Comprar imóvel na planta virou coisa de maluco? Especialistas respondem – Infomoney

Você pode gostar...

Comments
  • carioca_real 20 de setembro de 2016 at 21:36

    Imovel na Planta é que nem jabuticaba. Só aqui. E está na raiz de nossa bolha. Mas agora acabou. E o çangui vai jorrar.

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • JJJ_brasilia 20 de setembro de 2016 at 22:51

      Já que o carioca _real citou, para quem não conhece o significado do termo JABUTICABA, em economês informal, segue abaixo:

      Jabuticaba – se alguma coisa só existe no Brasil e não é jabuticaba, é porque não presta, coisas tipo consórcio ou indexação da economia, por exemplo.

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Lucas 21 de setembro de 2016 at 15:30

      imóvel na planta:

      vc na verdade está financiando a construtora
      e a construtora financiando o PT
      e o PT enxendo o cu dos amigos/aliados de dinheiro

      insisto na questão política
      a grande JABUTICABA é a máfia petralha e o foro de são paulo

      19+
      • avatar
      • avatar
      • Zé do Brejo 21 de setembro de 2016 at 17:45

        Lucas, concordo com você, mas as construtoras não pagaram propina para todos os partidos? Claro que situação leva parte do bolo maior que a oposição.
        Veja, o que estou dizendo é que nossa bolha alimentou caixa 2 de todos os partidos.
        O estouro da nossa bolha vai voar merda até na lua.

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 21 de setembro de 2016 at 19:47


          paga para todos os partidos, antes do lula já era assim

          mas tem uma diferença, antigamente, era graninha de campanha pra liberar obras ao invés de gastar noutras coisas

          era uma luta pelo orçamento

          Hoje é uma máfia arquitetada para o PT se perpetuar no poder, aniquilar a opinião dos opositores, destruir profissionais, mentir, enganar, roubar e no fim destruir as empresas, afinal eles odeiam capitalismo, A idéia do PT é destruir tudo para se tornarem hegemônicos, vide venezuela e cuba.

          11+
          • avatar
          • avatar
          • Lucas 21 de setembro de 2016 at 20:05

            percebe o ponto
            antes era uma briga dentro do orçmaneto

            o Pt quebrou os limites, quebrou os orçamentos mandou pedalar dinheiro
            e usa como base moral o fato anterior que era mesmo errado
            era errado mas tinha uma ética

            na guerra vc só pode matar outro soldado, não pode matar civis, prisionaieros, crianças
            na guerrilha petista, PODE tudo, e a coisa é internacional

            7+
            • avatar
            • avatar
            • Zé do Brejo 21 de setembro de 2016 at 22:18

              Concordo que corrupção sempre existiu e o PT a institucionalizou em todas as camadas da coisa pública.
              MAS, PMDB sempre fez parte do governo e agora se colocam como se não soubessem de nada?
              A mesma coisa se aplica a oposição ridicula que o PSDB fingia fazer, deixaram o país quebrar para tomar alguma atitude?
              Lucas, a muitos anos várias pessoas de um site mequetrefe já diziam que iria dar bosta. Você acha que o congresso não sabia que isso aconteceria?
              Sinceramente acho que cabe ao PT a maior culpa pela esbornia que se instalou no país, mas não existem inocentes em Brasilia.
              Sou pobre, trabalhador, conservador e gostaria que tivessemos menos estado e mais iniciativa privada, igualdade social apenas em carater legislativo e nunca socializar o capital. Enfim, o que me incomoda de verdade é não ver ninguém em Brasilia que me represente.

              10+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • Boruto 22 de setembro de 2016 at 07:38

                Cara, não adianta falar para quem não quer ouvir ou entender.

                1+
                • avatar
  • Leonardo M. 20 de setembro de 2016 at 21:57

    Precisa de especialista pra responder o óbvio?

    18+
    • avatar
    • avatar
  • wing 20 de setembro de 2016 at 22:18

    Sempre foi.
    Tipo, comprar um imóvel imaginário pra morar com o amigo imaginario.

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • JJJ_brasilia 20 de setembro de 2016 at 22:52

    Este Blog mequetrefe já avisava: só anta compra na pRanta.

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • JJJ_brasilia 20 de setembro de 2016 at 22:59

    Sobre o tópico:

    Nunca entendi a compra na planta, o consumidor entra com o traseiro e a construtora voces sabem o que!!!

    O incalto que compra se submete a todo tipo de abuso por parte das construtoras e CoRvo.

    Nunca entendi, economicamente falado a correção do saldo pelo INCC, como o sujeito entrega dinheiro por algo que não possui e ainda paga correção por algo que não existe, e na realidade ele é credor e deveria receber juros da construtora por ter adiantado dinheiro durante a obra.

    Como pagar correção por algo que não recebeu e o dinheiro que o incalto pagando período da obra não é corrigido?

    É coisa de maluco!!!

    54+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • MARK 20 de setembro de 2016 at 23:15

      Exatamente isso, JJJ! Como assim pagam juros por algo que eles mesmos estão adiantando dinheiro?

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • wing 20 de setembro de 2016 at 23:20

      Tb nunca entendi isso.
      Oq aconteceu esses ultimos tempos pra quem comprou na planta :
      Corrigiu no incc o sal do e a construtora vendendo sem correção, e até mais barato!

      Comprar na planta não faz o menor sentido, mesmo q seja mais barato q pronto. ( hoje nem na planta e nem pronto )

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • gmlinux 21 de setembro de 2016 at 06:24

      Disse tudo, como investimento, o correto seria o sujeito emprestar dinheiro para a construtora, a juros, no mínimo, superiores ao da SELIC, e o imóvel seria uma garantia, o sujeito deveria ter a opção de receber o valor investido ou o imóvel.
      Agora, como compra, o sujeito esta adiantando valor para a construtora, deve ser considerado como um ato de preferência de compra, não uma obrigação, e o valor deve ou não ser devolvido (ou reajustado) conforme o assinado, alguem conseguiu deturpar a idéia e fazer comprador acreditar ser um investimento.
      Então, como na verdade nunca vi como investimento, ver como tal é a verdadeira jabuticaba brasileira, realizada por brasileiros “espertos” para brasileiros desinformados e sem educação financeira, que também se acham “espertos”.

      29+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Fernando 21 de setembro de 2016 at 07:41

      Perfeito… o primeiro parágrafo resume bem.

      9+
      • avatar
      • avatar
    • Melekento 21 de setembro de 2016 at 10:27

      Explicando:

      Isso foi inventando por malandro, ou seja, junta um bando de 666s, se achando experto, no ato do lancamento, vao ate a construtora e compram tudo, 100% de toda a obra, com a finalidade de daqui, neste intervalo de compra e entrega, vender para um outro experto com 10 ou 20% de agio, ou no final da construcao, com 30% a mais a pessoa que realmente quer morar.
      Nao fico com do destes expertos, como nao fico com do das pessoas que caem no conto do estelionatario, isso chama-se ganancia, esperteza, migue em cima de gente honesta.
      E como tem muito mane neste pais, isso foi uma mao na roda para estes expertos fazerem seus estelionatos, ate algum tempo deu certo.
      Quem nao lembra da historia do compra 2, uma pra morar e outra pra investir?
      Abs.

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CarlosL 21 de setembro de 2016 at 10:37

      Faria sentido SIM , SE e somente SE , custasse no término 50% a menos do que terminado…..

      Mas, ouvi dizer em algum lugar que imóvel é um investimento de risco…….

      5+
      • avatar
      • avatar
    • Minions 21 de setembro de 2016 at 10:51

      Houve um tempo, bastante longínquo, em que se comprar na planta era bastante vantajoso economicamente (beeem mais barato) face ao risco do negócio.
      Graças à ganância e à especulação, as construtoras mataram essa importante forma de financiamento da obra (recebiam juros dos compradores ao invés de pagar juros ao banco).

      9+
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 21 de setembro de 2016 at 15:33

        Exato
        a 10 anos atrás o na-planta era uma modalidade de alto risco e cara, afinal vc perdia o custo de oportunidade
        … em compensação pagava-se metade do valor de mercado

        7+
        • avatar
        • avatar
  • Alemon Fritz 20 de setembro de 2016 at 23:32

    começou a correria
    enquanto isso motumbo faz “promoção” de oportunidade, (a poupança é depois)

    Apê sem Poupança vai até 30 de setembro na MRV
    .. com a oferta de mais de 700 unidades com zero de sinal e entrada parcelada em até 36 vezes…..

    Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/economia/minha-casa-minhas-duvidas/ape-sem-poupanca-vai-ate-30-de-setembro-na-mrv-20138813.html#ixzz4KqyvVo6Y

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Seu Jorge 21 de setembro de 2016 at 00:38
    • CA 21 de setembro de 2016 at 05:44

      Seu Jorge,

      Queda de 18% no preço de venda de imóveis comerciais no acumulado de 12 meses e ainda pelo FINGE Zap. Imagine no Mundo REAL.

      18% foi o percentual de redução de preços nos EUA no ano que bateu o recorde de queda durante a explosão da bolha imobiliária. Isso porque os EUA são considerados o maior exemplo de uma explosão Hard landing.

      De qualquer forma, segundo a impressa vendida e o Zé Carioca, não é nada demais. Inclusive o Zé Carioca vai aparecer por aqui para dizer que entre os amigos dele que possuem imóveis comerciais (*), que são muito mais representativos que qualquer pesquisa, o preço continua subindo ou no máximo está estagnado e nenhum deles pensa em baixar os preços, por isso que não é hard landing.

      (*) Cada amigo do Zé Carioca possui dezenas de imóveis comerciais, lembrando que a renda mínima dos amigos do Zé Carioca é de R$ 50 mil, a mesma renda mínima do RJ, o que faz com que os mesmos sejam uma excelente amostra, perfeitamente compatível com a realidade do país.

      Certamente os outros países que estão passando por esta situação irão importar os amigos do Zé Carioca para convencerem a todos que os preços também não estão caindo por lá e a NASA entrará na disputa, com outra finalidade: descobrir o que há por dento de cérebros tão privilegiados, onde meia dúzia de pessoas consegue ser uma amostra melhor do que de qualquer pesquisa com centenas ou milhares de pessoas…

      27+
      • avatar
      • avatar
      • Onix 21 de setembro de 2016 at 08:13

        Kkkkkk Só vcs, acabei de imaginar o CÁ ,escrevendo, com a cara de má vontade e preguiça.

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Lucas 21 de setembro de 2016 at 15:38

        ah mas eles sabem calcular VP
        kkkkk
        bom lembrar que o VP de um financiamento é o próprio valor a ser financiado, tipo 300parcelas de 4 mil reais que seria 1,2 milhão a valor presente seriam os 400 mil reais do valor do bolhudinho hoje numa dada taxa de juros fixa (só que ainda tem a TR)

        é esse o conceito,
        o resto é embromation

        o que os zés da vida fazem é jogar o juros do finame como valorização, aliás faziam, hoje morreram com a batata quente na mão

        6+
        • avatar
        • avatar
  • Carlos 21 de setembro de 2016 at 02:03

    OFF – Como é viver em um bolhudinho gourmet daqueles que os arquitetos hipters moderninhos adoram e apareçe na capa do UOL:

    https://www.theguardian.com/world/ng-interactive/2016/apr/27/6×9-a-virtual-experience-of-solitary-confinement?CMP=share_btn_fb

    11+
    • avatar
  • Louro José 21 de setembro de 2016 at 08:39

    Agora é mole. Queria ver falar isso em 2013, como nós.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 21 de setembro de 2016 at 09:06

      Louro José,

      Pois é… No link abaixo, uma coleção de depoimentos de quem comprou na planta e já em 2013 viu que a construtora estava vendendo mais barato no ato da entrega. Esta coletânea também foi publicada aqui no blog.

      http://defendaseudinheiro.com.br/comprar-imovel-em-tempos-de-bolha-imobiliaria

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Fernando 21 de setembro de 2016 at 13:46

        Exatamente… isso só vem confirmar o meu caso: comprei bem abaixo do preço pago nominalmente na planta, 3 anos depois, com o predio pronto.

        O meu caso confirma essa sua tese.

        Não darei mais nenhum detalhe.

        4+
        • CA 21 de setembro de 2016 at 16:30

          Fernando,

          Você pagou mais barato na entrega do imóvel do que quem comprou na planta 3 anos antes? SIM. Isto já acontece desde 2013, de acordo com evidências que coloquei acima.

          O preço que você pagou estava alinhado com os fundamentos (*) e significa que foi um bom negócio? NÃO.

          (*) Preço desalinhado com fundamentos: o preço de venda do imóvel, mesmo com a queda relevante, no acumulado de 10 anos até 2015, que foi a data de sua compra, ainda estava muito acima do crescimento acumulado da renda, do aluguel, do custo de construção ou de qualquer outra variável que você queira comparar e isto significa que este preço ainda tem tendência forte para cair.

          Outra forma de se entender porque a tendência é de novas quedas de preços, é analisar a situação atual e tendência das principais variáveis que afetam os preços:

          1) Lei de oferta e procura: a distorção entre oferta e procura continuou subindo de 2015 em diante. Isto ocorre porque construtoras continuam pedalando para mascarar os distratos, ao mesmo tempo que distratos continuam muito elevados e vendas continuam caindo;

          2) Dívidas das construtoras: estão ficando cada vez mais críticas. Não é a toa que a Viver, no segmento MÉDIO, praticou preço unitário com QUEDA de 29% de 2014 para 2015 e mais 38% de queda de 2015 para 2016. Não é a toa que a PDG fez promoção agora em setembro/2016 com link que publicamos em tópicos anteriores, com quedas de preços saindo de um mínimo de 20% até mais de 40%. Não são só elas, todas as construtoras intensificaram os “descontos e promoções” depois de 2015, claramente não foi algo que atingiu o auge de redução de preços em 2015;

          3) Necessidades dos vendedores particulares só tem aumentado com o tempo: no acumulado dos últimos 24 meses, no caso de imóveis usados, a queda de preços, de acordo com o CRECI SP, foi de aproximadamente 30% em termos nominais. Se considerar a inflação, ficou em quase 50%. Considerando a inflação, no último ano a queda de preços foi de mais de 10%, isto depois que você já havia comprado seu imóvel. Em tempo: a distorção entre oferta e procura no caso de usados também não para de crescer e continuou assim depois de você ter comprado seu imóvel em 2015, basta você acompanhar os sites com anúncios de imóveis à venda. Isto é mais uma demonstração do aumento da NECESSIDADE de vender um imóvel;

          4) Crédito imobiliário disponível: se em 2015 a verba da poupança para o crédito imobiliário já havia perdido R$ 50 bilhões, tornando o crédito barato mais escasso e fazendo com que ele encarecesse, só no primeiro semestre de 2016 a sangria da poupança já ficou próxima destes R$ 50 bilhões, ou seja, com cada vez menos dinheiro disponível para o crédito imobiliário barato, cada vez mais pressão para redução de preços, sendo que a tendência é que tenhamos novas quedas na verba disponível por mais tempo. Os esparadrapos do governo não contém a hemorragia do crédito imobiliário, os valores adicionais de FGTS cobrem uma parcela mínima desta sangria da poupança, absolutamente insuficiente;

          5) Inadimplência do crédito imobiliário: a inadimplência do crédito imobiliário continuou subindo, assim como os juros dos bancos para preservarem sua liquidez, incluindo os juros para o crédito imobiliário. O aumento da inadimplência também aumenta a distorção entre oferta e procura mencionada no item 1 mais acima, sendo mais uma pressão pela redução dos preços dos imóveis;

          6) Situação da economia: desde a época em que você comprou seu imóvel, o desemprego não parou de crescer e a renda não parou de cair. O PIB continuou caindo depois que você comprou seu imóvel. A dívida das famílias e a inadimplência também se mantiveram em patamares anormalmente elevados, assim como inflação e juros. Todos estes fatores completamente contrários ao segmento imobiliário, mais uma vez impulsionando novas quedas de preços;

          7) Risco cada vez mais elevado de “efeito manada”: a tendência é de novas quebras de construtoras, com isto, o risco de um efeito manada que “congele” as vendas na planta, é elevado. Isto anularia inclusive as vendas FALSAS e a especulação desenfreada, forçando fortes quedas nos preços de imóveis, de forma generalizada.

          Tem muito mais do que consta acima para provar que já havia uma forte tendência de queda de preços APÓS você ter feito a compra de seu imóvel, mas vou parar por aqui quanto a esta análise, creio que a AMOSTRA acima foi o suficiente.

          Complemento:

          Nenhum empreendimento é uma ilha, mesmo que no seu condomínio tivesse vendido 100%, ainda assim ao acontecer quedas de preços no bairro e na cidade, irão se refletir lá, para futuras vendas de proprietários atuais ou mesmo em todo bairro, ou seja, se comprasse depois pagaria mais barato. O nome desta situação, quando os preços baixam, mas ainda estão longe do vale de preços e algumas pessoas se empolgam e compram, achando que “já chegou ao fundo do poço”, é Bull Trap. Pesquise sobre isto, existiu em todas as bolhas imobiliárias que explodiram ao redor do Mundo…

          17+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Onix 21 de setembro de 2016 at 16:57

            ?????????????

            1+
          • Fernando 21 de setembro de 2016 at 19:19

            Concordo com o que você escreveu, pode haver um bulltrap.
            No entanto, o interessante é saber o ponto certo da compra. Isso é percepção de cada um. Não dá para afirmar que hoje um sujeito que compra um apartamento a 500 mil, sabendo que era vendido lá atrás na planta por 700 mil (exemplo hipotético para arredondar) está fazendo necessariamente um mau negócio, sem analisar diversas variáveis pessoais que eu nem vou citar aqui, sendo que pelo menos no período tem embutido aí 3 anos de inflação. Será mesmo que o imóvel vai cair a 400… 300… como alguns pregam? Ora, nesse exemplo hipotético, o imóvel custou aproximadamente 50% do que era pedido (200 mil a menos + 3 anos de inflação). A partir daí, é uma aposta, e eu particularmente APOSTEI que não vai abaixar muito mais do que isso por diversos motivos, principalmente pela percepção das pessoas de valor de um imóvel. É LÓGICO TAMBÉM QUE AQUELES IMÓVEIS QUE NÃO BAIXARAM AINDA, QUE SÃO A ESMAGADORA MAIORIA, TERÃO QUE BAIXAR SIM, ACREDITO…….
            Por outra perspectiva, o que se pode afirmar da situação acima é que a pessoa que comprou na planta, em alguns casos, se deu mal mesmo. Isso sim pode-se afirmar com certeza a partir do exemplo hipotético acima, vide tantos distratos.
            Exemplifico: hoje nos jardins/sp, um apartamento bom mas antigo custa R$ 10 mil o m². Eu APOSTO que se esse apartamento estivesse anunciado por 500 mil, venderia em menos de 1 dia, uma vez que o aluguel ali bate os 3-4 mil por mês, facilmente, e pode pesquisar… (nem me venham argumentar com salário mínimo, por favor… temos um local onde “todo mundo” quer, e só os ricos podem pagar).
            Exemplificando novamente, não adianta nada 10 acharem que o imóvel não vale, e 800 acharem que vale… Ora, tem duas marcas de carro bolhudinhas que estão vendendo seus carros de 90 mil mais do que carros populares… Eu acho que não vale, mas minha opinião não serve para nada nesse contexto, tem fila pra comprar, alguém vai lá e compra.
            A título de contra-argumentação já me antecipando às possíveis críticas de indivíduos que não saberão ler e compreender o meu texto (aproveitando o que tem de bom e descartando o que tem de ruim), poderia aduzir o fato de que existem pessoas que enviam dinheiro lá pros EUA, pagando taxas e mais taxas, ou que colocam dólares na latinha, para ver render, como antigamente faziam debaixo do colchão… perdendo dinheiro com isso (além de ser uma operação ilegal)… e ninguém critica… tem gente que já postou aqui que apostava em dólar a R$ 5,00 (a tal explosão do dólar, avoa latinha, comprem, comprem, comprem!, um dólar para morar, outro para investir! – ai se eu tivesse caído nessa…) mas veja que existe uma razão pessoal para isso, mesmo que a pessoa perca dinheiro: o que interessa é a proteção que acredita estar tendo em determinada atitude, lastreando-se em uma moeda supostamente forte como o Dólar. Essa mesma proteção, esse sentimento de valor, pode estar na moradia própria, na sensação de (suposta) estabilidade que um imóvel próprio (e quitado) pode proporcionar (as mulheres vão concordar rs, não as daqui)… Frise-se, eu JAMAIS compraria dólares para essa finalidade, e muito menos mandaria para os EUA, achando que o Brasil vai quebrar como a Venezuela, nem mudaria de meu país…, mas é uma opinião exclusivamente minha, pessoal, pode ser que aqui existam pessoas que compartilham da minha visão, pode ser que não, mas é apenas um ponto de vista, e o mais importante, eu RESPEITO A DECISÃO E OPINIÃO CONTRÁRIA….. a estratégia é de cada pessoa.
            Do mesmo modo, poderia tecer críticas à conduta de uma pessoa que, com 500 mil investidos, obtivesse 5 mil de “rendimentos” líquidos ao mês, já que essa pessoa, quando se gaba que os juros pagam o aluguel, nem se atentou para o fato de que deve manter o principal sempre, caso queira viver eternamente de aluguel, e que DE JUROS REAIS PROPRIAMENTE deve ter menos de 0,1% nessa conta hoje em dia…. (subtraindo a inflação, e olhe lá…). Assim, como com R$ 500,00 aproximadamente de “JUROS REAIS” alguém aluga alguma coisa aqui em São Paulo/SP? Que seja o dobro disso, que seja R$ 1000,00… Gostaria que me dissessem se estou errado ou não! Vale a reflexão…
            Ora, é incontestável que imóvel é um investimento sólido (literalmente, rsrs, não façam piada com isso…), e que, NA MÉDIA, e isso é histórico (e já que vcs gostam de estatísticas, isso é incontestável também), ACOMPANHA SIM A INFLAÇÃO (sublinho, NA MÉDIA), especialmente em um país em desenvolvimento.
            Em conclusão, como investimento o imóvel pode ou não ser ruim, a depender de vários fatores, mas na maior parte das vezes é ruim, nesse ponto o meu pensamento converge com a maioria dos que postam aqui. Mas para morar, eu tenho realmente minhas dúvidas se é tão ruim como dizem por aqui, e até hoje, sinceramente, não vi argumentos efetivamente convincentes para uma pessoa adotar uma posição de viver a vida inteira de aluguel.
            Em tempo, a prestação de meu financiamento imobiliário está caindo sim, ao contrário dos que divulgam que a parcelinha está subindo… a TR é igual para todos… a menos que o sujeito tenha financiado tudo rsrsrs aí não dá mesmo, depois vai no reclame aqui reclamar… A TR, que corrige o meu saldo devedor em pífios 2% AO ANO (perde aprox. 8% da inflação…), não vai “avoar”, e eu APOSTO NISSO.

            Ninguém pode negar também que tive a coragem e a iniciativa de escrever por aqui, alguns pontos favoráveis, e outros contrários a opinião de alguns. Mas uma discussão construtiva é isso, ouvir opiniões diferentes sobre assuntos diferentes, sempre com respeito aos pontos de vista alheios, sem agressões verbais como um coro de uma torcida organizada, ou como se uma manada fosse…

            Por fim, voto pelo HARD LANDING. Aproximadamente 50% não foi/vai ser nada soft.

            Um abraço.

            16+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
  • Boruto 21 de setembro de 2016 at 08:47

    Da série: “A Economia da Banânia Vai Avuar em 2017”
    Capítulo 03: (Renda dos trabalhadores)
    “Maioria dos acordos salariais de agosto fica abaixo da inflação”

    “”Das 162 negociações de ajuste analisadas, 17 não só não conseguiram repor a inflação como levaram à redução de salário e de jornada”

    “Em janeiro, a inflação cresceu muito, por isso essa proporção tão grande. Mas agora, surpreendentemente, vemos esse novo aumento. Nós imaginávamos que a tendência de queda continuaria”

    Tadinho, não conhece a mentalidade do empresário bananense em uma queda na venda leva ele a tentar compensar essa queda aumentando a margem de lucro no preço.

    AVOA IPCA+

    11+
    • avatar
    • avatar
  • CA 21 de setembro de 2016 at 09:00

    Sobre o tópico:

    Como chegamos nesta situação em que a venda na planta foi dada como “lucro certo”, “investimento com retorno garantido e insuperável”, dentre diversas outras expressões utilizadas pelo segmento imobiliário há mais de uma década e por incrível que pareça, até hoje?

    Tudo começou com esforços do Governo para estimular a disparada do crédito imobiliário, para isto se utilizando da Caixa Econômica Federal, desde pouco antes de 2005 (*), juntamente com a vinda de mega investidores que tiveram forte participação nas bolhas imobiliárias americana e espanhola, especificamente, Sam Zell que veio para Gafisa em 2005 e Enrique Bañuelos que entrou na PDG em 2007.

    (*) Pesquisa do CRECI SP de janeiro/2005 mostrou que entre todos os bancos, só a Caixa Econômica Federal possibilitava financiamento de 100% do preço do imóvel e além disto, ela tinha o maior prazo de financiamento de todos (20 anos) e a menor taxa de juros entre todos, juros equivalente a menos da metade do que era cobrado pelos concorrentes. Desde então a CEF sempre vem se mantendo com cerca de 70% de todo o crédito imobiliário concedido, porque como se não bastassem estas condições super-favoráveis, ela era que mais “facilitava” para os clientes adquirirem crédito imobiliário, aceitando transferência entre contas como comprovante de renda informal, mais pessoas para comprovar renda do que aquelas que pagariam os financiamentos, dentre outros subterfúgios. Foi um super-impulso do governo para que pudesse ser inflada uma bolha na proporção que chegamos.

    Entre 2006 e 2007, Gafisa, PDG e mais 11 construtoras do segmento leve (imóveis residenciais e comerciais) fizeram abertura de capital na BOVESPA (IPO). O que os investidores na bolsa que compraram Ações destas empresas esperavam? Retorno rápido do investimento. Qual a solução destas empresas para atenderem ao desejo destes investidores e fazerem com que as Ações valorizassem?

    A solução dada, por todas as elas ao mesmo tempo, foi de irem as compras em 2007. Todas compraram terrenos ao mesmo tempo. Em 2008, começaram a disparar os lançamentos de novos empreendimentos.

    Aqui cabe uma pausa para reflexão: se todas as construtoras ao mesmo tempo tinham comprado um altíssimo volume de terrenos em 2007 e estavam batendo todos os recordes de lançamentos em 2008, isto significava antes de tudo, um excesso de oferta, como nunca havia acontecido antes. Pela lei de oferta e procura, este excesso de oferta deveria levar a uma redução nos preços dos imóveis. Ocorre que esta redução nos preços dos imóveis não interessava aos investidores que compraram Ações destas empresas e nem para estas empresas. Como resolver este problema e fazer com que, ao invés de ter uma super oferta, tivéssemos uma super-demanda, de forma a fazer com que o preço dos imóveis disparasse e tanto as construtoras quanto os investidores nas Ações ficassem felizes?

    Mesmo com todo o incentivo do governo que foi explicado acima, a super oferta era muito gritante, no máximo poderiam estimular um aumento de procura com a política da CEF que fizesse com que houvesse um equilíbrio. Só que o equilíbrio não interessava nem aos investidores nas Ações, nem as construtoras, era necessário algo mais. Qual a solução? Criar um esquema mirabolante de vendas FALSAS na planta, combinado com mega especulação. Como funcionou este esquema?

    Primeiro, fazer venda na planta sem critério, para quem não teria renda para adquirir o crédito imobiliário no ato da entrega do imóvel. Isto foi um impulso gigantesco para uma SIMULAÇÃO de super-demanda que levou a um crescimento relevante e ARTIFICIAL nos preços. Como havia super-concorrência por recursos, as obras demoravam naquela época em torno de 3 anos. Sendo assim, os cancelamentos de vendas (distratos), só iriam aparecer em volumes anormais 3 anos depois, a partir de 2011.

    Ainda assim, o pessoal do segmento imobiliário não estava satisfeito. O que fizeram? Em out/2007 (logo após abertura de capital de 13 construtoras), o Brasil foi escolhido, após um forte lobby de Lula, como país sede para a copa do Mundo de 2014. Virou mais um motivo para todos apostarem na valorização dos imóveis, em especial nas cidades sede. Em 2008 foi lançado o FIPE Zap, que pela sua metodologia, sempre faria com que os imóveis “valorizassem” mais ou que se algum dia tivessem quedas, que fossem amortecidas. O princípio era simples: se anuncio 4 imóveis idênticos, o preço médio era com base no anúncio, se vendesse o mais barato, que é sempre o esperado, este teria o anúncio retirado e automaticamente o preço médio anunciado subia! Sim, isto mesmo, vende o mais barato e o preço sobe, fantástico para o segmento imobiliário e o índice foi inventado no momento ideal, não é mesmo?

    Graças aos incentivos acima e também com uma mega publicidade, ressaltando inclusive as filas nos stands de vendas das construtoras (grande parte já era de vendas FALSAS na planta), o percentual de investidores de imóveis subiu de 10% que era o normal antes disto, para mais de 40% de todas as “vendas”. Com isto, passamos a ter alguns empreendimentos específicos que eram “vendidos” em menos de 24 horas, com 90% das vendas para estes investidores.

    A combinação do que consta acima foi explosiva para os preços e gerou os resultados tão desejados pelos investidores em Ações das Construtoras, Construtoras e o segmento imobiliário como um todo: uma disparada de preços de imóveis sem precedentes na história mundial…

    E os mega investidores Sam Zell e Enrique Bañuelos, não teriam prejuízo quando aparecessem os distratos, como consequência das vendas FALSAS na planta? Não se preocupem com eles, em 2010 Sam Zell já tinha retirado quase todo o seu investimento na Gafisa (sobrou só 3% para fazer de conta que ele ainda acreditava no negócio) e em 2011, depois da PDG chegar a posição de maior empresa do segmento imobiliário das Américas e antes dela apontar distratos de mais de R$ 1 bilhão, Enrique Bañuelos vendeu sua participação. Ambos, obviamente, tiveram um lucro BILIONÁRIO. O timing deles foi perfeito e nem poderia ser diferente, afinal eles foram os pioneiros e líderes neste esquema de vendas FALSAS na planta e estimularam em muito a MEGA especulação.

    E quando tivemos este volume anormal de distratos, já desde 2011, se avolumando cada vez mais ao longo dos anos, juntamente com imóveis recebidos por investidores para revenda, gerando super-estoques, qual a consequência para aqueles que compraram imóveis na planta? As construtoras começaram a fazer reduções relevantes nos preços, disfarçadas de “descontos promocionais”, que começaram já no segundo semestre de 2012 e continuam até hoje, se intensificando cada vez mais. A consequência disto é que quem comprou antes, na planta, ao ver a construtora vendendo com preço mais baixo do que aquele vendido na planta / lançamento, cancela o negócio, aumentando os distratos e o circulo vicioso que leva a novas quedas nos preços, juntamente com a quebra das construtoras que mais participaram do esquema. Vejam sobre a Recuperação Judicial da Viver no tópico anterior e no link abaixo, depoimentos de 2013, quando compradores na planta reclamavam que as construtoras estavam vendendo mais barato:

    http://defendaseudinheiro.com.br/comprar-imovel-em-tempos-de-bolha-imobiliaria

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Boruto 21 de setembro de 2016 at 09:09

      CA,

      Comprar na planta exige a confiança por parte de que quem está comprando de que ele receberá o produto no curso de um prazo determinado de tempo e com a qualidade que se espera. Conhecendo a Banânia me diga que outro nome pode se dar à pessoa que entrega seu dinheiro por um produto de qualidade duvidosa (e muitas vezes nem isso vide o “Caso Encol”) além de “Otário”?

      7+
      • avatar
      • avatar
      • CA 21 de setembro de 2016 at 09:56

        Boruto,

        No começo foi uma lavagem cerebral em larga escala. Viam-se filas e filas de pessoas nas stands dos lançamentos de imóveis (MUITAS vendas FALSAS e especuladores), especuladores falando sobre lucros fantásticos, em 2008 o FINGE Zap falava sobre um aumento do preço anunciado na ordem de mais de 40%, a copa do Mundo, as obras da Petrobrás, o “déficit habitacional”, a facilidade de obter o crédito imobiliário da CEF com parcelinhas que cabiam no bolso, dentre uma infinidade de estratagemas, faziam com que as pessoas vivessem nesta matrix acreditando que ali era o mundo real e seria sempre assim…

        Com o passar dos anos e a partir do final de 2012 e início de 2013 em especial, quem passava a procurar informações antes de tomar uma decisão tão importante quanto esta, tinha uma ampla gama de EVIDÊNCIAS que demonstravam que havia algo errado e que comprar na planta seria um péssimo negócio. Até antes disto, os investidores na planta tinham altos lucros, se conseguiram vender até o 1S2012, após isto, conseguiam no máximo “empatar” com outras aplicações que eram mais seguras, isto no melhor cenário e obviamente não valendo a pena, muitos já perdiam, como demonstrado no link do comentário anterior. A partir de 2014, considerando o custo de oportunidade, perdiam e muito. Sim, quanto mais tarde entraram no esquema, mais merecedores foram do adjetivo de “otário”, claro que tivemos os espertalhões ou sortudos que entraram no começo do esquema e saíram à tempo.

        Neste momento, alguns ainda estão caindo no famoso “bull trap”, achando que pagaram um preço que não vai cair mais, porque já conseguiram um bom desconto. Mesmo nos casos de descontos reais e relevantes, ainda assim temos todos os indicadores possíveis apresentados de forma exaustiva por aqui, que demonstram que os preços ainda vão cair muito mais, ou seja, ainda não foi um bom negócio…

        11+
        • avatar
        • avatar
      • joselito 21 de setembro de 2016 at 10:36

        Quer dizer que aquele empresário que compra uma safra é “otário”, ou este pensamento se aplica exclusivamente na compra da pRanta?

        3+
        • avatar
    • Cajuzinha 21 de setembro de 2016 at 09:16

      “21/09/2016 Crédito escasso faz compra à vista de veículos bater em 42% no 1º semestre ­ 21/09/2016 ­ Mercado Aberto ­ Colunistas ­ Folha de S.Paulo
      http://www1.folha.uol.com.br/colunas/mercadoaberto/2016/09/1815265­credito­escasso­faz­compra­a­vista­de­veiculos­bater­em­42­no­1­semestre.shtml 1/1
      Além de um reflexo da menor liberação de recursos por parte dos bancos, a entidade
      atribui o resultado à facilidade de conseguir descontos para quem paga o valor integral
      no ato da compra.
      “O cliente que não consegue pagar à vista, porém, está menos disposto a se endividar,
      por preocupar­se com o desemprego. Além disso, muitos não dispõem do valor de
      entrada para financiar.””

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Boruto 21 de setembro de 2016 at 09:25

      Quando penso em comprar um zero olho pro meu velhinho que faz o que eu quero que um carro faça e penso nos juros que eu perderia no zero e que futuramente, se eu não juntar dinheiro, eu vou morrer à míngua com aposentadoria abaixo do salário mínimo eu vejo que é uma ideia idiota.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • gmlinux 21 de setembro de 2016 at 22:07

        Acho que comprar carro 0km e apartamento para morar são coisas semelhantes, realização de sonho e/ou dinheiro sobrando, raros casos, necessidade, mas o juro que se perde é parte do preço pelo sonho…

        2+
        • avatar
  • Alemon Fritz 21 de setembro de 2016 at 09:23

    mensagem corvística; chegou a hora de comprar.. os prontos

    Imóveis prontos para morar em oferta no Liquida Tenda

    150 aptos prontos pra morar (última unidades!!!, sqn)
    http://extra.globo.com/noticias/economia/minha-casa-minhas-duvidas/imoveis-prontos-para-morar-em-oferta-no-liquida-tenda-20138859.html#ixzz4KtNwPLv5

    são cerca de 1,8milhoes de unidades em estoque na banania..
    considerem 5k imóveis para cada cidade maior que 90k habitantes=351cidades

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 21 de setembro de 2016 at 09:28

    20/09/2016 19h59 – Atualizado em 20/09/2016 20h03
    Nº de inadimplentes no ‘Minha Casa, Minha Vida’ é de 40% em Araraquara
    Quatro em cada 10 beneficiados estão com as prestações atrasadas.
    Em São Carlos, 22,6% dos mutuários estão em débito com o banco.

    Agora já são 12 prestações em atraso. Além disso, ainda tem boletos de água, de luz e dos móveis da casa. “Era um sonho e virou pesadelo, tudo atrasado desse jeito, vem cobrança. A gente tem que pagar os móveis, a casa, mas está sem condições, não tem renda de lado nenhum”, desabafou.

    http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2016/09/n-de-inadimplentes-no-minha-casa-minha-vida-e-de-40-em-araraquara.html

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Boruto 21 de setembro de 2016 at 09:50

      É aquilo que já se falou aqui: “Não é fácil conseguir um emprego que te dê segurança para 35 anos de parcelinhas”.

      10+
      • avatar
      • avatar
    • Fernando 21 de setembro de 2016 at 13:40

      Já q vcs gostam de números, concordo 100% com o que está escrito acima. No caso de MCMV.

      No caso de imóvel acima de 500 mil, se não me engano, a inadimplência beira 2%.

      Isso procede?

      Procedendo, a conclusão plausível é que o numero de “666 motumbados” não representativo?

      Como corolário, podemos concluir também que, a associação que se faz sistematicamente aqui entre proprietário e 666 pode ser equivocada, no caso da pessoa ter financiado?

      E que no caso de aluguel, como a inadimplência é maior, podemos associar quem aluga a “666”, partindo-se da premissa anterior, já que nesse a amostra representa muito mais a população?

      Comentarios?

      2+
      • joselito 21 de setembro de 2016 at 14:16

        Prezado FernandoViana, uma dúvida:

        a inadimplência deixa de ser contabilizada, quando a garantia é executada?
        No caso afirmativo, se eu fico 3meses sem pagar a boleta, o banco consolida a propriedade do imóvel (alienado fiduciariamente a ele). Neste caso, considerando que eu era o único que financiava neste banco, após 3meses ,a inadimplencia caiu de 100% para 0%?

        3+
        • avatar
    • PeinDraive 21 de setembro de 2016 at 21:56

      Olá pessoal,

      Sou um leitor desse blog de longa data e, primeiramente, gostaria de agradecer às dicas e compartilhamento de experiências de vida.
      Tenho 25 anos, de família humilde e crescendo na vida aos poucos. Ainda moro com meus pais e em minha próximas etapas no tocante mercado imobiliário será com respaldo das dicas e conselhos do blog.
      Os conselhos de vocês me ajudam muito a ter uma visão ampla não só de mercado, mas da vida.

      Mas vamos lá. CRV

      Utilizei esse post para responder pois se trata da cidade onde moro (Araraquara), e o que vejo aqui é que as coisas estão feias, mas ninguém percebeu ainda. Muitas pessoas desempregadas (recebo currículo todos os dias, em torno de 4,5) e muitas delas, até mesmo a maior parte, tem financiamento imobiliário em seu nome.

      Há uma semana um amigo de trabalho me diz que está vendendo um casa no condomínio em que ele mora, onde o proprietário está apenas pedindo o preço que gastou com o terreno e com a obra da casa junto com um desconto de 30k do valor gasto, o intuito é se livrar da dívida, mas ele deve imaginar que não será fácil vender pois construiu seu imóvel no ano passado, onde financiou o m2 por um valor exorbitante. Será muito difícil vender esse imovel (em torno de 450k, preço de olx), porém ele não é o único, tem muitas pessoas nessa condição ou até pior, é que vai ficar mais ainda, porém sinto que as pessoas custam acreditar ou aceitar que fizeram um mal negócio. Evito falar com pessoas sobre esse assunto, principalmente as que já foram motumbadas, pois acham que é alguma forma de inveja. Aquela frase “ter um cantinho para chamar de seu” infelizmente ainda é muito forte na cabeça das pessoas.

      Por fim, fico triste em ver pessoas que aplicaram uma vida toda em investimentos furados e, quando acordarem, tomarão um infeliz choque de realidade.

      Mais uma vez agradeço todos vocês e continuem assim.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • gmlinux 21 de setembro de 2016 at 22:20

        Quando tinha por volta de 7 anos, início da decada de 80, meu pai comprou uma casa em um conjunto habitacional onde 90% das casas estavam abandonadas e depredadas (inclusive a nossa), eu não subestimaria esta crise atual…

        4+
        • avatar
  • Rampion 21 de setembro de 2016 at 09:47

    Sempre fui cabreiro com essa coisa de seguir a boiada. Todo mundo enxerga o mesmo negócio e saem feito loucos para embarcar no “empreendimento/investimento”. Só que na maioria das vezes os 666s que entram nesses negócios são o próprio público alvo e depois vão vender pra quem? Nos anos 90, durante o período de desemprego, pipocavam ofertas de emprego para vendedores de planos de saúde, bastava vender um plano para ser efetivado. Logo, não é difícil de entender qual era o objetivo do negócio. Os investiOtários caíram no mesmo golpe foram “efetivados” e agora não conseguem novos compradores. São a base da pirâmide, o chão, o idiota maior que dificilmente encontrará outro maior do que ele para passar a sina.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Marc 21 de setembro de 2016 at 09:51

    SP tem o 6º pior mercado imobiliário do mundo;
    “http://exame.abril.com.br/economia/noticias/sp-tem-o-6o-pior-mercado-imobiliario-do-mundo-veja-lista”
    São Paulo – O Global Property Guide divulgou nesta semana a lista com os melhores e piores mercados imobiliários do mundo no segundo trimestre de 2016. São Paulo apareceu na ponta negativa.

    No cálculo com ajuste pela inflação, os preços de moradia na maior cidade do país caíram 1,58% no trimestre e 7,59% na comparação com o mesmo período do ano passado.

    Na conta de preços nominais, sem ajuste pela inflação, os números se tornam positivos: 0,15% de alta trimestral e 0,58% de alta anual.

    De janeiro a julho deste ano, foram comercializadas 8.022 novas unidades residenciais em São Paulo, 25% a menos que o total vendido no mesmo período de 2015 (10,7 mil unidades). Os dados são do Sindicato da Habitação (Secovi-SP).

    Navegue pelas fotos e veja quais foram os 10 mercados imobiliários “mais frios” do mundo no segundo trimestre de 2016 (números ajustados pela inflação), segundo o Global Property Guide.

    HAHAHAHAHA

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 21 de setembro de 2016 at 10:14

      3.500 pessoas estão vendo esse texto por hora, e nos comentários só 3 corvos irritados… dizendo que não dá pra comparar com china ou indonésia… kkk
      ardam e chorem corvos imprestáveis.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CarlosL 21 de setembro de 2016 at 10:44

    Resposta ao Lucas sobre o post: Crise d’água em SP

    Na boa bro, sempre curti seus posts pela coerência, mas nesse ai chamando de esquerdalha quem não concordou contigo, vc derrapou lindo hein !?

    Exército fazendo simulações em estações ?!
    http://oglobo.globo.com/brasil/em-meio-crise-hidrica-exercito-ocupa-sede-da-sabesp-para-realizar-treinamento-em-sp-16273817
    http://vejasp.abril.com.br/materia/militares-simulam-ocupacao-da-sede-da-sabesp

    Sim aconteceu e SIM , era para casos de caos social se a crise hídrica passasse os limites e quase passou….

    E pra fechar: Me supreende bolhistas que ainda separam partidos diante de um sistema político claramente falido……

    My 2 cents

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Buble 21 de setembro de 2016 at 12:28

      Perfeito o final do seu comentário. Enquanto coxinhas e mortadelas se agridem Aécio e Lindberg tomam um cafezinho juntos.

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CarlosL 21 de setembro de 2016 at 12:48

        Perfeito o seu complemento, digno de bolhista =)

        6+
        • avatar
        • avatar
    • Lucas 21 de setembro de 2016 at 15:25

      simulado de segurança

      tem a ver com o PCC atuando na zona norte, aliados do PT, sob risco de outra sabotagem na Estação além daquela que vem sendo realizada internamente pelos sindicatos petralhas

      Tem nada a ver com crise, aliás SECA NO SUDESTE, SECA PASSAGEIRA que afetou o sistema elétrico e sua conta de luz subiu 100%, a de água subiu ZERO

      sobre te chamar de esquerdalha, na verdade vc é da turma dos idiotas úteis que repete as mentiras da esquerdalha, me desculpe se vc se sentiu ofendido, não foi essa a intenção, aliás avisei que muitos da DIREIA tbm foram enganados, eu mesmo petralhei naquela questão do Brexit, mas como bom bolhista vc saberá ver que foi enganado.

      digo e repito, a BOLHA IMOBILIARIA TEM UMA QUESTÃO POLITICA FUNDAMENTAL
      que se repete na Seca no sudestes, nas bolhas de crédito, etc…
      eu nao sou desses caras que vai de mansinho fazendo amizade procurando mostrar a verdade aos pouquinhos, é uma falha minha vou dando logo o pé na porta, espero que vc tenha paciencia, nada pessoal.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • joselito 21 de setembro de 2016 at 17:00

        Portanto, com a retirada do PT do poder e da cena política, em 2017 a economia começa a retomada, né?

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 21 de setembro de 2016 at 17:15

          não….
          em 2017 o déficti será maior que o desse ano 190bilhões
          em 2018, a depender das eleições no fim do ano, será iniciado o ajuste fiscal, que deve durar até 2031, segundo os moderados … OU O CALOTE.

          a queda do PTralhismo e do foro de S.Paulo nos salva da gente virar uma venezuela onde o povo está comendo os bixos de estimação pra não morrer de fome. onde falta papel higienico, luz e gasolina

          4+
          • avatar
          • gmlinux 21 de setembro de 2016 at 22:26

            Se depender deste ajuste vou aposentar daqui 20 anos e mudar para Portugal para ajudar com as piadas de brasileiro…

            1+
            • avatar
  • Baby Boy 21 de setembro de 2016 at 11:29

    666 Financia o bolhudo por 30 anos.
    666 perde o emprego
    666 seca suas economias.
    666 Tem divida do bolhudo subindo que nem foguete.

    Em breve eles imploraram para alguém apenas assumir a dívida do bolhudo.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • JJJ_brasilia 21 de setembro de 2016 at 12:40

      Baby Boy,

      Só uma coisa, 666 não tem reservas, tudo que tem é parcelado, anos de renda comprometida, quando ele perde o emprego, já era.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Baby Boy 21 de setembro de 2016 at 13:06

        Tem aquela “reserva”
        – Seguro desemprego, Multa recisória, Ação Trabalhista, FGTS, e os titulos de capitalização aplicado no banco…

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • JJJ_brasilia 21 de setembro de 2016 at 14:35

          Estas reservas o 666 realmente têm.

          4+
          • avatar
          • avatar
          • gmlinux 21 de setembro de 2016 at 22:28

            FGTS alguns 666 usaram no imóvel…

            1+
            • avatar
  • Boruto 21 de setembro de 2016 at 11:48

    CarlosL

    Sim aconteceu e SIM , era para casos de caos social se a crise hídrica passasse os limites e quase passou….

    E pra fechar: Me supreende bolhistas que ainda separam partidos diante de um sistema político claramente falido……

    My 2 cents

    4+

    Cara não tem honesto na política não (à “esquerda” ou à “direita”, leia-se: PT, PSDB, PMDB, DEM, NOVO [ponha aqui sua sigla favorita]) nego só tá ali para se dar bem. Todos os partidos da Banânia são compostos por bananenses que só seguem uma lei: a Lei de Gérson, não existe ideologia neles (leia-se: “direita” ou “esquerda”).

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Baby Boy 21 de setembro de 2016 at 11:55

      Cheguei a conclusão que os Deputados são os corvos da política.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Baby Boy 21 de setembro de 2016 at 11:55

        Vivem de “comissão”

        6+
        • avatar
        • avatar
      • Boruto 21 de setembro de 2016 at 11:56

        Não só os deputados e sim os políticos em geral.

        4+
        • avatar
        • avatar
        • Baby Boy 21 de setembro de 2016 at 12:03

          Vereador = Corvo que entrega boleto
          Deputado = Corvo que fecha as vendas
          Prefeito = Coordenador dos Corvos
          Senador = Dono da imobiliária.
          Presidente = Dono da incorporadora e Construtora.

          6+
          • avatar
          • Baby Boy 21 de setembro de 2016 at 12:05

            Corrigindo:

            Vereador = Corvo que entrega boleto
            Deputado = Corvo que fecha as vendas
            Prefeito = Coordenador dos Corvos
            Governador = Dono da imobiliária.
            Senador = Dono Construtora
            Presidente = Dono da incorporadora.

            6+
            • avatar
      • Rampion 21 de setembro de 2016 at 13:26

        Os políticos são os responsáveis por tudo de ruim que ocorre no país. Foram eles que colocaram o país na atual situação. Roubando, fazendo vista grossa, concedendo fatias para esse e aquele partido da “base aliada”, saiu ladrão e entrou ladrão e a há quem ainda vista a carapuça de coxinha ou de mortadela para apoiar seu ladrão favorito. Quando ouço mortadela ou coxinha falando de política faço de conta que não estou ouvindo nada, abstraio, pois, me irrita a parcialidade e a ignorância em não verem que os políticos são todos iguais. Ladrões!
        Temos um país formado em sua maioria por pessoas ignorantes seja alfabetizadas ou instruídas que entraram nessa discussão idiota de quem está mais errado. Do ladrão que fez mais pelo país. rs. Soa irônica essa defesas. Mas, são amplamente defendidas por ambos os lados. Aposto que no mínimo até 2018 a situação não melhorará. E que em 2017 teremos outro presidente.

        E viva os coxinhas! E viva os mortadelas! E viva os dentinhos! E é verdade que foi golpe! E é verdade que foi apoiado na lei! E vai melhorar sem a Dilma! E vai melhorar com o Temer! E vai ser melhor com a reforma da previdência! E vai ser melhor com a reforma trabalhista! E vamos acreditando em tudo isso, pois, no Brasil a imprensa é livre e a liberdade de expressão e a democracia serão sempre respeitados. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…snif!

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • joselito 21 de setembro de 2016 at 17:03

          Para refletic:
          Poucos acham ruim o crescente protagonismo do judiciário, formado de “castas” superiores, concursados, acima do bem e do mal.
          Eles, inclusive, quando deparam com Lei que limita seus salários, valem de seu contato divino com Ele próprio e dizem:
          – Esta Lei não diz o que ela diz, a Lei diz o que eu falo que ela diz. (livre convencimento?)

          8+
          • avatar
    • CarlosL 21 de setembro de 2016 at 12:14

      Exato por isso esse papo de esquerdalha ou o escambau pra mim já deu….

      E nesse caso a responsabilidade dessa grave situação estava nas mãos do PSDB que agora vai certeza usar ao seu favor a sorte divina que tiveram…..

      7+
      • avatar
      • avatar
  • Boruto 21 de setembro de 2016 at 11:55

    CarlosL

    E pra fechar: Me supreende bolhistas que ainda separam partidos diante de um sistema político claramente falido……

    My 2 cents

    5+

    “Coxinhas” e “Petralhas” brigando entre sí enquanto os políticos já fizeram seu pé de meia mandando dinheiro para o exterior e comprando imóveis em países de 1º mundo mais barato que na Banânia enquanto os 666 ficam brigando aqui.

    8+
    • CarlosL 21 de setembro de 2016 at 12:15

      Cenário perfeito………. para eles

      4+
      • avatar
      • avatar
      • Boruto 21 de setembro de 2016 at 12:23

        O mal da Banânia é o bananense. Não tem outra forma de explicar aumento de preços (inflação) com diminuição de vendas, de demanda e de lucros acumulados.

        7+
        • avatar
        • Boruto 21 de setembro de 2016 at 12:28

          Mas para mim é ótimo, afinal diversifiquei investimentos e apostei inclusive em TD IPCA+.

          4+
          • avatar
          • CarlosL 21 de setembro de 2016 at 12:50

            Incertezas políticas, caos social, insegurança = JUROS

            4+
            • avatar
  • Alemon Fritz 21 de setembro de 2016 at 12:33

    entre 2012 e 2015 foram lançados 10156 imóveis em jundiai, foram comercializados 7.491… = 3000 ainda pra vender…kkkk
    vejam os comentários, a galera malhando o “mercado”, corvos mimimi.. divertido

    http://www.jj.com.br/noticias-35752-imoveis-em-jundiai-registram-valorizacao-de-6–em-um-ano

    5+
    • avatar
  • Boruto 21 de setembro de 2016 at 12:38

    CarlosL

    Exato por isso esse papo de esquerdalha ou o escambau pra mim já deu….

    0

    No Brasil se você fala que a culpa da crise na economia é do PT você é “Coxinha”. Se você fala que a crise da água em São Paulo é culpa do PSDB que não investiu para ampliar a captação de água mesmo tendo um estudo de 10 anos atrás dizendo que iria faltar água você é “esquerdalha”.
    Eu concordo com as duas frases, mas a galera acha que temos que comprar o “pacotinho ideologico completo”, para eles não existe meio-termo ou ponderação, senão você é o “Isentão”.

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • JJJ_brasilia 21 de setembro de 2016 at 12:46

      Aqui na banania, nego é maluco, pensa que é como futebol, o sujeito torce para um time e repete isto com partido político, marca de carro, marca de celular, tudo, o cara se coloca de um lado, numa torcida, se o cara compra um carro da GM, ele torce pra marca, a VW é de outro time, a Hyundai de outro.

      As empresas e partidos só querem se dar bem em cima do 666 e ele ainda se dá ao trabalho de torcer para esta gente.

      19+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Lucas 21 de setembro de 2016 at 19:33

      cara, vc é denovo um idiota útil
      nops ultimos 10 anos a Sabesp dobrou o numero de captações, aumentou a quantidade de água em quase o dobro

      a tal crise foi simplesmente uma seca no interior do sudeste, as represas billins e guarapiranga tinha agua saindo pelo ladrão, bastou remanejar os volumes de água que a coisa se acertou, infelizmente, nesta operação de reequilibrio houve alguns problemas pontuais devido a gargalos na rede de uma cidade com 20 milhes de habitantes e encanamento suficiente rpa dar a volta no planeta umas 5x.

      Eu aqui não estou defendendo o psdb muito menos a sabesp, óbvio que tem corrupção lá dentro.
      o que eue stou falando é que a esquerdalha mafiosa criou uma rede de mentiras e sabotagens envolvendo desde professorzinho da usp, sindicatos dentro da sabesp, a mídia chapa-branca, a agencia de aguas federal ANA, enfim, uma máfia dos infernos.

      de lá pra cá não houve grandes chuvas, elas apenas voltaram ao normal, tanto é que o preço da luz parou de subir.

      de lá pra cá tivemos um inverno extremamente seco agora esse ano, mas o Cantareira continua recuperando o nível

      de lá pra cá houve o impieachment, estão secando a fonte de plantar mentiras do PT

      Falo isso pq conheço de amizade os maiores especialistas do BR nesse assunto, alguns da Poli outros ainda melhores, eles simplesmente tem medo de se expor, de falar isso que eu falo, senão a rede esquerdalha ferra com a vida profissional deles, mas eu estou aqui pra divulgar isso.

      e como sempre provo o que eu digo com links verdadeiros, e não opiniãozinha simpatica e vazia
      “Profissionais que ousaram enfrentar Lula antes foram aniquilados”
      (paschoal)
      http://www.implicante.org/blog/paschoal-pro-lava-jato-profissionais-que-ousaram-enfrentar-lula-antes-foram-aniquilados/

      7+
      • avatar
  • Fernando-SSS 21 de setembro de 2016 at 13:16

    O PT fez aliança com o Collor!!!!!!
    Tá de brincadeira que eu vou discutir política com algum PTeba depois desta…

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Baby Boy 21 de setembro de 2016 at 13:44

    GREVE NOS BANCOS HA DUAS SEMANAS.
    Reivindicações:
    Reajuste de 6,5% sobre os salários, a PLR e os auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil.
    Os sindicatos alegam que a oferta não cobre a inflação do período e representa uma perda de 2,39% para o bolso de cada bancário.
    Os bancários querem reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial – no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho) -, PLR de três salários mais R$ 8.317,90, além de outras reivindicações, como melhores condições de trabalho.

    PMJ!!

    7+
    • avatar
    • avatar
    • MINEIRO SPY 21 de setembro de 2016 at 13:58

      Talvez seja a próxima profissão a sumir de vez, junto com frentista, cobrador.
      O processo é lento, mas quem tem conta digital nota que essa greve afeta praticamente nada. Se os bancos aumentassem a liberdade de fazer transações para exterior sem limite bizarro de 3000 dólares/remessa, como no BB, menos funcionários seriam necessários.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Baby Boy 21 de setembro de 2016 at 14:07

        CVR.
        Passei na agencia Bradesco e vi a placa GREVE.
        A agencia esta aberta com os funcionários esperando o atendimento.
        Na porta giratória tem dois meliantes parado dizendo que ninguém entra. ou vai tomar porrada.

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • claudio 21 de setembro de 2016 at 17:53

          ontem fui depositar na caixa economica federal, ae as tres horas, os caras desabilitam a tecla deposito, no auto atendimento, deveriam mandar tudo embora sem direito….

          3+
          • avatar
          • avatar
      • gmlinux 21 de setembro de 2016 at 22:40

        Mas já esta ocorrendo isto, possuo atendimento personalizado e totalmente digital, mesmo quando uso meu gerente, sou de MG e um gerente em SP cuida de minha conta, e de quantas mais?

        2+
        • avatar
        • avatar
  • joselito 21 de setembro de 2016 at 14:06

    CVR
    Em dez/15, fui no ninho de corvo, catei as chaves, visitei apto e, ao final, mandei e-mail perguntando preços de iptu e condominio. (valor anunciado de aluguel 2500).
    Pela resposta, ofereci 2000. Bom, o corvo nunca me retornou.

    Hoje, achei um imovel no mesmo edificio (mas nao posso confirmar ser o mesmo imovel) pedindo 2100 (o condominio indicado está conforme, mas o iptu do anuncio de hoje está somente o dobro do que a corva me informou em 2015).

    Mesmo nao podendo confirmar se o mesmo apto, confirmo que 2500 não era e não é razoável. Se o fosse, este anuncio de hj estaria 2500 ou mais, fatalmente.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • joselito 21 de setembro de 2016 at 15:13

    “http://www.stj.jus.br/sites/STJ/default/pt_BR/Comunica%C3%A7%C3%A3o/Not%C3%ADcias/Not%C3%ADcias/Terceira-Turma-reconhece-multipropriedade-como-direito-real-e-afasta-penhora”

    É, não consegui compreender perfeitamente onde o motumbo cresceu ai, mas me parece que pro lado do credor (bancos), certo?

    4+
    • avatar
    • avatar
    • JJJ_brasilia 21 de setembro de 2016 at 15:46

      Joselito,

      É aquele esquema de vender frações do imóvel, 52 possoas, cada uma pode utilizar o imóvel por 1 semana por ano.

      Não entendi bem também, mas ainda bem, ROLO NÃO SE ENTENDI, SE EVITA!!!

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • joselito 21 de setembro de 2016 at 17:08

        Sim, isso sim.
        A ideia da decisão, resumidamente, é:
        – Discutia se essa divisão (multi-propriedade) era direito obrigacional (direito de uso) ou direito real (propriedade). Os tribunais, até então, entendiam que os direitos reais são aqueles que a Lei diz que são e, como a propriedade se constitui com o registro e o registro ta no nome da Incorporadora, o imóvel poderia ser penhorado para honrar com obrigação da Incorporadora/Construtora.
        Não obstante, o STJ entendeu que a multi-propriedade (esquema de 50pessoas “comprarem” o imóvel, que fica no nome da incorporadora que é quem regula e administra o uso do bem entre os multi-proprietários) é sim um direito real de propriedade e, assim, cancelou a penhora sobre o imóvel no que tange à fração ideal da parte embargante.

        Da minha leitura, entendi que os imóveis de incorporadoras cujo uso seja compartilhado dessa forma (52 pessoas, 1por semana) não poderão ser penhorados em função de dívida da incorporadora e, assim, o banco tomaria o ferro.
        Por outro lado, a dívida do 666 poderia ocasionar a penhora de sua “fração”, forçando a incorporadora a aceitar o “comprador”, etc.

        3+
        • avatar
        • avatar
        • JJJ_brasilia 21 de setembro de 2016 at 17:22

          Pelo que vi é isto que postou.

          É importante sabermos para ficar fora de qualquer rolo.

          4+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Lucas 21 de setembro de 2016 at 15:15

    OS pinogs nos is

    no landing:
    UK continua bombando

    Soft landing:
    espanha caiu por volta de 50% em 10 anos
    japão caiu por votla de 50-80% em 20 anos
    portugal, itália, alemanha, foram se ajustando

    Hard landing:
    EUA no pior ano foi 18% em 10 anos foi uns 50% até 80% nos piores locais
    Irlanda, islandia, Grécia foi um desastre quebrou o país

    Até aqui são países com moeda forte, juros até negativos, custo de oportunidade baixíssimo e inflação anual de 1 dígito, coisa que na banania temos em 1 mês

    agora vamos pro BRasil:
    inauguraremos o CRASH LANDING

    porenquanto já foi a fase soft
    estamos na fase hard

    Dados:
    quedas a valor real (contando inflação) anunciadas por aquele site esquistão de 18% em 6 meses
    leilões por baixo dos panos de 80%
    descontões de pratelira em até 70% nas construtoras
    usados 50%off é comum
    pesquisa CRECI-SP acumulou já coisa de 50%

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 21 de setembro de 2016 at 15:16

      ERRATA:
      NOS EUA foi menos de 10 ANOS, preguiça de ver o grafico, acho que sangrou 50% em 5

      6+
      • avatar
      • avatar
    • Zé Carioca 21 de setembro de 2016 at 16:20

      Perfeito, e continuo apostando em um softlanding a la Espanha. Pra mim a queda será de 50 ou 60% em dez anos. Ainda não vejo essas quedas de 50% e os poucos imóveis que vejo os preços ainda estão absurdamente caros.

      CA, meus amigos, em sua maioria, são funcionários públicos que ganham próximo ao teto. O Rio de Janeiro é o paraíso do Barnabezinho, são poucas as empresas privadas e vários cargos públicos, além da Petrobras, Eletrobras, Furnas, e diversas outras empresas estatais e de economia mista. Boa parte dos cariocas se forma e estuda para concurso, não tendo noção do que é o mercado de trabalho. Se torna o típico Barnabezinho, passa o dia todo na repartição, mas ocupa quase que todo o tempo visitando o globo.com ou comentando em blogs da internet, com produtividade próxima a zero. Não se pode levar em conta o que os meus amigos Barnabezinhos falam, pois em geral pouco pode ser aproveitado.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • CA 21 de setembro de 2016 at 16:38

        Zé Carioca,

        Creio que você não leu todo o comentário do Lucas. Estamos falando em quedas de 50% em termos reais nos 2 últimos anos em São Paulo, com base nos preços NEGOCIADOS, duas vezes mais rápido do que na Irlanda que foi sua referência de “hard”. Não há mais o que apostar, os dados estão aí e pior, não são exclusivos de São Paulo e usados, veja promoção PDG com quedas de preços anunciados por eles que ficam acima de 40% em alguns casos, preços da Viver no segmento médio que constam nos relatórios dela com queda de mais de 50% nos 2 últimos anos, além de outro link falando sobre queda de preços de 18% para comerciais em apenas 1 ano e isto pelo FINGE Zap, imagine o Mundo REAL!

        Estes são dados recentes e de fontes diversificadas, todos apontando hard landing, o único lugar que é soft por enquanto é o FINGE Zap e ainda assim, só na análise de preços ANUNCIADOS de imóveis residenciais, sendo que em nenhum lugar do Mundo se mediu queda em preços anunciados, só aqui no Brasil que usam isto como pega-trouxa…

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 21 de setembro de 2016 at 17:21

          complementando o CA:

          quando às ofensas aos FPs é mera provocação barata, dito isto, eles estão entre os mais bem pagos do país, a renda média do FP é quase 100% maior que a do resto do brasileiro, então se nem eles podem comprar imóvel, meu “amigo”, esquece o resto da economia.

          CA creio que a nova tese da “desinformatzia” é defender que o fundo do poço foi agora em 2016, portanto com a queda do PT os preços voltam a subir, vamos comemorar a valorização do feijão, porque país de sucesso é assim, quanto mais caro os produtos de consumo, melhor, mais ricos nós somos.

          8+
          • avatar
          • avatar
          • Lucas 21 de setembro de 2016 at 17:33

            PEÇO AOS FPs não caírem em provocação
            o Zé quer derrubar o blog

            8+
            • avatar
            • avatar
          • gmlinux 21 de setembro de 2016 at 22:51

            Quando recebem…

            2+
            • avatar
    • joselito 21 de setembro de 2016 at 17:11

      Com crash você se refere, além da questão econômico, à questão física-estrutural das construções?

      4+
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 21 de setembro de 2016 at 17:27

        Sim, também, bem lembrando

        olha, historicamente o padrão popular sempre foi muito ruim
        nas zoropa nós vemos hoje os castelos com mil anos de idade, mas os barracos onde moravam 99% da plebe desapareceram faz tempo

        A grande novidade na bolha bananense é que venderam LIXO pra Elite, e ela engoliu seco.

        falo da qualidade e falo do tamanho dos imóveis, um país continental e pouco denso nossa elite vive igual japonês no centro de tokyo, e com a qualidade que vc já sabe.

        Quando der 10 anos, um marco famoso no mundo das obras, esses lixos vão dar muito custo, sem falar nos custos das 40 xoxotecas.
        Taxas de condo vão explodir, custos vão explodir, veremos a favelização dos condomínios

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • joselito 21 de setembro de 2016 at 17:52

          Teremos comprovação de renda do possível comprador perante o condomínio, para saber se ele conseguirá pagar os custos condominiais, #sqn

          4+
          • avatar
          • avatar
  • Cadeludo 21 de setembro de 2016 at 15:53

    por aqui, os cabos eleitorais entregam junto com santinho de candidato os santinhos dos bolhudinhos, tem mais bolhudo encalhado que candidato a vereador

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 21 de setembro de 2016 at 16:40

    http://portaliguacu.com.br/noticias-gerais/lancamentos-crescem-mas-setor-imobiliario-ainda-aguarda-retomada-2-13675

    “Se considerados os distratos como proporção das vendas por safra de lançamento, as unidades vendidas no primeiro trimestre de 2014 apresentam a taxa de distratos mais elevada da série histórica (20,2%).

    O diretor da Abrainc esclarece que, apesar da queda de 4,8% no acumulado de 2016, os distratos ainda preocupam o setor, pois cria um desequilíbrio para o setor. “O distrato é prejudicial para todos. Para o cliente, é a perda do sonho da casa própria e, para as empresas, um problema na equação econômica do empreendimento”, destaca Moura.”

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 21 de setembro de 2016 at 16:44

      Cajuzinha,

      Pois é, quem diria que até alguns anos atrás estas mesmas construtoras e seus parceiros do segmento imobiliário “comemoravam” os distratos, porque iam ser revendidos “com lucro”. Desde o nascimento do golpe das vendas FALSAS na planta eles sabiam perfeitamente do efeito destrutivo dos distratos, tanto é que Sam Zell e Enrique Bañuelos saíram respectivamente de Gafisa e PDG, ANTES de explodir o primeiro grande lote de distratos vindos destas vendas FALSAS…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CA 21 de setembro de 2016 at 16:41

    Vou replicar aqui porque ficou muito pra cima e acho que é algo interessante para compartilhar:

    ———————————————————————————————————————————————————————————————-
    Louro José 21 de setembro de 2016 at 08:39
    Agora é mole. Queria ver falar isso em 2013, como nós.
    ———————————————————————————————————————————————————————————————–
    CA 21 de setembro de 2016 at 09:06
    Louro José,

    Pois é… No link abaixo, uma coleção de depoimentos de quem comprou na planta e já em 2013 viu que a construtora estava vendendo mais barato no ato da entrega. Esta coletânea também foi publicada aqui no blog.

    http://defendaseudinheiro.com.br/comprar-imovel-em-tempos-de-bolha-imobiliaria
    ———————————————————————————————————————————————————————————————–
    Fernando 21 de setembro de 2016 at 13:46
    Exatamente… isso só vem confirmar o meu caso: comprei bem abaixo do preço pago nominalmente na planta, 3 anos depois, com o predio pronto.

    O meu caso confirma essa sua tese.

    Não darei mais nenhum detalhe.
    ———————————————————————————————————————————————————————————————–
    CA 21 de setembro de 2016 at 16:30
    Fernando,

    Você pagou mais barato na entrega do imóvel do que quem comprou na planta 3 anos antes? SIM. Isto já acontece desde 2013, de acordo com evidências que coloquei acima.

    O preço que você pagou estava alinhado com os fundamentos (*) e significa que foi um bom negócio? NÃO.

    (*) Preço desalinhado com fundamentos: o preço de venda do imóvel, mesmo com a queda relevante, no acumulado de 10 anos até 2015, que foi a data de sua compra, ainda estava muito acima do crescimento acumulado da renda, do aluguel, do custo de construção ou de qualquer outra variável que você queira comparar e isto significa que este preço ainda tem tendência forte para cair.

    Outra forma de se entender porque a tendência é de novas quedas de preços, é analisar a situação atual e tendência das principais variáveis que afetam os preços:

    1) Lei de oferta e procura: a distorção entre oferta e procura continuou subindo de 2015 em diante. Isto ocorre porque construtoras continuam pedalando para mascarar os distratos, ao mesmo tempo que distratos continuam muito elevados e vendas continuam caindo;

    2) Dívidas das construtoras: estão ficando cada vez mais críticas. Não é a toa que a Viver, no segmento MÉDIO, praticou preço unitário com QUEDA de 29% de 2014 para 2015 e mais 38% de queda de 2015 para 2016. Não é a toa que a PDG fez promoção agora em setembro/2016 com link que publicamos em tópicos anteriores, com quedas de preços saindo de um mínimo de 20% até mais de 40%. Não são só elas, todas as construtoras intensificaram os “descontos e promoções” depois de 2015, claramente não foi algo que atingiu o auge de redução de preços em 2015;

    3) Necessidades dos vendedores particulares só tem aumentado com o tempo: no acumulado dos últimos 24 meses, no caso de imóveis usados, a queda de preços, de acordo com o CRECI SP, foi de aproximadamente 30% em termos nominais. Se considerar a inflação, ficou em quase 50%. Considerando a inflação, no último ano a queda de preços foi de mais de 10%, isto depois que você já havia comprado seu imóvel. Em tempo: a distorção entre oferta e procura no caso de usados também não para de crescer e continuou assim depois de você ter comprado seu imóvel em 2015, basta você acompanhar os sites com anúncios de imóveis à venda. Isto é mais uma demonstração do aumento da NECESSIDADE de vender um imóvel;

    4) Crédito imobiliário disponível: se em 2015 a verba da poupança para o crédito imobiliário já havia perdido R$ 50 bilhões, tornando o crédito barato mais escasso e fazendo com que ele encarecesse, só no primeiro semestre de 2016 a sangria da poupança já ficou próxima destes R$ 50 bilhões, ou seja, com cada vez menos dinheiro disponível para o crédito imobiliário barato, cada vez mais pressão para redução de preços, sendo que a tendência é que tenhamos novas quedas na verba disponível por mais tempo. Os esparadrapos do governo não contém a hemorragia do crédito imobiliário, os valores adicionais de FGTS cobrem uma parcela mínima desta sangria da poupança, absolutamente insuficiente;

    5) Inadimplência do crédito imobiliário: a inadimplência do crédito imobiliário continuou subindo, assim como os juros dos bancos para preservarem sua liquidez, incluindo os juros para o crédito imobiliário. O aumento da inadimplência também aumenta a distorção entre oferta e procura mencionada no item 1 mais acima, sendo mais uma pressão pela redução dos preços dos imóveis;

    6) Situação da economia: desde a época em que você comprou seu imóvel, o desemprego não parou de crescer e a renda não parou de cair. O PIB continuou caindo depois que você comprou seu imóvel. A dívida das famílias e a inadimplência também se mantiveram em patamares anormalmente elevados, assim como inflação e juros. Todos estes fatores completamente contrários ao segmento imobiliário, mais uma vez impulsionando novas quedas de preços;

    7) Risco cada vez mais elevado de “efeito manada”: a tendência é de novas quebras de construtoras, com isto, o risco de um efeito manada que “congele” as vendas na planta, é elevado. Isto anularia inclusive as vendas FALSAS e a especulação desenfreada, forçando fortes quedas nos preços de imóveis, de forma generalizada.

    Tem muito mais do que consta acima para provar que já havia uma forte tendência de queda de preços APÓS você ter feito a compra de seu imóvel, mas vou parar por aqui quanto a esta análise, creio que a AMOSTRA acima foi o suficiente.

    Complemento:

    Nenhum empreendimento é uma ilha, mesmo que no seu condomínio tivesse vendido 100%, ainda assim ao acontecer quedas de preços no bairro e na cidade, irão se refletir lá, para futuras vendas de proprietários atuais ou mesmo em todo bairro, ou seja, se comprasse depois pagaria mais barato. O nome desta situação, quando os preços baixam, mas ainda estão longe do vale de preços e algumas pessoas se empolgam e compram, achando que “já chegou ao fundo do poço”, é Bull Trap. Pesquise sobre isto, existiu em todas as bolhas imobiliárias que explodiram ao redor do Mundo…

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 21 de setembro de 2016 at 17:28

      perfeito, conforme falamos, a bolha estourou em fins de 2012

      CA creio que a nova tese da “desinformatzia” é defender que o fundo do poço foi agora em 2016, portanto com a queda do PT os preços vão subir,
      Vamos comemorar a valorização do feijão, porque país de sucesso é assim, quanto mais caro os produtos de consumo, melhor, mais ricos nós somos.

      7+
      • avatar
      • avatar
  • Lucas 21 de setembro de 2016 at 17:31

    CVR
    vizinho de parente alugou imóvel popular prum tipo Favelado que ouvia funk alto o dia inteiro
    6 meses depois o favelado vai embora e aparece o dono do imóvel PUTO da vida

    Primeiro que ele não tinha chave da propria casa, abriu a porta no chute
    começou a lavar a casa com desinfetante que dava pra sentir o cheiro a 2 andares de distancia, devia ter merda até no teto
    Ia perguntar de quanto foi o calote + estragos
    Ia….
    Fiquei com medo

    Vou esperar as fofocas chegarem

    Imóvel um EXCELENTE INVESTIMENTO.

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • carioca_real 21 de setembro de 2016 at 18:34

    Estava eu andando pelo fabuloso mundo do FINGEZAP, só para ver o quanto de çangui esta jorrando.
    Estou querendo ver como está o mercado em Copacabana, e para minha surpresa acabaram com as consultas por bairros, bom, pelo menos no link antigo.
    agora eles agrupam por cidade.
    é pelo visto o hard ploc esta vindo galopando e rápido.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Nuno Rj 22 de setembro de 2016 at 10:45

      Cara, aqui continua liberada a consulta por bairro. Vc deve estar acessando alguma versão antiga do site. Atualiza aí que pode continuar a pesquisa e ver como os preços já começaram a baixar =D

      0
  • Lord of All 21 de setembro de 2016 at 18:51

    Às vezes ficamos impacientes com a demora das consequências da bolha, mas no filme A Grande Aposta ficou bem claro como os “interessados”, no caso da bolha americana” atuavam para postergar o estouro, manipulando, inclusive, as agências de risco. Aqui na Banânia acontece tbm uma organização de auto-proteção do sistema imobiliário-financeiro, e a demora para o ploc está entre as construtoras, os bancos e a Adm. Pode tardar, mas não vai falhar.

    9+
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 21 de setembro de 2016 at 19:38

    Fernando

    Concordo com o que você escreveu, pode haver um bulltrap.
    No entanto, o interessante é saber o ponto certo da compra. Isso é percepção de cada um. Não dá para afirmar que hoje um sujeito que compra um apartamento a 500 mil, sabendo que era vendido lá atrás na planta por 700 mil (exemplo hipotético para arredondar) está fazendo necessariamente um mau negócio, sem analisar diversas variáveis pessoais que eu nem vou citar aqui, sendo que pelo menos no período tem embutido aí 3 anos de inflação.

    arráa´´a´´aá
    500k que era vendido por 700 perto do metro
    eu sei que condo é, muito provavelmente o costa rica, encaixa certinho na descrição

    amigão conheço bem aquela área, um imóvel daquele vc alugar por 1.500 reais 2.000 reais no maximo se estiver mobiliado finamente, ou seja gastar outros 100k pau em reformas pra tornar habitável

    tenho certeza absoluta disto, tinha um escritório naquela região, sei EXATAMENTE o preço

    ai faz ascontas 500k + impostos, taxas+reforma.
    SE vc aplica o mesmo dinheiro no TD vc aluga o andar inteiro mais o de cima e o de baixo e ainda sobra dinheiro pra pagar o condominio dos 6.

    Errou feio nas contas e na análise

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Festa_no_Ap 21 de setembro de 2016 at 19:40

    Fernando

    Concordo com o que você escreveu, pode haver um bulltrap.
    No entanto, o interessante é saber o ponto certo da compra. Isso é percepção de cada um. Não dá para afirmar que hoje um sujeito que compra um apartamento a 500 mil, sabendo que era vendido lá atrás na planta por 700 mil (exemplo hipotético para arredondar) está fazendo necessariamente um mau negócio, sem analisar diversas variáveis pessoais que eu nem vou citar aqui, sendo que pelo menos no período tem embutido aí 3 anos de inflação. Será mesmo que o imóvel vai cair a 400… 300… como alguns pregam? Ora, nesse exemplo hipotético, o imóvel custou aproximadamente 50% do que era pedido (200 mil a menos + 3 anos de inflação). A partir daí, é uma aposta, e eu particularmente APOSTEI que não vai abaixar muito mais do que isso por diversos motivos, principalmente pela percepção das pessoas de valor de um imóvel. É LÓGICO TAMBÉM QUE AQUELES IMÓVEIS QUE NÃO BAIXARAM AINDA, QUE SÃO A ESMAGADORA MAIORIA, TERÃO QUE BAIXAR SIM, ACREDITO…….
    Por outra perspectiva, o que se pode afirmar da situação acima é que a pessoa que comprou na planta, em alguns casos, se deu mal mesmo. Isso sim pode-se afirmar com certeza a partir do exemplo hipotético acima, vide tantos distratos.
    Exemplifico: hoje nos jardins/sp, um apartamento bom mas antigo custa R$ 10 mil o m². Eu APOSTO que se esse apartamento estivesse anunciado por 500 mil, venderia em menos de 1 dia, uma vez que o aluguel ali bate os 3-4 mil por mês, facilmente, e pode pesquisar… (nem me venham argumentar com salário mínimo, por favor… temos um local onde “todo mundo” quer, e só os ricos podem pagar).
    Exemplificando novamente, não adianta nada 10 acharem que o imóvel não vale, e 800 acharem que vale… Ora, tem duas marcas de carro bolhudinhas que estão vendendo seus carros de 90 mil mais do que carros populares… Eu acho que não vale, mas minha opinião não serve para nada nesse contexto, tem fila pra comprar, alguém vai lá e compra.
    A título de contra-argumentação já me antecipando às possíveis críticas de indivíduos que não saberão ler e compreender o meu texto (aproveitando o que tem de bom e descartando o que tem de ruim), poderia aduzir o fato de que existem pessoas que enviam dinheiro lá pros EUA, pagando taxas e mais taxas, ou que colocam dólares na latinha, para ver render, como antigamente faziam debaixo do colchão… perdendo dinheiro com isso (além de ser uma operação ilegal)… e ninguém critica… tem gente que já postou aqui que apostava em dólar a R$ 5,00 (a tal explosão do dólar, avoa latinha, comprem, comprem, comprem!, um dólar para morar, outro para investir! – ai se eu tivesse caído nessa…) mas veja que existe uma razão pessoal para isso, mesmo que a pessoa perca dinheiro: o que interessa é a proteção que acredita estar tendo em determinada atitude, lastreando-se em uma moeda supostamente forte como o Dólar. Essa mesma proteção, esse sentimento de valor, pode estar na moradia própria, na sensação de (suposta) estabilidade que um imóvel próprio (e quitado) pode proporcionar (as mulheres vão concordar rs, não as daqui)… Frise-se, eu JAMAIS compraria dólares para essa finalidade, e muito menos mandaria para os EUA, achando que o Brasil vai quebrar como a Venezuela, nem mudaria de meu país…, mas é uma opinião exclusivamente minha, pessoal, pode ser que aqui existam pessoas que compartilham da minha visão, pode ser que não, mas é apenas um ponto de vista, e o mais importante, eu RESPEITO A DECISÃO E OPINIÃO CONTRÁRIA….. a estratégia é de cada pessoa.
    Do mesmo modo, poderia tecer críticas à conduta de uma pessoa que, com 500 mil investidos, obtivesse 5 mil de “rendimentos” líquidos ao mês, já que essa pessoa, quando se gaba que os juros pagam o aluguel, nem se atentou para o fato de que deve manter o principal sempre, caso queira viver eternamente de aluguel, e que DE JUROS REAIS PROPRIAMENTE deve ter menos de 0,1% nessa conta hoje em dia…. (subtraindo a inflação, e olhe lá…). Assim, como com R$ 500,00 aproximadamente de “JUROS REAIS” alguém aluga alguma coisa aqui em São Paulo/SP? Que seja o dobro disso, que seja R$ 1000,00… Gostaria que me dissessem se estou errado ou não! Vale a reflexão…
    Ora, é incontestável que imóvel é um investimento sólido (literalmente, rsrs, não façam piada com isso…), e que, NA MÉDIA, e isso é histórico (e já que vcs gostam de estatísticas, isso é incontestável também), ACOMPANHA SIM A INFLAÇÃO (sublinho, NA MÉDIA), especialmente em um país em desenvolvimento.
    Em conclusão, como investimento o imóvel pode ou não ser ruim, a depender de vários fatores, mas na maior parte das vezes é ruim, nesse ponto o meu pensamento converge com a maioria dos que postam aqui. Mas para morar, eu tenho realmente minhas dúvidas se é tão ruim como dizem por aqui, e até hoje, sinceramente, não vi argumentos efetivamente convincentes para uma pessoa adotar uma posição de viver a vida inteira de aluguel.
    Em tempo, a prestação de meu financiamento imobiliário está caindo sim, ao contrário dos que divulgam que a parcelinha está subindo… a TR é igual para todos… a menos que o sujeito tenha financiado tudo rsrsrs aí não dá mesmo, depois vai no reclame aqui reclamar… A TR, que corrige o meu saldo devedor em pífios 2% AO ANO (perde aprox. 8% da inflação…), não vai “avoar”, e eu APOSTO NISSO.

    Ninguém pode negar também que tive a coragem e a iniciativa de escrever por aqui, alguns pontos favoráveis, e outros contrários a opinião de alguns. Mas uma discussão construtiva é isso, ouvir opiniões diferentes sobre assuntos diferentes, sempre com respeito aos pontos de vista alheios, sem agressões verbais como um coro de uma torcida organizada, ou como se uma manada fosse…

    Por fim, voto pelo HARD LANDING. Aproximadamente 50% não foi/vai ser nada soft.

    Um abraço.

    2+

    Parabéns =D

    4+
    • avatar
  • Festa_no_Ap 21 de setembro de 2016 at 19:55

    CA

    Zé Carioca,

    Creio que você não leu todo o comentário do Lucas. Estamos falando em quedas de 50% em termos reais nos 2 últimos anos em São Paulo, com base nos preços NEGOCIADOS, duas vezes mais rápido do que na Irlanda que foi sua referência de “hard”. Não há mais o que apostar, os dados estão aí e pior, não são exclusivos de São Paulo e usados, veja promoção PDG com quedas de preços anunciados por eles que ficam acima de 40% em alguns casos, preços da Viver no segmento médio que constam nos relatórios dela com queda de mais de 50% nos 2 últimos anos, além de outro link falando sobre queda de preços de 18% para comerciais em apenas 1 ano e isto pelo FINGE Zap, imagine o Mundo REAL!

    Estes são dados recentes e de fontes diversificadas, todos apontando hard landing, o único lugar que é soft por enquanto é o FINGE Zap e ainda assim, só na análise de preços ANUNCIADOS de imóveis residenciais, sendo que em nenhum lugar do Mundo se mediu queda em preços anunciados, só aqui no Brasil que usam isto como pega-trouxa…

    3+

    Onde eu acho esses descontos todos na vida real ?

    Pesquisei em vários sites e nada de construtora com desconto real, somente metade do dobro.

    Usado até tem algumas coisas interessantes.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • wing 21 de setembro de 2016 at 21:43

      Então depende bastante.
      Direto da construtora talvez sim. Já ouvi dizer q de Alto padrão consegue facilmente 30%.
      Quando é de imobiliária, esqueça. Esses caras ainda se acham.

      2+
      • avatar
  • Margarida 21 de setembro de 2016 at 20:00

    Boss, vai um link aqui mas não é por nenhuma questão política.

    Não sei se alguém aqui viu o depoimento do Diretor Financeiro da OAS Empreendimentos na LJ. A questão é que, na parte 1 e no comecinho da parte 2, ele fala por uma hora só sobre como funcionam os financiamentos, os projetos, as garantias… É impressionante.

    É tudo que li tanto por aqui, especialmente do CA. Não que eu não acreditasse, mas da maneira que ele descreve as coisas têm um impacto ainda maior (talvez pra mim, porque ouvir causa mais impacto). Talvez não traga surpresa alguma pra quem está super inteirado desses assuntos, mas vai o link caso alguém queira ver. Eu fiquei com um medo muito maior, o mapa do desastre se desenhou claramente enquanto ele falava, e as notícias soam cada vez mais terríveis.

    Parte 1: https://www.youtube.com/watch?v=wS2sADNhj6g
    Parte 2: https://www.youtube.com/watch?v=JiiTJFAAEPU (depois dos 10 minutos é assunto específico do processo, o interesse, acho, é tudo que vem antes disso).

    7+
    • avatar
    • avatar
  • JJJ_brasilia 21 de setembro de 2016 at 20:02

    DFTV 2a edição

    Manchete

    Águas Claras – DF tem 147 prédios em construção, e a Maria Augusta querendo 500k no dela, a oferta já é enorme imagine com mais 147 prédios sendo entregues, a quantidade de distratos que vão acontecer, imaginem o mercado como vai ficar.

    7+
    • avatar
    • avatar
  • Festa_no_Ap 21 de setembro de 2016 at 21:52

    wing

    Então depende bastante.
    Direto da construtora talvez sim. Já ouvi dizer q de Alto padrão consegue facilmente 30%.
    Quando é de imobiliária, esqueça. Esses caras ainda se acham.

    0

    De alto padrão não posso falar nada mesmo, não é da minha condição, rs.

    2+
    • avatar
    • avatar
  • Longa Manus 21 de setembro de 2016 at 22:55

    Zé Carioca

    Perfeito, e continuo apostando em um softlanding a la Espanha. Pra mim a queda será de 50 ou 60% em dez anos. Ainda não vejo essas quedas de 50% e os poucos imóveis que vejo os preços ainda estão absurdamente caros.

    CA, meus amigos, em sua maioria, são funcionários públicos que ganham próximo ao teto. O Rio de Janeiro é o paraíso do Barnabezinho, são poucas as empresas privadas e vários cargos públicos, além da Petrobras, Eletrobras, Furnas, e diversas outras empresas estatais e de economia mista. Boa parte dos cariocas se forma e estuda para concurso, não tendo noção do que é o mercado de trabalho. Se torna o típico Barnabezinho, passa o dia todo na repartição, mas ocupa quase que todo o tempo visitando o globo.com ou comentando em blogs da internet, com produtividade próxima a zero. Não se pode levar em conta o que os meus amigos Barnabezinhos falam, pois em geral pouco pode ser aproveitado.

    2+

    Quanta bhosta! Qual o problema de estudar para passar em concursos? Já tentou e não conseguiu?

    2+