Vozes desesperadas “Demanda por imóveis é 5x maior do que a oferta” – Brazilian Bubble

Você pode gostar...

Comments
  • Miguel Jacó 3 de maio de 2012 at 20:18

    Tenho alguns comentários:

    1) Leiam mais o que o Anonymous tem a ensinar;

    2) O preço dos imóveis não vai baixar, vai é despencar (e já tem data-limite certa para isso, como eu escrevi, dia 12/06/2012);

    3) O Brasil está TÃO BEM… mas TÃAAAOO BEM que lança uma “medida de incentivo” por dia, além de colocar sua presidenta para discursar ao povo, nas datas-chave como véspera de Dia do Trabalho e 7 de Setembro, implorando para que consumam e procurem bancos que paguem menos juros.

    Pa bo enten me pala bas.

    1+
    • peterson 3 de maio de 2012 at 21:08

      e quais os fundamentos dessa afirmação? fé? sou um cara extremamente cético a axismo infundado… 16/06/2012 é o que? fim do calendário hebreu? até nos EUA que teve securitização a bolha respeitou a curva básica de ruptura, e olha que lá foi uma cascata contida com a estatização dos prejuizos da AIG senão seria um colapso bem mais violento… eu ainda sustento que NÃO ESTAMOS PROXIMO A RUPTURA, estamos derrapando, mas ainda andando para frente, estagnação é esperada, recuo só se for no preço dos alugueis (questão OBVIA) pois haverá sobreoferta e migração de placa vende-se para aluga-se, quer um bom termometro? espere o fim do feirão da caixa e verifique os volumes comercializados … serão significativos… abaixo do esperado mas alto o suficiente para o mercado derrapar…

      0
      • Alvaro Queiros 3 de maio de 2012 at 21:32

        No Feirão da Caixa só vai pé-rapado que vão seduzidos pelas propagandas de prestação de R$299 e quando descobrem a realidade do preço, mais o tamanho dos apartamentos, mais a localização não compram, preferem construir puxadinhos onde já vivem.
        E muitas das propostas que são feitas caem na segunda-feira quando o cliente realmente interessado vai onde está ou será construído o empreendimento. Sobre os usados no feirão não é o melhor lugar de procurar com certeza.

        0
        • peterson 6 de maio de 2012 at 08:42

          Em um dia, Feirão da Casa Própria movimenta quase R$ 900 milhões em cinco cidades EM UM DIA….. se isso é um fracasso… o que seria um sucesso pra você?

          http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2012/05/05/em-um-dia-feirao-da-casa-propria-movimenta-quase-r-900-milhoes-em-cinco-cidades.jhtm

          0
          • Alvaro Queiros 6 de maio de 2012 at 20:25

            No Feirão eles fazem assinaturas de convênios, entrega de contratos e outros eventos simbólicos, acho que só assim para movimentar essa quantidade de dinheiro. Se fosse com vendas para chegar a esse valor cerca de 5.000 unidades com um valor médio de 200 mil deveriam ter sido negociada em um dia, acho bem difícil.

            0
            • Carlão_RJ 7 de maio de 2012 at 19:16

              Acredito que se a venda de 5.000 unidades tivesse acontecido eles teriam dado essa informação junto com a do valor movimentado. Se não disseram a quantidade de imóveis é por que provavelmente só restou falar sobre o valor movimentado. Me lembro que tive um chefe que quando não sabia o que queria exatamente transferia a responsabilidade prá você usando a expressão “como um todo”. Então, se você, por exemplo, perguntasse se era prá dar destaque a algum item do relatório ele dizia que era prá você dar destaque como um todo e rapidamente se mandava. Acho que esse valor movimentado está parecendo o “como um todo”, ou seja, serve prá qualquer coisa. Seria mais ou menos assim: o leilão movimentou 1 bilhão como um todo, rsrs.

              0
      • Miguel Jacó 3 de maio de 2012 at 21:35

        Dica 1: Leia os escritos deste blog nos últimos meses, e terá uma visão real, límpida, claríssima, do que está acontecendo neste país chamado Banânia.

        Dica 2: Leia a minha carta ao blog, assim como meus escritos posteriores, e encontrará alguns dos fundamentos que utilizei para esta data.

        0
        • Troll 3 de maio de 2012 at 22:24

          Cara, você é meu ídolo.

          0
          • GB 4 de maio de 2012 at 06:56

            É, quando eu crescer eu vou querer ser como ele.

            0
            • Mecia 4 de maio de 2012 at 14:17

              frescoooo

              0
        • peterson 3 de maio de 2012 at 23:03

          reli sua passagem pelo blog e percebi que vc é um oráculo do apocalipse… este tipo de esteriótipo no meu mundo é conhecido como um kamicase, o sucesso dele está no acerto , de qualquer maneira será o suicidio das informações infundadas, meramente baseadas na sorte, mas, não se pode negar: você tem talento, mas não queira que um cara analítico como eu acredite nas suas “análises”…. o bom deste blog é isso, encontrar de tudo um pouco, quando esta diversidade acabar eu saio fora….

          0
          • KDu 4 de maio de 2012 at 01:20

            Para mim ele é um cara com informações privilegiadas e que talvez não possa ficar divulgando para os macacos!

            Eu acredito em Jacó

            ; ) haha

            0
            • Bolhado 4 de maio de 2012 at 19:58

              Para mim ele é um cara com informações privilegiadas e que talvez não possa ficar divulgando para os macacos!

              Eu acredito em Jacó

              ; ) haha [2]

              Idém sobre o MrK

              0
          • Felipe 4 de maio de 2012 at 09:38

            Peterson, não duvide de um cara com um nome desses.

            0
          • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 01:08

            Peterson, existem 2 tipos de inteligência … a racional e a intuitiva…
            para o racional é dificil entender o funcionamento da intuitiva, visto que ela é muito mais rapida, abrangente, e dificilmente se coloca em equações…

            sou racional, de uma forma geral, mas com lances intuitivos …. quando estou analisando algum problema, ou um sistema, de cara, sem razão aparente observo “onde ” está o X da questão… mesmo sem ter analisado a fundo ou observado as equações… essa é a inteligencia intuitiva … depois usando a parte racional (muito mais demorada) consigo entender a questão, e sempre acerto o local do X … (ou a idéia do X…)

            este é um fato que hoje chamam (acho) de inteligencia emocional …. isso atualmente é uma ferramenta de mo que muitas empresas buscam no mercado com testes psicologicos ….

            portanto, não despreze aquilo que vc não entenda e talvez até tenha e não deu valor…

            os genios da humanidade e destacam por apresentar com simplicidade as soluções que a maioria racional não consegue…

            0
          • rubens 5 de maio de 2012 at 21:47

            Pessoal, vento que sopra lá não sopra aqui. Quem estiver esperando uma derrocada do Brasil, através da bolha imóbiliária, como aquela que assistimos estarrecidos pelo jornal nos estados unidos, irá se decepcionar. Não haverá esta queda estrondosa que todos esperam. O mercado imobiliário arrefeciará com menas venda, os imóveis irão se ajustar aos verdadeiros preços. Irá seguir a lei da oferta e da demanda. O que ocorre é que aumento de consumo na família brasileira, bem como seu endividamento é mediocre e ocorreu apenas nos últimos 8 anos. Portanto, estamos longe de ter uma bolha e por conseguinte, uma crise como a que ocorreu nos EUA. Infelizmente, pois se fosse semelhante, pelo menos seríamos mais ricos.

            0
            • Comprei na baixa 6 de maio de 2012 at 18:45

              Concordo, apesar de achar que os preços estão bem inflados não acredito em um estouro de bolha e sim em uma desaceleração com posterior estagnação.
              Me parece que em locais onde antes não construiam nada agora aparecem as opções mais populares, permitindo que a pessoa compre seu primeiro imóvel no esquema ‘minha casa minha vida’. Na faixa de valor acima muita gente está aproveitando para subir um degrau graças ao financiamento. O camarada que mora na região onde vale 300 consegue vender e mudar para o bairro onde custa 450, e por aí vai. isso tudo mantém o mercado movimentado.
              E uma coisa que observo aqui no forum é que muita gente não está tentando analisar o movimento de forma isenta. Está só torcendo para os preços baixarem (como se torcida adiantasse) para poder morar na zona sul do Rio. Esquecem que quase todo carioca quer morar na zona sul e essa região não tem como crescer mais nada.

              0
              • Etmso 6 de maio de 2012 at 22:54

                Perfeito.

                Alguns estao manipulando as informações/dados igual os corretores.

                Eu acredito numa queda, localizada, mas bolha nao estou vendo conjuntura sobre nenhuma otica real, estatística, econômica, financeira, cultural.

                O pensamento e, EUA, Japao, Canada, Espanha, Irlanda sao ricos, tiveram bolha, nos somos pobres, desorganizados, corruptos, logo a bolha sera maior. Mas os dados, informações, monstram que este processo no Brasil nao parece em colapso, por enquanto.

                0
            • aiwww 7 de maio de 2012 at 08:58

              … parei de ler no “menas venda ”

              … típico corretor sem ter o que fazer

              0
              • SF 7 de maio de 2012 at 09:14

                esse “menas venda” foi um bico na canela logo de manhã

                Esse é o Braziu do Lulinha, Dilminha, Dirceuzinho, Pallocinho, etc…, recheados de bolsas isso, bolsas aquilo, mas educação para o povão que é bom NADA!!!!!

                0
        • marcelo CPS - SP 4 de maio de 2012 at 11:08

          Acredito em cada palavra de nosso profeta! faltam 46 dias..

          0
          • peterson 4 de maio de 2012 at 16:07

            de certa forma passa rapido, eu estarei aqui no dia seguinte… não vejo nada que seja tão significativo que este dia marque a ruptura da bolha imobiliária…. mas como todos profetas do fim do mundo outra data será criada e todos seguirão felizes a nova alienação… mas é divertido não vou negar!

            0
            • Miguel Jacó 4 de maio de 2012 at 18:05

              Pelos conteúdo de seus comentários posteriores neste tópico, você me fez lembrar o personagem Duas-Caras, do Batman.

              0
              • peterson 5 de maio de 2012 at 13:37

                e vc me faz lembrar o walter mercado….

                0
                • Crixus 8 de maio de 2012 at 00:18

                  Peterson eh ídolo

                  0
          • Mineiro BH 7 de maio de 2012 at 17:16

            Tou nessa com nosso guru Miguel, mas desloco a data fatídica talvez pro dia 18, segunda, pq no dia 12 é Dia dos Namorados na Banânia, então há outras prioridades no inconsciente coletivo nessa data…

            0
      • Menino_do_Rio 4 de maio de 2012 at 08:27

        As últimas notícias estão ótimas para os investidores em imóveis.
        Acredito que o esperado estouro seja postergado para o fim do 4o. mandado do lula (2021-2022). Como já havia comentado várias vezes, o governo tem e terá muita lenha para manter o seu plano de permanência no poder…

        http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1085326-taxa-de-juros-para-financiamento-de-imoveis-cai-hoje.shtml
        “As taxas da Caixa vão de 4,5% a 10% ao ano mais Taxa Referencial, de acordo com o valor de imóvel e a renda. Antes, chegava a 11%.

        No caso dos mutuários que adquirem um imóvel avaliado em até R$ 500 mil, as taxas serão reduzidas de 10% para pelo menos 9% ao ano.

        Para quem tem conta-corrente, cheque especial e cartão de crédito do banco, os juros podem chegar a 8,4%. Já os clientes que optarem por transferir o salário para Caixa podem ter até 7,9%.

        Imóveis com valores superiores a R$ 500 mil terão taxas de financiamento reduzidas de 11% ao ano para 10% ao ano, podendo chegar a 9% ao ano de acordo com os produtos e os serviços da Caixa que os clientes usarem.

        Na linha que usa os recursos do FGTS, a taxa máxima foi reduzida de 8,4% para 7,9%. Se o cliente tiver conta no fundo de garantia (caso de assalariados), fica em 7,4%. A modalidade é válida para compra de imóveis de no máximo R$ 170 mil e famílias com renda de até R$ 5.400.”

        Brasil do pt, endivide-se ou deixe-o.®

        0
        • Comprei na baixa 6 de maio de 2012 at 18:49

          Pois é, só que comprei meu apê por 500 com taxa de 11 a.a., agora custa 1 mi e a taxa caiu para 10. Adianta alguma coisa ?

          0
      • WallStreet 4 de maio de 2012 at 10:28

        Concordo que não estamos próximos ao estouro. As corretoras vão resistir ao máximo em baixar os valores anunciados, pois isso causaria um alarde no mercado. Elas vão continuar aumentando os valores anunciados e dando descontos maiores na negociação, dessa forma os preços negociados ficarão estáveis por um tempo.

        Não acredito em queda brusca nos preços sem um gatilho como uma forte restrição no crédito, por exemplo.

        0
    • RGD 4 de maio de 2012 at 03:04

      Miguel Jacó, concordava com você que o estouro da bolha estava próximo, mas essa última mudança do governo na poupança pode dar um fôlego adicional para o mercado imobiliário se o governo conseguir baixar os juros rapidamente e conseguir fornecer dinheiro suficiente para financiamento. Já chegou a fazer uma análise do impacto dessa medida ?

      Mas você está certíssimo ao dizer que a nossa situação econômica está muito complicada apesar do governo falar que está tudo MUITO BEM.

      0
      • Vinícius BH 4 de maio de 2012 at 09:44

        Eu não consigo ver quando faltou dinheiro para financiamento? Falta é capacidade de endividamento da população. Enquanto não houver aumento real de renda (que hoje é de aproximadamente R$1800,00), eu sinceramente não vejo mudança para o mercado de imóveis.

        0
    • Rodrigo 4 de maio de 2012 at 10:24

      Caros

      Ontem no GloboNews conta corrente onde estavam comentando sobre a redução dos juros na poupança a reporter foi “quente” e “saltitante” perguntando: com a redução dos juros da poupança, os juros da casa própria vão cair e haverá outra corrida e grande valorização dos imóveis??? O economista que estava lá (que não lembro o nome) fez uma cara de “não me comprometa” e respondeu: Sim os custos de juros da casa própria irão baixar porém não há espaço para mais valorização dos imóveis principalmente pelo alto volume de estoques que as construtoras tem hoje e problemas de endividamento.

      Precisavam ver a cara da reporter…pena que não gravei

      Saudações

      0
      • Clapton 4 de maio de 2012 at 13:44

        Não sei vcs viram no mesmo programa anteontem, a mesma repórter entrevistou um “analista” que disse que agora seria a melhor hora para investir em imóveis, que ano passado valorizaram 20%, a previsão seria de 25% esse ano e exaltou as maravilhas dos novos empreendimentos com mais de 30 itens de lazer, varandas gourmet, serviços de concierge, etc, etc… detalhe, o cidadão foi apresentado como “alguém que acompanha o mercado imobiliário de perto, pois é publicitário de uma agência que atende a várias construtoras”. Patético!

        0
      • Tati 4 de maio de 2012 at 20:31

        Eu vi… haha, Ele é professor da USP!

        0
        • FRK 4 de maio de 2012 at 23:36

          🙁

          Vergonha de estudar na usp..

          0
          • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 01:14

            idem….

            0
    • Ricardo2012 8 de maio de 2012 at 08:54

      Tenho monitorado um pouco esta questão dos imóveis, e coincidência ou não, o site da Trovit não está mais mostrando o gráfico com a evolução dos preços de imóveis, logo após um período de baixa e estabilização de preços, alguém sabe dizer a qual grupo pertence este Site? seria de algum grupo europeu? pergunto pois diversos anúncios estavam lançados com preços 100 vezes maiores e depois passavam por redução.
      outra pergunta: o CRECI não deveria fiscalizar estas empresas de anúncio de imóveis ou pelo menos seus anunciantes que informam CRECI e fazem propaganda com preços que não são os reais?
      Obrigado a atenção

      0
    • Flavio RJ 8 de maio de 2012 at 10:50

      Acho que deveríamos aproveitar esse espaço com tantos interessados para falar de valores.

      A grande maioria espera que os preços caiam. Caiam em qual velocidade?

      Poderíamos criar um espaço para postarmos o que achamos justo e a partir desse ponto poderíamos medir o mercado.

      Dia 12/06/2012 qual será a desvalorização do metro quadrado na Tijuca?
      1% é despencar?
      10% é despencar?
      50% é despencar?

      0
  • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 3 de maio de 2012 at 20:29

    Segundo

    Anonymous up pro cê

    0
  • Edulon 3 de maio de 2012 at 20:33

    off topic – Falando em crise e demanda:

    – Banco Votorantim tem prejuízo de R$ 597 mi no primeiro TRIMESTRE de 2012

    Sempre fui contra a compra deste banco pelo BB. Basicamente o banco estava falindo, emprestou para quem não podia pagar, e para evitar risto sistêmico de quebra de bancos foi comprado ( a verdadeira explicação). Será que terá dois bilhões de prejuízo ao finao do ano?

    outra:

    – Produção industrial cai 3% no primeiro trimestre, aponta IBGE –

    ” O setor industrial, apesar dos esforços do governo, já vinha dando sinais de que ainda patina.”

    0
  • Avoador 3 de maio de 2012 at 20:33

    Em minha cidade, os preços não baixam mas começou o desespero:

    “Apartamento 2 quartos – Montes Claros MG – R$ 88.102,00

    Belvedere – Promoção Imperdível de lançamento da Construtora MRV Engenharia! Excelentes apartamentos de 2 quartos em Condomínio Fechado, com área de Lazer completa, segurança 24hrs. Compre um Apartamento e ganhe uma TV de 40 polegadas mais R$1.500,00 de bônus.”

    0
    • Coretor 3 de maio de 2012 at 20:54

      uahaha

      uma diminuição dos preços precede o desespero

      não faz sentido falar em desespero se como vc diz os preços não baixaram nada

      0
      • Avoador 4 de maio de 2012 at 12:06

        Não baixam significamente, mas desespero para venderem já que não sai venda fácil como anteriormente. Os apartamentos começaram sendo anunciados por 90 k, 89, 88 e agora com TV e bonus. Como a cidade está em crescimento comparado com o restante do Estado, imagine se não estivesse.
        Mandei um e-mail para um corretor, nunca vi alguém me responder tão prontamente e já querendo marcar visita….

        0
    • Corvo 4 de maio de 2012 at 15:50

      Fora o fato de que, segundo minha própria experiência, comprar da MRVala é fazer pacto com o demo!

      0
  • Coretor 3 de maio de 2012 at 20:51

    CONCORDO plenamente.

    Por exemplo, há uma enorme demanda por imóveis na ZS do RJ.

    Claro que os preços sobem até a que a demanda do momento diminua.

    Mas conheço muita gente morando de aluguel, ou em repúblicas, que está guardando bastante dinheiro. A qualquer diminuição de preços comprariam sem pestanejar. É nesse sentido que há uma gigantesca demanda esperando para comprar assim que juntem dinheiro ou assim que os preços caiam um pouquinho e caibam no limite do financiamento.

    A Petrobras vai contratar mais 20 mil pessoas até 2014. Todo ano chegam milhares e milhares no RJ vindos de outros estados, que vem trabalhar na Petrobras e não conhecem nada do RJ, só conhecem a ZS e é lá que querem alugar, seja o preço que for. Ainda ganham um auxílio aluguel por 2 anos que dá pra bancar um 2 quartos a preços “bolhudos” como vcs dizem. Ao longo dos anos vão juntando dinheiro, pois não podem comprar, mas algum dia poderão, e o farão sem pensar 2 vezes. Por isso não entendo muito quando dizem que o preço vai despencar, já que existe fila pra comprar, considerando o longo prazo.

    0
    • Riodetudo 3 de maio de 2012 at 21:07

      “conheço muitas pessoas morando em repúblicas na zona sul do RJ”
      “A Petrobras vai contratar mais 20 mil pessoas até 2014.”
      “Todo ano chegam milhares e milhares no RJ vindos de outros estados”.
      Depois desses comentários, fica difícil falar qualquer coisa…

      0
      • charles 3 de maio de 2012 at 23:10

        Dá um desconto pro cara, ele é coretor!

        0
        • GB 4 de maio de 2012 at 06:59

          É o Cirilo, ele acha que vão conseguir extrair alguma coisa do pré sal.

          0
    • Miguel Jacó 3 de maio de 2012 at 21:11

      Estas mesmas pessoas que chegam ao Rio de Janeiro e ficam, percebem em pouco tempo o grande erro que cometeram ao ficar, e fazem de tudo para sair desta cidade, que apesar de maravilhosa, é um lugar impossível, repito, impossível para realizar simultaneamente dois desejos básicos do ser humano:

      – Morar dignamente e juntar algum dinheiro.

      0
      • Irene 4 de maio de 2012 at 10:12

        Do Rio não posso falar,mas da baixada,te, muita gente que veio pra cá á 2 anos, em busca dos empregos do pre sal está trabalhando ,mas já está louco para ir embora dizendo que tem credito mas prefere comprar na sua cidade.

        0
    • Vinicius 3 de maio de 2012 at 21:17

      Eu sou engenheiro da petrobras concursado a uns 5 anos, solteiro, moro com os meus pais para economizar, tenho hábito de poupar e não tenho condições de comprar na zs do rio. Imagine quem está entrando agora e ainda mais vindo de outras cidades…

      0
      • Vinicius 3 de maio de 2012 at 21:19

        Me explica a mágica ai corretor !!!

        0
        • Riodetudo 3 de maio de 2012 at 21:36

          A mágica é a seguinte, você toma um chá do santo daime e escreve o que ele colocou. Depois, ele vai ver aquele vídeo que tem no youtube dos corretores pulando e gritando alto palavras de auto-confiança para ver se vendem alguma coisa.

          0
        • charles 3 de maio de 2012 at 23:12

          Vinicius

          Nao inventa! Pedir pra esse cara postar mais coisa é masoquismo. hehe

          0
      • jch 3 de maio de 2012 at 21:54

        Isso me lembra quando vim morar em Brasilia e alguns parentes, ja no primeiro encontro perguntavam-me: Ja comprou sua casa?
        Nao sei como pode ser possivel comprar um imovel em BSB, Sao Pauo ou Rio, assim, de cara, acabando de chegar na cidade. So porque passa em concurso fica-se rico na primeira segunda-feira? A pressao social de ser “proprietario” beira ao ridiculo. Coisa de pobre (principalmente de espirito) com necessidade de auto-afirmacao social.

        0
        • Virginia 4 de maio de 2012 at 06:24

          Passei exatamente pelo mesmo que vc… Hoje conheço este blog, encontrei o profeta MJ, sou feliz e renascida economicamente! kkkkkk

          0
          • Raposão 4 de maio de 2012 at 10:49

            “Blog Universal do Santo Pai Miguel Jacó… Aqui não se dá dízimo, mas economiza-se!”

            Att.
            Raposão, o liberto das pressões psico-sociais do “Third World”.

            0
          • Marcos de Paulo 5 de maio de 2012 at 16:50

            Ha, ha, ha! Muito engraçado!

            0
    • Lady M. 3 de maio de 2012 at 21:24

      Como se os salários iniciais da Petrobrás fossem maravilhosos… só rindo.

      0
      • Rico 4 de maio de 2012 at 09:29

        Exato, trabalhei lá como contratado, pagam metade do que o mercado paga.

        Só vale a pena para quem está começando a carreira.

        0
    • CSM 3 de maio de 2012 at 21:40

      Aí, mano velho, vc está totalmente por fora da realidade da petrobrás. falo isso, pois sou funcionário crachá verde! e estou lá há 14 anos! salário inicial líquido é muito pequeno para isso que vc falou! só podemos falar o que sabemos, cara! informe-se melhor, valeu!?!?!?

      0
    • angel 3 de maio de 2012 at 22:16

      É isto q estou vendo na minha busca por imóvel na (média ou baixa) ZS, digo, em torno do Largo do Machado (Laranjeiras, Flamengo e Catete). Não está havendo sobreoferta para levar a queda de preços. Os valores continuam muito bolhudos. Pude ver perfeitamente a bolha imobiliária em Águas Claras, Brasília, pois construiu-se demais (ainda tem muita construção), os preços subiram muito, diminui demanda (pelo menos para os valores bolhudos), e começou a baixar os preços. Nós vendemos nesta baixa, dando desconto. Por isso, lembro do Cirilo que teimava que a bolha era localizada. Nos dois cenários acima, num vejo preços bolhudos e no outro a bolha por completo. Então fico no dilema: quando a queda de preço refletirá nesta região do Rio ? Devo ficar de aluguel por anos esperando preço justo ? E se encontrar o imóvel “ideal”, compensaria comprar ?

      0
      • Cleyton 3 de maio de 2012 at 22:23

        Assim, simule um financiamento e divida o valor pelo prazo em meses do financiamento, diminua a parcela simulado pelo valor que você encontrou, esse valor é o juro, o aluguel do dinheiro para o banco, então decida se vai alugar o imóvel ou o dinheiro do banco.

        Se encontrar uma tabela SAC melhor ainda, some a coluna dos juros com uma coluna de aluguel e terá ideia de quanto tempo vale a pena alugar.

        0
        • angel 3 de maio de 2012 at 23:34

          Cleyton, obrigada. Tentei, não sei se segui seu raciocínio direitinho…
          Fiz uma simulação de financiamento pela CEF, modalidade SAC, 200k, 50 meses (tempo que ficaria no aluguel, até as Olimpíadas, esperando os preços caírem). A taxa de juros ficou em 9,5…% a.a. + TR.
          A primeira prestação começando 5,8k e a última, 4k. Detalhando, na primeira os juros correspondem a 1,6k. Comparando com o aluguel que pagamos hj, 2k, tá abaixo. Mas não se compara o conforto, pois hj estamos num apto de 50m2, de 1 qto e dce, quando precisamos de 3 qtos.
          Acho que vou continuar simulando outras situações. Mas, a princípio não vi vantagem em ficar no aluguel nestes próximos 50 meses.
          Será q fiz certo ?

          0
          • Daniel Lobo 4 de maio de 2012 at 01:49

            Me explica uma coisa, aonde no rio de janeiro voce irá comprar um apartamento de 3 quartos por 200k ? ou até mesmo um apartmento de 2 quartos? Voce paga 1600 no mesmo lugar onde pretende comprar por esse preço? Se voce paga 1,6k no mesmo local que irá comprar um apartamento melhor pagando menos juros do que paga de aluguel, entao voce deve comprar. Mas eu realmente duvido de que exista tal tipo de lugar.

            0
            • angel 4 de maio de 2012 at 07:07

              200k é o financiamento, pois já tenho uma boa parte do valor, da venda do meu. Pago 2k onde moro mas não é no prédio q quero comprar. 1,6k são apenas os juros da primeira parcela (5,8k) do financiamento.

              0
              • RD85 4 de maio de 2012 at 09:25

                Então pelo menos se dê ao trabalho de fazer uma conta “razoável”.
                Não basta essa continha de padeiro de comparar juros com aluguel, a comparação é de custo de oportunidade.
                Compara o aluguel descontado do quanto seu dinheiro pode render mensalmente (que deve ser quase 1M pra vc precisar só de 200k pra financiar um bolhamento de 3 qtos na ZS/RJ) com os juros.

                0
                • angel 4 de maio de 2012 at 10:23

                  Valeu, RD85, pela dica “a comparação é pelo custo de oportunidade” pois meu dilema é se aparecer o apto ideal, com preço bolhudo ? Vou analisar o custo de oportunidade.

                  0
                  • FRK 4 de maio de 2012 at 23:48

                    Angel, o que o amigo apontou, meio que rispidamente, é absolutamente correto.

                    Veja que você também deveria colocar na conta os rendimentos que você conseguiria com a aplicação da diferença entre o aluguel que você paga e o valor da prestação (isso considerando que você compraria um imóvel pronto pra morar)

                    abs

                    0
          • Cleyton 4 de maio de 2012 at 20:12

            angel, a conta tá certinha, só não esqueça de comparar imóveis semelhantes, 1/4 com 1/4 e 3/4 com 3/4. Pelos números, se forem semelhantes compensaria comprar, não encontrei esse caso em nenhuma simulação que fiz, com preços bolhudos sempre compensava alugar entre 9 e 17 anos pagando 0,3 do valor do imóvel (meu caso).

            Sobre o que o RD85 falou, das duas uma, ou usa um modelo completo considerando inflação, depreciação, impostos e aumento do aluguel e provável valor futuro de mercado ou simplifica tudo, não vejo sentido incluir apenas uma variável.

            0
      • Rafael 3 de maio de 2012 at 23:04

        Fui contratado pela Petrobras e há 2 meses cheguei no Rio. Tu vai procurar um ap mobiliado para alugar por temporada e tu diz que trabalha na petrobras, na hora a pessoa eleva o aluguel pois ela sabe que recebemos uma ajuda de custo de moradia. Achar uma kitnete a 2mil reais por mês na zona sul é IMPOSSÍVEL. NÃO EXISTE. E dá vontade de chorar quando tu vai visitar os aps. Tudo velho, caindo aos pedaços. Procurei, procurei e achei um ap 2 quartos na frente Largo do Machado ( não sei Largo do Machado é bairro ou é Flamengo) e tô pagando 1600 mensal. Curioso que o cara tá querendo vender e veio um corretor aqui domingo. Sabe quanto ele quer num ap 2 quartos, 1 banheiro, uns 80mt² no total mas precisando urgente de reforma: R$600.000 reais!!! Esse ap aqui não vale R$350.000, e isso só por causa da localização. É uma vergonha. Também quero guardar dinheiro mas não acredito que os preços dos aps irão cair tanto. E desejo comprar um ap antigo, nada desses novos pombais aí

        0
    • Paulo Franc 3 de maio de 2012 at 23:00

      Concordo com você amigo, os preço poderão até cair mas NUNCA como muitos aqui esperam, e outra, é como você falou, no primeiro sinal de queda haverão repiques pra cima dos preços porque muitos vão correr comprar quando os preços ameaçarem cair…

      0
      • Revoltado 4 de maio de 2012 at 11:43

        famoso “bull trap”

        0
      • Riodetudo 4 de maio de 2012 at 12:31

        Corretor é na maioria como esse ‘coretor’ que escreveu essas lorotas acima. Aparece inventando maravilhas, vê se algum otário compra a idéia e se alguém contra-argumenta, foge covardemente. Até porque, quase todos mal falam português.

        0
    • Paulo - RJ 3 de maio de 2012 at 23:34

      Coretor,
      Por favor. Devem existir alguns argumentos plausíveis para defender a manutenção do aumento de preço de imóvel. Mas certamente não é este que você apresentou.
      – Não chegam 20 mil por ano no rio, por causa da Petrobras
      – O salário inicial é baixo. Se depender da renda inicial da Petrobras, não compra imóvel nem na Tijuca, quanto mais na Zona Sul. E esta dificuldade se estende até para quem já tem um tempo de Petrobras. Se não for gerente ou algo próximo, se não tiver juntado uma boa poupança, se não tiver um ap bolhudo que consiga vender para entrada, também não compra nada hoje em dia.
      Na boa, argumente com outra coisa

      0
    • Hik 4 de maio de 2012 at 01:13

      O Coretor joga suposições ao vento e não contra argumenta.
      Expor o seu ponto de vista é muito bom, mas é essencial contra argumentar para demonstrar a solidez da afirmação, senão é simplesmente uma idéia e não um fato.

      0
      • Revoltado 4 de maio de 2012 at 11:45

        Ele á apenas um Troll brincando com os desesperados da bolha.

        0
  • peterson 3 de maio de 2012 at 20:54

    ALERTA IMPORTANTE

    andei analisando as informações recentes, dados e cheguei a conclusão que se aproxima em questão de MESES a RUPTURA de uma enorme BOLHA em nosso país, trata-se de uma coletanea de dados externos e internos, demandas e convergencias… trata-se do estouro da bolha dos CARROS no Brasil….. meditem e tentem assimilar as informações… é o fim de uma BOLHA que dura décadas…

    0
    • Felipe33 3 de maio de 2012 at 21:04

      Oi Peterson,
      Poderia dar mais informações, a respeito de como chegou a esta conclusão?

      Abraços

      0
      • peterson 3 de maio de 2012 at 21:23

        lucro declarado da matriz , lucro declarado da filial (se existir), participação de mercado, lucro do ultimo trimestre (declarado), taxa de esgotamento financeiro (bancos), taxa de participação do financiamento na venda total (possivel), indicadores de estoques (se existir), indicadores de contratações (se existir), sazonalidade, etc… tenho com colega que trabalha com estes indicadores e tem um senso mais apurado, estou mandando uns emails para ele me informar sobre o que está acontecendo…. por enquanto uma coisa é certa, não trata-se de estagnação já estamos vivendo as fronteiras da decadência, ou ruptura deste setor… a midia não está noticiando nada? estranho….

        0
      • Leno 3 de maio de 2012 at 21:52

        Vc não percebeu que ele está sendo ironico.?

        0
        • peterson 3 de maio de 2012 at 23:06

          foi? pois está perdendo uma bela chance de aprender… e ganhar dinheiro! não faço filantropia e não vivo de dizimo ….

          0
    • Miguel Jacó 3 de maio de 2012 at 21:13

      Esta bolha, a dos carros, já era para ter estourado ano passado, quando o desgoverno resolveu proteger seus patrocinadores e taxar alguns carros importados.

      0
      • Paulo 3 de maio de 2012 at 22:02

        Alguém esta tentando vender carro como eu?
        o mercado está estacionado, não vende nada… neguinho jogando os preços lá pra baixo…
        aliás, alguém quer contrar um C4 hatch 2010? (hehe)

        0
        • Cleyton 3 de maio de 2012 at 22:16

          Ofereceram 2k no carro de um camarada, poxa, por 2k compensa jogar no rio e pagar a multa pro meio-ambiente!

          Não aconselhei ele a tocar fogo porque é crime, hehe.

          0
        • Ze Bom Dirolo 3 de maio de 2012 at 22:21

          Meu amigo estava tentando vender um Civic 2010. Ele falou que tava quase entregando o carro para o primeiro que aparecesse. O problema é que não apareceu nem o primeiro e ele desistiu.

          0
        • Pimp 4 de maio de 2012 at 01:57

          Qual sua cidade?

          Em sp era comum vender carros de até 30k no mesmo dia do anúncio no webmotors, pelos menos estava assim até o fim do ano passado. Se você tiver pressa (e disposto à perder um pouco) é questão de anunciar $500-1K mais barato em relação aos compatíveis no site …

          Três colegas venderam mto rápido entre agosto e outubro…Um recebeu ligação 30 min após o anúncio (sandero), marcou pro cara ver no dia seguinte e fechou. Outros demoraram um pouco mais, porém venderam no período de anúncio gratuito. Pode ter sido efeito de13º/PLR, mas eles já tinham vendido por lá e falaram que seria rápido

          O segredo é sempre estar no topo do order by 🙂

          0
      • Guilherme Eduardo 3 de maio de 2012 at 22:04

        Antes de reduzirem os preços nominais as montadoras estão utilizando de outras armas para tentarem manter as vendas, como o incremento dos veículos: vide a propaganda da Ford, na qual você compra um carro 1.0 completo, mas leva com motor 1.6. O preço continuam os mesmos, mas hoje quem compra leva mais do que quem comprou no início de 2011.

        0
        • Guilherme SC 4 de maio de 2012 at 00:44

          Eu comprei um Fiesta e tentei trocar pelo modelo novo, na consecionária eles pegavam o meu carro e queriam 12 mil de volta heuheuhe prefiro deixar o meu caindo aos pedaços.

          0
    • Paulo Franc 3 de maio de 2012 at 23:03

      Amigo, sem argumentos só posso dar risada….. venha com argumentos que assim quero acreditar em você!

      0
    • Revoltado 4 de maio de 2012 at 11:52

      Infelizmente o blog está se tornando uma colcha de retalhos de previsões atrológicas, teorias conspiratórias, militancia politica e ufanismo/anti-ufanismo.

      0
      • peterson 4 de maio de 2012 at 15:43

        eu não baseio minhas informações em ufanismo colega….. inclusive vi HOJE noticias sobre problemas nas vendas INTERNAS e EXTERNAS de TODAS as grandes montadoras…. creio que você possa contribuir neste blog ao invés de ficar somente SUGANDO sem dar nada de util…. não gosto de vampiros …

        0
        • Revoltado 4 de maio de 2012 at 16:56

          Não vou aqui entrar no mérito de responder a sua declaraçao malcriada, e infundada. Procure meu nome nos posts e vc verá que contribuo bastante.

          E quanto a minha ultima posição, continuo dizendo que o blog perdeu muito a qualidade visto que, infelizmente, muitas pessoas que contribuiam com excelentes artigos e informações abandonaram o blog.
          Se tornou mais um grupo de piada / esotérico / politico etc.

          0
          • peterson 4 de maio de 2012 at 20:47

            estou pensando em abandoná-lo também….

            0
          • LEOTEX 5 de maio de 2012 at 11:20

            discordo.
            na verdade aumentou o número de participantes. consequentemente, são mais trolls, mais bobagens, etc. o conteúdo interessante vai ficando diluído e mais difícil de peneirar.
            por outro lado, se tanta gente vem parar aqui, isso deve significar alguma coisa.

            0
    • Deurges 4 de maio de 2012 at 15:19

      noticiasautomotivas.com.br/mercado-previsao-de-vendas-e-reduzida-para-35-de-crescimento-em-2012/

      Mercado: previsão de vendas é reduzida para 3,5% de crescimento em 2012

      O resultado ruim de abril fez a Fenabrave reduzir a previsão de crescimento do mercado nacional em 2012. Antes o crescimento previsto para automóveis e comerciais leves era de 4,5%, mas diante do péssimo resultado de abril, a entidade agora projeta alta de 3,5%.

      Deverão ser absorvidos 3,54 milhões de unidades, sendo que é esperada maior alta no segmento de comerciais leves, em torno de 8,8%. Já os automóveis vão crescer muito pouco, algo como 1,9%.

      Assim, 844,9 mil comerciais leves serão vendidos, enquanto que 2,7 milhões de automóveis encontrarão os primeiros donos este ano. A Fenabrave acredita em uma recuperação das vendas no segundo semestre.

      0
      • peterson 4 de maio de 2012 at 15:44

        pois é… e eu nem sabia disso…. percepções apuradas são para poucos mesmo!….

        0
  • Pablo 3 de maio de 2012 at 21:04

    A reportagem fala em demanda reprimida, então por que as grandes construtoras reduziram o número de unidades lançadas em 2011 com relação ao mesmo periodo de 2010?
    das duas uma, ou as construtoras não souberam avaliar o mercado ou a reportagem é furada!

    Código Unidades lançadas
    BBRK3 25,00%
    BISA3 NÃO INFORMOU N° UNIDADES
    CYRE3 -5,30%
    EVEN3 -2,80%
    EZTC3 32,50%
    GFSA3 -46,00%
    HBOR3 12,40%
    MRVE3 9,40%
    PDGR3 -5,00%
    RSID3 -20,00%
    TCSA3 -15,30%

    0
  • Ze Bom Dirolo 3 de maio de 2012 at 21:05

    Mudança na poupança pode reduzir crédito imobiliário, dizem consultores
    Há descompasso entre pedido de financiamento e recursos disponíveis.
    Com alteração, diferença pode se agravar, dizem especialistas.

    ttp://g1.globo.com/economia/noticia/2012/05/mudanca-na-poupanca-pode-reduzir-credito-imobiliario-dizem-consultores.html

    0
    • Gabriel 3 de maio de 2012 at 21:32

      4
      comentários
      Bom…tá rolando o BOATO em BH … – 03/05/2012 | 18:49
      …CAPARAÓ…LÍDER CONSTRUTORA…HABITARE….

      EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL…

      …ESTÃO QUEBRADAS …

      0
      • ronald 3 de maio de 2012 at 21:43

        Tbm ouvi boato da Habitare… mas não vi confirmação.

        0
      • Anonymous 4 de maio de 2012 at 03:18

        Habitare se reestrutura
        “http://www.habitare.com.br/materia/habitare-se-reestrutura/”

        A Habitare iniciou o processo de Reengenharia Administrativa para redução de custos e atrasos na entrega dos empreendimentos que estima-se em mais de 15% o percentual de redução dos custos.

        0
      • Hévin 4 de maio de 2012 at 09:00

        Caparaó quebrada?

        Caparaó é a construtora mais lucrativa de BH.

        0
    • xyz 3 de maio de 2012 at 23:13

      Esta notícia tem uma mensagem subliminar:

      “CORRAM POIS SE NÃO COMPRAREM AGORA NÃO COMPRAM MAIS”

      Enquanto este governo puder retirar bilhões da dívida pública e repassar para a CEF e BNDES, ou mesmo fabricar dinheiro de forma mais direta, não vai faltar dinheiro para nenhum tipo de crédito no brasil.

      0
      • Charles 4 de maio de 2012 at 11:11

        O que vai faltar é gente capacitada em tomar tais emprestimos. Nesse caso, a bolha estoura da mesma maneira, pois o consumo cai, empresas demitem e inadimplecia explode.

        0
  • Guilherme Eduardo 3 de maio de 2012 at 21:31

    Estava eu pensando: Será que o governo não poderia forçar o BB e a CEF, principalmente a CEF, a facilitar o crédito imobiliário com as seguintes regras:

    1) Aumento do prazo?
    2) Uma modaidade com taxa variável atrelada a SELIC, para acompanhar a “nova” poupança?

    0
    • Guilherme Eduardo 3 de maio de 2012 at 21:41

      Minha opnião:

      1) aumentar o prazo é mais fácil, seguraria um pouco mais tempos os preços, com possibilidade até de alta. O povo em geral só olha se a prestação cabe no bolso. Lembram dos carros? No auge do crédito 2008/2010 comprava-se carro em até 72x (06 anos). O prazo para imóvel poderia ser elevado para 40 anos (480 meses !!!)

      2) podem criar uma taxa de, sei lá, 100%/120% da SELIC + TR, em vez de 9% mais TR, por exemplo (obs.: não sou economista). Fariam até mais propaganda que agora ficou mais fácil para a classe C, etc. Muitos esqueceriam que no longo prazo a SELIC pode subir novamente, e as prestações também, mas pensem só na propaganda do Cirilos: “A Dilma disse que vai baixar a SELIC para 2, 3% aa, assim, sua prestação também será baixa”. É uma opção mais difícil de acontecer do que o aumento do prazo, mas que não é descartável.

      O que vocês acham?

      0
    • Sol de Sampa 4 de maio de 2012 at 02:01

      com certeza vão ter que realinhar os juros do sfh… afinal, estão alterando os juros da poupança por decreto, se não alterarem o congresso pode, em 120 acabar com a festa…

      0
      • SF 4 de maio de 2012 at 14:35

        Sol, concordo com vc!!!

        0
  • Todd 3 de maio de 2012 at 21:33

    Folha de S. Paulo
    Renda da poupança mudará com Selic e regra vale a partir de amanhã
    PUBLICIDADE

    VALDO CRUZ
    SHEILA D’AMORIM
    DE BRASÍLIA

    As regras de remuneração da caderneta de poupança, a mais tradicional e popular aplicação financeira do país, vão mudar a partir de amanhã. O novo modelo vale apenas para novos depósitos e novas contas. As que já existem até hoje seguem com o cálculo de seus rendimentos sem modificações.

    A nova regra terá um gatilho, a ser acionado sempre que a taxa básica de juros do Banco Central, a Selic, for igual ou inferior a 8,5% ao ano –hoje ela está em 9%.

    Governo deve mudar rendimento da poupança com Selic menor que 8,5%
    Força Sindical confirma que ganho da poupança mudará com Selic

    Neste caso, as novas cadernetas de poupança e novos depósitos terão seus rendimentos calculados com base em 70% da Selic, acrescidos da TR (Taxa Referencial). Enquanto a taxa do BC estiver acima de 8,5%, nada muda, inclusive para as novas poupanças, que continuam a ter uma correção de 6,17% ao ano mais TR como prevê o modelo atual.

    Ou seja, até 29 e 30 de maio, quando o Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) se reúne para decidir a nova taxa de juros, todos os depósitos da poupança, velhos e novos, seguem a correção atual.

    Se o BC reduzir os juros no final de maio para 8,5%, como é a expectativa do Palácio do Planalto, os novos depósitos passam a seguir a nova sistemática.

    Exemplo: um poupador que tem, hoje, uma caderneta com saldo de R$ 50 mil não terá sua remuneração alterada. Mas, se ele fizer um depósito de R$ 10 mil amanhã, esse dinheiro fica sujeito à nova regra. Será corrigido por 70% da Selic sempre que o BC fixar os juros básicos num valor igual ou menor do que 8,5%.

    Pelos cálculos da equipe econômica, com base nas novas regras, quando a Selic cair para 8,5%, a nova poupança terá uma correção de 6,2% ao ano. Se cair para 8%, o rendimento será de 5,6%. Se for reduzida para 6%, os novos depósitos ou contas contas da poupança terão correção de 4,2%.

    A nova regra entra em vigor amanhã por meio de medida provisória e foi uma decisão da presidente Dilma Rousseff para liberar o Banco Central a seguir reduzindo a taxa de juros básica -aquela que serve como referência para todo o mercado financeiro.

    Dilma decidiu baixar a medida nesta semana, conforme antecipou a Folha ontem, depois de uma reunião com o ministro Guido Mantega (Fazenda) e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, há duas semanas.

    Seu discurso de 1° de Maio, quando atacou duramente os juros elevados dos bancos privados, fez parte da estratégia para preparar o terreno para mudar a poupança com o menor desgaste político possível.

    Com o ataque, a presidente buscou evitar a mesma crítica sofrida pelo ex-presidente Lula quando tentou adotar medida semelhante. Na época, ele foi acusado de prejudicar os pequenos poupadores sem mexer com os banqueiros privados.

    O governo acredita que conseguirá convencer o Congresso e a população da necessidade da medida sob o argumento de que, sem ela, os juros do BC não poderiam ser mais reduzidos, ficando estacionados em 9% ao ano.

    Nas contas da equipe econômica, uma taxa de juros de 8,5% já começa a provocar fuga de recursos de aplicações como fundos de investimentos para poupança, causando desequilíbrios para o sistema financeiro e dificuldades para o Tesouro Nacional refinanciar a dívida pública da União.

    As simulações feitas pela equipe econômica mostram, por exemplo, que com as regras atuais, quando a taxa de juros do BC estiver em 8,5%, a poupança renderá 6,4%. O rendimento é mais atrativo do que o de uma aplicação de renda fixa com taxa de administração baixa (0,5%) e sujeita à cobrança do Imposto de Renda, que pagaria cerca de 6%.

    Além disso, a presidente Dilma vai argumentar que nada muda para quem tem depósito na poupança até hoje, não havendo perdas para esses poupadores nem quebra de contratos. Ou seja, nas palavras de um técnico, o governo não vai “garfar” dinheiro de quem tem conta hoje.

    Já as novas contas e os novos depósitos deixarão de ter a garantia do rendimento fixo de 6,17% ao ano e vão sofrer correções abaixo deste percentual sempre que a Selic cair abaixo de 8% ao ano, de acordo com as contas de técnicos do governo.

    0
    • Cleyton 3 de maio de 2012 at 22:08

      Fico pensando, a sargenta quer juros de primeiro mundo? E a inflação, e a infra-estrutura, a taxa de poupança e investimento em pesquisa? São apenas detalhes…

      0
      • Sol de Sampa 4 de maio de 2012 at 03:20

        of course baby…

        0
      • SF 4 de maio de 2012 at 14:43

        Ela quer juros de 1º mundo e impostos de 3º mundo, ou seja, o povo continua sem grana!!!

        Pq essa diaba não faz uma revira volta na tributação???

        pagar 27,5%de IRPF é um assalto q sofro todo mês

        0
        • Leonardo 7 de maio de 2012 at 13:19

          Opa, em alguns países de “primeiro mundo” você pagaria até 60% no topo da pirâmide de renda.

          0
          • JBC 7 de maio de 2012 at 16:36

            O problema não é o IR. Pois o problema do IR é a falta de retorno dos impostos, o governo não sabe investir o dinheiro que tem. Por isso fica a sensação de que pagamos caro e não temos nada.
            O outro problema é imposto tributado sobre imposto, que é uma política tributária brasileira complexa e absurda e que os outros países detestam, na hora de investir aqui, por exemplo. Se criam impostos muito facilmente e já se tem impostos em excesso e cobram-se imposto sobre imposto. O BR precisa de uma reforma tributária mais do que urgente.

            0
            • FRK 7 de maio de 2012 at 19:37

              Outra questão MUITO importante é que não é só o IR.

              Temos inúmeros impostos e taxas além do IR, por isso que precisamos trabalhar até meados de maio (no ano passado) só para pagar impostos.

              abs

              0
  • Elio 3 de maio de 2012 at 21:40

    O financiamento imobiliario não poderia ser atrelada a SELIC? Selic baixa, juros baixo, povo comprando…do contrário nada de ninguém comprar AP nenhum…

    0
    • Guilherme Eduardo 3 de maio de 2012 at 21:43

      acabei de comentar isso:

      Estava eu pensando: Será que o governo não poderia forçar o BB e a CEF, principalmente a CEF, a facilitar o crédito imobiliário com as seguintes regras:

      1) Aumento do prazo?
      2) Uma modaidade com taxa variável atrelada a SELIC, para acompanhar a “nova” poupança?

      0
      • Guilherme Eduardo 3 de maio de 2012 at 21:48

        Acho que é muito difícil, mas seria ótimo para os Cirilos fazerem propaganda, ainda mais com a Dilma falando que vai ter SELIC a 2% aa

        Poderiam criar uma taxa de, sei lá, 100%/150% da SELIC + TR. Seria uma taxa 100% variável. É complicado, pois no longo prazo o governo elevaria as prestações de alguns financiamentos imobiliários quando elevasse a SELIC.

        Hoje existem duas modalidades, uma 100% fixa (mais cara) que o pessoal chama de PRICE, e tão famosa SAC, que é mista, pois tem uma % fixa mais a variação da TR.

        0
        • Cleyton 3 de maio de 2012 at 22:12

          Sobre a Price está correto, sobre a SAC não, é possível financiar com juros pré-fixados também, mas como o pessoal só olha a nominal a pós-fixada “vende” mais.

          Tenho colegas que pagam taxas à ordem de 12% e não souberam dizer ser o saldo devedor corrige pela TR ou não, quer dizer, o cara financia por 30 anos sem saber como se comportará o saldo devedor! É capaz da TR ir à 8% e o cara ficar com aquela cara de poker-face como se não fosse com ele!

          Esse é o crédito responsável que os bancos estão fornecendo.

          0
          • Guilherme Eduardo 3 de maio de 2012 at 22:19

            Essa é uma dúvida que eu tenho:

            Alguém sabe me dizer o que faz a TR subir? Tem mês que ela dá 0,1%, mas chegou a ser 0,0% algumas vezes. Ela poderia chegar ao ponto de (chute) 6% aa? Assim, 9%+TR seria 15% aa, no grosso modo?

            0
            • Cleyton 3 de maio de 2012 at 22:28

              Ela é calculada pelo “preço” que um banco cobra do outro menos um redutor que o governo escolhe.

              Não creio que suba muito porque a poupança e o fgts continuam de certa forma amarradas nela.

              Aliás, a Dilma não falou que queria desindexar a economia? A poupança, pra mim, está parecendo mais indexada do que estava antes, fora o famigerado “gatilho”, que de onde eu venho tem outro nome: SACANAGEM.

              0
              • Guilherme Eduardo 3 de maio de 2012 at 23:32

                Sacanagem mesmo, porque se a indexação à SELIC fosse sem gatilho, ia ser uma loucura nos investimentos no caso de uma subida da taxa.

                0
            • Anonymous 4 de maio de 2012 at 00:47

              BANCO CENTRAL DO BRASIL, Resolução nº 3.446, de 5 de março de 2007

              Altera a metodologia de cálculo da Taxa Referencial

              1. O Conselho Monetário Nacional aprovou a supracitada resolução visando aprimorar o cálculo da Taxa Referencial (TR). A medida altera o chamado parâmetro “b”, usado no cálculo do redutor utilizado na fórmula da TR. Na regra anterior, o parâmetro “b” era de 0,32 para a TBF entre 13% e 12% ao ano. A resolução atual estende a vigência desse valor do parâmetro também para a faixa entre 12% e 11% ao ano (ver tabelas abaixo). O valor do parâmetro para as demais faixas da Taxa Básica Financeira(TBF) fica inalterado. A mudança produz efeitos no cálculo da TR a partir de 6 de março, mas não gera efeito imediato na TR.

              2. Além de ser usada na fixação do rendimento da poupança, a TR é utilizada em diversos tipos de contratos no mercado financeiro e no cálculo da remuneração das contas vinculadas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS. A TR é calculada com base na rentabilidade média dos CDB/RDB de prazo de 30 a 35 dias corridos, emitidos por uma amostra composta pelas 30 instituições financeiras com maior volume de captação desses papéis. Sobre essa média, intitulada TBF, aplica-se um redutor “R”, como detalhado a seguir:

              TR = 100 {[(1 + TBF/100)/R] – 1}

              R = 1,005 + b.TBF/100

              0
              • Anonymous 4 de maio de 2012 at 00:52

                “https://www3.bcb.gov.br/normativo/detalharNormativo.do?N=107071174&method=detalharNormativo”

                0
              • Cleyton 4 de maio de 2012 at 20:15

                Exato, TBF é a taxa entre os bancos e o parâmetro “b” é o redutor mágico que o governo escolhe por decreto.

                0
  • Anonymous 3 de maio de 2012 at 21:53

    “http://www1.folha.uol.com.br/poder/1085194-renda-da-poupanca-mudara-com-selic-e-regra-vale-a-partir-de-amanha.shtml”

    > O novo modelo vale apenas para novos depósitos e novas contas.

    Será que um depósito novo numa caderneta velha segue a nova regra? Parece que sim.

    > A nova regra terá um gatilho

    Grandes lembranças com a palavra gatilho 😉

    > as novas cadernetas de poupança e novos depósitos terão seus
    > rendimentos calculados com base em 70% da Selic

    Novamente, parece que dinheiro novo, mesmo na caderneta velha rederá menos.

    Uma caderneta velha e uma caderneta nova. O Real novo rendendo menos que o Real velho. Essa é a Banânia que eu conheço. Está prometendo e acho que vai ser tão inesquecível quanto a primeira vez com sexo para os mais novos aqui.

    0
    • Pimp 4 de maio de 2012 at 02:12

      Sim, um depósito numa conta aberta agora está sujeito a alteração…Imagino que seja chato de implementar isso 🙂

      Alias se aqui fosse um lugar sério, essa medida deveria começar a valer a partir de no mínimo 2 semanas para dar fôlego para os progradores…Se a Selic já estivesse a 8.5 as gambiarras seriam no mínimo pitorescas

      Na certa os bancos vão repassar este custo de implementação para as tarifas de manutenção da conta.

      0
      • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 01:40

        Pimp, sei exatamente o que vc está falando, mas com certeza o governo já havia remetido as especificações para os bcos (pelo menos os bcos publicos devem ter feito alguma gambiarra e agora vão desenvolver .. os particulares acredito que devem ter recebido tb)… é o procedimento normal… pelo menos um planinho manual de contingencia deve ter heheheheh

        0
      • Ricardo Eng 5 de maio de 2012 at 19:48

        Todo sistema financeiro opera baseado em “leis” configuráveis. Cada pacote de recursos (dinheiro, em geral) tem seu rendimento, taxas e prazos calculados por uma lei configurada no sistema.

        Nenhum sistema moderno executa cálculos hard-coded, como se todos casos fossem iguais.

        A lei financeira é como se fosse o contrato relacionado a aquele recurso, representado de forma computacional.

        0
        • Pimp 6 de maio de 2012 at 02:40

          Esses sistemas são modernos?

          Nunca trabalhei com sistemas bancários, porém já trabalhei com rule-based systems capazes de gerar código ‘on the fly’ e mesmo assim existiam cenários praticamente impossíveis de se resolver sem recompilação, simplesmente porque o gerador de código é limitado inicialmente à um universo finito (modelo de dados) de problemas que pode resolver.

          Exatamente como você disse, o programa é a representação do contrato, ou seja se eu adiciono uma regra é necessário injetar de alguma forma um bloco de código para que ela se manifeste. Ou seja, você não está simplesmente alterando o valor de um parâmetro, você está reinserindo um novo contrato.

          Por ex, uma pessoa tem uma poupança número 000042, aberta dia 05/05/2010. Até alguns dias atrás o cálculo dos juros e rem básica eram simples de se fazer.

          Se eu depositar dinheiro no dia 05, a partir deste mês o cálculo de juros deverá consolidar os juros do valor histórico (regra antiga) e os juros sobre o montante depositado à partir do dia mágico (regra nova).

          Não vejo hoje como resolver esse problema sem alterar o modelo de dados atual e sem reescrever/regerar a regra de cálculo

          Imaginando que o modelo da poupança seja relacional, eu poderia simplesmente criar uma nova coluna para representar os novos depósitos e aplicar a regra antiga para a histórica e a regra nova para a outra.

          Ou também poderia criar uma poupança nova, eg, 000043 associada à antiga, invisível para o proprietário e sucetível à nova regra, o que consequentemente modifica a regra de como o saldo consolidado de 000042 deve ser calculado.

          Enfim não sei como vão fazer e muito menos como vão auditar, mas não acredito que seja simples e ‘plugável’ como você diz. E quanto menos trivial, maior o custo para desenvolver/testar/auditar…e com certeza não serão os bancos que vão arcar com isso.

          0
          • Ricardo Eng 6 de maio de 2012 at 14:22

            Não tem gerador de código, avaliação de modelo, recompilação on-the-fly ou qualquer outro tipo de modernidade.

            O processo é simples: O sistema possui um “banco de leis”, que são apenas pacotes contendo um registro (uma linha com algumas colunas) e um arquivo em COBOL.

            Cada vez que o governo (ou o banco) inventa alguma regra, um pacote novo é adicionado ao sistema. Todo dia, após o horário bancário, os pacotes são executados para todos os conjuntos de recursos depositados no sistema.

            Pense, por exemplo, em um financiamento de automóvel. O programador mais ingênuo (que não sabe que as coisas mudam) criaria uma tabela “Financiamento de Automóveis” e modelaria o problema conforme o cliente mandou. Escreveria algum algoritmo que processa as informações de cada financiamento e diria “ok! tudo pronto”.

            Três meses depois o banco lança um novo produto e agora precisa gastar uma fortuna para gambiarrar de alguma maneira as novas regras, que devem valer apenas para um conjunto específico de financiamentos.

            Um sistema bancário maduro não funciona assim. O banco possui uma “financial engine” e não um sisteminha pronto que processa um caso específico.

            O seu financiamento seria processado assim: Uma conta é aberta em seu nome, com saldo negativo, e a ela foi associada a lei (exemplo) FINAUTO_BC2007_44SP. Essa conta não possui apenas um saldo ou um histórico, como os programadores mais ingênuos fariam. Ela possui “depósitos de recursos”. A conta possui meta-dados, além do “saldo”, como (exemplo) taxa mensal, multa por atraso, etc. Cada recurso também possui meta-dados mas é normal que seja um número bem reduzido.

            A lei é executada toda vez que a conta faz aniversário, o que é configurável. Também é executada a cada saque e depósito. A lei possui várias procedures, cada uma respondendo ao evento correspondente: aniversário de conta, aniversário de recurso, aniversário de cobrança, entrada, saída, etc.

            Aí chega o aniversário de cobrança. A lei verifica os dados da conta: lá está configurado que você paga por débito automático. O código da lei emite um débito em sua conta. Quando esse “cai” na conta do financiamento, a lei marca de forma adequada o registro do recurso correspondente à prestação. Caso o valor não caia, o recurso (prestação) tem aniversário e a lei calcula a multa. Desse ponto em diante, a lei só considera o recurso quitado se a multa for paga ou se alguém com autoridade suficiente renegociar o recurso (prestação).

            Parece complexo, mas não é. São apenas rotinas em COBOL que são executadas conforme um agendamento.

            No caso da poupança é bem simples: um depósito = um recurso. O governo muda a legislação associada à poupança, a “lei bancária” padrão para os novos depósitos é outra.

            0
            • Sol de Sampa 7 de maio de 2012 at 16:15

              è isso exatamente….alguns sistemas mais antigos, acredito que simplifiquem colocando um if e comparando a data e saldo…. no COBOL não tem segredo…

              0
              • Ricardo Eng 8 de maio de 2012 at 12:26

                Não dá para comparar apenas saldo. Cada depósito está sujeito a uma regra diferente.

                O Brasil é líder em informática bancária, pois o país sempre foi instável e ao mesmo tempo desproporcionalmente rico para o pouco evoluído que era. Essa mudancinha na poupança não é nada. Os bancos sobreviveram a planos econômicos, ditaduras, políticas de correção monetária, congelamentos, confiscamentos.

                O primeiro sistema bancário digital dos grandes bancos brasileiros já funcionava assim. O raciocínio foi herdado da época das tabelas de conta corrente, quando o “calculista” aplicava a correção sobre o dinheiro com base em uma regra (um papel com as leis federais e estaduais já interpretadas matematicamente, mastigadas) que era afixada na própria tabela, contendo o saldo, os depósitos, etc.

                Os empréstimos funcionam assim desde antes do ano 1900. As condições são escritas em uma tabela e um calculista pegava ela na mão periodicamente, para recalcular os saldos e condições. Quando você pagava o “carnê”, estava apenas depositando dinheiro na conta do empréstimo. O rapaz do caixa não tinha poder algum sobre o seu empréstimo. Quem validava as informações era o calculista.

                E esse método “manual” foi transferido à risca para o computador, com base em séculos de experiência do mundo bancário.

                Hoje lidar com dinheiro, principalmente entre um público com consciência financeira tão apurada, parece uma futilidade. Em 1850 era uma capacidade tão rara e valiosa quanto hoje é projetar foguetes. Por isso que os banqueiros sempre foram ricos, historicamente. É uma indústria que cresceu com base em muito conhecimento e em um trabalho levado a sério, o que era raro em 1850.

                Então, acreditem. Desde que o Itau tem o seu primeiro computador, uma conta nunca foi apenas um saldo e o software bancário nunca foi apenas um monte de “IF” para ir gambiarrando as condições de remuneração, empréstimo, correção monetária, etc. É por isso que os bancos sempre utilizaram mainframes gigantescos: o software já nasceu avançado, pois o conhecimento já era avançado.

                0
                • Sol de Sampa 8 de maio de 2012 at 23:14

                  Concordo Ricardo Eng… o exemplo foi apenas para simplificar… os sistemas bancarios no geral estão montados no COBOL… somente a apresentação é mais amigavel para o cliente, é feita em JAVA, preferencialmente pela SUN, já não me lembro das caras pretas de antigamente ahahahah…

                  E, realmente temos um dos melhores sistemas bancarios informatizados, sim … tanto que a Microsoft chegou a querer “dar” equipamentos para que fossem colocados em rede….

                  0
    • Mr.Crowley 4 de maio de 2012 at 08:24

      Bendito seja vc Anonymous…deveria ter seguido seus sabios conselhos… 🙁

      0
  • Mr. D 3 de maio de 2012 at 22:04

    Será q esse governo louco vai inventar de confiscar, isso é uma forma de confiscar nosso suado dinheiro, em que investir agora??

    0
    • Guilherme Eduardo 3 de maio de 2012 at 22:27

      Algum jornal fará uma reportagem na qual a resposta será: Imóveis!!! no outro dia as tabelas dos “na planta” subirão, vão falar que é por causa da queda dos juros. Na segundo sobem os que estão sendo entregues. No terceiro serão os usados. No quarto estaremos comentando aqui que os juros reduziram, mas que o aumento repentino anulou qualquer ganho que os compradores teriam. Os preços altos ficarão mais escancarados, e outras notícias saírão: “Mesmo com queda nos juros, comprar imóvel ainda é um sonho para muitos”. Concorda Michel Jacó?

      hehehe

      0
  • Renato 3 de maio de 2012 at 22:31

    Prezados,
    Entrando no site do feirão da caixa tem um box “contratos habitacionais assinados em 2012 – 344.066”, estamos em maio, dividindo por 4 = 86.016.
    Esse é o mercado bombando???

    0
    • Alvaro Queiros 3 de maio de 2012 at 23:25

      E nesse meio tem muito, mas muito mesmo, contratos de compra e venda realizados em anos anteriores

      0
      • aiwww 5 de maio de 2012 at 15:37

        Tenho certeza que esse número é inconsistente. Nada na CEF tem controle confiável. Sistemas obsoletos, dados inconsistentes … um festival de amadorismo.

        0
  • Ze Bom Dirolo 3 de maio de 2012 at 22:40

    Meu pensamento-
    Mudanças significativas estão ocorrendo no cenário econômico.
    Fica a pergunta, utilizando o termo de um colega, será que a economia brasileira está caindo em espiral?
    E por mais significativas que sejam essas mudanças, os imóveis não vão subir de preço. Só podem cair, mas em que velocidade?.
    E agora? Quem tá com dindin na mão? O que fazer?
    É fácil falar que não é confisco, todavia, pode-se diminuir o juros da poupança e arrumar uma maneira de cobrar dos bancos esses valores por outros modos. Não seria um confisco indireto?
    Me lembrei de um episódio. Eu tinha uns sete anos e, nos jogos escolares, minha turma ficou com a camisa rosa. Fomos reclamar com a direção que não queríamos a camisa rosa. A direção falou: não é rosa, é pink. E os jogos correram tranquilamente….
    “A ignorância é uma dádiva”.

    0
    • Anonymous 4 de maio de 2012 at 00:42

      Não é confisco, assim como não é Rosa. É 70% da selic, assim como é Pink.

      0
  • Mr. Alex 4 de maio de 2012 at 00:56

    Compare o tamanho da queda no mercado imobiliário com o tempo de crise que vem a seguir…

    www. doctorhousingbubble.com/bread-circus-economy-student-loans-papermill-jobs-funded-by-too-big-to-fail-banks/#more-4652

    O Dilmão está tentando dar uma sobrevida até a próx. eleição presidencial.

    Com IGP-M a 0.85% em Abril (até minha diarista pediu aumento antes de completar 1 ano), só analfabeto financeiro (ohhhh… no Brasil não tem isso não…) vai procurar a poupança a 0.5%

    Não critico a queda de juros, critico o IOF a 0,39% da transação de empréstimo, 6% de compras internacionais, IPVA, IPTU, I PQP e etc… que fizeram da cifra de 300 bilhoes (ou seja, muuuitas Microsofts) simplismente desaparecerem dos Bancos pra virar ele LIXO de serviço público que temos no Brasil !

    Sugiro que deem um pulo no museo do Ipiranga, vão até o monumento da Independência, e verão que já estava traçado dividir o Brasil entre letrados “dominantes” e povo “correceiro que gosta de carnaval”.

    Please, comentários.

    0
    • Mr. Alex 4 de maio de 2012 at 00:59

      e segue cheio de idotas pagando 70k em Tuquição, celular de 1.5k e não tem dinheiro para abastecer ou colocar crédito !

      Dívida neles, Dilmão !

      Se estão preocupados em pagar contas, não tem tempo para estudo, lazer e contestação !

      Dívida neles, Dilmão !

      0
  • RGD 4 de maio de 2012 at 02:52

    Infelizmente essa mudança rápida da Selic deverá dar um fôlego adicional para o mercado imobiliário se:
    – a taxa Selic for reduzida até 6-7%;
    – existir dinheiro suficiente para financiamento imobiliário nos próximos anos.

    Com os juros mais baixos, as prestações serão reduzidas e a demanda possivelmente aumentará nos próximos meses, o que parece ter tido impacto nas ações das empresas imobiliárias ontem. Além disso, a inflação real (talvez não a oficial, que é maquiada) deve aumentar e corroer os ganhos dos poupadores.

    Pela velocidade que essas mudanças estão acontecendo, a situação econômica do nosso país deve ser muito grave. O governo disse que está tudo ótimo, mas com certeza tem muito problema debaixo do tapete.

    O verdadeiro PLOC dessa bolha imobiliária parece que vai ser adiado por algum tempo se o governo conseguir manter a taxa Selic baixa por alguns meses. Estava na esperança de uma dessas grandes construtoras quebrar em breve e começar o efeito manada, mas parece que eles serão salvas por enquanto com essa mudança.

    De qualquer forma, é muito difícil prever o que vai acontecer agora com essa mudança. A única coisa que parece certa é que o dólar continuará subindo nos próximos meses.

    A minha namorada vai trabalhar esse final de semana no Feirão de Imóveis da Caixa em BH. Depois eu relato aqui como foram as vendas e o sentimento do mercado.

    0
  • GB 4 de maio de 2012 at 07:22

    Por enquanto a poupança não mudou nada, só vai mudar se a SELIC cair, então o governo vai analisar para ver como será o comportamento, se o pessoal vai retirar o que está lá (coisa que eu acho que não vai acontecer pois está protegida dessa redução), se o pessoal vai deixar de poupar (provável que aconteça pois pode dar ainda menos se mexerem na SELIC).

    Eu não vi nada de útil nessa mudança, se a presidenta quer “juros de 1º mundo”, tem que se lembrar que aqui é 3º mundo, o risco é grande, quanto menor o lucro menos estrangeiros vão querer mandar o $$$ para cá, ainda mais com Bolívia e Argentina privatizando tudo e lembrando os gringos de como são as coisas por aqui.

    Eu acho que o pessoal não vai tirar o $$$ da poupança para ajudar as construtoras, o dólar vai subir pois vão retirar o $$$ do país, a inflação vai subir por conta dos importados, esse negócio é um tiro no pé, dentro de um mês saberemos se deu certo, eu ouvi falar que “alegria de especulador nas crises dura pouco”, mesmo com ajuda governamental.

    Quem tem $$$ na poupança vai mantê-lo lá, quem conseguir poupar mais vai procurar o Tesouro Direto, não vai po rnessa “poupança com regras novas”.

    0
    • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 01:50

      GB a grande questão é … o governo tem folego (e rspaldo) pra baixar a selic???? até que vlr????

      querer 2 ou 3 % é uma coisa poder ter isso, num mercado dependente inclusive de interesses politicos ´outra coisa…

      de uma forma geral se avalia que a selic chegue a 8,5% até o final do ano, no maximo a 8,25% … mas em 2013 volta a subir ….

      em termos reais o gatilho que colocaram na poupança apenas protege os titulos publicos do governo este ano, como vc apontou, em relação a uma debandada para a poupança nas condições anteriores… de resto a poupnça com a selic acima de 8,5% não apresenta alteração relevante….

      mas como estamos em ano apocaliptico vejamos o que vai ocorrer né????

      0
  • GB 4 de maio de 2012 at 07:50

    Eu acho que essa mudança na poupança não vai levantar as construtoras, na verdade eu acho que não há nada que possa ser feito, a sardinhada já comprou em peso nos últimos anos, quem não comprou ou está incomodado com os preços absurdos (compradores finais) ou está incomodado por não subirem há 6 meses (especuladores).

    Um corretor disse aqui que tem gente com $$$$ aguardando que cairem os preços, aí eles terão um repique e vão subir às alturas novamente. Sim, há gente com $$$$, mas são os compradores finais, eu acreditaria em repique se os especuladores voltassem em peso, mas eles já estão tendo dor de cabeça com seus micos e $$$ encalhados, já tem oferta demais para abastecer o mercado por alguns anos, não creio que haja repique, vai ser como nos outros países e quem puder esperar mais vai sair ganhando.

    Quem consegue vender um imóvel hoje para um desavisado sabe o problema que deu, não vai comprar outro tão cedo.

    0
  • Luciano 4 de maio de 2012 at 08:06

    E-mail recebido hoje, de uma imobiliária de Curitiba, com o título de NEWSLETTER”:

    “De acordo com dados estatísticos o mercado imobiliário continua muito aquecido e sendo excelente opção para um INVESTIMENTO SEGURO. É também um ótimo momento para quem pretende adquirir um imóvel para moradia, em especial para quem pretende financiar, OS JUROS BAIXARAM consideravelmente. A nossa experiência e vivência nos permite considerar que os preços dos imóveis continuam num patamar muito bom e com valorização também muito atraente na média de 15%a.a. nos últimos anos, podendo ser bem melhor com a opção do aluguel que tem dado um retorno acima de 0,5% a.m. e em certos casos até próximo de 1% a.m.

    Na MOTA você pode contar com uma ASSESSORIA COMPLETA, seja para vender, comprar ou alugar, além de serviços de documentação, AVALIAÇÃO e muito mais.

    Veja no anexo algumas de nossas oferta ou acesse nosso site.”.

    Minha resposta foi a seguinte: http://www.bolhaimobiliaria.com.

    0
    • Mr.Crowley 4 de maio de 2012 at 20:36

      like it 🙂

      0
  • Apocalipse now 4 de maio de 2012 at 08:35

    Ao invés de investir na indústria(mehoria da qualidade), reforma tributária, infraestrutura e melhoria na educação, o nosso desGoverno preferiu distribuir bolsas esmolas, o resultado é que a nossa indústria está sucateada e necessitando de medidas protecionistas para uma sobrevida maior.
    Brasil.. um país de tolos.

    0
  • Luiz 4 de maio de 2012 at 08:41

    A primeria bolha aexplodir será a de veículos. Não é possivel um carro nacional custar 3X o mesmo modelo nos EUA, no mexico, no chile, ….

    Veiculo é indcador dada a imporancia no BR

    Só depois haverá a grande queda nos imóveis, mas não se enganem a inflexão da curva já ocorrreu, já passamos do auge, igual a montanha russa que já começou a descer mas ainda não pgou velocidade.

    0
    • Luiz 4 de maio de 2012 at 08:43

      digitem no facebook: LUCRO BRASIL se informem e participem do consumo inteligente

      0
    • SF 4 de maio de 2012 at 15:11

      Ontem vi o anúncio do Sonic, novo lançamento da GM em terras tupiniquins. Engraçado que a reportagem comparou os preços. Na terra natal da GM, EUA, o famigerado Sonic tem o seu preço inicial a U$ 13.800 com um motor 1.8 aspirado Ecotec de 140 cv, o Sonic Tupiniquim tem estimativa de preço a partir dos R$ 50 mil com motor 1.6 16v Ecotec de 120 cv.

      Agora sabem porque a GM se recuperou tão rápido, né!!!
      Garanto que não vendendo seus veículos na sua terra natal.

      Brasileiro é o povo mais rico do mundo, paga por tudo mais caro, gasolina, carros (carroças), imóveis, roupas, luz, gás, comida,educação, saúde (máfia dos planos de saúde) e ainda sobra $$$$ para pagar todos os I’s que o governo inventa, IRPF, IPVA, IPTU, IOF, ICMS, INSS, IPQP (igual falou o colega num post acima)

      0
  • CapEnt 4 de maio de 2012 at 08:42

    Genial usar uma medida que irá reduzir a oferta de capital fixo dos bancos quando o crédito já está restrito devido essa forçada de braço nos juros bancários pelo governo.

    E só quero ver agora como será o crédito imobiliário, já que o dinheiro usado pelos bancos para isso em boa parte vem da poupança, e o resto de subsídio pelo governo (MCMV). Vai voltar aquela aberração de juros flutuantes na parcela? Porque não tem como o banco oferecer crédito imobiliário de juro fixo com os níveis de poupança flutuando violentamente e rentabilidade instável.

    Ou seja, para manter os níveis de poupança, o governo terá de sacrificar a rentabilidade dos títulos do tesouro e renda fixa também.

    Ou governo vai deixar a bolha imobiliária estourar e vai usar o setor de construção como boi de piranha para o povão.

    0
    • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 02:01

      Cap, estou tentando calcular como é que vai ser… pois a poupança com as regras antigas, se a selic baixar, ainda terá uma remuneraçõ que deve ser garantida por quem tem financiamento… concluo que dificilmente poderão mexer muito nos juros de tais financiamentos… assim como nao mexeram nos depósitos antigos…

      entao, caso venha haver alguma alteração, somente para contratos novos… lastreados nos novos depósitos da poupança com reegras novas .. acho que isso não infla muito o mercado de financiamento certo? pois quem quiser financiar vai ter que se sujeitar as regras atuais ou vai esperar algum tempo para ver cmo ficarão os financiamentos novos… ou então vão ter que buscar outro fundo que nao a poupança…

      0
  • Eskeleto 4 de maio de 2012 at 08:42

    Acreditar que as pessoas vão investir em título do tesouro é meio difícil afinal começar do zero é complicado.
    Eu vejo minha situação tenho um pouco guardado e no caso da nova taxa eu começaria do zero pois não quero mexer lá na poupança.
    Com isso um imóvel que eu iria comprar daqui uns 2 anos irei adiar para daqui 5 ou 6 anos se não mexerem nas poupanças antigas também. Com isso começarei a poupar mais e gastar menos pois o futuro é incerto e uma poupança bem remunerada tendo uma crise é possível se sustentar afinal quando algo acontece somos os últimos a saber até que não tenha mais como evitar. Uma pessoa que tem condições de morar em um lugar onde não paga aluguel provavelmente não irá comprar imóvel no momento meu caso moro com meus avós. Tem que ser muito trouxa a ponto de cometer o erro das pessoas que compraram a 1 mês atrás imóvel no qual a diferencia dos juros em 30 anosfoi de 18 a 20 mil, mas levar em consideração que os juros irão baixar ainda mais eu esperaria pois a economia final nesta brincadeira pode chegar a mais de 50 mil.
    Esta é uma análise do que eu uma pessoa que me informo em sites, mas não tenho visão ampla como muitos pensa neste momento e provavelmente é a ideia de muitos outros brasileiros.
    Acredito que se tivessem mais opiniões de pessoas sem tanto conhecimento poderíamos fazer uma análise melhor como se fosse uma pesquisa de opinião no qual isso sempre deu certo em eleições.

    0
    • GB 4 de maio de 2012 at 09:10

      Eu também penso assim, manter o dinheiro antigo na poupança antiga parece ser a melhor medida, já que os outros podem variar demais e dar bem menos que ela.

      Embora construtoras e corretores torcessem desesperadamente por isso, tirar meu $$$ de lá ficou menos atraente com essas novas regras e agora tem que ser um negócio ainda melhor para que eu faça isso.

      Creio que este seja o sentimento dominante do pessoal que tem $$$$ na poupança: começar do zero com $$$$ novo no Tesouro Direto e deixar o antigo lá quietinho.

      0
      • Toma-lhe Jhones 4 de maio de 2012 at 09:48

        GB acredito que a melhor opção hoje sejam as LCIs os valores são garantidos pelo FGC até 70K investidos caso o banco quebre. O Banco Sofisa direto paga 0,93 do CDI para depositos até 6 meses e 0,94 do CDI para um ano de deposito. Desvantagem só tem liquidez no vencimento do contrato, vantagens garantidas pelo FGC até 70K e isendos de IR igual a poupança. Para valores a partir de 50k existem outros bancos que paga até 104% do CDI para 1 ano de contrato.

        0
        • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 02:06

          GB a LCI vc pod endossar… então o problema da liquidez pode ser contornavel…

          0
      • Eskeleto 4 de maio de 2012 at 10:11

        Ontem depois dessa fui rapidinho no banco e fiz transferência do que tinha na conta corrente e cobrei todos que estavam me devendo que precisava do dinheiro dei uma apertada e coloquei 4k de capital de giro na poupança ou seja ainda não poderei comprar nada pretendia comprar um fogão para a minha esposa, mas vou adiar por uns 3 a 4 meses até por a grana de volta para o capital de giro, deve diminuir um pouco o consumo também durante os próximos 3 meses se muita gente pensou assim.

        0
        • Thiago 4 de maio de 2012 at 10:23

          Fez bem, por sorte eu fiz um depósito (não tão alto quanto o seu) na minha poupança dois dias antes dessas mudanças. O negócio é deixar a grana la mesmo.

          0
        • Eng RJ 4 de maio de 2012 at 23:18

          Essa discussão de colocar o dinheiro antes ou depois da mudança da regra da poupança para aproveitar o rendimento um pouco melhor, em um curto prazo (1 a 2 anos) é quase nula. Se pensarmos em termos absolutos, colocar R$ 5.000,00 na situação atual daria um rendimento mensal de 27 reais. No novo modelo, se a Selic estiver a 6% por exemplo (uma queda considerável) o rendimento mensal seria de uns 18 reais.
          Com uma aplicação de R$ 50.000,00 a diferença de rendimento mensal com uma taxa ou com a outra seria de uns 90 reais. Para o cara que tem 50 mil na poupança, não são 90 reais a mais ou a menos que fazem alguma diferença.
          Eu acho que a poupança é uma ferramenta prática para você colocar o seu dinheiro todo mês la com disciplina e ir acumulando para comprar algo de maior valor no futuro tentando apenas não perder o seu dinheiro para a inflação. E o grande benefício dela frente a outras aplicações é a possibilidade de seu resgate imediato em caso de emergências.

          0
          • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 02:14

            Concordo, sempre coloquei na poupança os vlrs de despesas do mes segguinte… e sempree dividi minhas aplicações com previdencia, fundos RF fundos variaveis (hoje no cambial), e alguns titulos de capitalização … (pézinho de meia que vale 1 pizza por mes mas que no final posso dar sorte num sorteio heheheh),

            não acho que a curto prazo vá fazer diferença ….a não ser que de a louca no govrno e reeduzam a selic pra 6% ou menos agora em maio…. portanto
            vou apenas capitalizar as despesas do mes seguinte e manter os vls da poupança antiga como opção …. mas vou acompanhar esse desenrolar…

            0
      • SF 4 de maio de 2012 at 15:18

        Engraçado que penso a mesma coisa, e estou aqui tentando fazer progressões em outras aplicações.
        Meu $$$ q tá na poupança deixou de ser um investimento e passou a ser uma garantia de futuro para mim. E a partir de hj 04/05/12 terei que recomeçar toda uma jornada de poupar e investir.

        0
        • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 02:17

          SF, por pior que seja como a poupança não tem IR e de certa forma proteje um pouco contra a inflação é um bom meio de campo pra juntar e colocar em algum investimento mais rentavel que deveremos acompanhar se houver mudanças (mais algumas) significativas no mercado….

          de repente a gente passa procuração pro Anonymous aplicar nos EUA heheheh, mas sem cobrança de tarifa de serviços, claro….

          0
  • Lau 4 de maio de 2012 at 08:45

    Aqui em BH a Habitare está vendendo o “Condominio Paraíso Monte Castelo” por R$ 4.800,00 o m² num bairro onde a renda média familiar dos moradores é de R$ 1.450,00 e perto da favela. O ap de 2 quartos custa R$ 300 k e o de 3 quarto R$ 360 k. E segundo a corretora ainda vai ser lançada a torre de 4 quartos por R$ 524 k !

    O stand de vendas da construtora estava vazio.

    Não sei para quem as construtora pretendem vender seus empreendimentos. Será que teremos outras Encol’s ?

    0
    • Comprei na baixa 6 de maio de 2012 at 19:22

      Aqui no Rio a Cyrela lançou na Tijuca o apê ‘com o m2 mais barato da região’, uns 6k. Quem não conhece é capaz até de se empolgar, mas é grudado numa favela grande. Nunca compraria ali, ainda mais a preços bolhudos.

      0
  • GB 4 de maio de 2012 at 08:48

    Recebi pelo Money Morning, como disse, Argentina e Bolívia virando notícia no mundo:

    (traduzido pelo Google, estou com preguiça hoje, o original segue abaixo)

    “Cuidado com estes ladrões do mercado de ações

    A batalha por recursos tomou um rumo sinistro.

    Argentina começou a bola rolar de um par de semanas atrás. E, então, a Bolívia entrou dentro Ambos os países estão expropriando (roubo – chame do que quiser) de energia fundamental e as empresas de serviços públicos.

    E a coisa preocupante é … Eu acredito que é uma batalha que está definido para escalar. Isso significa que você vai ter que ser cada vez mais cuidadoso sobre onde e como você investir seu dinheiro.

    Os governos são sempre animais perigosos – especialmente quando eles estão desesperados para conseguir algum dinheiro extra para encher seus cofres e ganhar votos.

    Eles não tenho problema tributar o inferno fora de suas ações – especialmente quando eles estão envolvidos com os recursos naturais e utilitários. E se eles querem mostrar-off de seu eleitorado, que eles vão mesmo roubar a coisa toda.

    O Sul eleitorado americano pode estar comemorando hoje, mas isso é provável que seja um movimento extremamente ruim a longo prazo. Hoje eu vou lhe mostrar por que – e como se proteger … ”

    “Watch out for these stock market thieves

    The battle for resources has taken a sinister turn.

    Argentina started the ball rolling a couple of weeks back. And then Bolivia joined in. Both countries are expropriating (stealing – call it what you will) key energy and utility businesses.

    And the worrying thing is… I believe it’s a battle that’s set to escalate. That means you’re going to have to be increasingly careful about where and how you invest your money.

    Governments are always dangerous beasts – especially when they’re desperate to raise extra money to fill their coffers and win votes.

    They’ve got no problem taxing the hell out of your stocks – especially when they’re involved with natural resources and utilities. And if they want to show-off to their electorate, they’ll even steal the whole shebang.

    The South American electorate may be celebrating today, but this is likely to be a severely bad move over the long run. Today I’ll show you why – and how to protect yourself…”

    0
  • BolhaBH 4 de maio de 2012 at 08:51

    TERRA:

    “Alta no preço de imóveis desacelera quase à metade neste ano”

    A alta do preço do m² dos imóveis em sete regiões do Brasil desacelerou a 1,2% em abril, após alta de 1,4% em março, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) nesta sexta-feira. No acumulado do ano, a alta é de 5,3%, valor 42% menor ante o mesmo período de 2011.
    Em abril, a maior alta foi verificada em Belo Horizonte, com 2,5%. O Rio de Janeiro registrou alta de 1,4%, mesmo percentual de março. Já em São Paulo a alta foi de 1,2% em abril, menor variação para o mês de toda a série histórica. Segundo a Fipe, a tendência de desaceleração observada nos últimos meses se acentuou em abril. Nos últimos 12 meses, o índice composto perdeu 1,7 ponto percentual, acumulando alta de 21,8% no País.
    Na média das sete regiões pesquisadas, o preço do m² foi de R$ 6.529 em abril. O preço mais alto foi registrado no Distrito Federal, com valor de R$ 8.216; já o mais barato foi verificado em Salvador, com R$ 3.665.
    Em São Paulo, o preço médio em abril foi de R$ 6.372, abaixo dos R$ 7.907 registrados no Rio de Janeiro, por exemplo. A região da capital paulista que possui o preço do m² mais alto é a Ibirapuera-Vila Nova Conceição, com R$ 10.164, seguida pelo Jardim Paulistano (R$ 8.850) e Chácara Itaim (R$ 8.409). Já a região com o m² mais barato é São Miguel Paulista, com R$ 2.909, seguida por Vila Carmosina (R$ 2.972) e Raposo Tavares (R$ 3.004).
    No Rio de Janeiro, a região com o m² mais caro da cidade é o Leblon, com R$ 17.591, seguida por Ipanema (R$ 16.660) e Lagoa (R$ 13.996). Já a região mais barata é a Anchieta, com R$ 1.334 por m². Pavuna (R$ 1.347), Senador Camara (R$ 1.420) e Madureira (R$ 2.003) completam a lista.
    Nº de dormitórios
    O preço do m² de imóveis de apenas um dormitório tem valor médio de R$ 8.141 no País, os de dois dormitórios possuem valor médio de R$ 5.819, os de três cômodos R$ 6.344, já os de quarto dormitórios ou mais têm valor médio de R$ 7.698.

    http://economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201205040900_TRR_81163244

    0
  • Hévin 4 de maio de 2012 at 08:52

    Uma que coisa que o corretor falou faz sentido, as pessoas quando chegam no Rio de Janeiro primeiro procuram algum imóvel na famosa ZS, não necessariamente Leblon e Ipanema, mas outros bairros mais low profile.

    Não sei quanto ganha um engenheiro da Petróbras em início de carreira hoje em dia, mas supondo um valor de R$7.000/mês e que a esposa do sujeito também tenha uma salário razoável, teríamos uma renda de R$12.000/mês ou R$170.000/ano com décimo terceiro e participação nos lucros.

    O sujeito sabendo poupar e investir esse montande consegue em dois ou três anos dar uma entrada de 50-60% em um bom apartamento na ZS.

    Agora, o problema é que muita gente pensa que a compra de um imóvel envolve pouco tempo de esforço e abdicações, imóvel nunca foi, não é e nunca será fácil de ser comprado, tanto é que a maioria da população morre sem nunca ter o tido.

    0
    • Riodetudo 4 de maio de 2012 at 09:15

      As pessoas qdo chegam no Rio, ALUGAM, só maluco que vem de fora para trabalhar e já vai comprando. E isso é uma lenda, quem trabalha na Barra, aluga por ali, não vai pra zona sul. E não tem nada de milhares de pessoas vindo trabalhar no Rio, ao contrário, conheço cada vez mais gente querendo sair do Rio porque o custo-benefício não está valendo a pena.

      0
    • RD85 4 de maio de 2012 at 09:36

      um casal ganhando 170k no RJ e conseguindo poupar 30% da renda (que para o custo de vida atual do RJ não é nada fácil) guarda 51k por ano…
      então estou ansioso por suas dicas de investimento, pra fazer 50k por ano em “dois ou três anos” virarem 400k (50% de um ap bolhudo na ZS do RJ)…

      0
      • Hévin 4 de maio de 2012 at 09:43

        30%?

        Realmente, o brasileiro não tem cultura de poupar mesmo.

        E parem de falaciar que o Rio é muito mais caro que outras capitais brasileiras, eu moro e atendo no Rio, mas dois dias por semana atendo em SP e posso falar que não existe essa de “Custo Rio”.

        0
        • RD85 4 de maio de 2012 at 09:51

          a taxa chinesa de poupança interna, maior do mundo é entre 50 e 55%

          0
          • Hévin 4 de maio de 2012 at 10:00

            Você teve estar confundindo, a maior taxa de poupança do mundo é a japonesa, e mesmo assim essa é uma média.

            Quanto aos gastos, você esquece que isso é o salário bruto, o funcionário ai deve contar com uma série de benefícios, como ajuda com alimentação, plano de saúde e ajuda com o aluguel durante um tempo.

            Sinceramente, como um casal sem filhos, sem dívidas e com bons benefícios, gastaria R$120.000 brutos por ano? Comprando um Tucson novo?

            0
            • Paulo - RJ 4 de maio de 2012 at 14:41

              Na Petro, auxílio aluguel (na verdade é um percentual que se pága do salário de forma decrescente anualmente) só se transferido por interesse da empresa. Recém concursado não tem isto não.

              0
              • Eng RJ 4 de maio de 2012 at 23:23

                Recém concursado ganha auxílio aluguel sim durante o curso de formação da petrobras e muitas vezes também quando começa a trabalhar depois do curso. Basta não ser do estado onde está trabalhando (ou fazendo o curso).

                0
            • Ane 4 de maio de 2012 at 17:25

              É, vc é o cirilo mesmo. Esses comentários de quem finge que conhece o Rio são típicos dele.

              0
        • Rodrigo 4 de maio de 2012 at 11:28

          A conclusão disso é que esse casal vai morar muito tempo de aluguel caro, na Zona Sul (Ipanema Leblon) para manter o STATUS e isso inclui todos os gastos com roupas, carros, viagens internacionais… tenho vários amigos nesse barco (TITANIC)… e digo que não há nenhum tipo de abdicação!!! Essa é a geração Y.

          0
          • Riodetudo 4 de maio de 2012 at 11:52

            E vão ter filhos com 40 anos. Ontem vi uma “senhora” de 50 anos que tinha um filho de 9 anos. A cara dela parecia a da minha avó quando eu era dessa idade. Vai ser uma geração em que a maioria não vai ter nem irmãos nem avós. Melhor morar “longe” ou mudar de cidade do que ser assim.

            0
          • Comprei na baixa 6 de maio de 2012 at 19:29

            Sim, as pessoas que vem de fora não conhecem a cidade e acha que ela se resume a ZS. Me lembro de uma colega do BB ter vindo de SP (muuuito antes dessa bolha), ter vendido o apê dela de 4 quartos em sampa por 160 mil e ter tomado um susto quando foi ver apês em Ipanema e Copa (posto 6) pelo dobro disso e com um quarto a menos.
            Tivesse ido para a Tijuca (provavelmente o mesmo jeitão do bairro onde ela morava em sampa), daria para fazer a paridade. Mas todo mundo quer ZS, leva quem pagar mais. Morei boa parte da minha vida por lá, tenho lojas em Ipanema e Copa, mas como não tenho obrigação de me deslocar na hora do rush, prefiro Barra a 2/3 do preço.

            0
        • Carlos 4 de maio de 2012 at 12:42

          Mas hévin proporcionalmente o q vc ganha em são Paulo não é mais o q vc ganha no rio?

          0
    • Rico 4 de maio de 2012 at 09:48

      Salário inicial da petrobras não dá R$ 5.000,00

      0
      • RMTH 4 de maio de 2012 at 14:06

        Sou engenheiro concursado da Petrobras, trabalhando no Rio de Janeiro há pouco mais de um ano. O salário inicial é de quase 7k (bruto), com auxílio moradia (que é integral por 2 anos), chega-se a quase 10k (bruto, uns 7,5k liquido).

        O que eu e 90% dos meus colegas que ficaram no Rio fizemos foi alugar um apto, ou nos bairros menos nobres da ZS (Copacabana, Botafogo, Flamengo, Catete), ou Tijuca, normalmente com 1 ou 2 colegas da Petrobras, o que acaba cada um pagando em torno de 1k. Ninguém tem a menor condição de comprar nesse momento. A não ser que tenha se desfazido de algum outro apto no lugar onde morava, ou que os pais tenham ajudado.
        Pretendo comprar, mas também tenho convicção de que estamos numa bolha. Enquanto isso fico no aluguel e juntando meu salário para tentar comprar algum apto decente a preço justo.

        0
        • Hik 6 de maio de 2012 at 23:10

          Hévin,
          Algum comentário adicional ao do RMTH, visto que você é especilista no assunto?

          0
    • Ploc 4 de maio de 2012 at 09:52

      Hevin,

      “O sujeito sabendo poupar e investir esse montande consegue em dois ou três anos dar uma entrada de 50-60% em um bom apartamento na ZS.”

      Voce falou tudo. Estava agora mesmo falando com meus pais sobre isso. Eles garantem que se fosse hoje nunca teriam condições de ter o patrimonio imobiliario que conseguiram no passado com muito suor e trabalho. É tão facil falar do presente sem olhar o passado e o futuro.
      Nesse caso que voce citou, se fosse antes dessa bolha, este mesmo casal teria comprado o imóvel a vista. E agora precisam se endividar por 30 anos.
      Eu sugiro a ele alugar por uns 2 anos e comprar a vista em breve.

      PLOC

      0
    • Paulo - RJ 4 de maio de 2012 at 10:26

      É sim, uma bela renda. Acrescenta o FGTS, mas desconta o IR e INSS desta conta aí (por alto, +11000 de FGTS – 30000 de IR – 10000 de INSS e Petros). E considerando que este casal está morando na Zona Sul, um bom valor de aluguel.
      Levando em consideração que este casal não tenha um bom rendimento guardado, eles compram sim, um apartamento em três anos no Rio, só que na Zona Norte depois da Tijuca. Nada contra o subúrbio, mas é a realidade de preço, nestas condições. Na Zona Sul, não rola.
      É o que eu cogito em fazer daqui a 5 anos, se este absurdo de preços continuar

      0
      • Rodrigo 4 de maio de 2012 at 11:37

        Parabéns.

        0
      • Eng RJ 4 de maio de 2012 at 23:35

        Paulo, você tocou no ponto certo: FGTS. Isso viabiliza muito um financiamento imobiliário através da realização de amortização extraordinária a cada dois anos reduzindo o prazo do financiamento. Dessa forma, toda essa discussão desses engenheiros da petrobras ou de outras empresas ou de casais que ganham uns 10k líquidos consigam financiar imóveis em um prazo de até 10 anos. Mas para isso existe o limite do valor do imóvel de 500 mil reais para o uso do FGTS, de forma que inviabiliza a maioria de imóveis da ZS.
        Eu acompanho o blog a um bom tempo e vejo muitas discussões sobre a queda dos preços e que ninguém mais compra hoje em dia. Esses imóveis bolhudos da ZS (e alguns tb na ZN) podem até cair de valor mas assim que bater os 500 mil reais (se bater), não vão cair mais porque vai haver uma grande demanda.

        0
    • Carlos_ 4 de maio de 2012 at 11:55

      Genial, o cara e a mulher poupam praticamente 100% do bruto. Além de não gastarem nada ainda conseguem restituição integral do imposto de renda.

      0
    • Ricardo Eng 5 de maio de 2012 at 19:59

      Que legal, cara. A sua avaliação da renda e decisões de vida de 300 pessoas (em uma cidade de milhões de habitantes) é muito interessante.

      Pena que estatisticamente irrelevante. Não adianta discutir os top 0.5% assalariados da cidade. Tem mais apartamento à venda no Leblon do que engenheiro na cidade inteira.

      A ordem de grandeza do fenômeno é muito maior do que o casalzinho da Petrobrás.

      0
  • JP 4 de maio de 2012 at 09:47

    Amigos, só pra constar. Meu cunhado é corretor e há 2 anos, quando as vendas estavam bombando, trocou de carro (civic) e tudo mais. Sempre foi um cara alegre. Mas ultimamente, tenho percebido seu semblante preocupado nas reuniões de família, isso quando aparece (costuma trabalhar domingos e feriados).
    Agora minha noiva falou que ele vai vender o carro porque não está mais aguentando manter.

    Outro caso. Eu estou procurando AP pra alugar pois vou casar e de maneira alguma encaro financiamento com esses preços. Achei aluguel de um AP que “vale” 260 mil por 950, sendo que aplicando a regra dos 6% aa, o aluguel equivalente deveria ser de 1300. Dá pra ver claramente a discrepância entre valor e aluguel. E a proprietária ainda aceita rescisão do contrato sem nenhuma multa em 1 ano, se eu quiser.

    0
    • Rodrigo 4 de maio de 2012 at 11:41

      Cuidado com a bolha do casamento porque o céu é o limite.

      0
      • SF 4 de maio de 2012 at 15:41

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        0
        • Rodrigo 4 de maio de 2012 at 16:56

          Pelo visto está noivo ahahaha.

          0
  • MrK 4 de maio de 2012 at 09:50

    Alguém vai nos feirões de imoveis? é muito importante que alguém ISENTO possa ir pra ver, se conhecer alguém assim, peça que comentem, pois na imprensa e pelos corretores vamos ler o velho oba-oba, esse site necessita de uma visão real desse feirão, é um termometro importante, agradeço qualquer ajuda!!

    0
    • Virginia 4 de maio de 2012 at 12:48

      Estou pensando em ir no feirão aqui em BSB, domingo seria uma boa! Se alguém estiver a fim de ir também, vamos combinar?
      Da outra vez que fui me espantava vendo as pessoas humildes comprando felizes e os corretores fazendo algazarra e tocando sinos e cornetas… Eu ainda era ‘ingênua’ mas mesmo assim vi que tinha algo errado!

      0
    • LEOTEX 4 de maio de 2012 at 15:22

      NA TERÇA ALMOCEI COM UM PESSOAL INSIDER DE CONSTRUTORA GRANDE, ESTÃO PREOCUPADOS, DEMISSÕES JÁ ESTÃO ACONTECENDO, TEM VÁRIOS LANÇAMENTOS SENDO ADIADOS OU CANCELADOS.

      0
    • Comprei na baixa 6 de maio de 2012 at 19:33

      Caiu 110%, como é isso ?

      0
      • Hik 6 de maio de 2012 at 23:17

        Comentário muito construtivo, meus parabéns.

        0
  • BolhaBH 4 de maio de 2012 at 09:56

    Queria ver alguém circular nesse feirao com uma camiseta:

    bolhaimobiliaria.com

    rs…

    0
    • Mateus 4 de maio de 2012 at 22:12

      Já imaginei que deveriamos nos mobilizar e além de fazer camisetas, imprimir panfletos alertando sobre a bolha para distribuir nas portas de entrada dos feirões. E Ninguem poderia impedir isso. Já imaginaram a cara da organizadores?

      0
  • MrK 4 de maio de 2012 at 09:59

    Já que estão falando de imóveis no Rio…

    Como sabem estou no Rio e vendo imóveis pra aluguel, visito toda semana de 4 a 5 imóveis, ao todo já vi mais de 20, achei imóveis em TODAS AS RUAS que procurei (inclusive ruas pequenas na zona sul), pude até escolher prédios específicos, em quase todo prédio tem imóvel a alugar, pois muita gente saiu por não aguentar os reajustes.

    Dizer que faltam imóveis é uma mentira e dizer que aluga fácil ídem, pois vi muitos imóveis há 2 meses a alugar, conheco alguns dos proprietários e eles admitem que só recebem contra-proposta abaixo do que pedem, os preços atuais NÃO estão encontrando demanda, oglobo pode falar o que quiser, criar househunter etc… mas o mundo real é outro.

    Se alguém tiver curioso porque ainda não aluguei, é porque sou terrivelmente exigente e demoro mesmo, não é por falta de imóvel e nem por falta de proprietário disposto a negociar preço.

    0
    • chapolin 4 de maio de 2012 at 13:04

      O imóvel que eu entreguei no meio de dezembro ainda está para alugar. Passei por lá e o porteiro me contou que faz 1 mês e meio que outro apartamento no mesmo prédio foi anunciado por R$ 200 menos que o valor que o proprietário do que eu alugava diz que é o preço mínimo dele. Ou seja, se antes ele não alugava, agora ainda tem a “concorrência” do outro que pede menos.

      0
    • MrJaime 4 de maio de 2012 at 14:42

      Passei o último trimestre de 2011 e o primeiro trimestre de 2012 no mesmo processo que você, MRK. Andei diversas vezes pelas ruas de Laranjeiras, Flamengo e Catete e mais da metade dos prédios que eu perguntava tinha apartamentoS para alugar.

      Resolvi alugar algo mais barato na Zona Norte, como os antigos aqui do Blog já sabem, e as vezes ligo por curiosidade nos números que anotei durante a busca. A maior parte dos apartamentos ainda estão disponíveis para aluguel.

      Certamente a realidade mostrada pelos jornais não é a mesma do que se vê andando pelas ruas. Algo há.

      0
    • Leonardo 5 de maio de 2012 at 08:26

      MrK me diga os preços que você esta encontrando para alugar com tamanho, quartos e bairro, por favor…
      Estou já preocupado, no começo de 2013 irei voltar pro rio e já estou ansioso para saber do rombo no meu bolso…

      0
    • Fabio 13 de maio de 2012 at 23:39

      Caro Mrk, vc não pode imaginaro entusiasmo de eu ler nas suas palavras exatamente a mesma experiencia que estou vivenciando eu neste periodo na Zona Sul do Rio de Janeiro.
      Todos estes aaprtamentos com preços estratosfericos simplesemnte estão ficando desalugado. Eu tambem procurei ligar para os mesmos apartamentos que tinha visitados um ou dois meses atras: esses apartamentos ainda estão procurando inquilinos.
      Porquè? Porqué os proprietarios, ou as agencias preferem deixar o apartamento desalugado? Estão esperando o que? a chegada dos inquilinos dos proprios sonhos, disponiveis a pagar 1600 R$ sem o minimo problema?
      Também concordo com a falta absoluta de sentido critico com que os grandes medias como Jornal.tv globo e semanal Veja, estejam descrevendo este.fenomeno sem o minimo sentido critico. Sem a minima tentativa de explicar para as pessoas o que realmente està acontecendo. O jornal Veja, semanas atr as descrevia em termos de cheio entusiasmo esta subida de preços na Zs do Rio, sem falar de gentifricaçao sem dizer nada dos efeitos negativos deste.fenomeno. Parece que estes jornais estejam feitos para sirvir exclusivamente a classe proprietaria dos imoveis carioca. Sentido criticoinexistente. Me escreva, se vc quer compartilhar mais historias.sobre este asunto. [email protected] . Um inalcansavel buscador de conjugads com preço digno
      Se vc quer compartilh

      0
  • Wilson 4 de maio de 2012 at 10:01

    h t t p :// economia. terra. com.br /noticias/noticia.aspx?idNoticia=201205040900_TRR_81163244

    0
  • Jack Imóveis 4 de maio de 2012 at 10:06

    Caros,

    Foi sobre essa peça de humor que comentei ontem no último post.

    Mrk, não acho interessante ir a um feirão. O mercado de imóveis é hoje o mais predatório que existe.

    A desvantagem do comprador é imensa.

    Abraços

    Jack – Elaborando

    0
    • MrK 4 de maio de 2012 at 10:14

      Jack, a idéia seria observar se está vendendo muito ou se está fraco

      os jornais e os corretores não são fontes muito confiáveis, o mercado travou há mais de 7 meses e eles continuam passando a idéia de que está bom, ainda aquecido…

      é apenas pra medir a temperatura… isso pode ajudar a estimar o quanto vai demorar pros precos ajustarem mais forte…

      0
      • GB 4 de maio de 2012 at 10:21

        Vamos deixar o tempo passar, ver até onde o governo está disposto a bancar esse mercado doente.

        As pessoas já estão incomodadas com o que esta acontecendo, é uma questão de tempo, tipo 7 meses já se passaram, quanto tempo eles conseguem se segurar ?

        Sem aumento de renda as coisas não vão melhorar.

        0
      • Mas precisa realmente isso de ir a feirão? Só na região da Zona Oeste São Paulo – Lapa – Vejo desde o ano passado as mesmas placas nos imoveis a VENDA e não vendem, sem contar que a cada mes que passa mais e mais casas aparecem pra vender – os STANDS de lançamentos semanas após semanas VAZIOS – a realidade esta ai estampada em nossa cara – só não vê quem não quer. A imprensa pode propagar as noticias PAGAS mas neste caso um mentira dita MIL VEZES continuará a ser mentira pois a VERDADE é que quem tinha grana ou ja comprou ou ja se endivividou – e os que restaram – esses que o governo quer foder com a poupança – não irão comprar NADA se não pagaram o preço JUSTO, mesmo que fiquem com rendimento ZERO – e como dizia Salomão sei la do que…Antes Rendimento ZERO do que Prejuizo no Bolso. – Só nos resta esperar, pacientemente, eu ja sinto que a situação esta chegando ao seu fim – o folego das construtoras esta acabando, o do governo também – Esta foi a ùltima Cartada, vão esperar uns 3 meses pra ver como o mercado se comporta (reage) – e dai, se não houver resposta (consumo) a casa cai. Neste Ponto Miguel Jaco pode ter se enganado Acho que o Apocalispe sera em Agosto/Setembro (apos as Ferias escolares). Como Disse, esperem, aguardem pacientemente, resistam como um rochedo e no fim o rochedo estara -la porém o maremoto tera passado.

        0
  • Sérgio 4 de maio de 2012 at 10:17

    Qual o fundamento, o “quase“ requisito para acentuada queda de preços dos imóveis?
    É uma pergunta que levanta a possibilidade de várias e substanciosas respostas; todas com alto grau de plausibilidade.
    Entretanto, como as mesmas leis de mercado, os mesmos fundamentos econômicos que regem os outros países, sejam desenvolvidos ou não, são os mesmos, ao menos em alguma medida – algum dos (diversos) ”estopins” deve ser o mesmo.
    Já havia feito algumas análises dos estouros de outras bolhas, mormente a americana, irlandesa, portuguesa e espanhola. Em todas, achava alguma similaridade com o nosso caso, além das diversas ”diferençs”, a exemplo do subprime americano.
    Há uns dias atrás encontrei o que me pareceu ser comum a todo e qualquer país que segue a atual cartilha economica ortodoxa: a TAXA de JUROS.
    Observando essas nos respetivos países e períodos temporais, pude constatar uma mesma trajetória: a de quedas acentuadas que fomentaram a escalada de preços (imoveis), por excesso de crédito e a consequente fuga de capitais atrelados a essas taxas em direção ao ativo em questão E sua posterior (e consequente) inversão, quando os governos (e seus bancos centrais autônomos??!!) passaram a não contar com suas fontes de financiamento. Essa inverção, por necessidade de financiamento (dívidas públicas) fez com que os BCs aumentassem as referidas taxas, trazendo de volta o antigo capital e ENCARECENDO o crédito imobiliário.
    Os resultados puderam ser observados por todos.
    Para não ficar apenas em alegações infudadas, oportunizo o seguinte, para uma posterior conclusão (conclusão???):
    Taxa americana: h t t p : / / p t.global-rates.com/taxa-de-juros/bancos-centrais/banco-central-estados-unidos/juros-fed.aspx
    Taxa europeia: h t t p : / / p t.global-rates.com/taxa-de-juros/bancos-centrais/banco-central-europeo/juros-bce.aspx
    Taxa chinesa: h t t p : / / p t.global-rates.com/taxa-de-juros/bancos-centrais/banco-central-china/juros-pbc.aspx
    Taxa bananesa: h t t p : / / p t.global-rates.com/taxa-de-juros/bancos-centrais/banco-central-brasil/juros-bacen.aspx
    .
    Percebam que tanto nos EUA quanto na Europa, as taxas andavam (e andam) mais ou menos num exato compasso com um leve retardo de mais ou menos 01 ano (percebam e relativizem o período temporal abarcado em cada gráfico!).
    O aumentar alucinante dos preços e as quedas lancinantes OCORRERAM, respectivamente, nas quedas e nas subidas das taxas de juros (excesso e escassez de crédito).
    Na china, a despeito de os preços virem crescendo em níveis relativamente altos antes de 2009, foi a partir desse ano que lá a coisa degringolou, com aumentos estratosféricos.
    Acontece que a china é um “”indiferente economico”” em virtude de suas peculiaridades únicas no planeta, no campo econômico. Mas ainda assim, não a livrou de reconhecer “”veladamente”” a existencia de bolha, o que prontamente procedeu a ELEVAÇÃO de sua taxa de juros a partir de 2011, FORÇANDO a queda de oferta de crédito e consequentemente, dos valores dos imóveis.
    .
    Agora, se a China é um indiferente econômico, a Banânia é uma ABERRAÇÃO: não bastassem as incríveis taxas praticadas, aqui – não se guarda RELAÇÃO ALGUMA com a economia mundial.
    Com as atuais atitudes de nosso BC (capacho governamental) e do próprio governo, com relação às SELIC e POUPANÇA, os resultados, a despeito de uma variada gama de implicações, trás, em si mesma algumas consequências bastante previsíveis, quais sejam:
    Imediato: diminuição da FONTE de financiamento púlico.
    Com as contantes quedas na selic, outros investimentos se tornaram mais atrativos. A poupança (com as novas regras de hoje) já está descartada. Muitos desses investidores (em rendas fixas) migrarão para rendas variáveis (inclusive imóveis) ou, mais certamente, para o dolar e para o ouro. O caso é que certamente não quererão as atuais taxas da renda fixa.
    Essa diminuição de dinheiro para cobrir parte dos gastos governamentais (despesas correntes e de capital, inversões e outras) fatalmente fará com que o governo considere “”aumentos”” na selic OU recorra ao endividamento externo, com emissão de títulos no exterior.
    Outra imediata – e bem provável – será uma certa fuga da poupança, mais por desconhecimento da população sobre as reais intenções, do que a própria diminuição dos rendimentos. Menos dinheiro na poupança, implica em menos crédito e mais caro.
    De forma mediata, além – e em virtude do aumento da cotação do dolar,, a inflação tenderia a dar suas caras com mais violência, sendo um segundo indutor do governo para o aumento da taxa selic (o primeiro é a própria escassez de recursos anteriormente abordada).
    .
    Na Verdade, são tantas implicações, que me foge a capacidade de elencá-las todas, seja por ignorãncia, seja por não existir um modelo que contenha todas as variáveis.
    .
    O fato a que pretendo dizer é que, ASSIM como nos outros países onde haja estourado a bolha “”definitivamente””, o que determinará o “”fim do trilho”” da aventura bananesa será a futura tendência de ALTA da SELIC, a despeito de todas as aparências e de todos os gritos em contrário, nos quatro cantos da mídia.

    0
  • Etmso 4 de maio de 2012 at 10:40

    Vocês perceberam?

    Retirando o IR da PLR dos trabalhadores, o governo está ajudando a INDUSTRIA.

    Hoje todas as montadoras, GM, VW, FORD, FIAT, etc tem PLR, então se você retira/diminui o imposto, o valor final na mão do trabalhador é maior, então o “chororo” sindicato-empresa este ano vai ser menor na negociação. O valor de PLR final pago sera menor pelas empresas.

    0
    • xyz 4 de maio de 2012 at 14:07

      Só os trabalhalhadores mais “qualificados” terão este benefício. Obviamente “qualificados” pela influência que podem exercer nas decisões do governo.

      Aos demais trabalhadores (que não ganham esta PL) resta chupar o dedo.

      Senhores, NEM TODA REDUÇÃO DE IMPOSTO É BEM VINDA, como o senso comum prega.

      Quando o governo reduz a carga tributária de algum setor (geralmente dos amigos), certamente penalizará outros e agravará as distorções.

      0
  • LB 4 de maio de 2012 at 10:57

    Hoje a GLOBO resolveu fazer cobertura dos feirões da Caixa.
    Falando dos juros mais baixos etc. Vi matérias no Bom dia DF e agora na Globo Neuws.
    CEF, sob ordem do Governo, tentando inflar ainda mais a bolha.

    0
    • Ploc 4 de maio de 2012 at 15:12

      O velho ditado não falha
      “Esmola demais o santo desconfia”

      0
  • kjungle 4 de maio de 2012 at 10:58

    Acho que, apesar de ter sido isso o que motivou muitas pessoas a acharem o site – a procura por imóveis – seria muito bom – tanto para evitar distorções econômicas quanto para nossas finanças – que conseguíssemos romper esse paradigma da casa própria. Que passássemos a entender o imóvel como um bem como tantos outros, e se estiver em um preço bom se compra, se não, não se compra. Ninguém morre ou tem sua medida de sucesso mensurada pelo carro que se tem ou por ter ou não conseguido comprar um imóvel. Acho realmente que não há essa necessidade.
    Quanto à queda nos juros, acho que vai dar fôlego à manutenção dos preços em patamares distorcidos por mais um tempo, até porque muita gente vai achar que agora sim ficou bom e agora tem que aproveitar. Mas a realidade não muda e é só um esticamento da bolha. A crise no Brasil – que virá, já que nós não inventamos nova modalidade de capitalismo que seja imune a crises – contará com um importante remédio a menos: juros baixos não podem cair muito mais. Um mecanismo a menos para conter a inflação, que aqui, diferente da maioria dos demais países, foi um problema seríssimo.

    0
  • Charles 4 de maio de 2012 at 11:19

    Palavras do ministro mantega ao anunciar as mudanças:

    – Para que a economia continue crescendo de maneira sustentavel, estamos fazendo as reformas necessárias!

    Sustentavel? Onde?
    Reformas? Quais reformas? Isso, para mim, são medidas pontuais e não reformas.

    0
    • MrK 4 de maio de 2012 at 11:30

      bem dito

      quando expansão do crédito desenfreada é considerado algo sustentável e quando aumento de imposto e diminuicao de poupanca é considerado reforma estrutural… ferrou…

      esse governo está igualzinho igualzinho o bush tentando segurar a bolha por lá, o tombini é uma versão piorada do bernanke…e o fim do mercado imobiliario será o mesmo!!

      0
    • realidade 4 de maio de 2012 at 12:31

      Em minha opinião, a única coisa boa que o “Manteiga” fez até hoje foi a filha dele…..

      0
      • GB 4 de maio de 2012 at 13:02

        Eu catava.

        0
  • RAFAEL 4 de maio de 2012 at 11:23

    Amigos,

    Acompanho o site de longa data, venho trazer alguns dados da Petrobras.

    Primeiro: o salário inicial de qualquer profissional de nível superior gira em torno de R$ 6500,00 iniciais. Porém ainda temos PL e outras gratificações, para todos os concursados, independente do cargo, em torno de R$ 6000,00.

    Segundo: Não adianta acreditar que a Petrobras vai contratar 5000 funcionários até 2014, as coisas não são assim, outra coisa que para o Rio não entram nem 1/3 disso.

    Terceiro: Com essa renda não se compra nada habitável no Rio, sinceramente não sei quem ta comprando, mas 10k aqui não é nada.

    Conclusão: Não adianta querer falar de demanda na cidade do RIo ou qualquer outra contando com o ovo no CÚ da galinha, a Petrobras não vai contratar esses números e se contratar, estes vão morar na zona norte.

    0
    • RAFAEL 4 de maio de 2012 at 11:28

      Reiterando: PL + R$ 6000,00.

      0
    • MrK 4 de maio de 2012 at 11:33

      Rafael, leia meu comentário sobre imóveis no Rio, estou procurando, conheco alguns proprietários, eles estão fechando tudo abaixo do que pedem, é só na base da contraproposta, o problema é que o oglobo fica incendiando o caos falando de rio+20, de que a demanda é 100x maior que a oferta, isso que iludem os proprietários

      veja, já tiveram 2 proprietarios que me ligaram (de imoveis que vi há 3 semanas e nao gostei) me ligaram querendo ouvir minha proposta, isso é sinal de mercado aquecido?

      teve um imovel que durante a visita (com o corretor e o dono juntos) o corretor encostou em mim em um momento que eu estava sozinho e disse baixinho “se oferecer 500 a menos ele topa na hora”, juro pra voces

      0
      • Rodrigo 4 de maio de 2012 at 11:52

        Quanto ao Rio+20 semana passada estavam alugando 2 quartos por 10 dias para 4 pessoas por R$ 15.000.

        0
        • RAFAEL 4 de maio de 2012 at 11:59

          Sinceramente, não sei mais o que pensar, corretor fala e o povo diz amém…. Rio + 20, Copa e Olimpiadas vão é fuder com o povo…

          Mas infelizmente coloca um pagode+ cerveja+ sol e praia e aqui no Rio ta tudo certo.

          Sou carioca com orgulho, e discordo do que muitos aqui falam do Rio, todo o país tem a mesma mentalidade burra, não é so no Rio, ou todo mundo é esperto no Brasil.

          0
          • Rodrigo 4 de maio de 2012 at 12:18

            Foi um dos argumentos do Locatário, que carioca é esperto aproveitador, foi ai que de forma educada solicitei que procurasse imóveis em Petrópolis, Teresópolis e Mangaratiba que eram suas outras opções… mas com a condição de conhecer uma “Favela” , que provavelmante vai ter caipirinha, pagode e sol. E o dinheiro 10 dias no exterior.

            0
            • Rodrigo 4 de maio de 2012 at 12:19

              Alugou mas com a condição de conhecer uma “Favela” , que provavelmante vai ter caipirinha, pagode e sol. E o dinheiro 10 dias no exterior.

              0
      • RAFAEL 4 de maio de 2012 at 11:53

        MrK,

        Concordo com vc, estou tentando comprar um imóvel, como já mencionei aqui no ano passado, em Julho se não me engano, acho que foi até vc que comentou, os preços estão absurdos.

        Acredito realmente na baixa, pois do jeito que aumentaram os preços não há demanda reprimida ( vontade de socar a cara de um FDP que fala isso) que vá atender a demanda.

        Acompanho os imóveis em São Cristovão, acho que vc deve conhecer, e só no ZAP teve aumento de 100 imóveis do final do ano passado pra cá, empreendimentos que estão ficando pronto agora, MCMV, estão pipocando com preços absurdos de 200 k, eu conheço muito bem aqui e digo que ele não vale 130k.

        Estou curioso para saber a quanto vão alugar neste empreendimento, pois como vc, estou procurando algo para alugar mas sem pressa nenhuma.

        Mas confesso que estou desanimado com baixa, pois o povo esta vivendo em uma ilusão absurda, não sei pra quem é barato, mas 200k é dinehrio p caralhooooooooooo.. Trabalho na Petro, não tenho filhos, nem despesas, e ta difícil arrumar algo.

        0
        • Carlos 4 de maio de 2012 at 13:00

          Rafael tb acompanho com atenção a Região de são cristovão e tenho tb esta impressão. Imóveis no padarão MCMV sendo vendidos pela construtora no seu teto R$ 170.000,00 e repasses de financiamento apartir de R$ 200.000,00. Esta região ,na minha opnião, está muito especulada pois as melhorias previstas para a região ( tendo como carro chefe o projeto Porto maravilha) ainda não estão prontas. Somente a transferência do INTO para o prédio do antigo JB está pronta e o pior o trânsito continua caótico, as favelas q rodeiam o bairro não sofreram nenhuma intervenção (UPP) e o pior, manguinhos hj é considerada um dos principais redutos do tráfico depois da “pacificação” do complexo do alemão, e das favelas da zona Sul! Agora será q quando ficar pronto as melhorias desta região os preços irão estar maiores ou a bolha imobiliaria já estará estourada no rio?

          0
          • RAFAEL 4 de maio de 2012 at 13:31

            Carlos,

            Extremamente especulada, sei que vão me tacar pedra aqui, mas não há lugar melhor na zona norte do rio, digo isso pela mobilidade, e “certa segurança.”. Obvio que não é seguro, estou falando de padrão Rj, por favor..

            Um amigo comprou um desses apartamentos e na visita ele ficou chocado, falou que não moraria em um apartamento daquele nem f*** (detalhe, ele mora em MESQUITA).

            O bairro é “bom”, pode melhorar, mas não há nada que faça o valor estar do heito que esta. Aqui no bairro tem em torno de uns 4 empreendimentos, dois MCMV (localização ruim), e dois com padrões melhores, mas com preços igualmente absurdos, em torno de 350 mil.

            Eu não sei, mas se o povo que sempre morou perto teve sua renda quadruplicada, como os preços, eu não tive, e não me venham com a historia de quem mora na Zona Sul ta vindo pra cá pq não ta.

            Quem sempre morou na Zs não vem p bairros como esses.

            0
      • Carlos 4 de maio de 2012 at 14:00

        MrK … Demanda maior q oferta… Acho que só na zona Sul e olhe lá( pelo seu comentário tá mais pro olhe lá)!!! Ontem fui num stand de venda de um empreendimento no pechincha (nova menina dos olhos das construtoras e imobiliárias, junto com a freguesia). Empreendimento composto por 6 blocos sendo que 4 totalmente vendidos um com quase 100% das unidades vendidas e o outro com 20% de unidades vendidas. O empreendimento tem o valor do m² de cerca R$4.300,00 (particularmente acho um absurdo para a região) . Ao entrar no stand pude escolher o corretor até pq todos estavam disponíveis (fato q não tinha visto ainda no rio) e sem nenhum atendimento. Este me mostrou o empreendimento e me tirou umas dúvidas, apartir daí tentei tirar umas informações sobre as vendas…o empreendimento tá com uma média de 3 aps vendidos no stand por semana e um por semana nas imobiliárias dando um total de 4 por semana(achei meio fraco, para a menina dos olhos de Jacarepaguá). Também o corretor me enganou afirmando que o incc aumenta na parcela somente 1 real… E se espantou quando perguntei se este índice incide tb sobre o saldo devedor( eu sabia que sim mas queria ver se ele ia dizer q era somente um aumento de 12 reais no fim), também o msm corretor me disse sobre um empreendimento na taquara (que para algumas imobiliárias já virou até freguesia) que não tem vaga na garagem para todos os apartamentos e que um comprador ao saber disso invadiu o stand de vendas e quase bateu no corretor quando soube que não teria sua vaga certa no prédio! Conclusão:
        – A especulação em JPA está grande mas a procura e as compras parece que diminuíram,
        – Os compradores destes imóveis não compram com a razão e somente com a emoção aliada a pressão estabelicida pelos corretores , e
        – A má fé impera nos stands de vendas.

        0
      • MrJaime 4 de maio de 2012 at 15:30

        MrK,

        Basicamente o mesmo aconteceu comigo na época em que eu estava olhando aps para alugar.

        Durante as primeiras conversas, os proprietários/corretores demonstravam desinteresse e tentavam me convencer que já estava quase alugando. Dias depois os proprietários/corretores me ligavam repetidas vezes querendo saber minha posição: se eu realmente iria querer alugar.

        É o bom e velho conto do vigário, só que desta vez em larguíssima escala.

        0
  • Vitor - CWB 4 de maio de 2012 at 11:35

    A pressao social de ser “proprietario” beira ao ridiculo. Coisa de pobre (principalmente de espirito) com necessidade de auto-afirmacao social.”

    Como bem escreveu JCH logo acima, o a pressão social influência muito os desejos de consumo. Lembro-me qdo essa ficção de imóveis começou -a beira do realismo fantástico- as pessoas, sobretudo as menos esclarecidas, estavam em uma viagem, uma hipnose completa, não conseguiam parar para refletir e abstrair um só argumento racional. Qdo eu fazia um contra-argumento para ajudar na reflexão do tema, era hostilizado. Foi qdo refleti um pouco e fui pesquisar e encontrei esse blog….Esse social me faz lembrar os lembrar os livros “Pai Rico Pai Pobre” e “Os segredos da mente milionária”… recomendo

    0
  • sidney 4 de maio de 2012 at 11:37

    olha porque nao adianta aumentar o credito
    ja esta todo mundo com a corda no pescoço

    Inadimplência em SP em abril é a maior desde 2007, diz Fecomercio

    0
    • Anonymous 4 de maio de 2012 at 16:28

      Inadimplência entre paulistanos é a maior desde 2007
      “http://economia.estadao.com.br/noticias/economia%20geral,inadimplencia-entre-paulistanos-e-a-maior-desde-2007-diz-fecomercio-sp,111220,0.htm”

      De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), 21,8% dos moradores da capital, o equivalente a 782,8 mil famílias, estavam inadimplentes em abril.

      0
  • Elio 4 de maio de 2012 at 11:42

    Quando teremos o feirão em São Paulo? Será que vai ter algum imóvel com preço justo por lá?

    0
    • GB 4 de maio de 2012 at 12:49

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, essa foi boa, esse feirão tem tudo para ser um fracasso.

      O que vai ter de gente indo lá de chinelinho de dedo sendo influenciada para comprar a qualquer preço, sem renda compatível e sendo barrada pelos bancos . . .

      0
      • Cicero Silva 4 de maio de 2012 at 13:17

        Não entendi o “chinelinho de dedo”.

        Vc não é daqueles que perdem um excelente negócio pela roupa que o cliente usa.

        Ou é??

        0
        • GB 4 de maio de 2012 at 14:07

          Esse povo não tem dinheiro nem para comprar um sapato, quanto mais um imóvel, vão preferir fazer mais um puxadinho na casa da sogra, como sempre fizeram

          0
          • Rico 5 de maio de 2012 at 10:25

            Quando vou comprar alguma coisa de valor, vou de chinelo de dedo. Meu último carro foi assim. É diversão na certa.

            0
            • Thiago A. 5 de maio de 2012 at 14:34

              Fazer o contrário também é legal

              Amigou meu foi comprar uma moto, é uma moto simples, mas precisa ver como foi bem tratado por estar de terno e gravata (o trabalho dele exige isso, logo)

              Mesma coisa pra pedir empréstimo no banco

              Mas da vez que fui de bermuda e camiseta para o banco deu tudo certo (é que a aparência dizia uma coisa, o CC dizia outra)

              0
        • aiwww 4 de maio de 2012 at 14:13

          Soube de um “causo” que o presidente das grande empresa foi comprar um avião numa feira de avição com calça jeans e camiseta branca… e foi tratado com desprezo … ainda há muita gente tacanha …

          0
          • Fred 4 de maio de 2012 at 14:29

            Acho que um mundo de chinelo e camiseta seria beeem mais bacana.

            0
          • Rico 5 de maio de 2012 at 10:26

            O presidente da CAOA anda assim.

            0
  • Rauni 4 de maio de 2012 at 11:49

    Esse negócio de demanda 5x a oferta e o salário médio de R$1700 são mentiras deslavadas e por mais que o povão acredite no início a realidade é muito contrastante com esses dados, quem procura imóvel para alugar sabe que os preços não caem mas também vê que os bolhudos não alugam nem vendem, os especuladores que se acham malandros já estão percebendo que tem algo estranho, todo mundo fala que o preço aumentou e pede mais nos anúncios mas não conseguem vender, as piadas estão em qualquer jornal de imóveis, por exemplo aqueles anúncios com uma tarja “VENDIDO!” sempre rio disso, a situação está tão boa que estão gastando espaço pago para falar que já venderam!

    0
  • Carcará 4 de maio de 2012 at 11:51

    Em relação às muitas piruetas do governo, nada redimirá. O colapso final, como se falou há meses nesse blog, se dará com o ritmo mais acelerado do desemprego. Aí o círculo se fecha. Se essa aceleração acontecer até o fim do ano, deverá haver a criação de mais bolsas qualquer coisa para não defenestrarem madame a pontapés.

    Apesar desse blog ser sobre bolha imobiliária, a irresponsabilidade desse governo fez com que ela se tornasse desimportante com o que está por vir.

    Abs

    0
    • Charles 4 de maio de 2012 at 14:52

      Carcará

      Concordo plenamente com seu raciocinio. Hoje mesmo estava dizendo isso a colegas de trabalho.

      A situação economica está se deteriorando de uma maneira tão rápida e grave que a bolha imobiliaria é só mais um, dentre tantos outros fatores, que levarão o país à bancarrota.

      Na conjuntura atual, a bolha imobiliaria perde foco e parece nem ser tão grave mais. Acredito que, se a coisa desandar, o governo vai jogar a toalha sobre a questão imobiliaria e deixar o setor à propria sorte como está fazendo com a inflação.

      0
  • Charles 4 de maio de 2012 at 12:02

    TRADING CAFÉ – Hoje

    Governo faz plástica no Frankenstein: mudança nas regras da poupança…

    As mudanças na caderneta de poupança que o governo estabeleceu para entrar em vigor a partir de amanhã é idêntico a fazer uma plástica no Frankenstein. Uma piada. Abaixar as taxas de juros no Brasil irá passar por mudanças reais e não piorar coisas que estão erradas. Instrumentos de mercado devem respeitar as leis de economia, oferta e demanda. A mudança da poupança é uma necessidade há muito tempo, mas o que fizeram foi piorar, criando mecanismos e regras bobas ao invés de liberar e tornar a poupança um real instrumento financeiro de livre mercado. Precisa captar, aumenta a taxa, com sobra de caixa, reduz a taxa de juros, e, cobra imposto de renda assim como cobra dos outros instrumentos. Essa mudança é patética e política, reduzindo o rendimento da poupança a 70% da SELIC + TR, é a mesma coisa que cobrar o imposto de renda num instrumento financeiro qualquer. Para não ficar feio ploiticamente perante a opinião pública, não vão cobrar IR, mas descontam os 30%… Não vai dar certo. Eles irão causar uma secagem de novos investimentos direcionados a poupança (os saldos até o dia de hoje permanecem com a regra antiga) e desta forma… aiaiai… vai faltar dinheiro para promover o contínuo crescimento artificial dos preços dos imóveis. Enfim, significa dizer que eles vão voltar atrás ou a bolha pode estourar…

    0
    • xyz 4 de maio de 2012 at 13:34

      Não vai faltar dinheiro.
      Em último caso (se o mercado se recusar a comprar os títulos públicos) o governo vai simplesmente “imprimir” dinheiro, através de medida provisória (se for possível) ou mesmo através de norma mais complexa (lei ou emenda constitucional).
      O céu é o limite, apertem os cintos e se souberem rezar….

      0
      • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 03:08

        xyz, o que o Charles colocou é que para novos financiamentos em que se esperam juros menores a poupança talvez não vingue….ou seja não vai ter $$$$ pra financiar ….

        0
  • Curioso 4 de maio de 2012 at 12:11

    Quem não leu, deve ler:
    Já admitem redução de 18%…. ou seja….

    Mercado imobiliário vive bolha ou ‘calo’?
    03 de maio de 2012 | 9h 40
    JORNAL ESTADAO

    0
    • GB 4 de maio de 2012 at 12:54

      Tenho dó dos especuladores, além de não subir nada nesses últimos 7 meses, nem os 30% prometidos pelos corretores, ainda cai 18% ?

      E as chaves chegando, a construtora querendo criar o condomínio antes do tempo, gastos com anúncios, corretores que não fazem milagre, isso deve estar fazendo muita gente perder o sono.

      0
    • GB 4 de maio de 2012 at 12:57

      Haja Lexotan® e Gardenal® para esse povo.

      Ontem eu ouvi um boato de que um corretor conseguiu vender um imóvel, por isso ele vai se homenageado na Associação e sua foto vai ser fixada na parede como “Corretor do mês” por esse feito inacreditável.

      Feirão da caixa: “Corri negadis, qui é friis.”

      0
  • Curioso 4 de maio de 2012 at 12:12

    Esqueci de colar o link…

    h t t p://economia.estadao.com.br/noticias/economia,mercado-imobiliario-vive-bolha-ou-calo,111068,0.htm?reload=y

    0
  • Carlos_ 4 de maio de 2012 at 13:42

    Caros,

    Destaco o balanço das lojas Marisa. Acho muito representativo do momento atual por dois motivos:

    – Mostra o esgotamento da capacidade de compra da classe C, ou melhor, o esgotamento da capacidade da classe C se endividar.

    – Mostra o aumento brutal nos custos da empresa, mostrando que grande parte do crescimento que vimos no Brasil se deu através de uma expansão monetária sem contrapartida em ganhos de produtividade. Em outras palavras: inflação.

    Com vendas fracas, lucro da Marisa Lojas despenca no 1º tri
    PUBLICIDADE

    DA REUTERS

    A Marisa Lojas fechou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 400 mil, bem abaixo do ganho de R$ 36 milhões apurado no mesmo período em 2011. O resultado foi afetado por maiores despesas e fraco desempenho de vendas.

    Nos três primeiros meses do ano, as vendas pelo conceito mesmas lojas –que considera aquelas em operação há pelo menos 13 meses– cresceram apenas 2%, contra expansão de 12,7% um ano antes, decorrente da desaceleração vista no último trimestre de 2011, segundo a varejista.

    Dentre os fatores que pressionaram o resultado do período, a Marisa citou “desequilíbrios de estoque entre algumas categorias de produtos e entre lojas, oriundos do processo de readequação do estoque frente ao cenário de desaceleração das vendas, e estratégia comercial agressiva, que incluiu atuarmos de forma promocional via preços”.

    Tais fatores, de acordo com a empresa, “foram plenamente equacionados com a entrada da nova coleção de outono/inverno, a partir de março”. “Temos observado uma recuperação do crescimento de vendas, sendo que o desempenho em março e abril tem sido mais forte”, acrescentou.

    O resultado veio com aumento de 16,4% no custo de mercadorias, que ficou em R$ 217,9 milhões.

    As despesas com vendas também aumentaram, em 9,2%, para R$ 159,6 milhões, enquanto as gerais e administrativas foram 11,9% maiores, a R$ 25,8 milhões.

    De janeiro a março, a geração de caixa operacional medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 53,2 milhões, queda anual de 29,2%.

    A margem Ebitda, por sua vez, caiu de 15,2% para 10,2%, enquanto a de varejo cedeu de 20,1% para 13,1%.

    Em contrapartida, a receita líquida da companhia subiu 5,2%, para R$ 519,9 milhões, sendo que os cartões Marisa tiveram participação de 44,6% no total das vendas, queda de 1,3 ponto percentual ano a ano. A receita líquida de cartões foi 11,1% menor, somando R$ 98,4 milhões.

    A companhia encerrou março com 336 lojas, aumento de 19,6% em 12 meses e, até junho, deve concluir a abertura de outras quatro unidades.

    0
    • Carlos_ 4 de maio de 2012 at 13:48

      Reparem, 44% das vendas foram feitas no cartão Marisa. Não estamos falando de imóveis, carros, fogões e geladeiras. Estamos falando de uma loja que vende calcinha e sutiã por preços baixos.

      Nem calcinha estão conseguindo comprar sem se endividar. Onde está o aumento de renda? Onde está a classe C que viaja de avião nas férias, faz curso de inglês, paga colégio particular e nas horas vagas compra imóveis por meio milhão?

      0
    • simone 4 de maio de 2012 at 15:21

      minha irma recebeu uma carta da loja marisa essa semana dizendo que ela tinha credito pre aprovado isso que ….ela nunca fez cadastro na loja ……

      0
  • Aroldo Batista 4 de maio de 2012 at 13:58

    Com 430 mil imóveis à venda, Feirão da Casa Própria começa hoje em cinco cidades do País.
    O que me chamou a atenção foi que em 2011, o evento recebeu mais de 450 mil visitantes, preticamente a mesma quantidade de imóveis à venda agora. Será que terá mais imóveis que visitantes (estou falando de visitantes, não compradores).

    http://noticias.r7.com/economia/noticias/com-430-mil-imoveis-a-venda-feirao-da-casa-propria-comeca-hoje-em-cinco-cidades-do-pais-20120504.html?question=0

    0
  • GB 4 de maio de 2012 at 14:14

    Chegou a hora de comprar seu MRV (apês a partir de 85 paus):

    “Mrv Engenharia
    Começa hoje o 8ª edição do Feirão Caixa da Casa Própria. Um dos destaques da MRV é o pré-lançamento do Spazio Recriart. Acesse o nosso blog e conheça mais sobre este empreendimento.

    Hora de comprar a casa própria
    mrvengenharia.wordpress.com
    A MRV Engenharia oferece 1.800 unidades no feirão em 30 empreendimentos. Muitas enquadradas no programa ‘Minha Casa, Minha Vida 2’, com preços a partir de R$ 85 mil, além dos subsídios de até R$ 23 mil.”

    0
  • Charles 4 de maio de 2012 at 14:18

    SIMULAÇÃO CAIXA COM NOVAS TAXAS DE JUROS – 04/05/2012

    – Compra de imóvel no valor de R$ 220 mil.
    – Renda R$ 5100,00
    – Prazo 30 anos.

    omposição da 1ª prestação
    Opção Básica
    1ª Prestação – R$ 1.393,00
    Amortização: R$ 402,99
    Juros R$ 910,87
    Seguro MIP (1) R$ 33,95
    Seguro DFI (2) R$ 20,20
    Taxa de Administração R$ 25,00

    Para clientes com relacionamento Caixa + Conta salário
    Juros efetivos 7,79%

    Observação: Na modalidade antiga, sem a redução dos juros, com mesma renda e caracteristicas gerais, a pessoa com esse perfil obteria R$ 120 mil de crédito junto a CEF.

    0
    • Paulo - RJ 4 de maio de 2012 at 14:21

      As condições estão boas, certamente.
      No que diz respeito ao Rio de Janeiro, a questão é conseguir um bom imóvel a este preço.

      0
      • Charles 4 de maio de 2012 at 14:34

        Na minha cidade – Taubaté-SP, moro num imóvel de 3 dorms construido em 2006 e comercializado à época por 89 mil. Hoje pedem 300 mil neste imóvel, mas pago 900 reais de aluguel.

        Os imóveis de 2 dorms dentro deste mesmo condominio eram comercializado à epoca da construção por 74 mil, hoje pedem entre 230 a 260 mil.

        Semana passada, conversando um um vizinho, bancario, mudou se para SP capital em função de transferencia e tenta vender seu apto de 2 dorms há 1 ano, pedia 230 mil – Detalhe: Apto mobiliado.
        Não conseguiu vender e já fala em 215 mil mas confessou que entrega por 200 mil na mão dele sem intermediários.

        Essa semana deparei me com anuncio em imobbiliaria da cidade em que estão vendendo na torre A, um apto de 2 dorms por 190 mil. Liguei para confirmar se o preço estava atualizado e disseram que sim, a oferta é recente e está atualizadissimo.

        Para terem noção do padrão deste condominio, vejam o video propaganda neste link.

        “youtube.com/watch?v=yr5pUHm3-c0”

        0
        • Charles 4 de maio de 2012 at 14:38

          Observação: Pela variação dos indices da construção civil, os aptos de 2 dorms deveriam estar custando entre 120 a 150 mil e o de 3 dorms entre 160 à 180 mil, já considerando uma gordurinha de valorização de localização e demais benfeitorias.

          0
        • Leno 4 de maio de 2012 at 23:37

          Por falar em Taubaté, por onde anda o Carlos Wagner ? será que foi sequestrado por algum corretor?

          0
      • Mr. D 4 de maio de 2012 at 14:35

        Por essa pequena bagatela de R$ 220mil, acho que só consegue alguma coisa decente no rio, lá para baixada/campo Grande…..

        Melhores condições mas…

        0
        • Rodrigo 4 de maio de 2012 at 16:48

          Acho que nem em Campo Grande!!! Olha o “Bairro” que estão construindo lá:

          “ttp://www.youtube.com/watch?v=fpLG7TKj9Sk

          0
    • JohnnyRJ 4 de maio de 2012 at 14:36

      Está faltando o valro de entrada aí. Acabei de simular com R$ 5500, só consegui 160mil financiado.

      0
      • Charles 4 de maio de 2012 at 14:40

        Tem razão.

        Valor total do imovel 220 mil.
        Crédito: 145 mil.
        Entrada 75 mil.

        0
  • Piaui 4 de maio de 2012 at 14:26

    SUBPRIME À BRASILEIRA! Banco do Brasil jogando gasolina na fogueira!

    O Banco do Brasil (BB) anunciou na manhã de nesta sexta-feira (4/5), na capital paulista, uma nova redução nas taxas de juros para pessoa física, e reformulou linhas de crédito que contam com garantia de imóveis ou veículos. É o terceiro anúncio de corte desde o início de abril.

    Os clientes que tiverem conta-salário no BB e aderirem ao programa Bom pra Todos não pagarão mais do que 3,94% ao mês em nenhuma modalidade de crédito pessoal, segundo o banco. Para esses clientes, os juros do cheque especial foram reduzidos de 8,31% para 3,94% ao mês, em taxa única. Essa nova taxa vale a partir do dia 10 de maio.

    Outra redução no programa Bom pra Todos se refere aos juros de linhas de crédito pessoal (CDC automático e CDC renovação), que tinham taxa máxima de 5,79% e passarão a ter de 3,94% ao mês.

    Para clientes que não recebem salário pelo banco e, portanto, não podem aderir ao pacote, a instituição anunciou uma linha de crédito para pessoas físicas com garantia de imóvel próprio, com juros reduzidos de 1,52% a 1,6% ao mês e prazo de pagamento até 180 meses. Essa linha de crédito será disponível, no entanto, apenas para quem tem renda acima de R$ 6 mil. Os clientes podem financiar até 50% do valor do imóvel que está em seu nome.

    No caso do cliente que não tem imóvel próprio e com renda inferior a R$ 6 mil, o banco oferece um empréstimo com o veículo usado (com até cinco anos de fabricação) como garantia. Para essa linha, o BB reduziu os juros de 3,2% para 1,58% ao mês (taxa média). Neste caso, o limite financiável será até 70% do valor do veículo, com prazo de até 58 meses e liberação imediata do crédito após aprovada a operação, de acordo com o banco. Essas duas linhas entram em vigor no dia 27 de maio.
    [URL=”http://correiobraziliense.lugarcerto.com.br/app/noticia/ultimas/2012/05/04/interna_ultimas,45792/bb-anuncia-nova-reducao-de-juros-para-pessoa-fisica.shtml”]Fonte[/URL]

    0
    • Carlos_ 4 de maio de 2012 at 14:49

      O insano é que 4% ao mês é ainda um juros MUITO, MUITO, MUITO alto mesmo.

      0
  • Douglas 4 de maio de 2012 at 14:31

    Saudacoes, tirando de lado, argumentos partidários, e profecias, sou prova real de que algo muito estranho esta acontecendo no mercado, eu e minha noiva estamos email-ls de “consultores” (corretores), que nunca vimos, nem se quer contactamos a empresa onde o individuo trabalha, oferencendo um enxurrada de imoveis, e com a conversa de valorizacao eterna, eles sabem q a noticia da bolha esta se espalhando cada vez mais, esse Coretor, eh um deles, sabe q festa acabou, ora de mudar o disco qbrado.

    0
    • peterson 4 de maio de 2012 at 16:23

      um fazendeiro produzia 100 sacos de feijão pardo e vendia-os a 100 reais, devido a enorme procura ele passou a produzir 150 sacos mesmo assim não dava conta, então passou a vender cada vez mais caro $150 $200 $300 até que os compradores começaram a achar o feijão muito caro e diminuir o ritmo de volume assim os 150 sacos começaram a atender todos mas os preços continuaram subindo, então os compradores compravam cada vez menos e os sacos sobravam, então em certo dia, todos resolveram parar de comprar feijão pardo e comprar feijão preto porque estava mais barato…. o ciclo se repetirá no feijão preto, mas o produtor de feijão pardo terá prejuizos muito ruins e talvez deixe até de produzir…. a humanidade é ciclica… olhe ontem e saberei o amanhã….

      0
  • Anonymous 4 de maio de 2012 at 14:40

    Banânia, de volta ao passado, embora agora muito mais emocionante

    BB anuncia corte de mais de 50% em juros do cheque especial
    “http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2012/05/04/banco-do-brasil-anuncia-novos-cortes-nas-taxas-de-juros.jhtm”

    Dolar +0.46% 04/Mai/2012 – 13:29
    “http://economia.uol.com.br/cotacoes/cambio.jhtm”

    0
  • GB 4 de maio de 2012 at 15:12

    Ahhhhhh, magoou !!!!!

    O mercado acordou rápido para as tentativas inócuas de salvar as construtoras: GFSA3 R$ 3,78 -4,30%

    Desta vez durou 2 dias e meio, isso acaba com o repique monster de ontem, alegria de especulador em tempos de crise dura pouco.

    0
    • peterson 4 de maio de 2012 at 16:01

      kkkkkkk eu ia falar sobre isso mas fiquei quieto, eu vi que estava subindo então pelo volume vi que eram cardumes, como havia previsto um fundo de 2,48 (ainda mantido) eu ja ia falar que isso não dura uma semana, hahahaha, depois de 2 dias foi pro beleléu….

      0
  • GB 4 de maio de 2012 at 15:17

    GAFISA desabando ladeira abaixo (posição às 15h01):

    BRPR3 R$ 24,20 2,54%
    LPSB3 R$ 34,30 2,39%
    BRML3 R$ 24,54 2,29%
    MULT3 R$ 46,84 1,36%
    BBRK3 R$ 6,47 1,09%
    EVEN3 R$ 7,53 1,07%
    EZTC3 R$ 21,76 0,97%
    ALSC3 R$ 18,53 0,49%
    MRVE3 R$ 12,33 0,24%
    IGTA3 R$ 42,62 0,21%
    SSBR3 R$ 31,30 0,13%
    JHSF3 R$ 5,99 0%
    VIVR3 R$ 2,42 0%
    HBOR3 R$ 9,27 -0,22%
    BISA3 R$ 5,23 -0,76%
    TCSA3 R$ 8,86 -1,56%
    GSHP3 R$ 10,70 -1,74%
    PDGR3 R$ 4,91 -2%
    CYRE3 R$ 15,77 -2,05%
    RSID3 R$ 8,16 -2,16%
    GFSA3 R$ 3,74 -5,32%

    0
    • GB 4 de maio de 2012 at 15:27

      GFSA3 R$ 3,72 -5,82% alguém segura ela ou vai chegar hoje a R$ 1,99 !!!!!

      IMOB +0,10% e caíndo.

      0
      • Leo 4 de maio de 2012 at 15:36

        Sobre o IMOB, acredito que quem tem segurado sao os ativos relacionados a Shopping e uma ou outra construtora. Se tirarem os shoppings do indice, ai fica bem feio.

        0
      • Thiago A. 4 de maio de 2012 at 18:05

        Ontem a GFSA “subiu bem”, acho que foi 7 ou 8% com as noticias da mudança na poupança

        Não sei né, deve ser sardinha delirando.

        Mas lógico que passa um dia a maluquice passa e ela retoma seu caminho ao CHÃO

        0
  • Caio 4 de maio de 2012 at 15:38

    Amigos, finalmente saiu o excelente relatório do Comite Imobiliario da USP (o anterior foi em novembro). Considero uma das raras publicações com alta qualidade técnica e pouco interesse pessoal (i.e. diferente da maioria dos artigos na mídia “escritos” pelas construtoras desesperadas por desovar seus estoques)

    http://www.realestate.br/homesite/site.asp?pag=11
    Os 4 ultimos paragrafos sao leitura obrigatoria! A conclusao deles, como esperavamos: Construtoras afogadas em estoques.

    0
    • GB 4 de maio de 2012 at 15:54

      Vai ver que foi isso o que acabou com o humor do mercado, fico imaginando o que o governo vai inventar para amanhã.

      Acho que nem vão mais reduzir a SELIC, já devem ter visto que só ia piorar a situação.

      0
    • Carlos_ 4 de maio de 2012 at 18:11

      Boa Caio!

      Bolha, acho que temos um bom candidato para a próxima chamada do blog.

      Recomendo a leitura. Resumão do relatório: tá muito caro, ninguem pode pagar esses preços, a produtividade das construtoras é ridícula e uma das menores do mundo, tem que desovar o estoque e começar um novo ciclo de construção, construindo mais barato e vendendo por menos.

      0
  • Sir Income 4 de maio de 2012 at 15:39

    Tá tudo muito bom. Tá tudo muito bem. Mas realmente a Petrobrás caindo 5%…

    Agora é diferente!

    0
    • GB 4 de maio de 2012 at 15:48

      IMOB agora a -0,22%

      GFSA3 3,73 -5,57% subiu R$ 0,01 quantidade grande negociada entre esta e a última cotação.

      0
      • Leo 4 de maio de 2012 at 15:51

        Bem q podia rolar um Circuit break … tem tempo que nao vejo. A pouco tempo chegou pertinho de fazer CB no ibov, acho que algo do tipo -9.8%, e foi diminuindo a queda…

        0
  • Carlos_ 4 de maio de 2012 at 15:50

    EXTRA!!!! Os comunistas descobriram a fórmula secreta do crescimento econômico eterno. É só emprestar dinheiro, e o resto vem sozinho.

    O fato desse mesmo política ter quebrado a Europa e os EUA nada sigfica para eles. Fui apenas fruto da incompetência dessa gente “loira e de olhos azuis”. Aqui é diferente.

    04/05/2012 – 13h46
    Mantega:crédito cresce a taxas inferiores ao desejado

    SÃO PAULO, 4 Mai (Reuters) – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta sexta-feira que o crédito cresce a taxas inferiores ao desejado para sustentar o crescimento da economia.

    “O crédito não está crescendo a contento”, disse o ministro, acrescentando que a solução é aumentar o volume, baixar os juros e os spreads para o consumidor. “Mas os bancos são um pouco resistentes”, acrescentou.

    O volume total de crédito disponibilizado pelo sistema financeiro cresceu 1,7 por cento em março, atingindo 2,07 trilhões de reais. Nos últimos 12 meses, de acordo com o Banco Central, a expansão está em 18 por cento.

    Esse percentual é considerado alto pela autoridade monetária que espera que, depois de um crescimento de 19 por cento em 2011, o crédito tenha uma moderação expandindo-se a 15 por cento.

    QUEDA DE JUROS

    Mantega afirmou ainda que uma taxa de juros real de 2 por cento é um sonho que todos os brasileiros deveriam ter e defendeu as alterações na poupança anunciadas pelo governo na quinta-feira.

    O governo encaminhou ontem medida provisória ao Congresso alterando os ganhos da poupança para abrir caminho para o BC reduzir ainda mais a taxa básica de juros, que hoje está em 9 por cento ao ano.

    A proposta é que toda vez que a Selic ficar igual ou abaixo de 8,5 por cento, a remuneração da poupança passará a ser de 70 por cento da Selic mais Taxa Referencial (TR). Quando a Selic for maior do que 8,5 por cento, as regras atuais ficam mantidas –remuneração de 0,50 por cento ao mês mais a TR.

    Segundo Mantega, o pequeno poupador deve continuar na poupança, que é a melhor aplicação para esse público. “Estamos num processo salutar de redução de juros no Brasil”, afirmou.

    Ele sustentou que, apesar da queda no juros, o custo financeiro do Brasil ainda é muito grande e incompatível com a atual situação da economia. “O custo financeiro é um dos maiores do mundo. É uma má notícia porque somos campeões de algo que é negativo, mas a boa notícia é que temos uma grande margem para reduzir esse custo”, afirmou o ministro em seminário em São Paulo.

    Guido Mantega ainda voltou a afirmar que o spread bancário no Brasil é muito alto e que precisa ser corrigido, sendo que a Selic em queda também ajudará na redução dos spreads.

    (Reportagem de Frederico Rosas)

    0
    • Rafael KM 4 de maio de 2012 at 16:05

      Sonho de bananense é ter crédito com juros de 2%.

      Sonho de gente de verdade é ter $$$ para comprar tudo à vista, até AP bolhudo.

      0
  • MRCG 4 de maio de 2012 at 16:01

    Alguém sabe como é o processo no BCB para se imprimir dinheiro.
    Imprimir dinheiro para aumentar a base monetária e não imprimir para substituir cédulas antigas.
    É por MP, Lei, Resolução do Conselho Montário Nacional?

    0
    • bolhaBH 4 de maio de 2012 at 16:19

      Funciona assim:

      O Mantega deu sua palavra de honra que o Brasil irá crescer 4-4,5 % este ano.

      Aí eles imprimem o que precisar para isso… rs…

      0
    • Rodrigo 4 de maio de 2012 at 16:43

      Ctrl + P
      depois tecle Imprimir

      0
  • peterson 4 de maio de 2012 at 16:13

    Caixa corta juros da casa própria a partir de hoje

    0

    • peterson 4 de maio de 2012 at 16:14

      economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2012/05/04/financiamento-de-imovel-pela-caixa-tem-juros-mais-baixos-a-partir-de-hoje-tire-suas-duvidas.jhtm

      0
      • Carlos_ 4 de maio de 2012 at 17:05

        Isso não é notícia nova. É a implementação do anúncio feito há duas semanas e já precificado.

        0
  • Lena 4 de maio de 2012 at 17:21

    Uma coisa me impressiona muito no discurso orgulhoso do governo: Se as taxas de juros a muito tempo já deveriam ter sido reduzidas; se é tão fácil aplicar esta mudança, se não há necessidade de um planejamento para isso e para tantas outras medidas deseperadas, por que então somente agora esta atitude está sendo tomada? E onde está a oposição,da qual sequer ouvimos um questionamento? Se fosse o inverso… Mas retornando ao assunto, pra mim isso só explica o quão descontrolada está a situacāo que eles mesmos criaram.
    Agora de rabo entre as pernas depois de ouvir a cutucada que Christine Lagarde deu nos Brics (especialmente o Brasil), madando que cuidassem de suas economias ao invés de procurar culpados (Europa e EUA) para sua estagnação, Dilma e Mantega ( bela dupla!) estão do alto de seu discurso de nação desenvolvida tentando manter a aparência a todo custo. Mas até a peneira já está furada. E nāo funcionou tentar se impor junto aos grandes, pois primeiro é preciso crescer.
    Parece que desta vez o tombo vai ser grande. Resta saber qual o próximo toco que eles vāo tentar agarrar.

    0
    • xangai 4 de maio de 2012 at 17:32

      otimo post …

      penso da mesma forma :: tem alguma coisa muito errada … isso nao vai acabar bem !!!

      0
    • RosinhA 6 de maio de 2012 at 19:51

      Lena não existe mais oposição neste país já faz um tempo, existem trocas de favores tipo isso aqui é meu e isso aqui é seu, não mexe ali que eu não falo daqui. Sobre as medidas tomadas, seriam só o começo pois nada vai adiantar com nossa carga tributária, acho que aí viriam as trocas de favores, eu mexi aqui agora vocês pedem para eu mexer ali, e esse ali seria a redução de impostos para dar um fôlego, pois os discursos de Manteigão e Mônica foram repetidos várias vezes, precisamos ser competitivos, o que se refere para fora não aqui dentro.

      0
  • Charles 4 de maio de 2012 at 17:23

    Reportagem da TV VANGUARDA – Afiliada da rede globo no vale do paraiba.

    Atualizado em: 14h55min – 04/05/2012

    “Corretor de imóveis: carreira está em expansão na região”

    Pela produção que fizeram em cima do tema, eu quase virei corretor hoje. Sorte que eu conheço vocês! hehe

    0
  • Paty 4 de maio de 2012 at 17:53

    A materia diz claramente que insistir na repetição da mentira é importante porque tem muita verdade sendo contada por aí….

    0
  • GB 4 de maio de 2012 at 17:59

    Hoje foi um inferno pras construtoras na bolsa, o IMOB fechou com leve valorização de +0,04%.

    ALSC3 18,6 0,87
    LPSB3 34,49 2,96
    BBRK3 6,55 2,34
    EVEN3 7,59 1,88
    PDGR3 5,1 1,8
    EZTC3 21,78 1,07
    BRPR3 23,85 1,06
    MULT3 46,61 0,87
    IGTA3 42,55 0,05
    MRVE3 12,3 0
    BRML3 23,9 -0,38
    HBOR3 9,25 -0,43
    RSID3 8,27 -0,84
    TCSA3 8,9 -1,11
    JHSF3 5,92 -1,17
    BISA3 5,18 -1,71
    GSHP3 10,7 -1,74
    CYRE3 15,78 -1,99
    SSBR3 30,6 -2,11
    GFSA3 3,83 -3,04
    VIVR3 2,32 -4,13

    A GAFeSA se recuperou um pouco, às 15:15 quando estava a R$ 3,73 o movimento estava em 53 milhões, em apenas 2 horas o pessoal interveio comprando e fechou nesses R$ 3,83 com movimento de 87 milhões (movimento de 34 milhões, quase metade do dia em apenas 2 horas, provavelmente tudo compra, alguém salvou ela de uma vergonha ainda maior).

    Mesmo assim caiu feio, vamos ver se o pessoal tem esse mesmo pique para tentar “salvar” manhã, eu acho que não, nem a Cyrella e seus repiques doidos escapou de dar vexame agora que o pessoal descobriu que ninguém vai tirar o $$$ da poupança para livrar as construtoras dos micos.

    Fico imaginando qual vai ser a próxima jogada do governo para tentar salvar esse mercado doente.

    0
  • AJW 4 de maio de 2012 at 18:26

    Veja a enganação da queda dos juros habitacionais, hoje estive dando uma de” troll” com meu gerente da cef, primeiro fiz uma simulação de financiamento no site de cef, antes da anunciada queda de juros, como sou funcionário publico recebo pela CEF, tenho um perfil ótimo, segundo o meu gerente. Dai para um financiamento de R$ 100 mil (não compro nada aqui no Pr) em módicas 240x daria uma prestação de R$ 1.205,00. Novamente fiz a simulação, com juros baixiiinhoss, e a prestação caiu, para R$ 1.119,20, repito isto, porque sou funcionário publico recebo pela CEF ete nho conta há mais de 10 anos. Nossa que desconto!!!!. Cai 7% mas certamente que não poderia pagar 1.200 também não poderá pagar 1.119 . Ou seja, acho que a ficha já caiu para o mercado, a enganação dos juros baixos, dai que na Bovespa das construtoras. Agora imagina o pobre mortal que não tem conta e não recebe pela caixa, qual será a redução do juros???

    0
    • charles 4 de maio de 2012 at 23:56

      AJW.

      Logo acima eu postei uma simulação feita pela CEF hoje como funcionario publico com relacionamento com o banco + conta salario com juros de 7,9%.

      Pois bem, para eu verificar minha capacidade máxima de emprestimo basta colocar um valor de imovel alto e pedir financiamento de 100%. O proprio sistema vai dizer qual será o valor da entrada e o valor maximo de financiamento.

      Notei que as parcelas, neste caso, ficaram muito parecidas com as de antes do juros cair, mas a capacidade de emprestimo aumentou em 25 mil.

      Ou seja, voce consegue comprar um imovel um pouco mais caro pagando a mesma coisa. Esse foi o jeito que eles encontraram para colocar alguns imoveis novamente na faixa de capacidade de endividamento de um grupo especifico de pessoas.

      Logo logo essa pessoas sairão do mercado, seja pelo endividamento ou prudencia, e novas medidas se farão necessarias e assim sucessivamente até o estouro definitivo.

      0
      • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 03:49

        Foi o que comentei com o Cleyton quando anunciaram os juros baixos… e na realidade fizeram uma mistura de juros reais e nominais pra anunciar a baixa…. se os juros reais cairam 2% aa … (que acredito ser muito) é só pra quem tem uma forte fidelização e garantia de emprego ou renda…

        é a famosa frase … eu finjo que baixo e vcs que acreditam ….

        0
    • Avoador 7 de maio de 2012 at 20:00

      Estou na mesma situação sua AJW, sou funcionário Publico, Federal ainda. No cargo que estou não ganho muita coisa não, mas seria pior se eu estivesse na prefeitura ou no governo do Estado. Ainda assim, para um financiamento de 100 k seria um sufoco pra mim durante mais de 20 anos, por isso de eu não ter colocado a corda no pescoço. A queda dos novos juros foram irrisórios na questão final que é o valor da parcela.
      Ao que tudo indica, financiarei um lote para depois construir quando este bum imobiliária murchar.

      0
  • JohnnyRJ 4 de maio de 2012 at 18:37

    Essa queda de juros está sendo usada fortemente na divulgação do feirão da caixa. Aí tem…

    Assim como o subsídio de 23mil do governo, melhora na renda, copa e olimpíadas será que essa queda d juros será mais um agravante p/ inflar a bolha? A cambada começa a botar gordura no valor do imóvel considerando que nego pode comprometer os 30% da renda, coisa e tal…

    Já já vão querer subir mais o preços…

    0
    • RPL 4 de maio de 2012 at 19:01

      Johnny,

      Não tem mais onde por gordura….

      O cara que ganha 1.600 por mes e essa é a média nacional, pode pagar uma prestação de no máximo 500 mangos…

      Isso dai dá no máximo um financiamento de 50K.

      0
  • belarmino 4 de maio de 2012 at 18:51

    Na favela de paraisópolis/ SP tem um cara pedindo 260k numa “casa” verticalzinha lá na comunidade…

    260k o que significa isto, mano????

    0
    • Fred 4 de maio de 2012 at 22:48

      É o monotrilho chegando, ué! 🙂

      0
  • Fernandão 4 de maio de 2012 at 19:11

    A próxima atitude do Governo será aumentar o limite de valor, nos financiamentos pelo FGTS, para R$1.000.000,00! Assim, os especuladores vão poder botar os preços de apartamentos de 75m2 em R$999.000,00.

    Podem aumentar, podem dar crédito a juro zero. Só vou pagar o justo. E não se fala mais nisso. Nenhum desses fascínoras vai me passar “atestado de burrice”.

    Já falei e torno a dizer: não comprem nada agora. Não troquem de carro. Só consumam o necessário. Daqui a 2 anos vamos comprar nossa moradia pela metade do preço de hoje com certeza, enquanto as vítimas morarão pior e ainda estarão devendo por mais 20 anos ou mais ao banco.

    Sem pressa aqui. Deixem os especuladores se enforcarem por aí. Estes estão mais ferrados do que nós.

    0
    • Henrique 4 de maio de 2012 at 19:58

      O problema , meu amigo, é quem tem um monte de gente iludida e sem instrução correspondendo à atitude do governo. Vão comprar os aptºs e pagar 30 anos por um preço pra lá de abusivo.

      0
      • xyz 4 de maio de 2012 at 20:39

        Tem muita gente bem instruída e com fácil acesso à informação e que já ouviu centenas de vezes sobre a possibilidade de bolha imobiliária MAS que ainda hoje procuram apartamento para investimento.

        Bolha é hipnose geral ao ponto de ninguém enxergar o óbvio.

        0
        • Leno 4 de maio de 2012 at 23:22

          O problema é que muita gente que já tem imovel proprio e quitado, comprado a muitos anos atrás, e sem pretensão de vender, não querem perder a sensação de terem ficado ricos por causa da valorização do imovel.

          Para muitas pessoas, ter um bem que elas sabem que nao conseguiram comprar hoje, tras uma tranquilidade muita grande, ainda que artificial.

          0
          • Mr.Crowley 5 de maio de 2012 at 06:26

            Sinto isso direto quando estou vendo imoveis antigos pra comprar ou alugar, os proprietarios,as vezes velinhos,vivendo de inss com predios e aptos sem nenhuma manuntecao ha mais de 10 anos,enchem a boca pra falar de quanto o imovel esta valorizado,mas ninguem que mora la tem dinheiro nem pra uma cota extra do condominio pra pintar o predio. E aquele esquema que ja comentarao aqui,milionarios com tv de tubao da decada de 80 e tapete na sala pra esconder o assoalho gasto. Vai ser dicifio esse povo cair na real e ver que continua na merda.

            0
            • Marcos de Paulo 5 de maio de 2012 at 19:57

              Boa!

              0
  • Ploc 4 de maio de 2012 at 19:14

    GlobNews Jornal das Seis
    Leilane Neubarth entrevista o economista Roberto Zentgraff e solta que estamos vivendo uma bolha pois os preços estão exorbitantes.
    Depois tenta consertar mas a palavra bolha está na boca do povo mesmo. Nem a apresentadora consegue esconder.

    PLOC

    0
  • John 4 de maio de 2012 at 19:23

    Se esse governo quer ajudar, bem que poderia diminuir os impostos. Já tem muita gente com a corda no pescoço, não vai adiantar só baixar os juros se continuamos pagando o dobro do que paga um americano num mesmo produto. E outra, se quer gerar emprego, tem muita coisa para fazer em termos de infraestrutura.

    0
    • xyz 4 de maio de 2012 at 20:24

      Nunca na história um governo baixou tanto os impostos como este governo.

      Se você fizer uma retrospectiva, em 10 anos de governo foram incontáveis reduções de impostos e não é ironia.

      Ironia é o fato que a carga tributária aumentou, ou seja, as reduções dadas para determinados setores foram mais que compensadas sobre a carcaça de outros.

      Portanto rezo todos os dias para que o governo não “reduza” mais nenhum imposto.

      0
      • charles 5 de maio de 2012 at 00:06

        XYZ

        O que voce escreveu é verdade. Só não sei se este é o governo que mais baixou impostos.

        Mas uma coisa é verdade: Não há espaço para o governo reduzir impostos de forma generalizada pois o custo da maquina publica é pesado demais e ele entraria em um deficit ainda maior se fizesse isso.

        Além disso, para continuar convencendo o sistema financeiro a rolar sua divida, ele tem que demonstrar que tem de onde tirar receita a medida que a divida publica cresce financiando as bolsas da vida.

        Reforma tributaria não vemos nem sinal no horizonte.

        Resultado: Continuaremos a pagar a carga tributaria mais abusiva do mundo e consumir produtos pelo triplo do preço dos outros países, a não ser que o governo resolva deixar o protecionismo de lado e liberar a entrada dos produtos estrangeiros. Mas isso já é outra discussão!

        Vamos ver até onde a corda aguenta…

        0
  • Carlos Eduardo 4 de maio de 2012 at 19:32

    jajá perderemos o titulo de Banania para Banania Pré-histórica!

    IMPEACHMENT !

    0
  • Cleyton 4 de maio de 2012 at 19:50

    Saquei a parada dos 70%! Lembram que o Lula queria tributar a poupança? E que não ia ferrar os pequeninos e só ia começar a cobrar a partir de 50k, etc?

    Então, para efeitos de comparação com outros investimentos tributados reduzir tudo em 30% teria o mesmo efeito de tributar todas as poupanças em 30% só que sem tirar liquidez do sistema bancário enviando-o para a Receita, banco fica feliz, carteiras de investimentos ficam feliz, o povo leva a naba e fica feliz porque não entente lhufas!

    0
    • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 03:56

      Cleyton isso será verdade se a selic baixar pra menos de 8,5%. …. pra mim estão testando até onde chegam… mas a medida em si foi pra dar folego até as eleições… acreditam que essa manobra forçará juros e spreads pra baixo, particularmente, não acredito…. depois de analisar alguns desdobros do mercado, acho que deram um tiro no pé….

      0
  • Bolhado 4 de maio de 2012 at 19:56

    O bicho vai pegar, acabei de ver que a Caixa está financiando 100% do imóvel! A bolha tá explodindo e essa é a última cartada do louco do governo querendo dar gás em um mercado de inadimplência crescente!

    0
    • Leno 4 de maio de 2012 at 23:12

      Caramba, 100 % do imovel ?

      Para quem fala que, ao contrario do EUA, o credito aqui é responvel, caiu por terra de vez.

      0
      • charles 5 de maio de 2012 at 00:10

        Como em toda crise, o crédito vai ficando irresponsavel à medida em que o sistema vai ficando estagnado.

        Fato é que estamos chegando no limite…

        0
    • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 04:02

      Bolhado, smpre houve financiamento de 100% de imovel pela CAIXA…
      são os casos de empreendimentos financiados com recursos do FGTS, se não mudaram a regra (eu não fui atras) durante a obra os compradores fazem uma poupança… ou seja pagam suaves prestações mensais, devidamente corrijidas e já há estudo da capacidade da renda …. quando a obra é entregue – sai o habite-se e os financiamentos são feitos com a diferença entre a poupança e o vlr do imovel …. é iss que chamam de 100% de financiamento…

      outra linha é a carta de crédito … o imovel pode ter 100% de financiamento tb.

      não acreditem em crédito irresponsável nessa grandeza, pois quem aprova os créditos são empregados concursados, não da pra fazer besteira ….

      0
  • GB 4 de maio de 2012 at 19:56

    Alguém sabe se o feirão da caixa foi um sucesso ?

    0
  • Ana 4 de maio de 2012 at 20:05

    E a imprensa tenta, desesperadamente, enfiar pela goela abaixo do povão que comprar imóvel é a razão de viver e a condição “sine qua non” para a felicidade de todas as pessoas. Reparem no valor dos créditos concedidos ao pessoal que enfrentou a tal fila de 3 horas. A maioria conseguiu crédito de 50 a 98mil. Vão achar imóvel com esse valor onde? Talvez só nas comunidades, onde não tem habite-se e, portanto, não é financiável. Uma senhora, conta, toda satisfeita, que conseguiu crédito de 500 mil para comprar um imóvel maior do que o que vive hoje. Não sabia nem quanto estava economizando, mas acho que o certo seria ela dizer que não sabia nem “se” estava economizando. Apenas aproveitou a onda, o impulso da manada, e contraiu uma bela dívida durante pelo menos duas décadas.
    Mas tem uma parte interessante, mais para o final, que diz que o movimento em Belo Horizonte foi abaixo do esperado. Aqui em BH os preços estão realmente inacreditáveis. Vejo placas de Venda em todas as ruas por onde passo. Lançamentos e mais lançamentos, prédios completamente desabitados, a mesma situação que muitos relataram aqui que ocorre em outras grandes cidades. Demanda reprimida deve existir sim, é óbvio, mas não 5 vezes maior do que a oferta. E essa demanda continuará reprimida, não pela falta de imóveis, mas pela falta de grana para adquiri-los. Recomendo a leitura da matéria, é triste ver como as pessoas são facilmente iludidas pelo apelo emocional que o evento “aquisição de imóvel” tem, principalmente junto às pessoas mais humildes e menos esclarecidas.

    Consumidor espera até 3 horas na fila no Feirão da Caixa

    Agência Estado
    Pedro Rocha Franco –
    Marina Rigueira
    Publicação: 04/05/2012 18:42 Atualização: 04/05/2012 18:57
    Foi preciso esperar pelo menos três horas na fila para ser atendido nesta sexta-feira no primeiro dia do feirão de imóveis da Caixa Econômica Federal (CEF), no Centro de Convenções em Olinda, região metropolitana do Recife. Até às 16h30, 690 pessoas haviam sido atendidas por funcionários do banco. Foram ao local em busca de aprovação de crédito para a casa própria. A grande maioria tem renda inferior a R$ 3 mil.

    A cada crédito aprovado, um apitaço. Maria Alves da Silva, de 54 anos, com renda formal de um salário mínimo, deu pulos de alegria. Conseguiu um crédito de R$ 50 mil, a ser pago em 25 anos. A prestação vai ficar em torno de R$ 250,00. “Agora vamos procurar a casa, em Olinda”, comemorou ela, grata ao governo federal. “Antes a gente não podia ter esse sonho”. Na verdade, ela vai comprar a casa para sua irmã, Cícera, 40 anos, que é diarista, ganha quase R$ 1 mil por mês, mas não tem como comprovar a renda.
    Saiba mais…
    Caixa espera vender mais de 9 mil imóveis no Rio durante o Feirão da Casa Própria
    Clientes da Caixa poderão tirar dúvidas sobre poupança nos canais de atendimento
    Feirão da Caixa começa em BH com taxa de juro menor

    A gerente regional de habitação da Caixa no Recife, Eveline Ferreira, acredita que o número total de atendimentos, aprovações de crédito e fechamento de negócios será, nesta oitava edição da feira, superior ao registrado em 2011, quando 5 5 mil imóveis foram vendidos, com valor médio de R$ 98 mil. “Pelo fluxo de pessoas neste primeiro dia, que não é o mais movimentado, já dá para perceber”, disse ela ao avaliar a presença de mais gente com renda formal e com documentação em ordem entre os candidatos ao financiamento. “Tudo tem a ver com o crescimento econômico de Pernambuco”.

    A coincidência da abertura do feirão com a queda dos juros da casa própria não permitiu avaliar o registro de uma maior demanda de quem possui renda superior a R$ 5 mil e se beneficiarão desta redução. Os que têm renda menor do que R$ 5 mil têm um desconto de R$ 17 mil bancado pelo governo federal por meio do programa Minha Casa Minha Vida.

    De acordo com Eveline, ao saber que a Caixa iria reduzir os juros, muita gente que já estava com o crédito aprovado esperou para fechar o financiamento. A cardiologista Patrícia Melo, de 38 anos, casada, três filhos, é uma delas. “Sou uma sortuda”, afirmou, um pouco antes de assinar o financiamento de R$ 500 mil para compra de um imóvel maior, com área superior a 200 metros quadrados, no bairro da Madalena, em Recife. “Ainda não sei exatamente quanto vou economizar, mas será uma boa diferença”. No feirão, 48 construtoras e 44 imobiliárias oferecem 21.474 imóveis novos, usados e na planta. Setenta e dois funcionários da Caixa atendem às pessoas em busca de crédito.

    Belo Horizonte

    Na capital mineira, o movimento no feirão nesta sexta-feira ficou abaixo do esperado. Apenas 10% do crédito disponível para a casa própria foi aprovado. A expectativa é de grande procura neste fim de semana.

    O evento acontece no no Expominas e serão mais de 14.647 imóveis disponíveis para a compra, com 42 construtoras participantes e público estimado em 40 mil pessoas, superando as 32.500 mil presentes em 2011. A faixa de preços varia e há no total, 10.753 imóveis até R$ 150 mil e 4.164 acima de R$ 150 mil.

    No ano passado, a sétima edição do evento registrou mais de 450 mil visitantes, com movimentação financeira superior a R$ 10 bilhões, em negócios assinados e encaminhados.
    Acompanhe também o EM.com pelo Twitter

    0
    • Arsen 4 de maio de 2012 at 21:04

      Ela está grata ao gov. federal… Que piada. As pessoas comemoram pq podem se endividar até a 15a geração agora. Que bom, pq antes podiam… mas só até a 6a ou 7a.

      0
    • Júlio Cesar 5 de maio de 2012 at 01:53

      Vou comentar a parte do “A cada crédito aprovado, um apitaço” Confesso aos colegas que rachei de rir. Depois tem gente que acha ruim chamar construtora de circo. Imagino este feirão: muita gente falando ao mesmo tempo, um som alto tocando um pagodinho, pipoca de graça, corretores só na vibração, e o povo radiante de alegria… kkkkk.

      0
    • Roc 5 de maio de 2012 at 13:59

      Ana, farei questão de ir hoje ou amanhã ao feirão pra ver de perto essas maravilhas proporcionadas pelo nosso querido Governo Federal. Quero ver de perto uma parte desses 10753 imóveis abaixo de R$ 150.000,00. Creio que devem ser apartamentos enormes de 35 m2 em bairros nobres da região metropolitana. Tenho certeza que será um bom programa para o fim de semana afinal, estou precisando rir um pouco. 🙂

      0
  • GB 4 de maio de 2012 at 20:20

    Sucesso total, mas achei meio desespero dar financiamento para uma pessoa de 54 anos que ganha salário mínimo e obrigá-la a dar 1/3 do salário por 25 anos, já é certo que ela vai ficar inadimplente quando descobrir que tem que comer e se vestir com os 2/3 restantes.

    0
    • GB 4 de maio de 2012 at 20:22

      Ah claro, isso se ela achar alguma coisa por R$ 50k.

      0
      • Eskeleto 4 de maio de 2012 at 20:27

        Essa tá ferrada quando descobrir que o valor mínimo da casa é 100k.

        0
        • GB 4 de maio de 2012 at 20:42

          E ela é super grata ao governo federal, que piada.

          O povo é burro demais.

          0
  • MrJaime 4 de maio de 2012 at 20:23

    h t t p : / / economia.estadao.com.br/noticias/economia+geral,reducao-de-juros-da-cef-frustra-consumidores-em-feirao,111314,0.htm

    0
    • Eskeleto 4 de maio de 2012 at 20:33

      Realmente achei ridículo isso.

      Quem conseguiu aproveitar a redução dos juros comemorou. O aposentado Victor Hugo de Souza, de 73 anos, fechou negócio logo pela manhã. Segundo ele, apesar da pouca redução dos juros, o financiamento pela Caixa ainda é mais vantajoso do que em outros bancos. “Aqui as condições de execução do negócio são mais flexíveis diante das nossas condições financeiras”, disse.

      Lógico que tem que ser flexível provavelmente com 73 anos tem que ter algo pra dar entrada e financiar o restante, a diferença é que nessa idade vai morre pagando.

      0
      • GB 4 de maio de 2012 at 20:45

        Banco não libera financiamento para pessoas em idade avançada, é muito arriscado, ele deve ter dado um aexcelente entrada.

        Lá não fala se é 1º imóvel dele ou se é 2º para investimento, algo me diz que ele vai morrer de desgosto.

        0
      • charles 5 de maio de 2012 at 00:16

        Se eu tivesse 73 anos eu tentaria fazer emprestimos de 1 milhao de reais.

        Iria morrer pagando? Sim, claro. Mas seguro prestamista serve pra isso mesmo. Se eu morrer o imovel é quitado e fica de herança. Arriscado é para o banco e nao para este senhor.

        0
  • GB 4 de maio de 2012 at 20:34

    É possível ter juros reais de 2% no Brasil ?

    “http://exame.abril.com.br/economia/noticias/e-possivel-ter-juros-reais-de-2-no-brasil

    0
    • GB 4 de maio de 2012 at 20:54

      Os especialistas acham que não, pois aqui não é 1º mundo.

      Mais uma viagem da Dilma.

      0
    • xyz 4 de maio de 2012 at 21:49

      Os juros reais no Brasil para poupadores já é menor que 2%.

      Considerando a Selic 9%, se aplicar no tesouro direto paga taxa de 0,4% (juros cai para 8,6%). Descontando o imposto de renda mínimo (para aplicações com prazo superior a 2 anos) de 15%, o juros já cai para 7,31%. Finalmente descontando a previsão OFICIAL de inflação de 5,5% o rendimento real é de 1,81% ao ano.

      Poupança e fundos de renda fixa com taxa de administração superiores a 0,5% rendem menos ainda.

      0
      • Bolhado 5 de maio de 2012 at 23:34

        KKKKKKKKKKK Cômico se não fosse trágico!

        0
  • ray 4 de maio de 2012 at 20:43

    Amigos, acabo de chegar do feirão da caixa-RJ

    Minha sugestão: não percam seu tempo!

    O lugar parece um circo: até anão fazendo graça tem.

    Os preços estão bizarros! Ninguém ta dando desconto, isso não é um feirão, é uma arapuca pra pegar desinformado. A MRV me deu um preço de 275mil em um empreendimento que tem ap no ZAP a 210mil, e olha que o zap já anda bem bolhudo…

    Nos stands de imobiliárias tem sempre muita gente e corretores exaustos, visto o dia desafante de trabalho. Se quer atenção de um corretor, procure ele no seu escritório e terá um atendimento muito melhor.

    Somente…

    0
    • peterson 4 de maio de 2012 at 23:29

      isso reforça o que eu disse lá em cima e que uns até contestaram….. NÃO HÁ QUALQUER MOVIMENTO no sentido da ruptura imediata…. eu acredito mais em estagnação que em queda dos preços….

      0
      • charles 5 de maio de 2012 at 00:19

        Eu já acho que estão perdendo uma das maiores oportunidades, se nao a maior, de desovar seus estoques.

        A ganancia é mesmo a maldição do ser humano.

        Se perderem essa chance e não houver mais cartadas do governo, o setor da construção civil vai chorar por anos a fio…

        0
        • Revoltado 5 de maio de 2012 at 12:49

          Não é questao de ganancia.

          Se o seu patrao diz que seu salario é de 5 mil, vc vai chegar pra ele e dizer que 3 mil ja ta bom?

          O dinheiro é quem manda. Ninguem quer ficar pobre ou deixar de ganhar o quanto der pra ganhar, afinal filantropia nesse mercado não existe.

          0
      • Bolhado 5 de maio de 2012 at 23:40

        Pra mim esse feirão não serve de parâmetro pra nada! Só abrir a Folha, Estadão, o Globo… os anunciantes principais são as imobiliárias! Qual a isenção do meio jornalistico? Quando a bolha aparecer na mídia será já no apagar das luzes!

        A mídia é vendida! Vejam bem, apesar de todos os indicadores mostrarem que estamos em recessão e das medidas diárias do governo para animar a economia, A MÍDIA EM MOMENTO ALGUM FALA DE CRISE NO BRASIL! Crise só na Europa, nos EUA… AQUI É SÓ UMA MAROLINHA devido a péssima influência do exterior!

        0
    • Revoltado 5 de maio de 2012 at 12:53

      MRV, sinceramente eu nao moraria num desses nem de graça. A construtora mais ridicula é essa. A gama de defeitos nos aptos é enorme , além do fato que se vc espirrar teu vizinho diz saúde! As paredes parecem dry wall, zero isolamento acustico. Ainda tem o fato de conseguirem usar o pé direito tao baixo que vc tenha q fazer móveis sob medida, além de magicamente colocarem 2 qts em menos de 50m2.

      0
      • Comprei na baixa 6 de maio de 2012 at 20:19

        Comprei o primeiro MRV no Rio, na estr. do Pau-Ferro, custou 59 mil e vendi pronto por 85 mil. Fiz o movimento só para tirar o FGTS. O acabamento é muito ruim, mas nessa época pelo menos era relativamente mais barato. Capaz de agora estarem pedindo uns 250 por algo parecido.
        Um amigo comprou um recentemente e está comendo o pão que o diabo amassou, a obra não fica pronta nunca, a piscina que constava do projeto inicial não vai existir, e por aí vai.

        0
        • Revoltado 7 de maio de 2012 at 20:34

          qual era a metragem do seu imóvel?

          0
  • ray 4 de maio de 2012 at 20:45

    Fui lá pra passar a tarde toda, acabei ficando 1,5h. Dava pena de ver os casais vindos do trabalho pagando um estacionamento absurdo para entrar naquele circo…

    0
  • Arsen 4 de maio de 2012 at 20:55

    Inadimplência entre paulistanos é a maior desde 2007, diz Fecomercio-SP
    Famílias com contas em atraso representaram 21,8% dos paulistanos em abril

    SÃO PAULO – O número de famílias paulistanas com contas em atraso é o maior desde setembro de 2007, informou nesta sexta-feira (4) a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), 21,8% dos moradores da capital, o equivalente a 782,8 mil famílias, estavam inadimplentes em abril. Em setembro de 2007, o total de famílias com contas atrasadas era de 23,5%.

    Dois dados da pesquisa, porém, indicam que esse nível de inadimplência deve cair, já que diminuíram tanto o total de famílias endividadas quanto o número daquelas que dizem que não terão condição de pagar total ou parcialmente suas dívidas. Em abril, estavam endividados 50,6% dos entrevistados pela Peic, o que equivale a 1,81 milhão de famílias. Embora tenha ficado 2,3 pontos porcentuais acima do registrado em abril de 2011, este nível representou um recuo de 1,6 ponto em relação a março. Já a proporção de famílias que não poderão honrar compromissos recuou de 4,8% para 3,9%, com o número total baixando para 140,8 mil.

    Esse movimento de melhora da situação financeira dos consumidores, segundo a assessoria técnica da Fecomercio-SP, é reflexo do fim do pagamento de prestações relacionadas a compras de Natal. A assessoria observa ainda que “parte considerável” do volume de inadimplência está atrelada ao financiamento de veículos. Nota divulgada pela entidade lembra que, segundo dados do Banco Central (BC), o nível de inadimplência no crédito automotivo chegou a 5,52%, o mais alto desde o inicio da série, em 2000.

    Fonte: Estadao

    0
    • charles 5 de maio de 2012 at 00:27

      Detalhe importante:

      Inadimplencia exorbitante em ambiente de pleno emprego.

      Pergunto: Como os especialistas enxergam melhora da inadimplencia se o estimulo ao consumo é o motor da economia?

      O mais prudente seria estimular as pessoas a parar de consumir e quitar suas dividas, o que somente o tempo resolverá.

      Li no jornal hoje uma transeunte entrevistada que disse que: com a baixa dos juros vai tomar emprestimo para quitar todas suas dividas.

      ótimo, será que ela não pensou que vai fazer uma divida para quitar outras, mesmo que pagando menos, mas vai continuar endividada?

      Acho que não, ela vai perceber isso depois de fazer o emprestimo. E com a raspa do tacho de folga no contracheque vai fazer mais algumas dividas.

      0
      • FRK 6 de maio de 2012 at 21:49

        Discordo Charles, o movimento dela me parece o lógico: vai trocar uma dívida mais cara por uma mais barata.

        abs

        0
  • Ricardo 4 de maio de 2012 at 20:57

    Esse suplemento do feirão de imoveis da caixa que saiu no globo é um absurdo, nojento. Na verdade é um informe publicitário disfarçado de texto jornalistico. Um absurdo mesmo. Devia ter um “informe publicitário” em letras garrafais escrito no início da página. O povo lê aquilo e pensa que se trata de uma reportagem de jornal, portanto com um mínimo de imparcialidade…

    0
  • Andre C. 4 de maio de 2012 at 21:04

    Pessoal, alguém me ajude pelo amor de Deus. Isso que está acontecendo é normal??? Depois de procurar por meses na Barra, resolvi há umas 2 semanas passar a buscar imóvel no Recreio, ja q na Barra não acho nada em conta (so na Barra em Jpa). Minha noiva tirou férias essa semana e passou a ver imóveis no Recreio e qdo foi em estande novo da Calper, o corretor disse que havia sido tudo vendido em um mês. achei q fosse papo de vendedor, mas hj lendo o Brasil Econômico na web, vi uma reportagem falando do empreendimento que foi 100% em 1 mês. E a obra é preço de custo, deve-se PAGAR TUDO no período de 30 meses… tem q estar com balha na agulha. Sou economista da Vale, minha mulher eh médica, e não sei de onde o povo tira dinheiro pra isso…

    ‘Brasil Econômico, Encontro de Contas, 04/mai
    A construtora carioca Calper vendeu em apenas um mês, no pré-lançamento, os 114 apartamentos do Sofisticato Residence, que será construído no Recreio dos Bandeirantes, no Rio de Janeiro. O volume geral de vendas, soma R$ 65 milhões.’

    0
    • Andre C. 4 de maio de 2012 at 21:11

      O cara n quis nem falar o preço mas fazendo a conta dá uma media de + ou – 600.000 reais por unidade (tinham de 2 e 3 qts)

      0
    • Dr. Estranho 4 de maio de 2012 at 23:57

      Não parece verossímel o que escreveste.

      0
      • Andre C. 5 de maio de 2012 at 00:52

        http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=201115

        foi o que achei na internet, pq a parte q li do jornal é para assinantes e n consigo copiar o link aqui. minha noiva disse q as casas ainda serão comercializadas, mas serao poucass. se o preço dos aptos foram esses, o das casa serao mais bolhudos ainda. o que vendeu tudo (114 unidades) foram os apartamentos. o pior, como disse, é q a obra é por administracao, tem que quitar o valor todo em menos de 3 anos, durante a obra (30 meses). ta ficando dificil casar.

        0
        • Dr. Estranho 5 de maio de 2012 at 14:43

          Matéria paga em site não confiável. Nenhuma construtora vende 100%. Até porque se a valorização é certa, eu venderia apenas quando estivesse pronto.

          0
          • Andre C. 5 de maio de 2012 at 15:36

            No site da construtora tb consta como 100% vendido. Pode ser blefe pra TENTAR vender mais caro qdo ficar pronto.

            http://www.calper.com.br/CalperPortal/Default.aspx

            0
            • FRK 6 de maio de 2012 at 21:51

              Ou vendeu tudo mesmo.

              Ainda tem muito incauto no mercado.

              abs

              0
    • Riodetudo 5 de maio de 2012 at 00:11

      Mais um prédio fantasma. Vai morar lá, deve ser super animado e todos os proprietarios devem investir fortunas no condomínio. Por que será que tem tanto prédio novo na escuridão e abandonado na Barra e Recreio…

      0
      • Andre C. 5 de maio de 2012 at 00:54

        quem compra entao? pq o corretor nao mostrou p minha noiva?

        0
        • Riodetudo 5 de maio de 2012 at 12:37

          A maioria é “investidores”, muitos deles iludidos da classe média que já tem onde morar e compraram a idéia de deixar seu dinheiro imobilizado num apartamento ao invés de render no banco (podendo tirar a hora que quiser). Daí, refaço a pergunta, quer morar num prédio sem morador? Lembrando que prédio só tem esse nome se morar pessoas, senão é só um grande bloco de concreto, como o Sr Bolha (dono do blog) já mostrou um caso famoso de Curitiba que acabou invadido já que ninguém morava nele. Tem VÁRIOS condomínios recém-construídos assim na Barra e Recreio, até em Botafogo.

          Tem prédio na Península que visitei onde a área de lazer já mostra sinais de abandono total, já que a maioria dos donos não gasta em condomínio (já que ninguém mora no apartamento e só querem vender se puderem ficar milionários, lógica atual do mercado de imóveis).

          0
      • Andre C. 5 de maio de 2012 at 01:00

        vc acha que pode ser blefe da construtora?

        0
        • Thiago A. 5 de maio de 2012 at 09:26

          Com certeza!

          O prédio já foi entregue? Os “investidores” devem estar pagando as parcelas pré-chaves e daí na hora do financiamento quero ver

          O mercado está IRREAL. E não duvido nada de blefe do vendedor, ou de outras maluquices pra “assustar”

          0
          • peterson 5 de maio de 2012 at 15:57

            ANDRE C preste atenção às frases mais sóbrias deste blog, não é blefe, foram vendidos mesmo!… alguns movidos pela vontade as vezes não enxergam a realidade, foram todos vendidos conforme o anunciado, isso não enfraquece a idéia de que estamos em uma bolha, enfraquece a idéia de que ela está prestes a estourar, NÃO ESTÁ, por isso tanta resistencia do pessoal aqui em admitir que um predio nem construido já foi totalmente vendido, eu acredito que FOI SIM, mas isso não significa NADA, aliás, isso compromete outra parcela de compradores por um bom tempo, agrava a situação do endividamento geral e pode até originar uma sobreoferta depois das chaves, mas até o momento atual não há qualquer sinal de que um empreendimento não tenha sucesso com grande massa de propaganda… no momento de estagnzação deveriamos estar “torcendo” para mais e mais… quanto mais tolos nessa hora melhor no futuro, mas vejo que há tolos no blog, mesmo de posse de nossas valiozas informações, chego a conclusão que ser tolo é genético mesmo! como Dizia napoleão bonaparte a vida é feita de Reis, exercito e tolos…

            0
            • FRK 6 de maio de 2012 at 21:57

              Em partes Peterson.

              Comentei acima que o empreendimento pode ter sido 100% vendido sim.
              Mas não, não acho que qualquer lançamento com um alto volume de propagandas vende rapidinho. Muito pelo contrário. Aqui em SP poderia te apontar uma dúzia de obras que, apesar de muuuita propaganda, brindes pra quem visita stand e eletrônicos para quem compra o ape, demoraram muito pra viabilizar a obra.

              Minha opinião é que vai muito de localização. Um lançamento localizado em um bairro mirado por jovens casais bem remunerados (mas nem por isso bem informados), onde há excassez de lançamentos, pode vender rapidinho. Mas já se acumulam regiões onde já tem placa sobre placa nos postes.

              Vejo indícios de estouro sim. Provavelmente pro fim do ano, início do próximo, com repique ao longo do próximo, e mergulho em 2014, logo após ou mesmo em plena copa. Isso no máximo. IMHO.

              abs

              abs

              0
              • Revoltado 7 de maio de 2012 at 20:42

                A Bolha causou isso.
                Lançamento de imóveis de padrao superior ao do bairro onde estao localizados, ou imóveis com valor muito superior ao da renda das pessoas do bairro. Isso é visivel nos comentários aqui no Blog

                0
    • Comprei na baixa 6 de maio de 2012 at 20:56

      Eu moro, como o Andre C disse, na Barra em Jpaguá (ou Barra quando compra e Jacarepaguá quando vende), e tenho escutado que o Mayaan, o 4º condomínio do Cidade Jardim, com mais de 1000 apartamentos, está 100% vendido.
      Por outro lado, a garagem do meu condomínio, o primeiro do Cidade Jardim, que foi entregue há 1 ano e meio, continua com muitas, mas muitas vagas desocupadas. Ainda não tenho vizinho de porta, o apê está vazio. Já tem um pendura de 800 mil reais em taxas condominiais.
      Inauguraram uma praça na entrada do Cidade Jardim e colocaram em duas páginas no Globo. Há 3 ou 4 finais de semana que tem carrocinha de sorvete, cachorro quente e pipoca de graça para a galera na praça. A forma mais barata de conseguirem figurantes para uma pracinha cheia de gente feliz para os corretores mostrarem.
      O m² aqui está rodando entre 6 e 7k, uma vizinha relatou ter vendido um 4/4 de 150m² a 1050 mil, mas gastou uma grana com decoração. Deve ter unidades no osso a algo menos do que isso. Um 3/4 sem dependências de 90 m² vai custar entre 550 e 600 e vende, principalmente para pessoas que moravam na Tijuca/Grajaú/Méier, venderam lá entre 350/550 e vieram pra cá. Esse da Calper fica em que lugar do Recreio ?

      0
  • GB 4 de maio de 2012 at 21:37

    Ontem eu tive um pesadelo, nele eu estava prestes a assinar o financiamento de um apto, ele seria meu mas em troca teria uma dívida de 15 anos para pagar e não poderia contar com 1/3 dos meus rendimentos por todo esse tempo.

    Por sorte acordei logo, muito sinistro.

    0
    • GB 4 de maio de 2012 at 21:53

      Nele as ações da GAFeSA eram vendidas a R$ 11,00 foi aí que eu descobri que não era real.

      0
      • Carlão_RJ 7 de maio de 2012 at 19:31

        kkkkkkkkkk

        0
  • thiago fm 4 de maio de 2012 at 23:16

    CARA DE TÓPICO

    A BOLHA PINTANDO AGORA NO ESTADÃO…

    Detalhe: Pelo que entendi o cara é é coordenador do Fipezap

    http ://economia.estadao. com.br/noticias/economia,mercado-imobiliario-vive-bolha-ou-calo,111068,0.htm?reload=y

    Mercado imobiliário vive bolha ou ‘calo’?

    SÃO PAULO – Há mais de ano discute-se a formação de uma bolha imobiliária no Brasil. Boa parte dos argumentos que podem confirmar ou não essa bolha já são amplamente conhecidos, mas a dúvida persiste.

    Uma definição amplamente utilizada para bolha é uma situação de preços descolados dos fundamentos. O debate e a falta de uma resposta única surgem porque o problema é justamente como medir corretamente os fundamentos. Qual o valor justo de um ativo? No caso dos imóveis no Brasil, o problema é ainda mais grave, porque as estatísticas confiáveis do setor são assustadoramente escassas.

    Para auxiliar o acompanhamento do mercado, a Fipe lançou há pouco mais de um ano o Índice FipeZap de Preços de Imóveis Anunciados. São cerca de 150 mil anúncios válidos por mês para medir a variação do preço do metro quadrado em 7 regiões do país, coletados na internet. É fato que o preço anunciado não é o mesmo do que o transacionado, mas é bastante razoável assumir que, ao menos no médio e no longo prazo, esses valores têm a mesma tendência. Além disso, é muito difícil observar com precisão preços dos imóveis. A informalidade e a (falta de) estrutura de boa parte das imobiliárias impedem a coleta sistematizada dessas informações. Os bancos, por sua vez, mantêm registros fidedignos dos imóveis financiados, mas atendem apenas uma parcela do mercado (cerca de 50% das vendas) e utilizam, muitas vezes, os valores de avaliações e não necessariamente o preço acordado entre compradores e vendedores. Em suma: não existe uma fonte de dados perfeita.

    Cabe também mencionar que a iniciativa do FipeZap não é inédita. Há outras experiências com índices de preços de oferta, como o Home Asking Price Index, da Inglaterra, e o FotoCasa, da Espanha. Este último, aliás, detectou o estouro da bolha espanhola antes do índice oficial, porque os preços anunciados estão disponíveis aos institutos de pesquisa meses antes do registro oficial das transações.

    Os anúncios têm também outra grande vantagem: permitem o acompanhamento do preço para novos aluguéis. Utilizando esta fonte de dados, podemos medir a rentabilidade de se investir em imóveis, obtida por uma pessoa que escolhe comprar um imóvel e alugá-lo ao invés de investir em outro ativo. Essa taxa permite inferir se o preço dos imóveis está alto ou baixo, já que compara o preço de venda do ativo (o imóvel) com o retorno financeiro que ele propicia.

    Se a rentabilidade do aluguel fosse alta (20% ao ano, por exemplo) as pessoas prefeririam comprar imóveis e alugá-los a terceiros ao invés de aplicar o dinheiro em títulos do governo. Por outro lado, se a rentabilidade do aluguel fosse baixa, como 1% ao ano, as pessoas prefeririam vender seus imóveis, aplicar o dinheiro e viver em imóveis alugados. Se a rentabilidade do aluguel for baixa, trata-se provavelmente de uma sitação de preços de venda inflados – a temida bolha.

    Em São Paulo, a taxa de rentabilidade do aluguel corresponde a aproximadamente 6% ao ano, segundo os dados do FipeZap. Muitos especialistas em finanças comparam esse número com a taxa Selic ou com a poupança e concluem que vivemos uma bolha. A suspeita é reforçada ainda mais se considerarmos que essa taxa vem caindo desde 2008, quando era de 9%, o que significa que o preço para venda aumentou mais do que o do aluguel. O problema com essa análise é que ela compara coisas diferentes: um rendimento real (que despreza a inflação) com um rendimento nominal. Para ilustrar isso, imaginemos o seguinte: o leitor compra um imóvel hoje e espera apenas que ele mantenha seu valor real ao longo dos próximos anos (o preço subirá de acordo com a inflação). O aluguel desse imóvel também seria reajustado de acordo com a inflação, pois os contratos costumam ser indexados. Assim, o aluguel seria um rendimento real. Para compará-lo com outros rendimentos, teríamos que considerar o rendimento real e não o nominal.

    O gráfico abaixo compara a rentabilidade do aluguel com a taxa de juros média dos financiamentos imobiliários descontada a expectativa de inflação futura, desde janeiro de 2008. É notável como a tendência das duas curvas é a mesma, apesar dos juros serem mais voláteis.

    O gráfico mostra duas coisas. Primeiro, reforça o argumento de que o aumento nos preços de venda dos imóveis dos anos recentes se deve principalmente a novas condições, muito mais favoráveis, de crédito. Segundo, que atualmente há um descolamento de cerca de 1% ao ano entre os juros reais para financiamento imobiliário e a taxa do aluguel. Para que os pontos finais das duas linhas voltem a se encontrar, há três possibilidades: uma queda no preço de venda dos imóveis de cerca de 15%, um aumento nos preços do aluguel de cerca de 18% ou, ainda, uma queda nos juros reais do financiamento imobiliário de algo perto de 1%. Cabe a ressalva de que a taxa de juros utilizada como referência é, provavelmente, maior do que a taxa média efetivamente praticada no mercado, porque diz respeito aos financiamentos que têm os maiores juros.

    De todo modo, os dados mostram que para responder se vivemos ou não uma bolha imobiliária, precisamos responder na verdade se as condições atuais de crédito imobiliário são sustentáveis. Se não forem, então uma correção um pouco mais forte nos preços pode surgir no momento em que o crédito se deteriorar. Se forem, no pior dos casos estamos em uma situação de preços de imóveis um pouco acima do seu valor fundamental. Chamar essa situação de bolha pode então ser um exagero alarmista, esse sim sem fundamentos. Seria um caso mais simples, não de uma bolha – talvez apenas um ‘calo’.

    0
    • Mr.Crowley 5 de maio de 2012 at 06:43

      Essa e boa, a pouco tempo atras o BC achava que o credito estava subindo rapido demais,e era perigoso pela formacao de bolhas e inadimplencia, agora o mesmo cidadao acha ta devagar demais apesar do povo ta devendo a alma e a inadimplencia subindo, e a falta de credito e que ruim, tenho saudades do Meireles.
      So pra registro,nao e so pobre que nao tem educacao finaceira nao, um colega meu de trabalho, medico, salario >15mil acabou de comprar carro financiado, e nao sabe nem quanto ta pagando de juros ao mes. Com tanta gente burra neste mundo essa bolha de credito vai pro espaco.
      Quem quizer ajudar um investidor amargurado entre nesse site:
      http://www.revendaimovelnaplanta.com.br
      abracos.

      0
    • AF 5 de maio de 2012 at 10:13

      Tirando a propaganda da fipe-zap o texto podería ter sido bom se não mascarasse a bolha. Mas quando li sobre o descolamentodo aluguel x preço venda, está fica evidente.

      A captação do crédito imobiliário vem da poupança, com as atuais mudanças creio que o risco não pode ser mensurado neste momento, principalmente por esta mudança ser novel.

      Agora, aumentar o preço do aluguel para corrigir a situação até pode, mas…

      0
    • Anderson 5 de maio de 2012 at 15:52

      Quando ele cita aumentar o preço do aluguel e 18% para corrigir a situação ele não leva em conta que as pessoas não estão conseguindo nem pagar os aluguéis com os preços de hoje… não… não é bolha não… nem calo… desse jeito vai ser calote mesmo.

      0
  • simone 4 de maio de 2012 at 23:31

    Leaim isso

    Venda da Geração Futuro para Plural surpreendeu o mercado gaúcho
    Foi de surpresa a reação do mercado, sexta-feira, com a informação de que a Geração Futuro, corretora de ações e gestora de fundos de renda variável, foi mesmo vendida para o Banco Plural, que pertence aos ex-sócios do Banco Pactual, por R$ 150 milhões.

    . A Geração Futuro trabalha com R$ 6 bilhões em ativos administrados, valor de 80 mil clientes. Seu sócio fundador, Eduardo Valadão, morreu em 2010.

    0
  • simone 4 de maio de 2012 at 23:34

    Dólar a R$ 1,90 reanima exportadores gaúchos
    Os exportadores gaúchos não reconhecem publicamente, mas já reavivaram os planos de reaquecer suas áreas de exportação.

    . Ninguém esperava por um dólar de R$ 1,927, em alta no início da tarde desta sexta-feira, nesta época do ano.

    0
  • simone 4 de maio de 2012 at 23:38

    Governo faz plástica no Frankenstein: mudança nas regras da poupança…
    Posted on May 4, 2012
    As mudanças na caderneta de poupança que o governo estabeleceu para entrar em vigor a partir de amanhã é idêntico a fazer uma plástica no Frankenstein. Uma piada. Abaixar as taxas de juros no Brasil irá passar por mudanças reais e não piorar coisas que estão erradas. Instrumentos de mercado devem respeitar as leis de economia, oferta e demanda. A mudança da poupança é uma necessidade há muito tempo, mas o que fizeram foi piorar, criando mecanismos e regras bobas ao invés de liberar e tornar a poupança um real instrumento financeiro de livre mercado. Precisa captar, aumenta a taxa, com sobra de caixa, reduz a taxa de juros, e, cobra imposto de renda assim como cobra dos outros instrumentos. Essa mudança é patética e política, reduzindo o rendimento da poupança a 70% da SELIC + TR, é a mesma coisa que cobrar o imposto de renda num instrumento financeiro qualquer. Para não ficar feio ploiticamente perante a opinião pública, não vão cobrar IR, mas descontam os 30%… Não vai dar certo. Eles irão causar uma secagem de novos investimentos direcionados a poupança (os saldos até o dia de hoje permanecem com a regra antiga) e desta forma… aiaiai… vai faltar dinheiro para promover o contínuo crescimento artificial dos preços dos imóveis. Enfim, significa dizer que eles vão voltar atrás ou a bolha pode estourar…

    0
  • veigalex 5 de maio de 2012 at 00:00

    como disse um amigo em post passa.

    incrementando..

    Dois corretores indo para o feirão da caixa.. atravessando a rua.
    – Ei..cuidado.. ploc!
    – Com o que? ploc!

    0
  • Sir Income 5 de maio de 2012 at 00:12

    Redução de juros da CEF frustra consumidores em Feirão
    Taxas de juros passaram de 10% ao ano para 9% para os imóveis de até R$ 500 mil
    economia.ig.com.br/financas/casapropria/2012-05-04/reducao-de-juros-da-cef-frustra-consumidores-em-feirao.html

    0
  • Etmso 5 de maio de 2012 at 00:20

    Estava olhando a pirâmide etária do Brasil.

    A população entre 25 a 50 anos, idade média dos compradores de imóveis no Brasil, aumentou significativamente em relação ao ano 2000, em relação a 1990 nem se fala. Estamos caminhando de pirâmide para retângulo, com relação a faixa etária.

    Santos e Rio de Janeiro, como todo mundo são as cidades preferidas dos nossos bons “velhinhos”, muitos aposentados residem nestas duas cidades, acho que com o tempo vai cair a ficha deles que o custo de vida destas cidades é incompativel com a renda da sua aposentadoria/pensão. Em bairros como Copacabana (Rio de Janeiro) e Gonzaga (Santos) é claramente evidente a presença de moradores da 3a. idade que já não estão na ativa.

    0
    • Etmso 5 de maio de 2012 at 00:53

      http://g1.globo.com/brasil/noticia/2012/04/em-50-anos-percentual-de-idosos-mais-que-dobra-no-brasil.html

      Então são fatores que colaboraram para o aumento da demanda por imóveis:

      1) Crescimento da população;
      2) Crescimento da população de meia idade;
      3) Migração da população do campo para a cidade;
      4) Diminuição do número de pessoas por residência;
      3) Aumento da renda;
      4) Aumento do crédito;

      Estes fatores por si só justificam os preços altos? Não. É evidente que houve especulação.

      Mas eu vejo que o aumento no preço dos imóveis como um fator inevitável no nosso país, vista as características de transformação economico-social.

      Existe um desajuste? Existe. A ponto de criar uma bolha? Sim, num curto prazo em determinadas regiões/bairros. Ex. Taubaté, São José dos Campos, Belo Horizonte;

      Mas pq? Pq os especuladores/construtoras foram com muita sede ao pote, se anteciparam alguns anos com relação a evolução economico-social do país.

      E no médio prazo? Não, se mantidas as características de crescimento/evolução economico-sociais atuais.

      Eu vou conseguir comprar um apartamento em Botafogo de 2 quartos ou no Jardins, 70m2, 80m2 por menos de 500 mil? Nunca mais, a não ser que haja uma crescimento negativo no PIB brasileiro durante anos.

      0
      • Etmso 5 de maio de 2012 at 05:59

        *resultado negativo.

        0
      • Revoltado 5 de maio de 2012 at 15:58

        Eu nao conheço so Jardins, mas falando de Botafogo…
        Não creio que isso vá acontecer, pelo simples fato de que a grande maioria das pessoas que vivem nesse bairro e alguns adjacentes não são ricas! Se vc for pesquisar pessoalmente andando pelo bairro e conversando por ali vc vai ver muita gente que nao tem nem condições de reformar a casa, e muitos imóveis sao habitados por idosos que compraram a muitos anos. Há prédios novos e bonitos? Sim. Nesses locais mora gente com dinheiro. Isso sem contar o fato que a grande maioria dos imóveis da ZS do RJ são das decadas de 70 e 80. Ou ainda mais velhos.

        0
        • Etmso 5 de maio de 2012 at 17:19

          No Jardins também, existem pessoas que moram nos imóveis que estão “avaliados” em 800k antigos, de 90m2, 100m2, e tem pensão/renda de 5 mil…

          Igual eu comentei, o preço do imóvel subir é uma questão matemática, estatistica, a população crescente, expectativa de vida alta, população de meia idade alta, renda maior..

          Estes fatores justificam o aumento de 30, 40% dos preços ao ano? Num ambiente saudável cresceria uns 15 % a.a. durante 10 anos, 15 anos, pela aumento da demanda causado pela transformação do perfil da população, incremento de renda, taxas de juros, blá, blá, blá…

          0
  • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 04:37

    Mantega fala em desonerar mais

    05.05.2012

    imprimir
    email

    Diario do Nordeste 05.05.2012

    Para o ministro da Fazenda, o crédito no Brasil não está crescendo a contento

    FOTO: AGÊNCIA BRASIL
    Conforme Mantega, a resolução 72 é o primeiro passo de uma reforma tributária que o governo quer fazer

    São Paulo. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, sinalizou que as medidas de incentivo ao nível de atividade da produção brasileira podem ser ampliadas. Ele comentou que a desoneração da folha de pagamento, que foi concedida para 15 setores industriais, “pode ser estendida a outros setores”. Mantega não mencionou, contudo, quais os segmentos que seriam beneficiados. A desoneração foi anunciada no começo de abril, dentro do Programa Brasil Maior 2, que prevê estímulos financeiros de R$ 60,4 bilhões.

    De acordo com Mantega, a aprovação pelo Senado da Resolução 72, que busca dar fim à guerra de ICMS entre Estados para ingresso de importados, é outro fator positivo para incentivar a produção doméstica. “A resolução 72 é o primeiro passo da reforma tributária que queremos fazer”. Mais uma vez, o ministro não citou os próximos passos que o Poder Executivo deve adotar para alterar a estrutura de impostos do País.

    Ainda quanto à entrada de importados no País, Mantega comentou que o governo está atento na defesa comercial para que os produtos não ingressem de forma irregular no Brasil e concorram de maneira desleal com as mercadorias nacionais. “No desespero, vários países adotam estratagemas para exportar”, disse. “Ações da Receita Federal impedem fraude na entrada de produtos no País”, completou.

    Abiplast

    O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Plástico (Abiplast), Ricardo Roriz, rebateu ontem a declaração do ministro da Fazenda, que surpreendeu uma plateia de empresários durante seminário ao afirmar que não há desindustrialização no Brasil.

    Para o executivo, o ministro conhece “muito bem” a participação da indústria no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, que, em 1985, respondia por quase 40% e atualmente tem uma fatia de apenas 14,6%. “Se a indústria diminuiu de tamanho na proporção do PIB é porque houve desindustrialização”, disse o presidente da Abiplast. “É lógico que o governo não quer ser tachado como aquele do período em que a indústria perdeu participação no PIB. Mas o ministro conhece bem os números”, completou Roriz.

    Superávit primário

    Guido Mantega ressaltou ontem que o governo vai cumprir neste ano a meta cheia do superávit primário, que é de R$ 139,8 bilhões. A manutenção do rigor da gestão fiscal do País é um dos fatores fundamentais para que seja mantida a trajetória de queda de juros, sobretudo porque a inflação deve convergir à meta de 4,5% neste ano, disse. “Com esse resultado fiscal positivo, o déficit nominal no Brasil vai cair pela metade em 2012”. Para o ministro, o Brasil poderá ser o único país que verá a redução do déficit nominal em 2012.

    Inadimplência

    O ministro da Fazenda disse que, apesar de os juros reais estarem entre 3,5% e 4% ao ano, ainda são elevados, embora tenham sido reduzidos de forma expressiva nos últimos anos. Mantega, disse que a diminuição desses juros não permitiu a expansão da demanda do setor privado por crédito como o governo esperava. “Vivemos uma situação em que o setor privado contrai o crédito”, destacou.

    De acordo com o ministro, a desaceleração do nível de atividade registrada desde o segundo semestre de 2011 colaborou um pouco para a elevação da inadimplência de operações comerciais de consumidores.

    Mantega destacou que os bancos orientaram suas agências a serem mais seletivas na concessão de crédito à população, o que para ele é um fator negativo e que não deveria ocorrer em um contexto de economia com inflação sob controle e taxa Selic em trajetória de queda desde agosto. “A solução para esse problema (inadimplência) é aumentar o volume de crédito e reduzir os spreads”, disse.

    Bancos privados

    O ministro voltou a criticar os bancos privados, dizendo que mesmo com a Selic em queda desde agosto os cortes feitos pelo Banco Central não geraram taxas menores de juros nas operações financeiras.

    “Selic menor não se traduziu em queda de juros ao consumidor”, ressaltou. Para o ministro, o crédito no Brasil “não está crescendo a contento”.

    0
    • RosinhA 6 de maio de 2012 at 20:15

      Sol mudanças tributárias eu não esperava, posso estar errada mais o governo sinaliza para mudanças planejadas, com intenções definidas para longo prazo, nunca esperava isso desse governo, mas nem 20% dizendo a verdade. Se o povo colaborar e agarrar a bandeira, será difícil alguma bolha estourar, vejo até inflação a distância, lógico se tudo ocorrer conforme o esperado.

      0
      • Sol de Sampa 8 de maio de 2012 at 01:40

        Rosinha, em parte concordo contigo, mas quando a Dilma mexeu no vespeiro do juros bancarios eu senti que ela está sendo mais ambiciosa do que aparenta … as vezes me da a entender que vai criar uma situação tal que produzirá a reforma tributária, outras que eles realmente estão tentando segurar o touro pelos chifres….

        mas de uma coisa eu acho que não temos como escapar… algum impacto forte na economia, eenvolvendo inclusive construtoras … não sei se virá na forma de estouro, mas que os valores dos imoveis não se perpetuam, ah isso não vai ocorrer mesmo … para moveis acima de 500k terá que vir ajuste no mercado, e isso vai infuenciar o restante…

        estou realmente esperando um declinio na economia mundial, minha irmã, e meus sobrinhos vivem nos EUA e o que ela me colocou foi que a inflação de lá está disparada … Ela só continua por lá pois em mais um ano ele já pode se aposentar.eu falei que talvez investisse em imóveis e ela me falou que não sabe se é tão bom, embora os meus sobrinhos tenham investido… eu realmente nunca me senti tão no “ar” com as coisas… como estou aposentada os meus contatos agora são mais restritos, mas acho, por experiencias passadas que não está nada bem …

        se começar a onda de desemprego, acho que o golpe será forte mas em uns 2 anos o Brasil se levanta… tenho medo que empurrem com a barriga e os ajustes fiquem cada vez mais dificeis….

        0
  • interior 5 de maio de 2012 at 04:55

    CONSUMIDOR ESPERA ATÉ 3 HORAS NA FILA NO FEIRÃO DA CAIXA.
    …MARIA ALVES DA SILVA , DE 54 ANOS , COM RENDA FORMAL DE UM SALÁRIO MINIMO , DEU PULOS DE ALEGRIA. CONSEGUI CREDITO DE
    R$ 50 MIL , A SER PAGO EM 25 ANOS. A PRESTAÇÃO VAI FICAR EM TORNO DE R$ 250,00……
    EM.COM.BR

    0
    • GB 5 de maio de 2012 at 06:15

      Se esse for o perfi de quem está pegando financiamento, oa bancos devem estar desesperados, é meio caminho para a inadimplência.

      São 25 anos vivendo com 2/3 de salário mínimo, haja malabarismo, mas ela não deve estar consciente disso, ainda.

      0
      • Arroba 5 de maio de 2012 at 11:14

        é, seria melhor que ficasse pagando os 250,00 de aluguel

        0
    • Revoltado 5 de maio de 2012 at 16:01

      Onde essa pessoa conseguirá um imóvel por tal valor?
      Ainda que ela tivesse mais 20k (ganhando salário mínimo é mt dificil juntar), dariam 70k. Com isso nem MRV de 30m2.
      Ou entao, ela vai comprar um terreno para construir né?
      lol

      0
  • marine_engineer 5 de maio de 2012 at 09:43

    kkkkk..piada do dia…
    “Após fracasso na bolsa, Michel Teló muda estratégia e aposta em imóveis..”

    http://ciabimoveis.com.br/home/2012/04/24/michel-telo-aposta-imoveis/

    0
    • Bolha Imobiliária 5 de maio de 2012 at 11:32

      Este é o cara que entra para pagar a festa…hahaha

      0
    • Arsen 5 de maio de 2012 at 12:35

      Novos milionarios… e sem instrução financeira alguma.

      0
    • Revoltado 5 de maio de 2012 at 16:03

      Engraçado, ninguém perde dinheiro na Bolsa.
      Eu fui o único otário que perdeu!

      0
      • Cleyton 5 de maio de 2012 at 16:48

        Ou o único que contou isso pra alguém, hehe.

        0
  • GB 5 de maio de 2012 at 11:03

    “http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/renda-fixa/noticias/quem-ja-tinha-dinheiro-na-poupanca-ficou-rico

    “Exame
    Se você já tinha dinheiro depositado na poupança, se saiu muito bem, pois travou a remuneração em 6,17%:”

    Coitadas das construtoras e corretores, acharam que o pessoal ia tirar $$$$ da poupança para dar para eles mas como imaginei o efeito será o contrário, estou cada dia menos incllinado a tirar o $$$ de lá, só tiro se a oferta for realmente muito mais que excelente.

    Efeito Dilma: quanto mais o governo inventa moda, mais exigente eu fico com meu $$$$, e deixa o povo fazer o que ele quiser com sua vida financeira, eu é que não me meto em nenhuma dívida longa pois sei que esse 1/3 da remuneração vai fazer falta depois de um tempo.

    0
    • GB 5 de maio de 2012 at 11:07

      “Ou seja, o poupador vai conseguir distinguir o que é “dinheiro antigo” e “dinheiro novo”. Os resgates serão debitados primeiro do “dinheiro novo” e apenas depois do “dinheiro antigo”. Suponha que você tivesse 1.000 reais na sua poupança até 3 de maio de 2012 e que tenha depositado mais 500 reais no dia 4. Ao resgatar 250 reais no futuro, você continuará com 1.000 reais remunerados a 6,17% ao ano, e os 250 reais remanescentes remunerados pelas regras novas. Caso, porém, você resgate 600 reais, serão debitados da sua conta os 500 reais depositados no dia 4, mais 100 reais do dinheiro que já estava na poupança antes.”

      0
  • jose luis 5 de maio de 2012 at 11:25

    se o juro é de 9% ao ano em tese 0,75% por més
    50.000,00 * 0,75% = 375,00 somente o juro
    375,00 – 250,00 = 125,00 acréscimo ao saldo devedor e sem amortizar capital
    apos um ano – 125,00*12 = 1.375,00
    ou 1.375,00 + 50.000,00 = 51.375,00
    ou prestação de 385,31 sem amortizar
    como a prestação sobe pela TR ou similar – 6% media
    da 250,00 + 6% =265,00
    ou 385,31 – 250,00 = 135,31 para o saldo devedor – sem amortizar

    valores sem correção – sem taxas – sem índices – somente cálculos simples

    se a conta for feita corretamente verifica-se que é simplesmente impossivel de pagar este financiamento

    0
    • jose luis 5 de maio de 2012 at 11:28

      desconsiderar

      “como a prestação sobe pela TR ou similar – 6% media
      da 250,00 + 6% =265,00”

      iria colocar calculo com correção e ficaria muito extenso – desisti e não apaguei esta parte

      0
      • GB 5 de maio de 2012 at 11:47

        Algo me diz que ela não vai estar tão grata assim ao Governo Federal daqui a algum tempo.

        0
  • Ana 5 de maio de 2012 at 11:50

    Notícias fresquinhas sobre o Feirão da Salvação. Recomendo a leitura, principalmente pela “análise” do Superintendente Regional da CEF, que diz com todas as letras que acredita na “recuperação” do mercado imobiliário apenas para o ano que vem.

    Taxa menor aquece Feirão da Casa Própria Redução dos juros oferecidos para os financiamentos imobiliários da Caixa atrai compradores interessados em apartamentos mais caros

    Pedro Rocha Franco –

    Publicação: 05/05/2012 06:00 Atualização: 05/05/2012 07:11

    Novas taxas, novos compradores. O início da vigência dos juros menores para o crédito imobiliário atraiu um novo perfil de investidores para a oitava edição do Feirão da Casa Própria, organizado pela Caixa Econômica Federal. Antes bastante restrito a classes do programa Minha casa, minha vida, o evento, que termina amanhã, atraiu ontem pessoas de todas as faixas de renda, interessadas pelas taxas de juros, que podem ter redução de até 21% ao ano. A expectativa é de que nos três dias do feirão sejam firmados negócios que, somados, devem superar a marca de R$ 1 bilhão, num crescimento de 19,04% em relação ao registrado no ano passado. Mas ontem o ritmo foi bem tímido, com apenas R$ 12 milhões em contratos firmados, e R$ 105 milhões em negócios encaminhados, que podem representar a venda de 760 imóveis na próxima semana.

    Ao todo, mais de dois terços dos imóveis listados se enquadram no programa imobiliário do governo federal, com limite de venda em R$ 150 mil, mas neste ano a expectativa é de que as unidades em outras faixas de preços também tenham boa procura. O casal Alessandro Guedes e Érika Setragni, por exemplo ontem estava em busca de um apartamento de valor superior. Passados cinco anos do casamento, eles decidiram usar uma verba guardada para dar de entrada na sonhada casa própria e sair do aluguel. A procura é por uma unidade na Região Leste, preferencialmente nos bairros Floresta e Sagrada Família, com valor de até R$ 250 mil. “Viemos ao Feirão passado e não conseguimos, mas desta vez está quase certo. Com a queda de juros, a parcela coube no nosso orçamento”, afirma Alessandro.

    O crescimento da participação dessa fatia da população na aquisição dos imóveis se deve ao fato de que as mudanças nas taxas do crédito imobiliário não atingem às unidades do Minha casa, minha vida, já beneficiadas por níveis mais baixos de juros. A redução facilita a compra das famílias com renda a partir de R$ 3,1 mil. Segundo cálculos da Caixa, se calculada redução máxima, passando de 10% ao ano para 7,9% (condição válida apenas para clientes com relacionamento com o banco e também conta salário vinculada à instituição), a economia pode chegar a R$ 18 mil para um apartamento de R$ 200 mil financiado em 10 anos.

    Apesar da melhoria nas condições dos financiamentos, o superintendente regional da Caixa Econômica Federal em Minas Gerais, Rômulo Martins, diz acreditar em aquecimento do mercado apenas no próximo ano. Isso porque ele considera que outros fatores influenciam o setor. A recuperação da economia externa, por exemplo, é fundamental para que as vendas sejam alavancadas novamente. “O retorno do crescimento se dará em médio prazo. Acredito que até o próximo ano o setor ficará estabilizado”, destacou.

    Crédito ainda mais barato no BB

    O Banco do Brasil anunciou ontem mais um corte nas taxas de juros, desta vez apenas para pessoas físicas e nas linhas de crédito pessoal, cheque especial e veículos. O banco promete anunciar na semana que vem redução para empresas e diminuição de taxas de administração de fundos de investimento. O anúncio foi feito pelo vice-presidente de Negócios de Varejo do BB, Alexandre Corrêa Abreu. A redução foi a terceira promovida pelo banco em um mês. As novas taxas são válidas para clientes que têm conta salário no BB ou que aderiram ao programa Bom para Todos.

    No cheque especial, a taxa máxima mensal caiu de 8,31% para 3,94%, que agora é a taxa única do produto. No crédito pessoal, caiu de 5,79% (ao mês) para 3,94%. No financiamento de veículos, a taxa média caiu de 3,20% para 1,58%. Abreu destaca que houve forte aumento dos desembolsos desde que o BB cortou os juros. De 12 a 30 de abril, houve alta de 156% na liberação de recursos, comparando esse período a março, quando não havia redução nas taxas. A liberação diária de empréstimos chegou a ultrapassar R$ 40 milhões.

    O BB apresentou números que revelam que a sua participação no mercado de financiamento de veículos dobrou em abril, considerando a originação de financiamentos de veículos. A fatia do banco subiu de 4% em março para 7% em abril. Ontem, além do corte de juros, o BB anunciou também uma nova linha para pessoas que não recebem salário pelo banco, com garantia de imóvel próprio, que tem juros 1,52% a 1,60% ao mês e prazo de 180 meses. Quem não tiver imóvel próprio, pode dar o veículo como garantia, mas as condições são diferentes.

    0
  • Zoom 5 de maio de 2012 at 12:00

    Existe um “ar” de mistério pairando no Brasil.

    Até quando o governo conseguirá segurar o mercado de imóveis aquecido?

    0
    • Leo 5 de maio de 2012 at 12:08

      Ainda esta aquecido ?

      0
      • GB 5 de maio de 2012 at 13:21

        Tá parecendo o Titanic chegando no Iceberg.

        0
        • Virginia 5 de maio de 2012 at 14:35

          Exato! A festa linda, glamourosa no navio… Enquanto a catástrofe se avizinhava!

          0
          • Hévin 5 de maio de 2012 at 16:23

            ?

            0
            • Leo 6 de maio de 2012 at 11:36

              Nao entendeu ?

              Te explico: Imagine voce dentro deste navio com 2mi guardados no seu quarto de luxo imaginario. Agora pesquise no google sobre a historia do Titanic. Agora, se o GB estiver correto e caso voce seja realmente um corretor uma outra alternativa p/ entender é assistir o filme Titanic. Que agora tem versao 3D ! 😉

              0
  • Eita Mah! 5 de maio de 2012 at 12:10

    Algum dos colegas doutos saberia me responder se existe a possibilidade de CESSÃO DE DIREITO de uma poupança?
    Ou seja, há a possibilidade de uma pessoa transferir sua poupança para o nome de um terceiro?
    Agradeço antecipadamente!

    0
    • GB 5 de maio de 2012 at 13:23

      Se pagar o imposto de transmissão inter-vivos, que mal isso pode fazer ?

      Mas aí eu acho que vai ser considerado poupança nova e entra no rendimento atrelado à SELIC.

      0
    • Sol de Sampa 5 de maio de 2012 at 22:42

      Não tenho certeza que funcione nos dias de hoje, mas:

      a) coloque a pessoa como 2a. titular…
      b) inverta a titularidade
      c) sai da conta conjunta….

      não sei se dá pra fazer de uma vez (antes era possível era so substituir as fichas autografos… ) mas nada impede que vc faça o acima…lu8

      0
    • Eita Mah! 6 de maio de 2012 at 15:16

      Obrigado pela atenção! Vou falar com meu gerente.

      0
  • Gap 5 de maio de 2012 at 13:48

    Não sei se alguém aqui conhece o mercado da região dos Jardins / Pinheiros em São Paulo, mas por aqui parece que não há sinais se arrefecimento da Bolha… É um absurdo o que se pede em apartamentos caindo os pedaços. Nem mesmo pra alugar tenho encontrado opções economicamente vantajosas. Pela comparação que faço aluguel / preço dos imóveis nessa região, realmente se paga cerca de 0,6% do valor do bem, ou seja, é caro tanto pra alugar quanto para comprar… Nessas situação, o que fazer? Vale a pena encarar a compra? A opção pelo bairro é uma condição de proximidade do trabalho.

    0
    • Riodetudo 5 de maio de 2012 at 14:00

      Aluga.

      0
    • charles 5 de maio de 2012 at 14:42

      A resposta a sua pergunta é simples:

      O atual cenario economico não é nada bom. O nosso asno Mantega disse que quer ampliar ainda mais o crédito, pois ele é a solução para a inadimplencia e o credito não está crescendo a contento.

      Nas entrelinhas, você pode notar que ele não sabe do que está falando. Essa besta não tem idéia do que fazer.

      Portanto, se tiver necessidade alugue. Não comprometa sua vida financeira em momento tão incerto da nossa historia. De um aluguel voce consegue sair, ja de um financiamento vai ser mais dificil e o mutuario sempre sai perdendo.

      Eu acho isso, se lhe servir de conselho, ficarei feliz!

      0
      • Gap 5 de maio de 2012 at 17:47

        É no que eu tenho acreditado nos últimos 2 anos. Mas embora tenha essa percepção de que as coisas estejam fora do lugar, sobrepreço em tudo, principalmente nos imóveis, o movimento social tem sido no sentido diametralmente oposto: aumento nos gastos, aquecimento nas vendas, consumo desenfreado… Em 2010 quis comprar meu apartamento e desisti porque acreditava que os preços estavam acima do valor real… Na época meu aluguel compensava muito e era economicamente viável ante ao financiamento imobiliário… Passados 2 anos, eu vi os mesmos apartamentos que tinha pesquisado em 2010, subirem mais 20% e 30% sucessivamente e tenho a natural sensação de ter feito a escolha errada… (não ter comprado em 2010). Fato é que no próximo mês o meu contrato de aluguel (que era vantajoso), deixará de sê-lo e passará a custar como disse, 0,61 % (exatamente) o valor do apartamento que há para venda no prédio.
        Mais difícil do que pagar a conta pra ver no que isso vai dar, é perceber que mesmo a esses preços ainda há muitas pessoas com grana para comprar o que você acha que não comprariam…
        Obrigado pela orientações.

        0
        • charles 5 de maio de 2012 at 17:59

          Realmente. Essa é uma decisão muito particular.

          Eu morei em SP capital até 2009, quando consegui minha transferencia para o interior. Em SP eu pagava por uma KitNet nessa região que voce está hoje o equivalente ao que pago num 3 dorms com medio/alto padrao hj. Esse é o preço de morar nos bairros que voce deseja.

          Eu estou a procura de imovel para comprar desde 2009 e em nenhum momento achei que tivesse tomado a decisão errada em não fechar nenhuma compra, principamente em razão do aumento dos preços de lá pra cá.

          Eu sou extremamente contra fazer negócio com corretores tocando corneta na minha orelha, sendo atendido e achar que estou sendo inconveniente ou que está sendo perda de tempo me atender apenas por eu querer saber mais detalhes da negociação, taxas de juros, saldo devedor, correção das prestações etc… Essa não é a maneira de fazer negócios mais sensata mas é a que impera hoje na euforia que se tornou o consumismo brasileiro.

          Estamos chegando no fim de uma era de mediocridade e desgoverno. Mais um pouco de paciência neste momento fará toda a diferença.

          0
          • Gap 5 de maio de 2012 at 18:24

            Obrigado Charles!
            Também estou convencido de que vivemos uma situação irreal e começo a torcer para que essas distorções sejam o quanto antes ajustadas, mesmo que seja necessário passarmos por uma crise aparente, já que sob as cortinas estamos literalmente imersos numa.

            0
        • FRK 6 de maio de 2012 at 22:25

          “o movimento social tem sido no sentido diametralmente oposto: aumento nos gastos, aquecimento nas vendas, consumo desenfreado…”

          Não procede.

          Veja qualquer indicador econômico nesse ano e verá que a realidade é exatamente oposta.

          abs

          0
    • Hévin 5 de maio de 2012 at 16:22

      Cara, alugando a 0.6% a.m você certamente pagará quase 10% a.a, isso contando com condomínio e IPTU.

      Desde quando isso é viável?

      O que você tem que ver é que a região do Jardins não é para qualquer um, se tanto comprando quando alugando você acha os valores absurdos a única solução é morar na periferia e enfrentar no mínimo três horas por dia de trânsito.

      0
      • Gap 5 de maio de 2012 at 17:59

        Veja bem Hévin,
        0,6% ao mês equivale a 7,2 % ao ano… (ainda distante dos 10% que vc imaginou). Se contarmos com a possibilidade de quedas nos preços, não há viabilidade na compra neste momento… Por isso a dúvida persiste se haverá um reajuste de preços nessa região de São Paulo.

        0
        • Hévin 5 de maio de 2012 at 19:03

          E você acha que nesse valor – 0,6% a,m – está incluso o condomínio e IPTU?

          No final de um ano seu gasto equivale facilmente a 10% do valor do imóvel.

          0
          • Gap 5 de maio de 2012 at 19:31

            Hévin, acho que você desconsidera que quando se compra um apartamento, as despesas com condomínio e IPTU, também devem ser contabilizadas…

            Se no meu caso, que tenho a grana pra pagar a vista, nao vale a pena, imagina pra quem vai se atolar num financiamento…

            Pare, pense e faça suas contas… eu já fiz uma planilha com todas despesas e índices possíveis… Mesmo deixando meu dinheiro na poupança, compensa alugar um apartamento que esteja até 0,7% do valor pedido para compra… É fato!

            Eu gostaria que estivesse valendo a pena a compra, com certeza….
            Mas, FELIZMENTE, sou racional demais para jogar meu dinheiro pela janela.

            0
          • Hik 7 de maio de 2012 at 01:06

            Hévin, de que mundo você veio? Qualquer jumento sabe que despesas de condomínio e IPTU se cancelam na comparação de aluguel VS venda.
            Exceto pelo fato de que 0,6% do valor do imóvel pelo alugel PODEM não valer a pena, suas colocações não fazem o mínimo sentido.

            0
            • Hik 7 de maio de 2012 at 01:07

              Retificando: “compra”

              0
    • Fernandão 5 de maio de 2012 at 17:55

      Coisa nenhuma. Acabei de alugar um aqui nos Jardins um de 100m2 ótimo. O preço de venda é R$800k. O valor de aluguél é R$2K. Façam as contas…

      Ainda prefiro alugar. Com o valor que tenho, daria pra comprar um apê muito pior e os juros da prestação eterna sairíam maiores do que o valor gasto nesse aluguel aí.

      0
      • Gap 5 de maio de 2012 at 18:16

        Oi Fernando,
        Vc alugou muito bem. Eu não tenho encontrado nada nessa metragem por menos de 3.000 (apts detonados) ou 3.500 (apts. em melhor condição)… O único que encontrei por 2.600, o condomínio era 1.200…
        No meu prédio o proprietário quer aumentar pro valor do ultimo que foi alugado, ou seja 3.600…

        0
      • Hévin 5 de maio de 2012 at 19:01

        Amigo, se você está pagando 0,25% a.m nos Jardins, meus sinceros parabéns, você achou um dos mais imbecis proprietários de SP.

        0
        • Bolhado 6 de maio de 2012 at 00:06

          Imbecil ou esclarecido! Melhor ter um inquilino que pague pouco mas que seja pontual do que um que pague caro mas as vezes dê uma atrasadinha!

          0
  • Anonymous 5 de maio de 2012 at 14:07

    Real novo x Real velho

    A maneira mais fácil de gerenciar os novos depósitos em poupança será simplesmente abrir um nova poupança e impedir novos depósitos na poupança antiga. Acho bastante provável que os bancos OBRIGUEM os clientes a fazer isso.

    0
  • lrp 5 de maio de 2012 at 14:28

    Anuncie que quer alugar ap nessa regiao e deixe os interessados ir atras de vc. Quando pedirem 2x no aluguel ofereça x, e deixe bater o desespero pro lado dele.

    0
  • Dr. Estranho 5 de maio de 2012 at 15:00

    O que realmente define que muitas construtoras estão a beira do colapso?

    Resp: Redução dos juros no crédito imobiliário.

    0
    • GB 5 de maio de 2012 at 15:30

      Correto, essa é a maior prova de que ooooooooooooba-ooooooooooba de 2008-2011 acabou.

      0
  • Adriano 5 de maio de 2012 at 15:20

    O governo vai tentar de TUDO, vai esgotar todas as armas para não deixar a bolha estourar. Agora já está por conta da capacidade de endividamento da população, da resistência dos bancos em baixar os juros, e da própria capacidade do governo de abrir mão do tributo indireto cobrado através dos juros dos bancos públicos (uma vez que o recurso acaba indo para o governo via dividendos). Isso sem falar no Banco do Brasil têm ações negociadas no mercado, já que os investidores vão sair fora por causa da redução dos lucros.

    Veja a manchete de hoje no OGLOBO internet: “h t tp://oglobo.globo.com/economia/juros-da-habitacao-sao-proximo-alvo-do-governo-4817310”

    Juros da habitação são o próximo alvo do governo

    RIO — Após mexer na remuneração da caderneta de poupança para permitir a queda da taxa básica de juros (Selic), o governo quer agora reduzir os custos dos empréstimos habitacionais. Como cerca de 70% dos recursos que financiam a casa própria vêm da poupança — que passará a ter uma correção mais baixa quando a Selic chegar a 8,5% ao ano — a equipe econômica espera que os bancos repassem essa queda aos mutuários. Para isso, quer estimular a concorrência entre bancos, facilitando a transferência do financiamento de uma instituição para outra que oferecer melhores taxas, a chamada portabilidade.

    Para o governo, uma vez que o retorno pago aos poupadores será menor, os bancos terão margem para cobrar menos nos novos financiamentos. Mas existe um problema nos contratos habitacionais antigos, fechados com taxas mais altas. A legislação brasileira já permite que os clientes de um banco migrem seu contrato habitacional para outra instituição que lhe ofereça condições melhores. Mas há tantos obstáculos que essas operações são raras. Com custos cartoriais e taxas, o mutuário pode ter de desembolsar mais de R$ 20 mil para migrar seu empréstimo para outro banco. Além disso, não há interesse dos bancos em divulgar essa alternativa. As instituições seguem procedimentos distintos, há documentos diferentes, e os bancos não dão publicidade a taxas e tarifas cobradas em todo o processo.

    Equipe estuda criar ranking de taxas

    Por isso, uma série de medidas estão sendo estudadas pela equipe econômica para facilitar a transferência dos contratos habitacionais. Uma delas é a criação de um ranking de juros e de tarifas que permita aos clientes monitorarem constantemente onde buscar melhores condições para seu financiamento. Por outro lado, cogita-se permitir a cobrança de algum pedágio de quem quiser migrar seu contrato de instituição no início do prazo, quando o banco ainda não amortizou o custo da operação.

    Os técnicos do governo reconhecem que algum encargo terá que ser repassado aos clientes, uma vez que os empréstimos antigos foram concedidos com recursos captados a um custo maior. Esse pedágio poderia acabar com cobranças de taxas que hoje servem para desestimular a migração.

    Apesar dos estímulos, o governo sabe que esse processo de migração é gradual e limitado, porque os bancos em geral não vão querer repassar a queda nos juros imediatamente aos clientes, como forma de se protegerem do descasamento entre as taxas. Ou seja, se os juros caírem para 8% ao ano no curto prazo, cai o custo de captação dos bancos para emprestar aos clientes. Mas, se as taxas subirem no futuro, esse custo aumenta. E os contratos habitacionais são de longo prazo.

    — Portabilidade é algo bom e normal. Mas se você tiver demais, pode desequilibrar o sistema. Não é tão simples assim. Vamos estudar isso com cautela — disse um técnico.

    Para o economista Bernard Appy, ex-secretário-executivo do Ministério da Fazenda e atual diretor da LCA Consultoria, o descasamento entre a caderneta e o crédito imobiliário já está acontecendo, porque o governo criou duas regras para a poupança — separando a velha da nova — mas manteve inalteradas as regras dos financiamentos habitacionais. Ou seja, parte do dinheiro que vai financiar a habitação terá um custo mais alto e outra parte, um custo mais baixo.

    — Existe este descasamento, e os bancos vão querer fazer um hedge (lastro). Eles captam no curto prazo para emprestar no longo prazo. Daí a diferença — diz o ex-diretor do Banco Central Carlos Thadeu de Freitas Gomes.

    Caixa: mais recursos para financiamento

    Dependendo da evolução do estoque da antiga poupança (se cair mais rápido do que os financiamentos antigos, que levam em média 15 anos para acabar), os bancos terão lucro, cenário mais provável, explicou Appy. Caso contrário, poderão ter prejuízos. Esse descasamento não existiria, destacou, se as novas regras valessem para todos os depósitos (velhos e novos).

    Para Carlos Thadeu, sem mudanças importantes não há como acabar com a inércia deste processo:

    — Não é como a portabilidade de um celular, que pode ser feita pelo telefone mesmo. Os clientes precisam ter acesso a todas as informações para mudar do seu banco (para outro).

    Se a Selic continuar em queda, a médio prazo, o crédito para financiamentos de habitação poderá ter impactos positivos, disse ontem o presidente da Caixa, Jorge Hereda, em entrevista após a abertura do 8 Feirão da Caixa, no Riocentro. Segundo ele, a redução da Selic acabará tornando a aplicação de recursos próprios do banco em crédito para compra de imóveis tão vantajosa quanto em títulos públicos.

    — Com a Selic caindo a 7,5%, 7%, poderemos viver uma situação inédita no Brasil, que é a de ter que colocar recursos de tesouraria no financiamento habitacional. Vamos ter o mesmo comportamento que no resto no mundo. Só aqui não se financia habitação com recursos próprios. O ambiente de juros altos faz com que não compense — explicou.

    Hereda crê que, a médio prazo, a obrigatoriedade de uso de 65% dos recursos da poupança no financiamento da habitação pode se tornar desnecessária. No caso da Caixa, diz ele, isso implicaria em aumento da oferta de crédito para casa própria.

    Com expectativa de alcançar até R$ 18 bilhões em negócios, valor 20% superior ao do ano passado, o 8 Feirão da Casa Própria oferecerá 430 mil imóveis em 13 cidades. Na cerimônia de abertura, no Riocentro, Hereda disse que o resultado será impulsionado pelo pacote de redução de juros. A superintendente da Caixa no Rio, Nelma Souza Tavares, diz que serão negociados cerca de 46 mil imóveis, sendo 29 mil na planta, quatro mil novos prontos e 13 mil usados. O Feirão vai funcionar hoje das 10h às 21h, e no domingo, das 10h às 18h.

    0
    • charles 5 de maio de 2012 at 15:32

      A solução está cada vez mais fungindo das mãos do governo. Ela depende mais de fatores externos a que o governo não tem como controlar, como por exemplo a capacidade de endividamento da população.

      Com esse cenario, o arsenal do Nosso Asno Mantega fica consideravelmente restrito.

      O grande problema é que a partir de agora, verdadeiras atrocidades economicas serão implementadas para tentar conter a todo custo que o navio afunde.

      Eu to aqui quietinho esperando pra ver o que vai acontecer!

      0
      • Adriano 5 de maio de 2012 at 16:26

        Eu diria que nesse momento o pior e mais poderoso inimido do governo são os bancos. acho que mesmo com o Lula voltando, vai ficar difícil. Os bancos despejarão toneladas de dinheiros para o seu candidato. A arrogância da Dilma não permitiu ver o óbvio: se a intenção era baixar os juros diretos ao consumidor através dos bancos públicos, deveria fazer aos poucos. Querer enterrar uma trolha dessas com pimenta e mais espinhos que roseira na fiofó dos banqueiros, só pode dar merda para o governo. Agora é cada vez mais claro uma coisa: a bolha é real e estar prestes a estourar, se não a dama de ferro não cometeria uma loucura dessas.

        0
        • Bolhado 6 de maio de 2012 at 00:14

          Os bancos é que estão certos, agora a maré tá cheia, quando a maré baixar (após a copa) vamos ver uma multidão nadando pelados!

          Os juros são caros no Brasil por causa das nossas leis e do nosso judiciário absurdo! EXEMPLO: O cara atrasa as prestações do carro, OU, aplica o golpe do “cabrito”, “pokemon”, “finan”, enfim, quando vier a busca e apreensão o carro já não vale o financiamento e depois de alguns meses pegando sol, poeira e chuva nos pátios das delegacias, detrans, foruns aí que não vai valer nada mesmo!

          O governo tá na mão dos bancos faz tempo. Sabe o que vai ocorrer com a continuação da “demonização” dos bancos?! Os banqueiros convocam o lobby no congresso e é só dous ou três MP’S voltarem pro governo baixar a guarda!

          0
          • peterson 6 de maio de 2012 at 09:02

            pois é, eu torço para que os bancos tenham menos poder que uma vontade popular de que eles parem de nos explorar…. pois é fato, as taxas praticadas por eles realmente são ABUSIVAS… não gosto do quanto pior melhor…

            0
    • GB 5 de maio de 2012 at 16:08

      O engraçado é que esse pessoal ligado ao mercado realmente achava que a mudança na poupança iris salvar seus empregos, a decepção e a crítica ficam evidentes em todas as entrevistas/reportagens pagas.

      Eles achavam que a medida iria atingir todos os depósitos mas não é bem assim, no Plano Bresser e no Plano Verão eles remuneraram menos e depois tomaram tantos processos na cabeça, ia ser a mesma coisa hoje.

      Eles também achavam que o pessoal ia ficar descontente com a remuneração e ia partir para comprar imóveis, pura bobagem, a maior parte do pessoal vê a poupança como uma segurança contra imprevistos, melhor que guardar no colchão, mesmo que desse menos esse $$$$ ia ficar ali.

      Agora criaram uma “Super Poupança” com depósitos antigos que vai dar mais que qualquer RF, não sei se é isso o que queriam, mas agora é que o pessoal vai pensar 2 vezes antes de usar esse $$$$.

      Esse pessoal é muito burro, não é a toa que eles mantêm o preços altos achando que está tudo OK.

      Fico imaginando qual será o próximo plano milagroso do governo para salvar o mercado, ainda faltam ampliar os financiamentos para 40 anos.

      0
    • peterson 5 de maio de 2012 at 16:13

      a solução é alugar o Brasil porque vender está muito caro!

      0
  • anderson 5 de maio de 2012 at 16:24

    blog da Mirian leitão

    O governo está ficando aflito com a falta de reação da economia aos estímulos. O economista José Júlio Senna, da MCM consultores, avalia que a economia tem vários sinais antecedentes de que não está retomando o crescimento.

    — Os sinais não estão bons, o número da produção industrial de março, que saiu esta semana, fará com que o PIB do primeiro trimestre seja revisto para baixo. Estávamos com 0,6%, na margem. Será o terceiro trimestre seguido de PIB fraco. Os dados antecedentes de abril também estão fracos, houve a quarta queda seguida do indicador PMI, dos gerentes de compras, as vendas de veículos caíram, os estoques estão elevados — disse o economista.

    Todos os sinais mostram uma economia fraca. Na avaliação de Senna, grande parte do esfriamento veio de fora. Ontem, o ministro Guido Mantega disse que o crédito não está crescendo a contento. Os bancos estão mais cautelosos porque aumentou a inadimplência e eles estão tendo que fazer provisões contra o risco. A oferta de crédito tem que respeitar a capacidade do tomador de pagar a dívida. Do contrário, alimenta-se a bolha, como o mundo acabou de nos ensinar.

    0
  • Hévin 5 de maio de 2012 at 16:30

    Vejo muita gente reclamando da mudança na poupança, mas, sinceramente, quem deixa dinheiro em poupança hoje em dia?

    Acredito que somente pessoas sem nenhum preparo financeiro colocam o dinheiro para receber 6% ao ano, quem faz isso só podem estar de brincadeira e merece mesmo que a regra seja alterada para assim buscar uma melhor alocação de recursos.

    0
    • Revoltado 5 de maio de 2012 at 19:12

      Isso depende muito do objetivo da pessoa. Na verdade a poupança embora seja criticada pelo baixo rendimento é uma opção rapida e que pelo menos acompanha a inflação.

      Alguém que esta buscando a compra de um imóvel pelo menos ao meu ver não ganharia mais colocando o dinheiro em outras opções de investimento de renda fixa, onde seria mais onerado pelo imposto de renda e perderia a liquidez.

      0
    • Eder 5 de maio de 2012 at 21:23

      Quem deixa dinheiro na poupança hoje em dia é para investir em algo mais rentável quando conseguir juntar uma certa quantia, mas como hoje em dia a poupança está bem melhor que outras aplicações ele deixa o $ lá mesmo.

      0
  • MrK 5 de maio de 2012 at 16:53

    OLHEM QUE CURIOSO…

    hoje, pela 2a vez, um proprietário me ligou, na hora que visitei o imóvel (há 3 semanas) ele se dizia cheio de propostas, reclamou até que o celular não parava de tocar, disse que após minha visita tinha outra agendada e antes da minha ídem, disse que o imóvel já até havia sido alugado, mas que “por um problema” não fechou negócio, sem entrar em detalhes. É igualzinho aquele vendedor de roupa que garante que essa peça é “a última do estoque”.

    outra coisa curiosa, é que mesmo os preços estando caros, eles afirmam sempre que ou conhecem um ap no mesmo prédio que alugou por 20% a mais ou conhecem outro ap que alugou pelo mesmo valor mas estava em condições muito piores, em todo caso alugar o ap dele é um negócio da china, bom e barato (mas curiosamente não aluga)!!

    já encontrei aps iguais (em tamanho e estado) no mesmo predio por mais de 30% de diferença no aluguel, nunca vi um mercado tão desregulado, e o pior, o que está 30% abaixo não aluga, imagina o acima?

    Minha leitura é que os proprietários ficaram com olho grande, jogaram reajustes de 40%…50% pra cima dos inquilinos nos vencimentos, os inquilinos não toparam, sairam e deixaram vários imóveis vazios, os proprietários acharam que alugaram em uma semana o imóvel pelo mesmo valor, mas estão aos poucos vendo que viajaram, que o mundo real não é o do oglobo.

    O segredo é paciência, eu sei que é difícil, mas o pessoal viajou com essa puxada de alugueis e não tão encontrando pessoas com renda dispostas a arcar, os condominios e iptus já são caros, fica muito puxado pagar aluguel nas alturas.

    outra coisa muito curiosa: Ao ligar pra um anuncio a primeira coisa que o proprietario faz é perguntar com uma voz de desprezo: “Voce é corretor?”, eu nunca tinha visto isso antes, acho que os corretores estão tão desesperados que estão ligando pros proprietários querendo trabalhar o imóvel deles, mesmo sendo pra alugar.

    0
    • Felipe33 5 de maio de 2012 at 17:52

      MrK,
      A título de curiosidade, qual o tipo de apto que procura?
      Qual o valor que vc considera justo por metro quadrado (aluguel)?

      Pergunto, pois moro de aluguel (2qtos, 1 suite, garagem, copacabana) e o proprietário quer aumentar. No mês que vem já temos uma conversa agendada a respeito.
      Atualmente pago R$25/m². Acho que ele vai propor R$ 35/m².
      O que acha destes valores, com base no que vc está vendo por aí?

      Grande abraço, Felipe.

      0
      • MrK 5 de maio de 2012 at 18:46

        felipe33,

        minha maior dificuldade em alugar tem sido achar algo que goste, estou procurando 2 ou 3qts na zona sul do rio, mas não em toda ela, mas o problema é que eu não gosto nem de imovel muito velho e nem de imovel barulhento (precisa ser muito silencioso), quando voce olha a zona sul do sul e exclui os velhos e barulhentos não sobra quase nada!

        eu considero que um bom 2 quartos, num bom bairro (gavea ou jd botanico como exemplo), em bom estado (nas caracteristicas que eu mencionei) deveria custar entre 3000 e 3500 de aluguel, acima disso eu não vejo alugarem, tá nessa faixa, agora, tem gente pedindo 4000…4500, até 5000 já me pediram num 2qts na gavea (doideira)

        abraços

        0
        • Felipe33 6 de maio de 2012 at 07:18

          Obrigado MrK!
          Abraços, Felipe

          0
      • Comprei na baixa 6 de maio de 2012 at 21:06

        Meu irmão renovou contrato há pouco, pagava 1700 (3q bom, Barata Ribeiro perto da Bolivar, de fundos, não é barulhento), a proprietária começou pedindo 3k, ele se assustou, mas conseguiu fechar em 2,5k.

        0
    • GB 5 de maio de 2012 at 17:57

      Os corretores estão se ferrando com essa crise, o pessoal está notando que não fazem milagres e são desnecessários.

      Tem cartomante oferecendo um Combo em que arranja um otário para comprar/alugar sua casa e ainda traz o amor da sua vida de volta ambos em 7 dias e nem por isso cobra 5% do valor do negócio.

      0
      • Leno 5 de maio de 2012 at 18:06

        Alguns meses atrás tive que ser ríspido com um corretor que não parava de me ligar querendo vender um bolhudão. Depois do passa-fora que dei nele achei que ele iria riscar meu número da agenda e nunca voltaria a me ligar. Mas para minha surpresa ontem ele ligou novamente, oferencendo o mesmo empreendimento que ele afirmava que estava quase todo vendido a meses atrás.

        0
    • Anonymous 5 de maio de 2012 at 18:13

      MrK,

      … pessoas com renda dispostas a arcar, os condominios e iptus já são caros …

      Existe uma diferença entre EUA e Banânia com relação ao aluguel. Aqui nos EUA, o inqulino paga um valor só que é justamente o valor do aluguel, ditado pelo mercado. O equivalente ao IPTU é o PROPRIETÁRIO que paga, uma vez que o inquilino não é proprietário. Mas, na Banânia, tinha que ser diferente – um lugar onde impera o Capitalismo SEM risco. Qualquer valor, inclusive taxa de juros, é sempre somada à INFLAÇÃO. A correção monetária tem de acabar, do contrário continuará sendo um país onde impera o Capitalismo SEM risco para poucos em detrimento da socialização dos riscos para a maior parte dos bananenses.

      0
      • Leno 5 de maio de 2012 at 18:24

        Anonymous,

        A lei do inquilinato daqui diz que que o iptu é responsabilidade do proprietario, mas deixa uma brecha possibilitando o proprietario repassar este custo ao locatario mediante “acordo” estabelecido em contrato. A questão é que na pratica nenhum locatario tem a possibilidade de recusar pagar o iptu, do contrario não consegue alugar ou então o valor é acrescido no aluguel.

        0
        • Anonymous 5 de maio de 2012 at 19:23

          Esse é o problema. Na Banânia todos bananense acha noram “repassar” isso e aquilo. Isso gerou um Capitalismo sem riscos, principalmente para os banqueiros que só emprestam dinheiro por uma taxa de juros + inflação, correndo risco nenhum. Aqui nos EUA, a taxa de juros é fixa (existe também a variável), mas se houver inflação, o banqueiro pode sair perdendo, o que nunca acontece na Banânia. A mesma coisa acontece com o repasse do IPTU e do condomínio. Já ficou entranhando na cultura bananense o repasse + um lucro limpinho e sem risco.

          0
  • Mais um novo pobre 5 de maio de 2012 at 18:26

    Vou deixar de frequentar esse blog.

    Embora acredite que há uma bolha, o problema é que:

    (1) Há um viés absurdo de confirmação rondando por aqui. Nenhuma informação contrária é admitida. Críticas e ironias rondam quem quer que, na melhor das intenções, discorde do senso comum do blog.

    (2) Da minha experiência pessoal, e no mercado que me interessa – a Zona Sul do Rio -, só vejo apartamentos subindo de preço. Por mais que haja encalhes, em especial em alguns bairros (Botafogo), são até pequenos. O que importa é: os lançamentos estão cada dia mais caros – lançamento na Rua Dona Maria, 130 metros, a dois milhões e meio! -, apartamentos velhos aumentam e se graduam pelos novos. Já estou quase achando que seguir o senso comum desse blog é acertar na mosca, mas só daqui a uns vinte anos.

    0
    • GB 5 de maio de 2012 at 18:44

      1) é você Cirilo ? Vai na fé “brotherzinho”.

      2) aqui os preços estão todos parados há 7 meses e já há um movimento tímido de baixa, claro que não é o Rio de Janeiro, onde se pode dar de cara com a Juliana Paes sem maquiagem e ver como ela é de verdade, é por isso que os preços aí são maiores que aqui, pelas vantagens que vocês tem e que nós não temos.

      0
    • GB 5 de maio de 2012 at 18:47

      Relax man, o dia que descobrirem que não vai sair nada do pré-sal os preços baixam aí também.

      2,5kk é muita grana, mesmo que se a Juliana Paes morasse do lado e saísse de bermuda agarrada todo dia.

      0
    • MrK 5 de maio de 2012 at 18:51

      olhe, em toda internet voce vai achar isso (pessoas de um lado e de outro) faz parte, não acho que deveria deixar o blog por isso

      quanto ao Rio, mantenha a calma e o sangue frio, existe um enorme jogo de desinformação, o que eu vejo na prática não tem nada a ver com o que leio na midia, eu leio que há uma tremenda falta de imoveis a alugar, que criaram househunters, que isso e aquilo… parece o caos, mas na verdade estou vendo muito ap vazio, pela expulsao dos antigos inquilinos que não suportaram o reajuste, estou vendo muita oferta, achei imoveis disponiveis em TODAS as ruas que procurei, sem excessao, em muitos casos escolhi o prédio que queria e achei mais de uma unidade, posso dar exemplos se quiser, isso prova como a midia está manipulando as pessoas pra longe da realidade

      abracos

      0
      • Hévin 5 de maio de 2012 at 18:58

        MrK estou procurando um apartamento no Leblon ou Ipanema para meu filho que vai se casar, apartamento em prédio bem conservado, dois quartos em mais ou menos 100m2.

        Minha perspectiva é: não existe oferta de qualidade hoje, mesmo a R$20.000/m2!

        0
        • Anonymous 5 de maio de 2012 at 19:29

          Hévin,

          Se voce estiver disposto a gastar 2 milhões de Reais (100 m2 * 20 mil Reais/m2) posso garantir que seu filho muda para os EUA, compra uma casa como jamais teria na Banânia por 500 mil Reais (4 dormitírios) + 2 carros novos, investe 1 milhão de Reais no visto EB5 (Green Card) que vai gerar uma renda da ordem de 6% ao ano (5 mil Reais/mes) e ainda sobre 500 mil Reais para comprar algum imóvel e ter renda de aluguel. Em resumo, com 2 milhões de Reais seu filho APOSENTA (no sentido de não precisar trabalhar) nos EUA. Já no Rio, não consegue comprar um 2 dormitórios num bairro bom.

          0
      • carlos 5 de maio de 2012 at 21:00

        Só para confirmar que a desinformação ímpera entre os proprietários de imóveis (no rio de janeiro). Esta semana meu pai teve contato com uma senhora que quer vender um apartamento em Irajá (subúrbio carioca) de 80 m2 , com 30 anos por míseros R$200.000,00. Falei pro meu pai não acreditar marcar visita com a dona (ou louca) e oferecer na hora a metade ou menos. Ele ligou e marcou para hj pela manhã. Resulatdo, a mulher não apareceu no local e disse que tinha uma pessoa com uma carta de crédito de R$200.000,00 para comprar (ai eu falei q ela vai ligar novamente daqui a 3 semanas pro meu pai). E outra…
        Um corretor mostrou uns apartamentos para meu pai na região tb de irajá e concordou que os donos dos imóveis estão loucos, querendo preços exorbitantes e deu um exemplo de um apartamento tb em irajá na avenida Brasil (local super tranquilo) tendo como vista a comunidade do Amarelino pela bagatela de R$160.000,00. Resultado… está há um ano sem vender e o dono persiste.
        Resumo da ópera… No Rio todos estão achando q ficaremos ricos até 2016 . Qunado o calo dos donos apertar e eles verem q seus preços são irreais para o Brasi ai o bicho pega. Para morar de casa própria no Rio acho q só em 2017 (Ahh e não sou vidente e é um achismo com base na data dos jogos olimpicos).

        0
        • Ploc 5 de maio de 2012 at 23:35

          Sergio,

          É isso aí. Tenho um amigo cujo o pai é portugues. O mesmo sempre me disse para comprar imoveis e nunca vender.
          Hoje este mesmo senhor está vendendo vários de seus imóveis, porque será? o que mudou? Nunca passou pela cabeça dele se desfazer dos bens e derrepente tá botando vários a venda.
          É a chance de ficar rico e ter aposentadoria para o resto dá vida. Talvez até recompre os imoveis pela metade do preco que vendeu. O problema é achar um otário.
          A idéia é pegar um otário e se dar bem pro resto dá vida. Imagina um imovel que vale 300K (o cara levou a vida inteira para paga-lo) e hoje ele vende por 600K embolsando 300K.
          É uma oportunidade única na vida de uma pessoa.
          PLOC

          0
    • GB 5 de maio de 2012 at 19:04

      Ele disse que é até óbvio o que dizemos aqui mas que pode demorar 20 anos para acontecer, mas eu não conheço nenhum mercado que consiga resistir a 20 anos de “uma venda por mês”, a não ser que as construtoras façam como os corretores e comecem a vender NATURA e AVON como atividade principal, não é assim que funciona, os gastos delas são enormes e o prejuízo que tiveram em 2011 (um ano meio oba-oba, meio realidade), mostra isso.

      Os preços aqui não sobem desde setembro, os preços nos sites não mudam e quando converso com os corretores eles admitem descontos por fora, eu acho que a casa vai cair para eles em agosto ou setembro deste ano, depois de mais uma dezena de tentativas frustradas do governo.

      Eu estou tranquilo, na pior das piores das hipóteses já levantadas aqui, pagar aluguel por 20 anos e depois comprar algo a preços reais ainda é mais negócio que pegar um financiamento por 30 anos, além de ter bastante tempo para poupar e comprar a vista, não gasto com banco e o prazo é 10 anos menor.

      0
      • Hévin 5 de maio de 2012 at 19:15

        Uma venda por mês?

        Parei de ler aqui.

        0
        • GB 5 de maio de 2012 at 19:40

          É, tem uns que nem 1 venda por mês conseguem, muito sinistro o mercado atualmente.

          0
          • carlos 5 de maio de 2012 at 21:08

            Pro Rio acho dif’icil( ter uma venda por mes) mas outras cidades ja acho que seja realidade. Em vila velha vejo predios inteiros vazios pela orla de itaparica e os precos de imoveis caindo (vide vitoria Bay) e com stands de novos empreendimentos vazios! Em salvador o msm (morei la ate o inicio de 2012) o q via eram stands vazios, grandes condominios sendo construidos em bairros que tem a infraestrutura devida (vide o horto bela vista) e venda de usados parada. Ahh e descupla a falta de acentos e cedilhas o pc deve estar com virus!!!!

            0
            • carlos 5 de maio de 2012 at 21:14

              correcao… bairros sem a infraestrutura devida…

              0
        • Dr. Estranho 6 de maio de 2012 at 20:55

          Posso te apresentar trÊs imobiliárias de 0 (zero) vendas mês e todos os corretores com sub-emprego(sem cateira assinada). Na maioria das vezes pagam para a trabalhar. Ligam para você na porra do domingo porque não tem dinheiro para pagar um ligação de celular. Ficam esperando que a imobiliária empreste o telefone. Conheço um que também negocia previdência privada. Deve ser porque o mercado imobliário garante lucro astronômico para seus colaboradores.

          0
          • Carlos 6 de maio de 2012 at 22:23

            No rio?

            0
    • Sérgio 5 de maio de 2012 at 19:11

      Caro colega,

      Acredito que aqui, como em qualquer outro blog que se pretenda discutir algum assunto, certamente haverá uma tendência dos opinadores que se fazem maioria, às vezes, criticar qem pense em contrário; no entanto, a tônica não é essa. Quando opiniões contrárias à existência da “bolha” aparecem, certamente virão respostas e argumentos de todos os nipes, sendo alguns com pouca fundamentação e outros com fundamentação de sobra, que por si só (o argumento fundamentado), não admite negativa que se baseie apenas em afirmações jornalísticas ou de “especialistas” claramente parciais.
      Eu mesmo, como bom frequentador do blog há quase um ano, me chateio um pouco, às vezes, com uma ou outra coisa. Mas bem sei que certamente um ou outro comentário meu tem o condão de causar isso em algumas pessoas, amiúde.
      Certo é, contudo, que estamos vivendo uma bolha.
      Lembro-me em 2006, quando mudei-me do Rio em virtude de concurso público: passei a possuir, na época, renda para adquirir um bom imóvel em minha cidade (Volta Redonda/RJ) que custava em valores entre R$90 e R$120.000,00. Acontece que naquele ano eu ainda não possuia o suficiente para entrada. Hoje, esses mesmos imóveis estão cotados (NÃO SENDO VENDIDOS) por valores acima de R$350.000,00, quando posso financiar no máximo R$190.000,00, atualmente.
      Lembro-me também, comparativamente, que em 2006 teria condições de adquirir (caso quisesse e tivesse a entrada, claro) um bom imóvel na Tijuca e – com sérias restrições orçamentárias – algum apartamento em Botafogo ou Copacabana. Hoje, mesmo a Tijuca tornou-se algo surreal, pois, que um imóvel semelhante ao de 2006 não sairia por menos de R$500.000,00. Ou seja, as consequências da bolha são mais severas proporcionalmente ao tamanho e importância das cidades.
      Fiquei entre 2008 e 2010 com um sentimento idêntico ao seu nick (Mais um novo pobre); não entendia como isso ocorrera, me tachando de burro por vários meses por não ter adquirido um imóvel “antes dessa estranha valorização”.
      Apenas no final de 2010 que caiu a ficha!
      Hoje, muitas cidades já começam a ver os preços medios de seus imóveis sendo reduzidos.
      As construtoras e imobiliárias (proprietários ou investidores) que possuem um maior “amortecedor monetário”, MAIS CAIXA “reserva”, tocarão por mais tempo os seus altos preços praticados.
      O problema é que não existem muitas pessoas endinheiradas dispostas a entrar “nessa”.
      Há uma aqui, outra ali: os famosos (e saudosos, pois que não ouço mais falarem deles) personagens (reais) que seguem o princípio criado aqui no blog, o do TOLO MAIOR.
      Eles sempre existirão, mas felizmente, os que tem bastante dinheiro, ou crédito, são muito escassos.
      Com uma das últimas cartadas de nosso governo, a bolha poderia ter ganhado uma sobrevida; poderia.
      O endividamento é maior e os preços, mesmo com juros menores (juros menores??) são muito altos.
      .
      Dê valor ao seu dinheiro: o atual e os que ganhará pelos próximos 30 anos. VIVA de ALUGUEL.

      0
      • Hévin 5 de maio de 2012 at 19:21

        Mas Sérgio, caso os juros cheguem a menos de 6.0% a.a, vai ficar mais barato financiar do que pagar aluguel, mesmo assim você achará que viver de aluguel é dar valor ao dinheiro?

        Veja bem, se você tem uma certa estabilidade e acha um imóvel que realmente te satisfaz, e o valor da prestação é o mesmo ou menor que a de um aluguel, qual seria o problema de financiar?

        Não acho que um financiamento de 30 anos seja algo saudável, eu diria que seria de bom tom o pagamento de uma boa entrada e um prazo de até 10 anos, sendo que no final você ainda ficaria com imóvel enquanto que no aluguel você paga, paga, paga um pouco mais e no final saí sem nada.

        OBS.: Resalto que minhas considerações foram feitas para uma possível taxa de juros de 6.0% a.a.

        0
        • charles 5 de maio de 2012 at 19:38

          Hévin

          Caso os juros do financiamento caiam a 6%a.a., eles pressionarão os alugueis para baixo automaticamente. O mundo não fica estatico, cada ação na economia tem uma reação e isso tem que ser considerado.

          Quanto a sua analise de que é jogar dinheiro fora ficar pagando aluguel, isso é controverso nos tempos atuais. Mesmo comprando um imovel que lhe agrade, ainda assim não considero que seja bom negocio, hoje, pelo simples fato de estar comprando um ativo na extrema alta de mercado e com grande potencial de queda.

          O prudente é esperar o melhor momento.

          0
          • Gap 5 de maio de 2012 at 19:44

            Ainda bem que acessei o blog hoje… Estou convicto de continuar no aluguel por mais tempo…

            0
          • Hévin 5 de maio de 2012 at 20:03

            Charles, não acredito que isso pressionará os aluguéis para baixo justamente porque um maior número de vendas pode induzir alguns proprietários a retirar o imóvel do aluguel para o vender.

            0
            • Leno 5 de maio de 2012 at 20:16

              Neste caso aumentaria a oferta em relação a demanda, o que pressionaria o preço de venda para baixo.

              Não tem muito o que fazer agora colega, quem quiser realizar um negócio melhor terá que ter paciência.

              0
        • Gap 5 de maio de 2012 at 19:41

          Hévin

          Na decisão para comprar ou alugar, não se deve calcular apenas se o valor da prestação é menor que o valor do aluguel… ESSE É UM ERRO CRASSO!
          Sabe porque? Porque os preços estão acima dos valores reais, ou seja, se considerássemos uma prestação igual ao valor do aluguel, por exemplo, teríamos que confiar que na melhor das hipóteses os preços dos imóveis não caiam nada… Porque se houver qualquer queda, mesmo que de 10, 20 ou 30%, seria PREJUÍZO NA CERTA.

          Se vc dá valor ao seu dinheiro, faça as contas e seja prudente e racional neste momento. Esqueça o romantismo do “sonho da casa própria”…

          0
          • Hévin 5 de maio de 2012 at 20:10

            Gap, no mercado imobiliário em raras situações você ganha, se você paga aluguel, você perde e se você compra um imóvel também perde pelo custo de oportunidade.O problema é que temos que morar em algum lugar, correto?

            A conta parece simples, mas não é: em um cenário normal, se você mora 10 anos de aluguel, IPTU e condomínio você acaba pagando o valor do imóvel e no final sai sem nada, ou seja, se você pagasse esse mesmo período uma parcela igual, ou talvez menor, de um financiamento teria o seu imóvel.

            Para perceber se você vai perdeu ou não teria que calcular o valor “perdido” com o aluguel durante o período de espera da “queda” nos preços.

            0
            • Ane 5 de maio de 2012 at 21:42

              Importante lembrar que hoje a prestação não sera igual nem menor que o aluguel nem pagando em 30 anos, na maioria esmagadora do casos. Sera muito maior. Claro que pode haver exceção. Façam as contas. Eu ja fiz esse calculo pro ap que moro.

              0
              • Ploc 5 de maio de 2012 at 23:14

                Corretissimo Ane

                0
            • Eder 5 de maio de 2012 at 21:45

              VC insiste em colocar o iptu e o condominio no calculo, como se quem comprasse n tivesse que paga-los.

              0
              • Ploc 5 de maio de 2012 at 23:14

                corretissimo Ane.

                0
                • Ploc 5 de maio de 2012 at 23:15

                  Boa colocação

                  0
            • Gap 5 de maio de 2012 at 22:02

              Você acredita mesmo nisso que você tá dizendo!?
              Me parece uma pessoa esclarecida querendo convencer a si mesmo de que é a hora de comprar!
              Contra fatos não há argumentos! Abre o olho!

              0
              • Ploc 5 de maio de 2012 at 23:23

                Voce tirou as palavras de minha boca. Será que ele acredita nisso mesmo?
                Afinal, Será que o Hevin já comprou o dele financiado? Se comprou e está feliz qual o proposito de comentar aqui? Permitir que outro se de bem tambem?
                Sei não… desculpa mas tá muito suspeito.

                0
            • Eng RJ 5 de maio de 2012 at 23:03

              Hévin, eu tenho uma filisofia semelhante a sua de que seria melhor buscar comprar mesmo um imóvel. Entretanto quando fazemos a comparação de financiar ou alugar, o valor do financiamento tende sempre a ser maior do que o do aluguel conforme a Ana disse. A questão que devemos ver é a parte do financiamento correspondente ao juros. Se ela for menor que o aluguel, vale a pena comprar sim, pois o que você estaria pagando de amortização seria o que você teria que estar juntando para comprar o apartamento depois.
              Mesmo pegando um financiamento de 10 – 15 anos (30 anos eu concordo que é muito), deve-se ver que os alugueis são sempre reajustados pelo IGP-M enquanto que os juros do financiamento são decrescentes.

              Eu não acredito em grandes quedas de preços. Sempre haverão os descontos de 10 – 20% ou a entega de brindes (TV, carro, etc). O mais provável é que os preços tendam a ficar estagnados e o valor do imóvel ser depreciado pela inflação.

              0
        • Leo 5 de maio de 2012 at 19:47

          “eu diria que seria de bom tom o pagamento de uma boa entrada e um prazo de até 10 anos,”

          LOUCURA fazer negocio com os preços atuais e sabendo de todos os problemas que estao acontecendo por aqui e pelo mundo. Mesmo que a negociacao seja finalizada com pagamento a vista.

          Só TOLO compra agora.

          0
        • GB 5 de maio de 2012 at 20:15

          O problema é esse negócio enraizado na cabeça do pessoal que “aluguel é dinheiro jogado fora”, meu gerente do banco SEMPRE diz isso e quer se matar quando eu respondo que “juros, taxas e seguros bancários do financiamento tb são” e pergunto por que os próprios bancos alugam TUDO, eles vendem suas agências e fazem contratos de aluguel por 15 anos com os compradores, aí eles investem esse $$$$$$$$$$ (façam o que os bancos fazem, não o que dizem).

          O proprietário ao ocupar o imóvel perde a oportunidade de auferir $$$$ alugando ele, então é como se “pagasse aluguel para ele mesmo”.

          Se vc está em um imóvel alugado por um bom valor, aproveite e poupe a diferença, cada R$ 1k poupado são R$ 3K a menos para dar para o banco, depois compre o imóvel que vá agregar qualidade de vida, fuja desses caros, pequenos, distantes e de baixa qualidade que são construídos só para auferir lucro.

          0
          • Eng RJ 5 de maio de 2012 at 23:13

            GB, essa filosofia das empresas alugarem condiz com a realidade delas manter o capital para gerar lucro. agora quando a gente fala de pessoas e de sentimentos, essa filosofia de sempre viver de aluguel não funciona. Todo mundo quer ter um lugar seguro seu e não ficar correndo o risco de a cada vez que o contrato de aluguel terminar, não saber se vai ter que se mudar ou se o proprietário vai pedir o dobro.

            0
            • peterson 6 de maio de 2012 at 09:15

              o problema é que o ser humano em geral tem resistência à mudanças, em todos os sentidos.

              0
          • Bob 6 de maio de 2012 at 11:45

            O motivo para um banco, ou qualquer empresa, não ter imóvel próprio e optar pelo aluguel é muitas vezes tributário. A despesa com o aluguel é dedutível do imposto de renda pessoa jurídica (15% + 10 %) e da contribuição social sobre o lucro (9% ou 12% no caso de bancos). Então para um banco o aluguel, considerando os efeitos destes tributos, é 37% mais barato do que o valor que ele efetivamente paga.

            Desta forma, se para uma pessoa a razão aluguel valor do imóvel for 0,5% para um banco seria de apenas 0,32% (só fazer as contas). Isto obviamente faz a decisão de qualquer banco tender em direção do aluguel. Além disso, como a rentabilidade do banco é bem superior a de um aluguel, existe outro incentivo para direcionar os recursos para a atividade fim do banco e não “empatar” o dinheiro em imóveis. Mais uma vez esta não é a realidade de uma pessoa normal que coloca o dinheiro em poupança ou CDB.

            Só estou dizendo isso pq achei q o argumento do banco alugar suas agências não é válido. Mas de resto, concordo que os preços dos imóveis estão caros demais e aposto em uma redução significativa dos preços.

            0
        • Comprei na baixa 6 de maio de 2012 at 21:23

          Hevin,
          esse raciocínio funcionava há anos atrás, com uma entrada não muito grande e uma prestação ligeiramente maior que um aluguel, dava para comprar o imóvel e saber que um dia ele seria seu.
          Hoje os preços estão loucos, vender um apê na Tijuca por 400 e comprar em Botafogo por 800 significa um financiamento bem salgadinho, mesmo dando metade de entrada.
          Eu paguei 3300 o m² aqui perto do Autódromo, em 2007, no lançamento. Os preços começavam em 200 mil para os apês de 2/4, alguém com uma poupancinha de 50 mil já encarava. Agora, mesmo com uma poupança de 200, o financiamento vai ser o dobro. É corda no pescoço certa.

          0
      • Gap 5 de maio de 2012 at 19:22

        Tamo junto no Aluguel! rsss

        0
      • GB 5 de maio de 2012 at 20:20

        A SELIC nunca vai chegar a 6% ao ano, haveria fuga de capital, inflação alta, desinteresse por títulos do governo, aqui é 3º mundo, o risco é grande (Bolívia e Argentina já fizeram o favor de lembrar isso ao mundo).

        O pessoal já está tirando o $$$$ daqui, a valorização do dólar diz tudo, se a SELIC cair a fuga será maior, é melhor ganhar menos mas correr menos risco.

        0
    • Eder 5 de maio de 2012 at 21:50

      Te recomendo um blog: politicaeeconomia.com. E existem outros de pessoas que acham que não ha bolha. Fique à vontade!

      0
      • xangai 5 de maio de 2012 at 22:17

        Eder..
        Nem “ela” acredita mais no que escrevia !! VIROU A CASACA TOTAL !!

        Olhe e divirta-se com um dos ultimos posts da “figurassa” … ta defendendo as coitadinhas das contrutoras e mentendo o pau “apenas” no governo :::::

        “www.politicaeconomia.com/2012/04/bolha-imobiliaria-no-brasil-culpa-e-do.html

        Mais um pouco a gente convence ate o Cirilo !!

        0
        • charles 5 de maio de 2012 at 23:01

          Ela, a Kassia Taavares, é corretora de imoveis em Brasilia.

          0
    • Ze Bom Dirolo 5 de maio de 2012 at 22:13

      Adeus.

      0
      • Ze Bom Dirolo 5 de maio de 2012 at 22:16

        Só para não dizer que sou chato e só me despedi de Vossa Senhoria. Pesquiso o mercado imobiliário há 08 anos e cheguei a conclusão que os preços não iam subir exatamente depois de agosto do ano passado. Posso errar, mas acertei exatamente o momento de comprar. Vou só confirmar se acertei o momento de vender.

        0
    • Felipe33 6 de maio de 2012 at 07:59

      Amigo,
      Sei como vc se sente. Deve estar se perguntando: por que não comprei antes?, quando será que conseguirei comprar algo? será que todos ficaram ricos e eu sou o único que perdeu o bonde? …………
      Bem, lembre-se que vc não está sozinho nessa.

      Vamos raciocinar> O que mudou na ZS nos últimos 3 anos para que os
      preços aumentassem mais de 100%?

      Acho que o nosso maior inimigo é o crédito fácil ( foi isso que desencadeou a bolha e depois veio todo o resto), uma hora isso vai ter que parar. Conheço muitas pessoas que ganhar bem (renda familiar de R$20mil) e não conseguem comprar nada! Isso não vai se sustentar.
      Controle sua ansiedade (sei que é difícil)! Força e boa sorte!
      Uma coisa que pode lhe ajudar é fazer como fez o MrK, sair de prédio em prédio procurando. Assim vc verá preços melhores que os da internet.
      Não abandone o blog!
      Abraços, Felipe

      0
      • Comprei na baixa 6 de maio de 2012 at 21:43

        Em 2006 eu e meus irmãos custamos a vender o apê que era de nosso pai na São Clemente (3/4 bom, de fundos, perto do largo dos leões, mas precisando de uma geral) por 240 paus. Um bom pediam uns 280 mas não vendia fácil. Tinha oferta.
        Não passa de uma queda de braço entre compradores e vendedores. Me parece que já não vende fácil assim, mas ainda saem negócios nesse patamar elevado de valores.
        Se o metrô chegasse na Barra hoje, era capaz de muita gente topar morar no Jardim Oceânico ao invés da ZS, aí os preços cairiam um pouco na ZS.

        0
    • FRK 6 de maio de 2012 at 14:15

      Bom amigo, então corre pra comprar antes que suba mais!

      😉

      0
    • Comprei na baixa 6 de maio de 2012 at 21:10

      Morei mais de 20 anos em Botafogo, gosto do bairro, mas 2,5 mi num apê médio em Botafogo é surreal.
      Das duas, uma, ou essa bolha desanda e murcha, ou é melhor quem tem um pouco de juízo catar outra região do RJ para morar.

      0
  • Mais um Novo Pobre 5 de maio de 2012 at 19:02

    MRK, você é um bom usuário (ao contrário do babaca que me chamou de Cirilo – outro dos problemas desse blog: o excesso de ad hominem).

    Mas já estou começando a duvidar de suas certezas.

    Vi bons apartamentos na Zona Sul, mas as oportunidades foram escasseando. O que sobrou para compra, mesmo a preços bolhudos, são coisas na média muito ruins.

    0
    • Hévin 5 de maio de 2012 at 19:10

      Esse GB é o pior usuário disparado do blog, o sujeito é insuportável!

      Na boa, o cara não respeita ninguém, fica postando um monte de baboseira, ironias e brincadeiras com corretores.

      Percebi que vários usuários, como MrK, Luiz e Anonymous, tem uma formação excelente e nem por isso faltam com respeito com ninguém aqui.

      0
      • Leo 5 de maio de 2012 at 19:39

        Meu caro Hévin, basta voce nao ler os posts de quem voce nao gosta. Fica a seu criterio escolher e filtrar o que é melhor para voce.

        Particularmente, gosto dos posts do GB.. tem uns engracados 🙂

        0
        • GB 5 de maio de 2012 at 19:47

          É Kelvin, relaxa, o melhor que uma pessoa pode fazer hoje é esperar um pouco, poupar o que conseguir e dispensar intermediários desnecessários (gente, eu acho que ele é um corretor amargurado, me passa o Baygon).

          0
          • Riodetudo 5 de maio de 2012 at 22:30

            GB é sangue bom.

            0
            • Douglas 6 de maio de 2012 at 00:01

              Eh nois na fita GB

              0
              • GB 6 de maio de 2012 at 06:30

                Caras, esses corretores deviam passar mais tempo vendendo AVON e NATURA e deixar a gente aqui sossegado tratando dos assuntos de real relevância.

                E dizer que eu sou o “pior usuário daqui” é exagero, o Cirilo ainda está rondando por aqui com seus fakes, no náximo eu fico com a medalha de prata.

                Domingão é massa: dá-lhe caderno de comédia, digo, de encalhes, digo, de imóveis, uhhhhhhhhhuuuuuuuu !!!

                “Primeiro te ignoram, depois te ridicularizam, depois te combatem e por fim você ganha”. Gandhi

                0
    • Leo 5 de maio de 2012 at 19:43

      Procura direito pq sei que tem bons apartamentos por la… Vi uns bons na Timoteo e na Sambaiba. Vai tocando de porta em porta pq tenho certeza que voce vai encontrar varios. De preferencia faça amizade com os porteiros, esses tem as boas.

      0
  • GB 5 de maio de 2012 at 19:57

    Caras, o dia que alguém conseguir me provar que corretores são, no mínimo, necessários, eu paro de falar o que acho sobre eles.

    Para mim são meros oportunistas, foram eles que embutiram na cabeça dos proprietários que eles podem ficar ricos vendendo seus imóveis usados mais caros que os novos, a maioria não tem a menor formação técnica, “avalia” por boatos e ainda coloca mais 20% nisso, muita gente migrou para essa área por conta do oba-oba de 2008-2011 e como não estão vendendo oque é deles eles não levam ao conhecimento dos proprietários as propostas menores.

    O dia que eu notar que é hora de comprar, eu vou até o local e vou conversar diretamente com o porteiro e o síndico e eles vão me informar quais estão a venda, não vou dar 5% para alguém não agregar absolutamente nada ao negócio.

    0
    • Eder 5 de maio de 2012 at 21:51

      GB, o botão descirilizar ta fazendo falta hoje hein?

      0
      • GB 6 de maio de 2012 at 06:24

        É, os dias estão ficando monótonos e previsíveis: mais malabarismos do governo, mais construtoras se ferrando e mais NIcks falsos do Cirilo por aqui.

        0
  • Pablo 5 de maio de 2012 at 20:16

    Alguem por aqui lembra do BNH?
    As pessoas financiavam seu sonho pelo sistema financeiro habitacional, ao final de 20 anos davam-se conta que tinham pago dois sonhos e ainda deviam outro.
    Nos dias de hoje um apto de R$ 800.000,00, onde se dá R$ 265.000 de entrada(fácil não é) e ao financiar o restante em 30 anos, com uma renda FAMILIAR de R$ 20.000(fácil não é) as prestações começam em R$ 5.580 e terminam em R$ 1.500, fora o CONDOMINIO. Em RESUMO: PREÇOS DE PRIMEIRO MUNDO E SALÁRIO IDEM. Fica dificil não estarmos vivendo uma folha, e o PLOC sera disparado pelo desemprego!

    0
    • Anonymous 5 de maio de 2012 at 20:39

      Voce está completamente enganado, aliás com a vasta maioria dos bananenses. Nos EUA (primeiro mundo), uma casa muito boa, 250 m2, 2 garagens custa cerca de 450 mil Reais. Com a entrada de 265 mil Reais que voce está falando, voce compra casa nova em condominio, 2 suítes e ainda sobra uns 40 mil Reais. Preços em suburbios de qualquer grande cidade. Nas cidades pequenas, é ainda mais barato.

      0
      • Pablo 5 de maio de 2012 at 21:06

        Mais nois aqui tem o show das balas traçantes dos traficantes mocoziados nos UPPs, coisas que não tem por ai, como dizia Gonçalves Dias, As aves, que aqui gorjeiam, Não gorjeiam como lá.

        0
        • GB 5 de maio de 2012 at 21:30

          E vocês tem a Juliana Paes andando pelas ruas sem maquiagem, isso é impagável, coisa que nós do interior de São Paulo não temos.

          0
  • GB 5 de maio de 2012 at 20:35

    “http://www.facebook.com/photo.php?fbid=408928472467327&set=a.328379340522241.95217.328320487194793&type=1&ref=nf

    0
  • charles 5 de maio de 2012 at 20:45

    Em todos os canais da midia televisiva e escrita só tenho vistos elogios rasgados ao pulso firme do governo em baixar juros e enfrentar os bancos privados.

    Será possivel que nenhum analista economico está percebendo que a velocidade em que as coisas estão sendo feitas é sintoma de que o governo está enxergando um cenario muito mais sombrio do que podemos imaginar?

    Será que todos no Brasil tomaram a pilula da imbecilidade e só faltou a minha?

    Este blog é um dos poucos espaços na net onde as pessoas tem um olhar critico sobre a situação do país.

    0
    • Adriano 6 de maio de 2012 at 08:15

      é exatamente isso. o desespero e pressa do governo se explicam pelo cenário a frente. É sombrio.

      0
  • Anonymous 5 de maio de 2012 at 20:56

    GUido Mantega
    “http://www.fgv.br/eaesp/curriculo/dol_mini_curriculum.asp?num_func=230&cd_idioma=1”

    Doutor em Ciências Humanas – FAC. FIL, LETRAS E CIÊN. HUMANAS DA USP – 1982
    Departamento: PAE

    Quais os cursos que existem nessa faculdade, onde o Mantega obteve o títuto de Doutor? A resposta é dada pela seguinte webpage.

    “http://graduacao.fflch.usp.br/”
    Ciência Sociais
    Filosofia
    Geografia
    História
    Letras
    Licenciatura

    O que será que significa a sigla PAE, mostrada no currículo do Mantega na webpage da FGV? A resposta é dada pelo seguinte documento PDF.

    PAE
    “http://www.usp.br/prpg/pt/pdf-formularios/diretrizes_PAE_%20de_09.12.10.pdf”

    O Programa de Aperfeicoamento de Ensino … Portanto, PAE significa “Programa de Aperfeicoamento de Ensino” e não é um departamento.

    CONCLUSÃO: O Mantega, do ponto de vista de formação, é pior do que a Zélia. Agora é o caso de “correr para as colinas” ou consultar o manual do Anonymous para abrir poupança nos EUA, colocando o seu dinheiro fora do alcance desse pesssoal.

    0
    • Cicero Silva 5 de maio de 2012 at 21:22

      “consultar o manual do Anonymous”…..

      ahuahauahhaahahhah

      0
    • 5 de Novembro às Avessas 5 de maio de 2012 at 22:28

      Diante do presente quadro de:

      – superendividamento da população (com direito ao espetáculo da inadimplência)
      – queda nas vendas do comércio
      – ataque à poupança (antes das eleições!)

      gostaria de fazer uma pergunta ao Miguel Jacó (O Profeta):

      Haverá Lei Marcial após as eleições?

      Inclusive, há umas datas bem interessantes:

      28.10 (2º Turno das Eleições): Até aqui, o governo fará qualquer coisa para que a economia pareça estar funcionando. A partir daqui, não haverá mais “obrigação” (e muito menos fôlego) para manter as aparências.

      31.10 (Halloween): A realidade nua e crua explode na cara do povo.

      01.11 (Todos os Santos): Reze… Reze muito… Até porque, não há mais nada a se fazer.

      02.11 (Finados): Feriadão, pausa para respirar. Mas já estará bem claro que a pseudo-prosperidade já era. E o Maracanazo de 1950 fica parecendo um show de Heavy Metal.

      05.11 Diante do caos, é decretada Lei Marcial (o AI-5 da Dilma).

      0
      • Miguel Jacó 6 de maio de 2012 at 17:25

        Lei Marcial não mais haverá. Pelo menos não neste desgoverno, pois a Matrix justamente é quem o promove.

        0
    • Pimp 6 de maio de 2012 at 00:58

      Hahahaha patético…Qualquer um que faz curso em exatas na USP GANHA o PAE! Foi um negócio tão insignificante para mim que sequer lembro se fiz na graduação ou na pós…

      É o que costumávamos chamar de “bizuração”, aka, crédito fácil.

      Foi a única matéria que eu tive que assinar lista de presença durante 8,5 anos de USP. De tão ridícula, se não obrigassem à assinar nem os mais certinhos freqüentariam as aulas…

      0
  • Hévin 5 de maio de 2012 at 21:10

    Estou vendo muitos aqui, alguns sem nenhuma base em economia e finanças, criticando veementemente a mudança nas regras da poupança feitas pelo Mantega.

    Não tenho nenhuma formação na área mas procuro sempre me informar sobre o assunto.O que para muitos leigos pode parecer uma medida “desesperada” ou irracional, na verdade, foi uma jogada de mestre.

    Todos nós sabemos que o governo vai tentar postergar essa alta no mínimo até a Copa.

    Para que a parcelo no financiamento caiba novamente no bolso do brasileiro deve-se aumentar a renda média ou diminuir os juros.Ao criar duas modalidades de poupança o ministro não só permitiu que os juros caíssem a patamares jamais vistos como também confiscou psicologicamente os recursos da caderneta.

    Explico, a queda de juros poderia gerar um forte aumento da inflação se essa reserva fosse utilizada, dessa forma o governo diminuí a prestação e reaquece o mercado de carros e imóveis e ainda impede que os poupadores resgatem toda a poupança e inundem a economia de moeda, já que agora ela renderá mais que a nova.

    0
    • GB 5 de maio de 2012 at 21:42

      Seria mais fácil ele ter esticado o financiamento para 40 anos, mas ele ainda tem tempo para fazer isso.

      Mas é verdade, eu mesmo estou cada vez menos disposto a tirar o $$ da poupança, mas a inflação vai subir por conta da saída dos dólares e do aumento dos importados, não tem jeito.

      0
    • Ze Bom Dirolo 5 de maio de 2012 at 21:55

      Realmente existem duas jogadas de mestre para duas diferentes visões.
      1ª Pró-governo.
      2ª Pró-sociedade.

      Agora me responda que jogada de mestre você está defendendo que depois eu te explico que pensamento mestre você está tendo.
      .

      0
    • Anonymous 5 de maio de 2012 at 22:10

      … Não tenho nenhuma formação na área …

      O problema é que o mantega TAMBÉM não tem, basta ver o currículo dele, mostrado no website da própri a Getulio Vargas. A Banânia está sendo dirigida por idiotas que se outorgaram títulos de Doutorado em economia. Mercadante, Dilma e agora Mantega – todos eles MENTIRAM sobre suas respectivas formações.

      0
      • Neo 5 de maio de 2012 at 23:44

        Anonymous, desculpe mas voce esta enganado, olha esses videos esclarecedores:

        youtube.com/watch?v=Aeq0OEgPOgM

        youtube.com/watch?feature=fvwp&v=enKZ38hSSAw&NR=1

        0
        • RPL 6 de maio de 2012 at 00:09

          Anonymous,

          Acho que depois de ter de se explicar, a Dilmona acertou o currículo Lattes dela:

          “http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?metodo=apresentar&id=K4708688A9

          0
          • Neo 6 de maio de 2012 at 00:24

            vai ganhar um honoris causa igual o lula tb

            agora, deve ser phoda pro depto de economia da unicamp ter de puxar o saco pra ter acesso a verbas …… pelo menos eu ficaria desconfortavel

            0
            • Mr.Crowley 6 de maio de 2012 at 05:56

              eu estudei na UNICAMP, e posso te afirmar que sempro foi reduto de comunistas e petistas bem antes da 1 eleicao do molusco. claro que tem muitas excessoes, mas a mentalidade la e bem funcionario publico, no sentido prejorativo(salario garantido). tem mais, lembra do kandir o amigo da zelia e pai do glorioso confisco da poupanca, pois e ele passou por la tambem…

              0
              • peterson 6 de maio de 2012 at 09:28

                considerar que USP, UNICAMP, etc são redutos de alienados é uma hipocrisia sem tamanho….

                0
                • Anonymous 6 de maio de 2012 at 10:37

                  peterson,

                  Como sempre, voce está enganado.

                  Como Mercadante virou doutor
                  “http://www.marcovilla.com.br/2012/03/como-mercadante-virou-doutor.html”

                  0
                • ana 6 de maio de 2012 at 13:41

                  “considerar que USP, UNICAMP, etc são redutos de alienados é uma hipocrisia sem tamanho….”

                  São só os departamentos de ciências humanas (economia incluída) que não valem nada. Os outro são bons

                  0
            • Anonymous 6 de maio de 2012 at 10:19

              A Faculdade de Economia da UNICAMP, já quiz dar título de Doutor para o FIDEL CASTRO. Essa decisão completanete idiota, foi por UNANIMIDADE.

              … PROC N 01-P-17418/99 em nome de FIDEL CASTRO – Proposta apresentada pela reitoria, por sugestão do Professor Geraldo Di Giovanni, Diretor do Instituto de Economia …

              28/Mar/2000 – “http://www.sg.unicamp.br/pautas/ata66consu.pdf”

              0
      • Arsen 6 de maio de 2012 at 12:55

        Pior q nao sei se é pior ele nao ter ou ele TER. Se ele tivesse, provavelmente não faria diferente do que está fazendo agora.

        É de conhecimento geral q certos cursos nessas universidades, ainda mais os de humanas, há um forte viés ideologico de esquerda, pró-estatismo. Digo isso por experiência própria pois já estudei na UNICAMP.

        Não é unanimidade, mas uma forte pressão. Claro, não é como o pessoal diz. O prof não entra na sala com uma camisa do Che Guerava e gritando ‘viva la revolucion’ ou coisa assim. Mas há uma tendencia enorme em desvalorizar e menosprezar o outro lado da moeda e era algo que me incomodava na época. Entretanto, já virou uma cultura. Os profs aprenderam assim na universidade deles, os alunos já vieram treinados desde cursinhos a menosprezar o outro lado, etc.

        Eu não diria que são alienados, mas que HÁ muitos alienados, do tipo bem caricato mesmo que acha que FHC é o grande satã e coisas do gênero.

        0
  • Neo 5 de maio de 2012 at 21:23

    Ai pra cima alguem postou sobre as marotagens do Mantega pra estimular a economia … ele vai partir para o ataque nos juros de financiamentos imobiliarios.

    No meu entendimento ele PODE ZERAR os juros, alias pode colocar juros negativos, que os preços atuais já excluir a imensa maioria dos brasileiros.

    Digo isso pq os amigos que vejo proximo estao tendo que juntar rendas do marido e mulher pra poder financiar, e ganham bem.

    0
    • Arsen 5 de maio de 2012 at 22:20

      Por mim, tambem podem colocar juros negativos que nao muda absolutamente nada. Mas isso é pq temos alguma instrução financeira. Vai falar isso pra tiazinha do feirão, que ganha 1 minimo e conseguiu financiamento de 50k e ainda saiu agradecendo o gov federal.

      0
      • Neo 5 de maio de 2012 at 23:25

        350.000,00 / 360 = 972,00

        sem os juros uma casinha de dois quartos aqui tá dando metade da renda média

        que jeito ? só se o cidadao nao ficar doente/vestir trapos e nao comer nada por 30anos.

        0
    • tvasco 6 de maio de 2012 at 08:36

      Neo,

      Quando você diz que “ganham bem”, você está pensando em quantos $$$, mais ou menos?

      Explico: há três anos, ganhava R$ 2 mil, e hoje ganho R$ 7 mil.

      Se alguém me dissesse há três anos que hoje, solteiro, ganharia R$ 7 mil, eu ia achar que ia ficar rico.

      Só que parece que todo mundo ficou rico, menos eu, porque com R$ 7 mil eu poupo e pago minhas contas em dia, mas não tem luxo nenhum, moro de aluguel e sem condição nenhuma de comprar apto… Tudo caro, não só imóvel, mas supermercado, etc. Moro em BH.

      0
      • peterson 6 de maio de 2012 at 09:38

        tenho um colega que ele adotou um lema na vida: – vivo o melhor do hoje pois amanhã não sei se vou viver…. ele gasta tudo o que ganha (não tem casa, aluga carro, vai nas melhores baladas, sai com lindas garotas [algumas pagas] ,viaja direto, vive uma vida de rei gastador)…. eu, sou mais moderado, sou financeiramente educado, curto uma boa festa, viajo bastante, mas não devo conhecer nem metade do que ele já experimentou…. tem horas que eu me pergunto quem está certo… eu que sou financeiramente educado e não vivo tanto, ou ele que vive pra caramba e não tá nem aí pro dinheiro…. afinal ambos um dia vamos nos aposentar pelo mesmo sistema (INSS + PP [ele tb paga,que eu saiba])… e vamos morrer…. são filosofias de vida…

        0
        • Thiago A. 6 de maio de 2012 at 09:56

          Economizo também. Lógico, não vivo vida de monge, mas perto dos meus conhecidos gasto pouco.

          Enquanto eles tem iPhone eu tenho um Android simples e por aí vai. Em algumas coisas obviamente gasto mais do que eles, mas sou moderado

          Só que algumas coisas me dão muita tranquilidade: não ter prestação pra pagar, não ficar com medo se perder o emprego amanhã, etc

          Esse seu amigo aí no 1o perrengue acaba ficando no aperto, ou acha algum parente pra ajudar.

          0
        • Ane 6 de maio de 2012 at 11:20

          Eu tenho essa dúvida também: será que eu estou certa de ficar juntando dinheiro?

          0
        • Leno 6 de maio de 2012 at 14:48

          Conheço pessoas bem instruidas que tambem pensam como seu amigo, inclusive minha mulher.

          Mas para mim isso não passa de discurso pronto para tentar explicar a incapacidade de administrar a propria vida e ceder aos desejos da gastança.

          Já ouvi de amigos que considerava inteligentes frases do tipo: “vou comprar um consorcio, pois divida eu pago,mas não consigo juntar $$”. Oras,quer coisa mais absurda do que isso ? Hahaha…

          Eu tenho certeza que é perfeitamente possivel viver bem hoje com responsabilidade financeira, e guardar para o caso de estar vivo amanha.

          0
  • simone 5 de maio de 2012 at 21:48

    COMPREI UM COFRE E DEIXAREI O MEU NO BANCO

    0
    • Anonymous 5 de maio de 2012 at 22:13

      Simone,

      Sugiro tirar o dinheiro do alcance dessa gente. Pode vir m***a para valer com essa gente.

      0
  • Leno 5 de maio de 2012 at 21:52

    Em primeiro lugar, o principal objetivo do governo ao reduzir a poupança foi impedir a migração em massa dos compradores de titulos publicos, o que causaria um deficit ainda maior na divida publica.

    Do jeito que vc colocou, parece que o povo só precisa de carros e imoveis, ninguem mais terá gastos com saude, educação, segurança, alimentação etc.

    0
    • Leno 5 de maio de 2012 at 21:57

      Ops, resposta para o Hevim

      0
    • Arsen 5 de maio de 2012 at 22:11

      Nao precisa só de carros e imoveis, mas isso sao as top ambições do povao, pois há enorme pressao social(casa) e a questao do status(carro).

      Sem falar que tanto carros e imoveis sao setores fundamentais da economia e responsaveis por fatias significativas do PIB, alem de puxarem outros tantos setores.

      O governo quer e precisa que esses setores continuem a todo vapor.

      Por isso concordo em partes com o Helvin.

      0
      • Leno 5 de maio de 2012 at 22:31

        A ambição do povão não vai sustentar isso sem aumento real da renda. Com este estimulo ao credito e ao consumo desenfreado, a inflação vai disparar. O que se ganhará de um lado com a queda de juros, será tirado do outro pela inflação, na pratica vai continuar a mesma coisa.

        0
        • Arsen 5 de maio de 2012 at 22:48

          Sim Leno, sabemos disso… E eu acho q o governo tb sabe, mas nao quer que o rombo estoure justo na mao deles agora(tem copa e olimpiadas ainda), vao empurrar com a barriga pra todos os lados o quanto der e forçar os juros pra baixo é um jeito de faze-lo. O proprio sinistro Mantega disse q o credito “nao esta crescendo a taxas desejadas”.

          O problema é q o povao é ambicioso demais em relaçao a essas coisas e tem pouca ou nenhuma instrução financeira, entao cairão facilmente no engodo do governo e ajudarão a jogar a sujeira embaixo do tapete enquanto der.

          Sabemos q a tendencia agora é q o espaço literal seja o limite pra inflação que vai chegar(ainda mais pq essa queda de juros torna nosso deficit menos interessante pros gringos e dale governo imprimindo dinheiro), mas aí só deus sabe o q esses aloprados vao fazer(se é q vao fazer) pra conter.

          0
          • Arsen 5 de maio de 2012 at 22:55

            Ops… Espaço sideral*

            0
  • simone 5 de maio de 2012 at 22:06

    quer dizer colocarei no cofre em casa ……

    0
    • Neo 5 de maio de 2012 at 23:47

      cofre em casa + empregada domestica

      resulta em visitas inesperadas:

      “Cade os dolar e as jóia??? Tá de kao com a minha cara tia ??? “

      0
      • peterson 6 de maio de 2012 at 09:46

        eu ia alertar sobre isso….

        0
  • Ze Bom Dirolo 5 de maio de 2012 at 22:09

    No congelador ou no colchão?
    Estou na dúvida aonde deixo o meu dinheiro.
    Alguém poderia me ajudar?

    0
    • Anonymous 5 de maio de 2012 at 22:27

      Miami, numa conta de poupança (para não pagar taxas) em doláres.

      0
  • Sérgio 5 de maio de 2012 at 23:28

    Nosso (des)Governo poderá fazer todas as mágicas possíveis e imagináveis, mas não conseguirá empurrar por muito tempo a crise que se avizinha.
    Crise é pouco: a cada ato de desespero, a CADA 0,5% a menos na SELIC, mais e mais espaço se dá à formação de uma HECATOMBE, pois, que não se resumirá apenas nos imóveis.
    O que esse governo (que eu voto desde 1989) está fazendo é SUICÍDIO; e o pior é que ele está levando consigo toda uma nação.
    Um ou outro podem achar que sou contra o “baixar dos juros”; não sou: nossos juros são altíssimos. Mas baixar juro não é o remédio, tampouco a panaceia propagandeada por NOSSA mídia.
    A selic deveria funcionar EXCLUSIVAMENTE como “peso e contrapeso” em uma economia saudável: não como um POÇÃO MÁGICA.
    .
    Todos erram: já errei muito, muitas vezes. Mas nunca pensei que ajudaria a eleger um partido que tem como ministro da fazenda um XAMÃ.

    0
    • GB 6 de maio de 2012 at 00:01

      Se o mundo estivesse bem e crescendo eu até ficaria preocupado com o que vai acontecer aqui no Brazil, mas como já estão todos ferrados o negócio é entrar pro clube e fica tudo certo.

      Com esse PIB, o Brazil já está em recessão, s´o governo ainda não viu isso.

      Lembram-se da última crise do dólar ? Dólares saindo aos milhões e o BC vendendo dólar para manter a cotação em 1 para 1. Aí chegou um momento em que não dava mais para fazer isso e o governo liberou o câmbio, abriu as pernas, e ele chegou a uns R$ 4, 00 ?

      O mesmo vai acontecer agora, ele socorre o mercado enquanto der mas é esforço inglório, logo os preços vão cair bem gostoso.

      0
      • peterson 6 de maio de 2012 at 09:51

        lembro desta época, faturei muito… mas por outro lado penso que FHC e equipe economica deveria ser preso por lesar a pátria por aquele episódio… se fosse em cingapura era perpétua facil facil…

        0
  • Vitor - CWB 6 de maio de 2012 at 00:45

    Vendedor de hipotécas, finanças, ações…
    Video hilário

    http://www.youtube.com/watch?v=dXTFGDMjaYg&feature=related

    0
  • Sol de Sampa 6 de maio de 2012 at 00:57

    Começou o efeito ´dominó…..

    AGENCIA ESTADO – 05.05.2012

    Com estoques altos, indústria deve adiar retomada da produção

    Alto estoque é provocado pela redução na demanda doméstica e nas exportações

    05 de maio de 2012 | 18h 55

    Notícia

    Márcia De Chiara, de O Estado de S. Paulo

    São Paulo – O lento ajuste dos estoques nas fábricas, provocado pela redução na demanda doméstica e nas exportações, deve adiar a retomada da produção da indústria para o segundo semestre. Em abril, um terço dos 31 ramos industriais mais importantes estava com estoques excessivos, revela a Sondagem Conjuntural da Indústria de Transformação da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

    Marcio Fernandes/ AE

    Em abril, um terço dos 31 ramos industriais mais importantes estava com estoques excessivos

    Dos dez setores, que incluem desde carros e confecções até materiais de construção, seis deles estavam superestocados em setembro de 2011 e continuavam com volume excessivo de produtos no mês passado.

    Nem mesmo as decisões tomadas pelo governo para acelerar a economia – como o corte nos juros básicos em 3,5 pontos desde julho de 2011, a reversão das medidas macroprudenciais no fim do ano passado e a tentativa de desobstruir o crédito aumentando a oferta de financiamento mais barato nos bancos oficiais – surtiram efeito até agora para impulsionar a atividade, observa o economista-chefe da LCA Consultores, Bráulio Borges.

    Em março, a produção industrial decepcionou: caiu 0,5% em relação a fevereiro e 2,1% ante março de 2011. Foi a sétima queda anual seguida. De olho nos resultados pífios, o Banco Central mudou o discurso na última ata do Copom em relação à anterior e deixou em aberto a possibilidade de continuar a cortar os juros para acelerar a atividade.

    No mês passado, quase 70% dos fabricantes de resinas, produto intermediário usado por outras indústrias e que funciona como termômetro de vários setores, tinham estoques excessivos, aponta a FGV. A pesquisa ouviu 1.114 empresas da indústria de transformação como um todo.

    Os estoques também pesam no segmento de materiais de construção. Cerca de um terço (32,2%) dos fabricantes de produtos metalúrgicos para construção e 29,2% das indústrias de minerais não metálicos acumulam volumes indesejáveis de produtos. O quadro se repete entre os fabricantes de ônibus e caminhões, confecções, automóveis, embalagens plásticas, nos quais a fatia de empresas superestocada é de 25,1%, 24,1%, 13,6% e de 11,9%, respectivamente.

    “A indústria só vai acelerar a produção se a demanda melhorar e os estoques diminuírem”, diz o coordenador técnico da sondagem, Jorge Ferreira Braga.

    O encalhe é confirmado pelos fabricantes. Roberto Chadad, presidente da Associação Brasileira do Vestuário (Abravest), que representa 25 mil confecções, diz que sobra produto no segmento popular, cujo estoque equivale a 45 dias de venda.”O quadro é preocupante”, afirma Walter Cover, presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Construção (Abramat). Ele diz que o desempenho do quadrimestre veio abaixo do esperado. Cresceu 3% em relação a 2011 e a expectativa era 5%. “Num primeiro momento, os estoques sobem. O passo seguinte é reduzir produção.”

    0
  • chico bento 6 de maio de 2012 at 01:41

    Vamos retornar ao que interessa, a bolha, na PRÁTICA!
    Acompanho semanalmente os classificados de “A Tribuna ” de Santos . A Terra do pré sal, que só vai estar a pleno vapor em 2020 com uns 500 funcionários, gerentes e diretores ganhando bem. O resto ( 2.000) será com salários a valores de hoje, entre 3.000,00 a 7.000,00.
    Busca de algo para decente para morar, +/- 130m² e valores entre 450.000 e 550.000,00.
    No último ano só vi os preços subindo e os apartamento continuando com a placa de aluga-se. Não conseguia entender, como o preço sobe e continua à venda? Quer vender ou não?!!!!! Hoje tenho certeza que esses aumentos sem vender se devem a disseminação de um índice chamado FALÇO-ZAP, em que os preços sempre aumentam! Mas não vendem!
    Todo sábado grifo de vermelho todos os classificados de meu intresse. Neste sábado 05/05/2012 meu jornal ficou VERMEHO de vergonha ou de tanto eu rabiscar. Nos últimos meses eu grifava de 5 a 10 anúncios, hoje grifei 21!!!!!!!
    Outro fato que me chama a atenção é a quantidade de anúncios indicando o valor do M², coisa que não ocorria há muito tempo! E pior, com preços muito menores que indicados no FALÇOZAP.
    Vejam os exemplos de hoje: Machado de Assis ( belíssimo 204m², 3 vagas) 5.093,00 o m²/ Avignion( muito bom) 4.275,00 o M2 o Gardem/ Figueira( Excelente) 274 m², 4 suites,4 vagas e 1 depósito.Os três prontos há mais de dois anos, não vendem, e sobem de preço? Coisa de investidor que hoje quer se livrar o mais cedo possível do abacaxi! Há vários anúncios com ap de 200m² por +/- 900.000,00, ou seja 4.500,00 0 M²!!!!
    Um caso emblemático são os os anúncios de um condomínio chamado JARDINS DA GRÉCIA., 4 torres, ap de 199m²,3 vagas, varanda gourmet etc… etc… Há seis meses era anunciado por 1.500.000,00, hoje encontrei 3 anúncios ( Investidor se livrando?!!!) São eles: Sem preço – fone 013 7804 9268/ 1.200.000,00 Casa & Jardins – 13- 3285 4848 e 980.000,00 Roda Imobiliária 13- 3327 3538. Levando em conta esse último preço da: 980.000,00/ 199m² = 4.925,00 o m². Cadê o índice FALÇOZAP para esse valor? Tudo é acima de 7.000 0 m²!
    O melhor 980.000,00/ 1.500.000,00= desconto de 65% !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!?????????????????
    Se isso não for bolha explodindo…..!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Dúvidas ?
    Veja A Tribuna de Santos de sábado 05/05/2012

    0
    • Douglas 6 de maio de 2012 at 05:39

      Chico Aptos acima de 500 mil serão os maiores micos da historia, qm investiu nesse tipo de imóvel fez a pior cagada da vida, pois, com a alta dos preços, existem centenas imóveis nessa faixa de preço, mas o q mais me dói o coração, são os Aptos antigos com o valor do condomínio já valendo R$ 800,00 e acima de 500 mil

      0
    • Fred 6 de maio de 2012 at 14:35

      Com certeza muita gente ganhou dinheiro na cidade com toda a especulação que rolou, mas acho que os santistas de modo geral estão perdendo demais em qualidade de vida por causa dessa verticalização sem fim. Uma pena.

      0
  • chico bento 6 de maio de 2012 at 01:51

    Corrigindo ,Figueiras 5.462,00 o m².
    Acrescentando outro anúncio: Costa do Forte = 4.991,00 o m²

    0
  • GB 6 de maio de 2012 at 05:55

    O Brazil é mero exportador de matéria-prima, o pessoal do Money Morning cansa de falar que estamos “bem” enquanto o mundo precisar de commodities.

    Mas os principais compradores estão reduzindo a taxa de crescimento, então vão precisar cada vez menos disso.

    Todo mundo sabe que estranho não é todos os outros estarem em crise, é o governo vir a público, como fez na antiga crise do dólar, negando que o Brazil não esteja assim.

    0
  • GB 6 de maio de 2012 at 06:40

    Caras, esses corretores deviam passar mais tempo vendendo AVON e NATURA e deixar a gente aqui sossegado tratando dos assuntos de real relevância.

    E dizer que eu sou o “pior usuário daqui” é exagero, o Cirilo ainda está rondando por aqui com seus fakes, enquanto isso acontecer no máximo eu fico com a medalha de prata.

    E tem gente que mirava os “zóios gordos” para o $$$ da poupança do povo, achando que ele ia salvar as construtoras e ia voltar ao oba-oba dos proprietários, BULLSHIT, agora que o pessoal vai pensar 2 vezes antes de tirá-lo de lá.

    Ó, domingão é massa: dá-lhe caderno de comédia, digo, de encalhes, digo, de imóveis, uhhhhhhhhhuuuuuuuu !!! Fico imaginando todo esse povo ao lado do telefone, esperando que apareça um comprador. Vou ligar para alguns mas vou desligar antes que atendam, vai ser a maior correria para tender o telefone, muito cruel e se atenderem ou me ligarem retornando eu digo que disquei errado, essas coisas acontecem.

    “Primeiro te ignoram, depois te ridicularizam, depois te combatem e por fim você ganha”. Gandhi

    0
    • Leo 6 de maio de 2012 at 08:18

      GB, é OBVIO que esse cara ai tem os interesses dele.. OBVIO… Ele fica de lero lero achando que só tem bobao por aqui.

      O cara que tem 2mi p/ comprar um AP pro FILHOZINHO nao perde tempo com bobeiras na internet. É um zezao achando que pode algo.

      0
      • charles 6 de maio de 2012 at 15:46

        Leo

        Bem observado. O perfil que tracei dele coincide perfeitamente com sua descrição. Só não tinha dito isso antes por educação e respeito ao participante.

        0
    • lena 6 de maio de 2012 at 08:34

      GB, esta é uma opiniao isolada aqui. Acredito que 95% dos frequentam o blog, assim como eu, estao de acordo com vc e gostam de ler suas postagens. Acredito também que uma boa dose de bom humor é sempre bem-vinda. Poucos sabem fazer críticas precisas com humor inteligente.

      0
      • Sol de Sampa 6 de maio de 2012 at 14:20

        GB ouça a Lena, representa o que penso tb….

        0
        • RosinhA 6 de maio de 2012 at 20:39

          Tb acho poucos conseguem enxergar de maneira ampla, a maioria só gosta de ver e ler o que lhe convém, é difícil aceitar opiniões quando são tratadas de maneiras debochadas , tb tenho seu estilo, mas com opinões formadas e definidas, sem se levar por oba oba.

          0
  • augusto 6 de maio de 2012 at 08:11

    O limite para reduzir a taxa Selic, será quando os estrangeiros deixarem de trazer doalres para cá, pois os famosos IED na maioria não passam de investimentos especulativos, e que ajudam a manter nossa balança de pagamentos aceitável no mundo, e financia a enorme divida interna do governo gastão, incompetente e fisiológico.
    Assim que os BCs dos paises avançados começarem a subir juros , d. dilma, queira ou não, terá que ordenar seu cupincha puxa saco Tombini, a começar a aumentar novamente a Selic.

    0
    • GB 6 de maio de 2012 at 08:21

      Esse negócio de “baixar a SELIC” é conversa mole para pegar os trouxas em feirões de imóveis, se fizerem isso não vai durar 3 meses, vão ser obrigados a subir novamente por causa da inflação e da fuga dos dólares.

      Aí o povo fica com aquela care de idiota, com seus 30 anos para pagar, sem saber o que aconteceu que fez os juros aumentarem.

      0
      • Thiago A. 6 de maio de 2012 at 08:43

        Inventaram esse ‘gatilho’ na poupança só pra dar tempo mesmo, o juros VAI a 8.5% ou talvez até a 8% direto na próxima reunião do COPOM (fim do mês se não me engano).

        Agora, depende se o financiamento da caixa é pré-fixado ou pós-fixado, mesmo assim vai fazer estrago

        0
        • GB 6 de maio de 2012 at 09:02

          Os especialistas estão dizendo que o governo criou uma disparidade: vai haver financiamento baseado em dinheiro “caro” (o da “poupança velha”) e vai ter financiamento com dinheiro mais “barato” (o da “poupança nova”).

          Eu acho que vão desfazer essa lambança logo, era melhor aumentar o prazo para 40 anos.

          0
    • peterson 6 de maio de 2012 at 10:01

      olha, pode ser que ocorra outra onda de inundação de dolar no mundo…. não sei não…. as coisas estão imprevisíveis … derrepente o governo acertou, mas não gosto muito dessa idéia não, sou resistente a qualquer intervenção na poupança, recordo-me da história de fracasso em intervenções nesta aplicação….

      0
  • Adriano 6 de maio de 2012 at 08:28

    Pessoal, uma coisa sobre o qual o Mrk já falou bastante é sobre a questão da desinformação. Aparece gente pra burro aqui, que na boa, só pode ser fake, fazendo afirmações que destoam COMPLETAMENTE da realidade objetiva vista no mercado. Dizer que na ZS do Rio não têm oferta adequada só pode ser piada. É só ver a escalada de imóveis disponíveis pelo ultra confiável FIPEZAP e, para quem mora no rio, as milhões de plaquinhas num passeio de carro.
    O que está acontecendo é que o blog já foi mencionado inclusive em jornais tidos como de respeito no exterior. Está incomodando mesmo. O objetivo desses caras é APENAS DESINFORMAR. Por isso, embora ache que as vezes o GB exagere achando que todo mundo é o Cirilo, concordo que esse pessoal com seus achismos (pois nunca vêm com informação objetiva) têm realmente de ser “desmascarado” mesmo logo de começo. Porque se não, corremos o risco em ficar perdendo tempo com debates com pessoas que só querem “confundir”. Ou vocês acham que as construtoras e corretoras não mandam seus estágiarios prestar esse serviço aqui no blog? E não têm nada a ver com teoria da conspiração. É só pensar, se eles usam toda sua força (e grana) para pagar reportagens na imprensa, para serem entrevistados como “especialistas”, botar seus estagiários para escrever bobagens aqui é bem fácil.
    Reparem também o perfil dos que entram aqui para mencionar experiências pessoais de que indicam que não há bolha, é só de supostos “ricos”, “quase ricos” ou “milionários”. Só de gente que pode comprar ap de de 2 milhões e por aí vai. Façam-me o favor!! O GB as vezes é chato, mas tá na cara que é fake!!

    0
    • peterson 6 de maio de 2012 at 10:13

      qualquer unanimidade é burra colega, derrepente os dois lados estão com razão, isso não enfraquece a idéia de que vivemos em uma bolha, enfraquuece a idéia de ruptura, o que faz sentido, uma vez que estamos na ESTAGNAÇÃO, segundo minha perspectiva analítica, neste momento os dois lados começam a ter razão, cada um com sua parcela, basta pensar que antes (2008-2010) os defensores de bolha eram totalmente desprovidos de razão, desconsiderados totalmente e de fato, exceto fatores especificos, era dificil provar a existencia de uma bolha, hoje temos não só fundamentos, como comprovações fisicas, depois quem cairá em descrédito serão os que dizem que não há bolha, trata-se de um efeito ESPERADO. Eu desejo muito que os “Cirilos” voltem neste blog depois da ruptura (lá pra frente), quero aprender a psicologia da ilusão financeira e encerrar este grande estudo que já me agrega muito de percepção e analise…

      0
  • Tiago 6 de maio de 2012 at 08:47

    Galera, o que mais me entristece é que a bolha agora está tomando conta de Osasco… qualquer apto de 2dorms sendo vendido aqui a 300mi… o efeito “morar perto” de SP tá fazendo os preços por aqui ficarem endoidecidos… os corretores estão fazendo de tudo para te convencer a comprar um 60m2 por 5000m2…

    0
  • GB 6 de maio de 2012 at 08:54

    Gente, não dá para levar a sério um mercado que deixa de lado seus principais clientes fiéis (os compradores finais) e os troca por especuladores que não têm nenhum interesse que não seja o lucro rápido e fácil e geram distorções como o shadow inventory.

    Aí é pedir para acontecer o que aconteceu, ó óbvio: os preços tornaram-se proibitivos para os finais e quando os próprios especuladores descobriram que não tinha mais especulador com $$$ para pagar, aí a coisa travou e a pirâmide ruiu.

    Infelizmente eu trabalho diretamente com esse povo e posso dizer que meus maiores inimigos são corretores, eles me odeiam, vocês não acreditariam no que eu falo na cara deles e nenhum consegue arranjar argumentos convincentes para convencer-me do contrário, inclusive a maioria perdeu aquele sorriso no rosto que ostentava entre 2008 e 2011.

    O lance é dar tempo ao tempo para ver até onde vai o gás do governo, pois as construtoras já gastaram o delas e tentar se divertir no processo com essa viajem toda que o mercado inventou, eles deram um tiro no próprio pé e vão reduzir o preço mesmo que seja a contra-gosto, nenhum mercado vive de vento por muito tempo.

    0
    • RPL 6 de maio de 2012 at 11:10

      Eu não aceito nem papel de propaganda de apartamento nos semáforos!!!!

      Cheguei a conclusão que nos próximos 2 anos, eu não preciso nem me preocupar em olhar imóveis…

      0
  • Eskeleto 6 de maio de 2012 at 09:24

    Eu quero muito comprar um imóvel como muitos já sabem aqui, mas eu me sinto hoje em uma posição confortável onde se os juros baixarem vai ser bom para mim, pois poderei aguardar eles chegarem no limite para financiar e sair na frente de muitos que pegaram os juros que se dizem baixos hoje. Quem foi ao feirão cairá na mesma situação dos que compraram imóveis a 1 mês atras (juros mais altos ) . Se a coisa explodir também me darei bem pois comprarei bem mais barato e com os preços travados ( no qual hoje é visível ) e acredito que ficará nos próximos 3 a 4 anos me dará tempo para analisar o melhor momento de comprar.

    Se eu sair com uma filmadora no meu bairro gravando as ruas onde passo e mostrando as placas de aluga e vende podemos analisar que realmente o mercado não está bom. Um apartamento que estava em construção e não marquei o tempo, mas usei o google como um indicador do guia de ruas e vi a construção com a data do dia 1o de maio do ano passado em pleno vapor e que foi vendido 3 dos 4 apartamentos é possível tirar uma base que as vendas estão lentas. Quando se vende 3 é lógico que se venda o 4o rápido e no caso não é isso que está acontecendo.

    Talvez oque esteja faltando aqui é um termômetro visual para o argumento de todos FAÇAM UM VIDEO MOSTRANDO EM SEUS BAIRROS A SITUAÇÃO ATUAL COMO NÃO ESTÃO VENDENDO OU ESTÃO VENDENDO E POSTEM para mostrar que estão certos ou que um estado está bom e outro está ruim as vendas somente assim teremos uma situação em que não precisamos argumentar com cada um que entra no blog.
    Eu demorei muito tempo para falar aqui e um título fixo com vídeos seria muito bem vindo para compararmos pois não temos isso no momento.

    0
  • Anonymous 6 de maio de 2012 at 10:08

    … O cara que tem 2mi p/ comprar um AP pro FILHOZINHO nao perde tempo com bobeiras na internet. É um zezao achando que pode algo …

    Além disso, eu provei em mensagem acima que o filhinho de papai pode APOSENTAR nos EUA com esse dinheiro. Por que iria querer morar na Banânia? Para viver pagando impostos? Só mesmo se for idiota.

    0
    • Leo 6 de maio de 2012 at 11:29

      Que por sinal foi um excelente post. Tenho um TXT aqui com varias dicas que voce passou. Pena que nao tenho 2mi mas certamente vou seguir suas dicas p/ proteger o pouco que tenho.

      0
  • Menino_do_Rio 6 de maio de 2012 at 10:15

    ATENÇÃO: Perspectivas para o setor imobiliário depois das novas regras da poupança.

    http://globotv.globo.com/globo-news/conta-corrente/t/todos-os-videos/v/novas-regras-na-poupanca-nao-devem-afetar-financiamento-de-imoveis-diz-especialista/1935090/

    Os futuros compradores (atuais poupadores), não devem assistir essa desanimadora matéria.
    E o pior que ainda teremos que aguentar mais 2 mandados(até 2022) do Doctor honoris causa…

    Brasil do pt, endivide-se ou deixe-o.®

    0
    • Ploc 6 de maio de 2012 at 13:31

      HAHAHAHAHHAAH!

      Para quem gosta de estudo de casos eu diria que essa entrevista é a típica entrevista da BOLHA na FASE DA NEGAÇÃO DESCARADA

      Seria bom anexar a cada fase da bolha video associados a ela

      Adorei. Basta ler nas entrelinhas.

      Quero ver os três sentados e comentando o mercado imobiliario daqui a 2 anos.
      O reporter (que eu nao gosto por seus comentários de quem está drogado) me surpreendeu: Ele confirmou com suas perguntas o que todos negavam ou escondiam recentemente, inclusive ele mesmo em outras reportagem:
      – precos dos imóveis subiram muito mais que a renda – um absurdo;
      – Estoques excessivos;
      – Chamar o ano de 2010 de ESPECIAL;
      – Tendencia de o mercado de construção civil reduzir a mão de obra seja por automatizacao ou decadencia do mesmo;
      – O cara diz que 1 hora de deslocamento para o trabalho é pouco no Rio de Janeiro;
      – hahahahah, os investidores visam agora o mercado comercial e nao o de aluguel residencial pois o risco é menor. Se alugarem né.

      PLOC

      0
    • Eng RJ 6 de maio de 2012 at 19:08

      Por um lado a entrevista mostrou a realidade dessas construtoras: esse negócio de imóvel 100% vendido no lançamento é mentira delas. Elas tendem a segurar alguns imóveis para ir vendendo mais caro a medida que o prédio vai sendo contruído para diminuir seus riscos na variação do custo da obra e aumentar o lucro.

      0
    • peterson 7 de maio de 2012 at 01:59

      ISSO MERECE TOPICO. Trata-se claramente de uma matéria de negação à bolha e portanto mais uma referencia a história da BIMOB .Lembrem-se estamos na ESTAGNAÇÃO-NEGAÇÃO-FRAUDE , portanto Isso é uma situação ESPERADA, o aumento de propaganda, negação e otimismo nos numeros negativos, desvio de perspectiva, combinações de ajustes, migração dos anuncios, alteração de graficos/metodos, etc…. eu digo e repito divido meus lucros 1/2 a 1/2 para quem me disser qual a fraude que está ocorrendo atualmente… pois é certeza que tem alguma… e quem acertar (e fazer posição) terá muito lucro…

      0
  • Ane 6 de maio de 2012 at 11:07

    Gente, alguém aí é de Vitória, Vila Velha e Serra?Tem informações dos imóveis? Tem muita construção aí! Me impressionava muito, mas já tem uma ano que não visito a cidade. E aquele prédio perto do aeroporto na mata da praia?

    0
    • Carlos 6 de maio de 2012 at 14:41

      Ane, geralmente vou a vitória ( minha namorada é de lá) e o que vejo são prédios prontos ( princalmente na orla de itaparica) e vazios. Os únicos q vi com uma taxa de ocação boa são os do plano cem ( perto do bar abertura-vila velha). Os novos empreendimentos estão Com stands vazios e várias placas de vende-se nos prédios já entregues!! Na semana retrasada isto foi até discutido na casa da minha namorada. Pois o cunhado dela já verificou queda de preços em apartamentos vitoria bay ( enseada do suá). Espero ter te ajudado!!

      0
  • Leo 6 de maio de 2012 at 11:29

    Que por sinal foi um excelente post. Tenho um TXT aqui com varias dicas que voce passou. Pena que nao tenho 2mi mas certamente vou seguir suas dicas p/ pr