Vendas de imóveis em queda, locações em alta – Hoje em Dia

Você pode gostar...

Comments
  • bolha real 22 de agosto de 2016 at 21:39

    Podia ser pior. Vai ser pior!

    10+
    • avatar
    • avatar
  • claudio 22 de agosto de 2016 at 21:51

    falaram que nas olimpiadas ia bombar, unico que vejo bombar com força, é o amigo dos 666, Sr Motumbo… condominios caros, sindicos velozes, e tr como vaselina…metade do que vendem no ano, volta com distratos, agora vai…

    12+
    • avatar
    • Zé Carioca 22 de agosto de 2016 at 23:28

      Fico imaginando a vila olímpica, não vendeu nada antes das Olimpíadas, mesmo com o marketing todo em cima. Como vai vender agora depois das reclamações da obra ter sido feita nas coxas?

      Aquilo lá vai virar um elefante branco, pois é longe de tudo e absurdamente caro, nem com 50% de desconto fica bom negócio comprar lá. Ali aposto em 80% off tranquilamente, isso se quiserem vender, a outra opção é demolir porque deixar vazio deve custar absurdamente caro (IPTU, condomínio e manutenção do imóvel ).

      20+
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 23 de agosto de 2016 at 08:18

        Dos 3.604 apartamentos venderam cerca de 180, a 10K/m2

        11+
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 23 de agosto de 2016 at 14:03

          calma gente
          ainda tem as paralolimpiadas
          tenham fé, em 2017 volta a subir
          kkkkkkk

          14+
          • avatar
          • avatar
      • Rampion 23 de agosto de 2016 at 09:19

        Zé Carioca,

        Acredito que a vila Olímpica terá um desses destinos: ser invadido por pessoas/movimentos ou virar uma espécie de MCMV do governo interino. Pode ter certeza que eles encontram compradores para aqueles apartamentos cheios de defeitos, 666 é igual mato, mas, pode ter certeza que quem se arriscar a comprar não terá a melhor dos vizinhos em pouco tempo.

        15+
        • avatar
        • avatar
      • Boruto 23 de agosto de 2016 at 11:01

        O que ficou claro durante essas olimPIADAS foi que esses apartamentos estão cheios de defeitos só rico idiota vai comprar pois querem vender custando o olho da cara.

        6+
  • Gute 22 de agosto de 2016 at 21:51

    “Dentre os motivos estão o aumento dos juros e a restrição do crédito imobiliário, além do receio do consumidor em aderir a financiamentos de longo prazo com parcelas elevadas.”

    Brasileiros nunca antes pensaram nisso. Mesmo os que trabalhavam em obras temporárias: PAC, COPA, etc…

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • MARK 22 de agosto de 2016 at 22:30

    “Avaliamos a viabilidade considerando também a situação econômica do país. Hoje, o valor de entrada de um imóvel por ser aplicado e, só com os rendimentos, já é possível pagar um aluguel”, explica.
    Olha só… tem gente acordando pra vida…. rs

    28+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 08:45

      Kuááááááá!
      Agora eles descobriram isso???

      PNJ !!!!

      16+
      • avatar
  • Alemon Fritz 22 de agosto de 2016 at 23:07

    tamanho da vara olimpica

    na safra de 2014 foram financiados 538mil imóveis.. se forem
    a distrato (ou inadimplência etc) 40% deles já são 215mil imóveis a voltar pro “mercado” natural.. só dessa safra

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • pedrovinix 23 de agosto de 2016 at 01:00

    Interessante, Como ainda tem gente que compra na planta, podendo juntar as parcelas, e comprar quando tiver pronto. Que com certeza terá imóveis a venda senão mais baratos.

    http://www.bastter.com/mercado/forum/794646/onde-poupar.aspx

    12+
    • avatar
    • Cesar_DF 23 de agosto de 2016 at 08:33

      O CARA PERGUNTOU ISTO:
      Comprei um apartamento na planta que será entregue em 2019, estou pagando as parcelas de construção e ao mesmo tempo estou juntando valores para que em 2019 eu consiga pagar +- 60% do apartamento e o resto farei um financiamento.
      Entendo pelo que li, que muitos não concordam em ter uma dívida como essa, mas para mim e minha família é de grande satisfação comprar nosso apartamento.
      Minhas duvidas são relacionadas a forma de poupar até a data de entrega. Tenho aplicado em TD com a seguinte porcentagem:
      33% Tesouro Prefixado 2019 (LTN)
      33% Tesouro IPCA+ 2019 (NTNB Princ)
      33% Tesouro Selic 2021 (LFT)
      Penso que até pagar essa dívida não terei outro tipo de investimento variáveis, pois não poderia arcar com prejuízos inesperados.
      Essas divisão está me ajudando ou na verdade pelo pouco tempo (2019), valeria modifica-la? Ou se poderiam me sugerir, para estudo, outro tipo de aplicação?
      Desde já agradeço a tds!

      E EU RESPONDI ISTO:
      Como você pode ter tanta certeza que a construtora não atrasará a entrega até 2021 ou quebrará antes?
      A maior parte das construtoras já está quebrada, e hoje estão apenas pedalando esperando um milagre.

      33+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 08:46

        Mas digamos que entregue. Pode atrasar.
        Digamos que entregue. Pode ter vícios de construção.
        Digamos que entregue. O pedreiro pode ter jogado cimento no encanamento por raiva.
        Digamos que entregue. Digamos que caia meses depois.

        16+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • John Horse 23 de agosto de 2016 at 12:35

          Digamos que entregue e não tenha nenhum desses problemas… Vai valer o que ele pagou? E tirar dinheiro de aplicação pra pagar juros, quanto vai custar?

          6+
    • Rampion 23 de agosto de 2016 at 09:29

      Parece que você desconhece o “modus operanti” dos 666s:
      “Se não comprar agora acaba logo!”
      “Tem de ser pra ontem!”
      “Valoriza 30% ao ano.”
      “Imóvel é um excelente investimento.”
      “Tijolo moeda forte”
      “Melhor comprar um imóvel agora porque senão daqui a pouco o governo vai confiscar a poupança!”
      “Só me endividando pra conseguir alguma coisa.”
      “Se não tiver dívida, gasto em besteira”.
      “Pelo menos, estou pagando pelo que é meu.”
      “Pagar aluguel é jogar dinheiro no lixo.”
      “As prestações são decrescentes e as parcelinhas cabem no bolso.”
      “Pago as parcelinhas com o dinheiro do aluguel.”
      “30 anos passam num piscar de olhos.”
      E por ai vai….kkkkkkk

      28+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • EngenheiroSP 23 de agosto de 2016 at 07:40

    Isso quer dizer que o balanço líquido de venda de imóveis foi de 2000 no semestre (imóveis que de fato saíram do estoque)

    Só de apartamentos, tem 550 mil no zap imóveis.

    Nesse ritmo, isso dá 275 semestres, ou 137 anos de estoque.

    Mas não há bolha

    15+
    • avatar
    • avatar
    • fanfarraum 23 de agosto de 2016 at 08:24

      Zap Imoveis tem imóveis repetidos, não?

      2+
      • fanfarraum 23 de agosto de 2016 at 08:26

        E tambem, como você chegou a esse numero de 2.000?

        2+
        • EngenheiroSP 23 de agosto de 2016 at 08:32

          49000 unidades vendidas menos 47000 distratos

          Se quiser, considere que cada imóvel tem um anuncio duplicado. Ainda assim são quase 70 anos

          8+
          • avatar
          • fanfarraum 23 de agosto de 2016 at 08:41

            47000 distratos = ano
            49000 unidades vendidas = semestre

            Conforme calculo deo Cesar_CF, a venda liquida seria cerca de 25.500 (49 – 47/2)

            4+
            • avatar
            • avatar
            • EngenheiroSP 23 de agosto de 2016 at 09:42

              Tem razão, não li direito

              5+
      • Cesar_DF 23 de agosto de 2016 at 08:27

        Tem sim, mas também tem casos onde o proprietário tem vários imóveis disponíveis na sua carteira, mas apenas anuncia um.
        Acaba uma coisa equilibrando com a outra.

        9+
        • avatar
        • avatar
        • fanfarraum 23 de agosto de 2016 at 08:45

          Acho que varia muito de cidade pra cidade, aqui os apartamentos em Porto Alegre que encontro nas imobiliarias estão 3-4 vezes em média no Zap Imoveis (pq estão em 5-6 imobiliárias diferentes).

          Mas com certeza existe um número expressivo de imóveis que nem está no Zap Imoveis, vide novos lançamentos, que tu procura e olha meia dúzia de apartamentos disponíveis na internet e quando tu passa na frente não tem nem 10% de ocupação…

          Só que acho complicado tomar esses dados como “estatistica” para provar ou desprovar algo.
          É apenas um chute.

          E na minha opinião, um chute mal feito.

          Não me levem a mal, sou pró-bolhista e acho que tem MUITO imóvel pra ser vendido a preço de pó que nem aparece em nenhuma estatística (ex: visitei um ap num prédio e o vizinho já quis me vender… o ape dele não tava na imobiliária. ele recebia muita visita e nenhuma oferta que considerava justa, então tirou o ape de todas imobiliárias… temos ai um conjunto de nem-nem-nem: nem vende, nem aluga e nem tenta).
          Só que eu sou fã de estatística, e esses chutes assim não me agradam!

          Enfim, boa terça a todos!

          8+
          • avatar
          • avatar
          • Sergio Soares 23 de agosto de 2016 at 08:51

            Concordo com o fanfarraum. Os dados não são 100% confiáveis para uma interpolação precisa. Deixam muita brecha para interpretações paralelas.

            3+
          • Cesar_DF 23 de agosto de 2016 at 08:55

            Fanfarraum
            Há bastante tempo, o CA fez um ponderação da quantidade de imóveis no ZAP, versus outras fontes e, pelo que ele viu, acho que nos casos de SP e RJ, a duplicidade de anúncios de diferentes imobiliárias do mesmo imóvel acabava equilibrando com a outra, onde a imobiliária tinha, por exemplo, 20 apartamentos no mesmo prédio mas anunciava apenas 2, para poder usar a frase “últimas unidades”

            11+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Awulll 23 de agosto de 2016 at 09:43

              O zap em Curitiba não significa absolutamente nada em termos quantidade de imóveis.

              5+
              • avatar
              • avatar
              • baburu 23 de agosto de 2016 at 10:52

                Pode esclarecer? Tem mais imóveis para vender em Curitiba do que anúncios no zap, ou o contrário?

                4+
                • Awulll 23 de agosto de 2016 at 13:31

                  Vivareal e outros tem muitos mais imóveis e são mais atualizados do que o zap

                  3+
                • Awulll 23 de agosto de 2016 at 13:32

                  Até melhorou, mas está aquém.

                  2+
  • Cajuzinha 23 de agosto de 2016 at 07:59

    BOSS, você acabou com o boteco aí pegaram, kkkkkkkk

    http://blog.opovo.com.br/layout/diagonal-promove-acao-para-divulgar-empreendimento-praca-da-luz/

    Diagonal promove ação Boteco Diagonal para divulgar empreendimento Praça da Luz
    Os clientes da Diagonal serão recepcionados, dia 24 de agosto, a partir das 18h30min, no estande do condomínio Praça da Luz, com comidas regionais e chopps volantes. É o “Boteco Diagonal” que a incorporadora promoverá com condições diferenciadas de negociação.

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Será que algum corvo buscou a inspiração aqui? Kkkkkkkk

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 08:48

      Hhuahuahuahuahuahuahuahuhuaa!

      Ué, por quê não pode?

      Boteco dos Bolhistas
      E agora Boteco dos Corvos para embebedar as 666 Brick Lovers. Vende até mais fácil !!!
      kkkkkk

      Parecem aqueles casos de venda de Time-Share dos Clubes de Verão e Hotéis. 48 horas após a assinatura do contrato as 666 vão pro Reclame Aqui pedir Distrato. ” Me embebedaram” 😉

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 23 de agosto de 2016 at 12:53

        com muitas periguete expondo as peitolinha pra provocar a macheza do comprador
        kkkkk
        ARAPUCA

        9+
        • avatar
        • avatar
  • Cesar_DF 23 de agosto de 2016 at 08:01

    CANAL DO OTARIO
    Comprar ou alugar um imóvel?! #OtarioExplica @CanalDoOtario

    https://www.youtube.com/watch?v=xmtpI7niGYE&list=TL1F5X2FbGueEyMzA4MjAxNg

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 23 de agosto de 2016 at 08:35

      BOSS, este é TÓPICO

      e ainda coloquei o comentário no Youtube:

      O ganho de 0,4% ao mês para o investidor é o BRUTO, para saber o liquido
      MENOS 10% da taxa de administração da imobiliária
      MENOS 27,5% de imposto de renda
      MENOS 10% (sendo otimista) de vacância (imóvel vago por 2 meses a cada 2 anos)
      MENOS cerca de 10% de depreciação do bem, reformas e manutenção.
      VAI SOBRAR CERCA DE 0,20% AO INVESTIDOR ou 2,4% ao ano.
      O Tesouro Direto está pagando 16% ao ano.
      http://www.bolhaimobiliariabrasil.com/

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • fanfarraum 23 de agosto de 2016 at 08:47

        Perde até pro rendimento do FGTS.
        Fim de discussão 😛

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Sergio Soares 23 de agosto de 2016 at 09:05

      Eh impressão minha ou, nos comentários do vídeo, choveu corvo?

      8+
      • avatar
      • Libertario 23 de agosto de 2016 at 10:45

        Muitas pessoas resolveram entrar na onde de “tentar vender imoveis” nesses ultimos meses.
        Minha conhecida esta desempregada, e os unicos convites pra entrevista que ela recebe são de construtoras.
        Pra eles é vantagem, pois praticamente nao desembolsam nada. Só se a pessoa conseguir vender (MILAGRE).
        Entao ainda tem muitos iludidos com essa conversa.

        7+
        • Rampion 23 de agosto de 2016 at 13:38

          Nos anos 90 (época FHC) choviam “empregos” de vendedores de planos de saúde. Do mesmo jeito, não pagavam condução, alimentação, nada. Você só ganharia comissão do que vendesse e se vendesse. Agora (época Dilma/Temer) chovem “empregos” de vendedores de imóveis. A economia é cíclica ou o povo que é burro mesmo nas escolhas de seus governantes? Muda a cor, a bandeira, o termo pelo qual se referem a esse ou aquele, mas no final das contas são todos iguais, cegos por não enxergarem que esses políticos são a praga do Brasil.

          6+
      • Ilusionista 23 de agosto de 2016 at 11:47

        Na grande maioria daqueles comentários dizem que é melhor comprar do que alugar..
        ou que é melhor pagar prestação do que alugar, pois o imóvel um dia vai será seu, mesmo sendo em 35 anos, passa rápido, afinal equivale a 1/3 de um século.
        No Brasil, ainda temos a garantia histórica que nada muda na política e na economia, por isto, teremos sempre a certeza que poderemos abraçar financiamentos de longo prazo com tranquilidade.
        Para quem já é FP, é certo que salário nunca atrasa para pagar em dia as prestações (vide Rio de Janeiro). Temer ainda prometeu muitos aumentos bem acima de inflação pelos próximos anos, Estados e Prefeituras, idem.
        Se for empregado da iniciativa melhor ainda, não temso desemprego, a renda média está aumentando como nunca, a TR que corrige os contratos está uma maravilha, as pessoas irão envelhecer, com isto, nunca haverá aumento do seguro por faixa etária.
        Para ajudar, ainda tem a reforma trabalhista que prevê a livre negociação entre os sindicatos sem obedecer as garantias mínimas da CLT, por isto, a renda e os benefícios irão dobrar.
        Ainda tem a reforma previdenciária que irá estabelecer 65 anos de idade mínima para se aposentar, irá beneficiar principalmente os mais pobres que exercem trabalhos braçais, mais penosos, emprego e renda garantida para pagar as prestações finais do contrato, pois as empresas irão aproveitar melhor o vigor físico destes anciãos a beira da morte…

        10+
        • avatar
      • Cesar_DF 23 de agosto de 2016 at 12:10

        Para um vídeo publicado a 12 horas, já está com 1.228 comentários
        A bolha imobiliária agora na boca do povo

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • odorico 23 de agosto de 2016 at 16:22

      Quem divulgar esse vídeo eu mando para o cemitério de Sucupira. Por favor bolhistas, não vamos propagar esse tipo de mensagem que só mata a nossa galinha de ovos de ouro. Eu avisei, se o brasileiro fizer contas quem vai pagar nossos juros.

      9+
      • avatar
      • bolha real 23 de agosto de 2016 at 18:09

        Nunca a maioria fará contas certas… única possibilidade é a minoria aumentar muito pouco.

        4+
  • Margarida 23 de agosto de 2016 at 08:12

    Jasper, sobre o cálculo do valor do m2, você está certo. Eu nem sabia dessa, sempre achei que o valor era calculado pela área útil ou pela área privativa, só porque faz mais sentido, pra mim. Mas dei uma pesquisadinha rápida e parece que é pela área total mesmo.

    5+
  • Minions 23 de agosto de 2016 at 08:15

    “MARK, você ganhou essa casa de herança? Pagou 100 mil nela a alguns anos atrás? Está na forca precisando de dinheiro urgente pra pagar dívidas, parentes doentes? Ta mudando pro exterior? Pagando condomínio e IPTU caro com a casa fechada?

    Se não se enquadrar em nenhum dos itens acima, pra que a pressa de vender a casa? Vai vender por 400k só porque estamos numa crise? Você está em crise precisando de grana pra queimar seu patrimônio só porque viu num blog que existe uma bolha imobiliária?? Muita gente aqui adora diminuir o patrimônio dos outros, dizendo que vale isso ou aquilo, mas se você comprou a casa com o suor do seu trabalho, só você pra saber o quanto que ela realmente vale.”

    Não consegui comentar ontem e esta postagem passou meio desapercebida…
    Com todo o respeito ao Andradez, essa é a típica argumentação do “Brick Lover”!
    Agrada mais dizer uma mentira que conforta. Tem gente achando que está milionária porque tem uma casa que os corvos dizem valer milhão. Enfim, reconhecer que fez cagada, que está atolado em financiamento ou com todo o patrimônio construído com muito suor (ou simplesmente recebido de herança) depreciando diariamente e com seu PREÇO reduzindo a cada dia (sem contar o custo de oportunidade e de ausência de liquidez) é muito difícil.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 23 de agosto de 2016 at 08:26

      Minios
      É isto ai, não venda hoje por 400K, aguarde mais 5 anos e você conseguirá vender por………………………………400K!!! kakakakakakaka

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • job 23 de agosto de 2016 at 09:50

      Minions,
      a lógica do Brick Lover é toda movida à ganância e ignorância. Acha que vai comprar agora o ap por 300k e daqui dois anos tá valendo 400k, e assim por diante, ad eternum. Mas na lógica dos Brick Lovers, eles não levam em conta que se um imóvel valoriza 30% ao ano, os outros também valorizam. Só que como não existe meio Brick Lover, uma hora ele vai vender o imóvel dele por digamos, 600k (na lógica dele), só que o apartamento que ele vai querer comprar vai ter valorizado da mesma forma, então vai estar valendo 1.5 milhos. E o Brick Lover vai ter q comprar um ap tão bom quanto o que acabou de vender, pois não existe salário que acompanhe essa valorização, isso pro bananense médio.
      O Brick Lover prefere ficar na comodidade, não estudar, ficar com 5 imóveis pra se vangloriar pros amigos, e viver comendo lagarto e carne de terceira e tomar skol do que sair da comodidade e diversificar seus investimentos, tirar uns juros, comer picanha e tomar eisenbahn.
      Difícil mensurar tanta burrice.

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 12:21

        Foi exatamente isso que eu pensei quando cunhei esse termo.
        É um pacto de mediocridade. Um pacto firme com a ignorância.

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Awulll 23 de agosto de 2016 at 13:35

          We don’t need no education
          We don’t need no money control
          No dark sarcasm in the classroom
          Bublers leave brick lovers alone
          Hey Bublers leave brick lovers alone
          All that we love is just another brick near the mall
          All that we love is just another brick near the mall

          13+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 13:48

            Near of Palladium………….
            All in all is just a another brick in Portão………..
            😉

            5+
          • Lucas 23 de agosto de 2016 at 16:59

            Awulll

            We don’t need no education
            We don’t need no money control
            No dark sarcasm in the classroom
            Bublers leave brick lovers alone
            Hey Bublers leave brick lovers alone
            All that we love is just another brick near the mall
            All that we love is just another brick near the mall

            6+

            genial

            3+
  • Cesar_DF 23 de agosto de 2016 at 08:22

    Referente a matéria
    Lembrando que estes 49 mil imóveis no semestre é a VENDA BRUTA, sem descontar os distratos.
    Como foram 47 mil distratos no ano, a conta de VENDA LIQUIDA seria (49.000 – (47.000 /2)) = 25.500
    Poxa, mas o Amorinha falou que apenas por causa dos casamentos e divórcios, a demanda seria de 1 milhão de imóveis por ano?? uuuéééé?

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 23 de agosto de 2016 at 08:37

    kkk …..91% de distratos…
    JHSF, Rossi e Lopes têm 2º trimestre fraco, aponta Coinvalores
    a Lopes Brasil (BOV:LPSB3) recebeu indicação de “venda” …depois de registrar queda de 34% …na análise dos últimos 12 meses. As receitas da Lopes caíram 35,6% no trimestre, para R$ 37,5 milhões, …contra 2015.

    No mesmo sentido, o Ebtida do grupo no segundo trimestre piorou de um resultado negativo de R$ 500 mil no ano passado para perdas de R$ 3,2 milhões neste segundo trimestre. …prejuízo da Lopes mais que dobrou, de R$ 8,3 milhões para R$ 19,1 milhões, 130% a mais.
    .. a Rossi (BOV:RSID3) recebeu uma recomendação de “manter” da Coinvalores, após marcar prejuízo líquido de R$ 125 milhões, ante perdas de R$ 77,5 milhões ano passado, uma piora de 61,3%.
    Para o analista Felipe Silveira, os estoques da companhia em alta preocupam, diante do volume de vendas líquidas ainda inconsistente. Foram R$ 215,8 milhões em vendas brutas e R$ 196,8 milhões em distratos. Ou seja, os distratos representaram 91% das vendas da empresa, um percentual bastante elevado que vai resultar no aumento dos estoques da companhia para novas vendas. … esses estoques estão resultando em custos adicionais, que corroem a rentabilidade da construtora.
    http://br.advfn.com/jornal/2016/08/jhsf-rossi-e-lopes-tem-2o-trimestre-fraco-aponta-coinvalores

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 23 de agosto de 2016 at 08:52

      e assim a vida continua…

      ” que vai resultar no aumento dos estoques da companhia para novas vendas.”

      7+
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 23 de agosto de 2016 at 08:58

    esposa do Chatão Bueno mostrando uma casa na árvore deles, foi comprada na planta
    agora serve pros netos.

    7+
    • Awulll 23 de agosto de 2016 at 10:16

      Desde cedo ensinando boas atitudes.

      4+
      • avatar
  • Cajuzinha 23 de agosto de 2016 at 09:28

    Crise deve afetar varejo até segundo semestre de 2017
    Economista da Fecomércio afirma que há expectativa de melhora para o comércio no ano que vem, incluindo nas contratações

    http://www.oregional.com.br/2016/08/crise-deve-afetar-varejo-ate-segundo-semestre-de-2017_322724

    4+
  • Alemon Fritz 23 de agosto de 2016 at 09:54

    e aqui acabou de passar que 3700 lojas fecharam esse ano em SC, tbm conforme a fecomércio.. só um pouquinho menos que começo de 2015

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Sardinha 23 de agosto de 2016 at 10:57

    Terminei de ler a reportagem de cada da Exame chamada “A Hora do Pesadelo”.

    Achei que o tema seria a crise imobiliária com a compra sendo um péssimo negócio, mas NÃO foi esse o enfoque do texto. Não passou nem perto disso!!

    O “pesadelo” a que se referem são as obras paralisadas. Nada se falou sobre os preços caindo e a fria que é financiar com a TR subindo.

    Se fosse um completo leigo no assunto, depois de ler teria tido as seguintes conclusões:

    1) Como o texto diz que “cerca de 25.000 famílias foram prejudicadas” (chamada na capa e pág. 35), concluiria que as outras milhares de famílias que financiaram em 30 anos no pico dos preços não estão no meio de um pesadelo.

    2) Como o texto diz que “os problemas estão nas empresas de menor porte” (pág. 35), citando uma série de casos envolvendo construtoras regionais que nunca ouvi falar, concluiria que é seguro comprar na planta de incorporadoras grandes.

    3) Como o texto diz que “a recessão pode ser culpada por boa parte dos problemas das incorporadoras” (pág. 38), concluiria que a recessão não tem nada a ver com a bolha imobiliária causada, em parte, pelo próprio segmento.

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Minions 23 de agosto de 2016 at 11:10

    BOSS, por que o facão? Não vi as respostas.

    3+
    • Bolha BOSS 23 de agosto de 2016 at 14:56

      Foi a pedido da Cajuzinha

      3+
    • FabianoSJC 23 de agosto de 2016 at 12:58

      kkkk o Brasil virou Crefisa , só falta mudar o Slogan para “Credito para Desempregados”

      8+
      • avatar
  • job 23 de agosto de 2016 at 11:33

    CVR off: saí agora da copa da empresa onde eu trabalho. As pessoas com ensino superior aqui não conseguem separar o lixo orgânico de plásticos/papel. Como diabos vão conseguir ter educação financeira?

    29+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Rampion 23 de agosto de 2016 at 13:41

      job,
      se houvesse educação financeira não haveria necessidade de previdência privada ou pública mesmo.

      4+
    • Sem Nome 23 de agosto de 2016 at 17:30

      Na minha empresa, eu desisti de separar depois que vi o pessoal da limpeza misturando tudo no final do (meu) expediente.

      6+
  • Zek Ariok 23 de agosto de 2016 at 11:57

    A criatividade dos corvos não tem limite, agora querem transferira a motumbada dos distratos dos imóveis na pranta das construtoras para os bancos. Bom, isso significa mais lastro para LCIs. PMJ!
    http://www.valor.com.br/financas/4682657/incorporadora-quer-que-banco-antecipe-financiamento-de-cliente

    7+
    • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 12:22

      Culpa dos bancos opressores que dificultam a concessão de crédito.
      Vai subir 30% a.a. !!!! Cró !!! Cró !!!
      (crocitar )

      6+
  • RC 23 de agosto de 2016 at 12:34

    “Custam até US$ 1 bi!”

    “Brasileira é dona da 2ª mansão mais cara do mundo; veja a lista”

    “As 15 residências particulares mais caras do mundo”

    “2 Villa Leopolda, Alpes-Maritimes, França: US$ 750 milhões
    Localizada na Riviera Francesa, esta vila foi construída em 1931. Seus surpreendentes jardins espalhados por 80 mil metros quadrados são cuidados por 50 profissionais. O imóvel pertence à brasileira Lily Safra”

    http://noticias.bol.uol.com.br/bol-listas/as-15-residencias-particulares-mais-caras-do-mundo.htm
    .

    E aqui os bolhistas achando que os preços dos imóveis no Brasil estão caros. #lilysafranãoachacaro

    Gastos com 50 profissionais? Imaginem o rendimento dessa grana investida?

    10+
    • avatar
    • avatar
    • Boruto 23 de agosto de 2016 at 12:49

      US$ 9375/m2

      4+
    • Lucas 23 de agosto de 2016 at 13:15

      ficou rica recebendo juros do bananil
      … e foi morar no exterior que é mais barato e melhor

      Go BANCO SAFRA

      33+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 23 de agosto de 2016 at 13:42

      Vila Leopolda
      Terreno: 18 hectares entre Mônaco e Nice
      Área construida: não encontrei, mas estima-se 10.000 m2
      Se considerarmos a área construida como US$ 2.000/m2
      Seria então uma área construída de US$ 20 milhões, e todo o restante seria o terreno
      18 hectares = 180.000m2
      US$ 730 milhões dividido por 180.000 = US$ 4.055/m2
      Na última vez que saiu um terreno no Noroeste – DF, custou 17 milhões por um de 950m2, ou seja R$ 17.894/m2

      Conclusão, ESTAMOS RICOS, um terreno no Noroeste – DF custa mais caro que entre Mônaco e Nice kkkkkkk

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Lucas 23 de agosto de 2016 at 13:08

    pREZADOS CORVOs
    e esquerdistas soças associados

    não adianta desinformar, vcs perdem o tempo de vcs
    Está todo mundo sem dinheiro, simples assim!
    Os poucos otários com dinheiro, tão com medo
    Resta os +espertos com dinheiro, esses vcs não convencem NUNCA, pelo contrário ficam fazendo papel de ridículo

    mas se a caso ainda esteja dando certo
    ótemo
    precisamos de +lastro
    PMJ

    28+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 13:28

      Exatamente.
      Depois que eu fiz 45% em 2015 com o dólar e agora mais 45% no TD…. pra quê eu vou querer tijolos !??
      Paguem minhas férias no Caribe.
      Avoa TR !

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • bolha real 23 de agosto de 2016 at 18:15

        qual operação você fez com o dólar?

        3+
    • Libertario 23 de agosto de 2016 at 14:22

      Esse post (aviso de utilidade publica) deveria ficar no topo do blog,ao lado do “a bolha será o menor dos problemas”

      5+
      • avatar
      • avatar
  • Unreal_Estate 23 de agosto de 2016 at 13:28

    Boteco Diagonal
    Te oferecem destilados até você começar a andar em “diagonal”.
    Em seguida, um “corvetor” lhe convida pra apresentar “a grande oportunidade”.

    8+
    • avatar
  • Lucas 23 de agosto de 2016 at 13:28

    Cesar_DF

    Fanfarraum
    Há bastante tempo, o CA fez um ponderação da quantidade de imóveis no ZAP, versus outras fontes e, pelo que ele viu, acho que nos casos de SP e RJ, a duplicidade de anúncios de diferentes imobiliárias do mesmo imóvel acabava equilibrando com a outra, onde a imobiliária tinha, por exemplo, 20 apartamentos no mesmo prédio mas anunciava apenas 2, para poder usar a frase “últimas unidades”

    Prezado César
    fiz essas contas empiricamente pegando várias amostras de condos e conversando com os porteiros
    Minha conclusão é que o ZAP é uma amostra menor que o real.
    Para imóveis usados
    – achei condos com ZERO propaganda no ZAP e até 3 imóveis
    – achei condos com poucas no ZAP, até 3 e 8 reais
    – achei raros casos de numeros do ZAP suplantar a quantidade real

    Para imóveis novos então a coisa é 1 pra 20

    Calculando a média,
    ficou entre 1/3 e 2/3, o ZAP tem até 1/3 do mercado real, depende do bairro. Nas áreas +nobres vai pra 2/3 na perifa vai pra 1/3
    Contas feitas entre 2012 e 13 quando este assunto era novidade

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • fanfarraum 23 de agosto de 2016 at 14:14

      Hmm, entendi Lucas.
      Também acho que o Zap não tem a real dimensão do número de apartamentos, mas já vi muitos casos em Porto Alegre de proporção muito inversa (mais anúncios no Zap do que imoveis a venda no apartamento).

      Esse é um exemplo, um mesmo imóvel a venda com 8 anúncios:

      http://www.zapimoveis.com.br/tr/imoveis/rs+porto-alegre++rio-branco/3-quartos/?gclid=CLya3p3g-coCFVaBkQod5rkFiQ#{“precominimo”:”450000″,”precomaximo”:”650000″,”filtrodormitorios”:”3;”,”filtrosuites”:”1;”,”filtrovagas”:”2;”,”areautilminima”:”138″,”areautilmaxima”:”142″,”parametrosautosuggest”:[{“Bairro”:”RIO BRANCO”,”Zona”:””,”Cidade”:”PORTO ALEGRE”,”Agrupamento”:””,”Estado”:”RS”}],”pagina”:”1″,”ordem”:”Valor”,”paginaOrigem”:”ResultadoBusca”,”semente”:”1174824773″,”formato”:”Lista”}

      2+
      • Lucas 23 de agosto de 2016 at 14:29

        mas aí vc tem que ir no mesmo condo pessoalmente e ver quantos tem desocupados
        acontece muito de 1 ter vários anuncios e vários ter nenhum anuncio
        especialmente na perifa onde dói ficar anunciando à toa.

        4+
        • avatar
        • Alemon Fritz 23 de agosto de 2016 at 14:47

          em balneário camb o número na OeLE X chegou a mais de 9k ano passado, agora está em 4k e Itajaí passou de 6k agora está em 3k. acho que baixaram pra não inflacionar o número na hora da procura (tipo 11.000 imóveis disponíveis)

          3+
        • fanfarraum 23 de agosto de 2016 at 15:17

          Sim, esse prédio em questao já teve 3 apartamentos a venda (ele tem 6 ou 8 apenas apenas). Hoje tem 1.
          Na época que tinha 3, eram cerca de 30 anúncios no Zap, sem exagero. Lembro que eram 3 páginas de pesquisa.

          Mas o bairro é ótimo, então é visado pelas imobiliárias.
          Concordo que na periferia a relação anúncios-zap/ofertas-reais vai ser diferente.

          Mas me parece muito complexo chutar uma relação total baseado em fragmentos soltos da cidade.

          O que eu tenho considero mais forte pra continuar achando que os preços vão cair, e muito, nos próximos meses (e tentando argumentar com a mulher) é o pequeno % de apartamentos que vejo que estão saindo dos anúncios.
          Só pego os “baratos” entre os imóveis a venda pra ficar cuidando, com um minimo de requisitos (elevador, garagem, água quente, gás central, bairro bom, etc…) e ainda entre esses não está ocorrendo venda. E nem esses estão sendo vendidos quase.

          4+
          • Lucas 23 de agosto de 2016 at 15:30

            Em SP muitas impobiliárias trabalham com exclusividade do anuncio e tem seus sites próprios, vide vivareal, hoje quase tão grande quando o zao
            o ZAP é caro, hoje ele é uma quimera perto do mercado real.

            5+
            • avatar
            • avatar
  • bolha real 23 de agosto de 2016 at 13:52

    TÓPICO

    23/08/2016 às 05h00 Incorporadora quer que banco antecipe financiamento de cliente

    Uma modalidade pouco tradicional de financiamento imobiliário tornou-se uma das apostas de incorporadoras de média e alta renda para lidar com o pesadelo dos distratos – jargão do setor para o cancelamento da compra de imóveis novos. A proposta, que depende da boa vontade das instituições financeiras, é que os bancos antecipem o momento em que passam a financiar efetivamente o cliente final.
    Usualmente, isso só acontece com o imóvel pronto, quando o comprador da unidade recebe as chaves. Até então, o banco financia apenas a construtora. É por isso que, no formato tradicional, quando o cliente desiste de uma compra antes de o imóvel ser entregue, as consequências desse cancelamento pesam no bolso da construtora, não das instituições financeiras.

    A Tecnisa, por exemplo, prepara lançamentos com financiamento bancário durante a fase de obra de imóveis para a média renda, e Rodobens Negócios Imobiliários (RNI) e Even Construtora e Incorporadora avaliam a modalidade.

    De parte das instituições financeiras, o Banco do Brasil (BB) diz que vai investir fortemente na operação. “Temos interesse estratégico no modelo, independentemente do cenário para as construtoras”, diz Raul Moreira, vice-presidente executivo de negócios de varejo. Mesmo nas linhas em que já está disponível, a procura pelo repasse é maior. Hoje, 44,9% dos contratos feitos com recursos da poupança são financiados na planta pelo BB. Em 2015 era metade disso, diz Hamilton Rodrigues da Silva, diretor de crédito imobiliário do banco.

    O BB passará a oferecer o repasse antecipado na linha Pró-Cotista. Essa é uma operação voltada para financiar imóveis com valor de até R$ 750 mil, e que usa o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) como fonte de recursos.

    Embora seja uma linha antiga, foi só no último ano, com a escassez de recursos da poupança, que o Pró-Cotista ganhou espaço na prateleira dos bancos. Neste ano, o BB liberou R$ 1 bilhão na linha, o que corresponde a uma alta de mais de 180% em relação a 2015. É, porém, um valor pequeno na comparação com as cifras que o crédito imobiliário como um todo movimenta. Nos seis primeiros meses do ano, foram concedidos R$ 51 bilhões em financiamento imobiliário para pessoas físicas e jurídicas.

    Na precursora Caixa Econômica Federal, o financiamento durante a fase da obra representou 60% dos empréstimo a imóveis novos feitos com recursos da poupança no ano passado, o que correspondeu a cerca de R$ 12,9 bilhões. No âmbito do Minha Casa Minha Vida, praticamente 100% do que o banco financia é via repasse antecipado.

    A própria Caixa admite que o produto é exitoso e que supera a capacidade do banco em oferecê-lo. “A gente não dá conta, ele já está bastante alavancado. Mas estamos atentos a ideias novas”, diz Teotônio Costa Rezende, diretor-executivo de habitação da Caixa.

    Do lado das incorporadoras, o repasse antecipado é visto como forma de contribuir para vendas. Sem dizer qual a instituição financeira por trás do negócio, a Tecnisa está preparando quatro lançamentos residenciais na capital paulista e têm financiamentos com repasse na planta para três deles “prometidos, verbalmente,” por dois bancos, segundo o presidente da incorporadora, Meyer Nigri. Os projetos se enquadram justamente na linha Pró-Cotista. “Não estão assinados ainda, mas não vejo nenhuma razão para não serem”, disse Nigri, ao comentar os resultados do segundo trimestre.

    A Rodobens avalia a modalidade de repasse na planta para um de seus empreendimentos. Sem informar o nome do banco com o qual tem conversado nem o valor previsto para as unidades, Flávio Vidigal De Cápua, diretor financeiro e de relações com investidores, conta que se trata de projeto destinado à média renda.

    O copresidente da Even Dany Muszkat diz esperar que a modalidade de repasses na planta cresça para todos os tipos de produtos. Por enquanto, a incorporadora fechou repasses antecipados para um empreendimento com unidades cujo valor médio é de R$ 300 mil com o BB. Os repasses ocorreram antes da matrícula individualizada, de acordo com Muszkat. A Even avalia ainda o repasse antecipado para produto já lançado, com tíquete médio de cerca de R$ 1 milhão.

    “Há bancos tentando estruturar o repasse na planta para o lançamento, e outros, para alguns meses antes da entrega”, conta o presidente da Even. Ele reconhece, no entanto, que atualmente o volume em que a modalidade ocorre não é relevante, de acordo com Muszkat.

    Rubens Menin, presidente da Abrainc, associação que representa as incorporadoras, avalia que esse formato de financiamento reduz o risco de crédito dos bancos, ao pulverizar a base de clientes, que deixa de ser concentrada nas incorporadoras e passa a ser de compradores finais. “É a bola do jogo”, afirma. Outra vantagem para as instituições financeiras é começar, mais cedo, a trabalhar outros produtos para os clientes.

    Otimista, Menin diz que todos os bancos, incluindo os privados, teriam interesse no financiamento na planta com recursos da poupança. Essa não é exatamente a posição dos privados.

    Fonte do setor diz, no entanto, que falta apetite, já que o risco de o banco ser responsabilizado por problemas no cronograma da obra é bem maior. “O produto libera as construtoras de uma série de problemas que a gente gostaria muito que resolvessem. Só achamos que não deveria ser via bancos nesse momento”, diz a fonte.

    Gilberto Abreu, presidente da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), diz que o repasse na planta não valeria a pena em imóveis a partir de R$ 400 mil. Segundo ele, o produto se bem operacionalizado, funciona bem. No entanto, a questão do ciclo de construção “está na mesa, continua aparecendo e não muda”.

    Como o preço do imóvel é fixado no repasse, o produto funcionaria para imóveis de menor valor, cujo ciclo de construção é mais rápido – como no Minha Casa Minha Vida. Já em imóveis mais caros, entregues em cerca de três ou quatro anos, embutir no preço a inflação do período deixaria o imóvel muito caro. “É uma conta difícil de o consumidor entender”, diz Abreu.

    Abreu reconhece que BB e Caixa têm força para alavancar um produto cujo ponto de partida hoje é muito pequeno. Vê ainda como legítima a busca das incorporadas por alternativas para fugir dos distratos e estabelecer vínculos jurídicos mais fortes com os clientes. “Mas temos discutido que o financiamento na planta não resolve necessariamente todos os problemas”

    http://www.valor.com.br/financas/4682657/incorporadora-quer-que-banco-antecipe-financiamento-de-cliente

    2+
    • avatar
    • Cesar_DF 23 de agosto de 2016 at 14:48

      Deixe me ver se entendi.
      Clientes da Classe A, para imóveis de até 750K irão comprar imóveis FINANCIADOS e não À VISTA!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar

    • Libertario 23 de agosto de 2016 at 15:38

      Fonte do setor diz, no entanto, que falta apetite, já que o risco de o banco ser responsabilizado por problemas no cronograma da obra é bem maior. “O produto libera as construtoras de uma série de problemas que a gente gostaria muito que resolvessem. Só achamos que não deveria ser via bancos nesse momento”, diz a fonte.

      Falta apetite = Deixa essa cagada pro Governo. Nos estamos fora.
      E como o governo tambem está mal das pernas.
      O velho bla bla bla bla de sempre. Tentativa de arrumar gas pra pedalada.

      6+
      • avatar
    • RC 23 de agosto de 2016 at 16:16

      Só eu achei esse artigo do valor econômico muito mal escrito? Tem horas que parece dar a entender que esse financiamento antecipado na planta direto ao consumidor final é uma inovação, tem horas que é um produto consolidado, que vai ser fácil dos bancos aceitarem fazê-lo (e tem interesse), e no fim que ainda é pequeno e precisa ser alavancado pelos bancos públicos. Que confusão!

      A meu ver seria um “tiro no pé” no esquema de vendas falsas na planta, visto que a análise da capacidade de pagamento seria antecipada. Sem contar que os incautos estão acostumados a pagar valores menores (que não conseguem nem cobrir a correção do INCC) durante a obra, como ficaria isso? O financiamento teria um valor diferenciado durante a execução? Seria uma nova modalidade de parcelinha decrescente meio SAC meio mussarela.

      Legal seria quando a construtora quebrasse e não entregasse o empreendimento, o motumbado pararia de pagar as parcelas e o banco leiloaria o ar ou o esqueleto de imóvel?

      8+
      • avatar
  • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 13:53

    CVR

    Aqui no bairro onde eu moro – Portão – Curitiba – a placa de vende-se e aluga-se aumentou consideravelmente.
    Muitas casinhas humildes…. muitos aPêzinhos com ILAC21 de 10%. Muita expectativa e poucos negócios.

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 14:00

      10 imóveis da CEF hoje em leilão – em Curitiba.
      +http://www.premiumleiloes.com.br/leiloes/Busca_list.php?IDStato=PR&Muni=Curitiba&Cat=Im%F3veis,%20Materiais%20de%20constru%E7%E3o%20&goto=1

      3+
    • Awulll 23 de agosto de 2016 at 16:11

      Blasfemy! This is madness!
      Veja o grande exemplo do Rajuly onde aumentou consideravelment o ILAC nos últimos dias!

      3+
      • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 19:09

        Quero ir lá trollar !!! Kkk

        1+
  • cyberpsi 23 de agosto de 2016 at 14:10

    cvr
    pessoal, durante muito tempo eu esperei a merda chegar rindo. hoje vejo muitos colegas e amigos se danando… estou com medo até por mim.
    parentes ricos estão dando suas roupas usadas em festas de aniversário. ricos de verdade, empresários com imenso patrimônio real em ativos mas que não conseguem fazer o dinheiro girar.
    aonde vamos parar?

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 23 de agosto de 2016 at 14:49

      Iremos parar na Grécia !

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Boruto 23 de agosto de 2016 at 15:01

        Você é um otimista.

        11+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 15:02

      Calma…. vai piorar.
      A correção já está acontecendo.
      A inflada de crédito foi monstra.
      Eu me liguei da bolha no dia em que vendi um sobrado para um corretor que fraudou renda e na mesma tarde uma funcionária que ganhava 2,2k por mês comprou carro de 60k.

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Lucas 23 de agosto de 2016 at 15:34

      cyber psy
      teremos 2 tipos de futuro
      1- o que vai pagar a conta, via juros e inflaçao
      2- o que vai receber a conta: via PMJ

      Claro, teremos aquele com um pé em cada canoa, eu sou um deles, perco por um lado (inflaçao corroendo renda) mas ganho por outro.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Lucas 23 de agosto de 2016 at 16:22

      From_The_Tower

      Foi esse pensamento que inflou a bolha …… encorajou os bananenses a consumirem tomando crédito. Eu só quero agora que paguem meus juros. São escolhas.

      0

      As vezes fica parecendo que somos INIMIGOS DO CRÉDITO

      NÃO somos

      Sou plenamente a favor de crédito para o desenvolvimento, aumentar as cidadeas, a infra estrutura, o saneamento, a mobilidade, a saúde, as industrias
      Enfim crédito para a produção.

      O que aconteceu foi uma inundação de crédito somente na ponta do consumo
      esgarçou a infraestrutura
      as cidades ficaram pequenas
      a mao de obra ficou pouca
      a produção supertaxada não acompanhou

      A economia superaqueceu, taí a raiz de todas as bolhas

      SOMENTE saíremos dessa situação quando tudo mudar
      – menos impostos para a produção
      – mais crédito bom
      – consumo equilibrado com a produção e com a renda

      Porenquanto não tô vendo nada disso, espero que após o fantasma da dilma for finalmente exorcizado poderemos ver atitudes neste sentido.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Rampion 23 de agosto de 2016 at 17:52

      Infelizmente, nem todo mundo poderá se aposentar aos 55 anos com 30 mil reais de aposentadoria, e depois de aposentado ser o primeiro namorado de uma jovem de 19 aninhos, ter um filho que aos 6 anos de idade é empreendedor do mercado imobiliário com 2 milhões e ainda iludir 200 milhões de pessoas. Boa sorte a todos e aos que dormiram ao rufar das panelas, boa sorte. Todos iremos precisar.

      7+
      • avatar
      • Libertario 23 de agosto de 2016 at 19:25

        Iludir 200 milhões de pessoas?
        Rufar de panelas?
        Meldels!!!
        Só faltou um ” não vai ter golpi “

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Moreira 23 de agosto de 2016 at 15:04

    Essa proposta de financiamento desde a assinatura de um contrato (papel) é o recrudescimento da bolha e uma tremenda picaretagem (mais uma!) dos principais atores (governo, sistema financeiro e empresários do ramo). Banânia!

    4+
    • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 15:06

      Pode perceber que eles só falam em crédito, crédito, crédito.
      Ninguém mais fala em trabalho, poupança, prudência e trabalho. Percebam.

      25+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Boruto 23 de agosto de 2016 at 15:21

        Isso é pensamento de “caxias” para a maioria dos bananenses. Já ouvi gente falando que “quem não se endivida nunca consegue nada”.

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 15:23

          Foi esse pensamento que inflou a bolha …… encorajou os bananenses a consumirem tomando crédito. Eu só quero agora que paguem meus juros. São escolhas.

          6+
        • EngenheiroSP 23 de agosto de 2016 at 15:52

          Já ouvi isso como “único jeito de pobre conseguir alguma coisa é fazendo divida”

          Na hora pensei que só continua pobre porque fica fazendo divida, mas adotei o sorria e acene

          16+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • odorico 23 de agosto de 2016 at 16:10

          “Quem não deve não tem”. Eu falo isso todos os dias. Faça o que eu digo, não faça o que eu faço.

          10+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • Ilusionista 23 de agosto de 2016 at 18:45

        sabem que o único público alvo deles no momento são aqueles que tem apenas sonho, mas não tem dinheiro suficiente, então empurram crédito.
        Garantido a comissão, pouco importa se o mutuário terá condições de pagar as parcelinhas que cabem no bolso, retomam o imóvel e vendem para outro.

        4+
        • avatar
    • From_The_Tower 23 de agosto de 2016 at 15:42

      Sim. Alguns estão em greve por lá. Eles querem o mesmo aumento que o Temer deu para outras categorias.

      4+
      • avatar
  • Leandro sp 23 de agosto de 2016 at 19:21

    No Brasil virou mora desinformar o povo. Hoje ouvi a entrevista do dr. Alberto dono do habibs na jovempan falando que tudo estava uma beleza, que não sentiram a crise, que seu produto é diferenciado por ter preço acessível, que iam abrir N franquias novas e gerar 2Mil empregos. Recentemente mandaram mil embora e encerraram as atividas em MG e vem dizer que não sentiu a crise, os franqueados estão chorando lágrimas de sangue..no Brasil virou moda fazer igual ao chapolin fez num episodio. O doente terminal de tanto ouvir que está curado fica curado, noada mais é que o tanto falado Querer é poder que alguns acreditam e pregão por aí..

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Chavitodo8 24 de agosto de 2016 at 10:09