Prejuízo líquido da PDG cresce 92% em 2016, para R$ 5,307 bilhões – Valor

Você pode gostar...

Comments
  • Cesar_DF 30 de março de 2017 at 12:59

    Documentário Overdose – A próxima crise financeira mundial

    https://www.youtube.com/watch?v=kIgJpB_Jqig

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 30 de março de 2017 at 13:14

      Frases
      “… o problema de endividamento é tão grande que o estímulo do governo não vai nos comprar mais 5 ou 6 anos de crescimento falso como da última vez.
      Porque agora acumulamos tanta dívida, porque quanto maior o problema fica, mais temos que estimular para ter alguma expansão de curto prazo, mas agora vai ser o maior colapso, porque temos um maior estímulo para liquidar na economia.
      Ficamos livres do estouro de uma bolha, inflando centenas de novas bolhas ao redor do mundo.”

      34+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Margarida 30 de março de 2017 at 13:40

        Viram n’O Globo? Governo vai reduzir juros do crédito consignado.

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 30 de março de 2017 at 13:50

          Margarida,

          O governo quer PEDALAR o quanto puder para chegar vivo até as eleições de outubro/2018, mesmo que para isto o país tenha que morrer no ano seguinte…

          43+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • danielbh 30 de março de 2017 at 14:55

            CA, o documentário postado pelo Cesar_DF menciona calote certo de títulos (Bonds) logo na segunda frase. Qual sua opinião sobre manter investimentos nas mãos do tesouro nacional, como muitos aqui o fazem, nos próximos meses/anos, com essa possível crise global a caminho?
            Obrigado!

            15+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • CA 30 de março de 2017 at 20:31

              danielbh,

              Considere que abaixo estou apenas compartilhando algumas ponderações, de verdade, não tenho a melhor ideia de qual a melhor resposta para a sua pergunta, infelizmente. A impressão é que se for uma hecatombe financeira como foi insinuado no vídeo, seria aquilo que PXdPF classificou de G.E.E.L.E. (acrônimo para Global Economic Extinction Level Event) e daí ninguém escaparia de GRANDES perdas…

              O documentário é de 2014, mas mesmo os mais renomados especialistas citados (e estes são especialistas de verdade e não os “ixpecialistas” sic brasileiros como o Amorinha) sabiam a resposta a esta pergunta, tanto é que o grande APELO deles é que parem com esta “festa” o quanto antes, tentem reduzir gradualmente os estímulos, etc., no entanto, considerando-se que estamos em 2017 e ainda há uma infinidade de situações artificiais no nível ABERRAÇÃO em todo o Mundo, incluindo aí a nossa bolha imobiliária, a esta altura está ainda mais difícil de ver uma luz no fim do túnel.

              Particularmente não vejo nenhum país completamente isento da crise, alguns que não tiveram estímulos muito poderosos, até citados no documentário, por outro lado são muito dependentes de exportações e sofreriam tremendamente com uma crise mundial. Sendo assim, o melhor caminho pensando em PROTEÇÃO e não rentabilidade poderia ser fazer um mix de moedas em diferentes continentes, combinando com investimentos em ouro em uma maior proporção e mantendo ainda uma pequena parte em aplicações mais tradicionais / conservadoras dos maiores bancos particulares do país. A proporção de cada um depende da probabilidade que você atribuí à hecatombe, quanto mais achar provável, mais ouro e mais diversificação de moedas e menos dinheiro no Brasil, quanto menos provável, o contrário. Se o Tesouro brasileiro “quebrar”, você perderia suas aplicações no Brasil, mas não no Exterior. Por outro lado, se os Tesouros de outros países “quebrarem” ou ocorrer algum pânico quanto às políticas expansionistas de países desenvolvidos, ainda assim o mais provável é que não fosse algo linear, com isto algumas moedas ficariam mais valorizadas que outras e talvez até o nosso Tesouro e as aplicações financeiras locais poderiam “sobreviver”, sendo que as perdas de um lado seriam compensadas pelos ganhos do outro e em tese, o ouro poderia ajudar a recuperar parte dos estragos. É muito difícil se pensar em proteção frente a uma hecatombe em escala mundial e temos ainda fatores imprevistos quanto aos efeitos deste super-expansionismo (ver artigo do Mises que coloquei mais abaixo em resposta a pergunta do Sócrates), de fato, mesmo combinando diferentes formas de se aplicar o seu dinheiro, ainda assim você poderia perder uma quantia relevante, no entanto, seria muito menos perda do que a média geral das pessoas enfrentaria. Há de se ponderar que neste cenário muitos lugares poderiam se assemelhar a um “walking dead”, então se a sua preocupação é se precaver contra este cenário, tem que pensar em que lugar você conseguiria ter cidadania e poderia morar quando isto acontecesse, sendo um lugar não tão exposto a todos os efeitos nefastos esperados (algum país nórdico? o difícil é conseguir cidadania lá – rs)

              19+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • Cesar_DF 30 de março de 2017 at 21:27

                Em crises, o OURO DISPARA

                3+
              • socrates 31 de março de 2017 at 08:34

                Os nordicos estao mais do que certos em nao sair abrigando refugiados de todo o planeta. Nos podemos SIM resolver.nossos problemas. Eles nao.tem que viver.no inferno pq nao conseguimos (queremos?)nos livrar do nosso proprio

                1+
              • danielbh 31 de março de 2017 at 09:23

                Concordo. Obrigado pela resposta!

                1+
    • socrates 30 de março de 2017 at 18:40

      prezados, por que nos EUA o credito via pedaladas infinitas não gera inflação e no Bananistão sim?

      3+
  • Cesar_DF 30 de março de 2017 at 13:00

    Um erro neste texto
    Vendas brutas de 332 milhões
    Distratos de 1.1 bilhão
    VENDAS LIQUIDAS DE 768 MILHÕES NEGATIVOS

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 30 de março de 2017 at 13:48

      Cesar_DF,

      Por vendas liquidas eles consideram já abatendo os distratos. Este é o total do ano, mas no 3T16 chegaram sim a terem vendas liquidas negativas.

      Para conseguirem fechar o ano sem vendas negativas, eles tiveram que dar grandes descontos nas vendas, aumentando o volume de novas vendas para ficarem superiores aos distratos e além disto, apesar de terem REGISTRADO distratos de mais de R$ 1,1 bilhão, eles também “adiaram o reconhecimento” de um grande número de distratos solicitados, por vários meses, sem contar os casos que já passaram de 1 ANO (ver detalhes procurando por “Distrato PDG” no ReclameAqui).

      Ocorre que ao fazerem o que consta acima, tiveram que reavaliar os seus Ativos para baixo, um pouco mais próximo da realidade, ao mesmo tempo que o caixa continuou sangrando pela falta de recebimento não só dos imóveis distratados oficialmente, como também daqueles que os clientes desistiram, em que eles não “reconheceram”, mas também não receberam o valor que viria do banco caso os clientes tivessem feito os financiamentos. Estes foram alguns dos fatores que fizeram com que o patrimônio liquido ficasse negativo em mais de R$ 3 bilhões.

      O fato é que os números da PDG, bem como tudo aquilo que ela ESCONDE quanto aos distratos solicitados pelos clientes que ainda não foram reconhecidos, mais o contexto do segmento imobiliário e da economia, indicam sem a menor sombra de dúvida que a Recuperação Judicial dela não faz nenhum sentido e que no final não vai recuperar nada, só adiar a falência, o mesmo que os números da Viver também estão demonstrando e que iremos assistir quanto a mais algumas construtoras daqui a algum tempo…

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 30 de março de 2017 at 14:33

        CA
        A PDG deverá até o dia 02 de maio apresentar um plano de recuperação judicial ao juiz da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Foro Central da Comarca de São Paulo, João de Oliveira Rodrigues Filho.
        Se o juiz, ao analisar o plano, constatar que ele não é exequível, será decretada falência.
        A favor da PDG pesa a questão de “impacto social” referente a conclusãos dos empreendimentos em 56 sociedades de propósito específico (SPEs)
        Mas para conseguir dinheiro para concluir estes empreendimentos, teria que vender todo seu LANDBANK
        A questão é, supondo que o LANDBANK tenha um LAUDO DE AVALIAÇÃO (kkkkkkkk) indicando que ele valeria 5 bilhões, na hora de vender, por quanto ele será efetivamente vendido ?

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • LZ 30 de março de 2017 at 15:16

          O que vai brotar de loteamento com valores de terreno em abaixo do mercado não está escrito no Gibi.
          Alguém vai comprar o Landbank a preços caramaradas da massa falida, com o mercado em baixa, não adianta enfiar a faca nos terrenos se não, não vai vender.

          Logo os preços vão no chão, os custos de construção despencam e o que está construído vai ficar abaixo do custo huahau
          SURREAL !!!

          13+
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 30 de março de 2017 at 15:26

            O landbank, os projetos não concluídos e os apartamentos não vendidos foram dados como garantia de empréstimo aos bancos
            Se estes itens forem retirados da garantia, os bancos precisarão declarar como recebíveis duvidosos, tanto ao BOVESPA como ao BC
            Se o juiz enteder que isso beneficiaria a população, vai entrar em conflito com a sequencia de quem deve receber o dinheiro no caso de uma falência
            Acho que é governo (impostos), bancos (financiamentos), credores, empregados e por último clientes.

            11+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
          • socrates 30 de março de 2017 at 17:35

            Considerando que estamos na bananis, é capaz da pdg morrer e o pessoalzinho sair de boa, com a indicacao de novos laranjas para adquirir os terrenos e começar todo.jogo outra vez.

            4+
        • CA 30 de março de 2017 at 20:04

          Cesar_DF,

          Todo o estoque de imóveis em construção, construídos, mais os terrenos, mesmo com os preços anteriores super-valorizados, não pagariam a dívida da PDG. Somente ao considerarmos o fictício VGV potencial de empreendimentos a serem construídos nestes terrenos e a hipótese de que todos os empreendimentos seriam construídos e vendidos com os preços de vendas que constavam nos balanços é que teríamos uma pseudo viabilidade de um plano da PDG. Ocorre que a PDG foi obrigada a tirar parte do mundo de ilusionismo, pois ela já vinha praticando preços de vendas muito inferiores àqueles que constam em seus balanços e no último cenário, até com números que ainda são irreais as contas não fecham…

          Traduzindo o que consta acima, sem que os controladores coloquem bilhões de Reais ou que alguma empresa de fora injete bilhões de Reais ou que aja o perdão de dívidas da ordem de bilhões de Reais por parte de alguns dos credores ou que os bancos emprestem dinheiro em alto volume para a PDG retomar as obras paradas e fazer mais lançamentos, não há como equacionar nenhum plano de recuperação.

          Quais as dificuldades para alcançarem algo do que consta acima?

          1) Os controladores já injetaram mais de R$ 1 bilhão entre 2.012 e 2.016. Duvido que se sacrificariam, até porque eles tem certeza de que quanto mais injetarem, mais irão perder;

          2) Entre CEF e BB, já colocaram mais de R$ 1 bilhão entre 2013 e 2014, com condições “de pai para filho” (carência de 2 anos para começar a pagar o principal), neste momento ambos se virando para tentarem se recuperar, junto com governo com problema grave de déficit fiscal recorde que não tem a menor condição de socorrê-los, por mais que queiram, não terão como fazer isto;

          3) Outros bancos: já sinalizaram que não vão financiar capital de giro, mesmo sob a chantagem da PDG antes de pedir RJ, provavelmente não farão agora novamente. Se for para perder, irão preferir limitar as perdas aos empréstimos já existentes e não apostar em algo com muito pouca probabilidade de dar certo;

          Finalizando: se acontecer o que consta nas opções de 1 a 3 acima e não vier nenhum socorro externo de última hora, a PDG vai ter que ser muito criativa para INVENTAR um plano de recuperação judicial quando todos os elementos indicam claramente que esta recuperação não é mais possível com os recursos atuais e o juiz, assessores técnicos do juiz e credores terão que fazer um esforço ENORME para FINGIREM que acreditam neste plano, é a única hipótese que vejo para que ela tenha aprovado o plano de RJ sem um apoio externo, ou seja, se aprovarem será apenas uma informação de até onde vai a cara-de-pau dos envolvidos, nada mais que isto. Não seria surpresa se a BTG junto com a CEF bolarem algum plano mirabolante, o governo e seus “parceiros” já perderam o senso de ridículo faz tempo, basta ver o limite do MCMV para famílias com renda até R$ 9 mil, o uso de dinheiro do FGTS para imóveis até R$ 1,5 milhão, etc.

          10+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • job 30 de março de 2017 at 13:34

    CVR: estava indo pro trabalho hoje de manhã, vi uma placa de vende-se que já está a um bom tempo no mesmo lugar e resolvi pesquisar (mesma rua onde moro, muito boa localização, mas o prédio é estilo cortiço, e cada garagem é compartilhada com mais dois vizinhos, ou seja, no pior caso vai ter q manobrar 2 carros pra poder tirar o seu, resumindo, de bom só a localização mesmo). Conversei com um colega que já foi visitar o ap: Tamanho: 58m2, ap pequeníssimo, mal distribuído e prédio caindo aos pedaços.
    Agora a parte surreal, o preço pedido: R$330k!!!
    Já está à venda faz um ano e provavelmente nunca vai ser vendido se o proprietário não baixar pra menos que a metade desse valor. Até o meu colega que é 666 de carteirinha concordou, tá absurdo demais.
    Tem algo muito errado aí nessa história, ninguém mais tem noção de quanto esforço é necessário pra se juntar toda essa grana, na maioria dos casos 20 anos pra mais de trabalho. Aí chega um idiota e compra um pedaço de cortiço desses. Sabem qto é o aluguel? R$850 reais, mais 200 de condomínio. Não precisa nem calcular aí pra ver o que vale mais a pena.
    Minha impressao é que tá todo mundo caindo na realidade e só sendo lunático mesmo pra achar que vai comprar um imóvel hoje e que ainda vai valorizar nos próximos 5 anos. A realidade é que o Brasil está voltando pra onde nunca deveria ter saído (sem essa palhaçada de crédito fácil), e os últimos proprietários/investitrouxas é q vão pagar a conta (conheço muitos).
    Vou ficar aqui no meu ap alugado por R$1k (proprietário está tentando vender por R$350k), assistindo do sofá e comendo pipoca, e torcendo pra que não joguem merda no ventilador a ponto de respingar nos nossos investimentos…

    51+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 30 de março de 2017 at 13:43

    Crise no mercado imobiliário – no governo JK rsrs

    Entre 1959 e 1960, houve uma crise na obra de construção de Brasília. As verbas haviam acabado e JK entendia que não poderia terminar o governo sem construir Brasília. Jk rompeu com o FMI, pois este havia proposta reformas econômicas que não seguiam o seu modelo de governo, e, sendo assim, precisou agir de outra forma para conseguir o capital para terminar Brasilia. JK emitiu titúlos da dívida pública e precatórias. Esses consistem em papéis negociados na bolsa de valores para conseguir capital a curto prazo. Ele vendeu esses papéis com deságio, ou seja, com um preço a baixo do que poderia ser recuperado posteriormente em um prazo de 5 anos. Com isso, Jk conseguiu dinheiro para terminar Brasília. Isso, no entanto, fez com que JK fosse acusado de inviabilizar o futuro governo do país, por aumentar a dívida pública.

    Junto com Brasília, uma grande obra rodoviária ajudou muito o povoamento do Centro Oeste do Brasil e da Amazônia, a rodovia Belém-Brasília. Outra obra rodoviária ligando regiões brasileiras, feita por Juscelino, foi a Rodovia Régis Bittencourt que liga o Sudeste ao Sul do Brasil.

    Os críticos de Juscelino Kubitschek frisam o fato de ele ter priorizado o transporte rodoviário em detrimento do ferroviário devido à indústria automobilística, o que teria causado prejuízos ou isolamento a certas cidades. A opção pelas rodovias é considerada por muitos danosa aos interesses do país, que seria melhor servido por uma rede ferroviária. Na década de 1920, o presidente Washington Luís também havia sido contestado por construir rodovias.

    A dívida externa aumentou 1,5 bilhão de dólares, chegando ao todo a 3,8 bilhões de dólares. Foi ainda agravada pelas altas remessas de lucros das empresas estrangeiras de “capital associado” e pelo consequente aumento do déficit na balança de pagamentos.

    Houve também a criação de uma nova dívida interna (+- 0,5 bilhões de dólares).

    Apesar do crescimento econômico, o mandato de Juscelino Kubitschek terminou com crescimento da inflação, aumento da concentração de renda e arrocho salarial. Ocorreram várias manifestações populares, com greves na zona rural e nos centros industriais que se alastram nos governos seguintes.

    De fato, a expansão do crédito, a grande quantidade de importações para indústria automobilística e as constantes emissões de moeda – para manter os investimentos estatais e pagar os empréstimos externos – provocaram crescimento da inflação e queda no valor dos salários. Em 1960, a inflação estava a 25% ao ano, subiu para 43% em 1961, para 55% em 1962 e chegou a 81% em 1963. Durante o governo JK, a produção industrial cresceu 80%, os lucros da indústria cresceram 76%, mas os salários cresceram apenas 15%.

    http://jksuajornada.blogspot.com.br/2009/11/economia-e-as-obras-realizadas.html

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 30 de março de 2017 at 14:14

      Malditos governos populistas. E ainda tem gente que defendem esses safados.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 30 de março de 2017 at 14:42

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • socrates 30 de março de 2017 at 14:17

      O mises tem um artigo excelente mostrando como “Nos damos bem” protegendo a industria nacional…. esse caso de ter priorizado as rodovias em detrimento das ferrovias causou estragos muito maiores do que os aparentes. Junto.com a lei 8112 deve ser um dos maiores fatos que ajudaram a concentrar a renda no pais. Nem falo so de pessoas, mas sim tambem de geografia

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 30 de março de 2017 at 14:40

        “Nos demos bem mesmo” rsrs

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • thiaggoo 30 de março de 2017 at 13:55
    • Awulll 30 de março de 2017 at 14:13

      Deve ser sobre o Cunha

      5+
      • avatar
      • avatar
  • antifragile 30 de março de 2017 at 14:16

    Às vezes eu tenho a impressão que vim do futuro e estou assistindo, de camarote, ao enredo de um filme que já vi.

    Um filme escrito e dirigido pelo CA.
    Em que já conheço todos os atores.
    Em que todos os eventos foram devidamente narrados.
    E que por mais que o desfecho dessa história pareça óbvio para mim.
    Essa história ainda não foi contada para outras pessoas.
    Mas por mais que se tente alertar os amigos bolhistas.
    Não tem jeito.
    Eles já tomaram suas decisões.
    Eles não querem ver o mesmo filme que eu.

    Então só me resta pegar o balde de pipoca, sentar na poltrona, assistir o desfecho da história, sorrir e acenar.

    38+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • antifragile 30 de março de 2017 at 14:20

      Ops, escrevi amigos bolhistas, mas na verdade quis escrever amigos bolhudos (ou 666).

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • From_The_Tower 30 de março de 2017 at 14:21

    Poder De Gargantear IT`S OVER !!!
    BURN !!!

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Brazil mode OFF 30 de março de 2017 at 14:51

    Seus invejosos, só vcs veem crise imobiliária. rsrs

    Construtora -nova e lança novo residencial em oficinas
    http://www.diariodoscampos.com.br/economia/2017/03/construtura-inova-e-lanca-novo-residencial-em-oficinas/2348155/?216

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Ronilson 30 de março de 2017 at 14:52

    Pessoal o que aconteceu com o Thiago FM?

    12+
    • avatar
    • avatar
  • SampaBoy 30 de março de 2017 at 14:54

    https://www.reclameaqui.com.br/t7ju9UqcXZNVzMUk/pdg-incorporacoes/condominio-atrasado/

    29/3/17 “Meu Marido e eu adquirimos um apto Residencial Venit, agora recebemos uma carta da administradora no qual constam dividas de condominio em aberto pertencentes a PDG, pois são taxas condomininais antes da nossa aquisição, já abrimos chamado na PDG, mas a informação recebida é que não vão pagar.
    Estamos nos sentindo [editado pelo Reclame Aqui]”

    Ja estao chutando a boca….

    35+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • LZ 30 de março de 2017 at 15:19

      Comprou e não verificou as dívidas, perdeu !!
      Dívida é do novo dono.
      PDG largou mão mesmo e tocou o foda-se 😀

      34+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 30 de março de 2017 at 15:13

    Luciano Hulk deu entrevista com ares de candidato a Presidente da República. Se eleito, provavelmente mudará o MCMV para “Lar Doce Lar”.
    hehehe

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Zé do Brejo 30 de março de 2017 at 15:15

    O que será que vai acontecer com os esqueletos abandonados da PDG?
    Encol feelings

    9+
    • avatar
    • LZ 30 de março de 2017 at 16:42

      Virar viveiro de Denge, ZIka e Febre Amarela uahau

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • antifragile 30 de março de 2017 at 18:27

        O pior é que é verdade. Futuramente se tornarão um grave problema de saúde pública.

        9+
        • avatar
  • Aprendiz 30 de março de 2017 at 15:20

    Recebi esse email de um corvo da PDG

    53 m² – 2 dormitórios, uma suíte / Torre única / 18º andar / 2 vagas / Ao lado do Parque Cerete e Shopping Anália Franco.
    · Valor de venda já com desconto R$395.000,00

    91 m² – 3 dormitórios, uma suíte / Torre única / 11º andar / 2 vagas / Próximo Parque Cerete e Shopping Anália Franco.
    · Valor de venda já com desconto R$642.000,00

    Tô pensando em trolar ele … oferecer 200k no de 642K … e ainda demonstrar a porcaria que é a empresa que ele trabalha … kkkkkkk

    31+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Brazil mode OFF 30 de março de 2017 at 15:22

      apoiado…

      depois poste a resposta dele ai… se é que terá resposta.

      8+
      • avatar
    • Zé do Brejo 30 de março de 2017 at 15:27

      Oferece 198k, faz a proposta parecer mais séria 😛

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 30 de março de 2017 at 15:30

      Uma dúvida: a PDG solicitou recuperação judicial, o juiz aceitou o pedido mas ainda não sancionou o plano de recuperação.
      A PDG poderia comercializar imóveis enquanto o plano não for aprovado ?

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Seguidor do Bolha BH 30 de março de 2017 at 15:34

        Vale tudo nestas horas, até aquilo que provavelmente é proibido.

        8+
        • avatar
        • avatar
      • Dr. Estranho 30 de março de 2017 at 15:40

        Não deveria haja vista o conflito de interesse com os credores. A PDG eh inviável. Nenhum credor em sa consciência coloca 1 centavo nela. As dúvidas trabalhistas e as incorporações imobiliárias por património de afetação ficam de fora do acordo.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Seguidor do Bolha BH 30 de março de 2017 at 15:35

      Faltou o corvo informar: e uma baita recuperação financeira e judicial pela frente.
      hehehe

      6+
      • avatar
    • anti_corvo 30 de março de 2017 at 15:48

      Faça isso, e poste aqui.
      Se o corvo reclamar, diga da condição financeira da pdg, fale que 200 na mão são infinitamente mais que 600 voando, quem uma empresa em recuperação judicial nem sabe se vai conseguir sobreviver, que você está assumindo um risco enorme de comprar algo com eles, e que isso tem um custo.

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Exterminador de Corvos 30 de março de 2017 at 18:29

      Manda qualquer número que termine em 99,99…..
      kkkkkkkkkkkkkkkk
      Vou contar a vocês. Cada dia que eu entro aqui eu agradeço por não ter sido mais um a me escravizar em 2012…….estaria agora no primeiro ano de escravidão, digo, financiamento, considerando que o prédio foi entregue em agosto/16 (previsão era março/2015). Só pra constar, o ILAC 21 é por volta de 40% de luzes acesas….

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 30 de março de 2017 at 16:17

    Contas do governo central têm pior resultado para fevereiro em 20 anos
    Déficit primário ficou em R$ 26,263 bilhões no segundo mês de 2017

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • SampaBoy 30 de março de 2017 at 16:42

      Essa é pra derrubar o otimismo do inicio do ano. Eles estavam apostando em aumento da arrecadação porem parece que isso ainda vai demorar muito tempo. Não é a toa que anunciaram corte de 58 bilhoes no orcamento ha 20 dias atras , mas isso é provavelmente so o começo, vão ter que cortar muito da propria carne ainda pra sobreviverem….

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Libertario 30 de março de 2017 at 16:19

    Qual a chance de recuperar uma empresa com dividas de 5 bilhões com vendas de 1% do valor da divida ?

    22+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 30 de março de 2017 at 16:36

      0%

      9+
  • Unreal_Estate 30 de março de 2017 at 16:36

    CVR
    Recebi uma simpática senhora hoje, que veio resolver uns problemas de trabalho.
    Eis que ela comenta: “Vocês tem algum emprego pro meu filho aqui? Ele era Gerente Jurídico da [insira uma multinacional famosa aqui], tem dois filhos, mas perdeu o emprego. Cortaram os que tinham salário mais alto. Agora está trabalhando de motorista do Uber.”
    Parece que o rapaz tem pouco mais de 40 anos, e está morando nos fundos da casa da mãe.
    Antes de ir embora, ela comentou: “Às vezes a crise dá lições, como guardar uma reserva nas épocas boas pra passar pelos dias difíceis.”
    Pois é. Só pude sorrir (amarelo) e acenar.
    É a crise, é a crise.

    66+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • job 31 de março de 2017 at 07:30

      E o pior Unreal_Estate, é que a grande maioria das pessoas que passa por esse tipo de situação não aprende mesmo com uma experiência dessas. Tenho uma amiga muito próxima que gastava como se não houvesse amanhã, até por influência do marido que gostava de esbanjar e ostentar. Se separaram, ficou com uma mão na frente e outra atrás (sem nada mesmo, pois os dois não juntavam um tostão), e agora está se matando de trabalhar pra conseguir sair da casa dos pais (morar com os pais dpois dos 30 é dose). Apesar disso esses dias estava conversando com a amiga e ela me solta “ah mas não dá pra ficar juntando dinheiro, o negócio é curtir a vida, não se sabe até quando vamos estar vivos”. Típico pensamendo de 666, gasta como se não houvesse amanhã, literalmente. Essa é a lógica do bananense. Tentei explicar o milagre dos juros compostos e da matemática da educação financeira, parece que começou a entrar na cachola da moça… vamos ver se consigo convertê-la em bolhista…

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • antifragile 31 de março de 2017 at 11:45

        Essa aí tem é que se lascar mesmo, ou pelo menos aprender a viver com a consequência das suas decisões.

        3+
        • avatar
  • Alemon Fritz 30 de março de 2017 at 17:15

    fundos de fundos do governo , mais concorrência

    Estado quer alavancar R$ 20 bilhões com ‘aluguel’ da Cidade Administrativa e descontos para dívidas
    a iniciativa é um fundo imobiliário para o qual será transferida a titularidade de cerca de 4 mil imóveis do Estado – dentre eles, a Cidade Administrativa. O proprietário do fundo continuará sendo o governo de Minas que, no entanto pagará aluguel pelo uso dos imóveis. O artifício permitirá a venda de cotas, no mercado financeiro, de outro fundo (que receberá o recurso dos aluguéis pagos). Dessas cotas sairão parte do recurso a ser injetado em investimentos.
    http://hojeemdia.com.br/primeiro-plano/estado-quer-alavancar-r-20-bilh%C3%B5es-com-aluguel-da-cidade-administrativa-e-descontos-para-d%C3%ADvidas-1.454967

    6+
    • avatar
    • Carlos 30 de março de 2017 at 17:21

      Alugar aquele monstruosidade para quem? Talvêz o Dr Evil queira montar uma sede da Virtucon Industries no Brasil?

      7+
    • Carlos 30 de março de 2017 at 17:26

      Outra bostha projetada pelo Niemeyer, só poderia dar nisto mesmo 😛

      O risco de febre maculosa na Cidade Administrativa tem preocupado o Governo de Minas. Um comunicado foi disparado para os servidores da administração estadual alertando sobre a possibilidade, especialmente em uma área onde há concentração de capivaras – hospedeiras de carrapatos estrela, transmissores da doença.
      http://bhaz.com.br/2017/03/25/risco-de-febre-maculosa-cidade-administrativa/

      Será que podem alugar para o Ibama, ou para as capivaras?

      8+
      • avatar
      • avatar
      • Carlos 30 de março de 2017 at 18:00

        Alguns pensam que eu sou muito duro com o velho comuna e sua arquitetura do século passado feita para trabalhadores soviéticos.
        Agora imagina esta merda sendo construída no bananistão por suas destrutoras e gerenciado pelo estado bananence….

        Os problemas enfrentados pelos servidores da Cidade Administrativa, no que se refere a alimentação, transporte, saúde, segurança, estacionamento, creche e fornecimento de energia, serão debatidos em audiência da Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, na quinta-feira (9/6/11), às 10 horas, no Plenarinho III. O objetivo é ouvir a intendente da Cidade Administrativa, Kênnya Kreppel Dias Duarte.

        O autor do requerimento, deputado Rogério Correia (PT), baseou-se em pauta de reivindicações da Comissão dos Servidores da Cidade Administrativa, que pede a ajuda e a intervenção do Parlamento mineiro na apuração de responsabilidades pela ocorrência desses problemas.

        Em 6 de dezembro de 2010, o deputado e a coordenadora do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), Beatriz Cerqueira, foram ao Ministério Público e denunciaram as condições de trabalho dos servidores da nova sede e a existência de problemas relacionados à infraestrutura dos prédios, como rachaduras, infiltrações, construção em solo pantanoso e falta de qualidade nos acabamentos da obra.

        https://al-mg.jusbrasil.com.br/noticias/2723240/audiencia-debate-problemas-da-cidade-administrativa

        Segundo Rogério Correia, a ação foi motivada por uma denúncia de que três janelas dos edifícios que compõem a Cidade Administrativa caíram nesta segunda-feira (30). Na representação entregue ao MPE, o deputado afirma que o incidente aconteceu “sem que evento de vulto meteorológico estivesse acontecendo”.
        http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2012/01/deputado-pede-interdicao-de-predios-da-cidade-administrativa.html

        9+
        • avatar
        • avatar
        • Carlos 30 de março de 2017 at 18:04

          E olha quem defende esta estrovenga 😀

          Nos Projetos de Lei que serão enviados à Assembleia, o governador Fernando Pimentel também prevê a criação de um Fundo Imobiliário. Com ele, mais de quatro mil imóveis onde funcionam órgãos e serviços do governo e que hoje pertencem ao Tesouro do Estado passam a compor o patrimônio do Fundo. Este, por sua vez, captará recursos de investidores na forma de antecipação de aluguéis. Entre os imóveis que compõem o fundo, está a polêmica Cidade Administrativa. É importante ressaltar que tais imóveis serão inalienáveis e, portanto, a propriedade continuará nas mãos do Estado. Com esta ação, o governo possibilitará a utilização produtiva e lucrativa dos bens e possibilitará que a população e empresários comprem títulos deste fundo, como forma de investimento seguro.

          Sim, eles mesmo.

          Um governo de coragem
          https://www.brasil247.com/pt/colunistas/durvalangelo/287891/Um-governo-de-coragem.htm

          Boss, desculpe por postar este link infecto aquí no bolha, mas está em https 😀

          7+
          • avatar
          • avatar
          • Carlos 30 de março de 2017 at 18:06

            “Por baixo, R$ 2 bilhões”: governador Pimentel estuda vender a Cidade Administrativa

            Também logo no início do governo Pimentel, quando sua equipe fez um diagnóstico da situação financeira de Minas, a construção da sede chegou a ser alvo de críticas. De acordo com esse estudo, a Cidade Administrativa consumia R$ 120 milhões por ano em manutenção e o estado ainda gastava mais R$ 13,2 milhões em alugueis de prédios na capital, anulando a economia de reunir todas as secretarias em um único complexo.

            http://minutomais.com/minas/por-baixo-r-2-bilhoes-governador-pimentel-estuda-vender-a-cidade-administrativa.html

            5+
            • avatar
            • avatar
          • Alemon Fritz 30 de março de 2017 at 18:08

            eu não entendi nada de como vai funcionar isso!!
            … o fundo é um fundo paralelo do fundo que recebe os alugueis e pagam noutro fundo pros investidores… eitah… deve ser o tal de “side bank” acho..

            6+
            • avatar
            • avatar
            • Carlos 30 de março de 2017 at 18:10

              2

              2+
              • Carlos 30 de março de 2017 at 18:24

                Minha opinião sem nenhuma análise, só especulação mesmo.

                As opções eram:
                – Fazer funcionar como o prometido – Impossível pois é condenado desde o projeto e se por algum motivo mágico funcionasse iria provover o nome do inimigo.
                – Vender – Não conseguiram
                – Tentar qualquer outra solução viável – Não tem solução
                – Inventar um plano maluco, sem nenhum planejamento verdadeiro e difícil de entender para acalmar as bases e os tribunais e depois a gente “viabiliza”

                7+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • Carlos 30 de março de 2017 at 18:40

                  Detalhes da estrovenga para quem tem curiosidade…

                  A receita da bohsta:

                  “Niemeyer define o projeto como idealista e corajoso: “Em Minas Gerais, um clima de idealismo e coragem (como nos velhos tempos de JK) volta a surgir com a construção de um conjunto tão imponente, que previa uma avenida passando diante dele, a demonstrar como a arquitetura pode simplificar as questões mais complexas que um centro administrativo envolve”.

                  Com investimento de 948 milhões de reais, o centro administrativo é uma obra expressiva por sua importância e volume. O diretor do EuroCentro, Roberto Papaiz, destaca a grandiosidade e a tecnologia nacional aplicada em todos os itens das fachadas, desde os sistemas de esquadrias, acessórios, vidros e persianas magnéticas. Os números são representativos: mais de 70 mil metros quadrados de vidro, mais de uma tonelada de alumínio e 22 mil persianas. Devido a sua dimensão e ao curto prazo, a execução foi dividida entre consórcios de construtoras e seus contratados.”

                  https://arcoweb.com.br/finestra/arquitetura/oscar-niemeyer-cidade-administrativa-belo-horizonte

                  6+
                  • avatar
                  • avatar
  • Libertario 30 de março de 2017 at 17:24

    Boss
    estou enfrentando problema nos meus posts. eles não aparecem como publicados.

    6+
    • avatar
    • Money_Addicted 30 de março de 2017 at 18:05

      problema resolvido 🙂

      5+
      • avatar
      • avatar
    • Bolha BOSS 30 de março de 2017 at 20:26

      Spam

      3+
      • avatar
      • avatar
      • Libertario 30 de março de 2017 at 20:40

        De certo foi porque eu insisti várias vezes em publicar, né?
        Publicava, não aparecia, e eu tentava de novo….
        Sorry.

        2+
        • avatar
  • Dr. Estranho 30 de março de 2017 at 18:31

    “A inadimplência de grandes empresas durante a crise levou os maiores bancos do país ao divã, nas palavras de Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do Bradesco.”
    “Grandes companhias não resistiram ou à recessão ou à Lava Jato e provocaram enormes perdas ao sistema financeiro. A lista inclui a Sete Brasil, engolida pela investigações de corrupção na Petrobras, na Odebrecht e na Oi.”
    “http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/03/1871044-inadimplencia-na-crise-levou-bancos-ao-diva-diz-presidente-do-bradesco.shtml”
    Hahahahha. Retirei trechos onde achei o melhor da novela. O Trabuco está em pânico. Mas não pode enumerar a PDG e “filiadas”.

    7+
    • avatar
    • Zé do Brejo 31 de março de 2017 at 06:24

      Bradosca é o maior banco privado a participar da bolha.

      1+
  • Libertario 30 de março de 2017 at 19:23

    O estoque de imóveis retomados pelos bancos por falta de pagamento do financiamento deu um salto de quase 50%, conforme dados do Banco Central (BC): na análise, que é feita pelos valores, e não pelo número de contratos, a retomada representou R$ 6,5 bilhões, em 2015, e pulou para R$ 9,8 bilhões no ano seguinte.

    Neste cenário, a Associação dos Mutuários e Moradores do Rio Grande do Sul (AMMRS), na Capital, promove até amanhã, dia 31 de março, a Semana do Mutuário, para orientar e esclarecer dúvidas dos mutuários que estão com dificuldade para pagar a prestação da casa própria ou, até mesmo, na iminência de perder seu imóvel.

    5 questões que serão esclarecidas no evento:
    1. Alternativas para evitar a inadimplência
    2. O que fazer quando o imóvel já foi retomado
    3. Possibilidade de devolução de valores, após o imóvel já ter sido retomado
    4. Redução da prestação em caso de queda de renda
    5. Revisão do contrato, com a possibilidade de redução da prestação e saldo devedor

    A associação também dará orientações sobre contratos de imóveis adquiridos na planta, informando os direitos do comprador nos casos que envolvem atraso na entrega, rescisão contratual, problemas na obra, contratos de financiamento habitacional, usucapião, entre outros da área do direito imobiliário.

    Semana do Mutuário
    Quando: hoje e amanhã, das 8h30min às 17h
    Onde: sede da Associação, na Rua dos Andradas, 1.261, quinto andar, Centro Histórico de Porto Alegre
    Quanto: o atendimento é gratuito

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 30 de março de 2017 at 20:47

      Vai ser um evento muito interessante mesmo 😀

      4+
      • avatar
      • avatar
      • Libertario 30 de março de 2017 at 21:43

        Pro povão acho que seria melhor anunciar assim:

        1. Alternativas para evitar o Motumbo
        2. O que fazer quando o Motumbo aparecer
        3. Possibilidade de devolução de valores, após o Motumbo bater a porta
        4. Redução da prestação em caso de não aguentar o Motumbo
        5. Revisão do contrato, com a possibilidade de diminuição da espessura e comprimento do Motumbo e seu grandioso saldo alargador.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Carlos 30 de março de 2017 at 22:08

          Motumbo vai estar logo na entrada do evento analizando seus próximos “sócios”.

          Please allow me to introduce myself
          I’m a man of wealth and taste
          I’ve been around for a long, long year
          Stole many a man’s soul to waste

          And I was ‘round when Jesus Christ
          Had his moment of doubt and pain
          Made damn sure that Pilate
          Washed his hands and sealed his fate

          Pleased to meet you
          Hope you guess my name
          But what’s puzzling you
          Is the nature of my game

          4+
          • avatar
          • avatar
          • Carlos 30 de março de 2017 at 22:22
          • John Horse 30 de março de 2017 at 22:37

            I stuck around St. Petersburg
            When I saw it was a time for a change
            Killed the czar and his ministers
            Anastasia screamed in vain

            I rode a tank
            Held a general’s rank
            When the blitzkrieg raged
            And the bodies stank

            Pleased to meet you
            Hope you guess my name, oh yeah
            Ah, what’s puzzling you
            Is the nature of my game, oh yeah
            (Woo woo, woo woo)

            4+
            • avatar
            • avatar
            • Carlos 30 de março de 2017 at 22:39

              Esta música é fodástica 😀

              2+
              • avatar
              • John Horse 30 de março de 2017 at 22:51

                Lembro na hora do “Entrevista com o Vampiro”

                Lestat era foda

                3+
                • avatar
  • Marcio 30 de março de 2017 at 21:31

    “5 questões que serão esclarecidas no evento:
    1. Alternativas para evitar a inadimplência”

    Eu tenho uma muito simples: paguem as parcelas.
    E outra melhor ainda: não comprem algo sem planejamento, por puro impulso ou só para se gabar para amigos e parentes. Assim, não precisarão se preocupar com inadimplência.

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 31 de março de 2017 at 08:04

    dá 10 pra ele: (texto dele)

    “Tiago Iorc desmente e ironiza notícia de compra de apartamento caríssimo: “Não lembro”
    “Não lembro de ter comprado um apartamento. Até onde sei, moro bem feliz, de aluguel. Mas foi noticiado que comprei, então deve ser verdade. Publicaram fotos, até. ”
    “A descrição mais parecia um informe publicitário, mas certeza que era notícia. Já pensou se não fosse? ‘Corretor de imóveis e jornalista corroboram para espalhar falso boato de que cantor teria comprado apartamento e, com isso, tentam alavancar vendas em plena crise imobiliária’. Isso, sim, seria uma manchete doida.”
    kkkkkkkk

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 31 de março de 2017 at 08:22

    é o primeiro que fala corretamente em crise imobiliária e não em “crise econômica.”
    Fãs devem ter lido e fica lá no subconsciente…

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • John Horse 31 de março de 2017 at 08:58

      Pelo jeito ele é um de nós aqui…

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 31 de março de 2017 at 08:32

    160mil curtidas até ontem e 3.600 compartilhamentos… kkkk

    11+
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 31 de março de 2017 at 08:33

    Acho que os outros leilões começaram a seguir o exemplo do Bradesco
    Casa de 65m2 em terreno de 340 m2 em Anápolis – GO
    Primeira praça 195K – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1115
    Segunda praça 61K – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1116
    “DESCONTO” DE 68,7%

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Dr. Estranho 31 de março de 2017 at 09:08

    Acredito que a única intenção da PDG foi suspender temporariamente as execução. Dezenas de fornecedores ameçavam execuçao. Trata-se de um câncer em metástase. Só se prolonga a dor. Liquidar estes estelionatários seria um Marco histórico. Novos elementos de pesquisa para esquemas de Ponzi.

    6+
    • avatar
    • avatar
  • From_The_Tower 31 de março de 2017 at 09:08

    CVR
    Um brick lover que comprou via MCMD chegou e me confidenciou:
    ” Me arrependi de ter comprado o imóvel. Não uso o imóvel e não consigo revender. O valor da parcela está me sufocando todos os meses”.

    Eu respondi:” Aceite qualquer proposta. A merda já chegou e vai piorar”.

    44+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • job 31 de março de 2017 at 09:10

    CA,
    deixando de lado a questão se comprar imóvel é bom ou não,
    não seria uma idéia interessante se os próprios bancos garantissem a desocupação dos imóveis ocupados, e a remoção de qualquer entrave judicial na venda por leilão, pra desovar o estoque gigantesco de imóveis que possui? No meu ver esse é o maior empecilho pra eles conseguirem vender seu estoque, por mais que tenhamos descontos de 70, 80%, é um abacaxi enorme pro comprador ter que entrar com uma ação pra desocupar o imóvel, e ainda por cima poder ser processado pelo antigo proprietário e demorar anos pra conseguir entrar no seu ap “novo”. Não que eu queira defender alguma das partes, muito pelo contrário, mas se fosse peixe grande de um banco pensaria em algo assim…

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 31 de março de 2017 at 09:13

      Eu penso que por necessidade e viabilidade do negócio eles terão que fazer isso.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 31 de março de 2017 at 09:45

      job,

      A pressão dos leilões de imóveis está apenas no começo.

      A CEF está MAQUIANDO um volume enorme de inadimplência acima de 90 dias sob o pretexto de “renegociação”. Daquilo que está reconhecido oficialmente como inadimplência acima de 90 dias ela só retomou 1/5. Está procurando venda direta via corretores, criar empresa abutre para comprar crédito podre e outras GAMBIARRAS que sejam possíveis para desovar um estoque de imóveis inadimplentes que hoje está acima de 20.000 imóveis, mas que se considerarmos o que consta neste parágrafo, deveria ser acima de 100.000 imóveis disponíveis para leilão, só da CEF, fazendo com que ela fosse a maior proprietária de imóveis para revenda no país.

      Até quando a CEF conseguirá segurar a bola de neve acima? No momento em que as tentativas de venda direta e empresa abutre demonstrarem que não há soluções mirabolantes e que no final tanto a empresa abutre precisará fazer leilão para desovar o imóvel quanto a venda direta não funcionará e os volumes só crescerão, daí eles serão obrigados a facilitarem os leilões. Possivelmente os próprios bancos e empresas abutres buscarão a todo o custo desocupar os imóveis para viabilizarem os leilões. Será o aumento relevante da NECESSIDADE que forçará os bancos a fazerem isto.

      O “probleminha” da CEF é que ela é um banco que pertence ao governo e pega muito mal expulsar pessoas das casas, principalmente para um governo que tenta manter todo o esquema populista dos anteriores. Este é UM dos motivos pelos quais tentam MAQUIAR ao máximo o volume real de inadimplências. Ocorre que o problema não se resolve sozinho com o passar do tempo, ao contrário, só vai se agravando cada vez mais, até que chegarão ao ponto em que será INEVITÁVEL retomarem os imóveis antes do leilão. Pode até ser que não seja a CEF, que ela consiga antes de chegar neste ponto, transferir para alguma empresa abutre que irá fazer este papel de “malvada”, mas isto não mudará em nada a dinâmica do processo: na medida em que bancos conseguirem agilizar o processo de venda em leilão e eles precisarão disto para manter um mínimo de liquidez, um grande volume de vendas será desviado das construtoras e particulares para os leilões e então, pela NECESSIDADE, tanto construtoras quanto particulares terão que reduzir mais os preços para concorrerem com leilões e não ficarem insolventes. Quando chegar nest ponto, será o velho e conhecido efeito manada, um querendo reduzir o preço antes do outro para se livrar de uma queda ainda maior dos preços depois.

      Em tempo: o que acontecerá com bancos será análogo ao que aconteceu com construtoras, com a CEF fazendo o papel de uma PDG. A PDG foi a maior do segmento no Brasil, como a CEF é o maior banco na concessão do crédito imobiliário. A PDG, por alguns anos, assim como diversas construtoras, começou a receber vários imóveis via distratos, tentou segurar retendo o máximo possível do montante pago pelos clientes, buscando renegociações (reduzir o preço total para viabilizar o financiamento), oferecendo outros imóveis mais baratos que viabilizassem o financiamento, adiando ao máximo o “reconhecimento” oficial destes distratos, enquanto procurava outros compradores, buscando apoio do governo para isentá-la das consequências do golpe, dentre diversos outros estratagemas. Este grande conjunto de “soluções alternativas”, acompanhado de suporte BILIONÁRIO de controladores e de bancos públicos (BB e CEF) foram o suficiente para salvar a PDG e impedir que ela quebrasse? Só adiaram o inevitável e a cada novo adiamento a bola de neve crescia.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 31 de março de 2017 at 10:08

        CA
        Aparentemente as empresas de leilão, de 2 semanas para cá, estabeleceram um novo patamar de preços, com 60-80% abaixo do laudo de avaliação.
        Sabíamos que isso seria inevitável, pois mais 95% dos leilões de segunda praça estavam sendo desertos (sem nenhum lance)
        Se a CEF não entrar nessa, não conseguirá vender nada.
        Está começando !!!

        15+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • job 31 de março de 2017 at 10:38

          Cesar_DF,
          mesmo baixando 80% do valor, são muito poucos que tem coragem de embarcar numa compra dessas. Eu mesmo só conheço uma pessoa que comprou em leilão, e ainda não conseguiu tirar o morador do seu ap. Muito arriscado esse negócio.

          9+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • EngenheiroDF 31 de março de 2017 at 11:16

            Eu tenho um amigo PMGO que comprou 2 casas em leilões da CEF com gente morando dentro em Aguas Lindas de GO. Mas ele foi visitar as casas fardado, com um outro PMGO fardado e ainda teve que dar 1.000 reais pra cada família pra que eles saissem numa boa. Pra um civil o negócio é bem mais complicado.

            12+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • to bolhado 31 de março de 2017 at 11:23

              dependendo da região pode ser uma “solução”, você botar na conta do negócio uma grana para jogar na mão do cara para ele sair do imóvel.

              4+
              • avatar
            • Money_Addicted 31 de março de 2017 at 12:13

              exato, assim pode ser viavel, vc manda alguma pessoa “boazinha” avisar o caloteiro q a situacao mudou, ou ele sai de um jeito ou d outro

              3+
            • job 31 de março de 2017 at 12:53

              EngenheiroDF,
              no meu ver esse caso que vc narrou é muito mais exceção que regra. Assim como tem muitos casos que a gente ouve que o morador quebra todo o ap antes de sair (pela frequência que ouvimos tá mais pra regra que exceção). Eu vou além e digo que é muito mais fácil de acontecer do cara quebrar tudo que aceitar R$1000 reais pra sair. Agora, se o valor for mais substancial a coisa já muda. Mas eu não tomaria esse caso aí como regra não.

              3+
              • avatar
              • to bolhado 31 de março de 2017 at 13:27

                pois é, pensei mais na casa de 20k, dependendo da região. Faz um contrato com o cara, acompanha a mudança, troca as fechaduras, e paga
                ). Não sei se funcionaria, to elocubrando aqui, mas de repente…

                1+
                • avatar
                • EngenheiroDF 31 de março de 2017 at 13:51

                  Concordo! Essas casos que citei são excepcionais.

                  1+
      • Alemon Fritz 31 de março de 2017 at 10:22

        o crédito podre é mau negócio.. A menos que seja um bom negócio… pode ser que já estejam trabalhando com o próximo passo que é justamente a venda rápida
        ex:
        -EBA sugere criação de “banco mau” para o crédito malparado das instituições da UE
        a União Europeia deveria criar uma entidade de gestão de activos com recursos públicos que ficasse com uma parte do crédito malparado dos bancos.
        É urgente e Viável.

        Andrea Enria explicou como é que os bancos poderiam vender parte do seu crédito malparado a esta empresa de gestão de activos “pan-europeia”. Segundo o plano apresentado, os créditos seriam avaliados de acordo com o seu “valor económico real” – em vez do valor de mercado – e a empresa (uma espécie de “banco mau”)
        Apelando à alocação de recursos públicos para a criação de um mercado secundário para o crédito malparado, que poderia atrair capital privado.!!1
        ..a “factura” será apenas dos credores do banco e do Estado de origem da instituição em causa.

        Ingredientes:
        -Ja temos os abutres
        – não temos os dados da caxão,
        – separação da fatia imobiliaria da caxão.
        – fundos paralelos (sell bank) e fundos de investimentos e seguridade (buy bank)

        3+
        • avatar
        • Alemon Fritz 31 de março de 2017 at 10:40

          a “Habitar” e a empresa S.A. (será uma espécie de “banco mau”). os sócios ganham na venda. investem 700milhoes e ganham 3 a 5 bilhoes. a caixa securitiza outra parte vendendo nos cartões da nova empresa de seguridade..

          4+
          • avatar
    • to bolhado 31 de março de 2017 at 10:30

      comentei isso num post passado, é muito ruim deixar pro comprador, que tem muito menos recursos para viabilizar essa retirada.

      3+
      • avatar
      • avatar
      • EngenheiroDF 31 de março de 2017 at 10:47

        Li as 24 páginas de imoveis pra leilão em Aguas Lindas de Goias. São 10 imóveis por pagina. Pelos preços que estao cobrando, e sabendo que tem morador (lá diz “ocupado”), não vão vender quase nada.

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cesar_DF 31 de março de 2017 at 09:27

    CEF

    Não tem risco nenhum da CEF quebrar, pois 91% dos financiamento imobiliários estão classificados no rating AA-C (já ouvi isso no filme A Grande Aposta)
    http://www.caixa.gov.br/Downloads/caixa-demonstrativo-financeiro/Relatorio_da_Administra%C3%A7%C3%A3o_1T15.pdf

    A CEF fala que a inadimplência está na média de mercado, só não explicou que ela está alavancada em 5X mais em relação a média de mercado.
    O índice de inadimplência encerrou setembro em 3,48%, abaixo da média de mercado que apresentou 3,73%.
    http://www20.caixa.gov.br/Paginas/Noticias/Noticia/Default.aspx?newsID=4275

    De 1 trilhão em ativos, 47,8% se referem ao crédito imobiliário
    http://www20.caixa.gov.br/Paginas/Noticias/Noticia/Default.aspx?newsID=1640

    Em 2014 já tinha muitos créditos podres
    http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,caixa-repassa-r-5-bilhoes-em-creditos-podres-imp-,1588098

    81,5% da carteira de crédito da Caixa estão no segmentos de menor risco, como habitação (60,2%), infraestrutura (10,2%), crédito consignado (9,2%) e grandes empresas (1,3%). No segmento imobiliário, os créditos problemáticos se revelam logo no primeiro ano. Quanto mais o tempo passa, menor a dívida em relação ao valor do imóvel financiado, que serve como garantia.
    Esse foi um dos fatores que permitiram que o crédito classificado como de melhor qualidade, com a avaliação “AA”, subisse 27% entre 2014 e 2015, correspondendo a 49% da carteira. Na média do mercado, afirma, esse percentual está em 32%.
    https://incorporacaoimobiliaria.com/2016/05/09/com-queda-no-lucro-caixa-nega-esqueletos/

    No segundo trimestre de 2014, as provisões da Caixa para perdas com inadimplência dispararam 76,3 por cento.
    http://exame.abril.com.br/negocios/maior-inadimplencia-empurra-caixa-e-bb-para-lados-opostos/

    Os grandes bancos brasileiros terão que lidar com a inadimplência em alta também em 2017, ainda que a economia volte a crescer no ano que vem. Para a Fitch Ratings, novos casos de calotes corporativos devem vir pela frente, afetando a rentabilidade das instituições financeiras. No caso de Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, a agência de classificação de risco vê um desafio adicional: mantidos os atuais níveis de lucratividade e de avanço do crédito, esses dois bancos podem precisar de algum tipo de capitalização, já no fim de 2017 ou em 2018.
    https://www.abecip.org.br/imprensa/noticias/fitch-ve-alta-da-inadimplencia-seguir-ate-2017

    A simulação de reduções sequenciais nos preços de imóveis demonstrou que não há desenquadramentos e/ou restrição à distribuição de lucros para quedas nominais de até 25%.
    http://www.bcb.gov.br/htms/estabilidade/2016_09/refPub.pdf

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • From_The_Tower 31 de março de 2017 at 09:38

    Olhem esse site galera:
    Imóveis que já foram a leilão (primeira e segunda praça) e não foram adquiridos.

    http://imoveisintermedium.com.br/

    Escrevi para eles … perguntando das matrículas dos tijolos.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Zé do Brejo 31 de março de 2017 at 09:50

    AGORA AS VENDAS VÃO BOMBAR…
    Os corvos dirão que como tem muita gente sendo demitida, os desempregados vão sacar o FGTS e comprar seu tão sonhado bolhudo.
    Comprem agora antes que acabe!!!
    https://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2017/03/31/desemprego-e-de-132-e-atinge-135-milhoes-de-trabalhadores-diz-ibge.htm
    BIB não é a bíblia mas está cheia de profecias apocalipticas se cumprindo.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 31 de março de 2017 at 10:37

      Regra de 3
      Se são 13,5 milhões de desempregados e 13,2% de desempregados >>> 13,5 / 0.132 = 102,3 milhões compõe a População Economicamente Ativa
      Com uma população brasileira de 207 milhões, significa que o % da PEC seria de 49,4%
      Cada trabalhador precisa sustentar 2 pessoas.
      Na Europa a PEC é de 75%.
      Se o bolsa-família fosse extinto, então as 13,7 milhões de famílias, o equivalente a 50 milhões de pessoas, teriam que procurar emprego, então o índice de desemprego saltaria para cerca de 30%, acima do recorde da Grécia – 28% – atingido em maio de 2013.
      Na Grécia, aqueles que estão cadastrados nos programas assistenciais do governo, aqueles que desistiram de procurar emprego e aqueles que estão trabalhando menos do que gostariam, são classificados como desempregados, mas o IBGE não os classifica assim.

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • BolhistaBR 31 de março de 2017 at 10:59

        cara…. menos da metade da população trabalha formalmente!
        que piada!

        6+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • to bolhado 31 de março de 2017 at 11:04

        verdade seja dita, esse critério de definição de desemprego é universal. É uma m* mas é uma m* compartilhada kkk

        2+
        • avatar
        • Cesar_DF 31 de março de 2017 at 11:17

          Além dos 12,3 milhões de pessoas consideradas desempregadas no Brasil, há outras 12 milhões que gostariam de estar trabalhando ou têm jornada considerada insuficiente, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada hoje (23) pelo IBGE. A chamada taxa de subocupação, que agrega esses dois grupos, atingiu 22,2% no último trimestre de 2016, ante 17,3% em igual período do ano anterior. São 5,8 milhões de pessoas a mais nessa condição.
          http://www.redebrasilatual.com.br/economia/2017/02/falta-trabalho-no-pais-para-22-milhoes-de-pessoas-aponta-ibge

          2+
          • avatar
  • Zé do Brejo 31 de março de 2017 at 09:57
    • Cajuzinha 31 de março de 2017 at 10:02

      “A oscilação do IBC-Br ficou dentro do intervalo obtido entre analistas do mercado financeiro consultados pelo Broadcast Projeções, que esperavam resultado entre -0,75% e +0,32%, mas veio pior que a mediana das estimativas que apontaram para -0,20%.”

      “O indicador de janeiro ante o mesmo mês de 2016 mostrou desempenho também pior que o apontado pela mediana (-0,33%) das previsões de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Broadcast Projeções (-2,10% a -0,30% de intervalo).”

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Brazil mode OFF 31 de março de 2017 at 09:57

    como faço para “upar” imagens nesse blog?

    4+
    • avatar
    • avatar
  • From_The_Tower 31 de março de 2017 at 09:58

    Prévia’ do PIB inicia 2017 com contração de 0,26% em janeiro
    http://g1.globo.com/economia/noticia/previa-do-pib-inicia-2017-com-contracao-de-026-em-janeiro.ghtml

    o nível de atividade da economia brasileira iniciou o ano de 2017 em terreno negativo, segundo informações divulgadas nesta sexta-feira (31) pelo Banco Central.
    O chamado Índice de Atividade Econômica do BC, o IBC-Br – um indicador criado para tentar antecipar o resultado do Produto Interno Bruto (PIB), que é divulgado pelo IBGE – teve queda de 0,26% em janeiro, na comparação com dezembro. O resultado foi calculado após ajuste sazonal (uma espécie de “compensação” para poder comparar períodos diferentes).
    A retração de janeiro foi um pouco menor do que o registrado no mês anterior – quando o tombo foi de 0,32%. Janeiro foi o sétimo mês seguido de queda do nível de atividade, de acordo com o Banco Central. Em 2016, o indicador caiu em quase todos os meses, com exceção de abril (+0,06%) e junho (+0,30%).
    O Produto Interno Bruto é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia. Em 2016, de acordo com o IBGE, o PIB recuou 3,6%, no segundo ano seguido de contração. Para 2017, a estimativa de analistas dos bancos, do governo e do Banco Central é de uma alta de cerca de 0,5%.
    Recessão
    A economia brasileira atualmente passa por um longo período de recessão, registrado em um ambiente de alta do desemprego e também da inadimplência. Entretanto, indicadores mais recentes apontam para o início de uma melhora do nível de atividade econômica.
    Para tentar reaquecer a economia, o governo Michel Temer tem anunciado medidas como a liberação de saques das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O Banco Central também vem reduzindo a taxa Selic, o que deve se traduzir em queda dos juros dos empréstimos bancários.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 31 de março de 2017 at 09:59

      Ué, mas não tinha parado de piorar? kkkkkk

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • alemonbnu 31 de março de 2017 at 10:35

    Essa aí vai pra galera que confia muito no FGC :(incluindo eu)

    http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios,bva-tenta-manter-acordo-com-fgc-para-pagar-pequeno-credor,10000092993

    Trecho:
    “Com a decisão, os pequenos credores perdem a chance de receber até R$ 200 mil pelos investimentos que fizeram no banco. “

    5+
    • avatar
    • Cesar_DF 31 de março de 2017 at 10:45

      Estou sem acesso a reportagem, coloca ela aqui que é de grande interesse

      7+
      • avatar
      • avatar
      • alemonbnu 31 de março de 2017 at 10:51

        Ok, aí vai:

        O Tribunal de Justiça de São Paulo negou o recurso apresentado pela massa falida do banco BVA, que tentava manter acordo realizado com o Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Com a decisão, os pequenos credores perdem a chance de receber até R$ 200 mil pelos investimentos que fizeram no banco. O FGC realizou dois acordos com o BVA. O primeiro deles, que está sendo contestado na Justiça, garante ao fundo o recebimento de garantias de empréstimos que fez ao banco antes de quebrar. Pelo segundo acordo, que dependia da validade do primeiro, os cerca de 3 mil pequenos credores seriam ressarcidos de praticamente tudo o que depositaram no BVA.

        BVA

        Carteira total de crédito do BVA soma R$ 3 bilhões

        O caso chegou ao Tribunal porque grandes credores como o grupo Caoa e o fundo Flamboyant se sentiram lesados com o arranjo feito com o FGC, aprovado pelo juiz da vara de falências. O fundo, para dar liquidez ao BVA, emprestou cerca de R$ 390 milhões no período que antecedeu à quebra da instituição. Para garantir esses empréstimos, exigiu cerca de R$ 1,3 bilhão em Cédulas de Crédito Bancário.

        A carteira de crédito total do banco, que soma R$ 3 bilhões, é de difícil recuperação. Ficaria ainda mais desfalcada se os créditos que garantiam o empréstimo ao FGC fossem repassados ao fundo em sua integralidade. O fundo concordou negociar e reduzir as garantias para R$ 470 milhões. Receberia ainda R$ 34 milhões em dinheiro.

        Na sequência, foi feito um segundo acordo em que o FGC se comprometeu a elevar o mínimo para ressarcimento aos credores do BVA. O FGC garante investimentos no sistema bancário. No caso BVA, tinha obrigação de honrar perdas de até R$ 70 mil por investidor. Esse valor seria elevado para R$ 200 mil pelo novo acordo. Hoje, o valor mínimo garantido pelo FGC é de R$ 250 mil, mas a regra mudou pouco tempo depois da quebra do BVA.

        Os investidores entraram com ações na Justiça para obter os R$ 250 mil, mas recentemente o Superior Tribunal de Justiça entendeu que eles têm direito a somente R$ 70 mil. O FGC teria feito o acordo, no entanto, para tentar evitar processos judiciais – e antes desta decisão do STJ. De qualquer forma, o acordo só tem validade se o primeiro for a homologado pela Justiça. Além disso, o valor que o FGC tem a receber do BVA seria transferido para os investidores. Pelas contas do administrador judicial, a Alvarez & Marsal, seria possível recuperar cerca de R$ 150 milhões do valor hoje devido ao FGC e isso daria conta de pagar todos os pequenos credores.

        Grandes credores, como o grupo Caoa, entendem que não houve transparência na carteira de crédito dada em garantia ao FGC e questionam o fato de que os registros não foram feitos na sede do banco, como prevê a legislação. Estes argumentos convenceram o TJSP a derrubar o primeiro acordo. “Claro que queremos sair na frente do FGC”, diz o advogado do Caoa, Caetano Berenguer, do escritório Sergio Bermudes, referindo-se ao fato de que o credor que consegue acordo antes tende a ganhar mais. “As garantias são de todos os credores e quando são recuperadas são dividas por iguais”.

        Nesta quarta-feira, os desembargadores julgaram um instrumento jurídico chamado “embargos de declaração”. Normalmente, os juízes apenas esclarecem decisões neste tipo de julgamento, e é raro mudarem de opinião. O presidente da Associação dos Credores do BVA, Álvaro Coelho, diz que, com o acordo com o FGC, o prejuízo do pequeno credor seria menor. Mas o Tribunal manteve decisão que cancela o acordo com o Fundo Garantidor. Cabe recurso ao Superior Tribunal de Justiça. O FGC e a Alvarez & Marsal não se pronunciaram.

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Libertario 31 de março de 2017 at 11:02

          Sinceramente não vi problema do FGC.
          Na epoca da aplicação dos investimentos, o FGC garantia até 70 mil por CPF/CNPJ.
          Somente à pouco tempo que o FGC passou a garantir até 250 mil.

          22+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Marcos_SP 31 de março de 2017 at 11:07

            Exatamente.

            O fato (intervenção e falência do BVA) ocorreu em 2012, quando era regido pela Resolução 4.087, que garantia até R$ 70 mil.
            Somente em 2013 (depois do fato), que foi promulgada a nova Resolução 4.222, que garante desde então R$ 250 mil por CPF e conglomerado bancário.

            11+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
    • Zé do Brejo 31 de março de 2017 at 10:52

      É como eu digo, confio desconfiando. FGC de C… é R…

      3+
    • Marcos_SP 31 de março de 2017 at 11:02

      Nesse caso, estou do lado do FGC. O Banco Central interveio no Banco BVA em 2012, ainda quando a garantia era de apenas R$ 70 mil por CPF e conglomerado bancário, segundo a Resolução nº 4.087, de 2012. Isso significa que os credores deveriam ser ressarcidos segundo a legislação vigente. Mas como brasileiro é malandro, tentou na justiça receber de volta R$ 250 mil, situação essa que só foi mudada em 2013, com a nova Resolução nº 4.222, de 2013.

      Não estou do lado do investidores neste caso, pois se a legislação vigente no período era de que a garantia do FGC seria de até R$ 70 mil, por que tinha investidor/correntista com mais do que este valor na época alocado em um único banco?

      O que eles (investidores/correntistas) querem é se beneficiar de uma lei posterior à intervenção do Banco Central no BVA e aumentar esse limite de acordo com a nova legislação (Resolução 4.222), que na época do fato era regida por outra legislação (Resolução 4.087).

      Se você sabe, no momento da aplicação, que a lei atual garante até R$ 70 mil por CPF e conglomerado bancário, por que você deixou mais do que esse valor aplicado no mesmo banco??

      Sou a favor da decisão da justiça, pois a nova Resolução somente foi promulgada depois do fato (intervenção e falência do BVA). Se ocorresse a intervenção e falência do Banco depois a promulgação da nova Resolução, aí sim o FGC deveria garantir os R$ 250 mil para seus credores.

      23+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • alemonbnu 31 de março de 2017 at 11:05

        Faz sentido. UFA! Obrigado pela análise. Concordo contigo e com a decisão tb.

        5+
        • avatar
        • avatar
      • From_The_Tower 31 de março de 2017 at 11:15

        (2)

        3+
        • avatar
      • Zé do Brejo 31 de março de 2017 at 11:44

        Honestamente não quero precisar testar se o FGC é confiável ou não.
        Tomara que a quebradeira sistemica não ocorra, mesmo com a CEF super alavancada.

        8+
        • avatar
        • avatar
  • Cesar_DF 31 de março de 2017 at 11:34

    A taxa de subocupação segue a diretiva da OIT, onde além dos desempregados, entram outras categorias de pessoas que fariam parte da população economicamente ativa, mas não estão trabalhando
    https://sidra.ibge.gov.br/tabela/6397#resultado

    De acordo com a PNAD 4T/2016, estas seriam as taxas
    22,2% Brasil
    17,0% Centro-Oeste
    25,3% Norte
    33,0% Nordeste
    19,2% Sudeste
    13,4% Sul
    36,0% Bahia
    9,4% Santa Catarina

    11+
    • avatar
    • avatar
    • to bolhado 31 de março de 2017 at 11:39

      po, ainda bem que 14 anos de PT desenvolveu o Nordeste né, tá bombando por lá!!

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Libertario 31 de março de 2017 at 11:53

      Mas o importante:
      Essas pessoas, mesmo desempregadas, TEM INTERESSE em possuir um imóvel????
      Se tem interesse, já valem pras estatisticas e graficos florais.

      9+
      • avatar
      • avatar
  • Leonardo M. 31 de março de 2017 at 12:28

    Temer vai enviar MP pra abrandar lei sobre terceirização.

    Isso aí Temer, continue assim e nosso Brasil vai continuar indo para caminhos que a Grécia trilhou.

    9+
    • avatar
    • avatar
  • Zé do Brejo 31 de março de 2017 at 12:49

    COMPREM COMPREM COMPREM ANTES DO AUMENTO!
    AGORA É A HORA PARA FICAR DOENTE
    https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2017/03/31/governo-federal-autoriza-reajuste-de-ate-476-em-medicamentos.htm

    4+
    • avatar
  • Lucas 31 de março de 2017 at 13:24

    ESTA CHEGANDO A HORA DE AVALIAR A COMPRA DE UM IMÓVEL
    ainda que o fundo do poço esteja ´10 anos pra frente, existem outros fatores reais importantes
    devemos começar a discutir este assunto sim, obviamente que somente com um bom preço pra começar a conversa, tenho visto anúncios de encalhes de construtora em bairros promissores por valor mais que 50% abaixo do que se anunciava no auge lá por 2012, fui ver os bairros, há dezenas de torres desertas, pode sair dali uma boa oportunidade com 80%off e zero de passivos.

    “””Bruno.12 27 de março de 2017 at 12:49
    Pessoal, sinto falta de um “manual para comprar imóvel”, pois está começando a surgir ofertas interessantes (poucas, mas tem…). Vou cometer suicidio social em breve e estamos olhando um apartamento para comprar à vista. Quais dicas podem me dar? Andar, preço, metro quadrado, etc.””””

    meu argumento principal é:
    – a crise da década de 80, houve o calote de 87 do Sarney (?verif data), esse governo machiavélico pode fazer mil diabruras neste sentido que corresponda ao calote, e mais ainda o governo seguinte, seja qual for, tudo indica que será alguém afastado do Centro, como clama a pop. falida fudida raivosa, extremos são por principio mais inclinado a soluções heterodoxas bizarras, e nem todos aqui podem executar o manual do anony (eu não posso).

    Mas a compra criteriosa no meu ver tem que seguir regras pesadas o limite para jamais comprar no meu ver tem que respeitar o seguinte:
    – rente to brick jamais passar 200x o aluguel
    – patrimônio imóvel jamais passar 80% do total
    – preço incluso todos os custos inferior a 5x a renda familiar anual bruta média dos últimos 10 anos
    – casa jamais ultrapassar o teto de 10x o valor do seu(s) auto(s)
    – condições e localização que vão te dar qualidade de vida
    – estruturação pessoal e planejamento para fincar raízes no local de compra.

    Deve obedecer todas as regras, sem elas nem pensar.
    a metodologia de pesquisa de preço deve considerar de 20 a 50 casos reais entre vizinhos e amigos por bairro nos últimos 1 a 2 anos, excluindo-se da base os casos financiados (fingezap e quetais nem pensar, talvez o creciSP p base de preço teto)

    Podia fazer uma regra de Sempre Comprar, tipo o rente-to-bric em x80, 2 anos de renda, 5x o valor do auto, 10% do patrimônio, mas estamos tão longe disto que nem esquento.

    Atneção pessoal, aqui em SP a recuperação exauriu podemos pegar aí uma segunda perna da crise em W, a situação politica deixou de ser um fator de estabilidade, lafer voltou.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 31 de março de 2017 at 13:35

      Não estamos no inicio do Bull Trap?

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 31 de março de 2017 at 14:01

        também pensei nisso agorinha..
        Na hora que disserem que começou a subir vou contar 2 a 3 anos. em Portugal levou 5-6 anos pro primeiro bull e desceu depois um pouquinho, agora tudo está malparado e retomando.

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Zé do Brejo 31 de março de 2017 at 14:23

      200x o aluguel?
      Meu critério é 120x (média) ou 150x no máximo, isso se for excelente em tudo (o que é muito dificil).

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Brazil mode OFF 31 de março de 2017 at 13:27

    leilao

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cadeludo 31 de março de 2017 at 15:19

      e não houve interessados…..com renda, só propostas de troca por carros com ipva atrasado
      Apenas um tal de sr Ferdinand mas ele já tinha financiamento
      disse que vai pedir trintão pro sogro que também é bricklover
      se conseguir os trintão ele arremata, parece que vai vender o carro
      trintão é muito barato até na cohab, não vou deixar escapar pq aluga por 500 dilmos… dizia o Ferdinand investiment king

      4+
      • avatar
  • tmarabo 31 de março de 2017 at 14:00

    Bolha Imobiliária. O Resultado (Assustador) Da Brasil Brokers
    Perceba que a BBr saiu de vendas na faixa de R$ 11 bi para quase R$ 19 bi entre 2009 e 2012, um ano antes do auge da bolha de preços.

    Atingiu o volume máximo de vendas em 2011, 74.130 unidades.

    Quem viveu esse mercado deve lembrar que a coisa cresceu seriamente (em termos de preço) entre 2011 e 2013, e isso dá para ver nos preços médios de vendas, saindo de R$ 237 mil para R$ 407 mil. A carteira da BBr também trabalhava com imóveis mais baratos. Os balanços não dividem as vendas por região, apenas por categoria.

    texto completo:
    https://blogdoportinho.wordpress.com/2017/03/31/bolha-imobiliaria-o-resultado-assustador-da-brasil-brokers/

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 31 de março de 2017 at 14:09

      Muito interessante, principalmente a analise no RJ no final..

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Zé do Brejo 31 de março de 2017 at 14:17

      Excelente texto

      4+
      • avatar
      • avatar
    • Margarida 31 de março de 2017 at 23:48

      “É uma queda de braço estranha, com dois braços fraquíssimos, oferta e demanda.

      É mais um clássico brasileiro. Está péssimo para quem quer vender, e também para quem quer comprar. Economia brasileira PURA!”

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 31 de março de 2017 at 14:09

    Vejam só que negócio da China:

    Odebrecht gasta 1 bilhão para construir um centro administrativo de 182.000 m2 para o governo do distrito federal e irá receber 6 bilhões de aluguel, ao longo de 20 anos.

    http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/odebrecht-e-governo-do-df-duelam-por-obra-bilionaria/

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • anti_corvo 31 de março de 2017 at 15:36

      Alguém tem que pagar a conta.

      2+
      • Cesar_DF 31 de março de 2017 at 18:11

        Fazendo as contas
        6 bilhões dividido por 240 meses = 25 milhões por mês
        25 milhões dividido por 1 bilhão = 2,5%
        Fator X =40
        Poxa, um belo negócio para a Odebrecht e um péssimo negócio para o GDF, que poderia alugar um predião no centro de Brasilia por 0,4% ao mês mas prefere pagar 2,5% ao mês em Taguatinga

        10+
        • avatar
        • avatar
  • SampaBoy 31 de março de 2017 at 14:32

    31/3/2017 : IBGE: Construção foi setor que mais demitiu no trimestre até fevereiro

    A construção foi o setor que mais fechou postos de trabalho no trimestre encerrado em fevereiro, na comparação com igual período de 2016, segundo dados da pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nesse período, houve corte de 749 mil vagas, queda de 9,7% no número de empregados nessa atividade. Na comparação com o trimestre encerrado em novembro de 2016.

    http://www.valor.com.br/brasil/4922244/ibge-construcao-foi-setor-que-mais-demitiu-no-trimestre-ate-fevereiro

    Não esperava por essa…justo a construção ??

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 31 de março de 2017 at 14:42

      No auge da bolha tinha peão ganhando mais que gente com formação superior e especialização.
      Mão de obra vai voltar aos patamares reais. Inverno será longo e gelado.

      10+
      • avatar
  • Cesar_DF 31 de março de 2017 at 14:34

    Hell de Janeiro, a terra do funcionalismo público

    Município do Rio de Janeiro
    172 mil funcionários públicos
    96 mil na ativa
    62 mil aposentados
    14 mil pensionistas

    Estado do Rio de Janeiro
    478 mil funcionários públicos
    232 mil funcionários públicos na ativa
    246 mil funcionários públicos pensionistas ou aposentados

    Funcionários públicos federais no Rio de Janeiro
    103 mil funcionários na ativa

    Comparando
    Funcionários públicos federais em Brasília
    63 mil funcionários na ativa

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 31 de março de 2017 at 18:17

      O Hell de Janeiro é a cara da Grécia

      http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2134
      5. Excesso de funcionários públicos e ineficiência

      O emprego público é, sem dúvida, um dos grandes paradigmas do desastre grego.

      a) Durante a bolha, Atenas nem sequer sabia quantos empregados tinha em sua folha de pagamento. Os sindicatos estimavam uns 700 mil, enquanto o governo falava de 800 mil. Porém, se somarmos os contratos temporais, a cifra superou um milhão de pessoas em 2007, equivalente a 10% da população e a quase 20% da força de trabalho do país.

      b) Esses funcionários públicos ganhavam, em média, 1.350 euros mensais, um valor 50% maior que o salário médio do setor privado. Mas o relevante é que os ganhos reais dos funcionários públicos eram muito maiores: além de receberem dois salários extras anuais, recebiam também bônus e remunerações adicionais por coisas triviais, como chegar ao trabalho no horário certo, apresentar-se corretamente vestido, usar o computador ou falar outros idiomas. Os guardas florestais, por exemplo, recebiam um adicional por “trabalharem ao ar livre”.

      c) Somando todos esses extras, os funcionários públicos gregos chegavam a receber, em média, mais de 70 mil euros por ano, enquanto os funcionários públicos alemães recebiam 55 mil euros anuais.

      d) Adicionalmente, também havia uma pensão vitalícia de 1.000 euros mensais para as filhas solteiras de funcionários públicos falecidos, entre muitos outros privilégios e regalias.

      e) A Grécia tinha quatro vezes mais professores que a Finlândia, o país que está entre as melhores notas nos exames de PISA que mensuram a qualidade educativa. No entanto, essa superabundância de professores serviu apenas para jogar o país entre aqueles que têm os piores níveis de ensino da Europa. Muitos gregos que enviavam seus filhos para escolas públicas tinham de contratar professores particulares para reforço.

      f) Outro dado curioso é que a saúde pública grega era a que mais gastava com provisões e estoques, superando em muito a média da União Europeia. Mas os gregos não eram mais doentes que o restante da Europa. Motivo desses gastos? Um dos muitos escândalos que foram descobertos durante os últimos anos era a tradição entre médicos e enfermeiros de sair dos hospitais carregando todos os tipos de materiais higiênicos e sanitários.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • socrates 31 de março de 2017 at 19:48

        e depois reclamam da Alemanha?

        3+
  • Cesar_DF 31 de março de 2017 at 14:35

    COMO É POSSÍVEL FALIR O MAIOR LATIFUNDIÁRIO DO DF??

    Pré-falida, Terracap acusa Ibram por afundar na lama
    A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal está dando os últimos suspiros. O clima na estatal de terras de Brasília é de velório.
    Servidores de carreira culpam a administração pelo atual quadro. Já o presidente Júlio César de Azevedo Reis, acuado, atribui a situação de estado pré-falimentar a Jane Maria Villas-Boas, presidente do Instituto Brasília Ambiental.
    http://www.notibras.com/site/pre-falidaterracap-acusa-ibram-por-afundar-na-lama/

    Balanço financeiro revela que Terracap está à beira do colapso
    Principal financiadora de obras de infraestrutura do Governo do Distrito Federal, a Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap) passa por uma crise sem precedentes na sua história. O último balanço divulgado pela estatal traz números que deixaram o Palácio do Buriti em alerta, já que a empresa é fiadora (oferecendo terrenos como garantia) de contratos bilionários firmados pelo Executivo local em parcerias público-privadas e com bancos. Em apenas um ano, a venda de imóveis despencou 78,6% e o lucro líquido da companhia caiu quase 100%.
    A arrecadação, que chegou a R$ 917 milhões em 2014, minguou para R$ 196 milhões em 2015. O desempenho pífio fez a receita desabar, de um ano para o outro, de R$ 1,6 bilhão para R$ 360 milhões, queda de 77,63%. Pior: o lucro líquido (deduzidos os impostos e taxas) reduziu-se de R$ 778 milhões para R$ 19 milhões, 97,52% menor. A performance ruim recai diretamente nos investimentos públicos no Distrito Federal.
    http://www.metropoles.com/distrito-federal/balanco-financeiro-revela-que-terracap-esta-a-beira-do-colapso

    Das 5.615 vendas realizadas a prazo, 2.430 estão adimplentes e 3.185 (56,7%) estão inadimplentes
    http://www.terracap.df.gov.br/component/attached/?task=download&id=3167

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 31 de março de 2017 at 15:19

    encontramos mais um leitor nosso escrevendo na grande imprensa, reparem na estilística ele faz de proposito para deixar claro que é daqui

    alias, excelente, merecia tópico
    https://blogdoportinho.wordpress.com/2017/03/31/bolha-imobiliaria-o-resultado-assustador-da-brasil-brokers/

    vai ajustar???
    prezado portinho essa resposta vc sabe qual é mas ainda se sente na obrigação de pegar leve para não acender a ira de parte dos leitores. Indo além do obvio duma pergunta retórica diria mais que isso, diria que: o ajuste é uma condição sinequanom para o país sair desta situação bizarra, a crise vai durar tanto tempo quanto for o tempo que levar para o ajuste ajustar as coisas.
    Eu chuto, baseado em fatos passados e na analise das engrenagens do sistema, que serão uns 10 anos pro ajuste se finalizar, que ajuste já começou e aqueles índices e números e discursos servem apenas para maquiar a realidade e aos poucos o ajuste ir se concretizando de modo soft. Todavia é uma estratégia falha, quanto mais tempo demorar pior fica, e no meio do caminho as poucas vendas fechadas mostram o quão hard é o microcosmo de quem compra/vende, ainda que existam raros negócios pela tabela oficial, o que serve apenas para mais gente ser engolida nesse buraco negro financeiro, alimentar a sede de ajuste do sistema, o movimento rentista e o nosso santo PMJ de cada dia. abrx

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 31 de março de 2017 at 15:28

      Exatamente.
      O não ajuste que os agentes econômicos insistem em não permitir e fazem esforços para protelar só acentuará o grande movimento de correção. Esse ficará com mais força. Finge – Zap seria uma forma de anestésico… assim como foi o começo do governo Michel Temer….

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • From_The_Tower 31 de março de 2017 at 15:31

    CVR
    mais um casal que eu conheço se separou.
    ele foi demitido de uma grande multinacional…. a mulher já não estava mais curtindo o matrimônio… e separou-se de uma vez….
    sem reservas financeiras… colocaram o bolhudão á venda . Apê de 03 quartos… + ou – 20 anos de construção. Preço anunciado: 510k.
    Bem procurado já existem sobrados e apês de 03 quartos NOVOS nesse preço. Bem procurado aluguel dos mesmos imóveis por 2k ao mês.
    Bem.. eles precisarão alguém com 100k de grana para a entrada e mais uma renda declarada de 14k para assumir um financiamento de longo prazo. E aí, vai!?

    45+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Leonardo M. 31 de março de 2017 at 15:37

      Eu se tivesse R$510k iria ser Brick lover nos EUA !!!
      Pelo menos lá posso ter uma R-15 dentro de casa e atirar em qualquer um que tentasse entrar na minha casa.
      Aqui no Brasil você compra algo mas não é 100% seu.
      Se a Funai decidir que lá em 943 antes de Cristo sua casa foi um templo dos índios então sinto muito, perdeu!!!!

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • EngenheiroDF 31 de março de 2017 at 15:40

      Isso supondo que algum banco vai avaliar o imóvel no valor desejado por eles. Acredito que um dos principais gatilhos pra entrarmos no despair será o momento que os bancos tiverem ciencia que os imóveis não valem aquele valor que aceitam como garantia, e apartir daí recusem os financiamentos ou financiem bem menos do que o valor desejado.

      Se tirarmos o fator financiamento, e os imóveis só puderem ser comprados a vista, ai saberemos o valor real de cada um.

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 31 de março de 2017 at 15:44

        Ai os BRICK LOVERS atacarão os avaliadores…. e pedirão uma lei ou regulação do setor.
        Escreve aí !!!
        😉

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • From_The_Tower 31 de março de 2017 at 15:49

          Mas concordo contigo….. quando a coisa ficar complicada na concessão de crédito… os bancos recusarão os recursos para esse setor… e focarão em outras modalidades. Alguns estarão bem preocupados em administrar imóveis.. vide Espanha e Portugal.

          10+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Lucas 31 de março de 2017 at 16:22

            entrada de 100k (digamos 1k de oportunidade) +5k / mês pra ter algo que custa 2k???
            a conta não fecha, é 3x melhor alugar, é 300% melhor alugar
            precisa dar desconto de 66% para pelo menos empatar
            isso pensando que com a crise o aluguel baixe ainda mais os custos subam ainda mais
            66% de ajuste pra hoje, e corre vender que mês que vem precisa descontar 70%

            12+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
    • Money_Addicted 31 de março de 2017 at 15:43

      realmente nao vai, nao tem como

      4+
      • avatar
  • Longa Manus 31 de março de 2017 at 15:54
    • Juros Lover BSB-BH 31 de março de 2017 at 16:11

      Acho que o Doria (nem sou tão fã por enquanto, vou aguardar passar o hype e ver o que sai de concreto) vai engolir esse Ze Ruela do Bolsonaro que vive somente do ódio e é um completo jumento na área econômica…

      7+
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 31 de março de 2017 at 16:17

        juro que prefiro ele 8 anos na prefeitura
        o cara é um monstro
        esses dias resolveu 2 grandes problemas duma tacada só:
        os jardins verticais da 23 de maio vão filtrar bilhões de toneladas de poluição/ano + estabilidade térmica/ umidade
        ao mesmo tempo vai desagogar áreas para compensação ambiental diante da rígida normal ambiental de SP

        ao invés de revogar leis complicadas (como Trump fez) e negar parte dos problemas ele criou uma terceira via, ainda que eu concorde com parte de trump, os efeitos negativos do aquecimento de origem antrópica no saldo não existem, os que existem são mitigáveis, e o próprio aquecimento em si, em termos globais é insigniticante.
        ao mesmo tempo se

        5+
        • avatar
        • avatar
        • Juros Lover BSB-BH 31 de março de 2017 at 16:22

          Acho que a chance do Doria ficar na prefeitura se disparar nas pesquisas é zero…até o Geraldo padrinho politico dele já está meio conformado…

          Quanto ao Trump…O cara é uma piada ridicula…mentiroso compulsivo…

          8+
          • avatar
          • avatar
        • Lucas 31 de março de 2017 at 16:29

          eu gostaria pessoalmente que o Doria ou algo no estilo dele fosse o sucessor do bonecão daqui 8 anos quando toda a limpeza dura tiver sido feita

          inclusive no próprio E-M eles mesmos tem dúvidas internas quanto ao operacional do cara, na fase do regime era tudo mais simples, o mundo civil até hoje não sabem o que é um Estado-Maior, hoje haveria de se construir um sistema usando a mítica que a nova onda segue, mas mantendo os preceitos verdadeiramente conservadores do donos (estes que considero corretos) no sentido de aprimorar o sistema, de forma pragmática, fugindo do limbo marxista, aliás justamente que lula lhes prometeu 13 anos atrás.

          4+
          • avatar
        • Pure 31 de março de 2017 at 17:38

          Da onde você tirou essas informações sobre os jardins verticais? Até onde eu li, elas pouco compensam as áreas verdes e necessitam de manutenção bem maior.
          A jogada de substituir as paredes cinzas pelos jardins verticais é ok, mas considera-las como opção pra compensação de áreas verdes, parece ser uma furada. As construtoras vão gostar, claro.

          5+
          • avatar
          • Lucas 31 de março de 2017 at 19:09

            não falei área
            pode sim entrar no calculo de plantio uma vez que a capital tem dificuldade em achar espaços para novas mudas dentro da área urbana da capital, e aquelas plantadas nos 90 muitas causando estragos ou pra cima ou pra baixo

            a dificuldade de manutenção é proporcional ao carbono capturado, não gosto muito dessa terminologia, mas o fato é que muros verdes filtram o ar, eu mesmo com a bolha me mudei pra periferia e moro hoje num bairro extremamente arborizado, a qualidade do ar, sujeira e ruído aqui é outra, aqui o pó é mais branquinho, e o silencio meodeus, sou outra pessoa.

            4+
            • avatar
      • to bolhado 31 de março de 2017 at 18:57

        Ha bons motivos pra não gostar do bolsonaro. E eh difícil discordar da frase “jumento ” na area econômica. Mas, na boa, dizer que ele vive de ódio eh um argumento da profundidade que um petista usaria

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 31 de março de 2017 at 19:12

          exato

          tem muito exagero nisso, quem tem raiva são os cuspidores, e outra coisa, muito justo sentir raiva sim do PT, eu admito minha mais profunda raiva, como disse bob jeferson o pt me causa os instintos mais primitivos, que bom que alguém canalize isso pro bem, que fique claro canalizar é diferente de se alimentar.

          4+
          • avatar
          • Carlos 31 de março de 2017 at 19:21

            É um exagero falar que todos que apoiam o boneco tem raiva, mas da mesma maneira que entre os apoiadores de Trump tem toda uma turma sim movida por ódio véio, e tu sabe muito bem disto.
            A turminha da pena de morte geral e irrestrita, do bate e arrebenta, dos TFP e até de alguns racistas.

            2+
            • avatar
            • Lucas 31 de março de 2017 at 19:56

              tem psicopata em todo lugar
              e daí???

              muitos destes votaram no lula, pelas mesmas neuroses

              democracia é isso, desde que n se cometa crimes, que bom né
              pelo direito dos malucos de malucar

              3+
              • avatar
              • Carlos 31 de março de 2017 at 20:00

                Democracia onde você só pode ser de direita?
                Este é o pensamento de muita gente que apóia o boneco, democracia passa muito longe dos ideais e da vontade desta gente véio.

                1+
        • Cesar_DF 31 de março de 2017 at 19:44

          Acho que o Bolsonaro entende mais de economia do que o Itamar Franco.
          O Itamar colocou o Robens Ricupero como ministro da fazenda, o verdadeiro pai do Plano Real

          https://pt.wikipedia.org/wiki/Plano_Real

          3+
          • avatar
        • Juros Lover BSB-BH 1 de abril de 2017 at 11:14

          Vish, imagina quando ele estiver com ódio então…

          0
  • Cajuzinha 31 de março de 2017 at 16:13

    “Não é por cargos e nem por discordâncias sobre terceirização ou mudanças na aposentadoria que o líder do
    PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), tem se tornado cada vez mais crítico ao governo do presidente Michel
    Temer. Pragmático, às voltas com a Operação Lava­Jato e preocupado com a reeleição do filho no comando de
    Alagoas, Renan resolveu iniciar um movimento de desembarque da base aliada para apostar suas fichas em
    uma aliança com o ex­presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2018.”

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 31 de março de 2017 at 16:32

      renã é o coronelismo do regime feudal brasileiro
      temer, sob este prisma, é algoi muito mais muderno, além de outro defeito grave ser paulista da gema, aliás o primeiro presidente paulista do BR em 120 anos de republica

      5+
      • avatar
      • avatar
      • Carlos 31 de março de 2017 at 17:00

        Foi ver o Justin Biba véio?

        1+
  • Lucas 31 de março de 2017 at 17:18

    Cesar_DF

    A Terracap é proprietária das terras do Distrito Federal
    Quando foram desapropriadas várias fazendas em 1958 para formar o DF, uma das maiores, a Barra Alta, com 61.000 hectares, foi desapropriada por US$ 60.000 em valores atuais.
    Deposi de desapropriado, o governo federal transferiu a propriedade para o GDF, e durante muitos anos a Terracap era a galinha dos ovos de ouro.

    http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/4019/4/2006_DarcyDornelasdeFarias.pdf

    1+
    • avatar

    ENGENHARIA do ministro se não me faLha a memoria ISRAEL PINHEIRO
    Dvinha quem foi o primeiro presidente da terracap???
    época boa, que os marxistas de esquerda e direita eram unidos

    2+
    • avatar
  • Carlos 31 de março de 2017 at 17:26

    OFF – Estônia – Registre seu negócio em 15 minutos

    Registering your Estonian company in 15 minutes
    https://1office.co/estonia/blog/private-sector-initiative-helps-e-residents-establish-companies-estonia/

    3+
    • avatar
  • foxbravo 31 de março de 2017 at 18:10

    Nos últimos 4 meses eu só escuto isso, quase que diariamente:
    O imóvel vale 500.000,00 mas, para vender agora, tem que vender por 380.000,00. São várias pessoas, sobre vários imóveis, só mudando o valor.

    Teve um avaliador profissional, contratado, que avaliou um imóvel baseado nos “anúncios” da região. Basicamente ele tirou fotos do imóvel, fez um descrição detalhada e “avaliou” por um valor absurdo incluindo centavos. Como consegue dar uma precisão de centavos?? rs..
    Já um outro avaliador, do mesmo imóvel, estava indo para o mesmo caminho. Só que ele criou uma novo parâmetro. “Valor de liquidez”. Esse é o valor que, segundo ele, deveria ser “pedido’ caso o proprietário desejasse vender rapidamente. No final o valor do imóvel ficou próximo ao que o primeiro apresentou.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 31 de março de 2017 at 18:51

      Eles tem uma planilha excel:

      Bidê rosa: +10.666,66
      Bidê azul: + 6.666,67K
      Samanbaia: + 1.045,30
      Samanbaia meio seca: + 1.002,67
      Samanbaia seca: + 670,65
      Janela: +666,66
      Janela que dá para mato: 1.333.32
      Janela que dá para o mato mas não dá para ver a favela: 66.666,66

      É só marcar as colunas corretas e voila…

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Leonardo M. 31 de março de 2017 at 19:33

    CVR
    Brasileiros agora estão caindo na real

    1
    Gente estou em busca de emprego já não sei mais o que eu faço já coloquei currículo por vários lugares já gastei o que não tenho indo em entrevista por favor está difícil se alguém souber esse é meu zap 998064889

    2
    Ta difícil ta para todo mundo estou desde janeiro e já envie mais de 130 curriculum só faço entrevista e não chamam…tbm não sei mais o que faço. Tá faltando até comida. A única coisa que não me falta é esperança.?

    E ainda vai piorar muito pra depois melhorar!!!!

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Leonardo M. 31 de março de 2017 at 19:44

      3

      Procuro agencia seria que realmente encaminhe para vaga de emprego e nao cobre taxas absurdas. Ou alguem que me indique e se eu for contratada pago gratificacao .
      Tenho experiencia como operadora de caixa, atendente, empacotadora, pode ser vaga de vendedora que nao precise experiencia.
      Se alguem puder me ajudar chama inbox .
      Obrigado!

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • O Cramulhao de FHCigienopolis45 31 de março de 2017 at 23:52

        “Operadora de Caixa, Atendente”….tudo emprgo que precisa de anos de estudo né?

        Essa gente merece mesmo! E nem adianta falar que não teve oportunidade de estudar na era da internet!

        6+
    • O Cramulhao de FHCigienopolis45 1 de abril de 2017 at 00:02

      Cara, onde você achou esses CVRs ?

      Eu adoro ver gente desempregada que não se preparou pra vida se ferrar…sério!
      Eu lembro quando pequeno, crescendo aí no Brasil, eu era o típico gordinho nerd de classe-média baixa de escola estadual paulista , que teve que estudar com favelados futuros traficantes , e ainda era zuado na escola, pois era até grande (virei faixa-preta de jiu-jitsu anos depois), mas como eu estudava com um vários caras mais velhos repetentes, queriam sempre sair na porrada comigo. No Linkedin hoje em dia tenho muita gente que dessa época…e adoro ver como estão se ferrando. Enquanto da escola estadual fui direto pra USP (e depois pra Oxford) a maioria dos meus ex-colegas de classe dos anos 90 nem saiu da periferia de São Paulo….

      Facebook então é um festival de bananense pagando pensao pra 2 , 3 filhos…mãe solteira que engordou e acabou seguindo a carreira da mãe em faxina, colega formado em engenharia de uniesquina trabalhando de Uber…e aí sim.

      Melhor que isso, só os desconhecidos que abrem a vida toda nas redes sociais choramingando emprego!

      Então passa sua fonte aí, parece ser divertida também, hahaha

      20+
      • avatar
      • avatar
      • Leonardo M. 1 de abril de 2017 at 01:07

        FB grupos de emprego

        Até 2014 tinha centenas de páginas de ofertas de emprego…Hoje são centenas de gente pedindo emprego.

        6+
        • avatar
        • avatar
  • Cadeludo 31 de março de 2017 at 23:06

    ajuda aí gente
    o que é melhor.?
    cdb 98% cdi com 15% IR
    lci 90% cdi

    2+
    • Leonardo M. 31 de março de 2017 at 23:13

      LCI

      4+
      • avatar
      • Cadeludo 31 de março de 2017 at 23:18

        poisé to tentando no satã mas tão se encolhendo
        vou insistir

        1+
        • Cadeludo 31 de março de 2017 at 23:19

          era a taxa da blackfriday

          1+
  • Krakenvader 31 de março de 2017 at 23:29

    Cara… Tá de dar dó a quantidade de “protestos” no Reclame Aqui. Todos reclamando que as parcelas “decrescentes” não decrescem. Fico me perguntando até onde vão conseguir pagar. O tombo vai ser grande!!

    8+
    • avatar
  • Alemon Fritz 31 de março de 2017 at 23:34

    estava lendo sobre casos de Bail-in
    (a) the financial institution’s collapse is not likely to pose a systemic risk because it does not fall into the “Too Big To Fail” category; or
    (b) the government does not possess the financial resources necessary for a bail-out because it is itself heavily indebted.
    bail-ins soon became an attractive third option to recapitalize troubled institutions from within, by having creditors agree to rollover their short-term claims or engage in a restructuring.

    https://www.thebalance.com/what-is-a-bail-in-and-how-does-it-work-1979089

    Read more: Bail-In http://www.investopedia.com/terms/b/bailin.asp#ixzz4cxeWW6zS

    4+
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 1 de abril de 2017 at 01:08

      Pessoal (bancos) com medinho da bolha por estes lados Alemon.

      The Australian Prudential Regulation Authority wrote to all banks on Friday, saying it expected them to tighten their lending practices particularly on interest-only and investor loans.

      Banks to slam brakes on interest-only loans
      http://www.smh.com.au/business/banking-and-finance/apra-moves-to-tighten-mortgage-rules-20170330-gvaigd.html

      2+
      • avatar
      • Carlos 1 de abril de 2017 at 01:16

        Esta foram as recomendações do pessoal responsável pela prudência down under 😀

        “limit the flow of new interest-only lending to 30 per cent of total new residential mortgage lending, and within that:
        place strict internal limits on the volume of interest-only lending at loan-to-value ratios (LVRs) above 80 per cent; and
        ensure there is strong scrutiny and justification of any instances of interest-only lending at an LVR above 90 per cent;
        manage lending to investors in such a manner so as to comfortably remain below the previously advised benchmark of 10 per cent growth;
        review and ensure that serviceability metrics, including interest rate and net income buffers, are set at appropriate levels for current conditions; and
        continue to restrain lending growth in higher risk segments of the portfolio (e.g. high loan-to-income loans, high LVR loans, and loans for very long terms).”

        Olha o ploc aí gente…

        http://www.apra.gov.au/MediaReleases/Pages/17_11.aspx

        0
        • Carlos 1 de abril de 2017 at 01:49

          Uma comparação muito bacana entre os tipos de financiamento aquí:

          Australia’s interest-only mortgages
          Our infographic explains how interest-only mortgages have grown in Australia, how much people are borrowing for an interest-only loan and how much you will really pay for this type of loan.
          https://www.moneysmart.gov.au/borrowing-and-credit/home-loans/interest-only-mortgages/australias-interest-only-mortgages

          3+
          • avatar
          • avatar
          • Carlos 1 de abril de 2017 at 01:54

            Sinto cheiro de esquema similar ao “imóvel na planta” bananence, só que neste caso o “investidor” ‘so paga os jurinhos por um certo período de tempo.
            É claro que quem é inteligente está do outro lado: recebendo este juros e não pagando.

            6+
            • avatar
            • Carlos 1 de abril de 2017 at 01:57

              Para deixar mais claro, neste tipo de financiamento (interest-only) o motumbado paga somente os juros do financiamento por alguns anos e depois passa a pagar normalmente os juros e o principal.
              Fica claro no infográfico que ele paga muito mais pelo imóvel, os motivos já sabemos, tem gente que adora pagar juros enquanto outros adoram recebe-los }:D

              3+
              • avatar
  • Margarida 31 de março de 2017 at 23:42

    Eu, lendo aqui os muitos comentários sobre a pressão do volume de imóveis que devem entrar na roda dos leilões, fiquei pensando uma coisa: o número de imóveis que eu tenho visto em leilões por causa de dívidas de condomínio é grande (crise, mudança recente nas leis, necessidade dos próprios condomínios pra não aumentar taxas dos adimplentes, etc.)

    Vocês têm uma opinião ou, melhor ainda, dados, pra gente avaliar quanto esse número de imóveis concorrendo em leilões com os retomados dos bancos vão complicar a coisa toda? Se for um número significativo, a situação pode ficar mais complicada, e mais rápido. Será?

    5+
    • avatar
    • avatar
  • O Cramulhao de FHCigienopolis45 31 de março de 2017 at 23:49

    [OFF] Alguém aqui já investiu nesse debẽnture : CEMIG GERACAO E TRANSMISSAO S/A?!

    Vi que está 9% + IPCA na RICO, pra 1779 dias!!!

    To pensando em arrriscar…

    3+
    • avatar
    • homelessbubbles 1 de abril de 2017 at 00:08

      Há uns meses peguei Cemig a 9.8%+IPCA e com prazo de apenas dois anos. Até já pagaram uma parcela da amortização. Pra prazos muito longos acho um pouco arriscado e vale lembrar que as debêntures que pagam juros semestralmente perdem a vantagem do juro sobre juros. Outro motivo para preferir debêntures com prazos mais curtos.

      3+
      • avatar
  • Alemon Fritz 1 de abril de 2017 at 00:45

    Globe editorial
    Globe editorial: Solving the enigma of Canada’s housing bubble
    Prices in Toronto appear to be feeding on themselves. Why? It’s the psychology of FOMO – the fear of missing out.
    Purchasers fear that, unless they buy now, they’ll miss out on ever owning a home. Potential sellers fear that, if they sell now, they’ll miss out on windfall profits from inevitable price jumps.
    If you’re already a homeowner, it’s wonderful. If you’re a young person, an immigrant or middle-class, it’s depressing. If you’re an economist or a banking regulator, it’s terrifying.
    http://www.theglobeandmail.com/opinion/editorials/globe-editorial-solving-the-enigma-of-canadas-housing-bubble/article34339316/

    3+
    • avatar
  • Alemon Fritz 1 de abril de 2017 at 10:25

    corvo na esquadrilha da fumaça

    Quadrilha de traficantes negociava fazenda em ponto estratégico na fronteira
    fazenda tinha pista de pouso..

    http://www.correiodoestado.com.br/cidades/quadrilha-de-traficantes-negociava-fazenda-em-ponto-estrategico-na/301087/

    2+
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 1 de abril de 2017 at 10:34

    legal, cm explicações detalhadas do FOMO.
    Housing supply is disappearing:
    Fewer people are putting their homes up for sale, either out of fear of buying a new home in this market, or out of hopes they will sell for more later.
    (já aqui o “medo” é antecipado pela queda de lançamento e não pelo estoque qe está no mercado)

    2+
    • avatar
  • Alemon Fritz 1 de abril de 2017 at 11:42

    Plantando milho na planta
    MP do piaui investiga empresa da Dupla zeze di camargo e luciano
    – não foi entregue, mas desde 2015 estão cobrando condominio, iptu, etc… kkk

    http://www.gp1.com.br/noticias/mp-do-piaui-investiga-empresa-da-dupla-zeze-di-camargo-e-luciano-411717.html

    3+
    • avatar
    • avatar