Seja bem-vindo à bolha dos distratos – Resimob

Você pode gostar...

Comments
  • carioca_real 29 de abril de 2016 at 09:35

    Quando vi achei que alguém daqui tinha hakeado o site dos caras. Mas na verdade ele deve ter andado por aqui lendo as analises do CA.

    43+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Davy Jones 29 de abril de 2016 at 10:32

      Tive a sensação de estar lendo o CA…. Humm… será que a identidade secreta de nosso herói está ameaçada?

      30+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 29 de abril de 2016 at 09:39

    em 2015 havia um estoque de 21bilhoes de reais em imóveis, se 41% deles vendidos em 2014 e 2015 retornarem(am) via distrato, serão 28,7 bilhoes de reais imobilizados nas construtoras (já considerei uma multa de 20% do vendido pra amenizar)..

    isso dá cerca de 7bilhoes a mais para 2016. (nas mãos das grandes construtoras)

    http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,de-cada-100-imoveis-vendidos–41-foram-devolvidos-as-construtoras-em-2015,10000006708

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 29 de abril de 2016 at 11:29

      Welcome to desert of the real!

      9+
      • avatar
  • carioca_real 29 de abril de 2016 at 09:43

    Juro que nem suspeitava disso.

    “Quem criou o distrato foi a ganância, a ambição, a cobiça de se imaginar que o mercado é eternamente especulativo. Todos nós fomos e somos responsáveis por esse momento.

    O começo disso tudo foi a sede insaciável de ganhar, ganhar de novo e voltar ganhar. Nosso mercado foi construído nas fundações amadoras de vendas na planta, que, aliás, são deveras ousadas e imponderadas.

    Analisando o negócio imobiliário, a venda de imóveis na planta é uma realização puramente tupiniquim. Outros mercados podem até oferecer tal modalidade, porém em número muito restrito. No mundo, é comum o incorporador obter o financiamento de todo o dinheiro necessário para se construir um empreendimento, e somente após sua conclusão, efetuar a venda de suas unidades autônomas. No Brasil, inventamos um modelo próprio. A moda brasileira, vendemos unidades na planta, e os compradores tornam-se co-investidores da empreitada junto aos bancos e ainda pagam um percentual pequeno da obra durante a sua construção.”

    12+
    • avatar
    • avatar
  • CA 29 de abril de 2016 at 09:59

    Trazendo do tópico anterior, sobre o artigo de hoje da Resimob:

    Destaco alguns trechos:

    Trecho 1:

    “Com o todo o meu amor pela profissão, e respeito àqueles que lutam nesse mercado, informo muito abatido, que já é tarde demais. Agora não adianta mais. O volume de distratos foi tão grande que as consequências tornaram-se irremediáveis na situação atual.”

    O trecho acima bate com meu comentário em tópicos anteriores de que o acordo recente sobre distratos não resolve nada, ou como disse em tópico anterior: too little, too late…

    Trecho 2:

    “Quem criou o distrato foi a ganância, a ambição, a cobiça de se imaginar que o mercado é eternamente especulativo. Todos nós fomos e somos responsáveis por esse momento.

    O começo disso tudo foi a sede insaciável de ganhar, ganhar de novo e voltar ganhar. Nosso mercado foi construído nas fundações amadoras de vendas na planta, que, aliás, são deveras ousadas e imponderadas.”

    Foi um bom mea-culpa, que deve ser dolorido para o setor, faltou só explicar por analogia que as vendas FALSAS na planta são o nosso sub-prime 1, mas no próximo trecho que colocarei aqui, ele demonstrou que sabe que o buraco não é pequeno.

    Trecho 3:

    “Infelizmente, em poucos meses, veremos o resultado. Será um acontecimento vultuoso, humilhante e ridículo que ficará marcado para sempre em nossa história empresarial: a quebra de centenas de incorporadoras. Diferente das antigas bolhas que afetaram diretamente àqueles que nela investiram, a presente bolha extinguirá um período de especulação desenfreada e sem lógica com a falências de muitos incorporadores.”

    Novamente bate com algo que sempre tenho dito por aqui, consta em tópicos anteriores: nenhuma pirâmide financeira dura para sempre e no caso das vendas FALSAS na planta, a entropia já chegou a um ponto que mesmo com todas as pedaladas e maquiagens, a explosão mais visível e abrangente de nossa bolha vai levar menos de 1 ano. Só faltou ele falar sobre como os preços tendem a ter queda recorde quando isto ocorrer, mas o artigo já deve ter sido muito doloroso para quem é do segmento, vamos dar um “desconto”…

    39+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 29 de abril de 2016 at 11:14

      CA
      Fiz tempos atrás um cálculo em Brasília do fator do valor m2 dividido pelo CUB. Isto seria o “índice de ganância” das construtoras, onde atingiu um máximo em 2011, e que está caindo direto desde então.
      Certa vez, quando as forças armadas compraram um terreno no Noroeste – DF e iria vender os apartamentos para seus generais por 5k/m2, houve um “escândalo”, porque estavam vendendo por menos da metade do praticado no mercado. Fiz os cálculos e vendendo por este valor a construtora ainda estava tendo 35% de lucro bruto.
      Pelos valores praticados até 2011 eu “chuto” que as construtoras estavam tendo lucros brutos de 150 a 200% nos edifícios das capitais.
      Todo este lucro foi distribuído entre os acionistas, diretores, gerentes e vendedores.
      Os terrenos, como teu seu valor baseado unicamente na questão da OFERTA X DEMANDA, pois não tiveram qualquer custo para serem “construídos” acredito foram os que mais se “valorizaram” durante a bolha, e serão os que terão as maiores quedas, em seguida virão os apartamentos nas capitais e locais de grande especulação (Balneário Camboriú por ex), para depois virem os outros locais.
      Esta ganância provocou uma elevação artificial de custos, como o de mão de obra (que hoje já foi à normalidade) e o dos terrenos (que ainda está deslocado da realidade).
      Com a falência de diversas corretoras, o LANDBANK será leiloado pelos bancos detentores de seus empréstimos, e seguindo o que ocorreu em outros países bolhísticos, terá enormes quedas (chuto 80% em alguns locais).
      No DF o maior especulador de imóveis é o próprio Governo do Distrito Federal, a Terracap que faz o comércio dos terrenos, via leilões, foi aumentando progressivamente o valor mínimo, chegando no Noroeste a 17KK pelo terreno de 1.000 m2, quando ninguém mais queria pagar por isso, ao invés de baixa-los eles simplesmente retiraram dos leilões.
      CA, você teria alguma ideia de qual é o tamanho hoje do LandBank?
      O PMDB também foi financiado por construtoras, acha que eles ajudarão elas, como o governo espanhol ajudou, tipo um PROER?

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 29 de abril de 2016 at 12:17

        Cesar_DF,
        Com base nos relatórios oficiais de 12 construtoras com Ações na BOVESPA, referentes ao fechamento de 2015, temos um land bank que é o suficiente para mais de 10 anos de lançamentos e vendas de imóveis, tendo como referência o VGV potencial de lançamentos para estes terrenos versus as vendas dos últimos 12 meses.

        7+
        • avatar
        • avatar
        • CA 29 de abril de 2016 at 13:41

          Ops, faltou responder sobre o PMDB:

          Temer tem duas alternativas:

          1) Continuará com uma política gradualista já praticada por Dilma, tentando dar alguma sobrevida para o segmento imobiliário, com o qual também possui um relacionamento íntimo, inclusive mantendo a previsão de 2 milhões de imóveis do MCMV fase 3. Se fizer isso, seu governo terminará em curtíssimo prazo, porque com “mais do mesmo”, a população vai se revoltar, a crise vai se acelerar mais ainda e antes de completar os 6 meses de análise do impeachment os senadores já irão abandona-lo e desistirem do impeachment, com Dilma voltando ao poder, ou inventando uma PEC de diretas já, com risco grande de entrar Marina ou Lula;

          2) Temer entra arrombado a porta e expondo para a população, com a maior clareza possível, os esqueletos que estão no armário e adotando as medidas necessárias. Ele já deixou vazar que assim que entrar fará devassa em CEF, BB e BNDES, além de cortar de imediato as mamatas de CUT, MST e MTST, parece-me que ele vai por este caminho…

          Cuidado, esqueça o MITO do Governo super poderoso e lembre-se do que já comentei várias vezes por aqui: nossa bolha é completamente diferente das espanhola e japonesa…

          15+
          • avatar
          • avatar
          • Soy Bananes 29 de abril de 2016 at 13:51

            Acredito que Temer não terá escolha a não ser adotar a opção 2, se quiser realmente botar a ANTA pra fora.

            6+
            • avatar
            • avatar
  • benyvitz 29 de abril de 2016 at 10:06

    Deve ter sido o CA que escreveu hehe

    4+
    • avatar
    • avatar
    • CA 29 de abril de 2016 at 12:36

      benyvitz,

      kkkkk

      De tudo que o pessoal do mercado imobiliário tem escrito e eu tenho visto, este pessoal do Resimob tem sido o mais realista. Parte da explicação, é que eles fazem estudos com mais profundidade sobre o assunto e fazem análises com base em FATOS e DADOS, tentando serem isentos e isto por si só já gera uma diferença monstruosa em relação a outros profissionais deste segmento que seguem o wishful thinking e querem se AUTO-ILUDIR com “teorias” absolutamente sem nenhum embasamento, puro CHUTE misturado com o DESEJO de que a realidade não seja tão ruim, aliás, não muito diferentes do pessoal soft landing daqui, ou então, agem com a mais pura má-fé, distorcendo tudo para ENGANAR as pessoas e tentar na base da DESINFORMAÇÃO evitar o inevitável efeito manada que ocorre em toda explosão de bolha imobiliária (este é o caso do Amorinha, do FINGE Zap, do CRECI SP, do SECOVI SP e de muitos profissionais do segmento imobiliário, incluindo aí todo o alto escalão das empresas do segmento).

      Um exemplo de como este pessoal do Resimob tem feito estudos com mais profundidade, é este outro artigo que a Cajuzinha trouxe no tópico anterior, que também bate com o que eu vinha colocando antes e fala sobre o fato da verba extra do FGTS Pró-cotista ser absolutamente INSUFICIENTE para remediar a sangria da poupança e a falta de crédito imobiliário barato que temos percebido no mercado.

      http://www.resimob.com.br/resumo-imobiliario-abre-a-caixa-preta-do-fgts-pro-cotista/

      Trecho final do link acima:

      “Finalmente, para você que quer usar o FGTS Pró-Cotista, reze bastante, acenda uma vela, e torça para que a sua categoria e região ainda estejam ativas. Aliás, esse sistema não passa de uma roleta de cassino: ninguém sabe o resultado final.”

      Um comentário feito no artigo acima, que corrobora o mesmo:

      “Otimo texto. E verdadeiro. A caixa nos informou que poderíamos fazer o financimento pelo pró cotista e agora que tudo já estava certo, após meses de espera, fomos informados que não poderá mais ser realizado. Não sabemos o que fazer agora. Porém, foi nos dito outra justificativa. Vc sabe informar se existe limite de renda para o sistema pró cotista? Grata.”

      6+
      • avatar
      • avatar
  • Ilusionista 29 de abril de 2016 at 10:12

    O risco do empréstimo consignado…
    Alguns Estados que descontaram na folha de pagamento o empréstimo consignado não repassando os valores aos bancos credores, com isto, muitos FP estão ficado negativados.
    Em breve mais uma enxurrada de ações na justiça…

    http://globoplay.globo.com/v/4989392/

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • tmarabo 29 de abril de 2016 at 12:29

      Mas aí a culpa é do servidor e/ou do banco: quando o “empregador” desconta e não repassa, a parcela é considerada quitada. Isto consta em todos os contratos. O que acontece é que o banco ou não avisa ou, avisando, o cara não vai lá comprovar que teve descontado (tudo bem, é um saco ter que ir seguido ao banco provar que quitou, além de gerar uma insegurança enorme).

      1+
      • joselito 3 de maio de 2016 at 16:09

        Apropriação indébita

        Art. 168 – Apropriar-se de coisa alheia móvel, de que tem a posse ou a detenção:

        Pena – reclusão, de um a quatro anos, e multa.

        Aumento de pena

        § 1º – A pena é aumentada de um terço, quando o agente recebeu a coisa:

        I – em depósito necessário;

        Pedalada? Não, isso é exclusividade da presidenta

        0
  • Careca 29 de abril de 2016 at 10:26

    Pessoal, bom dia… queria saber a opinião de vocês sobre uma questão que volta e meia vem na minha cabeça…não sei ainda se estou viajando ou faz algum sentido…vamos lá:

    O governo está totalmente quebrado, crise imobiliaria, economica e familiar, por conta do alto indice de desemprego (que tende a aumentar, infelizmente). Negócios sendo fechados o tempo todo, pessoas não conseguem pagar nem contas basicas, quanto mais prestações de carro e/ou imóveis. Caminhamos para um momento muito ruim sem previsão de volta.

    Juntamos tudo isso a uma empresa que antes era orgulho nacional e hoje está totalmente quebrada, devendo muito mais do que vale e que ainda não recebeu a multa dos EUA, multa essa que é muito maior que a reserva que temos hoje de SWAP…(a multa, pelo que andei lendo, passa de 1 trilhão de reais..alguém me corrija se eu estiver errado).

    Diante desse cenário, minha pergunta a vocês seria a seguinte: Acham loucura ou a mudança de moeda é uma possibilidade no nosso país? Digo…mudarem do Real para um Real Novo ou algo do tipo, para tentar nivelar aquecer e ajustar a economia?

    Abraços.

    5+
    • Davy Jones 29 de abril de 2016 at 10:44

      …. cê tá viajando.

      9+
    • CA 29 de abril de 2016 at 11:02

      Careca,

      A mudança de moeda foi algo adotado no passado para lidar com as CONSEQUÊNCIAS de uma hiper-inflação. No caso, saíamos por exemplo de um Cruzeiro, para o Cruzeiro novo e depois o Real.

      De fato, a mudança da moeda em si não resolve nenhum problema sério, o único efeito prático é que ao invés de você precisar transportar um carrinho de dinheiro para fazer compras no supermercado, você volta a usar a carteira com as notas.

      A questão da volta da hiper-inflação é algo que deixou de ser discutido nas últimas semanas em virtude da queda na inflação apurada, que se dá por uma combinação de agravamento da crise na economia com um otimismo quanto a mudança de governo que fez com que o US$ ficasse com cotação mais baixa, além é claro de não termos tido mais os aumentos relevantes em combustíveis e tarifas públicas que tivemos em 2015 e de também não termos nenhuma empolgação maior com commodities no mercado internacional (alguns ensaios de empolgação, mas nada que afetasse os preços de forma significativa).

      Apesar de ter saído um pouco da moda, a hiper-inflação é algo que pode sim voltar a ocorrer no país e termos uma solução futura para a mesma que poderá ser uma espécie de “Real 2”, onde teríamos uma nova moeda, que como disse acima, seria só para auxiliar no dia-a-dia das pessoas, mas em que os pontos principais do novo plano deveriam incluir itens para arrumar as contas públicas, garantir câmbio efetivamente flutuante e uma política monetária compatível com o nível de juros necessário para se buscar o centro da meta da inflação, ou seja, retomar o tripé da economia que foi perdido em especial a partir do fim do segundo mandato de Lula e nos mandatos seguintes de Dilma, adotando medidas ortodoxas para remediar a destruição de anos de ações heterodoxas. Por que a hiper-inflação pode voltar? Pela combinação dos fatores que você colocou acima, em especial se continuarem “empurrando com a barriga” a crise fiscal, sem adotar as medidas impopulares e urgentes para este momento.

      O Leandro Roque do Mises, dentro de uma leitura mais “idealista”, defendeu uma cesta de moedas estrangeiras, como implantado com sucesso em alguns países, ou ainda um “padrão ouro sem ouro”. São ideias interessantes, mas creio que estamos muito longe disto, porque até para implementar as ideias do parágrafo acima, que são uma unanimidade entre os economistas mais sérios (esqueça a turma de “economia da Unicamp” – sic) já teremos uma dificuldade muito grande.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Careca 29 de abril de 2016 at 11:09

        Pois é…minha preocupação é a volta de uma hiper-inflação mesmo…não vejo como algo impossivel de acontecer, vide Venezuela (mesmo sabendo que ela é muito inferior ao nosso país…mas as tomadas de decisões e ideologia parecem ser cada vez mais parecidas)…

        Enfim…fico na torcida para que eu só esteja viajando e falando besteira mesmo… enquanto for só isso, está ótimo… ainda mais que, como você mesmo disse CA, o governo faz de tudo para continuar “empurrando com a barriga” suas obrigações… o que pra mim já é um problema sério demais. Vejo o Brasil quebrado em todos os sentidos e o primeiro lado que furar de vez, leva todos os outros juntos.

        4+
        • avatar
  • Cajuzinha 29 de abril de 2016 at 11:09

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    “Ele explica que o preço dos imóveis só deve voltar a subir com força em 2018 ou depois, quando o desemprego cair e a renda voltar a subir. “Diferentemente do mercado financeiro, o mercado imobiliário é como um transatlântico. É lento, demora para mudar de rumo”, diz Oliva.

    Antes do impeachment, compradores estão em vantagem

    O especialista em crédito imobiliário Marcelo Prata, fundador do Canal do Crédito, diz que o mercado imobiliário é como um cabo de guerra entre compradores e vendedores, e que a incertezas sobre o impeachment favorecem quem está na ponta da demanda. “Ao oferecer um valor mais baixo, o vendedor tende a aceitar a proposta. Ele não sabe o que vai acontecer depois que o processo de impeachment acabar e tem receio de que o comprador desista”, afirma Prata.”

    “Mesmo se houver impeachment, as taxas de juros para financiar imóveis devem permanecer altas por, no mínimo, alguns meses, segundo a expectativa dos especialistas. Desde o ano passado, as recorrentes elevações nos juros do crédito imobiliário são resultado do aumento dos saques da poupança, principal fonte de recursos dos bancos para o financiamento de construções e compras de imóveis.”

    “O economista lembra que, neste momento de aumento na taxa de desemprego, só quem tem alguma reserva financeira deve entrar no financiamento. Se houver algum risco de demissão, que possa levá-lo a desonrar o pagamento das prestações, é melhor esperar. ”

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/imovel-novo-veja-se-vale-esperar-o-desfecho-do-impeachment

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 29 de abril de 2016 at 13:51

      Sonho meu…..
      Sonho meu…….
      É só querer sonhar……………………

      2+
  • Minions 29 de abril de 2016 at 11:43

    Demorou um pouco mais do que esperávamos. Acho que entramos na fase “FEAR”.

    4+
  • Cajuzinha 29 de abril de 2016 at 11:47

    “Outro ponto importante na estratégia foi, após dois anos de casamento, vender o apartamento, que
    na época havia dobrado de valor, para morar de aluguel mais próximos do trabalho e sempre
    pagando um aluguel a um preço menor que 0,5% do preço do imóvel.
    “Quando digo que sempre fui um poupador nato, não estou falo de economizar no cafezinho de todo
    dia, estou falando sim de economizar em coisas com baixo nível de necessidade de consumo e alto
    valor de endividamento, como trocar o carro pelo melhor modelo esportivo ou simplesmente entrar
    em todo e qualquer financiamento só porque você tem condições para isso. Este é um ponto
    importante, nunca fiz nenhum tipo de financiamento de carro ou casa, nem parcelamento para
    comprar produtos ou serviços, isso eu só faria em último caso mesmo”, prossegue Bruno.”

    http://www.infomoney.com.br/onde-investir/renda-fixa/noticia/4916382/casal-brasileiro-acumula-milhao-apenas-anos-veja-como

    11+
    • avatar
    • Dgvl 29 de abril de 2016 at 12:18

      O segredo é nunca ter cartão de crédito, comprar tudo à vista e não ser ostentador. Nunca comprei financiado…..

      8+
      • avatar
      • EngenheiroSP 29 de abril de 2016 at 12:36

        Como já li em um livro: use cartão de crédito para comodidade, nunca para crédito

        35+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Soy Bananes 29 de abril de 2016 at 13:48

          Exato, ainda acumula milhas e economiza viajando nas férias quase de graça.

          16+
          • avatar
    • Zé do Brejo 29 de abril de 2016 at 13:57

      Esse é bolhista, certeza!!!

      5+
      • avatar
    • chigo 29 de abril de 2016 at 15:15

      Esse artigo é uma piada. Onde vai conseguir juros liquidos de 7%aa?

      6+
  • Dgvl 29 de abril de 2016 at 12:12

    Construtoras quebrando em 3 2 1…bummmmm

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 29 de abril de 2016 at 12:25

    Feirão da Caixa começa nesta sexta-feira no Rio
    Serão oferecidos mais de 15 mil imóveis
    ….entre eles mais de 9 mil novos e mais de 5 mil usados… (mil lancamentos).

    http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/04/feirao-da-caixa-comeca-nesta-sexta-feira-no-rio.html

    –Feirão da Caixa deverá ter mais de 240 mil imóveis em 14 cidades
    …se cada um “valer” 200k: em média:
    Isso dá R$ 48.000,000,000,00, 48bilhoes….!!!!
    338 correspondentes imobiliários e 236 imobiliárias (mil varandas pra cada ninho!!)

    http://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/2016/04/feirao-da-caixa-devera-ter-mais-de-240-mil-imoveis-em-14-cidades.html

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • FabianoSJC 29 de abril de 2016 at 13:58

      Povo não ta conseguindo pagar nem fatura do cartão de crédito , quanto mais comprar pombal por 200 mil dilmas rs

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Seguidor do Bolha BH 29 de abril de 2016 at 13:39

    Seja bem vindo, a casa não é sua.

    10+
    • avatar
  • Zé do Brejo 29 de abril de 2016 at 13:42

    10 – Avalie se um imóvel é mesmo o melhor investimento
    Um cenário possível é: você já tem uma casa ou apartamento, e quer trocar por outro maior. Augusto Saboia pergunta: “Será que vale mesmo a pena? Você quer mesmo se endividar de novo?”.
    Mesmo para quem ainda não tem um imóvel, a decisão precisa ser seriamente pesada, levando em conta toda a família. “Vale tudo para ter a casa própria? Tijolo não viaja para Miami, tijolo não frequenta restaurante. Você pode ter que abrir mão de muita coisa, e por mais de trinta anos. Você paga a casa, mas fica preso dentro dela”, diz o planejador familiar.
    http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2016/04/29/vai-ao-feirao-da-casa-propria-confira-10-dicas-antes-de-fechar-negocio.htm

    20+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Zé do Brejo 29 de abril de 2016 at 13:43

      Tijolo não viaja pra Miami foi a melhor de todas… Hilário… hahahahaha

      22+
      • avatar
      • avatar
    • From_The_Tower 29 de abril de 2016 at 15:22

      Estão copiando minhas teorias acerca dos tijolos???
      kkkk

      12+
      • avatar
  • Alemon Fritz 29 de abril de 2016 at 13:44

    quase:

    Adiada votação de MP que permite a Construtoras realizar desapropriações

    foi adiada até a próxima quinta-feira (28) a votação do relatório da Medida Provisória 700/2015, que simplifica o processo de desapropriação de imóvel urbano e rural,

    Deputados ligados aos proprietários rurais acreditam que a MP dá muito poder ao setor privado e querem mecanismos para assegurar o direito à propriedade, mesmo quando a terra estiver ocupada por terceiros de forma ilegal.

    -http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2016/04/26/adiada-votacao-de-mp-que-permite-a-construtoras-realizar-desapropriacoes

    5+
    • avatar
  • Bruno.12 29 de abril de 2016 at 14:15

    Testemunhem, crianças de verão! O inverno chegou e veio bravo!
    Do mesmo site do tópico (alguém lá está nos lendo aqui…não é possível): http://www.resimob.com.br/crise-expoe-debandada-de-corretores/

    6+
  • Cajuzinha 29 de abril de 2016 at 15:29

    “Levantamento divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta sexta-feira (29) mostra que os consumidores brasileiros se mantiveram pessimistas em abril devido, principalmente, ao maior endividamento das famílias.”

    “Apesar de o levantamento mostrar melhora nos índices de expectativa de inflação, desemprego e evolução da própria renda, também apontou aumentou na quantidade de consumidores que responderam estar com mais dívidas.”

    http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/04/consumidor-mantem-pessimismo-em-abril-devido-endividamento-diz-cni.html

    5+
  • Cajuzinha 29 de abril de 2016 at 15:46

    ““Muitas pessoas que investiram em imóveis há alguns anos precisam fazer o capital girar, por isso reduzem os preços. Já mediei, neste ano, compras com até 30% de desconto do valor inicial”, conta Maria de Fátima Giraldeli, que é corretora de imóveis.
    Segundo o site do SindusCon, uma pesquisa sobre o mercado imobiliário feita pelo consultor Guilherme Werner, da Brain Consultoria, houve um aumento do número de unidades colocadas no mercado de 2014 para 2015, foram 1.841 contra 2.340. No entanto, neste ano isso pode mudar.
    Esse é um momento de cautela, as construtoras têm optado pelo monitoramento do mercado, assim como atenção com os estoques em construção e números de vendas, para depois disso começar a investir em novos empreendimentos. “É claro que existe cautela, mas não acho possível a paralisação de 100% do mercado, ainda existem opções. Não acredito que daqui a alguns anos não teremos opções no negócio imobiliário”, garantiu Leonardo Fabian, gerente de uma construtora.”

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    “A notícia da crise tem dificultado o trabalho dos corretores. “Os compradores acreditam que, devido à crise, nós temos o dever de baixar mais os preços, mas muitas vezes isso não é vantagem para nós, já que existem pessoas que têm capital em caixa e podem pagar o valor estipulado”, afirmou Renato. A janela imobiliária é uma opção para muitos corretores, mas não é sempre uma vantagem. Para Maria de Fátima, os compradores estão muito mais inflexíveis. “Há alguns anos eu tinha mais clientes e não existia tanta desistência. Hoje em dia eu tenho muito mais trabalho para conseguir uma venda, os compradores estão mais exigentes”, afirmou.”

    http://www.hnews.com.br/noticia/Dw4NDAsKCQgHBgUEAwIBAN7PrLF2HY-p1eBjMJxqGYs,/crise_afeta_mercado_imobiliario_de_maringa.html

    7+
    • avatar
  • Cajuzinha 29 de abril de 2016 at 16:04

    “Ora, imagine só quem comprou, por exemplo, um imóvel no estande de vendas no lançamento e pagou cerca de R$ 400.000,00 e três anos depois a mesma empresa comercializa unidades no empreendimento pelo mesmo preço ou até mesmo mais baixo. Não dá para ficar contente com isso, mas, paciência, é a lei da oferta e procura e essa prática não é ilegal.

    Por outro lado, mesmo com a concessão de descontos ou outros atrativos ao mercado imobiliário para a compra de imóveis novos, muitos adquirentes optaram pelo distrato ou rescisão de seus contratos de compromisso de venda e compra.”

    “Para o ano de 2016 o cenário econômico permanece recessivo e os distratos tendem a manter a mesma performance apresentada em 2015, sem prejuízo de possível aumento no número de famílias que optarão pela rescisão de seus contratos.”

    http://mercadanteadvocacia.com/artigo/distrato-rescisao-do-compromisso-de-venda-e-compra-de-imovel-na-planta-no-mercado-imobiliario-contemporaneo-analise-para-2016-e-alem/

    5+
  • Cajuzinha 29 de abril de 2016 at 16:15

    “BRASÍLIA – Os bancos públicos estão segurando o crédito no país praticamente sozinhos, segundo relatório divulgado na quinta-feira pelo Banco Central (BC).”

    “Para especialistas, este movimento exige cautela, porque a inadimplência tende a crescer nos próximos meses, e quem empresta mais poderá ter dificuldades para receber.”

    “Para os analistas, os calotes só não cresceram porque os bancos estão fazendo acordos com seus clientes. O volume das renegociações em março subiu 20%, segundo dados do BC.”

    “— Os bancos públicos estão emprestando mais e, neste caso, podem sofrer mais com o aumento da inadimplência. As famílias estão renegociando suas dívidas, mas nem todo mundo vai conseguir cumprir os acordos, num cenário de perda de renda e desemprego — disse o economista Miguel Ribeiro de Oliveira, diretor da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac).”

    http://extra.globo.com/noticias/economia/bancos-publicos-sustentam-565-do-mercado-em-marco-19193249.html

    4+
  • Resimob 29 de abril de 2016 at 16:33

    Amigos leitores,
    Sou o responsável pelo site Resumo Imobiliário – http://www.resimob.com.br
    Agradeço o presente site por ter publicado meu artigo como o principal tópico do dia.
    Também fico feliz com os elogios relatados neste fórum sobre o meu julgamento que fiz e faço do mercado imobiliário.
    O artigo “Bolha dos distratos” chamou muita atenção em virtude de ter sido a primeira vez que eu tenha ratificado o estado de bolha no mercado. Por mais que outros indícios já apontassem para tal entendimento, resolvi aguardar o momento certo que foi o dia 27 de abril de 2016. Naquele dia diversas associações, num último suspiro, acordaram os novos termos para os distratos do País. E como disse, e confirmo, já é tarde demais.
    Há anos ilustro que a situação caminhava para um desfecho doloroso. Realizei pesquisas através de dados empíricos e científicos, mas nenhum deles surtiu efeito. A moeda da ganância falou mais alto novamente.
    Infelizmente, o epílogo deste pedaço da história será uma hecatombe sem precedentes. Não criaram ainda a pílula de fosfoetanolmina sintética para os agonizantes desenfreados. A falência de diversos incorporadores é questão de tempo.
    Não era o fim que desejava. Sou do ramo e amo o que faço. Mas em virtude dos sentimentos mais primitivos dos seres humanos, estamos caminhando para desenlace esperado por muitos.
    Abraços a todos.

    118+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 29 de abril de 2016 at 16:39

      Comentamos sobre o seu trabalho ontem também:

      “Cajuzinha 28 de abril de 2016 at 09:38
      CA, viu isso? http://www.resimob.com.br/resumo-imobiliario-abre-a-caixa-preta-do-fgts-pro-cotista/

      12+
      ReplyLinkQuote

      CA 28 de abril de 2016 at 11:56
      Cajuzinha,

      Não tinha visto. Achei um excelente “raio-x”, que demonstra em detalhes, com muitos fatos e dados, aquilo que na época do lançamento das medidas eu tinha afirmado com base em algumas “contas de padaria”: este estímulo é absolutamente insuficiente, não muda em nada a falta de crédito imobiliário barato que está sendo cada vez mais sentida no mercado.”

      12+
      • avatar
      • avatar
      • Resimob 29 de abril de 2016 at 16:47

        Obrigado. É recompensador saber que palavras bem fundamentadas ainda possam ser entendidas. Atualmente nossa população está alienada e não sabe realizar julgamentos, nem mesmo filtrá-los para que possa extrair suas conclusões. Notei que as pessoas que fazem partes deste fórum possuem este diferencial.
        Com certeza iremos discordar e concordar em muitas coisas, mas mantendo sempre o respeito de opiniões.

        30+
        • avatar
        • avatar
        • carioca_real 29 de abril de 2016 at 16:53

          Leio sempre seus trabalhos no Facebook. Parabéns e seja bem vindo. Visões, sejam quais forem bem fundamentadas são sempre bem vindas.
          As vezes o povo aqui dá umas caneladas mas é coisa de família.
          Bem vindo Resimob!!!

          14+
          • avatar
        • Minions 29 de abril de 2016 at 17:31

          Resimob, e qual seria o chute para a data (mês ou ano) do pânico geral, considerando que o Temer pode, ou não, dar algum fôlego ao sistema?

          4+
      • Resimob 29 de abril de 2016 at 16:51

        Completando, esse artigo do Pró-Cotista deu trabalho, mas o resultado é recompensador.
        A minha tristeza é que poucos entendem o significado do sistema Pró-Cotista. Foi extremamente mal formulado. Erros em categorias, regiões etc. É um sistema sem futuro.

        8+
        • avatar
        • avatar
  • NerdCWB 29 de abril de 2016 at 16:39

    O que houve que agora tem tão poucos comentários aqui? Pra onde foi aquela galera pmj?

    3+
  • alemao 29 de abril de 2016 at 16:43

    CVR – Meu pai sabe que eu tenho uma boa quantia aplicada e veio me contar uma história que um amigo dele corretor ofereceu pra ele.. Segundo o corretor, negócio imperdível!!

    Pelo que eu entendi, trata-se de uma cota na construção de um edifício com N apartamentos. Em vez de você comprar o apto na planta, você compra um pedaço dele ( na planta ), e depois que ele for construido e vendido, ganha dividendos… ou seja, tá emprestando dinheiro pra construtora.. o corretor afirmou que tinha um retorno garantido de aprox. 25% em um ano… legal né #SQN….

    1 – Se a construtura precisou dividir um único apartamento em vários cotistas, isso significa que eles não estão conseguindo sequer vender na planta para um possível comprador.. ( O_o )
    2 – Se a construtura quebrar no meio do caminho, “hasta la vista dinero”.
    3 – Quem garante que a construtora vai conseguir vender os aptos depois de prontos ? E se a construtora levar 3 anos para vender o apto da “minha cota” ?
    4 – Por que a construtora não pega dinheiro no banco para financiar a obra? Simples, por que não dá pra enrolar banco.

    Eu sempre penso, se alguém te oferece um “bom negócio”, é por que não é bom. Bons negócios você mesmo descobre.

    73+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Soy Bananes 29 de abril de 2016 at 18:51

      run, bino! it’s a trap!

      14+
      • avatar
    • Lucas 29 de abril de 2016 at 19:39

      bons negócios vc faz e convida

      5+
    • Lucas 29 de abril de 2016 at 19:40

      a contrutora e o corretor entram com a experiencia
      vc entra com o dinheiro

      eles saem com o dinheiro
      e vc sai com a experiença

      Vai que é tua tafarel

      77+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Cesar_DF 29 de abril de 2016 at 16:47

    Investidor bilionário acredita que dólar pode bater em R$ 2,50 com Temer

    http://www.ilisp.org/noticias/prestes-ser-afastada-dilma-libera-r100-milhoes-para-propaganda-chapa-branca/

    4+
    • avatar
    • JJJ_brasilia 29 de abril de 2016 at 19:19

      Cesar_DF,

      quando o dólar estava por volta de R$ 4,00 com a eleição do Lula, ninguém mais, ninguém menos que Warren Buffet comprou uma montanha de reais e revelou ao mercado quando vendeu em uma de suas famosas cartas anuais da lendária Berkshire Hathaway, empresa do bilionário, o mercado sabia que Buffet estava comprado em alguma moeda estrangeira, achavam que era o Won da Coréia do Sul, mas estavam enganados, Buffet falou mais ou menos assim:

      “Pasmem, estávamos comprados em reais brasileiros” imagine mais uma tacada do oráculo de Omaha, comprou reais a R$ 4,00, surfou nos juros altos e vendeu quando o real se valorizou. Isto não é para qualquer um, Buffet e ele costuma acertar muito (vejam que falei acertar muito e não sempre, pois nem o maior investidor do mundo acerta sempre, imagine nós mortais).

      11+
  • Ogami 29 de abril de 2016 at 17:01

    A quem acredita em mudanças nos rumos quanto a ajuda das construtoras em um novo governo.
    http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2014/11/25/empreiteiras-da-lava-jato-doaram-r-988-mi-a-campanhas-de-dilma-e-aecio.htm
    Não tem pra onde correr.
    JBS

    – O Grupo JBS é o maior doador com R$ 112,7 milhões. O valor foi dividido entre PT (25,5%), PSD (14,5%), PMDB (12,6%), PP (11,7), PR (10,8%) e outros (25%)
    Construtora OAS
    A construtora OAS contribuiu com R$ 66,7 milhões para os cofres dos políticos. Desse montante, 47,4% foi para o PT, 18,9% para o PMDB, 11,1% para o PSDB, 5,2% para o PSB e 17,3% foi dividido entre outros partidos

    5+
    • avatar
    • avatar
    • rogerio 29 de abril de 2016 at 17:31

      Isto sim é um câncer ao Brasil…doação de empresa não tem cabimento…

      4+
      • avatar
      • joselito 3 de maio de 2016 at 16:23

        Alôoouuu Gilmar, o ‘processo” virou poltrona?

        0
    • JJJ_brasilia 29 de abril de 2016 at 18:28

      Não sei sobre empreiteiras, mas a JBS Friboi – JBSS3, que eu estava estudando seus resultados na bolsa, deveria se preocupar com a sua dívida, acho que por isto que ela doou dinheiro, sem o BNDES ela quebra, tem dívida muito maior que o patrimônio e os juros da dívida consomem a margem de lucro.
      Para ficar fácil, a JBSS melhorou um pouco, mas tá longe de ser uma empresa mais ou menos.

      4+
      • avatar
  • Cesar_DF 29 de abril de 2016 at 17:02

    Referente o parágrafo
    “Infelizmente, em poucos meses, veremos o resultado. Será um acontecimento vultuoso, humilhante e ridículo que ficará marcado para sempre em nossa história empresarial: a quebra de centenas de incorporadoras. Diferente das antigas bolhas que afetaram diretamente àqueles que nela investiram, a presente bolha extinguirá um período de especulação desenfreada e sem lógica com a falências de muitos incorporadores.”

    Acho que os bancos irão realizar o refinanciamento dos empréstimos que estão vencendo das incorporadoras e construtoras e ir securetizando sua carteira, para diminuir o impacto da quebra, mas quanto a CEF como ficaria ?

    9+
    • avatar
  • Ogami 29 de abril de 2016 at 17:11

    A quem acredita em mudanças nos rumos quanto a ajuda das construtoras em um novo governo.
    http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2014/11/25/empreiteiras-da-lava-jato-doaram-r-988-mi-a-campanhas-de-dilma-e-aecio.htm
    Não tem pra onde correr.

    Eis os 10 maiores doadores na campanha das ultimas eleições presidenciais.

    -JBS
    O Grupo JBS é o maior doador com R$ 112,7 milhões. O valor foi dividido entre PT (25,5%), PSD (14,5%), PMDB (12,6%), PP (11,7), PR (10,8%) e outros (25%)

    -Construtora OAS
    A construtora OAS contribuiu com R$ 66,7 milhões para os cofres dos políticos. Desse montante, 47,4% foi para o PT, 18,9% para o PMDB, 11,1% para o PSDB, 5,2% para o PSB e 17,3% foi dividido entre outros partidos .

    -Grupo Vale
    O Grupo Vale, do setor de mineração, depositou R$ 52,9 milhões nas contas dos comitês eleitorais. O PMDB ficou com 39% desse valor, seguido do PT, com 27,3% e PSDB, com 8,6%. Os outros partidos dividiram os 25,1% restantes

    Ambev
    Detentor das marcas Brahma, Skol, Antarctica, entre outras, o Grupo Ambev é o quarto maior financiador de campanhas eleitorais com R$ 41,5 milhões. O dinheiro foi dividido entre PMDB (28,6%), PT (26,6%), PSDB (19,5%) e outros partidos (25,4%)

    -Construtora Andrade Gutierrez
    A quinta maior doadora também é do setor da construção civil. Com R$ 33 milhões, a Andrade Gutierrez aumentou os caixas do PT (47,9%), PSDB (38,4%), PMDB (9,1%) e outros partidos (4,6%).

    -Bradesco
    O grupo doou pouco mais de R$ 30 milhões às campanhas eleitorais. Desse valor, 31,3% foi para o PSD, 28,9% para o PT, 22,4% para o PMDB e 17,4% para o PSDB. A empresa é sexto maior doador.

    -UTC Engenharia
    A UTC Engenharia doou R$ 30 milhões para as campanhas políticas. Quase metade, 45,5% foi para o PT. O restante foi dividido entre PC do B (10,4%), PSDB (9,2%) e demais partidos (35,1%)

    -Queiroz Galvão
    O grupo Queiroz Galvão aparece em oitavo na lista, com a doação de R$ 25,4 milhões. O PMDB foi beneficiado com 28,5%, seguido do PT, com 17,5%, e do PSD, com 11,6%. O 42,4% restante foi compartilhado entre os demais partidos

    -Odebrecht
    A construtora doou R$ 22,8 milhões, divididos entre PT (22,3%), PSDB (18,7%), DEM (17,8%) e demais partidos (41,2%)

    -BTG Pactual
    Na última posição da lista, o banco BTG Pactual contribuiu com R$ 17,4 milhões para as campanhas eleitorais. Quase metade, 47%, foi para os cofres do PT. O PMDB aparece logo atrás com 32,1%, seguido do PSDB com 12,3%. Os 8,6% restantes foram divididos entre os demais partidos.

    Esses fizeram rir, agora querem rir também.

    Processo democrático?!? Este é um dos meios da qual os mesmos sempre governam e se revezam no poder aqui.
    Quanto mais $ na campanha mais poder de ganhar votos.

    8+
    • rogerio 29 de abril de 2016 at 17:32

      isto sim é um câncer pro país….doação de empresa não tem cabimento!!!

      4+
      • avatar
      • avatar
      • Ogami 29 de abril de 2016 at 20:22

        Por isso tão necessária uma reforma política completa. Mas isso não vai para debate.

        4+
        • avatar
  • L.A. 29 de abril de 2016 at 17:17

    GM vai demitir 300 trabalhadores em Gravataí
    29 de abril de 2016

    A General Motors vai demitir 300 trabalhadores na fábrica de Gravataí. A montadora informou o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí, Valcir Ascari. Os funcionários serão comunicados amanhã, por telegrama.

    Estes funcionários estão em lay off, que é a suspensão do contrato de trabalho. No total, 791 estavam parados.

    A GM emprega no complexo 3 mil pessoas, fora as sistemistas. Mas já teve 4,5 mil.

    – A justificativa da GM é que o mercado está retraído e não dá sinais de retomada.

    Na semana que vem, o sindicato espera ter reunião com a montadora para garantir direito desses trabalhadores.

    5+
    • avatar
  • JJJ_brasilia 29 de abril de 2016 at 19:21

    Cesar_DF 29 de abril de 2016 at 16:47
    Investidor bilionário acredita que dólar pode bater em R$ 2,50 com Temer

    http://www.ilisp.org/noticias/prestes-ser-afastada-dilma-libera-r100-milhoes-para-propaganda-chapa-branca/

    Cesar_DF,

    quando o dólar estava por volta de R$ 4,00 com a eleição do Lula, ninguém mais, ninguém menos que Warren Buffet comprou uma montanha de reais e revelou ao mercado quando vendeu em uma de suas famosas cartas anuais da lendária Berkshire Hathaway, empresa do bilionário, o mercado sabia que Buffet estava comprado em alguma moeda estrangeira, achavam que era o Won da Coréia do Sul, mas estavam enganados, Buffet falou mais ou menos assim:

    “Pasmem, estávamos comprados em reais brasileiros” imagine mais uma tacada do oráculo de Omaha, comprou reais a R$ 4,00, surfou nos juros altos e vendeu quando o real se valorizou. Isto não é para qualquer um, Buffet e ele costuma acertar muito (vejam que falei acertar muito e não sempre, pois nem o maior investidor do mundo acerta sempre, imagine nós mortais).

    9+
    • avatar
  • Cajuzinha 29 de abril de 2016 at 20:06

    http://www.financista.com.br/noticias/calotes-de-empresas-nao-param-de-subir-e-preocupam-bancos-e-governo

    ” Segundo Marcele, os setores com os maiores riscos são os mais sensíveis ao desempenho da economia e do consumo, como o de construção, eletroeletrônicos, têxtil e calçadista e siderúrgico.”

    ” A possibilidade de um surto de inadimplência de grandes empresas e seu impacto no sistema financeiro é tão preocupante que a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) e o BC já então discutindo uma espécie de “Proer” para o setor privado, segundo o jornal Valor Econômico.”

    2+
  • JJJ_brasilia 29 de abril de 2016 at 20:14

    Resimob

    Obrigado. É recompensador saber que palavras bem fundamentadas ainda possam ser entendidas. Atualmente nossa população está alienada e não sabe realizar julgamentos, nem mesmo filtrá-los para que possa extrair suas conclusões. Notei que as pessoas que fazem partes deste fórum possuem este diferencial.
    Com certeza iremos discordar e concordar em muitas coisas, mas mantendo sempre o respeito de opiniões.

    7+

    Resimob,

    o pessoal aqui do Bolha Imobiliária tem um certo desprezo pelos corretores de imóveis, chamados aqui de coRvos, mas não sem razão, fomos mal tratados por estes profissionais, chamados de pobre porque não concordávamos em entrar em um financiamento de 500K para comprar uma imóvel mequetrefe nas piores periferias, quando negociamos aluguel em uma época favorável aos proprietários eramos mal atendidos, desprezados.

    O interessante sobre os corretores é ver a quantidade de pessoas mal preparadas que atuam neste mercado, em todas as profissões há bons e maus profissionais, mas na área de corretagem é gritante o despreparo e a MÁ FÉ da grande maioria dos corretores, pessoal sem instrução que faz um cursinho de Creci e sai um “profissional”.

    A compra de um imóvel nos trouxe a este site, e aprendemos a investir o nosso dinheiro e pagar o aluguel com o rendimento (juros), sem nos sujeitarmos a prostituição que virou o mercado imobiliário na formação e desenvolvimento da bolha, que para nós não é só de distratos, e sim do preço dos ativos imobiliários.

    Avaliamos o preço de um ativo pelo número de alugueis que é necessário para compra-lo, e não como a maioria da população analfabeta financeira (formada dentre outros, por médico, advogado, professores, militares, funcionários públicos e até empresários, como você vem averiguando) deste país, que se preocupa com o valor da prestação.

    Lembrando que um imóvel quando é construído, será consumido por décadas, ou seja, uma empresa constrói um prédio, este mesmo prédio será concorrente dos seus novos produtos que ela irá lançar nos próximos 80 anos pelo menos, não é como um carro, para ficar em um bem de consumo durável, em que um carro ano 2000, não concorre com um zero KM, que tem concorrência dos semi novos.

    Sobre investimento imobiliário, o imóvel é um ativo de renda variável que pode gerar uma aluguel, que hoje não compensa, após o pagamento de imobiliária, imposto de renda, taxas extras, depreciação em relação ao novo, risco de inadimplência e má conservação pelo inquilino. Agora se o imóvel ficar vazio, o proprietário toma um enorme prejuízo, pagando IPTU, condomínio e manutenção (ninguém quer alugar algo sujo e mal conservado).

    Nós brasileiros, em especial os cariocas, pela influência portuguesa, damos um valor desproporcional a este bem, se fosse tão bom assim, Portugal seria um país mais rico e o Brasil seria a 4ª economia do mundo (atrás dos EUA, China e Japão), mas como somos ótimos investidores e pensamos somente em imóvel, somos um país de renda média.

    Para o mercado voltar ao normal, é só ajustar o preço do produto ao mercado, nos Estados Unidos foi assim e eles saíram até rápido da crise.

    Sobre venda na planta, você citou que é algo que só ocorre no Brasil, o que economicamente é conhecido como Jabuticaba (se existe algo que só existe no Brasil e não é jabuticaba, é por que não presta).

    Temos uma tese firme e clara, SÓ ANTA COMPRA NA PLANTA, pois o sujeito participa do risco empresarial, e submetido a um contrato leonino, não sabe se vai receber um produto de qualidade, se o valor do condomínio será compatível com o mercado, para ser chulo e direto, o consumidor entra com a bunda e a construtora você sabe com o quê….

    O comprador se sujeita a taxas ilegais, atrasos, INCC, quebra da construtora, é só olhar o site reclame aqui, na parte das construtoras é um show de horrores , se a pessoa quiser comprar algo, compre pronto.

    Sobre as novas propostas de distratos, acho que é conversa para boi dormir, o judiciário não cairá na conversa das construtoras.

    Para melhorar tem que mudar o modus operandi, pagamento de parcelinha de R$ 500,00 durante a obra vai gerar o distrato, não consultar SERASA, para vender um bem caro não existe, o ideal é cobrar uma prestação de no mínimo 1% do valor do imóvel durante a construção, senão, é DISTRATO NA CERTA.

    Tem mais uma interessante, agora as construtoras da BOVESPA são obrigadas a provisionar dinheiro referente aos distratos, os analistas do mercado acionário que acompanham as construtoras estão apertando o setor, ou a informação é clara, e geram lucro ou não ficam na bolsa.

    Bem Resimob, seja bem vindo ao bolha, estamos aqui não mais na busca de um imóvel, mas da nossa indepência financeira!!! O imóvel é opcional.

    49+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Urso 29 de abril de 2016 at 20:21

    É isso aí JJJ.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Moreira 29 de abril de 2016 at 21:10

    http://portalibre.fgv.br/main.jsp?lumPageId=402880811D8E34B9011D9CCBFDD1784C&contentId=8A7C82C5519A547801540FF867A23FDF

    “O Brasil viveu de meados da década passada até 2011 – ou, de forma um pouco mais atenuada, até 2014 – o que poderia ser descrito como uma bolha de consumo”

    7+
    • CA 29 de abril de 2016 at 21:48

      Moreira,

      A bolha de consumo efetivamente foi de 2005 a 2010, quando a dívida das famílias com o sistema financeiro, com exceção do crédito imobiliário, DUPLICOU em proporção à sua renda dos últimos 12 meses, exatamente o que também aconteceu, neste mesmo período, para a dívida das famílias em relação ao crédito imobiliário em comparação com a renda dos últimos 12 meses, em ambos os casos, com base nos dados do BACEN.

      Ao mesmo tempo, víamos o PIB de despesas das famílias disparar, crescendo de forma contínua e relevante. Até então o segmento automobilístico crescia como nunca, assim como o segmento imobiliário, o varejo, os serviços, etc., tudo impulsionado pelas bolhas imobiliária e de consumo e ainda contando com um grande volume de projetos da construção civil para atender a bolha de corrupção da Petrobrás.

      De 2010 a 2015, a dívida das famílias com o crédito imobiliário em proporção à sua renda TRIPLICOU e com isso, as famílias já sem fôlego financeiro viram as suas despesas para outros fins sofrerem uma desaceleração brusca, ao mesmo tempo em que a inadimplencia crescia a uma velocidade 2,5 vezes mais rápida do que nos 5 anos anteriores e que a dívida das famílias com outros itens não relacionados ao crédito imobiliário em proporção a sua renda caiam de forma contínua, embora não tão relevante graças aos elevados juros praticados no Brasil.

      A tradução do que consta acima é que a bolha imobiliária foi tão intensa, que junto com juros muito elevados, renda per capta muito baixa, péssima distribuição de renda, etc, fez com que a bolha de consumo não pudesse ter durado mais tempo ou ter sido mais intensa.

      Para quem quiser entender melhor o que consta acima, segue link com infograficos a este respeito:

      http://defendaseudinheiro.com.br/a-bolha-imobiliaria-no-brasil-e-a-economia

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Alemon Fritz 29 de abril de 2016 at 23:17

    Crédito da casa própria cai 54,6% no primeiro trimestre, diz Abecip

    Em 12 meses, contudo, volume de empréstimos foi 44,1% menor. (em mais 2 anos,será zero)
    emmarço, 19,6 mil imóveis foram financiados nas modalidades de aquisição e construção. Mas em termos anuais houve queda de 46,9%.

    http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/04/credito-da-casa-propria-cai-546-no-primeiro-trimestre-diz-abecip.html

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 29 de abril de 2016 at 23:34
    • Alemon Fritz 29 de abril de 2016 at 23:35

      e havia caido 33% em 2015 inteiro….

      6+
  • Cajuzinha 30 de abril de 2016 at 05:32

    ” Sérgio Porto, presidente do Sindicato da Habitação do Ceará (Secovi-CE), diz que em 2016 houve uma procura maior que dos últimos anos. “O mercado de aluguéis está aquecido. Mas esse crescimento advém da restrição do crédito para o financiamento por parte dos bancos”.”

    http://mobile.opovo.com.br/app/opovo/imoveis/2016/04/30/notimoveis,3608878/mercado-esta-bom-para-alugar.shtml

    6+
    • avatar
  • Carlos 30 de abril de 2016 at 06:03

    Este é o bananistão que faz olim-piadas e não consegue sequer fazer as cadeiras, ou preparar o próprio café que produz.
    Os caras tem que estar animados mesmo, estão ganhando dinheiro para revender coisas chineses para os bananences.

    https://www.facebook.com/7NewsQueensland/videos/1161582887187895/

    9+
    • avatar
  • Carlos 30 de abril de 2016 at 08:04

    Você compra seu bolhudo e resolve alugar ele pelo Airbnb, aí vem o governo socialista e te ferra. Como é bom ser dono de tijolos.
    Pareçe coisa da banânia.

    “A cidade de Berlim dá início neste domingo a mais uma etapa do cerco contra o aluguel por temporada de casas e apartamentos por meio de plataformas como o Airbnb.”

    http://www1.folha.uol.com.br/turismo/2016/04/1766335-berlim-reforca-cerco-contra-aluguel-por-temporada-em-sites-como-airbnb.shtml

    7+
  • Carlos 30 de abril de 2016 at 08:28

    Villa destruindo o Sakabhosta, fraquinho fraquinho o o japonês soça.

    https://www.facebook.com/villamarcoantonio/videos/1185716534795431/

    6+
    • avatar
  • Ilusionista 30 de abril de 2016 at 08:28

    Jornal da Band
    Consumidora
    “eu li todo o contrato, mas depois eu vi que não entendi”,
    Advogado
    “a multa vai quadruplicar

    Código Defesa do Consumidor, Das Cláusulas Abusivas
    Art. 51. São nulas de pleno direito, entre outras, as cláusulas contratuais relativas ao fornecimento de produtos e serviços que:
    II – subtraiam ao consumidor a opção de reembolso da quantia já paga
    III – se mostra excessivamente onerosa para o consumidor, considerando-se a natureza e conteúdo do contrato, o interesse das partes e outras circunstâncias peculiares ao caso
    dentre outros

    http://noticias.band.uol.com.br/jornaldaband/videos/2016/04/29/15846230-governo-e-construtoras-selam-acordo-para-distrato-na-compra-de-imoveis.html

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Ilusionista 30 de abril de 2016 at 08:42

      em breve mais uma enxurrada de ações judiciais, serão longos anos de recursos até que provavelmente o STJ suspenda todas ações até que se julgue o recurso repetitivo para uma decisão final.
      Enquanto isto, rezar para a incorporadora não falir neste período, ai vide Incol

      14+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • joselito 3 de maio de 2016 at 16:26

        Se nao falir até lá, o argumento de “podem falir” será fatalmente usado a favor das incorporadoras.

        0
  • Cajuzinha 30 de abril de 2016 at 12:59
  • Cajuzinha 30 de abril de 2016 at 13:02

    ” Veja as principais propostas de um eventual governo Temer:.

    ECONOMIA

    Redução de ministérios

    Temer previa reduzir as atuais pastas para 20 ou 22, mas número já está em 26, unindo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ao Planejamento, por exemplo

    Dificuldade: Impacto em gastos é pequeno e há pressões para acomodar aliados

    Corte de gastos

    Fixar um teto para gastos e passar um pente-fino em programas sociais, como Minha Casa, Minha Vida e Bolsa Família, e em aluguéis, fornecedores e pessoal

    Dificuldade: Cerca de 90% das despesas do governo são obrigatórias

    Aumento de impostos

    Temer diz não ser a favor de aumento de impostos, mas auxiliares já admitem a criação de um novo tributo. A ideia só seria veiculada depois que o governo cortasse gastos

    Dificuldade: É possível que apenas redução de gastos não resolva o problema fiscal do país, que terá deficit de 2% do PIB neste ano

    Privatização

    “Tudo que for possível em matéria de infraestrutura” seria privatizado e haveria programa de concessões. Relação com o setor privado seria redefinido para evitar corrupção, inclusive mudando a lei de licitações

    Dificuldade: Resistência de movimentos de esquerda e escassez de capital para investimento

    Reformas

    Reforma previdenciária e trabalhista, com fixação de idade mínima para aposentadoria e desvinculação de benefícios, como aposentadoria, ao salário mínimo

    Dificuldade: Propostas impopulares com resistência de centrais sindicais

    Desvinculação

    Acabar com o percentual mínimo de gastos em saúde e educação

    Dificuldade: Pressão desses setores e risco de queda do investimento

    ÁREA SOCIAL

    Educação

    Maior presença do governo federal no ensino básico e reforma no ensino médio (com ensino profissionalizante)

    Dificuldade: Não está clara a participação do governo, já que o ensino básico é responsabilidade de Estados e municípios

    Meritocracia

    Pagamento de bônus a professores que melhorarem sua qualificação e o desempenho de alunos

    Dificuldade: Especialistas dizem que não é comprovado vínculo entre bônus e melhora do ensino; sindicatos pedem mais investimento no geral

    Operação Lava-Jato

    Apoio à continuidade das investigações e à aprovação das “dez medidas contra a corrupção” elencadas por procuradores da Lava Jato

    Dificuldade: Aliados implicados no esquema poderiam gerar um estímulo a uma espécie de acordo de salvação

    Fim da reeleição

    Apoio ao fim da reeleição; objetivo é atrair apoio do PSDB

    Dificuldade: Proposta depende de aprovação de emenda constitucional”

    http://mobile.valor.com.br/politica/4544739/propostas-de-temer-incluem-corte-de-ministerios-e-bonus-professores

    6+
    • avatar
    • avatar
    • JJJ_brasilia 30 de abril de 2016 at 21:52

      O número de ministérios é diretamente proporcional a número de partidos políticos, a conta é mais ou menos esta, quanto mais partidos, mais ministérios eles vão querer para vender apoio, simples assim.

      4+
  • Alemon Fritz 30 de abril de 2016 at 16:08

    sonho da casa..

    Habitação: Em Portugal há um “sonho proprietarista”
    Tiago Saraiva, salientou o facto de que as pessoas “nunca chegam a ser proprietários da casa, porque ficam até ao fim da vida a pagar um crédito”, no entanto, é “mais vantajoso o crédito do que arrendar”

    designou o fenómeno como “sonho proprietarista” e explicou que este foi surgindo a partir de 1983, devido às leis que facilitavam o crédito imobiliário tornando-o universal.

    https://jpn.up.pt/2016/04/29/habitacao-portugal-ha-um-sonho-proprietarista/

    7+
    • avatar
  • Moreira 30 de abril de 2016 at 16:40

    Alemon Fritz,

    gostei dessa publicação sua, em especial de duas passagens, que muito se assemelham a nossa realidade:

    ““Nós hoje temos uma geração que já pagou a casa, temos uma que está enterrada até ao pescoço com a renda da casa e com as situações de desemprego e baixas de salários e temos a geração atual, que está em casa dos pais, sem qualquer oportunidade de ter acesso à habitação”

    “Há muita gente que não tem uma alimentação saudável e isso é uma consequência deste sonho proprietarista”

    Sobre esta última colocação não sei se há algum estudo corroborando a tese, mas intuitivamente creio que isso acontece também pelo comprometimento da renda com casa e carro.

    Depois de imóvel, carro é outro sonho. Ás vezes, ou muitas vezes, é o primeiro sonho! Carro na banãnia é tão barato!

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 30 de abril de 2016 at 17:12

      Valeu, tbm achei bem interessante, principalmente porque mostra como
      se marca um “objetivo” oou sonho no subconsciente dos individuos.. se milhoes conseguiram sua casa (credito) eu tbm teria de conseguir. . ou Vc é um fracassado.

      carro e celular top, tv grande entram na lista.

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Beto_bolhista 30 de abril de 2016 at 21:20

        Pois é Alemon, mas não precisamos necessariamente de “milhões” para se ter essa sensação de fracasso ou sermos vistos com outros olhos. Na própria família ou grupo de amigos isso já ocorre.
        Eu só fui adquirir meu primeiro carro aos 34 anos e sempre ouvi : “mas tal pessoa nem ganha tão bem e conseguiu comprar um carro”. Entre os colegas mais próximos de trabalho, sou o único que nunca viajou pra fora do país. Sou o cara que se recusa a ir almoçar num restaurante para pagar 50,00 numa carne “nobre” ou tomar um cafezinho de 8,00 depois do almoço.
        Pois eu quero continuar sendo o “fracassado” por um bom tempo!!!

        26+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Moreira 30 de abril de 2016 at 16:47

    Pessoal,

    vcs acreditam que possa haver ações que tenham valorização superior a 35% apenas com o afastamento de Dilma? Se sim, quais e por quê? Apesar das várias mudanças pelas quais passamos, há ações ainda hoje que existem desde o último impeachment e que – na época – valiam pouco. Porém, com a queda sofreu forte valorização logo em seguida. Se existe, quais são essas ações?

    Que papeis podem ter substanciais elevações com a mera saída da presidANTA?

    2+
    • Money_Addicted 30 de abril de 2016 at 20:01

      “Se após meia hora de jogo você não identificar quem é o pato, é porque você é o pato!”

      [ ]s

      15+
      • avatar
      • avatar
  • Beto_bolhista 30 de abril de 2016 at 21:06

    CVR – Email recebido agora há pouco:

    ” Unidade Tipo 1º e 2º Andares 286,90m² – 4 Vagas
    Unidade Tipo 4º ao 23º Andar 286,90m² e 289 m² – 4 Vagas
    Unidade Cobertura Duplex 24º Andar 521,40m² – 6 Vagas
    RUA TABAPUÃ, 1.555 ITAIM

    À 180 metros Parque do Povo, um espaço com mais de 120.000 m² que concentra ciclovia, pista de caminhada, quadras poliesportivas e centenas de árvores frutíferas, aromáticas e até medicinais.
    Itaim Bibi é possível facilmente acessar outras regiões da cidade, por conta da proximidade com importantes vias, como a Brigadeiro Faria Lima, a Marginal Pinheiros e a Juscelino Kubitschek. Os moradores também não enfrentam dificuldades para fazer compras, uma vez que o bairro dispõe de um amplo centro comercial a céu aberto, localizado na Rua João Cachoeira, e é próximo de dois shoppings, o Iguatemi e o Vila Olímpia.
    BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, BLÁ, ….
    Exemplo de forma de pagamento para um 11º Andar :
    Ato/30/60 e 90 dias – 4 Parcelas – $ 142.700,00 ( Total $ 570.800,00 )
    30 Mensais inicio Agosto de 2016 $ 16.700,00 ( Total $ 501.000,00 )
    2 Anuais inicio Julho de 2017 $ 357.000,00 ( Total $ 714.000,00 )
    Parcela Única em Janeiro de 2019 $ 357.000,00
    Parcela de Financiamento ou quitação em Janeiro de 2019 $ 4.990.000,00
    Total do investimento $ 7.132.800,00
    Correções apenas pelo INCC”

    R$ 24.680,00 o m²…. Estou pensando seriamente em adquirir um desses, só pra aumentar o número de distratos!!!!! Ou para investir, afinal após 1 ano da entrega o imóvel já vai valer mais de 9M!!!

    10+
    • avatar
    • avatar
    • JJJ_brasilia 30 de abril de 2016 at 21:56

      Vou comparar 2, 1 para morar e outro para investir. KKKKKKKKKKKKKK

      3+
  • W.K. 30 de abril de 2016 at 21:12

    Ardam corvos, ardam…

    4+
    • avatar
    • Alemon Fritz 1 de maio de 2016 at 10:33

      Ardam!!, atocha chegou pra acender a Pira olímpica nos motumbados

      3+
  • Carlos 1 de maio de 2016 at 10:53

    OFF – Estônia próxima de permitir abertura de contas para estrangeiros sem necessidade de presença física para e-residents.

    Dear Current and Future E-residents,

    I am writing to share exciting news about bank accounts for e-residents.

    We learned from your feedback that you wanted to be able to open a bank account in Estonia without having to visit the country. Until now this was not possible because Estonian law requires an in-person meeting in the bank.

    To solve this we set about changing the law, and we’re happy to announce an important milestone in the legislative process for creating a location independent business environment. The Government of Estonia has approved and is going to forward to the Parliament a draft legislation that will allow e-residents to open bank accounts without physically going to a bank branch.

    As the number of people applying for e-Residency during its beta phase has already been far higher than we had expected, we believe that after this important change to the law has been adopted we will truly unleash the world’s entrepreneurial potential and see e-Residency applications rise yet further.

    As this still requires some efforts from the banks, the planned timeline for the opening of the online services will be in autumn 2016. We will keep you posted as this develops.

    https://www.siseministeerium.ee/en/news/draft-legislation-allows-open-bank-account-without-going-bank-branch

    9+
    • avatar
  • Alemon Fritz 1 de maio de 2016 at 11:18

    http://www.tribunadabahia.com.br/2016/03/13/analista-preve-uma-explosao-de-falencias-de-empresas-no-brasil.
    no ano passado, quando as recuperações judiciais chegaram a 1.256, número mais de 50% superior ao registrado em 2014. No primeiro bimestre deste ano, o número foi ainda mais assustador: crescimento de 116% em relação ao mesmo período do ano passado.
    A agência Standard & Poor’s, ….calcula que o volume de dívidas a vencer até o ano que vem de empresas que fazem parte do seu monitoramento é de US$ 24 bilhões.
    O endividamento chega a 1trilhão.

    1.Compradores ficam sem imóvel após construtora decretar falência no litoral
    Construtora de Santos deu prazos diferentes para os compradores.
    7milhoes de preju…
    http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2016/02/construtora-fali-e-compradores-ficam-sem-imovel-roubaram-nosso-futuro.html

    2. Falência da construtora Homex causa prejuízos para mutuários
    (30 milhoes de preju, 1700 investidores).
    http://www.msnoticias.com.br/editorias/noticias-campo-grande-ms/falencia-da-construtora-homex-causa-prejuizos-para-mutuarios/66348/

    3. a falência do construtoras Três Irmãos Engenharia Ltda. e Valor Engenharia Ltda., que passam por recuperação judicial por uma dívida de R$ 70 milhões….
    http://www.olhardireto.com.br/juridico/noticias/exibir.asp?noticia=recurso-que-tentava-decretar-falencia-da-construtora-tres-irmaos-por-suposta-fraude-e-negado-no-tj&id=31738

    4.A TCI Construtora, uma das maiores empresas do ramo imobiliário de Goiânia, entrou com um pedido de recuperação judicial para conseguir reestruturar a empresa, que passa por um período de dificuldades financeiras.
    Com dívidas da ordem de R$ 133 milhões…..
    http://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/com-dividas-de-mais-de-r-130-milhoes-tci-pede-recuperacao-judicial-64587/

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 1 de maio de 2016 at 11:45

    dividas:
    Odebretich: 100 bilhoes !!
    Schahhin: 6 bilhões
    Menddes Jrr: 253 milhoes
    Kamargo Correria: 15,7 bilhoes
    Oa S: 10,5 bilhoes

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Palmeirense Bolhudo 1 de maio de 2016 at 12:59

    Feirão de aluguel terá mil imóveis em oferta

    São mil imóveis, entre residenciais e comerciais, administrados pela empresa, localizados em diferentes bairros do Rio de Janeiro, principalmente Jacarepaguá, Tijuca, Madureira, Campo Grande, Barra da Tijuca, Vila da Penha e Copacabana. O feirão reúne unidades novas e usadas, e têm opções também para quem procura uma propriedade para alugar em cidades da Baixada Fluminense, como Nilópolis e Duque de Caxias.

    O grande benefício para o locatário, diz Parente, é a isenção de um a três meses de aluguel, dependendo do imóvel.

    http://extra.globo.com/noticias/economia/feirao-de-aluguel-tera-mil-imoveis-em-oferta-19197767.html

    8+
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 1 de maio de 2016 at 16:32

      huahuahuahua.
      Sério?
      Não sabia que existia feirão do aluguel !!!
      Os brick-lovers devem estar desesperados para ver a cor do dinheiro.
      PMJ !

      12+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Ilusionista 1 de maio de 2016 at 19:02

    mais de um milhão e meio de FPs com atrasos ou sem pagamento dos salários, grande maioria já endividada com empréstimos consignados e financiamentos imobiliários e, devido ao atrasos, acumulando mais juros.
    “Não tá tranquilo muito menos tá favorável”.

    http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,atraso-no-pagamento-de-salarios-afeta-1-5-milhao-de-servidores,10000048270

    7+
    • avatar
    • Bolhudo 1 de maio de 2016 at 19:15

      Ilusionista, FPs é mais uma bolha que agravará nossa BOLHA IMOBILIARIA , estão todas conectadas.

      Durante todos os anos de governos socialistas, vimos à estratégia de tornar o povo cada vez mais dependente do estado através de cargos e salários, os que não ficaram dependentes diretamente através de empregos como funcionários públicos de toda espécie, vimos os dependentes indiretos através dos contratos mega faturados das empreiteiras, que pagaram salários altos para pessoas sem qualificação durante a ilusão do “espetáculo do crescimento socialista tupiniquim”. O sonho de se tornar funcionário do estado com todas as benesses que só existem neste país criou a geração concurseiros , quem não quer um emprego com todas as garantias ? Até Eu, nesta hora não tem capitalista que resista, não tem ideologia que conteste a produtividade ou número seguro de funcionários que não quebre o sistema, não tem partido político que fale em equilíbrio, ninguém que fale abertamente que não dá! Que a bolha na folha de pagamento já estourou, que a curva de LAFFER já chegou a alguns estados, vejam o RJ. Tem de mudar a lei e demitir 50% do pessoal, fazer o restante produzir como na iniciativa privada, mas tá todo mundo quieto, pois não dá voto, pode-se provocar a raiva até de quem é contra este sistema, mas que no funcho quer fazer parte para tirar proveito. O Socialismo se instalou no inconsciente de todos nós, não são sós os pobres moribundos das periferias que querem bolsas, todos nós queremos benefícios do estado.
      – Não terá dinheiro para o estado pagar a todos, terá de demitir ou cortar em 80% os salários, aposentadorias e benefícios.
      -Nosso socialismo quebrou antes de se instalar, pois até nossos socialistas são incompetentes, este país não é para amadores de nenhuma espécie.
      -Temos muitos socialistas transvestidos de capitalistas de direita, mas que só não tiveram uma oportunidade de uma teta no estado.

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • JJJ_brasilia 1 de maio de 2016 at 21:08

        Bolhudo,

        Eu acrescentaria taxistas e reservas de mercado representadas pelas corporações de ofício, conselhos da vida, que limitam a entrada de novos agentes no mercado, para reduzir a oferta e elevar preços, tudo com a chancela estatal, além dos assalariados fardados, com muito menos gente as forças armadas fariam o mesmo trabalho de hoje.

        Aqui as pessoas não são incentivadas a criar, produzir, mas para arrumar uma colocação e isto vem dos portugueses, que não criam nada, são brick lover até não poder mais.

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • DRN 2 de maio de 2016 at 10:49

          500 anos depois a culpa ainda é dos tugas…

          5+
          • avatar
      • DRN 2 de maio de 2016 at 10:52

        Basta ver a subida (i) da carga tributária e (ii) do percentual de gasto público em percentual do PIB (tudo subiu mas folha de pagamento e previdência subiram espantosamente).

        Enquanto a carga tributária podia ser aumentada (ou seja, o reio cantar no lombo de quem trabalha na iniciativa privada) foi bem. Agora, que chegamos ao limite, o caldo entornou.

        Só nos resta nos posicionar no PMJ e assistir de camarote. Essa conta vai ser difícil de pagar e demorará duas ou três gerações.

        4+
        • avatar
    • Cesar_DF 2 de maio de 2016 at 08:07

      Dominadas por cargos de confiança, secretarias do RJ são alvo de ações do MP
      Outra secretaria do RJ, a de Estado de Governo (Segov), não tem nenhum servidor próprio. São 620 ocupantes de cargos de comissão, dentre os quais apenas 10 são funcionários concursados, cedidos de outros órgãos. Em planilha encaminhada pela Segov, verifica-se que, em 2006, o total de comissionados era 233. No atual governo, esse número triplicou.
      http://jota.uol.com.br/dominadas-por-cargos-de-confianca-secretarias-do-rj-sao-alvo-de-acoes-do-mp

      O problema principal não está no governo federal
      30% dos cargos de confiança federais são de servidores não concursados
      http://g1.globo.com/politica/noticia/2015/10/30-dos-cargos-de-confianca-federais-sao-servidores-nao-concursados.html

      10+
      • avatar
  • Cajuzinha 2 de maio de 2016 at 05:24

    ” De acordo com a Entidade, a nova redução da segurança de crédito entre os consumidores endividados sugere uma dificuldade crescente das famílias de administrarem seu orçamento. Assim, embora a propensão ao financiamento esteja no menor patamar de sua história, a assessoria econômica da FecomercioSP acredita que a proporção de consumidores endividados deverá continuar em crescimento, pois não há sinais de melhoria do cenário em curto prazo, já que a dificuldade das famílias para manter o orçamento equilibrado é crescente por causa dos preços altos e do aumento do desemprego.”

    http://www.segs.com.br/seguros/14332-indice-de-intencao-de-financiamento-atinge-14-3-pontos-e-registra-menor-patamar-desde-2012-aponta-fecomerciosp.html

    3+
    • Cesar_DF 2 de maio de 2016 at 07:59

      Cajuzinha, como você acorda cedo ! rsrs

      3+
      • avatar
      • carioca_real 2 de maio de 2016 at 08:21

        Ou não dorme!

        2+
      • Cajuzinha 2 de maio de 2016 at 09:15

        É que gosto de ir cedo para a academia e preciso comer antes do treino, então acordo cedo para comer e começar o treino devidamente alimentada, rs.

        5+
        • avatar
        • Cesar_DF 2 de maio de 2016 at 10:46

          bolhista e sarada = PERFEITA rsrs

          2+
          • Cajuzinha 2 de maio de 2016 at 11:48

            bolhista, sarada e do lar… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

            12+
            • avatar
            • avatar
  • Cesar_DF 2 de maio de 2016 at 07:59

    Taxa de desemprego aumenta no DF: em um mês 17 mil perderam o trabalho
    A taxa de desemprego passou de 17,2%, em fevereiro, para 18,1% em março. Já são 282 mil desempregados na capital. Comparando com o mesmo período do ano passado, a taxa de desemprego total passou de 13,2% para 18,1%. Em um ano, o número de desempregados aumentou em 84 mil
    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2016/04/27/interna_cidadesdf,529411/taxa-de-desemprego-aumenta-no-df-em-um-mes-17-mil-perderam-o-trabalho.shtml

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 2 de maio de 2016 at 08:02

    Bom dia Banania mostrando feirão, 241mil imóveis a venda !!
    corvos em matilhas esfregando as mãozinhas, mas nada de venda… ardam!!

    a entrada é um dos problemas (+10%) do valor. como eu comentei teria de baixar
    pra vender… depois o investiotário pode cair na armadilha de perder 20% do valor pago.. e o imóvel não sera mais novo. O fgts tbm securitiza com 3 anos (10%).

    6+
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 2 de maio de 2016 at 08:11

    Caixa promove Feirão da Casa Própria em 14 cidades

    http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2016/04/caixa-promove-feirao-da-casa-propria-em-14-cidades
    Portanto, ampliando no brasil todo deve ter quase o dobro ‘a venda..!! 400k imóvéis…

    4+
    • avatar
  • JJJ_brasilia 2 de maio de 2016 at 08:53

    Alemon Fritz

    Bom dia Banania mostrando feirão, 241mil imóveis a venda !!
    corvos em matilhas esfregando as mãozinhas, mas nada de venda… ardam!!

    a entrada é um dos problemas (+10%) do valor. como eu comentei teria de baixar
    pra vender… depois o investiotário pode cair na armadilha de perder 20% do valor pago.. e o imóvel não sera mais novo. O fgts tbm securitiza com 3 anos (10%).

    2+

    Baixar o valor da entrada é fácil, baixa o preço do imóvel, se em um imóvel de 500k a entrada é 50k, num de 300k a entrada cai para 30k, típico de uma bolha imobiliária, imóveis fora da realidade financeira dos controladores.

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Alemon Fritz 2 de maio de 2016 at 09:37

      concordo, espero que aconteça. A ancoragem passou de 5k pra quase 12km2, …não valia 3,5k m2 se reduzir 50% ainda seria pouco… os investiotários Arderiam com a tocha olímpica da motumbada. ex: MCMV de 75 pra 135k ou mais.

      6+
      • avatar
      • avatar
  • TG Brasil 2 de maio de 2016 at 09:00

    Fantasma da Encol ronda o Nexus, obra da Construtora Consciente

    “Se a obra for barrada pelo Ministério Público e pela Justiça, os compradores terão prejuízo e terão dificuldade para receber o que já pagaram. O fantasma da Encol é onipresente.”

    http://www.jornalopcao.com.br/bastidores/fantasma-da-encol-ronda-o-nexus-obra-da-construtora-nexus-63356/

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 2 de maio de 2016 at 09:51

    estimativa de ‘encolhimento’ do PIB passou para 3,89% em 2016.

    2+
    • L.A. 2 de maio de 2016 at 10:06

      Não sei se o pessoal que opina para o Focus está prevendo a alteração do mandatário do república, mas os índices para 2017 (e, mesmo alguns para 2016), estão melhorando. Já estão prevendo SELIC para 11,75% para 2017, ante a previsão de 12,5% de 4 semanas atrás.
      Há 4 semanas a Taxa de câmbio – fim de período (R$/US$) era R$ 4,00, agora é de R$ 3,72, uma queda de 7%.

      2+
  • Cajuzinha 2 de maio de 2016 at 10:42

    “REFLEXO DA CRISEAluguel comercial é congelado
    para evitar a fuga dos lojistas Cenário de retração no varejo obriga donos a segurar altas nos preços”

    http://www.correiodoestado.com.br/economia/aluguel-comercial-e-congelado-para-evitar-a-fuga-dos-lojistas/276913/

    3+
    • avatar
  • Cajuzinha 2 de maio de 2016 at 11:06

    “Então, é assim: para o PT, a democracia só existe quando está no poder. Se está fora, é “golpe”. O
    petista é do bem, justo, democrático e preocupado com o social. O não petista é do mal, injusto,
    golpista e tem horror de pobre. Então, vale tudo, até explodir as contas públicas e deixar uma terra
    arrasada. E dane-­se o País! Numa outra imagem, só tem jogo se o PT está em campo. Se perde, ou
    se é expulso, leva a bola junto, com gritos ameaçadores para animar a arquibancada (os que se
    dizem de “esquerda” a qualquer custo) e o telespectador (a mídia e os mal informados do exterior).”

    http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,explodir-o-pais,10000048356

    5+
    • avatar
  • Carlos 2 de maio de 2016 at 11:10

    OFF – PT tenta o golpe das novas eleições.

    Dilma quer antecipar eleição presidencial para outubro
    Proposta de emenda deve ser enviada esta semana ao Congresso

    http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/dilma-pedira-novas-eleicoes-diz-jornal
    “http://oglobo.globo.com/brasil/dilma-quer-antecipar-eleicao-presidencial-para-outubro-19209096

    Isto está até no brasil 171.

    2+
    • Herr Deutsch 2 de maio de 2016 at 11:17

      Rapaz, essa senhora não aprova no congresso nem uma lei, o que dirá uma emenda… Sem qualquer chance.

      6+
      • avatar
    • Carlos 2 de maio de 2016 at 11:18

      Oremos…

      Marco Antonio Villa

      Segundo O Globo de hoje, Dilma poderá convocar rede de rádio e TV para, na sexta, renunciar à Presidência. Vai pedir também que Temer renuncie. Piada de Dilma, a louca. Se ela quiser renunciar, ótimo. O processo é interrompido no Senado e Temer toma posse definitivamente na Presidência e o país não terá mais a agonia de suportar um processo de até 6 meses. O resto é conversa fiada.

      6+
      • avatar
      • FabianoSJC 2 de maio de 2016 at 11:32

        Cara na boa ela não vai renunciar nunca , aquilo é mais tinhosa que o capiroto.

        9+
        • avatar
  • Cajuzinha 2 de maio de 2016 at 11:15

    “Clínicas médicas dão descontos de até 60% para manter clientes

    Número de beneficiários de planos de saúde privados encolheu em 766 mil em 2015”

    http://oglobo.globo.com/economia/clinicas-medicas-dao-descontos-de-ate-60-para-manter-clientes-19208789#ixzz47VY0UeMs

    4+
    • avatar
  • Cajuzinha 2 de maio de 2016 at 11:28

    “Do lado do governo, a diretora do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), Lorena Tavares, vê a medida como uma forma de agilizar o processo de devolução de imóveis. “Precisávamos mitigar os prejuízos das empresas com os distratos ainda mais no atual contexto econômico.””

    http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/economia/2016/05/02/internas_economia,642173/acordo-entre-construtoras-e-governo-pode-ter-efeito-limitado-para-cons.shtml

    1+
    • avatar
  • DRN 2 de maio de 2016 at 11:49

    Saiu o Focus 29.04

    -http://www.bcb.gov.br/?FOCUSRELMERC

    Pela projeção da doleta para final de 2016 e 2017, dólar a 3, 48 é janela, ainda mais se o TEMEROSO não derrubar o decreto de aumento da iof para 1,1% nas transações cambiais.

    2+
    • Anonymous 2 de maio de 2016 at 13:39

      Decreto Nº 8.731, de 30 de Abril de 2016
      “http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Decreto/D8731.htm

      XIX – nas liquidações de operações simultâneas de câmbio para ingresso de recursos no País, originárias da mudança de regime do investidor estrangeiro, de investimento direto de que trata a Lei nº 4.131, de 3 de setembro de 1962, para investimento em ações negociáveis em bolsa de valores, na forma regulamentada pelo Conselho Monetário Nacional: zero.

      XX – nas liquidações de operações de câmbio, liquidadas a partir de 3 de maio de 2016, para aquisição de moeda estrangeira, em espécie: um inteiro e dez centésimos por cento.

      PS-1: O item XIX é para beneficiar BRASILEIROS que enviam dinheiro para fora do país ILEGALMENTE e voltam como se fossem estrangeiros. Em geral, “estrangeiros” não aplicam dinheiro em bolsa de valores na Banânia. Quando aplicam é porque tem alguma esquema de corrupção.

      PS-2: O item XX não afeta o Manual do Anonymous, mas afeta aqueles que preferem guardar USD na latinha.

      PS-3: Manual do Anonymous
      “https://www.youtube.com/watch?v=kPkOxnhZoLw

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • DRN 2 de maio de 2016 at 14:49

        correto.

        1+
      • From_The_Tower 3 de maio de 2016 at 09:58

        LAtinha lovers piram !!!

        0
  • DRN 2 de maio de 2016 at 11:56

    TDzim tá meio murcho, mas há muita água para rolar sob a ponte.

    A ver:

    – a reforma da previdência vai ser aprovada no Congresso?
    – vão desvincular as receitas da união?
    – vão equacionar as dívidas dos Estados (como julgará o STF a questão dos juros?)?
    – vão desvincular o salário mínimo como benefício mínimo da Previdência?
    – vão sanear as contas de CEF, Petrobrás, BB e BNDES com recursos do Tesouro, ou vão privatizar?
    – vão aprovar CPMF ou aumentar o endividamento do Tesouro?

    Tudo isso está para acontecer e não há sinais ainda de que TEMEROSO aprovará tudo isso no congresso.

    3+
    • DRN 2 de maio de 2016 at 12:04

      Para quem perdeu o “bonde” do começo do ano (eu peguei 2035 no topo, mas perdi NTNF e 2050), há três possibilidades:

      – comprar agora, certo de que os juros só vão cair
      – aguardar e esperar por aumento, correndo risco de só cair
      – comprar parte agora e correr o risco para comprar (ou não) mais à frente, temperando os percentuais (compra agora/compra futura) de acordo com a convicção sobre se os juros vão cair ou subir.

      2+
      • DRN 2 de maio de 2016 at 12:09

        Isso para quem, como eu, quer comprar e segurar até o vencimento. Para quem quer especular, pode ser que haja queda momentânea e subida mais à frente, o que abre uma janela para ganhos no curto prazo.

        1+
  • Cesar_DF 2 de maio de 2016 at 12:12

    Motumbo agindo sem dó

    Eu adquirir um em prendimento Em julho de 2014 no valor de 320.000,00 ( 69 metros 3 dor e 1 vaga de garagem 3° andar) e hoje o mesmo em prendimento a construtora está vendendo por 264.000,00 ( com as mesma característica do meu mais eles estão oferecendo duas vagas na garagem) . Eu entrei em contato com a construtora para falar sobre esse reajuste que teve no empreendimento mas eles disseram que não pode fazer nada porque esse valor são para novos compradores.
    Eu quero saber quais são os meus direitos em relação a essa desvalorização do meu imóvel? aguardo obrigada

    http://www.advogadoonline.net/desvalorizacao-de-imovel-na-planta/

    9+
    • avatar
    • avatar
    • DRN 2 de maio de 2016 at 12:15

      Resposta:

      NENHUM.

      12+
      • avatar
      • DRN 2 de maio de 2016 at 12:16

        Se eu tiver 100 carros iguaizinhos, vendo-os como bem entender, pelos preços que eu quiser.

        Isso a menos que exista cláusula contratual GARANTINDO a elevação do preço de mercado do imóvel.

        2+
  • Louro José 2 de maio de 2016 at 12:20

    Tesouro Nacional pode ter de abrir cofre para ajudar estatais
    Juntas, Petrobras e Eletrobras tiveram prejuízo de R$ 49,8 bi em 2015

    por Martha Beck / Gabriela Valente
    02/05/2016 6:00 / Atualizado 02/05/2016 8:17
    Fachada do prédio da Petrobras, no Centro do Rio – Guilherme leporace / Agência O Globo

    BRASÍLIA – As dificuldades por que passam as empresas brasileiras em função da desaceleração na economia criou uma bomba-relógio que torna ainda mais grave o quadro fiscal no país. Analistas afirmam que o cenário para as contas públicas, que vão encerrar 2016 com um rombo de quase R$ 100 bilhões, tende a piorar. Isso porque o Tesouro Nacional pode ser obrigado, num futuro breve, a abrir os cofres da União para ajudar empresas que dependem dele e que enfrentam problemas financeiros.
    Veja também

    Contas do setor público registram déficit de R$ 5,7 bi no 1º trimestre
    Eletrobras no Rio Eletrobras é pressionada por sócios por queda no retorno da Belo Monte
    Sede da Petrobras, na Av. Chile, no RioAcionistas da Petrobras aprovam manutenção de maioria do Conselho

    O quadro mais sério estaria na Petrobras e na Eletrobras, cujo prejuízo líquido somado passou de R$ 24,5 bilhões em 2014 para R$ 49,8 bilhões em 2015. Mas não se limita às duas. Um levantamento da agência de risco Austin Rating mostra que outras empresas que dependem do Tesouro também têm registrado resultados negativos nos últimos dois anos. É o caso da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), cujo prejuízo somou R$ 2 bilhões nesse período.

    Há ainda a preocupação com os bancos públicos, como Caixa e Banco do Brasil. Essas instituições estão expostas a riscos das estatais e de empresas como a Sete Brasil, que acaba de pedir recuperação judicial. A economista-chefe da XP Investimentos, Zeina Latif, lembra que a presidente Dilma Rousseff expandiu muito o crédito dos bancos públicos. Agora, a inadimplência está subindo. Ao mesmo tempo, os bancos precisam ajustar suas exigências de capital para cumprir as regras de Basileia 3.

    — O Banco Central faz testes de estresse que mostram um quadro favorável para o sistema bancário como um todo. Mas esse quadro não seria assim se o cenário fosse apenas para os bancos públicos — afirma.

    O economista-chefe do banco Votorantim, Roberto Padovani, diz que os investidores internacionais veem uma situação dramática para várias empresas brasileiras, incluindo as estatais, e estão mais preocupados com a capacidade do Tesouro de resgatar essas companhias do que com a crise política.

    Sob condição de anonimato, um economista do mercado aponta que, se o impeachment for aprovado pelo Senado e o vice-presidente Michel Temer assumir o lugar de Dilma, uma das primeiras ações deve ser uma auditoria em bancos públicos e estatais:

    — Existe uma preocupação com os bancos públicos porque eles podem ter sido utilizados para “favores”.

    RISCO DE CALOTE DO GOVERNO

    Segundo Zeina Latif, a Eletrobras pode precisar de um aporte de até R$ 10 bilhões, nas contas de especialistas. Sem conseguir vender todos os ativos que planejava, a Petrobras também pode precisar de mais dinheiro. O próprio governo determinou que o BNDES — que tem quase dois terços do seu funding em operações com a petroleira — diminua a exposição à empresa.

    Outra preocupação com os bancos públicos é o julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF), que definirá se poupadores têm direitos a ressarcimento por perdas com planos econômicos das décadas de 1980 e 1990. Nesse caso, haveria um rombo de até R$ 340 bilhões.

    De acordo com duas fontes graduadas, o BB tem caixa para não precisar de captação nos próximos três anos, se o cenário econômico continuar como está. A preocupação é que o ambiente ainda é bastante incerto. Alguns clientes pessoa jurídica quebraram ou passam por problema financeiro. Isso interfere na instituição. Com mais inadimplência, é preciso elevar o provisionamento.

    O ex-ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega concorda que há um grande risco de a viúva arcar com os estragos nas estatais, mas diz que esse não é o maior perigo à vista. O economista destaca que há a possibilidade de o país inteiro entrar numa situação de insolvência. Se as contas públicas não melhorarem, o risco é de um quadro de dominância fiscal, ou seja, em que a política de juros pararia de funcionar e aumentaria consideravelmente a inflação, o que diminuiria o valor dos títulos públicos:

    — O Brasil pode caminhar para a corrosão inflacionária do valor dos títulos. Quem comprou papel de renda fixa num ambiente desse se ferrou. O governo voltaria a não conseguir captar. O risco nesse caso é o Brasil repetir uma experiência hiperinflacionária.

    Maílson acrescenta que o governo tem de anunciar, urgentemente, medidas fiscais de corte de gastos e também de aumento de tributos.

    Enquanto isso, o descontrole fiscal dos últimos anos continua a fazer estragos no cotidiano do brasileiro. As famílias sentem os juros altos por causa da crise de credibilidade e da acelerada recessão. O crédito está mais caro e escasso num momento de necessidade com a alta de desemprego.

    3+
    • avatar
    • DRN 2 de maio de 2016 at 12:22

      Para quem tiver preguiça de ler tudo:

      “Analistas afirmam que o cenário para as contas públicas, que vão encerrar 2016 com um rombo de quase R$ 100 bilhões, tende a piorar. Isso porque o Tesouro Nacional pode ser obrigado, num futuro breve, a abrir os cofres da União para ajudar empresas que dependem dele e que enfrentam problemas financeiros.”

      Tava morto, meu???

      11+
      • avatar
      • Louro José 2 de maio de 2016 at 14:59

        Não, apenas cansado de navegar

        2+
      • joselito 3 de maio de 2016 at 17:12

        Dúvida:
        Como seria juridicamente possivel a “ajuda” do Tesouro em empresas que atuam “no mercado”? Livre iniciativa existe?

        0
    • job 2 de maio de 2016 at 14:24

      Na prática, existe risco de calote pra quem comprou títulos do Tesouro Direto?

      3+
      • DRN 2 de maio de 2016 at 14:50

        Só não existe risco para quem estiver MORTO.

        Risco maior é de calote branco: impressão de dinheiro.

        Risco de calote preto é baixo porque a dívida é em reais. Diferente da Grécia que tem dívida em EUROS mas não controla a impressora de moeda.

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • JJJ_brasilia 2 de maio de 2016 at 18:18

          Corretíssimo DNR.

          1+
        • SampaBoy 2 de maio de 2016 at 23:32

          Calote branco pode ser combatido com dolar creio eu

          2+
  • Rampion 2 de maio de 2016 at 13:20

    O Brasil tem mais é que afundar para que o brasileiro deixa de ser massa de manobra achando legal estar desse ou daquele lado, ser coxinha ou mortadela. Cunha para presidente do Brasil! Assim teremos o ladrão mais adequado pra comandar toda essa quadrilha de políticos e corruptos.

    10+
    • avatar
    • Minions 2 de maio de 2016 at 13:25

      Acho que você está no fórum errado…

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • rogerio 2 de maio de 2016 at 15:34

        Pra qualquer um dos lados estamos f….
        Só com a reforma política que nunca vai acontecer para o país evoluir…

        2+
  • Anonymous 2 de maio de 2016 at 13:38

    Decreto Nº 8.731, de 30 de Abril de 2016
    “http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Decreto/D8731.htm

    XIX – nas liquidações de operações simultâneas de câmbio para ingresso de recursos no País, originárias da mudança de regime do investidor estrangeiro, de investimento direto de que trata a Lei nº 4.131, de 3 de setembro de 1962, para investimento em ações negociáveis em bolsa de valores, na forma regulamentada pelo Conselho Monetário Nacional: zero.

    XX – nas liquidações de operações de câmbio, liquidadas a partir de 3 de maio de 2016, para aquisição de moeda estrangeira, em espécie: um inteiro e dez centésimos por cento.

    PS-1: O item XIX é para beneficiar BRASILEIROS que enviam dinheiro para fora do país ILEGALMENTE e voltam como se fossem estrangeuros. Em geral, “estrangeiros” não aplicam dinheiro em bolsa de valores na Banânia. Quando aplicam é porque tem alguma esquema de corrupção.

    PS-2: O iem XX não afeta o Manual do Anonymous, mas afeta aqueles que preferem guardar USD na latinha.

    PS-3: Manual do Anonymous
    “https://www.youtube.com/watch?v=kPkOxnhZoLw

    5+
    • MINEIRO SPY 2 de maio de 2016 at 13:43

      Próximo passo Anony é subir o IOF para remessas. Como vc diz há anos, o cerca vai se fechando lentamente.

      5+
      • avatar
      • Anonymous 2 de maio de 2016 at 13:44

        Nesse caso, teremos a volta TRIUNFAL dos doleiros 😉

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • MINEIRO SPY 2 de maio de 2016 at 13:49

          Novamente…algo citado por vc como possível desde, salvo engano, 2012/13.
          Vida longa a vc que foi parte fundamental na proteção ao meu suado dinheiro.

          8+
          • avatar
          • avatar
  • Resimob 2 de maio de 2016 at 13:39

    http://www.resimob.com.br/para-onde-foram-os-investidores-do-mercado-imobiliario/

    Escrevi esse artigo há alguns meses. Realizei uma observação sobre os “investidores” do mercado imobiliário.
    Parece até um complemento do que publiquei na última semana.
    Vale a leitura.
    Abraços a todos.

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • leo_na_estrada 2 de maio de 2016 at 14:15

    Como estão se posicionando em matéria de investimentos para os próximos 3 anos?
    coloquei hoje um cascalho num CDB do original 117% pra 3 anos.
    tenho duas LCAs mais gordas que vencem essa semana…não tenho muita certeza de onde realocar o dinheiro.
    o que fariam?

    5+
    • avatar
    • RecebendoJuros 2 de maio de 2016 at 14:38

      Eu aplicaria uma pequena parte em pré-fixado.
      Se o Temer não atender às expectativas e não conseguir aprovar as medidas necessárias para recuperação da economia, voltarmos a ter uma alta nos juros e aí ganhamos menos com as aplicações pré-fixadas feitas hoje.
      Por outro lado, se o governo Temer for um sucesso os juros devem cair e as aplicações pré-fixadas feitas hoje vão render muito mais que aquelas pós-fixadas.

      4+
      • RecebendoJuros 2 de maio de 2016 at 14:41

        Ou deixe o dinheiro em CDB (ou TD) com liquidez diária e espere mais algum tempo pra ver como vai ser o governo Temer antes de tomar uma decisão.

        6+
        • avatar
        • avatar
        • rogerio 2 de maio de 2016 at 15:36

          Eu só não confiaria meu dinheiro a bancos pequenos neste momento…

          5+
          • avatar
          • avatar
          • leo_na_estrada 2 de maio de 2016 at 16:59

            o momento no BRASA nunca é bom….
            eu estou mirando nos bem conservadores, tipo ABC, parana, daycoval….
            to de olho nos LCas do BNDES também….
            agora banco de varejo to fora,,,,se for pra ficar liquido vou de TD selic …
            essa parcela mais gorda das minhas aplicações vou colocar em um ano no máximo.

            3+
            • avatar
  • Cajuzinha 2 de maio de 2016 at 15:52

    “02/05/2016 14h57 – Atualizado em 02/05/2016 15h03
    Faturamento da indústria e emprego no setor caíram em março, diz CNI
    Após dois meses de alta, queda do faturamento foi de 1,2% ante fevereiro.
    Emprego industrial recuou em março pelo 14º mês consecutivo.”

    3+
    • avatar
  • Resimob 2 de maio de 2016 at 16:18

    Novo artigo. Publicado hoje – 02-05-2016.

    http://www.resimob.com.br/o-que-ha-de-errado-com-o-mercado-imobiliario/

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • CA 2 de maio de 2016 at 17:07

      Resimob,

      Outro ótimo artigo.

      Acrescento os seguintes itens quanto a tempestade perfeita:

      PREÇO DOS IMÓVEIS SUBIRAM SEM FUNDAMENTO:

      Ao compararmos o IVG-R do BACEN com a evolução da renda (PME do IBGE), aluguéis (índice do SECOVI SP para São Paulo) e INCC da FVG, todos eles abatendo a inflação, observamos que o preço dos imóveis de 2007 a 2015 cresceu mais que o TRIPLO da renda, mais que o DOBRO do aluguel e mais de 50% acima do índice de construção.

      Nada justifica a distorção que consta acima, principalmente se considerar que temos um histórico que aponta que os preços ao longo do tempo acompanham a inflação (quando analisado para período mais extenso), ou seja, os preços cresceram completamente sem fundamentos, devido a uma série de incentivos patrocinados em especial pela CEF, combinado com um esquema de vendas FALSAS na planta que resultaram em distratos anormais A PARTIR de 2011, mega especulação com participação em volume anormal de “investidores”, etc.

      DESPROPORÇÃO RECORDE E CRESCENTE ENTRE ESTOQUE E VENDAS, MESMO COM REDUÇÕES CONSTANTES EM LANÇAMENTOS DESDE 2012:

      Outro “detalhe” é a total desproporção entre estoque e vendas, onde com base em relatórios trimestrais de 12 construtoras com Ações na BOVESPA, onde temos um estoque que é mais que o DOBRO do que seria o MÁXIMO razoável para o segmento. Apesar de quedas relevantes em lançamentos (em 2015 mais de 70% abaixo do pico de 2011, só em 2012 a queda foi de 42%), a desproporção entre estoque e vendas nunca foi tão elevada e continua subindo. Isto se deve a distratos em volume absurdo (decorrência das vendas FALSAS na planta) combinado com quedas em vendas brutas devido a preços dos imóveis que nem mesmo em financiamentos de 30 anos são viáveis e ainda, uma participação ANORMAL de investidores, na ordem de 40% segundo pesquisas da Lopes Inteligência Imobiliária, enquanto antes da bolha, esta participação não passava de 10%, o que tem colaborado para SUPER OFERTA desde 2012 pelo menos.

      O detalhe é que as construtoras continuam “pedalando” e crescendo com lançamentos em alguns momentos: em São Paulo em janeiro/2016 os lançamentos cresceram 78% (fonte: SECOVI SP), a construtora Direcional aumentou em 400% seus lançamentos no 1T16, ou seja, as construtoras que ainda tem fôlego aumentam muito os lançamentos, porque é no lançamento que fazem o maior volume de vendas FALSAS na planta, afinal podem diluir a entrada em 36 suaves parcelinhas que cabem no bolso dos compradores. É a ação do segmento para fazer parecer que o volume de distratos em proporção à vendas atuais não é tão alto, aumentando absurdamente o volume de vendas FALSAS na planta.

      Como acontece em toda bolha imobiliária, não adiante reduzir ou aumentar lançamentos sem mexer de forma relevante nos preços, a desproporção só vai crescendo e junto com a péssima situação financeira de várias construtoras, esta combinação força a redução de preços, como por exemplo vimos com dados do SECOVI SP referentes a janeiro/2016 onde o ticket médio dos imóveis de 1 e 2 dormitórios tiveram quedas de 27% e 30% respectivamente, na comparação com janeiro/2015, sendo que estas tipologias representaram 80% do volume de vendas, mesmo assim a desproporção entre estoque e vendas ao final do período ainda continuou absolutamente anormal, ou seja, o preço precisa cair muito mais.

      SUBPRIME 1 E 2:

      O subprime 1 se dá pelas vendas FALSAS na planta, iniciadas por estratégias de Sam Zell na Gafisa e Enrique Bañuelos na PDG, que faturaram altíssimo nestas empresas desde o seu IPO até o momento que desistiram delas, entre 2010 e 2011. Os pais das bolhas imobiliárias americana e espanhola respectivamente fizeram com que logo em 2011 o nível de distratos já fosse absolutamente anormal, passando de R$ 2 bilhões na análise de 3 construtoras com Ações na BOVESPA (PDG,.Gafisa e Brookfield). Depois as demais foram aderindo ao esquema. Este é o nosso subprime 1, baseado nas construtoras. Como fazem as vendas falsas? Vendem imóveis com sinal de R$ 5 mil, parcelinhas bem baixas e sem necessidade de comprovação de renda para venda na planta, ou “esquecem” de incluir o INCC na simulação, ou prometem que vai ser fácil conseguirem o crédito imobiliário porque tem “as manhas” de como fazê-lo mesmo sem ter renda suficiente.

      Temos ainda o subprime 2, com a inadimplência do crédito imobiliário, onde observamos que em 2015 DOBROU o número de imóveis retomados por bancos e colocados em leilão e a tendência é que só cresça daqui pra frente. A CEF em especial é fortíssima candidata a bater todos os recordes, graças a aprovação de crédito sem critério por ordem do governo, aceitando transferência entre contas como comprovação de renda informal, além de aceitar mais pessoas para cálculo da renda do que aquelas que irão pagar o financiamento, dentre outros truques praticados. Diminuíram isto de 2015 para 2016 por falta de verba de poupança e FGTS para financiamentos, mas foi largamente praticado em anos anteriores e foi, junto com juros muito baixos, o que fez com que a CEF mantivesse 70% do crédito imobiliário. Esta anomalia ainda não apareceu porque por enquanto a CEF continua aumentando o volume de crédito imobiliário total concedido, assim que ela diminuir, vai aparecer mais claramente (mesmo assim, mais de 20% de inadimplência no MCMV faixa 1 e faixas 2 e 3 com inadimplência muito acima da média de mercado).

      JÁ TIVEMOS QUEDAS DE PREÇOS DE IMÓVEIS, APURADOS COM BASE EM NEGOCIAÇÕES REALIZADAS, EM PERCENTUAIS MAIORES QUE NO AUGE DA BOLHA IMOBILIÁRIA AMERICANA:

      Veja os relatórios do CRECI SP que apontam que nos últimos 24 meses apurados a queda do preço médio PRATICADO, REAL, NEGOCIADO do M2 foi superior a 40% em termos nominais. Apesar disto, as vendas vem caindo sem parar, de novo, algo típico de toda bolha imobiliária.

      A BOLHA IMOBILIÁRIA DESTRÓI A ECONOMIA, COMO ALIÁS OCORREU EM TODOS OS OUTROS PAÍSES QUE TIVERAM BOLHA IMOBILIÁRIA:

      Por fim, nossa BOLHA IMOBILIÁRIA, que é muito mais do que uma mera “bolha de distratos”, foi uma das grandes responsáveis pelas medidas heterodoxas do governo terem se intensificado a partir de 2012 e também diretamente pela desaceleração acentuada na geração de empregos (CAGED) pelo segmento de construção civil nos ÚLTIMOS ANOS (muito antes da “crise de 2015”), uma vez que a participação deste segmento que chegou a 16,8% na geração de vagas em 2009 passou a ser de 9,3% em 2013, sem contar que enquanto a dívida das famílias com o financiamento imobiliário em proporção à renda dos últimos 12 meses TRIPLICOU de 2010 a 2015, a proporção da dívida para o consumo em relação a renda caiu levemente neste mesmo período (estes 2 últimos com base em dados do BACEN), o PIB de despesas das famílias (IBGE) sofreu forte desaceleração e a inadimplência subiu 2,5 vezes mais rápido, ou seja, a BOLHA IMOBILIÁRIA drenou recursos das famílias, de tal forma que tiveram forte perda da capacidade de consumo e de pagamento de suas outras dívidas. Além disto, preço de aluguel comercial que também subiu completamente sem fundamento (rentabilidade TRIPLICOU no período de 2007 a 2011) também inviabilizou muitos pequenos negócios.

      Para que você possa entender melhor o que consta acima, através de infográficos que contém todas as referências, segue um link:

      http://defendaseudinheiro.com.br/a-bolha-imobiliaria-no-brasil-e-a-economia

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • L.A. 2 de maio de 2016 at 20:58

      Postei bem antes musa!!! hahahaha

      1+
  • Moreira 2 de maio de 2016 at 22:10

    CVR – conhecido namora irmã de uma proprietário de picolés da moda em bsb. tem loja em águas claras, no gama, no pontão e agora vai abri uma no parkshopping. Aluguel do queijim no shopping: 16k. O picolé vendido custa em media R$ 9,00. Como estão as demais lojas, perguntei.

    1 – águas claras: no início tava bem, “lucrando muito”. Agora, com dois anos, deu uma caída boa, responderam. Pelo que entendi, ta quase empantando receita com despesa.

    2 – gama- não sei;

    3 – Pontão no lago sul – movimento só é bom no FDS. Ela põe um DJ pra tocar e aí atrai o pessoal pra comprar um picolé! kkkkk

    4 – E a proposta do shopping – bom perguntei porque queria abrir no shopping. Sabe qual foi a resposta: ela quer fazer o marketing da marca. Dá “nome” colocar o picolé no parkshopping.

    Sei não, tem algo dando errado aí. Sabe quando sobe pro tombo ser mais alto, é o que está me parecendo. vamos aguardar cena do próximo capítulo.

    CRV no trabalho – colega FP tem uma marcenaria por fora, móveis planejado. sai pra almoçar com ele hj e ele acabou soltando: “essa dilma é foda! to quebrado parceiro. aluguel atrasado do galpão. passei o ano de 2015 pagando o maquinário. agora não aparece um serviço”. Serviço do colega é maciçamente prestado para donos de apto. Mas não vende mais nada, como o colega vai vender moveis pranejados”

    A crise ta área!

    11+
    • avatar
    • avatar
  • Moreira 2 de maio de 2016 at 22:24

    CRV de 5 dias atrás –

    lanchando no biscoito mineiro, asa sul, o atendente acreditando na zuação de um colega, achou que trabalhava na CEF e aí veio me perguntar sobre financiamento de veiculo. Embarquei na brincadeira e disse que trabalhava. Aí entrei nos detalhes e perguntei qual o carro ele queria fincanciar e como. Quantas parcelinhas, entrada… Não sabia de nada, sem noção e soltou: “vêo que vc faz lá, só não pode sr mais que R$ 600,00 a parcela. É o seguinte, vou pegar o carro e minha namorada vai pegar um MCMV, pq nos vamos juntar”. Não resisti e perguntei: quanto vc ganha, irmão. Advinhem: mili e cem. E o caboco querendo uma parcelinha de até R$ 600,00 só no automóvel. Pensei em gasolina, manutenção,,,. Perguntei se ele pensava em fazer um seguro, aí ele teve um temporário acesso de noção e disse: “aí é demais”. Mas foi rápido, pq logo ele soltou: “mais quem sabe”.

    Foi foda esse dia! Ta chato lanchar lá. Já me perguntou duas vezes. Mas hj falei a ele que na verdade não trabalho na CEF, mas que passaria o contato dele para um conhecido. Passei não! Fiz uma boa ação!

    Agora, imagine um sujeito desse na mão daqueles escriturários de paleto, gravata, ou daqueles corvos rasteiros: e nessas horas que vejo a materialidade dessas vendas falsas, desses dados de endividamento, serasa, desemprego…

    Já sabendo que essa galera é massacrada, no final ainda perguntei a ele: vc tem filho? E aí, o que vcs acham? Um filho, com outra mulher. Perguntei se tava pagando pensão, mas disse que ainda não, estava a espera de o juiz definir o valor. Olha o estrago: o dinheiro que poderia estar sendo injetado numa criança indo pro banco, pro corvo. Foda!

    29+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 3 de maio de 2016 at 10:02

      Bananense é credit-lover. Eles se endividam além do talo. Por isso que o Motumbo tá cansado. Não está dando conta.

      5+
  • JJJ_brasilia 2 de maio de 2016 at 22:35

    Resimob

    Novo artigo. Publicado hoje – 02-05-2016.

    http://www.resimob.com.br/o-que-ha-de-errado-com-o-mercado-imobiliario/

    7+

    Resimob,

    Sobre o seu artigo, faço as observações abaixo:

    1 – hoje o viés da SELIC é de baixa, no mercado financeiro, os analistas já apontam a SELIC em 12,25% a.a. os títulos pré fixados do TD estão em 12,5%a.a.

    2 – gostei quando você colocou entre aspas os “investidores”, que na realidade são especuladores, e não é errado especular, é diferente de investir.

    Agora o título do seu artigo: o que há de errado no mercado imobiliário, a resposta é muito, mas muito simples: PREÇO, o preço tá fora da realidade. Até um comentário no seu site, um corretor de Recife disse que o preço de um imóvel de 50m2 passou de 120, para 400k, tai a resposta.

    Sobre financiamento, não resisti a esta piada, na CREFISA tem, o problema não é financiamento, é PREÇO, sei que no seu site você não deve poder falar isto, mas imagine se um carro aumentasse 300%, de 30k para 120k, as vendas despencaram, ou não?

    É tão simples, põe o preço no lugar que o mercado volta.

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 3 de maio de 2016 at 05:56

    http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2016/05/02/internas_economia,758530/anamaco-vendas-no-varejo-de-material-de-construcao-caem-7-em-abril.shtml

    ” Com isso, o setor teve retração de 6% nos últimos 12 meses e de 11% no acumulado do ano.”

    0
  • Cajuzinha 3 de maio de 2016 at 06:20

    ” Depois de ampliarem a oferta de crédito a pedido da presidente Dilma Rousseff, os bancos estatais do Brasil poderão enfrentar mais problemas no futuro.

    O Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e o BNDES estão vendo os custos dos empréstimos subirem no mercado de títulos em relação aos de seus pares do setor privado no momento em que a mais longa recessão brasileira em um século está provocando o aumento da inadimplência.”


    “O pior está por vir” para os bancos estatais do Brasil, disse Alejandro García, chefe para instituições financeiras latino-americanas da Fitch Ratings.

    As assessorias de imprensa do Banco do Brasil e da Caixa informaram que os bancos não comentariam o assunto porque estão em período de silêncio. A assessoria do BNDES disse em nota que o banco historicamente conta com baixos níveis de inadimplência, abaixo da média de seus pares. O banco implementa uma rígida análise de risco de crédito e estima que a inadimplência permanecerá em níveis baixos, segundo o comunicado.

    Durante os cinco anos de governo de Dilma, os bancos superaram seus pares do setor privado como os maiores fornecedores de crédito do Brasil, em grande parte por meio de financiamentos subsidiados para programas sociais. Entre eles, está o programa de financiamento imobiliário “Minha Casa, Minha Vida”, popular entre brasileiros de baixa renda, implementado principalmente pela Caixa.”

    http://exame2.com.br/mobile/mercados/noticias/problemas-de-titulos-de-bancos-estatais-deverao-piorar

    2+
    • Cajuzinha 3 de maio de 2016 at 11:14

      “Nenhum dos bancos públicos que o vice-presidente da República, Michel Temer, herdará, caso assuma o posto ocupado hoje por Dilma Rousseff, dará mais dor de cabeça do que a Caixa Econômica Federal. Técnicos do Ministério da Fazenda que acompanham os números da instituição dizem que a situação é de “terra arrasada”. Do jeito que está hoje, a Caixa não aguenta mais um ano sem a necessidade de um aporte do Tesouro Nacional.”

      http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/caixa-em-perigo/

      6+
      • avatar
  • Anonymous 3 de maio de 2016 at 07:28

    A causa principal dos valores absurdos de terrenos e residências na Banânia é o baixíssimo imposto sobre a propriedade. O IPTU deve crescer cerca de 10 VEZES para igualar com o imposto equivalente nos EUA, que é cerca de 2% do valor de mercado da propriedade. A palhaçada de valor venal deve acabar e o imposto deve ser cobrado, inclusive com leilão da propriedade para o pagamento de imposto devido no caso de inadimplência, como é feito nos EUA. Cobrando 2% do valor da propriedade, como nos EUA que está longe de ser um país comunista, ninguém vai segurar uma propriedade por 50 anos, como tem sido comum na Banânia desde os tempos dos barões do café, até alguém resolver pagar o valor que o proprietário sonha que vale. As propriedades terão seu preço formado em função do retorno de que poderão dar como um investimento. Hoje esses preços estão completamente desconectados de qualquer retorno do investimento, o que tornou o país inviável para negócios. Por exemplo, o aluguel de uma loja não cobre o retorno do negócio e muitas lojas fecharam recentemente e muitas outras nunca puderam ser abertas; o preço de uma fazenda não cobre o que pode ser lucrado com o uso a terra; o preço de um terreno comercial inviabiliza a construção de um galpão para uma pequena indústria; o preço de terreno residencial para para moradia de baixa renda inviabiliza construção de casas de baixa renda, resultando em favelas; o preço de alguns apartamentos em cidades do estado de SP, onde tenho algus amigos, é muitas vezes suficiente para uma familia mudar para os EUA, pagando pelo visto EB-5 e ainda aposentar com um padrão de vida que jamais teria na Banânia. Na minha experiência, constatei que a classe média bananense só consegue morar numa casa decente aos 50 anos de idade, coisa que um uma Americano consegue aos 25 anos de idade. Aos 55 anos os Americanos mudam para casas pequenas porque os filhos já sairam de casa e com isso minimizar as despesas enquanto nessa idade os Bananenses estão mudando para casas grandes, embora os filhos já tenham saido de casa, porque simplesmente nunca conseguiram morar numa casa decente.

    Alguns mais antigos lembram que essa bolha não foi nada mais do que uma repetição bolha dos flats nos anos 90, com os instrumentos de propaganda que não existiam na época. Outras bolhas virão, é questão de esperar apenas um outra geração (20 anos) que vai novamene acreditar que “dessa vez é diferente”.

    “https://www.youtube.com/watch?v=XL3n59wC8kk

    41+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Amadeus de Sampa 3 de maio de 2016 at 11:02

      Grande Anony! Concordo plenamente com a root cause analysis da bolha imobiliaria Brasilis.

      5+
      • avatar
    • odorico 3 de maio de 2016 at 14:22

      Por isso eu alugo, o brasileiro só consegue ter “uma ferrari aos 80” mas acha um absurdo pagar 1500,00 para andar de carro esportivo dentro de um autódromo. Enquanto essa cultura continuar, estamos feitos. PNJ. Como diz um amigo meu: “Brasileiro não faz conta” E eu sempre falo, ou porque não sabe ou porque não quer.

      5+
      • avatar
    • joselito 3 de maio de 2016 at 17:27

      ” o preço de um terreno comercial inviabiliza a construção de um galpão para uma pequena indústria”

      bom, ai depende de quem é seu “amigo”, pois se for prefeito, governador, presidente, o terreno é doado, já que você irá gerar empregos, renda, +PIB, etc…… rsrsrs

      2+
  • From_The_Tower 3 de maio de 2016 at 10:03

    Bom dia opressores. Bom te ver Anony.
    Obrigado por todo o trabalho.
    O manual tá lindo. Os juros recebidos tb.
    PMFI ! PMJ !!!

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Cesar_DF 3 de maio de 2016 at 11:00
  • Alemon Fritz 3 de maio de 2016 at 11:02

    itaú ú ú, a rima
    Itaú: inadimplência acima de 90 dias sobe para 3,9% no 1º trimestre

    O aumento dos calotes no período foi impulsionado, principalmente, pelas pessoas jurídicas.
    Em um ano, quando estavam em R$ 5,515 bilhões, as despesas com calotes do Itaú cresceram 31,1%.
    Provisões para devedores duvidosos do Itaú, as chamadas PDDs, totalizaram R$ 7,231 bilhões de janeiro a março, cifra 18,2% maior ante o trimestre anterior.
    Já a inadimplência das pessoas físicas foi a 5,6% no primeiro trimestre ante 5,4% no trimestre anterior e 4,5% em um ano. !!!!

    http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/negocios/20160503/itau-inadimplencia-acima-dias-sobe-para-trimestre/368639

    2+
    • avatar
    • Cajuzinha 3 de maio de 2016 at 11:05

      “De acordo com números divulgados pelo Itaú Unibanco, o índice de inadimplência das operações vencidas há mais de 90 dias cresceu 0,4 ponto percentual sobre o trimestre anterior e 0,9 ponto percentual em relação ao mesmo período de 2015. A provisão feita no trimestre para perdas com calotes somou R$ 7,193 bilhões, acima dos R$ R$ 5,866 bilhões entre outubro e dezembro de 2015.”

      2+
      • avatar
  • Cajuzinha 3 de maio de 2016 at 11:09

    “Luta por cliente. De descontos especiais à isenção de condomínio por até um ano, construtoras inovam para fisgar comprador e conseguir manter estoques de novos em patamares de 2015”

    http://www.dci.com.br/em-destaque/financiamento-maior-no-imovel-usado-esquenta-briga-por-preco-id545213.html

    4+
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 3 de maio de 2016 at 11:11

    “Voltamos a viver como dez anos atrás..”

    “Vendas de carro retrocedem uma década
    A queda na venda de carros novos foi de 28% nos quatro primeiros meses do ano”

    4+
    • avatar
  • CA 3 de maio de 2016 at 12:06

    Quanto ao conjunto de notícias que a Cajuzinha colocou acima, relacionado a aumento anormal na inadimplência e queda no volume de vendas de veículos para patamar de mais de 10 anos atrás:

    Como já se comentava neste blog praticamente desde sua fundação na primeira versão (dezembro/2010), a diminuição relevante nos juros, tanto no crédito imobiliário quanto para demais itens, em conjunto com a maior “flexibilidade” na aprovação de crédito (bancos menos criteriosos, em especial os bancos públicos, como a CEF aceitando transferência entre contas como comprovação de renda), juntamente com o aumento de prazo de financiamento de forma exagerada (exemplo: imóveis em 2004 tinham prazo máximo de financiamento de 10 anos, hoje está entre 30 e 35 anos), fariam com que tivéssemos uma EUFORIA e um crescimento IRRACIONAL dos preços, sem fundamentos, que passaria a impressão de que “agora vai” durante os anos em que as bolhas de consumo e imobiliária estivessem sendo infladas, para que em seguida tivéssemos quedas “surpreendentes” na venda voltando aos números de 10 anos atrás, em outras palavras, uma antecipação super-dimensionada de consumo e compra de imóveis, que levaria a aumento de capacidade produtiva que em seguida se converteria em excesso de oferta, isto combinado ainda com um aumento absolutamente anormal da inadimplência e uma crise na economia, tudo que estamos presenciando desde 2015.

    O que consta acima não deveria surpreender ninguém, afinal as bolhas de consumo e imobiliária no Brasil seguiram o mesmo script básico de todas as outras feitas ao redor do Mundo nas últimas décadas e da mesma forma que presenciamos as consequências acima nestas outras bolhas, percebemos isto aqui no Brasil.

    O pessoal está acreditando que 100% dos problemas do Brasil se concentram em crise política, mais crise fiscal e efeitos da crise na Petrobrás e por isto ignoram que as consequências acima são típicas de bolhas, com inflar ANORMAL seguido de explosão igualmente anormal, aliás, não são só estas características que constam acima, senão vejamos:

    1) Lançamentos de imóveis: triplicaram de 2007 a 2011, para terem queda de 72% de 2011 a 2015, ou seja, infla de forma ANORMALMENTE elevada e tem queda tão brusca quanto foi o inflar ;

    2) Empregos: relacionado ao item 1, a participação na geração de empregos formais da construção civil em proporção ao total do Brasil DUPLICOU no período de 2007 a 2009, saindo de 8,4% em 2007 e chegando a 16,4% em 2009. Após isto, quedas na participação e já em 2013 a construção civil passou a ter uma participação de 9,3% das vagas geradas, em função principalmente da queda relevante em lançamentos em 2012 e 2013. Já em 2014 a construção civil passou a puxar a PERDA de vagas formais, tendo sido o primeiro setor a ter queda, graças a novas reduções em lançamentos, juntamente com o término da Copa do Mundo e a explosão da bolha de corrupção e incompetência da Petrobrás;

    3) Resultados das construtoras: a PDG se tornou em 2011 a maior empresa do segmento imobiliário das AMÉRICAS (sim, incluindo os EUA) em valor de mercado, para já em 2012 apresentar um prejuízo liquido de cerca de R$ 2 BILHÕES e chegar em 2015 a uma situação de reestruturação de dívidas (“recuperação judicial branca”), sem contar a queda vertiginosa no valor de suas Ações e também nos preços das Ações das outras construtoras que mais pedalaram no esquema de vendas FALSAS na planta;

    4) Crédito imobiliário concedido: em 2011, o montante de crédito imobiliário concedido com verba da poupança (SBPE), que é a maior parcela de todas se não considerarmos o FGTS com MCMV, foi de 22 VEZES o que era concedido em 2005!!! Já no ano de 2015 tivemos uma queda de 33% no crédito imobiliário concedido com verba da poupança de forma geral e 50% de queda no caso de usados! No início de 2016 tivemos queda de 69% no crédito imobiliário concedido em janeiro na comparação com janeiro/2015!!!;

    5) Preços de imóveis usados em São Paulo no período de 2007 a 2013 subiram mais de 300% acima da inflação!!! Nos últimos 24 meses apurados pelo CRECI SP (de mar/14 a fev/16) a queda no preço médio do M2 passou de 40% em termos nominais!!!

    Tudo que consta acima (incluindo os primeiros parágrafos sobre bolha de consumo) e muito mais, são AMOSTRAS de crescimento absolutamente ANORMAL seguido por quedas igualmente anormais, como acontece em qualquer bolha imobiliária ou bolha de consumo que já presenciamos no resto do Mundo, com a diferença que muitos IGNORAM e alguns FINGEM DESCONHECER que isto existiu, usando para isto o Elefante na sala de estar (crise política), bem como o bode (crise fiscal) e o cabrito (crise da Petrobrás e do setor energético).

    Por fim, observem que as quedas anormais em alguns casos começaram a ocorrer MUITO ANTES da “crise de 2015”, ou seja, a crise de 2015 foi CONSEQUÊNCIA e não causa, lembrando ainda que em 2012 havia sido o pior resultado de todos os tempos do segmento imobiliário (prejuízo de mais de R$ 1,7 bilhão no consolidado de 12 construtoras, quedas de 42% em lançamentos, mais de 20% de queda em vendas e faturamento, crescimento anormal em estoques e distratos, 5 construtoras entre 9 empresas com mais chance de insolvência na BOVESPA) e foi exatamente a partir de 2012 que o Governo colocou a SELIC em sua mínima histórica, forçou bancos públicos a reduzirem ao máximo os juros para o crédito imobiliário e passaram a fazer pedaladas, maquiagens e medidas heterodoxas como nunca antes na história do Brasil. Apesar de tantas evidências inquestionáveis, ainda temos um grandioso número de pessoas sendo enganadas por aqueles que sabem de toda esta realidade, em especial os executivos seniores ligados ao segmento imobiliário ou a segmentos que faturaram muito alto com as bolhas.

    10+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Cesar_DF 3 de maio de 2016 at 12:18

      Baseado nas políticas anticíclicas de Keynes, o governo deveria ter tomado ações para evitar o crescimento da bolha imobiliária, mas eles fizeram justamente o contrário inflando ela mais ainda. Por isso, em termos de percentual de descolamento da renda, a bolha imobiliária brasileira é a maior do mundo!
      Se considerarmos o descolamento da renda X volume de construções, a Chinesa deverá ser a maior.

      7+
      • avatar
      • avatar
  • bodosko 3 de maio de 2016 at 13:36

    Vocês podem me indicar um investimento com alta liquidez? No outro post me indicaram a LCI do BB, mas está com apenas 70% do CDI, é baixíssimo.

    3+
    • bodosko 3 de maio de 2016 at 13:37

      Alta liquidez e sem IR!

      1+
    • DRN 3 de maio de 2016 at 15:46

      LCA do BB está 80% do DI.

      1+
  • Scaravelhoo 3 de maio de 2016 at 15:09

    CVR

    Em 2011 minha esposa (ainda solteira) fez um brilhante investimento na planta de R$ 126k, em Betim-MG.
    O apartamento está a venda desde então e não vendemos até hoje.
    Corvo acaba de me ligar me convencendo a reduzir o preço para R$ 119k.
    Sendo que, se ele vender, vai sobrar apenas R$ 111k na nossa mão….
    EXCELENTE INVESTIMENTO (Só serviu pra tirar o FGTS do banco).

    Agora minha esposa tá puta da vida e disse que, por esse preço, prefere ficar com o apertamento fechado….

    Não quero nem fazer a conta se tivesse investido 126k com 10% ano ano de rendimento em outra aplicação….

    Ai ai….

    14+
    • avatar
    • avatar
    • DRN 3 de maio de 2016 at 15:45

      Se tirou do FGTS foi bom negócio. Vende logo o bolhudim e aplica em LCA, LCI, CDB ou TD SELIC.

      7+
      • avatar
  • Cajuzinha 3 de maio de 2016 at 16:37

    “O diretor de Economia e Estatística do Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado de Pernambuco disse que o momento é de cautela em relação à oferta de imóveis. “Vemos com bastante reserva para os próximos seis sete meses. A gente não tem uma sobra muito grande, mas a gente percebe que haverá uma diminuição na quantidade de imóveis vendidos nos próximos anos”, comentou Avelar Loureiro.”

    http://www.jamessongestorimobiliario.com.br/LER_NOTICIA.ASP?ID_NOTICIA=6?NOTICIA=Crise%20provoca%20baixa%20em%20vendas%20de%20im%F3veis%20no%20Grande%20Recife%20Redu%E7%E3o%20no%20financiamento,%20alta%20do%20d%F3lar%20e%20desemprego%20refletem%20cen%E1rio.%20Crise%20tem%20afetado%20tamb%E9m%20a%20constru%E7%E3o%20civil,%20inclusive%20com%20demiss%F5es.

    0
  • Cajuzinha 3 de maio de 2016 at 16:41

    03/05/2016 15h42 – Atualizado em 03/05/2016 15h44
    Falências decretadas aumentam 7% em 2016, aponta Boa Vista SCPC
    Em abril, falências subiram 8,1% na comparação com mesmo mês de 2015.
    Já os pedidos de recuperação judicial disparam 140% no ano.

    0
  • Cajuzinha 3 de maio de 2016 at 16:47

    Tópico Novo

    0