Secovi-SP vê redução na procura por imóveis – Valor

Você pode gostar...

Comments
  • Burbuja 13 de maio de 2019 at 17:03

    CVR Familiar

    Amigo financiou MCMV em bairro lixo e logo se arrependeu. Como achou que era investimento, ficou na esperança de valorizar, se mudou e ficou alugando o apto até vender por um preço maior pelas chaves e fazer contrato de gaveta. Ficou alugando e tendo dor de cabeça com inquilino. Até aqui, tudo igual a 99% das situações semelhantes. Ocorre que ele alugou em outro lugar pra morar e deixou a irmã (corva) administrando o aluguel pra pagar a parcelinha e a eventual venda.

    Sem ter notícias do apto havia muito tempo, ele pediu que a irmã mandasse pra ele qualquer documentação: contrato, recibos mensais, etc. A mesma ficou meses enrolando e dando respostas vazias, mas nunca mandou nada pra ele. Até a mãe entrou na história suspeitando que havia algo errado. Desconfiados, foram até a Caixa e descobriram que o financiamento estava inadimplente fazia 6 meses. Ele foi imediatamente até o apto saber do inquilino, que afirmou ter comprado as chaves por uma mixaria (menos de 20 mil) e acreditava estar pagando as parcelinhas pra no futuro ser dele o apto.

    Meu amigo mandou mensagem pra irmã dizendo que estava sabendo de tudo, aí a mesma ressurgiu das cinzas dizendo que estava desesperada, que não sabia onde estava com a cabeça pra ter feito isso, que ia consertar tudo, etc. A mãe está arrasada com a própria irmã passando a perna no irmão. Ele nem quer olhar na cara dela. Quando questionei o motivo do desespero dela (se estava sem trabalhar, ou com alguma situação imprevista), ele fala no que ela gastou o dinheiro: festança de casamento pra filha mais velha e cirurgias plásticas. Daí a desconfiança pela demora dela em enviar documentos. Como ele acha que essas coisas custaram ainda mais, desconfia que a mesma deu golpe em mais gente. Tão aí os “valores familiares de alguns…”.

    135+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 13 de maio de 2019 at 17:08

      Se minha filha faz um negocio desses, eu a denuncio para a policia

      50+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • rodarcal der o, Solrac 13 de maio de 2019 at 17:39

      Cara, não me assusto mais com estas coisas, com a vida acabamos aprendendo que as maiores sacanagem ocorrem exatamente entre membros da “família”, muito fdp 666 sabe que os familiares vão tolerar suas sacanagens e as fazem mesmo. Do outro lado existe esta crença, idiota na minha opinião, de que se tem que tolerar, dar um desconto, ignorar mal feito de familiares.
      Em uma sociedade tradicional como a brasileira casos como este são via de regra, não ficamos sabendo da grande maioria porque ocorrem dentro das famílias, raramente se vai a justiça ou a vias de fato.
      Um parente, pai, mãe, primo, até um cunhado(a) te fazem coisas que nem um inimigo faria, mas “tem que tolerar porque é fã família”, não no meu caso,. justamente o contrário, para este que vos escreve abusar de outro por conta da confiança ou pela certeza que ficará impune é o cúmulo do mau caratismo e cinismo.

      54+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Burbuja 13 de maio de 2019 at 18:11

        Infelizmente é verdade. Meu amigo deve estar se sentindo pior ainda porque QUER sumir da vida dessa irmã e a mãe fica fazendo chantagens emocionais, dizendo que não aguentaria ver os filhos separados, que preferia morrer, etc etc etc. A mãe é outra hipócrita que fica se fazendo de santa, perguntando o que fez pra merecer isso, mas sempre foi invejosa, interesseira e superficial, tá aí o resultado. A minha família é muito grande e claro que tem seu lado podre. Meus pais vivem tentando relativizar, mas sou muito intransigente e não quero nenhum tipo de conversa com essa gente. Família pra mim não é álibi pra aprontar de tudo, pelo contrário, deveria ser uma espécie de reduto. Então nessa impossibilidade eu corto relações mesmo.

        53+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Senhor Bolha 13 de maio de 2019 at 19:56

          Fiquei estarrecido pelo seu relato, mas devo reconhecer que é fato consumado.

          20+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 08:50

          PARENTE É SERPENTE dublado filme de comédia completo clássico do cinema italiano
          https://www.youtube.com/watch?v=I_tYmg1IIKY

          13+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • antifragile 13 de maio de 2019 at 22:01

        Acho que, muitas vezes, as vítimas não agem contra parentes malfeitores porque, além do desgaste familiar, o custo para entrar com uma ação na justiça no Brasil é simplesmente alto demais, tanto em tempo, quanto em dinheiro.

        Tenho certeza de que o pessoal desse CVR pensaria duas vezes antes de cometer esses atos se eles soubessem que dificilmente sairiam impunes.

        21+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Карлос, красный лак 13 de maio de 2019 at 22:12

          Não só não agem como “esquecem” ou continuam sendo enganadas, este negócio de “desgaste familiar” é uma lenda que infelizmente atrapalha a vida de muita gente.
          A influência e poder da família fazem parte de nossa cultura e causam mais estragos do que boas coisas na minha opinião, acaba influenciando na maneira como as pessoas, empresas e os governos atuam, até no crime como no caso bem conhecido da máfia italiana.
          Qual a justiticativa lógica de que parentes tem privilégios especiais?

          11+
          • avatar
          • avatar
          • tmarabo 14 de maio de 2019 at 10:07

            aí não, a família é essencial em uma sociedade. se não for na família, vão se aprender valores onde? na escola? o governo vai nos dizer? ou vai ser no meio da rua???
            aí parece os esquerdistas coletivistas (pleonasmo) que querem tirar as crianças da família cedo para evitar “má influência”.

            13+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
    • EngenheiroSP 13 de maio de 2019 at 18:35

      Financiou MCMV pra vender com contrato de gaveta

      Ladrão que rouba ladrão…

      40+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Карлос, красный лак 13 de maio de 2019 at 18:58

        Faz parte da “demanda” segundo os “especialistas” das destrutoras e institutos oficiais….

        10+
        • avatar
        • avatar
      • Burbuja 13 de maio de 2019 at 19:57

        Não estou justificando, mas acredito que essa não foi a intenção inicial dele, pois morou um tempo no lugar até que cansou (da distância, do fim de mundo, dos vizinhos favelados) e decidiu voltar a morar de aluguel. Tanto é que as chaves foram vendidas a um valor irrisório, acredito que só para ele recuperar as parcelinhas (eu que não dei pitaco a ele sobre isso). De todas as formas, se fosse comigo, ou quitaria (perdendo o subsídio) pra vender logo, ou devolveria e consideraria os anos morados lá uma espécie de aluguel, mas ele não quer fazer o segundo nem tem condições de fazer o primeiro.

        19+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Rico 14 de maio de 2019 at 08:22

          Contrato de gaveta não serve para nada. O imóvel tem reserva de domínio, portanto o proprietário não pode vender até que seja feita baixa pelo arrendador. No máximo pode exigir preferência de compra após termo de quitação, mas isso não impede o proprietário pedir o preço que quiser e invalidar a compra.

          10+
          • avatar
          • tmarabo 14 de maio de 2019 at 10:09

            contrato de gaveta sempre foi reconhecido pelo judiciário como válido quando é um “fato consolidado”.
            quanto ao imóvel em si, é bem possível que o sujeito não consiga recuperá-lo do “comprador”, que a venda seja válida, e então ele teria que entrar com uma ação contra a irmã.

            5+
            • avatar
            • Rico 14 de maio de 2019 at 10:30

              Como você consegue um fato consolidado se você não tem o direito de venda sobre o objeto?

              2+
              • avatar
              • Rico 14 de maio de 2019 at 10:32

                Ok, vamos lá… Eu tenho um caso na família de contrato de gaveta… Depois de 15 anos o proprietário está vindo atrás dos herdeiros para transferir uma casa que ele comprou de minha mãe em 2005. O documento não é aceito pelo cartório. Era financiamento do CDHU.
                Vamos levantar a papelada e transferir a propriedade para ele. Ao contrário do caso contado aqui não temos o objetivo de prejudicar ninguém.

                11+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • Rico 14 de maio de 2019 at 10:47

                  Complementando esse contrato é apenas um compromisso de compra e venda, não tem valor nenhum enquanto a posse do imóvel não fica integralmente com o proprietário. Se acontecer alguma coisa no meio do caminho como separação, morte ou retomada do imóvel pelo arrendador o comprador fica a ver navios.

                  8+
                  • avatar
                  • avatar
                  • avatar
                  • avatar
                • tmarabo 14 de maio de 2019 at 10:55

                  estou falando judicialmente. é óbvio que o cartório não vai aceitar, só com ordem judicial.
                  judicialmente:
                  EMENTA: ADMINISTRATIVO. CIVIL. PROCESSUAL. CONTRATO DE FINANCIAMENTO HABITACIONAL. LEGITIMIDADE ATIVA DO GAVETEIRO. RECURSO REPETITIVO. 1. Conforme a Tese Firmada do Tema 520 no julgamento do Recurso Repetitivo pelo STJ nos autos do REsp n.º 1150429/CE: “Tratando-se de contrato de mútuo para aquisição de imóvel garantido pelo FCVS, avençado até 25/10/96 e transferido sem a interveniência da instituição financeira, o cessionário possui legitimidade para discutir e demandar em juízo questões pertinentes às obrigações assumidas e aos direitos adquiridos”. (TRF4, AC 5006325-11.2011.4.04.7100, TERCEIRA TURMA, Relator ROGERIO FAVRETO, juntado aos autos em 13/12/2017)

                  é possível que ATUALMENTE isto não prevaleça, mas duvido de que se um “gaveteiro” provar que pagou o imóvel por 20 anos daqui pra frente algum juiz não vá lhe dar o imóvel.

                  1+
            • Burbuja 14 de maio de 2019 at 11:24

              Apesar do valor das chaves ter sido muito baixo, mesmo com toda a desvalorização do mercado, ele não pretende prejudicar o comprador, então falou que o compromisso entre as partes será honrado. A treta dele é com a irmã. Ele já disse que ela vendesse o carro pra pagá-la, agora tá pensando se cobra mais que o valor que ela combinou com o comprador…

              0
              • tmarabo 14 de maio de 2019 at 11:39

                olha, é muito difícil ele “anular” a venda, mesmo que quisesse e mesmo com o fato de o comprador ter pago um valor muito baixo.
                porém, o teu conhecido deveria cobrar da irmã o valor total do imóvel, que foi o que ele perdeu (isto é, o valor das parcelas pagas). qualquer coisa diferente disso é passar a mão por cima.

                1+
      • Exterminador de Corvos 14 de maio de 2019 at 18:48

        É….nem havia feito o malfeito a vida já deu o retorno antes do esperado…

        1+
    • Exterminador de Corvos 14 de maio de 2019 at 16:46

      Pelo amor de Deus….
      Um ser desses deveria ser estéril pra que esse DNA filho da p* não fosse transmitido para a próxima geração.
      Coitado do seu amigo mas ele caiu no conto do vigário: ouviu a corva dizer “deixa comigo” e realmente deixou.

      5+
      • avatar
      • avatar
    • carioca_real 16 de maio de 2019 at 12:14

      Precisa adivinhar em quem ela votou?

      2+
      • avatar
  • socrates 13 de maio de 2019 at 17:05

    Conheço muita gente que quer trocar o aluguel por um imovel proprio. Mas oa preços estao absurdos e acho que as pessoas estao começando a se tocar sobre isso. Se construirem predios simples (Manutençao/condominio barato) e colocarem a venda por uma valor mais proximo a realidade, creio que irao achar quem compre. É o que vivem dizendo por aqui: o preço de venda se deslocou absurdamente da referencia que era o preço de aluguel.

    32+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • rodarcal der o, Solrac 13 de maio de 2019 at 17:45

      Excelente momento pra se acorrentar a um monte de tijolos, quem pode ter certeza que ficará no mesmo emprego 5, 10 ou mais anos ? Ou na mesma profissão, cidade, estado ou país?
      Conheço muita gente que mora no seu “sonho” mas perde boa parte da vida se locomovendo pra ir pro trabalho, ou tem um padrão de vida terrível exatamente por estar preso a um imóvel por n motivos.

      33+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Dr. Brown 14 de maio de 2019 at 06:31

        Não sei se já postei isso aqui, mas esse video é bem interessante. Ele fala uma coisa que eu já tinha imaginado, que ter um imóvel próprio é ruim para o emprego. Muita gente perde oportunidades por estarem presos a financiamentos imobiliários. Eu mesmo quando vim para a Polônia ouvi gente dizendo “ah eu gostaria tanto de ir trabalhar fora mas acabei de comprar meu apartamento…”
        https://www.youtube.com/watch?v=YHU_KLYhibI

        21+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Rico 14 de maio de 2019 at 08:44

          Cuidado, você será xingado se divulgar esse vídeo.

          8+
          • avatar
          • avatar
          • Dr. Brown 14 de maio de 2019 at 09:01

            Na verdade 99% das pessoas que conheço não iriam entender de qualquer maneira, mesmo se falassem inglês. Eu descobri que não adianta nem mostrar números, simulações e projeções. Aliás uma maneira de ofender qualquer pessoa no Brasil é mostrar fatos que vão contra a opinião da pessoa.

            31+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • socrates 14 de maio de 2019 at 10:14

              O 666 , se nao esta conciente da besteira que esta fazendo, ira repetir as açoes erradas e tomadas de decisoes erradas em situaçoes diferentes. Ele talvez evolua em algumas questoes pontuais pelo erro reiterado e reaçao adversa (acho que isso tem relaçao com o behaviorismo) mas sua essencia nao ira mudar. Se forçar ele ao erro em alguma questao que lhe seja relevante, talvez ele passe a refletie com a devida orientaçao. Mas isso é intervençao brava. Polemica

              4+
              • avatar
              • avatar
          • tmarabo 14 de maio de 2019 at 10:21

            ninguém será xingado, mas eles poderiam ter feito o vídeo sem lacração.

            3+
            • Rico 14 de maio de 2019 at 10:39

              Tem teor irônico, coisa que você parece não ter.

              7+
              • avatar
              • avatar
              • tmarabo 14 de maio de 2019 at 10:50

                nossa, ninguém viu que tinha “teor irônico”, achei que era verdade, que todo o pai de família norte americano dos anos 50 era “queer”. então eles tavam brincando?? jura????
                agora se eu não achar legal lacrar em tudo o que é lugar é porque não tenho “teor irônico”.

                2+
                • Rico 14 de maio de 2019 at 21:24

                  Confirmado, tem ironia coisa que você não tem.

                  4+
                  • avatar
                  • tmarabo 15 de maio de 2019 at 10:52

                    vou montar um pombal de pombos enxadristas.

                    2+
            • Dr. Brown 15 de maio de 2019 at 05:38

              Não ligo para a lacração nesse caso, principalmente porque esse video é direcionado para essa geração mimimi lacradora.

              0
        • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 09:25

          Dr. Brown
          É o que sempre falamos aqui, com emprego estável e mais de 40 anos, comprar com FatorX de 150 pode até valor a pena, mas para um jovem que tem uma grande mobilidade profissional, para comprar somente valeria a pena com FatorX < 100

          13+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Cesar_DF 13 de maio de 2019 at 17:09

    Acho que acabou o boquinha, Paulo Guedes negando empréstimo para bancos
    https://www.facebook.com/MovimentoMargaret30/videos/2193773907407509/

    Kim Kataguri falando o que o CA sempre fala do endividamento
    https://www.facebook.com/kataguiri.kim/videos/1104237736367035/

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • rodarcal der o, Solrac 13 de maio de 2019 at 17:40

      Anotado….
      👋😀

      4+
    • CA 14 de maio de 2019 at 06:09

      Cesar_DF,

      No caso do vídeo do Guedes, não fica claro o contexto, mas é interessante ver que não há o interesse de socorro ou subsídio governamental à bancos privados de forma fortuita.

      Por outro lado, fica a dúvida sobre a ação recente do BC de fazer uma vaquinha entre os bancos como um seguro complementar contra quebras e outros pontos que para mim são os mais importantes de todos:

      1) BC de governos anteriores PEDALOU com a falta de liquidez liberando compulsórios para bancos em patamar recorde, o que na nossa situação é como um carro de corrida cancelar o seguro para comprar pneus carecas e correr com eles em dia de forte tempestade. O governo atual fará isto? Poderiam alegar que é dinheiro “do sistema”, que não é público e continuarem com a prática.

      2) O BC em governos anteriores atuou contra o mandato dele, com uma série de medidas APELATIVAS como se fazer de cego para ANOMALIAS (e governo atual não fez NADA perante auditoria da CGU, nem quanto à FALSAS reduções de provisões contra devedores e outras práticas nocivas à saúde do sistema financeiro), liberar prazos para retomar e vender imóveis inadimplentes, manipulações de cálculos de IVG-R e resiliência, etc, etc, etc. Todos estes pontos roubam liquidez e tiram segurança do sistema financeiro e governo ainda não fez NADA para reverte-los.

      3) Governos anteriores, em meio a cenário de inadimplência recorde e super-endividamento, pedalaram de todas as formas possíveis e imagináveis com novas ofertas de crédito, neste ponto novo governo JÁ CRIOU crédito consignado para aposentados e de 100% do valor para caminhões, além do simples de credito e a promessa de dobrar o crédito imobiliário com verba da poupança via Banco PÚBLICO e FAZER a CEF voltar a ser a número 1 nesta segmento, ou seja, o que já fez e o que promete é ainda pior do que de governos anteriores, principalmente dado nosso contexto atual.

      4) O MCMV é a maior aberração que temos quanto à SUBSIDIOS. Até aqui, nada do governo sobre descontinua-lo, apenas atrasos em pagamentos que depois são quitados, algo que já acontecia desde o primeiro mandato da Dilma, por absoluta falta de dinheiro disponivel pelo governo quanto à parte dele e hoje o atraso de pagamento ocorre com a finalidade de pressionar o congresso pela reforma da previdência.

      Acho que fica claro pelo que consta acima que historicamente e durante inflar de nossa bolha o principal problema sempre foi o de utilizar o dinheiro “do sistema” (FGTS, compulsórios, etc) mais manipulações e cegueira SELETIVA do BC para PEDALAR e não empréstimos do governo para bancos privados como colocado no vídeo acima, ou seja, a questão de não emprestar para bancos é portanto, uma questão positiva, mas PERIFÉRICA, que não ataca o cerne dos principais problemas do sistema financeiro.

      Quanto ao vídeo do MBL, interessante por expor algo que evitam falar: MUITOS ficaram com bronca do PT pela corrupção, ou porque viram a DESTRUIÇÃO começar a aparecer com Dilma e sabiam que nasceu com o PT, mas quase ninguém entendeu “como”, nem associou com o super-endividamento gerado.

      Pena que não falou sobre BOLHAS, não explicou a principal que foi a imobiliária, não comentou sobre a greve dos caminhões e sua relação com isto, etc, mas entendo que foi um bom começo e que não avançou porque o próprio governo que apoiam não está combatendo de frente estas bolhas e continua com políticas para aumentar o crédito, se pegasse muito pesado, poderia ser exposto nesta incoerência.

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • rogerio 13 de maio de 2019 at 18:02

    E-commerce 7 x 1 Lojas Físicas

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Карлос, красный лак 13 de maio de 2019 at 19:16

    Do twitter do Roberto Ellery

    Dizer que o ajuste fiscal decorre de dogmatismo liberal ou seja lá o que for é ignorar os fatos. Saber que o ajuste começou com Dilma deveria ser suficiente para convencer quem quer que seja que o ajuste fiscal resulta de necessidade e não de escolha.

    Quem começou oficialmente o ajuste fiscal no Brasil foi a Dilma “gasto corrente é vida” Roussef. Aquela Dilma que no passado tinha chamado ajuste fiscal de estratégia tosca e fulminou o ajuste fiscal de longo prazo proposto por Palocci.

    6+
    • avatar
    • tmarabo 14 de maio de 2019 at 10:26

      sim, mas o discurso é qual? durante o governo dilma, a oposição apoiou o ajuste fiscal. já no governo temer e bolsonaro o que fez a oposição?
      quem defende por princípio o ajuste fiscal? quem mais quebra governos com a habilidade do PT????

      5+
  • Senhor Bolha 13 de maio de 2019 at 19:51

    TMM vale apena ler o artigo e os comentários dos gênios monetaristas.

    Questão de tempo até ser dotado pelos países desenvolvidos!

    https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=3016

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Senhor Bolha 13 de maio de 2019 at 19:52

      Conseguiram criar algo pior que o keynesianismo clássico KKK

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Карлос, красный лак 13 de maio de 2019 at 20:13

        Sempre se pode piorar, principalmente vindo da turma que não sabe fazer contas 😀

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 10:21

        Senhor Bolha
        Quando o keynesianismo foi criado, a moeda era lastreada, então não era possível fazer um estrago tão grande.
        Agora com a moeda fiduciária, a soma do “dinheiro virtual” se descolou totalmente da soma da capacidade produtiva das pessoas.
        Então o axioma de que o dinheiro é uma forma de representar um trabalho executado, já não é seguido. Este dinheiro em circulação está sendo tirado do futuro e quando vão vencendo as parcelinhas eles simplesmente vão refinanciando eternamente os títulos da dívida pública.

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 07:40

      Nicolas Maduro e Ciro Gomes são fãs desta teoria economia kkk

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • DouglasteR 14 de maio de 2019 at 09:47

      Literalmente a STM – A SOMA DE TODOS OS MEDOS.

      União Soviética era full MMT e todo mundo sabe como acabou.

      3+
      • avatar
  • Карлос, красный лак 13 de maio de 2019 at 21:25

    OFF – Uber continua nalfragando…

    Uber plunge again, closing 17% below its IPO price

    Uber was already the biggest high-profile IPO bust in recent memory. And it only got worse on Monday.
    Shares of Uber (UBER) fell nearly 11% for the day following a dismal debut Friday. The stock is now down about 17% from its initial public offering price of $45.
    Uber is facing a lot of skepticism about its ability to make money anytime soon as it battles with rival Lyft (LYFT) for market share in the US.

    Lyft, which went public in March, has been a Wall Street dud too. That stock fell 6% Monday and is now down more than 33% from its IPO price.
    Uber and Lyft weren’t helped by growing trade tension between the US and China either. The broader market fell sharply Monday morning after China responded to a US increase on tariffs for Chinese exports with higher tariffs of its own on US goods.
    Uber’s epic drop is also bad news for some of the top investors who bought stakes in the company relatively late in the game.

    https://edition.cnn.com/2019/05/13/investing/uber-stock/index.html

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 13 de maio de 2019 at 21:26

    Procura menor por imóveis? Então é por isso que aqui em BH tem sido veiculada uma propaganda da MRV na TV sobre um novo feirão da construtora, em que o candidato terá como vantagem ser levado de carro até o local do empreendimento, além de “não pagar” ITBI e taxas do cartório. Será que esta estratégia ainda funciona? Ainda mais em um momento de tantas incertezas, salários achatados, desemprego em alta, etc.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Seguidor do Bolha BH 13 de maio de 2019 at 21:27

      Ah, já ia me esquecendo: o que poderia acontecer com o MCMV em uma provável transferência do FGTS para algum banco privado?

      6+
      • avatar
      • avatar
      • CA 14 de maio de 2019 at 07:46

        Seguidor do Bolha BH,

        O que sustenta o MCMV é o crédito PODRE.

        Não é a toa que de 500.000 imóveis inadimplentes no país, 350.000 são do MCMV.

        Não é a toa que a maior inadimplência do país e quem sabe do MUNDO quanto à crédito imobiliário é a do MCMV faixa 1, com mais de 35% de inadimplência.

        Não é a toa que as demais faixas do MCMV possuem inadimplência também anormal e superior a de outras modalidades de crédito imobiliário.

        Não é a toa que o MCMV é o que tem o menor percentual de imóveis retomados em relação à inadimplência e também o maior número de negociações MIRABOLANTES para FAZER DE CONTA que não é inadimplência.

        Só que todo o esquema PODRE acima consome MUITO dinheiro, em parte do governo que sustenta 90% do preço do MCMV faixa 1, em parte do FGTS com sua remuneração PÍFIA que sustenta a maior parte das demais faixas, mas que ainda tem alguma participação do governo.

        Por enquanto o governo pagando as contas atrasadas do MCMV e utilizando isto como massa de manobra para aprovar a reforma da previdência, mas e depois?

        Meu palpite é que se o governo aprovar a reforma da previdência, tendo UM POUCO MAIS de fôlego fiscal (o ROMBO da previdência continuará existindo, com redução entre 12% e 20% no tamanho do déficit da previdência nos próximos 10 ANOS), vai manter o MCMV, mesmo que sem promover crescimento para o mesmo.

        O que consta acima, vai depender também da profunda DILAPIDAÇÃO do FGTS, que ocorre pela própria inadimplência ANORMAL do MCMV, mais os desvios MULTI-BILIONÁRIOS de verbas via FI FGTS que aconteceram no passado, mais o saque dos inativos, mais a profunda DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS que diminui os depósitos do FGTS, dentre outros fatores. Correndo por fora, o risco do governo aprovar novo saque de FGTS dos inativos. Neste contexto, será que vão conseguir PEDALAR com o FGTS para sustentar o crédito PODRE do segmento imobiliário por muito tempo?

        Pelo que consta acima, se simplesmente transferirem a administração do MCMV para os bancos privados, mas eles não tiverem responsabilidade pela inadimplência e ela ficar nas costas do governo e do FGTS, não mudaria nada. Já se os bancos privados tivessem que ficar responsáveis por cobrirem os rombos de inadimplência, a concessão do MCMV seria MUITO MENOR do que é hoje, ajudando a reduzir com este programa, mas ainda não extinguindo-o. Claro que o impacto nesta segunda hipótese seria GIGANTESCO, uma vez que aumentaram DEMAIS os lançamentos e vendas na planta para o MCMV, enquanto as verbas em si poderiam ser reduzidas sensivelmente, o que nos leva à analogia dos carros de corrida acelerando em direção a um muro que está sendo erguido e se fortalecendo cada vez mais, a famosa catástrofe anunciada…

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Карлос, красный лак 13 de maio de 2019 at 21:33

      Não tem como funcionar, nenhuma estratégia poderia funcionar por conta de dois simples motivos:

      Não existem possíveis compradores com dinheiro suficiente.
      Não existem possíveis compradores aptos a tomar crédito suficiente.

      Resumindo:
      Não existem pessoas suficientes com crédito, muito menos com dinheiro….

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Coelho da pascoa 13 de maio de 2019 at 21:44

        Acho que um dos CVRs mais loucos pra mostrar a conta que não fecha é do grupo Rezek com seu mega condomínio “Reserva Raposo” na cidade de São Paulo. Eles conseguiram um mega terreno na Zona Oeste de São Paulo e pediram autorização pra construir 117 torres totalizando quase 20 mil unidades, acontece que a licença ambiental não saiu, eles entraram na justiça e só conseguiram a licença agora, pensa no desespero dos caras em ver a crise detonar com tudo e eles ficarem com um elefante branco, começaram tentando vender por 190 mil o AP na pRanta de 43 metros e nada, agora baixaram pra 145 mil. Vejo muitos apartamentos com aproximadamente 40 metros em periferias de todos os lados de São Paulo sendo lançados por menos de 150 mil. Isso era algo irreal em 2012, quando a MRV chegou a pedir 208 mil reais num ap de 42 metros no Horto do Ypê, condomínio da zona sul vizinho de várias favelas. Em relação aos antigos MRVs eles estão vendo por -30% nominal, se puser na ponta do lápis a perca inflacionária aí o estrago é maior.

        41+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Карлос, красный лак 13 de maio de 2019 at 21:52

          Interessante, eles precisaram licença ambiental pra vender na planta 😀
          Deveria existir licença mental para comprar na planta, licença confirmando que a pessoa tem problemas mentais.

          32+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Карлос, красный лак 13 de maio de 2019 at 21:58

          Agora que você falou eu me lembrei desta coisa, tinha muita propaganda na época, pessoal da Abril que trabalhava na Dinap estava ansioso…

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Rico 14 de maio de 2019 at 10:54

            Se você contar mais umas 3 coisas da sua vida eu puxo sua capivara fácil.

            7+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
        • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 08:03

          Coelho da pascoa

          Veja os comentários abaixo da reclamação rsrs

          https://www.reclameaqui.com.br/lopes-imoveis/reserva-raposo-lopes_3WW7xB_5-jiu_NEr/

          4+
          • avatar
          • avatar
          • Coelho da pascoa 18 de maio de 2019 at 16:11

            Eita! Foi um negócio complicado então, até grupo de whats os compradores fizeram, a licença ambiental só saiu no final do ano passado e a reclamação é de janeiro do ano passado, agora o site diz que tem mais outras duas torres em construção, totalizando 4 torres. Antes eu visitava o site e ficava meio desconfiado: “Como pode um condomínio que diz que vai ter um terminal de ônibus ter apenas dois prédios em construção?” Tudo depende agora de se o grupo Rezek vai conseguir vender e continuar lançando.
            outro condomínio que recentemente teve licença ambiental autorizada foi o Parque Global, na marginal, quem deu a notícia foi o site Viatrolebus.com

            1+
            • avatar
        • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 08:04

          A Justiça anulou licença ambiental prévia dada pela Prefeitura de São Paulo a um megacondomínio na rodovia Raposo Tavares, na divisa entre as cidades de São Paulo e Osasco.

          O pedido de liminar foi feito pelo vereador e ex-secretário municipal do Verde, Gilberto Natalini (PV). A Justiça acolheu, de maneira preliminar, argumentação dele de que o município de São Paulo não tem competência para dar a licença ambiental sozinho –Natalini afirma que parte do terreno fica em Osasco.

          Batizado como Reserva Raposo, o condomínio tem área de 450 mil m² e deverá abrigar 60 mil habitantes em 106 prédios voltados à população de baixa renda, às margens da rodovia Raposo Tavares —a estimativa de entrega é partir de 2021.

          Nessa briga, Osasco sustenta que 3% da área total está em seus limites, enquanto São Paulo diz que todo o terreno fica no município —mesma posição do grupo Rezek, responsável pelo empreendimento.

          https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/02/justica-anula-licenca-de-megacondominio-na-raposo-tavares.shtml

          10+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • tmarabo 14 de maio de 2019 at 10:30

            este nadalin deveria ser acionado para ressarcir os prejuízos do empreendimento.

            1+
        • tmarabo 14 de maio de 2019 at 10:28

          pediram autorização pra construir em que ano???

          1+
        • Rico 14 de maio de 2019 at 10:43

          Conheço esse terreno, era de uma editora ligada a igreja, acho que tinha um convento também. Eu morei ali perto no condomínio Jardim Amaralina.
          É um lugar bom, só precisa tomar cuidado com revezamento de bandidos, pois está na divisa com Osasco e as favelas do João XXIII, ambiente meio RJ.

          3+
          • avatar
          • avatar
          • Rico 14 de maio de 2019 at 10:50

            Do outro lado da Rodovia tem um terreno as margens do Rodoanel. Aquele terreno é do Exército. Uma vez invadiram e veio tanque tirar a galera do MTST. Também tem essa encrenca aí que pode entrar no meio da conversa.

            5+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
  • Senhor Bolha 13 de maio de 2019 at 21:28

    Faturamento dos shoppings no Dia das Mães cai 5% ante 2018, diz Alshop

    O faturamento do varejo em shopping nesse Dias das Mães teve queda de 5% em relação a 2018, segundo dados da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) obtidos com exclusividade pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. A entidade calcula que o fluxo de pessoas e a quantidade de vendas foi superior às do ano passado, mas o consumidor estava menos disposto a gastar: o tíquete médio nas lojas teve uma queda de 10%.

    Nos shoppings populares, com concentração maior de classes C e um pouco de B, o tíquete médio ficou entre R$ 75 e R$ 90. Já nos shoppings com maior concentração de classes A e B, a média do gasto ficou em torno de R$ 170 e R$ 200.

    Para o diretor institucional da Alshop, Luís Augusto Ildefonso da Silva, a queda no faturamento se dá pela menor predisposição do consumidor em fazer dívidas, especialmente em carnês e cartões de crédito.

    A pesquisa aponta que os segmentos de maior destaque em vendas foram os de roupas, calçados, acessórios, perfumes, cosméticos, chocolates e o consumo nos restaurantes.

    Prevaleceu ainda o pagamento à vista – em dinheiro ou cartão de débito. Equipamentos eletrônicos como os celulares, que já tiveram importante participação na data, perderam espaço este ano.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Карлос, красный лак 13 de maio de 2019 at 21:39

      “menor predisposição do consumidor em fazer dívidas”

      Muitos não fazem porque já não podem mais, logo logo vai ter gente ostentando que pode fazer dívida 😀

      25+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Rico 14 de maio de 2019 at 10:52

        “menor predisposição do consumidor em fazer dívidas”. Gostei. Não estou mais endividado até a tampa. Agora estou com menor predisposição para fazer dívidas.
        Vou usar.

        4+
        • avatar
        • avatar
        • Burbuja 14 de maio de 2019 at 11:30

          Aqui em casa gastei R$ 180,00 sozinho e fiz um banquete pra 10 pessoas no dia. Todo mundo chegando em casa e comendo à vontade, bebendo e conversando, sem fila de espera em restaurante, sem preço bolhudo e num ambiente mais confortável.

          16+
          • avatar
          • avatar
  • Senhor Bolha 13 de maio de 2019 at 22:39

    Não tem mais da onde tirar dinheiro para pedalar , já chegou ao limite .

    O número de inadimplentes bate recorde todos os anos, consequentemente os bancos ficam presos na armadilha de liquidez! Junte tudo isso com a menor capacidade de consumo e emprego. A conta não fecha e nunca vai fechar!

    Lembrando que o crescimento do PIB nas duas ultimas décadas não foi em nenhum momento sustentado por ganhos de produtividade , mas sim por gastos do governo.

    Quando governo entra no cheque especial o consumo tende a cair!
    OBS: Fenômeno bem difícil de explicar para os especialistas.

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Карлос, красный лак 13 de maio de 2019 at 23:44

      Gastos do governo e muita gente que penhorou seus futuros fazendo empréstimos que vão levar a vida toda pra pagar.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 08:06

      Senhor Bolha
      Parece brincadeira, mas não é
      De acordo com o keynesianismo, esta é a situação ideal da economia: TODO MUNDO ENDIVIDADO

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • tmarabo 14 de maio de 2019 at 10:31

        mas pro keynesianismo, agora estaríamos crescendo… ou não ??? srsrsrsrsrsrs

        2+
  • Alemon Fritz 13 de maio de 2019 at 23:46

    achei que era um da Gisele B

    Luciana Gimenez põe à venda apartamento avaliado em R$ 70 milhões.
    1- Quando colocou o apartamento à venda em um site de imóveis de luxo, Luciana pedia 24 milhões de dólares, o equivalente a R$ 80 milhões segundo o valor do dólar na época. um triplex
    2 4 dias atrás – Luciana Gimenez está dando desconto de cerca de seis milhões de … Luciana Gimenez tenta vender apartamento de luxo desde o ano passado.
    3- Atualmente, o triplex está disponível no site por aproximadamente R$ 70 milhões. Ou seja, um desconto de R$ 10 milhões em comparação com a primeira vez em que foi posto à venda.estilo penthouse, tem sete quartos, todos com suíte, nove banheiros, elevador exclusivo e acesso ao Shopping Cidade Jardim e a uma unidade do Hospital.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 14 de maio de 2019 at 04:44

    13/05/2019 às 19h18
    Brasileiro perde confiança e não vê fim da crise em 2019, diz pesquisa
    Por Valor
    SÃO PAULO – Aumentou o percentual de brasileiros que acreditam que a crise econômica não vai acabar neste ano, segundo pesquisa da agência Hello Research. Se, em janeiro, 54% dos entrevistados avaliavam que a crise entraria em 2020, agora esse número cresceu para 74%. Apenas 17% acreditam que a crise termina no segundo semestre.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 14 de maio de 2019 at 04:46

      O aumento da insegurança também influencia a disposição da população para realizar compras de maior valor: 54% dos entrevistados dizem estar menos ou muito menos à vontade para comprar imóvel ou veículo hoje do que há seis meses.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 14 de maio de 2019 at 06:19

        Cajuzinha,

        A volta à REALIDADE sempre desestimula a compra de bens mais caros, por isto que setores como de imoveis e carros sempre são os que mais apoiam o otimismo UFANISTA independente de quem estiver no governo, já faziam isto de forma intensa com Lula / Dilma e continuaram com Temer e Bolsonaro.

        Esta é a base das vendas FALSAS na planta, do ILUSIONISMO para atrair investidores em imóveis e também de todos os ESTRAGOS que estes setores ajudaram a inflar para economia e sociedade.

        Por isto que eles detestam a volta à REALIDADE e também é por isto que como consta no tópico, depois de um primeiro trimestre que venderam para a mídia como ótimo (baseado em uma enormidade de lançamentos e vendas FALSAS na planta) já começaram a falar sobre pessimismo para o resto do ano, desta forma se isentam dos golpes para atrair SARDINHAS no primeiro trimestre, dizendo que “todos” só descobriram que não ia decolar “depois”, o que é uma imensa mentira, pois este esquema está se repetindo com mesma ENGANAÇÃO e no mesmo período pelo terceiro ano seguido!

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 14 de maio de 2019 at 08:01

    14/05/2019 às 05h00

    Para varejo, momento é o mais crítico desde eleição

    Com a confiança do consumidor e do empresário do comércio em queda em abril e retração nos
    indicadores de intenção de investimento e contratação de funcionários pelos varejistas, a Federação do
    Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) avalia que o setor passa
    pelo seu momento mais crítico desde agosto de 2018, antes das eleições. A entidade recomenda aos
    comerciantes cautela e ajuste de estoques, o que deve seguir limitando o desempenho da indústria.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 14 de maio de 2019 at 08:05

    Crescimento fraco no Dia das Mães dá o tom do comércio para o resto do ano
    Incremento de apenas 1,7% nas vendas para a data foi um balde de água fria para os lojistas, que devem ficar mais cautelosos na formação de estoque futuros, enquanto a retomada não acontece

    https://www.dci.com.br/impresso/crescimento-fraco-no-dia-das-m-es-da-o-tom-do-comercio-para-o-resto-do-ano-1.801498

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 14 de maio de 2019 at 08:07

      O comportamento do lojista vem em linha com a percepção do vice-presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio de Porto Alegre (Sindilojas), Paulo Kruse. De acordo com ele, os lojistas que prepararam as vendas para o Dia das Mães começaram a compor os estoques em fevereiro, período em que havia um maior otimismo com o governo e com a retomada econômica. “Com estoques altos, agora, a tendência é que eles sejam mais comedidos nas próximas compras”, disse.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 14 de maio de 2019 at 08:46

        Cajuzinha,

        Este último comentário sobre o excesso de estoques e as reduções em pedidos para indústrias, reforça o que sempre temos dito por aqui: se plantamos um otimismo UFANISTA, esta história sempre termina com excesso de estoques, cortes em investimentos, redução em linhas de produção, diminuição do quadro de pessoal e tudo isto e muito mais, em uma escala maior do que se não houvessem previsões erradas e muito MAIORES do que a REALIDADE permite, ou seja, o PREJUÍZO é sempre maior que o PSEUDO-BENEFÍCIO do otimismo UFANISTA.

        O que consta acima não é NENHUMA novidade para quem frequenta este blog, aliás, isto está na essência de TODAS AS BOLHAS. As bolhas, manias financeiras, pirâmides, vendas FALSAS na planta, etc, vivem em função de ILUSIONISMO.

        Quanto mais um governo planta expectativas IRREAIS, completamente fora do que é possível ser atingido, mais ele está estimulando todos estes esquemas e mais prejuízos ele está causando para economia e sociedade.

        Por incrível que pareça, mesmo usuários com quase uma DÉCADA de participação no blog ainda não entenderam esta sistemática até hoje e acham que criticar o otimismo UFANISTA é só “pegar no pé” do novo governo, apesar de uma INFINIDADE de evidências que cercam a própria bolha imobiliária!

        Para quem até hoje ainda não entendeu como o otimismo UFANISTA infla as situações acima, segue abaixo um exemplo:

        1) Governo promete que reforma da previdência irá operar milagres com uma recuperação pujante e imediata na economia, sob vários aspectos. Governo promete ainda que ele vai votar a reforma ainda no primeiro trimestre de 2019;

        2) Lojas tem que comprar mercadorias com antecedência, logo, em fevereiro/2019, entusiasmadas com as PROMESSAS, compram em volumes muito maiores. Como processos de contratação são mais demorados, já começam a contratar mais pessoas para darem conta do aumento de vendas (tem a ver com recorde do CAGED em fevereiro/2019). Ocorre que muitas lojas já estão super-endividadas, então, para aumentarem as compras são obrigadas a contratarem novas dívidas e como a situação delas é ruim, pagando juros ainda maiores que nas dívidas anteriores;

        3) Com as mesmas expectativas, as indústrias também ampliam compras de componentes, aumento de estoques, etc e da mesma forma contratam mais e tem o mesmo problema de super-endividamento e de pagarem juros maiores para poderem pegar os financiamentos;

        4) Por tabela, o setor de serviços acaba passando pelas mesmas situações acima;

        5) Com o aparecimento dos indicadores REAIS sobre os resultados do primeiro trimestre do ano e depois do dia das mães, as lojas se veem com super-estoques e são OBRIGADAS a conter seus pedidos para as indústrias. Adicionalmente, como o endividamento das lojas aumentou e com juros ainda maiores que antes, elas são obrigadas a demitirem mais pessoas do que aquelas que foram contratadas para a expansão SONHADA;

        6) Algo análogo ao item 5 ocorre para indústrias e empresas de serviços;

        7) O que consta acima apenas amplia a DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS, a inadimplência ANORMAL e o super-endividamento de empresas e famílias. Por tabela, como prejudica o PIB, também prejudica a verba de arrecadação de impostos do governo e isto força o governo a fazer novas contenções orçamentárias alimentando o círculo vicioso de com isto também impactar negativamente o PIB e ter que voltar a conter despesas.

        Será que algum dia o pessoal vai entender o tamanho do efeito DESTRUTIVO para economia e sociedade das promessas UFANISTAS, ou vão continuar até o fim dos tempos dando razão a dois pensamentos de Einstein, o primeiro de que é insanidade repetir os mesmos erros esperando resultados diferentes e o segundo, que ele tinha mais certeza sobre a estupidez humana do que sobre o universo infinito…

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 08:13

    COMO MENTIR COM ESTATÍSTICAS

    Na manchete sai: Volume de compradores de imóveis atinge maior nível desde 2014

    Dai vai ver na metodologia que o universo amostral é formado por 4.484 USUÁRIOS DO PORTAL ZAP. kkkkkkk

    https://noticias.r7.com/economia/volume-de-compradores-de-imoveis-atinge-maior-nivel-desde-2014-14052019

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 08:14

    Investimento brasileiro em imóveis no exterior cresce 240% em 10 anos

    Segundo o documento, de 2007 a 2017, os investimentos em imóveis no exterior cresceram 240%. O montante total de recursos destinados ao setor imobiliário saíram de US$ 1,844 bilhões para US$ 6,279 bilhões, respectivamente

    https://www.poder360.com.br/economia/investimento-brasileiro-no-setor-imobiliario-no-exterior-cresce-240/.

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 14 de maio de 2019 at 08:15
    • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 08:47

      Ele pode duplicar, triplicar ou até decuplicar
      Ele vale o que as pessoas estão dispostas a pagar.

      25+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • ravoc 14 de maio de 2019 at 09:43

        É o que sempre digo… Mas as pessoas não entendem… kkkkkkkkkkkkkk
        Preferem continuar com seus bolhudinhos e dizer que são milionários.
        Como um CVR que contei recentemente da minha casa à venda que já baixei 35% do valor e nenhuma oferta… Ou seja, não vale…

        21+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Dr. Brown 15 de maio de 2019 at 08:30

          O cara compra uma propriedade por X aí vem a prefeitura cobrar as taxas e avalia a coisa pro 2X. Então o cara ao invés de ficar P da vida fica supercontente porque seu patrimônio valorizou e agora ele tem “prova” disso.

          9+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • CA 14 de maio de 2019 at 08:58

      Seguidor do Bolha BH,

      Estes “estudos” visam CHANTAGEAR os compradores que planejam morar nos imóveis com a ideia de que é “melhor comprar agora do que pagar mais caro depois” e ao mesmo tempo, atrair o máximo de investidores SARDINHAS em imóveis com promessas de lucros MIRABOLANTES frente à uma SELIC e remuneração de aplicações financeiras muito baixas, o mesmo GOLPE DE DESINFORMAÇÃO que sempre praticaram desde o início da bolha imobiliária há mais de uma DÉCADA e que os levou a situações de profundo desequilíbrio entre oferta e procura, entre preço e renda e outros que ao final, destruirão cada vez mais ao próprio setor. Só que eles não desistem, querem DOBRAR A META a qualquer custo e SOBREVIVEREM enquanto puderem com estes TRUQUES SUJOS…

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Tagore 14 de maio de 2019 at 09:08

      Em SP cansei de ouvir esta história de que um novo Plano Diretor iria aumentar o valor dos imóveis, mas via de regra é uma questão secundária. Os preços não param de crescer no período de “mania” da bolha e nem param de cair quando a realidade se revela.

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Tagore 14 de maio de 2019 at 08:15

    Estes dias falei de um motorista de Uber que dizia vir do interior do estado de SP para a capital na segunda, dormia durante a semana no carro em um posto de gasolina abandonado no centro da cidade e voltava no fim de semana para casa. Descobri que o mesmo já acontece nos EUA há algum tempo, conforme estas reportagens, uma de janeiro de 2017 e outra de uns dias atrás:

    https://www.bloomberg.com/news/articles/2017-01-23/when-their-shifts-end-uber-drivers-set-up-camp-in-parking-lots-across-the-u-s

    https://www.theguardian.com/technology/2019/may/07/the-uber-drivers-forced-to-sleep-in-parking-lots-to-make-a-decent-living

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 14 de maio de 2019 at 10:07

      Mas,mas,mas…. O eua nao era o exemplo?

      7+
  • Alemon Fritz 14 de maio de 2019 at 08:24

    corvos
    PF cumpre mandados contra corretores de imóveis suspeitos de golpe na Caixa.
    TNH1 (Blogue)-1 h. A acusação é de que corretores de imóveis falsificavam documentos de identidade,

    -Receita perde disputa em permuta de imóveis. !1
    Diário do Comércio-8 horas atrás. A permuta de imóveis não deve ser equiparada à compra e venda para efeito da incidência dos tributo. kkkkkkkkkkkk

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 08:32

    Leilões

    Sala comercial de 127 m2 em Alphaville por 195K – https://www.sold.com.br/lote/ver/1279193

    Prédio de 3.404 m2 no centro de São Paulo por 4 KK – https://www.sold.com.br/lote/ver/1282760/1

    Apartamento de 86 m2 em Apart Hotel por 250K – https://www.sold.com.br/lote/ver/1293502/1

    3+
    • avatar
  • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 08:42

    QUEM MAIS ENTENDE DE DINHEIRO QUER SE LIVRAR DE IMÓVEL KKKKK
    BANCO SANTANDER VENDENDO UM IMÓVEL ONDE TEM UMA AGÊNCIA DO SANTANDER

    https://www.zukerman.com.br/agencia-jardim-paulista-sao-paulo-sp-16010-130625

    Área construída de 749m2
    Situação: Imóvel locado por R$ 60.800,00
    Lance mínimo: 18 milhões
    Valor de venda por m2 = R$ 24.032
    Valor de aluguel por m2 = R$ 81,17
    Fator X = 296
    Rentabilidade bruta = 0,34% ao mês
    Rentabilidade liquida estimada = 0,10% ao mês

    Já a pessoa jurídica não pode ser constituída sob o regime Simples Nacional, mas pode optar pelo regime de Lucro Presumido. Ele irá presumir que do total dos aluguéis recebidos, 32% constituem lucro, sobre o qual incidem Imposto de Renda da pessoa jurídica (IRPJ), 15% a 25%, e CSLL (9%).
    Por ter a base de cálculo reduzida, a soma dos dois tributos passa a representar entre 7,68% e 10,88% dos aluguéis, a depender do percentual de IRPJ, que vai de 15% para 25% quando o lucro ultrapassa R$ 20 mil por mês.
    Após o recolhimento de PIS e Cofins (3,65%), a tributação corresponderá a algo entre 11,33% e 14,53% dos aluguéis. Em comparação com os 27,5% do IR para pessoa física, verifica-se uma economia substancial. Esta é a principal vantagem matemática na balança.

    https://www.valor.com.br/financas/consultorio-financeiro/4844848/vale-pena-receber-alugueis-como-pessoa-juridica

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 08:44

      3+
    • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 09:16

      Ahhh, proprietário deste imóvel
      SANPREV – SANTANDER ASSOCIAÇÃO DE PREVIDÊNCIA
      https://files.zukerman.com.br/I17327lote001matricula3.pdf

      3+
      • avatar
    • socrates 14 de maio de 2019 at 10:45

      “Já a pessoa jurídica não pode ser constituída sob o regime Simples Nacional, mas pode optar pelo regime de Lucro Presumido. Ele irá presumir que do total dos aluguéis recebidos, 32% constituem lucro, sobre o qual incidem Imposto de Renda da pessoa jurídica (IRPJ), 15% a 25%, e CSLL (9%).
      Por ter a base de cálculo reduzida, a soma dos dois tributos passa a representar entre 7,68% e 10,88% dos aluguéis, a depender do percentual de IRPJ, que vai de 15% para 25% quando o lucro ultrapassa R$ 20 mil por mês.
      Após o recolhimento de PIS e Cofins (3,65%), a tributação corresponderá a algo entre 11,33% e 14,53% dos aluguéis. Em comparação com os 27,5% do IR para pessoa física, verifica-se uma economia substancial. Esta é a principal vantagem matemática na balança.”

      nisso o Guedes nem toca, né?

      Uma das grandes raízes da desigualdade e que causa preços absurdos país a fora é o aluguel exorbitante.
      Retira renda de quem ira consumir pelo Brasil e só concentra cada vez mais o capital nas mãos de poucos.
      Sou um “commie” por ver isso?

      A liberdade economica deve ter limites, não?

      5+
  • CA 14 de maio de 2019 at 09:07

    https://www.istoedinheiro.com.br/podemos-fazer-acordo-com-china-mas-na-ultima-eles-tentaram-renegociar-diz-trump/

    Sobre artigo acima, Trump está se sentindo muito seguro para pressionar a China, afirmando que parte do crescimento surpreendente da economia americana, mantendo inflação baixa , sob controle e pleno emprego, que é uma situação contrária à teorias econômicas mais tradicionais, se deve ao crescimento de setores que foram mais “protegidos” das importações da China graças ao aumento de tarifas, então, para ele não seria nenhum problema intensificar isto, sendo que o grande prejuízo seria para a China que veria a produção fugir rapidamente de seu país e ir para outras localidades.

    Do lado da China, há mais de uma DÉCADA que estão “dando o chapéu” nos EUA com promessas de acabarem com as práticas MERCANTILISTAS e DESLEAIS
    e não parecem realmente dispostos a abdicar daquilo que está na causa RAIZ de todo seu crescimento excepcional.

    Desta forma, tanto EUA quanto China estão cada vez mais estão caminhando para ampliarem a guerra comercial, o que como consequência natural, irá aprofundar a desaceleração da economia global no curto prazo, com provável transformação disto em recessão global no médio / longo prazo, principalmente em função da combinação disto com explosões mais visíveis de bolha das bolhas americana e demais bolhas em efeito dominó.

    Para quem acha que a solução de Trump de PROTECIONISMO é um sucesso e saída “jenial” (sic), pesquisem sobre um país chamado “Brasil” e o quanto o super, ultra mega protecionismo apenas fez com que a desindustrialização se aprofundasse cada vez mais e fossem geradas “N” distorções na economia que viraram um imenso obstáculo para crescimento contínuo e consistente. No começo é tudo festa, os estragos aparecem no médio e longo prazo. Como as eleições americanas são no ano que vem, Trump está apostando que os estragos não aparecerão antes disto e que ele vai se reeleger, o famoso “calculismo político”…

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Карлос, красный лак 14 de maio de 2019 at 18:06

      Fora obviamente Trump estar mentindo como de costume sobre as causas do crescimento, pessoal que ele diz ter protegido com os aumentos de taxas de importação anda se f…. ainda mais, fora o consumidor americano em geral que já está pagando mais caro por produtos feitos nos EUA com componentes vindos da china, que tenho que informar aos Trump Minions são a grande maioria.
      Quanto aos números do emprego sabemos que está acontecendo algo parecido com o Brasil, muito Uber e lift e outros empregos temporários e de baixa qualidade.

      6+
      • avatar
      • avatar
    • Poucas Trancas 14 de maio de 2019 at 18:09

      Seria o momento perfeito para o Brasil derrubar uns 99,8% de barreiras comerciais que temos, fazer uma reforma tributária descente, parar de incentivar qualquer setor que seja e acabar de uma vez com o protecionismo. E sem perder a oportunidade de ainda aprovar leis mais rígidas a qualquer um que atente contra a liberdade, a propriedade e a livre iniciativa.

      O Brasil, com o tamanho que tem, seria alçado a potência econômica em questão de poucos anos.

      Porém, qualquer mudança, mínima que seja, teria que passar por TODAS as comissões da câmara, do senado, pelos 2 plenários, pelo supremo, pelo Lula, pelo Aécio, pelo Cabral, pelos filhos do Bolsonaro, pelo Guedes, pela Folha, pelo Estadão, pela Jovem Pan, pela Globo, pela CBF, pelo Andres Sanchez, pelos direitos humanos, pelo MEC, pelas bancadas do congresso… fora as inúmeras negociações de benefícios e ministérios para qualquer coisa que seja passar… sem falar que para isso a gente tem que ter a iniciativa do Executivo ainda… ou seja, até conseguirmos dar um passo que seja, EUA e China já estarão amiguinhos de novo, a guerra comercial já vai ter acabado, começado de novo e acabado de novo, capaz até de ter uma guerra militar no meio, com início meio e fim, depois ficam amigos de novo… e no final tudo aconteceu e o Brasil ficou no mesmo lugar em que estava desde o início do plano real.

      É só ver que o Brasil já é um estado extremamente inchado. Funcionalismo público, parte-se do pressuposto que existe para organizar as tarefas do país, não para produzir e criar riqueza. De modo que, para organizar, você precisa ter o menor número possível de pessoas, e para isso ser possível, você precisa do menor número possível de regras, leia-se leis. Porém, qualquer benefício que você queira tirar, qualquer privatização que você queira fazer para diminuir a máquina pública, tem tanta reclamação que se torna quase impossível de ser aprovada.

      É por essas e outras que o Brasil depende de GERAÇÕES para que qualquer mudança mais efetiva seja realizada. O brasileiro médio é MASSA DE MANOBRA, tem total consciência de que é isso e não tem a menor intenção de MUDAR. As pessoas aceitam a realidade que lhes é imposta, é mais fácil acreditar no que a mídia está dizendo, no que o palanque está dizendo, no que o “especialista” está dizendo, do que ir atrás da informação, pesquisar e tirar suas próprias conclusões. Buscar a informação da muito trabalho. Brasileiro tem preguiça.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Карлос, красный лак 14 de maio de 2019 at 18:14

        Falta também um governo com a mínima capacidade, ou vontade, ou você acha que o mito que fez carreira discutindo com colegiais têm esta capacidade escondida em algum lugar?
        Fora que boa parte da oposição venha justamente do próprio partido do governo e de seu guru na figura do velho boca suja.
        O astrológo incutiu esta besteira de guerra contra o globalismo na mente dos seus pupilos ignorantes, quem vai pagar a conta como sempre é o brasileiro.

        9+
        • avatar
  • Alemon Fritz 14 de maio de 2019 at 09:24

    não vai: heranças paradas.
    -Após morte de Joaquim Roriz, filhas brigam pela herança na Justiça.
    Metrópoles-5 de mai
    -Briga por herança acaba em morte no município de Salgado, diz PM.
    G1-4 de mai .
    -Clodovil Hernandes: herança do apresentador continua bloqueada.
    Observatório dos Famosos (Blogue)-16 de abr de 2019
    -Empresário é morto em suposta briga por herança no Cordeiro.
    OP9-18 de abr .

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 09:36

      Eu vi sobre o caso do Clodovil

      A pessoa que comprou no leilão conseguiu a anulação na justiça, dizendo que não tinha visto que ela teria apenas o direito ao usufruto mas nunca a propriedade daquele imóvel.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • FabianoSJC 20 de maio de 2019 at 18:36

      Conheço uma familia cujos 3 herdeiros sairam até na porrada por causa de 1 terreno , 1 apartamento e uma caminhonete rs , 300 milhões já teria saido até morte kk

      0
  • ravoc 14 de maio de 2019 at 09:39

    OFF

    Só eu achei que o espaço está melhor só pelo simples fato de não termos mais o indiobolhista?

    Obrigado BOSS! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    37+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 09:53

      Está mais leve sim, bem mais agradável de ler
      Como também bloqueio o Carlos pelo CustomBlocker, no tópico passado foram 207 bloqueios (20,2%) de um total de 1027 e hoje já foram 13 (18,1%) de um total de 72

      19+
      • avatar
      • avatar
      • Rico 14 de maio de 2019 at 11:09

        Nem se compara Cesar, o Carlos só não concorda com suas opiniões. O indiobolhista não tinha elegância nenhuma para postar.

        29+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Карлос, красный лак 14 de maio de 2019 at 18:10

          É a revolução dos bichos bolsomínia:

          Critica o PT bom, critica o messias mal….

          Continuo sorrindo e acenando 😀👋

          8+
          • avatar
          • avatar
        • Lula o papai dos lacradores 15 de maio de 2019 at 07:32

          Rico vai tomar no riCÚ

          2+
    • Lula o papai dos lacradores 15 de maio de 2019 at 07:31

      Raboc????

      1+
  • Senhor Bolha 14 de maio de 2019 at 09:41

    Recordar é viver eu já postei isso aqui várias vezes , mas nunca é tarde para relembrar o manual de teoria econômica da america latina.

    As quatro etapas do populismo econômico
    Conseguimos sobreviver às três primeiras

    O populismo econômico — ou a política econômica populista — pode ser caracterizado como um programa de governo que recorre a uma maciça intervenção do estado em vários setores da economia, incentiva o consumismo (ao mesmo tempo em que desestimula os investimentos de longo prazo), e incorre em déficits no orçamento do governo.

    Além de se tratar de um modelo insustentável no longo prazo, o populismo econômico possui vários estágios entre sua adoção e seu inevitável fracasso. A última década de extremo populismo na Argentina e na Venezuela [Nota do editor: e, em menor grau, no Brasil, como será demonstrado mais abaixo] pode ser descrita como tendo seguido exatamente este padrão.

    Após observarem a experiência populista em vários países da América Latina, os economistas Rudiger Dornbusch e Sebastián Edwards identificaram em seu artigo “Macroeconomic Populism” (1990) quatro estágios universais inerentes ao populismo. Ainda que o populismo possa apresentar uma grande variedade de políticas, certas características parecem estar presentes na maioria dos casos.

    O populismo normalmente estimula uma mobilização social em prol do governo, faz uso maciço da propaganda glorificando determinados políticos, utiliza símbolos e práticas de marketing para incitar os sentimentos dos eleitores, e recorre frequentemente a uma retórica que apela à luta de classes.

    O populismo é especialmente voltado para aqueles que têm uma renda baixa, ao passo que, paradoxalmente, as elites que controlam o partido dominante não explicam a fonte da milionária renda do seu líder.

    Governantes populistas têm facilidade em utilizar bodes expiatórios e em recorrer a teorias conspiratórias para explicar por que o país está passando por dificuldades, ao mesmo tempo em que se apresentam à população como os salvadores da nação. Para alguns, o populismo está associado à esquerda e a movimentos socialistas; para outros, à direita e a políticas fascistas.

    Os quatro estágios do populismo, identificados por Dornbusch e Edwards, são:

    Estágio I

    O populista é eleito e faz um diagnóstico sobre tudo o que está ruim na economia. Ato contínuo, ele implanta políticas voltadas para atacar os sintomas e não para curar a doença. Há aumento dos gastos, há inchaço da máquina pública e há incentivos ao consumismo (mas não ao investimento de longo prazo).

    Nos primeiros anos de governo, as políticas aparentemente funcionam. A política macroeconômica mostra bons resultados, como um PIB crescente, uma redução no desemprego, um aumento real nos salários etc.

    Como a economia está partindo de uma base baixa, há o chamado “hiato do produto”, que é a diferença entre o PIB efetivo e o PIB potencial. Isso permite que estímulos econômicos artificiais gerem um crescimento econômico grande no curto prazo e sem pressões inflacionárias.

    Adicionalmente, o governo paga pelas importações utilizando as reservas do banco central (artifício esse favorito de Venezuela e Argentina) e impõe regulamentações para controlar alguns preços (uma política de congelamento de preços é aplicada em simultâneo a uma política de subsídios para grandes empresas).

    Tudo isso faz com que a inflação de preços fique relativamente sob controle.

    Estágio II

    Alguns gargalos começam a aparecer, pois as políticas populistas enfatizaram o consumismo e se esqueceram do investimento (mesmo porque os populistas tendem a demonizar empresários capitalistas).

    Como consequência, o estoque de capital do país está sendo consumido mas não está sendo reposto. A produtividade cai.

    Adicionalmente, as reservas internacionais utilizadas para pagar pela importação de produtos básicos também começam a cair.

    Um aumento nos preços de vários bens — até então controlados — se torna imperativo, pois os produtos estavam se tornando escassos. Esse aumento geral de preços, o que equivale a uma redução no poder de compra da moeda e a um aumento do custo de vida, frequentemente leva a uma desvalorização na taxa de câmbio. Os preços dos serviços de utilidades públicas (eletricidade, tarifas de ônibus etc.) e da gasolina, controlados pelo governo, também começam a subir, pois o governo necessita de mais receitas.

    Tal cenário leva a uma fuga de capitais, a qual é momentaneamente estancada pela imposição de controle de capitais. Investidores estrangeiros fogem do país, o que reduz ainda mais os investimentos produtivos.

    O governo tenta controlar seu orçamento e seus déficits, mas fracassa. Dado que o custo dos prometidos subsídios à eletricidade, à gasolina e a algumas grandes empresas (as favoritas do governo) aumenta continuamente apenas para compensar o aumento do custo de vida, os déficits do governo aumentam.

    Novos impostos são criados e alíquotas são majoradas. A economia informal começa a crescer.

    Nesse ponto, reformas fiscais se tornam necessárias, mas são evitadas pelo governo populista, pois elas vão contra toda a retórica do governo e toda a sua base de apoio.

    Estágio III

    Desabastecimentos e vários problemas relacionados à escassez se tornam significativos. Dado que a taxa nominal de câmbio não foi desvalorizada no mesmo ritmo da inflação de preços, há uma saída contínua de capitais (as reservas internacionais caem ainda mais). No extremo, a alta inflação de preços empurra a economia para uma desmonetização. A moeda local é utilizada apenas para transações domésticas. Os cidadãos passam a poupar em dólares americanos.

    A queda na atividade econômica afeta as receitas tributárias do governo, piorando ainda mais os déficits orçamentários. O governo tem de cortar subsídios.

    Para estancar a perda de reservas internacionais, uma nova desvalorização da taxa de câmbio é feita. O custo de vida dispara, a renda real dos cidadãos despenca, e sinais de instabilidade política e social surgem diariamente.

    [Nota do editor: neste ponto, saques a comércios e residências se tornam comuns, como ocorreu na Argentina. Na Venezuela, a distribuição de alimentos foi colocada sob supervisão militar.]

    O fracasso do projeto populista se torna evidente.

    Estágio IV

    Um novo governo é eleito (ou o próprio governo é reeleito; ou um novo governo assume em decorrência da deposição do atual) e é obrigado a fazer ajustes “ortodoxos”, possivelmente sob a supervisão do FMI ou de organizações internacionais que forneçam os fundos necessários para fazer as reformas econômicas (isso ocorre majoritariamente quando o país precisa de recompor suas reservas internacionais).

    Como o estoque de capital do país foi consumido e destruído, sem ser reposto, os salários reais caem para níveis abaixo daqueles que vigoravam antes do início das políticas populistas. O novo governo “ortodoxo” tem então de recolher os farrapos que restaram e tentar cobrir os custos das políticas fracassadas feitas pelo regime anterior. Isso normalmente implica políticas de austeridade, altamente impopulares.

    Os populistas se foram, mas os estragos de suas políticas continuam totalmente presentes.

    O populismo econômico segue firme e forte

    Embora Dornbusch e Edwards tenham escrito seu artigo em 1990, as similaridades com o que ocorre hoje em países da América Latina são notáveis.

    Nos últimos anos, para manter as ideias populistas firmes na mente dos eleitores, a Venezuela criou o Ministério da Suprema Felicidade Social e a Argentina de Cristina Kirchner criou uma Secretária do Pensamento Nacional.

    Esses quatro estágios são, na realidade, cíclicos. O movimento populista utiliza o quarto estágio para criticar as políticas “ortodoxas” adotadas pelo novo governo, e argumenta que, durante o reinado dos populistas, as coisas estavam melhores.

    Dado que as políticas ortodoxas quase sempre se baseiam exclusivamente no aumento de impostos, as coisas dificilmente melhoram. A renda real segue em queda e a economia segue em contração. Consequentemente, a opinião pública, descontente com as medidas adotadas no estágio IV, concede ao movimento populista uma vitória nas próximas eleições. Os populistas recebem uma economia em recessão e o ciclo recomeça do estágio I.

    Não é de se surpreender que governos populistas normalmente surjam após tempos difíceis causados por crises econômicas. Um governo populista mais ousado pode conseguir evitar o estágio IV descobrindo novas maneiras de permanecer no governo, como, por exemplo, proibindo eleições ou criando resultados eleitorais falsos.

    Nesse ponto, o governo populista consegue transformar o país em uma nação totalmente autoritária.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Senhor Bolha 14 de maio de 2019 at 09:47

      OBS: Com estoque de dívida atual não é possível mais chegar ao estágio 1.

      Então a saída vai ser cada vez em direção a radicalização do discursos e ações cada vez mais autoritárias.

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 09:59

      Senhor Bolha
      Todos os livros de esquerda tratam de como distribuir a riqueza, mas não falam de como construir a riqueza
      Isso acontece pela explicação de que uma pessoa somente é rica por ter explorado a mão de obra, e não porque é um empreendedor, que identificou um filão de negócios e criou algo inovador e eficiente. Para o marxismo, Bill Gates e Marck Zukerberg são “proletários” pois seu dinheiro foi adquirido com o seu próprio trabalho e não com o CAPITAL.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Inevitable 14 de maio de 2019 at 09:49

    ### Lucro da MRV sobe, mas construtora queima caixa após atrasos no Minha Casa Minha Vida ###
    A MRV consumiu R$ 19 milhões de seu caixa no primeiro trimestre, enquanto no mesmo período do ano anterior houve geração positiva de R$ 86 milhões.
    “É o resultado de um volume de repasses menor (MCMV) e um volume de construção maior, ou seja, eu gastei mais dinheiro para construir as unidades do eu que recebi”, explica Ricardo Paixão, diretor executivo financeiro da MRV.
    https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/05/lucro-da-mrv-sobe-mas-construtora-queima-caixa-apos-atrasos-no-minha-casa-minha-vida.shtml

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 14 de maio de 2019 at 10:24

      a mrv pode seguir o exemplo após 20 anos:
      -Massa Falida da Encol inicia mutirão de conciliação com ex trabalhadores..
      G1-13 de mai de 2019
      -Massa Falida da Encol propõe conciliação com ex-trabalhadores
      Portal Mais Goiás (Blogue)-22 horas atrás
      -Quase 20 anos depois, Encol pagou apenas dívidas trabalhistas – O Popular
      pagou 182milhoes.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 14 de maio de 2019 at 10:26

      Inevitable,

      Sobre o seguinte trecho:

      “…ou seja, eu gastei mais dinheiro para construir as unidades do eu que recebi”, explica Ricardo Paixão, diretor executivo financeiro da MRV.”

      A TRADUÇÃO é:

      A MRV aumentou MUITO os lançamentos de 2018 para 2019, sem NENHUM motivo RACIONAL para tal EUFORIA e pelo fato de estarem construindo muito mas agora que um ano atrás, sem crescimento nas entregas de forma proporcional e assim sem um volume de recebíveis proporcional, prejudicou o caixa.

      Só que o problema é MIL vezes PIOR. MUITAS construtoras tiveram este aumento IRRACIONAL nos lançamentos e vendas FALSAS na planta, enquanto verbas de governo e MCMV estão cada vez mais contidas, esta combinação será FATAL para muitas construtoras que já estavam sem pique para PEDALAREM com este esquema.

      “Detalhe”: como já disse antes, a MRV sempre teve PRIVILÉGIOS com governos, fossem os anteriores ou atual, além de diversas práticas DESLEAIS e é por isto que acaba tendo uma forte liderança no MCMV. Dentre outros fatores, a MRV por ter o principal acionista como presidente de grupo de construtoras, tem mais influência política e com isto consegue ser a recordista em aprovar empreendimentos do MCMV junto à CEF / Governo, foi defendida pelo Temer quando foi apontada como uma das maiores empresas que trabalhavam com mão-de-obra escrava no país, sempre sabe das mudanças de regras / leis com antecedência e fora isto, é recordista em adiar o “reconhecimento” de DISTRATOS e em PEDALAR com vendas FALSAS na planta, além de também ter ganhos em escala por ser a maior (melhores negociações com fornecedores) e por fim, estar entre as PIORES quanto à qualidade de construção, infraestrutura e localização.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 14 de maio de 2019 at 10:12

    Estou vendo aqui o resultado da Viver
    https://br.investing.com/equities/viver-on-nm-financial-summary
    6º ano de prejuizo
    2018 fechou pela primeira vez com patrimônio liquido positivo
    Lucro liquido de -197 milhões
    Mas o principal: EBITDA de -224%

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Coelho da pascoa 14 de maio de 2019 at 11:56

      A Viver é um zumbi que nem do Resident Evil que parece que tá morto e de repente quando você passa morde seu pé. O vigia deve estar fazendo trabalho voluntário pra manter a porta da sede da empresa aberta.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 14 de maio de 2019 at 10:20

    VIXE!

    O processo de recuperação gradual da atividade econômica sofreu interrupção no período recente, mas a expectativa é de retomada adiante. Essa é a conclusão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), que decidiu na última quarta-feira (8) manter a taxa básica de juros, a Selic, em 6,5% ao ano.

    Segundo ata da reunião do Copom, o arrefecimento da atividade observado no final de 2018 teve continuidade no início de 2019. “Em particular, os indicadores disponíveis sugerem probabilidade relevante de que o Produto Interno Bruto (PIB) tenha recuado ligeiramente no primeiro trimestre do ano, na comparação com o trimestre anterior, após considerados os padrões sazonais”, diz o documento.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 14 de maio de 2019 at 10:37

      Cajuzinha,

      O crescimento do PIB do último trimestre de 2018 foi de 0,1%, só que o IBGE costuma revisar e pode ser que fique negativo. Se combinado com isto, o PIB do primeiro trimestre de 2019 vier negativo, como muitos já apostam (até o BC, de forma discreta), poderíamos ter uma recessão técnica (dois trimestres seguidos com queda do PIB). Seria PÉSSIMO para expectativas de investidores e empresas de forma geral.

      Já sobre manterem a SELIC no patamar atual e não baixá-la como alguns INSANOS “especialistas economistas” sugerem, o motivo principal não é a “retomada adiante” como alega o BC, mas sim, a REALIDADE quanto ao agravamento da guerra comercial EUA X China e suas implicações para países emergentes (fuga de dólar incentivando desvalorização cambial nestes países e aumento de inflação), combinado com efeitos de bolha das bolhas americanas e outras bolhas.

      O mais grave é o BC continuar se fazendo de CEGO, SURDO E MUDO para as extensas e gravíssimas ANOMALIAS no sistema financeiro, onde o BC ao invés de colaborar para melhorar a liquidez, vai PEDALANDO com os problemas, alimentando incêndio com gasolina e tentando MASCARAR a REALIDADE.

      É este contexto que garante que quando não der mais para PEDALAR, o reajuste da SELIC terá que ser mais relevante, sendo que tal reajuste AMPLIFICADO é PÉSSIMO, pois quanto mais ABRUPTO e RELEVANTE for o reajuste da taxa básica de juros de uma economia, maiores serão os efeitos NEGATIVOS para economia e sociedade (círculo vicioso de efeito real e prático que ocorre de imediato com queda relevante de crédito disponível, investimentos e consumo, misturado com PIORA muito elevada nas expectativas derrubando ainda mais investimentos e consumo).

      Tudo que consta acima, como sempre, só vão “aprender” na prática, quando não conseguirem mais FUGIR DA REALIDADE…

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 14 de maio de 2019 at 10:26

    O economista Thiago Figueiredo, gestor da GGR Investimentos, avalia, porém, que, devido à instabilidade global, o dólar está em alta, o que tende a pressionar os preços no país. Além disso, tensões no Oriente Médio aumentam o valor do petróleo no mercado internacional. Mesmo assim, o especialista entende que a economia brasileira está tão fraca que precisa de estímulos. “A economia está tão devagar que não consegue repassar altas de preço para o consumidor. O comércio está fraco. A indústria tem desempenho muito abaixo do esperado. É difícil falar em risco de inflação nesse contexto”, afirmou. “É perfeitamente plausível a redução da Selic para tentar acabar com esse marasmo na economia.”

    https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2019/05/14/internas_economia,1053577/guerra-comercial-entre-eua-e-china-afeta-economia-do-brasil.shtml

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 14 de maio de 2019 at 10:45

      Cajuzinha,

      kkkkk

      Acabei de falar no comentário anterior sobre os INSANOS “economistas especialistas” que querem reduzir a SELIC, sem perceber que o menor patamar histórico da SELIC por 2 ANOS não resolveu absolutamente NADA quanto à recuperação da economia!

      São tão SEM-NOÇÃO que não fazem a menor ideia de que ao fazerem isto perante o cenário de explosão de bolhas globais, apenas intensificarão os efeitos destrutivos para nossa economia quando da volta à REALIDADE.

      Lamentável, mas é algo muito comum de acontecer, o famoso DOBRAR A META em erros estúpidos e que vão nos aprofundar cada vez mais no buraco em que estamos. E o pior de tudo, é que no fundo o BC vai acabar entrando nesta onda, isto se a guerra comercial e explosão de bolha das bolhas americanas e outras ao redor do globo não se manifestarem antes…

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • PolitecnicaSP 14 de maio de 2019 at 10:37

    Alguém tem conhecimento sobre a isenção do ITBI no primeiro imóvel no município de São Paulo?
    Provavelmente comprarei algo até ano que vem, apartamento aprox. 700k, ITBI no valor de uns 20mil – então é fora do MCMV. Posso pagar à vista, maaas, caso realmente haja a isenção posso financiar um pouco e quitar o financiamento de anos em uns 3 meses xD

    No site da prefeitura aparece:
    “São isentas do ITBI as seguintes transmissões de bens ou direitos:
    1.1. A primeira aquisição de unidade habitacional financiada pelo Fundo Municipal de Habitação (Lei 11.632/1994);
    1.2 …”

    Meu medo é que eu faça o financiamento e o cartório coloque algum empecilho na isenção – ou só tenha a isenção na parte financiada…

    Se alguém tiver alguma experiência/informação agradeço!

    4+
    • avatar
    • socrates 14 de maio de 2019 at 10:54

      esse imposto nao precisaria existir tivessemos uma tributação real sobre a renda, como nos melhores países do mundo, e a justiça utilizasse o bom senso ao inves da legalidade cega (ok, precisariamos de outros juizes – nisso o GM tem razão , pelo incrivel que pareça).

      Acho que vale o questionamento acerca da moralidade (e consequente legalidade) da existencia do tributo, considerando que seria muito mais efetivo cobrar diretamente imposto sobre a renda e o estado, ao nao faze-lo, causa um desequilibrio que configura crime contra a economia popular. MP (SP e F) e prefeitura podem ser questionados

      1+
    • Alemon Fritz 15 de maio de 2019 at 08:56

      Bem, tem que tomar cuidado ainda que mesmo pagando por 700k a prefeitura pode AVALIAR que vale 1,2kk. e cobrar sobre isso. Raramente abaixa. A desculpa é que as pessoas registravam a menos. Assim a prefa não deixa o preço descer mesmo que seja o valor pago e por tabela inda sobe o IPTU.Cuidado, tente descobrir qto vai ficar mesmo. E se no futuro desvalorizar mais vc se lasca novamente. Fora o ganho que estimam no IRPF. qdo o cartório mandar pra Receita. Fique ligado pros esquemas.

      4+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Rico 14 de maio de 2019 at 16:10

    Pessoal tudo bem com vocês? Tive uma crise de abstinência com o site fora do ar…

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cadeludo 14 de maio de 2019 at 18:03

      eu tô em crise de abstinência do PMJ nos tempos da nhonha
      hj caloteiam o PMJ na cara de pau cambada de pilantra

      28+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Rico 14 de maio de 2019 at 21:10

        Cadeludo, dá uma olhada nisso aqui:
        https://mutual.club/quero-investir.html

        Estou achando interessante para colocar um pequeno capital de risco e ter um melhor PMJ.

        6+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cadeludo 15 de maio de 2019 at 20:40

          A projeção apresentada é uma simulação baseada em um investimento com SCORE D. Os cálculos de projeção de retorno são valores estimados e não são uma promessa de rentabilidade. é ai que mora o perigo

          0
    • MARK 14 de maio de 2019 at 20:38

      Fiquei aqui preocupado também, Rico… não gostaria de ficar lutando nas trevas, BIB é luz em meio a toda essa escuridão.

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • loureiro_bsb 14 de maio de 2019 at 16:57

    https://www.gazetadopovo.com.br/republica/guedes-reduz-previsao-pib-novo-bloqueio-orcamento/

    “Quando chegou um governo novo, havia a expectativa que as reformas fossem aprovadas com rapidez. Eu sempre olhei isso com mais ceticismo”, completou [Guedes].”

    Guedes se coadunando às ponderações do catedrático colega CA.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 14 de maio de 2019 at 20:56

      loureiro_van,

      Ele sofreu um CHOQUE DE REALIDADE, veja a outras expressão que ele usou, como difere dos TRILHÕES MÁGICOS que ele tratava como troco de pão:

      https://www.istoedinheiro.com.br/guedes-fala-sobre-situacao-fiscal-do-pais-e-cita-expressao-fundo-do-poco/

      Trecho do link acima:

      ” “Não adianta achar que vamos crescer 3%, a realidade é que estamos no fundo do poço”, afirmou.”

      Engraçada a frase do super-ministro acima, menos de 2 semanas depois dele dizer que com a reforma da previdência a ser aprovada no terceiro trimestre, teríamos 2,9% de crescimento do PIB ainda em 2019!

      De quebra o governo demonstrando mais uma vez o círculo vicioso entre redução do PIB e aumento dos contingenciamento, como sempre falamos por aqui:

      https://www.terra.com.br/noticias/governo-ja-trabalha-com-expansao-do-pib-de-15-neste-ano-diz-guedes,42362dd816f26dde4e9ee404a6ab436336odmepw.html

      Trecho do link acima:

      “Paulo Guedes diz que nesse patamar é necessário mais contingenciamento dos gastos.”

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 14 de maio de 2019 at 21:03

        Ah sim, ainda vai demorar 1 ano ou mais para o super-ministro descobrir que não só estamos “no fundo do poço” como ele disse acima, como também a reforma da previdência neste contexto é só um “pulinho no fundo do poço” e não o Santo Graal que ele prometeu.

        Quando chegar neste ponto, ele já tem os bodes expiatórios prontos, que serão no mínimo o atraso e a desidratação da reforma da previdência e no máximo, estes fatores mais as explosões mais visíveis de bolhas no Exterior e Brasil.

        A conferir…

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • CA 15 de maio de 2019 at 05:32

        Ah sim, complementando com outra parte do CHOQUE DE REALIDADE, seguido por uma HIPOCRISIA sem tamanho:

        https://oglobo.globo.com/economia/analise-guedes-divide-com-congresso-responsabilidade-de-reativar-economia-23665432

        Trechos do link acima com falas de Guedes:

        “As pessoas dizem: ‘Ah, mas a economia não está respondendo’. Respondendo a quê? O que fizemos para ela crescer? Não aprovamos nada. Não fizemos nada. Como ela vai sair crescendo? Só na base da saliva, da expectativa, do sonho? – disse ele”, acrescentando ainda:

        – Isso já foi tentado outras vezes. Funciona durante um certo tempo e ali na frente colapsa tudo. Não vamos fazer isso. Não vamos vender falsas esperanças.”

        Na primeira parte ele reconheceu finalmente o ÓBVIO sobre o qual sempre falei: se NADA foi feito, não poderiam se esperar resultados.

        Na segunda, foi o maior show de HIPOCRISIA que já vi até hoje vindo de um ministro da economia:

        Quer dizer que o mesmo cara que falou sobre retorno de mais de R$ 4 TRILHÕES (mais de 60% do PIB) só em 4 ações, falou sobre 8 MILHÕES de empregos a serem gerados e SELIC a 2% , bem como PIB de 2,9% neste ano e tudo só pela Reforma da Previdência, agora está dizendo que não vai vender FALSAS esperanças?!?!?!

        Ele já bateu todos os recordes do mundo de FALSAS esperanças!

        11+
        • avatar
        • avatar
  • Карлос, красный лак 14 de maio de 2019 at 19:20

    Walmart indo cada vez mais para o ecommerce, como dizem os gringos: It may leave a mark….
    O alvo é a Amazon mas os outros competidores é que provavelmente vão tomar no toba.

    Walmart to roll out next-day delivery for no fee on eligible orders

    https://www.marketwatch.com/story/walmart-to-roll-out-next-day-delivery-for-no-fee-on-eligible-orders-2019-05-14

    4+
    • avatar
  • Карлос, красный лак 14 de maio de 2019 at 21:26

    tmarabo

    aí não, a família é essencial em uma sociedade. se não for na família, vão se aprender valores onde? na escola? o governo vai nos dizer? ou vai ser no meio da rua???
    aí parece os esquerdistas coletivistas (pleonasmo) que querem tirar as crianças da família cedo para evitar “má influência”.

    3+
    • avatar

    Deixa eu ver…
    Onde este pessoal do funk aprendeu seus “valores”?
    Onde esta orda de nem nem aprenderam seus “valores”?
    Onde os políticos picaretas aprenderam seus “valores”?
    Onde os primeiros filhos aprenderam seus “valores”?

    Desde quando as pessoas só aprendem valores com suas famílias?
    Ou melhor ainda, desde quando as famílias só ensinam bons “valores”?

    Turma TFP, melhor econtraram razões melhores, eu até concordo que uma família FUNCIONAL seja um requisito para se mais chances dos filhos serem boas pessoas e terem sucesso na vida nada na história indica que seja primordial para que alguem tenha valores, a história está cheia de casos, ou nas ruas, ou em nossas próprias famílias e nas de conhecidos.

    8+
    • avatar
    • Adriana 15 de maio de 2019 at 10:38

      Cresci na periferia. Difícil encontrar família estruturada e com valores. Muitas vezes, está lá o pai e a mãe mas são duas pessoas tortas que nunca sentem o peso da responsabilidade que é educar uma pessoa. Você se cria sozinho, praticamente.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • tmarabo 15 de maio de 2019 at 10:56

      as famílias estão desestruturadas, de fato. isto prova que família é ruim??? qual então o remédio? acabar com as famílias e coletivizar a criação das crianças???
      ou a escola suprirá os valores que a família desestruturada não consegue passar?? talvez o partidão.
      é cada jumentice que eu tenho que ler….

      7+
      • Adriana 15 de maio de 2019 at 11:53

        Jumentice?

        Não se preocupe, colega!

        Escolas, Governos, Igrejas, Psicólogas… ninguém vai dar conta de consertar do portão pra fora de casa aquilo que está estragado do portão pra dentro.

        Como eu sempre falo… a mãe que tá criando filho achando que depois “o mundo ensina” vai ver o seu querido filhinho eternamente morando com ela, na barra da calça e enchendo a casa de filho. Como a minha tia que já está criando quatro netinhos e só agora está sentindo o peso das coisas nas costas.

        A solução é as pessoas serem MADURAS, ADULTAS e RESPONSÁVEIS e pararem de abrir as pernas para o primeiro idiota que aparece pela frente.

        15+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • tmarabo 15 de maio de 2019 at 13:25

          adriana, não sei se notaste, mas estás concordando comigo.

          5+
  • Карлос, красный лак 14 de maio de 2019 at 21:35

    Responsabilidade fiscal indo pras cucuias, isto é só o começo….
    Preparem suas latinhas.

    Maia defende revisão do teto de gastos após aprovação da reforma da Previdência

    Presidente da Câmara falou sobre o tema em Nova York. Segundo ele, limites impostos pela medida, somados ao baixo crescimento da economia, podem levar Brasil a ‘colapso social’.
    “A gente sabe que ela [reforma da Previdência] é uma agenda que organiza o nosso passado pra gente poder ter tranquilidade para construir, construir o futuro. Mas o Brasil tem outros problemas muito sérios que a gente até agora não foi capaz de organizar. É claro que a PEC do teto de gastos […] a gente vai ter que pensar em uma solução para, de alguma forma, depois da Previdência ter capacidade de ampliar gasto no Brasil. Não tem muita saída”, disse o presidente da Câmara.

    https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/05/14/maia-defende-revisao-do-teto-de-gastos-apos-aprovacao-da-reforma-da-previdencia.ghtml

    10+
    • avatar
    • avatar
  • Карлос, красный лак 14 de maio de 2019 at 22:02

    OFF – Sobre a politica externa dos pupilos do astrólogo, aqueles de quatro com as calças arriados para o palhaço cor de cenoura, embora um dos filhos do mito pareça gostar 😀

    A política agressiva americana com dois países grandes produtores de petróleo como a Venezuela e o Irã poderá disparar o preço do petróleo.
    A economia brasileira não decola por sua grave crise interna.
    A subserviência do Ministério das Relações Exteriores aos interesses norte-americanos e possivel apoio aos Estados Unidos contra a Venezuela e o Irã, poderá colocar em colapso a já fragilizada economia do pais.
    Imaginem o estrago para a nossa economia com uma disparada no preço do petróleo!!??

    http://www.blogdovilla.com.br/politica-no-brasil/alertapolitica-externa-de-ernesto-araujo-pode-prejudicar-a-economia-brasileira-e-coloca-em-risco-a-seguranca-nacional

    É marcante o papel dos militares no novo governo. Focados, comedidos, têm hoje uma forte identificação com a sociedade. Como avalia isso?
    Já de início não me preocupou a presença inédita de tantos militares no governo. Ela não me pareceu, como a muitos outros observadores, representar um perigo para nossa democracia, ou ameaça de retorno aos tempos da ditadura. A realidade tem sido ainda mais surpreendente. Os generais que ocupam alguns dos postos mais importantes do governo, inclusive a Vice-Presidência, têm-se revelado fator de equilíbrio e bom senso, evitando a adoção de algumas medidas desastrosas defendidas pelo ex-capitão, sobretudo na área da política externa.

    http://diplomatizzando.blogspot.com/2019/05/j-m-de-carvalho-populismo-de-bolsonaro.html

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Ludwig_Non_Pato 15 de maio de 2019 at 02:36

    Aquela sabedoria popular de só darmos valor a alguma coisa quando estamos perdendo-a, hj mostrou sua cara aqui, no período em que não conseguimos acessar o BIB. Senti como se uma porta (ou janela!) se fechasse.
    Acostumei a passar por vários sites de notícia/jornais, amontoando informações dispersas, que aqui são comentadas com senso crítico e desapaixonadamente, acabando por permitir uma conclusão racional, uma informação enfim com VALOR, o trigo no meio do joio. Acredito que o ambiente vai ficar ainda mais sadio, sendo moderado. Estava parecendo um Big Brother, no linguajar abundante de ofensas e termos chulos, e carente de empatia. O BIB é meu pastor, e nada me iludirá. Guia-me às fontes do pensamento cristalino, ainda que eu atravesse os vales da Selic baixa, minha conta corrente transborda!
    Parabéns a todos que aqui vêm beber destas ideias, e aos que oferecem seu conhecimento aos sedentos!

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Ludwig_Non_Pato 15 de maio de 2019 at 02:55

    Em termos práticos sobre investimentos, imagino a economia caminhando rumo a uma Argentina, com volta de inflação, Selic subindo e U$ tbm, pelos vários motivos citados pelo CA e outros. Estou investindo 60% do capital em RF, através do Fundo High Estilo BB (tx. adm.=0,35%/mês e rendimento líquido=0,42%/mês), 30% do capital em Fundo Cambial BB (tx. adm=0,8%/mês e rendimento líquido variável), com parâmetros bem definidos de saídas (U$<3,60 ou U$>5,50) e o resto (10%) em especulação semanal com ações. Se o U$ cair de 3,60 ou ultrapassar 5,50, pulo pras ações. Também recebo alguns aluguéis (rendimento líquido médio=0,4%/mês), e faço pequenos contratos de mútuo (poucos meses com rendimento líquido=1,5%/mês). É uma estratégia conservadora, mas me sinto confortável com ela, e tenho certeza que conseguiria viver relativamente bem com essas fontes de renda. Vejo que muitas pessoas aqui parecem buscar uma estratégia, e pensei em colaborar com algumas ideias. No meu caso, se a inflação subir, a Selic sobe junto, mantendo um certo poder de consumo. Se o U$ disparar nesta situação, tenho lucro, e se cair, lucro com a subida da bolsa. Não imagino ficar multi-milionário, mas sem arrogância, já me desfiz do prefixo!!!

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • odorico 15 de maio de 2019 at 11:05

      Finalmente, assunto raiz no BIB, gostei da sua estratégia. Estou comprando dólar via fundo cambial todos os dias, não estou botando na latinha, mas cogitando, ainda não tracei uma estratégia de entrada e saída, pois é proteção. Tenho doletas da época do 3,27 como do 4,14… enfim o preço médio é basicamente 3,80, não quero lucrar, quero proteção. Quanto a argentina, concordo contigo, na minha opinião nunca seremos uma venezuela, mas uma argentina é muito provável, passou o ponto de volta. Vou intensificar mais aporte em doleta, ouro e euro, pois em 8 anos mando meus filhos pro intercâmbio só com passagem de ida. Como sou FdP das altas, acho que a m*rda vai demorar chegar em mim, quando chegar os rebentos já vão estar nos Eua, Can ou Aus (ou onde eles quiserem) aí é suave na nave. Hoje estou muito na renda fixa privada 50% 35% tesouro, 10% doletas e 5% ouro. Vou começar pensar em ações e multimercados,

      7+
      • avatar
      • avatar
  • Ludwig_Non_Pato 15 de maio de 2019 at 03:50

    Peraí, é mentira o que escrevi acima… Imagino ficar multi-milionário SIM, tipo a Nathalia Arcuri do Me Poupe! Talvez não tão bonitão quanto ela, mas com um dindim parecido!!!!

    7+
    • avatar
  • CA 15 de maio de 2019 at 06:00

    Mais acima foram colocados alguns exemplos de CHOQUE DE REALIDADE do governo, ou seja, fatos que já dizíamos no ano passado que aconteceriam neste primeiro e segundo trimestres, como já haviam acontecido nos 2 anos anteriores no mesmo periodo e pelos mesmos motivos, que portanto eram ÓBVIOS, mas que só depois que aconteceram e que o governo não podia negar é que ele os reconheceu.

    Também falamos sobre o show de HIPOCRISIA do Guedes dizendo que não vai vender FALSAS esperanças (kkkkk).

    Só que vale reforçar o mais preocupante de tudo:

    Eles continuam com diagnósticos de problemas completamente ERRADOS e assim, prometendo “soluções” que NÃO vão funcionar, inclusive com algumas que vão AGRAVAR as consequências negativas para economia e sociedade.

    Continuam tratando a reforma da previdência como Santo Graal, não dando prioridade na tratativa de outros itens críticos, assim como ignoram solenemente as bolhas do Exterior e do Brasil e continuam dizendo que voltar a diminuir a SELIC é parte da “solução”, bem como a persistência em apostar no aumento na concessão de crédito.

    Não faltou crédito nem juros baixo ao MCMV faixa 1 e isto só resultou em inadimplência acima de 35%!

    Não faltou crédito nem juros baixos para caminhoneiros e isto só resultou em distorções enormes em fretes, na greve do ano passado e em novas ameaças de greve neste ano!

    O super incentivo ao crédito de automóveis gerou rombo de R$ 20 BILHÕES nos bancos.

    A CEF, graças ao crédito farto e barato, é a maior proprietária de imóveis do PLANETA e isto porque ela NÃO retomou nem 20% dos imóveis de inadimplentes!

    Temos INÚMEROS ROMBOS, MAQUIAGENS e PEDALADAS no sistema financeiro e no segmento imobiliário, relacionados a crédito PODRE, euforias IRRACIONAIS com uso de crédito barato e por aí vai.

    Governos, famílias e empresas com recorde de endividamento e inadimplência graças ao que consta acima e MUITO MAIS que foi feito na mesma linha de crédito farto e barato (FIES, MCM , etc, etc, etc). A PROFUNDA DEGRADAÇÃO dos empregos é uma CONSEQUÊNCIA do que consta acima.

    E a reforma da previdência vai resolver tudo isto?

    Reduzir a SELIC e continuar disparando com o crédito PODRE vai ajudar na situação acima?

    Infelizmente vão descobrir o gigantesco erro destas apostas daqui a 1 ano e daí não adianta ficar chorando e dizendo que a culpa é SÓ da “herança maldita”, até porque, como vão explicar que os estragos foram causados por excesso de crédito PODRE e juros muito baixos para incentivar os golpes nos governos anteriores, se eles mesmos estão TURBINANDO estas ações?

    E de nada vão adiantar os bodes expiatórios de atraso e desidratação da reforma, com ou sem os efeitos de bolhas do Exterior, no final eles terão que arcar com a realidade de pulinhos no fundo do poço versus otimismo UFANISTA e por fim, agravamento da situação da economia de forma muito perceptível pela população, porque é isto que eles estão plantando…

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 15 de maio de 2019 at 08:07

      Eles lucram com a g.o.m.e , ca. E perdem poder com a ordem. Por que eles iriam querer mudar as regras do jogo? Sairao impunes mesmo…

      2+
    • Adriana 15 de maio de 2019 at 10:49

      Gente, desde que eu comecei a frequentar o blog, em 2017, tem coisas que não entram na minha cabeça.

      Paulo Guedes falar AGORA que estamos no fundo do poço. Esse senhor lê o quê? Estuda o quê? Por que se demora tanto pra essa galera começar a falar as coisas que são faladas aqui há muito tempo? O que realmente falta pra essa turma começar a falar “a nossa língua”.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • semnada7 15 de maio de 2019 at 08:12
  • Rico 15 de maio de 2019 at 08:20

    Bom dia muquiranas.
    Enxurrada de notícias ruins e protestos entre ontem a tarde e hoje.
    Poderíamos considerar a data de 15 de maio de 2019 como o fim do governo Mijair Bozonaro?

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Adriana 15 de maio de 2019 at 10:51

      Eu consideraria um alerta amarelo.

      8+
      • avatar
      • avatar
    • Superman 15 de maio de 2019 at 18:34

      Dependendo do desempenho da economia, podem querer colocá-lo para fora…. A conferir daqui para frente. O circo está montado.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Superman 15 de maio de 2019 at 18:37

        E sabemos que o desempenho não está bom….

        4+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 15 de maio de 2019 at 08:37

    ‘Prévia’ do PIB do Banco Central indica retração de 0,68% no 1º trimestre de 2019
    Se confirmado, será o primeiro tombo da economia após dois anos de expansão. Resultado oficial do PIB do 1º trimestre, porém, será divulgado pelo IBGE somente em 30 de maio. Analistas veem possibilidade de contração, e ministro Guedes diz que economia está no ‘fundo do poço’.

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 15 de maio de 2019 at 09:32

      Cajuzinha,

      Sim, economia está “no fundo do poço” e o governo, prometendo que pulinhos no fundo do poço são a solução…

      Lembrando: risco de recessão técnica se confirmada a queda do PIB no primeiro trimestre e se na revisão do IBGE referente ao último trimestre de 2018 sair de 0,1% para qualquer percentual negativo. Se confirmado este contexto, bem provável que governo libere saque de PIS / PASEP antigo e também de FGTS de inativos, a conferir.

      A esta altura, temos outro ponto que já previmos há meses por aqui que tende a se concretizar:

      Os atrasos seguidos na votação da reforma da previdência (inicialmente seria no primeiro trimestre, depois no segundo e agora o mais realista é no terceiro), irão fazer com que cada vez mais dados negativos da economia apareçam antes da votação, minando o apoio da população e por tabela do congresso. Por isto que sempre insistimos na urgência do governo para realizar logo esta votação, para que estes ESTRAGOS do mundo REAL não aparecessem antes e também, para que pudesse atuar com celeridade nas outras ações essenciais, que vão ficar por vários meses em “stand-by”, aguardando a votação da reforma da previdência, a “salvadora do país”.

      Por mais que o governo tente convencer a todos que a reforma da previdência é o Santo Graal que mais do que nunca será necessário frente à crise que se agrava, as pessoas tenderão a acreditar cada vez menos, pois a credibilidade do governo e de seus apoiadores incondicionais foi abalada em função das promessas UFANISTAS de que apenas as expectativas positivas quanto à reforma já ensejariam uma recuperação logo após as eleições.

      E lembrando que INFELIZMENTE neste contexto temos mais um circulo vicioso se confirmando e em partes via profecia auto-realizável:

      Empresários vendo os números muito piores do que o “esperado”, retraem investimentos, com isto, mais degradação dos empregos. Esta situação piora ainda mais com o aumento de endividamento via otimismo UFANISTA plantado desde o final do ano passado, tanto para empresas quanto para consumidores, destruindo chances concretas de recuperação sustentável.

      E todos esperando por um MILAGRE de recuperação que viria intenso e logo depois da reforma da previdência e que não acontecerá, isto que é o pior…

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 15 de maio de 2019 at 08:38

    Embraer tem prejuízo de R$ 160 milhões no 1º trimestre
    Empresa entregou no 1º trimestre 22 aeronaves, número abaixo das 25 entregues no mesmo período do ano passado.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 15 de maio de 2019 at 09:08

    BC: ‘Prévia’ do PIB cai 0,28% em março; em 12 meses, cresce 1,05% Do UOL, em São Paulo 15/05/2019 08h38

    Veja mais em https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2019/05/15/previa-do-pib-marco-ibc-br-bc.htm?cmpid=copiaecola

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 15 de maio de 2019 at 09:09

      O IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), considerado uma
      “prévia” informal do PIB (Produto Interno Bruto), ficou negativo em 0,28% em
      março, na comparação com fevereiro, informou o Banco Central. Na
      comparação com março do ano passado, o índice teve queda de 2,52% e, no
      acumulado de 12 meses, registrou crescimento de 1,05%.
      No primeiro trimestre do ano, a alta foi de 0,23% em relação ao mesmo período
      de 2018. Quando comparado ao último trimestre do ano passado, houve baixa
      de 0,68%.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 15 de maio de 2019 at 09:20

    O UBER DOS EMPRÉSTIMOS – ganhando 25% ao ano.

    https://www.youtube.com/watch?v=0ojvp3DOaMY

    6+
    • avatar
    • DouglasteR 15 de maio de 2019 at 09:33

      Revirei o site inteiro e não achei a % dos calotes.
      Site só mostra LUCRO LUCRO LUCRO e não tem absolutamente nada do risco.
      Entao…………………………………..

      5+
      • odorico 15 de maio de 2019 at 11:13

        Eu estou na IOUU, Kavod, nexoos e tutu digital, mas até agora botei 1mil na iouu em 2 emprestimos, Até agora estão em dia, mas são apenas 2 parcelas de 24 de cada. Estou avaliando o negócio. Mas realmente, é arriscado, nõa colocarei mais do que 5% (70 mil) do meu capital num negócio desse, e pulverizaria em umas 100 empresas….

        5+
        • avatar
        • avatar
  • Alemon Fritz 15 de maio de 2019 at 09:24

    ‘Novo’ Minha Casa prevê uso de terrenos públicos e PPPs

    …terá a doação de terrenos da União nas regiões mais centrais das cidades e ao financiamento do incorporador do projeto pelo FGTS, além de permitir que no mesmo empreendimento haja unidades comerciais e de serviços. Potos turisticos, parques e serviços unidos.
    a ideia é financiar o empreendedor, que será o gestor de todo o empreendimento. kkkkkk

    Hoje, somente na União existem cerca de 700 mil imóveis mapeados.
    valor

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 15 de maio de 2019 at 09:48

      -Secretaria apresenta plano para venda de imóveis da União a investidores…
      Defesa – Agência de Notícias (liberação de imprensa)-13 horas atrás
      A União possui atualmente 743.322 imóveis.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 15 de maio de 2019 at 10:00

        -União tem 18 mil imóveis desocupados
        Estadão-20 de mar de 2017

        somem 40mil na caixa, 2milhoes pra alugar, 800mil lotes e casas abandonadas, 300mil novos, e 6milhoes de uso ocasional. é uma gome

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • socrates 15 de maio de 2019 at 10:58

      interessante.
      O terreno é do estado, logo, pouco importa o valor do terreno já que não há ocupação efetiva mesmo.
      E como o estado não precisa obedecer às “regras de mercado” , pode-se fugir do oligopólio e “retornar às origens”.

      Quanto custa a efetiva construção de um prédio em uma área , independente do valor do terreno?

      Nesses casos o estado pode licitar por um mix de MENOR PREÇO AO CONSUMIDOR FINAL x QUALIDADE/ESTETICA do empreendimento.
      Estabelece-se um preço máximo para os imóveis (ex: 250k para um dois quartos – o preço já é absurdo, concordo; encontra-se por menos de 150k em diversas regioes) e quem oferecer o melhor por esse preço final ao usuário (incluindo despesas de demolição), vence. Projeto bem executado e sem xoxotecas = menor condominio possivel.

      Lucro certo para o construtor e que derrubaria o preço em regiões bolhudas.

      Lógico que para efetivamente ser útil à sociedade, a venda só seria permitida , em um primeiro momento, para quem residisse ou trabalhasse naquela região e não possuisse imóvel em seu nome (CPF). Ou seja, para quem não tem imóvel e quer sair do aluguel.

      E mais: sairia MUITO MAIS BARATO que o MCMV e seus subsidios estilo FIES.

      5+
      • avatar
      • avatar
  • Карлос, красный лак 15 de maio de 2019 at 09:45

    Governo quer mais recursos do FGTS para fechar conta do Minha Casa Minha Vida

    Sem dinheiro, gestão Bolsonaro estuda reduzir participação no subsídio de 10% para 3%

    Sem dinheiro para manter o Minha Casa Minha Vida, o governo estuda reduzir de 10% para 3% sua participação no subsídio das faixas mais elevadas do programa federal.
    Recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) seriam usados para repor a diferença.
    A diminuição da participação governamental seria uma forma de destravar o programa e permitir novas contratações.
    No fim de abril, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, anunciou que o governo só teria recursos até junho para o Minha Casa Minha Vida.
    Segundo o SindusCon-SP (sindicato da indústria da construção), a intenção foi confirmada pelo secretário da Habitação Nacional, Celso Matsuda, em reunião com dirigentes do sindicato na quinta-feira (9).
    A redução da participação se daria nas faixas 1,5 e 2 do Minha Casa Minha Vida.
    Pelas regras em vigor, os subsídios vão até R$ 47,5 mil nos imóveis na faixa 1,5, para famílias com renda até R$ 2.600, e até R$ 29 mil na faixa 2, para as que têm renda até R$ 4.000.
    Na faixa 3, famílias com renda até R$ 9.000 contam com taxas de juros menores que as praticadas em financiamentos com recursos da poupança, o chamado SBPE, e pelo mercado imobiliário.
    Os subsídios nas faixas 1,5 e 2 vêm do orçamento do FGTS (90%) e do Tesouro Nacional (10%). É a fatia do Tesouro que seria reduzida de 10% para 3%.
    O objetivo é que a diminuição da fatia ajude a ampliar o número de contratações: com menos necessidade de aporte do governo, mais famílias poderiam ser atendidas no Minha Casa Minha Vida.
    Segundo Ronaldo Cury, vice-presidente de habitação do SindusCon-SP, o governo tenta destravar o programa.
    Ele afirma que os 7% restantes devem ser cobertos com dinheiro do lucro do FGTS, cuja metade é distribuída proporcionalmente aos trabalhadores desde 2018.
    Em 2017, último dado disponível, o lucro do fundo totalizou R$ 12,5 bilhões.

    Na prática, o fundo passaria a bancar 97% dos subsídios das faixas em que atua.

    https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/05/governo-quer-mais-recursos-do-fgts-para-fechar-conta-do-minha-casa-minha-vida.shtml

    3+
    • avatar
    • Карлос, красный лак 15 de maio de 2019 at 09:47

      Agora fiquei mais tranquilo, SQN

      Ele ressalta, porém, que o dinheiro do FGTS é limitado.

      “Precisamos ter muita responsabilidade sobre a forma de utilização desses recursos, porque não podemos exaurir o fundo, que é o grande patrocinador do programa”, diz Luna.

      “Para salvar 2019 e não haver interrupção, entendemos que é uma solução inteligente e satisfatória. Com a reforma da Previdência aprovada e a União reequilibrando suas contas, é preciso, sim, que o governo volte a fazer mais parte do Minha Casa Minha Vida”, afirma.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 15 de maio de 2019 at 10:29

        Pois é, uma das expectativas da galera acima é que depois da reforma da previdência o governo possa retomar maior participação no MCMV e assim, demonstrando ser um governo “liberal” mais uma vez, volte a mergulhar de cabeça no programa recordista em subsídios altamente destrutivos para economia e sociedade.

        Acho que com esta notícia, a esperança daqueles que tem FGTS de que o governo poderia liberar o FGTS para tentar um “pulinho no fundo do poço” e estimular a economia por este canal, já é algo no mínimo improvável. O governo está fazendo a mesma escolha de sempre, privilegiar os parceiros dos crimes e que se dane o país. Triste que no final, entre outras coisas, vão acabar DESTRUINDO de vez o FGTS, pelo conjunto de fatores abaixo:

        1) Constantes aumentos de participação do FGTS para o MCMV ao longo de governos Petistas e Pós-Petistas copiadores de Lula / Dilma (inclusive o atual);

        2) MCMV com inadimplência ANORMAL, acima de outras linhas de crédito, como sempre acontece com crédito SUBSIDIADO;

        3) A CEF aplicou INÚMEROS crimes financeiros com uso de FI FGTS em governos anteriores;

        4) O MCMV tem CENTENAS de processos na justiça por diversos crimes e irregularidades;

        5) A PROFUNDA DEGRADAÇÃO dos empregos compromete de forma contínua o volume de depósitos para o FGTS;

        6) A liberação do FGTS para inativos também consumiu uma parcela do FGTS em 2017;

        7) Governos LIMITADOS e que FOGEM COVARDEMENTE de combater a causa RAIZ dos problemas, como o atual, sempre vão procurar novas formas de DESTRUIR com o FGTS buscando “pulinhos no fundo do poço” e isto incluirá ir até as últimas consequências para tentarem salvar os parceiros de crime do segmento imobiliário.

        7+
        • avatar
        • avatar
    • Карлос, красный лак 15 de maio de 2019 at 09:48

      Mas é muita cara de pau mesmo.

      A redução da participação do governo não é vista com bons olhos por todos do setor.

      Para o presidente da Cbic (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), José Carlos Martins, a redução é “totalmente despropositada”.
      “Eu não acredito que alguém tenha coragem de fazer uma coisa dessas. É um absurdo o governo entrar só com 10% e jogar 90% para o FGTS. É melhor colocar 100% de subsídio do fundo de garantia”, criticou.
      “Já foi 25%, caiu para 17%, caiu para 3%. O governo que diga que não está fazendo Minha Casa Minha Vida e tire a placa dele da obra.”

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 15 de maio de 2019 at 10:16

        O governo está comprometendo a reserva financeira dos trabalhadores em percentual cada vez mais alto para o segmento imobiliário poder PEDALAR com os preços completamente FORA DOS FUNDAMENTOS e nem assim os cúmplices dele reconhecem o esforço? Quanta ingratidão…

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • CA 15 de maio de 2019 at 10:14

      Pois é, temos um governo “liberal” que está fazendo novas PEDALADAS e GAMBIARRAS para manter e depois poder expandir o maior e mais danoso programa de SUBSÍDIOS do país.

      É DE NOVO, um show de HIPOCRISIA, juntar a palavra “liberal” e o texto “aumento a subsídios” na mesma frase, mas não difere nada do que este governo tem feito desde o começo, ou seja, apenas MAIS DO MESMO.

      Estas ações para sustentar e depois expandir o MCMV combina com o novo crédito consignado para aposentados já criado via banco PÚBLICO (CEF), com o novo crédito de 100% para caminhões via banco PÚBLICO (CEF), com o novo crédito para caminhoneiros fazerem manutenção em seus veículos via banco PÚBLICO (BNDES), com o novo “simples de crédito” que o governo criou para impulsionar a tomada de empréstimos pelas micro-empresas, com a promessa do presidente da CEF de DOBRAR o crédito imobiliário via banco PÚBLICO (CEF) e fazer com que a CEF volte a ser a número 1 nos empréstimos imobiliário, superando todos os bancos privados.

      O que consta no parágrafo anterior combina perfeitamente com a política heterodoxa desenvolvimentista da dupla Lula / Dilma praticada por mais de uma DÉCADA, assim como combina com os INÚMEROS estragos trazidos à economia e sociedade por estas políticas, combina com o fato de Guedes ter sido o presidente do Conselho da PDG, a empresa mais SUJA do mundo no segmento de construção civil leve, combina com ele ter fundado a BTG que se envolveu em inúmeros cambalachos com CEF e PDG, só não combina com um governo que se dizia “liberal”, isto sim foi uma piada de mau gosto…

      E de novo, está acontecendo exatamente como já previmos desde o segundo semestre do ano passado, quando vimos que o super-ministro da economia tinha inúmeros relacionamentos ESPÚRIOS com o segmento imobiliário: vão tentar a todo custo salvarem os cúmplices deles, mas já sabemos também o fim desta história, eles irão morrer juntos no abraço dos afogados! Para TENTAREM salvar o segmento imobiliário e seus CÚMPLICES (o que obviamente não vão conseguir), vão destruir ainda mais a economia e a si mesmos. Pelo menos imagino que ninguém vai insistir em dizer por aqui depois que o governo foi “injustiçado” e não mereceu a consequência de tudo que está plantando, mas vai saber, tem muita gente SEM-NOÇÃO por aí…

      8+
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 15 de maio de 2019 at 10:06

    só pra lembrar
    -Brasil tem 6,9 milhões de famílias sem casa e 6 milhões de imóveis vazios, diz urbanista.
    UOL-7 de mai de 2018

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 15 de maio de 2019 at 11:40

      Conclusão de corvo: déficit habitacional de 900 mil imóveis.
      Partiu construir! Lançamentos na planta à vista!

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Adriana 15 de maio de 2019 at 10:30

    Chegamos ao ápice da financeirização?
    FT: As empresas cujo foco nos mercados é maior do que o na economia real vão começar a sofrer uma queda nos retornos.
    https://www.valor.com.br/video/6036717560001/chegamos-ao-apice-da-financeirizacao

    Vídeo curtinho (1min58seg)

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • rogerio 15 de maio de 2019 at 11:10

      Se deram conta que este dinheiro todo não existe. Mas esse movimento vem desde 2012 eu acho, quando a demanda por reservas em ouro dispararam.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • socrates 15 de maio de 2019 at 13:58

        eles sempre souberam disso.
        A diferença é que agora nós sabemos também.
        Mas a crasse C , a Africa , bilhões de indianos e chineses nem desconfiam…
        Ainda vejo mais espaço para pedaladas no ar

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • CA 15 de maio de 2019 at 10:42

      Dr. Estranho,

      Não, isto só acontecerá se o IBGE revisar o PIB do último trimestre de 2018 que ficou em 0,1% para algum percentual negativo E se o número oficial do IBGE para o primeiro trimestre de 2019 confirmar a PREVISÃO de vir negativo. Por enquanto, apenas o IBC-Br que é índice EXTRA-OFICIAL usado pelo BC que apontou queda no primeiro trimestre.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • antifragile 15 de maio de 2019 at 11:04

    CVR Minha Casa Me Fodi

    Fulana compra casa de Beltrana, pelo valor simbólico de R$ 10.000,00.

    Por que tão barato? É uma casa do Minha Casa, Minha Vida, num bairro distante, conhecido por, literalmente, ter um dos maiores aterros sanitários do estado.

    Nem preciso mencionar que as casas também são um lixo. Começando pela vizinhança grosseira e mal-educada.

    Após a transação, a vendedora se arrepende e registra um Boletim de Ocorrência contra a compradora, alegando que foi expulsa da própria residência.

    A justiça expede mandado de reintegração de posse.

    Revoltada com a decisão da justiça, a compradora manda cartas a vários políticos, pedindo que intercedam por ela.

    Um desses políticos responde. Dizia mais ou menos assim:

    “A Lei nº 11.977/2009 esclarece que os imóveis do MCMV não podem ser vendidos, alugados, cedidos ou alugados, então o que a senhora fez foi errado e pode gentilmente ir se foder”.

    “Ah, também vamos mandar sua mensagem pra polícia pra averiguarem as responsabilidades”.

    Segundo assessores desse político, este já o quarto caso envolvendo esse mesmo tipo de maracutaia.

    Agora multiplica isso pro Brasil inteiro…

    28+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Rico 15 de maio de 2019 at 11:15

      Nada, segundo alguns membros aqui é só fazer contrato de gaveta que está tudo certo. é fato consolidado.

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 15 de maio de 2019 at 11:27

      antifragile,

      O MCMV é um verdadeiro CÂNCER para economia e sociedade como um todo:

      1) MCMV Faixa 1: tiram as pessoas das favelas. Antes não pagavam luz, condomínio, etc, moravam perto de onde trabalhavam, etc. Ao irem para o MCMV faixa 1, isto gera super-inadimplência nas parcelas SUPER-SUBSIDIADAS (> 35% de inadimplência), no condomínio, na luz, etc, sem contar que passam a morar em lugar muito mais distante de tudo, com péssima qualidade de construção e com péssima infraestrutura no bairro;

      2) MCMV demais faixas: inadimplência também anormal, se bem que não tanto como faixa 1, com mesmos problemas quanto à péssima qualidade e localização dos imóveis, bem como falta de infraestrutura nos bairros onde ficam. Para piorar, as pessoas ficam presas a estes financiamentos por DÉCADAS, pagando pelos imóveis MUITO MAIS do que eles valem;

      3) CENTENAS de casos de corrupção com o MCMV em todo o país. Desde agentes corruptos da CEF, do MTST, de governos, etc, etc, etc;

      4) INÚMEROS casos de invasão do MCMV por traficantes em todo o país. Eles simplesmente se apossam dos imóveis e ficam morando neles;

      5) IRREGULARIDADES à rodo, como no exemplo que você mencionou: compra para alugar, compra e revende com contrato de gaveta, compra como “investimento” esperando “valorizar” e vender para terceiros, etc;

      6) Graças ao conjunto acima, o FGTS tem que ser mantido com uma remuneração PÍFIA, significando PREJUÍZO para todos os trabalhadores que atuam em regime de CLT, tudo isto para garantir que os juros do MCMV fique o menor possível e assim permita que as construtoras pratiquem preços completamente FORA DOS FUNDAMENTOS;

      7) O MCMV foi o maior impulsionador dado pelo governo para a bolha imobiliária que temos e que é a causa RAIZ de todos os maiores estragos que vemos hoje na economia. Além de distorções PROFUNDAS entre preço do imóvel e renda, entre oferta e procura, inúmeras construtoras QUEBRADAS, SÉRIOS problemas de LIQUIDEZ para bancos, ele também está por trás de grande parte do super-endividamento e crescimento ANORMAL da inadimplência, bem como da PROFUNDA DEGRADAÇÃO dos empregos, dentre outros ESTRAGOS GRAVES.

      Acima, como sempre, apenas AMOSTRAS.

      Mas não se preocupe, o “novo” governo já prometeu DOBRAR A META de Lula e Dilma novamente: para garantirem verba para a continuidade do MCMV, repetindo o que o Lula e Dilma faziam, eles vão aumentar o percentual do FGTS (ajudando a DILAPIDAR a reserva dos trabalhadores ainda mais), uma vez que o governo está QUEBRADO, mas quer salvar a qualquer custo (COM NOSSO DINHEIRO) seus CÚMPLICES do segmento imobiliário. E depois da reforma da previdência, prometem que o governo poderá voltar a aumentar sua participação para que o MCMV se torne ainda maior. Isto é o que alguns aqui chamam de “governo liberal”, mas como sabemos, está muito mais para um governo envolvido em LIBERTINAGENS com o setor imobiliário até o pescoço…

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 15 de maio de 2019 at 11:37

        Só para não ficar dúvida, quanto ao último parágrafo: “eles vão aumentar participação do FGTS UTILIZADO NO MCMV…”

        6+
        • avatar
        • avatar
  • Dr. Estranho 15 de maio de 2019 at 11:05

    Entendi.

    3+
    • avatar
  • Cajuzinha 15 de maio de 2019 at 11:29

    Ibovespa perde os 91 mil pontos com crise no governo e pressão do exterior; dólar vai a R$ 4,01
    Mercado reage mal a confusão do governo diante das primeiras manifestações massivas contra Bolsonaro

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lula o papai dos lacradores 15 de maio de 2019 at 11:50

      bem dito CAmarada. Investiotarios levando sua grana para o estrangeiro, porque não aguentam o governo PELO EXEMPLO AQUI NA BIB247 todos somos socialistas, fingimos de liberteens, na verdade desejamos HADDAD governando

      2+
      • Adriana 15 de maio de 2019 at 11:58

        Esse cara é o Indiobolhista?

        23+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Antigo 15 de maio de 2019 at 13:47

          É

          8+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Flyn 15 de maio de 2019 at 20:37

          Sim, é ele mesmo, o chupa-pau açu.

          4+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • CA 15 de maio de 2019 at 11:53

      Cajuzinha,

      Segue link que fala a respeito:

      https://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/8314028/ibovespa-cai-com-crise-no-governo-e-pressao-das-bolsas-no-exterior-dolar-sobe

      O único ponto interessante na notícia acima, é que falam que o governo estuda um outro programa para substituir o MCMV, onde inclusive poderiam aproveitar parte da infinidade de terrenos e prédios que o governo já possui. Em tese tal programa será divulgado em julho/2019. O difícil é acreditar que este governo poderia fazer algo que viesse a prejudicar as construtoras, que hoje dependem excessivamente do MCMV e do crédito subsidiado via FGTS para manterem seus preços fora dos fundamentos, mas vamos aguardar…

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • socrates 15 de maio de 2019 at 14:07

        o governo nao precisa gastar nem um centavo e pode jogar os preços no chão, se quiser.
        Ao inves do mercado “pagar pelos terrenos”, o governo pode licitar as áreas , cedendo os espaços para construções adequadas ao perfil que bem definir.

        Exemplo: Prédios com aps de 2 quartos, com qualidade e material superiores, a preços máximos de R$250k. Quem oferecer a melhor proposta de construção, leva. O governo não vai gastar e ainda vai deixar de pagar por terrenos inocupados. Em uma primeira etapa, apenas os moradores da propria regiao ou quem trabalha formalmente por ali poderia comprar. E isso se não tiver outro imóvel próprio (CPF).

        Os imoveis podem ser bem mais baratos que 250k (o preço é um chute). Como a intenção seria viabilizar novos moradores permanentes, nos projetos, os custos de manutenção (condominio) deveriam ser planejados para serem os menores possiveis.

        Em suma: governo se livra de bombas e seus custos, reduz a deisgualdade acabando com a concentração de renda oriunda de alugueis, e aquece as economias locais pois a renda que nao sera mais gasta em alugueis ira circular majoritariamente na propria região.

        Vender terreno para quÊ, Paulo Guedes???????????????????????????

        Quem gasta mal dinheiro, NAO PRECISA DE $$$$

        2+
      • Superman 15 de maio de 2019 at 15:28

        Aviso: Devido à forte volatilidade nas taxas de juros dos títulos públicos, informamos que o Tesouro Direto está temporariamente suspenso. Assim que a situação for normalizada, o sistema será reaberto para negociação.

        Parece que hoje está tenso… fui investir no Tesouro deu nisso….

        3+
    • Cesar_DF 15 de maio de 2019 at 12:11

      Vivi para ver socialistas lutando para colocar um general libertarianista minárquico como presidente da república ! kkkkkkk

      8+
      • avatar
      • Cesar_DF 15 de maio de 2019 at 12:17

        7+
        • avatar
  • odorico 15 de maio de 2019 at 11:36

    Alguém se dispõe a fazer um vídeo ou powerpoint (apontando para o lula kkkk) de como o MCMV acabou com o Brasil. o MCMV foi a raiz de tudo, a partir de dele se concebeu o PAC e outras pérolas como a parte de energia de intervenção estatal na economia que destruíram o mercado e estamos pagando hoje…. ser é que vamos pagar….

    9+
    • avatar
    • Minino do TI 15 de maio de 2019 at 11:57

      Já tive vontade de fazer algo assim. Porém, uma coisa é postar aqui, em um cantinho da internet. Outra é viralizar algo do tipo, e gente poderosa se doer.
      Pode ser só paranoia, mas… enfim.

      7+
    • Cesar_DF 15 de maio de 2019 at 12:05

      odorico
      De acordo com o CENSO do IBGE, em 2000 cerca de 15% dos imóveis residenciais estava vagos, percentual que caiu para 10% em 2010 (cerca de 6 milhões de imóveis vagos fora os 4 milhões de imóveis de veraneio)
      O que motivou o MCMV foi o famoso “deficit habitacional”, algo que não existir, pois sempre existiu um superavit habitacional.
      O que sempre existiu foi um deficit habitacional específico das classes D e E, que eram supridas durante o governo militar pelos “mutirões da construção”, onde o governo municipal entrava com o terreno, o estadual com a infraestrutura e engenheiros, o federal com o material de construção e as próprias pessoas com a mão de obra.
      Estes agora que recebem esses MCMV, mesmo pagando R$ 100 por mês durante 35 anos pelo financiamento imobiliário, não dão conta porque nem tem o dinheiro para pagar as taxas de condomínio (mas para pagar a pinga e o cigarro tem sim)

      https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/urbanismo/noticias/?p=190758
      http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2010-12-11/numero-de-casas-vazias-supera-deficit-habitacional-brasileiro-indica-censo-2010

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • maker 15 de maio de 2019 at 13:16

      A melhor hipótese é que o que alavancou e posteriormente acabou com o Brasil não tem nada a ver com partidos, é muito mais provável que a subida e declínio esteja ligado ao preço das commodities.

      Se você pesquisar no google por ‘index mundi commodity price charts’, vai ver que o gráfico praticamente conta a história recente do Brasil, explosão a partir de 2007 e que abrupta a partir de 2014.

      Ou seja, é bem provável que o Brasil decolaria a partir de 2005 até se fosse o Tiririca na presidência e quebraria também de qualquer jeito não importa quem estivera no comando.

      9+
      • avatar
      • CA 15 de maio de 2019 at 13:49

        maker,

        Você está falando do Brasil, o país que está entre os 6 países do mundo que tem a MENOR participação das exportações no PIB e que disparou porque não dependia NADA das exportações para crescer e depois caiu porque não dependia NADA das exportações para cair?

        Sério mesmo?

        Você não deve saber e nunca leu antes aqui no blog, mas o setor de construção civil foi chamado de “o motor dos empregos” pela Bain Company quando ele cresceu o DOBRO dos outros segmentos na geração de empregos formais (CAGED) no inflar da bolha imobiliária brasileira, em especial no período entre 2007 e 2009 e depois, a partir de 2012 começou a desacelerar FORTEMENTE, sendo que em 2014 foi o primeiro setor a puxar o DESEMPREGO (por acaso caíram as exportações de imóveis e obras de infraestrutura como commodities a partir deste ano? rs)

        Você não deve saber e nunca leu antes aqui no blog, mas o crédito imobiliário com verba da poupança cresceu mais de 40 VEZES em período de 10 anos durante o inflar da bolha imobiliária brasileira e em TODOS os países que passaram por bolha e tiveram crescimento ANORMAL no crédito imobiliário, sempre foi em troca de ESTRANGULAR os gastos dos consumidores, gerando super-endividamento e inadimplência ANORMAL, exatamente como tivemos aqui. Aliás, foi exatamente nestes 10 anos que a inadimplência teve um crescimento absurdamente ANORMAL e que começamos a ter uma desaceleração do consumo que depois se transformou em queda, o que foi outro fortíssimo estimulador para a DEGRADAÇÃO dos empregos.

        Você não deve saber e nunca leu antes aqui no blog, mas depois que tivemos o rendimento com aluguéis de imóveis comerciais TRIPLICANDO em poucos anos, algum tempo depois tivemos o recorde de lojas fechando, onde um dos fatores-chave foi exatamente o preço absurdo dos aluguéis comerciais, o que por sinal aconteceu em todas as bolhas imobiliárias do mundo.

        Você não deve saber, mas a disparada nos gastos públicos do governo a partir de 2012 ocorreu exatamente porque este ano foi o pior de todos os tempos para construção civil (até então), com quedas no agregado das construtoras de 40% em lançamentos, 30% no faturamento, 20% em vendas, prejuízos BILIONÁRIOS, 5 construtoras enter as mais endividas da BOVESPA na proporção DL/PL, DISTRATOS que mais do que DOBRARAM e na casa dos BILHÕES de Reais, dentre outras evidências da destruição causada pela Bolha Imobiliária e foi exatamente por isto que a Dilma DISPAROU nas PEDALADAS que nos trouxeram mais cedo para este absurdo déficit fiscal (junto com apoio do BNDES aos amigos do Rei e outros eventos paralelos).

        Sim, a EUFORIA IRRACIONAL com os BRICS, com o boom das commodities e outros, direta e indiretamente AJUDARAM para tudo que consta acima, mas estão muito longe de serem a causa principal. A bolha das bolhas americana, que está por trás desta euforia global (US$ 85 BILHÕES despejados por mês pelos EUA a partir de 2009 para mascarar os efeitos da bolha imobiliária americana), também levou a uma cotação do dólar e juros menores em todo o globo, o que ajudou nesta FARRA, mas quando começou a ser retirado o QE de dezenas de bilhões de dólares por mês a partir de 2014, começamos a sentir os efeitos INVERSOS da farra, o que podemos chamar de UTI após a overdose durante a festa. E os países que mais se utilizaram destes recursos produzindo suas próprias BOLHAS, como o Brasil, por exemplo, são os que mais sentem o efeito da CATÁSTROFE.

        Sobre o que consta acima e muito mais, segue DESENHADO no link abaixo:

        https://defendaseudinheiro.com.br/a-bolha-imobiliaria-no-brasil-e-a-economia

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • maker 15 de maio de 2019 at 14:06

          Ok mas tudo isso que vc falou não invalida a hipótese da crise estar atrelada diretamente ao preço das commodities. Inclusive ela só confirma ainda mais a hipótese.

          De onde veio todo o dinheiro usado para crédito imobiliário e para bombar o mercado imobiliário em geral? O dinheiro pode muito bem ter vindo de todo o lucro que a alta das commodities proporcionou. O governo se viu diante de um mar de dinheiro e resolveu direcionar boa parte para o setor de construção civil.

          4+
          • CA 15 de maio de 2019 at 14:27

            maker,

            Você não deve ter lido o que escrevi acima: o Brasil é o sexto país do mundo com a MENOR participação de exportações em relação ao PIB. Como poderia o CRESCIMENTO destas exportações ser o suficiente para subsidiar algo infinitamente MAIOR como foi nossa bolha imobiliária??? Não tem NENHUMA LÓGICA!

            O que subsidiou este crescimento do segmento imobiliário foi o seguinte conjunto de fatores:

            1) IPO de 13 construtoras do segmento leve (residencial) e outras 8 do segmento pesado (infraestrutura) apenas no período de 2005 a 2007, sendo capturados DEZENAS DE BILHÕES de Reais junto à investidores internacionais e nacionais, inclusive alguns que já eram conhecidos como “pais” das bolhas imobiliárias em seus países, como Sam Zell dos EUA que entrou na Gafisa em 2005 e Enrique Bañuelos da Espanha que entrou na PDG em 2007. Naquela época, bolhas prestes a explodirem nos EUA e na Espanha (na realidade, explosão já havia se iniciado, só não era divulgada), estes e outros MEGA-INVESTIDORES vieram criar outra bolha imobiliária no Brasil. Este foi o “capital de início do GOLPE”.

            2) A partir do que consta acima, de 2008 em diante (2007 compraram terrenos com dinheiro do IPO), as construtoras tiveram crescimento EXPONENCIAL nos lançamentos e nas vendas na planta, com altos volumes de vendas FALSAS, para SIMULAR um crescimento excepcional.

            3) A partir de 2009 o governo federal lançou o MCMV, inflado por um crédito “fácil” via CEF, que depois se transformou em inadimplência ANORMAL, como em toda bolha imobiliária. Este preço do MCMV passou a ser o “piso” do preço dos imóveis, inflando avaliação de todos os demais. Naquela época, aproveita-se dos juros mais baixos internacionalmente e do dólar mais baixo, como explicado acima. Disparada dos commodities globalmente foi mais outra CONSEQUÊNCIA do que causa, porque no caso do Brasil foi apenas ACESSÓRIA.

            4) O crescimento EXPONENCIAL do crédito imobiliário se multiplicar por 40 contou também com o mesmo crédito PODRE via CEF para “facilitar” a disparada nos financiamentos imobiliários, junto com prazo de financiamento que passou de 10 para 35 ANOS, ou seja, cabiam nas parcelinhas mensais, valores muito maiores, logo os preços podiam crescer de forma ANORMAL também, como aconteceu e daí os bancos repassavam os novos valores sempre maiores dos imóveis para as construtoras via financiamentos, retroalimentando a grana necessária para continuarem PEDALANDO com os esquemas;

            5) Foi o conjunto acima que fez com que o preço dos imóveis crescesse o TRIPLO do que cresceu a renda das famílias no período de 10 anos. O endividamento das famílias em proporção à sua renda simplesmente SEXTUPLICOU neste mesmo período. Este crescimento METEÓRICO e ANORMAL nos preços dos imóveis é que retroalimentou todo o esquema acima irrigando o caixa das construtoras, fosse com as dezenas de milhares de Reais que o governo repassava via SUBSÍDIOS ao MCMV, fosse pelo que recebiam dos clientes e principalmente dos bancos onde os clientes financiavam dentro deste crescimento exponencial, ou ainda, pelo resultado do esquema das vendas FALSAS na planta, onde só devolviam uma parte do que o cliente tinha pago e depois revendiam o imóvel com lucro.

            No caso da construção civil pesada, o que alimentou as empresas de construção foi principalmente dinheiro vindo do BNDES para obras faraônicas, via emissão de dinheiro à rodo pelo Tesouro Nacional, algo que o BNDES está repondo para o Tesouro nos últimos anos. Claro, tudo isto foi também uma enorme fonte para PROPINODUTOS e o esquema para “motivar” tais “investimentos”, foi a combinação de Copa do Mundo, Olimpíadas e Pré-sal, que convenientemente foram divulgados logo depois das construtoras do segmento terem feito sua abertura de capital…

            Leia o link acima, explica tudo isto. Se preferir, também está desenhado neste outro documento:

            https://defendaseudinheiro.com.br/a-historia-da-bolha-imobiliaria-brasileira-parte-1

            8+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • CA 15 de maio de 2019 at 14:32

              Ah sim, como parece que é a primeira vez que você lê o blog, o MCMV é financiado principalmente pelo FGTS e não com dinheiro do governo, que é a menor parte. Utilizaram as verbas do FGTS que eram de CENTENAS DE BILHÕES de Reais para SUBSIDIAREM o crescimento do setor de construção civil, pois é com este dinheiro que pagam a grande parte das obras do MCMV para as construtoras. Observe, não é “dinheiro do governo que ele tirou do aumento de exportações”, mas sim dinheiro de todos os trabalhadores em regime CLT que recebem uma remuneração PÍFIA para que as construtoras possam continuar PEDALANDO com estes esquemas, os imóveis mantenham preços SURREAIS e TODOS percam…

              9+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
            • CA 15 de maio de 2019 at 14:42

              Resumindo:

              O que “financiou” a bolha imobiliária brasileira?

              1) IPO (abertura de capital na BOVESPA) de 13 construtoras do segmento leve, capturando DEZENAS DE BILHÕES DE REAIS, em parte vindo de investidores estrangeiros que financiaram bolhas dos EUA e Espanha que àquela altura já estavam explodindo e eles precisavam replicar o golpe em outros lugares;

              2) Vendas FALSAS na planta, onde a EUFORIA levava o preço do imóvel sempre a subir e com isto, depois de devolvido o imóvel, além de devolverem só UMA PARTE do dinheiro para o comprador, ainda podiam revendê-lo mais caro! Sem contar que com a super-dose de venda na planta, parte da construção era financiada pelo comprador durante a obra, a outra parte, pelos bancos antes, durante e depois da obra (inclusive o repasse dos bancos para construtoras do que financiavam para os clientes);

              3) Com o crescimento exponencial de preços e de vendas de imóveis via verba da poupança, com baixos juros e prazos de DÉCADAS para pagar (parcelinha cabia no bolso), o repasse dos bancos e dos clientes (vendas à vista – menor parte) para as construtoras, sempre em valores cada vez maiores para os imóveis, irrigava de forma crescente o caixa das construtoras;

              4) O MCMV a partir de 2009, que teve financiamentos de CENTENAS DE BILHÕES DE REAIS, se utilizou de verbas do FGTS, a reserva dos trabalhadores, que possui remuneração PÍFIA para os trabalhadores exatamente para poder sustentar toda esta farra para as construtoras (o mesmo juros baixo que é cobrado no MCMV).

              6+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
          • Cesar_DF 15 de maio de 2019 at 14:49

            Maker
            O dinheiro veio do futuro e da cartola do mágico “O grande FIDUCI”
            É só emitir títulos da dívida pública para tirar do futuro e colocar no presente
            Dai é só liberar para que os banco emprestem 12X o valor do seu patrimônio, isso se chama moeda fiduciária.
            E aiiii, VOALÁ, uma canetada de 20 bilhões se transforma numa dívida de 240 bilhões para os pagadores de carnezinhos kkkk

            12+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • CA 15 de maio de 2019 at 14:58

              Cesar_DF,

              Não esquecendo do FGTS que sustentou a maior parte do MCMV já há uma DÉCADA, o IPO de 13 construtoras na BOVESPA entre 2005 e 2007 que capturou DEZENAS DE BILHÕES DE REAIS de investidores, inclusive TUBARÕES de outros países que já tinham fomentado bolhas por lá e mais o esquema de vendas FALSAS na planta que também gera euforia, aumento de preços e grana adicional para construtoras (restituem parte do valor para cliente, ficam com o resto e ainda revendIAM mais caro no começo do esquema). Junto com o que você falou, isto é que permitiu o início do financiamento da bolha e depois sua continuidade.

              8+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • Cesar_DF 15 de maio de 2019 at 15:08

                Sim CA
                Foi só para demonstrar que não precisou de uma bolha de commodities para conseguir dinheiro para fazer uma bolha imobiliária

                10+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
        • Senhor Bolha 15 de maio de 2019 at 14:56

          O que quebrou o país não tem nada haver com ciclo de commodities. O preço das commodities no mercado internacional é um fator entre muito outros. O ciclo ajudou sim a manter um crescimento artificial ao injetar grana fácil nos cofres públicos, mas as raízes da crise de hoje remontam em outro setor o ” Fiscal”.

          O que quebrou o pais é gestão fiscal e heterodoxa fomentada no ideária popular ( desenvolvimentismo). E isso vem desde 1970 com os planos economicos do Delfim neto. Algo bem conhecido do povo brasileiro: O famoso desenvolvimentismo. Até por isso eu recomendo sempre estudar as contas públicas para entender a dinâmica de gastos da união.

          O Governo Itamar fez um remendo com o plano real, mas parou por ai. A única coisa boa disso tudo é que o governo não podia monetizar a dívida diretamente gerando hiperinflação. PS: caso comum na argentina até nos dias atuais.Porém resolvida a questão da hiperinflação nosso governo incorreu em outro erro. PS erro que cometido até mesmo pela economia ditas desenvolvidas, se trata da boa e velha ” Gestão fiscal”

          Um ADM graduado pela FGV fez o trabalho de compilar os dados do site do tesouro e montar alguns gráficos com despesas correntes: Ver abaixo o texto com algumas estatísticas.

          OBS: Eu também fiz um estudo deste baseado nas projeções da comissão fiscal independente em 2017, cheguei a conclusão que o Brasil quebraria no mais tardar em 2023 e com alguma reforma em 2026.

          Vamos ao texto:

          No entanto, algo que é pouco ilustrado — embora seja muito comentado — é a evolução dos gastos correntes do governo federal.

          Os gastos correntes são, em termos gerais, as despesas do governo destinadas ao seu próprio custeio e a programas de bem-estar social. São as despesas efetuadas com o objetivo de pagar salários de funcionários públicos, de contratar serviços, de pagar toda a rede de seguridade social, e de adquirir produtos necessários para a realização de funções administrativas.

          Eis alguns exemplos práticos de despesas correntes:

          * Salários e encargos sociais do funcionalismo público.

          *Gastos com as contas de água, energia, telefone etc. das instalações do governo federal (os prédios dos ministérios, das agências reguladoras, das secretarias, do Congresso e de todas as repartições federais).

          * Gastos com a aquisição de bens de consumo pelo governo. Exemplos: automóveis para autoridades políticas; armas e veículos para a Polícia Federal; o cafezinho do Congresso; canetas, computadores, papeis, clipes, grampeadores, telefones para as repartições públicas; combustível para a locomoção das excelências (inclusive policiais federais).

          * Gastos com a contratação de serviços terceirizados. Exemplos: faxinas nos prédios da União; consertos de veículos, de computadores, de aparelhos de ar condicionado etc.; manutenção de prédios, instalações e equipamentos do governo.

          * Gastos com os juros e encargos da dívida (os quais não devem ser confundidos nem com amortização e nem com refinanciamento, como faz Ciro Gomes).

          * Gastos com a Previdência Social.

          Em suma: os gastos correntes são as despesas com pessoal e encargos sociais; com juros e encargos da dívida; com a seguridade social; e todas as demais atividades voltadas para manter a atividade do serviço público.Felizmente, essas rubricas são fáceis de ser coletadas na internet, estando totalmente à disposição dos interessados.

          O site do Tesouro, utilizando dados do SIAFI (Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal) , disponibiliza todas as despesas correntes do governo federal desde 1980.

          Evolução das despesas correntes do governo federal: quatro rubricas

          Comecemos pela notícia boa. É apenas uma.

          * O item “Demais despesas correntes”, que abrange todos aqueles gastos citados acima (aquisição de bens e serviço pelo governo), começou — pela primeira vez na história do real — a apresentar uma tendência de estabilização (tendo havido até mesmo uma pequena queda). Após chegar ao ápice em 2015, se estabilizou em 2016 e recuou em 2017. Seria esse um efeito da lei do teto de gastos? É bem provável.

          Agora as notícias ruins.

          * As despesas com juros, que haviam se estabilizado em 2016 e 2017, voltaram a subir em 2018. Trata-se de uma inevitabilidade quando se tem um estoque crescente de dívida, a qual cresce por causa dos seguidos déficits orçamentários do governo federal. Quanto maior o estoque da dívida, maiores serão as despesas com os juros desta dívida.

          * Não apenas não há nenhuma tendência de estabilização nos gastos com funcionalismo público, como, ao contrário, aparenta ter havido uma aceleração em 2016 e 2018. Os números, por si sós, sugerem que está havendo ou mais contratação de funcionários públicos, ou mais aumentos salariais, ou uma combinação de ambos.

          * Em 1995, primeiro ano de FHC, os gastos com funcionários públicos terminaram o ano em R$ 38 bilhões. Em 2002, seu último ano, foram de R$ 75 bilhões. Aumento de 97% em sete anos (estamos partindo do final de 1995, e não do final de 1994). Isso dá uma média de 10,2% de aumento ao ano.

          * Lula entra em 2003 e sai em 2010 com esta rubrica já em R$ 169 bilhões. Aumento de 125% em oito anos. Uma média de 10,7% de aumento ao ano.

          * Dilma entra em 2011 e sai em 2015 (ok, ela saiu em abril de 2016, mas para efeitos práticos consideremos final de 2015) com esta rubrica em R$ 236 bilhões. Aumento de 40% em cinco anos. Uma média de 7% de aumento ao ano.

          * Temer entra em 2016. Ao final de 2018, esta rubrica estava em R$ 294 bilhões. Aumento de 24,5%. Uma média de 7,6% de aumento ao ano.

          * Vale notar que Temer foi ligeiramente mais generoso com os funcionários públicos do que Dilma.

          * Não há nenhuma indicação de que os privilégios deste estrato da sociedade — que vive à custa dos impostos pagos por trabalhadores e empreendedores — estão sendo efetivamente atacados.

          * Vale ressaltar que, do final 1995 a 2018, estes gastos cresceram a uma média de 9,3% ao ano. Isso é muito acima da inflação de preços, que, de 1996 a 2018, apresentou uma média de 6,32% ao ano.

          Por fim, as notícias péssimas.

          * Não há o mais mínimo sinal de controle nos gastos previdenciários. Seu crescimento já adquiriu formato exponencial.

          * Em 1995, os gastos previdenciários foram de R$ 32,5 bilhões. Em 2018, foram de R$ 587,70 bilhões. Aumento de 1.580% em 23 anos. Uma média 13,4% de aumento ao ano — contra uma inflação de preços média de 6,32% ao ano.

          * Os gastos com a previdência, portanto, cresceram, anualmente, mais que o dobro da inflação de preços.

          * Os gastos com previdência são maiores do que a soma dos gastos com salários e encargos de funcionários públicos (linha azul) mais todas as demais despesas correntes (linha roxa). E sua taxa de crescimento anual é muito superior à de todas as demais rubricas.

          * Caso os gastos previdenciários mantenham esta exponencial tendência de crescimento — e manterão caso não haja nenhuma reforma, pois seu principal problema é demográfico, e a população está envelhecendo —, a lei do teto de gastos só poderá ser cumprida se houver um forte corte nas demais despesas do governo. Mas nenhum governante terá a coragem de mexer com os interesses da poderosa e privilegiada casta do funcionalismo público. Ou seja, o teto será furado e, muito provavelmente, a lei será revogada, o que poderá gerar grandes turbulências no mercado de títulos públicos, de juros futuros e de câmbio.

          * Não haverá carga tributária que baste para bancar esse escabroso crescimento dos gastos previdenciários.

          Conclusão

          Não é nenhum exagero dizer que a questão previdenciária é, de fato, o grande nó górdio da atual situação das finanças públicas. Funcionalismo público vem em segundo lugar — muito embora boa parte dos gastos previdenciários seja com funcionários públicos aposentados e com pensões para seus familiares.

          Insistir na necessidade da reforma da previdência não é, portanto, um fetiche “neoliberal reacionário anti-povo”. Uma despesa que já é, de longe, a maior entre as despesas correntes, e que, para piorar, ainda cresce a uma taxa de quase 14% ao ano (sendo que essa taxa de crescimento também é a maior entre as despesas correntes) não é sustentável.

          Ou ela é corrigida voluntariamente via reformas ou ela é corrigida forçosamente pela realidade econômica e pelas leis da contabilidade. Essas duas não admitem nem mágicas e nem desaforos.

          Você, que ainda é jovem, ou que está na faixa dos 30-35 anos de idade, é bom — aliás, é urgente — começar a poupar e a investir, pois dificilmente haverá um INSS para bancar sua aposentadoria daqui a 50 anos. Questão de contabilidade. E de realidade econômica.

          20+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Senhor Bolha 15 de maio de 2019 at 15:03

            Agora que você sabe dos números da gestão fiscal.

            Entra na parte da bolha imobiliária que foi fomentada por recurso de captação da bolsa via IPO , algo análogo ao que esta acontecendo com empresas como UBer e demais empresas de streaming, empresas que só dão prejuizo e são promessas para o futuro.

            O governo injetou dinheiro no setor por meio de subsidio, FGTS e crédito direcionado inflacionando o preço das moradias populares.

            Basicamente a mágica foi se endividar no presente tirando dinheiro no futuro, mas quando o futuro chegou os ganhos de produtividade não compensaram o massivo endividamento. Sobrou o passivo para pagar, coisa que o governo nenhuma no globo quer combater.

            Então fazer outra bolha, e ais outra bolha ! Os especialista fingem que tudo não passa de erro da calculo, quando na verdade esta atrelado ao modelo de economia adotado no pós guerra que é fomentado pelo endividamento massivo e pelos gastos estatais.

            11+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Senhor Bolha 15 de maio de 2019 at 15:12

              Resumo da obra: O ciclo de commodities só ajudou o país a não quebrar mais cedo! Ele adiou a quebra e fomentou ainda mais o populismo econômico.

              O governo só pedalou com dinheiro extra que recebeu, mas a raiz da distorção esta no sistema de gastos estatais que cresce acima da produtividade real da economia, este sistema tende ser financiado por impostos progressivos.

              Também temos a questão da endividamento massivo de empresas e famílias fomentada por crédito direcionado e N facilidade para adquirir o imovel próprio.

              13+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
          • felipe s 15 de maio de 2019 at 17:40

            ADM graduado pela FGV fez o trabalho de compilar os dados do site do tesouro e montar alguns gráficos com despesas correntes: Ver abaixo o texto com algumas estatísticas.

            você poderia passar as fontes… fiquei bastante interessado.

            vlw

            1+
    • andrezinho 28 de maio de 2019 at 15:01

      Eu queria fazer isso odorico, mas não tenho conhecimento embasado suficiente. Se alguém pudesse me indicar fontes e bibliografias, agradeceria. Ou se o CA (que é quem eu acho que mais entende do assunto aqui) quiser me ajudar, só falar.

      0
  • Cajuzinha 15 de maio de 2019 at 11:45

    Vendas no varejo dos EUA têm queda inesperada em abril

    Vendas no varejo recuam 0,2% em abril ante março nos EUA

    O resultado contraria a previsão de alta de 0,2% dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Dr. Estranho 15 de maio de 2019 at 11:47

    E falando em retração do comércio, soube que o Carrefour saíra das vendas online. Não faz sentido.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 15 de maio de 2019 at 12:36

    A legalidade das coisas:

    -Creci faz convênio com prefeitura de São José para avaliar imóveis
    O VALE (lib imprensa) (Blogue)-12 h

    -STJ decide sobre cláusula penal para imóvel comprado na planta. KKKK
    Diário do Comércio-12 h
    Compradores de imóveis na planta só podem ingressar por clausula penal Multa por atraso ou por lucros cessantes, não pode haver cumulação.. Os recursos de 1 e 2 instancias estão suspensos desde 2017 (kkk).
    Vemos claramente mais uma vitória das construtoras. ( aha!!!)

    diario do comercio

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 15 de maio de 2019 at 12:40

    A decisão do STJ beneficia as construtoras que insistem em lesar os consumidores…
    há milhares de processos judiciais..
    na discussão de 08 de maio foi discutida a inversão de pena para ser aplicada a construtora
    nisso agora o STJ acerta nesse ponto….
    http://diariodocomercio.com.br/sitenovo/stj-decide-sobre-clausula-penal-para-imovel-comprado-na-planta/

    5+
    • avatar
    • avatar
    • EngenheiroSP 15 de maio de 2019 at 13:03

      Momento da oração diária

      SÓ ANTA COMPRA NA PLANTA

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Senhor Bolha 15 de maio de 2019 at 13:05

    Gafisa tem prejuízo de R$ 46,354 milhões no 1º trimestre (-13% em 1 ano)

    A Gafisa continua no prejuízo, mas tem reduzido a cifra negativa, que foi de R$ 46,354 milhões no primeiro trimestre, 13% menor que os R$ 53,516 milhões apresentados no mesmo período do ano anterior e recuo de 84% sobre o prejuízo líquido de R$ 297,017 milhões do quarto trimestre de 2018. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado recorrente passou para o negativo, de R$ 23,006 milhões, de R$ 5,653 milhões positivos um ano antes. Na comparação com o quarto trimestre, porém, o dado foi 77% menor que os R$ 98,421 milhões negativos registrados ao final de dezembro.

    O dado é ajustado por impairments de estoques e terrenos, juros capitalizados, com plano de opções (não-caixa), minoritários e pela baixa do ágio na aquisição de Alphaville. A mensagem da administração destaca que a construtora e incorporadora encerrou o primeiro trimestre com uma geração de caixa positiva em R$ 25,1 milhões: “Segundo trimestre consecutivo de geração de caixa, resultado da disciplinada gestão de gastos”, diz no informe.

    O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 9,959 milhões, 50% menor que no primeiro trimestre de 2018. Quanto aos dados operacionais, no entanto, a companhia não fez lançamentos. “Em razão da revisão dos projetos do pipeline de lançamentos e do processo de transição que a companhia passou neste trimestre; optou-se por postergar os lançamentos e focar os esforços na venda de estoques”, explica a diretoria.

    As vendas líquidas contratadas caíram 78,8% na comparação com o primeiro trimestre de 2018, para R$ 49,907 milhões e 47,5% sobre o quarto trimestre. As vendas brutas foram de R$ 91,270 milhões, queda de 68,9% e 40,5%, respectivamente. Os distratos “mantiveram a tendência de queda”, ficando em R$ 41,363 milhões de janeiro a março deste ano, valor 28,3% abaixo do mesmo intervalo do ano anterior e 29,2% menor que no quarto trimestre. O VGV soma R$ 80,079 milhões, queda de 69,6% sobre o quarto trimestre e sem comparativo com o primeiro trimestre de 2018.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 15 de maio de 2019 at 13:14

      Eu não esperava que as vendas brutas e liquidas caíssem tanto, pensei que a Gafisa já tinha chegado no fundo do poço, mas havia um alçapão

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • lendo e observando 15 de maio de 2019 at 13:34

      Li novamente o artido do mises sobre as 4 etapas do populismo economico.
      Muito bom!!!!!

      4+
      • avatar
    • CA 15 de maio de 2019 at 14:08

      Senhor Bolha,

      Sobre o resultado em si, como já dito há tempos, a empresa não se sustenta operacionalmente. Injeções recentes de capital não salvam uma empresa que não tem como gerar resultados positivos e consistentes, que viveu às custas de inúmeros golpes durante mais de uma DÉCADA e onde estas fórmulas mágicas já se esgotaram, agora, será apenas uma sobrevida para os TUBARÕES faturarem em cima dos SARDINHAS.

      Um ponto interessante do artigo acima entre “aspas”, onde comento em seguida:

      “O dado é ajustado por impairments de estoques e terrenos…”

      O que consta acima é o ajuste para REDUZIR o preço dos imóveis e terrenos da construtora para adequar à algo mais próximo da REALIDADE quanto aos valores de mercado. Não é só a Gafisa que está fazendo isto, VÁRIAS outras já fizeram, dentre elas, PDG, Rossi e Viver.

      A pergunta que não quer calar sobre isto é a seguinte:

      Se as próprias construtoras, que são as que mais sabem sobre os preços REAIS DE MERCADO de seus imóveis e terrenos tem continuamente reduzido a avaliação dos mesmos em seus balanços, como os bancos, que tem imóveis em garantia seja para empréstimos a estas construtoras ou para milhares de clientes que compraram delas, não fazem uma revisão proporcional de preços em seus balanços???

      A explicação é simples: se os bancos fizerem tais ajustes, vai ficar claro uma enorme PERDA DE LIQUIDEZ e de LUCRO, com isto, de imediato os executivos perderiam seus bônus, os funcionários perderiam seus prêmios e pior do que isto, na medida em que isto se tornasse público, poderia gerar efeito MANADA para redução de preços dos imóveis e até levar a uma crise sistêmica, de forma análoga ao que aconteceu com a explosão da bolha imobiliária americana!

      E por que o governo e o BC se fazem de CEGOS para isto, sendo que foi questionado até em relatórios de auditorias, inclusiva da CGU? Porque isto desencadearia novas crises, para sistema financeiro e segmento imobiliário, então os governos, inclusive o atual, preferem PEDALAR com os problemas, o que só os agrava e aumenta o tamanho da explosão no futuro.

      Lembrando: este é apenas UM dos INÚMEROS ROMBOS no sistema financeiro, tem ainda a inadimplência MAQUIADA em alto volume, os imóveis inadimplentes HÁ ANOS sem serem retomados ou vendidos em leilão, as provisões reduzidas de forma FRAUDULENTA para clientes duvidosos (empresas e pessoas físicas), etc, etc, etc…

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 15 de maio de 2019 at 13:34

    Pela matéria as pessoas já pensam que o Hell de Janeiro irá sair do buraco
    —————————————————————————————-
    Grandes petrolíferas puxam retomada de setor imobiliário no Rio

    São crescentes os sinais de que o pior já passou para o Rio de Janeiro, pelo menos em imóveis comerciais.

    Há uma demanda crescente por escritórios de alto padrão no centro do Rio devido à recuperação dos preços do petróleo e aos programas da Petrobras para a venda de ativos e para fechar parcerias com grandes empresas globais. O megaleilão marcado para outubro deve atrair empresas como Exxon Mobil, Royal Dutch Shell e Chevron, o que leva a uma rápida melhora das perspectivas para o setor.

    Os royalties da exploração dos poços de petróleo leiloados também devem ajudar o estado do Rio a equilibrar as contas, disse Cardoso. A receita fiscal obtida com as licenças deve aumentar de R$ 60 bilhões em 2018 para R$ 300 bilhões em 2030, segundo dados da ANP. Uma grande parte dessa receita vai ficar no Rio, estado que historicamente concentra a maior parte da produção do país e onde as grandes petrolíferas já estão instaladas.

    https://economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2019/05/15/grandes-petroliferas-puxam-retomada-de-setor-imobiliario-no-rio.htm

    —————————————————–

    Dai eu penso: uééé, de onde ela tirou esse número, pois a previsão de consumo de petróleo está em retração, por conta da queda na atividade econômica, especialmente da China, ai descubro que esses “300 bilhões” é de uma previsão de 2013, e ainda que este valor seria recebido ao longo de 30 anos, sendo direcionado 75% para educação e 25% para a saúde, e não para o estado do RJ
    https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2013/10/21/internas_economia,462206/anp-estima-geracao-de-r-300-bilhoes-em-royalties-com-libra.shtml

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 15 de maio de 2019 at 14:25

    Construção: EZTec vai lançar, até junho, metade da meta de 2019

    No primeiro trimestre, o lucro líquido da companhia cresceu 218,8%, para R$ 17,3 milhões

    Depois de ter lançado R$ 393,7 milhões no primeiro trimestre, a EZTec espera chegar à metade do teto de R$ 1,5 bilhão projetado para o ano até o fim deste semestre. Tradicionalmente, o setor concentra lançamentos no segundo semestre.

    A EZTec tem intenção de apresentar ao mercado dois a três projetos neste trimestre. Dos três empreendimentos apresentados até março, dois tiveram mais de 60% de vendas no lançamento, segundo o diretor financeiro e de relações com investidores da EZTec, Emílio Fugazza.

    “Do aspecto operacional, o primeiro trimestre foi um divisor de águas”, diz Fugazza.

    7+
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 15 de maio de 2019 at 15:04

    APARTAMENTOS CONTINUAM SENDO FABRICADOS COM ROBÔS UTILIZANDO BARRO

    Indústria de materiais de construção tem queda de 3,5% nas vendas em janeiro

    As vendas de materiais de base em janeiro recuaram 3,2% na comparação anual, enquanto as vendas dos materiais de acabamento tiveram baixa de 3,9%. Por sua vez, a quantidade de pessoas empregadas na indústria de materiais em janeiro diminuiu 1,9% na comparação anual.

    Apesar do desempenho negativo da indústria no começo deste ano, a Abramat manteve a previsão de crescimento de 2% das vendas em 2019, considerando a tendência de recuperação da economia brasileira e ampliação dos investimentos com a aprovação das reformas estruturais, especialmente a reforma da Previdência.

    https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2019/02/12/internas_economia,1030012/industria-de-materiais-de-construcao-tem-queda-de-3-5-nas-vendas-em-j.shtml

    4+
  • felipe s 15 de maio de 2019 at 15:12

    Eu nao sou fã do estado, vou comprar ouro pq o estado emitindo papel higiênico
    ótimo vídeo sobre a reforma da previdência

    https://www.youtube.com/watch?v=ojF4nTpk98U

    adorei quando quando ela falou sobre as empresas de credito criadas em BH e quando ela falou do sistema financeiro
    no geral o problema ainda continua sendo o estado.

    4+
  • Cesar_DF 15 de maio de 2019 at 15:45

    LA VIVIENDA NUNCA BAJA – traducion O INVESTIMENTO MAIS SEGURO DO MUNDO

    Quem aplicou 1 milhão num CDI em agosto de 2010 agora teria R$ 2.262.500,00
    Quem comprou um apartamento de 1 milhão em Brasília em agosto de 2010, agora valeria R$ 1.250.500,00
    Só que para realizar o lucro desta “aplicação” do apartamento, ainda terá que deduzir
    1) Depreciação de 2% ao ano
    2) IPTU gasto no período
    3) ITBI
    4) Condomínio gasto no período
    5) Um “descontinho” de 20% para conseguir vende-lo hoje kkkkk
    6) Taxa do corretor

    http://fipezap.zapimoveis.com.br/

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 15 de maio de 2019 at 16:28

      O negócio ainda vai piorar pois esta passando a última onda de jovens do crescimento demografico que estão com cerca de 35 anos agora. Assim, temos pais e vós, e 666 animados em comprar o que é seu, junto com milhares de senhores e sras (55anos+-) investindo pra aposentadoria próxima, pegando fgts, ou saindo do emprego pra investir. Se olhar a pirâmide em 2022 a 2024 vai ser feio a queda de compras ou até aluguel (esttimo cerca de 0,08 de queda ou -8% na geração de 25 a 35 anos comprando e endividados).

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 15 de maio de 2019 at 18:27

        Alemon Fritz
        A partir de uma determinada taxa de fecundidade, em torno de <1.7, o(s) filho(s), não se mudam mais da casa dos pais, ficam eternamente lá, anulando qualquer tendencia de crescimento vegetativo da demanda por novos imóveis.

        12+
        • avatar
        • avatar
    • Cesar_DF 16 de maio de 2019 at 09:35

      Fiz as contas
      1) Depreciação típica de 2% ao ano (18% = -180 mil)
      2) IPTU gasto no período (1% ao ano = – 90 mil)
      3) ITBI (3% = -30 mil)
      4) Condomínio gasto no período (R$1.000/mês X 108 meses = -108 mil)
      5) Um “descontinho” de 10% (FUI UM BONZINHO OTIMISTA KKK) para conseguir vende-lo hoje (-125 mil)
      6) Taxa do corretor de imóveis (2% = – 25 mil)
      R$ 1.250.500 – deduções de R$ 558.000 = R$ 692.500

      Para quem aplicou 1 milhão num CDI em agosto de 2010 agora teria R$ 2.262.500,00

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 15 de maio de 2019 at 16:38

    quero dizer que a queda será bem forte, mas ainda estamos numa inércia da última onda de crescimento, abrangendo agora pessoas com até 29- 35 anos, por mais 4 anos.. depois será uma onda de flats abandonados e quitinetes, puxadinhos da onda de velhinhos “investidores” de agora. A pop de jovens vai cair 1% em 3 anos.(- 2milhoes de jovens)

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 15 de maio de 2019 at 18:29

      Alemon Fritz
      Aliado a isso tem também a redução de imóveis do varejo, o que aumentará mais ainda a vacância de imóveis, é só ver a onda no exterior da transformação de imóveis comerciais em residenciais, inclusive de shoppings e hoteis

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 15 de maio de 2019 at 17:12

    merkado
    “Seu imóvel”
    Pensando no mercado imobiliário e em quem quer comprar, alugar ou vender, -o Estadão- desenvolveu sua mais nova plataforma: ” o Seu Imóvel” que será lançado nesta quinta-feira, (16). O site traz informações específicas e relevantes ao usuário para tomada de decisão. A plataforma se propõe a identificar e impactar, estrategicamente, prospects em cada fase da jornada,… coach escrevendo bobagem.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Godinez 15 de maio de 2019 at 17:19

    CVR – Morando de aluguel há algum tempo, estou meio calejado e fico sempre de olho nos preços dos imóveis elegíveis próximos ao meu trabalho… fui dar uma passada nos anúncios salvos e não é que um apartamento que eu acompanhava subiu o preço pedido no aluguel em 12%? Já sabia que tinha proprietário que tentava vender pelo preço X e, após algum tempo sem conseguir vender, anunciava por X + Y (sendo Y um valor arbitrário a ser pago pelo tolo maior), no entanto, nunca tinha visto isso em relação a aluguel! Minha tese é que a pessoa tenha recebido algumas propostas abaixo do preço pedido e aumentou o preço pensando que, caso alguém peça um desconto de 12%, ela consegue alugar pelo que pensa que vale…é cada uma que parece duas!!!

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 15 de maio de 2019 at 17:27

      e ou ele recebeu uma nova avaliação de corvo pra vender, ou o IPTU subiu e ele acha que vale mais….

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 15 de maio de 2019 at 17:23

    O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio mostrou que o Dia das Mães 2019 teve sua primeira queda em três anos. Durante a semana da data, de 6 a 12 de maio, as vendas caíram 1,4% em relação ao mesmo período do ano anterior (7 a 13 de maio). No final de semana do Dia das Mães (10 a 12 de maio), houve queda de 1,8% em todo o país na comparação com o final de semana equivalente ao do ano anterior (11 a 13 de maio).

    Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, o resultado reflete o cenário de dificuldades para a consolidação da retomada da economia. “Ainda há muitos obstáculos a serem enfrentados, o que de certa forma vem frustrando a expectativa de uma recuperação mais forte no volume de vendas em datas comemorativas. E esse crescimento tímido nos resultados do Dia das Mães, segunda data mais importante para o comércio, não foi suficiente para retornarmos ao patamar de crescimento anterior à crise econômica”, destaca Pellizzaro Junior.

    https://www.ecommercebrasil.com.br/noticias/dia-das-maes-tem-sua-primeira-queda-em-tres-anos-aponta-serasa-experian/

    5+
    • avatar
    • CA 15 de maio de 2019 at 18:40

      Cajuzinha,

      Não entendi como os trechos abaixo combinam:

      “Durante a semana da data, de 6 a 12 de maio, as vendas caíram 1,4% em relação ao mesmo período do ano anterior (7 a 13 de maio). No final de semana do Dia das Mães (10 a 12 de maio), houve queda de 1,8% em todo o país na comparação com o final de semana equivalente ao do ano anterior (11 a 13 de maio).”

      Trecho acima = QUEDA nas vendas VS Trecho abaixo = “CRESCIMENTO TÍMIDO”? Cresceu pra baixo? rs

      “E esse crescimento tímido nos resultados do Dia das Mães, segunda data mais importante para o comércio, não foi suficiente para retornarmos ao patamar de crescimento anterior à crise econômica”

      Tem ainda outro trecho “curioso”:

      “Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, o resultado reflete o cenário de dificuldades para a consolidação da retomada da economia. ”

      Consolidar o que? Os PIBinhos no fundo do poço de 2017 e 2018 via recorde de safra agrícola, saque dos inativos do FGTS e do PIS/PASEP antigo, mistura de SORTE com GAMBIARRA? Como é que você “consolida” uma “recuperação” baseada em SORTE e GAMBIARRA? Compra um pé de coelho, faz simpatia com trevo de 4 folhas e reza à Zeus para mandar um clima perfeito para agricultura de novo? Sai repetindo saques de FGTS e PIS / PASEP todos os anos (eles tem verbas INFINITAS?)?

      É o mesmo de sempre, o pessoal fica cheio de EUFEMISMOS e foge da REALIDADE como o diabo da cruz, assim ninguém tem a dimensão real do problema e muito menos sabe quais são as causas, assim, vão dando tiros para todos os lados e a situação só se agrava, porque no meio das apelações, acabam jogando gasolina no incêndio…

      9+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 15 de maio de 2019 at 17:26

    15/05/2019 17h06

    SÃO PAULO (Reuters) – O Ibovespa fechou em queda nesta quarta-feira, com o
    cenário de baixo crescimento no país e números também mais fracos do que o
    esperado sobre a atividade econômica no exterior minando o sentimento de
    investidores, já ressabiados com a cena política.
    Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,86 por
    cento, a 91.303,79 pontos, de acordo com dados preliminares. O volume
    financeiro do pregão somava 12,9 bilhões de reais.

    5+
    • avatar
    • CA 15 de maio de 2019 at 18:11

      Cajuzinha,

      O crescimento anual estimado pelo próprio governo neste momento em 1,5% é de fato muito baixo. Pior que esta deve ser a versão “otimista”, contando que vão aprovar a reforma da previdência logo no início do terceiro trimestre e com pouca desidratação (economia final acima de R$ 800 bilhões) e que após isto, teríamos uma euforia de investidores estrangeiros, empresários, etc, que voltariam a investir e contratar ainda neste ano.

      Creio que o que consta acima só seria possível, se tivéssemos as ações APELATIVAS de pulinho no fundo do poço para PIS / PASEP e/ou FGTS de inativos e contando ainda com o famoso “caminho feliz”, ou seja, sem agravamento da guerra comercial EUA X China, sem explosão da bolha das bolhas americana de forma mais visível, idem para a bolha imobiliária brasileira e ainda, sem grande impacto do circulo vicioso entre redução de gastos do governo, redução do PIB e assim, requerendo nova redução de gastos do governo para cumprir o teto da meta.

      Acho que a probabilidade do que consta acima, de chegarmos “ilesos” aos 1,5% estimados hoje, é pequena, pelo conjunto de fatores necessários que consta no parágrafo anterior. Considero ainda extremamente IMPROVÁVEL aquela “previsão” de 2,9% de crescimento no PIB de 2019 que consta no documento oficial do governo que justifica as economias e ganhos esperados com a reforma da previdência, isto não seria possível nem que aprovassem 100% da economia prevista e ainda em julho/2019.

      O engraçado é que a projeção do PIB que seria uma das vertentes a “motivar” o crescimento expressivo da BOVESPA DESPENCOU, mas como sempre, a queda da BOVESPA foi muito mais “suave” e se bobear, volta a subir e disparar até o final do ano, como aconteceu em 2016, quando a BOVESPA subiu mais de 30% e o PIB caiu mais de 3%. Isto só demonstra o quanto o preço das Ações está completamente DESCOLADO da realidade e baseado em promessas futuras que não vão se realizar, ou seja, TOMBO nos preços das Ações quando da volta à REALIDADE, daqui a 1 ano talvez, ou antes disto se eventos de explosões no Exterior se intensificarem…

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Dr. Estranho 15 de maio de 2019 at 17:49

    CVR.
    Como sempre procuramos imóveis e não compramos. Eis que achei um com espaço físico e localização adequada. Fiz oferta na hora e peguei a dona desprevenida. Ficou estampado nela que estava de bom tamanho, haja vista que tirei apenas 10%. Ela olhou para a corva e ficou desconcertada. Fui embora porque tinha mais um para visitar. Dia seguinte fizeram contra-proposta(para variar – é o máximo que conseguimos e blá blá blá) e que a proprietária está com a vida resolvida. Só quer “ir embora”. Deduzi que vai para o exterior. Falei então que faria nova visita com a minha família. Entretanto, não consigo juntar todo mundo no mesmo dia e horário por questões pessoais. Deixei pra lá. Eis que a corva me liga perguntando quando poderei visitar novamente. Digo que estou tentando. Esse lenga lenga tem um mês. Agora o papo mudou. O blá blá blá é que queriam me “dar prioridade”. Rá! Lembro também que falei sobre custo de oportunidade e que em 5 meses a minha oferta estaria ótima para a proprietária e ruim para mim. Quem quiser acompanhar essa novela mexicana me avise. Mas, curiosamente, começo a me arrepender da oferta.

    53+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • odorico 15 de maio de 2019 at 17:59

      Se a oferta foi de boca, não tem que honrar…. Quando vendi o mesmo sempre pedia a proposta formalizada com assinatura e assinava dando acordo ou negando. Claro que o bom senso ainda pode rever o papel, mas fica a palavra registrada… até pro corvo ver que não está brincando….

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • MARK 15 de maio de 2019 at 19:13

      Dr. Estranho, passei por isso recentemente, mas no meu caso não aceitaram as propostas. Até pensei e refleti antes mesmo de oferecer o valor, até onde eu chegaria, fixei o limite para mim mesmo. Minhas ofertas foram de 30% a menos e só aceitaria pagar no máximo 25% a menos. Foi uma sensação estranha, sempre dá uma frustração a recusa, mas antes de saber que recusaram eu mesmo já me perguntava se REALMENTE era aquilo. Valeria a pena? De algumas das ofertas dou graças a Deus que recusaram, outras até manteria. Dos recusados, só dois venderam, os demais continuam lá pra mais de ano. Dos dois vendidos, os dois já estão de volta à venda. Coisa de doido. kkkkkkkkk

      23+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • tmarabo 16 de maio de 2019 at 10:09

        ” Dos dois vendidos, os dois já estão de volta à venda. ”
        será que venderam mesmo???

        6+
    • tmarabo 16 de maio de 2019 at 10:08

      se houve contraproposta ainda não aceita não há nada a “honrar”.

      2+
      • avatar
  • Карлос, красный лак 15 de maio de 2019 at 18:31

    Mais um presentinho do tchutchuca.

    Governo estuda fim de deduções do IR com saúde e educação, diz Guedes.

    https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2019/05/15/ir-deducao-saude-educacao.htm

    29+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 15 de maio de 2019 at 20:00

      se um dia formos um país decente, tais deduções jamais irão existir
      A questão é que tem que pegar também a “contabilidade criativa”, e a tal “elisão”, que praticam os grandes. Incluindo todo sistema financeiro.

      Também é um contrasenso enorme o governo citar que quer reduzir desigualdades e permitir, “de bom grado”, que imoveis residenciais fiquem pagando menos impostos (inclusive de renda), pois os proprietarios sao “PJ” e não “PF”.

      A respeito do IR, tem a Lei Rouanet e diversos outros buracos a serem tapados

      Vejamos

      6+
      • avatar
      • avatar
  • MARK 15 de maio de 2019 at 19:02

    Olha aí, Carlos, a classe média pagando a conta de novo, sugestão do Ypira na grana.
    “O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou ontem que o governo estudará a possibilidade de acabar com o sistema de dedução de gastos com saúde e educação do IR (Imposto de Renda). A medida, segundo o ministro, seria uma maneira de reduzir desigualdades, já que o benefício é voltado para a classe média….” https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2019/05/15/ir-deducao-saude-educacao.htm?cmpid=copiaecola

    15+
    • avatar
    • avatar
    • Dr. Estranho 15 de maio de 2019 at 19:05

      Creio que é mais um caso de disrupção cognitiva, apenas para tirar o foco de que o governo está pedalando. A campeã disso é a tal de Damares. Enquanto discutem nas redes sociais abobrinhas inúteis, a empulhação continua. Estamos diante do mais do mesmo.

      14+
      • avatar
      • avatar
  • Dr. Estranho 15 de maio de 2019 at 19:47

    MARK

    Dr. Estranho, passei por isso recentemente, mas no meu caso não aceitaram as propostas. Até pensei e refleti antes mesmo de oferecer o valor, até onde eu chegaria, fixei o limite para mim mesmo. Minhas ofertas foram de 30% a menos e só aceitaria pagar no máximo 25% a menos. Foi uma sensação estranha, sempre dá uma frustração a recusa, mas antes de saber que recusaram eu mesmo já me perguntava se REALMENTE era aquilo. Valeria a pena? De algumas das ofertas dou graças a Deus que recusaram, outras até manteria. Dos recusados, só dois venderam, os demais continuam lá pra mais de ano. Dos dois vendidos, os dois já estão de volta à venda. Coisa de doido. kkkkkkkkk

    4+
    • avatar
    • avatar

    Resumiu o que estou sentindo. Agora prezo pela recusa da oferta.

    9+
    • avatar
    • avatar
  • MARK 15 de maio de 2019 at 22:10

    Bem que o CA já falava da lavagem de dinheiro feita pelo moço…
    “O Ministério Público do Rio de Janeiro vê indícios de que o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, comprou e vendeu imóveis para lavar dinheiro, segundo informou a revista Veja nesta quarta-feira. Entre 2010 e 2017, quando ainda era deputado estadual, Flávio investiu 9,425 milhões de reais na compra de 19 imóveis, entre salas e apartamentos, e lucrou 3,089 milhões nessas transações imobiliárias. Em documento sigiloso obtido pela revista, a promotoria, que conseguiu na Justiça a quebra do sigilo bancário e fiscal de 95 pessoas e empresas relacionadas ao senador, identificou “suspeitas de subfaturamento nas compras e superfaturamento nas vendas” dos imóveis. Para o MP, a fraude pode ter ocorrido para “simular ganhos de capital fictícios” de modo a encobrir “o enriquecimento ilícito decorrente dos desvios dos recursos” da Assembleia Legislativa do Rio (ALERJ).
    https://brasil.elpais.com/brasil/2019/05/16/politica/1557961576_034022.html?id_externo_rsoc=FB_BR_CM&hootPostID=a6ec035a3e63f7bfbefd4f7c53f4fdb4&fbclid=IwAR3Yh-4vll-Qp6d6Ut2so6LENwdDUZuWFavanL0rET5LT-1reEeVKtd-1xw

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Карлос, красный лак 15 de maio de 2019 at 22:32

      Tá quieto o pimpolho, outro milhão de votos jogados no lixo, vamos ver se uma parte dos brasileiros aprendem a não votar com a bunda.

      8+
      • avatar
    • CA 16 de maio de 2019 at 07:03

      MARK,

      O esquema foi ÓBVIO DEMAIS, o Fatura Bolsinho sequer seguiu as “melhores práticas” para lavagem de dinheiro, ou seja, ele não diluiu os ganhos entre um número maior de imóveis e por um prazo mais longo, o que é a estratégia tradicional para que não possam provar que você teve ganhos ANORMAIS.

      Como parte deste caso do Fatura Bolsinho, tínhamos 2 imóveis que as pessoas compraram por R$ 400 mil no total e 1 ano depois venderam para o Fatura Bolsinho por R$ 300 mil no total. O Fatura Bolsinho por sua vez, vendeu estes mesmos imóveis por mais de R$ 1,1 MILHÃO pouco mais de 1 ano depois!

      Como dito na reportagem acima e eu já tinha destacado alguns meses atrás, no primeiro caso os vendedores colocaram valor abaixo do realizado na negociação e o Fatura Bolsinho regularizou uma parte do dinheiro SUJO.

      Quando ele vendeu com preço bem maior que o real no papel, regularizou mais uma parte.

      Só que a queda de preços acentuada na época que o Fatura Bolsinho comprou , não existia, sendo que a “valorização” do preço na venda, que mais do que TRIPLICOU em pouco mais de 1 ano, também NUNCA existiu no Brasil para tal período, aliás, NUNCA chegou a valorizar 50% em 1 ano, quanto mais TRIPLICAR.

      Ele foi afobado e apostou fortemente na IMPUNIDADE.

      Os políticos SUJOS alimentaram a bolha imobiliária com seus negócios ESCUSOS e a bolha imobiliária em si ajudou a disfarçar os crimes praticados. Do mesmo jeito que com Fatura Bolsinho, tivemos milhares de casos assim em todo o país.

      Cabe lembrar que fora a relação DIRETA deste caso com a bolha imobiliária, que está levando corretores e construtoras a tomarem mais cuidado e não incentivarem estas negociatas para não virarem cúmplices dos criminosos, destruindo a bolha por mais esta vertente, dependendo do desenrolar deste caso e das demais investigações com o Queiroz, pode até comprometer a governabilidade de Bolsonaro e dependendo do timing em que isto acontecer, inviabilizar a aprovação da reforma da previdência, como aconteceu com Temer em 2017.

      Entre outras coisas, em algum momento vão questionar como um pai poderia ter achado normal o enriquecimento gigantesco e ultra-rapido do filho logo depois de ter entrado na política e nunca ter desconfiado disto, fora o fato de que provavelmente tenham rolos direto do Queiroz com presidente e esposa e ainda, que Bolsonaro se colocou como a “virgem do bordel” e muitos votaram nele pela corrupção do PT, ou seja, o estrago tende a ser MUITO GRANDE, principalmente se investigacoes se aprofundarem em rápida velocidade.

      Claro que investigações e processos na justiça levam uma eternidade, mas tudo depende dos “interesses” por trás disto…

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Dr. Estranho 16 de maio de 2019 at 00:10

    MARK

    Bem que o CA já falava da lavagem de dinheiro feita pelo moço…
    “O Ministério Público do Rio de Janeiro vê indícios de que o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, comprou e vendeu imóveis para lavar dinheiro, segundo informou a revista Veja nesta quarta-feira. Entre 2010 e 2017, quando ainda era deputado estadual, Flávio investiu 9,425 milhões de reais na compra de 19 imóveis, entre salas e apartamentos, e lucrou 3,089 milhões nessas transações imobiliárias. Em documento sigiloso obtido pela revista, a promotoria, que conseguiu na Justiça a quebra do sigilo bancário e fiscal de 95 pessoas e empresas relacionadas ao senador, identificou “suspeitas de subfaturamento nas compras e superfaturamento nas vendas” dos imóveis. Para o MP, a fraude pode ter ocorrido para “simular ganhos de capital fictícios” de modo a encobrir “o enriquecimento ilícito decorrente dos desvios dos recursos” da Assembleia Legislativa do Rio (ALERJ).
    https://brasil.elpais.com/brasil/2019/05/16/politica/1557961576_034022.html?id_externo_rsoc=FB_BR_CM&hootPostID=a6ec035a3e63f7bfbefd4f7c53f4fdb4&fbclid=IwAR3Yh-4vll-Qp6d6Ut2so6LENwdDUZuWFavanL0rET5LT-1reEeVKtd-1xw

    2+
    • avatar

    Eles vão empurrar com a barriga essa investigação por dois motivos: 1) a coisa envolve toda a assembléia legislativa. 2) Membros do MP e do judiciário estão na delação do Cabral. A ideia é um não [email protected] o outro, mas todos se manterão armados até os dentes. Espero estar errado e ver o pimpolho tombar.

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 16 de maio de 2019 at 07:40

      Ontem o mp tambem barrou uma delaçao de um vip da fecomercio. A delaçao chegava no judiciario (como nao poderia deixar de ser). Acho que quando sairem as denuncias , sera o caso de montarmos uma enciclopedia com os membros do mp e judiciario corruptos. Muitos ja morreram e viraram nomes de ruas e outros locais publicos.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 16 de maio de 2019 at 07:53

      É bem provável que não dê nada, por causa dos outros que estão envolvidos, e não por causa do Flávio Bolsonaro.

      A Justiça do Rio acatou pedido do Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) e determinou a quebra do sigilo bancário e fiscal do presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), o deputado estadual André Ceciliano (PT).
      Segundo um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf, órgão federal) anexado à investigação pelo MP-RJ, três servidores ligados a Ceciliano movimentaram R$ 45 milhões no período de janeiro de 2016 a janeiro de 2017. No fim de janeiro, Ceciliano exonerou sua assessora Elisângela Barbiere, uma das pessoas citadas no documento. Ela recebia R$ 7,7 mil por mês, mas movimentou R$ 26,5 milhões num período de seis anos.

      https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2019/05/09/interna_politica,1052288/justica-do-rio-quebra-sigilo-do-presidente-da-alerj.shtml

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • socrates 16 de maio de 2019 at 09:35

        “Ela recebia R$ 7,7 mil por mês, mas movimentou R$ 26,5 milhões num período de seis anos.”
        BIZARRO

        Quanto ao Flávio, o que mais vejo são argumentos do tipo: “mas os outros fizeram tretas também. E muito mais… ”
        Ora, todos tem que ser punidos! Mas quem está no TOPO tem que dar o exemplo. Tem que ser punido exemplarmente , até para podermos mudar o paradigma da impunidade.
        De qualquer jeito, em relação aos imóveis, o certo mesmo é tornar fácil e transparente todo o processo de registro e compra/vendas de imóveis. Os contratos de gaveta favorecem a “invenção” de histórias, com a criação de situações pretéritas que só facilitam o desvio e a consolidação da má-fé.
        Tem que haver um corte. E já passou da hora de isso acontecer.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 16 de maio de 2019 at 05:13

    O Goldman Sachs também revisou para baixo a projeção para o resultado fechado do ano, de 1,7% para 1,2%, hoje. BNP Paribas de 2% para 0,8%, Barclays de 1,7% para 1,2% e ABC de 1,6% para 1,1%.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 16 de maio de 2019 at 07:04

      Cajuzinha,

      Parece que temos um “efeito manada” nas previsões, todos se apressando em rever para baixo para não ficarem muito longe da realidade…

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Карлос, красный лак 16 de maio de 2019 at 08:07

    Recuperação: Expectativas X realidade

    País em marcha lenta faz lucro das empresas diminuir 5,7% no 1º trimestre

    Para especialistas, ganhos de boa parte das companhias foram afetados pela dificuldade em repassar alta de custos e refletem a frustração com a retomada da economia; levantamento considera lucro de 231 empresas com ações negociadas em Bolsa

    A paralisia da economia afetou a rentabilidade das empresas listadas em Bolsa no primeiro trimestre. Levantamento feito pela consultoria Economática mostra que o lucro líquido de 231 companhias abertas totalizou R$ 20 bilhões, queda de 5,74% sobre janeiro a março de 2018. Os dados, que têm como base os balanços entregues até as 18h de quarta-feira, 15, excluem os bancos, a Vale, a Petrobrás e a Oi, por distorcerem os resultados.

    “Criou-se uma expectativa grande no mercado financeiro de que a economia do País iria se recuperar com a troca de governo”, diz Istvan Kasnar, professor da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ebape). “Essa retomada não se concretizou nos primeiros cem dias e ainda há incertezas para os próximos meses. A queda da rentabilidade das empresas refletiu, em boa parte, essa frustração de expectativas.”

    A crise argentina, por exemplo, derrubou o saldo comercial brasileiro no primeiro quadrimestre. Segundo o Indicador de Comércio Exterior (Icomex), da FGV, a balança comercial com a Argentina passou de superavitária para deficitária em US$ 3,1 bilhões.

    A Volkswagen, por exemplo, colocou em férias coletivas os funcionários das fábricas de São Bernardo do Campo e Taubaté (SP). O motivo foi a queda no consumo da Argentina, seu principal destino de exportações. Apesar de a montadora não ter capital aberto no País, a iniciativa afeta fornecedores, como siderúrgicas e autopeças.

    Já a crise entre EUA e China derrubou o comércio internacional, avaliam os economistas. Segundo estimativa da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), a perda potencial do País com a disputa é de cerca de US$ 30 bilhões.

    https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,pais-em-marcha-lenta-faz-lucro-das-empresas-diminuir-6-no-1-trimestre,70002830730

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Карлос, красный лак 16 de maio de 2019 at 08:12

    OFF Sessão da Tarde – Esta família vai causar grandes confusões, no caso já causou e continua causando.

    Oito investigados pelo MP-Rio já trabalharam com Jair Bolsonaro
    Funcionários que assessoram o atual presidente da República quando era deputado federal estão entre os que tiveram sigilo fiscal quebrado pela Justiça

    Oito alvos da quebra de sigilo bancário e fiscal na investigação que mira o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) já trabalharam no gabinete de seu pai, o presidente Jair Bolsonaro, quando este era deputado federal. Os nomes, que incluem uma irmã e uma prima de Ana Cristina Valle, ex-mulher de Bolsonaro, aparecem em decisão do juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, de 24 de abril, que listou 95 pessoas e empresas na investigação. Todos terão os dados bancários e fiscais abertos a pedido do Ministério Público.

    Assessores

    Um levantamento feito pelo Estadão Dados, com base em documentos obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação, mostra que a família Bolsonaro manteve, em quase três décadas de vida parlamentar, a prática de alternar a contratação de funcionários entre seus gabinetes na Câmara, em Brasília, na Alerj e na Câmara Municipal da capital fluminense.

    Ao todo, 30 pessoas já passaram por mais de um gabinete de Jair Bolsonaro ou dos três filhos que têm atuação política: Flávio (que era deputado estadual no Rio), Eduardo (deputado federal por São Paulo) e Carlos (vereador no Rio).

    https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,oito-investigados-pelo-mp-rio-ja-trabalharam-com-jair-bolsonaro,70002830824

    7+
    • avatar
    • avatar
  • Карлос, красный лак 16 de maio de 2019 at 08:17

    Pedala Eztec, com uma ajudinha do Previ….

    Após uma década, Eztec lançará torres residenciais do Parque da Cidade (SP)

    Quase dez anos depois de idealizado, o complexo imobiliário Parque da Cidade, ao lado da Marginal Pinheiros, em São Paulo, começa a ver suas torres residenciais serem construídas. O lançamento para o público ocorrerá em meados de agosto, conforme planeja a Eztec. O complexo foi anunciado em 2012 pela Odebrecht Realizações Imobiliárias (OR), englobando cinco prédios comerciais, um hotel e um shopping center, além dos imóveis residenciais. Mas a crise da economia brasileira e do próprio grupo obrigaram a Odebrecht a vender os ativos para estancar a dívida crescente.

    Bom negócio. A Eztec ficou com o terreno e o projeto residencial já aprovado, por R$ 90 milhões. As despesas decorrentes da obra são por sua conta. Nada mal, sendo que a expectativa é de arrematar cerca de R$ 500 milhões com as vendas dos apartamentos de alto padrão nos próximos anos.

    Desova. Nos anos anteriores, a Odebrecht Realizações Imobiliárias vendeu os projetos na planta de três prédios comerciais para a Hemisfério Sul Investimentos (HSI), em um negócio avaliado nos bastidores em cerca de R$ 400 milhões, e ainda uma torre comercial e um shopping center, já construídos, para o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil (Previ), por uma bolada de R$ 800 milhões. A maior parte dos prédios do Parque da Cidade já estão em funcionamento.

    https://economia.estadao.com.br/blogs/coluna-do-broad/apos-uma-decada-eztec-lancara-torres-residenciais-do-parque-da-cidade-sp/

    7+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 16 de maio de 2019 at 08:26

    Ministérios estudam novo programa habitacional para substituir MCMV
    O governo tem intenção de lançar o modelo em julho e fazer testes ainda no segundo semestre deste ano

    O “novo” MCMV será sustentado pela doação de terrenos da União nas regiões mais centrais das cidades e pelo financiamento do incorporador do projeto pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), administrado pela Caixa.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 16 de maio de 2019 at 09:15

      Cajuzinha,

      Pois é, vão repassar terrenos para construtoras provavelmente por preços bem abaixo do mercado, oferecerão crédito SUBSIDIADO via banco PÚBLICO para construção e SUBSIDIADO via FGTS para comprador do imóvel e/ou para construtoras, tudo para ajudar os cúmplices do segmento imobiliário com dinheiro PÚBLICO dos nossos impostos e com as reservas do FGTS para trabalhadores em regime CLT, de forma que este segmento consiga manter preços completamente FORA DA REALIDADE e assim gere “N” prejuízos para economia e sociedade como um todo.

      Isto que é governo “liberal”, usando e abusando de dinheiro PÚBLICO e de reservas dos trabalhadores para impulsionar um setor muito mais do que qualquer outro na economia! kkkkk

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 16 de maio de 2019 at 09:28

      Se fizerem isso, o valor do LAND BANK das construtoras despencará
      Como o land bank é utilizado como garantia para os empréstimos, será necessário fazer um impairment
      De onde estas construtoras irão tirar dinheiro para suprir estas garantias é uma boa pergunta

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 16 de maio de 2019 at 09:38

        Cesar_DF,

        O governo teria que REDUZIR MUITO o tamanho do programa em relação ao atual do MCMV para gerar este resultado.

        Os terrenos do governo não são necessariamente nas localizações mais indicadas e muito menos são em quantidade suficiente para substituir o programa nos mesmos volumes hoje praticados e as construtoras usarão esta redução como “apelo” para tentarem “melar” este novo formato (vão dizer que vai reduzir muito os imóveis para os mas pobres, que o governo não está preocupado com eles, etc).

        De qualquer forma, vale lembrar que o LandBanking das construtoras equivale a mais de 10 ANOS de lançamentos e vendas! Mesmo que o governo fizesse algo “misto” em relação ao sistema atual do MCMV em que as construtoras usam terreno próprio (como reação ao que consta no parágrafo anterior), ainda assim pioraria ainda mais esta PROFUNDA DISTORÇÃO que já existe no segmento imobiliário…

        6+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 16 de maio de 2019 at 10:12

          CA
          Em alguns locais, o governo tem terrenos justamente em bairros muito valorizados.
          Semelhante ao que aconteceu em João Pessoa, quando o governo estadual tentou desapropriar o aeroclube, que fica justamente no bairro mais valorizado da cidade, para construir um enorme conjunto MCMV categoria 1.5, ocorreu uma enorme desvalorização dos imóveis vizinhos. Podemos chamar este efeito de “DES-GENTRIFICAÇÃO”

          8+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Minino do TI 16 de maio de 2019 at 08:27

    Como já exaustivamente exposto aqui, é absurdo como muitas das grandes empresas brasileiras são o que são por só por que o governo as carrega, gerando bolhas em todos os segmentos. No caso da matéria a seguir, a bolha do FIES.

    Faculdades privadas devem ter mais um ano de receita fraca

    Com a crise econômica e menos recursos do Fies, programa de financiamento estudantil do governo, 2019 vai ser mais um ano difícil para o ensino superior privado. A receita líquida de Kroton, Estácio e Ser Educacional – os três maiores grupos educacionais com capital aberto, que juntos detêm 35% do mercado – patinou no primeiro trimestre e não deve apresentar ganhos expressivos no decorrer do ano. Nessas companhias, houve retração de 0,3% a 4,1% na receita proveniente dos cursos de graduação nos três primeiros meses do ano, quando ocorre o principal processo de captação de alunos.

    https://mobile.valor.com.br/empresas/6257957/faculdades-privadas-devem-ter-mais-um-ano-de-receita-fraca?origem=G1

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 16 de maio de 2019 at 09:00

      Diretor da Eztec demonstra irritação com notícia de mudança no MCMV

      “Não acredito que eles tenham capacidade de fazer o que estão falando”, afirmou nesta quarta-feira, 15, o executivo, durante teleconferência com investidores e analistas.

      Nos últimos anos, a Eztec passou a redirecionar alguns terrenos do segmento de média renda – um dos mais afetados pela crise – para o projetos dentro do MCMV, com maior liquidez.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • DouglasteR 16 de maio de 2019 at 09:09

        Bebedor secando, hora de abrir a torneira.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • CA 16 de maio de 2019 at 09:58

        Cajuzinha,

        A irritação da EzTec tem a ver com o que o Cesar_DF colocou acima:

        As grandes construtoras com Ações na BOVESPA, incluindo a EzTec, estão com SUPER-ESTOQUE de terrenos HÁ MUITOS ANOS! Para se ter uma ideia, o que estas construtoras possuem de terrenos (Land Banking) é o suficiente para mais de 10 ANOS de lançamentos e vendas!

        Agora imagine o governo vir com a ideia, para reduzir o custo dele e reaproveitar terrenos ociosos dele, de utilizar estes terrenos do governo e não das construtoras para um “novo” MCMV. A situação ANORMAL acima de Land Banking super-exagerado vai ficar pior ainda!

        Voltando a outro ponto colocado pelo Cesar_DF, os terrenos são parte da garantia dada a bancos para financiamentos, aumentos relevantes em distorções já ABSURDAS quanto a oferta e procura por terrenos fariam com que estes terrenos despencassem de preço e estas construtoras teriam muito mais dificuldade para obterem empréstimos para novos empreendimentos, pois o balanço delas representaria uma garantia MUITO MENOR para os bancos, sem contar o PREJUÍZO na veia pela queda dos preços destes terrenos finalmente ser reconhecida após ANOS que estão PEDALANDO com o problema!

        O FATO é que temos uma distorção pra lá de ABSURDA entre oferta e procura de terrenos e imóveis, tanto residenciais quanto comerciais, incluindo aquilo que está em poder da CEF (maior proprietária de imóveis do PLANETA), aquilo que está INADIMPLENTE e maquiado (ALGUMAS VEZES o estoque da CEF!), o que está em poder das construtoras, mais os distratos adiados, mais a oferta de usados que cresceu exponencialmente, etc, etc, etc… E quanto mais tempo passar e mais GAMBIARRAS tentarem fazer para sobreviverem, PIOR será a explosão final…

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • CA 16 de maio de 2019 at 09:35

      Minino do TI,

      BOLHAS são todas iguais, seguem os mesmos roteiros. E é IMPRESSIONANTE o volume de evidências que temos em TODAS as bolhas e para as quais os “especialistas economistas”, a imprensa e os governos se fazem de CEGOS, SURDOS E MUDOS.

      O “script básico” das BOLHAS / manias financeiras, quando se utilizam de SUBSÍDIOS do governo:

      – Governo entope um setor oferecendo SUBSÍDIOS em larga escala;

      – Os empresários, vendo juros mais baixos, ajuda em dinheiro, “facilidades” para obter o crédito, prazos muito alongados de pagamentos, etc, etc, etc, resolvem investir em PESO, o setor tem um crescimento excepcional em lançamentos de produtos e/ou serviços para usufruir destas condições PRIVILEGIADAS;

      – Como consequência do item anterior, vemos uma PERDA DE QUALIDADE sensível nos produtos / serviços oferecidos, ao mesmo tempo que os SUBSÍDIOS, facilidade de pagamento, maior parcelamento, etc, permitem que os preços subam de forma relevante e FORA DOS FUNDAMENTOS;

      – No começo e por um tempo, os clientes destes produtos / serviços se empolgam com a situação acima e aderem em alto volume aos mesmos;

      – O ciclo acima chega a um limite de expansão e começa a explodir a bolha quando os preços sobem de forma tão ABSURDA e/ou quando acaba a verba do governo p/ SUBSIDIAR e/ou quando a distorção entre oferta e procura fica tão ANORMAL que muitas empresas do setor começam a QUEBRAR;

      – Em função do item anterior, queda de consumo, degradação de empregos, super-endividamento, inadimplência ANORMAL, etc. E quanto mais bolhas e mais intensas, maiores serão estas consequências negativas, que vão se espalhando para cada vez mais pessoas, independente inclusive delas terem ou não caído nos golpes por trás das bolhas ou não, porque acaba ganhando uma escala nacional quando são várias e com algumas delas muito intensas, como é o nosso caso.

      – Sai governo e entra governo, a única coisa que fazem é PEDALAR com as bolhas, rezando para que explodam de forma mais visível e definitiva somente no próximo mandato, que poderá ser deles ou de algum outro político. O governo atual, por exemplo, quer dar continuidade aos SUBSÍDIOS do MCMV (mesmo que mude o formato), quer DOBRAR o crédito imobiliário com verba da poupança via CEF e derivativos, já criou um cartão de crédito consignado para idosos, já criou um crédito de 100% do preço dos caminhões via CEF, análogo a isto para manutenção de caminhões via BNDES, dentre outras iniciativas na mesma linha, exclusivamente para PEDALAR com os problemas, DOBRANDO A META do que já foi feito pelos antecessores.

      E a consequência de tudo isto, é a crise sem fim que estamos vendo e que tende a PIORAR cada vez mais conforme não param de PEDALAR…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 16 de maio de 2019 at 09:09

    É bastante comum em Brasília a pessoa se mudar daqui quando se aposenta, por causa do custo de vida.
    Acho que a vacância aumentará mais ainda até o final do ano.

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/05/16/programas-de-cortes-em-estatais-preveem-desligamento-de-mais-de-25-mil-funcionarios.ghtml

    Programas de cortes em estatais preveem desligamento de mais de 25 mil funcionários

    A estimativa do governo é de um total de 21,5 mil desligamentos ao longo do ano somente com esses sete programas, o que poderá gerar uma economia com folha de pagamento da ordem de R$ 2,3 bilhões por ano.

    O número não inclui o PDV anunciado em abril pela Petrobras, que pela lei não precisa de aval do governo para lançar programas de desligamento. Considerando também a expectativa de 4,3 mil demissões na petroleira, o total de desligamentos previstos no ano em estatais chega a 25,8 mil.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 16 de maio de 2019 at 09:32

      Lembrando que brasileia está com 60 anos e agora vai cair rapidamente
      -População do DF cai 2,1% em 1 ano e fica abaixo dos 3 milhões; (G1)
      Diminuição foi de 64.741 moradores. a taxa de natalidade é de 1,68 por mulher.
      em 2022 23% da pop estarão acima de 44 anos. A maioria fica em 35 a 39 anos, depois disso cai muito. ou seja a pessoa mais velha sai mesmo e entra cada vez menos.

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 16 de maio de 2019 at 09:38

        E hoje somente com os associados da SECOVI tem 60 mil imóveis vagos.
        No total, contando os particulares, deve ter algo entre 100 e 150 mil vagos no DF.

        6+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Cesar_DF 16 de maio de 2019 at 09:40
        • DouglasteR 16 de maio de 2019 at 09:44

          80% dos idosos no Plano Piloto, TODOS os jogos em Aguas Claras haha

          6+
          • avatar
          • avatar
          • DouglasteR 16 de maio de 2019 at 10:24

            Todos os jovens !!

            3+
            • avatar
        • socrates 16 de maio de 2019 at 09:49

          há algum dado conflitante: na materia, de JULHO de 2018, afirma-se

          “A tendência nacional é oposta. O estudo prevê que a população brasileira crescerá até 2040, atingido um ápice de 231,9 milhões neste ano. A partir daí, o número recua pouco a pouco, caindo no patamar de 228,9 em 2060.
          No Distrito Federal, isso não deve acontecer. Hoje, o IBGE calcula 2.972.209 moradores na capital. Em 2060, serão 3.789.728 – uma alta de 27,5%, sem um único ano de saldo negativo até lá.”

          E , em AGOSTO do mesmo ano (um mês depois?), nova matéria também do G1 afirma:

          “População do DF cai 2,1% em 1 ano e fica abaixo dos 3 milhões; …
          Diminuição foi de 64.741 moradores. Em 2018, fecundidade no DF chegou a 1,68 filho por mulher.”

          https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2018/08/29/populacao-do-df-cai-21-em-1-ano-e-fica-abaixo-dos-3-milhoes-entenda-as-razoes.ghtml

          2+
        • Alemon Fritz 16 de maio de 2019 at 10:09

          o crescimento de brasil será zero já em 2047 e o de Brasilia zero já em 2055
          Ou seja, na verdade tudo é pior e mais rápido na verdade. e Esses dados estão superestimados, vamos ver o censo de 2020… pra ver quanto a greve dos caminhoneiros, a zika, dengue, brumadinho, boate kiss, presídios, e crise de gênero afetaram a pop kkkk.
          É pior do que “se imagina-se”.

          8+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Alemon Fritz 16 de maio de 2019 at 11:16

            -Sobe número de mortes por gripe no Paraná; nove óbitos foram confirmadas..
            Paraná Portal-16 horas atrás
            -Número de mortes por acidente de trabalho volta a crescer após 5 anos. (parece uma vantagem)
            UOL-6 horas atrás

            3+
            • avatar
      • socrates 16 de maio de 2019 at 09:43

        população do hell = 6.66x.xxx

        Çinais cada vez mais fortes

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 16 de maio de 2019 at 09:12

    Equipe econômica quer reduzir subsídios na conta de luz
    Só no ano passado, esses incentivos drenaram R$ 19,2 bilhões dos consumidores

    A equipe econômica pretende ampliar a agenda de revisão de subsídios para incluir em sua mira benefícios bancados por meio da conta de luz, que foram turbinados durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff, mas nunca revertidos. Só no ano passado, esses incentivos drenaram R$ 19,2 bilhões dos consumidores, um valor 262% maior que em 2007, já descontada a inflação do período.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 16 de maio de 2019 at 10:22

      opah.. vou investir em energias

      3+
      • avatar
      • avatar
  • Карлос, красный лак 16 de maio de 2019 at 09:26

    OFF – Muito cuidado na hora de comprar veículo usado, neste caso o veículo aparente estar em bom estado geral e ter tido manutenção correta, mas na realidade….

    https://www.youtube.com/watch?v=K4B_xk914I0

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cadeludo 16 de maio de 2019 at 10:08

      acho que só tem uma explicação
      o cara financiou um altinho, nunca troco o oleo, nunca fez geometria, nem deve ter pago as prestações bíblicas
      isso é comum nos carros mais caros
      é tipo dar o passo maior que a perna

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 16 de maio de 2019 at 10:11

        Eu tenho um amigo que comprou um C3 pras filhas, esposa e ele usarem, deve ter 3 anos, já fez o motor 2x segundo ele (viajam muito pra Curitiba).. tipo vixe tinha de trocar o óleo..

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Rico 16 de maio de 2019 at 10:38

          Como consegue… meu francês está com 120 mil km e inteiro. Tem um carro desse na família em ótimo estado.
          As pessoas pensam que carro é televisão…

          13+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 16 de maio de 2019 at 10:46

            Até hoje 2 carros fundiram na minha mão
            Opala 1978 – defeitos simultâneos no cebolão e no termômetro.
            Saveiro diesel 1990 – falha de projeto da VW

            5+
            • avatar
            • Rico 16 de maio de 2019 at 11:19

              Nunca teve Saveiro Diesel a venda no Brasil. Era adaptação então.
              Só fundi até hoje motos 2t, isso porque tinha 18 anos e era cupim de ferro, andava só na faixa vermelha do contagirus.

              4+
              • avatar
              • avatar
              • Cesar_DF 16 de maio de 2019 at 11:24

                Rico
                O código de trânsito na época dizia que os utilitários poderiam ter motor diesel, independente da capacidade de carga

                “Também foi fabricada com motorização diesel, exclusivamente para exportação,a legislação brasileira na época já proibia o uso deste combustível em veículos de passeio, mas permitia em utilitários, ainda sem a denominação da capacidade de carga inferior a 1000 kg (ora modificada mais tarde) ou sem tração nas 4 rodas, recebeu os motores 1.5, 1.6 vindo da Kombi Diesel e o 1.9 originário do Golf. Até hoje são muito procuradas e valorizadas as adaptações feitas por proprietários com o motor 1.6 da Kombi Diesel, visto que seu consumo é muito baixo (atingindo 20 km/l na cidade). Há versões desta também com cabine dupla feita por concessionárias.”
                https://pt.wikipedia.org/wiki/Volkswagen_Saveiro

                2+
                • avatar
                • Rico 16 de maio de 2019 at 11:39

                  Cesar,
                  Eu acompanhei isso. Muitas pessoas conseguiam regularizar as Saveiros Diesel, geralmente adaptadas de motores da Kombi, mas a VW nunca a vendeu no mercado interno.

                  5+
                  • avatar
                  • avatar
                  • avatar
                  • Rico 16 de maio de 2019 at 11:43

                    Há muita informação desencontrada nesse texto.
                    Nunca exisitiu motor 1.5 para Kombi. Esse motor 1.9 Diesel ia para a linha Gol de exportação, mas nunca equipou nenhum veículo por aqui. Inclusive acredito que eram importados com regime de isenção de impostos para produtos produzidos apenas para exportação. O VW Voyage, que tinha o nome Fox utilizva um sistema de injeção alemão importado com o mesmo fim.

                    7+
                    • avatar
                    • avatar
                    • avatar
                    • avatar
                    • Rico 16 de maio de 2019 at 11:43

                      Em tempo, nunca existiu motor 1.5 diesel.

                      3+
                      • avatar
                  • Cesar_DF 16 de maio de 2019 at 11:47

                    Rico
                    Fui atravessar um riacho com ela, e o cabeçote trincou
                    Parece que, por ser um motor de alumínio, a velocidade com que a parte de baixo resfriou em contato com a água, enquanto o cabeçote mantinha-se quente, provocou uma rachadura longitudinal entre uma sede da válvula de entrada com a de saída. Depois descobri que isso era uma falha de projeto.

                    5+
                    • avatar
                    • avatar
                    • avatar
  • CA 16 de maio de 2019 at 10:54

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/05/16/52-milhoes-de-desempregados-procuram-trabalho-ha-mais-de-1-ano-aponta-ibge.ghtml

    O artigo acima retrata bem a CONTINUIDADE da PROFUNDA DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS, através de MAIS UMA variável, que é o tempo em que as pessoas estão buscando recolocação após terem sido demitidas.

    Pelo que consta nos dados do IBGE referentes ao primeiro trimestre de 2019, que foram divulgados hoje, batemos o recorde de pessoas que estão procurando emprego há menos de 1 mês e também o recorde quanto a quem procura empregos há mais de 2 ANOS.

    A situação acima é GRAVE, uma vez que o indicador de aumento de procura há menos de 1 mês significa que o desemprego continua crescendo no período mais recente e o outro indicador, de recorde de desempregados há mais de 2 anos demonstra a ENORME DIFICULDADE para um contingente cada vez maior de pessoas para conseguir uma ocupação.

    O que torna ainda PIOR o contexto para aqueles desempregados há mais de 2 anos, é que temos recorde de DESALENTADOS, INFORMAIS e empreendedorismo por NECESSIDADE, ou seja, este recorde de desempregados por período tão longo sequer conseguiu se enquadrar nestas outras categorias que por si só, já denotavam a gravidade da DEGRADAÇÃO DOS EMPREGOS pela qual passamos.

    Com relação à reduções daqueles que procuram de 1 mês a menos de 1 ano e também naqueles que procuram entre 1 ano e 2 anos, indica que mesmo com demora muito maior que o normal de antes da crise, ainda temos um contingente que tem uma melhor “empregabilidade” e que consegue se recolocar mesmo com a crise se intensificando. Só que como este contingente mais “empregável” que ainda não conseguiu um emprego continua sendo MUITO ELEVADO, provavelmente só após a redução mais sensível de desemprego para estas faixas é que poderia ocorrer uma recuperação para aqueles “menos empregáveis” que procuram há mais de 2 anos.

    O “probleminha” do raciocínio que coloquei no último parágrafo, é que não há expectativas de qualquer recuperação mais rápida e efetiva na oferta de oportunidades, logo, o sofrimento dos que procuram emprego por mais de 2 anos tende a continuar contando com um contingente cada vez maior de pessoas, no mínimo no decorrer deste semestre.

    O governo está apostando todas as fichas na reforma da previdência e em paralelo, alimentando incêndio com gasolina para bolhas, neste contexto, ainda veremos outros indicadores de continuidade da degradação dos empregos mesmo após a reforma da previdência, sendo nova fonte de FRUSTRAÇÕES para todos.

    9+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 16 de maio de 2019 at 11:07

    Os 3 momentos que ‘esfriaram’ euforia do mercado com governo Bolsonaro
    Laís Alegretti
    Da BBC News Brasil em Londres

    1. Reforma da Previdência em marcha lenta

    2. Comunicação: brigas no Twitter e contradições
    O excesso de polêmicas envolvendo Olavo de Carvalho, “guru ideológico do atual governo”, e os militares também tem atrapalhado a imagem do governo e passado a sensação de que falta “foco”.

    “O governo se envolve muito em questões que são secundárias, como as discussões no Twitter e brigas palacianas. O foco de toda ação deveria estar em questões primordiais, como ações efetivas para a economia andar, em especial, a Reforma da Previdência”, disse Patrícia Palermo.

    3. Intervenção do governo
    Bolsonaro foi eleito com a defesa de uma agenda liberal para a economia, com promessa de reduzir os gastos do governo federal e diminuir a interferência do Estado no mercado.

    https://www.bbc.com/portuguese/brasil-48281132

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 16 de maio de 2019 at 11:15

      Ele erra muito na comunicação, veja as diferenças

      Em sua chegada a Dallas, nos Estados Unidos, nesta quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que os estudantes em manifestação contra o corte de verbas para a Educação são “massa de manobra” e ” idiotas úteis, uns imbecis”. Em sua opinião, eles são manipulados por uma minoria que comanda as universidades federais.

      Mourão diz que manifestações contra bloqueio do MEC fazem parte do sistema democrático
      Presidente em exercício afirmou ainda que governo tem falhado na comunicação ao tentar explicar bloqueio de recursos

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 16 de maio de 2019 at 11:22

        Cesar_DF,

        Não me lembro de ter visto um presidente usar estas expressões em público. Embora os fanáticos pelo Bolsonaro apoiem e achem que isto mostra a coragem dele, na verdade este é o famoso “sincerícidio” (sic), será usado contra ele por muito tempo.

        O mais próximo que vi disto foi a declaração do FHC que foi interpretada como se ele tivesse dito literalmente que os aposentados eram vagabundos (se referia a aposentados com menos de 50 anos), que ficou marcado e associado à ele para toda a vida (e vão lembrar depois da morte dele também).

        O porta-voz da presidência tentou “remendar” e utilizar o mesmo discurso da vice-presidência, mas não foi possível.

        De fato, por questões de comunicação e INÚMERAS picuinhas, o governo é um de seus maiores inimigos. Por coincidência estava postando um comentário em que este é o item 5 e consta logo abaixo. A continuar com estas situações, só dificultarão e/ou atrasarão a reforma da previdência, o Santo Graal eleito pelo próprio governo (ou pela parte dele que acredita nisto)…

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 16 de maio de 2019 at 11:37

          CA
          Apesar da etiqueta de cunho pejorativo BOLSOMINION ser “popular”, no meu círculo de amizades ou colegas de trabalho, não conheço ninguém que tenha uma “adoração incondicional” pelo Bolsonaro, aqueles que o tratam como “mito, mito, mito” são apenas uma minoria barulhenta, a grande maioria espera que, com uma liberalização da economia venha a prosperidade, e estão cientes de que essas caneladas que ele dá acabam prejudicando o atingimento desta meta.

          Medidas econômicas concretas que estariam num rumo oposto à liberdade econômica, acho que até agora foram poucas, eu esperava até mais medidas populistas, visando reduzir a resistência da esquerda.

          Esta polarização desnecessária que ele está provocando, na verdade está beneficiando o PT, pois na situação do NÓS CONTRA ELES, acaba agregando o pessoal da esquerda pelo viés SOCIAL.

          8+
          • Cesar_DF 16 de maio de 2019 at 11:39

            CA
            Acho que, se hoje o Mourão estivesse como presidente, o PT estaria totalmente desidratado, seriam apenas ratos fugindo de um navio afundando, mas o Bolsonaro os transformou na “resistência” a um opressor, acho que ainda não se tocou que a eleição já acabou.

            7+
  • CA 16 de maio de 2019 at 11:08

    Há ainda um conjunto de riscos a serem acompanhados, que poderiam levar à tempestade perfeita, que seria nem conseguirem aprovar a reforma da previdência. Tal cenário seria CATASTRÓFICO para os empregos, economia e sociedade e infelizmente, não é de todo improvável. Os riscos mais concretos neste momento, dizem respeito a um ou mais dos fatores abaixo combinados acabarem ocorrendo antes da votação da reforma da previdência:

    1) Volta à REALIDADE quanto a números da economia pode tirar ainda mais rapidamente a popularidade do governo e portanto, o apoio do congresso para votação de uma reforma IMPOPULAR como a da previdência. Em TESE a maioria da população apoia a reforma, mas muitos ainda não tiveram plena consciência do impacto da mesma em suas vidas, isto pode se reverter com possíveis reveses pessoais para parte relevante da população em função do agravamento da crise e mais informações a respeito com o passar do tempo;

    2) Em paralelo, poderemos ter explosões de bolhas do Exterior, mas neste caso, tanto poderiam ajudar a reforma por reforçar sua urgência, como prejudicá-la pelo imediato agravamento da crise e da insatisfação da população com o governo, que não previu isto nem “transformou em uma marolinha” como “o Lula fez” (via BOLHAS 1.000 vezes mais destrutivas, mas que ninguém sabe). Aqui será uma guerra da INFORMAÇÃO contra a DESINFORMAÇÃO, não tem como saber agora se ajudaria ou atrapalharia na reforma, depende de quem vencer;

    3) Intensificação de manobras conduzidas por sindicatos, como as de ontem, de forma a ganhar corpo uma visão contra Bolsonaro. Se surgirem outras polêmicas e mobilizações similares até antes da reforma da previdência, a tendência é que vários temas se generalizem em torno de uma oposição irracional ao governo, podendo contaminar o apoio à reforma da previdência;

    4) Risco de intensificação e aceleração das investigações policiais no entorno do presidente revelarem de forma inequívoca evidências de corrupção, lavagem de dinheiro e outras práticas escusas. O aprofundamento do MP no caso de Flávio Bolsonaro e Queiroz, se tiver evolução relevante em evidências e até possivelmente delações premiadas antes da reforma da previdência, pode inviabilizar a aprovação da reforma da previdência;

    5) O próprio governo, seu maior inimigo: picuinhas entre Olavistas e Militares, pronunciamentos desastrados, polêmicas desnecessárias, discussões sobre costumes fora de propósito, etc, ajudam a contaminar e boicotar o grande apoio que é necessário para aprovação da reforma da previdência.

    É pelo conjunto acima (exceção do item 5 que não prevíamos nesta escala) que desde o ano passado alertávamos que a reforma da previdência deveria ser votada o quanto antes em 2019. Infelizmente adiaram do primeiro para o segundo trimestre e agora a estimativa mais realista é que ocorra no terceiro trimestre, o que só aumenta os riscos acima…

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • MARK 16 de maio de 2019 at 11:38

    Cajuzinha

    O Goldman Sachs também revisou para baixo a projeção para o resultado fechado do ano, de 1,7% para 1,2%, hoje. BNP Paribas de 2% para 0,8%, Barclays de 1,7% para 1,2% e ABC de 1,6% para 1,1%.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar

    Mais uns meses, já projetarão como negativo o resultado de 2019, esse sim verdadeiro. Mas a culpa será dos caminhoneiros ou dos estudantes que não sabem nem qual é a fórmula da água, a turma do contra e por aí vai…

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Senhor Bolha 16 de maio de 2019 at 11:51

      Normal: a culpa é deles também, principalmente por não entender porra nenhuma de contas públicas e achar que dinheiro cai do céu.

      O você acha que esta categorias não foram agraciadas com rios e rios de dinheiro acarretando em aumento de gastos públicos nas duas ultimas décadas?

      Entendo que o governo atual pedala para caramba, mas eximir o parasitismo do brasileiro na teta do estado não vai fazer ninguém melhor ou pior.

      O Brasil é uma teta gigante: estas categoria também fazem parte do grande limbo em que nos metemos! Os políticos são reféns da demanda do povo, e o povo quer sempre mais não importando da onde vai vir o dinheiro.

      13+