Caixa fecha acordo para desovar imóveis encalhados – Folha.com

Você pode gostar...

Comments
  • CA 24 de janeiro de 2017 at 13:34

    Lembrando:

    A CEF só coloca em leilão menos de 1/5 daqueles que estão inadimplentes.

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 24 de janeiro de 2017 at 13:35

    Ficou ao final do tópico anterior, vale a pena repetir para refletirmos sobre as notícias mais recentes quanto a ações do governo, indicadores da economia, etc…

    Sobre algumas notícias recentes e o comentário do Louro José:

    “Louro José 24 de janeiro de 2017 at 10:22
    Novo vôo de galinha sendo cozinhado. Suficiente até outubro de 2018.”

    A TENTATIVA do governo de fato é esta. Será que vão conseguir reeditar os truques da Dilma para que a realidade não apareça logo antes das eleições? Na verdade, quanto mais pedalam, quanto mais vão colocando gasolina para apagar incêndio, mais difícil fica de ir postergando as consequências.

    Na prática, o governo continua colocando esparadrapo para conter hemorragia. É inócuo, uma hora o sangue vai jorrar e não vão conseguir ocultar isto.

    Vão liberar mais do compulsório para os bancos? Tivemos R$ 1 trilhão de credit crunch, onde os bancos OPTARAM por reduzir e muito a oferta de crédito, não foi algo que eles fizeram porque estavam sem o dinheiro do compulsório, de novo, estão dando uma “solução” para algo que não tem nada a ver com a causa raiz do problema…

    A causa raiz para o credit crunch acima foram as bolhas de crédito para o consumo e imobiliária, que levaram as empresas e famílias a um recorde de inadimplência, recorde de falências e recuperações judiciais, etc. Foi uma reação natural dos bancos de se preservarem, agora só estão fornecendo crédito “a conta-gotas”. Aliás, como uma consequência natural deste credit crunch, pela redução sensível de oferta de crédito e também como “seguro” para se protegerem de calotes maiores que são esperados, os bancos aumentaram e bateram o recordo dos juros totais cobrados ao longo de 2016. Detalhe: daí vai o governo e FAZ DE CONTA que a causa para este recorde nos juros totais era a SELIC (?!), que neste mesmo período de 2016 veio estável em grande parte dos meses e até chegou a cair um pouco. Para complementar o contra-senso e o mundo de faz de conta, o BC ainda diz que vai “pesquisar” para saber porque temos spreads tão grandes e para entenderem porque os juros finais para empresas e consumidores cresceram tanto no último ano, sendo que eles sequer mencionam o que consta acima quanto a inadimplência, falências, etc… Seria cômico, se não fosse trágico!

    Daqui a pouco vão comemorar a queda no índice de famílias endividadas, que em GRANDE parte se deve ao credit crunch, ou seja, elas NÃO CONSEGUIRAM se endividar mais… Claro que uma pequena parte deve ter sido de famílias que de fato contiveram mais os seus gastos, mas por toda a experiência dos últimos 10 anos, com certeza não foi a maioria.

    No meio deste “bolo”, temos notícia sobre desemprego total (desemprego padrão IBGE + “desalentados” + sub-emprego) que já passou dos 20%, sendo que estima-se que 1 em cada 3 pessoas que forem demitidas no Mundo em 2017 serão brasileiros, informação que o número de famílias que permaneceu inadimplente em 2016 cresceu 25%, que batemos o recorde que vinha desde 1991 quanto a cheque sem fundos, que o crédito imobiliário com verba da poupança (SBPE) em 2016 teve queda de 38% depois de já ter vindo de uma queda de 30% em 2015, que a CEF tem cerca de 25 mil imóveis retomados para revender e vai tentar agilizar o processo (isto porque a CEF retoma menos de 1/5 daqueles imóveis que estão inadimplentes), etc.

    Será que quando tudo aquilo que consta acima for mais sensível para a população e agentes envolvidos e ainda mesclado com a decepção com o ajuste fiscal depois de divulgarem as contas referentes ao 1T17 (durante o 2T17) revelando os “erros de cálculo” tanto de receitas superestimadas (crescimento “previsto” do PIB do triplo do que será o real) quanto de despesas subestimadas (sem considerar REFIS, sem contar apoios a Estados e Municípios, mais o caos financeiro dos mesmos em si), mais os efeitos de retração da economia que são consequências naturais das medidas de ajuste fiscal no curto prazo (redução de milhares de comissionados que deixam de consumir, aumento de contribuições previdenciárias que roubam do disponível para consumo, cancelamento de contratos de prestadores de serviços que terão que reduzir seus quadros ou até fecharão, etc., etc., etc), mais as quebras de algumas construtoras e todo o trauma gerado para os clientes quanto a isto, mais os efeitos de Trump+FED+bolhas chinesas, dentre tantos outros “eventos”, ainda teremos o “vôo de galinha”? Parece pouco provável…

    28+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • MauricioSP 24 de janeiro de 2017 at 16:12

      O povo está de bola baixa, crise, desemprego. Vão aproveitar para fazer a maldade toda de uma vez. Flexibilizar a CLT, reformar a previdência e privatizar o que ainda tem de estatais. Com um milhão de novos desempregados por ano, não vai ter muita gente com energia para defender interesses. Com isso o país vai voltar a crescer, mas o país que conhecemos (aposentados aos 45 anos, Petrobrás, emprego carteira assinada) deixará de existir. Não tenho certeza se para bem ou para mal do povo, mas para as empresas será ótimo! É por isso que a bolsa está batendo recordes e o mercado está contente

      30+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • tmarabo 25 de janeiro de 2017 at 08:37

        vai ser bom para o país.
        colocar interesses das empresas como contrários ao do povo…. deixa isso pra vanguarda do atraso esquerdista.

        5+
  • mestre dos magos 24 de janeiro de 2017 at 13:37

    Calma caixa, esse estoque está apenas iniciando seu inventário.

    CVR – São Francisco do Sul

    Empreendedor limpou um terreno de frente para o mar, que ele explorava como estacionamento. Resolveu investir e construiu 20 box, 10 em cada lado, para comércio de fast food e afins. Deixou um espaço amplo no meio, e encheu de mesas e cadeiras, ficou parecendo uma praça de alimentação de shopping. No ano passado ele conseguiu alugar uns 10 boxes, e nos finais de semana até que tinha um pouco de movimento. No início do ano, só alugou 5, sendo dois da parte da frente, que atendem as pessoas da rua e de dentro, e mantinha uma faixa: Aluga-se boxes direto com o proprietário. Pois bem, neste domingo passei pela frente da praça de alimentação, e pasmem, só tinha um box atendendo. Tinha outro box aberto, mas estava retirando os equipamentos. O cara investiu uma grana razoável, e está com quase 100% de vacância, isso em pleno verão, em um negócio de frente para o mar, e na praia que mais tem movimento em São Francisco do Sul. Cabou-se………

    66+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Urso 24 de janeiro de 2017 at 16:10

      PMJ!

      10+
      • avatar
  • Libertario 24 de janeiro de 2017 at 13:38

    Lucas

    Trump em economia está sendo o que lula foi em 2002, extremamente conservador e protecionista, pendendo para o justo. A parte cultural é uma parte acessória que pouco importa numa escala maior, se bem que pode ser muita coisa para as milhares de crianças que deixarão de ser abortadas, e nisso tbm estou de acordo em 99% dos casos num horizonte amplo será benéfico. É interessante notar trump é o contrário do temer, ele trouxe um pacote de bondades vestidas de maldades. Adoro aquele jeito dele de “to nem aí” eu meio que fui assim na vida, se pegar o histórico dele, soube aproveitar muitas oportunidades, inclusive no ramo imobiliário e fazendo pactos com o governo. Trump é a semente que germinou no seio esquerdista (sic com S mesmo de teta). Assim como sua antí-tese está sendo auto-gerada para lá na frente aparecer, este tipo de ideologia já vimos acontecer, traz prosperidade faz as pessoas menos vagabundas, mas lá pelas tantas, começam a se perguntar? “pra quê tanto disto?” e começam a não se aguentar mais uns aos outros, e aí volta o pêndulo, foi isso que Marx sacou, estamos presos num eterno limbo marxista, se for ver bem, até trump carrega características da dita esquerda, ele é um frankstein de pragmatismos, como lula um dia foi, antes de virar o ladrão que é hoje.

    A questão é: “como sair disto”?
    talvez as novas gerações 1 dia conseguirão, fé no face.

    3+

    Todo comentario é muito bom, mas a parte final é excelente.
    Tambem creio que estamos presos em uma gangorra direita-esquerda, em que hora senta um no lado do bem, hora senta o outro no lado do mal – e que foi muito bem captado pelo Carlos Marques, inflamando o discurso dos direitos do ignorante.
    Enquanto isso a verdadeira liberdade vai sendo colocada de lado como se fosse algo utópico, de um sonhador, drogado, inocente,
    e quem a propõe ainda é acusado de mau intencionado por algum dos lados que está sentada no brinquedo.

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 24 de janeiro de 2017 at 13:51

      O que provocou a depressão da década de 1930 não foi a quebra da bolsa de 1929, mas sim o Ato da Tarifa Smoot-Hawley, uma medida protecionista que taxava a importação entre 35% a 65%.
      Os outros países reagiram a esta taxação, implantando impostos de importação dos produtos vindos do Estados Unidos,
      Em 1929, o valor total dos produtos industrializados fabricados nos Estados Unidos foi de 104 bilhões de dólares. Em 1933, este valor havia caído para 56 bilhões, uma queda de aproximadamente 45%. A produção de aço caiu em cerca de 61%, entre 1929 e 1933, e a produção de automóveis caiu em cerca de 70% no mesmo período e da agricultura caiu 50%.
      https://staticseekingalpha.a.ssl.fastly.net/uploads/2009/9/21/saupload_09_09_20_1930s_gdp.png

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 24 de janeiro de 2017 at 15:18

        pra agregar na lista de coincidências:

        al capone preso em 32
        lei seca vigorou até 33.
        quando ninguem mais aguentava a trolha
        arregaram…

        estamos na era das versões, na falto dum nome melhor.
        onde os fatos são interpretados de formas as mais alucinadamente criativas.
        semana passada publiquei aqui as pedras da georgia, que achei num grupo de judeus, aparentemente odeiam os iluminatis.
        onde as realidades e as personagens são criadas, recriadas, descriadas, construídas e desconstruídas na velocidade dos likes.

        limpar toda essa merda de nós mesmos
        é o hint do century
        quem souber fazer isso vai ter mar de almirante pela frente
        mas não podemos ser inocentes, o outro lado que se diz do bem (ambos se dizem) nos enche de armadilhas o tempo todo
        acho até que por isso tenho lido muito sobre mitologia judaica e predecessores, esse povo, com exceções, no geral eles não acreditam em merda nenhuma
        até mesmo d’eus eles chama ás vezes de o eterno, nunca fazendo dele imagens humanas.

        10+
        • avatar
        • avatar
  • Cesar_DF 24 de janeiro de 2017 at 13:39

    Fiz uma pesquisa no google com os termos mercado imobiliario 2016, filtrando para datas de 01/01/2015 a 31/12/2015, só para ver o que previam para 2016
    Confiram o grau de acerto do que diziam os IXPECIALISTAS

    http://www.vivareal.com.br/vivacorretor/12-motivos-para-acreditar-mercado-imobiliario-em-2016/
    Confira os 12 motivos para confiar no mercado imobiliário em 2016
    1. 3ª fase do Minha Casa, Minha Vida
    2. Crescimento de linhas alternativas de crédito
    3. Demanda permanece
    4. Consumidores com boa expectativa
    5. Corretores e imobiliárias otimistas
    6. Mercado de luxo não tem crise
    7. Perspectivas positivas para locações
    8. Realização das Olimpíadas no país
    9. Retomada dos investimentos
    10. Aumento do número de pessoas morando sozinhas
    11. Qualificação dos profissionais
    12. Crescimento do acesso à internet no celular

    http://www.opovo.com.br/app/opovo/imoveis/2015/12/26/notimoveis,3553403/expectativas-para-o-mercado-imobiliario-em-2016.shtml
    As perspectivas para 2016 são boas para o mercado imobiliário de Fortaleza. Dentre as tendências, os compactos permanecem e quem trabalha com o programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) continuará a vender bem. E para a crise econômica que perpassa o País, o que reflete na construção civil, a expectativa é de recuperação, com um setor crescendo em volume de vendas.
    De acordo com Ricardo Bezerra, sócio-diretor da Lopes Immobilis, as perspectivas para 2016 são boas, pois há a confiança de que a crise que assola o País passará e, quem sabe, seja possível até vender mais.
    Uma características para o próximo ano é que os empreendimentos que fazem parte do programa MCMV continuem com vendas aquecidas, assim como em 2015. “Em Fortaleza, o déficit imobiliário ainda é muito alto”, explica Ricardo.

    http://www.lopes.com.br/blog/mercado-imobiliario/o-mercado-imobiliario-tendencias-e-previsoes/
    Um estudo da consultoria Prospecta Inteligência Imobiliária, divulgado pela Exame.com, analisou 94% do território brasileiro em busca de oportunidades no setor e verificou que ainda existe demanda na aquisição de imóveis, principalmente em cidades de médio porte (com menos de 1 milhão de habitantes) como São Bernardo do Campo-SP, Campo Grande-MS e Santo André-SP, respectivamente a primeira, segunda e terceira cidades com o mercado imobiliário mais atrativo do país.
    Ainda segundo a consultoria, o mercado não está saturado. O que houve de fato foi que o recente crescimento no mercado de crédito com a facilitação da tomada de recursos pela população gerou um crescimento desorganizado no setor e que agora, este vem se normalizando com a nova situação econômica do país.
    Em entrevista ao jornal El País Brasil, Celso Amaral, diretor corporativo da Geoimovel, afirma que o momento é propício para quem deseja comprar à vista com o aumento no poder de barganha dos investidores. Já o professor Pedro Seixas Correa, da Faculdade FGV, destaca que o Brasil não passou por um processo de bolha, igual a países como Estados Unidos e Londres, que sofreram grandes desvalorizações tanto no volume de vendas como nos preços dos imóveis, desencadeando uma queda generalizada do mercado.

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/2016-sera-um-bom-ano-para-comprar-imoveis-veja-tendencias/
    2016 será um bom ano para comprar imóveis; veja tendências
    Especialistas traçam suas perspectivas para o mercado imobiliário em 2016 e dizem que o ano será ótimo para quem pretende comprar um imóvel.
    João da Rocha Lima concorda que os preços devem se manter em baixa. “2016 é o ano de comprar e, a não ser que o país entre em uma depressão econômica brutal, em 2017 os preços tendem a ser maiores, pensando em um grau de recuperação qualquer”, diz.
    Os empreendimento criados nos novos moldes do PDE devem ser lançados a partir de 2017. “Os preços podem ainda não ser pressionados em 2016 por conta disso, mas a partir de 2017 devem subir com força”, finaliza Rocha Lima.

    http://construcaomercado.pini.com.br/negocios-incorporacao-construcao/negocios/maioria-dos-executivos-acredita-em-melhora-do-mercado-imobiliario-em-344849-1.aspx
    Maioria dos executivos acredita em melhora do mercado imobiliário em 2016, diz Abrainc
    Segundo sondagem da entidade, 67% das empresas preveem aumento das vendas em relação ao período 2014-2015

    http://blog.netimoveis.com/confira-as-principais-previsoes-para-o-mercado-imobiliario-em-2016-e-saia-na-frente/
    Enquanto o primeiro semestre será marcado pela estabilidade, a previsão é que o segundo semestre será de melhoras. 2016 será marcado pelo Land Banking, ou seja, investimento na compra de bancos de terrenos, pois caso a economia volte a crescer, novos condomínios e apartamentos poderão ser construídos em 2017.
    Com essas pequenas melhoras previstas para 2016, estima-se que a confiança será restaurada pelo comprador e a recuperação começará a ser notada pelo mercado de locação. Além disso, pesquisas também indicam que a queda no preço será determinante para o aumento na intenção de compra dos imóveis.

    http://bandnewsfmcuritiba.com/mercado-imobiliario-aposta-em-crescimento-nas-vendas-em-2016/
    Mercado imobiliário aposta em crescimento nas vendas em 2016
    Empresas que atuam no setor imobiliário em Curitiba acreditam que as vendas devem ser maiores em 2016 na comparação com este ano. A aposta é com base no volume de unidades que devem ser entregues nos próximos meses. Segundo o diretor de Pesquisas de Mercado da Ademi Paraná, Fábio Tadeu Araújo, as vendas podem crescer, mas o número de novos lançamentos deve cair

    http://midianews.com.br/entrevista-da-semana/a-diminuicao-da-oferta-pode-elevar-os-precos-a-partir-de-2016/233904
    “A diminuição da oferta pode elevar os preços a partir de 2016”
    Júlio César de Almeida Braz, vice presidente do Sinduscon-MT e presidente da Ginco, fala sobre o comportamento do segmento

    http://www.diarioimobiliario.pt/Actualidade/Em-2016-vai-continuar-o-crescimento-do-mercado-imobiliario
    Em 2016 vai continuar o crescimento do mercado imobiliário
    O mercado de investimento imobiliário encontra-se em recuperação e o aumento de confiança dos intervenientes vai continuar em 2016, sobretudo no sector prime. Quem o garante é o mais recente estudo do RICS com foco no terceiro trimestre de 2015, com conclusões muito similares às alcançadas analisando o estudo de mercado da Worx ao mercado imobiliário de 2015.
    Segundo a consultora Worx, a médio-prazo o crescimento estará salvaguardado também por bons indicadores económicos do país como as melhorias contínuas no mercado de trabalho que se reflectem num aumento da ocupação de escritórios.

    28+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 24 de janeiro de 2017 at 15:46

      excelente
      entra ano sai ano as mesmas lorotas
      agora vai
      um dia acertam, nesse dia ninguem vai dar bola, mas EU vou estar atento

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Bolha BOSS 24 de janeiro de 2017 at 14:09

    CVR

    Um insider veio me contar que o pior dos mundos para as construtoras está começando apenas agora, de acordo com conversa dele com peixes grandes. Os investidores estão devolvendo tudo em juízo, e pagando uma multinha. Construtoras com muitos tijolos, sem liquidez, sem capital de giro.
    Comentei com ele que acreditava que uma destas era a PDG…Ele riu da minha cara, falou que curiosamente, nenhum dos peixes era da PDG. Mais tijoleiras pra lista negra.

    Oremos

    67+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 24 de janeiro de 2017 at 14:32

      Acho é pouco.

      Vai chegar a hora que vão ter que desovar os estoques para gerar liquidez, aí sim o preço desaba de vez.

      Quero ver imóvel sendo vendido que nem os panetones que sobraram do natal fracassado. Por 1/3 do preço de face.

      31+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • mestre dos magos 24 de janeiro de 2017 at 14:52

        Imagina os distratos feitos próximos da entrega das chaves, geralmente isso ocorre quando o 666 verifica que não vai conseguir pegar o financiamento no banco. É muito prejuízo para construtora. Tem que pagar o registro do imóvel, começa a cobrança do IPTU, e o mais tenebroso o condomínio. Além de devolver boa parte do $$$ do comprador. Bah vai ser choro e ranger de dentes.

        19+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 24 de janeiro de 2017 at 15:30

          vcs conhecem aquele blog onde tem um bando de malucos a blasfemar
          e ainda diziam que era sistemico?
          e que vai afetar tudo, até os bancos???

          saber o fim desta história
          a gente precisa saber como foi montado o meta-capitalismo-de-estado bananense
          quem são os donos da lei?
          quem são os donos dos bancos?
          os donos do governo?
          kkkk, to até parecendo o lula na campanha de 2002, aliás o que o trump vinha falando mesmo da ligação de uau strit com uachinton???

          18+
          • avatar
          • avatar
          • Alemon Fritz 24 de janeiro de 2017 at 17:03

            tipo aquela construtora que é properties de um banco que dobrou o lucro e investiu em mais de 61 empresas, algumas que curiosamente viraram créditos podres

            9+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Lucas 24 de janeiro de 2017 at 17:56

              ou aquele avião qeu caiu com o minsitro e o sócio do banco que financiava construtoras e petroleiras
              (alem da massagista, mas ué não era o JB que tinha dores nas costas???)

              5+
              • avatar
    • joselito 24 de janeiro de 2017 at 15:49

      Boss, como assim cheio de tijolos e sem liquidez???
      Isso non ecziste, tijolos vendem como balas xitas! eheheheh

      7+
      • avatar
      • avatar
  • Master Yi 24 de janeiro de 2017 at 14:33

    Só para não perder a discussão:

    Lucas 24 de janeiro de 2017 at 13:54

    Esse negóvio de independencia financeira é aquela velha idéia de trabalhe pra vc mesmo, seja seu próprio patrão, abra uma empresa

    Só quem é empresário sabe a treta que é ser “livre de patrões”, aliás vc nunca será livre dos outros, sempre haverá um patraõ – fornecedores, clientes, fiscais, bancos credores, etc…

    mesmo no mercado financeiro, vc está sujeito a “outros”.

    A idéia de virar um eremita não tem o menor sentido, lembra aquele filme o naufrago??? até a morte é melhor, e olha que eu sou desses caras super restritos e que adora fazer tudo por mim mesmo, que adora contas, que evita ao maximo gente enchendo o saco. Pura ilusão.

    Mas vc pode fazer o sistema trabalhar pra vc, fazendo boas escolhas, estando do lado certo, na hora certa, pelos motivos certos, existem muitas estratégias viáveis neste quesito, possuir um grande grupo e controlar todo ele com leves toques de botões, e permanecer discreto, simples e uma pessoa tranquila que faz o que gosta, como gosta, que as coisas correm até vc, e não o contrário.

    Esta aí toda a arte.
    das coisas mais complexas que existem, eu nunca vou nem tentar calcular isso, pq foge da matemática, e olha quantas vezes não vim aqui fazer contas.
    outra coisa que foge das contas é o governo brasileiro, naquele mundo a matemática normal está revogada, até a gravidade funciona por outros meio, até uma galinha pode voar nesse universo parallelo, mas não por muito tempo, uma hora a ilusão acaba, e quanto mais demorar, pior!
    ______________

    Quando eu era jovem, queria ser empreendedor. Entrei na faculdade e fui me desmotivando com o passar dos anos. Depois que me formei não fui procurar emprego, fui estudar para concurso público. Depois que fui aprovado, desisti definitivamente de ser empreendedor. Hoje, volta e meia me bate uma vontade de abrir “meu próprio negócio”. Aí paro, respiro, e percebo que ser “seu próprio patrão” não é tão lindo assim como se costuma pintar em documentários de empreendedores bem sucedidos. Enfim, as vezes tenho que me policiar pra não fazer alguma besteira me arriscando por esse mundo empreendedor, talvez um dia ainda quebre a cara, só pra aprender…

    25+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Libertario 24 de janeiro de 2017 at 14:43

      A idéia que não é perigosa, não merece ser chamada de idéia.
      Oscar Wilde

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 24 de janeiro de 2017 at 15:27

        vou comentar com uma poesia que aprendi nos esportes, mais exatamente no rugby

        Invictus
        Out of the night that covers me,
        Black as the pit from pole to pole,
        I thank whatever gods may be
        For my unconquerable soul.

        In the fell clutch of circumstance
        I have not winced nor cried aloud.
        Under the bludgeonings of chance
        My head is bloody, but unbowed.

        Beyond this place of wrath and tears
        Looms but the horror of the shade,
        And yet the menace of the years
        Finds and shall find me unafraid.

        It matters not how strait the gate,
        How charged with punishments the scroll,
        I am the master of my fate:
        I am the captain of my soul.

        6+
        • avatar
        • Lucas 24 de janeiro de 2017 at 15:48

          kkkk
          to aqui rindo sozinho
          fui reler a tradução na wiki e olha o que eu achei, a dedicatória para RTHB, um PADEIRO de sucesso
          kkkk

          7+
          • avatar
          • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 08:17

            Gostei da última parte. !
            😉

            3+
            • avatar
    • Thiaguinho 24 de janeiro de 2017 at 15:26

      Mas não sei porque atrelam a idéia de “não fazer nada” com independência financeira. As vezes o assunto de I. F vem a tona e sempre alguém fala “po, mas não quero ficar sem fazer nada”. A meu ver, uma coisa não tem ABSOLUTAMENTE nada a ver com a outra. Obviamente que tendo I.F irei trabalhar, mas em algo que gosto.
      Independência financeira é liberdade, não vagabundagem. A meu ver.

      27+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Intendente 24 de janeiro de 2017 at 18:37

      Mesma coisa aqui.

      Fiz o mais fácil. Estudei, passei em concurso e agora tenho fluxo de caixa estável.

      Daí invisto o que sobra e engordo minha aposentadoria. Empreender no BR é roleta russa.

      Banânia não é para amadores.

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Louro José 25 de janeiro de 2017 at 08:23

        Mais um pro seu time. Não tô a fim de pagar a conta bananense. Prefiro receber.

        5+
  • Ilusionista 24 de janeiro de 2017 at 15:49

    o verdadeiro legado da Copa…

    http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2017/01/confira-situacao-dos-estadios-pelo-pais-dois-anos-e-meio-depois-da-copa.html

    enquanto isto, a violência explode dentro e fora dos presídios por falta de investimentos em segurança pública como um todo.

    9+
    • avatar
  • Lucas 24 de janeiro de 2017 at 15:50

    Marisa leticia virando alface

    http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/marisa-leticia-e-internado-no-sirio-libanes-em-sp.ghtml?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=g1
    (segundo “medicos” alternativos, AVC hemorragico está ligado com streess da raiva)

    8+
    • avatar
    • Lucas 24 de janeiro de 2017 at 18:03

      off Bomba
      chegou aos meus ouvidos dum médico que toda aquela lenga-lenga de cancer de quimioterapia era mentira
      inclusive as informações secretas vazadas
      essa pessoa que me passou isso ela tem um contato que cuida de fiscalizar os quimioterápicos, ou algo assim, não entendi direito

      Então se for verdade, eles pegaram carona no cancer do marduro, até aquela operação que deixou o sapo rouco foi tudo encenação.

      verossímil
      e lembrando, vinha gente aqui dar notíças de primeira mão do helicoptero do 9dedos pousando no sírio.
      teorias???

      6+
  • Urso 24 de janeiro de 2017 at 16:20

    Esse ano a ficha cai.

    3+
    • anti_corvo 24 de janeiro de 2017 at 18:09

      Fazem 5 anos que eu leio isso.

      4+
      • Urso 24 de janeiro de 2017 at 18:15

        kkkkkkkk. Boa!

        3+
        • avatar
  • CA 24 de janeiro de 2017 at 16:26

    Sobre o comentário do Boss mais acima, da informação de Insider de que investidores em imóveis estariam devolvendo tudo em juízo e pagando uma “multinha”, com as construtoras ficando com sua liquidez ainda mais prejudicada, temos que considerar:

    1) Investidores foram parte muito importante do esquema de pirâmide criado pelas construtoras e que levou ao crescimento ANORMAL dos preços dos imóveis: antes da bolha os investidores em imóveis representavam 10% do total de compradores na planta, durante a bolha, graças a euforia gerada pela vendas falsas e crescimento excepcional dos preços, saltaram para 40% do total;

    2) Talvez os cancelamentos dos investidores estejam disparando agora mais do que nunca por uma combinação de fatores: a) Podem estar percebendo finalmente que via de regra a construtora vende na entrega mais barato do que eles pagaram na planta e inviabiliza o negócio deles (algo do que já temos evidências desde 2013) ou que os alugueis estão em queda há bastante tempo e sem nenhum horizonte de se e quando podem melhorar, sem contar a altíssima vacância e despesas sem receitas; b) Já estariam com medo das novas regras para distratos e estão se “antecipando” para reduzirem os prejuízos;

    3) Se o que foi mencionado pelo “Insider” procede, considerando o item 1 acima, a pirâmide das construtoras vai ruir: pela queda das vendas na planta que já aconteceu, se somada a nova perda em larga escala de investidores, inviabilizaria os lançamentos daquelas construtoras que mais estão pedalando. Se não fazem lançamentos, não conseguem fazer vendas falsas na planta e aparece a distorção REAL e ABSURDA entre estoque e vendas, como aconteceu com algumas construtoras em 2016, mas desta vez, aparecendo para todas as construtoras de uma vez. Daí é pânico e efeito manada, principalmente porque ajudaria a antecipar a quebra daquelas que estão “à beira do precipício”;

    4) Mesmo na hipótese de que a informação do insider não esteja correta, o fato é que nenhuma pirâmide financeira dura para sempre. Se os investidores não estão abandonando o barco em massa com consequências acima, em um momento não terão incautos em quantidade suficiente para vendas falsas na planta para famílias sem renda, e/ou as novas regras de distratos vão afastar por completo os novos investidores e parte dos incautos, ou os distratos em percentual quanto ao total vão aumentar ainda mais e/ou alguma construtora grande como a PDG, por exemplo, vai quebrar, dentre uma infinidade de outras possibilidades combinadas que apenas vão reafirmar que nenhuma pirâmide financeira dura para sempre.

    A conferir…

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 24 de janeiro de 2017 at 16:41

      O maior patriomonio de uma piramide financeira é a credibilidade de que aquilo é infinito
      daí a importancia da “desinformatzia”
      a importancia do zero qualquer coisa negativo no fingezap e seu primo mais educadoivg-r

      vcs acham que fernandos e tiagos da vida passam tamanha vergonha no blog de graça?? eu acho muito estranhoi
      será que els não usam o blog para sparing, para testar os argumentos que vão usar por aí pra vender pros novos incautos que são absolutamente maioria rua afora, inclusive duvido nada eles estejam sempre trabalhando pra derrubar o blog, causar dissensão. Sinceramente eu venho elevando o tom das críticas a eles não porque eu tenho raiva deles, mas estou realmente interessado em saber quanto estomago eles tem pra ouvir críticas, quem me acompanha aí sabe em que termos eu já pus a participação deles, e eles continuam meio que nem aí, então ou são totalmente psicopatas sem ego, ou realmente eles tem um objetivo maior, as críticas são apenas ossos do ofício, da profissão onde estão cumplices

      29+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Exterminador de Corvos 24 de janeiro de 2017 at 16:52

        Eu tenho certeza que tem isso também.
        Como já comentei por aqui, estou procurando um outro apto pra alugar e a maioria dos corvos propôs que eu fizesse um financiamento pra sair do aluguel (kkkkkkkkkkkk, otários). Sempre fugi do debate exatamente pra que o animal não perceba que eu posso fazer o que quiser nesse campo, mas um e outro fazendo considerações sobre as vantagens de compra, chegaram a falar de “um site de internet” que atrapalha os negócios deles. Não houve menção explícita de qual era a página, mas pra mim era desse espaço que falavam.

        E PMJ !

        32+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Alemon Fritz 24 de janeiro de 2017 at 17:06

        Falando Nisso:
        Homem é acusado de aplicar golpes até na Sogra em Vicente Pires
        Falsário é suspeito de vender terrenos em várias regiões do DF para uma série de vítimas ao longo dos últimos 10 anos

        http://www.metropoles.com/distrito-federal/golpista-de-vicente-pires-passava-a-perna-ate-na-sogra

        6+
        • avatar
        • avatar
  • Cajuzinha 24 de janeiro de 2017 at 16:55

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    É muito desespero!

    “É importante lembrar ao Corretor de Imóveis que não reforce o coro de crise em nosso mercado, tratemos o assunto em nossas conversas principalmente com os nossos clientes como algo natural e mostremos informações que possam levar segurança ao comprador. Vamos juntos fazer a nossa parte na “arrumação da casa”.

    Um grande abraço,

    Márcio Rodrigo.”

    http://eaicorretor.com.br/corretor-de-imoveis-mercado-em-crise/

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 24 de janeiro de 2017 at 17:54

      Cajuzinha,

      Sabemos que é muito pior do que consta acima.

      Teve um “artigo” sobre o litoral sul de São Paulo no tópico anterior, que foi muito “instrutivo” neste sentido, onde eles falavam sobre a recuperação da economia e do mercado imobiliário já no primeiro semestre de 2017.

      A “disparada” recente e non-sense nos preços de Ações das Construtoras, a começar pelas líderes nesta super-valorização, que foram PDG e Rossi, dão o tom do quanto a DESINFORMAÇÃO é intensiva e incansável por parte do segmento imobiliário. Tudo isto “justificado” pela leva mais recente de enganação, associada a uma recuperação mirabolante da economia e do segmento imobiliário em função de um ajuste fiscal pra lá de meia-boca, que do pouco que vai funcionar, como em todo ajuste fiscal, terá efeito recessivo no curto prazo, combinado com uma redução de juros que não tem nada a ver com a causa raiz para os principais problemas da economia, é só mais uma consequência dos mesmos, mais uma revisão das regras de distratos que no final vai afastar os investidores e parte dos incautos que antes eram enganados nas vendas na planta e finalmente, a promessa repetida dos fundos de investimentos que viriam ao Brasil ansiosos para comprar nossos imóveis novos e usados pelos seus preços exorbitantes. A mentira e enganação, não tem limites…

      Se considerarmos o que fizeram ao longo dos 10 últimos anos, foi algo absolutamente absurdo, maluco e que levou uma destruição sem precedentes à muitas famílias, para a economia e sociedade como um todo:

      Vamos lembrar daqueles quitinetes que “valiam” mais de R$ 1 milhão em região nobre de São Paulo, a revitalização do centro de São Paulo, junto com o trem-bala e a invasão de executivos e estudantes vindos de outras cidades que juntos, “justificaram” imóveis de 1 dormitório no centro expandido de São Paulo terem sido responsáveis por lançamentos e vendas no primeiro semestre de 2013 que foram o triplo do recorde de 10 anos, por preços acima de R$ 10 mil o M2 e 80% para investidores que esperavam conseguir 0,60% ao mês com aluguel, um grande barco furado, NENHUMA promessa cumprida e hoje uma infinidade de investidores com o mico na mão, sem vender nem alugar.

      Junta-se o que consta acima com as promessas que fizeram quanto a Copa do Mundo e Olimpíadas, a “invasão” de estrangeiros milionários que iriam querer mudar para cá, os 200.000 pontos do IBOVESPA, a invasão dos chineses que estavam se espalhando pelo Mundo e viriam em grande volume para o Brasil, o crescimento da economia que seria estável e relevante ao longo dos anos, bairros e mais bairros em toda e qualquer cidade do país que teriam melhorias substanciais em infraestrutura, que nunca se concretizaram, como o Noroeste ou Barroeste de Brasília, o índice fajuto de preços de vendas que tem um volume monstruoso de imóveis sem vender e portanto, é o índice dos imóveis não vendidos e ainda, de quebra, quando vende, se foi o mais barato, o índice sobe porque o anúncio é retirado (FINGE Zap), índice este “coincidentemente” criado logo no começo do inflar da bolha imobiliária, as promessas e “garantias” verbais para quem comprava na planta de que ia valorizar 30% ao ano e no final, com construtora vendendo mais barato na entrega do que na planta, a omissão de estoques com mais de 36 meses do lançamento pelo SECOVI, o segmento imobiliário se colocando como vítima e pedindo socorro do governo devido às consequências da pirâmide financeira que criaram baseada em vendas FALSAS na planta, os “N” socorros DESESPERADOS do governo que o segmento imobiliário “traduz” como se isto fosse sinal de um mercado sustentável e saudável (???), as utopias vendidas quanto ao crédito imobiliário barato e farto que seria eterno e despencou nos últimos anos, o crescimento de empregos e renda que seriam eternos e tiveram quedas intensas nos últimos anos, as “facilidades” de se adquirir financiamento imobiliário pela CEF que seria eterna, dentre um infindável conjunto de mentiras e enganações.

      E os resultados de todos os golpes aplicados com amplo apoio de governo e imprensa para a economia e sociedade como um todo? Graças a um aumento absurdo em lançamentos e vendas falsas na planta a partir de 2008, tivemos os custos de construção subindo de forma anormal, assim como o emprego na construção civil, que no curto período de 2006 a 2009 simplesmente duplicou a sua participação na geração de vagas formais em relação ao total do país, ajudando a puxar uma euforia artificial e insustentável, onde na sequência a construção civil foi a primeira a puxar os aumentos nas demissões pelos super-estoques decorrentes deste esquema de vendas falsas. Lojas e mais lojas em todo o país que tiveram que lidar com preços de aluguel ou de venda de pontos comerciais absolutamente proibitivos, levando a um volume sem precedentes de pequenos negócios fechando e muitos deixando de abrir em função destes custos com os imóveis. Famílias que viram o preço do aluguel subir muito acima da renda e viram seu poder de consumo e capacidade de pagar dívidas minguar. Famílias que viram a proporção entre suas dívidas com o crédito imobiliário e sua renda dos últimos 12 meses simplesmente SEXTUPLICAR no período de 10 anos, graças a preços de imóveis que cresceram o triplo da renda, mais uma vez, sugando fortemente toda a capacidade de consumo destas famílias. Perda gigantesca de liquidez graças a uma infinidade de imóveis comerciais e residenciais que se tornaram “nem-nem” (nem vende, nem aluga), dentre um grande número de prejuízos à economia e sociedade que foram causados por esta bolha imobiliária.

      Alguma dúvida que este segmento merece as consequências de tudo que plantou em conjunto com imprensa, governo e bancos?

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 24 de janeiro de 2017 at 19:23

        nenhuma dúvida

        CA

        Alguma dúvida que este segmento merece as consequências de tudo que plantou em conjunto com imprensa, governo e bancos?

        4+

        CA
        sabe o que me marcou nessa fase dos kitnets valendo 1 milhaõ de dolares???
        na época faziam propaganda de móveis planejados para kitnete
        umas maluquice de cama que vira mesa, de tv que vira armário, cozinha que vira banheiro (rsrs), exageros a parte era umas coisas bem criativas

        daí pegavam o exemplo duma familia recem casada, endividada pelos próximos 35 anos a mulher grávida

        fico imaginando hoje essas pessoas morando num caixote, o bebê chorando, cachorro latindo, a GP da kit ao lado atendendo, o estudante dando festa???
        esses caras se arruinaram financeiramente, psicologicamente pro resto da vida.

        E eu aqui com meus sobrinhos e bisnetos vindo passar férias em casa, minha casa não é lá tão grande, comi um pouco de bolha, mas é n vezes melhor que a situação dessa gente, inclusive parantos que se enforcaram e tiveram que se mudar pra 80 km de distancia do trabalho.

        a gente até pega leve CA
        o ódio que os compradores devem estar sentido na medida que vão percebendo que foram enganados
        talvez por isso os fernandos façam tanta força pra se auto-enganar
        a realidade real é bem cruel….

        28+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • O Cramulhao de FHCigienopolis45 25 de janeiro de 2017 at 09:14

          “morando num caixote, o bebê chorando, cachorro latindo, a GP da kit ao lado atendendo, o estudante dando festa”

          Rapaz, eu ri alto. Excelente descrição dos flats que têm até mesmo nos Jardins.
          No caso da GP, pelo menos os vizinhos solteiros economizam grana e não precisam pagar um LIDO hotel ou Metropolis da vida, não?

          Só bater na porta e perguntar se ela está livre, e perguntar se os 300 reais/1 hora podem ter virar um pacote mensal mais barato por hora…

          7+
          • avatar
          • avatar
    • Libertario 24 de janeiro de 2017 at 18:49

      “mostremos informações que possam levar segurança ao comprador”.

      Só por curiosidade….
      Que informações seriam essas capazes de passar segurança na MERDA que está o mercado?????

      11+
      • avatar
      • alemonbnu 25 de janeiro de 2017 at 05:54

        Vão dizer que o imóvel vai valorizar 30%a.a. e que rende mais que a poupança, que as parcelinhas cabem no bolso e são decrescentes. Vão dizer também que a taxa selic está caindo e os preços dos imóveis vão subir e que a hora de comprar é agora. Enfim, mais do mesmo.

        No entanto isto é fato: com a queda da Selic vai ficar mais difícil para eu pagar meu aluguel com os PMJ. Já tô fazendo conta de quanto preciso para pagar meu aluguel com selic a 8%a.a. Tenho que juntar um bom montante.

        5+
        • avatar
        • avatar
      • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 08:20

        Eu tô falando: É o país da desinformação.
        É o lugar onde as pessoas pegam empréstimo para comprar material escolar, pagar IPVA e IPTU.
        É o lugar onde as pessoas “antecipam” no banco a restituição do IR e agora até do FGTS.
        É o lugar onde as pessoas financiam tijolos mágicos em 35 anos e nem sabem o que é a TR.
        E assim vai.

        20+
        • avatar
        • avatar
  • Alemon Fritz 24 de janeiro de 2017 at 16:57

    tipo, Toquem a música no convés do Titanic..

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alves 24 de janeiro de 2017 at 17:05

    Para quê comprar imóvel ocupado ou depredado e caro?

    13+
    • avatar
  • jcaj 24 de janeiro de 2017 at 17:11

    Boa tarde pessoal,
    já acompanho o blog desde 2011, e embora não tenha hábito de postar hj vou contar dois CVR’s.

    1 CVR: meu tio em Belém do Pará tem um imóvel que alugava por R$ 4.100,00. esse apto vagou em março de 2015 e até hoje ele não conseguiu alugá-lo. Primeiro baixou para R$ 3.500,00 e nada, depois baixou para R$ 3.000,00 e nada. até que no início desse mês recebeu uma proposta de R$ 2.500,00 de uma senhora, que, de pronto ele rejeitou. Passados uns 10 dias ele se arrependeu e resolveu aceitar a proposta. Ligaram para a senhora para informar o aceite e ela falou que agora só pagava R$ 2.400,00. rsrsrsrsr. Até onde sei o imóvel continua desalugado.

    2 CVR: meu dentista em são paulo tem um consultório em perdizes que alugou há uns 5 anos por R$ 4.000,00. Ele então reformou a toda a casa e o proprietário, quando viu o imóvel todo bonito, cresceu o olho e começou a aumentar o preço até chegar no incrível valor de R$ 9.000,00. O meu dentista falou que não aceitaria o valor e que se ele não reduzisse o valor ele entregaria o imóvel. O proprietário manteve-se irredutivel, e o dentista partiu para procurar outro imóvel e encontrou outros bem mais em conta. Quanto então ele foi comunicar a saída do imóvel, o proprietário, vendo que não se tratava de blefe, fez uma proposta inacreditável. Baixo o valor para R$ 4.500,00. Meu dentista então resolveu continuar no imóvel. No outro consultório ele colocou a filha que também e odontóloga.

    59+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Urso 24 de janeiro de 2017 at 18:22

      Cada um melhor que o outro.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Intendente 24 de janeiro de 2017 at 18:35

      Nada mais justo.

      Olho grande, pfff

      5+
      • avatar
  • Cesar_DF 24 de janeiro de 2017 at 19:09

    Duas reportagens no Jornal da Band, sobre o mercado imobiliário.
    Na primeira, fala que os distratos estão acima de 40%
    Na segunda fala que a construção civil está se recuperando pois a confiança aumentou em 12 meses.

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Carlos 24 de janeiro de 2017 at 19:56

      IPVA e IPTU para pagar vão sim recuperar a confiança da construção civil 😀

      Estou só observando o movimento das prefeituras para tentarem fazer algum caixa no início do ano.
      Pedala prefeitada!

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Carlos 24 de janeiro de 2017 at 19:59

        Além é claro das despesas com a escola dos catarrentinhos e restos a pagar do ano passado.
        Nem as Alices acreditam mais nestas notícias de recuperação, tem que ser muito mais do que Alice, opa, tem muita gente lesada ainda neste Brasil mas infelizmente para as construtoras esta gente não tem dinheiro e muito menos crédito.

        }:-D

        7+
        • avatar
        • avatar
  • Alemon Fritz 24 de janeiro de 2017 at 19:12

    corvos aprendam quando melhora:
    EUA
    “As vendas de imóveis residenciais USADOS registraram o melhor ano de uma década em 2016, mesmo com as vendas caindo em dezembro devido a problemas de acessibilidade e baixo nível histórico da oferta”, (5milhoes de unidades).
    O número total de vendas de imóveis usados, composto pelas transações concluídas que incluem casas unifamiliares, casas geminadas, condomínios e cooperativas habitacionais, fechou 2016 marcando 5,45 milhões de vendas e superando 2015 (5,25 milhões), registrando o maior número desde 2006 (6,48 milhões), destacou o relatório.
    Os dados ajudam a medir a força do mercado de imóveis residenciais dos EUA e são considerados um indicador chave da saúde geral da economia.
    https://br.investing.com/news/indicadores-econ%C3%B4micos/venda-de-im%C3%B3veis-residenciais-nos-eua-registra-melhor-ano-em-uma-d%C3%A9cada-224933

    4+
  • Carlos 24 de janeiro de 2017 at 20:09

    OFF – Airbnb

    Colocar seu imóvel no Airbnb pode te ajudar a pagar o financiamento.
    https://www.domain.com.au/news/airbnb-could-be-key-to-recouping-cost-of-investment-properties-report-claims-20170123-gtxec6/

    Notem que este portal é financiado por construtoras e temos que ter um certo “cuidado” com as supostas reportagens.
    Na minha modesta opinião eles estão sentindo o declínio e tentando convencer as pessoas que estão com dúvida a comprar imóveis.
    O rendimento pode até ser maior do que o do aluguel mas os riscos compensam?
    – Inquilinos do inferno destruindo seu imóvel? Gente doida? Perda de privacidade?
    – Mudança nas leis: Várias cidades americanas por exemplo estão proibindo os moradores de colocar seus imóveis no Airbnb ou similares sob pena de pesadas multas. É o estado socialista controlando sua vida amiguinho 😀
    – Vai ser rentável até quando? Efeito UBER no Airbnb? Mais pessoas colocando seus imóveis vai provavelmente afetar o rendimento dos proprietários.

    8+
  • job 24 de janeiro de 2017 at 20:48

    http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/obras-do-pac-em-favelas-do-rio-foram-superfaturadas-diz-tce-rj.ghtml
    Também serão informadas da decisão as construtoras que integraram os consórcios responsáveis pelas obras:
    – Queiroz Galvão S/A
    – Caenge S.A
    – Carioca Christiani-Nielsen Engenharia
    – Andrade Gutierrez S.A
    – EIT Empresa Industrial Técnica S.A
    – Camter Construtora e Empreendimentos S.A
    – Norberto Odebrecht S.A
    – Construtora OAS Ltda
    – Delta Construções S.A
    As construtoras Andrade Gutierrez, Delta e Carioca Engenharia informaram que não vão se posicionar sobre a decisão do TCE-RJ. As demais empreiteiras ainda não responderam ao G1.

    10+
    • avatar
    • avatar
  • ABUTRE 24 de janeiro de 2017 at 21:14

    Ola pessoal!

    Tenho uma grande duvida, mesmo com a economia destruida, bolha imobiliaria, desemprego, empresas quebradas, moral da banania no esgoto, pq o dolar continua caindo e a bolsa de valores da banania subindo….
    Na minha opiniao o Brasil ja vive uma depressao economica, nao faz sentido a bolsa de valores da banania subir tanto, e o cambio ja deveria ter explodido, essa seria minha grande duvida.

    Acompanho o blog a muito tempo, gosto dos comentarios do From_The_Tower e do CA.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • Libertario 24 de janeiro de 2017 at 21:50

      Chama-se:
      o silêncio que precede o esporro.

      15+
      • avatar
      • avatar
    • FabianoSJC 25 de janeiro de 2017 at 00:17

      Simplesmente porque bolsa de valores vive de expectativas , rumores , especulações e as vezes até uma noticia “menos ruim” pode causar euforia no mercado.
      Uma empresa como a Petrobras por exemplo anuncia na midia que encontrou uma nova reserva de petróleo no mar com projeção de produção de 350 mil barris dia , o mercado fica eufórico e as ações da Petrobras disparam com a nova possibilidade tudo isso baseado em rumores , porém 5 anos depois com as plataformas instaladas e a todo vapor a produção não passa de 180 mil barris então a realidade faz as ações despencarem rs é + ou – isso rs

      5+
      • avatar
      • avatar
    • CA 25 de janeiro de 2017 at 07:03

      ABUTRE,

      Observe o crescimento excepcional nos preços das Ações das construtoras nas últimas semanas e ainda, aquelas que lideraram esta subida, que foram PDG e Rossi, que estão nitidamente prestes a pedirem recuperação judicial e se aprofundar ainda mais em sua crise. Não há NENHUMA racionalidade no que consta acima.

      Se olharmos no Info171Money (by PXdPF), eles dizem que este crescimento excepcional se justifica tanto por uma análise grafista quanto de fundamentos.

      Sobre os “fundamentos”, como o segmento imobiliário foi o que teve o maior aumento na BOVESPA, vale a pena analisarmos este caso como exemplo. O que eles alegam como “motivos” para toda esta EUFORIA IRRACIONAL:

      1) Ajuste fiscal:

      Segundo eles, terá efeito positivo muito rápido na economia. Henrique Meirelles teria chegado até a dizer que deveríamos recuperar nosso investment grade antes de 2018!!! Veja abaixo:

      http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2017/01/brasil-esta-perto-de-recuperar-grau-de-investimento-diz-meirelles

      “Em entrevista à agência internacional de notícias, Ministro da Fazenda afirmou que Brasil está no caminho para grau de investimento

      O ministro afirmou que espera que o grau de investimento volte antes de 2018”

      FATOS:

      Meirelles entrou no ministério em 2016 com previsão de déficit fiscal de R$ 95 BILHÕES, foi lá e para “adequar à realidade”, subiu a previsão para R$ 170 BILHÕES, manteve TUDO que a Dilma tinha programado para gastar e acrescentou alguma coisa por conta própria, de tal forma a buscar o recorde histórico de déficit fiscal em 2016!

      A PEC do teto dos gastos foi estabelecida portanto, com o pico de gastos, isto é uma medida de “ajuste fiscal” a ser “comemorada”???

      E a meta de 2017? Estimativa do governo é que seja o segundo maior déficit fiscal da história do país! Pior, graças aos furos do orçamento 2017, o déficit fiscal poderá até bater o recorde novamente! O governo informou no orçamento um crescimento previsto do PIB, que é a base de calculo para suas receitas com impostos, que no melhor cenário, será “apenas” o TRIPLO do real! Nas despesas, ele se esqueceu de colocar no cálculo do déficit fiscal o caos generalizado nas contas públicas de Estados e Municípios e seus efeitos, dentre outras despesas que vão subir ou receitas das quais vão abdicar (exemplo: REFIS).

      Temos ainda as reformas previdenciária e trabalhista, que já estão para serem submetidas ao congresso e aprovadas há quase um ano sob a gestão Temer / Meirelles e 2 anos se considerar que Dilma já tentava isto antes. Este é o “senso de urgência” quanto a medidas de ajuste fiscal que são críticas e inadiáveis?

      De uma forma extremamente otimista, se TUDO der certo, poderemos voltar a ter um superávit fiscal somente em 2020!

      Para piorar, tanto imprensa quanto “especialistas” se “esquecem” de mencionar um “pequeno detalhe”: todo ajuste fiscal é recessivo no curto prazo. Se o governo demite milhares de comissionados, aumenta contribuição previdenciária, cancela investimentos, dispensa prestadores de serviços, cancela aluguéis de imóveis em uso por empresas públicas, etc., tudo isto reduz rendimentoa e capacidade de compras das famílias e investimentos e gastos das empresas, não tem milagre.

      Pergunta: frente a todos os fatos acima, podemos confiar nesta “leitura” dos fundamentos feita por Meirelles, “especialistas” e investidores na BOVESPA quanto ao ajuste fiscal e seus resultados positivos imediatos, bem como a recuperação do investment grade antes de 2018 (ou seja, recuperar o grau de investimento ainda em 2017)???

      2) Queda dos juros (SELIC):

      A alegação aqui é que a queda da SELIC vai imediatamente impulsionar os investimentos das empresas e gastos das famílias. Este é um dos importantes fatores que levam à euforia com a BOVESPA, em especial com Construtoras.

      Qual a realidade?

      A SELIC em si não tem nada a ver com as causas da crise, ela é apenas uma parte das consequências.

      O credit crunch, com a redução de R$ 1 TRILHÃO no crédito ofertado, ocorreu exatamente enquanto a SELIC não subia e até tinha caído um pouco, ou seja, nenhuma relação com a SELIC. A causa disto foi o recorde de inadimplência das famílias e empresas, junto com recordes em falências e recuperações judiciais, elevando demais os riscos de calote e fazendo com que as instituições financeiras passassem a ser muito mais conservadoras. A causa raiz para estes aumentos em inadimplência, recuperação judicial e falências por sua vez, foram as explosões das bolhas de crédito para o consumo e imobiliária. O governo não está fazendo absolutamente nada para combater a causa raiz, acelerando a explosão e assim permitindo que a recuperação se inicie antes, ao contrário, o governo tem tentado “apagar incêndio com gasolina” ao criar novos incentivos para o consumo e para o segmento imobiliário, com isto, a crise vai apenas se agravar. Lembrando que temos quase 50% das empresas de grande porte que não conseguem pagar sequer os juros de suas dívidas, crescimento de 25% nas famílias que continuaram inadimplentes em 2016, dentre tantos indicadores de que a situação é muito crítica e não se resolve rapidamente e com ações simplistas, quem acredita nos efeitos imediatos na redução da SELIC?

      3) Nova regulamentação para distratos (específico para gerar euforia com construtoras):

      Os distratos estão destruindo os resultados das construtoras HÁ ANOS. Eles são CONSEQUÊNCIA da pirâmide financeira que elas implementaram, baseada em vendas FALSAS na planta. O governo ao invés de atuar sobre a causa raiz, como sempre, faz exatamente o contrário do que deveria e tenta criar um esquema para garantir que as construtoras não vão sofrer as consequências dos golpes aplicados, só que “o tiro vai sair pela culatra”: ao tornar ainda mais leonino o distrato a favor das construtoras e deixar isto claro para todos, junto com a leitura de todos os prejuízos que estão ocorrendo para investidores, estes vão desistir de comprar imóveis na planta e a consequência será que os lançamentos se tornarão inviáveis, frente a grande queda já ocorrida nas vendas FALSAS na planta e também nas verdadeiras. Com quedas muito elevadas em lançamentos, de forma generalizada entre as construtoras, a pirâmide financeira desmorona de vez. Basta observar que no 3T16, 6 construtoras com Ações na BOVESPA que suspenderam os lançamentos em função de super-estoques, tiveram vendas liquidas de distratos NEGATIVA.

      4) Vinda de investidores estrangeiros (no caso do segmento imobiliário, fundos de investimentos que vão comprar grande volume de imóveis novos e usados para alugar):

      Este é um grande BOATO, já repetido HÁ ANOS. No caso do segmento imobiliário, o máximo que veremos são empresas abutres que esperam comprar estes imóveis com descontos de um mínimo de 30% até mais de 60%. Isto não tem nada a ver com “recuperação do setor”, primeiro porque não virão em volume suficiente, segundo porque aquelas que vierem estarão só auxiliando a colocar os preços em um novo patamar, bem mais baixo, que é exatamente o que o segmento imobiliário não quer que se consolide.

      CONCLUSÃO:

      Tem muito mais do que aquilo que coloquei acima, foi só uma amostra. Fica clara a intensa ALIENAÇÃO DA REALIDADE que está sendo praticada pelo “mercado”. É a primeira vez que fazem isto? Claro que não, esta é uma estratégia recorrente. Vamos lembrar que até 2014 só nós aqui no blog e mais um ou outro diziam que teríamos uma crise da proporção que estamos enfrentando, hoje estão todos “surpresos” com isto. É certo que teremos novas “surpresas” como esta ao longo de 2017, uma vez que os “especialistas” estão vendendo o “Mundo de FAZ DE CONTA”. Sobre a BOVESPA em si, mais do que nunca vale a máxima: “Sobe no BOATO, cai no FATO”. Obviamente, estamos na fase BOATO.

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 08:24

      Olá Abutre.
      Sim.. já estamos em depressão econômica.
      Levando em conta que em 2014 foi o grande ano da maquiagem fiscal e mesmo assim deu módicos 0,1% de crescimento.
      2015 e 2016 com forte recessão.
      Como eu disse: Para a economia real serão 07 anos de vacas magras. Nos 07 anos de vacas gordas poucos aproveitaram para construírem riquezas e principalmente perceberem o fenômeno macro-econômico.
      O segredo está nos detalhes.
      Tâmo junto !

      15+
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 25 de janeiro de 2017 at 07:33
    • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 08:26

      Lembra BOSS Janeiro de 2015: Dólar recuou logo no começo a 2,56 😉 para atingir os 4,14 em Setembro.
      Análise Técnica aponta que há espaço para mais quedas do dólar. Graficamente o próximo suporte é nos 3,10. Depois 3,00 e 2,80.
      O Rea Bananense tem essa característica. É uma moeda exótica.
      Analisando a curva de 22 anos da SELIC x Dólar… A SELIC ganha.
      Como o véio disse: São os juros altos que proporcionam isso. (médio e longo prazo)

      6+
  • Louro José 25 de janeiro de 2017 at 07:47

    Temer quer ampliar ‘Minha Casa’ para renda de até R$ 9 milMudança faz parte de um ‘upgrade’ no programa de habitação popular que está sendo estudado; detalhes devem ser fechados até o final da semana que vem

    O Estado de S.Paulo

    BRASÍLIA – O presidente Michel Temer estuda ampliar para R$ 9 mil o limite de renda mensal de famílias que podem ter um imóvel com os juros mais baixos do Minha Casa Minha Vida. Atualmente, o teto da faixa 3 do programa de habitação popular é de R$ 6,5 mil.

    O governo deve também ampliar os preços dos imóveis enquadrados no programa em torno de R$ 25 mil. Dessa forma, o preço máximo dos imóveis do MCMV, que vale para as regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, deve passar de R$ 225 mil para R$ 250 mil.
    Essas duas mudanças fazem parte de um “upgrade” no programa de habitação popular, que está sendo estudado pelo governo Temer. Os detalhes devem ser fechados até o final da semana que vem. Segundo uma fonte a par das negociações, a ideia é revigorar o programa para enfrentar a nova realidade econômica.
    As últimas alterações desses valores tinham sido feitas em 2015, quando a ex-presidente Dilma Rousseff anunciou a terceira etapa do programa de habitação popular. As novas regras devem ser anunciadas em fevereiro para que o programa esteja rodando a todo vapor a partir de abril.
    “Vamos abrir uma nova faixa de brasileiros possam ter acesso ao programa”, disse um integrante do governo. “Vamos dar mais subsídios nas faixas de juros para dar um empurrão maior no acesso aos imóveis e estimular mesmo a produção”, completou, mas com “absoluta responsabilidade”.
    Preocupado com a retomada da economia, Temer aposta em um pacote de medidas para a construção civil para impulsionar a atividade, como antecipou o “Estado”. A indústria da construção apresentou ao Ministério do Planejamento um conjunto de ações que pode aumentar as contratações das faixas 2 e 3 do MCMV de 250 mil unidades para 400 mil unidades em 2017. O governo vai cobrar o setor o cumprimento dessas metas. A meta de construção da faixa 1 é de 170 mil unidades e da faixa 1,5 é de 40 ml unidades.
    Pela proposta – que está sendo costurada pelos ministérios das Cidades e do Planejamento e Caixa – haverá um aumento nas rendas de todas as faixas do programa, exceto a faixa 1 (destinada a famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil). Para esse público, o governo chega a bancar até 90% do valor do imóvel, com subsídios. Na nova faixa 1,5, por exemplo, a renda deve subir para R$ 2,6 mil – atualmente, apenas famílias com renda de até R$ 2.350 podem ter direito ao subsídio de até R$ 45 mil na aquisição de imóvel, de acordo com a localidade e a renda.
    Ao mesmo tempo, os juros cobrados nos financiamentos do Minha Casa também devem subir. Para as famílias com renda de R$ 9 mil, os juros devem ser de 9% ao ano. Atualmente, os juros cobrados para a faixa 3 são de 8,16% ao ano. Mesmo assim, eles continuarão mais baixos do que as taxas cobradas nos empréstimos à casa própria enquadrados no Sistema Financeiro Habitacional (SFH), que varia entre 11% e 13% ao ano. No SFH, o limite do valor do imóvel é de R$ 750 mil nas regiões metropolitanas de SP, RJ, MG e DF.
    O vice-presidente de Habitação do Sinduscon-SP, Ronaldo Cury de Caputa, disse que as alterações devem impulsionar o setor, caso a economia continue se recuperando. “O déficit habitacional no País ainda é muito grande. A demanda por casa só depende de boas condições”, afirma. Para o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), José Carlos Martins, o mercado está “ávido” por essas mudanças

    4+
    • avatar
    • avatar
    • CA 25 de janeiro de 2017 at 08:36

      Louro José,

      O dinheiro “infinito” do governo para estimular o segmento imobiliário, será que no mundo real isto existe?

      Maio de 2016, ou seja, menos de 1 ano atrás. Dilma desesperada para gerar notícias otimistas e assim, executar ações “populistas” que pudessem desviar a atenção e sair da visão pessimista que existia à época. Apesar de todo este contexto, ela teve que REDUZIR o volume de imóveis previstos na fase 3 do Minha Casa Minha Vida em 1 MILHÃO DE UNIDADES!

      Por que algo tão radical quanto o que consta acima? Com déficit fiscal previsto de R$ 95 bilhões para 2016, o governo não tinha a menor condição de entrar com a participação dele para cobrir o montante original prometido de 3 milhões de unidades da fase 3 em construção até 2018, tiveram que fazer esta “pequena” redução na meta, de 1 milhão de unidades.

      Depois disto, o que aconteceu? A previsão do déficit fiscal subiu para R$ 170 bilhões em 2016. E em 2017? A previsão é déficit fiscal de R$ 139 bilhões, mas tudo indica que vai ser muito mais que isto graças a diversos furos no orçamento do governo para 2017 (detalhes em comentário anterior).

      Dentro do contexto acima, quais são as novas promessas do governo Temer?

      Aumentar o preço teto dos imóveis que poderão contar com o MCMV, permitir famílias com renda de até R$ 9 mil e aumentar as contratações do MCMV de 250 mil para 400 mil em 2017.

      A matemática acima fecha???

      Temos uma queda certa nas receitas do governo e despesas subestimadas, ambos em relação ao que foi “orçado” para 2017. Ao mesmo tempo, sabemos que o déficit de 2016 que causou redução radical nos lançamentos do MCMV aconteceu em cenário muito mais otimista que o real de 2016. Em outras palavras, o desespero do governo para reduzir investimentos e custos em 2017, depois que os “furos” aparecerem, será muito grande e o que ele já está PROMETENDO: aumentar volume de imóveis, preços, etc. Ué, onde está o “ajuste fiscal”??? Quais as consequências?

      É provável que o governo ao refazer as contas do déficit público em 2017, ao longo do 2T17, alegue que “a crise ainda está pior que o esperado” e daí faça uma revisão intensa de investimentos e despesas, reduzindo a meta do MCMV no ano.

      E se não fizerem o que consta acima, “dobrando a aposta” na irresponsabilidade fiscal e fazendo isto em público? Grande fuga de capital, dólar disparando, juros tendo que voltar a subir, crise de forma geral se intensificando mais ainda. A medida para tentar salvar o segmento imobiliário se demonstrará totalmente inócua, mais do que nunca não teremos a demanda para isto.

      E se o governo fizer sacrifícios enormes em outras áreas, para no desespero tentar mais uma vez salvar o segmento imobiliário e mascarar a explosão da bolha imobiliária? Quanto mais ele reduzir seus gastos em outras áreas, maior será o efeito recessivo e mais vão faltar compradores habilitados de imóveis, de novo, como no caso anterior, haverá crédito, mas não quem o tome (by Chico Loco).

      O governo segue na sua estratégia de toda semana apresentar uma nova medida DESESPERADA para tentar salvar o segmento imobiliário e ainda tem gente que acha que os preços e condições que vivemos traduzem uma “nova realidade”. Que nova realidade é esta, onde um segmento precisa de ações de estímulo do governo toda semana? Nova realidade é quando temos algo estável, auto-sustentável, que é exatamente o contrário do que estamos presenciando. Sem contar o ridículo de agora termos um programa de habitação popular para renda familiar de até R$ 9 mil, algo MUITO superior à renda média das famílias no Brasil e várias vezes o que é a renda das famílias que estão na base da pirâmide e objetivo deste programa.

      Não existem soluções mirabolantes no cenário atual, o governo erra feio e está intensificando as consequências negativas para economia. No final, como disse acima, todos ficarão “surpresos” de novo quando nada destas gambiarras funcionarem…

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 08:42

        Muito bom.
        Eu penso que esses governos (PT, PMDB) dão muita atenção a esse setor pois é um grande canalizador de recursos e propinoduto … e também porque sabem que o bananense adora a presença de um tijolo… uma obra…. um postinho de saúde. etc. Então eles tentam mesmo que seja na base do desespero manter alimentado por tubos o doente na U.T.I.

        9+
        • avatar
        • avatar
        • CA 25 de janeiro de 2017 at 09:01

          From_The_Tower,

          Creio que há ainda, muito mais motivos para isto:

          Como o Louro José colocou em tópico anterior, o governo quer, a todo custo, pedalar até o final de 2018 e assim garantir a eleição para alguém de seu partido ou eventualmente um aliado, garantindo extensa participação no próximo governo.

          Se fizessem o que deveriam, buscando acelerar a explosão para acelerar o início da recuperação, provavelmente chegariam às eleições (se é que chegariam) ainda com uma situação muito ruim e sendo culpados pelo grande volume de más notícias e daí certamente perderiam as eleições, pois todos os seus adversários utilizariam isto contra eles e pela falta de espirito crítico de grande parte dos eleitores, esta estória seria dada como verdadeira.

          Devemos considerar que o governo morre de medo da onda de pessimismo que vai se abater sobre as pessoas quando descobrirem que não ficaram milionárias com seus imóveis sem terem feito NENHUM esforço. A DESILUSÃO da descoberta de que o enriquecimento exige trabalho será terrível e derrubará ainda mais a pseudo recuperação que o governo tenta vender. Sem contar os riscos sistêmicos, fuga de capital e outras consequências que este governo não quer enfrentar de jeito nenhum, em especial em função das eleições presidenciais ano que vem.

          Vão tentar até a última pedalar e tentar deixar as consequências para 2019, exatamente o que a Dilma fez até 2014, só que a fórmula está muito gasta, eles tem muito menos fôlego, existem ainda as ameaças externas (Trump+FED+bolhas chinesas) e portanto, será muito mais difícil de conseguirem isto.

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 09:02

            Exatamente.
            Ótima análise !

            4+
            • avatar
            • avatar
          • Louro José 25 de janeiro de 2017 at 09:07

            Eu espero que eles consigam pedalar. Não podemos permitir que a esquerda se alinhe em torno de ciro gomes e marina silva. Temos que emplacar um cara de direita ou, pelo menos, uma centro esquerda limpinha e menos destrutiva para o país.

            7+
            • avatar
            • avatar
            • CA 25 de janeiro de 2017 at 09:16

              Louro José,

              Questão delicada.

              O preço para atingirem isto que você mencionou é MUITO alto, pois só irão aumentar as consequências negativas REAIS para economia e sociedade a cada nova pedalada.

              Infelizmente perderam por completo o timing: deveriam ter feito uma auditoria completa em CEF, BB, BNDES, expor todos os podres, etc., tudo isto no início do mandato temporário de Temer (enquanto Dilma estava afastada, mas não deposta), mas por questões políticas, para aprovarem o impeachment, não prejudicarem eleições municipais de 2016, etc, deixaram pra lá, daí ficou muito tarde para fazer, porque no esquema de desinformação predominante, pelo tempo passado, as culpas “já eram deles” (ridículo, mas é assim que a maioria da população vê).

              10+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
  • Antigo 25 de janeiro de 2017 at 08:07

    http://idgnow.com.br/internet/2017/01/24/uber-das-imobiliarias-quintoandar-ja-tem-fila-de-2-mil-corretores/

    Um dos motivos dessa procura toda é o fato de o QuintoAndar ser até 10 vezes mais rápido do que as imobiliárias tradicionais, conseguindo alugar um imóvel em uma média de 4 dias – o recorde da empresa até hoje foi alugar um apartamento em uma hora e meia após o cadastro no site. Como atuam em áreas específicas das cidades, os corretores conseguem atender mais clientes por dia, ajudados ainda pelo sistema online de agendamento e pelo aplicativo móvel da empresa, que otimiza suas rotas e agendas.

    UAU

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Antigo 25 de janeiro de 2017 at 08:09

    Os efeitos nefastos da valorização dos alugueis comerciais nos últimos anos:

    http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/01/economia/543277-lojistas-querem-melhorar-relacao-com-shoppings.html

    A cada três meses, Gomes precisa negociar descontos no aluguel com todos os locadores, para poder seguir trabalhando com as unidades em shoppings. “Muitas vezes, pensamos em fechar. E sempre corremos o risco de isso acontecer”, comenta Gomes, destacando que outras empresas estão na mesma situação. “Não tem como sobreviver com o custo de ocupação atual.” Desde 2014, esse vem sendo um problema comum entre lojistas locatários de shoppings, principalmente os pequenos.

    5+
    • CA 25 de janeiro de 2017 at 08:13

      Antigo,

      E as lojas não param de fechar em função do custo proibitivo do aluguel, enquanto o governo quer dar o máximo de incentivos para o segmento imobiliário, de forma a garantir que eles perpetuem este mundo de ilusão, mantendo os preços fora da realidade e assim, gerando um fechamento cada vez maior de lojas. Jenial (sic), não é?

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Antigo 25 de janeiro de 2017 at 08:11

    Manchete que induz ao erro do dia:

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2017-01/financiamento-imobiliario-com-poupanca-cresce-352-em-dezembro

    Os dados mostram ainda que no ano passado os financiamentos imobiliários chegaram aos valores de R$ 46,6 bilhões, mas foram 38,3% menores do que em 2015, quando atingiram R$ 75,58 bilhões de janeiro a dezembro

    4+
    • avatar
    • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 08:29

      180 milhões por dia útil.
      30 milhões por hora no expediente bancário.

      Já comentei que adoro os hábitos financeiros dos bananenses???
      😉

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cadeludo 25 de janeiro de 2017 at 08:21
    • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 08:31

      Tá na média dos 15,00 ou 16,00 o metro quadrado. O preço médio de CWB.
      Mas tem mais barato.. basta a galera procurar e negociar.

      2+
    • Cesar_DF 25 de janeiro de 2017 at 08:32

      Fator X = 400,6

      6+
      • avatar
      • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 08:34

        impressionante.
        Os BRICK LOVERS não tem a mínima noção (ou não querem acreditar) que terão grandes dificuldades para vender os tijolos mágicos mesmo o preço caindo 50%.

        7+
        • avatar
        • Cadeludo 25 de janeiro de 2017 at 08:35

          mesmo não vendendo nunca o imóvel valoriza sempre sqn

          3+
          • avatar
          • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 08:38

            Ainda bem que eu acordei da doença (brickloveatite aguda) e vendi todos os tijolos.

            3+
            • avatar
    • Marcio 25 de janeiro de 2017 at 08:45

      O Gilceu tá pagando 428 de condomínio + IPTU de um imóvel nemnem (nem vende, nem aluga).
      E olha que ele colocou no anúncio que o valor do IPTU é R$ 1 rsrs
      Se fosse assim, a Prefeitura já tinha fechado/falido.

      5+
      • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 08:47

        DESINFORMAÇÃO DETECTED !!!!
        KKKK

        3+
  • Seguidor do Bolha BH 25 de janeiro de 2017 at 08:27
    • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 08:29

      Agora vai !
      O Poeta da Bolha me garantiu que BH está bombando !!!

      4+
  • Louro José 25 de janeiro de 2017 at 08:48

    Não há crise de balanço
    Samuel Pessoa

    Quando a bolha imobiliária do Japão estourou e o preço de imóveis e terrenos e a cotação da Bolsa de Valores despencaram, as empresas japonesas passaram a apresentar balanço negativo: o valor de seus ativos ficou menor do que suas dívidas, dado que estas não caíram.

    Foi queimada, também, parcela apreciável da riqueza dos consumidores.

    A reação à enorme perda patrimonial do setor privado foi a queda do consumo e, principalmente, do investimento das empresas.

    A tentativa de todos em aumentar suas poupanças para reduzir dívidas ou recompor riqueza resultou em situação crônica de carência de demanda. A inflação desabou e, mesmo trazendo os juros nominais para zero, não foi possível evitar a deflação.

    O economista Richard Koo, que cunhou a expressão “recessão de balanço” no livro “O Santo Graal da Macroeconomia”, notou adicionalmente que havia uma pitada de irracionalidade no comportamento conservador das empresas em adiar os investimentos para reduzir seu endividamento: os juros muito baixos garantiam a rentabilidade de diversos negócios mesmo considerando o baixo desempenho da economia.

    Ainda que adicionasse valor à empresa, o investimento era adiado devido às práticas gerenciais e à forma como os gestores são avaliados, com prioridade para redução das dívidas. A economia ficou atolada em uma crise keynesiana típica, com deflação, juros nulos e baixo crescimento, situação que Keynes chamou de armadilha da liquidez.

    No Brasil, nos anos de vigência da nova matriz econômica, houve excesso de endividamento, como apontado por Marcos Lisboa em sua coluna da Folha na semana passada, “A gerente repetiu o fracasso do general”.

    No entanto, a dificuldade de retomada do investimento por aqui nada tem de parecido com a crise de balanço do Japão, identificada por Koo. Por aqui temos ainda juros reais elevados, que estão assim por causa da inflação alta. A inflação agora está caindo e, portanto, os juros também.

    Se houve por aqui alguma irracionalidade, certamente não foi das empresas, que agora cortam o investimento e recompõem seus balanços. Não há irracionalidade no corte de investimento da Petrobras, por exemplo.

    Qualquer empresa petrolífera cuja dívida como fração da capacidade de geração de caixa passa de quatro corta investimentos, pois o custo de financiamento se torna muito elevado e a rentabilidade dos projetos fica negativa. O oposto do que ocorreu no Japão na crise de balanço.

    A irracionalidade ocorreu (tema para o pessoal de administração investigar) quando o setor privado acreditou nos planos mirabolantes e megalomaníacos de Dilma e companhia e se expôs à crise.

    Pergunta para o setor de construção civil: como acreditar que o Tesouro Nacional teria recursos para subsidiar a aquisição de unidades habitacionais para baixa renda de forma quase ilimitada e resolver o deficit habitacional, problema que nos aflige há pelo menos um século?

    Como tenho escrito neste espaço, nossa depressão tem componentes estruturais —a crise fiscal e o sobreinvestimento em inúmeros setores— e cíclicos, as dificuldades de trazer a inflação para a meta em um contexto de elevada indexação e baixa credibilidade do BC.

    No entanto, o elevadíssimo combustível monetário -taxa básica de juros ainda a 13% ao ano- sugere que há muito espaço para estimular a recuperação da demanda agregada.

    2+
    • avatar
    • Cesar_DF 25 de janeiro de 2017 at 08:57

      NÃO EXISTE DÉFICIT HABITACIONAL
      Já existia um superávit de residências desde 2010, o que não tem é dinheiro para compra-las.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 08:59

        Bingo.
        Não há renda.
        Não há poupança pessoal.
        Não há riqueza construída.

        18+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • CA 25 de janeiro de 2017 at 09:10

      Destaco o seguinte trecho do artigo acima, entre “aspas”:

      “A irracionalidade ocorreu (tema para o pessoal de administração investigar) quando o setor privado acreditou nos planos mirabolantes e megalomaníacos de Dilma e companhia e se expôs à crise.

      Pergunta para o setor de construção civil: como acreditar que o Tesouro Nacional teria recursos para subsidiar a aquisição de unidades habitacionais para baixa renda de forma quase ilimitada e resolver o deficit habitacional, problema que nos aflige há pelo menos um século?”

      Detalhe: o governo do atual presidento Dilmo, está só dando continuidade aos planos mirabolantes e megalomaníacos de sua antecessora, basta ver as ações SEMANAIS e DESESPERADAS que vem sendo adotadas…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • Louro José 25 de janeiro de 2017 at 09:15

        Parece que sim. Não há um projeto diferente do que o governo anterior, só que desta vez com o discurso de responsabilidade e eficiência.

        Aproveitando pra falar da notícia do 1905, não vejo espaço pra crescimento de vendas com nova ampliação do programa. Imóvel é a maior dívida de uma pessoa, ninguém em sã consciência vai sair por aí financiando MCMV só porque o governo resolveu aumentar o limite. Prioridades.

        2+
        • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 09:42

          “ninguém em sã consciência vai sair por aí financiando MCMV só porque o governo resolveu aumentar o limite. ”
          Em são consciência realmente é complicada a chance. Mas não se esqueça que isso aqui é BNN. Tenho dois exemplos aqui no meu círculo social.

          Caso 1) Faxineira aqui de casa.. ficou ansiosa pois todos os sobrinhos tinham comprado MCMD… aí ela queria mais um imóvel. Ela já possui uma casinha simples quitada. Insistiu, insistiu, teve recusa da CEF e correu pro BB. Conseguiu aos 55 anos financiaram em 26 anos mais uma casinha. Mudou-se e não gostou do lugar. Voltou pra casinha número 01. Agora quer vender e não tem sucesso pois a construtora tem muito estoque.

          Caso 2) Cunhada e noivo ficaram sabendo pelos familiares que “iriam acabar” com o MCMV e foram um busca de um apê para o casório.
          Deram todo o FGTS… deram entrada pro corvinho … mas não conseguiram financiar pelo programa MCMV… mas com a ansiedade era grande mesmo foram de financiamento comum mesmo na CEF… com juros de 10% a.a. + TR. Mas não podem mudar-se em 2017 pois não tem grana para mobiliar….. por piso, gesso, etc. Ficará se tudo der certo para 2018.

          Percebam que bananense não faz conta. Age por impulso. Comportamento de manada. (heard behavior)

          27+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • CA 25 de janeiro de 2017 at 09:57

            From_The_Tower,

            A SUPOSIÇÃO aqui é que no caso de ampliação do MCMV para faixa de rendimento familiar de até R$ 9 mil, incorpora um público que é mais consciente do que os desses exemplos que você deu.

            Só como referência, vale sempre lembrar que a enorme maioria dos distratos sempre foi no público de baixa renda porque são exatamente eles que concentram estas ações impensadas que você mencionou:

            PDG: em 2013 cancelou 48 empreendimentos, a grande maioria populares onde tinham certeza que o volume de distratos seria muito elevado;

            Tenda: segmento popular da Gafisa que concentrou a GRANDE parte dos distratos bilionários que tiveram e que os obrigaram em 2013 a vender 70% do segmento Gafisa;

            Rossi: ABANDONOU o segmento popular em 2013 graças a mais de R$ 1 bilhão de distratos neste segmento durante o ano de 2012;

            MRV: graças aos distratos em seus imóveis populares, em 2015 foi a recordista nacional em distratos, passando de R$ 1,5 bilhão em cancelamento de vendas.

            Há ainda, outros aspectos a serem considerados:

            Para pessoas jovens em INÍCIO de carreira e natural adotar um MCMV de péssima qualidade, metragem muito baixa e péssima localização. E no caso de famílias que já tiveram alguma evolução, vão aceitar de boa estas condições e o status negativo de ter um “imóvel popular”? Tudo tem limite e até o segmento imobiliário sabe disso, uma vez o coordenador do NRE da Poli/USP já havia advertido que não se pode contar com famílias de maior poder aquisitivo saindo de imóveis grandes no Paraíso para morarem em cubículos em Paraisópolis… Miniaturização, gentrificação, aceitação de perda de status, não são coisas que podem ser estendidas “ad infinitum”, uma hora a corda esgarça e se arrebenta.

            Uma prática muito comum nas empresas em função da crise tem sido a “juniorização”, sem contar que as bolhas também inflaram MUITOS salários de forma ARTIFICIAL, ou seja, os efeitos da queda da renda nas famílias também irão diminuir e de forma intensa as famílias que seriam efetivamente habilitadas a adquirirem esta nova faixa de MCMV, mesmo com a redução de juros esperada.

            Por fim, o governo não vai ter condições de fazer as ampliações prometidas, se forçarem a barra, o dano colateral à economia e sociedade será maior, de novo, prejudicando muito a demanda potencial (explicado em detalhes em comentário anterior).

            É por tudo que conta acima e muito mais, que esta será mais uma das medidas DESESPERADAS do governo que não vai dar em nada…

            4+
            • avatar
            • CA 25 de janeiro de 2017 at 09:59

              Ops: “…e que os obrigaram a vender 70% do segmento ALPHAVILLE em 2013”. Escrevi antes segmento Gafisa por engano.

              1+
            • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 10:02

              Sim. Foi exatamente o que aconteceu.
              Renda baixa e níveis baixos de exigência.

              Simplesmente não tem como a maioria das pessoas com renda de 9k… aceitarem imóveis com esse “padrão” do MCMV.

              3+
              • avatar
  • Luladranus 25 de janeiro de 2017 at 09:42
    • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 09:44

      Façam um cadastro na Boa Vista , SCPC ou Serasa Experian. Depois disso existem produtos bem em conta que te alertam quando consultam vosso CPF ou CNPJ. (em alguns casos … vocês podem conseguir o monitoramento do CPF “digrátis”.
      kkkk

      4+
      • avatar
      • Antigo 25 de janeiro de 2017 at 09:49

        OFF:
        Alguém recomenda alguma corretora com boas taxas e HB decente? XP teve esses problemas aí de segurança..

        Ontem passei tanta raiva com Easynvest fora do ar que deu vontade de procurar outra.

        1+
        • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 09:51

          o GRANDE DEFEITO da Easynvest é esse.
          Daí eu abri conta na Rico.com e Clear.
          O que aconteceu?
          A XP em menos de 12 meses comprou as duas !!!
          PQP !!!
          kkkk

          Para Day Trade agora estou na Nova Futura. Bem enxuta….. com custo dos contratos bem em conta.
          Para Renda Fixa…. terás que escolher muito bem. Eu gosto da Rico.com pois sempre tem lastro em LCI e LCA para tiro curto.

          6+
          • Antigo 25 de janeiro de 2017 at 09:59

            Valeu from!

            Para renda fixa de bancos eu uso a Órama e estou satisfeito com ela. Vou dar uma olhada na Nova Futura para RV.

            2+
            • avatar
  • Luladranus 25 de janeiro de 2017 at 10:00
  • Cajuzinha 25 de janeiro de 2017 at 10:01

    Oxente!

    “Cai procura por aluguel de imóveis durante o carnaval em Salvador
    A procura por aluguéis de temporada tem enfrentado uma queda progressiva há pelo menos cincos anos”

    http://www.tribunadabahia.com.br/2017/01/25/cai-procura-por-aluguel-de-imoveis-durante-carnaval-em-salvador

    Sobre o carnaval deste ano, Consuêlo conta que os proprietários estão reduzindo vertiginosamente o valor dos aluguéis para poder fechar os negócios. “Tem imóvel que no ano passado foi alugado por R$ 7 mil e que o dono já mandou reduzir em 50%”, explica.

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 10:03

      Um dia a realidade financeira sobrepõe-se a ilusão .
      Tijolos não mais tão mágicos na BANANALAND.

      4+
      • avatar
      • avatar
    • Antigo 25 de janeiro de 2017 at 10:07

      Hoje fui dar umas olhadas em aluguel na região que estou morando e pela primeira vez vi anúncio escrito ‘Preço negociável’.

      É uma abertura que eu nunca tinha visto antes. Todo mundo sabe que o preço é negociável, mas colocar isso no anúncio já é declarar abertamente que o preço anunciado é falso.

      Excelente momento para os líquidos.

      7+
      • avatar
      • avatar
  • Luladranus 25 de janeiro de 2017 at 10:06

    http://www.istoedinheiro.com.br/temer-quer-ampliar-minha-casa-para-renda-de-ate-r-9-mil/?utm_source=terra&utm_medium=home&utm_campaign=parceiro

    “O presidente Michel Temer estuda ampliar para R$ 9 mil o limite de renda mensal de famílias que podem ter um imóvel com os juros mais baixos do programa Minha Casa Minha Vida. Atualmente, o teto da faixa 3 do programa de habitação popular é de R$ 6,5 mil.

    O governo deve também ampliar os preços dos imóveis enquadrados no programa em torno de R$ 25 mil. Dessa forma, o preço máximo dos imóveis do MCMV, que vale para as regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, deve passar de R$ 225 mil para R$ 250 mil.”

    2+
    • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 10:07

      Agora vai !
      kkkk

      2+
      • avatar
    • Antigo 25 de janeiro de 2017 at 10:09

      Realmente, quem tem renda mensal de 9k no país precisa de habitação popular.

      Qual seria a porcentagem das famílias com uma renda dessas? 0.1%? Quando mesmo esse seleto grupo precisa de ajuda para comprar um bolhudinho ‘popular’ é porque tem algo muito errado com os preços.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 10:15

        O gobierno e as construtoras querem ajustar ás pessoas para entrarem no terno.
        😉
        Mas não vai !

        3+
        • avatar
      • CA 25 de janeiro de 2017 at 10:21

        Antigo,

        Lembrando que cerca de 75% da população já possui imóvel próprio. Se analisarmos por faixa de renda, no caso das famílias com renda próxima de R$ 9 K, provavelmente teremos algo em torno de 90% das famílias que já possuem imóvel próprio.

        Daí você considera que nesta faixa de renda não são tão fáceis de se seduzir sem pensar nas consequências, que nesta faixa de renda é onde tivemos grande desemprego em função da “juniorização” promovida pelas empresas, mais a redução dos salários que havia ocorrido com as bolhas de forma artificial / insustentável, você começa a ponderar que o próprio governo não terá fôlego para cumprir o prometido porque o déficit fiscal previsto de 2017 vai estourar e muito, que o próprio “ajuste fiscal” fará com que MUITAS famílias experimentem redução relevante na renda disponível em 2017, etc., etc., etc. Daí você vê o quão UTÓPICAS são as ações do governo e do segmento imobiliário, que alienam por completo a realidade, para transmitir um otimismo UFANISTA, que no final das contas, só prejudica ainda mais a todos, incluindo esta galera do segmento imobiliário que patrocina estas “viagens na maionese”…

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 25 de janeiro de 2017 at 11:46

          https://sidra.ibge.gov.br/tabela/1940#resultado
          ANO 2015
          Famílias residentes em domicilios particulares (X1000)
          Salários – qtd famílias
          Até 1 SM 10.728
          De 1 a 2 17.556
          De 2 a 3 12.551
          De 3 a 5 13.623
          De 5 a 10 9.676
          De 10 a 20 3.338
          Mais de 20 1.222
          Sem rend. 1.002
          Sem decl. 1.557

          1+
      • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 10:22

        quem tem renda de 9k e não tem o devido preparo compõe renda com alguns familiares….. pega grana emprestada com o pai ou mãe brick lover e financia um de 450 a 500k.
        kkkk

        2+
        • avatar
      • Cesar_DF 25 de janeiro de 2017 at 11:19

        Calcule aqui https://www.oxfam.org.br/calculadora
        9K para família de 3 pessoas = Grupo 10 = RENDA ALTA

        2+
        • avatar
      • Cesar_DF 25 de janeiro de 2017 at 11:24

        De acordo com esta calculadora, 3% dos brasileiro ganham mais que 9K

        https://www.nexojornal.com.br/interativo/2016/01/11/O-seu-sal%C3%A1rio-diante-da-realidade-brasileira

        4+
        • avatar
        • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 11:27

          100% desses comprarão apês do MCMV lá perto do Houses of Caraglio em impressionantes 48 metros quadrados.
          😉

          6+
    • CA 25 de janeiro de 2017 at 10:12

      Amplamente discutido acima em comentários anteriores sobre esta notícia e o resumo é: não, não vai! É só mais uma medida DESESPERADA e inócua, onde de um lado vai faltar dinheiro e condições do governo para realizar o prometido, ou as ações do governo vão ser tão negativas que vão destruir ainda mais a demanda potencial desta nova faixa, que além de ser muito reduzida, tem caído cada vez mais, por “N” motivos.

      3+
      • avatar
      • Antigo 25 de janeiro de 2017 at 11:14

        Pois é. Muito bem explicado, CA.

        Ficou demonstrado que é uma medida totalmente vazia. Não vai servir de nada.

        Do jeito que conheço o bananense, o infeliz com uma renda dessas jamais se sujeitaria a morar num barraquinho popular, ia querer logo financiar um apto xoxotoso de 1 milhão para mais.

        Provavelmente o único intuito da medida é criar falso otimismo que sustenta essa bolha, atrasando o estouro.

        4+
        • avatar
  • Zé do Brejo 25 de janeiro de 2017 at 10:31

    http://www.atarde.uol.com.br/economia/noticias/1833684-temer-quer-ampliar-minha-casa-para-renda-de-ate-r-9-mil
    Era o que faltava para o mercado imobiliário voltar a bombar. Pior que as aves de rapina acreditam e pregam essas baboseiras.
    Essa estupidez não é gratuita, isso é má fé.

    7+
    • avatar
    • avatar
  • jcaj 25 de janeiro de 2017 at 11:40

    pessoal preciso de um auxílio.
    Tenho uns recursos para aplicar mas vou precisar deles em dezembro de 2018 ou janeiro de 2019. aplico mensalmente uma grana. ocorre que os prazos das LCAs LCIs e CDBs com taxas melhores tem vencimento de dois anos, ou seja quando for aplicar dinheiro no mês de maio, por exemplo, essa aplicação não mais servirá para mim.
    Pensei em aplicar no tesouro direto mas os prazos de vencimento mais próximos são em meados de 2019, ou seja, teria que sacar o dinheiro antes do vencimento do título. Aí é que me perco pq não sei que como vai ser o rendimento se sacar o titulo antes do vencimento. Vejo vcs falando em janela para aplicação em TD, mas confesso que não consigo entender.
    Então gostaria de saber qual seria a melhor opção para investir mensalmente uns R$ 12.000,00, para saque em janeiro de 2019?
    se alguem puder me dar uma dica fico agradecido

    3+
    • avatar
    • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 11:47

      jcaj… eu recomendo que você estude e fique melhor embasado no mecanismo do Tesouro Direto antes de aplicar a grana.
      Caso contrário…. ficara ansioso .
      Eu por exemplo: comecei com as 2019 + IPCA. Comecei com patamares nos 6,67%. Demorou meses para eu ver retorno justamente porque a Dilma ainda estava no poder. Depois você vai pegando o jeito.
      Eu iria de TD Selic que não oscila muito o valor de face.
      Lembrando que Tesouro Direto tem liquidez diária. Você pode fazer um ótimo aporte em NTNB 2035 e sacar em Janeiro de 2019 com um belo bônus. Mas não existem garantias disso.

      P.S. Tem LCI e LCA boas na Rico.com. Peguei várias para minha mãe para começo de 2018.

      3+
    • Antigo 25 de janeiro de 2017 at 11:49

      Infelizmente não tem muito o que fazer. Você pode ir aplicando em LCAs LCIs e CDBs com o prazo que atenda sua necessidade, ainda que perca um pouco da rentabilidade por causa do prazo mais curto. Por exemplo, nos primeiros meses, você pega a de 2 anos, nos próximos, de 1 ano e meio, depois 1 ano etc.
      Tem LCI de até 90 dias. Vá aplicando no prazo máximo que conseguir que atenda sua necessidade.

      Ouvi falar que o banco Sofisa tem liquidez diária nos CDBs com taxas boas, mas não tenho conta nele.

      1+
      • avatar
    • to bolhado 25 de janeiro de 2017 at 12:07

      No seu caso a melhor opção é tesouro selic. Saca quando quer e não corre o risco de flutuação

      4+
      • jcaj 25 de janeiro de 2017 at 18:58

        Muito obrigado pessoal.

        Dicas valiosas

        1+
  • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 11:43

    Quando vocês pensam que o Motumbo irá dar um refresco !
    TR 0.20%
    ué!????
    kkkk

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Antigo 25 de janeiro de 2017 at 11:50

      Avoa TR!

      Os motumbados viram os olhos.

      5+
      • avatar
      • Loucodf 25 de janeiro de 2017 at 12:56

        Foda é esse CDI 12.88%

        2+
  • From_The_Tower 25 de janeiro de 2017 at 11:58

    DOW JONES rompeu os 20.000 pontos !!!
    Máxima histórica !

    Pretendo realizar mais um lote hoje.

    4+
    • avatar
    • avatar
    • Louro José 25 de janeiro de 2017 at 12:13

      Não ia ser o fim do mundo?
      Ué?

      3+
      • avatar
  • Typhoon 25 de janeiro de 2017 at 12:05

    Apostei no susto inicial do mercado com a posse do Trump… Colhendo os frutos aqui…

    2+
    • avatar
  • Cesar_DF 25 de janeiro de 2017 at 12:10

    Censo 2010
    https://sidra.ibge.gov.br/tabela/3168#resultado
    Variável: -Domicilios particulares permanentes
    -Valor do rendimento nominal medianO mensal dos domicílios
    Situação: -Urbana,
    Tipo de domicilio, -Total, -Casa, -Casa de vila ou em condomínio, -Apartamento
    Condição de ocupação do domicilio: -Total, -Próprio, -Proprio já quitado, -Próprio em aquisição, -Alugado, -Cedido, -Outra condição
    Unidade Territorial: Brasil

    TOTAL GERAL
    -Total 49.226.751
    -Próprio 35.725.793
    -Proprio já quitado 32.855.729
    -Próprio em aquisição 2.870.064
    -Alugado 10.276.171
    -Cedido 2.937.364
    -Outra 287.423

    TOTAL APARTAMENTOS
    -Total 6.147.888
    -Próprio 4.009.315
    -Proprio já quitado 3.073.714
    -Próprio em aquisição 935.601
    -Alugado 1.897.820
    -Cedido 220.239
    -Outra condição 20.514

    3+
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 25 de janeiro de 2017 at 12:14

      Em 2010 já existiam 3 milhões de imóveis na mão dos bancos ( financiados e não quitados)

      3+
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 25 de janeiro de 2017 at 12:43

        Analise legal

        0
  • Alemon Fritz 25 de janeiro de 2017 at 12:25

    Na Alemanha o número de pessoas se tornando proprietarios aumentou e o preço das casas “valorizou”, muito por causa dos investidores internacionais e quedas nos mercados…
    Mas agora vejam a frase na Alemanha qdo o governo tenta ajudar o mercado Imobiliario:

    “We fear that this just fuels demand for property and prices rise. From experience, we know that government subsidies for home ownership are soon included in the price of real estate,” he says. “We do not need more owners, but more homes.”

    German push for home ownership drives price bubble fears
    https://www.ft.com/content/dc6ad2e4-c6ac-11e6-9043-7e34c07b46ef

    2+
  • Louro José 25 de janeiro de 2017 at 13:16

    Dívida pública cresce 11,5% em 2016. Bem acima do IPCA.

    1+