Imóveis encalham com juro alto do crédito da CEF para a casa própria – Bom Dia Brasil

Você pode gostar...

Comments
  • Zek Ariok 13 de maio de 2016 at 11:46

    A 666 disse que teve que apertar o orçamento pra ter um bolhudo pra chamar de seu, diminuindo viagens e passeios, ou seja, trocou a vida por tijolos.
    Que beleza de negócio…
    Receba! E PMJ!!

    57+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Ilusionista 13 de maio de 2016 at 13:41

      Se a 666 não tem dinheiro, que vá alugar um quarto e cozinha no fundo de uma casa por 500 reais, se livra da prestação e do condomínio ou se enfia na casa de algum parente por um tempo e faça uma poupança programada, quem sabe daqui alguns anos consiga comprar algo à vista…
      Volte a viver, comer carne, viajar para praia, na imagem mostra um grande sofrimento para ter acesso apenas a uma piscina de 3 metros, de que adianta também ter um espaço gourmet daqueles e não ter dinheiro se quer para comprar carne.

      22+
      • avatar
      • wade 14 de maio de 2016 at 07:50

        Moro em um quarto e cozinha no fundo de uma casa e estou ofendido.

        13+
        • Vai pela Sombra 14 de maio de 2016 at 14:39

          Você faz poupança programada? Se sim, está no caminho certo e deveriam se orgulhar e não se ofender….

          Agora, se não poupa: arda!

          14+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • CA 13 de maio de 2016 at 11:54

    Esta notícia contém algumas distorções.

    A linha pró-cotista foi INFLADA primeiro em 2015 e agora em 2016, como uma solução APELATIVA para tentar minimizar um pouco o DESPENCAR do segmento imobiliário, ou seja, ela foi uma solução PALIATIVA, que como sempre tenho dito, bate de frente com a ENTROPIA crescente típica de toda bolha imobiliária quando já está em seus estertores.

    Em 2015, quando começou a SANGRIA da poupança (R$ 50 bi), colocaram R$ 4,8 bi extras do Pró-Cotista, que tem funding no FGTS. Por ter juros muito menores, acabou rápido.

    Agora em 2016, só de janeiro a abril, a SANGRIA da poupança foi de R$ 32 bi, ou seja, pode acabar o ano com uma sangria que será mais que o dobro de 2015. Para “compensar” este problema, colocaram o DOBRO para o fundo pró-cotista e como ele estava sendo consumido ainda mais rápido, praticamente acabou e para o restinho que sobrou, agora só para financiar imóveis até R$ 225 mil, que equivalem a menos de 2% da oferta de imóveis que vemos por aí, ou seja, de novo, ação completamente PÍFIA.

    Pelo que consta acima, a melhor abordagem da notícia seria dizer que a ação apelativa e no desespero de tirar cada vez mais dinheiro do FGTS também não tem efetividade nenhuma, esta é a verdade. Eles passam a ideia que a solução via aumento de funding pró-cotista seria viável ou descontinuidade de algo que sempre teve forte participação na concessão do mercado imobiliário, o que nunca foi verdade, ele é apenas MAIS UMA das varias apelações que não tem nenhuma efetividade.

    Só para registro, em abr/16 o FGTS também teve captação liquida negativa de mais de R$ 100 milhões e deve continuar assim nos próximos meses até o final do ano, graças ao desemprego crescente.

    Sobre outra ideia que cogitaram e também fizeram “estardalhaço”, sobre destinarem de R$ 10 a R$ 15 bi para imóveis acima de R$ 750 mil poderem ter juros menores que os atuais, de novo é uma ação só para “Inglês ver” e que vai atender menos de 2% do total de oferta, mais uma vez um resultado completamente PÍFIO.

    Como sabemos, a distorção é MUITO MAIS do que simplesmente uma ou outra (na realidade TODAS) linha de crédito mais barata estar “secando” cada vez mais rápido e sem ter nenhum efeito prático. O “buraco é muito mais embaixo”, existe uma distorção ABSURDA entre os preços dos imóveis e a capacidade de compra das famílias, mesmo com financiamentos em 30 anos e juros subsidiados e esta distorção foi criada ao longo de mais de 10 anos de pedaladas e maquiagens, por isto que o buraco foi tão fundo, só que agora, alcançou o limite das gambiarras, elas não fazem mais efeito.

    Reforço:

    1) O governo não é super-poderoso, independente de quem estiver no comando, não vai fazer milagre, a ENTROPIA no estágio atual só permite medidas com resultados PÍFIOS, que não mudam em nada a completa distorção entre oferta e procura com consequente necessidade de redução sensível nos preços;

    2) “Nada dura para sempre”: pedaladas e maquiagens não duram eternamente, neste caso falamos sobre o funding para crédito imobiliário secando tanto da poupança quanto do FGTS, mas poderíamos falar sobre a falta de caixa de várias construtoras para continuarem pedalando com vendas FALSAS na planta ou o recorde de endividamento e inadimplência das famílias que levam os proprietários a reduzirem os preços de vendas e de aluguéis de seus imóveis, em muitos casos para sobreviverem, ou ainda da CEF em situação de terra arrasada lidando com uma inadimplência do crédito imobiliário que é de 3 vezes a média do mercado (mercado este que ela detém 70% do total, ou seja, a anomalia é ainda muito pior), dentre diversos outros exemplos.

    Resta a nossa brilhante ala soft, explicar qual o racional deste contexto para os preços terem quedas suaves, principalmente quando temos pesquisas de CRECI SP e SECOVI SP, assim como relatórios de construtoras e análise de empresas de avaliação de riscos que demonstram quedas de preços negociados, finais, reais (NÃO ANUNCIADOS) maiores que no auge da explosão da bolha imobiliária americana. Só não vale falarem “EU ACHO”, “UM AMIGO ME FALOU” e “FINGE ZAP”…

    34+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • DRN 13 de maio de 2016 at 12:19

      Isso é música para meus ouvidos.

      Vai, TEMEROSO, vai salvar a CEF e a Petrobrás com dinheiro do Tesouro: ARMENTA os nossos jurosos que EMPRESTAMOS de boa vontade!

      17+
      • avatar
      • avatar
      • DRN 13 de maio de 2016 at 12:23

        Relembrar é viver:

        -http://economia.ig.com.br/financas/casapropria/2013-11-01/brasil-enfrenta-bolha-imobiliaria-diz-henrique-meirelles.html

        20+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • Dr. Brown 13 de maio de 2016 at 16:39

      O que não entendo CA é por que você avisou essas coisas antes!
      😉

      4+
      • CA 13 de maio de 2016 at 19:12

        Dr. Brown,

        kkkkkk

        (ironic mode on)

        Pois é, se pelo menos algum blog na Internet tivesse avisado que gambiarras não duram para sempre e que teríamos uma senhora conta a ser paga, tanto na economia quanto no segmento imobiliário, talvez as pessoas não ficassem tão surpreendidas agora. Podiam ter feito um site assim uns 5,5 anos atrás e vir reforçando mês após mês, ano após ano, com uma infinidade de fatos e dados combatendo a DESINFORMAÇÃO do segmento imobiliário, “desenhando” de todas as formas possíveis e imagináveis…

        (ironic mode off)

        Em plena época em que todo Mundo tem acesso à Internet, nos anos em que os smartphones tiveram uma verdadeira explosão de vendas em todo o país e ainda tem gente que demorou anos e anos para descobrir que existe este site, sendo que a imensa maioria sequer descobriu ainda sua existência e continuam tomando decisões sobre a compra ou não de imóvel confiando CEGAMENTE no que os corretores dizem, sem sequer ter o mínimo de espirito crítico ou bom-senso para buscar uma referência que se oponha ao que eles dizem para PONDERAR as informações e verificar o que realmente faz sentido ou não, impressionante!

        21+
  • tmarabo 13 de maio de 2016 at 11:58

    ex-blog do cesar maia:
    CAEM OS ALUGUÉIS NO RIO, ESPECIALMENTE NA ZONA SUL!

    (M.C.Frias – Mercado Aberto, Folha de S. Paulo, 12) 1. Os endereços mais nobres da zona sul do Rio de Janeiro foram os que tiveram as maiores reduções no valor de aluguel da cidade, segundo o Secovi-Rio (sindicato do mercado imobiliário). Entre os bairros com as 10 baixas mais expressivas registradas em abril deste ano na comparação com o mesmo mês de 2015, 7 ficam nessa região da capital fluminense.

    2. Em Copacabana, que tem comércio farto e grande concentração de edifícios antigos, a queda no valor de contrato foi maior, de 15,1%. Lá, o custo médio do m² para locação foi de R$ 49,99, em abril de 2015, para R$ 42,45 neste ano. Em seguida, aparecem o Flamengo (14,4%), Ipanema (14,1%) e a Gávea (13,7%). O Leblon tinha os preços mais altos entre os 18 bairros analisados. Era possível alugar um imóvel por R$ 62,71/m² no mês passado –queda de 6,63% em relação a 2015.

    3. A única região que teve aumento, de 0,41%, foi a Ilha do Governador (zona norte), vizinha ao aeroporto do Galeão.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • Zé Carioca 13 de maio de 2016 at 12:10

      É fato que os aluguéis no Rio caíram forte, na Zona Sul você encontra apartamentos com queda de mais de 30% em relação ao pico. Como a economia carioca é muito dependente do petróleo e do funcionalismo público os aluguéis estão tendo que se adequar a nova realidade econômica. Já os preços de venda ainda não tiveram reduções significativas, vai levar um tempo para os proprietários aceitarem que seus imóveis velhos não valem mais de um milhão.

      26+
      • avatar
      • avatar
      • wade 14 de maio de 2016 at 07:52

        Confirmo isso na zona sul também. Valores nominais de várias regiões que vejo pararam de subir desde 2012.

        5+
  • Urso 13 de maio de 2016 at 12:33

    Que comecem os jogos!

    19+
    • avatar
    • avatar
  • Zé do Brejo 13 de maio de 2016 at 12:58

    A bolha já não é novidade. Isso já é consenso em todas as rodas de bate papo. Observo pessoas por todos os lados concordando e com medo dos efeitos colaterais da bolha. Na minha opnião, estamos vivendo a eminência do DESPAIR. Quando as pessoas se derem conta de que não existe dinheiro para comprar seus tijolos mágicos, então teremos a corrida desesperada atrás da liquidez. A idéia na mente das pessoas daqui pra frente será tentar perder menos.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 13 de maio de 2016 at 13:49

      Isso mesmo. Duro vai ser os brick-lovers proprietários de tijolos que já estão com imóveis fechados há 03 ou 05 anos.
      São muito burros. Pior, digamos que vendam com 60% do preço bolhudo anunciado, essa gente não sabe operar no mercado financeiro. Só sabem acumular tijolos. Perderam e nem sabem.

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Soy Bananes 13 de maio de 2016 at 13:56

      Acho que é só meu ambiente de trabalho que o mercado parece essas maravilhas… todo mundo (inclusive quem ganha menos que eu) comprando apto de meio milho grande, porque “esperou a bolha estourar por 2 anos e nada”… Já to ficando meio de saco cheio de ficar no smile and wave, tá me dando náusea o show de besteiras que tenho que ouvir todo dia… praticamente todo mundo que to olhando agora ou comprou um bolhudo ou pensa em comprar um (acho que só um que salva, e olhe lá, mas esse pode ter pensamento bolhista ou andou lendo o Samy Dana e faz a conta do preço x aluguel comparando com o retorno dos investimentos)

      Tá foda aturar isso todo dia…

      27+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Soy Bananes 13 de maio de 2016 at 13:57

        Acho que isso poder classificado como um CVR

        13+
        • avatar
        • avatar
      • EngenheiroSP 13 de maio de 2016 at 15:07

        Isso ocorre pela total falta de educação econômica. Já ouvi várias vezes “ah já tem 6 meses que ouço essa tal de bolha e nada”, pois as pessoas não tem ideia que ciclos econômicos (inclusive de bolhas) duram anos. Mas os últimos meses já demonstram que o ploc ja foi, só falta esvaziar de vez

        13+
        • avatar
  • Lucas 13 de maio de 2016 at 14:06

    É MUITA BIZARRICE dos corvos dizer que a rentabilidade não afeta o valor do ativo

    “tasqueospariu Lucas, que frase complicada!!!!”

    TECLA SAP ativada:
    Imagina um papel qualquer, se os dividendos pagos diminuem, automaticamente o valor do papel diminui
    Imagina um modelo de carro se eu falava que ele atingia 300por hora e agora só atinge 120, o valor do carro despenca
    Imagina a poupança, se ela paga um juros menor em relaçao às outras opções, todo mundo saca a grana de lá é manda pra outro lugar.
    Imagina até mesmo um emprego, se o salário diminuir muito a pessoa pula fora pra outro melhor.
    – – – posso passar o dia criando exemplos

    agora com IMÓVEIS ISSO NÃO VALE ???
    faz-me rir corvo dos infernos, faz-me rir
    fajutar o termômetro não vai alterar a febre
    fingezap é um índice, ele não é O Mercado.
    valor é uma coisa, preço é outra, ter quem pague, e quem financie, outra ainda mais alien

    (entendem pq meu sangui ferve quando vejo um corvo enganando vcs???)

    44+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 13 de maio de 2016 at 16:29

      padeiro esse é o comentario principal, comenta ai o que achou

      4+
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 14 de maio de 2016 at 20:16

        Perfeito .
        Não é à toa essa crise gravar na BNN.

        3+
        • avatar
  • Lucas 13 de maio de 2016 at 14:17

    FAZENDO AS CONTAS

    a danibolhista e o pessoal que aplica em TD do outro lado da rua me inspirou fazer uma continha básica

    Um imóvel de 450 mil bem típico daqui de SP capitar e 2 opções investir em TD ou comprar a vista

    O resultado foi uma diferença de 7 milhões de reais em 20 anos
    óbvio que positivo pra quem investiu em TD
    usei parâmetros conservadores ao máximo, nem contei que em 20 anos o imóvel estará velho e os 7mi vc saca notas novinhas e cheirosas em qualquer caixa.

    35+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 13 de maio de 2016 at 14:19

      O poder dos juros compostos.
      😉

      24+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 13 de maio de 2016 at 14:20

        +http://fiquericojovem.com/blog/o-poder-dos-juros-compostos/

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 13 de maio de 2016 at 15:43

          pandeiro, comenta meu outro aí acima, veja se vc concorda?

          3+
          • avatar
    • Zé Carioca 13 de maio de 2016 at 15:40

      Adoro quando você parte para a matemágica. Você realmente acredita nisso que você escreveu?

      Vamos lá, se você investir 450k numa NTN-B principal pagando juros de 6% ao ano e contar com uma inflação de 7% ao ano no período chegaria em um valor bruto de R$ 5.523.710,13 no final de 20 anos. Isso considerando que a taxa da corretora seja zero. Pois bem, descontado o imposto de renda do rendimento e a taxa de custódia o investidor teria R$ 4.610.303,14 no final do período. Agora me explica como você chegou a diferença de 7 milhões ainda mais usando parâmetros conservadores?

      E por diferença teríamos de descontar o valor do imóvel, certo? Você acha que em 20 anos os imóveis não vão subir de preço? Mesmo com uma inflação de 7% ao ano? Daqui a 15 anos não pode ter outra bolha? É impossível precisar a diferença de valor entre um imóvel e uma NTN-B em 20 anos, qualquer pessoa que afirme que isso é uma conta básica só pode estar de brincadeira. Nem vou falar que teríamos que descontar do valor da NTN-B o aluguel que ela iria pagar no período para não ficar feio pra você.

      Por fim me desculpe, finalmente entendi seu raciocínio. Como os imóveis vão cair mais de 100%, daqui a vinte anos quando a Danibolhista for vender o apartamento dela, ela irá pagar uns três ou quatro milhões para quem comprar fazendo com que a sua conta feche.

      32+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 13 de maio de 2016 at 15:49

        minhas ntn-bs estão quase todas acima de 7% alguma perto de 8%
        inflação estou vendo acima de 10%ao ano, batendo pico de 12% nos primeiros meses
        mas pode ficar tranquilo não considerei 20% ao ano, eu tbm achei muito.
        daqui 20 anos tenho 8 milhões brutos
        daqui 20 anos a dani terá um bosta dum 50m² velho, apertado junto com vários filhos, um cachorro, um marido e a sogra morando junto e dando ordem nela, isto brutos, porque vc deveria considerar as taxas e impostos de manter um imóvel, bem como os custos imensos de uma transação imobiliária de compra e venda a começar pelos seus 6% que em mercado financeiro nenhum da galáxia se cobra tanto por tão pouco

        pena que vc foi expulso de lá não vai poder comentar minhas contas ultra-conservadoras, nem vou poder xingar vc do que vc merece.

        16+
        • avatar
        • avatar
        • Lucas 13 de maio de 2016 at 15:51

          tenho 8 milhões não
          eu teria, se tivesse hoje esse dinheiro, é uma simulação

          10+
          • avatar
        • Danibolhista 13 de maio de 2016 at 16:03

          Mas eu vou vender o bolhudo quando quitar, eu programei quitar em 03/2019. Minha sogra tem seus próprios tijolos herdados da mãe, meu cachorro está com minha mãe que já tem seus próprios tijolos quitados há 10 anos, e fala sério, minha sogra ainda viva depois de vinte anos? você odeia amantes de tijolos mesmo, heim? Eu não odeio ninguém por sonhar ou por ser extremamente realista em relação a casa própria, eu odeio gente que se aproveitou da situação para prejudicar as pessoas e o mercado como um todo deixando tudo como está agora.

          18+
          • avatar
          • avatar
          • Danibolhista 13 de maio de 2016 at 16:10

            Infelizmente o cachorro não dura 20 anos.

            23+
            • avatar
            • JJJ_brasilia 13 de maio de 2016 at 21:49

              Dani,

              O importante é entender que imóvel próprio não é investimento, é bem de consumo.

              Jamais confundir patrimonio, com ativo financeiro.

              Um carro é um patrimônio, mas é um passivo financeiro, a não ser que você dependa dele para trabalhar.

              10+
              • avatar
          • Zé Carioca 13 de maio de 2016 at 16:34

            Não se preocupe que você não fez um negócio tão ruim, aparentemente você comprou seu imóvel sabendo da situação atual do mercado, para uso próprio e já vai quitar no início de 2019, não foi tão mau negócio, afinal você se sente melhor tendo seu teto, o que é compreensível. Você não perdeu 7kk, isso é loucura, o Lucas não sabe o que significam juros reais. E diga-se de passagem, ninguém pode prever a inflação para 20 anos do jeito que ele está fazendo, fazer isso é puro achismo, tal qual prever o campeão brasileiro de 2030.

            Na vida o importante é ser feliz, não dê muita importância para as besteiras que os outros falam. As pessoas aqui não odeiam quem compra conscientemente, e sim quem compra sem ter condições de pagar, por ganância e pela incapacidade de fazer contas básicas, não gostamos também dos investitrouxas que compram no pico para especular e vão se ferrar, dos corvos arrogantes que falavam que 1kk é troco de pinga e dos tuburões que inflaram a bolha e saíram daqui milionários.

            48+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • BolhaPOA 13 de maio de 2016 at 17:22

              Ah para, o objetivo do blog sempre foi mostrar que a compra de imóvel com preços bolhudos era uma péssima ideia.
              É obvio que ninguém é contra quem compra, muito menos levar pro lado pessoal, mas esse papinho aí não cola.

              13+
        • BolhaPOA 13 de maio de 2016 at 16:04

          As pessoas acham que os imóveis vão valorizar junto com a inflação. Como se isso fosse uma regra.
          O design e disposição das construções mudam com o passar do tempo. Uma casa construída na década de 90 ou 80 pode hoje não valer NADA, apenas o terreno, pq ninguém quer morar em uma casa com design totalmente defasado.
          O mesmo acontece com prédios e apartamentos.
          Vejo isso claramente em POA. Nos bairros centrais, os prédios antigos, NINGUéM quer comprar.

          15+
          • avatar
          • Barnabezinho 13 de maio de 2016 at 16:10

            Não só design.
            m imóvel de 50 anos sem uma reforma de meia-vida exige muitos gastos em revisão hidraulica, eletrica… se ele custa uns 300K, tu perde facilmente 50K nesta brincadeira…isto, antes de se promover qualquer rmudança de design…

            12+
            • avatar
            • Lucas 13 de maio de 2016 at 16:22

              até o fingezap disse que imóvel estagnou de preço, que valoriza ZERO

              7+
            • Lucas 13 de maio de 2016 at 16:23

              zezé
              fui tão mas tão conservador nas contas que nem considerei que os preços vão cair 80%
              eu considerei o fingezap

              fui ultra conservador

              10+
          • Danibolhista 13 de maio de 2016 at 16:12

            Verdade! uma vez uma corvete me falou que agora todo mundo que apartamento com sacadinha e que os apês que não têm serão difíceis de vender.

            5+
            • Lucas 13 de maio de 2016 at 16:27

              dani a questão é
              Eles ainda estão enganando as pessoas

              talvez vc não conheça toda a minha história
              comprei com 45% de desconto
              não sou esse fanático não

              pelo calculo atual considerando os vizinhos, não perdi muito
              comrpei pq vendi outro imóvel
              comprei devido a questõe sde forum intimo

              perdi menos que vc
              vc está perdendo dinheiro em suaves parcelas
              e o chato é que não tem muito como fugir.
              o que fico com raiva é que estão usando vc como exemplo de feliz comprador

              eu mesmo, me arrependi, se soubesse que o aluguel ia cair desse jeito, eu esperava mais, lá na frente certamente conseguiria os 80% desconto fora a renda de juros no período que paga o aluguel e ainda sobraria muito.

              Nada pessoal.

              10+
              • Danibolhista 13 de maio de 2016 at 17:20

                Lucas,

                Eu não gosto de perder dinheiro, é suado pra ganhar, quando eu perco me sinto uma otária. A verdade é que eu também tenho história pessoal que me liga a tijolos. Não vou contar tudo porque é longo e bem pessoal, resumindo a ópera, depois do divórcio dos meus pais, eu passei a viver feito uma cigana, todo ano me mudando porque o dono reajustava acima do que minha mãe podia pagar, a era Itamar Franco e FHC foi a pior em termos de emprego, e como não tínhamos tijolos próprios, amargávamos desemprego e aluguel. Nessa época gente como minha família nem sonhava com investimentos, quando se falava em guardar dinheiro a primeira coisa que vinha na cabeça era poupança juntamente com o Collor, eu era pequena mas lembro de gente que vendeu sua casa para aplicar na poupança e depois a poupança foi confiscada e a pessoa ficou sem dinheiro e sem casa. Um bom exemplo que quem põe todos os ovos na mesma cesta. O problema não foi quer aplicar, o problema foi aplicar tudo no mesmo lugar, deixar todo o patrimônio líquido. Durante muito tempo, na cultura da minha família ter um teto era uma garantia que você não iria para debaixo da ponte caso acontecesse alguma coisa, entende? eu sei que tem o IPTU, mas ele é mais barato que um aluguel. Não adiante dizer que minha mãe deveria ter comprado TD invés de comprar tijolo, ela nem sabia o que era isso, além do mais para se fazer um investimento, supõe-se que dá para guardar um trocado, coisa que ela não podia, faltavam coisas básicas como cadeira para sentar. Quando eu digo que a pessoa pode ter um imóvel simples apenas para morar, ou se não quiser morar nele, ter para onde ir, ter para onde voltar, sabendo que não vai ter lucro mesmo, tanta coisa a gente compra que não dá lucro, a casa seria mais uma delas. Embora eu deteste perder dinheiro, também tenho traumas pessoais de não ter casa, eu gosto de segurança também. Eu incentivei meu marido investir em TD, como não temos muito dinheiro para diversificar como expliquei antes, ele ficou com TD e eu com CDB, no começo ele não queria, ele dizia que não valia a pena deixar de curtir a vida para pagar dívida, eu o convenci que 03 aninhos não mata ninguém, dura menos que uma faculdade, passa rapidinho, fiz as contas dos juros que íamos economizar, ele só concordou comigo quando eu disse que já que não vamos economizar para curtir a vida, então que a curtamos pra valer, eu queria comemorar o aniversário de casamento em Las Vegas, ele se desesperou e concordou em economizar. Eu resolvi ficar no meio termo, guardar um pouco, ter um teto, mas reconheço que não foi o melhor negócio da minha vida, mas assim, eu procurei casa para alugar, não achei nada de bom, eu tenho taxa de 8% hoje, se eu me arrepender da venda e quiser comprar outro a taxa vai ser a 12%. Então, não foi nem tão bom e nem tão ruim, eu paguei o preço da minha escolha, mas odeio essa gente safada que ilude tanto pobres explorando seus sonhos, que ilude os remediados prometendo a aposentadoria deles com os imóveis, e ilude os ricos deixando-os pobres, afinal não é porque uma pessoa é rica que ela merece ser pilhada. Eu gostaria de ter feito um negócio melhor, mas na época eu não tinha como adivinhar o futuro e foi o melhor que tinha.

                Quando fiz estágio, fiz em um albergue, então já viu,né? trabalhei com sem-teto, é horrível. Sei que não é o caso de muita gente que frequenta o blog, cada um tem uma variável individual que faz diferença entre comprar ou não. Eu aconselho a todo mundo não comprar, mas sei que mesmo avisando, a pessoa ainda fica curiosa, então eu entro em contato com o corretor na frente da pessoa, faço as perguntas chaves e bato a real do motivo que é furada comprar agora. Eu acho que se ninguém comprar, uma hora eles vão ter que mudar, do mesmo jeito que ele fizeram um cartel para nos prejudicar com as tais “práticas de mercado” nós consumidores temos que nos unir para boicotar. Parecia que era tudo combinado, todos os contratos eram iguais, uma verdadeira xerox, só mudava os dados do cliente, eles se diferenciavam um dos outros dando IPTU, escritura grátis, geladeira, viagens, mas não davam o que interessa tipo, tirar o INCC, tirar o IGPM, não ter intermediária, porque eles queriam manter as “práticas de mercado”, além do mais tais benefícios que eles davam eram passível de perder.

                18+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
                • Libertario 13 de maio de 2016 at 19:08

                  Dani
                  Voce acha que a culpa principal da bolha foram os corretores ou no seu entendimento foram outros (ou mais) motivos ?

                  Pergunto isso para lhe ajudar a centrar sua raiva no motivo principal que causou toda essa situação.

                  2+
                  • Danibolhista 13 de maio de 2016 at 22:47

                    Libertário,

                    Então, queria muito de responder de forma suscita, mas eu sou tão prolixa, que tenho medo de escrever até perde de vista e perder o fio, então eu vou tentar dizer que não. Eu creio em outros fatores que contribuíram para a bolha, basicamente tudo que já foi falado. Se levar em consideração que devido a alta procura que fez os preços aumentarem, por trás dessa alta procura tem o jogo sujo pra atrair os clientes, se não tivesse tido um marketing sujo, os clientes não teriam levantado a bunda para ir até o estande de vendas e mesmo assim eles também não teriam fechado negócios prejudiciais a si mesmos.

                    3+
                    • Libertario 13 de maio de 2016 at 23:25

                      Dani,
                      A culpa principal dessa bolha é do desGOVERNO que acabou de sair.

                      Foi através de incentivos (credito farto via CEF) e o MCMD que geraram essa gigantesca bolha.
                      Sempre é assim. Qualquer ramo que o governo resolver subsidiar ira criar uma bolha. Pois as pessoas acabam comprando o bem na maior parte das vezes sem precisar deles, ou poder te-lo (pagar).

                      Mas repare que eles (governo) sempre irão “vender” isso como se fosse algo bom para a população.

                      Soma-se isto ao fato dos malandros empresarios (sabendo que o governo seria conivente com o credito e iriam investir nesse “carro chefe” social) terem criado o metodo de venda falsa na planta.

                      Alem obviamente da ganancia de muitas pessoas que acreditaram (por estar no inconciente popular que quem compra imovel não erra) que estariam fazendo um excelente investimento.

                      Mas não culpe apenas os malandros corretores, ou tenha pena dos desinformados que compraram, pois eles na grande maioria ainda defendem fielmente o partido que saiu, ou as ideologias esquerdas.

                      Leia mises.org.br

                      5+
                      • avatar
              • Danibolhista 13 de maio de 2016 at 22:57

                Eu estava me lembrando da época que carro valia muito dinheiro, meu pai comprava carro velho em Salvador, reformava e vendia em Aracaju mais caro, tenta fazer isso hoje, depois foram as linhas telefônicas, antes dos meus pais se casarem eles compraram um apê com a venda de dois telefones e completaram com pouco dinheiro, tenta fazer isso hoje? infelizmente o imóvel está caminhado para isso, não compensa investir esperando valorizar ou ganhar dinheiro, você compra sabendo que vai depreciar feito carro. Eu acho que está ruim pra comprar, pra vender, pra ser proprietário do aluguel, pra ser inquilino, pra mim nada tá bom.

                8+
                • avatar
                • RecebendoJuros 13 de maio de 2016 at 23:26

                  Procure encontrar a opção “menos pior”.

                  6+
          • JJJ_brasilia 13 de maio de 2016 at 21:50

            Retrofit, Kkkkk.

            4+
        • Zé Carioca 13 de maio de 2016 at 16:37

          Tem tempo que não leio o outro blog, não sei se fui bloqueado ou não. Mesmo que tivesse sido poderia postar com um fake para enganar a moderação como muitos fazem, mas não é do meu feitio.

          5+
          • Barnabezinho 13 de maio de 2016 at 16:47

            nao pode mais, acabamos com a gracinha dos fakes faz tempo… 😉

            6+
            • Barnabezinho 13 de maio de 2016 at 17:18

              mas por mim, podia ficar a vontade. E aguentar sem reclamar.

              2+
              • Zé Carioca 13 de maio de 2016 at 17:32

                Não acessei por falta de tempo mesmo, tenho trabalhado muito as duas últimas semanas. Não tenho nada contra o outro site e mesmo se for bloqueado o acessarei como leitor. Só acho que é desnecessário quase todo post alguém postar o link de lá, se alguém quiser achar basta fazer uma pesquisa rápida no google ou até em posts antigos desse blog (do BiB mesmo). Você pode não ter ficado chateado com o Boss, mas muitos lá ficaram e colocam isso claramente de forma deselegante, o que não acho legal.

                8+
                • Barnabezinho 13 de maio de 2016 at 18:09

                  Minhas posições são todas públicas e conhecidas.

                  3+
      • Zek Ariok 13 de maio de 2016 at 17:59

        Embora até seja possível estimar os preços dos imóveis no longo prazo (e aqui não falo de valores exatos, mas sim de intervalos de confiança), não vou nem considerar essa informação na conta, apenas os fluxos mensais.

        Essas contas consideram que as taxas se manterão relativamente constantes ao longo do tempo.

        Digamos que alguém tenha os R$ 450.000,00 aplicados a 0,7% a.m. líquido de imposto. Se ele conseguir alugar esse imóvel de R$ 450.000,00 por 0,4% a.m. estará ganhando 0,3% ao mês, R$ 1.350,00; Se esses R$ 1.350,00 forem aplicados à taxa mensal de 0,7%, ao final de 20 anos o investidor terá R$ 835.890,05.Esse é o seu GANHO DE OPORTUNIDADE.

        Do outro lado, o cara que optou por usar os R$ 450.000,00 pra comprar o imóvel deixará de ganhar o mesmo valor de R$ 835.890,05, o seu CUSTO DE OPORTUNIDADE.

        Só por aí já há uma diferença de R$ 1.671.780,10.

        Se ao final dos 20 anos o cara que comprou o imóvel ainda tiver que fazer uma reforma pagando uns R$ 3.000,00 por metro quadrado, pra deixar bem barato, ele já vai ter mais uns R$ 150.000,00 de perda.

        Ah, e se o comprador nem tinha o dinheiro guardado pra comprar à vista e pegou um financiamento bancário, aí tem a despesa de juros que dá o valor de outro imóvel.

        Calculo que o imóvel teria que ter uma valorização média de 10% ao ano ao longo de 20 anos só para o comprador recuperar os juros pagos ao banco, o valor da reforma e empatar o ganho de oportunidade do poupador.

        8+
        • avatar
  • tmarabo 13 de maio de 2016 at 14:42

    qual site é o outro lado da rua?

    5+
    • avatar
    • Lucas 13 de maio de 2016 at 15:18

      é o blog da bolha
      criaram ele pra falar a vontade de sacanagem e politica

      6+
      • avatar
      • avatar
      • Barnabezinho 13 de maio de 2016 at 15:40

        “http://goo.gl/6QhXBn
        só sacanagem e política, ok?

        3+
        • Lucas 13 de maio de 2016 at 15:42

          eu falei só?
          tpm denovo banrey

          1+
          • Barnabezinho 13 de maio de 2016 at 15:43

            Tou afirmando, véio… eu estou afirmando… só se fala isso por lá mesmo…! 😉

            3+
            • avatar
            • RecebendoJuros 13 de maio de 2016 at 15:49

              De 2a a 6a é isso mesmo. Mas nas noites dos finais de semana o blog é invadido por músicas românticas para os apaixonados. heheheh

              2+
              • avatar
            • Lucas 13 de maio de 2016 at 15:52

              a tá foi mal
              é 99% isso
              quando queremos ser sérios e falar d eimóvel a gente vem aqui
              pena que uns aí vive bagunçando a discussão

              4+
              • avatar
              • Barnabezinho 13 de maio de 2016 at 15:55

                desculpa véio, foi mal aê… 🙁

                3+
                • avatar
  • Observador 13 de maio de 2016 at 14:43

    Boa tarde amigos.

    O que acham do sonho da IPCA+35 +8%???

    The dream is over??

    6+
    • avatar
    • RecebendoJuros 13 de maio de 2016 at 14:50

      IPCA-35 +8% somente quando os investidores estão muito desesperançosos com o futuro do país. Acho que só voltaria caso a ex-presidente seja absolvida pelo senado daqui 180 dias.
      A situação atual é “the dream is over” para nós jurólatras e “the nightmare is over” para o país.

      9+
      • avatar
      • DRN 13 de maio de 2016 at 14:54

        O mercando vai emprestar ao TEMEROSO a essas taxas para cobrir o rombo de CEF, Petrobrás, BB, Eletrobrás, BNDES e gasto corrente maior do que a receita???

        Truco SEIS!!!

        8+
        • avatar
      • BolhaPOA 13 de maio de 2016 at 15:01

        A verdade é que ficamos mal acostumados.
        Queremos IPCA + 8, porém, hoje temos opção de títulos público que dão rendimentos REAIS de 5% ao ano. Que outro país dá isso?
        Você não precisa fazer NADA e ganha 5% a.a. sem riscos.

        7+
        • avatar
        • avatar
        • DRN 13 de maio de 2016 at 15:15

          Primeiro eu quero ver essa curva mudar (receita x gastos do governo federal)

          -https://financasfaceis.files.wordpress.com/2016/04/tesouro-201603.png?w=500

          Daí eu aceito jurosos de 5%. Sem riscos eu não diria. Se a moeda vira pó, de que adianta receber o pagamento???

          7+
          • avatar
          • avatar
          • Barnabezinho 13 de maio de 2016 at 15:42

            Não vai mudar tão cedo, dificil… governo tá compromissado severamente com as dividas da BR, CEFU4 e em segurar o dollar. Meirelles nao vai por 15% de juros mes que vem… e demitir 4K comissionados, é pouco. Ministerio fundido sem redução de salarios pra adequar a fusão de setores e cargos… não vai.

            5+
            • avatar
            • avatar
            • DRN 13 de maio de 2016 at 15:47

              O Jucá, raposa véia, já está dizendo, segundo Antagonista, que vão reajustar o salário d’ôceis.

              3+
              • avatar
              • Barnabezinho 13 de maio de 2016 at 15:56

                POIS É…

                tem como dar certo???? dificil assim, né.

                3+
                • avatar
  • Cajuzinha 13 de maio de 2016 at 15:48

    É muito engraçado. Sujeito já tentou de todas as formas vender um ap, chegou até a baixar o preço e dizer “direto com o proprietário”, não conseguiu, aí chega um corvo e anuncia novamente o ap, mas com um detalhe, o preço:

    Corvo: Ap alto padrão no Garcia-Jadins (ANÚNCIO DE EMPRESA)
    Inserido em: 13 Maio 14:42. Preço: R$890.000
    http://se.olx.com.br/sergipe/imoveis/ap-alto-padrao-no-garcia-jadins-196017328

    Direto com o proprietário: Apt Eduardo Abreu c/varanda d/proprietário
    Inserido em: 27 Março 22:13. Preço: R$620.000
    http://se.olx.com.br/sergipe/imoveis/apt-eduardo-abreu-c-varanda-d-proprietario-176474217

    11+
    • avatar
    • Lucas 13 de maio de 2016 at 15:53

      por isso que eles cobram 6%

      7+
      • avatar
  • Longa Manus 13 de maio de 2016 at 16:47

    CVR do reajuste do Judiciário e MPU

    Faz seis anos que não tenho REVISÃO DA INFLAÇÃO. Nosso projeto de lei foi aprovado por unanimidade ano passado no Congresso e vetado pela Dêmonío. Detalhe: era um PL de 2009! Em troca, rebaixaram os valores e parcelaram até 2019. É esse o AUMENTO que a mídia e vocês estão comentando. Já está inclusive no orçamento deste ano. Quero saber se os nobres bolhistas gostariam de ficar desde 2009 sem seus salários revisados, pelo menos, contra o efeito deletério da inflação …(?!)…pimenta no fio-fó dos outros realmente é refresco…..

    16+
    • avatar
    • avatar
    • DRN 13 de maio de 2016 at 16:53

      KKKKKKKKKKK

      RECEBA ESTE FOGO!!!!

      Sou a favor, sim, de não dar aumento. Receita está MENOR do que o GASTO e os funças são lacra 13 com louvor. Então, novamente, RECEBAM.

      Antes de mimimi, duas coisas:

      (i) exonere-se e venha para a iniciativa privada;

      (ii) compare o salário dos funças (sustentados OBRIGATORIAMENTE pela iniciativa privada via tributos, ou seja, roubo com exclusão de ilicitude) e os do Estado, ao final, compare essa relação, esse coeficiente, com o coeficiente de outros países.

      24+
      • avatar
      • avatar
      • MINEIRO SPY 13 de maio de 2016 at 17:00

        DRN.
        Essa discussão já foi travada longamente desde 2012.
        Quem opta por ser funcionário público é porque acha melhor. Oferecem condição X e o cara pleiteia a vaga. Direito dele lutar por mais. Caso se torne desinteressante, que saia. Eu estava no privado mas queria mais, porque investi em educação por anos. O público se ofereceu a me pagar mais mediante concurso e eu entrei. Se ele resolver cortar, eu vazo. Simples.
        Besteira comparar privado com público, afinal todos querem receber mais por sua hora de trabalho. Se o Estado decidir que são dispensáveis, os competentes acharão lugar fora. Os incompetentes sofrerão.
        Se o Estado oferecer 40 mil pra vc por mês, recusaria por simples comparativo com iniciativa privada e por achar desigual? Aposto que não.
        As condições mudam com o tempo e os recursos devem migrar e ser realocados em função de benefícios ou não, o que também se aplica à mão de obra

        28+
        • avatar
        • avatar
        • fanfarraum 13 de maio de 2016 at 17:10

          Na minha opinião, a questão fundamental é…
          “Entrei ganhando 10k pra fazer um serviço que na iniciativa privada se ganha em média 3k. A iniciativa privada ganhou 10% de aumento e eu 0%. Mimimimi”

          Estado quebrado. Não tem como dar aumento.
          Quando a empresa tá quebrando, ela também não dá aumento e, ainda, demite funcionário.

          24+
          • Barnabezinho 13 de maio de 2016 at 17:19

            não sei porque reclamam, se era sabido que essa fase ia passar.

            11+
            • avatar
    • MINEIRO SPY 13 de maio de 2016 at 16:53

      Uma observação e peço que me corrija se eu estiver equivocado.
      A maior parte do judiciário não teve reajuste (sequer inflação), mas a maioria acumula função, ou seja, o salário-base é algo distante da realidade. Parte significativa recebe bem mais que isso.
      Propuseram a transformação para regime de subsídio e aplicação de reajuste, mas não foi aceito (os adicionais são diversos). Há disputa interna entre os antigos (não aceitam) com os mais novos (aceitam), ou seja, não há consenso sequer interno.
      Em 2009 houve recusa do reajuste oferecido por ser pouco aos olhos dos servidores e de lá para cá, nada.
      Os servidores trabalham meio período e é algo inegociável.

      8+
      • Barnabezinho 13 de maio de 2016 at 17:19

        foi isso mesmo, mineiro.

        5+
  • Longa Manus 13 de maio de 2016 at 17:12

    DRN

    KKKKKKKKKKK

    RECEBA ESTE FOGO!!!!

    Sou a favor, sim, de não dar aumento. Receita está MENOR do que o GASTO e os funças são lacra 13 com louvor. Então, novamente, RECEBAM.

    Antes de mimimi, duas coisas:

    (i) exonere-se e venha para a iniciativa privada;

    (ii) compare o salário dos funças (sustentados OBRIGATORIAMENTE pela iniciativa privada via tributos, ou seja, roubo com exclusão de ilicitude) e os do Estado, ao final, compare essa relação, esse coeficiente, com o coeficiente de outros países.

    2+

    Bom, entrei em 2009 e não tenho função ou cargo comissionado. E teremos sim o reajuste esse ano, pois já houve acordo e está no orçamento, inclusive. Não existe essa questão de meio expediente no judiciário. Tem home office.
    Não me importo com a iniciativa privada em ganhar mais etc. Cada um no seu quadrado.
    Só defendo o que está no ‘LIVRINHO” : aplicação de revisão anual/data base para os servidores.

    E sim, ganho bem, e dai?

    18+
    • avatar
    • avatar
    • Barnabezinho 13 de maio de 2016 at 17:19

      ” E teremos sim o reajuste esse ano”

      Acho lindo esse otimismo.

      13+
    • Money_Addicted 13 de maio de 2016 at 19:03

      se ganhas bem pq choras ?

      [] s

      16+
      • avatar
      • avatar
  • Libertario 13 de maio de 2016 at 17:51

    Grande CA!!!

    Veja o que voce comentava topicos atras…Abrir a caixa preta e tirar os esqueletos do armário de uma vez!!!!

    http://g1.globo.com/politica/blog/blog-do-camarotti/post/temer-quer-abrir-caixa-preta-do-governo-dilma.html

    4+
    • CA 13 de maio de 2016 at 23:28

      Libertário,

      Destaco este trecho ao final do artigo:

      “Já estava havendo redução e cortes em programas sociais na gestão da petista, como Minha Casa, Minha Vida e Pronatec.”

      Um dos motivos para fazerem um levantamento detalhado da situação atual, é terem argumentos para justificarem reduções de gastos, reduções estas que são imprescindíveis e inadiáveis. Nada melhor para isto, do que desmascarar o governo Dilma e revelar que ela mesma já estava reduzindo despesas para estes assuntos, daí como ela poderá combater reduções de despesas em programas sociais e dizer que se fosse ela jamais faria isso, se PROVAREM e DEMONSTRAREM que ela já estava reduzindo despesas exatamente para estes mesmos assuntos?

      Sobre a decisão de Temer, sem dúvida é a mais acertada. Na realidade, se ele deseja deixar o nome dele gravado na história de forma positiva, esta é a única saída.

      Aliás, ele foi advertido por Armínio, Meireles e outros nomes influentes a fazer isso e provavelmente Meireles deve ter exigido que para entrar no ministério, só se existisse uma devassa nas contas públicas e nas principais e mais suspeitas estatais.

      Todos eles sabem que se não fizerem estas investigações com a maior velocidade possível, estarão condenados a serem culpados no futuro próximo pelos erros gravíssimos cometidos pela gestão anterior, porque se tem uma coisa que o PT é especialista, é em transferir a culpa dos seus crimes para os outros.

      Quando eles divulgarem a situação de calamidade pública da CEF, de quebra eles terão argumentos fortíssimos para rejeitar ações expansionistas de crédito imobiliário via bancos públicos, com isto, o setor da construção civil não terá como pressiona-los e terão que se contentar com ações que visem “estimular” os bancos privados a cobrirem este enorme buraco deixado pela CEF, o que como sabemos, terá efeito ainda mais pífio que as ações recentes com o FGTS. Aliás, aproveitarão para mostrar a todos que o FGTS já está tendo captação negativa, vão lembrar que é um recurso do trabalhador que está sendo dilapidado e com isso entrará em colapso, o que apenas deixará este setor de mãos ainda mais atadas e impedido de crescer, ou sequer continuar com o seu golpe de pirâmide financeira via vendas FALSAS na planta.

      Com isso, não podendo evitar a explosão mais visível e abrangente da bolha, tanto o governo atual quanto a construção civil terão um culpado que será o ideal e “único” por toda a nova onda de destruição que irá aparecer: o governo de Dilma. Excelente para Temer porque será mais combustível para o senado aprovar logo a saída de Dilma e bom para os executivos das construtoras que vão fazer de conta que nunca existiu um grande golpe de vendas FALSAS na planta e ainda vão pleitear, como se fossem vítimas, uma ajuda do governo atual para salvar as empresas em que atuam, contando ainda com a mídia, que terá todo o interesse do Mundo em corroborar esta versão da história, afinal na versão original e correta sabemos que a mídia foi uma grande cúmplice da bolha imobiliária, por interesses financeiros de faturar o máximo com anúncios e matérias pagas por este segmento, mas na nova versão dos fatos, eles poderão se passar por uma mídia comprometida com a verdade que como todos foi “enganada” pelo governo anterior. Como a credibilidade de Dilma, Lula e companhia limitada está abaixo do nível do pré sal e cairá ainda mais após as devassas realizadas, quando ela tentar se defender jogando a culpa no segmento de construção civil e na mídia, será humilhada em praça pública, sem ter sequer os blogs antes comprados pelo seu governo para defendê-los.

      O que eles vão fazer, em contrapartida, é estimular a construção civil para obras de infraestrutura, isto se fizerem alguma mágica antes quanto a privatizações e BNDES que viabilizem estes projetos, embora o rombo do BNDES possa tornar a missão mais difícil…

      Vamos continuar acompanhando para ver se estas serão as próximas jogadas ou se vão tirar outros coelhos da cartola..

      7+
      • avatar
      • avatar
      • Libertario 14 de maio de 2016 at 00:21

        Só me preocupa o fato do BNDES ter ficado nas mãos do Jucá e não do Meireles. Deve ter um motivo muito relevante para isso que infelizmente por eles não será revelado. Mas o tempo dirá.

        2+
  • Lucas 13 de maio de 2016 at 17:52

    prezados leitores LIVRES do Blog

    reparem, eles esperneiam, gritam, xingam, inventam mil motivos os mais esdrúxulos possíveis
    até ressucitaram o collor e o donfisco
    mas NENHUM DELES consegue ir contra números, contra contas simples

    até pelo contrário, nunca fizeram contas até se assombram com os resultados
    é como o from explicou, é o milagre dos juros compostos

    A diferença entre um imóvel de meio milhão hoje, ou ter investido numa TD é, daqui 20 anos, coisa da ordem de 7 milhões de reais
    contas ultra-conservadoras, até o fingezap eu considerei, nem contei que em 20 anos um imóvel está velho ou que corre o risco do preço cair 80% no fingezap (segundo os estudos da entidade que representa as corretoras de SP, já caiu uns 50%).
    nem considerei que um financiamento triplica o preço do imóvel

    É aquilo que eu queria demonstrar.
    A verdade é só uma, não precisa acreditar em mim, basta aprender um pouco de matemática, estudar o que o CA vem denunciando e vcs vão ver
    A diferença entre ser um milhonário daqui 20 anos, e viver fudido pro resto das gerações, esta decisão vc faz HOJE

    boa sorte!

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Money_Addicted 13 de maio de 2016 at 19:09

      nao adianta esse pessoal nao conhece matematica.

      por falar nela, esses dias tive o seguinte raciocionio, eu abdicando de gastar R$ 1000.00 isso me gera uma renda mensal “vitalcia” de R$10,00 🙂 agora imagina, poupando varios 1ks e colocando juros compostos.

      se continuar assim daqui a pouco nao compro uma bala 🙂

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Master Yi 14 de maio de 2016 at 02:07

        Uma ironia: economizar dinheiro para ter mais dinheiro para gastar.

        7+
        • avatar
        • baburu 16 de maio de 2016 at 10:57

          Não é irônico, é a escolha entre consumir x agora ou x+y no futuro (preferência temporal).

          5+
          • avatar
          • avatar
    • Danibolhista 13 de maio de 2016 at 23:25

      Amado, se eu tivesse meio milhão eu também investiria em TD. Já pensou juros semestrais de um troço desse? eu nem faço as contas porque não é pra mim por enquanto. Sabe aquele ditado que só ganha dinheiro quem tem dinheiro? se eu tivesse 250 mil em dinheiro eu já faria isso, jamais compraria um imóvel. Como o blog pode ser frequentado por qualquer pessoa, mesmo que ela não entre pra comentar é uma informação que está aberta, então pra algumas pessoas esse conselho é super, hiper, mega válido. Imagine u m cidadão que já tem uma casa herdada dos pais, ele tem 300 mil na conta, imagine a merda que ele vai fazer da vida dele se comprar um bolhudo! ele não precisa!
      Se eu tivesse um imóvel no valor de 500 mil, também venderia para aplicar 300 em TD. Agora é complicado comparar com valores menores, já falaram aqui que meu bolhudo não vale nem 90 mil! 90 mil pra mim não faz nem cócegas. No meu caso, para não pagar imposto eu venderia pelo mesmo preço do contrato que foi 159 mil, devo 87 pro banco, daí eu vou ficar com 72 mil. Os rendimentos semestrais de 72 mil não dá muito, para economizar eu teria que morar num cortiço, hoje meu bolhidinho é pequeno mais é “bunitinho” e a localização não é ruim. Não esqueça que eu quase não investi muito de uma vez, eu tinha 20 em dinheiro e 40 de FGTS um dinheiro que não conseguiria sacar mesmo, muito diferente de quem já tem líquido 100 mil e pensa em imobilizar, entende?

      Mas sua opinião é super válida dependendo do perfil da pessoa, no dia que eu tiver essa grana vou fazer do jeito que você está sugerindo. Agora se tu souber como transformar 72 mil em 8 milhões, por favor, eu aceito sugestão.

      8+
      • avatar
      • Libertario 14 de maio de 2016 at 00:27

        Com rendimentos sobre 72 mil (vamos botar 6 mil ao ano limpo) voce paga aluguel de imoveis que “valem” 150mil no mercado.
        Ou seja quem quem 72 mi aplicados poderia ser seu vizinho apenas com os juros. Sem ter a divida de 87 pro Banco.

        6+
        • avatar
        • Danibolhista 14 de maio de 2016 at 10:54

          Libertário,
          Aplicar onde?

          0
          • Libertario 14 de maio de 2016 at 22:59

            Tesouro direto, CDB, LCI e LCA dão esse retorno.

            1+
        • Danibolhista 15 de maio de 2016 at 00:51

          Eu procurei e não achei, o que encontrei foi caro ou espelunca. Se eu ganhar 6 mil por ano com a aplicação, por mês equivale a 500 reais, não dá. Em uma uma casa com localização ideal pra mim o aluguel está mil reais com gente no quintal. Se for pra ganhar 500 reais a mais por mês é mais fácil meu esposo se oferecer pra trabalhar no plantão de sábado, ele consegue acrescentar mais que isso sem ter que se desfazer do bem. O meu problema não é o quando vou pegar daqui há 20 anos no TD, é como vou viver agora sem o apê.

          0
          • Libertario 15 de maio de 2016 at 01:36

            Uma casa com localizacão ideal pode ser 1000 reais por mês, mas aonde vc disse que mora (que “vale” 150 mil) o aluguel de 500 ta no preço sim.

            Aluguel hoje é em media 0.4% do valor de venda.
            Tem casos que é o mesmo que uma TR. 0.2%

            Portanto é MUITO melhor voce alugar e investir o dinheiro que sobrar, do que pagar um imovel.

            Se voce conseguir vender o seu imovel venda e aplique seu dinheiro.

            1+
            • Danibolhista 16 de maio de 2016 at 10:21

              Libertário,
              Nós tínhamos a opção de deixar a parcelinha em 700 reais por mês, só que em 35 anos, como era decrescente, depois de uns 6 anos ia ficar uns 500 reais mesmo. Só que preferimos pagar em 20 anos, fizemos até a simulação de pagar em 15 anos, mas como tínhamos que fazer o acabamento no bolhudinho e comprar móveis planejados, no começo iria ficar pesado, então deixamos em 20 anos mesmo mas já com o intuito de ir adiantando a cada dois anos com FGTS e dinheiro. Só que deu uma olhada aqui no Bolha e vi vocês tirando sarro de uma matéria que o cara foi reclamar na Caixa que ele tinha usado um bom dinheiro para abater a dívida e que ao consultar o saldo devedor, o valor não tinha sido abatido integralmente, era por causa dos juros, se vc paga 20 mil ele vale 16 mil por exemplo, então resolvemos quitar de uma vez, o ruim é que até lá estamos pagando juros de cada parcela.

              0
              • Libertario 16 de maio de 2016 at 11:05

                Dani,

                Veja os imoveis que aparecem para locação em Jandira.

                http://www.vivareal.com.br/aluguel/sp/jandira/apartamento_residencial/#1/{“areaDesde”:null,”areaHasta”:null,”banosDesde”:null,”banosHasta”:null,”conFoto”:true,”habitacionesDesde”:null,”habitacionesHasta”:null,”garajesDesde”:null,”garajesHasta”:null,”moneda”:”BRL”,”orden”:”price asc”,”portal”:”VR_BR”,”precioFinal”:null,”precioInicial”:null,”tipoInmueble”:”APART”,”usoInmueble”:”RESIDENCIAL”,”usoProyecto”:null,”estadoConstruccionProyecto”:null,”lat”:null,”long”:null,”r”:null,”locIds”:[“BR>Sao Paulo>NULL>Jandira”]}

                Nao esqueça que estes anuncios ainda não foram negociados com os proprietarios. Certamente baixarão mais o preço.
                Importante: Repare que tem varios anuncios nessa lista de imoveis MAIORES e já mobiliados.

                Sobre os calculos:
                Voce já deu de entrada 60 mil (20 em $ + 40 FGTS).
                Mas qual o valor da sua parcela (por 20 anos) ?

                Quanto voce ja gastou na mobilia + ajustes no apê ?

                0
          • RecebendoJuros 15 de maio de 2016 at 10:15

            Precisa lembrar que hoje vc tem um gasto mensal de 1000 reais na parcela do financiamento.
            Num outro post vc comentou que pretendia quitar o financiamento em 2019. Mas para chegar nesse objetivo não basta pagar as parcelas de 1000 reais. Imagino que vc tb tem planejado realizar pagamentos adicionais para abater o saldo devedor. Qual seria o valor desses pagamentos adicionais que vc pretende fazer ?
            Outra coisa, no prédio do seu bolhudinho qual o valor do aluguel de um apto igualzinho ao seu ? Vc conhecendo os moradores daí imagino que consiga um aluguel mais barato, direto com proprietário, sem comissões e taxas da imobiliária.

            0
            • Danibolhista 16 de maio de 2016 at 10:12

              RecebendoJuros,

              Eu estou aplicando em CDB e TD para em maio/2019 quitar tudo, não estou adiantando nenhuma parcela, até lá eu pago normalmente, tal vez eu consiga quitar em dezembro/2018. Mas estou deixando uma “gordurinha” caso eu tenha algum imprevisto.

              0
              • RecebendoJuros 16 de maio de 2016 at 11:58

                Vi que os anúncios de aluguel que vc passou acima são anúncios de imobiliárias, e são o valor pedido antes de qq negociação.
                Vc morando no condomínio e tendo acesso aos porteiros, funcionários, síndico, etc é muito provável que encontre algum proprietário disposto a negociar. Não acho tão impossível vc encontrar um aluguel pelo mesmo valor da sua parcela de 1050 reais.
                Faça a conta dos 72 mil aplicados no TD mais o que vc está conseguindo guardar para quitar o financiamento até 2019 (só os 72 já serão mais que 100 mil). Imagino que em 2019 terá algo na faixa dos 200 mil. Esses 200 mil aplicados num TD IPCA te darão 1000 reais de juros reais (além da inflação) todo mês pra vc ter liberdade de se mudar pra outro lugar melhor ou aumentar ainda mais seus investimentos.

                0
    • SampaBoy 14 de maio de 2016 at 10:55

      Caro Lucas, concordo plenemente com todas as observacoes. Um pequeno porem : 7 milhoes daqui 20 anos nao sao como 7 milhoes hoje. Se a inflacao continuar em torno de 10% ao ano, 7 milhoes daqui 20 anos “equivale” (em termos de poder de compra) a menos de 1 milhao hoje

      7+
      • Zé do Brejo 14 de maio de 2016 at 17:39

        Isso não faz o menor sentido.

        3+
        • avatar
        • Zé do Brejo 14 de maio de 2016 at 18:59

          Não incide juros compostos sobre a inflação.

          4+
          • avatar
          • avatar
          • Zé do Brejo 14 de maio de 2016 at 19:10

            Compare juros de qualquer aplicação dos últimos 20 anos e % da inflação dos últimos 20 anos

            3+
            • avatar
            • SampaBoy 14 de maio de 2016 at 19:56

              Bem, aos produtos que sofrem influencia da inflacao a conta é juros sobre juros sim. A conta é simples, pegue um valor qualquer e aplique 10% ao ano por 20 anos, voce chegara ao final com um valor 6,72 vezes maior que o inicial. Ou seja, qualquer valor aplicada essa inflação chegara ao final valendo 6,72 o valor inicial, dessa forma significa que o mesmo dinheiro valera 6,72 vezes menos apos os 20 anos.

              2+
              • RecebendoJuros 14 de maio de 2016 at 20:23

                Achei 20 anos um período difícil de analisar dadas as instabilidades que passamos nesse período.
                Utilizei a Calculadora do Cidadão do banco central e verifiquei o IPCA vs o CDI entre 2004 e hoje.
                Conclusão: IPCA = 108%. CDI = 312%
                É preciso levar em conta que numa aplicação financeira que renda 100% do CDI seria cobrado um imposto de 15% sobre o “lucro”. Então na pratica o rendimento do CDI é de 265%, mais que o dobro da inflação.

                2+
                • avatar
                • Zé do Brejo 15 de maio de 2016 at 07:04

                  Exatamente, esse é o ponto.

                  2+
                  • avatar
                • SampaBoy 15 de maio de 2016 at 08:57

                  Sim, claro…eu nao quis dizer que os investimentos com juros no brasil nao superam a inflacao, pelo contrario, eles sao os melhores do mundo. Apenas que devemos ter cuidado em apontar valores no futuro, criando a ilusao de muito dinheiro facil. O lucas falou que os investimentos em td superariamem 7 milhoes comparado com quem comprou imovel , porem obviamente 7 milhoes depois de 20 anos com inflacao nao é tanto quanto parece ser a uma primeira vista (como expliquei acima), da mesma forma que 1 milhao atualmente nao é o mar de dinheiro que era a 20 anos atras.

                  1+
  • Leonardo M. 13 de maio de 2016 at 20:37

    3 pessoas me perguntaram hoje; pôrque eu não financio algo que é meu?

    Apenas sorri e acenei kkkkkk

    14+
    • avatar
    • avatar
  • BOLHA JOKER 13 de maio de 2016 at 22:43

    OFF – Pessoal tenho 5 anos na CEF e desde que entrei tinha aderido a FUNCEF, diante dos últimos déficits decidi cancelar o plano, eu ainda tenho que trabalhar mais uns 30 anos, se com 100 funcionários na ativa e 37 mil aposentados e pensionista o fundo está apresentando deficit em sua grande parte por uma gestão omissa e tendenciosa com graves indícios de fraudes, imagina daqui a 30 anos, vão ser quantos aposentados 100 mil vai estar falido igual o INSS? Dessa forma irei programas aplicações mensais no TD para aposentadoria! Abraço sucesso a todos.

    15+
    • avatar
    • Parcelinha 14 de maio de 2016 at 17:05

      Fala colega hehe! 2 anos de casa, também ja vinha acompanhando os extratos há alguns meses e vendo que o saldo sempre encolhia na virada do ano. Decidi Reduzir para a menor contribuição do plano (acredito que ainda compense um pouco pelo aporte da empresa), mas a diferença que deixei de aportar já estou indo de TD IPCA também mês a mês.
      Muitos só começaram a cair a ficha agora depois que receberam email mostrando que o PGBL oferecido no balcão da caixa rendeu 14% bruto e o plano de previdência dos funcionários rendeu muito menos que a poupança (!), conheço um pessoal que estava para aposentar decidiram adiar por enquanto.
      E quem já se aposentou, já começou a pagar a conta do equacionamento, esse mês já veio a “motumbadinha” no contracheque deles referente a uma parte do deficit do fundo.

      2+
    • Deralian 15 de maio de 2016 at 11:59

      Bolha Joker. Também fui funcionário da Caixa em Santa Catarina por 3 anos. Desde a minha admissão, alardearam a contribuição dobrada da Caixa como um negócio imbátivel. TODOS os funcionários e gerentes, que ficavam sabendo da minha escolha, me olhavam como um alienígena idiota por não aderir ao plano. Nos anos seguintes, quando saia a rentabilidade (negativa), só confirmavam a minha desconfiança. Agora todos esses esquerdistas – que são uns 90% dos funcionários – ficam de “mimimi” reclamando pelos cantos.
      Nunca aderi a FUNCEF por receio de gestão pública e continuava a investir em um mix de renda variável com renda fixa.
      A Caixa está cheio de esqueletos e quando começarem a fuçar vai ser pior que o mensalão, petrolão e etc…… VAI SER o CAIXÃO!!!

      9+
      • avatar
  • Alemon Fritz 14 de maio de 2016 at 00:20

    terreno cvr
    amiga me contando que foi legalizar terreno do iinterior no cartório
    apresentou docs e o cartorio respondia no final:
    -documento inadequado
    tentou mais 2 vezes..-
    – documentos inadequados,
    mas veio junto um comunidcado dizendo que se ela
    fizesse novamente seria indiciada por perturbar o trabalho de agente tentando induzir a erro.
    – ela foi la perguntar o que estava havendo e o que estava “inadequado”
    resposta; o vizinho não tem o terreno regularizado, portanto as medidas não conferem.

    8+
    • avatar
  • Cajuzinha 14 de maio de 2016 at 06:26

    ” da reprecificação do estoque de unidade prontas”

    “crescimento das provisões para demandas judiciais de clientes.”

    ” A Viver Incorporadora teve prejuízo líquido atribuído aos sócios da empresa controladora de R$ 89,6 milhões no primeiro trimestre, mais que o dobro da perda de R$ 43,79 milhões dos três primeiros meses do ano passado.

    A Viver informou que cerca de R$ 38,2 milhões do prejuízo resultou da não capitalização de despesas financeiras corporativas em empreendimentos em construção e concluídos, da reprecificação do estoque de unidade prontas, de perdas projetadas de outras contas receber e parcerias, e do crescimento das provisões para demandas judiciais de clientes.”

    http://economia.uol.com.br/noticias/valor-online/2016/05/13/prejuizo-da-incorporadora-viver-mais-que-dobra-no-primeiro-trimestre.htm

    3+
    • avatar
    • CA 14 de maio de 2016 at 10:38

      Cajuzinha,

      O que está acontecendo com Viver, PDG, Rossi, Tecnisa e outras grandes construtoras que pedalaram ao extremo com vendas FALSAS na planta é o seguinte:

      Pelo exagero ainda maior do que de outras construtoras neste esquema de pirâmide financeira, combinado com a falta de outro golpe para cobrir o rombo gerado (exemplo da Gafisa que vendeu em 2013 70% do segmento Alphaville para uma multinacional que não sabia desta pirâmide), o caixa destas construtoras lideres nas vendas FALSAS secou por completo já em 2015, ao mesmo tempo que ficaram com um estoque em relação à vendas que é ainda mais anormal que a média do segmento e para tentarem sobreviver neste contexto, são obrigadas a vender seus imóveis com uma redução nos preços ainda mais acentuada que os concorrentes. Ao fazerem isso, muitos compradores na planta decidem fazer distrato no ato da entrega, afinal, como pagar tão mais caro por um imóvel do que o preço pelo qual a própria construtora está vendendo no momento da entrega? Completamente inviável no caso dos “investidores”, inaceitável para muitos que compraram para morar. Com isso aumentam os estoques, o caixa sangra mais ainda e elas são obrigadas a reduzirem ainda mais os preços dos imóveis, retomando o círculo vicioso.

      No começo diziam para as auditorias que era uma situação “passageira”, que ocorria devido a “safras ruins” de lançamentos do passado onde o cliente não estava satisfeito com o atraso, com a qualidade da entrega ou que o corretor tinha se “empolgado” e vendido sem critério para “alguns” clientes, mas que isso já tinha sido corrigido e não ia mais acontecer. Com o passar dos anos e a situação só se agravando, estas construtoras passaram a ser obrigadas pelas auditorias a reverem o valor de seus Ativos, gerando um inpairment que reduz o valor de imóveis em estoque para ficarem mais compatíveis com a realidade de mercado e não mais FAZEREM DE CONTA que os preços REDUZIDOS ao longo de ANOS eram apenas “descontos” temporários…

      Qual o efeito do que consta no parágrafo anterior?

      Aumenta o prejuízo da construtora, torna cada vez mais claro que ela não conseguirá pagar suas dívidas e com isso, o crédito dos bancos para estas construtoras fica cada vez mais escasso e caro. E os bancos que emprestaram para estas construtoras? Estes bancos são obrigados a renegociar as dívidas com prejuízos para eles através de alongamento de prazos de pagamento, aceitar imóveis e outros ativos como parte do pagamento, etc. Qual a consequência imediata? No geral os bancos ficam com menos liquidez, os juros ficam ainda mais caros e os empréstimos mais escassos, retroalimentando a crise das construtoras por este outro canal.

      E as outras construtoras, escapam “incólumes”?

      As outras pedalam com vendas FALSAS na planta. Como ainda tem caixa, elas podem fazer um certo volume de lançamentos e como sabemos, é no lançamento que se faz o maior volume de vendas FALSAS, porque o INCAUTO “comprador” terá 36 meses de pagamento com suaves parcelas, as menores possíveis por terem sido diluídas neste prazo maior e só depois disso que vão descobrir que não conseguirão o crédito imobiliário. Ao fazerem isso, estas construtoras SIMULAM que a situação para elas não está tão ruim e ao mesmo tempo, fazem algumas vendas FALSAS na planta com preços maiores, o que ajuda a FAZER DE CONTA que os preços não caíram tanto. Ocorre que elas também estão sendo obrigadas a reduzirem lançamentos, porque a ANOMALIA tanto dos distratos quanto da DESPROPORÇÃO entre estoque e vendas não para de crescer, então com isso, a FARSA dos preços que não caem tanto também perde força, mais um dos diversos casos típicos de ENTROPIA que mencionei mais acima. Em outras palavras, estas construtoras estão indo a passos largos para o mesmo caminho das demais, que é quebrar quando a explosão desta pirâmide financeira se tornar mais clara para todos, ou seja, quanto mais governo e construtoras insistirem em tentarem pedalar e maquiar o que está ocorrendo, maior o número de construtoras que irão desaparecer do mercado e mais graves as consequências sistêmicas, análogo ao que aconteceu com a nossa economia após tantos anos de pedaladas e maquiadas…

      6+
      • avatar
      • Cajuzinha 14 de maio de 2016 at 12:27

        CA, postei isso no tópico passado e você comentou, mas pra quem não viu, vale a pena repetir. Detalhe importante: De quem são as palavras:

        ” omo o aumento dos distratos tem pressionado os preços?
        É uma bola de neve. O estoque está alto e o cliente que comprou pede distrato, quer desistir. Aí o estoque fica ainda mais alto. Então você é obrigado a dar um desconto para realizar a venda. Com isso, os preços caem. Aí aquele comprador que não ia distratar pensa: ‘bom, já que o preço despencou, então eu também vou distratar’. Aí os preços caem mais ainda. Fica uma coisa sem fim.

        O que estamos passando hoje no Brasil no setor imobiliário é uma crise similar à crise do subprime, que teve nos Estados Unidos em 2008 e 2009. Similar por razões completamente diferentes mas com resultados praticamente idênticos. E estamos à beira de ter um problema sistêmico se o governo não agir com relação a esse assunto.”

        http://m.folha.uol.com.br/mercado/2016/05/1769527-estamos-vendendo-abaixo-do-custo-afirma-chefe-da-tecnisa.shtml

        2+
  • Alemon Fritz 14 de maio de 2016 at 10:22

    Desemprego acentua aumento de pedidos de devolução de imóveis

    http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2016/05/desemprego-acentua-aumento-de-pedidos-de-devolucao-de-imoveis.html

    uma ajuda pros distratos. deve estar em quase 50% dos vendidos.

    3+
  • Alemon Fritz 14 de maio de 2016 at 10:28

    Cenário econômico aumenta o número de pedidos de distratos
    “Liguei para a corretora, mas ela informou que estava no contrato a incidência do Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), mas que era baixinho e que não iria aumentar muito. De R$ 1,5 mil, quando começamos, pagamos por mais ou menos 18 meses, quando já estava em quase R$ 2 mil por mês”, acrescenta.

    “Quando fui atrás para me informar sobre o pagamento da parcela intermediária, já não estava mais em R$ 130 mil. Tinha chegado a R$ 156 mil”, explica. “Mesmo que eu venda o meu apartamento, ele não está valendo R$ 156 mil. Avaliamos nosso imóvel em R$ 130 mil a R$ 140 mil, mas, ainda mais com essa crise, não conseguimos chegar a R$ 156 mil.” Com todos os valores adicionais incidindo sobre a compra, o valor pago seria superior a R$ 450 mil.

    http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2016/03/economia/487131-cenario-economico-aumenta-o-numero-de-pedidos-de-distratos.html

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 14 de maio de 2016 at 10:30

    …Qual a vantagem que eu tenho de comprar um apartamento na planta?” Só que o termo de distrato prevê que a restituição de apenas 10% do valor pago até o momento pelo casal, que está ingressando com processo contra a empresa,

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Ilusionista 14 de maio de 2016 at 14:18

      “casal, que está ingressando com processo contra a empresa”

      tempo para ver de volta a cor do dinheiro:
      a vida inteira e mais seis meses, isto se a incorporadora não quebrar antes, ai terá que habilitar crédito na massa falida e aguardar mais uma encarnação.

      8+
      • avatar
  • Luladranus 14 de maio de 2016 at 11:33

    http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/economia/20160514/para-construtoras-faixas-mais-altas-minha-casa-devem-ganhar-forca/373056

    “Diante das incertezas que rondam a chegada de um novo governo, algumas das principais companhias que operam no Minha Casa Minha Vida (MCMV) apostam na continuidade – e até na expansão – das faixas 2 e 3 do programa. Executivos de Tenda, Direcional e MRV, companhias que apresentaram o balanço nessa semana, destacaram que interlocutores da gestão de Michel Temer no Planalto já sinalizaram apoio a esses segmentos, financiados principalmente com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). No entanto, a linha mais popular do programa, a faixa 1, ainda é tratada pelo empresariado como dúvida, devido ao peso das obras no orçamento federal.”

    3+
    • avatar
  • Sardinha 14 de maio de 2016 at 12:08

    Olá bolhistas,

    Algum leitor postou o link para o Relatório anual do FGC (2015) em outro tópico, vou repostar porque li e acho que valeu muito a pena:

    http://www.fgc.org.br/libs/download_arquivo.php?ci_arquivo=176

    Depois de ler o relatório fiquei mais tentado a entrar em LCI/LCA de bancos menores, em todos os casos de liquidação houve pagamento aos credores em prazo reduzido (salvo raras exceções).

    Dá pra ter uma visão muito boa da realidade brasileira, e como as pessoas ainda são desinformadas… 37% do total de depósitos cobertos pelo FGC ainda continuam em poupança… tsc tsc (página 14).

    Só 0,32% dos clientes elegíveis à garantia ordinária possuem mais de R$ 250.000,00 guardados (página 14).

    Mais da metade do ativo circulante do FGC está aplicado no Banco do Brasil e na CAIXA (página 29). Se um desses 2 bancos quebrar acho que o FGC não vai conseguir garantir nada :-/

    7+
    • Parcelinha 14 de maio de 2016 at 17:16

      Acho que sobraria para o tesouro nacional pagar a conta, mas não sou entendido do assunto, fiquei com a curiosidade também, quem puder ajudar com a dúvida, agradeço!

      3+
  • Cajuzinha 14 de maio de 2016 at 13:13

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ” O setor imobiliário também espera que o novo governo mantenha o foco no setor, fundamental para o desenvolvimento do Brasil. O segmento tem papel relevante na economia nacional, tanto para reverter o déficit habitacional como na geração de emprego e renda.

    Por isso, a ABRAINC espera que o novo governo gere um ambiente favorável para reversão imediata do cenário atual, bastante negativo. É urgente que as reformas estruturais necessárias sejam implementadas para o rápido restabelecimento das condições para que o Brasil retome a confiança nas suas instituições e siga seu caminho rumo ao desenvolvimento.”

    ” Fazem parte da ABRAINC as empresas Alphaville Urbanismo, Brookfield, Canopus, Cury, Cyrela, Direcional, Emccamp, Esser, Even, EZtec, Gafisa, Helbor, HM, JHSF, MRV, Odebrecht Realizações, Patrimar, PDG, Plano & Plano, Rodobens, Rossi, Setin, Tecnisa, Tenda, Trisul e Yuny.”

    http://jornaldiadia.com.br/2016/?p=147781

    6+
    • avatar
    • avatar
  • My name is James Bond 14 de maio de 2016 at 17:34

    Se você é jovem, é hora de você dizer “Adeus, Brasil!”
    Você tem entre 20 e 30 anos? Não desperdice a sua entrada na vida adulta aguardando uma chance para sua decolagem. O país ainda vai ficar no chão por vários anos.

    Fique certo de que o Brasil vai ficar taxiando no solo ao longo dos próximos anos. Pelo menos até 2020 vamos ter de resolver em primeiro lugar um amargo, profundo e complexo ajuste fiscal. Isso mesmo. Aquele que foi prometido e alardeado no início de 2015 por Dilma Desastre e que não saiu do lugar…

    http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/ricardo-neves/noticia/2016/05/se-voce-e-jovem-e-hora-de-voce-dizer-adeus-brasil.html

    9+
    • avatar
    • avatar
  • From_The_Tower 14 de maio de 2016 at 20:22

    Salas comerciais vazias !!!!
    BRICK lovers não aprendem mesmo .
    os nossos juros pingam todos os dias nas nossas contas.
    PNJ !

    8+
    • avatar
    • avatar
    • mestre dos magos 15 de maio de 2016 at 18:51

      Quer ver salas comerciais vazias, vem para Blumenau. É um absurdo a quantidade de imóveis comerciais para alugar, e a desculpa para não baixar o preço do aluguel e alugar, e que se baixar vai desvalorizar o patrimônio. Só tem jênios (J de jegue) nessa terra, não sei como conseguem acumular patrimônio com esse pensamento.

      10+
      • avatar
  • SampaBoy 14 de maio de 2016 at 20:45

    O Brasil tem duas coisas impressionantes e opostas : juro sobre valor investido e cultura de consumo. Um dos segredos de viver no nosso pais é reduzir os custos de vida (combatendo a cultura de consumo) e ganhar juros com dinheiro aplicado. Aconselho a todos a elaborar pelo menos 2 planilhas basicas com relatorio mensal : uma de custos de vida e uma de rendimento com juros. A primeira serve para voce reavaliar sempre o que pode ser reduzido/cortado , a segunda pra voce se estimular a poupar mais e tornar o rendimento mensal com juros um prazer e desafio ao mesmo tempo.

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • mestre dos magos 15 de maio de 2016 at 18:50

      Tenho as duas planilhas, uma com os custos do mês, e outra com acompanhamento do valor dos investimentos, e dos depósitos feitos mensalmente.
      Legal que meus amigos do trabalho, quando eu mencionei que registrava todos os meus custos em planilha, falaram que isso era coisa de pão duro hehehehe.

      11+
      • avatar
  • Cajuzinha 15 de maio de 2016 at 07:08

    Tópico


    Odair Senra, vice-presidente do Sindicato da Construção de São Paulo (Sinduscon-SP), explica que os distratos afetam o caixa da construtora. Um lançamento na planta, explica, tem de 20% a 30% do valor total vindos das unidades vendidas. Os bancos entram com outros 60% a 70%, e o restante fica com a construtora.

    — Com o encarecimento e a restrição de crédito, essa fatia do banco caiu para perto de 50%. O acordo setorial deve ajudar a desestimular os distratos pedidos por investidores, que reclamam de baixo retorno — pondera ele.

    Os empresários alegam que os investidores — clientes que compram o imóvel visando a sua valorização, não para fins de moradia — são os que mais procuram o distrato, diante de um cenário de queda ou variação muito pequena de preços no mercado.

    Para Rubem Vasconcelos, presidente da Patrimóvel, distratos em escala poderiam levar o setor à insolvência:

    — Especulação não justifica distrato. Empresas com o caixa enfraquecido têm mais dificuldade para obter crédito. Hoje, há empresas vendendo imóveis abaixo do preço de custo e queimando reservas.

    A PDG, por exemplo, que passa por um processo de reestruturação e vem reduzindo o endividamento bilionário, fechou o primeiro trimestre com prejuízo de R$ 410 milhões, 154% pior que um ano antes, mas 80% menor que o de outubro a dezembro. Somou R$ 97 milhões em vendas líquidas ao descontar R$ 306 milhões em distratos.”

    http://m.oglobo.globo.com/economia/negocios/regras-para-distrato-podem-dar-alivio-ao-setor-imobiliario-19309480

    ” Vinícius da Costa, consultor jurídico da Associação Brasileira de Mutuários da Habitação, destaca que o acordo é um marco importante, mas alerta para o fato de este não ter força de lei:”

    2+
    • CA 15 de maio de 2016 at 08:09

      Cajuzinha,

      Enquanto o governo não assimilar o quanto a bolha é extremamente destrutiva, continuaremos tendo ações que só irão prejudicar cada vez mais a economia e a sociedade, como no exemplo acima:

      As construtoras criaram um esquema de vendas FALSAS na planta, para vender para quem não tem renda para adquirir o crédito imobiliário na entrega do imóvel, com isso SIMULARAM super aquecimento de demanda, o que levou a um volume ANORMAL de investidores, que passaram a responder por 40% das vendas contra 10% de participação antes disso. Claro que as construtoras também incentivaram essa ANOMALIA através de um conjunto ENORME de DESINFORMAÇÃO, prometendo valorizações acima de qualquer aplicação financeira, prometendo crescimento contínuo e relevante da economia, etc, etc, etc…

      Qual foi a empresa pioneira e líder do esquema acima? A PDG.

      Agora lemos notícias como a que consta acima, em que este setor se coloca como vítima desta situação e ainda usa a PDG como exemplo! É o cúmulo da hipocrisia, não é mesmo?

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Carlos 15 de maio de 2016 at 08:21

        Ora do Temer reavaliar a situação econômica do país.

        “Não há risco de bolha imobiliária”, afirmou, antes de acompanhar o lançamento de um livro comemorativo sobre um ano de promoção cultural entre Portugal e Brasil. Em lugar de riscos, há sintomas positivos na economia, como uma baixa taxa de desemprego, “próxima ao pleno emprego”, que ficou em agosto em 5,3%, e uma inflação de 5,8 % para este ano, dois décimos a menos que o previsto para junho.
        “Como vai haver problema na economia se o desemprego está diminuindo? Temos as preocupações naturais de manter um bom governo no que se refere à economia”, defendeu.

        Segundo os últimos dados do Banco Central, a economia crescerá 2,5% este ano, dois décimos a menos que a estimativa de junho.

        http://exame.abril.com.br/economia/noticias/temer-descarta-risco-de-uma-bolha-imobiliaria-no-brasil

        3+
        • Carlos 15 de maio de 2016 at 08:26

          “Ora” foi de f… mas poderia ser temos que “orar” para que o Temer escute as pessoas corretas e não seja dominado pelos intere$$es do mercado imobiliário.
          Como dizia o Spike Lee: Faça a coisa certa.

          3+
        • Cesar_DF 16 de maio de 2016 at 08:28

          Era essa a opinião dele em outubro de 2013, e agora ?

          0
          • Carlos 16 de maio de 2016 at 09:47

            Boa pergunta, vamos ver se a equipe nova dá uma luz pro temeroso.

            0
      • Carlos 15 de maio de 2016 at 08:57

        Ótima notícia, depois de tanta especulação, será que vai?

        Elio Gaspari, assim como O Antagonista, é do time de Mansueto Almeida:

        “O economista Mansueto Almeida deverá ser o próximo secretário do Tesouro. Se for e se ficar até o fim do governo, terá sido uma escolha indicativa da boa qualidade dos propósitos de Temer.

        http://www.oantagonista.com/posts/um-presente-dos-ceus

        Queria mesmo ver uma CPI das destrutoras.

        4+
        • avatar
    • Alemon Fritz 15 de maio de 2016 at 10:15

      que bancos malvados, agora entram com apenas 50%, só pensam em lucro.

      5+
      • avatar
    • EngenheiroSP 15 de maio de 2016 at 17:41

      Nunca entendi o porquê das construtoras não gostarem de distrato. Ora, como IMÓVEL SEMPRE VALORIZA (um corvo me disse), o bom cliente que comprou na planta te deu dinheiro durante a construção e um ano depois te devolve pelo mesmo valor (até mesmo, descontando as multas) algo que valorizou 30%! É um negócio da China!

      8+
      • avatar
      • avatar
  • Carlos 15 de maio de 2016 at 07:43

    OFF – A maneira mais fácil de se viver na Austrália de graça por pelo menos 15 anos.

    https://www.youtube.com/watch?v=9rI6V4_3Kfw

    3+
  • Carlos 15 de maio de 2016 at 09:00

    In Mansueto we trust.

    INDICADOR

    O economista Mansueto Almeida deverá ser o próximo secretário do Tesouro. Se for e se ficar até o fim do governo, terá sido uma escolha indicativa da boa qualidade dos propósitos de Temer.

    Ele cursou políticas públicas pelo MIT (Massachusetts Institute of Technology).

    Até aí, é pouco. Vale o que disse a sua professora Judith Tendler: “Um aluno como ele é um presente dos céus”.

    (No início da sessão de fogos de artifício da caravana de Temer apareceu o nome do professor Ricardo Paes de Barros para coordenar a área social. Sumiu, pois tem currículo, mas não tem partido.)

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/eliogaspari/2016/05/1771361-lula-e-a-manipulacao-do-radicalismo.shtml

    1+
  • Cajuzinha 15 de maio de 2016 at 10:10

    http://www.emtempo.com.br/em-manaus-mercado-imobiliario-registra-alto-volume-de-desistencia-na-compra-de-imoveis/

    Em Manaus, mercado imobiliário registra alto volume de desistência na compra de imóveis
    maio 15, 2016 Economia

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 15 de maio de 2016 at 10:26

    Perolas PMJ do texto
    casal que fez distrato diz: “E também porque tínhamos outros compromissos, como a prestação de um veículo.” …preferimos ficar com o carro”

    corvo: “a baixa da inflação está em queda”… (ou seja vai continuar alta).

    9+
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 15 de maio de 2016 at 10:33

    o número de depósitos na poupança também assegura essa segurança na economia do país”, diz. (o corvo)

    “As pessoas que não estavam no poder não estavam pensando no país”.(idem)

    Mas, esse é um movimento natural, o distrato é natural. (idem) trocaram mercado por distrato

    7+
    • avatar
    • avatar
  • SampaBoy 15 de maio de 2016 at 12:34

    Construtoras, incorporadoras, corvos e afins cinicamente vão afirmar que agora tudo esta bem , que o cenario ira melhorar, quando na verdade eles sabem que o buraco é muito mais embaixo. Os caras querem entrar na festa com um elefante branco e achar que, como ta todo mundo feliz , ninguem vai perceber que é um elefante ! Nao adianta arrumar outras formas de financiar, continua sendo um elefante!

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 15 de maio de 2016 at 13:52


    A expectativa para este ano é que o total de gastos dos brasileiros com produtos e serviços chegue a R$ 3,9 trilhões, segundo projeções da IPC Marketing. “A queda que houve em 2015 e a que é esperada para este ano anulam o crescimento que ocorreu entre 2011 e 2014”, diz Marcos Pazzini, responsável pelo estudo e diretor da consultoria.

    O consumidor, na prática, já percebeu isso. O carrinho de supermercado não é mais o mesmo, o plano de trocar de carro ou de comprar um imóvel foi adiado, as férias no exterior voltaram a ser uma meta de longo prazo. “Uma das diferenças dessa crise é que, agora, o brasileiro tem uma sensação de perda muito maior”, diz Renato Meirelles, do instituto Data Popular.

    Por quatro anos consecutivos, de 2011 a 2014, a taxa de crescimento do consumo das famílias superou o desempenho do PIB. No ano passado, pela primeira vez, o consumo caiu 4% e superou a retração do PIB, de 3,8%.”

    Em quanto tempo o mercado consumidor como um todo vai se recuperar é uma previsão que os economistas ainda não conseguem fazer. “As famílias estão muito endividadas. Primeiro, terão de pagar suas contas para depois voltar a consumir”, diz Zeina Latif, economista chefe da XP Investimentos. “Será uma recuperação lenta.””

    http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2016/05/15/internas_economia,762771/consumo-no-brasil-volta-aos-niveis-de-2010.shtml

    6+
    • avatar
    • Ilusionista 15 de maio de 2016 at 15:17

      “As famílias estão muito endividadas. Primeiro, terão de pagar suas contas para depois voltar a consumir”.

      como as famílias vão pagar as contas atrasadas com os juros de quase 380 % a.a no cheque especial e 450 % no rotativo do CC e, ainda, assumir compromissos de renegociação com parcelamento de dívidas, com rumores de reformas trabalhistas que estão por vir, pretendendo reduzir os salários dos empregados das empresas que estão na “corda bamba”….

      7+
      • avatar
  • Alemon Fritz 15 de maio de 2016 at 16:46

    Preços no freezer
    – “O espetacular boom da moradia no Brasil parece terminado”, diz o último relatório do Global Property Guide divulgado na semana passada.

    De 2007 a 2013, os preços de moradia ajustados pela inflação subiram 113% em São Paulo e 144% no Rio de Janeiro. Nos últimos 12 meses até março, eles trocaram de direção e já caíram 1,12% em SP (também com ajuste inflacionário).
    Um processo parecido está acontecendo em outras economias em crise, como Rússia e Ucrânia, e em países da Ásia como a China. …
    http://www.jornalfloripa.com.br/noticia.php?id=10119142

    5+
  • zedabolha 15 de maio de 2016 at 18:00

    Vendas a credito no varejo na modalidade 2 cartões é uma maneira nova de se driblar a crise. Com essa modalidade é possível dar uma entrada e completar o pagamento a prazo com o cartão do pai, da mãe, do irmão mais velho, do marido, da esposa do primo, do cunhado, da cunhada, da sogra, etc. Um estatístico pode ajudar a calcular de quanto aumentam as chances de venda.

    5+
  • Cajuzinha 15 de maio de 2016 at 20:42


    Na ânsia de fazer caixa para cobrir um rombo que passa de R$ 100 bilhões, o governo federal vai vender participações acionárias em empresas consideradas não estratégicas. Entre elas estão a Novacap e a Terracap, nas quais detém, respectivamente, 43,88% e 49% do capital. Essas participações acionárias podem render entre R$ 200 milhões e R$ 400 milhões aos cofres da União.

    Segundo técnicos do governo federal, não há mais porque o Tesouro Nacional continuar como acionista da Novacap e da Terracap, empresas que pouco agregam em termos de receita. Assim como as duas companhias, centenas de outras participações acionárias serão ofertadas à iniciativa privada. O programa de privatização do governo de Michel Temer tem como premissa reduzir o tamanho do Estado.”

    http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/uniao-vendera-participacao-acionaria-na-terracap-e-na-novacap/

    6+
    • avatar
    • Cesar_DF 16 de maio de 2016 at 07:59

      A Terracap tem um custo de operação de R$ 250 milhões por ano, e até 2 anos atrás arrecadava cerca de 2 bilhões por ano com os leilões de imóveis, neste momento seu faturamento empata com seus custos operacionais, mas enquanto ela vende os terrenos em 300 parcelas, as despesas são à vista.
      O Governo do Distrito Federal limpou o caixa da Terracap para construir o estádio nacional de Brasília.

      1+
  • Avestruz que te seduz 15 de maio de 2016 at 22:16

    Dá sério tijolo moeda forte:
    http://mg.olx.com.br/belo-horizonte-e-regiao/imoveis/apartamento-belo-horizonte-196666973

    Aluguel/Preço venda: 2,9%
    kkkkk

    1+
    • Soy Bananes 16 de maio de 2016 at 10:37

      0,29%

      3+
  • Cajuzinha 16 de maio de 2016 at 05:34

    ” Mercado recua e trava indústria da construção

    RENATO JAKITAS – O ESTADO DE S.PAULO
    16/05/2016 | 05h00

    Rosemeire Leonardi estava passeando por Guarulhos (SP) quando viu um estande de vendas de um prédio novo, entrou para conhecer e comprou um apartamento. “Eu gostava da cidade, do bairro, fiz as contas e vi que dava para pagar as parcelas”, lembra. Ela assumiu uma dívida de R$ 580 mil, com 44 parcelas de R$ 2 mil, desembolso inicial de R$ 58 mil e o compromisso de usar o FGTS e tomar um financiamento para quitar o saldo devedor.

    Um plano que lhe parecia seguro até que, em janeiro do ano passado, ela ficou desempregada. “Perdi um salário de R$ 8 mil”, conta. “Sabia que ia ser difícil arrumar rapidamente outro emprego parecido e resolvi vender o apartamento.” Um ano depois, ela não só não vendeu o imóvel, como acompanhou sua desvalorização. “Um apartamento no meu andar, igual ao meu, está R$ 500 mil.””

    http://m.folha.uol.com.br/mercado/2016/05/1769527-estamos-vendendo-abaixo-do-custo-afirma-chefe-da-tecnisa.shtml

    5+
    • avatar
    • Cajuzinha 16 de maio de 2016 at 05:37

      O LINK CORRETO É

      https://www.google.com.br/amp/m.economia.estadao.com.br/noticias/geral,mercado-recua-e-trava-industria-da-construcao,10000051293.amp?client=ms-unknown#

      kkkkkkkkkkkk

      ” “Os preços caíram tanto que estão encostando nos custos e não existe mais margem de queda”, diz João da Rocha Lima, pesquisador de real estate da USP. “O impacto é ruim para o consumidor, que não tem dinheiro para comprar imóvel, mas é pior para as incorporadoras, que estão perdendo até seu coração nessa crise.””

      4+
      • CA 16 de maio de 2016 at 07:43

        Cajuzinha,

        Impressionante a similaridade do pessoal do segmento imobiliário com o governo do PT: destroem o país e ainda querem posar de vítima!

        Para quem não sabe, João da Rocha Lima do núcleo Real Estate da POLI/USP trabalhou na construção e atua na manutenção do índice FINGE ZAP, além de ter 100% dos seus ganhos vinculados ao segmento imobiliário.

        Como sabemos, o FINGE ZAP foi uma das ferramentas para se gerar uma especulação irracional com os preços dos imóveis. Pela “metodologia”, que o João da Rocha Lima ajudou a criar, se você tem anúncios de imóveis equivalentes, com preços diferentes e o mais barato deles é vendido, o que é natural, o preço médio do FINGE ZAP sobe de imediato, pois o anúncio mais barato que foi vendido sai da base (o vendedor retira o anúncio porque já vendeu). Daí os demais anunciantes se empolgam, porque viram o preço médio subir e aumentam ainda mais os preços anunciados. No começo e durante muitos anos, os compradores se assustam com preços que crescem rápido e de forma intensa (a exuberância irracional de toda bolha imobiliária) e vão caindo no golpe, aceitando pagar um preço cada vez maior pelos imóveis, principalmente porque junto com isso vem uma série de CHANTAGENS pelo segmento imobiliário com apoio da mídia, como por exemplo a eterna frase, válida para qualquer situação, de que se você não comprar hoje, amanhã estará mais caro, contando é claro com o FINGE ZAP como “evidência” disto.

        Sobre “vender abaixo do custo”, o próprio núcleo Real Estate fez vários estudos e sabe que índice de preço de vendas (I-VGR BACEN) subiu mais de 240% acima do índice de custos de construção, enquanto no auge da bolha imobiliária americana esta diferença foi de “apenas” 68%. A alegação deles, no entanto, é que se esta distorção absurda se deu pelo aumento abusivo no preço dos terrenos, que não entram no INCC. “ESQUECEM” de dizer que hoje temos um estoque de terrenos que é o suficiente para mais de 10 ANOS de lançamentos e vendas (fonte: relatórios trimestrais de 12 construtoras com Ações na BOVESPA) e na prática, os terrenos tem sido vendidos por preços muito abaixo do que constam nos balanços destas construtoras. Em outras palavras, mais uma vez uma desculpa esfarrapada.

        O que o próprio João da Rocha Lima sabe muito bem, é que existe sim uma grande margem de lucro, o que destrói o resultado e o caixa das construtoras é o esquema de vendas FALSAS na planta e seu consequente e ANORMAL volume de DISTRATOS, mas como sempre, eles vão continuar mentindo.

        Para finalizar, um professor da POLI/USP insistir, em pleno século XXI que o preço não pode ficar abaixo do custo, sendo que temos uma INFINIDADE de evidências há mais de um século de que isso não é verdade, inclusive o preço ficou abaixo do preço de custo no auge da explosão de todas as bolhas imobiliárias do Mundo, é uma grande vergonha, não só para ele e sua carreira acadêmica e de “consultor” do segmento imobiliário, como também para todos seus alunos, contaminando até mesmo a reputação da USP.

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Palmeirense Bolhudo 16 de maio de 2016 at 07:55

    Vai alugar um imóvel? Site cria ferramenta que calcula preços justos

    Valor final do aluguel

    Em conversa com o TechTudo, o CTO do QuintoAndar, André Penha, afirma que os valores finais dos aluguéis, geralmente, são mais baixos que aqueles sugeridos pelos proprietários. Com as negociações entre inquilino e locador, a tendência é de que o preço mensal seja menor no contrato do que no anúncio. “Essa é uma prática do mercado, é comum que os donos de imóveis anunciem um valor mais alto, já sabendo que passarão por um processo de negociação depois”, conta.

    http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2016/05/vai-alugar-um-imovel-site-cria-ferramenta-que-calcula-precos-justos.html

    5+
    • avatar
  • Cajuzinha 16 de maio de 2016 at 09:17

    Exemplo de vendas falsas para os mais pobres:

    “O setor sofre, como tudo no País, mas temos algumas sinalizações que nos deixam esperançosos. Em 2015 tivemos maior número de vendas de unidades que 2014: passou de 2.200 para 6.664 unidades. Apesar disso, foi menor em termos de valores que porque o que vendeu foram unidades mais baratas”, explicou Paulo Muniz, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-DF). ”

    http://www.jornaldebrasilia.com.br/noticias/cidades/684024/quantidade-de-lancamentos–em-2016-pode-ser-a-menor-em-20-anos/

    1+
    • CA 16 de maio de 2016 at 09:43

      Cajuzinha,

      Sim, certamente uma nova onde de vendas FALSAS na planta visando a população de mais baixa renda, que sempre foi a mais exposta a este GOLPE.

      Para lembrar e servir de referência para novatos no blog:

      1) Em 2012, a Tenda (segmento POPULAR do grupo Gafisa) teve recorde histórico de DISTRATOS, o que se repetiu em 2013, a tal ponto que a Gafisa suspendeu os lançamentos em 2013 para este segmento e teve que vender 70% da “galinha dos ovos de ouro” (Segmento Alphaville) só para pagar as dívidas geradas ;

      2) Em 2012 a Rossi teve seu recorde histórico de distratos e o primeiro prejuízo anual nos resultados em décadas de existência. A grande maioria dos distratos foi neste segmento popular, a tal ponto que a Rossi ABANDONOU o lançamento de imóveis populares a partir de 2013 ;

      3) A PDG, pioneira e líder nas vendas FALSAS na planta, também tem a grande maioria destes nos imóveis mais populares, tanto que teve que cancelar 48 empreendimentos em 2013 pelo excesso de distratos que previa para os mesmos ;

      4) Como as 3 construtoras acima “tiraram o pé” para vendas de imóveis mais populares via vendas FALSAS na planta em 2013, a MRV ganhou este enorme mercado de vendas IMAGINÁRIAS para clientes que não teriam a menor condição de adquirir o crédito imobiliário na entrega do imóvel. Qual a consequência? Em 2015 a MRV já bateu o recorde histórico dela em distratos, passando de R$ 1,6 bilhão em distratos, ficando atrás apenas da PDG, que apesar de tudo continuou a líder inconteste neste GOLPE.

      Por que o alvo das vendas FALSAS na planta sempre foram as famílias mais pobres?

      Porque normalmente são estas famílias que não leem o contrato e confiam cegamente no corretor, que não consultam nenhum advogado antes de assinar um contrato que vai comprometer fortemente a renda delas pelo resto da vida, que não sabem do reajuste do INCC ou acham que é verdade o que o corretor diz, que o INCC é só “zero virgula alguma coisa” e nem pesa no preço do imóvel, que acreditam quando o corretor diz os imóveis SEMPRE valorizam e não verificam através de nenhuma outra fonte se é verdade ou não, etc., etc., etc…

      Em outras palavras, quanto mais o governo tentar salvar o segmento imobiliário e sua pirâmide financeira, mais as famílias de baixa renda serão engambeladas no GOLPE da pirâmide financeira acima, com altíssimos prejuízos financeiros, é isto que o governo Lula / Dilma chamava de “programa social”… Querem um exemplo recente?

      Em 2015 o Governo Dilma prometeu 3 milhões de imóveis via Minha Casa Minha Vida. Qual a única construtora dentre 12 pesquisadas, que teve aumento de lançamentos e certamente de vendas FALSAS na planta em 2015? A MRV, que tem fatia relevante neste segmento MCMV. No primeiro trimestre de 2016 a Direcional, outra construtora focada no Minha Casa Minha Vida aumentou em 400% seus lançamentos na comparação com mesmo período de 2015. Detalhe: depois da promessa de 2015 o Governo reduziu a meta para 2 milhões de moradias, sabemos que não haverá dinheiro para tudo isto até 2018 como Dilma havia prometido, ou seja, junto com as tradicionais vendas FALSAS na planta irá se juntar a falta de dinheiro do governo / FGTS para subsidiar o crédito imobiliário, o que fará com que os DISTRATOS disparem ainda mais!

      5+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Danibolhista 16 de maio de 2016 at 10:45

        Cajuzinha,

        Concordo que pobre não lê, só que tem aqueles que leem e não entende, tem os que leem não entende mais pensa que entendeu, ou seja, entendeu errado, tem os que entenderam certo mas não tem noção do impacto da cláusula e tem os que entenderam tudo, tem noção ele discorda mas o contrato é de adesão, a construtora não vai mudar as cláusulas por sua causa, ou você aceita tudo e assina ou não compra. O meu caso, meu marido entendeu tudo, discordou mas não houve acordo, ele discordou da cláusula que se não pagar em 60 dias iria começar a incidir o IGPM, eu li, entendi, mas não tinha ideia que a construtora iria atrasar de propósito a documentação da parte dela gerando o atraso no pagamento e me cobrando IGPM que ela mesma causo o atraso. Eu não imaginei que a falta de caráter iria tão longe. Quando a pessoa está ansiosa pra ter seu tento se torna alvo mais fácil da hipnose dos corretores treinados. O rico tanto é mais informado, como também não sofre com o tema habitação igual um pobre entende? a subjetividade de um pobre é diferente, ele já foi despejado, já atrasou aluguel, já foi humilhado em casa de sogra, já morou de favor, já se mudou várias vezes, cada vez que se muda perde todos o móveis descartáveis que ele comprou e pra ele pagou tão caro, fica atualizando o endereço em todos os cadastros, os filhos tiveram que mudar de escola várias vezes no meio do ano, já ficou desempregado sem ter como pagar o aluguel, e o corretor vende para ele esperança de que tudo isso vai acabar, fala tudo que o pobre quer ouvir.

        3+
        • avatar
        • CA 16 de maio de 2016 at 11:05

          Danibolhista,

          O que você colocou foi um ótimo complemento.

          Aproveito para acrescentar outros exemplos:

          Jovens, com pouco mais de 20 anos, que nos últimos anos compraram em MASSA imóveis do Minha Casa Minha Vida, namorados e noivos, onde normalmente era a mulher que fazia mais pressão e que partiam para entrar em um financiamento por mais de 30 anos, porque calculavam que a entrega do imóvel combinaria com a data do casamento e afinal, “quem casa quer casa”.

          Este foi um outro grande grupo de pessoas iludidas por este golpe.

          Um aspecto “cruel” deste golpe executado pelo segmento imobiliário em parceria com a mídia e com patrocínio do governo, é que não são somente as pessoas que querem ser mais “espertas” e faturarem alto e sem esforço comprando na planta para revender antes da entrega (flippers – especuladores) que são prejudicados, infelizmente o maior contingente de enganados sempre foi o das famílias mais pobres e os jovens completamente inexperientes neste segmento imobiliário.

          É claro que, entre outros aspectos entram estas situações que você mencionou, mas é fato que se a pessoa tinha dinheiro para pagar pelo financiamento imobiliário, também poderia alugar um imóvel e portanto, não há como justificar que faz isto para escapar da humilhação de morar com a sogra, dentre outros aspectos que você mencionou, entra também o “orgulho” e a vontade de mostrar que não está “ficando para trás”, que está seguindo o que toda a manada faz e portanto pode ser visto como “alguém melhor” por familiares e amigos, afinal, “tem um imóvel”.

          No exemplo acima, conheço caso de um rapaz de vinte e poucos anos que comprou na planta junto com a noiva, no ato da entrega, não conseguiu o crédito imobiliário apesar de terem tido crescimento na renda no período (venda FALSA na planta), sequer tinham conseguido recuperar o dinheiro da entrada e parcelas durante a construção e já compraram um outro imóvel na planta, de outra construtora (não ligado ao negócio anterior, não era negociação para recuperar perda anterior). Depois disto, a noiva ficou desempregada em janeiro e ele em março de 2016. Em abril de 2016 os 2 estavam viajando (viagem comprada anteriormente) para comemorar a compra do imóvel. Uma “compra” de algo que só vai ser deles daqui a 30 anos, porque se atrasarem 3 parcelas seguidas do financiamento imobiliário, o banco vai lá e toma, ou seja, durante 30 anos será um aluguel pago para o banco, que até lá será o dono real do imóvel.

          Por que tanto DESESPERO por parte do casal acima para comprar um imóvel? Não podiam alugar, com valores mensais muito menores? Porque ele não conseguia lidar com a pressão da noiva, parentes e amigos, queria seguir o efeito MANADA e não “ficar para trás”.

          Já tive caso em que aconselhei diretamente um jovem a não comprar na planta naquele momento, expliquei tudo que acontecia, mesmo assim ele comprou por “pressão da noiva, dos amigos e parentes”. Na entrega do imóvel, viu VÁRIOS apartamentos sendo vendidos mais baratos pela construtora, poderia ter economizado dezenas de milhares de reais e ter gasto com viagens e aproveitando a vida, mas PREFERIU jogar dinheiro fora.

          Tenho vários casos que conheço, outros tantos do ReclameAqui e ainda de pesquisas, apontando várias e várias pessoas que tiveram prejuízos financeiros, algumas já na casa de centenas de milhares de Reais. Quem serão os parentes, amigos e noivas que agora vão cobrir este PREJUÍZO para estas pessoas? A culpa é também dos compradores sim, por mais humildes que sejam, pois existe o livre-arbítrio, como coloquei acima, na pior das hipóteses poderia ter alugado com valores mensais menores, ninguém pôs uma arma na cabeça para comprar, foi o EGO e efeito manada que fez deste grupo um alvo preferencial, juntamente é claro, com toda a falta de informação. Isto não anula a responsabilidade do segmento imobiliário, mídia, do governo e outros que faturaram alto com a bolha e se aproveitaram disto para ENGANAR o maior número possível de pessoas.

          4+
          • avatar
          • DRN 16 de maio de 2016 at 11:19

            Isso de jovem comprar realmente é muito comum.

            Os pais têm medo de que os CABEÇUDOS não vão poupar, ou seja, vão gastar tudo o que têm. Eles mesmos não deram educação financeira aos filhos, porque também não a tiveram e não quiseram buscá-la.

            Daí fica naquela historinha de que: “quem não faz dívida nunca tem nada”.

            Daí são obrigados a fazer o casamento do poli-amor: marido, esposa e MOTUMBO.

            6+
            • avatar
            • Awulll 16 de maio de 2016 at 11:25

              Alguém tem que pagar nossos juros né.

              4+
              • DRN 16 de maio de 2016 at 11:27

                Exato.

                PNJ

                3+
            • Danibolhista 16 de maio de 2016 at 11:37

              kkkk poli amor com Motumbo?

              1+
          • Danibolhista 16 de maio de 2016 at 12:25

            Cajuzinha,

            Essa bolha teve todos os astros alinhados para motumbar geral. Quando os imóveis começaram a bombar, foram 4 anos de construção sem muita reclamação, porque só estava no período de venda e construção, então ao consultar o Reclame aqui por exemplo, tinha poucas reclamações e nenhuma delas alarmantes, ninguém falava de saldo devedor por causa do incc, até porque nas parcelinhas era aceitável, não tinha dado tempo da pessoa ser obrigada a desistir na hora das chaves. Tem aquela questão que a pessoa tem medo de reclamar e piorar a negociação, tem gente que aceita o prejuízo numa boa, então não tinha muita reclamação para consultar. Então enquanto as reclamações demoravam para aparecer, dava tempo para eles continuarem vendendo. Agora que muita gente reclamou, creio ser muita burrice a pessoa comprar depois de tanta informação.

            Antes as reclamações eram assim:
            1) obra atrasada. Não informavam o impacto financeiro da obra em atraso, só reclamavam que estava demorando muito, daí o comprador em potencial pensa, “esperei tanto para ter minha, eu espero mais um pouco” ;
            2) Defeito. Rachadura, vazamento, encanamento. O potencial comprador pode pensar. “ave, contrata um pedreiro e arrume isso”.

            Não existia reclamação de distrato, INCC, IGPM, condomínio, corretagem.

            Mesmo que existisse uma reclamação pela corretagem, isso basicamente só afeta quem quer desistir, a pessoa que está procurando para comprar não acha que vai precisar desistir, que vai ser forçada a desistir, então ela vê uma reclamação assim e ignora a dimensão do problema. Hoje as reclamações estão mais detalhadas, só que agora é tarde pra muita gente.

            A verdade é qua era difícil conseguir um imóvel antes, e continua difícil agora, a diferença é que antes quem não tinha dinheiro nem se atrevia a cogitar um financiamento.

            0
  • Cajuzinha 16 de maio de 2016 at 09:19


    Em queda
    O mercado imobiliário brasileiro continua em queda vertical, que necessariamente vive atrelado às taxas de juros e os empresários do setor sonham com o dia que os juros caiam para que o setor volte a crescer.
    Em queda 2
    Em Cajazeiras as dezenas de casas comerciais que vendem material de construção estão vivendo momentos de muita tensão, tanto com relação à diminuição de suas vendas, quanto terem que demitir os seus funcionários. A crise pouco a pouco vai se instalando na cidade, sem perspectivas do retorno ao crescimento.”

    http://www.diariodosertao.com.br/noticias/128441/queda-na-construcao-civil-comemoracao-de-denise-com-racha-das-oposicoes-xamegao-de-cajazeiras-e-pesquisa-para-prefeito-estao-na-faisqueira.html

    2+
    • CA 16 de maio de 2016 at 09:53

      Cajuzinha,

      Sobre o trecho do artigo acima:

      “Em queda
      O mercado imobiliário brasileiro continua em queda vertical, que necessariamente vive atrelado às taxas de juros e os empresários do setor sonham com o dia que os juros caiam para que o setor volte a crescer.”

      Esta é uma grande e descarada MENTIRA. Vamos aos fatos:

      Em 2012 o Brasil teve a menor taxa de juros de todos os tempos (SELIC alcançou 7,5% em out/12, com forte movimento de queda durante o ano), o governo tinha verba de poupança e FGTS em fartura e forçou CEF e BB a praticarem os menores juros do crédito imobiliário de toda a história também, ou seja, “nunca antes na história deste país” tivemos juros tão favoráveis para o segmento imobiliário como neste ano.

      Qual o resultado obtido pelas construtoras em 2012?

      Podemos começar mencionando meu comentário anterior a este e os dados sobre o volume anormal de distratos que em 2012 foi mais que o dobro que 2011 e que afetou algumas grandes construtoras, em especial aquelas que tinham maior volume de vendas de imóveis populares, mas não foi só isto. Vejamos abaixo um estudo feito pela empresa de consultoria Austin Rating a respeito do resultado de 12 construtoras com Ações na BOVESPA em 2012:

      Link: http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2013/04/construtoras-tem-prejuizo-e-estoque-de-imoveis-sobe-43-em-2012.html

      Trechos do link acima:

      “Construção vê queda de vendas e lançamentos e alta de estoques no ano.
      Levantamento feito pela Austin Rating compilou balanços de 12 empresas.”

      “O faturamento total recuou 30%”

      “O número de unidades lançadas caiu 42,3% em 2012 em relação a 2011”

      “As vendas contratadas caíram 27,4%, para R$ 26,2 milhões. O número de unidades vendidas caiu 23,4%, para 108,6 mil.”

      “O estoque dobrou em unidades”

      “No conjunto, esse grupo de construtoras reverteu o lucro obido em 2011, de R$ 1,87 bilhão, para um prejuízo de R$ 1,42 bilhão em 2012.”

      E então, será que os juros mais baixos são a “tábua de salvação” deste segmento (rs)?

      3+
      • avatar
      • avatar
  • Carlos 16 de maio de 2016 at 09:51

    Quanto tempo até que alguém peça uma CPI das construtoras?

    A onda de distratos está ganhando força e a gritaria uma hora ou outra chega em Brasília.

    3+
    • avatar
    • CA 16 de maio de 2016 at 09:56

      Carlos,

      Infelizmente a CPI não leva a nada, só serve para fazer barulho.

      Enquanto não tivermos uma denúncia por ministério público quanto a este autêntico esquema de pirâmide financeira e isto não for investigado a fundo pela polícia federal, continuarão à vontade na aplicação do golpe.

      Aliás, eles tem a desculpa perfeita: é a crise de 2015, a grande vilã e culpada pelos distratos anormais e crescentes. Sabemos que não é verdade, que se tornou anormal em 2011, que dobrou a anormalidade em 2012, que não teve nada a ver com a “crise de 2015”, mas a mídia é grande parceira deste segmento e não vai revelar esta verdade a ninguém, enquanto isto, mais e mais famílias vão sendo enganadas e mais a economia vai sendo destruída…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Danibolhista 16 de maio de 2016 at 12:47

        CA,

        Falou tudo. As construtoras não assumem o que fizeram. Sabe que são os culpados segundo eles:
        1. Devido o desemprego dos cliente, os mesmos estão desistindo, a construtora não motivou o distrato;
        2. Construir ficou muito caro porque faltou mão de obra na construção civil, a construtora não tem culpa da preguiça dos brasileiros que não querem trabalhar;
        3. Choveu muito, a construtora não tem culpa das chuvas;
        4. A prefeitura demorou para liberar, ela não tem culpa pela morosidade dos órgãos públicos;
        5. O banco não deu crédito para a pessoa. A construtora não tem culpa se o cliente não tinha renda ou se o banco ficou mais rigoroso;
        6. A culpa é do cliente que não leu o contrato.

        Agora eles esquecem de mencionar o seguinte:

        1. Ler o contrato: eles nunca deixam o cliente tirar uma xerox do contrato para ler em casa e só assinar na semana seguinte depois de ter lido com calma. O negócio é bem grosso, cansativo de ler, colocam coisas importantes bem no meio das que não menos importantes. Quando se assina o contrato, não te dão uma cópia na hora, dizem que vão mandar via Correios, te mandam quase 02 meses depois. Se o consumidor tem o prazo de 1 semana para desistir de qualquer compra, eles já fazem a gentileza de te mandar o contrato quando este prazo já expirou. Se você foi assinar o contrato com pouco tempo e quiser voltar outro dia porque não sabia que tinha tanta coisa para ler assim, eles não deixam. Uma vez li em algum lugar que uma cliente ficou quase 08 horas no estande lendo e discutindo o contrato, acha que todo mundo faz isso?;

        2. O cliente não tinha renda. Ora, todo mundo que abre um crediário em qualquer lugar, passa por uma avaliação financeira, a construtora também “faz”, a diferença é que a equipe que faz a avaliação está de olho nas comissões e vai aprovar até quem ganha 1 real por mês. Os demais estabelecimentos recusam te dar o crediário se eles acharem. O pior que em qualquer lugar você não paga para ter seu crediário avaliado, mas a construtora te cobra para avaliar sua situação e a ainda faz o serviço mal feito.

        3. O cliente desempregou. As construtoras dão a si mesmas o prazo de 180 dias para atrasar o compromisso delas, já prevendo algum imprevisto. Ora, se imprevistos acontecem, porque não dá o mesmo prazo para o cliente em caso de desemprego?

        3+
  • Veigalex 16 de maio de 2016 at 10:57

    DaniBolhista,

    Tenho uma situação similar a sua.. também financiado em 20 anos inicialmente. Porem a minha estratégia é:
    Ajuntei 5K, vou e abato o saldo devedor e mantenho a parcela.
    Isso faz com que a relação Juros Vs Amortização passe a ser maior para o lado da amortização.
    A caixa não manda mais o extrato, mas você consegue pegar o extrato no site , sempre a parcela em aberto.
    Veja essa relação.. as vezes o seu juros do dinheiro no CDB é menor do que o que a caixa te cobra.. ai não vale a pena ficar com o dinheiro lá.
    Vale a pena abater o saldo devedor.. e ter uma maior parcela na amortização.

    1+
    • avatar
    • Danibolhista 16 de maio de 2016 at 11:39

      Veigalex,

      Me explique melhor, eu ia na Caixa hoje pedir informação.

      0
  • DRN 16 de maio de 2016 at 10:59

    Mineiro Spy, daí eu repito o que disse em 2012, já dizia antes e também disse depois: HÁ DOIS ASPECTOS de abordagem dessa questão, a saber:

    (i) o aspecto individual de alocação dos recursos, absolutamente legítimo, que o caboclo faz quando decide concorrer num concurso público com remunerações escandalosamente dissociadas da realidade da iniciativa privada;

    (i) o aspecto coletivo, ou macro, ou de olhar o objeto FORA da situação, isto é, retirar-se, mentalmente, do cargo, e pensar: NÃO É QUE A PORRA DO ESTADO não tem receita para pagar tudo isso? E mais: NÃO É QUE A PORRA DO ESTADO atrapalha a atividade produtiva, de modo que o mercado consegue pagar R$2mil na média e motoristas de desembargadores, carimbadores de cartório etc. etc. ganham R$3-8 mil, dependendo de serem da união ou unidades da federação gastadoras?

    Sem esses dois aspectos, não dá paga discutir.

    E quanto à sua pergunta, pode o Estado me oferecer o que quiser: não quero. Já passei numa meia dúzia de concursos e NÃO QUIS ASSUMIR. Simples, aqui fora, na iniciativa privada, eu tenho um negócio chamado AD EXITUM, que os funças da minha área não têm, a menos que sejam corruptos (daí não dá para competir). E eu tenho outra coisa excelente: LIBERDADE. Sou meu chefe (depois de muitos anos de labuta) e se por exemplo eu quiser ir embora no horário do almoço, quantas vezes eu quiser, quando eu quiser, eu vou.

    MINEIRO SPY 13 de maio de 2016 at 17:00

    DRN.
    Essa discussão já foi travada longamente desde 2012.
    Quem opta por ser funcionário público é porque acha melhor. Oferecem condição X e o cara pleiteia a vaga. Direito dele lutar por mais. Caso se torne desinteressante, que saia. Eu estava no privado mas queria mais, porque investi em educação por anos. O público se ofereceu a me pagar mais mediante concurso e eu entrei. Se ele resolver cortar, eu vazo. Simples.
    Besteira comparar privado com público, afinal todos querem receber mais por sua hora de trabalho. Se o Estado decidir que são dispensáveis, os competentes acharão lugar fora. Os incompetentes sofrerão.
    Se o Estado oferecer 40 mil pra vc por mês, recusaria por simples comparativo com iniciativa privada e por achar desigual? Aposto que não.
    As condições mudam com o tempo e os recursos devem migrar e ser realocados em função de benefícios ou não, o que também se aplica à mão de obra

    0
    • DRN 16 de maio de 2016 at 11:37

      Só para não deixar sem resposta a afirmação do Longa Manus de que existirira DIREITO CONSTITUCIONAL AO REAJUSTE INFLACIONÁRIO.

      Não existe.

      O artigo 37, X da CF diz:

      X – a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o § 4º do art. 39 somente poderão ser fixados ou alterados por lei específica, observada a iniciativa privativa em cada caso, assegurada revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) (Regulamento)

      REVISÃO é diferente (veja bem: DIFERENTE) de reajuste inflacionário. Revisão pode ser inclusive PARA BAIXO.

      Os critérios estão na lei 10.331/2001, na qual destaco o artigo 2º, incisos IV e VI, que tratam: (i) da DISPONIBILIDADE FINANCEIRA e (ii) da evolução nominal e real das remunerações no mercado de trabalho:

      Art. 1º As remunerações e os subsídios dos servidores públicos dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário da União, das autarquias e fundações públicas federais, serão revistos, na forma do inciso X do art. 37 da Constituição, no mês de janeiro, sem distinção de índices, extensivos aos proventos da inatividade e às pensões.

      Art. 2º A revisão geral anual de que trata o art. 1º observará as seguintes condições:

      I – autorização na lei de diretrizes orçamentárias;

      II – definição do índice em lei específica;

      III – previsão do montante da respectiva despesa e correspondentes fontes de custeio na lei orçamentária anual;

      IV – comprovação da disponibilidade financeira que configure capacidade de pagamento pelo governo, preservados os compromissos relativos a investimentos e despesas continuadas nas áreas prioritárias de interesse econômico e social;

      V – compatibilidade com a evolução nominal e real das remunerações no mercado de trabalho; e

      VI – atendimento aos limites para despesa com pessoal de que tratam o art. 169 da Constituição e a Lei Complementar no 101, de 4 de maio de 2000.

      Em suma, querem reajuste inflacionário mesmo: (i) com arrecadação INFERIOR ao gasto público e (ii) remuneração atual MUITO superior ao do mercado de trabalho.

      Não, não vai. E se for, TEMEROSO vai começar mal, muito mal.

      2+
    • MINEIRO SPY 16 de maio de 2016 at 11:40

      Sua opção deve ser respeitada. Se vc nunca quis concurso, pq pleiteou vaga? Para mostrar para si que é capaz? Se foi isso, ótimo. Ninguém tem nada com isso. Por isso digo que as condições do jogo são pré-estabelecidas e podem ser alteradas ao longo do tempo, o que geraria uma realocação de pessoas e transferência de mão de obra para o setor privado. No extremo, muitos do privado poderiam concorrer com os então funças, e perder o emprego, devendo migrar para o setor público, que remuneraria pior. Objetivo é mostrar que joga-se a regra do jogo. Tem muita gente qualificada e competente no setor público e acredite…muitos privados hoje não iam topar tê-los como concorrente.

      Quanto a refletir sobre a capacidade governamental de arcar com tudo isso, de fato é algo que deve ser feito para manter ou mudar as regras. Barnabezinho se posicionou contra o reajuste, pq não tem grana. Concordo com ele. Se tá quebrado, a solução é quebrar ainda mais para manter a galera feliz e com condição de jantar no dudu em bsb pagando 70 por 150 gramas de carne, ou em condição de pagar a parcelinha no Noroeste? Negativo. Foi muito bem dito…sabia-se q isso não duraria para sempre, mesmo assim enfiaram a cara na dívida. Agora, recebam.

      Quanto ao reajuste estar no orçamento, barnabezinho novamente acerta..é um sonho a ser concretizado. Orçamento é autorizativo, não impositivo, logo, não contem com o ovo no cu na galinha.

      2+
      • DRN 16 de maio de 2016 at 11:49

        Mineiro SPY, prestei porque na minha família sempre houve esse “canto messiânico” do concurso público. Até eu perceber que havia vida fora disso demorou.

        Vou te falar de três concursos:

        (i) passei para escrevente do TJSP no começo do terceiro ano da faculdade (eu ganhava 500 no estágio): fiquei no estágio (motivo: aprender);
        (ii) logo que me formei, passei num concurso para adêvogado do BB e da Petro*osta (eu ganhava 3 contos no escritório): fiquei no escritório (motivo: evoluir);
        (iii) com cinco anos de formado passei no concurso para procurador do estado de SP: não assumi porque havia conseguido montar meu escritório, conseguido ter três contratos de ‘partido fixo” (como chamamos) e realmente fiquei balançado, mas não, não assumi.

        E o melhor de tudo: NÃO ME ARREPENDO!!!!

        Eu não estou dizendo que não existe gente competente no serviço público. Meu assunto é outro: competente ou não, se o cabloco não está satisfeito QUE SE EXONERE!!! Só isso. Agora, ficar de mimimi para CARCAR ainda mais no lombo do trabaiadó brasilêro, contribuinte, daí, não!! Só isso.

        O que o povo não entende é que eu não critico a decisão PESSOAL do cara de ser funça. Se as condições dadas foram essas (excelentes remunerações) e o cara QUIS ISSO e passou, PARABÉNS. Minha discussão é outra, é macro, é de fora para dentro: é analisar se o Estado DEVERIA ou DEVE pagar o que paga. Só isso.

        3+
        • avatar
        • DRN 16 de maio de 2016 at 11:52

          Minha família só tem funça, aliás:

          – mãe e irmã professoras estadual e municipal
          – avô: aposentado (exército e prefeitura de sp);
          – madrasta (casou com meu pai quando eu tinha 5 anos): delegado de polícia.

          Só eu e meu pai, dos próximos, não somos. E todo o resto (tios e primos) tem um monte: maioria policiais e funças de prefeitura.

          1+
        • MINEIRO SPY 16 de maio de 2016 at 12:00

          De acordo.
          Concordo que essa deva ser a lógica. Usufrua o que o setor público tem e viva com parcimônia. O que mais vejo é galera entrando e gastando atéééééé. Aí quer entubar o país para arcar com suas cagadas. Negativo. Não podemos atribuir ao coletivo (pagar pelo reajuste/aumento) para cobrir as mancadas privadas.
          Acho que o “canto messiânico” se replica na maior parte das famílias.
          Muitos funças vão sofrer e já estão sofrendo.

          3+
  • DRN 16 de maio de 2016 at 11:01

    FInalmente assisti à Grande Aposta. Excelente filme. Recomendo, embora creia em que a maioria dos bolhistas já o tenha visto.

    Duas coisas me chamaram muita atenção:

    (i) os caras irem IN LOCO analisar a bolha (prova de que muitas vezes, antes de tomar uma decisão de investimento, temos de IR VER A COISA in persona);

    (ii) a possibilidade de que um grande volume de dinheiro seja acumulado, num cenário de pura fraude e enganação, só por conta da informação. Informação realmente é quase tudo. Informação e capacidade de processamento dela (atividade cognitiva) são tudo.

    1+
    • DRN 16 de maio de 2016 at 11:08

      Depois de ver o filme ficou mais claro para mim o subprime brasileiro. A exemplo do Tesouro americano, chamado para aportar capital para que honrassem os CDS e tivessem alguma liquidez depois de trocar bilhões de dólares por tijolos e gesso (os empréstimos não pagos), o Tesouro bananense, que, por lei, já dá lastro à CEF, será chamado a aportar recursos nessa jabuticaba. Como o CA disse, a CEF tem 70% do mercado de crédito imobiliário (não lembro se de tudo ou se do MCMV. Quero ver se vão colocar todos os imóveis de inadimplência em leilão. Aqui a legislação oferece uma vantagem aos bancos: eles vendem o imóvel ocupado. Lá, na trumpland, o banco tem de recuperar a posse antes de vender. Isso pode ajudar.

      De todo modo:

      CEF = soma dos bolsos dos contribuintes.

      Portanto, RECEBAMOS.

      Que beleza essa democracia. A maioria vence (lacradores de 13 malditos), mas todos se sentam na TROSOBA do motumbo.

      2+
  • Cesar_DF 16 de maio de 2016 at 11:08

    #OFF DILMA
    Que tal a Dilma assumir como governadora de um estado falido como RJ ou RS ? kkkkk eu apoio !

    http://noticias.band.uol.com.br/brasil/noticia/100000806527/dilma-pensa-em-renunciar-e-ser-governadora.html

    3+
    • avatar
    • avatar
    • DRN 16 de maio de 2016 at 11:11

      Será que se elege no RS? Que os gaúchos RECEBAM caso a maioria assim o queira.

      4+
      • avatar
      • avatar
      • Libertario 16 de maio de 2016 at 11:36

        Sai fora DRN!!!
        Ta louco meu?
        Vai rogar praga pra outros lados!!!!

        1+
        • DRN 16 de maio de 2016 at 11:38

          hehehehe

          0
          • DRN 16 de maio de 2016 at 11:39

            NA verdade eu sou a favor da dissolução da união. Assim, vcs vão poder realizar o sonho antigo da República de Piratini e a Dilmalandra poderá voltar a ser:

            PRESIDENTA!!!

            2+
  • Seguidor do Bolha BH 16 de maio de 2016 at 11:20

    Mais um capítulo do “imperdível e lucrativo investimento” na rede hoteleira de BH. Talvez a iniciativa informada na reportagem seja a última esperança antes do contínuo processo de fechamento desses empreendimentos que, diga-se de passagem, ainda existem em torno de 9 hotéis para serem inaugurados na cidade neste ano.

    Em BH, quartos de hotel são usados como escritórios
    http://hojeemdia.com.br/primeiro-plano/economia/em-bh-quartos-de-hotel-s%C3%A3o-usados-como-escrit%C3%B3rios-1.384730

    1+
  • Lucas 16 de maio de 2016 at 11:40

    SampaBoy

    Caro Lucas, concordo plenemente com todas as observacoes. Um pequeno porem : 7 milhoes daqui 20 anos nao sao como 7 milhoes hoje. Se a inflacao continuar em torno de 10% ao ano, 7 milhoes daqui 20 anos “equivale” (em termos de poder de compra) a menos de 1 milhao hoje

    é óbvio meu amigo
    estou comparando a aplicação X imóveis

    imóvel que hoje vale X daqui 20 anos estará velho caindo aos pedaços precisando de reforma
    inflação é o envelhecimento do dinheiro

    Pra comparação ser justa :
    ou vc aplica envelhecimento tbm no imóvel
    … ou, vc não aplica envelhecimento em nenhum

    acabou o mito que imóvel sobe com a inflação

    e aquele papinho de o preço do tijolo subiu
    desprezo esse argumento
    só o que temos construído hoje pode passar anos sem construir pra consumir todo o estoque.

    Não caia no conto de zezés da vida que diz que não sei o que é juro real
    sei sim, e desmonta a malandragem deles.
    Taí a realidade pra provar o que venho calculando desde 2011.

    3+
  • Lucas 16 de maio de 2016 at 11:43

    levar zezés e danis à classe dos argumentos dá nisso…
    entopem o blog de mais porcaria da mente deles

    eu não estou discutindo com eles

    EU ESTOU DENUNCIANDO ELES.

    3+
    • DRN 16 de maio de 2016 at 11:53

      Olavo de Carvalho MODE ON

      3+
  • Veigalex 16 de maio de 2016 at 13:10

    Dani,

    Entre no site da Caixa, abaixo segue o link .. tire a primeira aspas.
    ‘http://www1.caixa.gov.br/servico/habitacao/
    Coloque o numero do seu contrato e ao cpf, ele deve pedir algum dado de confirmação.
    Após entrar, vá em reimprimir 2ª via do boleto.
    Ele sempre mostra a parcela em aberto. ( Se informar que não tem parcela em aberto, é que vc pagou recentemente e o sistema não atualizou ainda)
    Existindo a parcela, é só reimprimir e vc terá os dados( Saldo Devedor, Juros, Amortização…)

    Se não conseguir me envia e-mail. veigotico arroba gmail.com

    2+
    • avatar