A cada quatro imóveis, três são vendidos com desconto – ClicRBS

Você pode gostar...

Comments
  • KIII 4 de outubro de 2016 at 14:25

    CVR – Vendi meu ap. Coloquei para vender a R$ 350 mil. Baixei para R$ 330 mil depois de 9 meses sem proposta. Estou fechando a R$ 310 mil (primeira e única oferta) depois de 12 meses a venda. Condição de pagamento: dinheiro, à vista.

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • John Horse 4 de outubro de 2016 at 15:55

      Se concluir o negócio e receber todo o dinheiro, solte rojões!

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • gmlinux 4 de outubro de 2016 at 18:10

      Quanto deu o metro quadrado?

      6+
      • KIII 5 de outubro de 2016 at 16:17

        R$ 5 mil.

        2+
  • reznor 4 de outubro de 2016 at 14:27

    Se vendeu recentemente considere-se uma pessoa de MUITA sorte. ;-D

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • MINEIRO SPY 4 de outubro de 2016 at 14:30

    Semnick

    Obrigado por trazer suas reflexões. São muito importantes e esclarecedoras. Conversando com um cara outro dia, relatou que empresas como as geradoras/distribuidoras de energia como a CEMIG tendem a ser extintas em um horizonte de 20 anos, pois a autonomia dará saltos em breve. Da mesma forma as empresas de água terão seu papel reduzido. Petro vai nessa linha.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Semnick 4 de outubro de 2016 at 16:48

      Mineiro, a energia é a chave para a liberdade.
      Teremos nas proximas décadas o extermínio de alguns setores. Todos setores que dependem ou foram desenvolvidos com base em energia suja vão desaparecer, inclusive a construção de imoveis.
      É bom ficar antenado nesse percurso pra poder aportar em novos investimentos financeiros alinhados a nova fase.
      Estou de olho, e tudo que eu ver vou dividir por aqui.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • reznor 4 de outubro de 2016 at 17:32

        Vc recomendaria alguma literatura interessante sobre o tema?

        4+
        • Semnick 5 de outubro de 2016 at 05:05

          reznor, não vi em livros nem procuro, pois infelizmente sempre há muito atraso, mas em pesquisas cientificas tem muita coisa, tenho contato com alguns colegas, mas é de forma restrita e particular, posso comentar por auto.
          Algumas tecnologias são comentadas em alguns jornais, normalmente em notas de rodapé, e olhe lá.
          Por outro lado, como trabalhei muito tempo no meio financeiro aprendi a observar o meio. Por aqui onde estou a população tem instalado paineis solares, e moinhos (geradores eolicos), em poucos locais usam o carneirinho (bombeiam agua não sei o nome dado aqui). Conforme se anda de onibus, carro ou trem é clara a visão das instalações.
          Na Italia vi campos de energia, poucas são as casas que instalaram, mas nos países do norte mais de 90% dos domicilios possuem, principalmente Alemanha. Isso é tendencia há mais de 4 anos. Holanda tem usado a nova tecnologia eolica para conter avanço do mar.
          As pesquisas que tive acesso estão cada vez mais voltadas para autonomia de pessoas físicas.
          Em relação a industrias de transformação, muitos reatores (mercurio selado, thorium, e etc.. sem o uso da energia nuclear antiga e problematica) vem substituindo as antigas fontes energéticas. Industrias que utilizam corte, tem usado potencialmente o laser nas folhas de aço (não lembro o nome que dá ao corte em chapas). Mas o grafeno tem substiuído ligas metalicas com eficiencia e economia, a quantidade de pesquisa com o grafeno é imensa no mundo inteiro. O grafeno está sendo estudado profundamente pois ele elimina muitos materiais atualmente em uso, e com vantagens. na transformação, durabilidade e possibilita tecnologias que ligas metalicas não possibilitam.
          Deve ter alguns cientistas no blog que estudam energias – (novos caminhos) e novos materiais – talvez eles possam indicar alguma publicação de acesso liberado e intelegível ao publico.

          4+
          • avatar
          • O Cramulhao de FHCigienopolis45 5 de outubro de 2016 at 07:43

            Bom, sou Físico e antes de entrar para análise crediticia no Real Estate por $$$ fiz pesquisa em nano antennas no Reino Unido (Nano antennas usam os conceitos de quantum dots , weĺls e wires para a captacao/transformação energetica). Se precisar de algum “insight” estamos aqui.

            Seguuuuuuura a Bolha!

            3+
            • avatar
            • Semnick 5 de outubro de 2016 at 08:42

              Ooooo colega da física… O que me lembro do quantum dots estava relacionado com biomedicina e estavam começando a xeretar em lasers (se me lembro bem e não me engano, faz anos)…
              Que materiais vc trabalhou nas antenas e qual objetivo? (Se o Boss não limar a gente tá bom).
              Estou trazendo algumas informações de energia livre e autonoma pro pessoal do blog, justamente por que acredito em novos nichos no mercado. Vai que de repente apareça uma empresa em que podemos apostar $$$.!!! Muitos olhos, mais chance de não perder,e pra observarem empresas de energia atuais, as mudanças estão mais rapidas que acreditamos.
              De biotecnologia sei quase nada (não acompanho, só tenho alguns informes indiretos, embora tudo que me passaram foi bem consistente).
              Divida seu saber, somos dois ex-atuantes da física, minha praia (que não tenho como continuar é Cosmologia, Física das altas energias, lógico que quantica e relatividade, e sempre babando pra ter um insider do CERN hahahah).

              2+
              • avatar
              • O Cramulhao de FHCigienopolis45 5 de outubro de 2016 at 09:36

                Usávamos ouro mesmo, como eram pesquisas em nível acadêmico, não precisavamoss pensar na produção em escala e custos relativos.

                Larguei a área porque em qualquer lugar do mundo hoje em dia ser Físico é viver com um salário de mil a 3 mil euros no máximo e ficar e stressado esperando investimento.
                Voltei para o Brasil pra quem sabe ficar “rico” com esses juros maravilhosos e viver de renda trabalhando no mercado financeiro (com 5 milhões de reais em investimentos eu vou poder me dar o luxo de viver de renda no Brasil, na Europa isso seria impossível, juros muito baixos).

                Mas se eu tiver capital pra investir numa start up que desenvolva nano antennas aqui no Brasil nos próximos anos, não penserei duas vezes. Conheci o pessoal da NANOCO, que inclusive já tem stocks na Bolsa de lá, e foram os primeiros a produzir quantum dots sem cádmio (ou seja, não toxicos), que seria o Santo Graal da aplicação de tal tecnologia na Biomedicina, como você bem lembrou.

                A respeito do CERN, já fui lá, mas só como visitante. Legal ver a história, mas é chato, eu deveria ter passado mais tempo na Suíça conhecendo o mercado financeiro.

                Seguuuuuuura a Bolha!

                3+
                • avatar
              • O Cramulhao de FHCigienopolis45 5 de outubro de 2016 at 09:38

                A so pra responder, o papel do laser na produção de nano antennas é o de fazer a nano litografia, ou seja, como um desenho num circuito impresso estabelecendo as partes da “rectenna”.

                2+
              • O Cramulhao de FHCigienopolis45 5 de outubro de 2016 at 09:41

                E sim, como ex-USPIANO , tô de olho na galera que trabalha com isso. Quando trabalhava na Europa usei duas referências do IF-USP e da POLI-USP na área. Só não avançam mais por falta de grana. Vamos ver nos próximos 10 anos.

                2+
          • reznor 5 de outubro de 2016 at 08:36

            Caramba, fascinante! Vou ‘guardar’ este post e começar a pesquisar…
            Obrigado pelos insights!

            2+
            • avatar
            • Semnick 5 de outubro de 2016 at 08:43

              reznor, lembrei que tinha um forum de nanotcnologia,só não lembro o nome. Mas acho que no google vc acha

              2+
              • avatar
          • chigo 5 de outubro de 2016 at 15:32

            Autonomia de pessoas físicas?
            Que raio é isso?
            Geração de energia hidrica ainda vai demorar décadas para ser (se for) extinta. Sistemas solares e eolicos ainda vão demorar muitos anos para se tornarem significativos (acima de 50%) na nossa matriz energética.

            0
        • Master Yi 5 de outubro de 2016 at 08:14

          Cara, tem um livro que trata muito bem o tema, inclusive sobre perspectivas futuras de curto prazo.
          Livro: Abundância: O Futuro é Melhor do que Você Imagina, por Peter H. Diamandis.

          3+
          • avatar
      • Dr. Brown 5 de outubro de 2016 at 11:33

        Eu acho que estamos perto de uma nova revolução tecnológica e social. “Perto” pode ainda ser daqui a 20 ou 30 anos.
        Mas eu acho que uma coisa “simples” como os carros autônomos vai mudar totalmente nossa sociedade. O automóvel mudou muito as sociedades industrializadas no inicio do século XX. Nos EUA os carros criaram os “subúrbios”. Definiu com as casas foram construídas, o desenho dos bairros e cidades.
        Em um futuro próximo não haverá mais a necessidade de carros particulares, vc usa quando precisa. A indústria automobilística vai ter que mudar muito.
        Claro que haverá os Old schools que gostarão de ter carros, como ainda hoje tem gente que tem relógio de pulso, mas será um mercado diferente.
        Por isso as montadoras terão aumentar muito a produtividade, produzido carros mais avançados, econômicos e mais baratos, algo que aconteceu com o computador.
        Essas mudanças também afetarão a construção civil, indo na mesma direção. Não a necessidade de demorar anos e empregar tanta mão de obra para construir casas e prédios.
        Esses dois setores são hoje os que mais empregam, justamente porque nunca precisaram ser tão eficientes, baseando muito mais na vaidade do consumidor do que na busca pela qualidade (do consumidor). Claro que houve melhoria por causa da concorrência, mas dentro de certos limites que protegiam a todos os atores.
        Uma hora qualquer alguém aperfeiçoa a tecnologia de impressora 3D para a construção civil e em dois dias teremos casas de alta qualidade por uma fração do preço.

        3+
  • baiano 4 de outubro de 2016 at 14:57

    Alguem postou sobre investir em Miami, USA. Bolha nao e so no Brasil nao.

    Olhem isso:

    http://wolfstreet.com/2016/08/15/doom-and-gloom-scenario-for-miami-condo-bubble-bust-and-its-banks/

    4+
    • avatar
  • Cesar_DF 4 de outubro de 2016 at 15:01
  • Cesar_DF 4 de outubro de 2016 at 15:02

    Leilão de sede do Olaria fracassa pela 4ª vez; falta de interesse é boa notícia

    http://www.dgabc.com.br/Noticia/2329208/leilao-de-sede-do-olaria-fracassa-pela-4-vez-falta-de-interesse-e-boa-noticia

    7+
    • avatar
    • avatar
    • cesarkebrado 4 de outubro de 2016 at 15:21

      Falta de interesse não, é falta de dinheiro mesmo kkkkk, aqui na banania se não for a crédito nem celular de 1 k você vende.

      25+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Sergio Soares 5 de outubro de 2016 at 08:43

        Concordo plenamente!

        3+
      • Sergio Soares 5 de outubro de 2016 at 10:50

        Cara, vou postar uma “especie” de CVR que vejo acontecer aqui no trabalho:
        Pessoal terceirizado do prédio (limpeza, portaria, vigilância) que eu sei que ganha milão por mês, usa celularzinho de 1k5! O sujeito tem que trabalhar mais de um mês para conseguir comprar! E para reforçar o que vc colocou sobre o crédito, realmente esse pessoal compra nas casas Baianas pagando em 15x, 20x que cabe no bolso. Tem até alguns casos que aconteceram desse pessoal que “quebrou/perdeu” o telefone e nem acabou de pagar. Só que o pior vem agora: Sujeito tah pagando o celular que nem tem mais e ainda vai lah e compra outro do mesmo calibre porque “não” pode viver sem o seu querido Smartphone.
        Tah fod*h!

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Money_Addicted 5 de outubro de 2016 at 12:12

          trate-os com carinho, eles pagam nossos juros 🙂

          9+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • joselito 5 de outubro de 2016 at 16:37

            Onde trabalho existem casos semelhantes.
            Tratamos com carinho, até o limite em que eles perdem, são furtados, ou os fones quebram e o pessoal da “repartição” quer fazer “vaquinha” para comprar outro.
            Eu mostro meu Nexus 2007 velho e falo:
            – Contribuir com a vaquinha ou não vou não, mas caso queiram fazer uma para mim oh, meu fone ta veeeeeelho…..

            (caso assim ocorreram 3x nos ultimos 2anos)

            5+
            • avatar
            • joselito 5 de outubro de 2016 at 16:37

              Contribuir com a vaquinha eu* não vou não…..

              0
    • Louro José 5 de outubro de 2016 at 08:52

      Cara, quem vai querer comprar essa merda? Está tombado pelo poder público. Não pode fazer obra, não pode derrubar, não pode usar pra nada que não seja alugar pra jogos de futebol.

      QUEM VAI QUERER COMPRAR UM IMÓVEL SE NÃO PODE USAR?

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 4 de outubro de 2016 at 15:10

    É importante ler as letras miudas no final desta “reportagem” KAKAKAKAKA
    “Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra”
    ———————————————————————–
    Após Copa do Mundo e Olimpíadas, o “boom” do mercado corporativo carioca
    Neste momento em que o mercado carioca está favorável é fundamental criar ações para conquistar e fidelizar o público-alvo.

    O mercado no Rio de Janeiro está aquecido como um todo após os eventos esportivos terem sido realizados na cidade. Isso quer dizer que o mercado imobiliário, segundo a Secovi-Rio, teve um “boom” com mais de 200% de valorização no metro quadrado em seis anos, o que despertou um otimismo no mercado local, em contrapartida à crise econômica vivida no Brasil.

    Além da Copa do Mundo e Olimpíadas, todos os anos o Rio de Janeiro é palco para centenas de eventos, que envolvem esportes, moda, comunicação, tecnologia, empreendedorismo e muito mais. Por isso mesmo, é uma cidade que sempre chama a atenção de investidores, além, é claro, dos profissionais de marketing que sabem como o mercado corporativo carioca é aberto e receptivo às campanhas promocionais.

    Porém, é importante frisar que, neste momento em que o mercado carioca está favorável, a concorrência se torna ainda mais ativa.

    https://noticias.terra.com.br/dino/apos-copa-do-mundo-e-olimpiadas-o-boom-do-mercado-corporativo-carioca,4db900205f5c097441fe95c46c531f1duso9cghi.html

    8+
    • avatar
    • avatar
    • fanfarraum 4 de outubro de 2016 at 15:25

      Fora as baboseiras econômicas, as baboseiras gerenciais…

      “De acordo com a Luminati Brindes, especialista em brindes Rio de Janeiro (http://www.luminatibrindes.com.br/), é neste cenário que vem à tona a importância de se trabalhar a marca, para conquistar e fidelizar o público-alvo. Ou seja, investir em campanhas promocionais que realmente vão agradar e serem úteis no dia a dia do receptor.”

      Ora bolas, em um outro cenário não é importante trabalhar a marcar? Nem sempre é importante conquistar e fidelizar o público alvo?

      8+
      • avatar
      • avatar
      • lampiao carioca 4 de outubro de 2016 at 22:50

        Materia mentirosa. O primeiro “ploc” do Brasil será na cidade do Rio sem dúvidas. Se um governo de esquerda ganhar, adianta ainda mais esse “ploc”.

        6+
        • Cesar_DF 4 de outubro de 2016 at 23:59

          O ploc em Brasília já ocorreu, valores reais praticados já estão de 30 a 50% abaixo do praticado em 2013

          7+
          • avatar
          • avatar
  • Cesar_DF 4 de outubro de 2016 at 15:26

    Se a bolha dos EUA estourar, podemos ter uma crise pior que a de 2008, diz Ricardo Amorim

    Pera ai, o CIMENT INDEX do EUA está baixo, por isso não é possível que estoure uma bolha imobiliária! kakakakaka

    http://www.infomoney.com.br/mercados/noticia/5328483/bolha-dos-eua-estourar-podemos-ter-uma-crise-pior-que

    9+
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 4 de outubro de 2016 at 15:34

      Amorinha? Nem li, nem vou ler

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Dr. Brown 4 de outubro de 2016 at 20:46

      Ah mas o amorim acabou de dizer que é hora de comprar:

      https://www.linkedin.com/pulse/hora-de-investir-em-im%C3%B3veis-ricardo-amorim

      Nem sei o que ele disse, não perdi meu tempo lendo.

      6+
      • avatar
      • reznor 4 de outubro de 2016 at 22:10

        Recordar é viver:
        Bolha imobiliária brasileira: Delírios no Terceiro Mundo (Parte I)
        https://www.youtube.com/watch?v=kSYdy08UVpY
        Mesmo acompanhando quase que diariamente os noticiários sobre o tema, ainda me causa estupefação testemunhar a vilania da imprensa no Bananistão. Tirando o Samy e um ou outro economista, impossível levar a sério essas reportagens vendidas.
        Compreendo o porquê do CA ser tão revoltado com os negadores da bolha e defender tão estoicamente seus argumentos (melhor dizendo, os fatos).

        15+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • odorico 5 de outubro de 2016 at 14:53

        Divulguem, divulguem, divulguem. Vamos cultivar 666

        1+
  • cesarkebrado 4 de outubro de 2016 at 15:44

    Eu dei uma corrida em todos os 39 sites de imobiliaria da minha cidade esse fim de semana, eu faço isso de 3 em 3 meses mais ou menos na parte de casas para alugar e a surpresa é que pela 1ª vez desde que comecei a fazer isso (2013 pra cá) houve baixa nos valores pedidos em 10%, isso em casas que estavam já anunciadas, por exemplo casa que tava anunciada a 3 meses por 2 k foi baixada para 1,8 k. Das 39 imobiliarias, 16 baixaram a pedida, mas, essas 16 são mais ativas, quase a metade (umas 20) restante se percebe que é imobiliaria de corvo que já não ta fazendo nem pra pagar provedor do site.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • rogerio 4 de outubro de 2016 at 17:23

      Apos 10 meses acompanhando o alugeul do apartamento, que continua vazio, baixou 10% e continua vazio….

      Antes era R$1200, agora R$1100, eu tinha oferecido R$900 há 5 meses atras…. vai ter que sangrar ainda…

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 4 de outubro de 2016 at 15:46

    Conclusão: leiloaram 573 imóveis e só conseguiram vender 16

    BRASÍLIA – O Ministério do Planejamento publicou no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, dia 27, um lista de 230 imóveis públicos para venda, dos quais 227 da União, três da Superintendência de Seguros Privados (Susep) e 11 da Marinha.

    Este é o quarto lote autorizado pelo governo federal neste ano. Em abril foram divulgados dois lotes, um de 138 bens e outro de 196. Em janeiro, o governo lançou o primeiro lote, com 239 unidades. A Caixa Econômica Federal será a responsável pela gestão, execução e financiamento dos leilões.

    O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão arrecadou, até o momento, R$ 26 milhões com a venda de imóveis da União. O valor foi ganho com a negociação de 16 unidades. O processo de alienação dos imóveis começou em janeiro. O governo anunciou a política de vendas em 2015, para obter recursos e custear reformas em prédios públicos e, assim, economizar no aluguel e manutenção.

    Na ocasião, o Planejamento informou a expectativa de arrecadar ao todo R$ 1,5 bilhão com a venda de imóveis. Segundo a pasta, o valor obtido até agora é baixo devido ao fato de o processo estar no início e as etapas para concretizar as operações serem demoradas.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Thiaguinho 4 de outubro de 2016 at 16:15

    Ou seja, se o Finge Zap tivesse um pouco de dignidade, faria o cálculo de preço médio em cima dos preços negociados, e não os anunciados (95% anunciados por 666s)

    10+
    • avatar
    • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 4 de outubro de 2016 at 16:19

    Desconto? Ué, imóvel não valoriza e tem tendência eterna de aumentar de preço?

    9+
    • avatar
  • Cajuzinha 4 de outubro de 2016 at 16:48

    Entidades do setor imobiliário realizam evento para alavancar as vendas de imóveis
    A “Convenção de Vendas” é uma das ações estratégicas para alavancar ainda mais a venda de imóveis até o final do ano no Amazonas

    http://www.acritica.com/channels/cotidiano/news/entidades-do-setor-imobiliario-realizam-evento-para-alavancar-as-vendas-de-imoveis

    7+
    • avatar
    • avatar
    • Semnick 4 de outubro de 2016 at 16:54

      kkkkkk. Vão percorrer a terra toda e talvez consigam vender urtiga.
      Povo sem noção…
      Ruim mesmo é que ainda tem alguns de idiotas voadores que se lançam na compra de imoveis. Mas por ironia do destino, ou justiça profética, cada dia mais diminuem os que tem grana e se aventuram. Uma hora esse mercado só vai existir nos livros de história, do jeito que a coisa está, porque renda, não tem e não terá.
      Boa noite a todos … inté amanhã. 😛

      10+
      • avatar
  • rogerio 4 de outubro de 2016 at 16:55

    MILAGRE a RBS divulgar isso, já que ela tem muito dinheiro de imobiliarias e construtoras anunciando nos seus veículos.

    8+
    • avatar
    • avatar
  • bhsurreal 4 de outubro de 2016 at 17:53

    E em BH o tal índice do FipeZap só sobe nos últimos 12 meses…não consigo entender o que acontece aqui

    4+
    • gmlinux 4 de outubro de 2016 at 18:18

      No site netimoveis, o bairro que acompanho em BH esta caindo.

      Uma possibilidade seria o imóvel mais barato estar sendo alugado e saindo da base de cálculo de média anunciada para venda/aluguel, assim a média sobe…

      3+
      • Juros Lover BSB-BH 4 de outubro de 2016 at 18:21

        Bh tá caindo com certeza…

        3+
        • avatar
    • Cesar_DF 4 de outubro de 2016 at 23:13

      Cesar_DF 20 de julho de 2016 at 13:06
      Interessante pesquisa sobre Belo Horizonte
      Tem dados sobre ITBI, comercialização e locação de imóveis.
      http://www.ipead.com.br/site/publicacoes/mercadoImobiliario

      Baseado no ITBI, com uma amostra de 1026 apartamentos, o valor por m2 foi de R$ 3.665
      Enquanto isso, o preço médio por anúncio no FIPEZAP é de R$ 5.921
      O “desconto” médio então é de 38%

      Achei interessante a metodologia, o zero deles, de todos os índices, incluindo o IPCA, começam como “100” em julho de 1994.
      Então dá para ver aqueles que estão sobrevalorizados e os subvalorizados comparando-se com o IPCA

      Locação de imóveis residenciais = 490,76 / IPCA abril/2016 = 515,80
      Locação de imóveis comerciais = 750,86 / IPCA abril/2016 = 515,80
      Venda de apartamentos = 692,44 / IPCA março/2016 = 512,84
      Venda de salas comerciais = 506,14 / IPCA março/2016 = 512,84
      Venda de lojas = R$ 403,21 / IPCA março/2016 = 512,84

      Dividindo um pelo outro temos:
      Locação de imóveis residenciais está subvalorizado em 4,9%
      Locação de imóveis comerciais está sobrevalorizado em 45,6%
      Venda de apartamentos está sobrevalorizado em 34,2%
      Venda de salas comerciais está no valor justo
      Venda de lojas está subvalorizado em 21,3%

      Conclui-se que
      1 – O valor de venda dos apartamentos ainda terá que cair 34,2% para haver reequilíbrio.
      2 – Como nos apartamentos os valores reais da transação estão sendo 38% abaixo do FIPEZAP e ainda subiram 34% acima do IPCA, é esperada uma queda de 60% nos valores anunciados de venda.
      3 – Estão surgindo muitas notícias de comércio fechando as portas em Belo Horizonte, um custo de locação sobrevalorizado em 45% contribui com isso.

      10+
      • avatar
      • avatar
  • bhsurreal 4 de outubro de 2016 at 17:54

    O cara coloca imóvel pra vender, fica meses sem nenhuma proposta e continua batendo pé no preço absurdo pedido.

    13+
    • avatar
  • Marcio 4 de outubro de 2016 at 18:34

    http://www.reclameaqui.com.br/YXaLts1RXDPXJ-bE/caixa-economica-federal/saldo-devedor-de-financiamento-habitacional-nao-esta-diminuindo/

    Meu nome é Carla e em 19/12/2014 fiz um financiamento habitacional pela caixa econômica no valor de R$ 284.400,00 conta com relacionamento para ter uma taxa de juros menor. Mas este mês tive uma surpresa descobri que pela planilha de evolução da divida neste mês de agosto estaria com uma divida em torno de R$270.000,00 mas pelo que o responsável pela agencia caixa Turiassu me passou estou com um saldo devedor em torno de R$ 279.000,00. Quando questionei seu funcionário o mesmo me disse que devido a crise a TR esta mais alta e diminui a amortização. Sendo que deveria amortizar R$ 677,13 e isso não esta ocorrendo. Gostaria de saber se o que assinamos na data de aquisição não vale nada pois desde esta data meu saldo devedor não tem diminuído. Pelo jeito vou ter que ir a justiça por propaganda enganosa e neste ritmo não conseguirei pagar as parcelas e perderei o imóvel.

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • JJJ_brasilia 4 de outubro de 2016 at 18:42

      Marcio,

      Isto é só o começo, são poucas pessoas que veem o saldo devedor, a maioria só reclama se a prestação aumentar, lógico que o que levou os 666 a irem atrás do saldo devedor, foi que a prestação não caiu.

      Não reclamem na Caixa, melhor irem atrás do coRvo que prometeu que as parcelinhas iam cair. Não leu o contrato e acreditou no coRvo, agora ARDAM!!!

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • gmlinux 4 de outubro de 2016 at 19:18

      Rolou uma lágrima…
      Será que ela leu o contrato?
      Será que ela viu uma mensagem do tipo que a planilha era uma simulação apenas?
      Ops, usou a digital no campo da assinatura…

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Lucas 4 de outubro de 2016 at 20:33

      sabe quando eles olham pro saldo devedor ???
      tcahn tchan suspense:


      Quando eles vê que tão fudido e põe pra vender
      o saldo devedor é o preço mínimo que eles vão anunciar pra quitar a dívida

      E Surpresaaaa:
      O saldo devedor continua lá no alto, e o imóvel caiu de preço,
      estão ETERNAMENTE amarrados na p—) do motumbo

      Agora entendem porque é importante pro banco/governo/mercado que se mantenha de pé a máscara da estabilidade de preço ???
      Por enquanto estão pagando até o feijão no cartão de crédito, fazendo dívida pra esperar a recuperação

      Se percebesseem que estão pagando por uma mentira, que nunca vão se livrar da encrenca
      Haveria uma onda de inadimplencia
      Portanto É fundamental manter as aparências.

      E nem falo do custo de oportunidade, da TD2035 ter rendido 44% em 9 meses de 2016

      27+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Louro José 5 de outubro de 2016 at 08:47

      Ela assinou estando ciente de que seriam juros mais TR.

      surpresa!

      6+
      • joselito 5 de outubro de 2016 at 10:28

        Seus falastrões.
        O CoRvonídeo me disse que TR é zero vírgula alguma coisa!!
        Contrato não vale mais nada nesse país?
        rsrsrs (estou sendo irônico).

        Agora sério:
        – Tenho quase convicção (existe isso?) de que a trolha não vai ser exclusiva dos 666. Ela será compartilhada. Ainda não sei a forma, mas, por exemplo, vemos decisões judiciais protegendo o 666, reduzindo juros, etc. Nessa toada, o banco levando ferro, podem rolar medidas que socializarão os prejuízos, enfim, sei lá, por exemplo: terminar por doar MCMV pro povo dá voto, né?

        5+
    • rogerio 5 de outubro de 2016 at 09:23

      devia tentar vender por um preço maior, afinal cada hora que passa valoriza um pouco…

      5+
  • gmlinux 4 de outubro de 2016 at 18:48

    Esta notícia é desoladora para corvos de plantão:
    https://economia.terra.com.br/fmi-piora-previsao-de-desemprego-no-brasil-no-ano-que-vem,1491ad4ce8b50d2731af68634ea47a996pgwmwpd.html

    Pressiona ainda mais a disponibilidade de crédito (sangra FGTS e poupança), diminui número de candidatos a comprador, tanto diretamente (desempregado) quanto por falta de confiança.
    Pena que neste ritmo os juros podem ter que baixar, menos lançamentos, menos CRIs e LCIs…

    5+
    • avatar
    • odorico 4 de outubro de 2016 at 19:21

      Desoladora para todos nós. Vamos ver se aprendemos e deixamos de ter mentalidade esquerdista.

      12+
      • bolha real 4 de outubro de 2016 at 21:44

        ??????

        4+
      • gmlinux 5 de outubro de 2016 at 05:43

        Verdade, o corvo aqui pode ser generalizado, não apenas os corretores, também os que estão torcendo pelo agravamento da crise (para comprar imóvel), ou os que torcem pelos juros altos, e neste último ponto me incluo, neste ritmo, estamos matando a galinha de ouro…

        2+
  • Lucas 4 de outubro de 2016 at 18:59

    A ligação entre o Poder Publico e a Especulação

    vejam esse video até o fim, não é sobre imóveis mas o procedimento é o mesmo.
    Os banqueiros + especuladores pressionaram o governo para manter o valor dos medalhões (licenças) como garantia para uma vida maravilhosa daqueles que o possuiam

    Os medalhões atingiram o ápice em 2013 chegando a valer mais de 1 milhão de DOLARES AMERICANOS, acontece que 2 anos antes tinha aparecido o Uber, e já em 2015 os medalhões caíram pela metade do valor e muito rapidamente, em 2016, hoje ninguém sabe quanto eles valem, a liquidez é muito baixa, ningéum quer comprar, suspeita-se que valham ZERO.

    E o prejuízo?
    Quem pagou a conta?

    Num movimento entre especuladores/lobistas e poder publico, a queda do valor foi se transferindo lentamente para o pagador de impostos, não obstante, a sardinhada é quem levou ferro, como é o caso do egipicio Kalil

    Recomendo fortemente esse video, é mais ou menos o que prevejo para o setor imobiliário: pagadores de impostos vão sofrer, bancos vão sofrer, mas é a sardinha deslumbrada que vai assistirseu patrimonio ir de MILHÂO a zero em poucos anos.
    https://www.youtube.com/watch?v=27PSJyRYMt0

    (ainda mais com a onda de liberalismo se formando nessas eleições)
    e atenção povo paulistano, os radares ainda não foram desligados, a posse é 1 de janeiro, soube de insiders que a industria da multa está bombando como nunca, eles querem vingança

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 4 de outubro de 2016 at 19:15

      Excelente vídeo!!!

      7+
      • avatar
      • avatar
    • Nofimdomundo 4 de outubro de 2016 at 23:38

      Constatei isso no front.

      Há mais um ano atrás a patroa foi olhar um apto, nem me dei ao trabalho de ir, pois o aluguel anunciado era de 2.200,00. O mesmo corretor pedia na venda 730k.

      Esses dias o site anunciou o mesmo apto, que está esse tempo todo anunciado, por 1645,00.

      Aí a coisa ficou interessante, pois está próximo do que eu pago hoje. Então fui lá ver. Que filme de terror. O apartamento está todo inapropriado para aluguel. Que locatário em sã consciência vai fazer uma cozinha com cooktop pro proprietário, para dar um exemplo das cagadas. A cozinha tem saída de gás e elétrica no meio do piso.

      Pareceu-me que o sardinha comprou, não vende, não aluga e deve estar com um baita saldo devedor de algum financiamento. As prestações comendo soltas.

      Agora veja, se o cara não achar um tolo maior, a dívida é eterna.

      Não vale a pena antecipar parcelas, não vale a pena quitar, não se acha comprador, não se acha locatário. O mico é imenso.

      Imagina se o Sardinha toma consciência e vende por um preço menor e adequado, reduzindo o valor da perda do desinvestimento? Ele ainda vai ficar com um baita boleto para pagar, lembrando por anos da burrada.

      Nessas horas, quem distratou e não recebeu de volta o dinheiro da construtora está com o menor dos problemas, pelo menos a burrada é pretérita e não bate na porta todo mês.

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Louro José 5 de outubro de 2016 at 08:46

        Nesse caso ele jamais vai vender. Ninguém vai aceitar assumir a dívida, mesmo que dê zero na mão do otário.

        9+
        • avatar
  • Leonardo M. 5 de outubro de 2016 at 00:43

    Algum bolhista de Chapecó SC pra me dar dicas de aluguel nessa cidade?
    Possível mudança pois a patroa passou em concurso público por lá.

    2+
  • Cesar_DF 5 de outubro de 2016 at 08:03

    Manchete 666: Imóveis sofrem o maior aumento de preço em 14 meses
    Fato: FIPE-ZAP subiu 0,12% em agosto, enquanto a inflação foi de 0,24%
    Manchete bolhista: Imóveis sofrem a menor desvalorização em 14 meses

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/imoveis-sofrem-o-maior-aumento-de-preco-em-14-meses

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 5 de outubro de 2016 at 08:51

      “os imóveis continuam passando por desvalorização.”
      “. Acredito que os preços ainda vão levar um tempo para se recuperar”, avaliou.”

      o valor médio do metro quadrado anunciado das 20 cidades alcançou R$ 7.644. O Rio de Janeiro se manteve como a cidade mais cara do País (R$ 10.232/m2), seguida por São Paulo (R$ 8.612/m2) e Distrito Federal (R$ 8.544/m2). (kkkkkk)

      4+
      • avatar
      • avatar
  • Louro José 5 de outubro de 2016 at 08:43

    Antagonista

    Distratos preocupam
    O Financista 05.10.16 07:45

    O Valor noticia que as desistências da compra de imóveis na planta – os chamados distratos – ganham contornos cada vez mais preocupantes para as empresas do setor.

    A culpa disso? As próprias empresas, que empurraram imóveis goela abaixo dos clientes quando a maré estava boa.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • joselito 5 de outubro de 2016 at 10:40

      “ganham contorno cada vez mais preocupantes”.

      Leia-se: o tapete ta ficando pequeno para tanta sujeira a ser posta embaixo. Não dá mais para esconder! (preocupante, me parece, estão desde 2012, né?)

      3+
  • Alemon Fritz 5 de outubro de 2016 at 08:44

    Lar Imóveis inova, lança campanha ‘Alugue Sem Fiador’ e quer dobrar volume de negócios mensais
    40% sem fiador… corvos “legais”…
    http://hojeemdia.com.br/primeiro-plano/lar-im%C3%B3veis-inova-lan%C3%A7a-campanha-alugue-sem-fiador-e-quer-dobrar-volume-de-neg%C3%B3cios-mensais-1.418399

    4+
    • avatar
    • avatar
    • Louro José 5 de outubro de 2016 at 09:00

      De nada adianta aliviar na exigência de fiador se substituir por seguro fiança. Meu dinheiro essas seguradoras jamais verão.

      7+
      • avatar
      • avatar
  • reznor 5 de outubro de 2016 at 08:46

    Segue a matéria do Valor mencionada pelo post do Louro José: (desculpem pela formatação quebrada, mas extrair conteúdo do Valor é osso)
    Fonte: http://www.valor.com.br/empresas/4734933/acao-judicial-de-rescisoes-agrava-crise-imobiliaria
    Nota: mais um exemplo típico de inversão de CAUSA x EFEITO, but anyway…

    ‘Ação judicial de rescisões agrava crise imobiliária’
    Um velho problema para as incorporadoras imobiliárias, as desistências da compra de imóveis na planta ­ os chamados distratos ­ ganharam contornos ainda mais preocupantes para as empresas do setor. Uma avalanche de processos judiciais movidos por consumidores que buscam ressarcimentos acima do previsto em contratos tem agravado a situação financeira ­ já frágil ­ das companhias.
    “Os resultados das empresas estão sendo muito machucados por decisões relacionadas a ações de consumidores”, diz Maria Fernanda Menin T. de Souza Maia, diretora jurídica da MRV Engenharia. “As incorporadoras têm dificuldade de tratar contingências por causa da imprevisibilidade.”
    Pelos cálculos do setor, para cada dois imóveis vendidos pelas incorporadoras, praticamente um foi devolvido em junho. Um ano atrás, o índice ia de 30% a 35%. A escalada tem dois motivos. Um deles é o aprofundamento da crise econômica no bolso do consumidor, que opta pela devolução e, muitas vezes, pela via judicial. Esses imóveis também foram comprados em um período de crédito abundante, quando as vendas das incorporadoras estavam em alta. Agora é que essas obras estão sendo entregues.
    Não existem números precisos sobre essas ações, mas alguns dados ilustram o tamanho do problema. A MRV tem 22.894 processos cíveis, que incluem a
    discussão de temas como distratos e atraso na entrega de obras. Se cada ação corresponder a um imóvel vendido, esse volume é 38% superior ao número
    de apartamentos vendidos no primeiro semestre deste ano. Desse total, a empresa considera que pode perder 5.018 processos, para os quais já reservou em seu balanço R$ 64,5 milhões.
    Para fazer frente às ações que se avolumam, as companhias têm separado mais recursos. A PDG tem R$ 479,6 milhões apartados para ações cíveis cuja
    perda a empresa considera provável. O volume, equivalente a 64% das vendas brutas da companhia no primeiro semestre deste ano, é 30,75% superior às reservas que existiam no fim do ano passado. Rossi e Viver também fizeram reforços de 20,8% e 40%, respectivamente.
    “As ações dos consumidores têm peso para todo o mercado, porque cortam receita de forma importante e geram um passivo enorme”, afirma o advogado
    Eduardo Takemi Kataoka, sócio do escritório Galdino, Coelho, Mendes Advogados, que está à frente da recuperação judicial da Viver.
    Quando adquire um imóvel, o comprador assina um contrato que já traz a previsão de reembolso em caso de devolução do apartamento à incorporadora. Descontentes, porém, com o valor do ressarcimento, muitos consumidores optam pela via judicial, na tentativa de engordar a cifra devolvida.
    Segundo Marcelo Tapai, advogado que se especializou no direito imobiliário do consumidor, os valores de reembolso variam muito, com retenções por parte
    das incorporadoras que vão de 20% a 50% do valor pago. “As cláusulas são abusivas. O que pedimos é uma retenção de, no máximo, 10% a 15%.” Em seu
    escritório, Tapai cuida de 4.000 ações em São Paulo. Aberto em 2015, o escritório do Rio tem outros 350 casos.
    Para fisgar o comprador que quer devolver o imóvel, a Associação dos Mutuários de São Paulo e Adjacências (Amspa) criou em seu site um vídeo que explica didaticamente o que ele pedir na Justiça.
    Como é de se esperar, a atuação dessas firmas especializadas nas causas de consumidores recebe críticas das incorporadoras. Estas, por sua vez, também
    consideram os contratos abusivos. Conforme relatos ouvidos pelo Valor, os advogados têm ido buscar potenciais clientes em visitas a condomínios e canteiros de obra. Tapai e Amspa negaram esse tipo de ação. O argumento das incorporadoras contra as decisões judiciais que mudam os contratos é que as penalizações financeiras servem para que os valores
    retidos façam frente às despesas com a obra.
    Nos últimos dois anos, diz Maria Fernanda, da MRV, houve crescimento no
    número de ações de duas naturezas: distratos e por atrasos da obra. Em
    determinado momento, o setor como um todo sofreu com problemas de
    escassez de mão de obra e de insumos por causa do excesso de projetos em
    execução, o que levou ao não cumprimento dos cronogramas previstos em
    diferentes projetos.
    No caso dos distratos, explica o diretor­geral da Alvarez & Marsal, Luis de Lucio, há o efeito da crise no bolso do consumidor, que deixa de ter liquidez para honrar o compromisso assumido. Mas a figura do investidor também está presente nos números relatados pelas incorporadoras. No passado, comprar imóveis na planta para vendê­los depois da entrega podia gerar ganhos expressivos. Com a mudança de cenário econômico, a opção pelo distrato entrou no cardápio do investidor.
    Há outros fatores que têm pressionado o caixa das incorporadoras. A venda de ativos para cobrir passivos financeiros em geral tem ocorrido a preços que não são adequados. O presidente de uma incorporadora de grande porte afirmou ao Valor que tem vendido imóveis a preço de custo para fazer frente às dívidas financeiras. Além disso, empresas que já estão em situação delicada e buscam renegociar sua dívida não têm conseguido estabelecer bons termos com os bancos.
    Para De Lucio, a rescisão deve seguir em alta. “Hoje, o distrato é o que mais incomoda, mas ele é mais uma consequência da crise.”

    11+
    • avatar
    • Louro José 5 de outubro de 2016 at 08:56

      Estávamos 3 anos à frente dessas pessoas.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 5 de outubro de 2016 at 09:11

      No caso da MRV
      5.018 processos, para os quais já reservou em seu balanço R$ 64,5 milhões, significa R$ 12.853 por processo. SÓ ISSO ???

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • reznor 5 de outubro de 2016 at 09:26

        Touché!
        Com 13K dá pra dar entrada na vaga de garagem… rsrsrs

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Zé do Brejo 5 de outubro de 2016 at 09:47

        É que eles estão contabilizando pelo valor que os imóveis valem hoje e não pelo valor que foi vendido… hahahahaha

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • joselito 5 de outubro de 2016 at 10:59

        Devem ter marcado como “perda provável” os relacionados a atraso na entrega, em que a condenação é menor mesmo, tipo dano moral e material (eventual aluguel que o cara paga, etc.).

        Quanto aos distratos, a culpa é da crise, eheheheh.

        5+
        • avatar
        • avatar
        • Zé do Brejo 5 de outubro de 2016 at 11:12

          Ou seja, não estavam/estão preparados para avalanche de devoluções.
          Estão com sérios problemas de liquidez.

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • joselito 5 de outubro de 2016 at 11:01

      Detalhe”

      “vendido imóveis a preço de custo”.

      Considerando essa informação com a outra que dizia da escassez de mão de obra e insumos (com a consequente escalada dos preços), podemos inferir, inclusive, que o “preço de custo” é maior que o preço justo, ou “de mercado”….

      4+
      • avatar
      • avatar
  • reznor 5 de outubro de 2016 at 08:57

    Atenção às seguintes frases invertidas:
    “Os resultados das empresas estão sendo muito machucados por decisões relacionadas a ações de consumidores”
    “As ações dos consumidores têm peso para todo o mercado, porque cortam receita de forma importante e geram um passivo enorme”
    “Hoje, o distrato é o que mais incomoda, mas ele é mais uma consequência da crise.”

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 5 de outubro de 2016 at 09:16

    represamento, (estoques para o triplo)

    Potencial de consumo de imóveis na Grande SP é de 27% nos próximos dois anos
    dos 27% que afirmaram ter intenção de comprar imóvel em até 24 meses, só 8% preveem fechar o negócio até dezembro deste ano.
    O adiamento da decisão pela maioria, analisa, é um claro sinal de falta de confiança, (em 2010 quando este indicador atingiu 66%.)… kkkk

    http://www.investimentosenoticias.com.br/financas-pessoais/imoveis/potencial-de-consumo-de-imoveis-na-grande-sp-e-de-27-nos-proximos-dois-anos

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 5 de outubro de 2016 at 09:17

    Valor de imóveis tem perda real e momento é bom para comprar, aponta Fipe

    Em Salvador, a variação mensal no mês de setembro foi de 0,38% e acumulou uma alta de 1,31% no ano

    “Nos últimos meses, o valor do imóvel continua bem abaixo da inflação, em termos reais de valor de compra”, explica o economista da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Raone Costa.

    http://www.correio24horas.com.br/single-economia/noticia/valor-de-imoveis-tem-perda-real-e-momento-e-bom-para-comprar-aponta-fipe/?cHash=6d1716eb1c3017e4d4e47c0696c8fafc

    4+
    • Alemon Fritz 5 de outubro de 2016 at 09:35

      compre! compre… porque tá valorizando, compre! compre agora pois está desvalorizando!… corvos imbecis

      7+
      • avatar
  • Cajuzinha 5 de outubro de 2016 at 09:24

    VIXE!

    “Rio – Cada vez mais aguda, a crise financeira estadual leva o governo a adotar atitudes cada vez mais drásticas. Além do decreto que sairá até amanhã, proibindo novas nomeações de servidores, o estado lançará mão de uma enxurrada de demissões de cargos comissionados. Segundo fontes, isso ocorrerá até o fim do mês.

    Há informação ainda de que o Executivo estuda publicar outro decreto para exoneração de concursados que estão em estágio probatório, caso ultrapasse o limite de gastos da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o que não está longe de acontecer. ”

    “A situação é tão alarmante, que fontes dizem que o governo também cogita demitir servidor estável. As exonerações previstas pela LRF, quando o estado estoura o teto, devem priorizar comissionados, depois estágio probatório e, por último, o efetivo. ”

    http://odia.ig.com.br/economia/2016-10-04/em-crise-aguda-governo-pensa-em-demissao-de-estagio-probatorio.html

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 5 de outubro de 2016 at 09:30

      são só 500mil funcionários… se sairem apenas 5% serão só 25k desempregados

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alemon Fritz 5 de outubro de 2016 at 09:33

        ops.. 468,5 mil servidores (220,3 mil ativos, 153,4 mil inativos e 94,8 mil pensionistas), o governo precisa de R$ 2 bilhões, mas não tem esse dinheiro.)
        5% seriam “só” 11k dispensados.

        7+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Cesar_DF 5 de outubro de 2016 at 09:54

      A estrutura organizacional de algumas secretarias chamou a atenção dos promotores que passaram a investigar o excesso de cargos por indicação. Para o MP, muitos mandam, mas poucos são encarregados de executar tarefas. Na metade do quadro da Setrab, dos 27 chefes de serviço, nenhum possui subordinado. O mesmo ocorre com três dos seis superintendentes, sete dos dez coordenadores, três dos quatro assessores-chefe e nove dentre 11 diretores de divisão.

      Outra secretaria do RJ, a de Estado de Governo (Segov), não tem nenhum servidor próprio. São 620 ocupantes de cargos de comissão, dentre os quais apenas 10 são funcionários concursados, cedidos de outros órgãos. Em planilha encaminhada pela Segov, verifica-se que, em 2006, o total de comissionados era 233. No atual governo, esse número triplicou.

      http://jota.uol.com.br/dominadas-por-cargos-de-confianca-secretarias-do-rj-sao-alvo-de-acoes-do-mp

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Juros Lover BSB-BH 5 de outubro de 2016 at 10:14

        Nem acho que o numero em si de servidores seja excessivo…Problema é esse que vc apontou além da cobrança frouxa no serviço realizado…

        3+
        • avatar
    • Herr Deutsch 5 de outubro de 2016 at 10:16

      Até chegar nos concursados muita gente roda antes…

      4+
      • avatar
      • RC 5 de outubro de 2016 at 13:14

        Herr Deutsch

        Até chegar nos concursados muita gente roda antes…

        Pelo que está escrito na Lei de Responsabilidade somado ao que está na Constituição, não precisaria demitir ninguém antes de chegar aos concursados.

        Vou tentar demonstrar minha interpretação (não sou da área jurídica).

        A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) prevê em seu Art. 20 os percentuais da receita corrente líquida para o limite de gasto de pessoal. No Art. 23 ela explica que se ultrapassados esses limites deverá então agir conforme os parágrafos 3 e 4 do Art. 169 da Constituição.

        O parág. 3 do Art. 169 traz incisos que foram modificados pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998 (anterior a LRF) e que dizem:

        I – redução em pelo menos vinte por cento das despesas com cargos em comissão e funções de confiança;

        II – exoneração dos servidores não estáveis.

        Não diz que isto é uma sequência a ser cumprida, mas podemos até interpretar que tenha de ser em sequência. Mesmo que o inciso I tenha de ser cumprido anteriormente ao II, o parág. 1 do Art. 23 da LRF traz a seguinte informação:

        § 1o No caso do inciso I do § 3º do art. 169 da Constituição, o objetivo poderá ser alcançado tanto pela extinção de cargos e funções quanto pela redução dos valores a eles atribuídos.

        Ou seja, não precisa demitir 20%, apenas reduzir os valores gastos em 20%. Com isso já seria possível demitir os servidores não estáveis (servidores concursados).

        O parág. 4 do Art. 169 diz que se não surtir efeitos as medidas tomadas no § 3, o servidor estável poderá perder o cargo.

        Dito tudo isto, os servidores estáveis, especialmente em cidades e estados em que não houve concurso nos últimos 3 anos, podem ser facilmente demitidos se o ente federativo tiver estourado os limites da LRF.

        Os governantes tem essa arma na mão, se vão usar são outros 500. Desde a instituição da LRF ninguém o fez, alguns já estouraram os limites (caso do RS, DF, RJ,…). O RJ está sinalizando em ser o primeiro a utilizar o instrumento. Vamos ver quem vai ter coragem de enfrentar o lobby dos servidores, e também de arcar com as consequências dessa mudança de paradigmas.
        .

        Lei de Responsabilidade Fiscal (LEI COMPLEMENTAR Nº 101, DE 4 DE MAIO DE 2000.): http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LCP/Lcp101.htm

        Parág. 3 do Art. 169 da Constituição Federal de 1988: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm#art169§3

        3+
  • Cajuzinha 5 de outubro de 2016 at 09:30

    Isso é a LEI do mercado, serve inclusive para imóveis:

    “A recessão econômica força fabricantes e vendedores de brinquedos a reduzir preços e foco se quiserem manter o mercado aquecido no Dia das Crianças, a ser comemorado daqui a exatamente uma semana, em 12 de outubro.

    É o que indica pesquisa da Escola de Gestão e Direito da Universidade Metodista de São Paulo, em parceria com associações comerciais e industriais dos sete municípios do Grande ABC.”

    http://www.dgabc.com.br/Noticia/2370748/fabricantes-barateiam-brinquedo-contra-crise

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 5 de outubro de 2016 at 10:07

      Não sei se o problema é a crise ou uma completa mudança de paradigma.
      Atualmente só vejo crianças brincando com tablets e celulares. Apesar de (NMHO) achar um absurdo, pois as crianças não desenvolvem uma série de habilidades, muitos pais acham que estão contribuindo para o desenvolvimento das crianças.
      Sinceramente, vejo a industria de brinquedos perdendo cada vez mais mercado para aplicativos e joguinhos eletrônicos. O que é uma pena.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CarlosL 5 de outubro de 2016 at 10:29

        Perfeito, eu espero que se algum dia eu venha a ter algum filho, que o Lego e similares ainda exista….

        2+
        • avatar
  • Rogerio M. 5 de outubro de 2016 at 11:34

    Artigo do Ricardo Amorim :

    Hora de investir em imóveis !
    https://www.linkedin.com/pulse/hora-de-investir-em-im%C3%B3veis-ricardo-amorim?trk=mp-reader-card&utm_campaign=Mailing+Artigos&utm_content=%5BNo+title%5D+%282%29&utm_medium=email&utm_source=EmailMarketing&utm_term=2016-10+-+Mailing+Hora+de+investir+em+im%C3%B3veis

    Manchete do Valor Economico :

    Avalanche de devoluções atinge o setor de imóveis – Percentual de anulação de contratos passa de 30% para 48% no período de um ano

    Como pode ser hora de investir em imóveis se está todo mundo devolvendo ????

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • FabianoSJC 5 de outubro de 2016 at 11:37

      “Como pode ser hora de investir em imóveis se está todo mundo devolvendo ????” Sera porque o Amorinha tem uma baita grana investida em fundos imobiliários rs , e se ninguém comprar ele dança rs ?

      5+
      • avatar
      • avatar
    • Alemon Fritz 5 de outubro de 2016 at 12:23

      No Valor essa é a seção de Horóscopo do amorinha, o astrólogo das celebridades e corvos… previsões acertadas, um dia acerta…
      …e Compre Djá!

      4+
      • avatar
      • avatar
  • Igor Alves 5 de outubro de 2016 at 11:50

    Cesar_DF

    No caso da MRV
    5.018 processos, para os quais já reservou em seu balanço R$ 64,5 milhões, significa R$ 12.853 por processo. SÓ ISSO ???

    11+

    Entendo que o valor baixo de R$ 12.853 é pra diminuir o patrimônio engessado pela empresa, assim quando sair uma condenação de 20mil a 100mil pra empresa pagar, ela se faz de surpresa e já enviou o resto do dinheiro pra laranja…kkkkkkk

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • O Cramulhao de FHCigienopolis45 5 de outubro de 2016 at 11:52

    Eleito, Doria terá que negociar parque Augusta com empreiteira de amigos

    “A Cyrela chegou a realizar neste ano uma exposição para homenagear a carreira de artista plástica da mulher de Doria, Bia.”
    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/10/1819951-eleito-doria-tera-que-negociar-parque-augusta-com-empreiteira-de-amigos.shtml

    Gostaria de saber dos esquerdistas que votam no PSDB-PCC o que tem a dizer a respeito disso.

    Ou será que para os militontos, se PSDB-PCC, pode passar a mãozinha na cabeça da Cyrela??!!!

    Seguuuuuuuuura a Bolha!

    5+
    • avatar
    • avatar
    • bolha real 5 de outubro de 2016 at 13:19

      Tira uma duvida, o cara do PT ou PC do B que você votou ganhou a eleição?

      17+
      • avatar
      • avatar
      • O Cramulhao de FHCigienopolis45 5 de outubro de 2016 at 13:35

        Eu só voto em Libertário, meu caro militante do PSDB, e como não tinha nenhum, fui viajar e justifiquei.
        Não precisa se sentir ofendido pelas minhas críticas ao seu partido. Vocês da esquerda são assim mesmo. Uma hora acordarão pra realidade e perceberão que a forte presença estatal só atrapalha. Se frequentando um blog desses você ainda não aprendeu, é porque precisa quebrar mais a cara pagando impostos sustentando um estado gordo e consequentemente super-salários parrudos da turminha do PSDB-PCC como bem lembrado pelo colega acima.

        Se eu for falar do Cramulhão então, que além do salário de ex-presidente, ainda recebe outro da USP, iria cair de costas. Mas como é do partidão, esses detalhes vocês correligionários fazem questão de não lembrar.

        Enfim, vamos falar com esse fanatismo partidário, e falar da bolha, por favor.

        Seguuuuuuuura a Bolha!

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Rampion 5 de outubro de 2016 at 15:09

          O Cramulhao de FHCigienopolis45,

          Cara, ignora esse “Bolha real” ele está aqui só pra ficar chamando as pessoas que tem opiniões contrárias a dele de PTralhas. Ele é um coxinha, isto é, mais um idiota útil que está participando dessa briga de torcidas que virou opinião política no nosso país. O Temer esta dando continuidade no péssimo governo da Dilma, mas ainda não enxergaram isso. O PT virou governo por causa da incompetência do PSDB, mas, estão todos fingindo que não sabem disso.

          4+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • O Cramulhao de FHCigienopolis45 5 de outubro de 2016 at 15:39

            Só me resta bater palmas. Fico feliz de ver que há pessoas inteligentes e de bom senso lendo o blog. Felizmente somos a maioria.
            Realmente, devo parar de responder essa gente. Já me cansou mesmo.

            Seguuuuuuuuura a Bolha!

            1+
            • avatar
            • Rampion 5 de outubro de 2016 at 17:04

              O Cramulhao de FHCigienopolis45,

              A “bolha real” parece estar frequentando o BIB atrás de namorado. Alguém precisa avisar que essa não é a finalidade do site. Que ela vá “estourar a bolha” em outro lugar. kkkkkkk

              6+
              • avatar
              • bolha real 5 de outubro de 2016 at 18:20

                kkkkkkkkkkkk

                Juntou dois caras que votaram no PT nas últimas eleições (Rampion e O Cramulhao de FHCigienopolis45). Eu nunca falei de PSDB aqui e não to nem aí pra qualquer partido, mas já vocês não perdem uma oportunidade de falar disso.

                Mas sei identificar os esquerdistas, afinal foram eles que quebraram o país e causaram e/ou ajudaram na bolha. Só que agora estão trasvestidos e não assumem mais.

                Eu não sou PSDB e nenhum partido, mas vocês sim votaram no lula, dilma, etc. Não adianta mentir, todos já perceberam.

                16+
                • avatar
                • avatar
                • Rampion 6 de outubro de 2016 at 11:03

                  Vai estourar sua “bolha” em outro lugar coxinha! kkkkkkkkkkkkkkkk

                  2+
                  • avatar
                  • avatar
  • Lucas 5 de outubro de 2016 at 12:24

    Nofimdomundo

    Constatei isso no front.

    Há mais um ano atrás a patroa foi olhar um apto, nem me dei ao trabalho de ir, pois o aluguel anunciado era de 2.200,00. O mesmo corretor pedia na venda 730k.

    Esses dias o site anunciou o mesmo apto, que está esse tempo todo anunciado, por 1645,00.

    Aí a coisa ficou interessante, pois está próximo do que eu pago hoje. Então fui lá ver. Que filme de terror. O apartamento está todo inapropriado para aluguel. Que locatário em sã consciência vai fazer uma cozinha com cooktop pro proprietário, para dar um exemplo das cagadas. A cozinha tem saída de gás e elétrica no meio do piso.

    Pareceu-me que o sardinha comprou, não vende, não aluga e deve estar com um baita saldo devedor de algum financiamento. As prestações comendo soltas.

    Agora veja, se o cara não achar um tolo maior, a dívida é eterna.

    Não vale a pena antecipar parcelas, não vale a pena quitar, não se acha comprador, não se acha locatário. O mico é imenso.

    Imagina se o Sardinha toma consciência e vende por um preço menor e adequado, reduzindo o valor da perda do desinvestimento? Ele ainda vai ficar com um baita boleto para pagar, lembrando por anos da burrada.

    Nessas horas, quem distratou e não recebeu de volta o dinheiro da construtora está com o menor dos problemas, pelo menos a burrada é pretérita e não bate na porta todo mês.

    14+

    nofim…
    sabe o que vejo acontecer nesses casos do tipo que vc citou???

    O burraldo dobra a aposta
    não aluga porque tem um milhão de outros imóveis reformadinhos bunitinhos pronto pra morar pelo mesmo preço

    Isso o fingezap não pesca, se o imóvel esta cru no tijolo ou se está decorando pelo arquiteto mais chic da cidade.
    um acabamento simples pra tornar habitável chega a custar mais 10% do imóvel
    um acabemnto fino 20%
    um decorado/planejado semimobiliado, com móveis de grife chega a custar 50%

    Ou seja, as pessoas estão aportando dinheiro nos imóveis para tornar eles mais atraentes, com intuito de desencalhar, sendo assim se o fongezap está estável na verdade ele está engolindo todo esse invesitmento em reformas

    O mercado inteiro está fazendo isso, na medida que as plantas vão sendo entregues, vc vai numa dessas lojas de construção elas estão sempre lotadas na parte do acabamento, o que caiu foi a venda de cimento e tijolo, de resto não. Tenho visto isso pessoalmente pois fiz algumas reformas para ampliar minha casa em 10% da área.

    Daí o 666 que já investiu os tubos, vai ter que investir ainda mais pra não perder o principal, quando matematica e financeiramente a melhor solução é realizar o menor prejuízo possível, eles estão na verdade aumentando o prejuízo, sem nenhum retorno concreto.
    Com o estoque de 11 anos de vendas, veremos disso por muito muito tempo.
    Só espero que usem bastante o cartão de crédito. PMJ e PMM (paguem minhas milhas)
    acabei de descobrir que já tenho qualquer lugar do nordeste grátis/boa parte da américa em milhas

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 5 de outubro de 2016 at 12:55

    joselito

    Detalhe”

    “vendido imóveis a preço de custo”.

    Considerando essa informação com a outra que dizia da escassez de mão de obra e insumos (com a consequente escalada dos preços), podemos inferir, inclusive, que o “preço de custo” é maior que o preço justo, ou “de mercado”….

    3+

    pode acontecer,
    mas lembre preço de custo varia muito numa obra, principalmente pelo custo do dinheiro e em segundo lugar pelo fator terreno.
    cimento e peãzada também conta mas não é o principal, esses a inflação/crise ajusta.

    ainda não estamos nesse ponto, como aconteceu nos EUA em 2010 e com todo o esforço governamental e do setor acho difícil que venha a tona.
    Acredito que vão sacrificar o mercado de usados, mais ou menos como ocorreu no setor de autos, o cara compra ZERO km, no dia seguinte o carro dele perdeu 50% do valor, que foi o período 2012/13 (quando troquei meu segundo carro)

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • RC 5 de outubro de 2016 at 13:33

    Cesar_DF

    O ploc em Brasília já ocorreu, valores reais praticados já estão de 30 a 50% abaixo do praticado em 2013

    Cesar_DF, de onde você está tirando esses percentuais?

    Quando falamos de bolha e de seu estouro fico um pouco em dúvida de quando podemos afirmar acontecer um e outro.

    Quando traçamos que os imóveis subiram 300%, ou 200% acima da inflação nos últimos 7 anos, muito acima da renda e estamos indicando o surgimento e consolidação de uma bolha imobiliária, temos de tomar cuidado de onde estamos tirando esses parâmetros, se são de valores médios? negociados ou anunciados?

    Pois na teoria o valor médio poderia ser tirado de apenas duas transações feita, o que mascararia se a amostra é representativa.

    Da mesma forma para estabelecermos que houve o estouro da bolha (Ploc), deveríamos ter uma mesma amostra representativa não?

    O problema aqui é utilizar imóveis anunciados para afirmar que existe a bolha e imóveis negociados para dizer que ela explodiu. Não sei se existe algum parâmetro científico (economia, estatística) para afirmar qual indicador e amostra representativa deveriam ser utilizados para afirmar estas coisas.

    3+
    • avatar
    • Cesar_DF 5 de outubro de 2016 at 15:41

      RC
      Mudei-me para Brasília em dezembro de 2010

      Em 2011 vi estes preços
      Águas Claras custava 6-7K/m2 e hoje 4-5K/m2
      Noroeste custava 14K/m2 e hoje está 8K/m2

      Considerando a inflação do período, são quedas reais de 50-60%

      Se isso não é um PLOC não sei o que mais poderia ser

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • RC 5 de outubro de 2016 at 16:17

        Cesar_DF, então, na afirmação anterior você indicava queda de preços de 30 a 50% de 2013 para cá.

        Eu vim morar em Brasília em Outubro de 2013, por isso questionei. Não observei as mesmas quedas nesse período.

        Agora você leva o intervalo a 2011, desse realidade eu não posso atestar pois não estava aqui. Não duvido que tenha ocorrido. O Noroeste é um caso clássico de desvalorização, pelo menos é o que comentam, mas me parece que não é única e exclusivamente por um “estouro da bolha”, o que dizem é que vendiam (os imóveis todos em planta ainda) uma expectativa de melhoria do bairro que nunca ocorreu (infraestrutura, serviços públicos, o próprio parque de lá, a questão indígena,…). Em 2013 já haviam anúncios por lá de 8k/m². Bem como já via anúncios em Águas Claras nessa faixa de 4-5k/m² que você indicou.

        Acredito, como você mesmo postou outras vezes, que independente do tamanho da queda ou do “estouro”, existem maneiras de avaliar se vale ou não a pena a aquisição (seja para uso próprio ou investimento), tem o 150X que até repito como mantra, e levando esse fator em consideração acredito que mesmo após a redução que você apresenta, ainda estamos com os preços inflados e descolados da realidade da renda do braziliense.

        4+
      • jborges 5 de outubro de 2016 at 18:58

        imagina se você transformar esses valores em dólar na época e os valores atuais em dólar hoje.

        1+
  • Melekento 5 de outubro de 2016 at 14:36

    Boa tarde a todos!
    A explosao oficial ainda nao aconteceu, contudo o que vemos e mais e mais descontos, aliados a inflacao.
    Se continuar assim, daqui a 3 e 5 anos, pode jogar no lixo o nome de investimento em imoveis.
    Abs!!!

    2+
  • odorico 5 de outubro de 2016 at 14:57

    Esse blog ainda vai matar as nossas galinhas de ovos de juros. Eu compartilhei a notícia do amorinha. É hora de comprar.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 5 de outubro de 2016 at 16:03

      eh q o numero de bestas eh enorme, mas nao precisamos diminuir, eu soh explico as vantagens de nao comprar se a pessoa for muito proxima e querida mesmo, do contrario incentivo a comprar e digo q nao compro pq nao tenho dinheiro.

      inclusive, digo isso por aqui faz tempo, eu nao falo sobre as vantagens de juros para o grande publico pois isso deixa implicito que eu tenho dinheiro

      5+
      • avatar
      • odorico 5 de outubro de 2016 at 16:15

        Só preciso corrigir isso. A maioria das pessoas sabem que tenho investimentos. Mas o problema será resolvido em breve, vou simular um tombo gigante, com venda dos carros e tudo….

        2+
        • Lucas 5 de outubro de 2016 at 16:29

          fica tranqulissimo quanto a isso
          kkk, é bom ir acompanhado esse blog ajuda
          no mais qual divulgação nós temos???

          olho ali do lado e fico tranquilo, raramente passamos do 100
          numa grande promo que blog fez mal passavamos dos 300.
          e a grande maioria é corvo urubuzando, mavizando e procurando o fundo do poço.
          uma boa parte é MAV, petralha, funças, especuladores e afins querendo tirar algum proveito.

          resta um tantinho de jornalistas, mas é raro eles terem espaço na mídia.

          O mundo real é o Amorinha,
          se as vendas caíram
          não é por consciencia
          é falta de grana mesmo.

          8+
          • avatar
  • RicardoNT 5 de outubro de 2016 at 15:38

    Boa tarde RC,

    Primeiramente Bolha não é um valor exato de um resultado de uma conta matemática e sim um conceito. Conceito que tenta entender os motivos para a valorização dos imóveis e se estes novos valores são sustentáveis (lei de mercado). Baseado nisso, vai haver pessoas que vão dizer que é uma bolha e outras que vão dizer que não. Cabe a você entender os conceitos apresentados aqui e tirar as suas conclusões.

    Outro fator importante é que se voce estiver esperando a mídia convencional (TV, Jornais) anunciar que estamos numa bolha para acreditar, vai ter que esperar para que o fato já esteja consumado! Ver crise de 2008, só após o anuncio do fechamento do Lehman Brother, etc. é que a mídia veio a comunicar o ocorrido sendo que já havia várias pessoas falando a respeito meses antes. Digo o mesmo sobre a “quebra” do Deutsche bank (anunciado nesta ultima segunda) que vai demitir 1000 pessoas e vai precisar de socorro, já havia várias pessoas comentando a respeito a vários meses, agora os seus correntistas não estão nem conseguindo sacar se dinheiro e isso vai até que seja decidido o futuro do banco (bail-in, bail-out ou falência mesmo).

    Dados oficiais podem ser obtidos no Secovi por exemplo. Número de lançamentos e vendas a cada ano.
    Pode andar lendo os relatos que irão demonstrar bem a realidade vindo de fontes próximas e “mais” confiáveis.

    Só como exemplo de que as pessoas não estão podendo comprar os imóveis pelos preços pedidos:
    – Um amigo comprou um apartamento de 110m2 em Perdizes-SP em 2009 por aproximadamente R$320.000. Lembrar que ele é formado e tem um bom salário. Corrigindo este imóvel pelo IGP-M o valor hoje deveria estar em R$485.000 (51% de inflação). Considerando que o seu salário também senha sido corrigido pela inflação (dissídios), se o preço pedido fosse esse hoje ele não teria “perda” do seu poder de compra, porem este mesmo imóvel está “avaliado” em +-R$1.000.000. Com isso ele teria que pagar mais R$525.000 para ter o mesmo imóvel. Se ele juntasse R$3000 todo mês do seu salário, ele teria que trabalhar mais 14 anos só para pagar esta diferença.
    Como ele, quantos outros não tem mais condições de comprar estes imóveis?

    Durante estes últimos anos, vi várias pessoas no trabalho “comprando” imóveis com valores bem bolhudinhos. Isso não é pelo fato de eles estavam “cheios” de dinheiro, mas sim pelo fato que estavam iludidos achando que eram ricos e que uma prestação de R$3000, R$4000 não era nada. Hoje acabou a euforia e veio a realidades e com isso descobriram que nunca deixaram de ser “pobres”. Ai vieram as devoluções, etc.
    Lembrar que no período de euforia tinha muita gente que não entende nada de imóveis entrando no mercado apenas para especular e achando que iria ganhar rios de dinheiro. Muitos entendidos realmente ganharam, os sardinhas agora estão com o pepino na mão e não conseguem nem vender ou alugar. Inclusive vejo muitos imóveis no contra piso para alugar já que o proprietário não deve nem ter grana para colocar o piso.

    Desculpa o longo texto.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CarlosL 5 de outubro de 2016 at 15:44

      “Inclusive vejo muitos imóveis no contra piso para alugar já que o proprietário não deve nem ter grana para colocar o piso.”

      Já que estamos falando de Perdizes, veja os aptos para alugar todos no contra-piso do Oca Perdizes em frente ao Pao de Açucar e vá ver a noite quantas luzes acessas tem lá…..
      Para compra nem que custasse 100k valeria a pena…. Porque ? Simples, o prédio mal ficou pronto e o condomínio começou em 990,00 …. Isso pra um 40m2

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • joselito 5 de outubro de 2016 at 16:45

        ahhhhh, mas e a xoxoteca? A xurraskera? A Sauninha, a pissina, a mesa de sinuka, o çalaum de jogos?
        rsrsrs

        5+
        • avatar
        • CarlosL 5 de outubro de 2016 at 16:48

          Muitos no mesmo bairro e proximidades tem isso e até mais, e o condomínio metade disso….. Eu por ex. não abro mão de piscina/fitness…. Churrasqueira vai na sacada na base da gambiarra mesmo….

          3+
          • avatar
    • RC 5 de outubro de 2016 at 16:43

      RicardoNT, se observar atentamente o que escrevi, eu não questionei a existência de uma bolha nos valores dos imóveis brasileiros e sim quais os parâmetros que eram utilizados para afirmar que ela existe e aqueles para afirmar que ela estourou. Não solicitei que fosse uma fórmula matemática. Mas existem conceitos científicos, que devem ser coerentes e reproduzíveis. Conceito no dicionário pode ser apenas uma ideia, juízo ou opinião.

      No meu argumento, eu mesmo apresento indícios da sua existência. Minha opinião não é pautada no que pode ou não ser divulgado na “grande mídia”.

      Infelizmente a Secovi-DF em seus relatórios trabalha com valores anunciados, não difere muito dos apresentados nos anúncios do wimóveis. Frequento o blog justamente para procurar outras opiniões, experiências e especialmente observar os CVRs.

      Se analisarmos renda das famílias e preços dos imóveis em Brasília, e aceitássemos que houve um estouro da bolha como colocou o Cezar_DF, a minha conclusão seria que então estávamos vivendo a bolha da bolha, pois independente de ter queda de 50% ainda estaria completamente além da capacidade de endividamento das famílias (é o que mostra o crescimento no número de anúncios, leilões, distratos e por ai vai).

      3+
      • RicardoNT 5 de outubro de 2016 at 17:41

        Desculpa se não tinha entendido o seu questionamento.

        Na sua questão da bolha dentro da bolha eu vejo da seguinte forma:
        – Os seres humanos de forma geral, agem de forma emocional e não racional na maior parte do tempo. Até mesmo com respostas automáticas no seu cotidiano. Se fosse o contrário, nunca teríamos uma bolha, pagaria mais caro por algo que não vale, etc.
        – Essas respostas sejam emocionais ou”racionais” não baseadas inteiramente na crença individual de cada um. Por exemplo, conheço uma pessoa que acredita na Arca de Noé e não há nenhum argumento lógico que eu possa dar que irá fazer ela mudar de ideia já que é uma crença profunda e enraizada e mudar isso iria significar uma grande revisão em vários de seus conceitos ( o mesmo vale para qualquer assunto, política, futebol, etc.). Tenta perguntar para alguém qual é o melhor time de futebol! Acho que de 10 pessoas apenas uma irá usar argumentos lógicos ( títulos, etc. ou até mesmo te perguntar baseado em que parâmetros/premissas)
        – No Brasil ninguém aprende nada sobre economia na escola para poder entender sobre investimentos e que os que é bom hoje, pode não ser amanha.
        – Falando de imóveis, temos uma cultura que impõe nas pessoas o pensamento de que morar de aluguel é algo de pobre e que não vale a pena, etc. Isso vira uma crença e para boa parte deles e faz com que nenhum argumento lógico mude isso.

        Baseado nas questões acima, o que direciona as pessoas é o lado emocional (efeito manada), com isso gerando euforia ou medo através dos grupos de interesse/mídia.
        Nos estados unidos a bolha era causada pelo excesso de crédito e os bancos. Tanto que o estouro da bolha causou o crash de 2 bancos. Com isso, vejo que com a bolsa americana batendo recorde, era de grande interesse fazer a bolsa para baixo e com isso gerar muito lucro para quem estava na ponta vendedora. ( Muitos grupos de interesse).
        Já aqui no Brasil, o estouro da bolha não iria arrastar a nossa fraca Bovespa ( que já está bem sofrível). Vejo que iria causar um problema as construtoras/incorporadoras e outros pequenos setores + CEF, com isso apenas um pequeno grupo de interesse sem o apoio do banco central, etc. ( resumidamente)
        Com isso, vejo estes tentando ao máximo “pedalar” para quem sabe não quebrar. Se fosse anunciado agora a bolha elas não iriam vender mais nada e ai com certeza quebrariam.

        3+
  • RicardoNT 5 de outubro de 2016 at 15:48

    CVR

    Um colega de trabalho casou no ano passado ( setembro 2015). Na época aconselhei a morar de aluguel com isso ele poderia até morar mais perto do trabalho, etc.
    Claro que não me ouviu, comprou com a futura esposa um apartamento no Parque Novo Mundo (onde o dinheiro dava) algum meses antes do casamento. O ap era de um conhecido com isso pagou um preço menor tirando o corvo da jogada. O valor foi de R$360.000 sendo que deram uns 100k de entrada e financiaram o resto.
    Hoje faz uns 2 meses que eles se separaram, felizmente para a sorte dele, a esposa ficou com o Ap e o financiamento devolvendo o que ele pagou….
    Ontem fui ver o quando estão pedindo me mesmo prédio. Achei alguns aps lá e o mais barato anunciado está em R$290.000 anunciado por corretora. (verifiquei no site znimoveis)
    Que prejuízo que ele se livrou por não ter que vender o ap!

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 5 de outubro de 2016 at 16:01

      q prejuizo ele se livrou por nao ter q ficar com a mulher isso sim 🙂 kk

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • O Cramulhao de FHCigienopolis45 5 de outubro de 2016 at 16:02

      ….tive calafrios lendo esse CVR. Tanto a respeito do imóvel quanto do casamento. Pelo menos teve um final feliz.

      5+
    • BolhistaBR 5 de outubro de 2016 at 17:41

      Aproveitando o assunto p/ uma consultoria.. kkk
      De quem é o apartamento?
      Compra de apt c/ entrada de 1/3, faltando 5 meses para o casamento;
      Financiamento dos outros 2/3, começando a pagar parcelas após o casamento.
      Após pagar 4 parcelas, papai do cônjuge que deu 1/3 de entrada dá a grana pra quitar;
      Casamento c/ comunhão parcial;

      2+
  • chigo 5 de outubro de 2016 at 15:56

    Alguem aí assina o Empiricus?
    Assinei os “melhores fundos”.
    Decepcionante o relatorio. Apresentaram 5 fundos que tiraram da manga, sem nenhum critério de comparação. Empiricus tem coisas interessantes, mas tá se revelando uma verdadeira venda de “gato por lebre”.

    5+
    • avatar
    • RicardoNT 5 de outubro de 2016 at 16:03

      Os 2 primeiros relatórios deles que eu li, foram legais e parcialmente precisos.
      Entretanto, depois que eles passaram a ficar “famosinhos” e cobrar pelos relatórios, passei a observar que já não era um trabalho que eu podia confiar.

      6+
      • avatar
  • Alemon Fritz 5 de outubro de 2016 at 16:44

    cvr investimentos
    aqui na empresa tem uma funcionária já aposentada que está tentando ser mandada embora há 2 anos
    pra ganhar fgts e a multa de 40% de tudo.
    Ela Sonha em pegar todo esse super dinheiro e…. fazer 2 casinhas pra alugar nos fundos do terreno (que é cercado por containers do porto (com ratos, escorpioes, baratas)…. estou torcendo que saia logo pois não ajuda em nada.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • joselito 5 de outubro de 2016 at 17:05

      Já vi situação semelhante (já aposentado que não quer sair).
      Mas no caso, assim como no seu relato, as pessoas nessa situação não querem sair, mas também não querem trabalhar.
      Fico pensando por que a chefia não começa a entupir tais pessoas de trabalho, cobrando, botando pressão e etc., no intuito delas mesmas resolverem largar o osso!

      5+
      • avatar
  • CA 5 de outubro de 2016 at 17:10

    Sobre comentário acima:

    “RC 5 de outubro de 2016 at 16:17
    Cesar_DF, então, na afirmação anterior você indicava queda de preços de 30 a 50% de 2013 para cá.

    Eu vim morar em Brasília em Outubro de 2013, por isso questionei. Não observei as mesmas quedas nesse período.”

    RC,

    Uma grande queda de preços já ocorreu em Brasília em 2013, como você se mudou no final de 2013, talvez já tenha visto os preços reduzidos:

    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2013/09/01/internas_economia,385651/especuladores-sao-penalizados-pela-retracao-do-mercado-imobiliario.shtml

    A notícia acima, publicada em 01/set/2013, logo antes de você se mudar para Brasília, dá conta de quedas de 30% nos preços que já haviam acontecido.

    www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/12/1391790-especulacao-leva-a-queda-de-preco-nos-lancamentos-de-imoveis-em-brasilia.shtml

    Trecho da notícia acima, que é de 31/Dezembro/2013 e tem como base uma PESQUISA baseada em preços negociados que foi feita pela Geoimovel: “…os preços dos imóveis lançados em Brasília apresentaram uma forte queda neste ano, com redução de 35,5% na comparação com os valores cobrados em 2.012…”

    Sobre este seu outro comentário:

    “Se analisarmos renda das famílias e preços dos imóveis em Brasília, e aceitássemos que houve um estouro da bolha como colocou o Cezar_DF, a minha conclusão seria que então estávamos vivendo a bolha da bolha…”

    NENHUMA explosão de bolha imobiliária ocorreu em apenas 1 ano, todas duraram VÁRIOS ANOS. A explosão da bolha imobiliária americana gera efeitos até hoje, passados mais de 10 anos que esta explosão passou a acontecer (iniciou em 2005, ficou mais visível no final de 2008), ainda temos cerca de 30% dos financiamentos imobiliários onde o saldo devedor é maior do que o preço de mercado do imóvel, o que é um dos motivos que tem afastado os jovens de adquirirem imóveis (trauma do que viu acontecer com família).

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 5 de outubro de 2016 at 17:25

      CA
      fundo do poço?
      saiu as vendas de auto Zero km, caiu 20%, acima do esperado
      e vem mais pela frente

      gmlinux

      Esta notícia é desoladora para corvos de plantão:
      https://economia.terra.com.br/fmi-piora-previsao-de-desemprego-no-brasil-no-ano-que-vem,1491ad4ce8b50d2731af68634ea47a996pgwmwpd.html

      Pressiona ainda mais a disponibilidade de crédito (sangra FGTS e poupança), diminui número de candidatos a comprador, tanto diretamente (desempregado) quanto por falta de confiança.
      Pena que neste ritmo os juros podem ter que baixar, menos lançamentos, menos CRIs e LCIs…

      5+

      As pessoas acabam confundindo as coisas
      é um bom momento esclarecer isso

      eu não estou montando no PMJ pq acho bonito
      nem torço contra ninguém
      nem vou torcer pela economia por causa do Temer ou mesmo que o Doria seja presidente, não vou mudar meu método de pensar e agir.

      Se 1 dia imóvel voltar a ser bom investimento, volto a investir em imóveis, assim como o fiz na medida do possível em anos passados
      Sou apenas 1 observador, hoje vejo a direita subindo, a esquerda descendo, muito justo que isso aconteça
      mas se amanhã a direita fizer merda, vou criticar
      Se amanhã o PMJ for pelos ares
      Volto a investir em meus empreendimentos com todo prazer

      Simples assim
      Porenquanto Go PMJ
      nada pessoal gente

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • rogerio 5 de outubro de 2016 at 17:54

        esse sou eu tb!! tudo é questão de momento e não se bitolar, analisar friamente…

        4+
        • avatar
      • Lucas 5 de outubro de 2016 at 18:43

        quotei a mensagem errada
        Era sobre esse comentario aqui:

        “gmlinux 5 de outubro de 2016 at 05:43
        Verdade, o corvo aqui pode ser generalizado, não apenas os corretores, também os que estão torcendo pelo agravamento da crise (para comprar imóvel), ou os que torcem pelos juros altos, e neste último ponto me incluo, neste ritmo, estamos matando a galinha de ouro…”

        é a pressa, ando ocupado

        2+
      • Fernando 5 de outubro de 2016 at 19:17

        Que surpresa positiva esse seu post…

        2+
    • CA 5 de outubro de 2016 at 17:43

      Ah, esqueci de colocar a reportagem que fala sobre a continuidade dos efeitos da explosão da bolha imobiliária americana ATÉ HOJE:

      Link: http://www.thefiscaltimes.com/Columns/2016/05/27/Housing-Market-Horror-Story-Isn-t-Over-Yet

      “…according to the Pew Research Center, for the first time since the 1880s, more young people aged 18-34 are living with a parent than with a spouse or romantic partner.”

      “A decade after the housing bubble started to collapse, people remain shattered by foreclosure or continue to fight for their homes. More than one in three homes valued at $100,000 are still “underwater,” meaning the borrower owes more than the home is worth. The foreclosure fiasco totally crushed families, and would-be buyers reasonably look at that mess and opt out.”

      Tradução (NÃO LITERAL, adaptei termos sem mudar conteúdo, só para facilitar entendimento) do que consta acima:

      “…de acordo com o centro de pesquisas Pew, pela primeira vez desde os anos 1880, mais pessoas jovens entre 18 e 34 anos estão vivendo com parentes do que com esposo (a) ou namorado (a).”

      “Uma década depois que a bolha imobiliária começou a colapsar, as pessoas continuam quebradas devido a hipotecas executadas ou continuam a lutar por suas casas. Mais de uma em cada três casas avaliadas em US$ 100.000 ainda estão “debaixo d´água”, o que significa que a dívida é maior do que aquilo que a casa vale. O fiasco da execução de hipotecas destruiu completamente as famílias e potenciais compradores olham para esta bagunça e optam por cair fora”.

      6+
      • avatar
      • avatar
    • RC 5 de outubro de 2016 at 18:00

      CA, com as reportagens que você apresentou e levando em consideração o período em que cheguei em Brasília, a minha visão do mercado em 2013 pode estar restrita pelo “timing” da minha chegada. Minhas observações se restringem ao período que estou aqui.

      NENHUMA explosão de bolha imobiliária ocorreu em apenas 1 ano, todas duraram VÁRIOS ANOS. A explosão da bolha imobiliária americana gera efeitos até hoje, passados mais de 10 anos que esta explosão passou a acontecer (iniciou em 2005, ficou mais visível no final de 2008), ainda temos cerca de 30% dos financiamentos imobiliários onde o saldo devedor é maior do que o preço de mercado do imóvel, o que é um dos motivos que tem afastado os jovens de adquirirem imóveis (trauma do que viu acontecer com família).

      Não esperaria que fosse tão rápida mesmo, a minha dúvida seria mais como tentar identificar o estouro. Seria o ponto de inflexão dos preços? o período de maior aceleração da queda dos preços? o período em que se aproxima da realidade da renda? Por isso disse a bolha da bolha, se os preços iniciais estivessem muito maiores que a realidade da renda da população a época em que se iniciou o crescimento desproporcional.

      2+
      • CA 5 de outubro de 2016 at 18:37

        RC,

        O que caracterizou o INÍCIO do estouro da bolha imobiliária no Brasil, no segundo semestre de 2012, como muitos aqui tem colocado, é o mesmo que caracterizou o INÍCIO do estouro de bolha imobiliária em outros países. Vou fazer uma analogia com a explosão da bolha imobiliária americana apenas como exemplo, poderia ser feita a comparação com qualquer outra explosão:

        Fatores típicos do INÍCIO de explosão de uma bolha imobiliária:

        1) Disparada na distorção entre estoque de imóveis e vendas:

        Nos EUA, isto começou a aparecer em 2005, quando o estoque de imóveis superou a marca de 1 ano de vendas. No Brasil, começou a aparecer em 2012, quando o ano fechou com um estoque equivalente a 17 meses de vendas (com base na análise de 12 construtoras com Ações na BOVESPA). Em ambos os casos, a desproporção entre estoque e vendas continuou ao longo de mais alguns anos.

        Importante: o ideal são estoques equivalentes a 6 meses de vendas, o razoável 9 meses, no MÁXIMO 1 ano, acima de 1 ano já é considerado absolutamente anormal e típico de uma bolha imobiliária que está iniciando sua explosão.

        Veja no link abaixo um gráfico mais tabela que demonstra como ocorreu no Brasil:

        http://defendaseudinheiro.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Post-45-imagem-6-vendas-estoques-lan%C3%A7amentos-e-distratos.png

        2) Derrocada financeira das empresas que mais estimularam o crescimento ARTIFICIAL de demanda e preços:

        Nos EUA, esta derrocada se INICIOU em 2005, através dos bancos que mais praticaram o subprime e começaram a ver um volume anormal de cancelamentos de financiamentos por inadimplência. Em 2012, isto aconteceu com as construtoras que mais estimularam as vendas FALSAS na planta. Veja uma pequena amostra dos resultados financeiros das construtoras em 2012:

        http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2013/04/construtoras-tem-prejuizo-e-estoque-de-imoveis-sobe-43-em-2012.html

        Algumas informações que constam acima, de pesquisa com 12 construtoras com Ações na BOVESPA referente aos resultados de 2012: queda de lançamentos de mais de 40%, quedas de vendas de mais de 20% em valor e quantidades, estoques que dobraram em unidades, faturamento que caiu mais de 30% e prejuízo liquido superior a R$ 1 bilhão no consolidado destas construtoras. Em resumo, o pior resultado de todos os tempos, até agora, para o segmento imobiliário.

        Eles não explicaram na reportagem, mas foi em 2012 que estas 12 construtoras viram os distratos mais do que DOBRAREM, passando de R$ 5 bilhões, sendo que o número de 2011 já era anormal. Foi também neste ano que algumas delas viram a dívida liquida sobre o patrimônio liquido passar de 100% e o valor de suas Ações começarem a despencar mais fortemente.

        3) Quedas dos preços decorrentes da situação acima:

        Nos EUA foi já em 2006 que as quedas dos preços começaram a aparecer, como decorrência dos itens 1 e 2 combinados acima. No Brasil, foi a partir de 2013, no ano seguinte aos eventos acima. Esta queda de preços não foi só no caso de Brasília que coloquei acima, mas também em várias outras cidades, o que foi revelado não só através de pesquisas baseadas em preços negociados, mas também em depoimentos de quem comprou na planta e viu que na entrega os imóveis estavam mais baratos. Seguem links abaixo com algumas evidências neste sentido:

        http://defendaseudinheiro.com.br/as-evidencias-da-bolha-imobiliaria-nas-cidades

        http://defendaseudinheiro.com.br/comprar-imovel-em-tempos-de-bolha-imobiliaria

        4) Outros:

        Existem outros fatores comuns ao início de uma explosão de bolha imobiliária que também são demonstráveis no Brasil, mas vou parar por aqui, porque já ficou muito extenso…

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Alemon Fritz 5 de outubro de 2016 at 18:18

    Caixa vai pedir reintegração de residencial do Minha Casa, Minha Vida ocupado em Londrina
    …com 1.218 unidades entre apartamentos e casas e começou a ser construído em agosto de 2013, mas até agora não foi concluído.
    A Caixa acumulou problemas com a construtora responsável. As obras, que chegaram a apenas 50% da meta estipulada, estão paradas há dois anos.
    mais de 1000 pessoas “ocuparam” os imóveis..
    http://www.bonde.com.br/bondenews/londrina/caixa-vai-pedir-reintegracao-de-residencial-do-minha-casa-minha-vida-ocupado-em-londrina-424790.html

    2+
  • odorico 5 de outubro de 2016 at 18:20

    Senhores, gostaria de um “toró de parpites” do que aconteceria com o dólar caso o trump vença as eleições em novembro. Tanto na relação real/dólar como dólar outras moedas.

    3+
    • avatar
  • Alemon Fritz 5 de outubro de 2016 at 18:26

    empacado ha 8 anos:
    Programa habitacional do GDF está empacado em Samambaia DF

    Com previsão inicial de 1000 imóveis anunciados em 2008, Projeto H4 só entregou 128 unidades. Em alguns casos, obras foram paralisadas em 2013.
    é necessário superar uma adequação no projeto, que reduz a quantidade de unidades habitacionais de 60 para 50”
    entrada de 14mil reais.
    http://www.metropoles.com/distrito-federal/programa-habitacional-do-gdf-esta-empacado-em-samambaia

    1+
  • Alemon Fritz 5 de outubro de 2016 at 18:30

    desculpem a inundação..
    Preço médio do m² para aluguel no Brasil tem queda de 11,3% no 3T16
    30 cidades,
    Osasco (-16,1%), João Pessoa (-13,8%), Rio de Janeiro (-11,9%), Londrina (-8%) e Vitória (-7,1%).
    http://www.investimentosenoticias.com.br/financas-pessoais/imoveis/preco-medio-do-m-para-aluguel-no-brasil-tem-queda-de-11-3-no-3t16

    2+