5 razões comuns pelas quais as pessoas compram imóveis – Infomoney

Você pode gostar...

Comments
  • Mn 18 de outubro de 2016 at 13:03

    CARACAS O CARA SENTOU O PAU NO AMORINHA!
    https://www.linkedin.com/pulse/hora-de-investir-em-im%C3%B3veis-ricardo-amorim#pulse-comments-comment-urn:li:comment:(article:7518091427474586587,6194165076736360448)

    Alexandre Linhares
    Associate Member at The Club of Rome

    Não há bolha?

    https://data.oecd.org/chart/4EfI

    Então porquê ignorou minha aposta de R$1,000,000 de que há, sim, uma enorme bolha imobiliária?

    Aliás, onde está o ibov? Nos seus 200,000 pontos que o senhor mãe Dinah previu?

    http://www.infomoney.com.br/carreira/noticia/1596853/otimista-ricardo-amorim-ecirc-bolsa-200-mil-pontos-cinco-anos

    E finalmente… “publicou estudos”? Hahaha do que estás falando?

    De acordo com o Google Scholar vossa excelência jamais publicou um estudo sequer num journal indexado no web of science.

    O senhor é um energúmeno, um bucéfalo.

    Minha aposta continua de pé.

    64+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 14:26

      Dá pra reconhecer, pelo “pattern”, quem é do BiB e está lá comentando. Todavia, e felizmente, dá pra se manter um anonimato por aqui.

      13+
      • avatar
      • John Horse 18 de outubro de 2016 at 16:02

        Não fui eu!

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • markito 18 de outubro de 2016 at 19:01

      Minha nossa… alguém curtiu o comentário? ou vieram a tropa de corvos (não sei o coletivo de corvo, me desculpem) para defender o Mister Amorim.

      5+
      • avatar
    • Money_Addicted 19 de outubro de 2016 at 06:04

      Eli Jorge Ruela
      Corretor de Imóveis na Praia e Associados

      Excelente artigo Ricardo Amorim.

      ate o irmao do Ze Ruela esta comentando por la 🙂

      7+
      • avatar
      • avatar
  • Lucas 18 de outubro de 2016 at 13:26

    mini-Manual do aluguel

    Pessol segue umas dicas rápidinhas pro pessol do movimento alugacionista da minha experiencia:

    – Em 2011 aluguei com desconto: pelo preço de 2010, naquela época a bolha já bombava
    – Daí tive 4 reajustes negociados TODOS ABAIXO DA INFLAÇÃO, os 2 útlimos foram ZERO
    – Aluguei direto com o proprietário sem fiador, sem seguro sem porra nenhuma, no fio do bigode, nada substituui um olho-no-olho, com a nova lei do inquilinato garantias são dispensáveis em muitos casos, mas bem eu tenho lá meu lado sedutor, se pareço verossímil por escrito sou mais ainda ao vivo
    – Em Resumo, 2015 estva pagando o mesmo valor real de 2008 ou 2009 mais ou menos

    Hoje, acho que o valor justo do aluguel é esse: pega 2008/09 reajusta pela inflação e voilá, esse é o Teto
    O piso sabe lá Deus, depende do desespero do propriotário
    NUNCA negocie com corvo, evite atravessador, evite velhinhas proprietárias que estão mais interessadas em ter menos dor de cabeça, que ter mais dinheiro, esses aí tão já pensando em entregar o imóvel pra herança, na cabecinha deles se a pintura estiver boa valoriza a herança

    abraços e bons negócios
    faca nus dentes galera

    (estou fazendo um manual do proprietário sobrevivente da bolha, dá pra amenizar, muito, só pra ter uma idéia tem taxa de condo custando mais que o aluguel, então se vc consegue baixar a taxa vc está melhorando a rentabilidade, portanto o valor)

    25+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • reznor 18 de outubro de 2016 at 13:44

      mesmo caso aqui, Lucas. pago o mesmo valor nominal de 2008-2009 (vide CVR em post anterior).
      e olha que no meu caso tem a maldita imobiliária intermediando o aluguel e a dona do imóvel é uma senhora que vive numa chácara e não quer esquentar a cabeça… ou seja, duas variáveis que complicam.
      pra piorar ainda existe o ônus do seguro fiança, dinheiro razoável parado num título de capitalização. um baita custo de oportunidade, mas é a regra da praça por aqui. como eu sou bacana, quando converso com potenciais triple-six, faço questão de ressaltar sobre essa grana parada que não rende. geralmente eles tendem a concordar que é mais vantajoso comprar devido a essas dores de cabeça que o aluguel traz.
      daí eu garanto mais um pagador de juros para mim, você, odorico, money_addicted, padeiro, etc.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • gmlinux 18 de outubro de 2016 at 17:40

        eu me incluo no etc, obrigado 🙂

        4+
        • avatar
      • Lucas 18 de outubro de 2016 at 20:17

        o certo é contar o custo disto aí no preço reznor
        nada que vá dar grande diferença
        mas é pro bem da amtematica

        1+
        • avatar
        • reznor 18 de outubro de 2016 at 20:52

          sem dúvida, Lucas. no caso de compra, nem é preciso fazer a conta, jamais baterá.
          mas no vencimento do contrato – que no meu caso é anual – faz todo o sentido comparar com outras opções de aluguel, embutir o custo de mudança, comparar valores de condomínio, deslocamento e afins. enfim, uma pequena engenharia financeira, mas necessária.

          aguardando aqui seu manual do aluguel “faca nus dentes “. abraço!

          3+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Lucas 18 de outubro de 2016 at 13:39

    Para “ele”

    tá bom cara, vou a páritr de hoje declarar meu voto no bolsonaro, daqui em diante sou do partido SOCIALISTA cristão, junto com Bolsonaro
    pronto vc agora não pode falar nada de mim.

    Isso não impede de eu te achar um total completo embusteiro, falso mentiroso
    Vc usa o BiB de palanque
    Vc usa o BiB pra criar um PERSONAGEM FALSO
    Vc usa o BiB pra criar um prestígio que vc nunca conseguriá ter
    Não adianta cirticar o CA, não adianta me criticar, vc já foi desmascarado caindo a credibilidade vc será mais um desses fernandos zanzando por aí, aliás ele pelo menos tem um obetivo claro, de nos convencer que o fundo do poço já passou.

    Vc vai largando seus links rpa torcida pra ver quem vc agrada mais, tipo aquele link que fala em valorização de 12%aa acima da inflação, sua sorte é que realmente poucos aqui sabem ler inglês, senão a pedrada ia ser geral. Então vai lá continua tentando agradar todo mundo, vê no que dá

    O BiB se destacou pela qualidade das análises sem ambições ideológicas, sem partidos, sem torcida, vc está 5 anos atrasado nessa discussão.
    Então pela enésima vez para de flodar o blog qeu eu todo mundo aqui ta poco me fudendo se os traficantes são amigo de político, tomara que sejam mesmo, quanto menos tiroteio pra mim melhor, eu moro na periferia prefiro um acordo ruim do que um tiroteio tomar bala perdida na cabeça de uma esposa de uma criança. Vc ainda não entendeu isso???

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 13:56

      “Criticar o CA”

      Colocando o camarada ( que eu não critiquei) mais notório do BIB no mesmo patamar que você? Não adianta essa falsa retórica, todo mundo viu que você só me crítica porque sou libertário e contra o seu partido da “Social-Democracia” que só faz mal a São Paulo.

      Por que você crítica até o meu Nick? Não dá pra parar com esse fanatismo partidário e falarmos apenas da Bolha Imobiliária??

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • ravoc 19 de outubro de 2016 at 08:02

        O PSDB é um lixo, igual PT, PSOL, entre outros
        Dizer que PSDB é o “menor pior” ou o que o “Brasil precisa no momento” ou pior, que é o que “SP precisa no momento” é imbecialidade…
        Precisamos sim de alternância do poder, mas ficar trocando entre PT/PSDB é coisa de bananense retardad*

        Veja alguns topics antigos do outro blog do “outro lado da rua” que você entenderá a tática do Lucas…

        No mais, pirem! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        5+
        • avatar
    • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 14:10

      E outra, a respeito do “Irish Tsumoney ” (termo que você inventou) até quando você vai dar uma de “louco” de que não entendeu minha chacota quanto aos irlandeses que acreditam que vale a pena investir no merda o brasileiro?

      Ou você vai assumir que não entende nada de Inglês?

      Tá ficando feio já, meu caro…rs

      Toda essa raiva apenas por criticar seu partido??..rs

      Já pedi , e peço mais uma vez:

      Vamos falar da Bolha Imobiliária, e deixar de defender esse lixo do Partido da Social-Democracia Brasileira??

      Acho e reconheço que seus comentários tem muito a acrescentar, assim como os meus. Não precisa ficar com raivinha por mitivos partidarios muito menos “ciúmes” de Blog…o seu dizer “estou 5 anos atrasado” deixou bem claro.., apesar de você não ter se ligado que há 5 anos, eu estava justamente vivendo a Bolha Irlandesa…

      Palco? Uso BIB de palco pra que? Somos fakes discutindo algo interessante, acompanhei esse Blog esporadicamente desde 2013 e felizmente , mesmo fora do Brasil, graças a esse Blog, consegui segurar meus ímpetos de comprar uma casa aqui bem em 2012 ( o que seria uma tragédia, já que nem casado sou mais…e íamos dividir os gastos).

      Agora que finalmente resolvo começar a comentar, você vai floodar porque eu abomino o seu partido?

      Não preciso criar “personagens”, não ganho nada com isso. Seu amor partidário ao PSDB e ao Cramulhao de Higienpolis o cego tanto que você me elegeu como seu “inimigo ” viritual.

      Para…

      Faça logo seu manual de sobrevivência à Bolha, não duvido que será bom. Será muito mais útil do que seus ataques partidários em vão. Acho que ninguém aqui aguenta mais ler o que você escreve defendendo PSDB-PCC e me atacando.

      Vamos falar da Bolha ou me esqueça…

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Zizu 18 de outubro de 2016 at 15:20

        Pára de viadagem vcs dois!! Vamos produzir e disseminar conhecimento!!

        29+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • gmlinux 18 de outubro de 2016 at 17:41

          Olha a homofobia…

          8+
          • avatar
        • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 20:43

          Perceba que eu só falo da Bolha…

          1+
          • avatar
      • bolha real 18 de outubro de 2016 at 20:46

        Não aguentamos nego desenterrar um cara que saiu do poder quando muita gente aqui era um bebê e insistir falando a mesma ladainha.

        Discordo de várias coisas com o Lucas, mas em relação a isso tô com ele.

        Antes que me venha de chorumela, votei no Dória, mas não sou PSDB e inclusive não votei no PSDB nas eleições anteriores.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Shrek Oriental 18 de outubro de 2016 at 21:23

          Digo o mesmo, se eu não fosse de SBC eu votaria no Doria pq não tinha outro melhor, mas gostei do incentivo das bike do Haddad (vou de bike todo dia para o meu escritório, perdi 27 quilos na brincadeira), aqui na cidade vai ser tenso o cara (PDDB) que enrolou muito tempo para assinar a CPI da merenda vai ganhar http://www.abcdmaior.com.br/materias/politica/orlando-morando-e-vanessa-damo-nao-assinam-cpi-da-merenda

          6+
          • avatar
          • avatar
        • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 21:31

          Eu estou aqui para falar da Bolha, mas desde o primeiro dia implicaram com o meu nickname. Pra que isso??

          Por que não me deixam em paz?? Por que não falemos apenas da Bolha?

          1+
          • avatar
          • bolha real 18 de outubro de 2016 at 21:47

            Todo mundo que acompanhou seus posts viu que só agora você quer falar de bolha. Antes era pra fazer campanha contra PSDB.

            10+
            • avatar
            • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 22:07

              Não.

              É só você voltar links atrás e verá que está errado. Todo mundo (exceto você é mais 3 perfis) só interage comigo a respeito da Bolha. As eleições já foram , e a única coisa que fiz semanas atrás foi criticar os partidários comemorando eleições no Blog.

              Veja o teor das minhas msgs, antes de tudo…

              1+
              • avatar
              • reznor 18 de outubro de 2016 at 23:04

                o problema é que existe um non-sequitur brutal no teu nick e o teu suposto interesse restrito à bolha.
                tirando isso, teus posts são divertidos. keep it up, pal.

                6+
                • avatar
                • avatar
  • Baby Boy 18 de outubro de 2016 at 13:40

    Concordo com a frase: Ser dono de um imóvel é muito melhor que viver de aluguel.
    – Veja que ser dono é não estar financiado, pois dai quem é dono é o banco.

    Me apedrejem!

    36+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CarlosL 18 de outubro de 2016 at 14:09

      Ahhh para com isso vai; Mentiroso, loroteiro, cascateiro !
      Para te desmascarar, vou mostrar abaixo como 35 anos (o tempo de um financiamento para parcelinhas conseguirem caber no bolso do cidadão mediano) passam em um piscar de olhos e não acontece absolutamente nada que pode mudar radicalmente a vida das pessoas!

      1964João Goulart é deposto do poder pelos militares(Brasil)
      1966 Começa a Revolução Cultural na China (política)
      1968 Protestos estudantis em vários países (conflito)
      1969 Homem chega à Lua (tecnologia)
      1973 Allende é derrubado por Pinochet no Chile (política)
      1974 Richard Nixon renuncia (política)
      1981 Cientistas isolam o vírus da AIDS (ciência)
      1983 Internet é criada (tecnologia)
      1985 Tancredo Neves morre após eleição (Brasil)
      1989 Queda do muro de Berlim (política)
      1989 Collor é eleito presidente (Brasil)
      1991 Fim da União Soviética (política)
      1992 Collor renuncia (Brasil)
      1994 Fernando Henrique Cardoso é eleito presidente (Brasil)
      1999 Cientistas escoceses produzem clone de uma ovelha (tecnologia)
      2000 Bug do ano 2000 (tecnologia)

      19+
      • avatar
      • avatar
      • Baby Boy 18 de outubro de 2016 at 14:23

        Não tenho dó de 666 que tem apartamento financiado.
        Quero mais que eles trabalhem duramente a sua vida inteira para manter meus luxos.

        PMJ.

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • gmlinux 18 de outubro de 2016 at 17:44

        Meu pai morreu com menos de 70, se tivesse contraido uma dívida destas aos 35 nunca teria dito que morava no que é dele…

        8+
        • avatar
  • Lord of All 18 de outubro de 2016 at 14:07

    Os itens 1 e 2, já foram verdade, em parte, há 10 anos atrás em diante.
    Os 3, 4 e 5 são puro delírio.

    5+
  • Ilusionista 18 de outubro de 2016 at 14:09

    Povão ostentação da modinha do “apê terraço gourmet” e, hoje, sem dinheiro até para comprar carne e carvão para esquentar a churrasqueira, sabadão só na base da salsicha fervido no molho de latinha para alegrar a criançada.
    Sem grana até um tênis novo para ir malhar na academia do prédio, família inteira proibida de utilizar os “trocentos itens de lazer” enquanto não colocar as taxas de condomínio em dia.
    Tem até aqueles que se empolgaram e compraram apto vista para o mar e, hoje, não tem dinheiro mais para gasosa e pedágios para ir para praia………faltando verba até para pagar o anúncio do aluguetemporada para ver se aparece alguém interessado no pacote de final de ano por 500 a diária.
    Para piorar, nem feriado durante a semana para emendar neste ano.
    Prestações, condomínio e parcelinhas intermináveis da Dell Anno corroendo toda renda…

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CarlosL 18 de outubro de 2016 at 14:14

      Puxou-me um CVR

      CVR

      Moro de aluguel (duhh) em um bairro legal em SP em um prédio daqueles que o m2 deve estar na casa dos 10k…..
      Bom, eis o CVR
      Quando vou na lixeira para descarte, as garrafas de vidro normalmente tem que ser separadas do restante….
      Eu não bebo muito atualmente, mas quando bebo procuro beber algo legal que faça menos estrago tipo um Jack Coke, Gin tonica Tanqueray e por ai vai…
      Quando vou fazer descarte de garrafas, só vejo praticamente Cynar, Teachers, Bacardi, Orloff……

      É bem provável que muitos para conquistar o sonho da casa própria, são forçados a abrir mão de consumir produtos e serviços melhores…..

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • reznor 18 de outubro de 2016 at 14:29

        calma aí meu amigo… Bacardi é coisa boa! 🙂
        mas concordo que Teachers é « complicado » rsrsrsrs

        6+
        • avatar
        • avatar
        • Baby Boy 18 de outubro de 2016 at 14:38

          Eu não bebo mais destilados e cerveja, meu estomago não esta mais acostumado com esse tipo de bebida, me dói o estomago só de ver as garrafas.. deixo para os 666.

          3+
          • avatar
          • gmlinux 18 de outubro de 2016 at 17:48

            Cuidado lá, respeita minhas cervas…

            3+
            • avatar
            • Baby Boy 18 de outubro de 2016 at 19:43

              Cada um sabe e conhece o fígado que tem.

              1+
        • CarlosL 18 de outubro de 2016 at 15:00

          Vdd Bacardi da para fazer umas coisas interessantes…. Mas o resto que listei…

          2+
          • avatar
      • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 14:39

        hahaha, lembrou o meu prédio….
        E quando compram de fato um Black Label, Jack Daniels ou Jameson , guardam a garrafa na geladeira com água gelada, só para mostrar para os outros vizinhos do prédio, ou visitas em geral, que ali “se toma coisa boa” às vezes…rs

        8+
        • avatar
        • John Horse 19 de outubro de 2016 at 07:38

          Tudo lixo. Johnie Walker destruiu o Black Label com essa historia de não ser mais 12 anos. Jack Daniel está para bourbon assim como 51 está para aguardente. Jameson consegue ser pior que Red Label. Estamos ferrados ainda por cima pois metade é falsificado.

          2+
          • avatar
    • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 14:36

      A mais pura verdade…todos envididados!

      Aliás, esses em geral são os “analistas de RH, de sistemas, comercial e etc” floodando o Linkedin pedindo “emprego” , desesperados.
      Nessas horas eu lembro do Bill Gates e sua projeção do “Mass Unemployment” nas próximas décadas…

      Eu acho que ele tem total razão…

      6+
      • avatar
      • avatar
      • gmlinux 18 de outubro de 2016 at 18:01

        Snif, sou analista de sistemas…

        3+
        • avatar
        • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 18:52

          Mas você é companheiro de Linux. O analista padrão do mercado só conhece Windows, só usa SQL SERVER, so programa em C# e por isso está desempregado…

          4+
          • avatar
          • avatar
          • John Horse 19 de outubro de 2016 at 07:43

            Begin;
            delete from usuarios where corvo is true;
            Update contas set saldo = saldo * 1.013 where bolhista is true;
            Commit;

            2+
    • SampaBoy 18 de outubro de 2016 at 16:10

      Nada como uma crise para refletir sobre o 666 classico. Dotados de um capital médio/baixo eles sempre tentam imitar a classe rica. E para isso fazem uso apenas de artifícios, pois a cultura que envolve a riqueza está longe deles por séculos, e contas bancárias de distância.. No entanto vão tentar copiar os hábitos externos dos ricos como comprar roupas de marca, carros da moda, aparelhos eletrônicos caros, e o apezinho gourmet, buscando assim se “parecer” com ricos.
      O primeiro passo de sua autoformação é se esforçar para se distinguir do que eles, de forma rancorosa e arrogante, chamam de “pobres”. A pior ideia para eles é a de que um dia poderiam vir a se tornar como os “coitados”, “sujos”, “deselegantes”. Então, passam a gastar todo seu mísero salário de classe média em artifícios para fugirem da imagem de “pobres”.
      Aqui entra o segundo passo: criar uma falsa imagem de si mesmos. Comem mal, estudam mal, trabalham mal, mas se apresentam como “fidalgos” para a “sociedade”. Como diz a expressão popular, comem couve e arrotam caviar. O que lhes importa é parecerem ricos. Vivem dessa imagem, desse autoengano, o tempo todo. Sua energia é praticamente toda gasta nessa tarefa de “parecer” alguma coisa que no fundo jamais serão. É mais fácil para eles, mais cômodo, do que lutar para ser de classe alta.
      Como educação, cultura ou elegância não se compra com dinheiro, o 666 classe média jamais conseguirá adquiri-los. Por isso, mesmo com seus carros medianos do ano, sua roupa de marca (sempre apelativa), sua maquiagens (sempre exageradas), mesmo com todo esse artifício, há algo que deixará claro de quem se trata: o animal mediano.
      Como proprietários de bens tecnológicos, isso não lhes acrescenta nada em termos de qualidade humana: celulares só servem para conversas toscas com pessoas da mesma ordem de idiotice e para fotografar suas imbecilidades e narcisismos vulgares, que são expostos diariamente, ou a cada minuto, nas redes sociais: “eu no cabeleireiro”, “eu diante de meu carro novo”, “eu e meu cachorrinho”, “eu preparando um macarrãozinho”, “eu no espelho mostrando a mim mesmo e meu celular novo”, “eu no barzinho fingindo que sou feliz”, “eu de calça nova”, “eu na academia”, “meu novo corte de cabelo” etc. Uma vida vazia exposta como imagem publicitária de si mesma, como se tivesse algum valor além da própria inutilidade febril.
      Seus novos carros, e sua dívida eterna, com sua música de péssima qualidade (geralmente sertaneja) e no mais alto volume, desrespeitando as pessoas à sua volta, revela a grosseria que tentam esconder nas suas “imagens fabricadas de gente fina”. Mostra a ausência de cultura e civilidade e a porta aberta para se tornarem imediatamente bestas-feras se você os contestar.
      Seus churrascos semanais em eventuais terracinhos gourmets, regados a gritaria, música alta, conversas inúteis, bebedeiras entorpecentes, revelam uma vida desesperada no seu vazio cotidiano, no fracasso que é o trabalho inútil para pagamento de dividas eternas e parceladas a juros exorbitantes , e a total incapacidade de serem donos de si mesmos. Seres complexados e sem identidade, que precisam viver segundo uma falsa imagem de si mesmos, uma vida completamente artificial…

      61+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 16:23

        Melhor descrição desse tipo que vi esse ano…

        Não tenho dúvidas de que você conheça e/ou more aqui em SP (se bem que no resto do Brasil devemos ter gente assim também).

        Até mesmo aqui nos Jardins se vê gente desse tipo. Dias atrás, conversando com uma frentista de posto de gasolina, me contando uns “causo” , ele me fala que vez ou outra aparecem umas donas andando de SUV (parceladas, claro) que chegam no posto de gasolina a pé com um galão, pois estavam andando com o tanque na reserva.

        Ele me disse que já chegou a perguntar “Ôô dona, a senhora com uma carrão desses de 150 mil, não podia andar com o tanque cheio ?”

        18+
        • avatar
        • avatar
      • reznor 18 de outubro de 2016 at 16:24

        matou a pau…
        … mas amo todos eles*. se a mentalidade fosse outra, nossos juros reais não seriam os maiores do mundo. logo, rentismo aqui seria coisa pra especialistas, com muito mas risco embutido.
        sampaboy, pense assim: quanto maior o esforço da maioria pra manter as aparências, menor o nosso para gerir os nossos ativos.
        seja mais amistoso com os nossos mascotes.

        *exceção aos 666 barulhentos, pois desses não dá pra escapar!
        opa, calma aí! moro de aluguel, posso escapar sim! rsrsrsrs

        19+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • gmlinux 18 de outubro de 2016 at 18:10

        CVR sobre comportamento.
        Fui convidado para uma festa em um restaurante, por parente endinheirado, que foi totalmente reservado a nós.
        Veio os garçons, servindo vinho…
        Eu, simples analista de sistema, virei e perguntei se tinha cerva, o garçom disse que tinha uma pilsen padrão (tipo skol), pedi para trazer.
        Alguns dos distintos convidados, assim que me viram saboreando a cerva, pularam para a minha mesa e disseram
        “rapaiz, traiz um copo pra nóis que vamo acumpanhar o menino ai”

        Eram donos de curtume, tudo do interior 🙂

        Adivinha qual a mesa estava mais divertida?

        13+
        • avatar
        • avatar
        • Shrek Oriental 18 de outubro de 2016 at 20:14

          Também sou analista gosto mais de programar, e viva a bolha de startup.

          1+
          • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 21:42

            Bolha de Start UP o caramba…

            Eu tenho uma…e tá indo super bem.

            2+
            • avatar
            • Shrek Oriental 18 de outubro de 2016 at 22:00

              Sim dá uma pesquisada sobre estes unicórnios, está chegando o que alguns chamam de quarta revolução industrial e tem vários unicórnios surfando nesta onda. Eu invisto na área, mas tem um carinha que fica de olho para mim e vai me dando o suporte.

              O que mais intriga é os altos salários que estes analistas ganham e não produzem nada, é justamente o texto que tem no outro lado da rua sobre as formiguinhas.

              6+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 22:10

                Como acesso o outro lado da rua??

                Tenho uma Start UP, e graças a nossos investidores estamos crescendo também.

                O termo unicórnio só é usado para Start ups com valuation próximo a 1 bilhão de dólares…a única start up brasileira perto disso é o NUBANK.

                4+
                • avatar
                • avatar
                • Shrek Oriental 19 de outubro de 2016 at 07:54

                  bolhabrasil . org é o outro lado da rua.

                  1+
                  • avatar
      • Lucas 18 de outubro de 2016 at 18:27

        incorporando o saudoso quiumento
        que gente sem marxs no coração
        kkkkk
        rindo aqui até um americano fugir pra cuba

        4+
        • avatar
        • avatar
      • Ilusionista 18 de outubro de 2016 at 18:31

        merece um estudo profundo os hábitos de consumo da média deste povo, tanta desproporção entre a renda e o endividamento para aquisição de bens materiais.
        Algumas aberrações são difíceis de entender, dentre elas, as festas de casamento em buffet top parceladas em mais de 36 meses, pouco tempo depois o marido divorcia da mulher, mas a dívida ainda fica por anos…….pior ainda quando decidem comprar juntos um imóvel parcelado em 420 meses e depois do divórcio pretendem repassar o imóvel para dividir o que já pagaram……

        4+
        • avatar
        • avatar
  • reznor 18 de outubro de 2016 at 14:24

    CVRzinho de uma colega do trabalho:
    hoje tive que dar carona pra ela, pois o seu carro pifou e o defeito foi sério: cerca de 2K de prejuízo, mas deu sorte que não fundiu o motor.
    anyway, a moça me disse que gosta muito do carro pelo fato de ser econômico. ressaltou que roda 55km por dia e economia de combustível é fundamental. questionei-lhe o porquê de não residir mais próximo do trabalho, mas me respondeu que gosta de morar perto dos pais. (ok, pensei, cada um sabe o melhor pra si, não?). o difícil, segundo ela, é casar os horários de trabalho com o marido. pois como eles só possuem esse veículo, é rotina o desencontro dos dois quanto a buscá-lo no serviço dele.

    mas o pior me contou logo após: a avó faleceu recentemente e ela acabou por herdar a casa da velhinha. minha reação foi “fico triste pela notícia, mas agora você não precisa se preocupar com moradia…” verdade, mas tem mais um ponto interessante aí: ela e o marido já haviam comprado (leia-se: financiado) uma casa na planta que já deveria ter sido entregue. (ênfase no tempo verbal empregado aqui)

    em miúdos: estamos diante de um casal que – em tese – possui dois imóveis e realizou o clássico sonho de todo brasileiro duas vezes. porém, mesmo donos de duas residências, conseguem a proeza de residirem longe de seus respectivos empregos, desperdiçarem horas e horas por dia no trânsito e, como só possuem um veículo, têm a obrigação de manter um trajeto único para que ambos possam chegar em casa para não dependerem dos meios de transporte coletivo da cidade.

    preciso acrescentar que eles estão com dificuldade de levantar dinheiro para o conserto do veículo ou já ficou claro pelo teor do texto?

    goddammit, i love banânia

    31+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • LZ 18 de outubro de 2016 at 14:40

      Todo mundo pergunta para mim agora que estou casando porque eu não financiei um imóvel.
      Eu só falo: “Ah deixa meu dinheiro render juros ao invés de pagar, tá bom do jeito que tá 🙂 “

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Zé do Brejo 18 de outubro de 2016 at 15:03

        Desse jeito, os pagadores de juros vão sumir de vez. Não faça esse tipo de propaganda.
        Quando me perguntam pq não compro imóvel, eu digo: Não tenho renda suficiente!

        22+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Money_Addicted 18 de outubro de 2016 at 15:45

          exato, e eles ainda ficam sabendo q vc tem dinheiro.

          15+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • joselito 18 de outubro de 2016 at 16:21

          Mas “zé”, agente (junto mesmo) concede crédito sem análise de renda, temos contatos nos bancos, garantimos valorização, ……………………………….. rsrsrs

          5+
          • avatar
          • avatar
          • Zé do Brejo 19 de outubro de 2016 at 07:22

            Bem por aí mesmo…

            2+
            • avatar
    • Money_Addicted 18 de outubro de 2016 at 15:50

      pra vc ver a diferenca neh? meu carro eh 2010, gostaria de troca-lo por um mais novo/confortavel/seguro mas prefiro os juros 🙂 enfim, a questao eh q essa semana mesmo precisei arrumar o cambio, paguei 1.2k, uma despesa nao prevista mas q nao me “apertou”, agora imagina esses 666s q vivem no limite? Um imprevisto desses seria cheque especial com ctz 🙂

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • reznor 18 de outubro de 2016 at 16:43

        o meu carro é modelo 2012 e confesso que a questão da segurança me incomoda um pouco, pois tenho um filho pequeno.
        mas não dá pra queimar a grana que estão pedindo nesses automóveis. o mercado automotivo é outra bolha, essa sustentada em conluio com a Anfavea.
        e, claro, sustentada também pelos triple-six que precisam trocar de carro em ciclos de 3 anos para « não desvalorizar muito ». mas como esses são pagadores de juros, não irei criticá-los.

        8+
        • avatar
    • Bolherengo 18 de outubro de 2016 at 17:08

      Acho que o transtorno desse casal não tem muito a ver com a configuração patrimonial deles. Como está no texto, ela mora longe porque gosta de morar perto dos pais. Eles poderiam muito bem alugar um apê perto do trabalho, eliminando a necessidade do carro.

      4+
      • avatar
      • avatar
    • Carlos 18 de outubro de 2016 at 21:58

      Conheço pelo menos 3 casos de mulheres que compraram ou ganharam carros dos pais e nunca trocaram o óleo do motor até ter um probleminha.
      Atualmente com o número alarmante de homens sem conhecimento básico de mecânica normalmente criados por mãe solteira e mulherada feminista taí um bom mercado nascendo: Arrumar os carros das dondocas que pensam que carro é igual a eletrodoméstico 😀

      4+
      • avatar
  • Rampion 18 de outubro de 2016 at 15:54

    Aprendi que 666 não pode ser contrariado se você não é igual na presença deles precisa ao menos fingir que tem o mesmo comportamento, tipo o Chapolin tentando capturar o pouca trancas, sei que pode soar tosca essa comparação, mas, se 666 descobre que você não é 666 corre sério risco de vida desde pedido de empréstimo a juros zero e prazo a perder de vista e até mesmo “indicarem” sua casa para assalto ou sua pessoa a sequestro. Todo cuidado é pouco. Lembrem-se em tempos de crise 666 está na pista tentando levantar algum de qualquer jeito. rs.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Rampion 18 de outubro de 2016 at 16:07

    O curioso do tópico é não constar a razão “realizar o sonho da casa própria”. Isso acontece porque a maioria dos brasileiros desencanou desse sonho ou ainda é sintoma do mantra “Tijolo, moeda forte!”?

    4+
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 19 de outubro de 2016 at 07:38

      Brasileiro comum tem muita dificuldade de exercer o raciocinio lógico, aritmética simples. Eu já tentei explicar N x para diversos “amigos” e familiares que a compra de quaquer bem que gere custos e tem baixo retorno sobre o investimento, não vale a pena. Mas parece que existe um apego emocional com os tijolos mágicos, então desisti de explicar pq não é uma questão racional para eles e sim emocional. Tenho parente que depois de receber a visita do motumbo, me puxou de canto e disse que eu tinha razão sobre imóveis. Chego a conclusão de que não adianta explicar, educar, esclarecer, para o bom brasileiro, o melhor professor sempre será o principe africano. 😛

      8+
      • avatar
  • Joe banana 18 de outubro de 2016 at 16:12

    olha o subprime chegando…. economic federal box….
    http://www.oantagonista.com/posts/querendo-ou-nao-vamos-pagar-mais-essa

    4+
    • avatar
    • joselito 18 de outubro de 2016 at 16:30

      Pô, 5bi (lucro de 2015), num universo de défict (declarado, pois sabemos que o buraco é mais embaixo) de 180bi é tão necessário?
      Politicamente não tem nem comparação os efeitos de um “socorro” aos bancos com os efeitos de uma “não distribuição” de dividendos de uma empresa (quando se cria rusgas com os acionistas, com o mercado e, no caso da CEF, fora do mercado…..)

      1+
  • Rene Fraçoá 18 de outubro de 2016 at 16:47

    Venda de imóveis residenciais em agosto tem 1ª alta em 13 meses
    Dados são da associação de incorporadoras, em parceria com a Fipe.
    Em agosto, foram vendidos 9,3 mil imóveis residenciais.
    http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/10/venda-de-imoveis-residenciais-em-agosto-tem-1-alta-em-13-meses.html

    ……………comentários estão demais……………
    Rogerio
    HÁ 2 HORAS
    materia mentirosa! pergunte aos donos de imoveis o meu está a 2 anos pra vender por 280 mil ao lado do metro jabaquara e não vende e nem aluga!!
    115

    Mais um petardo…

    http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/10/bancos-suspendem-emprestimo-consignado-servidores-do-rj.html
    18/10/2016 13h36 – Atualizado em 18/10/2016 13h36
    Bancos suspendem empréstimo consignado a servidores do RJ
    Decisão foi tomada por conta do atraso de repasses por parte do Governo.
    ‘Situação muito delicada’, diz advogado da Federação dos Servidores do RJ.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • reznor 18 de outubro de 2016 at 16:55

      de ‘Situação muito delicada’ para ‘estado de calamidade’ (a.k.a. DESPAIR) falta muito pouco.
      anos atrás eu já brincava com amigos que o antigo estado da Guanabara (vulgo Hell) será arrendado pelos irmãos Marinho e passará a se chamar Estado do Projac.

      você leu aqui primeiro no BIB. boa noite! kkkk

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Lucas 18 de outubro de 2016 at 18:30

      dexa ver se entendi:
      1- governo dando calote no banco
      2- a renda dada como garantia não garante p%**@ nenhuma

      isso pro consignado FP, aquela modalidade dita sem risco nenhum
      imagina as parcelinhas deCRESCEntes

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Rene Fraçoá 18 de outubro de 2016 at 18:38

        É o fim do banania way of life (Hell o pai do Estado brasileiro acabando com o consignado/papagaio)

        3+
        • avatar
        • avatar
        • Rene Fraçoá 18 de outubro de 2016 at 19:00

          Desciclopédia: Papagaio (economia) — Empréstimo de curto prazo com garantia de nota promissória. Muito usado por aqueles que adoram torrar dinheiro em jogatina ou financiar os luxos de alguma amante. Eles começam sem nada e acabam com menos ainda, por causa dos juros.

          3+
          • avatar
          • avatar
    • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 19:01

      ================

      Lincoln
      HÁ 3 HORAS
      AMIGO, TENHO DUAS CASAS VAZIAS A MESES ESPERANDO PARA ALUGAR. ESTOU VENDENDO MEU IMÓVEL A 3 ANOS E SÓ RECEBO CANELADA DE COMPRADOR. O IMÓVEL VALE 1,5 MILHÃO E ME OFERECERAM 700.000. AÍ NÃO DÁ, NÉ? SE VENDER TODOS OS IMOVEIS VOU APLICAR EM LCI OU LCA OU NA BOLSA. NÃO ADIANTA TER PATRIMÔNIO E NÃO TER LIQUIDEZ.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 18 de outubro de 2016 at 21:15

        Não importa se uma residência foi construída com mármore de carrara no piso e torneiras de ouro. Não importa o custo de construção, o que vale é a percepção subjetiva do valor, ou seja, ele vale o que as pessoas estão dispostas à pagar por ela.

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 21:45

          Hahahah, imagino a cara dele de quando ofereceram 700 mil…rs

          Daqui a pouco se passam mais 2 ou 3 anos, e ele vai perceber que aqueles 700 mil dariam um ótimo juros de 3,5k a 4k mensais (descontando a inflacao)….rs

          E ele ainda vai estar esperando vender o ap. Por 1,5 milhão!

          6+
          • avatar
          • avatar
          • alemonbnu 19 de outubro de 2016 at 07:16

            Cara, ele nao vai perceber isso nao. Esse treco de custo de oportunidade, aplicacao, isso é coisa de bolhista. Bananense não pensa nessas coisas não. Se ele vender daqui a 5 anos por 1,5M ele vai dizer “ah, ainda bem que nao vendi por 700k! Demorou um pouco mais consegui! Fiz um ótemo (sic) negócio!”

            6+
            • avatar
          • Cesar_DF 19 de outubro de 2016 at 11:50

            Esta é a diferença das teorias de VALOR TRABALHO, que é objetivo, versus o VALOR UTILIDADE que é subjetivo. No VT o preço é baseado nos custos + lucro, já no VU o preço é dado pelo mercado, ou seja, quanto mais as pessoas desejarem aquilo, maior será o valor dele.

            http://rodrigoconstantino.blogspot.com.br/2007/08/o-valor-de-menger.html

            1+
            • avatar
  • mmm 18 de outubro de 2016 at 18:15

    E os descontos começa a chegar em terras rurais;
    Urgente – de R 375.000,00 por apenas R 270.000,00 –
    http://rs.olx.com.br/regioes-de-caxias-do-sul-e-passo-fundo/terrenos/urgente-de-r-375-000-00-por-apenas-r-270-000-00-258610602

    5+
    • avatar
    • Zé do Brejo 19 de outubro de 2016 at 07:52

      Parece anuncio de estelionatário

      4+
      • avatar
  • CA 18 de outubro de 2016 at 18:57

    1 – Imóvel sempre se valoriza
    Verdade. Explico: se o preço negociado cai e isto é noticiado através de diferentes fontes, faz como o Amorinha e fala que é um excelente investimento no longo prazo, ou seja, o preço agora está bom e vai subir no futuro. Se algum dia vai voltar a subir, logo, sempre valoriza, mais cedo ou mais tarde. Se você reclamar e falar que já passou 3 anos sem que isto acontecesse, é porque o futuro ainda não chegou, apenas isto (é como o BOVESPA em 200.000 pontos, ele prometeu em 5 anos, se não aconteceu, é porque ainda não se completaram os 5 anos, seja lá quando for que ele prometeu e ponto final). Se subiu, mas só no preço anunciado, faz de conta que este é o mundo real e divulga na Globo (dona do FINGE ZAP e seus preços anunciados). Não subiu nem no preço anunciado? Contrata alguém para digitar um monte de anúncio por preço maior no FINGE ZAP. Deste jeito sempre vai valorizar.

    2 – Vou comprar essa casa de veraneio para aproveitar muito
    Verdade. Aqui há um sujeito oculto, ou melhor, mais de um (pode ser também um cachorro oculto atrás de uma criança – Dilmês mode on). Vou comprar esta casa de veraneio para ALGUÉM aproveitar muito. ALGUÉM = Banco que financiou + proprietário que faturou se venda financiada, ou ALGUÉM que vendeu e recebeu à vista muito mais do que vale o imóvel, ou ALGUÉM que é parente e usa o imóvel sem pagar nada por isto ao novo feliz proprietário.

    3 – Comprar na planta é lucro certo
    Verdade: Novamente um sujeito oculto. Comprar na planta é lucro certo…para o corretor. O corretor sempre recebe o dinheiro referente a esta venda e mesmo que o produto não seja entregue, que você não consiga o financiamento imobiliário, que atrase por anos, que seja entregue com péssima qualidade ou qualquer outra situação de prejuízo para o comprador, o corretor não te devolve a comissão, lucro certíssimo, inclusive consta em contrato.

    4 – É possível acessar o dinheiro que apliquei em um imóvel rapidamente
    Verdade. Aqui entra o relativismo, que muitos gostam. Rapidamente, lentamente, etc., é algo relativo. Alguns podem até achar que o prazo de 18 anos que a Rossi teria para vender todo o seu estoque é demorado, mas pense bem, perto da idade do Universo, isto é insignificante… Se bem que a pessoa também pode relativizar de outra forma: para mim é 2 anos, porque não é possível que a crise dure mais que isto, logo, pela MINHA lógica, antes de se concluir o prazo máximo que EU determinei para a crise se resolver, necessariamente todos os imóveis do estoque atual estarão vendidos (atenção: não se dedique a entender demais esta “lógica”, caso contrário você vai acabar como aquele cara que se aproximou do aquário para ensinar os peixes a falar e saiu fazendo movimentos de boca iguais aos dos peixes e sem conseguir pronunciar nenhuma palavra, ou seja, ficou louco de pedra).

    5 – Ser dono de um imóvel é muito melhor que viver de aluguel
    Verdade. Aqui entra uma interpretação de texto. A interpretação correta deste texto é: ser dono de APENAS um imóvel em que você mora, é melhor do que ser dono de DOIS, um em que você mora.e outro em que você aluga e de onde você vive do dinheiro recebido do aluguel. Neste caso o “melhor” significa um prejuízo menor.

    Tudo uma questão de interpretação de textos. Se usarmos a mesma lógica que o segmento imobiliário utiliza ao interpretar nossos textos, chegaremos a conclusão que as 5 frases acima são verdadeiras…

    26+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Jasper 18 de outubro de 2016 at 19:38

    Análise da Empíricus.
    Even: dados pouco inspiradores
    Dando sequência ao início de divulgações das previas operacionais do segmento imobiliário, a Even (EVEN3) reportou ontem após o fechamento do mercado dados desapontadores.
    Vendas liquidas somaram 206 milhões de reais, queda de -23 por cento frente ao trimestre imediatamente anterior, apesar do alto nível de lançamentos.
    Do total das vendas, 50 por cento se referiram a unidades em estoque.
    Os dados reforçam nossa cautela no setor. Esperamos pressão adicional nas ações.

    MRV Engenharia: prévia operacional
    Impactado pela greve bancária, o que afetou a velocidade de novos lançamentos assim como os repasses bancários, a MRV (MRVE3) reportou dados operacionais fracos no terceiro trimestre.
    Lançamentos caíram -21 e -27 por cento frente ao mesmo período do ano e trimestre anterior respectivamente, totalizando 821 Milhões de reais.
    O lado positivo foram os níveis saudáveis de venda – 1,05 bilhão – o que representa um avanço de +19 e +1 por cento no ano e trimestre, ajudado por um menor nível de cancelamentos (distratos).

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 18 de outubro de 2016 at 20:36

      empiricus ? parei de ler aqui

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • claudio 18 de outubro de 2016 at 21:01

        o fogo e quando os caras vao buscar cvr, no reclame aqui ! kkkkk , segura agora que sou alvo, fui kkkkk

        2+
        • avatar
        • Money_Addicted 19 de outubro de 2016 at 06:06

          rsrs o reclame aqui muitas vezes ainda tem varias perolas kk

          0
    • joselito 19 de outubro de 2016 at 10:02

      Ta serto.
      O problema da MRV foi a greve dos bancos.
      Então já temos ai na conta:
      1 – copa
      2 – olimpiadas
      3 – greve dos bancos

      Qual o próximo evento que causará impacto no mercado? Engraçado, daqui a pouco dirão que as vendas reduziram pq as taxas e filas dos cartórios estão grandes, rsrsr

      3+
    • Lucas 18 de outubro de 2016 at 20:13

      já tem tópico pra amanhã?
      bolha boss

      4+
      • avatar
    • Leonardo M. 18 de outubro de 2016 at 20:43

      Será que vou coneguir algo gourmet por 30% do valor do preço e ter meu sonhado 70% de desconto? Kkkkkk

      4+
  • Lucas 18 de outubro de 2016 at 19:53

    Baby Boy

    Concordo com a frase: Ser dono de um imóvel é muito melhor que viver de aluguel.
    – Veja que ser dono é não estar financiado, pois dai quem é dono é o banco.

    Me apedrejem!

    16+

    Perfeito:
    É um excelente negócio mesmo: o dono do imóvel (o banco) vender prum 666 pelo triplo do valor com parcelas pelo resto da vida
    Juros rende muito mais que aluguel.
    E o comprador ainda assume a manutenção do imóvel que poderá devolver para o dono, bastando que passe só 3 meses de sua vida inteira numa dificuldade.
    negócio da china, 1 dia ainda abro um banco

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 18 de outubro de 2016 at 20:12

      off
      acabei de receber uma notícia insider
      a planfetagem eletronica dos chatos de plantão está prestes a acabar
      ordens de cima
      comemoremos!
      (eu não tive quase nada a ver com isso, kkk, sou apenas um cara-de-mendigo)

      4+
      • avatar
      • avatar
    • Leonardo M. 18 de outubro de 2016 at 20:40

      E não podemos esquecer que o 666 ainda vai pagar todos os custos de cartório por isso kkkkkk

      3+
      • avatar
    • Baby Boy 18 de outubro de 2016 at 20:41

      Que conversa de louco… ter um banco…. kkkkk

      2+
      • avatar
      • Leonardo M. 18 de outubro de 2016 at 22:59

        É que você nunca deve ter jogado banco imobiliário quando criança kkkkkk
        Eu adorava receber juros opressores

        1+
        • avatar
        • Baby Boy 19 de outubro de 2016 at 10:52

          Joguei. Gosto de receber juros opressores até hoje e sempre kkk

          2+
          • avatar
  • Zizu 18 de outubro de 2016 at 20:24

    Boa notícia meu Velho. Está difícil de aturar!!

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 21:05

    CA ou alguém aí tem uma idéia sucinta de como a SELIC ( a ser votada amanhã) se relaciona com o mercado imobiliário?!

    Achei estranho, mas recebi isso daquele site Hiperdados que quer ser o novo “FIPEZAP “:

    “Tudo indica que o Banco Central, por meio do Comitê de Política Monetária (Copom), deve baixar os juros em suas próximas reuniões, pois a inflação está em queda. Logo, o juro real brasileiro atingirá patamares tão altos que o BC deverá reduzir o juro nominal. Com o juro nominal mais baixo, o consumo tende a reaquecer, pois as linhas de crédito ficarão mais baratas e o preço vai voltar a reagir”

    Obs: comentei com pessoas ao meu redor, e eles acharam bem “fraca” essa mais do que superficial análise….

    3+
    • avatar
    • Fernando 18 de outubro de 2016 at 21:35

      Pois é, pelos atores envolvidos, os juros vão cair. Deveria? Não. Estamos bem longe da meta. Isso é aceitar uma inflação de 8,5% a. a. Na caruda.

      5+
      • avatar
    • O Cramulhao de FHCigienopolis45 18 de outubro de 2016 at 21:38

      Em tempo:

      Esse site “Hiperdados” para ser do meu ramo…

      Os sujeitos parecem ter feito um “data mining” para extrair precos de imóveis de vários sites , para tentar verificar tendencia de preco…

      Mas como já foi falado aqui, basear-se em preços anunciados é furada…

      Enfim, mais um exemplo que , podemos ser “otimos” em criar algoritmos de extração de dados trabalhando com software Python/R em Data Science, mas isso não necessariamente implica que podemos ter os mesmos insights de quem já tem maior experiência em analisar o mercado imobiliário e suas bolhas…

      Não tem como ser “bom” em tudo…

      2+
      • avatar
    • reznor 18 de outubro de 2016 at 22:47

      amigo, caindo ora 25 ora 50 pontos percentuais amanhã não fará nem cócegas na questão de crédito imobiliário.
      lógico que existe um efeito psicológico muito forte o qual os meios de comunicação e o setor imobiliário vão tentar se aproveitar a fim de incutirem a ideia de que o pior já passou e estamos entrando em um novo ciclo de recuperação.
      adendo: entenda, essa pressão da imprensa por queda de juros já é antiga e intermitente. me lembro de um artigo de um consultor de finanças da InfoMoney apostando numa reversão da SELIC quando esta estava em torno de 13% a.a. eu mesmo resolvi lacrar 15K numa LTN a 13,12%. na época ainda tínhamos grau de investimento! meses depois esse mesmo pré-fixado foi ofertado por mais de 16% a.a. desnecessário dizer porquê, né? ou seja, mais uma análise tipo “faria mais sentido para ajudar a economia”. pois bem.

      se você leu até aqui, a moral da história é que análises desse tipo são pura e simplesmente especulação. o CA bate nessa tecla “on a daily basis”. o tal reaquecimento do mercado depende de um fator já mencionado EXAUSTIVAMENTE neste blogue: renda.
      no mundo real os rendimentos advindos de salários estão numa tendência de queda irreversível. os primary dealers daqui estão menos suscetíveis ao risco de inadimplência. vide exemplo mais expressivo e recente: o BB está pulando fora desse setor. isso é algo muito expressivo!

      óbvio que culturalmente o apelo da casa própria aqui é inexorável, mas simplesmente não há condições no curto prazo (2-3 anos) de reversão creditícia para o setor pelo fator renda. o mais natural é que as vendas de imóveis tomem a retomada com uma queda mais brutal nos preços, em paridade com o poder de compra “ajustado” a realidade. isso também é uma força inexorável… já acompanhou por acaso o número de estoques também EXAUSTIVAMENTE expostos aqui? e quanto a isso taxa básica nenhuma de juros dá jeito.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • O Cramulhao de FHCigienopolis45 19 de outubro de 2016 at 00:12

        Rapaz, só tenho a dizer obrigado! Brilhante insight!

        3+
      • Cesar_DF 19 de outubro de 2016 at 07:47

        Nos anos anteriores a uma recessão, cai o nível de poupança e aumenta o endividamento da população.
        A recessão justamente acontece por ter havido antes um grande movimento de aquisições, onde o dinheiro poupado, ou o dinheiro futuro (empréstimos) é colocado em circulação, ampliando as atividades fabris, mercantis e de serviços.
        Durante a recessão a população procura recobrar seu nível de poupança, eliminando gastos e quitando as dívidas.
        Temos dívidas de curto prazo, com eletrodomésticos, por exemplo, de médio prazo com carros e de longo prazo com imóveis.
        Acontece que muitas pessoas fizeram endividamento de longo prazo, alocando recursos em passivos imobiliários, e o pior, alocaram um valor muito acima do que realmente vale.
        Então, serão vários anos até a volta à normalidade.
        A não ser que o Brasil recobre o grau de investimento e estes trilhões de dolares do FED que estão pulando de pais em pais, decidam vir para o Brasil.
        Eu sou contra, porque este capital especulativo está fazendo o maior estrago por onde passa.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • CA 19 de outubro de 2016 at 04:54

      Cramulhao,

      Em 2012 tivemos a menor SELIC de todos os tempos, de 7,25%, junto com recorde de pedaladas de Dilma, fartura de crédito imobiliário barato, em especial de BB e CEF, nível de emprego em nivel elevado e crescente, inflação em patamar menor que atual, dentre outros fatores benéficos para o crédito imobiliário. Resultado do segmento imobiliário em 2012: pesquisa com 12 construtoras com Ações na BOVESPA revelou o pior resultado de todos os tempos: queda de mais de 20% nas vendas, queda de 42% nos lançamentos, queda de 30% no faturamento, distratos mais do que dobraram passando dos R$ 5 BILHÕES, estoques em unidades mais que dobraram, o prejuízo líquido total destas 12 construtoras passou de R$ 1 BILHÃO e 5 delas passaram a ter dívida líquida superior a 100% do patrimônio líquido.

      Sobre a economia em si, da qual o segmento imobiliário é totalmente dependente:

      Dois tópicos atrás iniciei uma série com comentários sobre “cotas de realidade”. Dê uma lida, em especial nas cotas 1 e 2 que tratam deste assunto. As demais também contém um bom complemento a este respeito.

      Vou tentar compilar os principais pontos abaixo:

      A tendência da SELIC é de queda na ordem de 0,5 pontos percentuais, no entanto, o suposto efeito de aquecimento na economia, que é sempre uma expectativa quando isso acontece, tende a não ocorrer, ou ter um efeito pifio. Motivos:

      1) Pesquisa realizada junto a bancos em maio/16 demonstrou que estávamos em patamar de recorde histórico tanto na inadimplência quanto no spread, depois disso tivemos pequenas variações. Isso significa que os empréstimos para pessoas físicas ou jurídicas estão com percentuais de juros finais que estão em patamares recorde e que portanto não estimulam nem os investimentos das empresas e nem o consumo das famílias. Uma redução de 0,5 pontos percentuais na SELIC não afetam em nada este contexto, ao contrário, se tentarem “aquecer” consumo facilitando crédito, só irão aumentar ainda mais a inadimplência e por tabela o spread e juros finais dos bancos;

      2) Pesquisa realizada junto a volume representativo de empresas de grande porte demonstrou que de 2010 a 2015 o percentual delas em que o caixa gerado (EBITDA) não era o suficiente para pagar sequer os juros das dívidas havia mais do que dobrado. Pelo acumulado o caixa gerado não era o suficiente para cobrir 50% das dívidas. Na verificação de empresas abertas piorou de 2015 para 2016. Conclusão desta pesquisa: não seriam estas empresas que puxariam a recuperação;

      3) Considerando o desemprego, mais subemprego e o potencial real da população economicamente ativa, temos 21% dos consumidores com sua capacidade financeira extremamente fragilizada e com tendência que o desemprego continue subindo pelo menos ao longo dos próximos 12 meses.

      Complemento:

      Link em comentário de tópico anterior fala que BB e CEF tem juros em patamares elevados, entre os maiores do segmento, com a finalidade de recompor perdas, não serão bancos públicos quem terão fôlego para puxar uma queda do spread desta vez, até porque isso foi ineficaz das últimas vezes e só os prejudicou financeiramente.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 19 de outubro de 2016 at 06:59

        Complemento:

        Por que a derrocada das construtoras em 2012?

        O recorde de vendas FALSAS na planta em 2009 e 2010 levou os distratos no ato das entregas destes imóveis, em 2012, a dispararem, mais do que dobrando sobre uma base que já era anormal de 2011 e passando dos R$ 5 BILHÕES.

        Junto com isto, o recorde de vendas para investidores, que QUADRUPLICARAM sua participação percentual nas vendas das construtoras a partir de 2009, sobre uma base de vendas na planta que cresceu muito, levou a um super-estoque no mercado como um todo quando estes investidores receberam estes imóveis em 2012 e os colocaram para vender, o que junto com os distratos acima, levou a um estoque equivalente a 17 meses de vendas só do que estava em poder das construtoras.

        Com a situação acima, o governo no desespero ao ver que a bolha imobiliária estava explodindo, decidiu fazer uma série de ações apelativas, aumentando como nunca as pedaladas, reduzindo drasticamente a SELIC, forçando os bancos públicos a reduzirem ao máximo os juros do crédito imobiliário, dentre diversas outras ações que geraram toda a destruição que vemos na economia hoje.

        Em 2013, várias pesquisas de preços negociados apresentando quedas relevantes nos preços e de lá para cá, a derrocada contínua deste segmento juntamente com a distorção entre oferta e procura só piorando, com uma das construtoras entrando em recuperação judicial e outras dias em reestruturação de dívidas.

        Considerando que o cenário da economia hoje é muito pior, temos super- endividamento de empresas e consumidores, falta de liquidez na economia, alto desemprego, juros e inflação ainda altos, etc, com governo e construtoras com fôlego MUITO menor para pedalar, onde a tendência clara é de só piorar, tudo isto reforça que esta pequena redução na SELIC não irá ajudar em nada às construtoras…

        2+
        • avatar
        • Cesar_DF 19 de outubro de 2016 at 07:37

          Naquela época estava cheio de “investidores”
          Aqueles microapartamentos no centro de são paulo, com 18m2, em 80% dos casos foram adquiridos por “investidores”
          Agora eles sumiram, viram que se fuderam, pois empacaram o dinheiro em um “investimento” com rentabilidade negativa e sem liquidez.

          5+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • CA 19 de outubro de 2016 at 07:06

        Correção: tendência da SELIC cair 50 pontos percentuais e não 0,50…

        0
        • O Cramulhao de FHCigienopolis45 19 de outubro de 2016 at 07:33

          Ou seja, podemos dizer que o mais provável efeito da queda hoje de 0.25 ou 0.5 é NENHUM…

          É caso venha a aquerer (um pouco) o setor, a inadimplencia logo o resfriara e a conta voltará mais cara? Assim quando Dilma baixou os juros na “canetada” e só pioraram as coisas?

          Daria pra fazer um “micro-paralelo” com a Caixa também, não? O governo Dilma na canetada manteve os juros de crédito dos bancos federais artificialmente mais baixos que os bancos privados, mas agora está ocorrendo justamente o inverso!

          Assim sendo, faz todo o sentido chamar o Temer de Dilma agora!

          Eu só acho que ninguém esperava que alguém do calibre do Henrique Meireles entrasse nessa ciranda…

          2+
          • avatar
          • avatar
          • Zé do Brejo 19 de outubro de 2016 at 08:01

            Entendo que apenas uma sinalização, nada além disso. A coisa só vai voltar a recuperar depois que iniciarem as privatizações, antes disso acho muito dificil qualquer recuperação.

            2+
            • avatar
          • CA 19 de outubro de 2016 at 09:14

            Cramulhao,

            É por aí.

            A moral da história é: quanto mais você pedala, mais você aumenta o tamanho do buraco onde está enfiado e menos efetivas vão sendo as pedaladas ao longo do tempo, ou seja, os efeitos colaterais negativos vão ficando cada vez maiores em relação aos “benefícios” das pedaladas e os pseudo-benefícios tem uma duração cada vez mais curta também, ou sequer vão aparecer.

            Sobre o Meireles ele acabou tendo seus trabalhos muito prejudicados pelas mesmas questões políticas de seus antecessores. Além disto, houve um erro estratégico de Temer, que com ou sem a concordância da equipe econômica, poderá custar extremamente caro para ele: ao assumir ele deveria ter feito uma devassa em CEF, BB e BNDES, em seguida, expondo a todos a situação destas instituições e aproveitando para dizer que ações irresponsáveis da gestão anterior levaram a uma bolha imobiliária muito danosa à economia. Além de antecipar o fundo do poço e permitir antecipar o início da recuperação, atribuiria o responsável correto ao problema.

            Por que Temer não fez o que consta acima? Por todo o rabo-preso do PMDB com a bolha, todo o envolvimento do partido com empresas de construção civil, que poderia vir a público se ele “quebrasse a parceria”. Além disto o “mandato” dele é muito curto e só ficaria com a parte ruim, nem esperanças da parte boa apareceriam, como “mensageiro de notícias ruins”, mesmo atribuindo o responsável correto por elas, poderia se queimar demais com o grande público, juntamente com seu partido.

            Como Temer não fez a abertura da REALIDADE e a população de forma geral é extremamente ignorante em relação ao assunto bolha imobiliária, quando não der mais para esconder, a culpa vai ficar com o Temer. O que ele está tentando fazer é empurrar a explosão MAIS VISÍVEL da bolha para 2019, mas a visibilidade em si está fazendo “hora-extra” faz tempo, será difícil conseguir este adiamento. Se conseguirem empurrar para 2019, o que é cada vez mais improvável, o próximo presidente terá a mesma “oportunidade” de revelar a verdade para o grande público, se e somente se não tiver o mesmo rabo-preso que Temer e o PMDB.

            Quem sai prejudicado por esta “batata quente” que é empurrada de um governante para outro e ninguém querendo expor a REALIDADE? A população como um todo, pois como reforcei acima e em diversos comentários anteriores, a cada pedalada a situação só piora para economia como um todo…

            4+
            • avatar
            • avatar
            • Zé do Brejo 19 de outubro de 2016 at 09:47

              Quem não tem rabo preso com a máfia das construtoras?
              Não vislumbro governo nenhum, rompendo essa aliança.

              2+
              • avatar
  • Cajuzinha 18 de outubro de 2016 at 21:12

    Kkkkkkkk

    Vai Que Cola vai falar de Bolha Imobiliária hoje 22:30. Será que o redator é bolhista? Quero ver

    3+
    • avatar
  • Cambura-SC 19 de outubro de 2016 at 00:46

    SampaBoy

    Nada como uma crise para refletir sobre o 666 classico. Dotados de um capital médio/baixo eles sempre tentam imitar a classe rica. E para isso fazem uso apenas de artifícios, pois a cultura que envolve a riqueza está longe deles por séculos, e contas bancárias de distância.. No entanto vão tentar copiar os hábitos externos dos ricos como comprar roupas de marca, carros da moda, aparelhos eletrônicos caros, e o apezinho gourmet, buscando assim se “parecer” com ricos.
    O primeiro passo de sua autoformação é se esforçar para se distinguir do que eles, de forma rancorosa e arrogante, chamam de “pobres”. A pior ideia para eles é a de que um dia poderiam vir a se tornar como os “coitados”, “sujos”, “deselegantes”. Então, passam a gastar todo seu mísero salário de classe média em artifícios para fugirem da imagem de “pobres”.
    Aqui entra o segundo passo: criar uma falsa imagem de si mesmos. Comem mal, estudam mal, trabalham mal, mas se apresentam como “fidalgos” para a “sociedade”. Como diz a expressão popular, comem couve e arrotam caviar. O que lhes importa é parecerem ricos. Vivem dessa imagem, desse autoengano, o tempo todo. Sua energia é praticamente toda gasta nessa tarefa de “parecer” alguma coisa que no fundo jamais serão. É mais fácil para eles, mais cômodo, do que lutar para ser de classe alta.
    Como educação, cultura ou elegância não se compra com dinheiro, o 666 classe média jamais conseguirá adquiri-los. Por isso, mesmo com seus carros medianos do ano, sua roupa de marca (sempre apelativa), sua maquiagens (sempre exageradas), mesmo com todo esse artifício, há algo que deixará claro de quem se trata: o animal mediano.
    Como proprietários de bens tecnológicos, isso não lhes acrescenta nada em termos de qualidade humana: celulares só servem para conversas toscas com pessoas da mesma ordem de idiotice e para fotografar suas imbecilidades e narcisismos vulgares, que são expostos diariamente, ou a cada minuto, nas redes sociais: “eu no cabeleireiro”, “eu diante de meu carro novo”, “eu e meu cachorrinho”, “eu preparando um macarrãozinho”, “eu no espelho mostrando a mim mesmo e meu celular novo”, “eu no barzinho fingindo que sou feliz”, “eu de calça nova”, “eu na academia”, “meu novo corte de cabelo” etc. Uma vida vazia exposta como imagem publicitária de si mesma, como se tivesse algum valor além da própria inutilidade febril.
    Seus novos carros, e sua dívida eterna, com sua música de péssima qualidade (geralmente sertaneja) e no mais alto volume, desrespeitando as pessoas à sua volta, revela a grosseria que tentam esconder nas suas “imagens fabricadas de gente fina”. Mostra a ausência de cultura e civilidade e a porta aberta para se tornarem imediatamente bestas-feras se você os contestar.
    Seus churrascos semanais em eventuais terracinhos gourmets, regados a gritaria, música alta, conversas inúteis, bebedeiras entorpecentes, revelam uma vida desesperada no seu vazio cotidiano, no fracasso que é o trabalho inútil para pagamento de dividas eternas e parceladas a juros exorbitantes , e a total incapacidade de serem donos de si mesmos. Seres complexados e sem identidade, que precisam viver segundo uma falsa imagem de si mesmos, uma vida completamente artificial…

    39+

    Nada melhor que as “redes sociais” para maximizar tudo isso.

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Ilusionista 19 de outubro de 2016 at 07:13

      é bem lá onde as pessoas postam fotos em família, meia dúzia de curtidas.
      Pouco tempo depois a mulher pede divórcio e posta uma foto dela com outro “bonitão”, 120 curtidas dos “Amigos”.

      4+
      • avatar
  • Alemon Fritz 19 de outubro de 2016 at 07:11

    depois dizem que a demanda de habitação vai crescer até 2040…kkk
    (mortalidade subestimada e queda da pop)

    -Sobe para 238 o número de mortes por dengue em Minas neste ano,
    -Jovem morre com suspeita de dengue hemorrágica em Rio Verde, GO
    – BH já registra 50 mortes e 155 mil casos de dengue em 2016
    -DF registra 19,5 mil casos de dengue e 20 mortes pelo vírus este ano
    – Ceará registra 20 mortes por dengue em 2016
    – Casos de dengue ainda não decolaram no Paraná

    2+
  • Cesar_DF 19 de outubro de 2016 at 07:31

    CVR aluguel – DF
    Há cerca de 4 anos, eu queria alugar um apartamento no Top Life Águas Claras, uma mini cidade com 10 prédios e cerca de 1.100 apartamentos.
    Na época estava cerca de R$ 1.400
    Pelo IGPM deveria estar hoje R$ 1.832
    Agora vejo anúncio por R$ 1.000
    Queda de 45% em quatro anos.
    http://df.olx.com.br/distrito-federal-e-regiao/imoveis/taguatinga-top-life-253448946

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 19 de outubro de 2016 at 08:40

      lamento informar mas seu calculo esta errado 🙂 o anunciado esta 45% menor, oferece 900 nesse um ai pra ver se nao aceita rapidinho.

      2+
    • RC 19 de outubro de 2016 at 09:03

      Cesar_DF você tem acompanhado o preço de venda anunciado para os mesmos imóveis?

      Se não rolou queda de 45% como você observou no aluguel, só está se afastando da relação de 150X.

      Águas Claras (apesar do empreendimento citado ser em Taguatinga) tem particularidades, assim como o Noroeste teve, que NMHO não representarão exatamente o comportamento das outras regiões administrativas do DF, mas isso é papo para um longo post.

      1+
    • RC 19 de outubro de 2016 at 09:06

      Agora vi que existe um Top Life Club Residence em Águas Claras, seu anúncio é do Taguatinga Top Life. É isso mesmo?

      1+
  • reznor 19 de outubro de 2016 at 07:38

    pessoal, lamento a formatação porca, mas creio que vale o compartilhamento (acho que vale um tópico, Boss):

    Recuperação judicial da Viver terá efeito na oferta de crédito
    http://www.valor.com.br/empresas/4749111/recuperacao-judicial-da-viver-tera-efeito-na-oferta-de-credito

    A queda de braço entre o banco Santander e a incorporadora Viver sobre o
    processo de recuperação judicial da empresa vem sendo acompanhada de
    perto pelas demais instituições financeiras. O resultado da discussão entre a
    companhia e o banco tem potencial de colocar em xeque o desembolso de
    novos recursos para o financiamento habitacional.
    O que está em discussão é um dos mais importantes instrumentos do crédito
    imobiliário brasileiro: o patrimônio de afetação. Criado por uma medida
    provisória em 2001 e transformado em lei de 2004, o patrimônio de afetação
    tem a função de proteger os compradores de imóveis em caso de quebra da
    construtora. Todos os ativos e passivos de um projeto não podem se misturar
    às finanças da incorporadora.
    O instrumento faz com que, nas situações em que a incorporadora tiver
    problemas, os recursos vinculados a determinados empreendimentos sejam
    usados para garantir a execução das obras. Ou seja, não se misturam às
    demais obrigações da incorporadora. Essa foi uma das reformas que ajudou
    na arrancada do crédito imobiliário no país nos últimos anos. Em agosto, o
    financiamento a imóveis somava R$ 597,3 bilhões, sendo R$ 72,3 bilhões
    para empresas.
    No plano de recuperação apresentado
    pela Viver, a companhia propôs a
    consolidação de todas as suas sociedades
    de propósitos específico (SPE) em um
    único processo de recuperação judicial.
    Dentro dessas SPEs ficam os
    empreendimentos imobiliários da
    empresa, que são, em sua maioria, financiados pelos bancos em regime de
    patrimônio de afetação. Apesar de o uso do patrimônio de afetação não ser
    obrigatório, é prática comum no mercado. Ao todo, a companhia tem 64
    SPEs.
    O Santander, credor de duas dessas SPEs, questionou essa decisão da
    empresa. Segundo o Valor apurou, outros bancos, como o Bradesco, tendem
    a ir pelo mesmo caminho.
    Um executivo responsável pela área de crédito imobiliário de um grande
    banco vê o caso como emblemático. “Será o primeiro grande teste judicial
    para o patrimônio de afetação”, diz. Nas contas dele, caso a tese da Viver
    prospere, há um aumento do risco para os bancos nas operações de
    financiamento habitacional, que passariam a consumir o dobro de capital que
    consomem hoje no balanço das instituições financeiras. O resultado disso é
    aumento de spreads e queda na disposição de emprestar.
    “Se todos os projetos forem colocados em um bolo só, o patrimônio de
    afetação será jogado por terra”, diz o sócio da área de negócios imobiliários
    do escritório TozziniFreire Advogados, Pablo Meira Queiroz. Para o
    especialista, no atual cenário de escassez de financiamento imobiliário, o
    impacto de uma decisão judicial a favor do agrupamento das SPEs deve levar
    ao aumento das taxas de juros para incorporadoras e consumidores.
    “O patrimônio de afetação foi criado exatamente para poder blindar os
    projetos de crédito imobiliário”, afirma o vice­presidente de um dos
    principais bancos de crédito imobiliário do país.
    Outra instituição financeira de grande porte aposta na vitória do Santander.
    “O dinheiro é dos compradores dos imóveis, não da empresa”, diz um alto
    executivo.
    A preocupação dos bancos é que, ao incluir todas as SPEs em uma só
    recuperação judicial, projetos bons acabem se misturando a
    empreendimentos não tão viáveis, reduzindo o valor que um determinado
    financiador tem a receber. A viabilidade dos projetos é um dos itens
    avaliados pelos bancos na hora de conceder o crédito. “O crédito feito para
    empresa tem outro risco, outras características e outros prazos que o feito
    para o projeto”, diz uma fonte.
    Dívidas tomadas por holdings não­operacionais também podem consumir os
    valores a receber de quem financiou projetos específicos, via SPEs. É por isso
    também que instituições financeiras que fizeram mais desembolsos a
    holdings podem ter um entendimento contrário ao do Santander. Um banco
    ouvido pelo Valor, por exemplo, considera que a atividade central das
    incorporadoras está nas SPEs e que, portanto, todos os projetos devem fazer
    parte de uma recuperação judicial.
    Casos recentes dão algum grau de tranquilidade aos bancos que defendem a
    separação. Na recuperação judicial da construtora OAS, por exemplo, o
    Banco do Brasil conseguiu separar do bolo dos demais credores um
    empreendimento da construtora no Estado de São Paulo. O banco financiou a
    construção do condomínio em regime de patrimônio de afetação.
    A lei que criou o patrimônio de afetação foi uma resposta a série de
    problemas do setor imobiliário brasileiro na década de 1990, que culminou
    na falência da Encol, uma das maiores construtoras do país à época, que
    paralisou centenas de obras país afora. O processo levou anos para ser
    resolvido.
    O Valor apurou que, no entendimento da Viver, o patrimônio de afetação só
    deve ser apartado em caso de falência da companhia, mas não em situação de
    recuperação judicial. Isso porque, segundo fonte próxima às negociações, o
    recurso da recuperação judicial busca, justamente, evitar que a empresa seja
    liquidada.
    Segundo Pablo Queiroz, do TozziniFreire, a lei do patrimônio de afetação
    menciona apenas casos de falência e é “omissa” em casos de recuperação
    judicial. Ele defende, porém, que a lei também valha nas recuperações.
    O Santander é credor de um empreendimento concluído e de outro ainda em
    obras, ambos em Nova Lima (MG). No projeto em construção, a dívida da
    Viver com o banco é de R$ 30 milhões, e ainda faltam R$ 70 milhões de
    dívida a incorrer, diz uma fonte. Normalmente, o banco não libera todo o
    financiamento de obras de uma vez. Vai liberando recursos na medida em
    que a obra é contratada.
    Segundo fonte que participou das negociações, o pedido de recuperação
    judicial da Viver foi a saída encontrada pela companhia após a maior parte
    dos bancos credores não ter aceitado ativos em pagamento de dívidas. Desde
    julho, a Viver sinalizou aos bancos que pediria recuperação judicial, diz o
    interlocutor.
    Pesaram também para o pedido de recuperação judicial as ações de execução
    judicial ajuizadas contra a Viver pelo Santander e pela Swiss Re Corporate
    Solutions Brasil Seguros, pois havia o risco de vencimento antecipado de
    todas as dívidas.
    Nos últimos anos, a incorporadora focou sua atuação na entrega dos projetos
    já lançados, na redução do endividamento, principalmente corporativo e no
    corte de despesas gerais e administrativas. A aposta foi que a conclusão de
    obras estimularia as vendas e possibilitaria comercializar as unidades por
    preços superiores aos das unidades em construção, o que resultaria em
    repasse de mais recebíveis para os bancos e geração de caixa.
    A piora do cenário macroeconômico e o aumento dos distratos fizeram a
    velocidade de vendas e repasses ser inferior ao esperado. Esses fatores,
    combinados a elevados custos com a dívida e ao aumento dos processos
    judiciais contra Viver levaram a companhia à apresentar, no fim de junho,
    patrimônio líquido negativo em R$ 348,09 milhões.
    Procurada, a incorporadora não se manifestou sobre o caso.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • reznor 19 de outubro de 2016 at 07:50

      complemento da matéria:
      Companhia envia à justiça parecer sobre consolidação de controladas
      http://www.valor.com.br/empresas/4749113/companhia-envia-justica-parecer-sobre-consolidacao-de-controladas

      A Viver protocolou, ontem, um parecer referente à consulta sobre aplicação
      da consolidação substancial ­ união de ativos e passivos de todas as
      sociedades integrantes do grupo com apresentação de plano único de
      recuperação judicial ­, em decorrência de questionamento do modelo feito
      pelo Santander. O banco é credor de duas Sociedades de Propósito Específico
      (SPEs) da empresa.
      O parecer cita que a legislação brasileira não prevê a possibilidade de pedido
      de recuperação judicial formulado por mais de uma sociedade empresarial.
      Mas, segundo o documento, há entendimento do Judiciário de que o pedido
      conjunto de recuperação deve ser admitido, principalmente, quando “as
      postulantes componham grupo societário”.
      No documento, consta o argumento que incorporadoras são holdings puras,
      que fazem gestão e aporte de recursos em SPEs. A holding da Viver
      desembolsou R$ 980 milhões nas SPEs, inclusive para possibilitar a
      conclusão de obras, segundo o documento. Os financiamentos beneficiaram
      SPEs que possuem ou não patrimônio de afetação.
      De acordo com o parecer, o grupo garante a totalidade do endividamento
      bancário das SPEs. Ao mesmo tempo, várias dívidas da holding têm garantias
      nos empreendimentos. Há, portanto, garantias cruzadas.
      O documento aponta que “se a empresa a ser preservada na recuperação
      judicial só existe como um todo e, se não se está tratando de cenário em que a
      identificação de patrimônios e dívidas poderia ser esclarecida com facilidade,
      pois a unicidade perpassa toda a organização da atividade grupal, percebe­se
      que se está diante de uma das hipóteses de consolidação substancial
      obrigatória”.
      Em petição apresentada pela Viver à Justiça, consta que o Santander nunca
      se manifestou contrariamente ou apresentou ressalva ao fato de a companhia
      contratar dívidas para aplicar recursos nas SPEs. A petição cita que o
      Santander debitou R$ 1.273.331,36 em conta de uma SPE para amortizar
      financiamento de outro empreendimento. O documento pede que seja
      indeferido o pedido do Santander e reconhecida a consolidação na
      recuperação judicial.
      No momento em que a Viver entrou com o pedido de recuperação judicial,
      73,2% de sua dívida financeira estava concentrada na holding e 26,8% nas
      SPEs. Do quadro de funcionários, a holding aloca 64%, e as SPEs, os demais
      36%.
      A KPMG, administradora judicial da Viver para o processo, tem até o fim da
      próxima semana para analisar a consolidação substancial, conforme
      solicitado judicialmente. É possível que a avaliação judicial seja publicada
      após a KPMG se posicionar.
      Com dívida próxima a R$ 1,4 bilhão, a companhia apresentou pedido de
      recuperação judicial que abrange cerca de R$ 1 bilhão de seu endividamento.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • LZ 19 de outubro de 2016 at 08:16

        Isso é um baita TOPICO !!
        Ou seja a lei de SPEs não valeu de nada, pois no final quando a casa cai eles juntam tudo no mesmo bolo, tanto empreendimentos com viabilidade para terminar as obras e que tem dinheiro, quanto aqueles ruins pra caramba que são os últimos a serem lançados e não possuem grana para acabar as obras e não foram comprados.

        No final o Banco não aceitou os ativos como pagamento pois sabia que eles valem menos que o anunciado e tbm tomaram na cabeça pois não podem requerer somente as SPEs nos quais financiou.
        Todo mundo entro no mesmo banco e no fim da fila.

        Se isso acontecer os bancos vão jogar os JUROS lá na estratosfera devido aos riscos dos projetos, nos quais não possuem garantias de receber.
        Com juros na lua, ngm vai querer financiar pois vai custar ainda mais caro.
        Sem financiamento, só há compra para quem tiver economias pois nem somente RENDA vai ajudar pra comprar o imóvel
        O mercado trava ainda mais e os preços serão forçados numa grande paulada para baixo, já que não vão conseguir vender para ngm mais quase.

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Juros Lover BSB-BH 19 de outubro de 2016 at 08:28

          Isso é tão a cara do Brasil…

          3+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • Cesar_DF 19 de outubro de 2016 at 08:34

          Jeitinhos brasileiros
          A incorporadora pega um projeto de um SPE e paga a construtora, por empreita, da seguinte forma:
          1-Na primeira metade da obra, remunera a construtora com 180% do CUB
          2-Na segunda metade da obra, remunera a construtora com 20% do CUB.
          Desta forma, quando a obra chegou na metade, a incorporadora já utilizou 75% dos recursos da SPE.
          Isto é só um exemplo, dá pra fazer outras coisinhas:
          Pagar quem for fazer a terraplanagem com 500% acima da média, e remunerar a construtora com 50% da média, de forma que esta tenha prejuízo.

          12+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • joselito 19 de outubro de 2016 at 10:20

        “bancos credores não ter aceitado ativos em pagamento de dívidas”

        Nossa que burros, a economia se recuperando, os imoveis [sempre] se valorizando, e os bancos não aceitam?

        6+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Cesar_DF 19 de outubro de 2016 at 08:08

    Bolha Imobiliária: O Bizarro Mercado Imobiliário Da Zona Sul Do Rio E Sua Comparação Com O Mercado De São Paulo.

    Apesar do derretimento significativo no mercado de aluguéis aqui no Rio de Janeiro, ainda há evidências de que o valor dos imóveis está exageradamente alto, ao menos nas regiões nobres da cidade.

    Apesar de ser possível comprar imóveis a preço de 2012, até de 2010 (quem precisa vender baixa), não é difícil achar pedidas de R$ 20.000 o metro quadrado para venda, num mesmo imóvel que se aluga por 40 a 50 reais o metro quadrado, algo como 0,2% e 0,25% ao mês (líquido de IR e custos, algo como 0,14% e 0,17%).

    E os imóveis, quase todos, são bem ruins, sem infraestrutura de lazer, garagens precárias e prédios bem antigos e sem modernização.

    …continua
    https://blogdoportinho.wordpress.com/2016/10/18/bolha-imobiliaria-o-bizarro-mercado-imobiliario-da-zona-sul-do-rio-e-sua-comparacao-com-o-mercado-de-sao-paulo/

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 19 de outubro de 2016 at 08:10

    Jornal de Brasília: Crise leva proprietários a cooptar inquilinos de imóveis vizinhos

    Placas indicando imóveis vagos para aluguel se multiplicam pela cidade. Com a recessão, cada vez mais inquilinos entregam as chaves e as unidades ficam vazias. Não há procura e o Distrito Federal acumula quase 16 mil unidades que só juntam poeira com a ausência de moradores. Quem já garantiu sua residência, tenta negociar o valor e evitar o reajuste. O cenário é ruim para os donos das propriedades.

    De acordo com o Boletim Imobiliário do Sindicato da Habitação do Distrito Federal (Secovi-DF), a quantidade de imóveis vagos destinados à locação em agosto era de 15.994, 4.688 unidades a mais que o mês anterior. O aumento da demanda, de mais de 22%, segue uma tendência identificada pelo setor desde fevereiro deste ano. A maior parte dos imóveis disponíveis para aluguel (72,9%) são residenciais. A capital fechou 2015 com 12,1 mil imóveis para alugar, um aumento de 52,6% em comparação ao ano anterior, quando havia 7,9 mil pontos disponíveis.

    Segundo o levantamento DMI-VivaReal, o preço dos alugueis no DF teve redução no primeiro trimestre de 2016 se comparado ao mesmo período do ano passado. Apesar disso, Brasília ainda tem o terceiro metro quadrado mais caro para aluguel no Brasil. Aqui, o trecho custa, em média, R$ 32,14, atrás apenas de Rio de Janeiro (R$ 33,78) e São Paulo (R$ 35,24).

    Continua
    http://observadordomercado.blogspot.com.br/2016/10/jornal-de-brasilia-crise-leva.html

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Jacob 19 de outubro de 2016 at 10:03

      Rapaz, acho que vou mandar esse link para alguns proprietarios que ando negociando….rsrs

      Muito bom, obrigado.

      1+
      • avatar
  • Cesar_DF 19 de outubro de 2016 at 08:12

    As 6 cidades globais com maior risco de bolha imobiliária

    Vancouver é o primeiro lugar em uma lista compilada pelo UBS dos lugares com maior risco de bolha no setor, que também conta com Londres e Munique

    São Paulo – Enquanto o mercado imobiliário paulistano se destaca entre os mais frios do mundo, os preços de moradia disparam em algumas grandes cidades globais.

    http://exame.abril.com.br/economia/a-6-cidades-globais-com-maior-risco-de-bolha-imobiliaria/

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Marcio 19 de outubro de 2016 at 08:30
  • Louro José 19 de outubro de 2016 at 08:37

    Bom dia, amiguinhos.
    Minha aposta é meio ponto de corte hoje mais meio ponto na próxima reunião. Dá uma animada nas pessoas pra fazer um trabalho mais de expectativas.

    Mas a crise continua e não se afastará até que sejam aprovadas a pec do teto e a reforma da previdência.

    2+
    • avatar
    • Zé do Brejo 19 de outubro de 2016 at 08:41

      Bancos com excesso de liquidez e sem tomadores de crédito.
      Alguém aqui disse que haveria dinheiro, mas não haveria quem o tomasse?
      Bingo pro BiB again.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Louro José 19 de outubro de 2016 at 08:50

      “Superada essa importante etapa, abre-se espaço para a sociedade discutir o que deseja para a dinâmica de gastos. Daqui 10 anos saberemos se a sociedade vai preferir: (a) manter a regra para garantir superávits robustos (acima de 5% do PIB possivelmente) e assim reduzir a dívida pública (o que ajudaria o país a ter taxa de juros mais baixa) e até reduzir a carga tributária, que tanto atrapalha o funcionamento da economia; ou (b) simplesmente flexibilizar a regra para obter crescimento dos gastos públicos, pela avaliação que a regra se mostrou muito rígida. Talvez o país fique no meio do caminho. Mas essa discussão pode esperar. Por ora, a sinalização de que a regra não será alterada até estar garantida estabilidade da dívida/PIB é crucial.”

      http://economia.estadao.com.br/blogs/zeina-latif/deixem-a-pec-do-teto-como-esta/

      2+
      • avatar
  • Jacob 19 de outubro de 2016 at 08:59

    Bom dia senhores bolhistas

    Alguem aqui ainda aplica em fundos do BB?
    Qual o melhor fundo pre fixado deles (menor taxa de administracao)?

    1+
    • avatar
  • Louro José 19 de outubro de 2016 at 09:19

    LCI pela Easynvest com prazo de 2 anos remunerando 118% do CDI. Acabei de receber um aviso. Quem quiser, aproveite.

    3+
    • avatar
    • avatar
    • rafa_fv 19 de outubro de 2016 at 10:09

      Com está taxa só achei LC que não é isenta.

      3+
  • CA 19 de outubro de 2016 at 09:50

    Equações do Mundo REAL ou aquilo que a Globo não mostrará:

    Menor SELIC + estímulos à consumo = Aumento da inadimplência + aumento do spread dos bancos (ambos próximos de seu recorde) + “pseudo” recuperação da economia

    Aumento da inadimplência + aumento de spread dos bancos (batendo recordes) = novas quedas no consumo + economia volta a estágio anterior e logo depois piora

    Pedaladas da CEF com crédito imobiliário = aumenta rombo bilionário da CEF + Ativos vendidos não são suficiente + governo faz aporte e prejudica “equilíbrio fiscal”

    Pedaladas da CEF com crédito imobiliário = mais famílias enforcadas e reduzindo consumo de outros itens + novas pioras na economia

    Pedaladas da CEF com crédito imobiliário + Pedaladas das construtoras = distorção entre oferta e procura aumenta cada vez mais (construtoras não reduzem lançamentos como deveriam) + aumento no desemprego da construção civil no futuro próximo fica cada vez maior

    Pedaladas da CEF + Pedaladas das construtoras = aluguel do imóvel comercial não cai o quanto deveria + cada vez mais lojas fechadas ou que não chegam a abrir + novos prejuízos a economia

    Governo não consegue R$ 55 bi em vendas de Ativos e/ou não consegue crescimento de 1,6% no PIB em 2017 = aumento de impostos + novas pioras na economia

    Desemprego REAL = economia ameaça melhorar + soluço de recuperação de empregos + volta a realidade com aumento do desemprego em seguida

    Para quem acha que TODOS os problemas da economia se resolvem só com “equilíbrio fiscal”, SELIC reduzida e privatizações, para refletir:

    => Com liquidez cada vez mais reduzida e juros FINAIS que são cada vez maiores em função do spread que tende a crescer em função das equações acima, de onde virá o DINHEIRO para recuperação / privatizações??? No caso de liquidez estamos falando de consumidores, empresas e BANCOS com problemas de liquidez. Reduzir SELIC combinado com incentivo ao consumo, é só jogar gasolina no incêndio…

    => Tsumoney: já explicado várias vezes por aqui porque não ocorreria. Qual a alternativa para injeção de dinheiro em uma economia sem liquidez? O “equilíbrio fiscal” com déficit de R$ 139 BILHÕES em 2017 não deixa nenhum espaço para governo ter mais ações para colocar dinheiro na economia. Se não é o governo, nem os bancos, nem as empresas ou pessoas físicas, de onde sairá o dinheiro?

    Tirando a falta de dinheiro EM VOLUME SUFICIENTE para recuperação da economia, de resto talvez funcionem as teorias simplistas espalhadas na mídia. Se dinheiro não fizer nenhuma diferença, então estão certos… Logo alguém vai aparecer por aqui e dizer que dinheiro não é problema que o governo se precisar irá imprimir mais (+inflação)…

    Bem, outro ponto interessante, é que se tudo acima estiver errado, significa que pela primeira vez na história do Mundo teremos uma bolha imobiliária, uma crise fiscal e uma crise de corrupção institucionalizada que levaram a rombos ENORMES e RELEVANTES em proporção ao PIB (centenas de bilhões de Reais, no mínimo), que juntas terão uma solução “light”, com baixo impacto para a população. Sem dúvida nenhuma iremos virar um case mundial, faremos parte do “pacote” de cases da Harvard em Macroeconomia, como exemplo da genialidade do povo brasileiro. Lembrando que antes este mesmo tipo de aposta era feita por quem era defensor do Mantega e da genial política expansionista do PT. Aguardemos…

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Louro José 19 de outubro de 2016 at 10:01

    http://www.fazenda.gov.br/centrais-de-conteudos/publicacoes/relatorio-sobre-a-distribuicao-da-renda-e-da-riqueza-da-populacao-brasileira/relatorio-distribuicao-da-renda-2016-05-09.pdf

    http://www.fazenda.gov.br/noticias/2016/maio/200bspe-divulga-relatorio-sobre-a-distribuicao-da-renda-no-brasil

    “Na análise, a população é dividida em grupos de 10%, os chamados decis. E a parcela dos 10% mais ricos é subdivida em faixas de 5%, 1% e 0,1%, como é feito nos países mais ricos. Os números de 2014, declarados pelos contribuintes à RFB em 2015, mostram que o 0,1% mais rico da população brasileira, ou 27 mil pessoas num universo de 27 milhões de declarantes do IRPF, afirmaram possuir R$ 44,4 bilhões em rendimento bruto tributável e R$ 159,7 bilhões em rendimento total bruto.

    Eles possuem 6% da renda bruta e 6% dos bens e direitos líquidos do país. Essa parcela mais abastada também aufere uma renda 3.101% superior ao rendimento médio dos declarantes de IRPF e possuem uma quantidade de bens e direitos 6.448% superior à média. Já os 5% mais ricos possuem 28% da renda bruta e 28% dos bens e direitos. “É uma concentração bastante elevada”, observou o secretário de Política Econômica, Manoel Pires, ao comentar o relatório.

    A divisão em milésimos dentro do centil mais rico também possibilita a comparação entre os ricos. Os números da RFB mostram que o 0,1% concentra 44,3% do rendimento bruto do 1% mais rico. Em outras palavras, no grupo do 1% de pessoas mais ricas do país, apenas um décimo delas possui quase a metade da renda.”

    Aí você faz uma análise de distribuição de renda e “a intelligentsia (imprensa) trata categorias estatísticas como pessoas de carne e osso, ignorando que as pessoas de carne e osso mudam de status ao longo de suas vidas”, como diz Thomas Sowell em Os Intelectuais e a Sociedade. Pior! Usam isso pra justificar aqueles ignóbeis Imposto Sobre Grandes Fortunas e Imposto Sobre Heranças

    A maioria aqui deve ter começado trabalhando de estagiários, ganhando salário mínimo ou perto disso e uns tempos depois empreendeu, passou em algum concurso, ou se qualificou mais e elevou seus rendimentos, alguns talvez até ascendeu ao topo da pirâmide, no nível dos 0,1% mais ricos.

    Faltou um estudo de mobilidade social aí nesse relatório pra uma correta análise de desigualdade. Uma pena.

    2+
    • avatar
  • Cesar_DF 19 de outubro de 2016 at 12:38

    MICROAPARTAMENTOS

    Lembro-me da matéria, ha uns 2-3 anos, sobre microapartamentos no centro de São Paulo, que eram comercializados a 18K/m2
    Fui procurar no ZAP para ver por quanto estavam sendo alugados.
    Local: região central de são paulo, área menor que 30 m2
    Somente aquele mobiliados
    Achei impressionante a variação do valor anunciado, de 43/m2 até 120/m2
    Seria então uma variação de 418X até 150X
    Fui no Trovit e selecionando exatamente com os dados acima, filtrei por aqueles que tiveram redução no valor.

    De 1.840 para 950, com condomínio de 1.750, detalhe: anúncio publicado a 229 dias kakakakaka
    http://www.imovelweb.com.br/propriedades/aluguel-de-flat-no-jardins-acesso-ao-centro-e-a-outros-2925914362.html?utm_source=Trovit&utm_medium=CPC&utm_campaign=Ciudad_Sao_Paulo&ocultarDatos=true

    De 3.300 por 1.770, com condomínio de 1.308
    http://www.imovelweb.com.br/propriedades/flat-para-alugar-no-itaim-bibi-1-dormitorio-2928202904.html?utm_source=Trovit&utm_medium=CPC&utm_campaign=Ciudad_Sao_Paulo&ocultarDatos=true

    Vi que nos casos que estão com alto valor, que os anúncio estão publicados a mais de 6 meses.
    Considerando um valor de aquisição de 18K/m2 e de locação a 50/m2, temos um fator X de 360
    A rentabilidade bruta seria de 0,27% ao mês
    Com uma taxa de administração de 10% a rentabilidade cai para 0,243% mês.
    Com o pagamento de 27,5% de IR, a rentabilidade cai para 0,176% ao mês.

    Mesmo desconsiderando a depreciação do bem, mas considerando a vacância e o altíssimo valor do condomínio, a rentabilidade real deverá ser negativa.
    UAUUU QUE INVESTIMENTO !!!

    TROVIT
    http://imoveis.trovit.com.br/index.php/cod.search_homes/type.2/what_d.centro%2C%20s%C3%A3o%20paulo/sug.0/isUserSearch.1/origin.11/order_by.relevance/city.S%C3%A3o%20Paulo/area_max.30/property_type.Apartamento/decrease_price.true/
    ZAP-IMOVEIS
    http://www.zapimoveis.com.br/aluguel/apartamentos/agr+sp+sao-paulo+regiao-do-centro/#{“areautilmaxima”:”30″,”parametrosautosuggest”:[{“Bairro”:””,”Zona”:””,”Cidade”:”SAO PAULO”,”Agrupamento”:”Região do Centro”,”Estado”:”SP”}],”pagina”:”1″,”paginaOrigem”:”ResultadoBusca”,”semente”:”1261116819″,”formato”:”Lista”}

    2+
    • avatar
    • avatar