Caixa corta juros e amplia prazo de financiamento da casa própria para 35 anos – UOL

Você pode gostar...

Comments
  • Stark 5 de junho de 2012 at 16:53

    Mais munição pros especuladores. Acho que essa decisão vai só inflar mais a bolha pra um estouro um pouco posterior, mas de maior intensidade.

    0
  • Carlos_ 5 de junho de 2012 at 16:54

    É inacreditável. Vamos seguindo os passos da Espanha.

    Dado importante do texto:

    ““Dos nossos financiamentos, 82,8% são para famílias com renda de até 10 salários mínimos”, disse o vice-presidente de Governo e Habitação do banco, José Urbano Duarte.”

    Ou seja, 6.500 reais de renda familiar. Sugiro simularem um financiamento usando como renda familar total esse valor. Vocês verão que não dá para comprar nada em nenhum grande centro urbano.

    Mais um dado para compravar que os preços atuais são insustentáveis.

    0
    • anamirandabh 5 de junho de 2012 at 16:56

      Lá vem o subprime verde e amarelo

      0
    • Paulo D. 5 de junho de 2012 at 17:19

      Pra quem ficou com preguiça eu fiz as contas.
      R$ 6.500 de renda bruta financia 185k (tem que pagar uns 20k de entrada) com “suaves” parcelinhas de 1859,47por mes……

      a primeira prestação será composta de:
      – 4% – R$ 77,59 – Taxas e seguros
      – 68% – R$ 1262,02 – Juros
      – 28% – R$ 519,82 – amortização

      (ah, ainda tá só em 30 anos, em 35 capaz que aumente um nada….)

      0
      • Carlos_ 5 de junho de 2012 at 17:37

        Valeu Paulo.

        Como disse, não dá para comprar nada, nada mesmo, em nenhum grande centro.

        Para quem está na dúvida se a situação atual é sustentável ou não, para mim essa é uma dos maiores indícios que não.

        0
        • Fred 5 de junho de 2012 at 18:00

          Recebi agora este e-mail de um corretor espertinho:

          “Oportunidade de Investimento!!!

          Kitnet no Centro de São Paulo

          R$ 180.000,00 financiados sem entrada

          360 X R$ 1.818,65 (primeira parcela)

          R$ 528,37 (última parcela)

          (TABELA SAC – VALORES DECRESCENTES)

          Ao lado da estação da Luz – Área de revitalização”

          0
          • Paulo D. 5 de junho de 2012 at 18:02

            sem entrada?????
            pode isso arnaldo?

            0
          • CHARLES 5 de junho de 2012 at 18:53

            Ao lado da Luz? O local é podre. A noite só tem viciados, prostitutas, traficantes e ladroes. Falo com experiencia de quem morou ali perto e vi aptos para alugar naquela regiao. Impossivel morar lá sem usar armadura para as tarefas diárias.

            0
            • Leno 5 de junho de 2012 at 23:04

              Não moro na Luz nem que me paguem. Lugar nojento e perigoso.

              0
          • rui filho 5 de junho de 2012 at 19:07

            Essas kits por 40 k eram caras a dois no máximo 3 anos. De lá pra cá o local virou alvo de invasões, protestódromos. A tal nova luz nunca sai do papel, mas o instituto lula sim. E querem 180 k agora. Valeu CEF, Valeu Dilma. Todo mundo com divida de 35 anos se quiser um mocó. Tudo porque o “brasileiro médio” não sabe fazer conta.

            0
          • Leonardo 6 de junho de 2012 at 12:02

            Todo mundo tem medo de passar perto da Estação da Luz, quanto mais de morar ou investir (e a cracolândia voltou pra lá ainda, não tem revitalização nenhuma em andamento)

            0
            • Piuas 15 de junho de 2012 at 17:15

              Pior do que a cracolândia voltar (como voltou) é ver que o MP proibiu a polícia de afastar os viciados de lá… Agora eles tem o MP defendendo o direito deles de usar crack na região. kkkkkkk. país mais ridículo ainda está pra nascer.

              0
    • Menino_do_Rio 5 de junho de 2012 at 17:50

      ATENÇÃO, ATENÇÃO !!!

      Próxima bolha se formando: bolha das cadeiras.
      Motivo: teremos que esperar sentados até a bolha imobiliária estourar, e muito…
      Continuo acreditando no PLOC no início do 4o. mandato do lula (2019 ou 2020).

      Brasil do pt, endivide-se ou deixe-o.®

      0
  • Bananildo 5 de junho de 2012 at 16:55

    Tá pegando fogo??? Joga Gasolina que apaga! kkkkkk

    0
    • Rui 5 de junho de 2012 at 18:16

      Mais uma malandragem financeira, para pegar mais uns pobre-diabos, que vao acabar ficando pendurados na brocha, com uma bomba na mao.35 anos!!!! coisa de doido varrido! Vai virar escravo de divida.Que se vai fazer! como diz o outro: passarinho que come pedra, sabe o furico que tem. ahahaha! Como todos sabem, bolha imobiliaria, e’ a arte de roubar o dinheiro de outra
      pessoa, legalmente.Essa selvageria imobiliaria, deveria ser criminalizada. Estao tentando com essas sacanagens anormais, alongar o estouro da bolha assassina. pobre-diabo que ainda nao descobriu o ponto G da perereca imobiliaria, vai daqui a pouco, ter um imovel que vale $ 150.000,00, com uma hipoteca de $ 500.000,00. Como disse: por tras de uma bolha imobiliaria, a’ sempre um grande crime.
      Regra financeira numero 1: nunca perca dinheiro! regra financeira numero 2: nunca esqueca regra numero 2.

      0
      • Adriane Medeiros Tardin 9 de agosto de 2012 at 13:32

        Você é o Rui que foi meu vizinho na André Dreyfus? Preciso falar contigo sobre financiamento da Caixa. Abs.

        0
  • self 5 de junho de 2012 at 16:56

    Entendo manter os juros num patamar mais baixo. Porém, o governo deveria agir corretamente e mandar DIMINUIR o prazo máximo de financiamento, deixar no máximo 15 ou 20 anos. Também AUMENTAR a entrada mínima exigida: hoje (se não me engano) em 10%, aumentar para algo como 30%. São apenas medidas que garantiriam melhor que a pessoa possa pagar pelo empréstimo, e manteria os preços sob controle, mantendo assim a função social (e não especulativa) da moradia.

    0
    • Stark 5 de junho de 2012 at 17:02

      Não concordo. Acho 30 anos, um prazo válido e a entrada de 10% até um determinado valor é mais que o triplo do praticado pelos EUA (3% no financiamento pelo FHA), embora lá eles compensem isso usando a tabela PRICE. Dessa forma vc não amortiza o valor do imóvel até bem mais tarde. O banco fica protegido nesse sentido. Lembre-se que a crise no subprime não se refere a isso e a crise da bolha não foi nos EUA todo, mas em alguns Estados apenas.O que vejo acontecendo aqui é a pura ganancia especulativa misturada com a ilusão das pessoas de ganho de capital capaz de sustentar uma prestação abusiva. O governo tem que estimular a construção civil, pois gera empregos, mas tem que criar mecanismos que evitem a especulação desenfreada.

      0
    • Piuas 15 de junho de 2012 at 17:18

      não há ‘função social’ da moradia… como toda propriedade privada deve ser adquirida honestamente e deveser preservada (todos tem o direito de conservar suas propriedades), no mais…
      “Função social” de propriedade privada é desculpa para saqueador te roubar

      0
  • Stark 5 de junho de 2012 at 16:56

    Aposto como o “indice” zip vai aumentar revertendo a queda…..aí mais incautos vão se meter nessa barca furada que tá sendo a compra…bom pra mim, que no curto prazo posso dar sorte de observar uma estabilidade ou queda no aluguel

    0
  • Noord 5 de junho de 2012 at 17:05

    Os passos já foram discutidos aqui faz tempo… A cartilha está cada vez mais parecida com a bolha espanhola… Como disse a Presidente – Quem apostar na crise vai perder – Vou de ALL IN na crise !!!!!!!

    0
    • Piuas 15 de junho de 2012 at 17:20

      Mas cara, isso é o certo mesmo. Toda vez que o governo fala que algo vai acontecer, acontece o contrário… Eu tb vou de all in na crise… é barbada

      0
  • NINJA sp 5 de junho de 2012 at 17:07

    Dilmônica afirma: Quem aposta na crise, vai perder. assegura . ” ainda temos um arsenal de providências, que serão tomadas assim necessario.

    0
    • Piuas 15 de junho de 2012 at 17:22

      O “arsenal” deve ser ir refazendo e desfazendo as mesmas pataquadas de sempre… Veja, pro país sair da crise, IOF nas nuvens pra empréstimos no exterior. poucos meses depois, pro país sair da crise, IOF zero pra empréstimos feitos no exterior…
      Pro país sair da crise, precisa aumentar o valor do dólar e combater o tsunami financeiro. Agora, pro país não entrar na crise, é preciso trazer o dólar par um patamar mais baixo

      0
  • Paulo D. 5 de junho de 2012 at 17:09

    uma coisa que fiquei matutando…. por que teve o feirão e depois esse anúncio? se anunciasse antes o leilão ia explodir….

    1-queriam ver se tava mesmo parado antes de anunciar mais um plano?
    2-ficaram com medo do feirão micar mesmo com o anúncio?
    3-só perceberam no leilão que a vaca tinha ido pro brejo?

    0
    • Francis Miller 5 de junho de 2012 at 17:26

      Acho que em 35 anos conseguem aprovar mais alguns % dos pré-contratos…

      0
  • Coretor 5 de junho de 2012 at 17:10

    Um absurdo não aumentarem o limite para financiamento dentro do SFH… Se mexeram nas outras variáveis, por que não mexer no gargalo que é o máximo de 500.000 para usar SFH e FGTS?

    0
    • Paulo D. 5 de junho de 2012 at 17:22

      alguém viu o filme da sessão da tarde?

      0
      • CHARLES 5 de junho de 2012 at 17:35

        O Coretor viu…Não ta fazendo nada o dia inteiro e com seu smart phone novo pode assistir TV e postar no forum dos bolhudos pobretoes….

        0
    • Carlos Eduardo 5 de junho de 2012 at 18:33

      o certo é Corretor não Coretor !

      0
    • Revoltado 6 de junho de 2012 at 09:54

      Cade seus amigos Cirilo e Tod?

      0
  • MrCitan 5 de junho de 2012 at 17:12

    Por favor, alguém aqui pode me mostrar um cálculo de como é um péssimo negócio fazer este financiamento de 35 anos?

    Falo isto, por conta das falácias que eu ouço do tipo “É melhor do que pagar aluguel”, e a famosa “você está pagando algo que é seu”, e aquele que eu fatalmente vou ouvir que é “uma casa nunca desvaloriza”.

    Sei que estas falácias são mentirosas, mas gostaria muito de contra – argumenta-las.

    Desde já gradeço.

    0
    • self 5 de junho de 2012 at 17:24

      Fiz uma simulaçãozinha considerando tabela PRICE (parcelas fixas), taxa de juros efetiva de 9% aa e R$200k de financiamento.

      30 anos –> parcela = R$ 1.558,97
      35 anos –> parcela = R$ 1.515,71

      Ou seja, na prática a diferença é MÍNIMA.

      No caso da tabela SAC (a mais usada atualmente), as primeiras parcelas seriam R$ 1.997,02 e R$ 1.917,66, respectivamente. Nada muito significativo. Mas se o valor a ser financiado subir para aprox R$209k, o valor com 35 anos já iguala ao valor antigo com 30 anos.

      0
      • Pensativo 5 de junho de 2012 at 17:27

        Então isso quer dizer que os imóveis irão valorizar mais 4,5%.

        Aposto que a próxima medida será o aumento do limite do SFH para 750k.

        0
        • Cleyton 5 de junho de 2012 at 18:10

          Certeza.

          Ah se a lotérica aceitasse uma aposta dessas, a dilma teria que pagar do bolso dela pra deixar de ser trouxa.

          0
      • AF 5 de junho de 2012 at 17:34

        30 anos paga R$ 561.229,20

        35 anos paga R$ 636.598,20

        0
        • Cleyton 5 de junho de 2012 at 18:05

          Era isso que eu ia dizer, 75k de diferença, Nada muito significativo, só 37,68%, nada mal, pra quem já ia pagar 180% ir pra 220% não é nada.

          Ah, mas agora vai caber no bolso? Humm, acho que não.

          0
        • RosinhA 5 de junho de 2012 at 18:09

          Negocião hein em 5 anos pagar a mais 75K, só daria 1,25k a mais por mês.

          0
        • Guibro 5 de junho de 2012 at 19:08

          AF, a sua conta não fecha. Alterar apenas o prazo, de 360 para 420 meses, dá uma diferença mínima no valor total financiado. Você deve ter mexido também nas taxas de juros. Dá uma conferida aí.

          0
          • Cleyton 5 de junho de 2012 at 19:44

            Guibro, o juro é o “aluguel” do dinheiro, quanto mais tempo se paga mais juros se paga, simples assim.

            O que diminui um pouco é o valor da amortização 555,56 pra 30 e 476,19 pra 35 anos, o juro sempre incide sobre o total do saldo devedor que num prazo mais longo reduz menos aumentando o valor total pago.

            Capiche?

            0
          • AF 5 de junho de 2012 at 21:15

            Guibro, nos mostre qual é a conta então.

            0
            • AF 5 de junho de 2012 at 21:42

              ah o cálculo é em cima do 1º exemplo do self – price e parcelas fixas.

              0
              • AF 6 de junho de 2012 at 10:10

                Tá dificil de sair essa conta. Só não vale usar a matemática da GAFISA.

                0
      • Eskeleto 5 de junho de 2012 at 18:01

        Aproveita e já faz as simulações de 40, 50, 60 e 70 anos afinal a Dilmona disse que tem muita recurso ainda.

        0
      • Riodetudo 5 de junho de 2012 at 18:45

        Eu ia começar a botar ainda mais motivos mas já são tão óbvios, que minha sugestão é você mudar de assunto ou trocar de amigo…

        0
  • Selvagem 5 de junho de 2012 at 17:14

    Curioso que justamente um dos sintomas de bolha apontado para os espanhóis foi justamente o governo aumentar os prazo de financiamento de 30 anos para 35 anos e depois 40 anos.

    A receita da bolha está sendo cozinhada à risca, conforme o vídeo do Spanistan

    -aumento na oferta de crédito – confere
    – mudança nas leis de zoneamento – confere (novo código florestal)
    – redução nas exigências para concessão de crédito -confere
    – aumento exponencial da quantidade de imóveis – em cozimento
    – aumento na inadimplência – em cozimento

    A bolha brasileira por enquanto apenas não tem o crédito hipotecário ( os corretores adoram esse argumento). Em compensação os ingrediente nacionais foram acrescentados: juros de 9%, corrupção, inflação de 6% ao ano, desindustrialização.

    Esse angu vai ser indigesto.

    0
  • pmoraesm 5 de junho de 2012 at 17:15

    É, acho que o governo ainda vai soprar pra inflar essa bolha por um tempo razoável viu.

    0
  • Keyser(CE) 5 de junho de 2012 at 17:15

    Fico imaginando o que devem estar pensando os felizes compradores dos feirões da caixa, que fecharam negócio em 30 anos (não que 35 seja muita vantagem, mas realmente dava pra comprar um AP melhor) e a juros maior.

    Eu que achava que o alongamento do prazo seria uma das últimas cartadas (que é pegar mais dinheiro emprestado do futuro), mas como disse em outro post, mesmo isso tem limite, afinal, somos mortais. Estou imaginando agora se meu pensamento era certo ou não.

    No mais aqui em Fortaleza ainda reparo que a cartilha é não vende por 250K, vamos tentar 275K, pelo menos nos bairros mais nobres. Um colega postou um link do O Povo (jornal local) dizendo que as vendas tinha caído (não lembro o quanto), mas parece que ainda acham que vai aparecer um santo pra salvar o dia.

    0
    • Rafael KM 5 de junho de 2012 at 19:22

      Se a coisa ficar feia antes da eleição, vão aumentar o prazo para pagamento para 100 anos, com cláusula no contrato que se o herdeiro quiser manter o imóvel deve continuar pagando as prestações.

      Mas é mlehor que viver de aluguel! (ironic mode on)

      0
  • Tucano 5 de junho de 2012 at 17:18

    Ah tá! Empréstimo Consciente né?
    Espanistão ou Espanha…..
    BRAITI ou Brasil….
    Um dia a gente descobre…. na minha humilde opinião, o pais só não igual ao Haiti porque tem muito recurso natural para roubar!
    Abraços

    0
  • Henrique Zucatelli 5 de junho de 2012 at 17:19

    A desburocratização do crédito habitacional que nunca acontece.

    Programas como o “Minha Casa, Minha Vida” foram muito úteis até onde os governantes enxergam, porém, do lado de cá as coisas são bem mais complicadas.

    Mesmo com o valor de entrada (quase sempre obrigatório), todos os passos, do pedido de financiamento, até a aprovação, não condizem com o papel social, nem com o ti po de reserva de domínio que o imóvel representa.

    Haja vista também o sistema jurídico avançado nesse sentido, em que a noventena de cobrança anula qualquer aventureiro de adquirir crédito sem pensar duas vezes. Em que pese o valor da moradia, quase sempre acima das possibilidades do brasileiro, devido a especulação imobiliária, a garantia fixa do bem deveria facilitar, e não dificultar o sonho da casa própria.

    O que vemos é uma inversão de valores, onde muitas vezes se financia um veículo com o valor de um imóvel, bem durável que se deteriora em curto período de tempo, sujeito a todo tipo de risco, ter o tempo de aprovação em torno de 3 dias, enquanto um imóvel, que, como o próprio nome já diz, é imóvel, não sai do lugar, risco baixíssimo de deterioração, ter o tempo de aprovação de, em média 3 meses (sendo que as taxas já não estão mais tão distantes de um bem e outro).

    Não adianta abaixar taxas de juros, dar incentivos, sendo que a burocracia para a tomada de crédito está a nível de anos 80. Na minha humilde opinião, a tomada de crédito deve ser consciente, claro, porém, deve ser equivalente a garantia que o tomador oferece. Se o risco é baixo, o índice de corte de crédito deve ser compatível, ou o déficit de moradia vai ser sempre um problema nesse país.

    Concluíndo: Não acredito que a especulação imobiliária se dê pelo excesso de crédito, como nos EUA ou UK, mas o contrário. A alta burocracia “força” um déficit de moradia, fazendo com que aqueles que possuem rating de investimento joguem que não tem imóvel na praça.

    Olhe o caso dos carros hoje. Como houve uma venda absurda de novos, saturou o mercado, baixando o preço dos semi-novos e fazendo com que as montadoras baixem os preços, disputando o mercado restante.

    O que vocês acham?

    0
    • CHARLES 5 de junho de 2012 at 17:43

      Eu acho que voce estava indo bem até começar a escrever a conclusão.

      Nela voce misturou um pouco as bolas. Não tenho tempo agora de escrever os motivos pelos quais digo isso. Mas volto ao assunto em breve…

      De qquer forma, valeu o post…

      0
  • Mr. D 5 de junho de 2012 at 17:22

    Realmente só pensam em inflar, inflar….
    Meu Deus esse governo é louco.

    0
  • AJW 5 de junho de 2012 at 17:22

    Será que a rapaziada da bolsa não leu esta noticia. Pois as ações imob estão caiinnndo.
    Ptz acoisa vai ficar feia.

    0
    • Carlos_ 5 de junho de 2012 at 17:41

      Leram e entenderam isso como indício que as coisas não estão boas.

      0
  • Moacir 5 de junho de 2012 at 17:26

    Essa notíca me deixou preocupado.
    Estão combatendo o fogo jogando gasolina! (Vide espanha)

    Quem é estúpido o sufiente em acreditar que o valor da parcela vai ser reduzido com 5 anos a mais de finaciamento?

    Medida típica para ajudar unicamente o ganancioso mercado imobiliário! E assim a Bolha é inflada mais um pouquinho…

    0
  • Ze Bom Dirolo 5 de junho de 2012 at 17:34

    Slogan…..
    Financiamento meia vida.
    Viva meia vida meia boca……

    0
  • Salles 5 de junho de 2012 at 17:40

    Ta quase, ein pessoal?

    GFSA está chegando nos 1,99….

    0
    • KaTsu Nami 5 de junho de 2012 at 17:45

      É quase inacreditável e está ficando assustador. Mesmo com notícia “boa” (boa pra quem cara pálida?) as IMOB continuam caindo… Se o governo não inverter, ou seja, nao desacelerar suas medidas pró-consumo, o tombo (e o estrago) vai ser muito maior. E o que é pior: perde (quase) todo mundo.

      0
      • Cleyton 5 de junho de 2012 at 18:19

        Eu tava mesmo pensando nisso esses dias, a inflação vai disparar e comer minhas suadas reservas, mas ainda vou ter reservas, agora o pessoal que está endividado vai ter que correr atrás da grana pra pagar as contas, então em termos relativos não posso reclamar.

        Como diz o ditado, em terra de cego quem tem dois olhos é muito mal visto.

        0
    • Eskeleto 5 de junho de 2012 at 17:54

      Já ta quase lá, pow só comi 3 bis até agora, ta mais difícil acabar com o bis do que com as ações.

      0
  • Miguel Jacó 5 de junho de 2012 at 17:44

    Bolha, para você que está em solo gaúcho, notícia principal da capa do Jornal Zero Hora (percentente ao Grupo RBS, afiliado da Rede Globo):

    “IPI menor não basta para elevar consumo
    Ações de incentivo adotadas à economia desde dezembro não tiveram mesmo efeito das medidas de 2008”

    “http://www.google.com.br/imgres?q=capa+%22zero+hora%22+%2B+%2205/06/2012%22&hl=pt-BR&sa=X&rls=ig&biw=1024&bih=653&tbs=qdr:d&tbm=isch&tbnid=rEyCtwKoCusnuM:&imgrefurl=http://www.iba.com.br/detalhes/jornal/488465/zero-hora-edicao-17.043&docid=qgTFmufY4iBrZM&imgurl=http://imagens.iba.com.br/EcommerceNew/upload/produto/1006677-87-zero-hora-edicao-17043.Jpeg&w=500&h=660&ei=Km_OT93SJYjHgAfs_-Vh&zoom=1&iact=hc&vpx=272&vpy=147&dur=955&hovh=258&hovw=195&tx=86&ty=151&sig=117279238440800026195&page=1&tbnh=125&tbnw=95&start=0&ndsp=16&ved=1t:429,r:1,s:0,i:74

    0
  • Ane 5 de junho de 2012 at 17:44

    Sinto como se isso fosse a confirmação final da bolha.

    0
  • Miguel Jacó 5 de junho de 2012 at 17:47

    Mercado imobiliário adorando a nova medida do governo:

    Gafisa
    Horário 17:00
    Cotação 2,18
    Variação -3,96%

    0
    • MrJaime 5 de junho de 2012 at 18:02

      Gafisa: R$2.15 no aftermarket!

      0
  • Murdoch 5 de junho de 2012 at 17:50

    Estou há um ano e meio aqui dizendo que ainda não estamos perto do estouro. O Governo vai usar o que tem e o que não tem pra segurar.
    Sofri bullying digital qdo disse que antes do final de 2014, início de 2015 não adianta…

    0
    • Paulo D. 5 de junho de 2012 at 17:56

      Tadinho, a Delta tb sofreu bullying…

      0
      • Murdoch 5 de junho de 2012 at 23:49

        Se a Delta colocou num comunicado oficial que ela sofreu bullying empresarial, pq um ze ninguem como eu nao pode ter sofrido bullying digital?

        0
    • Cleyton 5 de junho de 2012 at 18:22

      Murdoch, que medidas na sua opinião poderiam ser tomadas para evitar o ploc monster?

      O margarina também diz que tem munição, qual seria? Nem se o exército tomar as casas e fizer bolsa moradia com elas.

      0
      • xyz 5 de junho de 2012 at 21:13

        O governo ainda tem “crédito” no mercado e vai usar esse crédito para aumentar a dívida pública e continuar repassando bilhões para BNDES e CEF.

        Quanto à inadimplência, ponto crítico para o estouro da bolha, o governo vai “administrar”, pois quase 90% do crédito imobiliário (bancário) estão com CEF e BB.

        0
      • Murdoch 6 de junho de 2012 at 00:00

        Caro, algumas:
        1) Aumento da divida
        2) renegociacao dos casos criticos que esta sob bancos estatais
        3) O Governo Federal esta fazendo algo muito inteligente via Governos Estaduais e Municipais onde boas relacoes, estimulando que esses governos usem os fundos de previdencia para financiarem imoveis a taxas que variam de 4 a 7,6%
        4) isencao de impostos
        5) Protecao dos bancos de consigando que com certeza vao explodir!
        E assim vai…
        Vc acha que isso acontece em poucos meses?

        0
        • serpentarius 6 de junho de 2012 at 11:23

          Concordo caro amigo. O governo vai jogar todas as cartas … e está fazendo, aos poucos, até pq economia não é ciência exata.

          Como são muitas as variáveis econômicas, uma medida deve, necessariamente, ter seu tempo de maturação esgotado …. não surtindo efeitos, aí se passa para uma nova fase de medidas.

          Quando havia enxurrada de $ o governo aumentou o IOF. Agora ele vai diminuir. O governo evitou uma crise mais séria com o estímulo ao consumo de todos os tipos de bens: imóveis, duráveis e de consumo imediato.

          Passamos pela crise de uma forma melhor que outros passaram.

          Mas faltou permitir que nossas empresas conseguissem ser mais eficientes diminuindo CUSTO BRASIL INVISÍVEL, aquele que só falam e não detalham: não dá pra transportar soja e comodities com as estradas no estado em que estão: tem que melhorar as rodavias. O transporte ferroviário tem que ser aprimorado. Há que se construir mais portos e estruturas de exportação e importação (comércio exterior). Isso tudo era pra ontem.

          Mas não pensemos nós que é fácil. Administrar não é fácil. A iniciativa privada nada faz. O Eike vem tentando, mas vc já viu o porto do Açu em funcionamento? Ele está aproveitando uma legislação que já existe há um bom tempo pra fazer algo muito bom pra ele … e pro país também. Mas praticamente não saiu do papel … é muito parecido com as obras do governo: elas não acontecem … demoram muito pra acontecer. Lógico que corrupção ajuda a atrapalhar, mas a eficiência administrativa de políticos costuma ser pequena … ela é melhor quando o político consegue arrumar bons técnicos de confiança. E isso o PT sempre teve dificuldade (governos anteriores tb tiveram).

          Mas falei do Eike e do PT. E o resto da iniciativa privada? Não investe. A iniciativa privada não investe neste país. Em outro tópico tavam discutindo sobre telefonia e privatização, sobre como melhorou depois de privatizarem. Quem estava lá dentro e tinha olhos de ver (não precisava alto cargo … mas se tinha viu mesmo sendo cego),quem tava lá viu que o governo investiu demais pra privatizar. Deixou o sistema de telefonia em dia … e aí privatizou.

          Foi assim com as rodovias tb. É mais fácil ver o que aconteceu com as rodovias. O trecho da Rio-Brasília que vai de Rio a Juiz de Fora sempre foi muito bom (BR-040). Ele já tava pronto, tinha pouca coisa pra fazer … trecho de uns 40km nas redondezas de Juiz de Fora. Fez-se a privatização de toda a BR-040. O trecho entre JF e BH tinha que ser todo duplicado. Ninguém o quis. Os governos estão há mais de década duplicando; agora já se sabe que vão existir 4 pedágios e que vai ser privatizada (pq agora não precisa investir … é só llucrar). O trecho Rio a JF era só lucrar, então teve interessados. Mas e o cumprimento integral do contrato? E a duplicação dos 40 km citados? Nunca fizeram … até o Ministério Público intervir, a justiça determinar, o governo executivo acatar e, depois de enrolar por alguns anos, a detentora da concessão, sob pena de nova licitação, começar a passos lentos a duplicação. 15 anos. Foram 15 anos sem cumprir sua parte. O que não gerava custo elevado era feito. E muitos achando que era maravilha da privatização: NÃO. A estrada sempre foi boa assim; e só por isso foi privatizada. Os trechos que necessitavam de grandes aportes de $ não foram privatizados. A iniciativa privada espera cada trecho ficar pronto (com o $ público) e só depois entra.

          O país inteiro é assim: não há investimento. A privatização só levou a coisa boa do governo para o bolso do imperialista. Coisa ruim, empresa ruim não havia interessado. As empresas boas e rentáveis conseguiram ser privatizadas. Mas advinhem só: o dinheiro vinha do BNDES. O capital entrava sem entrar, i.é., o financista/investidor, entrava na licitação da privatização, ganhava a licitação e na hora de aportar o $ ele vinha do proprio poder publico.

          Essa última parte vcs não sabiam? O $ não vinha do sistema privado. Se o negócio desse certo o empresário lucrava, senão o emprestimo fora feito com juros subsidiados do BNDES mesmo. E muita coisa sem garantia a não ser a própria empresa que fora privatizada. Não havia garantias extras. Era fácil. Méritos pro FHC? Nunca. Isso foi uma doação feita a particulares pelos governistas de plantão: FHC.

          E tavam falando de carros 1.0, Plano Real, etc. Isso tudo foi mérito do falecido Itamar. Ele que era o presidente. O FHC foi só mais uma tentativa de ministro da equipe ministerial do presidente. E o FHC deu certo pq copiou um modelo que tinha dado certo na Argentina. Houve variações, mas poucas. Não houve mais acerto do FHC do que do Itamar. Mas a banca de São Paulo não ia deixar os créditos irem pra quem não era da elite política. Os créditos iriam pra São Paulo, pro político de lá. E FHC virou o pai do 1.0 (política que revitalizou o polo automotivo no Brasil, mas era de Itamar a ideia), e virou pai do Plano Real (ele nem foi o idealizador nem tinha a competência … esta era do presidente … a ideia era de vários economistas que tinham pensado em como tirar a inflação inercial sem os problemas das tentativas anteriores), dizem por aqui que até a abertura no campo da informática e no mundo automotivo se deu com FHC. Não. Foi o Collor. E deu de forma errada, foi muito abrupta, e teve cidades inteiras que quebraram. Fomos invadidos do campo textil ao mais tecnológico.

          Então é assim: acertaram e erraram os presidentes atuais desde a era do Collor. Muitas medidas acertadas, mas na dose errada.

          E a coisa se repete: Lula acertou nessas medidas anticíclicas pra não deixar o país entrar em recessão e errou na dose. Talvez o remédio mate o paciente ou o deixe em coma por uns 10 anos (outra década perdida).

          Dilma tem dado remédio aos poucos. Mas o paciente já está mal. E quase não reage aos medicamentos. Pode ter sobrevida. E aí a bolha estoura mais adiante. Por enquanto a bexiga tem um furinho de onde vaza o ar, mas tem a boca do governo pra soprar a bolha. Sopra mas nao fica cheio mais. Talvez consiga que não haja estouro … de tanto soprar. Mas vai depender mais da sorte, da conjuntura internacional ser favorável a isso do que do governo e do paciente chamado Brasil.

          0
          • Murdoch 6 de junho de 2012 at 12:18

            Concordo bastante contigo, principalmente qto ao Itamar e com relação a infraestrutura.
            Eu, felizmente, tive o privilegio de trabalhar num cargo executivo de uma administracão pública o que fez com que mudasse mto minha visão da iniciativa privada.
            É exatamente isso que vc disse. A iniciativa privada não coloca um centavo!! A mentalidade é risco zero! Deixa o risco com o Governo. É terrível.
            Essa CPI do Cachoeira poderia ser uma puta oportunidade de abrir a caixa de Pandora de TODAS as empreiteiras e mostrar como funcionam. Te garanto que mta gente desistiria de trabalhar nessas empresas e tirariam a força delas!

            0
          • Vinicius Lima 6 de junho de 2012 at 13:49

            Realmente um texto muito bom…

            0
          • xyz 6 de junho de 2012 at 17:06

            Quem sustenta a farra deste país é a iniciativa privada (empreendedores e trabalhadores).

            Existe um terceiro setor que é a iniciativa “pseudo-privada” que mama nas tetas do estado.

            A privatização (mesmo com dinheiro público do BNDES) foi um dos suportes do plano real e teve o grande mérito de tirar do governo boa parte da “máquina” de desviar dinheiro público. Mesmo com dinheiro público foi um grande avanço.

            O Brasil está se tornando o lugar mais hostil do mundo para empreender. Para quem defende o comunismo/solialismo isso pode ser bom, mas se o país quiser continuar regido pela economia de mercado isso é um grande tiro no pé.

            0
          • alex 8 de junho de 2012 at 00:36

            Papo de petista enrustido. Fazem 10 anos que FHC não é mais presidente e ainda paga a fatura.

            0
  • Ed_Bolha 5 de junho de 2012 at 17:52

    A Dilmona ta errada em duas coisas; 1) quem apostar na bolha vai acertar, 2) ela nao tem mais tanta carta na manga, ao contrario, ja esta esta dando nitidos sinais de desespero. Dilmona, no grito eu ja vi gente ganhar no futebol, na economia nao !

    0
  • Mr. D 5 de junho de 2012 at 17:55

    Também acredito que antes de 2014, não teremos estouro, o governo fará o que for para segurar as coisas do jeito que estão. Só uma puta crise mundial, talvez isso aconteça antes. Isso é opinião minha só em pessoal.

    Abs

    0
  • CHARLES 5 de junho de 2012 at 17:55

    A Dilma se encontrou com o Rei da Espanha esta semana. Vai ver foi conselho dele aumentar os prazos de financiamento imobiliario…hehe

    O governo não tem idéia do que fazer para esconder o rabo debaixo da saia… A coisa ta degringolando rápido demais!

    Recado aos corretores de imoveis:
    – Se vocês acham que a coisa tá ruim agora, esperem para ver onde essas medidas intervencionistas vão nos levar. Elas vão causar um ambiente de depressão economica onde o crédito vai secar, o investimento de capital vai se tornar inviável e as pessoas não poderão honrar suas dividas… Sinto lhes informar que vocês terão que trocar de profissão, pois vender laranja no semáforo será mais lucrativo e menos constrangedor….hehe

    Previsão:
    – Essas medidas novas não vão dar certo novamente… Acredito que seja uma das ultimas cartadas antes da coisa explodir!

    Aguardemos…

    0
  • Socorro!! 5 de junho de 2012 at 17:56

    este governo e irresponsável…

    eu comparo ação como esta a um pai que deixa uma arma em casa com filho pequeno…não adianta..vai dar merda…

    0
  • ildeu 5 de junho de 2012 at 18:03

    Estou abismado com essa medida,simplesmente cheira a´um golpe contra o povo Brasileiro , todo mundo sabe que , por exemplo , quem compra carro de 60 meses é que tem mais problemas ,mais chance de perder o investimento e ainda sair devendo ao banco.Não me parece que o governo quer estimular a alta de imóveis , parece mais querer tomar as riquezas da população .Primeiro criaram a alienação fiducitária pra imovéis ,depois alargam o prazo ,estranho não?se até nós , pobres mortais,sabemos que isso não resolve o problema , na verdade piora ,será que eles não sabem?

    0
    • xyz 5 de junho de 2012 at 21:18

      Este governo está saqueando a riqueza da população como nunca antes na história.

      Este governo está promovendo a maior concentração de renda da história, apesar das estatísticas “dizerem” o contrário, mascaradas pelos incontáveis programas de esmola, pelo aquecimento do mercado de trabalho e pelo aumento (mesmo que tímido) da renda do trabalhador.

      0
  • GB 5 de junho de 2012 at 18:11

    Ei, nós já estavamos cantando essa bola, de que o governo ia aumentar o prazo para 40 anos depois das eleições, mas o mais impressionante é que a coisa está tão feia que já aumentaram para 35 anos agora.

    Eu creio que a diferença nas parcelas seja pequena, lembrem-se de que a parcela sempre será maior que R$ 80,00 pois este é o custo da taxa administrativa e dos 2 seguros obrigatórios que o banco espertamente embute nas prestações, portanto o resultado de esticar por mais tempo esbarra sempre em criar a obrigação de pagar mais esse valor também, reduzindo a vantagem.

    Eu não estou nem aí, se a bolha estourar depois da Copa eu sei que vou ter $$$$ para pagar à vista, se estourar um pouco antes eu ainda vou ter que financiar a diferença, mas eles já estão ficando sem opções e mostrando que não passa das eleições, deixa só esse pessoal do automotivo perder o emprego e sair dessas férias forçadas com esses cursos para tornarem-se corretores que estão fazendo.

    0
    • GB 5 de junho de 2012 at 18:15

      É sério, é por isso que aumentar o prazo acaba sendo menos atraente do que deveria ser, tipo “nós ampliamos o prazo e ao mesmo tempo criamos para você a obrigatoriedade de pagar mais R$ 80,00 por mês”.

      Isso acaba matando a vantagem das taxas menores.

      0
      • Cleyton 5 de junho de 2012 at 18:38

        Ah, são só 400 pilas, pra quem vai pagar dois carros zero a mais não deve estar muito preocupado com isso.

        0
        • Cleyton 5 de junho de 2012 at 18:40

          Ops, errei a conta, se são 5 anos dá uns 4800.00!! Agora entendi…

          0
  • Rodrigo 5 de junho de 2012 at 18:15

    Já era de se esperar essa medida. O governo vai fazer o possível pra postergar o estouro de uma bolha iminente, mas convenhamos que aumentar o prazo de 30 anos pra 35 de financiamento e baixar a esse patamar de taxa de juros é como tentar apagar um incêndio com um copinho de pinga.

    0
    • Cleyton 5 de junho de 2012 at 18:45

      Creio que possa acelerar a inadimplência, o povão vendo taxas “menores” com prazo maior, se a justiça começar a não dar conta de tomar os imóveis copinho de pinga será pouco.

      0
  • GB 5 de junho de 2012 at 18:22

    Eu acho que é outra medida que não vai dar em nada, quem quer comprar está na espera, para ver até onde o negócio chega, ele sabe que o banco vai se recusar a renegociar a dívida (tipo já foi fisgado, não quero saber), e sabe que do jeito que as coisas estão haverá mais cortes nos juros.

    Pelo visto nem o pessoal da Bolsa acredita mais nesses pacotes do governo, até o último era só ele dizer que ia fazer alguma mudança que as construtoras subiam que era uma beleza, aí 2 horas depois do anúncio caíam pois viam que as mudanças não iam salvá-las.

    IMOB: -2,29%

    BBRK3 5,65 0,53
    LPSB3 32,4 0,03
    BRPR3 21,9 0
    ALSC3 16,87 -0,18
    TCSA3 6,91 -0,72
    BRML3 21,3 -0,93
    EZTC3 19,05 -0,99
    IGTA3 37,02 -1,54
    GSHP3 9,35 -1,68
    JHSF3 5,75 -1,71
    HBOR3 8,15 -2,74
    PDGR3 3,23 -3
    EVEN3 5,9 -3,59
    MULT3 44,2 -3,6
    GFSA3 2,18 -3,96
    MRVE3 7,89 -4,36
    BISA3 3,26 -4,4
    CYRE3 14,24 -5,32
    RSID3 4,59 -5,94

    Caras, se nessa semana não tivesse feriado prolongado a GafeS/A chegava em R$ 1,99 nela mesma.

    0
  • ildeu 5 de junho de 2012 at 18:23

    Tem uma bolha pior que a de imóveis , mas que cria sinergia com ela ,que é a bolha do fies ;na mha cidade ,uns 70 % dos jovens estão nessa ,vão sair devendo até os 40 anos de idade .Nos EUA isso agravou o problema imobiliario ,pois no auge da idade produtiva ,as pessoas não podem comprar nada pois devem o credito educativo.Imagina no brasil , que o cara sai devendo igual ao americano[cerca de 100 mil dólares , mas ganha 30% que ques ganham ]

    0
    • Leandro 5 de junho de 2012 at 18:41

      Para você qual a solução imediata para resolver isso?
      Que esses estudantes deixem a faculdade?

      0
      • Guilherme Eduardo 5 de junho de 2012 at 19:18

        Trocar o financiamento por mais vagas em instituições públicas.

        0
        • Leandro 5 de junho de 2012 at 20:03

          Moleza, só criar 1 milhão de vagas em e Universidades imediatamente e aumente a carga tributaria para bancar isso, genial, pelo menos ele não vão precisar pagar.

          0
      • Bitbio 5 de junho de 2012 at 19:36

        Não, que eles estudem de verdade em uma faculdade publica, fazendo um vestibular sem cota e premiando quem realmente merece um diploma. Não como esta agora em que você compra diplomas em prestações mensais na unidade do varejão do ensino mais proxima. Com isso temos esse tipo de aberração. “https://learncafe.com/cursos/bacharel-em-ufologia” e tem gente que vai acreditar que tem um diploma valido ao final do “curso”.

        0
        • Rodrigo 5 de junho de 2012 at 20:41

          Melhor fazer o curso on line com certificado de “Como Negociar e Ser um Consultor de Dívidas”

          Essa é a profissão dos próximos 35 anos.

          0
      • ildeu 6 de junho de 2012 at 15:07

        lendro ,para a maioria dos cursos que não gerarão renda , o melhor é não fazer mesmo , pelo menos não se perde tempo e não se torna endividado !

        0
    • xyz 5 de junho de 2012 at 21:30

      Universidade Pública e gratuita é uma das maiores aberrações deste país.
      Todos deveriam pagar para cursar universidade.

      A “autonomia” das universidades é outra grande aberração, que muitas vezes serve a interesses escusos.

      0
      • Cleyton 5 de junho de 2012 at 21:52

        Eu não penso assim, universidade pública deve atender interesses públicos, mas na prática vê-se exatamente o contrário, falta seriedade nisso também.

        Sobre a autonomia concordo, deveriam estar vinculadas ao Ministério de Ciência e Tecnologia e não da Educação que deveria cuidar apenas (e bem) do fundamental.

        Outra barbárie é que Mestres e Doutores não deveriam trabalhar fora das universidades, carreira acadêmica é uma coisa, mercado de trabalho é outra, não é academizando os trabalhadores que teremos trabalhadores de qualidade.

        Sei lá, eu penso assim, mas como anda tudo tão deturpado…

        0
        • xyz 5 de junho de 2012 at 23:06

          Apesar de ter cursado universidade pública, acho muito injusto o governo custear os estudos de quem pode pagar.

          Sem falar que a ineficiência é brutal e joga o custo para a estratosfera, tudo mascarado pelo véu da “autonomia”.

          Quanto à dedicação exclusiva, acho mais importante exigir dedicação na medida “contratada”, pois o que há de mais difícil é fazer valer a dedicação exclusiva de quem não quer se dedicar nem um pouquinho.

          Eleição de reitor é outra coisa esdrúxula, pois qual chance teria um candidato que propusesse cobrar eficiência, moralidade e dedicação?

          0
          • Carlos rj 6 de junho de 2012 at 01:00

            Mas justamente isso q está errado… O governo custear o estudo de quem tem condições de pagar… O ensino público é pra ser de qualidade desde o primeiro grau… Para evitar essas distorções!! Mas tb com os salários que os professores federais estão ganhando… Daqui a pouco estudar numa federal nem vai ser tão vantagem assim( infelizmente)

            0
      • Crase 6 de junho de 2012 at 01:06

        Cuidado, já se fala também em bolha acadêmica (USA): crescimentos vertiginosos nos custos com educação (quanto custa a mensalidade em Harvard no curso de medicina?), abusos na pós-graduação (mestrado em “estudos feministas”), quantidade absurda de pessoas diplomadas (porém inúteis) etc. Tais sintomas são percebidos aqui também (mais levemente).
        Concordo com o comentário do ildeu.
        O problema aqui é antes do vestibular: alunos do Christus, do Farias Brito etc ficam com as vagas nobres, quanto ao resto… tenta se alfabetizar na escola pública. Acho que o taxista lá em casa não teria condições de bancar custos tão elevados, ainda bem que ainda a universidade é pública, pois, se não o fosse, mesmo estudioso o garoto pobre ficaria fora dela.
        O Brasil não padece de alguns males de que padecem cidadãos em outros países. Muita gente vem morar no Brasil só pra se tratar de AIDS, por exemplo (incluam-se americanos).

        0
      • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 13:57

        Sem universidade pública não teríamos nem 1% das empresas que temos aqui hoje. Não teríamos medicina de qualidade também, uma vez que a maior parte dos avanços locais se devem ao fato de que alguém investiu em pesquisa e não apenas em sala com ar condicionado para cobrar mensalidade de gente rica.

        Já não basta a classe média (verdadeira) ser taxada de cima a baixo e você ainda por cima quer tirar a única chance que essas pessoas tem de obter educação de qualidade. Aí sim que o Brasil iria para o buraco. São as únicas pessoas que ainda se importam com a educação de base e farão o que sem a etapa seguinte?

        Quer tirar a infraestrutura de ensino superior das únicas pessoas que ainda educam os seus filhos, nessa terra maldita cheia de vagabundos metidos a espertos? E colocar o que no lugar? A UNIP? Até instituições como a GV apresentam grande dificuldade em acompanhar o nível das públicas, mesmo cobrando uma fortuna por mês.

        Quem falar FEI e MAUÁ estará contando uma piada de mal gosto, uma vez que são minoria os alunos bons provenientes desses dois lugares. E falo na posição de empregador que se decepciona rotineiramente com funcionários provenientes de faculdades particulares.

        O papel da universidade pública não é dar coisas de graça para os outros. É permitir, sem esperar nenhum tipo de milagre vindo do universo privado, que existam instituições com o mínimo de qualidade.

        A universidade pública evita que a elite seja a única capaz de obter ensino superior de qualidade. Ao mesmo tempo, por ser gratuita a todos (incluindo a elite), garante um fluxo constante de jovens inteligentes, igualmente responsáveis pelo alto nível dessas instituições.

        Se temos empresas como Vale, Embraer, Petrobras e outras, agradeça à instituições como USP, ITA, IME, UFRJ e outras.

        Ao mercado privado posso apenas agradecer pela horda de analfabetos funcionais que me entregam todos os anos. Volta e meia acabo aceitando contratar um ou outro vindo desses lugares e 90% das vezes me arrependo. Se fez PROUNI então, eu já desisto. É sinal de que o cara não consegue nem ao menos passar em prova de bolsa de estudos ou passar no vestibular de alguma pública do interior.

        Vocês tem que aprender que o mundo evolui através da ****** valorização dos seres humanos de qualidade ******. O mercado não resolve tudo. Ainda precisamos ZELAR PELA VALORIZAÇÃO CONTINUADA DO MÉRITO. É isso que nos tornará uma sociedade mais avançada. O dinheiro não resolve tudo. Basta ver os resultados das ações do governo que vomitaram dinheiro no mercado privado, através de financiamento imobiliário, PROUNI, FIES e outros.

        O que aconteceu com o mercado imobiliário quando tentaram resolver a questão apenas com dinheiro? Foi tudo pro buraco. E com as faculdades particulares? Todas se acomodaram e hoje possuem um nível mais baixo do que ensino médio de colégio particular.

        Esse país nunca valoriza o mérito. Tem até gente gente querendo tirar o único benefício meritocrático da nação.

        0
        • Mr. C. 6 de junho de 2012 at 20:36

          Falou tudo!

          Infelizmente o nosso país é recheado de pessoas que querem levar vantagem a custa dos outros, sempre querendo levar as coisas com o “jeitinho brasileiro”.

          Somos um país onde um cara com mestrado e doutorado em universidade de 1ª linha, muitas vezes do exterior, não tem vez no mercado de trabalho, pois estes preferem contratar pessoas com experiência anterior ou com alguma indicação de um poderoso.
          A meritocracia, tanto no setor público como no privado, com raras exceções, é praticamente inexistente. O que mais conta é a indicação, ou seja, o famoso QI.

          Quanto a função das universidades públicas, concordo em partes contigo. Hoje a coisa mudou um pouco com a cota racial e de alunos oriundos de escolas públicas, mas na minha época (começo dos anos 90) todos os meus colegas, inclusive eu, estudaram em colégios particulares, muito oriundos de colégios tops como Bandeirantes, Porto Seguro, Santa Cruz, Palmares, ou seja, se os pais tinham condições de bancar esses colégios, por que não bancar a universidade também?

          Quanto ao retorno que que essas universidades trazem para o país, concordo plenamente contigo, mas acho que poderia ser melhor se não fosse a polítia burra dos nossos governantes. Como o país não dá valor ao mérito, não investe e o setor público paga relativamente bem, acabamos perdendo muitos talentos para o exterior e muitos outros acabam se acomodando, prestando concursos públicos e ganhando estabilidade por resto da vida. Basta ver a lista de aprovados dos últimos concursos tidos como top do Executivo, como a Receita Federal, Fazenda Estadual, Bacen, BNDES entre outros. A maioria esmagadora é formada em universidades públicas, ou seja, o investimento do governo para formação de talentos para o desenvolvimento da nação acabam em bando de burocratas.

          0
          • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 21:17

            todos os meus colegas, inclusive eu, estudaram em colégios particulares, muito oriundos de colégios tops como Bandeirantes, Porto Seguro, Santa Cruz, Palmares, ou seja, se os pais tinham condições de bancar esses colégios, por que não bancar a universidade também?

            O problema é que não poderiam bancar a universidade.

            Quanto ao retorno que que essas universidades trazem para o país, concordo plenamente contigo, mas acho que poderia ser melhor se não fosse a polítia burra dos nossos governantes. Como o país não dá valor ao mérito, não investe e o setor público paga relativamente bem, acabamos perdendo muitos talentos para o exterior e muitos outros acabam se acomodando, prestando concursos públicos e ganhando estabilidade por resto da vida. Basta ver a lista de aprovados dos últimos concursos tidos como top do Executivo, como a Receita Federal, Fazenda Estadual, Bacen, BNDES entre outros. A maioria esmagadora é formada em universidades públicas, ou seja, o investimento do governo para formação de talentos para o desenvolvimento da nação acabam em bando de burocratas.

            Já outros diriam que pelo menos existe emprego para esses estudantes no governo, em uma nação onde o privado pensa apenas em mamatas e não investe um centavo em tecnologia. E quem quer empreender só leva pancada na cara. E ainda por cima tem que ficar ouvindo gente “boazinha” que acha que o futuro da nação está nas boas palavras e no coração cheio de esperança, e não no realismo brutal e competente.

            É muito difícil ganhar 10, 12, 14 mil no Brasil apenas tendo estudado. O governo é uma das poucas formas de conseguir isso. Não existem cargos técnicos muito bem pagos aqui pois apenas consumimos tecnologias de fora.

            0
            • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 21:27

              Só para deixar claro: gente boazinha não é um ataque contra você. =]

              Às vezes escrevo de forma muito agressiva, sem perceber. =p

              Concordo com o que disse em relação ao QI, ao governo roubar talentos, etc. Mas acho que é tudo parte de um pacote só, chamado Brasil. Tudo isso está relacionado.

              O que me revolta, e muito. Dá para perceber isso, pelo tom amargo da minha mensagem.

              0
        • Leno 7 de junho de 2012 at 00:31

          “Esse país nunca valoriza o mérito. Tem até gente gente querendo tirar o único benefício meritocrático da nação.”

          Eu só discordo nesse ponto.

          Sou totalmente a favor da teoria meritocrata, mas falar em meritocracia em um país que tem o nivel de educação publica daqui chega a ser um crime.

          As faculdades publicas são tomadas por filhinhos de papai que tiveram acesso a ensino de qualidade desde a pré-escola até o ensino médio, via instituições particulares. Grande parte são jovens com boa retaguarda familiar, que lhes permitem dedicar-se integralmente aos estudos até se formarem. Como um jovem de classe baixa, que estudou em escola publica e tem que trabalhar a partir dos 17 anos pode concorrer igualmente eles?.

          Enquanto esse país não fornecer educação de qualidade a todos, jamais será um país meritocrata de verdade.

          0
          • Ana 7 de junho de 2012 at 12:37

            Eu sou um desses. Trabalho desde os 19, no serviço público ( passei no primeiro concurso que fiz), e sempre estudei em escola pública. 3 anos depois fiz outro concurso para um cargo melhor e passei tb. Concordo que é uma dificuldade imensa, porque paralelamente à minha carreira de servidora pública, tenho tentado me formar na Universidade pública ( passei no vestibular quase ao mesmo tempo em que comecei a trabalhar) e as grades das universidades públicas parecem ter sido montadas para alunos que realmente não precisam trabalhar. Resultado: fiz 3 anos de Direito, a duras penas, só pra descobrir que odeio Direito. Logo depois fiz o vestibular pra psicologia, na mesma universidade e passei, mas é uma coisa quase impossível a conclusão do curso, porque fica dificílimo trabalhar, ir pra aula, e ainda desempenhar minhas funções de mãe e esposa. Estou nesta luta ( do curso de psicologia) desde 2006 e o que a faculdade faz comigo e sempre colocar milhares de obstáculos para que eu conclua o curso, como por exemplo, grades com horários de disciplinas durante todo o dia ( o que me impede de fazer todas as que preciso, afinal algumas são no meu horário de trabalho).
            Desculpem pelo longo desabafo, mas escrevi isso tudo apenas para manifestar minha indignação com o fato de que a Universidade Pública parece ser possível apenas para aqueles que têm pais que podem bancá-los.

            0
      • Leno 6 de junho de 2012 at 23:58

        Eu penso justamente ao contrário. Ninguem deveria pagar para fazer faculdade.

        0
  • CAMBALHOTA 5 de junho de 2012 at 18:24

    Pessoal,

    Esta notícia me fez tomar minha decisão, mesmo com 400k na poupança véia, e com a corda no pescoço pra casar até Junho de 2013, está clara a intenção do governo de ir até as últimas conseguências para inflar a bolha.

    Logo vou buscar um apto para ALUGAR de 2qtos com 2 vgs na região da Tijuca, Grajáu ou Vila Isabel, e assistir de camarote o circo pegar fogo. Se for antes de 2014, pago a multa do aluguel e compro meu apê/casa, senão continuo no aluguel mais um tempinho para pegar algo melhor e pagando menos.

    Governo FDP, vai fazer a grande maioria “burra” se endividar (que só faz conta se o valor da prestação cabe no bolso “hoje”), o consumo vai cair absurdamente, e a crise, que não é boa pra ninguém virá forte.

    Como diria um amigo ESADFO! 🙂

    E como é bom estar líquido nestes momentos.

    0
    • GB 5 de junho de 2012 at 18:36

      Esse lance da multa é o menor dos problemas: pode ser feito de acordo entre as partes, peça para colocarem no contrato que fica liberado da multa após 1 ano.

      O pior é que construíram demais, eles mesmo admitem isso, já tem imóvel para todos por um bom tempo, mas quando a coisa for pro brejo os endividados não vão poder aproveitar o momento, kkkkkkkkkkkkkkkkkk, acho que é isso o que deixa o pessoal que já comprou muito bravo.

      Na pior das hipóteses vão baixar tento os juros e a inflação vai comer tanto os imóveis que não podem aumentar de preço, mais o lance de poupar e deixar rendendo para a pessoa, no fim só pode dar final feliz.

      0
    • Clapton 5 de junho de 2012 at 18:37

      Sábia decisão, parabéns… eu tomei a mesma decisão há uns 6 meses e até já adiantei o casório 🙂

      0
      • Rodrigo 5 de junho de 2012 at 19:31

        Fugiram da bolha imobiliária e vão cair na bolha do casamento!!! Quero ver sair desta.

        0
        • Eduardo Pena 5 de junho de 2012 at 20:38

          Na bolha do casamento a mulher é decisiva. Mulheres religiosas, antiquadas ou sonhadoras saem caro. Então, o melhor saber escolher a mulher. É o meu caso, fiz um casamento legal, não tradicional e gastei “pouco”.

          0
          • Mr. D 5 de junho de 2012 at 21:27

            Opa,

            Que tal dicas de como gastar pouco com casamento?kkkk

            0
        • Clapton 5 de junho de 2012 at 23:42

          Realmente, a escolha da noiva é o mais importante!
          Felizmente, consegui escapar dessa bolha tb, assim como fez o Eduardo.
          Agora, se vc e/ou a noiva querem “tudo conforme manda o figurino”, senta e chora porque é prejuízo na certa.

          0
          • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 14:12

            Idem.

            É muito fácil escolher uma boa esposa. Basta escolher uma mulher que estudou e gosta de trabalhar.

            Muitos caem na conversa de moças que são apenas bonitinhas mas estão se preparando para toda uma vida de montar nas costas do marido. Essas moças não dão valor para o conhecimento e não querem nem pensar em trabalhar. Muitas terão que trabalhar, pois seus maridos não são ricos, mas nunca levarão nada a sério na vida.

            Uma dica para todos os homens mais novos: escolham apenas parceiras (ou parceiros, sem preconceito algum) com o potencial de serem boas companheiras, de estarem sempre no mesmo nível intelectual e econômico que o seu. Não precisam, necessariamente, TER o mesmo nível econômico, mas o que importa é que seriam capazes disso se quisessem, tivessem as mesmas oportunidades, etc.

            E para as mulheres digo apenas que não casem por comodidade, por pressão da família. Sejam independentes e escolham apenas homens inteligentes. A sociedade ainda é machista e se você se casar com um idiota, mesmo que ele hoje pareça ser um príncipe, terá que ouvir ordens a vida inteira.

            A regra geral é: não se relacione com gente burra. Podem até ser divertidos inicialmente, mas são uma péssima escolha. Terminarão a vida infelizes e, em muitos casos, agindo de forma imoral, anti-ética e autodestrutiva. Não é esse tipo de gente que você quer ao seu lado.

            Tenho muitos amigos que se casaram com as namoradinhas da época da escola, pois eram “as mais bonitas da escola”. Ah, meu amigo, a vida dá voltas. Tome cuidado. Hoje são casados com peruas insuportáveis que tomam antidepressivos o dia inteiro. São mulheres burras que não sabem zelar pela própria vida. Muitas delas nem faculdade fizeram.

            Eu preferi esperar pela pessoa certa. E hoje sou casado com minha grande companheira, e não com “a minha mulher”. Dividir é mais difícil do que ser autoritário e ter uma vida paralela como muitos homens fazem. Mas os benefícios são incomparáveis.

            Meu sonho hoje é que minha esposa pare de trabalhar…. junto comigo. Vai ser a coisa mais chata do mundo ficar em casa curtindo a vida enquanto ela volta todo dia reclamando da rotina, hehehehe.

            0
            • RosinhA 6 de junho de 2012 at 15:23

              Otimo post Ricardo, dei muitas risadas 😉 , estou na mesma situação 😉 só quero ver o que vai escrever quando ler que o pessoal tem dó de funcionário, mais abaixo 😉

              “Tome cuidado. Hoje são casados com peruas insuportáveis que tomam antidepressivos o dia inteiro. São mulheres burras que não sabem zelar pela própria vida. Muitas delas nem faculdade fizeram.”

              òtimo hahahahahahaha, gardenal na veia kkkkkk

              0
            • Troll 6 de junho de 2012 at 19:55

              Você resumiu tudo aqui:

              “E hoje sou casado com minha grande companheira, e não com “a minha mulher”. Dividir é mais difícil do que ser autoritário e ter uma vida paralela como muitos homens fazem.”

              Esse é o ponto! Belo post o seu.

              0
            • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 7 de junho de 2012 at 20:08

              Tem um ditado que corre por ai que é assim – “Para as mulheres mais vale ter um bom trazeiro do que horas de estudo” – isso resume a sua frase ão mulheres burras que não sabem zelar pela própria vida. Muitas delas nem faculdade fizeram.
              Assim são as Marias Chuteiras – Dancarinas de Programas deTV, Cantoras de Funck , Pseudo Modelos etc…etc…etc…Querem pegar um otario rico e viver na boa vida o resto da vida. Pra que investir em anos de estudo? – Vão numa academias, criar uma boa bunda e depois e so sair nas baladas pescando algum besta quadrada. Assim que algum cai na rede já de cara engravida e pronto….aposentadoria garantida. Pra que estudar e depois ter que sair batalhando um emprego? Ah, claro as vezes se dão mal – a Eliza Samujo ainda não apareceu pra contar….:) 🙂 🙂

              0
    • Riodetudo 5 de junho de 2012 at 20:32

      Agora é a pior hora para comprar. Segurem-se onde estão…

      0
  • Anonymous 5 de junho de 2012 at 18:38

    Para comemorar exatamente 1 ano de uma mensagem que previa o futuro. Com a queda dos juros, o aumento do prazo de financiamento e a QUEDA do valor do imóvel (que está acontecendo na forma de desconto), o tempo que a dívida vai permanecer maior do que o valor do imóvel AUMENTA.

    Anonymous disse: 5 de junho de 2011 às 18:29

    O seguinte resultado dá uma idéia do risco de comprar imóvel na alta. Supondo inflação zero e taxa de juros anual J. Se o preço do imóvel for reduzido, multiplicado por um fator (1 – F), imediatamente após o contrato de financiamento (tabela PRICE), a dívida permanecerá maior do que o valor do imóvel durante K anos, de acordo com a seguinte expressão:

    K = LOG(F * (1 + J) ** N + (1 – F)) / LOG(1 + J)

    Para J = 0.12, N = 30 anos:

    K = 12 anos se preço cair 10%, F = 0.10

    K = 15 anos se preço cair 15%, F = 0.15

    K = 17 anos se preço cair 20%, F = 0.20

    UPDATE 29 de maio de 2012

    Para J = 0.06, N = 30 anos:

    K = 7 anos se preço cair 10%, F = 0.10

    K = 10 anos se preço cair 15%, F = 0.15

    K = 17 anos se preço cair 30%, F = 0.30

    UPDATE 5 de junho de 2012

    Para J = 0.06, N = 35 anos:

    K = 9 anos se preço cair 10%, F = 0.10

    K = 12 anos se preço cair 15%, F = 0.15

    K = 19 anos se preço cair 30%, F = 0.30

    0
  • Marcela Achcar 5 de junho de 2012 at 18:43

    Minha aposta é que nao havera estouro antes do aumento dos juros.

    Na minha humilde opinião:

    Enquanto o governo esticar o prazo de pagamento e diminuir ainda mais os juros, vai ter otario caindo. Ou seja, a bolha irá desinflar, mas estourar ainda não.

    Uma hora o Dilmo e o Mantega vao ter de subir os juros. Se continuar nesse ritmo de juros baixos, expansão monetária e tuttti quanti, o braziu não se tornará tão interessante pros gringos e de brinde teremos ainda mais inflação, que é a única coisa relacionada a economia q realmente interessa ao brasileiro q está sentado no sofá assistindo JN.

    A coisa tá feia. As montadoras estão com os pátios cheios, as construtoras não estão vendendo… E são justamente esses setores os backbones da economia(por motivos óbvios, já q puxam inúmeros outros setores), junto com o agrobusiness.

    Se esses dois setores continuarem degringolando assim, teremos seríssimos problemas. Por isso o Dilmão não tem outra opção se não tentar endividar ainda mais as creydes e josyaldos da vida. Só q não vejo como Dilmo fazer isso sem causar inflação, desvalorizando o real e causando faniquitos no lobby exportador.

    De qlq forma, a coisa vai feder, é um beco sem saída.

    0
    • serpentarius 6 de junho de 2012 at 11:43

      A inflação aumenta com a desvalorização do real justamente porque aumenta o preço do produto importado

      US$ 1,00 = R$ 1,55
      USS 1,00 = R$ 2,50

      Um produto que custe US$ 100,00 a preços internacionais, custava R$ 155,00 (na mínima do dólar)

      Caso chegue aos R$ 2,50 até o fim do ano. Teremos de presente de natal que o produto de US$ 100,00 vai custar R$ 250,00.

      Portanto, um aumento de R$ 155,00 pra R$ 250,00. Mais de 60% de aumento em 1 ano, só pela via cambial.

      Por outro lado, quando vc diz que exportador vai reclamar, não é bem assim, se me desculpe o modo direto de falar, mas ocorre o inverso. O exportador brasileiro sai ganhando com a desvalorização do real.

      O porém: na importação o efeito é imediato, pois já existe o produto lá fora e a demanda aqui dentro. Então já ocorre a inflação. Já pra exportação o efeito só seria bom se fosse controlado, aos poucos, pro empresariado ir preparando sua capacidade produtiva (que não aumenta de uma hora pra outra) e o mercado consumidor (o empresário brasileiro que andava sumido do mercado externo tem que se fazer confiável novamente, disputar com outras empresas, mostrar seu produto). Pra exportação o resultado é demorado e costuma-se ter um efeito total em 3 (tres) anos, não menos. Alguns conseguem o lucro imediato, seja pelo produto vendido, seja pela demanda reprimida lá fora, ou outros fatores.

      Pra Balança Comercial brasileira o efeito é variável: depende da diminuição da quantidade de produtos importados em valor superior à desvalorização do real. Se a quantidade de importados continuar a mesma, a Balança se deteriora.

      O Balanço de Pagamentos é o que mais sofre no curto prazo, pois vai haver fuga de capitais do país, acelerando ainda mais a desvalorização do real, fazendo com que tenhamos que contar com a Balança Comercial pra fechar as contas; do contrário nossa reserva cambial de dólares vai embora.

      0
  • Eskeleto 5 de junho de 2012 at 18:45

    Esta situação que o governo está gerando realmente já estava premeditada desde quando começou aquele oba oba todo, precisamos analisar e pensar que sempre quem paga é o povo então indiferente se estourar agora ou não eles tão pouco ligando para isso, somente o quanto mais adiar mais tempo ficarão no poder. Acredito que isso ai está sendo feito para uma nova ordem, afinal mais quanto tempo esse sistema irá funcionar?
    Uma hora ou outra isso vai acontecer e a copa que se dane eles não estão nem ai, mas acredito que as coisas não vão aguentar até final de 2017, mesmo que contornem esta situação uma hora tudo quebra. Estou pensando seriamente em trocar a ideia de um apartamento de 50 m2 usado por uma chácara no interior afinal, se der merda vou criar galinha e vaca e plantar para não passar fome pois as cidades tende a não ter muito sentido depois do estouro. 🙂

    0
    • Virginia 6 de junho de 2012 at 05:24

      Ainda bem que meu pai tem um sítio no interior da Bahia… rsrsrsrs

      0
  • AAC 5 de junho de 2012 at 18:55

    Nem soft nem hard landing, agora será tragedia aérea sem sobreviventes…

    0
  • Fabiano Gomes 5 de junho de 2012 at 18:56

    O Brasil é a Espanha versão 2.0.

    Quando dizem que nossa bolha imobiliária não é igual à americana, eles tem razão. Ela é idêntica, sem tirar nem pôr, à bolha espanhola.

    Quero ver quando é que o bananense vai descobrir que sobrevive com um “salário de mierda”.

    0
    • GB 5 de junho de 2012 at 19:21

      “La mierda não vai dar para tuodos”.

      0
  • Annibal 5 de junho de 2012 at 18:58

    O pior e q se fosse o primeiro governo a tomar essa medida a populacao poderia ate cair…. mas o MUNDO INTEIRO ja assistiu a esse capitulo na Espanha…
    Todos sabem como isso acaba…
    nem pra ser original esse pais de merda serve…

    0
  • RosinhA 5 de junho de 2012 at 19:00

    Enxergo de maneira diferente os 35 anos:

    1 – A indústria esta em fase de queda faz algum tempo, e todos sabemos que a nossa indústria não é competitiva com nenhuma do globo pelos fatores tecnologia e impostos. Queda na indústria significa que a cadeia produtiva caiu, menos $$$ e pior em cascata.

    2 – A classe C que é a meninca dos olhos do governo, ganha mal, está endividada, não tem educação suficiente nem para fazer um simples cálculo matemático de qualquer porcaria que compra, nem para saber quanto está gastando, imaginem agora juros compostos e panorama mundial dos próximos anos, desculpe falei em braile para eles agora.

    3 – Em 8 anos estes imóveis estarão em situação de conservação deplorável, digo isso pois atendemos em domicílio e sabemos com quais condições são tratados estes imóveis, sem deixar de lado que daqui a 35 anos duvido que estarão em pé, pois além do desleixo, não terão condições financeiras para manutenção de qualquer espécie, fora desvalorização.

    4 – Alguém já parou para pensar que em 35 anos estão comprometidos pelo menos 1/3 da “””renda familiar”””, ou os filhos que tem hoje 20 anos vão ficar com seus pais até 55 anos para pagar o financiamento. Fora outras variáveis como desemprego, doenças, acidentes, etc.

    5 – As construtoras já estão pedindo ao governo ajuda, as quedas e os pacotes, deixam claro que a situação é muito preocupante, as quedas nas imobs revelam que os estrangeiros já saíram quando começaram as primeiras tendências, os sardinhas estão fritando as últimas agora, fusões com certeza estão por vir, e agora acho que até de fora do país.

    6 – O mundo está mal, todos os países grandes com problemas, e nós vamos se sair bem como 2008, e a especulação se perpetuará para sempre, lógico que não. Uma medida maluca a cada 2 dias mostra isso.

    7 – Os bancos, financeiras, operadores de créditos e o diabo a quatro, não vão conceder crédito com facilidade, podem esperar, já sabem qual o patamar de endividamento e falta da capacidade de pagamento, portanto bolhistas dormimos tranquilos hoje, pois ao passar do tempo as coisas vão se adequando.

    0
  • RT 5 de junho de 2012 at 19:02

    Facilitar o financiamento de quantias enormes para uma população já muito endividada?

    Isso não tem como acabar bem…

    0
  • Silas Coul 5 de junho de 2012 at 19:09

    Como venho dizendo há tempos: ano eleitoral…..
    Para aqueles que não conseguirem esperar até meados de 2017, quando chegaremos ao fundo do poço, um momento de compra se desenha( ainda q não tão bom quanto a data de pico): out/nov de 2013.

    0
  • henrique 5 de junho de 2012 at 19:09

    Essas medidas não vão surtir o efeito desejado pelo governo.

    O paciente já está muito doente e o médico só está aumentando a dose de antitérmico, fazendo a febre baixar.

    Vai melhorar um pouco, como aconteceu com o setor automotivo em maio, mas logo vai piorar de novo.

    A festa ACABOU.

    Mais: para piorar de vez, agora só falta aumentar o desemprego.

    0
    • pmoraesm 6 de junho de 2012 at 12:31

      Desemprego, infelizmente, é o rumo que estamos tomando… Com os compradores de commodities indo mal das pernas e o mercado interno caminhando para retração, não tem como manter o emprego de todo mundo e ainda absorver os jovens profissionais.

      Vamos descobri quanto fôlego o governo tem quando tiver que pagar bolsa familia, seguro desemprego, baixas na reserva do FGTS e ainda manter crédito na praça.

      0
  • rui filho 5 de junho de 2012 at 19:11

    Como pode? As pessoas acham que ficam mais ricas por comprar coisas caras, mas só estão penhorando o futuro. Para cada “pataca” que essas intervenções financiam, o imóvel fica 3 “patacas” mais inflacionado. Outro dia vi um político dizendo que todo mundo ficou mais rico em Itaquera, e perguntava pras pessoas: “Quanto vale sua casa hoje? Quanto valia antes do governo etc?” “Viu, todos estão mais ricos!”. Detalhe: a casa/ap é cohab.

    0
    • Cleyton 5 de junho de 2012 at 20:41

      Penhorar o futuro foi a melhor definição que li até agora!!!

      0
  • AAC 5 de junho de 2012 at 19:12

    Como aquele jogo do programa do Silvio Santos, da cabine, onde o cara podia trocar uma televisão por um prendedor de roupa..Silvio pergunta ao jogador: quer trocar um punhado de areia, uma pá de cimento, um pouco de barro, uma pitada de cal, um pouco de ferro, alguns petroquimicos (tintas), um pedaço de terra e algumas horas de mão de obra sem nenhuma especialização, por 35 anos de trabalho pagos em 420 parcelinhas de 30% sua renda, passando privações, dores de cabeça, mas morar naquilo que é seu…a resposta: SIMMMMMMMMMMM

    0
    • Rafael KM 5 de junho de 2012 at 19:34

      PERFEITO!!!!!!

      0
    • Eduardo Pena 5 de junho de 2012 at 20:48

      Boa!

      0
    • ICF 6 de junho de 2012 at 20:21

      Gostei!!

      0
  • Sr. LB 5 de junho de 2012 at 19:13

    Tenho que concordar com o Anonymus: esse Brasil é mesmo um país de MERDA!!
    A gente só se fode o tempo todo.
    Exemplos:
    Comprei uma máquina de lavar em janeiro para dar de presente de casamento pro meu irmão. Quase 3.000,00. Depois de 2 meses de espera a loja fala que não tem como fazer a entrega do produto, pois a fábrica não está fazendo entregas. Resultado: cancelei a compra e estou com ação na justiça.

    Há dois meses comprei um carro fabricado no México, com promessa de entrega em 60 dias. Completou 75 dias e o carro não foi entregue. Liguei na fabricante e me informaram que a concessionária não fez nem o pedido do carro. E disseram que a próxima leva de carros com as características que eu quero só chega ao Brasil em outubro de 2012. Resultado: cancelei hoje a compra e semana que vem ingresso com ação solicitando danos morais.

    Hoje vem essa merda do aumento do prazo de financiamento da casa própria. A gente que é ecônomico, que economiza, só vai demorar mais pra comprar, já que tentarão automaticamente reajustar os preços.

    Acho que esse país não tem saída não: ou você é amigo do “Rei” ou tá mesmo fudid….

    0
    • Rodrigo 5 de junho de 2012 at 19:38

      Será que dá para entrar na Justiça porque aumentaram o prazo? eheh!

      0
    • jacob 6 de junho de 2012 at 10:35

      Permite minha indiscricao de perguntar qual o carro e montadora? Estou para trocar de carro tb e esta informacao pode ser importante.
      Concordo com td que disse.

      0
      • Sr. LB 6 de junho de 2012 at 12:16

        Jetta, fabricado no México.

        0
        • pmoraesm 6 de junho de 2012 at 12:33

          Desculpe… mas não pude perder a oportunidade:

          “http://www.youtube.com/watch?v=kkbdcDrN-KI

          0
        • jacob 6 de junho de 2012 at 13:34

          Obrigado, ouvi falar isso da fiat e da nissan, queria confirmacao. VW eu nao compro nem a pau…hehe
          Abracos

          0
    • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 14:28

      hahaha, mais um que caiu no conto do carro mexicano.

      Eu tive o mesmo problema. Dois conhecidos meus também. Os caras venderam um monte de unidades, para se capitalizar e não perderem os clientes para uma concorrente. Mas o fizeram sem saber se valeria a pena trazer os carros.

      A esperança deles era dizer “ah, ferrou tudo e a culpa é do governo, que está brigando com o México” e te vender alguma outra unidade do estoque nacional deles. Só que a maior parte das pessoas está indo embora xingando todo mundo da concessionária e em alguns casos quebrando tudo.

      No meu caso falaram de aumento de IPI, disso e daquilo. O que eu percebi é que o vendedor foi adiante mesmo sabendo dos riscos, para ficar bem nas estatísticas e segurar o cliente. O gerente da loja fez as contas e viu que não valia a pena fazer o pedido e trazer os carros.

      Ninguém veio falar comigo sobre o que estava acontecendo. Ninguém.

      Uma dica: dependendo dos documentos que te entregaram, é possível protestar em cartório. Enquanto não resolverem a situação, terão dificuldades para fazer pedidos nas montadoras, comprar peças para a oficina e até mesmo contratar serviços sem pagamento adiantado.

      No meu caso deu certo: me devolveram todo o dinheiro no mesmo dia, com multa de 1% ao mês (máximo permitido por lei para instrumentos não financeiros) sobre o período em que ficaram com o meu dinheiro.

      TUDO no Brasil está sendo feito de qualquer jeito. Virou a REGRA local.

      0
      • Sr. LB 6 de junho de 2012 at 17:05

        Ricardo,
        Ontem mesmo estive na concessionária e deixei uma carta exigindo a devolução em dobro do sinal (conforme artigo 400 e pouco do CC), atualizada monteriamente e com juros legais. Mesmo que me devolvam em dobro o sinal, ingressarei com ação nos Juizados Especiais. Acho que tenho chance de conseguir um dano moral.
        Ingressar com ação nos Juizados Especiais é bem fácil (já entrei com algumas).
        A concessionária utilizou de má-fé. Enquanto fiquei aguardando, a vendedora me ligou oferecendo dois outros carros, com outros opcionais e com cor diferente.
        Realmente esses carros fabricados no México vão se tornar um mico. Ontem meu pai foi ver a nova CRV e a loja já avisou que demora 5 meses pra entregar.

        Bom, agora tenho que pensar em que carro comprar, nessa faixa de 70k. Alguma sugestão? Estou agora cogitando até em comprar um semi-novo.

        0
        • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 17:21

          Todos esses desgraçados estão fazendo isso. Estão todos vendendo carros que não possuem e que ainda por cima não estão interessados em importar. É uma insanidade. E no final, depois de te enganar, oferecem os LIXOS que eles tem no estoque.

          Eles estão acumulando esses pedidos para 2, 3, 4 e até 5 meses para formar uma lista de importações e se manter dentro daquela cota que o governo estabeleceu para o méxico. Aí você espera 4 meses e eles avisam que o carro será 15% mais caro do que eles disseram.

          Estão tentando tirar o máximo de valor sobre o que será trazido dentro da cota. O problema é que não estão usando o livre mercado para isso e sim ilegalidades que não deveriamos tolerar.

          Compra uma ASX. Tem muito psicopata maluco oferecendo ela usada por 70k, sendo que a nova está 80k. Ninguém economiza 12% para pegar um carro usado. Mas bom, o Webmotors é um hospício mesmo.

          Negociando bem a semi-nova sai 60k fácil, ano 2011. Ou a nova por 80k, com condições boas que a Misubishi às vezes oferece, como por exemplo 50% de entrada e 48x sem juros. Como não negociam desconto para quem paga à vista, é sem juros mesmo. Mas isso depende da época.

          0
      • Sr. LB 6 de junho de 2012 at 17:12

        Só para exemplificar, decisão do TJDF condenando a ré em danos morais, devido a caso semelhante:

        “””http://tjdf19.tjdft.jus.br/cgi-bin/tjcgi1?DOCNUM=3&PGATU=1&l=20&ID=62614,61693,24565&MGWLPN=SERVIDOR1&NXTPGM=jrhtm03&OPT=&ORIGEM=INTER&pq1=veículo não entregue dano moral

        0
  • Carioca Cauteloso 5 de junho de 2012 at 19:45

    Pior de tudo é verificar que na prática os preços estão mesmo caindo, de pouco em pouco, pois não tem ninguém se arriscando pagar preços bolhudos, mas o índice Zap continuar indicando que os imóveis estão valorizando… Acabo de ver índice de maio 0,9%, sendo que em abril era de 1,2%, porém sempre positivos. Alguém pode me explicar como o índice de reajuste sobe se os preços estão caindo!?

    0
    • Pensativo 6 de junho de 2012 at 01:12

      Essa é fácil. O índice possui um vício irreparável, baseia-se unicamente nos preços de oferta e não nos valores praticados nos contratos fechados.
      Ou seja: é lícito e direito do proprietário pedir o quanto ele quiser pelo seu bem, porém isso não implica que o comprador aceite o preço proposto.
      Isso faz com que o índice “Flip-zup” seja apenas uma ficção, descolada a realizada e altamente manipulável, visto que com alguns milhares de reais pode se valorizar ficticiamente uma cidade inteira.

      Caso queria um ótimo termômetro de como o mercado imobiliário está, aconselho a verificar o comportamento das ações das imobiliárias. Os grandes investidores, que realmente controlam a Bovespa, visualizam a situação meses a frente e tomam medidas hoje para ter lucro (ou menos prejuízos) amanhã.

      Como eu já disse meses atrás. A grande força que move a economia não é a situação atual, mas a PERSPECTIVA para o futuro. E a perspectiva para o futuro do mercado imobiliário nacional não é boa.

      0
  • RosinhA 5 de junho de 2012 at 20:02

    TRINTA E CINCO ANOS:

    Estávamos na década de 70 a 35 anos atrás, o que tinhamos? fuscas, kombis, corcel, e as casas e as cidade e o comércio e tecnologias?

    Agora vamos 35 anos para frente estaria com 72, como serão as tecnologias, casas, carros, saúde entre outros.

    Teremos pelo menos 9 governos, poderia fazer umas 10 faculdades, e quanto a água, guerras, desastres, mortes, roubos, fraudes, corrupções, terremotos, tsunamis, entre outros, 35 anos é muuuuuuuuuuito tempo boa sorte para todos aqueles que pegarem suas canetas assinarem vendendo seus destinos, seus sonhos, seus prazeres, ao nosso governo e a todos [email protected] desse país seja qual área for.

    0
    • FQ 5 de junho de 2012 at 22:16

      Excelente. Concordo.

      0
    • Pensativo 6 de junho de 2012 at 01:18

      Um punhado de tijolos e cimento não valem 30% de 35 anos de meu trabalho e conforto da minha família.

      Só os que sabem o quanto é difícil ganhar e guardar dinheiro conseguem visualizar a sandice que tomou os mercado imobiliário nacional.

      0
    • ICF 6 de junho de 2012 at 20:40

      Rosinha,
      Neste seu post, você traduz muito do que penso quando vejo alguém fazendo financiamento a perder de vista. Quando olho para trás, num tempo muito menor que 35 anos já vejo uma grande diferença de tecnologias e de modismos. Na cidade em que moro, já vi passar a moda das esquadrias em madeira, depois as de alumínio natural, a seguir as de alumínio pintado em preto e, atualmente as de alumínio dourado. Imagino 35 anos!!

      0
      • RosinhA 6 de junho de 2012 at 23:56

        Hahaha ICF engraçado, isso mesmo tinha me esquecido, logo as portas e janelas serão de plático injetado, diminuindo custo e contribuindo para imóveis ridículos;

        0
  • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 5 de junho de 2012 at 20:04

    Situação Na Espanha:

    Atualmente os imoveis na espanha estão no patamar dos valores praticados em 2006 mas NINGUEM ESTA COMPRANDO.
    Só não cairam mais ainda porque os bancos se negam a vender os imoveis retomados a preços bolhudos – pois se fizerem isso quebram uma vez que quando retomam o apartamento ele entra para o banco pelo preço bolhudo – ou seja p. ex 1 milhão – mas se venderem mal vão conseguir captar 300mil.
    Assim, “segurando” esses imoveis – denominados “ativos toxicos” eles estão tentando evitar a própria quebra do banco e tentando evitar a queda ainda maior, do valor dos imoveis.
    Por outro lado, estão trabalhando com o psicologico do povo espanhol e junto com a imprensa soltando noticias falaciosoas do tipo – COM A BAIXA NOS VALORES DOS IMOVEIS ESTRANJEIROS VOLTAM A COMPRAR NA ESPANHA PARA INVESTIMENTO – os sites deles tipo SECOVI – estão cheias desse tipo de noticia para ‘assustar” a população e força–la a comprar imoveis dizendo que nesses preços nunca mais terão essa oportunidade.
    O problema é que a população esta quebrada, endividada, e desempregada o governo ate esta admitindo a lavagem de dinheiro para ver se consegue trazer dinheiro ao pais – basta vc lim par a sua fortuna pagando 10% de impostos e depositando em especie o dinheiro em uma conta bancaria dentro da Espanha.
    O engraçado são os comentarios que leio do povo Espanhol a respeito dessas noticias de estranjeiros comprando e lavagem de dinheiro – xingar é pouco, mandam tudo a M. literalmente.
    Um cara respondeu um pos assim: QUEM DISSE QUE NÃO DÁ PRA PAGAR EM 40 Anos? Ontem terminei de pagar a hipoteca que meu avo deixou…”
    Eles Sabem que os imoveis deveriam cair mais e agora estão atacando os bancos para que realizem os ativos tóxicos.
    Pelos meus calculos a coisa la se deu em 2009 e agora em 2012 a coisa tá feia mais creio que mais 1 ano a coisa vai pro brejo.
    Fazendo uma analogia com o Brasil a coisa aqui travou em 2011 e portanto em 2014 as coisas podem ficar feias – imoveis com preços de 2006 mas só em 2016 e qua a coisa vai realmente feder.
    Ha muitos anos atras existia um efeito “Orlof” entre Argentina e Brasil e Vice Versa, Hoje com a globalização podem dizer que a Espanha somos nos Amanha.
    Outra coisa, esse lance de hipotecas por 40 anos acaba sendo uma verdadeira armadilha – o cara pensa: “comprar não dá, pagar aluguel é jogar dinheiro fora, o jeito e entrar num financiamento de 35/40 pelo menos estou pagando o que é meu.” Porém 2 erros são cometidos nesse racicinio: 1) Pagar aluguel ate pode ser “jogar dinheiro fora” desde que comprar um imovel seja algo possivel com valores corretos, agora quando vc vai pagar 4x o valor real do imovel evisentemente que o aluguel é a melhor opção. 2) em 40 anos muita coisa pode acontecer, veja a Espanha 200 imoveis retomados por dia…o cara pagou e alem de não ter nada, ainda fica com o nome sujo e fudido. Eu continuo firme e forte na minha locação FOR EVER

    0
    • Rafael KM 5 de junho de 2012 at 20:35

      Se não venderem os imóveis pelo preço que der os bancos vão ter que gastar com manutenção, IPTU e outros impostos, condomínio, etc. Isto é MUITO dinheiro. Nos EUA entregaram pelo preço que deu. Numa casa de 1 milhão bolhudo retomada, melhor ter os 200 mil na mão do que não ter os 200 mil.

      Só aí a diferença entre ter 200 mil e não ter os 200 mil já são 400 mil. Fora ainda ter que manter o imóvel com dinheiro saindo todo mês. Nos EUA só o dinheiro de taxas saindo todo mês já fez os bancos desovarem os imóveis – note que estas taxas, se não pagas, são acumulativas e alguém vai ter que pagar.

      Se não gastar na manutenção, em 2 anos o imóvel, abandonado, fica DETONADO – infiltrações, umidade, ratos, baratas, pó, vidros quebrados, etc,etc. Será que em 2 anos a economia se recupera para venderem em preço bolhudo novamente? Duvido.

      E para banco, todos sabem que o que escrevi acima é a mais pura verdade, resumindo: entre ter 1 Euro para emprestar e não ter 1 Euro para emprestar, são 2 EUROS. Ou seja, para não deixar dúvidas: pagando um imposto de 1 Euro, eles deixam de emprestar este euro e ganhar em cima dele, então, na verdade, a diferença é ainda MAIOR que estes 2 euros.

      Não adianta fazer balanços com dinheiro de mentirinha. Uma hora a casa cai.

      0
    • Cleyton 5 de junho de 2012 at 20:39

      Andre, desculpe mas não imagino os bancos segurando imóveis pra manter patrimônio com liquidez zero pra manter os preços, bancos são muito versáteis nesse ponto, a não ser que o banco seja exclusivamente imobiliário, coisa que não acredito, pra não cair os preços é só jogar no leilão, naturalmente os preços serão mais baixos que os do mercado e quase não causam impacto nos negociados normalmente. Os espanhóis estão tão putos com tudo que devem estar exagerando um pouco a situação.

      Sobre aluguel em tempos de normalidade o que se deveria pesar é o tempo que pretende ficar nele (no caso de um trabalho temporário), nos preços de hoje está certíssimo.

      0
      • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 5 de junho de 2012 at 20:50

        Cleyton – veja ai sobre o assunto – o problema é o banco emprestou 1 milhão, vende no leilão por 300 (prejuizo de 700 mil) Agora imagina isso multiplicado por cada unidade vendida – O banco não vai conseguir repor o caixa e quebra.

        http://luisabelchior.blogfolha.uol.com.br/2012/05/10/os-ativos-toxicos-voltam-a-assustar/

        0
      • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 5 de junho de 2012 at 20:51

        Cleyton – veja ai sobre o assunto – o problema é o banco emprestou 1 milhão, vende no leilão por 300 (prejuizo de 700 mil) Agora imagina isso multiplicado por cada unidade vendida – O banco não vai conseguir repor o caixa e quebra.

        “http://luisabelchior.blogfolha.uol.com.br/2012/05/10/os-ativos-toxicos-voltam-a-assustar/

        “http://economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201205111454_AFP_81192821

        0
        • Cleyton 5 de junho de 2012 at 21:32

          O do terra não abriu 🙁

          Imagino um certo exagero porque (agora depois de ler a reportagem) que ele diz “os bancos espanhóis”, em seguida diz que o Bankia tem 10 milhões de correntistas mas não dá ideia da dimensão imobiliária neste banco (que claro, tá indo pro pau), tem um cheirinho esquisito nela.

          O que eles chamam de ativos tóxicos (imóvel não é ativo pra mim) podem não ser só imóveis (estou falando isso sem saber, só raciocinando a respeito), podem ser tipo as nossas LCI ou as subprimes nos Eua, se for isso mesmo aí laskou tudo porque aí sim tem poder de penetração/contaminação muito maior.

          No mais precisamos ficar de olho na Espanha pra saber quais serão as medidas a serem tomadas aqui depois do PLOC, já que pelo andar da carruagem serão exatamente as mesmas.

          0
          • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 5 de junho de 2012 at 21:48

            Clayton

            Tire os aspas iniciais – mas de q.q forma mando a noticia inteira – eles também não especificam pois ninguem sabe ao certo o que tem na caixa preta – tanto que neste momento esta se discutindo a contratação de 2 auditorias independentes para se saber o que realmente acontece. – e ativos “problemáticos” por seu valor incerto (créditos de reembolso duvidoso, imóveis confiscados em um mercado desvalorizado), que representam 60% de sua carteira.

            O Certo é que os preços cairão ainda muito mais – e o Brasil como disse acima esta seguindo a cartilha espanhola a risca – qual será o resultado senão o mesmo deles, mas pior…pois entraremos ja no auge da crise mundial e não só interna – sofreremos 2X mais

            “http://economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201205111454_AFP_81192821

            O governo espanhol anunciou nesta sexta-feira um plano de saneamento dos bancos que impõe provisões adicionais no valor de 30 bilhões de euros e a separação em seus balanços dos ativos imobiliários, tóxicos ou suscetíveis de chegar a essa condição no futuro pela desvalorização do mercado após o estouro da bolha, em 2008.

            As instituições bancárias espanholas carregam um fardo de 184 bilhões de euros (cerca de US$ 238 bilhões) de ativos “problemáticos” por seu valor incerto (créditos de reembolso duvidoso, imóveis confiscados em um mercado desvalorizado), que representam 60% de sua carteira. Esta fragilidade do setor provoca preocupação nos mercados a respeito da saúde da economia espanhola, principalmente depois de nesta semana Madri ter resgatado o Bankia, quarto maior banco do país e o mais exposto dos grandes bancos aos ativos imobiliários problemáticos.

            “A ideia geral é que a situação dos bancos é pior do que se acreditava”, disse Edward Hugh, economista independente instalado em Barcelona, lembrando que “ainda estamos longe de conhecer a verdadeira envergadura das perdas” causadas pelo setor da construção. Como consequência, a reforma decidida nesta sexta-feira impõe separar estes ativos nos balanços dos bancos e avaliá-los corretamente, levando em conta a péssima situação do mercado imobiliário espanhol.

            Neste sentido, o governo decidiu uma medida, “obrigatória para todas as entidades”, que consiste em colocar seus ativos imobiliários em agências especializadas e separadas dos bancos, anunciou o ministro da Economia, Luis de Guindos. O executivo também decidiu “encarregar dois avaliadores independentes de uma avaliação de todos os balanços das entidades financeiras” para analisar seus ativos imobiliários, disse a vice-presidente do governo, Soraya Sáenz de Santamaría.

            Essas medidas se somam a uma primeira fase de reforma financeira, decidida em fevereiro pelo governo conservador de Mariano Rajoy, que já havia imposto aos bancos provisões no valor de 53,8 bilhões de euros para se proteger diante do risco de desvalorização de seus ativos imobiliários. Agora “o nível de provisões passará de 7% para 30% até o final de 2012” nos ativos considerados “não problemáticos”, mas que podem ficar nessa condição no futuro, o que representará um aumento de 30 bilhões de euros, disse de Guindos.

            O objetivo é “dar credibilidade e confiança ao nosso sistema financeiro, conseguir a venda de casas a preços de mercado e a volta do crédito”, afirmou Sáenz de Santamaría. O Ministério da Economia anunciou na quarta-feira uma nacionalização parcial do Bankia, por meio da transformação em ações de 4,465 bilhões de euros emprestados em 2010 pelo fundo de ajuda pública ao setor financeiro (FROB) ao Banco Financeiro e de Poupança, proprietário de 45% do Bankia.
            Cla

            0
            • Cleyton 5 de junho de 2012 at 22:22

              Aí já temos um problema, não vai ter como fazer uma nacionalização parcial do banco público daqui.

              Se o bicho for mesmo tão feio quanto estão pintando é até bom ter recessão aqui, imagina um monte de espanhol fugindo da crise pra cá!

              E os imóveis? Eles estão falando de salvar bancos, se baixar bastante o preço talvez tenha escala pra dar uma ajudinha (estou pensando no nosso futuro aqui)

              0
  • Dr. Estranho 5 de junho de 2012 at 20:21

    Creio que Dilma apenas não quer ser a “mãe da bolha”. Ela entregará a bomba de retardo ao próximo. Também existe a hipótese de se desejar conter a crise que se aproxima, apenas para garantir o máximo de prefeituras petistas. Estas alavancam candidaturas a presidente. O jogo é apenas político. O econômico é desalentador. Crises econômicas são cíclicas e servem para reajustar o mercado. Chegará o ponto que o governo nada poderá fazer.

    0
    • GB 5 de junho de 2012 at 20:40

      Boa teoria.

      O que me surpreende foi eles trerem usado essa cartada tão cedo, as coisas devem estar feias mesmo.

      Mas todo mundo sabe que não vai dar certo, os especuladores não têm mais interesse em imóveis, a maioria ainda está tentando vender os que compraram pois sabem que a casa vai cair se tiverem que pagar as chaves e cair nas mãos dos bancos.

      Sobra o pessoal mais pé no chão e informado, tipo a gente mesmo, mas com sucessivas quedas nos juros e com os bancos se recusando a renegociar os antigos, o negócio é esperar e ver até onde chegam os juros, quem sabe logo não comecem a vender com juros zero ou com portabilidade com custo zero ?

      E eu me recuso a dar 1/3 dos meus rendimentos por 35 anos para alguém, isso é loucura, totalmente fora de questão.

      0
  • Eduardo Zé 5 de junho de 2012 at 20:48

    Com os incentivos para comprar carro novo perderam a referência de preço de carros usados, só sabem que está caindo e as pessoas devem entregando por uma miséria!
    Você já pode até comprar uma calça jeans e financiar em 48x no cartão de crédito.
    Os preços dos imóveis estão tão fora da realidade, que aquilo que não foi vendido, não será e ainda ficará mais caro…
    Aonde isto vai parar?

    0
  • GB 5 de junho de 2012 at 20:53

    Agora que vimos que esse negócio de reduzir o IPI não vai salvar o mercado de automóveis, logo eles irão ao governo dizer que não deu certo e pedir maiores ajudas, assim como o imobiliáro tem feito todo mês.

    Creio que o setor automotivo não vai cumprir esse acordo de manter os empregos pagando cursos pro pessoal por 5 meses.

    0
    • Mark 5 de junho de 2012 at 22:21

      Eu estou só de olho nos preços via web (que geralmente são mais caros), e vejo por exemplo um Tiguan usado. 2 meses atrás não custava menos de 80K (2010), hoje já vejo o mesmo por 70K. Essas medidas do governo só tapam o sol com a peneira. Vende um pouquinho e pronto essa semana já não vai vender mais.

      0
  • A citizen from Republic of Banânialand 5 de junho de 2012 at 20:54

    Pessoal, vocês viram essa notícia publicada ontem?
    Agora o povão, ricão que está, vai desfilar com camiseta e óculos da moda comprado em 48 vezes.
    ÊÊÊ Brasil ziu ziu!!!

    Cartões fazem crediário de até 48 vezes para atrair nova classe média
    Aiana Freitas
    Do UOL, em São Paulo

    Especialistas recomendam cautela em financiamento de longo prazo
    O crescimento do consumo da nova classe média brasileira tem levado as operadoras de cartão a ampliar o parcelamento oferecido aos consumidores. Cielo e Redecard agora oferecem linhas de crediário em suas maquininhas e a possibilidade de os consumidores fazerem as compras em até 48 prestações nas lojas.

    Especialistas em finanças pessoais, porém, recomendam cautela em parcelamentos de longo prazo.

    A Redecard acaba de lançar o Crediário Redecard. Quem tiver cartão de crédito da Caixa Econômica Federal ou do Itaú, das bandeiras Visa ou Mastercard, já pode fazer o parcelamento das compras usando a modalidade crediário.

    Nos cartões da Caixa, o parcelamento poderá ser feito em até 48 vezes. Os juros cobrados vão variar de 0,89% ao mês (para o Cartão Azul) a 1,9% ao mês (para os demais cartões).

    Nos cartões do Itaú, será possível parcelar em até 24 vezes. Os juros, nesse caso, vão variar de 0,9% ao mês a 3,9% mensais, dependendo do cartão, segundo o banco.

    O limite do crediário, nesses dois casos, estará vinculado ao limite do cartão, que é determinado pelo banco que emite o cartão e varia de acordo com cada cliente. Isso significa que, ao usar o crediário, o consumidor terá o limite do cartão reduzido.

    Consumidor pode fazer simulação antes de finalizar a compra
    Desde o começo de maio, os comerciantes que recebem cartões nas maquininhas da Cielo também podem oferecer aos clientes, agora, uma linha de crediário. A parceria da operadora é com o Bradesco e o Banco do Brasil.

    Clientes que possuem o cartão de crédito Ourocard, do Banco do Brasil, podem parcelar as compras em até 48 vezes, a juros mensais que variam de 1,55% a 1,98%. O Bradesco não informou as taxas que vai cobrar nem o prazo de parcelamento que vai oferecer.

    Antes de efetivar a compra, o cliente pode pedir ao lojista uma simulação do valor que pagará se optar pelo crediário ou pelo cartão de crédito, por exemplo. Essa simulação poderá ser feita na própria maquininha.

    O parcelamento oferecido nas maquininhas da Cielo não interfere no limite do cartão de crédito. Quem usar o crediário acessará outro limite, determinado pelo banco que emitir o cartão. O limite de crédito das funções crédito e débito permanecerão inalterados.

    Empresas querem atingir a nova classe média
    O objetivo das empresas é atingir especialmente a nova classe média brasileira. “Com o crediário, conseguimos atingir um público diferente”, diz a diretora de produtos clássicos da Cielo, Mônica Berti. “Os bancos tinham linhas de crediário e queriam facilitar o acesso delas aos clientes. O que o sistema faz é uma automatização do antigo carnê.”

    O diretor-executivo da Redecard, Carlos Henrique Zanvettor, diz que o crediário da operadora estará disponível, neste início de operação, para cerca de 53 milhões de consumidores, “o que abrange majoritariamente a população pertencente à classe C”.

    Em abril, uma nova empresa de cartão de crédito chegou ao mercado prometendo oferecer parcelamentos em até 200 vezes, ou mais de 16 anos. A ideia da Shopcards era substituir os tradicionais carnês das lojas de móveis e eletrodomésticos e oferecer o cartão nos locais em que essa modalidade de pagamento geralmente não está disponível, como consultórios médicos.

    “Vamos estimular o consumo, porque hoje muitos consumidores deixam de comprar mais por causa do seu limite de crédito”, diz o vice-presidente da Shopcards, Marcello Gimenez.

    Uma das primeiras parcerias firmadas pela Shopcards foi com o Shopping D&D, em São Paulo, especializado em decoração. Até agora, porém, os cartões da empresa ainda não chegaram nas mãos dos consumidores. Segundo Gimenez, isso deve acontecer até 15 de junho. Os juros médios no parcelamento, segundo ele, serão de 3,5% ao mês.

    0
    • Fernando Nemer 5 de junho de 2012 at 21:27

      Banco Votorantim irá receber injeção de 3 bilhões das empresas do grupo após prejuízo no último trimestre…

      0
  • RafaelK 5 de junho de 2012 at 20:55

    Pessoal..meio off topic…
    mas estas notícias da Petrobras são meio esquisitas…
    Alguem q entende um pouco desta empresa teria em mente um cenário futuro q a Petro possa dar uma melecada na nossa economia?

    0
    • Chapolin 6 de junho de 2012 at 00:15

      É fácil dar uma melecada. Foi imposta uma aceleração que não é compatível. A empresa foi usada para levantar a indústria nacional. Tem que ter um conteúdo nacional alto. Mas o mercado interno consegue atender? Veja o atraso das plataformas (atrasa plataforma –> atrasa produção –> reduz lucro). Somado a isso o governo segura o preço dos combustíveis mesmo com a alta do barril para evitar estrago maior na economia (custo de frete, inflação, etc.). Mas isso tem consequência. Procure o balanço e veja que o desempenho do setor de Abastecimento.

      0
    • Francisco Quiumento 6 de junho de 2012 at 09:11

      Não é “pode dar”. Já deu.

      Se não tivesse mantido uma curva solapada, apertada, imposta de correção do preços dos combustíveis, não tinha se metido no aperto de caixa m que está, e não resultaria no salto de índice inflacionário que mais cedo ou mais tarde causará. Questão agora, literalmente, de horas. No gás já ocorreu.

      PS: E BIS para o comentário do Chapolin

      0
  • Fernando Nemer 5 de junho de 2012 at 21:16

    Todos os jornais ou telejornais começam a edição de hoje dizendo: Boa notícia par quem quer comprar casa própria, aumentam os prazos com juros baixos para aquisição da casa prórpria…estas notícias tem vida curta, da mesma forma, como foram as reduções dos juros…em 30 dias…as notícias devam ser aquelas contrárias a Tia Dilma… dos que apostam na crise, não especulando…mas concientes da crise, aqueles que querem consumir sim… mas concientes do poder de compra .

    0
  • Rafael KM 5 de junho de 2012 at 21:20

    Crise.

    Dia 01 de junho, sexta-feira, fui, após sair do serviço, à cabeleireira. Pela primeira vez em 4 anos não precisei esperar. E estava preocupado, porque sexta-feira sempre tem movimento. Início de mês, então, nem se fala. Antigamente seria impossível ter horário livre. Perguntei e ela “É a crise!”.

    Detalhe: preço do corte com máquina é R$10, ou seja, não é salão de beleza bolhudo.

    E pela 1a vez em 7 anos vejo um notícia na TV dizendo que a expectativa de venda no dia dos namorados (o dia não importa, na verdade é de qualquer dia de presentes) é de QUEDA.

    Tá ficando feia a coisa.
    O bicho tá pegando.

    0
    • AF 5 de junho de 2012 at 21:27

      😯

      0
    • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 5 de junho de 2012 at 21:32

      Rafael KM

      Esse salão de beleza com corte na máquina é o que se chama no popular “pela porco” – Sem ofensas – também frequento, mas uma vez em são Vicente estava com um caiçara e ele me disse – Preciso ir no “Pela Porco” e eu pensei – O que é isso – quando cheguei era um salão de corte de cabelo – na época eram R$ 3,00 – Um Legitimo Pela Porco – sem ofensxas, apenas contando uma passagem comica…

      0
      • Troll 5 de junho de 2012 at 22:36

        O negócio é que tem algum informante do PT infiltrado nesse site e ele percebendo que o Jacó’s Day estava chegando (próximo dia 12/06) informou ao governo, que aumentou o prazo da financiamento para adiar o Jacó’s Day.

        0
      • Rafael KM 6 de junho de 2012 at 00:17

        Pior que não é Pela Porco não.

        É um salão de beleza familiar, atendido pelas donas (mãe e filha) que cobram o que acredito ser um preço justo pelo serviço que prestam, ou vocês acham que para passar a máquina no cabelo tem que pagar R$80? O resultado vai ser basicamente o mesmo. Acredito que corte feminino é uns R$20. A cidade é da região metropolitana de Porto Alegre, e o salão é no centro, mas no segundo andar. Não é bolhudo, são competentes (estão no mercado há mais de 15 anos), e com clientes fiéis que devem estar cortando gastos.

        0
    • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 14:59

      É a crise mesmo.

      Acabei de me mudar (um ano) para um prédio de um nível relativamente alto e nunca tinha participado de uma reunião sobre orçamento. Teremos aumento de 45% devido aos inadimplentes.

      Só que não é um prédio de assalariados desesperados. Eu achava que o povo não era tão vulnerável assim. Mas é um prédio de empresários com alto custo fixo nas costas. Em muitos casos 30% a menos nas vendas significa prejuízo liquido e não 40, 50, 60% a menos de lucro.

      E todos os restaurantes que frequento (um de meus vícios é comer fora de casa) estão cada dia mais vazios…

      0
  • thiago fm 5 de junho de 2012 at 21:25

    Fazendo os cálculos na planilha de simulação citada pelo Veigalex, temos que uma pessoa com renda por volta de R$ 10000,00 com 35 anos financia imóvel com taxa de 8.85% a.a (condição nova) nas seguintes situações:

    Pagando uma suave prestação de R$ 2821,00 por um financiamento de um imóvel de R$ 300.000,00 (Entrada de R$ 30.000,00 e financ de 270.000,00) com uma TR média de 1% a.a . Ao final do prazo de 360 meses o mutuário terá pago pelo imóvel um total aproximado de R$ 742000,00.

    COM BÔNUS DA DILMA

    Pagando a mesma prestação, mas com prazo estendido para 420 meses, o mutuário “ganha” R$ 11.000,00 de financiamento a mais (R$ 281000,00). É óbvio que para isso terá pago no final R$ 788.000,00

    Percebe-se que para financiar módicos R$ 11.000,00 a mais o sujeito pagará R$ 35.000,00 entre juros e correção. Isso tudo se antes de completar seus felizes 70 anos de idade, nada de anormal ocorrer em termos de inflação e estabilidade jurídica

    0
    • Cleyton 5 de junho de 2012 at 21:46

      Se me permite dois comentários:

      – Considerar a TR é muito importante e muita gente esquece (inclusive eu nas projeções) muito boas as tuas contas.

      – correção (monetária) foi extinta com o plano real, não temos precedentes para inflação sem correção, se alguém souber de algum caso desse no mundo por gentileza me diga, porque sinceramente tenho pavor disso.

      0
      • Rafael KM 6 de junho de 2012 at 00:23

        Meus pais compraram um carro usado, antes do plano real, e era ajustado pela TR. Lembro que foi muito difícil eles terem conseguido terminar os pagamentos adimplentes. Era um horror, sempre em alta tensão. Depois disso nunca mais aceitaram financiamentos sem ser valor fixo. E era 12 meses apenas. Mas pareceram 12 anos.

        0
    • Eduardo Zé 5 de junho de 2012 at 21:53

      Puxa… Eu estou com 36 anos, financiar em 35 anos… Se parar para pensar é um absurdo, é tipo casamento, “até que a morte os separe”, o Governo devia criar um programa de segunda vida para as pessoas, uma vida para comprar um AP e outra para ter $$$$ para curtir a churrasqueira!!

      0
      • Cleyton 5 de junho de 2012 at 22:24

        Ahaha, boa! Programa Minha Vida Minha Vida!

        0
      • Leno 6 de junho de 2012 at 01:17

        Cara, sensacional seu comentario. Seria cômico, se não fosse trágico.

        0
  • Curioso 5 de junho de 2012 at 21:47

    Vou repetir meu post do tópico anterior porque é muito CARA DE PAU dessa Sra. que se diz presidente do povo!

    Como é que o cara vai pagar a prestação com os vencimentos da aposentadoria se o TETO do Regime Geral de Previdência é pouco mais de 3.500,00!!! Cambada de [email protected]@@
    Enquanto isso nossa presidANTA se gaba em dizer que estamos preocupados com a sustentabilidade… e a DIGNIDADE DE VIDA DOS BRASILEIROS onde fica?!?!?
    REVOLTA GERAL

    0
    • Curioso 5 de junho de 2012 at 21:54

      A propósito, compartilho da indignação de todos os bolhistas que já se pronunciaram nesse tópico, não pelo fato de achar que essa medida vá surtir algum efeito de postergar o GRANDE ESTOURO, porque isso é LIQUIDO e CERTO, mas indignado com o que essa Sra. e a corja de incompetêntes que a acompanha, está fazendo com a população Brasileira!!! Parafraseando um dos posts: PENHORANDO O NOSSO FUTURO!!!

      0
  • Dr. Estranho 5 de junho de 2012 at 21:50

    estadao.com.br/noticias/impresso,o-futuro-de-nossa-desilusao-,882434,0.htm

    Transcrevo parte da matéria:

    “A única revolução seria administrativa, apontada na educação em massa, nas reformas institucionais, mas altos e baixos cleros não permitem, mesmo agora que a bolha do Brasil Bric ameaça explodir.”

    “Este espasmo de verdade, esta brutal explosão de nossas vísceras talvez seja perdida, porque as manobras do atraso de direita e do atraso de esquerda trabalham unidos para que a mentira vença.”

    0
  • Zoom 5 de junho de 2012 at 21:56

    Seguraaaaaa…

    “8 sinais de que estamos à beira do apocalipse econômico, segundo Raoul Pal
    Analista prevê colapso bancário e surgimento de um novo sistema financeiro até 2013”.

    –http://exame.abril.com.br/economia/noticias/8-sinais-de-que-estamos-a-beira-do-apocalipse-economico-segundo-raoul-pal

    0
    • Zoom 5 de junho de 2012 at 22:01

      –http://pt.scribd.com/doc/95493792/The-End-Game

      0
    • MRCG 6 de junho de 2012 at 11:05

      N.O.M. Nova Ordem Mundial?

      0
  • Lucas Mendes 5 de junho de 2012 at 21:56

    Esse negócio de aumentar prazo já era carta marcada. Tentativa de atrair alguns desavisados que talvez agora, com a prestação menor, possa financiar um apartamento. Eu acredito que o tiro pode ter dado errado. Se eu financiei um imóvel com menos tempo e taxa de juros menor eu simplesmente o abandono e vou pro judiciário. Se o cara fizer uma continha simples e ver que dentre os meses que ele pagou (logicamente poucas prestações) e fizer um novo financiamento e for mais barato, ele com certeza abandona o barco. Em segundo lugar é só ver como reagiram as ações das imobiliarias na bolsa depois da noticia: repique de alta depois baixa.
    Continuo acreditando no Miguel Jacó. Nosso subprime são as dividas da classe c. No video do Espanhistão é bem claro as dívidas (credito farto) é que gera a economia, no primeiro soluço e tudo desanda. Governo incentivando consumo pra bicicleta rodar. Esse aumento de veículos vendidos será passageiro. A cada semana uma medida nova o desespero bate a porta!

    Abraços do Lucas Mendes

    P.S. O mané do coretor acima, quer que aumente o limite do FGTS pra 750, como se muita gente tivesse esse dinheiro; e ademais quem tem tudo isso na conta com certeza já tem apartamento. O cara vai tirar o dinheiro do FGTS sabendo que o aluguel não rende nem 0,5% é viver no mundo da Lua.

    0
    • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 5 de junho de 2012 at 22:02

      Lucas Mendes
      Se me permite uma correção
      O cara vai tirar o dinheiro do FGTS sabendo que o aluguel não rende nem 0,5% é viver no mundo da Lua.

      Corrigindo: “…é viver no mundo do Lulla” – Brasil um pais de tolos

      0
    • Cleyton 5 de junho de 2012 at 22:30

      Lembra quando o código de trânsito tinha uma fragilidade sobre o Agente de trânsito (que não podia ser pardal, tinha que ser um guarda) e encheu na cidade aquelas faixas de defesa de multa? Ou quando apareceu um monte de advogado picareta prometendo defender o coitado de juros abusivos (conheço dois que entraram nessa e tomaram na cabeça)?

      Então, vai ter um monte de placas prometendo recalcular a dívida.

      Aliás, anteontem vi no jornal da Band uma entrevista com o Delfim Neto, ele dizia que os leasing cairam 80% porque o MP estava tentando cobrar multas e pagamento em atraso do banco, que é o real proprietário do veículo, imagina o MP tentando recolher IPTU e condomínio dos bancos?

      Mega Ultra Ploc Monster!!!

      0
  • Troll 5 de junho de 2012 at 21:56

    Devo trollar esse corretor? Email dele:

    ===================

    Sou o consultor imobiliário xxxxxx, da Lopes, e serei seu consultor na Lopes.
    Seu interesse é para moradia ou investimento?
    Referente ao Latitude 46, o empreendimento da Franz localizado na Rua Isidoro de Campos, ao lado do Aquário, em Santos.
    Quanto aos valores dos apartamentos, temos unidades que vão de 41m² até 61m², esta com jacuzzi no banheiro.
    Segue abaixo uma condição de pagamento sugerida pela Franz, construtora do Latitude 46, de , e que os valores variam de acordo com o andar e o tamanho da unidade, e que dependemos de disponibilidade da unidade.
    Unidade de 57m² – final 6 – do 7º ao 10º andar:
    ato: R$ 7.897,49 + sati.
    a 30 dias: R$ 6.581,24
    a 60 dias: R$ 6.581,24
    a 90 dias: R$ 6.581,24
    27 mensais: R$ 585,00 ( primeira em outubro de 2012)
    03 anuais: R$ 9.213,74 ( primeira em dezembro de 2012)
    intermediária: R$ 27.641,21 ( em janeiro de 2015)
    06 mensais pós chaves: R$ 100,00 ( primeira em fevereiro de 2015)
    Financiamento: R$ 295.555,82
    Valor Total: R$ 394.874,43
    Valor do metro quadrado: R$ 6.927,62

    ===========

    Meio bolhudo esse preço.

    0
  • hannabanana 5 de junho de 2012 at 21:58

    Há muuuuito tempo acompanho o site e foi graças a ele (principalmente) que parei para pensar e adiei a concretização “do sonho da casa própria”.
    No começo de 2010 saiu um loteamento novo aqui com terrenos de 400 m² por 25.000. Diante dos preços do mercado, achei que era uma boa, perto de um condomínio fechado, mas parecia estar caro para o lugar que naquele momento não tinha nada. Hoje o lugar está cercado de condomínios de luxo, supermercados e, claro, se “valorizou”. Os terrenos semelhantes passaram naquele ano mesmo para 40, 60, 80 e depois, no ano passado estavam por 110.
    Depois das últimas baixas, não vi pra quanto foi… deve ter caído, mas ainda sim, inflou demais!!!!!!!!! Acompanhando este blog, percebi que – já que perdi a oportunidade de compra naquele momento – devo é esperar e não jogar meu pouco e suado dinheiro fora.
    Estes financiamentos fazem você pagar 2x mais caro por algo que já está 2x mais caro do que deveria.
    Mas, enfim… também acredito que há uma bolha, mas apesar de esperar ansiosa pelos efeitos do seu estouro (imóveis com preços dignos), temo que seus efeitos contaminem toda a economia.
    O que vocês acham que poderia acontecer com o restante dos setores do país e os empregos?
    Será que – quem guardou seu dinheirinho ao invés de torrá-lo nesta insanidade passará incólume pela crise que poderá gerar altos níveis de desemprego ou recessão ou serão efeitos mais restritos?

    0
  • Miguel Jacó 5 de junho de 2012 at 22:05

    BALDE DE ÁGUA FRIA – COMUNICADO AOS LEITORES DO BLOG

    Comunico a todos que a notícia de hoje foi um balde de água fria para a concretização de minha previsão da DATA-LIMITE PARA QUEDA CATASTRÓFICA NO PREÇO DOS IMÓVEIS, dia 12/06/2012.

    Juros baixos, poupança valendo quase nada e prestação cabendo no orçamento ADIARÃO a derradeira data, estes fatos serão o último canto da sereia para algumas famílias da classe média.
    Talvez falhei em não acreditar na hipótese, algumas vezes levantada por colegas do blog, do governo estender o prazo para financiamento para 35 ou 40 anos antes do segundo semestre de 2012.

    Mas não se preocupem…

    -Eleições gregas a caminho (trazendo pânico com a possibilidade de saída da Grécia do Euro, abrindo a porteira para Espanha, Itália, Portugal & Cia)
    -Término do feirão da Caixa,
    -PIB decadente,
    -Fuga de capital estrangeiro,
    -Medidas de incentivo do governo gerando resultados desanimadores,
    -Pressão psicológica para contagem regressiva para a Copa,
    -Imóveis estagnados e com queda de preços de 20%,
    -Esgotamento do limite do crédito das famílias (agora acelerado com a redução do IPI para carros),
    -Indústria automobilística fornecendo “férias coletivas”…

    …são forças muito poderosas, contrárias à permanência da Bolha entre nós.
    Em breve divulgarei a Nova Data, e já adianto: continua MUITO próxima.

    Ass.: Miguel Jacó

    0
    • KaTsu Nami 5 de junho de 2012 at 22:24

      Como de hábito, vc tem razão, caro Profeta. É a pipa já com a linha cortada pegando uma lufadinha de vento para prolongar um pouco seu voo cego. E cair de forma mais dolorida…

      0
    • peterson 5 de junho de 2012 at 22:32

      trata-se de uma SITUAÇÃO ESPERADA para os profetas … como eu dizia sem advinhações nenhuma, à meses, o governo possui muitas armas… muitas… resumindo sem novidades..ia falar outras coisas relevantes mas desanimei com a imaginação das possiveis respostas… abraços!

      0
      • Miguel Jacó 5 de junho de 2012 at 22:52

        E o bom filho a casa torna…

        0
      • RosinhA 6 de junho de 2012 at 12:07

        Peterson quer uma dica, procure nos bancos que financiam carros, a fonte não tem 100% certeza, mas o negócio e grande, e muito grande, e não ficaria restrito ao país somente, pesquise os de fora que tem $$$ aqui.

        0
        • peterson 6 de junho de 2012 at 15:32

          ta dificil achar um que não tenha ativo podre europeu rosinha… os maias acertaram sobre “o fim de uma era” derrepente este ano é a bancarrota do sistema de capital X valor, mais conhecido como capitalismo pós-moderno. Tenho fé que isso não ocorra pois aí o mundo paga a conta dos erros das extravagancias recentes dos países ricos e isso significa muitas mortes…. tenho fé, porque é só o que nos resta. [b]Simples[/b] para quem consegue entender [b]e complexo[/b] para quem nem sabe por onde começar a entender.

          0
          • RosinhA 6 de junho de 2012 at 15:35

            Ou seja Peterson simples: estamos ferrados, complexo: saber para onde correr.

            0
    • Cleyton 5 de junho de 2012 at 22:36

      Ô meu Deus, essa bolha (ou o Miguel) ainda me mata do coração!!

      Aguardamos ansiosamente mestre.

      0
    • Ane 5 de junho de 2012 at 22:47

      Não, não dá mais pra retirar a previsão. Fica: 12/06/2012!

      0
    • Guilherme 5 de junho de 2012 at 22:58

      Balde de agua fria para quem? Você nao acha que pessoas bem informadas como as que frequentam esse blog acreditavam nessa sua data né?

      Sei lá, as vezes parece que voce acredita nas brincadeiras dos que te chama de profeta. Tenho medo de gente assim heheheh

      0
      • Leno 6 de junho de 2012 at 00:27

        Colega, vou falar por mim, mas creio que outros tambem pensem assim.

        Essa estória de profeta é apenas uma brincadeira da maioria, e virou folclore. Não acho o MJ um lunático, vejo ele apenas como uma pessoa bem informada. Inclusice suspeito que tenha informações privilegiadas, é só isso. Outros foristas tambem “profetizam” por aqui, e acertam muito, este tópico é a prova disso.

        Ninguem aqui – espero – fez ou deixou de fazer algo por causa das profecias jacóinas.

        0
        • Fausto Luiz 6 de junho de 2012 at 08:29

          Então! O blog deve repensar sua intenção; voltar a sua origem responsiva de debate e orientação quanto ao andamento do mercado imobiliário e a economia como um todo, abandonar e fazer coro a essa rotulação de “profeta” do óbvio dada a um seguidor do blog. – É deprimente para um blog que alcançou reconhecimento e tem ajudado a muitos – De “profetadas (?)” já temos os Testemunhas de Jeová e a pastorada,… – Em 12/06/12 estaremos à 02 anos da copa, em 12/06/13 à 01 ano, e daí, a cada dia que passa é um dia a menos de vida que eu tenho, vou morrer um dia, assim como o Brasil caminha gradualmente para a recessão, sejamos sóbrios e sinceros, vamos ajudar a esclarecer quem necessita com informação séria e responsiva. Concorod com o Leno, Guilherme, Ane – Definir data em econômia é autopromoção, podemos sim, com a situação presente, +/- definir o espaço de tempo, algo próximo a um paciente em estado terminal quando o médico defini aprox. o tempo de vida – Até!

          0
          • Cleyton 6 de junho de 2012 at 11:53

            Péra aí, a primeira “profecia” foi fundamentada pelas conjunturas que ele analisou e acertou, é só ver o histórico, não dá pra desmerecer assim.

            A segunda foi meio “mistica” mesmo 🙂

            A expansão do prazo de financiamento também não foi “profetizada” aqui? Se quiser levar pelo lado da brincadeira, as “armas” e intensões do governo são previsíveis porque estão no manual do keynes, a “bíblia” de gestão do governo.

            0
          • Sr. LB 6 de junho de 2012 at 12:25

            Concordo. Esse blog já foi muito melhor.
            Essas “profecias” acabam é nos ridicularizando…

            0
          • Sol de Sampa 6 de junho de 2012 at 17:47

            Fausto, entendo sua postura, mas entenda a nossa tb… Estou no blog desde o inicio deste ano e peguei justamente a primeira data calculada por MJ, que foi muito lógica e bem fundamentada…
            A partir de então começamos a brincar com ele como “nosso profeta” ….
            MJ tem uma análise muito lógica da conjuntura e pedimos a ele que tentasse colocar uma data em relação ao estouro da bolha …
            Isso não desmerece ninguém seja ao blog, seja quem for…
            Não sei a quanto tempo vc está conosco, mas sugiro a leitura de todos os comentarios e posts por pelo menos de 6 meses a 1 ano antes de sua entrada…
            E por fv, se vc não gostar dos comentarios ou brincadeiras dê apenas um page down e siga em frente ….
            MJ é muito respeitado por aqui, independente de acertar ou não uma data, ele constribui muito e o blog sem ele não seria o mesmo…
            E a voce, seja bem vindo.

            0
            • Fausto Luiz 7 de junho de 2012 at 11:26

              Então! Obrigado pelo esclarecimento. O blog adquiriu acima de tudo respeitabilidade, por extensão responsabilidade social, isto é muito importante, num país cujo povo é de fraca intectualidade e de instituições e mídia tendenciosas, quando aparece um grupo coeso de pessoas bem intencionadas, devemos agradecer, e “olha” já começa até “incomodar” as imobiliárias, é fato a se destacar, devemos persevear e primar pela qualidade das “colocações” – Muitos estão se orientando pelo blog, inclusive eu! Isto me faz lembar a História, e ela é mestra da vida, em 1938, Orson Welles em programa radiofônico em Nova York, conseguiu levar desespero em toda a cidade, à partir de uma simples brincadeira – Mas tudo bem, valeu! Até!

              0
            • outro 8 de junho de 2012 at 09:21

              “primeira data calculada por MJ, que foi muito lógica e bem fundamentada”

              HAHAHAHHAH

              0
        • joka 6 de junho de 2012 at 13:15

          Leno, concordo com voce. Mas tem horas ue eu suspeito que o MJ leva suas profecias a serio… Nao sei se e so bom humor nao… Mas se for tomado com ireverencia, ta tudo certo ( mas ta cansando)…

          0
    • Bolha Imobiliária 5 de junho de 2012 at 23:10

      Agora a porra ficou séria

      0
    • Leo 5 de junho de 2012 at 23:12

      Corte no IPI nao funcionou… Sera que essa tentativa pega ?

      Nao acho que uma merrequinha de diferenca no valor das parcelas va fazer alguma diferença na hora de avaliar a compra do imovel. Quem nao compra hoje é pq nao concorda com os valores atuais ou entao por estar atolado em dividas. pode ser que um ou outro caia nessa tentativa mas, na minha opiniao, esse um ou outro nao vai mudar em nada a realidade atual.

      Pau na buzanfa do governo.

      0
      • Leo 5 de junho de 2012 at 23:24

        E mais, ainda acho que isso que o governo tem feito esta mais relacionado ao trabalho psicologico em cima da populacao p/ conter/evitar o desespero. Tudo que o gorverno NAO quer é o inicio do desespero. Esse fator acelera e direciona, tanto p/ cima qt para baixo.

        0
      • rodolfo aron 6 de junho de 2012 at 16:13

        corte de IPI nao funcionou ?
        teve um aumento de 11%+ nos ultimos 30 dias..

        o brasil tem muitaaaaa gordura pra queimar
        MUITA MESMO!!

        voces nao tem ideia.

        0
        • Sol de Sampa 6 de junho de 2012 at 23:33

          Rodolfo, funcionou prum lado e ferrou com outro… o que vc acha que tem mais no Br montadora e concessionaria ou loja de venda de carros usados???
          acho que isso só aprofundou a inversão de valores …. quero ver arrumar a casa… e o mercado de 0km se sustentar….

          0
    • Silas Coul 5 de junho de 2012 at 23:38

      Silas Coul disse:
      21 de maio de 2012 às 23:12
      Boa noite, venho aqui defender minha posição novamente (se o quarteto fantástico permitir: ****
      Repito. Existe bolha? Sim. Ela está prestes a estourar. Não! Não esse ano. Lembrem que nosso governo atua apenas com medidas populistas e eleitoreiras que inflam e adiam o rompimento da bolha. Esse é um ano de eleição e o governo vai fazer de tudo para mascarar a real situação do país. A maioria da população não tem a menor ideia do q está acontecendo. Poderá haver queda de preço em algumas regiões(lembrem q o Brasil não se resume a Rio e SP. Isso não significa que será o estouro da bolha. Os preços na ZS do rio estavam beirando a insanidade. Continuo dizendo q a data de miguel jacó 12/6 está errada. Continuarei a especular, pelo menos até agosto. A partir daí acho que já será um momento seguro para vender.

      0
      • Virginia 7 de junho de 2012 at 07:46

        “Lembrem que nosso governo atua apenas com medidas populistas e eleitoreiras que inflam e adiam o rompimento da bolha. Esse é um ano de eleição e o governo vai fazer de tudo para mascarar a real situação do país. A maioria da população não tem a menor ideia do q está acontecendo. ” – falou e disse!

        0
    • Silas Coul 5 de junho de 2012 at 23:47

      Profeta, suas variáveis são muito boas, vc só precisa incluir a dinâmica político-econômica dos mercados e as grandes diferenças da economia entre as regiões do país. Espero que sua próxima data inclua esses parâmetros e acredito q vc chegará aos mesmos períodos q já postei aqui anteriormente. Td de bom.

      0
    • Miguel Jacó 6 de junho de 2012 at 18:01

      Vejo o futuro repetindo o passado, também vejo que o ser humano não tem salvação. Salvam-se poucos, a maioria é pior do que vermes, ratos, baratas…poços profundos de arrogância e egoísmo.

      Pois digo:
      Aos meus furiosos críticos, a frieza da indiferença.
      Aos meus aliados, a certeza de que estamos no caminho correto.

      A Data-Limite está recalculada. Dia 12/06/2012 volto ao Blog para divulgar.

      Até.

      0
      • Irene 7 de junho de 2012 at 20:38

        Não me interessa se é em 12/06 ou 12 /12 vc me abriu bem os olhos ,salvou meu casamento ,pois eu queria comprar e meu marido não .continue a prever,claro que ninguém pode prever nada com o PT no governo ,mas muito obrigada.

        0
  • mauricio 5 de junho de 2012 at 22:06

    desperate times call for desperate measures

    embora pro nosso governo, essas medidas, nessa altura do campeonato, e as sua eficiência poderá ser resumida mais como

    too little, too late

    0
  • Carioca Cauteloso 5 de junho de 2012 at 22:07

    Vcs já perceberam que o índice ZAP de reajuste dos imóveis só sobe apesar dos preços dos imóveis estarem caindo? Repito que acabei de ver o índice de maio em 0,9%, sendo que em abril era de 1,2%. Todos sempre positivos apesar de na prática os preços estarem caindo, de pouco em pouco, pois não tem ninguém se arriscando a pagar preços bolhudos. Q falta de isenção do ZAP, hein!?

    0
  • Doom 5 de junho de 2012 at 22:28

    A construção civil baiana pode sofrer com a tendência nacional do setor que desacelera. Mesmo assim, o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria e Construção do Estado da Bahia (Sintracom-BA) afirma que há vagas. Até 2016, segundo o sindicato, a situação da Bahia não deve ser abalada. O momento atual de instabilidade se iniciou em 2011, quando o mercado de vendas e lançamentos apresentou queda. Com estoques acumulados, as construtoras e incorporadoras devem diminuir suas obras e o setor deve empregar menos em 2013. 
     
    Na contramão, para Arilson Ferreira, diretor de saúde do Sintracom-BA, essa realidade não deve causar problemas para categoria. O mesmo não acredita que possa haver diminuição na oferta de emprego no Estado. “O que estamos presenciando é um “boom” imobiliário. Em todos os cantos da cidade temos novas construções, sem contar com as obras da Fonte Nova e metrô”, disse. 
     
    Ferreira acrescenta que pesquisa realizada pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), aponta que até 2016 a Bahia terá vagas para trabalhadores da área. “Sabemos que existe desemprego, mas a construção está em alta”, concluiu.
     
    Luiz Augusto Amoedo, sócio da imobiliária Brito & Amoedo, vai em outra linha. Para ele o mercado deve ter uma diminuição de ofertas de trabalho. “Embora a curva do emprego continue se mostrando estabilizada, até o final do ano, o setor da construção civil na Bahia deixará de apresentar uma oportunidade para quem esteja à procura de um posto de trabalho e um cenário de desemprego, por conta da falta de lançamentos e da entrega das obras que foram contratadas nos dois últimos anos”.
     
    Amoedo ainda explica que com o desaquecimento do setor, o principal foco das empresas será a administração dos estoques acumulados.
    Fonte: Tribuna da Bahia.
     

    0
  • NTL 5 de junho de 2012 at 22:29

    Pessoal,

    por que vocês não confiam no índice FIPE-ZAP?

    Seria porque apartamentos de 100 m^2 e preço bolhudo de 630k em São Paulo (+/- 1km do metrô Conceição) também podem estar anunciados por R$ 5.720.005,00? 

    “http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-3-quartos-venda-SAO-PAULO-VL-GUARANI-/ID-2489165”

    “http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-3-quartos-venda-SAO-PAULO-VL-GUARANI-/ID-2478043”

    Falando sério, será que este tipo de erro grotesco é computado? Eu me recuso a acreditar nisso. Mas……….

    0
    • GB 5 de junho de 2012 at 22:49

      O Fipe-Zap faz a astrologia parecer uma ciência exata.

      0
    • GB 5 de junho de 2012 at 22:59

      O que dizer de um índice baseado em dados imputados por . . . ., afff, corretores !!!!!

      Aquilo só serve como meio para o mercado tentar justificar os preços altos, assim a mídia vendida pode dar esse tipo de notícia com um mínimo de embasamento estatístico (essa foi boa).

      Entrei lá uma vez e achei os preços tão surreais que nunca mais voltei.

      0
    • Guilherme 5 de junho de 2012 at 23:02

      Cara, há boas chances desse preço estar na amostra computada….porque não estaria, não é?

      0
      • FRK 6 de junho de 2012 at 19:19

        Acho que o que o André falou procede, mas com ressalvas. O que acho que rola é o banco deixar o devedor morando pra não assumir o custo de manutenção, e ainda ter o imóvel como ativo.

        Quebrado os caras já estão. Se o banco tivesse alguém que pagasse 200k num imóvel de 1kk, ele venderia, mas nao tem ninguem. Mas também por 50k ele não vai vender, porque isso é ativo que sai do banco, e o montante financeiro que ele pode operar no mercado depende do tamanho dos seus ativos e de reservas técnicas. Acho eu 😉

        Mas aqui não chega numa espanha não.

        abs

        frk

        0
      • FRK 6 de junho de 2012 at 19:22

        Bah, resposta no lugar errado.

        Sobre a estatística, me recuso a acreditar que o pessoal da FIPE ia deixar passar batido valores como esse. É padrão a identificação de outliers e seu tratamento para que um índice seja minimamente confiável.

        O que, como estamos falando.. não é o caso.

        😀

        abs

        0
    • Leno 5 de junho de 2012 at 23:11

      Amigo, essa é a região que tenho interesse em comprar. Minha esposa e meus filhos trabalham e estudam lá. O bairro é bonito e tem um padrão classe média(a verdadeira).

      Voce é dessa região?

      0
      • NTL 6 de junho de 2012 at 13:25

        Não, moro relativamente próximo, mas tenho observado uma degradação cada vez maior nas imediações do metrô Conceição (comércio de ambulantes, moradores de rua) nos últimos anos. Como minha família usa muito transporte público, considero isto um problema de segurança. Para quem se locomove basicamente de carro, não há tantas complicações.

        Mudei meu foco para Saúde/Praça da Árvore.

        0
    • andersonvt 5 de junho de 2012 at 23:34

      Já denunciei o anúncio.

      0
  • TS 5 de junho de 2012 at 22:53

    Engraçado, lendo hoje o livro bumerangue de Michael Lewis vi um relato maravilhoso da loucura que varreu a Europa e EUA. No Brasil não têm o que tirar nem por. Gostei tanto da leitura que li as 200 páginas em 3 horas. Imaginem que ao terminar de acabar de ler o livro me deparo com essa notícia do maior prazo para financiamento de imóveis. Praticamente surtei…

    sinopsedolivro.net/livro/bumerangue.html

    Seguem partes do livro que me lembrou do nosso país:

    -> Bolha de Range Rover: Galera mandava tacar fogo nos automóveis que haviam comprado por $100.000 e agora valiam menos que $30.000. Era melhor receber o dinheiro do seguro do que tentar revender.

    -> Casa com valor de $1.000.000 sendo alugada por $1.000. Deslocamento do aluguel com os preços não fez as pessoas deixarem de acreditar que imóveis eram um bom negócio.

    -> Falta de registro único de moradias onde não é possível saber se há demanda para tanta oferta. Se constrói simplesmente acreditando que há uma demanda infinita, pior caso foi o da Islandia que acreditava que a demanda era formada por compradores de outros países já que sua população era de apenas 300.000 habitantes.

    -> Alongamento dos prazos de financiamento de 30 para 35 e 40 anos na Espanha.

    -> Falsa sensação de estabilidade econômica com dívida sobre o PIB fortemente lastreado no desempenho do mercado de crédito e bancário.

    -> Financeirização da pobreza.

    -> Fartura de dinheiro despejado nos bancos indo para projetos sem um estudo de viabilidade.

    -> Dívida previdenciária altíssima explodindo por conta do aumento da expectativa de vida.

    -> Estado paternalista bancador de todo o tipo de assistencialismo.

    Segue aí uma leitura fortemente recomendada.

    0
  • Ex-expeculador 5 de junho de 2012 at 22:58

    Pessoal, é o seguinte:

    Levando-se em conta as sugestões do MRK para enviar dinheiro ao exterior.

    Tenho um negócio no Brasil que está ligado ao mercado exportador, por enquanto vai bem, estável.

    Tenho a oportunidade de vendê-lo, perdendo um pouco agora, coisa de mais de R$1 milhão de reais.

    Pensei em vender, abrir a conta nos EUA com os USD$500K e esperar o pipoco.

    Será que o dolar encosta nos R$3-4 reais?

    Se estourar estarei bem, vai servir pelo menos para salvar o dinheiro, que quando for repatriado será corroído pela inflação…

    Alguém vê algum risco muito alto de se fazer isso?

    Obrigado.

    0
    • Ex-expeculador 5 de junho de 2012 at 23:00

      Detalhe: o pessoal daqui de casa vai ficar louco imaginando o risco disso, até explicar que na verdade estou tentando proteger o patrimônio….

      Prefiro deixar o dinheiro guardado lá, ficar com uns R$300mil aqui para aproveitar alguma galinha morta da morta da morta, e pronto…

      0
    • Leo 5 de junho de 2012 at 23:02

      Ex-expeculador, como especulador voce deve saber que a escolha e avaliacao dos caminhos é uma questao pessoal e NUNCA deve ser tomada com base em direcionamento de outra pessoa.

      Outro ponto que precisa considerar é que a pessoa que recomenda a migracao de dinheiro para os US nao é o MrK e sim o Anonymous.

      0
      • Ex-expeculador 5 de junho de 2012 at 23:07

        Confundi os dois, você está certo.

        Era um expeculador sardinha que deu sorte, sabe? kkkk.

        Se eu não buscar informações aqui, onde vou conseguir? No gerente do meu banco? No fórum ADVFN? Hoje este blog é mais confiável do que qualquer coisa.

        Além do que, se eu der muito azar e sofrer um confisco do governo americano, vai ser azarado assim lá longe.

        Só não compro ouro agora porque está na alta, senão…..era melhor comprar tudo de ouro e enterrar, pois nem comprando os papéis equivalentes em ouro confio mais.

        0
        • Silas Coul 6 de junho de 2012 at 00:36

          Ex-expeculador. Tb estou fazendo isso. Mas sugiro não colocar todos os ovos na mesma cesta. No meu caso estou comprando dólares e a maior parte vou criar uma conta nos eua e deixar por lá. Uma parte vou deixar aqui e comprar dos desesperados q irão vender imóveis a partir do ano q vem(out/nov). E uma parte estou comprando ouro em lâminas. Não posso dar certeza se é o certo, mas preferi diversificar um pouco.

          0
          • Anonymous 6 de junho de 2012 at 00:59

            Se voce compra dolares na Banânia de modo ILEGAL, não vai conseguir depositar nos EUA de modo LEGAL. Voce deve viajar para os EUA, abrir uma savings account, e DEPOIS enviar dinheiro pelo sistema bancário bananense tudo DENTRO DA LEI. Aproveite enquanto a porteira está aberta, pois com o agravemento da drise, certamente será fechada.

            0
  • Loren 5 de junho de 2012 at 23:25

    Gente, alguém tava ouvindo a CBN agora a pouco? Peguei uma entrevista no finalzinho, de um cara chamado Rodrigo Pedroso. A ancora dizia que era um furo de reportagem, sobre imoveis, que sairia amanha no valor economico. Alguém tem uma luz?

    0
    • Bolha Imobiliária 5 de junho de 2012 at 23:28

      Vamos ficar espertos…

      0
      • Guilherme 5 de junho de 2012 at 23:46

        que entrevista foi essa? Estou aqui dando “F5” para ver se alguem atualiza o post com mais informações….

        0
        • Curioso 5 de junho de 2012 at 23:50

          eu tb… rs

          0
    • Seu Madruga 6 de junho de 2012 at 07:03

      Acho que a matéria é esta:

      Especial
      Habitação Descompasso entre preço de imóvel e renda afeta mercado
      Enquanto a renda média do trabalho do brasileiro subiu 43% entre 2007 e 2011, o valor médio dos financiamentos de aquisição de imóveis feitos pelo SFH aumentou 83%

      “http://www.valor.com.br/impresso#ixzz1x0SVIhuk”

      On line só para assinantes, que puder postar a matéria estou curioso!

      0
    • Francisco Quiumento 6 de junho de 2012 at 08:55

      Assisti. É sobre um “lapso” que existe no financiamento da fatia mais baixa de renda/valor do imóvel. Continua mantendo uma carência de imóveis enormes, e beneficiando somente uma fatia acima de determinado piso.

      0
  • TSUNAMI CREDIÁRIO 5 de junho de 2012 at 23:27

    Uma ilha particular, localizada em Fort Myers, no estado da Flórida, nos EUA, está sendo leiloada pela internet. De acordo com a ABC News, o valor estimado da propriedade é de US$ 42 mil. O leilão online teve início às dez horas de segunda-feira e vai até às 14h (horário local) desta quinta-feira.

    Uma ilha nos EUA custa U$ 42 mil e uma casa térrea de 10X25m na minha rua em Mauá custa R$ 640 mil. Cadê a bolha?

    http://economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201206052335_TRR_81278230

    0
  • Benjamin 5 de junho de 2012 at 23:33

    Miguel Jacó,

    o senhor está me lembrando Cristo na cruz dizendo: pai, por que me abandonaste?

    12/06 ou não como dia D, os preços ainda caem esse ano! Vocês estão superestimando as armas do governo em relação a inflar a bolha e estão se esquecendo de alguns fatores importantes:

    1 – Um bolha pode estourar outra bolha. Se a bolha dos EUA estourou principalmente por motivos internos, o estopim para o estouro da bolha espanhola foi a bolha americana (Espanhistão, capítulo 5, versículos 47 a 53: Até que finalmente, estourou uma crise nos EUA que contagiou rapidamente o resto do mundo”.). Agora será a vez da bolha espanhola, com a crise européia, servir de gota d’água para detonar a bolha brasileira;

    2 – Bovespa já caiu dos 67.500 pontos para 52.500 pontos. Em 3 meses, a Bovespa já caiu 20%. Isso com a “marolinha” da Grécia. Agora aguardem a merda que acontecerá com Espanha e Itália indo para o brejo juntas;

    3 – Crescimento do PIB em 0,2% no primeiro trimestre e TODOS os setores indo para o buraco. Os campeões na modalidade queda livre são as construtoras. Mas, que setores salvam? Vale e Petrobrás caem com a China importando menos; Usiminas tá mandando embora em massa e Gerdau não tá muito atrás; BRF Foods teve queda no lucro de 60% no 1ª trimestre; até o setor de energia que é visto de maneira conservadora tem caído. A Cemig tem se valorizado, mas a Eletropaulo tem caído com força.

    O governo não vai segurar o aumento do desemprego no segundo semestre. Esse pra mim será o Finish Him da Bolha Imobiliária.

    0
    • Fabiano 5 de junho de 2012 at 23:39

      Benjamim vc tem razão a GM aqui de SJC falou que vai fechar uma linha e 1 turno até Novembro devem rodar umas 1500 pessoas o povo esta morrendo de medo
      Agora pouco no Jornal local aqui de SJC saiu mais uma noticia , desta vez sobre a Embraer .. o povo já esta tremendo nas bases com medo de outra demissão em massa como ocorreu em 2009

      June 5, 2012 – 17:38

      Sindicato teme demissão em massa na Embraer

      Segundo os metalúrgicos, mudanças em cargos de gerência têm acontecido há três semanas e o temor é que haja vários cortes nos próximos dias

      São José dos Campos

      O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos enviou nesta terça-feira ofício ao prefeito Eduardo Cury (PSDB), ao ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, e à Embraer cobrando explicações sobre um rumor dentro da unidade da fabricante de aeronaves de São José sobre uma possível demissão em massa nos próximos dias.

      Segundo os metalúrgicos, mudanças em cargos de gerência têm acontecido há três semanas e o temor é que haja cortes em massa. “Não há motivos para demissões, mas o clima de tensão é semelhante ao de 2009”, disse o vice-presidente do sindicato, Herbert Claros.

      Relembre. Em 19 de fevereiro de 2009, a Embraer anunciou a demissão de 4.273 funcionários, reflexo da crise econômica iniciada um ano antes, que atingiu diretamente o setor aeronáutico.

      Prefeitura, Secretaria Geral da Presidência da República e Embraer foram procuradas, no entanto, não se posicionaram sobre assunto até o momento.

      0
      • Benjamin 6 de junho de 2012 at 00:14

        Fabiano,

        a corda vai arrebentar com força. Não tem um setorzinho que salve. A Dilma está tentando repetir o feito do Lulinha de 2008, mas a coisa tá bem mais complicada pra ela. Na minha opinião, não é a toa que ela já começou a “endemoniar” os bancos, servidores públicos e tudo aquilo que possa servir de alvo para a fúria dos desempregados que virão.

        0
  • Avoador 5 de junho de 2012 at 23:59

    Pessoal,

    Acredito que o Governo está pondo a lenha pra queimar… o que era mais que esperado. Só que, vocês acham que esta lenha vai dar tanto fôlego assim?

    “poderia financiar até R$ 267 mil, segundo o banco. Com as novas taxas e prazo de 420 meses, poderá financiar até R$ 280 mil. ”

    Análises e Conclusões:

    -13 k de aumento em alguns imóveis e alguns repiques nas 2 próximas semanas, depois veremos notícias do tipo: “Mesmo com queda de Juros e crédito fácil, imóvel não é garantia de bom negócio”

    -Se já estava dificil sair venda a alguns meses de estagnação, com os preços em possível aumento, vai sair mais ainda?

    -Muita gente da classe C não financiou antes porque o processo para crédito não fora aprovado, não é porque os juros diminuem que o crédito passará no pente fino… sendo que a diminuição da parcela é irrisória dado aos preços praticados no mercado.

    -Brasileiro não faz conta quando vê a notícia e se empolga a procurar. hora de assinar o contrato… as coisas apertam e muitos dão com os burros n’água ou voltam para trás antes de pularem da ponte.

    -Endividamento record, mesmo o brasileiro mediano está reconhecendo isto e está vendo que muitos estão entrando numa fria do crédito fácil.

    -Aguardemos 2 ou no máximo 3 semanas. Governo tentando outra manobra de intervenção para segurar a economia.

    -Creio que em um mês, a bolha dá uma boa murchada, isto se não sofre outra injeção de ar deste Governo, o que apenas aumentará o impácto do futuro estouro.

    0
  • Philis 6 de junho de 2012 at 00:04

    alguém além de mim acredita num novo confisco das poupanças?

    0
    • Silas Coul 6 de junho de 2012 at 00:19

      Tb tô com a pulga atrás da orelha com isso. Apesar da legislação atual proibir uma MP para esse fim, ainda acho q deve existir alguma manobra pra efetivar isso. Principalmente vendo as medidas algo socialistas q o governo atual toma., não ficaria surpreso: vamos confiscar tudo pra pagar as dívidas do povo endividado e salvar os bancos.

      0
      • Philis 6 de junho de 2012 at 00:25

        aí é que tá: uma MEDIDA PROVISÓRIA não pode confiscar as poupanças… mas uma Lei Ordinária poderia confiscar??? Uma lei delegada poderia confiscar?? Uma lei complementar poderia confiscar?? advogados do Bolha, nos ajudem!!!

        0
        • Leno 6 de junho de 2012 at 01:02

          Amigo, para um país que não tem mais oposição, basta o governo querer.

          0
        • Cleyton 6 de junho de 2012 at 11:44

          É que a medida provisória entra em vigor na hora e pode ou não ser aprovada pelo congresso, as leis de verdade precisam primeiro o projeto, depois votar, depois valer, quando rolar o boato o povo corre sacar tudo e os bancos quebram.

          O que imagino possível é uma medida provisória que determine feriado bancário até votar a lei, ou que impeça de alguma forma os saques até aprovar, o governo certamente terá um desgaste enorme e precisa ter certeza de que o congresso fique ao seu lado e contra o povo.

          Resumindo, possível mas altamente improvável.

          0
          • Cleyton 6 de junho de 2012 at 11:47

            Ah, claro, um golpe de estado e o retorno do decreto-lei também é possível (mas improvável).

            Normalmente essa situação ocorre em caso de guerra, onde o atraso das decisões podem pôr o país em risco, fiquemos de olho se houverem movimentos deste tipo novamente para pegarmos nossas armas … opa … péra aí … que armas?

            0
    • Anonymous 6 de junho de 2012 at 01:14

      ACORDA!!!

      A tal poupança NOVA, já foi um CONFISCO na poupança VELHA.

      0
      • Rodrigo 6 de junho de 2012 at 09:18

        O pior é que ninguém vê dessa forma.

        0
      • AF 6 de junho de 2012 at 10:03

        Eu gostaria muito de saber para onde foram os 30% a menos da rentabilidade…

        0
      • Troll 6 de junho de 2012 at 20:05

        O pior é que ninguém vê dessa forma. (2)

        0
      • peterson 7 de junho de 2012 at 14:46

        as vezes me surpreendo com este blog…..

        elementar colega Anonymous elementar…. simples e complexo!

        0
  • Avoador 6 de junho de 2012 at 00:06

    Profeta Miguel Jacó,
    Também sou seu fã, mas acho que sua previsão para dia 12 não se cumprirá, não pela intervenção do Governo mas porque cairia no ‘Dia dos namorados’ e esta data, 12 de Junho, a mídia vai tá ocupada cobrindo a queda de vendas do comércio para o dia dos namorados em comparação com períodos passados. (Um pequeno erro de cálculo)

    Meu palpite é pra daqui um mês a bolha começa uma boa murchada.
    Primeira semana de Julho nos aguarda. Hâ hã hâ!

    0
  • Felipe 6 de junho de 2012 at 00:32

    Pessoal, pela irresponsabilidade do nosso governo, acho que essa bolha estoura só no final do ano que vem ou 2014; Acho que seria melhor para todo mundo se estourasse agora, mas… crédito aqui, só se paga com mais crédito.

    0
    • Cleyton 6 de junho de 2012 at 11:57

      Felipe, estouramento é um termo pejorativo e keynesiano, o termo equivalente e virtuoso austríaco é poupança.

      Keynesianos dizem que se o dinheiro não circula a economia pára, os austríacos dizem que se não poupar hoje não haverá recurso amanhã.

      0
  • Rafael KM 6 de junho de 2012 at 00:53

    Para quem acha que o governo pode adiar o estouro da bolha só porque é conveniente, exponho uma visão alternativa:

    Acredito ser impossível. Podem tentar adiar ou até mesmo adiar um pouco, mas eles NÃO PODEM escolher a data, senão eles levavam até as eleições presidenciais e, se ganhassem, até a outra e assim por diante. Não tem jeito. Governo nenhum escolhe data para estouro de bolha.

    No nível que tá, basta o estopim, que não se sabe qual é. Eu aposto na falência de alguma construtora grande. Explico: construtoras com prejuízo acumulado de exercícios anteriores, não tem mais como levantar dinheiro na bolsa, imóveis sendo devolvidos por inadimplência, nada de dinheiro entrando com as vendas estagnadas, atraso na entrega de obras com imóveis devolvidos por atraso superior ao contratual, etc. Se o governo der dinheiro para uma, as outras vão urubuzar em cima do governo. E não tem como dizer que as construtoras “importadas” não vão receber ajuda, pois é tudo daqui. PLOC.

    0
    • Pablo 6 de junho de 2012 at 08:49

      Rafael;

      O Governo já está ajudando, mesmo que por baixo dos panos!

      “http://www.observadordomercado.blogspot.com.br/

      Valor: CGU comprova fraude no FGTS para salvar construtoras

      0
      • FRK 6 de junho de 2012 at 19:37

        Quente isso heim!

        Sem surpresas, infelizmente.

        abs

        0
  • Leno 6 de junho de 2012 at 00:53

    Eu não sei porque alguns demonstram tanto desânimo em relação a esta noticia. Vejam uma pequena comparação.

    200k em 30 anos = Parcela de R$1.973,96
    200k em 35 anos = Parcela de R$1.894,59

    Não diminuiu nem 100 reais, oras, que diferença isso vai fazer? a euforia vai durar apenas até a simulação do financiamento.

    Se essa é a “poderosa” arma do governo, então game over.

    0
    • GB 6 de junho de 2012 at 07:37

      É que aumentando o prazo em 5 anos aumenta também a cobrança da taxa administrativa e dos 2 seguros (uns R$ 80,00 por mês), isso meio que inviabiliza a coisa.

      Lembrem-se de que por causa dessas 3 coisas a parcela nunca será inferior a R$ 80,00.

      Creio que logo o prazo vai subir para 40 anos e logo vão dizer que essas taxas e seguros são ilegais, são as 2 medidas que eu acho que o governo pode usar, fora deduzir ainda mais os juros, claro.

      E lembrem-se de que qualquer financiamento de 1% ao mês o valor dobra em 8 anos, será que esse pessoal que está passando apertado pela análise do banco vai estar com o dobro de renda daqui a 8 anos ? Quanto mais em 35 anos ? Bancoss são complicados, são crueis.

      0
  • Ricardo C. 6 de junho de 2012 at 00:56

    Olha o desespero desse aqui:
    Aceito CARRO e imóveis menores como parte do pagamento.
    Casas nesse condominio tao por volta de 3 milhões. O cara está vendendo por 2.5…
    Aceitar carro é a primeira vez que vejo hahaha Será que aceita vale tranporte?

    http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Casa-de-Condominio-4-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-BARRA-DA-TIJUCA-Av-Raquel-de-Qeuiroz/ID-3169738

    0
  • Bolhado 6 de junho de 2012 at 01:05

    É isso mesmo pessoal! Podem esperar que o prejuízo será socializado! Conversando com um amigo que comprou uma casa bolhuda com um juro nada camarada, sabe o que ele me disse? “Não tô nem aí pro saldo devedor! A parcela é baixa e daqui a uns 10 anos o governo vai perdoar o restante da dívida”

    Ê BRASIL DE GENTE QUE QUER SER ESPERTA AS CUSTAS DOS OUTROS!

    0
    • Pablo 6 de junho de 2012 at 08:46

      Seu amigo FINANCIOU uma casa! Ela é do banco até ele pagar a ultima prestação.
      COMPRAR uma casa significa ter na escritura o Seu Nome!

      0
    • Cleyton 6 de junho de 2012 at 12:03

      Ahahaha, bobinho esse minino!

      Ele deve estar pensando que estamos nos anos 80 quando a prestação era vinculada ao salário e o BNH não conseguiu cobrar o resto da dívida porque era ilegal, hoje a lei mudou.

      Quero ver a cabeça do Gerson exposta em praça pública!!

      0
  • Anonymous 6 de junho de 2012 at 01:33

    O Miguel Jacó vai acertar novamente.

    Servidores federais aprovam greve para 11 de junho
    “http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/servidores-federais-aprovam-greve-para-11-de-junho”

    Reunidos em assembleia, representantes de 31 entidades sindicais do serviço público federal decidiram nesta terça-feira iniciar uma greve geral no dia 11 de junho. Cerca de mil pessoas participaram da votação, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

    Os trabalhadores cobram do governo um reajuste de 22,08%, o que equivale à inflação acumulada e o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) desde 2010, quando foi dado o último aumento.

    0
    • Leonardo 6 de junho de 2012 at 10:45

      Sou auditor fiscal do trabalho, faço parte do grupo chamado “carreira típicas de estado”. Em conjunto com a receita federal, delegados da policia federal, procuradores da fazenda nacional e advogados da uniao realizaremos greve a partir de 18 de junho. O aumento salarial era para ser dado ano passado, mas a dilma enrolou e quando vimos, não poderia ser incluído mais na lei orçamentária. Muitos vão pensar que ganhamos muito. Mas fazemos o papel propriamente do Estado, arrecadador e de defesa de interesse deste. Cada auditor fiscal ou da receita arrecada e faz que o governo deixe de gastar milhões por mês… Se pra gente, que dá o dindin pro governo, imagina pro resto…
      Então a partir do dia 18, caso o governo não negocie, haverá paralisação o que resultará inclusive com operação tartaruga nos aeroportos, portos e fronteiras…

      0
      • FRK 6 de junho de 2012 at 19:42

        Acho justa a greve sim, a notícia acima quem pegou as falcatruas foram auditores da CGU. E tem que ser bem remunerado até pra não ter vez com corrupção.

        Agora o que ganham e gastam nossos políticos, e o dinheiro que muitos roubam… a… isso é que a gente tem que ir atrás!

        abs

        0
      • Leno 6 de junho de 2012 at 23:54

        Embora eu tenha aversão ao funcionalismo publico em geral, reconheço que as greves são justas. Afinal, a ineficiência publica não é excludente para os reajustes de salarios.

        Mas esses movimentos não ficará apenas no setor publico. Os reajustes salarias atrelados a inflação não estão sendo sufciente para manter o poder de compra do povo. A inflação real está coroendo os salarios e reduzindo o poder de compra do povo.Portanto, as greves tendem a crescer cada vez mais daqui para frente.

        0
      • Countdown 7 de junho de 2012 at 15:20

        Sou professor federal, lotado em Instituto Federal (ensino médio, técnico, graduação e pós), e informo que está em andamento a maior greve da categoria em pelo menos 20 anos.

        Quase 90% das Universidades Federais estão em greve (mais de 50) – embora essa informação seja pouco veiculada – e, a partir do dia 13/06, será deflagrada também a greve nacional dos Institutos Federais, votada nos últimos dias.

        Na totalidade, são aproximadamente 100 instituições federais de educação (universidades, institutos e cefets – além de Pedro II, INES e instituições militares); e quase todas devem estar em greve a partir da próxima semana!

        Some-se a isso a greve geral dos demais servidores federais, programa para iniciar no dia 11/06…

        Engraçado é que o Governo, na mídia, diz que a crise internacional não afeta o Brasil; que nós estamos 100%, 200%, 300% preparados para engrentá-la. Nas negociações, o que é dito é justo o contrário: temos que ser cautelosos, pois existe uma crise mundial e o Brasil pode sair muito prejudicado…

        É preciso alinhar os discursos, não acham?

        Deplorável o discurso desses governantes que, além de mentiroso, acredita mais no “vamos jogar bola” que no “vamos estudar”.

        Lamentável.

        0
        • Danilo 7 de junho de 2012 at 15:34

          Tambem sou de carreira típica de estado. Dia 18 haverá assembléia e decidiremos se parar e adequado. Dia 30 passado já teve assembléia. Toda semana tem um piquete na porta do min fazenda, saúde, educação e planejamento

          0
  • augusto 6 de junho de 2012 at 07:47

    O nosso já desacreditado BC disse que a quase centena de bancos de médio e pequeno porte são super seguros. Ora bolas o Cruzeiro do Sul, Votorantim, Panamericano e outros tambem eram né. Que confia mais nesse BC do fofucho

    0
  • GB 6 de junho de 2012 at 07:48

    Aqui em Jundiai tem um arua que é tomada por concessionárias de usados: duas já estão com portas fechadas e com placa de aluga-se.

    As demais estão lotadas e carros e não vejo muito movimento dentro delas.

    Quem sabe depois de uma bela crise o pessoal aprenda a depender menos de $$$$ emprestado e comece a fazer coisas com a renda que tem de verdade, é muito mais barato, tipo aprende a comprar 1 carro e não ter que pagar por 3.

    0
    • Pablo 6 de junho de 2012 at 08:41

      Por aqui, as Revendas estão colocando os carros na rua, pois no pátio não tem mais lugar!

      PLOC.

      0
    • MrCitan 6 de junho de 2012 at 11:27

      Isto me lembrou agora do “Gazeta Motors”, que eu assisti no Domingo passado…

      Um camarada de uma concessionária, não lembro qual, após falar os preços dos carros, no final ainda disse “Corre logo que tá bombando”…

      Detalhe é que a loja estava AS MOSCAS, apinhada de carros e NINGUEM entre eles.

      Na hora eu ri muito daquilo. 😀

      0
  • Seu Madruga 6 de junho de 2012 at 07:48

    Hoje no Valor Econômico:

    Especial

    Habitação

    Descompasso entre preço de imóvel e renda afeta mercado

    Enquanto a renda média do trabalho do brasileiro subiu 43% entre 2007 e 2011, o valor médio dos financiamentos de aquisição de imóveis feitos pelo SFH aumentou 83%

    “http://www.valor.com.br/impresso#ixzz1x0SVIhuk”

    On line só para assinantes, quem puder comentar a matéria estou curioso!

    0
    • GB 6 de junho de 2012 at 08:05

      O mais engraçado de tudo é que precisou o BID, um Órgão externo, tocar no assunto para aqui a mídia começar a falar sobre isso, algo óbvio até demais.

      0
  • GB 6 de junho de 2012 at 08:03

    Nossa, aquele vídeo do Espanhistão é a coisa mais louca e legal que eu já vi sobre a bolha, muito bem feito e retrata exatamente o que está acontecendo e vai acontecer aqui no Brasilnhistão.

    Confesso que não tinha assistido por achar que era bobagem, mas ontem não resisti quando o colega tocou no assunto, os caras que fizeram acertaram na mosca e têm muita moral em animação.

    E o governo não pode dizer que não sabia o que ia acontecer, deixou fazerem o mesmo que fizeram lá na Espanha, agora toma, nitidamente estao enrolando para deixar para o próximo governo, mas não vai ter jeito, a bomba vai estourar bem antes, as medidas estão se tornando cada vez mais corriqueiras e já não surtem mais efeito.

    0
    • Carlos rj 6 de junho de 2012 at 09:52

      Já viu o segundo… Simiocracia… Ai q vc vai ver q é igualzinho ao Brasil… Só falta nós sermos medalha de puro de futebol em 2012 e ganharmos a copa de 2014!!!! Digita lá no you tube … Simiocracia, Crónica de la Gran Resaca Económica !!

      0
      • Teste 7 de junho de 2012 at 10:49

        Obrigado, Carlos rj, por esta indicação!

        Procurei no Youtube a versão deste vídeo em português, mas não encontrei nada. Seria interessante se nós fizermos a tradução deste vídeo e, nas legendas, colocar “hard-coded” o link do site Bolha Imobiliária. Este vídeo é um viral e ajudaria em muito a divulgação deste blog.

        “w w w . youtube.com/watch?v=TfRSfF296js” //versão em espanhol
        “w w w . youtube.com/watch?v=wBDmfRR-4Ew” //versão com legendas em inglês

        0
  • Alemão 6 de junho de 2012 at 08:06

    Morador de Salvador, já fiz um ou outro comentário por aqui.
    Vou comentar as mais recentes “ofertas” que obtive. Sem dar nomes aos bois, sem explanar sobre localização. Porém, quem assim desejar, posso enviar por mail.
    AP 180m2 – redução de 974k para 665k
    AP 145m2 – redução de 700k para 560k
    AP 126m2 – redução de 530k para 450k

    Um abraço a todos

    Ontem ainda comentava com minha esposa. A depender da expectativa de vida, brasileiros só podem adquirir financiamentos até os 38 anos de idade… Assim pagam o aluguel bancário até o fim da vida!

    0
    • doom 6 de junho de 2012 at 23:39

      Alemão, queria maiores detalhes sim. Estava acompanhando os preços em algumas regiões mas parei há um tempo. Essa redução do preço foi no anúncio ou após negociação?

      0
  • Gilson 6 de junho de 2012 at 08:24

    Descompasso entre preço de imóvel e renda afeta mercado
    Por Fernando Torres | De São Paulo
    Nos últimos anos, o valor dos imóveis cresceu muito acima da renda, criando um descompasso entre a capacidade de endividamento das famílias e o financiamento imobiliário. Enquanto a renda média do trabalho do brasileiro subiu 43% entre 2007 e 2011, o valor médio dos financiamentos de aquisição de imóveis feitos pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH) aumentou 83%. As novas regras de financiamento anunciadas ontem pela Caixa Econômica Federal tendem a facilitar o acesso de novas famílias ao crédito.

    Em 2007, o empréstimo médio concedido pelo SFH era de R$ 82 mil, com parcela inicial que comprometia 42% da renda de um casal médio brasileiro, considerando prazo de 30 anos. No ano passado, o financiamento médio atingiu R$ 150 mil, com as parcelas iniciais equivalendo a 52% da renda do casal.

    O valor do financiamento médio pelo SFH tende a subir ainda mais neste ano e no próximo, dado que os empréstimos tomados ao longo de 2011 estão ligados a repasses de lançamentos mais antigos das incorporadoras, e não capturaram toda a alta dos imóveis. Por esses valores, a linha de crédito voltada para a classe média, que é o SFH, se mostrava viável apenas para menos de 20% da população. A ampliação do prazo do financiamento de 30 para 35 anos amplia, assim, o número de famílias capazes de comprar imóveis no país.

    Antes, tendo como base a taxa de juros de 10% ao ano (mais TR e custos com seguro), praticada em boa parte dos bancos, a parcela inicial para um financiamento de R$ 82 mil em 30 anos era de R$ 949 por mês, equivalente a 42% de R$ 2.285, a renda média de um casal (duas rendas médias mensais de R$ 1.142) em 2007. Já um financiamento de R$ 150 mil gera parcela mensal inicial de R$ 1.692, que compromete 52% da renda média de um casal em 2011, de R$ 3.278 (duas rendas de R$ 1.639). Com juros menores e mais prazo, essas parcelas vão cair.

    Algumas das principais incorporadoras imobiliárias do país indicaram, nas últimas semanas, que estavam cancelando contratos assinados há alguns anos, durante o boom do mercado imobiliário, porque os clientes não teriam condições de passar pelo crivo de análise de crédito dos bancos no momento do repasse do financiamento da construtora para o mutuário final, que ocorre na entrega das chaves.

    Antes mesmo no anúncio das novas regras, porém, as empresas informaram que estavam conseguindo encontrar novos compradores para os imóveis, e até estavam lucrando com a venda dos apartamentos a preços maiores. Mas como há um volume enorme de entregas de imóveis, previstas para 2012 e 2013, o mercado começou a se questionar sobre o tamanho do problema.

    Na avaliação dos bancos, a parcela do financiamento não deve ultrapassar 30% da renda disponível do casal (ou das pessoas que compuserem a renda). Isso significa que, para tomar o financiamento pelo SFH em 2007, era preciso que a renda disponível fosse de R$ 3.163 mensais. Em 2011, o valor subiu para R$ 5.640 por mês.

    Se o brasileiro médio já não conseguia se financiar pelo SFH em 2007, ficou ainda mais difícil em 2011 – restando para ele as linhas do FGTS, para imóveis de custo menor e com taxas reduzidas. As novas regras da Caixa – de mais prazo e menos juros – devem facilitar o acesso ao crédito imobiliário.

    O Valor procurou o Secovi e a Abecip para saber se eles fazem estimativa de quantas pessoas ou casais no Brasil possuem o nível de renda necessário para tomar empréstimos nos valores atuais, mostrando o público-alvo potencial total desse mercado.

    Por meio da assessoria de imprensa, o Secovi, que representa as incorporadoras e construtoras de São Paulo, disse que esse tipo de estudo nunca foi feito pelo órgão. A Abecip informou que é muito difícil fazer essa conta, porque faltam estatísticas oficiais e existem muitas combinações possíveis para a composição de renda. Pesa ainda a possibilidade de o trabalhador usar o FGTS para pagar parcelas.

    Com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2009 e nos números da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), ambas do IBGE, é possível calcular que o 1% mais bem remunerado da população nas seis regiões metropolitanas pesquisadas (São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Salvador, Porto Alegre e Recife) ganha R$ 21 mil por mês. Aqueles que compõem os nove pontos percentuais seguintes têm renda média de R$ 6 mil. O segundo decil (entre 10% e 20% mais ricos) possui renda média individual de R$ 2,6 mil.

    Com base nesses números, e considerando casais da mesma faixa de renda, um pouco menos do que os 20% mais ricos da população que trabalha é capaz de comprar imóveis no Brasil. Nas seis regiões pesquisadas pelo IBGE, os 20% mais ricos são 4,5 milhões de pessoas, ou 2,2 milhões de casais de mesma renda.

    © 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.

    Leia mais em:

    http://www.valor.com.br/brasil/2693916/descompasso-entre-preco-de-imovel-e-renda-afeta-mercado#ixzz1x0lUjtLq

    0
  • Pablo 6 de junho de 2012 at 08:38

    DILMA, Salva nóis!

    Venda de materiais crescerá menos
    Autor(es): Por Chiara Quintão | De São Paulo
    Valor Econômico – 06/06/2012

    A indústria de materiais de construção já sente os efeitos da desaceleração da economia. A projeção de crescimento do faturamento real do setor, em 2012, foi revisada, ontem, para 3,4%, abaixo dos 4,5% previstos anteriormente, conforme a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). A piora da estimativa resulta da queda das vendas para o varejo e pelo fato da comercialização para o setor de infraestrutura estar abaixo do previsto. Já a demanda por materiais pelo do setor imobiliário tem impulsionado as encomendas feitas à indústria.

    A redução nas vendas para o varejo é consequência da postergação de compras por parte do consumidor final, devido à expectativa da queda da taxa de juros. “O consumidor não está encontrando a redução de juros da qual ouve falar, então adia o momento de comprar”, diz o presidente da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), Claudio Conz. Nesta semana, a entidade revisou a estimativa de crescimento, no ano, de 8% para 4%.

    O varejo responde por metade das vendas da indústria, o setor imobiliário – empreendimentos residenciais, comerciais, industriais e hospitais -, por 30%, e as obras de infraestrutura, pelos demais 20%. Apesar da piora das estimativas, as indústrias de materiais devem ter, em 2012, novo recorde de faturamento, de acordo com o presidente da Abramat, Walter Cover. No ano passado, o setor registrou o faturamento recorde de R$ 112 bilhões, com crescimento de 2,9% ante 2010.

    Segundo o presidente da Abramat, para que o crescimento esperado seja alcançado, em 2012, o desempenho do setor, no segundo semestre, ainda será “bastante desafiador”. Na próxima semana, a entidade vai reforçar, junto ao governo federal, o pleito para que o imposto sobre produtos industrializados (IPI) seja zerado para todos os materiais de construção.

    A expansão projetada pela Abramat para as vendas totais de materiais de base – como cimento, tijolo e vergalhão -, no ano, é de 3% e de acabamento, caso de revestimentos cerâmicos e tintas, de 4,5%, ante as estimativas anteriores de 4% e 6%, respectivamente.

    O setor imobiliário tem demandado tanto materiais de base para os empreendimentos lançados nos dois últimos anos, quanto de acabamento para imóveis em fase de conclusão. A desaceleração nos lançamentos imobiliários por parte das incorporadoras, neste ano, deverá ter efeito nas vendas da indústria somente a partir de 2013, segundo o presidente da Abramat.

    Durante 2012, as encomendas feitas pelas construtoras devem manter o ritmo atual. No curto prazo, segundo Cover, à medida que o consumidor final sentir os efeitos da queda da taxa de juros, a demanda de materiais nas revendas será estimulada, o que deve se refletir nos pedidos à indústria. As vendas para obras de infraestrutura devem aumentar mais para o fim do ano, à medida que os projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) avançarem, na opinião do presidente da Abramat.

    A projeção inicial de crescimento da fabricante de fechaduras, dobradiças, puxadores e cadeados Pado, em 2012, era de crescer 15%, mas a estimativa foi revisada para 10% já no primeiro trimestre do ano, período em que o ritmo de expansão registrado foi inferior ao inicialmente esperado. Segundo o gerente nacional de vendas da Pado, Leonardo Faria, a empresa ainda não sentiu efeitos, na demanda, das medidas do governo para estimular a economia. A Pado não informa que parcela é destinada ao varejo e às construtoras.

    A Mexichem Brasil, detentora das marcas Amanco, Plastubos e Bidim, observou, nos cinco primeiros meses do ano, crescimento nas vendas para os segmentos predial – construções residenciais e comerciais – e de infraestrutura abaixo do esperado. Segundo o vice-presidente da Mexichem Brasil, Maurício Harger, esse desempenho foi compensado pelo aumento da demanda de itens de irrigação pelo setor de agricultura, o que possibilitou manter a estimativa de expansão de vendas de 8% e os investimentos anunciados. “Sem isso, talvez fosse necessário reduzir a projeção”, disse Harger.

    Em função da expectativa de menor crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, a Duratex, fabricante de painéis de madeira, louças e metais sanitários, ajustou sua perspectiva de expansão do faturamento, em 2012, do patamar de 5,5% a 6%, para em torno de 5%. Conforme o diretor financeiro e de relações com investidores da Duratex, Flavio Marassi Donatelli, a empresa tem crescido a taxas de uma vez e meia a duas vezes o PIB. A empresa mantém seus investimentos.

    A Eternit, que atua nos segmentos de coberturas, louças e metais sanitários e acessórios cresce, historicamente, acima do PIB da construção. Sem informar projeções para o ano, o presidente do grupo Eternit, Élio Martins, conta que a tendência é que isso seja mantido, mesmo com a redução da perspectiva de aumento do PIB do país. O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) estima elevação do PIB do setor em torno de 5% neste ano.

    As vendas de tintas imobiliárias devem aumentar entre 3% e 4% no ano, conforme projeção da Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (Abrafati). De acordo com o presidente-executivo da Abrafati, Dilson Ferreira, a expansão no primeiro semestre ficará na faixa de 1% a 2%, abaixo da prevista inicialmente, como consequência de vendas para o varejo e para projetos de infraestrutura inferiores às projetadas. O varejo é responsável por 75% a 80% das vendas de tintas imobiliárias. Os pedidos por parte das construtoras, tanto para o programa Minha Casa, Minha Vida quanto para empreendimentos para as classes média e média-alta estão conforme o esperado.

    0
    • Elias 7 de junho de 2012 at 11:47

      Essa matéria do Valor vale um tópico.

      0
  • RosinhA 6 de junho de 2012 at 08:41

    Meu que desânimo, quantos dias o Silas e Coretor, trolls, não apareciam.

    Agora pela manhã, perguntei ao meu funcionário, vendeu o carro? (crossfox 2011) ele disse não emprestei do meu pai para pagar o que devia e vou morrer com ele agora pois só pagam 29K, e você viu as novas medidas da casa própria financiamento em 35 anos?

    Nossa acho que vou ver no banco agora vou ter minha casa !!!!!

    Disse a ele: Não seria melhor conversar comigo primeiro, afinal quem vai pagar esta casa sou eu, não deveria perguntar, como está a situação da empresa, pretende ficar comigo muito anos, posso assumir uma dívida deste tamanho, ele abaixou a cabeça, e me disse: Você tem razão mas sonho é uma coisa que não se pode adiar, emprego tá sobrando, vou procurar outro.

    Conclusão: Ele assume que não tem condições alguma para arcar com seus sonhos, e simplesmente sou a culpada por isso, como disse o Ricardo, não temos condições de sustentar, logo virão greves, descontentamentos com o governo, pedidos de aumento de salários, e por mais que seja jogado pacotes e mais pacotes o dinheiro vai cair num buraco sem fim, não tem saída e adiar o inevitável.

    Relaxem, o dia de amanhã chega e rápido, imaginem 35 anos demora hein, quase desde que nasci, quanto ao meu funcionário, não dou mais 1 centavo de aumento, como tem emprego sobrando deixa ele procurar outro.

    0
    • Stark 6 de junho de 2012 at 08:53

      Me desculpe, mas vc está errada. Essa visão é bem típica do empresariado escravista brasileiro.
      1- Quem vai pagar é ELE não vc! Assim como quem paga as suas contas não é seu cliente, é vocÊ com o fruto do SEU trabalho, assim como ele. Vc não está fazendo um favor dando emprego a ele. Vc PRECISA dele tanto quanto ele de vc.
      2- O aumento deve ser dado de acordo com o mérito o a visão social do empregador. Eu, particularmente, não me sentiria confortável enriquecendo exponencialmente enquanto meus empregados vivem passando necessidade.

      0
      • GB 6 de junho de 2012 at 09:14

        A Rosinha, você está certa, esse funcionário é uma mula mesmo, não pensa no futuro e desmerece as oportunidades que tem no presente.

        0
      • GB 6 de junho de 2012 at 09:20

        Com essa cabecinha eu acho que ele leva jeito para ser corretor, daqui a pouco ele pede $$$$ emprestado pra Rosinha para ele fazer o teste no CRECI.

        0
      • RosinhA 6 de junho de 2012 at 11:33

        “Essa visão é bem típica do empresariado escravista brasileiro.”

        você me conheçe? conheçe minha empresa? conheçe meu funcionário? sabe como trabalhamos? o que fazemos? qual a escolaridade desse funcionário? quanto ele ganha? quanto ele tem em dívidas? quantas filhos tem? quantas mulheres tem?

        Responda uma a uma e continuaremos a conversa, mas primeiro não dê opiniões infundadas, sem ter conhecimento do que fala.

        0
        • Cleyton 6 de junho de 2012 at 12:20

          RosinhA, reconsidere o comentário do Stark tirando a parte que você destacou, ou trocando o termo por “empresariado patriarcal brasileiro”.

          Creio que ele esteja correto sobre a quem cabe pagar o que e sobre os aumentos, o cara é teu funcionário, se for filho ou parente aí deixa de ser empregado, laços familiares sempre tem preferência (por isso não trabalho com parentes).

          Você não tem que salvar a vida dos empregados, eles certamente não vão salvar a sua quando precisar.

          0
          • RosinhA 6 de junho de 2012 at 12:57

            Cleyton só quem tem uma empresa sabe o que é, para ele o dia acaba as 18:00hs, o meu nunca acaba, e não to nem aí para o que dizem, ninguém me dá nada, nunca deu nem vai dar, estou tranquila, até parentes me criticam por muitas coisas, minha família são meus pais, meus sogro e sogra marido e meus filhos, e o resto que se dane mesmo, ele se arrumar uma coisa melhor me dá um pé, e que se dane o que já fiz por ele, nem agradecer não sabe.

            Agora esse papinho de ele te ajudou a ficar rica, vai plantar batata,quem começou e se danou fui eu, as preocupações são minhas, funcionários são substituíveis, se precisar troco como troco de roupas, não tenho remorso algum, quando arrumar um bom pago a ele muito bem, e fico com ele o resto da vida. Enquanto fizerem dívidas e me culparem por não conseguir pagá-las vamos substituindo, se não estiverem felizes, estudem abram suas próprias empresas, vão a luta, não sou mãe de ninguém, pago para me darem lucro e em troca dou salário, se não quiser tchau tchau, chame a Dilma, o Manteiga reclamem a eles não a mim, niguém é obrigado a ser meu escravo, mas não venham me pedir emprego com olhos cheios de lágrimas depois .!!!!!!!

            RosinhA – Desabafando.

            0
            • Cleyton 6 de junho de 2012 at 13:23

              Agora sim! Gostei da atitude!

              Essa parte de “te ajudou a ficar rica” você pôs agora, posso apostar que o capital de sua empresa foi gerado por poupança acumulada antes de abri-la, e não com o dinheiro dos empregados, e é aplicando capital que se pode ficar rico e não torrando como seu empregado está fazendo.

              0
              • RosinhA 6 de junho de 2012 at 14:47

                Perfeito Cleyton isso mesmo.

                0
          • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 16:40

            RosinhA, reconsidere o comentário do Stark tirando a parte que você destacou, ou trocando o termo por “empresariado patriarcal brasileiro”.

            O problema é que ser empresário no Brasil requer esse tipo de atitude. Não é como se a empresa da Rosinha tivesse um depto de recursos humanos com 22 psicólogos, um “analista de remuneração”, um “gerente de benefícios” e outros mil badulaques.

            Também não estamos falando de funcionários ultra maduros e super escolarizados, praticamente com mestrado e doutorado. Haja dinheiro para só ter funcionários assim.

            Estamos falando de empresas menores e de funcionários que estão lá embaixo na escala evolutiva humana. Pessoas sem maturidade emocional e financeira.

            Em empresas menores a relação entre o funcionário e o dono chega a ser quase pessoal. Em geral por vontade dos funcionários, e não do dono. Não existe essa barreira de impessoalidade existente em empresas maiores, com RH, Diretores, Gerentes, etc.

            Isso significa que o sujeito vai até a sua mesa reclamar da vida dele, com uma certa frequencia. Quando a empresa é grande e tem uma hierarquia impessoal, ninguém reclama com o gerente, que é apenas mais um funcionário. Mas com o dono é mais fácil.

            Eu não tenho problemas com operadores, por exemplo. Pois estão distantes de mim: existem dois níveis de liderança entre mim e eles. Já com funcionários administrativos o negócio é diferente. O bobão metido a playboy que trabalha no contas a pagar está bem próximo. Eu sei qual o carro que ele comprou, se está conseguindo pagar, que já pressionou o supervisor duas vezes por um aumento, etc.

            E mesmo os operadores precisam de uma mãozinha às vezes. Tem cara que é muito bom e precisa ser “ajudado” pela empresa pois está se separando, a esposa ficou doente ou até mesmo tem problemas com alcool. Se tratar o cara no “você é adulto, problema seu, se vira”, eu perco a produtividade dele ou até mesmo algum funcionário difícil de substituir.

            A grande maioria das empresas no Brasil não tem porte suficiente para conseguir tratar mão de obra dessa forma impessoal e profissional que vocês sugerem. O país é esculhambado e as relações profissionais seguem o mesmo caminho.

            Creio que ele esteja correto sobre a quem cabe pagar o que e sobre os aumentos, o cara é teu funcionário, se for filho ou parente aí deixa de ser empregado, laços familiares sempre tem preferência (por isso não trabalho com parentes).

            Trabalhar com parentes é dose.

            Você não tem que salvar a vida dos empregados, eles certamente não vão salvar a sua quando precisar.

            Com certeza.

            Em alguns casos é preciso, no entanto, ver se a vida do cara está indo para o buraco e demiti-lo preventivamente. Parece cruel, mas é necessário.

            Em outros casos é preciso até mesmo ir mais fundo na vida do funcionário, se ele tiver influência sobre recursos ou sobre a segurança da empresa. Quem é aquele cara com naipe de marginal que traz a mocinha do recebimento todo dia? Será que ele tem passagem pela polícia? Manda alguém investigar ele.

            Algumas pessoas são verdadeiras bombas-relógio. É questão de tempo até roubarem ou assaltarem a empresa e seus funcionários.

            O operador foi preso pois bateu na mulher? Além disso ele bebe? Por que eu vou perder 15 mil em peças estragadas se o cara está em um espiral de destruição? Não vou pagar para ver não. Além disso tem muita gente honesta na fila querendo uma oportunidade.

            Lidar com pessoas exige conhecimento sobre pessoas. E não apenas conhecimento geral mas também sobre as pessoas específicas com quem estamos lidando.

            0
            • Cleyton 6 de junho de 2012 at 16:54

              Pois tem razão, pelo que ela disse não é dos que precisam de ajuda, não sei também qual a índole do cara, pelo mais ou pelo menos diria que se desse mais um piu sobre aumento estaria na rua, talvez assim dê mais valor ao salário.

              E se ficar de bico ou fizer corpo mole, rua também, sai mais barato pagar a rescisão e passar pelo transtorno de arrumar outro do que, como você disse, perder 15 mil em peças estragadas, ou pior, apenas um bom cliente, esse é mais difícil recuperar.

              0
              • RosinhA 6 de junho de 2012 at 17:13

                Ricardo e Cleyton, como é bom conversar com pessoa inteligentes, adoro chego a ler o post 4 vezes, o X da questão é a crise quanto tudo vai bem ninguém se preocupa, o problema é que ele percebeu que estamos ganhando mais, pois baixamos a margem e aumentamos o lucro, mas não é na área que ele atua, então por isso a pressão, ele acha que como ganho mais ele também tem que ganhar, também acho, oferecemos a ele este filão com muitos %, e ele disse que não tinha tempo para estudar, então fica difícil, tem que fazer o mínimo por merecer, senão continou de coração duro. Querer somente é fácil, tem que se esforçar, dar uma pressão, senão a vaca fica no brejo mesmo.

                0
            • Ane 6 de junho de 2012 at 18:45

              Esse comentário da Rosinha é típico de vc, Ricardo Eng. Lembro dos seus comentários preconceituosos.

              0
              • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 19:03

                Quem dá emprego é a racionalidade, a sensatez, o realismo.

                Sua atitude de “fingir ser boazinha e enfiar a cabeça em um buraco, para não arriscar machucar os outros” nunca trouxe emprego. Trouxe apenas problemas, fome, pobreza e guerras.

                Não pense que você é parte da solução. É parte do problema.

                0
              • Troll 6 de junho de 2012 at 20:26

                Quem dá emprego é a racionalidade, a sensatez, o realismo. (2)

                0
        • Ane 6 de junho de 2012 at 18:43

          Ele não precisa responder a nada disso: o que vc escreveu acima é um absurdo total.

          0
          • RosinhA 6 de junho de 2012 at 19:18

            Relaxa Ane, ele conversou comigo agora a pouco e sabe da sua situação, o engraçado é dar opinião em um assunto particular a minha empresa.

            0
      • MRCG 6 de junho de 2012 at 12:30

        Concordo, quem vai pagar é ele, se ele vai ter emprego no futuro é outra coisa.

        0
      • zOyOs 6 de junho de 2012 at 12:36

        “CURTI”

        Sabias palavras, as suas para combater a arrogância e prepotência dessa pessoa em postar seus comentários no BLOG. Ela pode até ser antiga por aqui, mas precisa aprender a respeitar o próximo, mesmo que este não tenha visão economia/financeira como o seu colaborador.

        0
      • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 16:19

        Me desculpe, mas vc está errada. Essa visão é bem típica do empresariado escravista brasileiro.

        Escravismo é outra coisa e não tem nada a ver com a opinião que ela emitiu. Ela maltrata os funcionários? O ambiente de trabalho é insalubre e repressor? Ela cria dívidas associadas ao trabalho, que devem ser pagas trabalhando mais?

        Até o momento não observei indícios de nenhum aspecto do escravismo. Ela apenas deu uma opinião pessoal sobre um funcionário.

        1- Quem vai pagar é ELE não vc! Assim como quem paga as suas contas não é seu cliente, é vocÊ com o fruto do SEU trabalho, assim como ele. Vc não está fazendo um favor dando emprego a ele. Vc PRECISA dele tanto quanto ele de vc.

        Antes fosse assim. A maioria dos funcionários reflete suas obrigações financeiras sobre os empregadores. É uma questão psicológica associada à percepção do indivíduo em relação à forma em que é remunerado.

        Ser remunerado não significa receber X mil por mês. Nem mesmo o lado consciente de muitas pessoas consegue realizar o que significa “poder aquisitivo” em termos absolutos, financeiros.

        Quando um funcionário se enfia em dívidas, ele muda como profissional. E mesmo recebendo aumentos por mérito, bem acima da inflação, passa a se sentir insatisfeito com sua colocação profissional.

        A vida nos aperta por todos os lados. Funciona assim para todo mundo. Ninguém sai ileso, todos nós somos afetados psicologicamente quando estamos com problemas financeiros.

        2- O aumento deve ser dado de acordo com o mérito o a visão social do empregador. Eu, particularmente, não me sentiria confortável enriquecendo exponencialmente enquanto meus empregados vivem passando necessidade.

        O problema é que muito funcionário quer aumento simplesmente para se salvar das burradas em que se enfiou. Começa a trabalhar desmotivado, se sente pouco valorizado. Novamente: é uma questão psicológica que não tem nada a ver com a empresa.

        Além disso, existe um elemento essencial que se chama “qualidade humana”. Para mim, a qualidade humana é um pacote bem compacto, onde tudo iterage de forma bem intensa. Por mais que existam exceções à regra, a maior parte das pessoas possui uma certa consistência entre todos os aspectos de sua vida pessoal e profissional.

        Isso significa que um funcionário que compra “um carrão da porra com uma sonzera da hora”, e chega de manhã ouvindo funk, só pode ser um completo idiota. Claro que ele pode ser um Dr. House da vida, um gênio excêntrico, cheio de qualidades que compensam os seus defeitos. Mas isso seria como ganhar na loteria.

        Na maior parte dos casos, é um idiota cuja falta de qualidade humana será refletida na qualidade de seu trabalho, em sua postura em relação à ética e a moral no ambiente profissional.

        O mesmo pode ser dito, guardadas as devidas proporções, sobre uma pessoa irresponsável e vaidosa que torra fortunas com veículos e imóveis. Será que esse cara é um bom funcionário para o departamento de contabilidade? Tenho certeza ABSOLUTA que não. É um bom torneiro mecânico – pode ser até o melhor deles, tenho certeza, mas é um cara deslumbrado. afobado. E agora que está cheio de dívidas, vai ficar de olho no cargo de supervisão, vai começar a fazer política para ser promovido, derrubar os concorrentes, etc.

        Então o mérito existe dentro da empresa. Se alguma necessidade externa fez o cara “passar necessidade”, o problema é dele. Só que não funciona assim. Toda vez que um funcionário se dá mal, ou a economia começa a sofrer com inflação, tanto faz o valor que o cara agrega: a pressão por salários maiores independe do valor adicionado na empresa, depende muito mais das necessidades pessoais dos funcionários.

        E, empregadores, se preparem: tempos difíceis virão. Com imóveis super caros, compra no supermercado aumentando, escolas aumentando, etc., os funcionários vão começar a piorar em desempenho, exigir aumentos, causar problemas.

        0
        • RosinhA 6 de junho de 2012 at 17:03

          Ricardo Eng, falou muito bem, adoro seus post, justos, como disse falar a verdade não agrada a todos, não sei quantos funcionários tem, mais que é difícil é, cansei de ajudar, agora a pouco ele chegou conversou comigo e pediu um aumentozinho, eu disse a ele que concordaria desde que ele colaborasse, ele se prontificou a atender, veremos por quanto tempo.

          Quanto ao House meu marido me chama de Housinha, não pela inteligência, mas pelo ceticismo em tudo.

          0
          • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 17:22

            hhahaah Housinha foi o máximo! Essa ganhou o mês!

            0
        • Troll 6 de junho de 2012 at 20:30

          Ricardo seus posts são excelentes. Dizem verdades que são difícil digerir para alguns, principalmente os que tem desempenho pífio na vida profissional.

          0
          • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 21:28

            Agradeço os comentários! =]

            0
      • Troll 6 de junho de 2012 at 20:23

        A Rosinha, você está certa, esse funcionário é uma mula mesmo, não pensa no futuro e desmerece as oportunidades que tem no presente. (2)

        0
    • GB 6 de junho de 2012 at 08:55

      Sonhos podem virar pesadelos.

      A maioria do povão não sabe se planejar para o futuro, só quando o Oficial de Justiça bate na porta é que eles se tocam que a casa caiu.

      0
      • Stark 6 de junho de 2012 at 09:07

        Lembre-se que a crise americana não partiu do povão. Partiu de uma classe média deslumbrada e de magnatas banqueiros ganaciosos. Menos preconceito e mais observação, isso ajudará.

        0
        • GB 6 de junho de 2012 at 09:17

          Lembre-se que a nossa crise é igual a da Espanha (preços absurdos), não a dos EUA (crise no crédito), isso os corretores estão cansados de saber e vir aqui dizer para nós.

          Eu particularmente acho a crise na Espanha muito mais cruel para o povo que a dos EUA, os corretores revogaram a lei da oferta e da procura e colocam o preço que quiserem só por causa do lucro fácil e da “ajuda” que os bancos dão no financiamento.

          Tipo “pra quê vou pedir um preço menor e desavlorizar o MEU patrimônio se o comprador pode ir ao banco e ficar pagando por 35 anos ?”.

          Yeah !!!!!

          0
          • Stark 6 de junho de 2012 at 09:36

            Mas, corretores também são “povão”? A culpa não era do povão? Outro detalhe: o maior culpado é o banco que aceita financiar um preço bolhudo, pq fica de olho gordo, esquecendo que não há como sustentar aquele preço.

            0
        • Carlos rj 6 de junho de 2012 at 09:43

          Mas a maioria do povo brasileiro é de uma classe média( mesmo q criada pelo governo) deslumbrada!!

          0
        • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 16:23

          Lembre-se que a crise americana não partiu do povão. Partiu de uma classe média deslumbrada e de magnatas banqueiros ganaciosos. Menos preconceito e mais observação, isso ajudará.

          Nos EUA a tal “classe média deslumbrada” é o “povão”. É a mesma coisa, é a massa mal remunerada que vive de empréstimos.

          Aqui chamamos de “povão” pois eles vivem na favela. Mas é a mesma coisa. É a mesma classe social, sendo que cada país tem a sua própria realidade social e econômica.

          0
        • joka 6 de junho de 2012 at 19:46

          Stark, quem dera que todo empresario brasileiro tivesse a mentalidade que a rosinha tem. Percebi que voc e um marxista a moda antiga, desses que acham tirma a responsabildiade do individuo e credita ao estao opressor. Meu filho, opressor foi o socialismo( coreia do norte, russia, china)… Vai ver paises capitalista como Suecia, Canada, Australia. Uma das forcas mais reeacionarias contra o desenvolvimento da sociedade e o povao ( escutador de funk, intolerantes, desinterassado por educacao, preconceituoso,noveleiro, futeboleiro e indiferente a corrupcao) quer se dar bem sem fazer esforco e que tem mamado no paternalismo desse estado que para garantir sua politica populista tem acoitado os empresarios com carga tributaria.Claro que tem muito trabalhador que foge a regra, mas o grosso e visto na cultura do nosso pais. Vai ver quais os programas da televisao dao mais ibope: Vera que nao sao os programas educativos.

          0
          • joka 6 de junho de 2012 at 19:57

            Algumas palavras falatram letras, peco desculpa mas tem sido complicado postar no meu celular

            0
          • Stark 8 de junho de 2012 at 09:19

            Marxista? HA HA AH
            Infelizmente vejo muita gente preconceituosa por aqui e com ódio de pobre. Vai entender. A maioria filho de classe média que estudou em colégio caro, foi pra universidade de qualidade, ganhou carro e aparatamento de papai. E ainda vem falar de méritos. Não me façam rir. Não fizeram mais que a obrigação.
            Ela está errada sim ao dizer que será ela quem irá pagar o imóvel.

            As pessoas confundem muito o capitalismo com o neo liberalismo que cria essas distorções (bolhas). Vc está falando besteira. Talvez nunca tenha ido no Canadá ou conhecido um canadense. Assim como a Suécia, lá o estado cumpre a sua funçao social de maneira que aqui seria criticada. Lá também tem assistencialismo. Inclusive no Canadá nem sequer existem hospitais particulares e no entando a saúde pública é venerada por muitos países.

            0
    • Mais um novo pobre 6 de junho de 2012 at 12:17

      A frase “quem vai pagar pelo imóvel sou eu” é típica de uma autoperceção histórica brasileira chamada “paternalismo industrial”. Estou escrevendo (em co-autoria) um artigo científico a esse respeito. Talvez até inclua essa anedota do blog no texto final.

      0
    • Silas Coul 6 de junho de 2012 at 14:22

      Eu só queria que alguém dos antigos no blog me explicasse uma coisa: o que faz aqui nesse blog há tanto tempo essa empresária da construção civil? O que uma grande especuladora imobiliária, dona de terrenos milionários faz por aqui? E ainda com seguidores assalariados ferrenhos a defendendo? Até agora não entendi esse paradoxo.

      0
      • peterson 6 de junho de 2012 at 17:25

        teve um dia que perdi 40 mil dolares em uma transação errada, para muitos isso seria um fracasso depressivo, para mim foi um aprendizado, em 2008 eu ganhei muito dinheiro enquanto o resto perdia graças a isso, hoje eu sei, aqueles 40 mil foram o maior investimento da minha vida, pois aprender, não tem preço. Assim, não sei o que a Rosinha faz aqui, mas se ela está aqui, como eu, e ela não precisa estar, como eu, é porque quer aprender,como eu, e isto é o maior investimento de quem frequenta este blog e consegue absorver as etapas da bolha, tudo, a lógica, as emoções, etc… simples e complexo. isso aqui já é a prática, quem acha que é teoria está perdendo o bonde….

        0
        • RosinhA 6 de junho de 2012 at 17:30

          Perdeu tempo Peterson, o cara é investidor, mas tem aquele ditado se conseguir salvar uma alma, fez seu papel. 😉

          0
        • 6 de junho de 2012 at 17:36

          Nossa, vcs são o máximo mesmo!

          0
        • Ane 6 de junho de 2012 at 18:49

          Quem mais vem aqui se afirmar?

          0
        • Troll 6 de junho de 2012 at 20:33

          Você deve se achar uma espécie de semi-Deus.

          0
  • "O" Nova 6 de junho de 2012 at 08:43

    OFF TOPIC

    Sex, 01 de Junho de 2012 16:55

    Agora é oficial. Os Auditores-Fiscais da RFB (Receita Federal do Brasil) vão realizar uma paralisação por tempo indeterminado a partir do dia 18 de junho. Essa foi a principal deliberação da Assembleia Nacional da Classe realizada no dia 30 de maio. Três mil, duzentos e cinco Auditores participaram da votação. A maior presença em Assembleia desde a Campanha Salarial de 2008, em se tratando de assuntos ligados à mobilização da Classe. Se considerada a quantidade de Auditores-Fiscais em férias e em trabalho remoto, é possível afirmar que cerca de 50% da Classe que poderia participar da Assembleia marcou presença e se fez ouvida.
    Os filiados aprovaram com 97,47 % de votos a realização de mobilização de advertência nos dias 12 e 13 de junho. Conforme definido pela Assembleia, o protesto se realizará com operação-padrão na zona primária e crédito zero na zona secundária, como estratégia de protesto, proposta que recebeu 97,69% dos votos.
    A paralisação por tempo indeterminado a partir do dia 18 recebeu a aprovação de 78,80% dos votantes. Ou seja, a adesão ao movimento é total. Os Auditores-Fiscais não estão dispostos a esperar indefinidamente por uma proposta do Governo. A Classe exige valorização e vai usar todas as armas para alcançar seu objetivo.
    A Assembleia definiu que a paralisação a ser iniciada no dia 18 se dará dentro da repartição e com assinatura de ponto (89,98%). Por fim, os Auditores-Fiscais aprovaram a realização de uma Plenária Nacional com foco na Campanha Salarial, nos dias 26 e 27 de junho (85,97%), em São Paulo, com recursos do Fundo de Mobilização (85,53%). Além disso, 68,05% dos votantes, decidiram pela não realização de esforço extraordinário para eventos internacionais no período da mobilização.
    Os números da Assembleia não deixam dúvidas acerca da indignação dos Auditores-Fiscais da RFB. A Classe espera agora que o Executivo reconheça o empenho de todos os que fazem com que a RFB, mesmo em tempos de crise, cumpra metas e propicie recordes de arrecadação, deixando a economia nacional em posição confortável em relação ao cenário internacional.
    A imprensa e a sociedade reconhecem a excelência dos serviços prestados pelos Auditores-Fiscais. A DEN (Diretoria Executiva Nacional) lamenta que o Governo não tenha a mesma visão e que a sociedade seja atingida pelos reflexos de uma paralisação. Mas a radicalização do Governo, que optou pelo silêncio em vez da negociação, obriga a Classe a tomar uma atitude.

    “www.sindifisconacional.org.br

    0
    • Leonardo 6 de junho de 2012 at 10:49

      auditores fiscais da receita, auditores fiscais do trabalho, delegados da policia federal, peritos da policia federal, advogados da uniao e procuradores da fazenda publica nacional… todos juntos parados a partir do dia 18 de junho…
      Isto inclui, dentre outras atitudes, operação tartaruga em todos aeroportos e portos e nas fronteiras…

      0
    • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 15:24

      Tô ferrado!

      É agora que meus produtos não chegam mais. Eu dependo de um monte de componentes importados para fabricar meus produtos.

      Acreditem: isso será MUITO PIOR para a economia do que qualquer outra coisa.

      0
      • Paulo D. 6 de junho de 2012 at 17:06

        previsível, ano de eleição sempre tem essas greves…

        0
  • Anônimo 6 de junho de 2012 at 08:53
    0
    • GB 6 de junho de 2012 at 09:01

      Com “Revogar a lei da oferta e procura” ela não precisa se preocupar: os próprios corretores ja fizeram isso por ela já faz um bom tempo, kkkkkkkk.

      Viver até os 90 já é mais complicado, tem que investir em saúde e qualidade de vida, acho que daqui a pouco os bancos só vão emprestar $$$ para pessoas com 20 anos, para reduzir o risco dele falecer e não quebrar as seguradoras (um desses 2 seguros que VOCÊ é obrigado a pagar nos financiamentos só para que o banco fique sossegado).

      Yeah, e lá vem o feriado prolongado !!!!!

      0
      • Alemão 6 de junho de 2012 at 09:04

        Aprovar um projeto de lei que aumenta a expectativa de vida de 74 para 90 anos!!!

        Bela lei… proposta para eleger prefeitos nas próximas eleições…

        0
        • CapEnt 6 de junho de 2012 at 13:47

          Elevamos na canetada mais de 80% da população Brasileira para a classe média, apenas determinando que renda mensal de 291 reais já é classe média.

          Tudo o que o governo tem de fazer para aumentar a expectativa de vida do povo é baixar decreto reduzindo o número de dias de um ano para 150.

          0
  • nelson 6 de junho de 2012 at 09:06

    O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, confirmou nesta terça-feira (5) que está em estudo no governo uma forma de desonerar a energia elétrica.

    “Hoje há duas medidas em estudo. Uma é a desoneração da energia elétrica, que é um custo importante da economia real. Se for possível desonerar [a energia], certamente haverá um impacto importante para ajudar a competitividade do Brasil”.

    A segunda medida em estudo, de acordo com ele, é a unificação do do PIS e da Cofins, com o objetivo de simplificar o pagamento dos impostos.

    Ele afirmou ainda que a economia brasileira deve se acelerar a partir do segundo semestre deste ano. “Hoje, já percebemos um ritmo de atividade maior no segundo trimestre do que no primeiro trimestre”, exemplificou.

    O presidente do BC participa de audiência pública na Comissão Mista de Orçamento da Câmara dos Deputados.

    Tombini argumentou que um maior crescimento a partir de julho será possível por conta dos bons fundamentos da economia brasileira.

    O presidente do BC disse ainda que a turbulência na economia internacional, gera um cenário desinflacionário sobre as commodities, o que ajuda a controlar a alta de preços no mercado interno.

    Além disso, destacou que o dólar ficou cerca de 6% mais caro em relação ao real em maio, movimento considerado “moderado” por ele se comparado ao que ocorreu em outros países.

    SPREAD

    O presidente do BC afirmou ainda que o spread bancário (diferença entre a taxa de captação paga pelos bancos para obter recursos e a cobrado dos consumidores e empresas) teve uma “pequena redução” no mês passado.

    Tombini atribuiu a redução à queda nos juros básicos da economia (taxa Selic) desde agosto do ano passado.

    INADIMPLÊNCIA

    Tombini também disse que a tendência é que a inadimplência se reduza no segundo semestre deste ano.

    De acordo com ele, isso deve ocorrer porque o calote atual reflete empréstimos antigos, em especial no caso de veículos. Concessões feitas a partir de agosto de 2011 apresentariam nível menor de atrasos, disse o presidente do BC.

    A própria aceleração da economia esperada a partir do segundo semestre, com geração de novos postos de trabalho e renda em alta, declarou, já deve contribuir para uma queda na inadimplência.

    Minha opinião é que o governo perdeu o rumo, o Tombini toma decisão com base em sua bola de cristal. Acridito que nosso pais quebre até o final do ano, independente a previsão do Miguel Jacó.

    0
  • Stark 6 de junho de 2012 at 09:13

    Engraçado é que medidas simples podiam ajudar a evitar a especulação. Quanto morei em Houston, TX, todos os imóveis a venda (uns 90% ao menos) era postados num mesmo site. O Har.com. Esse site é da associação dos corretores de Houston. Numa visão superficial parece que vai facilitar a especulação pois siognifica mais comissão. No entanto não é o que ocorre por lá. Por uma simples razão. Quando vc coloca um imóvel a venda, vc é obrigado a registrar essa data inicial. Futuras “atualizações” de anúncio não renovam a data inicial. Então qualquer um pode ver se um imóvel está encalhado e sendo “bolhudo”. No ZAP vc não tem como ter acesso a essa informação e parece que o imóvel acabou de ser colocado no mercado.

    0
  • Ana 6 de junho de 2012 at 09:16

    Passando apenas para postar uma barbaridade que acabei de ler no Estado de Minas:

    Casa própria mais barata e fácil de pagar
    Depois da cobrança da presidente, BNDES reduz juros para as empresas e habitação ganha estímulo com taxas menores e prazo maior. Novas medidas vão incluir energia e impostos

    Publicação: 06/06/2012 08:30 Atualização: 06/06/2012 09:07
    Sílvio Ribas – Estado de Minas
    Mariana Mainenti – Correio Braziliense

    Brasília – O governo se apressa para colocar em marcha seu pacote de medidas para reativar a economia, antecipado por perspectivas pessimistas para o Produto Interno Bruto (PIB, a soma das riqueza produzidas) neste ano. Após iniciar a

    Mudanças anunciadas pelo banco federal visam elevar vendas de unidades e estimular o crescimento da construção civil nos próximos meses
    semana cobrando resultados e sugestões de ministros da área econômica, em reuniões de urgência na manhã de segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff reafirmou ontem a intenção de continuar ampliando crédito, reduzindo juros e aliviando impostos sobre a produção de setores estratégicos como forma de evitar o prolongamento da estagnação, embalada pela incerteza global. “Sistematicamente, tomaremos medidas para expandir o investimento público, privado e o consumo das famílias”, avisou.

    A saída para a crise atual, ressaltou a presidente, é a mesma encontrada pelo país na de 2008 e 2009, com estímulo da demanda e da produção e com geração de emprego e distribuição de renda. “O Brasil saberá enfrentar a segunda onda da crise internacional com mais sabedoria e mais instrumentos”, discursou ela no Palácio do Planalto, durante solenidade do Dia Mundial do Meio Ambiente. “Quem aposta na crise, como há quatro anos, vai perder de novo”, desafiou Dilma, prometendo não deixar o Brasil perder o rumo do equilíbrio fiscal. Segundo ela, nos próximos meses o Brasil voltará a crescer sem prejuízo das políticas sociais.

    Sob essa diretriz, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) anunciou ontem corte de juros de financiamento a empresas e a Caixa Econômica Federal, por sua vez, promoveu nova rodada de redução de taxas para o setor habitacional, com prazos de 35 anos. Nos próximos dias deverão surgir também outras medidas de mais longo alcance e impacto na produtividade industrial, como a desoneração nas tarifas de energia, e a unificação do PIS e da Cofins, para simplificar o pagamento de impostos. Em paralelo, haverá esforço coordenado para intensificar obras em rodovias e aeroportos. Para tratar desse tema, a ministra da Casa Civil, Gleisi Hofmann, reuniu-se ontem com os colegas das pastas de Transportes e Aviação Civil, além dos correspondentes presidentes das estatais de cada área.
    Saiba mais…
    Caixa amplia prazo do crédito habitacional para 35 anos
    Caixa quer chegar a R$ 100 bilhões em crédito imobiliário

    No primeiro dia útil depois da divulgação de que a economia brasileira cresceu só 0,2% no primeiro trimestre, Dilma convocou os ministros Guido Mantega (Fazenda), Fernando Pimentel (Desenvolvimento), Miriam Belchior (Planejamento) e Gleisi Hoffmann e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho. Ela pediu que agilizassem investimentos coordenados por suas pastas. A presidente incluiu também na frente de trabalho os ministros Aloizio Mercadante (Educação), para discutir formas de tirar da gaveta os estímulo à inovação, e Alexandre Padilha (Saúde), para tratar de compras governamentais e produção nacional de medicamentos.

    O governo ainda estuda redução de tributos que oneram investimentos privados e formas de facilitar a renegociação de dívidas de consumidores com bancos, para reduzir o elevado nível de calotes. De olho em resultados rápidos, a presidente aposta também nos desdobramentos do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida e no projeto de renovação de concessões de energia, a ser editado este mês. “As medidas estão sendo tomadas e ainda temos arsenal de providências que serão adotadas quando necessárias”, enfatizou a presidente.

    “O leque de medidas anunciado pelo governo está correto. O problema é que elas não estão devidamente amparadas por um plano de desenvolvimento de longo prazo”, comentou Victor Leonardo de Araújo, economista do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Para ele, o ideal seria canalizar parte do superávit nas contas da União para infraestrutura, embora reconheça a existência de entraves para tocar o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

    Capital de giro

    Apesar de concentrar 90% de sua carteira de financiamentos no longo prazo, o BNDES anunciou ontem expressivo corte de seus juros. A taxa anual do programa de financiamento de capital de giro (Progeren) cobrada de micro e pequenas empresas recuou de 9,5% para 6% e para 6,5% no caso das médias. Para as de maior porte, a redução foi de 10% para 8%. “O momento de incerteza em relação à economia global leva a um natural movimento de aversão ao risco no sistema financeiro. Neste sentido, o foco está na indústria de médio porte, a mais sensível à concorrência externa”, disse Luciano Coutinho, presidente do BNDES, ao anunciar a nova tabela.

    O Progeren tem orçamento de R$ 14 bilhões, dos quais R$ 11 bilhões para pequenas e médias empresas, e vai até 31 de dezembro de 2013. Coutinho reconhece que o programa “não resolve o problema da competitividade da indústria, que sofre com custos, carga tributária, taxas de câmbio, dificuldades de logística”, mas “vai ajudar a atravessar o período difícil que o setor vem atravessando”.

    Apoio com exigência

    São Paulo e Brasília – As primeiras medidas do governo para estimular os investimentos e acelerar o crescimento econômico foram bem recebidas pelo setor produtivo. Mas as indústrias cobram alteração no sistema tributária para que país volte a crescer. Mesmo considerando benéfico o corte das taxas de capital de giro para empresas, anunciada pelo BNDES, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) defende que uma folga no capital de giro das empresas seria mais favorecida se houvesse alterações no recolhimento de tributos. “Além do corte de taxas, o governo deveria promover aumento no prazo de recolhimento de impostos. Isso é mais eficiente, prático e democrático”, afirmou Paulo Skaf, presidente da Fiesp.

    Segundo a entidade, ao ampliar o prazo para as empresas pagarem PIS/Cofins, IPI, INSS ou mesmo Imposto de Renda, o governo garantiria maior liquidez para todos os tipos de empresas e estimularia a economia de forma generalizada. A Fiesp diz ainda que, com a piora da crise externa e a incerteza sobre seus efeitos na economia local, é natural que os bancos fiquem mais seletivos na oferta de crédito para as empresas, especialmente as micro, pequenas e médias. Assim, embora o BNDES libere dinheiro para empréstimos a custo mais baixo, os bancos que atuam na concessão para o tomador final não necessariamente liberam os recursos, e mesmo quando concedem o empréstimo, a taxa mais baixa pode ser anulada por um spread alto.

    A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) espera que os bancos acompanhem a iniciativa do BNDES e repassem a redução de taxas de financiamento para giro de capital para as empresas. Gilberto Poleto, diretor da área de financiamento da Abimaq, avalia que a iniciativa do banco de fomento é relevante e deve ajudar a aumentar a competitividade e os investimentos nesse momento mais delicado da economia.

    Para o presidente da Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transnacionais e da Globalização Econômica, Luís Afonso Lima, o ambiente de negócios deverá registrar alguma melhora a partir da redução da taxa de juros na principal linha de crédito do BNDES para financiar capital de giro das empresas. “É um fator positivo, porém não pode ser isolado. Consegue melhorar o ambiente de negócios e investimentos porque o custo do capital no Brasil, se comparado com outros países que pagam menos juros, é muito alto. Mas precisamos de outras medidas”, ponderou o presidente da Sobeet.

    Ele bate na tecla de que o país precisa reduzir a carga tributária e simplificá-la. “Na gestão Lula, não avançamos nada. Não só no tamanho da carga tributária como na complexidade”, disse Lima. Já a indústria automobilística é favorável à reforma no modelo de cobrança da Cofins e do PIS que está em estudo na equipe econômica. O primeiro-vice-presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan Yabiku Júnior, disse que a medida, se implementada, aumentará a competitividade da indústria. “Somos absolutamente favoráveis. Toda simplificação tributária que proporcione crédito é altamente importante para o país”, disse Moan.

    Indústria volta a ter queda

    Brasília – A atividade industrial voltou a apresentar queda em abril depois de uma leve recuperação no mês anterior, segundo indicadores divulgados ontem pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O emprego teve uma queda de 0,6% em abril, a maior desde abril de 2009. Já as horas trabalhadas caíram 0,6% e a capacidade instalada recuou 0,5 ponto percentual. “Desde a crise de 2008 a produção industrial não consegue se recuperar. Não é que a economia esteja desaquecida, é que os produtos industriais brasileiros sofrem concorrência dos importados. Então, parte desse aumento de demanda tem ido para os importados e com isso a indústria sofre as consequências”, disse o economista da CNI, Marcelo de Ávila.

    Em relação às medidas de incentivo à indústria e ao consumo interno adotadas pelo governo Dilma Rousseff, o economista afirmou que elas foram “medidas emergenciais de consumo” e que são semelhantes às que foram adotadas em 2008. Segundo Ávila, ainda podem ser feitas medidas para aumentar a competitividade do setor industrial.

    O único índice que não teve queda em relação ao mês anterior foi o faturamento real, que registrou crescimento de 0,2%. Esse foi o terceiro mês seguido em que o faturamento apresentou crescimento. Segundo a CNI, parte desse aumento do faturamento se deve ainda aos altos estoques do setor. “Os estoques continuam acima do planejando, mas a gente acredita que isso é um fator de curto prazo. (…) Porém, o excesso de estoque indesejado terá de ser desovado primeiro e aí a produção voltará a crescer”, afirmou o economista.

    Otimismo O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, declarou que a economia brasileira deve se acelerar a partir do segundo semestre deste ano. “Hoje, já percebemos um ritmo de atividade maior no segundo trimestre do que no primeiro trimestre”, exemplificou.

    0
    • GB 6 de junho de 2012 at 09:28

      Muito otimismo pra pouco resultado prático.

      Pelo menos a Bolsa de Valores está menos esotérica por esses dias, o pessoal deve ter acordado ou o Frajola já degustou todas as suas sardinhas na brasa.

      Não dá para entender como uma ação chega a R$ 18 paus e agora esta quase em R$ 1,99.

      Eu gosto de feriados prolongados, mas esse podia ser na semana que vem só pra GafeS/A chegar a R$ 1,99 nesta semana mesmo.

      0
  • GB 6 de junho de 2012 at 09:37

    Duas coisas que eu tenho visto ultimamente:

    Grécia: ela não vai sair do grupo do euro, os outros países é que vão dar um pé na bunda dela, o que é muito pior.

    Mesmo que esse “partido contra austeridade” ganhe nas eleições da semana que vem, eles não vão sair do euro, eles querem ficar desde que os outros países continuem pagando a conta.

    Depois a gente acha que brasileiro é que quer dar uma de esperto esfolando os gringos até o último centavo na Copa, na Rio+qualquer coisa eles já mostraram que não vai ser bem assim, talvez nem venham para a Copa quando virem os preços cobrados e lá vai governo exigir (novamente), que baixem os preços.

    Confisco de poupança: na época não havia lei contra isso, hoje é loucura, é só correr pra Justiça, como o pessoal fez contra o do Plano Bresser e Plano Verão, cansei de citar e intimar bancos em processos desse tipo, todos ganharam.

    Inclusive o governo sabe disso, ele não mexeu nos depósitos da poupança antiga pois sabia que ia dar esse problema, ele preferiu criar regras novas para depósitos novos que mexer nos antigos, muito legal.

    0
    • Larsten 6 de junho de 2012 at 15:42

      A constituição não permite mais o sequestro de poupança, pelo menos com medida provisória (que é imediata e feita pelo presidente na calada da noite). Ou seja, sequestro de poupança hoje só com lei editada pelo congresso, o que é demorado e não é secreto.

      0
    • Rafael KM 6 de junho de 2012 at 20:34

      Copa do Mundo e Olimpíadas são ilusões (ou alucinações). Nos locais sediados foi isso. Isto em tempos áureos. Imagina em tempos de crise.

      Atenas no ano das olimpídas teve 10% MENOS visitantes do que o ano anterior. Em tempos de prosperidade no mundo todo.

      Só trouxas e aficicionados viajam para estes locais nestes períodos, pois já é de conhecimento geral que os países sede tentam sugar tudo dos visitantes.

      Gostaria que o RJ recebesse Camarões e Senegal na Copa do Mundo. Para não deixar o RJ na pior, decidi não torcer para a Espanha jogar lá, pois seria muita maldade com as pessoas que estão investindo em imóveis para recuperar em um mês durante a copa.

      Se a crise pegar mais ainda na França, pode ainda se alastrar para Inglaterra e Alemanha. E logo depois de crise, ninguém vai viajar esbanjando euros para serem surrupiados por bananenses.

      EUA que foi o primeiro a cair, estará em melhor situação, mas ninguém curte futebol…

      Na África só se via africanos que receberam ingressos de graça nos jogos. Muitos jogos nem estavam lotados. No Brasil muita gente viajou com patrocínio. São tantas promoções que somando no Brasil todo deve dar umas mil pessoas premiadas com viagem grátis para cada Copa. São os brasileiros que se viam. Outros muitos por conta própria, em tempos de prosperidade..

      0
  • Riodetudo 6 de junho de 2012 at 09:38

    VAMOS BOLHAR AINDA MAIS?

    lancenet.com.br/minuto/Rio-2016-muda-Vila-Olimpica_0_713328859.html

    “952 apartamentos do primeiro condomínio serão postos à venda no primeiro semestre do ano que vem.”

    0
  • John 6 de junho de 2012 at 09:47

    Com os valores atuais dos imóveis essas medidas são praticamente inócuas. Falando das capitais, Ou o sujeito tem uma ótima poupança para dar de entrada ou não compra nem na periferia. Outra situação seria o preço do imóvel e a renda serem compatíveis com o financiamento e a prestação ficar próxima ao valor do aluguel, nesse caso creio que poderia sim alavancar bem as vendas. Mas novamente há o gargalo dos preços, considerando também que os valores dos imóveis subiram muito mais do que o aluguel. Enfim, não vejo uma forma efetiva de aumentar as vendas sem passar por uma queda nos preços.

    0
  • BolhaBH 6 de junho de 2012 at 09:58

    *** RESGATE DE BANCOS JÁ COMEÇOU ***

    Miriam Leitão:

    BC e BC do B
    A intervenção no Cruzeiro do Sul não é fato isolado. Faz parte do mesmo processo que levou a uma série de resgates de instituições financeiras com dinheiro do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Além do PanAmericano, que foi fraude, apareceram rombos no Schahin, Matone, Oboé e Morada. O assunto compete ao Banco Central como autoridade bancária do país, mas tem sido sempre delegado ao FGC.

    Oboé e Morada foram liquidados. Schahin, Matone e PanAmericano, vendidos para outras instituições. Os compradores nada desembolsaram e ainda receberam vultosos empréstimos do FGC. A explicação do Banco Central é que esses outros tiveram “soluções de mercado”, ou seja, apareceram compradores, e que o Cruzeiro do Sul não teve. É mais complicado do que isso. O PanAmericano foi o maior dos rombos e recebeu o melhor tratamento.

    Como a Caixa Econômica tinha feito a insensatez de entrar de sócia no banco – que carregava essa bomba de efeito retardado – o FGC deu um empréstimo. Depois, descobriu-se novo rombo e foi dado novo empréstimo. Só depois foi encontrado um comprador, o BTG, que pagou 10% do valor da dívida do banco com o Fundo e ficou com o negócio.

    Os bens dos administradores e dos antigos donos não ficaram indisponíveis, já os dos donos e administradores do Cruzeiro do Sul ficaram. Que os do Cruzeiro do Sul fiquem indisponíveis, nada mais justo, já que lidam com dinheiro coletivo e têm que responder caso não tenham feito uma boa administração. Mas na soma dos casos, o que se vê é que instituições com problemas semelhantes têm sido tratadas de forma diferente.

    O Banco Central é a autoridade bancária do país, mas tem agido através do FGC como se o Fundo fosse uma espécie de BC do B. O que se explica no Fundo e no próprio Banco Central é que a Lei de Responsabilidade Fiscal proíbe financiamento do BC a bancos privados. A única possibilidade seria através do redesconto, uma espécie de cheque especial que custa caríssimo e deixa a instituição sem capacidade de se financiar no interbancário.

    Sem espaço para agir, o BC está usando o FGC, que recentemente passou por uma mudança no estatuto, que autorizou, a posteriori, o que já havia sido feito nos vários casos anteriores. Só que o Fundo foi criado não para gerir banco falido, nem para resgatar instituição quebrada, nem para ser um balcão de compra e venda de banco. Foi criado para garantir o dinheiro dos depositantes.

    Um banco que está com rombo deste tamanho simplesmente não pode nem pensar em comprar outro banco. Mas o Cruzeiro do Sul comprou o Prosper no fim do ano passado. O BC ainda não deu autorização, mas o negócio foi anunciado. Ao fim do primeiro trimestre, o Cruzeiro do Sul emitiu bônus externos no valor de R$ 2,8 bilhões. O FGC disse que não garantirá esses bônus.

    As agências de risco Austin Rating, Risk Bank e LFRating classificavam o Cruzeiro do Sul como um banco de nota A, com perspectiva estável, que oferecia boa garantia de crédito. A Austin já tinha detectado um aumento forte de inadimplência. O total do crédito em atraso da instituição triplicou entre dezembro de 2010 e setembro de 2011. O crédito podre, com nível H, ou seja, atraso de mais de seis meses, subiu 40%. As ações do banco tinham um desempenho semelhante ao do setor, com queda de 11% até 29 de maio, última terça-feira. Daí até sexta as ações despencaram 40%.

    O economista Roberto Luis Troster disse que a dinâmica do crédito piorou para todos os bancos, e não apenas para o Cruzeiro do Sul:

    – Uma pesquisa recente do Ipea mostrou que 92% das famílias não querem tomar crédito por um tempo e que 31,7% delas estão com as contas atrasadas. O IBGE disse que 14,1% das famílias estão superendividadas.

    Logo que começou a crise de 2008, bancos pequenos não conseguiram se financiar no mercado, e o Banco Central incentivou os grandes a comprarem carteiras de crédito dos menores. Na época, o Cruzeiro do Sul vendeu carteira, e vários outros menores, também. Depois, o FGC financiou a compra de instituições com problemas. Só no PanAmericano ele colocou mais de R$ 4 bilhões, isso sem falar no que a Caixa teve que pôr antes, durante, e depois no banco. O Banco do Brasil comprou participação no Votorantim e recentemente informou-se que os dois sócios farão aportes de capital entre R$ 2 bilhões e R$ 3 bilhões. Um dos problemas é a alta inadimplência na carteira de veículos.

    Enfim, há confusão suficiente por aí e o mar não está para peixe. É preciso fiscalização mais frequente do Banco Central e preventiva. O BC tem que ter mais instrumentos para agir em situações como essa e não operar sempre através do FGC.

    Se perguntado, o BC dirá que o Fundo Garantidor de Crédito é uma entidade privada, dinheiro dos bancos, e que atuou em todos esses casos porque quis. Em conversa franca com banqueiros e executivos do mercado, eles contam que o BC tem empurrado o FGC, que se deixou empurrar. Os grandes bancos, que administram o fundo, tinham emprestado para esses bancos que apresentaram problemas. Para sanar o óbvio caso de conflito de interesses, foi mudado o estatuto e nomeada outra direção para o FGC.

    http://oglobo.globo.com/economia/miriam/

    0
    • Carlos Eduardo 6 de junho de 2012 at 11:43

      sinceramente, acho que o fato de ter errado no passado não deve ser questionado por fazer certo agora!

      no mínimo o BC deve ter uma visão maior que a nossa de possíveis outros candidatos a falência, e isso pode ser um aviso, do tipo!

      “Se você falir, vai perder tudo ”

      Acho que deveria ter sido assim antes! com o Panamericano, Banerj e os outros citados acima

      0
  • GB 6 de junho de 2012 at 10:07

    Com as mudanças a família tem que ter R$ 10k de renda e uma boa entrada para financiar algo no valor de R$ 280k, um valor que não parece comprar quase nada no fantástico mundo da Bolholândia.

    É que a idéia do especulador sempre foi comprar na planta, pagar 20% facilitados e sair antes das chaves com lucro de 100%.

    Mas se ele não conseguir fazer isso, quando ele cair nas mãos do banco ele está ferrado, pois fora chaves e condomínio, ele vai pagar os outros 80% com todas as correções que forem imagináveis, vai acabar pagando 3 vezes o valor do imóvel que não valoriza mais, isso acaba com qualquer lucro que ele esperasse ter.

    Deve ser por isso que a cada dia tornam-se mais frequentes os anúncios de venda em que o camarada quer vender repassando o financiamento (o que é mentira pois vai ter que fazer outro financiamento pois o banco vai querer saber e responsabilizar o novo comprador).

    É por isso que eu tenho dó daquele casal de aposentados que no último feirão comprou 2 imóveis e disseram que ainda não tinham para quem repassar (e nem terão, logo vão ter que devolvê-los, GAMEOVER no sonho deles).

    0
  • Socorro!! 6 de junho de 2012 at 10:11

    alguem aqui tem dúvida que vão aumentar o limite para o uso do FGTS para uns 750 K…isto é questão de tempo…

    0
  • Pablo 6 de junho de 2012 at 10:17

    Mais um grupo à ir até a DILMA com o pires na mão.

    Governo assistencialista de m…

    PLOC.

    Confiança da construção tem pior resultado desde fevereiro, diz FGVO Índice de Confiança da Construção (ICST) apresentou piora no mês passado pelo segundo mês seguido ao cair 7,8% no trimestre encerrado em maio na comparação com um ano antes, o pior resultado desde fevereiro, quando recuou 8,4%, de acordo com a Sondagem Conjuntural da Construção divulgada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quarta-feira.

    No trimestre até abril, o índice havia recuado 6,8%.

    O índice médio dos três meses até maio ficou em 126,1 pontos, contra 136,8 pontos no mesmo período do ano anterior. No trimestre encerrado em abril, o Índice de Confiança da Construção havia ficado em 127,9 pontos.

    Os destaques negativos no trimestre findo em maio foram os segmentos Obras de Instalações, com variação negativa de 7,6%, ante -5,3% em abril; e Obras de Infraestrutura para Engenharia Elétrica e de Telecomunicações, com variação negativa 15%, ante -13,1%.

    A FGV destaca que a piora do índice foi influenciada principalmente pelas avaliações do empresariado em relação ao futuro. No trimestre findo em maio, o Índice de Expectativas (IE-CST) caiu 6,5%, ante 5,3%, em abril.

    Já o Índice da Situação Atual (ISA-CST) apresentou queda de 9,3% em maio, contra a variação negativa de 8,6% em abril.

    0
  • Socorro!! 6 de junho de 2012 at 10:21

    ta bem legal este FORUM no site da UOL, bastante gente falando e dando sua visão….vamos colocar a nossa la tambem ?
    ..
    http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2012/06/05/caixa-corta-juros-e-amplia-prazo-de-financiamento-imobiliario-para-35-anos.jhtm

    0
  • Marci 6 de junho de 2012 at 10:26

    Incrivel! Servidor público ser público alvo de medidas para incentivar o crédito,,,, a que ponto chegamos….. Deu no GLOBO
    Receita anuncia maior lote de restituição do IR da história ,,,,,,,Têm direito à restituição majoritariamente os assalariados – que descontam o IR retido na fonte todos os meses direito na folha de pagamento – um dos públicos alvo das medidas que vêm sendo tomadas pela equipe econômica para incentivar o crédito. Além da estratégia do governo liberar logo os recursos devidos como forma de aquecer a economia, o tamanho deste lote de restituição se justifica pelo fato de mais contribuintes terem pago IR no ano passado em função da formalização dos empregos e do aumento dos salários……

    0
  • hannamanana 6 de junho de 2012 at 10:56

    Há muito tempo acompanho o blog e gostaria de dizer que ele foi o principal responsável por ter me ajudado a não entrar nesta loucura que se transformou a compra de imóveis.
    Em 2009, comecei a ver uns terrenos num loteamento novo que tinha tudo para se valorizar. Custavam R$ 25 mil para cerca de 400 m. Na época, achei um investimento interessante, mas ao mesmo tempo caro (hahahaha) porque o lugar não tinha nada (nem asfalto) apenas potencial.
    Logo, em questão de meses o valor foi subindo e no ano passado o mesmíssimo imóvel custava R$ 110 mil. Está certo que hoje tem infra estrutura (supermercado, farmácia, asfalto e etc.), cercado de condomínios de alto padrão e tralalá… – Apenas para ilustrar-lhes.
    Neste meio tempo, quando todos os imóveis subiam, fui ficando desesperada, pois meu dinheiro não acompanhava e achei que ia ficar sem meu cafofo enquanto todos os meus amigos de renda igual ou inferior a minha iam às compras. Quase entrei num financiamento, pois se antes tinha o dinheiro integral, agora não tinha mais. Porém… senti cheiro de mutreta. Que raios de valorização é esta deste tamanhão??????
    Desconfiada, fui pesquisar e entre várias informações encontrei este blog… e era o que eu temia. Tinha coisa descompassada e sinal de problemas no futuro.
    E cá estou eu de olho no mercado, mas
    E o que eu mais acho interessante é justamente o debate entre os que não acreditam, os que acreditam fortemente, os que acreditam com divergências… enfim. É óooooootimo ter debate.
    Da minha parte, não tenho conseguido acompanhar tanto, por falta de tempo diante de eventos pessoais.
    Só discordo daqueles que creditam TOTALMENTE ao povão classe C o inchamento da bolha porque aqui na minha cidade, a maioria que *consegue* financiamento é que tem renda familiar mais alta (classe média).
    Uns conhecidos compraram casa ano passado no condomínio fechado e andam de carrão. Se eu pedir 10 reais pra eles, eles não tem. Carnê do carrão é grosso e um deles, inclusive – porque ele me falou – levou o carro na concessionária porque não conseguia mais pagar, mas fez um rola-rola pegando um novo, com prazo melhor, prestação menor (mas, claro o saldo devedor foi à Lua). Loucura, não!?
    Este então foi só pra agradecer a vocês pelo debate – na maioria das vezes – saudável. O estímulo a pensar é crucial para o desenvolvimento!
    Obrigada, BolhaImobiliaria.Com

    0
    • hannamanana 6 de junho de 2012 at 10:59

      Mas, além de agradecer, quero fazer umas perguntas.
      Com o estouro da Bolha, vocês acham que a economia como um todo será afetada de modo muito drástico (como o que ocorreu nos EUA), com desemprego e falências pra todo o lado, ou nossa Bolha tem características diferentes? O que (aqueles que não são parceiros direitos da Bolha) podem esperar?
      Podemos dizer que a hora agora é de poupar? Nossas reservas estariam seguras?
      O que a formiguinha deve fazer neste momento?

      0
      • Cleyton 6 de junho de 2012 at 15:12

        Eu acho que crises setoriais dificilmente contaminam a economia, a não ser que o sistema financeiro comece a se apoiar nela e o governo tire recursos de outros setores para “salvar” o problemático, infelizmente as duas coisas estão acontecendo, como disseram antes aqui, a nossa está mais parecida com a Espanhola do que com a Estadunidense.

        Sou formiguinha também e como você tenho as mesmas dúvidas, por pior que estejam as seguranças das reservas não vejo nada melhor a se fazer.

        0
        • hannabanana 6 de junho de 2012 at 19:09

          Obrigada pela opinião, Cleyton!
          Realmente a gente fica preocupado, né? Afinal de contas vc não entra na especulação imobiliária, mas depois tem um crash na economia e vc é demitido e consome suas reservas. Isso que temo… ficarmos por um tempo muito grande nessa.
          Mas, como você disse… parece que não há nada melhor pra fazer.
          Espero que não haja confiscos.

          0
          • Cleyton 6 de junho de 2012 at 22:38

            (Três batidas na madeira)

            0
  • GB 6 de junho de 2012 at 11:03

    A R$ 18 paus a ação dava para comprar um pacote inteiro e eles ainda economizavam não precisando de Gardenal.

    0
  • serpentarius 6 de junho de 2012 at 11:24

    Como não está aparecendo vou postar de novo:

    Concordo caro amigo. O governo vai jogar todas as cartas … e está fazendo, aos poucos, até pq economia não é ciência exata.

    Como são muitas as variáveis econômicas, uma medida deve, necessariamente, ter seu tempo de maturação esgotado …. não surtindo efeitos, aí se passa para uma nova fase de medidas.

    Quando havia enxurrada de $ o governo aumentou o IOF. Agora ele vai diminuir. O governo evitou uma crise mais séria com o estímulo ao consumo de todos os tipos de bens: imóveis, duráveis e de consumo imediato.

    Passamos pela crise de uma forma melhor que outros passaram.

    Mas faltou permitir que nossas empresas conseguissem ser mais eficientes diminuindo CUSTO BRASIL INVISÍVEL, aquele que só falam e não detalham: não dá pra transportar soja e comodities com as estradas no estado em que estão: tem que melhorar as rodavias. O transporte ferroviário tem que ser aprimorado. Há que se construir mais portos e estruturas de exportação e importação (comércio exterior). Isso tudo era pra ontem.

    Mas não pensemos nós que é fácil. Administrar não é fácil. A iniciativa privada nada faz. O Eike vem tentando, mas vc já viu o porto do Açu em funcionamento? Ele está aproveitando uma legislação que já existe há um bom tempo pra fazer algo muito bom pra ele … e pro país também. Mas praticamente não saiu do papel … é muito parecido com as obras do governo: elas não acontecem … demoram muito pra acontecer. Lógico que corrupção ajuda a atrapalhar, mas a eficiência administrativa de políticos costuma ser pequena … ela é melhor quando o político consegue arrumar bons técnicos de confiança. E isso o PT sempre teve dificuldade (governos anteriores tb tiveram).

    Mas falei do Eike e do PT. E o resto da iniciativa privada? Não investe. A iniciativa privada não investe neste país. Em outro tópico tavam discutindo sobre telefonia e privatização, sobre como melhorou depois de privatizarem. Quem estava lá dentro e tinha olhos de ver (não precisava alto cargo … mas se tinha viu mesmo sendo cego),quem tava lá viu que o governo investiu demais pra privatizar. Deixou o sistema de telefonia em dia … e aí privatizou.

    Foi assim com as rodovias tb. É mais fácil ver o que aconteceu com as rodovias. O trecho da Rio-Brasília que vai de Rio a Juiz de Fora sempre foi muito bom (BR-040). Ele já tava pronto, tinha pouca coisa pra fazer … trecho de uns 40km nas redondezas de Juiz de Fora. Fez-se a privatização de toda a BR-040. O trecho entre JF e BH tinha que ser todo duplicado. Ninguém o quis. Os governos estão há mais de década duplicando; agora já se sabe que vão existir 4 pedágios e que vai ser privatizada (pq agora não precisa investir … é só llucrar). O trecho Rio a JF era só lucrar, então teve interessados. Mas e o cumprimento integral do contrato? E a duplicação dos 40 km citados? Nunca fizeram … até o Ministério Público intervir, a justiça determinar, o governo executivo acatar e, depois de enrolar por alguns anos, a detentora da concessão, sob pena de nova licitação, começar a passos lentos a duplicação. 15 anos. Foram 15 anos sem cumprir sua parte. O que não gerava custo elevado era feito. E muitos achando que era maravilha da privatização: NÃO. A estrada sempre foi boa assim; e só por isso foi privatizada. Os trechos que necessitavam de grandes aportes de $ não foram privatizados. A iniciativa privada espera cada trecho ficar pronto (com o $ público) e só depois entra.

    O país inteiro é assim: não há investimento. A privatização só levou a coisa boa do governo para o bolso do imperialista. Coisa ruim, empresa ruim não havia interessado. As empresas boas e rentáveis conseguiram ser privatizadas. Mas advinhem só: o dinheiro vinha do BNDES. O capital entrava sem entrar, i.é., o financista/investidor, entrava na licitação da privatização, ganhava a licitação e na hora de aportar o $ ele vinha do proprio poder publico.

    Essa última parte vcs não sabiam? O $ não vinha do sistema privado. Se o negócio desse certo o empresário lucrava, senão o emprestimo fora feito com juros subsidiados do BNDES mesmo. E muita coisa sem garantia a não ser a própria empresa que fora privatizada. Não havia garantias extras. Era fácil. Méritos pro FHC? Nunca. Isso foi uma doação feita a particulares pelos governistas de plantão: FHC.

    E tavam falando de carros 1.0, Plano Real, etc. Isso tudo foi mérito do falecido Itamar. Ele que era o presidente. O FHC foi só mais uma tentativa de ministro da equipe ministerial do presidente. E o FHC deu certo pq copiou um modelo que tinha dado certo na Argentina. Houve variações, mas poucas. Não houve mais acerto do FHC do que do Itamar. Mas a banca de São Paulo não ia deixar os créditos irem pra quem não era da elite política. Os créditos iriam pra São Paulo, pro político de lá. E FHC virou o pai do 1.0 (política que revitalizou o polo automotivo no Brasil, mas era de Itamar a ideia), e virou pai do Plano Real (ele nem foi o idealizador nem tinha a competência … esta era do presidente … a ideia era de vários economistas que tinham pensado em como tirar a inflação inercial sem os problemas das tentativas anteriores), dizem por aqui que até a abertura no campo da informática e no mundo automotivo se deu com FHC. Não. Foi o Collor. E deu de forma errada, foi muito abrupta, e teve cidades inteiras que quebraram. Fomos invadidos do campo textil ao mais tecnológico.

    Então é assim: acertaram e erraram os presidentes atuais desde a era do Collor. Muitas medidas acertadas, mas na dose errada.

    E a coisa se repete: Lula acertou nessas medidas anticíclicas pra não deixar o país entrar em recessão e errou na dose. Talvez o remédio mate o paciente ou o deixe em coma por uns 10 anos (outra década perdida).

    Dilma tem dado remédio aos poucos. Mas o paciente já está mal. E quase não reage aos medicamentos. Pode ter sobrevida. E aí a bolha estoura mais adiante. Por enquanto a bexiga tem um furinho de onde vaza o ar, mas tem a boca do governo pra soprar a bolha. Sopra mas nao fica cheio mais. Talvez consiga que não haja estouro … de tanto soprar. Mas vai depender mais da sorte, da conjuntura internacional ser favorável a isso do que do governo e do paciente chamado Brasil.

    0
    • Dr. Estranho 6 de junho de 2012 at 12:03

      Para aumentar sua lista acrescento:

      – CSN só foi privatizada depois de saneada finceiramente, com imenso estoque de minério e com PDV concluído. Aceitaram moedas podres pelo valor de face.
      – A ponte Rio-Niterói, construída com recursos da previdência.

      – Outros exemplos cansariam de tanto escrever, mas nesse contexto a CGU, o TCU e a “por…” do MP nada fizeram.

      Várias razões para nossa imensa dívida pública. Por que investir no Brasil? O BNDES garante o lucro.

      0
      • peterson 6 de junho de 2012 at 15:50

        o metro linha amarela em são paulo, do buraco e de outras falcatruas, é feito com 90% de recursos do estado, os outros 10% foram emprestados para o consorcio pelo BNDS, detalhe o consorcio tem 50% do lucro da bilheteria, assim é mole…

        é a Parceria Puta Privada PPP

        0
    • NTL 6 de junho de 2012 at 12:07

      Bons pontos! Obrigado por compartilhar.

      0
    • zabiziz 6 de junho de 2012 at 12:13

      O Eike está tentanto? O Eike está recebendo bilhões e bilhões do BNDES, do BB, da caixa econômica…O Eike está pegando o dinheiro do contribuinte e colocando na conta bancária dele, assim é fácil ser o mais rico do mundo.
      O governo deveria ser o menor possível, privatizar tudo o possível, assim iríamos sair desde ciclo vicioso que só consegue ganhar dinheiro neste país quem tem amigos em Brasília. É por isto que ninguém investe, não tem como competir com os amigos que ganham financiamento a juros negativos do BNDES…O BNDES, BB e caixa tinham que ser os primeiros a serem privatizados!

      0
      • Francis Miller 6 de junho de 2012 at 16:20

        E porque será que só não privatizaram os Bancos ? Acha que os bancos privados estão felizes da vida em ruduzir os juros praticados por aqui? as taxas de juros do cheque especial e cartões de credito são criminosas… Esqueça essa idéia que o setor Público é corrupto e o privado integro.

        0
    • Leonardo 6 de junho de 2012 at 13:00

      Situação semelhante está ocorrendo com a política de informática do governo federal.

      Além de gastar os tubos para atrair empresas de caráter questionável como a Foxconn, que apenas importam tecnologia e não permitem que o Brasil adquira conhecimento próprio na área, o governo ainda faz uma política de incentivo ao setor da informática voltada para as indústrias, e não para as empresas de software nacionais, que são enquadradas como empresas de serviços.

      A política promove o desconto de impostos para indústrias que investem em pesquisa junto às universidades. Parece ótimo, mas não é. A pesquisa universitária na área de informática fica restrita às multinacionais, como IBM, Microsoft, HP, Motorola e Intel. As pequenas empresas de software, formadas por empreendedores nacionais, não contam com nenhum incentivo para fazer parceria com universidades, e, com isso, praticamente todos os alunos de muitos cursos de Engenharia Elétrica e Sistemas da Computação são alocados nessas grandes empresas, sufocando o empreendedorismo e a inovação, quando deveria ocorrer exatamente o contrário.

      Empresas estão aí pra lucrar. Setor privado está aí pra lucrar. Só entram quando sabem que vão ganhar dinheiro. Antes de protestarmos contra a corrupção no governo, temos que protestar contra a relação promíscua entre o governo e algumas empresas.

      0
      • Cleyton 6 de junho de 2012 at 13:32

        A parte de informática no governo é realmente terrível!

        Pra ficar uma bela merda ainda tem que melhorar muito!!!

        0
    • Cicero Silva 6 de junho de 2012 at 13:12

      Excelente texto.

      Para os colegas que pensam numa possível saída, sugiro a leitura “carregando o elefante”.

      Ali, no que pese algumas ideias de não tão imediata aplicação (pelo fator cultural), tem excelentes dicas.

      Quem sabe, se divulgamos mais a ideia, não podemos ajudar esse doente país em que nascemos.

      0
    • peterson 6 de junho de 2012 at 15:45

      FANTASTICO
      eu sabia disso e jamais imaginei que alguém deste blog um dia iria compartilhar tamanho conhecimento VERDADEIRO do que realmente é composto este país….

      0
  • Carlos Eduardo 6 de junho de 2012 at 11:32

    Galera esse é Off topic!

    porém como acho importante, e tem muito carioca no site, que tem uma popularidade crescente, acho legal mostrar isso!

    http://www.youtube.com/watch?v=w0IMextDWCc&list=UU-nr9CZ9LglgqMOqSSlzytg&index=0&feature=plcp

    0
  • MrK 6 de junho de 2012 at 11:36

    E assim mais uma previsão do blog vai se tornando realidade…

    falamos que para estimular a bolha e evitar o estouro por algum tempo o governo iria mexer nas regras de financiamento, iria baixar os juros a força e iria subsidiar as construtoras, pois saibam que as 3 foram feitas recentemente… incrivel!

    honestamente, acho que o poder disso no mercado será bem fraco e não irá postergar o estouro por muito tempo não, poi os investidores não vão voltar ao mercado por isso, os moradores muitos já compraram e sairam do mercado e os poucos que ainda querem comprar não vão sentir isso pesar no bolso não…

    0
    • RosinhA 6 de junho de 2012 at 11:39

      MrK simples, trabalho com classe A++++++ até a H ——–

      Ninguém tem dinheiro sobrando, atendemos na faixa de 600/700 mês e estão pedindo para pagar 50,00 reais em 3 vezes no cartão.

      0
      • Pablo 6 de junho de 2012 at 14:57

        Rosinha;

        Delfin Neto escreveu em sua coluna que tem brasileiro pagando cebola no cartão de crédito, será que tem alguma coisa errada por aqui?????

        PLOC.

        0
        • RosinhA 6 de junho de 2012 at 15:18

          Pablo e chorando na hora de pagar tb 😉

          0
        • MrK 6 de junho de 2012 at 16:08

          antes quando uma pessoa perdia o emprego, ela pelo menos usava a recisão pra pagar as contas, pois não estava endividada

          hoje imagina o que acontece com alguém que perde o emprego, com zilhoes de faturas de cartão, dividas, etc…o dinheiro que durava 6 meses nao vai durar nem 6 dias, a economia ta patinando em gelo fino, a proxima crise financeira vai ser a pior da historia do brasil em termos de impacto social

          0
          • RosinhA 6 de junho de 2012 at 16:14

            è MrK, agora pouco meu empregado chegou e disse se não poderia dar um aumentozinho, ele me ameaçou pela manhã em se demitir, acho que pensou um pouco e deu para trás, ele tem 80% de seu salário comprometido por dívidas, imagine se ele perde esse emprego, ganha 3k, segundo grau incompleto e cargo de simples, nunca vai ganhar em lugar nenhum do planeta.

            0
    • Zoom 6 de junho de 2012 at 15:00

      De pouco em pouco ele vai chamando a atenção com seu “enormes” cortes nos juros. O que vai acabar acontecendo é que quem irá comprar vai esperar mais os juros cair, porque não para de baixar. Em poucas palavras, o feitiço está virando contra o feiticeiro.

      0
  • RAL 6 de junho de 2012 at 11:57

    Embora não tenha os numeros também que acho que vai mudar pouco, mais convém ressaltar que : quem tem 35 anos de idade e compra um imovél em 35 anos vai acabar de pagar com 70 anos. Concerteza as segurados vão reclamar e subir o preço. Resumo Caia a taxa , aumenta o prazo e sobe o seguro = DA NA MESMA

    0
  • Socorro!! 6 de junho de 2012 at 12:05

    ALGUNS DO SITE JA FALARAM EM 2% PREVISÃO DE CRESCIMENTO DO PIB… AGORA E A VEZ DO ITAU FALAR ISTO TAMBEM

    Projeções para 2012
    Banco revisa para 2% previsão de crescimento do PIB
    O Itaú Unibanco estimava que o PIB do primeiro trimestre fosse crescer 0,6% em relação aos últimos três meses de 2011, mas os números do IBGE mostraram crescimento bem modesto, de apenas 0,2%. Também previa que, no ano, fosse avançar 3,1%, uma das previsões mais otimistas. No entanto, diante do fraco desempenho da economia nos primeiros meses do ano e da queda da produção industrial, o banco refez os cálculos e decidiu revisar para 2% a projeção de crescimento para 2012.

    Se confirmado, seria um crescimento menor do que o registrado no ano passado (2,7%). A estimativa também está abaixo da previsão do mercado financeiro que, segundo o último Boletim Focus, espera alta do PIB de 2,72% este ano.

    Na nota enviada ao blog, assinada pelo economista Aurelio Bicalho, o Itaú Unibanco diz que prevê crescimento de 0,8% no 2º trimestre, de 1% no terceiro e de 1,4% nos últimos três meses do ano:

    – O baixo crescimento do 1º trimestre e os primeiros dados do segundo reduzem as chances de um crescimento muito superior a 2% neste ano – diz a instituição, que também revisou a projeção de crescimento do PIB em 2013, de 5,1% para 4,5%, e acha que o cenário internacional continuará incerto por mais tempo.

    O banco prevê aceleração da atividade econômica no segundo semestre, mas em ritmo mais gradual do que era esperado.

    – Como parte dos estímulos implementados (redução das taxas de juros, elevação das transferências do governo, corte de impostos para a compra de bens duráveis, elevação das despesas do setor público) já teve impacto em alguns componentes da demanda interna no 1º trimestre, isto contribuiria para acelerar o ajustamento de estoques na indústria, abrindo espaço para o crescimento da produção adiante. No entanto, os fracos dados da produção industrial de abril já comprometem a aceleração do crescimento no 2º trimestre – afirma.

    0
  • Carcará 6 de junho de 2012 at 12:08

    Há quase 1 ano falei que o setor da construção civil não teria problemas com crédito. O problema é que não haveria quem queira (possa) tomá-los. Então, não adianta esticar o tempo, pois já não há espaço para manobras. Como isso era uma pirâmide movimentada pelo investidor 20% (e esses sumiram) a festa acabou. Alguém ouviu falar nos últimos 6 meses de um único lançamento que “derreteu”???

    0
  • Rafael 6 de junho de 2012 at 12:14

    Eu acho que a caixa vai dar uma infladinha ainda.

    Acho que vai diminuir para 5% os juros para financ imob, a selic a 7%.

    0
    • Pablo 6 de junho de 2012 at 15:02

      Essa eu quero ver!

      O banco pegando dinheiro emprestado via poupança à 6,17% + TR ao ano e financiando à 5%.

      FALA SÉRIO!

      BANCO PAGANDO PARA TRABALHAR!!!!!

      0
      • Paulo D. 6 de junho de 2012 at 17:10

        e baixa o juros pra ver todo $$ extrangeiro correndo pra fora do brasil….

        ou seja, a tx de juros já tá no limite!

        0
    • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 17:08

      Eu acho que a caixa vai dar uma infladinha ainda.

      Acho que vai diminuir para 5% os juros para financ imob, a selic a 7%.
      Rafael, o governo tentou fazer isso mas não conseguiu. Tentaram emitir um monte de títulos a jusros baixíssimos e o leilão foi cancelado por falta de interessados.

      Esses títulos estavam destinados exatamente a isso: permitir que a caixa emprestasse dinheiro a juros baixíssimos. Como não conseguiram, mudaram as regras da poupança para fazer isso gradualmente. Aí vão baixar a SELIC e com isso diminuir o custo de captação.

      O problema é que o método escolhido para “controlar a inflação” é “mentir nos indicadores oficiais”. E isso vai dar m$#$#.

      O PT recebeu MUITA doação de construtoras. Estão usando o nosso dinheiro para pagar todas as dívidas eleitorais possíveis.

      0
  • Leonardo 6 de junho de 2012 at 12:14

    É triste ver como a bolha imobiliária não afeta apenas o mercado, mas as próprias cidades e sociedades. O prejuízo que ela está causando, em alguns casos, é inestimável. Como mostra o texto a seguir, que fala de Lajeado/RS:

    http:// todacancha.wordpress.com/2012/06/05/chegou-o-dia/

    0
  • Fausto Luiz 6 de junho de 2012 at 12:19

    Então! Só se pode gastar aquilo que tem, aquilo que não tem é virtual. Todos os economistas, principalmente a Miriam Leitão, tem dito que o govêrno tem que investir; concordo, porém, com a expansão do crédito, spread bancário menor, juros menor, redução de taxas de impostos (IPI),…, ou seja, o govêrno tem arrecado menos, ora! COMO É QUE ELE IRÁ INVESTIR? SOMADO A ISTO TEM A ALTA DÍVIDA PÚBLICA, e o custeio da Administração Pública – O que o govêrno quer É QUE NÃO HAJA DE IMEDIATO ALTAS TAXAS DE DESEMPREGO. Infelizmente, já começamos a observar movimentações nesse sentido. Entendo que aí está o ponto central (nervoso) de toda a questão. Enquanto há emprego, há renda, por menor que seja, tem como pelo menos sobreviver e se manter ativo, mesmo que psicologicamente. Não tem jeito, o govêrno tem que diminuir sua “máquina” administrativa, mas como, cortar privilégios políticos- partidários é ir de encontro ao impossível, exatamente isso que ele não quer. Acho “a priori” que diferente da década de 80, o brasileiro não está preparado para suportar uma recessão grave e prolongada, creio que o govêrno (PT) propositalmente está gerando um futuro conflito de classes.
    Favor comentar. Até!

    0
    • Rafael 6 de junho de 2012 at 12:24

      o governo irá tentar de todas as formas, spred, credito, inadimplencia.

      mas a unica solucao será reforma tributaria, essa sim o governo quer evitar.

      acabou a mamata do lucro grande com produção pequena.

      0
    • Charles 6 de junho de 2012 at 21:02

      Muito bem observado por você a luta de classes a que o governo está patrocinando.

      Não apenas isto, lutas de classes, mas lutas entre raças, opções sexuais, direitos civis etc…

      Governos esquerdistas só se sustentam no poder pelo apoio de minorias e promovendo o caos, pois eles, invariavelmente, não têm projetos administrativos para entregar ao país, nem tampouco entregam prosperidade.

      Eu já venho fazendo referência sobre o perigo desse apoio desmedido às minorias ha muito tempo.

      Quando o caos se instalar, vai ser mole implantar uma ditadura socialista no Brasil.

      0
    • Taliu 6 de junho de 2012 at 22:16

      Ops…. A Míriam Leitão nem de longe é economista, por simplesmente não ter formado em economia.

      0
  • chapolin 6 de junho de 2012 at 13:07

    Olhem que oportunidade! A Gafisa garante 0,8% (mes? ano? decada?) de rentabilidade.

    Comprar com garantia de rentabilidade de uma empresa sólida como a Gafisa?! Não há como DEIXAR de perder….

    ********************

    Subject: Rentabilidade Garantida Salas Comerciais RJ Cel.: ZZZZZZ

    AMERICAS AVENUE BUSINESS SQUARE BARRA DA TIJUCA

    Uma Oportunidade de ganho imobiliário com Garantia de retorno financeiro

    A Gafisa garante rentabilidade de 0,8% no seu bolso sobre o valor do Ato..

    Salas Offices de 30m² a 496m²

    Salas Corporate de 131m² a 536m²

    Offices Garden, Duplex e Triplex de 36m² a 383m²

    Última Loja de 123m²

    FAÇA A SUA PROPOSTA!!!

    NEGOCIAÇÃO DIRETA COM A GAFISA VENDAS

    Aguardamos o seu retorno para alinharmos a melhor proposta para o seu investimento.

    YYYYY

    [email protected] gafis a. com .br

    0
    • MrK 6 de junho de 2012 at 16:06

      esse empreendimento que citei aqui tem uma semana, eu passo em frente todos os dias, está as moscas, cheio de placas aluga gigantescas, uma competindo com a outra pela maior placa

      se alguém for visitar, ver a situação e ainda assim comprar isso, merece de brinde um atestado de insanidade mental

      0
    • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 17:04

      Igualzinho à Encol, que prometeu a mesma coisa (rentabilidade garantida) 6 meses antes de falir.

      0
  • estudante 6 de junho de 2012 at 13:09

    O certo seria aproveitar que o deficit público está “baixo” e investir massivamente em obras de infraestrutura como ocorreu com o New Deal nos EUA.

    Reformar e construir escolas, hospitais, estradas para gerar emprego e renda reais.

    Parar de abaixar o juros e alimentar o consumo desenfreado.

    Simples e fácil.

    0
    • CapEnt 6 de junho de 2012 at 13:31

      Não é “simples”.

      Nosso “New Deal” era chamado “PAC” e foi um desastre total, um fiasco monumental. A maioria das obras não saiu do papel, houve problemas severos de execução orçamentária, qualidade das obras, e por ai vai. A fonte do problema foi corrupção, mentalidade de uma parte do governo que trata setor privado como inimigo e excesso de burocracia.

      Resultado final: não temos mais dinheiro para um novo “New Deal”, pois a divida publica já está no limite. O governo gasta mais dinheiro rolando divida do que investe em qualquer ministério.

      Onde está a super infraestrutura que nossa divida publica de 70% do PIB pagou? Lugar algum, enfiamos tudo no rabo com despesas supérfluas em sua maioria.

      0
      • Francisco Quiumento 6 de junho de 2012 at 14:49

        Somando: 70% inclusive comprando dívida externa barata com título interno caríssimo para formar reserva que é ligada á titularidades e não formada por saldos de balança comercial, e que portanto, não é reserva de coisa alguma em significativa parte e sim, “partida dobrada” de pepino que alguém tem com o exterior ou o governo tem com credores de todos os tipos.

        0
      • Ricardo Eng 6 de junho de 2012 at 17:03

        Muito bem falado!

        0
  • jacob 6 de junho de 2012 at 13:18

    Nao sei se alguem ja postou, mas…

    “http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/06/120605_euro_corrupcao_ac_mb.shtml”

    Corrupção contribuiu para crise em zona do euro, diz Transparência Internacional
    Marcia Bizzotto

    De Bruxelas para a BBC Brasil

    Atualizado em 6 de junho, 2012 – 04:55 (Brasília) 07:55 GMT
    Facebook Twitter ShareEnviar a página Versão para impressão .
    Segundo ONG, Grécia, Espanha, Itália e Portugal lideram lista de países com ‘sérias deficiências’

    A corrupção e a ineficácia dos sistemas públicos na Grécia, na Espanha, na Itália e em Portugal contribuíram para a crise fiscal que enfrentam atualmente esses países, afirma um relatório da organização Transparência Internacional (TI), publicado nesta quarta-feira em Bruxelas.

    O estudo “Dinheiro, política, poder: os riscos da corrupção na Europa” investigou mais de 300 instituições de 25 países do continente e concluiu que “nenhum deles sai dessa revisão de integridade com uma ficha de saúde completamente limpa”.

    Notícias relacionadasCinco propostas para enfrentar uma ruptura na zona do euroReferendo na Irlanda aprova tratado de austeridadeAtual estrutura da zona do euro é ‘insustentável’, diz Banco Central Europeu
    Tópicos relacionadosUnião Europeia, Internacional, Economia
    Grécia, Espanha, Itália e Portugal lideram a lista dos que apresentam “sérias deficiências”, como falta de transparência, ineficácia e abusos de autoridade “enraizados” na administração pública, que carece de mecanismos e vontade política para prevenir e punir casos de corrupção, de acordo com o relatório.

    Por trás da criseSegundo a TI, cerca de 2% dos funcionários públicos gregos já foram submetidos a um procedimento disciplinar, porcentagem inferior ao número de denúncias de corrupção existentes no país.

    Em Portugal menos de 5% dos casos de corrupção levados à Justiça terminam com uma condenação.

    “A relação entre a corrupção e a atual crise financeira e fiscal nesses países (junto com Espanha e Itália) já não pode ser ignorada”, afirma o relatório, que ressalta que “não são apenas as tradicionais formas de corrupção, como o suborno, que estão relacionadas a um pobre desempenho macroeconômico”.

    Os quatro países que estão no centro da crise da zona do euro também sofrem com práticas consideradas legais mas não éticas, como tráfico de influência e uma relação muito estreita entre o poder público e o setor privado, derivada da falta de controle sobre os lobbies.

    “Todos esses fatores resultaram em uma forma mais sutil de manipulação política que influencia a tomada de decisões para beneficiar a poucos em detrimento de muitos”, analisa a organização.

    Países ricosO relatório também chama a atenção para problemas de corrupção nos países considerados ricos, como Suíça e Suécia, onde não há regras sobre o financiamento de partidos políticos e é possível realizar doações anônimas.

    “Grandes doações privadas representam um risco para a democracia, particularmente quando envolvem companhias com grandes somas de dinheiro desenvolvendo uma estreita relação com partidos políticos e, portanto, ganhando significativa influência sobre as políticas de um país”, adverte.

    A França falha ao não tornar públicas as declarações de renda de deputados, o que a TI considera “altamente problemático, já que significa que (esses documentos) não têm realmente valor como mecanismo de transparência pública”.

    Já a Alemanha é, junto com a República Tcheca, o único país da União Europeia que não ratificou a convenção da ONU contra a corrupção, e seu sistema de financiamento de partidos políticos “está longe de ser exemplar”, destaca o estudo.

    “Muitos na Europa estimam que a corrupção existe apenas em outros países, particularmente naqueles em desenvolvimento. Essa complacência é mal informada (…) e significa que a prevenção da corrupção não é uma prioridade política em muitos países da região”, adverte.

    Para a TI, a crise “deveria servir como um alerta para que os países europeus reformem seus sistemas políticos de maneira que a corrupção e a má administração possam ser seriamente tratadas”.

    0
    • hannamanana 6 de junho de 2012 at 14:08

      Se integridade é problema por lá e gerou instabilidade… aqui onde a impunidade ainda se deleita entãoooo…. DEU-SE

      0
  • Joao 6 de junho de 2012 at 14:25

    PLOC de quatro rodas …

    GM abre plano de demissão voluntária em São José dos Campos

    h ttp://www.valor.com.br/empresas/2694846/gm-abre-plano-de-demissao-voluntaria-em-sao-jose-dos-campos

    0
  • Falcone 6 de junho de 2012 at 14:28

    Se está ruim para vocês, para os cariocas está muito pior.

    Imóveis de luxo custam o dobro do que em SP

    http://www.destakjornal.com.br/readContent.aspx?eid=2629&id=49,143817

    Não que eu tenha bala para tais imóveis, mas isso se reflete para os imóveis em geral, no rio está tudo mais caro ainda.

    0
  • Francisco Quiumento 6 de junho de 2012 at 14:46

    Tenho uma amiga de muitos anos, do setor aéreo que usava uma expressão: “pussuruca desbussulada”, para descrever certas coisas, como algo completamente fora do rumo.

    1) O presidente do BC que cale a boca sobre tributação, não é de sua alçada.

    2) Esta medida dos 35 anos, por qualquer planilha de cálculo meia-boa, vai dar em coisa alguma, só no “Pindoramistão” (nossa versão “-istão” mais primitiva.

    3) Presidente da Petrobrás está tendo que dar explicações diárias.

    4) A poderosa ENTA só fica de bravata sobre ambiente e sustentabilidade, e o navio continua indo, meu ver, a pique, e acelerado.

    5) O PLOC 4 x 4, da turma dos automotivos, já dá suas mostras no quadro de funcionários, nem necessita se esperar as mentiras pintadas do pessoal de vendas.

    6) Contenção de despesas estatais que é bom, LHUFAS.

    7) O estrago que a falência em marcha da Delta vai causar nas obras de infraestrutura pelo país a fora, mais uns 65 mil empregados no olho da rua, ainda não foi bem quantificada e nem está gerando preocupação do governo.

    8) Falando em construtoras, a Gafisa, destacadamentee, outras, já estão com aquelas curvas “sino inclinado”, em que ganham uma barriga pela correria no meio do período para terminar abaixo de quando iniciaram.

    9) Em uma semana, pelos arredores do centro de Sampa, percebi claramente o aumento das plaquinhas furrequentas de VENDE-SE. Ou seja: estamos buscando caixa, a qualquer custo.

    10) Começam a pipocar previsões sombrias de PIB na faixa de 2%.

    Preciso continuar?

    Repito, e digo como um otimista quase doentio, acreditem: CABÔ-SE!

    0
    • Sérgio 6 de junho de 2012 at 15:07

      Ótima postagem, com pensamentos bem desafetado em frases bem construídas e a utilização de palavras bem geniais.
      E na medida certa.
      Mais uma para o meu rol da bolha.

      0
    • Paulo D. 6 de junho de 2012 at 17:13

      só acrescentaria mais um ponto: juros estão no limite pois não podem baixar mais com risco do capital extrangeiro sair e o dólar disparar (ainda mais)…..

      0
  • Davi 6 de junho de 2012 at 14:47

    Fonte: AE BroadCast
    =========================================================

    Já descobriram de novo o que foi dito.

    14:00 ESPECIAL: CRÉDITO DEVE CRESCER EM RITMO MAIS FORTE
    APÓS DESALAVANCAGEM DA SOCIEDADE

    São Paulo, 6 – O endividamento da população brasileira está acima do previsto e esse fator deve dificultar uma retomada mais acentuada do crédito no País. Para que os empréstimos voltem a crescer com mais força, as pessoas precisam passar por um processo de desalavancagem. A conclusão é de um estudo interno do Itaú, discutido pelo conselho do banco na semana passada e citado pelo vice-presidente do banco, Alfredo Setubal, em uma palestra recente na Fundação Getúlio Vargas (FGC).

    “Precisamos passar por um processo de desalavancagem (da sociedade)”, disse o executivo. Para ele, boa parte das pessoas têm pouco ou nenhum espaço para tomar empréstimos depois de se endividarem nos últimos anos, comprando carros, imóveis e bens de consumo.

    Além do endividamento, Setubal destaca que a inadimplência está em alta, principalmente por conta dos calotes em financiamento de veículos. Por isso, o executivo avalia que a redução da Selic por si só não vai ser suficiente para reativar a economia e o crédito. Em abril, o índice de calotes no segmento, considerando atrasos acima de 90 dias, bateu recorde e chegou a 5,9%, quase o dobro do que era no mesmo mês de 2011, segundo a Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef). Um dos fatores para a alta do indicador, que vem subindo mês a mês desde janeiro do ano passado, segundo a entidade, é o aumento do endividamento das famílias.

    A tese do alto endividamento das famílias estar dificultando a retomada do crédito também é endossada por analistas e economistas ouvidos pela Agência Estado. Na visão do analista do setor financeiro da consultoria Lopes Filho, João Augusto Salles, todo mundo tomou muito empréstimo recentemente e comprometeu boa parte da renda. Aliado à expectativa de um crescimento menor da economia este ano e às incertezas que este fato traz, como temor de perder o emprego, a propensão a tomar outro empréstimo é menor.

    Para o economista-chefe da Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), Nicola Tingas, houve excesso da oferta de crédito em 2009 e 2010, com uma alavancagem excessiva por parte dos consumidores e uma briga por market share entre os bancos. “O orçamento está muito mais comprometido agora”, disse ele. Por isso, os bancos estão mais cautelosos.

    Ao anunciar os resultados do primeiro trimestre, os executivos dos grandes bancos sinalizaram que a taxa de inadimplência deve continuar subindo, ao menos neste segundo trimestre. As instituições financeiras, como o Itaú, também preveem reforços extras nas provisões. Ontem, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, destacou que o ritmo de crescimento do crédito até abril vem sendo moderado e espera melhora dos calotes no segundo semestre.

    Um alto executivo de um grande banco privado destaca que o cliente que tem procurado empréstimos nas últimas semanas, em meio a queda dos juros, é o pior tipo de tomador. É justamente aquela pessoa que a instituição não quer dar crédito porque ela já tem outras dívidas. “As pessoas para as quais queremos dar crédito, não aparecem. Estão preocupadas com a economia crescendo menos e não querem se endividar”, disse ele.

    Tingas, da Acrefi, diz que as 40 milhões de pessoas das classes C, D e E que entraram no mercado de consumo nos últimos anos ainda não são muito conhecidas pelos bancos. “É um consumidor novo. Por mais que saibamos dele, ainda o conhecemos muito pouco e ainda reservam surpresas”, disse ele.

    Revisão para baixo

    Com o aumento do endividamento e dos calotes, alguns analistas já revisam para baixo as projeções de crédito dos bancos privados para 2012. Fabio Zagatti, do Barclays, reduziu suas estimavas e prevê agora que o Itaú vai crescer 14%, o piso da meta prevista pelo banco. O mesmo porcentual é estimado para o Bradesco. Neste caso, está abaixo da meta da própria instituição (18% a 22%).

    O melhor desempenho deve ficar com os bancos públicos, que têm adotado postura mais agressiva no crédito. O Barclays espera aumento de 16% na carteira do Banco do Brasil para este ano, o maior estimado entre as quatro grandes instituições financeiras. Em maio, o BB bateu todos os recordes na concessão de empréstimos, especialmente no financiamento de veículos. O vice-presidente de Negócios de Varejo do BB, Alexandre Abreu, afirma que o banco tem adotado modelos rígidos de concessão, para evitar alta da inadimplência. (Altamiro Silva Júnior e Aline Bronzati)

    0
  • Pensativo de CWB 6 de junho de 2012 at 15:01

    Não sei se já postaram antes :

    h t t p ://www.gazetadopovo.com.br/imobiliario/conteudo.phtml?tl=1&id=1262483&tit=De-champanhe-a-presente-de-Natal

    Vá ao supermercado e compre um imóvel.
    Nunca tinha visto isto.
    Também estou de olho na “bolha”.

    0
  • NTL 6 de junho de 2012 at 15:02

    Mais pérolas do ZAP:

    “http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-SAO-PAULO-ACLIMACAO-RUA-PIRES-DA-MOTA/ID-2488334”

    Apto de 2Q na Aclimação/SP por R$ 380.000.000,00 e 92.630 m^2 …. Tudo isto para dar um preço/ m^2 de R$ 4.102,00.

    E ainda mais outra:

    “http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-SAO-PAULO-JD-STA-EMILIA-RUA-FARID-MIGUEL-HADDAD/ID-3239138”

    Valeu pela dica Andersonvt! Já denunciei os anúncios, pois é bem provável que usem estas aberrações no cálculo do índice.

    0
    • GB 6 de junho de 2012 at 15:33

      Com certeza.

      0
    • Riodetudo 6 de junho de 2012 at 15:46

      Denunciar anúncio no ZAP não adianta nada. Nunca vi isso dar resultado. Acho que ficam uns caras rindo de quem denuncia (“hehe, olha só esse mané crente que a gente vai tirar a imobiliária do ar”!)

      O negócio é boicotar as vendas no ZAP ao invés de ficar dando visitação para o site deles. Na verdade, da última vez que vi a quantidade de mentiras era tanta que fui só até a terceira página na busca. Tinha uma imobiliária que botou uma imagem escrito “imóvel sem foto” porque aí eles aparecem na busca de quem só procura imóvel com foto.

      0
    • Davi 7 de junho de 2012 at 11:05

      Se o sistema fosse sério ou estivesse preocupado com estas distorções já teria um indentificador de valores fora de um padrão para verificaçãio sem a necessidade de ficarmos denunciando.

      0
  • nelson 6 de junho de 2012 at 15:11

    Mais uma das cartas na manga do (des) governo!

    A Receita Federal irá anunciar na tarde desta quarta-feira (6) uma liberação recorde de restituição do Imposto de Renda (IR). Segundo o órgão subordinado ao Ministério da Fazenda, o montante será “o maior da história”, o que indica que deverá ser superior aos R$ 2,44 bilhões repassados a 2,6 milhões de contribuintes no ano passado.

    Leia também: Antecipar a restituição do IR pode trazer alívio ao bolso dos endividados

    Será o primeiro lote do IR de 2012 e, junto com a liberação de mais recursos, a secretária-adjunta da Receita,Zayda Bastos Manatta, irá anunciar novas ferramentas para acesso de informações sobre os recursos a serem repassados.

    A liberação de um lote maior de dinheiro recolhido pelo IR é parte da ofensiva do Palácio do Planalto para impulsionar o consumo. Na interpretação do governo, conforme ressaltou ontem o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, ainda há espaço para aumentar o nível de vendas no país

    0
    • Pablo 6 de junho de 2012 at 17:03

      Se eu soubesse antes tinha colocado o Papagaio, a Tartaruga e o Totó como dependentes!
      Pois provavelmente a malha fina deve ter dado uma alargada!

      0
    • pmoraesm 6 de junho de 2012 at 17:23

      Pra quem ainda tem que pagar IR depois de toooodos os descontos em folha salarial, não muda nada.

      0
  • Francisco Quiumento 6 de junho de 2012 at 15:29

    “O futuro, quando roubado, se vinga da mais devastadoras das maneiras quando chega.”

    Até prova em contrário, eu mesmo.

    0
  • Fausto Luiz 6 de junho de 2012 at 16:03

    Então! Só o fato da Receita Federal antecipar a restituição do IR. em si já é uma medida inusitada, pois NUNCA ANTES NESSE PAÍS A RECEITA ADOTOU TAL MEDIDA, para nós do blog que trocamos informações claras e precisas, isso nos mostra claramente que a situação econômica é grave, o governo quer porque quer que a população consuma em excesso, remediando o desemprego, ou amenizando-o ao max. possível. Fico triste pelo povo humilde em geral que não tem a percepção depurada que temos. Informar da medida? Até

    0
    • GB 6 de junho de 2012 at 16:14

      Mas qual é o resultado prático disso ?

      Quanto uma pessoa humilde vai restituir de imposto se já paga pouco por definição ?

      Pra mim está ótimo pois é mais $$$ guardado rendendo.

      Na prática, não me parece que o governo tenha alguma cartada na manga que salve de verdade as construtoras, o ramo automobilístico e o mercado em geral, caso contrário já o teriam feito.

      0
    • MrCitan 6 de junho de 2012 at 16:18

      Aproveitando a restituição do IR, alguém pode me dizer se tem um tutorial completo sobre como abrir uma “Saving Account” nos EUA, e mandar o dinheiro para lá?

      Como eu sou correntista do Citibank daqui do Brasil, ainda preciso ir para os EUA para abrir uma “Saving Account” no mesmo Citibank?

      Desculpe pelo pedido, mas estou meio pessimista com o futuro, e gostaria de poder me precaver para dias mais sombrios.

      0
      • GB 6 de junho de 2012 at 16:22

        O Anonymous sabe como é o negócio.

        0
      • Anonymous 6 de junho de 2012 at 23:50

        Aqui o que voce pode fazer, tudo dentro da Lei, POR ENQUANTO. Voce pode ir para outros lugares e escolher outros bancos. O que segue é apenas uma sugestão.

        01 – Passagens pela American Airlines para MIAMI, cerca de 1500 USD ida e volta.

        02 – Hoteis perto do aeroporto – oferecem transporte gratis entre o hotel e o aeroporto, basta telefonar para o hotel quando chegar.

        Sleep Inn Miami Airport, $ 120 USD/night
        “www.sleepinn.com/hotel-miami_springs-florida-FL817″

        Comfort Inn & Suites Miami Airport, $ 116 USD/night
        “www.comfortinn.com/hotel-miami_springs-florida-FL818″

        03 – Banco perto dos hoteis (dá para ir a pé)
        “https://www.wellsfargo.com/”
        4299 NW 36th St, Miami Springs, FL 33166
        Phone: +1 (305) 351-9818

        04 – Levar extrato bancário de um banco bananense mostrando o endereço na Banânia e o passaporte.

        05 – Preencher o W8-BEN (receita Americana) para caracterizar estrangeiro não residente, evitando pagar imposto sobre os juros. Fazer o download no seguinte link.
        “www.irs.gov/pub/irs-pdf/fw8ben.pdf”

        06 – Abrir uma savings account com pouco dinheiro (300 USD já é suficiente). Em geral, nenhuma taxa é cobrada para manter depósito em savings account.

        07 – Na volta, enviar o dinheiro pelo sistema bancário bananense. Voce vai ter que mostrar o IRFP para convencer o gerente do banco que o dinheiro é legítimo. Vai custar 0.68% do valor da remessa (IOF) + contrato de fechamento de câmbio (um valor fixo da ordem de 100 USD). O depósito tem garantia até 250 mil USD.

        08 – Declarar no IRPF no próximo ano.

        09 – Se o valor for acima de 100 mil USD, declarar no Banco Central.
        “http://www4.bcb.gov.br/rex/cbe/port/cbe.asp”

        10 – Esperar tanto pela alta da inflação quanto pela alta do dolar.

        0
    • Sol de Sampa 7 de junho de 2012 at 02:10

      Fausto, e o gov está tão dadivoso bem que poderia liberar tb as ações mais que gnhas contra o IR e demais partes do governo né??? isso sim encharcaria o mercado com muuuuuiiiiiitttttaaaaa grana

      0
  • rodolfo aron 6 de junho de 2012 at 16:06

    HAHAHAHAHA

    CHOREM BOLHUDOS.. CHOREM!!!

    ja disse, essa parada nao vai estourar tao cedo
    vai continua valorizando.. valorizando.. valorizando…

    e quando estourar (pq realmente vai.. acho que este ‘e o unico ponto no qual concordamos) os precos vao ser MAIS ALTOS QUE OS ATUAIS.

    e voces sabem por que ?

    por que ainda vai subir tanto..
    que quando estourar.. 1 milhao sera o preco da “ofertassa imperdivel”

    alias, meu terreninho no recreio dos bandeirantes(rio de janeiro) de 337 mil reais.. foi vendido um do lado por 495 mil ..
    detalhe que comprei meu terreno no FIM DE 2010

    imagina eu, se tivesse ficando acreditanto em blog de maluco com vidente popstar pra fazer investimentos.. tava fudido.. nao teria comprado nada, e ainda estaria pagando o dobro agora.

    0
    • GB 6 de junho de 2012 at 16:19

      Oba, o Cirilo voltou !!!! Recorde de 4 dias sem aparecer.

      Vejam pelo lado bom: descobrimos que a cada 100.000 especuladores, 1 deve estar feliz pois se livrou de ficar com o mico e conseguiu um bom lucro, você devia tentar vender o seu também, isso não acontece com muita facilidade nesses dias.

      Mas onde e que os imóveis estão subindo que faz 7 meses que eu não vejo nada disso ? (gente, traz o Baygon enquanto eu entretenho ele)

      0
    • Guilherme 6 de junho de 2012 at 16:21

      Aí voce ao invés de realizar lucro, vem aqui tirar onde que é muito mais produtivo. Senta lá, Claudia.

      0
    • Pablo 6 de junho de 2012 at 17:08

      rodolfo aron!

      Deveria ter vendido o teu e aproveitado que a Dilma arrancou parte dos dentes do Leão da Receita Federal e sonegado 80% do lucro!

      0
    • Seu Madruga 6 de junho de 2012 at 17:43

      Rodolfo Arrombado:

      Sempre vai existir otário para comprar estas merdas, o problema é você achar um!

      0
    • Sol de Sampa 7 de junho de 2012 at 02:14

      hahahhhahahahah e quem vai comprar???? se já não tem renda hoje com crise como será???? hahahahahaha

      0
  • GB 6 de junho de 2012 at 16:32

    O IMOB tendo um daqueles repiques esotéricos e a GafeS/A só subindo +0,46%, a coisa está feia memso pra ela.

    A Bolsa de Valores e a GafeS/A fazem da astrologia uma ciência exata, mas continuo acreditando que lá pra terça que vem ela chega a R$ 1,99.

    Ei, vocês viram o cara do banco falando que com o prazo subindo para 35 anos só tem aparecido “O PIOR TIPO DE CLIENTE” ? kkkkkk

    Quem tem $$$$ sabe como é difícil ganhá-lo e está esperando para ver até onde as coisas irão, bem diferente desses proprietários que num passe de mágica passaram a ser chamados de “milionários” de mentirinha.

    0
    • Riodetudo 6 de junho de 2012 at 16:37

      Como a Dilma disse ter várias cartas na manga, mal podemos esperar para ver aumentarem o limite com uso de FGTS. Depois disso, não sei o que mais poderiam inventar. Acho que só a lei dizendo que todos viverão até os 90, como alguém disse aqui.

      0
      • Marcos 6 de junho de 2012 at 16:49

        Caro amigo, acho que a PRESIDENTA tem uma carta muito poderosa… como esse governo acha que pode fazer tudo na base da marretada, como ninguém mais consegue comprar imóvel no Brasil e quem comprou não consegue mais pagar (porque comprou por valor muiiiito alto), a saida é simples: OBRIGAR AS EMPRESAS A AUMENTAREM OS SALÁRIOS EM 20x. Acho que assim da pra pagar as prestações…

        0
        • Riodetudo 6 de junho de 2012 at 17:10

          Desemprego? Já está acontecendo.

          0
      • GB 6 de junho de 2012 at 17:05

        Bem, eu não quero ser o cara do tipo que dá idéias pra Exma. Presidenta pois tem gente do governo que lê o Blog, mas eu acho que logo vão ampliar para 40 anos, o que vai ser inútil pois dá-lhe mais taxa administrativa e 2 seguros mensais para pagar (hoje em R$ 80 paus por mês, o valor mínimo de qualquer prestação).

        Aí, lógico, logo em seguida, se não dá para esticar a vida do pessoal sem investir em saúde e qualidade de vida, vão acabar com essas taxas de administração e os 2 seguros, assim a prestação fica R$ 80 paus mais barato por mês, aí é mais negócio pra Crasse Cê.

        0
        • SPSPJULIANO 6 de junho de 2012 at 19:45

          Outra lei que ela poderia lançar é uma no sentido de obrigar quem não tem dívida nenhuma a, obrigatoriamente, ir a uma financeira ou banco e tomar algum empréstimo, sob pena da dilmandona aparecer fazendo cara feia na casa do sujeito que não tem nenhuma dívida

          0
          • Mr. Alex 6 de junho de 2012 at 22:09

            Aparecer pelada é pior !!!

            O cabra compra até máquina de enxugar gelo no polo sul!!1

            0
    • Andre-Belzonte 6 de junho de 2012 at 18:13

      Acredito que a pergunta seja bem de iniciante, mas vamos lá..

      Porque uma ação cair é necessariamente ruim para a empresa e pode falir a mesma?
      Já que quando emitiu suas ações já recebeu o dinheiro na época, então
      a principio é indiferente para ela se a ação sobe ou desce, já que a empresa nao ganha ou perde quando o valor de uma acao varia…
      Provavelmente estou falando alguma besteira, mas só pra entender..

      0
      • Marcio 7 de junho de 2012 at 00:44

        Realmente nao e’ bom nem ruim para a empresa, mas reflete uma expectativa do mercado sobre os lucros da empresa. Se a empresa nao da lucro, ninguem quer ser acionista pois nunca vai ver nenhum dividendo. E, em caso de falencia, pode ser ate convocado a pagar algo, dependendo do tipo da acao.

        0
      • Anonymous 7 de junho de 2012 at 12:29

        A empresa PERDE credibilidade e não consegue mais empréstimos em banco nem outras pessoas interessadas na compra de novas ações. A GAFISA é o melhor exemplo. Ela TEM QUE pagar cerca de 160 milhões para finalizar a compra do Alphaville. Ela está atualmente emitindo ações. Voce compraria?

        0
  • Zoom 6 de junho de 2012 at 16:36

    Gafe perdendo o suporte dos 2,16… toma..

    0
    • Guilherme 6 de junho de 2012 at 16:55

      Nem em dia de gala para IMOB a GafeS/A se salva….

      0
      • TG Brasil 6 de junho de 2012 at 17:05

        Vixe mano…

        Gafe á 2,10! as 16:46 hs

        Engraçado que até as 16:20 ela não estava no vermelho ainda, agora já é 3,66 negativo!

        0
  • Ze Bom Dirolo 6 de junho de 2012 at 17:09

    O mundo é dos espertos….

    ttp://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2012/06/06/interna_cidadesdf,305909/empregado-do-aeroporto-que-devolveu-maleta-com-dolares-tem-salario-reduzido.shtml

    0
  • Pablo 6 de junho de 2012 at 17:17

    Gaf(e)isa à 2,13 CAIU – 2,29%
    Bovespa SUBIU + 3,19%

    Nem num dos melhores dias do Ano.

    PLOC.

    0
    • RosinhA 6 de junho de 2012 at 17:41

      Encol já era mesmo

      0
  • GB 6 de junho de 2012 at 17:19

    Caras, o IMOB naqueles momentos esotéricos e incompreensíveis e nem assim a GafeS/A conseguiu aproveitar o momento, praticamente todo mundo subiu pra caramba e eles caíram pra R$ 2,12 (-2,75%).

    Eu pensei que a notícia de que os otários, digo, compradores ficariam mais 5 anos de suas vidas pagando por uma caixa de fósforos, digo, apto de qualidade iria levar a Gafe às alturas.

    Ela não tem jeito, para horror do Frajola e de suas sardinhas ao molho estão mantidas as previsões de que chegue a R$ 1,99 na próxima terça-feira.

    0
  • Miguel Jacó 6 de junho de 2012 at 17:43

    GM anuncia Plano de Demissão Voluntária em São José dos Campos

    De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos da cidade, o plano é dirigido a trabalhadores horistas da produção e ficará aberto até o dia 15 de junho
    06 de junho de 2012 | 15h 21

    “http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,gm-anuncia-plano-de-demissao-voluntaria-em-sao-jose-dos-campos,115282,0.htm

    0
    • Fabiano 6 de junho de 2012 at 18:06

      Miguel esse é só o começo , pois até Novembro as linhas do Corsa, Zafira e Meriva vão encerrar sua produção aqui em sjc sem nenhum novo projeto de carro para o lugar dos mesmos.
      Resultado muita gente vai rodar….
      Fora a embraer que esta com boatos de demissão em massa tb.

      0
      • RosinhA 6 de junho de 2012 at 18:17

        Isso preocupa, viu Fernando era disso tentei explicar sobre o meu empregado, as pessoas tem que saber qual a situação futura, antes de cometerem erros em suas vidas, que podem custar muitos anos e muita dor de cabeça.

        Apesar de me criticar, não levo pro lado pessoal, sua notícia foi boa, por isso o comentário.

        0
        • GB 6 de junho de 2012 at 19:21

          RosinhA, você está com toda a razão quando fala de funcionários e do povo em geral, eu li meio por cima o que o pessoal estava falando e só vi os clones do Cirillo te atacando (que por sinal voltaram todos no mesmo horário após 4 dias longe daqui).

          É por isso que eu não tenho dó quando despejo alguém que está devendo: se não fosse por irresponsáveis e aventureiros como esses não haveria aquela corrida por imóveis e os preços estariam normalizados.

          Para mim eu chamo de Shadow Inventory qualquer imóvel que o cara compra e tem interesse de vender logo al na frente ou qualquer um que o cara sabe que ele vai voltar pois não tem como pagar.

          Hoje eu fui encher o tanque e um cara num Uno vermelho entrou na minha frente e pegou a bomba antes de mim que estava na fila aguardando, aí deixei quieto pois não valia a pena falar nada, depois quando eu estava pagando os frentistas estavam comentando que ele colocou R$ 20,00 de gasolina (uns 8 litros ?), logo pensei: “esse é o povão brasileiro de que os políticos se orgulham”.

          0
  • MrK 6 de junho de 2012 at 17:58

    Tem gente que resolveu voltar a frequentar o blog, com o plano a gafisa de redução de despesas, quem foram os primeiros demitidos? animadores de piscina! A piscina do bora-bora ficou mais triste, mas o blog ficou mais animado!

    PS: vou correndo comprar um terreno no recreio, aquele lugar lá no fim do mundo, com cara de velho oeste, com sua peculiar mistura de milicianos, pagodeiros e 2a leva de zona norte (a 1a e mais nobre foi pra barra), aquele lugar encantando onde se leva 3horas até o centro da cidade e tá cheio de predio vazio, vou correndo antes que esgote!!

    0
    • Riodetudo 6 de junho de 2012 at 18:53

      O Recreio (Rio) se tornou exatamente isso, infelizmente. Uns quinze anos atrás, era um bairro isolado dos demais no Rio mas com praias limpas e tranquilas, prédios baixos e apartamentos grandes. Agora as praias ficam cheias, estão sujas, cheias de prédios enormes com apartamentos horríveis, muitos vazios. E, se bobear, demorando ainda mais tempo para se chegar na zona sul ou Barra, que dirá ao Centro. Ah, mas agora tem BRT, asfaltaram algumas ruas, que ótimo, deve estar super agradável com 10x mais carro!!

      0
      • MrK 6 de junho de 2012 at 18:59

        o recreio foi atolado de predios cubiculos, com apertamentos de 5a categoria, com dry-wall que não acaba mais, isolamento acustico zero etc… levando um pessoal muito baixo nível pra lá

        a qualidade dos prédios é tão ruim, mas tão ruim, que alguns predios ali entregues ha coisa de 2 e 3 anos já apresentando uma fachada com aspecto de mal cuidado, sujo , coisa caindo etc…

        0
        • Riodetudo 6 de junho de 2012 at 19:15

          Sim, visitei alguns (mais antigos até) ano passado e comentei num post como os apartamentos estão caindo aos pedaços depois de ficarem vazios e abandonados. O bairro caiu de nível por gente como o garotão do terreno no post acima que acha ter ganho uma graninha mas não tem PN no bolso até agora.

          0
          • Virginia 7 de junho de 2012 at 04:45

            Meu chefe comprou uma super cobertura na planta lá, fazendo planos de ir morar qdo se aposentar, daqui a 5 anos, tá super feliz…. Tadinho?

            0
            • Bolha Imobiliária 7 de junho de 2012 at 11:29

              Ele vendeu a empresa para comprar a cobertura ?…hehe

              0
  • Loren 6 de junho de 2012 at 18:06

    Queria umas dicas e opiniões de vocês. Alguém sabe me dizer sobre o mercado de usados? O que vocês acham que cai primeiro, novos ou usados? Tenho interesse no bairro de Perdizes, em São Paulo, em apartamentos bem antigos. Obrigada!
    PS: To arrasada com o adiamento do Joco´s Day. Mas continuo firme, esperando essa bolha explodir.

    0
  • Douglas 6 de junho de 2012 at 18:18

    35 Anoosss?
    Ja vejo o futuro!

    – Pai descola uma grana pra eu ir na Balada?
    – Nao posso, estou pagando a porra da parcela dessa casa.

    0
    • MrK 6 de junho de 2012 at 18:25

      tá mais pra:

      – Vô, descola uma grana pra eu ir na Balada?
      – heeeeiimmmm?? fala mais alto!
      – Grana vô!
      – Nao posso, estou pagando a porra da parcela dessa casa.

      0
    • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 6 de junho de 2012 at 18:35


      Daqui a 33 anos veremos conversas assim:
      – Porra vô, ainda tá pagando este apertamento velho e todo destruido?
      – É meu netinho….mas não se procupe, um dia “tudo isto” será seu – ´o fruto de toda uma vida de trablho 🙁 🙁 🙁

      0
      • GB 6 de junho de 2012 at 19:25

        Eu complementaria: . . . mas não se procupe, um dia “tudo isto” será seu PARA VOCÊ TERMINAR DE PAGAR

        kkkkkkkkkkkkkkk, em que país vivemos.

        0
  • MrK 6 de junho de 2012 at 19:01

    Perguntar não ofende: O que aconteceu com os “jovens executivos” que ganham salários milionários e estavam comprando tudo que é imóvel caro segundo as construtoras e secovis??

    0
    • Charles 6 de junho de 2012 at 20:34

      Não ofende, mas constrange!

      MrK, eles estão contando que todo mundo ja esqueceu desse papinho furado e voce vem relembrar o povão? Sacanagem! hehe

      0
      • Sol de Sampa 7 de junho de 2012 at 02:29

        Charles, pensei diferente, acho que foram contratados pra trabalhar na zona do euro, por isso que lá tá com 35 milhões de desempregados….

        0
  • rdbezerra 6 de junho de 2012 at 19:46

    Jornal da Band acabou de falar ABERTAMENTE em Bolha, usando a palavra, e falando que vai murchar ou explodir, depois de uma “especialista” dizer que os precos ainda nao estao no teto e que ha perspectiva de crescimento de demanda, emprego e renda. Em breve deve aparecer no youtube.
    meu champanhe já tá reverberando o PLOC aqui!

    0
    • Davi 6 de junho de 2012 at 21:26

      Sem o comentário do JOelmir INFELIZMENTE! Será que conseguimos isso?

      h t t p://www.band.com.br/jornaldaband/videos.asp?v=7d045af47e243ba1049091a7e9691cf6

      0
      • Davi 6 de junho de 2012 at 21:30

        Talvez usar o “FALE CONOSCO” no vídeo da reportagem pedindo o comentário.

        0
  • Money Addicted 6 de junho de 2012 at 20:06

    acho q o pessoal ta tudo viajando, o joelmir betting acabou de falar q o aumento dos imoveis foi por especulacao ou vulgo “bolha” e q toda bolha um dia murcha ou explode.
    isso sem falar q na reportagem o cirilo deu um depoimento dizendo q finalmente ele pode comprar um imovel. E se isso nao fosse o bom o suficiente teve uma “especialista” em imoveis dizendo q os precos continuariam a subir, e o joelmir comecou com “sera?”

    []s

    0
    • Money Addicted 6 de junho de 2012 at 20:10

      rs….qdo eu disse “acho q o pessoal ta viajando….” me referi aos colegas do forum viajando “literalmente” e nao viram reportagem. Afinal de contas nao temos conta a pagar para os proxs 30 anos, ou ainda melhor 35 anos (como diria a pitanga)

      0
    • GB 6 de junho de 2012 at 20:28

      Tá todo mundo preso no trânsito indo para Búzios.

      0
  • Thomas 6 de junho de 2012 at 20:12

    Acaba de passar no jornal da Band uma reportagem sobre a “estabilização” dos preços dos imóveis no Brasil, em razão do aumento do prazo de financiamento e redução da taxa de juros. Entrevistaram alguns “especialistas” do mercado, todos disseram que a tendência ainda era de alta.
    Achei que o jornal estava fazendo propaganda das construtoras, mas em seguida o Joelmir Beting disse que confrontando o INCC com os preços dos imóveis havia indicação de uma B O L H A, isso mesmo com todas as letras, que “ou murcha ou estoura”.

    0
    • Ricardo 6 de junho de 2012 at 20:24

      Assisti a essa reportagem. Parecia que o comentarista fazia parte do nosso blog………….

      Lembram-se das diretas já?
      A Globo foi a última emissora a noticiar o movimento.

      0
      • thiago fm 6 de junho de 2012 at 21:26

        E pra variar a especialista em mercado imobiliário , vulgo ( corretora ) acredita que os preços continuarão em ascensão.

        Isso porque agora os 5% da população que ganham R$ 10.000,00 podem financiar R$ 13.000,00 a mais. AFF

        Agora que podia comprar um apto no sétimo andar, vai poder comprar no oitavo! O mercado vai bombar!!!

        0
        • Charles 7 de junho de 2012 at 00:51

          Acabei de fazer uma simulação no site da caixa. Posso financiar 7 mil a mais, a prestação ficou estavel com diferença de 70 reais mas com o detalhe que a divida passou de 360 para 420 meses.

          Negocião da china….

          0
    • Ricardo 6 de junho de 2012 at 20:26

      Vamos conseguir o link da reportagem………….

      Seria um mega, ultra tópico. Comentário extremamente relevante.

      0
      • GB 6 de junho de 2012 at 20:36

        Tópico Mega blaster arrebentador.

        Se bem que eu acho que dia-a-dia mais comentaristas e reporteres vão tocar no assunto.

        0
    • Riodetudo 6 de junho de 2012 at 20:59

      BETING É REI

      0
    • Davi 6 de junho de 2012 at 21:12

      h t t p ://www.band.com.br/jornaldaband/videos.asp?v=7d045af47e243ba1049091a7e9691cf6

      NÃO TEM O COMENTÁRIO DO JOELMIR, só a parte que nao interessa.

      0
      • Davi 6 de junho de 2012 at 21:20

        Comentário do Jornal da noite, mas nada tb … caramba.

        h t t p://www.band.com.br/jornaldanoite/beting.asp

        0
    • Sr. LB 7 de junho de 2012 at 22:13

      E ontem no Jornal Hoje (Globo), o Evaristo todo feliz dando a notícia de que a compra da casa própria havia ficado mais fácil, pois os juros caíram e os prazos subiram….
      Essa Rede Globo é uma piada….

      Tempos atrás vi o Sr. Dinheiro falando claramente que havia uma ‘Bolha imobiliária no Brasil”. Foi no programa ao vivo da Globo News (estudioi). Claro que essa parte não foi colocada na internet. A apresentadora desse programa, não sei o que Beltrão, parece ter afinidades com a escola austríaca de economia. Vi fotos dela em um encontro do Mises (parece que foi a musa do último encontro do MIses – mises.org).

      0
  • Ricardo 6 de junho de 2012 at 21:15

    BOLHA, TÓPICO URGENTE.
    FALTOU APENAS O COMENTÁRIO DO BETING A RESPEITO DA BOLHA……….

    w w w . band.com.br/jornaldaband/conteudo.asp?ID=100000508675

    Depois da disparada dos preços dos imóveis nos últimos dois anos, o momento agora é de desaceleração com a queda nas vendas.

    Mas especialistas afirmam que os valores podem voltar a subir com o aumento da procura, estimulada por juros mais baixos e prazos maiores de financiamento.

    0
    • Bolha Imobiliária 6 de junho de 2012 at 21:50

      A 1 ano mais ou menos, uma reportagem sobre preço dos imóveis na Band, veio o comentário do Joelmir da seguinte maneira

      “Os preços dos imóveis crescem de maneira sustentável…E sem bolha”…

      Será que devo dar fé nas palavras dele ??…Guardei este comentário dele como se fosse uma ofensa…hehe

      0
  • mauricio 6 de junho de 2012 at 22:03

    porra, mas a band falando em BOLHA hoje, TÁ 6 DIAS ADIANTADA!

    0
    • GB 6 de junho de 2012 at 22:09

      Agora o Cirillo sentiu um arrepio na espinha.

      0
      • Alfinete da bolha 6 de junho de 2012 at 23:06

        Kkkkkkkkk!!!

        0
  • Rodrigo 6 de junho de 2012 at 22:23

    Tenho acompanhado com muita atenção o MOVIMENTO FALIMENTAR no jornal Valor Econômico. Hoje saiu essa aqui:

    Falências Requeridas
    Requerido: Estacon Engenharia S/A – Endereço: Av. Paulista, 1471, 10º Andar, Jardim Brasil – Requerente: Banco do Brasil S/A – Vara/Comarca: 2a Vara de Falências de São Paulo/SP

    Além disso:

    Recuperação Judicial Requerida
    Empresa: Delta Construções S/A – Vara/Comarca: 5a Vara Empresarial do Rio de Janeiro/RJ

    Empresa: Delta Engenharia e Montagem Industrial Ltda. – Vara/Comarca: 5a Vara Empresarial do Rio de Janeiro/RJ

    Empresa: Delta Incorporações e Empreendimentos Imobiliários Ltda. – Vara/Comarca: 5a Vara Empresarial do Rio de Janeiro/RJ

    Empresa: Dtp Participações e Investimentos S/A – Vara/Comarca: 5a Vara Empresarial do Rio de Janeiro/RJ

    Empresa: Locarbens Locadora de Bens Veículos e Equipamentos de Construção Ltda. – Vara/Comarca: 5a Vara Empresarial do Rio de Janeiro/RJ

    © 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.

    Leia mais em:

    http://www.valor.com.br/empresas/2693860/movimento-falimentar#ixzz1x2NN7ZhU

    0
  • Revoltado 7 de junho de 2012 at 00:22

    Para relaxar…

    *agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-06-01/poupanca-da-caixa-registra-recorde-de-captacao-liquida-em-maio

    Por que sera? rs

    0
  • CodeBlood 7 de junho de 2012 at 00:23

    É isso que eu não entendo: como a Gafisa está mau de caixa e ainda faz a consolidação da fusão com a Alphaville usando emissão de ações ?
    O valor da ação dela está baixo, e para compensar a equivalência em moeda teve de emitir 70,25 milhões de unidades de ações. É mais ou menos como fabricar dinheiro do ar (igual os governos dos países) para pagar suas despesas e investimentos, gerando inflação, e diminuindo o valor de referência da moeda (que no caso é a unidade de ação).
    Ou seja, esta atitude da Gafisa pode implicar em maior desvalorização de suas unidades de ações, o que aumenta ainda mais o risco nas operações financeiras da empresa.

    —————–
    06/06/2012 08h23 – Atualizado em 06/06/2012 12h35

    g1. globo. com/economia/negocios/noticia/2012/06/gafisa-vai-emitir-7025-milhoes-de-acoes-para-comprar-alphaville.html

    Gafisa vai emitir 70,25 milhões de ações para comprar Alphaville

    Com base no fechamento de quarta, valor da fatia é de R$ 149,63 milhões.
    Processo de compra começou em 2006 e falta fatia final de 20%.

    A Gafisa vai emitir 70,25 milhões de ações em prosseguimento ao processo de compra da totalidade das ações da Alphaville Urbanismo, informou a empresa nesta quarta-feira (6). As ações da Gafisa fecharam o pregão desta quarta-feira na BM&FBovespa cotadas a R$ 2,13. Com base neste valor, a emissão seria estimada em R$ 149,63 milhões.

    O valor final da compra dos 20% restantes da Alphaville foi apurado em R$ 358,99 milhões, de acordo com a construtora. Na semana passada, a companhia informou o mercado que a fatia valia no máximo R$ 368,7 milhões.

    A Gafisa iniciou o processo de compra da Alphaville Urbanismo em 2006, quando obteve 60% do capital da empresa conhecida pelos seus empreendimentos imobiliários de alto padrão. Em 2010, a Gafisa elevou a participação para 80% numa segunda etapa. Nesta terceira etapa, a construtora parte para a aquisição dos 20% restantes.

    O documento não deixa claro o destino da emissão, ou seja, se os papéis serão entregues como pagamento aos acionistas ou se as ações serão utilizadas para levantar recursos com o objetivo de entregar o dinheiro aos acionistas da empresa.
    —————–

    0
    • Tomaz 7 de junho de 2012 at 20:16

      É, é isso mesmo. Vai se capitalizar via ações, pelo jeito. Jogando o preço das ações mais para baixo ainda. É um verdadeiro mato sem cachorro!

      0
  • simone 7 de junho de 2012 at 00:23

    Juros menores podem afetar bancos menores, como o Banco Cruzeiro do Sul
    O Banco Central já avisou que a quebra do Banco Cruzeiro do Sul não produzirá efeito dominó, porque não há risco sistêmico na banca do Brasil.

    . Há controvérsia.

    . Problemas como os dos bancos Panamericano e Cruzeiro do Sul parecem mais comuns do que parecem, mas além disto, a queda dos juros já assombra bancos menores, que não possuem escala para operar no novo ambiente

    0
    • anamirandabh 7 de junho de 2012 at 13:06

      Bancos não costumam ter “modus operandi” muito diferentes hoje em dia. Se um começa a fazer alguma coisa, e ganha dinheiro com isso, se os outros não imitarem, ficarão para trás. Antigamente, sem internet, etc, era mais fácil ter estratégias diferentes, mas hoje é impossível. É o chamado “isomorfismo institucional” = todos ficam iguais. Foi assim com o subprime, por exemplo.

      Se o Cruzeiro do Sul e o Panamericano fizeram esse tipo de coisa, dificilmente outros bancos médios que vivem de consignado não fizeram.

      0
    • anamirandabh 7 de junho de 2012 at 13:08

      “que não possuem escala para operar no novo ambiente”

      E o que acontece quando o ambiente muda?

      Vamos lembrar do fim da hiperinflação: quebraram Bamerindus, Nacional, Econômico, Banespa, BEMGE, Progreso, etc etc

      0
  • KaTsu Nami 7 de junho de 2012 at 01:11

    A band parece que estah liberando a mordaca: agora no jornal da madruagada foi o boris casoy quem disse que o modelo de estimulo ao consumo e credito estah se exaurindo

    0
  • Fernandão Bolhudo 7 de junho de 2012 at 01:34

    Engraçada era aquela época em que vinham uns narcoses aqui para dizer que somos invejosos por não conseguirmos empréstimos de 30 anos a uma prestação abusiva, para financiar uma ratoeira qualquer…

    Semana que vem tem mais capítulos ótimos da novela “A Bolha Bananense” e um baita jogão do Corinthians. E o melhor: sem dívidas!

    0
    • Virginia 7 de junho de 2012 at 04:20

      “NARCOSE” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk adorei!

      0
    • GB 7 de junho de 2012 at 12:26

      Eu consigo financiamento na boa, mas não quero.

      0
      • Mineiro BH 7 de junho de 2012 at 18:37

        Eu tb…

        0
  • Sol de Sampa 7 de junho de 2012 at 02:52

    Bolha, embora nem sempre concorde com ele, conheço o Joelmir desde a época que ele trabahava com a Marilia Gabriela na Globo… e posso te dizer que ele tendo convicção de algum fato… ninguém segura …
    acho que merece um novo tópico, e acho que de agora em diante todo mundo vai abordar o assunto ….

    0
  • Eskeleto 7 de junho de 2012 at 06:44

    Só quero saber quem vai comprar isso 🙂

    “http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2012/06/gafisa-vai-emitir-7025-milhoes-de-acoes-para-comprar-alphaville.html”

    0
    • Paty 7 de junho de 2012 at 16:56

      o menino do rio compra..kkkk

      0
      • Mineiro BH 7 de junho de 2012 at 18:38

        Kkkkkkkkkkkkkk

        Esse blog é um vício…

        0
  • Virginia 7 de junho de 2012 at 07:34

    Acabei de ver o vídeo do jornal da band. Fiquei com pena do rapaz que aparece no início da reportagem e que tanto se esforçou pra comprar o apartamento junto com os pais.
    E com muita raiva das seguintes frases: “a tendência atual é de estabilização, um bom momento, segundo os especialistas, para ir às compras”, e depois a vaca loira que diz, sorrindo, que “ainda não chegou ao limite não, a gente deve ter um crescimento ainda de preços, porque a nossa economia tem se expandido, e tem uma perspectiva de crescimento…crescimento de emprego, crescimento de salário, e os preços não caem não!”
    Somebody please me arranje o facebook dessa perua que eu quero fazer bullying!!!
    Grrrrrrr

    0

    • GB 7 de junho de 2012 at 08:04

      Que maldade Vi.

      Coisas como essas mostram que não devemos acreditar em tudo o que vemos na TV.

      Os corretores parecem com vacas andando na rua carregando uma placa escrita:” COMA FRANGO !!!!”

      0
      • Virginia 7 de junho de 2012 at 08:15

        Agora as pessoas com nível cultural médio, que lêem um pouco além do convencional, parecem estar começando a acordar, felizmente. Aos poucos noto que minhas idéias não são mais vistas como algo alienígena! 😀

        0
        • hannamanana 8 de junho de 2012 at 09:06

          É verdade…
          Porque o que mata não são as pessoas, digamos, “muito simples de pensamento” não buscarem conhecimento sobre o que está acontecendo e sim, pessoas com acesso a informação, formação academica razoável e com boas condições de discernimento ignorarem completamente os fatos…
          Mas isto é coisa que sempre existiu e não vai deixar de existir, porém.

          0
    • anamirandabh 7 de junho de 2012 at 13:02

      Crescimento, né?

      Os pibões da Dilmalvada que digam!

      0
  • Bolhicida 7 de junho de 2012 at 07:46

    Olá pessoal,
    Postei algumas vezes aqui no blog como Anti-Bolha. Tinha escolhido este nick para caracterizar que acredito na existência da bolha e no seu estouro. Como percebi este termo sendo usado para fazer referência àqueles que não concordam com a existência da bolha (corretores, etc), agora sou o Bolhicida.
    Lendo alguns posts em outro blog, encontrei esta pérola de maio/2010, onde um consultor imobiliário (???) ensina a receita para vender um imóvel por preço bolhudo (ver abaixo).
    Acho que esta técnica pode até ter funcionado para alguns desavisados em 2010. Hoje, quando a realidade está ficando bem diferente, já não serve mais para nada. Só como piada.
    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
    Estratégia para enganar um metido a rico (ou um rico perdulário e burro):
    1) Faça o “rico” ter vergonha de perguntar o preço;
    2) Fale das cifras altas com naturalidade, o “rico” se sentirá diminuído, então comprará para dizer: “eu posso”;
    3) Sempre diga: “nossos apartamentos estão todos vendidos. O senhor quer preencher um cadastro para aguardar uma desistência?”;
    4) Quando tiver a oportunidade, diga a seguinte frase: “Nossos clientes são médicos, engenheiros, advogados, juízes…”;
    5) Olhe para o cliente com ar de superioridade, ele vai querer se impor comprando, ou seja, pagando caro;
    6) Finja atender um telefone de um comprador, diga a seguinte frase: “Não é todo mundo que tem classe para comprar um apartamento xxxxxdb”. Quando voltar ao cliente, ele vai querer provar sua “classe”.

    0
    • ray 7 de junho de 2012 at 12:28

      bem interessante…

      0
    • GB 7 de junho de 2012 at 12:30

      Fizeram isso comigo, mas resisti, tenho faculdade.

      “- Então fica no aluguel.”, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
      “- Fico sim, obrigado pela dica.”

      0
      • hannamanana 8 de junho de 2012 at 09:03

        Huhauahua… tombou o cara

        0
  • GB 7 de junho de 2012 at 08:12

    Na verdade eu acho que eles estão morrendo de medo que os preços caiam, não pelo preço em si, mas pelo fato de ficar claro que avaliaram errado os imóveis.

    Eles são um classe muito arrogante “- Então fique no aluguel”, “- Fico sim, obrigado pela dica”.

    0
  • GB 7 de junho de 2012 at 08:53

    Eu acho que a gente devia usar a força do oponente contra ele mesmo, tipo não foram na BAND falar que está tudo 1.000 maravilhas ?

    Deviamos cobrar da BAND uma reportagem tratando do outro lado da moeda, a dos compradores indignados com o absurdo dos preços, pois tudo o que tem sido veiculado só mostra a parte dos vendedores falando que o que estão cobrando é o justo e que não querem “reduzir” seu patrimônio ganho magicamente.

    0
    • thiago fm 7 de junho de 2012 at 09:47

      Uma coisa não passou despercebida: O cubículo de apto que o infeliz comprou.

      Fico a vida inteira de aluguel caro, mas não moro numa caixa de fósforo.

      0
  • DanielBGaspar 7 de junho de 2012 at 09:56

    Na contramão de outros países, imóveis ficam 20% mais caros no Brasil

    Enquanto o preço dos imóveis cai na maioria dos países, Brasil e Índia registraram aumento acima de dois dígitos no primeiro trimestre de 2012

    Mais caro ou mais barato?

    São Paulo – Os brasileiros veem seu poder de compra diminuir a cada dia na aquisição da sonhada casa própria, enquanto em vários países do mundo a situação é bem diferente. Embora a valorização de imóveis residenciais venha arrefecendo por aqui, o Brasil foi o segundo país onde os preços mais subiram no primeiro trimestre deste ano comparado ao do ano passado, atrás apenas da Índia.

    Pesquisa da Global Property Guide (GPG) em 36 mercados mostra que as duas nações vão na contramão do cenário mundial, onde os preços dos imóveis têm caído quando se leva em consideração a inflação.

    O movimento foi detectado em 24 nações, com apenas 12 registrando valorização. E dessas, somente duas cresceram acima de dois dígitos: Brasil e Índia.

    “Existe essa crença aqui de que os preços de imóveis são seguros e sempre sobem ou não oscilam. Mas isso é normal até em economias saudáveis”, afirma o professor Samy Dana, da Escola de Administração de Empresas da FGV.

    Claro que, no caso das nações a seguir – muitas envolvidas no epicentro da crise europeia – as contas nacionais não estão exatamente equilibradas.

    Clique nas imagens para descobrir os países onde os preços andam para baixo numa proporção superior a dois dígitos, e onde eles sobem com a mesma intensidade.

    Fonte: http://exame.abril.com.br/economia/noticias/na-contramao-de-outros-paises-imoveis-ficam-20-mais-caros-no-brasil

    0
    • augusto 7 de junho de 2012 at 11:55

      Os imóveis ficaram mais caros, mas ninguem os compra. São verdadeiros elefantes brancos nas mãos dos proprietários que apesar de crescidinhos ainda acreditam em papai noel

      0
  • Jaln 7 de junho de 2012 at 10:15

    Preço de Imóveis despenca em Goiânia.

    Acompanho o preço de apartamentos de 3 quartos no Setor Bueno (para fins estatísticos). Há um mês haviam 4 ofertas abaixo de R$ 200 mil. Agora temos 7 ofertas abaixo desse valor. Uma ampliação da oferta em 75%. Porém, o mais significativo é que nenhum dos 4 imóveis acompanhados foi vendido no último mês tendo sofrido agora a concorrência de outros.

    Conclusão: as pessoas não estão vendendo nem os imóveis mais baratos. A bolha já está estourando!!! Fonte: http://www.lugarcerto.com.br

    0
  • anamirandabh 7 de junho de 2012 at 10:22

    Essa é para o colega bolhista que reclamou dos preços absurdos de imóveis em Santos;

    E é para todos aqueles que falam que imóvel “investimento seguro”:

    Santos (SP) tem prédio com inclinação de até 1,80 metro

    Um levantamento inédito realizado pela Prefeitura de Santos (litoral de São Paulo) mostra que 65 dos famosos prédios tortos da orla da cidade têm inclinação considerada grave –entre 0,5 e 1,8 metro. A informação é de reportagem de Andressa Taffarel e Natália Cancian publicada na edição desta quinta-feira da Folha (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

    As medições começaram em 2008 e 651 edifícios foram avaliados. Apesar de os valores serem considerados preocupantes, isso não quer dizer que os prédios serão interditados ou demolidos. É possível que a administração municipal determine que parte dos prédios inclinados seja “endireitada”, como já ocorreu com o Conjunto Nuncio Malzoni.

    A composição do solo da cidade –formado por camadas de areia e argila– é a principal causa da inclinação dos prédios. A pressão exercida por prédios construídos na vizinhança também ajuda a entortar ainda mais os edifícios.

    (em folha.uol.com.br/cotidiano/1101542-santos-sp-tem-predio-com-inclinacao-de-ate-180-metro.shtml)

    0
  • Bolhicida 7 de junho de 2012 at 10:34

    Seis meses atrás, vi num site de anúncio de imóveis aqui de Recife dois aptos por preços interessantes.
    Liguei p/ o número que estava no anúncio e fui atendido por uma corretora. Assim que passei p/ ela os aptos nos quais tinha interesse, ela nem quis conversa, disse que aquilo era coisa antiga, que já deveria ter saído do site. Tentei argumentar que a data de publicação dos anúncios era de 2 dias atrás, ela nem quis mais falar sobre o assunto.
    Já foi aproveitando a oportunidade para tentar empurrar vários outros imóveis a preços bolhudos. Percebi qual tinha sido a real intenção da imobiliária, só atrair o interessado, aqueles anúncios nunca tinham sido reais.
    Bom, passei meu email e fone p/ ela, disse que tipo de imóvel tinha interesse e deixei ela ficar “trabalhando” 2 semanas, pra ver se chegava alguma coisa que prestava.
    Como ela não tinha um retorno meu, cansou e me ligou perguntando o que tinha achado das “ofertas”. Disse p/ ela que, em função dos preços, tinha perdido o interesse e deixado p/ depois da Copa.
    O meu aluguel está OK, tenho um excelente relacionamento c/ o proprietário, pago em dia e cuido do imóvel. Tenho direito até a um pequeno desconto, em relação a outros imóveis no mesmo prédio.
    Bem, sem fazer muito esforço, continuo acompanhando o preço de alguns imóveis aqui em Boa Viagem (Recife). Não confio mais em anúncio de site charlatão, procuro entrar em contato c/ o proprietário.
    Pra minha surpresa, muito antes da Copa, percebo que os preços, no mínimo, já pararam de subir, pelo menos em relação aos imóveis que tenho acompanhado. Já é o começo da queda.
    Ou seja, do ponto de vista do investidor (comprar na baixa e vender na alta), o negócio já azedou. Não vale mais a pena mesmo! É partir para outro tipo de investimento, imóvel com certeza não é mais oportunidade.

    0
    • klaus 7 de junho de 2012 at 12:47

      Em Recife a bolha foi soprada com força total. Acompanho o mercado desde o início de 2008, quando tentei comprar meu primeiro imóvel, mas não o fiz por não encontrar algo que se enquadrasse no que estava procurando. Mas posso garantir, em algumas regiões os preços dobraram. Isso mesmo! 100% de aumento. Alguns aptos. de 3qt nas Graças e Espinheiro que eram vendidos naquela época por cerca de 250, 260mil, hoje já pedem 500 a 600 mil reais. E o pior que ainda tem louco pra entrar nessa.
      Eu, que não sou bobo, vou pagar pra ver até onde vai essa loucura. Deixei meu dinheiro em fundo de longo prazo e vou ficando no meu aluguel, com contrato até dez/2014, só esperando a hora da xepa!

      0
      • A espera de um estouro 7 de junho de 2012 at 15:14

        Conheço casos em que o preço triplicou. É uma insanidade…Nada como viver no estado que mais cresce no país…

        0
    • Mr. M 7 de junho de 2012 at 16:56

      Bolhicida, é impressionante: sempre a mesma estória! Você liga para o corretor para perguntar sobre um imóvel, o cara desconversa e vem com uma “oportunidade única” que não tem nada a ver com o que você perguntou! rss E ainda alerta para fechar logo, porque coisa assim não dura muito… Também estou esperando a hora da xepa! rsss

      0
  • Motolo 7 de junho de 2012 at 11:28

    Gente….Alguém acompanha os anúncios no mercado livre?? Pois bem, são 100 anúncios novos em média todos os dias só no estado de São Paulo. Será que a coisa degringolou de vez??? Será que a oferta está explodindo?? Comentem por favor…

    0
    • augusto 7 de junho de 2012 at 11:53

      Conheço imóveis para alugar em cidade de grande porte no inetrior cujos preços estão segundo os proprietários alinhados com o valor bolhudo atual, mas que já estão há pelo menos 10 meses vazios, e muito pior alguns nem receberam qualquer consulta.
      Os preços animadores que imperam atualmente são ficticios na maioria, pois no mercado não os aceita. De que adianta dizerem que meu imóvel vale x reais, ou que valorizou x%, se os compradores não pagam os preços pedidos

      0
    • Lucas 7 de junho de 2012 at 12:03

      Eu tenho ficado atento a esse tipo de estatística também!
      No site “www.bomnegocio.com.br” a média aqui no estado do Rio é de quase 1 anúncio de imóvel por minuto todo dia, pra mim isso é assustador, é muita coisa.
      Estou aguardando o alfinete chegar e acabar com a alegria dessa galera que só ta afim de ganhar dinheiro mole.

      0
  • Willian 7 de junho de 2012 at 12:03

    A suposta “estabilização de preços” dos imóveis é psicológica.
    Funciona assim:
    O sujeito comprou um imóvel em 2006 por R$ 100mil.
    Nesses anos de especulação o preço foi para R$ 220mil.
    Ele liga para a corretora e dizem que ele venderá tranquilamente o imóvel por R$ 225mil.
    Na cabeça dessa criatura, ele já embolsou os R$120mil de “lucro”, embora não tenha vendido (nem venderá) o imóvel ainda.
    É uma nova figura da contabilidade: o “ativo virtual”.
    Com esses R$ 120mil virtuais ele já financiou um carro novo e viajou para disney com a família.
    A conta do passivo (este sim real) está indo para as alturas, mas na cabeça dele ainda há uma reserva financeira garantida pelo imóvel “valorizado” que ele irá vender.
    É por essa razão que os preços dos imóveis não estão caindo. Há muita gente que se apegou ao preço especulativo e perdeu a razão.
    Mas os custos do imóvel começam a pesar: IPTU, condomínio, manutenção. É por isso que estão aparecendo tantas placas de aluga-se ou vende-se. É gente tentando amortizar os custos.
    A conclusão é que o sujeito só vai vender o imóvel quando a água chegar à altura do nariz, e então já será tarde.
    É bem provável que em breve haja uma avalanche de imóveis para vender ou comprar em leilão.
    Os mais espertos já venderam os imóveis antes mesmos dos boatos de bolha, porque no fundo eles sabiam que realmente havia uma bolha e que era possível ganhar dinheiro com a ingenuidade dos outros.

    0
    • GB 7 de junho de 2012 at 12:40

      Quanto mais tempo levaram para acordar, mais eu terei poupado, mais ele terá rendido para mim, mais o imóvel vai desvalorizar, mais a inflação vai comer o valor dele, são 2 variáveis a favor do comprador e 2 contra o vendedor, então são 4 a nosso favor.

      Se for só para depois da Copa, que o seja, é melhor esperar e comprar daqui a 2 anos que comprar agora, passar a Copa e ainda ter 33 anos para pagar.

      Esse tipo de pensamento reinante está cada vez mais popular e isso deixa os corretores e que já comprou muito putos.

      0
      • Rafael 7 de junho de 2012 at 13:25

        Gb, acho seus comentários altamente relevantes e inteligentes, mas também não podemos achar que estamos completamente tranquilos. Estou na mesma situação que você, morando de aluguel, porém com 02 apartamentos, um que vendi, e outro que estou tentando vender por um preço justo, nem bolhudo e nem um preço: Ah estou jogando a toalha. Acontece que como disse moro de aluguel, e o mercado de aluguel ainda é bolhudo. INFELIZMENTE! Vendi um apartamento por 350k e o outro estou vendendo por 220k. Acontece que com o dinheiro aplicado eu apenas empato rendimento/aluguel o que não torna minha situação tranquila como você determina esperando até 2014. Este dinheiro rendendo que eu não consigo entender. Afinal, onde você mora?

        0
        • GB 7 de junho de 2012 at 13:54

          É que aqui os aptos bolhudos de 60m² travaram nos R$ 150k, tentaram fazer com que subissem para R$ 175k mas não conseguiram, travou na renda do pessoal.

          Se a renda do povo não aumentar não há como aumentar os preços, seria encalhar o que já está encalhado e ninguém tem visto nada que mostre que isso vai acontecer, só o contrário, mais dívidas pro pessoal.

          Eu já tenho pouco mais de R$ 100k e creio que se cair para uns R$ 130k eu compro a vista dentro de 2 anos, hoje eu pago um aluguel inferior ao mercado e tenho um bom relacionamento com os proprietários, é por isso que estou tranquilaço a respeito.
          .

          0
        • GB 7 de junho de 2012 at 14:01

          Eu acho que entendi o seu ponto, é que eu penso diferente da maioria, eu acredito no trabalho como fonte maior de geração de recursos, eu sei que a poupança tem dado pouco mas eu não ligo para isso, bancos para mim são só grandes cofres: muito mais seguro que deixar debaixo do colchão.

          Por outro lado eu não vou ajudar ninguém que pense diferente a se encher de $$$$ por causa de especulação, eu vou pagar o preço justo, nada mais, o preço de 2008 + inflação do período é uma base, o resto é ágio.

          Quando eu digo que preciso de mais 2 anos eu faço os cálculos só pensando em meus rendimentos mensais, se o que eu tiver na poupança render um pouco isso vai acabar virando uma cozinha planejada ou uma bela geladeira, só isso.

          0
        • GB 7 de junho de 2012 at 14:17

          Se bem que na poupança antiga esse $$$$ está dando mais que um aluguel, outro motivo para não tirar o $$$ de lá tão cedo.

          Eu ganho mais mesmo é na diferença entre aluguel e prestação que teria que pagar ao banco, cada R$ 100 poupado são R$ 300 a menos para dar para o banco, é como um presidiário que trabalha 3 dias e ganha 1 na pena, mas ao contrário.

          Por enquanto as coisas estão ótimas e tudo indica que assim ficará até a Copa, quando os preços começarem a cair de verdade, vou comprar algo maior do que compraria hoje, é divertido ver o governo baixando juros todos os meses.

          0
        • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 7 de junho de 2012 at 16:47

          Rafael eu estou que nem vc, mas 1 pouco pior pois vc ainda tem $$$ viva na mão – eu pago R$ 1800,00 (alto da Lapa casa com 120m² + 2 vagas – casa velha com azulejos de abacaxis na cozinha + banheiro com bide Verde – porém grande e confortavel me serve perfeitamente) mas ganho bem para pagar – e ainda junto algum – vou ter 5 anos pra juntar. Ocorre que se eu ficar morando de aluguel por mais 5 anos (na pior das hipoteses) vou desembolsar cerca de 110k nesse periodo. Ocorre que se eu comprar q.q coisa hoje no padrão que desejo vou gastar cerca de 450k para mais.
          Caso eu fosse comprar algo nesse valor e desse cerca de 200k de entrada a minha parcela seria maior do que o aluguel – financiando algo em torno de 300k – e o que é pior – ficaria sem capital, e ainda com uma dívida maior do que o meu proprio aluguel??? por 20/35 anos e 1 imovel em nome do banco – ou seja, não teria NADA – só um canê do tamnho de 1 bíblia – Ora, se os 450k do imovel que pretendo comprar cairem daqui a 5 anos para 225k – 50% (que eu não duvido – vide espanha ja foi queda de 30% e agora vai cair mais…e mais..e mais) de desvalorização – mais os 110K que dei pra morar – dá cerca de 335k. Ou seja ainda pagando aluguel estaria ganhando. Pagar aluguel em tempos de bolha não é jogar dinheiro fora especialmente quando a compra exige altas somas que visivelmente vão muito além do valor do bem. Evidentemente que quando as coisas mudem, pode ser que a compra volte a ser uma opção mas hoje, indubitavelmente não é. Não pense que os especuladores – governo – construtoras – vão deixar a gente decidir “livremente’ nosso destino – eles qurem escravizar, forçar, impelir vc. a entrar no esquema pra vc. ficar mansinho e trabalhar como um escravo pro resto da vida sem tempo pra pensar o quanto idiota vc.é. Essa é a relidade brasileira, eu sinceramente, não entro nessa – posso ate “perder um pouco do meu capital” em aluguel mas sei que isso é provisório e momentaneo, agora divida de 35 anos é loucura.

          0
    • Vasconcellos 7 de junho de 2012 at 13:24

      Willian,

      esse ‘lucro’ precisaria ser descontado da inflação do período. Se considerarmos a inflação virtual (essa que o governo publica) já estaríamos falando de uns 50% em 6 anos. Se falar da real então…

      O lance é que não se tem mais parâmetros e os preços foram reajustados em mais de 300% em alguns casos. Quem imaginaria há alguns anos atrás algum apto na Tijuca , de 3qts e 120 m2, avaliados em mais de 1 milhão? Quem imaginaria que o pediriam 3k de aluguel num muquifo microbiológico na ZS?

      Doce ilusão…

      0
    • hannamanana 8 de junho de 2012 at 09:10

      Falou tudo.
      Aqui na minha cidade estão pipocando placas de vende-se e aluga-se nos bairros mais “valorizados” da cidade, onde um apartamento de 02 quartos custava 70.000 em 2008 e agora estão sendo vendidos por 180 a 210 mil.
      Eu via o pessoal viajar, trocar de carro todo o ano e com certeza muitos confiando neste “intangível”. E agora…
      O pessoal não está baixando o preço confiando em alguma coisa.
      Mas, uma hora, quando o oficial de justiça vier tomar o carro, a operadora cancelar o cartão e etc., vão acabar baixando um pouco.
      Se acontecer de muitas pessoas estourarem de uma vez só, vão ter que baixar muito.

      0
  • Chapolin 7 de junho de 2012 at 12:06

    Uma sugestão de tema para discussão: A questão do aluguel x Copa. Só recentemente me dei conta que imóveis alugados a partir do começo de 2012, em contratos de 30 meses, só serão renovados após a Copa. Ou seja, quem começou a alugar em 2012 não vai ter como tentar colocar o imóvel para alugar no mês da Copa a preços estratosféricos. Quem eventualmente tente já garantir um contrato para o mês da Copa não vai ter como alugar o imóvel para o mercado “convencional”. Dificilmente alguém vá topar fazer um contrato mais curto, pois neste caso vai ficar “sem casa” perto da Copa.

    0
    • A espera de um estouro 7 de junho de 2012 at 15:19

      Essa história de que vai conseguir alugar apartamentos por preços estratosféricos na Copa é o maior delírio. Veja o caso da Rio +20. Se tá caro o gringo não paga. Só brasileiro que é ignorante o suficiente para cair nessas histórias…

      0
  • Bolha Imobiliária 7 de junho de 2012 at 13:11

    Preços dos imóveis devem ter alta moderada

    Apesar da expectativa de que o mercado imobiliário possa receber parte dos investimentos redirecionados de aplicações financeiras em decorrência da baixa do juro e do estímulo representado pelo prazo maior no financiamento da casa própria, especialistas não preveem grandes saltos nos preços dos imóveis.

    O principal motivo é a forte alta dos últimos anos, que teria levado os valores ao limite.

    Do final de 2008 até abril deste ano, os imóveis na capital gaúcha, por exemplo, tiveram valorização superior a 100%, alcançando em alguns bairros 200%. João da Rocha Lima Junior, professor de Real Estate da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), diz que a supervalorização de preços foi provocada pelo excesso de procura por imóveis, forçada também por especulação do mercado.

    Juntamente a isso, houve uma demanda reprimida nos períodos de crise em 2008 e 2009, volume expressivo de capital estrangeiro chegando ao país e aumento dos custos de construção – gerada pela escassez de mão de obra qualificada e alta nos preços dos terrenos.

    — No momento, não há fator de pressão que justifique novas explosões de preço. Com mais estoque no mercado, a tendência é até um viés de queda momentânea até o final do ano — avalia Lima Junior.

    Levantamento da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), por exemplo, mostra que o volume de financiamentos para compra e construção de imóveis caiu 7% em abril em relação a igual mês de 2011.

    O índice de confiança da construção civil, divulgado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), também apresentou queda: de 7,8%.

    — A expansão do crédito imobiliário e a euforia do mercado provocaram uma alta excessiva, acima das condições habituais — lembra Gilberto Cabeda, vice-presidente de comercialização do Sindicato da Habitação do Estado (Secovi-RS).

    Para o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado (Sinduscon-RS), Paulo Garcia, há equilíbrio entre a oferta e a demanda.

    — Colocamos no mercado cerca de 500 unidades novas por mês em Porto Alegre e vendemos exatamente esse volume — compara Garcia, acrescentando que o corte de juros e prazos alongados de financiamento irão aumentar o número de pessoas com potencial de compra no país.

    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/economia/noticia/2012/06/precos-dos-imoveis-devem-ter-alta-moderada-3783022.html

    0
    • Taliu 7 de junho de 2012 at 15:31

      Olha a previsão de entrega desse imóvel do anúncio em BH: “h t t p : / / estadodeminas.lugarcerto.com.br/realestate?tp=LUGARCERTO&name=db:Detalhe&adnumber=131642186&parceiro=ESTADODEMINAS”
      agosto 09, e ainda está anunciado, ninguém pagaria para expor alguma coisa que já foi vendida, suspeito.

      O detalhe é que nesse bairro daqui de BH o que mais tem é placa de vende-se, é praticamente um imóvel sim e outro não, em algumas ruas essa vacância já nem existe e todo lote em uma bendita lá.

      Quem conhece o Santa Amélia e o Copacabana, na região da pampulha, sabe do que eu to falando. Há um atrás atrás havia uma placa de aluga-se em um ap 3/4 por 1100, não alugou, passou para 1250, não alugou, e agora apareceu outra placa por 1440, doideeeera. será que agora vai?? difícil

      0
    • hannamanana 8 de junho de 2012 at 09:19

      Eu não duvido que ainda suba mesmo.
      Como disseram aqui no Blog:
      -Colocar preço é fácil. Papel (e site) aceita qualquer número;
      -Alguns fizeram dívidas confiando no lucro virtual que tiveram e agora resistem em vender por um valor menos e assim não consigam pagar as obrigações;
      -Outros estão simplesmente apegados aos preços e com medo de vender por menos que seu vizinho conseguir e com isso, pagarem de “otários”;
      -Outros fatores.
      O problema é… quem vai comprar???
      Então, pode até subir mais… porém eu acredito que vão encalhar.

      0
  • Bolha Imobiliária 7 de junho de 2012 at 13:13

    O MEDO DA BOLHA NO SETOR AUTOMOBILÍSTICO

    Os quatro maiores bancos em operação no país – Itaú, Bradesco, Banco do Brasil e Santander – detêm mais de 80% dos financiamentos para a compra de automóveis. Trata-se de uma carteira avaliada em 201 bilhões de reais.

    Tamanha concentração causa, em parte do mercado, preocupação sobre as possíveis consequências de um eventual estouro do calote nesta área. Afinal, os balanços dos bancos no primeiro trimestre mostraram um aumento de inadimplência, cujo reflexo foi a maior provisão para créditos duvidosos.

    A situação, porém, não deve escapar ao controle. Pelo menos, esta é a avaliação do banco Santander, em relatório assinado pelos analistas Henrique Navarro e Renato Schuetz. “Não acreditamos que o segmento de financiamento de veículos no Brasil venha a representar um problema sistêmico para a indústria de serviços financeiros”, afirmam.

    O fantasma, claro, é que o crédito automotivo seja, no Brasil, o equivalente ao subprime que detonou a crise americana em 2008 – os títulos de crédito podre gerados pelas hipotecas imobiliárias daquele país.

    O relatório do Santander analisou a situação do Itaú Unibanco, Bradesco e Banco do Brasil. Veja, a seguir, suas principais conclusões:

    Itaú Unibanco

    O banco lidera o mercado de crédito automotivo. No primeiro trimestre, as operações do Itaú Unibanco responderam por cerca de 33% da carteira total do setor. Para o banco, porém, o financiamento de veículos equivale a 15% de sua carteira total.

    O Itaú Unibanco estima que as provisões para créditos duvidosos, na carteira automotiva, ficarão entre 6 e 6,4 bilhões de reais no segundo trimestre. Para o terceiro trimestre, a faixa é de 6,5 bilhões a 7,1 bilhões. Os níveis foram considerados “altos” pelos analistas do Santander. O Itaú não divulgou sua estimativa de provisão para o final do ano.

    O financiamento de automóveis respondeu por 8% das operações de crédito do Bradesco no primeiro trimestre. O banco estima que essa carteira deva crescer de 4% a 8% neste ano. A previsão é bem menor do que a da carteira total de crédito, que ficará entre 18% a 22%.

    A única observação do Santander em relação ao perfil da carteira do Bradesco é que, embora represente um pequeno percentual de suas operações totais, o financiamento automotivo corresponde a 30% da carteira de crédito a pessoas físicas.

    Banco do Brasil

    O Banco do Brasil, em si, conta com pouca exposição ao crédito automotivo. Essas operações equivalem a 3% de sua carteira total. O problema é o Banco Votorantim, do qual detém praticamente 50% do capital. Quando se consolida a participação do BB no Votorantim, o peso do crédito automotivo para o banco estatal passa a 6% de sua carteira total.

    Olhando apenas para o Votorantim, a exposição é bem maior. No primeiro trimestre, 59% da carteira do banco era formada por financiamento de veículos. Segundo o Santander, quando se soma a parcela de crédito automotivo classificada como securitização, cessão de crédito e FIDCs, o Votorantim surge como o segundo maior operador de crédito automotivo do país, com 20% do mercado.

    http://www.bahiamercantil.com.br/?p=12255

    0
    • peterson 7 de junho de 2012 at 13:54

      essa é a verdadeira BOLHA consolidada…. eu já tinha dito isso. Este é o subprime brasileiro. a Bolha imobiliaria não atingiu este nivel de maturação ainda. Estamos no ciclo de ruptura da bolha dos automóveis, fatores determinantes deste período já estão vindo a tona.Esta bolha estagnou e está no declinio que é a etapa fim do inicio do estouro. Leilões crescem vertiginosamente, preços dos usados desabam, vendas caem,inadimplencia sobe, repasses crescem, incentivos não funcionam, credito trava…. bancarrota total…. estou com os 2 pés apostados contra o itaú… mais 3 meses e já era….

      0
      • Leno 7 de junho de 2012 at 17:25

        Peterson,

        O que vc quer dizer exatamente com “estou com os 2 pés apostados contra o itaú” ? Está falando de quebra ?

        0
        • peterson 7 de junho de 2012 at 22:27

          66bi em automoveis (33% conforme materia)… assim 10% da carteira já esta podre (6-7bi)… falir não vai… mas tem uma coisinha que acontece… n vou dizer mais nada pois da desanimo com as respostas… então, respondendo sua pergunta n vai falir…. ok

          0
          • Leno 7 de junho de 2012 at 22:55

            Acho que entendi, com essa noticia as ações vão desabar e voce pretende compra-las a preço de banana, obviamente realizará lucros depois.

            0
            • RosinhA 10 de junho de 2012 at 10:46

              Leno eles compraram o antigo banco Fiat que estava mal das pernas

              0
      • Leo 7 de junho de 2012 at 17:50

        Peterson,

        Se puder explica esse ponto sobe o ITAU. É algo interessante pois tbm entendi como uma visao pessimista em relacao a ruptura da bolha dos automoveis. E caso isso aconteça, nao seria o ‘ peidinho’ para estourar a bolha imob ?

        0
      • Vinicius 7 de junho de 2012 at 21:49

        Qual seria um bom banco para aplicar as minhas economias ? Todas as minhas aplicações estão no itaú !

        0
    • Silas Coul 7 de junho de 2012 at 16:24

      Em 2008 já eu já dizia que isso iria acontecer em 5 anos. Não deu outra.

      0
    • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 7 de junho de 2012 at 18:23

      O negócio mesmo não vai ser meramente “o calote” nos bancos mas sim as demissões na industria automobilistica que é a “menina dos olhos” da corja Petista (Junto com a construção civil). Basta as montadoras anunciarem demissões o impacto economico será maior que o da inadimplencia e calote aos bancos. O povo só começa mesmo a pensar quando ouve a palavra desemprego e demissão – só ai ele sente que o dele também esta na reta. Vamos aguardar os próximos capitulos

      0
  • Sérgio 7 de junho de 2012 at 15:33

    Irlanda, Espanha e Portugal receberam muitos estrangeiros antes de 2006; esses fizeram suas festas particulares e ajudaram na festa de cada país.
    Quando o bicho pegou, foram os primeiros a dizer adeus: deixaram seus carros e dívidas para trás.
    Aqui na banânia não será diferente, mas com o agravante de os brasileiros também correrem para os aeroportos, os endividados e insolventes:

    “””Dívida tem prazo para caducar

    Poucas pessoas sabem, mas todas as dívidas têm data para prescrever, de acordo com Código Civil

    Ficar endividado é um pesadelo que atormenta 38%dos consumidores da Cidade de São Paulo. Parte dos inadimplentes sofre ainda com cobranças constantes de seus devedores, com restrições ao crédito e até dificuldade na hora de arranjar um emprego.
    O que poucos consumidores sabem, no entanto, é que todas as dívidas têm um prazo para prescrever, ou seja, cada tipo de débito tem um prazo máximo para ser cobrado – depois desse tempo, o credor não tem mais possibilidade de cobrar a dívida judicialmente do devedor. “Esses prazos foram estabelecidos no Código Civil. A idéia geral é de que, depois de um determinado prazo sem cobrança, é possível dizer que o credor não tem interesse em receber”, explica Maria Elisa Novais, advogada do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec).
    De acordo com Joung Kim, integrante da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB-SP, credor e devedor têm deveres e direitos. “Se o credor não faz valer seu direito de receber, não pode cobrar a dívida depois da prescrição.”
    Mesmo depois da prescrição, no entanto, o consumidor pode escolher pagar a dívida por iniciativa própria, por uma questão de boa-fé.
    O Código Civil determina que as dívidas prescrevem em 10 anos, salvo disposições em contrário. O credor tem esse prazo para cobrar a dívida, mas, no momento em que entra com a cobrança judicial, a dívida não caduca mais, mesmo que o tempo para a conclusão do processo seja maior que o da prescrição do débito.
    As exceções ao prazo de 10 anos são numerosas. O prazo para cobrar dívida referente a hospedagem, por exemplo, é de um ano. O prazo para as seguradoras cobrarem o segurado devedor é o mesmo. No caso de aluguéis, o credor tem 3 anos para receber o valor devido pelo locatário, mesmo tempo para a cobrança de notas promissórias e letras de câmbio.
    A maior parte das dívidas do dia-a-dia – boletos bancários, tributos, cartões de crédito, convênio médico – prescrevem 5 anos após a data do vencimento. Já contas de serviços públicos, como água, energia e telefone, podem ser cobradas até 10 anos depois do vencimento. A prática das concessionárias é cobrar apenas as dívidas com menos de 5 anos, mas o consumidor não fica livre do débito antes dos 10 anos.
    A dívida de Vanessa Ribeiro com o cartão de crédito está prestes a prescrever. Ela afirma que deixou de pagar depois de receber a fatura em atraso e pagar juros por dois meses. “Depois disso não paguei mais, até quebrei o cartão”, diz. A dívida da última fatura ficou aberto até agora, quatro anos e cinco meses depois. “Liguei na empresa para tentar pagar, mas os juros deixaram o valor muito alto.” Sabendo da prescrição, Vanessa perguntou o que aconteceria se ela não pagasse. “A atendente disse que meu nome seria mandado para o Serasa de novo”, conta.
    Negativar o nome pela segunda vez pela mesma dívida é ilegal. O Código de Defesa do Consumidor prevê que o nome de consumidores pode ficar no máximo 5 anos nos cadastros de proteção ao crédito.
    Além disso, se a dívida prescreveu, o nome deve ser retirado automaticamente da lista. “Se o consumidor não tem mais a obrigação de pagar, não faz sentido que o nome dele continue sujo para o mercado”, diz Maria Elisa. Se isso acontecer, o prejudicado pode entrar com uma ação no Juizado Especial Cível.”””
    Estadão

    0
    • Sérgio 7 de junho de 2012 at 15:39

      Esse artigo já tem um tempinho, hoje a porcentagem de endividado em Spo, o estado mais rico da banânia é de 52%:

      h t t p : / / w w w.jb.com.br/economia/noticias/2012/03/30/numero-de-endividados-em-sao-paulo-e-o-maior-dos-ultimos-12-meses/

      0
    • Fausto Luiz 7 de junho de 2012 at 15:57

      Então! Apesar de tudo, ainda é melhor para o brasileiro que vive nos EUA ou na europa permanecer lá, posto que, eles já estão enfrentando a crise, logo, já se pode ter uma noção futura dos acontecimentos. Vir ou voltar para o “este” Brasil, é entrar no duvidoso, no incerto,… – Lá pode-se alcançar a podreza, aqui vai mesmo entrar é na miséria – Não sabemos a extensão real dos acontecimentos, muito menos o tempo que levará a recessão.
      Quanto ao segundo tema – Dívida tem prazo para caducar – creio que o pessoal estão mais “espertos”, sempre desconfiei dessa postura, muitos estão comprando de tudo, o suficiente para cinco anos, exceção são os veículos, agora, televisão, geladeira, etc… bens duráveis, não vão pagar, deixão justamente prescrever os cinco anos. Favor confirmar, creio que a Constituição Brasileira fala a respeito? Você tocou num “ponto chave” que poucos estão atentanto, devemos abordar com mais detalhes? Até!

      0
      • Eskeleto 7 de junho de 2012 at 16:04

        Sair comprando tudo e não pagar também pode ser condenado como crime e dá cadeia, constatando má fé.

        0
  • veigalex 7 de junho de 2012 at 15:47

    Estava conversando com minha noiva..
    Tivemos os Feirões da Caixa em diversos estados.
    Com propaganda e alarde em tudo quanto é canto..

    o povo foi.. alguns comprara e outros nem deram bola..

    Ai vem o governo.. logo após acabar os feirões e faz o que?

    Diminui os juros dos financiamentos e aumenta o tempo de escravidão..

    Planejamento é tudo….. sem comentários..

    0
  • Marcia B. 7 de junho de 2012 at 16:49

    Mais vale a pena comprar em Miami Beach, pois e mais barato..

    Agora essa idea do brasileiro ir viver na europa e FOGO.. pois por la as coisas estao indo a baixo.

    Com certeza, quando esse obama de mierda for retirado as coisas vao melhorar por aqui….

    0
  • Leno 7 de junho de 2012 at 16:56

    Colegas bolhudos, segue um pequeno relato:

    Estou querendo mudar de ap, ir para um lugar mais próximo da escola de meus filhos e do trabalho da minha esposa, para tentar melhorar a qualidade vida da minha família.

    No ultimo sábado fui bater perna na região do metrô Conceição zona sul de Sampa. Vi vários imóveis para alugar, coisa que era difícil de ver a 1 ano atrás, pois é uma região bastante concorrida.

    Pois bem, visitei 6 apartamentos, e notei que alguns deles tinha acabados de serem entregues pelos antigos inquilinos, em uma unidade, o ex-morador ainda não tinham retirado todos os pertences. O que me deixou preocupado é que todos eles custavam o mesmo valor(1.6k), sendo que alguns eram mais afastados do metrô e estavam em piores condições que os outros, sem falar da infra-estrutura do condomínio, que variava muito entre um e outro ap.

    Para vocês entenderem melhor, a oito meses atrás eu havia feito a mesma pesquisa, e embora os preços já estivessem altos, encontrava-se diferenças entre um e outro. Por exemplo, em um ap pediam 1.3k, no outro 1.5k e no outro 1.2k variando conforme a localização, estado e condomínio. Hoje não existe mais estas variações, o preço está igual para todos. Enviei propostas para os imóveis que me interessaram, e sob o argumento de valor de mercado e alta procura, foram todas recusadas pelas imobiliárias.

    O que me deixou revoltado, foi a conclusão de que houve uma formação de cartel naquela região, estão tentando manter o valor alto de qualquer jeito. Vamos ver até quando conseguem.

    0
    • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 7 de junho de 2012 at 18:30

      Leno, vc tentou com os porteiros/Zeladores? – Muitos proprietarios deixam a chave direto na portaria ou pedem pro porteiro passar o fone – intermediar com esses fdps de imobiliarias e atrazo de vida – o ditado deles é: “Tudo que for possivel fazer para complicar faremos” . Eu fui sindico de predio e nem todos gostam de imobiliarias – porém eu mesmo flagrei alguns funcionarios do predio “corrompidos” por corretores pra que eles “repassassem” esses imoveis pra eles (por baixo dos panos), trabalhavam o imovel e depois quando conseguiam 1 inquilino entravam em contato com o proprietario alegando terem um cliente para o ap. Esses corretores são pior que ratazanas, se explodir uma bomba nuclear só vão sobrar as baratas e eles.

      0
      • Leno 7 de junho de 2012 at 21:10

        Andre,

        Eu tentei isso o tempo todo, quando perguntava aos porteiros se eles tinham o telefone do proprietario percebia que eles desconversavam e diziam que não sabia. As imobiliarias devem estar fazendo um trabalho para impedir que os clientes consigam contato com os proprietarios, caso contrario perdem negocios facil.

        0
        • Leno…e tem uma coisa que vc pode fazer caso tenha “bala na agulha” que torna-se um bom negocio para vc e para o proprietário.
          Seguindo a linha do Anonymous em por o anuncio no jornal vc pode fazer o mesmo esquema de aluguel feito pelos bancos do tipo “PAGO ALUGUEL ANTECIPADO POR 3 ANOS” (Ou pelo tempo que vc achar melhor)- evidentemente que como são 3 anos antecipados vc baixara consideravelmente o valor do aluguel pois ao antecipar vc estara deixando de receber juros sobre essa grana bem como deixar de aproveitar o fato de que o aluguel somente é reajustado 1x ao ano. Mas CUIDADO – antes de antecipar more 3 meses no local pra ver se o imovel é bom e só depois disso antecipe. Pense bem quantos proprietarios não gostariam de pegar R$ 25k/30k de uma só vez sem problemas de inadimplencia. E uma boa para vc e é uma otima para os proprietarios (especialmente para aqueles que estiverm com a corda no pescoço) – tudo depende de quanto $$$ você dispoe em efetivo para entrar numa dessas – sinceramente penso ser bastante vantajoso fazer isso – no começo parece caro mas no final fica “muito barato”

          0
          • Chapolin 8 de junho de 2012 at 00:22

            Eu fiz exatamente isso, mais de uma vez, e foi bom para mim e para o proprietário. Não tenho certeza absoluta, mas me parece que o máximo que se pode alugar assim são 3 meses. Mais que isso o contrato não é válido, ou seja, ele se configura como longa duração. No meu último contrato, fiz de um ano, pagando antecipado. Infelizmente no final deste período o proprietário quis aumentar o preço excessivamente e eu sai (e ele já está há 6 meses com o imóvel fechado…).

            0
    • Anonymous 7 de junho de 2012 at 20:16

      Leno,

      Coloque anuncio em jornal local do tipo: Procuro apartamento para alugar em (local X), com Y dormitórios. Pago até Z Reais. Ofereço todas as garantias, mas só negocio direto com o proprietário.

      Eu já fiz algo parecido quando queria comprar terreno num condomínio em Indaiatuba (SP). O corretor do empreendimento dizia que só existiam 2 à venda. Apareceram uns 20 interessado em vender, inclusive o dono de uma empresa de terraplanagem que recebeu terrenos em troca do serviço. Acabei concluindo que era um baita MICO e pulei fora.

      0
  • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 7 de junho de 2012 at 17:02

    ATENÇÃO FUNCIONARIOS PUBLICOS…COISA QUE EU NÃO SOU…
    Ultimas noticias saida dos foruns espnhois similar ao nosso –
    “http://www.burbuja.info/inmobiliaria/index.php

    Titulo traduzido:

    ADEUS AOS MOLENGAS: FAZENDA EQUIPARA O TRABALHO PÚBLICO AO PRIVADO.
    Como aqui no Brasil estamos seguins “a risca” a cartilha espanhola, assim que a copa passar, a bolha estourar oficialmente – pois de fato ela ja estourou – as proximas medidas do governo mexerão com o funcionlismo público – que eu, acho CORRETO.

    “http://www.burbuja.info/inmobiliaria/burbuja-inmobiliaria/315462-al-buena-noticia-adios-a-moscosos-y-de-otros-privilegios.html

    Adiós a los ‘moscosos’: Hacienda equiparará el trabajo público al privado – elConfidencial.com

    Federico Quevedo 07/06/2012 (104h)

    El Ministerio de Hacienda y Administraciones Públicas trabaja en una profunda reforma de la Función Pública que dará a conocer en las próximas semanas –la que viene o la siguiente, como muy tarde-, y que afectará principalmente al modo de trabajo de los empleados públicos estatales, regionales y locales, de tal modo que a partir de ahora los funcionarios y el resto de los trabajadores públicos disfruten de un régimen laboral similar al de sus compañeros del sector privado.

    Eso va a significar que los funcionarios tengan que decir adiós a un paquete de privilegios que los diferenciaba singularmente del resto de trabajadores del sector privado, según han señalado a este diario fuentes gubernamentales. Aunque estas fuentes no han detallado el paquete –“lo anunciará el ministro en persona”, señalaron-, afectará a algunos privilegios como los llamados moscosos e impondrá medidas para la movilidad interna de los funcionarios.
    Hacienda quiere luchar también, con la colaboración de la Mutua de Funcionarios de la Administración Central del Estado (Muface), contra el absentismo laboral en la función pública. Lo que va a quedar fuera de esta reforma son dos puntos: los sueldos, que no se van a tocar, y los despidos que no se van a equiparar al modelo laboral del sector privado. Este último ‘privilegio’ se mantiene porque el Gobierno entiende que el puesto de trabajo obtenido por oposición no es igual que el de un contratado laboral.

    Eso sí, hoy por hoy y mientras la crisis no permita cambiar la situación, se seguirá reduciendo el número de interinos y de empleados públicos –como ya está ocurriendo en la Comunidad Valenciana-, y no habrá reposición salvo en casos excepcionales. El Gobierno prepara una reforma de la Ley de la Función Pública y confía en tener apoyos parlamentarios, aunque la sacará adelante incluso con la oposición del Partido Socialista si se produce.

    Como ya publicó El Confidencial, otro de los objetivos del Gobierno en reducir plantillas y facilitar la salida de empleados públicos de los sectores, organismos, instituciones, empresas y fundaciones (interinos, contratados o eventuales, no funcionarios) más prescindibles para que puedan pasar a empresas del sector privado si es que la hipotética reactivación se convierte en un hecho.

    Otro problema será convencer a las comunidades autónomas, donde se han registrado los mayores aumentos de plantillas en los últimos años y para las funciones más prescindibles, para que se apliquen a esas privatizaciones de servicios. También es el gran margen que todavía queda en la Administración regional, dado que son las instituciones que han creado en los últimos años en multitud de empresas, fundaciones y ‘observatorios’ (aparte de en los mismos gobiernos) la mayoría de los 400.000 puestos de trabajo que hoy mantienen.

    0
    • Fernandão Bolhudo 7 de junho de 2012 at 18:41

      Agora que a corrupção vai comer solta lá.

      Se fosse aqui no Brasil, podem crer que iriam demitir todos aqueles que prestaram um concurso público difícil, que só seleciona os melhores e mais preparados profissionais, para contratar todos os amigos, amigos dos amigos, e afiliados do PT, como, aliás, eles já fazem, em se tratando de cargos de livre nomeação (estes sim deveriam ser restringidos ao máximo, para não dizer extintos).

      Acho que seria pior…

      0
      • Julia 7 de junho de 2012 at 19:42

        isso mesmo que vai acontecer! O pessoal aqui, que é contra funcinário público, acham que vai acontecer o que no Brasil??? Vão encher as instituições de “cumpanheiros” e é aí que o roubo vai rolar solto. Pensem melhor nas babaquices que dizem contra o funcionalismo público, que ainda é o melhor meio de selecionar pessoas para a Adm Pública no Brasil.

        0
      • Countdown 7 de junho de 2012 at 20:10

        Meu caro, aqui no Brasil o serviço público já segue bastante sucateado: salários, no geral, abaixo do mercado privado (um professor COM DOUTORADO entra ganhando aproximadamente 5 mil reais BRUTOS numa carreira FEDERAL, imagina o professor que, em situação ainda mais adversa, entra ganhando muito menos ainda no Estado ou no Município…); inexistência de fundo de garantia; inexistência de data-base para, NO MÍNIMO, haver reposição inflacionária; condições precárias de trabalho (no meu caso: faltam salas de aula adequadas, faltam professores, faltam laboratórios, faltam investimentos) e, a mais nova: rebaixamento do teto para aposentadoria ao nível do teto do INSS, sob FALSO ARGUMENTO de que há rombo previdenciário (não há nem na previdência pública, nem na privada; há DESVIO, isso há; desde a era FHC as previdências têm sido superavitárias).

        Qual é o “apelo” ou o incentivo para seguir uma carreira dessas? Não há.
        É o que o Governo quer mesmo: sucatear e privatizar, em seguida.

        Assim, pagamos duas vezes o pato: pagamos os impostos e pagamos as empresas privadas que prestarão os serviços R