10 motivos para os imóveis continuarem a ser o mico da vez – Infomoney

Você pode gostar...

Comments
  • Cajuzinha 25 de abril de 2016 at 10:09

    Cajuzinha 25 de abril de 2016 at 09:50
    “10 – Só o mercado imobiliário não passou por uma forte correção
    Os imóveis são os únicos ativos que não concluíram um processo acentuado de correção nos últimos
    anos. O Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa paulista, chegou a 73.516 pontos em 2008,
    quando atingiu seu recorde histórico. Hoje o índice está próximo a 53.000 pontos – o que representa
    uma queda de 28% em relação à máxima histórica. O dólar chegou a bater em R$ 1,55 em 2011 e
    agora está cotado a R$ 3,57, uma alta de 130%. Os juros reais dos títulos públicos caíram para 3,50%
    ao ano em 2013, mas agora voltaram para cerca de 6,30% mais o IPCA – vale lembrar que quanto
    maiores são os juros, menor é o valor de mercado de um título de renda fixa. Se o valor de todas as
    aplicações financeiras despencou nos últimos anos, faz algum sentido os imóveis terem se mantido em
    alta (ainda que abaixo da inflação) mesmo em períodos desastrosos para a economia brasileira como
    os últimos 12 meses? E já que os imóveis não caíram enquanto a economia se deteriorava fortemente,
    faz algum sentido os preços subirem apenas se houver uma leve melhorara nas expectativas? Eu
    acredito que não.”

    40+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Seguidor do Bolha BH 25 de abril de 2016 at 13:33

      kkkkkkkkkkk
      A foto do mico na reportagem ficou muito boa.
      😉

      11+
      • avatar
      • avatar
    • Bubble Burst 25 de abril de 2016 at 20:09

      Juro que não entendi o item 10. Só os imóveis mesmo?
      Acho que vivemos completamente fora da realidade comparado a renda média do bananense em qualquer bem que existe hoje em nosso mercado.
      Por outro lado foram simples e direto, gostei.

      4+
  • Zé do Brejo 25 de abril de 2016 at 10:19

    A correção por mais demorada que pareça, não tardará. 🙂

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • navlig00 25 de abril de 2016 at 10:24

    Não se iluda: não é o impeachment que vai destravar uma retomada na trajetória de alta do preço de casas e apartamentos no Brasil

    🙂 🙂 🙂

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Zek Ariok 25 de abril de 2016 at 10:34

    Como assim os estoques estão altos? Como assim as devoluções dispararam??
    E ninguém nesse blog avisa???

    26+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 25 de abril de 2016 at 10:50

    ESPECIAL PUBLICITÁRIO
    25/04/2016 09h30 – Atualizado em 25/04/2016 09h30
    Preço médio da locação tem queda entre fevereiro e março
    Índice FipeZAP aponta queda de 0,12% no período.

    3+
    • avatar
  • tmarabo 25 de abril de 2016 at 10:55

    Conde Matarazzo, citado pelo Elio Gagáspari: “as coisas só têm preço se tiver alguém interessado em comprar”.

    27+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 25 de abril de 2016 at 11:15

    DESVALORIZAÇÃO?

    “25/04/2016
    Confira como vender o imóvel comprado na planta
    Clayton Castelani
    do Agora

    A crise transformou a casa ou o apartamento comprados na planta em péssimo negócio para quem ainda está pagando as parcelas para a construtora: enquanto a correção do financiamento subiu 7,5% em 2015, a desvalorização dos imóveis beirou os 20%, segundo a Amspa (Associação dos Mutuários de São Paulo e Adjacências).

    Diante desse cenário, quatro entre dez consumidores devolveram o bem para a construtora no ano passado.

    Muitos receberam de volta apenas um terço da grana investida ou precisaram buscar o Judiciário na tentativa de reduzir o prejuízo.”

    http://www.agora.uol.com.br/grana/2016/04/1764329-confira-como-vender-o-imovel-comprado-na-planta.shtml

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 25 de abril de 2016 at 11:22

    Com ou sem Meirelles na Fazenda, Jucá deve assumir Planejamento, dizem fontes

    Notícia Publicada em 25/04/2016 10:53

    Aliados de Temer estão otimistas após reunião com ex-presidente do BC; Eliseu Padilha deve ser confirmado na Casa Civil

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • JJJ_brasilia 26 de abril de 2016 at 04:52

      Romero Juca no ministério do Planejamento seria uma enorme gambiarra. Será que profissionais reconhecidos no mercado estão fugindo de um provável governo Temer?

      0
  • Danibolhista 25 de abril de 2016 at 11:22

    Em relação ao item desconfiança, eu digo que deveria ser o primeiro item da lista ao invés do oitavo. Tanto perdeu-se a confiança na economia quanto nas construtoras. O povo parece que esquece que a informação hoje em dia corre a cavalo, diferente de antigamente em que se aplicava golpes em um local e quando era descoberto era só aplicar o golpe em outro lugar onde ninguém estava sabendo de nada. Eu mesma vivo colocando nas redes sociais minha frustração em ter comprado apê e falo para todos os meus conhecidos não comprarem. Só fazer as contas, se um milhão de pessoas passaram por isso e divulgaram para 10 pessoas que divulgaram para mais 10, não é de se espantar que ao longo de 5 a 7 anos ninguém queira comprar isso.

    9+
    • avatar
    • avatar
  • DRN 25 de abril de 2016 at 11:51

    Esse Infomoney é piadista demais. Há menos de dois anos eles defendiam que imóvel era “excelente negócio”. Palhaçada.

    31+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • DRN 25 de abril de 2016 at 11:51

    Vieram me oferecer imóvel rural.

    Arrendamento do local: R$120,00 por alqueire

    Preço pedido: R$60mil por alqueire.

    Vai?

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • L.A. 25 de abril de 2016 at 14:37

      R$ 120,00/ano??
      Pergunto porque o arrendamento costuma ter pagamento anual.
      Se for mensal, dá R$ 1.440,00/ano, com a saca de soja, por baixo, a R$ 60,00, dá 24 scs/alqueire/ano ou 10 scs/ha (alqueire de 2,42 ha e não o goiano que é 4,84 ha).
      Se conseguires 50 scs/ha (121 scs/alqueire), dá custo de 20% da produção.
      Para plantar soja seria arriscado.

      4+
      • DRN 25 de abril de 2016 at 15:50

        Alqueire paulista e o valor que eu indiquei é mensal.

        1+
        • DRN 25 de abril de 2016 at 15:50

          Seria para gado de corte.

          1+
    • chigo 25 de abril de 2016 at 17:01

      É isso ai mesmo, no interior do RS. Imovel rural para plantio de soja se paga em 50 anos. Arrendamento 10sacas/ha/ano ou compra 500sacas/ha. Não sei como alguem ainda compra algo que leva 50 anos para se pagar.

      9+
      • avatar
  • Bruno.12 25 de abril de 2016 at 12:13

    Galera, assisti o filme “A Grande Aposta” ontem e fiquei pensando: será que os americanos são tão bestas quanto os brasileiros? Interessante saber que o “boom” imobiliário está retornando à terra livre…ou seja, dentro de (alguns?) anos, teremos outra bolha imobiliária nos States…como diria o Rei Leão, é um ciclo sem fim.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • bodosko 25 de abril de 2016 at 12:44

    Queria a opinião de vocês. Tenho algumas boas aplicações no TD, mas queria diversificar e usar uma grana que tenho “parada” na poupança, em algum investimento com liquidez diária. Pois essa grana “parada” é meu emergencial.
    O que vocês me recomendam?

    3+
    • avatar
    • DRN 25 de abril de 2016 at 12:55

      LCA BB é com liquidez diária, mas eu não consigo sacar sem ir à agência. Se vc conseguir (o capital inicial é relativamente alto), seria uma boa, dada a isenção de IR. Facilita se vc trabalhar perto de uma agência do BB. A minha é meio longe, mas dá para levar.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • Filhote de Corvo 25 de abril de 2016 at 14:26

        DRN
        Tenho LCA BB e consigo resgatar no internet banking.

        5+
        • avatar
        • DRN 25 de abril de 2016 at 14:38

          Obrigado pela informação. Vou cobrar minha gerente.

          3+
      • Labar 25 de abril de 2016 at 17:57

        LCA BB tá pagando “muito pouco”, acho que já tá em 80% do CDI. Quando saí de lá tava 83%. Abre uma conta na XP ou na Easy e procura um fundo com liquidez lidária, eles costumam ter lá, fica por volta de 100% + 1%de tx adm, mínimo 10k

        2+
    • thiaggoo 25 de abril de 2016 at 15:06

      Sofisa cdb 100% lci. liquidez diária.

      5+
      • avatar
      • avatar
      • thiaggoo 25 de abril de 2016 at 15:07

        onde coloquei lci leia-se cdi.

        3+
        • avatar
    • Bruno.12 25 de abril de 2016 at 18:15

      Tem LCI do BB também, está em 80%. Depois de 90 dias, pode retirar quando quiser. Liquidez diária. Ou CDB diária de algum banco (D-0). Utilizo os dois como “colchão de liquidez”.

      1+
      • avatar
  • Dutra 25 de abril de 2016 at 12:51

    Previsão do PIB para esse ano piorou já para -3.88, não duvido que com todos os problemas políticos e economistcos que estamos passando chegamos a -5 (caso Dilma fique), mesmo com Temer e um razoável otimismo será pelo menos – 3.8 para pior e bolsa de valores afundando mesmo com previsão de Dilma cair.
    CVR
    Até para nós bolhistas está complicado, estava planejando duas viagens nesse ano, porém só farei uma e olhe lá, entre o que ganhei e gastei em 2016 tive que sacar quase 3 mil de rendimentos, porém a partir de maio voltarei a juntar dinheiro (menos gastos e mais ganhos). Imagine para os 666.

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Minions 25 de abril de 2016 at 13:04

    CVR
    Morava em um ap de 140m2 com aluguel de R$2.400,00 e cond. R$710. Saímos do ap pois encontramos algo bem melhor por valor total inferior.
    Ainda assim, tenho acompanhado os valores dos ap do antigo prédio como termômetro do mercado. O ap que eu morava, continua por R$2.400 na imob, mas acredito que o proprietário aceite reduzir substancialmente o valor. O que me deixou surpreso é que, no mesmo edifício, existem outros ap para alugar. Acompanhava 1 ap que estava por R$2.100 na imob. Após 8 meses (+/-) o ap saiu da lista e logo pensei que havia alugado. Hoje descobri que não alugou…a questão é que eu sempre coloco, como parâmetro de pesquisa, aluguéis entre 2k e 5k e hoje, por curiosidade abaixei para 1,5k e 2k. O ap ainda está lá, mas agora por 1,8k e imagino que o prop aceite 1,5k!

    23+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Alemon Fritz 25 de abril de 2016 at 13:08

    oi, querida!
    Editorial – Nossa querida bolha imobiliária de Osasco
    ..
    Muitos investidores compraram tais áreas para sublocar, apostando que o mercado absorveria a oferta. Isso não se concretizou…..

    http://www.planetaosasco.com/cidades/manchetes/32710-editorial-nossa-querida-bolha-imobiliaria-de-osasco

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Seguidor do Bolha BH 25 de abril de 2016 at 13:31

      Só uma correção: bolha imobiliária na banania é só um site de internet cheio de malucos como eu que não sabem o que dizem.
      😀

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • JJJ_brasilia 25 de abril de 2016 at 18:20

        É eu sou um destes malucos, com muito orgulho.

        3+
  • Danibolhista 25 de abril de 2016 at 13:25

    O pior que ficam tentando atrair o consumidor com valores mais baixos, porém não alteram seu modus operandi, ou seja continuam com contratos abusivos, desinformação, promessas não cumpridas, etc, etc.
    De que adianta atrair uma pessoa pelo preço, depois a mesma vai se decepcionar e vai desistir, vai entrar na justiça, vai falar mal em blog, fórum, rede social, boca a boca, não vai indicar ninguém para futuras compras, mais gente vai ficar sabendo da palhaça e vai espantar mais potenciais compradores causando mais prejuízo, é um círculo vicioso.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • odorico 25 de abril de 2016 at 13:59

    OFF – Rádio Corredor do órgão onde trabalho.
    Já está tudo pronto para um projeto de lei que atingirá FPs e a máquina pública.
    Possibilidade de redução de jornada ex-oficio para 6 horas com redução proporcional dos vencimentos, pdv, contribuição previdenciária de 11% para 14%, extinção de vagas em caso de aposentadoria, etc. Só estão esperando aval do futuro governo.

    15+
    • avatar
    • avatar
    • L.A. 25 de abril de 2016 at 14:46

      odorico,

      Quanto à “possibilidade de redução de jornada ex-oficio para 6 horas com redução proporcional dos vencimentos” não acredito que vingue.
      Na LRF consta:
      “Art. 23. …..
      (…)
      § 2o É facultada a redução temporária da jornada de trabalho com adequação dos vencimentos à nova carga horária.”

      Entretanto a ADI 2.238-5 suspende os efeitos de tal artigo.
      Qualquer outro projeto de lei irá ser objeto de nova ADI (nota para os jurisconsultos mais antigos, ainda preciso ADIN).

      Para mudar isso, nem com PEC, pois irá contra o art. 60 da Constituição:
      “Art. 60. A Constituição poderá ser emendada mediante proposta:
      (…)
      § 4º Não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir:
      (…)
      IV – os direitos e garantias individuais.”

      3+
      • avatar
      • odorico 25 de abril de 2016 at 14:53

        Eu não sou “adevogado” nem jurista, mas acho que jornada não é “uma garantia e direito individual”. mas é rádio corredor, muita especulação.

        3+
        • Cesar_DF 25 de abril de 2016 at 15:11

          Concordo, no artigo 5 ca CF
          XIII – é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer;

          2+
          • L.A. 25 de abril de 2016 at 15:38

            A questão não é a irredutibilidade da jornada, mas a redução os vencimentos.

            “Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social:
            (…)
            VI – irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo;”

            Não digo que concordo com tal posição, mas o entendimento do STF é de que não há possibilidade de redução.
            Segue trecho da ADI 2.238, supramecionada
            “Art. 23, §§ 1º e 2ª: a competência cometida à lei complementar pelo §3º do art. 169 da Constituição Federal está limitada às providências nele indicadas, o que não foi observado, ocorrendo, inclusive, ofensa ao princípio da irredutibilidade de vencimentos. Medida cautelar deferida para suspender, no 5§ 1º do art. 23, a expressão “quanto pela redução dos valores a eles atribuídos”, e, integralmente, a eficácia do S 2º do referido artigo.”

            6+
            • avatar
            • chigo 25 de abril de 2016 at 17:07

              A regra é clara:
              “…salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo;”
              Ou seja, se for aprovado em acordo coletivo, pode ocorrer redução sim.

              2+
              • L.A. 25 de abril de 2016 at 17:22

                Concordo, mas o que se quer é fazer isso em Projeto de Lei, assim como na Lei de Responsabilidade Fiscal, na qual o diminuição é unilateral e não por acordo.

                4+
      • Bruno.12 25 de abril de 2016 at 18:18

        Tem sim, meu caro…vide projeto de lei que tramita na Câmara a este respeito…não me lembro do nº agora.

        2+
        • L.A. 26 de abril de 2016 at 08:14

          Pode até ser aprovado, mas será objeto de ADI pelos defensores dos servidores públicos e, acredito, aceito pelo STF (como a LRF)

          1+
  • Cesar_DF 25 de abril de 2016 at 14:24

    http://jornaldebrasilia.com.br/noticias/cidades/676825/em-tres-meses-280-lojas-fecharam-no-df/

    O ano de 2015 não foi nada fácil para o comércio brasiliense, e a projeção para este ano não é nada animadora. Entre janeiro e dezembro do ano passado, 3.007 lojas fecharam as portas, de acordo com levantamento do Sindicato do Comércio Varejista do DF (Sindvarejista- DF). Caso não ocorra um verdadeiro milagre na economia, a tendência é o fechamento de mais de dois mil estabelecimentos. Somente no primeiro trimestre deste ano, mais 280 lojas encerraram as atividades. Um número que, se multiplicado por quatro, resultaria em cerca de 13 mil pessoas desempregadas até o fim do ano.

    Fatores como preço do aluguel, elevação de tributos, falta de estacionamento e de segurança e inflação influenciaram no quantitativo de lojas fechadas no DF. Segundo os dados do Sindvarejista, apenas na Avenida W3 Sul, há 147 lojas fechadas. Em todo o DF, no início do ano passado, eram 770 salas comerciais fechadas para aluguel. Hoje, o número saltou para 1,5 mil.

    “O comércio é um dos setores que mais empregam, e a crise contribuiu para o aumento do desemprego. Um estudo recente aponta que há no DF mais de 700 mil endividados. Com isso, o dinheiro está parado. Tudo depende de o governo tocar a economia do País para frente”, avaliou o presidente Sindvarejista, Edson de Castro.

    5+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • odorico 25 de abril de 2016 at 14:43

      Tocar para frente? com que dinheiro? o que tem de fornecedor do governo federal e gdf na fila para receber. É aquela história, os que reclamam tem seu nome colocado no fim da fila.

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Ilusionista 25 de abril de 2016 at 14:51

      aqueles consumidores do passado que não tinham dinheiro, apenas acesso ao crédito fácil, e que movimentavam o comércio em geral com as “parcelinhas que cabem no bolso”, agora, desempregados e negativados, fazendo muita falta para movimentar a atual economia criando assim, uma nova legião de novos desempregados e negativados potencializando os números a cada mês.

      20+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • JJJ_brasilia 25 de abril de 2016 at 20:02

      César,

      Só para informar quem não é de Brasília, a avenida W3 Sul e comercialmente moribunda desde os anos 80.

      2+
  • Danibolhista 25 de abril de 2016 at 15:22

    Tá difícil consumir, eu até dei uma olhada em hotel para o feriado dia 23/06, fiz as contas e deu um dó de gastar meu dinheirinho… Não adianta, agora é o momento que o povo vai receber seus salários (quem tiver) e vai pagar o que deve, e manter os gastos essenciais, os supérfluos estão fora. Dívidas de grande porte e longo prazo, também estão fora. Quem comprou bolhudinho, vai ficar tentado a devolver cada vez que chegar uma parcela intermediária atualizado pelo INCC.

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • FabianoSJC 25 de abril de 2016 at 17:22

      Danibolhista , também andei consultando umas pousadas para o feriado de Corpus Christ agora em Maio . Cotei algumas pousadas indicadas por amigos quase cai de costas.
      Pousadas arrumadas mas nada fora do normal , em Santo Antonio do Pinhal , Campos do Jordão e São Bento do Sapucai olha as pessoas perderam a noção , diárias que variam de 580 a 800 reais só café da manhã rs.
      Eu devo ser muito pobre pois acho um roubo , não estou indo para os alpes Suiços e sim para a Serra da Mantiqueira rs.

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Lucas 25 de abril de 2016 at 15:36

    todos esses 10 motivos nada impede a pessoa de fazer um péssimo negócio apgar um valor que não vale e passar os 35 anos seguintes aprendendo na pratica a diferença entre valor e preço

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • DRN 25 de abril de 2016 at 15:49

      O melhor mesmo é alugar em grandes cidades e construir uma casa no interior, depois, já mais velho, com grana suficiente para não ter de financiar e tempo para correr atrás de material e fiscalização da mão de obra.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • CA 25 de abril de 2016 at 16:12

    Sobre o tópico:

    No geral, um bom artigo, pelo menos não foi pago pelo segmento imobiliário, o que é um grande começo.

    Temos pelo menos 3 “pecados” no artigo:

    1) considerou o FIPE Zap como referência de preços, o que sabemos que é diametralmente oposto à realidade. Se buscasse índices e referências relacionadas a preços realizados, já poderia ter apresentado as quedas nominais e significativas que estão ocorrendo ;

    2) poderia ter falado mais enfaticamente sobre as distorções, típicas de uma bolha, relacionadas a desproporção enorme e crescente entre oferta e procura desde 2012 apesar das quedas constantes de lançamentos desde então (falou apenas sobre estoques acima de uma média que já era inflada pela bolha em São Paulo) e da enorme distorção entre preço e renda, quando analisado o volume de ofertas por faixa de preços versus a pirâmide de rendimentos (limitou-se a falar sobre a renda caindo) ;

    3) Não falou, certamente por total falta de conhecimento, sobre a falta de critério das construtoras no esquema de vendas FALSAS na planta, sobre a incoerência de aumentos gritantes em lançamentos quando já existem super-estoques em algumas localidades e meses específicos (causado pela necessidade de mais vendas FALSAS para SIMULAR que o segmento está saudável), não mencionou nada sobre os enormes prejuízos trazidos à economia pela bolha imobiliária e que retornavam para a mesma intensificando a sua explosão, dentre alguns assuntos.

    Se considerarmos que ele provavelmente não frequenta o blog e teve como referência o próprio segmento imobiliário nas últimas semanas, mesmo com as ressalvas acima ainda pode ser considerado um bom artigo, porque pelo menos teve espirito crítico para filtrar os mitos espalhados por este segmento.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Cajuzinha 25 de abril de 2016 at 16:30

    “25/04/2016 14h50 – Atualizado em 25/04/2016 15h15
    Atividade e emprego na construção seguem em queda em março, diz CNI
    Pesquisa foi realizada entre 1º e 13 de abril com 547 empresas do setor.
    Empresários continuam insatisfeitos com lucro e pessimistas sobre o futuro.”

    “Pessimismo dos empresários da construção civil piora em abril, diz CNI”

    3+
    • avatar
    • Cajuzinha 25 de abril de 2016 at 16:33

      “Segundo a CNI, a alta ociosidade da indústria da construção continua inibindo os investimentos. Em abril, a intenção de investimentos no setor registrou 23,4 pontos e é o menor nível da série histórica iniciada em novembro de 2013. “A fraca atividade do segmento, a baixa utilização da capacidade de operação e as expectativas ainda muito pessimistas inibem qualquer melhora deste indicador”, explicou a CNI.”

      “Entre os problemas enfrentados pela indústria da construção, a CNI informou, com base na pesquisa, que a “elevada taxa de juros” passou a ser a principal preocupação no primeiro trimestre deste ano, apontada por 39,4% dos empresários.
      A demanda interna insuficiente foi o segundo maior obstáculo, com 35,7% das assinalações, seguida da inadimplência dos clientes, com 31,1% das respostas.”

      2+
  • fcasalen 25 de abril de 2016 at 17:06

    Pessoal, vou fazer uma pergunta aqui e gostaria da opinião de vocês. Sou bolhista desde 2011, pois foi quando desisti de comprar imóvel, ao me mudar para Macaé-RJ, uma vez que o preço dos imóveis disparou nesse ano (e subiu ainda mais nos anos seguintes). Quando me mudei, em 2010, os valores dos imóveis estavam razoáveis, porém eu não tinha intenção de comprar imóvel pois achava que me mudaria de Macaé em breve.

    Acabei, então, sempre optando por imóvel pois a relação preço x aluguel era muito a favor do aluguel aqui.

    De uns tempos pra cá, os valores dos aluguéis tem caído, porém reparei que os preços de venda também. Estava procurando num novo apartamento para alugar quando encontrei um anúncio de venda de um terreno no mesmo valor nominal de 2010 (o que deve dar uns 40% de queda em relação ao pico ali em 2013, e muito mais se formos considerar a inflação do período). Junto à isso, acumulei um FGTS bom o suficiente para pagar por 1/3 do valor do terreno mais a construção de uma casa. Como o FGTS perde valor com o tempo por conta do baixo rendimento e alta inflação, comecei a ponderar se financeiramente não seria hora de comprar o terreno e construir uma casa, já que 1/3 de tudo dá pra ser pago com o FGTS. Contudo, estou esbarrando em como sacar o FGTS nessa situação.

    Quais problemas vocÊs vêem?

    Alguém tem uma ideia de como sacar o FGTS?

    5+
    • avatar
    • chigo 25 de abril de 2016 at 17:11

      Acho que o momento é propicio para construir. Mão-de-obra ficando barata e precisando de trabalho. Sobre o FGTS é uma boa pergunta. Também gostaria de saber.

      3+
    • Libertario 25 de abril de 2016 at 17:39

      Se levar em conta que voce tem apenas 1/3 do valor necessario pelo FGTS, nao me parece vantajoso, mesmo que ele fique rendendo abaixo da inflação.

      5+
      • avatar
      • Bruno.12 25 de abril de 2016 at 18:24

        Concordo com o libertário. O dinheiro está parado há quanto tempo? Vc está empregado atualmente? Se não tiver CTPS assinada há 3 anos, pode sacar o valor e investir numa LCI ;D

        2+
  • My name is James Bond 25 de abril de 2016 at 20:00

    Bruno. 12,
    complementando a informação… a partir do mês de aniversário do titular da conta. Dependendo no mês de aniversário, pode levar até 4 anos.

    2+
    • avatar
  • JJJ_brasilia 25 de abril de 2016 at 20:11

    CVR

    peço a opinião dos bolhistas, o FGTS está perdendo para a inflação, estou com vontade de fazer o seguinte:

    Ajuizar um ação judicial contra o FGTS para que eu possa investir o MEU dinheiro em Tesouro SELIC.

    Pergunta aos juristas:

    É uma aventura jurídica ou tenho chance?

    Pessoal permissão para falar outras vezes no assunto.

    5+
    • avatar
    • L.A. 26 de abril de 2016 at 08:25

      O DRN tem maior lida nos tribunais do que eu, que estou impedido de advogar há 5 anos, então é prudente ouvir a opinião dele.

      Entretanto, darei o meu pitaco. É ambos. Não sei se o pedido possui ineditismo. Todo o ineditismo é uma aventura jurídica e pedir a variação da SELIC, acredito eu, seria inédito. Ações pedido a correção do FGTS existem (que eu lembre uma no STJ e outra no STF), pois a TR não garante a correta remuneração.
      Como o FGTS é, erroneamente, utilizado para financiamentos com juros baixos, a União/CEF irá alegar que isso desenvolve o país, etc etc etc, o que poderá ser aceito pelo juiz pelo caráter “social” do FGTS.
      Mas, por outro lado, como o dinheiro do FGTS é utilizado para financiar empresas, a União deveria arcar com os juros subsidiados (como “todo” empréstimo do BNDES) e poderia te pagar a diferença.

      A questão seria pegar um advogado que comprasse a matéria e soubesse desenvolver bem o assunto.

      3+
      • avatar
      • avatar
    • Bruno.12 26 de abril de 2016 at 15:19

      Meu caro, aventura jurídica – mas quantas já não mudaram a esfera jurídica de nosso país! Se morar na região Sul, melhor ainda, são bem “vanguardistas”.

      1+
      • avatar
  • RM80 25 de abril de 2016 at 21:11

    “Incorporadora que tem ações em Bolsa e divulga resultados a cada trimestre, a Gafisa anunciou na semana passada que o índice de imóveis devolvidos representou impressionantes 72% das vendas brutas no primeiro trimestre deste ano. Você leu certo: os cancelamentos de compra representaram quase três quartos das vendas da incorporadora.”

    8+
    • avatar
    • avatar
    • CA 25 de abril de 2016 at 23:01

      RM80,

      É por isso que algumas construtoras, de tempos em tempos, promovem um grande crescimento nos lançamentos, mesmo quando elas já estão com uma desproporção entre estoque e vendas que é o recorde de todos os tempos.

      O grande volume de vendas FALSAS na planta se dá exatamente no lançamento e com isto, a nova leva de vendas falsas faz com que a proporção entre distratos e vendas brutas do presente não fique tão anormal. Quando a proporção fica assim anormal, como no caso da Gafisa logo acima, chama muito a atenção de todos, fica difícil FINGIR que não viu a anomalia, como costumam fazer os “especialistas” que tem seus rendimentos vinculados ao segmento imobiliário.

      Por que vendas falsas requerem lançamentos, não poderiam fazer vendas falsas usando imóveis lançados anteriormente e que ainda estão em construção, já que o estoque está em patamar recorde? O problema é que precisam ter as menores parcelas durante a construção para atraírem INCAUTOS que não terão renda para adquirir crédito imobiliário na entrega do imóvel e é só no lançamento que poderão diluir a entrada em 36 “suaves prestações” que antecedem a entrega do imóvel.

      Daí vem a galera soft e diz: Ah, então eles podem pedalar com lançamentos e vendas FALSAS na planta ETERNAMENTE e assim simular que está tudo bem e fazer um “pouso suave” nos preços… Por que isto não é possível?

      O esquema de pirâmide financeira, que é este caso, sempre desmorona. Basta observar que as pioneiras e recordistas nas vendas FALSAS PDG e Rossi, entraram em recuperação judicial branca em 2015 (reestruturação de dívidas) e não fizeram NENHUM lançamento no ano passado e mesmo assim terminaram o ano com super estoques. Conforme o tempo vai passando, mais e mais construtoras vão ficar nesta situação, ou seja, quanto mais pedalarem e maquiarem, mais fundo será o buraco onde estão se enterrando…

      Para quem ainda tem dificuldade para entender porque pedaladas e maquiagens não são sustentáveis e quanto mais são praticadas mais aumentam o tamanho da destruição no futuro, pesquisem por estas palavras no Google e leiam as reportagens que aparecerem: “Brasil pedaladas maquiagens crise na economia”. É um bom começo para entender como funciona o Mundo REAL, que está muito longe dos DELÍRIOS da galera soft…

      Sobre a bolha, por diversos motivos, alguns deles elencados no artigo do tópico de hoje, acredito que tenhamos 60% de chance desta pirâmide se tornar inviável para maioria das construtoras entre o 2S16 e o 1S17 e quando isso ocorrer, teremos as maiores reduções de preços, de forma mais abrangente e visível, sendo que preços continuarão caindo em menores percentuais após isto. Tinha colocado 10% de chance de acontecer no 1S16 e 30% de chance de acontecer a partir do 2S17, vamos continuar acompanhando.

      7+
      • avatar
  • Moreira 25 de abril de 2016 at 22:06

    CVR:

    encontro conhecido no metrô e pergunto: gostando de morar em águas claras-DF? Ele afirma que sim. Pergunto se está no aluguel e ele me fala “tá doido, dinheiro jogado fora”. Conversa vai, conversa vem, perguntei quanto ele pagou no bolhudinho. Apto. de 70m ele pagou 300 mil + 30 mil de taxas e impostos. Mora ele, a esposa e dois filhos. Apto de dois quartos. Residencial iluminato. Em seguida me disse que tá muito pequeno para 4 pessoas! Me disse que antes mora de aluguel em um apto de 3 quartos, 82m, e pagava 1400 por mes de aluguel. Levou uma motumbada inesquecível!

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • JJJ_brasilia 26 de abril de 2016 at 02:45

      30k de taxas é um dinheiro muito bem investido, dava para pagar quase 2 anos de locação. Brasileiro é muito esperto.

      11+
      • avatar
  • Ilusionista 25 de abril de 2016 at 22:28

    record news agora falando dos distratos

    3+
    • avatar
  • chigo 25 de abril de 2016 at 22:51

    OFF
    Tadinha da Dilma. Não da uma dentro. Olhem a mulher do novo ministro do Turismo:
    ‘http://www.fetyche.com.br/noticias/confira-fotos-da-gostosona-milena-silva-na-revista-sexy-259965.html

    3+
    • avatar
    • chigo 25 de abril de 2016 at 23:00

      Novo ministro relampago. Já assume exonerado. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      2+
      • avatar
    • L.A. 26 de abril de 2016 at 08:26

      Primeira dama do turismo.
      Foi para Brasília com o marido e já já vai ir embora com ele!!!
      Só fez turismo em BSB.

      1+
      • avatar
  • Cajuzinha 26 de abril de 2016 at 06:04

    EMPRESAS
    Vendas de imóveis caem 13% no primeiro trimestre, segundo dados preliminares

    Notícia Publicada em 25/04/2016 17:38

    Prévias de resultados operacionais de sete empresas mostram que 2016 começou mal”

    3+
    • avatar
    • Cajuzinha 26 de abril de 2016 at 06:17

      “Apesar de expressivo, o tombo de dois dígitos nas vendas já era esperado pelos analistas de mercado. “O cenário macroeconômico continua desafiador neste e no próximo ano”, afirma o estrategista-chefe da Guide Investimentos, Luiz Gustavo Pereira, para quem uma queda ao redor de 15% está dentro do esperado. “Dificilmente, veremos uma melhoria operacional nos próximos meses”, acrescenta.”

      http://www.financista.com.br/noticias/vendas-de-imoveis-caem-13-no-primeiro-trimestre-segundo-dados-preliminares?xcode=XFIFOS01

      2+
      • CA 26 de abril de 2016 at 07:15

        Cajuzinha,

        Como sabemos, a queda REAL é muito maior que esta.

        Vale lembrar que tivemos a construtora Direcional que aumentou seus lançamentos em mais de 400% no 1T16 na comparação com o 1T15 e segundo dados do SECOVI SP os lançamentos na cidade de São Paulo aumentaram mais de 78% em Jan/16 na comparação com jan/15. Fizeram isto, apesar de estarem ao final de 2015 com uma desproporção recorde entre estoque e vendas, porque precisavam aumentar muito as vendas FALSAS na planta, exatamente para SIMULAR que a queda de vendas não foi tão elevada, como consta na matéria acima. Em comentário anterior, mais detalhes sobre este tema.

        6+
        • avatar
          • Cajuzinha 26 de abril de 2016 at 07:54

            “Os números excepcionalmente fracos foram registrados no auge da crise política que antecedeu a votação na Câmara dos Deputados da admissibilidade do impeachment da presidente da República. “É praticamente nada, esse resultado mostra que o mercado está parado aguardando uma modificação do cenário econômico”, disse o presidente do Secovi, Flávio Amary. “Não acredito que a gente tenha daqui para a frente um mês tão ruim como esse.””

            3+
  • L.A. 26 de abril de 2016 at 08:32

    Agropecuária ameniza o resultado negativo do PIB gaúcho em 2015

    A taxa de crescimento acumulada do PIB do Rio Grande Sul em 2015 fechou com sinal negativo: – 3,4%, com Valor Adicionado Bruto de -2,7%. O resultado, no entanto, é melhor que o obtido no País, com uma taxa de – 3,8%.

    Por área
    Agropecuária: 13,6%
    Indústria: -11,1%
    Serviços: -2,1%

    Na Indústria, seus quatro segmentos contribuíram negativamente para o desempenho em 2015. “Lideradas pela indústria de transformação, que caiu 13,5%, construção (-6,6%) e indústria extrativa (-5,2%) também tiveram reduções significativas, com a queda de 0,8% da eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana sendo a mais leve”.

    No setor de Serviços, o comércio registra o pior desempenho, com taxa de -10,3% . O grande destaque negativo do comércio foi a venda de veículos, com uma redução de 27,9% em relação a 2014.

    A arrecadação de impostos também registrou uma queda expressiva em 2015: -8,0%, o que se reflete diretamente nas condições financeiras do Estado.

    0
  • Cajuzinha 26 de abril de 2016 at 08:46

    “POR JOÃO SORIMA NETO / ROBERTA SCRIVANO 26/04/2016 6:00 / atualizado 26/04/2016 7:44
    PUBLICIDADE

    PUBLICIDADE

    Cobrança indevida. Carolina se surpreendeu com cobrança de tarifa de manutenção, vetada para contas-salário – Antonio Scorza / O Globo
    SÃO PAULO – Mais restritivos na oferta de crédito e com menos clientes interessados em tomar empréstimos, os bancos passaram a buscar outras fontes além da intermediação financeira para aumentar suas receitas. Uma das estratégias para elevar ganhos tem sido turbinar o faturamento com tarifas, apontam analistas. Para os clientes, isso significa condições mais rígidas, com menos isenções de taxas e desembolso maior pelos serviços.

    O aperto é uma forma de diminuir os efeitos da recessão sobre o setor. Com a taxa básica Selic estacionada em 14,25% ao ano há sete meses, ficou difícil aumentar ainda mais os juros nos financiamentos. Ao mesmo tempo, o consumidor está menos disposto a se endividar. Segundo pesquisa da Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), 82% dos brasileiros não têm planos de contratar empréstimos.”

    http://oglobo.globo.com/economia/com-menor-demanda-por-credito-bancos-aumentam-taxas-19165926#ixzz46vrPB95Q

    0
    • L.A. 26 de abril de 2016 at 09:03

      #bananissemodeon
      Maria vai pagar R$ 60 de prestação na casa nova – dez vezes menos que gastava com o aluguel. Com o resto do dinheiro ela se permite um novo sonho, além de quitar suas dívidas. “Quem sabe não dá para sonhar com a prestação de um carro?”.

      6+
      • avatar
      • avatar
    • Danibolhista 26 de abril de 2016 at 09:07

      Na verdade pra se conseguir uma casa, ou você é muito rico ou muito pobre, quem está no meio termo é vítima das vendas falsas, ou seja, não tem perfil para ganhar o MCMV e não tem dinheiro para financiar um usado direto com a Caixa, daí é vítima das parcelinhas que cabem no bolso.

      4+
      • avatar
      • L.A. 26 de abril de 2016 at 09:11

        Versão alternativa para a frase:
        Na verdade pra se conseguir uma casa, ou você é muito rico ou muito pobre, quem está no meio termo é estatística dos distratos.

        6+
        • avatar
        • avatar
        • Danibolhista 26 de abril de 2016 at 09:33

          Verdade, valeu pela correção.

          1+
    • Zé do Brejo 26 de abril de 2016 at 09:11

      Ela está pagando por algo que é dela ou ela entrou num aluguel eterno subsidiado?
      O brasileiro comum acha que existe almoço grátis, pensa que está ganhando um beneficio do governo, não entende que o custo disso é desindustrialização e desemprego em massa (+10 milhões). Infelizmente não consegue enxergar um palmo diante do nariz.
      E para o governo é interessante que as pessoas permaneçam na miséria intelectual e continuem trocando uma vida digna por esmolas.

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Danibolhista 26 de abril de 2016 at 09:42

        A curto prazo para ela é bem melhor pagar 60 a 600.

        3+
        • Zé do Brejo 26 de abril de 2016 at 09:43

          Mesmo que isso custe a destruição economica do país? Beleza, nota 10 pro brasileiro.
          Não, não vai.

          7+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Danibolhista 26 de abril de 2016 at 09:59

            Eu sei que tem impactos, mas tô falando do ponto de vista dela.

            1+
  • Cajuzinha 26 de abril de 2016 at 09:03

    ADOOOOROOOOO

    “26/04/2016 08h32 – Atualizado em 26/04/2016 08h37
    Confiança do consumidor atinge menor nível da série histórica da FGV
    Resultado decorre de cenário econômico e político, segundo estudo.
    Houve piora nas avaliações sobre a situação atual e sobre expectativas.”

    1+
    • avatar
    • Cajuzinha 26 de abril de 2016 at 09:04

      ” A piora expressiva ocorreu entre os consumidores com renda superior a R$9.600, cuja confiança caiu 4,7 pontos.”

      2+
      • avatar
      • Zé do Brejo 26 de abril de 2016 at 09:13

        Claro, estão vendo seus pares perderem seus empregos e sentem-se constantemente ameaçados.
        A coisa está feia e vai piorar, muito.

        5+
        • avatar
        • avatar
      • CA 26 de abril de 2016 at 10:20

        Cajuzinha,

        É uma notícia importante e o trecho que você destacou muito interessante, pois combina com outras notícias e pesquisas que dão conta que estamos passando por um momento em que muitas empresas tem optado por substituir pessoas com salários maiores por outros profissionais com menos experiência e qualificações ou que simplesmente aceitem ganhar bem menos do que o salário anterior da vaga e junto com isto, temos ainda empresas que estão realizando downsizings, alguns deles radicais, visando sobreviver e assim, reduzindo o número de postos na gerência intermediária do negócio, sem contar as 100.000 lojas que fecharam em 2015, onde muitos de seus ex-proprietários estavam nesta faixa de renda e simplesmente deixaram de ter esta renda, “da noite para o dia”, juntamente com o grande êxodo para o Exterior das famílias que puderam fazer isto, que também bateu recorde e principalmente para esta faixa de renda. As pessoas nesta faixa de rendimento percebem estas mudanças que se não ocorreram com eles, tem casos próximos que eles conhecem, o que leva a queda de confiança, também causada por uma leitura do cenário da economia que costuma ser melhor para este extrato de renda.

        Outro aspecto que é uma consequência do que consta acima, é que não só temos uma diminuição da renda média do trabalhador que é causada por um aumento da informalidade (desempregado que abre mini-negócio) combinada com acordos sindicais sem reposição integral da inflação e ainda ações que reduzem na prática os salários (exemplo: PPE), como também temos efetivamente uma redução salarial das classes “média média” e “média alta”, dentro da realidade (esquecendo a “nova classe média do PT”), o que somado com o maior pessimismo nesta faixa de renda, aumenta muito as distorções entre o volume de imóveis ANUNCIADOS com preços acima de R$ 500 mil e aquelas famílias que teriam condições de adquirir estes imóveis em financiamentos de 30 anos, que foram desenhadas no link abaixo (o terceiro desenho, com pirâmides invertidas):

        http://www.bolhaimobiliariabrasil.com/2016/02/01/a-explosao-da-bolha-imobiliaria-em-sao-paulo-os-porques-e-expectativas-ca/

        Para quem até hoje ainda acredita que o segmento imobiliário pode manter suas pirâmides, truques e maquiagens, permanecendo, ou melhor dizendo, APARENTANDO estar incólume em relação ao tsunami que se passa na economia, é melhor rever seus conceitos: não existe o “universo paralelo”, esta é só mais uma das invenções do segmento imobiliário que a galera soft ENGOLIU por pura falta de espirito crítico. O número de acontecimentos na economia que se avolumam e que pressionam pela redução de preços de imóveis não para de crescer, diariamente temos “N” novas informações que apontam nesta direção…

        6+
        • avatar
        • avatar
    • L.A. 26 de abril de 2016 at 09:12

      Boss, desculpa o off topic, mas esse ‘”ADOOOOROOOOO” comprova o motivo da Cajuzinha ser minha musa!!!

      3+
      • avatar
      • Cajuzinha 26 de abril de 2016 at 09:24

        Pensei que tivesse perdido este posto…

        0
        • L.A. 26 de abril de 2016 at 10:27

          Não não, nunca perdestes! =)

          2+
          • avatar
          • avatar
  • Cajuzinha 26 de abril de 2016 at 09:13

    “Tantas dúvidas explicitam o tamanho do abismo no qual o país mergulhou. Para qualquer lado que se olhe, os destroços estão esparramados. A política se transformou em um teatro de absurdos. Na economia, famílias e empresas estão quebradas. A ética sumiu há muito tempo e o deboche se tornou rotina. Não há como acreditar que Temer seja a pessoa mais correta para resgatar uma Nação. Portanto, só nos resta o desespero.”

    http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/o-desespero-bate-porta/

    2+
    • avatar
  • Palmeirense Bolhudo 26 de abril de 2016 at 10:08

    Alguém viu esse texto no blog da Lopes? E isso mesmo, falando em queda de preço? O.O

    Lado bom da crise: Queda nos preços!

    Com dinheiro em caixa é possível negociar entradas maiores e descontos melhores frente aqueles outros que passaram os anos de bonança gastando sem pensar no amanhã e hoje se veem reféns de financiamentos de 20, 30 ou até mais anos.

    Com a crise nós também temos outra situação interessante: os donos de imóveis que precisam de dinheiro mais rapidamente começam a abaixar o valor pedido no mercado, o que consequentemente é seguido por demais proprietários.

    Enquanto ninguém estiver disposto a pagar o que o investidor quer, ele será obrigado a abaixar o preço até encontrar um comprador. O mesmo princípio se aplica aos imóveis! Quanto menos pessoas interessadas na compra, menor será o valor cobrado por aqueles que querem vender sua propriedade.

    http://www.lopes.com.br/blog/mercado-imobiliario/lado-bom-da-crise-queda-nos-precos/#axzz46wAzKMpW

    4+
    • avatar
    • avatar
    • Cajuzinha 26 de abril de 2016 at 10:11

      kkkkkkkkkkkkkkkkk

      Agora eles dizem isto, kkkkkkkkkkkkkkkk

      “aqueles outros que passaram os anos de bonança gastando sem pensar no amanhã e hoje se veem reféns de financiamentos de 20, 30 ou até mais anos”

      6+
      • avatar
      • avatar
      • Cajuzinha 26 de abril de 2016 at 10:14

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        “A empresa Beleza S.A. possui ações negociáveis na bolsa de valores que estão cotadas hoje à R$ 10,00. O dono de um lote ação da empresa BELE4 vai ao mercado e anuncia que quer vender essa ação á R$ 10,05 para ganhar uns centavos acima da cotação.

        No entanto, a esse preço ninguém tem interesse na compra de seu lote. Ele então abaixa a R$ 9,95. Ninguém quer. Cai então para R$ 9,75. Nada! Depois R$ 9,25. Necas. Então começa a descer para R$9,00, R$ 8,75, R$ 8,30, R$8,00 e assim vai.

        Enquanto ninguém estiver disposto a pagar o que o investidor quer, ele será obrigado a abaixar o preço até encontrar um comprador. O mesmo princípio se aplica aos imóveis! Quanto menos pessoas interessadas na compra, menor será o valor cobrado por aqueles que querem vender sua propriedade.”

        5+
        • avatar
        • Palmeirense Bolhudo 26 de abril de 2016 at 10:26

          Os caras trolando os 666 que financiaram, ou seja, dizendo, vamos baixar. voces vao ter que baixar, não achei que iria ler isto de uma destrutora tão cedo, isso e o lado bom da crise!
          Sera que os 666 vao intender ou vai ter que desenhar?

          3+
          • avatar
          • L.A. 26 de abril de 2016 at 10:30

            Tipo: “a culpa não é minha se vocês financiaram e se enterraram comprando imóveis que eu intermediava”

            6+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
          • CA 26 de abril de 2016 at 10:53

            Palmeirense Bolhudo e Cajuzinha,

            Muita cara-de-pau deste pessoal do segmento imobiliário.

            Depois de anos e anos divulgando notícias e opiniões de “especialistas” (exemplo: Amorinha), dando conta que “os preços nunca baixam”, “quem não comprasse antes ia perder dinheiro porque os preços sempre iam subir acima de qualquer coisa”, etc., agora estão tentando “ensinar” as pessoas que o preço do imóvel também cai, assim como o de qualquer outro Ativo, fazendo analogias que facilitem o entendimento.

            Por que fazem isto?

            Como sempre digo, anúncio não paga comissão para corretor de imóvel. De nada vale subir o preço anunciado sem vender e manter um Mundo ARTIFICIAL e completamente fora da realidade como o do FINGE ZAP se isto não gera quase nenhuma venda e vários e vários corretores passam necessidades financeiras em virtude disto. Chega uma hora que eles mesmos tem que tirar a máscara do mercado e começar a mostrar a realidade, ou então vão passar fome.

            É sempre a NECESSIDADE que norteia a queda dos preços e a aparição da REALIDADE. É uma extrema tolice o velho mantra da galera soft de que “querer é poder” e como o mercado imobiliário de forma geral, incluindo vendedores particulares, não ia QUERER baixar o preço, então o preço não ia baixar. Ridículo este argumento, não se sustenta de nenhuma forma, até porque não foi assim em nenhuma explosão de bolha imobiliária ao redor do Mundo, mas o que mais impressiona é que mesmo aqui neste blog tivemos tantas pessoas que conseguiam (ou fingiam) acreditar nisto, apesar de tantas e tantas vezes terem sido apresentadas a fatos e dados que evidenciavam o contrário (quase diariamente com notícias e tópicos falando sobre quedas de preços de vendas e de aluguéis).

            3+
            • avatar
            • Alemon Fritz 26 de abril de 2016 at 10:55

              tópico novo !!

              0
    • Alemon Fritz 26 de abril de 2016 at 10:13

      e ainda chamam de “descontos” (de até 30% no máximo, pra variar)…

      corvos se explodam.

      0
  • Cajuzinha 26 de abril de 2016 at 10:29

    “SÃO PAULO – O vice-presidente Michel Temer disse que ficou “muito bem impressionado” com o encontro que teve com o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles, nome forte para assumir o Ministério da Fazenda em seu eventual governo. A informação é do jornal O Globo.

    “Eu me encontro numa situação muito difícil. Não posso, em respeito ao Senado, tratar da formação de um eventual governo, mas tenho que estar preparado para, conforme o rito, assumir o governo no dia seguinte, caso a decisão seja pelo afastamento temporário da senhora presidente da República. Diante dessa realidade, claro que sou obrigado a realizar sondagens”, declarou Temer.”

    http://www.financista.com.br/noticias/temer-se-impressiona-com-meirelles-diz-o-globo

    0
  • Alemon Fritz 26 de abril de 2016 at 10:44

    kkkk, só pra lembrar, fonte da própria..

    Feirão Caixa
    Ele acontece sempre nos meses de abril, maio e junho. (!!!)
    Provavelmente (!!!!) no mês fevereiro ou março já será divulgado todo o cronograma com as datas oficiais em que o Feirão da Caixa vai passar por cada cidade.

    Calendário do Feirão da Caixa 2016
    A Caixa ainda não divulgou o calendário oficial com todas as datas e locais….

    http://www.feiraodacaixa2016.com.br/

    0
    • Alemon Fritz 26 de abril de 2016 at 10:46

      No entanto, com base no calendário 2015 temos uma expectativa para que o Feirão aconteça nas seguintes datas:

      – São Paulo: 23 e 24 de abril
      – Recife: 23 e 24 de abril
      – Belém: 23 e 24 de abril
      – Rio de Janeiro: 14 e 15 de maio
      – Curitiba: 14 e 15 de maio
      – Fortaleza: 14 e 15 de maio

      0