PDG apresenta 38 planos de recuperação judicial – Valor

A PDG Realty apresentou no fim da noite desta terça-feira 38 planos de recuperação judicial, com débitos totais de R$ 7,3 bilhões, dos quais R$ 5,75 bilhões são passíveis de reestruturação e R$ 1,55 bilhão se refere à dívida extra-concursal. Cada um dos 37 planos individuais destina-se a um dos empreendimentos com patrimônio de afetação.

A recuperação abrange 27 mil credores.

Matéria completa em http://www.valor.com.br/empresas/4995272/pdg-apresenta-38-planos-de-recuperacao-judicial

7+

Você pode gostar...

Comments
  • Cesar_DF 7 de junho de 2017 at 18:21

    Vocês poderiam verificar se esta abordagem/metodologia estaria correta?

    O que aconteceria se o IVG-R acompanhasse a inflação e a renda?

    Em janeiro de 2001, o IVG-R valia 100 pontos

    Aplicando o IGP-M via Calculadora do Cidadão, em 05/2017 ele deveria valer 233

    Mas, ocorreu um aumento real na renda per capita neste período, estimado em 15%

    Que multiplicando 1,15 pelo IVG-R de 233 resultará em 268

    Em 09/2014 o IVG-R atingiu seu pico, em 540,70 e desde então vem caindo

    Observem que se pegar estes 540,70 e aplicar o IGP-M, resultará em 645,58 pontos

    Vejam bem, se eu pegar estes 100 pontos e aplicar o IGP-M, ele deveria valer 179, mas o IVG-R desinflacionado estava em 645, ou seja 3,6X mais do que a inflação do período.

    Em 11/2016 ele valia 444,90 pontos e, sem a mudança da metodologia, o IVG-R deveria valer hoje em torno de 414, uma queda nominal de 23% em relação ao pico, o que equivale a uma queda real de 35,8%

    Então, hoje, junho de 2017, já atingimos o que seria o nível crítico de desvalorização dos imóveis, de acordo com o Relatório de Estabilidade Financeira do Banco Central.

    Em todos os ciclos bolhísticos, o esperado é que o IVG-R caia até ocorrer o reequilíbrio com a renda.

    Para ele cair até os 268 ele precisará cair mais 35%

    https://www3.bcb.gov.br/CALCIDADAO/publico/corrigirPorIndice.do?method=corrigirPorIndice

    http://pracompraroupravender.blogspot.com.br/2017/02/o-banco-central-me-diz-que-os-valores.html

    http://www.bcb.gov.br/htms/estabilidade/2017_04/refPub.pdf

    28+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • MauricioSP 7 de junho de 2017 at 18:55

      Em 2001 o Brasil estava com Selic a 19% ao ano, Desemprego em 7% e 1% de crescimento do PIB, inflação de 7% e sofrendo com racionamento de energia e apagões. É difícil comparar períodos assim. Aquele seria a base CNTP? Acho bem difícil.

      1+
      • Cesar_DF 7 de junho de 2017 at 19:06

        MauricioSP
        E qual você considera que seja um bom ano base?
        Até início de 2003 o IVG-R estava flat
        Do início de 2003 ao primeiro semestre de 2006 tivemos uma subida linear
        Do segundo semestre de 2006 até o primeiro semestre de 2014 tivemos a subida do foguete

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 7 de junho de 2017 at 19:22

          o IVGR é um mero LACAIO do mercado
          o ivgR apenas repercute o fingezap saneado, mas com atraso.

          A correia de transmissão se dá da seguinte maneira:
          As donas do BR vendiam na-planta pelo valor de tabela oficial fingezap e levavam 2 a 5 anos em média para entregar o imóvel quando os Banco deveria bancar o valor contratado anos antes e ainda corrigido pela inflação, tanto banco publico por ordem interna quanto banco privado pelo tal sistema de portabildiade por meio do qual a Caixa ou o BB comiam todo o risco do setor.

          Concluo que o IVG-R original pode ser que apresente um paralelismo com o estouro oficial da bolha, ressalvado esse gap de 2 a 5 anos entre a assinatura de contratos e a aprovação de financiamento e suas garantias bancárias, afinal os donos do governo não iriam passar uma rasteria neles mesmos, e ressalvado tbm que no mercado real, prático e verdadeiro, onde há circulação de dinheiro de verdade, a desinflação de preços de imóveis é muito mais contundente, chegando a ordem de 50% a 80% de descontos conforme o desencalhe dos leilões vão emergindo. Só não vemos quedas assim na tabela oficial por causa dos esforços dos diretores da BRAZIL S/A, já devidamente recompensandos, em socializar os prejuízos pelos velhos meios que já conhecemos e com as consequencias óbvias no soçial, politico e economico. As manchetes de primeira pagina de qualquer jornal são a prova, são as pegadas que o sistema cinicapitalista deixou por onde passou

          15+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • MauricioSP 8 de junho de 2017 at 10:47

          Cesar_DF talvez não seja um “return to normal”, por que o Brasil é um país pitoresco demais para ter um “normal”.
          Ficou mais fácil comparar de 94 para cá com a estabilização da moeda, mas as mudanças estruturais foram muitas nas últimas décadas, eu acredito que estamos mudando de patamar:
          1983-1992 – década perdida, hiperinflação, choques monetários
          1993-2002 – estabilização da moeda, diminuição do estado com privatizações
          2003-2012 – super crescimento “estamos ricos”, colhendo frutos da estabilidade
          2013-2023 – correção, “estamos pobres”, foco no crescimento da dívida pública, alteração das relações de trabalho e previdência

          Em cada um desses períodos você vai encontrar grandes diferenças no comportamento do PIB, na massa de empregados com carteira assinada, percentual de população na classe média, taxas de juros e de inflação, regras de financiamento imobiliário e retomada de imóveis, tudo isso influi no mercado imobiliário.

          4+
          • avatar
  • antifragile 7 de junho de 2017 at 18:28

    CVR Vamos negociar o aluguel?

    Professora de escola primária em Fortaleza.

    Ganha dois salários mínimos. Um para trabalhar de manhã, outro para trabalhar de tarde.

    Passa o dia inteiro na escola, cuidando do filho dos outros.

    Mal tem tempo para cuidar da sua própria filhinha, de oito anos. Felizmente, a menina estuda nessa mesma escola, em tempo integral.

    O marido é funcionário público municipal, e também passa o dia no trabalho.

    Ou seja, a família inteira passa o dia todo fora de casa. Só retornam ao lar de noite, exaustos.

    Há cerca de dois meses, o proprietário da casa onde moram anunciou que ia aumentar o aluguel. Queria subir o valor de 900 para 1000 e poucos reais.

    “O senhor pode manter o preço como está? Não temos condições de pagar mais pelo aluguel”.

    Mas o proprietário foi irredutível, e não voltou atrás no reajuste. Era aceitar ou se mudar.

    A família ficou abalada com a notícia. Mais da metade do salário de professora era só pra pagar o aluguel, e o sujeito ainda queria subir o valor. Aquilo era mais do que a família podia pagar.

    E tão excruciante quanto a ideia de pagar mais pelo aluguel, era ter que mudar-se para um novo lugar. Ainda mais porque moravam perto da escola onde mãe e filha passavam o dia.

    Procurar um novo lugar para morar, por um preço justo, quando se passa o dia no trabalho, não ia ser fácil e nem rápido.

    Mas os tempos são outros. Muita coisa mudou desde que alugaram a casa onde estavam.

    Daí que em questão de quinze dias a professora descobriu outra casa pra alugar, e praticamente na mesma rua.

    Foi falar com o proprietário, que pediu 800 reais de aluguel.

    A professora, que não é boba, se fez de difícil.

    “Estou me mudando de uma casa que custava 900, e já vi outras casas de 800 aqui por perto. Acho que vou continuar procurando”.

    “Não, não, não, vamos negociar! Faço pra você por 750”.

    Fizeram acordo, e há umas duas semanas a família se mudou de mala e cuia pro novo lar.

    Hoje, minha namorada, que trabalha junto com essa professora, perguntou-lhe:

    “E aí, como está na nova casa?”

    “Ah, estou adorando. É tão boa quanto a anterior, e ainda estou economizando 150 reais de aluguel”.

    “Que bom, nessa crise qualquer economia é bem-vinda”.

    “É, mas quem não deve estar gostando é o proprietário da casa onde eu morava. Essa semana ele me ligou, dizendo que deixava pelos 900 reais que eu pagava antes”.

    “E o que você disse?”

    “Falei pra ele que já tinha me mudado, e que nem que ele me pagasse os custos da mudança eu voltava pra lá, pois tinha arranjado um lugar tão bom quanto e ainda estava pagando menos”.

    “Bufo! Eita mulher arretada!”

    145+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 7 de junho de 2017 at 18:40

      Como é mesmo aquele lema?
      “A hora é a vez do consumidor”?
      Ou “A hora é a vez de quem estiver liquido”

      25+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Carlos 7 de junho de 2017 at 18:41

        Ops, e a vez não é a vez… Corretor miserável, creio que seja corvo… 😀

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Logico 7 de junho de 2017 at 18:53

      Bela história, antifragile! São os momentos belos da crise!

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Lucas 7 de junho de 2017 at 19:06

      linda história mesmo.

      apenas é bom lembrar que o valor do aluguel é ainda quase 1 salario minimo, que a média de renda familiar não é muito longe de 3 SMs.
      Ainda tá caro para os padrões bananenses e olha que a pessoa no caso estudou para galgar uma (das mais belas) profissão, imagina a grande maioria que nem isso fez!!!

      23+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Antigo 7 de junho de 2017 at 20:15

      Já disse e repito, seus CVR são os melhores.

      Sensacional a jogada da professorinha. Se todo brasileiro tivesse essa pró atividade, os propriótários não teriam vez nesse país.
      Nunca vi aumentar aluguel no meio dessa crise e com IGP-M negativo.

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • antifragile 7 de junho de 2017 at 20:36

        Pois é. O pessoal parece que tá vivendo no mundo das ilusões. Completamente descolados da realidade. O proprietário não só vai deixar de ganhar o que ele achava que merecia (os 1000 e poucos reais), como vai ter que RALAR pra achar um inquilino que feche pelos 900 que a professora pagava.

        Vou procurar acompanhar esse imóvel, pra saber quanto tempo ele vai ficar desocupado. Duvido que o dono ache alguém em menos de três meses.

        23+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • jodorowsky 7 de junho de 2017 at 21:03

      Que proprietário cretino.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Lord of All 7 de junho de 2017 at 18:40

    “5,75 bilhões são passíveis de reestruturação”
    Sendo beem otimista né?.

    8+
    • avatar
    • Lord of All 7 de junho de 2017 at 18:47

      Lendo a extensa lista de dívidas exposta na matéria, dá até um “desânimo alheio” (sqn).
      Nem mesmo uma sociedade intelectual entre Warren Bufet, Bill Gates, Zuckerberg e Amorinha (esse só de zueira), conseguiriam pensar num jeito de salvar isso aí.

      19+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Antigo 7 de junho de 2017 at 20:17

      Cara, que enrosco essa situação da PDG…
      38 planos de reestruturação!!!
      Vinte e sete mil credores!!

      “Clientes de projetos dos quais a PDG não conseguir terminar a obra receberão o crédito integral por meio de parcelas. A maior parte dos empreendimentos em obras tem patrimônio afetado.”

      Olha que interessante!!! Construtora pagando PARCELINHA!! AGORA VAI!!! INVERTEU!

      35+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Lord of All 7 de junho de 2017 at 18:41

    Comentário de leitor em notícia do g1:
    “Quero que todos paguem pelos meus 3 anos de desemprego e terminem logo com essa palhaçada. A construção civil parou de vez.”

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Logico 7 de junho de 2017 at 18:56

    CVR
    Não faz nem um ano que postei que os meus juros pagavam meu aluguel integralmente. Hoje, eles pagariam quase e 3 alugueis! Viva o milagre dos juros compostos, viva a crise!

    49+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 7 de junho de 2017 at 20:00

      🙂

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Carlos 7 de junho de 2017 at 20:13

        Opriime apenas sorrindo 🙂 agora?

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • antifragile 7 de junho de 2017 at 20:38

          Ri que bufei 3x pelas venta.

          8+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • From_The_Tower 7 de junho de 2017 at 20:42

          😉

          6+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • Zejose 8 de junho de 2017 at 08:52

      Assim que atingir a independência financeira vou fazer umas camisas com a sigla C.R.O.P (capitalista rentista opressor do proletariado)

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Logico 8 de junho de 2017 at 19:56

        … ou “capitalista rentista opressor do propriotário”

        2+
    • Bsbguy 8 de junho de 2017 at 17:46

      Com juros tendo caido 40%, teu patrimônio tem que ter subido 4/5 x (pode fazer a contas ai)., isso para um mesmo aluguel.

      Ex com números, se tu tinha 100k investidos gerando, por exemplo, 1,2% a.m – (selic a 14,25%), tu, ganhava por mês R$ 1.200,00 reais por mês,o qual você disse que era exatamente teu aluguel na epoca.

      Se teu aluguel hoje for igual, 1200 reais, para tu conseguir 3x o aluguel = 3600 reais, com uma selic de 10,25 = 72% da selic antiga, ou seja, teu rendimento mensal = 0,86% a.m (considerando teu rendimento anterior, mas se mudar os 2, não muda mto para efeitos de conta). Com 0,86% * Patrimônio Novo = 3600
      Patrimonio Novo = 418600 reais.

      Ok, provado matematicamente.

      Não, não foram os juros compostos que fizeram teu patrimônio subir 4,18x em 1 ano.

      Hipóteses —

      1-Teu aluguel caiu drasticamente de ficticios 1200 reais para 600 reais.
      2 – Você tinha um patrimônio MUITO pequeno e do nada mudou para um empergo que remunere umas 6 x mais e ai juntou o suficiente.
      3- erros de conta
      4 – exageros no CVR.
      5- outros

      7+
      • avatar
      • avatar
      • Logico 8 de junho de 2017 at 19:25

        Bem, eu não disse que isso foi APENAS efeito dos juros. De fato, a proprietária baixou o aluguel de 3k para 2,5k. Além disso, tendo percebido o poder dos juros, passei a jogar em média mais de 30% do rendimento em TD (ao invés de 15% antes) e raspei um PGBL antigo joguei em CDB. Mas tudo isso em virtude de ter percebido que valia a pena. Valeu pela atenção!

        6+
        • avatar
        • avatar
      • chigo 9 de junho de 2017 at 09:37

        E a desvalorização do dinheiro no tempo (=inflação) não entra no calculo? Nossa inflação é zero?

        1+
  • Lucas 7 de junho de 2017 at 19:00

    um pequeno off
    me cabe o dever moral de dar a devida publicidade da desculpa na medida da ofensa
    chamei alguem de trol indevidamente
    to bolhado – me desculpe pelo fail feio
    ainda mais ridiculo que vc citou a mim um argumento que pus, não sei ainda exatamente o que aconteceu, melhor não tentar explicar, abrx, parabéns pela sua participação.

    34+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • to bolhado 7 de junho de 2017 at 21:39

      Tamo junto!

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Lucas 7 de junho de 2017 at 19:44

    CVR – la vivienda nunca BAJA

    Sexto maior banco da Espanha faliu e acaba de ser engolido pelo Santander por 1 euro.
    Motivo: ativos tóxicos do setor IMOBILIARIO que implodiu em 2008 (leia-se estouro da Bolha)
    Reparem: JÁ SÃO quase 10 ANOS de ajuste na Espanha

    fontes
    jornal VALOR com conteudo travado para assinantes ou este
    http://jornaldesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2017/06/banco-popular-a-beira-da-falencia-sera-vendido-ao-santander-9810174.html

    25+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 7 de junho de 2017 at 19:52

      véio…. é esse o famoso esqueleto que já saiu do armário!?
      kkkk

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 7 de junho de 2017 at 19:56

        “Era 2005 e o Banco Popular situou-se em banco classificação Morgan Stanley como a OCDE mais rentável, eficiente e dinâmica. Surpreendeu como uma pequena entidade tal poderia ter taxas tão elevadas de rentabilidade. A fórmula foi lento, mas eficaz. Estar perto de um cliente prudente, conservador e muito leal. A taxa de inadimplência era incrivelmente baixo, foi inferior a 1%, eo retorno sobre o patrimônio líquido excedeu 19%. Com o novo presidente, eles lançaram “crescer”. Em seguida, ele é negociado a € 10 por ação.

        Hoje, negociadas a € 0,63, depois de mais de quarenta aumentos de capital entre dividendos aumentos- em papel e multiplicando quase quatro vezes o número de ações e reduzindo o seu valor, com perdas em 2016 de 3.485 milhões de euros, os maiores números vermelhos não resgatados uma entidade e um índice de cobertura de créditos de liquidação duvidosa 50%.”
        http://www.elespanol.com/economia/20170414/208609139_13.html

        8+
        • avatar
        • avatar
        • From_The_Tower 7 de junho de 2017 at 19:58

          Sou acionista do Santander…. (ADR da Europa na NYSE)
          chegaram os formulários para votar na diretoria….
          Avoa Santander !!!

          13+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • From_The_Tower 7 de junho de 2017 at 19:59

            Véio se a bolha espanhola estourou …….. e o BCE segurou as pontas… o banco só chegou ao fundo do poço em 2017…..
            ou seja 2027 é uma data interessante para grandes quebras bancárias na BNN

            13+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Lucas 7 de junho de 2017 at 20:10

              vem antes
              ver CA

              13+
              • avatar
              • avatar
            • Lucas 7 de junho de 2017 at 20:15

              Oolha o ivgR original, extrapola a queda, não fiz as contas mas no visual, em 1 ano, ou no maximo às vésperas das eleições chegavam no limite de stress.
              Daí maquiaram o índice pra cair no colo do próximo eleito, mas maquiar não siginifica abortar os efeitos.

              14+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • From_The_Tower 7 de junho de 2017 at 20:19

                isso me lembrou o filme …. Margin Call – O Dia Antes do Fim
                o carinha calculando… e calculado… e quando percebeu a merda já tinha acontecido…..
                era só uma questão de tempo….

                14+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
  • From_The_Tower 7 de junho de 2017 at 20:21

    Mat, do outro lado da rua postou agora.
    Dados do FMI sobre o preços reais dos imóveis
    http://www.imf.org/external/research/housing/

    Vejam gráfico 2

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 7 de junho de 2017 at 20:22

      Leve queda, estável!

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • j connors 7 de junho de 2017 at 20:27

      é soft

      8+
      • avatar
      • avatar
      • j connors 7 de junho de 2017 at 20:29

        com flores e tudo

        6+
    • antifragile 7 de junho de 2017 at 20:45

      Pra quem tiver interesse, dá pra baixar o arquivo .CSV aqui: http://www.imf.org/external/research/housing/data/HousePricesAroundtheWorld.csv

      Analisando-o, dá pra ver que o FMI calculou a queda em 21,7%, e que esses dados são referentes ao terceiro trimestre de 2016.

      Podem esperar: no quatro trimestre vai ter mais queda.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 7 de junho de 2017 at 20:46

        It´s SOFT

        6+
        • avatar
        • From_The_Tower 7 de junho de 2017 at 20:46

          Maldito FMI golpista imperialista querendo desvalorizar o tijolo nacional !!!

          18+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • j connors 7 de junho de 2017 at 20:47

            e ninguém pra avisar…

            8+
            • avatar
            • avatar
    • Cesar_DF 7 de junho de 2017 at 21:06

      O Banco Mundial está dizendo que no último ano ocorreu uma queda de 22% no valor dos imóveis no Brasil
      Este pessoal não entende muito disso, era só eles pegarem os gráficos do thiago fm e a nova metodologia do IVG-R que veriam que foi só uma quedinha de zero vírgula alguma coisa.

      29+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Libertario 7 de junho de 2017 at 23:14

        Na Ucrania em guerra caiu metade do que caiu no Brasil.

        20+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Lucas 8 de junho de 2017 at 11:48

        Essse grafico do banco mundial é apenas o fingezap que é a fonte oficial aplicado o cambio do dolar
        uma mentira contada um milhão de vezes, continua sendo uma mentira

        3+
  • From_The_Tower 7 de junho de 2017 at 20:29

    Carlos, sabe o que está pegando na Nova Zelândia!?
    foi o país onde os preços mais subiram…..

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 7 de junho de 2017 at 22:37

      Então, tinha uma época que muitos milhonários estavam “fugindo” para lá.
      Fora a presença forte dos investidores chineses e outros asiáticos, a NZ tem um mercado muito menor creio que estes tipos de distorções possam ter grande efeito.
      Vou dar uma pesquisada e quem sabe perguntar para o kiwi residente no office 😀

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Leonardo M. 7 de junho de 2017 at 20:57

    As bolsas mais baratas do mundo segundo índice cape.
    – Rússia = 5,09
    – República checa = 8,09
    – Turquia = 9,40
    – Brasil = 9,80

    Índice cape estados unidos = 26,40

    Ainda tem que ficar mais barato ainda para valer a pena investir nessa budega

    9+
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 7 de junho de 2017 at 21:01

      Num país que toda semana tem bomba política que ameaça a estabilidade da própria organização do estado brasileiro, quem vai investir?

      Se pelo menos o br dependesse menos do governo, se as empresas fossem mais livres essa patacoada política teria menos efeito nas bolsas, mas é exatamente o contrário, quase todas elas dependem de certa forma do governo e dos estímulos/regulações que ele produz. Aí fica bem fácil entender por que a bolsa continua barata. Tem que ter sangue frio para investir aqui.

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Leonardo M. 7 de junho de 2017 at 21:24

        É mais caro comparado preço X peso mandar um Sedex de Chapecó para Natal do que um contêiner do Brasil para a China.
        Aí você vê porque isso aqui nunca vai…

        Fora o pensamento do 666
        Discuti seriamente com cristãos no FB que estavam com dó de um bandido que apanhou de populares em Londrina no PR.
        Caraiooooo povo defendendo bandido tem que se lascar mesmo!!!!

        17+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Antigo 7 de junho de 2017 at 21:36

          Eu compro muita coisa de fora. É mais barato trazer um pacote de 2kg do Japão até a porta da sua casa em qualquer lugar do Brasil, do que enviar um Sedex do mesmo peso do MT até RS.

          Para não dizer que estou inventando:
          SAL (Economy Airmail)/Registered Small Package 2kg 2890 ienes =R$ 86,04
          Sedex Entrega domiciliar 2kg Preço do serviço R$ 92,40

          Aí eu te pergunto, como pode uma coisa dessas? Só na banânia mesmo.
          Eu poderia citar o Aliexpress e a China, mas as postagens lá são subsidiadas e seria covardia.

          21+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • socrates 7 de junho de 2017 at 23:43

        mas essa é a única função dos bons atores que temos em BSB. Fingir que brigam para manetr o gado sempre na mesma e comendo nas maos deles…

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Margarida 7 de junho de 2017 at 21:42

    Cesar_DF e Lucas, obrigada pelos esclarecimentos. Sim, em um prazo mais longo acaba sendo praticamente a mesma coisa, mas entendi a preferência pelo IGPm.

    Gostei da dica de leitura. Anotado. A gente reconhece muitas dessas táticas, mas pretendo ler porque realmente é difícil argumentar com pessoas que as usam. Eu ando convencida de que é impossível, então vou ler especialmente pra ver se mudo de ideia sobre isso. Valeu!

    Sobre ser “imparcial acima de qualquer suspeita”, sim e não. Sim, porque eu sou meio brick lover. Eu acabei vindo parar aqui quando comecei a procurar apartamento pra comprar. Entendo que tem seu custo e suas inconveniências, mas faço a opção consciente de tudo. E não, porque não comprei justamente porque estou convencida de que existe bolha, sim, e alguém pode achar que só estou torcendo pela queda dos preços e endossando argumentos nesse sentido.

    Mas é simples. Ouço e leio e fico atenta. Não tem confusão nenhuma e não gasto um centavo do meu dinheiro (que ainda vem quase todo de trabalho e só um pouquinho de juros) irracionalmente. Os que deixam seus desejos distorcerem a realidade não são nada mais do que estúpidos, porque o dano maior é deles próprios. E isso nem é só com dinheiro.

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Margarida 7 de junho de 2017 at 21:47

    Aproveitando que eu to escrevendo, vi as reclamações de alguns sobre respostas não tão delicadas que teriam recebido ao tentar comentar aqui. Bom, eu também recebi e acho normal. E também acho normal que quando uma coisa assim acontece a gente reveja o que escreveu, porque das duas, uma: ou a gente está errado mesmo, ou nossos argumentos não são bons ou claros o suficiente. De toda maneira, eu costumo entender essas situações como uma obrigação minha de rever minhas afirmações.

    Aos que reclamam de intolerância do pessoal daqui, só me digam se estou errada nisso.

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 7 de junho de 2017 at 22:17

      Acho que é mais aquela história que o véio comentou mais cedo. Ninguém entra em uma missa para falar mal de jesus. Do mesmo jeito que não faz muito sentido as pessoas entrarem em um blog de bolha imobiliária para ficarem negando a existência da mesma. Quando isso acontece, é normal povo ‘descer o pau’, ainda mais se há uma aparência de desonestidade ou suspeição após muita insistência da mesma pessoa.

      Acho que se qualquer um aparecer aqui com bons argumentos para debater, vai receber resposta, e provavelmente uma resposta civilizada com contra-argumentos. Mas depois de um certo tempo e certa insistência é normal perderem paciência mesmo. São todos seres humanos.

      32+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 8 de junho de 2017 at 11:43

        é uma questão de simancol né!
        o falido meio que nos avisou de apesar de sermos pequenos, o contador ali nunca passa de 30 que talvez tenhamos alguma reverberação por aí que sicenramente eu nunca tinha me tocado, aliuas cadê ele?

        Ah! e quem se assusta com as pancadas deste blog recomendo ler as de blogs americanos. Realmente lá usa-se menos palavrões mas se vcs forem pegar direitinho, seria preferível ser xingado a sofrer humilhação, Quem estudou fora sabe a reguada que a professora dava na mão das crianças era até um alívio perto do discurso que vinha antes.

        4+
        • avatar
  • thiago fm 7 de junho de 2017 at 22:18

    Trazendo do tópico anterior…
    ———————————————————————
    Cesar_DF 7 de junho de 2017 at 10:41
    Thiago fm
    Em 2012 você ainda não trabalhava na CEF?

    thiago fm 20 de maio de 2012 at 16:53
    Na hora de subir os preços alguém sugeriu erro de avaliação? Agora quando a correção é pra baixo… só pode haver algo errado . Por favor! As vendas caíram 25% em 2011, os preços subiram 30% e é claro que ninguém desconfiou que algo estava errado.

    REVERSE MODE ON : QUANDO É PRA CIMA TODO SANTO AJUDA NÉ?
    E cá pra nós de 900K pra 670K é um baita erro de avaliação, hein!?

    thiago fm 8 de janeiro de 2012 at 20:44
    Se o preço dos imóveis estivesse acompanhando o crescimento da economia em 2011 obviamente o reajuste não seria de 26%. O coitado também não entende que são quase 8 milhões de famílias que ainda querem, mas simplesmente não conseguem comprar. Chegamos a um ponto que não importa mais o quanto se aumenta o crédito, já que a linha da “financiabilidade” já foi ultrapassada e só pode ser corrigida por um barateamento do crédito, aumento pouco provável da renda da população, subsídio do governo ou o que esperamos – a correção dos preços dos imóveis para baixo.

    thiago fm 9 de junho de 2012 at 12:35
    A única coisa que justificaria uma valorização dos imóveis e das cidades sedes como um todo, seriam as obras de infraestrutura, que, se fossem finalizadas, representariam um legado concreto de dois grandes eventos.
    Não tenho dúvida de que os estádios ficarão prontos, da mesma forma que não tenho dúvida de que nem metade das demais obras serão feitas.
    Não é possível predizer até que ponto o efeito psicológico COPA – OLIMPÍADAS contribuiu para tamanha especulação no preço dos imóveis, mas com certeza, foi responsável por uma parcela considerável do excesso de otimismo que tomou conta do mercado nos últimos anos e que, obviamente não se realizou.
    De qualquer maneira, já que aguardo há quatro anos, não custa nada esperar pra ver pelo menos mais dois anos, talvez um pouco mais no RJ.

    thiago fm 10 de junho de 2012 at 10:27
    O mais engraçado sem dúvida é o autor colocar que os “indicadores” não captam as quedas. Essa é a declaração mais clara de que o ZIPT- ZAPT é uma farsa.
    OBS: As aspas são originais do texto

    Thiago A. 7 de setembro de 2012 at 12:23
    Típico CORETOR que vem trolar
    Vai lá falar do Cement Index vai HAHAHAHAHAHA
    Thiago A. 9 de setembro de 2012 at 17:00
    “Quem mais escravizou os Brasileiros?!” Oras, eles próprios!
    Maior credora: CEF. Ai que delícia
    E viva o minha casa minha dívida!

    thiago fm 1 de julho de 2012 at 15:29

    Não sou Mrk, mas nem precisa pra saber o que acontecerá quando imóveis lançados em tempo de economia crescendo 7,5% aa forem entregues numa realidade de crescimento 0 ou recessão. Vacância total!!

    thiago fm 10 de janeiro de 2012 at 21:05
    Já falei isso uma vez no blog, mas devo repetir. Creio que a bolha está num ponto que depende mais de fatores psicológicos do que estatísticos para estourar. Talvez seja iniciada por meio de um estopim simbólico como diz o autor, mas a continuidade do estouro dependerá, no meu ponto de vista, de uma inversão psicológica provavelmente ocasionada por uma crise econômica.
    Acredito que estejamos passando por uma bolha de preços e não de crédito AINDA. Isso quer dizer que a determinação do preço do bem ( imóvel) está diretamente ligada a quanto o comprador está disposto a pagar por esse bem e não necessariamente pelo seu valor de uso.
    A grande maioria das pessoas admitem que os imóveis estão caros, mas a maioria ainda espera para comprar, mesmo que os preços não recuem ( querer não é poder). Por quê?
    1 – As pessoas são facilmente seduzidas pelo sonho da(s) casa(s) própria(s). (Desejo e Status)
    2- A mesma maioria também acredita que os imóveis não desvalorizam e, além disso, aprenderam com os pais que imóvel sempre é um bom investimento. (Ceticismo ou Ignorância)
    3 – Muitos não têm condições tranquilas para adquirir um imóvel de forma planejada, mas acabam chegando à conclusão de que se não fizerem o esforço de comprar agora, não conseguiram tão cedo. ( Impaciência)
    4 – Ainda existe uma atmosfera de otimismo no país que funciona como uma espécie de escudo contra o discernimento necessário a quem investe em algo de tamanho valor como um imóvel. Criou-se um cenário de ilusão ornado pelo Pre Sal, ” sexta economia”, Copa, Olimpíadas, crescimento da classe média e queda no desemprego. Não dá pra ser cético e negar que realmente o país está em alta no exterior. Não há um grande lançamento do cinema que não faça uma citação ao Brasil ultimamente. (Excesso de confiança ou Segurança).
    Percebam que temos uma combinação psicológica ideal para compras por impulso e péssimos investimentos DESEJO X IGNORÂNCIA X IMPACIÊNCIA X EXCESSO DE CONFIANÇA a que chamaria de BOLHA PSICOLÓGICA. Dentro dela se explica a formação da bolha imobiliária brasileira e das demais que fizeram o país se tornar caro e ainda muito pobre.
    Portanto não desconsiderem o poder do fator psicológico, talvez mais efetivo que a leitura dos números do setor. As vendas vem caindo fortemente há mais de uma ano e são realmente poucos os que acreditam numa bolha. Houve queda de 30% nas vendas e o preço sobe 30% e poucos acreditam que há algo errado.
    O brasileiro em geral não usa a calculadora, não planeja, não poupa, não tem paciência e não reclama seus direitos, isso o torna mais propenso a decisões errôneas e ao absurdo dos preços que estamos presenciando

    thiago fm 18 de junho de 2012 at 21:00
    Mais um petisco no fim de noite
    Fitch rebaixa Gafisa e Tenda e cita alavancagem elevada
    “http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/fitch-rebaixa-gafisa-e-tenda-e-cita-alavancagem-elevada”
    thiago fm 6 de junho de 2012 at 21:26
    E pra variar a especialista em mercado imobiliário , vulgo ( corretora ) acredita que os preços continuarão em ascensão.
    Isso porque agora os 5% da população que ganham R$ 10.000,00 podem financiar R$ 13.000,00 a mais. AFF
    Agora que podia comprar um apto no sétimo andar, vai poder comprar no oitavo! O mercado vai bombar!!!

    thiago fm 3 de abril de 2012 at 21:21
    Amanhã é dia de FIPEZAP se não me engano. Se não vier queda eu realmente desisto desse índice

    thiago fm 17 de março de 2014 at 21:31
    Simplesmente fantástico CA. Não chamaria de infográficos, mas de raciocínio lógico ilustrado e capacidade de síntese. São realmente poucos que possuem tal habilidade e inteligência e você faz como ninguém no blog.
    https://www.bolhaimobiliariabrasil.com/2014/03/17/mitos-e-verdades-da-bolha-imobiliaria-parte-i-ca/

    CA 17 de março de 2014 at 22:07
    Thiago,
    Muito obrigado!!!

    Antes de começar já respondo:

    1- Entrei na CEF muitos anos anos de entrar no blog;
    2 – Não sei quem é Thiago A., mas não sou eu;

    Se a intenção foi me constranger mostrando como eu pensava cinco anos atrás, na prática só tenho a te agradecer, pois agora não resta a menor dúvida do quão piamente acreditei e defendi a bolha imobiliária e esse blog e também que não minto quando digo que respeitava o CA (não sei se era recíproco) até o momento em que começamos a discordar do rumo que as coisas estavam tomando. De quebra isso acaba de vez com a insinuação de má-fé por trás das minhas atitudes, já que diante do que foi exposto fica nítido que grande parte de vocês são hoje muito parecidos com que eu era há tempos atrás, durante os primórdios desse blog, que ajudei a construir desde o início na era do Mrk. É por esse motivo também que ao discordar, mantenho o respeito às pessoas e à opinião alheia, porque sei muito bem o que se passa na cabeça de cada um de vocês.

    Eu não só fiz parte da Igreja da Bolha, mas fui praticamente um de seus pastores. Quantas vezes já disse que já fui “prata da casa” ao lado do CA, que era o nome de batismo criado pelo Boss para os “notáveis” do blog que postavam artigos em defesa da bolha imobiliária? Já disse que a CEF agiu de forma temerária em diversos momentos, como quando soltou as rédeas da comprovação de renda e liberou os correspondentes bancários e cheguei a achar que isso não acabaria bem para a inadimplência, mas tudo não passou de um sobressalto…

    Antes que digam que meu comentário não passa de uma desculpa de quem foi pego com as “calças curtas” com esse catado de comentários, me permitam trazer à tona o que EU MESMO DISSE no dia em que postei a parte 1 do meu trabalho após quase uma ano e meio sem postar:

    thiago fm 5 de dezembro de 2016 at 22:27

    (…)
    Por que afinal uma pessoa despenderia tanto tempo e pesquisa simplesmente para marcar uma posição, cujo resultado pode ser um pouco brochante para os leitores? Há que se considerar que a pergunta é bastante justa, visto que até pra minha esposa tive de respondê-la em mais de uma oportunidade. De qualquer maneira os que não me conhecem podem ficar tranquilos, pois não sou um corvo evoluído, nem mesmo um pseudo-especialista infiltrado.

    Os mais antigos do blog já sabem de mim algumas coisas: sou apenas um BANCÁRIO; um dos mais veteranos entre os remanescentes; ESTE NÃO É O PRIMEIRO ARTIGO QUE PUBLICO AQUI. Isso deve afastar um suposto interesse de cunho profissional. Cabe também reforçar que não me tornei um 666 durante minha ausência, já que VIVO HÁ OITO ANOS DE ALUGUEL e nesse período, mesmo tendo acumulado mais do que o suficiente para comprar um ótimo imóvel à vista ou carros sem burlar a regra prudencial de Chico, optei por ficar sem os dois. Saí do zero nesse meio tempo e atingi o limiar que hoje me permite cobrir o total das minhas despesas mensais atuais com a renda do PMJ. Portanto, no que se refere a ser “BOLHISTA” em quanto modo de vida, é bastante provável que esteja ACIMA DA LINHA MÉDIA DO BLOG.

    Isso explica grande parte do meu APREÇO POR ESSE BLOG. Afinal cheguei graduado, mas sei reconhecer que foi aqui que fiz minha pós-graduação. Na verdade são justamente a maior independência financeira e desprendimento emocional da casa própria que me fazem olhar para os dados de forma muito menos parcial. Nos últimos tempos não me importo tanto com o rumo do mercado, nem me desapontaria se chegasse a conclusão de que nunca houve uma bolha. Hoje as coisas são como são pra mim e quando se trata de imóveis, não tenho nenhum problema em RECONHECER QUE ERREI DIVERSAS VEZES EM POSIÇÕES E PROJEÇÕES QUE FIZ, talvez por querer encontrar determinadas coisas que nem sempre estavam ali, provavelmente INDUZIDO PELA ANSIEDADE.

    Quando me casei em 2008 os preços estavam em plena disparada e ainda não havia superado a fase “quem casa quer casa” da minha esposa. Meu primeiro trabalho para os “PRATAS DA CASA” foi “O TAMANHO DA BOLHA DOS USADOS NA CIDADE DE SÃO PAULO”, o por IRONIA DO DESTINO explorou a defasagem entre os preços da pesquisa do CRECI e o FIPEZAP, com o intuito de criar um parâmetro de preço alvo caso decidisse pela compra. Aliás permitam-me lembrar o Lucas que EU FUI O CRIADOR DO “FINGEZAP” em 2012, o que já foi confirmado pelo Boss o ano passado, quando da identificação da primeira ocorrência do termo. Ao mesmo tempo em que sei identificar as fragilidades do índice, também preciso reconhecer que nada nem ninguém conseguiria fingir uma situação por tanto tempo.

    O que eu quero dizer é que POUCOS DAQUI COMO EU DESEJARAM UMA DERROCADA MONUMENTAL DOS PREÇOS, mas a maldita realidade lá fora não caminhou pra isso. Os tais fatos e dados que o colega CA tanto exige para o debate e dos quais despejei uma parte hoje infelizmente não mostram essa perspectiva. A quem vou querer enganar? Sabemos que quando o blog foi criado os preços já estavam praticamente inflados e será que só eu estranho o fato de muitos continuarem esperando ansiosamente pelo grande “ploc” ou apocalipse zumbi, sendo que o blog caminha para seu sexto aniversário? Tenho orgulho de ter vivenciado cinco deles, mas hoje sei separar o certo do duvidoso.
    ———————————————————————————————-

    Como já disse inúmeras vezes eu simplesmente não via lógica para os preços subirem tanto e tão acima da renda da população, o que incluía a mim obviamente. Na esteira disso a bolha imobiliária se apresentou como a explicação mais plausível não só para mim como para muita gente.

    Não por acaso a discussão fervilhou na internet e outros meios de comunicação em 2013 e também foi nessa época que o blog “bombou” e que CA embarcou no blog com uma tese que parecia um pouco mais pronta para explicar aquela suposta distorção, como também já disse hoje inclusive, não foi?. Porém como acontece com tudo que demora demais, o debate esfriou e cambaleante se arrastou até o Pós-Copa de 2014, sendo que a tão esperada ruptura visível de preços de fato não veio, muito menos um efeito manada de venda.

    Paralelamente comecei a buscar outros índices e dados como o recém criado IVG-R e os dados dos financiamentos para tirar a prova em relação a suposta falsa demanda e sobre a consistência do “FINGEZAP” do qual também suspeitava. Então comecei a perceber que não só havia graves furos naquela teoria do CA, mas que também havia certo alinhamento dos preços de oferta em relação ao valores dos imóveis efetivamente dados em garantia dos financiamentos, sugerindo acomodação dos preços.

    Para quem não se lembra nessa época eu ainda defendia a bolha, mas com um pouso suave dos preços, o que bastou para criar uma cisão no blog entre o HARD x SOFT e uma dispersão de assuntos com viés político que culminou na diáspora de boas cabeças para o outro lado da rua no BOB. Foi nessa época que o CA passou a radicalizar com a “oposição” e me acusar junto com outros como o FHMartins de tentar enganar o blog e agir de má-fé.

    Quando percebi que o debate não fluiria, me afastei e estudei pesadamente o mercado imobiliário e me desnudei dos preconceitos e anseios prévios que ainda carregava. Nesse processo cheguei a algumas premissas analisando dados dos últimos quarenta anos:

    – O mercado imobiliário tem ciclos de alta e baixa, não necessariamente simétricos;

    – A atividade de construção, a demanda imobiliária e consequentemente os preços crescem nos períodos de crescimento econômico mais intensos e estáveis, favorecidos pela melhoria do mercado de trabalho e da confiança do comprador nesses períodos;

    – Os períodos de maior valorização imobiliária estão intimamente ligados a maior disponibilidade de crédito imobiliário, assim como a oferta de crédito é fortemente afetada pelos juros;

    Partindo dessas premissas fundamentais, ao analisar o desempenho de todos esses fatores isoladamente e em conjunto na última década, é possível concluir que houve uma salto de patamar em diversos aspectos, que mesmo ajustados pela recessão, sustentam uma mudança estrutural no paradigma de preços dos imóveis na última década, sobretudo no que se refere às mudanças de volume custo e acessibilidade do sistema de crédito imobiliário, o qual notadamente ajudou a compensar parte da perda do poder de compra do imóvel em relação à renda da população, evitando uma quebra de preços sem comprometer a sustentabilidade dos pagamentos.

    Enfim…como tenho dito nos últimos meses, nada melhor que o tempo e uma pouco de dedicação para tornar as coisas mais claras. Como vocês podem perceber com tudo que disse outrora e agora é que na Igreja da Bolha esperei ansiosamente por anos a vinda do Messias. Como ele não veio, vi minha fé na derrocada dos preços arrefecer aos poucos, como provavelmente deve ter acontecido com muitos outros que sumiram do blog, que se conformaram ou que simplesmente desistiram de debater com o CA. Quanto a mim, depois de uma espécie de caminhada no deserto, fui convencido pela frieza e a certeza dos dados de que o caminho que eu havia trilhado há tanto tempo não dava sinais de me levar ao rumo certo e desde então me tornei uma espécie de “ateu” confesso que até um pouco arredio à impressões que enviesavam meu raciocínio e moldaram aquele certo ar de revolta e convicção que vocês podem bem enxergar no thiagofm de cinco anos atrás. Não me arrependo das coisas que escrevi e de ter defendido o blog com unhas e dentes como alguns hoje fazem contra mim, mas hoje um pouco mais maduro e muito mais informado posso dizer: na minha opinião a bolha teve sua chance, teve seu tempo e ele passou. Eu estava errado e ao contrário de alguns não tenho vergonha nenhuma de admitir, pois sei que quanto antes contornar meus erros, mais rápido me preparo para um acerto.

    Agora por favor me respondam com sinceridade:

    Pra quem eu menti senão pra mim mesmo? Parece realmente que tentei enganar alguém ou que estou tentando sabotar esse blog por má-fé?

    Mas já que estamos no túnel do tempo vamos recapitular os adjetivos que me receberam de volta no blog depois de um ano e meio sem escrever e me digam e se algo mudou nos últimos 6 meses:

    thiago fm 6 de dezembro de 2016 at 22:33

    Saldo do dia:
    – “ESSA EMBROMAÇÃO É COISA DE PROFISSIONAL QUE GANHA A VIDA NISTO!”;
    – patético;
    – covarde;
    – mentiroso;
    – discípulo do Amorim
    – brick lover; ???
    Bem que avisei antes de postar que o trabalho causaria incômodo. Que tal se concentrarem um pouco mais na mensagem e menos no mensageiro. Aliás se o Lucas quiser eu tiro uma FOTO DO MEU CRACHÁ e ponho aqui. Basta pedir.

    Promessa cumprida.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 7 de junho de 2017 at 22:56

      Thiago fm
      Agradeço sua resposta, pois apesar de não concordar com muitas coisas que você diz, eu te respeito, pois no final das contas você pode estar certo e eu errado.
      Toda unanimidade é burra
      Pode ser que o Brasil, a terra da jabuticaba, a dinâmica da bolha seja totalmente diferente dos outros países.
      Medidas malucas como o governo comprar todos os imóveis não vendidos é o land Bank, pelo valor do laudo de avaliação, não é impossível.
      Colocar o pé no acelerador das construções, aumentando mais ainda a vacância ou o outro extremo de desapropriar todos os imóveis vagos, é tudo possível na terra da jabuticaba.
      Mas, se seguirmos o caminho típico da dinâmica de uma bolha imobiliária, veremos ainda grandes quedas nos valores dos imóveis, ainda mais que, em todas as bolhas que já estudei, a brasileira foi a que teve o maior descolamento percentual em relação a renda.
      Isto se concretizando a CEF estará numa situação delicada.
      Imagine que, na investigação que está sendo feito no BNDES, descobrirem que TODOS os campeões nacionais fizeram a mesma dinâmica da JBS, abrindo uma conta no exterior é passando a operação da conta para o PT, dai será uma depressão econômica pior que a da Grécia, país o qual os imóveis já caíram mais de 50% e continuam em queda, mesmo o mercado grego tendo um descolamento menor que a brasileira

      30+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cadeludo 7 de junho de 2017 at 23:45

        por falar em descolamento percentual em relação a renda…. que renda?
        desemprego 14 milhoes ( eu apostaria em 20 milhoes no mínimo)
        70% dos empregos gerados pagam 1 salário mínimo
        não vamos subestimar a economia
        não tem nada de soft

        20+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Leonardo M. 8 de junho de 2017 at 00:55

          20 milhões foi otimista!
          Eu colocaria algo entre 20 e 27 milhões pois tem bolsa família que não são incluídos como desempregados.
          Cara é um país de população como Angola!

          14+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 07:35

            Ha 1 ano o IBGE já admitia 25 milhões

            Pior do que ter números ruins é não poder acreditar neles. Se nós pegarmos os números do IBGE, mais algo em torno de 700 mil que estão recebendo o seguro desemprego, cerca de 500 mil desalentados e outras pessoas que recebem transferência em dinheiro do governo, além da geração “nem-nem” (pessoas que não estudam nem trabalham) chegaremos a 25 milhões —, argumentou.

            http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2016/07/06/nova-metodologia-do-ibge-pode-elevar-taxa-de-desemprego

            9+
            • avatar
            • avatar
      • CA 8 de junho de 2017 at 06:36

        Ceaar_DF,

        Sem dúvida, a unanimidade é burra. Não é a toa que neste blog, que representa 0,01% das informações e pessoas do país, atuamos em sentido contrário ao da manada, tentando fugir da unanimidade.

        Aquele que no comentário acima se igualou a Jesus em sua caminhada no deserto, tenta a todo custo transformar este blog em mais um lugar onde o que se diz é exclusivamente o pensamento da manada, que não tem espírito crítico, que acredita em tudo CEGAMENTE. Ele quer a todo custo alcançar a unanimidade burra no país e silenciar todos aqueles que são contra o que é publicado nos meios de comunicação, ele quer calar à força de mais e mais mentiras e enganações, aqueles que desmascaram a DESINFORMAÇÃO. Para isto, não há limites, ele se sente à vontade para caluniar, como no dossiê dos aloprados, para induzir ao erro, como ao usar os dados recentemente adulterados pelo BC, para trazer raciocínios SIMPLISTAS, ilógicos ou qualquer DESINFORMAÇÃO que for necessária para anular este 0,01% de resistência à estupidez.

        Foi muito bom você lembrar sobre a unanimidade, para que todos possam entender que não devemos ser tão idiotas a ponto de acharmos que aqui somos “anti-democraticos” só porque temos reação forte contra a mentira, a enganação, a DESINFORMAÇÃO de forma geral que já ocupa 99,9% de todos os espaços, estamos apenas preservando a sanidade mental e não mergulhando de cabeça nas utopias que usam para entorpecer os incautos e sendo um dos últimos bastiões contra tanta imbecilidade que permeia os meios de comunicação.

        Se fôssemos tão estúpidos quanto a manada, acreditaríamos cegamente que os preços dos imóveis estão normais, que dinheiro cai do céu e que é só o governo mandar imprimir e comprar imóveis, que este é o único país super-poderoso do mundo a implantar uma série de anomalias para estimular o crédito imobiliário que conseguiria fazer com que estas anomalias permanecessem assim por décadas, demonstrando nossa imensa superioridade em relação aos EUA, Europa, Japão, etc, que com o déficit fiscal resolvido, os entraves que não tem nenhuma relação com o mesmo e são frutos de bolhas desapareciam da noite para o dia, etc, etc, etc…

        Felizmente não somos tão estúpidos e ousamos contrariar a unanimidade, fazendo com que aqueles que vem aqui com o único espírito de impor à base de DESINFORMAÇÃO a unanimidade, sejam devidamente escorraçados, para que aqui não seja apenas mais um lugar repleto de teorias SIMPLISTAS e estúpidas, pois se este blog só repetir o que está em 99,9% dos outros meios de comunicação, ele simplesmente perderá a sua razão de existir, que aliás é exatamente o que o segmento imobiliário e seus asseclas de empresas extremamente sujas, como a CEF, desejam…

        32+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Cesar_DF 7 de junho de 2017 at 23:08

      Ahhhh Thiago fm, você ainda não comentou sobre a queda real de 45% no valor dos apartamentos de 2 quartos no Hell de janeiro, em 26 meses.
      Peço -lhe que também comente a enorme diferença entre a queda nos imóveis anunciada pelo banco mundial, bem diferente do apurado no IVG-R

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • thiago fm 8 de junho de 2017 at 08:15

        César,

        Eu acho que respondi no tópico anterior e de forma ilustrada, inclusive.

        Veja a série de variação de preços por dormitório disponível para download abaixo:

        http://www.fipe.org.br/pt-br/indices/fipezap/

        Note que o índice com base tem base 100 em 08/2010 para comparação com o índice ampliado mas apresenta os dois extremos a seguir:

        01/2008 – 60,7
        01/2015 – 220,8
        04/2017 – 207,7

        Se eu te conheço bem, com isso você já será capaz de deduzir calculando o IGPM do período, que está incorreta a queda de 45% em termos reais.

        2+
        • thiago fm 8 de junho de 2017 at 08:19

          César,

          Sobre a defasagem com os dados do Banco Mundial, acho que você precisará aguardar a próxima atualização.

          0
        • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 11:18

          Thiago fm, considerando
          Situação = venda
          Tipologia = apartamento de 2 quartos
          Local = Rio de Janeiro
          Base 100 = fevereiro de 2015
          Índice de desinflacionamento = IGP-M
          Mês de análise = abril de 2017
          Mantenho a afirmativa que ocorreu uma QUEDA DE 45% NOS VALORES ANUNCIADOS DO FIPEZAP EM 26 MESES

          14+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar

          • Libertario 8 de junho de 2017 at 14:44

            Espaço abaixo destinado para o embromation.

            2+
            • avatar
          • rafa_fv 8 de junho de 2017 at 14:59

            Lá em cima ele disse que você estava errado e solicitou suas fontes. Você colocou na sequencia e ele não mostrou em que ponto você estava errado.

            6+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
          • rafa_fv 8 de junho de 2017 at 15:00

            acredito que nem vá mostrar.

            6+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • rafa_fv 8 de junho de 2017 at 15:00

              *demonstrar

              1+
              • avatar
      • CA 8 de junho de 2017 at 08:54

        Cesar_DF,

        Neste ponto concordo com o Lucas: discutir tendo como base o FINGE Zap, não faz nenhum sentido.

        Vamos voltar ao exemplo de sempre:

        Se temos 5 imóveis idênticos quanto a bairro, idade, infra do prédio, etc, que tem 100 M2, ANUNCIADOS para venda, com 4 deles por R$ 500 mil e 1 deles por R$ 400 mil, o preço médio do FINGE Zap é de R$ 4,88 mil o M2.

        Ao vender o imóvel mais barato, que é o NORMAL e ainda, com desconto, que também é o normal, o que acontece?

        Suponha que vendeu o imóvel anunciado por R$ 400 mil pelo preço de R$ 320 mil, com um desconto de 20%. O preço de VENDA realizado, na prática, é de R$ 3,2 mil. Na prática, o preço de venda CAIU em relação ao que está anunciado, mas como aparece no FINGE ZAP?

        O preço de venda subiu no FINGE Zap!

        Isto ocorre porque o imóvel antes anunciado por R$ 400 mil tem o seu anúncio retirado. Como sobram só 4 imóveis anunciados por R$ 500 mil com 100 M2, o M2 do FINGE Zap sobe de R$ 4,88 mil para R$ 5 mil.

        Daí, qual o efeito natural? Aqueles que estão sem vender há meses ou anos, ao verem que os preços do FINGE Zap subiram, mas querendo vender o imóvel e não conseguindo, reduzem só um pouco o preço dos anúncios (antes eles planejavam reduzir mais, só que esta lufada de otimismo UTÓPICO = ENGANAÇÃO, os induziu ao ERRO). Junto com isto, algumas imobiliárias vão aumentando os preços dos anúncios para mascarar as quedas reais.

        Qual o resultado do que consta acima?

        Uma imensa UTOPIA, que não guarda nenhuma relação com a realidade! Não é a toa que desde 2013 temos diferentes pesquisas baseadas em preços negociados, feitas por EMBRAESP, CRECI SP, Geoimovel, que apontaram uma evolução de preços que era exatamente o contrário do FINGE ZAP!!! Não é a toa, que assecla da CEF, usou dossiê de aloprados repleto de mentiras que foram desmascaradas em público e usando as próprias fontes e critérios dele, tentaram enganar as pessoas e fazerem de conta que todas as pesquisas baseadas em preços negociados é que estavam erradas e a única “correta” era a do FINGE Zap, com toda a maravilhosa metodologia e confiabilidade que constam nos parágrafos acima.

        A metodologia do FINGE Zap é podre, basta se observar os exemplos acima. Tão podre quanto aqueles que o defendem, que são os mesmos que omitem os estoques com mais de 36 meses (SECOVI SP), que “esquecem” do que é a sazonalidade ao divulgarem resultados (CRECI SP), que adulteram os seus índices (BC), que maquiam os números contábeis e participam de uma infinidade de golpes, sempre presentes nas páginas policiais (CEF) e todos os asseclas vinculados a cada um deles.

        Cuidado, quando você começa a discutir sobre os resultados do FINGE Zap, levando-os a sério, é como aquele cara que se aproximou do aquário para ensinar os peixes a falarem e quando voltou, não sabia mais falar e só fazia os mesmos movimentos de boca dos peixes…

        18+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 09:11

          CA
          Eu insisto no uso do FIPEZAP por alguns motivos
          – Como, pela metodologia, ele tem viés de subida, sei que as quedas reais são muito acima das quedas divulgadas.
          – O Banco Central utiliza ela, para estabelecer o “value” do “loan do value ratio”
          – Existem mecanismos para demonstrar o descolamento que o FIPEZAP tem com a realidade, através de comparação com pesquisas realizadas por outras empresas e também pelos leilões.
          – Parece que até o Banco Mundial também usa ele.
          – O próprio Thiago fm colocou um gráfico, tempos atrás, onde mostra que existe uma diferença entre o valor anunciado e o valor efetivamente concretizado neste negócio e que esta diferença está crescendo a partir do momento que o FIPEZAP começou a cair após atingir seu pico histórico.
          – Até a Globo está experta a respeito do FIPEZAP, quando aparece qualquer reportagem que utilize ele eles acrescentam “valor anunciado dos imóveis”, já tirando o deles da reta quando for demonstrado que este índice é fantasioso.

          8+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Lucas 8 de junho de 2017 at 11:28

          perfeito CA
          faço de suas palavras as minhas, só não vê quem não pode dizer que viu.

          repara só na novlingua deles
          onde se escreve valorização dos imóveis, leia-se, inflação dos anuncios
          na mesma medida eles deveriam escrever desvalorização quando cai, mas aí o vocabulario muda pra “desconto”, uma mera oportunidade passageira de anuncios abaixo do valor de mercado.

          como dizem lá em minas, “se reconhece o gigante só pela ponta do dedo”
          o nefasto pra mim está surtando cada dia mais, aquele troço de dissonancia cognitiva faz mal pra sanidade, como a Margarida disse, volta contra ele mesmo.

          10+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Lucas 8 de junho de 2017 at 11:32

          César, aquele gráfico de descontos é declaração entre usuários do próprio fingezap, que sem a mediamax ou a médiamin ficamos sem saber de quanto realmente estamos falando, além de ser uma quantidade insignificante perante mil outros sites de anuncios, milhares de uruburalárias, lelilões e etc.

          Vc não precisa acreditar em mim, pega os anuncios do zap da sua cidade e vai visitar um-por-um, Tua cara vai cair ao descobrir a quantidade de fakes

          2+
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 11:45

            Lucas
            Acredito em ti
            Qualquer bolha é um fenômeno psicossocial, onde uma manada precisa acreditar na falácia da eterna valorização

            Mania (do grego μανία, «estado de loucura») é um distúrbio mental definido como um período distinto, durante o qual existe um humor anormal e persistentemente elevado, expansivo ou irritável.[1] É característico, embora não exclusivo, do transtorno bipolar no qual os episódios maníacos alternam com episódios depressivos.

            https://pt.wikipedia.org/wiki/Mania

            2+
            • avatar
            • Lucas 8 de junho de 2017 at 12:38

              eu acreditava nisso Cesar até uns 2 ou 3 anos atrás
              Hoje juntando as pecinhas percebo claramente que a bolha é um movimento de cima pra baixo, o tal psicosocial é apenas uma das tantas ferramentas nefastas para tanger a boiada rumo ao abatedouro, um movimento peverso de concentração de renda, travestido de bondades e populismos. É onde a Republica Federativa do Cinismo se intersecta com o Brazil s/a. Pode parecer paranóia, mas é o que os dados dizem! Só lamento ter demorado tanto pra compreender
              Toda essa festa pobre
              Que os homens armaram
              pra me convencer
              a pagar sem ver
              por droga que já vem malhada antes de eu nascer

              Brazil mostra sua cara
              quero ver quem paga
              pra gente ficar assim

              o nome do seu sócio?
              qual é o seu negócio?

              5+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 12:59

                Lucas
                Os políticos adoram o Keynesianismo, eles podem fazer muitas “bondades” com o dinheiro dos outros.

                8+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • lendo e observando 8 de junho de 2017 at 13:25

                  Exatamente e tem gente a acha que o Keynes não é o mais aplicado hj rsrsrsrsrs

                  4+
                  • avatar
                  • avatar
              • Lucas 8 de junho de 2017 at 14:53

                se vc pegar a história de implantação do Stalinismo na união soviética mais precisamente russia, ucrania bielo-russia
                fizeram o mesmo: cooptar os grandes controladores de produção agricola e minerios,
                E ainda mataram os antigos controladores: o czar, as cortes e elites ligadas a elas
                o nome que davam para as tais cooperativas se chamavam soviets
                os grandes trilionarios do mundo de hoje ou são os semideuses árabes, ou os herdeiros daqueles soviets, veja os 2 maiores iates do mundo de quem são.
                o PT tentou emular o mesmo sistema soviético cooptando petrobrás, vale, friboi, etc
                só deu errado pq não conseguiram monopolizar o terceiro e o quarto poder

                9+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
    • MauricioSP 8 de junho de 2017 at 14:47

      Thiago FM,

      Belo relato, você é um cara inteligente e o seu ponto de vista contribui para o blog. Eu acredito que aqui perde-se muito tempo com ataques mútuos, quando todos tempos algo a acrescentar desde que cada ponto de vista seja tratado com respeito.

      Eu acredito que houve sim uma bolha imobiliária, mas a causa não foi maliciosa, e sim um conjunto de fatores como o crescimento da economia, o otimismo com o futuro, a queda de juros e aumento do prazo de financiamento, política de incentivo do governo, abertura de ações na bolsa pelas construtoras, estabilidade da economia e crescimento do PIB, segurança jurídica nos contratos de financiamento, ou seja dezenas de fatores que agiram em conjunto.

      Por outro lado eu não acredito no estouro da bolha, no Ploc, master reset ou coisas do tipo, pois são muitos agentes envolvidos que não querem que isso aconteça (governo, bancos, etc). Então é óbvio que vão sempre agir para amenizar a queda, nós não veremos uma queda abrupta de valores mas uma correção ao longo de anos. Lembre-se que a crise de 2008 foi causada por que o governo americano agiu como manda a regra de mercado, e deixou o Lehman Brothers quebrar. Quando viram o tamanho da encrenca que isso causou, evitaram o master reset injetando dinheiro a rodo e garantias em todos o sistema (seguradoras, bancos, mercado, até montadoras aproveitaram o rolo).

      Então acho que o Cesar_DF faz bem em analisar as curvas entre valores de imóveis, inflação e renda, para descobrir o ponto no futuro em que será interessante novamente adquirir imóveis.

      Mas pelo que você relatou, se realmente você não comprou imóvel, ficou no aluguel e hoje tem investido o valor equivalente a um imóvel, eu acho que você esqueceu de valorizar este que eu considero o maior aprendizado desse blog: analisar o custo de oportunidade. Muita gente considera automaticamente a compra do imóvel (bricklover) como o próximo passo, sem analisar as consequências. O que aprendi aqui é que tem que pensar muito bem antes de tomar decisões que comprometerão tanto a renda e por tanto tempo.

      Além disso, o montante que seria investido no imóvel pode ser direcionado para objetivos muito mais nobres como a independência financeira. O principal ensinamento que apendi aqui no blog é considerar o imóvel como um passivo de alto custo, cujo capital imobilizado e impede aproveitar oportunidades futuras.

      6+
      • avatar
      • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 14:51

        MauricioSP
        Pelas minhas estimativas, a partir de 2005-2006 os imóveis já estavam acima da “median line”, consequentemente quem comprou depois disso e não vendeu ainda, irá ter prejuízo.

        3+
        • avatar
      • Libertario 8 de junho de 2017 at 15:45

        “Eu acredito que houve sim uma bolha imobiliária, mas a causa não foi maliciosa, e sim um conjunto de fatores como o crescimento da economia, o otimismo com o futuro, a queda de juros e aumento do prazo de financiamento, política de incentivo do governo, abertura de ações na bolsa pelas construtoras, estabilidade da economia e crescimento do PIB, segurança jurídica nos contratos de financiamento, ou seja dezenas de fatores que agiram em conjunto.”

        Você não acredita então no golpe de vendas falsas na planta, e que isso potencializou como nunca antes na história do universo, o inflar de uma bolha imobiliaria ?

        6+
        • avatar
        • avatar
        • MauricioSP 8 de junho de 2017 at 16:54

          Não, já discuti com o CA sobre isso, não acredito em vendas falsas no sentido de que houve fraude. Muita gente comprou imóvel na planta, mas para isso eles tinham renda e $$$ para pagar a comissão dos corvos, fantasiada de “entrada” e as parcelinhas. Anos depois alguns descobriram que não tinham condições de financiamento, pois o balcão da construtora é diferente do balcão do banco. Ou seja as construtoras que não analisaram bem a renda dos compradores foram irresponsáveis diante dos acionistas. Mas quando comprei meu apto na planta a construtora perguntou e pediu comprovante de renda, então não posso generalizar.

          Uma outra boa parte comprou de boa fé, mas tiveram a renda afetada pelo desemprego ou outros fatores, e acabaram por distratar também. Na verdade o problema do mercado imobiliário é que ele é intencionalmente opaco, para que as construtoras e bancos lucrem mais. Temos algumas informações a partir das construtoras com capital aberto mas os relatórios que elas publicam não tem respostas para questões como: “dos imóveis vendidos na planta em 2012 e entregues em 2015/2016, quantos foram distratados e quantos foram quitados?”. Sem a resposta para esta pergunta fica difícil afirmar a existência de uma fraude ou não.

          Mas essas pessoas só procuraram o stand para comprar o sonho do apartamento por que a renda delas melhorou (pib subindo), tinham perspectivas boas sobre o futuro (época do pleno emprego), a inflação e taxas de financiamento estavam baixas, havia stands espalhados por toda a cidade pois as construtoras estavam capitalizadas, etc… Ou seja houve um desequilíbrio, causado pelo excesso de otimismo no mercado como um todo. Essa minha visão explica também a OGX, o povo aceitar de bom grado os bilhões gastos em copa e olimpíadas. Se fosse hoje, em plena crise o Temer dando idéia de uma copa no Brasil, o povo estaria nas ruas revoltado. Em 2008 o pessoal estava comemorando.

          0
          • Libertario 8 de junho de 2017 at 17:36

            Se não houvesse má fé das construtoras em “vender” (a promessa de compra e venda de) um imovel, para quem não poderia efetivamente compra-lo, o que justifica toda a publicidade dos empreendimentos destacando exaustivamente as pequenas parcelinhas durante a obra?
            Para mim isso já é o suficiente para demonstrar o interesse das construtoras na alavancagem que as vendas falsas proporcionam aos seus balanços.
            Do contrario jamais precisariam fazer este tipo de propaganda.
            Se fossem empresas serias, iriam querer distancia do povão para focar no verdadeiro “publico alvo” – ou seja, quem tivesse renda para comprar, mesmo que o empreedimento ainda estivesse na fase da planta.

            5+
            • avatar
            • avatar
            • MauricioSP 8 de junho de 2017 at 18:42

              A propaganda de parcelas baixas era estratégia para atrair o incauto ao stand, isso quando o stand não ia até os shoppings e supermercados. Com a capitalização, as construtoras começaram a correr atrás de de mercado, projetos e clientes. Por isso que eu digo, houve um desarranjo, o crédito imobiliário cresceu 10x. Como o CA bem indicou algumas construtoras podem ter sido usadas para enriquecimento na bolsa. O que eu digo é que a maioria delas é tradicional, não vimos grandes casos de Encol até agora. Mesmo a PDG, antes de quebrar, ficou dez anos no mercado e entregou dezenas de milhares de imóveis, ou seja não vendeu papel e desapareceu.

              Comprar na planta é um investimento de risco, por isso normalmente se paga uns 30% a menos do valor de mercado. Isso também atrai investidores, pois eles comparam com o valor na poupança que em 3 anos renderia 18%. Quando começou o desequilíbrio e o aumento rápido de preços de imóveis, os investidores também compraram mais na planta, aquecendo ainda mais o mercado. Como o mercado é opaco, um investidor com renda de 10 mil pode comprar 5 imóveis pagando 20 mil de entrada em cada, e as construtoras não registram os contratos em um local público, então fica difícil saber desses casos.

              Em suma, como na febre das tulipas, houve sim mas não foi porque algumas empresas compraram todo o estoque de tulipas e manipularam o mercado, o mercado é que estava louco, e se alimentando da própria loucura foi enlouquecendo cada vez mais.

              2+
              • avatar
          • Margarida 8 de junho de 2017 at 17:55

            Então, essas “vendas na planta” não são vendas de imóveis; são contratos de reserva com adiantamento da entrada. Você mesmo disse, esses negócios são opacos intencionalmente.

            7+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • MauricioSP 8 de junho de 2017 at 18:45

              Nunca foram vendas de imóveis, o contrato se chama “promessa de compra e venda”. A construtora promete construir e vender um imóvel para você pelo preço definido e você promete pagar parcelas durante a construção e quitar o saldo quando o imóvel estiver pronto.

              Parece loucura mas no país do consórcio, faz sentido. É uma forma dos que não conseguem juntar adquirirem bens, pagando parcelinhas.

              3+
              • avatar
              • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 18:50

                Mas a promessa de compra e venda por algo que já existe é algo lógico e coerente….
                mas vender promessa de algo que não existe é que é muito surpreendente…..

                6+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
              • Margarida 8 de junho de 2017 at 20:03

                MauricioSP

                Nunca foram vendas de imóveis, o contrato se chama “promessa de compra e venda”. A construtora promete construir e vender um imóvel para você pelo preço definido e você promete pagar parcelas durante a construção e quitar o saldo quando o imóvel estiver pronto.

                Parece loucura mas no país do consórcio, faz sentido. É uma forma dos que não conseguem juntar adquirirem bens, pagando parcelinhas.

                1+
                • avatar

                Pois é. Então não entendi o que você quer dizer com “não acredito em vendas falsas no sentido de que houve fraude”. E depois dizendo que “Nunca foram vendas de imóveis.”

                Se você contabiliza esses contratos como venda, não é falso?

                Exatamente o que o Libertário falou aí: “Para mim isso já é o suficiente para demonstrar o interesse das construtoras na alavancagem que as vendas falsas proporcionam aos seus balanços.”

                6+
                • avatar
                • avatar
                • Lucas 8 de junho de 2017 at 20:15

                  perfeito margarida

                  6+
                  • avatar
                  • avatar
                • Lucas 8 de junho de 2017 at 20:22

                  Carlos tá quieto hoje, achei que vc iria falar da tereza maybe
                  é meus caros, na prática a teoria é outra.
                  não que esteje errada, pelo contrário
                  só que não tá fácil pra ninguém

                  2+
                  • avatar
                • MauricioSP 9 de junho de 2017 at 11:12

                  Margarida, quando a construtora começa um projeto, e construção, 2 anos para planejar e 3 anos para construir, ela tem que projetar um retorno de 5x o valor investido. Então ela investe 100 milhões para lucrar 500 milhões (suponha aqui um conjunto de prédios de mil apartamentos por 500 mil cada). Os 500 milhões são o VGV que ela divulga. Do VGV ela tira 6% de custos de divulgação, ou seja 30 milhões vão para propaganda, é por isso que você vê tantos stands, maquetes, folhetos distribuídos na rua.

                  Para diminuir o capital investido, ela cobra 30% do valor durante a construção, é o “sinal”. Nesse valor está inclusa a comissão do corretor, e do VGV isso dá 150 milhões. Então veja por esses números que se vender tudo na planta no lançamento é um investimento perfeito: o dinheiro para a publicidade e construção é financiado pelos próprios compradores. A construtora entra com a competência para executar o projeto.

                  Os 70% de saldo são recebidos quando o apartamento é entregue, não importa como o cliente quite (via financiamento ou com dinheiro). Então o lucro mesmo da construtora só aparece quando o imóvel é entregue, e é por isso que para ela não interessa o distrato, ou a fraude na compra. isso só interessaria para a construtora que planejasse aplicar golpes, vendendo o mesmo imóvel para vários compradores ou fugindo com os 30% de entrada.

                  0
          • Lucas 8 de junho de 2017 at 18:19

            no caso dos imóveis pela complexidade da questão e pelos valores envolvidos existe uma figura de responsabilidade jurídica responsável por intermediar com a maxima lisura e transparência o tramite entre comprador e vendedor

            essa figura se chama corretor

            até os indios não-contatados da amazônia sabem como agem esses seres de penas negras, que não tem onde cair morto, que só trabalham nisso pq não prestaram pra mais nada.

            Se cá não fosse o país da esculhambação corvo seria a segunda população carcerária do país só perdendo pro traficante e as construtoras por cumplicidade no migué, e de quebra meia duzia de colarinho branco responsável por supervisionar isto, a quem agora já sabemos os nomes.

            A venda dum titulo que é de fato o que está em negócio num tramite na-planta seria por natureza assunto de regulamentação e fiscalização pela CVM, outra instituição nossa feita pra inglês ver que ostenta um enorme nariz vermelho.

            Restaria aos politicos ter esse senso de responsabildiade, é meio chato falar isso mas no caso Encol, época do FHC, eles foram pra brasilia com o pires na mão e acabaram presos, fciaram poucos dias na jaula, MAAASSS foi a sinalização clara que o governo deu a todo o mercado: “não contem comigo nessa”

            (Obs: isso não significa recomendação de voto ou que acho ele de todo honesto, muuuiito menos o seu partido, apenas que neste caso específico o fim foi diferente, o mal foi cortado pela raiz, salvo melhor interpretação dos fatos)

            5+
            • avatar
            • avatar
            • MauricioSP 8 de junho de 2017 at 18:46

              Lucas, na TV tem uns programas mostrando a compra e venda de imoveis nos Estados Unidos, que diferença! Não sei o quanto daquilo é verdade, mas se for, lá o corretor realmente se comporta como um corretor!

              0
              • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 19:23

                Lá são 2 corretores, 1 do vendedor e outro do comprador, cada um leva 3%

                5+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
  • Alves 7 de junho de 2017 at 23:21
  • Alemon Fritz 7 de junho de 2017 at 23:46

    outros indicadores, bem interesante..

    Los cinco indicadores que miden si hay o no burbuja inmobiliaria
    https://cincodias.elpais.com/cincodias/2017/04/20/midinero/1492706225_589027.html

    estava olhando que a pela projeção da proporção da pop economicamente ativa vai despencar a partir de 20121… estamos ferrados.

    8+
    • avatar
  • Alemon Fritz 7 de junho de 2017 at 23:46

    2021

    2+
  • Leonardo M. 8 de junho de 2017 at 01:09

    CVR

    Corvolária aumentou aluguel e condomínio do prédio. É já tem 2 meses que o meu vizinho se mudou e já vi umas 5 ou 6 pessoas(fora as que não vi por não estar em casa) visitando o AP ao lado.
    Vacância no meu prédio deu uma diminuída, antes eram 7 aps vagos e agora são 5.

    Tenho percebido que quem mudou tem um naipe($$$$) muito maior.
    Meu vizinho de garagem(que não sei qual AP mora) tem um Jetski lá do lado meu carrinho 1998 veio.
    Algumas BMWs também tem aparecido no prédio.

    Conclusão
    Classe A se mudando para padrões menores pois não deve estar aguentando pagar alugueis bolhudos!

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Leonardo M. 8 de junho de 2017 at 01:15

      Outro CVR

      Falei para a esposa que tava negociando um AP de 210k por 130k
      Ela disse que não se muda para AP “nosso” e que prefere aluguel pois pode se mudar caso algum vizinho tenha 3 cachorros irritantes.

      Orgulho da minha bolhista senhora M.

      38+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Antigo 8 de junho de 2017 at 07:06

        Em defesa dos bricklovers um pouco, fazer mudança é um saco. Sempre quebra algum móvel e perde-se de alguma coisa nas caixas.

        No entanto, acho que pior ainda é morar com vizinho família tradicional com um casal que briga, duas crianças que choram e gritam e um cão que late. Então a posição da sua esposa está certa.

        Na verdade com a enorme crise que está havendo e as pessoas sendo empurradas duas classes sociais abaixo está sendo comum não ter vizinhos. Isso mesmo! O meu apartamento de cima está com vacância há meses. O do lado mora um senhor gente boa que não faz barulho algum, nesse ponto dei sorte. No outro lado não tem vizinho porque é o cantinho do prédio.
        Fico com o ruído só do vão da área comum, esse sim incomoda um pouco, ainda bem que estou longe dessas pessoas.

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Carioca Subsubsuburbano 8 de junho de 2017 at 08:26

          Aqui no longínquo subsubsuburbio também está assim, vacância de 33% no meu prédio, estou sem vizinho ao lado e sem vizinho embaixo. Ao lado, o dono tenta vender ou alugar, e nada, nem-nem. O do piso inferior, não sei a estória, não encontrei nada nos sites de imobiliárias.

          10+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • bolhista fulano de tal 8 de junho de 2017 at 09:13

            No prédio de uma parente, cujo condomínio é quase 2k e só tem 2 quadras, finalmente apareceu uma pessoa para alugar um apartamento lá. Já o outro apartamento tem uns 2 anos que não aluga. Um outro para vender está ardendo há um ano e outro que também está à venda tem anos que a moradora não consegue vender, mas como ela ainda mora lá, não quer baixar o preço.
            Preço dos alugueis pedidos giram em torno de 2,5k mais 2k de cond. e preço de venda gira em torno de 750k.
            Apt. têm 200 m2 e é em bairro nobre.

            7+
            • avatar
            • avatar
            • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 09:18

              Então está 300X, se baixar 50%, para 375K, provavelmente irá vender

              11+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
            • perdido no rio 8 de junho de 2017 at 18:14

              Mas mesmo caindo o preço, o cidadão pensa duas vezes antes de comprar um apartamento que vem com outro aluguel de brinde. 2k de condomínio, para mim, não tem justificativa. Ok, me sinto pobre vendo isso, mas mesmo que pudesse pagar isso com renda passiva, não o faria.

              5+
              • avatar
  • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 07:59

    Leilão de segunda praça da CEF
    São 92 imóveis em Brasília e entorno
    Pelos preços que vi, a maioria não vai receber lances
    http://www.parquedosleiloes.com.br/dados/docs/leiloes//Edital%20Leil%C3%A3o%20P%C3%BAblico%20SFI%200045-2017.pdf

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 8 de junho de 2017 at 09:20

      Tem alguns com valor de venda superior ao de avaliação!!
      Como assim!
      Mercado aquecido?
      A maioria deles está com bichinho de goiaba também.
      Vai vender é nada

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 09:31

        E isto porque já é segunda praça

        http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/governo-faz-nova-tentativa-de-venda-de-imoveis-agora-com-desconto/

        “Depois de várias tentativas fracassadas, o governo voltou a colocar à venda 25 imóveis no Distrito Federal. Das vezes anteriores, os preços foram considerados muito altos, acima das médias de mercado. A lista inclui 24 apartamentos de 2 a 4 quartos e uma casa no Lago Sul.”

        4+
      • rafa_fv 8 de junho de 2017 at 15:23

        Em outras palavras, a divida com o banco é maior que o valor de avaliação do imóvel.

        4+
        • avatar
    • OcaradoAcre 8 de junho de 2017 at 10:43

      Estou impressionado com a quantidade de imóveis em cocalzinho de Goiás. Mas já dava pra supor que seria assim, uma cidade bem distante, longe de centro econômico aquecido, e de repente a cidade cresceu muito horizontalmente, brotaram aquelas favelinhas arrumadas para todo lado.

      3+
  • Carlos 8 de junho de 2017 at 10:02

    OFF – Bananistão
    Quem estava mesmo falando sobre leilões de carros?
    São vídeos do ano passado.

    Máfia do ferro-velho
    https://www.youtube.com/watch?v=NbjLFuiYg5I

    Veículo com perda total é maquiado e vendido
    https://www.youtube.com/watch?v=FTJGvG3jHI8

    Este é bem atual, vejam os planos que o “Jegão” tem em mente.
    https://www.youtube.com/watch?v=8rsG-tkhEkU

    Boa sorte andando na estrada junto com estes lixos reformados em um galinheiro e dirigidos por gente que não tem seguro, nem muito menos teria condições de ter um veículo.
    Cadê fiscalização, cadê polícia rodoviária, cadê aqueles lixos corruptos das delegacias dos detrans e da civil?
    Este é o verdadeiro bananistão, o paraíso dos 666.
    Depois tem Alices que ainda acreditam que o bananence médio realmente gosta de e quer lei e ordem.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 8 de junho de 2017 at 10:14

      Perda total, que nada 😀

      https://www.youtube.com/watch?v=OsmboU76HVg

      3+
      • avatar
    • Carlos 8 de junho de 2017 at 10:17

      O Paulão até que faz um bom serviço.

      https://www.youtube.com/watch?v=KUkD5NK2o2s

      3+
      • avatar
    • Lucas 8 de junho de 2017 at 11:34

      e olha que já foi muito pior com sistemas de controle de peças atual, operaçoes desmanche e etc deu uma reduzida, roubo de carros caiu drasticamente
      meu seguro a valores reais caiu uns 80% em 10 anos, parte o carro velho que vale menos, parte que carro velho hoje perdeu valor no paralelo.

      5+
      • avatar
    • perdido no rio 8 de junho de 2017 at 18:26

      Excelente! 2 comentários:

      1. o melhor do brasil, definitivamente, é o brasileiro
      2. no fim do primeiro vídeo o delegado resume o porquê de não sairmos da m… Enquanto muita gente fica inflamada clamando a morte de ladrõezinhos e olhando só a corrupção pública, o sistema empresarial brasileiro parece estar muito contaminado por corrupção. Já vimos ótimos exemplos de construtoras, frigoríficos e agora, seguradoras — só pelas notícias publicadas aqui no blog. Não me surpreenderia se situação idêntica for encontrada em dúzias de outros setores produtivos. Um país sem fiscalização fica à mercê dos mais “fortes e espertos”, como nas máfias.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 18:42

        e quem irá fiscalizar!?
        a máfia estatal ?
        kkkk

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • to bolhado 9 de junho de 2017 at 09:05

          Esse é um dos problemas. Essa mentalidade de “papai estado vsi fiscalizar r garantir que todo mundo se comporte” desconsidera que a concentração de poder num ente fiscalizatorio deixa a população mais vulnerável ainda. Os piores exemplos de corrupção no sistema privado tem ligação direta com a esfera pública.

          2+
          • avatar
          • avatar
  • navlig00 8 de junho de 2017 at 10:09

    Confira o preço do aluguel nas principais cidades do País

    Aluguel mais barato

    O preço médio do m² atingiu, em maio, o menor valor durante um ano, R$22,78. O levantamento, feito em 30 cidades pelo portal de imóveis VivaReal, registrou uma queda de 8,48% no preço em relação a maio de 2016. Na contramão da desvalorização média, cidades como São Paulo e Florianópolis registraram aumento no valor do m² alugado. Veja qual é o desembolso médio para alugar imóveis nestas e em outras principais cidades do Brasil.

    http://fotos.estadao.com.br/galerias/economia,confira-quanto-custa-alugar-nas-principais-cidades-do-brasil,32317

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 11:04

    59% dos imóveis de Campinas não têm registro em cartório, aponta estudo da Unicamp

    http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/59-do-imoveis-de-campinas-nao-tem-registro-em-cartorio-aponta-estudo-da-unicamp.ghtml

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 11:05

    Confira dicas para se tornar um corretor de imóveis de alto padrão

    Seja honesto
    Santos destaca que, em momento nenhum, se deve mentir para o cliente, desde o preço a características do imóvel. A honestidade é fundamental para uma relação de confiança.
    “Não gere expectativa por um preço que não existe só para captar o cliente. Não fale características ou benefícios que não existem. É preciso ser franco”, ressalta o diretor comercial.

    http://g1.globo.com/goias/mercado-imobiliario/noticia/confira-dicas-para-se-tornar-um-corretor-de-imoveis-de-alto-padrao.ghtml

    4+
    • antifragile 8 de junho de 2017 at 19:01

      LOL. Honestidade é pré-requisito pra qualquer profissão séria. Você sabe que a reputação dos corvos não é péssima quando até uma matéria do G1 pede pra você agir honestamente.

      1+
      • antifragile 8 de junho de 2017 at 19:01

        * é péssima

        1+
  • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 11:05

    Quase 80% dos imóveis alugados pelo Ipac no Pelourinho estão sem pagar aluguel

    Os usuários de imóveis no Pelourinho devem cerca de R$ 30 milhões ao Estado

    Dos 290 contratos remunerados de aluguel de imóveis do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac), 227 estão com dívidas, segundo informou o órgão. A quantidade representa mais de 78% de inadimplência. Em 2013, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) notificou o Ipac sobre a falta de cobrança nos pagamentos dos ocupantes dos espaços públicos.

    http://www.correio24horas.com.br/detalhe/noticia/quase-80-dos-imoveis-alugados-pelo-ipac-no-pelourinho-estao-sem-pagar-aluguel/

    5+
    • avatar
  • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 11:08

    Compradores de imóveis são vítimas de fraude de construtora no ES

    Apartamentos já vendidos e ainda em construção foram hipotecados pela empresa junto à Caixa e consumidores continuam pagando parcelas, além de aluguel e condomínio em outros imóveis.

    http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/compradores-de-imoveis-sao-vitimas-de-fraude-de-construtora-no-es.ghtml

    8+
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 8 de junho de 2017 at 11:11

      “Compradores de imóveis são vítimas de fraude de construtora”
      ou
      “Compradores de imóveis são vítimas de fraude de construtora e banco”

      Frases emblemáticas da bolha das bolhas, alguém será punido?

      8+
      • avatar
      • avatar
  • jodorowsky 8 de junho de 2017 at 11:09

    38 formas de ferrar os credores.

    4+
    • avatar
    • Oliveira 8 de junho de 2017 at 11:15

      38 Tons de Motumbo.

      8+
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 8 de junho de 2017 at 11:12

    Atenção Atenção- agenda de boxta:

    Na agenda microeconômica, entre as medidas que os aliados do presidente querem tirar do papel para criar uma agenda positiva, estão a correção da tabela do Imposto de Renda das pessoas físicas ..2018, ajustes na área de habitação e estímulos ao programa de concessões.
    Ainda está nos planos do governo a criação de um aluguel social. As empresas construiriam imóveis para a população de baixa renda, e o governo arcaria com o aluguel por um prazo de 30 anos. (kkkkkkkkkk).
    Outra ação, ainda em estudo, na área habitacional envolve o distrato — quando o comprador desiste da compra de um imóvel e quer parte dos recursos de volta. Hoje, há controvérsia em relação aos valores a serem devolvidos. Entidades de defesa do consumidor querem que o critério se baseie no montante já pago, mas as empresas acham que a base de cálculo deve ser o valor do imóvel.

    https://oglobo.globo.com/economia/para-isolar-crise-politica-planalto-busca-acelerar-votacao-das-reformas-21449652

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 8 de junho de 2017 at 11:38

      vc acua um bixo contra a parede ele ataca que vira um monstro
      Temer tá ficando perigoso já
      vi por alto que até o Meireles está enrolado

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 8 de junho de 2017 at 14:07

        ligando os pontos:
        O IVG-R mensura a tendência de longo prazo dos valores de imóveis residenciais no Brasil e pela mediana dos valores de avaliação dos imóveis vinculados a financiamentos imobiliários concedidos nos últimos três meses em cada área geográfica é o valor representativo do mês para aquela área. Usa o filtro Hodrick prescot (suaviza as tendências temporais nem deveria ser usado, (lambda = 3.600, mas deveria ser 1600)..
        2) Distratos: Entidades de defesa do consumidor querem que o critério se baseie no montante já pago, mas as empresas acham que a base de cálculo deve ser o valor do imóvel.
        Portanto seria bom que a avaliação não caia. dá pra deduzir que a proposta das empresas ganhara, com um desconto pra fingir bondade, mas ele já foi recalculado.
        Previsão
        A diferença é de 18%, mas vão dizer que é apenas 9-10% da “avaliação.”
        No distrato, vc agora só vai pagar a metade do dobro que foi corrigida. amorteceram a queda.

        4+
        • avatar
        • avatar
        • Alemon Fritz 8 de junho de 2017 at 14:18

          antes que perguntem:
          Rule of thumb is:
          Lambda = 100*(number of periods in a year)^2

          In this respect, for:
          Annual data = 100*1^2 = 100
          Quarterly data = 100*4^2 = 1,600 < ==== Monthly data = 100*12^2 = 14,400 Weekly data = 100*52^2 = 270,400 "Harvey and Trimbur (2008) explain the risk in using a too-small smoothing parameter (lambda). Researchs explainings the risk of using too-large of a smooth parameter, other than the trend becomes increasingly linear and less sensitive to recent data.

          3+
          • avatar
          • Alemon Fritz 8 de junho de 2017 at 14:54

            IVG-R (“filtros”)
            Mudança nos tipos de financiamento
            A partir de 2015, no entanto, notou-se uma queda acentuada no índice. Descobriu-se que ela ocorreu por conta de um grande influxo de garantias com baixo valor, por um lado e, por outro, por causa da redução no volume de funding disponível para financiamento de imóveis novos e usados.
            O índice é calculado pelas séries das medianas de diversos conjuntos de municípios suavizadas por um filtro de Hodrick–Prescott, para extrair as tendências de longo prazo. Mas esse procedimento exacerbou a distorção nos dados e fez com que toda a curva se deslocasse para baixo, enviesando o índice em detrimento do comportamento geral das operações de financiamento imobiliário.
            “Essas operações tinham valores muito baixos para serem consideradas financiamento imobiliário, e por isso elas não são contabilizadas no novo cálculo”, explica Gilneu.
            Segundo Raoni Ribeiro, coordenador no Departamento de Monitoramento do Sistema Financeiro, se ocorrem mais financiamentos de imóveis mais baratos, a mediana dos preços será menor, mesmo que o preço de cada categoria não tenha se alterado. “O monitoramento da estabilidade financeira acabava impactado, uma vez que, havendo uma deterioração do valor dos imóveis dados em garantia, poderia haver uma deterioração da carteira”. No índice original, a queda do valor das garantias era bem elevada. “Após a correção do índice, foi possível notar um comportamento mais suave, com leve queda em termos nominais do preço a partir de 2014”, detalha.
            kkkk (aplicam o filtro e esquecem depois pra ele serve.. suavizaram o Lambda)
            http://terciotti.com.br/news/novo-calculo-do-ivg-r-permite-analise-mais-apurada-da-evolucao-dos-precos-dos-imoveis-residenciais/

            Isso vai servir pra dar o distrato que as construtoras querem, suavizando a queda.

            7+
            • avatar
            • avatar
            • Lucas 8 de junho de 2017 at 15:40

              Alemon Fritz

              IVG-R (“filtros”)
              Mudança nos tipos de financiamento
              A partir de 2015, no entanto, notou-se uma queda acentuada no índice. Descobriu-se que ela ocorreu por conta de um grande influxo de garantias com baixo valor, por um lado e, por outro, por causa da redução no volume de funding disponível para financiamento de imóveis novos e usados.
              O índice é calculado pelas séries das medianas de diversos conjuntos de municípios suavizadas por um filtro de Hodrick–Prescott, para extrair as tendências de longo prazo. Mas esse procedimento exacerbou a distorção nos dados e fez com que toda a curva se deslocasse para baixo, enviesando o índice em detrimento do comportamento geral das operações de financiamento imobiliário.
              “Essas operações tinham valores muito baixos para serem consideradas financiamento imobiliário, e por isso elas não são contabilizadas no novo cálculo”, explica Gilneu.
              Segundo Raoni Ribeiro, coordenador no Departamento de Monitoramento do Sistema Financeiro, se ocorrem mais financiamentos de imóveis mais baratos, a mediana dos preços será menor, mesmo que o preço de cada categoria não tenha se alterado. “O monitoramento da estabilidade financeira acabava impactado, uma vez que, havendo uma deterioração do valor dos imóveis dados em garantia, poderia haver uma deterioração da carteira”. No índice original, a queda do valor das garantias era bem elevada. “Após a correção do índice, foi possível notar um comportamento mais suave, com leve queda em termos nominais do preço a partir de 2014”, detalha.

              Traduzindo:
              #sincericídeo modeon

              “Para nós do Banco Central ficamos numa saia justa, o mercado imob a partir de 2015 ficou uma merda tão grande que não era mais possível esconder através de simples filtros de suavização de séries e outros truques estatísticos fantasiados de matemática. Na pratica o que estava contecendo é só se vendia coisa vagabunda, pequena, apertada, lixo mal construída e longe. Os menos piores estavam encalhando pois o povo estava sem renda pra financiar eles e quem tem grana o especulador já havia abandonado o barco indo pras TDs ou bolsa, ou cambio.

              Na verdade eu como supervisor do BC responsável por monitorar isto devo admitir que isso já havia acontecido anos atrás, quando eram assinados os contratos de compra-venda na planta corrigidos pela inflação, mas só agora com a entrega dos mesmos que percebemos a bomba que tinhamos no colo, não podia deixar o pessoal que financia a campanha poltica do chefe na mão, mas ao mesmo tempo as nossas garantias bancárias evaporando pela derrocada do setor e o povo inundando o reclameaqui que não conseguia arcar com zero qualquer coisa da TR, gerando inadimplencia, uma verdadeira bola de neve no setor a nos engolir

              Essa bola de neve per si gerou um efeito espiral de afugentar ainda mais o que sobrou de sardinha no mercado gerando uma espiral de queda violenta nas medianas que na verdade sempre foram abaixo da média pelo efeito de ser mais fácil enganar as camadas mais baixas da pop do que as mais altas, como conhecemos nossa sociedade há um abismo social, cognitivo, educancional inclusive de educação financeira. A mediana que mostra exatamente essa diferença elas se exarcebaram demais ficando muito na cara o profundo caos economico em que nós mesmos haviamos nos metido, deixando transparecer claramente que não faz o menor sentido imóveis inflacionarem 4x acima do resto da inflação, ainda mais num país pobre com população que ainda tem dificuldade de comprar comida.

              O Rei estava nu, e para esconder minha incompetência em prever a bosta não tive outra alternativa, ou me demitia e me enfiava embaixo da cama chorando copiosamente em posição fetal por prevaricar de minhas responsabilidades na qual fui concursado para tal e até tirei mestrado na UnB entre um cigaRINHO e outro no predio do minhocão ali do lado, OU vestia a máscara do cinismo e dobrava a meta, enfiando mais truques matemágicos e uma boa poesia dessas bem enroladas pra que se alguém for discutir comigo eu fique perspegando em algum detalhe inútil pra fazer fumaça usar aquele bando de nefastos dispostos a qualquer coisa pra subir de seus carguinhos medíocres de bancário e coleira de crachá porque estamos num país tão escrto que até pra entrar no prédio tem que ter uma mula fazendo o cara-crachá, e assim novamente nessa nuvem de fumaça se deus quiser vou cosneguir deixar passar desapercebido o principal: Que a GOME chegou e aqueles malditos bolhistas malucos daquele site obscuro estavam certos o tempo inteiro”

              conto com a compreensão de vcs pelo meu malcaratismo e incompetencia entendam que tbm tenho familia e fui jogado a isso pelo sistema triturador de gente, espero que não me transformem no bode expiatório da vez. Ou ao menos que eu consiga enganar a mim próprio manter o sorriso na cara como se nada tivesse acontecido e tentar dormir sem o uso de tarjas pretas
              atenciosamente
              Gilzetinho para os íntimos

              9+
              • avatar
              • avatar
              • Lucas 8 de junho de 2017 at 17:54

                CA te marquei aqui, leia acima a justificativa deles.

                1+
    • perdido no rio 8 de junho de 2017 at 18:30

      Peraí, olha isso: ” Entidades de defesa do consumidor querem que o critério se baseie no montante já pago, mas as empresas acham que a base de cálculo deve ser o valor do imóvel.”

      Alguém mais notou que eles estão confirmando que o valor dos imóveis caiu? Porque se tivesse subido os 30% a.a., provavelmente as construtoras não estariam brigando para devolver o dinheiro com base nesse valor atualizado, concordam?

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 11:21

    PAÍS DA JABUTICABA ONDE ATÉ O PASSADO É INCERTO

    Nova metodologia do IBGE eleva PIB retroativamente do Brasil de 2,7% para 3,9% em 2011

    http://www.huffpostbrasil.com/2015/03/11/nova-metodologia-do-ibge-eleva-pib-do-brasil-de-2-7-para-3-9-e_a_21681055/

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 8 de junho de 2017 at 12:48

      Recalcula o PIB, o índice lá do Bacen, daqui a pouco estão recalculando a inflação, o orçamento federal, a dívida pública etc etc.

      Só não tem jeito de recalcular o valor que cada um recebeu de salário no passado, que é o que realmente importa para as pessoas.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Lucas 8 de junho de 2017 at 12:21

    Leonardo M.

    CVR

    Corvolária aumentou aluguel e condomínio do prédio. É já tem 2 meses que o meu vizinho se mudou e já vi umas 5 ou 6 pessoas(fora as que não vi por não estar em casa) visitando o AP ao lado.
    Vacância no meu prédio deu uma diminuída, antes eram 7 aps vagos e agora são 5.

    Tenho percebido que quem mudou tem um naipe($$$$) muito maior.
    Meu vizinho de garagem(que não sei qual AP mora) tem um Jetski lá do lado meu carrinho 1998 veio.
    Algumas BMWs também tem aparecido no prédio.

    Conclusão
    Classe A se mudando para padrões menores pois não deve estar aguentando pagar alugueis bolhudos!

    vi isos acontecer no meu bairro coisa de 2 a 5 anos atrás, interessante isso que vc relatou, é a dinamica do estouro, seilá pq aí na sua cidade está vindo só agora

    Chegou um ponto de onde eu pagava o aluguel, o vizinho muito gente boa por sinal trabalhava de garçom em eventos de luxo, leia-se bicos. tinham vários filhos, a esposa pra complementar fazia seilá quem em casa, outros vizinhos faziam serviço de passadeira, aulas particulares, massagista e uma lá vendia sopa congelada, tbm tinha professores morando ali e vários aposentados que faziam a boa ADM do condo num valor baixo, inclusive tiravam grana com reciclagem o que por si evitava causos trabalhistas e fidelizava a turma. Esses eram os moradores antigos.

    Morador novo um lá era gerente geral de bradesco com bmw x5 na garagem, outro veio do nordeste assumir cargo executivo em multinacional famosa ele pagava o dobro do valor de aluguel que eu pagava (enganado por corvo, fehcou por telefone), outra um casal de mulheres dona de rede de lojas de perfumes que havia comprado reformado e já estava querendo upgrade.

    O condo era bem grande, os apês não eram tão diferentes uns dos outros, mas a diferença social era imensa.
    na garagem era exatamente isso: corsinhas e unos antigos ao lado de SUVs e 2 ou 3 importados.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 8 de junho de 2017 at 12:24

      o pior momento foi 2012
      sabe como eu sei???
      não conseguia mais estacionar meu segundo carro na rua em frente, ou parava longe ou o que fiz, aluguei uma vaga, a ultima disponível.
      Quando sai em 2015 o estacionamento onde eu alugava estava fechando por falta de cliente, já era possívele stacionar na rua, os segundos carros das pessoas tinham diminuido de quantidade, tamanho e valor.

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Lucas 8 de junho de 2017 at 12:28

      o fundo do poço em 2015 eu contei 16 imóveis vagos pra vender ou alugar, com ofertas de até 50% off do fingezap, já dentro do limite do x200 do aluguel, mas aí era tarde eu queria me mudar pra uma casa.
      hoje passando lá sei que os vagos diminuiram muito, certamente da classe média-alta fugindo para a periferia e ainda o condo baixo perto dos demais explodindo é um belo atraente ali

      5+
      • avatar
  • lendo e observando 8 de junho de 2017 at 12:26

    Maravilhosa noticia!!!
    Já foi postada antes, mas peço licença pra postar aqui novamente e sugerir firmemente a leitura.
    É a demonstração da vida real quando se fazem investimentos errados!!!
    No meio da reportagem ainda comentem um erro conceitual bobo típico de jornalista. Dizem que na bolha de flats levou alguns anos pra recuperar o prejuízo. Tem que esclarecer que isso aí está com cara de “teoria do empate” (como explica o bastter rsrs) e isso é errado. Primeiro porque teria que incluir custo de oportunidade nesse cálculo (o que não mencionam, mas posso apostar que usaram aquela bobeira de valor nominal, que certamente não faz sentido no Brasil que tem inflação alta) e segundo porque investimento ruim é ruim e pronto, não é pra ficar de mimimi, nem chorando leite derramado. Vende a preço de mercado atual, diga-se valor que o comprador aceita pagar pra comprar e aprende com a lição e não cai mais em modinha.
    Esperar 5 ou 10 anos pra vender por 10.000 o que você comprou por 10.000 nominais antes é PENSAMENTO DE MANADA, quem não entendeu isso ainda é melhor ler mais sobre economia antes de achar que pode ensinar aos outros, dizendo que não perdeu nada e que venceu o mercado!!!

    http://exame.abril.com.br/revista-exame/a-bolha-dos-hoteis-estourou-no-brasil/

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 8 de junho de 2017 at 12:35

      O valor nominal tem um apelo psicólogico fortíssimo
      Nunca subestime isso nas pessoas
      Não é todo mundo que entende o valor do dinheiro no tempo

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • lendo e observando 8 de junho de 2017 at 13:02

        Perfeito colega.
        Pra dar um parâmetro disso usaria um número que me espantou recentemente (apesar de saber que brasileiro não é poupador desde criança) que dizia que 2 em cada 10 brasileiros não poupam nada nada nada do seu ganho mensal (acho que a proporção era essa ou prox disso).
        Realmente o público poupador no Brasil é a extremíssima minoria e dentro desse público o que entende o valor do dinheiro no tempo é ainda menor porque isso não é tão simples. Principalmente se lembrarmos da qualidade do ensino de matemática no país. Economia então que precisa dos números pra ser compreendida hummmm…

        8+
        • avatar
        • avatar
    • lendo e observando 8 de junho de 2017 at 12:53

      Permitam-me mais um adendo:
      O Público daqui é em sua maioria de perfil poupador (do tipo que não joga dinheiro fora) por isso sugiro os videos do bastter do youtube pros mais leigos, pois ensinam muito.
      Destaco que discordo do bastter em várias coisas, mas ele ensina muito pra quem é leigo e isso tem um valor IMENSO principalmente no início do aprendizado. Ele mesmo admite que muda de pensamento quando erra. Mas já aviso que ele não entra no mérito da existência de bolha ou não. Tendo a achar que ele diria que não existe pelos comentários dele, mas como ele não entende pooorra nenhuma de setor imobiliário eu o perdoo rsrsrs.
      O conhecimento dele é mais em ações e formação de patrimônio.
      Sou assinante de lá e recomendo pela base de dados deles que ajudam a eliminar de cara empresas ruins.
      As boas podem ser peneiradas após triagens e critérios estabelecidos por cada um.
      Espero ter ajudado para o PNJ de todos nós.
      abraço a todos

      6+
      • Antigo 8 de junho de 2017 at 13:00

        Não gosto do bastter, acho ele bem picareta. Nem dele nem de empiricus.
        Mas é só minha opinião, geralmente todo mundo tem algo a oferecer, então não condeno quem assista. Eu só não pagaria por isso.

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • lendo e observando 8 de junho de 2017 at 13:22

          O que me deixa mais puto com ele é quando ele fala de setor imobiliário rsrsrsrs
          Dá vontade de mandar ele ler o CA pra ver se aprende alguma coisa rssrrssr
          Mas o valor do ensinamento dele está mais pras pessoas LEIGAS que desejam iniciar formação de patrimônio em ações e nesse campo ele tem bastante conteúdo grátis no youtube (os melhores videos dele são aqueles em que ele dá esporro na galera que faz loucuras com ações, como milk, ogx, srrssr)
          Quanto ao site e a base de dados, são uteis pra quem deseja peneirar ações, e não se confundem com as opiniões pessoais do bastter.
          Quanto a picaretagem, acho um pooooooouco exagero, pois 200 contos POR ANO, não me parece grande coisa se ponderarmos as enormes cagadas e prejuízos que as pessoas tomam em ações todos os dias em valores bem superiores a esta quantia.

          5+
  • ABUTRE 8 de junho de 2017 at 12:35

    Toda muda alguma regra na banania, esse lugar esta ficando perigoso.
    Me parece que esta batendo um certo desespero no estado.Sinal de que a merda esta comecando a feder.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Bruno.12 8 de junho de 2017 at 18:00

      esse lugar esta ficando perigoso. . FICANDO? kkkkkkkkkkkkkk aqui, empreender é loucura, coisa de noia esquizofrenico

      4+
      • avatar
      • avatar
  • ABUTRE 8 de junho de 2017 at 12:35

    Toda semana **

    2+
  • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 13:01

    “Não nasci para isso, eu quero voltar a fazer predinho” kkkkk

    https://www.youtube.com/watch?v=kXYsGoKmod8

    4+
    • avatar
    • avatar
  • ABUTRE 8 de junho de 2017 at 13:03

    Geral Aluguel Gringo:

    Pessoal que mora nos EUA, no estado onde moro o aluguel esta subindo muito, queria saber se é um fato isolado ou se ocorre em todo os EUA.
    Obs: Moro em oklahoma.

    2+
  • marchi 8 de junho de 2017 at 13:09

    CA
    Boa tarde , gostaria muito da sua opnião sobre a PDG …..
    Será que ela consegue escapar da Falência ???
    Fico no aguardo
    um abraço

    3+
    • CA 8 de junho de 2017 at 14:14

      marchi,

      Em resumo, não. O máximo que ocorrerá é um socorro mirabolante, provavelmente via CEF ou BB, que apenas adiará o fim inevitável. Detalhes no comentário que fiz logo abaixo.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 8 de junho de 2017 at 13:18

    Zona Leste é a região com maior concentração de casas à venda na capital paulista
    Oferta cresce em bairros mais afastados do centro, como Ponte Rasa, Ermelino Matarazzo e Vila Jacuí

    https://www.terra.com.br/noticias/dino/zona-leste-e-a-regiao-com-maior-concentracao-de-casas-a-venda-na-capital-paulista,243237fa776b2232a14690a15de24af912xwcot1.html

    1+
    • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 13:31

      Não sou o CA mas vou dar um palpite.
      Algumas empresas enfrentam problema de fluxo de caixa, o que pode resultar na recuperação de judicial.
      Mas o problema da PDG não é o fluxo de caixa, mas sim o próprio negócio dela.
      Isto pode ser avaliado pelo EBTIDA.
      Em 2016, a empresa teve Ebitda negativo de R$ 4,422 bilhões, 165% maior que o de R$ 1,664 bilhão também negativo em 2015. A margem Ebitda não foi divulgada em nenhum dos períodos (trimestre ou anual).
      Se uma empresa passa por um momento ruim, mas tem perspectivas de lucro no futuro, se ela tem patrimônio para pagar o passivo, se o valor da uma marca (brand equity) for elevado, ela teria condições de superar esta fase negativa, mas todos estes senões não se aplicam a PDG

      https://pt.wikipedia.org/wiki/Lucros_antes_de_juros,_impostos,_deprecia%C3%A7%C3%A3o_e_amortiza%C3%A7%C3%A3o
      http://www.direcaoconsultoria.com.br/valor-da-marca-a-importancia-da-avaliacao-do-intangivel/

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 8 de junho de 2017 at 14:07

        Cesar_DF,

        É isto mesmo.

        A PDG, assim como mais algumas construtoras, não gera caixa a partir de sua operação, ao contrário, a operação gera muito mais desembolsos do que recebíveis, de forma contínua ao longo de anos.

        No cenário acima e sabendo da completa distorção entre preços dos imóveis e todos os outros principais indicadores relacionados (renda dos possíveis interessados em comprar imóveis, preço do aluguel, custo de construção, etc), que por sua vez leva a uma distorção igualmente absurda entre oferta e procura, além de distratos absolutamente anormais, onde todas estas anomalias já existem HÁ ANOS, muito antes de qualquer crise na economia, fica fácil de deduzir que não existe saída real para PDG, o “plano de recuperação” é apenas uma peça de ficção.

        Se algum banco, provavelmente público, resolver conceder novos empréstimos com condições de pai para filho, será única e exclusivamente para atrasar o reconhecimento da realidade, tanto para o mercado imobiliário como um todo, como para o próprio banco, que adia o reconhecimento oficial da perda em seus balanços. Obviamente que a maior candidata a tal pedalada é a CEF, que aliás vem fazendo exatamente isto quanto a uma infinidade de rombos, dentre eles, o volume absurdo de contratos imobiliários com inadimplência acima de 90 dias que eles estão “renegociando”, para não reconhecer o tamanho REAL da inadimplência.

        Interessante observar que graças ao adiamento em reconhecer a realidade ao longo de anos, a bola de neve só foi crescendo. Hoje a PDG já tem mais de 15.000 clientes que tem processos contra ela na justiça, só no que diz respeito ao termo “distrato”, sem contar um grande número de fornecedores, bancos e outros credores que também estão sofrendo prejuízos relevantes. Se agora derem novo fôlego só para adiar o inevitável, mais e mais esta bola de neve irá crescer, apenas isto.

        O mesmo se aplica ao que ocorre com a Viver, Rossi, Brookfield e mais um grande número de construtoras que não operam na BOVESPA.

        Em paralelo, temos as construtoras que estão pedalando fortemente de mais de uma forma, seja através do atraso no “reconhecimento” de distratos, seja no aumento de lançamentos e foco em grande volume de vendas FALSAS na planta. Algumas contando com a CEF / governo para que desovem o crédito podre para o banco, em especial no caso do MCMV e da MRV. O mundo REAL bate à porta e vemos um governo sem caixa para sustentar sua participação nesta lambança, ao mesmo tempo que estas construtoras aumentam suas pedaladas e que os golpes da CEF vão se tornando cada vez mais visíveis e insustentáveis, o cenário clássico daquele carro que acelera sem parar em direção a um muro…

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 14:20

          CA
          Nem o BCE com seus trilhões de euros não conseguiu salvar o Banco Popular Espanhol.

          O governo espanhol salvou a maior parte das construtoras civil level, encomendando grandes projetos estruturais para elas, além de financiar com subsídios as obras em outros países, a la odebrescht
          https://oglobo.globo.com/economia/imoveis/para-fugir-da-crise-construtoras-espanholas-investem-em-obras-alem-fronteiras-9451652

          Algumas construtoras de imóveis estão se convertendo em construtoras pesadas, mas o passivo de Rossi, PDG e outras nem permitiria isso.
          http://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2017/06/epoca-negocios-com-lava-jato-construtoras-medias-comecam-a-avancar-em-infraestrutura.html

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Lucas 8 de junho de 2017 at 14:40

          O adiamento da admissão foi na esperança que o governo sempre iria pedalar mais e mais grana subsidiada.
          O reflexo na politika é óbvio, o cobertor ficou curto eles começaram a se matar entre si, o pessoal da LJ só de butuca esperando a hora certa pra dar o bote neles todos.

          Se o Cesar quer achar o paraelismo que tanto procura, eu dou o segredo que eu sei faz tempo: pega o crescimento do salario minimo, nominal com nominal, real com real, foi paralelo no inflar durante o tempo que o emprego aumentava, aí exauriu, fundiu motor, a pirmaide ruiu por falta de base pra entrar, todo crescimento a partir dali, 2010 em diante geraria inflação, tocaram o foda-se até 2012 baixando artificilamente juros e comendo cambio+inflação, e desde 2013 eles vem comendo caixa e gordura dos anos bons. Pra dar nos dias de hoje, vender almoço pra comprar a janta.

          Se vcs olharem a recuperação da PDG eles prometem pagar suas dívidas com emissão de CRIs, securitização terciária da bomba, isso tbm aconteceu nos EUA, quem pegar esses papéis podres vai correndo revender com desconto e espalhar ainda mais a bosta, por outro lado, se a PDG quebra no seco, cria um efeito dominó que DUVIDO se não arrasta algum banco top10.

          To viajando from_the_tower ???
          aliás vc sabe o significado da torre em mitologia?

          8+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • MauricioSP 8 de junho de 2017 at 14:53

            Acho que a PDG quebrar o prejuízo será menor que o da 7Brasil (12 bilhões) o que significa perder o lucro de um trimestre dos bancos. No Brasil os bancos devem ter um capital investido de 400 bilhões com rendimento médio de 15%, ou seja lucro anual de 60 bilhões.

            3+
            • avatar
          • Lucas 8 de junho de 2017 at 15:03

            a 7BR é apenas uma empresinha de estaleiro, apesar do valor vultoso, ela não tem capacidade de contaminar pelo contrário, o fehcamento dela gera lucro rpa petrobrás, 12 bi que perde de um lado 60 bi que ganha do outro

            o ramo das construção civil a capilaridade é outra, veja o numero de credores, o numero de empregados, de empresas penduradas, o numero de clientes.

            Eu nunca falei que a PDG iria quebrar automaticamente um banco, veja na espanha levou 10 anos entre o fato e o ato, eu estou dizendo que ela por ser a ex-maior construtora de todo ocidente americano ela tem potencial assim como a fannie mae e fed mec em iniciar um efeito dominó em todo o mercado, veja como exemplo BNH, que era muito menor, veja o exemplo da Encol que era muito menor. C civil (e tbm autos) no BR são setores críticos em termos de capilaridade, participação no PIB, importancia social. Todo mundo sabe o que uma PDG faz, já uma 7Br vc mesmo pode fazer a experiencia, capaz da maioriua pensar que é marca de baralho.

            6+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • MauricioSP 8 de junho de 2017 at 17:22

              Mesmo a maior construtora não representa muito do mercado, pois o mercado de construção é hiper fragmentado. A PDG está em recuperação com 27 mil credores, postaram aqui. Vamos dizer que sejam 27 mil imóveis, isso é nada perto do 400 mil imóveis financiados anualmente. Ou do 1 milhão de imóveis do MCMV. A gente tem que lembrar que o Brasil é gigante, a europa ocidental inteira cabe no nosso território. Aqui os números são astronômicos. Quando prenderam aquele gerente da Petrobrás e o cara de primeira fez um acordo pra devolver 100 milhões de dólares, um gerente da Petrobrás, mostra um pouquinho do roubo gigantesco que rola por aqui, desde que o país foi fundado.

              Vamos dizer que no Brasil sejam construídos 700 mil imóveis por ano, nenhuma construtora tem mais do que 10% do mercado. A que mais se aproxima disso é a MRV. E aí é imóvel MCMV que já é financiado na planta pelo governo.

              http://www.mrv.com.br/institucional/historia
              Em 2010 A MRV foi a vencedora nacional do prêmio ITC Net 2010 (categoria residencial) como empresa que mais construiu no país em 2010. Construiu 6,8 milhões de metros quadrados, número que representa mais de 10% dos 67,5 milhões de metros quadrados construídos em todo o Brasil.

              0
              • Lucas 8 de junho de 2017 at 17:46

                mauricio vc não falou nada absolutamente nada denovo para este blog

                o que eu disse e vou repetir é o risco do efeito dominó, vou pegar um unico exemplo, pensa no moral hazard se espalhar pelo mercado, a possível falencia de uma unica construtora já é caos o suficiente para espantar todos os especuladores do ramo na-planta. No caso Encol o trauma durou década, ninguém mais queria saber de imóvel na planta, poderia pegar mil outros exemplos de efeitos colaterais. Dos 27 mil credores, alguns são imóveis, outros são bancos, outros são fornecedores, cada elo nessa cadeia pode levar a dezenas, centenas talvez milhar de empregos. Nós temos 27 mil elos diretos, ligados a estes outros tantos milhares, pendurados numa dívida impagável que já foi 1 bi a 2 anos, 2 bi ano passado, 5 bi nesse, 10 amanhã, 20 no outro.

                Outra coisa, não se trata dum risco pontual tipo só a PDG, estamos falando de questões estruturais que afetam a todas as construtoras das quais só temos notícias daquelas listadas em Bolsa por obrigação legal de divulgar seus relatório, falamos de questões que afetam todo o setor, falamos até mesmo da insustentabilidade do programa MCMV tanto financeira quanto moral, e até policial, na medida que os meninos de curitiba herculeamente vem desbaratando esquema por esquema, nó gordio por nó gordio.

                8+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • avatar
  • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 13:33
  • odorico 8 de junho de 2017 at 15:42

    Alguém sabe me dizer porque nesse caso http://www.parquedosleiloes.com.br/leiloes/detalhes/525 a segunda praça é mais alta que a primeira? Pode isso arnaldo?

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 8 de junho de 2017 at 15:45

      mudança metodologia
      alteração do lambda da pascoa a fim de suavizar distorções do mercado

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Lucas 8 de junho de 2017 at 15:47

      o valor era muito baixo para ser considerado financiamento imobiliario (como se valor alterasse tipo de operação)
      daí subimos
      (ver acima o que o guilzinho disse, confessou)

      REPUBLICA FEDERATIVA DO CINISMO
      do presidente do país ao corvo da esquina

      4+
      • avatar
    • Libertario 8 de junho de 2017 at 15:58

      não achei esses valores de primeira e segunda praça.
      aonde estão ?

      1+
      • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 16:04

        estão no pdf
        edital do leilão
        “GIAN BRAGGIO, Leiloeiro Público Oficial, matriculado na JCDF sob o nº 51, devidamente autorizado,
        realizará no dia 14/06/2017 às 15:30h, pelo lance mínimo de R$ 382.250,00 (trezentos e oitenta e dois
        mil, duzentos e cinquenta reais) calculado na forma do art. 27, §1º da Lei 9.514/97, ou, em não
        havendo licitante, dia 16/06/2017 às 15:30h – 2º Leilão, pelo lance mínimo de R$ 459.569,52
        (quatrocentos e cinquenta e nove mil, quinhentos e sessenta e nove reais e cinquenta e dois centavos)
        calculado na forma do art. 27, §§ 2º e 3º da Lei 9.514/97, Leilão Público Extrajudicial do imóvel
        caracterizado pelo APARTAMENTO Nº 1405 E”

        1+
        • Libertario 8 de junho de 2017 at 16:35

          Tks man!
          Deve ser porque tijolos sempre valorizam!!!!

          1+
          • avatar
    • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 17:10

      Odorico
      A primeira praça obrigatoriamente precisa ser feita pelo valor do laudo de avaliação
      A segunda praça, tradicionalmente mas não obrigatoriamente, é com o valor da dívida bancária.
      Significa então que, neste caso, o “LOAN TO VALUE” é > 100, o saldo da dívida com o banco é maior que o valor do laudo de avaliação.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • MauricioSP 8 de junho de 2017 at 17:33

        E isso demonstra o temor do mercado e ação para evitar o estouro da bolha. Se o cara tá com um saldo devedor de 459k e o apartamento vale 382k, é melhor ficar sem pagar e esperar o banco tomar. Mora dois anos de graça, depois do leilão em segunda praça a dívida é quitada. Depois financia novamente em outro banco.

        Não digo que é o caso, mas se acontecer quedas nominais de 50% ou mais, isso passará a ser um comportamento típico. Um cara que tem saldo devedor de 300k e parcela de 3k, se ver o mesmo apartamento por 150k, com aluguel por 1k e parcela por 1.5k, fica muito difícil continuar com o financiamento.

        Mais fácil parar de pagar e juntar os 3k por mês, se tiver sorte e demorarem para tirar ele de dentro da goiaba dá pra morar uns 18 meses de graça, ou 54k, aí decide se mora de aluguel por 1k ou se dá de entrada e financia outro imóvel.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Libertario 8 de junho de 2017 at 17:39

          Mas mesmo que o imovel adquirido por 459 seja leiloado por 380k, o cidadão continuará com uma divida de mais de 80mil com o banco.

          4+
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 18:48

            Libertário
            Negativo, após a segunda praça e dada a quitação do imóvel, independentemente do valor a dívida extingue-se

            7+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 18:51

              essa eu não sabia !!!

              3+
              • avatar
              • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 18:59

                Lei 9514, artigo 27
                § 5º Se, no segundo leilão, o maior lance oferecido não for igual ou superior ao valor referido no § 2º, considerar-se-á extinta a dívida e exonerado o credor da obrigação de que trata o § 4º.

                4+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
        • Lucas 8 de junho de 2017 at 17:53

          isso já aconteceu
          as dívidas já são maior que a garantia em mil e 1 casos
          só que ninguem sabe, porque os indices são maquiados.
          pra quem ainda esta “na-planta” resta realizar o distrato e rezar pra sobrar algum após a liquidação da falida, ou empurrar a batata-quente pro próximo trouxa.
          pra quem financiou não tem como distratar, ou continua pagando rpa evitar todo o perrengue que envolve um caso assim, ou dá o calote e reseta a vida com nome sujo na praça pela eternidade, mesmo que a depender do contrato, a pessoa zere a dívida, normalmente ela está se enfartando em outras dívidas de crediário, a da casa é a ultima, esse comportamento burro é o da manada.

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 18:14

          exatamente……
          olhem as garantias !!!
          é uma sinuca de bico…..
          por isso o sistema investe tanto em desinformação…..

          8+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Lucas 8 de junho de 2017 at 18:33

          from_
          eles vendiam o contrato na-planta como se fosse um titulo de capitalização de banco ou um bau da felicidade do silvio santos, mas sem o sorteio
          vc vai pingando dinheirinho ali, ao final do prazo eles te devolvem ou o dinheiro corrigido pela poupança (subtraindo taxa de adm) ou vc troca por produtos nas lojas do baú (no caso imob, troca pelo direito de adquirir aquele imóvel reservado, mediante finame, claro), ou melhor ainda vende esse direito com ágio para outro.

          Parecia ser um negócio infalível

          só Faltou combinar com os russos”

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 18:34

            hahahahahahahaha
            fato

            7+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 18:35

              Só que agora eles não conseguem mais vender os títulos naqueles patamares……
              e objeto material do título possui um baita custo fixo mensal…..

              “O mercado imobiliário teceu a própria corda do enforcamento”

              6+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
    • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 19:07

      Odorico

      http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9514.htm

      Art. 27. Uma vez consolidada a propriedade em seu nome, o fiduciário, no prazo de trinta dias, contados da data do registro de que trata o § 7º do artigo anterior, promoverá público leilão para a alienação do imóvel.

      § 1º Se, no primeiro público leilão, o maior lance oferecido for inferior ao valor do imóvel, estipulado na forma do inciso VI do art. 24, será realizado o segundo leilão, nos quinze dias seguintes.

      § 2º No segundo leilão, será aceito o maior lance oferecido, desde que igual ou superior ao valor da dívida, das despesas, dos prêmios de seguro, dos encargos legais, inclusive tributos, e das contribuições condominiais.

      § 3º Para os fins do disposto neste artigo, entende-se por:

      I – dívida: o saldo devedor da operação de alienação fiduciária, na data do leilão, nele incluídos os juros convencionais, as penalidades e os demais encargos contratuais;

      II – despesas: a soma das importâncias correspondentes aos encargos e custas de intimação e as necessárias à realização do público leilão, nestas compreendidas as relativas aos anúncios e à comissão do leiloeiro.

      § 4º Nos cinco dias que se seguirem à venda do imóvel no leilão, o credor entregará ao devedor a importância que sobejar, considerando-se nela compreendido o valor da indenização de benfeitorias, depois de deduzidos os valores da dívida e das despesas e encargos de que tratam os §§ 2º e 3º, fato esse que importará em recíproca quitação, não se aplicando o disposto na parte final do art. 516 do Código Civil.

      § 5º Se, no segundo leilão, o maior lance oferecido não for igual ou superior ao valor referido no § 2º, considerar-se-á extinta a dívida e exonerado o credor da obrigação de que trata o § 4º.

      § 6º Na hipótese de que trata o parágrafo anterior, o credor, no prazo de cinco dias a contar da data do segundo leilão, dará ao devedor quitação da dívida, mediante termo próprio.

      2+
      • avatar
      • Margarida 8 de junho de 2017 at 21:04

        Cesar_DF, eu já tinha lido essa lei (esses artigos, pelo menos) mas não tinha reparado que a comissão do leiloeiro é somada à dívida.

        Só que o comprador também paga comissão ao leiloeiro. Será que ninguém nunca contestou isso?

        2+
  • Alemon Fritz 8 de junho de 2017 at 15:45

    kkkkkkk

    PL DOS DISTRATOS: VEM AÍ O PESADELO DA CASA PRÓPRIA

    http://jornaldiadia.com.br/2016/?p=295715

    pra isso o ivg-r, como falei ontem..

    7+
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 8 de junho de 2017 at 15:51

      – I see friyng fish
      where?
      – everywhere

      6+
      • avatar
      • avatar
    • Lucas 8 de junho de 2017 at 15:52

      i love the smell of sardine in the morning
      (Apocalipse now)

      5+
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 15:54

        If the sardine operates in the financial market she learns at the moment

        But if the sardine is brick lover she will only know when everything is destroyed and trampled

        5+
        • avatar
        • avatar
    • CA 8 de junho de 2017 at 16:39

      Alemon Fritz,

      Como sempre, a DESINFORMAÇÃO:

      No artigo acima, falam que distratos se tornaram anormais em virtude da crise.

      Como sabemos, foi em 2011, alguns anos antes da crise, que os distratos passaram a ser anormais para as empresas pioneiras no esquema das vendas FALSAS na planta.

      Até 2010, os distratos eram irrelevantes, sequer mencionados nos relatórios trimestrais das construtoras. Foi só a partir de 2011 que eles apareceram, representando mais de R$ 2 BILHÕES na somatória de PDG, Gafisa e Brookfield.

      Agora a parte “engraçada”: estão pedalando tanto na manipulação de índices e DESINFORMAÇÃO, que um TRUQUE de “mágica” começa a atrapalhar o outro:

      O “Nefasto” (by Lucas) insiste que a desaceleração forte da economia aconteceu já a partir de 2011, o que explicaria o volume de distratos e sua proporção em relação a vendas que nunca tiveram paralelo, seja no Brasil, ou em qualquer lugar do Mundo, ou para qualquer segmento de negócio (apesar das vendas na planta existirem ha décadas no Brasil).

      Óbvio que a explicação acima é porca, sem o menor sentido, mas como se não bastasse isto, agora recalcularam o PIB de 2011 com “nova metodologia” (a mesma que ajudou a inflar os números no 1T17) e “descobriram” que o PIB de 2011 “cresceu ainda mais”, ficando com um crescimento próximo de 4%, ótimo para os padrões brasileiros e muito bom e acima da média se considerado o padrão para os emergentes de segundo escalão (que não inclui China e Índia). Agora esta nova MANIPULAÇÃO de dados atrapalha a estorinha bizarra do Nefasto, que por si só já era patética….

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 8 de junho de 2017 at 17:48

        CA, viu lá as desculpas pra revisão do método???
        divirta-se

        4+
        • avatar
      • MauricioSP 8 de junho de 2017 at 18:21

        Esse negócio de manipulação é complicado, veja a Argentina. O governo da Cristina Kirchner manipulava a taxa oficial de inflação, gerando reclamações até internacionais e criação de um índice paralelo. Aí com a eleição do Mauricio Macri, ele corrigiu isso e agora o índice mostra a inflação real. Aí os opositores do governo dele dizem que agora no governo Macri a inflação aumentou!

        Argentina confirma a pior inflação em 25 anos no primeiro ano de Macri
        http://brasil.elpais.com/brasil/2017/01/11/economia/1484152989_264764.html

        Aliás quem não viveu a época da inflação alta e quiser ver como ela bagunça a economia pode acompanhar nosso vizinho, a Argentina com inflação de mais de 40% ao ano deve estar triste de se ver.

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 18:29

          Arrgentina era a Republica do Grande Cinismo
          bem típico da esquerda marxista

          6+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Lucas 8 de junho de 2017 at 16:27

    Republica Pornografica do Cinismo
    O pedido de cassação da chapa é do Psdb
    sabe aquelas orgias que vc não sabe diferenciar quem tá indo de quem tá voltando???

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 17:04

    O Nubank estuda maneiras para atender os 500 mil clientes na lista de espera da empresa ou àqueles que tiveram um cartão negado. Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, a fintech estuda a possibilidade de pedir um depósito em dinheiro feito pelo usuário em troca do cartão – o conhecido depósito “caução”.

    https://pro.tecmundo.com.br/pro/117525-crescer-nubank-analisa-pedir-deposito-caucao.htm

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • OcaradoAcre 8 de junho de 2017 at 18:08

      Poderiam lançar um pré pago.
      Funcionou para a massificação da telefonia móvel.
      A experiência do uber com dinheiro mostra que muitos brasileiros não tem acesso a cartão de crédito ainda.

      1+
      • avatar
  • CA 8 de junho de 2017 at 17:06

    Replico um trecho interessante aqui, porque o comentário ficou muito acima:

    https://oglobo.globo.com/economia/para-isolar-crise-politica-planalto-busca-acelerar-votacao-das-reformas-21449652

    “Ainda está nos planos do governo a criação de um aluguel social. As empresas construiriam imóveis para a população de baixa renda, e o governo arcaria com o aluguel por um prazo de 30 anos.”

    A notícia acima é o que podemos chamar de “tragicômica”:

    Trágica, porque um governo que já bateu todos os recordes quanto a déficit fiscal no ano de 2016 e tende a ter, senão o segundo maior déficit da história, talvez até um novo recorde em 2017, está prometendo um aumento substancial de gastos, exatamente no momento em que pairam no ar profundas incertezas quanto a conclusão da reforma da previdência e até que ponto a mesma será efetiva e tudo isto já está assuntando aos investidores, em especial os estrangeiros.

    Trágica, porque a causa raiz para tantas famílias não estarem conseguindo pagar por seus aluguéis, não é apenas a crise, causada em grande parte pela bolha imobiliária, mas também, uma outra consequência desta mesma bolha, que foi o aumento do preço do aluguel, que subiu acima do que a renda subiu. Em São Paulo, já em fevereiro/2014 o CRECI SP informava que o aluguel de uma QUITINETE em áreas melhores já era superior ao salário médio da população, antes que qualquer crise desse seus sinais (aliás já pediam o “aluguel social” na época).

    Cômica, porque é óbvio que é mais uma tentativa DESESPERADA do governo de angariar simpatia da população para que tente ganhar alguma sobrevida frente aos escândalos em que está envolvido e ao mesmo tempo, a possibilidade de uma ação populista como esta vingar é muito baixa em virtude da inviabilidade de verbas do governo, ao mesmo tempo que, mesmo que viesse a acontecer, teria efeitos colaterais ainda mais destrutivos para o segmento imobiliário como um todo, pois aumentar construções a esta altura, faria com que a vacância de imóveis residenciais usados para locação disparasse de vez, estimulando uma distorção ainda maior entre oferta e procura e quedas ainda mais relevantes nos preços. Não há milagres, nem soluções mirabolantes, utilizar estratégias econômicas venezuelanas não resolve problema algum, só agrava as consequências, a Venezuela está aí para todos verem no que dá…

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 8 de junho de 2017 at 17:58

      maldadade travestida de bondade
      o efeito seria, se fosse possível realizar isso, jogar inflação do aluguel nas alturas, prejudicando todo o país, inclusive os próprios beneficiados, para salvar as empresas amigas

      mas em LJ we trust, na hora de negociarem quais casas receberão aluguel social vai avuar propina pra todo lado, vai ser mala pra tudo que é pizaria, e os meninos de curitiba estão atentíssimos a tudo. SE acontecer será um açougue, será outro açougue

      3+
      • avatar
      • avatar
      • CA 8 de junho de 2017 at 19:44

        Lucas,

        Um ponto de atenção:

        Na notícia acima, eles deixam claro que seriam mais imóveis a serem construídos, em um momento em que já existe uma SUPER-OFERTA claríssima de imóveis para alugar.

        Mesmo que fosse viável, o que é altamente improvável frente à obviedade de nosso desequilíbrio fiscal, ainda assim não conseguiria impulsionar a inflação dos aluguéis novamente.

        O fato é que nós não estamos no mesmo “momento zero” do Minha Casa Minha Vida, ao contrário.

        O MCMV pôde ser um dos colaboradores para a escalada anormal dos preços dos imóveis, pois à época do seu lançamento, ainda não havia uma SUPER-OFERTA clara de imóveis, combinada com uma enorme distorção entre oferta e procura graças a preços proibitivos e uma economia em frangalhos em virtude de uma bolha imobiliária combinada com uma bolha de consumo e uma bolha de corrupção institucionalizada que levou a um desastre fiscal para gerar propinas em volume altíssimo. Hoje é este cenário caótico que temos e aumentar construções, mesmo nesta situação em que o governo seria o “todo-poderoso” e poderia arcar com este aumento de despesas ao longo de 30 anos, faria com que algumas construtoras buscassem sobrevida, mas às custas de prejudicar muito os proprietários de imóveis usados para alugar, que veriam o seu público potencial se reduzir ainda mais, o que apenas reforçaria a necessidade de tentarem vender os imóveis pela absoluta falta de clientes para alugarem, o que por sua vez seria mais um potente combustível para turbinar as quedas dos preços de vendas.

        A MRV está PEDALANDO fortemente com PROMESSAS de mega empreendimentos populares. É ÓBVIO que não haverá verba do governo para financiar via MCMV todos estes imóveis e mais o crescimento em lançamentos para este público que está sendo feito por diversas construtoras, listadas ou não na BOVESPA (exemplo: só no 1T17 o governo reduziu em 85% os repasses do Tesouro para o MCMV). Qual a saída “jenial” (sic) do governo, já que não há este dinheiro? Prometer o aluguel social a ser pago para as construtoras, onde a simples promessa disso sendo repetida na mídia já ajuda no preço das Ações da MRV, ao mesmo tempo que significaria um desembolso menor do governo para viabilizar a ação (supondo, por exemplo, que o governo pague até 0,40% ao mês a título de aluguel para a construtora).

        Restam ainda, diversos pontos onde, como sempre, “as contas não fecham”:

        Se uma construtora tiver um imóvel pelo preço de venda de R$ 250 mil, mesmo assumindo que ela teve um custo de R$ 150 mil, como ela vai fazer com o caixa dela para que, ao receber R$ 1 mil por mês, ela consiga devolver todo o dinheiro que capturou junto a bancos para construir os imóveis e ainda cubra seus custos e obtenha um lucro??? Vamos supor, em cenário ainda muito favorável à construtora, que ela pegou R$ 100 mil com o banco e colocou do caixa dela, R$ 50 mil, para construir este imóvel. O que ela vai fazer, pegar aqueles R$ 1 mil por mês, ficar com R$ 334 e pagar R$ 666 (bom número!) por mês para o banco? Que banco aceitaria receber o retorno de um empréstimo por um prazo de tantos anos, ainda mais no Brasil? Se forem os imóveis já em construção, a condição de pagamento da construtora para o banco já está negociada e relacionada à VENDA dos imóveis e entrada do montante total no ato do financiamento pelo comprador, algo completamente diferente deste “modelo” proposto. Aliás, neste “modelo”, só os juros que o banco teria que cobrar já significaria algumas décadas até receber o montante, inviável qualquer renegociação neste sentido. Ah, certamente seria a “poderosa” CEF com seus rombos de dezenas de bilhões de Reais em vários e vários golpes e maquiagens de inadimplência que terá todo este “caixa” disponível, ou quem sabe, sangrando pela nogentésima decepcionésima vez o dinheiro do FGTS, com eles transferindo o dinheiro para o banco credor (ou às vezes a própria CEF “renegociando”) e passando a ser o credor das construtoras… Mesmo assim, a parcela a ser recebida pela construtora em relação a seu capital próprio seria ínfima e o negócio não valeria a pena, aliás ela não teria sequer o caixa para dar continuidade ao processo, a não ser que a super-poderosa CEF ou o mágico FGTS cubram 100% dos gastos, neste caso, por exemplo, a CEF ou o FGTS receberiam R$ 700 por mês como pagamento pelos R$ 150 mil emprestados e a construtora ficaria com R$ 300 por mês a título de “lucro” na obra, o que de novo, seria ainda assim insuficiente. Óbvio mais uma vez que nem CEF nem FGTS possuem tanto cacife assim para tocar um desembolso como este com pagamentos se arrastando por décadas e ainda em paralelo a um MCMV, daí a alternativa seria talvez extinguir o MCMV e ficar só com o aluguel social??? Então o governo via Tesouro ou pegando dinheiro a FUNDO PERDIDO do FGTS vai pagar R$ 1 mil por mês de aluguel e novamente o governo via CEF ou usando o FGTS vai financiar a construtora para receber o retorno deste dinheiro ao longo de DÉCADAS???

        De que governo, CEF, ou FGTS estamos falando, porque os 2 primeiros já estão quebrados (a CEF só maquiando os rombos, o tesouro já nem consegue maquiar mais) e o terceiro está sendo sangrado como nunca, logo, de onde sairá o “dinheiro mágico” para a operação acima?

        Ah, é só fazermos uma venezualização e sairmos imprimindo dinheiro a rodo, esquecendo-se de inflação, de impacto fiscal, de juros ou de qualquer outro “mero detalhe”, fazendo de conta que o ajuste fiscal não é necessário, fazendo de conta que o governo é super-poderoso, etc, etc, etc… Uma grande viagem na maionese, totalmente inviável, apenas isto.

        De fato, não vejo como este negócio possa ser viabilizado, por isto me parece MAIS UMA campanha de DESINFORMAÇÃO para fazer inflar ARTIFICIALMENTE os preços das Ações de algumas construtoras que são “amigas do rei” (exemplo: MRV), ao mesmo tempo que tentam dar um fôlego à ESPECULAÇÃO no mercado imobiliário e por fim, mas não menos importante, jogam no ar uma medida POPULISTA para tentar dar sobrevida ao Governo, mas todos sabendo desde o primeiro momento que a tal solução mirabolante nunca vai se concretizar. Seria análogo ao que fizeram no começo do ano, dizendo que a combinação de nova regulamentação para distratos, com equilíbrio fiscal e investimentos estrangeiros e redução rápida dos juros, promoveriam uma recuperação “forte e rápida” do segmento imobiliário e a viagem na maionese foi tão intensa que a PDG foi a empresa com a maior valorização dentre todas as listadas na BOVESPA, para que 2 meses depois desse entrada no seu pedido de recuperação judicial!

        É, o nível de desespero do governo, do segmento imobiliário e de seus asseclas, continua muito grande, as viagens são cada vez maiores, resta-nos apenas rir de todos estes esforços patéticos de desinformação e do quanto eles irão quebrar a cara. Pena que, como disse acima, isto seja tragicômico e se levarem algo em frente às custas de manobras SUICIDAS para ganharem um tempo até as eleições presidenciais, a destruição para economia e sociedade será bem intensa, novamente…

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 8 de junho de 2017 at 19:53

          no rol de soluções estapafurdias somente encontramos solução no campo da comédia trágica
          Tinha aquela velha keyniana adotada acho que por rosevelt
          contratava pedreiros pra cavar buracos de noite e tantos outros pra tapar o buraco de dia e assim girar a economia.

          que o governo não nos ouça, capaz de sugerirem mesmo algo do tipo, construir/demolir

          4+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Lord of All 8 de junho de 2017 at 17:14

    CVR extraído do Reclame Aqui:
    Há 4 anos atrás fiz a compra de um apartamento da PDG, na ocasião a vendedora Cida da PDG setor vendas me fez diversas promessas, inclusive me fez assinar o contrato em um sábado pois disse que se eu não fechasse naquele dia perderia o negocio.
    Foi minha primeira aquisição de um empreendimento não tinha noção do que me esperava na frente, por conta do INCC o valor do meu apartamento aumentou mais de 30 mil comparado ao valor que fechei.
    Essa semana um corretor entrou em contato comigo me oferecendo um apartamento no mesmo empreendimento, metragem e vagas de garagem por um valor aproximado de 40 mil menor do valor atual da minha unidade, desconfiei do valor entrei em contato com uma vendedor através do site da PDG que me informou que realmente poderia fechar no valor passado pelo corretor.
    Fico extremamente frustrado, uma vez que acreditei na PDG há 4 anos atrás, ajudei a construir a obra, nunca atrasei 1 parcela, e um cliente que está comprando o apartamento hoje consegue um valor muito mais baixo.
    Entrei em contato com o setor financeiro da PDG e falei com Marilene Frizzo ela me informou que a PDG não vai retroagir os valores do empreendimento, acreditei na vendedora e na PDG. Um cliente que chega hoje consegue fechar um negocio muito abaixo do valor que estou pagando.
    Recomendo as pessoas interessadas em adquirir um imóvel na planta não cometer o mesmo erro que o meu, pois o dinheiro pago em ambos será perdido, não acredite em vendedores e muito menos na PDG pois ambos só estão interessados em vender. Se tivesse guardado os 50 mil que paguei enquanto o empreendimento estava sendo construído em uma poupança hoje teria uma valor maior e poderia fazer um negocio muito melhor.

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • LZ 8 de junho de 2017 at 17:20

      Pelo menos esse aceitou a tromba de 666 e prejuízo de 30K na cabeça.
      “inclusive me fez assinar o contrato em um sábado pois disse que se eu não fechasse naquele dia perderia o negocio.” = Bobinhoooo

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • EngenheiroSP 8 de junho de 2017 at 17:53

        Alguem que cai numa pressão do tipo “assina hoje se não perde” pra aquele que provavelmente vai ser o negócio de maior valor da vida, merece tomar na tarraqueta mesmo

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • MauricioSP 8 de junho de 2017 at 18:14

          Olha, vou te dizer que eu sou meio bobo assim também. Talvez não bobo, mas ingênuo. Eu tento ser sempre honesto, e acabo achando que as pessoas são honestas também.

          Quando eu vejo um anúncio e um preço, normalmente eu penso que é aquele o preço que o anunciante acha que vale mesmo, ou seja o preço “justo”. Tenho que fazer um exercício mental para lembrar de negociar e tentar abaixar, mas acabo usando aquele preço como âncora na negociação.

          Quando procurava imóveis para alugar, a maioria dos corretores dizia que tinha uma outra pessoa interessada, e que estava na minha frente. Só depois que fui ler e perceber que isso era uma técnica de vendas para pressionar a fechar negócio, criar uma sensação de urgência.

          E vou te dizer, até hoje a gente ainda cai nessa. Quando o a Dilma chamou o Lula para ministro, a liberação daquela gravação do grampo com o envio do Bessias com um papel e “só usa em caso de necessidade”, a TV filmando na frente do palácio do planalto os preparativos para a multidão que protestaria, ali tudo olhando hoje foi uma notícia fabricada. Por que para ser nomeado precisaria sair no diário oficial. mas tudo parecia que era pro Lula não ser preso no dia seguinte. No final a gente já sabe, ele não foi nomeado nem preso.

          E o mesmo caso agora com o Temer, toda a pressão sobre a existência de uma gravação e exigindo que ele renunciasse, mas sem mostrarem a gravação. Quando mostraram, a resposta foi “não é tudo isso” e “foi editado”. Mas naquele dia parece que o governo ia cair naquela tarde.

          Essa manipulação, seja na propaganda, na mídia, na propaganda, ou corretores, a gente tem que ficar atento senão acaba caindo.

          12+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Lucas 8 de junho de 2017 at 18:47

          mauricio meu caro bomricio
          algumas vezes neste blog assistimos a casos como o seu,
          a pessoa entra de um jeito e sai de outro
          me parece que vc está quase perdendo a “virgindade”
          desculpa a força das minhas palavras, eu tento me controlar mas não consigo

          11+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • MauricioSP 8 de junho de 2017 at 18:56

            Esse blog já me mudou bastante! Por isso continuo aqui apesar das porradas eventuais! 😉

            11+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
  • Lord of All 8 de junho de 2017 at 17:19

    Outro CVR da mesma construtora. Vou citar apenas um trecho q me chamou atenção:

    “hoje dia 30/05/17 liguei para todos os 6 números de telefone do escritório de Campinas e só ouvi esse mensagem: ESSE NÚMERO DE TELEFONE NÃO EXISTE.”

    despEncol versão 2.0??

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Bruno.12 8 de junho de 2017 at 17:58

    Tópico! (Aliás, kd postagem de 08-06?):
    http://exame.abril.com.br/revista-exame/a-bolha-dos-hoteis-estourou-no-brasil/

    Trechinho – “Há muito tempo, numa galáxia distante, o Brasil era a “bola da vez” — e, dentro do Brasil, nenhuma bola era tão da vez quanto o Rio de Janeiro, que receberia a Olimpíada e começava a transformar seu tecido urbano. A prefeitura decidiu revitalizar a degradada região portuária, rebatizando-a de Porto Maravilha, e os investidores, de olho nos lucros que certamente viriam, foram atrás. A rede hoteleira americana Marriott, a maior do mundo, lançou um empreendimento na região.”

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 8 de junho de 2017 at 18:23

    repetindo a resposta pro mauricio e complementando a margairda que ficou muito longe

    Lucas

    no caso dos imóveis pela complexidade da questão e pelos valores envolvidos existe uma figura de responsabilidade jurídica responsável por intermediar com a maxima lisura e transparência o tramite entre comprador e vendedor

    essa figura se chama corretor

    até os indios não-contatados da amazônia sabem como agem esses seres de penas negras, que não tem onde cair morto, que só trabalham nisso pq não prestaram pra mais nada.

    Se cá não fosse o país da esculhambação corvo seria a segunda população carcerária do país só perdendo pro traficante e as construtoras por cumplicidade no migué, e de quebra meia duzia de colarinho branco responsável por supervisionar isto, a quem agora já sabemos os nomes.

    A venda dum titulo que é de fato o que está em negócio num tramite na-planta seria por natureza assunto de regulamentação e fiscalização pela CVM, outra instituição nossa feita pra inglês ver que ostenta um enorme nariz vermelho.

    Restaria aos politicos ter esse senso de responsabildiade, é meio chato falar isso mas no caso Encol, época do FHC, eles foram pra brasilia com o pires na mão e acabaram presos, fciaram poucos dias na jaula, MAAASSS foi a sinalização clara que o governo deu a todo o mercado: “não contem comigo nessa”

    (Obs: isso não significa recomendação de voto ou que acho ele de todo honesto, muuuiito menos o seu partido, apenas que neste caso específico o fim foi diferente, o mal foi cortado pela raiz, salvo melhor interpretação dos fatos)

    4+
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 8 de junho de 2017 at 18:35

    Lucas

    Alemon Fritz

    IVG-R (“filtros”)
    Mudança nos tipos de financiamento
    A partir de 2015, no entanto, notou-se uma queda acentuada no índice. Descobriu-se que ela ocorreu por conta de um grande influxo de garantias com baixo valor, por um lado e, por outro, por causa da redução no volume de funding disponível para financiamento de imóveis novos e usados.
    O índice é calculado pelas séries das medianas de diversos conjuntos de municípios suavizadas por um filtro de Hodrick–Prescott, para extrair as tendências de longo prazo. Mas esse procedimento exacerbou a distorção nos dados e fez com que toda a curva se deslocasse para baixo, enviesando o índice em detrimento do comportamento geral das operações de financiamento imobiliário.
    “Essas operações tinham valores muito baixos para serem consideradas financiamento imobiliário, e por isso elas não são contabilizadas no novo cálculo”, explica Gilneu.
    Segundo Raoni Ribeiro, coordenador no Departamento de Monitoramento do Sistema Financeiro, se ocorrem mais financiamentos de imóveis mais baratos, a mediana dos preços será menor, mesmo que o preço de cada categoria não tenha se alterado. “O monitoramento da estabilidade financeira acabava impactado, uma vez que, havendo uma deterioração do valor dos imóveis dados em garantia, poderia haver uma deterioração da carteira”. No índice original, a queda do valor das garantias era bem elevada. “Após a correção do índice, foi possível notar um comportamento mais suave, com leve queda em termos nominais do preço a partir de 2014”, detalha.

    Traduzindo:
    #sincericídeo modeon

    “Para nós do Banco Central ficamos numa saia justa, o mercado imob a partir de 2015 ficou uma merda tão grande que não era mais possível esconder através de simples filtros de suavização de séries e outros truques estatísticos fantasiados de matemática. Na pratica o que estava contecendo é só se vendia coisa vagabunda, pequena, apertada, lixo mal construída e longe. Os menos piores estavam encalhando pois o povo estava sem renda pra financiar eles e quem tem grana o especulador já havia abandonado o barco indo pras TDs ou bolsa, ou cambio.

    Na verdade eu como supervisor do BC responsável por monitorar isto devo admitir que isso já havia acontecido anos atrás, quando eram assinados os contratos de compra-venda na planta corrigidos pela inflação, mas só agora com a entrega dos mesmos que percebemos a bomba que tinhamos no colo, não podia deixar o pessoal que financia a campanha poltica do chefe na mão, mas ao mesmo tempo as nossas garantias bancárias evaporando pela derrocada do setor e o povo inundando o reclameaqui que não conseguia arcar com zero qualquer coisa da TR, gerando inadimplencia, uma verdadeira bola de neve no setor a nos engolir

    Essa bola de neve per si gerou um efeito espiral de afugentar ainda mais o que sobrou de sardinha no mercado gerando uma espiral de queda violenta nas medianas que na verdade sempre foram abaixo da média pelo efeito de ser mais fácil enganar as camadas mais baixas da pop do que as mais altas, como conhecemos nossa sociedade há um abismo social, cognitivo, educancional inclusive de educação financeira. A mediana que mostra exatamente essa diferença elas se exarcebaram demais ficando muito na cara o profundo caos economico em que nós mesmos haviamos nos metido, deixando transparecer claramente que não faz o menor sentido imóveis inflacionarem 4x acima do resto da inflação, ainda mais num país pobre com população que ainda tem dificuldade de comprar comida.

    O Rei estava nu, e para esconder minha incompetência em prever a bosta não tive outra alternativa, ou me demitia e me enfiava embaixo da cama chorando copiosamente em posição fetal por prevaricar de minhas responsabilidades na qual fui concursado para tal e até tirei mestrado na UnB entre um cigaRINHO e outro no predio do minhocão ali do lado, OU vestia a máscara do cinismo e dobrava a meta, enfiando mais truques matemágicos e uma boa poesia dessas bem enroladas pra que se alguém for discutir comigo eu fique perspegando em algum detalhe inútil pra fazer fumaça usar aquele bando de nefastos dispostos a qualquer coisa pra subir de seus carguinhos medíocres de bancário e coleira de crachá porque estamos num país tão escrto que até pra entrar no prédio tem que ter uma mula fazendo o cara-crachá, e assim novamente nessa nuvem de fumaça se deus quiser vou cosneguir deixar passar desapercebido o principal: Que a GOME chegou e aqueles malditos bolhistas malucos daquele site obscuro estavam certos o tempo inteiro”

    conto com a compreensão de vcs pelo meu malcaratismo e incompetencia entendam que tbm tenho familia e fui jogado a isso pelo sistema triturador de gente, espero que não me transformem no bode expiatório da vez. Ou ao menos que eu consiga enganar a mim próprio manter o sorriso na cara como se nada tivesse acontecido e tentar dormir sem o uso de tarjas pretas
    atenciosamente
    Gilzetinho para os íntimos

    merce repetir não merece?

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 18:39

      clap, clap, clap !!!
      Quem aplicou esse filtro de sinceridade!?
      kkkk

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 8 de junho de 2017 at 18:43

        te perguntei lá em cima
        vc porum caso 1 dia procurou saber o significado de torre nas mitologias?

        0
        • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 18:45

          confesso que não
          dá uma luz aí

          0
        • Lucas 8 de junho de 2017 at 18:52

          é bem legal
          nas tantas mitologias que existem a torre é tida como um dos senão o arquétipo mais forte de todos, mais que a morte ou o louco, ou o guerreiro
          pense na torre de babel, ou na torre de londres

          existem diversas interpretações que meio que se convergem
          segue uma que copiei agora, se vc googar vc pode achar masi coisas

          “A Torre retrata a imagem do colapso dos velhos métodos, a derrocada das fachadas sociais que construímos para esconder nossos lados sombrios.
          No sentido divinatório, a carta A Torre significa que as aparências, e tudo aquilo que as mantém, estão prestes a cair. Pode ser uma carta muito positiva, se estivermos dispostos a romper com essas estruturas irreais, ou muito angustiante, caso não percebamos essa necessidade” (tarot)

          4+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Lucas 8 de junho de 2017 at 19:16

          obs: não recomendo acreditar em mitologias
          não vai me fazer quenem o menino-do-acre hein??
          que alias continua sumido
          é mera diversão! igual qualquer ficção cientifica

          4+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 19:19

            de boa!
            Suave na nave !!!
            😉

            0
          • na_cloaca_do_fernando 9 de junho de 2017 at 08:20

            Ah bom! Porque esse negócio de ver o futuro num carteado é charlatanismo mesmo!

            0
    • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 18:45

      PERFECT, YOU WIN!

      1+
  • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 18:41

    Só lembrando galera
    a bolha americana já tinha estourado e eles conseguiram enrolar por 24 meses
    setembro de 2006 a setembro de 2008
    contaminando todo o setor financeiro …..

    aqui não será com as mesmas características… mas o cinismo é o mesmo

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 18:53

    César , você comentou que o tijolo em segunda praça… caso seja vendido extingue a dívida do mutuário……
    e quando o mesmo tijolo não vende nem em primeira praça e nem em segunda praça …. e vai para mais uma tentativa única nos leilões eletrônicos…. como fica!?
    Grato.

    2+
    • avatar
    • Antigo 8 de junho de 2017 at 19:09

      A lei devia especificar esse caso da enésima praça mesmo kkk

      Art. 666. Em caso de o leilão atingir a nonagentésima decepcionésima ® (CA) praça, fica extinta a dívida do mutuário por prescrição.
      Parágrafo único. Se mesmo assim o imóvel não for vendido, fica autorizada a venda do imóvel nas modalidades Bingo, Rifa ou Raspadinha.

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 19:12

        hehehehe
        mas já tem gente fazendo financiamento com a ideia de não pagar e ficar dentro do imóvel sem pagar nada…..
        sério…. eu li no Youtube em um vídeo sobra “comprar ou alugar” ….

        4+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 19:15

          a 666 comentou mais ou menos assim:
          “Nesses tempos de crise é mais importante ainda não jogar dinheiro fora com aluguel. Basta financiar… não pagar as parcelas e ficar dentro do imóvel até ele ser leiloado… mesmo leiloando você pode ir ficando…. “

          9+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • odorico 8 de junho de 2017 at 19:32

            Tem grupo até sobre invasão no youtube…..

            8+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
    • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 19:13

      From_The_Tower
      A partir da segunda praça o problema não é mais do devedor, mas sim do banco
      O banco precisará se livrar do imóvel em menos de 1 ano, por conta do Acordo da Basileia

      Art. 27. Uma vez consolidada a propriedade em seu nome, o fiduciário, no prazo de trinta dias, contados da data do registro de que trata o § 7º do artigo anterior, promoverá público leilão para a alienação do imóvel.

      § 1º Se, no primeiro público leilão, o maior lance oferecido for inferior ao valor do imóvel, estipulado na forma do inciso VI do art. 24, será realizado o segundo leilão, nos quinze dias seguintes.

      § 2º No segundo leilão, será aceito o maior lance oferecido, desde que igual ou superior ao valor da dívida, das despesas, dos prêmios de seguro, dos encargos legais, inclusive tributos, e das contribuições condominiais.

      § 3º Para os fins do disposto neste artigo, entende-se por:

      I – dívida: o saldo devedor da operação de alienação fiduciária, na data do leilão, nele incluídos os juros convencionais, as penalidades e os demais encargos contratuais;

      II – despesas: a soma das importâncias correspondentes aos encargos e custas de intimação e as necessárias à realização do público leilão, nestas compreendidas as relativas aos anúncios e à comissão do leiloeiro.

      § 4º Nos cinco dias que se seguirem à venda do imóvel no leilão, o credor entregará ao devedor a importância que sobejar, considerando-se nela compreendido o valor da indenização de benfeitorias, depois de deduzidos os valores da dívida e das despesas e encargos de que tratam os §§ 2º e 3º, fato esse que importará em recíproca quitação, não se aplicando o disposto na parte final do art. 516 do Código Civil.

      § 5º Se, no segundo leilão, o maior lance oferecido não for igual ou superior ao valor referido no § 2º, considerar-se-á extinta a dívida e exonerado o credor da obrigação de que trata o § 4º.

      § 6º Na hipótese de que trata o parágrafo anterior, o credor, no prazo de cinco dias a contar da data do segundo leilão, dará ao devedor quitação da dívida, mediante termo próprio.

      http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9514.htm

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 19:16

        Muito obrigado.

        3+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Lucas 8 de junho de 2017 at 19:18

        Cesar, e os custos do imovel após a 2 praça são todos do banco???
        contas de consumo, iptu, condominio???
        como é que fica?

        3+
        • avatar
        • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 20:31

          Lucas, pelo que sei o banco passa a ser o PROPRIETÁRIO do imóvel.

          5+
          • avatar
          • avatar
    • Lucas 8 de junho de 2017 at 19:14

      kkkkk, boa

      vamos analisar como será o caos
      suponha o imovel vai a leilão em enésisams praças e nada de vender.
      a esta altura o cara já parou de pagar condominio faz muuuito tempo
      ai o proprio condominio vai pedir o leilão, contra o dono que é o banco, ou quem sabe sequestrar os bens do banco, pode arnaldo?
      o banco por sua vez vendo a conta aumentar, vai jogar no colo de alguma abutre para se proteger da carcada.

      imagina uma briga de foice no escuro…
      sai da minha capacidade de abstração imaginar toda a zorra que ainda está por vir.

      Será que ainda dá tempo de fazer direito e tirar meu OAB???
      vcs sabem, eu adoro uma treta!!!
      não quero perder essa por nada

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 19:19

        estava pensando nisso esses dias
        não se esqueça que pode vir execução fiscal da prefeitura tb…por conta dos atrasos no IPTU
        aí a matrícula do imóvel fica um festival :
        AV.1. Alienação Fiduciária
        AV.2 Execução Fiscal
        AV.3 Ação Cível Pública
        Av.4 Arresto
        kkk

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Antigo 8 de junho de 2017 at 19:37

          KKK

          Na prática essas ações da prefeitura eu nunca vi. Geralmente é mais comum a do banco e em segundo lugar a do condomínio.

          6+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 19:47

            Aí vão para leilões judiciais…..
            é um festival de averbação
            kkk

            9+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Alemon Fritz 8 de junho de 2017 at 21:55

              lembrem que
              vem aí as LIGS ” as garantidas”… com a queda dos juros e poupança “retomando”, elas vão aparecer logo logo… “garantidas” pela avaliação e pela poupança do banco emissor, os fundos de previdência vão pular nelas…
              “eu agarantio”

              5+
              • avatar
              • avatar
        • Margarida 8 de junho de 2017 at 21:40

          Esses dias eu vi um assim no leilão. Fiquei confusa porque na matrícula tinha o processo da prefeitura pelo IPTU e o do condomínio. Não entendi nada! Isso é rolo pra advogado, sem dúvida. E o preço lá na estratosfera, claro, porque os peritos do judiciário usam valores anunciados pra fazer os laudos.

          Eu vivo lendo matrículas de imóveis em leilões. Se achar outra assim, colo aqui.

          4+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • Lucas 8 de junho de 2017 at 19:22

        cacete, melhor tacar fogo logo que sai mais barato
        prevejo carrinhso de papel invandindo os foruns (aliás torres)

        6+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 19:13
    • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 19:19

      “retração de 16,5% em relação ao mesmo mês do ano anterior. ”

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 8 de junho de 2017 at 19:26

        ultimos 12 meses (2017) = 55,5
        queda de 22% frente ao auge 2014

        3+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Antigo 8 de junho de 2017 at 19:50

          Em 2016 certamente caiu ainda mais.
          A tendência é o cimento ser vendido só para reformas nos próximos anos.

          5+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Lucas 8 de junho de 2017 at 19:58

            isso sempre vi masi como palhaçada do amorinha
            o grande consumidor de cimento é obra publica, uma hidrelétirca média consome mais cimento que toda uma pdg da vida
            tivemos tbm os estadios da copa, as obras todas e infraestrutura, depois do 7×1 pouca coisa deu continuidade
            outro consumidor importante é o formiga da auto cosntrução

            9+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
          • Carlos 9 de junho de 2017 at 04:32

            Cimento tem data de validade. Como é bom estar líquido 😉

            0
  • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 19:24

    Querem ver alguém que se complicou com o crédito!?
    https://www.zukerman.com.br/apartamento-bigorrilho-curitiba-pr-10860-109004
    leiam a matrícula

    2+
    • avatar
    • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 20:13

      Mes / Ano / Valor > Corrigido IGPM
      Fevereiro/ 1997 = 171K > R$ 811.025,74
      Novembro/1999 = 210K > R$ 802.240,99
      Outubro/2004 = 304K > R$ 611.342,48
      Julho/2016 = 900K > R$ 898.969,41
      Março/2017 = 1.350K (laudo de avaliação)

      4+
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 20:15

        Olha aí o Bradescão desvalorizando os próprios tijolos
        kkkkk

        5+
        • avatar
        • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 20:15

          me enganei….
          o do Bradesco é o abaixo
          esse banco da americana é o Adbank

          2+
    • Margarida 8 de junho de 2017 at 21:48

      Tenho visto vários desses em Sâo Paulo. Imóveis de alto valor tem muitos com matrícula assim. Perdidos pro banco porque não conseguiram pagar a dívida, ou “vendidos” pro banco por um valor que ninguém no mercado quis pagar?

      3+
    • rafa_fv 9 de junho de 2017 at 09:45

      From li a matrícula e fiquei com uma pulga atrás da orelha, será que ela se complicou com o crédito ou como não vendia para os 666 ‘vendeu’ para o banco por 900k?
      ‘vendeu’=pegou o crédito sem intenção de pagar

      2+
      • avatar
      • rafa_fv 9 de junho de 2017 at 09:50

        o valor que ela pagou em 10/2004 (R$ 280.000,00) corrigido para data atual(05/2017) pelo IGP-M da R$ 563.078,60. Eu achei a operação muito estranha.

        1+
  • From_The_Tower 8 de junho de 2017 at 20:00

    Mestre dos Magos e César
    imóvel em BC … em que a propriedade foi consolidada em 2015
    https://www.freitasleiloesonline.com.br/homesite/lotesdetalhes.asp?codleilao=2396&lote=020
    preço de 2017 465k
    preço do leilão em 2015: 1,211k

    É Çofti !!!
    https://www.freitasleiloesonline.com.br/homesite/lotesdetalhes.asp?codleilao=1356&lote=11 (2015)

    3+
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 20:19

      Já tínhamos visto àlgumas semanas atras que o Bradesco havia “chutado o pau da barraca” dos leilões, cansou de tantos leilões sem qualquer lance

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 20:28

      458K em abril de 2013, corrigindo pelo IGPM seria hoje R$ 574.751,77
      1.211K por 132m2 em dá 9,1K/m2, um valor alto mesmo para o BC
      Desconfio que o engenheiro que faz este laudo de avaliação esteja sobrevalorizando os imóveis em mais de 100%

      https://www.freitasleiloesonline.com.br/LEILOES/2396/MATRICULA/020/Matricula_020.pdf

      5+
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 8 de junho de 2017 at 21:05

    Uma vez vi um demonstrativo financeiro da PDG e pelo que me lembro, se recebesse hoje tudo o que tem no contas a receber, se vendesse todo o land Bank e todos os imóveis prontos, quando fosse abater no seu contas a pagar, ficaria ainda 2 bilhões negativos.
    De onde sairia o dinheiro para concluir as construções iniciadas?
    Como pagar um empréstimo com ebitda negativo?

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • thiago fm 8 de junho de 2017 at 21:28

    rafa_fv

    Lá em cima ele disse que você estava errado e solicitou suas fontes. Você colocou na sequencia e ele não mostrou em que ponto você estava errado.

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar

    César

    Eu sinceramente não sei onde pode ter ocorrido a discrepância no tratamento dos dados, mas vou demonstrar o cálculo com as variações mês a mês e você compara com o teu para depois tirarmos de vez essa “teima”. Pode ser que a exportação dos dados no link do ZAP que você indicou esteja carregando a variação nominal incorreta:

    Como já disse a Fipe disponibiliza a planilha em Excel consolidada com todos os dados de variação, número índice, taxa de retorno e variação em 12 meses dos imóveis para venda e locação por dormitório no link abaixo desde 2008 a partir do link abaixo:

    http://www.fipe.org.br/pt-br/indices/fipezap/#indice-mensal

    Você tanto pode usar a aba com o número índice de venda, quanto calcular manualmente como fiz na figura abaixo através da aba das variações mensais.

    Faça o download e compare com os dados que você extraiu. Se cometi algum erro me corrijam, mas acho que 45% é um desvio muito grande.

    0
    • Libertario 8 de junho de 2017 at 22:41

      Deu bug no sistema!!!
      Como pode a curva dos preços anunciados ser o DOBRO da queda mensurada pelo Índice ZAP?
      Suspeito que o furo esteja no índice oficial.
      mas só acho…….

      5+
      • avatar
    • Cesar_DF 9 de junho de 2017 at 07:23

      Thiago fm
      Vamos lá
      Baixei o CSV referente venda de apartamento 2 quartos no hell de janeiro

      Mantive a planilha com todas as colunas e acrescentei fórmulas nas colunas I e J
      Nas colunas temos:
      C = valor ZAP
      D = variação percentual acumulada ZAP
      E = variação percentual mensal ZAP
      F = valor IGPM
      G = variação percentuall acumulada IGPM
      H = variação mensal IGPM
      I = fórmula (G-D) com a diferença entre o percentual acumulado do ZAP menos o IGPM
      J = fórmula de (I-215,84) para estabelecer o zero no pico alcançado em fevereiro de 2015
      Ocultei as linhas de 6 a 86 para facilitar a visualização aqui

      Vemos então que desde janeiro de 2008 até maio de 2017 ocorreu um aumento de 243,30% no ZAP e apenas 72,28% no IGPM
      Desinflacionando pelo IGPM vemos que em maio de 2017 os imóveis tiveram um aumento real de 171,02%
      Porém, o pico foi alcançado em fevereiro de 2015, e dai criei a coluna J para zerar a diferença e contar a partir deste mês
      Podemos ver que neste período ocorreu uma queda de 44,82%, sendo que a queda máxima foi em março de 2017, por conta de dois meses consecutivos com IGP-M negativo.
      Errei em algo?

      6+
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 9 de junho de 2017 at 07:41

        Ops, errei no texto mas não na fórmula, a coluna I -e de E menos G (percentual acumuado FIPEZAP menos IGP-M)

        0
        • rafa_fv 9 de junho de 2017 at 11:22

          Cesar não tem erro algum, está no site do FipeZap para qualquer um dos 30 que participam deste blog conferir:
          Fipezap queda de 21,39 (-21,39)
          IGP-M subida de 23,4% (+23,4)
          diferença (fipezap deflacionado/IGP-M)=44,79%

          1+
        • rafa_fv 9 de junho de 2017 at 11:25

          obs.: A diferença de 0,03% entre o seu valor e o meu é por que fui preguiçoso e usei os dados direto do gráfico, dai deu diferença por arredondamento.

          1+
  • jodorowsky 8 de junho de 2017 at 21:50

    CVR off desabafo – bairro da zona sul do rio virou um grande mercado a céu aberto. Tem de tudo, frutas, verduras, utilidades domésticas, torneiras novas, usados, discos, tudo. A calçada quase não tem mais espaço. Não sei onde para isso.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 8 de junho de 2017 at 22:16

      Catete era assim e eu gostava kkkk
      Comprava até livro velho nos sebos das banquinhas
      Espalhou pela cidade toda, foi?

      Crise aumenta muito a informalidade e o ‘microempreendedor livre’

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • jodorowsky 9 de junho de 2017 at 00:22

        Espalhou na Glória, a Lapa juntou com a Glória e etc. A Glória sempre teve venda de verdura, mas agora vende de tudo.

        1+
        • avatar
    • Carlos 8 de junho de 2017 at 23:30

      Quanto disto é roubado 😀

      4+
      • avatar
      • jodorowsky 9 de junho de 2017 at 00:23

        Vai arrumar o que fazer…

        3+
        • avatar
        • Carlos 9 de junho de 2017 at 02:33

          Não entendí a sua revolta jovem.
          Qual é a procedência destes produtos? Esta é a minha dúvida.

          1+
          • Antigo 9 de junho de 2017 at 06:57

            Os produtos roubados geralmente são vendidos na Uruguaiana, Carlos. Ficam pessoas em pé muitas vezes com o produto na mão oferecendo para quem passa. Pelo menos era assim há alguns anos, soube que teve umas batidas policiais e não sei se resolveu.

            O comércio de bairro é mais de vendedor ambulante mesmo. Alguns estão lá há anos. A procedência acredito que seja ou o Ceasa/Rj para a as frutas ou a China para as bugigangas.

            3+
            • avatar
            • Carlos 9 de junho de 2017 at 07:16

              Existia um esquema de venda “alternativa” nos trens da grande SP, nego vendendo chocolate e outros produtos por preços realmente muito bons, tudo originado de carga roubada ou desviada obviamente. Nem sei se existe ainda pois faz muito tempo que não anda nestes locais, e não sinto nenhuma saudade 😀
              Creio que vai ter muita gente que não é “ambulante profissional” tentando vender coisas próprias ou que recolheu ou negociou ou oferecendo serviços que haviam desaparecido de alguns lugares como afiar facas, colocar cabos em e desamassar panelas, etc. Me lembro muito bem do tempo de moleque daqueles lateiros que vendiam canecas feitas de latas de conservas e bebidas que eram de folha de flandres antigamente.
              Cada um se vira ou tenta como pode.

              1+
              • avatar
              • rafa_fv 9 de junho de 2017 at 11:39

                Sim, ainda existe e para piorar agora não é somente nos trens, a prática também foi ampliada para o metrô.

                1+
                • avatar
  • Chapolin 8 de junho de 2017 at 22:02

    CVR 1

    Um breve relato para comprovar que “alugar é jogar dinheiro fora”. Em 2013 aluguei meu atual apartamento. Na mesma época encontrei com um conhecido na rua que havia realizado o “sonho da casa própria” e estava morando há poucas quadras de mim em apt aproximadamente do tamanho do meu.

    Quatro anos depois….

    Meu custo de moradia (aluguel + taxas) aumentou “absurdos” 8%, enquanto a inflação acumulada neste período deve estar em torno de 30%. O meu aumento de 8% é pelo aumento do condomínio, pois o aluguel que pago hoje fez foi diminuir depois que ameacei sair um ano e meio atrás e está mais barato do que quando entrei no apartamento.

    Ou seja, o impacto da moradia na minhas despesas reduziu ao longo do tempo enquanto meu dinheiro rendia no banco. Já meu conhecido que colocou seu dinheiro em tijolos….

    CVR 2

    Colega de trabalho me viu olhando apartamentos e perguntou se eu iria me mudar. Expliquei que não, estava olhando apartamentos porque a proprietária, depois de um ano e meio que baixou o aluguel, disse que ia reajustá-lo e eu já estava procurando outro, mas ao final ela pediu somente 40 e poucos reais de aumento, e eu deixei para lá. Ele então me contou que um apartamento que ele tem está vazio faz um ano. Não consegue alugar, nem baixando, vender também não dá. Está sangrando com o condomínio e IPTU, e não tem o que fazer. Eu sugeri que buscasse alugar para alguém que pagasse pelo menos o condomínio.

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 8 de junho de 2017 at 22:22

      Pior que em geral, se colocar o aluguel bem baratinho ainda consegue alugar… Ainda não está precisando zerar.

      O problema é que o propriotário raramente aceita negociar o valor, tem um limite que ele considera ‘justo’ e jamais vai abaixo disso.
      Aí fica sangrando com condomínio e IPTU mesmo…

      4+
      • avatar
  • Carlos 8 de junho de 2017 at 23:29

    OFF – Comunazinhos, soças e afins.

    Costumava brincar com meus “amigos” que defendiam a ditadura dos Castro dizendo que Cuba tinha erradicado a obesidade.
    Agora a Venezuela tb.

    Venezuelans lose average of 19lb in weight due to nationwide food shortages, study suggests
    http://www.independent.co.uk/news/world/americas/venezuela-weight-loss-average-19lb-pounds-food-shortages-economic-crisis-a7595081.html

    5+
    • avatar
  • CA 9 de junho de 2017 at 06:05

    Vejamos o que o MaurícioSP colocou acima:

    “MauricioSP 8 de junho de 2017 at 16:54
    Não, já discuti com o CA sobre isso, não acredito em vendas falsas no sentido de que houve fraude. Muita gente comprou imóvel na planta, mas para isso eles tinham renda e $$$ para pagar a comissão dos corvos, fantasiada de “entrada” e as parcelinhas. Anos depois alguns descobriram que não tinham condições de financiamento, pois o balcão da construtora é diferente do balcão do banco. Ou seja as construtoras que não analisaram bem a renda dos compradores foram irresponsáveis diante dos acionistas. Mas quando comprei meu apto na planta a construtora perguntou e pediu comprovante de renda, então não posso generalizar.

    Uma outra boa parte comprou de boa fé, mas tiveram a renda afetada pelo desemprego ou outros fatores, e acabaram por distratar também. Na verdade o problema do mercado imobiliário é que ele é intencionalmente opaco, para que as construtoras e bancos lucrem mais. Temos algumas informações a partir das construtoras com capital aberto mas os relatórios que elas publicam não tem respostas para questões como: “dos imóveis vendidos na planta em 2012 e entregues em 2015/2016, quantos foram distratados e quantos foram quitados?”. Sem a resposta para esta pergunta fica difícil afirmar a existência de uma fraude ou não.”

    Será que é verdade o que ele diz e este assunto já não foi provado antes para ele? Vejamos nos próximos comentários…

    3+
    • avatar
    • CA 9 de junho de 2017 at 06:10

      Trecho do que já DEMONSTREI para MaurícioSP:

      CA 9 de maio de 2017 at 19:21
      MauricioSP,

      Ah, quer dizer que por ser auditado os relatórios oficiais da PDG são confiáveis? Ótimo, então aí vai um dado da própria PDG no relatório trimestral do 4T12, referente ao total do ano de 2012:

      “Do total de 9.992 distratos, 67% ocorreu por Desenquadramento de
      Renda, 16% por pertencer a Projetos Denunciados e 17% por razões
      variadas;”

      Segue o link para que você possa conferir. Selecione o ano de 2012 e depois Resultados 4T12 & 2012. Em seguida, ao baixar o arquivo, você encontrará a informação acima que está na página 15:

      http://ri.pdg.com.br/conteudo_pt.asp?idioma=0&conta=28&tipo=32525&id=0&submenu=0&img=0&ano=2012

      Sobre o texto acima, extraído do relatório OFICIAL da PDG, que segundo você é confiável, você sabe o significado de “Desenquadramento de Renda”? Desenquadramento de renda significa que as pessoas não tinham renda suficiente para adquirir o crédito imobiliário. Estamos observando que 67% dos 9.992 distratos, ou 6.694 cancelamentos de vendas ocorreram pelo motivo das famílias não terem renda suficiente para adquirir os imóveis que “compraram” na planta.

      O mais importante é entendermos que o volume de cancelamentos é absolutamente ANORMAL já desde 2011, o que você também pode comprovar na página 7 do link acima.

      Se você tem um volume de cancelamentos ABSURDO, que NUNCA existiu para o segmento imobiliário, embora as vendas na PLANTA existam HÁ DÉCADAS, isto ainda não foi o suficiente para você entender? Não foi o suficiente saber que uma situação tão absurda quanto esta nunca existiu para nenhum segmento de negócio, em nenhum lugar do Mundo? Quem disse que não acreditava nas vendas FALSAS na planta foi você, é você quem deveria demonstrar que estas situações eram normais, o ônus da prova é seu, afinal ao longo de ANOS apresentei uma INFINIDADE de evidências nos mais diversos formatos, inclusive depoimentos de quem comprou na planta com a PDG e não tinha renda, tendo que cancelar.

      Quer então que eu lhe apresente as pessoas da PDG que “compraram” na planta sem ter renda, que foi SEMPRE a definição que utilizei quanto a vendas FALSAS na planta? Veja alguns casos abaixo, acesse os links e pegue os nomes de contatos para você ligar para eles:

      OBS: sabe porque são vendas FALSAS? Porque desde o primeiro momento tanto o corretor, quanto a imobiliária, quanto a construtora sabiam que aquela venda não iria se concretizar, por isto que eles ENGANARAM o cliente. Eles só queriam SIMULAR uma venda de MENTIRA, uma venda FALSA, para fazer parecer que as vendas estavam crescendo, no caso dos corretores e imobiliárias, para ganhar a comissão sem ter que devolver.

      Link: https://www.reclameaqui.com.br/j-PaKRb3FJum_3FA/pdg-incorporacoes/devolucao-de-valores-pagos/

      Trecho do link acima:

      “DEVOLUÇÃO DE VALORES PAGOS
      PDG Incorporações

      São Paulo – SP ID: 22932339 16/12/16 às 11h33
      denunciar
      ADQUIRIMOS UM IMÓVEL NA PLANTA, PORÉM DEVIDO A NOSSA RENDA(EU E MINHA NOIVA) NÃO CONSEGUIMOS FINANCIAR O IMÓVEL JUNTO A INSTITUIÇAO FINANCEIRA. TENDO EM VISTA QUE DEVERIAMOS TER UMA RENDA SUPERIOR A r$10.000,00 (DEZ MIL) REAIS, O QUE NÃO É INFORMADO NA HORA DA COMPRA.”

      Link: https://www.reclameaqui.com.br/Q5kCHyWMlCG8DYmd/pdg-incorporacoes/sonho-acabado/

      Trecho do link acima:

      “Bom Dia Drª., conforme na data de ontem informei, que após inúmeras tentativas de linhas de créditos em vários Bancos e não termos obtido o sucesso de conseguir devido ao comprometimento da Renda segundo os bancários após analise,, ”

      Link: https://www.reclameaqui.com.br/UctAjRZRVhM9MWq4/pdg-incorporacoes/decaso-lamentavel-no-processo-de-financiamento-de-apto-pela-pdg/

      Trecho do link acima:

      “Moral da História não fui aprovado pela Caixa, nem pelo HSBC, banco construtor da obra e os valores do valor do imóvel estão sofrendo juros absurdos e a PDG não está nem aí.”

      https://www.reclameaqui.com.br/ixoDLIcsYbygC_CT/pdg-incorporacoes/distrato-na-compra-de-um-apartamento/

      Trecho do link acima:

      “…comprei um apartamento com a incorporadora PDG no ato da compra foi feito uma avalia de rendimento foi aprovado pelo banco santander quando o apartamento estava pronto foi pedido os documentos para financiamento fui informado que a renda não daria para aprovação”

      https://www.reclameaqui.com.br/17193202/pdg-incorporacoes/quero-que-a-pdg-devolva-meu-dinheiro/

      Trecho do link acima:

      “Fui informada que tinha dado certo! Assinei o contrato, NÃO SEM ANTES VOLTAR A PERGUNTAR QUE ACONTECERIA CASO O FINANCIAMENTO NÃO FOSSE APROVADO: MAIS UMA VEZ, ELA, REPRESENTANTE DA EMPRESA, FALOU QUE NÃO HAVIA PROBLEMA, QUE A CONSTRUTORA DEVOLVERIA TODO MEU DINHEIRO SE O FINANCIAMENTO NÃO FOSSE APROVADO, mas que eu não precisava me preocupar, pois já tinha a pre-aprovação. Daí em diante todos foram problemas. A CAIXA, banco com o qual o pessoal da PDG tinha feito a pre-aprovação por escolha sua!, decidiu não financiar mais imóveis do empreendimento. Ai, o pessoal da PDG me fez apresentar todo de novo para tentar um financiamento com o ITAU. NÃO DEU CERTO, E NUNCA ME DIZERAM PORQUÊ!.ME FIZERAM FAZER MAIS OUTRA TENTATIVA COM O ITAU: APRESENTEI TODO DE NOVO e recebi outra negativa!. Sugeriram que procurasse o Bradesco, BB, ou BRB. Pediram que eu tentasse fazendo um decore e levando nesses bancos. NENHUM DOS 3 ACEITOU… Ai, decidiram que eu tinha que tentar no SANTADER. Mais uma vez levei toda a documentação, passei por todo o processo, para RECEBER OUTRA NEGATIVA SEM MOTIVO! Ai foi quando eu cansei, e pedi o distrato. ”

      Link: https://www.reclameaqui.com.br/11846898/pdg-incorporacoes/distrato-de-unidade/

      Trecho do link acima:

      “Eis que em Outubro do ano passado, já havíamos pago mais de R$ 30.000,00 e estávamos devendo mais de R$ 300.000,00 ainda e reparamos que não teríamos a renda para financiar e não seria possível continuar realizando os pagamentos.”

      https://www.reclameaqui.com.br/11710924/pdg-incorporacoes/distrato—desrespeito-com-o-cliente/

      Trecho do link acima:

      “Em Junho/2011, adquirimos um apto na planta, em Curitiba (Res Linha Verde), mas resolvemos, em abril/2014, efetuar o distrato por nossa renda ser insuficiente para o financiamento do saldo devedor.”

      20+

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 9 de junho de 2017 at 06:12

        CA 9 de maio de 2017 at 21:46
        MauricioSP,

        Sobre as construtoras, expliquei em detalhes no tópico anterior: Enrique Banuelos, pai da bolha imobiliária espanhola, entrou na PDG em 2007, no ano seguinte, lançamentos e vendas FALSAS na planta dispararam, junto com os preços das Ações, em 2011 Banuelos vendeu suas Ações com lucro bilionário graças a isto, DEPOIS que a PDG tinha se tornado a major empresa do setor nas Américas (sim, incluindo os EUA) e ANTES da PDG anunciar seu primeiro vume de distratos ANORMAIS e acima de R$ 1 BILHÃO. Análogo a isto aconteceu com a Gafisa. Com a entrada em 2005 de Sam Zell, mega investidor na bolha americana, que saiu em 2010 com lucro bilionário graças a, um crescimento anormal das vendas e 1 ano antes da Gafisa anunciar distratos também ANORMAIS.

        Várias outras construtoras foram tendo resultados similares. Quem ganhou foram as pessoas por trás dos golpes que usaram as empresas, como foi na bolha americana, nas pirâmides financeiras, com a Encol, etc.

        Quanto a auditorias, rebaixaram o rating de construtoras várias vezes em função dos distratos ANORMAIS, mas elas nunca se incomodaram com isto, pois a simulação de demanda aquecida atraia investidores, o preço do imóvel e das Ações subia…

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 9 de junho de 2017 at 06:39

          Vou aproveitar para complementar as demonstrações das anomalias:

          No link abaixo, temos que do ano de 2011 até 2014, de 50% até 100% do crescimento dos lançamentos em 2007 se transformaram em DISTRATOS, para 3 construtoras com Ações na BOVESPA:

          http://defendaseudinheiro.com.br/wp-content/uploads/2014/10/Post-31-imagem-3.png

          http://defendaseudinheiro.com.br/wp-content/uploads/2014/10/Post-31-imagem-7.png

          http://defendaseudinheiro.com.br/wp-content/uploads/2014/10/Post-31-imagem-8.png

          Compilando as informações deste comentário e dos anteriores:

          Embora eu tenha DEMOMSTRADO com reclamações de compradores na planta que foram ENGANADOS por corretores que não fizeram a simulação do financiamento, qie não mencionaram o INCC, que disseram ter simulado com banco e mentiram, etc, MaurícioSP não acreditou…

          Embora tenhamos as histórias de Enrique Bañuelos e Sam Zell, pais das bolhas espanhola e americana que atuaram em PDG e Gafisa exatamente quando elas inflaram para depois explodirem em distratos, com eles tendo saído com lucro bilionário logo antes da explosão , ele não acreditou…

          Embora eu tenha colocado link do trabalho acima para MaurícioSP ver com os próprios olhos a anomalia do percentual de distratos em relação ao aumento de lançamentos, ee não acreditou….

          Embora eu tenha explicado para MaurícioSP “N” vezes que tudo que consta acima NUNCA aconteceu para NENHUM segmento de negócio em nemhum lugar do Mundo, apesar da venda na planta já existir ha décadas no Brasil, ele não acreditou…

          O mais engraçado: apresentei as evidências VÁRIAS e VÁRIAS vezes ao longo de anos por aqui e o MaurícioSP diz frequentar o blog desde 2011, sendo que depois ele disse que nem sabia o que eu queria dizer com vendas FALSAS na planta… Ao mesmo tempo, pedi a ele VÁRIAS e VÁRIAS vezes que ele demonstrasse que o que consta acima não é válido, que ele demonstrasse que as construtoras acima não agiram de ma-de e que foi só uma enorme coincidência este grande conjunto de fatores, mas apesar dele NUNCA ter demonstrado NADA, continua questionando. Interessante este comportamento não é mesmo?

          MaurícioSP, se é mesmo normal e foi só um descuido das construtoras, como você explica a participação e lucro bilionário com timing perfeito dos pais da bolha imobiliária? Como explica percentuais de cancelamento que nunca antes aconteceram no Brasil ou em qualquer lugar do Mundo para qualquer segmento de negócio? Como explica as declarações de quem comprou na planta e foi enganado?

          8+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • CA 9 de junho de 2017 at 06:43

            Ops, nao foram só 3 construtoras que tiveram os percentuais anormais de distratos em relação a lançamentos de 2011 a 2014 usados como EXEMPLOS logo acima, foram 6…

            5+
            • avatar
            • avatar
            • Cesar_DF 9 de junho de 2017 at 07:37

              CA
              Acho que é só um problema de semântica
              Alguns estão considerando que numa “VENDA FALSA” a construtora nunca vendeu de fato o apartamento, apenas simulou um contrato de venda na planta.
              Você considera que “VENDA FALSA” é quando vendeu-se para pessoas que não teriam condições de pagar, porque:
              – Fizeram composição de renda com parentes
              – Não explicaram sobre a TR
              – Não explicaram sobre o INCC
              – Não explicaram que, mesmo que atrase a obra, numa rescisão do contrato o dinheiro do “corretor” nunca seria devolvido
              – Dizem que são “as últimas unidades” e que “imóvel sempre valoriza”
              – Se a esposa está junto, enfatizam na questão da segurança de morar no que é seu
              – Não demonstram quanto irá custar no final das contas, juntando o principal com os juros

              7+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • Margarida 9 de junho de 2017 at 08:17

                Eu sempre entendi que uma e outra coisa estavam juntas. Contabilizaram esses contratos como vendas pra levantar dinheiro e sabiam que na hora da venda propriamente dita o negócio não ia se concretizar.

                O MaurícioSP, pelo que eu entendi, concorda que faziam isso, mas não concorda com o CA quando ele diz que agiram com má fé.

                2+
                • avatar
                • Cesar_DF 9 de junho de 2017 at 08:46

                  Margarida
                  Eu acho que foi de má fé sim
                  Mesmo quando a renda familiar nem chegava perto do mínimo necessário para o financiamento, diziam que “tinha um conhecido dentro da CEF”.
                  Vendedores, gerentes, diretores, acionistas, todo mundo se beneficiava destes contratos com expectativa de venda futura.
                  A incorporadora fez a distribuição dos lucros no momento da efetivação deste contrato, por toda sua hierarquia comercial, transferindo o problema pra o futuro, para a hora da entrega.
                  Se ocorre uma distribuição solidária entre os diversos cargos comerciais na hora do lucro, o que acontece então na hora do prejuízo ? Fica para a empresa!

                  7+
                  • avatar
                  • avatar
                  • avatar
                  • avatar
                • CA 9 de junho de 2017 at 08:56

                  Margarida,

                  O “probleminha” é que até hoje “não concordam”, mas NUNCA souberam explicar ou responder as várias questões acima. Por exemplo: quem acredita que a participação de Enrique Bañuelos e Sam Zell foram “inocentes” e que eles “deram sorte” por entrarem logo antes das vendas na planta dispararem e saírem com lucro bilionário logo antes de aparecerem os distratos correspondentes? Quem acredita nisto mesmo sabendo que eles eram considerados os pais das bolhas imobiliárias em seus países de origem? Como explicar algo como nossos distratos que a partir de 2011 começaram a aparecer em uma proporção tão elevada que não encontra paralelo na história do Brasil apesar das vendas na planta existirem há décadas por aqui e pior, não encontra paralelo para nenhum segmento de negócio em nenhum lugar do Mundo? Como explicar os depoimentos que existem HÁ ANOS no ReclameAqui sobre compradores na planta que não foram informados sobre INCC, que mentiram dizendo que tinham feito simulação sem terem feito, que não foram informados sobre a renda necessária, ou até mesmo, faixas e anúncios de construtoras que vendiam e vendem imóveis “sem comprovação de renda”?

                  Será que algum dia alguém vai saber explicar o que consta acima, ou só continuar questionando sem ter NENHUM fundamento?

                  8+
                  • avatar
                  • avatar
                  • avatar
                  • avatar
                  • lendo e observando 9 de junho de 2017 at 09:43

                    CA,
                    Esse mauricioSP é um camarada desonesto que se faz de burro (é o tipico desonesto intelectual).
                    A ma-fé dele pode ser vista logo no primeiro comentário, em que ele sugere que venda falsa queria dizer outra coisa, ou que nao tinha entendido o que vc queria dizer, dando uma interpretação diferente a expressão. Ao mesmo tempo dizendo que lê o blog a vários anos.
                    Depois ele vem dizer que algumas pessoas são educadas e outras não. Querendo sugerir que as pessoas não sejam malvadinhas com ele.
                    Eu já chamei ele de burro e crianção logo na primeira resposta ao comentário em que confunde o termo venda-falsa, pq aqui no blog, ainda mais pra quem lê a muito tempo, é preciso que as pessoas conheçam ou façam esforço para compreender os termos e expressões usadas.
                    Mas essas pessoas mimadas querem fingir interpretar errado as coisas e ainda fazem as pessoas que mais contribuem com o blog perder tempo e energia ensinando uma pessoa que lê o blog a anos e ainda nem sabe o que quer dizer a palavra casa.
                    Aproveito pra agradecer pelas suas pesquisas que trazem dados e mais dados e mais dados de várias fontes analisadas e mastigadas para o blog. E tb ao Cesar_DF que ajuda bastante.
                    Abraço

                    5+
                    • avatar
                    • avatar
                    • lendo e observando 9 de junho de 2017 at 10:24

                      Permitam-me fazer um paralelo entre essas confusões de interpretação, que pra mim são ma-fé ou excesso de burrice.
                      Durante uma conversa com um amigo sobre política e economia procurei dar um exemplo de setor ineficiente que é notório, ou seja, ninguém duvida que é uma bosta, nem mesmo o governo que divulga os terríveis índices. Então pra exemplificar falei que a educação pública é um exemplo de ineficiência do governo, beleza? Tudo tranquilo? Será que alguém não sabe que os alunos saem da escola mais burros do que entraram?
                      Estão muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito enganados rssrsrrsr
                      Em resposta a esse exemplo simples que nem era o foco da conversa recebi como contra argumento pra provar que eu estava enganado e que a educação pública é boa:
                      E o colégio pedro II? não é bom?
                      Percebem a técnica aqui? Essa é certamente uma das mais usadas por pessoas desonestas intelectuais!
                      Inclusive dá pra excluir que o motivo nesse caso seja excesso de burrice pq a pessoa não usa uma mentira.
                      Ela usa um exemplo verdadeiro.
                      A técnica consiste em inverter regra e exceção!
                      Porrrra só na cidade do RJ existem mais de 1.000 escolas municipais e no Brasil inteiro existem uns 5 endereços de colégio Pedro II.
                      Conseguem perceber o nível de desonestidade do camarada num simples exemplo desses?
                      Coisas assim ocorrem toooooodo dia na TV ao assistir entrevistas e debates, prestem atenção.
                      Pq pra pessoas que não tem conhecimento pra perceber essa técnica ou desconhecem o tema da entrevista, acabam achando que realmente as duas pessoas estão com a razão. O que está claramente errado. Já que são opiniões opostas/contrárias.
                      Espero que ter sido claro rsrsrs
                      abraço pessoal

                      3+
                      • avatar
                  • Margarida 9 de junho de 2017 at 09:46

                    Cesar_DF, eu não passo nem perto de acreditar que não houve ma fé. Só desenrolei o que o MaurícioSP escreveu em um monte de frases ambivalentes, que esse parece ser o ponto de discordância com os argumentos do CA, mas ele mesmo diz que a opacidade desses negócios é intencional.

                    Então, pra mim, a mensagem dele (MauricioSP) é claramente dúbia. Não dá pra uma pessoa acreditar que há uma opacidade intencional e que não há má fé. As duas coisas não são compatíveis.

                    4+
          • MauricioSP 9 de junho de 2017 at 11:46

            CA,

            Veja que eu respondi sobre a semântica de golpe de venda falsa. Ou seja vendas para quem não tinha condições. Não posso generalizar que as construtoras venderam para quem não tinha condições sem provas, muitos relatos no ReclameAqui citam desenquadramento de renda ou não aprovação no financiamento por perda de emprego, separação, etc. Ou seja a pessoa foi no stand, comprou o apto, pagou o milho de comissão do corvo, pagou as parcelas. Isso eu não considero venda falsa. A construtora pode pedir melhores comprovações de renda? Pode, mas não tem como prever o futuro de dois ou três anos. E os casos de pessoas que compraram apartamento, financiaram e depois de dois anos perderam o apartamento e tiveram que vender? Foram vendas falsas também?

            É nesse critério, que houve boa intenção de todas as partes, mas todas estavam desreguladas, tanto o comprador otimista como a construtora com requisitos relaxados. Mas não considero que seja uma falha sistêmica pois se fosse, todos os imóveis vendidos no topo da bolha em 2011 e 2012 teriam sido distratados e todas as construtoras teriam quebrado. E nós sabemos que isso não aconteceu. Então muitos imóveis foram financiados e tiveram os saldos quitados. Infelizmente o mercado é opaco e não temos as respostas para algumas perguntas, vide a minha primeira pergunta: “dos imóveis vendidos na planta em 2012 e entregues em 2015/2016, quantos foram distratados e quantos foram quitados?” Você tem essa resposta de alguma construtora?

            0
            • CA 9 de junho de 2017 at 11:50

              MauricioSP,

              A resposta está logo acima!

              DEMONSTREI com números das construtoras, gráficos e textos nos links acima, que a proporção dos distratos em relação à época de seus lançamentos era ABSURDA, completamente ANORMAL, sem precedentes no Brasil ou em qualquer lugar do Mundo.

              Jura que você NUNCA viu reportagens falando sobre pesquisas da ABRAINC e outras que DEMONSTRAM distratos superiores a 40% dos lançamentos / “vendas” correspondentes, que já foram replicados por aqui INÚMERAS vezes? Sério que você já frequente aqui desde 2011 e NUNCA viu isto?

              3+
              • avatar
              • MauricioSP 9 de junho de 2017 at 11:55

                A comparação que eles fazem é entre os distratos e os lançamentos do ano, você sabe disso. Se a construtora vendeu 10 mil imóveis em 2012, e em 2015 ocorreram 1 mil distratos e 2 mil vendas, a notícia é que 50% dos imóveis foram distratados mas é porque os jornalistas não sabem fazer conta.

                0
                • CA 9 de junho de 2017 at 11:59

                  MauricioSP,

                  A comparação é com o ano do lançamento correspondente aos distratos!!! Exemplo: lançou em 2012 e entregou em 2015, comparam com o que foi lançado em 2012, vendido a partir de então e distratado!!! Vou demonstrar com fatos e dados no próximo tópico,onde você puxou a discussão. Aliás esta análise baseada no quanto foi cancelado em relação ao lançado já fiz e demonstrei mais acima, você também não viu???

                  1+
        • Carlos 9 de junho de 2017 at 06:43

          Puxa CA como você ousa desacralizar estas pessoas de coração tão puro.
          Estes valentes e intrépidos empresários que ousaram investir seus recursos arduamento conquistados com muito lobby e conversas de bastidores tendo que em muitos casos quase que literalmente se prostituir e tudo isto para garantir que o brasileiro mais humilde pudesse realizar seus sonhos. Tudo isto com o apoio destes verdadeiros santos na terra chamados corretores de imóveis que de dentro dos seus ternos puídos da Colombo se prestaram a ouvir, entender e ajudar este povo tão sofrido e sonhático no seu caminho para a felicidade a troco apenas de um punhado do vil metal.
          Você acredita realmente que eles não estavam trabalhando tendo em mente o melhor para seus clientes? Como poderiam ter sido tão maldosos e mentirosos?
          A noça caxa, o banco dos brasilinos, é o nosso banco do dia a dia, de receber a borsa famiglia, de comprar raspadinha e fazer a fézinha na mega, como uma instituição que nos acolhe com tanta bondade e nos faz tanto bem poderia nos enganar? Acho que já sei a causa: eles ficavam com dó da gente e conseguiam os papéis só para nos fazerem felizes, brava e humana gente esta, como eu queria que todos os bancos fizessem o mesmo.
          Estou chocado!!!!

          8+
          • avatar
          • avatar
          • Antigo 9 de junho de 2017 at 06:59

            Eu estou chocado é por ter uma pessoa nesse blog que comprou na planta.

            6+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Carlos 9 de junho de 2017 at 07:27

              Deve ter sido num momento de fraqueza, o papo do corvo era tão doçe e a tentação tão grande….
              Um pecadinho que pode ser redimido facilmente apenas se resignando a levar chicotadas no lombo uma vez por mês pelos próximos 30 anos.

              2+
              • Antigo 9 de junho de 2017 at 07:54

                Sei não, pelo papo do cara dizendo que a venda da planta não tinha nada de errado pareceu ser um adepto da modalidade.
                Mas cada um sabe o que faz com o próprio dinheiro, apenas observo.

                4+
                • avatar
                • avatar
  • Zé do Brejo 9 de junho de 2017 at 08:18

    Alguém arrisca palpite de quem entra no lugar do Bento Carneiro?

    0
  • thiago fm 9 de junho de 2017 at 08:25

    MauricioSP

    Thiago FM,

    Belo relato, você é um cara inteligente e o seu ponto de vista contribui para o blog. Eu acredito que aqui perde-se muito tempo com ataques mútuos, quando todos tempos algo a acrescentar desde que cada ponto de vista seja tratado com respeito.

    Eu acredito que houve sim uma bolha imobiliária, mas a causa não foi maliciosa, e sim um conjunto de fatores como o crescimento da economia, o otimismo com o futuro, a queda de juros e aumento do prazo de financiamento, política de incentivo do governo, abertura de ações na bolsa pelas construtoras, estabilidade da economia e crescimento do PIB, segurança jurídica nos contratos de financiamento, ou seja dezenas de fatores que agiram em conjunto.

    Por outro lado eu não acredito no estouro da bolha, no Ploc, master reset ou coisas do tipo, pois são muitos agentes envolvidos que não querem que isso aconteça (governo, bancos, etc). Então é óbvio que vão sempre agir para amenizar a queda, nós não veremos uma queda abrupta de valores mas uma correção ao longo de anos. Lembre-se que a crise de 2008 foi causada por que o governo americano agiu como manda a regra de mercado, e deixou o Lehman Brothers quebrar. Quando viram o tamanho da encrenca que isso causou, evitaram o master reset injetando dinheiro a rodo e garantias em todos o sistema (seguradoras, bancos, mercado, até montadoras aproveitaram o rolo).

    Então acho que o Cesar_DF faz bem em analisar as curvas entre valores de imóveis, inflação e renda, para descobrir o ponto no futuro em que será interessante novamente adquirir imóveis.

    Mas pelo que você relatou, se realmente você não comprou imóvel, ficou no aluguel e hoje tem investido o valor equivalente a um imóvel, eu acho que você esqueceu de valorizar este que eu considero o maior aprendizado desse blog: analisar o custo de oportunidade. Muita gente considera automaticamente a compra do imóvel (bricklover) como o próximo passo, sem analisar as consequências. O que aprendi aqui é que tem que pensar muito bem antes de tomar decisões que comprometerão tanto a renda e por tanto tempo.

    Além disso, o montante que seria investido no imóvel pode ser direcionado para objetivos muito mais nobres como a independência financeira. O principal ensinamento que apendi aqui no blog é considerar o imóvel como um passivo de alto custo, cujo capital imobilizado e impede aproveitar oportunidades futuras.

    3+

    Mauricio

    Eu entendo seu ponto e vou tentar te explicar porque a divergência entre o que estou defendendo e o que você acabou de colocar não são tão distantes assim sem barreiras conceituais.

    Uma bolha imobiliária deve ser entendida como um fenômeno bastante peculiar e muita gente passou a usar o termo indiscriminadamente desde da crise de 2008, o que é compreensível diante da proporção que o evento assumiu em escala mundial. Tenho notado que o termo sempre aparece quando não sabemos explicar ou qualificar as motivações da alta e queda de um ativo qualquer e mesmo para acontecimentos de cunho não econômico. Nesse aspecto devo admitir que eu mesmo já agi de forma semelhante.

    O uso da figura da “bolha” não é por acaso e não tem a ver somente com o fato de que bolhas estouram ou murcham, mas também porque uma bolha se destaca no seu meio, revelando-se sesta forma pela própria singularidade em relação ao seu “entorno”. Dizer que há o bolha em tudo é quase o mesmo que dizer que não há bolha em nada, pois de certo o fio condutor de uma condição tão generalizante como esta, passa pelo cerne do sistema em sua essência. Em outras palavras o que é parte natural do organismo não pode ser considerado estranho a ele.

    Sob esta perspectiva uma das formas menos complexas e também mais aceitas de se identificar uma bolha é pelo descolamento desta dos fundamentos econômicos, o que ao meu ver não deve ser apreendido só no âmbito da dinâmica de formação dos preços em si, mas também em relação ao desempenho dos demais setores e indicadores da economia, principalmente quando tratamos de um fenômeno de bolha imobiliária em escala macro, como sempre nos propusemos a discutir.

    Já abordei esse aspecto em outro momento, mas acho cabível reforçar que é preciso ter em mente que preços sobem e descem e a oscilação de preços de ativos em qualquer mercado por si só não é o bastante para caracterizar a formação e a explosão de uma bolha. Se a alta e queda significativas dos preços fosse sinônimo de bolha poderia dizer que já passamos por pelo menos duas bolhas nos últimos 40 anos no Brasil.

    Para determinar uma bolha se faz portanto necessária a presença de algum componente artificial que funcione como vetor ativo da alta dos preços para além do movimento natural da oferta e da demanda e/ou dos ciclos da economia. Por ser incipiente e não-estrutural, em determinado momento esse componente artificial que infla a demanda torna-se insustentável e a bolha explode (ou murcha) em meio ao seu desfazimento, ocasionando na maior parte das vezes um recuo abrupto dos preços na medida da especulação ou da deterioração imposta àquele determinado mercado ou sistema durante a fase de expansão.

    Dito isso, agora destaco um trecho do seu comentário com grifos da minha parte:

    “Eu acredito que houve sim uma bolha imobiliária, mas a causa não foi maliciosa, e sim um conjunto de fatores como o CRESCIMENTO DA ECONOMIA, o otimismo com o futuro, a QUEDA DE JUROS e AUMENTO DO PRAZO DE FINANCIAMENTO, política de INCENTIVO DO GOVERNO, abertura de ações na bolsa pelas construtoras, ESTABILIDADE DA ECONOMIA e crescimento do PIB, SEGURANÇA JURÍDICA nos contratos de financiamento, ou seja dezenas de fatores que agiram em conjunto.”

    Note que com exceção do otimismo talvez exacerbado com um futuro (expectativa) que não se sustentou e que pode ser um “comburente” de uma bolha, os demais fatores e eventos que você elencou são vetores da alta dos preços com caráter estrutural ou cíclicos, sendo que ao meu ver muitos deles, sobretudo os ligados aos sistema de crédito imobiliário, tendem a se consolidar num novo patamar, tais como: o nível mais ameno dos juros em relação ao praticado no início da década de 2000, subsídios do governo ao crédito imobiliário (mesmo reduzidos), segurança jurídica e melhoria das condições gerais de financiamento, os quais tenho apontado como importantes balizadores da valorização e sustentação dos preços e da demanda imobiliária nos últimos anos. Mesmo o IPO só aconteceu porque houve propulsão dos demais fatores que favoreciam o ambiente positivo para o mercado imobiliário. As construtoras apenas perceberam isso e se posicionaram.

    Por fim cabe afirmar que para a formação de uma bolha pouco importa a malícia ou dolo dos agentes de mercado, já que na maior parte das vezes a disparada dos preços em que há bolha esta é conduzida pela irracionalidade dos agentes. Nesse caso o que mais importa é se há ou não sustentabilidade dos vetores da alta.

    Sob minha leitura, sem desconsiderar movimentos especulativos localizados que de fato existiram e que serão pontualmente corrigidos, de uma forma geral os preços subiram fortemente enquanto o conjunto de fatores citados (entre outros) favoreceram amplamente o mercado e baixaram quando os mesmos deixaram de existir. Isso ao meu ver não pode ser considerado como um movimento peculiar de bolha, mas uma oscilação de um ciclo de mercado subjacente ao próprio modelo político econômico que dominou o país nos últimos 15 anos e que agora se esgotou.

    2+
    • avatar
    • Zé do Brejo 9 de junho de 2017 at 08:41

      URGENTE
      Leia o livro “Manias, Panics and Crashes”
      As bolhas são super comuns e acontecem ciclicamente desde o século XVIII.

      4+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • thiago fm 9 de junho de 2017 at 08:59

        Agradeço a dica mas não precisaria ler pra saber que bolhas não acontecem ciclicamente e ao mesmo tempo em todos os lugares e aspectos da vivência econômica e social. No caso do Brasil temos por aqui a teoria da bolha que afetou ao mesmo tempi o mercado imobiliário, todos os setores ligados ao consumo das famílias e a corrupção (que sempre foi própria do sistema) como um único movimento aglutinador. Eu não concordo e expliquei o porquê. Seria de bom tom que você discorresse a respeito.

        1+
        • Zé do Brejo 9 de junho de 2017 at 09:16

          Já te passei uma recomendação de leitura que tem a explicação técnica e detalhada, pq vc quer que EU descreva a explicação?
          Já explicaram isso muito antes de eu nascer, porque eu preciso reinventar a roda pra você? Cara, para de ser preguiçoso e vai ler o livro. 🙂
          Brincadeiras a parte, de verdade, leia o livro, é muito bom, técnico e detalhado.

          4+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • Cesar_DF 9 de junho de 2017 at 09:29

        Acho que uma bolha deve acontecer, principalmente, quando se usa uma moeda não lastreada
        No caso das bolhas das tulipas, usaram “contratos futuro” para realizar a alavancagem
        Na bolha da internet utilizaram ações da própria empresa como remuneração dos seus executivos.
        Hoje as moedas fiduciárias são alavancadas pelos próprios bancos, estimuladas pelos próprios bancos centrais, que transferem para o presente os recursos que somente estariam disponíveis no futuro.
        Será que existe algum país do mundo que use moeda lastreada?

        4+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Zé do Brejo 9 de junho de 2017 at 09:35

          Isso vai de encontro com a expansão monetária através do crédito abundante sem ganho/aumento de produtividade/riqueza.
          Resumindo, antecipamos o futuro incerto para viver um presente TEMEROSO, rs…

          5+
          • avatar
          • avatar
    • CA 9 de junho de 2017 at 08:50

      Tudo normal e natural, nada ARTIFICIAL. Vejamos:

      NUNCA tivemos o percentual de distratos para imóveis vendidos na planta no Brasil antes do ano de 2011, embora a venda na planta já exista HÁ DÉCADAS no Brasil e o ano de 2011 que foi quando a ABERRAÇÃO começou a aparecer não tenha sido um ano de crise, em hipótese alguma;

      NUNCA em NENHUM lugar do Mundo tivemos este índice de cancelamento de vendas na planta, embora vendas na planta existam em outros países há muito tempo também;

      NUNCA para NENHUM segmento de negócio no Mundo tivemos esta situação de cancelamento em relação à vendas realizadas nestes volumes / percentuais;

      NUNCA tivemos uma desproporção entre oferta e procura tão absurda como nos últimos anos, com estoque equivalente a ANOS de vendas. O máximo aceitável para o segmento imobiliário seria estoque para 1 ano de vendas, no entanto, no total das construtoras de acordo com ABRAINC, este estoque é o suficiente para mais de 3 ANOS de vendas;

      NUNCA nenhum outro setor além do imobiliário chegou a ter em sua totalidade um estoque que é o equivalente a mais do que o TRIPLO do que seria o máximo aceitável pelo segmento, nem mesmo na crise atual que vivemos;

      NUNCA tivemos um crescimento nos preços dos imóveis que foi o TRIPLO do crescimento da renda das famílias ao longo do período de uma década ou menos;

      NUNCA tivemos um crescimento tão explosivo no crédito imobiliário concedido ao longo de um pouco mais de uma década, ao mesmo tempo que NUNCA tivemos uma expansão tão elevada no prazo de financiamento imobiliário, NUNCA tivemos um volume tão elevado de dinheiro subsidiado pelo governo para este setor, da mesma forma que NUNCA tivemos uma crise fiscal tão intensa quanto a vivida neste momento;

      NUNCA, em nenhuma bolha imobiliária do Mundo, conseguiram uma distorção tão elevada entre o preço dos imóveis e a renda das famílias, da mesma forma que em todas as bolhas imobiliárias do Mundo, NENHUM país conseguiu manter por décadas um aumento no prazo de financiamento imobiliário para que o mesmo durasse mais de 30 anos, isto falando sobre países da Europa com apoio do BCE, EUA e Japão, onde estes países sequer tinham o conjunto de crises simultâneas enfrentadas pelo Brasil, ou seja, com muito menos condições conjunturais e estruturais a aposta é que o Brasil será o primeiro e único país do Mundo a conseguir manter estas condições excepcionais para o crédito ao longo de décadas, apesar de TUDO depor no sentido contrário;

      NUNCA tivemos um volume tão elevado de imóveis que tem o contrato de financiamento inadimplente há mais de 90 dias, no total 233.000 segundo informações do Banco Central e apesar do crescimento explosivo no crédito imobiliário concedido, que deveria ter feito com que o percentual de inadimplência CAÍSSE, afinal no início do contrato (primeiros ANOS) o normal é não ter inadimplência, mesmo com todas as MAQUIAGENS via renegociação a CEF aponta uma inadimplência acima de 90 dias que é acima do razoável para esta modalidade de crédito, ou seja, 1,8% de inadimplência quando o normal é 1%. Isto porque ela está MAQUIANDO FORTEMENTE esta inadimplência;

      Existe muito mais ANOMALIAS além daquelas acima que já foram DEMONSTRADAS por aqui ao longo de anos, no entanto, mesmo perante este enorme conjunto de FATOS e DADOS, ainda temos pessoas que dizem que é “cíclico” e “natural” tudo isto que NUNCA ocorreu nesta intensidade no Brasil e em alguns casos (exemplo: distratos) que também não ocorreu para nenhum segmento de negócio em nenhum lugar do Mundo.

      Observando a ALIENAÇÃO e o FAZER DE CONTA de alguns perante este enorme conjunto de ANOMALIAS e ARTIFICIALIDADES, como se fossem “naturais”, estando em um blog que já DEMONSTROU o quanto foram ARTIFICIAIS e ANORMAIS, por INÚMERAS VEZES, e ainda, permanecer neste blog depois de ter descumprido sua palavra, mentido e enganado INÚMERAS VEZES, tendo sido DESMASCARADO em muitas oportunidades com uso de suas próprias referências e critérios, fica fácil de saber qual o “caráter” desta pessoa…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • thiago fm 9 de junho de 2017 at 09:08

        Alguém explicasse, com exceção do CA, que não só já o faz todos os dias, mas que é parte interessada na tese.

        3+
    • Zé do Brejo 9 de junho de 2017 at 08:58

      Cara, agir de má fé = Lei de Gerson, ou seja no Bananil agir de má fé é o modus operandi.

      2+
      • avatar
      • Cesar_DF 9 de junho de 2017 at 09:18

        Para alguém cair no “conto do vigário” ela precisa acreditar que levará vantagem sobre outras pessoas, ou seja, a combinação de ganância com desonestidade
        Uma pessoa honesta e que não seja gananciosa não cai na lábia de estelionatários

        5+
        • avatar
        • avatar
        • Zé do Brejo 9 de junho de 2017 at 09:29

          Sem contar que as maiores construtoras do país estão atoladas até o último fio de cabelo na Jet-Wash.
          Como “acreditar” que não houve má fé e manipulação do mercado para abocanhar uma manada de cigarras?
          Ou é inocência de mais, ou poliana d+ (isso pq estou sendo gentil)

          3+
          • avatar
          • avatar
    • Margarida 9 de junho de 2017 at 09:59

      “Dizer que há o bolha em tudo é quase o mesmo que dizer que não há bolha em nada, pois de certo o fio condutor de uma condição tão generalizante como esta, passa pelo cerne do sistema em sua essência. Em outras palavras o que é parte natural do organismo não pode ser considerado estranho a ele.”

      Pensei numa metáfora que corresponde a isso que você disse: se um câncer atinge vários órgãos do corpo, não é câncer.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Zé do Brejo 9 de junho de 2017 at 10:02

        PERFEITO!!! clap clap clap

        1+
        • avatar
      • thiago fm 9 de junho de 2017 at 19:31

        Margarida,

        Cumprimento a analogia inteligente de sua parte, mas temo que ela não seja a mais adequada para as premissas que coloquei.

        Uma doença só é reconhecida socialmente como tal quando se tem o parâmetro da sanidade e da normalidade. Se devido uma mudança evolutiva o vírus da gripe fosse incorporado a nossa condição genética, de forma que todos vivessem constantemente gripados, possivelmente a gripe tal qual a conhecemos não seria mais reconhecida como patologia.

        Além do mais as bolhas econômicas se tornam distintas pelo ativo que influenciam ou pelo combustível que a alimentam, sendo identificadas como tal. Você diria que um câncer que começa no pâncreas e se espalha posteriormente pelo sistema digestório, são cânceres distintos?

        2+
  • O Incrivel Homem-Bolha 9 de junho de 2017 at 09:15

    Mais um CVR particular.
    O meu aluguel está próximo do vencimento de contrato de um ano, e para me precaver de qualquer aumento (o ideal seria um desconto) já fui pesquisando nas redondezas e no próprio prédio onde moro os valores dos alugueis.
    Nesse mesmo prédio já achei pelo menos 3 apartamentos disponíveis mais baratos do que eu moro…
    Mas o que eu quero comentar é o seguinte:
    Vários apartamentos anunciados assim para vender ou alugar:
    “Venda: X – Aluguel: Y”
    Só para situar: apto de 100m2 bairro bacaninha da Z Sul de SP.
    Por mais que falem, por mais que a gente leia, por mais que eu esteja careca de saber, por mais que acompanhe o mercado há anos, por mais que conheça o apego do bananense com os tijolos…
    DÓI DE LER
    Não pode ser que exista alguém TÃO BURRO, TÃO ESTÚPIDO, TÃO ANALFABETO, QUE NÃO SAIBA FAZER CONTAS
    Que prefira comprar um apartamento por 700 mil reais do que pagar um aluguel de R$ 2.300,00!!!
    Vários, vários anunciados por 700-800k e pedindo aluguel de 2k-2,3k
    Não é possível!!!
    QUALQUER aplicação meia boca, vagabunda, em banco grande, risco zero, de 700k dá 6k por mês FÁCIL, vc nem precisa ler nada, ser amigo do gerente, saber mexer em HP, nada, nada.
    Um ano atrás já era um escândalo isso, completamente ridículo. Preferi alugar e aplicar a grana, os meus 700k já estão beirando 800 depois de um ano e os caras ainda pedem a mesma coisa; Vá lá, diminuíram de 730 para 700, mas ficam nesse apego idiota com os tijolos…
    Não sei se vou comprar tijolos algum dia, a conta é desfavorável demais. Estou cada dia mais apegado com meus lindos dinheirinhos que me dão alegria toda manhã que vou conferir os saldos…

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 9 de junho de 2017 at 09:22

      Cara, a grande maioria dos donos desses imóveis, os adiquiriram muito antes da bolha e não pagaram esses preços exorbitantes por eles, logo não fazem essa conta. Eles pensam que se venderem pelos 700-800k ótimo, se não vender, não tem problema pq não desembolsaram esse valor na aquisição.
      Agora quem comprou pós bolha (2005-2016) e não conseguiu vender, esses sim estão ardendo no fogo do inferno, mas também não sabem fazer contas.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • O Incrivel Homem-Bolha 9 de junho de 2017 at 09:34

        Isso é um jeito de ver as coisas. De fato esse prédio que eu moro é velho e a maioria ali comprou há 20 anos ou mais.
        Mas dinheiro é dinheiro. Se eu paguei 100, dizem que vale 700 (com tendência de queda) mas por 500 eu vendo e aplico a grana, que rende MUITO MAIS que o aluguel com ZERO dor de cabeça, ainda assim não entendo a conta.
        Na realidade acho que os caras estão perdendo uma INCRÍVEL OPORTUNIDADE de vender por um preço exorbitante em relação ao aluguel, aproveitando que a maioria está pedindo um preço-fantasia para vender…

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Zé do Brejo 9 de junho de 2017 at 09:41

          Sua lógica está corretissima, MAS lembre que essa galera já passou por algumas crises bem pesadas no passado e se sentem mais “seguros” com os tijolinhos mágicos. É uma questão de falta de racionalidade matemática, insegurança juridica e financeira.
          Você está 100% certo, mas eu consigo entender as 666’s.

          4+
          • avatar
        • Cesar_DF 9 de junho de 2017 at 11:35

          Conta de boutikin
          Se somos 207 milhões de habitantes, com cada habitante ocupando 30 m2 e cada m2 valendo 2K então, hoje as residências valeriam 12.4 trilhões de reais, mas como elas subiram 171% acima da inflação e tendem a cair até reequilibrar com a renda o esperado é que ocorra uma queda de 65% no valor dos imóveis, reduzindo de 12.4 trilhões para 4.3 trilhões.
          Ou seja, vamos ficar 8 trilhões mais pobres nos próximos anos kkkkkkk

          4+
          • avatar
          • Cesar_DF 9 de junho de 2017 at 11:37

            Ahhh uma correção, teria que cair 65% para voltar a equilibrar com o IGPM, mas como neste período a renda per capita subia em média 0,9% ao ano, então o esperado seria uma queda de 54% até reequilibrar com a RENDA

            3+
            • avatar
    • MauricioSP 9 de junho de 2017 at 10:21

      50% dos carros novos são comprador com financiamento. Imagine o percentual em relação à compra de imóveis.
      Acredito que a maioria das pessoas que compram um imóvel nunca tiveram o montante equivalente ao valor do imóvel em uma conta bancária na vida, por isso é difícil fazer essa análise que você está fazendo.
      Explico, provavelmente o comprador típico de um imóvel de 500k pensa assim: tenho 100k no FGTS, eu e minha esposa ganhamos 15k por mês, a parcelinha será de 4k.

      1+
  • Cesar_DF 9 de junho de 2017 at 09:20

    Qual a forma mais barata de enviar dinheiro para o exterior?
    Pesquisa da Proteste compara os preços dos serviços disponíveis para fazer transferências para o exterior ou realizar pagamentos fora do Brasil

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/qual-a-forma-mais-barata-de-enviar-dinheiro-para-o-exterior/

    3+
    • avatar
    • avatar
    • Bolha BOSS 9 de junho de 2017 at 09:30

      Transferwise

      3+
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 9 de junho de 2017 at 09:29

    “Mercado” imobiliario “saudável” e natural que:
    – com banco lixo que vende créditos podres de maneira questionável,
    – que manipula os dados de valorização por 14 anos e agora altera o mesmo
    – que usa um indice de vendas fajuto como “oficial”
    – que potencial construtivo é vendido pra especulação em bolsa
    – que as regras de distrato não são claras e são alteradas 20 anos depois,
    – que banco lixo tem intermediarios nas corvolárias
    – que a “Terra capi” vai falir e isso já podia ser previsto 3 anos antes,
    – que os membros das secretarias de planejamento e obras nas prefeituras são agentes de venda e construção
    – que um “economista” propaga ha 4 anos que agora é o momento de comprar e que agora vai..
    – a taxa de aluguel nao baliza o preço de venda
    – o estoque aumenta, mas sai do estoque a cada 3 anos
    – que o preço de mercado está estável ha 5 anos mesmo com crise,
    – que o desemprego atinge mais de 15%, e 38% usaram fgts pra pagar dívidas
    – que 30% das vendas eram pra “investidores”, agora são “especuladores”..
    etc

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Zé do Brejo 9 de junho de 2017 at 10:05

    Vamos precisar de um PLANO REAL 2 A MISSÃO para concertar todas as cagadas PTistas dos últimos anos.
    Claro que antes disso vamos precisar do Collor 2 para promover uma limpezinha da máquina pública.

    3+
    • avatar
  • Zé do Brejo 9 de junho de 2017 at 10:06

    NOVO TÓPICO

    0
  • Ronilson 9 de junho de 2017 at 10:16

    Galera, todos falam que quem comprou há 20 anos não se preocupa com o valor do aluguel, pois vêm recebendo durante o tempo e compraram por valor menor do que o atual? Será verdade mesmo?
    Lembro do meu pai, naquela época não poderia comprar, mas se interessou por um imóvel bem localizado que custava 80mil, estava totalmente deteriorado, mas a localização era ótima para a região, provavelmente precisaria de uns 20mil de reforma, já que teria que fazer tudo do contrapiso ao teto.
    O ano seria 1997, o imóvel novo seria por volta de 100mil!
    Atualmente qual valor é o mesmo imóvel na região?
    Está anunciado por 480mil!
    Para a minha surpresa na calculadora do BCB o índice de correção pelo IGPM no período dá exatamente R$ 463.730,83, portanto o preço praticado na época em correção dá quase o mesmo atualmente.
    Se for pelo IPCA dá apenas R$ 346.558,16
    Se ele fosse mais experto teria em aplicação atrelada a 100% do CDI o valor após impostos no total de R$ 1.151.986,97.
    Pouco provavelmente ele conseguiria alugar por esse tempo todo pelo valor de médio de R$ 2900,00 por mês.
    Mesmo que você consiga uma taxa de ocupação de 100% e consiga manter o aluguel em valor crescente com reajuste de 1% ao mês menos o IR e taxa de imobiliária, ou seja rendendo ,75% ao mês, receberia R$ 539.116,00 em aluguéis!
    O total que você teria se conseguisse vender este imóvel por 480mil seria de R$ 1.019.116,00, ainda sim perderia para aplicação em CDI.
    E se você só deixasse na poupança?
    Teria: R$ 541.023,32! acima do valor do imóvel, mas por óbvio abaixo do valor imóvel mais aluguel.
    Imóvel é uma escolha, mas para quem já tem imóvel e quer especular como renda fixa verifica que é uma escolha abaixo da CDI, qualquer aplicação de CDB 100%, em qualquer época, rende mais que imóvel para locação, mesmo que consiga sonhando que o imóvel te renda sempre 1% ao mês de aluguel.
    Logicamente que temos que gastar com moradia, daí a importância de equilibrar com as preferências de cada um.
    Espero que eu não tenha errado os cálculos!!!

    8+
    • avatar
    • avatar