#BolaDeCristal – ‘2019 será ano melhor para o mercado imobiliário’, diz presidente da MRV – Correio Braziliense

Você pode gostar...

Comments
  • Cajuzinha 4 de fevereiro de 2019 at 14:42

    Valeu, BOSS!!!

    Será suficiente? Infelizmente não tenho uma resposta infalível, mas arrisco dizer que desta vez, ao contrário de 2016, nem mais estímulos monetários na China nem “pequenos” ajustamentos de politica monetária nos EUA e área do euro serão suficientes. Mais de dez anos depois da crise financeira, o impacto marginal de mais estímulos monetários é cada vez menor (beber um copo de água com sede é bem melhor do que beber o décimo copo…). E, principalmente, ainda que as expansões económicas não morram de velhice, costumam ser alimentadas pelas expectativas dos agentes económicos. E com toda a incerteza e protecionismos atuais, dificilmente as famílias e empresas poderão continuar indefinidamente otimistas…

    https://eco.sapo.pt/opiniao/a-economia-esta-so-a-abrandar-ou-vai-mesmo-entrar-em-recessao/

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 4 de fevereiro de 2019 at 14:44

      Hoje há uma série de sinais que podem indicar problemas à frente. A economia americana parece crescer na marra, com o governo pisando no acelerador apesar do dinamismo relativamente morno da produtividade, bem menor do que em ciclos passados. As empresas lucram, mas investem relativamente pouco. A taxa de desemprego é a menor desde o final dos anos 60 e isso deveria ser acompanhado de uma política econômica mais cautelosa – até para poupar munição para o período de vacas magras. A inflação está baixa, é verdade, mas o custo do trabalho aumenta em ritmo cada vez maior – quase 4% de acordo com o FED de Atlanta. A confiança que andava alta despencou há dois meses e a volatilidade dos preços de ativos entrou na faixa em que se acende um sinal amarelo, como comentei aqui na semana passada. Não é de se admirar, portanto, que os economistas estejam ficando com a pulga atrás da orelha, mas no estilo usual: raios, ventania e trovões de um lado e alertas de que a chance de chuva aumentou do outro.

      https://exame.abril.com.br/blog/celso-toledo/o-mundo-esta-para-entrar-em-uma-nova-recessao/

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 4 de fevereiro de 2019 at 15:15

        Cajuzinha,

        Tudo muito forçado e anti-natural, dando cada vez mais bandeira.

        A analogia do primeiro artigo quanto aos “estímulos” dos governos foi perfeita: quando você está com sede, o primeiro copo de água cai perfeitamente, já o décimo copo seguido…

        Agora, até quando o lucro (muitas vezes manipulado) supera as expectativas, mas menos que o “normal”, o pessoal já está ficando preocupado:

        https://extra.globo.com/noticias/economia/tendencia-de-resultados-corporativos-nos-eua-alimenta-temor-sobre-perspectiva-para-2019-23427070.html

        Se as encomendas à indústria caem de forma “inesperada”, nova fonte de preocupação:

        https://www.terra.com.br/economia/encomendas-a-industria-nos-eua-caem-inesperadamente-em-novembro,5beb8455a173c043f6bde95be910ab36cv6m3mxc.html

        Na verdade, governos excessivamente atuantes para “estimularem” suas economias, sempre despertam suspeita, com dúvidas como as que constam abaixo, por exemplo:

        a) “Por que estão intervindo tanto, será que a situação está muito mais grave do que eles dizem?”
        b) “Estão vendo um terremoto à frente e tentando se antecipar para mitigar os impactos?”
        c) “Estão tomando ações para protelar ao máximo consequências muito negativas que são inevitáveis?”
        d) Todas as anteriores e várias outras?

        Sim, a resposta, como sabemos, é a letra “d” acima e o “mercado” está cada vez mais entendendo isto…

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • DouglasteR 4 de fevereiro de 2019 at 14:47

    Vlw BOSS !

    3+
  • socrates 4 de fevereiro de 2019 at 15:31

    Prezados, uma dúvida.
    Os indices de inflação levam em conta o valor dos alugueis e imoveis?
    Caso sim, a manipulação dessas informações não impacta diretamente nesses indices? Pergunto isso porque os indices de inflação são usados para reajustar diversas contas e tarifas.
    Cada vez mais fica evidente que o preço pedido não é o preço real, pois sempre “há desconto”. Neste sentido, não estariamos todos, mais uma vez, sendo afetados pela bolha imobiliaria?

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Rico 5 de fevereiro de 2019 at 08:23

      Até onde sei IPCA leva em conta o custo de moradia, o que engloba os aluguéis, que são reajustados pelo IGP-M. Coisa de louco.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 09:33

        o MP nao deve saber disso!

        0
      • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 09:34

        mais um argumento contra a especulação imobiliaria.
        Não se tratam apenas de interesses privados!

        0
  • Cajuzinha 4 de fevereiro de 2019 at 15:35

    Era quanto mesmo a previsão no começo de 2018?

    Estimativa para avanço do PIB em 2018 cai para 1,25%, diz BC

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 4 de fevereiro de 2019 at 15:52

    Sobre o tópico, eles querem agora voltar a construir para o público de maior renda, usando verba da poupança e não só do FGTS. Vamos fazer um mini-vestibular – para fazerem tal aposta, estão contando com:

    a) A evolução dos empregos: renda estagnada, “crescimento do percentual de empregados” puxado pelo recorde histórico de desalentados (desistiram de procurar emprego e deixam de contar como “desempregados”), pelo recorde histórico de subempregados (trabalham menos horas do que precisam e ganham bem menos do que o necessário, por falta de alternativa) e pelo crescimento de “empregos” puxado principalmente pela informalidade e por conta própria, incluindo empreendedorismo por NECESSIDADE, como por exemplo, vendedor de balas no semáforo, além é claro de crescimento de vagas formais exclusivamente para quem ganha até dois salários mínimos e perda de vagas para posições de liderança ano após ano, já somando mais de 1 MILHÃO de vagas perdidas nos últimos 10 anos;

    b) Crescimento da pobreza em todas as suas faixas de classificação, recorde de dependência de super-aposentados, recorde de venda de bens por famílias para sobrevivência, todos eles em 2018;

    c) Mais de 63 MILHÕES de INADIMPLENTES e mais de 30 MILHÕES de super-endividados, somando-se estas categorias, mais de 90% de toda a população economicamente ativa. Recorde de imóveis inadimplentes (mais de 500 mil), recorde de imóveis retomados (embora tenham retomado no total menos de 20% de toda a inadimplência), recorde de imóveis prontos em poder de bancos para serem leiloados, um banco público como maior proprietário de imóveis prontos à venda no país (CEF), recorde de imóveis retomados por falta de pagamento de condomínio e que não conseguiram leiloar nesta condição também, bancos e construtoras apelando para alugarem imóveis porque não conseguem vender (inclusive a própria MRV diz que vai fazer isto!) e tudo isto atingido ao longo de 2018;

    d) Todas as anteriores e muito mais.

    Novamente, a alternativa correta é a “D”. Como sempre, as construtoras operam em um universo paralelo, sustentado pela intensa DESINFORMAÇÃO que elas pagam para divulgar…

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 4 de fevereiro de 2019 at 17:15

      eles apostam que a bolsa do governo vai continuar.
      O temer , no final do mandato, deu uma bolsa às montadoras e esta livre…
      O MP só se esquiva…

      5+
      • avatar
    • Cesar_DF 4 de fevereiro de 2019 at 17:54

      CA
      O que você esperava? Que soltassem uma nota do tipo supersincera: “Construímos demais e não tem pessoas para comprar os 10 milhões de imóveis vagos, iremos fechar as portas e daqui 10 anos talvez voltaremos!” kkkkk

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • odorico 4 de fevereiro de 2019 at 18:06

        Pois é, às vezes fico me perguntando qual é a alternativa do capitalismo senão girar o capital, de que maneira não importa, quando a bomba estourar, vamos armar a próxima… não há o que fazer… . Li um estudo econômico sobre locação de carros, principalmente essas grandes, hertz, localiza , unidas, etc. Que elas operam com baixa taxa de retorno e que em muitos mercados dão prejuízo…., mas que a outra alternativa seria não operar. Mas como desmobilizar? Mas como vender um negócio desse tamanho? Mas como operar com taxas de retorno interessantes em alguns mercados se já é difícil alugar com os preços praticados? Igual empresa área… a alternativa é não ter vôos, pois no mundo inteiro é um negócio que não fecha a conta na maioria dos casos…., mas pelo menos o “capital” está girando…. Enfim, vamos pedalando… Que a GEELE nunca ocorra….

        24+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • socrates 4 de fevereiro de 2019 at 19:36

          odorico, as vezes o negocio relativo ao serviço pode dar prejuizo, contanto que o negocio relativo aos meios dê produção de lucro – e vice x versa.
          Só para exempificar: diziam que o playstation dava prejuizo vendido abaixo de 200 dolares (mentira, logico, mas era o que se repetia por aí). De qualquer jeito, a empresa ganhava com os jogos e serviços relacionados ao console.

          Quanto às empresas de aviação (e transportes em geral), o buraco é mais embaixo. Há o oligopolio escancarado na construção dos avioes com preços mega bolhudos, o tambem oligopolio garantido pelo estado ao determinar o uso exclusivo de determinados aeroportos e rodoviarias, toda a questão do transporte de mercadorias que nao aparecem para a Receita e a nossa matrix, e, claro, a fuck&¨% industry do petroleo! O petroleo é extraido as vezes a 5 dolares e vendido a 60, o barril. O lucro é tão absurdo que compensa o preju em determinados pontos da cadeia que o utiliza. Se lembra quando só tinha 4 montadoras aqui? Uma italiana, duas americanas e uma alemã? O aluguel de carros podia ate dar prejuizo, contanto que o lucro absurdo do oligopolio continuasse.
          Problema do empreendedor que nao tivesse amigo na ponta que realmente lucrava…

          14+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • odorico 4 de fevereiro de 2019 at 17:58

    CVR: SUV ostentação = SUV reclamação. Conhecido que pegou há um ano atrás pegou bolada de aposentadoria (da época que guardava quinquênios para receber ao aposentar) e torrou num SUV diesel da moda. Hoje, reclamou no grupo do futebol, que o pneu do SUV furou e que o borracheiro, estragou o “sensor de pressão”. R$500,00 na concessionária. No paralelo é R$300,00, mas se fizer por fora perde a garantia do carro todo (assim disse a concessionária…kkk). Quer ostentar, mas não quer pagar…. Isso é Brasil….

    31+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 4 de fevereiro de 2019 at 18:52

      Tem gente que além de gostar de ser idiota adora dizer aos outros as suas idiotices.
      É um mistério na minha cabeça Odorico, tipo os retardados que compram carro gastador depois ficam choramingando sobre o preço da gasolina.
      Nego que compra BMW, Mercedes, Audi depois leva no mecânico da esquina para ser arrumado com arame e durepox….
      Acho que já relatei aqui que conheci um casal que na época tinha comprado um carro coreano esporte para ostentar mas só usava o carro a noite pois não tinham grana para pagar o IPVA….
      Todos temos nosso karma, tem gente que adora alimentar o seu próprio, coisas da vida 😄

      28+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • odorico 4 de fevereiro de 2019 at 19:06

        Verdade, aqui em BSB, o estacionamento da rodoviária interestadual é super barato, acho que 3 ou 4 centavos o minuto… Eu sempre pago e acho vaga na entrada. Aí você vê carrões, SUVs e camionetes se espremendo na área não paga (inclusive proibida em alguns casos) só para não pagar….Já vi cara de amarok suando para manobrar só para não pagar…. Até na subida de casa, vejo cara de carrão e SUV segurando a marcha para não gastar e eu esguelando meu 1.0 subindo a 80km/h (permitido na via) e no posto faço a conta e dá 15km/l. Ipva 600,00, pneu 200,00. troca de óleo com filtros 180,00.

        24+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Tagore 5 de fevereiro de 2019 at 07:41

      A relação das pessoas com seus carros rendem tantas histórias que poderíamos escrever um livro. Conhecido comprou um carro muito caro, talvez uns 300 mil hoje. Não tinha dinheiro para pagar o seguro. Então, se, por exemplo, a esposa queria visitar a mãe, ele dizia que poderia no máximo levar ela lá e voltar para casa, porque o lugar não tinha garagem e ele não tinha confiança de deixar o carro na rua. O medo ia desde o carro ser roubado até alguém dar uma batida ou arranhar e ir embora. A esposa perguntou qual era a grande ideia de se ter um carro que não podia ser usado, então o cara vendeu a contragosto.

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Money_Addicted 5 de fevereiro de 2019 at 08:26

        nesse caso eu vi vantagem -> desculpa pra nao ficar na casa da sogra kk

        31+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 11:16

          Kkkkkkkkk o diabo e a salvaçao se escondem nos detalhes? Kkkkk

          2+
          • avatar
    • Money_Addicted 5 de fevereiro de 2019 at 08:24

      realmente eh incrivel o q pessoal faz….como eu sempre digo, a unica justifica de se ter um carro “caro” eh se vc quiser pegar mulher sem paga-la diretamente (obviamente q tem o custo beneficio que no me entender no vale) mas tenho amigos que nao gostam de pagar diretamente e ai sim tem q pegar um carrao pra chamar as vadias.

      agora esse pessoal casado e/ou aposentado que pega carro caro pra ostentar pro vizinho eh MTA burrice

      [ ]s

      23+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Rico 5 de fevereiro de 2019 at 08:26

        A diferença entre o sexo gratuito e o sexo pago é que o pago é mais barato.

        27+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Money_Addicted 5 de fevereiro de 2019 at 08:53

          exatamente!

          4+
          • avatar
      • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 09:42

        alguns nem compram o carro. Recebem e só mostram para os outros, os induzindo a comprar tambem.
        Tipo o Ronaldinho Gaúcho indo morar na Vila do Pan kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
        Outro dia vi a chamada de uma materia de uma artista que estava hospedada em um hotel de 30k a diaria.
        Se eu fosse dono do hotel, eu deixaria ela, o Neymar e outros famosos se hospedarem de graça lá. Publicidade barata!
        Até em shopping e restuarantes badalados tem disso. Se puder deixar os carrões à mostra, na entrada, certamente trará os 666s.

        6+
  • Cesar_DF 4 de fevereiro de 2019 at 18:19

    Dono morre com única senha e câmbio de criptomoedas perde US$ 190 milhões
    https://www.tecmundo.com.br/mercado/138413-cambio-criptomoedas-perde-us-190-milhoes-dono-morrer-senha.htm

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 4 de fevereiro de 2019 at 18:43

    OFF – Mais um ministro família, temente a deus e todo cheio de discurso moralista envolvido em negociatas nada republicanas.
    Haja espaço no inferno para tantos pecadores.
    Porque não me surpreendo.

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 5 de fevereiro de 2019 at 07:14

    Falei ontem sobre como os bancos médios e relativamente novos ousavam mais, emprestando com juros menores e oferecendo maiores remunerações nas aplicações financeiras.

    Tem algo que esqueci de mencionar a este respeito:

    Os bancos médios também tem sido a “tábua de salvação” de MUITAS empresas com problemas gravíssimos de liquidez, que na prática já estão QUEBRADAS e não conseguem mais empréstimos com os bancos grandes.

    Estas empresas prometem criar uma relação mais duradoura com os bancos médios e estes, como estão ansiosos por crescer e também possuem executivos com metas ousadas a serem cumpridas, topam “qualquer negócio”. Depois vemos ocorrências como a que consta abaixo:

    https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/02/banco-original-consegue-penhora-de-apartamento-de-dono-da-livraria-cultura.shtml

    Trecho do link acima entre “aspas”:

    “O Banco Original é credor do Grupo Cultura desde março de 2018, quando topou assumir dívidas da empresa com três fornecedores: Sony Brasil (R$ 1,26 milhão), Allied Tecnologia (R$ 238,6 mil) e Dell Computadores (R$ 1,1 milhão).”

    É importante observar que em março/2018, quando o Original emprestou milhões de Reais para a Cultura pagar suas dívidas, já era público e notório que a Cultura estava QUEBRADA e sem chances de recuperação!

    Esta válvula de escape das empresas QUEBRADAS via empréstimo de bancos médios ansiosos para crescerem “a qualquer preço”, para gerar os bônus graúdos de seus executivos, é parte dos graves problemas do sistema financeiro nacional que comentei ontem.

    Como sempre, PEDALADAS acima, que estão ocorrendo longe do conhecimento do público e em LARGA escala, garantem que a destruição será cada vez maior…

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 5 de fevereiro de 2019 at 07:20

      Lembrando que o esquema do banco Santos quando quebrou foi esse de fazer empréstimos para empresas que não tinham condições de pagar, mesclando com lavagem de dinheiro e computando valores maiores do que os efetivamente emprestados, que os clientes aceitavam por não encontrar mais ninguém que emprestasse para eles.

      Acima e nos demais casos que falei, não há evidências de lavagem de dinheiro nem de empréstimos superfaturados, mas o problema em si de conceder crédito podre em LARGA escala é causar a quebra do banco e criar insegurança quanto ao sistema financeiro, o que dependendo do volume de bancos médios que possam entrar nesta situação, poderá despertar o temor de uma crise sistêmica. A conferir…

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2019 at 08:01

        A Antecipa Fácil, fintech que dá acesso a pequenas e médias empresas a capital de giro por antecipação de recebíveis, em um ano de operação, já movimentou mais de R$ 14 milhões em notas fiscais, mas o número vem crescendo 10% por semana

        Os deságios praticados hoje variam de 2% a 10% dependendo da data de validade da nota fiscal e do risco da operação. A média de deságio praticada pelos financiadores é de 4% com 99,8% dos títulos liquidados.
        Isso quer dizer que o pequeno e médio empreendedor que necessita de crédito consegue a antecipação com valores bem interessantes e de forma menos burocrática do que um banco. E o melhor: não é um modelo de empréstimo com taxas de juros altas, mas sim feitos deságios, ou seja, pequenos descontos na nota fiscal para o cedente ter o valor antecipado.

        https://seucreditodigital.com.br/antecipa-facil-capital-de-giro/

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 5 de fevereiro de 2019 at 10:35

          Cajuzinha,

          A primeira parte do texto que você destacou é PREOCUPANTE, em especial, o trecho que destaco em CAPS:

          “A Antecipa Fácil, fintech que dá acesso a pequenas e médias empresas a capital de giro por antecipação de recebíveis, em um ano de operação, já movimentou mais de R$ 14 milhões em notas fiscais, MAS O NÚMERO VEM CRESCENDO 10% POR SEMANA…”

          O esquema acima é uma bola de neve: a empresa fica sem capital de giro, antecipa recebíveis entregando seus boletos para banco, pagando juros por isto, consegue pagar as contas daquele momento, mas logo em seguida, está sem caixa de novo e precisa NECESSARIAMENTE faturar mais para cobrir a nova necessidade de capital de giro mais os prejuízos do juros da operação anterior e vai assim indefinidamente, sempre precisando aumentar o faturamento, A QUALQUER PREÇO, só para conseguir pagar as dívidas crescentes.

          Ocorre que temos SAZONALIDADE e isto significa, que às vezes e de forma natural, a demanda cai. De onde vai sair o faturamento maior para antecipar os recebíveis e cobrir os rombos que não param de crescer?

          Daí vem as “soluções criativas”: antecipa faturamento para cliente com desconto maior do que aquilo que vão pagar de juros pela antecipação dos recebíveis junto à financeira. Novo aumento no buraco do caixa.

          Depois, nem com ação apelativa acima resolvem o problema do caixa, daí tem que APELAR mais, próximo estágio:

          Fazem faturamento “fake” para empresa do mesmo grupo econômico ou de algum parente, só para antecipar os recebíveis, mesmo sabendo que depois o “cliente” não vai pagar para a financeira e que a financeira vai cobrar diretamente deles e depois não vai mais conceder antecipação de recebíveis.

          Daí o que fazem?

          Apelam para outra financeira que começou há pouco tempo e quer crescer a qualquer custo (como no exemplo que você trouxe acima), fazem a antecipação de recebíveis com ela e ajudam a pagar a inadimplência com a anterior ou deixam como está e daí para PIOR.

          Empresas que “mergulham” na ciranda financeira acima, em mais de 90% dos casos, QUEBRAM, deixando um rastro de CALOTES para os credores e muitos deles que são fornecedores, funcionários, etc, são fortemente afetados financeiramente e são os próximos a entrarem neste círculo vicioso.

          É graças a este esquema de alimentar incêndio com gasolina que a inadimplência não para de crescer e que o número de empresas com décadas de existência ou faturamento bilionário não param de QUEBRAR, ano após ano…

          8+
          • avatar
          • avatar
          • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 11:26

            Ca, como o dinheiro é literalmente criado para quem de tradiçao, esse processo suicida se fintechs nao pode ser voluntario e planejado? Obvio, quem nao é amigo de quem tem o poder se da mal porque vai quebrar e nao voltar,mas isso ja acontece e só seria mais uma outra forma de manter a boshta,nao?

            1+
            • CA 5 de fevereiro de 2019 at 13:40

              socrates,

              É uma reação natural do mercado.

              Bancos médios estão “facilitando” a obtenção de cartão de crédito para clientes como nome sujo, financeiras (fintechs ou não) estão fornecendo crédito para empresas e pessoas “quebradas”. Bancos médios, como coloquei acima, estão oferecendo adiantamento de recebíveis “à rodo”, dentro da capacidade financeira deles. Por que tal movimento é “natural”?

              Temos 63 MILHÕES de inadimplentes e 30 MILHÕES de superendividados, alguns veem isto como um ENORME problema, outros, como uma OPORTUNIDADE: se tanta gente está em crise financeira, ao trazer “solução”, terei um crescimento exponencial nos negócios! Para bancos grandes que fazem isto aumentando muito sua carteira de crédito, eles conseguem MAQUIAR o quanto aumentou nominalmente a inadimplência, pois o percentual de inadimplência sobre o total fica baixo (a famosa PEDALADA) e aumentam os lucros e bônus para executivos. Já para startups, como no exemplo acima, um crescimento exponencial como o mencionado, pode ajudá-la a ser vendida por um preço milionário, enriquecendo muito e rapidamente o fundador, como já aconteceu em vários casos ao redor do globo.

              Inclusive, se não fossem as bolhas globais explodindo mais visivelmente e vários indicadores negativos simultâneos vindos de nossa economia REAL, seria possível até que tivéssemos uma “invasão” de empresas ABUTRES, que vivem de comprar títulos PODRES com desconto de até 90%, retomar o bem (muitas vezes imóveis) e revender com 50% de desconto.

              São todas reações naturais no mercado, por um lado, tentando adiar o reconhecimento da REALIDADE, por outro, com os executivos destas empresas tentando obter lucros relevantes de forma individual, para isto sacrificando as empresas onde atuam, algo também bastante comum no mundo corporativo e em tempos de bolhas.

              2+
    • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 08:12

      é uma forma de pagar bem a “executivos” sem inchar os grandes bancos tambem, nao CA?
      Digo isso porque na pratica sabemos que capitalismo sem risco é coisa de pobre na Banania

      4+
      • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 08:14

        o que eu não entendo, sinceramente, é o Moro.
        Está na cara que o sistema financeiro é todo corrupto.
        Como ele aceitou fazer parte de um governo a convite do Paulo Guedes??????

        8+
        • avatar
      • CA 5 de fevereiro de 2019 at 13:46

        socrates,

        Respondi acima, junto com outra questão que você colocou.

        Em resumo, os ganhos pessoais, em troca levando à destruição da empresa onde estes executivos atuam, é um dos principais motivadores. Exemplos:

        Enrique Bañuelos teve lucro BILIONÁRIO na PDG e ela QUEBROU depois, idem para Sam Zell na Gafisa, o mesmo que vimos no passado com Lehman Brothers nos EUA e tantos e tantos casos ao redor do globo.

        O fundador da Fintech mais acima que faz com que ela cresça exponencialmente e de forma exageradamente rápida, poderá vende-la por um preço aviltante, fica bilionário e depois a empresa assume os riscos e prejuízos. Idem para executivos de bancos que crescem muito com o crédito PODRE, recebem bônus gigantescos e depois os bancos ficam em maus lençóis, inclusive com alguns de médio porte que podem QUEBRAR.

        As pessoas pensam muito em termos de “empresas”, que são como “seres inanimados”, mas na realidade, são as pessoas que mandam nas empresas que as utilizam de acordo com os seus interesses e é a isto que devemos ficar atentos…

        5+
        • avatar
    • odorico 5 de fevereiro de 2019 at 13:54

      Jesus, tenho cascalho no original e os índices dele só pioram, ainda bem que estão vencendo esse ano e início de ano que vem…..

      3+
      • Kasparov 6 de fevereiro de 2019 at 16:12

        Eu também, em taxas bem Dilmudas!

        0
  • Carlos 5 de fevereiro de 2019 at 07:16

    OFF – Bananistão aquele lugar onde as coisas andam só se favorecem os donos do poder
    E não é que o governo está lançando um novo tipo de cadastro unificado. Pobre do bananence que precisa de qualquer serviço que requeira algum tipo mínimo de estrutura de informação estatal.
    Os bancos aparentemente sabem como ser ouvidos.

    Do cumprimento desta ordem, o devedor tem o prazo de cinco dias para pagar a integralidade da dívida, sob pena de o banco requerer a transferência do carro para o seu nome e imediatamente vendê-lo para pagamento da dívida. Acontece que muitas vezes os devedores até mesmo “trocavam” de carros com amigos, cada um usava o do outro, permanecendo assim com a utilização do veículo, já que a Justiça não conseguia encontrar a garantia. Com a criação do Renajud, que é um sistema “on-line” de restrição judicial de veículos criado pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça), isso acabou. O próprio juiz entra no sistema e coloca uma restrição de circulação, o que, aliado a um sistema de radaresinteligentes que leem as placas, permite a apreensão do carro por onde ele passar. Com isso, os bancos podem vender o veículo imediatamente após cinco dias de sua apreensão, o que se constata que a recuperação do crédito está muito, mas muito mais rápida.

    https://joaoantoniomotta.blogosfera.uol.com.br/2019/02/04/nao-pagou-a-prestacao-do-carro-cuidado-a-perda-pode-vir-muito-rapido

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 5 de fevereiro de 2019 at 07:56

      Carlos,

      Na essência, medidas que ajudem a coibir o calote, como as que constam acima, são boas e poderíamos dizer que são mil vezes melhores e mais bem-vindas do que as medidas em sentido contrário, aquelas que INCENTIVAM os calotes, como REFIS, falta de retomada de imóveis inadimplentes em volume gigantesco, PEDALADAS com novos empréstimos PODRES para cobrirem dívidas de empresas visivelmente QUEBRADAS e sem recuperação, que ao PEDALAREM aumentam o tamanho do buraco e o número de credores prejudicados (ver meu comentário acima sobre Banco Original e Cultura), dentre tantas situações que incentivam a inadimplência e geram “N” prejuízos para economia e sociedade, inclusive para aqueles que pagam suas contas em dia.

      Em TESE, tais medidas permitem que os juros finais cobrados pelos bancos se reduzam, na medida que o risco de levar um calote e não conseguir recuperar a garantia diminui, possibilitando assim, menor spread.

      Adicionalmente, desestimula a prática de golpes por “caloteiros profissionais” e se avaliarmos que hoje temos mais de 63 MILHÕES de inadimplentes e que pesquisas do SPC apontaram que daqueles que estavam com nome sujo e receberam décimo terceiro, apenas 25% usariam o dinheiro para pagarem suas dívidas e também que mais de 40% daqueles que compraram no Black Friday ficariam em situação financeira crítica, ou já estavam superendividados ou inadimplentes e até com nome sujo, veremos que ações como as que constam acima são essenciais para que o calote, que já está em um patamar ABSURDO, não se expanda ainda mais.

      Como disse acima, na essência e em TESE é como consta acima. O problema é quando, inevitavelmente, ocorrem os ABUSOS, na “empolgação”, quando tais tipos de medidas são utilizadas como DESCULPAS para o crescimento SEM FUNDAMENTO e baseado em crédito PODRE.

      Agora vamos falar sobre a PRÁTICA e o que a experiência no Brasil já demonstrou sobre este tema:

      Talvez a medida acima não seja apenas ou principalmente para beneficiar os bancos em si. Da outra vez que tivemos explosão do crédito para compra de veículos, foi quando a produção e venda de veículos bateu todos os recordes. Graças a “maiores e melhores” garantias para os bancos, foram concedidos empréstimos sem entrada, com 100 meses para pagamento e juros baixos. No decorrer da “festa”, também deixaram de ser criteriosos, contando que se tivesse qualquer problema, era só retomar o veículo e vender, o banco não ficaria no prejuízo.

      A situação acima, como disse, gerou a bolha dos veículos, com isto, novas montadoras vieram ao país, outras que já estavam instaladas resolveram ampliar sua capacidade de produção e no começo, todos ficaram felizes. Ocorre que depois da farra, como sempre, veio a ressaca. A inadimplência dos veículos DISPAROU e os bancos, graças aos “N” esquemas (inclusive os mencionados na reportagem acima), não conseguiram recuperar uma grande parte dos veículos de proprietários inadimplentes e outra parte que recuperaram, venderam abaixo do saldo devedor, até pela super-oferta gerada por eles mesmos. Daí os bancos arcaram com prejuízo de R$ 20 BILHÕES e desistiram de fazer este esquema.

      Se repetirem o crédito PODRE do esquema anterior, o resultado fatalmente será o mesmo: farra no começo e RESSACA com forte arrependimento depois.

      Outro problema grave de ações direcionadas para um setor específico, neste caso o automobilístico, geram efeitos colaterais danosos para outros setores: se as vendas de veículos dispararem, considerando que não houve aumento de renda e tivemos uma PROFUNDA DEGRADAÇÃO nos empregos e disparada ABSURDA na inadimplência geral do consumidor, todos os outros setores da economia verão sua demanda cair, ao mesmo tempo que teremos novas disparadas na inadimplência e nos juros finais, ou seja, como sempre, PEDALADA para ganharem tempo e tornarem o resultado final muito PIOR…

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 08:22

        “Na essência, medidas que ajudem a coibir o calote, como as que constam acima, são boas e poderíamos dizer que são mil vezes melhores e mais bem-vindas do que as medidas em sentido contrário, aquelas que INCENTIVAM os calotes, como REFIS, falta de retomada de imóveis inadimplentes em volume gigantesco, PEDALADAS com novos empréstimos PODRES para cobrirem dívidas de empresas visivelmente QUEBRADAS e sem recuperação, que ao PEDALAREM aumentam o tamanho do buraco e o número de credores prejudicados (ver meu comentário acima sobre Banco Original e Cultura), dentre tantas situações que incentivam a inadimplência e geram “N” prejuízos para economia e sociedade, inclusive para aqueles que pagam suas contas em dia.”

        Concordo. Responsabilidade deve existir, lógico.
        O problema, como sempre discutimos aqui, é que a justiça só existe para quem não tem amigo no poder.
        O próprio Refis é um belo exemplo disso.

        E ai vem uma legião de advogados defender quem esta embaixo justificando a boshta com as falcatruas de quem esta em cima. A justiça aceita.
        O MP vê tudo isso e ao invés de intervir e obrigar a uma nova interpretação da lei, punindo quem esta em cima (o que o proprio judiciario também poderia fazer de ofício, instando o próprio MP!!!!!!), da uma desculpa para se omitir e assim nosso “universo” juridico se reproduz eternamente, gratificando adevogados, peritos e toda maquina juridica estatal (a mais cara do planeta).
        O dinheiro, no final das contas, tem que sair de algum lugar. Muitos intermediarios, mas quem banca mesmo é o estado, ou seja, todos nós.
        Improdutividade absoluta.

        Já falei que a Banania é recordista mundial em cursos de Direito?

        6+
  • Alemon Fritz 5 de fevereiro de 2019 at 07:47

    jeitinho:
    – Em expansão desordenada, Vidigal tem pelo menos 30 obras em imóveis sobre lajes em apenas uma semana.
    Comunidade com quase 20 mil moradores cresce de forma descontrolada .
    Globo rio. (e vc aí pagando cartório)

    6+
    • avatar
    • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 08:24

      com drones para fiscalizar e a prefeitura nada.
      A justiça ja poderia conceder autorização para derrubada imediata de novas construções.
      Por que será que a prefeitura nao pede isso?

      5+
      • avatar
    • Money_Addicted 5 de fevereiro de 2019 at 10:15

      exatamente isso q falei em uns posts atras sobre uma mulher q fez um cambalacho pra sacar o fgts.

      2+
      • avatar
  • Alemon Fritz 5 de fevereiro de 2019 at 07:53

    Ontem passou no Jornal da Bobo que o bananense está pagando mais cedo (mais rápido) as dividas.
    O samy mostrou que a galera tá pagando mais rápido de tudo a… conta de luz. Vou investir em Energias na bolsa; e além disso SC já extrapolou 3 recordes de consumo desde o começo do verão. SkIN no game.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2019 at 08:58

      No final de uma recessão econômica, o comportamento normal das pessoas é pagar suas dívidas e recompor a poupança.
      Como os impostos brasileiros são fortemente baseados em consumo, resulta em queda na arrecadação.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2019 at 08:08

    Por David Lawder e Chris Prentice

    WASHINGTON (Reuters) – Negociar novas regras da Organização Mundial do Comércio para tentar conter as práticas comerciais “mercantilistas” da china seria um exercício inútil, disse na segunda-feira o gabinete de comércio do governo dos Estados Unidos, prometendo manter sua postura unilateral para proteger os trabalhadores, produtores rurais e empresas norte-americanos.

    O gabinete do Representante de Comércio dos EUA usou seu relatório anual ao Congresso sobre a observância da China às regras da OMC em parte para justificar suas ações em uma guerra comercial de seis meses com Pequim que tem o objetivo de forçar mudanças no modelo econômico da China.

    O relatório também reflete a contínua frustração dos EUA com a incapacidade da OMC de conter o que vê como políticas econômicas da China que distorcem o comércio, e ofereceu poucas esperanças de que a situação pode mudar em breve.

    “É irrealista esperar sucesso em qualquer negociação de novas regras da OMC que restrinjam a atual postura da China em relação ao comércio e a economia de forma significativa”, disse o gabinete do Representante de Comércio no relatório.

    https://extra.globo.com/noticias/economia/agencia-de-comercio-dos-eua-diz-que-negociar-novas-regras-da-omc-para-conter-china-inutil-23429254.html

    6+
    • avatar
    • avatar
    • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 08:25

      com a treta do petroleo, como eles querem cobrar algo de alguem?

      2+
    • CA 5 de fevereiro de 2019 at 08:39

      Cajuzinha,

      Parte do que a China faz é descarado, mas em tese não diz respeito a práticas comerciais ilegais, outra parte, relevante, eles fazem “por debaixo dos panos” e estes esquemas não podem muitas vezes serem provados, logo, a China se utiliza disto para fazer de conta que atende todas as regras da OMC, que segue as “melhores práticas concorrenciais”.

      Um exemplo do que é escancarado, é quanto a manipulação do câmbio. Todo país é livre para determinar qual a política cambial que vai adotar, se será o câmbio flutuante, se haverão intervenções pelo governo, ou algum esquema misto entre um e outro. A China, utilizando-se desta “liberdade” e não sendo uma democracia, durante MUITOS ANOS manipulou o câmbio para beneficiar suas exportações e diminuir a atratividade daquilo que é importado (hoje tem alguma dificuldade para manter este esquema em virtude de consequências de bolhas dos EUA e da própria bolha chinesa, o que é parte do motivo de sua DESACELERAÇÃO). Cada vez que a China era questionada sobre esta prática, em especial pelos EUA, inventava alguma estorinha para boi dormir para “justificar” sua estratégia, nunca admitindo publicamente que era para distorcer a competitividade de seus produtos perante os de demais países.

      A parte menos visível, é a de SUBSÍDIOS via banco estatal chinês para as empresas do país, seja em sua operação local ou no exterior, mais a participação do shadow banking na economia. O resultado disto, é que temos PROFUNDAS distorções na concorrência destas empresas com similares de outros países. Vamos usar exemplos quanto a isto no Brasil: quando o governo emprestou BILHÕES do BNDES com juros módicos para a JBS, o que ela fez? Comprou alguns concorrentes com este dinheiro e investiu em projetos onde teve retornos maiores graças a este SUBSÍDIO, o que causou prejuízos para concorrentes e fez com que ela individualmente crescesse muito, sendo ruim para o setor como um todo, para a economia e sociedade. Agora imagine que na China, graças ao poderio econômico muito maior que eles tem, aplicaram isto em uma escala muito maior e globalmente, incluindo as operações de empresas chinesas no Exterior. Tudo isto gera uma concorrência DESLEAL, mas como ninguém tem acesso às condições destes empréstimos, volumes e para quem foram fornecidos, não há nada que possam fazer para coibir tais práticas. Análogo a isto, só que muito pior, no caso do Shadow Banking chinês, uma vez que este último estimulou crédito PODRE em larga escala, que ajudou a impulsionar o crescimento ANORMAL da China, mas novamente, nada que uma OMC ou qualquer órgão possa intervir para reverter (nem mesmo as agências de risco como S&P, Fitch, etc tem “poder” para intervir, no máximo alertam e isto porque elas não sabem, ou fingem que não sabem, o tamanho total do problema).

      O que consta acima, como sempre, são apenas AMOSTRAS, tem muito mais, no entanto, já é o suficiente para entender como a China conseguiu condições “únicas” para ganhar inúmeras competições contra outros países. Claro que além disto eles investiram muito em educação, tecnologia, infraestrutura logística, utilizaram muito o super excedente de população do campo migrando para as cidades e outros fatores que não foram práticas irregulares e que também colaboraram bastante para os resultados que alcançaram, não podemos esquecer ou menosprezar a importância destes fatores.

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2019 at 08:36

    só rindo

    O presidente da Volkswagen para América do Sul e Caribe, Pablo Di Si, disse nesta segunda-feira, 4, que tem ouvido de executivos de bancos que “há muita liquidez” e “muito crédito” disponível para ser ofertado em 2019. “Eles estão muito otimistas”, afirmou o executivo da montadora alemã, em evento em São Paulo. Além disso, afirmou Di Si, os donos das concessionárias da marca estão lhe dizendo que “a confiança do consumidor voltou”.

    https://istoe.com.br/bancos-estao-me-dizendo-que-ha-muito-credito-diz-presidente-da-volks/

    7+
    • avatar
    • Brazil mode OFF 5 de fevereiro de 2019 at 08:38

      Um 666 executivo

      10+
      • avatar
      • avatar
    • CA 5 de fevereiro de 2019 at 08:53

      Cajuzinha,

      Suspeito que poderão fazer, ou TENTAR fazer, outro esquema de bolha dos veículos. Mais acima, notícia de Carlos sobre mais segurança para retomada de veículos. Foi isto que fez com que quase 10 anos atrás, oferecessem empréstimo para aquisição de veículos com pagamento em 100 meses, sem entrada e sem critério, a “festa do caqui” que possibilitou crescimento do setor automobilístico “como nunca antes na história do país”, mas que, por outro lado, acabou gerando prejuízo de mais de R$ 20 BILHÕES para os bancos quando não conseguiram recuperar os carros “como o previsto”, ou quando o carro estava todo detonado e cheio de dívidas quanto a multas, licenciamento, IPVA, etc e não recuperavam o saldo devedor correspondente, dentre outros problemas. Detalhes em comentário que fiz mais acima sobre reportagem trazida por Carlos.

      É muito difícil de repetir o que aconteceu quase 10 anos atrás e inflar uma nova bolha dos veículos, com a finalidade de compensar a capacidade ociosa das montadoras que tende a se agravar com novas quedas de exportações para a Argentina em 2019, pois hoje o contexto é exatamente o contrário de 10 anos atrás: os bancos estão com menos liquidez dada a inadimplência alta do crédito imobiliário, a dificuldade enorme de leiloar os imóveis, a vacância absurda e os calotes de empresas que geram prejuízos bilionários e além disto, os bancos já tiveram a PÉSSIMA experiência anterior, ou seja, será que terão condições e vão repetir o mesmo erro de antes?

      Aliás, se tivéssemos tanta “liquidez e disposição para emprestar”, porque o Banco Central seria obrigado a APELAR de tempos em tempos liberando cifras BILIONÁRIAS de compulsórios para tentarem FORÇAR os bancos a emprestarem mais e com menores juros, como a China também está apelando, da mesma forma e pelos mesmos motivos?

      Outro ponto é que o crédito para financiamento de veículos precisaria ser muito PODRE para ignorar mais de 63 MILHÕES de devedores inadimplentes e ao mesmo tempo, mais de 30 MILHÕES de superendividados, o que por si só já significa mais de 90% da PEA (População Economicamente Ativa), sem contar a PROFUNDA DEGRADAÇÃO dos empregos.

      Será que vão jogar tudo para o alto e ignorar esta situação, só para tentar gerar nova onda de euforia UTÓPICA, com ressaca mil vezes pior depois, só para ganharem algum tempo?

      Sobre o executivo da VW para América do Sul dar tal declaração, é “preventivo”, para evitar que a matriz ordene reduções radicais de custos / plantas / pessoal em virtude da derrocada da Argentina e consequente quedas nas exportações de veículos a partir do Brasil, bem como resultados decepcionantes de anos anteriores quanto ao consumo local, que está muito longe de recuperar os “tempos áureos” da bolha mencionada acima. Ele provavelmente está usando este “argumento” para ganhar fôlego e adiar o inevitável, para não sofrer a mesma pressão que os colegas dele da GM e da Ford já sentiram na pele recentemente…

      6+
      • avatar
    • Rico 5 de fevereiro de 2019 at 09:32

      Tem mesmo, e isso é preocupante. Basicamente devido a problemas de alto endividamento da população a carteira de empréstimos está diminuindo.
      Os balanços do Satãder e do Itaú foram abaixo da expectativa e em razão disso vai ter uma enxurrada de oferecimento de crédito para aumento de ativos. Ou roda o dinheiro ou perde rentabilidade. Capitalismo é assim, funciona na base da pedalada.
      Vamos ver até quando vai isso.

      7+
  • Alemon Fritz 5 de fevereiro de 2019 at 08:40

    os vizinhos valorizando os imóveis
    -Líder do PCC na fronteira com o Paraguai é preso em Bal Camboriú, diz PF
    UOL-há 47 minutos

    8+
    • avatar
    • avatar
    • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 09:48

      carioquization

      3+
      • avatar
  • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2019 at 08:45

    No acumulado do ano, o país de Donald Trump comprou 10,76 milhões de pares por US$ 166,78 milhões, queda de 5% em volume e de 12,2% em dólares em relação ao ano anterior.

    O segundo maior comprador internacional foi a Argentina, que importou 418,4 mil pares a US$ 5,24 milhões em dezembro de 2018, baixa de 47,3% em pares e de 28,5% em receita no comparativo com dezembro de 2017. O acumulado do ano resultou em 1,8 milhão de pares a US$ 139,38 milhões vendidos aos argentinos, crescimento de 2% em volume e queda de 5,2% em receita ante o ano anterior.

    A Argentina passou a diminuir suas importações de calçados brasileiros a partir dos últimos meses do ano passado, especialmente pela crise interna e a brusca desvalorização do peso frente ao dólar, o que encareceu os produtos dolarizados.

    https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2019/02/05/internas_economia,1027852/setor-calcadista-comemora-reacao-do-mercado-nacional.shtml

    3+
    • avatar
  • Senhor Bolha 5 de fevereiro de 2019 at 09:08

    Sobre pergunta acima, como pode uma empresa trabalhar com taxas de retornos baixas, ou até mesmo no prejuizo.

    Explicando por menores dois modelos de negócios : Um lastreado em economia de escala e outro mais convencional.

    O modelo lastreada na economia de escala funciona da seguinte forma:
    Você oferece um preço baixo no seu produto desde que este produto seja consumido por uma base de milhões ou até bilhões de pessoas.

    Resumo: Para se lucrar neste modelo você precisa vender em escala.
    EX: O custo hipotético de fabricar um produto é 100 a margem de lucro é de 2 % por unidade vendida.

    O custo efetivo total é de 100 por unidade, isso inclui todos impostos, distribuição, insumos , mão de obra etc etc
    Cada unidade vendida me da 2% de lucro sobre preço final do varejo, digamos que o produto consiga 2 reais por unidade vendida.

    Neste modelo de negocio a empresa precisa vender 50 unidades para lucrar 100 reais e alguns milhões de unidades para lucrar alguns míseros milhões. Para este negocio funcionar ele precisa ser quase um monopólio, ou ser um produto com alta capacidade de giro ( Vendas). EX: O setor de alimentação possui margens baixas, porém você esta sempre comprando produtos = Giro elevado ou lucratividade certa, desde que o negocio seja bem operado.

    Resumindo o modelo de negocio : Só funciona se você consegue vender seu produtos a milhões ou até bilhões de pessoas = Grande corporações e oligopólios.

    Porque as empresas investem em diversos setores mesmo obtendo prejuizo ano após ano? Garanto que a explicação é bem mais complexa que se possa parecer.

    – O primeiro motivo é que os executivo, donos ETc muitas vezes não são remunerados pelo lucro corrente líquido , mas sim pelo faturamento ( Pró-Labore ). Então a empresa tendo lucro ou não em sua atividade os altos salários pagos a executivos, diretores é garantido pelo faturamento ou % de vendas.

    Vendeu e não deu lucro? Isso não interessa para este pessoal, pois eles são remunerados por % de vendas ou faturamento, não necessariamente lucro efetivo.

    O segundo motivo:

    Com a taxa de juros baixa e até negativas nas praças desenvolvidas: O dinheiro precisa circular, então o banco central faz isso de propósito! Faz isso para estimular a retirada de aplicações de menor risco transferindo tais aplicações para ações e negócios de maior risco.

    Basicamente ele obriga grandes investidores assumir risco no mercado em troca de receber retorno pífio assumindo um risco absolutamente elevado. Até por isso você pode perceber fundos de investimentos comprando ativos junk e espalhando risco no sistema. Num mercado saudável este modelo de negocio seria abortado , mas não é o caso da economia mundial atualmente.

    O terceiro fator:

    Ganhar especulando , não necessariamente com a natureza do negocio em si.

    Boa parte dos majoritários destas empresas com grandes prejuizo podem ganhar dinheiro especulando, basta que saia uma noticia favorável ao negocio das empresas. Na outra ponta o governo pode jorrar estímulos monetários no setor.

    Para ganhar neste esquema precisa comprar nas crises e vender para o cardume de sardinha na alta , principalmente quando noticias mirabolantes de recuperação da economia estão estampadas nos jornais , consequentemente o governo esta jorrando liquidez para manter o esquema de pé.

    Elenquei : Três formas de se ganhar com empresas e setores fodidos , sem obter nenhum lucro na linha final da DRE.

    Agora vocês entenderam porque negócios em setores falidos são abertos todos os dias. No mundo atual lucro se tornou adereço.

    Lógico que existe outro componentes nesse balaio: O negocio só pode se manter viável porque os bancos, governo e investidores injetam capital nestes negócios visando fazer rolagem das graves questões de sustentabilidade ( Refinanciamento de dívidas). Este modelo de negocio a longo prazo não se sustenta, tão logo governo e bancos centrais tirem estímulos monetários a casa cai. O capital especulativo recém criado vai para títulos do governo e não mais para manter empresas e banco zumbis em pé.

    Conclusão: Vivemos numa economia de mentiras. As empresa fingem que lucram e os bancos centrais mantém a mentira com injeção de liquidez.

    Enquanto a empresa conseguir adiar sua quebra por meio de refinanciamento de operações, este esquema vai perdurar indefinidamente.

    Ou seja, as empresas não obtém lucro, mas sim quem trabalha em altos cargos consegue obter lucro se fazendo valer destas três formas.

    Espere ter ajudado vocês a entender como grandes investimentos são feitos em setores que não dão lucro do ponto de vista matemático.

    A sustentabilidade do negocio é que menos importa nesta modalidade, tudo vai funcionar perfeitamente desde que os carrapatos que se alimentam do esquema consigam manter o negocio funcionando no modo zumbi. Quando finalmente a bola de neve aumenta exponencialmente os bancos começam negar refinanciamento e o investidores fogem como gazelas, o esquema cai e a empresa do dia para noite entra em recuperação judicial.

    Basta abrir outra empresa e começar o esquema novamente recebendo dinheiro público ou privado para financiar o negocio.

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2019 at 10:10

    Em fevereiro de 2018

    Ou seja, se o setor de construção parar e o governo interromper os investimentos em infraestrutura, o crescimento chinês cairá rapidamente abaixo dos 7% (se é que já não esta lá); o altíssimo nível de poupança das famílias chinesas só agrava o problema de tentar sustentar o crescimento com base no consumo. A queda recente no preço das principais commodities do mundo já é sinal disso; o minério de ferro abaixo dos U$80 também. Claro que o governo chinês poderá lançar uma nova onda de estímulos, apesar de ter dito o contrário nesse final de semana. Mas o modelo de crescimento chinês já está exaurido pelo simples motivo de não haver mais demanda para 5 trilhões de dólares por ano de nova capacidade instalada. Investir 50% do PIB também é um problema e revela uma economia com enormes desequilíbrios.

    http://www.paulogala.com.br/bolha-de-credito-na-china/

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2019 at 10:18

      Em 2019

      https://www.epochtimes.com.br/10-principais-desafios-china-comunista-enfrentara-2019/

      Grandes nomes da indústria como a China Vanke, Country Garden e Evergrande, começaram a vender suas propriedades com grandes descontos, às vezes com a premissa de “compre um, leve um de graça”.

      Se a atual onda de desemprego continuar, com o preço da habitação diminuindo, mais e mais pessoas terão problemas em pagar suas hipotecas, ou vão querer vender suas propriedades, disse Tang Hao em seu artigo.

      Como resultado, a bolha imobiliária pode começar a estourar, o que por sua vez poderá desencadear uma crise em todo o sistema financeiro.

      Acho até que quer for comprar um TEM que levar o outro obrigatoriamente kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 5 de fevereiro de 2019 at 13:28

        Cajuzinha,

        Por aqui, já tivemos construtoras registrando oficialmente em seus relatórios trimestrais quedas equivalentes a 50%, como no exemplo da PDG. Bancos estão preferindo APELAR para o aluguel, como o Santander, para tentarem frear as quedas nos preços de imóveis em leilão, mas já tivemos vários casos, de diferentes bancos, com reduções superiores a 50% no valor arrematado em leilão. Já vi caso no prédio onde moro em que um vendedor estava anunciando por preço 40% abaixo do outro, como “vendo urgente” e de fato, conseguiu vender rapidamente (embora ainda fosse caro mesmo com este super-desconto).

        Por enquanto, os bancos não retomaram nem 20% da inadimplência oficial, mais e mais construtoras estão demorando MESES ou ANOS para “reconhecerem” distratos, parte das estatísticas sobre estoques “ignora” imóvel novo com mais de 36 meses, o escambo é o que está sustentando os negócios de imóveis usados, o BC já liberou usar FGTS para até 12 meses de inadimplência do crédito imobiliário (antes era 3 meses), além de já ter liberado os bancos do prazo de 3 meses para retomar imóvel inadimplente e do prazo de 1 ano para vender imóvel retomado, sem contar a MATEMÁGICA que fizeram para aumentarem o preço dos imóveis do nada via IVG-R, assim como a MATEMÁGICA que aumentou a resiliência dos bancos quanto à queda de preços dos imóveis, a transformação de um enorme montante de títulos da CEF em “AA” em plena crise e em prazo recorde de forma “mágica” também, mais a infinidade de renegociações MIRABOLANTES da CEF e fora as PEDALADAS incessantes no sistema financeiro como um todo e nas vendas FALSAS na planta.

        Nos últimos anos, a disparada no MCMV, as construtoras apelando para também fazerem o aluguel de imóveis novos, o BC tentando recuperar a liquidez dos bancos após todas estas GAMBIARRAS via diminuições BILIONÁRIAS nos compulsórios e tudo mais que consta aqui, demonstrando que já gastaram muita munição para manterem as aparências, às custas de incrementarem mais e mais as distorções.

        Sim, estamos tendo antes disto novas rodadas do otimismo UFANISTA no segmento imobiliário em virtude da reforma da previdência e já deixaram claro que agora vão tentar PEDALAR com os títulos vendidos e privatizações da CEF, mas nada tão efetivo e muito menos duradouro.

        As “cidades-fantasma” da China, estão muito mais espalhadas por aqui e por isto, aparecem muito menos no Brasil, sendo que este conjunto de APELAÇÕES dá uma probabilidade cada vez maior de que nossa bolha imobiliária exploda mais visivelmente de forma sincronizada com a bolha das bolhas americana e bolha imobiliária chinesa, ampliando seu efeito destrutivo e de redução dos preços dos imóveis.

        4+
        • avatar
    • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2019 at 10:40

      “A China é uma grotesca aberração econômica, cujo modelo econômico simplesmente não tem semelhança a nenhum outro modelo econômico já adotado por algum outro país em algum momento da história — nem mesmo ao modelo mercantilista de estímulo às exportações originalmente criado pelo Japão, e que já se comprovou insustentável.

      O governo chinês está nas mãos de um grupo de velhos comunistas que foram criados sob o regime de Mao. Eles acreditam em planejamento central, ainda que de uma maneira mais diluída. Eles enviaram seus jovens mais inteligentes para estudar economia nas universidades americanas. Esses jovens retornaram para a China keynesianos.

      A economia chinesa é hoje uma mistura maluca de empreendedorismo de livre mercado, de investimentos subsidiados e dirigidos pelo Banco Central, de mercantilismo keynesiano, e de planejamento central comunista. Trata-se de um acidente monumental que está na iminência de acontecer.

      A China é uma nação que, em decorrência de uma monumental bolha de crédito, incorreu em uma insana mania especulativa direcionada majoritariamente para a construção civil. As implicações desse endividamento (todo crédito é um endividamento) e dessa especulação imobiliária estão sendo resolutamente ignoradas por analistas que ainda estão iludidos pela noção de que a China criou um modelo econômico singular chamado “capitalismo vermelho”.

      Quando a dívida total (pública e privada) de um país explode de US$1 trilhão para US$25 trilhões em apenas 14 anos, isso não é capitalismo, nem mesmo vermelho. Trata-se de insanidade monetária conduzida pelo estado.”

      https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1868

      AMORINHA INDEX

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 5 de fevereiro de 2019 at 11:05

        Cesar_DF,

        Excelente artigo, em linhas gerais, é exatamente isto!

        Sobre este trecho:

        “…e dessa especulação imobiliária estão sendo resolutamente ignoradas por analistas que ainda estão iludidos pela noção de que a China criou um modelo econômico singular chamado “capitalismo vermelho”

        Em toda e qualquer bolha, são criados novos paradigmas, que são totalmente FALSOS, para “explicar” resultados inéditos e sem sentido. O caso da China e a estorinha para boi dormir sobre o “capitalismo vermelho”, é um deles.

        Nos EUA durante a bolha das .com, o paradigma FALSO foi que a revolução da Internet e do e-commerce transformaria todas as lojas físicas em IRRELEVANTES, transferindo faturamentos TRILIONARIOS do comercio para os meios eletrônicos e isto aconteceria “da noite para o dia”. Até hoje, passados mais de 20 anos, o “Apocalipse do Varejo” ainda está acontecendo, ou seja, não foi tão “da noite para o dia” como disseram, não é mesmo?

        Daí na sequência e ainda nos EUA, a estorinha para boi dormir usada na bolha imobiliária americana, foi de que eles tinham um novo paradigma na economia: a popularização dos imóveis e o consumo crescente dos americanos, alimentaria um circulo virtuoso que garantiria ganhos contínuos para todos os envolvidos e por prazo indeterminado. O setor de construção civil era grande gerador de empregos, o consumo facilitado também geraria muitos empregos, tudo isto aumentaria a renda, as pessoas consumiriam mais, comprariam mais imóveis e todos seriam felizes. O estrago quando esta bolha explodiu foi enorme e daí inventaram a bolha das bolhas americana…

        Quem não lembra dos nossos paradigmas FALSOS, utilizados na bolha imobiliária brasileira e em nossa bolha de consumo? Déficit habitacional garante demanda crescente por décadas, copa do mundo e olimpíadas farão com que estrangeiros descubram que este país é maravilhoso e aumente muito o número de imigrantes com muito dinheiro por aqui, o setor de construção civil é o “motor” do crescimento dos empregos e junto com o aumento do consumo garantirão nosso circulo virtuoso eterno na economia, o “pré-sal” é nosso e a economia vai disparar com ele, etc, etc, etc…

        Na bolha das bolhas americana, o novo paradigma FALSO foi de que se os bancos centrais injetassem TRILHÕES de dólares, euros, etc na economia global, a super-injeção de liquidez forçaria juros mais baixos e criaria círculos viciosos que durariam eternamente, incentivando à setores que eram grandes geradores de empregos, aumentando a renda da população, etc. Em paralelo, parte destes TRILHÕES foram usados como “recompensa” para outro paradigma 100% FALSO, associado à empresas de Tecnologia e atualizando o esquema das .com dos anos 90 e início do século: temos uma tecnologia “disruptiva”, onde as empresas que tem o domínio sobre isto serão as líderes em diferentes segmentos de negócio, promovendo um crescimento exponencial nos negócios e nos resultados, de forma contínua”. Neste embalo, as FAANG acumularam TRILHÕES DE DÓLARES em valor de mercado em sua somatória. Os estragos de mais esta ILUSÃO, veremos em breve, provavelmente explodindo VÁRIAS bolhas em cascata, incluindo a bolha imobiliária chinesa, a bolha imobiliária brasileira, bolhas imobiliárias de Austrália, Londres, etc, dentre outras ARTIFICIALIDADES criadas.

        E por incrível que pareça, por mais que tenhamos um volume monstruoso de evidências, a todo momento inventam um novo paradigma FALSO e um monte de gente acredita sem questionar, inclusive e principalmente os “economistas especialistas”!

        7+
        • avatar
        • avatar
  • Senhor Bolha 5 de fevereiro de 2019 at 11:02

    A china faz o que EUA fez em outrora e vai colher os mesmos frutos podres.
    OBS: Que a china é pior ainda, uma vez que os dados são fabricados, existe uma grande possibilidade que a situação esteja bem pior que aqui.

    6+
    • avatar
    • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2019 at 11:06

      A China tem uma diferença, que reduzirá o impacto de quando explodirem as medidas keynesianas: O TAMANHO DA POUPANÇA
      Lembre-se, lá não tem aposentadoria estatal, o obrigação é que o primogênito cuide dos pais na velhice.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2019 at 11:06

        3+
      • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2019 at 11:08
      • CA 5 de fevereiro de 2019 at 11:17

        Cesar_DF,

        Só não esqueça de abater desta poupança o volume bilionário (ou trilionário) de empréstimos via Shadow Banking, que NÃO aparecem nos gráficos oficiais sobre o sistema financeiro e portanto, não entram no cálculo do patrimônio líquido que é o que realmente importa.

        Considere quanto a item acima, que o crescimento EXPONENCIAL do crédito imobiliário e dos preços dos imóveis na China, arrastou muitos chineses para um super-endividamento que consumirá a poupança deles rapidamente quando descobrirem que seus imóveis já não valem tanto, quando não conseguirem revender nem alugar de jeito nenhum e quando a liquidez da economia se enxugar radicalmente e eles precisarem utilizar estas reservas.

        Também não esqueça que o hábito dos filhos cuidarem dos pais na China foi QUEBRADO e que estão construindo cada vez mais asilos para os idosos se virarem sozinhos e que isto ocorreu em grande parte graças à política do filho único que foi aplicada por prazo elevado. Um exemplo sobre isto (tem várias notícias a este respeito desde 2013): https://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/internacional/2018/05/03/para-combater-solidao-idoso-chines-procurou-familia-para-ser-adotado.htm

        Por fim, em um país com FAKE PIB, shadow banking e daí por diante, qualquer estatística tem que ser verificada e reverificada várias vezes antes de assumir que de fato eles terão um “colchão” para amortecerem as quedas, a realidade do chinês médio, com os quais convivi com dezenas deles por anos em empresa onde trabalhei, é completamente diferente do que você vê nestas estatísticas. Uma parte realmente aproveitava o trabalho no Exterior para fazer sua poupança, mas o que eles diziam sobre os conterrâneos que viviam na China é que isto estava diminuindo muito junto com o “gosto por consumir” aumentando. A conferir…

        8+
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2019 at 12:02

          CA
          Sim, na China a tradição do primogênito cuidar dos pais só funcionava num mundo rural, já num mundo urbano, com um único filho, com as mulheres poderem, desde 2011, receberem a herança dos pais, o modelo tornou-se insustentável.
          Uma quebra dos bancos onde estariam guardados o valor da aposentadoria, colocando milhões de idosos nas ruas, com uma mão na frente e outra atrás, num país ocidental seria muito grave, mas na China com uma lei severa, será muito difícil resultar numa hecatombe social.

          2+
          • CA 5 de fevereiro de 2019 at 12:32

            Cesar_DF,

            Um povo muito REPRIMIDO por prazo muito longo e que passa a perder toda a sua riqueza da noite para o dia, pode gerar uma grande revolta popular, por pessoas que pensarão que não haverá nada mais a perder.

            Lembra que poucos anos atrás, quando investidores chineses viram construtores vendendo mais barato na entrega do imóvel do que eles haviam pago na planta, eles invadiram estandes de vendas e destruíram tudo lá na China? E aqui no Brasil, onde tal situação já acontece sem parar desde 2013, o que os investidores que se sentiram prejudicados fizeram? Choraram no ReclameAqui e só!

            Na China, eles não são tão “mansos” e obedientes à lei, a história da praça Celestial não vai ser nada perante os impactos da bolha imobiliária chinesa para a população local e a profunda revolta que será gerada!

            Este é um dos temores do governo chinês e é por isto que PEDALARAM tanto e também é claro, porque o estouro deverá atingir o banco de desenvolvimento chinês transformando um volume de várias vezes o que tivemos no BNDES em inadimplência que fatalmente terá que ser coberta pelo Tesouro Chinês e aí vamos ver que suas reservas não eram tão grandes quanto se pensava, ao mesmo tempo que verão o tamanho do sistema financeiro paralelo, o shadow banking, ao mesmo tempo que poderá aparecer o quanto era FALSO o PIB Chinês e daí por diante. O BURACO é bem maior do que muitos imaginam…

            10+
            • avatar
            • avatar
  • Senhor Bolha 5 de fevereiro de 2019 at 11:15

    A poupança crescendo não significa muita coisa se você não observar o lastro da mesma.

    O lastro da poupança chinesa é grande parte investida no setor imobiliario. Logo vai ser bem pior que jogar um gráfico da poupança chinesa.

    Eles investem no mercado imobiliario que representa grande parte do PIB chinês. Efeito duplo!

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 5 de fevereiro de 2019 at 11:17

    Todo falso crescimento econômico da china tem algum ligação com o setor imobiliario.Não espero nada mais que uma destruição das bases da economia chinesa.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 11:35

      Eles podem criar outra bolha,nao?

      1+
      • CA 5 de fevereiro de 2019 at 12:44

        socrates,

        Não podem, se pudessem, já teriam feito faz tempo!

        O PEDALAR já estava gerando mais efeitos colaterais negativos do que os resultados “benéficos” diretos esperados, porque muito começaram a ver o tamanho do DESESPERO por trás das ações e deduziram que a gravidade da situação era muito maior, agora eles terão que ser mais cautelosos até com a maquiagem deles.

        O grande dilema mundial é que ninguém sabe como criar uma bolha tão gigantesca que cubra todas as que estão explodindo e ainda gere nova euforia, como nas bolhas anteriores.

        Juros negativos, QE, redução de compulsórios, subsídios, guerra comercial, etc, a esta altura, são TIROS NO PÉ, aumentam muito o problema e adiam muito pouco a explosão mais visível…

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 14:48

          apostava na bolha da realidade virtual.
          Acho que eles vao enredar para uma bolha da multi-dimensão, agora.

          6+
          • avatar
    • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2019 at 13:52

      Verdade
      Tanto para casamento, é pré-requisito possuir um imóvel.
      Investimento para aposentadoria = imóvel
      Poder ter mais de 1 filho = imóvel

      4+
      • avatar
  • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2019 at 11:27

    kkkkkkkkk

    Sobre porco na entrada do ano:
    “pode não ser o mais indicado, pois ele tem o chamado “saco furado”, ou seja, o que entra pela boca, sai rápido, o que pode não ser um presságio muito bom para o ano de um ser humano.”

    Porco é símbolo de prosperidade na China. Será assim este ano para as bolsas asiáticas?
    Ano novo lunar tem início esta terça-feira e é celebrado com um feriado nas bolsas asiáticas. É o ano do porco, símbolo de prosperidade. Mas o último ano do porco foi 2007, o preâmbulo da crise.

    https://eco.sapo.pt/2019/02/05/porco-e-simbolo-de-prosperidade-na-china-sera-assim-este-ano-para-as-bolsas-asiaticas/

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2019 at 11:56

    EM 3 MÊSES, SAIU UMA ÚNICA VENDA, COM UM ÚNICO LANCE EM 2º PRAÇA
    Apartamento de 83m2 em Uberlândia
    1º Praça por 211K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1638
    2º Praça por 107K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1639

    TODOS ABAIXO ENCERRADOS SEM LANCES

    Casa de 83 m2 em Esteio – RS
    1º Praça por 374K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1667
    2º Praça por 131K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1668

    Apartamento de 64m2 em Porto Alegre
    1º Praça por 417K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1659
    2º Praça por 187K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1660

    Casa de 163m2 em Uberlândia
    1º Praça por 527K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1648
    2º Praça por 225K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1649

    Casa de 197m2 em Rio do Sul – SC
    1º Praça por 1.093K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1644
    2º Praça por 440K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1645

    Casa de 255m2 em Uberlândia
    1º Praça por 531K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1616
    2º Praça por 257K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1617

    Apartamento de 366m2 em Itajaí – SC
    1º Praça por 1.324 https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1618
    2º Praça por 599K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1619

    Casa de 131m2 em Uberlândia
    1º Praça por 330K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1614
    2º Praça por 147K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1615

    VENDAS DIRETAS SEM SUCESSO
    Apto de 382m2 por 1.299K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1621
    Apto de 69m2 por 89K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1622
    Apto de 64m2 por 110K https://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1678

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Brazil mode OFF 5 de fevereiro de 2019 at 12:30

      como monitorou esses 3 meses?

      3+
  • CA 5 de fevereiro de 2019 at 14:13

    https://economia.uol.com.br/noticias/estadao-conteudo/2019/02/05/taxa-de-aprovacao-de-financiamentos-subiu-para-6-a-cada-10-pedidos-diz-fenabrave.htm

    Confirmando suspeitas acima, os bancos resolveram aumentar financiamento de veículos com a desculpa de que a inadimplência junto ao sistema FINANCEIRO em proporção à renda dos últimos 12 meses, segundo dados do BC, caiu em 2018.

    Se a inadimplência GERAL do consumidor, que inclui todas as contas e não só do sistema financeiro, cresceu em 2018 e bateu o recorde histórico, passando de 63 milhões de pessoas, isto para eles não é um problema, nem motivo de preocupação.

    Ah, eles estão contando também com a “melhora nos empregos”, pois o índice de desemprego caiu graças a novo recorde de desalentados (pessoas que DESISTIRAM de procurar emprego e não entram na estastica de desempregados), mais o crescimento da informalidade de quem não consegue emprego e faz qualquer bico na rua para sobreviver, mais o RECORDE de subemprego daqueles que aceitam trabalhar menos horas e receberem menos do que precisam para SOBREVIVER.

    Como a renda ficou ESTAGNADA em função do que consta acima e temos visto grande número de pessoas superendividadas ou inadimplentes ou com nome sujo voltando a consumir, temos a certeza que a inadimplência geral do consumidor vai subir novamente, teremos novas perdas em faculdades particulares, convênios médicos, TV a cabo, etc e no final, novo aprofundamento na DEGRADAÇÃO dos empregos e da economia como um todo, como sempre acontece a cada nova PEDALADA como esta…

    3+
    • CA 5 de fevereiro de 2019 at 14:15

      Mesmo assim não vão voltar aos tempos da euforia da bolha imobiliária, a demanda total vai ficar bem abaixo do ápice, pois as condições externas e internas são bem piores. Só vão arrastar cada vez mais pessoas para o suicídio financeiro…

      3+
    • Festa Ploc 5 de fevereiro de 2019 at 14:53

      Não demora vão chamar até o pessoal negativado de AAA.

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2019 at 14:55

    Crescimento da Zona Euro “perto da estagnação” no início de 2019
    A atividade económica na Zona Euro está a cair há cinco meses consecutivos, tendo atingido o nível mais baixo em cinco anos e meio.

    Esta travagem económica também já se sente no mercado de trabalho. Segundo a IHS Markit, a criação de emprego na Zona Euro no início do ano foi a mais baixa em 28 meses. No caso de Itália, o número de empregados desceu pela primeira vez desde setembro de 2015. Tal reflete também a queda da atividade industrial que tende a ser mais intensiva em mão-de-obra. Mas os números mostram que também nos serviços já se sente a desaceleração.

    Ainda faltam os números dos dois próximos meses, mas os sinais são negativos e podem levar a acertos na política monetária. “Um começo do ano tão fraco iria significar que a projeção atualmente consensual de crescimento do PIB de 1,5% em 2019 para a Zona Euro teria de ser provavelmente revista em baixa, e isso poderá levar a sinais mais acomodatícios por parte do Banco Central Europeu (BCE)”, considera o economista-chefe da IHS Markit, antecipando que “o pior pode estar para vir” uma vez que o número de novos pedidos que chegou às fábricas registou a maior queda em seis anos.

    Na análise da IHS Markit, a culpada deste ambiente negativo é a incerteza política seja a nível local – principalmente por causa da saída do Reino Unido da União Europeia, os “coletes amarelos” em França e o Governo populista em Itália -, seja a nível mundial com o aumento das tensões comerciais entre as duas principais economias do mundo. “É visível que o ambiente empresarial está na sua fase mais desafiante desde o pico da crise das dívidas soberanas da Zona Euro”, remata Chris Williamson.

    https://www.jornaldenegocios.pt/economia/europa/detalhe/crescimento-da-zona-euro-perto-da-estagnacao-no-inicio-de-2019

    5+
    • avatar
    • avatar
  • From_The_Tower 5 de fevereiro de 2019 at 15:10

    Feliz 2019 galera !
    kkkk

    P.S. Não tem mais bolha em CWB depois que 03 bolhistas compraram. Agora é só valorização. It´s a KIND OF A MAGIC !

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • DouglasteR 5 de fevereiro de 2019 at 15:13

    E esse aqui César e demais POPdores:
    https://www.zukerman.com.br/apartamento-asa-norte-brasilia-df-15374-128639
    Queda SUAVE com cheiro de talco de bebe (pra tentar ocultar a PIRAMIDE DE [email protected]) de
    1º Leilão: R$ 1.251.980,6418/02/2019 às 11h00
    para
    2º Leilão: R$ 358.082,8722/02/2019 às 11h00
    Caso clássico com tudo de bom. Ocupado, deve até as calças pro Condo etc etc.
    Música tema é a mais pesada possível do Megadeth.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 5 de fevereiro de 2019 at 15:15

      Paulo Octavio e Bank Boston na matrícula. kkk
      Como as coisas mudam.

      9+
      • avatar
      • avatar
    • rafa_fv 5 de fevereiro de 2019 at 15:40

      Pelo valor de 1º praça está superior ao valor de venda em 06/2012 corrigido pelo IGP-M (R$ 1.029.000,00) e em segunda ligeiramente superior ao valor de venda em 04/2004 corrigido (R$ 311,655,00)

      5+
      • avatar
    • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2019 at 16:16

      De onde será que tiraram este valor de avaliação de 20K/m2???

      3+
  • Senhor Bolha 5 de fevereiro de 2019 at 15:54

    Sobre a criação de novas bolhas.

    Elas já foram criadas e estão em andamento neste momento , porém não surte mais efeito como antigamente.

    Partindo de determinando volume de recursos a o se fazer uma injeção artificial na base monetária o governo não tem conseguido obter um resultado prático e real.

    Basicamente temos três motivos:
    Impossível imprimir dinheiro eternamente correndo risco de criar uma super inflação, principalmente caso este dinheiro chegue em forma de crédito, então agora nova moda é o governo imprimir e comprar ativos empresas por meio do mercado financeiro.

    EX: Para não derrubar o preço dos imóveis na China o próprio governo compra e mantém preços artificialmente inflados.

    Segundo motivo:
    As distorções podem ser roladas, mas nunca evitadas! vide as bolhas ao longo do ultimo século, se foste possível rolar para debaixo do tapete nunca teríamos uma crise.

    Terceiro motivo:
    Chega um momento que as distorções vão se acentuando até chegar em um nível aonde calculo econômico começa perder sentido, investimentos errados são feitos e alocação eficiente de capital gera desperdício, isso retro alimenta mais distorções que vão se acumulando ao longo do tempo até o estouro no sistema financeiro vir do dia para noite.

    Em 2000 grande estudiosos das bolha foram satirizados quando alertavam para bolha criadas pelos especialista do governo.O mesmo em 2008 com a bolha imobiliária americana. Nenhuma desta duas bolhas puderam ser evitadas, sendo que segunda foi feita para cobrir o efeito da primeira, e a bolha atual foi feita para cobrir efeito da bolha sub prime.

    Outro forte indicação que as coisas não vão nada bem na China, Europa e afins é que todo ano governo chinês e banco central europeu renovam estímulos monetários acompanhado de corte nos compulsórios do bancos.Nenhuma destas medidas tem surtido efeito.

    A situação continua se deteriorar ano após ano , e os intervalos das crises esta ficando cada vez mais curtos frente uma retomada cada vez mais longa.

    Insistir no erro é dizer que se pode criar crescimento partindo de uma impressora, desconsiderando todas as outras variáveis da equação.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2019 at 16:04

    Ainda que certos economistas afirmem que a dívida corporativa possibilite o crescimento do país, a crise de 2008 comprova que quando a bolha finalmente estoura, a perda é maior do que o ganho anterior e impacta gravemente a saúde da economia mundial.

    O perigo que isso pode impor ao sistema financeiro global está no fato de que com a dívida corporativa mais alta há um declínio na qualidade do crédito, um fato que se reflete na menor média de crédito. “Ademais, estamos preocupados com a alavancagem do mercado de empréstimos que tem crescido rapidamente, especialmente nos Estados Unidos. Se esse mercado falhar, pelo aumento da regulação ou outro motivo, forçaria as empresas nesse mercado a procurarem investimentos de alto rendimento, consequentemente piorando a média do crédito nesse mercado. Portanto, estamos de olho nos desenvolvimentos no mercado de empréstimos alavancados e o vemos como a fonte potencial da próxima crise”, acrescenta a dra. Owens Thomsen.

    https://www.segs.com.br/mais/economia/155272-divida-global-e-possivel-prever-a-proxima-grande-crise-mundial

    3+
  • Alemon Fritz 5 de fevereiro de 2019 at 16:20

    vamos rir… kuáaa

    -Imóveis: interrupção no fluxo de queda…. (kkkk, ué tinha fluxo de queda)
    O POVO Online (Blogue).
    -Aumento no IPTU acima de 3,5% atinge ao menos 90 mil imóveis em SP.
    Folha de S.Paulo-há 5 horas

    5+
    • avatar
  • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2019 at 16:29

    Essa notícia fala exatamente o que tem sido comentado aqui:

    05/02/2019 às 10h33 Fertilizantes Heringer entra com pedido de recuperação judicial

    “A administração da companhia empreendeu esforços e estudos, em conjunto com seus assessores legais e
    financeiros, para otimizar a situação de liquidez e o perfil de endividamento da companhia nos últimos meses,
    tentando, inclusive, buscar potenciais investidores no sentido de equilibras as demandas de capital de giro para
    manter as atividades operacionaisa. Não obstante referidos esforços, a situação se deteriorou. Em consequência
    e aliado à recente conjuntura adversa no setor de atuação da companhia, os desafios decorrentes da situação
    econômico-financeira da companhia se mantém e vêm se agravando”, diz o texto. “Neste sentido, a companhia
    julgou que a apresentação de um pedido de recuperação judicial seria a medida adequada”.
    De acordo com dados do Valor Data, o capital de giro da companhia estava negativo em R$ 1,3 bilhão ao fim
    do terceiro trimestre do ano passado. Na prática, a companhia vem queimando o caixa e só teria condições de
    quitar as dívidas de curto prazo (que vencem em até um ano) com a venda de ativos.

    Fundada em 1968, a Heringer detém cerca de 15% do mercado brasileiro de fertilizantes, só atrás da norueguesa
    Yara, da brasileira Fertipar e da americana Mosaic. Com sede em Viana (ES), a companhia abriu o capital na B3
    em 2007 e sempre atraiu o interesse de estrangeiros. Em 2015, a marroquina OCP comprou 10% da
    participação na Heringer. No mesmo ano, a canadense Nutrien — oriunda da fusão entre a Potash e a Agrium —
    adquiriu uma fatia de 9,5% do capital.

    https://www.valor.com.br/agro/6104643/fertilizantes-heringer-entra-com-pedido-de-recuperacao-judicial

    4+
    • CA 5 de fevereiro de 2019 at 16:58

      Cajuzinha,

      Sim, mais uma empresa de DÉCADAS, com participação relevante em seu segmento e faturamento bilionário entrando em recuperação judicial. Agora se intensificarão os calotes para os credores, seja através de repassarem ativos SUPERAVALIADOS (usualmente, imóveis a preço de ouro que o credor não conseguirá vender nem por 50% do valor “estimado”), redução de juros à FÓRCEPS (pegar ou largar, ou aceita ou não recebe nada), extensão de prazo para pagamento de dívidas a perder de vista (perda super relevante no fluxo de caixa dos credores), “perdão” de parte da dívida (também no esquema de pegar ou largar) e daí por diante.

      A Gafisa, que também teve relevância em seu setor, é uma empresa de décadas e que já teve faturamento bilionário, em 2019 AINDA não pediu recuperação judicial, mas está na mesma balada, já deu calote em todos os tipos de fornecedores, desde bancos, passando por aluguel do imóvel da sede e empresas de material de construção e mais recentemente paralisando 10 de 15 obras por falta de caixa, o que significa cortar naquilo que é a fonte principal de renda (quem vai comprar imóvel de obra PARALISADA por falta de caixa?) e provavelmente acelerar o processo de degradação financeira.

      Isto em pleno ano de 2019, que mal começou e mesmo com Tsumoney “a vista” e com toda a euforia irracional.

      E os planos de recuperação judicial que normalmente já eram para “Inglês ver” (mais de 90% NÃO se recupera), onde os credores FINGIAM acreditar para não terem que reconhecer perda total de imediato, estão ficando tão INVEROSSÍMEIS que não servem mais nem para enganar, como no exemplo abaixo:

      https://www.istoedinheiro.com.br/credores-criticam-plano-de-recuperacao-da-avianca/

      Trecho do link acima;

      “Apresentado à Justiça na última sexta-feira, o plano de recuperação judicial da Avianca é tido como frágil, vago e de difícil aprovação, segundo advogados envolvidos no caso.”

      6+
      • avatar
  • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2019 at 16:53

    Em recuperação judicial, Saraiva tem prejuízo de R$ 106,9 milhões em dezembro
    Receita da companhia recuou 58,2%, para 84,5 milhões.

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/02/04/em-recuperacao-judicial-saraiva-tem-prejuizo-de-r-1069-milhoes-em-dezembro.ghtml

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2019 at 17:11

      Esse é mais um modelo de negócio que está sucumbindo diante da tecnologia e das mudanças de paradigmas da sociedade.
      Existem diversas áreas que irão mudar ou já está em mudança:
      – Intermediários -> Conexão direta provedor com consumidor
      – Hotéis -> AirBnb
      – Necessidade da propriedade de automóveis -> Uber , teletrabalho
      – Lojas e shoppings -> Telecompras
      – Ser proprietário de um imóvel -> Viajar, geração canguru, alugar
      – Livrarias -> mídia digital
      – Jornais -> redes sociais

      8+
      • avatar
      • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2019 at 17:14

        Lembrem-se que ha 25 anos era fundamental SER PROPRIETÁRIO DE UMA LINHA TELEFÔNICA, e hoje isso é irrelevante.
        Da mesma forma, com a mentalidade da geração Z de priorizar as experiências, ao invés do patrimônio, a posse compartilhada de imóveis ou veículos deverá ser a tendência.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 5 de fevereiro de 2019 at 17:22

          Cesar_DF,

          Mas e o modelo de negócios de fertilizantes, onde um importante player no Brasil (sozinho representa 15% do total do mercado) com DÉCADAS de existência e faturamento BILIONÁRIO pediu recuperação judicial HOJE, será substituído pelo “e-shit”?

          E a Avianca, que nem consegue emplacar um plano de recuperação judicial minimamente aceitável, que mencionei acima, o que fazer, um “e-fly”, para voar pela Internet (não comprar passagens, mas sim VOAR pela Internet)?

          E as empresas do segmento de energia elétrica, gás e construção pesada associadas ao grupo Queiroz Galvão e Odebrecht que ficaram na mesma situação há menos de 3 meses, seria o caso de “e-utilities”, “e-infrastructure” e o que mais?

          E a Gafisa com calotes para todos os fornecedores, sem distinção, abandonando 10 de 15 obras em andamento e isto agora em 2019, poderíamos chamar de “e-Real Estate”, com pessoas “morando” na Internet, como no WiFi Ralph?

          FENAC, Saraiva, Cultura e Editora Abril, todas elas “abrirem o bico” em 2018 não é um sinal de que o problema não é “só” a questão tecnológica? Ou você acha que elas combinaram fazer simultaneamente? Ou as pessoas só descobriram a Internet e a possibilidade de comprar ou ler livros e revistas pela Internet em 2018? Qual destas teorias é mais plausível para você, de forma a explicar tal “fenômeno”?

          8+
          • avatar
          • avatar
          • CA 5 de fevereiro de 2019 at 17:40

            Ah sim, não vamos esquecer ainda os casos em que tivemos reduções de demanda NOVAMENTE em 2018, sendo que isto já ocorre HÁ ANOS:

            Redução de 80.000 matrículas em Faculdades no primeiro semestre de 2018, incluindo as matrículas em cursos de ensino à distância. E agora, não dá pra dizer que é culpa do e-Learning, porque ele também reduziu, o que fazer? Sugere criar o e-Learning 2.0, dizendo que o “modelo antigo de ensino à distância ficou antiquado e por isto que não param de cair as inscrições”?

            Redução do número de convênios médicos particulares (com exceção de convênios odontológicos que são opções para redução de custo e qualidade): qual seria a alternativa tecnológica que está substituindo isto, os robôs acessados pela Internet, o diagnóstico via Watson da IBM, ou o que? Seria o “e-Doctor”?

            Redução dos voos e consumo de combustíveis em 2018, seriam novamente o “e-Fly” e o “e-Gas”?

            Redução no número de assinaturas de TV à cabo. Ah, este é fácil, é só jogar na conta da Netflix, certo? Pena que o prejuízo BILIONÁRIO dela globalmente não seja lá um grande sinal de sucesso e perenidade, mas pelo menos, ainda dá para utilizar esta ÚNICA explicação para justificar este caso e até que faz mais sentido que todos os outros, ufa!

            Será que o que consta aqui e no comentário anterior poderia ter uma relação mais próxima com o crescimento da pobreza em todas as faixas de classificação, a DEGRADAÇÃO profunda dos empregos várias vezes demonstrada por aqui, a super-inadimplência do consumidor, o aumento constante no endividamento das empresas PEDALANDO com apostas no otimismo UFANISTA que nunca se conclui, a não ser pelos beneficiados pelas PEDALADAS no crédito e ainda assim, temporário e com efeitos posteriores NEFASTOS, dentre diversos outros fatores e evidências sobre os quais sempre falamos por aqui, com peso muito maior do que a questão tecnológica em si, afinal a tecnologia não foi inventada no ano passado? Para reflexão…

            5+
            • avatar
            • avatar
        • Senhor Bolha 5 de fevereiro de 2019 at 18:34

          Cesar geração 90 e 2000.

          A mesma que mora com os velhos , não tem dinheiro e emprego.
          Possui diversos diplomas e cursos , mas não tem nenhuma renda.

          A mesma que esta chegando aos 30 sem nunca ter feito uma poupança na vida. O que posso falar é que nem tudo se explica pela evolução da tecnologia, mas sim pela necessidade financeira.

          A atual geração não tem poupança, emprego ou renda. Logo não consegue viver no mundo da tecnologia e bancar os luxos atuais que este mundo demanda.

          A atual geração apenas substituindo um tipo de consumo por outro tipo de consumo, porém o poder de consumir deles é cada vez mais limitado. Por aqui conheço vários aqui que vivem de postar fotos no Instagram , mas não tem dinheiro nem para limpar a bunda e sonham em ser coachsurfing.

          A geração atual se ficar doente morre na fila do sus! Nem pensão que um dia vão ficar velhos e doentes.
          Quando tem emprego : O salário vai para comprar tranqueiras pela internet! A taxa de sobrevivência em caso de desemprego é menor do que um ano.

          Para você ter ideia com 25 anos eu estava na pindaíba danada , seguindo o mesmo caminho desta geração. Felizmente eu ainda consegui reverter o quadro antes do desastre que avistei a minha frente.

          Agora pergunto e os amigos? Morando no quintal ou com os velhos, vivendo no mundo do Instagram, trabalhando em sub emprego e vivendo de ilusões.

          Não acho que seja tudo creditado a tecnologia, até porque este lance de comercio eletrônico é tendência de 20 anos atrás.

          15+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • CA 5 de fevereiro de 2019 at 18:47

            Senhor Bolha,

            Lembrando que as livrarias que fecharam vendiam também jogos para Playstation, Xbox e afins, vendiam e-readers, vendiam celulares e notebooks, tinham sessões para Mangás, possuem seus sites de comércio eletrônico, no caso da Saraiva, com algumas lojas com Starbucks no interior, que é um dos itens de ostentação dos Millennials (junto com IPhone, Outback e cia ltda.), ou seja, não estavam completamente fora de sintonia em relação aos desejos dos seus consumidores, mesmo os mais jovens, sem contar que não somos mais um país tão jovem assim, grande parte do público consumidor destes produtos e serviços é composto por pessoas de mais idade que ainda se utilizam dos livros físicos como principal meio de leitura, o “Apocalipse do Varejo” ainda está longe de se consolidar no país e tudo isto sem contar que seria coincidência DEMAIS todas elas quebrarem em 2018 por “motivos de evolução tecnológica”, que como você mencionou, remontam a 20 ANOS ATRÁS!

            9+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Alemon Fritz 5 de fevereiro de 2019 at 22:49

              This one sentence summarizes the entire Millennial generation:
              “I want to be the one who comes up with the idea, not the person who executes on it.”
              (alguém tem de ir salvar os cachorrinhos e os bois na lama da barragem, vou postar).
              Geração que questiona a moral dos empregadores (sabe todos seus dereitos, mas nenhuma responsabilidade),
              Hoje conheci um que queria expandir um negócio de comida mineira pra SC.. mas ele acha que a mãe e a irmã não vão dar conta de 2 restaurantes pra cozinhar e servir a mãe tá com tendinite)…

              7+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
    • CA 5 de fevereiro de 2019 at 17:12

      Cajuzinha,

      Antes tinham produtos de maior valor agregado, os eletrônicos, que foram OBRIGADOS a abandonar por terem dívidas muito grandes junto aos fornecedores, dívidas estas que não conseguiam honrar, sendo que para este segmento de eletrônicos, eles eram um canal de menor importância e onde não valia a pena os fornecedores darem mais “chances” para tentativas de recuperação. Isto ajudou a derrubar as receitas.

      Outro fator relevante para a queda substancial nas receitas foi a redução do estoque de livros em lojas físicas e também no que está disponível no e-commerce. A concorrência é grande e o comprador, ansioso: não achou na Saraiva, vai na próxima livraria, seja física ou virtual e compra na que encontrar. Poucos se sujeitam a encomendar e esperar um tempão ao invés de ir até a próxima livraria, virtual ou fisicamente e para piorar, os preços da Saraiva não estão nada competitivos.

      Já do lado dos custos, mesmo tendo fechado lojas e demitido funcionários, nas lojas que sobraram o preço do aluguel que pagam é muito elevado. Agora, com menos produtos e ficando somente aqueles de menor valor agregado (com a saída dos eletrônicos), o montante que conseguem vender é insuficiente para cobrir o aluguel, despesas com condomínio, pessoal, backoffice, transportes, pagamento dos produtos à fornecedores, etc.

      Em resumo, o negócio não para em pé de jeito nenhum.

      No contexto acima, eles não tem NENHUM fôlego para tentarem ganhar escala e reduzirem os custos fixos. A solução que resta é reduzir ainda mais o número de lojas físicas (tirando as que dão maior prejuízo), aumentando ainda mais o estoque de livros por loja e também para venda pelo e-commerce (usando do estoque das lojas que fecharam), reduzindo substancialmente os aluguéis pagos, fazendo downsizings ainda mais radicais (se ainda tiver espaço para isto) e mesmo com tudo isto e mais as “N” ações de distribuir prejuízos para credores, já previstas no plano de recuperação judicial, ainda assim suas chances de sobrevivência são MÍNIMAS…

      5+
      • avatar
      • avatar
      • rogerio 5 de fevereiro de 2019 at 22:20

        Aproveitando que vocês estão falando sobre as novas tecnologias e das novas gerações que não sabem plantar uma muda de abacate, revivo um interessante artigo publicado pelo Samy. Segundo o estudo a tecnologia não tem sido tão amigo assim da produção.

        https://g1.globo.com/economia/educacao-financeira/blog/samy-dana/post/2019/01/28/a-tecnologia-esta-nos-deixando-menos-produtivos.ghtml

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 6 de fevereiro de 2019 at 07:05

          Excelente artigo

          3+
          • avatar
          • avatar
        • Jonny Deep Blue 6 de fevereiro de 2019 at 20:27

          Kkkkkkkkk. No meu trabalho, eu sou um dos mais jovens. Meus chefes não sabem realizar um filtro no excel, um ordenamento numérico ou alfabético… e a chefe mais sábia resolveu entrar num curso gratuito em Excel oferecido pela empresa. Os outros não querem saber.. Todos na faixa dos seus 50 anos.

          2+
          • avatar
  • Jonny Deep Blue 5 de fevereiro de 2019 at 17:56

    CVR: amiga resolve comprar imóvel. É um 3/4 de 60 M2 por 315.000 bolsos. Vizinha comenta que é o mesmo preço que o dela de 5 anos atrás….e que a hora de comprar é agora.
    P.S: Lembrando que a inflação foi de pelo menos 30% nesse período.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • DouglasteR 6 de fevereiro de 2019 at 09:34

      3/4 de 60mts ? É winrar ou winzip a construtora ?

      14+
      • avatar
  • CA 5 de fevereiro de 2019 at 18:10

    https://br.reuters.com/article/idBRKCN1PU2BL-OBRBS

    Trecho do link acima, sobre distribuidora de energia elétrica em dificuldades financeiras para cumprir com o combinado com clientes, que deverão buscar outro fornecedor mais caro e de última hora para não interromperam suas atividades críticas:

    “Obviamente o sistema precisa de melhoras, pois permite forte alavancagem sem um quadro robusto de garantias…”

    Este é um quadro extremamente comum no Brasil e no Mundo hoje em dia:

    Empresas extremamente alavancadas (nome bonito para superendividadas na ESPERANÇA de mesmo assim terem retornos positivos sobre o dinheiro que pegaram emprestado e estão aplicando no negócio), que “confiam” tanto no negócio e nas suas “estimativas”, que não tem o MINIMO de reservas e QUALQUER IMPREVISTO (neste caso o clima) faz com que deixem de cumprir com os seus compromissos junto à clientes e fornecedores. Apostam todas as fichas no famoso “caminho feliz”.

    Repito: isto está acontecendo em qualquer setor, não tem NENHUMA relação com questões tecnológicas, é uma consequência da redução de liquidez no mercado depois de anos de excesso de liquidez provida por bolhas, que levou as empresas a se acostumaram a fazerem apostas que são verdadeiros suicídios financeiros, como neste caso, afetando a toda a cadeia, desde os fornecedores, até os clientes e muitas vezes estando na causa RAIZ de QUEBRAS de empresas com DÉCADAS de existência e/ou faturamento bilionário, como temos visto em profusão nos últimos meses, como AMOSTRAS do que está por vir quanto a efeito das bolhas globais…

    Detalhe: o que consta acima é o mesmo que vemos quanto a pessoas físicas e em ambos os casos, PIORA MUITO a cada nova rodada de otimismo UFANISTA como estamos vivendo agora…

    4+
    • avatar
    • avatar
    • CA 5 de fevereiro de 2019 at 18:16

      Exemplo típico de otimismo UFANISTA que está sendo usado para CHANTAGEAR o congresso para a aprovação da reforma da previdência, mas que também induz a consequências NEFASTAS para empresas que entram nessa onda:

      https://www.poder360.com.br/congresso/se-aprovarmos-a-previdencia-o-brasil-vai-crescer-mais-que-6-diz-maia/

      Trecho do link acima:

      “05.fev.2019 (terça-feira) – 17h28
      atualizado: 05.fev.2019 (terça-feira) – 18h52

      O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse nesta 3ª feira (5.fev.2019), acreditar que o Brasil pode crescer “mais que 6%”nos 12 meses seguintes à aprovação da reforma da Previdência.”

      5+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2019 at 19:12

    CONOMIA
    Virada súbita do BC americano alimenta teorias da conspiração
    Jerome Powell, chefe do Federal Reserve, está querendo agradar Trump? Ou sabe algo preocupante da economia mundial que não sabemos?
    Por Richard Miller, da Bloomberg
    5 fev 2019, 16h25 – Publicado em 5 fev 2019, 16h24

    3+
    • avatar
    • Cajuzinha 5 de fevereiro de 2019 at 19:14

      Powell tentou explicar a virada do Fed citando uma variedade de riscos: desaceleração do crescimento global, condições financeiras mais restritas e fatores geopolíticos, como o Brexit e a tensão comercial entre EUA e China.

      O problema com esse argumento é que todos esses riscos já eram evidentes em dezembro, quando o Fed elevou a taxa básica de juros pela quarta vez em 2018 e projetou mais dois acréscimos em 2019.

      Os profissionais de mercado identificaram um vácuo de explicação, que vêm tentando preencher. Estas são algumas das hipóteses em circulação:

      Ajuda de Powell

      5+
      • avatar
      • avatar
      • socrates 5 de fevereiro de 2019 at 19:32

        será que a “imprevisibilidade” é essencial para a mentira continuar?

        4+
        • avatar
  • Cesar_DF 5 de fevereiro de 2019 at 20:25

    Apocalipse do Varejo: shopping é vendido por preço de um apartamento

    (Bloomberg) — Um shopping center perto de Edimburgo foi vendido em leilão por apenas 310.000 libras (US$ 403.000), o que ressalta a perigosa situação do setor do varejo, que está sendo devorado pelo comércio on-line.

    O valor representa um quarto menos que o custo médio de um apartamento em Londres. Além disso, é pouco mais que o dobro do valor atualmente gerado pelo shopping com aluguéis, o que significa um rendimento de cerca de 50 por cento para o comprador.

    Um fundo administrado pela Columbia Threadneedle Investments colocou o Postings Shopping Center, localizado em Kirkcaldy, na Escócia, à venda pelo preço indicativo de uma libra.

    Os shoppings mais antigos que foram afetados pela concorrência de rivais maiores estão cada vez mais sendo oferecidos para incorporadoras interessadas em convertê-los em residências e instalações de distribuição ou em imóveis para outros usos. Apenas 13 das 21 lojas do Postings estão ocupadas atualmente e geram 152.005 libras por ano com aluguéis, cujos contratos deverão expirar nos próximos dois anos, segundo a casa de leilões Allsop, que organizou a venda.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • bolhista cearense 5 de fevereiro de 2019 at 21:50

    Ceará perde mais de 7 mil beneficiários de planos de saúde em 2018
    O número de beneficiários em planos de assistência médica caiu 0,55% em 2018, na comparação com o ano anterior, no Ceará. Segundo dados divulgados nesta terça-feira (5) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em dezembro do ano passado, o Estado possuía 1.270.248 beneficiários, enquanto que em igual período de 2017 o número era de 1.277.302, um decréscimo de mais de 7 mil clientes.

    Já os planos exclusivamente odontológicos tiveram aumento de 2% entre os anos, e o número de clientes passou de 912,3 mil para 930,7 mil beneficiários.

    Entre os planos com mais beneficiários do Estado, a Unimed Ceará teve a maior redução no período, de 0,85%, seguida da Unimed do Cariri (-0,41%), Unimed Sobral (-0,10%) e Unimed Fortaleza (-0,02%).

    Segundo a ANS, a Hapvida registrou a maior alta (2,4%). Logo em seguida aparecem, Free Life (0,99%), Amil (0,63%) e Bradesco Saúde (0,17%).

    A Hapvida lidera o número de beneficiários no Ceará, com 536.892 clientes. Em seguida aparecem Unimed Fortaleza (319.104) e Unimed do Ceará (64.827).

    Em todo o Estado, a maior parte dos beneficiários faz parte dos planos coletivos empresariais, com 750.002 clientes. Já os planos individuais ou familiares possuem 371.496 beneficiários.

    Brasil
    Os dados fornecidos pelas operadoras de planos de saúde mostram estabilidade no número de usuários em todo o País. O setor encerrou o ano de 2018 com 47.377.920 beneficiários de planos médico-hospitalares e 24.194.829 beneficiários de planos exclusivamente odontológicos.

    Na comparação com dezembro de 2017, houve crescimento nos dois tipos de segmentação. Nos planos de assistência médica, em um ano houve acréscimo de 200.217 beneficiários e, nos planos exclusivamente odontológicos, o aumento foi de 1.411.805 beneficiários.

    Os dados por Unidade Federativa mostram aumento de beneficiários em planos de assistência médica em 17 estados e no Distrito Federal. São Paulo registrou o maior crescimento em números absolutos no período (58.305 beneficiários a mais). Já nos planos odontológicos, 25 unidades federativas registraram aumento de beneficiários, e São Paulo também se destacou, com 497.721 beneficiários a mais nessa segmentação.

    http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/editorias/negocios/online/ceara-perde-mais-de-7-mil-beneficiarios-de-planos-de-saude-em-2018-1.2059479

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 6 de fevereiro de 2019 at 04:30

      bolhista cearense,

      A “virada” para o plano de saúde deixar de cair ocorreu em dezembro/2018, que só teve os dados revelados ontem e teve como causa o aumento de contratações por empresas em regime formal no mês de dezembro/2018, onde usualmente as empresas oferecem convênio médico. Não chega a ser uma “recuperação”, ficou como uma “estabilidade” em comparação com dezembro/2017, menos mal.

      Agora a onda de otimismo UFANISTA a milhão vai fazer com que as empresas, pelo menos no primeiro momento, contratem mais e isto aumente o número de convênios médicos. A conferir.

      5+
      • avatar
      • avatar
  • bolhista cearense 5 de fevereiro de 2019 at 21:54

    TV por assinatura perde 550 mil clientes em 2018
    Apenas a Oi apresentou crescimento nos últimos 12 meses, registrando crescimento de 6,12 %
    O serviço de TV por Assinatura totalizou 17.574.822 contratos ativos em dezembro de 2018, o que representa uma perda de 549.833 assinantes nos últimos 12 meses (-3,03%), de acordo com os números coletados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Em relação ao mês anterior (novembro de 2018), houve uma perda de 21.743 contratos (- 0,12 %).

    Os quatro maiores grupos de TV por Assinatura do Brasil (Claro/NET, Sky, Oi e Vivo) detinham 17.050.679 contratos ativos (97,01% do total) em dezembro de 2018. O grupo Claro/NET registrou o maior número de clientes, totalizando 8.600.763 contratos (48,93% do mercado) e em segunda posição ficou a Sky, com 5.281.535 contratos (30,05 % do mercado). A Oi registrou 1.601.814 contratos (9,11% do mercado) e a Vivo 1.566.567 contratos (8,91 % do mercado). Dessas empresas, apenas a Oi apresentou crescimento nos últimos 12 meses, registrando saldo de +92.365 assinaturas (+6,12 %). As Prestadoras de Pequeno Porte (Algar, Cabo, Nossa TV e Outras) somaram 524.143 contratos de TV por assinatura, o que representa (2,98% do total).

    Em dezembro, as unidades da federação com os maiores mercados de TV por Assinatura no país foram o estado São Paulo, com 6.469.425 contratos (36,81%), Rio de Janeiro, com 2.376.853 contratos (13,52%) e Minas Gerais, com 1.555.406 contratos (8,85%). Em relação a dezembro de 2017, o maior aumento de assinantes ocorreu no Maranhão que registrou um saldo de +48.041 clientes (+27,29%). Também houve aumento de assinantes nos seguintes estados: Ceará com saldo de +14.243 (3,59%), Amazonas com saldo de +11.879 (+4,05%), Pará com saldo de +11.237 (3,61%), Goiás com saldo de +3.824 (1,01%), Rio Grande do Norte com saldo de +2.450 (1,06%), Tocantins com saldo de +1.576 (3,69%) e Piauí com saldo de +415 (0,46%). Nos demais 19 estados houve perda de clientes.
    Os números de contratos ativos da TV Paga estão disponíveis no Portal da Anatel. A empresa Brisanet não enviou para a Agência os dados de acessos nos últimos 4 meses então o dado do último envio (julho de 2018) foi repetido. A empresa entra no grupo “Outras”
    https://olhardigital.com.br/noticia/tv-por-assinatura-perde-550-mil-clientes-em-2018/82352

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 6 de fevereiro de 2019 at 04:37

      bolhista cearense,

      Neste caso, a Netflix tem PARCELA RELEVANTE da culpa, mas o fato é que se as famílias PUDESSEM, manteriam a TV a cabo e a Netflix.

      Ver audiência de Game of Trones, Vikings, Walking Dead, etc, que tem os episódios exibidos MUITO ANTES na TV a cabo, assim como uma variedade de filmes recentes maior na grade da TV a cabo, lancamentos com pay-per-view, rodadas do futebol, outros esportes e canais com conteúdo exclusivo não disponíveis na Netflix.

      A Netflix poderia ser um complemento para a classe média REAL, mas virou uma opção de redução de custo e perda de conteúdo / qualidade em função da crise que continua…

      10+
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 5 de fevereiro de 2019 at 22:12

    constatação: agora em janeiro não sei o que acontece… quase toda noite passa um carro com pneu furado aqui
    na frente de casa de madrugada ou bem tarde… e hoje no estacionamento do meu serviço tinha um com o pneu arriado…
    ontem acordei as 2h com marteladas e tinha um cara trocando o pneu perto daqui num ford fiesta. já passou do mero acaso.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 5 de fevereiro de 2019 at 22:47

      Pessoal cortando tudo, rodando até a sola, pneus chineses, remold, comprados do ferro velho, etc
      Manutenção geral abandonada, só quando quebra mesmo é que levam no mecânico baratinho que concerta com arame.
      Já notou a quantidade de carros velhos de volta em circulação?
      Escorts, veronas, astras, monzas, etc. Percebo notícias de que algum pegou fogo

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 5 de fevereiro de 2019 at 22:25

    constatação
    a geração dos 60 em diante ainda tem uns suicidas.
    Uma colega aqui está pressionando a chefia pra ser despedida pois PRECISA da multa do FGTS pra acabar 2! casa que está construindo pra alugar no quintal atras. e Ela já tem uma casa do lado. Já gastou 15k na fundação e alguns materiais.
    a coroa não queria ser despedida ha 6 meses e agora faz rolo e irrita colegas e dá desculpas esfarrapadas pra não fazer um serviço (ex: “tenho alergia a peixe então nao vou trabalhar no novo setor que tem peixe”)…. 3 kits de um quarto que ela sonha alugar por mais de 1200 reais cada… pqp!

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Wind 5 de fevereiro de 2019 at 22:28

    CVR – IPTU

    Moro em apartamento alugado há dois anos. Este ano vou pagar o IPTU. Desde que o prédio ficou pronto (2013), está será a primeira vez que os moradores vão começar a pagar. Até então a construtora pagava ( estava enrolando e deve do impostos). Assim, demorou 5 anos pra saírem as matrículas individualizadas dos apartamentos. Prédio pequeno. Depois de muita ameaça de processo o construtor se mexeu e pagou as penedências para saírem as matrículas. Ano passado, logo quando saíram, houve avaliação da prefeitura dos apartamento. Ficou em torno de 450 mil cada. A maioria pagou 300 a 325 mil em 2013/14. Teve muita choradeira no grupo de WhatsApp do condomínio.
    Neste que moro pagando aluguel foi comercializado por 500 mil ano passado enquanto eu era inquilino. Permaneços, pois o novo proprietário, quando estava negociando, perguntou se a gente gostaria de ficar: claro! Apartamento muito bom, mas meio grande pra gente. Tem 126 m2. Alugado por 1.500. Eu pago o aluguel e a esposa o condomínio e as compras de mercado. Gostamos daqui.
    Então…
    Estava esperando um IPTU na casa dos 1.500 a 2.000 reais. Quando chegou o carnê levei um susto: R$ 650,00. Avaliação do imóvel no carnê: 160 mil reais. Devem ter mexido muito pauzinho na prefeitura pra vir esse valor.

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • likebolhas 5 de fevereiro de 2019 at 23:10

      Pessoa compra um bem que diz valer 500k, mas não quer arcar os custos disso. Uai, mas vale 500 mil ou 160 mil?

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Jonny Deep Blue 6 de fevereiro de 2019 at 20:57

      Quem compra para investir é outro nível….já quem compra para morar…

      1+
  • Cesar_DF 6 de fevereiro de 2019 at 05:19

    PT da Bahia desviou milhões de programa habitacional

    Dona de ONG revela como funcionava esquema que irrigou o caixa eleitoral do partido e beneficiou um senador, dois deputados federais, o atual candidato a governador e um ex-ministro do governo Dilma

    Desde 2010, o Ministério Público investiga o Instituto Brasil, uma ONG criada pelos petistas da Bahia. Em 2008, a entidade foi escolhida pelo governo do estado para construir 1 120 casas populares destinadas a famílias de baixa renda. Os recursos, 17,9 milhões de reais, saíram do Fundo de Combate à Pobreza. Os investigadores já tinham reunido provas de que parte do dinheiro desaparecera, mas não havia nada além de suspeitas sobre o destino final dele. O mistério pode estar perto do fim. Em entrevista a VEJA, a presidente do instituto, Dalva Sele Paiva, revela que a entidade foi criada para ajudar a financiar o caixa eleitoral do PT na Bahia, um esquema que funcionou por quase uma década com dinheiro desviado de “projetos sociais” das administrações petistas. A engrenagem chegou a movimentar, segundo ela, 50 milhões de reais desde 2004. O golpe era sempre o mesmo: o Instituto Brasil recebia os recursos, simulava a prestação do serviço e carreava o dinheiro para os candidatos do partido. Como os convênios eram assinados com as administrações petistas, cabia aos próprios petistas a tarefa de fiscalizar. Assim, se o acordo pagava pela construção de 1 000 casas, por exemplo, o instituto erguia apenas 100. O dinheiro que sobrava era rateado entre os políticos do partido.

    10+
    • avatar
    • avatar
  • Ilusionista 6 de fevereiro de 2019 at 06:11

    Como será o custeio da previdenciária para as próximas décadas, um problema que atinge não só o Brasil como vários países do mundo. Vejam o nível dos comentários em grupos relacionados ao assunto…

    “O Brasil já está quebrado, com essa choradeira de policiais, médicos e professores, estamos indo direto pro buraco.
    Na década de 80, um operário qualificado do tipo (ferramenteiro, torneiro, fresador, desenhista, etc) ganhava umas quatro vezes o salário de um policial (investigador ou sargento).
    Hoje, não ganham nem a metade (isto é quando estão empregado).
    A aposentadoria de qualquer sargento ultrapassa os 5.800 reais e é corrigida todo ano.
    A aposentadoria de um engenheiro, não chega a isso, e tem sua aposentadoria rebaixada a cada ano.
    Lembrando que o sargento e investigador é piso dos aposentados, e o engenheiro é o teto.
    Engenheiro se compara a um coronel, delegado, promotor ou juiz e se aposentam na miséria.
    A questão é, quem é que vai continuar trabalhando para manter esse Estado caríssimo e incompetente?
    Um país com péssimos policiais, médicos e professores, além do que, cada vez mais caros e com aposentadorias faraônicas, se comparadas com os “desgraçados” que vão ter que trabalhar até os 65 anos, isso é, se conseguirem ficar empregados.
    Já os tais policiais, médicos e professores, são estáveis (vitalícios) trabalhando ou não, com qualidade ou não, nunca perdem seus empregos. (o mesmo vale para juizes, promotores, etc), além de aposentarem muito bem.
    DETALHE: É o operário da iniciativa privada que sustenta o SISTEMA, e não o contrário.
    A maioria dos jovens trabalhadores que entram no mercado de trabalho e sabem que sairão se lá bem velhos e com uma miséria de aposentadoria, já estão pensando se vale a pena sustentar essa massa falida, que só privilegia funcionários públicos.
    Cada vez mais o jovem vai migrar para outras fontes de renda, trabalhar, ser maltratado, não ter nada e ainda ter que sustentar seus algozes?
    Só mesmo os mais submissos.
    O Brasil caminha para outras várias organizações, bem pior que essa que apavora os senhores policiais e os operadores do direito.

    OUTRO:
    “Acredito que ninguém deva se achar melhor do que o outro. Sem a iniciativa privada não há Sistema, mas sem este você nem sequer teria luz e água na sua residência. E quando o torneiro ganhava 10.000 po mês e fazia greve estavam preocupados com o policial ganhando apenas 2.500,00? Tiravam uma onda! ……Lembrando que em 1989, verifiquei na cidade de Diadema que um ajudante de entregas da Souza Cruz ganhava mais do que um delegado. E que um simples técnico de mecânica na Petrobras ganhava três vezes mais. Assim, acredito que o mercado se ajustou a demanda para essas profissões. E tá na hora de o policial ganhar 4 vezes mais do que o operário qualificado. A polícia não pode ser substituída por máquinas e computadores. É uma profissão eterna, tal como professores e profissionais da saúde. Todas as demais são descartáveis pela própria tecnologia que ajudaram a desenvolver. Não culpe policiais, professores e médicos do estado pela desvalorização de profissões outrora tão bem remuneradas. E não adianta o jovem buscar o crime como alternativa em outras organizações mais poderosas do que o PCC. Não há vagas para todos. Hoje é mais barato ser viciado em cocaína do que bebedor de cerveja”…

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Ilusionista 6 de fevereiro de 2019 at 06:17

      E também é um dos problemas que atinge a maior parte dos países da UE…..

      https://www.youtube.com/watch?v=xNDv5TE1Jls

      estaremos a caminho de um colapso mundial para as próximas décadas?

      5+
      • avatar
      • avatar
    • socrates 6 de fevereiro de 2019 at 06:52

      Reforma da previdencia sem reforma tributaria = golpe.

      7+
      • avatar
      • tmarabo 6 de fevereiro de 2019 at 10:35

        não existe reforma tributária com

        0
    • Cesar_DF 6 de fevereiro de 2019 at 07:12

      Mais um motivo da pessoa poder optar pelos regimes de CAPITALIZAÇÃO ou de REPARTIÇÃO

      5+
      • avatar
    • Money_Addicted 6 de fevereiro de 2019 at 07:52

      eu desde pequeno minha madrinha falava -> faca com o dente pra comer com a gengiva

      ou seja, trabalhe e poupe enqto eh jovem e tem forca pra qdo ficar velho ter o suficiente.

      obviamente que “espero” receber uns trocados do inss mas para minha velhice conto com o que tenho guardado durante os anos de trabalho

      10+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 07:58

    Acho que a culpa vai ser da greve dos caminhoneiros também kkkkkkkkkkkk

    INTERNACIONAL
    Trump afirma que investigações contra ele podem frear economia dos EUA

    Washington, 5 fev (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump,
    alertou nesta terça-feira que as “ridículas investigações partidárias” contra ele
    podem frear o “milagre econômico” que vive o país, em aparente referência às
    averiguações sobre a trama russa do promotor especial Robert Mueller e
    também da oposição democrata. EFE

    7+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 08:00

      Trump também alertou, sem oferecer evidências, que os esforços dos democratas para investigarem seu governo, assim como o possível envolvimento dos EUA em guerras no exterior, podem colocar em risco a economia dos EUA.

      “Um milagre econômico está ocorrendo nos Estados Unidos e a única coisa que pode impedi-lo são guerras insensatas, políticas ou investigações partidárias ridículas”, disse.

      A declaração foi dada no momento em que os democratas que agora controlam a Câmara planejam uma série de investigações sobre o governo Trump e as finanças pessoais do presidente, ao mesmo tempo em que o procurador especial Robert Mueller investiga o envolvimento russo nas eleições presidenciais de 2016 e o possível conluio entre a campanha de Trump e Moscou.

      A Rússia nega qualquer envolvimento e Trump afirma que não houve conluio.

      https://extra.globo.com/noticias/economia/trump-promete-construir-muro-na-fronteira-alerta-democratas-contra-investigacoes-23431673.html

      6+
      • avatar
      • avatar
      • CA 6 de fevereiro de 2019 at 08:18

        Cajuzinha,

        Lá o “milagre econômico” do Trump e por isto não devem investigar, por aqui, o Santo Graal da Reforma da Previdência e o “deixem o Fatura Midas Bolsinho em paz!”

        No final, é tudo a mesma coisa:

        Milagres econômicos, não existem, são apenas APELAÇÕES, com efeito temporário, para ampliar efeitos de bolhas, aumentando de forma relevante a destruição que virá em seguida.

        Santo Graal da economia, também não existe, é apenas DESINFORMAÇÃO para via otimismo UFANISTA, dar sobrevida à bolhas, aumentando de forma relevante o efeito destrutivo que virá em seguida.

        De fato, não só o Bolsonaro admira o Trump, como segue os passos dele, por caminhos tortuosos e que em ambos os casos, levarão um grande número de pessoas que acreditarem CEGAMENTE neles em direção ao SUICÍDIO FINANCEIRO. Como sempre, quando descobrirem, será tarde demais…

        7+
        • avatar
        • avatar
        • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 08:42

          “que acreditarem CEGAMENTE neles em direção ao SUICÍDIO FINANCEIRO”

          o pior é que muita gente está entrando nessa…

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • socrates 6 de fevereiro de 2019 at 15:41

      Lula poderia ter arguido a mesma coisa.
      FHC tmbem.
      E o Flavio Bolsonaro…

      Particularmente, prefiro resolver o problema como parece que os australianos estão fazendo.
      Mais fácil de chegar na Suécia assim.

      2+
      • avatar
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 08:08

    Hopi Hari deixou maioria dos credores de fora da recuperação judicial – e BNDES partiu para a briga para vender tudo no parque de diversões
    Processo só contempla credores trabalhistas e todos os demais movem ações paralelas contra o parque para reaver valores. BNDES é o maior credor e conseguiu aval do TJSP para leiloar bens do parque

    6 de fevereiro de 2019 5:30 – atualizado às 8:46

    Além do BNDES, que concentra quase 60% da dívida total do parque, o segundo credor mais relevante é o fundo de pensão dos funcionários do antigo Banco Nacional de Habitação (Prevhab), com R$ 85 milhões; completam a lista, com valores menores alguns fundos investidores.

    A condução da recuperação do Hopi Hari tem incomodado tanto que até mesmo o escritório de advocacia Ferro, Castro Neves, Daltro & Gomide foi à Justiça para receber R$ 2,4 milhões (valores corrigidos) em honorários que lhe são devidos pelo parque, mas que não são pagos desde 2015. O escritório foi procurado, mas não deu entrevista.

    https://www.seudinheiro.com/hopi-hari-deixou-os-bancos-de-fora-da-recuperacao-judicial-e-eles-foram-para-briga/

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 6 de fevereiro de 2019 at 08:37

      Cajuzinha,

      Um pouco sobre a história do Hopi Hari, para quem tiver curiosidade:

      Idealizado inicialmente pelo Playcenter para se chamar Great Adventure, com a entrada do Grupo Garantia (GP Investimentos – atualmente donos de Inbev, Americanas, Burge King, etc) como “sócio” do Playcenter, mudaram o nome para Hopi Hari e atraíram investidores.

      Com atraíram investidores? Através do famoso otimismo UFANISTA!

      Prometeram que o Hopi Hari seria a próxima Disney no Brasil, garantiram que teria um grande público de alta renda, de região próxima (Valinho, Vinhedo, Campinas, Jundiaí,etc) que teria uma renda maior de bilheteria (seria bem menos dependente de pré-venda que o Playcenter) e que além disto, atrairiam clientes de todo o país e do Exterior. Teriam hotéis próximos, outros parques temáticos (não só o Wet´n Wild que é do lado), o Simba Safari ia ser feito atrás de onde fica o parque e daí por diante. No evento para investidores, super show com apresentadores do Jornal Nacional chegando de helicóptero, discursos sobre como iam ter um modelo de negócios inédito e “fantástico”, como o consumo interno no parque ia ser muito maior, como o preço de bilheteria seria bem maior (“estudo” feito por estagiário tendo como referência a Disney e não o Playcenter!).

      Captaram muito dinheiro de BNDES, Telefônica, Bradesco e outros investidores, todos super-empolgados com este projeto.

      Como foi desenvolvido o projeto? Contrataram um figurão do segmento de SUPERMERCADOS, que não entendia NADA de parques de diversão para ser o presidente e vários gestores que também não tinham NENHUMA experiência em parques de diversão! Esta galera foi fazer curso na Universidade Disney nos EUA e não tiveram nenhuma interação com o pessoal do Playcenter ou mesmo de outros parques no Brasil. Tiveram atraso de 2 anos no projeto, por problemas ambientais e RIA (Relatório de Impacto Ambiental) devido à mudança do percurso do “Rio Bravo” (até hoje uma das melhores atrações do parque) e durante todo este tempo, pagando os altos salários dos gestores sem eles trabalharem, fora benefícios de imóveis alugados para alguns deles na região, dentre outros custos. Também tiveram problema na fundação das lojas (afundaram e tiveram que ser refeitas!), o dólar disparou (equipamentos e seus componentes de reposição são todos importados), mas finalmente inauguraram, já tendo gasto uma fábula, bem acima do projetado inicialmente.

      E como foi no dia-a-dia? NADA do que foi prometido à investidores foi cumprido! No final, o Hopi Hari não conseguia atrair NINGUÉM do Exterior, nem mesmo em volume relevante de outros estados, mesmo nas regiões próximas o público de bilheteria deixava muito a desejar e ele começou a apelar para redução de preços, ao mesmo tempo que entrou em forte concorrência com o próprio Playcenter quanto à pré-vendas (pré-vendas para escolas, agências de turismo e empresas representavam 80% das vendas do Playcenter)! Em outras palavras, o Playcenter entrou de sócio em um projeto para criar um canibalismo que prejudicou seu próprio negócio e foi UM dos fatores que o levou à DERROCADA que enfrentou!

      E depois? O Playcenter QUEBROU 2 vezes e depois da segunda, fechou o parque de diversões e ficou com algumas poucas áreas de lazer em shoppings centers (o que antes era chamado de Playland, agora com o nome Playcenter). O Hopi Hari também já QUEBROU 2 vezes e o último que assumiu as dívidas sem pagar nada pelo parque é quem está conduzindo o processo desta SEGUNDA QUEBRA, conforme descrito acima. Na prática, INFELIZMENTE o Hopi Hari cedo ou tarde fechará as portas, o negócio se tornou irrecuperável, mesmo com um certo conjunto de medidas até sensatas adotadas nos últimos anos. A conferir.

      Como descrevi acima e sempre acontece nestes processos, prejuízos MUITO RELEVANTES para todos que investiram no otimismo UFANISTA!

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • socrates 6 de fevereiro de 2019 at 09:08

        há onibus que levam ao HopiHari , ida e volta, por 50 reais saindo de SP e 60 do ABC.
        Combos com os ingressos poderiam ser oferecidos a quem chegassem em SP prlo aeroporto ou rodoviaria; as crianças adoram o passeio.
        Mas as dividas preteritas devem acabar puxando o empreendimento para baixo mesmo. Infelizmente

        5+
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 08:12

    Brasileiros começam 2019 mais endividados e inadimplentes, diz CNC

    postado em 05/02/2019 11:48
    Os brasileiros começaram o ano mais endividados, segundo dados divulgados nesta terça-feira, 5, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O porcentual de famílias brasileiras com algum tipo de dívida subiu de 59,8% em dezembro de 2018 para 60,1% em janeiro de 2019, apontou a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic).

    “A queda na comparação anual indica que persistem o ritmo lento de recuperação do consumo e a cautela das famílias na contratação de novos empréstimos e financiamentos”, avaliou a economista Marianne Hanson, da CNC, em nota oficial.

    https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2019/02/05/internas_economia,1027989/brasileiros-comecam-2019-mais-endividados-e-inadimplentes-diz-cnc.shtml

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Festa Ploc 6 de fevereiro de 2019 at 08:20

      Quando começam a dar cartão de crédito para negativados, é porque não os bancos não têm a menor espectativa que esse endividamento vá mudar.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 6 de fevereiro de 2019 at 09:18

      Cajuzinha,

      Ao que tudo indica por artigos replicados por aqui, estão tentando injetar novo fôlego no crédito, A QUALQUER PREÇO.

      De um lado, bancos “facilitando” o crédito para automóveis e antes já fizeram isto para imóveis ao longo de 2018, ao mesmo tempo que vemos cada vez mais evidências de que estão “facilitando” à pessoas com nome sujo para obterem cartão de crédito.

      O que consta acima, são ações dos bancos para PEDALAREM e fazerem com que o aumento da oferta de crédito MASCARE o tamanho da inadimplência PERCENTUAL (aumentam a base de cálculo, a inadimplência se dilui mais percentualmente). Desta forma, SIMULAM lucro maior e garantem bônus maiores para executivos, que no final, é o que interessa para eles (script seguido em todas as bolhas ao redor do mundo).

      Uma evidência do que consta acima, foram os resultados do Santander: base de crédito subiu 12%, como novos empréstimos se tivessem qualidade deveriam no primeiro ano NÃO ter inadimplência, a inadimplência do passado dividida pela nova base ampliada do total de crédito deveria cair percentualmente, mas ao final, subiu!

      As pessoas, por sua vez, se “aproveitando” do que consta acima para enfiarem cada vez mais o pé na jaca. Pesquisas do final do ano passado comprovam isto:

      – Daqueles que já estavam INADIMPLENTES e receberam décimo terceiro salário, 75% ia usar dinheiro para consumo e NÃO para pagar as dívidas;
      – Dos consumidores do Black Friday, mais de 40% iam ficar em situação financeira crítica, ou já estavam super endividados, inadimplentes ou com nome sujo.

      E aqueles segmentos que vivem à base de crédito PODRE e “esquemas”, como no caso das vendas FALSAS na planta e o empurrar de crédito PODRE das construtoras para o Banco, em especial, mas não exclusivamente, via MCMV com uso de dinheiro do FGTS e “facilidades” da CEF / Governo, assim como o setor automobilístico com a venda de automóveis, reproduzindo em escala bem menor o que fizeram na bolha dos automóveis quase 10 anos atrás (que deixou prejuízo de mais de R$ 10 BILHÕES para os bancos), são os que mais tentam se beneficiar desta nova rodada de “crédito fácil”.

      Quais os efeitos colaterais muito danosos para economia em virtude das PEDALADAS acima?

      Todos os setores mais dependentes de pagamentos à vista, mensais e regulares, ou que aceitam cartão de crédito, mas sem parcelamento, ficam à míngua, com cada vez mais reduções, uma vez que a renda está ESTAGNADA, os empregos estão em franca DEGRADAÇÃO e a inadimplência continua no seu PICO histórico.

      Como exemplos, a queda muito relevante de matrículas em faculdades particulares ano após ano, transferência de alunos de rede privada para escolas mais baratas e de menor qualidade ou para escolas públicas todos os anos, convênios médicos particulares que estabilizaram no menor patamar dos últimos anos (e só terão pequena recuperação pelo aumento do emprego formal até 2 salários mínimos), perda relevante de assinaturas de TV a cabo todos os anos, quedas em voos e consumo de combustível, supermercados com consumo ainda muito baixo e diversas empresas dos mais variados setores, que tem DÉCADAS de existência e/ou faturamento BILIONÁRIO que continuam quebrando.

      Até mesmo os setores “beneficiados” pelo aumento do crédito PODRE e subsídios irão sofrer com isto, de diversas formas: automóveis semi-novos ficarão encalhados conforme aumentam o PcD ou subsídios para montadoras (o emprego que se mantém ou ganha na montadora, se perde nas revendas de automóveis), as distorções entre oferta e procura de imóveis vão aumentar conforme os esquemas de vendas FALSOS são incentivados (distratos voltarão a aumentar na entrega), assim como a quebra das construtoras e no final, no futuro voltará a prejudicar empregos na construção civil, dentre diversos outros prejuízos.

      Graças a tudo que consta acima, novo aumento na DEGRADAÇÃO dos empregos, na inadimplência geral do consumidor e na piora de forma geral para economia e sociedade, que acabará se sincronizando com efeito da bolha das bolhas americana e demais ameaças externas. Junta-se a isto o otimismo UFANISTA como um todo, com aumento de apostas de empresas e consumidores e quando tivermos a volta à REALIDADE, os prejuízos serão muito maiores.

      Reiterando o que disse antes, cobrem-se alguns poucos santos, para se descobrirem diversos outros…

      3+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 08:13

    André Ítalo Rocha

    Do Estadão Conteúdo

    05/02/2019 15h59

    Como parte do esforço para conter custos no Brasil, a GM propôs aos trabalhadores da fábrica de São José dos Campos, no interior paulista, que não haja reajuste salarial em 2019. Em 2020, o aumento seria de 60% da inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). A reposição total pela inflação, segundo o mesmo índice, só voltaria em 2021.

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 09:12

      Crise intensificou realocação de mão de obra da indústria para os serviços

      Processo já vinha ocorrendo antes da recessão, com a constante perda de participação industrial no PIB, mas tendência é que emprego formal volte a reagir, porém com os contratos mais flexíveis

      De 2014 para 2018, a indústria desempregou 1,450 milhões de pessoas (-10,9%, para 11,792 milhões de pessoas), mostram dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mesmo período, a mão de obra ocupada no comércio e reparação de veículos cresceu 0,7%, a 17,543 milhões (ou seja, 126 mil pessoas a mais).

      “Inclusive, a alta da informalidade acompanhou a expansão da ocupação no comércio e nos serviços”, diz Inhasz.

      O professor de economia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Agostinho Pascalicchio, chama a atenção para o avanço da ocupação (+6,4%, para 16 milhões) e da renda mensal (+7,3%, para R$ 3.353) na administração pública. Segundo ele, esse processo deve perder força, diante da expectativa de restrição de concursos públicos e corte de cargos.

      https://www.dci.com.br/economia/crise-intensificou-realocac-o-de-m-o-de-obra-da-industria-para-os-servicos-1.777969

      3+
      • avatar
      • CA 6 de fevereiro de 2019 at 09:37

        Cajuzinha,

        Como disse antes, parafraseando aquele bordão de que “o Brasil ficou caro antes de ficar rico”, podemos dizer que “o Brasil se desindustrializou antes de se desenvolver em serviços mais nobres”.

        O “crescimento” dos serviços autônomos, de Uber, vendedor de docinhos ou malabarista de semáforo, ou mesmo, para aqueles que foram atuar no comércio de forma geral, como disse antes, é de baixa perenidade, pois no futuro, muitas destas funções serão extintas, seja por carros autônomos, apocalipse do varejo ou outros eventos já previstos e que estão ocorrendo de forma mais intensa no Exterior.

        Não nos desenvolvemos de forma efetiva em nenhum dos serviços mais nobres, seja na área de tecnologia ou financeira, apenas as pessoas APELATIVAMENTE e para SOBREVIVER, acabaram migrando para serviços básicos e mal remunerados, simplesmente porque não encontravam nenhuma boa colocação no mercado de trabalho formal.

        Para atestar o que consta acima, basta ver os dados do IBGE sobre o emprego formal, ou sobre a “redução do desemprego”:

        – Emprego formal: o que mais cresceu foram os AUTÔNOMOS, que junto com novos recordes quanto à DESALENTADOS E SUBemprego, garantiu que tivéssemos redução na taxa de desemprego. Em que lugar do Universo tal resultado é algo a ser “comemorado”, como se fosse uma “recuperação dos empregos”? É exatamente o CONTRÁRIO, a DEGRADAÇÃO dos empregos!

        – Das 10 ocupações que mais geraram saldo POSITIVO de vagas em 2018 (abriram novas vagas), bem similar a anos anteriores, TODAS eram na base da pirâmide e com remuneração de até 2 salários mínimos. Já das 10 ocupações que mais geraram saldo NEGATIVO de vagas em 2018 (fecharam vagas), a MAIORIA era para posição gerencial e mais próxima do topo da pirâmide. Já vínhamos com mais de 1 MILHÃO de vagas gerenciais perdidas em 10 anos antes disto, a situação voltou a PIORAR.

        Quanto aos comentários do professor do Mackenzie (também estudei lá, mas não tive aula com ele e nem era em assunto ligado à ADM / Economia), achei procedentes. Com todo o déficit fiscal, dificuldade do governo federal cumprir teto da meta e regra de ouro de investimentos neste ano de 2019, cada vez mais estados em situação de CAOS fiscal, assim como a maioria das prefeituras e ainda, com todas as promessas quanto à privatizações e sem termos eleições neste ano para impulsionar contratações politiqueiras, não há nenhum motivo para que os cargos públicos continuem ajudando a impulsionar o crescimento dos empregos, na realidade, é exatamente o contrário, os empregos do setor público deveriam sofrer queda, isto é o que manda o bom-senso, que não é o que prevalece no país, como sabemos. A conferir.

        6+
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 09:07

    Com baixo crescimento, supermercados querem vender remédios

    Representante dos supermercados aposta nas reformas, em especial a da Previdência, para destravar os investimentos e pede ao novo governo a liberação da venda de medicamentos

    “Em 2018, não conseguimos alcançar a previsão do início do ano. Toda a movimentação da greve dos caminhoneiros e a incerteza política fizeram com que a economia não deslanchasse como se esperava. Agora, trabalhamos com a previsão de crescimento para 2019 de 3%”, diz Sanzovo.

    https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2019/02/06/internas_economia,1028080/com-baixo-crescimento-supermercados-querem-vender-remedios.shtml

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 6 de fevereiro de 2019 at 09:46

      Cajuzinha,

      Na realidade, o principal ofensor aos supermercados, foi o excessivo incentivo ao crédito fácil promovido por bancos para PEDALAREM e que beneficiam diretamente a setores de bens de consumo que tem preços maiores (imóveis, carros), onde o crédito e parcelamento, seguindo padrão nacional, são fundamentais.

      Em uma economia com profunda DEGRADAÇÃO nos empregos, renda ESTAGNADA e SUPERENDIVIDAMENTO e INADIMPLÊNCIA ANORMAL, quando você começa a fornecer cada vez mais cartões de crédito para quem já está com nome sujo, bem como financiamento de veículos e imóveis com “facilidades” na análise de crédito, estimula estas pessoas a irem por este caminho do aumento do consumo direcionado e daí, como aumentaram o gasto por um lado sem ter aumento de renda do outro lado, elas deixem de consumir o quanto gostariam em supermercados, cancelam a TV à cabo, adiam a faculdade particular do filho, ou o transferem para uma escola pública se ele estiver no fundamental ou médio. Estes são exemplos, mas temos diversos outros setores que saem no prejuízo, como as estatísticas tem demonstrado.

      Sem contar que veremos novos recordes de inadimplência de IPVA, licenciamento de veículo, multas de veículos, IPTU, condomínio e uma série de outras despesas que também não vão mais caber no orçamento das famílias graças ao aumento de consumo que ocorreu em meio a precarização dos empregos e estagnação da renda. Vamos continuar acompanhando.

      4+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 09:27

    O Produto Interno Bruto (PIB) da construção civil brasileira deve crescer 2,0% em 2019, de acordo com projeção divulgada nesta terça-feira (5) pelo Sindicato da Indústria da Construção do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Se a estimativa se confirmar, representará o fim de um ciclo de cinco anos de quedas consecutivas no nível de atividade do setor. O PIB da construção encolheu 28% entre os anos de 2014 e 2018. No acumulado dos últimos 12 meses até novembro de 2018, a baixa estava em 2,3%. A perspectiva tem como base a projeção de um crescimento de 2,5% do Produto Interno Bruto do País neste ano. “Há expectativa de melhora na economia de modo geral, o que tende a elevar os investimentos. E as expectativas para a construção refletem esse cenário”, afirmou a coordenadora de estudos da construção da FGV, Ana Maria Castelo, durante coletiva de imprensa.

    Já o segmento de infraestrutura segue com baixo nível de investimentos, ponderou. “Infraestrutura ainda é uma promessa. Tem uma agenda de concessões e obras, que se confirmarem só irão se concretizar nos próximos anos”. A queda do PIB da construção no último ano frustrou as expectativas do Sinduscon e da FGV, que esperavam o retorno do indicador para o campo positivo.

    A faixa 1 do Minha Casa Minha Vida – que é destinada à população de baixa renda e que recebe subsídios do Tesouro Nacional para o acesso à moradia – deve seguir paralisada neste ano, de acordo com estimativa do presidente do Sinduscon-SP, Odair Senra. “A faixa 1 deve ficar hibernada enquanto o problema fiscal existir”, afirmou, durante coletiva de imprensa. Segundo Senra, não existem, no momento, discussões dentro do governo federal ou entre as entidades empresariais para reativar a faixa 1, mas ponderou que há interesse em retomar as conversas.

    https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2019/02/668710-pib-da-construcao-civil-deve-crescer-2-em-2019-diz-sinduscon-sp.html

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 6 de fevereiro de 2019 at 09:51

      Qual foi o último ano que a Sinduscon-SP acertou esta projeção???
      Mantega mode on!
      kkkkk

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 09:45

    Oferta de cartão de crédito da Caixa Econômica para negativados é falsa
    Texto circula na internet prometendo crédito a clientes do banco com nome inscrito nos serviços de proteção como Serasa e SPC

    Por meio de sua assessoria de imprensa, a Caixa informou que todas essas informações são falsas e que esse tipo de cartão “não faz parte da Política de Crédito”.

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 6 de fevereiro de 2019 at 09:47

      Cajuzinha,

      Ufa! Que bom se for verdade o que a Caixa diz! Mas que é difícil confiar nos “critérios” deles, isto é…

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 6 de fevereiro de 2019 at 09:53

        Então de onde será que aqueles 40% de consumidores do Black Friday que iam ficar em situação financeira crítica, já estavam superendividados, inadimplentes ou com nome sujo iam conseguir dinheiro ou crédito para suas compras?

        Uma parte gastando do décimo terceiro em dinheiro, outra parte vinda de crédito fácil via outros bancos que não desmentiram publicamente tal “critério” de aceitar negativados e ainda via boletos de lojas menos criteriosas e cartões de crédito “emprestados” por familiares e amigos? Tudo é possível…

        Em tempo: um banco com tantos ROMBOS como a CEF e que já desperta alto nível de desconfiança, que quer vender R$ 100 BILHÕES em títulos, onde grande parte deles MILAGROSAMENTE saiu de inadimplente para “AA” da noite para o dia e em meio a agravamento na crise do país e ainda, que pretende privatizar parte de suas empresas e por isto é OBRIGADA a transmitir o máximo de CONFIABILIDADE, teria que negar oficialmente e o mais rápido possível que estaria fornecendo crédito podre, no entanto, todo o histórico depõe contra eles…

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Alemon Fritz 6 de fevereiro de 2019 at 09:55

    -Otimista, diretor do Banco Mundial projeta mais de 3% de crescimento para o Brasil.
    valor. (eu acho que até 2% vai)

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 6 de fevereiro de 2019 at 09:57

      Alemon Fritz
      Será que o PIB teria ficado positivo em 2017 e 2018 se não fosse pela injeção do dinheiro do FGTS e do PIS na economia ?

      4+
      • avatar
    • Rico 6 de fevereiro de 2019 at 09:58

      Não duvido não, nos 2%, tem muita coisa reprimida, mas também acredito que vai ser um vôo de galinha de 2 anos altamente especulativo.
      Aproveitem para especular também.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 6 de fevereiro de 2019 at 10:10

        Rico
        Ainda é uma total incógnita de como o congresso irá votar
        Apesar do PT ser a maior bancada, o posição dele está cada vez mais fraca, mas a esquerda, principalmente a imprensa, tem uma grande capacidade de fazer barulho e assim dificultar a aprovação das reformas.

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • CA 6 de fevereiro de 2019 at 10:25

      Alemon Fritz,

      Você achou isto otimista? Não foi nada! O presidente da câmara falou ontem mesmo, que se aprovarem a reforma da previdência, nos 12 meses seguintes à aprovação teremos um crescimento padrão chinês de 6% no PIB! Isto sim é otimismo, este que você mencionou é “fichinha”…

      Agora, falando sério:

      Crescimento de 3% é mais difícil, porque estão claramente PEDALANDO com aumento de crédito em meio ao CAOS da SUPER-INADIMPLÊNCIA, DEGRADAÇÃO dos empregos, renda ESTAGNADA e outras mazelas.

      A PEDALADA acima, apesar de estar completamente inconsistente com a REALIDADE da economia, sendo o típico “apagar incêndio com gasolina”, deverá ajudar a gerar algum crescimento para setores como o automotivo quanto a vendas nacionais e o imobiliário, dentre outros. Isto seria o suficiente para alcançarmos os 3% sugeridos?

      Creio que não. Por que?

      Os efeitos colaterais dos “incentivos” acima são inevitáveis, com quedas ou “desaceleração” em DIVERSOS outros setores, como supermercados (ver artigo colocado por Cajuzinha mais acima), faculdades particulares, voos, gasolina, etc. Já para convênio médico, que sempre mencionava, poderia realmente voltar a subir em 2019 graças a contratações formais do setor automotivo e outros que possam se beneficiar mais da “farra do crédito”, com os empregos formais usualmente oferecendo convênios médicos para os empregados, como é praxe no Brasil.

      Outros efeitos colaterais do que consta acima sobre o crédito, é a tendência de que aumentem os calotes para uma infinidade de contas fora do sistema financeiro, como IPTU, IPVA, multas, etc, o que junto com o CAOS fiscal em cada vez mais estados e municípios e o fato de não termos eleições neste ano, fora o fato da enorme dificuldade de cumprir meta de despesas e regra de ouro por governo federal, farão com que os investimentos dos entes públicos fiquem ainda menores do que em 2018.

      Considerar que reforma da previdência não reduz um centavo de gastos públicos em 2019 e que privatizações são demoradas, principalmente se mantiverem prioridade para reforma da previdência e tudo isto significa que governo federal não tem outra alternativa a não ser reduzir seus gastos ao máximo, principalmente investimentos.

      Outro ponto importante é o cenário externo. Tsumoney? NÃO! Se vierem mais investimentos diretos, será só no segundo semestre, de forma muito mais tímida dos que as “estimativas” UFANISTAS e ainda assim, se e somente se as ameaças externas não se intensificarem e se as diversas mazelas internas quanto ao sistema financeiro e segmento imobiliário não aparecerem mais neste meio-tempo, condicionado à nossa aprovação de uma reforma da previdência. Se tivermos intensificação da visibilidade quanto à bolhas externas antes de aprovar a reforma da previdência ou se não aprovarem a reforma da previdência, “corram para as montanhas”, pois o cenário será de estagnação no PIB ou talvez até de queda, via uma forte ameaça de crise cambial e fortíssima perda de confiança no país, junto com indicadores da REALIDADE.

      No “melhor cenário”, aprovamos a reforma da previdência com características duras e adequadas para a economia, fazemos uma ou outra privatização, o crédito mais facilitado e o otimismo UFANISTA produzem algum aumento PARCIAL no PIB com efeitos colaterais negativos INEVITÁVEIS, não teríamos as ameaças externas se amplificando, com mais alguma GAMBIARRA para liberação de FGTS inativo ou algo do gênero, para incentivo TEMPORÁRIO ao consumo e com tudo isto combinado e mais uma boa dose de sorte, cresceríamos algo entre 1,5% e 2%, como você sugeriu, mas com ESTRAGOS muito maiores à nossa economia em troca, como aprofundamento da DEGRADAÇÃO dos empregos, da INADIMPLÊNCIA ANORMAL e aprofundamento das MAQUIAGENS e PEDALADAS dos bancos e do segmento imobiliário, que amplificarão os prejuízos futuros quando não conseguirem mais esconder.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 6 de fevereiro de 2019 at 10:04

    minha estratégia será energias: por no máximo um ano.
    -Crescimento na produção de frangos exige mais energia elétrica
    Infomativo (liberação de imprensa)-05/02/2019
    -Faturamento da agropecuária deve crescer mais de 5% em 2019.
    Canal Rural (Blogue)-há 2 horas

    4+
    • avatar
    • Nunes 6 de fevereiro de 2019 at 10:11

      Estava pensando isso hoje, ao olhar alguns gráficos na madrugada

      4+
      • avatar
  • Nunes 6 de fevereiro de 2019 at 10:10

    Bom dia a todos. Sempre acompanho as threads de vocês aqui, CA e Cajuzinha como sempre mandando bem, além do Alemon, Cesar e outros.
    Peço licença para colocar a postagem de hoje aqui, sobre o Mourão

    https://vidadestra.org/operacao-cavalo-de-troia/

    Um abraço a todos…

    8+
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 6 de fevereiro de 2019 at 12:43

      Putz, se esse cara acha que o Mourão é um progressista, ele não tem a menor ideia do que seja o libertarianismo

      3+
  • Wolf 6 de fevereiro de 2019 at 10:52

    Off Wolf Traidor
    Segunda eu começo o curso no Senai de “Técnico em edificações”, Meus pais tem imoveis e eu vou construir em breve, logo acho interessante saber mais para não ficar 100 % na mão de pedreiro e arquiteto.

    27+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 7 de fevereiro de 2019 at 09:01

      voce ainda vai tomar o lugar dessas grandes falidas se um dia o governo nao for tão corrupto.
      Pés no chão e não se venda!

      0
      • Wolf 7 de fevereiro de 2019 at 09:46

        Haha, Não pra tanto, mas quem sabe depois de construir eu pegue gosto pela coisa.

        1+
        • avatar
  • CA 6 de fevereiro de 2019 at 10:55

    https://www.infomoney.com.br/onde-investir/fundos-de-investimento/noticia/7910762/marcos-elias-fundador-da-empiricus-preso-nos-eua-confessa-crime-diz-jornal

    Pois é, se tivesse se contentado em aplicar golpes no Brasil e em cima de fundos de pensão, talvez tivesse chegado a ministro da economia, mas foi se meter a fazer isto nos EUA, viu no que deu…

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 11:23

      “Inteligentíssimo e com vários parafusos a menos”

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 11:25

        Inteligência não é sinônimo de SABEDORIA.

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • socrates 6 de fevereiro de 2019 at 12:00

      Huahuahuaaaha perfeito , CA

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Dr. Brown 6 de fevereiro de 2019 at 10:55

    Me mudei pra Polônia. Me parece que aqui tem uma bolha se formando também. Estou tentando buscar mais informações.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 6 de fevereiro de 2019 at 10:58

      e eu que queria ir pra Polonia (Stettin)… kkkk

      5+
      • avatar
      • avatar
  • CA 6 de fevereiro de 2019 at 11:55

    Abaixo, mais um efeito colateral dos incentivos ao crédito e direcionamento para bens de maior valor agregado, em meio a degradação dos empregos e renda estagnada:

    https://jovempan.uol.com.br/noticias/brasil/publico-nos-cinemas-brasileiros-caiu-12-em-2018-segundo-ancine.html

    5+
    • avatar
    • avatar
    • MARK 6 de fevereiro de 2019 at 13:08

      Puxa… tenho notado isso ultimamente…. Os dois últimos filmes que fui ver não havia nem 1/5 das poltronas ocupadas. A última vez que vi a sala cheia foi no Aquaman. Notei também que muita gente não tem comprado a pipoca, mas não é crise não… “tá tudo melhorando, o capitão tá no comando”.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 6 de fevereiro de 2019 at 13:17

        eu não vou mais ao cinema porque todos os filmes viraram uma josta ou são dublados e 3d.. o ultimo que vi foi o da bolha nos EUA e o da Mobydick.

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Money_Addicted 6 de fevereiro de 2019 at 15:30

          faz um tempinho tambem q nao vou ao cine, mas devido a qualidade (ou falta de) dos filmes……lamentavel o nivel

          2+
          • avatar
          • Alemon Fritz 6 de fevereiro de 2019 at 15:59

            lançamentos, nivel bananazuela:
            – Jovens Infelizes ou Um Homem que Grita não É um Urso que Dança ( !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!)
            de Thiago B. Mendonça – Com Nani de Oliveira, Kiko Dinucci
            -Lembro Mais dos Corvos – de Gustavo Vinagre – Com Julia Katharine – monólogo de um Dia de uma Trans
            -Pastor Cláudio: de Beth Formaggini – Com Cláudio Guerra, Eduardo Passos
            -Sai de Baixo – O Filme de Cris D’Amato – Com Tom Cavalcante, Miguel Falabella

            2+
    • EngenheiroSP 6 de fevereiro de 2019 at 13:22

      “O aumento foi puxado pelo recorde de público de “Nada a Perder”, que conta a história do líder da Igreja Universal, Edir Macedo. Segundo o relatório, a obra vendeu 11 milhões de ingressos em 2018. A cinebiografia só ficou atrás de “Vingadores: Guerra Infinita”, com 14 milhões de bilhetes.”

      Ingressos comprados pela IURD, ou seja, a realidade é ainda pior.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • DouglasteR 6 de fevereiro de 2019 at 13:24

        Vc quis dizer, ingressos lavados pela IURD.

        7+
        • avatar
        • Alemon Fritz 6 de fevereiro de 2019 at 14:14

          -Com economia desfavorável, brasileiros mudam hábitos de consumo
          Jovem Pan-há 7 horas.
          -Legião de concurseiros está estragando a economia.
          Gazeta do Povo-há 2 horas (conheço 2 que estão em casa esperando concurso)
          -Governo vai restringir concursos públicos
          UOL-05/02/2019
          -Frete e diesel tiraram R$ 20,3 bi do PIB.
          Estado de Minas-há 6 horas

          7+
          • avatar
  • Alemon Fritz 6 de fevereiro de 2019 at 12:51

    ninja mode:
    -Justiça obriga Caixa a agilizar recuperação de imóveis do ‘Minha Casa’
    Valor Economico-1 h.
    -Liminar da Justiça obriga Caixa a reduzir burocracia para recuperar …
    Jornal Extra-há 2 h.
    -Juiz proíbe Caixa Econômica de se apropriar de receitas do Estado
    BNC Amazonas (liberação de imprensa)-há 14 horas

    4+
    • avatar
  • MARK 6 de fevereiro de 2019 at 12:54

    CVR LOCAÇÃO COMERCIAL DE FIM DE SEMANA
    Conversando com amiga do trabalho que também tem, como o marido, administradora de bens, soube de uma nova modalidade de locação comercial na cidade de Praia Grande. Como a temporada terminou, agora os proprietários estão aceitando alugar uma nos finais de semana que tem sol. A loja tem umas geladeiras, o locatário traz umas caixas com picolés e sorvetes e vende naquele fim de semana. Segundo ela, como está difícil para alugar, os proprietários atentos estão fazendo qualquer negócio para ajudar a pagar o imposto, pelo menos. Daí a ideia de aceitar locação por fim de semana, já que o auge da temporada já passou. Ela também comentou que VÁRIAS sorveterias fecharam na cidade e que tem notado que alguns estabelecimentos só funcionam na temporada. Lembrei do empreendedorismo por necessidade que o CA tanto fala.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 6 de fevereiro de 2019 at 13:40

      MARK,

      Perfeito, é isto mesmo! O pessoal vai “se virando” como pode. No seu exemplo, do lado do proprietário, salva uma grana para cobrir despesas e do lado do “empreendedor” do ramo de sorvetes, tenta vender quando haveria mais demanda, um bico para gerar uma grana extra, ou até, a grana principal do sustento.

      Na Avenida 9 de Julho em Jundiaí, a principal da cidade, um restaurante fechou e o local estava vago há mais de 1 ano, o que fizeram? Nas eleições passadas, alugaram temporariamente para ser uma sede na cidade do partido 30, o Novo e utilizavam lá para conversar com pessoas interessadas em saberem mais sobre o partido e para tentarem convencer os eleitores. Passadas as eleições, o local voltou a ficar abandonado.

      Existem MUITAS variantes deste tipo de empreendedorismo por NECESSIDADE, outro exemplo que comentei, foi de gestor de área contábil de empresa em que trabalhei em Jundiaí, que não conseguia recolocação na área e entrou de sócio em um restaurante e abriu um negócio de vendas de passagens pela Internet, sendo que não tinha NENHUMA experiência prévia em qualquer destes negócios.

      Tem um caso também de uma mulher que se separou, antes ela ajudava o marido nos negócios dele relacionados à Terraplanagem, em pequena cidade do interior, a cerca de 70 KM de São Paulo (Capital), ao se separar, como a pensão era insuficiente, sem ter NENHUMA oportunidade de trabalho formal na cidade, o que ela passou a fazer?

      Vai até a 25 de Março em São Paulo uma vez por semana, compra uma série de artigos femininos e depois, graças aos contatos de uma amiga com funcionárias públicas da prefeitura da cidade, ela vai até lá e revende com um bom lucro, ajuda a pagar as contas, junto com o dinheiro da pensão.

      Teve um caso de funcionário que trabalhava em indústria de Manaus, que ao saber que seria desligado, imediatamente correu atrás para se tornar um Uber, porque sabia que graças à forte ociosidade das indústrias locais, as pessoas estavam demorando ANOS para se relocar. Esta situação está MUITO LONGE de ser um caso isolado, o crescimento de 50.000 para mais de 500.000 Ubers no Brasil do final de 2016 para o final de 2017, dá uma dimensão melhor quanto a isto.

      Fora os que estão fazendo qualquer bico para sobreviverem por aqui, tem os que desistiram e foram para a Austrália para trabalhos braçais, como lavar louça em restaurante, entregar comida, etc, vejo casos crescentes neste perfil e cada novo jovem que vai para lá abre as portas para o próximo, estão montando comunidades crescentes de brasileiros nesta situação por lá (o Carlos já deve conhecer algumas pessoas nesta situação na Austrália). E eles já vão com o visto de estudante, mas com todo o interesse de arrumar empregos variados e depois algo fixo para se sustentar. Estes desistiram dos bicos no Brasil e nem planejam voltar para cá.

      Fora os que estão DESISTINDO e virando “desalentados”, saindo da estatística de desemprego. Conheço caso de ex-aluno de faculdade de psicologia que trabalhava em SAC, foi mandado embora e depois de vários meses sem achar nada, desistiu, assim como acabou abandonando a faculdade e virou “nem-nem”. Só para lembrar, os desalentados com mais de 10 anos de estudo saíram de 400.000 em 2014 para mais de 1.600.000 em 2018, ou seja, QUADRUPLICOU a quantidade de pessoas com mais de 10 anos de estudo que DESISTIRAM de arrumar emprego, de novo, o exemplo que dei passa longe de ser “caso isolado”.

      O “SeVirometro” (sic), está a milhão, cada um “dá os seus pulos” para conseguir qualquer coisa que ajude no sustento. O problema é quando a imprensa e os “especialistas economistas”, presos às suas torres de marfim e muito distantes do mundo REAL, acham que aquilo que consta acima, que mistura o empreendedorismo por NECESSIDADE para SOBREVIVER com o recorde de DESALENTO e o recorde de SUBemprego, se chama “recuperação dos empregos”…

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 6 de fevereiro de 2019 at 14:47

        Só para lembrar da dimensão total do problema:

        https://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2019/01/31/falta-trabalho-desistiu-de-procurar-subocupacao-desalento-recorde-ibge-pnad.htm

        Trechos do link acima, entre “aspas”:

        “Falta trabalho para 27,4 milhões de pessoas; 4,7 milhões desistem de buscar”

        “Em 2018, faltou trabalho para 27,4 milhões de brasileiros, uma alta de 3,4% em relação a 2017. Isso inclui desempregados, pessoas que gostariam de trabalhar mais e aquelas que não estão em busca de emprego, mas que estariam disponíveis para trabalhar. Com isso, a chamada taxa de subutilização da força de trabalho atingiu o recorde de 24,4%. Outro recorde ruim do ano passado foi o de pessoas que desistiram de procurar trabalho: cerca de 4,7 milhões de brasileiros, oficialmente chamados de “desalentados”. Em relação a 2017, o aumento foi de 13,4%”

        A situação acima, como sempre digo, é CRÍTICA, mas ainda faltam alguns componente para termos uma visão melhor. Um deles, é a DISPARADA da INFORMALIDADE, que em grande parte, está associada ao empreendedorismo por NECESSIDADE. Segue abaixo um complemento:

        https://oglobo.globo.com/economia/informalidade-bate-recorde-ao-atingir-3542-milhoes-de-trabalhadores-em-2018-1-23416920

        Trecho do link acima, entre “aspas”:

        “Informalidade bate recorde ao atingir 35,42 milhões de trabalhadores em 2018
        Número engloba empregados no setor privado e domésticos sem carteira assinada, além de empregadores e trabalhadores por conta própria sem CNPJ”

        Outro ponto que também compõe o quebra-cabeças da DETERIORAÇÃO dos empregos, diz respeito as vagas formais que estão sendo geradas e as que estão sendo perdidas, onde temos geração focada na base da pirâmide e perda em sua maioria no topo, conforme abaixo:

        https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/01/23/veja-as-profissoes-que-mais-geraram-empregos-formais-em-2018-e-as-que-mais-perderam-vagas.ghtml

        Trecho do link acima, entre “aspas”:

        “As 10 ocupações que mais geraram empregos formais:
        Alimentador de linha de produção: 100.061
        Faxineiro: 61.653
        Auxiliar de escritório, em geral: 56.511
        Servente de obras: 42.372
        Atendente de lojas e mercados: 37.079
        Repositor de mercadorias: 33.125
        Recepcionista em geral: 28.530
        Embalador, a mão: 27.497
        Assistente administrativo: 25.702
        Técnico de enfermagem: 24.420

        As 10 ocupações que mais perderam empregos formais:
        Supervisor administrativo: -23.712
        Gerente administrativo: -20.350
        Gerente de loja e supermercado: -12.984
        Gerente comercial: -10.550
        Motorista de carro de passeio: -10.166
        Pedreiro: -9.425
        Gerente de vendas: -8.964
        Supervisor de vendas comercial: -8.505
        Cozinheiro geral: -8.213
        Conferente de carga e descarga: -8.173”

        Mais uma notícia, do início de 2018, que dá ideia que aquilo que consta acima é extremamente grave, já dura mais de 10 anos e conforme dados anteriores, não para de PIORAR:

        https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/02/um-milhao-de-vagas-de-gerente-foram-eliminadas-na-ultima-decada.shtml

        Pois é, um mundo REAL que está a ANOS-LUZ das torres de marfim dos especialistas economistas…

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • EngenheiroSP 7 de fevereiro de 2019 at 07:34

          É interessante notar aparentes incogruências nessa estatística, como exemplo

          Servente de obras: 42.372 x Pedreiro: -9.425
          Atendente de lojas e mercados: 37.079 x Gerente de loja e supermercado: -12.984
          Repositor de mercadorias: 33.125 x Gerente de loja e supermercado: -12.984
          Embalador, a mão: 27.497 x Conferente de carga e descarga: -8.173
          Assistente administrativo: 25.702 x Supervisor administrativo: -23.712

          Nota-se que, além da diminuição de vagas em cargos gerenciais, os que restaram estão supervisionando mais pessoas.

          A deteriorização do emprego atinge todas as camadas, quantitativamente e qualitativamente

          5+
          • avatar
          • avatar
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 14:41

    https://famososnaweb.com/em-crise-band-acumula-divida-bilionaria-briga-na-familia-e-com-a-justica/

    A emissora não vai bem desde 2014, sendo assim, os diretores foram orientados a fazerem alguns cortes e executar demissões, que ocorreram nestes últimos anos. Além de programas serem retirados do ar. De acordo com o site NaTelinha, os profissionais da Band vinham percebendo uma certa tensão na família Saad.

    Sem dinheiro para poder investir em sua programação, o clima dos bastidores da emissora era desolador. Porém, uma esperança surgiu no final do ano passado e início de 2019, já que pessoas de alto escalão do canal garantiram que este ano tudo voltaria ao normal. No entanto, com a briga na família Saad vindo a público, os funcionários voltaram a ficar com medo, pois as demissões podem ocorrer mais uma vez. Os profissionais andam evitando perguntar sobre a situação

    https://famososnaweb.com/em-crise-band-acumula-divida-bilionaria-briga-na-familia-e-com-a-justica/

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 15:38

    Saques em poupança superam depósitos em R$ 11,232 bilhões em janeiro
    Os saques líquidos registrados no mês passado refletem, em grande parte, a necessidade de recursos para pagar despesas como IPTU, IPVA, matrículas e materiais escolares

    O montante é o segundo maior da história para o mês de janeiro, perdendo apenas para os R$ 12,032 bilhões sacados em janeiro de 2016. A série histórica do BC começou em janeiro de 1995.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 6 de fevereiro de 2019 at 15:56

      Cajuzinha,

      Pois é, além do incentivo via crédito direcionado levar para o suicídio financeiro quem já estava na pindaiba, que é a maioria da população, ainda leva um outro contingente de pessoas a secarem suas reservas e serem os próximos candidatos a enfrentarem crise financeira, como no caso acima quanto à poupança.

      Uma parte dos saques da poupança deve ter sido de quem ainda tinha uma reserva e outra de parente ou amigo que tinha reserva e sacou para ajudar, mas o fato, é que em um país com a profunda DEGRADAÇÃO nos empregos que detalhei acima, com ESTAGNAÇÃO da renda e inadimplência absurdamente ANORMAL, ao estimularem o consumo via otimismo UFANISTA e “facilidades” no crédito, mescla-se um secar das reservas dos poucos que ainda tinham, com um aumento da inadimplência geral do consumidor que poderemos ver em breve, não tem milagres…

      Obs: se continuarem estimulando este consumo com “facilidades” para o crédito mais previsões UTOPICAS sobre o resultado da reforma da previdência, a verba da poupança pode voltar a ser um problema para o setor imobiliário, se bem que a degradação da economia que estão promovendo já será um grande obstáculo para eles…

      5+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 15:43

    A economia brasileira iniciou o ano avançando de forma “mais gradual”, afirmou, em nota, Fernando Honorato, presidente do comitê da Anbima.

    O Banco Fibra, em relatório também divulgado ontem, diz ter colocado viés de baixa na estimativa de crescimento de 2,5%. “Os indicadores coincidentes e antecedentes já divulgados neste início de ano nos mostram uma economia crescendo ainda muito lentamente, com gradual melhora do mercado de trabalho”, diz o texto elaborado pela instituição.

    http://www.paranacooperativo.coop.br/ppc/index.php/sistema-ocepar/comunicacao/2011-12-07-11-06-29/ultimas-noticias/121054-economia-entidades-reduzem-projecoes-para-crescimento-e-inflacao

    5+
    • avatar
    • avatar
    • CA 6 de fevereiro de 2019 at 16:26

      Cajuzinha,

      “Dói na alma” ler este trecho do artigo acima: “…com gradual melhora do mercado de trabalho”.

      Pior que isto é o padrão das notícias, todas que você lê tem exatamente esta frase ou algo muito próximo disto.

      Ao final de 2018, com o recorde histórico de 27 milhões de pessoas para as quais FALTAM TRABALHO, seja porque estão desempregados, desalentados ou subempregados e com o recorde histórico de 35 milhões de pessoas que estão na INFORMALIDADE, a grande maioria fazendo BICOS PARA SOBREVIVER e de quebra, já tendo acumulado mais de 1 MILHÃO de perda de vagas gerenciais em 10 anos e isto ter se agravado novamente em 2018, gerando empregos formais só para a base da pirâmide, os menores salários e eles ainda tem a coragem de insistir em falar sobre “gradual melhora do mercado de trabalho”?! Em que planeta seria isto?

      Seriam todos os “especialistas economistas” completamente IDIOTAS, que só leem as manchetes sobre a redução do desemprego e NUNCA se deram ao trabalho de olhar um pouquinho além da superfície e ver o que está realmente acontecendo, ou é um excesso de MÁ-FÉ mesmo?

      Acho que na grande maioria, é o segundo caso, o desejo de ENGANAR a qualquer custo, para tentarem especular na bolsa de valores, para pegarem um bom ponto de entrada no dólar, para se beneficiarem nos seus negócios corporativos, mesmo que temporariamente e às custas de destruições muito maiores à frente, ou para ganharem uma grana dos patrocinadores, dentre tantas outras “motivações” para mentirem de forma tão DESCARADA!

      E sobre este trecho, o que dizer? “O Banco Fibra, em relatório também divulgado ontem, diz ter colocado viés de baixa na estimativa de crescimento de 2,5%. “Os indicadores coincidentes e antecedentes já divulgados neste início de ano nos mostram uma economia crescendo ainda muito lentamente…”

      PQP, sério mesmo que vão começar com a LADAINHA sem pé nem cabeça de que a economia está crescendo abaixo das “expectativas”, que o mercado de trabalho ainda não “pegou tração” e por aí vai? Mal começamos fevereiro e já estão nessa vibe? Pois é, a cada ano que passa a DESINFORMAÇÃO, o otimismo UFANISTA e outros TRUQUES SUJOS vão perdendo o efeito cada vez mais rapidamente, como o previsto, não é mesmo?

      A tradução desta frase deles é a seguinte? “Mais uma vez não fizemos ABSOLUTAMENTE NADA para combater a causa RAIZ dos problemas, ao contrário, aumentamos os problemas e suas consequências NEGATIVAS através da brilhante estratégia de apagar incêndio com gasolina e surpreendentemente, sem termos feito NADA, não houve NENHUMA melhora consistente!”. Oh, que enorme surpresa, certo? E continuam se fazendo de cegos, surdos e mudos, não só para a profunda DEGRADAÇÃO dos empregos que consta acima, mas também para a SUPER-INADIMPLÊNCIA e “N” outros indicadores de gravíssimos problemas na economia que não estão sendo resolvidos, só estão sendo constantemente PEDALADOS e MAQUIADOS!

      Pelo jeito, a diversão deste ano será a mesma dos anteriores, ver os “economistas especialistas” falando sobre as “frustrações” quanto aos resultados, só que desta vez, começaram ainda mais cedo, como o previsto…

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 15:59

    O rápido crescimento que a China demonstrou durante anos está diminuindo e a
    guerra comercial com os EUA abalou negócios. Dezenas de multinacionais
    alertaram sobre a piora da demanda. No caso da Caterpillar, as vendas caíram
    inesperadamente no quarto trimestre do ano passado. Centenas de empresas
    chinesas também avisaram que os lucros estão aquém do previsto.

    Sempre foi difícil avaliar a economia chinesa. O governo produz menos
    indicadores do que outros países grandes e a ajuda estatal complica o
    entendimento da demanda real. Por isso, especialistas consideram as
    informações das empresas mais reveladoras.

    Os dados oficiais “não refletem o que está acontecendo em toda a economia
    chinesa”, disse Leland Miller,presidente da China Beige Book. “Há bem mais
    fraqueza agora e é um problema porque os investidores não compreendem.”
    Uma das maiores preocupações dele é o fato de as empresas locais terem
    tomado empréstimos pesados nos últimos três trimestres sem que isso tenha
    impulsionado os investimentos ou o crescimento econômico. Na semana
    passada, mais de 400 companhias com ações listadas em bolsa avisaram que
    os resultados de 2018 pioraram. Um corte de impostos para pessoa jurídica,
    que foi colocado como possibilidade, não ajudaria tanto porque muitas
    empresas são estatais e já pagam pouco imposto. Juntando a isso a guerra
    comercial, é um quadro que pode se agravar rapidamente.
    “O que realmente poderia piorar tudo é se as negociações comerciais
    fracassarem e isso se somar à fraqueza atual”, disse Miller. “Certamente haveria
    uma crise na China.

    https://economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2019/02/06/freada-da-economia-chinesa-nao-atinge-todos-os-setores.htm

    3+
    • avatar
    • CA 6 de fevereiro de 2019 at 16:47

      Cajuzinha,

      Empréstimos pesados na China feitos por 400 empresas listadas na bolsa de valores sem se refletir em melhora nos resultados, é algo MUITO GRAVE. Denota que estão lutando para sobreviver, pegando um empréstimo de prazo mais longo para cobrir outro que está vencendo no curto prazo, para continuarem com suas operações, terem capital de giro, algo similar ao que muitas empresas aqui no Brasil tem feito nos últimos anos e que levou várias delas a QUEBRAREM quando não conseguiram mais PEDALAR com este esquema.

      Sobre os problemas da China em si, são antigos e tem crescido como bolas de neve, tendo como causa raiz, as bolhas criadas na China, em especial a bolha imobiliária, que trouxe de arrasto o shadow banking, o super-endividamento corporativo, os preços surreais de imóveis e vários outros estragos profundos para a economia, análogo ao que vemos por aqui, só que lá, com uma escala e um “obscurantismo” nos números que nem aqui encontramos algo similar, a Guerra Comercial EUA versus China pode ser apenas UM dos alfinetes para estas bolhas e o FAKE PIB deles.

      A China sozinha, dado o contexto acima, dependendo de como explodir e não existirem “atenuantes” nas dimensões necessárias, já seria o suficiente para uma GEELE (Global Economic Extinction Level Event – by PXdPF)…

      4+
      • avatar
      • avatar
  • Nunes 6 de fevereiro de 2019 at 16:32

    Cesar_DF

    Putz, se esse cara acha que o Mourão é um progressista, ele não tem a menor ideia do que seja o libertarianismo

    1+

    Eu deixei o espaço lá aberto para a discussão de idéias. Acredito que o artigo foi escrito, pela estratégica do Mourão que talvez não foi completamente bem interpretada

    2+
    • Cesar_DF 6 de fevereiro de 2019 at 16:56

      Nunes
      É um erro comum
      A esquerda recentemente “se apropriou” dos ideais libertários que já existem há mais de 200 anos.
      Como o discurso do PROLETARIADO X BURGUESIA já não funciona mais, eles passaram a usar o discurso do OPRIMIDO X OPRESSOR, e dai desvirtuaram o conceito do “direito do indivíduo” para o “direito das minorias” que seria estes grupos de pessoas que se sentem oprimidas, fazendo com que a vontade deste “coletivo” queira se impor tanto sobre as maiorias quanto sobre os indivíduos.

      Tanto é que o Paulo Freire é mais citado que Karl Marx
      https://www.hypeness.com.br/2016/06/paulo-freire-e-terceiro-teorico-mais-citado-em-trabalhos-academicos-no-mundo/

      5+
      • avatar
    • Cesar_DF 6 de fevereiro de 2019 at 17:02

      A esquerda mudou seu foco, dá FÁBRICA para a ESCOLA, por isso a mudança do foco no conflito de PROLETARIADO X BURGUESIA para a OPRIMIDO X OPRESSOR.
      Se encaixou perfeitamente no gradualismo na implantação do socialismo, pregado pelo Antonio Gramsci, e foi tão bem implantado no Brasil que até 10 anos a SOCIAL DEMOCRACIA do PSDB era considerada de CENTRO-DIREITA kkkkkk

      6+
      • avatar
      • avatar
  • socrates 6 de fevereiro de 2019 at 16:43

    Do cabra cortando o cabelo ao meu lado: imovel nao desvaloriza, ele só perde valor quando o mercado esta fraco. Isso no hell. Nao é possivel, deve ter alguma coisa que o pessoal aqui sabe e eu nao sei kkkkkk

    7+
    • avatar
    • CA 6 de fevereiro de 2019 at 16:49

      socrates,

      O auto-engano é uma droga poderosa, a pessoa ALUCINA com facilidade: “imóvel não desvaloriza, só perde valor…”. Perder valor = Desvalorizar. Sobre a causa raiz na “brilhante visão” dele ser o “mercado fraco”, é o que dizem na mídia mainstream para ILUDIR os INCAUTOS, como ele não tem o mínimo de espírito crítico, entuba sem pestanejar.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 6 de fevereiro de 2019 at 17:31

        Encarar e aceitar uma frustração é só para os fortes, muitos preferem viver na ilusão…

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Jonny Deep Blue 6 de fevereiro de 2019 at 21:59

        E são essas pessoas com esse entendimento que tornam-se vereadores, prefeitos,etc. Pessoas cegas e que não se enxergam no espelho…

        6+
        • avatar
        • avatar
  • Carcará 6 de fevereiro de 2019 at 17:13

    Aqui em Hellcife ainda estamos todos ricos!
    Qualquer amontado de tijolos “vale” , ao menos, meio milhão de reais. (entender “vale” como: é anunciado por)
    Como passatempo fico acompanhando preço dos imóveis e visitando alguns só para mostrar para patroa que não vale a pena.
    Rumo a um milho grande!

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 6 de fevereiro de 2019 at 17:46

      -meu irmão dizendo que a casa do meu pai ia dobrar de preço (330 pra quase 700k) só por causa da duplicação de uma rodovia e acesso ao aeroporto de Floripa.. Nós vendemos por 300, mas me parece que ele estava triste… Falei: o problema é achar alguém com 650k, o encanamento estourou na casa, e o muro estava caindo e nem tem escritura publica pra poder financiar… (vai sonhando!!) !!! cada uma.!!!
      parece até que está cheio de gente com 300k ou mais guardados… kkk pqppp

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CA 6 de fevereiro de 2019 at 17:40

    https://www.seudinheiro.com/gafisa-e-acusada-de-tentar-receber-pela-2a-vez-creditos-que-vendeu-como-cri/

    Trecho do link acima, entre “aspas”:

    “Polo Capital diz que comprou CRIs da Gafisa, mas empresa mandou boleto para o cliente com o número da sua conta bancária. Prática prejudica investidor que comprou CRIs com recebíveis da incorporadora.”

    Quando uma empresa chega neste grau de DESESPERO para fazer caixa, de FAJUTAR boleto colocando os seus dados para receber o dinheiro do cliente ao invés dos dados da empresa de quem ela já antecipou aquele recebível, é porque não precisa nem oficializar mais a Recuperação Judicial, já chegaram no fundo do poço…

    Agora imaginem ainda, que este esquema de securitização via CRI, empacotando recebíveis e vendendo no mercado, com o GOLPE acima, leva prejuízo não só para a empresa que intermediou o negócio que perde credibilidade, mas principalmente para os SARDINHAS que se arriscaram a comprar estes CRI!

    OBS1: provavelmente a Gafisa vai dizer que foi algum “erro de sistema” ou algo assim, como desculpa ESFARRAPADA, mas na prática, queimou demais o seu nome e transpareceu para TODOS que ela não tem mais salvação.

    Detalhe: o que a CEF quer fazer com R$ 100 BILHÕES em títulos que ela tem, é bem próximo disto: transformar em CRI, distribuindo para grande número de investidores. Só que neste caso, os SARDINHAS vão descobrir o tamanho do prejuízo, quando virem que boa parte dos títulos “AA” na realidade são PODRES e que a CEF estava só replicando o esquema do subprime americano que amplificou enormemente a destruição causada pela bolha imobiliária americana…

    OBS2: lembrando que a CEF NÃO vai ter sucesso em sua tentativa de replicar o esquema de securitização do subprime americano, afinal, uma empresa que foi ameaçada de ter TODOS os VP´s na cadeia pelo MP, em função de INÚMEROS crimes cometidos, mais recuperações MIRABOLANTES de crédito em meio a crise e uma INFINIDADE de rombos, não tem credibilidade para isto, sem contar que vão faltar empresas para comprarem tantos títulos e depois, mesmo que obtenham este dinheiro para PEDALAR com mais crédito PODRE, vão faltar clientes para adquirirem este crédito que pelo menos eles possam FINGIR que tem o MÍNIMO de condição para adquirir tal empréstimo, ou seja, o esquema da CEF não para em pé, o que demonstra que, o novo presidente da CEF, um ex-BTG, não só tem má-fé em tentar replicar este CRIME que nem a Dilma / Mantega / “economistas” da Unicamp e Nefastos da CEF tiveram coragem de fazer antes, como também, não sabe nem o que está TENTANDO fazer e o quanto é inviável…

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 6 de fevereiro de 2019 at 17:53

    INFELIZMENTE não tem salvação…

    https://www.valor.com.br/empresas/6105567/saraiva-fecha-tres-lojas-em-um-mes-numero-cai-para-82-pontos

    Trechos do link acima, entre “aspas”:

    “SÃO PAULO – A rede Saraiva, em recuperação judicial, fechou três lojas em dezembro, e o número caiu para 82 pontos, informa relatório de atividades do mês, publicado pelo administrador judicial. O Valor havia antecipado, em janeiro, que a companhia cogitava novos fechamentos de pontos porque os proprietários estavam solicitando despejo da rede. ”

    “Até o dia 30 de janeiro, existiam 30 ações de despejo em curso, das quais sete aguardam citação da Saraiva. O Valor informou em janeiro a existência de 33 ações de despejo naquele momento.”

    Comento (CA) sobre trechos acima:

    Haja lojas sendo “disponibilizadas” para os proprietários dos espaços, só pela soma de Saraiva, FENAC, Livraria Cultura e outras do segmento, mais INÚMERAS outras que fecham sem parar (falei de 2 casos simultâneos na principal avenida de Jundiaí outro dia). Tudo isto e MUITO MAIS faz parte da “recuperação” dos imóveis comerciais em 2019 – TRAGICÔMICO!

    Outro trecho da reportagem acima, entre “aspas”:

    “Pagamento das dívidas O plano de recuperação da Saraiva, a ser votado neste mês por bancos, editoras e empregados, prevê que os credores sem garantia real, como editoras de livros, recebam 5% da dívida um ano após a homologação do plano, e para pagamento em 14 anos. Ou seja, considerando a carência de um ano, a rede termina de pagá-los em 2034. No plano da Livraria Cultura, a empresa termina de pagar os credores em 2033.”

    Comento (CA) sobre o último trecho acima:

    Pois é, o que são 13 ou 14 anos de atraso para o fluxo de caixa de uma empresa, não é mesmo? Passa rápido… (TRAGICÔMICO 2).

    É sobre isto que sempre tenho falado quanto aos credores destas empresas que estão quebrando, eles tem fortes prejuízos que atingem por sua vez a outros fornecedores e demais credores deles e por aí vai…

    Agora, frente ao que coloquei logo acima sobre a Gafisa, imaginem quando chegar a vez dela quanto ao plano de recuperação judicial, qual vai ser o tamanho do PREJUÍZO que vão querer ENTUBAR para os credores, sendo que MUITOS DELES, são os mesmos que já tiveram FORTE PREJUÍZO com PDG, Viver, Rossi e uma infinidade de outras construtoras que não tem Ações na BOVESPA?

    7+
    • avatar
    • avatar
    • tmarabo 7 de fevereiro de 2019 at 09:31

      meu cartão de crédito é da saraiva, vou ter que começar a ver outro…. o bom da saraiva é que, além da anuidade grátis é administrado pelo banco do brasil. mas o sistema de recompensas é ruim, se bem que eu nunca me dei bem com o sistema de milhas….

      0
      • tmarabo 7 de fevereiro de 2019 at 09:32

        quais cartões vocês usam com anuidade grátis? nubank????

        0
      • bolha_dos_pampas 7 de fevereiro de 2019 at 09:41

        Ainda bem que escolhi o da Petrobras… também é administrado pelo BB e dá para usa-lo pelo aplicativo via NFC.

        0
  • CA 6 de fevereiro de 2019 at 18:38

    Na notícia abaixo, falam sobre a derrocada na BOVESPA, na Vale, nos bancos e também para Gafisa e Saraiva em função de eventos que mencionei logo acima:

    https://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7912017/ibovespa-cai-3-com-vale-perdendo-licenca-e-preocupacao-com-atraso-na-previdencia

    Falando sobre a Vale:

    Justiça determinou fechamento de uma barragem que estando interditada, por tabela, inviabiliza a continuidade de produção da segunda maior mina da Vale.

    Impacto enorme, que se vier a se prolongar, terá efeito muito forte de queda de produção e faturamento, inclusive com impacto global sobre a cotação do minério de ferro, até porque a Vale já foi obrigada a comunicar formalmente o não atendimento a alguns contratos por “motivo de força maior”.

    “N” desdobramentos desta história para a recuperação da indústria brasileira em 2019 que iria “dobrar a taxa de crescimento em relação à 2018” mesmo com queda das importações argentinas, mesmo com todos os vários problemas internos quanto à empregos, renda, inadimplência, etc, mesmo com a TRAGÉDIA de Brumadinho que já era conhecida no momento de divulgação de tal previsão e ainda, fora a desaceleração global e bolhas no Exterior, tudo isto como parte do MILAGRE esperado por um certo ex-presidente do BC que aposta no poder salvador de PEDALAR com o crédito PODRE e direcionado.

    Ainda quanto à Vale, como a Ação dela se recuperou tanto e tão rapidamente, se haviam tantas indefinições e RISCOS sobre os impactos para esta empresa mediante uma TRAGÉDIA tão colossal como a que tivemos?

    Usaram uma estorinha para boi dormir de que a PROMESSA da Vale de fechar barragens similares à de Brumadinho daqui a alguns ANOS garantiria “salvo-conduto” para a Vale continuar suas operações “normalmente”, como se nada tivesse acontecido.

    É análogo ao que estão fazendo com a reforma da previdência, uma promessa completamente UTÓPICA de que ela é o Santo Graal, sem que sequer tenha qualquer influência no curto prazo e no mundo REAL, no caso da Vale, tudo para os TUBARÕES se livrarem de sua posição problemática na Vale e entubarem os prejuízos para os SARDINHAS e no caso da reforma da previdência, para fazerem isto em uma escala muito maior.

    Falando sobre os bancos:

    “Contaminados” pelo resultado geral da BOVESPA, da Vale, do preço do Petróleo, dos resultados do Itaú que deixaram algo a desejar apesar do lucro recorde, do resultado do Santander que já tinha despertado algumas suspeitas e por aí vai. Na prática, só viram a ponta do iceberg, se tivessem uma vaga noção do tamanho das MAQUIAGENS e PEDALADAS, já estaríamos em crise sistêmica via profecia auto-realizável com a fuga de dinheiro dos bancos.

    Falando sobre a reforma da previdência que teria ajudado a “azedar” o resultado da BOVESPA de hoje (DESABANDO 3,7%):

    Dizem que o maior problema é que a nova PEC, não aproveitando a anterior do Temer, vai deixar o processo de votação e aprovação mais moroso. Qual a essência do problema em si, se afinal, todos continuam “confiantes” quanto à aprovação da reforma da previdência? Vamos a mais um mini-vestibular:

    a) Não estão tão confiantes assim sobre a aprovação da reforma da previdência e a demora maior aumenta a desconfiança;

    b) Tem medo que neste meio-tempo apareçam mais e mais PODRES ligados ao Fatura Midas Bolsinho e isto seja o suficiente para melar a governabilidade e a votação da reforma da previdência, por não conseguirem desvincular a imagem dele do pai, nem conseguirem fingir o suficiente que o pai não poderia saber de esquemas tão MIRABOLANTES quanto os praticados;

    c) Tem medo de que com tal demora, apareçam mais e mais dados do mundo REAL que demonstrem que a situação está crítica e que talvez alguém tenha a coragem de revelar a verdade e que a reforma da previdência NÃO É o Santo Graal que resolverá todos os problemas da noite para o dia, ao mesmo tempo que eles morrem de medo que os eventos externos (bolha das bolhas americana, bolha imobiliária chinesa, guerra comercial EUA X China) explodam mais visivelmente antes da votação e isto gere uma hecatombe que no final demonstre que a reforma da previdência não dá conta de passar sequer toda a segurança que é esperada para garantir a manutenção de investidores no país e muito menos, o super crescimento prometido, o que comprometeria sua aprovação e até mesmo o otimismo UFANISTA que estão plantando;

    d) Todas as anteriores.

    Mais uma vez, acertou quem apostou na alternativa “d”.

    OBSERVAÇÃO FINAL:

    Mas amanhã, ou mais tardar sexta-feira, inventam outro conjunto de PEGA-TROUXA e a BOVESPA voltará a subir novamente, como sempre.

    9+
    • avatar
    • avatar
  • odorico 6 de fevereiro de 2019 at 19:10

    Reportagem Jornal da Band: BC mantém juros em 6,5. Motivo: Recuperação gradual da economia e inflação controlada.
    Boechat: “Uai, se a economia está recuperando e a inflação está controlada, porque não baixar os juros?”
    Cumpadi Washington: “Sabe de nada, inocente!”

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 6 de fevereiro de 2019 at 19:23

      juros em leve alta inversa estável e inflação em queda estável positiva

      4+
      • avatar
    • socrates 7 de fevereiro de 2019 at 06:49

      https://www.seudinheiro.com/gafisa-e-acusada-de-tentar-receber-pela-2a-vez-creditos-que-vendeu-como-cri/
      Sabemos que todas essas empresas sao zumbis e, inclusive, outro dia um poderoso de uma delas se suicidou no que a “midia” chamou de “sofrer queda de edificio””.
      Mas, no caso da Gafisa, ela nao poderia estar sendo sabotada? (como se precisasse disso para quebrar lol)
      Pergunto isso porque essa nova noticia, do CRI, é MUITO BIZARRA.
      Será que o novo comando da Gafisa está tentando algo novo, que vai alem da manutenção do estado zumbi acordado por todas as outras?

      2+
      • CA 7 de fevereiro de 2019 at 07:33

        socrates,

        Isto não tem nada de sabotagem, é DESESPERO de quem não consegue dinheiro de nenhuma outra forma e apela para saídas ilegais e descaradas.

        Como disse mais acima, a Gafisa vai alegar erro de sistema, para tentar se defender, mas a esta altura TODOS já sabem que ela está QUEBRADA e sem recuperação.

        3+
        • avatar
        • avatar
        • CA 7 de fevereiro de 2019 at 07:45

          E se você acha que a situação da Gafisa acima é “inverossímil”, que ninguém se arriscaria a fazer algo tão estúpido e desesperado para pedalar e ter sobrevida, lembre-se do seguinte:

          O novo presidente da CEF, que é um ex-BTG, lembrando que a BTG cometeu CRIMES FINANCEIROS no passado em conjunto com a CEF (Panamericano e FALSOS títulos podres), sugeriu o seguinte:

          Pegar R$ 100 BILHÕES em títulos da CEF, grande parte deles que são PODRES, mas que a CEF transformou em “AA”, conforme trabalho divulgado pelo Cesar_DF aqui e empacotar estes títulos em CRI, vendendo no mercado para “felizes investidores”, que depois de algum tempo, vão levar um monstruoso prejuízo ao descobrirem a inadimplência REAL associada a estes títulos e que eles valem MUITO MENOS do que o valor que eles pagaram!

          E a CEF quer fazer isto para, junto com R$ 50 bilhões de IPO de empresas filhas da CEF, distribuir mais R$ 150 bilhões em crédito imobiliário nos próximos anos, onde com certeza, grande parte será crédito PODRE.

          O que a CEF está planejando fazer é VARIAS VEZES MAIS GRAVE do que aquilo que a Gafisa fez, é equiparável ao que fizeram no subprime americano que amplificou e muito a DESTRUIÇÃO da economia e sociedade por lá. Tão grave, que nem mesmo a dupla Dilma / Mantega, os “economistas” heterodoxos desenvolvimentistas da Unicamp e os Nefastos da CEF tiveram coragem de fazer antes!

          E aí, o que você poderia dizer neste caso? Alguém para “sabotar a CEF” colocou um “clone” do novo presidente da CEF dando a declaração que faria o esquema acima, só porque você acha que ninguém faria algo tão tosco, DESESPERADO e nesta proporção só para manter os esquemas PODRES?

          OBS: a CEF não vai conseguir executar o esquema acima por “N” motivos que expliquei em comentário mais acima.

          3+
          • avatar
          • avatar
          • socrates 7 de fevereiro de 2019 at 08:52

            “E se você acha que a situação da Gafisa acima é “inverossímil”, que ninguém se arriscaria a fazer algo tão estúpido e desesperado para pedalar e ter sobrevida, lembre-se do seguinte:
            O novo presidente da CEF, que é um ex-BTG, lembrando que a BTG cometeu CRIMES FINANCEIROS no passado em conjunto com a CEF (Panamericano e FALSOS títulos podres)….”

            mais uma vez voce tem razão, CA.
            É que a Gafisa já tem mais de 60 anos. Sei lá, é muita história. É melhor fechar e cair bem do que jogar tudo no lixo , como parece ser o caso…
            Mas será que realmente não tem mais nada por trás? (sim, agora nao tenho como negar que é mais teoria da conspiração…)
            Veja bem, a notícia já teve tempo para ser negada! E inclusive de se jogar a culpa no estagiário.
            Será que não pode ser jogada dos novos gestores com quem comprou os CRIs? Tipo, se todos estiverem com o rabo preso, chega-se a um acordão e depois jogam a culpa no estagiário (mais ou menos como fizeram em SP, naquele caso que acharam um Queiroz – jovem que assumiu quase 400 mi em desvios e já está de boa).

            0
            • CA 7 de fevereiro de 2019 at 09:35

              socrates,

              A Gafisa de hoje não tem mais NADA A VER com o início de sua história há 60 anos!

              Já em 2005, com a entrada de Sam Zell, mega investidor americano muito atuante na bolha imobiliária dos EUA, a Gafisa se corrompeu e praticou os atos mais INFAMES possíveis, esqueça a história de décadas dela como se fosse algo “positivo”.

              Já em 2007 a Gafisa comprou terrenos à rodo e A PARTIR DE 2008 DISPAROU nos lançamentos e vendas FALSAS na planta, liderando este esquema de pirâmide financeira em conjunto com a PDG. Sam Zell vendeu 90% das Ações em 2010 e em 2011 “apareceram” DISTRATOS BILIONÁRIOS E ANORMAIS, que nunca existiram na história de DÉCADAS da Gafisa, nem em percentual sobre vendas, nem em valores, apesar de ela já praticar vendas na planta HÁ DÉCADAS.

              Depois, em 2013, golpe aplicado com fundo de investimentos americano que levou 70% do segmento Alphaville para dar sobrevida ao esquema PODRE acima. Golpe repetido, só que com outro fundo de investimentos americano, em 2016 com venda de 30% do segmento Tenda. Esquemas em que os investidores ficaram no prejuízo, mas os administradores deste fundo, certamente no lucro “por fora”.

              Daí, esgotados os GOLPES acima via fundos de investimentos americanos e destruindo a empresa, ainda conseguiram vender a massa falida para um coreano que não entendia NADA deste segmento e o que ele faz? CALOTES para tudo e para todos, até para o aluguel da sede administrativa da Gafisa, GOLPE de DESINFORMAÇÃO que fez com que a Gafisa visse o preço de sua Ação subir 58% no início de Janeiro/2019 para DESPENCAR menos de duas semanas depois e mais recentemente, interromper 10 de 15 obras em andamento e aplicar um novo GOLPE, agora com emissão de CRI, obtenção de dinheiro adiantado e emissão de boleto em nome da Gafisa e não da empresa que adiantou o dinheiro para eles, como deveria ser.

              Golpes e mais golpes explicados e DEMONSTRADOS por aqui neste blog por INÚMERAS vezes desde a fundação do blog ao final de 2010 e você ainda tem como referência da Gafisa uma empresa com décadas de existência e que deveria ser mais “confiável” por isto??? Você pensa da mesma forma para o Brasil e seus séculos de existência?

              2+
              • avatar
    • CA 7 de fevereiro de 2019 at 07:59

      Zebolheu,

      Lembrando sobre esta situação acima, da interrupção de 10 do total de 15 obras, um comentário que fiz de uma semana atrás, que também ajuda a explicar porque novas APELAÇÕES como o esquema do CRI que mencionei no tópico atual:

      CA 30 de janeiro de 2019 at 08:50
      Em vários comentários acima, detalhei pontos sobre a derrocada da Gafisa.

      Compilando o que coloquei acima e ficou espalhado em alguns comentários:

      – Gafisa QUEBRADA, sem fôlego para PEDALAR e sem novas APELAÇÕES à vista, com 10 de 15 obras que estão INTERROMPIDAS por falta de caixa, assim como calote para “N” fornecedores e bancos, inclusive sem pagar aluguel do prédio da sede administrativa que pertence a fundo de investimentos administrado pela BTG e sendo ameaçada de DESPEJO!

      – Gafisa, Cyrela e outras construtoras AMPLIFICANDO o esquema da pirâmide financeira das vendas FALSAS na planta: aumentam o valor da entrada e total do imóvel, com isto, fica mais difícil para o “comprador” aprovar o crédito imobiliário e quando vier o inevitável DISTRATO no ato da entrega do imóvel, a construtora garante 50% do total pago até então “no bolso”, sendo que será um valor maior que antes. Negócio da China, amplificar um crime financeiro com apoio do congresso e de nova lei!

      – Consequências do que consta acima para economia e sociedade? Mais milhares e milhares de pessoas perdendo montantes relevantes ao caírem no golpe das vendas FALSAS na planta, calotes se multiplicando para fornecedores e bancos com a nova quebra da Gafisa e de tantas outras construtoras que ainda virão em função das consequências INEVITÁVEIS deste golpe (super-estoques, perdas relevantes de caixa, super-endividamento, etc), com efeito sobre toda a cadeia de suprimentos quanto à aumento no DESEMPREGO da construção civil e relacionados, perda relevante de liquidez na economia, manutenção de juros finais muito elevados por bancos coibindo investimento e consumo, novos estrangulamentos na renda das famílias para pagarem por prestações das vendas na planta ou para aquelas que conseguirem o crédito imobiliário, mais crédito PODRE despejado na CEF aumentando os ROMBOS intermináveis deste banco, etc, etc, etc…

      Complementando as informações, segue link de abril/2014 que já listava as líderes da pirâmide financeira das vendas FALSAS na planta:

      https://defendaseudinheiro.com.br/a-bolha-imobiliaria-e-o-subprime-brasileiro

      Aqui um gráfico que é parte do documento acima, apresentando os principais indicadores destas construtoras líderes neste esquema de crime financeiro:

      http://defendaseudinheiro.com.br/wp-content/uploads/2014/05/Post-23-imagem-2-corrigida.png

      Lembrando que o documento acima é de abril/2014 e de lá pra cá o que vimos das construtoras que listei:

      – Viver e PDG entraram em recuperação judicial;

      – A Rossi entrou em reestruturação de dívidas;

      – A Brookfield teve que ser socorrida pela matriz do Exterior com enorme injeção de capital e teve até que mudar de nome, pois já estava “suja no mercado”;

      – A Gafisa está distribuindo CALOTES à rodo e acelerando o caminho para entrar em recuperação judicial;

      – A Tecnisa foi socorrida por Cyrela, bancos e outras ações APELATIVAS, mas também está em situação financeira complicada;

      – A MRV é única que AINDA está conseguindo PEDALAR, graças a uma combinação de fatores: ela foi a última a entrar na festa da pirâmide financeira das vendas FALSAS na planta, é a mais beneficiada pelo MCMV e assim, é a que mais empurra crédito PODRE para a CEF, é a que mais PEDALA com adiamento de reconhecimento de distratos e com novas vendas FALSAS na planta, SIMULANDO assim melhorias com esta maquiagem contábil, é a campeã nacional em mão-de-obra ESCRAVA, tem construções com PÉSSIMA qualidade em regiões sem o mínimo de infraestrutura e os mais fortes “contatos” com os governantes, dentre outros motivos.

      Pois é, não era tão difícil de prever ANOS atrás o que aconteceria com estas construtoras, os números já davam todas as pistas sobre os truques sujos praticados e suas consequências INEVITÁVEIS, mas ainda não chegamos ao fim, ainda tem muita coisa para acontecer e o governo e congresso estão fazendo todo o possível para que o fim seja uma completa HECATOMBE, infelizmente…

      4+
      • avatar
      • avatar
      • socrates 7 de fevereiro de 2019 at 09:00

        aposto na empresa que o Wolf vai lançar.
        Ele vai tomar o mercado desse bando de falidos corruptos!

        0
  • Jonny Deep Blue 6 de fevereiro de 2019 at 22:59

    CVR
    A proprietária de uma casa em Porto de Galinhas, no Litoral Sul de Pernambuco, teve o imóvel invadido por um homem desde o ano passado. Ainoã Edney mora nos Estados Unidos com o marido e possui uma casa, na qual passa férias, no entanto, em agosto de 2018 teve a desagradável surpresa ao ser informada de que a sua propriedade foi invadida.

    Além de invadir a casa, o homem a reformou. “Ele levantou o muro, trocou a piscina, colocou vidros e janelas. Ele fez uma reforma total na minha casa”, declarou Ainoã.

    Ao saber do acontecido, a proprietária passou a manter contato com o invasor por telefone e aplicativos de mensagens. Segundo Ainoã, o homem passou a cobrar um valor da proprietária para sair do imóvel.

    https://www-correio24horas-com-br.cdn.ampproject.org/v/s/www.correio24horas.com.br/amp/nid/homem-invade-imovel-faz-reforma-completa-e-pede-reembolso-para-sair/?amp_js_v=a2&amp_gsa=1#referrer=https%3A%2F%2Fwww.google.com&amp_tf=Fonte%3A%20%251%24s&ampshare=https%3A%2F%2Fwww.correio24horas.com.br%2Fnoticia%2Fnid%2Fhomem-invade-imovel-faz-reforma-completa-e-pede-reembolso-para-sair%2F

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 7 de fevereiro de 2019 at 08:33

      o boulos curitu isso :@

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 6 de fevereiro de 2019 at 23:07

    -minha irmã me liga indignada que os corretores de floripa estão baixando muito os preços “pra se darem bem”… kkk eu disse que vai ficar disso pra pior…desligou na minha cara.
    A gente vendeu uma casa por 300 mas disseram pra ela que valia 430k na região. casa com piscina e garagem pra 3 carros… mas não tem como financiar e seriam mais de 40k em reformas ( e ela esquece iptu, itcmd, cartórios etc)… ai ai

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • socrates 7 de fevereiro de 2019 at 06:09

      Em cntp , os preços ja teriam despencado ha muito tempo. Ainda assim, fico impressionado. Como pode o hell ser tao mais caro que florianopolis mesmo sendo tao pior? Os negocios com o mercado imobiliario do novo senador fluminense dao uma.pista,ne…

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • EngenheiroSP 7 de fevereiro de 2019 at 07:26

        Ai você imagina que o bolsinho é só mais uma engrenagem na máquina de corrupção e lavagem de dinheiro que é o Estado, em especial o RJ, e terá uma ideia de como a bolha chegou nesse nível.

        E colocamos no poder aqueles que fizeram sua fortuna principalmente com imóveis (não que a alternativa fosse melhor), seja em operações dignas de Nobel de Economia, seja operando em construtoras, seja fazendo cambalachos com a CEF. Essa turma não terá medo de usar qualquer método pra manter a bolha, não importa quão criminosa seja a necessidade.

        Resta saber até que ponto esses malabarimos serão suficientes para dobrar a realidade e, por consequência, ancorar o país nessa economia medíocre

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • socrates 7 de fevereiro de 2019 at 08:59

          O pior é que como o presidente é o “messias”, é bem capaz deles mudarem a história, para parte dos “crentes” fingir acreditar que se trata de uma repetição do conto mítico Abraao/Isaac, e outra parte , completamente alienada, simplesmente seguir como gado (cartórios privados, não digitais e não TOTALMENTE transparentes possibilitam isso) para fazer o caso parecer

          3+
          • avatar
          • socrates 7 de fevereiro de 2019 at 09:04

            a edição falhou e o que está além dos parenteses está em excesso

            0
      • CA 7 de fevereiro de 2019 at 07:31

        socrates,

        Só para lembrar, tivemos a EUFORIA IRRACIONAL gerada pelas “melhorias viárias” que seriam trazidas pela Copa do Mundo e Olimpíadas no Rio de Janeiro, que foram parte do esquema de mega DESINFORMAÇÃO usado para inflar a bolha imobiliária nesta cidade, que teve o aumento de preços de imóveis mais absurdo já visto em todo o mundo.

        E hoje, o que vemos da tal “melhoria viária”? Uma ciclovia construída para o evento que MAIS UMA VEZ teve um pedaço que DESABOU?

        https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2019/02/07/trecho-da-ciclovia-tim-maia-desaba-com-temporal-no-rio.ghtml

        Desmoronamentos, quedas de barreiras, alagamentos e por fim, mortes e “estágio de crise”:

        https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2019/02/07/rio-tem-previsao-de-novos-temporais-para-esta-quinta-feira-municipio-segue-em-estagio-de-crise.ghtml

        Em que os fatos acima combinam com “melhorias viárias” que seriam parte das justificativas para uma subida ABSURDA nos preços dos imóveis no Rio de Janeiro?

        Hoje temos no Rio de Janeiro uma renda média próxima de R$ 2 mil e em contra-partida, o preço médio dos imóveis anunciados no Rio de Janeiro é de R$ 836 mil!

        Onde ficaram o Pré-Sal, as obras faraônicas da Petrobras (ambos para alimentarem Propinodutos), o eterno crescimento do salário para o funcionalismo público graças a isto, a pujança do segmento imobiliário e tantos outros DELÍRIOS criados para a cidade do Rio de Janeiro e que também colaboraram para esta profunda ALIENAÇÃO entre os imóveis, seus preços e a REALIDADE da cidade?

        O exemplo acima é um dentre INÚMEROS outros, que demonstra o tamanho da DESTRUIÇÃO que ocorre quando plantam otimismo UFANISTA!

        Obras viárias PORCAS, super-faturadas, que DESPENCAM mais de uma vez, desmoronamentos, alagamentos, CAOS fiscal, violência extremada, CORRUPÇÃO recorde do país e imóveis por preços SURREAIS.

        Este é o preço a pagar e INFELIZMENTE, a super ultra mega euforia IRRACIONAL ao redor do nosso novo Santo Graal, a reforma da previdência, arrastará pessoas, governos e empresas para situações análogas a estas, talvez em menor proporção e mais focadas no suicídio financeiro, mas ainda muito danosas para economia e sociedade.

        Depois de uma festa SEM LIMITES, não vem uma mera “ressaca”, se o que ocorre é uma enorme overdose, a consequência é no mínimo ser internado na UTI.

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • socrates 7 de fevereiro de 2019 at 09:11

          “Hoje temos no Rio de Janeiro uma renda média próxima de R$ 2 mil e em contra-partida, o preço médio dos imóveis anunciados no Rio de Janeiro é de R$ 836 mil!”

          E a cidade cheia de favelas…
          A omissão do Ministério Público é criminosa. O judiciário já sabemos estar completamente corrompido mesmo

          6+
          • avatar
  • Cajuzinha 7 de fevereiro de 2019 at 08:35

    De acordo com a publicação de Laura, mesmo sem ter anunciado sequer uma medida econômica em seu primeiro mês de governo, o presidente já começou a tentar convencer os brasileiros de que a economia está melhorando. Chegou a afirmar, por exemplo, que “a taxa de investimento parou de cair, os postos de trabalho voltaram a ser criados e a renda das famílias começou a dar sinais de melhora”. Como destacou a agência Aos Fatos em sua checagem da carta, o IBGE ainda não divulgou dados de emprego, renda das famílias e taxa de investimento para janeiro.

    O que sabemos a partir dos dados do ano passado é que continuamos vivendo a mais lenta recuperação da história das crises brasileiras, com baixíssima criação de empregos formais e frustrações sucessivas das expectativas de crescimento, continua a publicação.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • socrates 7 de fevereiro de 2019 at 09:13

      e os dados podem ser manipulados via contabilidade criativa.
      Tipo: acordão para eleger o Bolso por mdb, pt, psl e outros.
      Para viabiliza-lo, vamos piorar os últimos numeros de 2018 para 2019 começar com “animo novo”.
      O que o governo , passados um mês, fez de fato para botar os bandidos do mdb, incluindo temer e outros na cadeia?
      Se aliou a Rodrigo Maia , DEM e falsos crentes.

      Gol da Alemanha

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 7 de fevereiro de 2019 at 09:20

      Cajuzinha,

      Às vezes me pergunto se de fato mudamos de governo. É tudo tão igual aos anteriores, as vezes pior em alguns aspectos, melhor em outros, mas na média, muito parecido no populismo, nas PROMESSAS, no ILUSIONISMO e DESINFORMAÇÃO, fora os esquemas SUJOS com que se envolveram e apareceram em prazo recorde e no final, MUITO INFERIOR ao que o país precisa.

      O otimismo UFANISTA, extremamente DANOSO para economia e sociedade, conforme demonstro por aqui diariamente (vários exemplos neste tópico), foi AMPLIADO como nunca neste “novo” governo. Alguns exemplos:

      – Antes mesmo de assumirem, super ministro falando sobre obter R$ 700 BILHÕES em privatizações e mais R$ 300 BILHÕES em vendas de imóveis do governo e isto sem nem mexer em empresas “estratégicas” (CEF, Petrobrás, BB), fora o Tsumoney de investimentos diretos PROMETIDO, uma enorme viagem na maionese;
      – Depois de ter assumido, o mesmo super-ministro da economia disse que com a reforma da previdência teríamos uma DÉCADA de crescimento contínuo, é pra lá de ABSURDO;
      – E o que dizer de um presidente da câmara, que após reunião com o super-ministro da economia, fala em crescimento de 6% no PIB nos 12 meses posteriores à aprovação da reforma da previdência?
      – Agora, o “novo” presidente, falando sobre melhoria que já estaria acontecendo sem ele ter feito ABSOLUTAMENTE NADA, apenas repetir a mesma PROMESSA sobre a reforma da previdência que já foi feita por Temer e Dilma antes e não cumprida. Sem contar que fala sobre resultados onde a REALIDADE mostra exatamente o contrário, como uma “recuperação dos empregos” onde todos os dados oficiais DEMONSTRAM uma profunda DEGRADAÇÃO, recuperação da renda que está ESTAGNADA, recuperação dos investimentos que ninguém viu e daí para PIOR.

      Como falei, a SUJEIRADA bateu todos os recordes de velocidade para aparecer, via esquemas do super-ministro da economia e do Fatura Midas Bolsinho. Todos os governos anteriores ficaram muito mais tempo antes de aparecerem os podres, com eles, já apareceu antes mesmo de assumirem!

      Outra coisa que o novo governo chegou com o “pé na porta” e também MUITO PIOR do que qualquer antecessor, foi a questão da CEF: o novo presidente da CEF, logo em um dos seus primeiros discursos no cargo, disse que vai vender R$ 100 bilhões em títulos, MUITOS DELES PODRES e MAQUIADOS como “AA” e juntar com R$ 50 bilhões em privatizações de empresas filha da CEF para PEDALAR com mais uma enorme leva de créditos PODRES nos próximos anos. O que ele quer fazer, nem os governos anteriores ousaram, é uma réplica da ampliação da destruição feita durante a bolha imobiliária americana e o subprime deles!

      Junta-se ao que consta acima, as inúmeras TRAPALHADAS de comunicação e vemos que no fim, parte ESSENCIAL do que deveria ter mudado, ficou igual e em alguns casos, PIOROU MUITO e isto, porque como dizem por aqui, eles mal começaram.

      Sim, temos PROMESSAS melhores quanto à privatizações, desregulação do mercado, reforma da previdência e outras, no entanto, PARTE disto já vinha sendo feito antes e este conjunto não suplanta de forma substancial os ESTRAGOS que estão promovendo acima em tempo RECORDE.

      Resta-nos rezar que mudem e muito, porque o que menos precisamos é de uma nova leva de LUNÁTICOS no poder, incentivando cada vez mais a euforia IRRACIONAL, PEDALANDO e MAQUIANDO como doidos para aumentarem os estragos, que é exatamente o que eles começaram fazendo…

      10+
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 7 de fevereiro de 2019 at 10:42

        Segundo o economista, os empresários estão mais otimistas com o desempenho da economia para os próximos meses e para a condição atual do mercado. “O aumento da confiança do empresário é o resultado das avaliações sobre as condições de realização de negócios em seus estabelecimentos. O aquecimento da economia apresentado nos últimos meses, com a elevação das vendas do comércio devolveram esse ânimo para os empreendedores sergipanos”, comentou.

        O período de maior preocupação para os empresários do comércio foi o mês de julho, ainda com a incerteza política que o país e o estado atravessavam, quando apontou 98,6 pontos, o que representava preocupação empresarial. Janeiro, com seus 123,6 pontos, indica uma grande elevação da confiança, resultando nos 25 pontos de aumento no período dos seis meses seguintes.

        Economia melhora

        O subíndice de satisfação com a condição atual da economia também apresenta o melhor resultado desde janeiro do ano passado, com 85,7 pontos contra 59,6 pontos de janeiro de 2018. A evolução de 26,1 pontos do resultado indica que os empresários entendem que o momento atual da economia promove mais satisfação acerca das condições econômicas do estado, também justificado devido ao aumento das vendas no comércio, que seguem em percepção positiva. 47,2% dos empresários acreditam que a economia melhorou.

        http://www.faxaju.com.br/index.php/2019/02/06/75-dos-empresarios-sergipanos-pretendem-contratar-trabalhadores/

        1+
        • CA 7 de fevereiro de 2019 at 11:06

          Cajuzinha,

          Não foi a toa que batemos o recorde de INADIMPLÊNCIA geral do consumidor em 2018, o crescimento no superendividamento via aumento de consumo, mesmo quando as famílias já não tinham a MINÍMA condição para isto, no curtíssimo prazo gera resultados “positivos”, que podem empolgar aqueles que veem o movimento, mas pouco depois, os estragos aparecem, senão para os próprios comerciantes que entram nesta euforia, para os diversos outros segmentos que ficam no prejuízo, por não terem “usufruído” do crédito irresponsável, mas terem que ajudar a pagarem a conta da ferra, via perda de demanda (escolas, TV a cabo, cinemas, inadimplência em IPTU, IPVA, licenciamento, etc, etc, etc…). No final, no médio e longo prazo, TODOS ficam no prejuízo, pois os “beneficiados” não vivem em “Universo Paralelo” e o prejuízo aos que ajudaram a pagar a conta sem usufruir, se reflete neles também (menos empregos nos outros setores, menos consumo para todos).

          3+
          • avatar
  • Cajuzinha 7 de fevereiro de 2019 at 10:46

    Toyota reduz previsão de lucro após forte queda de 80% no trimestre

    O lucro da Toyota despencou entre outubro e dezembro, obrigando a montadora a reduzir sua projeção de lucro em 430 bilhões de ienes no atual ano fiscal

    A Toyota Motor revisou drasticamente sua projeção de lucro líquido para o atual ano fiscal, que se encerra em 31 de março. A previsão agora é de 1,87 trilhão de ienes (US$ 17 bilhões) ante os 2,3 trilhões de ienes estimados anteriormente.

    A revisão ocorre após a maior montadora do Japão ter registrado fortíssimo recuo em seu lucro líquido no terceiro trimestre fiscal encerrado em 31 de dezembro, ou seja, o lucro despencou 80% frente ao mesmo período do ano anterior, para 180,9 bilhões de ienes.

    A Toyota citou perdas não realizadas em alguns dos investimentos de capital da empresa – devido a uma queda mundial nos preços das ações. Um executivo da montadora enfatizou os esforços da empresa para lidar com as incertezas globais decorrentes da disputa comercial EUA-China, entre outros fatores.

    No ano passado, os resultados do terceiro trimestre da Toyota também foram impulsionados por 292 bilhões de ienes com a redução das alíquotas de impostos corporativos nos EUA.

    https://mundo-nipo.com/noticias-2/06/02/2019/toyota-reduz-previsao-de-lucro-apos-forte-queda-de-80-no-trimestre/

    2+
    • avatar
    • Cajuzinha 7 de fevereiro de 2019 at 10:49

      Produção industrial da Alemanha cai em dezembro e levanta risco de recessão
      Dados da Agência Federal de Estatísticas mostraram que a produção industrial caiu pelo quarto mês seguido. UE corta previsão de crescimento da zona do euro.
      A produção industrial da Alemanha caiu inesperadamente em dezembro pelo quarto mês seguido, mostraram dados divulgados nesta quinta-feira (7), enviando novo sinal de que o crescimento da maior economia da Europa está enfraquecendo.

      Dados da Agência Federal de Estatísticas mostraram que a produção industrial caiu 0,4%, contra expectativa em pesquisa da Reuters de alta de 0,7%.

      Analistas disseram que a queda torna mais provável que a economia tenha contraído no quarto trimestre, o que configuraria recessão após recuo do Produto Interno Bruto no terceiro trimestre.

      A queda em dezembro foi liderada pelo setor de construção, onde a atividade encolheu mais de 4%e não pôde ser compensada pelo pequeno avanço na produção manufatureira.

      Boletim divulgado nesta quinta pelo Banco Central Europeu em seu Boletim Econômico aponta que os indicadores de crescimento da zona do euro surpreenderam para baixo constantemente, sugerindo ímpeto de crescimento mais fraco à frente para o bloco de 19 países.

      “Os dados recebidos têm sido mais fracos do que o esperado, refletindo redução da contribuição da demanda externa e alguns fatores específicos de países e setores”, disse o BCE no boletim, que é consistente com a postura de política monetária do banco após a reunião de 24 de janeiro.

      https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/02/07/producao-industrial-da-alemanha-cai-em-dezembro-e-levanta-risco-de-recessao.ghtml

      2+
  • Cajuzinha 7 de fevereiro de 2019 at 11:08

    Tenebroso?! Sabe de nada, inocente…

    Ibovespa cai mais de 3% em dia tenebroso no mercado global
    O principal índice da Bovespa operou em forte baixa nesta quarta-feira (06/02), acompanhando papéis das principais empresas que compõem o índice, além da tensão no cenário internacional

    https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2019/02/06/internas_economia,735887/ibovespa-cai-mais-de-3-em-dia-tenebroso-no-mercado-global.shtml

    4+
    • avatar
  • Cajuzinha 7 de fevereiro de 2019 at 11:14

    Tragédia de Brumadinho paralisa venda de ativo de R$ 1 bi da Usiminas
    Estadão Conteúdo
    postado em 07/02/2019 08:05

    As negociações para a venda do negócio de mineração da siderúrgica Usiminas travaram, apurou o ‘Estado’ com fontes a par do assunto. As conversas foram interrompidas na semana passada, poucos dias após o rompimento da barragem Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), que pertence à Vale.

    Fontes ouvidas pelo jornal ‘O Estado de S. Paulo’ acreditam que a venda de ativos de mineração em Minas Gerais deverá ser interrompida por tempo indeterminado por causa da insegurança jurídica criada após o episódio de Brumadinho. “O setor agora está em xeque. Investidores querem entender os riscos para fechar negócio”, afirma Pedro Galdi, analista da gestora Mirae Asset.

    https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2019/02/07/internas_economia,1028604/tragedia-de-brumadinho-paralisa-venda-de-ativo-de-r-1-bi-da-usiminas.shtml

    2+
    • CA 7 de fevereiro de 2019 at 11:52

      Cajuzinha

      Apenas o evento da Vale em Brumadinho, graças às consequências que estão aparecendo gradualmente, sozinho, já representa alguns BILHÕES de Reais a menos em investimentos e gastos neste ano de 2019, pelos seus efeitos em cascata, que afetam a cadeia de suprimento como um todo, prejudicam a liquidez de prefeituras e governos estaduais e ameaçam os empregos de milhares de pessoas.

      Somando com queda nas exportações para Argentina, que é o principal destino das exportações de nossas indústrias e mais a desaceleração global cada vez mais clara, por inúmeros indicadores, vemos novos prejuízos bilionários quanto aos resultados prometidos pelos economistas especialistas.

      A nova rodada de euforia versus crédito fácil e abundante, ajuda poucos setores para prejudicar MUITOS e assim, o saldo “positivo” também será menor do que o “esperado”.

      Isto sem falar no desdobramento das demais ameaças externas…

      4+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • motumbo_hardcore 7 de fevereiro de 2019 at 11:43

    Bom dia. alguém conhece o “Edu Moreira”? Recomendam os cursos dele sobre investimentos? Eu estou com muito dinheiro “parado” na poupança e queria aprender sobre como investir e proteger o que tenho acumulado.

    1+
    • JJJ_brasilia 7 de fevereiro de 2019 at 12:24

      motumbo_hardcore,

      Gostei do sujeito, ele conhece e descomplica o mercado financeiro, como as seguintes falas dele:

      1 – Só existem 2 tipos de pessoas no mercado financeiro: as que tem e as que não tem dinheiro.

      2 – Só existem 2 tipos de investimento, em dívida ou em negócios.

      Não fica enrolando com divagações, vai direto ao ponto.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • motumbo_hardcore 7 de fevereiro de 2019 at 12:33

        obrigado!!!

        1+
  • Alemon Fritz 7 de fevereiro de 2019 at 11:54

    CVR
    Meu outro irmão que mora em Guarapuava-PR me falando que na quadra dele tem um sobrado pra vender ha 2 anos por 700k. O cara não baixa o preço. Meu irmão diz: “se eu tivesse 700k eu mesmo faria a minha casa do meu jeito e não ia morar em casa dos outros”… kkk captou a filosofia. e o cara não baixa o preço… hahahaha

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 7 de fevereiro de 2019 at 12:39

      eh aquela velha historia o cara nao precisa vender, pede (sonha?) 700k

      6+
      • avatar
      • avatar
    • rafa_fv 7 de fevereiro de 2019 at 13:16

      É normal, é o que mais vejo por aqui. Cheguei a ofertar entre 70 e 80% do que pedem, mesmo achando ser mais do que acredito valer, mas eles continuam no tema do filme ‘a espera de um milagre’.
      Eles preferem ter um ‘investimento’ que rende o IPTU para pagar todo ano, do que receber juros todos os meses de forma garantida. Cada louco com sua mania, kkk.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • Aprendiz 7 de fevereiro de 2019 at 13:22

        Por aqui acompanho o mesmo cenário … proprietários não baixam

        Estou monitorando um condominio especifico e posso afirmar que negócios de compra e venda realmente ocorrem … e os que estão á venda, não baixam muito

        Estou na mesma, fiz ofertas pouco agressivas de -20 off e mesmo assim não foram aceitas … logo após, 02 que monitorei, foram vendidos

        Mas sigo forte em meu sofá … acompanhando o mercado

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • MARK 7 de fevereiro de 2019 at 18:10

      Aqui em Santos é a mesma coisa. Já fiz algumas propostas com desconto de 20 a 25% e a resposta para a venda foi NÃO. Eles não cedem. Pelo preço que pedem podem continuar com suas casas vazias e sem dinheiro na mão. Estes dias falei um monte sobre o preço absurdo com o corvo, até que ele concordou e disse que cansa de ver anúncios por valores muito incompatíveis mas os proprietários não aceitam baixar.

      4+
      • rafa_fv 8 de fevereiro de 2019 at 07:26

        Mark eu não confio em corvo, eles são vendedores de forma geral dizem o que você quer ouvir, em algumas das vezes que fiz proposta ouvi, ‘mas o corvo de ‘abc’ imobiliária disse que valia xxxx’ e o corvo que esta do lado da imobiliária ‘xyz’ fica calado não colabora parece que não quer comissão. Se eu fosse o corretor tentaria pelo menos buscar um meio termo, diria pro proprietário que realmente o mercado de vendas está parado e que os preços tem baixado então a proposta não seria tão ruim.
        Eu fiz propostas de 20 a 30% off, até porque sei que abaixo disso dificilmente seria aceita(apesar de acreditar que vale menos que isso), mas o máximo que consegui foi algo irrisório entre 3 e 5%. Os imóveis continuam lá a espera de um incauto, pois os proprietários não se dão conta que o que buscam é quase como ganhar na loteria, pois estão sobrando imóveis acima de 500k mas é muito difícil encontrar interessados que possam arcar com compras nestes valores.

        1+
  • Cajuzinha 7 de fevereiro de 2019 at 12:05

    Diferença pouca kkkkkkk

    Estadão Conteúdo
    postado em 07/02/2019 12:30
    A criação de vagas de emprego no varejo de supermercados em São Paulo ficou aquém do esperado em 2018, mas a Associação Paulista de Supermercados (Apas) espera uma aceleração do crescimento em 2019. No ano passado, foram geradas apenas 5,1 mil novas vagas no setor, ante uma projeção de 12 mil vagas.

    Para o presidente da Apas, Ronaldo dos Santos, os empresários do varejo tinham uma expectativa mais otimista para as vendas em 2018 do que o que foi realizado.

    https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2019/02/07/internas_economia,1028673/supermercados-de-sp-contrataram-menos-que-o-previsto-em-2018-e-esperam.shtml

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 7 de fevereiro de 2019 at 13:05

    Banco central : Não existe crise isso é coisa do austríacos KKKk

    Realidade: Vamos comprar ouro porque não acreditamos mais na moeda podre fiduciária.

    https://www.infomoney.com.br/blogs/investimentos/investimentos-internacionais/post/7913634/demanda-por-ouro-dispara-no-ultimo-trimestre-de-2018—e-os-bancos-centrais-sao-os-responsaveis

    6+
    • avatar
    • avatar
  • CA 7 de fevereiro de 2019 at 13:06

    E na notícia abaixo, o mais “positivo” que eles veem é se as GAMBIARRAS intervencionistas do governo chinês ENGANAREM os INCAUTOS e todo mundo acreditar que ações APELATIVAS são “boas” para o futuro e não um sinal de DESESPERO que indica exatamente o contrário…kkk

    https://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7913051/hora-da-pausa-morgan-stanley-reve-cenario-e-esta-mais-cetico-com-mercados-emergentes

    2+
    • avatar
    • Senhor Bolha 7 de fevereiro de 2019 at 13:08

      Já devem estar começando operar vendidos, se já não liquidaram boa parte das posições.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CA 7 de fevereiro de 2019 at 13:20

    Por que será que não me surpreendo pelo fato do presidente ter prometido, até antes de assumir e quando estava em pré-campanha, que daria perdão à dívidas BILIONÁRIAS que essencialmente estão nas mãos de grandes produtores rurais, alguns que inclusive tem sob si acusações graves na Lava Jato e em outras investigações policiais, replicando aquilo que os antecessores dele na presidência fizeram, de beneficiar exageradamente os “amigos do rei”, principalmente aqueles enrolados na justiça?

    https://www.terra.com.br/noticias/brasil/o-perdao-bilionario-que-bolsonaro-quer-dar-ao-agronegocio,6ce83e1f740c6c64c61df91cc6a4028fl86d5gea.html

    Trechos do link acima:

    “Pressionado por ruralistas, presidente quer anistiar dívidas de mais de R$ 15 bilhões do setor”

    “”Estamos juntos nessa briga contra o Funrural”, disse o então deputado federal e já pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro em dezembro de 2017.”

    “Um dos principais argumentos citados por Bolsonaro para aliviar a dívida do campo seria o impacto desse tributo no pequeno produtor rural. No entanto, dados de dezembro de 2018 sobre os endividados que se inscreveram no programa de refinanciamento do Funrural (hoje conhecido pela sigla PRR) mostram que apenas 1% do valor total da dívida é de produtores rurais individuais, sem inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ).

    Gigantes do agronegócio, principalmente frigoríficos e empresas de alimentos, são os maiores devedores. Além da falta de pagamento em dia, parte dessas grandes corporações tem mais uma coisa em comum: acusações ou condenações na Justiça por crimes de lavagem de dinheiro e desvio de dinheiro público, alguns em operações bem ruidosas como a Lava Jato.”

    7+
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 7 de fevereiro de 2019 at 13:30

      kkk a minha mae caiu numa dessas do dito: ela era filha de marinheiro e recebia pensão. O dito cujo acima prometeu que podiam solicitar a pensão com aumento da patente (ex de cabo pra sargento). A ideia é que a constituição Soça de 88 dava o direito de aumentar a patente para os mortos após 88. ela achou que teria direito e entrou no processo recebendo então uma patente acima. A marinha processou e se arrastou mais 10 anos e ganhando… Resultado a minha mãe perdeu a que tinha “dereito” e ficou devendo 10 anos da patente acima. Herdamos 115mil de divida e ainda 18mil pra advogada canalha. Eu mesmo alertei minha mae que não daria certo esse dereito prometido… se ferramos.

      12+
      • avatar
    • socrates 7 de fevereiro de 2019 at 13:47

      “Um dos principais argumentos citados por Bolsonaro para aliviar a dívida do campo seria o impacto desse tributo no pequeno produtor rural. No entanto, dados de dezembro de 2018 sobre os endividados que se inscreveram no programa de refinanciamento do Funrural (hoje conhecido pela sigla PRR) mostram que apenas 1% do valor total da dívida é de produtores rurais individuais, sem inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ).”

      xeque-mate

      3+
  • CA 7 de fevereiro de 2019 at 13:32

    https://www.terra.com.br/economia/exportacoes-totais-de-frango-caem-147-e-somam-2818-mil-t-em-janeiro-diz-abpa,f81ee30526d156259b80db1cdfba25c46fr3ovic.html

    Sobre a notícia acima da queda de exportações de frango (-14,7% na comparação com janeiro/2018), segundo eles, foram apenas probleminhas “pontuais”, mas tudo melhora em fevereiro/2019.

    E falando sobre este setor, temos a BRF que executou seu “desinvestimento” vendendo algumas unidades da Europa, Argentina e Tailândia, para ajudar a arcar com seu elevado endividamento. Apesar do otimismo que consta na notícia acima, abaixo vemos a BRF culpando o fato de ter vendido por um preço de R$ 900 MILHÕES abaixo do esperado à “incertezas acima do esperado na Europa e na Argentina”. Detalhe que o desinvestimento da BRF significa menos receitas totais, menos remessa de divisas para o Brasil, menos ganhos de escala, etc.

    https://www.istoedinheiro.com.br/brf-arca-com-perda-de-receita-com-vendas-na-argentina-europa-e-tailandia/

    2+
  • CA 7 de fevereiro de 2019 at 13:40

    https://www.istoedinheiro.com.br/ue-corta-projecao-de-avanco-do-pib-da-zona-do-euro-em-2019-de-19-para-13/

    Trechos do link acima, entre “aspas”:

    “A Comissão Europeia cortou a sua projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro em 2019 de 1,9% para 1,3% e, em 2020, de 1,7% para 1,6%. A estimativa para a União Europeia também foi revisada para baixo, de 1,9% para 1,5% neste ano e de 1,8% para 1,7% no ano que vem. As previsões anteriores haviam sido divulgadas em novembro.”

    “Um nível elevado de incerteza cerca a perspectiva econômica e as projeções estão sujeitas a riscos negativos”, afirma o órgão Executivo da União Europeia em comunicado. “Tensões comerciais, que têm pesado sobre o sentimento por algum tempo, foram aliviadas até certo ponto mas permanecem uma preocupação. (…) Para a UE, o processo do Brexit permanece uma fonte de incerteza”, complementa.

    A possibilidade de um aperto fiscal abrupto nos Estados Unidos em 2020 também gera riscos ao crescimento na região, segundo Bruxelas.

    “Após o seu pico em 2017, a desaceleração da economia da União Europeia deve continuar em 2019”, afirmou em nota o comissário para Assuntos Econômicos e Financeiros da UE, Pierre Moscovici. “Essa desaceleração deve ser mais pronunciada que esperávamos no outono passado, especialmente na zona do euro, devido a incertezas no comércio global e fatores domésticos na nossa maior economia”, completou, referindo-se à Alemanha.

    As revisões para os PIBs desse país e da Itália foram significativas. O Executivo da União Europeia ajustou sua previsão para o avanço da economia alemã em 2019 de 1,8% para 1,1% e, para a atividade italiana, de 1,2% para 0,2%. Já para 2020, a estimativa para o PIB da Alemanha foi mantida em aumento de 1,7%, enquanto o da Itália foi revisto de 1,3% para 0,8%.”

    3+
    • CA 7 de fevereiro de 2019 at 13:42

      Lembrando que a queda prevista para o PIB da Zona do Euro era de que ele sairia de 1,9% (previsão de novembro/2018) para 1,5% (apostas feitas ao longo de janeiro/2019 e fevereiro/2019), logo, como oficializaram a nova previsão em 1,3%, isto significa que estão vendo um cenário cada vez mais pessimista à frente.

      Sabemos bem o que significam quedas abruptas na previsão do PIB, passamos por isto no ano passado.

      6+
    • Senhor Bolha 7 de fevereiro de 2019 at 14:43

      Brexit virou a desculpa perfeita , assim como reforma da previdência em terras tupiniquins e a gritaria do Trump no eua

      Assim como nas outras crises vão jogar toda culpa em algum eventos aleatórios, menos na raiz da questão e as distorções promovidas pelas porcarias centrais.

      Europa = Asilo, elevada tributação e também uma boa pitada de protecionismo.

      Segura !

      10+
      • avatar
      • avatar
  • Senhor Bolha 7 de fevereiro de 2019 at 14:40

    Faz bastante tempo eu tinha alertado que a taxa de juros excessivamente baixa tinha empurrado fundos que investem no mercado acionário, cambio etc para países emergentes e títulos junk. Alertei que isso começaria dar merda em algum momento.

    Só a pontinha do iceberg:https://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7913688/jpmorgan-fica-no-meio-de-disputa-pelo-poder-na-venezuela

    Existe muitos mais títulos junk espalhados pela europa, Ásia e Brasil.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 7 de fevereiro de 2019 at 14:56

      Senhor Bolha,

      Parafraseando o filme “Sexto sentido”, ou a sátira “Todo mundo em pânico”, onde dizem “Eu vejo pessoas mortas”, neste caso “Eu vejo títulos PODRES” espalhados ao redor do globo, de todas as formas possíveis e imagináveis, como sempre acontece quando jorram dinheiro de forma absurda na economia e como consequência, os juros despencam e as pessoas passam a procurar por “galinhas mortas” que possam oferecer retornos maiores, mas ao invés de encontrarem galinhas, dão de cara com Zebras, apostas bem difíceis de darem retorno…

      https://www.youtube.com/watch?v=CxC4L7-nnrE

      https://www.youtube.com/watch?v=SdB_RhTFnOs

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • socrates 7 de fevereiro de 2019 at 16:02

        Olha essa matéria, CA.
        É de 2002!
        https://www.bbc.com/portuguese/economia/021112_livrescb.shtml

        “O Japão, que ficou em 35º lugar no estudo, apesar de ser a segunda maior economia do mundo, não teria uma melhor colocação por causa dos créditos podres do seu sistema financeiro. “

        4+
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 7 de fevereiro de 2019 at 15:04

    Menos Previdência e mais China-EUA influenciando os mercados nesta tarde de 5ªf
    Publicado em 07/02/2019 10:54 e atualizado em 07/02/2019 15:44

    Pesando igualmente hoje a anunciada desaceleração na zona do euro, em 1,3%, depois dos 1,8% de 2018. E os dados da principal economia da região, a Alemanha, mostram essa tendência, com a estatística mais baixa de produção industrial

    4+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 7 de fevereiro de 2019 at 15:08

      Nesta tarde, o assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, disse que os Estados Unidos e a China
      estão longe de fechar um acordo comercial, azedando os mercados por lá e levando a quedas de mais de 1%
      nas bolsas norte-americanas. Além disso, a CNBC informou, citando fontes, que é improvável que um um
      encontro entre Donald Trump e o presidente chinês Xi Jinping aconteça antes do término da trégua na guerra
      comercial entre os países, que termina neste mês.

      5+
      • avatar
      • avatar
  • FugidoRJ 7 de fevereiro de 2019 at 15:04

    Bom ano novo para todos, vida tranquila na América, porém com dinheiro necessário para viver.

    Por curiosidade entrei ontem em minha conta da XP para acompanhar algumas aplicações que possuo, elas variaram entre 5,5% e 7,5%.
    Gostaria da opinião de vocês porque a história do PMJ para mim não se sustenta mais.

    5+
    • avatar
    • Senhor Bolha 7 de fevereiro de 2019 at 15:11

      Então começou investir a pouco tempo, porque tem de operar ciclos longos. O juros vai cair algum momento não tem como, mas ele volta subir por motivos estruturais.

      Ex: A reforma que não vão passar ! O governo que sempre vai pedalar e injetar dinheiro na economia = Inflação . Justamente hora de pular fora da bolsa e ficar parte líquido. Quanto mais sobe maior é o risco.

      Também não entendo esta fixação do pessoal aqui por rentabilidades absurdas se as ações baratas estão sendo vendidas olho da cara.

      Não sei quanto a vocês, mas eu estava muito posicionado em bolsa lá em meados de 2015 e 2016 justamente quando encontrei empresa sendo vendidas pelo valor de mercado menor do que o valor que tinham em caixa. Atualmente eu não quero nem ouvir falar de bolsa , todo mês é renda fixa.

      11+
      • avatar
    • odorico 7 de fevereiro de 2019 at 15:14

      Será que PMJ acabou? Em termos de juros reais a queda foi pequena dos tempos da Dilmanta! Sem contar que muitos travarão percentuais 16, 14, etc. Agora está em 3% real, mas minha carteira mês passado teve rendimento de 147% do CDI. Enfim, a velha máxima do “dinheiro é rei”, continua…..

      6+
      • odorico 7 de fevereiro de 2019 at 15:21

        *travaram

        2+
    • Senhor Bolha 7 de fevereiro de 2019 at 15:17

      O que importa é patrimônio absoluto e não os % que tu rentabiliza em cima dele. Geralmente isso porque existe uma tara de valores nominais elevados, que são frutos de inflação elevada. Vide as barganhas que consigo comprar atualmente no mercado pela elevada ociosidade e por estar 35% atrelado ao dólar , apesar que inflação dos índices oficiais é uma merda.

      Porém estes 7% atualmente quando bem direcionados compram muito mais coisas que os 14% sendo quase 10 de inflação nominal.

      Porque ficar expostos a bolsa sem saber operar vai ver seu patrimônio derreter infinitas vezes mais que os 7% que tu ganha na renda fixa.

      A questão é que melhor esquecer bolsa nestes patamares. A chance de levar fumo são grandes.

      7+
      • avatar
      • Senhor Bolha 7 de fevereiro de 2019 at 15:18

        Outra detalhe tu travou os títulos pré fixados então o PMJ continua forte como nunca.

        5+
  • Cajuzinha 7 de fevereiro de 2019 at 15:17

    A soma de alguns medos globais
    Diferente de outras, a próxima desaceleração da econômia mundial deve envolver uma combinação de fatores
    Por Paul Krugman

    Mas a queda anterior a essa, entre 1990 e 91, foi mais complicada. Foi uma recessão de múltiplos fatores – uma desaceleração com várias causas

    O melhor palpite é que a próxima desaceleração irá, de maneira semelhante, envolver uma combinação de problemas, em lugar de uma única coisa grande. Além disso, nos últimos meses nós começamos a ver como isso poderia acontecer. Não é de jeito nenhum certo que uma recessão esteja à espreita, mas alguns dos nossos medos estão começando a se concretizar.

    CHINA: Muita gente, inclusive eu, tem previsto uma crise chinesa há um bom tempo – mas ela nunca aconteceu.

    EUROPA: Há alguns, a fraqueza economia estrutural da Europa, graças a uma população em envelhecimento a à obsessão alemã em ter superávits, foi mascarada pela recuperação do país da crise do euro. Porém, esta fase de boa sorte parece ter chegado ao fim, com a incerteza ao redor do Brexit e a crise em câmera lenta da Itália minando a confiança; como no caso da China, os dados recentes são feios.

    UMA GUERRA COMERCIAL: Ao longo das últimas décadas, empresas ao redor do mundo têm investido grandes quantias baseadas na crença de que o protecionismo das antigas era coisa do passado. Porém, Donald Trump não apenas impôs tarifas elevadas, ele demonstrou uma disposição em violar o espírito, se não a letra, dos acordos comerciais existentes. Você não tem de ser um adepto do livre comércio para acreditar que isso deve ter um efeito econômico deprimente.

    4+
  • odorico 7 de fevereiro de 2019 at 15:21

    Aliás, qual a opinião de vocês sobre o efeito econômico da tragédia de brumadinho?
    Porque pergunto: Assim como a greve dos caminhoneiros foi desculpa para muita coisa e o efeito na cadeia produtiva foi grande, acredito que a tragédia de brumadinho vai ter efeitos também. Pois além do bloqueio de ativos da vale, o fluxo de caixa será afetado pelas outras barragens e minas que serão fiscalizadas, paralisadas, etc. Além disso, tem toda a cadeia de produção de minério como empresas terceirizadas, maquinários, manutenções, etc. Acho que o “crescimento 2019” será afetado e no fim do ano e brumadinho vai ser uma “explicação”, juntada a desaquecimento chinês, reformas que não sairão da forma sonhada, brexit, bla bla bla bla…

    2+
    • Senhor Bolha 7 de fevereiro de 2019 at 15:29

      Vai afetar parte do PIB, mas não no mesmo patamar que a greve dos caminhoneiros. Logo não acredito que se quer vai poder ser usado como desculpa pelo crescimento ínfimo do PIB.

      A desculpa perfeita vai ser desaceleração da China, nosso principal parceiro comercial.

      5+
      • CA 7 de fevereiro de 2019 at 15:46

        Senhor Bolha,

        Só que a participação das exportações sobre o PIB no Brasil é uma das menores do Mundo, logo, na sessão “desculpas ESFARRAPADAS”, além da “desaceleração da China”, terão que acrescentar itens como “recuperação dos empregos mais gradual do que o estimado”, “demora mais elevada do que o esperado para votação da reforma da previdência”, “intensificação da crise na Argentina” e por fim, “os efeitos em cascata da tragédia de Brumadinho”.

        Vão dizer que “deram azar” pela combinação dos fatores acima, que agora ia, mas não foi.

        Se tivermos as ameaças externas se aglomerando, com algumas delas explodindo mais visivelmente e ao mesmo tempo, como está ficando cada vez mais provável quanto mais PEDALAM, cada uma delas entrará no conjunto de desculpas acima, por menor que seja o peso de nossas exportações no PIB. Claro que se tivermos o impacto previsto de fuga intensa de dólares daqui, principalmente se as ameaças externas se concretizarem ANTES da votação da reforma da previdência, de fato estes itens terão um peso maior na crise que se instalará no lugar do otimismo UFANISTA vigente.

        Já se por acaso começarem a vazar de forma mais visível o PODRE do sistema financeiro ou do segmento imobiliário, vão tentar disfarçar dizendo que eles são “consequências” do que consta acima, por mais ilógico que esta estória seja, mas se não der para convencer ninguém, eles vão entrar na conta como um pedacinho do problema, quando na prática, eles foram os mais importantes…

        Agora, se não aprovarem a reforma da previdência, com ou sem intensificação das ameaças externas e vazamento dos PODRES de sistema financeiro e segmento imobiliário, como sempre dissemos, corram para as montanhas! Este seria o fim do Santo Graal que eles INVENTARAM e daí, NINGUÉM acreditará que existe qualquer outra solução milagrosa, esta é a armadilha que montaram para eles mesmos com o mega ABSURDO otimismo UFANISTA que plantaram ao redor de apenas um assunto, que NUNCA teve relação com a causa raiz dos nossos problemas mais graves…

        2+
        • odorico 7 de fevereiro de 2019 at 16:18

          O duro CA, é que nós estamos amarrados nas instituições financeiras e se a quebradeira for geral adeus PMJ, por isso prefiro um crash a “japan way”. Eu só aplico nas instituições até 150 mil para ficar dentro de um limite do fgc.

          4+
          • rogerio 7 de fevereiro de 2019 at 17:01

            O PMJ não é mais o mesmo, a menos que vc seja bom em renda variável.

            Se tudo quebrar nem o FGC salva…

            Já existe muita gente silenciosamente investindo em ouro e dois países em especial: Rússia e China. Talvez seja hora de se proteger com ouro e aguardar o próximo ciclo de PMJ.

            3+
            • avatar
            • odorico 7 de fevereiro de 2019 at 17:16

              Concordo na questão do ouro, mas ele terá que ser escritural (não sei se seria uma boa ter barra em casa), se for escritural, mesmo ouro disponível haverá alguém (corretora) guardando para você, se a quebradeira for geral, corretoras também vão quebrar…. aí já era….

              2+
          • CA 7 de fevereiro de 2019 at 17:02

            odorico,

            Existem diferentes níveis de MAQUIAGENS, PEDALADAS e RISCOS nos bancos de varejo (excluo daqui o BNDES, corretoras, financeiras, etc, que tem outra análise à parte quanto a riscos).

            Na minha opinião, a número 1 quanto a MAQUIAGENS, PEDALADAS e RISCOS, é a CEF, pelos INÚMEROS crimes financeiros que já foram apontados por aqui e que ela cometeu por mais de uma DÉCADA. Ah, mas o Tesouro Nacional vai cobrir, é obrigação deles, etc. Tudo depende de como estarão as contas públicas até lá e de qual o impacto total de perda de confiança no sistema financeiro como um todo em virtude da situação da CEF, da queda dos preços dos imóveis que estão em garantia com os bancos e outros fatores relacionados.

            Já para bancos médios, que são aqueles que oferecem as maiores rentabilidades para os aplicadores, considero que via de regra eles se enquadram como risco ALTO, em patamar abaixo da CEF, mas nada desprezível. Operam com menor margem para tentarem ganhar mercado rapidamente, tem menor montante de capital para cobertura de imprevistos, costumam ser mais “agressivos” e emprestarem para aqueles que ninguém mais emprestaria (dei exemplo nesta semana do Original com empréstimo para Livrarias Cultura quando sabidamente ela estava QUEBRADA) e é por esta combinação de fatores, que são de risco ALTO. OBS: nada impede que um ou outro banco médio possa quebrar antes da CEF, afinal, eles não tem tanta “cobertura” do BC e do Governo para esconderem a realidade quanto a CEF.

            No caso dos maiores bancos privados, fiquei com uma “pulga atrás da orelha” com relação ao Santander, em virtude de alguns números de inadimplência versus crescimento da carteira, muitos sites indicando o cartão free deles para pessoas com nome sujo e sem nenhum pronunciamento deles em sentido contrário e outros indicadores suspeitos, que até os “especialistas economistas” apontaram como inconsistentes no último relatório trimestral deles. Não sei se seria o suficiente para uma consequência mais “drástica”.

            Outro que é difícil por a mão no fogo é o Banco do Brasil, pelo excesso de intervenções políticas ao longo de mais de uma DÉCADA. Em tese, ele não chegou a ser tão utilizado quanto a CEF para concessão de crédito PODRE para o consumo e imobiliário. No caso do crédito agrícola, até onde sei, o mecanismo de calote é diretamente via governo (comentei mais acima), sem envolver riscos para o banco (PREJUÍZOS são diretamente para o Tesouro Nacional). Fora isto, eles tem uma participação solidária nos prejuízos da PREVI que possivelmente vai roubar alguns BILHÕES DE REAIS, mas nada que afete tanto a saúde financeira deles e a questão do crédito para empresas, onde provavelmente ele tenha um volume maior de MAQUIAGENS e PEDALADAS do que os grandes bancos privados (Itaú e Bradesco) até em função de empréstimos PODRES para amigos do rei na última DÉCADA e portanto, representa um risco maior para este item do que no Itaú e Bradesco. No entanto, dado o porte do Banco do Brasil, acredito que sejam situações que gerarão prejuízo relevante ao serem desmascaradas, que farão com que ele perca uma grande parte de seu valor de mercado (em linha com o que o nosso super-ministro da economia deixou escapar), mas nada que o levará a quebrar, dependendo é claro, do impacto quanto a preços de imóveis que comentarei ao final.

            Sobre Itaú e Bradesco, acredito que o maior BURACO deles é quanto à PEDALADAS e MAQUIAGENS com empresas devedoras de grande porte que eles FINGEM acreditar que ainda estão vivas e inclusive ajudam a PEDALAR para não terem que reconhecer a realidade em seus balanços e prejudicar o bônus de seus executivos. Também estão aumentando as PEDALADAS e consequências negativas no imobiliário, onde sua participação não é nada desprezível (em 2018, Bradesco foi o número 1 no crédito imobiliário). Creio que terão prejuízo relevante, não tanto quanto do Banco do Brasil, mas de novo, nada que os torne inviáveis, dado o seu porte e diversidade de negócios, mais o fato de historicamente terem concedido muito menos empréstimo imobiliário PODRE do que a CEF.

            O grande “X” da questão é quanto ao inevitável inpairment, que é quando terão que reconhecer a queda acentuada nos preços de garantia dos imóveis que estão nos estoques dos bancos e mais todos os imóveis que serão obrigados a retomarem e leiloarem, retroalimentando o circulo vicioso de reconhecimento de perda acentuada de valor dos imóveis. Neste momento, muito da LIQUIDEZ e da SEGURANÇA destes bancos vai se esvair e combinado com o que consta acima, os primeiros da lista acima tendem a ter o famoso “golpe de misericórdia”. Apesar de tudo isto, acho que o BC vai segurar na base da MAQUIAGEM os preços “oficiais” dos imóveis, dentro do mundo PARALELO e cheio de DISTORÇÕES que ele já mantém HÁ ANOS, só para evitar uma derrocada geral do sistema financeiro, por isto que os principais afetados e mais arriscados de se tornarem inviáveis operacionalmente são os primeiros desta lista.

            Não tem como saber quando e como vai ocorrer, se as “descobertas” serão graduais ou simultâneas, se vai ocorrer antes ou depois de uma possível reforma da previdência (se for depois, haveria a esperança de socorro governamental com o dinheiro que nos próximos anos deixaremos de gastar com a previdência, o famoso “Moral Hazard”), qual a real extensão dos estragos em cada banco, até porque está tudo muito MAQUIADO e PEDALADO e por tudo isto, o que consta acima é apenas uma OPINIÃO, baseada no que vimos até hoje, que tende a ser apenas a ponta do iceberg.

            5+
  • Cajuzinha 7 de fevereiro de 2019 at 16:40

    Bolsonaro teve febre na 4ª e exame indicou pneumonia, diz boletim médico

    “O excelentíssimo presidente da República, Jair Bolsonaro, permanece internado na Unidade Semi-Intensiva do Hospital Israelita Albert Einstein. Apresentou, ontem à noite, episódio isolado de febre sem outros sintomas associados, foi submetido à tomografia de tórax e abdome que evidenciou boa evolução do quadro intestinal e imagem compatível com pneumonia”, afirma o boletim.

    3+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 7 de fevereiro de 2019 at 17:06

      Na visão dos investidores, quanto mais Bolsonaro demorar para se restabelecer, maior será a demora para a definição do projeto sobre a reforma da Previdência Social que será encaminhado ao Congresso. A última palavra será do presidente, como já foi ressaltado diversas vezes.

      O que mais preocupa os investidores é que, com Bolsonaro impossibilitado de bater o martelo, os ruídos em torno da reforma serão grandes. Desde a semana passada, a equipe econômica e a ala política do Palácio do Planalto vem batendo cabeça, deixando os donos do dinheiro perdidos.

      http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/mercado-esta-precificando-a-saude-de-bolsonaro-na-bolsa-e-no-dolar/

      4+
      • avatar
      • CA 7 de fevereiro de 2019 at 17:28

        Cajuzinha,

        Outra consequência típica de elegerem um assunto como a solução de todos os problemas! Agora, ficam dependentes de situações que, via de regra, deveriam ser completamente irrelevantes, como o que consta acima quanto à liberação de Bolsonaro do hospital.

        Se houvesse um MÍNIMO de realidade, o “mercado” estaria acompanhando “N” assuntos, dentre eles: evolução da inadimplência GERAL do consumidor, nível de endividamento corporativo REAL, evolução ou melhor dizendo INVOLUÇÃO do mercado de trabalho e da renda, cenário externo e as “N” ameaças globais e assim, as preocupações estariam diluídas para estes assuntos e não apenas focadas no nosso “Santo Graal”, teríamos menos volatilidade, cobrança por ações mais efetivas e que realmente atuassem sobre a causa RAIZ ao invés de apagar incêndio com gasolina e outros resultados mais positivos para economia e sociedade.

        Diga-se de passagem, mesmo nas economias mais evoluídas, em função das bolhas que eles também administram, tem sido eleitos BODES MAL CHEIROSOS NA SALA, que servem para desviarem a atenção quanto aos indicadores mais críticos e fazerem de conta que não existem problemas internos gravíssimos. Vemos isto nos EUA, na China, na Europa, etc…

        5+
        • avatar
    • Carlos 7 de fevereiro de 2019 at 17:48

      Tudo o que o Brasil precisa neste momento, mais uma [email protected] morrendo e virando mártir.
      Sou obrigado a torcer pela saúde da criatura.

      3+
  • CA 7 de fevereiro de 2019 at 17:14

    Para quem acha que a mais recente ocorrência com a Gafisa foi algo “inédito” e que seria impossível uma empresa fazer algo assim propositalmente…

    https://economia.estadao.com.br/blogs/coluna-do-broad/movimento-da-gafisa-com-cris-repete-urbplan-antes-de-recuperacao-judicial/

    Para quem quiser entender um pouco melhor o enrolado caso da Urbplan, segue:

    https://istoe.com.br/juiz-pede-avaliacao-de-viabilidade-da-urbplan-para-homologar-recuperacao/

    O que consta na primeira notícia acima, está em linha com o que comentei antes quanto a esta ABSURDA situação da Gafisa de dar golpe mudando o credor do boleto e colocando o nome dela mesma no lugar de quem já havia lhe adiantado aquele dinheiro: quando chega neste estágio, já era, a recuperação judicial é uma mera “formalidade”, porque a esta altura, TODO MUNDO já tem certeza que ela está QUEBRADA!

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 7 de fevereiro de 2019 at 17:42

    Putz, os crimes no Brasil ocorrem a velocidade da luz! Acabei de falar sobre esquemas de bancos e logo depois vi isto…

    https://br.noticias.yahoo.com/funcionarios-banco-brasil-fraudaram-aposentadoria-com-medo-de-reforma-da-previdencia-190541503.html

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 7 de fevereiro de 2019 at 18:07

    OFF – Agora vai, ou como esta gente consegue ser tão idiota e atrasada?

    Educação Moral O ministro também voltou a afirmar que vai priorizar a volta da educação moral e cívica nas escolas e universidades brasileiras. “Havia nas nossas antigas escolas primárias e secundárias, a educação moral e cívica. Depois, quando chegava ao ensino universitário, o aluno tinha [a disciplina] de estudo dos problemas brasileiros. Isso foi esquecido. Eu acho que seria necessário voltarmos a valorizar a educação para a cidadania, que é a base do comportamento da vida cidadã”,

    https://educacao.uol.com.br/noticias/agencia-estado/2019/02/05/ministro-da-educacao-quer-retomar-educacao-moral-e-civica.htm

    Acho que já postei aqui que quando entrei para a universidade esta merda de EPB – estudo dos problemas brasileiros, era disciplina obrigatória e tive que aguentar por dois semestres uma vez por semana um cubano filha da p. falando sobre as maravilhas da ilha dos Castro e do comunismo.
    Este lixo foi contratado ainda no tempo dos idiotas dos militares.

    2+
    • odorico 7 de fevereiro de 2019 at 18:23

      Carlos, minha esposa é da área de educação e coincidentemente nesse início de ano letivo em uma escola pública que ela trabalha, teve reunião pedagógica, a “pedagoga” falando para os professores que o aluno devia ser avaliado em sua integralidade sem notas, sem ditados, sem tabuada ou conceitos de certo e errado. Hoje até o 3º ano fundamental não pode ser retido (nome bonito para reprovado). Um professor questionou, mas se não podemos avaliar, não podemos dar nota, que tipo de estudante estamos formando? Estão preparados para o mercado? E que nas particulares continuam reprovando, dando nota, fazendo ditados, tomando tabuada, etc e que eles se saem melhor nas provas, testes, mercado de trabalho. A pedagoga, falou que o aluno de escola pública é formado para uma visão crítica de mundo, agente de mudança, que o aluno de escola particular é formado para ser escravo do capitalismo e da elite, sem pensar e apenas repetir comportamentos.
      Eu sou do tempo da escola publica da OSPB, da moral e cívica, das técnicas comerciais, (tinha técnicas agricolas se você fosse da área rural) etc. E acho que isso ajudou na minha formação. Comecei a a ser doutrinado no segundo grau e faculdade com a mente esquerdista, mas o mercado de trabalho e a necessidade me libertaram desse pensamento e prosperei. Muitos estão presos até hoje, muitos são doutrinados até hoje. Ah, mas OSPB e Moral e cívica eram doutrinação? Sim, concordo, mas parecia ser uma doutrinação mais “pró sociedade ou vida social”. Hoje a doutrinação é questionadora de tudo, de todos, de toda hierarquia, de todo padrão, de toda norma, sem propor nada, questionar por questionar e a isso dá-se o nome de visão crítica, de agente de mudança, etc. etc.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Festa Ploc 8 de fevereiro de 2019 at 07:50

        O que não consigo de maneira nenhuma entender é por que aprender português, matemática e ciências impedem o sujeito de ser um agente de mudanças. A ignorância mesmo é que não muda nada, pelo menos não para melhor.

        3+
        • avatar
        • avatar
      • socrates 8 de fevereiro de 2019 at 09:17

        disciplina é liberdade
        Para libertar uma pessoa não precisa deixa-la sem rumo

        1+
    • odorico 7 de fevereiro de 2019 at 18:33

      Aliás, aproveitando, você que mora na austrália (já morei aí durante um intercâmbio), não existe formação para a sociedade? Já levou bronca do guarda ao atravessar fora da faixa, e do motorista de ônibus se descer apressado ou subir sem respeitar os demais, ou tentar subir no ônibus já lotado, andar de bike sem capacete. E nas escolas, todos com padrão de uniforme (eu vi vários alunos voltando quando com uniforme fora do padrão), e as multas por atrasar, E estudantes saindo no parque para limpeza voluntária conduzida por professores, ou distribuindo panfletos sobre cuidar da natureza, repeitar o próximo, respeitar o trânsito, e as “penalidades” como auxiliar na organização da sala após as aulas. Eu fiz isso já adulto, na minha aula de inglês, quando fui ríspido num resposta a um colega de sala, a professora apenas me olhou e disse “Odorico, você poderia ficar ao final da aula para me ajudar a organizar a sala e aproveitarmos e conversarmos?” . Isso não é Moral e Cívica? Isso não é OSPAuzzie… ?

      4+
      • avatar
      • avatar
      • Carlos 7 de fevereiro de 2019 at 20:55

        Não acredito que a escola tenha obrigação de ensinar este tipo de coisa.
        A prova que não funciona é justamente que tivemos esta porcaria por anos e não impediu em nada de termos uma população adulta completamente ignorante sobre o Brasil e com tendências esquerdistas.
        Não entendo como ficar decorando letra de hino e asteando a bandeira uma vez por semana ensine moral ou qualquer outra coisa.
        E sim, pessoas são repreendida aqui, principalmente jovens, por qualquer pessoa em qualquer lugar ou hora e normalmente eles calam e ficam morrendo de vergonha, exatamente como na época que eu era criança. E isto não foi ensinado em nenhuma aula estúpida inventada pelos milicos.
        Jovens estão virando nem nem insuportáveis em todos os países, nada a ver com aulas de moral mas sim famílias disfuncionais e mães solteiras criando criminosos.
        Nos EUA 90% dos presidiários foram criados sem um pai.
        Melhor coisa para melhorar a situação moral: parar de ter filhos como ratos, filhos que obviamente não tem como cuidar, esperar que a escola faça sua obrigação de pai é temerário e não funciona, o resultado é evidente.
        Boa sorte com isto em países católicos onde a santa igreja de Roma vive de pobres e pecadores para garantir sua fortuna e continuar com seu proselitismo vagabundo.

        9+
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 7 de fevereiro de 2019 at 20:51

    Cilada?! Quem compra terra não erra
    mprar imóvel ainda é cilada? Com queda da Selic, pode ser hora de sair do aluguel

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Oliveira 7 de fevereiro de 2019 at 21:13

    Pessoal boa noite, esperei bastante tempo desde 2014. E não vejo uma mudança prática nos imóveis, não dá pra saber quanto tempo este povo aguenta sem vender. Já que as trocas parecem ter dado mais um fôlego para o mercado delirante. Tipo como já dito aqui troco minha Brasília que vale um bilhão e um real por seu fuscas que vale um bilhão e vc me devolve um real. Todo mundo é bilhonario, mas ninguém tem um bilhão! SELIC a 6,5 tá osso!! Preciso de um espaço maior melhor e porcino ao trabalho. Estou pensando em apelar, vou dar proposta de 9% sobre o desconto que o corretor conseguir, e dar um limite máximo para fechamento. E deixar a coisa rolar!!

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 7 de fevereiro de 2019 at 21:21

      Caro Oliveira, na minha modesta opinião quem tem pressa e se desespera é quem precisa vender, não quem quer comprar
      O tempo e o mercado estão a seu favor, não se esqueça de usá-los.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • rafa_fv 8 de fevereiro de 2019 at 08:24

        Carlos não vejo somente como pressa/desespero até porque como comentei por aqui não tenho visto isto nem nos vendedores, só para deixar claro falo do mercado de usados onde muitos dos imóveis o proprietário ainda está dentro ou é um imóvel de herança.
        Para quem não é tão novo é tem uma certa estabilidade no emprego a grande vantagem do aluguel que é a mobilidade serve para muito pouco. Sendo que quem tem o valor para dar a vista, pelas contas que tenho feito com investimentos de baixo risco, ou seja RF, não tem tido grande vantagem, principalmente se não tiver um fiador e tiver que pagar o seguro fiança. Se eu descontar o IR e a inflação acho que nem está cobrindo o valor do aluguel.
        Estou falando com base no meu caso. Eu adoraria conseguir chegar no fator que comentam aqui de 100x 150x o aluguel, mas os valores na região estão bem longe disso e não tem tido nenhuma queda relevante. Se eu não acredita-se que os valores atuais são insustentáveis no longo prazo. Não seria um negocio tão ruim zerar os investimentos na aquisição e depois recompor a ‘poupança’ com o valor que pago de aluguel atualmente.

        3+
        • avatar
        • Cesar_DF 8 de fevereiro de 2019 at 10:09

          As coisas em Brasília acontecem antes de outras capitais.

          De acordo com o FIPEZAP, a queda real (nominal menos igp-m) em Brasília desde abril de 2012 foi de 36,03%, fora o “desconto” praticado de 28%.

          2+
          • avatar
      • socrates 8 de fevereiro de 2019 at 09:19

        concordo com o Carlos.
        Mas se voce está ficando doente com isso e tem $$$ de sobra, então seja feliz!

        3+
        • avatar
        • Cesar_DF 8 de fevereiro de 2019 at 10:10

          kkkkkk

          0
    • Money_Addicted 8 de fevereiro de 2019 at 08:13

      eu nao sei a regiao que vc procura, mas onde eu moro ainda esta valendo mais o aluguel mesmo considerando a selic a 6.5%
      pense bem se nao eh aquela comichao q o pessoal tem qdo ta com dinheiro no banco 🙂

      2+
      • rafa_fv 8 de fevereiro de 2019 at 08:32

        Money apesar dos preços aqui em SP estarem absurdos, o aluguem só continua vantajoso para mim se eu considerar que os preços vão ficar de estáveis para ladeira abaixo.

        3+
        • avatar
        • CA 8 de fevereiro de 2019 at 09:04

          rafa_fv,

          Por estabilidade no emprego mencionado acima por você, quer dizer funcionalismo público ou estagnação?

          No primeiro caso, se for funcionário público federal, se você não trabalhar em BB, CEF ou Petrobrás, segundo o novo governo, em breve sua estabilidade poderá ser comprometida com as privatizações. Se for funcionário de governo estadual ou municipal, considere que o STF está avaliando corte de salário de servidores públicos estaduais neste momento e que graças ao CAOS fiscal, que não se resolverá da noite para o dia e para todos os entes públicos da noite para o dia, tanto esta ação, quanto uma revisão constitucional que tire a estabilidade do funcionalismo público não estão descartadas, o que aliás estaria em linha com os princípios de um governo liberal.

          No segundo caso, falo sobre estagnação, porque o que observamos ao longo dos últimos 10 anos e de forma CONTÍNUA, é que estão sendo eliminados cargos de gestão à alta velocidade e os cargos que restam, ou a pessoa tem flexibilidade para mudar de cidade, ou muitas vezes poderá não encontrar nada equivalente e terá que aceitar quedas mais relevantes na renda (quando não as duas coisas, mudar de cidade / estado p/ ganhar menos) e em paralelo, mesmo no crescimento de carreira em Y, as empresas tem feito profunda juniorização e mesmo as empresas de consultoria, não tem feito contratos com valores fixos para especialistas, portanto, a suposta “estabilidade” do setor privado hoje e em termos reais, tem a ver com estagnação e sem NENHUMA garantia real de estabilidade, em qualquer situação (você pode ser adorado por seu chefe e ele sair da empresa, a empresa pode quebrar, etc, etc, etc).

          Em São Paulo, por exemplo, um viaduto interditado em que as pessoas estão gastando O DOBRO do tempo de percurso entre sua casa e o trabalho no horário de pico, com VÁRIOS outros viadutos em situação de risco e que também terão que ser interditados, alguns simultaneamente. As últimas chuvas abriram algumas CRATERAS na região metropolitana que viraram notícia por terem ENGOLIDO CARROS, fora os alagamentos que levaram carros e pessoas em algumas regiões. Trânsito e violência intensos que vão “migrando” de um bairro para outro. Ao comprar um imóvel nesta cidade, como você saberá o quanto ele será afetado por tudo isto e muito mais ao longo do tempo, para garantir que aquela obrigatoriedade de morar naquele lugar não vai virar um enorme transtorno depois? Ah, é só por para alugar e depois alugo outro! Ué, se for para isto, ter dor de cabeça com inquilino, vacância, diferenças de custo entre o que paga e recebe podendo ser prejuízo ou danificarem seu imóvel, pra que comprou?

          Já comprei e vendi imóvel para uso por 4 vezes (depois disto desapeguei daquela programação que fazem na sua cabeça desde criança de que você “precisa” comprar um imóvel), mudando de cidade 3 vezes, fico em São Paulo em casa da família durante a semana para trabalhar e tenho que passar pelo trajeto em que o viaduto caiu, sei que o tempo dobrou (como é muito perto do trabalhou, passou de 13 minutos para 26 minutos, o que no padrão de São Paulo não é nada, mas foi exceção, para maioria impacto é muito maior), então, tudo que coloquei acima é EXPERIÊNCIA e não “teoria”.

          Outro ponto: medição de risco e retorno:

          Em caso de crise (já ouviu falar nas ameaças globais? acha que é só “teoria da conspiração”? rs), desemprego, queda de renda, necessidade financeira urgente e relevante para si ou parentes próximos e/ou dependentes de você, após comprar o imóvel à vista você terá ainda uma boa reserva, equivalente a NO MÍNIMO 12 meses de salário (de preferência, 24 meses)?

          Se sim e você não consegue viver sem um imóvel para chamar de seu, precisa disto para se sentir mais aceito no meio familiar e social, é uma necessidade de auto-afirmação ou qualquer coisa do gênero, que você pode justificar para si mesmo dizendo que é porque vai poder mexer na casa como quiser e estorinhas assim, não há nenhum problema financeiro em entrar nesta e satisfazer a sua “necessidade”, para a qual você foi programado desde criança. Agora, se for para entrar em financiamento por décadas, ou ficar sem reservas ou com muito poucas reservas, principalmente neste momento, é o que chamamos de SUICÍDIO FINANCEIRO, pois na primeira necessidade, você não vai poder vender a porta, a janela ou o piso para pagar as contas.

          4+
          • socrates 8 de fevereiro de 2019 at 09:23

            CA, tem ainda outro detalhe.
            a Receita Federal ja esta começando a trabalhar com o trabalho à distancia.
            A justiça está forte nisso faz um tempo.
            Em breve , o fato deve se espalhar para outros orgãos onde isso é possível.

            1+
            • avatar
            • rafa_fv 8 de fevereiro de 2019 at 09:46

              mas o teletrabalho não afeta diretamente a empregabilidade que é o ponto que o CA colocou, e como elimina ou ao menos diminui os deslocamentos acaba importando menos o local de moradia. Na minha opinião isto é meio contrario ao ponto que ele quis dar ênfase.

              0
              • CA 8 de fevereiro de 2019 at 10:09

                rafa_tv,

                E você, já está com teletrabalho? Quantas pessoas da sua empresa atuam neste regime? Já é o padrão para sua profissão? Se por acaso surgir uma opção duas vezes melhor em outra cidade, mas que não aceita teletrabalho, o que você vai fazer, desistir?

                Uma coisa é LEI, outra é o quanto aquela lei vingou ou incentivou uma modalidade de trabalho. Não tenho visto isto em larga escala em nenhum lugar, nem mesmo qualquer crescimento nesta modalidade em função da mudança da lei. Ah, você é um consultor independente de TI que atua com desenvolvimento em formato de fábrica de software atendendo simultaneamente demandas de Canadá, EUA, outras regiões do país, etc, sim, neste caso, sem dúvida se aplica, é o seu caso? É o caso de quantas pessoas?

                0
                • rafa_fv 8 de fevereiro de 2019 at 10:17

                  CA isto você deve perguntar ao Socrates, eu só disse que não era muito correlacionado com o que você estava falando, que era perda de emprego ou renda. Se algum órgão está começando a fazer trabalho a distancia ou não, não tem muita correlação com o que você colocou.

                  1+
                  • CA 8 de fevereiro de 2019 at 10:39

                    rafa_tv,

                    Não estou falando de órgão, mas de LEI e aliás do aspecto PRÁTICO. VOCÊ afirmou que aquilo colocado pelo socrates contradizia o que havia dito e por isto respondi para VOCÊ porque aquilo não tinha aplicabilidade PRÁTICA.

                    0
          • rafa_fv 8 de fevereiro de 2019 at 09:42

            CA como eu disse ‘uma certa estabilidade’, sei que mesmo você estando 15, 20 ou 30 anos em uma empresa, trabalhando direito podem acontecer imprevistos que acabem afetando seu emprego. Você pode acabar tendo que se mudar ou fazer um deslocamento maior, pode acontecer sim, mas eu consigo tem uma previsão muito maior sobre minha empregabilidade do que eu consigo ter sobre o mercado irracional imobiliário.
            Agora achar que ser locatário resolve todos os ´problemas do mundo, menos. Atualmente sou locatário, tenho liberdade para me mudar, a resposta correta é não. Não posso sair me mudando porque o viaduto caiu ou porque não estou me dando bem com algum vizinho, não ao menos sem arcar com todos os custos envolvidos, multa, seguro fiança(jogado no lixo), transporte e pessoal para realizar o serviço, transtorno para organizar tudo para a mudança e depois na casa nova.
            Não preciso de tijolos para chamar de meu, mas também não vou dizer que o aluguel é a oitava maravilha só porque estou no BIB, cada um deve ter sua opinião pessoal e analisar suas necessidades. Eu mesmo preciso de um espaço diferenciado por conta do meu hobby e tenho muita coisa para ser transportada em cada mudança por conta disso, fora as adaptações a cada mudança que tenho que fazer para viabilizar este hobby.

            3+
            • Senhor Bolha 8 de fevereiro de 2019 at 09:57

              A pergunta você possui dinheiro para queimar , se possível grande montante?

              Se sim vá em frente e não pense duas vezes. Agora se vai torrar todo seu capital acumulado ou boa parte dele para ficar imobilizado eu pensaria duas vezes.

              Estou dando opinião porque foi me oferecido alguma casas a qual poderia pagar a vista, mas não animei visto que a dor de cabeça de ficar imobilizado não compensaria os tais benefícios.

              E olhe que ficaria apenas 35% do meu patrimônio imobilizado em imóvel. Infelizmente não consigo.

              Quem sabe quando estiver com uns 10% do patrimônio imobilizado em propriedade, hoje não passa pela minha cabeça.

              Até mesmo para questões de herança não tem imóveis é uma vantagem tributária. Liquidez em de + 0 , dia seguinte o dinheiro esta limpo na minha conta e posso até mudar de país se a coisa estiver feia.

              2+
              • Cesar_DF 8 de fevereiro de 2019 at 10:15

                Senhor Bolha
                Somente acrescentando, acho que as pessoas não medem todos os custos que envolvem a compra.
                Se comprar um imóvel de 1 milhão e ele desvalorizar “apenas” 30% em 5 anos, serão 300 mil reais jogados no ralo.
                Colocando ainda o custo de oportunidade, com um juros de 6% ao ano, em 5 anos ele deixou de ganhar 338 mil reais, juntando os dois são mais de 600 mil reais de negativo para a COMPRA, comparando-se com a locação.

                6+
                • avatar
                • avatar
                • Senhor Bolha 8 de fevereiro de 2019 at 10:25

                  A maioria não sabe fazer conta de custo oportunidade.

                  Nem os ditos especialista fazem isso, quem dira meros mortais.

                  4+
                  • avatar
                • CA 8 de fevereiro de 2019 at 10:27

                  Cesar_DF,

                  Ah, mas custa caro fazer mudança se o local próximo de onde você vive ficar muito ruim! É muito melhor ficar preso a este lugar que ficou ruim e “casado” com um imóvel que você não consegue vender nem alugar, olha que maravilha!

                  Além do mais, o que são algumas centenas de milhares de reais perdidos ao longo de alguns anos, perto do trabalho de fazer uma mudança e gastar uma pequena fração disto? Para um bricklover, não é nada!

                  E se vier uma crise, algo que cada vez mais está se tornando um consenso entre aqueles que não são vendidos para um setor nem querem atrair SARDINHAS para bolsa de valores? É muito fácil e rápido vender um imóvel, não é mesmo? Nada que em 2 ou 3 anos, ou mais que isto em caso agravamento de crise, você não consiga vender! Este tempo passa rápido, você nem vai ver que passou o tempo ou passar necessidades durante este período!

                  Ou então, vende rápido o imóvel e pela metade do preço, de novo, não custa nada, só algumas centenas de milhares de Reais, bem melhor que gastar com mudança e o transtorno correspondente, certo? Ou então, para não se desfazer de seu “patrimônio”, que pode lhe doer na alma, sai vendendo janela, porta e o que der, com certeza acha muita gente interessada, faz uma grana, se sustenta com isto e fica feliz!

                  Não adianta, o pessoal que é programado desde criança e está preso na Matrix do Bricklover, não faz a menor ideia do que é risco retorno, liquidez, crise econômica ou pessoal aguda, análise de custo de oportunidade no médio prazo, necessidade de mobilidade, etc, etc, etc. Tudo isto é superado pelos argumentos mais toscos e limitados possíveis e sempre na mentalidade que ensinaram para eles do “caminho feliz”: nada vai dar errado, este é o país do futuro, quem compra terra não erra e assim por diante…

                  2+
          • rafa_fv 8 de fevereiro de 2019 at 09:51

            CA não precisa ser apelativo:
            “Se sim e você não consegue viver sem um imóvel para chamar de seu, precisa disto para se sentir mais aceito no meio familiar e social, é uma necessidade de auto-afirmação ou qualquer coisa do gênero, que você pode justificar para si mesmo dizendo que é porque vai poder mexer na casa como quiser e estorinhas assim, não há nenhum problema financeiro em entrar nesta e satisfazer a sua “necessidade”, para a qual você foi programado desde criança. Agora, se for para entrar em financiamento por décadas, ou ficar sem reservas ou com muito poucas reservas, principalmente neste momento, é o que chamamos de SUICÍDIO FINANCEIRO, pois na primeira necessidade, você não vai poder vender a porta, a janela ou o piso para pagar as contas”
            Não falei em momento algum em aceitação, falei da parte financeira. Com LCI/LCA de 0,9 ou CDB de 100% não é um ótimo investimento ficar no aluguel como pregam. O retorno não paga meu aluguel e ponto.

            1+
            • CA 8 de fevereiro de 2019 at 10:04

              rafa_tv,

              Você alguma vez ouviu falar que em tempos de crise “cash is king”? Isto também é uma análise financeira, olhar exclusivamente o rendimento, sem análise de risco e liquidez, é um completo NON-SENSE. Por exemplo, se você olhar só rendimento, porque não aloca 100% em renda variável então, se risco, liquidez, etc, não significam nada, qualquer aplicação de maior risco com maior retorno valeria a pena…

              Vamos ver se você entende melhor a questão desta forma:

              Se você tiver uma crise por QUALQUER MOTIVO, particular ou geral da economia, tendo imobilizado todo seu dinheiro, vai fazer o que? Vender uma porta, uma janela, um tijolo? Mais de 90% das pessoas não faz a menor ideia do que fazer nesta situação, porque não tem o mínimo de reserva. Ah, mas você vai ter reserva correspondente a 24 meses de salário mesmo após comprar o imóvel, então beleza, vai fundo.

              Outro ponto:

              Sem dúvida que a decisão é sua, SEMPRE É! Ninguém aqui te obriga a nada.

              E para aqueles que acreditam no “caminho feliz” e apostam 100% na reforma da previdência que vai gerar crescimento por 10 anos, 6% só nos primeiros 12 meses após sua implantação, tem mais é que ir fundo mesmo e IMOBILIZAR 100% do seu dinheiro em um imóvel e não se preocupar com o amanhã! Sugestão para quem acredita nisto: leia o blog do Ricardo Amorin, ele é o cara certo para raciocínios SIMPLISTAS que olham EXCLUSIVAMENTE para o retorno financeiro, esquecendo custos adicionais de uma das opções (cartório, impostos, benfeitorias no prédio que são pagas por proprietário, etc), esquecendo o risco (degradação da área, muito comum e rápida no Brasil, risco de crise econômica ou pessoal, a primeira igualmente constante), esquecendo a questão da LIQUIDEZ (cada vez mais ESSENCIAL), esquecendo a mobilidade (idem para qualquer pessoa que quiser buscar crescimento profissional), etc, etc, etc…

              3+
              • Money_Addicted 8 de fevereiro de 2019 at 10:26

                CA, realmente essa parte da liquidez eh tudo, faco tudo para nao precisar, mas se amanha ou depois eu passar por uma crise financeira posso facilmente ir morar em uma casa pagando 50% do q pago atualmente e ainda tenho uma reserva financeira, e quem imobilizou tdo faz como?

                1+
                • CA 8 de fevereiro de 2019 at 10:35

                  Money_Addicted,

                  É isso aí. O duro é ouvir, a esta altura do campeonato um “raciocínio” ULTRA SIMPLISTA do tipo: o retorno da aplicação financeira não está mais pagando meu aluguel, logo, vale a pena comprar um imóvel agora! É o que o Ricardo Amorim ensina e o pessoa ENTUBA sem pensar!

                  Diga-se de passagem, se o retorno financeiro não paga o aluguel, significa que vai imobilizar todo ou quase todo o patrimônio financeiro para comprar um imóvel (se o patrimônio fosse muito maior que o preço de venda, pagaria o aluguel COM SOBRA) e fará isto porque acredita piamente na estabilidade de seu emprego, de sua renda e das condições gerais que garantem isto! Em pleno Brasil com 7 Estados em CAOS financeiro, governo federal QUEBRADO, todos falando sobre PRIVATIZAÇÕES, o STF votando redução de garantias para funcionário público e “N” ameaças. No caso do regime privado então, nem falar, empresas de DÉCADAS de existência ou faturamento BILIONÁRIO quebrando e as pessoas falando sobre “estabilidade”?!

                  E os contra-sensos são extensos: ah se ocorrer algo muito grave na região, não é assim tão simples se mudar, tem custo e transtorno para a mudança! Sim, é mil vezes melhor ser OBRIGADO a morar lá porque está “casado” com o imóvel e com a piora sensível não consegue nem vender nem alugar, além de não tolerar o “desgaste” e custos com a mudança, logo o melhor mesmo é se resignar e ficar “casado” com uma péssima localização, mas pelo menos poder dizer: “moro no que é meu”!

                  2+
                  • avatar
    • Jonny Deep Blue 9 de fevereiro de 2019 at 13:16

      Tem que focar nos imóveis vazios.

      1+
  • Oliveira 7 de fevereiro de 2019 at 21:15

    *próximo*

    0
    • Alemon Fritz 8 de fevereiro de 2019 at 07:41

      lembre de comparar com o aluguel por ex: 150x se o aluguel custa mil a casa custa 150mil a 170mil. ver se a vizinhança está enchendo de puxadinhos e obras (mais oferta).
      Lembrando que vai vir uma nova corrida de aposentadoria e muitos velhotes estão apostando em construção ou em colocar pra vender heranças.. (até 2024 vai começar a entrar muitas heranças dos pais nascidos em 1940 em diante).

      5+
      • avatar
      • avatar
      • rafa_fv 8 de fevereiro de 2019 at 08:41

        Alemon aqui na minha região em SP as melhores relações que achei foi na faixa de 240x, ou seja pegando os que estão com menores valores de venda. E estes por já estarem nos menores valores não estão abrindo mão de grande coisa.
        O bairro aqui é antigo ou seja muitos que visitei e fiz oferta são de herança e senti que estes são os piores, pois eles não pagaram nada mais querem tirar o máximo possível, como não é o único bem e geralmente tem 3/4 herdeiros um que queira um valor mais alto já trava tudo.

        3+
        • avatar
        • avatar
  • indiobolhista 7 de fevereiro de 2019 at 23:44

    essa semana foi engraçada por quanto olhei no olx propriedades no Brasil que supostamente foram vendidas, uma delas com disconto de 50 por cento respeito ao preço pedido pelos vizinhos, achei que a pessoa ja havia vendido até porque naa redes sociais aparecia disfrutando de Portugal e tal, e hoje achei o anuncio da mesma pessoa pedindo menos da metade e mesmo parecendo barato nao vende, pior os outros alucinados que acham que só valoriza. Estou faz 19 meses no Brasil e desde que cheguei todas as propriedades que gostei pelo preço supostamente baixo, nenhuma foi vendida até hoje 7 de fevereiro do 2019, todas estão alucinadamente disponíveis esperando um feliz novo propriotário.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 8 de fevereiro de 2019 at 09:57

      Indiobolhista
      Parece que o próprio FIPEZAP está indicando que o “desconto” médio praticado é de 28%.
      No leilões, só com descontos acima de 40% que estão recebendo lances

      1+
  • Alemon Fritz 8 de fevereiro de 2019 at 07:32

    IBGE news
    RJ: 10 mortos num incêndio e 6 nas chuvas… dobrando as metas.
    -Apontado por envolvimento em 130 mortes durante rebeliões no AM é preso
    Fonte local-Jornal A Crítica-há 18 horas

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • EngenheiroSP 8 de fevereiro de 2019 at 07:42
    • Alemon Fritz 8 de fevereiro de 2019 at 07:49

      se pegar a cidade mediana bananense o preço seria em torno de 4.700 B$ bananas o metro, pra menos. E SP e rio estão a 8 e 9mil o metro kkkk.. tirando os extremos o preço não deveria passar de 6k nos extremos

      4+
    • rafa_fv 8 de fevereiro de 2019 at 08:53

      Eu achei estranho, acabou o patrocínio ?
      O normal seria uma chamada do tipo ‘Mercado imobiliário tem alta de 0,07% no primeiro mês de 2019’ ou ‘ setor imobiliário começa 2019 estável com aumento de 0,07%’

      5+
      • avatar
      • rafa_fv 8 de fevereiro de 2019 at 08:55

        Globo malvadona, kkkk, só falou do valor descontada a inflação.

        3+
        • avatar
  • Carlos 8 de fevereiro de 2019 at 07:49

    Agora que Brumadinho já foi discutido a exaustão estamos de volta a programação normal.

    Flávio Bolsonaro é investigado por suposto crime eleitoral vinculado a imóveis

    A PGR (Procuradoria-Geral da República), em Brasília, recebeu um inquérito da PF (Polícia Federal) no Rio de Janeiro que investiga o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) por falsificação de documento público para fins eleitorais. O caso foi revelado pelo jornal O Globo e confirmado ao jornal O Estado de S. Paulo.
    Toda a investigação tem relação com as transações imobiliárias de Flávio Bolsonaro. Em reportagem de janeiro de 2018, o jornal Folha de S.Paulo revelou que o senador eleito realizou 19 operações envolvendo imóveis na zona sul do Rio de Janeiro e na Barra da Tijuca.
    Em um dos casos, de um imóvel no bairro de Laranjeiras, o primogênito do presidente declarou à Justiça Eleitoral, em 2016, que o valor era de R$ 846 mil. Entretanto, na escritura, no fim do mesmo ano, o valor registrado foi de R$ 1,7 milhão.

    https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2019/02/06/flavio-bolsonaro-e-investigado-por-suposto-crime-eleitoral-vinculado-a-imoveis.htm

    5+
  • Brazil mode OFF 8 de fevereiro de 2019 at 07:50

    Teremos será uma nova bolha se formando: A bolha de “Coachs”
    Esta tendo Coach de tudo… pqp

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 8 de fevereiro de 2019 at 08:02

    o pior é aguentar a giria babaca deles (fazer um pit, skills, brainstorm, performar, briefing, agregar valor, liderança orgânica, sinergias, overdelivery e follow up, )..
    meus colegas não falavam isso.. mudou o chefe e uma semana depois tavam com essa babaquice…

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Brazil mode OFF 8 de fevereiro de 2019 at 08:08

      kkkkkkk modinha…. daqui uns 5 anos passa

      4+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 8 de fevereiro de 2019 at 08:40

    Já pensou na queda da renda?..

    STF avalia corte de salários de servidores públicos estaduais
    Supremo Tribunal Federal analisa no fim deste mês ação que questiona LRF e pode autorizar governadores a reduzirem a jornada de trabalho e a remuneração de todo o funcionalismo

    O que diz a lei

    RESPONSABILIDADE FISCAL“Artigo 23 – Se a despesa total com pessoal, do Poder ou órgão referido no art. 20, ultrapassar os limites definidos no mesmo artigo, sem prejuízo das medidas previstas no art. 22, o percentual excedente terá de ser eliminado nos dois quadrimestres seguintes, sendo pelo menos um terço no primeiro, adotando-se, entre outras, as providências previstas: 2º – É facultada a redução temporária da jornada de trabalho com adequação dos vencimentos à nova carga horária”

    https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2019/02/08/interna_politica,1028904/stf-avalia-corte-de-salarios-de-servidores-publicos-estaduais.shtml

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • rogerio 8 de fevereiro de 2019 at 13:22

      Sobre a redução da carga horária acho que não vai rolar. O que deve acontecer é corte drástico nos CCs.

      2+
    • Jonny Deep Blue 9 de fevereiro de 2019 at 13:42

      Antes precisam demitir os terceirizados e comissionados….

      1+
  • Cajuzinha 8 de fevereiro de 2019 at 08:53

    BC da Inglaterra diz que economia não está pronta para Brexit sem acordo
    Banco da Inglaterra manteve juros inalterados e reduziu expectativa de crescimento da economia.
    Por G1

    07/02/2019 11h25 Atualizado há 22 horas

    O Banco da Inglaterra disse que o pior cenário do Brexit, que seria sem um acordo para um período de transição e uma súbita perda de confiança no Reino Unido entre os investidores estrangeiros, poderia prejudicar a economia mais do que a crise financeira global.

    Crescimento fraco e juro sem mudança
    O banco central britânico afirmou que o Reino Unido deve enfrentar o crescimento econômico mais fraco em dez ano em 2019, culpando a crescente incerteza sobre o Brexit e a desaceleração global, mas manteve a mensagem de que a taxa de juros vai subir se o acordo do Brexit for fechado.

    “O crescimento econômico do Reino Unido desacelerou no final de 2018 e parece ter enfraquecido ainda mais no início de 2019”, disseram as autoridade do banco central, depois de uma votação unânime para manter os juros em 0,75%, como esperado em uma pesquisa da Reuters com economistas.

    “Essa desaceleração reflete principalmente uma atividade mais fraca no exterior e os maiores efeitos das incertezas do Brexit domesticamente”.

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/02/07/bc-da-inglaterra-diz-que-economia-nao-esta-pronta-para-brexit-sem-acordo.ghtml

    4+
    • avatar
    • avatar
  • Senhor Bolha 8 de fevereiro de 2019 at 09:02

    O pessoal ai de cima que falou de PMJ não estar cobrindo aluguel.
    Investiu errado, ficou 100% pós fixado. A tempos foi comentando por aqui para operar ciclos, ou seja: 50 % a 50% distribuído entre pós fixado e pré fixados.

    Quem esta travado nas taxas maiores do tesouro , ações etc Esta tranquilo, recebe uns 8 a 9% de PMJ líquido de IR.

    Sobre a questão do aluguel não sei onde vocês estão situados, mas existe micro bolhas ou bairros de classe média alta aonde realidade demora bater a porta, mas esta lentamente chegando pode acreditar.

    Aonde moro região central foi me oferecido um imóvel por fator x de 150 , recusei prontamente.
    A dona do apartamento é uma aposentada que esta passando por questão graves financeiras, vai vender o apartamento para saldar dívidas. E como sou inquilino a lei manda que ofereça apartamento para inquilino antes de oferecer para outra pessoa.

    Sobre região badaladas.

    A questão é a região onde você mora! Provavelmente anda bolhada ( Fator x 250 + ) , basta aguardar estoque futuro chegar para derrubar os preços, neste preço não vai demorar para alguma construtora ver esta maravilha que anda o mercado local.

    Trabalhem sempre com estoque futuro! A região ta bombando mesmo? Então vai chover de construtora.

    Fenômeno conhecido no mercado como micro-bolhas, geralmente são as ultimas a cair quando estoura uma crise. Lembrando que a balança de riscos da economia mundial nunca esteve tão desfavorável. Até por isso estou ficando cada vez mais liquido e fazendo seguros , cambio , ouro etc.

    Agora não é hora de assumir riscos como ficar imobilizado em imóveis.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Senhor Bolha 8 de fevereiro de 2019 at 09:08

      Sobre a questão do juros futuros:

      Enquanto governo não expandir a base monetária via crédito , endividamento ou as duas coisas ao mesmo tempo. A inflação vai se manter fixa ou até mesmo abaixo da meta.

      As pessoas que poderiam se endividar já estão com a corda no pescoço. Logo é natural que algum momento o juros vá cair. Esta situação vai perdura no próximos anos, mas não demora muito para subir novamente.

      Os motivos para subida? Maiores déficits vão empurrar o banco central para impressão de dinheiro desmedida. Não demora muito para cair o governo de centro direita e entrar um desenvolvimentista de centro esquerda. O governo atual não vai conseguir segurar as contas públicas.

      Então em algum momento no futuro o governo vai ter que pagar despesa corrente lançando títulos que paguem cada vez mais.

      7+
      • avatar
    • CA 8 de fevereiro de 2019 at 09:09

      Senhor Bolha,

      As pessoas são programadas desde criança para terem imóvel.

      É uma lavagem cerebral de longa duração.

      No geral, as pessoas não fazem a menor ideia do que significa “cash is king”, em especial em tempos de crise que virão e que é algo que se torna cada vez mais ÓBVIO.

      O importante muitas vezes é se sentir aceito pela sociedade e pelos mais próximos, mostrar seu sucesso, satisfazer o ego.

      Já vi INÚMEROS casos de pessoas passando dificuldades por terem atendido a este chamado, outras que ficaram “travadas” para mudar de cidade e perderam oportunidades e depois o emprego que tinham antes e ficaram arrependidas.

      Mas existem casos e casos, se a pessoa imobilizar uma boa grana, tiver o prejuízo financeiro pelas novas quedas inevitáveis no preço do imóvel, mas continuar com grande reserva / liquidez para emergências, vai ter o prejuízo financeiro, da perda de mobilidade (cada vez mais importante), mas no frigir dos ovos, ainda ficará feliz com sua escolha.

      6+
      • avatar
      • Senhor Bolha 8 de fevereiro de 2019 at 09:47

        C.A a compra só vale mesmo se o cara estiver nadando em dinheiro.EX: imóvel representar menos que 30% do patrimônio total do investidor. O ideal é que foste menos que 15% .

        Então ele não se preocuparia com fator X uma vez que numa crise global com queda acentuada dos valores dos imóveis , estaria líquido e solvente.

        O ruim é que isso anda muito distante da realidade da maior parte das pessoas! Eu mesmo sei que o imóvel onde moro é uma bomba ambulante, caso queira vender depois vai ser uma dor de cabeça infindável.

        Por aqui não quero mais saber de ficar imobilizado: Já basta ações que tenho de empresas listadas em bolsa , fundos etc.

        Nos próximos anos eu quero cada vez mais liquidez e seguros: Venho trabalhando arduamente para deixar meu patrimônio o mais liquido possível.

        Imóvel esta fora dos planos:
        Onde moro atualmente fica situado ao lado de algumas regiões nobres, já consigo perceber a degradação . Casarões velho e antigos abandonados com mato grande e placa de aluga-se, alguns até mesmo invadidos por drogados.

        A cada quarteirão existe um mendigo, roubos e assaltos aumentando exponencialmente.

        Resumo: Região nobre se tornando uma cracolândia!

        4+
        • avatar
      • Cesar_DF 8 de fevereiro de 2019 at 10:03

        CA
        Sim, o FatorX e o custo de oportunidade são mensuráveis, mas o custo resultante da imobilização é muito difícil de medir.
        Sabemos que uma pessoa jovem tem muito mais chances de mudar de emprego do que uma acima de 40 anos.
        Por estar preso geograficamente a um local, muitas oportunidades são perdidas.
        Se para alguém com mais de 40 anos, em um emprego estável, valha a pena adquiri um imóvel com FatorX < 150, para um jovem recém formado talvez só valesse a pena comprar com um FatorX < 100, ou até menos. Para um agência bancária, somente vale a pena adquirir um imóvel com FatorX < 65

        3+
        • avatar
        • Senhor Bolha 8 de fevereiro de 2019 at 10:21

          A conta é simples qualquer coisa acima de 200 é rasgar dinheiro,mesmo que a pessoa queira ter um imóvel em seu nome , estou contando que isso não vá comprometer muito o patrimônio como um todo.

          Ai pergunto quem possui dinheiro a vista para comprar imóvel que não vá imobilizar grande parte do patrimônio. A resposta vai ser quase ninguém!

          Então continua sendo um mal negocio por qualquer perspectiva financeira que olhe. Isso é matemática básica.

          A taxa de juros baixas induz o indivíduo entrar em furadas e investimentos perigosos.
          Rapaz já vi este filme inúmeras vezes no mercado financeiro, basta taxa de juros cair que o pessoal que só compra pós fixados entra em parafuso.
          A psicologia é mesma :Desde gestor de fundos até uma pessoa comum. Todo assumem risco no mercado imobiliário, ações. Visando compensar a queda de retorno.

          Quando na verdade deveriam estar fazendo contrario e reduzindo a balanço de risco do patrimônio.

          6+
          • avatar
          • avatar
          • CA 8 de fevereiro de 2019 at 10:48

            Senhor Bolha,

            Em um país com história de inflação e juros elevados, como o Brasil, a situação acima é extremamente comum!

            Lembrar do primeiro semestre de 2013 e do primeiro semestre de 2018: em ambos os casos, a SELIC no menor patamar até então. O que fizeram com os SARDINHAS? Recorde de lançamentos de imóveis como “investimentos”, flats para colocar para alugar, um “negócio da China”! Hoje, mais de 40 MIL flats VAZIOS e aguardando os locatários e muitos mais virão com a leva de INCAUTOS de 2018 quando forem entregues. Neste caso não foi um mero suicídio financeiro, foi uma CHACINA FINANCEIRA.

            6+
            • avatar
            • avatar
            • Senhor Bolha 8 de fevereiro de 2019 at 10:53

              Vi este filme em 2012 , esta tudo se repetindo novamente.

              2+
              • avatar
        • Jonny Deep Blue 9 de fevereiro de 2019 at 14:00

          O aluguel do AP que mora é 1350 bananies . Se o preço fosse 150x aluguel, eu comprava. Mas, é 210 chorando muito. Então, não vai mesmo.

          1+
  • Wolf 8 de fevereiro de 2019 at 09:11

    CVR OFF
    Impressionante a quantidade de casais do Rio de Janeiro vindo para minha cidade. A maioria aposentados.
    Só na loja esse ano foram 3 casais que atendi e pelo sotaque eram do Rio, aposentados, e vieram buscar tranquilidade aqui.
    Coloquei meu apartamento a venda, advinha qual foi o primeiro casal interessado.? Rio
    O apartamento de cima foi alugado, olhei na garagem, placa de Niteroi, encontrei eles na garagem um dia, puxei papo, fugindo da violência no Rio.
    Dizem que acharam o máximo os carros parando na faixa de pedestre aqui, nunca tinha visto isso no Brasil kkkkk

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 8 de fevereiro de 2019 at 10:18

      o pior disso tudo eh q infelizmente pode ocorrer deles levarem a violencia junto

      5+
      • avatar
      • Wolf 8 de fevereiro de 2019 at 14:16

        Difícil, primeiro que o que vem são aposentados, segundo que a cultura e a policia aqui não deixam vagabundo se criar.

        3+
  • Carlos 8 de fevereiro de 2019 at 09:16

    OFF – Bolha down under – os efeitos nefastos.
    60 minutos é bem sensasionalista mas isto é realmente grave.

    Expert warns Australia could turn into slums in 20 years | 60 Minutes Australia
    Housing and banking expert Martin North North has criticised developers and the housing industry for “throwing up” high-rise buildings at such alarmingly fast rates. He warned viewers that significant defects and safety concerns are imminent.

    https://www.youtube.com/watch?v=vRSdiq3sOTc

    4+
    • avatar
    • avatar
    • Senhor Bolha 8 de fevereiro de 2019 at 09:34

      Calor o juros anda subindo ai na terra dos cangurus.

      Sabe alguma coisa sobre a política monetária do BC australiano e as políticas de crédito direcionado do governo?

      A que passo andam as bolhas australianas? Consultado indicadores de solvência do governo, ainda é um dos melhores índices dos países desenvolvidos, porém como a crise vai ser a um nível global não acredito que vá escapar ileso.

      Numa situação normal o governo conseguiria pedalar no estado de bem estar social por mais algumas décadas.

      1+
      • Senhor Bolha 8 de fevereiro de 2019 at 09:37

        * Carlos*

        0
      • Carlos 8 de fevereiro de 2019 at 10:24

        Estão falando em manter ou até em baixar os juros mas a coisa ainda está embolada devido aos efeitos da CPI dos bancos local.

        The Reserve Bank has revised down its economic forecasts as expected, but the Australian dollar has plunged again after the central bank surprised the market with the scale of its revisions.
        Economists had long warned that the ongoing property market correction and sluggish consumer spending meant RBA growth forecasts were overly optimistic.
        Governor Philip Lowe this week tempered his previously optimistic language when the RBA kept the cash rate at a record low 1.5 per cent for a 30th month, but dropped its longstanding prediction that an impr