Porto Alegre têm mais oferta de imóveis e preços menores – Jornal do Comércio

Você pode gostar...

Comments
  • Antigo 17 de fevereiro de 2017 at 10:36

    Estável nada
    A queda é clara!!
    Bolhudos, ardam!!

    34+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • MauricioSP 17 de fevereiro de 2017 at 11:18

      Essa notícia ilustra bem o que o Lucas comentou há anos atrás, imóveis encalhando, proprietários tentando o aluguel para evitar custos com condomínio, mercado de aluguel inflando e o valor do aluguel despencando. A profecia virou realidade!

      31+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 12:34

        infelizmente não previ essa,
        acertei varias,e rrei varias mas essa eu nem imaginava
        na minha cabeça aluguel atingiria um valor e ficaria estável por muitos anos sendo corroído pela inflação e atraindo o valor de venda de volta pra próximo a ela

        o que aconteceu foi aluguel despencando enormidades, no meu bairor coisa de mais de 50% e vendas travadas, paradas, os anuncios não sairam do lugar, as rarissimas vendas com desconto percentual menor que no aluguel.

        Não contava com a insanidade e a discalculia do bananense, eles me surpreenderam

        30+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 12:35

          quedas acima de 50% até o momento só vi em leilões, vi um lá com 90%off

          8+
          • avatar
          • avatar
          • Margarida 17 de fevereiro de 2017 at 13:25

            Eu vi a que contei no outro topico. Foi mais. A venda esta sendo negociada pot metade do valor de dous anos atras. E ainda nao foi fechada. Vou acompanhar, atualizo daqui a uns dias.

            10+
            • avatar
        • MauricioSP 17 de fevereiro de 2017 at 12:57

          Então confundi quem profetizou a queda do aluguel… Mas lembro de ler aqui! Realmente a Banania não é para os fracos!

          6+
          • avatar
          • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 15:08

            olha o motivo que eu errei essa:

            na minha cabeça qualquer um aguenta o aluguel, não vão arrumar pra cabeça por causa de descontinho de 200 reais/mês, que sempre vai ter alguem de demanda preferindo alugar pra segurar o valor
            então se cair, cai pouco

            já venda, tem que cair 200 mil pra atrair compradores, os anunciantes vão correr em desespero quando perceberem o tamanho da trolha e as parcelas crescendo, risco de perderem tudo.

            maas num é que aconteceu foi exatamente o contrário
            cá entre nós, eu pensei certo não foi? bom senso e tudo
            só que as pessoas não fazem assim.

            5+
            • avatar
        • perdido no rio 17 de fevereiro de 2017 at 18:22

          Lucas, acho que é isso que o Portinho chama de “fetiche da iliquidez”: no aluguel, os propriotários sabem que se não baixar, não alugam (alguns resistem, mas entre meus poucos conhecidos com imóveis para alugar, quem baixou alugou). No caso da venda, a pessoa se sente perdendo dinheiro, e pior: tem medo de não conseguir manter o dinheiro investido, o que só prova que o bananense é um povo sem a mínima educação financeira e explica porque tanta gente bem-nascida e com bons salários fica na merd*.

          Abaixo, o texto do Portinho:
          (https://blogdoportinho.wordpress.com/2016/07/07/o-preco-justo-dos-imoveis-julho-de-2016-e-as-irracionalidades/)

          No residencial, a irracionalidade impera.

          O derretimento dos alugueis no RJ eu vejo no dia a dia. Muitos colegas que trabalham comigo vieram de outras cidades para o RJ em 2012 buscando imóveis próximos ao centro. Imóveis péssimos, caindo aos pedaços, na zona sul, 2 quartos, sem garagem, 60-80 metros quadrados, preço mínimo 2.250, 2.500.

          Exatamente o mesmo preço que se paga hoje, até dá para pagar menos. Em termos reais, descontando a inflação, teríamos uma perda superior a 30%.

          Já em imóveis de alto padrão, alguns aluguéis caíram 50%, 60% NOMINAIS, com a saída em massa dos estrangeiros do petróleo.

          Imóvel comercial é até difícil alugar a preço “zero”, pois os condomínios são caríssimos. Ficam fechados dando prejuízo mesmo.

          Mas ninguém vende. Só vende barato, ou a preço justo, quem precisa.

          Brasileiro é de tijolo. Mesmo quem tem 10, 15 imóveis, ganhando 0,2%-0,25% ao mês, NÃO VENDE.

          É o benefício da iliquidez. A pessoa tem medo de ser perdulária com dinheiro, que é muito líquido, e está na mão.

          É claro que se a situação do Brasil piorar, se houver demissão de servidores do estado aqui no RJ (que seguram bastante o preço dos imóveis, pois tem renda mais alta e estabilidade), não seria impossível um derretimento ainda maior. Com uma grande quantidade de pessoas tentando vender para se manter.

          No fundo será sempre oferta e demanda. Se houver muita oferta e pouca demanda, é derretimento.

          Por que o imóvel continua valendo R$ 700 mil e não cai?

          Ora, o fetiche da iliquidez. Prefiro ter um imóvel de 700 mil rendendo 0,25% ao mês do que correr o risco de vendê-lo, ter uma renda de 0,9% ao mês, mas cair na tentação de gastar “um pouquinho a mais”.

          Com o aluguel você não tem chance. É aquilo que você tem para gastar e pronto. Mas com o dinheiro na mão…

          Sempre vale colocar um exemplo, né?

          Que tal morar no Recreio, perto da praia, numa cobertura linear com churrasqueira, 180 metros quadrados, por R$ 2.000 ao mês?

          O mais legal é que o sujeito quer R$ 1.250.000 no imóvel, que ele mesmo pede R$ 2.000 no aluguel (menos de 0,2% de retorno).

          O amor pela iliquidez e o medo de fazer bobagem com dinheiro nas mãos leva as pessoas a cometerem verdadeiras atrocidades financeiras!!!!

          O anúncio deve sair rápido, mas o link é esse:

          http://www.vivareal.com.br/imovel/cobertura-2-quartos-recreio-dos-bandeirantes-zona-oeste-rio-de-janeiro-com-garagem-180m2-venda-RS2000-id-61193940/

          6+
          • avatar
    • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 12:17

      Quando mais cai o aluguel, pior fica o Fator X
      RECEBAM

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Thiaguinho 17 de fevereiro de 2017 at 10:38

    Mentira atrás de mentira esse artigo:

    “Preço de venda subiu 1,87%” – anunciados, e não realizados. Ou seja, queda de preço. Mentira

    ” O mercado continua forte” – mentira

    “imóvel continua sendo um bom investimento quando analisado no longo prazo. “Quem não precisava do dinheiro, sabe que o tempo colocará o preço no lugar”, comenta Schukster” – preciso dizer algo? Mentiroso

    “No acumulado de 100 meses na locação, por exemplo, os ganhos ainda superam a inflação” – mentira. Quem acompanha o blog sabe. Só 1 texto do CA já desmente isso.

    “Depois de muito tempo abaixo da inflação, a poupança voltou a render mais, então, confirmando um aumento na captação, podemos esperar aumento nos financiamentos” – mentira. Cada dia mais desempregados e bancos fechando a torneira. Quem vai financiar??

    E aí, vai??

    32+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • antifragile 17 de fevereiro de 2017 at 10:45

      Uma mentira dita mil vezes transforma-se numa verdade. No país das maravilhas do bananense. E eles ainda hão de acordar pro pesadelo da vida real.

      13+
      • avatar
      • avatar
    • Antigo 17 de fevereiro de 2017 at 10:59

      Esse lance da poupança render mais que a inflação e por causa disso atrair mais gente é uma das maiores idiotices que já li.
      Como se investidor de poupança entendesse taxa de juros e avaliasse opções antes de fazer esse ‘investimento’.

      Investidor de poupança é gente simples, que só quer juntar dinheiro. Esse tipo de gente está com a corda no pescoço e tendo que raspar o tacho para sobreviver.
      Sinceramente, essas notícias me dão ânsia de vômito.

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • bolha real 18 de fevereiro de 2017 at 05:44

        Huuummmm….

        0
  • fanfarraum 17 de fevereiro de 2017 at 10:47

    Já que o assunto é a minha cidade, e eu falei dela no tópico passado:

    —-

    Atenção: toda vez que eu falar em “imóveis” entende-se os imóveis que eu pesquisei segundo alguns critérios de meu interesse.

    No tópico anterior, eu fiz uma tabela mostrando a diferença média de preços nos preços anunciados de um imóvel com 1 ou 2 vagas.
    Nos dados que peguei, a compra de 2 vagas equivalia em média um preço 32% maior nos imóveis de 2 vagas do que os 1 vaga.
    Enquanto os imóveis com 1 vaga estão anunciados em média R$ 5.582 o m², os de 2 vagas estão anunciados por R$ 7.371.

    O John Horse questionou “E existe essa distorção no valor do aluguel desses imóveis?”.

    Não tinha os dados ontem, mas hoje peguei informações de 120 imóveis para alugar (mesmos bairros que o estudo anterior)…
    Mas dessa vez peguei imóveis sem vaga também…
    Achei um pouco pequena a amostra (38 imóveis sem vaga, 66 imóveis com 1 vaga e 16 imóveis com 2 vagas), talvez com o tempo eu busque em outros sites e amplie a pesquisa.

    Mas como já fiz, vou postar aqui:

    Valores de aluguel:
    Imóveis sem vaga: Média de R$ 23,16 o m².
    Imóveis com 1 vaga: Média de R$ 28,69 o m².
    Imóveis com 2 vaga: Média de R$ 31,88 o m².

    Valores de aluguel + condo + iptu:
    Imóveis sem vaga: Média de R$ 28,59 o m².
    Imóveis com 1 vaga: Média de R$ 36,25 o m².
    Imóveis com 2 vaga: Média de R$ 40,99 o m².

    Ou seja, os imóveis para alugar com 2 vagas estão anunciados com preço 11%~13% maior (11% considerando só aluguel e 13% considerando aluguel, condo e iptu).
    Enquanto os imóveis para comprar com 2 vagas estão anunciados com preço 32% maior.

    Minha suposição: O bananense médio está mais acostumado a achar que vale muito mais um imóvel (pra comprar e vender) com 2 vagas em relação a 1 vaga. Na hora do aluguel, quando o valor se torna mais “tangível” pro dia-a-dia e o bananense entende aquilo como um CUSTO (embora ele devesse entender que a compra do imóvel TAMBÉM é um custo, mas sabemos que ele não considera custo e sim investimento, sonho de vida, e bla bla bla) ele não está disposto a pagar tão mais caro pela segunda vaga.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 10:51

      interessante. E como sempre o bananense não consegue interpretar as tendências. Cada vez será mais comum famílias com 1 carro só, com a otimização das cidades / opções de transporte, Uber e afins, desenvolvimento transporte público etc. Acho que a tendência é vaga de estacionamento a mais perder valor. Claro, longo prazo, mas acho que vai…

      7+
      • avatar
    • Antigo 17 de fevereiro de 2017 at 10:54

      Perfeito!
      Só senti falta da flor.
      Brincadeira, melhor a gente parar kkkk

      Eu sinceramente acho um esculacho muito grande cobrar 32% a mais só pela existência de duas vagas.

      Tá certo que conforto é um valor intangível, mas acho que 32% do preço de um imóvel é um valor grande mais para o simples fato de você ter onde estacionar.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Antigo 17 de fevereiro de 2017 at 10:55

        *demais

        1+
    • Knolan 17 de fevereiro de 2017 at 18:11

      Meu amigo, tu fez um crawler? Se sim, consigo rodar umas eststisticas interessantes. Explorar correlacoes de mercados regionais com dados especificos, identificar os anuncios que tao saindo e como isso influencia o preço medio, medir a variancia do mercado, etc. Interessa?

      3+
      • avatar
      • avatar
      • antifragile 17 de fevereiro de 2017 at 18:41

        Há algumas postagens, eu fiz um crawler pra elaborar o ranking de comentários aqui do blog.
        E algumas semanas atrás, eu fiz um para capturar os preços dos imóveis anunciados no OLX. Mas ele ainda precisa de ajustes, pra descartar alguns preços. Tem muito imóvel anunciado com preços irreais, tipo 100 reais.

        2+
        • avatar
        • avatar
        • Knolan 17 de fevereiro de 2017 at 19:11

          Ja vi esses anuncios. Aqueles com saldo devedor, que apresentam só a entrada? Da pra excluir esses anuncios como outliers na analise estatistica. Vou ter que tirar o pó de uns livros aqui e reaprender spss, mas acho que da pra fazer muita coisa interessante. Se interessar me chama
          fabioeroberta00 no gmail

          3+
          • avatar
          • avatar
          • antifragile 17 de fevereiro de 2017 at 19:47

            Vou te passar uma planilha com os mais de 7 mil anúncios que capturei. Na ocasião, eu peguei só a descrição, o preço e o link dos anúncios. Mas nas próximas semanas pretendo fazer uma versão melhor, que captura tamanho do apartamento e outros dados importantes.

            A dificuldade em fazer isso é que o OLX bloqueia o acesso tão logo ele percebe que tem um crawler rodando. Daí eu tenho que ficar usando estratégias pra camuflar o crawler.

            Brevemente entro em contato com você.

            4+
            • avatar
            • avatar
            • fanfarraum 18 de fevereiro de 2017 at 09:40

              Knolan,

              Vou entrar em contato contigo segunda (meu script e BD estão na empresa).
              Fiz um script .php pra ler o .html de páginas que baixo manualmente da Foxter e da Guarida, que listam os apes…
              Baixo manualmente pq as páginas de busca desses 2 sites utilizam ajax pra carregar as informações depois que tu faz a requisição inicial, e não consegui fazer um web crawler eficiente (sei que tem como, mas nunca fiz). O site da Foxter ainda é um pouco chato, pq tem que ficar pedindo pra ele mandar mais resultados (não tem paginação), o da Guarida é mais de boas, tem paginação com 60 imoveis por página.
              Depois de pegar a lista de imóveis, ai sim o script está mais eficiente, ele busca sozinho as informações da página de cada um desses anúncios.

              Acho que consigo adaptar esse código facilmente para vários sites, e dependendo do site, conseguiria fazer de forma automatizada tudo (hoje meu processo manual é so entrar no link e esperer carregar os imoveis e salvar o html).

              antifragile,

              se quiser, passa o email que criamos uma discussão via email nós 3.

              3+
              • avatar
              • avatar
              • antifragile 18 de fevereiro de 2017 at 13:01

                Diga-nos um email para que eu possa lhe enviar as informações.

                0
                • fanfarraum 20 de fevereiro de 2017 at 08:17

                  fanfarraum.bolha arroba gmail dot com

                  0
  • fanfarraum 17 de fevereiro de 2017 at 11:00

    Ainda sobre o tópico: “Depois de muito tempo abaixo da inflação, a poupança voltou a render mais, então, confirmando um aumento na captação, podemos esperar aumento nos financiamentos”

    Fatos:
    1. Saídas enormes da poupança todo mês.
    2. Saídas enormes do FGTS todo mês.
    3. Em breve, saques em massa do FGTS de contas inativas.

    Interpretação do cara:
    Vai aumentar a captação pra financiamento imobiliário (lembrando que é poup e fgts)

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 17 de fevereiro de 2017 at 11:04

      É, eu comentei lá em cima algo do tipo.
      Mercado imobiliário parece que vive disso. De expectativas mágicas, de otimismo e ‘perspectiva de melhora’.
      Só não sei de onde tiram essas expectativas tão descoladas da realidade.

      Pode ser mau caratismo ou burrice. Ou os dois.

      9+
      • avatar
      • avatar
    • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 12:10

      correndo o risco de ser apedrejado…tem alguma razão nessa lógica para médio prazo. Não, não é suficiente para reverter a onda de desvalorização, não vai resolver o problema etc, é só uma consideração isolada (há muitos outros fatores em jogo). Com inflação em baixa e juros baixando (digamos que em algum momento do ano que vem esteja em 8-9), poupança deixa de ser um investimento rídiculo e volta a ser uma opção razoável. Juntando isso com alguma recuperação econômica (se acontecer), você pode reverter o fluxo de dinheiro da poupança, entrando ao invés de sair, que foi a tônica dos 2 últimos anos. Ou seja, nesse front específico o mercado imobilário pode esperar o próximo ciclo de 3 anos melhor do que foi o ciclo dos últimos 3. Pronto, podem jogar pedras kkk

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 12:26

        Na maior parte dos países demorou 6 anos entre o pico e o vale, mas tem exceções, como a Grécia que está a 9 anos em desvalorização e ainda não atingiu o fundo do poço e o Japão, que desvalorizou por 25 anos.
        Não encontrei nenhum caso onde o ciclo foi menor que 5 anos.

        19+
        • avatar
        • avatar
      • RC 17 de fevereiro de 2017 at 12:44

        to bolhado, a questão não é somente da inversão do fluxo de dinheiro da poupança, mas principalmente da vazão que saiu e da vazão que entraria.

        Mesmo que o “alinhamento dos planetas” que você sugere aconteça:

        – Inflação continue a descer;
        – Juros continue a descer;
        – TR suba para viabilizar a poupança frente a outros investimentos;
        – Crescimento do PIB ocorra;
        – Aumente o número de ofertas de emprego;
        – Nenhuma “pena” da economia e política mundial interfira em nossa economia.

        Você deveria analisar quais foram os motivos dos saques da poupança, para entender a vazão de saída.

        Você não pode acreditar em um “vírus investimentizador” no povo bananil que fez com que as pessoas passassem a enxergar que a poupança é um péssimo negócio e retiraram os recursos de lá para investir em renda fixa, TD, ações, fundos de investimento… Estamos falando de aumento cavalar de desemprego, saques para pagar as contas básicas, sobreviver por alguns meses até começarem a se endividar.

        Juntar dinheiro é mil vezes mais difícil do que torrar o mesmo. Quem tem cultura de poupador não vai migrar para a poupança só porque a economia deu sinal de melhoras, vão continuar procurando as melhores rentabilidades. Quem pode inicialmente parar de sugar a poupança é o povão que consiga emprego, e quem sabe depois de quitar suas dívidas, consiga, muito timidamente, começar a juntar novamente uma poupancinha.

        22+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 12:55

          concordo com tudo o que você escreveu. Só, e somente só: todas as outras condições iguais, o combo A (inflação a 10% e selic a 14%) é muito mais devastador para o volume de recursos aplicados na poupança do que o combo b (inflação a 4% selic a 8%). Qual o efeito disso no conjunto que você descreveu? concordo que tende a ser pequeno, o que não torna inverídica a avaliação isolada do fator.

          3+
          • avatar
        • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 12:58

          eu leio exatamente isso
          e leio outra coisa
          inflação é um imposto que faz o povo pagar pelos erros do governo, então mesmo esse pequeno delta de 1% é 1% de tudo que o povão guardou, aprece pouco mas é muito
          a poupança subir na linha dágua tem um significado mais moral do que o de uma grande recuperação nos investimentos e linhas de finame como querem concluir os Tititagos do mercado

          3+
          • RC 17 de fevereiro de 2017 at 13:11

            Lucas, acho que você simplificou um pouco nos dizeres “inflação é um imposto que faz o povo pagar pelos erros do governo”

            Possível de entender que o governo tem a “impressora” e suas decisões influenciem a inflação, mas existem economistas como o Samuel Pessoal que defendem a tese de que a alta inflação brasileira tem uma relação grande com a baixa taxa de poupança do povo bananil, relacionado a sua cultura (costuma comparar com a china em seus discursos).

            3+
            • avatar
            • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 13:34

              ou a cultura é assim pq o povo percebeu que se não gastar evapora?
              Conheço a tese da inflação estrutural, é a cultura, são as distancias, etc e tals.
              Eu gosto dessa simplificação, o tal imposto inflacionário resume bem toda a dinamica da impressora pagar o deficit, desvalorizando automaticamente o papel na mão das pessoas, ou seja, quem paga o deficit é quem tem papel na mão
              achamo que estamos de acordo.

              2+
      • CA 17 de fevereiro de 2017 at 13:11

        to bolhado,

        O “segredo” do governo Lula, Dilma e Temer, assim como de muitos dos antecessores é: vou secar o máximo possível de todas as fontes, daí durante o meu governo parece que tudo foi maravilhoso e a conta é paga pelo próximo…

        Graças a disparada de gastos do governo federal há anos, combinado com a bolha imobiliária, bolha de consumo, bolha de corrupção institucional e mais abusos de despesas em alguns Estados e Municípios, empurrados pela bolha do crescimento relevante do preço do petróleo que depois se reverteu, quais fontes foram SECANDO?

        1) Dinheiro disponível das famílias para aplicações financeiras: a poupança está secando porque as pessoas precisam retirar dinheiro dela para pagarem as contas e sobreviverem. Se tivemos mais de R$ 10 bilhões de sangria da poupança em janeiro/2017, que foi a segunda maior sangria de sua história, perdendo apenas para janeiro/2016, é porque tinha IPVA, IPTU, contas vindas de cartão de crédito referente ao Natal, etc., que estouravam neste mês. Não tinha NENHUMA relação com a “rentabilidade” da poupança. A tendência é que em 2017 o desemprego continue aumentando. Com o saque do FGTS, aqueles que teriam uma cobertura dele contra o desemprego, ao ficarem desempregados e com muito menos FGTS (receberão só os 40%), se tiverem poupança, terão que sacar dela. Aqueles milhares de comissionados demitidos pelo governo para o ajuste fiscal recentemente, se tiverem poupança, terão que sacar. As empresas que prestam serviços para o governo, ao verem reduções grandes em investimentos e outras despesas do governo, vão engordar os demitidos que tem necessidade de saque da poupança, assim como os servidores públicos que não conseguirem se bancar porque estão ficando meses sem receber e/ou porque vão ter descontos previdenciários maiores e assim por diante. Todo ajuste fiscal gera efeito contracionista no curto prazo, isto é inevitável e estes efeitos sempre levam a enxugamento da liquidez, que via de regra começa pelo consumo do dinheiro que estava guardado.

        2) FGTS: esta é outra fonte que está sendo drenada de forma intensa. Ninguém mais lembra que Temer antes de assumir prometia preservar o FGTS e agora se tornou o que mais suga recursos dele. Só que o desemprego vai aumentar e o saldo dele vai ser consumido cada vez mais rápido, logo, esta nova solução mágica também vai deixar de ter efeito.

        O governo já não pode faz tempo “imprimir dinheiro”, muito menos acelerar suas despesas para estimular a economia, a CEF tem rombos de dezenas de bilhões de Reis, também não tem este poder, a poupança, mesmo que venha a ter saldos positivos em outros meses, no melhor cenário tende a fechar no “zero a zero” neste ano, o FGTS já está sendo sugado com força, a inadimplência já disparou entre empresas e famílias e graças a isto já se reduziu a oferta de crédito em R$ 1 trilhão, 50% das empresas grandes que não conseguem pagar sequer os juros das dívidas, recorde histórico de fechamento de lojas, PIB no 4T16 que reduziu, na prévia do IBC-Br, mais de 4%, o último resultado de serviços foi o pior da história, os bancos estão com recorde histórico de imóveis sem vender, recorde histórico de imóveis sem vender nem alugar, dentre uma infinidade de evidências de enxugamento crítico da liquidez na economia. Aliás, este conjunto caracteriza a maior crise de liquidez de todos os tempos no país e é neste contexto que ainda queremos acreditar que é só baixar os juros que as pessoas que estariam “líquidas” irão voltar a aplicar na poupança??? Ela irá se recuperar e isto ajuda a salvar o segmento imobiliário, por que não só muitas pessoas vão ter financiamento barato via uma poupança com saldo crescente e pujante, como outras tantas vão ter dinheiro sobrando e interesse de adquirir imóveis?

        Será que no parágrafo anterior não fica claro que estamos falando de 2 países diferentes, um do mundo REAL, que enfrenta uma crise de liquidez que é a maior de sua história e outro dos contos de fadas do segmento imobiliário, onde sempre sobra dinheiro?

        A imprensa junto com governo e segmento imobiliário fazem bem seu trabalho: eles fazem várias promessas UFANISTAS vazias e falsas, os especialistas divulgam as teorias SIMPLISTAS, do tipo “é só diminuir os juros que a poupança subirá” e os INCAUTOS fazem o papel na equação, engolindo sem o menor espírito crítico este grande conjunto de enganações…

        22+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 13:28

          gostei
          O grande lance ali do lula/dilma é que o pessoal do judiciário amarrou 1 no outro e frustou a tática do PT que no meu ver culminava na revolçução bolivariana
          Quando lula acordou já era tarde pra virar ministro, tentou recuperar o espaço perdido naquele hotel em BsB, mas não esperava que as forças ocultas agissem como agiram.
          Temer segue no fio da navalha, precisamos ficar de olho, 2017 será um ano decisivo para o que virá em 2018

          9+
        • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 13:38

          gosto das suas análises, mas acho tão “legal” quando você termina com uma frase do tipo “aí os incautos” etc, deixando implícito (nem tão implícito assim) que “quem não concorda 100% comigo é uma besta quadrada” eehehe

          4+
          • avatar
          • CA 17 de fevereiro de 2017 at 15:06

            to bolhado,

            Quem acredita CEGAMENTE no que o GOVERNO e os ESPECIALISTAS dizem, sem NENHUM espirito crítico é que é um INCAUTO, ainda mais quando há uma INFINIDADE de evidências de que isto é uma ESTUPIDEZ. Lamento se a carapuça serviu, não posso mudar a história, nem FINGIR que o governo e os especialistas não fizeram o que consta acima, ou que não existem estes fatos, não vivo em Mundo de FAZ DE CONTA só para fazer média com pessoas mais “sensíveis” (=vitimismo, esquerdismo e outras vertentes que tornam o dia-a-dia um pé no saco).

            Sobre o que coloquei acima, já foi replicado por aqui VÁRIAS vezes, portanto, do meu lado, parafraseando o que você disse, o que acho mais “legal”, é quando as pessoas FINGEM que não veem isto, IGNORAM uma infinidade de dados apresentados por aqui e lançam uma teoria sem pensar, induzindo assim outras pessoas ao erro. Temos disto isto por aqui aos montes, não precisamos mais deste tipo de DESINFORMAÇÃO, até porque o governo e a imprensa já fazem isto em 99,9% de tudo que publicam, inclusive no artigo do tópico de hoje.

            O pior mesmo é que, ao dar esta resposta, você não apresentou NENHUM argumento baseado em fatos e dados que demonstrasse que a liquidez existia e seria direcionada para a poupança de parte da população e para compra de imóveis por outra parte dela, ou seja, onde afinal está o fundamento daquilo que você colocou?

            12+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 15:27

              Já falei, e não tenho problema nenhum de repetir: gosto das suas análises. No plano conceitual teria muito pouco a acrescentar / alterar. Mas a questão é assim, responda-me com sinceridade: você monta um plano conceitual e isso implica em uma previsão objetiva (digamos: vai cair 20/30% nominal em 1 ou 2 anos, só como exemplo). E se passar esse tempo e sua previsão não se concretizar, objetivamente, na prática, você vai perder alguma coisa? Existe algum risco que você esteja correndo, na prática, se o cenário que você desenhou não se concretizar?

              Eu aprendi nos últimos anos que é muito comum as pessoas baterem no peito, fazendo previsões, muitas vezes muito bem fundamentadas, e achando absurdo quem não compra 100% da idéia. Mas aí a coisa não vai conforme a pessoa previu, e daí? 1 ano depois a pessoa tá lá fazendo outras previsões com a mesma prepotência disfarçada como se nada tivesse acontecido. Só tem “medo”, só pondera, só expressa a opinião com a ressalva “tudo indica a isso, mas sempre algo pode dar errado” quem tem grana em jogo, quem tem algo a perder. Quem corre risco, amigo, calcula probabilidade. Sabe que o cenário mais provável tem 50/60% de chance, mas não elimina o risco altíssimo dos outros 40% acontecer. Ou por outra: quer ser prepotente seja, mas com grana em jogo, correndo algum risco.

              Vou dar um exemplo, não é para me gabar nem nada, é para ilustrar. Em 2015 eu formei a convicção (obviamente como muitos outros, não foi nenhum insight brilhante) que o dólar ia disparar. Aloquei 30% do meu patrimônio nisso. Corri um p* risco mas ganhei bastante dinheiro, diria que daria para comprar um carro zero se eu quisesse. Em outras me ferrei, já perdi 3 / 4 k em opções, em shorts errados, acontece. Se alguém naquela época me perguntasse se eu achava que o dólar ia subir, eu falava “acho, to comprado nisso”. Nâo tinha arrogância, não tinha tentativa de convencer ninguém, se a pessoa quisesse eu poderia explicar o racional – quer acreditar ok, não quer tudo bem.

              Então, quando alguém defende muito uma previsão, e mesmo disfarçando com toda a educação (pelo menos até alguém levantar uma mínima dúvida, aí perde as estribeiras) transparece aquele tom de arrogância na linha “ai, ai, seu incauto, você não entende nada, então senta aqui que vou explicar”, mas na prática não tá correndo nenhum risco, eu não levo tão a sério. Palavras voam. Money talks, bullshit walks. O bricklover quer achar que a agora o mercado vai, que os preços vão disparar por conta disso? Ok, problema o dele. O bolhista super hard quer achar que vai cair 30 ou 40% nominal a partir de agora? Olha, repito, torço para que ele esteja certo, mas não acho que seja o cenário mais provável e não vou apostar grana nisso.

              Retornando a questão: o seu plano conceitual é perfeito. E a probabilidade desse plano conceitual implicar numa queda hard a partir de agora de 30 ou 40% nominal, existe, não descarto. Mas você opera como se o Brasil fosse um país capitalista, como se tudo aqui funcionasse como deveria, como se fosse o vácuo dos exercícios de física ou o plano inclinado sem atrito. Não é, estamos vendo que não é, você mesmo dá exemplos de que não é. Eu não tenho teoria estatística ou modelo para prever a quantidade de cag* / maracutaia / pedalada que pode acontecer no Brasil. mas eu to aí, vivendo a vida, procurando um novo apto para alugar, acompanhando o mercado, falando com as pessoas, e não posso fingir que já vi queda de 30% nominal, e não posso me furtar a dizer que não acho que quedas adicionais NOMINAIS de 30 ou 40% sejam o cenário mais provável. E aí quando aparece algum fator que pode confluir para essa minha desconfiança, eu aponto, simples assim. Você quer dar lição por conta disso, repetir os mesmos argumentos (com os quais em maioria concordo) que já lemos 30x por aqui como prova inconsteste de que vai acontecer como você prevê, fique à vontade. Agora, que você poderia dar suas opiniões sem sempre fazer questão de dar uma cutucada em quem não compra 100% da sua tese, ah, isso poderia.

              37+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 16:20

                vc não deu nenhu, fundamento que eue stava tbm curioso e ainda atacou no ad hominem
                seu unico fundamento é que somos um país pseudo-capitalista onde as regras não funcionam direito, concordo até ahco que sou um dos defensores masi ferrenhos desta tese, mas aí vc escorrega na maionese e disse que nnuma crise imob aconteceu haja visto os indicadores produzidos por estes mesmos pseudo-capitalitas

                Reparou só! vc não tem coerencia interna, vc não acredita no meta-capitalismo bananês, mas acredita nos indicadores que estes mesmos produzem dizendo estar tudo estável.

                Eu desconfio da coisa toda tanto do sistema como dos indicadores até sua capacidade de fazer mais burradas e empurrar o mal-feito com a barriga pro proximo eleito. Pra mim é toda uma grande enganação, os incautos estão se fritando sim, e na pratica na pratica mesmo, ou investir o dinheiro no PMJ ou transforma a lojinha numa financeira como alguem antigamente ensinava aqui usando a maquininha do cartão de crédito, entre outras jogadas de oportunismo envolvendo monetizar liquidez financeira, estoques ou essses mesmos instrumentos meta-capitalistas destinados a comprar apoio. Todos eles na frente como efeito é jogar juros nas alturas, e concentrar ainda mais liquidez, patrimonio e renda, tudo isto gera denovo outra necessidade de ajuste

                o que cai no que defendo aquii, caiu 40% ok concordamos
                fizeram algo pra resolver??? não?
                então vai cair outros 40%, pela mesma lógica

                eu gosto dos seus pots bolhado, mas acho que vc se perdeu neles, se vc ler a vc mesmo, vc vai sacar que vc errou na conclusão, baseado nos seus próprios argumentos, e naquilo que vc gosta do CA.

                4+
              • CA 17 de fevereiro de 2017 at 17:10

                to bolhado,

                Cade os argumentos que sustentam o que você disse? Contou toda esta estória só para desviar do ponto principal, de que aquilo que você disse não tem NENHUM fundamento? “Tese conceitual” é uma série de NÚMEROS, FATOS e DADOS que apontam para a falta de liquidez? kkkkkk. De fato, o Fã-Morinha (FM) conseguiu baixar bastante o nível, agora todo mundo acha que é só falar uma besteira que já foi desmentida mil vez por aqui, FINGINDO que não sabia que era besteira, depois ficar enrolando sem fim, fingir de novo que não viu as evidências, quando as evidências são reapresentadas reclamar que são repetidas (embora esteja FINGINDO desde o início que não sabia ?!), depois fugir do assunto como quem foge da cruz e por aí vai, em looping…

                2+
                • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 19:14

                  CA, como eu posso contra-argumentar num plano teórico se já disse N vezes que concordo com o plano conceitual que você traça? Se você for sincero, responda-me a pergunta: é ou não é verdade que nesse mesmo blog já foi previsto quedas muito maiores para 2015 e 2016? Aconteceu da forma que foi prevista? Se não, porque não? Nâo sei que tipo de argumento você espera de mim. Eu não estou dizendo que o cenário não aponta para o fato de que os preços DEVERIAM CAIR 40%. Eu falo que a minha sensibilidade vem dizendo que não é muito provável que aconteça no curtíssimo prazo quedas nominais expressivas (sempre ressalvando, no mercado que acompanho); há vários fatores do mercado que tentam segurar o preço e vão continuar operando para que a diluição seja mais espaçada ao longo do tempo. Não acho isso melhor ou pior, só acho mais provável. Aí você vai contraargumentar “em nenhuma bolha do mundo o preço caiu por vontade, foi por NECESSIDADE”. Ok, argumento muito convincente, talvez haja (eu talvez não seja o melhor para montar esse argumento ou nem tenha muito saco para fazer isso) diferenças entre as características de cada país. O CésarDF vive dizendo que o ciclo de bolha dura em média 6 anos depois do estouro, talvez no Brasil dure 10. Nunca aconteceu antes? Quanta coisa nunca aconteceu antes e aí acontece? Aí você vai responder “de novo, não apresentou nenhum argumento!!”. De fato, nesse plano que você quer, não apresentei e nem vou. Eu não tenho tese para provar, vou acompanhar bem líquido e pagando aluguel o que vai desenrolar no mercado. Quem tem tese para provar é você. E quem acompanha o blog que tire suas próprias conclusões do que cada um escreve.

                  22+
                  • avatar
                  • avatar
                  • CA 18 de fevereiro de 2017 at 11:24

                    To bolha do,

                    Em momento NENHUM mais acima falei sobre queda de preços se percentual “x” ou “y” na data “a” ou “b”, foi você que usou isto para FUGIR do assunto e DISTORCER o que eu havia dito.

                    O foco era o que você havia dito, de que a poupança voltaria a ter depositos crescentes exclusivamente em função da queda de juros.

                    O que foi questionado a você, mais de uma vez e de forma extremamente clara, foi quais as evidências que você tinha de que as pessoas teriam a liquidez necessária para voltarem a aplicar na poupança. Em contra-partida, foram fornececidas uma série de EVIDÊNCIAS baseadas em NÚMEROS , FATOS e DADOS.

                    Como já era esperado, apesar de toda a clareza do que consta acima, você continuou FUGINDO da questão colocada e buscando “outros temas”, sem responder nada do que foi questionado e achando que apesar disto, ainda tinha moral para MUDAR DE ASSUNTO e fazer outras perguntas.

                    Sim, já foram feitas apostas por mim e por outros que a explosão mais visível aconteceria antes. Qual a relação com o que estávamos debatendo e consta acima? NENHUMA. Se você se sente feliz sendo um Troll e mantendo este comportamento bobinho, trazendo temas sem NENHUM fundamento e que contrariam todos os fatos e dados e achando que é assim que se conduz um debate, pode continuar com esta babaquice, você já tem alguns companheiros que fazem o mesmo e vão lhe dar todo o apoio, mesmo que você fuja da discussão, não traga nenhum embasamento, mude de assunto, distorça o que foi dito, etc, etc, etc, eles gostam muito disto, é isto que eles também fazem…

                    0
                    • CA 18 de fevereiro de 2017 at 11:40

                      Ah, em tempo: a sua “argumentação” de que algo pode acontecer e reverter tudo, que ninguém sabe o que pode acontecer e ninguem pode tentar debater sobre o futuro, além de ser completamente incoerente com a previsão que VOCÊ fez e que deu origem ao debate (foi você o primeiro a prever que a poupança teria aumento de depósitos!) é um argumento totalmente contra-producente, pois só leva a uma conclusão extremamente generalista e sem-sentido: “ninguém pode debater ou especular sobre nada, pois não existe nada garantido e tudo pode acontecer”. Neste sentido, indo por sua linha, não deveria existir nenhum blog, nenhuma previsão em notícias e artigos e as pessoas poderiam falar exclusivamente sobre o passado e o presente.

                      Estas tentativas de intimidação e de censura quanto a qualquer tipo de previsão, usando argumentos generalistas e inválidos, não só são típicos de trolls, como ainda foram exatamente o que Thiago FM falava sobre a possibilidade de uma crise mais seria: ele dizia que muita coisa podia acontecer, que ninguém podia prever isto, que tinha muitas variáveis em jogo, que as pessoas já tinham errado previsões antes, ou seja, exatamente o mesmo script que você está seguindo para calar os debates sobre expectativas na base do grito, só para não ser obrigado a discutir com base em fatos e dados. Cuidado, daqui a pouco você vai fazer uma campanha de DIFAMAÇÃO, vai começar a fazer centenas de gráficos sem sentido algum e colocar suas conclusões em flores de UTOPIA…

                      0
                    • to bolhado 18 de fevereiro de 2017 at 11:42

                      CA, vamos por partes, então. Primeiro, para tirar da frente: acho que quase ninguém aqui no blog deve me considerar um troll, ou alguém que só quer causar. Não é pq você considera que eu não argumento exatamente da forma que você estabelece que automaticamente eu sou um troll.
                      Está bem claro o que disse nos posts anteriores sobre a poupança. Eu não acredito que esse fator seja suficiente para reverter o mercado, nem sou especialista no assunto pra prever quanto de influxo essa eventual mudança de conjuntura entre juros x inflação x pib pode acarretar. O que disse, inclusive respondendo às ótimas ponderações que o RC fez, é que todo o resto em iguais condições, me parece que o cenário com inflação menor, juros menor e pib ao menos estagnado (em vez de cair quase 5% como foi em 2016) deve ser um pouco melhor para a poupança do que foi 2014-2016. Do contrário, seria esperar que o cenário de horror para a poupança, tantas vezes apontado aqui, inclusive por você, com recordes históricos de saque, vá se intensificar indefinidamente, independetemente do panorama geral. Se além disso, você quer estabelecer que eu só tenho legimitidade para apontar essa possibilidade se eu COMPROVAR com DADOS E FATOS E NÚMEROS essa tese, bom, você tem esse direito. Eu discordo, acho que a discussão aqui está aberta para isso. Acho que o blog ganha em divesidade de opiniões. Está mininamente respondida à sua pergunta, por mais que você possa discordar da resposta?

                      Agora, em frente. Responda a minha pergunta sobre se não foram feitas previsões mais hard aqui no blog para 2015 / 2016, e pq elas não se concretizaram. Isso tem tudo a ver com a minha linha de argumentação que estou usando. Simplificando:meu ponto é que o mapa conceitual, mesmo fortemente baseado em números, análises sérias, como entendo que você faz, tem limitações. O número de variáveis que a gente consegue prever é limitado. Por isso de uma análise conceitual não decorre automaticamente uma conclusão prática => vai acontecer tal coisa. Por isso minha discordância quando você quer levar tudo pro plano conceitual de “então prove que não vai ser assim!”. Eu não preciso provar, a incerteza está do lado de quem não tem tese para provar, eu tenho o direito apenas de desconfiar das certezas absolutas dos outros.

                      10+
                    • CA 18 de fevereiro de 2017 at 11:49

                      Resumido: você fez uma AFIRMAÇÃO de que a poupança teria aumento nos depósitos, foi VOCÊ que fez esta previsão e agora, dentro das mil e uma voltas que você deu para FUGIR do assunto, está fazendo de conta que não foi você que fez esta primeira previsão no debate e dizendo que eu que tenho que provar aquilo para o qual eu já apresentei uma infinidade de evidências e que você não tem que provar em nada a primeira previsão que VOCÊ fez? Kkkkk

                      1+
                      • avatar
                    • to bolhado 18 de fevereiro de 2017 at 20:23

                      Ok, CA, se essa é a sua interpretação do que de fato aconteceu nessa nossa interação, está no seu direito. . Vou dar a minha versão simplificada. Alguém comentou que era absurdo o mercado prever uma melhora no saldo da poupança com a mudança no panorama. Eu, fazendo algumas ressalvas, e concordando com ressalvas que outros posteriormente fizeram, disse que não era tão absurdo assim, nesse fator isolado, o mercado prever isso, por conta da mudança (provável mas não garantida) do cenário juros x inflação x pib. Você escreveu um texto, dando seus argumentos – até aí ok – mas, como quase sempre, concluindo com aquela alfinetada tradicional que qualquer um que acredite em algo diferente daquilo é um “incauto que acredita em tudo que a mídia diz sem nenhuma análise crítica”. Eu, a partir desse ponto, fiz algo que já estava a fim de fazer há muito tempo: fiz um comentário, crítico, mas ao meu ver, bem leve, sobre como você faz essas considerações com prepotência, fazendo pouco de qualquer um que não concorda com você. E foi aí que a discussão escalou. Disse e repeti várias vezes que em boa parte não discordo de você, que gosto de boa partes dos seus textos, mas explicando porque acho descabida essa suprema “confiança” (para ser eufemista) nos seus próprios argumentos; tentei argumentar nesse sentido, fazer analogias para explicar o que estava querendo dizer. Você quer fazer de conta que a discussão é única e exclusiva por conta de uma “previsão” que eu fiz, que eu estou dizendo que ninguém pode fazer previsão, que isso é incoerente, que eu não “provei nada”, etc etc etc, ok, Sei que a maioria que leu a nossa troca de mensagens entendeu do que realmente se tratava a questão.

                      7+
              • bolha real 18 de fevereiro de 2017 at 05:55

                Belas palavras, sobre a parte dos investimentos concordo 100%.

                6+
                • avatar
                • avatar
  • MauricioSP 17 de fevereiro de 2017 at 11:11

    Tava fazendo as contas aqui, como a estatística engana se não tomar cuidado, vou compartilhar com vocês:
    Imaginem uma análise de 4 anos de preços de um imóvel, com inflação fixa de 5% ao mês.
    Um imóvel com preço inicial de 100 mil reais, se fosse corrigindo pela inflação após quatro anos o valor seria 120 mil
    Mas no caminho teve uma supervalorização e nos dois primeiros anos o imóvel aumentou 100% de preço, chegando a ser vendido por 200 mil
    Depois disso teve dois anos com uma queda de 40%, e o imóvel passou a custar 120 mil

    Entenderam? Embora estatisticamente possamos falar que subiu 100% e depois caiu “apenas” 40%, nominalmente o preço voltou ao que seria o valor inicial com correção monetária!

    11+
    • avatar
    • avatar
    • MauricioSP 17 de fevereiro de 2017 at 11:12

      * inflação de 5% ao ano

      2+
      • Antigo 17 de fevereiro de 2017 at 11:17

        Um dos pesquisadores que segue a linha botânica de pensamento havia afirmado que no longo prazo imóvel sempre segue a inflação

        Tenho minhas dúvidas, ainda mais com toda distorção que houve no mercado br

        3+
        • avatar
        • MauricioSP 17 de fevereiro de 2017 at 11:25

          Nisso eu concordo, Antigo… ou a inflação ou a renda, como disse o CesarDF. Se não, num país com inflação alta como o nosso, em 10 anos o imóvel vira pó! Não só imóvel, como salários, carros, supermercado, tudo. Eu comecei a trabalhar há 20 anos atrás e te digo que é bem difícil fazer contas e analogias, eu tenho que sempre colocar inflação e poder de compra no meio. Se em 96 eu ganhava 1 mil e um gol custava 20 mil, e hoje ganho 4 mil e um gol custa 50 mil, minha renda melhorou ou não? Um apto custava três carros, uns 60 mil. Hoje custa cinco carros, 250 mil. Estranhamento em comparação com a renda continua a constante de 60 meses de salário.

          Não é fácil essas contas, preferia morar num país com economia mais estável…

          19+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 12:12

            Discutimos isso aqui uns 3 tópicos atrás. Quando se fala que imóvel acompanha renda, está se falando do “conjunto de imóveis do local naquele momento”, não de um imóvel específico. Você não pode esperar que o seu imóvel, 20 anos depois, valha a mesma coisa + inflação + crescimento do pib per capita no período, não faz sentido. Lucas usou uma analogia com carro que explica bem isso.

            8+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 12:34

              Exatamente, uma família gasta um percentual típico de sua renda com habitação, e isso não muda muito ao longo do tempo.
              Quem mora em Madrid ou New York, gasta cerca de 40% de sua renda, em média com habitação,
              Já, quem mora num subúrbio de Huston no EUA, digamos que gaste 25% em média, da renda familiar com habitação.
              E isso não irá mudar muito ao longo de 50 anos, pois a pessoa que comprou financiado, terminado o pagamento desejará fazer um upgrade, ou se mudar para uma casa menor quando os filhos saírem da atual.

              8+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
          • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 12:17

            perfeito Mauricio
            os 40% de queda equivale a 100% de subida
            é uma peculiaridade matematica
            mesmo uma porcentagem menor sobre um valor maior, o efeito é o mesmo de uma porcentagem grande sobre um valor menor

            é o mesmo erro que fizeram eles desprezar a TR, que lhes dobrou o saldo devedor em coisa de 2 anos e mesmo agora se a TR cair o SD não retroage
            é como se todos eles tivessem agora pagando por uma valorização de 100% do imóvel em 2 anos.

            6+
            • avatar
            • avatar
            • MauricioSP 17 de fevereiro de 2017 at 13:09

              Como a TR dobra o saldo devedor? A TR acumulada dos últimos 2 anos foi menos de 4%. Não deveria aumentar em 4% o saldo devedor?

              2+
              • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 13:20

                eu n sei te dizer com certeza, precisaria estrudar mais
                pelo que entedi a TR vc multiplica pelos anos que restam a pagar
                aí o SD novo é reparcelado pelas parcelas resntantes

                2+
                • MauricioSP 17 de fevereiro de 2017 at 14:11

                  Estudei aqui e não funciona assim. Mensalmente sobre o saldo devedor é aplicado o juros combinado no contrato e a TR mensal, e o valor da prestação é calculado dividindo o saldo devedor pela quantidade de prestações. Ou seja a TR tem um impacto menor que os juros do contrato, pois como ela atualiza a poupança e o FGTS, dificilmente será maior que 2% ao ano.

                  Qual o impacto da crise no financiamento do imóvel?
                  http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/qual-o-impacto-da-crise-no-financiamento-do-imovel/

                  Geralmente, a Taxa Referencial (TR), que corrige a caderneta de poupança e o saldo do FGTS, é utilizada como indexador nesse tipo de financiamento. A TR é calculada a partir da Taxa Básica Financeira (TBF), uma média das aplicações em Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) emitidos pelas 30 maiores instituições financeiras do país.

                  Nas operações de empréstimo com garantia de imóvel, é comum que as taxas de juros sejam menores em operações corrigidas por índices de preços, que acompanham a inflação. Mas a TR tem menor impacto na correção dos contratos se comparada ao IGP-M ou ao IPCA.

                  4+
                  • avatar
                  • avatar
              • Libertario 17 de fevereiro de 2017 at 13:37

                2% ao ano.
                Agora multiplica pela quantidade de anos que faltam.

                5+
                • avatar
                • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 13:40

                  não sou especialista, mas acho que funciona assim: a parcela é ajustada pela tr do mês anterior. O cara tem um SD de 500.000,00, ia pagar 5 mil na parcela, TR veio 0,2, ele vai pagar 5mil + mil de tr e zerou a conta da TR até o próximo mês. Se não for assim e alguém puder esclarecer, agradeço

                  2+
                  • rafa_fv 17 de fevereiro de 2017 at 14:24

                    Na verdade a TR não corrige diretamente a prestação, ela atualiza o saldo devedor, então são recalculadas as prestações faltantes. Com isso a prestação ‘decrescente’ sobe de valor.

                    5+
                    • avatar
                    • avatar
                    • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 14:25

                      entendi, obrigado

                      1+
                    • rafa_fv 17 de fevereiro de 2017 at 14:28

                      Usando seu ex. SD 500-5= 495, com a TR 496 para dividir pelas n prestações faltantes. No mês seguinte o SD será 496+juros mensal+TR….

                      4+
                      • avatar
                      • avatar
                    • rafa_fv 17 de fevereiro de 2017 at 14:31

                      Dependendo da relação juros+TR-amortização o SD sobe invés de diminuir.

                      5+
                      • avatar
                      • avatar
                    • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 14:50

                      O detalhe é esta relação entre o valor corrigido no mês e o valor pago da parcela.
                      É uma fórmula de integral, ou seja, quanto mais próximo o valor da parcela do valor que foi acrescentado por conta do reajuste no mês, a quantidade de parcelas necessárias para quitar o financiamento cresce exponencialmente, até o momento que se o valor da parcela paga for menor que o valor do reajuste, então NUNCA será quitado. É o famoso SALDO RESIDUAL que deve ser pago após a última parcela.

                      4+
                    • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 15:17

                      isso ai rafa
                      é o que eu tinha entendido
                      entao se a TR deu pi% num determinado ano e se ainda restam 30 anos o efeito é praticamente dobrar o SD, exceto pelas amortizações. mes a mes
                      mesmo que lá na frente a TR vá a zero, o SD parte de um novo patamar +elevado, parcelado por cada vez menos parcelas fazendo a parcela decrescer dum patamar mais alto.
                      Agora digamos tenhamos TR zero, daqui 5 anos ela volte a subir, então teriamos SD novamente crescendo
                      é a escravidão eterna, os bancos em conjunto com governo que define a TR são eles quem define a data de alforria dos 666.
                      cruel, muito cruel
                      não pode ser muito alta a ponto de matar a sardinha, nem muito baixa para que a sardinha engorde demais.

                      3+
        • MauricioSP 17 de fevereiro de 2017 at 11:45

          Seguindo com a minha analogia, se eu tivesse comprado o Gol em 1996 por 20 mil, quanto ele valeria hoje?
          Segundo a tabela FIPE, ele vale hoje 7.500.
          Se tivesse investido os 20 mil em um investimento acompanhando a inflação (437%), teria hoje 107 mil.
          E um apartamento de uns 70 m2 comprado por 60 mil? Qual seria o valor dele hoje? Pela mesma inflação daria 322 mil.
          Obviamente os dois tem taxas de depreciação diferentes, o que complica ainda mais a análise.
          Mas digamos que a rua do apartamento não virou uma cracolândia e nem o bairro uma favela, e hoje o apartamento seja vendido por 200 mil. Acompanhou a inflação mas sofreu o impacto da depreciação?
          Confesso que essas análises estão acima do meu entendimento…

          3+
          • avatar
          • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 12:25

            não é tão dificil
            o caminho é ver o valor de uso, tbm chamado por rentabilidade
            suponha um aluguel de carro ou de imóvel…
            o delta entre o que custou e o quanto valeu por ter sido usado é o numero que vc procura
            por isso esse numerinho qu a gente sempre fala x% do valor do imovel ou torcando o numerador pelo denominador, que o imovle vale xvezes o aluguel, por isso eles são tão importantes, eles são os fundamentos que embasam o valor de qualquer coisa, o seu uso, embasa o seu valor, o aluguel está preso na renda das pessoas, o crédito n interfere nesse numero, ou apenas marginalmente e temporariamente.
            pode até pegar dados internacionais de muitos anos e lugares, esse numero ele não foge dum intervalo dado pelas condições locais do país de oferta de terras X demografia

            http://www.economist.com/blogs/dailychart/2011/11/global-house-prices
            liga o price against rent
            liga todos os paises e todos os anos

            7+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 12:37

              Lucas
              Exatamente, por isso “price to rent ratio” e “price to income ratio” são utilizados como indicadores bolhísticos em qualquer lugar do mundo

              8+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 12:46

                como juros tem influencia nisso? Me parece que numa comparação isolada tipo EUA x Brasil, o price to rent no Brasil deveria ser menor, pois os juros são mais altos (mais difícil comprar), enquanto nos EUA, como há mais créditos a juros menores, mais gente disposta a comprar, price to rent mais alto. Faz sentido? Então vc pega em certos bairros de SP onde essa conta tá em 250 a distorção é enorme…

                2+
                • avatar
                • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 14:39

                  Quando você fala de juros, está falando do relacionamento do mercado financeiro com o mercado imobiliário, ou seja, o quanto um estouro de um bolha imobiliária impactaria no mercado financeiro.
                  Dai temos os índices

                  “Mortgage as percent of income” = quanto paga de juros do financiamento em relação ao salário
                  https://www.numbeo.com/property-investment/gmaps_rankings.jsp?indexToShow=getMortgageAsPercentageOfIncome&title=2017
                  Como o Brasil é um dos campeões mundiais em taxa de juros, ela tem um peso excessivo, em Madrid é 68.11 em Miami é 48.85 e no Hell de Janeiro é 255.54. Ao final do financiamento, ele terá pago em juros 255 vezes o salário.

                  “Affordability index” – qual a capacidade de contrair empréstimos para adquirir um imóvel
                  https://www.numbeo.com/property-investment/gmaps_rankings.jsp?indexToShow=getAffordabilityIndex&title=2017
                  Como o endividamento das famílias está altíssimo, é 7 X 1 no Brasil, pois está 1.47 em Madrid, 2.05 em Miami e 0.39 no Hell de Janeiro
                  Um índice menor que 1.00 significa que a família possui renda disponível apenas para adquirir uma residência que seja 0,39X do valor médio dela.
                  https://en.wikipedia.org/wiki/Housing_affordability_index

                  4+
                  • avatar
                  • avatar
                  • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 14:43

                    Ahhh, uma bolha imobiliária pode acontecer de forma independente de disponibilidade de financiamento.
                    No caso de Londres, os investidores árabes adquiriram e construíram diversos imóveis empresariais, induzindo uma bolha, agora com a fuga de pessoas ligadas ao mercado financeiro, estima-se que 20 a 40 mil imóveis serão desocupados em Londres.

                    4+
                    • avatar
                    • avatar
                    • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 15:22

                      perfeito perfeito
                      o que acaba com a tese do tititiago da euforia do crédito
                      o crédito foi instrumento utilizado para a bolha, assim como o tal do na´-planta, não quer dizer que seja fundamento para se te ruma bolha tanto a exisencia dum quanto do outro.
                      A bolha resulta de uma estratégia de enganação e mal uso de instrumentos financeiros, por meio de agentes bandidos em conluio E não como resultado duma conjuntura alegre, feliz, cehia de degradês e flores

                      4+
                      • avatar
                    • Knolan 17 de fevereiro de 2017 at 19:24

                      Épico! Parabens e muito obrigado!
                      Isso de bolha depender de financiamento de longo prazo a juros baixos eu vi num topico atrás e até comecei a responder, mas dps vi que não valia nem trabalho. Vide tulipas
                      Bolha existe quando existe irracionalidade no mercado, atribuindo um valor irreal a um bem de maneira sistemática. Só

                      1+
              • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 12:53

                porque prefiro o com rents
                primeiro a questão meotodologica o price e o rent são captados de maneira metodologicamente muito proximas em quem faz e na técnica
                o income médio é um problema, é outra metodologia, é mais falho e ainda sujeito a muitos outros fatores

                depois, o income e o rent a principio guardariam relação, mas se vc for analisar, é muito indireto, pq a flutuação dos estoques entram como ruído, entre outros.
                aliás não vi se é income real ou nominal

                por coincidencia, naqueles graficos não tem o BR na lista e mesmo que tivesse a fonte +famosa é enviesada

                1+
            • MauricioSP 17 de fevereiro de 2017 at 13:05

              Entendi, estou focando no valor de compra e tempo, e deveria ver o presente. Se o apartamento pode ser alugado por 1 mil, então o valor dele é de até 200 mil, pelo fator < 200x se comparado com o aluguel! E como o aluguel acompanha a renda, e a renda marginalmente acompanha a inflação, tudo vai se ligando!

              2+
              • avatar
              • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 14:07

                em termos de tetos, a princípio sim, eles estariam ligados por estes limites, somente rompidos em situações de exceção
                em termos de piso, entra desemprego por exemplo

                são bons parametros esses mauricio, subindo disto, saindo dos fundamentos vem razoável pensar em bolha

                Abaixo daqueles pisos abaixo do x80 somente situações tipo uma queda de avião, uma crise tipo Collor, um vulcão, um tsunami, uma grande depopulação (que é o que anda acontecendo no japão nos ultimos25 anos)

                a propósito em 2018 vou escrever sobre o novo risco Collor

                1+
  • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 11:41

    bolha real aquele que tomou um zap na testa com o extrato do from e tititiago agora resolveram implicar com meu cambial e me xingar, usando comentários meus que comprovam que acertei pra caralho.
    Só pra deixar claro para outros que me leem, já que estes nunca vão acreditar eles não podem mas precisam desmoralizar seus “adversários.”
    Como sempre disse lá atrás, o cambial é um seguro para reserva de valor em moeda forte, não é investimento, o manual do anonymous seria o ideal mas motivos pessoais me afastam da terra dos livres, tenho interesses turisticos limitados ali, que seria o Hawai para esportes nauticos ou Colorado para esportes de neve e +uma ou outra coisinha, infelizmente tanto um quanto outro fogem do meu orçamento de turismo e as que estão dentro sinceramente não me atraem por isso nunca fui apra lá e se considerando os relatos de quem foi realmente não me anima, então nada de manual.
    Minha solução aprticular foi aproveitar um fundo cambial de banco grande onde depositei o valor de 1 viagem, fui entrando e saindo dele revezando com um fundo de inflação. O cambial dá picos e vales, e nem sempre que o dolar cai o cambial cai, pois a gestão é dinamica, s ehouver um movimento claro o fundo pode ganhar em qualquer sentido. Em reais este valor reservado da viagem praticamente dobrou, em mais ou menos 4-5 anos, e poderia ter sido melhor se tivesse acertado aquele pico do 4,20, deixie de ganhar quase 2 mil, num restinho de dinheiro que deixei lá. Mas não considero nenhum milagre, se pegar o CDI e outros fundos, vão perceber que quase que empata. Os da latinha que guardei pra despesas pequenas pra ter dinheiro lá estes se considerar os impostos atuais eu tbm teria que gastar praticamente o dobro do que gastei, a menos de 240 dolares em 2016, nestes “perdi” como que 200 reais, tendo em vista que não pude viajar pq o passaporte atrasou, mas ia gastar tudo.
    Portanto se eu tinha uma viagem eu continuo tendo 1 viagem já que é em dolar ou euro que vou gastar, a menos de que preço de passagem aérea sofreu enorme deflação nestes anos, mas isto devida a novas tecnologias aeronáuticas entrando, 1 dia podemos tocar neste assunto quem se interessar por isso. Em reias o valor reservado dobrou mas não conto com isso afinal é um dinheiro reservado que vou torrar todo ele.
    É fato notar como eles levam tudo pelo lado do ego, e nos medem pela régua deles, caçando mentiras onde não tem, posso eu realmente fazer alguns arredondamentos mas nunca é minha politica mentir, sou bastante rigoroso nisso comigo mesmo é um hábito pessoal, inclusive me acusar quando erro, o mais depressa possível, considero vergonha que façam isto antes de mim, não tenho a menor preocupação com isto, mas eles estão sempre se esforçando em uma hora usar o CVR que lhes favorece, hora usar o dado estatístico que lhes favorece, recentemente entraram em debate com o CA tiveram a cara de pau de dizer que naquele momento quem valia era o numero do CRECI, ams que antes valia os do fingezap, eles estão sempre pegando carona na nóticia que embasa o enredo deles, por outro lado atacando a veracidade daqueles que ousam lhes desafiar. Outras dezenas de vezes pude perceber neles que há um objetivo, um resultado a se alcançar que é justamente dar o embasamento poético aos numeros do fingezap e seu irmão limpinho IVGr. É o caso de trocar o nuemro pela realidade, daí inventar uma conta que chega naquele lugar, que é dentro de uma necessidade. Obviamente não está dando certo, a prova cabal é o setor inteiro em estado zumbi, a quantidade de leilões, milhares de familais em situação de suicidio financeiro, e aquilo que relatam meus vizinhos nas pool parties de meu pequeno bairro Z1, este é meu maior referencial, pelo tamanho da comundiade sabemos de tudo uns dos outros, quanto se vende quanto se aluga. Existe uma enorme coerência entre os numeros, os fatos, os casos que eu vejo. Desde o menorzinho dos detalhes até a maior das empresas, bancos, leiloeiros e até governo, no meu ver tudo se encaxia perfeitamente, inclusive o enredo de enganação deles, que ainda faz o mercado se arrastar a custa do çangui de raríssimos incautos que vão lá na frente ter o emsmo destino que lemos em milhares de relatos no reclameaqui. Seja por distrato, seja por perder o imóvel por indadimplencia.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Minions 17 de fevereiro de 2017 at 11:53

      Esse cara “tretou” comigo e eu o intimei: se ele tivesse 10% do meu patrimônio, eu sumiria do blog. Ele arredou! é um hater que quer causar confusão.

      4+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • bolha real 18 de fevereiro de 2017 at 17:45

        Piada né, o que vou ganhar saindo do anonimato para provar algo? Nem minha família sabe exatamente quanto ganho e tenho, não vivo de ego e tenho medo de sequestro.

        Trabalho há 8 anos no mercado financeiro, desde quando eu era Junior já ganhava um bônus (quando atingia meta, claro) maior que o salário anual de muito coordenador de empresas por aí.

        E teve um “zé” outro dia que acha que mercado financeiro é quem trabalha em agência (nada contra), mas são coisas bem diferentes, acho que é “baby” alguma coisa o nick dele. Antes que ele fale asneira aqui de novo já me antecipei.

        3+
    • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 12:40

      Lucas
      Concordo, é como pagar o seguro de um carro, você está investindo em segurança, para evitar perdas em situações adversas.
      Seria como compor uma carteira de investimento, realizando um mix entre perfis conservadores e agressivos

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • bolha real 18 de fevereiro de 2017 at 17:40

      Sua conta está a grosseiramente errada e, como sempre, para o lado da “vantagem pessoal”. Parece até o CA com texto gigante pra não dizer nada e não responder o que está em jogo. Não perguntei se era para viagem, simplesmente apontei que baseado nos seus dados o máximo que você poderia ter ganhado era 43% e não os 100% ou 200% que citou.

      3+
  • Alemon Fritz 17 de fevereiro de 2017 at 11:44

    O finge zapi dos imóveis não-vendidos parou de “subir” em 2013… em 2014 ele “estabilizou”..
    isso dá quase 3 anos de estabilidade, isso representa perda, principalmente pra quem comprou pra investir. …A grana é a mesma de 3 anos atrás…
    se colocar os descontos de imóveis vendidos a queda é maior…
    Vc pode usar o FGTS pra comprar imóveis “NOVOS”, ou seja, investidor com ap agora é usado… se lasquem na pós aposentadoria..

    4+
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 12:20

      em 3 anos a TR mais que dobrou o saldo devedor de todo mundo que comprou
      por isso a parcelinha é hoje muito maior que o valor do aluguel, ainda que 3 anos atrás fossem próximas
      e como a conta do SD não retorage, esse SD dobrado segue parcelado pelos próximos 30 anos, mesmo que ela permaneça zerada

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Loucodf 17 de fevereiro de 2017 at 12:58

        Como foi feito esse calculo? (Não estou dúvidando, e sim tentando entender como funciona).
        Pelo que captei dessa da TR:

        Empréstimo: 150k
        Início das parcelas: 1.500
        Amortização: em média 380.
        Atualização monetária (2%) = 300.
        Saldo abatido: 80 reais.

        3+
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 13:21

          eu n sei te dizer com certeza, precisaria estrudar mais
          pelo que entedi a TR vc multiplica pelos anos que restam a pagar
          aí o SD novo é reparcelado pelas parcelas resntantes

          1+
          • Intendente 17 de fevereiro de 2017 at 14:52

            O saldo devedor é atualizado mês a mês.

            Não faz sentido projetar o saldo devedor em cima da TR de janeiro de 2017 pelos próximos 20 anos e, logo após, em fevereiro, fazer uma nova projeção.

            Daí o camarada tem 500.000 de SD financiados em 2017, 1.000.000 em 2020, 1.500.000 em 2022 , etc.

            Dívida eterna. Não faz sentido.

            3+
            • avatar
            • Intendente 17 de fevereiro de 2017 at 14:57

              Só uma OBS: na dúvida em contratar um financiamento, escolha o SAC. Tabela price é mais danoso.

              2+
              • avatar
              • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 15:24

                vai estudando aí
                lê lá em cima que vc chega lá
                em tempo matematicamente sac e price são equivalentes, o que se altera é apenas a dinamica do fluox de caixa que pode ou não ser conveninete para mutuario e/ou banco

                2+
                • Intendente 17 de fevereiro de 2017 at 18:50

                  No SAC, as amortizações são constantes, então o montante que produz juros será reduzido da mesma forma do início ao final do financiamento.

                  Na tabela price as amortizações são crescentes, então inicialmente você reduzirá menos o montante que produz os juros. Esse caso só vale a pena se o camarada fazer o sistema de pagar a primeira e a última.

                  Num exemplo “bananada” da aplicação desses sistemas de amortização, percebe-se que o SAC é mais vantajoso.

                  http://www.financiamento.com.br/faq/diferenca-sistema-sac-price.php

                  4+
                  • avatar
                  • avatar
            • Loucodf 17 de fevereiro de 2017 at 16:07

              Não consegue entender como o saldo devedor está quase duplicado nos ultimos 3 anos como o Lucas disse.

              O que eu vejo é esse calculo aí que eu “fiz”.

              O cara acha que está abatendo uns 400 paus, quando na verdade, abate uns 80, 100 reais dependendo do valor da TR mensal.

              Ou seja, o saldo devedor praticamente não desce.

              O cara só pedala, estilo Dilma.

              8+
              • avatar
              • avatar
              • Intendente 17 de fevereiro de 2017 at 18:43

                Ok, aí sim eu posso concordar com isso.

                1+
            • MauricioSP 17 de fevereiro de 2017 at 21:18

              Pelo menos no SAC não pode ter saldo devedor ao final do financiamento.
              Achei uma calculadora bem legal, clique na opção Cálculo detalhado para configurar a TR
              http://www.calculadorafacil.com.br/financeiro/simulador-de-financiamento-de-imoveis

              Tabela SAC
              Valor do imóvel 600.000,00
              Entrada 100.000,00
              Quantidade de parcelas 360
              Juros anuais 10%
              TR anual 2%

              VALOR JUROS AMORT. MIP DFI TAXA ADM. TAXA REF. SALDO DEV.
              01 R$6.735,56 R$4.166,67 R$1.388,89 R$90,00 R$65,00 R$25,00 R$1.000,00 R$498.611,11
              12 R$6.574,94 R$4.039,35 R$1.388,89 R$87,25 R$65,00 R$25,00 R$969,44 R$483.333,33
              24 R$6.399,71 R$3.900,46 R$1.388,89 R$84,25 R$65,00 R$25,00 R$936,11 R$466.666,67
              60 R$5.874,05 R$3.483,80 R$1.388,89 R$75,25 R$65,00 R$25,00 R$836,11 R$416.666,67
              120 R$4.997,94 R$2.789,35 R$1.388,89 R$60,25 R$65,00 R$25,00 R$669,44 R$333.333,33
              240 R$3.245,71 R$1.400,46 R$1.388,89 R$30,25 R$65,00 R$25,00 R$336,11 R$166.666,67
              360 R$1.493,49 R$11,57 R$1.388,89 R$0,25 R$65,00 R$25,00 R$2,78 R$0,00

              VALOR FINANCIADO – R$ 500.000,00
              JUROS MENSAIS – 0,83%
              CUSTO EFETIVO TOTAL – 196,25%
              VALOR TOTAL PAGO – R$ 1.481.228,33

              2+
              • avatar
          • Intendente 17 de fevereiro de 2017 at 14:56

            SALDO DEVEDOR
            É atualizado mensalmente, no dia correspondente ao vencimento do encargo mensal, por
            um índice. Nos contratos financiados com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de
            Serviço –
            FGTS, esse índice é o índice de remuneração básica aplicado aos depósitos das
            contas vinculadas do FGTS.
            Enquanto nos contratos financiados com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança
            e Empréstimo – SBPE, o índice é o mesmo aplicado aos depósitos de poupança do dia
            correspondente ao do vencimento do encargo mensal.

            Fonte: http://www.caixa.gov.br/Downloads/habitacao-documentos-gerais/Como_contratar_meu_financiamento.pdf

            2+
            • avatar
  • Ilusionista 17 de fevereiro de 2017 at 11:46

    daqui a pouco, Jornal hoje falando sobre a retomada dos imóveis por falta de pagamento….
    está cada vez mais difícil pagar as parcelinhas..

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 17 de fevereiro de 2017 at 11:49

      As parcelas estão cada vez menos ‘inhas’.
      Estão grandes, ocupando todo o bolso do brasileiro.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 17 de fevereiro de 2017 at 12:03

    Manchete esquizofrenica do Jornal Hoje
    – Veja como comprar imóvel NOVO usando o FGTS.. e também
    – Veja que muitas pessoas estão perdendo o imóvel por inadimplência….

    kkk vamos acompanhar os corvos mentirosos na primeira chamada.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 12:12

    O from no final do tópico passado fez uma série de comentário “pessoais” que me emocionei, apesar de nossas divergencias em outros assuntos (que andam se convergindo, mas isto é outro assunto), eu me identifico muito tanto nos acertos como nos erros, afinal que somos pessoas que erram e nisto vai aprendizado, sem briga de egos, diferente dos xucros teimosos.

    From_The_Tower

    Eu é que agradeço aprendi tudo aqui.
    Eu tento retribuir um pouco.
    Há 15 anos atrás… eu estava quebrando nozes com um martelo em um porão de uma casa e com 80 mil reais em dívidas.

    Esse comentario do from em meio a de outras pessoas ensejou ali um debate de altissimo nível, li cada um.

    Daí que me fez inspirar a contar um pouco do meu:
    Após viver anos maravilhosos na década de 80, enquanto todos sofriam com a crise, decisões erradas não, mas mal executadas, tomadas entre os anos e 1985 e 87 me fizeram conhecer o fundo do poço. Cheguei a trabalhar de servente de pedreiro e faxineira no litoral norte aqui de SP, local onde nos refizemos, de 87 a mais ou menos 94 foram 7 anos duros e pertubadores, mas digamos assim, foram por outro lado, gostosos, eu lembro de comprar quentinhas na colonia de férias da telebras no centro da cidade e essa era a unica grande refeição do dia e foram muitos dias assim, e aquela comida tinha o gosto que nuenhum, restaurante gourmet me fez sentir o mesmo prazer, eu lembro de morar em casa com tijolos expostos, tomar banho no cano de água e aqui ser uma delicia, melhor que muito hotel, e ainda depois de tudo, tirar uma folga pra surfar de peito mesmo, pq nem prancha podia comprar, e aqueles dias foram dos que mais me marcaram pra sempre.
    masomenos na mesma época tive um amigo que o pai era um espanholão bruto, forte como um touro apesar da idade dono de padaria e pude conhecer ali a dinamica de uma, acordar de noite carregar sacos de 50 kilos, trabalhar em fornos que te cozinham por dentro, contar cada moedinha das senhorinhas, depois limpar tudo e ir dormir já quase que amanhecendo, rsrs (isso me lembra até um quadro do monty pyton). o cara sem o menor humor a qualquer coisa esmurrava os filhos até eles precisarem de hospital. Essas coisas todas nos fazem dar valor ao dinheiro e à prudência e a´estabilidade, ao tempo de descanso a ter uma vida leve, coisa que talvez as novas gerações felizmente ou infelizmente, não saberão ver, talvez nunca cheguem a conhecer.

    Sobre o que vcs escreveram lá só vou fazer 1 comentário discordante:
    – não tem essa de carimbar dinheiro, esse é o da aposentadoria, esse daquela conta não mexo, já cometi esse erro, tudo se mexe sim, as coisas mudam. Tem que pensar em porcentos, eu conto 8%, esse 8% de tudo que ganho é imexível, e ele vai acumulando, é um dinheiro que não é pra gastar a menos de uma grande necessidade, tipo se 1 dia houver uma nova bolha imob daqui 20 anos, eu corro pra subir a rampa. Outra coisa, não existe isso de aposentar, isso é valor de tempos passados quando não tinah tecnologia, quando ser velho era sinonimo de apodrecer encostado numa cadeira de balanço. Vou trabalhar até o meu ultimo segundo de vida e se o que planejo der certo, se os tais noortropics forem mesmo eficazes, e ainda vou deixar algoritmos robotizados trabalhando mesmo após eu ir.

    Então é ficar SEMPRE ANTENTO ao mercado e aprender novas coisas, novas linguas, novos esportes, novas viagens, novos trabalhos e novos investimentos
    na linha do que o from falou e como meus amigos caiçaras falam “caranguejo que dorme na praia a onda leva”

    32+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 17 de fevereiro de 2017 at 12:52

      Véio

      Destaco o seguinte trecho:
      “eu lembro de comprar quentinhas na colonia de férias da telebras no centro da cidade e essa era a unica grande refeição do dia e foram muitos dias assim, e aquela comida tinha o gosto que nuenhum, restaurante gourmet me fez sentir o mesmo prazer, eu lembro de morar em casa com tijolos expostos, tomar banho no cano de água e aqui ser uma delicia, melhor que muito hotel, e ainda depois de tudo, tirar uma folga pra surfar de peito mesmo, pq nem prancha podia comprar, e aqueles dias foram dos que mais me marcaram pra sempre.”

      Eu gostaria que o brasileiro médio entendesse o que significa isso. Entendesse que ostentação, fotos de facebook, roupas caras e carros importados não são o sentido da vida. Que existe muita coisa simples, muita coisa barata, enfim, muitos momentos que não são nada gloriosos, nem sairiam bem numa foto, mas que são definitivos em nossas vidas.
      Definitivos ao ponto de deixar saudades, de trazer sensações boas, por mais contraditório que isso pareça.
      Definitivos a ponto de nos edificar e tornar maiores do que nós mesmos, que os outros e ficar em um patamar acima de críticas, discussões bobas e futilidades.

      Há uma certa simplicidade da felicidade que pouca gente consegue perceber.
      Não estou glorificando a pobreza, estou desglorificando o estilo de vida tão valorizado no nosso país de parecer rico e bem sucedido.

      36+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • antifragile 17 de fevereiro de 2017 at 19:18

        A simplicidade é o último grau de sofisticação.
        — Leonardo da Vinci

        10+
        • avatar
    • Margarida 17 de fevereiro de 2017 at 12:55

      Beleza de texto!

      6+
      • avatar
      • avatar
    • From_The_Tower 17 de fevereiro de 2017 at 13:14

      Perfeito véio !

      8+
      • avatar
      • avatar
  • desplein 17 de fevereiro de 2017 at 12:36

    Lucas,
    ” Cheguei a trabalhar de servente de pedreiro e faxineira no litoral norte aqui de SP, local onde nos refizemos, de 87 a mais ou menos 94 foram 7 anos duros e pertubadores, ”
    nao precisa responder se nao quiser. Em que fasa da vida vc estava na epoca? ja era adulto? Quero relacionar “idade” de começo de trabalho com maturidade ganha…

    Abs

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Margarida 17 de fevereiro de 2017 at 12:53

      Ta é querendo que o Véio entregue a idade.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • desplein 17 de fevereiro de 2017 at 13:03

        Margarida, essa seria uma informação colateral obtida da pergunta principal. Ele tem todo o direito de nao dizer alias heeheh.

        Estou curioso com historias de gente que caiu e levantou em idades em que a maioria entrega os pontos (com argumentos do tipo “ja estou velho, tenho 30, game over”) e em casos de gente que “caiu na ringue da vida” mais jovem (diferente daqueles que se “educam” mais tempo e arrumam 1o. trabalho com 28 anos eheh).

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Carlos 17 de fevereiro de 2017 at 18:52

          Minhas observações:

          1 – Quanto mais evoluida a sociedade menos se usa força física – ponto para a velharada.
          2 – Quem aprendeu a fazer as coisas “na mão” sempre terá uma vantagem sobre as novas gerações que dependem do Iphone para [email protected] – ponto para a velharada.
          3 – A síndrome do deficit de atenção é bem comum em jovens hoje e se não tomarmos cuidado pega nos véio também – véio ainda tem a paciência para sentar a bunda véia e se concentrar em algo por mais de 15 minutos.
          4 – “Velharada” normalmente sabe se comunicar com outros pessoas usando seus próprios recursos com conversar por exemplo.
          5 – Pessoal mais “véio” geralmente já passou por períodos difíceis e sobrevive muito bem sem consumismo.

          Tem pontos negativos é lógico, véio muitas vezes tem problemas de coordenação usando um mouse ou uma touch screen por exemplo mas o novos equipamentos vão responder por voz, gestos e até por pensamentos em alguns anos aí a coisa equilibra novamente.

          Coisa séria agora:
          https://www.entrepreneur.com/article/167500

          3+
          • avatar
      • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 13:05

        costumo nunca responder, mas eu provoquei a curiosidade me expondo tanto
        então dessa vez eu vou responder:
        nada pessoal, não ha nenhum grande mistério importante quanto a idade deste personagem
        somente prefiro que vcs fiquem num mundo de abstração e não se prejudiquem em detalhes
        é por isso que não respondo é por este motivo que quem sabe não fala.
        porque é melhor assim para todos nós.
        e só esta resposta já é suficiente pra vc saber, ainda que não esteja dito.
        ela responde sem responder.
        então respondi

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 13:40

          Vou fazer um conjectura
          Se em 1980 vivia “anos maravilhosos” deveria ter mais que 20 anos, significa que nasceu antes de 1960

          5+
          • desplein 17 de fevereiro de 2017 at 16:40

            Cesar_DF, os anos maravilhosos dele podem ter sido aos 15… podem ter sido aos 30… 🙂

            3+
            • avatar
            • avatar
  • anti_corvo 17 de fevereiro de 2017 at 12:52

    Caxias do Sul, cidade gourmet da serra gaúcha, onde os preços não baixam pq os imóveis são de famílias tradicionais, aquele blablabla, também está começando a ter de encarar a realidade.

    http://www.leouve.com.br/seguranca/policia/item/83154-imobiliarias-sofrem-com-queda-de-alugueis-e-vendas-e-sobram-imoveis-em-caxias

    Começando o caramba, é só ir dar uma volta nessa cidade pra ver o número de anúncio de aluga-se ou vende-se.

    4+
    • From_The_Tower 17 de fevereiro de 2017 at 13:14

      hahaha.
      eu tinha um cliente na padoca de BC que tinha 07 apartamentos em Caxias do Sul. Ele dizia que valiam 750k cada. Mas alugava a 1.100,00 cada um.
      E aí , vai!? 😉

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • anti_corvo 17 de fevereiro de 2017 at 15:11

        Ano passado eu olhei um ap pra alugar, R$ 2500,00 por mês, no mesmo prédio tinha uma unidade anunciada, o dono queria R$ 750k, a poucos dias eu vi o mesmo anúncio, 880k.
        Realmente, investir em imóveis é um ótimo investimento, olha o quanto está valorizando esse imóvel, se eu fosse o dono eu deixaria ele sem anúncio por mais uns 5 anos, até lá chega a 2kk fácil huahuahuauhahu.

        10+
        • avatar
        • avatar
  • MauricioSP 17 de fevereiro de 2017 at 13:21

    Em 2008
    https://blogs.msdn.microsoft.com/oldnewthing/20081024-01/?p=20463/
    Consider this house on Mercer Island, which happens to be for sale. Asking price: A shade under $35 million. Five bedrooms, nine bathrooms, over 22 thousand square feet, two swimming pools, space to park a 140-foot yacht, and an interior so opulent you’d be afraid to touch anything. If you were even allowed anywhere near it.
    But the sagging economy has taken its toll on this house. They were originally asking $40 million.
    Best line from the article:
    “But we decided we might want to simplify a little, and move to Medina.”
    For those who aren’t familiar with Seattle-area geography, Medina is the quiet little town which has the modest homes of simple people like Bill Gates.

    Em 2017
    https://blogs.msdn.microsoft.com/oldnewthing/20170215-01/?p=95445
    Man, this housing downturn is hitting everyone, follow-up
    Back in 2008, I remarked on a house for sale on Mercer Island, described in the original listing as 22,000 square-foot, having five bedrooms, nine bathrooms, two swimming pools, and a place to park your 140-foot yacht. At the time, it was marked down to $35 million from $40 million.

    The house was eventually sold in 2010 for $12 million, less than a third of the original asking price. Here’s another view. (Note also that the official records don’t agree with what was claimed in the listing. As a general rule, never believe anything a real estate agent tells you.)

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 13:37

      70% de “desconto” rsrs

      2+
      • avatar
    • Carlos 17 de fevereiro de 2017 at 21:23

      Gosto muito do blog do Raymond Chen, pena que não tenho tido tempo para acompanhar ele recentemente.

      0
  • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 13:23

    Leilões, todos sem lance em segunda praça

    Apartamento de 82,3 m2 de área privativa em Navegantes – SC
    336.134 – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1084
    261.091 – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1085

    Apartamento de 93,9 m2 de área privativa em Cuiabá – MT
    522.369 – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1072
    446.515 – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1073

    Apartamento de 122,3 m2 de área privativa em Goiânia – GO
    422.281 – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1074
    399.126 – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1075

    Casa de 66,0 m2 de área construída em terreno de 360 m2, em Cuiabá – MT
    353.939 – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1069
    262.044 – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1070

    Casa de 86,4 m2 de área construída dentro de condomínio, em Balneário Camboriú – SC
    290.795 – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1066
    192.308 – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1065

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 13:35

      Abri todos os leilões de imóveis neste site, que foram encerrados depois de 01/01/2017 – http://www.gpleiloes.com.br/index.php

      Foram 20 páginas no total

      Em alguns, tinham 17 imóveis no mesmo leilão – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1046

      O único que recebeu lances, foi uma casa em Belo Horizonte – http://www.gpleiloes.com.br/index.php?home=1&pg=leilao&idleilao=1057

      Eu comecei a olhar leilões há 3 anos, não fiz uma estatística, mas se fosse dar um chute, uns 20% eram arrematados na primeira praça e uns 40% na segunda praça. De 2 anos para cá, não vi mais nenhum lance em primeira praça em Brasília, e agora não estou conseguindo ver nem nos de segunda praça.

      Thiago fm, será que você não poderia montar algumas estatísticas de leilões de imóveis ? afinal você está dentro do sistema

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar

      • fanfarraum 17 de fevereiro de 2017 at 13:49

        Acho engraçado desse site que tudo tem “Acessos: EXCELENTE”
        Pessoal só olha.

        2+
        • avatar
      • thiago fm 17 de fevereiro de 2017 at 17:54

        Não tenho acesso a esses dados infelizmente, pois na CEF existe uma gerência específica para isso.

        O que posso te dizer é que se você acha a situação dos imóveis em leilão crítica hoje, imagine no início da década de 2000, já que além de ser muito mais difícil de retomar um imóvel devido a falta de regulação da alienação fiduciária, havia quase três vezes mais imóveis inadimplentes do que hoje na carteira eem unidades, considerando o SBPE como um todo (não só da CEF)

        3+
        • avatar
      • antifragile 17 de fevereiro de 2017 at 19:23

        Como você faz pra botar texto em negrito?

        E aproveitando, como faz pra postar imagem?

        1+
  • Money_Addicted 17 de fevereiro de 2017 at 13:47

    CVR –

    Pode ser soh um repique, mas por via das duvidas mandei mais uns trumps pra conta 😉

    [ ]s

    2+
  • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 14:01

    desplein

    Margarida, essa seria uma informação colateral obtida da pergunta principal. Ele tem todo o direito de nao dizer alias heeheh.

    Estou curioso com historias de gente que caiu e levantou em idades em que a maioria entrega os pontos (com argumentos do tipo “ja estou velho, tenho 30, game over”) e em casos de gente que “caiu na ringue da vida” mais jovem (diferente daqueles que se “educam” mais tempo e arrumam 1o. trabalho com 28 anos eheh).

    sobre o assunto que é o que importa
    a idade é cada vez menos importante, ou não?
    o novo campeçao da F1 mal tem idade pra tirar carteira de motorista, sabe-se hoje que o auge dos reflexos ocorre ali pelos 16 anos de idade, tenho lido sobre IQ, a capacidade bruta tbm poderia estar no auge por ali nessa faixa.
    em situações extremas é amplamente documentada capacidade de plasticidade e de se adaptar, a hisotria de crianças abandonadas adotadas por animais em idade de quase bebê, algumas sobreviveram onde adultos não conseguiriam
    por outro lado, a mesma coisa com pessoas velhas, gosto do exemplo do churchill, um alcolatra fracassado que salvou o mundo do nazismo ele já tinha 66 anos qunado convenceu o mundo do perigo, ou o nosso Temer

    então te respóndendo dos 8 aos 80 tudo é possivel

    que pese algum exagero desses sites de internet, seria dos 3 aos 102:
    hypeness.com.br/2013/07/5-idosos-que-fazem-coisas-que-muitos-jovens-nao-chegam-perto-de-conseguir/
    hypeness.com.br/2014/04/conheca-a-historia-de-5-criancas-que-foram-criadas-por-animais/

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 14:14

      Na fórmula Indy, onde a estratégia é mais importante que o reflexo, a maior parte tem mais de 40 anos

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Cadeludo 17 de fevereiro de 2017 at 14:05

    Perguntas da dilmãe sobre o mercado imobiliário:
    quem perdeu, ganhou?
    quem ganhou, perdeu?
    quem ganhou, ganhou?
    todos perderam?

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Krusty 17 de fevereiro de 2017 at 14:46

    Hello friends…

    Faz tempo que não faço login, mas to acompanhando o blog.

    5+
    • avatar
  • Krusty 17 de fevereiro de 2017 at 14:47

    Cadê a bruxa? Sumiu?

    3+
    • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 15:15

      A Rozinha sumiu um tempão, deu um alô um dia só, e sumiu de novo

      5+
      • avatar
  • SampaBoy 17 de fevereiro de 2017 at 14:50

    eu fiz aporte ontem tbem, nao resisti …..sera que a cotação dos trumps esta no chao ?

    1+
    • Money_Addicted 17 de fevereiro de 2017 at 15:58

      como dizem por aqui, acertar o pico exato eh dificil, eu tenho feito pequenos aportes mensais, tentando ficar prox da minima do mes.
      agora se bater 2.8 e/ou abaixo disso ai comeco fazer uns aportes “serios”

      [ ]s

      2+
      • SampaBoy 17 de fevereiro de 2017 at 17:17

        tenho feito a um bom tempo tbem, mas minha media de cotação esta em 3,40, ou seja, prejuizo por enquanto. para reverter isso preciso acertar no “vale” das cotacoes com aportes mais “serios”

        1+
      • bolha real 18 de fevereiro de 2017 at 17:55

        ✌?

        0
  • Ilusionista 17 de fevereiro de 2017 at 14:52

    aumento de 108% das reclamações sobre retomada dos imóveis, jornal JH.

    http://globoplay.globo.com/v/5661243/

    3+
    • avatar
    • Margarida 18 de fevereiro de 2017 at 14:30

      Como as pessoas ouvem essas matérias e acham normal? O repórter diz que só quando ela ficou vários meses sem pagar as prestações, e o banco cobrou, ela descobriu que o contrato… Bom, não importa o que ela descobriu, ela assinou sem ler, né? Mas o comentário da “vítima” é “A gente fica indignado, né, que o banco só quer saber de tomar o meu imóvel”. A mulher estava indignada!

      E os bananenses acham normal ela ficar revoltada com o banco. Esse mundo tá virado mesmo.

      6+
  • Bolhudo 17 de fevereiro de 2017 at 14:59

    Ilusionista

    aumento de 108% das reclamações sobre retomada dos imóveis, jornal JH.

    http://globoplay.globo.com/v/5661243/

    0

    Matéria encomendada, só faltou dizerem ” Pegue teu FGTS e corra pagar as prestações atrasadas”, achei estranho a mulher dizer que a CEF não quis conversa e tomou o imóvel.

    4+
    • avatar
    • avatar
  • cesarkebrado 17 de fevereiro de 2017 at 15:02

    Eu to tentando ender mais sobre aplicacao e me deparei com essa lista de rentabilidade das aplicações de 2016, aí fiquei mais confuso ainda, alguém pode me explicar?
    Se eu tivesse investido na primeira aplicação da lista a Tesouro IPCA+ 2035 em 1/1/2016 eu iria receber 47,81% de juros em 31/12/16 ??? É isso mesmo?

    Veja o ranking dos investimentos completo, com os melhores e os piores de 2016
    Investimento Rendimento (%)
    Tesouro IPCA+ 2035 47,81
    Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2025 42,94
    Tesouro Prefixado 2021 38,69
    Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2023 38,19
    Ibovespa 37,96
    Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2045 34,50
    Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2050 34,20
    Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2021 32,79
    IFIX 31,73
    Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2035 31,42
    Tesouro IPCA+ 2024 25,74
    Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2024 22,44
    Tesouro Prefixado 2018 21,30
    Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2020 17,88
    Tesouro IPCA+ 2019 17,22
    CDI* 14,07
    Tesouro Selic 2017 14,01
    Tesouro Selic 2021 13,59
    Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2017 13,53
    Caderneta de poupança 7,57
    IPCA** 6,40
    Dólar PTAX -15,33
    (*) de 28/12/2015 a 28/12/2016.
    (**) Expectativa do mercado, de acordo com o Boletim Focus do Banco Central de 23/12/2016.

    3+
    • avatar
    • avatar
    • MINEIRO SPY 17 de fevereiro de 2017 at 15:05

      É bem possível que sim. É importante se compreender a lógica de cada título para saber o quanto lucrar/perder se resgatado antes do prazo.

      3+
      • avatar
      • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 15:26

        posta de novo
        que tabela linda
        tenho um monte deles

        2+
    • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 15:15

      não sei as rentabilidades de cor, mas é bem provável que sim. Na verdade você não vai receber de juros em cash, no caso de juros semestrais você recebe o relativo ao cupom contratado (os 5% aa + ipca para um semestre). A questão é que o seu título valorizou mais uns tanto por cento pq os juros caíram, então se você vender naquele momento você embolsa essa valorização também. Na prática, sim, você ganhou esse % mesmo.

      1+
      • cesarkebrado 17 de fevereiro de 2017 at 15:20

        Mas essa valorização não quer dizer que o Governo vai pagar 47% de juros e sim que houve uma PROCURA por este título especificamente (como uma ação de empresa) e esta procura faz com que tenha quem pague 47% a mais nesse título. Eu entendi isso, será que tá certo?

        1+
        • Felipe 17 de fevereiro de 2017 at 15:23

          essa é a valorização do valor de face do titulo

          4+
          • avatar
          • avatar
        • Felipe 17 de fevereiro de 2017 at 15:24

          significa que, se vc vendesse hj ao governo, seria essa a valorização bruta do título – mas vc abriria mão de receber o contratado

          5+
          • avatar
          • avatar
          • From_The_Tower 17 de fevereiro de 2017 at 15:26

            Exatamente.

            2+
        • From_The_Tower 17 de fevereiro de 2017 at 15:25

          Não é isso.
          Quando revendemos o título… estamos ofertando no mercado secundário.
          O bônus do título é esse que o colega descreveu. Deu 62% nominais e quase 45% líquido. Não tem muito a ver com oferta e demanda e sim… patamares… e bônus em caso de recompra por um terceiro.

          2+
          • avatar
          • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 15:33

            um jeito fácil de entender. Você comprou um título a 10 que vai te pagar 20 na data final. Só que por conta da queda dos juros hoje o título vale 13. Se você vender hoje você embolsa os 3 e pode aplicar em outra coisa, mas “perde” os 7 que vai render até o vencimento.

            6+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • From_The_Tower 17 de fevereiro de 2017 at 15:36

              “Se você vender hoje você embolsa os 3 . ”
              Exato… e pode preparar o facão para as próximas oscilações.
              Banânia é ótima nisso. Voo de galinha.
              momentos próspero de agora vai (2010-2012) e encontro com a realidade (2014………2015….. 2016…. 2017…….. ) e assim vai.

              8+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 16:05

                embolsa os 3 e usa pra recomprar quando cair de novo de 13 pra 10, enquanto aplica os 3 em outra coisa que faz virar 4.
                mas aí corre o risco do juros cair ainda mais e aqueles 13 teria virado 16 se vc tivesse esperado a hora certa, ou 14 e aí teria empatado já que o 3 teria virado 4, e ainda tem que considerar IR descrescentes, taxas e emolumentos, cada vez que vc movimenta. Por isso recomenda-se esperar pelo menos 2 anos. pq o IR é o grande comedor de cotas

                3+
    • homelessbubbles 17 de fevereiro de 2017 at 15:25

      O tesouro IPCA (para qualquer vencimento) funciona da seguinte maneira.

      As Ntnb Princ (independente do vencimento) possuem (atualizado ontem) um valor nominal atualizado (VNA) de R$ 2.969,80. Significa que se você comprar hoje um título com vencimento em 2045, por exemplo, e não houver inflação até a data prevista, você irá receber estes R$ 2.969,80. Se houver inflação, você receberá o VNA mais a correção inflacionária. Note que o VNA é, justamente, atualizado pela inflação.

      Como você deve ter percebido, apesar do título, hoje, possuir o valor de R$ 2.969,80, ele custa menos. Se você comprar uma 2045 pagará R$ 708,36. Já o 2024 custa R$ 2013,08. Esses valores são chamados de valores de face e a diferença entre o valor de face (custo) e o VNA (valor) corresponde justamente ao juro oferecido no dia, capitalizado até o vencimento. Por exemplo, o valor de R$ 708,36, capitalizado até 2045 por um juro composto de 5,23% a.a. dará justamente R$ 2.969,80.

      Sendo assim, quando a taxa de juro oferecida baixa, o valor de face do título sobe, pois ele será capitalizado mais suavemente e, ainda assim, deverá valer R$ 2.969,80 no vencimento (assumindo inflação nula). Se a taxa subir, ele será capitalizado mais agressivamente, e assim seu valor de face deverá ser menor.

      Você pode consultar VNA aqui: http://www.anbima.com.br/vna/vna.asp

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • SampaBoy 17 de fevereiro de 2017 at 15:29

      Simplificando é o seguinte : voce compra uma ntnf a tantos % ao ano + ipca. Se nos proximos meses ou anos as proximas NTNFs oferecidas tiverem juro menor que a tua, a tua aumenta o valor de mercado, proporcionalmente ao quanto o juro dela é maior que o juro oferecido atualmente. Se o contrario acontecer, começarem a oferecer juro maior doque a que voce comprou, a tua cai de valor, e neste caso vale a pena segurar ate o vencimento.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 17 de fevereiro de 2017 at 15:32

        Perfeito. Imagina a motumbada que os compradores de NTNB´s tomaram na rabiola quando compraram a 3% + IPCA.
        kkk

        6+
        • avatar
        • avatar
        • BolhistaBR 18 de fevereiro de 2017 at 17:26

          Ate o momento, estou arrebentando mais de 50k nas ntnb princ..
          Mas acontece que se vender, eu estou abrindo mão de receber o valor aplicado corrigido pelo ipca + a tx da compra.
          Ou seja, pode valer a pena vender antecipadamente SE vc ou entrou pra especular ou tem esperança de recomprar quando a taxa voltar a subir.
          Se o objetivo é garantir a multiplicação milagrosa dos juros compostos, perceba que pode não ser a melhor estratégia!!!!
          O fator tempo conta muito.
          Ex. Se eu vendesse minhas ntnbs compradas há 1 ano, direcionasse os juros ganhos pra outra coisa e aplicasse o mesmo valor quando a taxa voltasse, o valor final seria menor q o valor q poderia ser conseguido com o hold até o vencimento. Nesse cenário, só seria um bom negócio SE os juros embolsados na venda antecipada fossem investidos em algo que desse um retorno que compense a diferença perdida.

          2+
          • avatar
      • SampaBoy 17 de fevereiro de 2017 at 15:58

        e se a tua esta valorizada no mercado, este valor de mercado dependera justamente de quanto o juro da sua esta pagando mais doque o juro atual e tambem de quanto tempo falta para o vencimento. por exemplo : se voce tiver NTNF com juro de 8% em maos , e atualmente estao pagando 5%, certamente a sua esta valendo muito mais doque o que voce pagou, mesmo corrigido pelos 8% (se voce vender recebera um valor muito maior doque 8% de juros) , e pagara neste caso mais , quanto maior a distancia para o vencimento . Se a tua começar a se aproximar do vencimento, o valor de mercado doque voce possui vai se aproximar doque o que vao te pagar no vencimento por motivos obvios,… …caso voce tenha o azar de os juros atuais serem maiores doque o que voce pagou , simplesmente voce tera que esperar o vencimento, porque é o melhor lucro que voce pode receber

        3+
        • avatar
        • avatar
      • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 16:01

        pergunto: a expectativa d einflação altera o valor?
        não né…

        1+
        • SampaBoy 17 de fevereiro de 2017 at 16:07

          nao obviamente porque sempre tem IPCA embutido nas NTNFs oferecidas, entao o IPCA é uma variavel “fixa” que nao da vantagem ou desvantagem para uma determinada NTNF em relação as outras que estao sendo oferecidas.

          2+
          • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 16:34

            outra pergunta
            se o juros for proporcionalmente maior frente a um IPCA menor isto seria melhor???
            haja visto o IR incidir sobre uma base real menor
            ou são situações equivalentes não faz a menor diferença, afinal quando inflação sobe o juros sobe proporcionalmente mais corrigindo esta possível diferença a menos para o investidor?

            2+
            • avatar
            • SampaBoy 17 de fevereiro de 2017 at 17:03

              Creio que a expectativa de inflação nao muda o valor de mercado de um titulo , por mais que o rendimento dele esteja atrelado ao IPCA, simplesmente porque o titulo atrelado ao IPCA sempre estara a venda, o que muda é a taxa de juros alem do IPCA. A não ser que pare a oferta de titulos atrelados ao IPCA, e exista uma expectativa de alta da inflação.

              assim, o que altera o valor de mercado da NTNF :

              – o “gap” entre o juro que voce comprou e o que esta sendo oferecido atualmente
              – a expectativa de mudança da SELIC, se for de queda, aumentara o valor de mercado do que voce possui.
              – e por ultimo a data de vencimento (quanto mais longe a data , maior a valorização , porem proporcionalmente ao gap e a expectativa de queda da SELIC)

              2+
              • avatar
              • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 18:04

                sampaboy ok, tinha entendido a primeira pergunta,
                a segunda pergunta tem nada a ver com a primeira
                é sobre de inflação passada mesmo, como ela afetaria na rentabilidade por causa do IR a maior, ou o proprio premio em juros compensaria este efeito?
                valeu, tu é fera em explicar, é bom revisar estes conceitos todo anos

                2+
                • avatar
              • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 19:26

                expectativa de inflação altera sim a NTNB, no sentido que o cupom total do pré e da pós devem andar de forma parecida. Num exemplo simplório. Imagine que a curva para uma data preveja juros de 10% pré, e inflação de 5%. A NTNB vai estar por volta de ipca + 5%. Se a expectativa de inflação variar (digamos, para baixo) mais do que a dos juros, o cupom da NTNB pode mudar. Você pode ter juros de 8% com inflação de 2% – a ntnb pode oferecer ipca + 6%.

                3+
                • avatar
                • SampaBoy 17 de fevereiro de 2017 at 21:06

                  altera o modelo das proximas ofertas de NTNB mas nao altera o valor de mercado das que voce tem em maos. Se o ipca subir e os juros oferecidos (alem do IPCA) nas novas ntnbs ficarem iguais, o preço de mercado da sua NTNB nao vai mudar…simplesmente porque ela nao oferece nada a mais que uma nova NTNB

                  1+
                  • to bolhado 17 de fevereiro de 2017 at 21:20

                    talvez você entenda disso mais do que eu, de fato não conheço tão profundamente, mas não entendi a frase “altera o modelo das proximas ofertas de NTNB mas nao altera o valor de mercado das que voce tem em maos”. Como isso funcionaria? Você tem ntnbs para 2035, ipca + 5,5. vamos supor que em 2 anos mude radicalmente a expectativa de inflação no longo prazo, de 6% para 3%, mas sem alterar significativamente a curva de juros. Em algum momento a parte pré da ntnb não pode subir, e aí desvalorizando esses títulos que você já tem na mão?

                    2+
                    • SampaBoy 17 de fevereiro de 2017 at 22:02

                      Sim , na verdade eu quis dizer que a variação do IPCA não altera diretamente o valor de mercado da NTNB que voce tem……até o momento que lançarem uma nova NTNB com juro mais alto ou baixo. Como as novas NTNBs dependem não so do IPCA mas tambem da politica de juros (SELIC) , não é tao previsivel assim que a queda da inflação por exemplo vai necessariamente fazer aparecer NTNB com juro mais alto, é apenas uma possibilidade.

                      1+
                      • avatar
        • bolha real 18 de fevereiro de 2017 at 18:00

          A expectativa de inflação é uma das maiores variáveis que influenciam na taxa dos títulos.

          0
    • Money_Addicted 17 de fevereiro de 2017 at 16:04

      eh quase inacreditavel, neh?! e isso nao eh igual aos tijolos magicos q valorizam 30% ao ano mas vc nao consegue realizar, com apenas um click vc realiza e vai pra europa com o lucro 🙂

      e os 30% do imovel? como faz?
      1 – conversa com corvo
      2 – marca vistia com pseudos interessados
      3 – ouve propostas abaixo do pedido
      4 – ouve oferta de troca por galinha
      5 – ouve oferta de troca por porco
      6 – etc
      7 – etc

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 17 de fevereiro de 2017 at 15:41

    postado em 17/02/2017 13:19
    Agência Estado
    São Paulo, 17 – Os empresários da construção civil apresentaram ao governo federal uma nova proposta de regulamentação para os cancelamentos dos contratos de compra e venda de imóveis na planta. A sugestão é um pouco mais flexível do que a versão anterior e representa um novo esforço em criar regras para os distratos, que têm afetado gravemente o caixa das empresas.

    No documento, a associação propõe multa de 12% do valor do contrato ou 25% do valor pago pelo adquirente – o que for maior – em caso de distrato. Não há devolução do valor gasto com corretagem. Entretanto, a nova proposta prevê porcentuais flexíveis para algumas situações determinadas previamente.

    Já as multas mais duras, de 12% a 15%, são importantes para combater os chamados especuladores, isto é, os compradores que priorizam obter rentabilidade com o imóvel em vez da moradia. Quando percebem que a valorização da unidade na planta não evoluiu conforme o esperado, optam pela rescisão.

    http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2017/02/17/internas_economia,848344/construtoras-enviam-ao-governo-proposta-mais-flexivel-de-regra-para-di.shtml

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 17 de fevereiro de 2017 at 15:42

      CA, veja que lindo! Adoooorooooo

      “Nigri também cita o desgaste na revenda do imóvel após a desmobilização dos estandes, com apartamentos decorados, maquetes e campanhas publicitárias. “Temos que gastar novamente com publicidade e dar desconto”, explica. Segundo ele, o valor de revenda dessa unidade sai por até 30% a 40% abaixo do custo de produção. “É um prejuízo violento”.

      O diretor de relações com investidores da Eztec, Emílio Fugazza, aponta riscos de explosão de casos de atraso de obra por falta de caixa das empresas. Isso acontece porque os bancos liberam financiamento para a obra mediante comprovação de vendas dos imóveis, que, futuramente, são usados pela incorporadora para pagar o empréstimo bancário. “Se a quantidade de recebíveis dos bancos for menor do que o valor do financiamento, o banco pode parar a liberação do crédito”, explica.

      Se o financiamento for suspenso, a incorporadora deve se esforçar para revender os imóveis ou então usar recursos próprios para manter as obras. Caso contrário, há interrupção do projeto. “A economia fraca do País não permite a revenda rápida, e a maioria das incorporadoras não tem liquidez suficiente para aportar mais recursos próprios. Já vemos muitos casos de atrasos de obras no mercado”, comenta.”

      30+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 15:54

        LINDO lindo
        supondo que eles venderam com lucro pela primeira vez é a admissão oficial que o preço caiu entre 30% e 40% a valores reais

        – pra mim, nenhuma novidade,
        continuo recebendo spam dos corvos da época que procurava imóvel e todos eles lançados desde 2012 como ultimas unidades estão me dando exatamente este desconto.

        – pro tititiago, uma grande surpresa, ele não sabia de nada, não viu nada, só sabe dizer da tabela oficial

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 15:57

          40% é SÓFITI

          18+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar

          • CA 17 de fevereiro de 2017 at 17:15

            Cesar_DF,

            Lembrando que ele está falando sobre 30% a 40% abaixo do custo de produção, não do preço de venda…

            10+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 17:40

              O custo de um apartamento, considerando o valor do terreno, as áreas comuns (elevador, corredor, estacionamento, xoxotecas) e o custo administrativo da obra é em torno de 3 a 4 CUBs

              3+
              • avatar
            • CA 17 de fevereiro de 2017 at 17:48

              Cajuzinha,

              Sobre as declarações do presidente da EzTec:

              A esta altura ele deveria estar “super-otimista” com a notícia divulgada por Meirelles, quanto ao novo limite de financiamento com verba do FGTS, afinal a EzTec tem o maior percentual nos estoques entre todas as construtoras com Ações na BOVESPA quanto a imóveis que se enquadram nesta nova faixa. Por que ele não está “exultante”? Até os “sábios” (*) investidores na BOVESPA fizeram com que os preços das Ações das Construtoras que tem mais imóveis nesta nova faixa coberta pelo FGTS disparassem, por que tanto pessimismo do presidente da EzTec?

              (*) Nesta especulação non-sense com as Ações das construtoras, alguns já lucraram bastante, mas muitos que não venderem à tempo vão ficar com Ações que compraram por um preço bem acima do que realmente valem, não tanto no caso da EzTec, mas com certeza em casos como da PDG e Rossi.

              Outro ponto interessante:

              A EzTec foi uma das 6 construtoras que ao final do 3T16 teve vendas liquidas de distratos NEGATIVA, porque ela decidiu, por iniciativa própria, suspender os lançamentos, em função dos SUPER-ESTOQUES (antes disto o estoque dela era o equivalente a 12 ANOS DE VENDAS).

              A EzTec sabe, assim como todas as outras construtoras, a REAL situação do segmento, gerada pela bolha imobiliária. Esta é a causa do desespero, eles sabem que estão em uma sinuca de bico e que por mais que o governo adote soluções RIDÍCULAS, não vão resolver em nada o problema delas.

              Para finalizar, os atrasos nas obras já ocorrem há muito tempo, não é só desde agora. Isto é apenas mais um reforço para os distratos dispararem cada vez mais e também para que durante o julgamento dos distratos, ocorram restituições mais elevadas para os ex-compradores.

              Sobre a necessidade de vendas e recebíveis proporcionais aos empréstimos que as construtoras PRECISAM receber dos bancos para darem andamento às obras, é só MAIS UM dos motivos pelos quais elas pedalam com vendas FALSAS na planta, também não é nenhuma novidade.

              8+
              • avatar
              • avatar
          • BolhistaBR 18 de fevereiro de 2017 at 17:43

            Entendo que a corrosão pela inflação tá embutida aí, mas sinceramente não vi nenhuma diferença no preço nominal da venda. Pelo menos no Hell.
            Na minha visão, não caiu isso tudo não.

            0
    • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 15:45

      Como eles irão distinguir o “investidor” que queria ganhar dinheiro com a revenda do imóvel daquele que foi iludido pelo vendedor, que subdimensionou o valor da parcela na hora do financiamento ?

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 15:52

      2014
      A mineira MRV Engenharia, que atua principalmente no mercado de imóveis econômicos, registrou alta de 24,6% no número de negócios desfeitos no primeiro semestre de 2014, ante o mesmo período de 2013. Foram 6.134 imóveis devolvidos, num total de R$ 740,2 milhões. O presidente da MRV, Rafael Menin, confirma que esse percentual está acima da média histórica, mas garante que isso não é problema, já que a revenda está acontecendo rapidamente:

      http://oglobo.globo.com/economia/imoveis/negocios-desfeitos-no-pais-cresce-numero-de-devolucoes-de-imoveis-comprados-na-planta-14213036#ixzz4YyC8tO5j

      5+
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 15:53

      Julho de 2015

      Com 42% de lançamentos a menos em 2012 e novas quedas depois, 2014 se encerrou com um estoque anormal e suficiente para 21 meses de vendas. A causa? Distratos (cancelamentos das vendas) de R$ 17,6 bilhões no período entre 2011 e 2014, ou seja, boa parte do crescimento das vendas de imóveis (na planta ou em construção) do passado não se concretizou, virou estoque e concorreu com lançamentos posteriores.

      Junta-se a isto ainda cerca de 40% de vendas para investidores pessoais, concorrendo com construtoras e quedas nas vendas brutas (sem abater os distratos) em 2012 e 2014. A alta flutuação em lançamentos imobiliários afetou os empregos?

      Já a pesquisa da consultoria especializada no ramo imobiliário Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), feita no primeiro bimestre de 2013, registrou queda de 9,4% nos preços do metro quadrado nos lançamentos em São Paulo.

      https://incorporacaoimobiliaria.com/tag/embraesp/

      2+
    • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 16:01

      Este diretor presidente da Tecnisa, Meyer Joseph Nigri ESTÁ MENTINDO, não pode ter desconto generalizado de 30 a 40%.
      De acordo com o Thiago fm, 80% dos descontos concedidos são abaixo de 10%

      8+
      • avatar
      • thiago fm 17 de fevereiro de 2017 at 18:02

        Não de acordo comigo. De acordo com as pesquisa da Vivareal.

        6+
        • avatar
        • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 18:08

          taí rapaz, o proprio dono da loja confessou que o desconto é de 30 a 40% sobre o valor da primeira vez que vendeu
          seus institutos de numerologia tem mais credibilidade que Ele???
          isso é a prova oficial e irrefutável daquilo que a gente já sabia
          Se vc fingir que não viu, vc que sabe de tudo, faz assim, ou finge que ficou surpreso, ou volta daqui 3 dias falando de outro assunto

          13+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • thiago fm 18 de fevereiro de 2017 at 17:48

            Você são engraçados mesmo….

            Quando esses caras defendem a resiliência dos preços são as vacas dizendo pra comer frango. Mas quando aparece um cara de “mimimi” com os distratos na mídia claramente para conseguir vantagens na regra de devolução dos valores aceitam a informação como verdade absoluto, sem filtro nenhum.

            Mais um link pra lista de evidências…

            2+
        • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 19:06

          Thiago fm
          Você não respondeu aquela questão no tópico passado da divergência entre 2 graficos apresentados, acho que um indicava um “desconto” de 38% do valor pedido, enquanto outro mostrava que apenas uma pequena parte concedia desconto acima de 20%.
          Sabemos que numa curval normal, isto não é possível, nunca o último quartil de um gráfico poderia ser a média ou a mediana do outro.

          8+
          • avatar
          • avatar
          • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 19:11

            Uma das duas informações é falsa sobre Belo Horizonte, para dar um desconto médio de 38%, pela distribuição normal de frequências, em cerca de 50% dos casos deveria ser dado um” desconto” acima de 30% (quartis a 25 e 75%)

            5+
            • avatar
  • Cajuzinha 17 de fevereiro de 2017 at 15:50

    “A partir do momento em que você tem essa nova regra, quem queria comprar um imóvel acima de R$ 1 milhão passará a ter vários benefícios, como a redução da taxa de juros”, explica o vice-presidente de Corretores da Câmara do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI-Cecovi), Breno Donato.

    demanda Para se ter uma ideia, em um financiamento de um imóvel de R$ 1 milhão, o comprador economizaria em torno de R$ 30 mil por ano com o pagamento de juros. Ao longo de 30 anos – tempo médio dos contratos de financiamento –, representaria economia de R$ 900 mil. “No financiamento, o comprador paga geralmente de três a quatro vezes o valor do imóvel ao fim dos 30 anos. A economia seria significativa”, alerta Breno Donato, que acredita na existência de uma demanda reprimida nesse segmento.

    Ele não tem dúvida de que, se a medida for implementada pelo governo, será um alento para o mercado imobiliário e para as classes média e média alta – ainda que o percentual de imóveis com valores superiores a R$ 950 mil não seja tão alto. Segundo a CMI, 80% dos imóveis negociados estão abaixo de R$ 500 mil. “É um percentual baixo, mas significativo. Esse é uma forma de o banco conseguir atender uma população que precisava dessa ajuda e pega uma fatia de mercado que não estava muito ativa”.

    http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2017/02/17/internas_economia,848221/especialistas-comemoram-elevacao-de-teto-pra-financiar-imovel-novo.shtml

    8+
    • avatar
    • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 15:57

      agora só vai pagar de 2x a 3x
      mas esqueceram de falar da TR denovo????
      kkk

      9+
      • avatar
      • avatar
      • CA 17 de fevereiro de 2017 at 17:24

        Lucas,

        A má-fé é intensa. Falam que esta parcela de valores é ínfima nas vendas, “esquecem” de falar que é representativa nos estoques, como levantamento de empresa especializada apontou em link colocado em comentário do tópico anterior.

        8+
        • avatar
        • avatar
  • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 15:50

    RAking das maiores economias em 2050
    Ca lmebra aquele assunto??
    obviamente quem fez esse ranking comeu merda
    isso lembra um post que discutimos aqui sobre os anos 80, naqueles tempos falavam que o japão seria o futuro Primeiro lugar
    DAÍ veio Reagan e massacrou os japas
    agora é a china, mas temos Trump
    http://veja.abril.com.br/economia/saiba-quais-serao-as-maiores-economias-do-mundo-em-2050/

    3+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 17 de fevereiro de 2017 at 16:08

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Pedidos de saques de contas inativas do FGTS chegam a 5 mil por hora
    Publicado em 17/02/2017 – 16:01 Vicente NunesEconomia
    Funcionários da Caixa Econômica Federal dizem que a procura pelas contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) só faz aumentar. Cerca de 5 mil pessoas estão pedindo os saques por hora.

    Os trabalhadores que são clientes da Caixa estão indo às agências do banco indicar como querem receber o dinheiro a partir de 10 de março, se em conta-corrente ou por meio da caderneta de poupança.

    Brasília, 16h01min

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • fanfarraum 17 de fevereiro de 2017 at 16:16

    Criando o Índice FingeFanfarraumZap…

    Estou salvando em banco de dados informações de diversos apartamentos. Faço sempre os mesmos filtros em 2 sites (Foxter e Guarida)
    Comecei isso anti-ontem, mas já dá pra ver claramente o efeito que o CA tanto fala sobre os indices FipeZap e DMI-VivaReal.

    Tenho atualmente informações de 938 anúncios de venda (dos 2 sites, podem existir imoveis repetidos)
    Anti-ontem, a média dos imóveis era de 6.657 o m².

    De lá pra cá:
    – 6 imóveis baixaram de preço (560k => 550k, 840k => 830k, 570k => 565k, 850k => 795k, 990 => 989k*, 680 => 580k)
    – Nenhum anúncio aumentou de preço
    – 5 imóveis sairam da base de dados (preços por m²: 4.166, 5.483, 4.642, 3.539 e 6.012). Podem ter sido vendidos, ou não. Digamos que tenham sido vendidos. E digamos que tenham sido vendidos SEM desconto ainda. Vamos ser extremamente otimistas. A média desses imóveis que saiu é de R$ 4.768/m².

    Recapitulando… A média dos anúncios (FingeFanfarraumZap) era de R$ 6.657 o m².
    Foram “vendidos” 5 imóveis… O mais caro foi R$ 6.012… A média dos imóveis “vendidos” foi de R$ 4.768…
    A nova média dos anúncios… O novo índice FingeFanfarraumZap é de… R$ 6.665 (8 reais a mais).

    Conclusão-666: Os imóveis valorizaram. Hoje valem mais do que anti-ontem. Hoje valem R$ 6.665 o m²

    Conclusão-Bolhista:
    O imóvel MAIS CARO “vendido” está 29% abaixo do índice FingeFanfarraumZap.
    O imóvel MAIS BARATO “vendido” está 47% abaixo do índice FingeFanfarraumZap.
    O imóvel EM MÉDIA “vendido” está 28% abaixo do índice FingeFanfarraumZap.

    Se houve desconto de 15% em média nesses apartamentos, o valor real de venda desses imóveis seria 39% abaixo do índice FingeFanfarraumZap.

    * Sim, temos um motumbado que realmente acha que com o desconto de mil reais vai vender o bolhudo de 1 milhão dele #agoravai

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • fanfarraum 17 de fevereiro de 2017 at 16:18

      Obviamente, o novo índice ser R$ 6.665 não tem nada de “666” na história.
      Puramente estatístico e real.

      9+
      • avatar
      • avatar
    • fanfarraum 17 de fevereiro de 2017 at 16:22

      Errei um cálculo ali…

      Corrigindo:

      O imóvel MAIS CARO “vendido” está 10% abaixo do índice FingeFanfarraumZap.
      O imóvel MAIS BARATO “vendido” está 47% abaixo do índice FingeFanfarraumZap.
      O imóvel EM MÉDIA “vendido” está 28% abaixo do índice FingeFanfarraumZap.

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Libertario 17 de fevereiro de 2017 at 16:30

        Voce nunca olhou pelo Jardim Planalto ?
        Fica a 5 min do Iguatemi, então me parece que dentro da sua area de interesse.
        Consegui por ali o aluguel a R$ 17,00 o m2 – com 2 vagas de garagem.

        5+
        • avatar
        • avatar
        • fanfarraum 17 de fevereiro de 2017 at 17:03

          Libertario,

          Gosto bastante do Jardim Planalto, mas estou trabalhando na Av. Goethe e sempre quis ir e voltar a pé (e conseguir almoçar em casa, no meu minguado tempo de almoço: 1h12).

          Mas ainda assim, vou dar uma olhada! Obrigado pela dica!
          Por esse preço (com 2 vagas de garagem), me interessa muito assim. Acho a região muito boa!
          Valeu mesmo.

          4+
          • avatar
    • Antigo 17 de fevereiro de 2017 at 16:41

      Cara…
      Sensacional

      Essa sua mensagem deveria virar tópico, sério. Foi uma das melhores coisas que já li aqui.
      Todo mundo sabia como o fingezap funciona, mas essa sua demonstração prática com exemplos reais foi para quebrar a banca mesmo.

      Lixo de indicador. E povo ainda leva a sério…

      Você pode continuar acompanhando o FingeFanfarraumZap e dando feedback para a gente?

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • fanfarraum 17 de fevereiro de 2017 at 17:01

        Antigo, vou continuar sim! E sigo dando reports. Quero ver se faço algo com comparações semanais (já que mensais demoraria muito, uma vez que comecei agora só).

        Se o pessoal tiver sugestões de sites com informações que sejam fáceis de capturar diariamente pra fazer essas comparações (ou outros tipos, o que tiverem pra sugerir), podem me passar…

        Sou fanático por estatistica (trabalho com TI, mas se não fosse TI, certamente trabalharia com estatística ou economia. Meu sonho era trabalhar com os 3 juntos – TI, estatistica e economia).

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • fanfarraum 17 de fevereiro de 2017 at 17:05

        E quanto ao “Essa sua mensagem deveria virar tópico, sério. Foi uma das melhores coisas que já li aqui.”
        Valeu mesmo! 😀

        Muito bom ler esses feedback do pessoal que eu vejo que sempre tem bastante conteúdo aqui no blog!

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Knolan 18 de fevereiro de 2017 at 17:52

          Mas foi meu amigo!
          Você apresentou dados e fatos. As únicas 2 coisas a se considerar para avaliar qualquer coisa. O resto é opiniao
          Parabens!!!

          4+
    • BolhistaBR 18 de fevereiro de 2017 at 17:50

      Pode falar um pouco da técnica usada para capturar os dados?
      Um robot que entra de anúncio em anúncio, procura uma palavra chave e vai inserindo no bd….

      1+
      • fanfarraum 20 de fevereiro de 2017 at 08:32

        BolhistaBR,

        1) Entro manualmente em 2 páginas (Foxter e Guarida) de busca de imóveis. Os links com os filtros que quero já salvei. Então, so tenho que abrir uns links que já estao salvos no favorito.
        2) Salvo o .html dessas páginas de busca (essas páginas irão conter inúmeros imóveis, mas sem a informação completa – por exemplo: sem a informação de vagas de garagem)
        3) Um arquivo .php varre esses html, quebra esse código html em imóveis (e salva no banco de dados) e busca, através de um código php que abre a URL do imóvel e pega o resultado inteiro do anúncio do imóvel em uma única variável php. Essa função se chama file_get_contents() no php.
        4) Procuro as informações, depois de ter estudado o html (página do anúncio) pra entender o padrão. Por exemplo, um dos sites de aluguel sempre mostra o texto “Valor do condomínio: ” antes de mostrar o valor do condominio. O que eu faço é um código que procura exatamente esse texto “Valor do condomínio: ” e depois pega o texto que está depois. Função do php: strpos()

        Se ficar alguma dúvida, me fala! Não sei se tu tem conhecimento técnico de programação.

        – Porque não faço o primeiro processo (item 1) de forma automatizada pela mesma função html file_get_contents()?
        Porque ambas as páginas que estou verificando (Foxter e Guarida) não carregam de imediato a informação dos apartamentos. Eles usam PROVAVELMENTE uma técnica de web que abre posteriormente as informações através de AJAX.
        Existe maneiras mais inteligentes de burlar isso, e pegar as informações de maneira automatizada mesmo assim. Como nunca fiz, e vou ter que aprender como, acabei fazendo a primeira versão do meu código sem isso.

        0
  • alexny 17 de fevereiro de 2017 at 16:20

    Lucas , achei boas leituras em portugues para vc do que te falei sobre imigracao neste blog , o cara descreve bem o que falei , deixar entrar um monte de brasileiro/latinos foi parte de um plano dos democratas para destruir os USA, quase deu certo , se nao por esta ultiima eleicao

    http://juliosevero.blogspot.com/2012/11/eua-cristaos-conservadores-e.html

    http://juliosevero.blogspot.com/2016/09/imigracao-uma-arma-de-destruicao.html

    http://juliosevero.blogspot.com/2016/10/se-os-imigrantes-brasileiros-nos-eua.html

    1+
    • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 16:28

      obrigado alexny
      vou ver, só uma perguntinha antes:
      seria destruir os EUA por causa duma agenda globalista de dominação mundial?
      ou porque são simplesmente idiotas achando que estão fazendo o bem??

      vi agora pouco no restaurante uma cena bem interessante
      um cliente com sotaque do sul indignado com a situação dum mendigo pediu que o restaurante leh desse comida nem que fosse pra ele pagar
      pois deram um lanche num saquinho simples, o mendigo viu que aquele lanche não teria valor monetário de uma marmita o que se pode trocar facilmente por drogas, ele ficou puto e jogou o lanche no chão.

      e o babaca que deu o piti, com cara de merda

      então minha questão é:
      estou conversando com vc achando que tu é uma pessoa razoável e ve coisas erradas?
      ou vc tem uma agenda a inserir por trás disto está querendo me introduzir numa narrativa??

      vamos otimizar nosso tempo né?

      5+
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 16:36

        pena que eu tava muito distante das cenas
        eu teria epgo o lanche pra comer de tarde

        4+
        • avatar
        • avatar
      • cesarkebrado 17 de fevereiro de 2017 at 17:34

        Às ideias e agenda da esquerda é contrária ao que pensa a maioria da população, por isso eles têm uma porcentagem de votos que nunca ultrapassa os 30%, por conta disso tentam introduzir desequilíbrios na sociedade majoritária tanto por meio da introdução de imigrantes quanto por dividir a maioria (negros, brancos, índios, gays) passando pela doutrinação de berço (escolas) e pela imprensa tudo para mesmo sendo pensamento minoritário, conseguir o controle sobre a maioria. Lula só chegou lá em 2003 por conta da criação do Lulinha paz e amor criado pelo Duda Mendonça em que o Lula deixou de defender o que pensava e sempre defendeu e passou a fazer um discurso moderado e palatável á maioria (hipocrisia de criminoso).

        5+
        • avatar
        • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 18:33

          a dita agenda globalista é exatamente o que não me passa
          as esquerdas fizeram muita merda sim, querem se eternizar no poder sim, querem derrubar seus adversários sim, gostam do capitalismo só para ter alguem rpa pagar as contas sim, tem lá suas estratégias do tal materialismo istórico, aquilo da dialética marxista, pior que funciona mesmo, mas daí a pensar num movimento organizado e tudo mais caímos na velha e cansativa teoria da conspiração, que no meu ver se encaixaria melhor aplicado justamente pro lado oposto, ainda que tbm não seja o caso.
          Gosto de pegar as questões uma a uma
          estou lendo essa dos imigrantes com o alexny, mas pelo titulo, ainda não li o conteúdo, me acendeu o sinal amarelo.

          9+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • cesarkebrado 17 de fevereiro de 2017 at 17:17

      Quantas medidas tomadas pelo Lula e Dilma a gente ficava olhando sem entender (sob nosso ponto de vista honesto) Agora podemos entender! Uma coisa que sempre estranhei foi a reforma feita pelo Lula na Lei do inquilinato ferrando com o inquilino e beneficiando o proprietário, como podia isso se o Lula se dizia defensor dos mais pobres? E as medidas para beneficiar ainda mais os Bancos, e as Teles e etc.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Carlos 17 de fevereiro de 2017 at 19:03

        Cesar eu concordo que não devemos subestimar esta gente mas também que muitas vezes superestimamos a capacidade deles.
        Não creio que eles tenham esta capacidade e o podêr que fazem parecerer, o Brasil é um caso bem diferente da Venezuela e outros pois temos uma diversidade muito maior de agentes políticos poderosos e o PT acreditou que poderia controlar esta gente.
        Obviamente que temos que estar atentos, conheço muito bem os grupos de forte tendência ideológica dentro destes partidos e sempre existe a chance deste pessoal colocar suas agendas para funcionar, veja que permitiram isto com as medidas feministas e outras de caráter extremamente marxista mas ignoraram e continuam ignorando este pessoal quando tomam medidas econômicas, creio que na área econômica existiram medidas ideológicas como a aproximação com a China e a tonelada de dinheiro queimada em Cuba e outros países mas até nestes casos existia um interesse mais forte comandando tudo, o das empreiteiras como sabemos muito bem agora.

        Acredito que aquela velha frase se aplique em vários casos do lulopetismo:
        “Nunca atribua à malícia o que pode ser adequadamente explicado pela estupidez.”

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Carlos 17 de fevereiro de 2017 at 19:17

          Tem muito petista “ingênuo” que abandonou a militância e outros que estão simplesmente morrendo de vergonha justamente porque perceberam que foram enganados pelo partideco pois acreditavam que o PT estava promovendo o socialismo mas na realidade estavam só irrigando as velhas oligarquias políticas brasileiras e seus asseclas, Sarney, Odebrecht et caterva.

          10+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 19:51

          o feminismo da década de 60 é um troço que concordo 100% seja ele de direita ou de esquerda seilá
          a mulher hoje se veste do que quer, bikini na praia, toma pilula se quiser trabalha se quiser
          o feminazismo de hoje é um completo nojo

          alias na década de 60 os conservadores morais eram todos da esquerda
          na união soviética a liberdade moral era muito mais restrita que nos vizinhos

          tem os livros do milan kundera contando detalhes da primavera de praga
          quase que as minisaias acabaram com a invasão
          levaram 7 dias pra re-controlar a tropa
          até hoje se usa o termo: primavera árabe etc.

          5+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Carlos 17 de fevereiro de 2017 at 20:06

            Justamente, hoje em dia a coisa toda está muito doida, bandeiras tradicionais de esquerda sendo defendidas pela direita e vice-versa.
            Veja toda esta coisa de censura, bulling etc, promovida pela esquerda que históricamente defendeu a livre expressão nos EUA e a chamada direira conservadora tendo que “lutar” pela liberdade de se ofender as pessoas e pela 1a emenda.
            Nunca imaginei que isto pudesse acontecer, é uma confusão dos diabos 😀

            4+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
  • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 17:04

    Por que trocar investimentos em imóveis por fundos imobiliários – InfoMoney
    Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/imoveis/fundos-imobiliarios/noticia/6148802/por-que-trocar-investimentos-imoveis-por-fundos-imobiliarios

    1+
  • CA 17 de fevereiro de 2017 at 18:08

    Ficou muito para cima, vale a pena repetir:

    Cajuzinha 17 de fevereiro de 2017 at 15:42
    CA, veja que lindo! Adoooorooooo

    “Nigri também cita o desgaste na revenda do imóvel após a desmobilização dos estandes, com apartamentos decorados, maquetes e campanhas publicitárias. “Temos que gastar novamente com publicidade e dar desconto”, explica. Segundo ele, o valor de revenda dessa unidade sai por até 30% a 40% abaixo do custo de produção. “É um prejuízo violento”.

    O diretor de relações com investidores da Eztec, Emílio Fugazza, aponta riscos de explosão de casos de atraso de obra por falta de caixa das empresas. Isso acontece porque os bancos liberam financiamento para a obra mediante comprovação de vendas dos imóveis, que, futuramente, são usados pela incorporadora para pagar o empréstimo bancário. “Se a quantidade de recebíveis dos bancos for menor do que o valor do financiamento, o banco pode parar a liberação do crédito”, explica.

    Se o financiamento for suspenso, a incorporadora deve se esforçar para revender os imóveis ou então usar recursos próprios para manter as obras. Caso contrário, há interrupção do projeto. “A economia fraca do País não permite a revenda rápida, e a maioria das incorporadoras não tem liquidez suficiente para aportar mais recursos próprios. Já vemos muitos casos de atrasos de obras no mercado”, comenta.”

    8+
    • avatar
    • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 18:12

      Segundo ele, o valor de revenda dessa unidade sai por até 30% a 40% abaixo do custo de produção. “É um prejuízo violento”.

      supondo que a primeira vez vendeu com lucro, na segunda deu desconto de 30% 40% ué

      os numerologos do fingizap não viram isso???

      e olha que ainda não estamos falando de leilão, onde cai ainda mais

      6+
      • avatar
      • avatar
    • CA 17 de fevereiro de 2017 at 18:32

      Há muitas informações nas entrelinhas desta notícia acima que são interessantes.

      Compilando alguns comentários mais acima e aproveitando para melhorar o que eu já havia escrito:

      1) EzTec, dentre as construtoras com Ações na BOVESPA, tem o recorde quanto ao percentual de imóveis que estão dentro da nova faixa do FGTS (R$ 1,5 milhão). Por que então estão pessimistas, não deveriam estar exultantes? Porque eles sabem da sinuca de bico do segmento imobiliário e que as ações RIDÍCULAS do governo não tem nenhuma efetividade;

      2) Sobre os atrasos: sempre existiram, os motivos também sempre tiveram relação com problemas de caixa, que por sua vez, teve como causa o volume absurdo de vendas falsas na planta para “crescerem a qualquer preço” e também para colaborarem com a subida irracional dos preços;

      3) Sobre o financiamento ser suspenso se não venderem o suficiente durante construção: UM dos motivos para pedalarem com vendas FALSAS na planta, para viabilizarem TEMPORARIAMENTE a obra (até aparecerem os distratos);

      4) Por que a EzTec, que foi das que menos cresceu durante a bolha imobiliária e que é justamente a que está entre as melhores situações de Caixa, é quem está alertando para estes problemas financeiros e o quanto são INSUSTENTÁVEIS? Porque qualquer outra chamaria demais a atenção para si mesma e seus seríssimos e insolúveis problemas de caixa, ela é das poucas que tem liberdade para falar a respeito, até porque ela também adotou por iniciativa própria a suspensão de lançamentos frente ao absurdo da distorção entre estoque e vendas, pagando um alto preço de “vendas negativas” no 3T16, mas atuando para mitigar uma possível sangria de caixa;

      5) Eles mantém o foco na questão dos distratos, no entanto, ao jogarem a culpa nos investidores na planta, estão garantindo o afastamento dos mesmos. Em outro trecho já falam sobre a “paralisação” do mercado em virtude destas indefinições, algo que eu já havia comentado antes, que se dá em função do próprio barulho excessivo que fazem quanto aos distratos. No desespero, será que estão conscientes do quanto vão afastar das vendas FALSAS na planta com estas medidas, o que inviabilizará de vez esta pirâmide?

      Deixem ficarem DESESPERADOS, junto com os trolls do blog, isto não vai mudar em nada o destino deles…

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 18:44

        To de olho num forum de bovespa
        os investidores voaram pra lá e com trump prometendo mundos e fundos vão continuar por lá
        Por isso a necessidade do setor iomob de contar uma história bonita, imagino eu que eles estão de olho nesses sardinhas que já se vem falando o ralye da bolsa estaria no fim, a bolsa tá quase no 70 mil, chegar em 75 é topo histórico.
        A menor inflação de janeiro desde 1979 tbm dá margem pro Temer fazer alguma coisa, liberar o teto foi isso.
        Agora vamos ver quantos sardinhas eles vão pescar disso aí
        Imovel na lingua desse povo cada vez mais parece um ativo virtual, acho que ninguem lembra mais pra que serve um.
        O problema agora é combinar com os russos, como disse o garrincha. Aí vai dar tudo certo
        Se o morador real tivesse mesmo essa grana tava tudo certo. não, eles nao tem, o problema é o preço e o estoque.
        O ajuste passa por isso aí, o resto é truque barato, o fatorX do aluguel vai aumentando, o PMJ real por tabela igual.

        3+
        • avatar
        • Carlos 17 de fevereiro de 2017 at 19:08

          Este “combinar com os russos” ainda vai dar muito pano pra manga véio 😀

          2+
          • avatar
        • Knolan 17 de fevereiro de 2017 at 19:58

          Qual Forum? Divide a info com os amigos do forum, to procurando alguns foruns interessantes ?

          2+
        • homelessbubbles 17 de fevereiro de 2017 at 20:25

          Se o Ibov continuar a alta, vai ser mais um banho de água fria no setor imobiliário. Particularmente acredito que tem tudo pra testar o topo histórico em poucos meses. Aí vai começar a pipocar notícia na TV e a sardinhada vai correr em peso para a bolsa. Vai ter neguinho vendendo apartamento para investir em ações. O resultado todo mundo já sabe né, sardinha compra na alta e vende na baixa.

          9+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Leonardo M. 17 de fevereiro de 2017 at 19:16

    CVR pai Brick lover

    Pai sempre me enchendo o saco pra tirar meu dinheiro dá RF,FIIs,ações e TDs pra comprar tijolinhos mágicos.
    Disse que me daria tantos mil reais se desse entrada em um AP.
    Eu disse que pegaria o dinheiro que ele me desse e colocaria tudo em CDBs e ainda daria 50% do rendimento pra ele(que é a mesma rentabilidade dá poupança que ele ganha) e o restante ainda pagaria meu aluguel.

    Ficou de pensar…Mas como conheço o velho não vai fazer isso.

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 17 de fevereiro de 2017 at 19:22

      As vezes eles mudam de idéia Leonardo, meus pais mudaram suas cabeças em algumas situações que eu acreditava ser impossível isto acontecer.
      Tem que persistir e apontar algumas informações pra ele, como questionamentos que poderia fazer com os amigos que defendem tijolos, muitas pessoas tem a capacidade e analisar fatos e mudar suas cabeças desenvolvida e atuante mas infelizmente só tem input de informação errada ou enviesada.
      Espero que este seja o caso do seu pai e de outros pais dos bolhistas deste blog.

      6+
      • avatar
    • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 19:43

      faça as contas
      a depender da faixa de valor, do subsidio do governo do preço e etc
      vale a pena comprar sim, foi o caso do veigalex, achou uma raridade na zona leste num local que a especulação tinha esquecido que existia, e ainda teve ajuda do sogro
      o pessoal do blog malhando ele, não comprar de jeito nenhum, e era auge da bolha, fiz as contas e vi que fazia sentido comprar sim, era um bairro cujo aluguel tinha um fator que explicava e ele tinha outras questões pessoais de ser perto do trabalho, o ex-dono tava divorciando tinham muita pressa
      Leo, faz as contas, procura imovel, a decisão certa é uma atitude pós, não pré
      com certeza vc mostrando os fatos e numeros seu pai vai não só entender como ajudar
      nem sei onde vc está, a bolha não é igual em todo lugar não
      meu caso é 1 deles, a especulação simplesmente esqueceu das casas em z1, a euforia foi toda pra apartamento, chegando ao cumulo e viozinho querer se mudar pra apartamento menor, peguei o cara pela mão, mostrei os fatos, contei pra ele os incomodos de morar embaixo de alguem, aí o arguimento fatal, o cachorro dele iria perder o quintal. Bingo!!! salvo pelo cachorro.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Leonardo M. 17 de fevereiro de 2017 at 19:53

        Moro em uma cidade que os preços estão bem bolhudo ainda!
        Se tivesse caído uns 40% aí já dava pra pensar, mas não é o caso.
        Te falei que moro em um AP de R$350mil mas só pago 0,22% do valor em aluguel? Pois é,tem que sair muito pra valer a pena.
        Fora que estamos gostando dá região e dá paz que existe nesse prédio(tirando a vizinha de baixo que geme mais que uma gata no cio quando transa com o marido dela).
        Fora que eu e minha esposa estamos novos, podemos esperar alguns anos se for preciso até aparecer alguma oportunidade irresistível .

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 17 de fevereiro de 2017 at 19:57

          ou seja comprar iria triplicar a sua parcela mensal gasta, fora outros gastos

          pois a conversa com seu pai então seria bem curta, “gostaria de comprar mas não posso arcar com as parcelas”

          um imóvel +barato, teria que ser aonde? em outra cidade, aí vc gastaria com combustivel e carro, que facilmente chega em 50% do valor do seu aluguel

          me parece que as contas estão certas

          1+
          • avatar
          • Leonardo M. 17 de fevereiro de 2017 at 20:01

            Já falei pelo velho ir curtir a vida com essa grana.
            Ele já me ajuda dando 30% do aluguel de uma sala comercial que temos desde 1970, no centro dá cidade onde ele mora.
            Eu sou paciente, acho que o disparo começa em 2018/19 aí eu talvez pense em comprar.
            Fora isso PMJI ehehehe

            5+
            • avatar
            • avatar
        • Leonardo M. 17 de fevereiro de 2017 at 19:59

          Só um detalhe Lucas
          Onde gostaríamos de morar(centro e região) tá tudo na faixa de R$400mil pra cima. Sendo que os mesmos APs custam R$1.000 e R$1.500 de aluguel no máximo.
          Pra valer a pena teria que cair 40% ou mais o preço.

          11+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • Curioso 17 de fevereiro de 2017 at 20:20

        Excelentes considerações

        2+
        • avatar
  • Leonardo M. 17 de fevereiro de 2017 at 19:25

    CVR tia Brick lover

    Tia veio chorar as pitangas dizendo que tava sem dinheiro, que dinheiro dá aposentadoria não dava pra nada e o inquilino do AP dele vivia atrasando o aluguel.
    Eu disse 2 anos atrás pra ela vender a casa que vive que valia na época R$350mil e colocar em uma RF que daria R$3.200 limpinho pra ela.
    Não quis!
    Só agora botou a casa pra vender e quer colocar na RF o dinheiro. Mas quem disse que tem gente pra comprar a casa dela por R$350 mil?

    33+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • homelessbubbles 17 de fevereiro de 2017 at 20:33

      Vide meu comentário pouco acima, sardinha está sempre atrasado.

      4+
      • avatar
    • SampaBoy 17 de fevereiro de 2017 at 21:22

      É engraçado que nestas horas quando voce pergunta se ja nao vendeu a pessoa responde : “nao da pra vender, ninguem compra !” como se o preço oferecido de “mercado” fosse algo fixo, e o que falta é o comprador……e se voce continuar a conversa e perguntar pra ela entao porque ela nao abaixa uns 20% pra vender ela acha que voce esta brincando….

      8+
      • avatar
  • Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 20:33

    No Jornal Nacional
    40% dos apartamentos encalhados há dois anos.
    Financiando 1.5 milhões com 12% de juros ao ano… AGORA VAI

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Bolha BOSS 17 de fevereiro de 2017 at 20:38

    CVR

    Taxista argentino começou a bater papo comigo…logo de cara: “Como está a economia do Brasil”?
    Mais ou menos falei como esta, que a inflação está cedendo, real se valorizando em relação ao dolar…bla bla bla…e que o desemprego continua aumentando, e que acredito que o pior está por vir para as famílias endividadas e etc..Aproveitei: E como está Macri ?

    Ele falou que terá que aguardar para ver os efeitos. Que ele acha que o modelo ideal para a Argentina seria um governo de centro, e não de extrema direita…Pois os argentinos não estão acostumados. Ele ainda falou da falência proposital da Petrobrás para privatizar, como foi feito com uma empresa argentina que não recordo. E que o problema do Brasil é cultural, no sentido de influência e falta de interesse da população.

    O fato de pessoas saberem a diferença de direita e esquerda chama a atenção. No Brasil isto é dificil encontrar.

    35+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Nilson 17 de fevereiro de 2017 at 20:49

      Realmente, o nível cultural e educacional do brasileiro é triste principalmente os mais jovens, pois tenho visto idosos com pouca instrução e muita sabedoria

      7+
      • avatar
    • Carlos 17 de fevereiro de 2017 at 20:49

      Los hermanos no geral tem uma educação muito melhor do que a dos brasileiros mas tem uma estranha mania de se apegar a coisas do passado como o Peronismo e suas crias modernas como o kirchnerismo.

      8+
      • avatar
      • avatar
    • SampaBoy 17 de fevereiro de 2017 at 21:17

      Taxistas em geral tem uma habilidade bem desenvolvida para argumentar e conversar. Dirigir é um gesto automatico, então eles passam o dia inteiro conversando, ouvindo e fazendo argumentações sobre o cotidiano, alguns desenvolvem uma articulação muito boa….

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Rico 18 de fevereiro de 2017 at 11:28

      A empresa petrolífera estatal argentina chamava-se YPF – Yacimientos Petrolíferos Fiscales – Foi comprada pela Repsol espanhola.

      2+
  • Carlos 17 de fevereiro de 2017 at 21:48

    OFF – Dollar, Brasil e Trump
    Olha aí véio, alguns pontos interessantes resumidos.

    “Peter Schiff, CEO of Euro Pacific Capital, an asset manger in Westport, Conn., has a different angle. “When there is protectionism, America is the loser,” he said. “And tariffs will backfire. People are making the connection that it will weaken the dollar. Meanwhile, the euro is bottoming out and that is better for emerging markets.”

    “Finance Minister Henrique Meirelles expects the Brazilian economy to return to a 2% annual growth pace by the last quarter of the year. Wall Street is forecasting a more realistic 0.2% growth rate in 2017 gross domestic product.”

    http://www.investors.com/etfs-and-funds/etfs/emerging-market-etfs-rally-in-spite-of-trump-trade-threats/

    0
    • SampaBoy 17 de fevereiro de 2017 at 22:07

      Eles poem Fé no Meira, ja dividiram por 10 a previsao dele ! kkk

      7+
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 17 de fevereiro de 2017 at 21:53

    olhem só, flexivel como o Motumbo:

    “Construtoras enviam ao governo proposta mais flexível de regra para distratos”

    A multa será de 12% do Contrato… (comento= era 10%).
    O periodo para devolução será alongado (comento= era imediato)
    – Não há devolução do valor gasto com corretagem. (nenhuma vantagem)
    -Nas situações em que o mutuário perde o emprego ou enfrenta doença grave, a multa vai para 10%. (que bonzinhos, já era 10%… canalhas)..
    – “Nós entendemos que enviamos uma nota técnica bem fundamentada e mais flexível”, afirma o diretor de governança da Abrainc e diretor jurídico da Cyrela, Cláudio Carvalho. (comento: o tipo não nega o nome, “flexivel” ele)…
    – a multa cai de 12% para 8% do valor do contrato no mcmv (era 5% a 10% no juiz)
    http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2017/02/17/internas_economia,848344/construtoras-enviam-ao-governo-proposta-mais-flexivel-de-regra-para-di.shtml

    -os caras não tem vergonha.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 17 de fevereiro de 2017 at 22:15

      de investidores a especuladores:

      A grande maioria (85%) veio de especuladores com apoio de advogados especializados em distratos. “Com uma regulamentação, acreditamos em uma queda significativa nos pedidos de distratos”, diz Carvalho.
      kkkkkkkkkk . malvados especuladores na planta

      7+
      • avatar
      • avatar
  • Carlos 17 de fevereiro de 2017 at 21:56

    Cynderela anda procurando investidores externos, deve ter cansado de esperar pela chuva de dólares.
    Estão tentando motumbar os velhinhos canadenses com salas comerciais, eita gente malvada.

    Brazil’s Cyrela Commercial Properties SA is in talks with Canada Pension Plan Investment Board (CPPIB) for a potential asset swap and joint ventures to invest up to US$400 million in new commercial office space.

    https://www.pehub.com/canada/2017/1/brazils-cyrela-eyes-asset-swap-with-cppib-reuters/

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Libertario 17 de fevereiro de 2017 at 23:50

    Cesar_DF

    No Jornal Nacional
    40% dos apartamentos encalhados há dois anos.
    Financiando 1.5 milhões com 12% de juros ao ano… AGORA VAI

    7+
    • avatar
    • avatar

    Você viu a matéria?????

    Amelhor parte foi no final da reportagem, que teve sua “base” em torno de um corretor que disse nunca ter visto uma crise dessas.
    Daí falaram do pacote de medidas, e no final,
    quando o repórter diz que depois das mudanças o corretor já estava recebendo até interessados,

    O interessado era na verdade uma outra corva – que se dizia especialista em grandes clientes!!!!!!!!

    kkkkkkkkk

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Paulo BolhaBH 18 de fevereiro de 2017 at 00:28

    Aos que entendem bastante, sou muito amador em investimentos. Vejo vcs falando em TD, etc. meu dinheiro está 100% em lci. Vai entrar 60 k semana que vem para mim. Como vcs investiriam esse valor? Sampaboy, from, Lucas….

    4+
    • avatar
    • Gute 18 de fevereiro de 2017 at 11:43

      Quem compra terra nunca erra.
      É uma boa entrada para um ap de 200k. Pode financiar o resto em parcelas decrescentes que cabem no bolso.
      Além disso pode deixar alugado e usar o aluguel para pagar a prestação.

      5+
  • Paulo BolhaBH 18 de fevereiro de 2017 at 00:29

    Ajudem por favor

    1+
  • Paulo BolhaBH 18 de fevereiro de 2017 at 00:32

    Nunca tive conta em corretora, nunca confiei

    2+
    • Libertario 18 de fevereiro de 2017 at 00:43

      Paulo,
      Só você poderá decidir o que é melhor que a você..
      Avaliar em quanto tempo precisara do valor, se aceita correr riscos, qual a finalidade da aplicação.

      Sugiro que leia o ” clube dos poupadores ” para entender as opções existentes em renda fixa.

      Você ter dinheiro aplicado em LCI não quer dizer muita coisa.
      Precisa saber percentual e prazo(liquidez), e em qual banco ( se é sólido ou não).

      Corretoras são sempre melhores que bancos para investimentos. Mas se voce prefere.pagar mais pelo serviço, por conta da praticidade, permaneça no seu banco.

      Em tempo: Evite divulgar valores em blogs da Internet.

      7+
      • avatar
    • SampaBoy 18 de fevereiro de 2017 at 08:54

      Vamos simplificar, voce precisa de 0,9% ao mes aproximadamente para estar num bom rendimento, que seria 100% do cDI medio de ultimamente (1,1%) menos 15% de IR. Se a sua LCI ou LCA estiver pagando 0,9 ou proximo disso ta excelente. Nao se preocupe , diferencas pequenas nao vao fazer tanta diferencas para montantes menores que 500k, e voce ja ta ganhando bem em relação a poupanca (0,5). Se voce quiser ganhar mais que isso, vai conseguir chegar em 118% do CDI em corretoras, o que da +- 1% ao mes depois de subtraido o IR, mas pra isso vai ter que deixar o dinheiro 3 ou 4 anos e em corretora.em TD voce vai conseguir tambem proximo de 1% , mas com uma certa variabilidade, e pode ter a sorte dos seus titulos valorizarem no meio do caminho e ganhar um pouco mais…

      Pra um valor de 60k, a diferenca de 0,9 pra 1% ao mes é de R$60,00.

      A minha recomendacao seria perder o medo e colocar pelo menos 20 ou 30k em TD ou CDB de corretora (XP, easyinvest, Rico, Sofisa, Socopa) , comprando um CDB de 105 ou 110% do CDI ou TD na corretora tambem (que nao cobra taxa de custodia como o banco). o resto voce deixa na LCI mesmo…e vai perdendo o medo aos poucos…
      Concordo com as recomendacoes do libertario

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Carlos 18 de fevereiro de 2017 at 01:52

    OFF – Estaria a bolha australiana perto do ploc ou já explodiu?
    Segundo o NT News este é um dos sinais do apocalipse 😀

    Sign 4: Australian Housing Bubble
    The expansion of credit by the Reserve Bank of Australia has been pumped into the Australian housing market over the past 25 years. Credit, which has been directed to Housing as a proportion of Australia’s GDP, has exploded from 21.07% in June 1991 to 95.06% in June 2016.
    Over the same period, credit which has been directed at the business sector or to other personal expenses has remained relatively steady as a proportion of GDP.

    http://www.ntnews.com.au/business/australia-headed-for-economic-armageddon/news-story/998390d5128ed69e8799db3de9efe52d

    Governo anda dando umas pedaladinhas estranhas e os bancos estão reduzindo crédito e almentando as exigências para empréstimos como já postei aqui no blog.
    “http://www.smh.com.au/federal-politics/political-news/turnbull-government-looking-closely-at-britishstyle-renttobuy-scheme-20170217-guf8lz.html

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • RC 18 de fevereiro de 2017 at 06:38

    “Novo teto para compra de imóveis com FGTS injetará R$ 4,9 bi na economia”

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/02/1859643-novo-teto-para-compra-de-imoveis-com-fgts-injetara-r-49-bi-na-economia.shtml
    .

    Agora vai………………………………………………………………………………. ficar tudo na mesma.

    3+
    • avatar
    • CA 18 de fevereiro de 2017 at 10:04

      Sobre notícia mais acima, publicada pelo RC, de que governo dedicará R$ 4,9 BILHÕES para esta nova faixa de venda de imoveis com uso do FGTS, sente neste ano de 2017.

      Vejamos o que ALGUMAS construtoras com Ações na BOVESPA tem de estoque de imóveis que é elegível a esta nova faixa do FGTS, seguindo pesquisa da JPMorgan que apontou o percentual do estoque destas construtoras em cada faixa multiplicada pela última informação disponibilizada pela construtora quanto a seu estoque a valor de Mercado (3T16 ou 4T16):

      Imóveis com preços dentro da nova faixa do FGTS e no estoque das construtoras:
      EzTec: R$ 477milhões
      Rossi: R$ 288 milhões
      Gafisa: R$ 625 milhões
      Rodobens: R$ 78 milhões
      Cyrela: R$ 527 milhões
      PDG: R$ 277 milhões
      Even: R$ 198 milhões
      TOTAL: R$ 2,47 BILHÕES.

      A amostra acima representa cerca de 50% da verba destinada pelo governo para nova faixa (R$ 4,9 bilhoes), os outros 50% serão destinados a outras construtoras que não tenham Ações na BOVESPA.

      Quando falam em crescimento de R$ 4,9 BILHÕES no PIB graças a este recurso extra do FGTS, quais as “pegadinhas”:

      1) Este é o número se venderem 100% dos imóveis acima. Ocorre que sabemos que isto é UTÓPICO, pois os valores destes imoveis são acessíveis somente para quem está no topo da pirâmide, que já tem imóvel e que é melhor informado, sabendo tanto que os preços estão fora da realidade, quanto que entrar em financiamento de longo prazo e alto valor neste momento é uma grande roubada, frente ao esperado aumento no desemprego e recessão trazida pelo ajuste fiscal em si para o curto prazo. Claro que alguém mesmo assim poderá acabar comprando, mas a probabilidade de venderem tudo é muito baixa, o mais provável é que não vendam nem 1/4 ou 1/5 destes estoques, principalmente considerando demais fatores abaixo;

      2) As compras que poderiam ser realizadas nesta faixa de preços, em sua grande maioria dependem de primeiro a pessoa vender seu imóvel, para depois completar o valor e comprar outro. Aqui temos um “probleminha”: Normalmente o imóvel a ser vendido, não é um “popular”, afinal a pessoa vai comprar outro imóvel que é muito caro, o popular iria exigir uma renda familiar e FGTS que simplesmente não condizem com o fato da pessoa já ter um imóvel popular. Ocorre que para vender seu imóvel mais caro, o mesmo é usado e se ele também estiver acima da nova faixa do FGTS, não vai conseguir vender de jeito nenhum, pois os pouquissimos compradores habilitados para estes valores irão preferir os novos com o FGTS e não estes usados com juros muito maiores. Mesmo que estejam abaixo da nova faixa, mas ainda assim sejam caros, as vendas destes imoveis tem demorado normalmente mais de 1 ano e mesmo assim a base de troca ou dependendo de outra pessoa vender o seu para comprar o dele, ou seja, ficando fora do prazo da “promoção” do FGTS. Pior é que a pessoa ao ver a ENORME dificuldade e tempo para vender seu imóvel, vai entender que há algo muito ERRADO em um mercado com oferta e procura tão distorcida e preços surreais, pessoas nesta faixa de renda normalmente sabem o significado de “oferta e procura”;

      3) Em virtude do enorme barulho feito pelo segmento imobiliário quanto aos distratos, muitos que já haviam comprado na planta para morar e estavam fortemente pressionados a desistir, por perda de renda, de emprego, por verem que não estão conseguindo nem pagar as parcelinhas, por verem a empresa em que trabalham em situação crítica, etc, etc, etc, devem estar a esta altura antecipando o seu pedido de distrato. Idem para investidores ao verem que as construtoras estão desesperadas por esta regulamentação e percebendo que isto se deve ao fato do mercado estar péssimo e que ele vai ter prejuízo, que poderá se tornar muito maior com a nova regulamentação. Isto se tornará público nos próximos meses, mesmo com as construtoras “adiando” o recomhecimento dos distratos, assustando ainda mais os compradores deste imóveis até R$ 1,5 milhão com uso do FGTS;

      4) A enorme frustração com resultados REAIS de PIB, déficit fiscal, etc, que deverão vir a tona ao longo do segundo trimestre de 2017, deverão ser um grande balde de água fria na efetividade destas medidas, pois os pouquíssimos compradores potenciais que apesar de tudo que consta acima ainda irão manter o interesse, irão se reduzir muito mais;

      5) Supondo que PDG e Rossi vendessem todo o seu estoque e não só o que está na nova faixa, o que aconteceria? Sobraria MUITA dívida sem MEMHUMA receita prevista, só iria antecipar que elas morreram e junto com tudo que está acima, aumentar a aversão à compra destes imoveis mais caros, sem contar que, se elas vierem a quebrar por não conseguirem mais pedalar com credores, governo, etc, será MAIS UM forte fator para “assustar” o mercado.

      Existem ainda diversos fatores que deixam claro o quanto esta medida será inútil para resolver os problemas do segmento imobiliário, o que consta acima é só uma AMOSTRA.

      O fato é que o DESESPERO explícito do governo, segmento imobiliário, Trolls e outros agentes ligados aos mesmos, é a maior evidência do quanto eles já sabem que por mais que apelem, uma hora irão enfrentar as consequências de seus atos…

      15+
      • avatar
      • avatar
      • MARK 18 de fevereiro de 2017 at 17:01

        Verdade, CA! Estou tentando vender a minha bolhudinha há um ano e até agora só recebi propostas com troca de todo tipo, gênero e sorte. Com pouquíssimo retorno em dinheiro ou com no máximo 40%. O único incauto que ofereceu algo totalmente em dinheiro era um casal bem inseguro que não conseguiu sequer assinar a proposta de compra. E olha que eu estava facinho, facinho em termos de flexibilidade.

        2+
        • avatar
  • Loucodf 18 de fevereiro de 2017 at 07:45

    CVR.

    Moradores de Águas Claras vivem em prédio mofado há três anos

    “A bancária relata que a paz durou até o começo de 2014, quando o apartamento de quatro quartos passou a apresentar problemas de infiltração e goteiras. As chuvas abalaram definitivamente o investimento de R$ 499 mil. “Processamos a empresa em 2014. Solicitamos que eles trocassem o imóvel ou devolvessem o dinheiro. Pedimos também que alugassem um apartamento para ficarmos enquanto fosse resolvido, mas em vão”, explica Tatiana”

    http://www.metropoles.com/pelas-cidades/aguas-claras/moradores-de-aguas-claras-vivem-em-predio-mofado-ha-tres-anos

    Quem compra terra não erra JAMAIS.

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 18 de fevereiro de 2017 at 12:16

      Veja pelo lado positivo, pode-se usar os apertamentos como cavernas para envelhecer queijos roquefort e gorgonzola.

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Carlos 18 de fevereiro de 2017 at 12:17

        Produção de cogumelos 😀

        9+
        • avatar
        • avatar
  • Alemon Fritz 18 de fevereiro de 2017 at 08:50
  • Paulo BolhaBH 18 de fevereiro de 2017 at 09:24

    Obrigado Sampaboy e libertário pelos conselhos!

    4+
    • avatar
  • fanfarraum 18 de fevereiro de 2017 at 09:53

    “Aumentando a oferta e reduzindo a demanda, os preços desabaram, resultado de um maior número de renegociações de contratos e mesmo de mudanças. Em 2012, por exemplo, 24,07% dos imóveis nas imobiliárias estavam locados. Em novembro de 2016, essa parcela caiu para 9,49%. Com isso, o tempo médio para achar um locatário aumentou de 8,2 meses, em 2012, para 10,5 meses em 2016. A inadimplência também aumentou, de 3,31% para 3,91%.”

    Tinha comentado antes, mas ficou perdido na moderação (alguns comments meus tem ficado. alguns com link outros sem agora)
    24,07% já me parece pouco (resultado de 2012). Agora, 9,49% de imóveis locados apenas me parece um número absurdamente pequeno.
    E tempo médio de 10,5 meses nem se fala.
    Imagina aqueles imóveis de 1,5k~2k de condo com quase 1 ano parado sem alugar…

    3+
  • My name is James Bond 18 de fevereiro de 2017 at 11:00

    Bolhistas, preciso de ajuda.

    Aluguei um imóvel em 2015 em Curitba-PR, não ocasião paguei 250,00 pela vistoria de entrada para imobiliária em Curitiba. Mesmo sabendo da ilegalidade da cobrança paguei sob pena de perder o imóvel. A empresa preencheu 22 folhas detalhando a situação do imóvel e eu como cliente esperava não ter problemas na saída. Contestei vários itens e nada foi feito. Detalhe, esta mesma empresa que eu paguei para não me causar problemas foi a mesma que levantou os reparos não vistos por ela mesma na vistoria de entrada. Tenho vários videos e fotos.

    Em 2017 devolvi o imóvel e como era de esperar a imobiliária vem me causando vários transtornos, cobraram 2.400,00 ( meu aluguel era de 1.400) de reparos.

    Chegaram ao absurdo de cobrarem 490,00 de um motor de banheira que segundo eles está queimado, porém nunca foi ligado porque não havia gás industrial (botijão P45) na casa.

    Minha defesa:
    Já cadastrei no reclame aqui.
    No procon de PR.
    a semana que vem vou no CRECI fazer a denuncia.
    Este item de 490,00 vou tentar tratar na justiça comum com extorsão.
    Em último caso a justiça.

    Alguém tem mais uma dica desmascarar a imobiliária e a empresa de vistoria?

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • job 18 de fevereiro de 2017 at 12:43

      James Bond, em primeiro lugar te diria que não adianta se estressar demais com isso que só vai piorar a situação e é capaz de vc ficar mal de saúde ainda. Tenta resolver o problema de forma tranquila, vc tem todas as provas que precisa. Eu iria no juizado especial cível da sua cidade e entraria com ação contra a imobiliária.
      Fica aqui um conselho pra futuros aluguéis: antes de alugar qquer ap que seja, fale com o máximo de pessoas que puder sobre as imobiliárias da cidade. Na minha região, eu sei de duas imobiliárias (as maiores) que fazem exatamente isso que vc sofreu. No meu ver isso é crime, e eles só continuam fazendo isso pois ninguém corre atrás. Um colega de trabalho descreveu uma situação idêntica à sua, mas acabou pagando.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • job 18 de fevereiro de 2017 at 12:54

        E logicamente, dpois de descobrir as imobiliárias FDP, jamais alugue aps com eles.

        1+
      • Leonardo M. 18 de fevereiro de 2017 at 12:56

        Como diz Olavo de Carvalho; “Brasileiro toma na bunda e sai cantarolando”.
        Triste mas é a realidade do nosso povo covarde.

        7+
        • avatar
      • My name is James Bond 18 de fevereiro de 2017 at 14:47

        Obrigado JOB, você tem toda razão. O problema é: os infelizes prejudicarem o meu fiador. É isso que está me estressando. Eles enviaram uma notificação extrajuducial com o prazo de 5 dias para efetuar o pagamento. Preciso ganhar tempo.

        2+
        • avatar
    • cesarkebrado 18 de fevereiro de 2017 at 22:39

      Deixa notificar, isso não tira pedaço fica tranquilo, você tem que entender que se eles cobram 2.400, em último caso é 2.400 que você vai pagar oras! Então oferece o valor que você acha devido, de preferência faça uma notificação explicando as irregularidades na cobrança e qual e o valor que você acha devido e mande para a imobiliaria via cartorio, é só levar 3 cópias até o cartorio e pagar uns 50 reais. Aí é só você esperar e ver se eles entram em acordo ou arriscam um processo, se te processarem você terá a oportunidade de expor seus motivos ao Juiz e provavelmente ele jogará esse valor de 2400 para uns 1400. Mas, creio que depois de você notificar via cartorio a imobiliaria ficará receosa de lhe processar e entrará com acordo.

      4+
    • Anonymous 19 de fevereiro de 2017 at 00:41

      Com os videos e fotos, voce pode alegar ESTELIONATO que é crime: Obter, para si ou para outro, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil ou qualquer outro meio fraudulento.

      Quanto ao motor queimado, voce pode alegar FALSIDADE IDEOLÓGICA que é crime: Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante.

      Pode fazer uma petição ao Ministério Público.

      http://www.mppr.mp.br/
      Ministério Público do Estado do Paraná
      Marechal Hermes 751, Curitiba, PR 80530-230
      Telefone: (41) 3250-4000

      2+
      • avatar
  • Leonardo M. 18 de fevereiro de 2017 at 13:31

    R$4,9 bilhões! Legal agora falta combinar com os russos pra diminuir o estoque…hehehe

    Novo teto para compra de imóveis com FGTS injetará R$ 4,9 bi na economia

    O aumento do limite de financiamento de imóveis com recursos do FGTS para R$ 1,5 milhão deverá injetar na economia R$ 4,9 bilhões neste ano. O impacto foi calculado pela Secretaria de Planejamento e Assuntos Econômicos (Seplan) do Ministério do Planejamento.

    3+
    • avatar
  • Margarida 18 de fevereiro de 2017 at 14:49

    Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 17:40
    O custo de um apartamento, considerando o valor do terreno, as áreas comuns (elevador, corredor, estacionamento, xoxotecas) e o custo administrativo da obra é em torno de 3 a 4 CUBs

    Cesar_DF, como você chegou a esse número? Lembro que você fez um estudo sobre um empreendimento, você escreveu sobre isso. Foi assim que chegou ao número?

    Pergunto porque estou achando alto demais. Daria, pra São Paulo, entre 3900,00 e 5200,00 m/2 de custo. Esses são os preços de venda que se acha facilmente em São Paulo.

    2+
  • thiago fm 18 de fevereiro de 2017 at 16:48

    Cesar_DF 17 de fevereiro de 2017 at 19:06

    Thiago fm

    Você não respondeu aquela questão no tópico passado da divergência entre 2 graficos apresentados, acho que um indicava um “desconto” de 38% do valor pedido, enquanto outro mostrava que apenas uma pequena parte concedia desconto acima de 20%.
    Sabemos que numa curval normal, isto não é possível, nunca o último quartil de um gráfico poderia ser a média ou a mediana do outro.

    ———————————————————————————————–

    César,

    Você já deve ter percebido que em virtude do meu trabalho, não consigo comentar durante o horário comercial nos dias úteis. Por esse motivo, quando tomo um tempo para ler o blog na maior parte das vezes o tópico já virou. Se tivesse voltado ao tópico em que fez a pergunta teria visto que respondi já há alguns dias. De qualquer maneira me permita esclarecer alguns pontos antes de responder especificamente sobre o caso do IPEAD agora com mais ênfase:

    – O que importa no estudo de uma bolha imobiliária é a amplitude de variação dos preços e não o preço absoluto. Não interessa muito e pouco me diz quanto chegou o m2 em US$ nos EUA, mas sim quanto os preços se deslocaram durante a bolha. Basta ver meus trabalhos e perceber que mesclo diversas fontes e quando utilizo os preços anunciados geralmente priorizo a variação, até porque somente dessa forma é possível identificar a tendência dos preços nos períodos selecionados.

    – Cada pesquisa tem sua metodologia de apuração dos preços e a comparação entre pesquisas pode ser feita desde que com as devidas ressalvas. Por acaso já percebeu que segundo a pesquisa DMI – Vivareal o preço informado para a cidade de São Paulo é de pouco mais de R$ 6.800, enquanto a do Fipezap aponta R$ 8600,00? Você de cara pode supor que alguma delas está errada, mas deve saber que são metodologias distintas. Se não me engano a do Vivareal se baseia na mediana dos preços de oferta e a da Fipe nos preços médios de oferta. Por outro lado, se você comparar a variação dos preços a diferença entre elas nos últimos anos é mínima. Logo, se tivéssemos o preço via ITBI da capital paulista e fizéssemos a comparação com a pesquisa Vivareal que também é de preços anunciados, o desconto ou queda que você aponta seria obviamente muito menor, mas ainda assim o cruzamento não seria apropriado.

    Citei como exemplo a própria tabela Fipe de automóveis, que nada mais é que uma referência de mercado. Se você sair na rua para com o intuito de vender teu carro é bom que esteja preparado para receber propostas muito abaixo da tabela, o que não quer dizer que a pesquisa não tenha sua serventia como um parâmetro informal de mercado para estabelecer um “teto de negociação”. Sem contar que a tabela ajuda a medir a desvalorização média dos modelos ano a ano.

    Para chegar àquele gráfico que postei no dia 15 eu tive que cruzar a metragem total comercializada com os valores totais transacionados na série histórica do ITBI de BH e dessa forma obtive o valor médio por m2 negociado na cidade desde 2009. Ao colocar em média móvel compatível com a variação da Fipe, os valores foram os seguintes:

    IPEAD
    03/2009 – R$ 1.362
    12/2009 – R$ 3.643

    Variação de 167%

    Fipezap BH
    03/2009 – R$ 2.848
    12/2015 – R$ 5.838

    Variação de 105%

    O que é mais vantajoso na sua opinião?

    1- Pagar 5.8K de um preço que partiu de 2.8K ou pagar 3.6K de um preço que partiu de 1.4K?

    Para entender melhor bastaria imaginar uma prova de atletismo onde os velocistas passam pela curva da pista. A impressão inicial é sempre de que os corredores posicionados mais ao ao centro estão muito a frente dos demais e que chegarão à frente por essa falsa vantagem, porém a primeira impressão é logo desfeita, visto que a distância percorrida por todos terá sido a mesma no final.

    Provavelmente as condições verificadas acima se explicam em função da peculiaridade das amostras e da metodologia ou uma concentração maior de vendas no estrato inferior de preços da oferta disponível, o que não quer dizer que os preços de uma forma geral sofram em média queda ou desconto de 38% sobre a mesma base de comparação, ou que os preços mais baixos de venda não redirecionem ou ao menos influenciem a parte de cima do estoque em busca de um enquadramento dentro do raio normal de negociação com descontos de 5 à 15%.

    Sua leitura dos dados não se sustenta ao meu ver, pois se olharmos os preços de partida no início de 2009, veremos que a defasagem inicial entre as pesquisas era de 52%, ou seja, maior que a atual. Partindo da lógica proposta por você, ao invés dos descontos terem aumentado, a conclusão seria de que os descontos têm ficado menores ao longo do tempo, o que também não faria sentido, pelo menos não na sua abordagem. Por que afinal haveria uma diferença de 50% entre o preço de oferta e o final negociado já 2009, quando o mercado estava aquecido e os preços subiam?

    É verdade, portanto, que os preços médios negociados na cidade de BH e provavelmente em todas as outras cidades giram consideravelmente abaixo da média dos preços médios ofertados, porém isso não diz nada sobre o ponto de vista da trajetória dos preços, visto que não foi constatada queda nominal até o fim de 2015 segundo o IPEAD, conforme demonstrei no gráfico postado no dia 15/02. A segunda verdade é que o preço médio absoluto do Fipezap não deveria ser considerado como parâmetro de avaliação dos imóveis para quem quer comprar e vender, porém isso desde que foi criado em 2008 e não somente agora porque a tendência de estabilidade incomoda.

    Quando experimentei tabular os preços médios dos apartamentos usados de padrão médio com mais de 15 anos em São Paulo (mais frequente em vendas), não coincidentemente o resultado foi parecido. O preço médio por região numa comparação por valor absoluto costuma ser razoavelmente inferior a média por bairros que era apurada pela Fipe. Diante disso, muitos se orgulhavam em dizer que pagaram a “tabela Creci” ou 30-40% menos que a “tabela Fipezap”, mas não perceberam que os preços médios apurados pelo CRECI de 01/2008 até 12/2016 de uma forma geral tiveram variação maior que a captada pelo Fipezap para São Paulo, quando verificamos os dados por zonas de valor. Veja os preços médios apontadas na categoria citada por zona de valor:

    CRECI-SP
    01/2008 –
    A – R$ 1589
    B – R$ 1311
    C – R$ 1306
    D – R$ 951

    FIPEZAP -SP

    01/2008 – R$ 2652

    ÙLTIMOS VALORES ENCONTRADOS PARA CADA ZONA DE VALOR CRECI -SP até 12/2016

    A- 9.979 – variação de 528% em relação a 01/2008
    B – 8.848 – variação de 575 % em relação a 01/2008
    C – 5184 – variação de 297% em relação a 01/2008
    D – 3.538 – variação de 272% em relação a 01/2008

    FIPEZAP -SP

    12/2016 – R$ 8.641 – variação de 226% em relação a 01/2008

    Eu postei há alguns dias atrás um gráfico sem grande pretensão estatística para dar uma noção melhor dessas variações de preços com dados “normalizados”, devido à grande flutuação da pesquisa de venda do CRECI na cidade de São Paulo, mas o que importa de fato é perceber que a diferença que você interpreta como queda ou desconto em relação ao preço anunciado no caso de BH já era preexistente e análoga antes dos preços dispararem também em São Paulo. Fica claro portanto que a diferença entre preços absolutos são condicionados pela amostra e pelo método de tratamento das diferentes pesquisas e não podem ser extrapolados como queda efetiva do preço médio, nem como desconto médio obtido nas transações, que atualmente gira em média pouco abaixo de 10% sobre o preço de oferta, conforme demonstrei.

    O fato é que se os índices de preços anunciados são de alguma forma menos sensíveis aos períodos de quedas de preços e incapazes de refletir a baixas (plausível), o mesmo poderia se dizer do período de valorização, em que parte da alta parece não ser devidamente captada pelas variações. Nesse caso, no médio e longo prazo as flutuações tanto para cima como para baixo são amenizadas e a tendência se torna aproveitável, conforme demonstrei em diversos gráficos que comparam o Fipezap com o IVG-R, EMBRAESP e mesmo essa do IPEAD, os quais demonstram que as tendências são semelhantes e é isso que é o que mais importa nas análises de comportamentos de preços.

    1+
    • thiago fm 18 de fevereiro de 2017 at 16:51

      Corrigindo os dados do IPEAD sobre BH…

      IPEAD
      03/2009 – R$ 1.362
      12/2015 – R$ 3.643

      1+
  • MARK 18 de fevereiro de 2017 at 16:48

    Os 666 estão um pouco irritados em seus anúncios bolhudinhos: “Vendo apartamento de 2 dorm, , sendo 1 dorm com suite (…) Valor 320 mil, aceito financiamento, Não aceito permuta
    Só respondam o anúncio realmente quem tiver interesse, dispenso curiosos” Fiquei tentando a fazer umas vinte perguntas… kkkkkk
    https://www.facebook.com/groups/132965076848996/?multi_permalinks=1116539508491543&notif_t=group_highlights&notif_id=1487377124734725

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 18 de fevereiro de 2017 at 18:12

    antes de ontem eu dei uma sugestão de pras próximas matérias sobre o mercado: comparem os textos só mudar a cidade… kkk

    (A escassez de imóveis é em virtude do baixo volume de imóveis prontos e da redução no número de lançamentos ocorridos em 2016. …Por isso, este é melhor momento para se fazer a aquisição de imóvel visto que com a baixa na oferta de imóveis prontos é muito provável que o preço das unidades sofra um forte aumento em virtude de a procura ser maior que a oferta.” (sugestão)

    “Devido a esses fatores, existe uma forte tendência de os preços dos imóveis aumentarem já no segundo semestre de 2017, com a melhora da economia haverá um aumento na procura, e os estoques estarão baixos por conta da escassez de lançamentos nos últimos anos”, afirma.

    destaque para o FORTE aumento..
    https://www.reporterdiario.com.br/noticia/2312490/acigabc-realiza-1o-salao-do-imovel-da-regiao-em-marco/

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 18 de fevereiro de 2017 at 20:23

      Se o Temer não precisar mais de viagra, se chover no nordeste, se a Coréia do Norte decidir se tornar pacifista, se encontrarem uma forma de tornar a fusão a frio viável, se a economia melhorar….
      Tem que ser muito otimista mesmo, um tipo de Alice que toma remédio controlado misturado com pinga e extase.

      5+
    • Zebolheu 19 de fevereiro de 2017 at 09:27

      Acho ótimo se os preços começarem a subir por conta da (suposta) retomada da economia.
      Sinal claro de Bull Trap! Bem dentro do cronograma da volta à realidade em 2019/2020.

      3+
      • avatar
      • avatar
  • Carlos 18 de fevereiro de 2017 at 20:57

    OFF – Dados imobiliários
    Encontrei este site por acaso, já tinha visto outros parecidos antes mas este parece ser o mais completo.
    Enquanto no bananistão se perde tempo com “especialistas” de coisa nenhuma além de marketing e desinformação que tal uma coisa nestes moldes?
    Olha aí cramulhão, que coisinha mais linda de cheezus 😀

    http://www.city-data.com/city/Altamonte-Springs-Florida.html

    OBS: Selecionei uma cidade ao acaso para mostrar os detalhes.

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 18 de fevereiro de 2017 at 22:11

      Caramba que legal, bem detalhado todas as informações, tem até mediana e mapa
      de densidade de preços… isso que são medidas de interesse da economia, governo, social, educação.. etc que são necessárias pra todos.

      2+
      • avatar
      • Carlos 18 de fevereiro de 2017 at 22:51

        Sim, tem muitos aspectos sociais com origem da população, religiosos, etc
        Uma das coisa que mais me fascina sobre os EUA é o fato da enorme diversidade, se você procurar muito provavelmente vai encontrar algum local que mais se adapte ou que atenda suas necessidades econômicas e sociais.
        Este um dos grandes “segredos” do sucesso americano, talvez o maior, na minha opinião pois permite com que talentos do mundo todo das mais diversas orignes possam prosperar e até aos próprios “americanos” encontrar um lugar comum.

        6+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Rocca 18 de fevereiro de 2017 at 21:38

    Fica uma dúvida ainda não totalmente clara na divulgação da imprensa: este novo limite é descaradamente para tentar salvar as construtoras? Quando falam imóveis novos são contatos novos para que os já financiados não sejam revistos ou só novos mesmo… Estoques encalhados??

    3+
  • cesarkebrado 18 de fevereiro de 2017 at 23:32

    Pra quem tiver tempo, um teste de Qi bacaninha tipo um quebra cabeça, legalzinho.
    http://www.testesdeqi.net/teste-de-einstein/

    3+
    • avatar
    • Carlos 18 de fevereiro de 2017 at 23:39

      Este teste é bem interessante embora não se tenha nenhuma evidência que tenha sido criado por Einstein, alguns dizem que foi Lewis Carroll, outro gênio 😀
      Creio que usem o nome de Einstein para atrair clicks pois é muito mais conhecido por nome.

      2+
      • avatar
  • Anonymous 18 de fevereiro de 2017 at 23:36

    Manual do Anonymous, retrospectiva

    https://www.youtube.com/watch?v=kPkOxnhZoLw
    1 USD = 1.97423 BRL 16/abr/2013
    1 USD = 3.10123 BRL 18/fev/2017

    variação de 57% desde que foi publicado no YouTube

    http://www.bolhaimobiliariabrasil.com/2012/03/05/precos-de-imoveis-no-rio-de-janeiro-e-sao-paulo-comecam-a-baixar-bom-dia-brasil/
    1 USD = 1.72838 BRL 05/mar/2012
    1 USD = 3.10123 BRL 18/fev/2017

    Variação de 79% em aproximadamente 5 anos ou cerca de 1% ao mes com 100% de liquidez durante 100% do tempo.

    ESTONIA

    A partir deste ano (2017) será possível abrir conta na Estonia sem ter que viajar até lá para quem tem a e-residency. Os bancos oferecem contas em GBP, EUR, RUB, SEK e USD. Tem banco oferecendo juros de 1.8% ao ano para certificado de depósito em EUR e 1.1% ao ano para certificado de depósito em USD.

    https://e-estonia.com/e-residents/about/

    Demora 2 meses para a resposta sobre a aceitação ou rejeição da e-residency e o cartão de identidade só pode ser pego nos seguintes lugares.

    Offices in Estonia
    Australia, Canberra
    Austria, Vienna
    Azerbaijan, Baku
    Belarus, Minsk
    Belgium, Brussels
    Canada, Ottawa
    China, Beijing
    Czech Republic, Prague
    Denmark, Copenhagen
    Egypt, Cairo
    Finland, Helsinki
    France, Paris
    Georgia, Tbilisi
    Germany, Berlin
    Greece, Athens
    India, New Delhi
    Ireland, Dublin
    Israel, Tel Aviv
    Italy, Rome
    Japan, Tokyo
    Kazakhstan, Astana
    Latvia, Riga
    Lithuania, Vilnius
    Netherlands, The Hague
    Norway, Oslo
    Poland, Warsaw
    Portugal, Lisbon
    Russian Federation, Moscow
    Russian Federation, Pskov
    Russian Federation, St Petersburg
    Singapore, Singapore
    Spain, Madrid
    Sweden, Stockholm
    Turkey, Ankara
    UK, London
    Ukraine, Kiev
    USA, New York City
    USA, San Francisco
    USA, Washington DC

    Toetame oma väed

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 18 de fevereiro de 2017 at 23:45

      Yea, valeu anon 😀
      Sabe se é muito difícil aprender esta língua doida?
      Pretendo iniciar alguma coisa pela Estônia logo.

      Complementando, o blog deles está no ar:
      https://medium.com/e-residency-blog

      Pessoal de TI: TransferWise da Estônia expandindo muito, eles tem um time enxuto mas aparecem vagas de tempos em tempos.
      “https://transferwise.com/br/send-money/send-money-to-brazil

      1+
    • Zebolheu 19 de fevereiro de 2017 at 09:37

      Anonymous, isso significa que o dólar, na média, valorizou de forma próxima à renda fixa no Brasil, mas com mais emoções, tendo desvalorizado fortemente no último ano. Será que a gringaiada não vai voltar a se apaixonar pela nossa RF?

      Lembro de um dos posts da Rosinha, quando ela já estava começando a sumir do blog. O dólar tava uns 3,85 e ela deu a dica de se desfazer de todas as posições nessa moeda. Resultado, me desfiz a 3,70, me arrependi do timing, mas tive um baita lucro.

      0
    • Antigo 19 de fevereiro de 2017 at 11:59

      Não conhecia!
      Muito instrutivo.
      Morri de rir com os ursinhos falando Banania, bananense e perguntando sobre FGC.

      1+
      • avatar
  • Cajuzinha 19 de fevereiro de 2017 at 07:06

    02h59

    O novo teto para financiar imóveis com o FGTS, de R$ 1,5 milhão, vai ajudar as incorporadoras a diminuir o estoque de unidades, mas não resolverá os gargalos do setor, segundo diretores de empresas do segmento.

    Novos lançamentos só vão acontecer se houver mudança na maneira como os distratos (desistência de transação) são tratados pela Justiça, diz Emílio Fugazza, diretor financeiro da Eztec.

    Compradores que desistem de contratos arcam com custos que variam de 10% a 20% dos valores desembolsados, de acordo com o preço do imóvel em transação.

    “Precisamos vender o estoque, e as novas regras do SFH (Sistema Financeiro Nacional) ajudam, mas lançamentos, que geram empregos, dependem de uma solução para o distrato.”

    Imóveis cujos valores estão entre R$ 950 mil e R$ 1,5 milhão, que, agora, podem contar com recursos do SFH, representam cerca de 11% do estoque da Cyrela, diz o diretor de relações com investidores, Paulo Gonçalves.

    É a terceira faixa com mais unidades em estoque, segundo ele. A nova medida, que vale até o fim de 2017, vai impulsionar negócios nos locais onde o metro quadrado é mais alto, casos de São Paulo e Rio de Janeiro afirma.

    “Há casos de pessoas que moravam de aluguel porque fazia mais sentido econômico, mas que têm renda para comprar apartamentos de valores mais altos. Se elas possuem FGTS, podem usar como entrada”, diz o executivo.

    4+
    • avatar
  • Alemon Fritz 19 de fevereiro de 2017 at 09:03

    a salvação da lavoura de milhos.. sqn

    Contas inativas do FGTS podem ajudar a reduzir a inadimplência, diz Caixa
    creditos podres, a inadimplencia está a 3,3% (mas a caxao não divulgou os dados do final do ano). Se 3 bilhões entrarem a caxão melhora seus indices… só uma pedalada mesmo. Poupança, consignado, contas novas tbm podem ajudar na maquiagem.

    http://epocanegocios.globo.com/Economia/noticia/2017/02/epoca-negocios-contas-inativas-do-fgts-podem-ajudar-a-reduzir-a-inadimplencia-diz-caixa.html

    0
    • Antigo 19 de fevereiro de 2017 at 12:10

      CEF é a solução para o Brasil: um Caixão Econômico pro Funeral.
      Não há com o que se preocupar. Em pouco tempo passa uma revoada de fundo abutre comprando todas essas dívidas podres.

      A parte boa é que com certeza os fundos vão ter interesse em retomar os bolhudos, ao contrário da CEF, que pedala até nisso. Faz vista grossa, negocia de pai para filho com o motumbado etc. Com mais bolhudos retomados no mercado, a bolha fica ainda mais insustentável.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 19 de fevereiro de 2017 at 09:25

    Os corvos acham que Resolvendo os distratos ajuda a comprar os novos lançamentos… mas vai diminuir em 30% o número de imóveis que iriam ser vendidos para investidores (agora especuladores) na pedalada na planta…
    Alguma coisa ai tem pegadinha. Vão tungar 12% nos 44% imóveis distratados e perder os investidores que estão correndo pra outros fundos.. Só se a lig for muita vantagem… sqn.
    Ainda nao percebi pra onde vão os 121.000 imóveis que já estão prontos, os 44000 distratados, e as 108.000 lojas fechadas ano passado.
    O número de invasões aumentou e dívidas de IPTU e ITBI… quem vai comprar lançamento..

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Margarida 19 de fevereiro de 2017 at 10:25

      Pois é, eu ia mesmo deixar uma pergunta aqui relacionada a isso, especialmente ao CA que escreve bastante sobre as estratégias das empresas do setor.

      Eu não entendi ainda por que tanta pressão para regulamentar os distratos. Pra mim parece claro que isso derrubaria as vendas na planta. O que eu não estou vendo?

      5+
      • avatar
  • Knolan 19 de fevereiro de 2017 at 09:38

    Topico!!

    “Não podemos classificar essa dinâmica de queda do IVG-R como “normal”; a velocidade de queda acima de 1% a cada mês ao longo de praticamente 1 ano é suficiente para não ignorarmos um fato; os valores dos imóveis não estão caindo, estão em colapso.”

    https://m.br.investing.com/analysis/o-banco-central-me-diz-que-os-pre%C3%A7os-dos-im%C3%B3veis-j%C3%A1-est%C3%A3o-em-colapso-200175996

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 19 de fevereiro de 2017 at 09:58

      O índice IVG-R mostra uma queda nominal de aproximadamente 18% de set-2014 até
      nov-2016.
      corvos, Estabilidade no finge zap é prejuízo. é o Valor dos imóveis Não-vendidos.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 19 de fevereiro de 2017 at 12:38

        Alemon Fritz,

        “Detalhe”: Nos últimos 12 meses apurados pelo IVG-R do BACEN, com queda mensal superior a 1% ao mês em termos nominais, temos em termos REAIS (considerando a inflação), uma queda de 18% em 12 meses, o equivalente ao ANO em que tiveram o AUGE da queda de preços de imóveis durante a explosão da bolha imobiliária americana (exemplo mundial de queda HARD), sendo que nos EUA naquele ano eles já tinham a explosão mais visível da bolha e o efeito manada, algo que ainda não temos por aqui, ou seja, a expectativa é que possamos bater o recorde mundial de queda de preços de imóveis, assim como tivemos o recorde mundial na subida dos preços, na distorção entre preço de vendas e renda ou custo, etc.

        Alguma novidade sobre o que já falamos HÁ ANOS? Aliás, as “duvidas” do artigo acima, ou o que o autor diz que não entendeu, é algo que já estamos esclarecendo por aqui há anos também, repassado logo abaixo.

        5+
        • avatar
        • avatar
    • CA 19 de fevereiro de 2017 at 10:02

      Knolan

      Concordo, é TÓPICO!

      Sugiro ainda colocar o gráfico do IVG-R e FIPE ZAP e mais os trechos abaixo que traduzem o ponto principal de todo o artigo, para não deixar nenhuma dúvida:

      “O índice FIPEZAP mostra uma estabilidade dos preços dos imóveis entre a metade de 2014 até novembro-2016.

      O índice IVG-R mostra uma queda nominal de aproximadamente 18% de set-2014 até nov-2016.

      Mais, é possível perceber que a velocidade de queda de 2015 para 2016 aumentou sobremaneira. Até meados de 2015, o índice caía a uma velocidade aproximada inferior a 0,5% a cada mês. De final de 2015 para o final de 2016, o índice cai a uma velocidade aproximada média superior a 1% mensal (no final do texto, disponibilizo os números numa tabela).

      Não podemos classificar essa dinâmica de queda do IVG-R como “normal”; a velocidade de queda acima de 1% a cada mês ao longo de praticamente 1 ano é suficiente para não ignorarmos um fato; os valores dos imóveis não estão caindo, estão em colapso.

      O primeiro objetivo do texto é esse.
      Ou seja, explicitar o quanto o mercado pode estar enganado se olhar apenas para o índice FIPEZAP para identificar movimentos macros no universo dos “preços dos imóveis” no Brasil.”

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 19 de fevereiro de 2017 at 11:31

        Vamos repassar alguns pontos que talvez o autor do artigo acima desconheça, ou mais provável, que ele não possa falar a respeito em função da altíssima censura que o segmento imobiliário impõe à imprensa:

        1) Por que no IVG-R as quedas nominais nos preços passaram a ser capturadas somente a partir de 2014?

        Foi em 2011 que começaram a aparecer as anomalias dos distratos, referentes a vendas falsas na planta a partir de 2008. Neste mesmo ano, os percentuais de distratos eram absurdamente anormais, mas só para algumas construtoras. A partir daí elas tinham que revender os distratos com maiores descontos, só que como o volume era pequeno, acabava tendo influência mais fraca nos preços gerais. Ocorre que os próprios lançamentos a partir de 2011 começaram a focar cada vez mais em vendas FALSAS na planta, não só destas construtoras, como também das outras, que queriam crescer e pedalar com este esquema, até para disfarçar os distratos que viriam das vendas FALSAS delas que se iniciaram após as pioneiras no esquema. Como demora 3 anos entre lançamentos, vendas FALSAS e os distratos quando não acontece o financiamento, foi só a partir de 2014, no ato do financiamento dos imóveis distratados que começaram a serem revendidos com grandes “descontos”, que apareceu a queda nos preços no índice IVG-R. No ano de 2014, tivemos subida relevante nos distratos, que já tinham disparado de forma recorde em 2012 e crescido um pouco em 2013, ou seja, já vinham de base elevada. No entanto, não foi só este acontecimento que fez com que o IVG-R apresentasse quedas de preços a partir do segundo semestre de 2014: no caso de imóveis usados em São Paulo, as quedas de preços apuradas pelo CRECI SP no caso de vendas com financiamento, também começaram a influenciar os preços gerais para baixo. Claro que a combinação destes fatores não causou uma redução tão intensa nos preços MÉDIOS e gerais do país, até porque eram ainda reflexo apenas do que era CAPTURADO pelo IVG-R, mas foram significativos ainda assim.

        2) Por que do final de 2015 ao final de 2016 a queda dos preços se acentuou e a velocidade de queda mensal DOBROU?

        Em 2012 os distratos mais do que DOBRARAM, com isto as construtoras passaram a revende-los com preços mais baixos. Adicionalmente, mais do que nunca, elas tiveram que aumentar o volume de lançamentos e vendas FALSAS na planta para mascarar os efeitos dos distratos que registravam. Quando este altíssimo volume de lançamentos e vendas FALSAS na planta foram ter entregas que viraram distratos e tiveram que ser revendidos por preços MUITO MENORES? Entre 2015 e 2016, que foi quando a maior queda de preços foi percebida pelo IVG-R, no momento do financiamento destes imoveis. Que outro fator colaborou para esta queda de preços ter dobrado no mês a mês de 2015 para 2016? O fato de termos tido quedas de preços relevantes que foram apontadas por diferentes pesquisas no ano de 2013, referentes a lançamentos de imóveis, como por exemplo a queda de 9% no geral e 17% para imóveis de 3 dormitórios lançados no primeiro bimestre de 2013 na sua variação anual apurada pela EMBRAESP, ou a queda de 35,5% nos preços de lançamentos em Brasília apurada referente aos lançamentos de 2013 como um todo. Como demora 3 anos para estes lançamentos virarem financiamentos, foi só em 2016 que estas quedas foram capturadas pelo IVG-R. Claro que alem destes pontos, certamente tivemos quedas em precos negociados de lançamentos em 2013, em outras localidades além destas que mencionei, onde o segmento imobiliário deve ter boicotado a divulgação, assim como ele tem boicotado a divulgação da evolução do IVG-R mais recentemente. Claro que além disto tudo, temos também a queda de preços de outros imóveis já prontos e que obtém financiamentos dentro do próprio ano e inclusive com quedas maiores nos preços, que como sempre são “censuradas” pelo segmento imobiliario e não podem ser divulgadas, sendo que boa parte desta queda maior foi gerada pela crise na economia, que conforme foi explicado por aqui ao longo de ANOS, se deve em grande parte à própria bolha imobiliária. É o conjunto que consta neste parágrafo que explica porque a intensidade de queda dos preços DOBROU de final de 2015 para final de 2016.

        3) Sobre a queda de preços em torno de 1% ao mês ao longo dos últimos 12 meses apurados pelo IVG-R, para quem considera isto uma queda “soft”, pondere o seguinte:

        3a) É uma queda em termos nominais, ou seja, se considerarmos a inflação do período, esta queda representa algo em torno de 18% no período de 1 ano;

        3b) É uma queda MÉDIA, significa que em alguns casos esta queda de preços foi muito maior;

        3c) Pela metodologia do IVG-R, vendas de imóveis que tiveram lançamentos 3 anos atrás e que ainda tinham maiores preços naquela época, aparecerem agora no ato do financiamento imobiliario. Da mesma forma, lançamentos feitos nos últimos anos que tenham tido preços menores, também ainda não estão refletidos no IVG-R. Este atraso do IVG-R em reconhecer os preços de vendas de imóveis lançados ou em construção, somado ao fato do aumento de participação destas vendas durante a bolha e também com a queda de preços dos lançamentos ter sido maiores nos últimos anos, significam que apesar desta queda de preços do IVG-R ser muito relevante, principalmente considerando demais pontos deste item, ainda assim ela não reflete o quanto os preços realmente caíram;

        3d) Nos EUA, no AUGE das quedas de preços, os mesmos tiveram uma redução de 18% na média geral no período de 1 ANO, em termos reais, ou seja, considerando a inflação. Estamos falando dos preços médios gerais, em base anual e real, exatamente os mesmos parâmetros do que o IVG-R apontou. Lembrando que os EUA são a referência mundial quanto a uma queda HARD dos preços dos imóveis durante a explosão de uma bolha imobiliária e ainda, aqui no Brasil nosso índice gera alguns atrasos de percepção da queda de preços e por fim, a explosão de nossa bolha sequer está visível e não tivemos ainda o efeito manada, ao contrário do que ocorreu nos EUA no ano do auge da explosão deles, ou seja, temos todos os motivos para acreditarmos que bateremos o recorde mundial de queda de preços de imóveis, assim como já batemos o recorde mundial na subida dos preços e na sua distorção quanto a renda, custo de construção e outros indicadores.

        4) Sonre a “surpresa” do autor quanto ao FINGE ZAP enganar o mercado é propositalmente FINGIREM que esqueceram do IVG-R:

        Há ANOS que explicamos isto por aqui.

        O FINGE ZAP foi criado em 2008 com a clara finalidade dw enganar as pessoas e SIMULAR o eterno crescimento dos preços.

        Foi feito assim, porque quem o criou foi o segmento imobiliário através do núcleo NRE da Poli^USO, onde 100% dos seus membros tem seu ganha-pão dependente dentro do segmento, em parceria com o ZAP Imoveis Imóveis que pertence às organizações Globo e tem forte dependência do segmento imobiliário como anunciante, inclusive em função da própria bolha imobiliária que provocou uma explosão de anúncios e de faturamento para os anunciantes.

        Como o FINGE ZAP MANIPULA os números para SIMULAR o eterno crescimento dos preços?

        Se dentre imóveis similares quanto a localização, conservação, etc, você vender o mais barato, o que é o NATURAL, este imóvel tem o anúncio retirado, sobram só os imóveis mais caros e isto faz com que os preços ANUNCIADOS do FINGE ZAP subam!

        Além disto, informam uma MÉDIA de desconto em relação ao preço das vendas realizadas, mas induzem as pessoas a acreditarem que é em relação ao preço médio. Na prática, o desconto em relação ao preço médio é maior do que o informado por eles, em virtude do que consta no parágrafo anterior.

        Há muito mais truques de DESINFORMAÇÃO, não só por parte do FINGE ZAP, só que, primeiro, será difícil continuarem enganando a todos por muito mais tempo e segundo, enganando ou não, os preços dos imóveis continuarão despencando…

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Knolan 19 de fevereiro de 2017 at 12:59

          Owned!

          1+
  • Ilusionista 19 de fevereiro de 2017 at 10:48
    • Antigo 19 de fevereiro de 2017 at 11:55

      Para Flavio Amary, presidente do Secovi-SP (sindicato das empresas do mercado imobiliário), este é o momento certo para comprar um imóvel. “Quem está buscando a casa própria tem um momento propício para isso. Os preços estão estáveis.”

      Cara, todo dia eu coloco aqui a mensagem ‘Leve queda, estável’. Muita gente deve me achar idiota.
      Mas idiota mesmo é toda matéria que envolva corvo, construtora e especialista dizer exatamente a mesma coisa.
      Parece vitrola quebrada, papagaio de gaiola e caverna de eco. ‘Estável, estável, estável….’

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 19 de fevereiro de 2017 at 13:36

        desde 2013 a mesma frase, “o momento é agora”, pois vai subir ano que vem…kkk
        se tem estabilidade pode esperar.

        4+
        • avatar
        • avatar
  • Alemon Fritz 19 de fevereiro de 2017 at 11:14

    olhem a demanda pro motumbo

    THE tem 40 mil imóveis com problemas cadastrais que podem ter IPTU alterado

    Teresina tem 300 mil imóveis no IPTU, sendo que 40.000 com problemas (11%).!!!
    Foram detectados ainda 9.881 imóveis cadastrados como não edificados na base de dados do IPTU, que somados possuem hoje 1,1 milhões de metros quadrados de área construída… ( tipo lajes)..
    92 mil são isentos da cobrança. (valem menos que 45000 reais) (30% da cidade).

    http://www.portalodia.com/noticias/piaui/the-tem-40-mil-imoveis-com-problemas-cadastrais-que-pode-ter-iptu-alterado-293176.html

    comento
    se esse número valer pro Brasil, temos cerca de 8 milhões de imóveis “novos”, mexidos,ampliados, divididos, edificados, em laje, com garagem, etc etc etc…

    3+
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 19 de fevereiro de 2017 at 12:19

      Com as prefeituras todas quebradas, imagino que seja cada vez mais forte esse movimento de regularização dos IPTUs. Querem aumentar arrecadação.
      Só não sei como o motumbado vai pagar. Tá faltando grana até para o mais básico.

      7+
      • avatar
      • avatar
    • CA 19 de fevereiro de 2017 at 14:54

      Vai de Grails,

      O título já dos tudo: especula…

      Exemplo:

      Segmento imobiliário em situação crítica, uma série de medidas DESESPERADAS do governo para fingir que vai salva-los, algo que inclusice o proprio segmento imobiliario sabe que não irão funcionar, mas ajudam a esconder a queda anormal de preços que o próprio BACEN aponta há 18 meses e qual o segmento em que os preços das Ações mais subiram? O imobiliário!

      Superávit fiscal, com extremo otimismo, só em 2020, recorde de déficit fiscal em 2016 e provavelmente em 2017, por isto “merecemos” o “upgrade”???

      2+
  • Alemon Fritz 19 de fevereiro de 2017 at 14:33

    Distratos
    As construtoras atualmente pegam o dinheiro do comprador e em caso de distrato devolveriam sem correção e ainda aplicariam a “multa” de 10 a 15% e taxa do corretor.. (pediram 12% como “flexibilidade”)
    quem deu 30k num imóvel em jan 2014 já perdeu 37.800 só pela poupança
    – a construtora quer ficar com 100% agora (nas outras tentativas daria de 70 a 90%).. e o imóvel continua da construtora pra revender como novo.
    Notem que o cara não perde 30k, perde 37k ou mais de uma coisa que nem usou..
    kkkk. Nessa base a construtora já ficou com pelo menos 25% a 30% do imóvel. (nenhum credito podre dá essa taxa de retorno..).

    6+
    • avatar
    • to bolhado 19 de fevereiro de 2017 at 16:17

      entendi o seguinte. O camarada “comprou” na pranta o apto de 1 milhão, já pagou 300 mil. A constrututora vai reter 15% do valor do apto + a comissão do corvo, ou seja, 210 mil. O cara só recebe de volta 90 mil. Parece que a solução (se for aceita pelo governo) é boa para as construtoras, considerando que tem juíz dando sentença que só pode reter 10% do valor pago. O lado “ruim” para elas é que de fato vai ser um baita desestímulo para novas compras na planta, mas pode ser que a prioridade seja tentar minimamente sair do buraco em que estão enfiadas do que manter a estrutura pro futuro. De qualquer jeito a maioria já pescou a furada que é comprar na planta, esse gato já tinha subido no telhado mesmo…

      1+
      • avatar
      • Alemon Fritz 19 de fevereiro de 2017 at 18:18

        ou estão tentando atrasar a volta desses imóveis pro mercado antes de desencalhar o estoque de novos… pois 40% de distrato pra voltar ao mercado, junto com o estoque de 122mil novos e 4x mais de usados..
        quanto mais faço conta mais percebo que tem alguma coisa errada nessa parte de distrato.. quando decidirem algo vai dar impressão que estará tudo OK agora no mercado (mesmo que as construtoras estejam perdendo) a impressão será “positiva” e muitos já terão desistido, tomado mais prejuizo ou trocado pra um “mais barato”, pegadinhas de corvo…

        1+
        • avatar
  • Leonardo M. 19 de fevereiro de 2017 at 16:12

    Príncipe árabe elogia João Doria
    by Mauricio Lima

    Na viagem ao Oriente Médio, João Doria fez um périplo pelos fundos soberanos. Num deles, o Adia, foi recebido pelo príncipe Hamed Bin Zayed Al Nahyan, irmão do presidente de Abu Dhabi.

    Nunca nenhuma autoridade brasileira havia estado com o tal príncipe. Dono de um fundo de 900 bilhões de dólares, ele ficou cerca de uma hora com Doria.

    Ao final, surpreso em saber do ineditismo do encontro, o prefeito perguntou por que ele o havia recebido. “Não gosto de políticos. O senhor é um gestor. Por isso, lhe recebi”. Doria saiu exultante.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Rene Fraçoá 19 de fevereiro de 2017 at 16:32

    Alguém quer comprar um carro ai? Parece que vem com brinde.

    http://rj.olx.com.br/rio-de-janeiro-e-regiao/veiculos/carros/peugeot-206-271411654

    1+
    • avatar
    • Carlos 19 de fevereiro de 2017 at 16:46

      P… falta de sacanagem batman….
      Difícil saber qual é a maior bomba, se é Peugeot conversível ou se o brinde 😀

      1+
      • avatar
  • Manoel Joaquim 19 de fevereiro de 2017 at 18:33

    CVR – Nem tudo está perdido

    Hoje me deparei com a ocorrência de 2 milagres “acontecidos”.

    Praticamente todo o patrimônio do meu pai está em imóveis. Eu, desde 2012, venho tentando plantar a ideia na cabeça dele (praticamente no estilo Inception) de vender todos (ou parte) do patrimônio em imóveis, de modo que aumentasse a sua liquidez e parar perder juros decorrente do custo de oportunidade. Porém, como boa parte de sua geração, sempre acreditou que imóvel é “moeda forte” e que nunca desvaloriza.

    E não é que hoje fico sabendo que:

    Milagre 1: ele tinha colocado um dos imóveis para vender há alguns meses;

    Milagre 2 (o mais incrível): ele conseguiu vender no preço que ele pediu.

    O imóvel se tratava de um terreno em área comercial, com um pequeno salão construído. Em 1998, ele havia pagado R$ 6.000 pelo terreno e, anos depois, menos que isso pela construção. Nunca ganhou um centavo com aluguel ou qualquer coisa do tipo. Pelo contrário, sempre teve que pagar manutenções, roubos que houveram e impostos. Vendeu o conjunto por R$ 200.000. Ele acha que ganhou dinheiro, eu tenho certeza que não. Era um típico bairro de periferia, classe C em cidade de interior. Eu não pagaria 1/3 disso.

    Agora é orientá-lo para ganhar juros sobre juros.

    Aleluia!

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Carlos 19 de fevereiro de 2017 at 19:18

    Desinformação, vem ni mim sua linda 😀

    Comprem, comprem antes que suba mais, logo logo vão aparecer “especialistas” recomendando isto.
    Ao pessoal do blog que manja dos paranues, como o real valorizado ante ao dólar pode impactar no agro e suas Alices?

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/02/1860024-agricultura-se-recupera-e-anima-o-campo.shtml

    2+
    • avatar
    • avatar