Situação real da inadimplência no País é pior do que mostram os indicadores – EM

Você pode gostar...

Comments
  • Skidwasted 20 de junho de 2016 at 22:16

    E o chefe da minha esposa achando que ela não faz a cobrança direito.
    Agora eu queria ouvir aquele papinho dos petistas: “Nunca na história desse país…”

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • job 21 de junho de 2016 at 08:17

      Nunca na história desse país teve tanta inadimplência…

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • SampaBoy 20 de junho de 2016 at 23:13

    inadimplencia gera inadimplencia, é uma bola de neve. Inicialmente é a falta de dinheiro, depois ela anda sozinha, quando alguem deixa de receber o que tem para receber , esse alguem pode deixar de pagar o que deve e assim por diante. Isso geralmente acaba, por motivos obvios, naquele produto que custa mais caro, adivinhem qual…

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • wade 21 de junho de 2016 at 09:18

      Mais escassez de dinheiro, com a mesma procura? Vamos torcer para você está certo.

      6+
      • avatar
  • Longa Manus 21 de junho de 2016 at 00:39

    Money_Addicted,

    Minions ,

    Obrigado pelas dicas no tópico anterior!

    4+
    • avatar
    • Minions 21 de junho de 2016 at 08:44

      Mais um detalhe:
      As notas de dólares não podem ter rasuras, recadinhos ou carimbos, como os bananenses fazer nas notas de real. Notas assim, perdem a validade e devem ser trocadas em agências bancárias americanas. Para contornar esse problema, alguns ixpertos “lavam” as notas, apagando-as. Não se deve aceitar estas notas, também.

      8+
      • avatar
      • avatar
  • Leonardo M. 21 de junho de 2016 at 01:44

    Uma pena!

    Gosto tanto do 666 e seu estilo de vida cartão de crédito, financiamento e cheque especial.
    Se essa espécie ficar rara como vamos viver de juros?

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Boruto 21 de junho de 2016 at 09:58

      O Governo continua gastando ao dar moratória aos estados até o fim do ano. Ele vai precisar de empréstimos e os juros ou vão subir ou vão continuar como estão por mais um bom tempo.

      11+
      • avatar
      • avatar
    • wade 21 de junho de 2016 at 10:06

      As vezes me pergunto se algum video viralizado com alguém debochando de quem tem iPhone e carro parcelado, agradecendo por pagar suas contas ou algo assim, enquanto explica o porquê, mudaria isso.

      Nah. Não mudaria nada. Mas fica a dica pra quem é criativo. Se não funcionou lá, não vai funcionar cá.

      https://www.youtube.com/watch?v=r0HX4a5P8eE

      5+
      • avatar
      • avatar
  • mark 21 de junho de 2016 at 04:26

    Aos entendedores da bolha americana de 2008 e aos que acreditam no “hard”: Qual foi o efeito do estouro da bolha na moeda americana? Houve forte desvalorização do dólar? Se a resposta for sim e vocês também acreditam no hard landing, não eh somente uma questão de tempo para o dólar disparar?

    Lembrando que a recessão dos americanos foi sentida no mundo inteiro, e o eventual hard landing aqui na Banana so sera pra nos bananenses .

    5+
    • avatar
    • Cesar_DF 21 de junho de 2016 at 07:14

      O FED emitiu 2.3 trilhões de dolares e este dinheiro foi em busca de investimentos por todo o mundo
      Este dinheiro sem lastro provoca o aparecimento de bolhas, os tubarões entram comprando, depois fazem o marketing para as sardinhas entrarem e dai vendem tudo na alta.
      O bolha estoura na cara dos sardinhas, alguns governos tentam socializar as perdas de alguns, distribuindo por toda a população as perdas.

      http://achadoseconomicos.blogosfera.uol.com.br/2013/10/04/eua-emitem-us-23-trilhoes-desde-2008-mas-bancos-retem-85/

      11+
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 21 de junho de 2016 at 07:21

      Aos que não acreditam nas farras do QE do FED, sugiro a leitura do relatório do GAO-11-696, de 2011, em http://www.gao.gov/new.items/d11696.pdf, que à pág. 144, mostra o quanto deram “de grátis” ao Citibank (US$ 2,51 trilhões), ao Morgan Stanley (US$ 2,04 trilhões), ao Merryl Lynch (US$ 1,85 trilhões) e mais Bank of America, Barklays, Bear Steams, Deutsche Bank, Goldman Sachs e inúmeros outros, no total silencioso de US$ 16,1 trilhões, só entre 2008 e 2010…

      http://tribunadainternet.com.br/que-tal-discutirmos-a-estranha-questao-da-emissao-dos-dolares/

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Cesar_DF 21 de junho de 2016 at 07:23

      Dívida dos EUA chega a 60 trilhões de dólares e duplica em 12 anos
      Em apenas 12 anos, a dívida dos Estados Unidos reproduziu-se à razão de 6 bilhões e 950 milhões de dólares diários, ou 5 milhões de dólares por minuto.
      A dívida dos Estados Unidos atingiu um novo recorde e supera os 60 trilhões de dólares demonstrando que os norte-americanos não aprenderam nada com a crise de 2008. De acordo com os dados da Reserva Federal de St. Louis, em dezembro de 2013 os Estados Unidos acumulavam 59,4 trilhões de dólares de dívida, incluindo 17 trilhões de dólares em dívida pública. Com esta cifra, os Estados Unidos contribuem com mais da quarta parte da carga mundial da dívida que é estimada em 240 trilhões de dólares. Desde o estouro da bolha “pontocom”, no início do milênio, a dívida duplicou. Em finais do ano 2001, a dívida chegava a 29 trilhões de dólares, como mostra o gráfico, quando hoje ascende aos 60 trilhões de dólares. Assim, em apenas 12 anos, a dívida dos Estados Unidos reproduziu-se à razão de 6 bilhões e 950 milhões de dólares diários, ou 5 milhões de dólares por minuto.
      http://blogacritica.blogspot.com.br/2014/07/divida-dos-eua-chega-60-trilhoes-de.html

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Moreira 21 de junho de 2016 at 06:18

    Quero tirar mais proveito dessa bolha! Dá pra esperar retornos significativas em TD e renda fixa ou permaneceremos com essas taxas atuais? Alguém aqui espera um IPCA + 8, 9 ou 10? Ou será esse ¨6 de hoje? LCI e LCA mais vantajosos, onde estão? Será que virão? Repito, merecemos ter mais ganhos com o consumismo de muitos outros!

    7+
    • avatar
  • Danibolhista 21 de junho de 2016 at 08:28

    Até no meu condomínio tem inadimplente, isso porque o valor exato era 285,00, foi feita uma assembleia para ver se aumentava para 420, nem preciso dizer que foi o maior bate boca e troca de farpas, parecia uma feira, até avisei pro segurança ficar atento pra qualquer coisa, no final fechou em 344. O argumento foi: “se tem gente inadimplente com o valor de 285 imagine quando virar 420, aí até eu fico inadimplente também”.

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • wade 21 de junho de 2016 at 09:17

      Nessas horas que é bom viver de aluguel. A saída é logo ali, pela tangente.

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • LZ 21 de junho de 2016 at 08:33

    A questão é quantos HueBR temos com emprego ativo no Brasil ?
    Se tem 60 Mi de endividados, vão vender imóvel, carro e bens de consumo pra quem ?

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 21 de junho de 2016 at 09:34

      O emprego tem uma grande inércia, mesmo que a economia caia o desemprego demora para acontecer, da mesma forma, quando a economia se recupera, o desemprego continua acontecendo durante um bom tempo.
      Tivemos uma grande queda na renda, cerca de 10%, se as pessoas estivessem fazendo uma poupança de 10% de seus rendimentos, funcionaria como se fosse um “fundo soberano”, ou seja, não impactaria na inadimplência, mas sabemos que ao invés de poupança as pessoas fizeram dívidas de médio prazo (carro e móveis) e de longo prazo (imóveis).

      Quando juntamos numa mesma equação a queda na renda, baixa poupança e alto nível de endividamento a médio e longo prazo, isto resultará em inadimplência. O inadimplente tenta se recompor aumentando receita (vide a quantidade de MEI abertos) reduzindo despesas, vendendo patrimônio, especialmente seus passivos. Quando não existe disponibilidade financeira no mercado para comprar este patrimônio, a lei da oferta e da procura é implacável, e as pessoas tem que reduzir o valor de seus bem para um valor “abaixo do custo”.
      Mas, quanto seria o custo de uma residência?

      Analisando os prédios em Águas Claras – DF, os terrenos foram comercializados por 2K/m2, e considerando um CUB de 1,1K/m2 + 0,4K/m2 pelas áreas comuns (elevadores, garagem, lazer, etc) + 0,2K/m2 de custo administrativo da construtora + 0,3K/m2 de lucro bruto. O custo de um apartamento em Águas Claras seria de 2K/m2.
      Quando mudei-me para Brasília em 2010, eles comercializavam por 6-7K/m2 e hoje por 4-5K/m2.

      Consideremos o empreendimento Top Life Águas Claras, com 1.100 apartamentos com, em média 70 m2, seriam então 77.000m2, que se comercializados por 2.5K/m2 proporcionaria um lucro líquido de R$ 500/m2, ou seja 38,5 milhões de reais para a MRV, e mesmo tendo sido entregue faz vários anos, ainda hoje se acham apartamentos disponíveis oriundos de distratos, mas tentam vende-los por 4K/m2.
      O que seria um valor justo num apto de 70m2 por 175K. Considerando um aluguel de R$ 1.200, isto dá um fator de 146X o aluguel, ou seja, dentro do justo.

      Voltando a questão do que seria um valor “abaixo do custo”, o proprietário pensa que seria o valor que ele pagou, mas isto é uma ilusão, pois neste valor estava embutido um LUCRO OBSCENO, totalmente descolado dos custos de construção.

      E quanto ao custo do terreno, ele não é baseado em custos de construção, mas totalmente baseado na lei da oferta de da procura, por isso se foi comprado por 2K/m2 quando o mercado estava em alta, não é de se estranhar que baixe em 4X. Vai depender da necessidade de liquidez do proprietário, pois como o custo para manter este bem é insignificante, ele é muito útil para propósitos especulativos, pois é um recurso finito.

      Para evitar a especulação existe o IPTU progressivo, que está previsto no art. 182, § 4º, II, da Constituição Federal, por exemplo, existe competência aberta aos municípios de instituírem “imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana progressivo no tempo”. No Estatuto da Cidade (Lei 10.257/2001) a possibilidade dessa tributação ser criada pelos municípios está prevista entre os arts. 7º e 8º. Na redação do último, há advertência expressa ao proprietário flagrado nesse descaso: se ele, depois de cinco anos contados da data em que foi notificado para pagar o IPTU progressivo, não cumprir a obrigação de parcelar, edificar ou utilizar o seu imóvel, isso dará direito ao município de desapropriar o bem “com pagamentos em títulos da dívida pública”.

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • joselito 21 de junho de 2016 at 10:04

        “pois como o custo para manter este bem é insignificante”
        Sim, mas a depender do imóvel, deve-se tomar cuidado com invasões e despejo de lixo.

        Quanto à desapropriação do Estatuto da Cidade, conhece algum caso desse? Se não me engano, para tanto o município precisa de um plano de reforma urbana devidamente aprovado nas instâncias competentes para, só então, fazer a comunicação ao proprietário, que terá alguns anos ainda para edificar…..

        3+
  • Alemon Fritz 21 de junho de 2016 at 09:17

    casa “própria”
    Atrasos no pagamento das prestações podem custar a casa própria: saiba como evitar
    O número de imóveis retomados pela instituição e levados à venda passou de 8.541, em 2014, para 13.137 no ano passado em todo o Brasil, um aumento de 53,8%.
    http://diariogaucho.clicrbs.com.br/rs/dia-a-dia/noticia/2016/06/atrasos-no-pagamento-das-prestacoes-podem-custar-a-casa-propria-saiba-como-evitar-6100636.html

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • AGE DF 21 de junho de 2016 at 10:19

      lembro que no começo desse ano eu estava conversando com uma 666 e a alertando a ela , que havia acabado de financiar um imovel pela cefu, que o imovel só seria dela apos a quitação do finan,, que nesse meio tempo se ela parasse de pagar o banco retomaria a posse do imovel que na verdade era dele, eis que a anta fala: – nao acredito, eles nao seriam tao maus assim!

      40+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Loucodf 21 de junho de 2016 at 10:30

        HAHAHAHAHAHAHAHA!
        BANCO == ‘INSTITUIÇÃO DE CARIDADE’. (false)

        17+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Thiaguinho 21 de junho de 2016 at 11:38

        666 pensa assim mesmo, chega a dar dó só… que não

        12+
        • avatar
      • tmarabo 21 de junho de 2016 at 11:57

        eles esquecem que tudo é controlado eletronicamente. acabou a história de ficar cinco a dez anos no imóvel antes de a CEF ou qualquer banco tomar alguma providência.
        agora é três meses, já sai a carta de cobrança, já vai automaticamente para o cartório de protestos e sem pagamento há consolidação da propriedade em favor do banco sem necessidade de intevenção judicial. Com algumas variações de acordo com a(s) lei(s) que rege(m) o assunto, é isso aí.

        não sei se com o tempo, para evitar que os bancos se embuchem de imóveis mais ainda, eles acabem relaxando o procedimento e investindo na renegociação.

        6+
        • avatar
        • avatar
      • OdeioTijolos 21 de junho de 2016 at 19:16

        Qual a idade dessa 666 , 7 anos? Lembrei do filme A grande aposta, que mostra a facilidade de adquirir créditos lixo, financiamento de casa ate no nome do cachorro,stripper com 8 imoveis financiados…

        8+
        • avatar
  • alemonbnu 21 de junho de 2016 at 09:43

    Mas como inadimplente? O meu imovel vale pelo menos HUM MILHAO DE REAIS!! E valoriza todo ano!!

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Ilusionista 21 de junho de 2016 at 09:45

    O que mudou em três anos na propaganda principal vinculada nos intervalos do horário nobre da TV.
    “Do golfinho ao cachorro preto e branco”.
    Lá em 2013 aproveitando o clima nostálgico da Copa, um galã com característica de um jovem bem sucedido conversando com um golfinho (exatamente um dos animais mais inteligentes do mundo animal), dizendo que utiliza 100% do seu cérebro e do potencial do seu “platinum”..
    Basicamente o problema surgiu quando a grande maioria dos 60 milhões de inadimplentes atuais decidiram fazer o mesmo, utilizando 100% do limite para o consumo sem ter renda suficiente para pagar a fatura.
    Não deu outra, agora em 2016, crédito para negativado, a juros de quase 1000 % a.a., bombando em todos os veículos de propaganda, patrocinando até grandes times de futebol.
    O problema maior que inibe um crescimento na economia ocorre quando grande parte dos devedores de uma nação mudam seus hábitos de vida, feirões de crédito já não tem mais efeitos, deixam de pagar dívidas antigas e passam a consumir somente bens de primeira necessidade com pagamento à vista. Atividades econômicas e empregos ligados a bens de consumo secundários e supérfluos acabam sendo os mais destruídos.
    órgãos de proteção ao crédito em vez de proteger o comércio dos maus pagadores, acabam também afastando novos consumidores quando o número dos inadimplentes sai fora do controle.
    Seria o mesmo que as indústrias farmacêuticas decidissem matar grande parte dos doentes que consomem os remédios que a sustentam….

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 21 de junho de 2016 at 10:11

    7,6 k imóveis pra alienar..
    Anatel proíbe Oi de vender patrimônio
    diante da dívida de R$ 65 bilhões e do próprio fato de que a Oi listou mais de 7,6 mil imóveis, praticamente todos considerados bens reversíveis, em uma lista que também fez parte da (malsucedida) negociação com os credores.
    http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=site&infoid=42696&sid=8

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • joselito 21 de junho de 2016 at 15:11

      Peraí, deixa eu ver se entendi:

      a OI listou imóveis de sua posse, mas de propriedade da União para venda? Isso mesmo productionnnn??? HueOiHUEoi??

      7+
      • avatar
  • CA 21 de junho de 2016 at 10:47

    Sobre o tópico:

    No documento do link abaixo, uma explicação com infográficos sobre os motivos pelos quais uma bolha imobiliária colabora de forma decisiva para um aumento anormal da inadimplência e este por sua vez colabora para a explosão da própria bolha:

    http://defendaseudinheiro.com.br/a-bolha-imobiliaria-no-brasil-e-a-economia

    Se quiserem ver em um slide só, com gráfico sobre a evolução da inadimplência no Brasil e os motivos de forma resumida:

    http://defendaseudinheiro.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Post-45-imagem-12-inadimpl%C3%AAncia-geral-das-fam%C3%ADlias-SERASA.png

    Como funciona o circulo vicioso que ocorre em toda bolha imobiliária e que impulsiona a inadimplência, que por sua vez, turbina a explosão da bolha? Vou utilizar como referência a bolha imobiliária brasileira e dar mais detalhes do que constam no documento acima:

    O governo forçou a CEF a fornecer crédito imobiliário barato e farto para grande parte da população. Com os menores juros do mercado e muitas vezes sendo a pioneira a subir o prazo de pagamento (o que diminui o valor das parcelinhas mensais), como quando foi a primeira a subir este prazo de 10 para 15 anos e a primeira a subir de 30 para 35 anos (sim, o prazo de financiamento imobiliário mais do que triplicou em 10 anos), a CEF já teria tudo para ser a líder na concessão do crédito imobiliário, mas o Governo queria mais, ele tinha todo o interesse do Mundo em garantir suas reeleições, era fundamental transmitir uma euforia com a “facilidade” de se adquirir a casa própria. O que a CEF fez então? Ela começou a fornecer crédito imobiliário para aqueles que não teriam condições de pagar pelo financiamento ao longo dos anos, análogo ao que fizeram as agência Fannie Mae e Freddie Mac nos EUA, pressionadas pelo governo americano, durante o inflar da bolha imobiliária de lá. Qual o mecanismo que a CEF utilizou para isto? No caso do Minha Casa Minha Vida Faixa 1, por ter um “fim social” e uma parcelinha muito baixa, já contando com amplo subsídio do governo federal, a CEF aceitava clientes com base apenas na disponibilidade de verba para emprestar e sem NENHUMA análise de crédito criteriosa. Já no caso de financiamentos para faixas 2 e 3 do Minha Casa Minha Vida e ainda para os financiamentos imobiliários com verbas da poupança, a CEF também “facilitou” a concessão de crédito imobiliário, aceitando como comprovante de renda uma simples transferência entre contas (a CEF FINGIA acreditar que aquilo era uma “renda informal”), assim como aceitava pessoas que diziam que iriam ajudar a pagar as prestações, mesmo sabendo que não ajudariam (FINGINDO acreditar que aquelas pessoas colaborariam nos pagamentos). Graças a este Mundo de ILUSÃO, a CEF garantiu um percentual de quase 70% de todo o crédito imobiliário concedido ao longo de mais de uma década e no caso do crédito imobiliário fornecido com verba da poupança, no total do Brasil e considerando o resultado de todos os bancos, em 2011 este já era de 22 VEZES o que era em 2005, ou seja, um crescimento ASTRONÔMICO, extremamente elevado e rápido, absolutamente anormal e que costuma ocorrer em todo inflar de bolha imobiliária.

    Quais as consequências do que consta acima? Como se fechou o circulo vicioso neste ponto, com a colaboração para explosão da bolha imobiliária? O Minha Casa Minha Vida Faixa 1 tem inadimplência superior a 20%, acima dos 16% de inadimplência dos títulos sub-prime dos EUA no auge da bolha imobiliária americana e no Brasil este percentual não para de crescer. Para demais financiamentos imobiliários, a taxa de inadimplência da CEF é o TRIPLO do que a média de mercado (se considerarmos que a CEF representa 70% do crédito imobiliário concedido, significa que sua inadimplência é muito mais que o triplo daquela que encontramos em outros bancos). Hoje a CEF tem um ROMBO de R$ 25 bilhões, conforme detalhado em notícia que consta em comentário mais acima. Em virtude de tudo isto e também pela crise fiscal do Governo, criada para ajudar a cobrir os rombos da bolha imobiliária, a CEF foi obrigada a aumentar seus juros por 4 vezes do início de 2015 até hoje, está com verbas exíguas para empréstimos e recusando cada vez mais financiamentos e a tendência é só de piorar. Outra consequência é que a dívida das famílias com o crédito imobiliário em proporção a sua renda simplesmente TRIPLICOU no período de 2010 a 2015 e isto roubou uma enorme capacidade de consumo destas famílias, tanto é que o “PIB do consumo” medido pelo IBGE teve queda e a inadimplência cresceu 2,5 vezes mais rápido exatamente neste período. Claro que tudo isto fez com que tivéssemos uma derrocada na economia que levou a queda no consumo, no PIB, nos empregos, etc, o que por sua vez, também se refletiu em novas quedas nas vendas de imóveis e aumento na distorção entre oferta e procura, o que vem forçando cada vez mais a redução dos preços dos imóveis, como sempre ocorre em toda explosão de bolha imobiliária.

    Quais os efeitos indiretos do que consta acima? Como estes efeitos estimularam ainda mais a inadimplência, de forma mais abrangente e como isto se refletiu colaborando para a explosão da bolha imobiliária? O segmento imobiliário criou o seu golpe de pirâmide financeira das vendas FALSAS na planta, muito estimulado pelo contexto acima. Isto colaborou e muito para a super-oferta, o mega endividamento de algumas construtoras e a queda dos preços de imóveis pela combinação destes fatores. Outro efeito indireto foi que a construção civil simplesmente DOBROU a sua participação na geração de empregos formais no período de 2007 a 2009, levando a uma EUFORIA e colaboração para um circulo virtuoso artificial que levou a um crescimento na economia, nos empregos e na renda de forma elevada ao longo dos anos, só que quando a bolha começou a estourar, o patamar de geração de empregos da construção civil foi caindo de forma igualmente rápida e este setor foi o primeiro a puxar o aumento do desemprego, trazendo junto com isto a queda na renda real das famílias, a queda do PIB, etc. Tudo isto foi afetando fortemente a liquidez das empresas de forma geral, todo aquele crescimento provocado pela euforia da bolha foi sendo rapidamente destruído, com isto vemos hoje um índice recorde de endividamento e inadimplência, tanto para as famílias quanto para as empresas. O inflar da bolha também foi altamente inflacionário, pois foi gerado um crescimento vertiginoso nos empregos da construção civil sem NENHUM ganho de produtividade, ao mesmo tempo que os aluguéis comerciais cresciam de forma anormal (rentabilidade do aluguel comercial simplesmente TRIPLICOU no curto período de 2007 a 2011), o que também se refletia no aumento dos preços dos produtos e serviços que se utilizam destes imóveis, ou em casos em que isto não era possível, colaborava e muito para o fechamento ou não abertura de uma infinidade de pequenos negócios, ajudando a destruir o PIB. Um efeito extremamente danoso foi que o governo em 2012, ao ver que a bolha explodia com resultados catastróficos do segmento imobiliário (demonstrei em comentário do tópico anterior), acelerou em muito suas medidas heterodoxas (redução FORÇADA da SELIC para o seu menor patamar histórico, aumento de gastos públicos de forma desenfreada, conter aumento de combustíveis, reduzir preço de energia elétrica, aumento de subsídios fiscais a empresas, etc), de tal forma que a partir de 2015 também começamos a enfrentar as consequências destrutivas para economia. A combinação de todos estes fatores, obviamente provoca forte redução na demanda potencial por imóveis, aumento no endividamento das construtoras e outras consequências que forçam novamente a redução dos preços dos imóveis.

    Junto com a bolha imobiliária tivemos a bolha de corrupção, que destruiu o segmento petrolífero que sozinho REPRESENTAVA 11% de todos os investimentos do país, além de ter estimulado campeões nacionais e outras aberrações que colaboraram para a derrocada que vemos hoje (OGX, Oi, Sete Brasil, etc., etc., etc). Claro que toda a crise na economia acabou desencadeando também a crise política e fiscal e a combinação dos itens deste parágrafo com nossa bolha imobiliária e todos seus efeitos destrutivos que nos levam a derrocada na economia que temos enfrentado e que mais uma vez, se reflete na derrocada do segmento imobiliário e estimula ainda mais a explosão da bolha imobiliária.

    Lembrando que, pelo que consta acima e muito mais, a bolha imobiliária é ponto nevrálgico das causas raízes para a crise na nossa economia e portanto, enquanto ela não explodir de forma mais visível e abrangente, não ocorrerá nenhuma recuperação efetiva da economia, apenas “simulações” de melhorias ou meras enganações. Isto ocorre porque enquanto o preço do aluguel comercial for proibitivo, muitos negócios pequenos continuarão fechando e vários outros deixarão de abrir, enquanto tivermos novas famílias comprometendo grande parte de sua renda com imóveis com preço fora da realidade, deixarão de consumir outros produtos e serviços, enquanto os preços dos imóveis continuarem fora da realidade de renda e as vendas de imóveis caindo, os lançamentos de imóveis também irão continuar caindo e ajudando a estimular o desemprego, enquanto tivermos BILHÕES de Reais em distratos todos os anos, teremos MILHARES de famílias anualmente tendo prejuízos que aumentam seus problemas financeiros e reduzem seu poder de consumo, dentre uma série de outras situações em que a bolha continuará destruindo a economia. Por enquanto os principais agentes insistem em FAZER DE CONTA que os problemas se restringem a uma combinação de crise política, crise fiscal e crise causada por esquemas de mega-corrupção, escondendo o quanto podem a bolha imobiliária, vamos ver até quando conseguem manter esta pantomima.

    24+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 21 de junho de 2016 at 11:02

      Ah sim, esqueci de um “detalhe” importante. Qual o efeito de tudo isto sobre os bancos e como isto retorna para economia como um todo?

      O volume recorde de inadimplências, tanto de pessoas físicas como jurídicas, faz com que os bancos também tenham uma forte perda de liquidez. Esta perda de liquidez por sua vez, leva a um natural aumento das taxas de juros, em especial através dos spreads. Isto significa que, mesmo que o Governo venha a reduzir a SELIC no curto prazo para tentar estimular a economia, o efeito será bastante limitado, pois o aumento no spread dos bancos anulará estes efeitos. Os bancos não poderão simplesmente reduzir os spreads de imediato “apostando” que com a redução da SELIC as famílias “de imediato” poderão voltar a honrar seus compromissos, até porque, como foi explicado em comentário do Cesar_DF mais acima, há um grande atraso entre a recuperação da economia e a geração de empregos, ou seja, não é da noite para o dia que uma redução da SELIC iria gerar seus efeitos mais impactantes e enquanto isto, mais empresas e famílias estarão entrando nesta situação de inadimplência, os bancos aumentarão ainda mais os spreads, o que fará com que fique ainda mais difícil para famílias e empresas equilibrarem seus orçamentos, retroalimentando este circulo vicioso. Sem contar que redução FORÇADA da SELIC não funciona, como já foi demonstrado em 2012. Se repetirem o erro, desta vez o que poderá acontecer é o seguinte: não tendo a situação fiscal bem equalizada, mas reduzindo a SELIC, provavelmente teremos forte fuga de dólares do país. Com isto acontecendo, o US$ subiria e a inflação junto com ele, forçando novos aumentos da SELIC ou permitindo uma destruição da economia pelo canal do aumento desenfreado da inflação. Mesmo que de forma extremamente otimista seja resolvido o problema fiscal de forma que transmita confiança para o mercado, ainda assim sobram uma infinidade de outros problemas mencionados no comentário anterior que combinados também anulam os efeitos positivos esperados por uma queda na SELIC. Repito: enquanto não atuarem sobre causas raízes dos problemas e dentre eles um dos principais é a bolha imobiliária, nada começará a melhorar efetivamente, serão apenas SIMULAÇÕES de melhora…

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 21 de junho de 2016 at 11:09

    “A demanda do consumidor por crédito teve queda de 6,8% em maio/2016, na comparação com o mês anterior, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). O indicador caiu 8,9% na avaliação interanual, 6,3% no acumulado do ano (até maio/16), e 4,3% na variação acumulada em 12 meses.

    Considerando os segmentos que compõem o indicador, a avaliação mensal dessazonalizada mostrou que nas instituições financeiras houve queda de 3,8%, enquanto para o segmento não-financeiro caiu 8,8%.

    A grande incerteza econômica gerou um cenário bastante adverso para o consumidor em 2015 e que permanece em 2016. A gradual deterioração da economia contribuiu decisivamente para piora do índice e que agora, de forma tímida, tenta se recuperar. Fatores como a alta das taxas de juros e inflação consistentemente elevada, aumento do desemprego são apenas algumas das variáveis condicionantes deste resultado, que gera como consequência um consumidor bastante cauteloso. Assim, a expectativa é que a demanda por crédito continue em território negativo, tornando a obter crescimento somente a partir de 2017.”

    http://www.investimentosenoticias.com.br/financas-pessoais/credito/demanda-por-credito-cai-6-8-em-maio-revela-boa-vista-scpc

    3+
    • avatar
  • Cajuzinha 21 de junho de 2016 at 11:14

    Só rindo:

    “Que vantagens o senhor acredita que o capixaba terá futuramente por investir agora em imóveis?

    AG – Agora é o momento certo de investir em imóveis. Os preços caíram e acredito que num prazo de um ano, um ano e meio, o mercado irá voltar a se valorizar. A oportunidade de investir para lucrar mais adiante é agora, desde que o cliente conheça a empresa e tenha a certeza do que está comprando, confiando sempre na solidez e seriedade da empresa.”

    http://www.folhavitoria.com.br/economia/noticia/2016/06/construtora-capixaba-investe-em-estudo-e-diversificacao-para-superar-a-crise.html

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • LZ 21 de junho de 2016 at 11:17

      Esperança é a última que morre hahaha

      7+
  • wade 21 de junho de 2016 at 11:18

    OFF:

    para quem consegue ouvir inglês, video sensacional sobre f* you money.

    https://www.youtube.com/watch?v=eikbQPldhPY

    7+
    • avatar
    • avatar
  • Festa Ploc 21 de junho de 2016 at 12:01

    Voltei a receber ligações de corretores. Detalhe, não procuro imóveis desde que comprei o último em 2007. Já até vendi. O desespero chegou pra eles.
    Como se dizia aqui, é hora do meu toddynho com pipoca, assistindo de camarote da minha janela alugada.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 21 de junho de 2016 at 14:12

      Mesma coisa acontecendo comigo. Já tô de saco cheio. Faltando muito pouco pra começar a ser mal-educado nas respostas.

      4+
      • avatar
      • wade 21 de junho de 2016 at 15:52

        Se a vida te dá limões…

        2+
    • obrahma 21 de junho de 2016 at 16:08

      Comigo também…
      As ligações são cada vez mais frequentes e ao menos no meu caso não adianta pedir para tirarem o telefone da lista de SPAM pq no outro dia está novamente na lista para a “URA” ligar.

      Terrível isso…

      2+
    • fanfarraum 21 de junho de 2016 at 16:20

      Procurem por “não perturbe procon” do estado de vocês
      Cadastrei meus telefones e nunca mais recebi ligação.
      Não sei se vai fazer efeito pros corvos.

      6+
      • avatar
  • Ze Ruela 21 de junho de 2016 at 12:02

    Bolha Educação
    Vídeo para ensinar o parente 666
    https://www.youtube.com/watch?v=TH5i_Z8ODp8

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Ze Ruela 21 de junho de 2016 at 12:04

      Na parte final o cara ta vendendo o peixe dele, mas a parte do estudo é válido.

      5+
      • avatar
  • Gute 21 de junho de 2016 at 14:11

    Os preços não estão caindo.

    EVEN DAY – “Condição válida somente no dia 26 de junho de 2016”
    “Alguns imóveis com 50% de desconto”

    http://www.evenday.com.br/

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 21 de junho de 2016 at 14:15

      A queda de preços não vai evitar o trágico final das construtoras. O ponto de não retorno da falência já foi ultrapassado. Não há remédio que cure essa doença.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • wing 21 de junho de 2016 at 15:52

      continua sendo a metade do dobro…
      nao caiu nada…é o preço de tabela inflacionado+desconto

      8+
      • avatar
    • bolha real 21 de junho de 2016 at 17:30

      como o Wing citou, vai ter um imóvel por 50% e os demais com 10% de desconto…

      1+
      • wing 21 de junho de 2016 at 18:34

        quis dizer algo pior q isso….
        se fosse como falou teria realmente desconto mas é: ” vamos dobrar a tabela e depois dar o desconto, vai ficar igual ao preço q estamos vendendo normalmente “

        4+
  • Lord of All 21 de junho de 2016 at 14:47

    “Eu não me preocupo com a inadimplência, pois se a coisa apertar vendo meu apartamento de 8 milhões de reais, compro um de 7 milhões, pago as contas e ainda sobra 500 mil pra ir pra Disney e comprar um Renegade.”

    Esse é o pensamento da maioria dos brick lovers. Só faltou alguém avisá-los do valor real do imóvel financiado que eles “têm” (entre aspas mesmo).

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Dr. Estranho 21 de junho de 2016 at 15:03

    Se o Zap, que é uma mentira, reflete queda, o que dirão os demais índices.

    7+
  • Rampion 21 de junho de 2016 at 15:19

    CVR:
    Entrei em contato com um corretor online da EVEN, que neste domingo promoverá o grande evento “EVEN DAY” com imóveis com descontos de 50%. Pois, bem consultei um apartamento na região do Butantã e o valor em 60 m² está por míseros 376k, isto já com o desconto de 44%. Resumindo se você adquirir um imóvel por 400k e alugar não terá nem 1,5k por mês de rendimento, enquanto 200k aplicados darão 2k mensais limpos, sem taxa de corretor/imobiliária e IR. A pergunta que fica o que vale mais: 400k em tijolos ou 200k em cash vivo? Essa é a resposta que muitos 666 não conseguem chegar. E viva a sabedoria popular que segue a manada nos investimentos e no bater das panelas.

    22+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • markito 21 de junho de 2016 at 15:25

    Rampion

    CVR:
    Entrei em contato com um corretor online da EVEN, que neste domingo promoverá o grande evento “EVEN DAY” com imóveis com descontos de 50%. Pois, bem consultei um apartamento na região do Butantã e o valor em 60 m² está por míseros 376k, isto já com o desconto de 44%. Resumindo se você adquirir um imóvel por 400k e alugar não terá nem 1,5k por mês de rendimento, enquanto 200k aplicados darão 2k mensais limpos, sem taxa de corretor/imobiliária e IR. A pergunta que fica o que vale mais: 400k em tijolos ou 200k em cash vivo? Essa é a resposta que muitos 666 não conseguem chegar. E viva a sabedoria popular que segue a manada nos investimentos e no bater das panelas.

    0

    Tenta oferecer 200k vai que vendem rs.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Gute 21 de junho de 2016 at 15:46

    Fiz uma pesquisa rápida sobre o lucro dos últimos anos da OI e ela parece não ter capacidade de pagar sequer os juros do que deve.

    9+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 21 de junho de 2016 at 16:26

    Virou moda!

    http://atarde.uol.com.br/economia/noticias/1780562-cni-tambem-pede-a-governo-carencia-para-pagamento-de-debitos-tributarios

    “Um dia após o governo ter chegado a um acordo com os Estados sobre a dívida com a União, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) foi ao Ministério da Fazenda pedir carência para a quitação de débitos tributários das empresas com o governo federal por meio da reabertura de um Refis com novos prazos de pagamento. A entidade apresentou cinco propostas emergenciais para o setor e uma agenda de outras 119 medidas sem impacto fiscal que os industriais pretendem negociar com o governo.
    “Assim como houve com os Estados, acreditamos que o governo pode dar um prazo para a indústria conseguir organizar seus pagamentos. Muitas empresas estão com dificuldade em tomar crédito porque têm problemas na Receita Federal. Por isso, propomos remodelar o Refis que já existe para que essas firmas possam voltar a ficar adimplentes, disse o presidente da CNI, Robson Andrade, após encontro com o ministro Henrique Meirelles”

    6+
  • SampaBoy 21 de junho de 2016 at 16:28

    CVR : Hoje me ligaram – do nada – de um escritorio de advocacia perguntando se eu preciso de servicos de advocacia para reaver dinheiro de imovel comprado na planta. O mais engracado é que o sujeito ja foi falando direto, sem perguntar se por acaso eu tinha comprado imovel ou nao….simplesmente falando que conseguia reaver o dinheiro de imovel comprado na planta. Quando eu falei que nao tinha imovel nenhum comprado na planta ele agradeceu e desligou….

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Brazil mode OFF 21 de junho de 2016 at 16:45

    Olha o despair ai geeeeeeeeeeeente!
    “http://pr.olx.com.br/regiao-de-ponta-grossa-e-guarapuava/imoveis/apartamento-abaixo-de-r-100-000-00-200750139”

    5+
    • avatar
    • Brazil mode OFF 21 de junho de 2016 at 16:48

      “Apartamento abaixo de 100k ???? Sim… eles existem”

      6+
      • avatar
      • Luladranus 21 de junho de 2016 at 16:55

        50 m² por 100 k, 2 k o metro, muito caro ainda.

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • bolha real 21 de junho de 2016 at 17:34

          Sabe explicar porque ainda está caro?

          2+
          • Luladranus 21 de junho de 2016 at 18:52

            Guarapuava é uma cidade extremamente favelizada, violenta, não há nenhum atrativo que a diferencie, além de ser gélida, quase insuportável no inverno. 50 m² é uma quitinete, um muquifo. Algo desse tamanho em qualquer cidade do interior a 1 k o metro já é um assalto. E no mais, se você está aqui teoricamente é por que defende a bolha, então, como bom bolhista que se preze, deveria ter ciência que 2 k por 1 metro de tijolos é muita grana.

            13+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Luladranus 21 de junho de 2016 at 18:57

              Ponta Grossa idem.

              5+
              • avatar
            • bolha real 21 de junho de 2016 at 21:16

              A questão é a seguinte: você sabe o custo de construção por m2? Ele gira em torno de 1k o metro quadrado em cidades do interior, a inflação pega pesado nisso porque metade é mão de obra. Portanto não levando em consideração a oferta e procura no preço do terreno já dá pra saber que o preço que você cita é impossível.

              Bolha existe quase que exclusivamente nas capitais e grandes centros, onde o metro quadrado passa dos 5k e chega dos 15k/m2.

              Só quero abrir o olho dos extremistas que acham bolha onde não existe, só ver qualquer lógica econômica.

              5+
              • avatar
              • Minions 21 de junho de 2016 at 22:53

                Ciente. Próximo

                12+
                • avatar
                • avatar
              • Sergio Soares 22 de junho de 2016 at 08:46

                Olha amigo, meu pai constrói casas de aluguel a muito tempo, muito antes dessa bolha que vc diz que “alguns” vêem onde não existe. No período pré bolha, aqui no interior SP, em meados de 2003-2004 meu pai construiu uma casa por 350,00 o m² (isso já na conta o terreno, material e mão de obra). No que nós aqui do blog (pelo menos muitos do que posso perceber) acreditam, que o auge dos preços (dos preços, não da bolha) se deu entre 2012-2014 e nesse época meu pai estava construindo mais uma casa para alugar. Acredito que vc deva saber fazer continhas de padaria (ou pelo menos um corvetor deveria saber), vamos lá:
                Terreno 90m² => 18k
                Construção (Material+MO) de 75m² => 45k
                Total => 63k
                63/75 = R$ 840,00 o m² do imóvel pronto.

                Por aqui um [email protected] de 40 e poucos m²s não sai por menos 140K (3k5 o m²)
                E detalhe: Essa casa foi feita com bom alicerce, bons materiais básicos e com o tempo (3 anos) ainda não apresentou seque rachaduras, já esses [email protected], mesmo com tempo semelhante de entrega já estão apresentando vários problemas, inclusive postei um CVR a algum tempo atrás apontando isso.

                7+
                • avatar
                • bolha real 22 de junho de 2016 at 08:51

                  Equivocada a sua conta, no interior a mão de obra sem regulamentação está em torno de 400 reais o m2, mais em torno de 700 reais o custo da construção com material. O terreno não vou entrar no mérito porque esse sofre efeito bolha.

                  0
  • wing 21 de junho de 2016 at 16:55

    OFF

    To de olho num bolhudo, quanto a gente oferece de proposta? 20% menos?

    3+
    • avatar
    • bolha real 21 de junho de 2016 at 17:38

      Oferece quanto você acha que vale, se for esses preços “loucos” você pode colocar desconto de 50% por exemplo. Se já estiver com um preço “justo” você oferece algo a menos pra testar.

      3+
      • avatar
      • wing 21 de junho de 2016 at 18:03

        Tá pedindo 400k 70m2 e está reformado …bairro relativamente bom na capital de sp…mas nunca foi habitado e foi entregue em 2011 pela destrutora. Acho q é de investidor ja q ninguem morou.

        2+
        • avatar
        • Zé Carioca 21 de junho de 2016 at 19:02

          Wing as informações são muito genéricas, fica difícil falar se está barato ou caro. Eu acho que não vale a pena comprar agora, se der espera mais um tempo, pois vai cair ainda mais. Caso realmente precise comprar tente o desconto no padrão LuLu (50% off). Sinceramente acho 20% off muito pouco, mas muito pouco mesmo.

          8+
          • avatar
          • avatar
          • wing 21 de junho de 2016 at 19:50

            Detalhe q no lançamento era por volta de 2,5k m2

            2+
            • EngenheiroSP 21 de junho de 2016 at 21:26

              véi, na boa

              130k tava era muito bem pago sem nem chegar num denial

              6+
              • avatar
              • bolha real 21 de junho de 2016 at 21:28

                Isso paga apenas o custo de construção (material e mão de obra). Sem levar em consideração o custo do terreno e nem algum lucro. Irreal falar que 130k é bem pago.

                3+
                • avatar
                • EngenheiroSP 22 de junho de 2016 at 07:32

                  E quem disse que quando a bolha estourar de verdade vão conseguir vender e ainda por cima com lucro?

                  5+
                  • avatar
                  • Zé do Brejo 22 de junho de 2016 at 08:14

                    Disse tudo!!!
                    Galera ainda não se deu conta de que o dinheiro “NÃO EXISTE”.
                    Quem precisa não tem dinheiro e quem tem dinheiro não precisa.
                    ACABOU!

                    8+
                    • avatar
                    • avatar
                  • bolha real 22 de junho de 2016 at 08:46

                    Não coloquei o custo do terreno na conta e já deu o valor citado, não coloquei porque o terreno pode conter valor especulativo. A bolha não vai estourar, já estourou. O que resta saber é quanto ainda irá piorar e quem terá fôlego pra aguentar.
                    Lembrem-se que existe um negócio chamado inflação e por isso não veremos quedas nominais tão fortes.
                    Nunca contrariei um post do CA, pois tem fundamento. Só estou colocando fundamento econômico sobre os comentários que me parecem não ser lógicos.

                    4+
                    • avatar
        • bolha real 21 de junho de 2016 at 21:22

          Tá quase 6k/m2, na minha visão está caro em relação ao crescimento da renda. Agora não adianta achar que ele vai cair 50%, porque ele estaria bem abaixo do crescimento da renda (inflação) considerando uma década.

          Uns 4K/m2 acho justo é uma oportunidade de entrada. Porém ainda prefiro ficar com o dinheiro em LCI/LCA, acredito em um ponto de inflexão apenas no meio de 2017.

          5+
          • avatar
          • bolha real 21 de junho de 2016 at 21:24

            Aliás, quedas tão fortes podem aparecer caso alguém esteja sendo degolado. É questão de achar.

            4+
            • avatar
            • wing 21 de junho de 2016 at 22:42

              O problema é achar. ..
              Ainda está tudo muito bolhudo…

              3+
              • avatar
      • wing 21 de junho de 2016 at 22:45

        Valeu gente pelas análises.
        Vou fazer umas propostas e ver até onde vai…

        2+
        • avatar
  • JJJ_brasilia 21 de junho de 2016 at 18:01

    CVR

    colega me contou hoje no almoço que não esta pagando a escola do filho, 2k por mês, e no ano passado foi a mesma coisa, disse que no final do ano passado, pegou o dinheiro das férias e 13º para acertar a conta, ao chegar a escolar, disse que tinha muita gente na mesma situação, tinha fila para pagar a escola. Escola do grupo Abril Educacional.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • Palmeirense Bolhudo 21 de junho de 2016 at 18:28

      Deixa de pagar a Escola por que não da nada né, a lei protege quem não paga, banania

      12+
      • avatar
  • wing 21 de junho de 2016 at 18:03

    Tá pedindo 400k 70m2 e está reformado …bairro relativamente bom na capital de sp…mas nunca foi habitado e foi entregue em 2011 pela destrutora. Acho q é de investidor ja q ninguem morou.

    2+
    • avatar
    • Cesar_DF 21 de junho de 2016 at 18:59

      coloque o link

      1+
      • wing 21 de junho de 2016 at 19:56

        coloquei em cima

        1+
        • Cesar_DF 21 de junho de 2016 at 22:04

          Pelo que estou vendo, aluguel estaria cerca de 1.500, com um fator de 150X o preço justo seria 225K

          http://www.zapimoveis.com.br/aluguel/apartamentos/sp+sao-paulo+zona-norte+vl-guilherme/#{“precomaximo”:”2147483647″,”areautilminima”:”65″,”areautilmaxima”:”75″,”parametrosautosuggest”:[{“Bairro”:”VL GUILHERME”,”Zona”:”Zona Norte”,”Cidade”:”SAO PAULO”,”Agrupamento”:””,”Estado”:”SP”}],”pagina”:”1″,”ordem”:”Relevancia”,”paginaOrigem”:”ResultadoBusca”,”semente”:”1843836569″,”formato”:”Galeria”}

          5+
  • Leonardo M. 21 de junho de 2016 at 20:21

    Bolsistas de POA

    Estarei quarta até sábado em POA a trabalho e será minha primeira vez no RS.
    PRECISO de dicas de locais legais pra comer lanches ou comidas boas

    Sugestões?

    Vou ficar em um hotel ao lado do aeroporto

    3+
    • Leonardo M. 21 de junho de 2016 at 20:21

      Bolsistas = Bolhistas

      3+
    • Skidwasted 23 de junho de 2016 at 20:53

      Depende da comida que você quer dar.

      0
  • Luladranus 21 de junho de 2016 at 20:50
  • Luladranus 21 de junho de 2016 at 20:52

    https://economia.terra.com.br/demanda-das-empresas-por-credito-aumenta-12-em-maio,dcda3ed9ef93ac0877ce45086945811f2kw3k6jj.html

    “De acordo com economistas da Serasa Experian, o maior número de dias úteis em maio e a melhora gradual dos níveis de confiança empresarial impulsionaram a procura das empresas por crédito durante o mês.”

    3+
  • Moreira 21 de junho de 2016 at 20:56

    Wing,
    imóvel fraco, caríssimo. Renda média local do bairro: R$ 1.393,41. Como pode o preço ser 400k? na minha opinião, 200k ta muito, muito caro. Acabamento simples, nenhuma benfeitoria! Padrão MRV, quase um minha casa minha vida. Olhei no google maps aqui a região. Compre não, irmão! Guarde o dindin no TD, LCI ou LCA. Tenha medo não!

    8+
    • wing 21 de junho de 2016 at 22:51

      Eu tb acho caro…aliás, é tudo um absurdo ainda, esse bairro é menos absurdo q encontrei e q a localização é menos pior.

      1+
      • eam 22 de junho de 2016 at 09:00

        wing, como já disse um colega acima: 130k estaria mto bem pago… e olha lá ! Vou falar apenas como é a região e vc msm tira suas conclusões: antigo (nem tanto) bairro industrial, mtos galpões, pca infraestrutura (a não ser q vc considere o Center Norte), pouco movimento a noite, região que alaga quando chove mto (só pra vc saber, é antiga área de várzea do Tietê q foi drenada na década de 40/50). A única “vantagem” é estar próxima da marginal… e só.

        5+
        • eam 22 de junho de 2016 at 09:03

          Como dizem os bons corretores e profissionais do ramo, existem 3 fatores essenciais para a escolha de um imóvel: localização, localização e…. localização.

          3+
  • Caio Renar 21 de junho de 2016 at 21:54

    Prezados

    Alguem sabe me informar qual era a relação da taxa de retorno do aluguel em relação ao preço do imovel antes da bolha. Na decada de 90 por exemplo.

    2+
    • BancoData 21 de junho de 2016 at 22:23

      Lembro de alguns exemplos:

      – Residência em bairro próximo ao centro de Londrina – PR (Jardim Quebec):
      Valor venda (2002): R$ 60 mil
      Valor aluguel: R$ 700

      – Sobrado em São Caetano do Sul – SP, bairro Olímpico, terreno gigante, garagem para 12 carros:
      Valor venda (1999): 200 mil
      Valor aluguel (comercial): R$ 2500

      – Apartamento zona norte de SP, bairro de Santana, três dormitórios, não lembro a metragem:
      Valor venda (2000): 85 mil
      Valor aluguel: 800

      – Terreno Sumaré – SP, Parque Franceschini. não lembro a metragem:
      Valor venda (2001) – 17 mil

      Esses são imóveis que lembro de cabeça, estavam alugados e foram postos à venda por razão de inventário.

      5+
      • Caio Renar 21 de junho de 2016 at 22:38

        Em todos eles a taxa de retorno é maior que 1%, em um cenário onde existia a possibilidade de valorização do imovel. Portanto para valer a pena a compra, é necessário baixar muito o imovel atual.

        4+
      • bolha real 22 de junho de 2016 at 09:12

        Esse de São caetano deveria custar hoje em torno de R$ 630 mil somente pelo custo do dinheiro no tempo (inflação). Se pegar quando deve valer hoje dá pra saber o tamanho da queda necessária.

        Isso sem levar em consideração se na época estava “caro” ou “barato”.

        1+