Como vão as construtoras ? – Fábio Portela

Você pode gostar...

Comments
  • DM 10 de outubro de 2011 at 08:20

    Elas vão bem obrigado!

    Hoje pela manhã saindo de casa a caminho do escritório, eis que eu vejo exatamente em frente ao condomínio que moro na ZO de SP (Butantã) um carro parado com um Banner e um corretor de terno e gravata ao lado do mesmo com os dizeres, vendo imóvel na zona oeste, pergunte-me sobre os lançamentos.

    Nunca antes na história deste País havia vivenciado tal experiência.

    O que acho estranho é que com certeza nenhuma oferta que ele possa ter cabe nos bolsos dos moradores de meu condomínio, pois acredito fazemos parte da pobre população que recebe mais de R$ 5 K por mês.

    É isto ai, as constrturos estão bem, tem corretor para tudo quanto é lado e devem estar vendendo horrores.

    DM

    0
    • Zoom 10 de outubro de 2011 at 08:44

      Corretor ambulante.

      0
    • Pedrao 10 de outubro de 2011 at 10:41

      Em algumas cidades vc já encontra corretores nos semáforos/sinaleira/farol de transito abordando os motoristas.
      De terno e gravata no meio dos carros se apresentam como consultores de investimento.
      Estão a caça dos últimos a entrar nessa onda.

      só para completar o assunto do post, aqui vai a queda dos valores das ações em nos ultimos 12 meses.

      Gafisa GFSA3 -63,16%
      PDG PDGR3 -69,37%
      Rossi RSID3 -45,49%
      Cyrella CYRE3 -51,31%

      0
  • Coelho 10 de outubro de 2011 at 08:42

    Estou estupefato! Vejam essa notícia: Site faz queima de estoque de imóveis. http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/site-faz-queima-de-estoque-de-imoveis

    0
  • Coelho 10 de outubro de 2011 at 08:43

    É o estouro!!! Boooommmm!!!!

    0
  • Duda 10 de outubro de 2011 at 08:58

    Excelente artigo do Portela. Bom, prova mais conclusiva não existe. O mercado entrou em período de esfriamento, isso concorda perfeitamente com o que vimos falando há meses: queda na bolsa, queda em unidades vendidas, descontos, carros de brinde, motos, e muitos outros fatos. O estouro já começou, estamos na parte da queda livre. Mas mesmo assim, ontem estive olhando e lendo o perfil das curvas de preços nas bolhas e pode acontecer o seguinte: depois da primeira queda da preços, muitas pessoas entrarão a comprar, para aproveitar “esse momento de preços baixos” o que ocasiona uma subida momentanea. Depois disso vem a queda final, muito mais forte e pronunciada (esimo que isso vai chegar no ponto maximo em novembro de 2012, daqui a um ano). Pelo que da para perceber, serão as proprias construtoras que irão puxar os preços para abaixo. Esse jogo de descontos e de brindes, so esconde uma coisa: desespero por vender.

    0
    • Duda 10 de outubro de 2011 at 09:01

      …”viemos”…

      0
    • John 10 de outubro de 2011 at 10:12

      As construtoras não só podem como já estão baixando os preços, tanto que acompanho o mercado imobiliário em Brasília e já percebi que os apartamentos no Setor Noroeste estão mais baratos agora. Mas mesmo que as construtoras queiram bater o pé, o proprietário que precisar vender o apartamento vai precisar abaixar o preço para conseguir.Ou faz isso ou o apartamento continuará encalhado. Simples assim.

      0
      • aiwww 10 de outubro de 2011 at 13:58

        Carlos,
        concordo que não seja no Brasil inteiro. Apenas em todas as capitais e demais cidades médias. A maior parte do Brasil continua inabitável desde o descobrimento … nessa área a correção não será grande, pois há décadas conhecemos os grileiros e todo aquele pessoal gente boa … mas, mudando de região, ontem meu pai comentou o valor da avaliação feita por um corretor para um apartamento de 70 m2 num prédio antigo de 3 andares, sem garagem e qualquer amenidade .. o apartamento está em inventário, fica na Rua Professor Gabizo, na Tijuca (nova Zona Sul) e foi avaliado em apenas 400 mil !!! Fiz apenas uma comentário ao meu pai .. PLOC !!! 😛

        0
    • Duda 10 de outubro de 2011 at 10:15

      Quando as empresas operam no prejuizo não é porque queram, e sim porque não tem outra alternativa (falo de qualquer empresa, não so de construtoras). Estas empresas deverão liquidar estoques se querem seguir vivas.

      0
      • Duda 10 de outubro de 2011 at 10:34

        Carlos, vou repeter, não que eles possam decidir se baixam preços ou não. Quando os numeros não fechem, TERÃO que baixar para conseguir liquidez. E não vai ser uma liquidação “ponta de estoque”, vai ser algo bem maior, considerando o tamanho das envolvidas.

        0
        • Duda 10 de outubro de 2011 at 10:37

          Carlos Paddock: se vc ler o artigo publicado pelo Felipe B imediatamente abaixo deste, vai ver que confirma um 100% o que falei acima. Mais claro, impossivel.

          0
        • Duda 10 de outubro de 2011 at 10:47

          Carlos, se vc quiser acreditar no Papai Noel é assunto seu. Se fosse vc dedicaría mais tempo a ler as entradas antigas deste site.

          0
          • Duda 10 de outubro de 2011 at 11:32

            Tem bem mais que isso por lá…

            0
            • Luiz 10 de outubro de 2011 at 12:23

              As construtoras não podem parar de lançar, Carlos isso ja foi discutido aqui.
              Se parar de pedalar, cai.
              Precisam dos lançamento pra manter a contabilidade saudável, vc é da tesouraria não preciso te explicar como se faz a manobra, né?

              E mesmo que conseguirem reduzir o ritmo já tem muita obra “vendida”.
              Precisam concluir. Esse mar de imóveis da venda recorde de 2009/2010 vai impactar no preço em 2013, mas não quer dizer que dá pra ir especulando até lá pq as vendas travaram, a liquidez secou.

              0
              • Fred Henrique 11 de outubro de 2011 at 09:16

                Não sei se é coincidência, mas dando uma googlada em “Carlos Paddock” achei o seguinte comentário no link bankreview.com.br/private/#comment-1490

                “CARLOS PADDOCK
                Setembro 25, 2011 às 6:32 pm Fernando, você teria mais alguma informações sobre o setor Private no Brasil?Estou pensando em abrir uma conta, estou em dúvida entre BTG Pactual e Credit Suisse, o Itau seria o ideal, mas o mínimo dele está meio fora de mão.”

                Não sei quantos Carlos Paddock existem no mundo, mas boa ironia essa, hein!?

                0
              • Anonymous 11 de outubro de 2011 at 09:49

                É o mesmo com certeza pois ele citou a “Avenue Foch” no contexto de casas na Florida.

                0
                • Luiz 11 de outubro de 2011 at 10:19

                  rsrs, eu sabia que ele não conhecia paris
                  tomara que vá, e que aprenda algo
                  se bem que conheci tano brasileiro que foi e não aprendeu nada
                  vcs são phoda
                  parabens blogueiros

                  0
        • Carcará 10 de outubro de 2011 at 12:28

          Caro,
          se as construtoras ficarem 20 anos sem fazer nenhum lançamento, ainda assim haverá imóveis disponíveis. Ah, é baixar DRASTICAMENTE os preços ou quebrar. Não tem outra escolha.

          Abraços

          0
          • Murdoch 10 de outubro de 2011 at 14:26

            O Carlos pode estar certo no que diz sim.
            O poder de manipulação dos caras é forte. Bem forte.
            O valor atingido foi tão alto, que em havendo queda considerável de preços ainda mantém a bicicleta de pé por um bom tempo.

            0
            • Luiz 10 de outubro de 2011 at 15:04

              Carcará baseado em que vc diz isso?
              até ond eeu vejo o Murdoch tme toda a razão

              0
        • Didier 10 de outubro de 2011 at 17:04

          Acho que os preços não vão baixar da noite para o dia, isso é um processo lento… em algum momento quem comprou o imóvel como “investimento” vai querer a grana de volta(Já que o aluguel compensa menos que a poupança) e nesse momento quando a oferta ficar muito maior que a demanda é que os preços serão puxados para baixo. Hoje o que nós estamos vendo é um período de estabilização com viés de baixa(Desemprego na construção civil aumentando) as construtoras vão conseguir baixar o preço após a mão de obra baratear e os preços dos terrenos também ficarem mais baratos. E isso vai acontecer gradualmente, só que a inflação está aí para comer o valor real do imóvel… o preço absoluto do imóvel não vai baixar drasticamente o que teremos é uma inflação comendo o valor real dele até chegar no nível normal de estabilidade.

          E Galera… o Carlos tem uma opinião diferente vamos acima de tudo respeitar…

          0
  • FelipeB 10 de outubro de 2011 at 08:58

    Olha o desespero batendo:

    Site faz queima de estoque de imóveis
    Unidades que há tempos buscam um comprador podem ser adquiridas com descontos que chegam a 30% sobre o valor de tabela

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/site-faz-queima-de-estoque-de-imoveis?utm_medium=twitter&utm_source=twitterfeed

    0
    • Zoom 10 de outubro de 2011 at 09:41

      Não tô cheirando coisa boa nesse site. Tá mais parecendo armadilha de pega ladrão do que desconto em imóveis.

      0
      • Paulo - RJ 10 de outubro de 2011 at 09:50

        idem

        0
      • FQ 10 de outubro de 2011 at 15:33

        Idem.

        0
    • Zoom 10 de outubro de 2011 at 09:44

      “Ele afirma que geralmente os imóveis não encontraram um comprador por detalhes. Apartamentos em andares baixos, por exemplo, costumam ser evitados em determinadas ruas. Também não é incomum que coberturas em empreendimentos de classe média acabem encalhando. No Rio de Janeiro, apartamentos que pegam sol na parte da tarde também são evitados porque o calor na área interna pode ser excessivo durante o verão”.

      Será que o povo tá tão exigente assim?
      Não sei não, mas essas desculpas não tá colando.

      0
      • Coelho 10 de outubro de 2011 at 10:00

        Exatamente!!! E por que esses descontos nos encalhados não existiam há 3 anos atrás? Acho que agora, com a inadimplência aumentando e a crise global, o mercado terá que enfrentar a realidade.

        0
      • Jonathas 10 de outubro de 2011 at 10:13

        Na boa, para gastar R$ 800k num apartamento, tem que ser exigente sim. Isso que estão colocando aí é o mínimo. 🙂

        0
        • Zoom 10 de outubro de 2011 at 10:31

          Lógico que tem que ser exigentes, a localização é tao fundamental como o sol, mas quis dizer sobre a situação em que estamos passando. Escassez de imóvel…. Bom, é o que eles falam. E o preço, ótimo desconto, 30%.

          0
    • Kassia 10 de outubro de 2011 at 09:46

      A “promoção” é vender um imóvel na planta na Vila Madalena a R$9.670 reais o metro quadrado? O preço médio do metro quadrado na Vila Madalena, segundo o FIPE-ZAP, está em R$ 6.951 o metro quadrado. Ou seja, a “promoção” do promoimoveis, que anuncia desconto de 30%, na realidade está vendendo 40% mais caro que o mercado.
      É, de fato, preços estão caindo mesmo….”promocao” anuncia apto de 2 qts em SP a quase 10k o metro quadrado e o povo fica “estupefato”…..kkkkkkkkkkkk

      0
      • Zoom 10 de outubro de 2011 at 09:59

        1º – A reportagem fala em desconto de “30%” e que no geral sai por 10%. Quem entende?
        2º – Que tabela eles tiram por base os preços dos imóveis? FIPE/ZAP? R$9670,00 m2. Tá loko!

        0
        • Kassia 10 de outubro de 2011 at 10:06

          Desenhando: eles não tiraram de tabela nenhuma. Se você entrar no site http://www.promoimoveis.com.br vera que a grande “promocao” é vender um apto de 67 m2 por R$ 648k; fazendo a continha: 684k/68= R$9671/m2.
          Aì vc vai no site fipe-zap, entra em SP, depois vila madalena, e ve que o preco medio de imoveis na vila madalena é de R$ 6.951.
          Mais desenhado que isso impossivel…rs..rs..

          0
          • Zoom 10 de outubro de 2011 at 10:36

            Rabiscando, hehehe…

            Será que tem gente que cai nessa armadilha? Bom, pela reportagem, teve 16 loucos.
            Como tem loco para tudo nesse mundo, fazer o que.

            0
      • Jack Imóveis 10 de outubro de 2011 at 10:31

        Kassia,

        Minha Jovem. Sua comparação não procede. O fantasioso indice FIPE/ZAP considera todo tipo de imóvel. Não precisa ser gênio para saber que os preços de lançamento são muito mais altos que dos dos imóveis usados (coisa absurda, pois o risco é muito maior). Portanto sua comparação só faria sentido se existisse um indice para imóveis novos, mas como aqui na Banania não há tranparência, não poderemos fazer essa conta.

        Vale dizer que eu acho esse site uma bela picaretagem.

        Abraços

        Jack – Sorridente

        0
        • Kassia 10 de outubro de 2011 at 10:42

          Bom, até pouco tempo atrás, pelo menos em SP, lançamento estava mais ou menos no mesmo preço do mercado. Eu mesma comprei imóvel na planta em SP e paguei o preço do metro quadrado na planta igual ao preço dos usados para o bairro. Entretanto esse site promoimoveis está anunciando na planta, como “promocao”, imovel a 30% mais caro que o mercado, o que é um absurdo. Até fiz um post no meu blog sobre isso: http://www.politicaeconomia.com/2011/10/site-anuncia-imoveis-30-mais-caro-que-o.html
          Não tem promoção nenhuma aí. É apenas uma tentativa de aplicar alguns “princicios” da tal compra coletiva jno mercado de imoveis.
          Talvez no futuro aparecam algumas promocoes reais. Essa que esta aí é enganação.

          0
          • Jack Imóveis 10 de outubro de 2011 at 11:25

            Kassia,

            Discordo e muito da sua colocação. Em SP o preço dos imóveis usados com mais de 5 anos é pleo menos 40% menor do que os lançamentos.

            Abraços

            Jack – Paulistano da Gema

            0
            • Kassia 10 de outubro de 2011 at 11:32

              Eu não vou discordar de você pois isso que vc fala é música para meus ouvidos: eu paguei há 1 ano atrás em imóvel na planta um preço similar ao dos usados. E agora vc me fala que os usados são 40% mais baratos que os lançamentos? Que lindo…acho que meus lucros serão melhores que eu imaginava…

              0
              • Duda 10 de outubro de 2011 at 11:33

                Ou seja, os lucros imaginarios, vc diz?

                0
                • Luiz 10 de outubro de 2011 at 11:54

                  Kassia vou te perguntar denovo

                  Em 1986 comprei uma rifa de walkman dum primo e ganhei.

                  Outro primo tbm tá vendendo rifas hoje, agora de ipod, vc quer uma?

                  0
              • Eduardo 19 de junho de 2012 at 00:53

                Kassia Tavares,

                Vi a sua postagem sobre a cobrança da taxa de corretagem e morri de rir.

                http://www.politicaeconomia.com/2012/06/taxa-de-corretagem-de-imoveis-na-planta.html

                Porque você não fala logo que é corretora, que é defensora de carteirinha da imobiliária Lopes Royal, e por isto está com medo das ações promovidas pelo Ministério Público?

                Seria muito mais honesto da sua parte, ao invés de tentar desacreditar as ações do MP.

                Você tenta inverter o óbvio. A cobrança da corretagem do comprador é algo ilegal, e por este motivo, muitas pessoas estão entrando na justiça, procons estão advertindo as pessoas.

                Você não está lidando com crianças.

                0
          • xangai 10 de outubro de 2011 at 23:23

            Kassia..
            talvez seja muita indiscricao ( ou nao ) … mas … vc pode dar uma dica desse seu fantastico investimento!?!?

            segundo um post anterior … vc comprou dois apt na planta em SP … com a intencao de , na entrega, com a venda de 1 apto quitar o segundo apto !!

            qual regiao vc comprou ?!?!?! qual a metragem ?!? qual era o valor total ?!? quanto pagou ate agora ?!?! qual sera o valor de financiamento na entrega ?!?! quando eh a entrega mesmo !?!?

            bom … as minhas acoes da petrobras e vale cairam uns 30 porcento … mas as minhas da ambev subiram uns 40 porcento !! a bolsa realmente nao da certo nao eh !? da muito trabalho e estudo/pesquisa !!!

            muito obrigado por qq dica de investimento !!

            0
    • Duda 10 de outubro de 2011 at 10:38

      30% já está bem perto dos valores que confirmam estouro. Porém, veremos preços menores ainda, ou seja maiores “descontos”.

      0
      • Duda 10 de outubro de 2011 at 12:40

        Ou seja: para vc Leblon e Itaim são representativos de todo o Brasil?

        0
      • aiwww 10 de outubro de 2011 at 14:28

        … só falta falar como um colega que chegou dizendo que aqui só tem “duro” e que o sonho de todos os cariocas era morar no Leblon … acho que o senhor andou vendo muita novela do Manoel Carlos, onde a diarista pergunta em inglês e o porteiro responde em francês! Essa realidade está só na imaginação dos “globais”. Aliás, uma coisa que chama muito a minha atenção no Leblon é a quantidade de lojas vendendo uniforme de empregados e aquelas mães que nunca limparam uma me*d* e andam com duas babás vestidas de branco. Isso remete aos tempos das mucamas e das senzalas. Acho que esse pessoal tem mais é que pagar 200 mil o metro quadrado. Por outro lado, sei que a loja de bolsas e acessórios da Victor Hugo, onde moedeiras são vendidas a R$1.500,00, que mais vende fica na Zona Norte (Norte Shopping – Cachambi). Lá onde quase ninguém tem bala na agulha para pagar R$2.500,00 à vista numa bolsa, e acabam tendo a ilusão da riqueza pagando a bolsa em 10 vezes de R$250,00. É o Brasil do Manoel Carlos que estamos vivendo. As pessoas vivem de pura ilusão.

        0
  • Menino do Rio 10 de outubro de 2011 at 09:01

    Com essa queda no ano, não seria uma boa hora para comprar estas ações?

    0
    • Duda 10 de outubro de 2011 at 10:19

      Se tu te anima… fica pela tua conta. Tem muito ludopata que faz isso. Eu não faría, muitas vão falir.

      0
      • MrK 10 de outubro de 2011 at 10:46

        Paddock , respondendo sua pergunta:

        “Como as construtoras com margens apertadas vao baixar precos?”

        Resposta: Vão obrigar os vendedores de terrenos a baixarem os precos de terrenos, que são hoje os maiores infladores do custo. Como vao obrigar? Parando de comprar e desinflando o mercado na marra, elas NÃO TEM outra saida, pois não podem mais repassar pra preço

        0
        • Carcará 10 de outubro de 2011 at 12:39

          Mrk,
          Paddock está querendo suprimir a irresistível força da gravidade. Os imóveis cairão, pelo simples falta de que a gigantesca oferta já existente (além da que vai ser adicionada com novas entregas) foi baseada na cupidez e não na demanda real. Mestre Sam Zell é expert nisso. Ah, ele caiu fora daqui há mais de um ano. Agora está aplicando novamente o conceito de cupidez (belamente fantasiado de demanda/déficit habitacional) na Colômbia.

          Para as construtoras vão sobrar duas opções: reduzir os preços a um valor que caiba no bolso da demanda real (vai ter de despencar uma beleza para desencalhar); quebrar – PLOC!

          Abraços

          0
      • aiwww 10 de outubro de 2011 at 14:31

        Vamos criar a Lei de Paddock … “construtoras NUNCA falem” ? .. posso juntar àquela outra lei? … “imóveis NUNCA baixam” 🙂

        0
    • Selvagem 10 de outubro de 2011 at 10:19

      Eu tava me fazendo essa mesma pergunta quando as ações da gafisa chegaram a R$6,00 (há um anos elas valiam R$12,00). Logo em seguida o governo deu aquela abaixada montruosa nos juros e elas voltaram a 7,5. Passou uma semana elas foram agora a R$5,00.

      Acredito que se o governo cortar a selic novamente agora em outubro devem subir novamente, mas não se engane elas voltarão a cair. Lembre-se que o imob durante a crise de 2008 chegou muito mais fundo do que está agora. Você pensa que chegou no fundo, pra dali a pouco ela descer mais ainda.

      0
    • Jonathas 10 de outubro de 2011 at 10:19

      A idéia do texto é que as empresas estão tendo pioras nos seus resultados, o que deveria desincentivar investidores conscientes a comprar o papel.

      Mas se você acredita que isso vai melhorar no futuro, é hora sim.

      0
  • ESI 10 de outubro de 2011 at 09:33

    Acompanho o site ha algum tempo, fiz questão de ler muitos posts para ter uma noção boa do que rola nos debates, e confesso que me divirto muito com os corretores e pseudo investidores que aparecem por aqui, todos devidamente desmontados. Não que isso impeça os absurdos, afinal a realidade esta ai para ser negada.

    Moro em uma cidade muito sui generis: Matinhos, pequena cidade do litoral do Paraná, para expor meus pontos preciso descreve-la um pouco. Contamos com gloriosos 27 mil hab, mas temos imóveis com capacidade para abrigar entre 400 a 600 mil pessoas, pois aqui até bem pouco tempo vivia-se da temporada. Ano novo e carnaval a cidade fica absurdamente cheia, um dos bairros daqui chamado Caiobá já teve o m² mais caro do Brasil, no auge dos anos 70. Bom a cidade tem duas características exóticas, primeiro quase 70% de sua area construída se encontra irregular; são terrenos de invasão onde o proprietario tem a chamada posse mas não possui a escritura. Segundo ela é estratificada em dois polos bem definidos por uma avenida, quem mora da avenida para o lado do mar é bem de vida e provavelmente reside em uma casa regularizada, quem mora da avenida para o lado dos morros provavelmente reside em uma casa com somente posse. Quando mudei para cá a 7 anos atrás, era virtualmente impossivel se alugar uma casa em caráter mensal, pois todo mundo só alugava casa por dia visando a temporada. Em resumo ficavam com o imovel parado 9 meses do ano, se deteriorando pois quem mora em cidade litoranea sabe como é, e nos 3 meses de festas achavam que estavam ricos. Por anos e anos aqui foi um laboratório para o estudo de bolhas imobiliarias, atingindo o ápice quando caiobá teve o m² mais caro. Só que como toda bolha essa estourou, a cidade tinha os politicos padrão, que nao investiam em infra estrutura e o mercado imobiliario caiu no ostracismo por quase 20 anos.

    Dito tudo isso vamos ao que interessa para o assunto do blog, como aqui temos as casas regulares e as irregulares temos um mercado onde se pode ver a bolha em ação: Explico, no lado de cá da avenida os preços quase triplicaram em 3 anos, e como toda a região ja tinha sofrido uma bolha tivemos poucos novos predios, ou seja a especulação é predominantemente com imoveis já prontos. Do lado de la da avenida os preços inicialmente subiram junto, mas em 3 meses voltaram para niveis anteriores a bolha.

    Isso se deve ao simples fato de que lá não se faz financiamento, os negócios são executados a vista ou no maximo em 10 prestações e como são areas de pouca valorização nao se especula muito por lá.

    Resumindo, onde existe especulação, os imoveis continuam subindo, mas existem casas a venda ja a 3 anos, as placas descascam, enferrujam e o povo continua a subir os preços achando que essa ciranda de financiamentos é eterna, mas negocios mesmo são poucos.

    Eu mesmo quase pensei em entrar no jogo, afinal comprei minha casa por módicos 30 mil, semana passada pedi uma avaliação e o corretor falou em pedir 110 mil pra fechar em 100. Agora me diga se o mercado aqui é saturado, quase todo lugar onde se poderia construir ja foi contruido, 80% das casas ficam vazias a maior parte do ano, e quando a temporada não é boa o mercado sofre flutuações assutadoras, não se investiu em melhorias significativas na infra estrutura da cidade COMO DIABOS UM IMÓVEL TRIPLICA DE PREÇO EM MENOS DE 4 ANOS SEM UMA BOLHA, sempre levando em conta que no mercado informal eles se mantiveram nos mesmos patamares. Vai ver temos muitos novos executivos que querem pegar uma praia.

    0
    • Zoom 10 de outubro de 2011 at 10:59

      Saudações ESI, se essa região falasse, concerteza iria escutar meu nome. hehehehe
      Caiobá, Matinhos, Garatuba são cidades lindas e maravilhosas.
      Bom exemplo o que vc citou sobre as duas regiões que são cortadas pela avenida (que bela avenida, hehee). Teu exemplo, ajuda nos a entender o que está acontecendo com esse mercado. O excesso de crédito está levantando os valores.
      Vamos ver até quando chega essa dança.

      A Sra. Dilma falou em reportagem que “crédito não cria bolhas”.

      Sempre quando escuto em financiamento imobiliário e valores altos dos imóveis, vem me a cabeça os dizeres da Sra Dilma.
      Abs….

      0
      • Duda 10 de outubro de 2011 at 14:00

        E essa porta e nossa presidente!

        0
  • Ar Quente 10 de outubro de 2011 at 10:24

    Eu continuo um pouco cético nessa linha de argumentação. Vocês pegam os piores elementos do índice e aí comparam com o IBOVESPA. Assim até a minha empresa (ticker TROLL.SA) fica parecendo boa.
    Com a volatilidade que a gente tem visto nos últimos meses, eu fico com o pé atrás. Tem bolha. Mas esse argumento aí, pra mim, ainda não mostra que a porteira foi aberta. Se o que a gente viu nos último mês e meio no IMOB se manter, aí eu mudo o discurso. Por enquanto, tá mais ou menos junto com o IBOVESPA.

    IBOV -> -26.7
    3-Jan-2011 -> 69962
    7-Out-2011 -> 51244

    IMOB -> -28.9
    3-Jan-2011 -> 1038
    7-Out-2011 -> 737

    0
    • Jonathas 10 de outubro de 2011 at 10:30

      O problema é que o IMOB não tem só as construtoras.

      A BR MALLS (BRML3) subiu 25% no ano quase e corresponde a 20% do índice.

      0
      • Jonathas 10 de outubro de 2011 at 10:37

        Ai foi erro meu. 25% foi nos últimos 12 meses. Sorry. 😛

        Mas de qualquer forma o argumento central é o de que nem só construtoras participam do IMOB.

        0
    • Jack Imóveis 10 de outubro de 2011 at 10:34

      Carlos,

      Meu Jovem. Facíl é você pegar uma matéria que fala em deficit de 23 milhões de moradias e colocar aqui.

      Infelizmente não vi um argumento sólido seu nesse tempo todo. Você fala dos “PLOCS” mas você não passa de um “NÃO PLOC”

      Grato

      A gerência

      Jack – Sorridente

      0
      • Jack Imóveis 10 de outubro de 2011 at 10:39

        Li todos.

        Não há argumentos. Só coy-paste. Uma dúvida, qual a sua profissão?

        Grato

        0
        • Jack Imóveis 10 de outubro de 2011 at 10:49

          Interessante.

          Tks

          Jack – O Sorridente

          0
        • Luiz 10 de outubro de 2011 at 10:52

          Jack 23 milhoes de moradias é um dos maiores desplatérios que já li neste blog

          caberia nisso aí 90 milhões de habitantes, metade da população do Brasil,
          quase 80% da população urbana

          Teriamos que construir 10 cidades de SP ou 20 cidades do Rio pra caber isso aí de casa

          Isso é pior que colocar cidade do cabo em Miami, meu deus, uma das cidades mias famosas do mundo, principalmente pra nossa história portuguesa.

          Ele dá conselhos de investimento???
          Não é a toa que o HSBC está sendo vendido na liquidação

          0
        • Carlos Paddock 10 de outubro de 2011 at 11:22

          Bolha já trabalhei no Bradesco, mas agora estou no HSBC!

          Isso te encomoda? Esse email agora é pessoal, e uso ele para participar de blogs como esse, e não misturar com os assuntos do banco, ok?

          0
          • Duda 10 de outubro de 2011 at 11:43

            hahahaha essa é a idiotez maior que vc já escreveu !!!! Ou seja, em cargos altos e de confiança, eles deixam usufruir o email (logo: O EMAIL) com endereço do Banco? Nada pior que um banco quando se fala em desconfiança…

            0
          • Bolha Imobiliária 10 de outubro de 2011 at 12:00

            Não incomoda…Só achei estranho postar com e-mail de um, e trabalhar no outro…

            0
            • Duda 10 de outubro de 2011 at 14:02

              Olha aí que esse cara entrou para estragar o nível… e está conseguindo…

              0
          • roberto 11 de outubro de 2011 at 14:25

            Ok, então vc se desliga da instituição e continua recebendo convocação de reunião , atas etc. Pior trabalhando para o concorrente. Só acreditando em papai noel mesmo…..

            0
        • Urbanista 10 de outubro de 2011 at 17:00

          Mentira tem perna curta… Valeu Bolha!

          0
      • Fred Henrique 11 de outubro de 2011 at 09:03

        “Cheguei a provar que não existe bolha”

        PLOC!

        0
    • Zoom 10 de outubro de 2011 at 11:02

      Ar Quente, estamos aprendendo os recursos jornalísticos.

      0
    • aiwww 10 de outubro de 2011 at 14:41

      Amigão, não precisa ficar deprimido. Aqui somos todos loucos… acreditamos que o Brasil está passando por uma prosperidade ilusória e que nunca na história deste país houve tanta especulação. Não acreditamos em valorização infinita, nem que corretores não mentem .. e também não acreditamos no coelhinho da páscoa !!! .. e pode incluir o Papai Noel !!! …. e não me venha com reforços trazendoo Saci Perere e a Cuca !!!

      0
  • MrK 10 de outubro de 2011 at 10:34

    PREZADOS, Eu gosto dos textos do Fábio, mas nesse acho que ele foi superficial, pois analisou o demonstrativo de resultados sem olhar onde está o verdadeiro abacaxi: Balanço patrimonial

    O que fez essas empresas cairem 60%, não foi só o resultado de lucro pior, foi principalmente uma suspeita com relação a incapacidade de pagarem suas dividas pela fraca geração de caixa e altíssimo endividamento

    Ver Também: Patrimonio Liquido vs Passivo
    Ver Também: Custo de carregamento das dívidas
    Ver Também: Falência

    0
  • Luiz 10 de outubro de 2011 at 10:38

    Esse Carlos Padock me deix aespantado pela ousadia de sua ignorancia, vou copiar aqui um dos maiores abusrdos que já li em toda minha vida

    Comparar Paris com SP ou Rio é de uma ousadia sem limites
    Carlos vc já passou da conta pra semana inteira

    conheço Paris padock melhor que vc
    vc pensa que a gente esqueceu a merda que vc falou de Paris?
    como era mesmo? que todo parisiense mora de aluguel que ninguem é dono

    vc pode impressionar algumas donas de casa (Kassia) com esse papo de que conhece Paris, mas aqui vc abaixa as orelhas qdo vier falar comigo

    Em Paris esxistem subisídios governamentais altíssimos pra se manter e revitalizar os imoveis, além de isenção de IPTU, linhas de financiamento, subsídios, empresitmos a fudo perdido, etc…
    Por isso a grande maioria dos imoveis de lá datam da granda reforma urbana do Marechal Hausmann, cerca de 200 anos atras.

    No Brasil não existe isso, os prédios de mais de 100 anos está invadido abandonado ou desabando, veja o centro de SP e do Rio

    ps: (fikei sabendo que vc falou que cape town ficava no USA, ignoraaaaaaaaanteeeeee).

    0
    • Luiz 10 de outubro de 2011 at 10:40

      ps2 cape town = cidade do cabo

      não sabe ingles, não sabe geografia, não sabe historia
      só sabe mateMagica
      e impressionar donas de csas com esse papinho de Paris

      Vcs corretores são piores do que eu imaginava e quem é do blog sabe o que eu imaginava.

      0
      • Luiz 10 de outubro de 2011 at 11:17

        Carlos se eu te falar que sua opinião sobre mim vale o mesmo
        que valem suas informações sobre geografia
        vc não vai ficar chateado vai?

        0
      • aiwww 10 de outubro de 2011 at 14:48

        Meu caro, trabalhas para qual construtora ou imobiliária? .. aliás vou recomendar à Patrimóvel tentar comprar este blog … já disse isso antes .. basta oferecer uns 200 milhões de dólares que nós aqui pararemos de defender a bolha 🙂 .. ou se os “consultores” imobiliários que entram aqui no blog nos derem 10% de cada negociação 🙂 .. todo mundo tem seu preço 😛 .. o que fazemos aqui nada mais é uma guerra de informações … começamos perdendo … já estamos empatando e em breve o jogo vai virar !!!

        0
    • Luiz 10 de outubro de 2011 at 10:56

      vc falou sim carlos que cape town fica no USA
      não me faça ter que copiar do post anterior
      conheço mutio be Paris
      O plano Hausman deu o formato da ile de Paris que hoje vc conhece, se é que conhece mesmo.
      vai no google, na wikipedia que vc descobre o tamanho da sua ignorancia

      Abia a orelha Carlos, não com donas de casa que vc tá falando, vc não me imrpessiona com esse papinho

      0
      • Jack Imóveis 10 de outubro de 2011 at 11:01

        Luiz,

        Eu como Dono de Casa part time fico ofendido…rs.

        Quanto ao Carlos, já demos trela demais para ele. Não consegui entender o que ele faz aqui.

        Abraços

        Jack – Perplexo

        0
      • Luiz 10 de outubro de 2011 at 11:07

        aliás tbm conheço Monaco, e não é de foto, nem de tia Augusta, nem CVC

        dos 2 km>2 a maior parte é uma rocha imensa chamada Monte carlo onde só é possivel habitar nas beiradas mais planas, tem 2 avneidas a que vai e a que volta. Um dos principais pontos turísticos do mundo, com saídas de barco pra corsega sicilia, baleares, italia, grecia. Mora uma familia real inteira lá. Os maiores banqueiros, astros, ixi vou aprar aqui

        A unica semelhança com o Brasil e que milionario lá é classe C

        Suas comparações de preços de Rio com Monaco são lamentáveis, mesmo se D. João tivesse ficado no Rio.

        0
        • Dr. Estranho 10 de outubro de 2011 at 11:22

          Luiz, esse Sr. Paddock só argumenta com sofismas. Não vale a sua atenção. Ele apenas representa o desespero, ou está recebendo $$ para desestabilizar. A economia é cíclica e a ordem natural das coisas é o ajuste, ainda que represente uma crise. O ápice imobiliário já passou. Agora, ou estabiliza, mas com muito amparo estatal ou recua para patamares dentro da realidade brasileira. A média salarial dos que não precisam do MCMV é entre 5 e 12K. Ninguém em condições de comprar pelos preços atuais. Isso é fato, bastando para comprovação apenas simuladores de crédito. Temos que aguardar. Enquanto isso gaste com parcimônia e espere que as boas chances aparecerão.

          0
          • Luiz 10 de outubro de 2011 at 11:26

            Padock, não tira oseu da reta denovo não

            Quem inventou essa comparação foram seus colegas corretores pra justificar que o Rio ainda pode valorizar

            Compararam com Monaco, com Pequim com Tel Aviv, com Londres como vc acabou de citar entre outras pérolas do raciossimio

            Se algué aqui citou foi CRITICANDO vcs

            (o one Hyde tem metrô na porta, imagina isso aqui no BR, lembra a confusão da estação higienopolis?

            0
            • Luiz 10 de outubro de 2011 at 11:28

              e ainda pagaram pra publicar a comparação, não lembro em qual revista foi, mas dá pra achar

              se vc tivesse no blog meses atras vc teria se divertido muito. Vc pegou o bonde andando.

              0
            • Luiz 10 de outubro de 2011 at 11:42

              olha Carlos, já é uma mudança, vc falava de estáveis ou subir um pouco, agora já fala em pequeno ajuste…

              Mas sabe o que é pior, discordo de vc.
              Andei vendo aps pra temporada, por indicação do Rodrigo, e acho que ainda vai subir a média do Rio, só um ou outro bairro que vai estabilizar, mas é bear trap.

              como vc chegou aqui agora, vale situar, fui um dos ultimos dos tradiconais do blog a acreditar em bolha, e os argumentos que melhor me convenceram vieram justamente dos corretores.

              Na minha visão, que mutia gente discorda, o governo e cias tem munição pra levar esta bolha até 2015. Mas é pra por à venda agora, pq neste ritmo leva anos vender.

              0
              • Paulo - RJ 10 de outubro de 2011 at 13:15

                Carlos,
                Para não dizer que há implicância, também não acho que irá ocorrer uma baixa vetiginosa dos preços. Mas os preços estão descolados da realidade e isto aconteceu nós últimos 2 anos, não tem como negar isto, dê a ele o nome que for.
                Acredito que os preços serão, gradualmente, ajustados pela inflação e pela paciência em negociar o imóvel daqui a alguns anos. Mas que vão cair , considerando a inflação, acredito que vão.
                Este é a minha opinião, pois neste assunto, o que mais existe é opinião, mesmo de especialistas. Ninguém prevê o futuro.

                0
          • Dr. Estranho 10 de outubro de 2011 at 11:35

            O chefe sabe que você está full time no site????

            0
          • aiwww 10 de outubro de 2011 at 14:50

            Está explicado. Se eu tivesse na sua posição já teria oferecido dinheiro aos participantes do blog 🙂 … aí você garantiria sua meta !

            0
      • Luiz 10 de outubro de 2011 at 11:12

        Carlos, cape town é a cidade do cabo aquelas dos livros de história

        lembra do vasco da gama?
        do caminho das indias?
        do cabo das tormentas?

        Carlos isto é aula do primário Carlos, quarta série.

        Sua ignorancia chega a doer Carlos, vc não tme vergonha não?

        0
        • Luiz 10 de outubro de 2011 at 11:21

          Carlos Paddock disse:
          7 de outubro de 2011 às 21:34

          Nunca vi tanto fascínio assim pelos EUA! Tudo é … Park Ave, ou então um apartamento em Miami Beach ou ainda uma Mansão em Cape

          No post passado se alguém quiser conferir
          não entro em discussões deste tipo
          Aqui é o fim

          0
  • Veigalex 10 de outubro de 2011 at 11:02

    Brasil.. meu Brasil brasileiro…

    Veja a noticia da manhã.

    h t t p://noticias.bol.uol.com.br/economia/2011/10/10/brasil-tem-pior-perspectiva-de-desaceleracao-em-relatorio-da-ocde.jhtm

    O que o Lula diria?

    0
    • Paulo Rocha 10 de outubro de 2011 at 11:18

      Ele diria: “É a marolinha chegando! SOCORRO, eu não sei nadar!!!” rsrsrs 🙂

      0
  • Pedrao 10 de outubro de 2011 at 11:08

    As construtoras não vão quebrar
    apenas mudar o negócio, se venderem a 2000 o m² tem lucro,
    cortam pessoal de mkt e gastos na área, exercito de corretores, e afins
    imóveis sempre tem demanda, desde que pelo preço que as pessoas possam pagar
    agora qnd os preços começarem a cair, os usados vão despencar pqno investidor não tem folego e vai tentar se livrar do ativo na hora e tem muito imóvel parado sendo usado como investimento

    0
    • Duda 10 de outubro de 2011 at 11:28

      Pedrão, sem vendas (pelo preço que seja) não existe lucro. O “segredo” é vender, e para isso terão que ajustar preços, bem para abaixo. 2000 o m2 sería uma super rebaixada, não acha?

      0
      • Pedrao 10 de outubro de 2011 at 11:45

        eu só chutei um limite para dar o exemplo
        que a 2 mil eles tem lucro já, então podem vender a 3 mil a 4 mil que o negocio ainda vai ser otimo

        0
        • Duda 10 de outubro de 2011 at 12:34

          Não duvido, pois as margens são muito altas. Mas mesmo assim, sería um “super queda” de preços, que e justamento o que a maioria defende por aquí (eu tb).

          0
    • Carlos Wagner 10 de outubro de 2011 at 11:57

      Pedrao

      Discordo de voce no ponto onde disse que as construtoras se vedenrem o metro quadrado a 2000k ainda terão lucro.

      Acredito que elas sempre tiveram lucro e, de fato, o preço do metro quadrado seja inferior a isso. Porém, na conjuntura atual, onde as construtoras foram obrigadas a se alavancar para atender a demanda de mercado, fez com que elas se endividassem sobremaneira e a manutenção dessa divida, juntamente com os juros, tambem alavanca o preço do metro quadrado.

      Olhando por este aspecto, acho que as construtoras estão em maus lençois.

      0
      • Pedrao 10 de outubro de 2011 at 12:15

        A Eztec não tem dívida
        essas listadas na bolsa tem, mas existem outras milhares de contrutoras
        vale lembrar que Cyrella, Gafisa, PDG, são a união de diversas construtoras menores, um longo processo de fusão.
        Se essas ai se ferrarem por causa de dívidas, outras dezenas de pqnas construtoras entram no negócio

        0
  • Dr. Estranho 10 de outubro de 2011 at 11:09

    Balanço antigo não interessa. Assim até as empresas de papel do Eike valem alugam coisa.

    0
    • Dr. Estranho 10 de outubro de 2011 at 11:11

      Digo “alguma coisa”

      0
  • Platao 10 de outubro de 2011 at 11:13

    Governo ‘ganha’ R$ 10 bi com inflação

    De Fabio Graner e Adriana Fernandes no O Estado de S.Paulo

    Vilão do poder de compra da população, especialmente dos mais pobres, a inflação mais alta tem engordado o caixa do governo. A elevação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano tem provocado um aumento relevante das receitas da União, o que facilita o cumprimento da meta fiscal, definida em valor nominal fixo (R$ 127,9 bilhões).

    Estimativas de economistas ouvidos pelo Estado indicam que a inflação acima da meta neste ano deve gerar um volume adicional de receitas de R$ 6,5 bilhões a R$ 10 bilhões.

    De janeiro até setembro, a inflação oficial acumulou 4,97%. Ou seja, em nove meses, o IPCA já ultrapassou o centro da meta para o ano – 4,5%. Em 12 meses, o indicador apresenta alta de 7,31%. As projeções variam, mas em geral apontam para fechamento acima de 6%, com a divergência entre os otimistas, que acreditam que o teto da meta (6,5%) não será superado, e os pessimistas, que trabalham com o IPCA acima do limite estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

    Ao encarecer os produtos, a inflação aumenta a base de tributação, ajudando a arrecadação federal, ao mesmo tempo em que reduz o poder de compra da população. O impacto também se dá na despesa do governo, mas esse movimento não ocorre na mesma intensidade e velocidade, deixando no curto prazo um saldo fiscal mais favorável para as contas públicas.

    Risco. Economistas ponderam, contudo, que o benefício é pequeno diante do risco que uma inflação crescente representa para o bom funcionamento da economia no longo prazo.

    “A inflação acaba gerando alguma ajuda fiscal no curto prazo, mas não é uma estratégia boa, não é sustentável e gera malefícios para a sociedade, pois prejudica a renda da população”, diz o economista da Tendências Consultoria e especialista em finanças públicas, Felipe Salto.

    Ele estima um impacto em torno de R$ 10,6 bilhões da inflação acima da meta sobre a arrecadação deste ano, considerando a projeção de IPCA em 6,6% em 2011.

    “De fato, está havendo um ganho de receitas com a inflação este ano, embora a atividade econômica em alta seja o fator preponderante”, disse Salto, lembrando também que o governo contou com receitas atípicas decorrentes de recolhimentos de tributos pela Vale e pelo Refis da Crise.

    “Como o governo estima a receita, mas fixa a despesa, a inflação maior leva a um aumento de arrecadação e a um ganho fiscal”, acrescentou.

    Ajuda irrisória. O economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale, estima um impacto positivo de R$ 6,7 bilhões da inflação na arrecadação, considerando o IPCA em 6,5%. No lado da despesa, o economista recorda que a inflação afeta principalmente os gastos da Previdência.

    “No fim, a inflação vai acabar sendo um pouco benéfica para as receitas do governo, mas isso tudo é ilusório. Uma economia de inflação em 4,5% é muito melhor do que uma economia com inflação de 6,5%. A sinalização nos dois casos é bem diferente e levaria a crer que nos anos seguintes o governo teria mais dificuldade de trazer a inflação de 6,5% para 4,5%”, disse Vale.

    “Ou seja, em algum momento, o crescimento do PIB acabaria ficando menor por causa do ajuste nos juros para controlar a inflação. Assim, isso apenas seria mais uma ‘vitória de Pirro’ para um governo que está mudando para pior a política econômica”, acrescentou.

    O economista lembrou ainda que a ajuda da inflação para a arrecadação acaba sendo “irrisória” diante do quadro de novas despesas que o governo já está contratando para o ano que vem. “Espero que o governo não considere esse tipo de conta positivo porque seria um retrocesso enorme para nossa economia.”

    Uma fonte da área econômica explicou que não é tarefa simples calcular o impacto da inflação na arrecadação. São usados cerca de 20 indicadores econômicos, além da inflação, nas projeções de receita, entre eles taxa de câmbio, massa salarial e taxa Selic.

    Dependendo da característica de cada tributo, um determinado indicador tem mais peso. É o caso, por exemplo, da taxa de câmbio, que influencia diretamente a arrecadação do Imposto de Importação e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) vinculado à importação.

    Os tributos mais sensíveis à inflação são a Cofins e o PIS. Mas a inflação também tem impacto sobre outros indicadores, como a taxa Selic, que tem influência direta, por exemplo, na arrecadação do Imposto de Renda sobre ganho de capital nas operações financeiras.

    0
    • Platao 10 de outubro de 2011 at 11:21

      Comer fora fica 11,5% mais caro em um ano; cafezinho sobe quase 14%

      SÃO PAULO – A alimentação fora de casa ficou 11,55% mais cara nos últimos 12 meses, superando a alta dos preços dos alimentos e bebidas em geral, que foi de 9,93%, de acordo com os dados do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), divulgados nesta sexta- feira (7) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

      Dentro do item alimentação fora do domicílio, as refeições registraram alta acumulada nos 12 meses de 12,10%, mas essa não foi a maior elevação. A alta mais intensa foi do cafezinho, de 13,86%, e a menos intensa, de 8,46%, foi verificada nos preços dos doces.

      Considerando apenas o mês de setembro, o consumidor que se alimenta fora de casa desembolsou 0,56% amais em setembro. Neste caso, o destaque ficou com a cerveja, que pesou 1,34% a mais no bolso. Depois, aparecem outras bebidas alcoólicas (1,16%) e o café da manhã (1%).

      No Brasil
      De janeiro a setembro, consumidores de Curitiba e Goiânia foram os mais penalizados pelo aumento de preços ao comer fora de casa, como mostra a tabela abaixo

      Capital Setembro Acumulado do ano 12 meses
      Rio de Janeiro 0,62% 6,25% 10,29%
      Porto Alegre 0,95% 8,28% 12,58%
      Belo Horizonte 0,03% 5,48% 9,73%
      Recife 0,67% 8,16% 12,39%
      São Paulo 0,43% 6,36% 11,00%
      Distrito Federal 0,16% 7,24% 11,66%
      Belém 0,32% 6,25% 8,98%
      Fortaleza 0,31% 7,97% 13,12%
      Salvador 0,58% 7,35% 12,18%
      Curitiba 0,94% 12,22% 17,43%
      Goiânia 2,20% 10,94% 13,25%
      Nacional 0,56% 7,17% 11,55%

      0
      • Platao 10 de outubro de 2011 at 11:23

        tudo isso somado ao carne do IPTU chegando em janeiro, e inicio das aulas, vai ser uma delicia pagar as parcelas….

        0
        • Luiz 10 de outubro de 2011 at 11:45

          pelo menos o ipva vai baixar
          o cartel dos autos já está ruindo

          0
      • veigalex 10 de outubro de 2011 at 14:15

        Comprava uma Coca por R$ 3,89 – 2 Litros em Sp. No extra.
        isso a 3 meses. Hoje esta R$ 4,19. Baratoooo.

        0
  • Jack Imóveis 10 de outubro de 2011 at 11:17

    Balanço de 2009?

    Não tinha mais antigo?

    Abraços

    Jack – Viajando no Tempo

    0
  • Pedrao 10 de outubro de 2011 at 11:19

    A variação das ações do setor neste ano pode ser, ao menos, um indício da atenção dos investidores ao assunto. JHSF e Eztec são as que apresentam melhor retorno, de 31% e 22%, respectivamente. Não por acaso, ambas não fizeram novas rodadas de emissão de ações e são as que operam com menor alavancagem.
    A Eztec, aliás, tem caixa e aplicações financeiras maiores do que a dívida bruta.
    A JHSF com atuação nos mercados de incorporações imobiliárias residenciais e comerciais de uso misto e larga escala, desenvolvimento e administração de SHOPPINGS centers e HOTÉIS de alto padrão. A participação em outras atividades é oque manteve as ações em alta

    0
  • Duda 10 de outubro de 2011 at 11:25

    Paddock, porque não publica tb os de Gafisa, Rossi, PDG, MRV, Cyrela. Por acaso, vc não tem um parente chamado André?

    0
    • Duda 10 de outubro de 2011 at 11:39

      Não um outro Andre, com perfil parecido com o seu, já não posta mais. Ele era o unico que achava a Eztec como representativa de todo o mercado brasileiro. Além de vc, claro…

      0
    • Jonathas 10 de outubro de 2011 at 13:42

      Isso é o que me causa arrepios. Depois do MELHOR ano da história recente da construção civil nacional as maiores empresas do setor não vão bem das pernas? Deveriam estar capitalizadas e atendendo a uma demanda reprimida de 23 milhões de residências, com crédito farto para o consumidor mas o mercado esfria de repente?

      É algo que não entra na minha cabeça… Independentemente da existência ou não de bolha isso é um sinal de que esse mercado não vai bem. Essa história de custos elevados faria com que elas tivessem dificuldades de continuar lançando a rodo os futuros empreendimentos. Mas elas continuam lançando e o VSO diminuindo…

      0
  • Pedrao 10 de outubro de 2011 at 11:26

    troll profissional!!!

    0
    • Luiz 10 de outubro de 2011 at 11:44

      ah por dinheiro nenhum no mundo uma pessoa aceitaria passar por isso q vc tá passando

      essas coisas só se faz de graça.
      estranho prazer

      0
      • Pedrao 10 de outubro de 2011 at 12:20

        ueheuheeuheuheueh

        Existem dezenas de empresas no Brasil que só fazem isso que o Paddock faz, e recebem um bom dinheiro para isso
        procure no Google : monitorar redes sociais

        O Paddock não é uma pessoa, mas o grupo de funcionários de uma dessas empresas
        e diferente de outros que já passaram por aqui, essa empresa me parece muito superior as outras.
        Visto que agora estamos discutindo isso e saindo do tema bolha.

        Parabens ao grupo Paddock

        0
        • FQ 10 de outubro de 2011 at 16:01

          Concordo Pedrao,

          Leia meu post no Final!

          0
      • Ar Quente 10 de outubro de 2011 at 12:45

        HAUAHUAHAUAAH!

        Luiz acaba de ganhar o prêmio Troll de Prata! Parabéns!

        PS: Vai trabalhar Carlos Paddock que teu chefe já deve estar te olhando torto… O cara responde a TODOS os posts do site! LOL!

        0
  • Andre Luiz 10 de outubro de 2011 at 11:28

    Não criei um site famoso como o seu, mas foi através do bolha imobiliária e do pequeno investidor, que conheci por conta de buscar amenizar meu sofrimento de ter dinheiro e não poder comprar imóvel; que eu aprendi e continuo aprendendo sobre finanças e economia.

    Acho os dois blogs fenomenais!

    0
  • MrK 10 de outubro de 2011 at 11:35

    Paddock, depois posso dar uma olhada assim, agora não consigo

    mas já analisei os balancos de gafisa e cyrela, por que essas 2? porque são as duas maiores, pelo menos no Rio, elas juntas tem representavidade de mercado, a eztec por exemplo não tem, é muito pequena.

    os balancos de gafisa e cyrela são assustadores quanto a capacidade das empresas em honrarem suas dividas, elas demonstram estoques aumentando, geração de caixa muito ruim, dívida cara e lucros muito baixos, é como se voce emprestasse R$1milhão pra uma pessoa que ganha R$800 por mês, voce não estaria preocupado?

    pra mim essas 2 não sobrevivem, ou a PDG compra uma, ou uma compra a outra, ou o governo estatiza, ou o BNDES ajuda uma a comprar a outra estilo varig (cenário mais provável)

    0
    • Pedrao 10 de outubro de 2011 at 11:42

      mais de 70% das ações da Eztec pertencem a família do dono, como eles tem outros investimentos e não tem dívidas, é só recomprar suas próprias ações que um dia venderam numa das maiores Ipos que tivemos e manter o preço em alta.
      A Jhsf é administradora de shoppings e prédios corporativos

      Agora vamos falar de quem só vende imóveis, ai o bicho pega.

      0
      • Luiz 10 de outubro de 2011 at 11:49

        A eztec fez muitos aqui na Berrini e Faria Lima

        O segredo deles foi o governo drenar um pantano imundo, e expulsar a classe media de um tradicional bairro de casinhas de SP via lei de zoneamento

        Hoje graças a esses genios se leva meia hora entre o congestionamento da vaga do carro dentro da garagem e a rua da frente da avenida.

        Nada a ver com crasse C, MCMR ou demanda reprimida

        0
    • Carlos Wagner 10 de outubro de 2011 at 12:07

      Paddock

      Voce ja reparou que em todos os posts que voce é contrariado vc argumenta que nao vai ficar se alongando muito nessas questões? Foi assim com os CRI’s, foi assim com os balanços das construtoras e é sempre assim. Eu acho que voce não entende nada de nada, por isso nao se aprofunda em assunto nenhum e ainda fica batendo o pé querendo chamar a razão para si.

      Olha, vou ser bem sincero com voce: Voce está atrapalhando a evolução das discussões no blog, responder as suas centenas de posts tem sido um retrocesso, pois tudo isso ja foi debatido durante 1 ano aqui e todos esses argumentos ja cairam por terra.

      0
      • Duda 10 de outubro de 2011 at 12:31

        Carlos Wagner, assino embaixo. Por sorte o Bolha tambem esta olhando, (ele e a Kassia), se o nivel ficar baixo, sempre tem “aquele” recurso da tesoura…

        Não acha esquisito um cara que trabalha num banco ter tanto tempo assim?

        0
    • Cosmos 10 de outubro de 2011 at 12:15

      Paddock,

      velho, pára, por favor, você manda muito mal. Na boa, estou sentindo vergonha alheia.

      0
  • MrK 10 de outubro de 2011 at 11:49

    Alguém aí perguntou se valia a pena comprar ações de construtoras

    bem, decisão de investimento é muito pessoal, por isso cada um faça o que acredite, eu só vou dar uma informação

    gafisa paga por ano 0,23 de dividendos por ações (23 centavos) e o papel hoje custa em torno de 5,30

    ou seja, mesmo com toda essa queda, o papel te retorna em dividendos 4,3% ao ano, bem menos que a poupança que ainda é sem risco

    0
    • Duda 10 de outubro de 2011 at 13:45

      Aqui segue um artigo bom para quem vai se aventurar na bolsa nestes dias. O risco de sofrer prejuizo é grande.

      h ttp://online.wsj.com/article/SB10001424052970203499704576622892155167496.html?mod=rss_americas_portugues

      0
  • Selvagem 10 de outubro de 2011 at 11:52

    Sempre defendo aqui o contraponto, pq eu acho que não há discussão com argumentos de um lado só. Não concordo com o que diz, mais defendo até a morte a possibilidade das pessoas falaram o que pensam.

    Agora me desculpe Carlos, fica difícil aceitar essas provocações do tipo “quem defende a bolha não tem dinheiro para comprar imóvel” ou “fica esperando cair aí seu pobre”. Você perde feio seu conteúdo de argumentação com coisas desse tipo.

    Aliás uma das coisas mais engraçadas foi recentemente quando fui visitar um lançamento perto da paulista e o corretor fez aquela cara de “pobre fudido” quando eu disse que o preço não valia. Que R$700.000,00 por um apartamento de 50m² era ridiculo. Ele vem com aquele papo de vou de mostrar algo da sua faixa de renda entramos no carro dele, um golzinho caindo aos pedaços para me levar num apartamento no centro perto da augusta, igualmente ridículo.

    Felizmente a maioria aqui tem vida honesta, emprego e não rasga dinheiro nem sustenta corretor vagabundo nem mercado financeiro. Quer mostrar seu ponto de vista? Ok. Mais sugiro se abster de criticar o modo de vida de pessoas que você nem sequer conhece.

    0
    • Cosmos 10 de outubro de 2011 at 12:24

      Paddock,

      as pessoas estão rejeitando porque suas mensagens são MUITO fracas. Você está citando Paulo Coelho numa conversa sobre Homero e William Shakespeare. Não bastasse isso, você está pensando que está “provando” que a bolha imobiliária não existe.

      É assim: dois cientistas estão discutindo evolucionismo. Aí entra você e diz que isso de evolucionismo é uma furada e, para ilustrar sua opinião, copia e cola trechos de sermões do bispo evangélico do seu bairro. Aí, quando dizem que você não entende nada do que diz, você inventa que ganhou um Nobel sobre o assunto.

      Enfim, espero que a ilustração lhe dê o que pensar.

      0
      • Duda 10 de outubro de 2011 at 12:37

        Exemplo perfeito. O mais triste é que tudo o “novo” que ele traz, já foi discutido varias vezes, há meses por aquí. As vezes não da vontade nem de responder.

        0
        • Duda 10 de outubro de 2011 at 12:43

          E vc acha que eu não sabía?

          0
      • Urbanista 10 de outubro de 2011 at 17:12

        Tô aqui morrendo de rir… Isso é “bullying”

        0
    • Selvagem 10 de outubro de 2011 at 12:52

      Apenas para esclarecer esse contraponto e deixar mais claro meu ponto de vista sempre aplaudo quem tem coragem de dar a cara a tapa, até porque quanto mais porrada o argumento leva mais forte ele prova ser.

      Acredito sim que o site aqui parece ser enviezado e precisa de gente para equilibrar a balança. Acho que as paixões e torcidas influenciam sim o resultado da discussão, mas ele precisa ser assim pois o mercado também tem forte influência, danosa e desproporcional por parte do poderio econômico. Esse mercado é resistente em aceitar a realidade, expô-la é nossa melhor arma.

      Agora nem o conceito de bolha tem uma unanimidade aqui no site. Não vai cair 50%. Também acho que não. Nem precisa. Se cair 10% ou 20% já significará que as pessoas estão acordando para realidade.

      O preço dos imóveis está caro. Alías não está caro não. Precisa cair muito para ficar caro!
      Se você acha que não, beleza. Prove! Mantra de construtora funciona em muitos lugares, aqui não.

      0
  • Luiz 10 de outubro de 2011 at 12:04

    Carlos Paddock disse:
    10 de outubro de 2011 às 11:51

    Luiz eu realmente não acredito que as taxas de aumento vão ficar constantes, isso seria totalmente insustentável.Agora essa quebra de construtoras e queda de 50% no valor dos imóveis, isso não acredito mesmo.

    Ok, mas na Bahia já houve quebra de uma de porte médio-grande, não lembro o nome, alguém de lá ajuda. Os contratos do MCMV foram incorporados por outra.
    Dizem que uma tal Trisul está com prejuízos elevadíssimos
    Todas as construtoras de SP tem reclamação de atraso nas obras, e quebra de contrato, segundo sites de consumidores.

    0
    • Luiz 10 de outubro de 2011 at 12:26

      Ok. Temos exceçõe pra confirmar a regra

      De resto as construtoras que fazem 90% do mercado não podem parar de lançar, Carlos isso ja foi discutido aqui.
      Se parar de pedalar, cai.
      Precisam dos lançamento pra manter a contabilidade saudável, vc é da tesouraria sabe explicar melhor que eu a manobra. O Samuel fez isso mto bem semana passada

      E mesmo se conseguirem reduzir o ritmo, já tem muita obra “vendida”.
      Precisam concluir.
      Esse tsunami de imóveis da venda recorde de 2009/2010 vai impactar no preço em 2013, mas não quer dizer que dá pra ir especulando até lá pq as vendas travaram, a liquidez secou.

      0
      • Luiz 10 de outubro de 2011 at 12:50

        Vc chegou hj no ponto, semanas atras estavamos discutindo exatamente isto.
        como seria o cenário daqui em diante?

        Vemos o governo salvando empresas, BNDES, incentivos fiscais, flexibilização de regras, …
        O Sergio tem uma analise fantastica da lei que cria a imovelBras, denovo se vc tiver tempo e paciencia.

        dane-se a modestia, se alguem 1 dia se dispuser a organizar tudo o que a inteligencia coletiva deste blog produziu, dava um case de 100 paginas. E olha, até agora 110% de acerto, até no timing

        Derepente não somos apenas, pobres recalcados, indignados, cornos, e etc ou não, quem sabe?
        meça pelos resultados

        0
  • Dr. Estranho 10 de outubro de 2011 at 12:15

    Folha hoje:
    folha.uol.com.br/poder/988271-investimentos-em-baixa-ja-impactam-economia-em-2011.shtml.

    Destaque:

    Os investimentos entraram num novo e mais baixo ritmo de crescimento. A perda de fôlego aparece na construção civil e também na fabricação doméstica de máquinas e equipamentos, o que se reflete no resultado da economia.

    Na construção civil, o desânimo é evidente.

    0
  • RFL 10 de outubro de 2011 at 13:14

    A Maioria aqui não comentou o que fica implícito no artigo.
    Uma empresa aumenta a receita e o lucro líquido cai, com tudo mais constante, apenas quando passa a investir em projetos de baixo retorno. Ou seja, ao se capitalizarem, o montante de recursos empenhados em projetos foi tão grande que os cálculos econômicos não foram bem executados, o que é clássico em momentos de euforia. Assim que a bolha for confirmada as margens podem aumentar porém com receita baixa o lucro vai permanecer baixo. As empresas com boa solidez financeira podem sobreviver e após a ressaca prosperar. O problema para o investidor Que quiser tirar proveito das baixas na bolsa não vai saber ao certo o endividamento destas visto que a contabilização do ativo é obscura(vgv).

    Resumindo:
    A Queda das margens deixa evidente o período de “mania” que estamos a meses aqui observando. Depois da “mania” segundo o livro mais comentado aqui, vem pânico e o crash.

    0
  • Luiz 10 de outubro de 2011 at 13:16

    ai vou ter q fazer papel de chato
    baseado em que?
    seu argumento ficou no ar

    0
    • RFL 10 de outubro de 2011 at 14:27

      Leia novamente, para e pensa um pouco. Você é capaz.

      Caso contrário… imagine o seguinte cenário.
      uma construtora pode construir os seguintes empreendimentos com os seguintes retornos: A -20%, B- 15%, C-10%. Considerando que não são infinitos os empreendimentos ao serem esgotados os A e B empreendimentos ao vender 1milhão em empreendimentos C o lucro bruto será de 100.000. Quando poderia ser 200k ou 150k nos outros formatos de empreendimentos.

      Ahh algum outro chato vai dizer que lucro bruto não é a mesma coisa que lucro líquido e que mudança nos impostos ou nos custos de vendas estão minando o lucro líquido e não as margens. Os impostos para a construção foram reduzidos nos últimos anos. E para que aumentar os custos de vendas se está fácil vender imóvel?

      No meu primeiro comentário mantive tudo mais constante mas pensando bem, se nunca antes na história desse país se construiu tanto imóvel, as contruturas deveriam estar auferindo ganhos de Escala. elas são incompetentes e não conseguem ganhos de escala ou estes ganhos são corroidos com projetos de baixo retorno. como até o padeiro aqui da esquina consegue ganhos de escala acho mais provável a segunda opção.

      Segue um exemplo prático em um blog onde é possivel aprender alguma coisa de contabilidade:
      http://contabilidadefinanceira.blogspot.com/2010/11/lucro-ebitda-e-receita.html

      0
  • Elias 10 de outubro de 2011 at 13:23

    Respeito o ponto de vista dos anti-bolhas, do Paddock e da Kássia.
    Alguns argumentos até fazem sentido. Alguns.

    Há poucos meses, os anti-bolhas falavam que os imóveis trariam retorno de 20, 30% a.a. durante 5 anos. Também falavam que as vendas continuariam de vento em popa, etc.

    O que se passa agora? O que de fato aconteceu? Aconteceu exatamente o que previmos aqui no blog – vendas em queda, preços estagnados e ações das contrutoras despencando mais que o IBOVESPA. E já sabemos o próximo passo.

    Pra quem está alavancado em imóveis, deve ser difícil aceitar que a realidade mudou. Acabou a euforia, foi-se o tempo do lucro fácil. Agora a conta chegou.

    O tempo, como sempre, dirá quem está certo e quem está errado. Os próximos meses serão decisivos.

    0
  • Thiago Ferreira 10 de outubro de 2011 at 13:26

    Amigos li um post acima falando de um site queimando aptos com 30 % abaixo do valor comprado na planta , vou explicar como ocorre o milagre.
    Eu presto serviços de informática para 3 construtoras aqui da minha cidade São José dos Campos – SP
    Uma delas faz financiamento integral pela própria construtora isso mesmo , a própria construtora financia 100 % do apto , tabela price …
    Hoje de manhã fui fazer manutenção no stand de vendas de uma das obras e conversando com a arquiteta ela me confidenciou que durante a obra tem aptos que são vendidos pela construtora 3 , 4 vezes … tendo em vista que chega num determinado ponto o cara não consegue pagar as prestações ou então não tem bala para pagar as intermediárias , ela estava mandando uns pedreiros irem até um apto num dos blocos que já foram entregues a 2meses retirar alguns moveis que o antigo proprietario deixou no apto , o cara não aguentou pagar a construtora pegou o apto de volta o cara foi embora e deixou um monte de coisas para tras rs rs
    Nessa brincadeira de um passar divida ou perder o apto a construtora vai pegando uma parcelinha aqui outra lá , uma intermediaria aqui outra lá e vai financiando a obra enquanto isso existe uma clausula abusiva que diz que se vc desiste da compra a construtora fica com 30 % da grana por quebra de contrato e somente entrando na justiça vc pode reaver estes valores pois já existe jurisprudencia , só que a maioria das pessoas não vai buscar seus direitos e de 30 em 30 % a construtora vai pagando o apto , então os que ficam encalhados no final o cara pode dar desconto até de 50 % tendo em vista que o apto já foi pago por clientes que não aguentaram pagar as parcelas até a entrega das chaves.

    0
    • Annibal 10 de outubro de 2011 at 13:45

      Overbooking das construtoras…rsrsrs…

      Como diria o Paddockão…. PLOC

      E eu q era a favor de novas opiniões…. mordi a língua… tbm, acho q é quase impossível trazer alguma teoria q ainda não tenha sido debatida ao longo do tempo por aqui…

      0
      • Annibal 10 de outubro de 2011 at 13:51

        Thiago

        não estava criticando o seu post… ele é muito bom… estava falando dos trolls, mas acabei colocando no reply q mandei p vc…

        0
    • Carlos Wagner 10 de outubro de 2011 at 13:48

      Boa Tiago… bom comentario.

      0
    • Urbanista 10 de outubro de 2011 at 17:18

      Thiago,
      era desse tipo de comentário que falei em outro post. Para a argumentaçaõ, relatos dos fatos são importantes, porque não ficam só na retórica.

      0
  • MrK 10 de outubro de 2011 at 13:27

    Gente, o que me deixa um pouco triste recentemente é o baixo nível tecnico de algumas discussões, tem certas tendencias que aceitam interpretações, mas certos números não, estão retratando a realidade contábil de algumas empresas.

    Os números do balanco (e não resultado) das maiores empresas são muito ruins e perigosos, não vou ficar falando de eztec [email protected], essa empresa é nada perto de gafisa+cyrela que são as lideres tradicionais

    Desculpe Paddock, mas os juros que a gafisa paga por mes na sua divida astronomica não é aberto a interpretações, a geração de caixa insuficiente pra girar o negocio da gafisa e cyrela não é aberta a interpretações, o valor do lucro insuficiente pra remunerar o acionista há vários trimestres não é aberto a interpretações, a queda de 30% das vendas dessas empresas retratadas em unidades não é aberta a interpretações.

    Se houvesse duvidas dessas coisas, os papeis não cairiam 60%, nao estou falando de 10% ,estou falando de 60%, isso é um castigo MUITO grande

    0
    • Leandro 012 10 de outubro de 2011 at 13:42

      Pessoal,
      sou um leitor bem assíduo do forum e gosto muito do que o MrK – entre outros – escreve. Mas ficar respondendo com bons argumentos aos trolls que invadiram o forum não adianta nada. Eles sempre vão mudar de assunto ou responder uma coisa com outra.
      E o principal objetivo de um troll ao invadir um forum eles estão conseguindo. Texto tumultuado, discussões inúteis e irritar os colaboradores do forum gerando a baixaria. Com isso, quem entra aqui pela primeira vez e não conhece as pessoas, vai embora e não volta mais. E é isso que eles querem, baixar o nível do forum para que novos frequentadores não apareçam e assim abafar o assunto.
      Afinal o nome do forum é “Bolha Imobiliária”. E não: “Será que existe bolha?” ou “Housing market” (lembram-se do André?).

      grato.

      0
  • Jonathas 10 de outubro de 2011 at 13:35

    Do mercado, não sei. Mas dá pra saber facinho quanto representam do IMOB:

    JHSF3 = 0,805% do IMOB
    EZTC3 = 1,511% do IMOB

    Já as maiores construtoras:

    PDGR3 = 17,43%
    CYRE3 = 8,46

    E por ai vai…

    0
  • Carlos Wagner 10 de outubro de 2011 at 13:44

    Carlos Paddock

    Sabe o que eu acho: Voce não trabalha em banco nenhum, deve ter acabado de ser desligaqdo do brasdesco e esta ai sem fazer nada e fica o dia todo aqui no blog. Eu ja trabalhei em 2 bancos, itau e real, o tesoureiro nao tem tmpo nem de almoçar direito, fica o dia todo fazendo remessas de dinheiro pra suprir os caixas, retirar uma possivel sobrecarga de dinheiro dos caixas para no caso de assaltos o banco perder menos, abastecer caixas eletronicos, retirar envelopes de depositos dos caixas eletronicos, além de outras atividades que se façam necessarias durante o expediente.

    Pare de falar besteira cara…De agora em diante eu me recuso a responder qualquer post seu, pois acho perda de tempo e acho que os colegas deveriam fazer o mesmo. Desde que voce começou a lotar o blog com seus posts, as discussões se resumiram a responder a voce e tentar mostrar o que voce nunca vai entender.

    Colegas do blog, façam o mesmo, senao esse espaço vai se tornar chato e desestimulante.

    0
    • Leandro 012 10 de outubro de 2011 at 13:48

      É exatamente o que comentei acima,
      o site fica chato e ninguém mais entra. O forum morre por inanição.
      E com tantas boas analises nos tópicos anteriores seria muito ruim a audiência do forum começar a baixar, ao invés de subir mais e mais a medida que o assunto Bolha cai na boca do povo.

      0
    • Augisto 10 de outubro de 2011 at 14:35

      Se vc é tesoureiro ou faz qquer coisa em um grande banco, seu serviço não deve ser muito intenso, pois vc fica o dia todo colocando posts aqui no blog.
      Duvido que haja algum emprego tão folgado assim em qquer empresa que se preste

      0
  • Dani 10 de outubro de 2011 at 13:51

    Vaca amarela…quem responder Paddock primeiro come tudo a B**** dela! rsrsrs

    0
    • Carlos Wagner 10 de outubro de 2011 at 13:55

      É o que sempre digo: Não é hora de comprar imoveis, não é hora de comprar carro zero km e não é hora de responder ao paddock.

      Gostei da vaca amarela….huahauhaua

      0
      • Dani 10 de outubro de 2011 at 14:00

        Valeu CW! Vou pensar em reconsiderar a proposta do outro post, viu? kkk…

        0
        • Carlos Wagner 10 de outubro de 2011 at 14:02

          Legal, vou ficar atento. Quando voce disser um SIM bem alto eu saberei do que se trata,.,,rs

          0
  • Fabio 10 de outubro de 2011 at 13:55

    Esse blog tá perdendo a qualidade demais. Tem pessoas que além de não contribuir com nada fica postando desnecessidades. Gostaria de pedir para o moderador atuar para manter a seriedade atingida pelo blog.

    0
  • Dani 10 de outubro de 2011 at 13:59

    Acabei de ler no G1:

    Mercado sobe previsão de inflação de 2012 pela 6ª semana seguida Economistas subiram de 5,53% para 5,59% previsão de inflação de 2012. Para este ano, analistas subiram previsão para dólar e baixaram para o PIB.

    Kkkkkkkkkkkkkkk… quero ouvir muito PLOC em 2012!!!!!

    0
  • Dani 10 de outubro de 2011 at 14:24

    Notícia do G1 meio velha, do dia 5, mas olha aí o governo e a CEF começando com o MCMD “Meu carro mínha dívida” que falaram aí atrás…kkkkkkkkkk:

    “Caixa abre linha de crédito para financiar carros ecoeficientes. Linha poderá ser usada no financiamento de carros zero km.Crédito vale para veículos considerados ‘pouco poluentes’ pelo Ibama.”

    0
  • RT 10 de outubro de 2011 at 14:25

    Gostaria de dar uma opinião sobre esse assunto.

    Desde semana passada que aumentou muito a participação aqui de pessoas que não admitem a existência da bolha, seja por não acreditar mesmo, ou por motivos outros.

    De lá para cá, observei que as discussões interessantíssimas que vínhamos desenvolvendo perderam espaço para bate-bocas que não levam a lugar nenhum.

    A idéia de “escutar o outro lado” não anda se justificando na prática, pois os novos freqüentadores não trouxeram nenhuma informação interessante. Só os velhos argumentos batidos de sempre.

    Sei lá se é o caso de expulsar fulano ou sicrano… só pensei que seria interessante abrir esse ponto pra discussão, antes que o alto nível que mantínhamos por aqui se perca nesse “tem bolha / não tem bolha / tem sim / não tem não”.

    0
    • Luiz 10 de outubro de 2011 at 14:56

      vc nos conhece pouco,
      somos centenas, por favor me leia acima, faço boas sugestões.

      0
  • Annibal 10 de outubro de 2011 at 14:28

    E joga dinheiro nomercado….

    A Receita Federal libera nesta segunda-feira o quinto lote multiexercício do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF) de 2011 que vai restituir o valor recorde de R$ 2,5 bilhões a um total de 2,6 milhões de contribuintes. Em dezembro de 2009, outro lote ofereceu o mesmo montante, pago a 2 milhões de contribuintes. A consulta deverá ser feita na página da Receita na internet ou pelo ReceitaFone (146).

    No dia 17 de outubro serão creditadas, simultaneamente, as restituições referentes ao lote do exercício de 2011 (ano calendário 2010), residual de 2010, 2009 e 2008. Estão previstos ainda mais dois lotes regulares até o final do ano. O último deverá ter a consulta liberada na segunda semana de dezembro. Em 2011, a Receita Federal registrou a entrega de mais de 24 milhões de declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2011, ano-base 2010.

    w w w .jb.com.br/economia/noticias/2011/10/10/receita-libera-lote-recorde-de-restituicoes-do-ir-nesta-segunda/

    0
  • Augisto 10 de outubro de 2011 at 14:31

    Eu tambem voto SIM, ele nada contribuim e só embaderna que deve ser justamente o objetivo dele

    0
  • Dani 10 de outubro de 2011 at 14:33

    Do site do IG:

    “Professores americanos ganham o Nobel.Thomas Sargent e Christopher Sims foram premiados por suas pesquisas na área de macroeconomia.”

    Vcs não achem que algund aqui do Bolha mereciam mais?

    0
    • Dani 10 de outubro de 2011 at 14:33

      ops…”alguns”

      0
  • Anonymous 10 de outubro de 2011 at 14:33

    Interessante este estudo, e que só reforça a existência de, no mínimo, uma discrepância violenta de preço nos imóveis.
    Muito mais interessante foi a fórmula mostrada no trabalho (cálculo do valor de imóveis em São Paulo, considerando inúmeros parâmetros), que só serve pra demonstrar o quanto a matemática pode ser distorcida por fenômenos como uma bolha, seja de preço, crédito, o que for.
    Bons tempos em que 1+1 era igual a 2.

    0
    • Ar Quente 10 de outubro de 2011 at 15:55

      O artigo é interessante, pena que ele trata de 2001 – 2008 e o período em que o bicho que o bicho pegou pra valer foi de 2008 pra frente (embora mesmo em 2008 já dava pra sentir um pouco o preço no bolso). Mesmo assim o autor tira o dele da reta nas considerações finais

      PLOC falei.

      O resultado mais interessante foi o efeito do boom nas decis˜oes no mercado
      imobili´ario. Conforme mostram as vari´aveis de interac¸ ˜ao, as caracter´isticas dos
      im´oveis mais relevantes no per´iodo sem grande valorizac¸ ˜ao da bolsa perdem importˆancia na de?nic¸ ˜ao do prec¸o de equil´ibrio em per´iodos de boom, enquanto que
      as vari´aveis referentes `as condic¸ ˜oes de ?nanciamento ganham importˆancia, em
      particular, o efeito negativo do spread banc´ario torna-se signi?cante estatisticamente. No per´iodo de boom, diminui o spread dos juros banc´ario que inclui o
      prˆemio de risco do cr´edito imobili´ario do tomador. Um dos poss´iveis motivos
      para esse comportamento ´e que a probabilidade de default no cr´edito imobili´ario
      diminui no boom, pois os trabalhadores teriam mais chance de continuarem empregados e continuar pagando a hipoteca. Este fenˆomeno foi documentado na
      recente crise de cr´edito subprime norte-americano no relat´orio do FMI “Financial Stability Report”, de Outubro de 2010. Por outro lado, na crise, com o aumento da inadimplˆencia no cr´edito imobili´ario sub-prime, houve necessidade de
      capitalizac¸ ˜ao dos bancos, segundo mostra o stress test realizado pelo US FED.
      A alta na inadimplˆencia do cr´edito deve-se `a elevac¸ ˜ao da taxa de desemprego.
      Assim, aumenta o prˆemio de risco embutido no spread dos juros banc´arios, com
      consequente aumento do juro cobrado nos empr´estimos e queda nos juros pagos na
      poupanc¸a, com menos recursos banc´arios destinados ao setor imobili´ario, fazendo
      deprimir a demanda por im´oveis e, consequentemente, provocando uma queda dos
      seus prec¸os. Por outro lado, no boom, o motivo para que a diminuic¸ ˜ao do spread
      dos juros aumente o prec¸o do im´ovel seria o aumento da intermediac¸ ˜ao banc´aria
      com a diminuic¸ ˜ao do prˆemio de risco da intermediac¸ ˜ao em func¸ ˜ao da menor taxa
      de desemprego. Assim, no mercado ?nanceiro ocorre um aumento de recursos
      intermediados ao setor de real estate. Este fato estilizado ´e bem documentado na

      0
  • Murdoch 10 de outubro de 2011 at 14:56

    Um problema mto grande desse assunto é que é impossível precisar qdo e se vai acontecer.
    Acreditar em algo no longo prazo é sempre assim… Vc comenta que algo está errado e alguns especialistas vem babando com números pra dizer que está tudo certo, que nunca se pagou tanto pra acionista, que segundo as estatísticas blá, blá, blá…
    Neguinho transformou a Aracruz em banco e diziam que estava certíssimo uma empresa de celulose virar banco, pq nunca tinham visto tanta grana… Sadia foi pelo mesmo caminho.
    2 diretores da Aracruz foram praticamente expulsos da empresa um ano antes porque segundo o “board” não contribuíam, não concordavam com a estratégia da empresa… Pelo simples fato de não concordarem com o fato de uma empresa de celulose virar banco. Até que um dia a água bate na barriga.

    0
    • Annibal 10 de outubro de 2011 at 15:04

      Pra mim esse é o maior problema… aguentar indefinidamente até o inevitável acontecer… sem prazos rígidos, sem previsões certeiras…

      Ainda assim, até agora as previsões do DUDA têm se mostrado possíveis de concretização, apesar de eu achar q 2012 seria mto rápido… mas me parece q esses ciclos estão ficando cada vez mais curtos… da mesma forma q pôde subir mto rápido, nada impede q caia rápido…. vmos esperar pra ver…

      0
      • Luiz 10 de outubro de 2011 at 15:10

        o timing é a grande questão, sem duvida algusn bairros +ousados entraram na fase bear trap

        porenqto eu vejo oportunidades crescendo em cambiais e logo mais aqdo atingir o fundo em bolsa, sem dizer que os tradiconais rendem muito bem, e com a armadilha que o governo criou pra si proprio, não poder soltar as redeas da inflação, tem muito carnê de divia indexado, os sindicatos estão começando a pertubar com greves como não se via no Brasil há 20 anos.

        Outro indicio disto que eu falo é a queda na venda dos autos.

        Mantenho 2015 no bolão, não vai doer tanto esperar

        0
      • Duda 10 de outubro de 2011 at 15:59

        Annibal e Luiz, por enquanto acredito que acertarei na mosca, mas vcs sabem, se eu fosse magico, estaría rico… por isso sempre lembro que tudo é possível. Muitas das coisas que estamos vendo agora pareciam impossiveis há dois ou tres meses. Descontos de 30%? nem sonhavamos com isso… acho que o castelo de areia começou a cair. O que falta e o “catalizador” do estouro: Uma noticia tipo uma construtora quebrando, um banco, a Fifa tirando o mundial do Brasil, uma bomba dessas e a bolha estoura de vez. O clima esta perfeito para isso acontecer, temos muitas ondas da crise internacional batendo por aquí.

        0
  • anonymous-RJ 10 de outubro de 2011 at 15:06

    Email real recebido de um corretor, vão lendo… sobre o sublime recreio

    “Esse empreendimento será construído  na Estrada Benvindo de Morais,
    2.205, perto da Recreio Veiculos. Pela valorização da área, já que as
    obras da transcarioca, transoeste, duplicação da Estrada dos
    Bandeirantes, vila olímpica estão a pleno vapor o retorno do capital
    investido será duplicado.

    O fluxo de pagamento é muito flexivel:
    Projeção hipotética:
    Se o apto custar 350 mil (o de 2 quartos):
    Entrada: 87.500,00 (25%), com 24 meses para pagar, com parcelas de
    30/60 dias, mensais e nas chaves.
    A tabela será divulgada amanhã, quando o stand abrirá para vendas.

    Aos primeiros 200 clientes que comprarem uma unidade, ganha um carro Fiat Uno.
    Como o empreendimento será valorizado, o cliente poderá repassá-lo com lucro.

    Segue a apresentação do produto.

    Caso tenha interesse, favor ligar para o seguinte telefone para que eu
    possa acompanhá-lo ao stand de vendas.”

    REPAREM BEM NESTA PARTE:
    Como o empreendimento será valorizado, o cliente poderá repassá-lo com lucro.

    0
  • Dani 10 de outubro de 2011 at 15:09

    Pessoal, gostaria de fazer um desabafo!

    Há quase 6 meses venho acompanhando o Bolha!

    Mas hoje vejo que o nível vem caindo muito ultimamente!

    Até me ofenderam gratuitamente agora a pouco!

    Portanto, retiro-me definitivamente!

    Ficarei aguardando o estouro à parte do blog!

    Grata a quem foi legal comigo!

    Deus abençoe a quem não foi!

    FUI!!!!

    0
    • Duda 10 de outubro de 2011 at 15:15

      Dani, aguarde um pouco. Não se retire. Alguma vez aconteceu o mesmo e o bolha fez uma “limpeza” de comentarios vazios. Eu não tenho dúvidas de que o objetivo de eles é justamente baixar o nivel da discussão. No começo até com certa educação, mas agora saiu dos limites.

      0
    • RT 10 de outubro de 2011 at 15:58

      Como disse acima, concordo com o comentário no que diz respeito à queda do nível das discussões.

      A maioria dos comentários hoje é um “tem bolha / não tem bolha / tem sim / não tem não”.

      Antes disso, as conversas estavam muito mais interessantes, com reportagens e análises. O blog era viciante.

      Confesso que nos últimos dias, não deu aquela mesma vontade de acompanhar. Tem que ficar filtrando o que é discussão bacana do que é pessoal.

      0
      • Carlos Paddock 10 de outubro de 2011 at 16:42

        RT você tem certeza da existência da bolha então? É isso mesmo que eu entendi?

        0
  • Annibal 10 de outubro de 2011 at 15:26

    Queda da Selic não reduz juros para consumidores
    Spread bancário atinge maior nível dos últimos dois anos, segundo dados do BC

    A queda da taxa Selic, que indica os juros básicos da economia, não está se refletindo em juros menores para os tomadores finais de empréstimos e financiamentos. Esse movimento contraditório está sendo impulsionado pelo spread bancário (diferença entre as taxas que as instituições financeiras pagam para captar recursos e as que cobram do cliente final) que está no nível mais alto em dois anos, de acordo com o Banco Central (BC).

    Em agosto, segundo os dados mais recentes divulgados pelo BC, o spread atingiu 27,8% ao ano, percentual mais alto desde maio de 2009. Se for considerado apenas o crédito para as pessoas físicas, a diferença entre os juros de captação e aplicação correspondeu a 34,4% ao ano, maior nível desde julho de 2009. Em relação aos empréstimos para as empresas, o spread bateu recorde e alcançou 19% ao ano.

    A diferença pode ser observada quando se compara a evolução das taxas usadas na captação, quando as instituições financeira pegam dinheiro emprestado dos correntistas e oferecem juros em aplicações como poupança e CDB, e nos juros cobrados na concessão de crédito. A taxa média de captação caiu de 12,3% ao ano em julho para 11,9% em agosto.

    Esse movimento foi influenciado pelo corte de 0,5 ponto percentual na taxa Selic para 12% ao ano decidido pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central no fim de agosto. Os juros médios pagos pelos tomadores de empréstimos e financiamento, no entanto, não tiveram a mesma trajetória. A taxa média de aplicação, como o BC chama os juros dos clientes finais, permaneceu em 39,7% ao ano em agosto.

    De acordo com o professor de Finanças da Fundação Getulio Vargas (FGV) Fabio Gallo, a alta do spread bancário é explicada pelo aumento da inadimplência, que em agosto atingiu o maior nível desde maio de 2010 para as pessoas físicas e o maior nível desde outubro de 2009 para as empresas. “A inadimplência atinge fortemente o spread bancário. Sempre é assim, os bancos cobram de todos o que alguns clientes não pagam”, diz.

    As medidas de contenção do crédito tomadas pelo Banco Central no fim do ano passado, segundo o professor, influenciaram o aumento do spread no início do ano. Ele, no entanto, diz que essas ações atualmente têm pouco peso na diferença das taxas usadas na captação e nos empréstimos. “As medidas macroprudenciais já estão refletidas na taxa”, explica.

    Na avaliação do especialista, o aumento da inadimplência é consequência da expansão do crédito experimentada nos últimos anos, acompanhada da falta de planejamento financeiro dos tomadores. “Os brasileiros, principalmente a nova classe C, se endividaram demais para consumir e não conseguem arcar com os financiamentos”, declara. O principal erro apontado pelo professor consiste em calcular a prestação com base nos anúncios das lojas, desconsiderando despesas extras como impostos, seguro e emplacamento de veículos.

    O economista afirma que o cadastro positivo, que relaciona os bons pagadores e está em vigor desde junho, deve frear o spread bancário. No entanto, ele diz que os efeitos levarão pelo menos um ano para serem sentidos. “É uma questão cultural. O cadastro positivo só se consolidará à medida que as pessoas e empresas aderirem [a ele].”

    fonte: w w w economia.ig.com.br/queda-da-selic-nao-reduz-juros-para-consumidores/n1597264823914.html

    0
  • Selvagem 10 de outubro de 2011 at 15:39

    Obviamente que não preciso dizer que comentários como o do sujeito acima não devem ter espaço aqui se quisermos que o blog mantenha-se no nível mínimo. Pessoalmente acho que deveria tomar um ban via ip, embora acho que mesmo essa punição seria branda. Acho que a maior punição para um cara que posta dessa forma é ser ele mesmo, uma pessoa pequena, acredito que poderá procurar companheiros de idiotice em outros blogs, existem vários que merecem alguem como vc.

    0
  • aiwww 10 de outubro de 2011 at 15:46

    olha .. tem um psiquiatra aqui no blog … pode fazer uma consulta com ele se estiver com depressão .. mas vamos manter o alto nível 🙂 abraço

    0
  • Luiz 10 de outubro de 2011 at 15:55

    “””Carlos Paddock disse:
    10 de outubro de 2011 às 15:36

    Então Luiz, a minha área que a tesouraria não cuida especificamente disso, nos visamos sempre à manutenção do capital e por isso priorizamos a gestão de risco ao invés da geração de grandes retornos.

    O que temos conversado sobre a questão imobiliária é o seguinte, nos patamares em que chegamos comprar agora não é um bom negócio, visto que os valores dos aluguéis estão bastante convidativos e não acreditamos em uma valorização grande dos passivos.

    Para quem tem interesse em investir, o pessoal da área de Asset Management alguns FII’s, que são fundos de investimentos imobiliários e alguns FIP’s voltados para construção civil, Fundos de Investimento Privado, onde o investidor entra como parceiro da construtora , obtendo retorno proporcional ao VGV do empreendimento.”””

    Prezado Carlos, destaco que nem vcs estão mais acreditando na valorização d eimoveis, logico que não,a gora me diga qual o retorno de um desses FIIs, quanto é o investimento minimo, sem querer abusar de vc e ao mesmo tempo pedindo para vc contribuir com a ordem e evitar se meter em provocações

    0
    • aiwww 10 de outubro de 2011 at 16:13

      Poderia postar a fonte?

      0
    • xangai 10 de outubro de 2011 at 23:56

      eh Luiz …
      o mundo corporativo eh mesmo muito dinamico … em algumas horas se sai da Tesouraria e vai para uma ( nem lembro mais ! ) area outra qq !!

      alias… trabalho com IT na area de seguranca… e todos sabem que nem na padaria da esquina se deixa um ex-funcionario usar o email da antiga empresa!!

      acho que so mesmo o bradesco permite isso ou abriu uma unica excessao ( com assinatura de todo o board ) para o Troll !!

      ok .. .como era mesmo ::: vaca amarela … etc..etc….etccc

      0
  • Luiz 10 de outubro de 2011 at 15:57

    “””Carlos Paddock disse:
    10 de outubro de 2011 às 15:36

    Então Luiz, a minha área que a tesouraria não cuida especificamente disso, nos visamos sempre à manutenção do capital e por isso priorizamos a gestão de risco ao invés da geração de grandes retornos.

    O que temos conversado sobre a questão imobiliária é o seguinte, nos patamares em que chegamos comprar agora não é um bom negócio, visto que os valores dos aluguéis estão bastante convidativos e não acreditamos em uma valorização grande dos passivos.

    Para quem tem interesse em investir, o pessoal da área de Asset Management alguns FII’s, que são fundos de investimentos imobiliários e alguns FIP’s voltados para construção civil, Fundos de Investimento Privado, onde o investidor entra como parceiro da construtora , obtendo retorno proporcional ao VGV do empreendimento.”””

    Carlos, vc poderia nos dizer quanto está hj o retorno destes FIIs, qual o minimo a se investir???
    (favor nos ajude a manter a ordem)

    0
  • FQ 10 de outubro de 2011 at 16:00

    Senhores,

    Voltei hoje ao “site” e ao ler os comentários me surpreendi com a oni-presença repetitiva do colega Carlos Paddock sempre exprimindo a mesma idéia em qualquer um dos ambientes ou tópicos discutidos.

    Estranhei, pois normalmente, exprimimos opiniões quando temos algo importante ou novo a comentar relacionado ao que foi dito e não ficamos, normalmente, agindo como torcedores fazendo coro e volume na arquibancada a cada jogada. Pelo menos assim eu observo na maioria das pessoas, mas sei que cada um é cada um.

    Eu resolvi contar a quantidade de posts, não sei se estou certo, mas acho que foram 70 posts entre 9:46h e 15:25h.

    Ou seja, se eu não estou errado, foram praticamente 1 post a cada 5 minutos ao longo do dia de hoje!!!

    Uma máquina ou alguém pago!

    E como outros colegas disseram lá em cima, existem várias empresas e profissionais que monitoram redes sociais… O perfil de atuação, as características e os eventos são sempre os mesmos!!!

    0
  • Carlos Wagner 10 de outubro de 2011 at 16:01

    Pessoal

    Vejam que material fantastico que encontrei no site do Fabio. Vale cada minuto da leitura. Arrisco a dizer que este texto é um resumo de tudo que ja discutimos e de todas as conclusões que chegamos até este momento no blog. Ai vai:

    O mercado imobiliário não é uma máquina de lucros perpétuos
    By Fabio Portela on jul 19, 2010 with Comentários 13

    Um dos grandes sonhos dos cientistas de todas as épocas foi criar uma máquina de movimento perpétuo, capaz de reutilizar indefinidamente sua energia. Uma máquina que produzisse tanta ou mais energia do que a que consome. É como se um carro fosse capaz de rodar por aí sem que o motorista jamais venha a encher o tanque. Fantástico, não é? Pois é, pena que não existe uma máquina como essa: pelo princípio físico da conservação de energia, para que um sistema produza energia, ele precisar dispor dela antes. Um carro se movimenta porque transforma energia térmica (produzida pela queima de combustível) em movimento.

    Calma, leitor. Não quero te desesperar falando de física hoje. Sei que provavelmente você ainda sente arrepios do ensino médio quando lê uma fórmula matemática ou ouve falar de “energia potencial”. Comecei falando de física para poder falar de investimentos: o ponto que pretendo discutir hoje é que, assim como sistemas físicos não podem produzir mais energia do que consomem, o mercado imobiliário também não pode ser uma máquina de lucros perpétuos.

    O post de hoje é a resposta que dou para uma “reles corretora de imóveis” (é como a leitora se identificou) que postou um longo comentário ao post “Imóveis continuam em alta em Brasília. Até quando?“, que publiquei no início de abril.
    Prezados,
    Muito interessantes todas as colocações.
    Realmente o mercado imobiliário do DF é inusitado, porém, isso fica mais evidente se nos limitarmos a ele.
    Como foi citado em um comentário anterior, isso não está acontecendo somente em Brasília, muito pelo contrário.
    No Rio de Janeiro, por exemplo, não é raro ver o m² ser vendido a 16mil em lugares nobres como Leblon ou Ipanema.
    Acredito que todos acompanham bastante o mercado imobiliário e já devem estar cientes que o Brasil, não Brasília, mas o País todo teve no último ano a terceira maior média de valorização em imóveis do mundo.
    Ficando atrás apenas de Hong Kong e Singapura.
    A média de valorização no País foi de 22% a.a.
    Mas, mesmo assim o Brasil está longe de ter o m² comparado aos mais caros do mundo,ocupando a 64° posição.
    Claro que Brasília se destaca no cenário brasileiro, e apresentou uma média de valorização de 30% em apenas 06 meses.
    ISSO É MUITO PREOCUPANTE, PRINCIPALMENTE PARA QUEM NÃO INVESTE, AOS QUE DEIXAM SEU DINHEIRO DESVALORIZANDO EM ALGUMA POUPANÇA OU SIMPLESMENTE AOS QUE NÃO TÊM DINHEIRO ALGUM PARA INVESTIR!
    Esses ficam FRUSTRADOS, pois a cada dia que passa, seu SONHO DE ADQUIRIR UM IMÓVEL fica cada vez mais distante, e assim, tentam justificar sua frustração provando aos outros que investir é muito arriscado, ou até mesmo uma “burrice”.
    Já quem comprou um apartamento na planta 06 meses atrás, investiu uma média de 10% do valor total do imóvel, mas se vender corre um sério risco de faturar 3x o que investiu.
    Não digo que seja fácil vender esse apartamento, mas por mais que demore o lucro sobre o investimento continua sendo alto.
    Investir em imóveis na planta é o jeito que muitas pessoas com pouco capital, vendo seu sonho da casa própria cada vez mais distante encontraram para terem a oportunidade de se realizarem neste sentido.
    As facilidades de pagamento e a constante valorização são um grande atrativo.
    A correção até a entrega é relativamente baixa, já que é apenas sobre o INCC sem acréscimo de juros.
    A captação também, se bem escolhido o plano de pagamento, não chega a 40% do valor total.
    Pela alta nos preços dificilmente um trabalhador consegue comprar de cara o apartamento que deseja, ou simplesmente um que atenda suas necessidades.
    Assim, ele opta por comprar um menor, mas com boas condições de pagamento e um preço compatível com suas condições financeiras.
    Este trabalhador fica pagando prestações durante um tempo considerável como 02 anos, por exemplo, neste meio tempo as unidades diretas com a construtora são liquidadas, e o nosso amigo pagou mais ou menos o equivalente a 20 ou 30% do valor do imóvel, conseguiu economizar um dinheiro que de outra forma não conseguiria, e está na hora de vender o seu ágio para comprar um apartamento que atenda suas necessidades.
    Se esse caso estivesse acontecendo de 2008 pra cá, este apartamento teria valorizado algo próximo a 100% sobre seu valor inicial. Assim, hoje aquele trabalhador que investiu 30 ganharia cerca de 80% para vender mais rápido.
    Comprar o apartamento que precisa ficaria mais fácil, já que o valor que conseguiu juntar em dois anos diminuiria consideravelmente o valor das prestações que provavelmente precisará continuar pagando já que o imóvel maior também se valorizou.
    Com dinheiro, este mesmo trabalhador pode optar inclusive por comprar um imóvel pronto, e sair do aluguel.
    Isso retrata claramente a questão citada: “pessoas que estão comprando imóveis a um preço muito alto para daqui a algum tempo vendê-lo por um preço mais alto ainda e adquirir outro imóvel de preço ainda maior.”
    Já pensaram quantas pessoas estão envolvidas neste ciclo, e é este o ciclo que alimenta a valorização no DF, assim como em todo o Brasil.
    Nossa economia cresceu bastante nos últimos anos, a taxa de desemprego diminuiu consideravelmente, e a população também mudou, assim como seu perfil e potencial de consumo, hoje a idade média dos brasileiros é 30 anos, idade de começar a pensar no futuro, começar a construir patrimônio.
    Se todos os brasileiros deixassem de comprar imóveis acreditando que o preço é injusto e que mais cedo ou mais tarde eles vão cair, isso provavelmente aconteceria mesmo.
    Mas, como muitos já arriscaram e conseguiram alcançar seus objetivos, é improvável que isto aconteça.
    Além do mais, os preços já foram baixos e nem por isso todos conseguiam comprar.
    A valorização tem sido um grande facilitador, junto com os financiamentos e a grande demanda de imóveis.
    É importante realmente que a população brasileira pense, e questione principalmente as construtoras que são quem realmente comandam esta valorização para que não fuja do controle e continue favorecendo a nós brasileiros.
    E a vocês que tanto criticam, por que não, abaixar a guarda um pouquinho e fazer um teste?
    Investir é arriscar!
    Quanto maior o risco, maior o lucro!
    Que tal deixar de trabalhar por dinheiro e fazer seu dinheiro trabalhar por você?
    “O papel de um degrau na escada da vida, é dar suporte a um de seus pés enquanto você coloca o outro um pouco mais alto!”
    Esta é a minha opinião sobre a bolha imobiliária, pode ser que aconteça, mas nos próximos 20 anos acho pouco provável, talvez a valorização não continue na mesma proporção que nos últimos dois anos, mas perder investindo em imóveis, acho que não!
    Então, o meu conselho é, invista você também!
    O máximo que pode acontecer é que em alguns anos você terá algo seu!
    E isto, é realmente gratificante!
    Abraços.

    Em resumo: A leitora é grande entusiasta do mercado imobiliário no Brasil e, mais especificamente, de Brasília. Segundo ela, o mercado imobiliário já se valorizou muito (média de 22% no ano passado), mas mesmo assim haveria muito espaço para valorização, porque o país ainda está longe de ter o preço do metro quadrado alto, já que ocupa apenas a 64ª posição no mundo. Essa situação, segundo ela, é muito preocupante para quem não investe em imóveis, que tentariam justificar sua frustração por não ter obtido os lucros desse mercado dizendo aos outros que é estúpido investir em imóveis.

    Segundo ela, os preços dos imóveis deverão continuar a subir porque as pessoas continuarão dispostas a comprar imóveis por preços mais caros para vendê-los por preços mais caros ainda. O raciocínio dela vai além: “Se todos os brasileiros deixassem de comprar imóveis acreditando que o preço é injusto e que mais cedo ou mais tarde eles vão cair, isso provavelmente aconteceria mesmo. Mas, como muitos já arriscaram e conseguiram alcançar seus objetivos, é improvável que isto aconteça.”

    O arremate da leitora é um convite à irreflexão: vamos todos comprar imóveis e “deixar o dinheiro trabalhar”, lembrando que “quanto maior o risco, maior o lucro”: “E a vocês que tanto criticam, por que não, abaixar a guarda um pouquinho e fazer um teste? Investir é arriscar! Quanto maior o risco, maior o lucro! Que tal deixar de trabalhar por dinheiro e fazer seu dinheiro trabalhar por você?”

    A suposição que está na base de TODO o argumento da corretora é o seguinte: o mercado imobiliário de Brasília (e do Brasil) é uma máquina de gerar lucros perpétuos!! Os preços vão subir porque… ora, pois… porque VÃO SUBIR! Não interessa, as pessoas vão continuar a comprar imóveis a preços mais altos porque eles estão subindo, e os preços vão continuar a subir porque as pessoas continuarão comprando porque esperam que os preços continuem a subir.

    Fantástico! O problema é que isso contradiz TODA a teoria econômica. Os preços não sobem porque sobem: eles sobem porque há demanda e porque as pessoas efetivamente PAGAM o preço que é exigido. Se alguém não tem dinheiro para comprar um bem, ele não faz parte da demanda efetiva por aquele bem. Por exemplo, eu quero ter uma Ferrari, mas não gero demanda por ferraris porque NÃO TENHO DINHEIRO PARA COMPRAR O BENDITO CARRO!

    O que acontece, então, com o mercado imobiliário? Normalmente, as pessoas não têm dinheiro para comprar um imóvel, restando duas alternativas. Ou elas economizam dinheiro suficiente para comprar seu apartamento ou uma casa, ou pegam um empréstimo (é, crédito imobiliário é um empréstimo). Se os juros do empréstimo são baixos, você pode pegar mais dinheiro emprestado pagando a mesma prestação.

    “Maravilha… posso comprar um imóvel com o dinheiro do banco!! Mas o que isso tem a ver com bolha imobiliária?”

    Os empréstimos aumentam a demanda por imóvel. Alguém que antes não era parte da demanda agora é, porque tem o dinheiro do banco para ajudá-lo a comprar o apartamento ou a casa. Só que, como qualquer pessoa sabe, o aumento da demanda leva a um aumento do preço dos imóveis. Ou seja, o preço do imóvel não aumentou “porque aumentou”. Ele aumentou porque entrou mais dinheiro no mercado: o dinheiro dos bancos, da Caixa Econômica, do governo, etc. Isso leva o valor dos imóveis lá pra cima.

    O economista americano Hyman Minsky (1919-1996), autor dos livros John Maynard Keynes (1975), Can ‘it’ happen again? (1982) e Stabilizing an Unstable Economy (1986), dizia que um dos mecanismos que arremessa uma economia para a crise é a acumulação de dívida. Ele identificou três classes de devedores que levam a essa situação: os devedores hedge, os devedores especuladores e os devedores Ponzi.

    O devedor hedge pode pagar suas dívidas (os juros e o principal) com o fluxo de caixa de seus investimentos. Digamos que ele receba R$ 10.000,00 de dividendos todos os meses: ele poderia pagar as prestações do imóvel com esse dinheiro e, além disso, economizar um pouco para pagar as chaves. Ou então poderia pagar as parcelas do financiamento com esse dinheiro. O assalariado que usa uma parcela de seu salário para pagar as prestações também estaria nessa categoria.

    O devedor especulador, por sua vez, pode pagar apenas os juros com o rendimento de seus investimentos, mas não o principal.

    O devedor “Ponzi”, por sua vez, é quem pega o empréstimo baseado na crença de que a apreciação do imóvel será suficiente para refinanciar a dívida, mas não pode pagar nem os juros, nem o principal, com sua renda.

    Segundo Minsky, quando o mercado está em equilíbrio, predominam os devedores hedge, que conseguem honrar suas dívidas e investir racionalmente. É uma dívida boa, que realmente leva a economia a dar passos curtos, mas firmes, rumo ao crescimento. Quando o mercado entra em desequilíbrio, muitos investidores hedge começam a assumir mais e mais riscos, e passam a se tornar investidores especuladores ou mesmo investidores Ponzi. Aos poucos, os investidores Ponzi passam a dominar a economia.

    Se as dívidas dos devedores Ponzi se tornarem a norma do mercado, isso poderá levar ao colapso do sistema financeiro porque boa parte de quem pegou o dinheiro emprestado não vai ter como pagar nem os juros, nem o principal. A quantidade de dinheiro disponível para emprestar se reduz: os bancos não vão ser loucos de emprestar dinheiro se ninguém está pagando os empréstimos! Isso leva à desestabilização do preço dos ativos (no caso, imóveis) e a sua redução, porque a demanda começa a cair. Menos dinheiro, menos demanda. Quando o preço dos ativos começa a cair, o devedor especulador não consegue mais pegar dinheiro emprestado para financiar o pagamento do principal para realizar novos investimentos, mesmo que tenha dinheiro para continuar a pagar os juros.

    O efeito dominó pode levar ao colapso geral da economia mesmo dos devedores hedge, que se tornam incapazes de pegar dinheiro emprestado mesmo tendo condições de honrá-los. Quando isso ocorre, mesmo quem tenha a capacidade de pagar pelo financiamento pode não conseguir encontrar quem queira emprestar dinheiro.

    Parece familiar? Pois é… foi o que aconteceu nos Estados Unidos recentemente. Naquele momento (em 2006 e 2007), havia a crença generalizada de que o único movimento dos preços dos imóveis era para cima. Os bancos emprestaram dinheiro para quem não podia pagar e achava que poderia honrar o financiamento pelo simples aumento do preço dos imóveis (devedores Ponzi e especuladores). Afinal, os americanos pensavam naquele momento (assim como os brasileiros agora), mais ou menos o seguinte: se eu financio um apartamento de $ 100.000,00 e ele passar a valer $ 200.000,00, eu não precisarei pagar todas as prestações. Poderei vender o imóvel por $ 200.000,00, quito a dívida de $ 100.000,00 e ainda ficarei com $ 100.000,00 pra mim!! Depois eu poderei financiar um apartamento de $ 200.000! Eu dou os $ 100.000 que lucrei na primeira operação como entrada e financio mais $ 100.000,00, porque “sei” que logo depois ele valerá $ 500.000!! No início, as coisas podem acontecer como planejado: o mercado pode passar a avaliar o imóvel por $ 500.000 e o investidor lucraria $ 400.000! No final das contas, ele pode acabar pensando o seguinte: “Agora, posso comprar um apartamento por $ 600.000 porque ‘sei’ que logo ele valerá $ 800.000! Que coisa boa, eu DESCOBRI A MÁQUINA DE GERAR LUCROS PERPÉTUOS! Sou um gênio financeiro! Uhu!”

    Tudo vai bem para o investidor até que, de repente, alguns dos devedores não conseguem mais vender seus imóveis. Os devedores Ponzi estão tão alastrados que ninguém está conseguindo pagar suas dívidas junto ao sistema financeiro. Está difícil encontrar quem pague os $ 800.000 pelo apartamento comprado por $ 600.000. Na verdade, está difícil achar quem pague $ 400.000 por ele. E o banco resolveu cobrar pela dívida: o devedor não pode pagar as prestações porque não tem mais nem os $ 100.000 iniciais, que deu de entrada. E como seu salário é baixo, não consegue honrar as prestações. Em outras palavras, de gênio financeiro ele passou a problema social.

    “Ah, Fábio, larga de ser maluco, que isso não acontece no Brasil!”

    Ah, acontece sim. Desde 2003, o governo tem reduzido muito os juros do Sistema Financeiro de Habitação. Há mais e mais pessoas pegando crédito imobiliário para comprar a casa própria. Recentemente, o governo lançou o programa “Minha casa, minha vida”, no qual o Estado se compromete a pagar uma parte substancial do financiamento. Os preços se elevaram, e logo surgiu gente que viu no aumento de preços a oportunidade de ouro de lucrar. As construtoras, vendo um novo nicho de mercado surgindo, começaram a vender imóveis com prestações baixíssimas, tendo como público alvo o “comprador investidor”.

    A ideia é a seguinte: a construtora lança um empreendimento imobiliário com prestações baixíssimas até que o imóvel esteja pronto. O objetivo não é vender imóveis para as pessoas morarem, mas para investidores especularem. Aqui em Brasília, é possível encontrar imóveis que custam R$ 500.000, R$ 600.000,00 com prestações fixas de R$ 1.000,00 até a entrega, e parcelas semestrais fixas de R$ 10.000,00. Ou seja, por ano o investidor pagaria R$ 32.000,00. Maluquice? Não… o resto do contrato é o seguinte: você paga essas prestações razoavelmente baixas até o imóvel ficar pronto. Quando a construção terminar, você tem que pagar o resto (as “chaves”). Mas não é só isso: como a construtora não é boba, a parcela de chaves é corrigida anualmente pelo INCC. “Mas não esquenta com isso”, diz o corretor, “o INCC é baixinho!!! Coisa boba, uns 5% ao ano”. Para que o leitor tenha uma idéia, o INCC nos últimos 12 meses foi de 6,3%.

    Alguém que comprou um apartamento de R$ 600.000,00 com previsão de construção até dezembro de 2014 faria o seguinte negócio: pagaria R$ 32.000,00 por ano até 2014 – algo em torno de R$ 128.000,00.

    “Ah, Fábio, bacana! Nessa altura, eu só deveria R$ 472.000!!” É só financiar. Beleza!! Mas houve a correção pelo INCC ao longo dos 4 anos. Se a média do INCC for de 5% ao ano, você estaria devendo ainda uns R$ 560.000,00. Ou seja, você pagou R$ 128.000,00, mas só abateu R$ 40.000 de sua dívida. Pior: você teria que quitar os R$ 560.000,00 – a famosa parcela de chaves.

    Mas nem tudo está perdido. Afinal, você é esperto. Você é o cara! Você é o gênio financeiro. Após 2 anos da compra, você sabe que o preço dos imóveis está em alta. O imóvel que você comprou agora não vale só R$ 600.000,00. Ele vale R$ 800.000! Então você anuncia e vende o imóvel por esse preço: você lucra, facinho, R$ 200.000,00! E ainda se livra da dívida. Você pagou, em 2 anos, apenas R$ 64.000, e lucrou R$ 200.000!!! E ainda se livrou da parcela de chaves!

    O problema é que, se você vendeu, você vendeu a dívida para alguém. Alguém agora está devendo a parcela de chaves que você não pagou. Enquanto essas pessoas puderem pagar pelos preços que estão sendo cobrados, tudo vai continuando como está. Mas um dia isso acaba porque o mercado terá absorvido a demanda por esses preços malucos, e quem comprou pensando em vender a preços mais altos vai ter que pagar a parcela de chaves. Mas provavelmente não terá se preparado para isso — e, tchanananam!! — a casa, literalmente, cai.

    É uma pirâmide financeira cujo resultado é trágico e anunciado.

    Não, dona corretora que comentou no blog, o que sustenta o mercado imobiliário não é, como você diz, a crença dos investidores de que os preços subirão. Isso sustenta uma bolha, não a riqueza. Otimismo e pessimismo não sustentam nada na economia, no longo prazo: o que a sustenta é uma política governamental sólida de só conceder crédito a quem pode honrá-lo. O que sustenta a economia é dinheiro sólido, que gera mais dinheiro sólido por meio de investimentos. São empresas que produzem mercadorias e as circulam no mercado nacional e internacional.

    Um prédio não pode produzir dinheiro a partir do nada, só por causa do otimismo das pessoas. Os preços não sobem porque sobem. Uma casa serve para morar, não para especular.

    O que está acontecendo no Brasil (e particularmente em Brasília) é uma pirâmide em que as pessoas aceitam comprar imóveis por preços cada vez mais altos porque “sabem” que só há um caminho possível: para cima! Mas um dia elas vão estar enganadas e poderão ter suas vidas arruinadas. Bolhas nunca são boas: são cenários que produzem riqueza para alguns poucos que conseguem sair delas na hora certa, e devastam a vida da maioria das pessoas que acreditam em máquinas de lucro perpétuo.

    Bacana não? Chego a conclusão de que tenho medo desses “corretores”!

    0
    • Henrique 10 de outubro de 2011 at 23:32

      Carlos Wagner
      Realmente excelente esse post, alem de extremamente didatico. Parabens Fabio Portela!

      0
  • Fausto 10 de outubro de 2011 at 16:04

    Sério que vocês estão deixando tudo sair dos trilhos por aqui por causa de uns 2 ou 3 trolls?

    Dani, fala sério, você vai deixar de participar por causa de alguns comentários tortos? Vale a pena?
    Luiz, você perde mais do que ganha ao baixar o nível. Tem aquela frase: “Não discuta com idiotas. Eles baixam o nível da discussão e ganham por terem mais experiência.”

    Xingamentos em internet devem ser abstraídos, ignorados. Não é questão de honra ou do atacante ser ou não digno de pena, mas o fato de que na internet, NÃO HÁ VENCEDORES em brigas. Vocês estão fazendo direitinho o jogo do troll.

    Se fazem tanta questão de responder a comentários claramente trolladores, enviem um simples PLOC. Usem a onomatopéia como uma ironia interna, com ar de deboche.

    A disputa aqui é pra ver quem se irrita primeiro: os trolls ou a comunidade.

    0
  • aiwww 10 de outubro de 2011 at 16:07

    Que vergonha ! Aliás, vamos manter o alto nível ! 🙂 beijunda!

    0
  • Fausto 10 de outubro de 2011 at 16:16

    Aproveitem e leiam o meu post também. A disputa aqui é pra ver quem se desestabiliza primeiro, troll ou comunidade.

    Movimento PLOC – Post Lamentável e Oco de Conteúdo.
    Encontrou algum post assim? PLOC!

    0
    • FQ 10 de outubro de 2011 at 16:35

      Repito: Tenho muita experiências em Foruns e já vi esse filmes várias vezes…

      São sempre os mesmos tipo de “personagens” com as mesmas características e ações, sempre pela ausência de bom senso ou naturalidade, sempre parecem torcedores que percorrem cada discussão do fórum fazendo coro ao fundo de cada opinião contrária…. etc

      Além disso, seguem exemplarmente as famigeradas “dialéticas erísticas”, que são as atuais rainhas dos “trolls” nos forum e redes sociais:

      htt p : / /pt.wikipedia.org/wiki/Dial%C3%A9tica_er%C3%ADstica

      Entrem nesse site. Vale o estudo.

      PS: Desculpem a repetição.

      0
      • Fausto 10 de outubro de 2011 at 16:40

        Isso já foi postado anteriormente pelo Luiz. Como eu disse, vocês estão fazendo exatamente o que o troll deseja.

        0
      • Dr. Estranho 10 de outubro de 2011 at 21:58

        Show de bola. Cada vez que entro no site absorvo cultura. Já sabia que o indivíduo que ganha 10k no HSBC(podem rir, mas foi ele que disse) era um sofista. Percebi que ele usa pelo menos 20 recursos desta dialética. Mas, já que sou estranho, prefiro que o funcionário do hsbc com e-mail do bradesco continue. O que ele ganha ou perde saberemos daqui a algum tempo. Quem sabe ele tem “sapatos” para vender e não consegue, ou os 10k que ele ganha 90% é comissão(que foi pro brejo) , sei lá. Pra estar full time aqui é porque não tem nada para fazer(como eu!!! argh!!!). Infelizmente sou pobre. Ganho apenas 7k(brutos) e não tenho renda para financiar 300k. Acredito que alguns milhões de brasileiros tb. Fico com minha casinha, com minha poupança(lugar para pobre investir), meu carro 2009, minha moto 2008. Não vou trocar de imóvel e torço para a construção civil continuar crescendo de vento em popa, pois emprega muita gente. Não pretendo conhecer os EUA, mas gostaria de passar alguns dias no Canadá. Alguém recomenda?

        0
        • Luiz 11 de outubro de 2011 at 11:39

          estranho, alguns dizem q o canda é boring

          0
  • Gustavo 10 de outubro de 2011 at 16:25

    Galera, regra básica de discussão na internet, desde os tempos do mIRC: “Não alimentem os trolls!!”

    0
  • Álvaro 10 de outubro de 2011 at 16:32

    Definitivamente quem trabalha em Banco não tem tempo para postar desta forma o dia inteiro. Acho que o Bradesco lhe forneceu uma bela guia CD/SD para ficar alguns meses postando direto.

    Engraçado é que o Carlos Paddock fala como se morasse em um AP de 4 quartos e 180m2 no coração do Lourdes, em Belo Horizonte.

    Ademais, qual o interesse tão ferrenho em não admitir a possibilidade de uma queda de preços. Se ele diz que comprou seu AP antes da especulação desenfreada, bom para ele.

    Em Belo Horizonte o que mais se vê é adesivo de vende-se e aluga-se a cada 50m. Agora os preços sugeridos são risíveis, isso é fato …

    0
    • Carlos Paddock 10 de outubro de 2011 at 16:39

      Vou ter que responder novamente? Hoje estou em casa, não se acostumem, porque minha presença não será assídua assim todos os dias.!

      0
  • FQ 10 de outubro de 2011 at 16:33

    Tenho muita experiências em Foruns e já vi esse filmes várias vezes…

    São sempre os mesmos tipo de “personagens” com as mesmas características e ações, sempre pela ausência de bom senso ou naturalidade, sempre parecem torcedores que percorrem cada discussão do fórum fazendo coro ao fundo de cada opinião contrária…. etc

    Além disso, seguem exemplarmente as famigeradas “dialéticas erísticas”, que são as atuais rainhas dos “trolls” nos forum e redes sociais:

    htt p : / /pt.wikipedia.org/wiki/Dial%C3%A9tica_er%C3%ADstica

    0
    • Carlos Paddock 10 de outubro de 2011 at 16:35

      Ausência de bom senso, todos meus posts foram extremamente sérios, o problema é a falta de respeito de muitos a opinião alheia.

      0
      • Felipe 10 de outubro de 2011 at 20:38

        Qualquer coisa, chama o Ildeu!

        0
        • Felipe 10 de outubro de 2011 at 20:39

          Pra antibolhistas ele faz um descontinho na consulta!

          0
  • Jack Imóveis 10 de outubro de 2011 at 16:38

    Bolha,

    Você como líder espiritual e bloqueiro master plus deve atender ao clamor do povo e retirar o Sr. Paddock do Blog. Ele está poluindo o ambiente. Baratox nele!!!

    Abraços

    Jack – O censor

    0
    • Inteligivel 10 de outubro de 2011 at 18:32

      Censura? Melhor não.

      0
    • Bolha Imobiliária 10 de outubro de 2011 at 19:03

      Acabo de colocar ele na lista de moderação full. Tudo o que ele postar, se relevante, poderá ser aceito ou não. Realmente hoje foi um dia fogo, só entrei no blog, aceitei tudo o que foi postado, nem vi quem escreveu quem…

      0
      • Duda 10 de outubro de 2011 at 21:56

        Já ficou bem mais limpo, da para respirar…

        0
  • Carlos Wagner 10 de outubro de 2011 at 16:43

    Mitos sobre bolhas nos mercados
    By Fabio Portela on jun 16, 2010 with Comentários 2

    Como prometido, escrevo sobre o excelente artigo de Brian Bloch, publicado pela Investopedia em seu site, intitulado “O mito sobre bolhas de mercado”. O objetivo do artigo é desmistificar certas “verdades” que a imprensa publica sobre o mercado financeiro e nas quais o próprio senso comum parece acreditar, tais como as idéias de que as bolhas são invisíveis e de que é fácil sair delas antes de a crise estourar.

    A definição de bolha assumida no artigo é clara: “uma bolha é um mercado superaquecido no qual existem muitos compradores ávidos por comprar mais.” Como resultado, os preços aumentam muito, muito rápido, até que a situação se torne insustentável. Durante o desenvolvimento do processo, mais e mais pessoas começam a duvidar da sustentabilidade dos preços e começam a vender — e a bolha estoura, pois as pessoas entram em pânico, vendem seus ativos e os preços despencam (às vezes, até abaixo do ponto em que deveriam estar). E muita gente leva prejuízo…

    Um dos mitos combatidos no artigo é o de que as bolhas são invisíveis. Segundo os autores, apesar desta ser uma “verdade” para boa parte da imprensa, essa é uma mentira: é verdade que algumas bolhas são mais visíveis do que outras e que algumas pessoas estão em posição melhor para percebê-las do que outras. Um especialista no mercado é capaz de enxergar a situação melhor do que um cidadão comum. Mas, segundo Bloch, uma coisa é clara: TODAS as bolhas são, em maior ou menor grau, identificáveis. Os indicadores de mercado mostram paulatinamente o quão absurdo está o nível dos preços dos ativos, e em mercados com indicadores mais nebulosos, o padrão de comportamento de compradores e vendedores, além das próprias notícias que circulam pela imprensa, se modificam em relativamente pouco tempo. Todo mundo passa a acreditar que investir naquele mercado é um ótimo negócio: você encontra aquele velho colega de escola que não queria saber de nada na vida e ele te diz que está pensando em investir naquilo, e que você seria um idiota se não investisse também.

    A mensagem de Bloch é dura e certeira: se os profissionais do mercado não a enxergam e alegam que “ninguém poderia ver a bolha se formando”, é porque eles deveriam estar fazendo outra coisa. Os sinais existem e são claros: não existem bolhas invisíveis! Isso me faz lembrar de uma entrevista que ouvi ainda em 2006, na rádio CBN, em que um economista já avisava dos riscos dos empréstimos subprime nos Estados Unidos para o mercado imobiliário de lá. E isso dois anos antes da bolha explodir…

    Mas se os sinais existem e são relativamente claros, por que as pessoas têm prejuízo com a bolha? Não seria mais racional tirar dinheiro do mercado até que a situação se normalizasse? E se todo mundo fosse racional e agisse assim, não seria razoável esperar que os preços tivessem uma queda lenta para se ajustar à realidade do valor dos ativos? O problema é que nem todo mundo é racional — e a euforia e o pânico nas bolsas provam isso. E, além disso, é possível ter bons lucros em uma bolha, tanto no momento em que ela se forma (comprando e vendendo ativos), tanto no momento em que ela “explode” (operando com derivativos no mercado de ações, por exemplo).

    Pense em uma construtora de Brasília: ela sabe que os preços daqui são irreais, mas continua a construir prédios e imóveis. As construtoras têm ganho muito dinheiro aqui em um mercado com uma bolha em formação já há alguns anos. Elas vendem apartamentos e casas e lucram substantivamente com isso. Na hora que a bolha estourar, elas sofrerão um pouco, é verdade, mas já terão ganho muito, muito, muito dinheiro com ela. O prejuízo subseqüente é perfeitamente amortizável do lucro imenso que ela obteve no período. Isso ocorre se seu proprietário for responsável e, ciente da irrealidade da situação, guardar um pouco dos lucros para a época de vacas magras. Se isso não acontecer, é perfeitamente possível que ele também afunde, levando os compradores de imóveis na planta pro buraco. Na maior parte das vezes, quem perde dinheiro com a bolha é o investidor, não o vendedor do bem.

    Segundo Bloch, é por causa dessa dinâmica que há um “consenso” de que as bolhas são invisíveis e que, por isso, ninguém as vê chegando. Imagine que você comprou um apartamento por R$ 600.000,00 e, dois anos depois, ele passou a valer R$ 350.000,00. Aí você bate na porta do dono da construtora que vendeu a unidade para você e tem a seguinte conversa com ele:

    Você: – Pô, você me vendeu um apê prometendo que ia render um bom lucro e agora tô no maior prejú!!

    Construtor: – Ah, meu senhor… eu realmente sabia que os preços eram irreais, mas eu resolvi vender assim mesmo, pra faturar algum!

    Você acha que é isso que vai acontecer? Não, claro que não! Se ele disser, você pode até propor uma ação contra ele, alegando ter sido enganado ao fechar o negócio. O sujeito vai dizer o seguinte:

    – Ah, é verdade. Eu lamento seu prejuízo. Na verdade, minha construtora também está tendo muito prejuízo porque a demanda diminuiu inesperadamente e tivemos que baixar o preço do imóvel.

    Pois é: você vai perder a ação, porque o sujeito “também não sabia” disso. Se ele sabia, tinha intenção deliberada em te prejudicar; se não sabia, foi tão “enganado” pelas circunstâncias de mercado quanto você. Portanto, você não tem como anular o negócio feito e vai ter que engolir o choro e o prejuízo.

    Segundo Bloch, essa é a razão pela qual boa parte dos agentes do mercado diz que “não viu a bolha chegando”. Se eles a tivessem visto e alertassem seus clientes, deveriam vender suas posições do mercado e se posicionar de acordo com essa premissa. Mas, como podem ganhar dinheiro com a bolha, é melhor ficar de bico calado e depois dizer que não sabia de nada.

    “Mas Fábio, as instituições financeiras também perdem dinheiro com as bolhas. Por que isso acontece?”

    Segundo Bloch, isso acontece porque os agentes de mercado são egoístas e ávidos por lucro. Querem descobrir a hora exata em que a bolha vai estourar, a fim de vender suas posições momentos antes. Eles querem obter o maior lucro possível. E não apenas eles: os pequenos investidores, mesmo conscientes da situação, também pretendem descobrir a hora exata de sair do mercado.

    O problema é que… eles não descobrem. Continuam comprando até depois que a bolha estourou, achando que na verdade foi só uma queda temporária, e que logo o mercado se recuperará. Mas ele não se recupera e os preços dos ativos continuam caindo, até que não resta ao investidor de curto prazo outra alternativa a não ser… VENDER, por pânico e desespero. Os investidores de longo prazo, por sua vez, sabem que isso tudo é temporário e que no futuro tudo voltará a ser como antes. E, comprando o desespero alheio, passam a adquirir ativos a preços muitos mais baixos do que os de antes.

    E o que você, pequeno investidor, pode fazer para se proteger de situações como essa? O conselho dele é claro: “Monitore o mercado por si só. Como sempre, você se preocupa com seu próprio dinheiro infinitamente mais do que qualquer outra pessoa. Informação, conhecimento e vontade de perguntar são críticos para evitar ser escaldado pelo estouro de uma bolha”.

    0
    • Roberto Cesar 11 de outubro de 2011 at 03:16

      Oi Carlos,

      Excelente post.
      Realmente as bolhas são visíveis e quem estiver olhando vai ver. obviamente quem está ganhando dinheiro com a bolha vai negar.

      Um exemplo é ver o que economistas como Peter Schiff, Marc Faber, Max Kaiser, falavam em 2006/2006 sobre a bolha do subprime e suas consequencias enquanto Greenspan, Bernanke e Geithner negavam qualquer possibilidade de bolha.

      Se voce tiver um tempo da uma pesquisado no Youtube e procure pelos vídeos da série “Peter Schiif was right”. O Sciff descreveu com prcisão cirurgica o estouro da bolha e a recessão que veio em seguida.

      0
  • Luiz 10 de outubro de 2011 at 16:48

    Prezado Carlos padock, 0,5 a 0,8% de retorno liquido é um resultado razoável, muito parecido com CDB, acho que acima dos fundos normais, certamente acima da poupança

    Ou seja, mesmo nós pobres recalcados, rsrs, pdoemos investir em im´voeis, basta ter milão no bolso. Se o fundo for bem, resguarda da inflação e ainda ganha um, o que reforça a tese que comprar direto na planta hj é idéia de estagiário. Não pode o fundo render menos que uma pessoa normal o faria, exceto por sorte ou um profssional que saiba enxergar urbansiticamente as grandes oportunidades. Modéstia a parte fiz um 1.000% em 10 anos. Mas tbm perdi em outras oportunidades.

    O fundamental pra vc se entendi direito pq não sou familiar neste jargão, o fundamental é saber reconhecer o bom VGV, todavia tem aquela história da laranja pdore estragar as outros, sendo assim, eu pessoalmente ficaria bem preocupado com o risco de contaminação. Não sei se acompanhou o caso da Encol? O efeito por contaminação foi maior que o efeito direto em si.

    Como vcs avaliam isto da contaminação, estamos maduros o suficiente pra saber separar joio do trigo?

    0
    • Carlos Paddock 10 de outubro de 2011 at 16:55

      Então Luiz muitos investidores tem consciência do risco que tomam ao assumir certas posições, o que acontece é que maioria da população acaba indo na onda dos consultores imobiliários, que muitas vezes estão claramente mal intencionados.

      No caso do VGV seria para investimentos em FIP’s, nesse caso existe uma equipe que analisa os dados de todas as construtoras parceiras e decide em qual empreendimento pretende fazer a parceria.Nem todos os cases são de sucesso, mesmos pessoas especializadas no mercado imobiliário fazem projeções equivocadas, por isso todo cuidado é pouco

      0
      • Luiz 10 de outubro de 2011 at 17:14

        Carlos, deixemos de lado a geografia (dane-se a geografia) vc está nos trazendo uam contribuição MUITO IMPORTANTE QUE EU GOSTARIA QUE OS OUTROS AQUI FOCASSEM COM BASTANTE ATENÇÃO

        Eu considero que a grande receita para evitar a bolha imobiliária é simplesmente se fazer um bom trabalho: escolher um bom local para construir, com boa demanda, boas perspectivas e facil acesso a materiais e mdeobra e um preço viável

        Considero que estamos aind ana idade média do setor da cosntrução civil.

        Não sei se vc já viu um destes catalogos novos de trator, a cabine parece cabine de avião, e não temso mdobra boa pra operar isto aí. Vc anda por um canteiro d eobra sna espanha, por exemplo, que nem ´e grande coisa, e quase não se vê gente, é maquina pra todo lado. Aqui, é uma maquina rodeada de 20 curiosos e só um aperta o botão.

        Entre tantos problemas de se tocar uma obra no BR, esta cada dia mais dificil fechar a conta no azul devido a todas estas dificuldades e agora o preço que se desgarrou da realidade.
        Ambientes de crise podem ser maravilhosos para os verdadeiros profissionais nadarem de braçada, ao mesmo tempo evitar os perigos. Isto que a sua equipe faz é o que todo comprador particular deveria fazer ou contratar alguém que soubesse ao invés de ficar nesse papinho de vendedor.

        Teria outra curiosidade se vc puder nos passar. Como tem sido a aceitação destes fundos?
        Eles vem crescendo?
        E no caso de resgate, há prazos ou é diário?
        Dá pra sair correndo rápido caso necessário?

        0
  • Indecoroso 10 de outubro de 2011 at 16:50

    Pessoal, infelizmente vejo que os TROLLS atingiram seu objetivo: dissiparam o efeito construtivo das elaboradas opiniões que vinham sendo postadas acerca da bolha imobiliária, convertendo nosso espaço numa feira de injúrias.

    Precisamos restabelecer a civilidade em nossas discussões evitando bricadeiras, ofensas ou qualquer tipo de exaltação. Especialmente se dirigidas contra os gaiatos que não sabem sequer a localização do próprio umbigo. Se a opinião é claramente infundada ou controversa, basta que seja ignorada! Não quero dizer que se for “contrária” precisa ser banida (afinal é do contraditório que frutifica a razão), mas há aqueles “pitacos” que nitidamente decorrem do imaginário do autor, nada trazendo de proveito à discussão, apenas servido para desencadear uma “flamewar”.

    Se dermos seguimento a todas as elucubrações que aparecerem por aqui, deixaremos de fiar nossa discussão no que realmente interessa – a BOLHA -, gerando desconforto até para os leitores que buscam neste espaço uma fonte de informação/orientação.

    Por isso apelo a todos os participantes para que devolvamos a locomotiva aos seus devidos trilhos, agindo com mais respeito e menos exaltação, orientados ao único propósito que nos reúne aqui: discutir o presente e o futuro do mercado imobiliário brasileiro.

    Abraços “erga omnes”.

    0
  • Guilherme Eduardo 10 de outubro de 2011 at 17:01

    Primeiro procura-se o maior lucro. Depois, o menor prejuízo.

    Melhor perder R$ 1,00 do que perder R$ 2,00.

    0
  • LEOTEX 10 de outubro de 2011 at 17:11

    Caro Carlos Paddock,

    Frequento esse site regularmente (uma vez por semana pelo menos) desde dezembro/2010. Nunca postei nada pq não acho que possa acrescentar muita coisa. Tenho um bom imóvel próprio, comprado à vista, mas quero trocar por outro maior. Tenho dinheiro para isso, mesmo com os preços atuais, porém está tudo tão caro que desanima! É muita grana por uns m2 a mais.

    Ou seja, tenho um motivo simples para frequentar esse espaço. Quanto a você, se me permite a sinceridade, acho seu comportamento estranho. Pelo que entendi, você não é corretor, ou seja, não tem nenhum interesse especial nesse mercado. Você não crê na bolha. Você considera o nível do debate aqui baixíssimo. Ainda assim, tem postado furiosamente!

    Afinal amigo, o que o traz aqui?

    sds

    0
    • Urbanista 10 de outubro de 2011 at 18:05

      Leo,
      estou na mesma situação que vc. Também, outros amigos…As famílias não conseguem evoluir o tipo de habitação assim ocorre com suas carreiras, pois os salários não acompanhas. Alguns amigos até desistiram de ter mais filhos pela razão de seus imóveis não comportarem mais uma criança. Além do que, com os preços dos aluguéis altíssimos, a insegurança persiste quanto ao futuro das economias familiares. Aproveito aqui para levantar uma discussão quanto a repercussão desse aumento desmedido de preço dos imóveis nas nossas vidas. Talvez eu não queira mudar do meu bairro para ter um apartamento melhor… Talvez a minha vizinhança torne-se tão “rica”, pela “expulsão branca”, que a vida fique muito cara para mim (aumento do preço do salção, academia, padaria, etc.) Nas conversas com conhecidos, essa questão está presente. Valorização imobiliária não é bom para o “povo”, só para os especuladores. O problema é que parte desse “povo” (incluo a classe média) resolveu especular também, reforçando esse ciclo.

      0
      • Anonymous 10 de outubro de 2011 at 19:41

        Urbanista,

        Se voce for solteiro/solteria, a minha sugestão é sair da Banânia. O custo de vido nos EUA é METADE (sim, escrevi metade) do custo de vida na Banânia. Já demonstrei em outra mensagem que o simples fato de voce possuir automóvel durante 30 anos na Banânia, equivale a comprar uma casa de uns 250 m2, 4 dormitórios, 3 banheiros, 2 garagens num terreno de cerca de 1000 m2 durante esses mesmos 30 anos nos EUA. Na Banânia voce JOGA FORA uns 300 mil dólares só pelo simples fato de possuir automóvel. Portanto, se voce é jovem CAIA FORA O QUANTO ANTES.

        0
        • dp 11 de outubro de 2011 at 10:13

          Anonymous – concordo com vc em genero numero e grau. Recusei esse ano uma proposta para ganhar mais de 600 mil reais por ano em SP exatamente por isso. Nao saio dos EUA por nada.

          0
        • Urbanista 11 de outubro de 2011 at 11:25

          Anonymous,
          já até morei nos EUA e sei como as coisas são por lá. Apesar de muitas críticas sobre a sociedade norte-americana, vejo muitas qualidades no país que eles construíram. Mas o que está ocorrendo lá é realmente uma vergonha, a população desempregada, perdendo suas casas e a disputinha política travando alguma solução. Além de dinheiro público ser usado para socorrer bancos (apesar de que a quebra do sistema bancário poderia ter um efeito devastador na economia).
          Mas não é só o custo de vida que conta. Temos as nossas famílias e outros tipos de vínculos. Além do que, sempre seremos estrangeiros.

          0
          • Anonymous 11 de outubro de 2011 at 12:13

            Urbanista,

            Voce está apenas repetindo as notícias que saem publicadas na Banânia. O desemprego nos EUA é INFERIOR a 10%, enquanto na região metropolitana de SP é 11.2% (Ago/2011) e na região metropolitana de Salvador é 15.6%. O número de pessoas que perderam as casas é absolutamente ridículo quando comparado ao número de pessoas que POSSUEM casas, Se voce gosta tanto dos seus amigos, então pense em pedir para ajudá-la a pagar as suas contas ai no Brasil, pois voce pode precisar. Nos EUA, voce pagaria sózinha. É basicamente essa a diferença.

            0
            • Urbanista 11 de outubro de 2011 at 12:21

              Obrigada Anonymous, mas não veja isso como uma questão pessoal. Concordo também com vc que a mídia nos manipula na construção de nossas opiniões (vc já viu o filme “1984”?) Mas acho que o problema nos EUA é sério mesmo. Uma tia, que era corretora lá, cuja casa valia US$ 250 mil, não conseguia vendê-la há US$ 70 mil. Ficou sem vender nada por mais de um ano.
              Também, numa outra parte do blog , fiz um comentário para você. Você saberia informar os impostos devidos para transmissão de bens imobiliários nos EUA, para venda ou herança? Acho que esta é um ainformação importante para aqueles que estão pensando em comprar um imóvel nos EUA, como investimento. Desde já, agradeço. Abçs

              0
    • Anonymous 10 de outubro de 2011 at 18:27

      Ele é contratado de empresas interessadas em desmoralizar o blog, pois essas empresas acham que continuarão a enganar indefinidamente, se ninguém tocar no assunto. Na grande imprensa, quase ninguém fala em Bolha Imobiliária, exceto em compraćões do tipo está mais barato comprar imóveis no exterior (países do chamado primeiro mundo) do que na Banânia, como se isso fosse um mérito da economia Bananense.

      0
    • Anonymous 10 de outubro de 2011 at 18:28

      A resposta está abaixo – saiu em lugar errado.

      0
  • me 10 de outubro de 2011 at 17:13

    “Líder espiritual”? Hackear cookies de usuário? A coisa chegou a esse ponto mesmo?

    0
    • Jack Imóveis 10 de outubro de 2011 at 17:19

      Me,

      Líder espirutal foi um exagero. Sarcasmo. Não acho que hackear as pessoas seja solução. O que me incomoda é o fato de virem pessoas aqui sem o menor embasamento e atrapalharem o forum.

      O finado Marco Antonio era um cara (corretor da Lopes) que apesar de não acreditar na bolha trazia informações interessantes de mercado.

      Esse é o verdadeiro valor do blog. Uma fonte de referência com credibilidade. Mesmo o André que todo mundo reclama era um cara que trazia informações.

      As pessoas que começaram a aparecer de ontem para hoje não trazem nada.

      Esse é meu ponto de vista.

      Abraços

      Jack – Pensativo

      0
      • Luiz 10 de outubro de 2011 at 17:25

        discorodo Jack, o Marco antonio era estagiario de corretor.

        O carlos eu acho uma pena a perda dele, nos ultimos minutos se mostrou uma grata surpresa

        Falou bobagens no começo sim, quem não fala as vezes, mas ainda tem muito o que contribuir. Ele está num ponto chave, poderiamos trocar informações valiosas (exceto as de geografia, claro, rs).

        0
        • Luiz 10 de outubro de 2011 at 17:29

          o unico antibolhista nivel gerencial, proximo da diretoria de um Banco.
          convem a todos aqui se reavaliarem
          será que não estamos mesmo virando fanáticos por sangue?
          inclusive eu
          volto amanhã

          abraços

          0
          • Duda 10 de outubro de 2011 at 22:07

            Luiz, acho duvidoso esse cargo de tesoureiro… Muito duvidoso mesmo, a intenção dele era clara, destruir as conversas. E vão aparecer outros como ele, só esperar.

            0
        • Jack Imóveis 10 de outubro de 2011 at 17:32

          Luiz,

          Entendo seu ponto, mas infelizmente prefiro informações (mesmo que questionáveis) vindas do estagiário do que nenhuma informação.

          O urbanista que apareceu no post anterior me pareceu muito mais interessante.

          Abraços

          Jack – Apoiando as novas gerações

          0
          • Luiz 10 de outubro de 2011 at 18:32

            Pois eu achei a noticia que ele trouxe a mais aterradora da semana.
            Vcs ficaram tão sedentos que nem prestaram atenção

            Os FII’s são investimentos a partir de mil reais, ou seja, qulaquer pé rapado pode participar da farra da bolha, isto ái meu caro, parceiro de imobiliaria. É uma estratégia de mestres do xadrez financeiro.

            Incapazes de resolver o problema a conta pode ser repassada a milhares de investidores desavisados. Se a especifica do anco dele é séria e só trablha com eztec não importa, pq se el pode fazer, todas as outras podem, e vão fazer.

            Quando a coisa estiver tão feia e com uma massa critica de gente tão grande com o $eu em risco, aí alguma coisa vai acontecer. (???)

            Veja que eles do banco, diretoria financeira, acreditam que imoveis irão cair, que as grandes terão problemas que precisarão tomar atitude, isto vindo de alguém in. O mais In que já houve por aqui.

            Vcs vão ficar de dever de casa pra amanhã: refletir o que ele falou com seriedade, raciocinar os efeitos possíveis destas noticias que ele trouxe de primeira mão (eskece o resto).

            0
            • Inteligivel 10 de outubro de 2011 at 18:52

              Olha a paranóia…

              Fundos Imobiliários são como se fosse a ação negociada em bolsa, mas em vez de uma empresa você está comprando o pedaço de um imóvel de grande porte alugado que paga mensalmente rendimentos (provenientes dos aluguéis) aos seus “cotistas”.

              Como todo investimento legal comercializado no Brasil é fiscalizado pela CVM, publica balanço e é auditado.

              Concordo que os preços dos imóveis estão altos. Mas não dá para demonizar os FII’s só porque não concorda com as opiniões do cara que os citou.

              Todo investimento tem riscos e rentabilidade potencial (negativa ou positiva). Cabe a cada um escolher o que faz com o seu dinheiro.

              Hoje não compraria um apartamento. Mas tenho investido em bons FII’s com retorno positivo e de acordo como o que acho razoável.

              0
              • Luiz 10 de outubro de 2011 at 19:07

                Inteligivel, não entendi vc.

                discordamos do Carlos quanto a localização de cidades em relação aos continentes só isso
                de resto ele concorda com a gente em todo o resto, que os preços vão cair que aluguel tá barato, ele só não quer usar o nome de bolha.

                o mais initeligivel do seu argumento é o seguinte:
                Se vc acredita que comprar na planta é uma furada, se vc concorda que aluguel tá uma tragedia pro proprietario, como é que vc pode achar os FIIs bom.

                Os FIIs são pedaços compráveis daquilo que vc acha ruim, não é uma lata cheia de bosta, é só uma colherzinha, mas oras meu amigo, o gosto é o mesmo

                Se as fundaçoes são ruins, o telhado vai apoiar aonde? nas nuvens?

                Essa é a estratégia urubu amigo, salvo melhor analise, é raspar o resto que os corretores deixaram.

                0
                • Inteligivel 10 de outubro de 2011 at 20:36

                  Entendo seu argumento: é o mesmo mercado (imobiliário), logo seria um investimento pior.

                  Mas não é bem assim.

                  Neste blogue há uma relação da rentabilidade distribuída mensalmente pelos FII’s.
                  http://rendimentofundoimobiliario.blogspot.com/

                  Se os rendimentos dos FIIs estiverem acima de 0,75% ao mês sobre o valor investido (lembrando que são isentos de IR para pessoa física), acho um bom investimento atrativo.

                  Em contrapartida, no imóvel que moro, por exemplo, pago menos que 0,4% ao mês de aluguel. Seguindo o raciocínio, ou aluguel está barato ou o preço do imóvel está caro. Sinceramente acho que é a segunda opção.

                  Os imóveis estão caros proporcionalmente ao aluguel, mas o mesmo não está acontecendo com os FIIs.

                  0
  • Veigalex 10 de outubro de 2011 at 17:34

    Pessoal,

    É simples Não mencionem mais o cara!
    É isso que esta deixando ele contente e alegre.
    Cada vez que ele vê o nome dele é uma emoção!

    Sejam inteligentes!

    Como Amigo disse, o dia hoje não teve quase nada de útil.
    Esse Blog é fantástico e já esta incomodando muita gente.
    Vamos continuar a postar as noticias, os indícios, discutir o que tem que ser discutido.

    Parem de mencionar os Trolls.

    0
  • Carlos Wagner 10 de outubro de 2011 at 17:45

    Pessoal

    DEFINITIVAMENTE, O BLOG PERDEU O SENTIDO ESSA SEMANA, E SE CONTINUAREM A RESPONDER AOS QUE NADA CONTRIBUEM A COISA TENDE A PIORAR.

    Por enquanto, retiro-me do blog e espero que dias melhores sejam alcançados por aqui. Sinceramente, estou sentindo que em meus horarios vagos no trabalho, que gostava de ler o que estava rolando aqui, passaram a ser tempo perdido com discussões inuteis.

    Valeu pessoal… Obrigado pelo aprendizado que me proporcionaram…

    As vezes darei uma passadinha por aqui pra prestigiar esse espaço mas pretendo ficar de fora das discussões.

    Só digo uma coisa: Eles estão conseguindo acabar com um dos unicos espaços isentos e imparciais que conheci…É uma pena!

    Sorte e prosperidade a todos.

    0
    • Duda 10 de outubro de 2011 at 21:48

      Carlos, já foi feita uma limpa, pode voltar!

      0
  • Urbanista 10 de outubro de 2011 at 18:04

    Leo,
    estou na mesma situação que vc. Também, outros amigos…As famílias não conseguem evoluir o tipo de habitação assim ocorre com suas carreiras, pois os salários não acompanhas. Alguns amigos até desistiram de ter mais filhos pela razão de seus imóveis não comportarem mais uma criança. Além do que, com os preços dos aluguéis altíssimos, a insegurança persiste quanto ao futuro das economias familiares. Aproveito aqui para levantar uma discussão quanto a repercussão desse aumento desmedido de preço dos imóveis nas nossas vidas. Talvez eu não queira mudar do meu bairro para ter um apartamento melhor… Talvez a minha vizinhança torne-se tão “rica”, pela “expulsão branca”, que a vida fique muito cara para mim (aumento do preço do salção, academia, padaria, etc.) Nas conversas com conhecidos, essa questão está presente. Valorização imobiliária não é bom para o “povo”, só para os especuladores. O problema é que parte desse “povo” (incluo a classe média) resolveu especular também, reforçando esse ciclo.

    0
    • Inteligivel 10 de outubro de 2011 at 18:57

      Tenho a mesma opinião. Parece que estamos empobrecendo a cada dia.

      0
    • Laranja 10 de outubro de 2011 at 23:02

      Esta valorização acaba levando as pessoas para mais longe dos centros, de seu trabalho, lazer, etc. Assim continuamos expandindo as cidades sem infra adequada… que porcaria hein Urbanista?!

      0
  • Anonymous 10 de outubro de 2011 at 18:12

    Paddock,

    Voce já me aconselhou a sair da Banânia quando argumentei a favor disso – e eu ja’sai faz anos. Agora, é a minha vez de aconselhar: Se voce acha que as empresas de construcao NAO vao quebrar, por que entao VOCE nao compra acoes da GAFISA, que e’ a maior delas?

    0
    • Luiz 10 de outubro de 2011 at 19:13

      melhor
      ele está sugerindo que a gente seja parceiro das imobiliarias via FIIs
      qualquer mil real dá pra entrar
      oq vc acha?

      0
  • Anonymous 10 de outubro de 2011 at 18:19

    Ao Paddock,

    Voce já me aconselhou a sair da Banânia quando argumentei a favor disso – e eu ja’ sai faz anos. Agora, é a minha vez de aconselhar: Se voce acha que as empresas de construcao NAO vao quebrar, por que entao VOCE nao compra acoes da GAFISA, que e’ a maior delas?

    Se voce trabalha no HSBC, gostaria de lembrar que esse banco investiu com o Bernie Maddof que prometia retorno entre 10%/ano ate’ 17%/ano – uma das maiores fraudes da historia dos EUA.

    Se um banco, repleto de pessoas com MBA, pode ser tao TOLO a ponto de cair no golpe do Madoff (esquema de piramide), o que nao seria de se esperar do Bananense médio (average joe) quando imagina que seu investimento em imovel vai valorizar 30% ao ano?

    PS: Estou na Alemanha e aqui TAMBÉM os imóveis estão mais baratos do que na Banânia, supondo qualidade de vizinhanca semelhante.

    0
  • Rogério-Goiás 10 de outubro de 2011 at 18:25

    Sei que Goiânia está longe da especulação existente em outras capitais, mas a bolha também existe aqui. Entretanto pude comprovar esse fim de semana uma queda nos preços.

    No mês de junho, olhei um apartamento de “alto padrão” aqui e a corretora me mandou a tabela de preços, dizendo que tinha que fechar o negócio logo pois a tabela ajustaria todo mês. Detalhe, obra com previsão de entrega em 2014. Consegui ontem a tabela de outubro, ou seja, 4 meses depois, os apts que custavam 650 e 680 aumentaram 14 centavos, isso mesmo, 14 centavos.

    No outro empreendimento, recebi a tabela do “pré-lançamento” com a desculpa que o preço era excelente pois depois do lançamento oficial aumentaria a tabela. Resultado ainda pior, pois algumas unidade que em julho estavam sendo vendidas a 754 mil baixaram para 735. Quem comprou há três meses perdeu 20 mil, além do incc.

    Não sou especialista mas acho que é um demonstração de que as vendas estão estagnadas pois as construtoras, em tese, deveriam corrigir pelo menos no incc. Estou certo?

    0
    • Urbanista 10 de outubro de 2011 at 19:07

      Rogério,
      sobre isso também tenho um exemplo. Num trabalho de marketing de uma incorporadora, os imóveis tinham um valor previsto para a venda. No entanto, na data do lançamento, os imóveis sairam por um preço mais baixo.

      0
  • Zezinho 10 de outubro de 2011 at 18:30

    BOLHA,

    Mesmo sem postar muito, acompanho o blog a cerca de 1 ano. Neste tempo percebo que o blog cresceu muito e, como parte natural do processo, chegamos num ponto onde o número de participantes/postagens exigirá uma moderação mais ATIVA!

    Caso vc deixe “rolar” discussões que em nada contribuem (como as dos últimos dias), este espaço tão importante irá se deteriorar.

    Eu mesmo que acesso todos os dias, estou pensando em dar um tempo.

    abs

    0
    • Bolha Imobiliária 10 de outubro de 2011 at 18:49

      Eu sei Zezinho

      O problema é que tenho que trabalhar, e dependendo do dia mau posso moderar o que se passa. Hoje estou desde as 5 da matina na empresa, só entrei no blog para moderar, mau tive tempo de ler os comentarios.

      0
      • Luiz 10 de outubro de 2011 at 19:10

        tem como limitar automaticamente o numero de participações, ou 1 a cada hora?

        0
  • Urbanista 10 de outubro de 2011 at 18:35

    Lula,
    essa sua postura foi ridícula! Parece um adolescente com hormônios borbulhantes, que, pretenciosamente, pensa que homem é solução na vida de uma mulher. Esse blog tem um propósito mais elevado e esse tipo de comentário não cabe aqui. Faltou educação da sua parte.

    0
  • Urbanista 10 de outubro de 2011 at 18:37

    Repetindo, no lugar certo.
    Lula,
    essa sua postura foi ridícula! Parece um adolescente com hormônios borbulhantes, que, pretenciosamente, pensa que homem é solução na vida de uma mulher. Esse blog tem um propósito mais elevado e esse tipo de comentário não cabe aqui. Faltou educação da sua parte.

    0
  • Anonymous 10 de outubro de 2011 at 18:44

    INADIMPLENCIA SOBE 7% EM UM UNICO MES
    Folha, 10/10/2011 – 16h01

    O descontrole dos gastos vem crescendo nos últimos meses. Cerca de 18% dos consumidores inadimplentes responderam que esse foi o motivo para ficarem devedores, segundo pesquisa feita em setembro deste ano –sete pontos percentuais a mais do que mesmo mês do ano passado (11%).

    Inadimplência por idade (em %) em setembro

    menos de 20 anos – 3
    de 20 a 25 anos – 17
    de 26 a 30 anos – 24
    de 31 a 35 anos – 23
    de 36 a 40 anos – 13

    0
    • Jack Imóveis 10 de outubro de 2011 at 18:58

      Anonymous, Urbanista, Leo e outros

      Obrigado por elevarem o nível da discussão no final dessa tarde.

      Todos já vem falando a muito tempo que a inadimplência é um sinal da Bolha. O presidente da SERASA experian tentou negar mas aparentemente a ACSP discorda dele.

      Imagino que esses dados não incluem imóveis. Se já está dificil pagar a prestação das casas Bahia, imagina das construtoras…

      Abraços

      Jack – Bom Pagador

      0
  • Jack Imóveis 10 de outubro de 2011 at 19:03

    Caso esses FII´s sejam baseados em imóveis como segue abaixo, não vejo muito risco no médi o prazo:

    Escritórios vão para a Nova Faria Lima

    Por Chiara Quintão | De São Paulo
    Ampliar imagem
    Abud: “Estava claro que a expansão da Faria Lima ia continuar naquele trecho entre Juscelino e Helio Pellegrino. Fomos os primeiros a comprar terreno ali”.
    A escassez de áreas disponíveis de escritórios comerciais de alto padrão na Faria Lima, entre as avenidas Cidade Jardim e Juscelino Kubitschek, endereço nobre da zona sul de São Paulo, estimula investimentos no último trecho a ser explorado na avenida mais cobiçada por instituições financeiras para instalar ou expandir suas sedes. Ou seja, o endereço limitado pelas avenidas Juscelino e Helio Pellegrino.

    UBS, Barclays e BicBanco se mudarão, nos próximos meses, para o edifício Faria Lima 4440, de padrão triple A. Trata-se do primeiro prédio pronto da leva de sete projetos corporativos desenvolvidos na Nova Faria Lima, com entrega prevista para até o fim de 2014.

    A Faria Lima tem o metro quadrado de edifícios corporativos mais caro e a menor taxa de vacância do mercado paulistano. Em setembro, a vacância da região da Faria Lima em edifícios com ar-condicionado central e lajes acima de 250 metros quadrados úteis era de 2,6%, abaixo da média da capital paulista, de 3,1%, conforme levantamento da CB Richard Ellis (CBRE). Segundo a empresa, que foi responsável pela locação do Faria Lima 4440, nos prédios prontos triple A, com qualidade similar à do empreendimento, a parcela era de 0,5%.

    Nos cálculos da Jones Lang LaSalle, a taxa de vacância do trecho da Faria Lima entre a avenida Cidade Jardim e a Helio Pellegrino era de 2,5% no terceiro trimestre, muito abaixo dos 14,57% do intervalo equivalente de 2010 e dos 7,7% da média da capital para edifícios de alto e altíssimo padrão. Os valores médios de locação nesses quarteirões situaram-se em R$ 138 – 13%, acima dos R$ 122 do terceiro trimestre de 2010.

    “O estoque ficou inalterado nesse período. Com a demanda aquecida, os valores foram pressionados”, diz o diretor de locação da Jones Lang, André Costa. O preço médio do metro quadrado de alto padrão ficou em R$ 127 e de altíssimo padrão, em R$ 142.

    Para o Faria Lima 4440, os preços fechados de locação foram superiores a R$ 150 por metro quadrado. Isso resulta em valor total do aluguel mensal dos 15 andares do prédio em torno de R$ 3,5 milhões, conforme o sócio-diretor do fundo VBI, Rodrigo Abud. O fundo de private equity com investimentos no setor imobiliário VBI, que possui 92% do projeto, desenvolveu o Faria Lima 4440 em parceria com as empresas do setor de construção SDI Empreendimentos e Bueno Netto, que possuem 4% cada. A Gafisa construiu o prédio, mas não participou da incorporação.

    Em 2006 e 2007, os sócios do Faria Lima 4440 desembolsaram cerca de R$ 50 milhões na compra das 17 propriedades que compuseram o terreno. A maior parte foi composta pela área onde funcionava a academia Projeto Acqua. “Para nós, estava claro que a expansão da Faria Lima ia continuar naquele trecho. Fomos os primeiros a comprar terreno ali”, conta Abud. Na época, a avaliação era que o valor do aluguel do metro quadrado na Nova Faria Lima seria menor do que o da área mais consolidada da avenida, o que não ocorreu. Segundo o diretor de locação da CBRE, Adriano Sartori, independente de a localização do edifício ser antes ou depois da Juscelino, “o endereço Faria Lima prevalece”.

    Além da pressão sobre os valores de locação, o cenário de aperto entre oferta e demanda se reflete em pré-locações cada vez mais cedo. “As pré-locações eram fechadas, em média, de três a seis meses antes do habite-se, mas o prazo médio passou a ser de seis a 12 meses”, compara Sartori. Dos 230 mil metros quadrados de edifícios de alto padrão na região das avenidas Faria Lima e Juscelino Kubitschek com entrega até o fim de 2012, 40% já estão locados, nas estimativas da CBRE.

    O Faria Lima 4440 foi totalmente pré-locado um ano antes da entrega, informou o diretor da Bueno Netto, Carlos Alberto Bueno Netto. O BicBanco ocupará dez mil metros quadrados e UBS e Barclays ficarão em área de seis mil metros quadrados cada um. A demanda foi duas vezes superior à área ofertada. Foram recebidas também propostas de multinacionais e de uma firma de consultoria.

    0
  • Pedrao 10 de outubro de 2011 at 19:14

    Hj rodei o bairro do Brooklin em SP, placas de usados em praticamente todos os edifícios
    vc toca na portaria e pede informações, alguns porteiros passam um cartão de imobiliaria
    outros dão o telefone do proprietário e alguns pedem para vc deixar um telefone de contato.

    Oq eu pude constatar, ngm sabe o preço de nada, aptos. em prédios velhos e ruins pedindo mais do que o ap no prédio ao lado com lazer e uma vaga a mais por exemplo.

    Em outro caso no mesmo prédio valores 30 % dispares um do outro, para aptos iguais.

    Ainda não achei oq eu quero, pelo preço que quero pagar, mas acho que não vai demorar muito.

    Acabei conversando com um dono de uma pqna imobiliária muito bacana (acreditem, isso ainda existe), ele tá tranquilo pq ele tem vários aps mais simples alugados e as vezes negocia algum, mas vender imóveis de terceiros não tá saindo, todo mundo pedindo mais do que escutou que o vizinho vendeu.

    Outro detalhe é o numero de corretores nas padarias, na porta do Pão de Açúcar, do supermercado dia, sempre em grupinhos de 2 ou 3 tentando vender uns lançamentos.

    0
  • Duda 10 de outubro de 2011 at 19:25

    Nossa assim aproveita o dia de folga? O desespero deve ser grande, esse tipo de atitudes são as que confirmam sua preocupação com uma realidade que bate forte em vc: e a bolha, se tocou?

    0
    • Bolha Imobiliária 10 de outubro de 2011 at 19:28

      Duda. Agora estou vendo o tamanho da zona que o Sujeito fez no blog…Resolvi tirar alguns kilos de comentários desnecessários que ele postou, e tentar corrigir a falta de atenção que tive com o blog hoje…Até amanhã deixo somente os comentários relevantes

      0
      • Duda 10 de outubro de 2011 at 21:42

        Ótimo, tinha certeza que vc ia moderar. Tb percebi que estava em automático, tal vez seja possível deixar alguém suplente para moderar, nos momentos que vc não consegue, tipo mrk, luiz, Carlos wagner, ou eu se vc quiser, para evitar esse tipo de sabotagem. E só uma idéia. Abs

        0
        • Bolha Imobiliária 11 de outubro de 2011 at 11:19

          Pode ser. Vou tentar registra-los como moderadores, pq para vc ter uma ideia, antes cada comentário era moderado. Como aumentou demais o volume, fiz um esquema de tendo 1 post aceito, passa, e em caso de links, moderação tb. Ontem não teve jeito, eu tinha muita coisa a fazer por aqui, sem possibilidade de ficar vendo quem xingou quem…Mais tarde fiz uma limpa, depois termino

          0
          • Duda 11 de outubro de 2011 at 14:22

            E uma sugestão, pois alguém de nos estará sempre olhando, pelo menos com o poder de tirar comentarios ofensivos, ou vazios de conteudo, já ajudaria bastante, poderemos evitar situações com as de ontem. E aparecerão mais “inimigos” pela frente, acredito eu. Nada contra quem questiona a bolha, mas sim contra a sabotagem. SDS

            0
  • MrK 10 de outubro de 2011 at 19:36

    OUTRO DIA MESMO..o presidente do serasa veio a publico por um artigo dizer que não há bolha de crédito nem bolha imobiliaria

    pois bem, MAIS uma vez a leitura de inadimplencia apresentou uma alta considerável, entendem o meu ponto de que é crucial ver quem é a fonte de informação?

    podem ter certeza, mesmo com as vendas travadas, preços já passando do ponto de inflexão, vão pipocar artigos negando que há bolha, dizendo que esse patamar de preços é sustentável e etc… alias, estão pipocando como NUNCA antes, quase todo dia vem um! Todos assinados por pessoal de construtora!

    0
  • trololó 10 de outubro de 2011 at 19:37

    uma coisa temos que admirar nesse tal de carlos paddock, e TODOS TEM QUE APRENDER COM ELE:

    como diabos o cara consegue vencer o captcha do site?!?!
    porque eu até desisti de participar depois de tantas tentativas frustradas, e o cara manda bala valendo no captcha!

    0
  • Anonymous 10 de outubro de 2011 at 20:05

    Dani,

    Sobre mensagem onde voce diz que não quer ficar longe do seu dinheiro. Nos EUA, o seu dinheiro está mais seguro – garantia do FDIC para depósitos até 250 mil dólares. Além disso, dos EUA voce transfere dinheiro para a Banânia, ou qualquer outro país, pelo simples motivo de que o dinheiro é SEU – esse conceito de PROPRIEDADE não é muito compreendido pelos Bananenses. Já na Banânia, para transferir o SEU dinheiro para os EUA voce terá que apresentar a declaração do IR no banco. Atualmente, com inflação da ordem de 7.5% OFICIAL, a poupança já deve estar rendendo NEGATIVO.

    0
    • Roberto Cesar 11 de outubro de 2011 at 03:51

      Anonymous,

      Com a quantidade de bancos que já faliram nos EUA o FDIC está com o caixa baixo, alguns até dizem que está falido e que só opera ainda com ajuda do governo. Se houver uma nova crise estilo Lehman Brothers (o que é bem possível que aconteça) e tiver mais quebradeira a coisa pode ficar feia.

      Nos EUA os juros estão muito negativos. A poupança regular (com liquidez imediata) ta pagando 0.1% ao ano (NÃO, eu não escrevi errado, 1 décimo de porcento ao ano). a inflação oficial (CPI) está beirando os 4%, porém a inflação real ja passa dos 8%. Você pode tambem apicar em CD 3 ou 5 anos com juros entre 2 a 4%, dependendo de quantia de dinheiro que voce aplica, mas se voce tirar o dinheiro antes do prazo contratual voce perde TODOS os juros.

      É seguro? Sim, com certeza. Vai ser sempre seguro? Eu não apostaria nisso.

      0
  • MrK 10 de outubro de 2011 at 20:06

    ANDRÉ, O MESTRE DA MEDIA MOVEL ATACA NOVAMENTE

    Em mais um post de qualidade técnica nula, o André alfineta sites como esse por estarem prevendo a bolha ha mais de um ano, que segundo ele ainda não estourou (alias, não existirá data fixa para o estouro, deixo todos sabendo, isso não é festa de aniversário). Ele usa 2 argumentos muito fracos.

    1- “quem nao acreditou na bolha e comprou imovel ha 1 ano teria lucrado 40% segundo o fipezap”

    Esse argumento é totalmente falho, primeiro que o lucro do fipezap é contábil e não real, o lucro real só se dá para quem COMPROU e VENDEU o imóvel!! Como muitos imóveis estão encalhados, algumas pessoas (conheco casos e vários outros do blog também) já baixaram o preço, ou seja, sem a liquidez de venda esse lucro simplesmente NÃO EXISTE. Detalhe: Esse lucro fantasioso também admite uma revenda em 1 ano que não é o usual do investidor de plantas até a chave, esse periodo normalmente é de de 2 anos e meio, ou seja, quem comprou no inicio do ano, não sempre mas normalmente, teria mais 1 ano e meio pra revender até as chaves.

    2- Ele cita que blogs estão ha 1 ano prevendo a bolha e nada

    Esse argumento é tão ruim quanto o anterior, primeiro que NINGUÉM nesse blog disse que a bolha já teria estourado por agora, muito pelo contrário, quando feito enquete a maioria estimava para o 2o semetre de 2012 o estouro, ou seja, nada do que está ocorrendo no mundo real está fora do que falamos, muito pelo contrário, temos acertado muitas coisas como a quantidade de artigos pipocando, os descontos, os carros e motos, corretores raivosos, acoes caindo, vendas travadas… tudo isso foi discutido em algum momento.

    Outra falha do argumento dele é tentar desmoralizar a idade do blog, vejam bem, ter previsto a bolha depois que ela estourou ou 1 mes antes é fácil, o que esse blog tem de mérito é justamente observar e prever com grande antecedência, isso que faz o sucesso daqui e ele tenta desvirtuar para fingir que isso é simbolo de fracasso, é ridículo.

    Além do mais que diferenca faz em acertar ou errar a bolha 3 meses? Não existe data comemorativa pra estouro de bolha, o que importa é acertar a tendência e não se endividar por 30 anos de forma errada, se a bolha estourar em Abril, Agosto ou Outubro de 2012 pra mim dá no mesmo.

    Honestamente, considero o André pior que o Paddock, pois esse último cola informações tendenciosas, o primeiro distorce as informacoes para torna-las tendenciosas.

    0
    • Pedrao 10 de outubro de 2011 at 20:26

      esse indice fipezap é o maior crime contra a economia popular
      já tá na hr de sairmos do mundo virtual e fazer uma denuncia no ministério publico
      vamos juntar dados e tocar isso para frente

      Para encaminhamento de informações sobre violação aos direitos coletivos dos consumidores procure a Promotoria de Justiça em sua cidade ou Fale Conosco através do e-mail
      MPRJ
      w w w .mp.rj.gov.br/portal/page/portal/Internet/Cidadao/Ouvidoria_Geral
      MPSP
      [email protected]
      MPFederal
      h t t p : / / ccr3.pgr.mpf.gov.br/fale-conosco/denuncie.htm

      0
      • Pedrao 10 de outubro de 2011 at 20:36

        LEI Nº 1.521, DE 26 DE DEZEMBRO DE 1951.

        O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

        Art. 1º. Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes e as contravenções contra a economia popular, Esta Lei regulará o seu julgamento.

        *

        Art. 3º. São também crimes desta natureza:

        VI – provocar a alta ou baixa de preços de mercadorias, títulos públicos, valores ou salários por meio de notícias falsas, operações fictícias ou qualquer outro artifício;

        Pena – detenção, de 2 (dois) anos a 10 (dez) anos, e multa, de vinte mil a cem mil cruzeiros.

        0
        • Pedrao 10 de outubro de 2011 at 20:37

          esse indice fipezap é o maior crime contra a economia popular
          já tá na hr de sairmos do mundo virtual e fazer uma denuncia no ministério publico
          vamos juntar dados e tocar isso para frente

          Para encaminhamento de informações sobre violação aos direitos coletivos dos consumidores procure a Promotoria de Justiça em sua cidade ou Fale Conosco através do e-mail
          MPRJ
          w w w .mp.rj.gov.br/portal/page/portal/Internet/Cidadao/Ouvidoria_Geral
          MPSP
          consumidor @ mp . sp . gov . br
          MPFederal
          h t t p : / / ccr3.pgr.mpf.gov.br/fale-conosco/denuncie.htm

          0
    • Duda 10 de outubro de 2011 at 22:12

      Mrk, as vezes me pergunto quem banca esse cara, quem põe grana no bolso dele. Nesta altura, discutir se tem bolha ou não, chega ser ridículo, o cara fica queimado e ainda insiste…

      0
      • Duda 10 de outubro de 2011 at 22:25

        O cara esta mordido pelo tamanho do seu fracasso: dizia que não tem bolha, e sim tem… E ainda da para comprovar tudo o que foi falado, pois esta na web… Deixa ele se queimar mais ainda…

        0
        • Robgol 10 de outubro de 2011 at 22:30

          Perguntei antes, mas saiu fora de lugar, que blog é este que voces estão falando? Quem é esse andre????

          0
          • Ana M 11 de outubro de 2011 at 13:01

            Acha facil no google…

            h t t p : / / housingmarketbr.blogspot.com/

            0
        • Ana m 11 de outubro de 2011 at 08:44

          “Esse argumento é tão ruim quanto o anterior, primeiro que NINGUÉM nesse blog disse que a bolha já teria estourado por agora”

          O duda disse, com todas as letras… E ainda disse que teria “inúmeros fãs” quando a profecia se concretizasse…

          Duda, seus fãs estão decepcionados 🙁

          0
          • Duda 11 de outubro de 2011 at 09:52

            Ana m: se quiser revisar tudo que postei desde um ano atras, vai ver SEMPRE o mesmo: Preços maximos em 2011 (junho de 2011 para ser exato), e a partir daí queda de preços em um 40 % ate novembro de 2012… desafio Vc a me mostrar onde postei algo diferente. Tal vez vc tenha confundido as minhas datas com as propostas por outras pessoas. Quem acompanha aqui, sabe que sempre, mas sempre mesmo, falei nessas datas…

            0
            • Duda 11 de outubro de 2011 at 09:55

              E só para aclarar: 40% de queda é o numero comumente aceito como “estouro de bolha”, mesmo que não exista regra definida para isso.

              0
            • Duda 11 de outubro de 2011 at 10:36

              Ana m, não é uma profecia, é uma simples analise grafica, que pode ser (e de fato já foi) bem questionada por algumas figuras hoje desaparecidas daqui (pode revisar todas as discussões neste mesmo site), mas que pelo momento continua-se aproximando muito bem com o comportamento real da bolha.

              0
              • Ana M 11 de outubro de 2011 at 12:59

                Duda, junho de 2011? Então está errado 4 meses, e contando.

                Não sei se voce notou, mas a bolha continua inflando a todo vapor, pelo menos no rio.

                Só implicancia minha, não tem nada de mais errar, rs

                0
                • Duda 11 de outubro de 2011 at 14:03

                  Bom, não sei exatamente com vai a loucura no Rio… mas na maioria das cidades os preços já deram uma estancada y tem descontos (o pessoal tem publicado por aqui). Ate a mídia “oficial” (Secovi) reconeceu isso no seu site. E isso foi mais ou menos junho ou julho. E os descontos estão por todo lado… ou seja… ate pode ser um erro de alguns meses no Rio, mas no resto esta batendo… Não se preocupe, pois se errar serei o primeiro em reconhecer… mas para isso temos que esperar ate novembro de 2012, claro que os sinais de queda de preços vão começar a se notar antes. SDS

                  0
          • Luiz 11 de outubro de 2011 at 10:12

            para que os que chegam agora saibam um pouco d historia da boca de quem não acreditava em bolha, eu.

            Muitos vieram aqui com atitude de desmoralizar o blog e as pessoas, depois que provocavam, saiam se fazendo de vítimas. O fato real é que nada do que eles falaram se tornou real e as mentiras todas emergiram.

            A qualidade deste blog foi a de sempre fazer analises de qualidade através da ineligencia coletiva, esmiuçar e desmascarar argumentos delese da mídia, muita coisa aqui foi desconstruída, o nosso historico é uma mina de ouro.

            E a razão destes caras é simples, hoje há muito dinheiro circulando, muitas vezes na mão de gente despreparada, que nuna viu tano dinheiro na conta, com todo respeito, somos ainda CAIPIRAS FINANCEIROS.

            E isto atrae uma raça de caçadores de todo tipo, corretores, vendedores, consultores, gerentes, e até o estagiário pensou que ia se dar bem.

            0
            • Luiz 11 de outubro de 2011 at 10:16

              e graças a essas figuras, eu mudei de idéia
              sim há 1 bolha em formação

              0
  • Felipe 10 de outubro de 2011 at 20:37

    Mais uma queda de juros vindo aí????
    Com certeza…
    Aumento para os bancários e carteiros??
    Só ABAIXO da inflação!!!!! Qual a justificativa? Para que as palavras do nosso Sr. Ministro e vidente, Guido Mantega, sejam cumpridas… Segundo ele e a sua bola de cristal, a inflação vai cair!!!

    Esse país precisa de muita oração pq se a gente depender desses carinhas que estão dirigindo em Brasília, daqui a pouco estaremos trabalhando para sustentar empresas de fabricantes de carros, construtoras, concessionárias de estrada e empresas de segurança!!!!

    0
  • Anonymous 10 de outubro de 2011 at 20:55

    MERCADO AQUECIDO
    Folha, 10/10/2011 – 16h08

    Volks dá férias coletivas no PR

    Dois dos três turnos da fábrica da Volkswagen em São José dos Pinhais (região metropolitana de Curitiba) entraram em férias coletivas de duas semanas nesta segunda-feira (10).

    0
  • FQ 10 de outubro de 2011 at 21:12

    Olha a que ponto chegou a propaganda e o ufanismo:

    w ww.youtube.com/watch?v=RTtcNP7lmUo

    0
  • Ar Quente 10 de outubro de 2011 at 21:17

    E vamos que vamos…

    PLOC falei.

    jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=75317?KeepThis=true&TB_iframe=true&height=550&width=850

    Venda de imóveis desacelera na Capital
    Movimento de retração na Capital ainda não é motivo de preocupação, avalia o vice-presidente do Sinduscon-RS

    A comercialização de imóveis novos em Porto Alegre desacelerou segundo pesquisa do Sinduscon-RS. A taxa de velocidade de vendas (relação das vendas sobre as ofertas) foi de 7,68% em agosto, resultado inferior a julho, quando o índice atingiu 8,19%. Em relação ao mesmo mês de 2010, a queda foi ainda mais acentuada se considerada a taxa de 11,81% de agosto do ano passado.

    O indicador significa a comercialização de 285 unidades, uma queda de 9,52% em relação ao mês anterior, quando foram negociadas 315 unidades. Já na comparação ao ano anterior, o declínio é ainda maior, de 29,10%. Em termos acumulados no ano, de janeiro a agosto de 2011, foram negociadas 2.447 unidades, queda de 35,13% comparativamente a igual período de 2010, quando foram negociadas 3.772 unidades. A taxa média de doze meses fechada em agosto atingiu 9,80%, resultado inferior aos doze meses fechados em agosto de 2010, quando o índice foi de 14,53%, uma queda de 30,14%.

    O vice-presidente e coordenador da comissão da indústria imobiliária do Sinduscon-RS, Mauro Touguinha, afirma que a desaceleração ainda não é motivo de preocupação. “Os números anteriores eram astronômicos, e o mercado não estava suportando”, compara. Segundo ele, o cenário que se desenha é decorrência lógica das cerca de três décadas de estagnação seguida pelo boom imobiliário, iniciado em 2010. Explosão que, conforme ele, tem pouca relação na Capital com os empreendimentos do programa Minha Casa, Minha Vida.

    Em Porto Alegre, soma-se ainda a greve dos técnicos da prefeitura no início do ano. Os empreendimentos que tiveram demora na aprovação do projeto começarão a ser lançados neste semestre, retomando o crescimento. Ele projeta estabilização da velocidade de vendas em um patamar considerado equilibrado, entre 8% e 10%, índice em concordância com a oferta de mão de obra e a estrutura dos órgãos públicos. Conforme o vice-presidente do Sinduscon, a Capital já passou por momento mais crítico durante a crise econômica de 2008, quando o indicador chegou, em fevereiro de 2009, a 4,27%.

    Para o presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis (Sindimóveis-RS), Sidney Gomes, o índice reflete um período de acomodação do mercado e a velocidade de crescimento deve ser recomposta até o início de 2012. “Esse momento já se viu na cidade de São Paulo, o que nos faz acreditar em acomodação.” Gomes lembra que são diversos os fatores que convergiram para a desaceleração. O ciclo de lançamento e entrega de imóveis aumentou de 30 para 48 meses devido ao déficit de mão de obra e de insumos, além da lentidão na aprovação dos projetos e a dificuldade de adaptação às mudanças do plano diretor. “Tanto isso é verdade que empresários do ramo mostram muitos lançamentos saindo do forno”, comenta.

    Segundo ele, em 2004, o País comemorava a marca de R$ 5 bilhões em crédito imobiliário. Sete anos depois, são R$ 82 bilhões, número representativo, apesar da parcela destinada ao programa Minha Casa, Minha Vida. Esse aumento estipulou um referencial de velocidade de vendas acima do normal. Gomes acredita que o mercado imobiliário deve permanecer em constante expansão nas próximas duas ou três décadas.

    A pesquisa apontou ainda que 91,93% dos negócios realizados em agosto foram com imóveis cujo estágio de produção encontra-se na planta ou em construção e 8,07% das unidades estavam concluídas. Cenário que, conforme o Sinduscon, evidencia a credibilidade e a segurança dos compradores no tocante à aquisição de imóveis na planta ou em fase de construção.

    0
    • Laranja 10 de outubro de 2011 at 23:22

      Seria bom ter os dados dos anos anteriores porque 2010. Procurei e não achei, mas aposto que veríamos o mesmo que ocorreu em SP, a venda recuou também na relação com 2009, 2008… então Sr. Sinduscon: Vamos parar com as histórinhas de greve e plano diretor!

      Sempre penso que Porto Alegre está atrasada no insuflamento da bolha, em relação a Brasília, SP, RJ… todavia o estágio do “travaço nas vendas” está ocorrendo em todos os lugares ao mesmo tempo…

      0
  • Robgol 10 de outubro de 2011 at 21:59

    Do que voce está falando? Que blog é esse?

    0
  • MrK 10 de outubro de 2011 at 22:53

    ANDRÉ, O MESTRE DA MEDIA MOVEL ATACA NOVAMENTE

    Em mais um post de qualidade técnica nula, o André alfineta sites como esse por estarem prevendo a bolha ha mais de um ano, que segundo ele ainda não estourou (alias, não existirá data fixa para o estouro, deixo todos sabendo, isso não é festa de aniversário). Ele usa 2 argumentos muito fracos.

    1- “quem nao acreditou na bolha e comprou imovel ha 1 ano teria lucrado 40% segundo o fipezap”

    Esse argumento é totalmente falho, primeiro que o lucro do fipezap é contábil e não real, o lucro real só se dá para quem COMPROU e VENDEU o imóvel!! Como muitos imóveis estão encalhados, algumas pessoas (conheco casos e vários outros do blog também) já baixaram o preço, ou seja, sem a liquidez de venda esse lucro simplesmente NÃO EXISTE. Detalhe: Esse lucro fantasioso também admite uma revenda em 1 ano que não é o usual do investidor de plantas até a chave, esse periodo normalmente é de de 2 anos e meio, ou seja, quem comprou no inicio do ano, não sempre mas normalmente, teria mais 1 ano e meio pra revender até as chaves.

    2- Ele cita que blogs estão ha 1 ano prevendo a bolha e nada

    Esse argumento é tão ruim quanto o anterior, primeiro que NINGUÉM nesse blog disse que a bolha já teria estourado por agora, muito pelo contrário, quando feito enquete a maioria estimava para o 2o semetre de 2012 o estouro, ou seja, nada do que está ocorrendo no mundo real está fora do que falamos, muito pelo contrário, temos acertado muitas coisas como a quantidade de artigos pipocando, os descontos, os carros e motos, corretores raivosos, acoes caindo, vendas travadas… tudo isso foi discutido em algum momento.

    Outra falha do argumento dele é tentar desmoralizar a idade do blog, vejam bem, ter previsto a bolha depois que ela estourou ou 1 mes antes é fácil, o que esse blog tem de mérito é justamente observar e prever com grande antecedência, isso que faz o sucesso daqui e ele tenta desvirtuar para fingir que isso é simbolo de fracasso, é ridículo.

    Além do mais que diferenca faz em acertar ou errar a bolha 3 meses? Não existe data comemorativa pra estouro de bolha, o que importa é acertar a tendência e não se endividar por 30 anos de forma errada, se a bolha estourar em Abril, Agosto ou Outubro de 2012 pra mim dá no mesmo.

    Honestamente, considero o André pior que o Paddock, pois esse último cola informações tendenciosas, o primeiro distorce as informacoes para torna-las tendenciosas.

    0
  • Money_Addicted 10 de outubro de 2011 at 23:19

    Pessoal,

    Primeiro qro dizer q concordo q esses precos atuais sao absurdos, mas dxe eu levantar uma questao aqui, sera q eles vao cair mesmo?? (Eu particularmente espero q sim, pois nao tenho imovel proprio, mesmo tendo renda para financiar(nem pensar devido aos juros)….ou ate comprar um pequeno a vista)

    Vejamos, qtos imoveis vendidos no lancamento estariam na mao de especuladores? mesmo esse numero sendo alto….ou eles queimam ou devolvem para a construtora com prejuizo, as construtoras ja tendo recebido os 20% de entrada teriam um folego (inclusive pode haver ajuda do bndes) ou ainda como ja foi falado em outros posts q o custo do mt2 para elas gira em torno de 1k ou seja, se vender 1 por 8/10 k ja pagaria o custo de 8/10 imoveis.

    Resumindo, o cenario seria de muitos imoveis a venda a precos absurdos e quase sem ngm comprando ou seja um mercado travado com os precos la em cima.

    Enfim, essa uma teoria que espero esteja errada mas gostaria da opniao d vcs.

    Sds

    0
    • MrK 11 de outubro de 2011 at 08:13

      Money, entendo sua preocupacao, mas acho que o cenario desenhado por voce pode existir somente por um tempo, ele não se sustenta indefinidamente

      Hoje já estamos com liquidez bem baixa porque os precos estão acima do que a demanda pode pagar, o cenario que voce desenhou seria uma liquidez baixa por mais alguns anos, não acho ser possível, as construtoras estão com uma situacao de balanco em que elas não podem se dar ao luxo de se abarrotar de mais estoques (recompra) e ficar carregando apartamentos sem vendas nos seus balanços, elas precisam de resultado e caixa (vendas e lucro)

      0
  • Laranja 10 de outubro de 2011 at 23:36

    Nova fase do Minha Casa, Minha Vida terá investimento de R$ 1,5 bilhão na Capital
    Prefeitura e Caixa Econômica Federal assinaram acordo na tarde desta segunda-feira

    A nova fase do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida prevê investimento de cerca de R$ 1,5 bilhão na construção de prédios populares em Porto Alegre. A expectativa é construir 11 mil habitações até 2014. O acordo foi assinado esta tarde entre a prefeitura e a Caixa Econômica Federal.

    Também houve aumento no repasse para as construtoras, que passou de 8% para 9% do custo total. O diretor-geral do Departamento Municipal de Habitação, Humberto Goulart, acredita que o reajuste às empresas pode comprometer a meta estipulada e disse que o órgão vai conversar com a prefeitura e os secretários de governo para encontrar formas de incentivar a constução de moradias populares.

    Até outubro, apenas 192 unidades foram entregues na Capital a partir do programa. Outras 2,4 mil estão em fase de construção.

    ZH DINHEIRO 10/10

    136 MIL POR UNIDADE???!
    TÃO DE BRINCADEIRA?

    0
  • Jr. 11 de outubro de 2011 at 08:45

    AlphaVille: Vendas superam expectativa

    Fonte: http://www.ovale.com.br/regi-o/vendas-superam-expectativa-1.166915

    SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
    O primeiro dia do plantão de vendas ontem do condomínio AlphaVille, no Urbanova, região oeste de São José, superou a expectativa de negociações. Até as 14h, mais de 80% dos lotes haviam sido comercializados.
    A informação é do diretor comercial da AlphaVille Urbanismo –empresa responsável pelo loteamento–, Fábio Bianchini Valle, que esperava atingir 95% de vendas até a noite de ontem. “São José foi um recorde de vendas entre os últimos empreendimentos AlphaVille em todo o país”, disse.
    O plantão, iniciado por volta das 9h, colocou à disposição os 900 lotes que farão parte do empreendimento –já haviam sido negociadas cerca de 700 unidades residenciais e 50 comerciais. “Nossa expectativa é fechar o primeiro dia já com um volume de vendas de aproximadamente R$ 200 milhões”, afirmou o diretor.
    Para ele, a infraestrutura do condomínio de alto padrão atende o perfil do público da cidade. “Um público exigente, preocupado com a qualidade de vida”, disse.
    Infraestrutura.
    A ideia é que o condomínio em São José, que compreende uma área de 1.351.682 metros quadrados, siga os moldes do AlphaVille Burle Marx, na região metropolitana de São Paulo –com supermercados, indústrias, universidades e comércio em geral. Um lote residencial de 500 metros quadrados custa cerca de R$ 700 o metro.

    0
  • Fábio Portela 11 de outubro de 2011 at 08:50

    Agradeço a referência ao site! De fato, as construtoras estão vivendo um momento bastante complicado. Dependendo do rumo do mercado nos próximos meses, muita coisa pode acontecer…

    0
    • Bolha Imobiliária 11 de outubro de 2011 at 13:18

      Fábio
      Você sabe que a pessoa física que comanda este blog aqui, é leitor assíduo do seu site, e graças a seu blog que se iniciou este aqui. Então a casa é sua também…hehe

      0
  • veigalex 11 de outubro de 2011 at 08:52

    Bolha!

    O que aconteceu?
    Não tem mais post?

    0
  • veigalex 11 de outubro de 2011 at 08:55

    Pane no Blog? Não esta encadeado?

    0
    • Bolha Imobiliária 11 de outubro de 2011 at 11:07

      Esta merda do wordpress chega uma hora que gera um bug que não tem como arrumar…tem que fechar topico e abrir outros

      0
  • Platao 11 de outubro de 2011 at 09:32

    Off Topic

    Volks dá férias coletivas para reduzir estoques

    Segunda-feira, 10 de Outubro de 2011 – 22:30 hs
    Dois dos três turnos da fábrica da Volkswagen em São José dos Pinhais (região metropolitana de Curitiba) entraram em férias coletivas de duas semanas nesta segunda-feira (10).

    O objetivo é ajustar o volume de produção e reduzir a quantidade de carros no pátio da fábrica, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba.

    A unidade já havia interrompido a produção por uma semana no mês passado, devido ao elevado estoque de veículos. O pátio, porém, “continua cheio”, segundo o coordenador da comissão de fábrica, Gilberto Fernandes Corrêa.

    olha só…eu nao lembro da ultima vez q isso aconteceu… sinal dos maus tempos…

    0
  • MrK 11 de outubro de 2011 at 10:09

    será que o Sr Paddock é um investidor que se aventurou no mundo imobiliario??

    eu imagino que mais desesperado que os corretores, só mesmo os investidores que comprometeram muito do seu patrimonio numa aventura que pode verdadeiramente abalar o poder de compra deles por muitos anos.

    imaginem o desespero de uma pessoa que comprou na planta vendo o cenário comecando a inverter feio…

    0
    • Paulo 11 de outubro de 2011 at 10:49

      Não só abalar o poder de compra mas também arruinar completamente o poder de compra. Ganância de mais atrapalha. Tem muita gente que faz apostas achando que estão “investindo”.

      0
  • MrK 11 de outubro de 2011 at 10:11

    bolha abre outro topico q esse aqui tá doidao

    0
  • Jack Imóveis 11 de outubro de 2011 at 10:36

    Pessoal,

    Hoje saiu no Valor Economico uma matéria sobre um empreendimento da Cyrella em Ipanema que será vendido por R$38k/m2 até 50k/m2.

    Alguém consegue a matéria para o bolhs postar um novo tópico?

    Abraços

    Jack – Perplexo

    0
  • DM 11 de outubro de 2011 at 10:37

    Bolha,

    Acho que este tópico está um pouco confuso e desorganizado, não poderia abrir outro para facilitar a nossa vida?

    Segue sugestão de notícia:

    Com automóveis e construção, vendas no varejo caem 2,3% em agosto

    Fonte:
    economia.uol.com.br/ultimas-noticias/valor/2011/10/11/com-automoveis-e-construcao-vendas-no-varejo-caem-23-em-agosto.jhtm

    0
  • doom 11 de outubro de 2011 at 10:37

    O Luiz pediu para lembrar o nome da construtora baiana que faliu: foi a Verti

    Veja uma das notícias:
    Quem comprou apartamentos do empreendimento Top Paralela, da Construtora Verti, terão que esperar um pouco mais para conseguir a casa própria. A empresa decretou falência e deixou a obra pela metade. O problema do Top Paralela se repete em Salvador, segundo dados do Procon. Conforme noticia o Tribuna da Bahia, só nos sete primeiros meses deste ano, foram 65 queixas contra construtoras e incorporadoras que vendem apartamentos ainda na planta. Destas, 30 são referentes ao não cumprimento da proposta; seis sobre cobrança de taxas indevidas; outras seis com relação ao sinal pago; duas sobre a não execução de obras e benfeitorias previstas em contrato; mais duas sobre propaganda enganosa.

    Uma outra construtoras daqui, a RCarvalho, também está em apuros, o que foi amplamente divulgado e acompanhado aqui no blog:
    Com 22 anos de atuação no setor de construção civil, empregando cerca de 5200 funcionários, a Construtora R Carvalho Empreendimentos Ltda. situada em Feira de Santana, é considerada uma das maiores empresas do município e passa por sua mais grave crise.
    Na manha de hoje (11/07/2011), durante o programa de rádio Acorda Cidade, os advogados da construtora, Gil Menezes e Roberto Menezes, explicaram que: “A empresa resolveu parar todas as atividades para fazer um diagnóstico da situação financeira. A R Carvalho tem um ativo maior do que o passivo, ou seja, tem mais patrimônio do que deve, mas não tem liquidez, dinheiro em caixa para aplicações imediatas”.
    Com folha de pagamento mensal avaliada em R$ 8 milhões, a RCarvalho vinha atravessando dificuldades financeiras não apenas com pagamento de pessoal, que consta atraso de 15 dias, mas, também, com fornecedores.
    Com ramificações em outros estados, a R Carvalho possuí 12.528 unidades habitacionais em construção na Bahia, Pernambuco e Espírito Santo. Segundo prepostos da empresa, a RCarvalho pretende no prazo de oito dias, retornar às atividades. Mas, fontes nos informam que todos os equipamento foram retirados das obras.

    0
  • Rebecca 11 de outubro de 2011 at 11:53

    Olha a China querendo balançar…


    Estadao.com.br
    ECONOMIA.COM.BR
    /Economia
    China socorre seus 4 maiores bancos
    Injeção de capital foi feita por meio do fundo soberano do país; operação semelhante foi realizada em 2008, após a quebra do Lehman Brothers
    10 de outubro de 2011 | 23h 00

    O governo de Pequim anunciou nesta segunda-feira, 10, que injetou capital nos quatro maiores bancos chineses, que emprestaram volumes recordes nos últimos dois anos e agora enfrentam o risco de aumento dos créditos podres em seus balanços. Os recursos foram transferidos às instituições financeiras por meio de compra de suas ações no mercado secundário pela Central Huijin Investment, o fundo soberano do país que atua no mercado doméstico.

    A última vez em que o fundo realizou operação semelhante foi em setembro de 2008, logo depois que a quebra do Lehman Brothers desencadeou a crise financeira global. Segundo a agência oficial de notícias Xinhua, a injeção de capital tem o objetivo de “apoiar a estável operação e desenvolvimento das principais instituições financeiras e estabilizar o preço de suas ações”. O governo não revelou o valor do socorro aos bancos.

    O anúncio foi realizado no fim da tarde desta segunda, depois de a Bolsa de Xangai fechar no mais baixo patamar em 30 meses, influenciada em grande parte pela má performance das quatro grandes instituições estatais beneficiadas pela medida -Industrial and Commercial Bank of China (ICBC), Bank of China, China Construction Bank e Agricultural Bank of China.
    O mercado de Hong Kong ainda estava em operação e reagiu com a compra de ações das quatro empresas, cujas cotações subiram rapidamente nos últimos minutos do pregão.

    O aumento dos empréstimos concedidos pelos bancos chineses foi o principal combustível para a explosão de investimentos que garantiu crescimento de 9,2% e 10,4% em 2009 e 2010, respectivamente, em meio à estagnação dos países ricos.
    Um terço do PIB. No ano seguinte ao início da crise, as instituições locais liberaram financiamentos no valor de US$ 1,4 trilhão, o equivalente a quase 30% do PIB naquele período. Em 2010, a cifra diminuiu para US$ 1,2 trilhão -ou 20% do PIB -, mas continuou bem acima da média registrada em anos anteriores.

    A maior parte desses recursos foi canalizada para milhares de obras iniciadas em todo o país, em um esforço para manter o ritmo de crescimento acima dos 8% considerados o piso abaixo do qual o governo não consegue criar empregos suficientes para os trabalhadores urbanos.

    O problema é que muitos desses projetos não são viáveis economicamente e não darão o retorno financeiro necessário para o pagamento dos empréstimos, o que ameaça a saúde dos bancos.

    Outra fonte de estresse para o sistema financeiro é a dívida dos governos locais, grande parte da qual contraída nos últimos dois anos. Levantamento do Escritório Nacional de Auditoria concluiu que esse débito estava em US$ 1,65 trilhão no fim de 2010 -o equivalente a 25% do PIB – e que alguns governos locais não conseguirão pagar o que devem.

    economia.estadao.com.br/noticias/economia+internacional,china-socorre-seus-4-maiores-bancos,87668,0.htm

    0
    • Ar Quente 11 de outubro de 2011 at 13:28

      Notícia das mais importantes. Se a China entrar em recessão, a Banânia vai direto pro CTI.
      Embora eu acredite que todos os países do mundo vão fazer o possível para resgatar seus bancos daqui pra frente justamente por causa da bagunça que o Lehman causou lá na terra do Obama.
      Repetir a dose seria muita ingenuidade…

      0
  • Anonymous 11 de outubro de 2011 at 12:05

    SINAIS DE UM MERCADO AQUECIDO

    * Folha, 10/10/2011 – 16h08
    Para reduzir estoques, Volks dá férias coletivas no PR

    Dois dos três turnos da fábrica da Volkswagen em São José dos Pinhais (região metropolitana de Curitiba) entraram em férias coletivas de duas semanas nesta segunda-feira (10). A unidade já havia interrompido a produção por uma semana no mês passado, devido ao elevado estoque de veículos. O pátio, porém, “continua cheio”, segundo o coordenador da comissão de fábrica, Gilberto Fernandes Corrêa.

    * Folha, 11/10/2011 – 10h23
    Vendas do comércio têm em agosto maior queda em 17 meses

    Os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados nesta terça-feira mostram ainda que o comércio teve de julho para agosto a maior perda (-0,4%) desde março de 2010, quando havia recuado 0,8%.

    … a crise internacional já afetou as vendas do ramo de construção civil, que caíram 2% de julho para agosto …

    * Folha, 11/10/2011 – 09h26
    Calçadistas transferem fábricas para o exterior

    Dois grandes grupos empresariais do Rio Grande do Sul, principal polo do setor no país, fecharam fábricas e levaram a produção para a Nicarágua e para a República Dominicana. O objetivo é aproveitar acordos comerciais desses governos com os EUA e criar unidades voltadas ao mercado americano.

    0
  • Indecoroso 11 de outubro de 2011 at 12:39

    Pessoal, saindo um pouco do campo das previsões para ingressar no campo da observação, pergunto: nos países onde a bolha já estourou, quais foram as medidas adotadas pelos governos para minimizar o estrago causado pela especulação? Esses governos promoveram alguma mediação entre os bancos e seus devedores para corte nos juros ou renegociação da dívida? Ou deixaram a execução contratual correr solta, com os bancos retomando os imóveis e disseminando o caos?

    0
  • Urbanista 13 de outubro de 2011 at 09:53

    Pessoal, ontem vi o filme INSIDE JOB (Trabalhao Interno) e achei revelador. Para quem não viu, vale a pena. Há uma explicação para acrise de 2008 e como foi que o sistema de hipotecas imobiliárias alavancou a crise. Na verdade, não foi só a bolha imobiliária, mas sim a especulação relacionada a ela. Não conheço o sistema de financiamento imobiliário brasileiro a fundo, mas não sei se podemos comparar com o que aconteceu nos EUA. Nessa discussão de há ou não bolha (alguns nesse blog nem mesmo consideram essa questão) acho importanto uma reflexão quanto a isso. Pois, se os imóveis estiverem sendo vendidosà vista e se os financiamentos imboliários não entrem num esquema financeiro, nossa bolha não é igual ao dos Estados Unidos e não sei se vai estourar.

    0