Valor de aluguel cai até 50% e bom inquilino é disputado, em Manaus – D24am

Você pode gostar...

Comments
  • Luke Bolha 14 de agosto de 2016 at 23:15

    Hoje baixou o espirito do pai xicão aqui em casa e resolvi escrever as…

    Profecias do Luke: Poupem para a “A Convulsão da Melhor Idade”

    Vejo que a questão da previdência está sendo tratada sem a devida importância pelo governo e a promessa agora é que a questão será tratada em 2017, porém já prevejo um adiamento para 2018 e logo em seguida para 2019.

    Nesse meio tempo simplesmente não existe folga fiscal para qualquer manobra e veremos a inflação oficial e não oficial esfarelando o poder de compra dos idosos. Apenas nesse espaço de 3 anos com uma inflação oficial de 8% a.a. estamos falando de 25% de diminuição do poder de compra, especialmente para os aposentados pois duvido que o reajuste cobrirá a inflação do período e existe sempre um “delay” de um ano(?) onde a inflação vai agindo livremente.

    No atual momento eu já vejo uma certa dificuldade no equilíbrio das contas de várias famílias onde aposentados auxiliam a geração “nem-nem” e seus “nem-nemzinhos” e tenho certeza que nos próximos 3 anos essas pessoas que mal pagam suas contas porém bradam que seus muquifos valem R$ 300k, R$ 400k, R$ 500k venderão seus imóveis pelos preços pré-bolha, não que eles cairão na realidade mas é que a realidade cairá sobre eles.

    Além da questão da inflação e do deficit da previdência temos que levar em conta outro fator agravante para a “Melhor Idade”: O deficit fiscal que irá contribuir para piorar o quadro, já tenebroso, da saúde pública.

    “Faltarão gases e agulhas”!

    E com isso espere um aumento de gastos com saúde para os idosos. A geração nem-nem correndo atrás de seus pokemons não suportará o choque de realidade que virá e o Brasil simplesmente não está com a casa arrumada mesmo que a geração nem-nem quisesse “ir carpir um lote” para salvar a família e o que restará será vender o imóvel da família para comer e “ir levando” enquanto o país se recupera.

    E não se enganem! Entre equilibrar as contas públicas e ter dinheiro para oferecer serviços de qualidade no Bananistão existe um abismo colossal especialmente quando se leva em conta que o setor público sempre deseja maximizar os impostos e minimizar seus “esforços”, ou seja, a qualidade dos serviços continuarão piorando e com isso a terceira idade tendo que gastar mais e mais com saúde com serviços de qualidade, logo não há saída! Logo entraremos na grande era da liquidação!

    “O governo tentou salvar meia dúzia de empresas, não conseguirá e já condenou 20 milhões de idosos”

    Quando chegarmos a esse ponto onde os idosos deverão optar entre a casa ou a vida, os preços despencarão e com isso veremos a queda das grandes empresas e com elas seus credores que terão enormes prejuízos, lógico que o governo se esforçará ao máximo para poupar a pele de quem realmente importa, não dos brasileiros é claro, mas dos credores dessa meia dúzia de empresas. Daqui pra frente tudo seguirá o roteiro de outros países, algumas empresas falindo, milhares de pessoas perdendo TUDO e alguns bancos sendo socorridos com empréstimos de longuíssimo prazo, provavelmente via BNDES.

    Porém ainda existe um probleminha, a dívida pública ainda irá piorar muito nesse meio tempo, com isso a inflação e será difícil equilibrar as contas públicos, todos os serviços públicos do país serão ainda mais sucateados.

    “A desestatização do campo de pré-sal será fichinha”!

    Quando o sapato apertar de verdade podemos esperar até mesmo desestatização de algumas faculdades públicas pois elas expandiram incontrolavelmente nos últimos anos indo na contramão da economia atual e dos próximos anos. Sendo bem otimistas podemos esperar congelamento de salários e sucateamento no longo prazo a ponto em que os professores das universidades públicas migrarão para as particulares em um processo natural sem a necessidade de privatização já que as mesmas perderão a atratividade.

    Sei que existe muita prosa e poesia sobre a importância da educação no Brasil do futuro mas quando a Grande Mãe Pátria tira sua Havaina de Pau a filha educação já se prepara para ser a primeira a engolir o choro.

    “E teremos convulsão social”

    Lógico que os professores marxistas irão a luta e haverá choro e ranger de dentes, mas não haverá muita coisa para fazer além de agir rápido e eficaz para desincentivar os protestos. Haverá tentativas de aumentar o socialismo mas fracassarão já que um país como o Brasil no contexto atual não suporta nem regime militar nem regime socialista, a pueira só irá baixar quando o capitalismo de verdade ser aceito pela população no melhor estilo “aceita que dói menos”.

    47+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Ribs 14 de agosto de 2016 at 23:33

      Não chega a tudo isso, metade disso apenas.

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • cyberpsi 15 de agosto de 2016 at 00:04

      “os professores das universidades públicas migrarão para as particulares em um processo natural sem a necessidade de privatização”
      já está rolando. conheço muitos que nem prestam concurso. terminam seus mestrados e correm para o setor privado. inclusive com menos cobrança porque tem muito aluno mala kkk.

      16+
      • avatar
      • avatar
  • Dimattos_RJ 15 de agosto de 2016 at 00:16

    Aqui no Rio os preços ainda não pararam de subir, Tijuca, Flamengo e Botafogo com preços surreis, principalmente no caso da Tijuca, algum conterrâneo para corroborar?

    16+
    • Cesar_DF 15 de agosto de 2016 at 07:28

      Injetaram 38 bilhões no Hell de Janeiro via Olimpíada, ano que vem começa o pagamento da conta, e o estado do RJ está com um déficit mensal de 2 BI.
      Detroit também já teve o PIB per capita mais alto do EUA e hoje está na pocilga, Hell de Janeiro seguindo seus passos

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Johanna 15 de agosto de 2016 at 08:12

      Acho que os preços estagnaram sim. Percebo muitas pessoas aceitando ofertas.
      Dúvida: qual o nome do outro blog para tratar de outros assuntos, que se dividiu daqui?
      Tenho dúvidas quanto ao dólar

      10+
    • Cesar_DF 15 de agosto de 2016 at 11:53

      TUDO POR 50% NO HELL DE JANEIRO

      Até pouco tempo atrás os leilões de segunda praça era, no máximo, 20% OFF, agora todos estão em 50% e mesmo assim a maioria não está saindo em segunda praça, indo para a terceira praça.

      http://schulmannleiloes.com.br/leiloes.php?tipo=3&leilao=Judiciais

      7+
      • avatar
    • yanborges 15 de agosto de 2016 at 13:48

      Nao pararam de subir?
      Só vejo o preço cair, venho acompanhando o mercado há tempos e o desespero ta cada vez maior. Ja encontra até no ZAP 2 qts reformado 70m2 por 550k em Botafogo, tem outros por 450k…coisa inimaginavel tempos atrás. Onde voce tem visto os preços?
      Tijuca tem uma porrada de lançamento empacado, da PDG inclusive. Vila Isabel nem se fala…

      10+
      • avatar
      • avatar
  • wing 15 de agosto de 2016 at 00:29

    Queda Boa em Manaus.

    Em SP tem queda, mas tem lugares tão absurdos que se cair 50% ta caro.
    Esses tempos de curiosidade perguntei o valor do aluguel do salão em um bairro da zona norTe, 25k …e ainda falou uma vantagem Boa…sem luvas! Olha que maravilhoso. Mesmo se fosse 12,5 k ainda tá caro, o faturamento do comércio caiu de um jeito que ninguém tá aguentado pagar aluguel.

    Claro q não é todo lugar, mas ainda está absurdamente louco.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Sem Nome 15 de agosto de 2016 at 01:42

    CA, como posso pesquisar o preço médio pra fazer algum estudo sobre conseguir identificar boas oportunidades de compra nos anos que virão?

    6+
    • Cesar_DF 15 de agosto de 2016 at 07:30

      Sem Nome, a melhor forma de identificar oportunidades é pela relação VALOR DE VENDA dividido pelo ALUGUEL

      14+
      • avatar
      • avatar
      • Sem Nome 15 de agosto de 2016 at 23:01

        Cesar, esta forma que você mencionou é, na minha opinião, a melhor forma de fazer um cálculo de situação imediata. Mas considero falho, pois a grande maioria dos anúncios não é para alugar e vender. Ou é um, ou é outro. Isto dificulta, pois comparar laranja com banana te exige inventar alguma lógica/coeficiente para colocar lado a lado um imóvel ruim à venda com um preço baixo com um imóvel excelente com um aluguel aparentemente caro.

        Eu tinha pensado inicialmente em utilizar apenas algum indicador de preço médio da região com alguma correção inflacionária. Isto facilitaria a comparação (venda x venda), mas ainda assim eu teria que buscar informações em um lugar que eu imagino que exista, mas desconheço.

        0
  • Cesar_DF 15 de agosto de 2016 at 07:55

    Sonho da casa própria fica mais perto com vendas de imóveis estagnadas

    Há mais imóveis à venda do que clientes à procura da casa própria. É nesse desequilíbrio entre oferta e demanda que o consumidor pode se dar bem. Mas na maioria dos casos, embora exista as chamadas facilidades, os preços continuam o mesmo.

    A MRV engenharia, por exemplo, instalou um feirão no estacionamento de um supermercado da Capital, em um bairro populoso, na expectativa de atrair o público que vive de aluguel. A empresa tem pelo menos 1,2 mil imóveis a venda, e para acabar com o estoque vale quase quase tudo.

    Em um dia foram 40 atendimentos, ainda nenhum negócio fechado, mas a sensação é de que o mercado está voltando a reaquecer, garantiu o gerente comercial Leonardo Zimermann. “Percebemos uma nova intenção de compra, a volta do crédito é um aliado. Agora é hora de facilitar a compra”, afirmou.

    http://www.campograndenews.com.br/economia/sonho-da-casa-propria-fica-mais-perto-com-vendas-de-imoveis-estagnadas

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Rampion 15 de agosto de 2016 at 08:47

      kkkkk…40 atendimentos e nenhuma venda e o cara ainda diz ter a sensação de que o mercado está voltando a reaquecer…kkkkk…tem gente que não sabe distinguir realismo com alucinação.kkkkk

      43+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Palmeirense Bolhudo 15 de agosto de 2016 at 08:20

    Crise transforma lojas fechadas em “quarto” de moradores de rua

    Em 2015, 3.408 empresas atuavam no centro de Campo Grande. Este ano, este número caiu quase pela metade, chegando a apenas 1.913, queda de 43,8%. Somente prestadoras de serviços eram 1.971 no ano passado e agora são 1.181. Dados do Conselho de Segurança do Centro indicam que 790 delas fecharam, média de 40%.

    http://www.correiodoestado.com.br/cidades/campo-grande/crise-transforma-lojas-fechadas-em-quarto-de-moradores-de-rua/284544/

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Luke Bolha 15 de agosto de 2016 at 09:02

      Isso vem acontecendo em várias cidades.

      9+
      • avatar
  • Cajuzinha 15 de agosto de 2016 at 09:00

    Só pra confirmar esse tópico

    Edição do dia 15/08/2016
    15/08/2016 08h42 – Atualizado em 15/08/2016 08h42
    Devolução de imóveis alugados bate recorde em São Paulo em junho
    Muita gente está aproveitando para negociar descontos ou se mudar para imóveis mais baratos. Explicação é a crise financeira que atinge o país.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 15 de agosto de 2016 at 09:04

      MELHOR PARTE:

      “Tem até gente aproveitando para dividir a conta da moradia.”

      9+
      • avatar
  • Alemon Fritz 15 de agosto de 2016 at 09:04

    então esse “aquecimento” nos alugueis é uma fria… e corvo recomenda comprar para alugar kkk … se aluguel esta bom…vá morar de aluguel ao invés de comprar,,

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Marc 15 de agosto de 2016 at 09:09

    “http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/08/1802869-brasileiros-que-investiram-em-miami-agora-vendem-imoveis.shtml”
    Brasileiros que investiram em Miami agora vendem imóveis

    15+
    • avatar
    • avatar
    • Alves 15 de agosto de 2016 at 11:12

      Em Belo Horizonte há uma estagnação do mercado imobiliário e o aluguel continua a cair. Uma pena os proprietários ainda acharem que detêm um patrimônio milionário e recusarem-se a reduzir o valor de venda.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • gmlinux 15 de agosto de 2016 at 21:35

        Desapega deste desejo de comprar, aluguel, além da vantagem financeira, te oferece liberdade, se a vizinhança não esta legal, muda, flexibilidade, pintou oferta de trampo em outro lugar, muda, facilidade para gerenciar custos, perdeu emprego, salário menor, muda, salário dobrou, muda, apartamento envelheceu, muda, não sei qual a vantagem de comprar…

        7+
        • avatar
  • Cajuzinha 15 de agosto de 2016 at 09:10

    ADOOOOROOOOO

    “(…) fez os analistas alterarem a
    expectativa para a taxa básica de juro, a Selic, ao fim de 2016, de 13,50% para 13,75%. Atualmente, essa taxa
    está em 14,25%. Para o fim de 2017, a aposta segue em 11%.”

    13+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 15 de agosto de 2016 at 09:16

      Que interessante ler isso após essa notícia sobre a SELIC:
      kkkkkk

      “São Paulo, 15 – Ter à disposição a renda de aluguéis ou o lucro da venda de imóveis por meio de fundos imobiliários (cujos valores distribuídos a investidores não são tributados) pode se tornar um investimento mais competitivo nos próximos meses. A melhora depende da queda da taxa básica de juros (Selic), o que tornaria essa aplicação mais atraente, e da recuperação da atividade econômica.”

      “Um dos principais fatores que afetam as cotas é a quantidade de imóveis desocupados pertencentes aos fundos (ou o nível de vacância). “Em São Paulo, por exemplo, cerca de 25% dos escritórios de alto padrão estão vazios”, diz Arthur Vieira de Moraes, especialista em fundos imobiliários.

      Com a recuperação da economia, o nível de vacância tende a diminuir, mas o processo é lento: “O mercado imobiliário é mais inercial, demora a se ajustar”, explica o pesquisador da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Eduardo Zylberstajn.”

      http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2016/08/15/internas_economia,794052/fundos-imobiliarios-devem-ganhar-competitividade.shtml

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Alves 15 de agosto de 2016 at 11:13

        “inercial”: ótima definição, rs.

        12+
        • avatar
        • avatar
      • Lord of All 15 de agosto de 2016 at 13:19

        E por isso não penso em tirar minha grana do TD-Selic tão cedo.

        8+
        • avatar
        • avatar
      • Lucas 15 de agosto de 2016 at 15:49

        ta loko
        aqui em SP ainda tem muita obra de escritório pra concluir
        esse estoque não vai cair tão cedo, se hoje é 25%, amanhã é 50%
        esses FIIs são um grande mistério pra mim como conseguem se manter especulativo tanto tempo.

        8+
        • avatar
    • Lord of All 15 de agosto de 2016 at 13:18

      Eu não sou economista, mas, considerando a resistência da inflação em descer, já estou apostando que 13,75% ainda é inviável. Deve ficar em 14 ou 14,25% mesmo.

      11+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 15 de agosto de 2016 at 09:19

    “Desde que a Caixa acelerou bruscamente a concessão de crédito, ainda no primeiro governo Dilma Rousseff, quando a carteira crescia a um ritmo de 30% ao ano, especulava-se quando a inadimplência iria atingir o banco. Em 2011, o índice era de 2%. Chegou a 2,8% em junho do ano passado e agora está em 3,2%. As provisões para calotes cresceram 53%, chegando a R$ 36 bilhões em dois anos. A inadimplência, portanto, está chegando, segundo analistas.

    Esse índice de inadimplência podia ser ainda maior, não fosse o fato de o banco ter vendido R$ 24 bilhões em créditos podres nos últimos anos. Cada vez que um crédito podre é vendido, o banco reduz a inadimplência.

    Recentemente, o Tribunal de Contas da União (TCU) exigiu a suspensão da venda desse tipo de crédito pela Caixa pois vê indícios de irregularidades. Occhi disse que todas as informações exigidas pelo TCU estão sendo repassadas e acredita que tudo ficará esclarecido.

    As informações são do jornal

    O Estado de S. Paulo.”

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 15 de agosto de 2016 at 09:19

    aquecimento
    -O número de imóveis devolvidos por inquilinos em junho na cidade de São Paulo foi 26,77% maior que o de casas e apartamento alugados no mesmo mês, um recorde no primeiro semestre deste ano.
    -Mais da metade das devoluções (51,96%) aconteceu por motivos financeiros.
    -As imobiliárias da capital registraram queda de 5,41% nas vendas imóveis usados em junho na comparação com maio.
    -A maior queda se deu com os apartamentos de padrão médio, com mais de 15 anos e situados na Zona C, o preço médio baixou 40,27%, !! Na Zona D houve a maior queda – de 63,92%,

    http://monitordigital.com.br/devolucao-de-imoveis-alugados-e-recorde-em-imobiliarias-de-sp/

    10+
    • avatar
    • Alemon Fritz 15 de agosto de 2016 at 12:37

      eu passei na frente e até tava movimentado, os carros era de fora (santos, pinhais, etc)
      …vi 2 caras andando e reclamando dos preços (“um absurdo..”)
      …imagino que a galera deve ter ido pra ver qto estava valendo seu “investimento” agora ..kkkkk!!
      200 imóveis é record olimpico em 3000 kkk (lembrando que a maioria nao vai fechar…)

      6+
  • Palmeirense Bolhudo 15 de agosto de 2016 at 09:21

    Prejuízo das construtoras salta 182% e soma a R$ 1,6 bi entre janeiro e junho

    O prejuízo líquido das nove maiores construtoras de capital aberto no País saltou 182% entre janeiro e junho deste ano, na comparação anual, somando R$ 1,65 bilhão. Entre as empresas que reportaram lucro líquido, o resultado do primeiro semestre deste ano é 34,7% inferior ao verificado na comparação internual.

    Os números, que englobam resultados da Cyrela, Direcional, Rossi, Gafisa, Even, MRV, PDG, São Carlos e Helbor, mostram que o pior da recessão ainda não ficou para trás, e a falta de estímulo do brasileiro em contrair dívidas altas ainda precisa ser superada. “O movimento de retomada não será tão simples quanto em outros segmentos de serviços, já que este setor envolve questões macro econômicas, como liberação de crédito e confiança no emprego”, resume o professor de finanças na Universidade Federal do Rio de Janeiro, Alan Collorado.

    Outros resultados

    Além da PDG, a Rossi também ampliou o prejuízo no primeiro semestre deste ano, somando R$ 267 milhões, ante aos R$ 191,3 verificados no mesmo período do ano passado.

    Já a São Carlos reverteu um lucro líquido de R$ 1,5 milhão nos seis primeiros meses de 2015 em prejuízo de R$ 145,8 milhões este ano. A Gafisa, por sua vez, saiu do lucro de R$ 60,1 milhões ano passado para um prejuízo na casa dos R$ 92 milhões este ano. Além delas, Direcional, Even, Cyrela e Helbor registraram recuo no lucro (veja gráfico).

    http://www.dci.com.br/servicos/prejuizo-das-construtoras–salta-182–e–soma-a-r$-1,6-bi-entre-janeiro-e-junho-id567628.html

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 15 de agosto de 2016 at 09:24

    o calote está aumentando cerca de 0,5% ao ano, antes da metade do ano que vem estaremos a mais de 4%, como nos EUA, espanha e portugal.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • mestre dos magos 15 de agosto de 2016 at 09:38

      Reveja a sua previsão, pois não é uma sequência linear, provavelmente essa inadimplência formará uma curva exponencial, ou seja, irá ocorrer antes do que vc está prevendo.

      14+
      • avatar
      • avatar
  • mestre dos magos 15 de agosto de 2016 at 09:36

    Neste final de semana encerrou o 3º mega salão do imóvel em Itajaí. Segundo link abaixo, foram comercializados 200 imóveis com um valor total de 50 milhões, ou seja, preço médio de 250k. Fico só imaginando a cara de paisagem de quem está com ap de mais de 700k na região para vender rsrsrs. Acho que neste salão seriam ofertados aproximadamente 3.000 imóveis. Não lembro direito, pois no link não tem essa informação, o Fritz que postou algo semana passada, mas 200 imóveis é cerca de 10% se considerarmos 2.000, ou 6,66% se considerarmos os 3.000 kkkkkkk. E segue o sangue no mercado urubulário.

    Obs.: Eles continuam com essa falácia de que SC ainda não está sentindo a crise e bla bla bla. Só acredita nisso quem é miope. Região de Joinville demitindo pessoas a rodo, empresas fazendo acordo para diminuição do salário e carga horária. Grandes empresas da região já estão sentindo a freada brusca do setor automotivo. Mas no mundo dos corvos, SC vai muito bem obrigado.

    http://www.oblumenauense.com.br/site/mais-de-25-mil-pessoas-visitaram-o-3o-mega-salao-do-imovel-itajai-que-encerrou-neste-domingo-14/

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 15 de agosto de 2016 at 12:45

      eu passei na frente e até tava movimentado, os carros era de fora (santos, pinhais, etc)
      …vi 2 caras andando e reclamando dos preços (“um absurdo..”)
      …imagino que a galera deve ter ido pra ver qto estava valendo seu “investimento” agora ..kkkkk!!
      200 imóveis é record olimpico em 3000 kkk (lembrando que a maioria nao vai fechar…)

      6+
  • Cesar_DF 15 de agosto de 2016 at 10:33

    BNDES prevê onda de calotes.
    Em um ano a provisão para risco de crédito passou de R$ 480 milhões para R$ 4,44 bilhões, aumentando 824,4%
    http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/Galerias/Arquivos/empresa/download/Relatorio_Divulgacao_Info_Risco_2016_1t.pdf

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Luke Bolha 15 de agosto de 2016 at 11:09

      É PLOC!

      9+
      • avatar
    • Cesar_DF 15 de agosto de 2016 at 11:16

      BOSS, este talvez seja TÓPICO, é o próprio governo admitindo que teremos quebradeira generalizada.

      13+
      • avatar
      • avatar
    • Zé do Brejo 15 de agosto de 2016 at 14:51

      Haja títulos do tesouro para cobrir esse rombo!

      6+
      • avatar
      • LZ 16 de agosto de 2016 at 10:27

        E pagamento de juros altos no título para cobrir isso ai

        0
  • Cajuzinha 15 de agosto de 2016 at 10:52

    O Financista 14.08.16 11:52
    O presidente do BC deu entrevista à Folha e discretamente mandou sua mensagem ao governo:

    “Temer já o procurou para falar de câmbio e juros? Suas manifestações atrapalham?”.

    “Não. O governo tem de criar condições para ter desinflação e permitir que os juros caiam, ter câmbio competitivo. Se a gente criar as condições, vamos ter juros mais baixos de forma sustentável, que é o que todos queremos.

    6+
    • Rampion 15 de agosto de 2016 at 12:45

      Acreditar que o Temer não é solução pra nada é ser pessimista?

      9+
      • avatar
    • Danibolhista 15 de agosto de 2016 at 13:36

      Se não estiver conseguindo pagar as contas, peça ajuda dos familiares. Alugar a própria casa e voltar a morar na casa da mãe ou da sogra não é a opção mais agradável, mas pode ser a saída para não se endividar até conseguir uma recolocação.

      Uma outra alternativa é alugar a própria casa ou algum cômodo usando o aplicativo Airbnb, que dá a flexibilidade de alugar por dia e permite manter a mobília na casa. Em vez de pegar mais empréstimos, as pessoas podem usar criatividade, diz Barbalho. “É daí que vêm as ideias que atraem dinheiro.”

      6+
      • avatar
  • Cesar_DF 15 de agosto de 2016 at 11:22
  • Cesar_DF 15 de agosto de 2016 at 12:16

    Tem um apartamento de 139m2 em Jacarepaguá sendo leiloado por 390K na segunda praça,
    http://schulmannleiloes.com.br/detalhes.php?id=1293&imovel=IM%C3%93VEL-NA-BARRA

    fiquei curioso e abri os documentos

    http://schulmannleiloes.com.br/upload/rgi/1293_rgi.pdf
    – no RGI, indica que foi construído em 1990 pela ENCOL, habite-se em 1995
    – comprado da ENCOL em 1997 (ela quebrou em 1999)
    – seu proprietário penhorou este apartamento 9 VEZES

    – Está devendo apenas de condomínio R$ 520K
    http://schulmannleiloes.com.br/upload/dividas/1293_div.pdf

    – Está devendo 118K de IPTU
    http://schulmannleiloes.com.br/upload/iptu/1293_iptu.pdf

    Aos universitários de plantão, como ficam as penhoras e outras dívidas para quem arrematar este imóvel ?

    E AI, ALGUM INTERESSADO ???

    14+
    • avatar

    • Lord of All 15 de agosto de 2016 at 13:29

      As dívidas “propter rem”, que acompanham o ímóvel (iptu e condomínio), acabam ficando por conta do ‘feliz” arrematante, a não ser que o imóvel esteja indo a praça justamente por causa dessa dívida, hipótese em que o lanço cobrirá o débito.
      Por exemplo, se o lanço cobriu a dívida de condomínio, mas não a tributária (iptu), o novo proprietário continuará devendo.
      As demais penhoras serão liquidadas em graus, isto é, se sobrar grana, quem penhorou primeiro leva. Mas as outras penhoras não “propter rem”, NÃO acompanham o imóvel.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 15 de agosto de 2016 at 13:36

        Supondo que as dívidas ultrapassem o valor do imóvel, e mesmo fazendo mais um leilão por R$ 1,00 ninguém dê lance, o que aconteceria então ?

        5+
        • Lord of All 15 de agosto de 2016 at 13:51

          Se as dívidas de condomínio e iptu ultrapassam o valor do imóvel (como parece q é o caso aí descrito) não tem o q fazer, algum credor vai ter prejuízo.
          O ideal seria o Condomínio adjudicar o imóvel e, obviamente, estaria “quitada” sua dívida. Depois vender (venda direta) com o respectivo desconto do iptu. O que sobresse seria caixa do Condomínio, mas perceba que o Condomínio ao final dessa conta vai amargar um enorme prejuízo.
          Claro que para agilizar todo esse processo e não haver várias transferências de domínio (o que ensejaria a incidência de itbi), o Condomínio poderia abrir mão de parte de seu crédito nos próprios autos da execução, mas daí é um assunto mais complicado.
          A Administração municipal (Fazenda Pública, credora do iptu), não tem como adjudicar o imóvel, considerando as regras de Direito Público.

          E, obviamente, a conclusão de tudo isso aí é que a praça pública de imóvel, pelas vias “normais”, nunca terá êxito.

          13+
          • avatar
          • avatar
          • Lucas 15 de agosto de 2016 at 15:05

            Resumo:
            Queda de mais de 100% no valor do imóvel

            como um velho bruta dizia: muitos imóveis vão valer menos que as dívidas, o vendedopr vai ter que pagar pra alguém assumir a propriedade.

            15+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
  • Alves 15 de agosto de 2016 at 12:22

    CVR

    Ao atender um cliente esse disse que está sem receber há 3 meses da empresa para qual presta serviço e que vai se candidatar para o cargo de vereador. Quando foi declarar o patrimônio disse ter 1,5 milhão em imóveis, mas não tem um real no bolso. Disse-me que ninguém quer comprar. Pensei: será que o preço pedido não estaria fora da realidade? Enfim, até quando aguentam os proprietários sem dinheiro antes de queimar o estoque?

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Rampion 15 de agosto de 2016 at 12:36

      Se esse 666 conseguir se eleger vereador, o que não acho muito difícil, vai ficar rico de verdade. Como é de praxe nesse meio, vai reter 50% dos salários dos assessores, restituição do imposto de renda, férias e 13º entre outras “mordomias”. Igualzinho ao boca mucha do Marquito que trabalha com o Ratinho do SBT, por sinal outro explorador.

      18+
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 15 de agosto de 2016 at 12:43

    mercado aquecido, sqn
    a partir da quebra de sigilo bancário de Andréia Olarte foi verificado que entre os anos de 2014 e 2015, período em que Gilmar estava como prefeito, ela adquiriu vários imóveis em Campo Grande,
    o casal contava com ajuda do corretor de imóveis, considerado braço direito de Andréia e de Gilmar…
    http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/noticia/2016/08/olarte-esposa-e-mais-duas-pessoas-sao-presas-por-lavagem-de-dinheiro.html

    8+
  • Danibolhista 15 de agosto de 2016 at 13:32

    Estava no trem escutando um papo.
    “A fulana tinha um apartamento alugado e com o dinheiro do aluguel ela pagava a escola do filho, depois de 5 anos o inquilino entregou o apartamento e agora ela tem que rever as contas, foi por causa da crise.”

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 15 de agosto de 2016 at 14:01

    Leilão de um apartamento na Gávea
    http://schulmannleiloes.com.br/detalhes.php?id=1298&imovel=APTO-G%C3%81VEA
    1ª praça = 1.300K
    2ª praça = 650K

    Valor venal = R$ 129K
    http://schulmannleiloes.com.br/upload/iptu/1298_iptu.pdf

    Comprado em setembro de 1999 por 95K
    http://schulmannleiloes.com.br/upload/rgi/1298_rgi.pdf

    Corrigindo pelo IGPM hoje seria 375K (295,3% de correção)
    https://www3.bcb.gov.br/CALCIDADAO/publico/exibirFormCorrecaoValores.do?method=exibirFormCorrecaoValores

    Por isso nenhum imóvel está sendo adquirido na primeira praça e poucos na segunda praça, o descolamento com a realidade foi de 247% (1.300 / 375)

    26+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lord of All 15 de agosto de 2016 at 14:17

    Até o ano passado, a segunda praça admitia o mínimo de 60% da avaliação. Era uma construção jurisprudencial.
    Hoje, com o novo Código de Processo Civil, considera-se preço vil o inferior a 50% da avaliação.
    Melhorou um pouco, mas eu pessoalmente acho que não deveria existir esse conceito de preço vil.

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lord of All 15 de agosto de 2016 at 14:22

      Ah, só pra completar, por ser essa regra nova, se alguém aqui no Bolha lida muito com leilões, essa história do 50% está no Parágrafo Único do artigo 891 do nCPC.
      Podem dar lances tranquilamente com base nesse artigo, pois, por ser regra processual, aplica-se desde logo (no caso desde 18 de março de 2016).
      Evidente que em casos de leilões judiciais. Nos extrajudiciais (normalmente de alienação fiduciária) a coisa muda de figura.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 15 de agosto de 2016 at 15:01

        no BR isso é letra morta
        basta mexer na “avaliação”

        já li kilos delas, tudo lixo
        cabe qualquer coisa nessas avaliações

        7+
        • Lord of All 15 de agosto de 2016 at 15:33

          Concordo que a avaliação desde o “boom” se encontra totalmente descolada da realidade. Já postei isso em outros tópicos.
          Mas imóveis “penhorados” sem proponentes significam prejuízos pra todo mundo na cadeia processual: credor não recebe, leiloeiro não recebe e o Judiciário fica com acúmulo de trabalho (processos se arrastando sem conclusão por anos).
          Por isso acredito que num determinado momento, as avaliações vão ter q voltar mais próximas da realidade. (claro que pela soma de diversos outros fatores q já conhecemos bem).

          10+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Cajuzinha 15 de agosto de 2016 at 15:00

    15/08/2016 12h00 – Atualizado em 15/08/2016 12h04
    Vendas no Dia dos Pais têm pior resultado desde 2005
    Queda nas vendas foi de 8,8% em relação ao ano anterior, diz Serasa.
    Queda do poder de compra e inflação elevada prejudicaram desempenho.

    7+
    • avatar
  • Longa Manus 15 de agosto de 2016 at 16:46

    CVR no trabalho

    Hoje fui fazer várias diligências. Empresa de manufatura (pistões e cabeçotes para motores) aqui no RJ. Centenas de ações da Fazenda Nacional. Penhoras e mais penhoras de todos as máquinas do parque operacional!

    Cheguei para fazer uma reavaliação dos bens penhorados em determinado processo:

    1) Execução Fiscal é uma piada. A gente penhora o bem em 2005 e juiz manda reavaliar 11 anos depois! Sem leilão, etc. Piada;

    2) Porteiro diz: “Sinto muito, mas não tem ninguém na empresa. Somente no dia 23/8. O Sindicato fez um acordo e ninguém está vindo trabalhar. Nem o Gerente.” Empresa privada se dando ao luxo de não operar por causa de olimpíadas? Só aqui mesmo. Piada. E aí, vai? SQN

    18+
    • avatar
  • Fernando-SSS 15 de agosto de 2016 at 17:25

    Piuí piuí piuí, piuí abacaxi… ploc ploc ploc. ploc por aíííí…

    Aiii meu Deus… tá tudo lindo….

    10+
    • avatar
    • avatar
  • tnumaboa 15 de agosto de 2016 at 17:33

    Pessoal,

    Passei hoje no Setor Noroeste de Brasília e vi de 30 a 50 novos prédios sendo construídos! Nossa, a economia deva estar bombando! Quem quer comprar?

    9+
    • avatar
  • tnumaboa 15 de agosto de 2016 at 17:34

    Ah, vocês têm a opção de comprar os já construídos porque muitos ainda estão vazios!

    6+
    • avatar
  • tnumaboa 15 de agosto de 2016 at 17:35

    E aí, vai?

    4+
    • JJJ_brasilia 15 de agosto de 2016 at 17:47

      Só anta compRa na pRanta!!!

      6+
      • tnumaboa 15 de agosto de 2016 at 17:49

        Kkkkk.

        3+
  • tnumaboa 15 de agosto de 2016 at 17:50

    E dá-lhe pedaladas!

    4+
  • tnumaboa 15 de agosto de 2016 at 17:52

    Acho injusto os resultados do Brasil no ciclismo! Pedaladas é com a Banânia!

    8+
  • Luladranus 15 de agosto de 2016 at 18:16

    “E os motivos para a venda vão desde a dificuldade de pagar as prestações em dólar mais alto à necessidade de obter renda adicional em tempos de recessão.”

    https://br.financas.yahoo.com/noticias/brasileiros-que-aplicaram-em-miami-agora-vendem-181045552.html

    3+
    • Seguidor do Bolha BH 15 de agosto de 2016 at 19:48

      Ops, publiquei a mesma coisa.

      1+
  • Seguidor do Bolha BH 15 de agosto de 2016 at 19:47

    Brasileiros que aplicaram em Miami agora vendem os imóveis

    https://br.yahoo.com/noticias/brasileiros-que-aplicaram-em-miami-agora-vendem-181045552.html

    2+
  • Luladranus 15 de agosto de 2016 at 20:57

    Sabe de nada, inocente!

    “Outro é a ausência de risco político no cenário nacional.”É praticamente certo que a presidente (afastada) Dilma (Rousseff) não vai completar seu mandato”, disse ele.”
    http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/economia/20160815/mendonca-barros-cambio-deve-intervira-para-impedir-queda-maior/403872

    2+