#BolaDeCristal – “Já é uma realidade a recuperação de preços dos imóveis em São Paulo”, diz economista – Infomoney

Você pode gostar...

Comments
  • Cajuzinha 26 de fevereiro de 2019 at 15:49

    Valeu, BOSS!

    12+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 26 de fevereiro de 2019 at 15:56

    Com o PIB de 2018, crescimento econômico da década será o pior da história

    Por: Rosana Hessel – Correio Braziliense

    ritmo médio de 0,58% ao ano entre 2011 e 2018 — antecipando a pior década da história em termos de crescimento econômico.

    Considerando o período até 2020, o PIB completará a década com expansão anual inferior a 1% ao ano, abaixo das médias das piores crises, nos anos 1980 e na Grande Depressão da década de 1930. Para especialistas, o baixo crescimento, em grande parte, é estrutural e reflete a falta de confiança do empresário e do consumidor.

    Alessandra Ribeiro, sócia da Tendências Consultoria, ressaltaram que a falta de confiança está relacionada ao desequilíbrio fiscal e à incapacidade do governo de investir. “O ritmo de recuperação da economia é lento devido à junção de choques estruturais. A recessão foi resultado de um endividamento elevado do governo, das empresas e das famílias. Mas, enquanto famílias e empresas estão reduzindo a alavancagem, o governo ainda está muito endividado e precisa fazer reformas estruturais que vão além das mudanças na Previdência. Mesmo que a reforma previdenciária seja aprovada, os problemas não serão resolvidos totalmente. A dívida pública bruta continuará crescendo até 2023, pelo menos”, explicou Alessandra.

    Sergio Vale, economista-chefe da MB Associados, também reconheceu que a década atual tem a menor média da história, mesmo incluindo 2010 na conta, quando o país cresceu 7,5%. “Melhoramos em muitas coisas na parte institucional e de políticas econômicas, mas o desastre econômico do governo petista conseguiu ser maior do que o militar, na década de 1980”, frisou.

    http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/economia/2019/02/26/internas_economia,778825/com-o-pib-de-2018-crescimento-economico-da-decada-sera-o-pior-da-hist.shtml

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 26 de fevereiro de 2019 at 16:37

      Cajuzinha,

      Sobre o trecho: “Mas, enquanto famílias e empresas estão reduzindo a alavancagem…”

      Famílias estão reduzindo o endividamento???

      https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2019/01/15/brasil-fecha-2018-com-recorde-de-626-milhoes-de-inadimplentes.htm

      http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/dividas-de-servidores-e-de-aposentados-do-inss-batem-recorde/

      https://veja.abril.com.br/economia/superendividados-30-milhoes-ja-nao-podem-mais-pagar-suas-dividas/

      Empresas estão reduzindo a alavancagem? Em TEORIA, sim, mas qual a “fórmula mágica”, que sempre esquecem de mencionar?

      https://www.pressreader.com/

      Trechos da notícia acima:

      “Dívida das empresas caí 17,7%, mas investimento ainda deve demorar”

      “Companhias conseguiram melhorar o perfil do endividamento no ano passado, com venda de ativos e renegociação de débitos…”

      O que consta acima é “bom” e sinal de recuperação da economia como insinuado pelos “especialistas economistas”?

      A cada nova reestruturação de dívidas, recuperação judicial e afins, são distribuídos INÚMEROS prejuízos aos credores, no formato de “perdão” compulsório de dívidas, alongamento no prazo de pagamento das dívidas e redução compulsória dos juros, trocar parte da dívida por Ações da empresa, aceitar ativos SUPER-AVALIADOS como parte do pagamento da dívida, etc, etc, etc.

      E foi a contínua QUEBRA de empresas, intensificando o processo acima, que reduziu a “alavancagem”. Só em 2018, vimos DIVERSOS casos assim, como de Cultura, FENAC e Saraiva, Editora Abril, Queiroz Galvão Gás e Queiroz Galvão Eletricidade, Odebrecht, Gafisa (CALOTES à rodo), Rede de Hotéis Othon, Avianca, etc.

      Se isto é “bom”, então, a fórmula mágica seria QUEBRAR todas as empresas do país, assim o endividamento geral cairia! Pena que cada vez que estes CALOTES se intensificam e os prejuízos se espalham para os credores, mais e mais os bancos são obrigados a manterem juros finais muito elevados e dificultarem o crédito, prejudicando qualquer crescimento mais consistente da economia!

      Este é o eterno problema dos “especialistas economistas”, vivem nas torres de marfim deles, completamente alheios à realidade que os cerca!

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 26 de fevereiro de 2019 at 16:48

        Complemento:

        A ALIENAÇÃO dos “economistas especialistas” é tão PROFUNDA, que sequer mencionaram a imensa DEGRADAÇÃO dos empregos, para os quais possuímos DIVERSAS evidências. Algumas AMOSTRAS:

        https://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2019/01/31/falta-trabalho-desistiu-de-procurar-subocupacao-desalento-recorde-ibge-pnad.htm

        Trechos da notícia acima:

        “Falta trabalho para 27,4 milhões de pessoas; 4,7 milhões desistem de buscar”

        “Em 2018, faltou trabalho para 27,4 milhões de brasileiros, uma alta de 3,4% em relação a 2017. Isso inclui desempregados, pessoas que gostariam de trabalhar mais e aquelas que não estão em busca de emprego, mas que estariam disponíveis para trabalhar. Com isso, a chamada taxa de subutilização da força de trabalho atingiu o recorde de 24,4%. Outro recorde ruim do ano passado foi o de pessoas que desistiram de procurar trabalho: cerca de 4,7 milhões de brasileiros, oficialmente chamados de “desalentados”. Em relação a 2017, o aumento foi de 13,4%.”

        https://oglobo.globo.com/economia/informalidade-bate-recorde-ao-atingir-3542-milhoes-de-trabalhadores-em-2018-1-23416920

        Título da notícia acima: “Informalidade bate recorde ao atingir 35,42 milhões de trabalhadores em 2018”

        https://economia.uol.com.br/noticias/estadao-conteudo/2019/02/22/pais-tinha-3123-milhoes-em-busca-de-emprego-ha-2-anos-ou-mais-no-4-tri.htm

        Título da notícia acima: “País tinha 3,123 milhões em busca de emprego há 2 anos ou mais no 4º tri”

        https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/01/23/veja-as-profissoes-que-mais-geraram-empregos-formais-em-2018-e-as-que-mais-perderam-vagas.ghtml

        “As 10 ocupações que mais geraram empregos formais:
        Alimentador de linha de produção: 100.061
        Faxineiro: 61.653
        Auxiliar de escritório, em geral: 56.511
        Servente de obras: 42.372
        Atendente de lojas e mercados: 37.079
        Repositor de mercadorias: 33.125
        Recepcionista em geral: 28.530
        Embalador, a mão: 27.497
        Assistente administrativo: 25.702
        Técnico de enfermagem: 24.420

        As 10 ocupações que mais perderam empregos formais:
        Supervisor administrativo: -23.712
        Gerente administrativo: -20.350
        Gerente de loja e supermercado: -12.984
        Gerente comercial: -10.550
        Motorista de carro de passeio: -10.166
        Pedreiro: -9.425
        Gerente de vendas: -8.964
        Supervisor de vendas comercial: -8.505
        Cozinheiro geral: -8.213
        Conferente de carga e descarga: -8.173”

        Acho que a AMOSTRA acima já é o suficiente para DEMONSTRAR a DEGRADAÇÃO dos empregos.

        O pior é que estes “especialistas economistas” se recusam a enxergar o ÓBVIO, preferem alimentar o mundo de FAZ DE CONTA e dizer que o único problema é nas contas públicas, ignorando a gravidade e piora constante quanto à endividamento e inadimplência de famílias e empresas, bem como a degradação dos empregos e DIVERSOS outros problemas (profundas DISTORÇÕES no segmento imobiliário, MAQUIAGENS e PEDALADAS no sistema financeiro, bolhas do Exterior se manifestando, etc).

        É por isto que a crise atual vai batendo recorde atrás de recorde em relação a ser a pior de todos os tempos, o diagnóstico quanto às causas e até mesmo com relação à situação atual, são completamente FALHOS, LIMITADOS e SIMPLISTAS, sempre MUITO LONGE DA REALIDADE…

        19+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Cajuzinha 26 de fevereiro de 2019 at 17:13

        Esse tipo de otimismo…

        Aumenta número de famílias endividadas no país
        05.02.2019 14:31 por Redação 0
        Para especialista, piora no indicador é resultado de otimismo das famílias sobre capacidade de pagar suas dívidas

        17+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cajuzinha 26 de fevereiro de 2019 at 17:21

          https://jornal.usp.br/atualidades/servidores-publicos-tinham-176-bilhoes-em-consignados-em-2018/

          Os servidores públicos, segundo o Banco Central, até o final de 2018 deviam mais de R$ 176 bilhões em empréstimos consignados.

          Este problema chegou até o Superior Tribunal de Justiça (STJ), que determinou a limitação do porcentual de desconto de parcelas de empréstimos em conta corrente, não podendo assim ultrapassar 30%. Os ministros reconheceram ainda o risco da subsistência do consumidor e de sua família, se o teto salarial fosse ultrapassado.

          11+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • CA 26 de fevereiro de 2019 at 17:22

          Cajuzinha,

          Perfeito!

          O “otimismo” a que ele se refere, é o UFANISTA, aquele que não tem NENHUM fundamento, que é plantado cada vez que alguém diz que o PIB vai crescer 6%, teremos crescimento da economia garantido por 10 anos e vamos gerar 8 milhões de empregos em 4 anos, tudo isto, logo após aprovarmos a reforma da previdência e apenas em função disto!

          No mundo REAL, pelas contas que demonstrei por aqui em tópicos anteriores, ao final da votação, de forma otimista, a reforma da previdência vai permitir uma diminuição do ROMBO da previdência entre R$ 600 bilhões e R$ 800 bilhões em 10 ANOS e isto, perto do rombo de mais de R$ 4 TRILHÕES da previdência neste período de 10 anos, vai representar algo entre 12,5% e 20%, ou seja, vai sobrar mais de 80% do rombo da previdência para cobrir nos próximos 10 anos!

          Pior, não só a reforma da previdência que entrará em votação não resolve sequer o problema da própria previdência, LONGE DISTO, como também ela não tem NENHUMA relação com os gravíssimos problemas que demonstrei acima!

          Resumindo: via otimismo UFANISTA quanto à reforma da previdência, estamos levando cada vez mais pessoas e empresas ao SUICÍDIO FINANCEIRO, sendo que a reforma em si só vai resolver uma parcela muito pequena do rombo total da previdência (menos de 20%) e com este foco EXCLUSIVO nesta reforma, deixamos de combater a causa RAIZ dos problemas mais graves que enfrentamos, simplesmente FAZENDO DE CONTA que eles se resolverão sozinhos ou que, por algum milagre, serão resolvidos pela reforma da previdência sendo que não tem relação com ela, mas sim com BOLHAS!

          13+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 15:58

    Resposta ao falido.com

    Sr Bolha,
    .
    Sei que vc já falou mais acima sobre a reforma da previdência mas poderia detalhar mais por favor?
    .
    Pergunto: Por que o problema está apenas sendo postergado?

    O gasto é 700 bilhões por ano, se há teto de gastos com educação e saúde pra onde vai a economia de gastos?

    Os mais ricos não pagam sobre dividendos, não seria mais eficiente para o país reformar tributação economizando de quem pode pagar?

    A lista de devedores da previdencia está em> “Segundo Cristiano Neuenschwander, hoje cerca de 1 milhão de empresas devem um total de R$ 491 bilhões para a Previdência. A maior parte desse valor, afirmou o procurador, não tem perspectiva de pagamento.” _ Como cobrar mais se não consegue receber ?????

    Dar 5 reais a mais pra quem ganha salário mínimo melhora em que, onde a cesta básica(alimentos) é mais que 2 mil reais ?

    12+
    • avatar
    • avatar
    • Falido.com 26 de fevereiro de 2019 at 16:10

      Cadê a resposta? Sem pressa… estou acompanhando talkey?

      5+
      • avatar
      • avatar
      • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 17:26

        respondi abaixo.

        5+
        • avatar
        • avatar
        • Falido.com 26 de fevereiro de 2019 at 19:14

          eu vi… alem de agradecer estou esperando os outro tópicos….. esse assunto é polemico..

          5+
          • avatar
    • tmarabo 26 de fevereiro de 2019 at 17:04

      ou seja, pra resolver o problema, cobrem mais impostos dos outros e cobrem dívidas podres que se por milagre fossem pagas não cobririam nem três anos de déficit…..
      o teto de gastos evita que se aumentem gastos, mas se já temos déficit primário o tal teto por si só não resolve.
      tem que enfrentar a realidade: os pobres se aposentam depois dos 65 anos com salário minimo e as trabalhadoras humildes se aposentam em média aos 62 anos com salário mínimo.
      a reforma da previdência vai atingir dos mais ricos até a chamada “classe média baixa”, mas é algo justo a se fazer.

      4+
      • avatar
    • Libertario 26 de fevereiro de 2019 at 17:13

      Se tributar dividendos (que na pratica já é pesadamente tributado, antes de calcular o lucro):
      a) Mais investidores/capital se debandarão do país
      b) Os que ficarem repassarão este custo para os seus produtos. Logo, os pobres vão acabar perdendo mais poder de compra.

      Cobrar devedores:
      a) A grande parte dos devedores já faliu => Tipo Varig e Vasp.
      b) Mesmo que consiga cobrar TODOS, isso vai ajudar somente para um ano. No seguinte não vai ter o que fazer.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • tmarabo 26 de fevereiro de 2019 at 17:17

        sem contar que as dívidas do INSS são “infladas” por servidores públicos que não querem perder os privilégios (basta ver quem fez a conta dos tais 450 bi).
        outra: se estas contas houvessem sido pagas em dia, naõ teria multas e juros, ou seja, estes 450 bi seriam quanto se pagas normalmente?
        eu concordo que nosso sistema tributário é injusto e pode ser revisto, mas simplesmente um “tributem-se os outros” é que não ajuda no debate.

        eu naõ tenho casa própria, entao pra mim eu acho que o déficit na previdência municipal poderia ser bancada dobrando o valor do IPTU, que tal??????

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • rogerio 26 de fevereiro de 2019 at 23:30

        Tributando dividendos e reduzindo o imposto sobre o consumo, tudo proporcionalmente e de forma escalonada e aos poucos poderia trazer um alívio, ao menos enquanto as demais reformas estruturais são implantadas não acha?

        2+
        • Libertario 27 de fevereiro de 2019 at 10:00

          Imposto é roubo.

          8+
          • tmarabo 27 de fevereiro de 2019 at 10:31

            mimimimi

            3+
        • tmarabo 27 de fevereiro de 2019 at 10:34

          tributar dividendos e reduzindo imposto sobre o consumo não traria alívio. pois arrecadamos centenas de bilhões de impostos sobre o consumo e querer tirar isto dos dividendos é fazer com que as pessoas parem de investir.
          não digo que não se possa tributar dividendos, mas não se resolve nada fazendo isto. pode ser uma ajuda, mas ainda acho que é o típico caso do “tributem-se os outros” para resolver a questão fiscal. nota: não recebo dividendos rsrsrsrsrs

          1+
    • Paulo Avelar 27 de fevereiro de 2019 at 02:22

      A maioria dos beneficiários da previdência não contribui com nada para o sistema, sendo que o PT os chama de ” pobres”.
      Na verdade ter o benefício social é como arranjar um emprego, por qualquer motivo vc se encosta na previdência sem precisar contribuir por muito tempo quando vc é “pobre”.
      Um acidente de carro, uma pensão por ser dona de casa, um benefício por ser aposentado rural, por conseguir a compulsória, por ser professor, por ser médico, enfermeiro, por ser incapaz, por ser artesão, percador, ou inválido por alguma outra razão etc.
      Tudo é razão para não se aposentar com 65 anos.

      10+
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 26 de fevereiro de 2019 at 16:04

    sobre os carros o que acontece:

    -Vendas de bicicletas elétricas explodem. swissinfo.ch-09/03/2018
    -General Motors vai lançar bicicletas elétricas na Europa Jornal do Carro Estadão-17/02/2019
    -Bicicletas e patinetes compartilhados nas farmácias Estado de Minas-22/02/2019
    -Harley-Davidson apresenta bicicleta offroad e scooter elétrica; IstoÉ Dinheiro-04/02/2019
    – Bicicletas pegam carona na alta do mercado de motos Estado de Minas-11/01/2019

    O mercado automotivo ficou pensando no UBer e foi ultrapassado agora serão os carros elétricos e melhor ainda bicicletas e patinetes
    a venda aumentou mais de 20% ano passado. As familias estão comprando e o compartilhamento estimulou o seu uso. perderam o Bonde.
    meu amigo ficou assombrado em curitiba de ver patinetes em qualquer ponto…

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 26 de fevereiro de 2019 at 16:12

      Te cuida, Yellow: a bike elétrica da Uber vem aí
      Startse-29/11/2018

      5+
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 26 de fevereiro de 2019 at 16:33

        -Para economizar, moradores optam por carros e bicicletas elétricas em RO.
        Alto preço dos combustíveis impulsiona adesão de automóveis elétricos. Em um dos casos, gastos com combustíveis passou de R$ 500 para R$ 70 mensais. “Não paga imposto todo ano, é uma coisa que não polui o ar e é confortável para andar. Ela (bicicleta) tem o conjunto de quatro baterias. globo rondonia

        5+
        • avatar
        • avatar
        • Rico 27 de fevereiro de 2019 at 11:27

          Quero ver onde o pessoal vai colocar a criança com febre as 2h da manhã com esses patinetes… Enfia no * e corre pro PS…

          8+
          • avatar
          • avatar
          • Murilo 11 de março de 2019 at 09:21

            Não tenham filhos, 20% dos casais não têm e nem querem ter filhos, há os gays e os solteiros também. E pra quem tem coragem coragem de ter filhos nesse mundo louco, basta ir de Uber, de 99, de Cabify…

            1+
  • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 16:31

    Questão 1:
    O gasto é 700 bilhões por ano, se há teto de gastos com educação e saúde pra onde vai a economia de gastos?

    Não existe economia de gastos! oito a cada dez governos no mundo gasta mais do que arrecada com impostos. A diferença é coberta com lançamento título no mercado dívida com objetivos claros de cobrir a diferença e se financiar.

    Este é o x da questão que expliquei sobre o modelo social democrata adota pelos países desenvolvidos.

    EX Você estipula que o gasto social : Previdência , saúde educação vai ser um % X do PIB.
    Quando o PIB sobe gastos são ajustados automaticamente , os gastos são indexados ao crescimento do PIB.

    A priori representantes de diversas escolas de pensamento econômico posso incluir escola de Chicago defendem a existência de uma instituição chamada banco central. Instituição ao qual tem como meta manter as metas de inflação e crescimento do PIB, fazem isso se valendo de políticas monetárias de estimulo ao crédito e contração de crédito.

    Basicamente a função do banco central é tentar controlar a taxa de juros interbancária como forma de induzir ou reduzir o crescimento do PIB.

    Para este modelo funcionar o governo teria que trabalhar com orçamento real, ou seja quando o PIB diminui os gastos do governo tem que se ajustados, assim como você faz com orçamento domestico ao perder o emprego.

    Outra opção aventada é o governo criar o colchão na época de crescimento do PIB para manter tais benefícios no presente.

    Porém nenhum momento e nenhuma destas dois políticas econômicas os gastos deixam de diminuir.

    O modelo foi baseado em crescimento AD eternum do PIB , consequentemente boa parte do crescimento do PIB também tem ligação com a demografia e alocação de recursos.

    O modelo chinês , americano e europeu são modelos keynesianos aonde crescimento do PIB é atrelado ao gastos governamentais, consequentemente a políticas de crédito direcionado.

    Neste modelo econômica não existe racionalidade econômica, uma vez que os gastos do governo são indexado ao PIB.

    Outro motivo é que se você reduzir os benefícios economicos nas épocas de vacas magras, contribuintes vão chorar como criancinhas sem o seu pirulito. Então a questão aventada é o governo gasta somente o que ele arrecada com impostos, porém isso é utopia se você pensar que não existe dinheiro suficiente para rodar os gastos do governo mundo a fora

    Como funciona a matemática da coisa?

    Governo arrecada 100 gasta 110.
    Pega os 10 que ele não consegue cobrir no mercado de dívida.

    No próximo ano o gasto sendo indexado ao PIB governo conseguiu apenas 105 com arrecadação “crescimento pequeno do PIB,” recessão etc. Porém os gastos foram indexados ao PIB, consequentemente o governo gasta 120 com gastos sociais e não mais 110. Mesmo que o PIB venha menor ou até mesmo caindo o gasto do governo nunca reduz em qualquer período. Todo gasto é indexado ao crescimento ad eternum. A escola de pensamento vigente diz que o governo deve sempre gastar mais para estimular o crescimento do PIB, mas ao fazer isso você aumenta dívida pública.

    Ou seja antes ele pegava 10 agora ele precisa pegar + 5 em dívida para cobrir esta diferença.

    E onde esta o erro? Ao não obter o crescimento esperado o governo vai precisar tributar cada vez mais o setor produtivo diminuindo as margens das empresas.

    As empresas para compensar este aumento de custos vão repassar este custo ao consumidor , as empresas que não conseguirem repassar custos vão fazer corte de custo “demissões.”
    Resumo Quando governo vendo o futuro para fornecer o presento. A priori o governo vai precisar de cada vez mais impostos para fazer maquina girar, uma vez que dispõem de mais impostos para rodar seus programas sociais , gastos etc. Todo impostos é recessivo uma vez que você tira dinheiro da economia real que é usado para investimento e consumo para financiar atividade do governo.

    Logo quanto maior é a dívida do governo , mais juros ele precisa rolar para se financiar.
    Ademais os investidores percebem que a partir de determinado valor é mais fácil emprestar dinheiro ao governo do que abrir um negocio próprio e correr riscos de perder bilhões.

    Não é só as alíquotas que são majoradas pelo governo, mas também o financiamento privado é todo direcionado a financiar atividades do governo, dinheiro este que poderia estar alocado em bens de capital e economia real etc.

    Até por isso toda vez que existe algum dado apontando que os gastos do governo vão diminuir o mercado de juros futuros mergulha, ao contrário também é verdade se existe expectativa de aumento de gastos uma hora os investidores começam desconfiar que o governo não conseguir conter os déficits e a taxa de juros aumenta.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 26 de fevereiro de 2019 at 16:59

    Oportunidades e de pires na mão:
    -Mãe de Alexandre Pires é detida por ‘gato’ em energia elétrica em Minas.
    Super Notícia-há 6 horas
    – Rio Preto registra 2.701 ‘gatos’ de energia elétrica em 2018.
    Diário da Região-há 6 horas
    -Com dinheiro e problemas de sobra, setor de energia pode ser novo ponto com… (já observei isso ano passado)
    Gazeta do Povo-24/02/2019
    -Shell entra no mercado de geração de energia elétrica no país
    Jornal O Globo-11/02/2019

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 17:11

    Agora vamos ao tema aonde desinformação rola solta inclusive tem bilionário falando asneiras aos montes. Eles tem os motivos deles, e garanto que não são nada saudáveis.

    Você fez um questionamento:
    Os mais ricos não pagam sobre dividendos, não seria mais eficiente para o país reformar tributação economizando de quem pode pagar?

    Respostas:
    O lance de tributar dividendos na verdade já pagam , mas pagam como PJ e não com PF.

    Nunca faça um calculo de IR sobre a ponta final ” Lucro “, mas sim sobre a cadeia de produção.

    EX
    Fatura : 100
    Pago: ICMS, PIs cofins = 30

    30 – 100 = 70

    Após pagar 30 de impostos no faturamento bruto:
    Pago + 5 em impostos agregado embutidos no insumos, lembrando que este calculo é o mais difícil de se fazer e várias de empresas para empresa.Até o momento tenho 35 de valor agregado de impostos

    Após pagar 30 sobre faturamento bruto e mais 5 sobre insumos pagarei mais 5 sobre folha de pagamento.

    Após deduzir toda todos impostos eu obtive um retorno de 15% sobre 100 Faturados.
    Estes 15 de lucro são tributados em pelo menos 34% (irpj e csll) alíquotas combinadas.

    15 x 34% = 5,10 ou seja, 5,10 – 15 = 9,90 de retorno do investimento.

    9,90 de lucro líquido, ou seja.

    Neste processo faturei 100 e o governo ficou com

    30 + 5 + 5 + 5,10 = 45,10

    Este exemplo aqui hipotético para você entender que a questão não é tão simples como vivem alardeando por ai.

    Agora vamos ao exemplo aonde tributam os dividendos em + 20 % criando assim outro impostos na DRE sem que aja redução nas demais linhas.

    9,90 lucro líquido x 20% de alíquota efetiva = 1,98

    9,90 – 1,98 = 7.92

    Logo retorno médio caiu + 2% sobre faturamento.

    E governo conseguiu de arrecadação + 1,98
    Ou seja não resolve nada e ainda acaba de reduzir o retorno do investimento em 2% percentuais.

    Sendo que governo nessa ficou com 50 do faturamento e ainda possui déficits crescentes .

    Ai existe o pessoal que diz que o ideal é reduzir impostos sobre consumo e tributar a renda = O que seria apenas uma substituição tributária .

    Porém lógico que eles omitem que para este modelo funcionar o número de pessoas ricas , empresas etc precisa suportar a nova carga tributaria.

    Não existe ricos suficientes para manter o esquema em pé, então a tributação recai também para classe média. Este sistema só pode funcionar se existir um números de pessoas suficientes para serem tributadas na renda.

    Então se o governo abrir mão sobre consumo = Tributação oculta
    O déficits aumentariam porque o número de pessoas avidas a contribuir é menor que as pessoas da base da pirâmide.

    No final das contas os déficits aumentariam , porque a questão não é quanto governo arrecada. Nunca foi sobre isso, mas sim quanto ele gasta.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 17:24

    A lista de devedores da previdência está em> “Segundo Cristiano Neuenschwander, hoje cerca de 1 milhão de empresas devem um total de R$ 491 bilhões para a Previdência. A maior parte desse valor, afirmou o procurador, não tem perspectiva de pagamento.” _ Como cobrar mais se não consegue receber ?????

    Aqui temos mais desinformação propagada por sindicatos dos auditores da receita federal.

    Mais da metade da lista são de empresas se encontra em processo de massa falida, ou seja quebradas.

    Quando uma empresa entra em processo de massa falida , ” Credores” no caso aqui governo que tem impostos a receber, provavelmente não consegue receber este dinheiro na integra.

    Outro casos são casos de atuação que estão sendo contestados no tribunal de contas e que podem rolar anos ou até décadas.

    Lembrado que existe atuações aonde auditor precisa bater metas de arrecadação ,então o auditor pode distorcer alguma atuação como forma de aumentar arrecadação.Tais atuações podem ser contestadas pelas empresas, geralmente rolam anos a fio pelo tribunal de contas.

    E uma minoria na lista é de empresa que sonegam impostos , porém a receita ainda não conseguiu provar uma vez que os ativos da empresas não foram congelados para quitação da dívida.

    E por ultimo: Supondo que todas empresas conseguirem pagar! Quantos anos seriam economizados de déficit da previdência? Nas minhas contas uns 3 a 4 anos.

    Não resolveria a questão como continuaria tendo déficits, uma vez que este tipo de receita é extraordinária entra apenas uma vez no caixa do governo.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Falido.com 26 de fevereiro de 2019 at 17:59

      Ok, mas veja só: De onde e tira e não repõe… Nao vai adiantar aumentar aliquota aqui e ali e sobretaxar a classe merdia se as empresas sonegam….
      É um problema sistêmico deficil equação…

      Daí lá na frente tem deficit novamente e novamente e ad eternum….
      Então vem um novo presidente conclamar os mais incautos para trabalhar mais 5 anos mais 10 anos ou pagar mais 10% pra tentar reverter o prejuizos das contas da previdência…

      3+
      • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 18:25

        Este papo de sonegação é história para boi dormir.

        A maior parte da arrecadação não entra nos cofres porque é oriunda de economia informal. São negócios pequenos emprego terceirizados , bicos etc

        EX: Minha esposa trabalha numa escola possui 5 horas semanais registradas. O governo tende acreditar que ela ganha apenas 5 horas semanais , dinheiro descontado de contribuição .

        Porém o empregador paga mais 30 ou mais horas semanais por fora! Ou seja, empregador faz isso para não registrar os professores e ver o custo com folha de pagamento dobrar.

        Acredito que a maior parte dos negócios vem trabalhando com horas avulsas neste setor , ou seja, ele te paga apenas algumas horas de registro visando diminuir custos de folha de pagamento.

        Então o governo arrecada menos neste sistema? Sim ele arrecada!
        é sonegação? Não , na verdade a empresas esta contratando e terceirizado um serviço temporário.

        Porém esta prática pode entrar nas estatísticas como sonegação, o que não é verdade.

        Procure estudar sobre evasão fiscal vs elisão fiscal.Agora vamos supor que não existisse informalidade e sonegação.
        Quanto seria alíquota efetiva do governo sobre PIB + de 50% , acredito que até 60% do PIB.

        Ou seja, as empresas fechariam as portas porque não suportariam a carga tributária efetiva. E acredite não é fácil sonegar em grandes empresas, diria que é quase impossível sonegar atualmente. A sonegação só existe em grande escala com conivência de um agente público da receita , tribunal de contas e políticos.

        Tu acredita mesmo que a receita não sabia que Odebrecht e cia tava sonegando impostos ? Na verdade tinha gente de dentro do governo fazendo e receita federal participando do esquema.

        A questão nunca foi sobre quanto governo arrecada , mas sim quanto ele gasta. O governo gasta mais que arrecada, logo não existe dinheiro suficiente para rolar os déficits no atual arranjo.

        A mais vão tem que aumentar alíquotas para nos pobres! Sim exatamente isso que vai acontecer, mas os ricos também estão pagando isso no faturamento das empresas e a tendência é piorar.

        Não adianta, uma vez que você confia no sistema cegamente você passa ser parte problema e deixa de fazer parte da solução.
        A solução só pode partir de ti e demais ninguém! E qual a solução? Poupar e muito desde novo para não depender de pirâmides financeira e serviços públicos. Não tem outra saída.

        No primeiro mundo dizem que funciona, mas não é o que tenho observado olhando os números . Basicamente os países desenvolvidos vem fazendo dívida imensa que vai explodir todo sistema.

        Toda europa , Canadá, eua vem aumentando gastos sociais acima da arrecadação, isso vai ter que ser bancado com cada vez mais impostos.

        Não tem saída o futuro é empobrecimento massivo!

        17+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 18:30

          A lembrando que para economia informal , todos os governo usam impostos sobre consumo.
          Conhecido como imposto oculto!

          O consumidor paga impostos pela renda e pelo consumo.

          Imposto sobre consumo é bem mais módico para o governo que não precisa gastar trilhões com sistemas de cruzamento de dados.

          O cara consumiu pagou imposto.
          OBS: A maior parte das receitas do governo vem de impostos sobre faturamento e consumo.

          O sonegador pode falar x ou y , mas ele acaba pagando também quando vai comprar algo. Não tem como escapar do imposto sobre consumo.

          14+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • odorico 26 de fevereiro de 2019 at 18:40

            “O Cara consumiu pagou imposto” falou tudo senhor bolha, por isso temos tranquilidade financeira, não pelo que poupamos, mas pelo que deixamos de consumir e com isso deixamos de dar dinheiro pro governo (dinheiro que não volta). Aí com a reserva ganhamos dividendos/juros que permitem consumo (e dane-se o imposto) pois está sendo gerado mensalmente e às vezes numa escala que não conseguimos gastas (claro que conseguimos, mas lembrem-se somos austeros e poupadores).
            CVR: conhecido trocou de carro seminovo com 100 mil km que estava fazendo 10km/l (hatch altinho médio) para comprar um sub sub sub compacto da moda com motor super hi tec que faz 18km/l em BSB. Parece um bom negócio né? Pois é, deram 20k no carro dele, ele entrou com 30K, IPVA do antigo na faixa de $700, do novo $1,5K, troca de óleo do antigo $200, do novo $400. Manutenção do antigo (fora da garantia) levava em qualquer oficina, o novo (está na garantia) só concessionário. Enfim, o cara gasta 30 k para economizar $300 por mês na gasolina, só não vê que os 300(ou mais) estão indo em impostos, depreciação, manutenção, riscos, etc. Sei que é piada, mas como o diz o Julius (pai do cris), nas promoções “se eu não comprar nada economizo mais”

            33+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Gute 27 de fevereiro de 2019 at 20:29

              Lembra um certa opinião sobre economizar com aluguel e… vocês já sabem.

              1+
        • Falido.com 26 de fevereiro de 2019 at 18:53

          Olha como sonegar pagamento do INSS(muitos clubes de futebol/empresas/grupos industriais fazem isso)… Veja quanto o valor aplicado rende? (capitalização)

          Não pagam o governo, colocam em aplicaçoes e depois da judicialização da coisa fazem acordos espurios na justiça.. Como a conta vai fechar?
          .
          João recebe R$ 1.000 por mês. Esse é o seu salário bruto.
          Desse valor, João paga 8% para o INSS. Isso dá R$ 80.
          Seu patrão paga 20% desse valor também para o INSS. Isso dá R$ 200.
          Por mês, portanto, João e seu patrão repassam R$ 280 ao INSS.

          De acordo com as futuras novas regras da Previdência, João terá de trabalhar por 49 anos para conseguir se aposentar com seu salário integral. Ou seja, João e seu patrão terão de pagar, mensalmente, R$ 280 ao INSS durante 49 anos para que, no ano de 2066, João se aposente e receba uma aposentaria mensal de… R$ 1.000.
          (Para facilitar o exemplo, estamos considerando inflação zero pelos próximos 49 anos. Isso significa que, em 2066, R$ 1.000 terão o mesmo poder de compra que têm hoje. Essa forma de raciocinar tem a vantagem de pensarmos tudo em valores de hoje para qualquer época futura, o que mantém o raciocínio mais claro.)

          Agora, qual seria a situação de João caso ele investisse esses R$ 280 em aplicações de alto rendimento corrigidas pela inflação?
          Como mostra esse artigo, se João fizesse isso, daqui a 49 anos ele teria à sua disposição uma quantia cujo poder de compra equivale a nada menos que *R$ 1,038 milhão* em valores de hoje.

          Mas agora vem o principal: esse R$ 1,038 milhão (em valores de hoje) que João terá daqui a 49 anos, caso continuem aplicados, renderão a ele nada menos que R$ 5.086 por mês (em valores de hoje).
          Apenas compare e se espante:

          No primeiro cenário, tudo o que restou a João é receber R$ 1.000 por mês (em valores de hoje). E só. Ele não tem mais nada. Toda a dinheirama que ele deu ao INSS (um total de R$ 178.360 durante 49 anos) se perdeu. Ele não tem acesso a ele. Tudo o que lhe restou, repetindo, é receber R$ 1.000 por mês.

          Já no segundo cenário, João não apenas estará em posse de R$ 1,038 milhão (em valores de hoje), como ainda estará ganhando mais R$ 5.086 por mês (em valores de hoje) só com os juros incidentes sobre esse R$ 1,038 milhão!
          Eis, portanto, as alternativas de João: patrimônio nenhum acumulado e apenas R$ 1 mil por mês para sobreviver; ou patrimônio de R$ 1,038 milhão acumulado mais uma renda mensal de R$ 5.086 por mês.
          Isso, e apenas isso, já deveria bastar para acabar com qualquer debate sobre a Previdência.

          Mas não basta. Neste artigo, apresentamos uma sugestão para uma reforma definitiva da Previdência. Uma reforma que liberta os jovens de seu jugo sem prejudicar aqueles que já estão dentro dela.

          Fonte; Mises

          9+
          • avatar
          • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 19:14

            tem outro empecilho que não é só o quanto você paga para previdência.

            O regime sendo de repartição e não de capitalização é impossível que não ocorra distorções.

            Vamos ao fator :
            Ex hipotético: No de 1980 você iniciou o trabalhando contribuindo para previdência social.

            Naquela época existia 8 pessoas contribuindo para cada dois aposentados.

            Após 5 anos entrou um louco no governo e deu aumento para geral no judiciário, ainda por cima acima do teto constitucional.

            Ou seja: Agora os gastos da previdência futuro vão ser maiores porque alguns salários sendo maiores vão ser necessário uma das duas soluções ao lado . Que número de contribuintes para previdência aumente ou que contribuição passe a ser maior.

            Após 15 anos corridos a demografia foi alterada drasticamente. Agora existe 5 pessoas contribuinte para cada 5 aposentadas. Os déficits cresceram porque além de haver menos pessoas nas base da pirâmide também existe super salários que demandam aumento de alíquotas na contribuição previdenciária.

            Resumo agora você não só passou a contribuir mais , como as coisas foram por água abaixo.

            Faltando 5 anos para você se aposentar os déficits aumentam e governo decidi aumentar a idade mínima para se aposentar.

            Então você vai ter que trabalhar + 5 anos para conseguir se aposentar integralmente, mas não é só isso! agora governo diz que quem esta aposentado também vai ter que contribuir até a morte para aposentadoria.

            Ou seja, agora governo passa cobrar uma alíquota que você contribuiu a vida inteira de forma integral! Ou seja, você pagou a vida toda e vai continuar pagando até o final da vida.

            Após os 5 anos: Você finalmente vai se aposentar , eis que estoura uma crise previdenciária e seu salário de aposentado é cortado pela metade.

            OBS: Tudo isso já aconteceu e vem acontecendo no Brasil e no mundo.

            Resumo da obra: O dinheiro que você paga previdência vai para pagar o salário de outro pessoa, contanto que no futuro alguém vá pagar o seu salário.

            Adivinha o que acontece quando existe um número menor de pessoas na base para um número maior de aposentados?

            E como governo faz isso? Ele vai adiando aumentando contribuições e tempo de aposentadoria.
            Basicamente você nunca mais vai se aposentar, ou quando se aposentar vai estar morrendo.

            Eis a realidade de quem depende de aposentadoria para viver!

            20+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
          • Cesar_DF 27 de fevereiro de 2019 at 08:19

            Ainda não está claro como serão as regras sobre aqueles que optarem pelo regime de capitalização.
            Se muitas pessoas perceberem que ele é bem mais vantajoso que o de repartição, muito dinheiro deixará de entrar na repartição, o que irá provocar um enorme impacto na dívida da previdência pública.

            4+
            • avatar
          • Cesar_DF 27 de fevereiro de 2019 at 08:23

            Falido.com
            Já imaginou se o governo coloca este exemplo numa propaganda na TV, para estimular as pessoas a mudarem para a aposentadoria por capitalização ?

            3+
          • tmarabo 27 de fevereiro de 2019 at 10:57

            o que o Mises não fala é que se não houvesse previdência não economizariam e sequer teriam a renda de mil reais após 49 anos de labor e iriam querer receber mil reais do governo mediante assistência social.
            e se o cara falece??? e se o cara adoece?? e se a mulher tem filhos??? e se vai preso?? são várias contingências cobertas pela Previdência e o Mises nem toca no assunto, que conveniente!!!!

            8+
            • avatar
            • avatar
            • Jonny Deep Blue 28 de fevereiro de 2019 at 12:06

              Exatamente! Previdência não é só aposentadoria. É um seguro social mais amplo!! Porém, é muito mal gerido.

              2+
        • Falido.com 26 de fevereiro de 2019 at 19:04

          Já que deu exemplo vou te dar 2…
          Trabalhei num órgão de imprensa famoso(falimentar) que após quase 100anos fechou…
          Quando foram levantar o INSS, surpresinha: Contas zeradas ou perto disso.. Daí vai arrumar advogado, entrar na massa falida e sabe-se Deus se vai conseguir receber o tempo e contribuição….
          .
          Minha mãe aposentada, trabalhou quase que a vida toda para um pequeno empresário, que pagava em dia a sua parte e a da empregada durante quase 30 anos…
          Resultado: Conseguiu se aposentar…
          .
          Será mesmo que a sonegação intencional e fraudulenta não tem relação com a bagunça nas contas públicas?
          A classe média terá novamente que pagar dobrado a conta?

          12+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 19:32

            Qual é o índice de sonegação nos países nórdicos e europa?

            Ínfimo: Existe déficits orçamentários nestes países porque?

            No caso da sua empresa , isso ocorria muitos anos anos 80 e 90 , depois informatização ” Cruzamento de dados” iesso quase impossível uma empresa dar calote no INSS . Porém eu não confio em empresas ou governo, logo eu faço minha própria aposentadoria. OBS: Hoje basta ter acesso aplicativo do governo para você ver se o PIS , INSS esta sendo pago pela empresa.

            Lembrando que a sonegação fiscal NO EUA da cadeia brava, veja o autor Wesley snipes.

            https://celebridades.uol.com.br/noticias/redacao/2013/04/05/preso-desde-2010-wesley-snipes-e-transferido-para-prisao-domiciliar.htm

            Sonegação é bode expiatório para pirâmide financeira atual. Só tem que explicar como países com índice baixo de sonegação apresentam déficits orçamentários ano após ano na previdência social.

            Este risco existe, mas atualmente o risco maior é da insolvabilidade da previdência. Antigamente este golpe de não depositar FGTS , PIS, Previdência foi muito praticado, mas atualmente você pode acompanhar mês a mês se a empresa esta depositando os valores nas contas do governo.

            7+
            • avatar
            • avatar
            • Libertario 26 de fevereiro de 2019 at 20:10

              Bingo.
              A regra pra previdência é pagar o mínimo possível (legal) e invistir por conta.
              Fundos de previdência são outra furada.
              Vão reformar o inss em 2019, e daqui a menos de 10 anos vão ter que mexer de novo, e depois de novo, e de novo….
              É um sistema que nunca dará certo, pois coloca todos no mesmo balaio.

              A verdade é que a previdência não é feita para pagar, ela é feita para receber

              18+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • tmarabo 27 de fevereiro de 2019 at 10:59

                claro que daqui a um tempo vão ter que mexer de novo, pois a atual proposta é BRANDA demais para acabar com o déficit.
                no japão se revisam as leis previdenciárias de 05 em 05 anos, e sempre pra torná-las mais rígidas.

                5+
  • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 19:57

    Não consegui postar aqui os números do Japão para você ver como a coisa anda bizarra.

    Contribuição social empresas = 15%
    Contribuição social empregado = 15%
    Imposto de renda PF = 55%
    Imposto de renda sobre vendas = 8%
    Divida sobre PIB = 253%

    Quais foram os aumentos de impostos?

    Contribuição social saiu de 10 para 15% nos ultimo 15 anos.
    Imposto de renda saiu de 50% nos anos 2000 para 55% no ultimo ano
    Imposto de renda sobre vendas ( consumo) saiu de 5% para 8%

    Trocaram imposto PJ sobre renda assim como manda manual da boa vizinhança.
    Imposto sobre empresas saiu de 55% PJ para 30% o que ainda é grande nas duas ultimas décadas.

    A dívida sobre PIB saltou de 50% em 1981 para 253% atualmente.

    Qual o crescimento do PIB neste experimento keynesiano?

    Daqui alguns anos vamos ver imposto de renda de 80%?
    Impostos sobre corporações vão aumentar para dar contas dos déficits para 50% novamente?

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 20:12

    Agora vamos fazer mesmo estudo com EUA.

    Dívida / PIB = Saiu de 40% em 1965 para 100% atualmente. em 1980 tinha só 50% do PIB imobilizado em dívida.

    Saiu de 50% em 1960 para 20% com a diminuição de impostos promovidas pelo trump.
    Estava rodando em torno de 34% mesma alíquota praticada no Brasil.

    Imposto de renda 35% e estabilizado ao longo do tempo fechando em 37% atualmente.

    Seguro social 15% ao longo do tempo e continua na mesma toada atualmente variando 1% .

    Imposto de renda sobre consumo. Não encontrei dados oficiais, mas acredito é que dai que governo anda esfolando o americano para tentar cobrir os déficits.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 20:14
      • Falido.com 26 de fevereiro de 2019 at 20:43

        Sei… os gastos impulsionam a arrecadação(e não inverso).. Mas pessoas como Mansueto sabem disso porém quando chegam lá (no lugar decisório) o que fazem?
        Se vendem.. mudam totalmente a narrativa…
        Assim não vai ter mudança mesmo…

        5+
        • avatar
        • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 21:27

          Falido no EUA você tem que pagar impostos mesmo se não for residente.

          Para não pagar impostos você precisa abrir mão da cidadania americana.
          Outra questão basilar:

          Arrecadação aumenta, mas isso é impulsionado por gastos estatais e aumento de dívida pública.

          Isso acaba por criar uma dívida insustentável a longo prazo.
          Recentemente o estados unidos chegou a uma dívida nominal de 22 trilhões de dólares americanos.

          No keynesianismo o governo aumenta os gastos como forma de fomentar aumento de arrecadação , mas isso desemboca em inflação monetárias ” Aumento de juros” .

          Ai governo se ve preso no que chamo de dilema do não crescimento.
          Se ele crescer vai gerar inflação e explodir juros da dívida junto as bolhas criadas no mundo.
          Se ele não crescer os déficits públicos vão aumentar rapidamente. O governo precisa de crescimento ad eternum do PIB no modelo atual.

          Nas duas situações do não crescimento e do crescimento a situação tende a piorar.

          Subir juros = Explodir as bolhas
          Não subir juros = explodir os déficits.
          Subir juros = Explodir o pagamento de juros da dívida
          Não subir juros = estagnação econômica.

          10+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 27 de fevereiro de 2019 at 08:15

            Existem algumas situações que quebram o keynesianismo
            1º Estagnação ou queda no crescimento demográfico
            2° Estagnação ou queda na produtividade
            3º A combinação de ambas
            Isso porque o keynesianismo é baseado em endividamento, tirando dinheiro do futuro e colocando-o no presente via emissão de títulos da dívida pública. Isso funciona enquanto o PIB for crescente, via aumento da população ou da produtividade. Quando deixa de acontecer um crescimento do PIB, os títulos vão vencendo e não tem dinheiro para paga-lo.

            8+
            • avatar
            • Senhor Bolha 27 de fevereiro de 2019 at 08:23

              Esqueceu da principal.
              Inflação monetária e alocação de recursos irracional.

              Quando a taxa de juros aumenta todas empresas e investimentos que foram feito na fase da concessão de crédito desmedido são severamente afetados.

              Se você tira dinheiro do futuro para jogar no presente, consequentemente para pagar esta dívida no futuro você vai precisa de cada vez mais dinheiro no presente conforme este futuro vai se aproximando.

              8+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • Cesar_DF 27 de fevereiro de 2019 at 12:50

                Senhor Bolha
                Sim, devido a informação errada sobre o valor do aluguel do dinheiro, muitos empreendimentos são feitos em algo que não deveria dar lucro se a taxa de juros não estivesse artificialmente baixa, mas isso não quebra o keynesianismo, pois permite que seja indefinidamente ser empurrado com a barriga, já o crescimento constante do PIB é um pré-requisito para o keynesianismo funcionar, pois a diferença entre o valor aplicado atualmente e o que será quitado no futuro é originado do acréscimo do PIB no período. Se não ocorrer este acréscimo do PIB (via aumento da população e/ou produtividade) não terá de onde tirar o dinheiro.

                1+
          • Rico 27 de fevereiro de 2019 at 13:32

            Ponto importante aqui.
            Estrageiro pode ter Social Security por esse motivo.
            Estrangeiro não pode ter ID se não for residente.

            Está entendendo porque RG e CPF são coisas distintas?

            1+
    • Falido.com 26 de fevereiro de 2019 at 20:49

      Como os EUA tratam seus devedores…. (lembram de Al Capone?)
      .
      Como o governo assassinou meu pai por sua pacífica resistência aos impostos

      Meu pai Irwin A. Schiff nasceu no dia 23 de fevereiro de 1928, o oitavo filho (e único filho homem) de um casal judeu de imigrantes, que havia cruzado o Atlântico vinte anos antes em busca de liberdade.
      Como resultado da esperança e coragem de meus avós, meu pai teve a sorte de nascer naquela que então era considerada a nação mais livre da história do mundo.

      No entanto, quando ele faleceu no dia 16 de outubro de 2015, aos 87 anos de idade, na condição de prisioneiro político daquela mesma nação, cego e algemado a uma cama de hospital dentro de um quarto de UTI vigiado por agentes armados do estado, aquela nação livre na qual ele tinha nascido já havia morrido há muito tempo.

      Meu pai teve um longo caso amoroso com os princípios fundadores dos EUA e orgulhosamente serviu ao seu país durante a Guerra da Coreia, durante a qual chegou inclusive a ter a nada honorável distinção de pertencer à mais baixa classificação dos soldados americanos na Europa. Enquanto estava na faculdade, conheceu os princípios da Escola Austríaca de Economia por meio das obras de Henry Hazlitt e Friedrich Hayek. De início, ele se tornou ativo na política durante a campanha de Barry Goldwater à presidência dos EUA, em 1964.

      Seu ativismo se intensificou durante a Guerra do Vietnã, quando liderou esforços voluntários e localizados para resistir aos planos da Universidade de Yale de enviar ajuda para o governo do Vietnã do Norte em um momento em que as tropas daquele país combatiam as tropas americanas no sul.

      Mais tarde, ele tentou uma campanha para o governo de Connecticut pelo método write-in [N. do E.: um candidato write-in é um candidato cujo nome não aparece nas cédulas de votação, mas em quem os eleitores podem votar ao simplesmente escrever o nome dele, sendo esses votos válidos. Tal sistema existe quase que exclusivamente nos EUA]. Anos depois, tentou a indicação do Partido Libertário para a presidência, em 1996, mas acabou perdendo para Harry Browne.

      Em 1976, sua defesa da economia de livre mercado, de um governo limitado e de uma interpretação estrita da Constituição americana o levou a escrever seu primeiro livro: The Biggest Con: How the Government is Fleecing You (“A maior das fraudes: como o governo está espoliando você”), uma causticante acusação à expansão do governo americano. O livro recebeu vários elogios do mundo conservador e ganhou uma excelente resenha no The Wall Street Journal, dentre outras publicações da grande mídia.

      No entanto, meu pai sempre foi mais conhecido por sua inflexível oposição à legalidade do Imposto de Renda, postura essa que levou o governo federal a rotulá-lo como um “manifestante tributário”. Meu pai não era anarquista e, sendo assim, admitia uma tributação moderada e objetiva. Ele acreditava que o governo tinha uma função importante, porém limitada, em uma economia de mercado. Ele, no entanto, se opunha à ilegal e inconstitucional imposição de um confisco da renda pelo governo federal, no forma do Imposto de Renda.

      [N. do E.: nos EUA, há um intenso debate sobre se a coleta do Imposto de Renda pelo governo federal é legítima. Originalmente, a Constituição americana não concedia ao governo federal esse poder. Tal brecha foi “corrigida” pela criação da 16ª emenda, a qual passava a conceder esse poder. No entanto, tal emenda nunca foi adequadamente ratificada, de onde vêm os argumentos legais contrários ao Imposto de Renda].

      Seu primeiro livro sobre esse assunto (ele escreveu seis livros no total), intitulado How Anyone Can Stop Paying Income Taxes (“Como Qualquer Pessoa Pode Parar de Pagar o Imposto de Renda”), foi publicado em 1982 e se tornou um bestseller de acordo com a lista do The New York Times.

      Seu último livro, The Federal Mafia; How the Government Illegally Imposes and Unlawfully collects Income Taxes (“A Máfia Federal: Como o Governo Ilegalmente Impõe e Ilegitimamente Coleta Impostos Sobre a Renda”), publicado em 1992 e que teria três edições, se tornou o único livro de não-ficção e o segundo e último livro a ser proibido nos EUA. O único outro livro proibido foi Fanny Hill: Memoirs of a Woman of Pleasure (“Fanny Hill: Memórias de uma Mulher de Prazer”), banido por obscenidade em 1821 e 1963.

      Sua cruzada para obrigar o governo a obedecer a lei garantiu a ele três sentenças de prisão, a última sendo uma sentença de 14 anos que ele começou a servir há dez anos, quando já estava com 77 anos de idade. Nesta última, meu pai foi condenado por ter respondido a uma pergunta em público sobre este seu último livro, algo que um juiz federal o havia proibido para sempre de fazer.

      Essa sentença acabou se tornando uma pena de prisão perpétua, já que meu pai não sobreviveu até o ano de sua soltura, que ocorreria em 2017. Na prática, a sentença de prisão perpétua equivaleu a uma pena de morte.

      Meu pai morreu de um câncer de pele que não foi nem diagnosticado e nem muito menos tratado enquanto ele estava sob custódia do governo federal. O câncer de pele se degenerou em um virulento câncer de pulmão, o qual ceifou sua vida apenas dois meses após o primeiro diagnóstico.

      A desnecessária e cruel reviravolta em seus anos finais de vida ocorreu sete anos atrás, quando ele completou 80 anos de idade. Naquele ponto, o governo federal decidiu removê-lo de uma penitenciária federal de segurança mínima no estado de Nova York, onde ele estava relativamente perto da família e dos amigos, e levá-lo para um instituto correcional federal, primeiro no estado de Indiana e depois no Texas. Isso foi feito com a justificativa de poder dar a ele melhores cuidados médicos. O outro lado da moeda é que, com isso, meu pai foi obrigado a viver isolado daqueles que o amavam.

      Dado que visitá-lo passou a exigir passagens aéreas, longos vôos, aluguel de carro e estadia em hotéis, sua visitas diminuíram brutalmente e se tornaram bem mais esporádicas.

      Não obstante, embora ele supostamente houvesse sido enviado para essas instalações para receber cuidados médicos melhores, o fato é que meu pai não recebeu absolutamente nenhum cuidado médio — nem mesmo para as cataratas que o deixaram completamente cego —, até que o câncer de pele em sua cabeça se espraiou para praticamente todos os órgãos do seu corpo.

      Quando seu diagnóstico finalmente foi feito no início de agosto deste ano, os médicos deram a ele de quatro a seis meses de vida. Tentamos de tudo para tirá-lo da prisão para que ele pudesse passar seus últimos meses de vida com a família, usufruindo momentos preciosos com seus netos que ele praticamente não chegou a conhecer. Mas ele não viveu o bastante para que o processo burocrático pudesse ser completado.

      Dois meses após o processo de pedido de soltura ter começado, e não obstante os esforços combinados de uma deputada democrata e de um senador republicano, o abaixo assinado pedindo sua soltura ainda estava sobre a mesa de algum burocrata, à espera de mais uma assinatura. Até mesmo os funcionários da penitenciária queriam meu pai solto. Mesmo quando meu pai já estava prestes a morrer na unidade de tratamento intensivo, veio um telefonema de um advogado do Bureau of Prisions [agência pertencente ao Departamento de Justiça e responsável pela administração das penitenciárias federais], em Washington, querendo mais provas de que as condições do meu pai eram realmente sérias.

      À medida que o câncer o foi consumindo, sua voz foi se alterando, de modo que o sistema telefônico da prisão não mais a reconhecia. Consequentemente, ele não mais pôde nem sequer conversar com membros de sua família pelo telefone em seu último mês de vida. Quando suas condições se deterioraram ao ponto de ser necessária sua hospitalização, funcionários do governo, cegamente seguindo ordens, mantiveram meu pai algemado à cama. Ele já era um indivíduo completamente inválido aos 87 anos, terminantemente doente, totalmente cego e que mal conseguia respirar, muito menos andar. Morreu algemado à cama de um hospital rodeado de agentes do governo portando metralhadoras.

      Ainda que você não concorde com o ponto de vista do meu pai sobre o Imposto de Renda, é difícil perdoar a maneira como ele foi tratado pelo governo. Ele manteve suas convicções tão sincera e passionalmente, que continuou a defendê-las até seu último suspiro.

      Assim como William Wallace na última cena de Coração Valente, um governo opressivo pode até ter conseguido matá-lo, mas não conseguiu amputar o seu espírito. E esse espírito viverá em seus livros, em seus vídeos, e em seus netos e bisnetos. Com alguma esperança, seu legado irá ajudar, em alguma época vindoura, a restaurar as liberdades perdidas que ele morreu tentando proteger, permitindo que ele finalmente possa descansar em paz.
      .
      https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2206

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • tmarabo 27 de fevereiro de 2019 at 11:03

        nossa, deveriam mudar o nome do site pra mimimimises.
        parece o cara do MST que vai preso “por lutar por mais liberdade” sqn

        8+
        • avatar
        • Rico 27 de fevereiro de 2019 at 11:25

          mimimisses… kkkkkk genial!

          6+
          • avatar
          • tmarabo 27 de fevereiro de 2019 at 14:03

            e isto que eu curto bastante o Mises, já cheguei até a pagar a tal anuidade deles e ganhei uma carteirinha rsrsrsrsrs. Mas tem cada uma que dá nos nervos.
            daqui a pouco vai ter texto deles falando que parar no sinal vermelho é opressão estatal contra a liberdade do indivíduo.

            4+
      • tmarabo 27 de fevereiro de 2019 at 11:10

        “Essa sentença acabou se tornando uma pena de prisão perpétua, já que meu pai não sobreviveu até o ano de sua soltura,”

        Os petistas falam a mesma coisa… só esquecem de dizer que o Lula, Zé Dirceu como o cara do texto, cometeram crimes já idosos.

        2+
  • Cajuzinha 26 de fevereiro de 2019 at 21:05

    26/02/2019 13h30
    Washington, 26 fev (EFE).- O presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, alertou nesta terça-feira que os sinais para o crescimento econômico dos Estados Unidos são conflituosos no futuro, mas ressaltou que as condições atuais são “saudáveis”.

    “Apesar de considerarmos que as condições econômicas atuais são saudáveis e que as perspectivas são favoráveis, nos últimos meses vimos alguns sinais conflituosos”, afirmou Powell em audiência realizada no Comitê Bancário do Senado.

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 27 de fevereiro de 2019 at 00:14

      traduzindo: estou bem e meus amigos tambem.
      Há trabalho para todos. Trabalhar 12 hs por dia para viver bem é um detalhe.
      O trabalho dignifica os outr… , quero dizer, o homem

      5+
      • Libertario 27 de fevereiro de 2019 at 10:06

        Na Venezuela e em Cuba não trabalham tanto assim.

        2+
  • Cajuzinha 26 de fevereiro de 2019 at 21:11

    O excesso de estoque do Wrangler é preocupante porque a Fiat Chrysler está apostando quase exclusivamente em caminhões e SUVs, eliminando muitos de seus sedãs para rechear as margens de lucro. A Ford Motor e a General Motors estão seguindo o exemplo com medidas semelhantes. Mas, com novos modelos acumulando-se em todos os cantos do mercado de SUVs, as vendas do setor estão diminuindo e as taxas de juros estão tornando mais difícil comprar veículos novos, que nunca estiveram tão caros.

    “As empresas do setor automotivo costumavam estar em uma posição em que a demanda superava a oferta”, disse Adam Jonas, analista do Morgan Stanley, por telefone. “A oferta agora está acompanhando o ritmo da demanda e, possivelmente, chegando a um ponto em que excederá a demanda. Provavelmente ainda não chegamos nesse ponto, mas estamos nos aproximando dele.”

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Paulo Avelar 27 de fevereiro de 2019 at 02:27

      Não é só questão dos impostos, a questão é que muita gente não está mais afim de pagar 60 mil reais por um carro meia boca agora no Brasil somente para financiar a margem de lucro máxima que as montadoras querem dos brasileiros..
      Um bom carro deveria custar ainda de 25 mil a 36 mil reais.

      6+
      • avatar
  • Cajuzinha 26 de fevereiro de 2019 at 21:23

    Em meio à crise, montadoras pedem a Guedes que adie livre comércio de carros com México
    Venda sem restrição começa em 19 de março; empresas querem manter cotas alegando prejuízo com custo Brasil

    Estou até pensando em comprar im tracker

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 21:31

      Depois que falo que livre comercio é terror das corporações o pessoal diz que é teoria da conspiração .

      A maior parte dos negócios é montando em subsidio governamentais e crédito direcionado.
      Isso que da o governo meter bedelho em tudo. Criou uma raça de empresários vagabunda e mal intencionada que não sabe lidar com concorrência.

      28+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Falido.com 26 de fevereiro de 2019 at 21:34

        Ford, GM que o digam…..

        7+
        • avatar
        • avatar
      • Carlos 26 de fevereiro de 2019 at 21:44

        Calma, agora vai melhorar, é só os estudantes começarem a cantar o hino nas escolas e mandar os vídeos pro Bolsonaro que a economia melhora 😁
        Depois tem gente que me crítica por não ter nenhum tico de esperança no bananistão.

        19+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Falido.com 26 de fevereiro de 2019 at 21:52

          claro que o menino Bozo cresceu encima de rigidos austeros preceitos de cidadania, honestidade, respeito, civilidade e compromisso com a coisa pública..vide sucos de Açai, Laranja e goiaba..
          OSPB e Moral e Cívica… vai dar certinho…. 🙂

          10+
          • avatar
          • avatar
      • socrates 27 de fevereiro de 2019 at 00:11

        amém

        2+
    • Carlos 26 de fevereiro de 2019 at 21:49

      Chevrolet tracker?
      Não faça isso 🙂

      2+
      • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 09:11

        Poderia comentar?

        1+
        • Carlos 27 de fevereiro de 2019 at 09:24

          Muitos problemas de qualidade, aliás, a maioria dos carros da GM estão com problemas, os mais baratos pelo menos são mais baratos de se arrumar.
          O novo acho que é turbo não é? Aí ficou mais arriscado ainda.
          Não vá na onda das revistas e jornalistas automotivos, quase todos estão a soldo das montadoras. Se for modelo novo aguarde pelo menos uns 2 anos pra saber dos problemas, quem compra carro no ano de lançamento ou grandes mudanças acaba sendo cobaia das montadoras.

          https://m.folha.uol.com.br/mercado/2014/04/1439242-chevrolet-faz-recall-de-8000-tracker-por-problemas-no-sistema-de-frenagem.shtml

          7+
          • avatar
          • avatar
          • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 13:28

            Valeu!

            É turbo. Parece que tem bom torque e consumo.

            Alguma sugestão de outro carro “suv”?

            2+
            • avatar
            • Carlos 27 de fevereiro de 2019 at 18:29

              Se não custar os olhos da cara um Toyota RAV4, compra racional.

              1+
  • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 21:49

    Analisando o mind set atual.
    Eu não coloco a mão no fogo por nenhum país, muito menos Brasil.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 26 de fevereiro de 2019 at 21:53

      Exatamente, o negócio é ficar líquido, carregar pouca bagagem e ter poucos compromissos.
      Agora imagine quem está acorrentado a toneladas de tijolos….

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Senhor Bolha 26 de fevereiro de 2019 at 22:03

    Exatamente a questão é que bomba esta armada .

    E a tendência é sempre piorar.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 27 de fevereiro de 2019 at 06:22

    Bolhas fazendo Ploc no planeta todo mas no Brasil é fiderente © Rosinha

    The world’s most expensive property market is crashing

    Real estate is the main game in Hong Kong, and as the drop in housing prices nears correction territory, concern is mounting about the toll the downturn will exact on the city’s economy.

    https://www.smh.com.au/business/markets/the-world-s-most-expensive-property-market-is-crashing-20190227-p510gh.html

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 27 de fevereiro de 2019 at 08:06

      Carlos
      Na minha opinião, os trilhões emitidos pelo FED e pelo BCE correram o mundo atrás de investimentos, pois as taxas de juros estavam quase zeradas.
      Os problemas que podem acontecer:
      1) Fundos de aposentadoria colocaram dinheiro em FII e Bolsa de Valores, significando que muitas pessoas terão suas aposentadorias reduzidas.
      2) Foi feita a securitização do rendimento destes títulos acima, e os bancos não terão como pagar este seguro, pois estão operando com uma alavancagem de 20X e 40X
      3) Muitos destes bancos também guardam fundos de aposentadoria.

      Conclusão: será uma grande oportunidade de diversificação de carteira para aqueles que estiverem líquidos

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 27 de fevereiro de 2019 at 07:35

    USO DE ROBÔS, ESQUIZOFRENIA OU DESONESTIDADE ?

    23:59 – “Já é uma realidade a recuperação de preços dos imóveis em São Paulo”, diz economista
    https://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/7947941/ja-e-uma-realidade-a-recuperacao-de-precos-dos-imoveis-em-sao-paulo-diz-economista

    00:01 Na construção civil, trabalho com carteira despenca 34%
    https://www.conversaafiada.com.br/economia/na-construcao-civil-trabalho-com-carteira-despenca-34

    26/02/2019
    A situação é pior tomando o número de vagas com carteira assinada no setor, que despencou nada menos do que 34% no período considerado, acarretando a perda de 1,17 milhão de postos de trabalho. De acordo com dados da Pnad, analisados pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getúlio Vargas (FGV), e pelo Sindicato da Indústria de Construção do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP), a retração foi maior no subsetor imobiliário (eliminação de 42,9% de vagas), seguido por obras de acabamento (35,5% menos empregos), preparação de terrenos (menos 33,7%) e infraestrutura (33,1%).

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 07:56

    Índice de sentimento econômico da zona do euro atinge menor nível desde 2016

    A redução se deve à deterioração da confiança da indústria, de +0,6 em janeiro para -0,4 em fevereiro.

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 08:00

    PIB pode crescer 2,3% em 2019, mas recuperação do consumo ainda é lenta
    https://exame.abril.com.br/negocios/dino/pib-pode-crescer-23-em-2019-mas-recuperacao-do-consumo-ainda-e-lenta/

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 08:08

    Indústria da região de Campinas aponta melhora, mas emprego em janeiro é o pior desde 2010

    Primeiro mês de 2019 terminou com 450 demissões, segundo o Ciesp Campinas.

    Desde o início da série histórica em 2003, é a quarta vez que empresas da região fecham janeiro com dispensas.

    Para o diretor do Ciesp Campinas, José Nunes Filho, apesar dos números positivos na produção e vendas, o nível de empregos no setor não deve apresentar uma melhora em curto prazo.

    Para ele, o motivo é o fato de as indústrias estarem com índices altos de endividamentos bancários e tributários.

    “Sem dinheiro não tem como transformar este otimismo [alta nas vendas e produção] em emprego”, afirma Nunes Filho.

    O déficit da balança comercial da regional Campinas do Ciesp fechou janeiro de 2019 em US$ 660 milhões, o que significa aumento de 28.8% em relação ao mês de janeiro anterior.

    As exportações de janeiro ficaram em US$ 254,7 milhões, queda de 12,1% frente ao mesmo mês do ano passado.

    https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/concursos-e-emprego/noticia/2019/02/26/industria-da-regiao-de-campinas-aponta-melhora-mas-emprego-em-janeiro-e-o-pior-desde-2010.ghtml

    3+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 08:30

    27/02/2019 às 05h00
    ‘Se atividade não reagir, juro pode ter que ceder mais’ Por Catherine Vieira e Sergio Lamucci | De São Paulo

    A economia brasileira está demorando a engrenar e, se não demonstrar reação nos próximos meses, é possível que a situação exija mais estímulo, como um corte adicional de juros. Essa é a visão do economista-chefe do Bradesco, Fernando Honorato. “Se essa melhora que vimos nas condições financeiras nos últimos três, quatro meses não se materializar rapidamente em um, dois, três meses em mais atividade, podemos suspeitar que precisa de mais estímulo monetário

    https://www.valor.com.br/brasil/6139703/se-atividade-nao-reagir-juro-pode-ter-que-ceder-mais ou as ferramentas oferecidas na página.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 08:31

      CA, é impressionante mesmo!

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 08:34

        kkkkkkkkkkk

        pensei besteira, vou falar.

        com 2 comprimidos azuis pode ser que resolva kkkkkkkkkkkkkk

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • CA 27 de fevereiro de 2019 at 09:17

        Cajuzinha,

        Aqui é o famoso dobrar a meta da Dilma!

        Não adiantou NADA colocaram a SELIC em seu menor patamar de toda a história por mais de um ano, não gerou NENHUMA recuperação na economia? Então, baixe a SELIC de novo!

        Por que a SELIC em seu menor patamar histórico por mais de 1 ano não adiantou nada?

        Porque estamos com recorde histórico de pessoas inadimplentes, com volume que não para de crescer de empresas com décadas e/ou faturamento bilionário que estão QUEBRADAS e mais o governo federal QUEBRADO, vários Estados e a grande maioria dos municípios na mesma situação e frente a esta REALIDADE, a liquidez está reduzida, os bancos estão receosos de emprestar em maiores volumes, o spread fica em patamar recorde para cobrir o risco que também está no maior patamar da história, assim os juros finais ficam muito elevados e isto não viabiliza qualquer recuperação do consumo ou dos investimentos, até porque o número de pessoas, empresas e governos habilitados financeiramente para aumento de gastos também é muito reduzido.

        Se reduzir a SELIC de novo, resolve o que na situação acima? NADA.

        A SELIC foi baixada na CANETADA, em meio a um crescimento de mais de R$ 100 BILHÕES no déficit público por ano ao longo dos últimos anos, com nosso CDS, que mede o risco internacionalmente, disparando, com recorde de subida do dólar no meio do caminho devido à fuga de capital do país por visibilidade quanto a nosso risco, o que somada a situação REAL de inadimplência de famílias, empresas e governo, jamais deveria permitir tal patamar de SELIC.

        E é exatamente pela situação acima, combinada com a profunda DEGRADAÇÃO dos empregos, que vemos a inflação sempre ficar abaixo da meta e das “expectativas” dos especialistas economistas, porque não há NENHUMA recuperação efetiva de consumo em um contexto como este, nem poderia haver!

        Assim prosseguem os ALIENADOS, com suas teorias espúrias de dobrar a meta do que não funciona.

        Com erros GROTESCOS de diagnóstico, o máximo que irão fazer será jogar mais gasolina no incêndio, ou seja, se baixarem a SELIC de novo, quando ela fatalmente tiver que subir em virtude de explosão mais visível de bolhas, seja no Brasil ou no Exterior, a subida terá que ser muito maior e mais traumática, este é o único resultado concreto que veremos se fizerem esta INSANIDADE de baixar a SELIC de novo…

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Senhor Bolha 27 de fevereiro de 2019 at 09:21

          Além de empurrar um monte de idiota para renda variável.
          Assumir parcelinhas.
          Empresas que tiverem capital em caixa imobilizarem em porcaria e assim por diante.

          9+
          • avatar
          • avatar
    • Senhor Bolha 27 de fevereiro de 2019 at 08:40

      A conferir os subsídios concedidos pelos governo ao setor automotivo.

      2+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 08:39

    PIB per capita recua para o nível de 2010
    Dados mostram que a atividade econômica não acompanhou crescimento da população

    “O PIB diminuiu, e a população ainda cresceu. Então somando os dois a situação fica ainda pior”, explicou Juliana Cunha, analista do Núcleo de Contas Nacionais do Ibre/FGV.

    Se confirmado o crescimento de 1,1% em 2018, o PIB ainda precisará avançar 5% para retornar ao pico alcançado em 2014.

    “A economia está enfrentando mais dificuldade para voltar ao patamar anterior ao da recessão. Nas recessões anteriores, essa saída foi mais rápida. Desta vez, já se passaram 18 trimestres e (a economia) ainda não chegou lá”, lembrou Claudio Considera.

    O economista lembra que, na recessão de 1981, a economia recuperou a capacidade produtiva que detinha no primeiro trimestre da recessão após 13 trimestres. Na recessão de 1989, a atividade econômica recuperou o nível do PIB que tinha antes da crise em 16 trimestres.

    “Chama a atenção a lentidão dessa recuperação. Passamos por crises longas, mas a maior novidade é o quanto não temos conseguido recuperar essas perdas tão rápido quando em 81 e 89”, corroborou Thiago Xavier, analista da Tendências Consultoria Integrada.

    https://www.terra.com.br/economia/pib-per-capita-recua-para-o-nivel-de-2010,1a2fb253b50d707e813b611aef8d4c5cbl0328dq.html

    5+
    • avatar
    • Senhor Bolha 27 de fevereiro de 2019 at 08:44

      Só esqueceram de falar no meio acadêmico para este nobre economistas de alguns fatores: produtividade , endividamento público e alavancagem financeira.

      Venderam o futuro para fornecer o presente.
      O futuro chegou! o PIB não cresceu como os especialista previam em suas planilhas de simulação.

      8+
      • avatar
    • Senhor Bolha 27 de fevereiro de 2019 at 09:07

      PiB per capita inglaterra.
      Crescimento de apenas 1,5 % em 10 anos.

      https://pt.tradingeconomics.com/united-kingdom/gdp-per-capita

      4+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 27 de fevereiro de 2019 at 09:43

        O tal de PIB já deu pra Bola na atualidade como medida.. ele não acompanha nem mede direito além das mudanças antigas e maquiagens… china, UK, etc. Ele foi inflado e sempre se espera que aumente. não tem como oscilar sempre acima da média…
        não tem como prometer crescimento de 6% (ou seja a cada 9 anos uma dobrada de valor)… nenhuma pop faz isso ..a próxima desculpa será a mudança climatica..e AI. Não dá pra medir shadow banking corretamente por exemplo.

        -Entenda o novo cálculo que aprimora e muda o tamanho do PIB
        Globo.com-27/03/2015
        Euro Forecast: Revisions to GDP Data to Underscore Weakening …
        DailyFX-10/02/2019
        -PwC: Artificial Intelligence will Contribute $16 Trillion to GDP by 2030
        American Thinker (blog)-há 3 horas
        -Warren Buffett argues government budget deficits don’t matter
        Axios-24/02/2019

        4+
        • avatar
        • avatar
        • Senhor Bolha 27 de fevereiro de 2019 at 14:06

          depois que descobri a jogadinha de buffet peguei nojo da sua persona.

          Ele é keynesiano puro porque sabe que se governo reduzir o déficit a fortuna dele vai afundar! KKKKKk

          O babaca ainda diz que déficits não importam e que é para dobrar a meta do endividamento hahahahahha

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • socrates 27 de fevereiro de 2019 at 09:47

        os ingleses vivem bem. Ao menos bem melhor que a média.
        Se a população nao crescer, que diferença faz o PIB não crescer?
        O aumento de produtividade com o avanço da tecnologia garantirá por si só uma ganho enorme de qualidade de vida.
        Para eles, basta não perder. O que é muito difícil, já que eles tiveram uma mega bolha com dinheiro russo e arabe de origens duvidosas.
        Os islandeses, por exemplo, não aceitaram pagar a conta. A América Latina, provavelmente também não aceitará pagar por muito tempo. Países como a Tailandia, no sudeste asiático, mais cedo ou mais tarde também não engolirão bancar a festa alheia.
        Ia dizer que a bola da vez no futuro seria a Africa. Mas se pararmos para ver o que esta acontecendo com países como Angola e Nigeria (a bolha em Angola é provavelmente a pior do mundo), eles j´=a são a aposta no presente.
        O petróleo banca a roda!

        2+
    • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 09:34

      André Perfeito, acredita que o cenário macroeconômico para 2019 já está dado. Segundo ele, mesmo que houvesse rápida tramitação e aprovação da reforma, a atual ociosidade da indústria dispensa investimentos, não é esperada forte retomada do emprego ou consumo e a perspectiva é de contenção de gastos públicos. “Como esses componentes do PIB não devem ser alterados, mesmo com uma eventual reforma, esperar um aquecimento mais forte da economia está fora de questão.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

      https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2019/02/26/internas_economia,1033737/indicadores-apontam-recuperacao-do-mercado-imobiliario.shtml

      6+
      • avatar
    • CA 27 de fevereiro de 2019 at 09:43

      Cajuzinha,

      Mais um exemplo da CEGUEIRA dos “especialistas economistas”.

      Quando nas outras crises, tivemos um nível tão ABSURDO de endividamento de governos, empresas e famílias como este que alcançamos e que CONTINUAMOS ESTIMULANDO para que cresça? NUNCA!

      Quando nas outras crises, tivemos uma DEGRADAÇÃO tão profunda e absurda quanto aos empregos? NUNCA!

      Quando nas outras crises, tivemos DISTORÇÕES tão profundas no segmento imobiliário, que primeiro fizeram com que o crédito imobiliário crescesse mais de 40 VEZES em 10 ANOS, gerando um volume sem precedentes de super-endividados por longo prazo, combinado com PIRÂMIDE FINANCEIRA de vendas FALSAS na planta e neste conjunto, fazendo com que o preço de venda crescesse o TRIPLO da renda da população e levando a enormes disparidades entre oferta e procura, vacância recorde, preço de venda e aluguel com peso EXCESSIVO para famílias, alimentando os ciclos de super-endividamento, inadimplência e degradação dos empregos que constam acima? NUNCA!

      Quando tivemos tantas MAQUIAGENS e PEDALADAS no sistema financeiro e com apoio do BC para sustentar de forma ARTIFICIAL tudo que consta acima, seja por reduções FRAUDULENTAS de provisões, renegociações MIRABOLANTES para mascarar a inadimplência real, sem prazo para retomar imóvel inadimplente ou revender em leilão, adulterando IVG-R e cálculo de resiliência contra queda de preços dos imóveis, dentre diversos outros crimes financeiros? NUNCA!

      Quando tivemos tantas ameaças externas SIMULTÂNEAS, trazidas também como consequência de bolhas no Exterior, desde a bolha das bolhas americana, passando por bolhas imobiliárias chinesa, de Londres, Austrália, etc e chegando às ações para super-expansão das bolhas e de suas consequências CATASTRÓFICAS, como por exemplo, os TRILHÕES DE DÓLARES em “securitização”, onde uma grande parte é título PODRE, as pedaladas diversas feitas pelos países, desde baixar juros no fórceps (ou até trabalhar com juros negativo), até reduzir ao máximo compulsórios e aumentar ao máximo os gastos e “incentivos” do governo, tudo para adiar o INEVITÁVEL e PIORAR fortemente as suas consequências NEGATIVAS? NUNCA!

      Se não existe NADA em comum quanto às crises anteriores, se o que nos levou e mantém na crise atual não guarda NENHUMA semelhança com relação ao passado, por que deveríamos ter a mesma velocidade ou características para sair da crise? Não existe NENHUM motivo para isto, esta expectativa é estúpida e sem sentido!

      E o pior de tudo: se não fizemos absolutamente NADA para combatermos a causa RAIZ dos inúmeros problemas acima, se não houve nenhuma ação estrutural para combatê-los, apenas uma série de GAMBIARRAS para PEDALAR e MAQUIAR, por que a expectativa de que vamos “melhorar”, de que a recuperação vai “pegar tração”, ou algo assim? De novo, tais expectativas não fazem NENHUM sentido! Não estamos fazendo NADA para melhorar, esperar por MILAGRES não resolverá nada e ainda, como o diagnóstico é torpe, estúpido, ignorando tudo que consta acima, não há sequer uma expectativa de que venhamos a corrigir o rumo…

      5+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 09:09

    Em Sergipe

    Governo Tem Projeto Para Sair De Crise Com Venda De Ações Do Banese E Deso

    O governador Belivaldo Chagas apresentou alguns projetos analisados pelo executivo para vencer a crise e ir retornando à normalidade, como vender ações do Banco do Estado de Sergipe (Banese) e da Companhia de Abastecimento Esgotos de Sergipe (Deso), além de trabalhar a partir do próximo mês para conseguir o empréstimo com a antecipação dos royalties da Petrobras.

    3+
    • avatar
    • Cesar_DF 27 de fevereiro de 2019 at 11:37

      Quanto vale uma ação de uma empresa pública que poderá dar lucro ou prejuízo pela mera decisão do governador ?

      1+
      • Rico 27 de fevereiro de 2019 at 15:04

        O importante, nesses casos, é ter informação privilegiada de qual decisão o governador irá tomar.

        2+
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 09:18

    32 MILHÕES?!

    Pedro Guimarães também pediu um pente-fino no contrato de locação da sede da Caixa no Rio de Janeiro, pelo qual o banco paga mensalmente R$ 32 milhões à BR Properties.

    O presidente da Caixa quer entender por que o banco se mudou, na gestão passada, para o edifício Passeio Corporate, na rua das Marrecas.

    https://www.oantagonista.com/brasil/aluguel-maravilha/

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 09:19

      Ao pedir um pente-fino na área administrativa da Caixa, Pedro Guimarães descobriu que o banco aluga 15 prédios em Brasília e sete em São Paulo.

      E seus subordinados não souberam dizer quem são os locatários.

      https://www.oantagonista.com/brasil/caixa-de-surpresas/

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • socrates 27 de fevereiro de 2019 at 09:34

      isso deve estar errado.
      Tem prédio público vazio ali do lado. O Palácio Capanema, histórico e simbolo do Centro, por exemplo.
      Esse valor da quase 400 milhões de reais por ano.
      Daria para construir novas estações de metro estendendo a linha 4, por exemplo. Ou, com atraso de décadas, terminando a linha 2.
      A próproa Caixa tem um prédio enorme bem na Carioca e não é possível que não caiba ali tudo o que precisa. Digo: arrumando realmente a casa.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • socrates 27 de fevereiro de 2019 at 09:51

      Sobre a transferencia para o palácio de 32 milhoes/mes

      http://www.apcefrj.org.br/portal/apcef-rj-portal/noticias/transferencia-de-setores-da-caixa-a-nova-sede-no-passeio-corporate-comeca-dia-10.htm

      Acho que se ir fundo (ou nem tanto), vão achar muitos interessados…

      3+
      • avatar
    • CA 27 de fevereiro de 2019 at 10:01

      Cajuzinha,

      Deve ter algo errado neste número de R$ 32 milhões mensais, veja reportagem abaixo:

      https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/07/caixa-escolhe-nova-sede-no-rj-na-cinelandia-e-ignora-revitalizacao-do-porto.shtml

      No meio do ano passado, a Caixa havia pensado em se mudar para a região do Porto, onde ela havia QUEIMADO mais de R$ 5 BILHÕES do FGTS no enorme FRACASSO do projeto “Alice no País das Maravilhas”, mas seus funcionários não aceitaram e ela no final decidiu se mudar para este prédio da BR Properties.

      No link acima, consta que a Caixa ia sair de um imóvel alugado da BTG por R$ 4,2 milhões mensais e iria para este outro da BR Properties, com aluguel NÃO DIVULGADO, mas que o mercado ESTIMAVA que seria algo em torno de R$ 2 milhões mensais, próximo do valor oferecido por outro imóvel na zona portuária.

      Daí para R$ 32 milhões por mês vai uma ENORME diferença, vamos ver se não vão corrigir esta informação…

      Em tempo:

      É importante investigar se existem desvios vultuosos como o mencionado acima, embora eu acredite que seja um engano, daria MUITO na vista, no entanto, seria MIL VEZES mais importante se o presidente da CEF investigasse as reduções FRAUDULENTAS de provisões e de inadimplência, as renegociações MIRABOLANTES, as enormes “facilidades” para obtenção de crédito e outras “mágicas” praticadas pela CEF e que causam um prejuízo à economia e sociedade infinitamente maior do que estes eventuais desvios…

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • socrates 27 de fevereiro de 2019 at 10:35

        ainda mais em um negócio feito no final de 2018; no apagar das luzes
        Seria muita certeza da impunidade

        1+
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 09:29

    Publicado em 27/02/19 08:56
    Fraqueza do crescimento alemão persiste mas pessimismo não é justificado, diz BC

    O crescimento na Alemanha, maior economia da zona do euro, estagnou no segundo semestre do ano passado e crescem os temores de que as dificuldades podem não ser tão temporárias quanto imaginado inicialmente, um potencial peso para todo o bloco monetário.

    O Bundesbank disse que o crescimento este ano ficará “bem abaixo” de sua taxa potencial de 1,5 por cento uma vez que a queda, cuja expectativa era de que acabasse no ano passado, ainda persiste.

    “Há muito para sugerir que a queda no crescimento aqui na Alemanha persistiu até este ano…e é provavelmente por isso que o crescimento econômico alemão ficará bem abaixo da taxa potencial de 1,5 por cento em 2019”, disse Weidmann.

    https://extra.globo.com/noticias/economia/fraqueza-do-crescimento-alemao-persiste-mas-pessimismo-nao-justificado-diz-bc-23484524.html

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 27 de fevereiro de 2019 at 10:21

      Cajuzinha,

      Um dos piores ROMBOS sendo MAQUIADOS e PEDALADOS na Alemanha diz respeito ao seu maior banco, o Deutsche Bank, o maior detentor de “derivativos” de toda a Europa (mais de 40 TRILHÕES de Euros em derivativos só no Deutsche Bank), daqueles que usualmente embutem parcela relevante de títulos PODRES, SUPER-VALORIZADOS.

      Quando a REALIDADE vier à tona, o Lehman Brothers será “fichinha”.

      De roldão quando não segurarem mais a FARSA acima, fortíssimo impacto nas bolsas de valores ao redor do globo e prejuízos inimagináveis para muitos fundos de pensão europeus que estão investindo fortemente nas Ações destas empresas (MUITOS idosos ficarão sem suas aposentadorias), sem contar a dependência da economia alemã e das exportações quanto ao seu maior banco, a perda de confiança no sistema financeiro global, os efeitos em cascata sobre demais países da Europa, disparando “N” desconfianças no resto do Mundo, incluindo EUA, China, etc e tirando dinheiro à velocidade da luz de economias em desenvolvimento vistas como de maior risco (incluindo o Brasil).

      Os efeitos da volta à REALIDADE quanto ao Deutsche Bank, como uma das consequências ou sendo o gatilho da explosão da bolha das bolhas americana, junto com as demais consequências esperadas, será uma CATÁSTROFE padrão GEELE (Global Economic Extinction Level Event), ou seja, equivalente à SOMA dos prejuízos de algumas grandes bolhas do passado, como a das .com, imobiliária americana e espanhola, mais TRAGÉDIAS como a do início do século que levou à criação do SOX e quebras de governos como o da Grécia, dentre outros.

      2+
      • avatar
      • socrates 27 de fevereiro de 2019 at 10:37

        EUA, Alemanha, China… Todo mundo a espera de um laranja…
        Para o esquema poder voltar mais tarde

        0
        • socrates 27 de fevereiro de 2019 at 10:41

          o Trump tentou pintar o gordinho da Coreia de laranja
          os russos tb foram alvo ( e para eles seria conveniente tb, ne? Os ricos na inglaterra que o digam)
          O “fechamento do governo americano” tambem paraceu “ser a boa” para o ploc…

          E teve meteoro, furacao do tamanho do México…

          Seria a Venezuela a desculpa necessaria?
          Uma guerra que se resolveria em 1 dia, com um drone e uma bomba, se durasse meses poderia ser a desculpa para o ploc, nao?

          2+
      • rogerio 27 de fevereiro de 2019 at 11:26

        pois é…daí o que adiante ter ouro na forma contrato? 🙂

        2+
        • avatar
  • socrates 27 de fevereiro de 2019 at 09:30

    tenso
    a caixa não é auditada por órgãos de controle externo estatais tb?

    2+
    • avatar
  • Crazy4you 27 de fevereiro de 2019 at 09:55

    Off Topic
    Em abril do ano passado, ou próximo disso, postei aqui sobre o início do meu caso com os tijolos. Cobrança antiga da companheira, o mercado imobiliário travado, a expectativa de melhora para frente, enfim… resolvi encarar o desafio da casa própria. A Caixa tinha me recusado o financiamento, e tem coisa que Deus põe a mão para abençoar os filhos, digo isso porque minha renda e condição financeira é quase impecável. Talvez seja por isso que eles não me fizeram o financiamento que era para quer quitado quase que integralmente com FGTS. Ah,… relembrando, na entrevista disse que queria só o financiamento e não aquela lista de agregados que eles querem empurrar junto tipo seguro de automóvel, títulos de capitalização e fundos de previdência. Resultado, tive que refazer os planos para a construção com recursos próprios e com isso alterei o projeto, pois tinha feito umas adaptações para deixar a planta menor e ter certo enquadramento nas regras da Caixa.
    Então, a partir de abril/2019 até quinta da semana passada que foi quando passei a primeira noite na casa nova, foi muito trabalho e atenção. Teve decepções, dificuldades, sofrimentos, mas aprendizagem também.
    O custo econômico foi na ordem de 600 mil para 230m2 de construção em um terreno de 440m2. Cerca de 2.610,00 por m2 incluindo o terreno.
    Então troquei um sobrado com algo em torno de 120m2 e um aluguel de 1.785,00/mês por uma casa térrea própria com quase o dobro de tamanho.
    Financeiramente não foi legal,… mas pensa numa casa boa e a patroa toda feliz.
    Agora voi ter que dar um tempo com gastos e recompor a poupança. Vamos dizer que volto a especular com a alma mais leve,…
    Abraço a todos.

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 27 de fevereiro de 2019 at 10:44

      2.6k o m2 em uma cidade como o Hell estaria excelente.
      Ao menos em algum lugar longe da Faixa de Gaza que toma 80% da “cidade”

      3+
      • avatar
  • Ilusionista 27 de fevereiro de 2019 at 09:55

    já batemos panela, já cantamos o hino nacional, enquanto isto, desemprego atingindo agora em 2019, 12,7 milhões de desempregados….

    https://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2019/02/27/desemprego-pnad-ibge-trimestre.htm

    5+
    • avatar
  • Alemon Fritz 27 de fevereiro de 2019 at 10:19

    desculpa numero 298
    -Burocracia com crédito prejudica setor imobiliário
    Correio do Estado-há 4 horas
    O grande fator é que o comprador está tendo dificuldade de comprovar renda, e isso acaba limitando a compra. Eles [clientes] até querem, mas a análise cadastral está dificultando”, pontuou…. kkkk

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 10:30

      kkkkkkkkkk

      vontade é uma coisa que dá e passa kkkkkkkkkkkkkkkk

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • tmarabo 27 de fevereiro de 2019 at 10:51

      verdade, essa burocracia de ver se o cliente tem condições de pagar o empréstimo é que atrapalha. bons tempos em que faziam vista grossa pra essas formalidades bestas.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 27 de fevereiro de 2019 at 10:22

    galera caiu direitinho no papinho da valorização:

    “Nós, corretores, temos conhecimento da realidade do mercado, mas muitos proprietários não estão aceitando a opinião do corretor e isso dificulta a realização do negócio. Mesmo assim, têm saído negócios. A maioria das operações com venda é imóvel de lançamento do Minha Casa Minha Vida e alguns outros nesta linha. Agora, para imóveis de terceiros, as negociações estão mais travadas”, apontou.
    quem dá o preço é o cliente…

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 10:31

      “quem dá o preço é o cliente…”

      Hum…. que interessante kkkkkkkkkk

      “tirou onda, agora quem não quer sou eu” kkkkkkkkkkkkk

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Zebolheu 27 de fevereiro de 2019 at 10:29

    Ando acompanhando alguns imóveis na minha região, visitei alguns, e o que vejo é o seguinte: nenhum dos imóveis que acompanhei foram vendidos nestes últimos 3 meses, mas vários aumentaram o preço anunciado. Já desisti de entender.

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 10:36

      Síndrome da não aceitação da realidade. Encarar a realidade é só para os fortes, muitos preferem ficar vivendo de sonhos. Em todos os campos da vida…

      “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • socrates 27 de fevereiro de 2019 at 10:48

        “Venha, meu coração está com pressa
        Quando a esperança está dispersa
        Só a verdade me liberta
        Chega de maldade e ilusão”

        2+
        • avatar
        • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 10:56

          “Vamos cantar juntos o hino nacional” – mais atual, impossível!

          Vamos comemorar como idiotas
          A cada fevereiro e feriado
          Todos os mortos nas estradas
          Os mortos por falta de hospitais

          10+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • Rico 27 de fevereiro de 2019 at 10:40

      Se eu não vendo por 100 é muito melhor eu não vender por 130.
      De certa forma a indústria automobilística faz isso… Aumenta o preço dos veículos no início da crise alegando aumento de custos e quando volta a vender os valores já estão reajustados.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Libertario 27 de fevereiro de 2019 at 10:36
    • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 10:37

      Caixa prepara até R$ 7 bi de reservas contra calotes imobiliários

      Fonte: https://www.sunoresearch.com.br/noticias/caixa-prepara-reservas-contra-calote-imobiliario/

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Libertario 27 de fevereiro de 2019 at 10:39

        É tópico.

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 10:39

        a Caixa começou a registrar perdas maiores com o setor imobiliário. Um problema devido em parte a desvalorização dos imóveis que foram retomados por inadimplência. Em 2018 o banco tentou vender, sem êxito, lotes de imóveis retomados para grandes investidores.

        6+
        • avatar
        • avatar
    • Libertario 27 de fevereiro de 2019 at 10:38

      Cesar_DF pira:

      De acordo com dados dos balanços da Caixa, operações imobiliárias classificadas pelo banco com ratings de ‘D’ a ‘H’, com maior chance de não pagamento pelo tomador, equivaliam em setembro a cerca de 6,6 por cento da carteira total do setor, uma proporção praticamente estável em relação a um ano antes.

      4+
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 27 de fevereiro de 2019 at 11:48

        kkkkk

        Lembrando que, cada instituição financeira tem sua própria regra para atribuir rating de contratos de financiamento imobiliário.

        Se a CEF quiser atribuir AA para todos que estão a 12 meses sem atrasar, ela pode, por isso aquele pago de criar um título por garantia de dívida colateralizada só seria possível se criassem regras únicas e alguma agência ou o banco central para dar o rating deste CDO.

        O fracasso no leilão por atacado da CEF demonstra que a carteira não vale o que eles estão pedindo.

        https://oglobo.globo.com/economia/leilao-por-atacado-de-imoveis-da-caixa-fracassa-23005545

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 27 de fevereiro de 2019 at 12:44

          *pago -> papo

          3+
          • avatar
      • Alemon Fritz 27 de fevereiro de 2019 at 12:47

        a ha 6,66% por que será que eu não me assusto nem é surpresa… kabalistic number of the beast

        5+
        • avatar
        • avatar
    • CA 27 de fevereiro de 2019 at 11:00

      Libertário,

      Não dá para reduzir provisões de forma FRAUDULENTA todos os anos, como eles já haviam feito em 2017, com a finalidade de gerar um lucro FICTÍCIO, multiplicar este lucro por 10 ou 20 e sair distribuindo novas levas de crédito PODRE à rodo.

      Como eu já havia dito antes, quando da mudança de gestores, os novos mandatários provavelmente não iriam querer se expor virando cúmplices dos CRIMES FINANCEIROS dos gestores anteriores.

      Por que não?

      Os gestores anteriores tiveram enriquecimento MILIONÁRIO para si e seus familiares, amigos e comparsas de forma geral, algo que “compensava” os crimes, principalmente enquanto apostavam na IMPUNIDADE, já a nova gestão, não tem porque acobertar os crimes dos gestores anteriores e se tornarem CÚMPLICES sem receberem nada em troca e principalmente, depois de verem que a impunidade já não era mais a mesma.

      Acho que aquilo que consta acimam, sobre estes R$ 7 bilhões em provisões, já é um efeito desta mudança.

      Lembrando:

      Dentre os INÚMEROS golpes praticados na CEF, tivemos desde o esquema BILIONÁRIO do projeto “Alice no País do Porto Maravilha”, gerando prejuízo superior à R$ 5 BILHÕES para o FGTS, passando por INÚMEROS desvios de verbas do FI FGTS para “amigos do rei”, CENTENAS de processos na justiça por CORRUPÇÃO no caso do MCMV, envolvendo funcionários da CEF, o escândalo do Panamericano e dos FALSOS títulos podres em conjunto com a BTG, dentre outros.

      Sem contar o MILAGRE da transformação de um volume monstruoso de títulos PODRES em “AA” da noite para o dia, como foi apontado pelo Cesar_DF, algo que operacionalizaram via renegociações MIRABOLANTES, dentre DIVERSOS outros ESQUEMAS SUJOS.

      Foram tantos CRIMES, que o Ministério Público chegou a pedir o afastamento de TODOS os Vice-Presidentes da CEF ao final de 2017, temos 2 ex-vice-presidentes da CEF presos, “N” investigações rolando na Polícia Federal, diversos processos em andamento no ministério público, outras ações em estudo no TCU para que a CEF restitua dinheiro para Tesouro, etc.

      Em tempo:

      O BURACO é MUITO MAIOR do que estes R$ 7 BILHÕES em provisões a mais referente a 2018, estão apenas “colocando o gato no telhado”. Se fizessem (e DEVERIAM FAZER) uma auditoria séria, o montante seria o equivalente a várias vezes este número. Mas, provavelmente não vão fazer isto, pelo menos enquanto não tiverem feito o IPO de empresas “filhas” da CEF, porque se mostrarem a REALIDADE, vão afastar os SARDINHAS que comprariam Ações destas empresas. O fato de não fazerem estas auditorias de imediato é um tremendo ERRO ESTRATÉGICO, porque quando a REALIDADE aparecer e isto vai acontecer cedo ou tarde, independente de auditorias, como já vai ter passado algum tempo do novo governo, ele ficará com toda a culpa…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • socrates 27 de fevereiro de 2019 at 11:03

        “Os gestores anteriores tiveram enriquecimento MILIONÁRIO para si e seus familiares, amigos e comparsas de forma geral, algo que “compensava” os crimes, principalmente enquanto apostavam na IMPUNIDADE, já a nova gestão, não tem porque acobertar os crimes dos gestores anteriores e se tornarem CÚMPLICES sem receberem nada em troca e principalmente, depois de verem que a impunidade já não era mais a mesma.”

        Petistas, tucanos , mdbistas, “demistas” e , como ficou claro no caso do filho do presidente, gente do próprio governo atual.

        “função social da propriedade”

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Libertario 27 de fevereiro de 2019 at 15:20

        CA,
        Achei essa parte aqui interessante também:

        “Mas é pior do que isso, ele (Guimarães) está mudando a prática contábil sobre uma gestão que não é dele”, disse a fonte. “Se fosse fraude, ele deveria comunicar isso para as autoridades competentes, mas não é o caso”, disse a priemira fonte.

        Mas a movimentação de Guimarães, que tomou posse no começo de janeiro, também tem incomodado funcionários da Caixa que tomaram conhecimento do assunto, uma vez que a provisão extra significará redução do montante que será distribuído aos empregados na forma de participação dos lucros.

        “Em 2018 houve uma campanha comercial muito grande dentro do banco, e a equipe toda trabalhou bastante para alcançar um resultado recorrente melhor”, disse a primeira fonte. “Isso agora iria desmotivar muito os empregados.”

        5+
        • avatar
        • avatar
        • CA 27 de fevereiro de 2019 at 16:32

          Libertario,

          Sim, bem observado.

          No primeiro caso, creio que o novo presidente saiba da REALIDADE e de que houve FRAUDE mesmo, mas ao invés de transformar isto em um “caso de polícia”, preferiu “remediar” de uma forma mais discreta, pelo menos por enquanto.

          Por que ele faria isto?

          Por causa do IPO das empresas filhas da CEF. Ele prefere transmitir uma imagem de seriedade na governança da empresa, que é ESSENCIAL para um IPO, afinal ninguém compra Ação de uma empresa com péssima governança e que pode esconder uma infinidade de ESQUELETOS no armário em função disto.

          Ah, mas as empresas “filhas” tem gestões diferentes, cuidam de diferentes negócios e blá, blá, blá… É verdade, mas em um processo de abertura de capital na BOVESPA, nada disto conta, os investidores não querem nem saber, se tem o nome Caixa no meio, é tudo a mesma coisa para eles.

          Reforço o que comentei acima: esta é uma estratégia ERRADA do presidente da CEF. Ele tinha que auditar e desmascarar o crime agora. Se fizer isto só depois dos IPO de empresas filhas da CEF, será tarde demais, o novo governo vai levar toda a culpa pelas falcatruas, mesmo que relacionadas ao passado e ainda, vai ser acusado de ter adiado para enganar investidores na BOVESPA, dentre outros problemas. Lembrando: mesmo que ele não audite, cedo ou tarde vão aparecer os PODRES e será PIOR AINDA, pois daí é que ficarão com a imagem deles como culpados!

          Já sobre o segundo caso citado, da “frustração” e “desmotivação” dos NEFASTOS funcionários da CEF que aplicaram CRIMES FINANCEIROS com dinheiro público, é apenas a CONFIRMAÇÃO dos ESQUEMAS: negociações MIRABOLANTES com “descontos” de 90% no valor devido pelo cliente, empurrando dívidas para o final do contrato daqui a DÉCADAS, puxando juros menores do futuro para pagar no presente e deixando os juros maiores para depois (PEDALANDO), aquela baixa de provisão no processo da poupança de décadas atrás com “erro de cálculo” na ordem de R$ 2 BILHÕES que virou “lucro” e transformaram em capital disponível para novos empréstimos, os empréstimos IRREGULARES para governos, os “N” GOLPES que mencionei acima (e tem VÁRIOS outros), todos foram feitos, em parte para gerar dinheiro no bolso dos NEFASTOS como fruto direto dos golpes e outra parte, como fruto INDIRETO, na forma de lucro FALSO e bônus anual maior, como eu já tinha mencionado acima.

          E pelo que destaquei no parágrafo anterior, a CEF retrata em maior escala, o que está acontecendo nos bancos, não só no país, como ao redor do Globo: uma amplificação sem limites dos conflitos de interesses que amplificaram os ESTRAGOS para economia durante a bolha imobiliária americana, algo em um volume incomensurável, tudo para atender aos “bônus” dos executivos de bancos, parte relevante de nossa GEELE…

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • Cesar_DF 27 de fevereiro de 2019 at 11:55

      Acho que eu acertei na conta
      Acho que no final de 2017 eu fiz uma conta de, considerando o perfil de rating da carteira imobiliária de, não me lembro se de 2013 ou 2014, qual seria a necessidade da PDD para 2017 e, pelo que me lembro, eles precisariam aumentar em 8 bilhões.
      Só que, de 2013-2014 para cá a ocorreu um aumento no endividamento das famílias e uma queda na renda per-capita, o que deveria piorar todo o rating, aumento mais ainda a necessidade de acréscimo da PDD .

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Dr. Estranho 27 de fevereiro de 2019 at 10:55

    E, finalmente, a crise ficou clara. Apertem os cintos.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Dr. Estranho 27 de fevereiro de 2019 at 11:09

    E, para os amantes de “causus” da vida real, antes e pós crise, segue um interessante:
    – Ela perdulária. Ele esforçado. Ambos agora desempregados e vivendo da outrora soberba ululante. Opção atual dele: corretor(free lance) de seguros. Opção dela: por a culpa nele. Opção dos dois: tentar me vender seguro. Não conseguirão.

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 11:13

      Teve tanta gente que se achou rica…

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • macca 27 de fevereiro de 2019 at 11:31

      Melhor opção dele neste momento difícil e aproveitando o ensejo seria dar um pé na b…da mulher gastadeira.

      11+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 11:18

    Disse bem: confirmar

    Anúncio do PIB de 2018 vai confirmar fragilidade da economia do Brasil

    O IBGE divulga dados nesta quinta-feira e, para economistas, os dados vão revelar também que 2019 não promete ter um crescimento rápido

    2018 foi um ano economicamente decepcionante, enquanto 2019 não promete ter um crescimento rápido do investimento ou do consumo, segundo analistas.
    esperada pelos mercados, a economia não tenha deslanchado no último trimestre do ano.

    https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2019/02/27/internas_economia,1034140/anuncio-do-pib-de-2018-vai-confirmar-fragilidade-da-economia-do-brasil.shtml

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • rogerio 27 de fevereiro de 2019 at 11:35

      então amanha termos aumento do dólar e queda da bolsa…

      3+
      • CA 27 de fevereiro de 2019 at 13:36

        rogerio,

        Talvez não, a bolsa de valores é completamente desconectada do mundo REAL, com uma infinidade de PEGA-TROUXA.

        Se disserem que talvez a reforma da previdência tenha votação acelerada em função do apoio dos governadores ou falarem que o exterior está com menor aversão ao risco, ou qualquer outra baboseira, ela pode até disparar.

        Ano passado, com o crescimento PÍFIO da economia e sem NENHUM fundamento para empolgação, a Bolsa já esteve entre os 3 melhores investimentos do país. Em 2016, com queda relevante na economia, a BOVESPA subiu 36%. Isto sem contar as enormes viagens na maionese para análises individuais de empresas, veja os casos cômicos de valorização excepcional e despencar dramático da Gafisa poucos dias depois (agora em 2019), a PDG que foi a primeira a dobrar em valor de mercado em jan/17 para pedir recuperação judicial um mês depois, o caso da OGX e tantos outros…

        5+
        • avatar
        • avatar
        • rogerio 28 de fevereiro de 2019 at 10:12

          tem razão….

          1+
          • avatar
  • Arregao 27 de fevereiro de 2019 at 12:37

    Quer melhor hora pra mostrar informações ruins… pre carnaval….. copaaa do mundo…… povo ta só no oba oba esperando procurando promocao de cerveja e carne…

    9+
    • avatar
    • odorico 27 de fevereiro de 2019 at 14:22

      “O que é bom a gente mostra, o que é ruim a gente esconde”…. nunca é uma boa hora para notícias ruins, mas sempre tem alguém que fura o segredo…
      Ou melhor, sempre tem alguém que lucra com as notícias ruins…. O que deve ter de tubarão operando vendido na bovespa, comprado no dólar, etc etc etc… doido para um salve-se quem puder….

      6+
      • avatar
  • Alemon Fritz 27 de fevereiro de 2019 at 13:34

    Pra comparar
    Itália:
    Dívida pelo pib = 152% do PIB e pode chegar a 176%
    PIB = 0,9%, .Pib 2019 = Italy’s growth in 2019 to 0.2 percent, from a previous prediction (made last November) de 1.2 percent…
    desemprego= 11.2 % Abril 2018 .
    -Italy has the highest levels of corruption in Europe, study shows:
    about 13 percent of gross domestic product, or equal to 3,903 euros per inhabitant. (a corrupção consome 13% do PIB), Na romênia chega a 15% do PIB.
    na bananazuela isso seria igual a = 260 bilhoes em 2017 em corrupção.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • tmarabo 27 de fevereiro de 2019 at 14:08

      mas o que quase nunca botam na equação é qual a taxa de juros que pagam.
      por exemplo, os EUA pagam 2% a 2,5%
      o japão paga quanto???
      o Brasil paga 6,5%
      então dívida x PIB sem o preço que se paga pela dívida não ajuda muito.

      3+
      • avatar
      • avatar
      • Senhor Bolha 27 de fevereiro de 2019 at 21:15

        Este pensamento é errado .

        Se você possui estoque da dívida que cresce ao longo do tempo nominalmente, supondo que o juros suba para 2% explodira o estoque da dívida, isso já suficiente para o governo gastar o dobro com juros

        A questão não é quanto ele paga hoje , mas quanto se vai pagar no futuro! uma vez que estoque aumentou nominalmente , mas o superavit não é gerado para abater a dívida.

        Dilema do carrossel.

        Se a economia moderna funciona a base do endividamento, e para gerar crescimento & rodar os déficits o governo precisa se endividar cada vez mais. Ao não gerar crescimento o que acontece?

        Você acredita que as taxas de juros baixas vão sustentar os déficits previdenciários mundo a fundo.
        Se o juros não sobe significa que não existe inflação, se não existe inflação no modelo atual então governo não é capaz de gerar crescimento do PIB.
        Se não há crescimento do PIB , supondo que gastos crescem sempre acima da receitas, consequentemente governo cobre isso lançando mais títulos. Pergunto o que acontece quando um país que tem uma divida nominal de 200% se ve obrigado a subir juros em 2% ?

        Nunca faça analise olhando o passado , mas sim o futuro.

        Hoje ele paga 0% ,mas e amanha?
        E como ele paga 0% e o estoque da dívida aumenta e nunca diminui.

        Este papo de país paga x e y uma história para boi dormir criada nos cursos desenvolvimentistas de universidades mundo a fora. No modelo atual países vem aumentando a dívida nominal para cobrir déficits orçamentários.
        Sempre foi vendido que o juros vai ficar 0% add eternum , isso não é verdade! Pergunto: O que acontece quando o juros sobre apenas 1% num estoque de dívida nominal colossal.

        O que determina se alguém vai financiar o governo é a fidúcia na capacidade do governo espoliar seus cidadões para honrar o serviço da dívida.

        Agora imagina o que acontece quando o mercado passa acreditar que o governo não mais vai conseguir rodar os déficits? Exato ele vende os títulos a mercado obrigando o BC aumentar juros oferecidos para rolar a dívida pública.

        E ai começa show de horrores!

        5+
        • avatar
        • tmarabo 28 de fevereiro de 2019 at 09:42

          “Se você possui estoque da dívida que cresce ao longo do tempo nominalmente, supondo que o juros suba para 2% explodira o estoque da dívida, isso já suficiente para o governo gastar o dobro com juros. A questão não é quanto ele paga hoje , mas quanto se vai pagar no futuro!”

          Fosse isto, igualmente as comparações estariam erradas, pois só mostram as comparações dívida/PIB.
          Os EUA e Japão podem ter dívidas muito maiores comparadas ao PIB em relação o Brasil e sempre pagarão menos.

          1+
    • socrates 27 de fevereiro de 2019 at 15:09

      “Italy has the highest levels of corruption in Europe,”
      a grande arca da aliança 666 está quase exposta, nao?

      5+
      • avatar
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 14:28

    Construção demite 42 mil em 1 ano, diz IBGE

    27/02/2019 13:30
    A construção cortou 42 mil postos de trabalho no período de um ano, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), iniciada em 2012 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 27 de fevereiro de 2019 at 14:30

    Mais um exemplo de porque a SELIC em seu menor patamar histórico não resolve NADA:

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/02/27/bancos-sobem-juros-do-cartao-de-credito-e-do-cheque-especial-no-comeco-de-2019.ghtml

    Trechos do link acima:

    “Bancos sobem juros do cartão de crédito e do cheque especial no começo de 2019
    Taxa do cartão de crédito rotativo passou de 285,4%, em dezembro, para 286,9% ao ano, em janeiro. Juro do cheque especial avançou de 312,6% para 315,6% ao ano nessa comparação.”

    “O aumento de juros bancários acontece em um momento de estabilidade da taxa básica da economia, fixada pelo Banco Central a cada 45 dias para controlar a inflação. A taxa Selic está na mínima histórica de 6,5% ao ano desde março do ano passado.”

    “A inadimplência, que segundo o Banco Central também influencia os juros cobrados pelos bancos, subiu de 2,8% em dezembro para 2,9% em janeiro deste ano. No caso das pessoas físicas, passou de 3,2% para 3,3% e, das empresas, avançou de 2,4% para 2,5% nesta comparação.”

    “Juros bancários elevados inibem o consumo e também os investimentos na economia brasileira. Esse é um dos problemas, segundo economistas, a serem enfrentados na economia pela gestão do presidente Jair Bolsonaro.”

    ——————————————————————————————————————————————————————————————————————–

    Comento (CA):

    Segundo os números OFICIAIS dos bancos, a inadimplência ficou ESTÁVEL, com variação MÍNIMA de 0,1% em cada linha mencionada, isto seria motivo para mexer no Spread e nos juros finais, mesmo que de forma “discreta”, como consta acima, mas chamando a atenção e despertando reações negativas na imprensa e cobrança para que o governo “aja contra isto”? NÃO!

    Está “proporcional” este nível de inadimplência com o Spread e portanto, com os juros finais? NÃO!

    Só que no mundo REAL, a inadimplência é BEM MAIOR e está SUPER-MAQUIADA e PEDALADA, assim como a perda de liquidez é muito maior do que aquela que consta nos relatórios oficiais, então, os bancos acabam cobrando taxadas extorsivas para cobrir estes enormes ROMBOS REAIS e não oficiais.

    Quando a Odebrecht diz que não tem R$ 3 “bilhõezinhos” para pagar as contas de curto prazo, o que os bancos credores fazem? Eles fazem uma “vaquinha” e emprestam mais R$ 3 “bilhõezinhos” para a Odebrecht, com maior prazo de pagamento e garantias, assim ela paga as contas no curtíssimo prazo e estes bancos não precisam reconhecer AGORA que ela está QUEBRADA e que nunca vai pagar estas dívidas. Assim os executivos dos bancos aumentam o lucro do banco e por consequência, o bônus que eles irão receber referente a este resultado. Eles perdem liquidez, aumentam o tamanho do inevitável prejuízo futuro com a Odebrecht, mas quando a REALIDADE aparecer, os executivos destes bancos já terão recebido seus bônus faz tempo, então, qual o problema?

    Claro, o que consta acima não foi só com a Odebrecht, ao contrário, está distribuído para MILHARES de outras empresas dos mais variados portes.

    Soma-se a isto, os Ativos PODRES recebidos pelos bancos por valores SUPER-FATURADOS, como os imóveis repassados em dação pelas construtoras QUEBRADAS para os bancos, que eles aceitam para FINGIR que o pagamento está ocorrendo e que a inadimplência não é maior ainda. Novos prejuízos no mundo REAL, só que MAQUIADOS E PEDALADOS. De novo, quando a REALIDADE aparecer, o tamanho da destruição nos resultados dos bancos será muito maior.

    Idem quanto ao preço dos imóveis nos estoques dos bancos, aqueles dados como garantia pelas pessoas físicas que pediram empréstimos imobiliários. Eles já deveriam ter feito um inpairment (revisão dos valores) faz tempo, reduzindo os preços dos imóveis que constam em garantia no estoque deles. Por que já deveriam ter feito isto? Primeiro, porque parte do estoque é de imóveis de construtoras que já reconheceram quedas relevantes nos preços dos imóveis delas FAZ TEMPO e se quem fez o imóvel já reconheceu isto, quem é o banco para ignorar tal FATO? Segundo, porque os bancos estão pegando volume recorde de imóveis para leiloar e não estão conseguindo revender, sendo que quando conseguem, é com desconto elevadíssimo, outra evidência clara que eles não podem ignorar, afinal, esta informação está sob pleno domínio deles mesmos. Terceiro, porque eles estão observando de perto, como agentes relacionados à concessão de crédito, o grau elevado de dificuldade para venda de imóveis usados, o quanto os preços NEGOCIADOS estão caindo e assim, mais uma vez, não poderiam ignorar tal REALIDADE. Mas, como no caso acima, os números oficiais dos relatórios dos bancos não refletem nada disto, então eles tem que empurrar a diferença para o mundo REAL no Spread.

    Temos ainda situações pra lá de ANORMAIS, que quando explodirem e se tornarem visíveis de vez, irão colocar uma imensa pressão não só para subida da SELIC, como também dos juros bancários de forma geral. Alguns exemplos:

    – ROMBOS de dezenas de bilhões de Reais, bem como reduções de provisões FRAUDULENTAS e renegociações MIRABOLANTES feitas pela CEF para MAQUIAR E PEDALAR com os problemas. Os R$ 7 BILHÕES que eles talvez coloquem como provisão de devedores duvidosos no resultado de 2018 é apenas uma PEQUENA FRAÇÃO do problema;

    – Efeitos de bolhas do Exterior: bolha das bolhas americana, bolha imobiliária chinesa e de outros países, como por exemplo, explosão do valor de mercado das FAANG, explosão das centenas de TRILHÕES de dólares em derivativos, que incluem muitos títulos PODRES, SUPER-VALORIZADOS, com “N” efeitos em cascata;

    – Outros efeitos da própria bolha imobiliária brasileira, como aqueles relacionados às INÚMERAS DISTORÇÕES E ANOMALIAS no segmento imobiliário (distorção absurda entre oferta e procura total, preços completamente incompatíveis com renda, distratos BILIONÁRIOS, vacância pra lá de ANORMAL, VÁRIAS construtoras QUEBRADAS e FINGINDO que estão vivas com apoio dos bancos, etc, etc,etc);

    Os bancos sabem muito bem de tudo que consta acima e MUITO MAIS e é por isto que eles NÃO VÃO embarcar no otimismo UFANISTA do governo e fazerem reduções profundas nos juros finais cobrados, em outras palavras, é por isto que a SELIC em seu menor patamar histórico há mais de 1 ano, não só é algo 100% ARTIFICIAL, como também, tem efeito NULO para recuperação da economia.

    6+
    • avatar
    • CA 27 de fevereiro de 2019 at 14:54

      Ah sim, esqueci alguns pontos importantes nos EXEMPLOS quanto a motivos para bancos manterem juros EXTORSIVOS e não mergulharem no otimismo UFANISTA do governo com reduções relevantes nestes juros:

      – Os bancos SABEM que temos 63 MILHÕES de inadimplentes, pelo cálculo mais amplo de inadimplência GERAL do consumidor. Eles sabem da profunda DEGRADAÇÃO dos empregos e que ela tende a se ampliar, primeiro porque a causa RAIZ (BOLHAS) não está sendo combatida, ao contrário, estão alimentando incêndio com gasolina e segundo, em função dos próprios fatores que coloquei acima. Sendo assim, eles sabem que cada vez mais as pessoas terão que escolher em qual conta dar calote e se os juros dos bancos forem os maiores de todos, as pessoas vão preferir pagar as dívidas junto aos bancos que as demais. Este é UM dos motivos pelos quais vemos as dívidas das famílias em relação aos bancos caindo, enquanto a inadimplência geral do consumidor não para de subir;

      – Como consequência do item acima, temos “N” efeitos em cascata que levarão cada vez mais empresas a ficarem em péssima situação de liquidez, novamente, transferindo VÁRIOS prejuízos para os bancos via atrasos em pagamentos, recuperações judiciais, etc, novamente concretizando riscos relevantes que requerem juros elevados. Isto afetará em especial empresas mais focadas na classe média, que é onde a DEGRADAÇÃO tem sido mais forte, por isto que já vimos e ainda veremos escolas particulares com quedas relevantes em demanda, assim como empresas de convênio médico, empresas de telecom, varejistas com foco em eletrônicos, empresas aéreas, etc.

      – A reforma da previdência só traz uma CERTEZA e várias PROMESSAS. A CERTEZA são seus efeitos CONTRACIONISTAS para economia, como por exemplo, redução do consumo para fazer previdência privada, atrasar o momento de receber aposentadoria e não liberar vaga de emprego nem poder sustentar consumo de dependentes, aumentar o valor de contribuição e com isto tirar do consumo também, etc. As PROMESSAS de efeito positivo na economia, bem, em função de tudo que consta aqui, os bancos sabem melhor do que ninguém que são UFANISTAS. Neste contexto, os bancos sabem que será mais um agravante para sabotar qualquer recuperação da economia.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 14:43

    Ex-advogado de Trump o acusará de vazamento de emails de Hillary
    Cohen diz que Trump o ordenou a pagar 130 mil dólares a uma atriz pornô conhecida como Stormy Daniels para acobertar um caso

    4+
    • avatar
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 17:00

    Interessante a parte que fala da administração pública, mostra a que ponto chegamos.

    A indústria foi o setor que mais dispensou trabalhadores na comparação com o trimestre encerrado em outubro (menos 345 mil), seguida por agricultura (menos 192 mil) e administração pública (menos 175 mil).

    Segundo Azeredo, se mantém a tendência do aumento de pessoas trabalhando com o transporte alternativo de passageiros, por conta dos aplicativos de transporte, que representam uma porta mais fácil de ingresso informal no mercado de trabalho.

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/02/27/desemprego-sobe-para-12-em-janeiro-diz-ibge.ghtml

    8+
    • avatar
    • avatar
    • CA 27 de fevereiro de 2019 at 18:35

      Cajuzinha,

      Sobre os trechos que você destacou, é muito triste, mas é a REALIDADE: mantem-se a disparada nos “empregos informais”, porque se a pessoa ficou DESEMPREGADA e para pagar as contas virou Uber, passou a trabalhar como faxineira sem registro em carteira, vender balinhas no semáforo ou qualquer outra atividade no DESESPERO para sobreviver porque não tem esperança de arrumar um emprego, pronto, já gerou uma “recuperação nos empregos e na economia”.

      É uma completa DESFAÇATEZ com a população quando dizem que temos uma “recuperação”, um “tapa na cara” daqueles que só veem a situação piorar a olhos vistos e para todo lugar que você olha e este pessoal tratando o tema de forma LEVIANA, FALSA, com um infinidade de notícias com abordagem SIMPLISTA para ENGANAREM as pessoas e colaborarem com o otimismo UFANISTA.

      E para PIORAR, um governo extremamente IRRESPONSÁVEL, que não tem limites e nem escrúpulos, espalhando notícias FALSAS sobre TRILHÕES daqui e dali que eles vão obter no curto e médio prazo, como nunca antes na história deste país, fazendo com que os devaneios de governantes anteriores como Dilma e Lula até se pareçam com documentários e MULTIPLICANDO os estragos da era PT gerados pelo otimismo UFANISTA em uma nova escala, de recorde universal, o que levará o DESASTRE a se ampliar na mesma proporção, LAMENTÁVEL…

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Falido.com 27 de fevereiro de 2019 at 17:20

    Raia Drogasil não pagará nada por Onofre nem assumirá dívida
    ,
    SÃO PAULO – (Atualizada às 12h56) A Raia Drogasil não fará pagamento aos americanos da CVS pela compra da rede Onofre, anunciada na terça-feira. O Valor apurou que o contrato prevê apenas um desembolso num valor simbólico pela operações, considerando que a RD irá absorver o negócio com prejuízo operacional.
    .
    Mas não tava aquecendo???

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Krakenvader 27 de fevereiro de 2019 at 17:29

    CVR

    Grupo Hilton está construindo um DoubleTree em POA.

    Uma corvetora me ligou em nome do Hilton, mas logo vi que era da Melnick Even mesmo.

    Resultado:

    A cota dos quartos começa em 190k. Ganha receitas do quarto e partcipação nos lucros, e ainda tem a chance (!!) de utilizar o quarto por até 28 dias no ano pagando “apenas” 20% das diárias.

    Vai?

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 28 de fevereiro de 2019 at 08:53

      eh aquela velha historia, se fosse bom, pq estariam vendendo?

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Krakenvader 1 de março de 2019 at 22:47

        Words to live by.

        0
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 17:30

    Propaganda da MRV

    Mercado de imóveis retoma fôlego com 18 lançamentos no Rio e na Baixada

    Os investimentos da construtora fazem parte de um planejamento que resistiu à crise e vislumbra os próximos anos.

    Perin destaca que, além da oferta de imóveis, o investimento de cerca de R$ 700 milhões para erguer estes empreendimentos vai criar em torno de 200 vagas de emprego e beneficiar a infraestrutura de todo o entorno com as novas obras.

    https://extra.globo.com/noticias/meulugar/mercado-de-imoveis-retoma-folego-com-18-lancamentos-no-rio-na-baixada-23460847.html

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 17:31

    União tem cerca de R$1,1 tri em imóveis para vender, diz secretário de Desestatização

    “Vamos fazer um programa cuidadoso de venda de imóveis para não encharcar o mercado, mas estes são os ativos que devemos vender mais rápido, primeiro do que as estatais”, disse Mattar, durante conferência com investidores promovida pelo BTG Pactual em São Paulo.

    https://extra.globo.com/noticias/mundo/uniao-tem-cerca-de-r11-tri-em-imoveis-para-vender-diz-secretario-de-desestatizacao-23485962.html

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 27 de fevereiro de 2019 at 18:17

      Cajuzinha,

      Esta é uma das diferenças do governo atual para os anteriores, veja a “evolução”:

      ANTES: as ameaças internacionais são só uma “marolinha”
      HOJE: ameaças internacionais? Elas não existem!

      ANTES: copa do mundo, olimpíadas, trem-bala, projeto Alice no País do Porto Maravilha e Pré-Sal, garantem investimentos de centenas de bilhões e crescimento da economia.
      HOJE: Reforma da previdência economizará R$ 1 TRILHÃO em 10 anos, teremos mais R$ 1 TRILHÃO em venda de imóveis públicos, mais crescimento de 6% no PIB em 12 meses, 10 anos de crescimento garantido da economia e 8 milhões de empregos em 4 anos, tudo isto só com a aprovação da reforma da previdência!

      ANTES: vamos fazer umas reduções de provisões FRAUDULENTAS na CEF e gerarmos R$ 10 bilhões em lucros FICTÍCIOS em 2017, daí multiplicamos isto por 10 e saímos distribuindo boa parte disto em crédito PODRE para PEDALARMOS em 2018;
      HOJE: vamos revender R$ 100 BILHÕES em títulos do crédito imobiliário da CEF, inclusive com uma grande parte que é PODRE e com este dinheiro e mais R$ 50 BILHÕES em privatizações de empresas filhas da CEF, vamos PEDALAR com crédito PODRE de 2019 em diante!

      Resumindo: o otimismo UFANISTA disparou de vez, virou caso de internação em hospital psiquiátrico!

      Se Lula e Dilma conseguiram causar a destruição monstruosa que vemos na economia com as UTOPIAS acima, qual seria o objetivo do governo atual, DOBRAR A META e destruir o país de vez?!

      Sobre a notícia que você colocou acima: com o volume ABSURDO de vacância de imóveis comerciais visível no país todo, desde shoppings até lojas de rua e eles vem falar a esta altura em R$ 1 TRILHÃO só em venda de imóveis? Esta galera do governo deve estar com muito dinheiro aplicado na BOVESPA e precisando atrair muitos SARDINHAS, não tem outra explicação, afinal agora não se trata nem de CHANTAGEAR o congresso para reforma da previdência.

      Detalhe: vai ser legal daqui a alguns anos quando os jornais compararem as PROMESSAS com os resultados alcançados e demonstrarem que teremos as maiores discrepâncias entre o prometido e o resultado dentre todos os governantes do Mundo em todos os tempos, daí vai ficar “bonito” para eles. A conferir…

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 17:36

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/02/27/credito-imobiliario-com-recursos-da-poupanca-salta-322-em-janeiro-diz-abecip.ghtml

    Na comparação com dezembro, contudo, houve queda de 15,8% no volume de crédito para aquisição e construção de imóveis com recursos da poupança, mostrou o levantamento.

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 27 de fevereiro de 2019 at 18:50

    OFF- Para a cajuzinha, ficou muito para cima

    https://www.noticiasautomotivas.com.br/toyota-rav4/

    Me parece que a Tracker parte de 90 pocotós, mais barata realmente mas não tem como comparar a qualidade, alguns bocós falando que a Toyota deveria por o motor turbo na RAV4, faria até algum sentido em um país decente mas no Brasil onde a manutenção é complicada e a maioria dos mexanicos só sabem trabalhar com gol e celta é melhor ser conservador e ficar com o motor tradicional, é confiável e tem peças em comum com outros modelos.
    Eu não gastaria mais 15 pocotós grandes no 4×4, a menos que vá fazer um caju-rallye.

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 27 de fevereiro de 2019 at 18:57

      Não encontrei nada sobre a segurança da Tracker, não sei se a versão banana foi testada ainda. Mas conhecendo bananence creio que a GM não está muito preocupada, bananence prefere penduricalhos e luzes piscando a segurança.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 21:30

        Obrigada!

        3+
        • avatar
        • avatar
    • odorico 27 de fevereiro de 2019 at 19:08

      Carlos, taí um negócio que me desanima no Brasil. Mão de obra e serviços.
      CVR Colega que tem uma compass, estava vindo para Brasília e furou o pneu na estrada, o carro sinalizou perda de pressão e ele pode rodar num certo limite de velocidade e conseguiu chegar. No outro dia, acordou com pneu “na chon”, acionou o seguro, perguntaram se queria rebocar para concessionário e ele pediu apenas a troca do pneu e que levaria numa borracharia perto (ideia de bananense). Trocaram o pneu, pegou o furado, botou no porta-malas e bora borracharia. Chegando lá, para remendar o “borracheiro” tira o pneu da roda na marra e acaba estourando o sensor de pressão que vai dentro da roda. Aí o cara falou que não sabia que tinha sensor, que ele devia ter avisado… Depois de uma discussão, o cara não cobra o remendo, ele vai na concessionária pergunta quanto é a peça …… $500 incluso o serviço de troca (e que se ele tivesse levado o pneu furado o remendo seria $100,00 para remendar o pneu, mas com garantias…).
      Aqui na banânia, não compre nada tecnológico, especialmente no início. Dupla embreagem, injeção direta, turbo… fuja até não ter escolha….
      Conheço lugar que tacou óleo no câmbio dsg dupla embreagem dos golf até 2015, sem saber que aquele câmbio era a seco.

      27+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • odorico 27 de fevereiro de 2019 at 19:14

        Quem se dispõe a ler um contrato, a ler manual do carro, a pesquisar sobre investimentos, ler sobre elétrica e hidráulica, dá show na maioria dos “profissionais” na banania. De gerente de banco, mecânicos, eletricista, bombeiro hidráulico, corretores em geral, poucos se dispõem a estudar minimamente a área que trabalha. Aliás, o analfabetismo funcional está cada vez mais evidente. Trabalho com pessoas “nível superior” que não conseguem entender mensagem de aviso de internet banking, aplicativos de compras, sites, etc. Imagina ler um jornal, um contrato, um manual técnico….

        22+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Carlos 27 de fevereiro de 2019 at 19:52

          Bananistão é uma combinação nefasta de fatores e cultura.
          – poucos cursos profissionais
          – falta total de valorização do conhecimento
          – “profissionais” de ocasião, cara tá nessa porque precisa, acha que vai ganhar dinheiro fácil, acha que não exige qualificação ou é a única coisa que tem um pouco de conhecimento
          Do lado do consumidor:
          – falta de educação de consumidor
          – querer pagar mixaria para profissionais
          – da mesma maneira que o restante não valoriza conhecimento e acha que ser profissional é fácil
          – ser 666 mesmo, bota óleo baratinho, vai em boca de porco que arruma carros com arame porque é barato, vai vender o veículo mesmo, f. se quem comprar.

          Em um ambiente assim não tem como haver evolução.

          20+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Hard Core 27 de fevereiro de 2019 at 21:56

            Tens razão. Uma análise simplificada, mas que traz a essência do comportamento do brazuca mérdio.

            7+
            • avatar
            • avatar
          • Hard Core 27 de fevereiro de 2019 at 22:48

            O pessoal bota óleo de pastel no motor e fica chateado quando fundi aos 60 KKm. Economia porca, tem que sentar na graxa mesmo… kkkk

            7+
            • avatar
            • avatar
          • tmarabo 28 de fevereiro de 2019 at 09:49

            mas vai o ministro da educação dizer algo parecido…. o mundo desabou…

            3+
        • Hard Core 27 de fevereiro de 2019 at 22:25

          Sou adepto em ver videos de youtube e fazer eu mesmo. Profissionais, aqueles bons , são escassos. Se é pra fazer serviço meia boca, eu posso aprender e ainda economizar. Quando é assunto complexo, não tem jeito, tem que vasculhar a cidade em busca de gente capacitada.

          11+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • Hard Core 27 de fevereiro de 2019 at 22:29

        Tenho carro comum por esse motivo. Essas bugigangas tecnológicas são legais até ter que consertar ou precisar trocar.
        Daí vai ver oquê é bom pra tosse…
        Normalmente esse pessoal não tem ideia do que estão fazendo…

        10+
        • avatar
        • avatar
      • Jonny Deep Blue 28 de fevereiro de 2019 at 17:44

        Eu sou daqueles que compram garantias estendidas e continuo indo na css. Nunca me arrependi. Porém, tive certa vez um KA. Esse nunca viu css. O mecânico não fazia manutenção preventiva. Só trocava a peça quando estourava mesmo.

        0
    • Falido.com 27 de fevereiro de 2019 at 20:21

      Uma vez eu li: Pra que carro 4×4 pra andar no asfalto? Faz sentido…

      12+
      • avatar
      • avatar
    • Cajuzinha 27 de fevereiro de 2019 at 21:32

      Valeu!

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Jonny Deep Blue 27 de fevereiro de 2019 at 20:13

    CA e um dois,

    Vcs saberiam dizer se médico PJtizado tem alvará de funcionamento para todos os locais/clientes (clinicas ou hospitais) que atendem??Qual é o CNAE deles??

    Valeu!

    4+
    • avatar
    • Jonny Deep Blue 27 de fevereiro de 2019 at 20:14

      Onde fica a unidade produtiva desse médico PJtizado?

      4+
      • avatar
      • CA 27 de fevereiro de 2019 at 22:43

        Jonny Deep Blue,

        PEJOTIZAÇÃO é quando a pessoa trabalha ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE em UM local e não em vários, logo, a sua pergunta não faz sentido.

        Para ser PEJOTIZADO, você tem que trabalhar só naquele local, entregar nota fiscal exclusivamente para aquele cliente, ter reporte para alguém naquela empresa e eventualmente ter subordinados.

        PEJOTIZAÇÃO é como você ser o equivalente a um funcionário da empresa, mas sem vínculo CLT, entregando NF para ela e somente para ela. Por favor veja a definição do JusBrasil que coloquei no tópico anterior.

        Um exemplo é o Bonner na Globo: ele não pode trabalhar para outras empresas, tem horário fixo de trabalho, local fixo de trabalho, possui um reporte para um Diretor da Globo, tem pessoas subordinadas a ele, uma posição na hierarquia da empresa pela qual ele é reconhecido (inclusive nos letreiros ao final do Jornal Nacuonal), ou seja, é como se ele fosse um CLT, só que tem empresa aberta e entrega NF todo mês para a Globo.

        Agora, na própria Globo, você tem o Sammy Dana que presta serviços para diferentes CNPJs de empresas da Globo, além disso, dá aulas na FGV e teve época que escrevia para o jornal Folha de São Paulo, entregando diferentes NFs para cada um destes clientes pelos serviços prestados, isto NÃO É PEJOTIZAÇÃO, ele presta serviços para clientes e entrega NFs para os mesmos referentes a estes serviços.

        Voltando ao exemplo do médico, se ele não emite NF, trabalha INFORMALMENTE em um consultório e este consultório é quem fatura para o convênio, por exemplo, o médico é parte da INFORMALIDADE e não um PEJOTIZADO.

        Já se o médico é sócio ou único dono de um consultório onde ele trabalha, apresentando notas fiscais para os serviços prestados para convênios ou entregando recibos e eventualmente notas fiscais para clientes particulares, ele pode até prestar serviços também em hospitais, mas de novo, ele não é um PEJOTIZADO, mas sim, um médico que ao mesmo tempo possui ou é sócio de uma empresa e presta serviços para diferentes clientes. Análogo à isto para consultório de dentista, escritório de advocacia, etc nenhum deles são pejotizados.

        No caso de médicos em serviços públicos, seja no SUS, no Mais Médicos, etc podem ser CLT, de novo, não é PEJOTIZAÇÃO.

        Quem disse conhecer médicos pejotizados foi o “um dois” ele pode dizer o que conhece a respeito e te dar mais exemplos.

        É muito importante antes de continuar este tema que já foi muito cansativo, que não se confunda PEJOTIZAÇÃO que a maioria das empresas evita para não ter processos trabalhistas, com empresas normais que tem “N” clientes, ou informalidade, etc.

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Libertario 28 de fevereiro de 2019 at 08:39

          Merece o selo de Jabuticaba brasileira ?

          Seria tipo uma CLT para os salários mais altos da empresa.

          2+
          • CA 28 de fevereiro de 2019 at 09:07

            Libertario,

            A “PEJOTIZAÇÃO” na escala em que chegou a ser usada no Brasil décadas atrás (reduziu muito nos últimos anos, explico porque abaixo) é uma jabuticaba, mas o caso de grandes “estrelas” (EXCEÇÕES) terem notas fiscais é meio que “padrão”, na medida em que podem receber dinheiro de várias fontes distintas, vide o caso dos grandes esportistas que recebem verba de publicidade dos patrocinadores, valores mensais referentes aos serviços prestados nos clubes, pagamentos por serviços promocionais spot, etc, nestes casos, eles tem empresas e entregam notas fiscais para seus diferentes clientes, é um caso à parte, não se configura em pejotização.

            Na prática, mesmo com a nova legislação trabalhista, a “Pejotização” é uma PÉSSIMA alternativa para as empresas contratantes no Brasil.

            Motivo: se for comprovado que era uma pejotização, em 100% dos casos, se o profissional entrar com uma ação trabalhista, ele ganha e recebe todos os direitos CLT que deixou de receber durante o período que entregava nota fiscal para a empresa (férias, 13., FGTS, etc).

            No PASSADO, era muito comum que uma empresa de TI que fizesse alocação de profissionais técnicos por determinados períodos em seus clientes, contratassem estes profissionais como terceiros. Na prática, era uma forma de “quarteirização”: o profissional entrega uma NF para a empresa de consultoria e esta entrega uma NF para o cliente final.

            Faziam em larga escala no formato acima, porque assim mitigava o risco da empresa contratante, uma vez que em tese, o profissional prestava serviço para empresa de consultoria e não para o contratante. Ocorre que se a empresa de consultoria quebrar ou não tiver capital suficiente para arcar com um processo trabalhista, mesmo com a nova legislação, é o cliente final quem tem que ajudar a pagar a conta do processo!

            Outro “detalhe”: o modelo acima deixou de ser usado em larga escala pelas grandes empresas de TI, porque algumas delas fizeram abertura de Capital na BOVESPA, seguindo o padrão “Novo Mercado” e isto trouxe obrigatoriedade de seguir algumas regras que eram AUDITADAS, dentre elas, a de não praticar a pejotização, pois esta poderia embutir um custo menor no presente (paga menos impostos), valorizar o preço das Ações (mais lucro), mas no futuro, geraria prejuízo para os Acionistas, quando viessem as Ações trabalhistas e isto se revertesse em prejuízo e quedas nos preços das Ações. Foi assim que Stefanini, Totvs e outras empresas de consultoria de TI de grande porte e com Ações na BOVESPA adotaram o regime CLT, mesmo que com adaptação (GAMBIARRAS), como o “regime Flex” (é CLT, mas salário é muito baixo e pagam menos impostos, compensando em um monte de “cartão-benefício” que paga menos imposto).

            Então, no caso de empresas com Ações na BOVESPA, multinacionais com Ações na NYSE (bolsa de NY) que tem obrigação de seguir o SOX, multinacionais de forma geral e muitas outras que não se enquadram neste perfil, mas já passaram pelo trauma de fortíssimos prejuízos graças à ações trabalhistas por “pejotizados”, todas elas optaram por não operarem mais neste formato.

            Sim, ainda tem as empresas fundo de quintal, familiares, etc, que trabalham com profissionais informais ou até com pejotizados, assumindo os enormes riscos de prejuízos relevantes no futuro em função de processos trabalhistas, mas de fato, este volume diminuiu pelos fatores que coloquei acima. Outras fazem GAMBIARRAS e exigem sócio e não empresa individual, mas não mitiga o risco. Outras QUARTEIRIZAM como coloquei acima e transferem o risco para a consultoria, mas neste caso, as grandes consultorias já não assumem o risco pelos motivos acima.

            5+
            • avatar
            • avatar
            • Rico 28 de fevereiro de 2019 at 09:12

              CA, a Stefanini continua praticando o CLT-Flex, que é pagar por fora grande parte do salário, o que é pior ainda, pois o passivo trabalhista é ainda pior, só comprovar os pagamentos acima de 50% do salário em carteira e receber todos os direitos como férias proporcionais, 13 e afins.

              4+
              • avatar
              • avatar
              • Rico 28 de fevereiro de 2019 at 09:14

                Quando me ligam e falam que é da Stefanini eu respondo que nem o bolsonaro: “Próxima empresa, por favor”.

                2+
                • avatar
                • CA 28 de fevereiro de 2019 at 09:41

                  Rico,

                  Entre 1.990 e 1.994 (recente – kkk) a empresa onde eu trabalhava como CLT contratava duas consultorias diferentes para body shopping de TI, a Stefanini e a 5Tech. Para profissionais equivalentes, pagavam o mesmo valor de hora/homem, só que no caso da Stefanini, ela repassava bem menos para os profissionais.

                  Conclusão: os profissionais conversavam entre si, os da Stefanini ficavam insatisfeitos, desmotivados, produziam menos, queriam sair e trabalhar com outra consultoria e no final, cancelaram o contrato com a Stefanini para não terem tanta dor de cabeça. Como você vê, eles SEMPRE foram assim e vão continuar, está no DNA deles…

                  5+
                  • avatar
                  • avatar
                  • Rico 28 de fevereiro de 2019 at 10:43

                    Ela surgiu de uma oportunidade de prestar serviço dentro da Gerdal, esperavam o que?

                    2+
                    • avatar
              • CA 28 de fevereiro de 2019 at 09:24

                Rico,

                Sim, mencionei acima: “Foi assim que Stefanini, Totvs e outras empresas de consultoria de TI de grande porte e com Ações na BOVESPA adotaram o regime CLT, mesmo que com adaptação (GAMBIARRAS), como o “regime Flex” (é CLT, mas salário é muito baixo e pagam menos impostos, compensando em um monte de “cartão-benefício” que paga menos imposto).”

                Sei que continuam fazendo isto e que mesmo assim estão sujeitos a processos trabalhistas, sem contar que no processo de IPO, quando fizeram a mudança de Nota Fiscal para CLT-Flex, tiveram fortíssima resistência, alguns consultores abandonaram a empresa, outros “aceitaram” no primeiro momento e depois entraram com processo trabalhista mesmo assim, como você mencionou acima, comprovando que estavam só fazendo GAMBIARRAS para burlar o fisco e no final pagar menos em férias, 13. e outros encargos trabalhistas.

                Ocorre que as grandes players, como a Stefanini e outras, tem uma espécie de “Lista Negra” SECRETA, que o RH delas compartilha entre si. Se o consultor processou uma delas na justiça do trabalho e tentou entrar em outra, ao checar as “referências”, ele não é contratado. Já fazem isto há bastante tempo, inclusive desde antes do IPO, quando ainda trabalhavam com pejotizados e sofriam com muitos processos trabalhistas.

                O IPO, regras de novo mercado, SOX, etc, não ELIMINAM as GAMBIARRAS, as empresas que quiserem vão continuar BURLANDO o sistema, apenas inventando outros meios, como no exemplo do “CLT-Flex”.

                Elas fazem isto para maximizar os lucros, obterem maior valorização do preço da Ação, mais remuneração para os gestores via bônus, etc.

                Existem INÚMERAS formas de fazerem isto, outro exemplo foi o “lucro espetacular” da CEF em 2017, via FRAUDE em reduções de provisões, que gerou ótimos prêmios e bônus para o pessoal da Caixa e agora este mesmo pessoal está “esperneando” porque o novo presidente da CEF não quer reaplicar o GOLPE para 2018 e está exigindo provisões de R$ 7 BILHÕES contra clientes duvidosos do segmento imobiliário, o que vai automaticamente reduzir o lucro da CEF em 2018 e os bônus e prêmios de todos os funcionários que serão recebidos agora em 2019 referentes a 2018.

                O conflito de interesses para empresas com Ações na BOVESPA não é algo que se resolva de forma simples e por mudanças de regras. As empresas tem muita “criatividade” para burlar isto, temos INÚMEROS exemplos ao redor do globo…

                3+
                • avatar
                • avatar
                • Rico 28 de fevereiro de 2019 at 10:47

                  Sobre essa lista eu já ouvi falar dela… Uma vez estava pegando uma gerente de RH de consultoria e perguntei a respeito. Ela disse que é lenda, principalmente por motivos jurídicos, mas não negou que pesquisam os processos trabalhistas do trabalhador.
                  Enfim, alguns deve saber da história do “bundalelê” anos atrás na festa de final de ano da Stefanini… Mandaram o cara embora e poucos meses depois estava trabalhando de novo, já que sua capacidade técnica era impecável. Mas foi processado pela empresa e teve que pagar 60 mil de danos morais.
                  No final é tudo Business. Se precisam de você te contratam e te usam. Acabou o contrato, é sumariamente demitido.

                  6+
                  • avatar
                  • avatar
            • Libertario 28 de fevereiro de 2019 at 09:18

              O malandro aceita receber salario via PJ pra botar a mão em mais dinheiro e pagar menos imposto.
              O outro malandro aceita pagar via PJ pra ter mais atratividade na vaga e pagar menos imposto.
              Se der problema no meio do caminho, o malandro coloca o malandro na justiça, exigindo direitos que na verdade ele não queria quando aceitou a vaga.

              7+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • CA 28 de fevereiro de 2019 at 09:28

                Libertário,

                A empresa contratante é a principal a se beneficiar NO CURTO PRAZO pelos inúmeros impostos e encargos trabalhistas que deixa de pagar, muitas vezes o principal interesse é dela e não do contratado. Só que depois que vira processo trabalhista, ela vai pagar mais caro.

                É visão de CURTO PRAZO, gerando lucro no presente e prejuízo no futuro, às vezes por gestores que querem ganhar AGORA e sabem que no FUTURO, não estarão mais na empresa.

                Análogo a TODAS as decisões dos governantes ao redor do globo: gere o lucro no presente e o prejuízo no futuro. Inclusive, esta é a RAIZ de todas as ações HETERODOXAS e também de todas as BOLHAS…

                6+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • Libertario 28 de fevereiro de 2019 at 09:54

                  CA,
                  Pode ser que o principal beneficiado seja o contratante no curto prazo.
                  Mas eu ainda enxergo um equilibrio entre as partes, já que o contratado também é beneficiado por poder botar a mão em mais grana do que se tivesse sido contratado pela CLT.

                  2+
                  • CA 28 de fevereiro de 2019 at 10:07

                    Libertário,

                    Neste caso, novamente é uma visão de curto prazo versus longo prazo.

                    O valor líquido a receber é maior, mas não tem 13., férias, INSS, FGTS, adicionais diversos relacionados à férias, 40% sobre FGTS, etc, etc, etc. Na maioria das vezes, o terceirizado ou quarteirizado, ao EQUALIZAR o CLT versus o recebimento pela NF, descobre que está recebendo MENOS como terceirizado. Existem até sites com “calculadoras” para você fazer estas comparações.

                    8+
                    • avatar
                    • avatar
                    • avatar
                    • avatar
                    • Libertario 28 de fevereiro de 2019 at 11:34

                      Pode ser CA.
                      Mas como voce diz, cash is king!
                      O cara com dinheiro na mão, se tem educação financeira, consegue fazer ele render muito mais do o FGTS ou INSS.

                      3+
                      • avatar
                  • Rico 28 de fevereiro de 2019 at 10:51

                    Gera um passivo muito grande Libertário. O que o CA disse é verdade. Quando ouve o boom na economia em 2010 muitas consultorias acabaram sendo absorvidas por outras maiores porque não conseguiam financiamento devido ao passivo trabalhista que possuía e como não podiam crescer acabaram vendendo sua carteira de clientes a consultorias maiores (Stefanini, Resource).
                    Outras que tinham situação mais estável foram vendidas a multinacionais, sobretudo Indianos e Franceses.

                    5+
                    • avatar
                    • avatar
                    • Libertario 28 de fevereiro de 2019 at 11:32

                      Sim, claro.
                      Essa parte eu concordo.

                      0
        • Jonny Deep Blue 28 de fevereiro de 2019 at 11:47

          CA,
          ME EXPRESSEI ERRADO. FOI MAL.

          UM DOIS,

          NÃO ME REFERI A PJTIZAÇÃO PEJORATIVA MENTE. REFORMULANDO A PERGUNTA:
          É COMUM TERMOS MÉDICOS QUE PRESTAM SERVIÇO EM VARIAS CLINICAS COMO CNPJ . PORÉM, SUA UNIDADE PRODUTIVA NÃO FICAM NESSAS CLINICAS. MINHA DUVIDA É COMO ELES FUNCIONAM. POIS, SE UM OFTALMOLOGISTA PESSOA JURÍDICA COM CNAE ESPECÍFICO PARA ESSA ATIVIDADE POSSUI LICENÇA PARA UM ENDEREÇO ESPECÍFICO, COMO ELE PODE TRABALHAR EM VÁRIOS LOCAIS??? EM VÁRIAS CLÍNICAS?? A PRINCIPIO, A LICENÇA É UMA GARANTIA QUE ESTÁ TUDO BEM PARA FUNCIONAR NO ENDEREÇO AUTORIZADO PELA LICENÇA.
          O QUE VC ACHA DESSAS QUESTÕES?
          QUERO INSISTIR NESSE TEMA PARA PERGUNTAR SE HÁ POSSIBILIDADE DE UMA BOLHA ENVOLVENDO FARMÁCIAS E CLINICAS. O QUE VC ACHA?
          VALEU!

          0
  • odorico 27 de fevereiro de 2019 at 20:19

    Aproveito o brogui para uma pesquisa de opinião.
    Quem é de Brasília ou mesmo de outra região, tem acompanho o anúncio de aluguel de imóveis? Aqui em bsb parece que estão puxando o preço para cima (não sei se vai alugar, mas no anúncio estão puxando). Exemplo. Meu contrato de 2016 tem valor de R$28,08/m2 . Os novos anúncios aqui no prédio que moro e mesmo na região estão na faixa de de 37 a 41/m2. Claro que há diferenças de acabamento e planta, mas o de 37/m2 é bem parecido com o que eu moro. Aliás é até pior, pois é poente (sol da tarde). O meu contrato vai até 2020 e estou tranquilo. Mas se a realidade não mostrar a cara aqui, vai ter inflação do aluguel. O que observei em brasília é que muitos chegaram a conclusão que alugar não é mal negócio. Alguém tem observado isso na região que mora? E o pessoal de BSB o que diz?

    7+
    • avatar
    • MARK 27 de fevereiro de 2019 at 20:31

      Odorico, em Santos tenho notado uma leve alta no valor dos apartamentos para locação (nos anúncios). Acho que a pressão no preço pode estar vindo em razão dos preços proibitivos de venda e as dificuldades em se conseguir um financiamento. Noto também que os apartamentos em melhores condições e estrutura, alugam bem rápido. Apartamentos mais velhos, localização ruim, sem visão para a rua ou sem vista ficam anos para alugar. Um terceiro tipo de imóveis para locação tipo classe A, aqueles grandes e no coração de bairros nobres estão bem caros, mas ficam anos e mais anos sem alugar. Até 2.500 (apartamentos ou casas boas e bem localizadas) alugam rápido. De 3.000 pra cima quase não se aluga, a não ser que seja comercial em maravilhosa e movimentada localização. Menos que 1.000 é difícil ver alguma coisa para alugar aqui, só conjugados.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • Hard Core 27 de fevereiro de 2019 at 22:43

        Aqui, acompanho o mercado de locação, e imóvel fica mais de 1 ano para alugar e proprietário não baixa. Acho que não sabem calcular o prejuizo com esse comportamento. Aqueles que estão no valor justo, alugam em menos de 2 semanas. Queria mudar de apto para casa e “perdi” de me mudar 2 vezes pois tinha fila para pegar o imóvel. Acompanho o BIB a 2 anos e desde o inicio fiquei atento sobre as anormalidades e distorções do mercado imobiliário.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Rico 28 de fevereiro de 2019 at 08:57

          A maioria desses proprietários estão com a vida ganha… São imóveis de herança, ou terrenos de permuta onde os patriarcas dessas famílias fizeram a vida comprando e vendendo imóveis, em uma época que as cidades estavam crescendo, então se comprava terrenos na época em lugares longe do centro a preço de banana (mesmo) loteava e vendia. Em casos mais recentes são feitos permutas de unidades pela venda do terreno para construção do prédio.
          Ou seja, é difícil entrar na cabeça desses proprietários que dá prejuízo manter o apartamento fechado, ganharam dinheiro a vida inteira assim e não acreditam que a coisa mudaria de um dia para outro. No máximo é uma crise passageira que dentro de um ou dois anos vai voltar a valorização com o gás todo, como sempre foi nesse país.
          Por isso eu digo que grande parte dos proprietários que não estão pendurados em dívidas vão morrer abraçados aos seus apartamentos. Esses só serão vendidos daqui a 10 ou 20 anos depois que os proprietários morrerem e seus herdeiros não tiverem interesse em mantê-los.

          12+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Rico 28 de fevereiro de 2019 at 09:01

            Só acrescentando gosto de carros antigos e acompanho alguns colecionadores. De vez em quando aparece carros 0 km da década de 1970 e 1980, que foram comprados como forma de garantir o capital da desvalorização monetária e hiperinflação na época.
            Óbvio que mesmo se colocar no papel mesmo contando com a valorização que esses carros tem hoje (alguns chegam a custar por volta de 60 mil reais) a perda financeira foi enorme comparado a perda de oportunidade de investimentos nesse tempo todo.
            Mas essas pessoas sempre deram valor ao palatável, ao físico e portanto não conseguem ver o mercado financeiro como uma oportunidade de ganho de renda ou proteção de capital, principalmente aqueles que viveram o confisco do Collor em 1990.

            9+
            • avatar
            • avatar
          • socrates 28 de fevereiro de 2019 at 10:09

            e a “função social da propriedade”, ó….

            1+
    • PRTS 27 de fevereiro de 2019 at 20:46

      Odorico,
      Moro de aluguel em um apartamento de três quartos reformado (reforma muito boa, diga-se de passagem) na Asa Sul. Pago 37/m² e o valor do aluguel é 0,42% do valor do imóvel. Meu contrato é do início de 2018. Na Asas Sul é Norte é muito difícil encontrar algo habitável para morar e, quando encontra, o preço é bem salgado.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Hard Core 27 de fevereiro de 2019 at 22:08

      Numa certa cidade de porte médio no RS, o valor do m2 em área nobre (tipo classe A) varia entre 15 e 23 reais para apartamentos. Para casas chega a 35 reais. Já em residências que considero tipo Classe B, na qual moro, varia entre 10 e 15 reais para apartamentos e chega em 20 reais para casas. Mas cada cidade tem sua realidade. Como sou “frugal” no modo de vida (poupando e investindo os níqueis),ainda acho caro kkkkk.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Hard Core 27 de fevereiro de 2019 at 22:10

        Pago em aluguel 0,35% do valor nominal do apartamento. Condomínio 400 reais já com gás e água. Apartamento de 100 m2 , uma suite + um quarto. Sem xoxotecas…

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Cesar_DF 27 de fevereiro de 2019 at 22:08

      Odorico
      Eu já identifiquei uma sazonalidade típica em Brasília
      No início do ano, o preço de muitos imóveis para alugar sobe bastante. Os com menor valor são alugados em menos de 1 mês, e os mais caros somente serão alugados depois de 4 meses, quando o proprietário baixa o valor.
      Então, acontece o famoso viés do FipeZap, quando os imóveis de menor valor por m2 saem da lista e sobram os mais caros, e com isso indicando no índice que ocorreu uma “valorização” kkkk

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Money_Addicted 28 de fevereiro de 2019 at 09:00

      eu vejo algo semelhante aqui em cps-sp, o pessoal continua subindo o preco “fantasia”
      mas estou tranquilo, tenho visto opcoes mais interessantes (outra regiao) nao por questao d valores mas de preferencia.
      e caso opte por permanecer imagino q o propriotario vai ter interesse em negociar visto que pago em dia (nao mais q minha obrigacao mas se tratando de banania isso eh um diferencial)

      3+
      • avatar
    • DouglasteR 28 de fevereiro de 2019 at 09:22

      O aumento do aluguel é simplesmente passivo. É a gordura da negociação.
      70% nem negociam, aceitam logo. Não seja parte desses 70%

      3+
      • avatar
  • CA 28 de fevereiro de 2019 at 08:21

    https://www.terra.com.br/economia/atividade-industrial-da-china-contrai-em-fevereiro-no-ritmo-mais-forte-em-3-anos-mostra-pmi-oficial,4286a2a8d40e0e88d97ae41d33b86e97753lb85m.html

    Trechos do link acima:

    “A atividade industrial da China contraiu no ritmo mais forte em três anos em fevereiro uma vez que as encomendas para exportação caíram no nível mais rápido desde a crise financeira global, destacando as fissuras na economia diante da demanda fraca tanto internamente quanto no exterior.”

    4+
    • avatar
    • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 08:24

      mais forte/mais rápido

      2+
  • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 08:26

    Investimento da Petrobras soma R$ 12,659 bi no 4º trimestre, queda de 14,4%… –

    2+
  • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 09:23

    Confirmado:

    Economia brasileira cresce 1,1% em 2018

    5+
    • avatar
    • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 09:44

      PIB do Brasil cresce 1,1% em 2018 e ainda está no patamar de 2012
      Crescimento da economia brasileira no ano passado foi igual ao registrado em 2017, o que mostra que a recuperação segue lenta. No 4º trimestre, PIB avançou apenas 0,1%.

      O desempenho da economia brasileira no ano foi decepcionante diante das expectativas iniciais
      o PIB do país ainda segue abaixo do nível pré-recessão.
      safra dos números do fim de 2018 e de início de 2019 revelou uma perda de ritmo da economia e um desempenho mais fraco da atividade do que o esperado por boa parte dos analistas.

      3+
      • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 09:49

        Por que o PIB não decolou e em 2019 pode ser pior que o esperado?
        Laís Alegretti
        Da BBC News Brasil em Brasília

        “Tem uma frustração generalizada, mas principalmente na indústria de transformação e na construção civil”, explicou Silvia Matos, em relação aos últimos meses do ano passado.

        https://www.bbc.com/portuguese/brasil-47397619

        5+
        • avatar
        • avatar
        • CA 28 de fevereiro de 2019 at 10:25

          Cajuzinha,

          Até quando vão usar as palavras “decepcionante”, “frustração”, etc?

          Não percebem que estão expondo o quão UFANISTAS foram ao prever recuperação sem ter sido feito absolutamente NADA para se gerar uma evolução na economia?

          Ah, mas liberaram o PIS/PASEP em 2018, em 2017 teve o FGTS dos inativos e a super-safra agrícola, olha só quantas “ações” para buscar melhoria! Que viagem na maionese, isto foram situações PONTUAIS, não recorrentes, não criaram nenhum caminho para uma recuperação estruturada, constante e confiável, ao contrário!

          Ah, mas o índice de desemprego vem caindo, assim como o endividamento das famílias junto aos bancos! De novo, outra enorme ILUSÃO, a DEGRADAÇÃO dos empregos foi mais profunda do que nunca, afinal, de que adianta diminuir o desemprego porque batemos recorde de pessoas que DESISTIRAM de procurar emprego, somado ao recorde de SUBemprego e de INFORMALIDADE de motoristas de aplicativos, faxineiras sem registro em carteira, etc, todos com ocupações para SOBREVIVEREM por não encontrarem empregos formais, já no lado da INADIMPLÊNCIA, o recorde histórico de inadimplência geral do consumidor em 2018, próximo de 63 MILHÕES de pessoas nesta situação. Onde existiu esta tal recuperação dos empregos e redução da inadimplência?

          Será que não percebem que ao virem com estes papos furados estão chamando atenção não somente para a INCOMPETÊNCIA deles, como também para a expectativa mais realista de frustração futura quanto às novas promessas MIRABOLANTES feitas pelo novo governo?

          E a manada continua sendo ENGANADA por estes “especialistas economistas”, lamentável…

          5+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • Alemon Fritz 28 de fevereiro de 2019 at 09:51

        se for igual a italia vai cair de 1,1 para 0,2% esse ano…

        2+
    • Rico 28 de fevereiro de 2019 at 11:02

      Segundo ano seguido. Se crescer 1% em 2019 pode pedir música no fantástico?

      4+
      • avatar
  • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 09:30
    • Alemon Fritz 28 de fevereiro de 2019 at 09:49

      investidor : Os saltos de 70%
      Carlos Bolsonaro perdeu 130 mil reais aplicados na corretora Intra. A reportagem da Época nota, porém, que o dinheiro jamais foi declarado. Antaagonia
      Perda total de Zero Dois
      Carlos Bolsonaro é um mau investidor.
      A Época conta que, em maio de 2007, ele aplicou 130 mil reais na corretora Intra. “Dois anos depois, ele foi informado de que não só havia perdido tudo que investira, como ainda estava devendo 15.500 reais…

      4+
      • avatar
    • CA 28 de fevereiro de 2019 at 09:57

      Cajuzinha,

      Sim.

      Cada vez que o juro básico da economia está baixo, principalmente em países com histórico de inflação e juros altos, MUITAS pessoas passam a ficar DESESPERADAS com a “baixa remuneração” (*) e topam correr riscos muito maiores em troca de PROMESSAS de retornos proporcionais.

      Este é o contexto ideal para a criação de pirâmides financeiras (exemplo: vendas FALSAS na planta) atraindo número anormal de “investidores”, formação de bolhas imobiliária e de consumo, estímulos a Bolsa de Valores e Imóveis, etc, etc, etc…

      (*) O que interessa é o juros real, ou seja, o quanto de ganho você tem acima da inflação, sem contar que quando você tem inflação muito alta e juros ainda mais alto, mesmo com maior diferença entre juros e poupança, ainda assim não é tão “lucrativo”, pois o processo inflacionário NUNCA é homogêneo e “sincronizado”, ou seja, quando a pessoa receber o “ganho maior” na aplicação, às vezes o produto ou serviço onde deseja aplicar aquele valor subiu mais ainda, ou a pessoa demora para receber o reajuste correspondente aos juros e aquilo que ela quer comprar aumentou de preço ANTES. Em outras palavras, o ganho a mais com juros e inflação maiores e maior diferença entre juros e inflação, é ILUSÓRIO.

      Reforçando, o que consta acima, é UM dos combustíveis das bolhas imobiliárias ao redor do globo e que permitiu tantos investidores SARDINHAS em imóveis e bolsa de valores no Brasil, uma vez que nos encaixamos perfeitamente no perfil acima.

      E é por isto que quando inflação e juros sobem muito, são os principais gatilhos para explodir a bolha. A distorção na demanda e no preço das Ações e Imóveis aparecem mais, a demanda por eles cai ainda mais e daí é ladeira abaixo.

      Também explica porque governantes ao redor do globo estão fazendo MALABARISMOS para que o crescimento da economia não seja muito relevante ao ponto de gerar aumento da inflação e obrigar aumento dos juros.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • tmarabo 28 de fevereiro de 2019 at 10:05

        é verdade, por exemplo, há três anos estou no atual apartamento alugado. o preço dos imóveis por aqui caiu 10% a 30% nominalmente.
        ou seja, mesmo que meus investimentos possam não ser tão bons, se eu pretender comprar um imóvel com certeza foi muito melhor do que comprar naquela época. se meus trocados estivessem na poupança teria sido um bom negócio.
        mas poderia ser o oposto: se eu tivesse boas aplicações em 2010, jamais alcançaria a valorização que teve por aqui de 2010 a 2013.

        é importante analisar POR QUE SE ESTÁ POUPANDO: pra uma viagem? pra um imóvel? pra aposentadoria?

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 10:07

          Exatamente. E não ficar mudando de investimento, pq isso só gera mais perda. Tem muita gente que escuta falar que tal investimento é que tá dando dinheiro e entra de cabeça, sem estudar NADA a respeito.

          13+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 10:06

        CA, o problema de muita gente é não ter paciência, saber esperar…

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cadeludo 28 de fevereiro de 2019 at 10:12

    kkk 0,1% no último trimestre putz
    será que vai?

    5+
    • avatar
    • CA 28 de fevereiro de 2019 at 10:49

      Cadeludo,

      E observe que, como disse por aqui inúmeras vezes, a Bolsa de Valores não guarda NENHUMA relação com o mundo REAL e os resultados e expectativas REALISTAS para a economia. Veja abaixo:

      https://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7951474/ibovespa-tem-leve-alta-em-meio-a-balanco-da-petrobras-e-tensao-politica

      No conteúdo da notícia acima, dizem que a BOVESPA não subiu e ficou próxima do zero (às vezes pouco acima e neste instante pouco abaixo), em virtude do PIB ter ficado “em linha” com expectativas de economistas e a Petrobrás ter decepcionado um pouco em seu resultado do 4o trimestre, não tendo nada que empolgasse ou fosse forte ameaça no Exterior.

      Se a BOVESPA MINIMAMENTE refletisse a REALIDADE da economia, ao olharmos para o péssimo resultado do PIB no último trimestre do ano passado, ao lembrarmos que ele acelerou no ano passado em período que tivemos ocorrência não recorrente e provavelmente em função dela (liberação do PIS/PASEP de décadas atrás) e ainda, olhando para os PÉSSIMOS recordes batidos em 2018 que DEMONSTRAM sem sombra de dúvidas a profunda DEGRADAÇÃO dos empregos e aumento da INADIMPLÊNCIA, onde todos estes indicadores apontam também para uma PIORA no mínimo para o curto / médio prazo, fora as diversas ameaças externas que estão se manifestando de forma cada vez mais constante, a BOVESPA já deveria estar DESPENCANDO há algum tempo e ter intensificado este movimento agora.

      Mas a BOVESPA, assim como demais bolsas ao redor do globo, continua a dar razão àquela lógica que atribuem a ela: “Sobe no boato, cai no fato”. E é por isto que o governo e “especialistas economistas” alimentam o otimismo UFANISTA, para ver a disparada da BOVESPA e queda do dólar, para comemorarem como se isto fosse um dos “resultados” já apresentados pelo novo governo, quando é exatamente o contrário: tal otimismo SEM FUNDAMENTO, incentivará cada vez mais pessoas e empresas a fazerem apostas mais altas do que aquilo que elas podem, levando-as ao SUICÍDIO FINANCEIRO e intensificação da crise, exatamente o que já vem acontecendo HÁ ANOS, só que com o governo extrapolando e amplificando os resultados desastrosos por vir, quando novamente falarão sobre “frustração”, “decepção”, “surpresa negativa”, etc…

      6+
      • avatar
      • avatar
  • LZ 28 de fevereiro de 2019 at 10:47

    Construçào tomando naba de -2,5%.
    Ou seja do 1.1 do PIB a construção foi duas vezes pior haha.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 11:12

      PIB da construção recua 2,5% em 2018, revela IBGE; queda é a quinta consecutiva

      Pela QUINTA vez! Será que vai levar de 7?

      Gollll do BIB

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • LZ 28 de fevereiro de 2019 at 10:50

    Infos pesadas:
    Santader tem em carteira cerca de 900 Mil imóveis para venda que foram retomados até agora.

    Detalhe: As vendas de retomados sào cerca de 1 Mil imóveis ao mes.
    Só vai levar 75 anos para zerar a carteira, isso se não retomar mais nada.

    E ai vai?
    Se o Santander tá assim, imagina a caixa kk

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 28 de fevereiro de 2019 at 11:03

      LZ,

      Não seriam de 900 a 1.000 imóveis retomados?

      Até onde sei, pelos números oficiais dos bancos, o que retomaram devido à inadimplência do crédito imobiliário pelos compradores de imóveis, de 2014 até hoje, teria sido algo em torno de 70.000 imóveis e o número total de imóveis considerados OFICIALMENTE inadimplentes seria de 500.000 (350 mil de MCMV e 150.000 de outras linhas de crédito).

      Sim, além dos números acima que já são MUITO ELEVADOS frente ao volume de vendas anual no país, temos ainda muito mais que isto com que os bancos estão PEDALANDO, como nos casos das renegociações MIRABOLANTES da CEF para não reconhecer a inadimplência e ainda, imóveis que as construtoras entregaram em dação porque não conseguiram pagar suas dívidas junto aos bancos, fora os imóveis que estão com condomínios para serem leiloados em função de falta de pagamento do condomínio por período mais extenso, no entanto, creio que mesmo na somatória destes não chegaria a número tão elevado de imóveis em apenas um banco que nem é o principal para esta modalidade de crédito, como você mencionou acima. OBS: provavelmente no total geral, que inclui todos os casos que mencionei acima, chegue a um número como este que você mencionou ou até maior, mas não para apenas um banco. A conferir…

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • indiobolhista 28 de fevereiro de 2019 at 20:35

      por favor pode passar o link dos 900 mil imoveis retomados

      1+
      • avatar
      • LZ 1 de março de 2019 at 19:25

        Cara não tenho link, senhora LZ trabalha no Santander e essa info é interna.

        2+
        • avatar
        • indiobolhista 2 de março de 2019 at 09:36

          então é certo, simples assim, obrigado, sem mais. Previsão de casal LZ para estourar a bolha imobiliária?

          0
  • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 11:25

    A economia dos Estados Unidos cresceu 2,9% em 2018, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (28) pelo Departamento de Análises Econômicas (BEA na sigla em inglês), do país.

    4º trimestre
    Nos últimos três meses de 2018, o crescimento registrado foi de 2,6%, abaixo dos 3,4% do trimestre anterior, na segunda desaceleração trimestral seguida.

    4+
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 28 de fevereiro de 2019 at 12:06

    criminalidade da semana

    um por semana:
    -Corretor de imóveis é morto a tiros no Centro de São José, SP
    Um corretor de imóveis de 62 anos foi morto com três tiros na tarde desta quarta-feira (27) dentro de uma casa no Centro de São José dos Campos (SP). Segundo a Polícia Militar, ele mostrava a residência a um suposto cliente.
    G1 – Globo|16 h ago
    cartórios
    -Rio: Polícia Civil cumpre mandados de prisão por fraudes em cartórios
    Segundo investigações, suspeitos adulteravam documentos para transferir a propriedade dos imóveis; casos aconteciam na Baixada Fluminense. R7|2 hours ago

    7+
    • avatar
    • socrates 28 de fevereiro de 2019 at 13:30

      por que raios os cartorios ainda nao sao digitais com informações publicas e transparentes a todos?
      Por que se pagar 100 reais por uma certidao que poderia ser impressa de forma gratuita?
      Por que se pagar caro para registrar um imovel? Por que nao é igual a um carro?

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 28 de fevereiro de 2019 at 13:36

        bananense gosta de carimbo, selos brilhantes, pagar 10 vezes a mesma coisa (ex certidão de nascimento não serve pra mais nada) pois vc tem de tirar uma cada vez.. fila, e achar que não não está sendo enrolado no cartório…

        7+
        • avatar
        • avatar
  • Senhor Bolha 28 de fevereiro de 2019 at 12:48

    Sobre o questão da dívida públicas e as visões simplistas que países desenvolvidos atualmente podem sempre sustentar juros baixo ad eternum e ainda aumentar o estoque da dívida.

    Uma coisa que foi severamente enfiada goela abaixo nos cursos de economia : Dizem alguns especialista no mercado ” O tamanho da dívida não importa, mas sim quanto o país paga de juros sobre estoque da dívida.Isto é um tremendo engodo, respondo abaixo porque os agentes de mercado sustentam esta tese de investimento.

    O primeiro fator é que a dívida pública tem como garantia a capacidade do governo espoliar o contribuinte com maiores alíquotas de IR.
    No primeiro momento os maiores detentores da dívida bancos, fundos de investimento de previdência e aposentadoria e demais setores tem como garantia que o governo vai espoliar o contribuinte para pagamento de juros e rolagem da questão ad eternum.No mercado de capitais conhecemos este processo como fidúcia. Os agentes só aceitam rolar as dívida do governo enquanto os mesmo acreditam que o governo vai conseguir manter pagamento da mesma.

    Países que possuem estoque da dívida pequenos e superavits constante são visto como porto seguro, ou seja, uma vez que acontece uma crise generalizada o dinheiro esperto busca por segurança nestes países.

    No modelo atual países como : EUA são visto como mais “seguros”, OBS: isso vem mudando com o tempo.Déficits americanos vem aumentando junto ao estoque de dívida americana ao longo do tempo, atualmente chegou aos 22 trilhões nominalmente. Alguns agentes começam ficar atônitos sobre qualquer aumento de juros base da economia. Quanto maior o estoque de dívida, consequentemente maior é o impacto num aumento de juros generalizado.

    Quer dizer que os agentes economicos só aceitam rolar a dívida enquanto eles acreditam que governo vai conseguir espoliar o cidadão com alíquotas de IR cada vez maiores.No modelo econômico atual: Juros 0% ad eternum significa que não há crescimento do PIB que sustente aumento de gastos do governo, ou seja “maiores déficits”são cobertos com lançamento de títulos, desembocando no aumento do estoque das dívidas.

    Dai que os países ditos “desenvolvidos” ao qual todas pessoas vivem puxando vem aumentado estoque de dívida publica ao longo de 3 décadas, porém o crescimento não foi suficiente para reduzir o estoque da dívida neste meio tempo.

    Isso significa que no modelo atual o governo vai ter cada vez mais dívida no futuro e cada vez menos dinheiro no presente para ser confiscado.Ou seja, o governo gastando cada vez mais e os agentes começam desconfiar que a moeda fiduciária tende a perder o valor cada vez mais ao longo do tempo.

    Isso é refletido no preço do ouro e outros metais preciosos a qual vem se apreciando conforme endividamento dos governos só cresce mundo a fora. Adiante teremos um efeito de ( Depreciação da moeda).E como estoque da dívida dos governo mundo a fora só aumenta ,consequentemente temos um crescimento ínfimo da economia neste meio tempo. O governo vem maquiando estatísticas e usando estratégia heterodoxas para adiar aumento de juros e implosão do mercado de dívida pública e privada.

    O governo lança títulos a mercado aos quais são absorvidos por programas de Quantitative easing (QE).QE: conhecido também como flexibilização quantitativa ou política de harmonização financeira quantitativa (do japonês, ryouteki kin’yuu kanwa seisaku) é a criação de quantidades significantes de dinheiro novo eletronicamente, por um banco, mas autorizado pelo Banco Central, mediante o cumprimento das normas de percentuais pré estabelecidos. É um jargão para uma ação de política monetária do Banco Central.

    Se a quantia de dinheiro criada for maior do que a necessária, pode-se gerar hiperinflação.Se as instituições financeiras não emprestarem o dinheiro criado, pode-se gerar inflação com deslocamento temporal ou imprevisibilidade de efeitos do quantitative easing no mercado.

    Não bastante, os maiores críticos deste sistema alertam que, a compra de títulos dos Bancos Centrais enfraquecem também as necessárias reformas político-econômicas pois se o governo pode esperar que o Banco Central, que no Brasil é entidade vinculado ao governo, embora se intitule “juridicamente autônomo”, produz recursos para cobrir as suas perdas, a exemplo das taxas de juros, através da manutenção do sistema o país incorre em cada vez mais dívidas.

    O desespero do Japão e o experimentalismo heterodoxa:

    Apesar de várias fontes citarem o quantitative easing como estímulo econômico ineficiente, o Japão estuda a possibilidade de instituir quantitative easing infinito, com a emissão de títulos do tesouro sem obrigação de pagamento de juros, o que sinaliza potencialmente a intenção de se usar o banco central para financiamento da dívida pública, indiretamente, que não é o foco do quantitative easing. Nesse caso, é importante que políticas fiscais sejam revistas.

    Resumo da gambiarra acima: O próprio banco central emiti títulos e na outra ponta imprimi dinheiro para se financiar.Monetização da dívida pública mediante impressão de dinheiro, tudo isso sem que este dinheiro passe por financiamento externo.

    Jogada de gênio! descobriam a formula para crescimento ad eternum e como financiar déficits crescentes sem precisa de financiamento externo,Só que não.Quando governo mantém o mercado de juros 0% durante muito tempo, muitas pessoa passam a não poupar mais dinheiro , afinal ele não rende nada.

    Ao fazer isso investimentos errôneos são feito e riscos cada vez maiores são assumidos por fundos de investimentos que compram títulos junk de mercado emergentes.

    E como não existe estoque de poupança na economia, apenas dívidas . A economia fica sobre um castelo de cartas aonde uma crise explodiria todas as bases do sistema.

    E qual é o x da questão?

    Déficits estão crescendo e o governo não pode aumentar juros correndo risco de ver tudo explodir debaixo do seus pés. Agora imagina um cenário aonde não existe poupança e uma grande instituição que investiu bilhões em títulos junk quebra! BOOM.

    A liquidez do mercado desaparece do dia para noite, e como não existe poupança! pessoas entram em desespero.
    Uma vez que os bancos limitam saques, e o governo faz incursões no mercado de cambio visando conter a situação.

    A liquidez simplesmente desaparece e o colateral das dívidas não é suficiente para fazer rolagem, ou seja, governo não consegue mais se financiar via impressão de dinheiro neste esquema de gênio, ao qual foi feito especialmente para manter as taxas de juros em 0%.

    Outro efeito é que embora taxa de juros seja zero a rolagem de juros seja baixa , afinal o próprio governo monetiza a dívida pública via QE.O dinheiro criado no governo não pode ir para o mercado de crédito correndo risco de criar inflação monetária e aumento de preços.

    O dinheiro tem que ficar exclusivamente dentro do sistema governamental:Ademais os agentes percebem que o governo monetiza dívida com emissão de dinheiro e passam a não aceitar mais este dinheiro como tendo valor no mercado de divisas internacionais. O governo para manter a fidúcia no sistema financeiro compra ouro via banco centrais.

    Corrida ao ouro

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Senhor Bolha 28 de fevereiro de 2019 at 12:49
    • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 14:19

      E a moratória da dívida?

      “Moratória: há trinta anos, o país mergulhava no escuro
      Em fevereiro de 1987, ao suspender o pagamento de juros da dívida externa, o governo acreditou que teria cacife para enfrentar a banca. Não tinha”
      .
      https://veja.abril.com.br/blog/reveja/moratoria-ha-trinta-anos-o-pais-mergulhava-no-escuro/
      .
      Não pode ser saudável continuar se endividando, arcando com mais juros e inflando a bolha de consumo… A conta nao fecha…

      Depois ficam fazendo remendos ruis e ufanistas para justificar MAIS dividas?
      E se a máquina quebrar? Casos da Argentina, Venezuela, Cuba, Grécia, França (em andamento) Brexit (em andamento)..

      Esse sistema keynesiano de gastar mais para gerar renda está refutado há muito tempo…. Não?

      3+
      • Senhor Bolha 28 de fevereiro de 2019 at 15:42

        A questão não é estar refutado, mas que os governos mundo fora não tem opção, estão presos neste modelo de crescimento artificial.
        Governos ao redor do mundo vem praticando ao longo do tempo um processo chamando rolagem&empilhamento, basicamente empilham dívida no futuro para fornecer o presente, fazem isso contando que no futuro sempre vai existir mais dinheiro disponível para ser tomado em forma de dívida.

        Então quando não existe este dinheiro no futuro o que fazem? empilham novamente mais dívidas ( monetizando a dívida com imprensão de dinheiro), fazem isso sucessivamente até chegar a um montante da dívida publica ao qual se torna tão grande que o governo não mais pode usar da rolagem , e como crescimento do PIB & investimentos são feitos baseado numa taxa de juros X, quando estímulos monetários são cortados: O castelo de cartas cai em cima do seu próprio peso.

        Sobre o Brasil:
        A dívida no passado era boa parte em dolár : Dívida externa, o governo não poderia imprimir dólares para pagar sua dívida. Monetizar dívida com moeda estrangeira.

        Atualmente o governo pode monetizar dívida indiretamente lançando títulos públicas e fazendo empilhamento, rolando a dívida e pagando juros.

        Acontece que ao se empilhar um montante muito grande de dívida, bastaria 0,50% de aumento para o juros da dívida explodir.
        Contanto que a dívida foste em moeda nacional: O governo pode imprimir dinheiro para pagar os credores, só que este processo gera inflação monetária.

        Aquela lance eu ganho 7 de juros + inflação.
        Quanto maior for a inflação menor é o juros real , afinal de conta o que interessa sempre vai ser quanto tu recebe e juros real.Neste sentido o governo te da um calote branco! Ele te paga , mas com dinheiro que não vale nada.

        No final ele cumpriu o contrato ao te pagar , mas a um custo que este dinheiro não serve nem para limpar a bunda.Até por isso ouro físico é usado como ” Seguro”. Quanto mais as dívidas crescem , mais o preço do ouro tende acompanhar este crescimento.

        Outra questão é que o tesouro americano é dito o mais seguro do mundo, inclusive a China é um dos maiores credores do EUA.Agora imagina um cenário aonde a China vende seus títulos a mercado.

        O sistema monetário atual chegou esgotamento.Não é mais possível crescer a economia lastreado unicamente na alavancagem.
        EX: A cada ano o crescimento do PIB mundial é cada vez menor, e isso tende se intensificar nos próximos anos, ou seja, vai faltar dinheiro para rolagem do juros em algum momento, principalmente caso juros suba apenas 1 ou 2% sobre montante que cresce ano após ano.

        Hoje alguns países pagam 0% na dívida , mas um custo de nunca mais subir 1% se quer no valor oferecido.
        Agora imagina uma dívida PIB de 300% e uma subida de juros de 1%.

        Alguns vão relutar: O governo vai controlar o crescimento para não ter inflação de preços!
        Ao fazer isso o governo garante que no futuro crescimento do PIB vai ser cada vez menor e as dívidas vão crescer pelos aumento déficits consecutivos do mesmo. Isso vai acabar gerando uma enxurrada de protestos e quebradeira.

        4+
        • avatar
        • avatar
        • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 15:53

          Sim, claro…
          Vc didaticamente explicou COMO o sistema monetário funciona…
          Agora quero saber SE e COMO trabalhar d forma diferente….

          Lá encima vc explicou que divida eleva juros e sem divida não há crescimento e acontece a estagnação….

          Então pergunto: Como sair dessa escolha de Sofia?

          Japão está altamente estagnado e endividado, Os EUA não estão estagnados mas bem endividados, A Grécia quebrou, a França estagnada e a Argentina quebrou….

          Não é otimismo juvenil ufanista acreditar que em 10 anos(pra ser imediatista) estaremos em condições melhores economicamente?

          2+
          • avatar
          • Senhor Bolha 28 de fevereiro de 2019 at 16:07

            Não tem saída.
            A tendência é sempre piorar.
            Se entra um governo com uma linha desenvolvimentista este processo é acelerado, caso entre outro mais ortodoxo este processo é adiado, mas nunca evitado.

            Imagine uma ribanceira : A cada ano você anda um passo mais próximo ao penhasco.
            Se escolher um governo desenvolvimentista você anda dois passos em direção ao penhasco, e se for um ortodoxo meio passo em direção penhasco.

            Os países que tem dívida pública grande estão na beira do penhasco, os que possuem menos estão no meio, e aqueles aonde dívida nominal é pequena mais distante.

            Qual diferença de nós para eles? Mera questão deles estarem mais distante do penhasco e nos mais próximos.

            No final da contas eles podem suportar uma dívida pública maior por mais tempo, mas não conseguem manter ela para todo sempre.

            6+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Senhor Bolha 28 de fevereiro de 2019 at 16:12

              A saída passa pela população e pela mudança no sistema financeiro.
              O governo deve gastar somente o que arrecada.
              Previdência mesmo que pública sobre regime de capitalização, redução de subsidiários e gastos públicos.
              Porém isso não vai ser feito. Os beneficiários deste esquema não querem perder seus direitos.

              8+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
            • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 16:20

              E sabendo disso, por que fica aqui? Não é muito mas saudável morar o exterior com qualidade de vida muuito superior e custo de vida muito menor?
              Por que insistir em ajudar a pagar essa conta impagável do governo?
              Eles te representam?
              Acho que não….
              Aqui só serve pra quem quer ganhar juros(mesmo assim ganhar em dolar seria mais inteligente, concorda?)

              Eu se quer imaginava que o país era essa ciranda de levar no t.o.ba. senão amais tinha criado raízes aqui…. nem de bananense gosto… carnaval, samba, cerveja pra mim são dispensáveis… mas qualidade de vida é outra coisa….
              .
              Se matar paga ganhar juros com renda fixa e depois deixar boa parte nos impostos de consumo e agua/luz/ipva/iptu ??? Ganhando violência, falta de infra estrutura, cidades abarrotadas de gente, filas intermináveis pra tudo e incerteza até pra amanhecer no outro dia?
              Não estou vendo vantagem não…

              7+
              • avatar
              • Senhor Bolha 28 de fevereiro de 2019 at 16:27

                Eu não estou aqui, nem ali.

                A questão é o cambio: Quando você se muda repentinamente você precisa de alguns milhões para serem convertidos.

                Se você tem 1 milhão em investindo no Brasil seu poder de compra no exterior é de apenas 250 mil dólares americanos.

                Não há garantias em nenhum pais dito desenvolvido. O ideal é você investir em cesta de países e viver como um nômade .
                Seu dinheiro estando espalhando pelo mundo basta você não precisa ter residência em nenhum pais especifico.

                Agora caso queira se mudar você precisa converte todo seu dinheiro nacional para moeda estrangeira.

                7+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • Senhor Bolha 28 de fevereiro de 2019 at 16:37

                  Vamos dizer que você tem alguns milhões espalhados pelo mundo.

                  Um pouco em cada país: Diversificação geográfica e de cesta de moeda.

                  O japão ficou uma merda vá passar um temporada em Londres!
                  Londres ta uma merda passe um tempo nova york.

                  Quando você troca um país pelo outro você espera que um país é melhor que o seu de origem, pode até ser durante um determinado período, mas pergunta que fica é, vai estar melhor no futuro?

                  Porque não ser cidadão do mundo em vez de estabelecer residência em só país e correr os riscos de uma só economia.

                  OBS: 37% da minha carteira tem correlação com dolár , mas venho jogando dinheiro para fundo que investem ouro também.

                  A lembrando que quando você se muda além da perda cambio você tem a burocracia , ou seja, precisa investir alguns milhões para ganhar tempo.
                  No meu caso precisaria de um visto para investidor qualificando que custaria alguns milhões de dólares americanos.

                  5+
                  • avatar
                  • avatar
                  • Senhor Bolha 28 de fevereiro de 2019 at 16:47

                    Conferir aqui os valores exigidos:
                    500 mil dólares americanos + 100 mil em papelada , viagens e burocracia.
                    + 500 a 1 milhão para se manter operando no mercado externo.

                    Aproximadamente 1,5 milhões de dólares americanos ou 6 milhões de reais.

                    Canadá: Calculei valores próximos
                    Idem Austrália e nova Zelândia:

                    Pelo menos de 4 a 5 milhões de reais investido na modalidades de visto que me enquadro.

                    3+
                    • avatar
                    • avatar
                • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 16:40

                  Então vc investe no Br?
                  Ok, entendo…. mas por que viver aqui?
                  Só em casos de familia sediada aqui, muitos imóveis pra cuidar e /ou ser um nacionalista irremediável…
                  A capacidade de gastos (poder da moeda no exterior) não é muito maior?
                  Investir em dólar é pior que em real?? (Warren Buffet feelings)…..

                  1+
                  • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 16:44

                    Já respondeu acima… vi agora 🙂

                    1+
                    • Senhor Bolha 28 de fevereiro de 2019 at 16:48

                      Falido eu tenho investimento atrelados ao dolár.
                      Eu ganho quando dolár se aprecia .

                      4+
                      • avatar
                      • avatar
            • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 16:53

              Muito bom!

              1+
  • indiobolhista 28 de fevereiro de 2019 at 13:35

    tudo isso é normal até em países mais pobres que a banania

    3+
    • avatar
  • indiobolhista 28 de fevereiro de 2019 at 13:39

    socrates 28 de fevereiro de 2019 at 13:30
    por que raios os cartorios ainda nao sao digitais com informações publicas e transparentes a todos?
    Por que se pagar 100 reais por uma certidao que poderia ser impressa de forma gratuita?
    Por que se pagar caro para registrar um imovel? Por que nao é igual a um carro?

    tudo isso é normal até em países mais pobres que a banania.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 28 de fevereiro de 2019 at 15:13

      pois é , Indio.
      E o pior é que em tese deveriamos estar na vanguarda da eficiencia do serviço publico pois o MP poderia E DEVERIA agir sempre para defender a eficiencia, a justiça e o interesse publico (esse principio engloba todos os outros).
      Sua omissão custa muito mais caro que a corrupção.
      E pode juntar Cabral + Richa + Gedel + todo PT junto + etc.etc.etc

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Hard Core 28 de fevereiro de 2019 at 19:55

        Sabias palavras. Não sei se concordam, mas acho o poder judiciário o pior de todos. Justiça cega? Interesses….

        3+
        • avatar
        • Carlos 1 de março de 2019 at 01:23

          Sim, eu falo a mesma coisa a séculos…
          O judiciário além de ser tão ou mais corrupto do que o legislativo não cumpre seu papel.
          Uma boa parte da lambança dos políticos no brasil se deve ao fato de que o judiciário quase nunca age contra eles e quando age é com tapinhas nas costas.

          3+
          • avatar
  • ravoc 28 de fevereiro de 2019 at 13:40

    Mais alguém com a sensação de que estamos vivendo um governo Dilma+Temer? Aquele que finge que faz… finge que tudo vai mudar… finge que vai melhorar… E qualquer coisa ao contrário, só mandar um “Seria melhor com o PT?”
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    22+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 13:47

      Só que tenho uma sensação boa tipo: Que bom que agora ninguém mais vai acreditar em milagre econômico,almoço grátis e boas intenções de político brasileiro carreirista que está há 30 anos no poder sem fazer nada nesses 30 anos….

      14+
      • avatar
      • ravoc 28 de fevereiro de 2019 at 13:54

        Blasfêmia! Do outro lado da rua dizem que ele luta contra o sistema há 30 anos… Mamando nas tetas do governo sem produzir nada… Peraí, vejo uma incoerência ai kkkkkkkkkkkkkk

        18+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 14:00

          çei…. vamos cantar?…Ouviram do Ipiranga (não o posto)….. lá.lá,lá…. 🙂

          9+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 13:44

    Do outro lado da rua…
    .
    Meu primo tem uma administradora de condomínios e ontem teve uma assembléia num desses MRV MCMV.

    Contou agora pra mim, puseram em votação a proibição de dar descarga no vaso sanitário após a meia noite. Motivo: acorda todo mundo dos andares de baixo por causa da péssima isolação acústica.
    .
    Já pensou não poder c.a.g.a.r. a noite? 🙂

    29+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • indiobolhista 28 de fevereiro de 2019 at 14:49

      pergunta para o primo, para quando é a votação de proibir transar depois da meia noite, por favor, desde já agradeço, shuashuashuashua

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 15:05

        hahahahahaha…

        1+
  • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 13:53

    Temos uma Argentina desempregada ou vendendo coxinha e paninho alvejado no farol..
    .
    São 44 milhões de bananenses nessa situação…

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 14:14

    BRF tem novo prejuízo em 2018, de R$ 4,4 bilhões
    Perdas cresceram 306% frente ao ano anterior, segundo balanço da empresa.

    Houve piora também nos resultados trimestrais da companhia: nos últimos três meses de 2018, as perdas somaram R$ 2,125 bilhões, frente a um resultado negativo de R$ 784 milhões no mesmo período de 2017, uma alta de 171%.

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/02/28/brf-tem-novo-prejuizo-em-2018-de-r-44-bilhoes.ghtml

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 14:58

    CA, veja isso!!!

    Antônio Corrêa De Lacerda, professor da PUC-SP e vice-presidente do Conselho Federal de Economia (Cofecon):se não forem feitas mudanças estruturais, como baixar os juros ao consumidor e aumentar a renda do trabalhador, o país estará fadado a ‘desempenhos medíocres’

    Realmente são mudanças bem estruturais…

    https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2019/02/28/pib-crescimento-previsoes-2019-analistas.htm

    6+
    • avatar
    • avatar
    • CA 28 de fevereiro de 2019 at 15:41

      Cajuzinha,

      Isto é algo que teria sido melhor nem ver…

      Sim, vamos fazer como o Maduro e disparar no aumento salarial, não tem como dar errado, é só ver o maravilhoso resultado da Venezuela!

      Ele também sugere “turbinar o investimento público”. Por que não, o fato de termos uma proporção da dívida em relação ao PIB que é 50% maior que a média dos emergentes, não deve ser problema, que tal dispararmos nos gastos públicos para vermos no que vai dar? Talvez neste caso possamos nos tornar uma Grécia e não uma Venezuela, uhu, quanta evolução!

      E aí, o que vamos fazer para FORÇAR os juros menores sugeridos pelo “brilhante” economista?

      Vamos colocar juros SELIC NEGATIVO, assim como alguns países tentaram, dentre eles o Japão, só para ver o quanto isto consegue DESESTIMULAR ainda mais a economia, como aconteceu por lá?

      Já estamos com recorde de menor SELIC sendo batido nos 2 últimos anos e não adiantou NADA, agora ele espera que DOBREMOS A META, seguindo as lições da Dilma?

      Também já APELAMOS, da mesma forma que a China, com reduções recordes nos compulsórios para tentarmos FORÇAR os bancos a reduzirem de forma mais relevante os juros e da mesma forma que na China, isto não funcionou e agora?

      Ah, talvez a “solução” dele seja aumentar a concorrência bancária, certo? Ué, mas se as margens e resultados dos nossos bancos são tão “excepcionais”, porque alguns bancos multinacionais preferiram vender suas operações no Brasil e DESISTIREM do nosso país, não gostam de ganhar dinheiro? Por que outros bancos multinacionais não vem pra cá, se é tão lucrativo, ninguém gosta de ganhar dinheiro?

      Agora, vamos supor que o juros final seja derrubado, talvez no fórceps e por decreto governamental, obrigando os bancos a reduzirem radicalmente os juros cobrados e emprestarem tudo que puderem, o que aconteceria?

      Sabe aquele recorde histórico de 63 MILHÕES de pessoas INADIMPLENTES, seria batido rapidamente e com grande margem! Idem para o recorde de empresas superendividadas e em recuperação judicial, que graças à empolgação acabariam turbinando sua “alavancagem”.

      E os bancos, como ficariam no contexto acima? Não conseguiriam mais MAQUIAR e PEDALAR com a enormidade de FRAUDES associadas a redução de Provisões contra Devedores Duvidosos, não conseguiriam mais ESCONDER a inadimplência REAL, Basileia iria para o vinagre e teríamos uma enorme crise sistêmica, mais uma solução “jenial” (sic) deste “brilhante” economista!

      Pois é, mais um LUNÁTICO, completamente desconectado da realidade!

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 16:08

        CA,
        .
        Quando cheguei aqui achei que era uma horda de esquizofrênicos irrecuperáveis….
        .
        Agora, já estou convencido que os de fora, em alguma gradação, são os loucos…
        Não tem solução, a conta nunca fecha… o problema é insolúvel….

        Mas vamos aumentando os impostos e a burocracia e acreditando no marketing da Bel Pesce….. vai dar çerto!

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 16:32

          De perto ninguém é normal kkkkkkkkkkkk

          8+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 16:42

            hahahaha .. verdade… mas a imprensa, o governo e os politicos são profissionais pelo que aprendi aqui….

            4+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
  • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 15:09

    Ainda bem que existe uma outra forma de pensar:

    Para o professor Ahmed Khatib, do curso de ciências contábeis da FECAP, o aumento do setor de serviços e também do consumo das famílias não significa necessariamente um aumento de empregos. Alguns benefícios como Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e seguro-desemprego podem ter ajudado no aumento do consumo.

    Já o setor imobiliário, apesar do saldo positivo, contém algumas especificidades. Dentro da análise, entra também o volume de aluguéis e não só de compras. Assim, não necessariamente o crescimento é resultado de grandes vendas na atividade. “Muitas pessoas podem, por exemplo, ter vendido seus imóveis e partiram para o aluguel”, exemplifica ele.

    https://veja.abril.com.br/economia/setor-de-servicos-sustenta-o-crescimento-do-pib-de-2018/

    5+
  • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 15:12

    Inquilino matou mulher em Osasco por cobrança de dívida de aluguel
    Por Redação – 28/02/2019

    https://www.visaooeste.com.br/inquilino-matou-mulher-em-osasco-por-cobranca-de-divida-de-aluguel/

    4+
  • Cajuzinha 28 de fevereiro de 2019 at 15:51

    POR DINO

    Lançamento de imóveis cresce no país e viabiliza melhores investimentos

    Esta desproporção entre lançamentos e vendas, entretanto, é um fator que aquece o mercado e abre margem para melhores negociações e investimentos para quem quer comprar. Do estoque atual de imóveis residenciais, 70% são unidades na planta ou em obras.

    De acordo com Wingrid Xavier, diretora comercial e de marketing do Grupo Promoval, empresa especializada na construção de imóveis residenciais e comerciais, “investir em um imóvel que ainda será construído é a certeza de que gastos com manutenção e reformas serão drasticamente reduzidos.

    “Pessoas que estão construindo famílias ou jovens que acabaram de entrar no mercado de trabalho podem ter um imóvel próprio com a mesma facilidade de pagamento que teriam com uma locação convencional”, aponta Wingrid Xavier, diretora comercial e marketing da Promoval Incorporadora.

    https://exame.abril.com.br/negocios/dino/lancamento-de-imoveis-cresce-no-pais-e-viabiliza-melhores-investimentos/

    2+
  • Ilusionista 28 de fevereiro de 2019 at 18:35

    com esta reforma de previdência será difícil pagar condomínio para depois que estiver aposentado, mesmo com o imóvel já quitado…

    13+
    • avatar
    • avatar
    • MARK 28 de fevereiro de 2019 at 19:43

      Ilusionista, já vejo muitos vizinhos velhinhos com dificuldades para pagar o condomínio e a situação vai piorar muito depois da necessária reforma da previdência, estava conversando isso outro dia com o síndico aqui do prédio. Estes dias estava no mercado aqui da frente e ouvi a conversa de uma senhora com uma amiga, falando sobre os exames de coração que havia feito. “Você fez pelo plano de saúde?” “Não, imagina… faz anos que tive que deixar o plano, foi pela prefeitura mesmo, não tenho mais condições.” Outro detalhe que acompanho é o índice carrinho de supermercado, mesmo em bairros mais abonados como é este em que estou morando, vejo só o básico do básico nos carrinhos. Vez ou outra vejo um supérfluo, não há dinheiro e o futuro, como você bem observou, vai ser terrível, até para pagar o condomínio, que por aqui gira em torno de 1k.

      9+
      • avatar
      • avatar
  • CA 28 de fevereiro de 2019 at 18:38

    Rapaz, até PhD com raciocínio RASO e SIMPLISTA, é de DOER…

    https://www.infomoney.com.br/blogs/economia-e-politica/economia-e-politica-direto-ao-ponto/post/7952057/entenda-por-que-a-reforma-da-previdencia-aumentara-a-renda-e-o-emprego

    Novos exemplos de insanidade SIMPLISTA para ENGANAR a população com promessas FALSAS e CHANTAGEAR o congresso:

    1) O emérito PhD que foi consultado para o artigo acima, fala que o R$ 1 TRILHÃO que deixaremos de gastar com a previdência em 10 anos poderíamos investir em Infraestrutura e aumentar a produtividade do país, colaborando para nossas exportações, isto geraria aumento em investimentos privados motivados pela melhoria de produtividade e que este conjunto, levaria a aumento de empregos. O que ele “esquece” neste cálculo?

    1.1) Não será R$ 1 TRILHÃO de economia e “sobra” de dinheiro em 10 ANOS. Depois de passar pelo congresso, de forma OTIMISTA, ficará entre R$ 600 bilhões e R$ 800 bilhões. Ocorre que esta economia prevista de forma otimista, representará NO MÁXIMO, 20% do déficit total da previdência neste período de 10 anos, faltará ainda mais 80% para zerar o déficit da previdência, em outras palavras, não teremos NEM UM CENTAVO “SOBRANDO” como ele insinua, continuarão faltando TRILHÕES DE REAIS, só para cobrir o restante do déficit da previdência;

    1.2) Hoje o Brasil tem uma proporção de dívida em relação ao PIB que é 50% superior à média dos emergentes, a NECESSIDADE dada a GRAVIDADE desta situação, é que ao longo dos próximos 10 ANOS, possamos não apenas deixar de termos déficits todos os anos, como ainda, termos superávit, de forma a pelo menos trilharmos um caminho MÍNIMO que indique uma redução na proporção dívida / PIB, sendo que o desejado graças a nossa situação atual, é que este superávit seja de pelo menos 2% do PIB ao ano. Se considerarmos que tivemos mais de R$ 100 BILHÕES de déficit fiscal por ano nos últimos anos e ainda, contando com a restituição de dezenas ou mais de uma centena de bilhões do BNDES para o Tesouro, sendo que esta restituição deixará de existir em 2019 ou 2020 e que a reforma da previdência começará gerando redução de gastos de menos do que R$ 100 bilhões por ano e aumentando gradualmente ao longo dos anos, fica claro por estas contas, que NÃO teremos NENHUMA sobra no orçamento do governo, ao contrário, ainda faltarão dezenas ou centenas de bilhões de Reais para fecharmos as contas a cada ano nos próximos 10 anos!;

    1.3) As contas acima ignoram SOLENEMENTE os INEVITÁVEIS efeitos CONTRACIONISTAS para a economia que ocorrem em toda e qualquer reforma da previdência: pessoas tirando do consumo e poupando em previdência privada, atraso na aposentadoria deixando de liberar vaga de emprego e inviabilizando renda para aposentados e seus dependentes, aumento em contribuições tirando dinheiro do consumo, etc. Tudo isto, indo em sentido CONTRÁRIO ao prometido crescimento do PIB e NUNCA considerado nas PROMESSAS feitas;

    1.4) Ah, mas teremos o otimismo UFANISTA motivando investimentos como nunca antes na história deste país, que não só ajudarão a fechar as contas mencionadas em 1.2, como também irão gerar um crescimento garantido todos os anos, desta forma, nossas contas fecharão, cumpriremos com a meta de superávit e ainda, teremos o aumento de empregos e renda prometidos junto com o crescimento mais pujante da economia. O que falta nesta parte deste “raciocínio”?

    1.4.1) De onde sairá o otimismo UFANISTA quando os pretensos investidores, internos ou externos, pararem para fazerem as contas e descobrirem o que consta nos itens 1.2 e 1.3 acima? É o tal do moto-contínuo da Dilma que já fracassou FRAGOROSAMENTE no país. Com a Dilma era: “ah, é só aumentar os gastos do governo que todos se empolgam, gastam mais e com isto, o governo arrecada mais e fecha as contas!”. Agora o esquema é: “ah, é só gerarmos superávit que todos vão se empolgar e aumentarem as apostas gerando mais superávits!”. No primeiro caso, o da Dilma, o furo foi o SUPER-ENDIVIDAMENTO e INADIMPLÊNCIA anormal de governos, empresas e famílias, SEM gerar nenhum crescimento relevante que pudesse compensar isto, criando gigantescas BOLAS DE NEVE. No segundo caso, do governo atual, o furo é que você NÃO VAI gerar um superávit “de cara” nem mesmo nas projeções mais otimistas, até mesmo em função das BOLAS DE NEVE alimentadas pelos governos anteriores e quando cair a ficha, daí é que não vão investir e a conta não vai fechar mesmo, principalmente quando combinado com sub-itens abaixo;

    1.4.2) Já temos problemas de liquidez quanto à governos, empresas e famílias. Quem disse que existe dinheiro sobrando e só esperando a reforma da previdência para ser despejado por aqui como um Tsumoney, dentro da IMAGINAÇÃO do PhD acima? 63 milhões de inadimplentes, recorde de empresas que quebraram nos últimos anos deixando efeitos em cascata de centenas de bilhões ou trilhões de reais em calotes e prejuízos para os credores, a maioria dos Estados e municípios QUEBRADOS, assim como o próprio governo federal, as contas não fecharão sequer para os entes públicos com a reforma da previdência, quanto mais para eles poderem “aumentar os investimentos”, sem contar todos os efeitos disto tudo sobre o sistema bancário que está MAQUIANDO e PEDALANDO como nunca. Isto é no cenário interno, mas o externo, que teve excesso de liquidez no inflar da bolha, agora vai em sentido CONTRÁRIO, de falta de liquidez, não há de onde vir tanto dinheiro, ainda mais quando fizerem as contas mencionadas nos itens 1.2 e 1.3 e ao mesmo tempo parecerem cada vez mais os efeitos das bolhas do Exterior que aumentarão e muito a aversão ao risco, onde pelo nosso perfil dívida / PIB e falta de perspectiva real de resolver em 10 anos que seja este problema, será mais motivo para AFASTAR investimentos daqui e não atrair;

    1.4.3) Um dos grandes problemas da demora excessiva para a reforma da previdência, é que isto providenciará uma volta à REALIDADE quanto a situação de nossa economia. Indicadores RUINS e DECEPCIONANTES, deixarão cada vez mais claro que não existe NENHUMA recuperação concreta. A APOSTA dos investidores de que é só colocar mais investimentos que tudo muda, além de esbarrar nos diversos obstáculos acima, contará ainda com uma realidade muito mais dura, principalmente porque continuamos alimentando incêndio com gasolina, o que os forçaria a terem uma CRENÇA em retornos pra lá de UTÓPICOS quanto aos investimentos, como se os mesmos fossem “mágicos” e resolvessem os inúmeros gargalos da noite para o dia, só que eles não serão tão SIMPLISTAS em suas análises quanto o emérito PhD, eles considerarão mais variáveis, inclusive os RISCOS elevados que serão cada vez mais perceptíveis à altura da votação da reforma da previdência e esta conta não fechará;

    1.4.4) Ganhos de produtividade “empolgantes” como os “esperados” pelo emérito PhD e que motivariam a enormes investimentos diretos no país, demoram DÉCADAS para ocorrer e isto se fizerem tudo certo ao longo deste período. A “expectativa” mais realista dos possíveis investidores será de que isto NÃO ocorrerá, ao verem tudo que consta acima e muito mais, assim, como se arriscariam a investimentos com retornos em períodos mais longos, como no caso de infraestrutura logística do país?

    1.4.5) Um dos grandes males do otimismo UFANISTA, é que quanto mais UTÓPICO ele for, maior será a FRUSTRAÇÃO frente à REALIDADE e no final, o prejuízo líquido de tais promessas infundadas é ENORME. No caso do novo governo, teremos frustração por ficarmos com uma economia da previdência muito inferior ao R$ 1 TRILHÃO projetado e tal frustração será amplificada pelo fato de descobrirem que a “economia” não cobre nem 20% do rombo total da previdência. Depois, teremos frustração porque não conseguiremos nem 5% do R$ 1 TRILHÃO prometido de vendas de imóveis do governo em 1 ou 2 anos depois de feita a promessa NON-SENSE. Daí virá a frustração com as privatizações que também não vão gerar nem 10% do que foi prometido no primeiro ano, que foi na ordem de R$ 700 bilhões (se não multiplicarem este número, como fizeram com os imóveis do governo). Quando investidores, especialistas economistas, imprensa, etc, se atentarem a estes “resultados”, perceberão que este governo apenas amplificou as promessas IMPOSSÍVEIS mais do que qualquer outro no país até então e isto irá gerar, não só uma monstruosa DECEPÇÃO, como também, uma enorme PERDA DE CREDIBILIDADE nas promessas do governo, o que afastará quaisquer apostas elevadas no país. Para entender isto, é só lembrar do que aconteceu com promessas de Pré-Sal, Copa do Mundo, Olimpíadas, Imóveis / Construção civil, crescimento do funcionalismo público e a tese heterodoxa de que isto alimentava um novo ciclo virtuoso de crescimento, versus a realidade depois. Onde foram mais UTÓPICOS nestes pontos? Onde ocorreram as maiores CATÁSTROFES como CONSEQUÊNCIA destas UTOPIAS? Foi no Rio de Janeiro. Aqui, estão aplicando algo ainda maior e em escala nacional, não dá para saber como termina?

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 28 de fevereiro de 2019 at 19:03

    É, não resta a menor dúvida, o governo aposta que todos são idiotas…

    https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2019/02/28/pib-reforma-previdencia.htm

    Título da notícia acima:

    “Governo prevê PIB de 2,9% em 2019 com reforma da Previdência e 0,8% sem ela”

    Quer dizer que no melhor cenário teremos a reforma da previdência votada até o final de junho/2019 (provavelmente depois disto), sendo que se for aprovada, apenas pelo resultado do segundo semestre do ano obteremos um crescimento referente ao ano todo que será quase o TRIPLO daquele que tivemos em 2018 e 2017, sério que querem que acreditemos nisto? Efeitos “mágicos” e “imediatos”, certo? E adivinhem o que vai acontecer quando, mesmo que aprovada a reforma da previdência, não chegarmos nem perto deste resultado nem dos demais números UTÓPICOS prometidos? FRUSTRAÇÃO e efeitos colaterais negativos maiores do que os benéficos prometidos. A conferir…

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 28 de fevereiro de 2019 at 19:42

      Veja os pontos positivos, todos estarão cantando o hino e marchando como idiotas nas escolas e para quem gosta de novela mexicana pode assistir a Joice Hasselmann liderando o governo.
      Melhor estilo Coreia do norte sem as armas nucleares 😂

      12+
      • avatar
      • avatar
  • Hard Core 28 de fevereiro de 2019 at 19:51

    Indiobolhista, tem algum CVR imobiliario das tuas ultimas viagens ou negociações? Conta pra nós….

    4+
    • avatar
    • avatar
  • indiobolhista 28 de fevereiro de 2019 at 21:12

    Oi hard core, nada importante nas ultimas semanas, as historias são muito repetidas na banania, a crise está mais forte é um fato, mesmo que tem pessoas muito optimistas com o futuro, um otimismo sem fundamento, deixei a casa de 1800 reais de jaraguá do sul, para morar numa casa de madeira de 700 reais no centro de schroeder, graças a Deus aluguei diretamente com o proprietário e sem contrato, só de palavra, porque a senhora que alugava para mim deu referencias minhas e recomendou.(a senhora tinha 4 propriedades alugando, uma ao lado da outra, agora só tem 1 inquilino que paga 3 mil reais, se retiraram um laboratório de analise clinico, que pagava 2500, um lavacar que pagava mil reais, e eu que pagava 1800 reais por uma casa) A crise está forte porque percebo aqui no sul mais lojas fechando, aumentando o desemprego por causa de imigrantes de todo o Brasil, a cada dia aumenta as pessoas pedindo ajuda pelo facebook para conseguir trabalho e são pessoas que chegam porque nessa parte de santa catarina é tranquilo mesmo, coisa rara na banania, agora mesmo tem poucas casas de baixo preço para alugar, mas kitnets e apartamentos vagos tem um monte para alugar e vender a preços alucinados, é muita gente chegando de fora também pedindo doação de moveis, etc.

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 28 de fevereiro de 2019 at 22:58

      shroeder era meu primeiro desejo de morar qdo aposentar… depois Rodeio, Urubici ou rancho queimado.. Atalanta onde não quero morar floripa ou joinville..

      3+
      • avatar
    • Hard Core 2 de março de 2019 at 13:15

      Que tal encontro anual de bolhistas em Schroeder-SC? Se for na tua casa, eu me habilito pra assar o churrasco pro povo. Dividindo todos os gastos é claro…..KKKKKKKKK . Embora o anonimato seja muito legal, queria conhecer os figuras do BIB e se divertir com os debates que certamente seriam muito proveitosos. Só uma ideia…

      1+
      • avatar
      • Hard Core 2 de março de 2019 at 13:49

        Também pode ser em Sydney Carlos…. rsrsrs. Ou na praça da arvore…

        1+
        • avatar
  • indiobolhista 28 de fevereiro de 2019 at 21:27

    um cvr triste, meus sogros recuperaram a casa que haviam “vendido”, repassado do mcmv para um sobrinho deles, por 25 mil reais, o sobrinho deu para eles 5 mil, e ficou devendo 20 mil reais, agora faz 5 dias o sobrinho depois de morar 40 meses na casa e ficar enrolando os 20 mil que faltava devolveu a casa detonada e exigindo os 5 mil que deu para entrar, meu sogro vendeu porque não tinha os 425 reais de parcela cada mês, ele trabalha mais não gosta de cobrar pelo seu trabalho de mecânico, é um ótimo mecânico de carros, mais realmente não cobra, ele acha que todos seus clientes são amigos, quase como se irmãos de sangue, eu não acreditava até que vi e escutei a ele falar para um cliente depois de trabalhar 3 horas no carro e ajeitar ele, o cliente pergunta quanto é? e ele responde não é nada não, o cliente já sabendo que ele passava necessidade, na força colocou 50 reais no bolso da camisa, fiquei impressionado conferindo o que minha sogra e minha esposa falavam dele, que ele não cobra pelo serviço. o cvr é triste porque a pergunta agora é quem vai pagar a parcela da casa de 425 reais por mês? a água a luz, etc, antes disso eles moravam na casa da outra filha já casada na cidade de campina grande pb, tem alguém que pode explicar aquele comportamento quase patológico? e por certo eles tem nojo da grande, quando ele consegue um dinheiro só pensa comprar besteiras e minha sogra só pensa em vaidades, uma baita diferença com minha esposa que é sabia e cuida da economia da família, mesmo que ela foi formada diferente, quando nós conhecemos eu expliquei como seria nossa vida de casados, e ela concordou em tudo, já faz 8 anos disso.

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 22:10

      Ou vc foi catequizado esse ano ou é outra pessoa usando seu login….CadÊ aquele castelhano misturado com tupi guarani e porcamente escrito com erros grosseiros nas 2 linguas?

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Carlos 28 de fevereiro de 2019 at 22:18

        Indião tá mais calmo agora, passou o momento de raiva inicial, depois que percebemos que só podemos contar com nós mesmos nossa mente clareia e passamos a ter raiva dos alvos corretos 😄

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Falido.com 28 de fevereiro de 2019 at 22:50

          Hummm…bolsonaro adora indião (Quilombola e Jean Willys e Feminista)… 🙂

          2+
          • avatar
        • Libertario 1 de março de 2019 at 08:40

          kkkkk
          cês são florida.
          coitado do Indio, vai ter que sustentar o sogro agora.

          Mas assim que é bonito. Sem brigas galera.
          #pás

          4+
          • avatar
    • Cesar_DF 1 de março de 2019 at 07:58

      indiobolhista
      Em alguns casos acho que este comportamento tem a ver com os valores religiosos:
      “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus” Mateus 5:3-12
      “Pois mais fácil é passar um camelo pelo fundo de uma agulha, do que entrar um rico no reino de Deus.” (Lucas 18:24-25)

      1+
      • avatar
      • Libertario 1 de março de 2019 at 08:37

        Teologia da Libertação

        3+
        • avatar
      • indiobolhista 1 de março de 2019 at 09:26

        certo ele foi um bom cristão por 24 anos, faz 2 anos começou a encher a cara com álcool em festas e desrespeitar a esposa a quem sempre tratou no passado como uma rainha, mais agora ainda não cobra pelo serviço de mecânico, até peças da de graça para os clientes, em quanto a esposa passa necessidade porque ela não gosta de trabalhar, só gosta de gastar e o pouco que as vezes chegava nas suas mãos torrava em qualquer bobagem que não precisam, eles venderam uma casa quitada faz 4 anos muito humilde, só para comprar uma casa segundo eles “bonita” do programa minha casa minha vida, que é mais pequena que sua casa anterior, mesmo estando desempregados e ele só fazendo serviços de mecânico que não cobra, já a freguesia conhece ele e procuram porque ele da serviço fiado.

        4+
        • avatar
  • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 05:20

    A justificativa que economistas ouvidos pela Gazeta do Povo dão é que a demanda está fraca e o desemprego e a ociosidade ainda são grandes. “O juro baixo não é condição suficiente para a retomada do crescimento”, destaca André Perfeito, economista-chefe da Necton Investimentos.

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 1 de março de 2019 at 08:30

      CVR
      eu estav num corredor de universidade e tinha uma propaganda:
      “Apartamentos Prontos pra morar direto com a construtora”.. 1,2 ou 3 quartos. papelzinho pra ser picotado na parte de baixo….
      Imaginem o shadow banking oculto.

      3+
    • Libertario 1 de março de 2019 at 08:46

      Odeio o Carnaval, é muito legal.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 07:56

    Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) informou nesta sexta-feira que injetou 71,9 bilhões de yuans (US$ 10,74 bilhões) em liquidez no sistema bancário por meio de sua linha de crédito suplementar, que repassa recursos a três grandes bancos estatais.

    O PBoC também injetou 26,55 Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) informou nesta sexta-feira que injetou 71,9 bilhões de yuans (US$ 10,74 bilhões) em liquidez no sistema bancário por meio de sua linha de crédito suplementar, que repassa recursos a três grandes bancos estatais.

    O PBoC também injetou 26,55 bilhões de yuans através de seu instrumento de crédito permanente no mês passado. através de seu instrumento de crédito permanente no mês passado.

    CA, entendi bem, 26,55 bilhões de yuans não foram suficiente e aí eles injetaram 71,9 bilhões?

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 1 de março de 2019 at 09:37

      Cajuzinha,

      Eles vão injetando drogas na veia, só que como já estamos no fim da festa, a pessoa completamente alcoolizada e drogada, já nem sente mais a diferença…

      A internação hospitalar emergencial para a overdose acima já era um fato inevitável, o aumento das drogas injetáveis indica que a pessoa no mínimo vai direto para a UTI, mas se o governo chinês persistir e aumentar as doses, oferecendo ainda outras drogas e bebidas, o paciente irá a óbito.

      Só que este paciente é co-piloto de um Titanic que transporta todos os outros países, o piloto principal (EUA) também está muito drogado e completamente bêbado, igualmente insistindo em ficar na festa e consumindo outras drogas e bebidas.

      Enquanto isto, o Brasil é aquele pessoal com a banda tocando música para alegrar os passageiros. O nome da composição delirante é “O milagre da reforma da previdência”. Aqueles que ficarem encantados com tal apresentação musical (governos, empresas e consumidores que gastarem “por conta” apostando no otimismo UFANISTA) e não se atentarem que o navio está a deriva e indo em direção a um iceberg (bolhas a caminho de explodirem mais visivelmente), serão os primeiros a morrerem com o impacto, ou afogados…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 09:51

        ZEINA LATIF Esses problemas estruturais não se resolvem facilmente. E isso é importante porque a gente vê muitas vezes, até no discurso político, a ideia de que se fizer a reforma da Previdência o país vai crescer 3%. Isso não é verdade.

        “Festa estranha, com gente esquisita
        Eu não tô legal não aguento mais birita “

        9+
        • avatar
      • Jonny Deep Blue 1 de março de 2019 at 23:23

        Cajuzinha,
        vc fez uma excelente transposição didática! Daqui a pouco a turma aqui estará fazendo cordel e proza com os desafios que estão por vir. 😉

        0
  • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 08:03

    Tímido, ainda que positivo, o resultado da soma das riquezas produzidas no país em 2018 mostra apenas um princípio de reação impulsionado por fatores cíclicos e conjunturais. Em outras palavras, estava tão ruim que só uma catástrofe pioraria o cenário. Quando a base de referência cai, o mínimo sinal de melhora ganha maiores proporções.

    https://www.nsctotal.com.br/colunistas/pedro-machado/resultado-do-pib-mostra-que-o-brasil-e-um-carro-andando-com-o-freio-de-mao

    3+
    • avatar
  • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 08:06

    Vendas de pneus recuam 6,1% em janeiro no Brasil
    Volumes diminuem tanto para montadoras quanto para o mercado de reposição, diz Anip

    O resultado geral foi impactado pelo mau desempenho no segmento de automóveis. Em janeiro, as vendas de pneus para esta categoria recuaram 12,7%, com retração para ambos os mercados: original e aftermarket.

    Para o presidente da Anip, Klaus Curt Müller, o fraco desempenho da indústria de pneus em janeiro é reflexo do mercado de veículos que foi menor com relação a dezembro.

    “No primeiro mês do ano registramos retração nas vendas, assim como o mercado geral automotivo.

    http://www.automotivebusiness.com.br/noticia/28812/vendas-de-pneus-recuam-61-em-janeiro-no-brasil

    3+
  • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 08:11

    Comércio e construção têm queda e AP fecha 462 postos de trabalho em janeiro
    Mês de janeiro registrou saldo negativo de vagas 11 vezes nos últimos 15 anos.
    Por John Pacheco, G1 AP — Macapá

    No comércio, a justificativa é o início do ano com o fim das contratações temporárias para as vendas de fim de ano. Na construção civil, o setor aponta queda progressiva nos últimos anos com a redução de grandes obras no estado, a exemplo de rodovias e conjuntos habitacionais.

    Na comparação dos últimos 15 anos, o mês de janeiro volta a apresentar queda depois de registrar saldo positivo em 2018. Mesmo, assim ao longo da série, o primeiro mês do ano foi negativo em 11 anos, tendo o pior desempenho em 2015, quando 1.140 postos foram fechados.

    https://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/2019/03/01/comercio-e-construcao-tem-queda-e-ap-fecha-462-postos-de-trabalho-em-janeiro.ghtml

    2+
  • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 08:16

    Humm… ” 2019 já está dado. Estou olhando mais para frente”

    Chegamos para uma conversa com Eduardo Fischer, copresidente da MRV, para tentar arrancar dele alguma pista do que esperar para a empresa e o mercado imobiliário neste ano. “Ah, 2019 já está dado. Estou olhando mais para frente”, disse em diferentes momentos da entrevista.

    A MRV está de olho nos desejos daqueles que serão seus clientes na próxima década. Como viverão os millenialls e suas famílias? As novas gerações ainda vão desejar a casa própria? A incorporadora já está construindo três edifícios exclusivamente para locação, um teste que pode abrir uma nova frente de atuação – ou até mesmo mudar completamente o seu negócio.

    https://www.seudinheiro.com/mrv-quer-ter-ate-25-do-vgv-focado-na-classe-media/

    4+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 08:22

    Mercados financeiros vivem calmaria antes da chegada de grande tormenta
    Investidor que conseguir preservar patrimônio nos próximos 12 a 24 meses se sairá melhor

    https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/03/mercados-financeiros-vivem-calmaria-antes-da-chegada-de-grande-tormenta.shtml

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 1 de março de 2019 at 08:38

    CVR pessoal.

    Moro de aluguel no centro de uma grande cidade, faz pelo menos 6 anos que estou a morar no mesmo imóvel.Recentemente a dona cismou que quer vender o imóvel, a mesma me confidenciou que é por estar endividada , pasme: quer comprar uma casa na praia com parta do dinheiro da venda! Coisa de gente sem noção nenhuma.

    O desespero bateu forte, a mulher esta colando o apartamento para venda em tudo quanto é corvolaria. Em menos de seis meses veio dois corvos inspecionar o apartamento. OBS: O contrato do imóvel vence na segunda metade do ano! Ao conversar com a dona do apartamento tirei várias informações: Trabalha ” informal” área de humanas, recebeu imóvel de herança do pai.
    Em suma, não sabe nada sobre imóveis e muito menos sobre finanças! O desespero é grande: Primeiro tentou empurrar o imóvel para uma amiga , a mesma recusou; adiante foi oferecer a um conhecido, o mesmo também recusou.

    Resumo : A mulher acredita que se vende imóvel como se vende batatas na feira.

    O apartamento foi oferecido a minha persona por um fato x de 150, neguei prontamente! apesar de possuir dinheiro suficiente para comprar a vista e ainda ficar com algo em torno de 35% do capital imobilizado em imóvel .
    OBS: penso em me mudar deste apartamento em 2022 para uma apartamento maior situado numa região um pouco melhor e mais afastada do centro.

    CVR: 2

    Conversando com outro amigo comerciante varejista: O mesmo esta financiando apartamento em 30 anos, recentemente me confidenciou ter se arrependido de ter comprando apartamento via financiamento.

    Segundo ela na época que procurou apartamento no centro e nos bairros mais próximos , quase caiu para trás com o preço ” Auge da bolha” , atualmente os preços caíram cerca de 10% nominalmente na região, porém inflação no período foi mais de 50%.

    Recentemente ele colocou apartamento para vender : Diz que não quer mais ficar com capital imobilizado em imóvel.
    OBS: Eu dei uma dica para ele fazer as contas sobre aluguel, fator x, custo oportunidade etc.
    Logo após meu amigo saber do péssimo investimento que havia feito na época, o mesmo me disse que quer se mudar e morar de aluguel em outra região .

    A região onde meu amigo mora fica ao lado de uma universidade federal , logo na entrada do apartamento existe um ponto de prostituição, e pela redondeza algumas praças com vários zé droguinhas , hahaha . A cracolândia local fica apenas algumas quadras.

    O apartamento é antigo , vem passando por reformas severas nos encanamentos etc
    Em suma: o que aprendemos com estes dois casos? A liquidez é muito mais importante quando um imprevisto acontece e você totalmente descapitalizado e imobilizado.

    Boa parte das pessoas nem se quer possui apartamento quitado, ou seja, a situação é ainda mais grave! Uma vez que todo mês a parcelinha chega e o banco agradece.

    Recentemente convenci a minha sogra que já tem certa idade a não entrar em financiamento imobiliario de 15 anos com juros extorsivos. Enfiaram na cabeça dela que pagar ” Parcelinhas” é melhor que aluguel, afinal de contas estaria pagando o que é dela.

    Lhe digo o nível de burrice do brasileiro médio nunca me cansa, e o mais incrível é que tudo que debatemos aqui tem como base a realidade cotidiana; pouco tem haver com estatística enviesadas do governo.

    Eu chego conclusão que a questão central na sociedade moderna é a discalculia acentuada da classe média brasileira. O cara ser um pobre ignorante ainda da para relevar,porém estas três pessoas citadas acima : Uma é comerciante, outra é formada em matemática.
    Rapaz é incrível! nunca me canso de ficar espantado com estes casos da vida real.

    Segundo santo google:

    A Discalculia é um tipo de transtorno de aprendizagem caracterizada por uma inabilidade ou incapacidade de pensar, refletir, avaliar ou raciocinar processos ou tarefas que envolvam números ou conceitos matemáticos. Percebe-se desde muito cedo, mas é na escola que todos os sinais e dificuldades se expressam de maneira clara e explícita, pois as exigências são maiores e a sequenciação de tarefas que envolvem aritmética e proporções passam a ser rotineiras

    26+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 1 de março de 2019 at 09:11

      old school
      Ontem uma conhecida me disse que uma amiga dela de 70 anos vendeu um imóvel por 300k, eu disse que bom se livrou! pode gastar e aproveitar… ela fala: a velhinha comprou agora um de 780k, e ela adorou porque estava todo mobiliado!!! P Q P!! os filhos estão achando maravilhoso (preferem pagar cartórios, IPTU, ITCMD, condomínios, impostos) na hora da herança… do que ter 780 no banco.

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Senhor Bolha 1 de março de 2019 at 08:49

    segundo alguns professores e economistas esquerdosos que acreditam piamente que riqueza dos bilionários modernos esta debaixo do colchão.O mesmo sabem que avaliação das grandes fortunas é feita sobre ativos financeiros, mas por objetivos ideológicos omitem dados.

    Eike batista homem , mais rico do Brasil há cerca de 6 ou 7 anos atrás, veja atualmente.

    A próxima vítima das bolhas:
    https://www.infomoney.com.br/carreira/gestao-e-lideranca/noticia/7953282/jorge-paulo-lemann-perde-posto-de-homem-mais-rico-do-brasil

    warren buffet já começou com suas taras desenvolvimentistas . O veio falou recente que a dívida do governo não importa:
    O veio de omaha anda se cagando de estourar uma crise e ver sua fortuna digital virar pó hahaha.
    Também foi dito que pagou muito caro pela Kraft foods, não diga ! Qualquer um com mínimo de habilidade contabil conseguiria avaliar que o negocio estava sendo vendido a preço de ouro. Assim como apple, facebook etc etc

    Acontece que com a taxa de juros zero estes caras não tem onde enfiar dinheiro, então enfiam na primeira empresa que esta subavaliadas segundo modelos tradicionais de valuation.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Mike Victor 1 de março de 2019 at 09:26

    https://moneytimes.com.br/fundos-de-acoes-da-gwi-voltam-a-perder-mais-de-100-do-patrimonio-investidor-fica-devendo/amp/

    Fundos de ações da GWI voltam a perder mais de 100% do patrimônio; investidor fica devendo.


    As maiores posições desses fundos eram aplicações em ações da construtora Gafisa, que foi alvo de uma tomada hostil de controle pelo empresário Mu Hak.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • tmarabo 1 de março de 2019 at 09:41

    STF decidiu que pra procurador municipal o teto da remuneração não é o prefeito em uma interpretação ridícula, deturpando o que está escrito. Olha, não sei onde vamos parar…
    o Brasil NUNCA vai dar certo com essas decisões cretinas de lesa pátria. qualquer pessoa alfabetizada sabe que é RIDÍCULA esta interpretação do Mínimo Tribunal Federal. não existe mais Constituição faz tempo, existe o que a ditadura do Minimo quiser que exista….

    não há democracia com o Mìnimo decidindo desta forma. depois ainda reclamam quando falam em soldado e cabo pra fechar o Mínimo.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 4 de março de 2019 at 23:01

      Nao tem jeito. O judiciario é o pior de todos. Alguem ja perguntou ao Moro o que ele acha disso???? Vou dar a saida:aliquota de ir que junto ao inss chegue a 100% acima de 10000 reais. Mas perai: ate o queiroz ganha mais do que isso… o que dira os bolsonaros…

      0
  • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 09:41

    ZEINA LATIF Eu estava no grupo que achava que o Brasil poderia crescer 3%. Nos modelos, a gente projetava os efeitos de corte de juros do Banco Central que ainda estavam para se materializar. Isso sugeria uma aceleração do PIB em relação a 2017. Em 2017 cresceu 1,1% ainda sem o efeito da redução de juros. Quando há um corte de juros, o auge do impacto se dá um ano depois do corte, era o ano de colher esses frutos. E isso não aconteceu.

    Muitos chamam atenção para o fato de ter sido um ano de muitos choques negativos adversos, como a greve dos caminhoneiros, o tabelamento do frete que foi muito ruim, teve crise na Argentina. Mas pelo menos uns 2% era pra ter tido. E aí eu acho que o Brasil tem um pano de fundo que é mais grave. É uma mistura do conjuntural com o estrutural.

    No conjuntural, há uma crise grave que a gente não conseguiu superar totalmente. As empresas estão muito machucadas, com dívidas em atraso, pedidos de recuperação judicial não diminuíram, a média empresa está em uma situação muito complicada. Aí contrata menos, com pouca geração de emprego a confiança do consumidor melhora muito lentamente.

    E tem as questões estruturais. Depois de anos de baixo investimento e retrocessos institucionais, nosso setor produtivo está muito debilitado. A indústria não consegue concorrer com o produto importado, o setor produtivo perdeu competitividade e o país está com produtividade muito baixa. Isso faz com que o potencial de crescimento seja muito baixo, acho que abaixo de 2%.

    Link para matéria: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2019/02/28/Por-que-a-economia-segue-frustrando-as-expectativas

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 09:43

      LAURA CARVALHO Estamos em uma certa armadilha em que dependeria do [investimento do] setor privado, de um otimismo que é quase incompatível com a situação das famílias. O governo Dilma e o governo Temer já fizeram a tentativa de estimular investimento via concessões. Na prática, as concessões não saíram. Ao meu ver, imaginar que o setor privado vai entrar em concessões em uma economia que não está crescendo, sem perspectiva de lucro, é pouco provável.

      Link para matéria: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2019/02/28/Por-que-a-economia-segue-frustrando-as-expectativas

      5+
      • avatar
    • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 09:46

      ZEINA LATIF Esses problemas estruturais não se resolvem facilmente. E isso é importante porque a gente vê muitas vezes, até no discurso político, a ideia de que se fizer a reforma da Previdência o país vai crescer 3%. Isso não é verdade.

      A reforma é essencial, sem ela a gente colapsa, mas para voltar a crescer como o mundo é uma outra agenda, é ambiente de negócios, reforma tributária, reduzir insegurança jurídica. E não está clara essa agenda do governo ainda. O governo precisa acelerar a agenda de regulação, destravar investimentos. Dá para levar isso ao Congresso em paralelo à Previdência. É preciso, pelo menos, uma sinalização de que essas agendas que começaram com o Temer vão ter continuidade. Essas questões têm impacto no setor produtivo.

      Não é só ‘a confiança vem e vai todo mundo investir’, os investidores estão esperando as definições. Escuta-se muito que os empresários estão aguardando a reforma da Previdência. Então, se for assim o primeiro semestre está condenado. Em 2019, não tem greve dos caminhoneiros, mas seguem os efeitos do tabelamento do frete que o governo não quis mexer. Mesmo que a gente não tenha o choque que tivemos em 2018, o fato é que ainda há indefinições em uma agenda econômica de uma economia que ainda está muito fragilizada. Ter uma aceleração da atividade econômica mais contundente é pouco provável.

      Link para matéria: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2019/02/28/Por-que-a-economia-segue-frustrando-as-expectativas

      3+
      • avatar
  • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 09:48

    Desemprego permanece estável na zona do euro em 7,8%
    Já a inflação acelerou no mês de fevereiro.

    A Eurostat também divulgou a primeira estimativa para a inflação no bloco em fevereiro, com o resultado de 1,5%, contra 1,4% em janeiro.

    2+
    • avatar
    • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 10:18

      “A indústria da zona do euro está em sua mais profunda recessão em quase seis anos, com indicadores antecedentes sugerindo que os riscos são de baixa”, disse Chris Williamson, economista-chefe do IHS Markit.

      4+
      • avatar
      • avatar
      • Senhor Bolha 1 de março de 2019 at 10:56

        Melhor torcer para não crescer inflação na zona do EURO.

        3+
        • avatar
  • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 10:02

    Financiamento de imóveis recua em janeiro

    Porém, o número de unidades financiadas caiu 3,9% em 12 meses, passando de 429, em janeiro de 2018, para 412 em igual mês deste ano, o que, inicialmente, indica um aumento no preço médio dos financiamentos.

    “Não foi o valor dos imóveis que aumentou, mas a cota do financiamento. E isso preocupa a gente porque vai na contramão do déficit habitacional brasileiro, que está concentrado nas camadas de baixa renda”, observa o empresário José Carlos Gama, vice-presidente da área imobiliária do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE).

    De acordo com ele, a alta do valor dos financiamentos vista no Ceará no primeiro mês do ano reflete, na verdade, a preferência das instituições financeiras por clientes que podem oferecer mais garantias de pagamento do imóvel, reduzindo o risco de inadimplência.

    Assim como ocorreu no acumulado de 2018, o desempenho dos financiamentos no Ceará em janeiro ficou abaixo da média nacional tanto no volume de recursos como no número de unidades.

    Para vice-presidente da área imobiliária do Sinduscon-CE, o resultado observado deriva de uma recuperação econômica mais lenta entre os estados do Nordeste em comparação com os do Sul e Sudeste, que puxaram o resultado nacional.

    “A gente sabe que a crise no Sudeste, em particular no Rio de Janeiro e São Paulo, já começou a passar, com uma maior velocidade de vendas e de contratações de novos financiamentos. E aqui no Nordeste, chega com uma velocidade menor”, diz Gama.

    https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/editorias/negocios/financiamento-de-imoveis-recua-em-janeiro-volume-de-recursos-cresce-1.2069624

    4+
    • socrates 1 de março de 2019 at 10:56

      coitado…
      “crise no hell começou a passar”
      a cidade esta um caos. o que mais se tem sao pedintes e camelos paa tudo que é canto.
      imoveis fechados e placas de aluga-se e vende-se a rodo.
      A Lapa , alem de walking dead, está completamente abandonada e cheio de imoveis vazios.
      A renda simplesmente nao consegue comprar o preço pedido

      4+
      • DouglasteR 1 de março de 2019 at 11:28

        Fui ao RJ logo após a COPA.
        Direi aos meus filhos que fui na savanna carioca !

        3+
  • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 10:16

    SEUL (Reuters) – A Hyundai <005380.KS>, que tem sofrido com a queda nas
    vendas na China, está considerando cortar a capacidade de suas fábricas em
    seu maior mercado, disse o presidente-executivo Lee Won-hee, segundo duas
    pessoas com conhecimento do assunto.

    Lee fez os comentários em reunião com analistas e investidores na véspera,
    disseram pessoas que participaram do evento à Reuters.
    Ele disse na reunião que a montadora está considerando lidar com o excesso de
    capacidade em suas antigas fábricas na China, enquanto corta o número de
    funcionários no país, de acordo com uma nota de uma das pessoas que foi
    entrevistada pela Reuters.

    Um porta-voz da Hyundai Motor disse que a montadora está “revisando vários
    planos de otimização para aumentar a eficiência das instalações” e começou a
    aposentar funcionários na China.

    https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2019/02/28/hyundai-considera-cortes-de-capacidade-na-china-dizem-fontes.htm

    4+
    • avatar
    • avatar
    • CA 1 de março de 2019 at 10:45

      Cajuzinha,

      Como colocado outro dia pelo Senhor Bolha, temos um excesso de capacidade produtiva em todo o globo.

      Isto ocorre por uma combinação de fatores, menciono abaixo os principais:

      1) Bolhas imobiliária e de consumo com suas diversas vertentes, que foram impulsionadas pela bolha das bolhas americana, geraram uma euforia de consumo em todo o globo. Crédito fácil e barato, disponível para quem quisesse e cada vez mais pessoas querendo, demandas batendo recordes. As fábricas expandiram suas capacidades de produção, aumentaram o número de turnos, contrataram muito, lançaram novos modelos, se expandiram geograficamente, etc. Só que este tempo de euforia passou, a consequência da farra foi o super-endividamento das famílias e o que aconteceu? A INEVITÁVEL queda do consumo. Só que as fábricas já tinham feito todas as expansões e agora? Ficaram com OCIOSIDADE, o que leva inevitavelmente a relevantes PREJUÍZOS. Como corrigir isto? Reduzindo os turnos, modelos, funcionários, capacidade produtiva, plantas, etc. É o que está acontecendo agora e vemos no Brasil e em todos os países, não tem escapatória, aliás, este é o PRINCIPAL MOTIVO para tal movimento;

      2) Os governos geraram “incentivos variados” às indústrias com parte da farra acima, desde redução de impostos, passando por SUBSÍDIOS declarados (exemplo do Brasil: crédito agrícola subsidiado para compra de maquinários, carros, etc) ou MAQUIADOS (exemplo do Brasil: aumento relevante no PcD habilitado para comprar carro novo com forte redução de impostos), dentre outros. Enquanto a produção crescia, o consumo crescia, etc, aumentavam os déficits do governo pelas receitas que abdicaram, mas ainda estava em trajetória aceitável. Depois que empresas e consumidores ficaram super-endividados e o consumo fatalmente caiu, a arrecadação caiu e as despesas que haviam crescido junto com a euforia aumentaram os desequilíbrios fiscais dos governos, gerando outra leva de problemas que fatalmente forçará os governos a reduzirem cada vez mais os subsídios declarados ou não e voltarem a subir os impostos. Os investimentos nas indústrias normalmente tem retorno no longo prazo e sabendo deste contexto, elas são obrigadas a reduzirem os investimentos, o que retroalimenta o ciclo de perda de empregos, redução de renda e consumo, etc. Este é o segundo fator mais relevante para este excesso de capacidade produtiva e ações para “adequação” que vemos acima;

      3) De forma natural, as indústrias vão tendo ganhos de produtividade, via automação industrial principalmente e isto vai reduzindo a necessidade de mão-de-obra. Só que dos 3 motivos elencados aqui, este foi o que teve MENOR impacto, uma vez que é GRADUAL ao longo do tempo e não com crescimento EXPONENCIAL como tentam nos convencer.

      E no final, reitero o que sempre tenho dito: este é um movimento IRREVERSÍVEL e que ainda vai se intensificar muito nos próximos 12 ou 24 meses no máximo. DIVERSOS efeitos em cascata em todo o globo, o que não poderá ser evitado, por mais APELAÇÕES que os governos façam…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Senhor Bolha 1 de março de 2019 at 10:53

        Exatamente isso , existe um excedente de capacidade industrial.

        Dispararam o consumo por meio de uma demanda artificial, demanda esta que foi fomentada por crédito e subsídios.
        Aprioristicamente quando a falsa demanda se retrai sobraria apenas a demanda real, ou nem isso ! Tendo em vista que boa parte esta pagando parcelinhas.

        Logo o consumo de bens tende se retrair na contramão do maiores custos operacionais auferido nas plantas industriais.

        Para tentar curar a retração da demanda artificial o governo dobra aposta no erro:

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • socrates 1 de março de 2019 at 10:59

          se houvesse uma politica de gerenciamento de riscos economica, isso jamais aconteceria.
          Os orgãos de controle tem batido nessa tecla com estatais. Vamos ver quando chegarão aos ministerios, sobretudo da fazenda

          1+
          • avatar
          • Senhor Bolha 1 de março de 2019 at 11:19

            Sem estímulos artificiais o governo não conseguiria rolar seus déficits que são baseados no crescimento do PIB ( Fake), mesmo que maquiado.

            Não é só uma questão de analise de risco de crédito, mas de como o sistema é estruturado.
            Alavancagem do sistema financeiro, principal motivo do porque as empresas da metade do século em diante trabalham alavancadas; isso significa em outras palavras que sem estímulos artificiais as empresas não conseguiriam pedalar na oferta.

            A mesma coisa que você chegar para população e falar: Vai ter menos empregos , não podemos expandir os gastos , vamos ter menos investimento este ano ETc A maior parte das empresa se quer existiria sem tais subsídios, se precisa de subsídios é porque não da lucro.

            O sistema é totalmente viciado: Qualquer coisa que vá no sentido contrário pode derrubar o castelo de cartas, então a saída encontrada é criar uma bolha cada vez maior para cobrir a primeira e assim por diante.

            Isso dura até o empilhamento de dívidas públicas e privadas bater recordes consecutivos.

            Não custa lembrar que vivemos numa democracia: As pessoas querem empregos imediatos , elas não querem saber se o governo vai criar uma demanda artificial e foder com o futuro de pessoas que nem nasceram.

            Políticos são reféns da mentira . precisam criar distorções para oferecer soluções. Não adianta dizer a real : Vai ter crises, menos empregos etc. Isso não ganha eleição.

            Melhor iludir no curto prazo e hipotecar o futuro. Ou seja, enquanto der para pedalar vão pedalar.
            Basta jogar umas estimativas na planilha do banco central e torrar crédito na economia. No fundo os governos sabem que isso vai dar merda.

            10+
            • avatar
          • Jonny Deep Blue 1 de março de 2019 at 23:50

            Sócrates,
            Infelizmente, há algo muito errado como o país faz gerenciamento de risco. Seja financeiro, ambiental, aeroportuário, naval, sanitário, etc. Reina uma cegueira coletiva. Pois, ninguém vê, ou vê e minoria esses riscos.

            0
        • Cajuzinha 1 de março de 2019 at 11:12

          Mas há uma leitura mais estrutural: a ociosidade segue elevada e muitas empresas estão sem capacidade de fazer investimentos na inovação, modernização e ampliação de parques.

          Em boa parte, foi o excesso de incentivos ao consumo no passado que nos trouxe até aqui — medidas como a redução de impostos para compra de veículos ajudaram a tirar o Brasil da crise em 2009, mas foram prolongados por tempo demais e acabaram fragilizando a sustentabilidade do Orçamento.

          “O Brasil tem bons fundamentos macroeconômicos, mas convive com situações que impedem um crescimento mais enfático. A economia está hesitante”, afirma Lucas Nobrega, economista do Santander. “Além da questão fiscal, a severa recessão deixou o País com uma capacidade ociosa enorme.”

          https://www.istoedinheiro.com.br/ainda-em-compasso-de-espera/

          5+
          • avatar
          • avatar
      • Cesar_DF 1 de março de 2019 at 12:14

        Numa mercado não deturpado pelos bancos centrais, uma baixa taxa de juros indicaria que existe muito dinheiro no mercado, pois as pessoas pouparam excessivamente, então, por lei de oferta e procura, existe muito dinheiro disponível para alugar, o que seria uma oportunidade de empreender em novas fábricas, e com o dinheiro disponível no bolso das pessoas elas iriam comprar estes produtos.

        Mas num mercado onde os juros são forçados para baixo, as pessoas não tem poupança, mas os empresários teriam o dinheiro para um baixo custo para empreender, mas quando terminam de construir suas fábricas com, as pessoas não tem o dinheiro para comprar estes produtos, e dai o governo ‘é forçado” a emprestar a estes consumidores para eles possam comprar estes produtos.

        Este poder dos bancos centrais de distorcer o custo do dinheiro no mercado resulta na criação de negócios inviáveis, super-produção e endividamento dos consumidores.

        Para este esquema funcionar, é necessário tirar dinheiro do futuro, via emissão de títulos da dívida pública, que vencerão em décadas, mas quando chegar a hora de pagar este dinheiro, será necessário que existam mais pessoas que atualmente e/ou uma produtividade maior que a atual.

        Isso não vai dar certo !

        6+
        • avatar
        • avatar
  • indiobolhista 1 de março de 2019 at 10:31

    Algum bolhista já sonhou com ter sua própria corvolaria?? essa é uma oportunidade imperdível, faz o sonho da corvolaria própria, uma que seja para chamar de sua, toda sua, PELA ETERNIDADE.
    https://sc.olx.com.br/norte-de-santa-catarina/comercio-e-industria/vendo-ponto-comercial-imobiliaria-588820091?xtmc=motivo&xtnp=1&xtcr=18

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • daime 1 de março de 2019 at 10:43

      kkk…excelente indio
      sugiro clicarem ate a ultima foto que eh a mais reveladora com a corva entediada checando o celular…
      Ta bombando o mercado

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • DouglasteR 1 de março de 2019 at 11:30

        Aposto que o WIFI é o que tem mais movimento na loja.

        3+
        • avatar
    • Cadeludo 1 de março de 2019 at 10:44

      avaliada por perito kkkkkk

      6+
      • avatar
      • avatar
    • socrates 1 de março de 2019 at 11:01

      parece que é comum abrirem pjs para nao pagar imposto que pagaria se fosse pf.
      Tudo incentivado pelo governo corrupto.
      “função social da propriedade” para que, ne?
      O MP e o judiciario não sao burros; são cumplices

      1+
  • Senhor Bolha 1 de março de 2019 at 11:25

    Dobrando aposta no erro:

    Economia está devagar e BC deveria cortar juro’

    Para ex-diretor do BC, há espaço para reduzir juros mesmo sem garantia de que reforma da Previdência será aprovada este ano

    Os resultados do Produto Interno Bruto (PIB) divulgados ontem pelo IBGE confirmam que a recuperação da economia brasileira é tênue e, diante de dados também fracos de inflação, o Banco Central já deveria ter começado a reduzir os juros.

    A avaliação é de Sergio Werlang, professor e assessor da presidência da Fundação Getulio Vargas (FGV). “A economia está muito devagar e dá pra cortar com tranquilidade”, disse, em entrevista ao Valor.

    3+
    • avatar
    • CA 1 de março de 2019 at 12:13

      Senhor Bolha,

      Tenho observado algo “curioso” quanto aos economistas especialistas: eles estão completamente PERDIDOS!

      Eles não sabem explicar porque a economia não cresce como eles haviam previsto e muito menos dizer o que deve ser feito.

      Aqueles que seguem o mantra do governo sobre o milagre da previdência, dão explicações SIMPLISTAS, cheias de erro de lógica, com dados furados, ignorando uma série de variáveis relevantes e ao que tudo indica, estão apenas fazendo o papel de idiotas úteis a serviço do governo, ou seja, confirmando resultados MIRABOLANTES com a reforma da previdência como forma de CHANTAGEAR o congresso e tentar convencer à população de que a reforma é imprescindível.

      Tem os que são “saudosos” da Dilma e suas políticas econômicas heterodoxas, que tiveram origem na Unicamp. Tivemos nesta semana um deles falando sobre necessidade de se aumentar a renda, reduzir os juros, aumentar os investimentos públicos e daí por diante, o famoso “dobrar a meta”, que traria estragos muito mais profundos, como sabemos.

      Mais acima vimos alguns saudosos da dupla Temer / Meirelles, achando que o caminho é atuar sobre as CONSEQUÊNCIAS e não as causas, ou seja, se os juros finais não caem como o “esperado”, tente forçar os bancos a reduzi-los, adote uma agenda microeconômica cheia de melhorias que são interessantes, mas que agem exclusivamente na PERIFERIA dos problemas e acredite que assim, sem nenhum motivo, a causa RAIZ se resolva por tabela, o que na prática e no mundo real, nunca acontece (por isto que não tivemos nenhuma evolução com a dupla Temer / Meirelles).

      E enquanto não ACORDAREM para a REALIDADE, de que temos uma “escolha de Sofia”, continuarão apagando incêndio com gasolina, ou seja, enquanto não verem que precisarão deixar o segmento imobiliário enfrentar a CONSEQUÊNCIA de toda a lambança feita para salvar a economia, abandonando de vez os SUBSÍDIOS via MCMV e as “facilidades” via CEF, além de eliminar todas as GAMBIARRAS para esconder inadimplência e outras anomalias, veremos o super endividamento e inadimplência das famílias crescerem, o consumo ficar em patamar muito baixo, mais e mais empresas de diversos setores fechando e assim por diante. Outro desafio para o qual ninguém quer chamar a atenção é para o segmento financeiro: se sabem das enormes PEDALADAS e MAQUIADAS, vão continuar fingindo que não veem, quando deveriam estar atuando para DESMONTAR o circo. É algo muito duro e difícil de fazer, é como forçar o vale para depois ter uma recuperação consistente, algo que ninguém gosta, muito menos os políticos e os “economistas especialistas”. Só que a NEGAÇÃO DA REALIDADE é mil vezes pior, principalmente quando cercada de otimismo UFANISTA e uma infinidade de erros de diagnóstico como vemos acima…

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 1 de março de 2019 at 12:34

        CA

        As crises financeiras criadas anteriormente pelo Keynesianismo foram suplantadas pelo bônus demográfico, como a população aumentava e as pessoas se tornavam mais produtivas, os novos pagadores de impostos contribuíam para pagar o rombo.

        Mas agora, acabando o bônus demográfico e de produtividade do mundo, quem irá pagar a conta ?

        6+
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 1 de março de 2019 at 12:39

          Pensando aqui com meus botões, numa próxima crise mundial, tipo a que ocorreu em 1929, acho que ocorrerá um enorme movimento de migração de pessoas ricas e líquida dos seus países endividados para países que não taxem suas riquezas.

          Desconfio que a Estônia será um dos destinos desta migração. Vocês sabem de mais algum país que não tente esfolar os ricos ?

          11+
          • avatar
          • avatar
          • avatar