Caixa limita novos financiamentos imobiliários da linha Pró-Cotista FGTS – G1

Você pode gostar...

Comments
  • Annoying Brick in The Wall 10 de maio de 2016 at 09:06

    Muito bom PLOC para todos!

    Acredito que seja pertinente retomarmos o post anterior do Seguidor do Bolha BH

    ‘Estamos vendendo abaixo do custo’, afirma chefe da Tecnisa
    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/05/1769527-estamos-vendendo-abaixo-do-custo-afirma-chefe-da-tecnisa.shtml

    Olhem só que maravilha
    (…)

    Como o aumento dos distratos tem pressionado os preços?
    É uma bola de neve. O estoque está alto e o cliente que comprou pede distrato, quer desistir. Aí o estoque fica ainda mais alto. Então você é obrigado a dar um desconto para realizar a venda. Com isso, os preços caem. Aí aquele comprador que não ia distratar pensa: ‘bom, já que o preço despencou, então eu também vou distratar’. Aí os preços caem mais ainda. Fica uma coisa sem fim.

    O que estamos passando hoje no Brasil no setor imobiliário é uma crise similar à crise do subprime, que teve nos Estados Unidos em 2008 e 2009. Similar por razões completamente diferentes mas com resultados praticamente idênticos. E estamos à beira de ter um problema sistêmico se o governo não agir com relação a esse assunto.

    (…)

    Os preços devem voltar a subir quando?
    Tem lugares em que a gente não precisa dar desconto porque tem procura e tem outros em que precisamos dar 50% de desconto para vender. Os índices que medem as variações de preços não captam os descontos, ou seja, os preços efetivamente praticados. Quando você vê tabela de vendas, acha que os preços praticamente não caíram, mas a realidade das empresas, principalmente dependendo do volume de estoques, é muito diferente. Tem gente dando 30%, 50% de desconto.

    (…)

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 10 de maio de 2016 at 09:17

      Annoying Brick in The Wall,

      Exelente amostra da REALIDADE.

      Complemento com algo que também ficou no final do outro tópico:

      Cajuzinha 10 de maio de 2016 at 05:58
      MEGA TÓPICO

      ” Queda real dos preços de imóveis se acentua
      O Estado de S. Paulo
      10/05/2016 | 03h00

      “Além de as informações recentes do mercado de imóveis mostrarem o baixo ritmo de atividade do setor, a queda do valor dos aluguéis e a oferta insatisfatória de crédito no segmento residencial, o Índice FipeZap divulgado há pouco revelou que os preços pedidos pelos imóveis em 20 cidades do País estão praticamente estáveis na média e em nenhum caso superaram a inflação acumulada em 12 meses.”

      ” Embora o Índice FipeZap não retrate com exatidão o comportamento do mercado, pois é construído com base em anúncios de venda e não nas operações efetivamente realizadas, ele indica as tendências dos preços de imóveis.

      Num mercado desfavorável para o vendedor, é possível que os preços médios apurados sejam inferiores aos pedidos”

      ” Já não existe o crédito farto a taxas competitivas oferecido pelo principal agente financiador (CEF), que reduziu empréstimos devido ao esgotamento dos recursos das cadernetas de poupança. A atividade torna-se rarefeita num mercado que depende de crédito de longo prazo.

      Os indicadores do FipeZap sugerem que o reequilíbrio do mercado vai demorar – provavelmente só ocorrerá em fins de 2017 ou em 2018.”

      ————————————————————————————————————————————————————————————————-

      Comentário (CA) sobre a notícia baseada no FIPE Zap colocada pela Cajuzinha e complementando com esta reportagem do Annoying Brick in The Wall logo acima:

      A reportagem que menciona o FIPE Zap colocada pela Cajuzinha parece a ala soft e 100% alienada do blog! Vejamos este trecho:

      ” Embora o Índice FipeZap não retrate com exatidão o comportamento do mercado, pois é construído com base em anúncios de venda e não nas operações efetivamente realizadas, ele indica as tendências dos preços de imóveis.”

      Incrível, mas continuam falando sobre preços ANUNCIADOS como se tivessem, por algum motivo, qualquer evidência que fosse de que acompanhariam a evolução dos preços reais, embora na vida inteira deles nunca tenham ouvido falar de alguém que tivesse vendido pelo preço anunciado e embora tenham sido apresentados a uma infinidade de evidências de que os preços anunciados tem tido evolução diametralmente oposta à dos realizados ao longo dos anos, como por exemplo quando a própria revista Zap Imóveis, feita por aqueles que mantém o FIPE Zap, encomendou para EMBRAESP uma pesquisa baseada em preços negociados em 2013 para São Paulo e constatou queda de 17,6% dos preços de imóveis de 3 dormitórios enquanto o FIPE Zap apontava que os preços anunciados de 3 dormitórios cresceram 16% no mesmo período e na mesma cidade!

      Observem a notícia abaixo e os trechos correspondentes, esta é a notícia sobre a pesquisa encomendada pela revista Zap Imóveis:

      http://msn.revistaimoveis.zap.com.br/155982-precos-dos-imoveis-novos-caem-em-sao-paulo.html

      Trechos do link acima:

      “Segundo levantamento da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), obtido com exclusividade pelo ZAP Imóveis…”

      “A tipologia de três dormitórios foi a que mais contribuiu para esta redução geral dos valores, com queda de 17,6% nos valores cobrados.”

      Sabe quando o pessoal do Zap Imóveis que mantém o índice FIPE Zap encomendou outra pesquisa baseada em preços reais após esta? NUNCA MAIS! É assim que funciona a ALIENAÇÃO da realidade praticada por este segmento e ainda mais pela galera soft do blog, estes últimos, pelo volume de evidências apresentadas neste blog, certamente por MÁ FÉ.

      19+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 10 de maio de 2016 at 09:18

        Sabem por que o FIPE Zap é diametralmente oposto à realidade?

        1) Vendem menos de 1% do que anunciam, como deixam escapar no próprio artigo acima, no seguinte trecho:

        “A atividade torna-se rarefeita num mercado que depende de crédito de longo prazo.”

        Quem quiser pode comprovar, é só ver o quanto vendem por dados de CRECI mais SECOVI (usados mais novos) versus o volume de anúncios do Zap Imóveis.

        Qualquer um, que tenha o MÍNIMO de raciocínio lógico, sabe que se as vendas são rarefeitas e correspondem a menos de 1% do que se anuncia, não há o menor sentido em se acreditar que o preço dos 99% não vendidos acompanha o preço daquele 1% que vendeu.

        2) Outro exercicio simples de lógica: a dinâmica do FIPE Zap foi feita para ENGANAR. Demonstro:

        Se você tiver 5 imóveis de 100 m2 anunciados por R$ 500 mil e 1 anunciado por R$ 400 mil, com isto o preço médio do m2 é de R$ 4,83 mil para o FIPE Zap, correto?

        Agora suponha que, como seria de se esperar, aquele que conseguiu vender é o do anúncio de R$ 400 mil. Como ele vendeu, o seu anúncio foi retirado e sobraram só os 5 imóveis anunciados por R$ 500 mil cada um. Como ficam os índices de preços?

        FIPE Zap: preço médio do M2 subiu de R$ 4,83 mil para R$ 5 mil
        MUNDO REAL: preço médio do m2 é de R$ 4 mil, nunca foi o de R$ 4,83 mil e teve queda quando vendeu o imóvel mais barato. No FIPE Zap, se você vende o imóvel mais barato, o preço médio sobe!!!

        Pronto, demonstramos qual a lógica do FIPE Zap que gera os resultados diametralmente opostos à realidade que vemos na notícia sobre pesquisa que o próprio FIPE Zap encomendou, apesar disto ainda tem gente neste mesmo tópico que acredita que é soft porque viu os preços anunciados caírem (kkkkk)!

        38+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • CA 10 de maio de 2016 at 09:21

          Agora vejam o desespero que começa a tomar conta até dos corretores porque eles vêem que anda tem muito trouxa que acredita em preço anunciado, não vende e eles não recebem comissão:

          Link da última pesquisa do CRECI SP (Conselho Regional dos CORRETORES de imóveis), pesquisa esta feita com centenas de imobiliárias na cidade de São Paulo, com base em preços negociados:

          http://www.crecisp.gov.br/arquivos/pesquisas/capital/2016/pesquisa_capital_marco_2016.pdf

          Trechos do link acima:

          “Imóvel fora de preço vai continuar sem comprador.”

          “A própria série de pesquisas do Creci paulista mostra que a tendência dos preços dos imóveis usados é de baixa, não de alta. De abril do ano passado a março deste ano, o preço médio do metro quadrado na cidade de São Paulo acumula queda de 23,41%.”

          O pior é que se olharmos os últimos 24 meses a queda NOMINAL dos preços (sem contar com inflação) foi superior a 40% !

          Nos EUA, símbolo de Hard landing de explosão de bolha imobiliária, no ano que tivemos a maior queda de preços, a redução foi de 18%! E ainda tem gente no tópico anterior discutindo FILOSOFICAMENTE e “baseada” (no sentido de quem fumou um baseado) no FINGE ZAP (kkkkkkkkkkkkkkkkkkk) !!!

          15+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • CA 10 de maio de 2016 at 09:34

            Pois é, daí vem a galera soft com o MIMIMI:

            “Ah, mas vende muito pouco, então PRA MIM, não representa a realidade, prefiro me basear no preço ANUNCIADO porque tem um volume muito maior” (rs)

            Sim, já ouvi “argumentos” como o que consta acima, o que demonstra uma total falta de lógica e de conhecimento mínimo sobre o mercado, não só de imóveis, mas de qualquer produto, senão vejamos:

            O que aconteceu em toda explosão de bolha imobiliária?

            As vendas atingiram seu menor patamar histórico e a distorção entre oferta e procura bateu todos os recordes.

            Por que o que consta acima é comum em todas as bolhas imobiliárias do Mundo?

            Chama-se LEI DE OFERTA E PROCURA! Se não há compradores habilitados em volume suficiente, mas em contra-partida há um excesso de oferta, não há outra saída a não ser baixar os preços!

            Daí vemos outro argumento “jenial” (sic) e típico da ala soft do blog:

            “Ah, mas os vendedores não vão QUERER baixar os preços, o governo também não vai QUERER deixar que isto aconteça”

            Então, por mais esta “brilhante” lógica da galera soft, nunca existiu nenhuma explosão de bolha imobiliária no Mundo, certo? Ou teria existido explosão porque um vírus zumbi atacou os vendedores e estes decidiram baixar os preços?

            Os preços baixam, SEMPRE, em função da NECESSIDADE e não do desejo. Exatamente como está relatado no comentário acima sobre os resultados da Tecnisa! No caso das construtoras, elas precisam baixar os preços para conseguirem vender e pagar as parcelinhas das dívidas delas que estão vencendo. No caso de imóveis usados e das fortes quedas de preços de imóveis que DEMONSTREI acima, com base em pesquisas do CRECI SP, as famílias que baixam muito os preços são aquelas que mais PRECISAM vender, pois estas também tem dívidas a pagar, MUITAS já com inadimplência (índices de endividamento e inadimplência das famílias em patamares recorde).

            Sobre o “Governo todo poderoso” da “teoria” soft, isto não existe e a pessoa tem que ser extremamente ALIENADA para não ter entendido isto ainda em meio a crise fiscal e política vivida neste momento, portanto, creio que não careça de mais demonstrações.

            Daí a galera soft “chola mais” (sic):

            “Ah, mas se baixou o preço, por que não vende?”

            Primeiro porque os preços ainda estão fora da realidade da renda, apesar das quedas relevantes, porque o quanto os preços subiram, bateram todos os recordes mundiais, segundo porque é assim que ocorre em toda bolha imobiliária, super oferta, escassez de compradores habilitados, preços caem, as pessoas veem os preços caírem, cancelam suas compras, com isto a distorção entre oferta e procura aumenta mais, os preços caem mais ainda e o ciclo continua, sendo que isto sempre leva ANOS para ocorrer…

            Reforço: no Mundo REAL, as empresas e pessoas baixam os preços em função da NECESSIDADE, no Mundo de faz de conta da galera soft, “querer é poder” (kkk)

            23+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Lucas 10 de maio de 2016 at 13:59

              CA é abaixo do custo considerando terreno hiperinflado e saco de cimento acima de 30 reais, hoje tanto um como outro cairam 50% de preço

              hoje se constroe 50% mais barato
              o estoque antigo somado com a concorrencia nova vai destruir as empresas que pedalaram na bolha

              ISSO TUDO CONFORME PREVIMOS

              14+
              • avatar
              • avatar
              • CA 10 de maio de 2016 at 14:35

                Lucas,

                Verdade, nem entrei neste mérito, mas aproveito para complementar:

                1) Terrenos:

                O land bank (banco de terrenos que ainda não tiveram nenhum lançamento) em poder de 12 construtoras com Ações na BOVESPA é o suficiente para mais de 10 anos de lançamentos e vendas, tendo como base o VGV potencial de lançamentos para estes terrenos informados por estas construtoras e também o resultado de vendas dos últimos 12 meses, também informados por estas construtoras.

                Nos últimos anos, diversas construtoras muito endividadas tem vendido terrenos a preços muito abaixo do “preço de mercado”.

                Estes preços foram inflados, em especial no ano de 2007, logo após 13 construtoras terem aberto Capital na BOVESPA e terem ido todas ao mesmo tempo comprarem terrenos, depois de 2012, com a queda contínua em lançamentos, os preços REAIS e PRATICADOS quanto a terrenos só tem caído, conforme as próprias construtoras apontam em seus relatórios trimestrais.

                2) Mão-de-obra:

                De 2006 a 2009 o percentual de participação da construção civil na geração de empregos formais simplesmente DOBROU, saindo de 8,4% em 2006 para 16,9% em 2009. O custo de mão-de-obra da construção civil disparou, Depois disto o percentual da participação da construção civil em relação ao total do Brasil veio caindo, em especial a partir de 2012 com a derrubada nos lançamentos e com isto, em 2013 já tinha voltado para 9,4% do total, quase o mesmo patamar de antes do INFLAR artificial propiciado pela bolha imobiliária, junto com Copa do Mundo e obras Petrobrás.

                Em 2014 nova queda relevante em lançamentos, término da copa do Mundo e operação lava-jato, a construção civil foi a primeira a ter perda de vagas formais e puxar os resultados dos empregos para baixo. Desde então, de forma acentuada e crescente, queda na renda real de forma geral para o Brasil e ainda mais acentuada para a construção civil, ou seja, outro custo em queda.

                3) Materiais de construção:

                Notícias todos os meses de novas quedas nas vendas de materiais de construção, pela natural lei de oferta e procura, forte tendência de queda nos preços.

                “DETALHE” super importante:

                O índice de preços dos imóveis (IVG-R do BACEN) subiu mais de 240% acima do índice de custo de construção no Brasil no período de 2007 a 2015, enquanto no auge da bolha imobiliária americana esta diferença chegou a 60%.

                Em resumo, ainda tem MUITO espaço para redução de preços dos imóveis sem que fiquem abaixo do preço de custo, o problema financeiro gravíssimo de VÁRIAS construtoras é gerado pelo esquema da pirâmide financeira das vendas FALSAS na planta: no ato da entrega, grande volume de cancelamento de vendas, deixa de entrar a parcela principal (80% do valor), com isto a construtora vai fazendo dívidas e mais dívidas para lidar com os gastos do dia-a-dia (capital de giro) e pedalar postergando o pagamento dos juros, ao longo dos anos (distratos anormais desde 2011) esta bola de neve vai destruindo por completo o caixa da empresa, sem contar que as receitas REAIS não param de cair com as próprias quedas nas vendas brutas, tem custos mais elevados para manter imóveis já entregues (IPTU, manutenção, condomínio, etc.), dentre outros fatores, todos trazidos pelo GOLPE que implementaram e não pelos custos em si, conforme demonstrado com números acima…

                10+
                • avatar
                • avatar
        • Cajuzinha 10 de maio de 2016 at 09:23

          CA, veja que lindo:

          “Os preços devem voltar a subir quando?
          Tem lugares em que a gente não precisa dar desconto porque tem procura e tem outros em que precisamos dar 50% de desconto para vender. Os índices que medem as variações de preços não captam os descontos, ou seja, os preços efetivamente praticados”

          http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/05/1769527-estamos-vendendo-abaixo-do-custo-afirma-chefe-da-tecnisa.shtml

          9+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • CA 10 de maio de 2016 at 09:42

            Cajuzinha,

            Isto que foi colocado no artigo acima, também se confirma quando analisamos os dados das pesquisas do SECOVI SP para a cidade de São Paulo, que da mesma forma é baseada em preços NEGOCIADOS, FINAIS, REALIZADOS:

            Segundo o SECOVI SP (sindicato das CONSTRUTORAS), em janeiro/2016, tivemos queda no ticket médio de imóveis de 1 e 2 dormitórios, que representam 80% das vendas totais, na ordem de 27% e 30% respectivamente, na comparação com janeiro/2015. De novo, um percentual de queda de preços de imóveis que supera em muito a queda de 18% nos preços dos imóveis que foi o recorde de redução de preços em um ano durante a explosão da bolha imobiliária americana!

            Isto que a Tecnisa colocou e que consta no artigo acima como se fosse uma “novidade”, já havia sido explicado aqui no blog no início de 2014 (2 ANOS ATRÁS!), inclusive com dados da própria Tecnisa. Segue link, de outro blog em virtude do master reset daqui que ocorreu recentemente:

            http://defendaseudinheiro.com.br/resultados-tecnisa-e-a-bolha-imobiliaria#

            7+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Zé do Brejo 10 de maio de 2016 at 12:35

              Destaco o seguinte trecho da reportagem:
              “A tomada de decisão sobre lançamentos tem considerado aspectos políticos?
              O mercado trabalha assim: você faz a conta de quanto custa o seu produto, põe uma margem de lucro MÍNIMA, vê o preço de mercado e vê se é compatível.”

              Margem de lucro mínima? Tá de brinqueixon uiti mi?

              4+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
          • Bruno.12 11 de maio de 2016 at 11:42

            “Os preços devem voltar a subir quando?
            Interessante que ele ignora totalmente a pergunta kkkkkkkkkkkk
            ARDAM!

            0
    • Seguidor do Bolha BH 10 de maio de 2016 at 14:31

      Efeito “bolha de neve”?
      hahahahaha

      3+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 10 de maio de 2016 at 09:15

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    “PREÇO DESPENCOU”

    “Como o aumento dos distratos tem pressionado os preços?
    É uma bola de neve. O estoque está alto e o cliente que comprou pede distrato, quer desistir. Aí o estoque fica ainda mais alto. Então você é obrigado a dar um desconto para realizar a venda. Com isso, os preços caem. Aí aquele comprador que não ia distratar pensa: ‘bom, já que o preço despencou, então eu também vou distratar’. Aí os preços caem mais ainda. Fica uma coisa sem fim.”

    “O que estamos passando hoje no Brasil no setor imobiliário é uma crise similar à crise do subprime, que teve nos Estados Unidos em 2008 e 2009. Similar por razões completamente diferentes mas com resultados praticamente idênticos. E estamos à beira de ter um problema sistêmico se o governo não agir com relação a esse assunto.”

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 10 de maio de 2016 at 10:16

      Cajuzinha,

      Excelente destaque quanto a notícia.

      Para quem acha que é alguma “novidade” esta analogia entre vendas FALSAS na planta com seus consequentes DISTRATOS e a dinâmica mencionada no artigo acima pela Tecnisa com a bolha imobiliária americana e seu subprime, seguem links de tópicos postados por aqui 2 anos atrás que já explicavam isto em detalhes, DESENHADO e com fartura de evidências (links de outro site em função do master reset recente por aqui):

      http://defendaseudinheiro.com.br/a-bolha-imobiliaria-e-o-subprime-brasileiro#

      http://defendaseudinheiro.com.br/a-evolucao-da-bolha-imobiliaria-parte-1#

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • carioca_real 10 de maio de 2016 at 12:44

        Será que teve Bolha Imobiliaria nos EUA em 2008?????
        NOSSA EU NUNCA IRIA SUPEITAR!!!!!!

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Lucas 10 de maio de 2016 at 13:11

        na bolha americana pelo menos especulavam em cima de casas reais, aliás cada vez maiores e melhores

        aqui a especulação era sobre calhamaços de papel que prometia imóveis cada vez menores, alguns do tamanho de um armário americano

        31+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • joselito 10 de maio de 2016 at 14:14

          Então foi você né, que comentou la no FSP dizendo que imóvel de 400mil não tem espaço nem para sentar no vaso sanitário sem bater o joelho na parede kkkkkkkk

          17+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • From_The_Tower 10 de maio de 2016 at 15:22

          huahuahuahuahuahuahua!

          4+
          • avatar
    • Alemon Fritz 10 de maio de 2016 at 10:36

      Similar por razões completamente diferentes mas com resultados praticamente idênticos.
      Tem cara de bolha, tamanho de bolha, efeitos de bolha, mas só parece bolha, mas não é bolha.

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 10 de maio de 2016 at 09:52

    10/05/2016 – 07h12 | Atualizado em 10/05/2016 – 07h56
    Vendas de imóveis novos em São Paulo recuam 16% em março, diz Secovi-SP
    Apesar de forte queda no mês, volume comercializado no primeiro trimestre ficou 4,4% acima do registrado no mesmo período de 2015

    http://www.dci.com.br/servicos/vendas-de-imoveis-novos-em-sao-paulo-recuam-16-em-marco,-diz-secovisp-id546941.html

    5+
    • avatar
    • avatar
    • fanfarraum 10 de maio de 2016 at 10:02

      “No entanto, o resultado ficou abaixo da média de 5,5 mil unidades escoadas entre 2004 e 2015.”

      Alguém tem idéia do número de corvos na cidade de São Paulo?
      Queria ter uma idéia da relação vendas/corvos… Achei uma notícia de abril/2013 “São Paulo tem 9 vezes mais corretores do que residências vendidas por mês”
      http://achadoseconomicos.blogosfera.uol.com.br/2013/04/03/sao-paulo-tem-9-vezes-mais-corretores-do-que-residencias-vendidas-por-mes/

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • CA 10 de maio de 2016 at 10:28

      Cajuzinha,

      Destaco 3 trechos:

      “Segundo a entidade, com o resultado de março, o primeiro trimestre totalizou 2.856 unidades residenciais comercializadas na capital paulista, volume 4,4 por cento acima do mesmo período de 2015. ”

      “As vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo caíram 16 por cento em março, na comparação anual”

      “Em março, o valor global de vendas (VGV) foi de 645,7 milhões de reais, queda anual de 10,5 por cento e alta de 43,5 por cento sobre fevereiro.”

      Sobre o primeiro trecho, é bom salientar que as vendas do primeiro trimestre de 2015 foram as piores de todos os tempos, então ficar 4,4% acima não é nada, principalmente se você considerar que fizeram MEGA pedalada via vendas FALSAS na planta, quando aumentaram em 78% os lançamentos em janeiro/16 na comparação com janeiro/15, para poderem diluir as parcelinhas dos lançamentos pagas às construtoras em 36 meses (prazo da construção), deixando o valor mensal bem baixinho para atrair INCAUTOS (exemplo: dê um sinal de R$ 5 mil e compre sem comprovação de renda, depois na entrega não consegue o crédito imobiliário e vira distrato).

      Quanto ao segundo e terceiro trechos, é curioso observar que as vendas cresceram 16% em unidades e caíram 10,5% em valores na comparação de março/16 com março/15, ou seja, queda no ticket médio novamente, como constatado em jan/16 e havia comentado acima.

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 10 de maio de 2016 at 09:55

    enda de imóveis novos em SP cai 16% em março, diz Secovi
    Já em relação a fevereiro deste ano, houve alta de 28%.
    Com isso, o primeiro trimestre do ano registrou a venda de 2.856 unidades
    (isso dá 952por mês)
    a cidade de São Paulo encerrou março com 25.823 imóveis residenciais disponíveis para venda ….(isso dá para… 2,5 anos e sem lançamentos)…

    Sendo assim, nos próximos meses, poderemos ter um aumento nos lançamentos e, consequentemente, na demanda de imóveis novos em São Paulo”, disse Amary.
    (kkkkk, não tem lógica)

    http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/05/venda-de-imoveis-novos-em-sp-cai-16-em-marco-diz-secovi.html

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Louro José 10 de maio de 2016 at 09:59

    Mas que delícia, gente.
    A banânia tá hilariante, melhor que qualquer série ou reality show.

    Enquanto o governo se apega ao poder, eu amplio a desigualdade social recebendo juros. A resistência em levantar da cadeira só prejudica o pobre.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • BolhaPOA 10 de maio de 2016 at 10:03

      Fico louco quando penso que poderia ter comprado mais NTNBs 2035 quando estavam a ~7.8.
      É muita opressão rentista.

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 10 de maio de 2016 at 10:07

    http://extra.globo.com/noticias/economia/prestacoes-do-minha-casa-minha-vida-subirao-ate-237-em-julho-19267058.html#ixzz48G3OOYGt

    “O governo nega que os reajustes tenham sido motivados pela alta inadimplência dessa faixa do programa, de 23%, e que sejam destinados a cobri-la. O percentual é dez vezes maior do que a média de 2,33% de inadimplência em todas as linhas de crédito imobiliário da Caixa no primeiro trimestre do ano. O Ministério das Cidades afirmou, porém, que “verifica-se que a inadimplência está mais relacionada a outros fatores do que ao valor da prestação”.”

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Minions 10 de maio de 2016 at 10:26

    Desde o ano passado, a CEF vem tomando medidas para restringir e encarecer o crédito imobiliário. A cada bimestre ela altera uma variável da equação financiamento onde, simplificadamente,
    Valor da Parcela que cabe no bolso = valor do bem financiável / quantidade de parcelas * taxa de juros
    Já foi alterado o valor financiável “n” vezes (diminuindo a parte que a CEF financia)
    A taxa de juros também foi alterada “n” vezes
    Só a quantidade de parcelas que AINDA não foi alterada.
    A CEF, agora, parece estar analisando a real capacidade de pagamento dos motumbados.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Minions 10 de maio de 2016 at 10:29

    Hoje, no UOL (daqui a pouco no JN)
    Mercado imobiliário
    Venda de imóveis em São Paulo sobe 28% no mês, mas cai 16% em um ano
    “Estamos vendendo abaixo do custo”, diz construtora Tecnisa
    Caixa esgota crédito para imóveis entre R$ 225 mil e R$ 500 mil

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Minions 10 de maio de 2016 at 10:33

    http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2016/05/09/casa-propria-caixa-limita-acesso-ao-credito-2-meses-apos-anunciar-r-7-bi.htm
    Casa própria: Caixa limita acesso ao crédito, 2 meses após anunciar R$ 7 bi
    (…)
    Agora, então, a linha “Pró-Cotista FGTS” está disponível apenas para financiar:
    imóveis de até R$ 225 mil;
    imóveis entre R$ 500 mil e R$ 750 mil.

    4+
    • avatar
  • Bananildo 10 de maio de 2016 at 10:34

    Banânia tá bem mais divertida que House of Cards. Os roteiristas devem estar putos.
    Quando o governo cair, ao que tudo indica, quando começarem a desenterrar os ossos das gavetas, os preços dos imóveis cairão muito mais….

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 10 de maio de 2016 at 10:45

    Sobre o tópico:

    Está em linha com o que tem sido dito nos últimos meses, inclusive com comentários e evidências em tópicos anterior, sem contar o excelente tópico do Resimob sobre o próprio fundo pró-cotista do FGTS, em resumo: ENTROPIA crescente!

    Não existe governo super-poderoso: não dá para sugar valores crescentes do FGTS ETERNAMENTE, na prática a Caixa Econômica Federal está em situação de “Terra Arrasada”, como colocado por técnicos do ministério da Fazenda, ou em “situação muito preocupante” como Armínio amenizou ao explicar para Temer, a crise não para de piorar, a poupança, outra fonte de “crédito imobiliário barato” já teve SANGRIA de mais de R$ 33 BILHÕES de janeiro a abril de 2016 e mais de R$ 50 BILHÕES em 2015.

    Só por curiosidade, vejamos a “efetividade” destes empréstimos para imóveis até R$ 225 mil como consta no artigo do tópico, no sentido de colaborar para diminuir a distorção absurda entre oferta e procura:

    Ao consultarmos no site imovelweb, no total da cidade de São Paulo, temos 4.922 apartamentos anunciados com preços até R$ 225.000,00. Sabe qual o total geral de apartamentos anunciados em São Paulo, só neste site? 222.989 apartamentos. Em outras palavras, este financiamento com juros mais baixo vai atender menos de 2,2% de todos os imóveis anunciados, mais uma vez, um resultado completamente PÍFIO e que não mudará nada a completa distorção entre oferta e procura de imóveis.

    O que consta anterior é análogo a outra medida em estudo: destinar de R$ 10 bi a R$ 15 bi da poupança, no total do Brasil, para financiamento com juros que virão a ser mais baratos do que são hoje para imóveis com preços acima de R$ 750 mil, enquanto só para São Paulo, só apartamentos e no site imovelweb, temos muito mais do que R$ 96 bi anunciados nesta faixa de preço, ou seja, se considerar o total do Brasil, de novo financiamento que vai “impactar” menos de 2% da SUPER OFERTA crescente…

    9+
    • avatar
    • avatar
    • DRN 10 de maio de 2016 at 11:37

      A disputa por locatários será GIGANTESCA. Prevejo pessoas pagando 1,5mil a R$2 mil reais para morar em aptos de mais de 150 metros quadrados.

      Essa é a vantagem da bolha: a produção “ANTECIPOU” anos de demanda. Isso sem contar que o crescimento populacional vai se estabilizar entre 2030 e 2040.

      16+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Zé do Brejo 10 de maio de 2016 at 11:42

        Anteciparam a produção que atenderá a geração NEM-NEM.
        Não existe solução para as construtoras. Elas não tem saída, senão a falência.

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
      • Danibolhista 10 de maio de 2016 at 12:08

        Que inveja, tô presa na minha bolha de 50m2.

        6+
        • avatar
      • Cajuzinha 10 de maio de 2016 at 12:31

        Kkkkkk

        Isso já acontece. Pago 1,9k em um AP de 160m de área ÚTIL – PISO. No boleto do IPTU o imóvel está avaliado em 550k

        8+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • DRN 10 de maio de 2016 at 23:12

          OK, mas vc tem sorte de morar em aracaju, certo?

          Aqui nas CAPITAR do Sudeste isso ainda não acontece…

          1+
          • avatar
  • DRN 10 de maio de 2016 at 11:25

    TD Suspenso.

    Dólar em queda a 3,48

    Bolsa em alta a quase 52 mil pontos.

    O simples andamento do impedimento já faz o mercado ficar de bom humor com o braseco, apesar de todos os dados ruins (PIB em queda, desemprego e contas públicas em frangalhos).

    5+
    • avatar
    • avatar
    • DRN 10 de maio de 2016 at 11:29

      Bolsa em 37 mil pontos em janeiro de 2016. Que janela!!! Eu faço buy and hold mensalmente e devagar. Mas quem sabe da arte de especular está realizando um belo lucro.

      5+
      • avatar
      • avatar
    • BolhaPOA 10 de maio de 2016 at 11:29

      Pzeh, a dúvida que fica no ar: teremos taxas acima de 7% nas NTNBs novamente?

      2+
      • avatar
      • DRN 10 de maio de 2016 at 11:31

        Eu acho que teremos, mas na dúvida eu comprei alguma coisa em 6% (1/3 do que eu pretendia comprar a 8%). Se pintar 7% gastarei mais 1/3 e ficarei no aguardo da sonhada bola 8.

        3+
        • avatar
        • DRN 10 de maio de 2016 at 11:32

          Em tempo, fui de 2026, e não de 2050. Prazo mais curto e vencimento nos mesmos dias (dentro da idéia de ter seis pagamentos anuais pelo TD).

          3+
          • avatar
          • DRN 10 de maio de 2016 at 11:35

            O que está aliviando para o braseco é que os americanos não estão deixando o dólar se apreciar muito, a liquidez monetária é gigantesca e não há outro lugar para o CAPETAL internacional conseguir essa rentabilidade. Depois, com a expectativa de que temeroso consertará o curso de crescimento da dívida, mantendo-a sustentável, tudo ficou mais fácil para adms dos grandes fundos internacionais. A relação é PARASITÁRIA e o parasita não quer ver o hospedeiro FALECER por razões óbvias.

            7+
            • avatar
            • avatar
            • DRN 10 de maio de 2016 at 11:36

              TD acaba de voltar com taxas menores.

              3+
              • avatar
        • BolhaPOA 10 de maio de 2016 at 11:36

          Sim, estou em uma estratégia mais especulativa. Estou pensando em realizar os lucros de umas 2035 compradas a 7.82, e esperar uma nova janela. É uma aposta, não existe investimento sem riscos.

          3+
          • avatar
          • DRN 10 de maio de 2016 at 11:38

            Se for fazer isso, sugiro fazer com 50%. 50% realiza, 50% mantém. É uma sugestão para tentar ganhar nos dois cenários, qualquer que seja aquele confirmado.

            2+
            • avatar
            • BolhaPOA 10 de maio de 2016 at 11:40

              É uma boa ideia sim, obrigado pela sugestão.

              2+
              • avatar
            • vitera 10 de maio de 2016 at 17:09

              DRN

              Sugere algum material ou site para aprender a respeito das opções de investimento? Hoje só tenho LCA por causa da isenção de IR e facilidade do internet banking do BB. Não entendo bulhufas de TD/CDB/etc. Abraço!

              1+
              • avatar
              • DRN 10 de maio de 2016 at 17:13

                Vitera, quanto a TD, faça vc mesmo. Entre no site da Easyinvest ou outra corretora (de banco se vc preferir), abra uma conta e comece a aplicar valores pequenos para entender o mecanismo. Tem muita coisa disponível na internet. Jogue TEsouro Direto no google e vc encontrará. CDB é depósito bancário com remuneração melhor. O banco onde vc tem conta terá CDB para oferecer. Não gosto muito por causa do IR.

                3+
                • avatar
                • avatar
                • avatar
  • Master Yi 10 de maio de 2016 at 11:51

    Aí você abre seu email e se depara com isso:

    Caro leitor,

    O primeiríssimo assunto que abordei neste espaço, no já distante outubro de 2014, foi a possibilidade de haver uma bolha imobiliária brasileira.

    A conclusão foi categórica: não havia condições necessárias para a formação de uma bolha.

    Pessoas com interesse em alimentar o medo para obter audiência em seus sites tentaram me intimidar dizendo que eu me arrependeria se não mudasse de ideia.

    Nada como 19 meses para demonstrar que não houve nenhuma bolha, apenas uma vagarosa perda real, ou seja, a valorização abaixo da inflação dos imóveis residenciais, conforme o cenário que eu tracei.

    Se você deseja conhecer uma bolha de verdade, recomendo que observe o mercado de Vancouver, cidade na região oeste do Canadá.

    Email enviado por: [email protected]
    O grupo trabalha em parceria com a Empiricus.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • Minions 10 de maio de 2016 at 11:58

      Guarde o email par uso futuro. Estamos quase no cume e motumbo já está se divertindo com alguns investiotários.

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 10 de maio de 2016 at 12:18

        Minions,

        Motumbo já se diverte com investiotários há 3 anos, pelo menos. A única questão é que este pessoal FINGE desconhecer a REALIDADE e para isto, nada melhor do que utilizar como “referência” o FINGE Zap, que como explicado e DEMONSTRADO no início deste tópico, é diametralmente oposto à realidade.

        Evidências de depoimentos de 2013 quanto a prejuízos já sentidos por investidores em imóveis desde então:

        Evidência 1 – link: http://www.reclameaqui.com.br/6798190/pdg-incorporacoes/xag/

        Trecho do link acima: “Boa noite estou procurando o reclameaqui para manifestar minha indguinaçao referente ao investimento que fis a tres anos atras e aconpanhei o meu dinheiro desvalorizar e os altos juros pdg encolherem meu dinheiro e no fim de tudo acompanhar a enchurradas de unidades oferecidas por eles tres anos depois mais barato do que juntando meu fluxo e saldo devedor”

        Evidência 2 – link: http://www.reclameaqui.com.br/4575633/gafisa/imoveis-com-a-gafisa-nunca-mais/

        Trecho do link acima: “…porém para nossa surpresa a Gafisa lançou o Mistral com 2 metros quadrados a mais que o nosso e ainda por cima mais barato que o nosso, como é que agora vou vender um ap com 2 metros a menos e ainda por cima mais caro, pode me explicar Gafisa?”

        Evidência 3 – link: http://www.reclameaqui.com.br/6792650/pdg-incorporacoes/pdg-prejudica-os-clientes-investidores/

        Trecho do link acima: “Para minha surpresa, 2 anos após, estou tentando vende-lo e descubro que a propria PDG está vendendo os mesmos apartamentos cerca de 20 mil abaixo do que paguei, me impossibilitando de fazer negócio.”

        Evidência 4 – link: http://www.reclameaqui.com.br/6948247/alphaville-urbanismo/alphaville-sao-jose-dos-campos/

        Trecho do link acima: “O alphaville Sao Jose dos Campos me vendeu lotes por 720,00 o metro. Mas “queima”lotes ate hoje por 650,00 o metro. O Lancamento foi em Outubro de 2011 …se colocamos a inflacao deveria estar no minimo a 740 o metro.”

        Evidência 5 – link: http://defendaseudinheiro.com.br/comprar-imovel-em-tempos-de-bolha-imobiliaria#

        Trecho do link acima: “Adquiri em 30/09/2011, 2 unidades no empreendimento Spot Jacarandá, meu investimento seria para venda futura do ágil, porem passados os 3 anos tive uma imensa decepção no que diz respeito a valoração de mercado, o empreendimento desvalorizou, o imóvel que esta saindo para mim por quase 230 mil reais sendo que hoje o mesmo empreendimento no mesmo andar esta saindo por quase 80 mil a menos, me sinto extremamente [editado pelo Reclame Aqui]”

        Evidência 6 – link: http://www.reclameaqui.com.br/7003019/pdg-incorporacoes/distrato-village-parana-unidade-1003/

        Trecho do link acima: “Entre alguns motivos é que estão ofertando o mesmo Apartamento por R$ 179.000,00 quando pagarei em torno de R$ 206.067,92 um valor de 15% a mais dos que estão comprado.”

        Evidência 7 – link: http://www.reclameaqui.com.br/4820490/mrv-engenharia/estou-deixando-o-milionario-mais-rico-dinheiro-indo-para-o-b/

        Trecho do link acima: “MRV única construtora do país que vc compra um imóvel por R$ 90 mil, valoriza para R$ 140 mil depois de 3 anos e vc já pagou com o juros uns R$ 160 mil.”

        Evidência 8 – link: http://www.reclameaqui.com.br/6695928/pdg-incorporacoes/desorganizacao-e-falta-de-comprometimento-com-o-cliente/

        Trecho do link acima: “Promoverem feirões de queima de estoque vendendo unidades á preços com desconto maiores, dificultando á rentabilidade dos investidores, em meu caso, estou tentando vendar á unidade adquirida com prejuízo de 10 á 15 %, sem sucesso.”

        Evidência 9 – link: http://www.reclameaqui.com.br/6228471/even-construtora-e-incorporadora-s-a/nao-compre-imovel-com-a-even-construtora-villagio-nova-carr/

        Trecho do link acima: “O grande problema é que comprei o imóvel para investimento com intenção revenda e todos as ligações de possível compradores são frustradas, pois a Even reduziu suas tabelas de preços e vejam só que falta de comprometimento com seu cliente. Preço de Tabela de acordo com a valorização do imóvel R$ 345.500,00 Atualização de Preço do Imóvel para Revenda segundo Extrato que de Pagtos fornecidos pelo site da Even R$ 324.000,00. Preço atual praticado por seus corretores em tabela promocional R$ 295.200,00.”

        Evidência 10 – link: http://www.reclameaqui.com.br/2968382/rossi-residencial-s-a/impossivel-rescindir-contrato/

        Trecho do link acima: “Com o término da obra, confiante na valorização do apartamento, tentei vender meu imóvel mas fui surpreendido com a seguinte notícia: a Toctao Rossi estava vendendo hoje apartamento idêntico ao que eu comprei há 02 (dois) anos atrás aproximadamente R$ 40.000,00 (quarenta mil reais) mais barato!!!!!!!!!!!!! “

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Minions 10 de maio de 2016 at 13:07

          Tenho excelentes argumentos em ordem cronológica pra te combater (sqn):
          1. A CEF vai liberar mais financiamento;
          2. quando a dilma sair vai melhorar;
          3. o temer vai socorrer o setor;
          4. depois das olimpíadas vai melhorar;
          5. depois das eleições municipais vai melhorar;
          6. em 2017 volta ao normal.

          5+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Lucas 10 de maio de 2016 at 13:24

            em vancouver um imóvel médio custa incriíveis 3 anos de renda média familiar bruta
            e já é um absurdo, o normal lá era 2 anos,2,5 noi maximo, ninguem quer morar no Canadá

            aqui no BR um imóvel médio custa de 15 a 30 anos de renda média familar bruta do bananense

            17+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
    • Danibolhista 10 de maio de 2016 at 12:14

      Vamos fingir que não houve bolha, mas só o fato de ter “penas uma vagarosa perda real, ou seja, a valorização abaixo da inflação dos imóveis residenciais” já é desabonador, quem é que opta por uma coisa que dá menos lucro de propósito podendo investir em um lugar mais seguro ou rentável?

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • DRN 10 de maio de 2016 at 12:24

      Vc pode até encontrar um TOLO MAIOR para vender o apto, mas o risco é GIGANTE e não compensa.

      Basta ver a “rentabilidade” do “excelente negócio”. Em absolutamente todo anúncio o aluguel PEDIDO é 0,3% do preço de venda PEDIDO.

      Qualquer LCA, LCI, CDB ou título do TD garante rentabilidade MUITO maior.

      Custo de oportunidade corroendo o ânus do investiotário como aquelas bactérias que comem carne e para as quais não existe antibiótico disponível…

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 10 de maio de 2016 at 13:22

        a TR dá mais retorno que o liquido do aluguel

        encontrar um tolo maior não faz o imóvel valer mais, apenas faz mais uma vítima do mercado a pssar anos pagando pela burrada, empurrar a burrice pra outro trouxa e dividir o prejuízo não faz o prejuízo sumir, ele virá em suaves parcelas, mas virá

        6+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • CA 10 de maio de 2016 at 12:28

      Master Yi,

      Estão apenas fingindo e utilizando o FINGE Zap para isto, ignorando e fazendo de conta que pesquisas baseadas em preços negociados não tem demonstrado, já desde 2013, quedas relevantes de preços, típicas de toda bolha imobiliária. Isto sem contar os casos de reduções significativas de preços nos últimos meses apontadas tanto por pesquisas do CRECI SP quanto a usados, como por pesquisas do SECOVI SP para novos, ou mesmo com a Tecnisa “confessando” isto e a relação com uma bolha imobiliária (ver primeiro comentário deste tópico), dentre uma infinidade de outras EVIDÊNCIAS, vindas das mais diversas fontes.

      Exemplos de como desde 2013, não só temos depoimentos de investidores apontando PREJUÍZOS com imóveis (ver meu comentário imediatamente anterior a este com EVIDÊNCIAS), como também pesquisas baseadas em preços NEGOCIADOS, FINAIS, que apontam estes mesmos fatos:

      Pesquisa do CRECI SP – São José dos Campos: queda de 25% nos preços dos imóveis novos na entrega em 2013: http://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/2013/05/preco-dos-imoveis-cai-25-em-sao-jose-em-dois-anos-revela-creci.html

      Pesquisa da Geoimovel – Brasília: queda de 35,5% dos preços dos imóveis lançados em 2013: http://defendaseudinheiro.com.br/www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/12/1391790-especulacao-leva-a-queda-de-preco-nos-lancamentos-de-imoveis-em-brasilia.shtml

      Pesquisa da EMBRAESP – São Paulo: queda de 9,6% no geral e 17,6% nos preços de imóveis de 3 dormitórios novos no primeiro bimestre de 2013: http://msn.revistaimoveis.zap.com.br/155982-precos-dos-imoveis-novos-caem-em-sao-paulo.html

      Pesquisa do CRECI SP – São Paulo: queda de 23% no preço de imóvel usado de 1 dormitório: http://classificados.folha.uol.com.br/imoveis/2013/05/1285907-preco-de-imovel-usado-de-um-dormitorio-cai-23-na-cidade-de-sp.shtml

      Para uma lista mais completa a este respeito: http://defendaseudinheiro.com.br/a-bolha-imobiliaria-e-os-precos-dos-imoveis#

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Master Yi 10 de maio de 2016 at 16:53

        CA,
        Pois é, o nome disso é má-fé! Tentam a todo custo ludibriar as pessoas, utilizando os argumentos mais bizarros possíveis (vide a continuação do email que gostei logo abaixo).

        2+
        • avatar
        • avatar
    • Master Yi 10 de maio de 2016 at 14:30

      Segue o resto do texto do email:

      “Vancouver é uma linda cidade sob todos os aspectos. É só ver qualquer imagem na internet.
      https://uploaddeimagens.com.br/imagens/1-png–2652

      Mesmo com tanta beleza, é difícil justificar como esta casa foi vendida por cerca de R$ 8,8 milhões.
      https://uploaddeimagens.com.br/imagens/2-png–1768

      Ou mesmo justificar a venda em 7.200 segundos – isso mesmo, duas horas – deste prédio por incríveis R$ 165,9 milhões, 3,7 vezes mais do que a avaliação feita por um especialista.
      https://uploaddeimagens.com.br/imagens/3-png–1153

      Se você está pensando que estes casos não representam a realidade do mercado da cidade, veja a evolução de preços dos imóveis em Vancouver nos últimos anos.
      https://uploaddeimagens.com.br/imagens/4-png–834

      O preço médio de uma casa é de incríveis R$ 4,9 milhões, um crescimento absurdo nos últimos anos e meses.

      A cereja do bolo é o endividamento das famílias em relação à renda, que cresceu mais de 50% desde 2000, levando o Canadá para a incômoda posição de campeão de endividamento familiar do primeiro mundo.
      https://uploaddeimagens.com.br/imagens/5-png–577

      Em outras palavras, não há renda suficiente para continuar neste ritmo de preços, o que traduz a perfeita definição de uma bolha: um mercado subindo loucamente em bases não sustentáveis.
      Afinal de contas, o que está acontecendo?

      O processo de valorização excessiva do mercado de Vancouver e, em menor grau, do de Toronto, é resultado de uma dinâmica pouco relacionada com o Canadá.

      As compras mais bizarras estão sendo realizadas por chineses loucos para tirar dinheiro da China.

      Para nós, é fácil entender o processo. Há uma restrição governamental que permite que chineses enviem apenas US$ 50 mil anualmente por vias legais.

      Além disso, o investidor chinês espera que haja uma desvalorização cambial, o que resulta em desconfiança na credibilidade de sua moeda como reserva de valor.

      Um terceiro componente diz respeito ao turbulento mercado de ações chinês, dominado por pessoas físicas, com preços totalmente sem referência e com alta volatilidade, gerando novamente desconfiança como uma opção viável para reserva de valor.

      E, por fim, assim como no Brasil, há muito dinheiro ilegal na China.

      Esse dinheiro precisa deixar o país para ser aplicado em algo que tenha o papel de reserva de valor e, ao mesmo tempo, seja de difícil detecção pelas autoridades chinesas, de forma a contornar a restrição de US$ 50 mil anuais.

      Há relatos de que Macau, que já superou Las Vegas como maior cidade do mundo em volume de jogos, tem sido usada para lavagem de dinheiro. Os chineses chegam com grandes somas de dinheiro vivo, e os cassinos topam simular grandes ganhos para que o dinheiro tenha uma fonte lícita.

      O esquema é muito parecido com a compra de bilhetes de loteria premiados, o que acredito que ainda aconteça no Brasil.

      Tudo indica que o chinês não gosta de colocar dinheiro em paraísos fiscais e prefere a segurança de ter um imóvel físico. Vancouver está sendo descrita como a Suíça dos imóveis. Chineses pagam em dinheiro vivo e constroem estruturas jurídicas para não aparecerem como donos finais.

      O Canadá foi escolhido pela desvalorização de sua moeda e pelos preços atrativos em relação a outros mercados comparáveis, como Nova York.

      Em escala menor, o mesmo fenômeno também acontece na Califórnia, em Miami e em Nova York, entre outros.

      Se você tem um imóvel em Toronto e em Vancouver e está pensando em vender, esta é a hora. Não sabemos quando a bolha explodirá, mas é uma questão de tempo.

      Abraço”

      3+
      • avatar
    • chigo 10 de maio de 2016 at 16:54

      Esse artigo aí é uma piada. O cara fala em bolha no Canadá e recomenda que quem tem imóveis em Vancouver venda. Se não tinha nada melhor para escrever devia ter fingido uma doença e ficado em casa.

      4+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • deuruim 10 de maio de 2016 at 12:36

    Bom dia Pessoal, alguns mini CVR de férias, como eu moro no sertão do estado, é td c atraso, até o ploc, observei q qto mais se aproxima da capital, mais clara fica a bolha
    CVR 1: Cidade Super industrializada. um dos motores de sp, bla bla. Meu irmão alugou um ap num super empreendimento entregue no fim do ano passado, deserto, ninguém no andar dele, ainda nem fizeram o sorteio das vagas de garagem, ILAC 21 em no max 15% e é do lado de uma faculdade. Imagino a propaganda de investimento por ser fácil alugar pra estudantes kk. Qualidade do ape ridícula, ralos c problema, torneiras em posição errada. Propriotario pagou 260, ganha 600 tirando o q fica na imob, super investimento.
    CVR 2: Na capital: amigos mudando pro ap adquirido na planta anos atras, mesma construtura do da minha irma 🙁 ,amigo acabou de ser demitido, mas são 30 anos de parcelas c juros baixos, então tá sussa. O ap tem vaga presa, mas tá ótimo pq metade dos ape não tem garagem, nem imaginava q existia isso, pelo menos não em prédios novos, sou caipira mesmo.
    CVR 3
    Peguei um Uber, o motorista disse q é um bico pq na verdade ele tem outra profissão: (adivinhem) corvo, não me contive e perguntei como estava o mercado: “AH, tá vendendo, só q mais devagar, as pessoas tão segurando pra comprar depois q acabar a crise” . papo vai e vem ela solta: “a minha ultima venda foi em dezembro” Só me resta sorrir e acenar.

    28+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 10 de maio de 2016 at 13:19

      outro dia apareceu um corvo mentiroso dizendo que aluguel de imóvel de 160k custava 1 mil reais

      se eu fosse o dono do blog limpava essa gente daqui, só vem pra enganar

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • BolhaPOA 10 de maio de 2016 at 13:25

        Pago 650 em um apartamento com o “valor anunciado” de 250k.
        Vizinhos me contaram que o dono pedia 1k. Baixou para 900, depois 750. Ofereci 650 ele aceitou na hora.

        10+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • BolhaPOA 10 de maio de 2016 at 13:26

          É softy.

          3+
          • avatar
          • avatar
        • BolhaPOA 10 de maio de 2016 at 13:33

          Me arrependi depois. Deveria ter pedido quinhentão, mas depois é fácil falar.
          E mesmo assim teria sido um bom negócio para o dono. Condomínio na faixa de 300.
          Ele ganharia 500 e economizaria 300. No final ficaria com 800.
          Em tempos de crise…

          13+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • DRN 10 de maio de 2016 at 12:36

    Permitam-me um OFF

    TJSP – Estado indenizará criança que perdeu visão após incidente em escola
    A 1ª Câmara Extraordinária de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo condenou a Fazenda do Estado a indenizar uma criança que perdeu a visão do olho direito após ser atingida por colega em sala de aula. Além da indenização por dano moral, fixada em R$ 60 mil, o menino também receberá pensão mensal vitalícia equivalente a 30% do valor do salário mínimo, a partir da data em que completar 14 anos.
    De acordo com o processo, a criança foi agredida pelo colega com uma régua, durante a aula. Teve o globo ocular perfurado, o que causou perda da visão.
    O relator do recurso, desembargador Sidney Romano dos Reis, afirmou em seu voto que, embora a escola soubesse que ocorriam desentendimentos entre os meninos, nada fez para separá-los na sala de aula. E, após o ocorrido, nenhuma atitude teria sido tomada pela direção em prestar socorro à criança, que apenas foi encaminhada a sua casa. “É sabido que o aluno, como na espécie, fica sob a guarda e vigilância do estabelecimento de ensino público, com direito de ser resguardado em sua incolumidade física, enquanto estiver nas pendências da escola, respondendo o Poder Público por qualquer lesão que o aluno venha a sofrer, seja qual for a sua natureza, ainda que causada por terceiro”, escreveu o magistrado.
    O julgamento também contou com a participação dos desembargadores Evaristo dos Santos e Jarbas Gomes. A votação foi unânime.
    Fonte: Tribunal de Justiça de São Paulo

    Minhas anotações.

    O DIMENOR não vai pra cadeia.
    Mas vai votar (provavelmente em bandidos da esquerdalha petista) logo que fizer 16 anos.
    Os contribuintes (nós) vamos ter de pagar a indenização.
    Isso é braseco. LIXO.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 10 de maio de 2016 at 13:17

      60 mil por um olho???

      sorte deles que não acontece isso comigo
      começaria a me acalmar depois de 60 litros de sangue

      3+
      • avatar
  • Zé Carioca 10 de maio de 2016 at 12:37

    Cesar_DF

    No caso do Hell de Janeiro, para reequilibrar com a renda, as residências precisariam cair 50-70% e os terrenos 70-90% em relação ao valor de pico atingido em 2014

    4+

    Cesar_DF, concordo contigo. Acho que os preços dos imóveis no RJ teriam que cair pelo menos 60% para se começar a pensar em comprar. Se o valor igualar com o de 2006 + inflação poderia até ser uma boa comprar, mas acho que a cidade piorou muito de 2006 para cá. Em 2006 o trânsito era razoável, o custo de vida bem menor e especialmente a violência era menor. Atualmente todas as regiões da cidade estão perigosas, vide os acontecimentos recentes. Em 2006 tínhamos a esperança de melhora da cidade, a economia estava bem e a cidade e o Estado estação com dinheiro. Hoje a situação é terrível. Acho que mesmo se voltar aos patamares de 2006 vai estar caro.

    7+
    • avatar
  • Lucas 10 de maio de 2016 at 13:14

    Agenvias de risco discutindo esqueletos no BR podem chegar na casa do trilhão

    isso somado com default do setor privado, estatais falidas, um setor financeiro a beira do colapso

    Se vcs acham isso soft,
    se vcs acham que vai parar nisso,
    se vcs acham que a bola de neve vai acabar com a posse do TEMER

    Sinto muito vcs estão enganados,

    e se vcs tem dívidas vcs estão fudidos
    e se vcs focaram a carreira nisso, vcs estã desempregados

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 10 de maio de 2016 at 13:47

    CVR
    Ontem Amigo me contou que irmã comprou um ap em BC com FGTS 150k pagando metade do ap. Qdo ficou pronto foi se mudar e descobriu que já havia uma familia no local.

    O construtor vendeu pra mais de um cada ap de todo o prédio. O cartório emitiu 2 matriculas mesmo assim… No juiz, ela perdeu o imóvel, e o construtor vai devolver em suaves prestações… ela chorava aos prantos ele me disse.
    Como efeito… várias pessoas fora do mercado natural e saudável de BC.

    22+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 10 de maio de 2016 at 14:00

    CA sobre o mimimi da Tecnica
    é abaixo do custo considerando terreno hiperinflado e saco de cimento acima de 30 reais, hoje tanto um como outro cairam de preço, o terreno 50%, o saco acha-se fácil a 25 reais, fora mao de obra, acabou essa história de pedreiro custar masi que engenheiro

    hoje se constroe 50% mais barato

    o estoque antigo somado com a concorrencia nova vai destruir as empresas que pedalaram na bolha

    ISSO TUDO CONFORME PREVIMOS

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • LZ 10 de maio de 2016 at 14:16

      Imagina uma empresa nova vendendo com custo lá embaixo e preços dentro da normalidade que as pessoas podem comprar ??
      Construtoras vindas das IPOs de 2008 vão virar pó !

      5+
      • avatar
      • avatar
      • joselito 10 de maio de 2016 at 14:31

        Para se confirmar esta teoria, basta saber se os tubarões já estão nessas novas empresas……

        4+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • CA 10 de maio de 2016 at 14:35

      Lucas,

      Verdade, nem entrei neste mérito, mas aproveito para complementar:

      1) Terrenos:

      O land bank (banco de terrenos que ainda não tiveram nenhum lançamento) em poder de 12 construtoras com Ações na BOVESPA é o suficiente para mais de 10 anos de lançamentos e vendas, tendo como base o VGV potencial de lançamentos para estes terrenos informados por estas construtoras e também o resultado de vendas dos últimos 12 meses, também informados por estas construtoras.

      Nos últimos anos, diversas construtoras muito endividadas tem vendido terrenos a preços muito abaixo do “preço de mercado”.

      Estes preços foram inflados, em especial no ano de 2007, logo após 13 construtoras terem aberto Capital na BOVESPA e terem ido todas ao mesmo tempo comprarem terrenos, depois de 2012, com a queda contínua em lançamentos, os preços REAIS e PRATICADOS quanto a terrenos só tem caído, conforme as próprias construtoras apontam em seus relatórios trimestrais.

      2) Mão-de-obra:

      De 2006 a 2009 o percentual de participação da construção civil na geração de empregos formais simplesmente DOBROU, saindo de 8,4% em 2006 para 16,9% em 2009. O custo de mão-de-obra da construção civil disparou, Depois disto o percentual da participação da construção civil em relação ao total do Brasil veio caindo, em especial a partir de 2012 com a derrubada nos lançamentos e com isto, em 2013 já tinha voltado para 9,4% do total, quase o mesmo patamar de antes do INFLAR artificial propiciado pela bolha imobiliária, junto com Copa do Mundo e obras Petrobrás.

      Em 2014 nova queda relevante em lançamentos, término da copa do Mundo e operação lava-jato, a construção civil foi a primeira a ter perda de vagas formais e puxar os resultados dos empregos para baixo. Desde então, de forma acentuada e crescente, queda na renda real de forma geral para o Brasil e ainda mais acentuada para a construção civil, ou seja, outro custo em queda.

      3) Materiais de construção:

      Notícias todos os meses de novas quedas nas vendas de materiais de construção, pela natural lei de oferta e procura, forte tendência de queda nos preços.

      “DETALHE” super importante:

      O índice de preços dos imóveis (IVG-R do BACEN) subiu mais de 240% acima do índice de custo de construção no Brasil no período de 2007 a 2015, enquanto no auge da bolha imobiliária americana esta diferença chegou a 60%.

      Em resumo, ainda tem MUITO espaço para redução de preços dos imóveis sem que fiquem abaixo do preço de custo, o problema financeiro gravíssimo de VÁRIAS construtoras é gerado pelo esquema da pirâmide financeira das vendas FALSAS na planta: no ato da entrega, grande volume de cancelamento de vendas, deixa de entrar a parcela principal (80% do valor), com isto a construtora vai fazendo dívidas e mais dívidas para lidar com os gastos do dia-a-dia (capital de giro) e pedalar postergando o pagamento dos juros, ao longo dos anos (distratos anormais desde 2011) esta bola de neve vai destruindo por completo o caixa da empresa, sem contar que as receitas REAIS não param de cair com as próprias quedas nas vendas brutas, tem custos mais elevados para manter imóveis já entregues (IPTU, manutenção, condomínio, etc.), dentre outros fatores, todos trazidos pelo GOLPE que implementaram e não pelos custos em si, conforme demonstrado com números acima…

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • W.K. 10 de maio de 2016 at 16:33

      O Mercado não perdoa…

      3+
      • avatar
      • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 10 de maio de 2016 at 14:32

    A notícia do tópico por outra fonte…

    Escassez de recursos
    Caixa limita financiamentos imobiliários de até R$ 750 mil
    http://www.otempo.com.br/capa/economia/caixa-limita-financiamentos-imobili%C3%A1rios-de-at%C3%A9-r-750-mil-1.1296446

    1+
    • avatar
  • Cajuzinha 10 de maio de 2016 at 14:35

    “Cerca de 80% dos consumidores reconhecem que a própria condição financeira piorou nos últimos seis meses
    Pesquisa da CDL-BH mostra ainda que para 93% dos entrevistados o cenário econômico brasileiro está pior nos últimos meses”

    “A pesquisa foi realizada com 200 consumidores de BH e Região Metropolitana no período de 11 de fevereiro a 11 de março.”

    http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2016/05/10/internas_economia,761069/cerca-de-80-dos-consumidores-reconhecem-que-a-propria-condicao-financ.shtml

    2+
    • avatar
  • NerdCWB 10 de maio de 2016 at 14:39

    CVR

    Em janeiro pesquisei uns aps novos na região de Curitiba e achei esse aqui anunciado por 1200 dilmas
    http://damascenoimoveis.com.br/locacao-apartamento-curitiba-reboucas-desembargador-westphalen-12/

    ofereci 800 dilmas pra ver sangrar esperando conseguir uns 850. Resposta do corvo: “Esse apartamento vale muito mais que isso, no minimo 1200, não tem como baixar torna inviável o negocio”. Tentei achar o propriotário para falar direto com ele mas não consegui, depois disso minha unica resposta foi que se um dia chegar a 800 para o corvo me contatar. Bom, passou 5 meses e ainda não alugou. Alem disso agora esta anunciado a 950 dilmas, se o corvo me contatar estou pensando em já jogar que só aceito por 700 temers

    35+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 10 de maio de 2016 at 15:24

      TOMA !!!!
      Brick-lover é bicho burro !!!

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 10 de maio de 2016 at 15:15

    Minha Casa Minha Vida “gourmet”
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Caixa esgota financiamento de casa própria de R$ 225 mil a R$ 500 mil
    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/05/1769528-caixa-esgota-financiamento-de-casa-propria-de-r-225-mil-a-r-500-mil.shtml

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 10 de maio de 2016 at 15:23

      Esse ano o montante total de liberação de crédito não passará dos 45 bilhões de reais. Anotem aí !

      5+
      • avatar
      • avatar
  • Bolhudo 10 de maio de 2016 at 15:22

    Tudo que foi falado aqui nos últimos 3 anos, ” melhor alugar do que comprar ”
    A partir de hoje o Paraná TV vai dar dicas para quem quer comprar um…
    http://g1.globo.com/pr/parana/paranatv-1edicao/videos/t/curitiba/v/a-partir-de-hoje-o-parana-t-vai-dar-dicas-para-quem-quer-comprar-uma-casa/5013704/

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 10 de maio de 2016 at 15:29

      Alugar imóvel na BNN é para os fortes. A pressão social, a ignorância financeira e o deslumbramento pelo tijolo próprio é ainda muito forte. Mas muita gente está recebendo uma trolha no orifício anal (preço bolhudo aceito, preço bolhudo da parcelinha, perda enorme do custo de oportunidade, TR bombando o saldo devedor, mudança repentina na vida com a perda de um emprego por exemplo).
      Só sei que foi a melhor escolha que eu fiz na minha vida. Vender os tijolos e ganhar qualidade de vida e oportunidade de aprender muito com esse espaço a explorar a renda fixa e agora a renda variável. PNJ !

      25+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Danibolhista 10 de maio de 2016 at 16:28

        Prezados, vou falar uma heresia aqui mas vou falar, não me condenem ao fogo do inferno por se herege.
        A avó de meus esposo é uma senhora bem idosa, quando ficou viúva, perdeu um pouco do poder aquisitivo, e ela não tem casa própria, então ela fica de déu em déu, cada ano passa na casa de um filho diferente, devido aquela história que alugar é jogar dinheiro fora, ela parece um fardo que ninguém quer ficar, mas como são obrigados ficam fazendo rodízio com a véia. Com a idade que ela tem, ela não tem mais querer, quem administra a vida dela são os filhos, eu fico com dó, mas também não levo pra casa. Onde eu quero chegar? eu ainda tenho fetiche por tijolos próprios mas não a qualquer preço a qualquer custo se submetendo as abusividades do mercado. Na minha opinião o imóvel deve ser escolhido com muita calma, com muita pesquisa, sem euforia, e se brincar, eu ainda sou a favor que se compre um imóvel quando se aposentar. Por que? se você se aposenta com 60 anos por exemplo, você ainda é dono de si mesmo, dono de seu dinheiro e pode comprar em qualquer lugar sem ficar preso ao trabalho, durante sua vida você guardou o dinheiro para este momento e aí vai pagar à vista sem enriquecer bancos. Aí sim, vai poder vai poder gozar de uma vida sem dívidas só com os gastos fixos que qualquer aposentadoria daria conta. Porque assim, o que eu já vi de filho que rouba os pais não tá escrito, filho que vai receber a pensão dos pais e gasta consigo mesmo, que suja o nome dos velhos com empréstimos sem a menor intenção de pagar, etc, etc, etc. Então assim, eu não gostaria de aos 80 anos de idade, receber uma ordem de despejo do aluguel porque meu filhinho que criei com tanto amor se revelou um safado sem vergonha. Eu confesso que comprei no momento errado, e quando eu falo pra meu esposo de vender ele fica louco comigo. Agora não é o momento de comprar pensando em investir, se for para morar realmente deve ser uma oportunidade única considerando todas as variáveis.

        20+
        • avatar
        • avatar
        • odorico 10 de maio de 2016 at 16:40

          Danibolhista eu entendo essa visão. Na verdade a máxima que “aluguel é dinheiro no lixo” é válida para 90% dos brasileiros e também para aqueles que compram imóveis sem planejamento sem fazer conta. Eles também estão alugando, só que o dinheiro. Assim, o que retratou é reflexo de uma cultura “deixa a vida me levar” do brasileiro que não pensa no amanhã, se comportam como cigarra. Então, acho que ter um imóvel próprio vale à pena, mas não a qualquer preço, não sem planejamento. Eu particularmente sou a favor de que a maioria dos brasileiros comprem imóveis e financiem, afinal, não tem cultura de poupança e planejamento e um bolhudo vem para obrigar eles a pouparem, mesmo que num péssimo negócio. O ditado “quem não deve não tem” vale para a maioria.

          8+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
        • CA 10 de maio de 2016 at 16:43

          Danibolhista,

          Você troca os problemas, apenas isto.

          Comprou imóvel com 70, 80 ou 90 anos, ficou sem nenhuma liquidez, precisa fazer uma cirurgia imprescindível, tira o dinheiro da onde? Se um filho tiver um acidente gravíssimo e precisar de uma cirurgia muito cara e não coberta pelo plano de saúde, como você irá socorrer? Faz empréstimo, com que renda para pagar? Ainda antes de morrer, algum filho vai querer morar com você para já “reservar a casa para si”, com a desculpa que vai “cuidar de você”, mas na prática não está nem aí com sua pessoa, daí os irmão percebem, começam as brigas e as amarguras familiares e você morre triste com a situação. Já morreu e seus filhos estão brigando sobre o caixão, com o corpo ainda quente, para ver se vão vender ou alugar o imóvel ou por quanto e a briga continua por tempo indeterminado, você consegue prever que isto vai acontecer só pelo comportamento deles, o que te deixa ainda mais amargurado.

          Então, se você quer inventar problemas para justificar que é um brick lover que gosta de agir de forma irracional financeiramente ou mesmo quanto a sua família, você vai achar os seus argumentos válidos e os que constam acima inválidos, na prática tudo o que você colocou e o que eu coloquei acima PODE acontecer, cabe avaliar o que vale mais a pena e quais problemas você vai escolher, mas lamento, a visão dos “tijolos mágicos” que eliminam todos os problemas familiares e a cegueira quanto a outros problemas indicam que você ainda pensa de forma “brick lover irracional” e isto por si só já é perigoso demais em tempos de bolha imobiliária.

          Você deve ser nova no blog e sequer tem ideia do que vou colocar, mas já há muitos anos que o Anonymous alertou sobre o estágio de explosão da bolha em que muitas pessoas vão se suicidar com as péssimas decisões que tomaram por serem “brick lovers irracionais” (aconteceu desta forma em outros países que tiveram explosão de bolha imobiliária) e ficarem completamente sem liquidez em tempos de crise causada pela própria bolha imobiliária. Nestes tempos, “cash is king” e a coisa mais estúpida que pode ser feita é perder por completo a sua liquidez por questões irracionais. Neste momento muitos ainda irão considerar isto “exagerado”, assim como 3 anos atrás quando já prevíamos uma crise profunda na economia todos achavam absurdo, mas infelizmente o tempo terá que mostrar para as pessoas que a sua irracionalidade custa muito caro…

          15+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • From_The_Tower 10 de maio de 2016 at 16:47

            Pague meus royaltes !!!!
            Maldito !!!! Kkkkk

            3+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • CA 10 de maio de 2016 at 16:51

              From_The_Tower,

              kkkk

              Correção importante: “Brick lover” by From_The_Tower, all rights reserved.

              2+
              • avatar
              • From_The_Tower 10 de maio de 2016 at 16:52

                E os “tijolos mágicos ” !?
                Kkkkk

                2+
                • avatar
                • CA 10 de maio de 2016 at 16:55

                  Pô, até os tijolos mágicos já foram registrados? kkkk

                  Adendo do adendo: “Tijolos mágicos” by From_The_Tower, all rights reserved…

                  Tem mais algum? Fala logo! kkkk

                  2+
                  • avatar
                  • From_The_Tower 10 de maio de 2016 at 16:57

                    Tô só de olho nos termos .
                    Kkkkk
                    Abraço ! Mito CA!
                    O destruidor dos desinformantes.
                    😉

                    2+
                    • avatar
          • Danibolhista 10 de maio de 2016 at 17:11

            CA

            Concordo com a troca de problemas. Imagine o assédio que talvez eu venha a sofrer dos meus filhos quando eles souberem que tenho investido em TD ou CDB sei lá 400 mil por exemplo, não adianta querer ocultar o dinheiro porque na hora de declarar IR isso vai aparecer e seu estou falando de uma senhora incapacitada, vou precisar que meu filho faça pra mim. Se hoje em dias surrapam as aposentadorias dos velhinhos que não chegam a mil reais, imagine o que vai acontecer comigo se eu tiver sei lá meio milhão facim facim de pegar porque é patrimônio líquido. Depois que surrapar o dinheiro, deixar o velho sem nada, alugar um quartinho podre e deixar ele lá com os ratos. Se eu tiver que escolher com qual problema eu vou ficar, eu prefiro gastar meu dinheiro do jeito que eu quiser invés de ver meus filhos esbanjões metendo pau no dinheiro que guardei por anos e me deixando sem qualidade de vida. Depois que eu morrer, não tenho mais com o que me estressar com eles, já estou morta mesmo, eu só quero ter uma velhice digna, independente, no lugar que eu quiser, onde eu escolher, sem riscos, sem surpresas. Não quero ser um fardo na família de ninguém morando de favor só para economizarem o dinheiro do aluguel, também não quero ser despejada por se incapaz de cuidar do aluguel, não quero ir para asilo, não quero morar em espelunca, quero meu canto. O fato do tijolo não ter liquidez vai garantir que eu morra embaixo de um teto decente. Eu imaginei que alguém ficaria furioso com minha postagem, por isso já disse que era uma heresia, eu li muita coisa sobre a bolha tanto aqui como em outros lugares, entendi tudo que aconteceu, e coloquei que na minha opinião a compra do imóvel deve ser feita com mais responsabilidades, que não é o momento de comprar, porém que é importante um dia você comprar se houver uma boa oportunidade. Creio que muita gente pensa assim, no sentido que gostaria de ter um imóvel mas ao pesquisar percebeu que não é o momento, simplesmente não comprou mas a ideia não saiu da cabeça, do contrário por que continuariam xeretando em olx, fingezap, imóvelweb etc, etc, acompanhando por anos o preço de um imóvel sem intenção de fazer negócio se a situação melhorar? Eu entendo que você teve todo um trabalho, toda uma pesquisa pra agora eu chegar do nada e falar qualquer coisa ao contrário, mas eu já fui avisando que era uma opinião minha. Eu também faço todo um trabalho no meu dia a dia, eu tiro da cabeça das pessoas a ideia de compra tanto no face quanto pessoalmente e realmente fico louca quando depois que explico tanto a pessoa acha que deve comprar.

            7+
            • avatar
            • avatar
            • From_The_Tower 10 de maio de 2016 at 17:17

              Sua estratégia deve ser direcionada a 50% tijolos , 50% investimentos . Invista na formação moral dos seus filhos e eles seguirão por conta própria.

              10+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • CA 10 de maio de 2016 at 17:33

                From_The_Tower,

                Bingo!

                É isso aí, o melhor investimento é educar os filhos. “Quem ama educa” (Copyrights Içami Tiba). Educar é MUITO mais do que pagar uma escola privada ou algo do gênero, é ensinar antes de tudo que eles tem que buscar o que é deles pelo esforço próprio, ensinar a dar valor a esforço e recompensa.

                Danibolhista,

                Você reforçou todas as colocações sobre os problemas em não comprar imóveis, mas não conseguiu ler o que coloquei sobre os outros problemas, em que NENHUM deles gera amargura após a morte como você mencionou (*), TODOS eles são percebidos e geram problemas muito antes de você morrer, sem contar que sem liquidez, nenhum imprevisto estará coberto e você vai passar necessidade simplesmente porque imprevistos acontecem, portanto, reitero, ficar totalmente sem liquidez é sempre uma decisão estúpida, é viver no Mundo do “querer é poder” e fazer de conta que acidentes nunca acontecem.

                (*) Quando falei sobre briga dos filhos após a morte, que foi só UM dos argumentos, deixei claro que você perceberá isto muito ANTES de morrer e é isto que causará amargura, veja ainda os demais argumentos que você IGNOROU.

                Quanto a interpretação que não ter liquidez é ótimo porque você não poderá sair da casa e terá a mesma garantida na velhice, de novo demonstra que está com o espírito 100% brick lover (by From_The_Tower) irracional: você sabia que se deixar de pagar o IPTU do seu imóvel o mesmo pode ser inscrito na dívida ativa da União e tomado depois de 5 anos? Sabia que dependendo do imóvel, se não tiver manutenção nenhuma o mesmo poderá cair? Sabia que um bairro que hoje é excelente em poucos anos pode se transformar em um péssimo bairro para morar (exemplos em todo o Brasil) e você não ter como sair dele sem grande prejuízo que você não poderá assumir? Existem ainda uma infinidade de fatores, infelizmente sua análise está sendo linear e limitada, sequer lendo o que está sendo colocado em contra-ponto, como já disse antes, mantendo o espirito “brick lover” (by From_The_Tower) irracional e esperando que as pessoas ajudem a reforçar estas “ideias” irracionais, enquanto for assim, você terá todas as respostas antes de perguntar e nenhuma resposta vai mudar em nada sua linha de raciocínio, será apenas perda de tempo…

                4+
                • avatar
                • avatar
                • DRN 10 de maio de 2016 at 17:36

                  O único imóvel da família tem de ser trocado de cinco em cinco anos. Assim, aproveita-se o IR. Agora, se o cabloco é da zona rural, daí é uma maravilha porque o ITR é troco de pinga. O problema é dormir sempre com a glock sob o travesseiro.

                  4+
                  • avatar
                  • DRN 10 de maio de 2016 at 17:37

                    Aproveita-se o IR e foge-se da desvalorização do próprio imóvel e eventualmente do bairro.

                    1+
                  • CA 10 de maio de 2016 at 17:43

                    DRN,

                    “No Brasil, até o passado é incerto”. Lembra-se que discutimos há pouco tempo sobre a “estratégia” das prefeituras, de até nas áreas mais remotas transformar em “urbanas” e com isto arrecadar IPTU, aumentando a receita? Sabe a nossa situação fiscal atual e prevista? Pois é…

                    Enfim, o que estou combatendo não é a hipótese de se ter um imóvel, eu mesmo tenho um, o que estou colocando é um REFORÇO quanto ao que expus acima e foi bem complementado pelo From_The_Tower, ou seja, é impensável você se arriscar a ficar sem liquidez só para não ter que emprestar dinheiro para os filhos!!! No Brasil e aliás em qualquer lugar do Mundo, esta é uma estratégia suicida, este é o ponto! Tomar a decisão de ficar sem nenhuma liquidez para que seus filhos não “suguem” seu dinheiro, é irracional e contra-producente, pois você vai precisar de dinheiro para algum imprevisto e não vai ter, simples assim…

                    7+
                    • avatar
                    • avatar
                    • avatar
                    • avatar
                    • DRN 10 de maio de 2016 at 17:48

                      Nisso eu concordo. Ficar sem liquidez no país da inflação e dos juros altos é loucura.

                      Meus tijolos “valem” 50% do meu ativo financeiro. Eu acho que o ideal é que “valham” no máximo 1/3.

                      3+
                      • avatar
                    • CA 10 de maio de 2016 at 17:57

                      DRN,

                      É isso aí!

                      O debate todo que foi gerado levou em consideração a opção de comprar imóvel versus manter-se no aluguel e a maioria dos debatedores sequer se atentaram que a motivação da Danibolha era apenas de não ter dinheiro para ser sugado pelos filhos! O “probleminha” é este mesmo, você também não terá dinheiro para mais nada!

                      Ah, mas vivo da previdência pública! É outra forma de suicídio, mesmo que venha a ter reforma, nada impede de degringolar e deixar de existir daqui a um tempo. Algumas pessoas, em especial os mais novatos do blog, ainda tem uma dificuldade ENORME de entender que o Mundo não é feito somente pelo “Caminho Feliz” e que é suicídio você ignorar que imprevistos acontecem, isto está muito longe da cultura das pessoas, conheço alguns que tem “pensamentos” do tipo “quando morrer, caixão não tem gaveta” e acham que tem que torrar tudo que tem antes de morrer, sem sequer raciocinar que é bem provável que antes de morrer precisem de DINHEIRO para sobreviver e se manter…

                      6+
                      • avatar
                      • avatar
                      • avatar
                • Danibolhista 10 de maio de 2016 at 21:19

                  CA e demais que comentaram,

                  Eu estava voltando pra casa e pensei em um modo de explicar o que eu quis dizer, quando cheguei em casa vi que nos comentários já tinham falado o que eu queria. O exemplo que eu pensei em dar é um exemplo que sempre colocam como o mais sensato que são “ovos nas cestas”. Não dizem que você nunca deve por todos os ovos na mesma cesta porque se ela cair você vai perder todos eles? Então quando eu disse que é bom ter um imóvel eu não ignorei a bolha, a crise, governo, justiça, cartéis, etc. Eu pensei em uma cesta chamada LCI, uma cesta chamada LCA, uma cesta chamada TD, outra chamada CDB, outra chamada poupança e uma cesta chamada imóvel. Seguindo o raciocínio de dividir os ovos. Eu não quis dizer que você durante 30 anos vai guardar um dinheiro para o único fim de comprar um imóvel, por exemplo se vc tem 400 mil não estou dizendo que você vai comprar um imóvel de 400 mil, você pode se dar ou luxo de procurar bastante, avaliar o momento, e se você gostar de alguma coisa no valor de 150 mil por exemplo, eu não vejo como prejuízo, você ainda vai ter ovos em outras cestas que vão te render alguma coisa e vai ter a liquidez que você já mencionou caso precise do dinheiro em si.

                  Mas aí você penas “imóvel é um péssimo investimento, pra que fazer?”, bom, quando se tem boas opções de investimento, você investe mais, quando se tem opções razoáveis, investe-se menos e no caso do imóvel eu já falei não é para investimento, é para morar, então você não precisa colocar muitos ovos nesta cesta, não precisa se descapitalizar completamente pra ter tijolos.

                  Eu acho a mesma coisa para quem por exemplo gasta 30 mil em um casamento, ora, se você tem prestação de carro, prestação de imóvel, cartão, carnê de loja tal, e dividas para dar com pau, é loucura gastar 30 mil numa festa de casamento. Mas se a pessoa tem esse sonho, já quitou todas as suas dívidas, tem 200 mil guardado e faz questão de uma festa supérflua ela pode realizar seu desejo e ainda ter dinheiro.

                  Em relação a criação dos filhos, eu concordo que os pais devem educá-los, mas filhos é uma variável que pode sair do seu controle, isso não justifica não educar, mas você não pode supor que eles vão ser o que você espera.

                  Eu já admiti que fiz um péssimo negócio e faço pesquisas para tentar reverter a merda que fiz, então eu acho desnecessário críticas mais ofensivas, se alguém tem crítica construtiva eu agradeço, eu já falei que foi errado e pronto.

                  Em nenhum momento eu disse que era para sair comprando, eu disse que tinha que aguardar a oportunidade certa, em nenhum momento disse que tal oportunidade viria a curto prazo, tanto é que dei o exemplo da ocasião de aposentadoria, no meu caso que tenho 33 anos, pra mim é chão, eu teria todo tempo do mundo para amadurecer a ideia, para os que são mais velhos pode parecer mais imediato.

                  O duro é reconhecer a oportunidade certa porque durante muito tempo os corretores e construtoras tinham o jargão “agora é a hora”.

                  Como vocês entendem mais do assunto do que eu, gostaria de uma explicação. No momento eu ainda justifico a compra porque eu acredito que não é bom comprar na bolha, mas quando isso passar, vai voltar a ser bom, eu entendi que no momento as construtoras ela empurram práticas de mercado abusivas e que se os consumidores aceitam elas vão perpetuar a prática, mas e se daqui a 20 nada disse tive acontecendo? se nem existir mais venda em planta? Eu não entendo o porque não vai ser bom vc comprar nem daqui a 20 anos à vista principalmente no esquema das cestas que falei. Até o momento entendo que não é bom comprar na alta e na crise, e depois que passar a alta e a crise, parece que não é bom comprar… por trauma? Não entendi.

                  8+
                  • CA 10 de maio de 2016 at 21:42

                    Danibolhista,

                    A leitura é que a super-oferta existente é tão elevada, que combinada com a duração da crise e mais a tendência da redução da população a partir de um certo momento, pode fazer com que a compra do imóvel, pelo aspecto exclusivamente financeiro, simplesmente não seja uma boa opção mesmo no futuro, ou seja, mais imóveis do que potenciais compradores ou moradores, péssimo negócio para comprar imóvel neste contexto, em especial se você quiser comprar para depois colocar para alugar, mas este exercício é um tanto mais complexo e extenso para ser explorado aqui, sujeito a um grande número de variáveis mais difíceis de serem estimadas.

                    De qualquer forma, nos 2 comentários anteriores você destacou a preocupação do dinheiro ser alvo de “ataques” por familiares e imóvel ser a “proteção”, o conta-ponto colocado continua válido, o imóvel não é a proteção, apenas muda os problemas a serem enfrentados.

                    4+
                    • avatar
                    • avatar
                    • avatar
            • DRN 10 de maio de 2016 at 17:30

              Danibolhista, ter um imóvel tem suas vantagens (apesar de diversas desvantagens). As duas mais óbvias são: (i) impenhorabilidade e (ii) possibilidade de reformar como bem entender.

              Só que a compra tem de ser feita SEM FINANCIAMENTO e com preço adequado ao custo do dinheiro e valor do aluguel (hj em dia, 100 vezes o aluguel).

              8+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
          • Zek Ariok 10 de maio de 2016 at 18:30

            É isso aí CA!
            Não importa a idade, se com 40, 70, 80 ou 90 anos, enquanto durarem essas condições econômicas, com custo de oportunidade alto e taxa aluguel/preço do imóvel baixa, vale sempre a pena viver de aluguel e aplicar o dinheiro. Problema por problema, o TD sempre será mais sólido que os tijolos, e a liquidez pra nos socorrer nas emergências não tem preço.
            Pra evitar filhos brigando em cima do caixão, vale primeiramente a boa educação moral deles, como você falou. E deixar um testamento bem completo já ajuda bastante.

            5+
            • avatar
            • avatar
          • Bruno.12 11 de maio de 2016 at 16:40

            Esse CA é mito mesmo! É professor? Se não for, já pensou em ser? Escrever livros?

            0
        • From_The_Tower 10 de maio de 2016 at 16:45

          Eu sou mais a pessoa formar um belo patrimônio líquido , especializar -se em finanças e comprar quando julgar assertivo. Tem muitas pessoas que vendem os tijolos e não estão preparadas mentalmente para lidar com o dinheiro como ele é hoje (eletrônico ) . O que fazem ?
          Acabam comprando mais tijolos.
          Claro que é proveitoso mobiliar a própria casa . Mas isso é relativo , efêmero . Eu prefiro a minha estratégia atual . 2015 foi ótimo :’o dólar e os juros me renderam o valor de um bom imóvel . PMJ !

          7+
          • avatar
          • avatar
        • Zé Carioca 10 de maio de 2016 at 17:07

          Danibolhista, eu acho que na vida a pessoa não pode ser extremista em nada, a melhor solução em geral está no centro. O que critico é quem compra sem planejamento financeiro, quem compra sem condições de honrar o financiamento, quem compra financiado sem saber se vai estar empregado daqui a um ano. A grande maioria dos brasileiros vê unica e exclusivamente se a parcela cabe no bolso, e em geral resolve comprar porque aluguel é dinheiro jogado fora e só pobre aluga. Esses sim merecem ser motumbados.

          Agora, dinheiro foi feito para se gastar com responsabilidade, se você sabe que os apartamentos estão altamente inflacionados, que os preços provavelmente vão cair bastante e ainda assim decide comprar acho válido. A compra de um apartamento não é simplesmente uma decisão financeira, mas também emocional, para alguns justifica pagar o preço pedido para não criar uma briga na família, ou por segurança, etc. O ideal é ser pragmático e pensar com a razão. Os preços estão absurdos e eu particularmente não compraria nada agora, até porque o próprio mercado fala claramente que a tendência é de quedas de preço, mas veja bem, não digo que jamais compraria. Por exemplo, se fosse idoso e com dificuldade de locomoção eu compraria um apartamento mesmo pagando caro, pois não estaria disposto a ter que me mudar na velhice. Mas aí vai de cada um.

          8+
          • avatar
          • avatar
        • SampaBoy 10 de maio de 2016 at 18:02

          Existe uma questao filosofica neste tipo discussão. Quando somos jovens, o trabalho e o esforço para ter uma vida melhor mais a frente, digamos aos 40 ou 50 anos, fazem sentido. Afinal é um esforço com recompensa provavel. Ja no extremo oposto, na velhice, não interessa mais o que temos e sim como fomos. A vida não é um filme que precisa de um final feliz, isso é invenção de hollywood. A vida é “o que foi” e não “como sera no final”. Se nos esforçarmos amargamente durante a vida para ter o nosso tijolo no final , nada fara sentido, porque o que era pra ter sido ja foi. Se é necessario um esforço para uma vida melhor, que este seja no começo, ou ate o meio, se for muito alem disso é um esforço burro que busca apenas provar-se que é capaz, “que o final é bom”, sendo que o final não interessa, o que interessa é o durante….prefiro ter uma vida mais “proveitosa” e amargar no final doque uma vida ardua (pagando parcelas) e coroar no final uma vida que na verdade foi amarga…

          11+
          • avatar
          • avatar
          • CA 10 de maio de 2016 at 18:51

            SampaBoy,

            Excelente, no fundo tem tudo a ver com uma discussão filosófica.

            A ideia da Danibolha de comprar imóvel na velhice é para o dinheiro não ser “surrupiado” pelos filhos, deixar o dinheiro “inalcançável” para eles. Aqui neste ponto, tanto a discussão filosófica tem a ver com como educar os filhos, quanto com risco versus retorno de optar por ter imóvel só para deixar o dinheiro “inalcançável” para os filhos, ou procurar ter pelo menos uma reserva que garanta suporte em emergência na velhice. Na realidade, há um FALSO trade-off na questão: em tese, o ideal é que você possa ter o imóvel se é isto que você deseja, mas isto não deveria eliminar a hipótese de uma reserva financeira para a velhice além do imóvel, sendo que daí você poderia discutir os riscos desta reserva financeira ser “cobiçada” pelos familiares e como evitar isto sem necessariamente estar zerando sua liquidez só para evitar problemas com parentes…

            No viés que você colocou, assume-se chegar ao final da vida tendo usufruído o máximo possível do dinheiro pelo caminho, o que é válido, mas daí você sai por completo da questão quanto a dualidade de opções apresentada pela Danibolha e traz uma nova vertente: nem imóvel, nem reserva, aproveite a vida ao máximo, se tiver algum imprevisto, seu ou de qualquer pessoa próxima na velhice, “paciência”, se você ou algum parente morrer antes ou passar por dificuldades por causa disto, sem problemas, já aproveitou a vida. Desde que seja uma decisão consciente quanto aos resultados, mais uma vez, dentro do contexto filosófico, é uma opção perfeitamente válida.

            6+
            • avatar
            • avatar
            • SampaBoy 10 de maio de 2016 at 21:23

              Por ai mesmo CA !, porem voce diz “aproveite a vida ao maximo”. Concordo, so que nao imagino nessa divagação que o melhor é “gastar tudo e farra”, pelo contrario, gasto consciente e equilibrado , pra chegar nos finalmentes e olhar pra tras e dizer : “valeu a pena”. Acho que existe uma distorção atualmente , promovida em grande parte pela midia cinematografica, de que devemos lutar ate o fim pelo que acreditamos ser bom para nos, como se o que importasse é como acabamos e não o “durante”. Isso pra mim é uma farsa. Pagar juros a vida inteira como se na hora que voce morrer o que vale é o seu “boletim” de conquistas é uma grande brincadeira com a sua propria vida. Dinheiro é algo muito importante durante a vida, nao porque deve ser buscado incessantemente, mas porque deve ser tratado coerentemente para que ele reverta da melhor forma possivel em nossa vida. Pagar juros com certeza é tratar mal o nosso proprio bolso e consequentemente a nossa propria vida, em termos de trabalho e aproveitamento do tempo que temos.

              10+
              • avatar
              • avatar
  • Cajuzinha 10 de maio de 2016 at 15:27

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Adivinhem onde isto foi publicado:

    “O mercado imobiliário tem visto, de uma forma geral, o processo de impeachment como uma melhora nas perspectivas, principalmente pelo resgate da confiança de uma retomada das atividades econômicas. “Existe uma perspectiva em relação à agenda econômica de um eventual governo Temer e os investidores estão apostando que tenha uma melhora com o afastamento de Dilma porque existe uma visão que o novo governo teria mais condições de enfrentar as dificuldades”, analisa Danilo Igliori, chairman do DataZAP, área de inteligência imobiliária do ZAP.

    Desta forma, existe uma perspectiva de resultados mais positivos ainda neste ano, iniciando de forma lenta e ganhando força com a retomada da confiança. “Existe perspectiva que o dólar se desvalorize, que os juros caiam, que a inflação fique mais segura e o crédito seja ampliado”, reforça. Todos esses indicadores influenciam diretamente no mercado imobiliário, melhorando a economia, passando mais segurança para as incorporadoras e dando melhores perspectivas para quem deseja investir em um imóvel.”

    http://g1.globo.com/especial-publicitario/zap/imoveis/noticia/2016/05/como-votacao-do-impeachment-influencia-no-mercado-imobiliario.html

    4+
    • avatar
    • From_The_Tower 10 de maio de 2016 at 15:30

      ZAP – kkkkkkkkk.
      É só a percepção mesmo. Economia real levará uns 05 anos se fizerem uma condução coerente.
      Tem muito esqueleto nos armários.
      CEF, BNDES, BB, etc.

      11+
      • avatar
      • avatar
    • Bolhudo 10 de maio de 2016 at 15:32

      “FINGE-ZAP”

      4+
      • avatar
      • avatar
    • CA 10 de maio de 2016 at 16:27

      Cajuzinha,

      Sobre o trecho:

      “Existe perspectiva que o dólar se desvalorize, que os juros caiam, que a inflação fique mais segura e o crédito seja ampliado”, reforça.”

      O US$ ainda está muito flutuante e sujeito a turbulências, neste cenário, que tende a continuar em função de “n” artimanhas da nova oposição (PT e aliados) mais um sem fim de esqueletos que sairão do armário, mesmo que o apesar disto tudo o US$ caia na sua cotação em relação ao Real, não despertará mais confiança nem nas empresas nem nos consumidores, devido às flutuações excessivas e talvez seja apenas um “soluço” por 3 meses até o pessoal perceber a REALIDADE quanto a economia do país e o que é possível e impossível no curto prazo.

      Inflação “mais segura” (que diabos é isso???) não existe “inflação mais segura” com toda a insegurança mencionada no item anterior quanto ao próprio US$, assim como toda a insegurança que ainda será gerada pelo fato do governo Temer não conseguir “milagres” em curtíssimo prazo (próximo parágrafo). Em outras palavras, mesmo com alguma queda na inflação anualizada, ainda assim a mesma estará em patamar elevado e o mais importante, com o rendimento real sendo consumido pela mesma. até em função do desemprego que se manterá elevado e crescente por mais um tempo.

      Juros: a aposta de fato é que a SELIC caia com o governo Temer e novas promessas de melhoria, só que se mexerem na previdência só depois das eleições (enviarem projeto para votação), se adotarem outras medidas polêmicas só após as eleições, se o US$ se mantiver com altos e baixos em função de novos impactos políticos de PT na oposição mais os esqueletos que sairão do armário, dentre outros fatores, não há expectativa de nenhuma redução substancial da SELIC neste ano. “Detalhe”: o endividamento das famílias e das empresas batendo todos os recordes e com tendência de continuar assim e se amplificar durante este ano, sendo que desemprego não para de crescer e renda de cair, estão levando os bancos a terem spreads que são o recorde de todos os tempos, ou seja, mesmo com quedas da SELIC, a liquidez dos bancos está muito prejudicada e tende a cair, em outras palavras, a tendência é que o juros final para consumidor e empresas suba e não caia.

      Crédito seja ampliado?????? Aqui só mesmo a galera do FINGE Zap para ser tão cara-de-pau, acho que nem mesmo nossa ala soft chega a este ponto!!! R$ 50 bi de sangria da poupança em 2015, R$ 32 bi de sangria da poupança só de janeiro a abril de 2016, FGTS sangrando pela primeira vez em vários anos, “medidas” do governo, tanto as recentes como as cogitadas para o novo governo totalmente PÍFIAS, só para Inglês ver, conforme DEMONSTRADO em comentários mais acima, sendo que a redução de crédito não é só do lado da oferta, como também da procura.

      Em resumo, apenas mais ENGANAÇÃO pelo pessoal do FINGE ZAP. Talvez tenha um pouco de whishful thinking, mas a grande parte deve ser má-fé mesmo…

      Para quem não sabe ou não se lembra, o FIPE Zap, do lado da FIPE, é mantido pelo núcleo Real Estate da Poli/USP, onde 100% de seus participantes são executivos do segmento imobiliário que tem todo o interesse do Mundo de FAZEREM DE CONTA que tudo está melhorando e que os preços sequer estão caindo em termos nominais e do outro lado, temos o pessoal do site Zap Imóveis, que pertence às organizações Globo e tem todo o interesse do Mundo em fazer de conta que os preços só crescem, porque assim terão cada vez mais anunciantes felizes e patrocinadores dando cada vez mais dinheiro para eles…

      5+
      • avatar
      • avatar
  • Cajuzinha 10 de maio de 2016 at 16:31

    kkkkkkkkkkkkk

    Será que estou vendo certo? Ap de dois quartos por 950k? ah, mas tem mais de 100m kkkkkkkkkkkkkkkk

    Preço: R$950.000
    APARTAMENTO NA ATALAIA. COND. COSTA DO ATLÂNTICO, MAIS DE 100m².
    2/4 PODE SER REVERTIDO PARA 3/4,SUÍTE SALA AMPLIADA

    http://se.olx.com.br/sergipe/imoveis/costa-do-atlantico-148567133

    5+
    • avatar
    • Bolhudo 10 de maio de 2016 at 16:49

      Tá muito barato, acho que vou comprar 02, um para investir e outro para morar, alugo um e com o valor do aluguél eu pago o financiamento dos dois. 🙁

      11+
      • avatar
      • avatar
  • From_The_Tower 10 de maio de 2016 at 17:02

    +https://youtu.be/X8YkOeMEWoA
    Nostalgia : vídeo da bolha imobiliária do Tio Freud!
    Danibolhista, veja !

    5+
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 10 de maio de 2016 at 17:07

      AL aparece nos 3:31.
      Kkkk

      2+
      • avatar
    • Danibolhista 10 de maio de 2016 at 22:47

      Assisti. Explicou a origem da bolha, riscos e desvalorização. Mas isso reforça que comprar AGORA é ruim, não explicou o porquê juntar por 10,015,20 anos e comprar a vista continua ruim, como é que vocês sabem que tudo vai continuar ruim pelos próximos 20 anos?

      1+
      • From_The_Tower 11 de maio de 2016 at 10:16

        Ninguém pode garantir que vá continuar ruim.
        Eu penso que se a pessoa tem por objetivo comprar um imóvel – que o compre. Eu sugiro que primeiro invista na própria formação, depois poupe, invista no mercado financeiro e compre em um momento viável do mercado. Existem pessoas num mesmo prédio por exemplo que pagarão 650k, 800k, 400k ou 1,6kk. Tudo depende quando ela entrou e como comprou. É isso que estamos afirmando. O mercado é cíclico. Não existe isso de 30% de valorização anual. e Sim imóveis podem sofrer quedas em seus valores como estamos vendo nos dias de hoje.

        Eu reforço que continuará ruim por alguns anos devido a:
        * Preços descolados da renda nacional
        * Altos estoques gerando custos fixos
        * Pressão e falta de recursos na concessão de crédito
        * Queda na atividade econômica
        * Envelhecimento da população
        * Diminuição da população

        Pode ser que melhore após um grande ajuste e a BNN seja contemplada mais uma vez por um boom de commodities. Aí sim. Pois é um produto que o bananense acredita muito. Se tiver renda e crédito para tal – assim eles o farão.

        2+
      • Barnabezinho 11 de maio de 2016 at 11:20

        Como saber?
        Apostar no sucesso futuro é uma alucinação.
        Não tem como ser otimista se sabemos perfeitamente que nossos fundamentos sociais e políticos são ruins. Até o mercado imobiliario, pra nao fugir do tema, parar de piorar vai ser uma década. NINGUÉM diz que não é para comprar. Agora, se quer comprar, compre DOIS. Motivos para não fazer isso há aos montes. Isso foi repisado enormemente. Não tem porque se sentir premida a nao comprar. Mas compra sabendo que hoje não é a melhor opção.

        3+
        • avatar
    • Cesar_DF 11 de maio de 2016 at 12:09
  • rpoa 10 de maio de 2016 at 17:13

    Porque no INCC só sobe?

    tenho acompanhado o mercado (e comprei apto agora, acredito que já pegando uma curva de baixa do mercado) e tenho outro em construção no litoral que tinha parte do terreno (num sei quando vende.. mas isso é outros quinhentos).

    O que eu fico encucado é que:
    a) o mercado está travado;
    b) desemprego em massa na construção civil (teoricamente mão de obra mais produtiva e barata);
    c) queda na venda de insumos (o que deve reduzir preço do cimento, areia, tijolos, acabamentos, etc)..

    e porque o INCC só sobe?
    alguém sabe explicar?

    6+
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 10 de maio de 2016 at 17:15

      É o indexador das construtoras .
      Elas adoram cobrar juros dos jardineiros que compram na PrAnta.
      É algo já estabelecido na BNN. E em junho é o mês que mais aumenta por conta do dissídio dos trabalhadores do setor. Assim dizem eles.

      6+
      • avatar
  • W.K. 10 de maio de 2016 at 18:26

    Assunto meio off onde peço ajuda aos bolhistas.

    Estou precisando trocar meu “poçante” por uma caminhonete. Caminhonetes a Diesel são muito caras, e a gasolina são muito gastonas. Como sou mão-de-vaca, estou pensando em comprar uma caminhonete com GNV.

    Dicas? Cuidados? Apedrejamento?

    3+
    • avatar
    • Master Yi 10 de maio de 2016 at 21:16

      Pensei na possibilidade de colocar GNV no meu carro, mas depois acabei desistindo da ideia, meu pai ficou falando que estraga o motor etc etc. Acabei ficando com preguiça de pesquisar sobre o assunto e a ideia se perdeu. Talvez qualquer dia desses eu pesquise mais a fundo sobre o custo-benefício.

      1+
      • Cesar_DF 11 de maio de 2016 at 11:41

        Conheço quem tem, compensa para quem roda acima de 20.000 km por ano

        0
    • CA 10 de maio de 2016 at 19:03

      Luladranus,

      Assustador!

      Trechos do link acima:

      “Cerca de 1,8 milhão empresas fecharam as portas no País durante o ano passado. Esse número engloba companhias de todos os tamanhos e setores da economia, inclusive dados de microempreendedores individuais. O resultado é mais que o triplo do que foi registrado no ano anterior e mostra o tamanho da recessão no âmbito empresarial.”

      “O executivo pondera que essa marca pode estar subestimada, já que existe um custo para encerrar a atividade na junta comercial e há empresários que, acuados pela crise, não têm recursos disponíveis para isso.”

      5+
      • W.K. 10 de maio de 2016 at 19:14

        E com o Estado apertando o cerco e tentando controlar tudo, é cada vez mais difícil para o sujeito sobreviver na informalidade.
        .
        Esta crise tem todos os elementos para fazer os anos perdidos da década de 80 parecerem um passeio no parque…

        7+
        • avatar
        • EngenheiroSP 10 de maio de 2016 at 22:13

          Para ser mais preciosista, seria bom saber qual a porcentagem de “empreendedores individuais”, já que isso não é mais do que o PJ que atua dentro das empresas.

          Além do que, é mais agradável ao eleitorado guinado a esquerda dizer “empresa fechou” (já que empresário é tudo bicho-papão) do que “aumento de desempregados”

          3+
  • Lucas 10 de maio de 2016 at 19:53

    joselito

    Então foi você né, que comentou la no FSP dizendo que imóvel de 400mil não tem espaço nem para sentar no vaso sanitário sem bater o joelho na parede kkkkkkkk

    9+

    eu fui o que falei que dava pra cagar e fritar um ovo ao mesmo tempo

    11+
    • avatar
    • Mijanomuro Murokai 10 de maio de 2016 at 20:31

      Eeeeeeeessse é o meu patrão!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      😀 : D : D 😀 😀

      0
  • Lucas 10 de maio de 2016 at 20:03

    Danibolhista

    CA

    Concordo com a troca de problemas. Imagine o assédio que talvez eu venha a sofrer dos meus filhos quando eles souberem que tenho investido em TD

    dani bolhista vc inventa demais pra se justificar

    os acontecimentos do sec passado são outros, muitas vezes um velhinho nao pode morar sozinho simplesmente pq não póde, nada a ver ser dono ou não, aliás tendo filhos tipo filhodaputa, nada é seguro, já vi roubarem atés as cueca dum velho.

    a sua questão é totalmente esdruxula dá até preguiça comentar
    Vc tomou uma péssima decisão comprando, e pior ainda se casando com um cara que se consulta com a mãe até mesmo pra fazer xixi.
    Essas ficções só piora a coisa, se perdeu dinheiro, que pelas suas contas nem foi muito, que não perca a lição

    Comprar imóvel em períodos de alta, como esse período 2005-2015, ou mesmo hoje sem pelo menos uins 50% de desconto é uma bela duma burrada, faço pequenas exceções pq nem todo mundo é malandro houve vendas honestas e pq o governo ajudou muito a pedalar subsídios na faixa 1 e 2 do MCMV

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Libertario 10 de maio de 2016 at 20:17

      kkkkkkkk
      Véio
      Ki resposta. Sniper.

      Vou te dizer a frase do Herbert:

      As vezes te odeio por quase um segundo. Depois te amo mais….

      kkkkkkk

      6+
      • avatar
    • Master Yi 10 de maio de 2016 at 21:21

      Essa bolha ta deixando a galera a flor da pele….

      4+
      • avatar
      • avatar
      • wade 11 de maio de 2016 at 02:26

        Daqui a pouco o dono do blog começa a restringir o acesso. Opa, não, pera.

        3+
        • avatar
  • Mizeravi 10 de maio de 2016 at 22:01

    Boa noite seus mizeravi`s, não tenho postado mas tenho lido bastante…. Muito obrigado sempre…
    Queda foi de 30% no primeiro mês deste ano…
    http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/jornal-da-eptv-2edicao/videos/t/edicoes/v/pesquisa-do-conselho-regional-dos-corretores-aponta-queda-na-compra-de-imoveis-usados/5014853/

    3+
  • Cajuzinha 10 de maio de 2016 at 22:05

    ” O Conselho Curador do FGTS vai permitir que o dinheiro destinado à compra de CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários) de instituições financeiras seja utilizado também para a aquisição de LCIs (Letras de Crédito Imobiliário).

    Em fevereiro, o conselho liberou R$ 21,7 bilhões para aumentar as linhas de financiamento para a compra da casa própria. Foram R$ 11,7 bilhões para a linha Pró-Cotista e R$ 10 bilhões para os CRIs.

    Dessa última parte, cerca de R$ 4 bilhões já estão sendo emitidos pela Caixa. Aproximadamente R$ 6 bilhões ainda podem ser aplicados em novos papéis.”

    http://m.folha.uol.com.br/mercado/2016/05/1769817-fgts-podera-aplicar-recursos-em-letras-de-credito-imobiliario.shtml

    4+
    • Cajuzinha 10 de maio de 2016 at 22:07


      Ao vender esses papéis para o FGTS, o banco conta com novos recursos para aplicar em habitação.

      A medida aprovada nesta terça-feira (10) tem como objetivo acelerar esses negócios, uma vez que a emissão de LCIs é mais rápida.”

      3+
      • CA 11 de maio de 2016 at 09:36

        Cajuzinha,

        Sim, a emissão da LCI é mais rápida, no entanto, também é mais cara e portanto, os juros do crédito imobiliário são maiores nesta modalidade do que no Pró-Cotista do FGTS ou com uso da Poupança (SBPE). Em outras palavras, não resolve em nada a falta de crédito imobiliário barato que é imprescindível para sustentar a bolha imobiliária neste momento.

        Claro que alguns bancos públicos, como CEF e BB, passaram a remunerar menos a LCI para com isto, tentarem viabilizar empréstimos imobiliários mais baratos. Fizeram o mesmo quanto ao LCA e a verba para agricultura. De novo, ações com resultados pífios, apenas ajudaram a estimular cada vez mais as pessoas a partirem para TD´s com corretoras confiáveis ou outras aplicações em bancos diferentes, sendo que o quanto reduziu na rentabilidade destas aplicações nos bancos públicos não foi o suficiente para fazer com que ficassem competitivas com o juros do crédito imobiliário com verba Pró-cotista do FGTS ou da Poupança (SBPE).

        Não existem soluções mirabolantes, o conjunto de gambiarras do governo não leva a lugar nenhum.Eles sabem disto, estão apenas, no DESESPERO, tentando criar cada vez mais ações “para Inglês ver”, só para dizerem que o governo está preocupado com o setor de construção civil e está agindo e também, é claro, para que o segmento de construção civil possa utilizar estas ações PÍFIAS como propaganda e dizendo que “agora vai”.

        2+
        • avatar
        • avatar
    • Alemon Fritz 10 de maio de 2016 at 23:15

      No começco do ano mostrei que os bancos espanhois e portugueses perderam 56% em calote (Banco malo, imparidade da dívida), se livraram de 44% via securitizaçao.

      aqui vai ser de 60% pra cima de “perda”.

      3+
  • Carlos 10 de maio de 2016 at 22:59

    OFF – Olim-piada da zica e do cisticerco.

    http://www.couriermail.com.au/sport/olympics-2016/doctors-warn-rio-olympics-should-be-moved-due-to-health-fears/news-story/ac6d470773b3f99ff8b03868bf5acd36

    “First, Rio de Janeiro is more affected by Zika than anyone expected, rendering earlier assumptions of safety obsolete. When in January the International Olympic Committee declared Rio a “safe environment” for the Games, it was speculating, because Brazil’s Ministry of Health temporized until February to declare Zika a notifiable disease and begin counting cases.[3] [4] Now with those data finally available, the situation seems not so safe: Rio de Janeiro’s suspected Zika cases are the highest of any state in in Brazil (26,000), and its Zika incidence rate is the fourth worst (157 per 100,000).[5] Or in other words: according to the Brazil’s official data, Rio is not on the fringes of the outbreak, but inside its heart.”

    “http://harvardpublichealthreview.org/off-the-podium-why-rios-2016-olympic-games-must-not-proceed/

    5+
    • avatar
  • Cajuzinha 11 de maio de 2016 at 05:33


    “Os preços já vêm caindo e devem continuar assim até o segundo semestre de 2017″, diz Thomaz Assumpção, presidente da consultoria Urban Systems.”

    http://m.folha.uol.com.br/mercado/2016/05/1769940-consumidor-pechincha-para-comprar-casa-propria.shtml

    2+
  • Alemon Fritz 11 de maio de 2016 at 08:01

    estatisticas
    Na caixa….Cerca de 75% do crédito é imobiliário. Na média do mercado, o índice de inadimplência no segmento é baixíssimo: 0,2%.
    O da Caixa é o triplo: da ordem de 0,6%. “Se a maioria do crédito é imobiliário, ela não poderia ter índices de inadimplência tão altos”, diz Mello. (isso dá 4,2 bilhoes)

    Desde 2013, Caixa já vendeu cerca de R$ 22 bilhões da carteira de empréstimos por R$ 2 bilhões – desconto de 91%. Como por volta de R$ 15 bilhões já estavam registrados como perdas na carteira, na prática, o desconto seria de 71,4%. Ainda muito alto.
    (vendeu 7bi recuperou 2bi, =-5bi + 15bi… então já perdeu 2,8% de 700bilhoes)..

    “Se R$ 100 bilhões dos R$ 700 bilhões forem créditos podres, e fossem vendidos com o mesmo deságio, seria uma perda de R$ 71 bilhões: acabaria com o capital da caixa”, diz Mello. Diante de tais números, analistas estimam que, por baixo, a Caixa precisa de uns R$ 40 bilhões apenas para recuperar o fôlego.

    http://noticias.r7.com/economia/numeros-da-inadimplencia-na-caixa-sao-preocupantes-diz-especialista-09052016

    2+
    • avatar
    • CA 11 de maio de 2016 at 09:26

      Alemon Fritz,

      Precisa de R$ 40 bilhões para recuperar o fôlego…O governo já vai ter um déficit de pelo menos R$ 96 bilhões neste ano, da onde sairiam estes R$ 40 bilhões?

      Não é a toa que Armínio falou para Temer sobre situação muito preocupante da Caixa, ou que técnicos do ministério da Fazenda falaram sobre situação de terra arrasada. Sem contar que esta divulgação recente e persistente dos problemas da CEF serve como uma “introdução” sobre o que ainda está para ser descoberto.

      Para a equipe econômica do novo governo, observar uma inadimplência do crédito imobiliário da CEF que em termos percentuais é o TRIPLO da média de mercado, sendo que a própria CEF participa desta média e responde por 70% do crédito concedido, logo é MUITO MAIS que o triplo da média dos demais bancos, já é um senhor sinal vermelho quanto a possíveis ideias de utilizar a CEF para “reativar o crédito”, tanto que tudo que eles tem veiculado nos meios de comunicação é no sentido contrário, de deixar o mercado privado atuar e não utilizar mais os bancos públicos de forma irresponsável como antes.

      Lembrando que a CEF chegou neste estágio, obviamente, graças à bolha imobiliária. Ela foi a grande impulsionadora da bolha, concedendo as menores taxas de juros nos últimos 10 anos, sendo a primeira a aumentar os prazos de financiamento (para 20 anos em 2005, para 35 anos em 2013), fornecendo crédito imobiliário sem critério, como quando aceitava transferência entre contas como comprovante de renda informal, quando aceitava mais pessoas para comprovar a renda, sendo que parte destas pessoas não ajudariam a pagar as parcelinhas mensais, dentre outras maracutaias, que envolveram inclusive investigações da polícia federal a respeito. Sem contar que ela era obrigada a “entubar” cliente do Minha Casa Minha Vida faixa 1 que vinham de “comunidades” onde não pagavam condomínio, energia elétrica, etc. e que de repente, ao “ganharem” seus imóveis do governo, ficaram sem dinheiro até para pagar as módicas mensalidades, normalmente inferiores a R$ 100, gerando assim uma inadimplência superior a 23% nesta modalidade. As faixas 2 e 3 do MCMV também tem média de inadimplência muito superior ao do mercado.

      É natural que tudo que consta aqui, tenha colaborado de forma DECISIVA para que em 2011 o volume de crédito imobiliário com verba da poupança tenha sido de 22 vezes o que era em 2005, assim como a verba da poupança na CEF ter secado a partir do início de 2015 e desde então ela ter sido obrigada a aumentar os juros por 4 vezes e ser mais criteriosa com o crédito imobiliário concedido. Também é natural termos tido o início de sangria maior do FGTS para tentar cobrir uma parte destes rombos e no final tudo isto ser absolutamente PÍFIO, em especial em função da ENTROPIA, após mais de 10 anos de pedaladas e maquiagens…

      Tem ainda os déficits de Petrobrás, empresas do setor de energia elétrica, BNDES, etc., etc., etc. No total, algo que pode ficar entre um mínimo de R$ 250 bilhões e um máximo que varie entre meio trilhão de Reais e um trilhão de Reais, segundo estimativas das agências de riscos, que na realidade estão “às cegas” porque os esqueletos que ainda não saíram dos armários.

      Não é a toa que o novo governo Temer já estuda fazer auditorias pelo menos em CEF, BB e BNDES.

      Em tempo:

      Se o governo imprimir dinheiro para resolver parte do problema acima, inflação aumenta muito e juros SELIC não poderá cair. Com isto, mais combustível para que os juros do crédito imobiliário inviabilizem qualquer continuidade da bolha.

      Se o governo não imprimir e deixar estas empresas públicas agonizando, na prática as mesmas terão que cancelar todos os investimentos, reduzir drasticamente suas despesas e obterem empréstimos com juros elevados de bancos chineses ou outros, que de qualquer forma, não vão cobrir nem 5% do rombo, ou seja, não resolverá nada (apenas mais um conjunto de ações “para Inglês ver”).

      Mesmo que o governo não imprima dinheiro e a inflação possa cair, graças a alguma solução “mirabolante”, ou mesmo porque de alguma forma mudarem de ideia e tentarem continuar pedalando e maquiando os resultados, ainda assim o juros do crédito imobiliário tende a continuar alto e até se elevar, porque quanto mais inadimplência registrada, menos liquidez para o banco e pela lei de oferta e procura, maior tem que ser os juros. São leis de mercado, não podem ser “revogadas” por um governo, independentemente do quanto ele estiver disposto a maquiar e pedalar com os problemas, chegamos em uma situação limite, onde o risco da inadimplência elevada JÁ ESTÁ acontecendo.

      Lembrando o que sempre digo: NÃO existe governo super-poderoso, um dia a conta chega e no nosso caso, já chegou, apenas ainda não foi entregue de forma aberta para a população, poucos tem alguma ideia do tamanho do rombo.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Everybody hates bolha 11 de maio de 2016 at 09:57

        Perfeita análise CA.

        Você acredita que o Temer vá mostrar todos os problemas (Como citou acima “esqueletos”) de uma vez, ou tentará fazer as coisas aos poucos para que não crie pânico no mercado?

        3+
        • avatar
        • CA 11 de maio de 2016 at 10:13

          Everybody hates bolha,

          Acho que ele vai escancarar assim que possível, mas estas auditorias podem demorar até uns 2 ou 3 meses para serem divulgadas, talvez enquanto isto continuemos recebendo notícias em quantidade crescente que estarão vazando os problemas destes bancos, para já ir “preparando o terreno” e não deixar o pânico se espalhar como uma grande “surpresa” para o mercado…

          5+
          • avatar
          • Everybody hates bolha 11 de maio de 2016 at 12:54

            Obrigado CA.

            0
  • Cajuzinha 11 de maio de 2016 at 09:48

    “Depois de muita negociação, o futuro ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, fechou o nome para a presidência do Banco Central. O sucessor de Alexandre Tombini em um eventual governo de Michel Temer será o economista Ilan Goldfajn, do Itaú Unibanco. A condição para que ele aceitasse assumir o cargo foi a manutenção do status de ministério do BC, que Temer queria reverter. Com isso, Ilan garante foro privilegiado para se proteger de enxurradas de ações judiciais que recaem sobre a autoridade monetária.”

    http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/ilan-goldfajn-sera-presidente-do-bc-de-temer/

    1+
    • avatar
  • Cajuzinha 11 de maio de 2016 at 09:53

    “Venda de material de construção cai 10,5% em abril

    Notícia Publicada em 11/05/2016 09:47

    Entre janeiro e abril, as vendas caíram 15,8%, diante de uma expectativa da Abramat de recuo de 4,5% nas vendas em todo 2016”

    http://www.financista.com.br/noticias/venda-de-material-de-construcao-cai-10-5-em-abril

    2+
    • avatar
  • CA 11 de maio de 2016 at 10:10

    Replico porque ficou muito acima:

    Danibolhista 10 de maio de 2016 at 22:47
    Assisti. Explicou a origem da bolha, riscos e desvalorização. Mas isso reforça que comprar AGORA é ruim, não explicou o porquê juntar por 10,015,20 anos e comprar a vista continua ruim, como é que vocês sabem que tudo vai continuar ruim pelos próximos 20 anos?
    _____________________________________________________________________________________________________________

    Danibolhista,

    Cuidado com o excesso de generalizações: “…como é que vocês sabem que TUDO vai continuar ruim pelos próximos 20 anos?”

    A generalização excessiva é prejudicial.

    A colocação não é de que TUDO vai continuar ruim, mas sim que em determinadas localidades e em virtude de situações específicas, poderemos ter sim casos em que os imóveis serão um péssimo negócio por prazo indeterminado, podendo este prazo indeterminado ser até superior aos 20 anos mencionados por você.

    Um exemplo com cerca de 20 anos de experiência quando foi divulgado no ReclameAqui:

    Link: http://www.reclameaqui.com.br/4873949/momentum-empreendimentos-imobiliarios-ltda/ninho-verde-ii/

    Trecho do link acima:

    ““Era o ano da copa do mundo dos EUA, 1994.Vi um quiosque no antigo supermercado Big, no bairro do Tucuruvi em São Paulo, vendendo terrenos enormes,à preços baixos.Tratava-se, do empreendimento imobiliário Ninho verde II, um condomínio fechado localizado à aproximadamente 196 km de São Paulo.Pensando estar fazendo um ótimo investimento, comprei dois lotes vizinhos, de 450 m2 cada um.Me meti numa furada, pois passados quase 20 anos, não houve valorização nenhuma, não consigo vendê-los de jeito nenhum e as taxas de manutenção são caríssimas.”

    Agora falando de uma forma um pouco mais abrangente e relacionada com bolha imobiliária:

    Você já ouviu falar sobre a cidade de Detroit nos EUA? No ano da explosão da bolha imobiliária americana esta cidade explodiu junto e com isto, os preços dos imóveis despencaram. Isto aconteceu porque como em toda bolha imobiliária, tivemos em conjunto uma bolha de consumo e o mercado automobilístico foi fortemente afetado, com algumas montadoras americanas sediadas em Detroit fechando as portas. Consequência? MUITAS famílias abandonaram Detroit, a prostituição e o crime tomaram conta da cidade, o preço dos imóveis DESPENCOU e continua muito baixo até hoje, passados 8 anos, sem nenhuma perspectiva de que algum dia os preços voltem a subir e/ou que valha a pena comprar um imóvel por lá. Imóveis vazios em larga escala que poderão permanecer assim por gerações.

    Agora pare para pensar sobre a cidade de São Bernardo do Campo: grandes plantas de montadoras de veículos sendo reduzidas de forma intensa a partir de 2015 em especial (também como consequência da combinação de bolha imobiliária com bolha de consumo), todos os profissionais que dependem direta ou indiretamente deste segmento sendo afetados e ao mesmo tempo, tendo passado por uma grande expansão na oferta de novos imóveis. Pode acabar acontecendo, em menor escala, o que já aconteceu em Detroit e assim, comprar um imóvel por lá se tornar um péssimo negócio por prazo indeterminado, que pode até superar os 20 anos mencionados por você.

    Temos ainda a situação de cidades como Rio Grande, Macaé e Santos, onde as obras da Petrobrás vinculadas ao pré-sal ajudaram a turbinar de forma ainda mais absurda um crescimento que já ocorria de forma artificial pela bolha imobiliária quanto a novos imóveis construídos. Conclusão: muito mais imóveis disponíveis do que a população local precisa, sendo que não há nenhuma perspectiva de reversão, novamente, uma desproporção entre oferta e procura por prazo indeterminado, que pode também passar de 20 anos.

    Observe que mesmo em cidades como São Paulo, para algumas situações específicas, é possível que tenhamos uma distorção entre oferta e procura por imóveis que também seja por “prazo indeterminado” e passando de 20 anos neste prazo. Vou dar alguns exemplos: se olharmos as ofertas só do site imovelweb versus a demanda de novos e usados dos últimos 12 meses, a quantidade de imóveis de 3 dormitórios ofertados é suficiente para mais de 20 anos de vendas e no caso de 4 dormitórios, suficiente para mais de 30 anos de vendas. Claro que se os preços caírem muito, é possível que estes prazos tenham uma redução sensível, depois de uma recuperação na economia, no entanto, existem outros fatores demográficos que afetam estas contas também: a emigração de São Paulo tem sido mais intensa que a imigração, ao mesmo tempo, as famílias tem reduzido de tamanho e a partir de um certo ano, teremos reduções da população e não crescimento, sendo que pela combinação destes fatores, é possível sim que tenhamos imóveis de 3 e 4 dormitórios que sejam em excedente também por prazo indeterminado e que possa passar dos seus 20 anos de referência. Até mesmo para 1 dormitórios, para os quais tivemos em 2013 o triplo do recorde de lançamentos dos últimos 10 anos, para investidores que colocarão estes imóveis para alugar, foi gerada uma super oferta tão absurda (não só neste ano, como nos demais) que também pode se converter em distorção entre oferta e procura por prazo indeterminado.

    O que consta acima não é uma exclusividade da bolha imobiliária brasileira ou americana.Na China existem cidades fantasmas criadas pela bolha imobiliária que talvez permaneçam assim por décadas, na Itália, França e alguns países da Europa existem vilas ou cidades abandonadas há décadas e com imóveis sem nenhum valor em termos práticos (na Itália estão usando parte disto para abrigar refugiados da Síria) e por aí vai.

    Esqueça o discurso do “déficit habitacional”. Em 2010 o IBGE já provou que haviam mais imóveis vazios do que pessoas sem imóveis.

    Enquanto a distorção entre oferta e procura for absurda, como nos vários cenários desenhados acima, será um péssimo negócio comprar imóvel, sob o ponto de vista estritamente financeiro, seja para morar ou para investir, uma vez que isto, pela lei de oferta e procura, fará com que seja mais vantajoso você alugar um imóvel por preço bem baixo em relação a seu valor e utilizar o seu dinheiro em aplicações financeiras com rentabilidade melhor.

    Atenção, enquanto você estiver presa na matrix do segmento imobiliário, será muito difícil de entender ou acreditar no que consta acima, por mais EVIDÊNCIAS que sejam apresentadas. Em outras palavras, se quiser entender de verdade o que está sendo dito por aqui, esqueça as GENERALIDADES, foque nos fatos e dados. Deixe as generalidades para os enganadores do segmento imobiliário, que já tem um grande conjunto de frases feitas (“Quem compra terra não erra”, “Aluguel é jogar dinheiro fora”, “Imóvel é SEMPRE o melhor investimento”, “Quem casa quer casa”, “O déficit habitacional garante a demanda por gerações”, etc., etc., etc.).

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Danibolhista 11 de maio de 2016 at 11:02

      Entendi.

      5+
      • avatar
  • tmarabo 11 de maio de 2016 at 10:13

    Agora vai.
    GND Incorporadora desembarca no mercado de imóveis de alto padrão do RS
    A GND Incorporadora, um dos principais players de alto padrão de Santa Catarina, escolheu Porto Alegre para ampliar seus investimentos.

    A empresa anunciará três empreendimentos entre 2016 e 2017. O primeiro é um prédio com design inspirado na arquitetura uruguaia, 12 unidades de luxo com áreas privativas de apartamentos a partir de 230 m², no Menino Deus, um dos bairros mais cobiçados da cidade.

    – A GND faz parte de um grupo que atua há mais de 40 anos no ramo da construção civil.
    http://polibiobraga.blogspot.com.br/2016/05/gnd-incorporadora-desembarca-no-mercado.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed:+JornalistaPolibioBraga+%28Jornalista+Polibio+Braga%29

    3+
    • avatar
    • tmarabo 11 de maio de 2016 at 10:25

      Dei uma olhada no “alto padrão” na página da GND, são imóveis espaçosos, mas um desperdício total, tudo mal dividido. Sem contar nos diversos empreendimentos os aps “master” de 300m2 que tudo tem + ou – 100 m2 de terraços/sacadas….

      4+
      • avatar
      • avatar
      • rogerio 11 de maio de 2016 at 11:15

        Eu particularmente gostaria de ter muito espaço em sacadas ou terraços…

        3+
        • avatar
        • avatar
        • tmarabo 12 de maio de 2016 at 10:58

          não sei de onde és, mas em POA espaço em sacada se usa quatro meses por ano. aqui todo o mundo fecha as sacadas.
          talvez faça sentido de SC pra cima, mas não sei não.

          1+
    • tmarabo 11 de maio de 2016 at 10:26

      Nos demais aps, como que com 150/200m2 na mão os caras conseguem fazer plantas tão ruins???

      3+
      • avatar
      • From_The_Tower 11 de maio de 2016 at 10:30

        Arquitetos de Uni-Esquina?

        4+
        • avatar
    • BolhaPOA 11 de maio de 2016 at 10:42

      Bah, vão quebrar a cara bonito. O que mais tem aqui é esses apartamentos “alto padrão”, não vende nada.
      O Estado tá falido, todo mundo segurando a grana. Além do mais, bairro menino deus nem é mais tão bom, violência aumentou MUITO.
      Vai servir apenas para aumentar o estoque de imóveis.
      Bela porcaria.
      Parabéns aos envolvidos.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • Barnabezinho 11 de maio de 2016 at 11:17

        Beleza de timming…
        E olha, na periferia do HELL tem vários pombais em construção, mesmo com o mercado acabando.
        Tem sim, gente que está pegando rescisão e dando entrada em tijolos! assustador…

        7+
        • avatar
        • avatar
      • Ilusionista 11 de maio de 2016 at 11:19

        aqui em SP, bairro de referência imobiliária, a Vila Mariana tem anúncios de imóveis entre 9 a 12 mil o m2.
        inúmeros anúncios de aptos de 100 m2 a mais de 1.2 kk, difícil arrumar quem consiga financiar neste valor com os juros atuais.
        acho que vai ser um dos bairros mais impactos com a bolha, quem pagou já caro no passado deve perder muito dinheiro..

        6+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Ilusionista 11 de maio de 2016 at 11:38

          similares a este anúncio, 100 m2, valor R$ 1.175.kk,
          no simulador parcela de 12.188 em 30 anos, isto sem contar , taxas de condomínio, contas de consumo, etc., para não ficar no aperto, terá que ter ao menos uma renda garantida pelas próximas 3 décadas de 40 mil…
          http://www.zapimoveis.com.br/oferta/venda+apartamento+3-quartos+vl-mariana+zona-sul+sao-paulo+sp+100m2+RS1175300/ID-6314834/?paginaoferta=6

          3+
          • avatar
          • bolhaestoura 11 de maio de 2016 at 16:36

            Sei, moro em vila mariana e os preciso sao um absurdo e parece que nem cairam. Pior ainda aquele apartamento em cima no OLX nem fica no lado bom vila mariana.
            No ano passado eu e minha namorada entrei num estande de vendas para um daqueles apartamentos chamados YOU. Tipo YOU prime, YOU ibirapuera etc. tem varios na regiao. Entao, a gente foi dado um preco um pouco acima de um milhao para 98m2 e 3 dormitorios. Eu fiquei chocado mesmo nao tinhamos a intencao de comprar.
            Um ano depois passo aquele mesmo apartamanto e a maioria das luzes a noite sao apagados e o preco ainda fica entorno de um milhao.
            O que sera esta acontecendo aqui?

            4+
            • avatar
            • avatar
            • bolhaestoura 11 de maio de 2016 at 16:38

              Devem chamar o proximo YOU, Failed.

              3+
              • avatar
  • Cesar_DF 11 de maio de 2016 at 11:09

    Tradicionalmente, o que se convencionou chamar de sucesso é medido pelo fato de ter casa própria e carro. Mas isso já não é mais assim. A cada dia, aumenta o número de jovens que optam em não adquirir este tipo de bens.
    Diversos estudos especializados mostraram que cada vez menos pessoas da chamada ’geração Y’ (que hoje têm cerca de 30 a 35 anos) compram casa. Sem falar no número ainda menor de interessados em adquirir um automóvel. Na realidade, eles não fazem quase nenhum tipo de gasto grande, sem contar os iPhones, é claro.
    Nos Estados Unidos, jovens de até 35 anos são conhecidos como ’a geração dos alugadores’. Por que isso acontece? Alguns sociólogos têm certeza de que os jovens de hoje estão mais atentos, sabendo que podem enfrentar crises financeiras e, por isso, temem fazer grandes financiamentos.
    Mas isso não é o principal. O fundamental é que a ’geração Y’ se diferencia da geração de seus pais quanto aos valores. São muito diferentes.
    Os jovens redefiniram sucesso. Antes, dizia-se que alguém de sucesso era aquele com casa própria e pelo menos um carro. Mas agora valoriza-se quem investe seu dinheiro em experiências, viagens e aventuras.
    Jovens vêm deixando conscientemente de comprar bens móveis e imóveis, preferindo recorrer ao aluguel. Hoje em dia, as pessoas preferem horários de trabalho mais flexíveis, independência econômica e geográfica ao que antes era tido como prosperidade e estabilidade.

    http://incrivel.club/inspiracao-dicas/por-que-os-jovens-ja-nao-querem-comprar-carro-nem-casa-propria-77455/

    15+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • rogerio 11 de maio de 2016 at 11:21

      Eu sou um que invisto a maior parte dos rendimentos dos juros em viagens…o mundo é muito grande e interessante não consigo me segurar…

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Cesar_DF 11 de maio de 2016 at 11:30

        Eu também

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
    • CA 11 de maio de 2016 at 12:38

      Danibolhista,

      Creio que o artigo acima é um excelente complemento quanto ao que comentei sobre a possibilidade do imóvel ser um péssimo negócio financeiro por prazo indeterminado para situações específicas, em alguns casos com este prazo indeterminado podendo superar os 20 anos que você mencionou.

      Considere que no Brasil, normalmente com um atraso de 5 a 10 anos, costumamos copiar as práticas adotadas nos EUA. Já pensou daqui a poucos anos, quando a bolha imobiliária já tiver explodido e gerado um grande trauma para boa parte da população, derrubando “dogmas” sobre déficit habitacional, “quem compra terra não erra” e tantos outros, com super oferta recorde e ao mesmo tempo um anseio da nova geração por utilizar seu dinheiro para outros fins e não para adquirir imóveis? Seria mais um motivo para que em algumas localidades e situações específicas tivéssemos imóveis que seriam um “mico” de serem adquiridos, por prazo indeterminado que poderia superar os 20 anos que foram sua referência.

      Por enquanto o que eu vejo no Brasil é que os jovens na faixa entre 20 e 30 anos estão “entrando de cabeça” no Minha Casa Minha Vida, ainda influenciados por um efeito manada, uma verdadeira lavagem cerebral a que foram submetidos, onde a única coisa que importa é a parcelinha caber no orçamento e poderem ostentar para os amigos que já tem um imóvel (mesmo que este imóvel ao longo de 30 anos ou mais pertença ao banco e só ao término do pagamento é que será deles). Estes jovens, por enquanto, não se atentaram que o imóvel que hoje eles pagam mais de R$ 200 mil num passado recente (menos de 10 anos atrás), custavam menos de R$ 80 mil e eles também não notam que ao se escravizarem em financiamentos para o resto da vida, deixam de usufruir a própria vida, agora imaginem quando as novas gerações chegarem com esta visão diferente que consta mais acima e ainda sabendo que os dogmas sobre imóveis nunca foram verdadeiros…

      6+
      • avatar
      • avatar
      • Danibolhista 11 de maio de 2016 at 13:12

        CA,

        Passei a manhã todo procurando imóveis para alugar na faixa de 1.000. Até tem, porém ao entrar em contato com a imobiliária ou dono, não aceita animais porque tem mais casas no quintal, os demais são apartamentos. As casas independentes ainda estão da casa dos 2 mil. Eu devo ser uma azarada mermo.

        Fiz a simulação no TD, supondo que eu venda meu bolhudo por 187.000, porém 87.000 é o valor de quitação da dívida junto ao banco, então eu investiria 100 mil no TD. A simulação que eu fiz foi Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2027 (NTNF). O meu primeiro semestre seria no valor de 4.180, dividindo este valor por mês eu teria 696, só que esse valor não paga meu aluguel. Mas aí a vantagem que você fala seria que seu alugasse por 1mil na verdade eu estaria pagando 304? É assim mesmo?

        1+
        • avatar
        • From_The_Tower 11 de maio de 2016 at 13:33

          Mas aí você está pegando só os juros semestrais. Vai render mais que isso.
          P.S. Esse bolhudo não é seu. É do banco.
          Talvez em 12 meses você não consiga vender nem por 90k. Só sobraria 3k. P.S. Sem corvo.

          5+
          • avatar
          • avatar
          • From_The_Tower 11 de maio de 2016 at 13:34

            Até para o TD tem hora boa de entrar. Depende muito da estratégia. Bolhistas Masters pegaram NTNB´s a 7,90% + IPCA.

            5+
            • avatar
            • avatar
            • Lucas 11 de maio de 2016 at 13:56

              187 mil nesse ntnb rende no longo prazo 1.250 reais de juro real mensal brutos + a inflação que supondo 10% seriam outros 1.600 reais mensais brutos.

              agora impagável mesmo é morar por 35 anos num imóvel de 50 m² com um animal.
              minha vizinha tem um dog numa casa de 100 m2 + quintal e o bixo tá meio maluco e ela arrependida

              5+
              • avatar
              • From_The_Tower 11 de maio de 2016 at 13:59

                Mas véio, não são 187. Se for vendido por 187 são apenas 100k para investir. Fora o ganho de capital se seria cobrado ou não.
                A conta é um pouco mais complexa pois envolve aluguel de uma nova residência e o quanto ela paga de aluguel do dinheiro.

                2+
                • avatar
                • Lucas 11 de maio de 2016 at 20:01

                  e o quanto deixa de ganhar

                  na melhor da shipoteses perda de 50% em suaves 15 anos

                  0
        • RecebendoJuros 11 de maio de 2016 at 13:36

          E quanto você está pagando por mês por essa dívida de 87 mil ? Se vender e quitar a dívida deixará de ter esse gasto mensal.

          3+
          • avatar
          • From_The_Tower 11 de maio de 2016 at 13:40

            Exatamente.
            Quanto é a parcela atual do bolhudinho?
            Abateu quanto do saldo devedor em Abril de 2016?

            Ex: Rendimento de 42 dias desse mesmo título que você citou. 2027 – NTNF com juros semestrais
            8,63% no período.
            Peguei a 14,x%.

            Entende, tudo é timig.
            Fora as NTNB 2035 com 30% de retorno em 90 dias.

            1+
            • From_The_Tower 11 de maio de 2016 at 13:46

              Tudo é timing.
              Assim como os apêzinhos eram 60k e rapidinho foram a 120k o seu pode cair de 187k para 90k. Valor anunciado é uma coisa. Valor negociado é outra.

              3+
              • avatar
              • avatar
            • Danibolhista 11 de maio de 2016 at 13:55

              A parcela do bolhudinho está em 1.050.

              0
              • From_The_Tower 11 de maio de 2016 at 13:58

                Ok. Você acompanha o real abatimento do saldo devedor?
                Abate quanto por mês?

                0
                • Danibolhista 11 de maio de 2016 at 15:33

                  Sim. Acompanho quando faço IR.

                  0
              • RecebendoJuros 11 de maio de 2016 at 14:04

                Então ao se desfazer do bolhudinho vc passará a ter um aumento de renda mensal no valor de 1050 + 690 reais. (Isso sem considerar a possibilidade de esperar o momento certo para entrar no TD e ter ganhos ainda maiores – como mencionado pelo From).
                E os 100 mil aplicados no Tesouro IPCA ficarão guardados sendo corrigidos pelo IPCA.

                0
                • From_The_Tower 11 de maio de 2016 at 14:06

                  Mas quantos conseguem fazer isso na prática?
                  Se a pessoa não tiver a mentalidade direcionada para isso ela não conseguirá nem dormir direito.

                  3+
                  • avatar
                  • Danibolhista 11 de maio de 2016 at 14:48

                    kkkkk, verdade!

                    0
                • Danibolhista 11 de maio de 2016 at 16:07

                  Como vocês mesmo falaram, o Brasil não é para amadores.

                  – Vamo lá, eu me desfazendo do bolhudo, vou ter dinheiro aplicado, ok;
                  – Embora eu não tenha a parcelinha do financiamento, vou ter o aluguel para pagar, ok;
                  – Segundo vossas pesquisas, o aluguel está mais barato que a parcelinha, então o rendimento do TD pagaria o aluguel. Tenho ressalvas.
                  – Se eu pagar um aluguel por 20 anos ao final eu terei morado gastando a mesma coisa que gastaria em um financiamento porém eu teria dinheiro.
                  -Conforme já falaram, talvez eu não consiga vender o bolhudo por 187 mil;
                  – Sendo otimista, vamos supor que eu consiga, hoje eu moro no bolhudo ao lado da estação, o que me confere uma mobilidade barata, se eu me desfizer do bolhudo, eu gostaria de alugar uma casa em que eu pudesse ter o meu cachorro de volta e também gostaria de manter o mesmo benefício da mobilidade. Nestas condições, o aluguel está em mais de 1.500, que seria uma casa independente.
                  -A outra opção, seria continuar sem o cão. Mas aí, se eu ainda teria que abrir mão da mobilidade ou da privacidade, pois se encontrar alguma coisa barata perto da estação, dividirei com 2 ou 3 inquilinos o mesmo quintal, ou me desloco para bem longe e tenho uma casa só pra mim.
                  -De qualquer forma, ma minha região não tem acontecido o fenômeno que o aluguel está muuuto mais barato, no sentido de ter o compromisso mensal, eu ainda acho que fica elas por elas, pago hoje 1050 + 300 de cond. e me mudo para um aluguel de 1.200,1.300,01.400.
                  -Agora vem a minha outra dúvida. Hoje os aluguéis estão mais baratos, mas e se houver nos próximo 5 ou 6 anos um surto de aumento no valor do aluguel, de forma que comprometa essa vantagem de se desfazer de uma casa e alugar, e se acontecer de aumentar tanto tudo que vc nem consegue alugar e nem consegue comprar? Porque assim, lá no Embu, tem alguns lugares legais, mas também que lugares fim da linha, eu conheci uma estrangeira que estava pagando 700 reais num espelunca, aí alguém no trabalho indicou um lugar por 500. Como eu conheço a cidade, quase caí de costas quando soube onde era, no passado uma espelunca daquela não valia 80 reais. Só que teve um período de supervalorização, muita gente reclamou, inclusive o veterinário que eu frequentava. Agora os preços estão baixando, mais e se voltar a aumentar como já aconteceu?

                  0
                  • RecebendoJuros 11 de maio de 2016 at 16:34

                    Mais alguns argumentos pra vc refletir:
                    – Caso se mude para uma casa deixará de gastar os 300 reais do condomínio;
                    – O aluguel te dá liberdade para se mudar para perto de outra estação, perto de outra linha ou mesmo para perto do trabalho (ou de qualquer futuro trabalho que venha a ter nos próximos 30 anos);
                    – O aluguel te dá liberdade para se mudar para uma casa com um quintal maior caso resolva ter mais animais de estimação, ou se mudar para algo sem quintal caso deixe de ter animais de estimação;
                    – Se daqui a 5 ou 6 anos os preços do aluguel começarem a subir (contrariando as expectativas de 99% dos frequentadores desse blog), vc poderá reavaliar a situação e utilizar o dinheiro investido para comprar um imóvel. Quem mora de aluguel tem que acompanhar o mercado, tanto para ter parâmetros na hora de renegociar o aluguel quanto para identificar qualquer improvável “surto de aumento”.

                    3+
                    • avatar
  • Cajuzinha 11 de maio de 2016 at 11:32

    postado em 11/05/2016 10:07
    Agência Estado
    São Paulo, 11 – Só em abril os Serviços de Proteção ao Crédito receberam 500 mil novos consumidores devedores e negativados. O contingente de inadimplentes agora envolve 59,2 milhões em todo o país, segundo levantamento da SPC Brasil e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Significa dizer que de cada dez adultos no País, quatro estão com seus nomes nas listas de inadimplentes e que 39,9% da população com idade entre 18 e 95 anos está com suas prestações em atraso e o CPF sujo.

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Lucas 11 de maio de 2016 at 11:40

    Prezado Bolha boss
    agora fiquei revoltado
    soube que um zezé aí está fazendo leva e trás pra criar uma situação entre blogs irmãos
    Ficou mais que combinado, aqui se foca em imóveis e assuntos coligados e lá em politica e assuntos genéricos

    agora o que vcs 2 administradores devem repensar é essa tal democracia que vcs dão
    democracia não é dar espaço pros mentirosos
    democracia não é dar espaço pros fofoqueiros

    um e o outro blog já deviam ter compreendido isso, mas não os 2 mantem esses dementes a troco do quê eu não sei…
    por mim, cada vez que tipos assim aparecem fico uma tarde sem entrar.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • markito 11 de maio de 2016 at 12:14

    Daqui a pouco isso aqui vira casos de família. Por isso que expor a vida pessoal aqui pode trazer esse tipo de comentário. Melhor falar que é um CVR e colocar nomes ficticios

    1+
    • avatar
  • Tiago 11 de maio de 2016 at 12:48

    CA. A reportagem do Criando Riquesa de ontem 10/05/2016

    Argumentos fracos e sem dados sobre distratos, endividamento e a situação da CEF.

    Bolha imobiliária, to be or not to b
    (por Marcio Fenelon)

    Me foi dado o desafio de fazer um relatório sobre a possível existência de uma bolha imobiliária no Brasil. E, mais importante, como operar neste ambiente.

    Primeiro você merece saber um pouco mais sobre mim. Já não sou tão jovem quanto gostaria. Isto significa que tenho alguns anos… certo, bem mais de uma década de experiência no mercado financeiro e de capitais.

    Eu passei seis anos trabalhando em uma das maiores empresas do Brasil no ramo imobiliário, daquelas que criam conceito, operam shoppings, hotéis, vendem imóveis residenciais e comerciais. Meu trabalho sempre exigiu conhecimento completo sobre a operação.

    O acordo era que eu transmitisse o que eu sabia sobre o mercado de capitais. Em contrapartida, eles me ensinavam como fazer os mais incríveis empreendimentos imobiliários. Posso dizer que foi uma experiência muito melhor que qualquer universidade poderia me oferecer. Apenas uma observação: meu pai foi generoso comigo e bancou uma boa graduação pela FGV-SP e depois eu mesmo banquei dois MBAs, no Insper-IBMEC e Fipecafi-USP.

    Bom, mas entrando no tema mercado imobiliário, outro dia estava conversando com um desses “financial advisors” para clientes “private” (aqueles que têm mais de US$ 1 milhão de ativos) com sede em Miami e comentamos sobre a verdadeira montanha russa que essa pessoa tinha experimentado no mercado nos últimos 14 anos.

    Há 14 anos essa pessoa havia comprado um apartamento por US$ 100 mil. Esse apartamento chegou a valer mais de US$ 1 milhão no momento de pico de mercado; mas com a crise de 2008 voltou aos US$ 100 mil iniciais.

    Atualmente o mesmo apartamento está avaliado em torno de US$ 350 mil. Como esse é o imóvel de moradia e tinha sido comprado por um bom preço, toda essa flutuação acabou sendo só uma história para contar para os netos.

    Agora, imagine se você tivesse o azar de comprar no pico de US$ 1 milhão e, pior do que isso, se tivesse comprado financiado. Isso seria um erro que poderia acabar com a vida financeira de qualquer um.

    Mas o que é, afinal, uma bolha imobiliária?

    Usando como exemplo o que aconteceu no mercado americano e com base na premissa de que um gráfico vale mais do que mil palavras, bolha imobiliária é isso:

    Este é um gráfico dos preços dos imóveis em Las Vegas desde 2001. Os preços mais do que dobraram e voltaram ao mesmo patamar de antes da bolha. Houve uma queda de mais de 60% para quem comprou lá no pico. O mercado de Las Vegas foi um dos que mais sofreu com a crise americana. Na média, o mercado americano caiu 27% do pico ao fundo da crise. Contudo, quando um mercado está com preços nas nuvens, isso não necessariamente significa que está sob uma bolha.

    A bolha se caracteriza por um mercado com preços muito maiores do que os historicamente observados e principalmente por causas insustentáveis no longo prazo que, consequentemente, resultam em uma forte queda de preços em um período seguinte.

    No caso americano, o fator insustentável número 1 e que inflou (e desinflou) os preços foi o nível excessivo de crédito imobiliário oferecido por lá. Foram “só” US$ 6 trilhões a mais de crédito entre 2003 e 2008, equivalente a 150% do PIB atual do Brasil, concedido em crédito às famílias americanas para a compra de imóvel!

    Mas, de novo, o crescimento em si do crédito não explica a bolha. Há também os empréstimos mal feitos. E isso aconteceu com muita frequência nos EUA. Emprestou-se para quem não podia pagar. Os empréstimos chegaram a uma relação de 90% do PIB americano, com um agravante: na média, as famílias americanas endividadas estavam pagando cerca de 36% de tudo que o ganhavam em parcelas de financiamento imobiliário. E, se a média era 36%, tinha muita gente comprometendo 40%, 50% e até 60% de sua renda somente com o pagamento de financiamentos imobiliários.

    Nesse contexto, como se faz para pagar todas as outras contas da família, como alimentos, água, luz, saúde, carro e cartão de crédito? Não tem jeito. O orçamento dessas famílias foi para o buraco.

    Quando o mercado percebeu que a corda ia arrebentar, houve um dos maiores recuos da história de crédito (o dinheiro literalmente sumiu!) e o combustível para os aumentos de preço acabou.

    As famílias (e os especuladores) saíram correndo para tentar salvar algo vendendo suas propriedades a qualquer preço para se livrar das dívidas. E o resto é a história contada no primeiro gráfico que mostrei ali acima.

    A comparação com o Brasil

    A situação americana e brasileira tem muitas semelhanças. O mercado americano apresentou um incrível aumento de preço em poucos anos. Olhando friamente o comportamento do mercado brasileiro de imóveis residenciais, tivemos aumentos até mais fortes.

    Esse gráfico mostra que o preço de imóveis residenciais mais do que quintuplicou de março de 2001 para junho de 2014. Especialmente nos últimos anos, desde 2007, o preço mais que dobrou de valor.

    Mas, somente um aumento de preços não é suficiente para configurar uma bolha. Você precisa de causas insustentáveis para ter um quadro de bolha.

    Outra coincidência com o mercado americano e uma das causas para o aumento de preços dos imóveis brasileiros certamente está relacionada com o financiamento imobiliário.

    O saldo de crédito de financiamentos imobiliários cresceu mais de 5 vezes também. Para se ter uma ideia, em 2007 foram feitos financiamentos imobiliários totalizando R$18 bilhões. Em 2013 tivemos “só” R$ 109 bilhões.

    Agora vamos ver as diferenças

    O crescimento em si do crédito não caracteriza uma bolha. Esse crescimento teria que ser com empréstimos mal feitos. A dívida imobiliária americana representava 90% do PIB no auge. A dívida brasileira representa pouco mais de 9% do PIB.

    Mais importante que isso: as famílias americanas estavam pagando o equivalente a 36% da renda nas prestações de seus financiamentos imobiliários, enquanto no Brasil esse número está em 17%.

    A disciplina na concessão de crédito no Brasil é muito maior que a americana. A disciplina é tanta que a inadimplência continua sob controle, se situando na faixa de 2%.

    E apesar de ser extremamente importante, só com essa conclusão não dá para cravar que não há bolha imobiliária. Ainda temos os outros fatores que elevaram a demanda e precisamos saber como eles se comportarão em um mercado mais devagar – tanto na renda quanto com a nova realidade das condições de financiamento imobiliário.

    Quais outros fatores influenciaram este crescimento de preço no Brasil?

    a) Bônus Demográfico

    Um vento muito favorável à demanda por imóveis foi o chamado bônus demográfico. É o efeito de uma alta taxa de natalidade nas últimas décadas, formando uma população jovem que está casando e comprando imóveis.

    Temos 1 milhão de casamentos no Brasil por ano e 280 mil divórcios impulsionando este mercado.

    E este é um fator estrutural, que veio para ficar por um bom tempo. As pessoas casam e arranjam imóveis cuja prestação do financiamento caiba no seu bolso.

    b) Upgrade / Saída de aluguel

    A melhora de renda e da capacidade de pagamento de financiamentos também incentivou o upgrade (troca do imóvel atual por um melhor/maior) e a troca do aluguel por um imóvel próprio.

    As pessoas que fazem upgrade não sentiram tanto o movimento de subida de preços, pois os imóveis que moravam também subiram bastante de preço. Então era só questão de encaixar a diferença de preços do imóvel novo mais caro num financiamento.

    c) Flippers

    Não, não é um monte de golfinho do seriado de televisão. Flipper é a pessoa ou empresa que compra imóveis geralmente no lançamento para vendê-los (“flipar”) com lucro na entrega ou perto dela, contribuindo para a aceleração do processo de subida dos preços. Os flippers sempre se aproveitam de uma demanda de compradores finais com pressa para se mudar.

    Três fontes de demanda

    Então temos três fontes principais da demanda nos últimos anos: bônus demográfico, flippers e upgrade/saída do aluguel.

    Desses três fatores principais, somente o bônus demográfico persiste com força. Os flippers estão assustados com o mercado, as pessoas que procuram upgrade perderam a pressa por conta dos preços e as pessoas em aluguel têm mais dificuldade de obter financiamentos.

    Estamos em um mercado com significativa redução de demanda. Mas será que essas mudanças de oferta e demanda são suficientes para uma explosão de uma eventual bolha? O que motivaria uma queda relevante?

    Fatores de influência do mercado residencial

    a) Ineficiência da informação

    O mercado de imóveis é altamente ineficiente em termos de informação. Não há cotação em tempo real. Não há uma bolsa para as pessoas negociarem imóveis como tem no mercado de ações. E, por incrível que pareça, neste momento, isso é uma vantagem de duas formas.

    Em primeiro lugar, qualquer redução de preço não fica tão óbvia (no jargão do mercado, não é “saliente”) e não desperta o incômodo de ver o ativo se desvalorizar. A menos que você esteja ativamente buscando vender seu imóvel.

    b) Influência Social

    Assim, diminui o efeito da influência social, mais conhecido como efeito manada, em que o fato de um preço cair faz com que as outras pessoas vendam também, levando a uma queda ainda maior.

    Em segundo lugar, o fato de não ter uma cotação em tempo real faz com que as pessoas coloquem seus imóveis à venda pelo preço que acham justo e esperem meses para que esse preço seja atingido.

    Outra influência social importante é o modo como a sociedade brasileira encara o investimento em imóveis. É interessante que o mercado de imóveis é um dos poucos no qual maioria das pessoas acredita que não vão nunca perder. Que é só uma questão de paciência para se obter uma valorização de seu ativo.

    A influência social no mercado de imóveis faz com que a maioria das pessoas não tenha preocupação com o futuro do ativo, ou seja, acreditam que o imóvel não vai sumir, diminuindo muito o risco de uma venda maciça de imóveis.

    c) Aversão à perda

    Detestamos perder – num nível 2,5 vezes maior do que gostamos de ganhar. Sim, já foi medido. Daniel Kanehman, prêmio Nobel, constatou que o sentimento negativo quando perdemos é 2,5 vezes maior do que o sentimento positivo de ganhar. Evitamos ao máximo reconhecer uma perda. Isso explica algumas carteiras que ficam inundadas de posições perdedoras que ficamos com dó de realizar.

    E quanto maior é o montante investido, maior será a resistência em reconhecer uma perda. Em outras palavras, os investidores em imóveis residenciais têm, na maioria dos casos, uma enorme resistência em reconhecer uma perda relevante.

    d) Negação da realidade

    Ainda mais em um mercado que não tem cotação em tempo real, não há uma tela piscando um número vermelho na sua frente no qual você pode facilmente evitar reconhecer que está perdendo. Você pode facilmente entrar no modo de negação da realidade.

    Não há bolha!

    Os quatro fatores juntos (ineficiência da informação, influência social, aversão à perda e negação da realidade) funcionam para impedir que as pessoas se sintam compelidas a vender seus imóveis a qualquer preço.

    Só vai vender mais barato quem realmente precisa muito vender. E quem está precisando vender de qualquer forma, neste momento, são os flippers e algumas das incorporadoras.

    As pessoas e empresas que não têm necessidade de caixa definitivamente estarão fora desta temporada de desconto e, na sua maioria, vão preferir esperar o mercado se normalizar.

    A porção de flippers que estarão dispostos a dar descontos substanciais não é uma informação que possa ser estimada neste momento.

    Porém, a intuição aqui é que flippers enforcados são mais exceção do que regra do mercado. A maioria dos participantes de mercado está em condição de esperar uma possível recuperação.

    E o desejo de esperar essa possível recuperação está apoiada nas forças de psicologia e sociologia (finanças comportamentais) que vimos acima.

    Todos esses fatores juntos nos deixam tranquilos de afastar a possibilidade de estouro de uma bolha imobiliária.

    É exatamente este tipo de conteúdo que oferecemos aqui no Criando Riqueza. Nosso trabalho é analisar e digerir todas as informações relevantes que há por aí e chegar a uma opinião clara sobre onde e como você deve investir seu suado dinheiro, de forma a multiplicá-lo. E como aqui nós costumamos fazer um agrado aos que adentram nossa base de leitores, a partir de amanhã você receberá outros materiais exclusivos do nosso conteúdo Criando Riqueza.

    Até lá.

    Um abraço,
    Marcio Fenelon

    3+
    • avatar
    • Barnabezinho 11 de maio de 2016 at 12:55

      Aí uns remelentos leeem este site aí, e ficam garatujando que não teve bolha aqui, que os preços estão normais e que não vale a pena guardar dinheiro já que a crise nem chegou direito, e já vai embora…

      7+
      • avatar
      • avatar
      • odorico 11 de maio de 2016 at 14:38

        Que continuem lendo esses relatórios. Que não tem bolha. Daqui 10 anos vendem o imóvel que hoje está anunciado por 500k por 510k e falam “tá vendo consegui vender pelo preço que falei”. Quero mais gente comprando para investir, mais prantas, mais LCIs, mais juros, enquanto isso continuo o fracassado do aluguel, dormindo sabendo que a escola dos meus filhos até os 18 já está paga, fora o intercâmbio e as viagens de lazer.

        6+
    • Lucas 11 de maio de 2016 at 13:04

      pera, pera
      numa Bolha
      a pessoa paga 1 milhão num imóvel que vale 100 mil, compra financiado, não consegue pagar, se suicidou financeiramente

      mais isso foi nos EUA
      aqui não
      aqui não teve nada disso

      kkkkkkkkkkkkkk

      repito as palavras do Procurador do TCU segundafeira no roda-viva
      Passarão décadas pagando a conta do PT

      PMJ

      10+
      • avatar
      • avatar
    • CA 11 de maio de 2016 at 13:58

      Tiago,

      Ridículo.

      Fingem que não sabem que os preços negociados de usados caíram mais de 40% nós últimos 24 meses, segundo pesquisas do CRECI SP com centenas de imobiliárias em São Paulo e só isto já é o suficiente para derrubar toda a brilhante teoria do “querer é poder” que sempre usam…

      De resto, repetiram o argumento de quando os preços cresciam mais que tudo, só esqueceram de dizer porque o eterno crescimento dos preços não se concretizou como eles prometiam até outro dia e ainda tem a cara de pau de falar que não tem bolha sem NENHUMA análise sobre a distorção entre oferta e procura, crédito disponível, desemprego na construção Civil e efeitos na economia, endividamento das famílias em relação ao crédito imobiliário com estrangulamento de outros gastos, distratos anormais que se iniciaram já em 2011, prejuízo para flippers que já se iniciou em 2013, etc, etc, etc…

      5+
      • avatar
      • Tiago 11 de maio de 2016 at 14:37

        CA, Um primo meu assina!! Ele indicaram a compra da PDGR3, em abril e tomaram 15% de prejuízo.

        5+
        • avatar
        • Lucas 11 de maio de 2016 at 14:45

          kkk
          Pdg em estado de falencia branca
          kkkk

          4+
          • avatar
        • CA 11 de maio de 2016 at 14:53

          Tiago,

          Pessoal do segmento imobiliário, com discurso idêntico ao do Amorinha, sem nenhuma consistência, sem revelar o mais importante quanto aos indicadores do segmento imobiliário, sempre tentando vender otimismo porque o rendimento deles depende disto, não podia dar outro resultado.

          A PDG que eles indicaram, por exemplo, em 2015 teve prejuízo de mais de R$ 2 bi, distratos de R$ 1,9 bi, ambos que foram o recorde de todos os tempos, não só para PDG como para o segmento imobiliário brasileiro como um todo (talvez com exceção da Encol mais de 20 anos atrás), sendo que o terminaram com estoque que equivale a mais de 5 anos de vendas, dívida que continua impagável, só que estão entubando o prejuízo para os credores, recorde de reclamações no ReclameAqui porque o comprador de imóvel que desistiu muitas vezes está há mais de 1 ano tentando “reconhecimento” do distrato sem sucesso, sem contar aqueles que já negociaram o distrato e a PDG não está cumprindo o cronograma para restituir os valores, além da PDG pagar em “suaves parcelinhas” a perder de vista e sem juros nem correção monetária. A situação é tão crítica que em 2015 não fizeram NENHUM lançamento (e mesmo assim terminaram com estoque para mais de 5 anos de vendas!), dentre outras mazelas graves. Pois é, esta é a Ação que os “jênios” (sic) acima recomendaram, apenas mais uma demonstração da extrema má-fé deles…

          2+
          • avatar
  • Traderunner 11 de maio de 2016 at 13:03

    Pessoal, estamos rateando os relatórios da Empiricus (Fii, Vacas Leiteiras, Melhores ações da bolsa, daily pro, Estratégia com opções, Carteira Empiricus). Quem tiver interesse em participar, favor enviar email para [email protected]

    2+
    • avatar
    • Lucas 11 de maio de 2016 at 13:05

      a empiricus que até ontem indicava investir em imóvel
      kkkk
      nem de graça eu leio

      7+
      • avatar
      • avatar
    • Barnabezinho 11 de maio de 2016 at 13:06

      de graça tá caro.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 11 de maio de 2016 at 13:08

        sádico

        6+
        • avatar
    • wade 11 de maio de 2016 at 13:23

      Traderunner, sou só um anônimo de internet, e conselho se fosse bom era vendido ( o que a Empiricus faz, por sinal). Dito isso, boa parte das coisas que eles publicam é relativamente fácil de encontrar online em fontes primárias, mais ainda se puder ler em inglês.

      4+
      • avatar
      • Money_Addicted 11 de maio de 2016 at 13:44

        e se fosse boa mesmo o valor nao precisaria ser rateado 😉

        2+
        • avatar
  • Lucas 11 de maio de 2016 at 13:11

    CA essa é pra vc, sofiti

    segunda-feira no rodaviva
    palavras do procurador geral do TCU
    “décadas pagando a conta do Pt”

    “http://www.folhapolitica.org/2016/05/procurador-julio-marcelo-escancara.html

    kkk é sofiti na cabeça de 2 tipos de seres:
    – o petralha (não neste blog)
    – o corvo

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 11 de maio de 2016 at 13:47

      Lucas,

      Sem dúvida. Pior é que ele só está falando das contas públicas e como diziam os antigos, da missa ele não sabe nem a metade…

      6+
      • avatar
      • avatar
      • Lucas 11 de maio de 2016 at 13:49

        nada é tão ruim que o CA não possa piorar

        4+
        • avatar
  • Lord of All 11 de maio de 2016 at 13:22

    Cvr:
    Observando há muito tempo preços de ap´s usados populares.
    Visitei no ano passado uma unidade no bairro Campo Comprido, Curitiba-PR, 67 metros, garagem, reformado e desocupado.
    O preço era de 195 mil. Na ocasião da visita foi oferecido por 185 mil. E, adivinha, agora está anunciado por 178 mil.
    Claro que a redução foi baixa, mas se considerar a inflação, iptu, condomínio, além do valor que esse dinheiro, se líquido, poderia estar rendendo em renda fixa, temos um prejuízo aproximado de 20% no período.

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • CA 11 de maio de 2016 at 13:33

    Será que vai ter “acordo”?

    Para Temer seria como trocar a resistência de Lula e sua gangue pela revolta de todo o restante da população, pois com o passar do tempo ele vai virar o culpado de todas as mazelas, ou seja, um gigantesco tiro no pé se ele cair nessa. Vamos acompanhar de perto…

    http://m.oantagonista.com/posts/lula-para-fora-e-para-dentro
    Lula para fora e para dentro

    “Brasil 11.05.16 12:00
    Para a massa ignara, Lula articula uma frente de esquerda para fazer oposição a Michel Temer.

    Nos bastidores, ele articula com Henrique Meirelles para Michel Temer deixar os esqueletos escondidos no armário.”

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Lucas 11 de maio de 2016 at 13:39

      temer é tudo menos burro
      postei ontem casou com a marcela virgem

      4+
      • Lucas 11 de maio de 2016 at 13:41

        ops lado errado da rua

        Prezado amigo CA
        te linkei acima, o rodaviva do Porcurador do TCU é estarrecedor

        ele não é nenhum maluco, nenhum site obscuro, nenhum CA ou lucas da vida, ele é o mais alto cargo da republica investido para falar de contas da união

        1+
        • BolhaPOA 11 de maio de 2016 at 13:55

          Segundo o procurador, em 2015 o déficit primário ficou em quase 120 bi, e o nominal em 600 bilhões!!!!
          Quero ver como o Meirelles vai resolver isso. Só com mágica.

          3+
          • avatar
          • From_The_Tower 11 de maio de 2016 at 13:57

            Irão descobrir mais esqueletos. Tem toda a questão de recebíveis da CEF e BNDES. Vai dar a maior merda.
            Meirelles precisará tem muita firmeza e confiança do mercado.
            Esse ajuste será muito desafiador.

            4+
          • Barnabezinho 11 de maio de 2016 at 13:57

            Não vai arrumar. Simples assim. O que não tem remédio remediado está.

            1+
            • From_The_Tower 11 de maio de 2016 at 14:02

              Pessimista.
              Meirelles fazia superávit de 4% com os juros nas alturas. 😉

              3+
      • From_The_Tower 11 de maio de 2016 at 13:43

        Ela mandou e-mail e ele respondeu com um fax.
        Avoa Temer!
        kkkk

        1+
        • Barnabezinho 11 de maio de 2016 at 13:57

          FAX
          coisa de macho! GZUIS…

          1+
    • Cesar_DF 11 de maio de 2016 at 15:10

      Se o Temer tivesse ganhado a eleição teria sido muito pior. Iriam dizer que os dados eram falsos e que o Juiz Mouro teria motivação política para perseguir o PT

      1+
  • markito 11 de maio de 2016 at 14:05

    Só cortando na carne da carne pra dar superávit. Imposto novo é certeza que vai vir… só esperar o que será e quanto será.

    4+
  • Cajuzinha 11 de maio de 2016 at 15:39

    11/05/2016 09h00 – Atualizado em 11/05/2016 12h46
    Vendas do comércio no 1º trimestre têm a maior queda desde 2001
    Recuo acumulado de janeiro a março é de 7%, segundo o IBGE.
    Varejo também teve a maior queda para março desde 2003.

    0
  • Cajuzinha 11 de maio de 2016 at 16:07
  • Dr. Estranho 11 de maio de 2016 at 16:09

    CVR.

    Amigo de trabalho comentou que a irmã gostaria de vender um apto para comprar uma casa, pois a família aumentou. Evidente que me interessei, mas só o fiz ontem. Após um breve papo falou esse amigo: “sabe que sou filho de português e convenci minha irmã a não vender porque ela quer uma casa de 1 milhão que já custou R$ 500.000,00. Como ela anunciou o apto por R$ 450.000,00 teria que inteirar/financiar R$ 550.000,00. Como ele fez a irmã desistir: “espere um pouco mais, para vender seu ap por R$225.000,00. Depois vc compra a casa por R$ 500.000,00. No final terá que inteirar ou financiar R$ 275.000,00”. Como ele faz um por fora na construção civil, mas para alugar apenas, achei a opinião digna de bolha boss. Vivendo e aprendendo.

    8+
    • avatar
    • avatar
  • markito 11 de maio de 2016 at 16:12

    Todos são unânimes em relação a queda da taxa de juros? Será que já vão fazer isso mesmo? Digo isso pq to pensando em entrar nas debêntures do Aeroporto de Guarulhos que me passaram a quase 8% + IPCA.. e livre de IR

    0
    • RecebendoJuros 11 de maio de 2016 at 16:25

      Por coincidência discutiram sobre essas debêntures ontem lá no “outro lado da rua”.
      Vou colar aqui o resumo feito pelo Lucas:

      Lucas 10/05/2016 at 19:52
      bilada cino

      0
    • Danibolhista 11 de maio de 2016 at 20:28

      Fale mais por favor.

      0
  • Bruno.12 11 de maio de 2016 at 16:22

    OFF mas tudo a ver com o tópico.
    Não sei se alguém postou, mas lá vai:

    http://www.otempo.com.br/capa/economia/mais-de-3-000-restaurantes-e-bares-sob-amea%C3%A7a-de-fechar-1.1297020

    http://www.otempo.com.br/capa/economia/loca%C3%A7%C3%A3o-ultrapassa-compra-1.1294097
    “O medo de perder o emprego está maior com as incertezas políticas e econômicas. Consequentemente, muita gente tem adiado o plano de assumir longas dívidas, como financiar um imóvel. Esse temor está por trás da inversão da demanda imobiliária. ”
    Pra não dizer “bolha”, dizem “inversão” xD

    3+
  • Minions 11 de maio de 2016 at 18:00

    Tópico
    http://idg.receita.fazenda.gov.br/noticias/ascom/2016/maio/unificacao-de-dados-traz-simplificacao-e-mais-seguranca-na-titularidade-de-imoveis
    CA, será que tem o poder de acabar com a lavagem de dinheiro? Mais uma paulada no preço dos imóveis!

    1+
  • markito 11 de maio de 2016 at 19:19

    RecebendoJuros

    Por coincidência discutiram sobre essas debêntures ontem lá no “outro lado da rua”.
    Vou colar aqui o resumo feito pelo Lucas:

    Lucas 10/05/2016 at 19:52
    bilada cino

    0

    Conte me mais além do “é uma bilada cino”

    0
  • Palmeirense Bolhudo 11 de maio de 2016 at 20:51

    Lucro líquido da Cyrela cai 39% no trimestre, com queda nas vendas

    A Cyrela Brazil Realty encerrou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 61 milhões, queda de 39,1% sobre o mesmo período do ano anterior, em meio ao recuo das vendas e citando a fraqueza da economia brasileira.

    As vendas somaram R$ 544 milhões no primeiro trimestre, queda de 24,8% na comparação anual

    O estoque a valor de mercado somou R$ 6,48 bilhões ao fim do primeiro trimestre.

    http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2016/05/lucro-liquido-da-cyrela-cai-39-no-trimestre-r-61-milhoes.html

    0
    • EngenheiroSP 12 de maio de 2016 at 07:32

      Na atual conjuntura, uma construtora ter lucro é uma dádiva.

      Mas o interessante é que: 6,48bi/544mi = 12 trimestres de venda.

      Ou seja, se pararem de lançar agora, só a Cyrela tem estoque pra 3 anos de venda (+-6 meses de margem de erro).

      0