Consumidores param de procurar imóveis após mudanças no governo – Investimentos e Notícias

Você pode gostar...

Comments
  • From_The_Tower 30 de maio de 2016 at 21:36

    E quem tem dinheiro para comprar á vista muitas vezes prefere ficar surfando nos juros e ou vazar da Banânia.
    Cabôu-se a euforia !!!
    Agora é só depressão.

    47+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 31 de maio de 2016 at 13:23

      e olha que a fonte do estudo é uma urubulharia…

      normalmente os corvos estão mais intererssados em abrandar as notícias pra passar a velha imagem:
      “A HORA É AGORA”

      8+
      • avatar
  • Cajuzinha 30 de maio de 2016 at 21:47

    Cajuzinha 30 de maio de 2016 at 20:09
    ” “Como teve esta crise brava que todo mundo está comentando e que realmente deu uma queda brusca no comércio imobiliário, então, houve uma queda nos preços muito grande”, disse.”

    http://g1.globo.com/goias/mercado-imobiliario/noticia/2016/05/crise-economica-diminui-preco-de-imoveis-em-goias-diz-especialista.html

    13+
    • avatar
    • JJJ_brasilia 30 de maio de 2016 at 22:12

      Cajuzinha,

      O coRvo falando que com a crise baixou um pouco o preço dos imóveis, mas o que ocorreu foi o contrário, a alta do preço dos imóveis que causou a crise, e o nome disto é: BOLHA IMOBILIÁRIA – que já destruiu a economia espanhol e japonesa, nos estamos passando por isto.

      É o pior é que é tão fácil resolver isto: é só reduzir o preço dos imóveis que os negócios voltam, na BOVESPA isto ocorre sempre é o mercado funciona, simples assim!!!

      Enquanto isto, chupem coRvos!!! É não se esqueçam, paguem meus juros.

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 31 de maio de 2016 at 08:05

        Por que comprar um imóvel com 10% de “desconto” se posso adquiri-lo com 50-60% de desconto.

        Já a gestora de recursos Exxpon, especializada em investimentos de alto risco, está atrás de descontos na casa de 60%. “As maiores oportunidades hoje estão no segmento residencial, com o elevado número de distratos (devoluções)”, diz o americano Jonathan Franklin. Os distratos em construtoras somaram 41% de janeiro a setembro de 2015, segundo a agência de classificação de risco Fitch.
        http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,pechinchas-imobiliarias-atraem-estrangeiros,10000022734

        Site vende imóvel retomado por banco com desconto de até 50%
        http://resale.com.br/propriedade/search/SP

        Imóveis em Leilão com desconto de até 50% sobre o valor
        http://www.infonet.com.br/economia/ler.asp?id=181950

        RealtON oferece desconto de 50% para imóveis antes de leilão
        Desde o início de agosto, a imobiliária online RealtON passou a oferecer também imóveis resgatados pelos bancos por inadimplência. As unidades já estão disponíveis no portal da empresa, com 50% de desconto.
        http://www.revistaqualimovel.com.br/noticias/realton-oferece-desconto-de-50-para-imoveis-antes-de-leilao

        120 Perguntas e Respostas sobre Leilões de Imóveis
        http://docplayer.com.br/716592-120-perguntas-e-respostas-sobre-leiloes-de-imoveis.html

        9+
        • avatar
        • avatar
        • Minions 31 de maio de 2016 at 10:56

          Quando eles falam que os preços ficarão estáveis, é porque cairão 10%. Quando falam que irão cair 10%, é porque cairão 30-50%. Agora, se estão falando que irão cair 50%, é porque irão cair 80-90%!

          10+
          • anti_corvo 31 de maio de 2016 at 11:16

            Rapaz, como eu queria que essas quedas existissem aqui em Caxias do Sul na serra gaúcha.
            Aqui, uma ótima negociação é quando você consegue 10%, geralmente pra conseguir isso tem que ser na mascada, no papelote, nota em cima de nota. Se falar em financiamento ai já não tem desconto algum.
            Os únicos imóveis que tem desconto de 10% ou mais são os que realmente ninguém quer, tipo prédios sem elevador,ou que são pequenos e ficam entre prédios grandes, e por ai vai.
            Há um empreendimento que hoje ainda está em construção, ele está anunciado por 765k, se for verificar no web.archive.org, em agosto de 2014 ele estava anunciado por 536k, e ai eu te pergunto, existe lógica em um aumento de preços desse nível? Pode aplicar o índice que for, INCC, IPCA, IGP-M, nada vai chegar no valor atual.
            A uns dias eles tinham uma promoção de unidades com 20% de desconto, mas somente à vista. Então fica fácil dar esse “desconto”.

            7+
            • avatar
            • Cesar_DF 31 de maio de 2016 at 13:53

              Não faz muita diferença se dão 10% ou 50% de “desconto” interessa a relação entre o preço final e o aluguel.
              Só valerá a pena comprar com um valor de venda menor que 105X o aluguel.

              2+
  • Ilusionista 30 de maio de 2016 at 22:27

    Aumento de 40 % do número de ações para cobrar condomínio só na capital de SP…
    ai não é só crise, muitos estão dando conta só agora que não tem renda suficiente para bancar a modinha dos “condomínios ostentação lazer total”.
    Aquele panfleto distribuído por um corvo na porta da padaria saindo muito caro…

    http://g1.globo.com/sao-paulo/sptv-2edicao/videos/t/edicoes/v/cresce-numero-de-acoes-de-cobranca-da-taxa-de-condominio/5059276/

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Ilusionista 30 de maio de 2016 at 22:39

      que absurdo…
      na matéria mostra um monte de 666 querendo ter endereço nobre num dos bairros mais badalados de SP o Morumbi, condomínio com 1300 unidades já com 100 inadimplentes….

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • SampaBoy 30 de maio de 2016 at 22:35

    “O estudo também mostrou que 70% dos respondentes optaram por adiar a compra e 4% desistiram da compra do imóvel devido os recentes acontecimentos na política do Brasil. ”
    aplicando o google tradutor bolhista :
    “O estudo também mostrou que 70% dos respondentes optaram por adiar a compra e 4% desistiram da compra do imóvel porque acabou a grana”

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 30 de maio de 2016 at 22:59

      mais provável que 70% não tem a grana (nem nunca tiveram)

      7+
      • avatar
  • SampaBoy 30 de maio de 2016 at 22:55

    CVR :
    meus pais moram em condominio de alto nivel no morumbi em sao paulo , com grande numero de apartamentos porem com uma area verde ,infra estrutura e numero de funcionarios alto o que resulta em um valor de condominio bem alto e que varia, dependendo do tamanho do apartamento de 1500 a 3000 reais !
    neste final de semana fui visita-los e me contaram que estao oferecendo , em alguns apartamentos, aluguel ZERO ! …… unica despesa : condominio / iptu.

    depois voltei pra casa e fiquei pensando em fazer uma proposta pra um destes apartamentos : o proprietario me paga 600 por mes e eu vou morar la,…. se acharem que a proposta nao é boa eventualmente abaixo pra 500 e fecho negocio….

    65+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • joselito 31 de maio de 2016 at 09:35

      “dependendo do tamanho do apartamento”

      Bom, considerando que o condomínio é área comum que TODOS utilizam igualmente, é ilegal esse tipo de cobrança por m².
      Donos de coberturas em condomínios peço Braziu já conseguiram decisões judiciais nesse sentido.
      Em outras palavras, o cidadão com apto de 300m² usufrui o mesmo tanto de elevador, porteiro, gramado, quadras, piscinas, etc. do que o cidadão com apto de 100m² naquele mesmo condo….

      13+
      • avatar
      • tmarabo 31 de maio de 2016 at 09:50

        é controverso. prevalece que se paga iptu de acordo com a área privativa de cada uma. eu adoraria que fosse diferente.
        tens algum precedente sobre o assunto?

        3+
        • joselito 31 de maio de 2016 at 10:28

          A sim, estava falando de taxa de condomínio.
          A ideia é que, se o condômino que possui uma fração maior usufrui da mesma forma da área comum, não seria lícito pagar mais por isso.
          Realmente, não é pacífico, mas algumas decisões judiciais confirmam esta tese. Só para ilustrar, segue uma citação ai (não fui conferir o REsp la no STJ não)

          “Ressalta-se que o STJ já decidiu no Recurso Especial 541.317-RS que o pagamento da taxa de condomínio deve ser igualitário, conforme decisão proferida pelos cinco ministros (Cesar Asfor Rocha, Aldir Passarinho Junior, Fernando Gonçalves, Sálvio de Figueiredo Teixeira e Barros Monteiro), em que aponta que “o pagamento dos funcionários, a manutenção das áreas comuns e os encargos tributários incidentes sobre essas áreas beneficiam de forma equivalente todos os moradores, independentemente de sua fração ideal. Assim, não prevalece a presunção do aresto hostilizado de que os proprietários de menores economias ‘acarretam menor despesa’, porquanto os custos, em sua maior parte, não são proporcionais aos tamanhos das unidades, mas das áreas comuns, cuja responsabilidade e aproveitamento são de todos os condôminos indistintamente”.

          9+
          • avatar
          • avatar
          • joselito 31 de maio de 2016 at 10:29

            “http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,stj-rejeita-recurso-e-mantem-valor-de-condominio-menor-para-cobertura-imp-,1048843

            6+
            • avatar
            • tmarabo 31 de maio de 2016 at 13:08

              Muito obrigado, eu não conhecia, embora o precedente diga que se em assembleia de condomínio se fixar um valor igual pra todos, isso é válido; porém, continua valendo: se a assembleia fixar condomínio proporcional às “cotas”, isto é, ao tamanho do apartamento, isso é válido também. Ou seja, não vou me dar bem na assembleia rsrsrsrsrs

              Os condôminos, em assembléia, podem estipular, de forma livre, a fixação dos valores das quotas condominiais, que visam ao rateio das despesas do condomínio, desde que o façam obedecidos os requisitos formais, preservada a isonomia e descaracterizado o enriquecimento ilícito de alguns condôminos. O referido rateio, estipulado no mesmo valor, independente da fração ideal de cada condômino, não caracteriza enriquecimento ilícito daquele proprietário da fração ideal maior. Os custos, em regra, não são proporcionais ao tamanho das unidades, mas referem-se à manutenção das áreas comuns, aos pagamentos de impostos e funcionários. Assim, a Turma, conheceu em parte do recurso e, nessa parte, deu-lhe provimento, pois o acórdão recorrido afrontou o art. 12, § 1º, da Lei no 4591/1964. REsp 541.317-RS, Rel. Min. Cesar Asfor Rocha, julgado em 9/9/2003

              1+
  • Longa Manus 30 de maio de 2016 at 23:16

    CVRs

    1) Duas semanas atrás corretor da EVEN aqui no RJ me convida para um feirão organizado por eles. Ótimas oportunidades. Eu declinei do convite, aduzindo que não teria certeza de conseguir financiamento junto à CEF na época da entrega do imóvel, etc. Ele afirmou com propriedade: “Aqui nós fazemos uma análise completa sobre o crédito. Aprovando aqui, aprova na CEF também…..” Ah tá. Não obrigado.

    2) CEF pegou toda a parte podre do Banco Panamericano. Podrícía pura! Muitas ações de busca e apreensão de veículo. Olho a inicial e fico abismado. Os caras davam crédito sem critério algum. Endereço inexistente, pessoa desconhecida no local, etc. E agora a CEF entuba o prejuízo, que no final é do contribuinte, eis que empresa pública.

    3) FIES. Ação de cobrança pela CEF. Chego para citar o fiador, que por sinal é pai do universitário: “Meu filho não conseguiu emprego na área em que se formou. E eu não tenho como pagar o débito. Também não tenho bens a penhorar. Devo e não nego…” E novamente mais tubo na CEF e no contribuinte…..

    42+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • JJJ_brasilia 31 de maio de 2016 at 00:10

      Longa manus,

      Banco público emprestando dinheiro sem as mais básicas garantia da atividade bancária, não iria acabar bom.

      Mas tem muitas construtoras e faculdades que nadam na grana do governo, e nós pagando mais um papagaio!!!

      12+
      • avatar
      • avatar
    • joselito 31 de maio de 2016 at 09:48

      Dentre a ausência de bens a penhorar que o pai não tem, existe imóvel de família? (é triste, maaaaaas)

      6+
    • From_The_Tower 31 de maio de 2016 at 10:04

      Silvio Santos deu o maior nó no sistema financeiro.
      Os parentes dele que desviaram a grana do Panamericano até hoje desfrutam do delito.

      9+
  • flashfs 31 de maio de 2016 at 06:39

    Galerinha, estou brincando um pouco com a API do Google que mexe com gráficos. É apenas um projetinho básico pessoal, não sou estatístico/economista e nem pretendo fazer algo grande. Vocês podem visualizar aqui: https://script.google.com/macros/s/AKfycbx5tJNP-zBnG0pqYyjy7oTec38_NLGZ7EE16xm6-rH41XudjkY/exec . Ele irá perguntar por uma permissão para rodar algo na conta Google, mas não é nada de mais. Ainda é um trabalho inicial e sendo feito lentamente, no tempo sobra.
    Gostaria de alguma ajuda com ideias do que posso fazer para melhorar esse projetinho e ele realmente servir melhor ao propósito de transformar dados em informação/conhecimento. A ideia inicial é de fazer uso de indicadores e tentar contextualizá-los ao serem colocados juntos, ou ainda, buscar padrões que nos mostrem os momentos bons e ruins de se comprar imóvel com base em algo mais concreto. Obviamente que apenas empilhar um monte de dado acho que não servirá, até porque isso já deve ter por aí internet afora. Nesse sentido que gostaria de ideias.

    6+
    • avatar
    • Dr. Brown 31 de maio de 2016 at 11:10

      Legal. Poucos países tem o privilégio de precisar de uma escala logaritmica para mostrar sua inflação histórica em um gráfico.

      10+
      • avatar
      • avatar
  • CA 31 de maio de 2016 at 07:38

    Sobre o tópico:

    Apesar do percentual de pouco mais de 30% de pessoas que adiaram ou cancelaram a sua decisão de compra (39% * 74%) parecer alto, é algo muito comum e que sempre acontece um pouco antes de uma explosão mais visível e abrangente de uma bolha imobiliária, o que normalmente leva na sequência a uma redução mais relevante nos preços. Lembrando que a crise econômica foi causada pela bolha e foi ela que levou a crise política a este patamar, ou seja, a causa raiz para esta nova derrocada na demanda continua sendo a própria bolha imobiliária.

    Hoje ainda temos algumas pessoas que vendo os preços mais baratos, estão caindo no canto da sereia de que agora seria o melhor momento para se comprar imóveis, mas dentre estes, os que possuem rendimento, reserva financeira, “estabilidade” no emprego e na renda e possuem coragem para terem elevada perda de liquidez em momento de crise, ou otimismo ufanista para acreditar que a economia e os imóveis vão se recuperar muito rapidamente, apesar de todos os indicadores em sentido contrário, são a “exceção da exceção”, ou seja, o número total dos que PROCURAVAM imóveis para comprar já havia caído MUITO, mesmo antes da divulgação desta pesquisa da VivaReal, destes que haviam sobrado, já tivemos a queda de 30% dos que decidiram adiar ou cancelar a compra e daqueles que sobram, muitos podem até manter o interesse, mas não tem condições de comprar os imóveis. Fazendo a conta, é provável que a demanda capacitada e interessada em comprar imóveis neste momento seja de 1/5 do que era 1 ano atrás, ou seja, 80% a menos de compradores para o curto prazo, o que agrava de maneira sensível a já absurda desproporção entre oferta e procura.

    Muito mais grave do que aquilo que consta acima e igualmente anormal, é a queda de mais de 56% no crédito imobiliário concedido com verba da poupança para o período de janeiro a abril de 2016 na comparação com mesmo período de 2015, a queda de 50% na PROMESSA de contratações do MCMV até 2018 (em 2014 prometeram 3 milhões de unidades, agora falam sobre 1,5 milhão e pode reduzir ainda mais) e a queda de 40% na emissão de LCI que subsidiam os financiamentos de imóveis mais caros. Isso significa que uma grande parte daqueles compradores potenciais calculados acima não vai conseguir adquirir seu imóvel, ou seja, na prática, vendas de verdade (esquecendo vendas FALSAS na planta) tendem a ter uma queda muito pior ainda.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 31 de maio de 2016 at 13:27

      PERFEITO CA

      muitos “interessados” são demanda reprimida por inércia, EXPLICO,
      quando negoviava imóveis, muitos se recusavam a reduzir o preço explicando que estavam em vista outro imóvel mais caro, então não podiam baixar o preço se a construtora só subia, isso em idos de 2012

      agora PENSA:
      se num primeiro momento os descontos das construtoras foram sendo dados por baixo do pano, isso gerou um efeito cascata no desconto para os imóveis usados, isso fez as vendas girar, deu liquidez ao setor, mas uma vez exaurida esta demanda que esperava pacientemente, o que sobra?

      Sobra ninguém, os ivnestidores pularam fora, os novos potencias consumidores que se formam vão buscando se informar e as contas são claramente desfavoráveis. É exatamente onde estamos…

      5+
      • avatar
  • Moreira 31 de maio de 2016 at 08:12

    Esse governo de transição começa a dar sinais de que não fará mudanças substanciais! É cedo pra afirmar, mas pela progressão da lava jato, cada semana um membro do governo na lama, faz com que este governo apenas se defenda. O futuro pode ser a condenação e a execração pública, cadeia. A ponte, a assunção do poder, pode ser tal qual a ciclovia desabada no RJ. E o que há embaixo é a cadeia! Já não creio que esse governo denunciará a bolha!

    12+
    • avatar
    • tmarabo 31 de maio de 2016 at 09:54

      mas como vai fazer mudanças substanciais se vazamento de conversas sobre o nada derruba ministro???
      olha o grau de aparelhamento na CGU: funcionários do órgão fizeram barricada pro ministro não entrar. era pra serem demitidos a bem do serviço público.

      8+
      • avatar
  • Igor Queiroz 31 de maio de 2016 at 08:25

    Queria agradecer ao ADM por aceitar o cadastro.
    Acompanho vocês já tem algum tempo e nunca tinha tentado me cadastrar.
    Queria agradecer todos que postam varias informações, graças a essas informações eu consegui convencer minha noiva que comprar um ap é um péssimo negócio na atual situação, tinha umas economias guardadas para entrada(antes eu tinha o pensamento em comprar um imóvel e morar no que é meu). Já dei entrada nos documentos, vou alugar um ap na VIla Formosa, região muito boa de SP, próximo ao shopping Anália Franco.Preço de venda do ap R$ 330k aluguei por 1300

    21+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 31 de maio de 2016 at 08:29

    Na surdina, CEF estabeleceu um novo patamar de preços para os imóveis no DF.
    Enquanto o SECOVI noticia que o valor por m2 nas Asas Sul e Norte estaria em 15K/m2, estes são os valores praticados pela CEF em leilão de 1a praça.
    http://www.caixa.gov.br/voce/habitacao/imoveis-uniao/ate-999/Paginas/default.aspx
    http://www.caixa.gov.br/voce/habitacao/imoveis-uniao/de-1-000-000-a-5-999-000/Paginas/default.aspx

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN-412, Apto 308, Bl-B
    2 quartos, 1 sala, 1 banheiro social, 1 cozinha, 1 área de serviço, 1 área de circulação
    Área privativa: 68,02 / Valor: R$ 463.000,00 / 6.8K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Sul – DF / SQS-411, Apartamento 305, Projeção 26(SQD-411/412 Sul), Bloco T
    3 quartos, 1 sala, 1 banheiro social, 1 cozinha, 1 área de serviço
    Área privativa: 71,21 / Valor: R$ 502.000,00 / 7.1K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN-411, Apartamento 106, Bloco N
    3 quartos, 1 sala, 1 banheiro social, 1 cozinha, 1 área de serviço, 1 banheiro de serviço, 1 quarto de empregada, 1 área de circulação
    Área privativa: 95,3 / Valor: R$ 565.000,00 / 5.9K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN-411, Apartamento 205, Bloco O
    3 quartos, 1 sala, 1 banheiro social, 1 cozinha, 1 área de serviço, 1 banheiro de serviço, 1 quarto de empregada, 1 área de circulação
    Área privativa: 95,3 / Valor: R$ 565.000,00 / 5.9K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN-409, Apartamento 307, Projeção-07 Bloco M
    4 quartos, 1 sala, 1 banheiro social, 1 cozinha, 1 área de serviço, 1 quarto de empregada, 1 área de circulação
    Área privativa: 96,15 / Valor: R$ 569.000,00 / 5.9K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN-402, Apartamento 202, Projeção 13, Bloco H
    2 quartos, 1 sala, 1 banheiro social, 1 banheiro privativo, 1 banheiro de serviço, 1 cozinha, 1 área de serviço, 1 quarto de empregada, 1 área de circulação, 2 sacadas/varandas
    Área privativa: 91,22 / Valor: R$ 571.000,00 / 6.3K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN 409, Apartamento 208, Projeção 17, Bloco C
    4 quartos, 1 sala, 1 banheiro social, 1 banheiro de serviço, 1 cozinha, 1 área de serviço, 1 quarto de empregada, 1 área de circulação
    Área privativa: 96,08 / Valor: R$ 572.000,00 / 6.0K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN 104, Apartamento 107, Bloco K
    3 quartos, 1 sala, 1 banheiro social, 1 cozinha, 1 área de serviço, 1 quarto de empregada, 1 área de circulação, 1 lavabo
    Área privativa: 125,3 / Valor: R$ 745.000,00 / 6.0K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN 105, Apartamento 101, Bloco I
    3 quartos, 1 sala, 1 banheiro social, 1 banheiro de serviço, 1 cozinha, 1 área de serviço, 1 quarto de empregada, 1 área de circulação, 1 banheiro privativo
    Área privativa: 125,3 / Valor: R$ 745.000,00 / 6.8K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN 105, Apartamento 404, Projeção 02, Bloco D
    3 quartos, 1 sala, 1 banheiro social, 1 banheiro de serviço, 1 cozinha, 1 área de serviço, 1 quarto de empregada, 1 área de circulação, 1 banheiro privativo
    Área privativa: 111,72 / Valor: R$ 854.000,00 / 7.7K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN 307, Apartamento 103, Projeção 06, Bloco F
    3 quartos, 1 sala, 1 banheiro social, 1 banheiro privativo, 1 cozinha, 1 área de serviço, 1 closet, 1 hall de circulação, 1 quarto de empregada
    Área privativa: 122,48 / Valor: R$ 900.000,00 / 7.4K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN 108, Apartamento 502, Projeção 02, Bloco B
    1 área de serviço, 1 banheiro de serviço, 1 banheiro social, 1 banheiro privativo, 1 cozinha, 1 closet, 1 hall de circulação, 1 quarto de empregada, 1 sala, 3 quartos
    Área privativa: 122,48 / Valor: R$ 929.000,00 / 7.6K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN 308, Apartamento 608, Projeção 01, Bloco A
    1 área de serviço, 1 banheiro de serviço, 1 banheiro social, 1 banheiro privativo, 1 cozinha, 1 closet, 1 hall de circulação, 1 quarto de empregada, 1 sala, 3 quartos
    Área privativa: 123,92 / Valor: R$ 988.000,00 / 8.0K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN 308, Apartamento 101, Projeção 10, Bloco J
    3 quartos, 1 sala, 1 banheiro social, 1 banheiro privativo, 1 cozinha, 1 área de serviço, 1 closet, 1 hall de circulação, 1 quarto de empregada
    Área privativa: 123,93 / Valor: R$ 908.000,00 / 7.4K/m2

    Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN 112, Apartamento 302, Projeção 11, Bloco K
    1 área de serviço, 1 banheiro de serviço, 1 banheiro social, 1 cozinha, 1 hall de circulação, 1 lavabo, 2 quartos, 1 quarto de empregada, 1 sacada, 1 sala
    Área privativa: 131,79 / Valor: R$ 925.000,00 / 7.1K/m2

    ​​​Apartamento desocupado no Asa Norte – DF / SQN 307, Apartamento 207, Projeção 03, Bloco C
    1 área de serviço, 1 banheiro de serviço, 1 banheiro social, 1 banheiro privativo, 1 cozinha, 1 closet, 1 hall de circulação, 1 quarto de empregada, 1 sala, 3 quartos
    Área privativa: 122,48 / Valor: R$ 936.000,00 / 7.6K/m2

    Apartamento desocupado na Asa Norte – DF / SQN 304, Apto 505, Proj 06 Bloco FF
    3 quartos, 1 área de serviço, 1 banheiro privativo, 1 banheiro de serviço, 1 banheiro social, 1 closet, 1 cozinha, 1 despensa/depósito, 1 quarto de empregada, 1 sacada/varanda, 1 sala.F
    Área privativa: 131,93 / Valor: R$ 1.034.000,00 / 7.9K/m2

    Apartamento desocupado na Asa Sul – DF / SQS 104, Proj 08, Bloco D, Apto 402
    4 quartos, 1 área de serviço, 1 banheiro privativo de empregada, 2 banheiros social, 1 closet, 1 cozinha, 1 despensa/depósito, 1 hall/circulação, 1 quarto de empregada, 1 sala.
    Área privativa: 155,60 / Valor: R$ 1.175.000,00 / 7.6K/m2

    Apartamento desocupado na Asa Norte – DF / SQN 106, Proj 07, Bloco J, Apto 302
    4 quartos, 1 área de serviço, 1 banheiro privativo, 1 banheiro de serviço, 1 banheiro social, 1 cozinha, 1 hall/circulação, 1 quarto de empregada, 2 sacadas/varandas, 1 sala.
    Área privativa: 181,11 / Valor: R$ 1.290.000,00 / 7.1K/m2

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 31 de maio de 2016 at 08:59

    Brick lovers:
    Eminem vende tijolos da casa onde cresceu por quase 300 euros cada

    O músico norte-americano colocou à venda através do seu site 700 tijolos da casa na qual passou a sua infância e que foi demolida por problemas estruturais.
    http://www.idealista.pt/news/decoracao/casas-de-famosos/2016/05/30/30710-eminem-vende-tijolos-da-casa-onde-cresceu-por-quase-300-euros-cada

    13+
    • avatar
    • avatar
  • fanfarraum 31 de maio de 2016 at 09:11

    Pegando os dados de financiamento da ABECIP
    Fonte: https://www.abecip.org.br/credito-imobiliario/indicadores/financiamento

    Unidades Financiadas (por ano):
    2002 = 28.932
    2003 = 36.480 (+40%)
    2004 = 53.826 (+45%)
    2005 = 61.123 (+104%)
    2006 = 113.873 (+2%)
    2007 = 195.900 (+64%)
    2008 = 299.685 (+38%)
    2009 = 302.680 (+24%)
    2010 = 421.386 (+37%)
    2011 = 492.908 (+14%)
    2012 = 453.209 (-14%)
    2013 = 529.797 (+19%)
    2014 = 538.347 (-3%)
    2015 = 341.508 (-56%)

    Unidades Financiadas entre janeiro e abril:
    2002 = 8.572
    2003 = 9.624 (+12%)
    2004 = 19.485 (+102%)
    2005 = 17.547 (-10%)
    2006 = 30.042 (+71%)
    2007 = 47.954 (+60%)
    2008 = 73.892 (+54%)
    2009 = 78.380 (+6%)
    2010 = 114.076 (+46%)
    2011 = 144.294 (+26%)
    2012 = 137.785 (-5%)
    2013 = 143.900 (+4%)
    2014 = 167.548 (+16%)
    2015 = 154.070 (-8%)
    2016 = 62.200 (-60%)

    Temos hoje valores inferiores a 2008.
    Comparando as vendas dos 4 primeiros de 2016 x 4 primeiros meses dos últimos ano:
    2008 – 16% inferior
    2009 – 21% inferior
    2010 – 45% inferior
    2011 – 57% inferior
    2012 – 55% inferior
    2013 – 57% inferior
    2014 – 63% inferior
    2015 – 60% inferior

    De 2013 a 2015, foram 1.400.000 unidades financiadas.
    Isso representa 36% do que foi financiado entre 2002 e 2015.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 31 de maio de 2016 at 10:08

      Muito bom.
      Como diz o Oriundo:
      Não há renda.
      Não há crédito. (como antes)
      Existe sim grande desemprego e inflação. 😉

      11+
      • avatar
      • avatar
  • CA 31 de maio de 2016 at 09:46

    Repito comentário interessante que ficou mais acima:

    Moreira 31 de maio de 2016 at 08:12
    Esse governo de transição começa a dar sinais de que não fará mudanças substanciais! É cedo pra afirmar, mas pela progressão da lava jato, cada semana um membro do governo na lama, faz com que este governo apenas se defenda. O futuro pode ser a condenação e a execração pública, cadeia. A ponte, a assunção do poder, pode ser tal qual a ciclovia desabada no RJ. E o que há embaixo é a cadeia! Já não creio que esse governo denunciará a bolha!

    COMENTO (CA):

    Moreira, concordo que aumentaram os riscos deste governo não alcançar a efetividade que muitos almejam e que sequer ele tenha “força” no curtíssimo prazo para implementar ações mais significativas para combater a crise fiscal, uma vez que ele está ficando cada vez mais enredado na crise política e repetindo um contexto que levou à inação do governo anterior por mais de 1 ano, ficando só na defensiva e evitando o custo político de medidas impopulares.

    As consequências práticas do que consta acima é que aumenta a probabilidade da reforma trabalhista ser limitada e insuficiente, da reforma previdenciária ser atrasada e com efeito muito reduzido no curto prazo, da desvinculação de despesas em relação ao orçamento de receitas ser igualmente inefetiva em relação ao tamanho do problema, ou sequer vir a acontecer, da redução das despesas do governo ser tímida e aquém das expectativas, forçando ainda o governo a adotar aumentos de impostos “contidos”, ou seja, não tão relevantes para compensarem todas as falhas na redução de despesas mencionadas aqui (exemplo; substituir uma possível CPMF por um aumento na CIDE), com este conjunto aumentando a visibilidade de que não alcançaremos o equilíbrio fiscal no curto no prazo e ajudando a manter expectativas negativas de empresas e consumidores, combinados com inflação e juros mais elevados e a crise continuando a se intensificar.

    Concordo ainda que dentro do cenário acima, com o governo na defensiva, ele não priorizaria desmascarar a bolha, até porque isto seria muito “custoso” no curtíssimo prazo, embora fosse o ideal para a recuperação da economia no menor prazo possível, mas sem dúvida, o cenário político, fiscal e da lava jato não dão abertura para este movimento. É o que tenho comentado há meses sobre o elefante, o bode e o cabrito na sala.

    Por outro lado, há algo que dentro do contexto acima, o governo tende a manter e até intensificar, como forma de tirar os holofotes da crise política, fiscal e da lava jato e ao mesmo tempo justificar medidas impopulares inadiáveis: auditorias em empresas públicas e outras com administração política e exposição de sua real situação, ajudando a justificar a eliminação de subsídios / anomalias de forma geral (exemplos: eliminação da faixa 1 do MCMV, redução do MCMV como um todo, redução das políticas heterodoxas da CEF para aprovação de crédito) e transferindo a gestão de alguns recursos críticos a quem de direito (exemplos: reformulação do conselho curador do FGTS, substituição das diretorias dos fundos de pensão de empresas públicas).

    Ocorre que o que consta no parágrafo anterior, embora não seja um reconhecimento explícito da bolha imobiliária, é um conjunto de ações que intensifica em muito a explosão da bolha, principalmente quando já há uma falta enorme de funding para crédito imobiliário barato, combinado com alto volume de vendas FALSAS e para investidores chegando no momento da entrega, que é quando ocorrem os distratos, mais uma piora no cenário econômico de forma geral (queda de empregos, renda, aumento de endividamento, inadimplência, etc), onde temos um recorde crescente na distorção entre oferta e procura que leva a novas reduções nos lançamentos e nos empregos da construção civil por tabela, junto com uma necessidade cada vez maior dos vendedores, sejam as construtoras, investidores amadores em imóveis ou proprietários, de conseguirem vender os seus imóveis para pagarem suas dívidas ou mesmo evitar que seus imóveis sejam tomados e ainda, com um contexto em que as apreensões e leilões de imóveis por inadimplência aumentam cada vez mais. Esta combinação explosiva de um grande número de fatores é que leva ao cenário de reduções mais expressivas nos preços dos imóveis que tendem a ocorrer do 2S16 ao 1S17, como sempre tenho comentado.

    Em outras palavras, a explosão mais visível e intensa da nossa bolha imobiliária já está “contratada”, independente do governo atual desmascarar a bolha ou não…

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Ilusionista 31 de maio de 2016 at 10:08

    empréstimos para negativados, realidade de milhares de brasileiros, juros de mais de 1.000% a.a.

    http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2016/05/credito-facil-pode-virar-armadilha-para-quem-ja-tem-dividas.html

    9+
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 31 de maio de 2016 at 10:21

      A culpa é das financeiras gananciosas que oprimem os pobres endividados.
      CREFISA MODE ON

      9+
  • From_The_Tower 31 de maio de 2016 at 10:21

    CVR
    dia 06/06/2016
    15 imóveis em Leilão na cidade de Curitiba.
    Banco?
    CEF.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Chapolin 31 de maio de 2016 at 11:08

    Não sei se isso já apareceu aqui, mas vi hoje e não pude deixar de compartilhar.

    Apenas uma pequena amostra:

    “Antecipe-se ao Aumento do Preço dos Imóveis
    Como aproveitar a última chance de lucrar com uma barganha imobiliária no Brasil – CURSO GRATUITO”

    “Pois então aproveitará a última janela para comprar barato, antes de aumentos que atingirão +24% em dois anos.
    A proposta é obter uma nova fonte de renda, para garantir um acúmulo vitalício de ganhos expressivos?
    Logo festejará o retorno das estratégias que propiciavam ganhos de mais de +100% apenas com a gestão passiva de imóveis.”

    – Uma Grande Virada vai impactar o mercado imobiliário no Brasil;
    – O impeachment e juros mais baixos impulsionarão os preços;
    – Se a Selic chegar a 10%, os valores dos imóveis subiriam 24%;
    – Está aberta a última janela para você comprar um imóvel barato;

    http://sl.empiricus.com.br/vi07-gratuito/

    O que ele diz é que a medida que a SELIC baixar os imóveis vão subir de valor na mesma proporção, pois o consumidor terá acesso a um financiamento mais “barato” (parcelinhas menores) e as incorporadoras vão aumentar o valor dos imóveis, mantendo a parcelinha no mesmo patamar de antes da redução da SELIC. O que ele “esquece” é que hoje o consumidor não está comprando….então a parcelinha atual não é parâmetro….também esqueceu do enorme estoque para ser desovado….

    E segue como todo aquele blablabla……

    Patético e desesperado! Hahaha

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CarlosL 31 de maio de 2016 at 11:30

      Perderam completamente credibilidade comigo….
      Se referem as parcelinhas como se banco estivesse aprovando tudo que aparece como antes… Não explicam a guinada bizarra de 2008, especulação, estoque…..

      Enfim, patético

      11+
      • avatar
      • fanfarraum 31 de maio de 2016 at 12:12

        Mas como os apartamentos vão subir de preço, se entraremos em 10 anos de recessão (http://sl.empiricus.com.br/recessao/).

        A empiricus está atirando pra todos os lados.
        Está ganhando dinheiro adoidado vendendo relatório.

        E se algo dá errado, vão dizer que estavam certos no outro relatório.

        19+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 31 de maio de 2016 at 13:15

          Sobre os 10 anos de recessão, não sei de onde os otimistas tiram os números para afirmar que em 2017 irá ter uma grande recuperação.
          A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) está indo morro abaixo. Atingiu o recorde histórico. Esse indicador de nome extenso e complicado mede o quanto as empresas aumentaram os seus bens de capital, ou seja, aqueles bens que servem para produzir outros bens. São basicamente máquinas, equipamentos e material de construção. Ele é importante porque indica se a capacidade de produção do país está crescendo e também se os empresários estão confiantes no futuro.
          Se houver alguma recuperação, será um SOLUÇO por conta do parque ocioso, pois logo em seguida irá esbarrar na falta de investimentos desde 2014.
          http://seriesestatisticas.ibge.gov.br/series.aspx?vcodigo=ST37

          2000/T1 -5
          2000/T2 -0,3
          2000/T3 3,9
          2000/T4 6,8
          2001/T1 8,8
          2001/T2 10,2
          2001/T3 2
          2001/T4 1,2
          2002/T1 -7,4
          2002/T2 -7,9
          2002/T3 -4,3
          2002/T4 -0,5
          2003/T1 7,6
          2003/T2 3,1
          2003/T3 -6,8
          2003/T4 -6,9
          2004/T1 -4,9
          2004/T2 0,9
          2004/T3 11,9
          2004/T4 14,2
          2005/T1 7,2
          2005/T2 1,4
          2005/T3 3
          2005/T4 0,9
          2006/T1 2,6
          2006/T2 8,8
          2006/T3 3,6
          2006/T4 5,8
          2007/T1 8,7
          2007/T2 7,2
          2007/T3 12,4
          2007/T4 14,2
          2008/T1 13,7
          2008/T2 12
          2008/T3 13,6
          2008/T4 18
          2009/T1 5,5
          2009/T2 -9,5
          2009/T3 -8,3
          2009/T4 -3,9
          2010/T1 13
          2010/T2 29
          2010/T3 22,9
          2010/T4 15,3
          2011/T1 7,8
          2011/T2 8,1
          2011/T3 8
          2011/T4 5,6
          2012/T1 5,3
          2012/T2 3,1
          2012/T3 1,1
          2012/T4 -1,5
          2013/T1 0,6
          2013/T2 3
          2013/T3 8,5
          2013/T4 7,3
          2014/T1 4,4
          2014/T2 4
          2014/T3 -6,6
          2014/T4 -7,7
          2015/T1 -6,9
          2015/T2 -10,1
          2015/T3 -12,9

          5+
  • Moreira 31 de maio de 2016 at 11:23

    Ótima análise, CA. O problema existe, já está dado, e suas consequências são visíveis e tendem a recrudescer. Mas minha crença neste pessoal da transição, no sentido de explicitarem em alto e bom som a bolha, tem reduzido em função dos resultados da lava jato. Mas espero que eu esteja errado. Se mais denúncias ocorrerem (de integrantes diretos e de apoiadores políticos deste governo de transição), creio que a os problemas de solvência não sejam acompanhados de imediato de medidas de resolução desses mesmos problemas. esses audios mostram, sim, que eles estão com ” o cú na mão” (desculpa pela expressão, BOSS). Os caras tão com medo sim da cadeia, do MORO, da PGR, DA PF, DA LAVA JATO. Faziam e aconteciam na Banânia e agora tem demonstrado “medinho”. Temer e sua corja não são diferentes. o maior problema desses caras não é brasil, não inflação, não é desemprego. É sim CADEIA, XILINDRÓ. A “moral” desse governo ta caindo mais rápido do que a do petê. Escroto! Lula e muita gente não tinha entendido que a forma de matar a jararaca mudou: não é mais pela cabeça, mas pelo rabo, aos poucos, gradativamente. Pouco a pouco sai algo na mídia, numa estratégia e espiral lenta de minar os malas que tem entrado no governo e tem rabo preso.

    Olha o presidente do Senado, no centro agora. Olha a mídia forçando o DEM fazer críticas ao TEMER. Rapaz, ta ficando lindo. Não duvido de – assim que algumas propostas de reforma chegarem no congresso – o alguns que apoioram A PONTE PARA O FUTURO exigir primeiro que o governo de transição resolva os problemas de legitimidade e corrupção.

    Enxergo melhoria nos papeis do tesouro. a Crise vai se agravar. Vamos aguardar!

    11+
    • tmarabo 31 de maio de 2016 at 13:19

      acho que o pior que pode acontecer é o Temer perder a legitimidade, já que ele está propondo o que e necessário para começar a melhorar este país.
      também, pro meu padrão de moralidade são relevantes as ‘acusações’ contra o governo, mas são coisa de trombadinha perto do governo dilma ou qualquer governo que pudéssemos eleger.
      é evidente que a sociedade brasileira está sendo manipulada a achar que são escândalos as conversas vazadas, que mostram políticos impotentes diante das investigações da lava jato.
      é diferente de lula, dilma e delcídio, que nomearam ministro do STJ pra interferir na lava jato, ofereceram propina a delator e plano de fuga, tentaram nomear o lula ministro pra burlar as regras de julgamento da lava jato etc.

      4+
  • Moreira 31 de maio de 2016 at 11:35

    No aguardo de resposta da proprietário da ap onde moro. Pago 1.4K de aluguel. Solicitei redução para 1.200 a partir de julho. Imóvel em águas claras, 58 metros, todo no porcelanato, incluindo banheiros e cozinha. projeto de iluminação. Armários na cozinha, quartos e banheiro de primeira qualidade e design “moderno”. Pastilhas decorativas na parede da pia, fogão e forno elétrico embutido. Coifa. Na sala, painel com “raque”.

    Resposta:

    está disposta a renegociar o valor quando for renovar o contrato (que é de 6 meses). Mas que acha injusto romper agora com o corvo que intermediou a operação. Pediu praeu ver se consigo esperar vencer o contrato, pq daí ela renova-o comigo sem o corvo.

    Minha dúvida:

    Li meu contrato e la disse que após cumprir o prazo inicial posso rescidir o contrato sem ônus, a qualquer tempo. O proprietário é obrigado esperar o vencimento do contrato (que já foi renovado automaticamente) para poder romper com o corvo?

    6+
    • joselito 31 de maio de 2016 at 12:07

      Já foi renovada? Essa renovação foi automática, ou assinou outro contrato?
      Enfim, leia os arts. 46 e 47 da Lei (“http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8245.htm”).

      Em tese não existe essa obrigação com o corvo. No entanto, o contrato que o proprietário tem com a corvolária pode conter algum dispositivo nesse sentido.

      3+
      • avatar
  • Zek Ariok 31 de maio de 2016 at 11:41

    http://www.valor.com.br/financas/4581679/financiamento-imobiliario-reduz-deficit-habitacional

    Este estudo diz o óbvio, que se as pessoas tiverem um financiamento direcionado elas vão usá-lo na compra do bem objeto desse financiamento. Daí seria necessário prover meios de dar mais crédito pro bananense resolver seu déficit habitacional.
    O que o estudo não analisa é que esse crédito habitacional tem um custo, o brasileiro já está atolado em dívidas e o valor do imóvel – que se depreciará – nem de longe compensará todo o dinheiro pago por ele e o custo de oportunidade.
    Faltou dizer também que existem outros meios de cobrir esse suposto déficit habitacional. Dado que o número de anúncios dos principais portais de vendas de imóveis é bem superior aos números do déficit habitacional, basta estourar a bolha dos preços que o estoque será desovado.
    Na conjuntura atual, mais crédito só servirá para dar a motumbada final no bananense enquanto os proprietários se livram da bomba do imóvel a um preço absurdo. Mas tudo bem, já que querem assim, então que PAGUEM MEUS JUROS!!!

    7+
    • avatar
  • ZehMasNaoManeh 31 de maio de 2016 at 12:10

    Senhores, saberiam dizer como anda a saúde dos bancos INDUSVAL e do PINE ?

    3+
    • leo_na_estrada 31 de maio de 2016 at 13:30

      indusval: esta dando prejuizo
      Pine: lava jato….lucro caiu 44% em 2015.

      1+
  • Cajuzinha 31 de maio de 2016 at 12:44

    BRASÍLIA – O setor da construção propôs ao governo do presidente em exercício Michel Temer que os subsídios bancados pela União no Minha Casa Minha Vida fiquem restritos ao público que ganha até R$ 1,8 mil por mês, a chamada faixa 1.

    Para evitar a dependência do programa de habitação popular ao comportamento das receitas federais, o segmento quer que os subsídios das chamadas faixas 2 e 3 (famílias com renda mensal de até R$ 3,6 mil e R$ 6,5 mil, respectivamente) saiam exclusivamente do lucro do FGTS.

    Como o jornal O Estado de S. Paulo revelou, para deslanchar a terceira fase do programa, a parcela de recursos públicos como contrapartida aos subsídios cairia para 10%. Para compensar a queda, a parcela do FGTS subiria para 90%. Quando foi criado, em 2009, o Tesouro Nacional cobria 25% dos subsídios e o FGTS, os outros 75%.

    4+
    • avatar
  • Cajuzinha 31 de maio de 2016 at 12:49

    postado em 31/05/2016 12:01
    Agência Estado
    Idiana Tomazelli, 31 – A continuidade do aumento do desemprego no País e o cenário de restrição para as empresas devem elevar os índices de inadimplência no próximo trimestre, projetou na segunda-feira, 30, o Itaú Unibanco em reunião com investidores. Diante disso, a instituição deve manter as reservas em seu balanço para possíveis perdas (as chamadas provisões) realizadas até o momento.

    2+
  • Alemon Fritz 31 de maio de 2016 at 13:28

    Manchete do Jornal Hoje agora (logo logo)

    aumentam as retomadas de imóveis no Brasil
    (e leilões)

    7+
    • avatar
  • Lucas 31 de maio de 2016 at 13:33

    CVR

    inspirado no comentário acima que fiz para o CA, me lembrei de um detalhe interessante

    Quando eu comprei minha casa, antes eu negociava forte a compra de apartamento
    Um dos que negociei e meu deu um mega desconto de 30% (não aceitei) ele me justificou que não dava mais porque queria realizar o sonho dele de comprar uma casa grande pra ele.

    No final da história quem comprou a casa, maior que o apê dele fui eu. E pagando menso do que eu tinha lhe oferecido.
    E vejam só como é a vida, uns dias atrás recebi no spam da imobiliaria justamente o apê dele em oferta, ou seja, 2 anos sem vender mesmo com os 30% off da época pelo fingezap, hoje está no mesmo preço que lhe ofereci anos atrás (e ainda deve dar mais desconto no aovivo).

    Se ele tivesse aceitado minha oferta e perdido uns mils reais naquele momento, hoje ele teria realizado o sonho dele e eu que estaria no apertomento dele.

    28+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 31 de maio de 2016 at 13:39

    galera reclamando que só atrasaram “algumas parcelas”

    13.000 imóveis foram a leilão na Caxão, aumento de 54%.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • joselito 31 de maio de 2016 at 14:34

      Não existe caneta que segure a falta de liquidez do caxão, né? (a não ser que a caneta queira quebrá-lo, lógico)

      3+
      • avatar
    • Ilusionista 31 de maio de 2016 at 15:04

      bem assim….

      “Eu fui tentar pagar três parcelas atrasadas. Eu tinha sido orientada pela funcionária do banco a tentar juntar e pagar. Quando eu fui pagar, ela olhou no sistema e falou pra mim: ‘Olha, você já perdeu o seu apartamento, foi pro leilão”

      9+
      • avatar
      • avatar
      • tmarabo 31 de maio de 2016 at 15:12

        depende do contrato.
        tem contrato que é “arrendamento residencial”: o imóvel é da caixa e se faz um contrato de aluguel de 30 anos. se pagar certinho, o imóvel passa a ser do locatário (como se fosse um leasing); se não pagar a “prestação” do imóvel, rescinde o contrato e as parcelas já pagas ficam a título de aluguel. Por isso muita gente se rala nessas. VEJAM QUE O TEMPO TODO O IMÓVEL SEMPRE FOI DA CAIXA.
        tem contratos que diz que se não pagar, deve ser notificado pelo cartório de registro de imóveis e, se continuar inadimplente, o oficial de registro “consolida” a propriedade em nome da CEF e aí acabou o contrato.
        Nestes dois casos não sei se há o que fazer pra negociar com a CEF a retomada do contrato.
        Nos outros casos, em que há mera hipoteca (isto é, o imóvel é do cidadão mas o imóvel é dado em garantia do contrato) aí é mais fácil de negociar com a CEF, pois a execução é judicial.

        5+
        • avatar
        • avatar
        • tmarabo 31 de maio de 2016 at 15:25

          mas tb gostaria de um “insider” da CEF pra dizer em quanto tempo eles param de negociar, se faz diferença o tipo de contrato etc.

          3+
          • avatar
  • Dr. Brown 31 de maio de 2016 at 14:49

    Uma pergunta besta:
    Quando o banco “toma” a propriedade, quem fica responsável pelo IPTU? Meu ponto é se o banco tem um ativo que além de perder valor ainda gera despesa “impostos” não pode chegar a hora que seria mais vantajoso o banco dar esse ativo? Claro que não falo de dar de graça, mas vendendo pelo preço do impostos e condomínios atrasados, apenas para estancar a sangria?

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • tmarabo 31 de maio de 2016 at 15:07

      o responsável pelo IPTU é o dono. a CEF, por exemplo, em alguns casos “consolida” a propriedade em seu nome e passa a ser devedora do IPTU; em outros casos faz “execução extrajudicial” e também passa a ser proprietária e, portanto, devedora do IPTU.
      mas acho que nos demais casos, como em bancos privados, o que se tem é uma hipoteca sobre o imóvel, então o devedor continua a ser quem tem que pagar o IPTU, obrigação que passa a ser do arrematante.

      mas como no Brasil o custo do IPTU é baixíssimo (por mais que se chore que é alto), bem como a execução judicial pra pagar IPTU é ridícula perto do número dos devedores, acho que isso não é uma preocupação dos bancos a ponto de precisar “se livrar” do imóvel.

      4+
      • avatar
  • Alemon Fritz 31 de maio de 2016 at 15:02

    Imóveis tomados pela Caixa por falta de pagamento sobem 53% em 1 ano
    Em cinco anos, número de unidades ofertadas a leilão avançou 93%.
    Mutuários relatam rapidez no processo e dificuldade em negociar dívida.
    http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/05/imoveis-tomados-pela-caixa-por-falta-de-pagamento-sobem-53-em-1-ano.html

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 31 de maio de 2016 at 15:16

      Está acontecendo !!
      Agora imagine a situação de quem inventava renda informal e a CEF abalizava ?
      Ardam !!!!

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • tmarabo 31 de maio de 2016 at 15:20

      “Eu sabia que existia o risco de perder o imóvel se eu deixasse de pagar, mas não tinha ideia de que fosse tão rápido”,
      sim, acabou a história de ficar 10 anos sem pagar e nada acontecer. achavam o quê???
      e o Judiciário segue sendo babá de adultos.

      9+
      • avatar
  • Moreira 31 de maio de 2016 at 15:03

    Valeu Joselito!

    1+
  • fanfarraum 31 de maio de 2016 at 15:40

    Alemon Fritz

    Imóveis tomados pela Caixa por falta de pagamento sobem 53% em 1 ano
    Em cinco anos, número de unidades ofertadas a leilão avançou 93%.
    Mutuários relatam rapidez no processo e dificuldade em negociar dívida.
    http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/05/imoveis-tomados-pela-caixa-por-falta-de-pagamento-sobem-53-em-1-ano.html

    0

    Senti pena: “No ano passado, a técnica em edificação Clarissa (o nome foi trocado a pedido da entrevistada), de 36 anos, ficou seis meses sem pagar as parcelas do imóvel que comprou na zona leste de São Paulo, financiado pelo Itaú. “Eu queria pagar até o fim, mas tive problemas financeiros porque trabalho no setor de construção civil”, conta.”

    É tanta vergonha (dupla motumbada) que ocultou o nome.

    3+
    • avatar