente a previdência no médio prazo. Aquela quadrilha do PMDB já vai deixar o país precisando de nova reforma previdenciária em 5 ou no máximo 10 anos.

          0
  • Marcio 30 de dezembro de 2017 at 10:23

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/12/1947032-bolsas-globais-tem-o-melhor-desempenho-da-historia.shtml

    Nesse fim de ano resolvi vender uma parte de minhas ações, ficando só com algumas que considero boas empresas e que ficaram para trás nesse oba oba, como Cielo e Energias do Brasil.
    Quero só ver quando acabar esse dinheiro que tão colocando na economia (uma hora vai acabar, não tem como imprimirem dinheiro infinitamente, sem consequências).

    3+
    • avatar
  • indiobolhista 30 de dezembro de 2017 at 10:29

    http://www1.caixa.gov.br/editais/EF01632017CPVECT.PDF casa 88.320,60 reais item 37 Chapecó Rua José Hertz) Lt 06 Qd 4483 EFAPI Casa com bichinho da goiaba incluido, 50,18 m2 de área privativa, 200m2 de área do terreno, 2 qts, WC, sl,cozinha, Aquisição no estado em que se encontra. Formas de pagamento, previstas no Edital, verificar junto à Agencia CAIXA. ok p/1º leilão. IPTU: 83542 Matrícula: 92356 Ofício: 1 8444401164137 88.320,60 136.000,00 4.416,03 situaçao: Ocupado

    0
  • CA 30 de dezembro de 2017 at 11:39

    Retrospectiva 2017 – construtoras:

    Fev/17: a PDG finalmente pede recuperação judicial depois de anos PEDALANDO com apoio de CEF, BTG e outros envolvidos nas páginas policiais e após BILHÕES e BILHÕES de Reais em distratos a partir de 2011, situação que nunca existiu nesta proporção para esta empresa, para este ou qualquer segmento de negócio no Brasil ou no Mundo até 2010, apesar das vendas na planta existirem há DÉCADAS no Brasil e no Mundo e apesar de algumas das construtoras mais afetadas também terem experiência de décadas neste tipo de venda;

    https://exame.abril.com.br/negocios/pdg-entra-com-pedido-de-recuperacao-judicial/

    Maio/17: artigo dando conta que em Santa Catarina, segundo pesquisa divulgada em abril/17, o número de recuperações judiciais entre construtoras mais do que dobrou de 2013 a 2016 e que agora em 2017 existem outras construtoras que já sinalizaram que fariam recuperação judicial.

    http://www.studioestrategia.com.br/recuperacao-judicial-construtora/

    Nov/17: Borges Landeiro, é a quinta construtora de grande porte a pedir recuperação judicial em período de 1 ano e 7 meses, algo que nunca aconteceu antes no Brasil nesta proporção ou velocidade.

    http://jornaldiadia.com.br/2016/?p=363780

    Início de Dez/17: representantes da construção civil estimam uma queda no PIB do segmento deles na ordem de 6,4% para 2017.

    https://www.aecweb.com.br/cont/n/pib-da-construcao-civil-deve-cair-64-em-2017-estima-sindusconsp_16670

    Início de Dez/17: empresários da construção civil irão pedir reunião com Temer porque o setor está “NO FUNDO DO POÇO”

    http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/no-fundo-do-poco.html

    Final de Dez/17: divulgada pesquisa do IBGE sobre empregos em nov/17, o setor de construção civil foi o segundo que mais gerou desemprego formal em todo o país neste mês. O setor da construção civil começou a ter um crescimento de vagas formais muito menor que o restante do país já em 2012, quando as obras para copa do mundo, olimpíadas e Petrobras visando alimentar propinodutos estavam a pleno vapor e isto ocorreu porque aquele havia sido o pior ano para construção civil leve desde então. A partir de 2014 este segmento vem sendo um dos lideres do desemprego no país.

    http://www.otempo.com.br/capa/economia/pa%C3%ADs-fecha-12-292-vagas-formais-de-emprego-em-novembro-1.1557235

    Final de Dez/17: batido novo RECORDE de vacância de prédios corporativos no Rio de Janeiro

    http://g1.globo.com/jornal-da-globo/videos/t/edicoes/v/rio-de-janeiro-tem-recorde-de-vacancia-de-predios-corporativos/6382210/

    Final de dez/17: no Ceará o estoque de imóveis ao final de 2017 é o TRIPLO do normal e lançamentos PROMETIDOS só a partir do segundo semestre de 2018.

    http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/negocios/estoque-de-imoveis-no-ceara-e-de-9-mil-unidades-1.1871202

    Final de Dez/17: a construtora Esser irá entrar com pedido de recuperação judicial, a sexta construtora de grande porte em período de menos de 2 anos, recorde nacional sendo ampliado.

    http://videos.band.uol.com.br/bandnews/15422418/grande-construtora-vai-pedir-recuperacao-judicial.html

    Leitura nefastica dos fatos acima:

    1) O setor de construção civil está claramente iniciando uma melhora neste ano de 2017;

    2) Faltam tópicos recentes neste blog sobre notícias bombásticas que depõem contra esta “recuperação” , o que é mais uma “prova” desta recuperação que já se iniciou. Outra “prova” desta recuperação é um grande número de reportagens contendo PROMESSAS do segmento imobiliário de que tudo vai melhorar a partir do ano que vem, EXATAMENTE as mesmas promessas feitas pelo segmento desde 2012 sem nunca serem cumpridas e como se não bastassem fatos tão convincentes quanto estes, o Amorinha também disse, frente a todos os fatos e dados acima e vários outros no mesmo sentido, que o segmento já iniciou sua retomada.

    3) Estamos tendo cada vez menos distratos REGISTRADOS, graças ao crescimento rápido das recuperações judiciais de construtoras dos mais diversos portes e com isto não estão mais sequer registrando os distratos oficialmente. Graças a esta estrategia, as vendas líquidas SIMULAM uma melhora, assim como o estoque se reduz porque estes imóveis não voltam “oficialmente” para os estoques das construtoras. A saída encontrada pelo setor é deixar cada vez mais construtoras quebrarem porque não conseguem PEDALAR e assim melhorando substancialmente as estatísticas graças aos distratos não registrados, o que garante vendas líquidas maiores e estoques menores do que a realidade.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • thiago fm 30 de dezembro de 2017 at 16:24

      CRESCIMENTO DA CONSTRUÇÃO

      Eu já disse um milhão de vezes que o setor de construção tende a sentir mais e por mais tempo a queda da atividade, pois depende sobretudo de confiança e poupança para investir num novo ciclo de produção que em geral leva anos para se completar, sobretudo no segmento residencial. A queda da atividade da construção em 2017 será forte ainda porque as obras iniciadas pouco antes da eclosão da crise estão sendo concluídas agora, mas se analisarmos do ponto de vista de perspectiva, o pequeno aumento dos lançamentos e vendas nesse ano, combinados com a desaceleração robusta das demissões no setor e a recuperação da produção e vendas de alguns insumos, já sugerem que a queda expressiva dos anos anteriores não vai se repetir.

      Por outro lado se considerarmos o fato de que pairam ainda muitas incertezas sobre os rumos políticos do país e sobre a capacidade de realizar as reformas necessárias no curto e médio prazos, que são essenciais para garantir o cenário de estabilidade que a construção civil demanda para crescer, minha leitura “nefástica” não “otimística” não vai garantir um crescimento significativo para 2018, mas posso compartilhar de novo para quem não prestou atenção como o sabichão, a leitura que o Banco Central faz para o setor :

      “Importante ressaltar a evolução recente da produção de insumos de CONSTRUÇÃO CIVIL e de bens de capital associados ao setor – essas estatísticas, em conjunto com a evolução do indicador de confiança dos empresários da construção, sugerem que o setor, que responde por mais da METADE DO IVESTIMENTO TOTAL na economia, COMEÇA A REAGIR após expressivo CICLO DE RETRAÇÃO nos anos anteriores.”

      http://www.bcb.gov.br/htms/relinf/port/2017/12/ri201712P.pdf

      Essa é do governo que tende a ser mais “otimístico”…

      “Na visão da área econômica do governo, máquinas e equipamentos serão os motores desse movimento, mas a CONSTRUÇÃO CIVIL deve começar a contribuir positivamente daqui para a frente. A taxa de juros baixa é considerada um elemento essencial nesse cenário, facilitando não só o crédito, mas reduzindo a disposição de manter dinheiro parado em aplicações financeiras já não tão rentáveis”

      http://www.valor.com.br/brasil/5237363/fazenda-ve-investimento-de-dois-digitos-puxando-economia-no-ano-que-vem

      Essa outra é da FGV ….

      “A confiança do setor da construção segue a tendência de uma alta paulatina, mas contínua. O cenário para 2018 é de continuidade desse processo, a não ser que mudanças bruscas na economia ou na política causem turbulência (…) Se não tiver nenhum choque externo ou interno nem incerteza política ou econômica, o setor vai continuar melhorando”, ressaltou Bezerra.”

      http://www.valor.com.br/brasil/5236207/recuperacao-da-confianca-do-setor-de-construcao-deve-seguir-lenta-mas

      Notem que eu tenho sido até bem cauteloso e “pessimístico” na comparação com a visão de alguns agentes…

      2+
      • CA 30 de dezembro de 2017 at 17:01

        Ô Nefasto, não cansou de passar vergonha ainda?

        Você está usando as EXPECTATIVAS dos empresários da construção civil como indicador de melhora??? Não dá para ser mais RIDÍCULO, uma vez que várias vezes as expectativas deles foram positivas e em seguida a situação só piorou. Qual o sentido então de expectativas que nunca se concretizam, provar que você não tem NADA concreto para apresentar?

        Peraí, o copiar e colar do BC que você fez, como sempre sem NENHUM espírito crítico está citando a construção civil e bens de capital como aqueles que vão recuperar a economia? A mesma construção civil que acabou de puxar o desemprego em novembro/2017 junto com a indústria de transformação? A mesma construção civil que prevê uma queda acentuada em seu PIB em 2017? A mesma construção civil que disse estar no fundo do poço agora mesmo em dezembro/2017? Estes são os FATOS e DADOS, as expectativas do BC do copiar e colar não representam nada, só mais wishful thinking.

        Ah, é a economia que fez os distratos anormais terem surgido pela primeira vez na história em 2011, tanto é que a crise só apareceu em 2015, ou seja, voltaram no tempo 4 anos para causar este estrago. O pior resultado de todos os tempos para as construtoras em 2012? De novo, voltaram no tempo para a crise na economia se refletir 3 anos antes de acontecer. Os empregos formais da construção civil cresceram MUITO MENOS que o total do Brasil em 2012 APESAR da disparada de obras da construção civil pesada em função de copa do mundo, olimpíadas e projetos da Petrobrás para alimentar propinodutos, exatamente por causa desta catástrofe do setor de imóveis em 2012, de novo, porque a crise de 2015 voltou 3 anos no tempo para causar isto, certo?

        Até quando vai passar RIDÍCULO defendendo a brilhante tese de que os picolés de limão é que causam o sol escaldante? Os fatos e dados estão aí, as evidências apresentadas INÚMERAS vezes, usar EXPECTATIVAS que nunca se cumprem é pra lá de RIDÍCULO, faltam palavras para definir o tamanho do seu PAPELÃO!

        6+
        • avatar
        • CA 30 de dezembro de 2017 at 17:49

          Expectativas da construção civil em 2014 para o ano de 2015, em evento do SINDUSCON em outubro/2014: o CRESCIMENTO em 2015 vai ser parecido com 2014. Segue o link abaixo:

          http://www.cimentoitambe.com.br/construcao-civil-em-2015/

          Resultado em 2015? PIB da Construção Civil registrou a maior QUEDA em 12 ANOS! Segue o link abaixo:

          http://www.cbicdados.com.br/menu/home/pib-2015

          Em 2015 eles finalmente apostaram que ia cair 5% e a queda do PIB da construção civil foi em torno disto, acertaram porque apostaram em QUEDA!

          http://www.valor.com.br/empresas/4346912/setor-de-construcao-encolhe-8-neste-ano-e-preve-queda-de-5-em-2016

          http://www.cbicdados.com.br/menu/home/pib-2016

          Estimativa da construção civil para 2017, feita durante 2016: “2017 será o ano da retomada e da volta do crescimento da construção civil”

          http://www.costdrivers.com/noticias/noticia-completa-200073

          E agora, neste mês de dezembro/2017 este mesmo segmento está dizendo o que sobre o resultado deste ano (extraído do comentário acima que você respondeu)?

          “Início de Dez/17: representantes da construção civil estimam uma queda no PIB do segmento deles na ordem de 6,4% para 2017.

          https://www.aecweb.com.br/cont/n/pib-da-construcao-civil-deve-cair-64-em-2017-estima-sindusconsp_16670

          Início de Dez/17: empresários da construção civil irão pedir reunião com Temer porque o setor está “NO FUNDO DO POÇO”

          http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/no-fundo-do-poco.html

          Sério que o melhor argumento que você possui é uma EXPECTATIVA da construção civil de que ano que vem melhora, depois dos exemplos acima? E onde ficou a melhoria que já teria começado em 2017 e que você defendia? Agora é jogar para o futuro, DE NOVO???

          6+
          • avatar
          • avatar
        • thiago fm 30 de dezembro de 2017 at 19:39

          Eu confesso que ficar copiando e colando links é mais a sua cara sabichão. Eu não costumo me basear nas expectativas de ninguém para formar minha opinião e acho que já demonstrei isso por aqui.

          Resolvi entrar na brincadeira porque você ficou nervoso com o lance da enxurrada de notícias ruins de fim de ano. De qualquer maneira citei basicamente três fontes mais acima: o Bacen, Ministério da Fazenda e a FGV e não me lembro de ter levado em conta as expectativas dos empresários da construção civil. Além disso no final do ano passado não me lembro de ter escrito em meu trabalho que a construção estava na iminência de uma recuperação, disse?

          Por isso que eu digo que cada um responde pelo que diz…

          2+
          • CA 30 de dezembro de 2017 at 23:58

            Ô Nefasto, o índice de expectativa da construção civil que é levantado pela FGV e a referencia que eles utilizaram para falar sobre a evolução das expectativas deste setor, você acha que eles pesquisam com quem?

            a) Papa Francisco
            b) Dalai Lama
            c) Representantes da construção civil, os mesmos que sempre dão previsões otimistas furadas e que ocorrem ao contrário, não somente dos exemplos acima, como também em uma infinidade de artigos com o tema “agora é a melhor hora de comprar porque chegou no fundo do poço, vai melhorar e no próximo semestre vai faltar imóveis e o preço vai subir”, aquilo que eles têm dito nos últimos ANOS, a cada semestre e que também NUNCA se cumpre…

            Quem falou sobre seu trabalho do ano passado aqui? Estou falando dos gráficos e conclusões que você colocou agora em 2017 dando conta do “início da recuperação” do setor, dizendo que o “pior já passou” e por aí vai, ou seja, completamente contrário aos números, fatos e dados e ao que os representantes do próprio setor tem dito quando preveem PIB do setor com queda maior que no ano passado, quando vemos que continuam puxando o desemprego no país, quando uma construtora grande pediu recuperação judicial há cerca de um mês e outra grande já está planejando fazer o mesmo, em um intervalo muito curto e que não havia acontecido antes, quando vemos outras referências de vacância batendo recorde no RJ, estoque absolutamente anormal em Fortaleza, quando representantes do setor pedem reunião agora em dez/17 com Temer para dizerem que estão no fundo do poço, quando vemos um enorme mimimi e choradeira sem fim do presidente do CRECI SP pedindo redução de juros e outros “apoios” naquele relatório estadual de SP de Set/17 que você mesmo colocou aqui, quando vemos as reclamações sem fim dos empresários da construção civil sobre os malvados distratos que continuam destruindo os negócios deles, inclusive reclamações das construtoras que continuam quebrando, quando vemos ações apelaticas absurdas e em serie que não só continuam acontecendo, como ae intensificando, como o BC permitir uso de FGTS para pagar prestações atrasadas em até 1 ano e depois RENOVAR para 2018, permitir que banco fique com imóvel sem leiloar por mais de 1 ano, se fazer de cego, surdo e mudo para a INFINIDADE de crimes e maquiagens da CEF, tão absurdos e inadmissíveis que levaram o MP a pedir a troca de TODOS os vice-presidentes da CEF em 45 dias, a ação APELATIVA do BC de diminuir o compulsório para FORÇAR LIQUIDEZ, a EXTORSÃO DE R$ 15 BILHÕES do FGTS pela CEF, as maquiagens com provisões e inadimplência da CEF que já começaram a vazar até na mídia, etc, etc, etc…

            É esta infinidade de evidências que desmentem o que você está inventando agora neste final de ano, não as invenções e mentiras do ano passado, se bem que uma boa parte está se repetindo, assim como as omissões e a INFINIDADE de evidências que você continua FINGINDO que não vê…

            5+
  • Wind 30 de dezembro de 2017 at 12:38

    CVR – pessoal.
    Na época que eu quase comprei algum tijolo, perguntei para um amigo construtor o que era melhor pra investir em se tratando de imóvel: apartamento para alugar ou uma sala comercial. Ele disse que sala comercial, porque em caso de não pagamento é mais fácil de tirar o inquilino. Isso foi em 2012. Não comprei nada e às vezes passo pelo local que na época pensei em comprar uma sala comercial. O que eu vejo são dezenas de salas vazias há muito tempo com a placa de aluga-se. Dá um alívio por não ter caído no conto do tijolo.

    CVR – trabalho.
    Colega juntou uma grana de anos de economia e comprou um apartamento financiado. 4 anos após a compra ele disse que se tivesse continuado no aluguel conseguiria, hoje, comprar um melhor à vista, que lá no prédio que ele comprou não teve valorização. Ele torcia, pasmem, para ter inflação alta, assim o salário aumentaria. O cara torcia pra ter inflação. Eleitor de lula e Dilma. O que aconteceu? Governo começou a atrasar os reajustes. Agora ele disse que vai votar no Ciro Gomes…

    CVR – TRABALHO 2

    Colega e marido, somando os salários, passa dos 50K. Pagam mais de 60% em juros de finaciamentos de bolhudos. Isso tem uns 5 anos, mas a ficha caiu. Não conseguem fazer uma viagem sequer pq não tem dinheiro, praticamente tudo vai para pagar os tijolos. O marido tá conseguindo vender uma casa por 2 milho, e ela me perguntou o que eu faria se “pingasse dois milhões na minha conta”. Falei sobre os investimentos típicos: Tesouro Direto, Fundo de ações, talvez algum CDB de banco de 2a linha com bom rating. Mas eu vi que ela queria saber sobre imóveis. Respondi que investiria em imóveis através de FIIs. Mas deixei claro que no caso deles, o melhor era quitar todas as dívidas. É o que eu acho que vão fazer. Mas já estão de olho num apartamento bolhudo e não vou ficar espantado se quitarem as dívidas que consomem quase todo o salário e contraírem uma outra.
    Parece doença.

    39+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • indiobolhista 30 de dezembro de 2017 at 15:27

      Como decía qualquer idiota gana 20 mil reais en este país. Esos burros de mierda necesitan un golpe de estado y salario minimo. Quieres ser rico usa tu ingenio y talento aplicado. Y despues dicen que para ganar un concurso federal o ascender en el sector publico toman examenes? y si esos 20 mil son ganados como empleados en el sector publico, es la misma mierda.

      7+
      • avatar
      • avatar
    • indiobolhista 30 de dezembro de 2017 at 15:30

      No son mejores que nadie, sólo porque compraron un titulo universitario y se sentaron de culo 5 anos en una universidad les hace merecedores de ganar juntos 50 mil lucas? salario minimo es lo que necesitan esos asnos con titulo universitario. http://www.otempo.com.br/capa/economia/reajuste-do-sal%C3%A1rio-m%C3%ADnimo-%C3%A9-o-menor-dos-%C3%BAltimos-24-anos-1.1557946 Reajuste do salário mínimo é o menor dos últimos 24 anos

      5+
      • avatar
      • avatar
    • indiobolhista 30 de dezembro de 2017 at 16:07

      Eu imagino que nem thiago fm ganha 25 mil reais ao mês, (não estou de acordo com a maioria das coisas de disse, mais é inteligente o cara) . Esse país é uma piada

      2+
    • Margarida 30 de dezembro de 2017 at 18:15

      Wind, sobre o primeiro CVR, fez bem, como todo mundo aqui já sabe. Um causo: aqui perto tem um prédio que ficou pronto no fim do ano passado. Agora está com placas da largura e altura de UM ANDAR, no topo, vermelhas, ocupando duas faces do prédio, anunciando as salas pra alugar.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • O Cramulhao de FHCigienopolis45 30 de dezembro de 2017 at 12:48

    [OFF] Criptomercado passou de meio trilhão de dólares.

    Ripple se firmou com dois bancos japoneses e já está 100% valorida desde quando citei aqui . Mas RaidBlocks vem aí, principalmente concorrente dela…e de poucos centavos de dólares foi para 13 dólares a unidade em 20 dias!
    Como disse anteriormente , Ripple assusta por ter um CEO, uma empresa por trás e estar sendo adotada por muitos bancos conhecidos, ou seja, há a possibilidade maior de ser mais facilmente manipulada, como um dólar ou real da vida…e por isso a Raidblocks, que faz tudo que a Ripple faz, mas melhor e sendo realmente descentralizada, está se valorizando tanto. Mas talvez ainda valha a pena ter Ripple, do mesmo modo que tem gente que ainda compra dólares e euros….

    Há boatos que no segundo semestre de 2018 Mercados Futuros em criptomoedas na B3 estarão autorizados. Até agora tudo que eu disse sobre criptomoedas aqui vingou, então eu digo que essa info é quente.

    To realizando ações por cripto…fiz um pouco isso com TD no passado, mas a BVMF está tão valorizada em relação à balburdia que está o Brasil, que tem que ser bem louco pra acreditar que isso vai entrar no eixo tão cedo. Isso se algum estatólatra não for eleito em 2018…

    O mais incrível é ver gente por aqui, segurando ações de construtoras, mas dizendo que Criptomoeda é bolha…kkkkk
    Todo dia que lembro dos keynesianos pseudo-bolhistas daqui , e rio…kkkk

    Aliás, graças à criptmoedas, realizei algumas comprei parte de um bar no interior de MG, e virei sócio. Barzinho com balada, ao lado de uma universidade. Nem precisamos pagar o aluguel ao dono durante os primeiros 3 meses, pois ele aceitou que gastaríamos com a reforma. Estabelecimento comercial estava há 1 ano fechado.

    Em fevereiro/março já devemos estar cheio de estudantes NEM-NEM, filhos da Classe-mérdia ex-eleitora do PSDB-PCC (que agora está tomando jeito e finalmente apostando em Bolsonaro e até João Amoedo, o melhor), que não terão passado nas primeiras opções USP, ITA, UFRJ, e irão para MG pegar as segundas opções …

    Chegarão prontos para gastarem o dinheiro dos pais com a gente. To até pensando em criar nomes diferentes pra bebidas tipo “Velho Barreiro com Coca” , e Cachaça Vila Velha com suco de morango,pois consigo fácil um agio de 300% , já que objetivo desse molecada é só ficar chapada mesmo. Oferecer Blue Label ou um Vinho “Carmeneré” pra esse arremedo de Classe- Média que temos no Brasil é pedir pra ir à falência….

    E claro, vou aceitar criptomoedas em pagto. Quem me pagar em Real vai ter que pagar bem mais caro…
    Como eu sei que a molecada nova com um certo grau de informação está mais informada sobre cripto que a velharada que empata tudo em apartamento, CDB, TD e ainda confunde Pirâmide com Criptomoeda, estou esperançoso.

    Meu próximo passo é fazer um puteiro onde só role criptomoeda. Sempre tive uma inveja boa do Oscar Maroni (Bahamas e Skandallo)…e acho que pra ter diferencial, o negócio é inovar. Eu disse que estava esperando BTC bater 50k de dólar pra me aposentar, mas cada dia duvido mais que isso pode acontecer porque Bitcoin é uma porcaria em relação às outras criptomoedas, e o que tenho já dá pra viver de juros , então entrei nessa de empreender em outras áreas m 1 diferentes da minha agora….vai legal.

    Fomentando bebida e sexo pagos em criptomoedas, acredito que estarei contribuindo para o mercado chegar em 1 trilhão de dólares em breve, e estarei fazendo esse mundo melhor 😀

    Vai ser difícil de administrar morando a maior parte do tempo fora de MG, mas vai ser divertido, internet está aí pra isso…

    Devo ter tanto CVR apoś passar o Natal com a familia de Caçapava-SP que até cansa…não sei se espero o Ano Novo pra fazer um resumo.

    Feliz 2018!

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • MauricioSP 30 de dezembro de 2017 at 21:59

      Eu não acho que o Bitcoin é bolha. Acho que atualmente se transformou num esquema ponzi.
      Quem entrar mais cedo lucra mais, até o “tolo maior” ficar com o preju.
      Mas fazendo as contas, ela é um Ponzi de escala mundial, que nunca aconteceu antes.
      Se colocarmos o potencial de um bilhão de “investidores” cada um investindo em média 1.000 dólares, ela pode subir muito ainda, antes de estourar…

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • O Cramulhao de FHCigienopolis45 30 de dezembro de 2017 at 23:13

        Cara…mas por que vc só cita Bitcoin?
        De sua opinião sobre as outras criptomoedas.
        E o dólar ou o Euro São bolhas ? Se não ,porque a Iota ou o Ripple seriam?

        7+
        • avatar
        • MauricioSP 2 de janeiro de 2018 at 14:49

          Acho que meu viés é ver desde o início, quando era literalmente “nada”. 10 mil bitcoins vendidas peloa energia para mineração, por 20 dólares. Depois chegou a 1 dólar. Depois 10. Depois 100. Depois 1000. Depois caiu, caiu, até 250. Depois subiu. Atualmente chega a variar 10% ao dia. Será que dá mesmo pra comparar com dólar e euro?
          E todas as criptomoedas estão bolhudas, disputando interesse dos “investidores”. Cara, more power to you que acreditou, enquanto eu só assisti. Mas não me cheira bem isso tudo. Mas vamos que vamos, daqui a 5 ou 10 anos, veremos o que sobrou disso tudo. Eu creio que existe um fundamento, seria como um novo protocolo para transferência de dinheiro, assim como o SMTP (e-mail) para mensagens e HTTP (web) para multimídia.

          Mas acho que além do fundamento, tem muitos interesses manipulando essas moedas todas, um inflando para atrair os incautos e depois desinflando para fazê-los realizar o prejuízo.

          Quanto ao protocolo em si, transferir instantaneamente valores monetários para qualquer lugar do mundo, com um mínimo de taxas, sem discussão. Mas hoje em dia não se fala mais nisso, as criptomoedas estão sendo comparadas ao ouro (meio de armazenamento de valor) e não ao dólar (transações)

          1+
          • avatar
        • Nelson Schadenfreude 2 de janeiro de 2018 at 15:44

          Dolar e euro são moedas nacionais (ou transnacionais) garantidas por um banco central. Já para as criptomoedas, la garantía sou yo.

          0
      • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 11:44

        Mauricio cara ……. Cara…mas por que vc só cita Bitcoin?
        De sua opinião sobre as outras criptomoedas.
        E o dólar ou o Euro São bolhas ? Se não ,porque a Iota ou o Ripple seriam?
        cara porque voce só fala em portugues?? tem outras lenguas tambem … chino, russo, vietnamita, …. cara porque voce só fala da bolha imobiliaria do brasil, tambem tem a bolha imobiliaria do dubai, cara porque voce só fala do Brasil, tambem tem outros paises, bitch de higienopolis , ele fala só de bitchcoin porque é a mais famosa criptomoeda…..zcd de higienopolis para de ser otario, para o 2018 tenta estrear seu cerebro.

        4+
        • avatar
        • O Cramulhao de FHCigienopolis45 31 de dezembro de 2017 at 17:02

          Caro indio semianalfabeto (ou seria mais um tipico indio cocaleiro sulamericano)
          Bitcoin eh a mais famosa em relacao ao que? Que eu saiba dolar ha decadas eh a moeda mais conhecida.
          Sao coisas distintas , caro sujeito bizarro que se ofende com discussoes de blog (inesquecivel vc escrevendo “indio nao esquce ofensa” , como se eu te conhecesse mais gordo..kkkkkk).

          Nao adianta comparar Bitcoin com Ripple, Einsteinium, Dash ou o caralho a 4: use seu raciocinio ou o que sobrou dele, e entenda isso.

          Ou negligencie tudo isso e continue repetindo que toda moeda digital eh bolha…kkkk

          5+
          • avatar
  • Oliveira 30 de dezembro de 2017 at 13:03

    CVR- LCAs BB, vencendo, sem saber o que fazer.
    Precisando manter liquidez diaria em banco seguro. Mas opçoes de LCA apenas 83%. Sugestões recomendações??

    4+
    • JJJ_brasilia 30 de dezembro de 2017 at 14:16

      Se precisa de liquidez, vai de LCA do BB ou Tesouro Selic.

      3+
  • Cesar_DF 30 de dezembro de 2017 at 13:28

    A bolha está se formando e, quando estourar, será o pior “crash” da minha vida, alerta Jim Rogers

    Em entrevista ao programa “The Bottom Line”, da Business Insider, Rogers disse que a enorme acumulação de dívidas e as avaliações de ativos injustificadamente altas tornaram a economia global ainda mais vulnerável do que em 2008, e que o próximo “crash” será o maior da sua vida. 

    Segundo ele, os bancos centrais incentivaram esse comportamento através de uma expansão sem precedentes de seus balanços, citando que o balanço do Federal Reserve aumentou sozinho em cinco vezes desde a crise de 2008. 

    Ele comentou também sobre crescimento explosivo da dívida da China, segunda maior economia do mundo. “Em 2008, os chineses economizaram muito dinheiro para um dia chuvoso. Começou a chover. Começaram a gastar o dinheiro. Agora, os mesmos chineses têm dívidas e a dívida é muito maior (…)  Vai ser o pior crash da sua vida – da minha vida também. Preocupe-se”, disse o gestor durante a entrevista. 

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • indiobolhista 30 de dezembro de 2017 at 14:28

    Refém é libertado após pagamento de R$ 3,3 milhões em bitcoin na Ucrânia …. Sequestradores raptaram um funcionário de uma casa de câmbio.
    https://oglobo.globo.com/economia/refem-libertado-apos-pagamento-de-33-milhoes-em-bitcoin-na-ucrania-22241147#ixzz52lKPeBod
    stest

    2+
    • O Cramulhao de FHCigienopolis45 31 de dezembro de 2017 at 16:55

      Agora coloca ai uns 500 mil sequestros pagos em dolar, real, peso..hahaha

      Esse indio keynesiano virou piada no Blog hahaha

      3+
  • indiobolhista 30 de dezembro de 2017 at 16:00

    Maduro culpa a Portugal por escasez de pernil de cerdo decembrino, o governo pode cair por causa do pernil e outras coisas mais importantes, algums até se lembram da fome ….. até parece piada …. nao é….
    http://news.url.google.com/url?sa=j&url=http%3A%2F%2Fes.rfi.fr%2Famericas%2F20171229-maduro-culpa-portugal-por-escasez-de-pernil-de-cerdo-decembrino&uct=1510781501&usg=AEivCDyUV-uBd0bUB-lnUcd-Kkk. https://www.youtube.com/watch?v=JnNqB3X-2fw

    2+
  • thiago fm 30 de dezembro de 2017 at 16:32

    SOBRE AS RECUPERAÇÕES JUDICIAIS

    Eu reafirmo e mais, demonstro (não com link de notícias) o que tenho dito já há algum tempo e que não vale apenas para o setor de construção. O aumento das falências e processos de recuperação judicial nos últimos anos não foi resultado de uma suposta explosão da bolha de consumo, muito menos da bolha imobiliária no Brasil, mas deve ser entendido como um fenômeno cíclico que está intimamente ligado a queda da demanda e atividade econômica em todos os setores, o que por conseguinte não exclui o setor de construção civil.

    Isso pode ser verificado no gráfico abaixo em que são cruzadas as variações do PIB e do crescimento dos processos de recuperações judiciais no país. Notem que as curvas são assimétricas, indicando que os altos e baixos são inversamente proporcionais as variações da atividade. Além disso já se percebe uma queda expressiva das recuperações em relação ao ano interior, claramente em função da melhora do cenário econômico.

    É óbvio que existem casos mais explícitos de má gestão e imprudência em grandes empresas, como aconteceu com a Viver e a PDG, mas é justamente o impacto diminuto da quebra ou recuperação judicial destas empresas na conjuntura geral do mercado de incorporação, que evidencia que as eventuais distorções ou movimentos especulativos verificados durante o boom imobiliário no Brasil não foram suficientemente significativos em meio a melhora dos fundamentos da economia e ao crescimento real da demanda, para caracterizarem uma bolha no preço dos imóveis.

    Sorry sabichão. ..o Banuelos pode até ter tentado, mas não conseguiu ser o pai da bolha no Brasil

    De qualquer maneira eu gostei da ideia da retrospectiva no apagar das luzes do ano. Nesse caso vamos rever como se deram as reações no blog quando do anúncio da recuperação da PDG

    Vamos recapitular algumas das reações no tópico que anunciou a recuperação judicial da PDG em fevereiro deste ano:

    ————————————————————————-
    ” Sardinha 23 de fevereiro de 2017 at 13:08
    Como esperei por essa notícia… acho que desde 2013!
    Demorou mas finalmente foi… pro brejo!!
    ——————————————————————————
    Observador 22 de fevereiro de 2017 at 18:08
    Agora vai?
    ——————————————————-
    CarlosL 23 de fevereiro de 2017 at 10:11
    Agora FOI…
    ———————————————————————-
    Loucodf 22 de fevereiro de 2017 at 18:21
    Ploc!
    —————————————————————————-
    rafa_fv 23 de fevereiro de 2017 at 14:14

    Caros Bolhistas, considerando que a RJ da PDG seja sua última grande pedalada e que o cheque mate já é claro e está somente a algumas jogadas a frente. Para quem entende mais do assunto, quantos meses até ser decretada a falência ?
    ————————————————————–
    *Alguns usuários ficaram ressabiados…
    ———————————————————————————————-
    antifragile 23 de fevereiro de 2017 at 21:59

    Jornal Nacional se acovardou e publicou apenas uma notinha de 16 segundos sobre a PDG.
    http://g1.globo.com/jornal-nacional/edicoes/2017/02/23.html#!v/5678004
    ——————————————————————————–
    BolhistaBR 23 de fevereiro de 2017 at 06:42

    Sei não…..
    Além de ser besta, o povo é muito desinformado é alienado. Entrei nos sites de notícias mais populares e não fala nada da PDG na capa.. fala de futebol e funk, mas nada disso.
    Povão só fica sabendo se fizerem novela com a história..
    Só mesmo aqueles que tiveram a experiência ou conhecem alguém pra ficarem ligados.
    —————————————————————————————
    * No dia seguinte eu dei minha opinião sobre a euforia injustificada de vocês, numa resposta às provocações do Lucas:
    —————————————————————————————-
    thiago fm 24 de fevereiro de 2017 at 21:31

    Quando eu disse que assistiria de camarote o “grande PLOC” você acha que falei sério? Jura que não percebeu a ironia, ou achou mesmo que eu seria assim tão contraditório??

    Eu continuo achando a mesma coisa que já disse antes. A quebra da PDG ou mais uma ou outra construtora até pode ter algum impacto no sentido de inspirar mais cautela dos agentes de mercado, mas não terão força suficiente para disparar nenhum efeito manada, nem realinhar preços de forma estrutural.

    Sobre o seu desafio eu achei que diante da minha ironia, você quisesse apostar que o lance da PDG seria o marco definitivo da derrocada nos preços. Disse que não adiantaria aceitar o desafio porque você não leva em conta nenhuma pesquisa de preço (não somente fipezap) e por esse motivo não haveria forma de provar que você e sua turma se enganaram se tudo permanecer como está. Na minha opinião NENHUM DOS ÍNDICES AMPLOS HOJE DISPONÍVEIS SOFRERÁ GRANDE IMPACTO com a eventual quebra da PDG e não por uma questão de metodologia, mas simplesmente porque ao meu ver os efeitos do processo não terão força para modificar a tendência que tem se desenhado nos últimos meses.
    ———————————————————————————————-

    # EU JÁ SABIA

    Pois bem..cadê o grande PLOC? Cadê a avalanche que faria deixaria o caso Encol no chinelo? Por que a fila para abismo parou de andar?

    Não ponho minha mão no fogo obviamente por construtora nenhuma e não sou tão otimista quanto a esta empresa específica, mas saiu esse mês uma notícia meio “esquisita” sobre a Rossi, que se não me engano seria a próxima a ir para o abismo, certo?

    http://www.valor.com.br/empresas/5235547/rossi-reestrutura-divida-com-bancos-e-prepara-retomada
    ———————————————————————————————-

    “Desde a crise que começou a atingir a construção imobiliária, a Rossi Residencial sempre foi citada como uma das mais sensíveis a uma possível quebradeira do setor. Depois de iniciar uma restruturação financeira em 2015 e passar dois anos e meio sem lançar um novo empreendimento, a administração da companhia chegou a um acordo com os principais bancos credores que deve ser o marco zero para uma nova Rossi.”
    ——————————————————————
    Não..Rossi! Não faça isso com o sabichão se não ele infarta de vez!! Não estrague as esperanças que deveriam se renovar com a chegada de 2018!

    Abraço do Nefasto pro sabichão que não se cansa de passar vergonha…

    5+
    • CA 30 de dezembro de 2017 at 17:29

      Ô Nefasto, até onde vai sua CARA-DE-PAU?

      Vejamos o que você disse sobre as recuperações judiciais das construtoras:

      “Por que a fila para abismo parou de andar?”

      Agora vejamos o que consta em meu comentário acima, que você LEU e RESPONDEU inclusive, replico entre “aspas” o texto que escrevi acima e os links:

      “Nov/17: Borges Landeiro, é a quinta construtora de grande porte a pedir recuperação judicial em período de 1 ano e 7 meses, algo que nunca aconteceu antes no Brasil nesta proporção ou velocidade.

      http://jornaldiadia.com.br/2016/?p=363780

      “Final de Dez/17: a construtora Esser irá entrar com pedido de recuperação judicial, a sexta construtora de grande porte em período de menos de 2 anos, recorde nacional sendo ampliado.

      http://videos.band.uol.com.br/bandnews/15422418/grande-construtora-vai-pedir-recuperacao-judicial.html

      Ué, nos últimos 30 dias uma construtora dando entrada em recuperação judicial e a segunda se preparando para isto, ambas de grande porte. Quem disse que a fila parou???

      Outro ponto: onde consta no seu gráfico, algum momento na história do Brasil, qualquer um dos momentos de crise do passado, onde 5 construtoras de grande porte entraram em processo de recuperação judicial em menos de 2 anos. Se é cíclico e como dizem esta não foi a pior crise da economia de todos os tempos, o MÍNIMO que você deveria fazer seria apresentar as evidências e não FINGIR que não viu, como fez acima…

      Quer dizer então que a Rossi não vai entrar em Recuperação Judicial porque via Reestruturação de Dívidas chegou a um acordo com credores, causando elevado prejuízo para eles, inclusive a CEF que fez empréstimo “de pai para filho” anos atrás (pagar o principal depois de 2 anos, com juros abaixo do mercado e garantias super-estimadas), exatamente o mesmo que havia acontecido antes com a PDG e depois ela entrou em recuperação judicial? Com a PDG não só aconteceu isto, como ela foi a Ação da BOVESPA com a maior valorização dentre TODAS as Ações no mês de Janeiro/2017, para um mês depois entrar com pedido de recuperação judicial, tudo porque “jênios” (sic) e “especialistas” como você são tão ESTÚPIDOS que acreditam cegamente e sem NENHUM espírito crítico em tudo que eles dizem. E você acredita nisto apesar de todas as promessas de recuperação da Rossi desde 2012 nunca terem se cumprido e ela continuar em situação extremamente crítica? kkkk

      É Nefasto, você cada vez mais provas que você não tem a MENOR NOÇÃO do que está fazendo. A DESFAÇATEZ de FINGIR que não viu um comentário que acabou de responder “impressiona”, assim como as APOSTAS CEGAS em promessas que não se cumprem HÁ ANOS e logo depois do emblemático caso da PDG em que as PROMESSAS levaram a recorde de valorização da Ação para um mês depois entrar em recuperação judicial.

      Aliás, TODAS as suas respostas são baseadas em PROMESSAS VAZIAS que nunca se cumprem misturadas com gráficos FURADOS que invertem causa e efeito e por mais que isto seja sucessivamente DESMASCARADO, como sempre digo, você é que não se cansa de passar VERGONHA…

      Sobre o seu copiar e colar de comentários de outros usuários quanto a quebra da PDG, aí vão algumas perguntas que você NUNCA respondeu, sempre FINGIU que não viu e FUGIU covardemente:

      A PDG reconheceu OFICIALMENTE em seus relatórios oficiais quedas relevantes nos preços dos seus imóveis, frente a isto:

      1) Por que a CEF não fez um impairment correspondente, deixando estas garantias dos imóveis da PDG, tanto aqueles que foram financiados para terceiros quanto eventuais da própria PDG, com os valores REDUZIDOS, se a própria construtora que tem domínio sobre os preços anunciou OFICIALMENTE a redução dos mesmos? Esta prática de FINGIR que não viu e que não sabe, adotada por seus patrões e que você usa a todo o instante, neste tipo de ocorrência tem um nome: MAQUIAGEM CONTÁBIL;

      2) Por que a CEF foi o ÚNICO credor contrário ao plano de recuperação judicial? Seria porque a CEF possui parte das dívidas da PDG SEM garantias, o que é uma PÉSSIMA prática para qualquer banco credor, algo inadmissível? Seria porque, mesmo com grandes quedas nos preços reconhecidos oficialmente pela PDG, mesmo que ela entregue imóveis na prática ainda valerão muito menos do que o apontado nos livros e a CEF não conseguirá revender, se acumulando no estoque de imóveis retomados que cresceu exponencialmente nos últimos anos? Seria porque a CEF tinha feito pouco antes disto uma redução de provisões contra inadimplentes na ordem de BILHÕES de Reais e este seria MAIS UM FURO, logo depois dela ter sido o ÚNICO banco que não provisionou corretamente os gastos necessários com os processos da poupança das décadas de 80 e 90?

      Na realidade, todos aqui sabem que as respostas são todas estas que constam nos mesmos parágrafos das perguntas, mas bem que você poderia parar de FUGIR covardemente destas questões e responder. Sabe por que é uma questão importante? Porque estas MAQUIAGENS e PEDALAGENS explícitas apenas AUMENTAM o tamanho do ROMBO da CEF, do qual o segmento imobiliário depende UMBILICALMENTE…

      7+
      • avatar
      • avatar
      • thiago fm 30 de dezembro de 2017 at 18:40

        Então você está dizendo, tal como disseram há uma ano atrás com base no csao da PDG que..AGORA VAI??

        3+
        • CA 30 de dezembro de 2017 at 20:59

          O segmento imobiliário está indo para o vinagre faz tempo e se uma construtora grande pediu recuperação judicial há um mês e a segunda grande já está se preparando para isto, está é uma situação de aceleração nos problemas do setor, exatamente o contrário da desaceleração que cor mencionou mais acima, em linha com recorde de inadimplência de consumidor, de micro e pequenas empresas, em linha com recorde de desemprego e por aí vai, cada vez que está piorando e acelerando o que está ruim é porque a recuperação não começou, seu que é óbvio, mas no seu caso precisa ser dito, fazer o que?

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • thiago fm 30 de dezembro de 2017 at 18:44

    E tenho minhas dúvidas se estas que você cita pra fila do desfiladeiro são realmente GRANDES CONSTRUTORAS. Se a PDG não fez cócegas no mercado imagina a Borges não sei o quê..

    2+
    • avatar
    • CA 30 de dezembro de 2017 at 21:06

      E ai Nefasto, respostas PORCAS como sempre?

      Não sabe o conceito de empresa de grande porte no Brasil? Vai procurar no “pai dos burros”, aliás este apelido lhe cai como uma luva…

      Depois de encontrar, veja informações no artigo sobre número imóveis em apenas um empreendimento, multiplique pelo preço mínimo e calcule se é ou não de grande porte.

      É melhor do que demonstrar seu DESESPERO em uma resposta tão estúpida e vazia quanto esta…

      Sobre as cócegas da PDG, que obrigaram a CEF a fazer mais MAQUIAGENS / crimes financeiros e as outras questões, como mais de uma centena antes, vai FINGIR que não viu e FUGIR COVARDEMENTE DE NOVO?

      Já não basta ter sido DWSMASCARADO mais uma vez por ter fingindo que não viu a aceleração no pedido se recuperação judicial de construtoras se grande porte, exatamente o CONTRÁRIO do que você disse e algo que você já tinha visto e até respondido o comentário mais acima? Repito: até onde vão sua CARA-DE-PAU?

      7+
      • avatar
      • avatar
    • Carlos 31 de dezembro de 2017 at 11:24

      Não sabe usar o google, ou só usa quando lhe convém?
      Você só pode estar de brincadeira se considera a quebra de todas estas empresas apenas “cócegas no mercado”, mas podemos sempre ignorar a realidade e considerar nossas fantasias como a verdade não podemos?

      A Borges Landeiro, fundada há quase 30 anos, é a maior empresa de construção civil em metros quadrados do centro-oeste brasileiro e está entre as 20 maiores do país. Sua grandiosidade é fruto de muito trabalho, de constantes pesquisas em prol da evolução de seus projetos e imóveis.

      http://www.borgeslandeiro.com.br/paginas/a-empresa/historia

      4+
      • avatar
      • avatar
      • thiago fm 31 de dezembro de 2017 at 15:42

        “Sua grandiosidade é fruto de muito trabalho, de constantes pesquisas em prol da evolução de seus projetos e imóveis.”

        Bendito Google!!

        Me perdoe, mas nunca tinha ouvido falar dessa aí.

        1+
        • CA 31 de dezembro de 2017 at 17:07

          O discurso deles é vazio igual ao seu, mas são uma empresa de grande porte, é o que os NÚMEROS provam, que é o que interessa. Se você conhecia ou não, não tem a menor importância, foi só para você mudar de assunto e disfarçar que havia fingido que não tinha visto as quebras acelerando e não reduzindo, ao contrário do que você disse

          3+
          • avatar
  • thiago fm 30 de dezembro de 2017 at 19:30

    Deixem-me dar mais uma olhada nessa “enxurrada” de tópicos bombásticos:
    ——————————————————————————-
    PERDA DE EMPREGOS EM NOVEMBRO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

    http://www.otempo.com.br/capa/economia/pa%C3%ADs-fecha-12-292-vagas-formais-de-emprego-em-novembro-1.1557235

    Devidamente comentado, desnudado e ilustrado no tópico passado;
    ———————————————————————————–

    RECORDE DE VACÂNCIA DOS IMÓVEIS COMERCIAIS NO RJ

    http://g1.globo.com/jornal-da-globo/videos/t/edicoes/v/rio-de-janeiro-tem-recorde-de-vacancia-de-predios-corporativos/6382210/

    Dado que o Rio de Janeiro continua em crise é de se esperar que os indicadores continuem piorando, algo que inclusive se alinha ao meu ponto de vista.

    Mas agora parando para analisar acho que esta notícia já foi tópico, ou estou enganado, sabichão?

    QUE FEIO CA, passando o tópico duas vezes na fila pra fazer volume?! rsrsrs

    ————————————————————————————–

    SUPERESTOQUES NA REGIÃO DE FORTALEZA

    http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/negocios/estoque-de-imoveis-no-ceara-e-de-9-mil-unidades-1.1871202

    Reconheço que da grande “enxurrada” essa notícia de Fortaleza é uma candidata a tópico negativo ainda “inédito”. Nesse caso vamos analisar um pouco mais de perto a conjuntura atual do mercado imóveis novos de Fortaleza, conforme os dados do mercado nacional disponibilizadas pela CBIC.

    Vendas no período de janeiro a setembro:

    2016 – 3521
    2017 – 3476

    Queda mínima 1% das vendas no período, o que pode ser entendida como estabilidade sem maiores problemas, e uma estoque realmente elevado para a velocidade de vendas, mas…

    lembre-se que o entrevistado já nota que “os clientes estão retornando aos stands”.Então talvez devêssemos olhar mais de perto ainda os dados do terceiro trimestre na comparação com o mesmo período do ano anterior:

    Unidades vendidas na RM de Fortaleza no terceiro trimestre

    3T2016 – 1012 unidades

    3T2017 – 1423 unidades

    Aumento de 41%…hummm….

    A notícia bombástica ressalta ainda que Fortaleza tem mais de 9.000 imóveis em estoque. Eram 9308 para ser exato no final do terceiro trimestre, mas…

    o que uma mera notícia não consegue mostrar, mas o Thiago FM consegue é que esse estoque tem tido uma forte redução nos últimos meses. No primeiro trimestre de 2016 o estoque de imóveis novos na RM de Fortaleza era de 13.311 unidades, o que representa uma redução de 30% nos últimos 18 meses. Esse desempenho denota o que venho dizendo: a oferta continua alta mas com tendência de baixa, enquanto as vendas dão os primeiros sinais de reaquecimento.

    Seria o início de uma recuperação também em Fortaleza? Prefiro esperar mais um trimestre para ter certeza, pra não me precipitar, mas que no mínimo se verifica uma tendência de estabilização neste mercado, não tenho dúvidas. Então vamos aguardar os dados do quarto trimestre, OK?

    Sei que devo ter tirado um pouco do entusiasmo de vocês com esse possível tópico, mas fiquem a vontade para engatilhá-lo na fila dos “bombásticos” do final de 2017

    1+
    • Cesar_DF 31 de dezembro de 2017 at 09:32

      Thiago fm
      Não sei quanto ao resto do Brasil, mas darei minhas impressões do que aconteceu em Brasília em 2017

      1)O estoque aumentou. Confirmado pelo SECOVI, mesmo com as construções num ritmo 10X menor que em 2011.

      2) Pequena queda no valor de locação

      3) Grande queda no valor de venda, com conseqüente queda no FatorX

      4) Aumento no desvio padrão : tanto para aluguel como para venda, estão ocorrendo enormes variações de preço do mesmo tipo de imóvel, indicando que algumas pessoas estão cientes da tendência de queda, enquanto outros continuam convictos de que irá desvalorizar

      5) Aumento da perceção generalizada de que os imóveis irão se desvalorizar. A relação aluguel x compra não está mais restrita ao grupo de 300

      6) Superestoques comerciais sem perspetiva de redução, por conta do aumento das compras pela Internet

      7) Neste ano o MPOG liberou o teletrabalho, algumas gerências onde é possível mensurar a produtividade já aderiram

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • thiago fm 31 de dezembro de 2017 at 13:02

        César,

        Eu lembro de já ter lhe dito há um tempo atrás que acho que Brasília, quando comparado aos demais mercados locais que acompanho, é o lugar que mais se aproximou daquilo que conceituaria como bolha especulativa. Isso porque as condições sócio-econômicos da região viabilizaram uma presença de investidores acima da média do país.

        Eu ainda espero uma atualização daquele trabalho do IPEA que criou um índice de preços para a cidade com base nos dados do ITBI para saber até que ponto foi a correção dos preços, mas é inegável, até pelos índices de preços anunciados que os preços caíram. Se você se recorda o tal índice apontou alta expressiva até pelo menos o final de 2013.

        Ainda assim, como você mesmo constantemente diz, uma bolha especulativa “pura” deve corrigir os preços para baixo do “mean line” e desconfio que no caso de Brasília os preços vão se estabilizar ou até se recuperar antes desse limiar.

        Entendo que você tem uma percepção prática por morar aí, mas na internet não somos de lugar nenhum e de todos os lugares ao mesmo tempo. Se puder me provar por A + B que isso aconteceu ou caminha para acontecer, serei humilde o suficiente para corrigir minha leitura sobre este caso específico.

        Ainda assim o blog discute a bolha imobiliária no Brasil, enquanto fenômeno macroeconômico e homogêneo. Mesmo se chegássemos à conclusão que em Brasília ou DF houve bolha de fato, não poderíamos generalizar para escala nacional para forçar uma teoria. Nesse caso a heterogeneidade do desempenho dos preços nos mercados regionais desmonta a tese por inteiro.

        5+
        • avatar
        • Cesar_DF 2 de janeiro de 2018 at 07:47

          thiago fm

          Coincidentemente, saiu esta matéria em um jornal de brasília

          Imóveis: preço cai e rentabilidade sobe

          Justamente sobre o que eu havia percebido, que ocorreu uma queda no FatorX, por conta da estagnação no valor de aluguel e queda no valor de venda.
          Quanto menor o FatorX, maior a rentabilidade com o aluguel.

          O interessante são as respostadas da ADEMI e do SECOVI quando o jornalista apresentou a eles estes números kkkkkk

          http://www.jornaldebrasilia.com.br/economia/imoveis-preco-cai-e-rentabilidade-sobe/

          1+
  • CA 30 de dezembro de 2017 at 21:18

    Nefasto,

    Sobre a primeira resposta acima, que também foi PORCA, não adianta dizer que a construção civil demora mais w blá, blá, blá, o fato é que você mesmo disse quw ela já estaria iniciando a recuperação em 2017 e ser uma das líderes do desemprego formal, ter uma previsão do próprio segmento de que a queda no PIB pode ser are maior do quw em 2016, ter representantes do segmento querendo falar com Temer para dizer que estão no fundo do poço e ainda, ter duas construtoras grandes, a primeira que já entrou em recuperação judicial há 1 mês e a segunda prestes a entrar, NÃO são evidências de NENHUMA RECUPERAÇÃO.

    A segunda notícia e o seu “se não me engano” foi só outro exemplo do seu descontrole emocional, está esta noticia que você nem viu e comentou fala sobre o projeto Alice no País do Porto Maravilha que em alguns casos tem vacância superior a 80%, um novo recorde, não é a mesma notícia, nem da mesma fonte, nem da mesma data, embora reforce a situação crítica do segmento imobiliário no RJ e não adianta chorar, qualquer idiota até mesmo você, sabe que aquilo é uma ENORME ROUBADA PEGA-TROUXA com altos desvios da empresa PODRE CEF, que tem alguns funcionários como você que a acompanham na podridão.

    Sobre o terceiro caso, o que interessa é a DESPROPORÇÃO entre estoque e vendas ninguém falou se as vendas cresceram ou não, p quw foi colocado é que lá existe um SUPER-ESTOQUE ao final de 2017, algo absolutamente desproporcional as vendas, persistente, típico de explosão de bolha e de melhoras que só existem mas nas cabeças doentias de quem gosta se fazer papel de bobo da corte no blog, ou seja, você…

    Em tempo: as questões não respondidas e a queda de suas máscaras e mentiras só se avolumam sem explicações suas, você continua FUGINDO COVARDEMENTE das questões centrais e evidências, você continua gostando de passar vergonha, certo?

    7+
    • avatar
    • avatar
    • thiago fm 31 de dezembro de 2017 at 12:36

      Ah sim.. não importa nem um pouco saber se as vendas estão aumentando e a oferta está caindo numa discussão de bolha imobiliária.. É como dizer que um só “frame” é mais interessante que o filme.

      Concordo que toda explosão de bolha imobiliária está conectada a um aumento da oferta, mas nem todo aumento de oferta está conectado a uma explosão de bolha imobiliária. Recomendo neste caso que o sabichão pesquise um pouco mais sobre os ciclos imobiliários. Aliás um ano atrás eu postei um mini-artigo sobre eles, pra deixar mais claro como os ciclos de baixa se distinguem de um colapso de bolha especulativa.

      O sabichão diria que o comportamento dos preços verificado no gráfico abaixo também é algo típico de uma explosão de bolha imobiliária?

      3+
      • CA 31 de dezembro de 2017 at 14:33

        FINGE ZAP e o IGMI-R que foi criado as às pressas exatamente quando o IGV-R despencou e o BC ainda nao tinha adulterado o cálculo? KKKKK

        Ofertas sobem e ofertas caem, mas NUNCA tivemos tantos anos seguidos de DESPROPORÇÃO entre oferta e procura, NUNCA a distorção entre oferta e procura foi tão elevada, NUNCA tivemos tantos distratos em proporção a vendas como passou a acontecer a partir de 2011, NUNCA vimos tantas construtoras grandes quebrando em intervalo de 2 anos, dentre uma INFINIDADE de fatores que NUNCA aconteceram sequer próximos desta proporção, que são evidências CLARÍSSIMAS de uma ANOMALIA e não de algo cíclico, até porque as mesmas fontes que você usa para falar sobre o cíclico já disseram que esta não foi a pior crise de todos os tempos, então porque este conjunto de anomalias e várias outras NUNCA aconteceram antes?

        Em tempo, mais algumas perguntas que você SEMPRE FINGE que não vê e NUNCA responde:

        1) Por que tivemos 6 construtoras que ao ZERAREM lançamentos tiveram vendas líquidas de distratos NEGATIVAS, algo que nunca aconteceu antes no Brasil ou no mundo, para qualquer segmento de negócio? Como uma ABERRAÇÃO tão grave como esta e tão EXCLUSIVA, poderia ser cíclica?

        2) Por que as construtoras, asseclas e nefastos já prometem desde 2012 que a DESPROPORÇÃO entre oferta e procura vai cair no semestre seguinte ou no ano seguinte voltando ao normal e isto nunca se cumpre?

        3) Leia o que consta na pergunta 1, talvez você consiga entender que se diminuem demais ou zeram lançamentos, ficam com uma proporção anormal de distratos que podem superar as vendas e escancarar a pirâmide. Foi por isto também que ao reduzirem muito os lançamentos em São Paulo em janeiro/2017 este foi o pior mês de janeiro da série histórica. Daí vem a pergunta: se as construtoras estão com estoques muito elevados, por que não conseguem vender o estoque que possuem e PRECISAM fazer mais lançamentos? De novo, NENHUM segmento de negócio em nenhum lugar do mundo aumenta lançamentos quando está com super-estoques, em que esta ação é cíclica ou “normal”?

        4) A ABERRAÇÃO dos distratos com proporção muito elevada em relação a vendas se iniciou em 2011 e tem ocorrido TODOS os meses desde então. É FATO comprovado por estes mais de 70 meses SEGUIDOS, que os lançamentos continuarão gerando distratos em volume anormal, afinal nada mudou e não existia nenhuma crise na economia até antes de 2015 para justificar esta anomalia. Qual o sentido de aumentar lançamentos de tempos em tempos, considerando todos os pontos acima, a não ser o de SIMULAR uma recuperação que nunca acontece de verdade, só enfeita gráficos de FAZ DE CONTA em que fingem que depois de 70 meses SEGUIDOS “do nada” as vendas FALSAS na planta vão se evaporar?

        Existe uma infinidade de outras evidências quanto às anomalias e o fato de nada disto ser cíclico, repito, quanto mais você FINGIR que ignora, mais vergonha vai passar, como sempre…

        7+
        • avatar
        • avatar
  • Cesar_DF 31 de dezembro de 2017 at 09:05
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 10:07
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 10:10

    De acordo aos newslovers …. o fato dos noticiários falar menos da corrupção dos politicos brasileiros, quer dizer que a corrupção esta se acabando no Brasil??????

    11+
    • avatar
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 10:22

    A realidade é que as vendas estao pior cada dia para as imobiliarias, cada dia pior. Eu estou vendo desespero nos corretores, e ja conheci muitos fazendo uber nas horas vagas para sobreviver.

    5+
  • Libertario 31 de dezembro de 2017 at 11:11

    to bolhado

    discordo dessa conta. Por isso queria ver o outro rapaz fundamentar. Acho que você estão enganados. O fator x de equilíbrio no próximo ano pode ser razoavelmente maior do que esse.

    2+

    Então você poderia fundamentar ?

    5+
    • avatar
    • Margarida 31 de dezembro de 2017 at 11:55

      Eu também não entendi. to bolhado podia explicar por que acha que o fator x vai aumentar, e pra quanto. Especialmente, por que acha que vai aumentar e como chega a essa conclusão.

      A única coisa que eu já vi justificar uma relação tão elevada entre o valor do aluguel e da venda é uma expectativa de valorização muito alta. No momento o que se vê não é o contrário?

      Eu fiquei curiosa pra saber como o to bolhado concluiu isso.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • to bolhado 1 de janeiro de 2018 at 09:37

        Humm….eu não falei nada de aumentar. Os fatores x atuais já são muito mais altos do que os descritos pelo colega. O que eu pedi pra ele justificar eh porque um fator x de equilíbrio, seja do mercado seja por um comprador individual, devam ser esses específicos. Me parece que no cenario dos próximos anos, com juros menores, a coisa muda de figura.

        1+
        • Libertario 1 de janeiro de 2018 at 17:05

          Mas você comentou que o fator x no próximo ano pode ser razoavelmente maior que esse (que é de 100 a 200).

          1+
          • to bolhado 1 de janeiro de 2018 at 19:17

            Fator x de equilíbrio. E de fato me expressei mal, quis dizer “próximos anos”, mas isso muda pouco.

            1+
    • to bolhado 1 de janeiro de 2018 at 09:33

      Eu poderia escrever sobre um modelo de cálculo de fator x que me parece razoável, levando em consideração quais variáveis etc. talvez até o faça em outro tópico. Mas não fui eu quem introduzi o assunto, nem quem estabeleceu com tanta autoridade que qualquer compra com fator x acima de 200 eh suicidio financeiro. Por isso pedi pro colega fundamentar.

      1+
      • Libertario 1 de janeiro de 2018 at 17:08

        Gostaria muito de ver a sua fundamentação.
        Pois ao meu ver, pagar mais de 200x o valor de locação para compra de um bem, nunca será vantajoso.

        5+
        • avatar
        • avatar
        • to bolhado 1 de janeiro de 2018 at 19:19

          Nunca? E se Selic fosse a 5%?

          1+
          • Libertario 2 de janeiro de 2018 at 00:02

            Selic a 5% sem ser na canetada, é mais difícil que reviverem os dinossauros.

            3+
            • avatar
            • avatar
  • thiago fm 31 de dezembro de 2017 at 12:40

    Para provar que eu não me baseio em expectativas do mercado ou do governo para delinear minha leitura sobre a iminente estabilização do setor de construção e já que o sabichão não quer respostas curtas, mas o estilo “nefástico” de fazer, seguem mais alguns gráficos que fundamentam melhor o estágio do processo:

    Se analisarmos a trajetória de longo prazo da construção notaremos que é uma característica peculiar da construção civil responder de forma mais aguda à tendência geral de altos e baixos da atividade econômica, o que ratifica a máxima de que “quando a economia vai bem, a construção vai melhor ainda e vice-versa” . De certa forma isso justifica em grande parte o péssimo desempenho do setor nos últimos anos e o fato de uma parte das empresas de construção terem ficado pelo caminho durante a travessia dessa que foi uma das maiores recessões de que se tem notícia.

    O gráfico também nos ajuda a entender que a trajetória da taxa de Selic, que atua como vetor da demanda através do custo do crédito para produção e consumo, também condiciona a atividade da construção, sobretudo no segmento imobiliário. Essa característica pode ser verificada por exemplo no último repique efêmero de alta em 2013, ocorrido após a baixa forçada dos juros pelo Bacen, que erroneamente foi usada para conter ou adiar o processo de desaceleração cíclica por que passava a economia brasileira.

    Se projetarmos o gráfico em função das previsões da Selic para o próximo ano, notaremos que o impulso da queda dos juros ainda não foi integralmente sentido pelo segmento imobiliário, até porque a CEF, na qualidade de principal agente financeiro da habitação, tem segurado os juros altos e restringido os financiamentos direcionados à classe média com o intuito de recompor suas margens e reestruturar sua carteira de crédito. Por outro lado já se verifica uma alta significativa da demanda para os segmentos de padrão mais baixo, alimentados pelo funding FGTS, com taxas de juros controladas e consideravelmente mais baixas.

    Há ainda outros indícios que reforçam a tendência de estabilização da atividade de construção no médio prazo:

    Diante de tudo que venho expondo, fica claro que uma vez mantida a tendência de recuperação gradual da atividade, com consequente aumento da confiança do consumidor e melhora no mercado de trabalho, que já revelaram seu esboço em 2017, a construção civil e setor imobiliário tendem a consolidar a tendência de estabilização e eventualmente de recuperação a partir do segundo semestre de 2018.

    Feliz ano novo pro sabichão que não se cansa de me testar e passar vergonha…

    Mais gráficos dourados agora só em 2018.

    4+
    • CA 31 de dezembro de 2017 at 14:03

      Vamos lá para a nova sessão de passar vergonha do Nefasto, onde pela nogentesima decepcionesima vez são repetidas as EVIDÊNCIAS que ele FINGE desconhecer:

      Em 2012, pesquisa com 12 construtoras com Ações na BOVESPA apontou o pior ano da história até aquele momento, não superado sequer pelos resultados de 2015 e 2016, que foram apenas uma continuidade da DERROCADA do setor, mas MUITO MENOS acelerada do que a queda em 2012.

      Em 2012 as 12 construtoras de grande porte no resultado agregado apresentaram queda de 40% nos lançamentos, 30% no faturamento, 20% nas vendas, os distratos DOBRARAM, o estoque em unidades DOBROU, a DESPROPORÇÃO entre estoque e vendas pela primeira vez fez com que o estoque fosse o suficiente para um ano de vendas sem lançamentos, o prejuízo liquido acumulado destas construtoras passou de R$ 1 bilhão e 5 delas ao mesmo tempo ficaram com a dívida líquida muito superior ao patrimônio líquido.

      Durante o ano de 2012 tivemos forte redução da SELIC, verbas de poupança e FGTS crescentes, o governo brasileiro forçando os bancos públicos a emprestaram o máximo possível com os menores juros finais, o emprego era crescente, assim como o PIB e ainda, a CEF ainda não tinha problemas de Capital e os golpes / desvios aplicados não tinham visibilidade (alguns ainda nem tinham sido aplicados). O governo pedalava como NUNCA, sem questionamentos. Em resumo, o ano de 2012 tinha uma condição macroeconômica MUITO superior aos anos de 2015 e 2016, por que a queda mais aguda do setor aconteceu em 2012 e não em 2015 e 2016?

      Outro ponto imteressante: em 2012 as obras para copa do mundo, Olimpíadas e da Petrobras para alimentarem propinodutos estavam a pleno vapor e apesar disto tivemos uma forte desaceleração nos empregos da construção civil, que foi puxada pelo segmento de construção leve, de imóveis residenciais, os empregos deste setor cresceram muito menos do que a média do país.

      Qual a explicação Nefasta para o que consta acima? Uma máquina do tempo fez com que a crise na economia que só começou a aparecer em 2015 voltasse no tempo em 3 anos para gerar os resultados acima!

      Em 2011 começaram os distratos anormais no segmento imobiliário, algo que nunca havia acontecido nesta proporção na história do país ou do segmento, nem mesmo em outros países ou segmentos. Algo tão grave que até hoje vem sendo usado como justificativa para resultados ruins e quebra de construtoras. O que aconteceu aqui, voltamos no tempo e fizemos a crise na economia de 2015 causar está ABERRAÇÃO que se iniciou em 2011 e continua até hoje, sendo o principal fator destrutivo para o segmento imobiliário, como os próprios representantes deste segmento insistem em dizer?

      Fazendo uma analogia, se sair um sol escaldante e DEPOIS disto as pessoas passarem a tomar muito picolé de limão, a causa do sol escaldante é o número de picolés de limão que as pessoas tomaram!

      5+
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 12:47

    CVR FAMILIAR, irmão da minha mãe, no ano 1986, 1987 e 1988, ele fez muito sucesso com uma loja de tennis com marcas conhecidas, reebok, nike, adidas, ele tinha um lucro liquido de mais de 10 mil dólares por mês durante um promédio de 36 meses, em aqueles tempos comprou uma Nissan Hardbody, e era em brincadeira das amizades o solteiro mais desejado da cidade (pela grana), porque em aqueles tempos só quem tinha grana tinha caminhonete, hoje em dia qualquer um tem, o fato curioso é que ele é extremamente inteligente, analisa qualquer situação econômica empresarial com uma velocidade impressionante, ele é ególatra por ser muito rápido mentalmente (todos sabem que inteligencia e sabedoria são coisas diferentes) porque usou seu dinheiro só para gozar da vida,de muitas vaidades, vida de luxo e impressionar uma mulher muito atrativa para casar com ele (tiveram 2 filhas), bom a loja fechou por causa de fatores econômicos mudaram no pais, o dinheiro em generosas quantias se foi e o amor se foi com ele, ele nunca comprou casa, mesmo que em aqueles tempos um terreno em urbanização muito bonita custavam só mil dólares, e hoje nessas mesmas urbanizações o preço é bolhudo de 150 mil dólares, só usando a metade do ganho com sabidória ele houve-se comprado em diferentes urbanizações da cidade uns 150 lotes, e vendendo com 80% de desconto venderia rápido e tivesse minimo 30 mil dólares por 150 lotes , 4,5 milhões de dólares em reais seria 14,9 milhões de reais (o iptu nesse pais é muito barato), colocando no lixo da poupança renderia por mês 59510 reais por mês no pior dos casos, bom e naqueles tempos haviam propriedades ainda mais baratas, mais ele mesmo sindo inteligente não comprou quando foi barato, e esses dias, vai colocar o capital que tem para comprar um apartamento bolhudo para uma das filhas financiado em muitos anos (o capital total dele atualmente não chega a 80 mil reais, é comerciante de feijão compra e vende por maior, mais os lucros só da para viver), tem 66 anos de idade atualmente. Se alguém acha que ele é bobão se engana é mais rápido que muitos pensando o problema dele é a vaidade extrema e a pouca sabedoria e sim parece que tomou decisões só basado no seu ego, é um ególatra extremo. Moral da historia cada um é dono do seu destino, quem atua com prudencia e esforço pode dar certo na vida, quem acha que todos os dias são domingo se engana. (Até parece o conto da lebre e a tartaruga).

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 31 de dezembro de 2017 at 13:01

    Retrospectiva 2017 – Caixa Econômica Federal (CEF), o Banco que sustentou o “boom” imobiliário, por ser um banco PÚBLICO que SOZINHO mantém quase 70% de todo o crédito imobiliário concedido e oferece as maiores “facilidades” para fornecer estes empréstimos:

    Fevereiro/2017: Para SIMULAR que as garantias dos imóveis na carteira da CEF não caíram tanto, apesar de parte das construtoras das quais a CEF financiou imóveis já terem reconhecido quedas relevantes nos preços dos imóveis (exemplo: PDG) e de alguns bancos já terem leilões arrematados abaixo do SALDO devedor, o BACEN adulterou o IVG-R para FAZER DE CONTA que os preços dos imóveis não caíram tanto e que a CEF estava “segura”

    http://www.bcb.gov.br/en/#!/c/noticias/103

    Fevereiro/2017: apesar das boas práticas recomendarem que imóveis sejam retomados e enviados para leilão após 3 meses de inadimplencia, com a finalidade de MAQUIAR parte do crescimento exponencial dos leilões, mas também ajudando a prejudicar a liquidez dos bancos, em especial a CEF, estimulando-os a ficarem com inadimplentes por até 12 meses, o BC libera o uso do FGTS para inadimplência de até 12 meses.

    http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2017/02/fgts-podera-quitar-ate-12-prestacoes-atrasadas-de-imovel

    Maio/2017: suspensão da linha pro-cotista com uso do FGTS, que se esgotou, uma vez que grande parte das famílias não tem renda suficiente para financiar imóvel com uso das taxas do SBPE (poupança) que já são reduzidas, e não conseguem com o SBPE nem mesmo em empréstimos por DÉCADAS como os oferecidos, uma vez que os preços estão completamente fora dos fundamentos, então, tem que apelar para dinheiro subsidiado e direcionado do FGTS, algo anômalo e péssimo para economia (ver destruições causadas por BNDES com estas políticas, ou os juros subsidiados de Freddie Mae e Fanny Mac na bolha americana)

    Agosto/2017: a Caixa havia reduzido volume financiável das principais linhas de crédito, com o teto para imóvel usado na tabela Price caindo de 70% para 60% com recursos da pró-cotista e de 80% para 70% na CC FGTS;

    Setembro/2017: redução do teto de financiamento de imóveis usados pela tabela SAC de 80% para 50% do preço do imóvel. Suspensão das operações da CEF como interveniente quitante e preferência a menores quotas de empréstimos ou de mais “qualidade”

    As ações de restrição de crédito que constam acima foram adotadas para tentar preservar um MÍNIMO de liquidez para atender ao Basiléia 3 e poder continuar com alto volume de empréstimos para 2018.

    Lembrando que a perda elevada de liquidez e a CEF ser o ÚNICO banco brasileiro a adotar várias medidas de restrição com estas, se devem a inúmeras gambiarras mencionadas neste comentário, feitas para SIMULAR normalidade e permitir que a CEF continue PEDALANDO.

    Informações no link abaixo.

    https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2017/09/22/caixa-economica-federal-reduz-de-60-para-50-teto-de-financiamento-para-imoveis-usados.htm

    Julho/2017: como os bancos não conseguem desovar o estoque de imóveis retomados que cresceu exponencialmente, em especial na CEF, foi alterada a lei para que os bancos não sejam obrigados a revenderem os imóveis no prazo de 1 ano, desta forma prejudicando a liquidez dos bancos e a segurança do sistema financeiro, em especial da CEF, que passa a poder acumular muito mais imóveis com custos adicionais ao longo do tempo e sem liquidez.

    http://www.cnf.org.br/noticia/-/blogs/bancos-poderao-ter-prazo-maior-para-negociar-imoveis

    Agosto/2017: CEF não reduz os juros do crédito imobiliário acompanhando as quedas da SELIC, mais uma ação motivada pelos graves problemas de liquidez da CEF causadas pelas gambiarras feitas para esconder os efeitos da bolha imobiliária.

    http://m.folha.uol.com.br/mercado/2017/08/1907209-caixa-descarta-corte-de-juros-no-credito-imobiliario-por-enquanto.shtml

    Outubro/2017: não contente em adulterar o IVG-R e ainda com medo que mesmo assim aparecessem quedas maiores nos preços dos imóveis, que afetassem a já combalida CEF, o BC adulterou também o cálculo do estresse do mercado financeiro, para fazer de conta que agora os bancos estavam mais resistentes à queda de preços dos imóveis.

    http://mobile.valor.com.br/financas/5158744/sistema-bancario-esta-mais-resiliente-para-absorver-choques-aponta-bc

    Nov/17: com a finalidade de SIMULAR uma disponibilidade de capital que a permita manter empréstimos em altos volumes em 2018 e ao mesmo tempo um lucro recorde para parecer que o dinheiro do FGTS a ser extorquido estaria “bem aplicado” na CEF, inadimplência e provisão de inadimplência são reduzidos de forma mirabolante, como só a CEF conseguiu. Logo em seguida, os furos destas maquiagens contábeis começaram a aparecer, como quando a CEF foi o ÚNICO banco a “se enganar” para menor quanto à provisão para processos na justiça ligados à poupança das décadas de 80 e 90 ou ser o ÚNICO credor contrário à recuperação judicial da PDG, porque não tinha provisão para os prejuízos decorrentes, onde ambos os casos expuseram estes golpes.

    https://g1.globo.com/economia/noticia/caixa-economica-federal-mais-que-dobra-lucro-no-3-trimestre-diz-bc.ghtml

    http://correio.rac.com.br/mobile/materia_historico.php?id=502461

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/12/1939706-credores-aprovam-plano-de-recuperacao-da-pdg.shtml

    Out/17 a Dez/17: EXTORSÃO de R$ 15 BILHÕES do FGTS pela CEF. Em uma manobra suja para passar uma rasteira no TCU que indicava que iria vetar mais esta gambiarra da CEF, ela conseguiu aprovar regime de urgência para MP que muda lei e permite que com isto ela possa pegar, estes R$ 15 bilhões do FGTS a FUNDO perdido e SIMULAR que isto é um aumento de capital, para poder PEDALAR em 2018 emprestando 20 vezes este valor. MP combinada em reunião entre presidente da CEF e presidente da Câmara uma semana antes de lançarem a MP e aprovação na Câmara em regime de emergência na mesma noite em que TCU dizia que em virtude do recesso não se pronunciaria oficialmente em 2017.

    http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,camara-aprova-urgencia-de-pl-que-deixa-fgts-comprar-bonus-perpetuo-da-caixa-por-resolucao,70002110435

    Dez/17: depois de ações que ajudam a esconder os efeitos da bolha imobiliária, como uso do FGTS para inadimplência de até 1 ano, leilão por banco poder demorar mais de 1 ano, maquiagens em cálculos, etc, o BC percebeu que este conjunto de gambiarras prejudicava ainda mais a liquidez dos bancos, em especial a CEF, o que gerava a necessidade deles manterem os juros finais exageradamente elevados, mesmo com a queda da SELIC e isto não colaborava para a geração de uma euforia irracional que é necessária para um ano de eleições presidenciais, como o ano de 2018. Para compensar estes “probleminhas” originados pelas gambiarras acima mais os persistentes efeitos da explosão da bolha imobiliária, a “genial” decisão do BC foi repetir uma gambiarra dos tempos da Dilma e que não deu certo: reduzir o compulsório dos bancos, com isto eles ficam com mais liquidez e tem maior “motivação” para emprestar mais, o que faria com que os juros finais caíssem mais. Se fizerem isto, a inadimplência do consumidor que está em patamar RECORDE vai subir mais ainda, mas a esperança do BC é que primeiro ocorra algum pequeno crescimento nos investimentos e consumo e que o efeito colateral só apareça depois das eleições, exatamente como a Dilma fez no passado. O nome que se dá a esta “brilhante” estratégia é “apagar incêndio com gasolina”. Gastam parte do “seguro” que poderia ser utilizado para cobrir a inadimplência que está maquiada e quando não puderem mais esconde-la, a percepção de risco será ainda maior. Como em toda PEDALADA e já aprendemos isto com a Dilma, é líquido e certo que a conta no futuro será mais cara.

    https://m.oglobo.globo.com/economia/bc-reduz-compulsorio-libera-65-bi-para-bancos-emprestarem-22213117

    Dez/17: o volume de processos na justiça contra golpes aplicados pela CEF é tão absurdo que o ministério público pede o afastamento de TODOS os vice-presidentes da CEF em 45 dias e isto porque eles sequer sabem de 1/3 da história. Apesar disto o BC não só se faz de CEGO, SURDO E MUDO como ajuda de todas as formas possíveis para CEF se aguentar sem explodir até antes das eleições, pelo menos.

    https://www.google.com.br/amp/s/g1.globo.com/google/amp/https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/mp-pede-que-caixa-troque-vice-presidentes-e-mude-criterios-para-montar-primeiro-escalao.ghtml

    O que temos acima é um enorme conjunto de maquiagens contábeis, cópia de ações heterodoxas da Dilma que não funcionaram, manipulação de cálculos, extorsão de dinheiro do FGTS, entre outros GOLPES com a exclusiva finalidade de fazer com que a CEF engane a todos fazendo de conta que opera normalmente e com bons resultados, para pedalar em 2018 que é um ano importante. Mesmo assim os problemas de liquidez se avolumam de forma anormal, bem como os processos na justiça, as intervenções do TCU e assim por diante. Acreditar que este banco nestas condições é que se manterá como pilar para o crédito imobiliário por DÉCADAS é uma piada de mau gosto de mentes doentias, principalmente se considerando que nos EUA, Espanha e outros países que tiveram o crédito imobiliário por DÉCADAS, tiveram que cancelar por problemas de liquidez e não tinham sequer uma ínfima fração destes problemas da CEF.

    Leitura Nefastica dos fatos acima:

    1) A CEF está no caminho certo e esta situação é perfeitamente sustentável no longo prazo;

    2) Se a CEF tem uma infinidade de problemas legais mais ROMBOS bilionários, pratica golpes sujos, etc, tudo isto é normal e natural, afinal outras empresas do governo fazem o mesmo.

    3) Embora o enorme conjunto de gambiarras, maquiagens e golpes acima NUNCA tenha acontecido antes, é tudo normal e cíclico.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Margarida 31 de dezembro de 2017 at 13:28

      Uma questão sobre a Medida Provisória nº 784:

      ‘A ideia é evitar que, em momentos de crise como o atual, os bancos sejam obrigados a se desfazer dos bens a qualquer preço para se adequar aos prazos da regulamentação, o que poderia trazer impactos negativos tanto para a instituição como para o mercado imobiliário.

      “A norma anterior era inadequada porque obrigava a venda dos imóveis não destinados ao próprio uso no prazo máximo de três anos, ainda que o mercado imobiliário estivesse desfavorável”, afirmou, em nota, a assessoria de imprensa do BC.’

      Além do interesse dos bancos em se desfazer de qualquer maneira no período mais curto possível dos imóveis retomados, devido às despesas que geram, qual seria o impacto de medidas judiciais de outros credores sobre esses bens?

      Pergunto porque tenho observado que quando as parcelas de financiamento deixam de ser pagas, outras também pararam de ser pagas até antes, e as taxas condominiais e IPTU têm gerado processos de cobrança na justiça, tenho a impressão que em número muito maior que o normal (não tenho dados, só observo e deduzo isso pelo que vejo nos leilões).

      Então, se os bancos retomam e não vendem no prazo de 3 anos, além de acumular despesas, o bem acaba sendo vendido em leilão judicial de qualquer maneira, embora demore mais. Se não retomam, me parece muito pior, porque o bem vai ser perdido pra quitar despesas condominiais e de IPTU e o banco fica com o que sobrar.

      Alguém tem idéia ou estimativa de qual seria a saída menos pior para os bancos, financeiramente falando, entre essas duas possibilidades? (Isso, claro, supondo que meu raciocínio aí acima esteja correto.)

      8+
      • avatar
    • thiago fm 31 de dezembro de 2017 at 14:18

      Os gráficos a seguir não são do tipo dourados. São alguns gráficos extraídos do resultado consolidado da CEF referente ao terceiro trimestre, que acaba de ser divulgado. Eu sei que vocês preferem a versão extra-oficial do sabichão para os resultados, por motivos óbvios, mas é sempre saudável olhar o que dizem os dados oficiais:

      Apresentação dos resultados do 3T17 – CEF

      http://www.caixa.gov.br/Downloads/caixa-demonstrativo-financeiro/Apresentacao_Resultados_3T17.pdf

      É claro que o sabichão vai dizer que os resultados da meretriz são todos maquiados (blá blá), principalmente a redução da inadimplência no último ano, mas até que alguém prove o contrário, são esses números que valem, e que servirão de referência para os órgãos reguladores.

      Recomendo que observem bem o aumento expressivo das receitas com prestações de serviços e também o resultado de 2015, para perceberem que o lucro desse ano não é apenas resultado de reversão de provisões e nem pode ser considerado fenomenal, quando comparado ao lucro de dois anos atrás.

      Só peço que reservem o devido espaço abaixo para o choro e esbravejamento do sabichão que termina ano, sai ano, repetindo as mesmas coisas, como se fosse uma espécie de simpatia para a passagem.

      3+
      • avatar
      • thiago fm 31 de dezembro de 2017 at 14:34

        Desculpem..o gráfico de inadimplência do 2T2017. Considerem este que traz os dados até o terceiro trimestre:

        4+
        • avatar
        • Cesar_DF 31 de dezembro de 2017 at 20:05

          Thiago fm
          Seus otimistas lindos gráficos não conseguem explicar a necessidade da CEF ir negociar diretamente com o presidente da câmara no momento que o TCU entrou em recesso, objetivando conseguir 10-15 bilhões para SALVAR a CEF

          9+
          • avatar
          • avatar
          • thiago fm 3 de janeiro de 2018 at 08:40

            Da forma que eu vejo não estão salvando a CEF. Na verdade querem que a CEF continue emprestando e, desta forma, salve o impulso de retomada do crédito que se desenha para o ano que vem, que é ano de eleição.

            2+
            • avatar
      • CA 31 de dezembro de 2017 at 14:40

        Nefasto,

        Já foi provado o contrário e consta no comentário logo acima, você FINGIR que não vê pela nogentesima decepcionesima vez não resolve nada, muito menos FUGIR COVARDEMENTE de uma infinidade de questões.

        EXEMPLO:

        Em nov/17 a CEF revelou lucro fantástico baseado em redução bilionária de provisões. No mesmo mês, a CEF foi o ÚNICO banco com erro de alguns BILHÕES a menor e isto só no caso do processo da poupança das décadas de 80 e 90. Se a CEF tivesse provisionado corretamente, ela simplesmente não teria o lucro nem o resultado acima. A prova com os links para estas informações estão logo acima.

        Aliás, no comentário acima, um outro enorme volume de evidências e como sempre, uma infinidade de pontos que você NUNCA soube explicar…

        5+
        • avatar
        • CA 31 de dezembro de 2017 at 15:20

          Nefasto,

          Vamos lá, dada a eterna cegueira seletiva do Nefasto, provar pela nogentesima decepcionesima vez:

          “A Caixa, apesar dos 35% dos depósitos de poupança em 1990, soma menos de R$ 1,5 bilhão em provisões para fazer frente às perdas com os planos econômicos. No entanto, considerando o menor valor estimado por fontes ouvidas pelo Estadão/Broadcast no âmbito do acordo entre bancos e poupadores, teria de ter R$ 3,5 bilhões. Procuradas, as instituições financeiras mencionadas e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) não comentaram.
          As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.”

          Quanto a CEF provisionou a MENOR, só no caso acima?

          R$ 2 BILHÕES, no MÍNIMO, considerando o menor valor que possa resultar deste processo.

          Agora vejamos esta outra informação, que também consta em um dos links de meu comentário mais acima:

          “A Caixa Econômica Federal fechou o terceiro trimestre com lucro líquido de R$ 2,17 bilhões, segundo informações do Banco Central.”

          Pois é, o fantástico lucro da CEF de R$ 2 BILHÕES e não é que “coincidentemente” ela foi o ÚNICO banco que errou as provisões para o processo das poupanças e ainda, errou em R$ 2 BILHÕES a menor? Que bom não é? Este engano sozinho já garantiu o “lucro recorde” do qual o Nefasto se orgulha…

          Daí a CEF foi a única credora entre os bancos que se opôs ao plano de recuperação judicial da PDG, exatamente porque ela não tem esta provisão para perdas assim como várias outras.

          E se ela não tivesse reduzido outras provisões, como consta abaixo, considerando o primeiro furo que consta acima, o prejuízo seria de pelo menos, R$ 2 BILHÕES, não poderiam, estragar este resultado tão “maravilhoso” de lucro recorde, não é mesmo?

          “O resultado da Caixa em provisões para perdas com inadimplência no terceiro trimestre foi de R$ 3,2 bilhões. Para igual período do ano passado, a Caixa havia divulgado provisões para calotes de R$ 5,1 bilhões.”

          Isto sem contar as INFINITAS incoerências nos resultados da CEF que já apresentei várias vezes e das quais você fugiu também? Dois exemplos, o resto está acima:

          Para que o BC prorrogar o uso do FGTS para usar em caso de 12 meses de atraso, se a CEF que tem 70% do crédito imobiliário consegue renegociações mirabolantes que reduzem rapidamente a inadimplência e as provisões? Aumentar o prazo reduz a liquidez do Banco, prejudica a segurança do sistema financeiro, é no mínimo ilógico fazer isto, quando o prazo normal é após 3 meses ir para leilão.

          Idem para o caso do BC aumentar o prazo para o Banco leiloar imóveis. Se a inadimplência é tão baixa e assim são tão poucos imóveis, para que ampliar o prazo de leilão?

          Ah, a saúde financeira da CEF e sua gestão honesta e transparente que tem muitas outras evidências acima, inclusive do MP pedindo o afastamento de TODOS os vice-presidentes da CEF e depois disto ainda vem o Nefasto, digno do prêmio Paulo Maluf de honestidade, dizer que enquanto não provarem nada, é isto que vale! Kkkk

          Vai achando que os infinitos golpes duram para sempre, mas lembre-se de que nem o Maluf escapou..

          7+
          • avatar
        • thiago fm 31 de dezembro de 2017 at 15:30

          – Apesentei duas fontes de preços que dizem mais ou menos a mesma coisa. Quantas você têm? Corre no google e procure mais uma notícia chinfrim pra servir de desculpa;

          “1) Por que tivemos 6 construtoras que ao ZERAREM lançamentos tiveram vendas líquidas de distratos NEGATIVAS, algo que nunca aconteceu antes no Brasil ou no mundo, para qualquer segmento de negócio? Como uma ABERRAÇÃO tão grave como esta e tão EXCLUSIVA, poderia ser cíclica?

          A página já virou colega. Tirou a conclusão com base nos relatórios de quase um ano atrás. Tem construtora que continuou sem lançar praticamente nada e reverteu as vendas negativas;

          “2) Por que as construtoras, asseclas e nefastos já prometem desde 2012 que a DESPROPORÇÃO entre oferta e procura vai cair no semestre seguinte ou no ano seguinte voltando ao normal e isto nunca se cumpre?

          O nefasto aqui está dizendo isso agora. Já disse que cada qual responde pelo que diz;

          3 e 4 – Em primeiro lugar a desculpa de pedaladas com lançamentos não cola mais, pois o nível de lançamentos atual despencou em relação ao pico. Aliás em São Paulo o patamar desceu ao volume de 2004, se não me engano. Sendo assim, não adianta continuar olhando pra 2012, ou 2016 ou dizer que São Paulo teve a pior desproporção entre venda e estoque em janeiro de 2017. Não se tocou que daqui algumas horas estaremos em janeiro de 2018? O ponto de inflexão na média dos mercados e das incorporadoras aconteceu a partir do segundo semestre de 2017 e isso ficará cada vez mais claro a medida que os resultados forem divulgados e quando postar o resto dos dados

          Eu penso que as construtoras de uma forma geral evitam paralisar totalmente os lançamentos, por dois motivos principalmente:

          Questão geográfica – A cidade e os hábitos de consumo são fluídos e por esse motivo o modo de vida das pessoas está em constante transformação. A demanda pode diminuir, mas nunca vai a zero e as construtoras precisam de tempos em tempos atualizar seu portifólio para se adaptar a esse novos hábitos. No boom imobiliário a moda foi a “varanda gourmet”, hoje são os “estúdios” e assim vai. Sem contar que tem gente que se ilude só por ouvir que se trata de um “novo lançamento”;

          – Questão mercadológica – A concorrência não só continua como se torna mais feroz durante a crise, pois o cliente também fica mais criterioso. Muita coisa encalha porque o produto foi mal pensado e mal planejado e uma construtora vende sua imagem pela qualidade dos empreendimentos que produz. Sem contar que lançar um novo imóvel é oportunidade de fazer marketing e propaganda, que é a alma de qualquer negócio. Muitas empresas entendem que ficar sem aparecer é perder espaço no mercado;

          – Ciclo Produtivo – Ainda que se tenha um estoque alto para comercializar, construtoras tem que estar sempre construindo, pois manter uma estrutura sem funcionar em alguns casos pode ser um prejuízo ainda maior que perder margem de venda com a alta de estoques.

          Toda as empresas que estão no mercado e conseguem se manter viáveis financeiramente acreditam que depois da tempestade vem a bonança, com o que eu tendo a concordar. Por isso a maioria das construtoras enxugam as despesas, mas evitam desmontar sua estrutura básica, pois recontratar empregados, aprovar projetos, movimentar bancos de terrenos e fazer lançamentos enquantos os custos estão mais baixos pode ser vantajoso se a empresa acertar o timing da recuperação;

          6+
          • avatar
          • CA 31 de dezembro de 2017 at 15:40

            Aqui voce respondeu no lugar errado, mas vamos lá:

            Por que não respondeu todas as questões principais e se esquivou DE NOVO?

            Está há 70 meses com parte relevante das vendas virando distratos, como você e o segmento imobiliário falam sobre número de vendas, em grande parte associados a vendas na planta, assumindo que da noite para o dia isto irá virar zero distratos?

            Então em virtude das inovações o estoque e a DESPROPORÇÃO irão continuar eternamente, porque sempre precisam de produtos novos e não conseguem desovar os antigos?

            Por que isto da obrigatoriedade dos novos só está acontecendo agora e não antes, se era cíclico?

            Por que um volume tão anormal de distratos a partir de 2011, que nunca existiu para nenhum segmento de negócio, em nenhum lugar do mundo antes disto, mesmo existindo vendas na planta há DÉCADAS no Brasil e no mundo?

            6+
            • avatar
            • thiago fm 31 de dezembro de 2017 at 16:23

              “Está há 70 meses com parte relevante das vendas virando distratos, como você e o segmento imobiliário falam sobre número de vendas, em grande parte associados a vendas na planta, assumindo que da noite para o dia isto irá virar zero distratos?”

              Proporção de distratos em relação às vendas começou a aumentar quando a economia começou a perder fôlego e desacelerar (postarei um gráfico que denota essa trajetória). Num segundo momento a relação distratos/ vendas disparou com a eclosão da recessão, até porque porque a desvalorização dos preços, a deterioração do mercado de trabalho e das condições de aquisição via crédito, tornaram a manutenção da compra na planta desvantajosa para muitos e inviável para outros.

              Nesse caso a tese da bolha de preços ou demanda artificial guiando a disparada dos cancelamentos de venda só se sustentaria se na época da aquisição a maior parte dos compradores não tivesse capacidade de pagamento, o que não se comprova. O “grosso” dos cancelamentos tem origem em sua maioria até meados de 2014, quando o mercado de trabalho ainda ostentava o “pleno emprego”, a renda real ainda subia e as condições de aquisição via crédito estavam no melhor patamar já registrado na história. Poucos meses depois tudo virou e o que parecia interessante e viável, deixou de ser. Nesse contexto, a facilidade e garantia legal de devolução da maior parte do dinheiro corroborou para a onda de distratos.

              – Nunca existiu 0% distratos e faltam dados históricos para uma comparação adequada. Uma comparação minimamente razoável deveria ser feita com a razão de distratos de 1999 a 2003, em que se verifica o ciclo de baixa de preços. Ainda assim, os parâmetros não seriam os mesmos tendo em vista que uma recessão comparável a última só se encontra voltando no tempo uns trinta anos. Isso sem contar o fato de que o setor de incorporação, no formato que conhecemos só começou a ganhar corpo após o IPO. O que não dá pra fazer, para demarcar uma explosão, é se basear no parâmetro de 2010, quando cancelar compra de imóvel era entendido como “burrice”.

              7+
              • avatar
              • thiago fm 31 de dezembro de 2017 at 16:31

                Em nenhum lugar do mundo se tem o formato de aquisição na planta que tivemos. Aqui se assina um contrato que vale até onde o comprador quiser. Não dá pra comparar.

                4+
                • avatar
                • CA 31 de dezembro de 2017 at 17:11

                  E no Brasil que já é assim desse jeito já há décadas, inclusive com construtoras que também já faziam as vendas na planta neste formato há décadas, como a Gafisa, também tendo está mesma ANOMALIA?

                  Ah, o problema é a facilidade do distrato? Então porque estão enrolando para não aprovar a mudança há mais de 1 ANO? Talvez seja porque ao fazerem isto, as vendas FALSAS na planta DESPENCAM, então eles têm que fingir que é um problema super grave e urgente, mas para o qual ninguém quer que seja mudado para não deixar cair a pirâmide…

                  6+
                  • avatar
                  • avatar
              • CA 31 de dezembro de 2017 at 17:16

                Mais de R$ 5 BILHÕES de distratos em 2012 só para 12 construtoras era pouco? Mais do que DOBROU de 2011 para 2012, por que?

                REPITO: desde quando 2012 foi pior que 2015 ou 2016?

                6+
                • avatar
                • CA 31 de dezembro de 2017 at 17:37

                  O que sempre foi explicado quanto a vendas FALSAS na planta é que elas eram PROPOSITAIS, para SIMULAR inicialmente um crescimento que estimulasse aumento de preços e gerar lucro para quem aplicasse o golpe mesmo as custas de quebrar empresas, as pessoas físicas lucraram

                  Em outras palavras, vender para quem SABIDAMENTE não teria condições de adquirir o crédito imobiliário.

                  ÓBVIO que os mega investidores que vieram aqui e aplicaram um golpe, não deram “sorte” de sair um pouco antes de explodir e quando as ações das construtoras estavam no auge, eles simplesmente SABIAM que tinham feito vendas para quem não tinha renda e exatamente quando iam disparar os distratos.

                  ÓBVIO que mais do que DOBROU em 2012 porque muitas construtoras viram o “crescimento” exponencial das primeiras a aplicarem o golpe e resolveram replicar o golpe, nenhuma “desaceleração” de 2011 para 2012 se compara a queda brusca na economia a partir de 2015 e não de 2014 como mencionado e mesmo assim, não existiu nenhuma proporcionalidade nas consequências.

                  ATENÇÃO: replicou o que foi explicado um milhão de vezes para você em ANOS anteriores: quando Ricardo Eng falava sobre este esquema das vendas FALSAS na planta em 2012 ou eu falava em 2013 e já naquela época dizíamos que traria um problema ENORME para construtoras, não éramos adivinhos, apenas observavamos os fatos e relatavamos as consequências ÓBVIAS, não adianta, você não vai mudar o passado as custas de dizer que éramos adivinhos, porque ia se tornar critico só a partir de 2014, nunca colou e não colará, será só mais uma oportunidade de passar vergonha ao repetir o que já foi DEMONSTRADO que não faz o menor sentido…

                  7+
                  • avatar
                  • avatar
          • CA 31 de dezembro de 2017 at 16:05

            Quer dizer que estão há 6 anos completos neste esquema só para segurar o pessoal e não ter que recontratrar, este é o tamanho da “fé” deles? Nunca vi o segmento imobiliário ou qualquer outro segmento no Brasil ou no mundo com tamanha “fé”, esperando por tantos anos, jura que você acha isto um argumento minimamente razoável? Seria cíclico também, apesar disto nunca ter acontecido antes nem no Brasil, nem no Mundo?

            Sim, em São Paulo DE NOVO precisaram aumentar os lançamentos em 2017 para conseguirem aumentar as vendas, na última década nunca conseguiram aumentar vendas sem aumentar lançamentos, é isto que você quer dizer com “Os lançamentos não são mais necessários para puxar as vendas”? Os fatos e dados que você mesmo usa os desmentem…

            Quer dizer que tivemos construtoras que reduziram muito os lançamentos e conseguiram “reverter” as vendas líquidas negativas??? Um tanto confuso, mas vamos lá: falei de ZERAR os lançamentos que gerava vendas negativas, você não respondeu este ponto e tangenciou a questão. Aliás, estas construtoras que você mencionou são as quebradas que estão vendendo a preço de banana e que sequer estão registrando os distratos? Sem registrar distrato e com enormes “descontos”, fica fácil ficar com venda positiva, não é? No caso das construtoras com vendas negativas que citei, uma delas era a EzTec, que sabemos que é das mais saudáveis, esta é a comparação. Outro ponto é: o que estas construtoras venderam ainda eram lancamentos dos ultimos 6 meses que foram elevados? Se sim, dá na mesma, nao significa terem parado de pedalar com lançamentos, é só ver o conceito de lancamentos usado pelas próprias construtoras. Não apele como sempre para a DESINFORMAÇÃO, não ache que todos sempre vão ser idiotas e caírem nestes golpezimhos baratos…

            6+
            • avatar
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 13:09

    Fakenews, o 2018 muitos milagres vai acontecer, a economia vai reagir, a bolha imobiliária não é bolha o preços vai se manter 🙂 os salários ou rendas dos mais pobres , vai se multiplicar por 20, sim o salario minimo em janeiro Temer muda de ideia e faz recalculo e coloca em 19 mil reais, os esquemas de Ponzi nunca mais serão praticados porque as pessoas desde o 2018 ficaram honestas, inteligentes e sabias, então por fim o pais vai viver com a qualidade de vida que merece uma mistura entre Nova Zelanda e Noruega. Assim são os milagres, o tigre sul-americano (Bananil) vai reagir e mostrar suas fortalezas 🙂 bom 2018 para todos sem distinção :).

    7+
    • avatar
    • avatar
    • Leonardo M. 31 de dezembro de 2017 at 14:24

      Aí tudo aumenta por 20 tb
      as pessoas esquecem principalmente das camadas mais pobres que aumento de salário é só para repor uma parte da inflação.
      É quanto mais aumenta o salário via decreto, teremos mais preços salgados e mais inflação.

      Fora que a tecnologia está para substituir mão de obra.
      Em NY fizeram passeata e protestos para as franquias de comida aumentar o salário de U$8/h para U$15/h dos fritadores de hambúrguer.
      Todas as empresas colocaram tela touch e tiraram emprego de milhares

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 14:31

        nao esqueça que sao fakenews … na realidade para mudar o destino dum pais com o nivel inteleitual das maiorias é impossivel, Brasil nunca vai mudar a não ser que tenham um governante como Lee Kuan Yew ficou conhecido como o estadista que transformou Cingapura de pequena cidade portuária, em uma ilha sem recursos natuais, em um dos mais ricos centros mundiais.

        7+
        • avatar
        • O Cramulhao de FHCigienopolis45 31 de dezembro de 2017 at 17:11

          Cingapura, pais o qual conheco e aceita critpomoedas em varios restaurantes por la, alias.
          Mas pro indio keynesiano, tudo eh bolha…kkk
          Se uma pessoa como vc fosse pra Cingaoura, iria sofrer…lol

          Assim que descesse do seu voo da Singapore Airlines,vc ficaria biruta ao ver que no aeroporto ja tem adesivos ao lado de Visa e Master em restaurantes aceitando criptomoedas e vc do alto do seu baixissimo nivel intelectual , iria bugar ” Ue , como esse pais rico usa Litecoin como pagamento, nao eh bolha?”…kkkk

          So falta de novo vc se ofender com isso..kkkk

          Se vc se ofender , me avisa alias que no proximo post eu coloco aqui o telefone dr um psiquiatra , meu amigo alias, que aceita criptomoeda como pagamento das consultas…rs

          8+
      • Rico 31 de dezembro de 2017 at 15:43

        É Leonardo, mas isso tem um limite. Robô não come Big Mac. Quem come Hamburguer é o atendente da loja do lado que vai ser trocado por uma tela touch. Henry Ford já sabia disso desde o início do século XX. Ele percebeu que para vender os seus Ford’s precisava primeiro criar um mercado consumidor. Para isso ele duplicou o salário do operário. Foi ameaçado de morte pelos seus concorrentes. Mas se os EE UU são ricos hoje de muito se deve aos ideiais de Henry Ford e sua produção seriada. Que para quem não sabe foi adotado depois de ver o processo de corte de um abatedouro. Só inverteu o processo.
        É preciso tomar cuidado para que a economia de uma empresa não acabe virando o fim dela mesma.

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Leonardo M. 31 de dezembro de 2017 at 22:18

          Quantos operários precisava para fazer um Ford em 1920 e quantos precisa hoje?
          Pois é…

          4+
          • Rico 1 de janeiro de 2018 at 11:09

            Pois é o que? Olhe Detroit como está…

            1+
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 13:13

    Oferta 2018 155,000 Sítio Nazaré Paulista Bairro Santa Luzia
    http://sp.olx.com.br/sao-paulo-e-regiao/terrenos/oferta-2018-155-000-sitio-nazare-paulista-bairro-santa-luzia-430374565?xtmc=2018&xtnp=1&xtcr=7
    essa oferta vai durar só o 2018 todo, ou até um milagre acontecer e chega a ser vendida 🙂

    1+
  • Leonardo M. 31 de dezembro de 2017 at 14:20

    CVR

    Uma amiga da minha esposa que mora na Suiça foi passar o réveillon em Berlim, foi assaltada por um imigrante africano com uma faca. Levou passaporte, mochila e dinheiro(estava chegando na casa de amigos).

    É, vamos ver uma queda acentuada dos padrões europeus daqui pra frente em todas as áreas. Claro que ainda vai levar uns 20 anos para os europeus acordarem para o problema mas quando acordarem ser tarde d+

    Feliz ano novo!

    29+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • cyberpsi 31 de dezembro de 2017 at 14:25

    CVR
    Pessoal, um depoimento sobre esse pessimismo com a situação do país: Eu sou de um estado nordestino. Minha família sempre viveu muito bem. Nosso estado de origem é comparado ao afeganistão se fosse um país isolado. Minha conclusão para vocês: Observem a situação do país para saber qual caminho tomar mas observem ainda mais a sua situação individual… O meio pode estar um lixo e você pode continuar vivendo como um monarca.

    Recomendação para controle financeiro: http://aurelio.net/moneylog/
    Simples e funcional. Não gosto do excel.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 14:27

    com respeito Leonardo uma pergunta quantas veces voce ja ofereceu mixaria no 2017 para tentar comprar um imovel pelo preço verdadeiro? (na realidade entre o 10% e o 30% do que eles acham que vale). Gostaria de saber como vai as tentativas de achar um enforcado.

    2+
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 17:38

    tudo bom comemierda para quando estreas tu cerebro pobre diabo falador bitch de higienopolis, passa o numero do psiquiatra com confiança ….. el mundo de la informatica avanza es una realidad, como te explico que no niego la existencia de tecnologías inservibles que de seguras y complexas pueden ser tanto como encontrar neuronas en tu ser super cagao, que nao vale um centavo que só contratando putas com bitchcoin chega a molhar seu microorgao??
    En Singapur, la Nochevieja a un bitcoin no convence https://www.eluniverso.com/vida/2017/12/31/nota/6545749/singapur-nochevieja-bitcoin-no-convence

    1+
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 17:44

    O legal que você nunca se ofende bitch de higienopolis eu sim me ofendo …. shuashuashuashua continua intentando establecer una paradoxa epifánica asbtraendo ideas en ese monto de diarrea que ofendes al llamar de cerebro

    2+
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 17:50

    Bitch de Higienopolis Eres tan bruto y tan poca cosa que nunca te vas a casar porque TU CREES que en el mundo solo hay putas, tan bajo es el nivel de las féminas en tu família que degradas al ser humano a cobrar por algo que se entrega por amor. Tradução para você que com sorte sabe ler, voce é tao bruto e tao pouca coisa e você não casa porque acredita que no mundo só tem putas, tao baixo é o nível das féminas na sua família que degradas ao ser humano ao cobrar por algo que se entrega por amor. Você não vale nem merda pobre cagão.

    2+
    • avatar
    • Rico 1 de janeiro de 2018 at 11:22

      Indiobolhista, no pierda su tiempo. El tiene un problema de baja autoestima. Por supuesto.

      Usted sólo está alimentando él

      2+
      • O Cramulhao de FHCigienopolis45 1 de janeiro de 2018 at 20:00

        Sim, tenho baixo auto-estima. Por isso veio nesse blog com minha fotos e nomes reais, e aqui levanto minha estima.
        faz todo o sentido eu levantar minha estima num blog onde sobre todos anonimos…. kkkkkkkkkk

        5+
        • Rico 1 de janeiro de 2018 at 22:29

          ou’re living in your own Private Idaho
          Living in your own Private Idaho
          Underground like a wild potato.
          Don’t go on the patio.
          Beware of the pool,
          blue bottomless pool.
          It leads you straight
          right throught the gate
          that opens on the pool.

          You’re living in your own Private Idaho.
          You’re living in your own Private Idaho.

          1+
    • O Cramulhao de FHCigienopolis45 1 de janeiro de 2018 at 20:05

      kkkkkkkk
      Vc leva vida virtual muito a sério, tanto que se ofende com as coisas aqui…
      Já fui casado, meu caro. Não quer dizer que eu vá casar de novo. Mas o que isso tem a ver com o blog ?

      Ainda estou esperando sua teoria de que criptomoedas são bolhas!

      Estamos aqui pra falar de bolha! Não percebeu que somos todos fakes falando de um assunto sério ? Use seu cérebro, rapazinho! Deve ser um adolescente perdendo tempo em vez de escrever algo que preste! Olhe os outros chamando a sua atenção!

      4+
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 17:54

    Com certeza pelo seu jeitinho de não valorizar ás mulheres e achar que só puta presta sinto lastima de você …. puteiro você quer fazer e sentir que esse é seu lar …. visita o seu amigo psiquiatra para ele ajudar no seu problema …. mais como você só gosta de putas sinto lastima de você ….. com certeza você nem sabe quem é seu pai … com certeza você ama seu lar … é um puteiro é o que você quer fazer para sentir cheiro de casa ….. você é um ser que só pode dar lastima.

    3+
  • Dr. Estranho 31 de dezembro de 2017 at 19:02

    Pela quantidade de ofensas aqui fica a presunção de que tem muito Fernando sem fazer sexo. Menos galera!

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 1 de janeiro de 2018 at 00:57

      Cada um só coloca para fora o que tem dentro, quem fala merda é porque só tem isso em seu interior

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 19:13

    para o cagao de higienopolis nao é ofensa , para ele é halago ….. 🙂

    1+
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 19:13

    halago : lisonjeira

    1+
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 19:16

    Dr. Estranho 31 de dezembro de 2017 at 19:02
    Pela quantidade de ofensas aqui fica a presunção de que tem muito Fernando sem fazer sexo. Menos galera!
    dr. estranho voce é da galera do cagao de higienopolis?????

    3+
  • indiobolhista 31 de dezembro de 2017 at 19:28

    Dr. Estranho então a violência do mundo tem que ver com presunção de falta de sexo?

    4+
    • avatar
    • Rico 31 de dezembro de 2017 at 20:35

      Hitler perdeu um testículo na 1° guerra.

      6+
      • avatar
      • avatar
    • Dr. Estranho 31 de dezembro de 2017 at 20:40

      Sim. Enquanto esfolamos o órgão sexual, segundo a melhor neurociência, hormônios ligados ao bem-estar são produzidos em maior quantidade. Os demais hormônios que em geral nos conduzem a violência, tristeza ou quem sabe, falta de educação, em geral caem consideravelmente. Aí não sobra margem para ultrapassar os limites que mantem a vida em sociedade tolerável.

      16+
      • avatar
      • avatar
      • indiobolhista 2 de janeiro de 2018 at 00:19

        quien eres la mujer del cagon de higienopolis tragasable, anda catar cocó nadie te invitó en discusion ajena doutor cagao

        0
  • Pablo Fortaleza 31 de dezembro de 2017 at 19:40

    thiago fm, faz anos que faço parte desse blog destruidor de “sonhos” rsrsrs. Aqui em Fortaleza a realidade é diferente dessa que vc descreve. Só pra te dar alguns dados. No prédio onde moro há 11 anos, duas pessoas colocaram o ap pra vender há 10 meses, ninguém vendeu. Nos tempos “dourados” um ap a venda aqui não durava 2 meses. No bairro onde moro, Cidade dos Funcionários, bairro de classe média, com muitos serviços, está tudo parado, não se vende, nem se compra, palavra dos corvos que eu conheço. Aliás, andando de Uber vc encontra facilmente corvos e ex-corvos com suas histórias. Gente que não vende um ap há 10 meses, 1, 2 anos. Algo impressionante!! Amigo meu colocou seu ap pra vender no mesmo bairro por 750k, foi baixando, recebendo propostas “imorais” digo reais, até chegar ao preço de 590k. E olhe que o ap dele é muito bom! Grande, seminovo, pronto pra morar, com móveis projetados, mas… Mercado em Fortaleza parou como em todo o país, é lógico que devem haver alguns bairros oásis, bairros de classe média alta que sempre tem compradores, mas a realidade, a que eu presencio todos os dias conversando com autônomos, servidores públicos, empresários é a de que, ou voltamos ao patamar de preços anteriores ou tudo continuará parado. Tenho pena daqueles que ainda estão entrando nessa, acreditando no canto da sereia de corretores ou do governo. Só irão engrossar as fileiras dos distratos ou dos leilões da caixa. Não há renda hoje para esses preços de imóveis, amanhã essa renda irá diminuir por conta de desemprego, subemprego, aposentadorias menores…

    34+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • bolhista cearense 1 de janeiro de 2018 at 21:47

      Concordo contigo e escrevo mais: indo de carro passando pelo Edson Queiroz, Aldeota, Joaquim Távora, Piedade até o Centro só aquilo que se vê são as placas “Vende-se”, “Aluga-se” .
      Não sei se você percebeu, mas até uns três anos atrás, aqui em Fortaleza ninguém falava em bolha. Era algo que existia em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife… mas aqui não! Os corvos sempre vinham com esta ideia de imóvel valorizando. Compre que vai subir. A parcela cabe no bolso, imóvel não desvaloriza. Os jornais lotados de matérias pagas sobre o investimento que não falhava. Lançamentos frequentes, vendas “aceleradas”. “Últimas unidades” e por aí vai. Agora, para onde se olha, só prédios escuros à noite.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Rico 31 de dezembro de 2017 at 20:35

    Feliz 2018 a todos!

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Longa Manus 31 de dezembro de 2017 at 23:43

    Que todos tenham um maravilhoso 2018!

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • indiobolhista 4 de janeiro de 2018 at 01:33

      Longo Anus además de comenzar ofensas, whats is the problem culiao???

      0
  • Dr. Estranho 1 de janeiro de 2018 at 00:17

    2018. Tópico novo para desespero dos Fernandos.

    7+
    • avatar
  • CA 1 de janeiro de 2018 at 02:22

    Feliz 2018 a todos!

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Leonardo M. 1 de janeiro de 2018 at 04:55

    CVR
    Já são 05:00h da manha e república dos NEM-NEM dois andares abaixo de onde moro decidiram fazer uma rave no prédio que dura ate o exato momento.

    Kkkkkk olha a importância desgraçada de morar de aluguel
    Do meu quarto da para escutar eles cantando, pulando e gritando. Imagina quem está embaixo deles?
    Aluguel é a única salvação

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 1 de janeiro de 2018 at 06:35

      Bananence é de uma civilidade incrível.
      Tem um casal bogan morando no meu bloco que briga de vez em quando, mas dificilmente passa das 10 da noite até porque dá para ouvir a uns cinco quarteirões de distância por ser muito silencioso a noite.

      CVRBE – Casos da vida de bananences no exterior.
      Casal conhecido estava todo feliz porque tinham mudado para um prédio cheio de outros brasilinos, coisa que acho idiota mas cada um com seus gostos, reclamando do barulho e da baderna que os brasilinos fazem quase que diariamente, fora os costumeiros hábitos 666 com relação as áreas comuns e limpeza…
      Estavam armando o maior barraco no fakebook da “comunidade” ameaçando chamar os cops porque o síndico coreano já desistiu de tentar resolver a situação e delegou o problema a buda.
      Nego viaja para o outro lado do planeta para conviver com outros bananences, vai saber o motivo 😀

      28+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Dr. Estranho 1 de janeiro de 2018 at 12:31

      Tive uma experiência semelhante. Quando deu 12h, é todos foram dormir, liguei um potente som e comecei a escutar Earth Wind and Fire. Aos berros comecei a cantar e dançar com violentas patadas no chão. Eis que olho pela janela do AP e vejo os vizinhos rindo. Todos me apoiaram.

      19+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • indiobolhista 4 de janeiro de 2018 at 01:36

        todos te apoyaron doctor rarinho porque no sabian que estabas asi por el dildo electrico que te llegaba hasta el pescuezo, que te el negro del wasap doctor rarinho

        0
  • Carlos 1 de janeiro de 2018 at 09:41

    Especialistas em nefastologia – Colei o texto completo porque estes caras realmente se superaram, thiago vai até ficar com ciúmes 😀

    Setor da construção civil volta a operar em larga escala e isso é um excelente indicador

    De acordo com Felipe Moreno, fundador da startup Middi e ex-editor do InfoMoney, o setor da construção civil está dando claros sinais de recuperação, o que é um indicador tremendamente positivo para a economia nacional.

    A construção civil é um dos setores mais importantes da economia de um país, especialmente um país como o Brasil, que ainda está se desenvolvendo muito (é uma nação de terceiro mundo). Nesta área a economia só funciona bem quando há abundância de crédito, pois é capital intensivo. Nos últimos três ou quatro anos esta foi uma das áreas mais negativamente afetadas da economia, mas agora o setor imobiliário voltou a usar o termo “lançamentos”, voltou a produzir imóveis e vendê-los na planta. Tudo isso é um ótimo indicador.

    Por ser um setor que envolve grande quantidade de dinheiro, o ramo da construção civil também envolve riscos mais elevados. Uma empreiteira não pode, por exemplo, gastar uma fortuna para construir um edifício residencial que irá ficar parado por falta de clientes depois. Se isso acontecer ela jamais vai recuperar seu investimento, terá perdas milionárias. Além disso, não só o material para construção é caro, a mão de obra também é. Do mais reles servente de pedreiro ao engenheiro civil, este setor é um dos que tem as melhores remunerações, justamente porque envolve uma necessidade básica da população e a possibilidade de altos ganhos para os investidores.

    De acordo com Felipe Moreno, ex-editor do InfoMoney e fundador da startup Middi, os sinais estão claros. Há uma evidente recuperação econômica em andamento. Isso tudo, também, graças ao fato de que a bolha imobiliária brasileira foi menor do que o previsto, o que significa que houve menores perdas mesmo no período de crise. Agora, ao que parece, é só questão de tempo. Todos os sinais estão bastante positivos.

    A maior crise de nossa história, pelo visto, está mesmo ficando no passado.

    http://www.sulconnection.com.br/noticias/5350/setor-da-construo-civil-volta-a-operar-em-larga-escala-e-isso–um-excelente-indicador

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 1 de janeiro de 2018 at 09:50

      Leiam este artigo do tal Felipe Moreno e terão uma idéia das capacidades da criatura.

      A criatura aponta como recuperação o fato da caixa postal dele estar cheia de emails de corretores oferecendo bolhudos, não, não é brincadeira:

      “Meu e-mail está cheio de corretores oferecendo unidades em lançamentos (LANÇAMENTOS, lembra dessa palavra? Ela esteve fora do mundo imobiliário nos últimos anos, dominado por termos menos positivos como “distratos”) e só do lado da StartSe existem três lançamentos. E todos os três lançamentos seguindo o que há de mais moderno no mercado brasileiro no momento.”

      Este é o nível dos especialistas, e olha que este é “ex-editor do InfoMoney “, não me admira a grande quantidade de nefastos, nem todos o são por maldado, o são por ignorância, incapacidade e soberba mesmo.

      https://conteudo.startse.com.br/tecnologia-inovacao/felipe/o-sinal-mais-visual-de-que-economia-brasileira-vira-forte-em-2018/

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Alves 1 de janeiro de 2018 at 10:32

      Já faz quase 1 ano ou mais que todos os dias tenta-se vender a ideia na imprensa que a economia está se recuperando. É muita cara de pau ficar repetindo mantras como: a economia dá sinais de recuperação, o mercado de trabalho começa a se recuperar (redução do número de desocupado devido ao aumento da informalidade e não do nível de emprego), que a inflação está controlada (óbvio, ninguém tem dinheiro, mas há itens cujo preço continua alto), que a taxa de juros está baixa (a nominal pode até ser, mas a real ainda está muito alta) e outras obscenidades…

      10+
      • avatar
      • avatar
  • Carlos 1 de janeiro de 2018 at 09:59

    Mais otimismo – percebam que está qualificado como ‘informe publicitário’ nas letras pequenas.

    Confira as carreiras que serão mais procuradas na retomada da construção civil
    Profissões conectadas que unem tecnologia e sustentabilidade estão entre as que mais devem gerar vagas

    Entre as profissões que estarão em alta, destaque para o engenheiro projetista, assim como especialistas em automação residencial e técnico em edificação, o novo mestre de obras. Em alta também profissionais ligados à área de sustentabilidade, com experiência em BIM – planejamento e execução usando novas tecnologias.

    https://g1.globo.com/especial-publicitario/em-movimento/noticia/confira-as-carreiras-que-serao-mais-procuradas-na-retomada-da-construcao-civil.ghtml

    3+
    • avatar
  • Carlos 1 de janeiro de 2018 at 10:04

    Pouca recuperação dos empregos, redução de empregos no campo facialmente explicada pela mecanização e tam tam tam, a construção civil que fico “estável” 😛

    “Nas duas comparações, em relação ao trimestre encerrado em agosto deste ano e ao fechado em novembro do ano passado, só houve queda na população ocupada no setor de agricultura e pecuária. Neste segmento, houve destruição de 380 mil vagas, em um ano, num grupo que hoje tem 8,9 milhões de trabalhadores. A ocupação na indústria ficou estável em relação a agosto e cresceu em 394 mil pessoas em relação a novembro de 2016. A ocupação na construção civil ficou estável nas duas comparações e no comércio cresceu em 223 mil pessoas em relação a agosto e ficou estável em relação a novembro do ano passado.”

    https://oglobo.globo.com/economia/taxa-de-desemprego-recua-para-12-em-novembro-22237666

    3+
  • Carlos 1 de janeiro de 2018 at 10:07

    Desde que….

    Segurança jurídica

    “A CBIC trabalha com um crescimento do setor de 2% no próximo ano, desde que o governo adote medidas que reduzam a insegurança jurídica, como regulamentação de distratos, e possibilite a capitalização da Caixa para que o banco possa alavancar as operações de crédito. Caso não seja feito nada, o segmento espera um desempenho negativo.

    http://www.valor.com.br/empresas/5224119/industria-da-construcao-diz-que-nova-clt-vai-reduzir-desemprego

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alves 1 de janeiro de 2018 at 10:34

      O empresariado fala muito em livre mercado, liberalismo mas adora um crédito subsidiado e não quer assumir os riscos do negócio jogando para o governo eventuais calotes.

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Carlos 1 de janeiro de 2018 at 10:12

    Mais otimismo

    Greves, desemprego, reforma: o ano em que o mercado cruzou os braços
    Emprego em baixa, perdas salariais, paralisações novas regras marcaram 2017

    Construção fechou 3.204 empregos no ano
    Construção foi o setor que mais desempregou

    Com ampla cadeia produtiva e central na economia, a construção civil foi o setor com o pior desempenho no mercado de trabalho do Estado neste ano, de acordo com os dados do Caged. De janeiro a novembro, as empresas desse segmento contrataram 20.287, mas demitiram 23.491 trabalhadores. O saldo é de 3.204 vagas fechadas, média de 290 empregos extintos por mês.

    https://www.campograndenews.com.br/economia/greves-desemprego-reforma-o-ano-em-que-o-mercado-cruzou-os-bracos

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 1 de janeiro de 2018 at 10:15

    Otimismo quase unfanista, mas parece que a “recuperação” já broxou.

    Após reforma, país interrompe 7 altas e fecha 12,3 mil vagas com carteira

    Só comércio cria vagas

    O único setor a apresentar criação de novas vagas com carteira assinada em novembro foi o comércio, com 68.602 postos de trabalho, sobretudo na área de varejo. O mês é importante para o setor devido às promoções da Black Friday e à proximidade das festas de final de ano.

    Todos os outros setores tiveram resultado negativo, com destaque para a indústria da transformação (-29.006) e a construção civil (-22.826).

    Veja o desempenho por setor da economia:

    Comércio: +68.602
    Indústria de transformação: -29.006
    Construção civil: -22.826
    Agropecuária: -21.761
    Serviços: -2.972
    Administração pública: -2.360
    Indústria extrativa mineral: -1.155
    Serviço industrial de utilidade pública: -814

    https://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2017/12/27/caged-novembro-2017-saldo-empregos-carteira-assinada.htm

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 1 de janeiro de 2018 at 10:23

    O número mágico é 2% mas obviamente o thiago acha que este número é conservador e ele pessoalmente deve esperar uns 20% 😀

    Segundo dados, setor da construção civil no Paraná tem expectativa de crescimento de 2% em 2018

    A perspectiva de aumento é de 2% para o ano de 2018 em todo o país. Esse aumento faz reverter quatro quedas constantes, de 6% em 2017, 5,6% em 2016, 9,0% em 2015 e de 2,1% em 2014.

    https://www.terra.com.br/noticias/dino/segundo-dados-setor-da-construcao-civil-no-parana-tem-expectativa-de-crescimento-de-2-em-2018,97de3d54b0a02afc60224d0ab3099818ywihv23t.html

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 1 de janeiro de 2018 at 10:30

    Só falta um pequeno detalhe: crédito

    Tecnologia é aposta para atrair clientes do mercado de imóveis
    https://globoplay.globo.com/v/6380999/

    4+
    • avatar
    • Alves 1 de janeiro de 2018 at 10:40

      Exatamente: crédito.
      Agora produzir imóveis mais baratos, com aquecimento solar, aproveitamento de água pluvial, luz sol, porteiro virtual, etc as construtoras não querem. Querer é cobrar mais por apetrechos tecnológicos.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Carlos 1 de janeiro de 2018 at 10:37

    Só esperando para ver como a regularização dos puxadinhos vai impactar no mítico “déficit abitacional”.
    Tem moradia que vai virar 2, 3, 4, 5, 6…..

    Lei federal regulariza o chamado ‘puxadinho’ em todo o país
    Quem vive em moradias vinculadas a outra casa poderá ter escritura e registro de sua própria unidade. A regra vale para casas novas e construções antigas. Para fazer valer o direito à laje, é preciso o registro do imóvel original.

    https://globoplay.globo.com/v/6380991/

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 2 de janeiro de 2018 at 10:34

      Dai o IBGE vai criar mais uma regra para manter o “deficit habitacional”
      Do tipo, para cada pessoa que viva no imóvel devem haver mais de 30 m2, senão será considerado “deficit habitacional”
      Desta forma, um casal morando num apartamento de 59m2 será “deficit habitacional”
      kkkkkkkk

      3+
      • avatar
      • avatar
  • CA 1 de janeiro de 2018 at 11:06

    Replico aqui link e trecho colocados pelo Carlos que ficaram muito acima:

    http://www.sulconnection.com.br/noticias/5350/setor-da-construo-civil-volta-a-operar-em-larga-escala-e-isso–um-excelente-indicador

    Trecho do link acima:

    “De acordo com Felipe Moreno, fundador da startup Middi e ex-editor do InfoMoney, o setor da construção civil está dando claros sinais de recuperação, o que é um indicador tremendamente positivo para a economia nacional.”

    ——————————-

    Comento (CA):

    Só para lembrar quanto à Infomoney e seus “especialistas” no segmento imobiliário, foram eles que disseram em janeiro/2017 que tanto pela análise com gráficos quanto a baseada em fundamentos, o segmento imobiliário seria aquele que teria a melhor recuperação na BOVESPA, porque “tudo” indicava que teria uma melhoria sensível em 2017 para este segmento e o formato do gráfico “confirmava” estas previsões.

    A “lógica” deles para o que consta acima?

    A redução dos juros, junto com a nova regulamentação dos distratos e a reforma da previdência fariam com que a economia crescesse e que os imóveis voltassem a ser excelentes investimentos, além disto, como as Ações das construtoras estavam entre as piores da BOVESPA, seria “natural” uma recuperação mais acentuada.

    Falavam sobre boatos de recuperação da PDG, o quanto ela prometia de “negociações” com credores e que esta seria outra “surpresa” positiva.

    O que aconteceu?

    http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/6022097/conheca-acao-bovespa-duplicar-valor-2017

    http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/6026283/entenda-boom-das-acoes-das-construtoras-2017-pdg-dispara-174

    As ações da PDG foram as primeiras a DUPLICAR de valor em 2017 e ainda no mês de janeiro!

    As construtoras do setor imobiliário foram as Ações que tiveram a maior valorização de todas em janeiro/2017!

    E o que vimos em seguida?

    http://m.folha.uol.com.br/mercado/2017/02/1861162-uma-das-maiores-incorporadoras-do-pais-pdg-pede-recuperacao-judicial.shtml

    Um mês depois, a PDG entrou em recuperação judicial!

    Além disto, enrolaram durante todo o ano para não aprovarem nada quanto a nova regulamentação para distratos. Por que? A clareza que o comprador teria quanto ao prejuízo futuro caso não pudesse adquirir o crédito imobiliário seria muito grande, um enorme número de INCAUTOS que costumavam cair no golpe das vendas FALSAS na planta simplesmente desistiriam e com isto, toda a pirâmide desabaria, porque ia ficar muito evidente pelas vendas negativas (mais cancelamentos do que vendas), que o setor estava em péssima situação. Eles precisam PEDALAR, MAQUIAR e SIMULAR recuperação o tempo inteiro para gerar ESPECULAÇÃO, então a estorinha da nova lei de distratos era só para Inglês ver, só um bode expiatório, pelos motivos elencados aqui, eles nunca quiseram de verdade aprovar esta mudança, para eles é fundamental manter esta desculpa esfarrapada.

    Sobre a reforma da previdência, queda dos juros e recuperação do setor, vimos aqui o que aconteceu, ou melhor, o que não aconteceu:

    Os juros finais continuaram muito elevados e a causa RAIZ disto foi a excessiva inadimplência que obrigava os bancos a imporem estes maiores juros finais. Lembrando que o número recorde de inadimplentes no Natal ou de micro e pequenas empresas logo antes, são apenas as consequências típicas de toda bolha imobiliária. Como pedalam e maquiam de todas as formas possíveis e imagináveis (ver sobre retrospectiva CEF que fiz mais acima), o que acontece é isto, o agravamento constante dos indicadores demonstrando que ainda não estamos no fundo do poço.

    E o setor de construção civil? Os próprios indicadores deste setor DEMONSTRAM que não ocorreu nenhuma recuperação em 2017: os representantes do segmento preveem nova queda relevante no PIB da construção para o resultado que será apresentado referente a 2017, este setor foi um dos lideres na perda de empregos em novembro, ainda em dezembro queriam reunião com Temer para dizer que estavam “no fundo do poço”, com uma construtora do setor imobiliario de grande porte que pediu recuperação judicial ao final de novembro e outra tambem de grande porte e deste segmento que ao final de dezembro já estava se preparando para fazer o mesmo, demonstrando a aceleração as quebras das construtoras e que o agravamento da crise imobiliária continua, uma choradeira sem fim de representantes do CRECI SP em um dos últimos relatórios publicados do ano referente a setembro/2017, choradeira do pessoal do segmento em Fortaleza em virtude da desproporção entre estoque e vendas que dura há ANOS, reportagens sobre recorde de vacância em imoveis comerciais corporativos e recorde de vacancia no projeto “Alice no pais do Porto Maravilha” ambos de dezembro/2017 e sobre o RJ, etc, etc ,etc…

    A reforma da previdência que já vinha sendo enrolada desde a época da Dilma, no inicio de 2015, continuou em banho-maria durante o início do ano de 2017, primeiro pelo recesso do congresso, depois o Carnavalesco, depois o dia do anão, depois porque queriam votar primeiro a reforma trabalhista (isto porque a reforma da previdência era a coisa mais urgente do Brasil HÁ ANOS???), depois teve o escândalo do Joesley, do impeachment, depois novo dia do anão e adiamentos e por fim, porque não conseguiam o quórum mínimo e depois o congresso entrou em recesso e agora foi adiado para fevereiro/2018.

    Resumindo, como sempre, o objetivo é gerar MEGA ESPECULAÇÃO logo no começo do ano, para atrair SARDINHAS tanto para o BOVESPA quanto para “investirem” em imóveis, outro enorme PEGA-TROUXA nos mesmos moldes que fizeram 1 ano atrás, com o uso do famoso “Sobe no boato, cai no fato”…

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 1 de janeiro de 2018 at 12:08

      A cada 20-25 anos, uma geração, ocorre um ciclo de enganação, pois as pessoas tem memória curta.

      Quem caiu no conto dos FLATS da década de 1990, não caiu nessa agora.

      Com o aprendizado da bolha dos flats, o investidor pode até ter entrado na hora certa (2005-2008) e saído também na hora certa (2011-2012).

      A velocidade com que explode ou que murcha uma bolha imobiliária é fundamental para os bancos, quanto mais devagar isso vai acontecendo, por mais anos vai sendo amortizado o juros (que no SAC fica quase tudo no começo) e também para ir corrigindo paulatinamente os problemas de liquides.

      Se o os “Thiago fm” (agentes financeiros) viessem a público e falassem: a bolha imobiliária explodiu, e agora os imóveis valem metade! Isso levaria junto o mercado financeiro. Então, quanto mais for empurrado com a barriga, melhor para o sistema financeiro.

      A afirmação de que “os imóveis atingiram um novo patamar de preços e nunca cairão deste valor” é a maior mentira, nunca aconteceu ao longo da história.

      Pelo que sei, o único governo que anunciou uma bolha imobiliária em formação foi o da Austrália.

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Falido.com 1 de janeiro de 2018 at 12:01

    E eu posso confirmar tudo isso porque acompanhei a história ano passado..
    .
    Mas, o que é, na minha opinião ainda pior, é que SEMPRE querem renovar a mentira com uma nova “embalagem”.. Só na espera(com pipoca e guaraná) pra ver as mentiras que vão inventar pra justificar o ano horrível econômico, social e político que tivemos em 2017.
    No mais, vida longa e próspera pra vocês bando de sovinas!
    P.S. Cramulhão? Também prefiro as gp’s… são mais simples, objetivas e econômicas… abçs!

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Dr. Estranho 1 de janeiro de 2018 at 12:45

      Ano novo, mentira nova.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CA 1 de janeiro de 2018 at 12:50

    Qual o “racional” da vez do ex-editor da Infomoney, que agora atua vendendo empreendimentos imobiliários, que o leva a “crer” na recuperação pujante deste segmento em 2018? Segue outro trecho do link acima, entre “aspas”:

    http://www.sulconnection.com.br/noticias/5350/setor-da-construo-civil-volta-a-operar-em-larga-escala-e-isso–um-excelente-indicador

    “Nos últimos três ou quatro anos esta foi uma das áreas mais negativamente afetadas da economia, mas agora o setor imobiliário voltou a usar o termo “lançamentos”, voltou a produzir imóveis e vendê-los na planta. Tudo isso é um ótimo indicador.”

    Vou começar falando sobre a prática do setor e asseclas de ADULTERAR O PASSADO, em seguida, no próximo comentário falarei sobre o “otimismo” pelo crescimento dos lançamentos.

    O segmento imobiliário e seus asseclas, sempre começam ADULTERANDO o passado. Eles precisam, a qualquer custo, FAZER DE CONTA que a situação do segmento imobiliário é consequência da crise na economia.

    Como DEMONSTRADO por aqui INÚMERAS VEZES, a ANOMALIA dos distratos ANORMAIS e sem precedentes na história do Brasil ou do Mundo, que não ocorreram para nenhum segmento de negócio nesta escala, se iniciaram em 2011 e logo em 2012, os piores resultados do segmento imobiliário, uma queda ainda mais profunda do que a que ocorreu nos “anos de crise” a partir de 2015.

    ÓBVIO que os FATOS acima não tem relação NENHUMA com a crise na economia, porque os distratos, que segundo os representantes do setor são a causa RAIZ de tantas quebras de construtoras, dos péssimos resultados e da anomalia na desproporção entre estoque e vendas por ANOS, se tornaram anormais MUITO ANTES de qualquer crise na economia.

    Aliás, é cômico usarem o argumento acima, afinal já em 2010 Sam Zell saia da Gafisa com lucro bilionário depois de ter entrado em 2005 e ver os lançamentos e vendas na planta dispararem, porque ele já SABIA que os distratos para clientes que nunca tiveram renda para o crédito imobiliário e compraram na planta em 2008 iam se concretizar em elevado volume na entrega em 2011, quando clientes não teriam renda para adquirir o crédito imobiliário (prazo de 3 anos entre lançar, construir, habite-se, entregar e TENTATIVA de financiamento).

    A Gafisa que já praticava vendas na planta HÁ DÉCADAS nos mesmos moldes que os atuais e sujeita à mesma legislação, teria esquecido, da noite para o dia como fazer análise de capacidade de compras dos clientes? ÓBVIO que não , as causas apontadas foram estas, de que falharam na análise e por isto gerou tanto distrato por falta de capacidade financeira do comprador, mas qualquer idiota sabe que não “esqueceriam” de uma pratica de decadas da noite para o dia.

    Teria sido Sam Zell um vidente? Não, ele aplicou o golpe, sabia do timing para a bomba explodir e saiu a tempo com lucro bilionário. Sam Zell foi mega-investidor que atuou na bolha imobiliária americana, com amplo know-how no assunto…

    Exatamente o mesmo aconteceu com Enrique Bañuelos na PDG. Entrou em 2007, dispararam nos lançamentos e vendas na planta a partir de 2008 e ele saiu da PDG em 2011 com lucro bilionário, logo depois da PDG se tornar a maior empresa do segmento das Américas (sim, incluindo os EUA) e logo antes dela declarar distratos anormais e superiores a R$ 1 bilhão referentes ao ano de 2011.

    A PDG, do mesmo jeito que a Gafisa, alegou que ocorreram falhas na análise de capacidade de compra, embora ela praticasse esta modalidade de venda na planta há vários anos, nos mesmos moldes e sujeita à mesma legislações, também quis convencer a todos que se “esqueceu” de tudo isto “do dia para noite”.

    Teria sido Enrique Bañuelos OUTRO vidente, que iria adivinhar o momento exato do início da derrocada da PDG? Não. Ele aplicou o golpe, sabia do timing para a bomba explodir e saiu a tempo, TAMBÉM com lucro bilionário. Enrique Bañuelos tinha a alcunha de “pai da bolha imobiliária espanhola”, ele possuía amplo know-how no assunto.

    Em 2009, construtoras como Rossi, Viver e outras, viram os excepcionais resultados de lançamentos e vendas na planta alcançados por PDG e Gafisa e o que elas fizeram? Resolveram “copiar” a fórmula mágica, disparando com os lançamentos e vendas FALSAS na planta.

    O que aconteceu? Em 2012, no ato da entrega e tentativa de financiamento por clientes referentes aos lancamentos de 2009, estas entrantes (Rossi, Viver e outras) e mais as anteriores (PDG e Gafisa) apresentaram distratos que mais do que dobraram em relação ao que PDG e Gafisa já tinham tido em 2011. Esta foi a causa RAIZ para os péssimos resultados de 2012.

    Mais uma vez: a Rossi com experiência de DÉCADAS em vendas na planta nos mesmos moldes e sujeita à mesma legislação, TAMBÉM teria se “esquecido” de como analisar a capacidade de compra dos clientes? A Viver e demais que tinham a mesma experiência ao longo de ANOS também se “esqueceram”?

    Ainda em 2012, Ricardo Eng, usuário deste blog, alertava sobre estas vendas na planta para clientes sem capacidade de compra e o quanto isto seria extremamente destrutivo para este segmento, que foi exatamente o que aconteceu a partir de então.

    Teria sido Ricardo Eng MAIS UM vidente? Não. Ele trabalhava em construtora e via esta pratica de venda FALSA na planta ser adotada em larga escala, para ele era ÓBVIO quais seriam as consequências.

    A partir de 2013 eu passei a analisar as informações do Ricardo Eng, os resultados das construtoras que já demonstravam o que consta acima e a apresentar as evidências a este respeito, bem como reforçar as consequências catastróficas para o setor que tenderia a continuar acontecendo. Teria sido eu mais um vidente nesta longa sequência de “adivinhos”? Não, apenas MAIS UMA pessoa que constatava o ÓBVIO.

    Apesar de tudo que consta acima ser ÓBVIO, tendo sido COMPROVADO por aqui ao longo de ANOS, continuaremos vendo os representantes do segmento imobiliário e seus asseclas FINGINDO que não sabem do que aconteceu, ou tentando no DESESPERO para ENGANAR as pessoas e dizer que “agora vai”, ADULTERANDO o passado…

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Dr. Estranho 1 de janeiro de 2018 at 13:33

    Palavra do ano MITOMANIA. Significa compulsão a mentiras. O pior é que o mitomano acredita na própria mentira. Alguém vestiu a carapuça?

    9+
    • avatar
    • avatar
  • CA 1 de janeiro de 2018 at 15:51

    Continuando, sobre o “otimismo” do ex-editor da Infomoney que agora atua no segmento imobiliário:

    http://www.sulconnection.com.br/noticias/5350/setor-da-construo-civil-volta-a-operar-em-larga-escala-e-isso–um-excelente-indicador

    Trechos do link acima, entre “aspas”:

    “Nos últimos três ou quatro anos esta foi uma das áreas mais negativamente afetadas da economia, mas agora o setor imobiliário voltou a usar o termo “lançamentos”, voltou a produzir imóveis e vendê-los na planta. Tudo isso é um ótimo indicador.”

    “Meu e-mail está cheio de corretores oferecendo unidades em lançamentos (LANÇAMENTOS, lembra dessa palavra? Ela esteve fora do mundo imobiliário nos últimos anos, dominado por termos menos positivos como “distratos”) e só do lado da StartSe existem três lançamentos. E todos os três lançamentos seguindo o que há de mais moderno no mercado brasileiro no momento.”

    Como revimos no meu comentário anterior, os lançamentos foram sempre uma das principais armas, do lado das construtoras, para inflarem as vendas FALSAS na planta. Além disto, eles também foram peça-chave para atrair um volume ANORMAL de investidores em imóveis: no inflar da bolha imobiliária, o percentual de investidores QUADRUPLICOU, sobre uma base lançamentos e vendas na planta que cresceu exponencialmente.

    Durante a explosão da bolha imobiliária, com uma distorção ANORMAL e PERSISTENTE entre oferta e procura, as construtoras ainda mantém lançamentos em escala elevada, por muitos anos, em patamares superiores aos de antes da bolha imobiliária. Qual o motivo? Estamos falando em uma pirâmide, logo, a única forma de mascarar os distratos vindos das vendas FALSAS na planta, é fazer lançamentos e novas vendas FALSAS. É por isto que esta anomalia da distorção entre oferta e procura nunca foi resolvida desde 2012.

    Exemplos disto foram desde o fato de 6 construtoras em 2016 chegarem a ter vendas líquidas de distratos NEGATIVAS quando zeraram os lançamentos e em 2017 o pior resultado de vendas para um mês de janeiro em São Paulo desde o início da série histórica, que ocorreu quando reduziram muito os lançamentos.

    É por isto que agora, para SIMULAR nova euforia para 2018, apesar dos estoques estarem evidentemente desproporcionais em relação à vendas, as construtoras voltam a falar sobre a retomada dos lançamentos.

    Em NENHUM segmento de negócio e nem mesmo para construção civil do Brasil no passado, é normal aumentarem lançamentos de produtos quando a ANOMALIA da distorção entre oferta e procura persiste por ANOS.

    Quais as justificativas do segmento imobiliário e seus asseclas, para MAIS ESTA ANOMALIA?

    Eles dizem que o segmento imobiliário precisa de lançamentos porque o “gosto” dos clientes ia mudando e exigia empreendimentos novos que atendiam àquela “demanda”.

    Um exemplo seria a constante miniaturização dos imóveis, nesta “visão” do segmento imobiliário, isto seria um “desejo” dos clientes finais, como por exemplo, as “jaulas” de 10 m2 lançadas neste ano em São Paulo.

    Vejamos um exemplo de São Paulo: no primeiro semestre de 2013, o volume de lançamentos de “flats”, quitinetes e imóveis de 1 dormitório em São Paulo, no Centro expandido, foi o TRIPLO do recorde de 10 anos, segundo dados do SECOVI SP. A Folha de São Paulo à época apurou que 80% das vendas seriam para investidores que planejavam alugar estes imóveis assim que entregues, confiando em PROMESSAS do segmento imobiliário de uma super-demanda de estudantes vindos de outros Estados em função do FIES, empresários que alugariam estes imóveis no lugar de quartos de hotéis durante suas viagens de negócios à São Paulo e ainda, a “reconstrução e renovação” do Centro de São Paulo PROMESSA feita há mais de 20 anos e nunca cumprida, mas que “agora aconteceria”

    O que aconteceu?

    A bolha do FIES explodiu e os estudantes que alugariam aqueles imóveis nunca vieram , não ocorreu nenhuma recuperação da economia com ampliação relevante de empresários vindo a São Paulo e por fim, como sempre, a promessa da prefeitura de revitalização do Centro, não foi cumprida.

    E ainda hoje, depois de mais de 1 ano da entrega destes empreendimentos, como estão?

    Ao consultar no site imovelweb.com.br, veremos dezenas de milhares de imóveis “flats” e similares com as caracteristicas acima para aluguel na cidade de São Paulo, imóveis com condomínios muito caros e despesas de manutenção sem receitas que significam elevado prejuízo para os investidores.

    O que a situação acima tem a ver com mudanças na “preferência” das pessoas quanto aos imóveis? Se as “preferências” tivessem mudado, não teríamos este número extremamente elevado de imóveis esperando por inquilinos. O que aconteceu, foi um volume grande de DESINFORMAÇÃO para ENGANAR investidores, um PEGA-TROUXA, apenas isto.

    O que estão fazendo agora e consta no artigo acima, é o mesmo, com truques um pouco diferentes, que certamente terá os mesmos resultados.

    Existem ainda outras justificativas para esta incoerência absurda de aumentar lançamentos quando já existem super-estoques, ao invés de vender a super oferta ja existente. Uma das desculpas mais esdrúxulas, é que as construtoras preferiam produzir para não deixar “mao-de-obra” ociosa, pelos custos e dificuldades para recontratação quando a “retomada” finalmente viesse. Desde 2012 nesta situação de desproporção anormal entre oferta e procura e as construtoras ficam 6 anos completos mantendo a anomalia da desproporção entre oferta e procura para manter empregos? Sabemos que isto é um completo absurdo e só a total desfaçatez do segmento imobiliário e seus asseclas para insistirem nestas “teses”.

    Como sabemos, a DESINFORMAÇÃO é a principal matéria-prima do segmento imobiliário para levar milhares de pessoas ao prejuízo, como consta no exemplo acima, é só isto que eles estão voltando a fazer, no DESESPERO, em larga escala e como sempre digo, quanto mais pedalam, pior vão ficando as consequências negativas acumuladas…

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zebolheu 1 de janeiro de 2018 at 18:14

      Hummmmm… Bull trap em 2018, despair em 2019??
      Avoa Lulla! KKKKKKK
      Ironic mode on.

      7+
      • avatar
      • avatar
  • cyberpsi 1 de janeiro de 2018 at 17:12

    Porteiros do prédio comentam que os carros estão todos velhos. Dizem que meu carro é novo (tem 4 anos) e que só tem velharia agora.
    Também comentam o excesso de carros nas garagens para a virada do ano. Ninguém viaja mais.
    Eu SE divirto com a situação. Aqui maratona Age of Empires 2. R$9,90 original na Steam =)

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • EngenheiroSP 2 de janeiro de 2018 at 23:06

      BaladAGE é vida

      0
  • Brazil mode OFF 1 de janeiro de 2018 at 17:47

    Pronto moçada, a bolha ficou em 2017… Daqui pra frente é só crescimento…
    Opa… péra…

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Intendente 1 de janeiro de 2018 at 18:29

    Feliz 2018, cambada!

    Muita paz, felicidade e juros para esse 2018!

    PMJ !!!

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • chainsling 1 de janeiro de 2018 at 20:20

    Nelson, O que te faz dizer que o bitcoin (suponho q vc se refere ao mercado crypto em geral) vai implodir até o carnaval? Vc tem alguma informação que nós não temos?

    Como várias pessoas aqui dizem, é possível que exista uma bolha, mas na minha opinião está muito longe de haver um estouro (isto é se houver).
    Não sei se vc tá ligado mas as duas maiores corretoras do Brasil suspenderam novos cadastros por que não estão dando conta da demanda, e obviamente essas pessoas querem se cadastrar pra entrarem no mercado (quem tem bitcoin sabe muito bem que no Brasil não tem nada além de btc e ltc). Aliás, outras corretoras gigantes como a bitfinex tb suspenderam novos cadastros por excesso de demanda.
    Então a menos que vc tenha um furo de reportagem na manga, não vejo porque em um par de meses isso iria ser “resolvido”.

    Obviamente eu tenho um viés de torcida “a favor” das crypto já que se alguém se lembra dos meus poucos posts sabe que eu entrei bem pesadamente no início desta “bolha”.

    Eu venho realizado bastante lucro , mas eu ainda mantenho um montante bastante elevado em crypto e por isso gostaria de saber o que vc sabe que nos não sabemos. Obrigado.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • antifragile 1 de janeiro de 2018 at 20:38

      Chainsling, como está a sua locação de ativos? Quantos % nas cripto?

      4+
      • avatar
      • chainsling 1 de janeiro de 2018 at 21:42

        Atualmente uns 75%. Em algum momento foi 20% e nunca mais investi nada. Dei bastante sorte nas escolhas e no timing.
        Minhas últimas aquisições:
        Raiblocks, Dragonchain, Cardano, Streamr, NEM, Tron, Verge, em ordem de retorno. Este último me deu prejuízo pq o timing foi ruim. Os dois primeiros me deram um lucro absurdo que me deixou com aquele gostinho ruim na boca de “porque não botei mais?”
        Enfim, não dá pra acertar em tudo

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • O Cramulhao de FHCigienopolis45 2 de janeiro de 2018 at 00:38

          Sobre a RaiBlocks: tudo foi bem previsível… é a concorrente da natural da Ripple. Citei a dita cuja aqui no começo de Dezembro.
          Agora, prestes a entrar na Binance:

          https://www.youtube.com/watch?v=e14sSxe6eqw

          E abaixo, vídeo interessante tb a respeito…gostei porque o camarada reclama de como brasileiro é atrasado, e como vemos isso em todo o canto, inclusive aqui no blog quando vemos sujeitos semianalfabetos dando opiniões sobre criptomoedas como se fossem especialistas, ignorando totalmente a evolução que já se vê em mercados como Japão, Coreia do Sul e China :

          https://www.youtube.com/watch?v=xlTrE7iLjig

          5+
          • Carlos 2 de janeiro de 2018 at 02:21

            O Cramulhao de FHCigienopolis45 23 de dezembro de 2017 at 00:15

            Esse Blog não é Facebook, ninguém está expondo família , emprego, fotos ou vida de ninguém, e portanto , qualquer coisa que fuja supra-citado em termos de dicscussões, levando para o lado pessoal (como esse espetáculo de ofensas acima, sem qualquer cabimento ou motivo) só demonstra um claro desequilíbrio mental do sujeito…

            —————————————————————–
            Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço

            4+
            • O Cramulhao de FHCigienopolis45 2 de janeiro de 2018 at 08:49

              kkkk kk
              Onde tá a ofensa na mensagem aciima?

              3+
            • O Cramulhao de FHCigienopolis45 2 de janeiro de 2018 at 08:59

              Vc eh mais um ressentido do mundo virtual fake…
              Queria entender a cabeça de gente como vc e a do indiokkkk