Inflação oficial fica em 10,67% em 2015 – G1

Você pode gostar...

Comments
  • Azufre 8 de janeiro de 2016 at 09:08

    Vamos ver o que o gordinho sinistro vai fazer agora.

    Em 2003 demorou-se três anos para trazer a inflação à meta, e o contexto internacional ajudando.

    Agora o contexto internacional só atrapalha. Não acho que vai conseguir em 2016 ficar abaixo de 6,5%, quem sabe em 2017 fique por volta de 5%.

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • joselito 8 de janeiro de 2016 at 09:35

      A Meta é 6,5?
      Dobre-a!

      28+
      • avatar
      • avatar
      • Barnabezinho 8 de janeiro de 2016 at 10:14

        calma que até junho dobramos mole essa meta medíocre aí.

        12+
        • avatar
        • avatar
        • Cesar_DF 8 de janeiro de 2016 at 11:30

          Com a recessão dificilmente teremos inflação alta.
          Se não fosse pelos preços administrados, mesmo com esta alta do dolar, a inflação estaria baixa.
          O problema não é a inflação, é muito pior…

          20+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Awulll 8 de janeiro de 2016 at 12:35

            Com 11% de aumento do salário mínimo, duvido muito que a inflação fique abaixo de 10% em 2016

            22+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
    • Mão de Vaca 8 de janeiro de 2016 at 10:49

      Por isso que neste ano não estou pagando nenhum imposto à vista (IPTU, IPVA)…o estouro da inflação é uma questão de tempo; já vi esse filme antes.

      19+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Azufre 8 de janeiro de 2016 at 11:20

        Vc tem qnts anos +-?

        Alguma coisa eu vivi, a outra parte eu li. Conclusão: não se brinca com inflação, e é o que estão fazendo

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Mão de Vaca 8 de janeiro de 2016 at 11:29

          Tenho 54 anos, Azufre, e comecei a trabalhar aos 18 anos, de modo que já tinha renda na fase louca da economia inflacionária que o Brasil viveu.
          Vivi um tempo em que de manhã todos corriam para o mercado porque à tarde o preço já era remarcado. kkkkk, era uma loucura.
          E lembro bem que nesta época que quem investia dinheiro em aplicações ganhava muito, mas muito mesmo.

          35+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Azufre 8 de janeiro de 2016 at 12:28

            Vc perdeu mt com plano cruzado, verão e Collor?

            4+
            • avatar
            • avatar
            • Mão de Vaca 8 de janeiro de 2016 at 13:53

              Perdi principalmente com o Plano Collor. Juntei muito dinheiro à época, quando a poupança bombava. Me lembro que no dia seguinte ao confisco, vc abria os classificados em jornal e tinha gente vendendo terreno, carro, bens por 100 cruzeiros, pois o máximo que se podia sacar eram 50,00 cruzeiros.
              Quem estava líquido com dinheiro no colchão ficou muito bem.
              Mas muitos entraram com ação de expurgos inflacionários em face do Banco Central (até 5 anos depois) e conseguiram recuperar mais ou menos o dinheiro perdido.

              15+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • avatar
  • Azufre 8 de janeiro de 2016 at 09:09

    O que reduz inflação é: política monetária.

    Se crise por si só reduzisse inflação os anos 1980 não teriam sido o que foram

    42+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Annoying Brick in The Wall 8 de janeiro de 2016 at 11:47

      Na verdade seria hoje a política fiscal, que o desgoverno insiste em não aplicar corretamente. Entretanto vivemos hoje em regime de dominância fiscal, a política monetária sozinha tem pouca eficácia.

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Azufre 8 de janeiro de 2016 at 12:40

        “Entretanto vivemos hoje em regime de dominância fiscal”

        Há controvérsias!

        6+
        • avatar
        • avatar
  • Ribs 8 de janeiro de 2016 at 09:15

    Dilma deixou a inflação disparar para depois ter que aumentar em 10% o salário mínimo e mais os tantos benefícios que existem.

    8+
    • avatar
    • avatar
  • Rodrigo ABCDM-SP 8 de janeiro de 2016 at 09:19

    Este ano a inflação fica acima de 7%, ainda há reajustes a serem feitos

    7+
    • avatar
    • avatar
  • CA 8 de janeiro de 2016 at 09:21

    Ficou no tópico anterior, postado depois deste novo tópico entrar no ar, replico para cá porque acredito que parte dos leitores mais novos do blog não tenham visto ainda. No tópico anterior, havia uma piada sobre taxista ver a bolha antes dos demais e um dos usuários não havia entendido. Segue abaixo:

    A piada do taxista tem a ver com uma declaração feita por Robert Shiller, ganhador de prêmio Nobel de economia, que previu a bolha imobiliária americana e que em 2013 disse acreditar que existe uma bolha imobiliária no Brasil.

    Segue o link e um trecho da declaração de Robert Shiller para facilitar a compreensão:

    “http://economia.ig.com.br/financas/casapropria/2013-09-24/estouro-de-bolha-imobiliaria-no-brasil-teria-consequencias-menores-cre-shiller.html

    “Exato, eu lembro que eu estava em Miami para um conferência e o taxista me disse: “olhe para todas essas construções em andamento – os preços haviam crescido muito então estavam construindo muito. Isso vai acabar mal”. E eu entrei na conferência com economistas profissionais e eles estavam fazendo equações num quadro, mas não tinham ideia do que estava acontecendo à volta deles. “

    A reportagem abaixo que é de janeiro/2014 é uma referência interessante sobre o assunto, até para que todos possam entender que esta “cegueira coletiva e SELETIVA” que se observa por parte dos agentes envolvidos na bolha imobiliária não é nem de longe uma exclusividade do Brasil:

    “http://www.infomoney.com.br/mercados/noticia/3113345/shiller-ressalta-cegueira-brasil-com-bolha-imobiliaria-senti-nos-eua

    37+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Amadeus de Sampa 8 de janeiro de 2016 at 10:57

      Na entrevista, o Shiller simplesmente ri da cara dos bananenses “new-rich” “bola da vez” com muita classe. Sensacional!

      18+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Brazil mode OFF 8 de janeiro de 2016 at 09:24

    Vai? Não vai né…

    ”http://www.diariodoscampos.com.br/economia/2016/01/desconto-de-70-nao-atraiu-clientes-ate-o-fim-da-tarde-de-ontem/2058939/

    8+
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 8 de janeiro de 2016 at 09:44

      E o Pandeiro Louco avisou em 2014.
      Quando os preços começarem a cair as pessoas não terão renda e ou crédito aprovado para consumirem.
      Quem tem dinheiro e crédito disponíveis não querem. Pois aprenderam com a vida a poupar e se preparar para momentos como esse. PNJ !

      33+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Brazil mode OFF 8 de janeiro de 2016 at 09:47

        Se o povo não aprender agora… não sei se aprendem mais. Prq ta f*** a situação.

        9+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Bruno Vlk 8 de janeiro de 2016 at 22:05

          Nosso povo não aprendeu na década de 1980. Por que aprenderia agora? Não, não vai.

          8+
          • avatar
        • Mente do Mal 9 de janeiro de 2016 at 04:50

          Alguns não aprenderam. Querem continuar consumindo mesmo que seja com o dinheiro dos outros.
          Outro dia dei de cara com uma mulher num shopping pedindo 10 reais para ajudar a comprar um smartphone.
          Surreal.

          Valeu pela aprovação, Boss.

          5+
          • avatar
      • Jovem Estudante 8 de janeiro de 2016 at 14:27

        Em bom português: Cabô-se tudo!

        4+
        • avatar
  • CA 8 de janeiro de 2016 at 09:55

    Sobre o tópico:

    Toda bolha imobiliária gera uma inflação elevada, que é um dos componentes de auto-destruição destas bolhas.

    EUA, Espanha e outros países: inflação cresce graças ao crescimento de empregos rápido e em larga escala pela construção civil sem nenhum ganho de produtividade, que junto com crédito barato e farto para o consumo (como regra, toda bolha imobiliária vem acompanhada de bolha de consumo), faz com que o consumo dispare, mais empregos são gerados, sempre sem ganhos de produtividade, muitas promessas de crescimento contínuo e estável na economia, tudo isto vai alimentando cada vez mais a inflação, até que o Governo não consegue mais conter e tem que começar a aumentar os juros. A combinação de inflação e juros elevados ajudam a destruir a economia e como parte do processo, os financiamentos imobiliários ficam cada vez mais inviáveis, aumenta a inadimplência de forma geral e também a do crédito imobiliário, os super estoques e mega endividamento para aqueles que forneceram o crédito de maior risco aparecem, as empresas e pessoas físicas tem cada vez mais a NECESSIDADE de vender logo um imóvel para fazer caixa e pagar dívidas / sobreviver, com isto os preços dos imóveis caem, etc…

    No Brasil, como a bolha imobiliária ajudou a alimentar a inflação ao longo dos anos?

    1) Crescimento nos empregos formais na construção civil, que dobrou a participação nas vagas de empregos geradas no período de 2007 a 2009 (fonte: CAGED – Ministério do Trabalho), sem ganhos de produtividade e gerando demanda excessiva por insumos para construção civil, ambos altamente inflacionários;

    2) Os preços dos imóveis comerciais dispararam, a lucratividade do imóvel comercial quase TRIPLICOU, apenas no período de 2007 a 2011 (fonte: IGMI-C – FGV/IBRE), com isto, um grande volume de empresas repassou este aumento de custos para a formação de seus preços, quando era possível (*), também altamente inflacionário;

    (*) Quando não era possível, significou fechamento de muitos negócios que se tornaram inviáveis em função dos preços do aluguel ou muitos negócios que deixaram de abrir porque não havia como ser lucrativo com os preços de aluguel que teriam que pagar. Este foi outro mecanismo de auto-destruição da bolha, porque colaborou para a derrocada na economia.

    Além do que consta acima, a bolha imobiliária prejudicou de diversas outras formas a nossa economia, colaborando com a crise. Entre estas colaborações, a proporção da dívida do crédito imobiliário em relação à renda das famílias que TRIPLICOU só no período de 2010 a 2015 e exatamente neste período observamos redução na proporção da dívida para consumo em relação a renda (fonte: Banco Central do Brasil) e redução no “PIB do Consumo” (fonte: IBGE), bem como um aumento anormal da inadimplência, que cresceu mais de 2,5 vezes mais rápido de 2010 a 2015 que no período imediatamente anterior, em que esta inadimplência já vinha elevada (fonte: SERASA/Experian) tudo isto levando a redução de vendas para diversos segmentos (famílias com dívidas muito elevadas para compra de imóvel e cada vez menos renda disponível para o consumo) e ainda uma redução significativa nos lançamentos de imóveis a partir de 2012 (quando os super-estoques decorrentes da bolha se manifestaram – fonte: relatórios oficiais de 12 construtoras com Ações na BOVESPA), o que levou a construção civil a desacelerar a geração de vagas de empregos ano após ano, até que em 2013 voltou a uma participação na geração de vagas similar ao que era em 2007, sendo que a partir de 2014 passou a liderar o desemprego no Brasil.

    E como funciona a “retribuição” da inflação para a Bolha Imobiliária?

    1) Redução de compradores potenciais pelo efeito direto da inflação: como a inflação “come” uma parcela cada vez maior da renda das famílias (queda na renda real), ficam com cada vez menos dinheiro disponível para pagar as parcelas dos imóveis;

    2) Aumento de juros – efeito sobre a concessão de crédito imobiliário: a disparada da inflação no Brasil fez com que várias aplicações financeiras ficassem MUITO mais atraentes que a poupança. Com isto e também graças a crise na economia muito estimulada pela inflação, a poupança “secou”, com recorde de saques em 2015 e o crédito imobiliário do SBPE que é baseado na poupança e possui as menores taxas de juros ficou cada vez mais restrita e com juros cada vez maiores;

    3) Aumento de juros – efeito indireto sobre a capacidade de compra dos potenciais compradores de imóveis: para conter a inflação, o juros básico da economia (SELIC) teve que subir, com isto, o juro de todos os financiamentos para o consumo também subiram, assim como juros de cheque especial, cartão de crédito, etc., tudo isto estrangulando cada vez mais a renda das famílias e diminuindo cada vez mais a possibilidade de comprarem imóveis.

    Existem diversas outras interações entre a bolha imobiliária, inflação e nossa crise na economia em si, assim como ocorre em toda bolha imobiliária, acima foram apenas algumas amostras. Para quem quiser ver com muitos gráficos estas e outras interações, acesse: “http://defendaseudinheiro.com.br/a-bolha-imobiliaria-no-brasil-e-a-economia

    45+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • benyvitz 8 de janeiro de 2016 at 10:22

      Em relação a dívida pública ao meu ver este é o grande problema da inflação. O que acha ?

      6+
      • avatar
      • CA 8 de janeiro de 2016 at 10:47

        benyvitz,

        Por que ocorreu um maior endividamento público a partir de 2012? Por que a partir de 2012 o Governo FORÇOU uma redução de SELIC e fez com que ficasse em seu menor patamar? Por que a Petrobrás ficou super-endividada nos últimos anos, assim como as empresas ligadas ao segmento de geração e distribuição de energia elétrica?

        Deve-se tomar muito cuidado quanto a eterna confusão entre CAUSA e CONSEQUÊNCIA. Explico:

        Em 2012, como CONSEQUÊNCIA da bolha imobiliária, tivemos o seguinte resultado para 12 grandes construtoras com Ações na BOVESPA (fonte: consultoria Austin Ratings a pedido de G1 Globo – notícia do início de 2013):

        Prejuízo liquido consolidado superior a R$ 1 bilhão contra mais de R$ 1,5 bilhão de lucro liquido no ano anterior;
        Estoques em unidades dobraram
        Lançamentos caíram 42% (forte impacto na geração de empregos na construção civil)
        Vendas caíram 27%
        5 grandes construtoras ficaram entre as 9 empresas do país com maior risco de insolvência
        Preços das Ações das construtoras começou a despencar de maneira mais forte
        Distratos (cancelamentos de vendas bateram o recorde até então, mais de R$ 5 bilhões, mais que o DOBRO de 2011).

        Em função da explosão da bolha imobiliária, que já estava arrastando a economia junto a partir de 2012, como sempre acontece, o que o Governo passou a fazer?

        Segurou “na marra” os reajustes de combustíveis. Reduziu preço de tarifa de energia elétrica. Aumentou os gastos do Governo. Reduziu a SELIC na marra. Tudo isto foram CONSEQUÊNCIAS da bolha imobiliária, como a mesma estava estourando e destruindo a economia, o governo teve que adotar estas ações para OCULTAR este problema e foram estas ações que depois foram o grande motor da disparada da inflação, quando o Governo teve que reverter a SELIC (só que a leniência com inflação já havia inflado e piorado a inflação, teve que aumentar muito combustíveis e energia elétrica).

        Em outras palavras, o aumento dos gastos do Governo e mais as ações heterodoxas acima, bem como pedaladas, maquiagens, etc., foram REAÇÕES, CONSEQUÊNCIAS quanto a explosão das bolhas imobiliárias e de consumo, para protelar a visibilidade destas bolhas, SIMULAR que a situação não estava tão ruim, ganhar as eleições enquanto podia com todas estas jogadas e depois gerar esta elevadíssima inflação e diversos outros problemas que vemos hoje.

        Veja o link que indiquei acima que explica com gráficos e mais análises o que está colocado aqui. Observe o gráfico sobre a inflação, lá tem uma série de observações que ajudam a entender estes mecanismos.

        Atenção: hoje, como já disse em outros comentários, temos “Elefante”, “Bode” e “Cabrito” na sala, que escondem a causa raiz da crise. O Elefante é a crise política, o Bode é a crise na economia e o Cabrito é a operação Lava Jato, só que nenhum deles em si é a causa raiz, e nem mesmo os gastos do Governo no “Dilma I” são a causa RAIZ, este excesso de gastos do Governo no período de euforia da bolha que depois se intensifica muito mais para OCULTAR os efeitos da bolha é causa ANTECESSORA da inflação elevada e demais itens da crise, sendo uma CONSEQUÊNCIA da bolha imobiliária que é a causa raiz em si.

        35+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Bolha de Tudo 8 de janeiro de 2016 at 14:04

          a minha duvida é se esta nova equipe, Keynesiana de 1a hora, não vai segurar novamente a SELIC

          2+
          • avatar
          • CA 8 de janeiro de 2016 at 15:13

            Bolha de Tudo,

            Esta é uma boa questão.

            Eles estão “entre a cruz e a espada”

            Se “segurarem” a SELIC na próxima reunião do COPOM (manter ou até diminuir os juros), quais as consequências possíveis?

            O “Mercado” vai entender que o próprio Governo assumiu a tese da dominância fiscal. Aliás, não restará outro caminho ao BC a não ser reconhecer isto formalmente em sua ata do COPOM, porque depois de uma inflação em 12 meses que subiu mais de 10%, com projeções do Boletim Focus indicando uma inflação ao final de 2016 acima do TETO da meta e o BC dizer que “não precisa subir juros”, sabendo-se que o BC já afrouxou suas metas antes postergando para 2017 o centro da meta e teria que cumprir NO MÍNIMO o teto da meta em 2016, não sobra espaço para outra justificativa (*). Qual o problema de admitir uma dominância fiscal? Aumenta a culpa a ser atribuída diretamente à Presidente e sua falta de gestão fiscal nos últimos 5 anos, sendo que agora é um péssimo momento para que isto seja feito, pois este assunto ainda traz muita visibilidade negativa para o Governo. Aumenta a desconfiança dos agentes de mercado quanto ao controle de inflação e o mero efeito psicológico disto já leva a novos estímulos para que a inflação cresça, naquele raciocínio típico de que “já que a inflação vai subir rápido e forte, é melhor me proteger e já aumentar meus preços”, além disto, a pressão do Mercado, que o Governo e o PT já estão sendo obrigados a “engolir”, no que se refere ao ajuste fiscal, irá subir muito mais e serão pedidas medidas muito mais efetivas e rápidas, sob o risco de US$ e inflação saírem por completo de controle. Existem ainda outros problemas quanto ao Governo aderir à tese da dominância fiscal, citei apenas uma amostra.

            (*) Para quem acha que um BC pode justificar “afrouxar” o controle da inflação para não agravar a recessão e usar isto como justificativa, esta não é uma opção minimamente razoável, em especial para um BC que já sofreu de intensa “intervenção branca” fazendo queda forçada dos juros em 2012 e depois fazendo subida “em marcha” lenta, sendo que esta total leniência com a inflação e mais uma série de pedaladas, maquiagens, manipulação de preços de gasolina e energia elétrica já nos trouxeram para a situação atual de inflação e o grande problema é que um comportamento destes a esta altura do campeonato seria INVIÁVEL politicamente e também em relação ao mercado. Se mesmo assim usarem esta “argumentação”, os efeitos não serão muito diferentes do que consta no parágrafo anterior.

            E se o Governo subir a SELIC em 0,50 pontos percentuais, como tem sido cogitado, qual seria o impacto?

            Sindicatos de empresários e trabalhadores, assim como o PT e seus aliados irão se revoltar, com isto, a presidente corre mais riscos de não ter o apoio imprescindível contra o impeachment. Outro ponto é que a dívida pública é impactada, assim como a possível geração de receitas, pois este aumento tem novo efeito contracionista para economia.

            Ponderando o que consta acima, se de fato o Governo via Presidente e Ministro da Fazenda fizerem uma intervenção junto ao BC para determinarem por conta própria a evolução dos juros, é possível que o façam com o máximo de descrição possível para que depois possam se “eximir da responsabilidade” e dizer que foi uma “decisão autônoma” do BC, sendo que o mais provável, dentro do estilo do Dilma II de tentar agradar “Gregos e Troianos” é que ordenem para que não se mude a SELIC, ou que se mudar, seja na base do 0,25% para cima ou para baixo e com o máximo de explicações “convincentes” possíveis (embromation master plus – sic).

            18+
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • avatar
            • Bolha de Tudo 9 de janeiro de 2016 at 08:06

              Acho que o resultado será ESTAGFLAÇÃO

              2+
              • avatar
              • CA 9 de janeiro de 2016 at 10:43

                Já estamos em receflação (sic), se evoluísse para estagflação eles ficariam no lucro. É mais provável evoluirmos para depreflação (sic), afinal o Brasil sempre foi inovador na economia e na sua capacidade de inovar os efeitos destrutivos de inflação combinados com recessão, depressão, etc. Que outro país do Mundo, tirando Argentina e Venezuela, conseguiu atingir este “brilhante” resultado sem estar em guerra ou saindo de uma?

                8+
                • avatar
    • Jovem Estudante 8 de janeiro de 2016 at 14:58

      Uma dúvida aqui, aproveitando que estamos percebendo que o número que potenciais compradores vem despencando:

      Quando o cara resolve embarcar num financiamento e bota mulher, irmão, papagaio, etc pra compor renda, todos estes que compuseram renda naquele financiamento (a famosa venda falsa na planta) ficam impedidos de fazer outro até que o primeiro esteja quitado?

      4+
      • avatar
      • Davy Jones 8 de janeiro de 2016 at 17:04

        Não. Já ter um financiamento imobiliário não é impedimento para você pegar mais um. O banco simplesmente vai estudar sua capacidade de pagamento. Ele pode liberar um outro financiamento mesmo você já tendo um. E claro pode liberar nenhum se o cidadão for duro.

        2+
        • avatar
        • avatar
  • Azufre 8 de janeiro de 2016 at 10:07

    Petro tá mais barata que em 200.

    Jogue o CDI e… !!!

    9+
    • avatar
    • avatar
    • Azufre 8 de janeiro de 2016 at 10:07

      *Mais barata que em 2001

      6+
      • avatar
      • avatar
    • From_The_Tower 8 de janeiro de 2016 at 10:08

      84% de queda no acumulado e Vale se eu não me engano 87%.

      11+
      • avatar
      • From_The_Tower 8 de janeiro de 2016 at 10:09

        + Inflação. 😉

        7+
        • avatar
  • Veigalex 8 de janeiro de 2016 at 10:09

    Galera.. preciso de umas ídeias.

    Tenho 10K hoje pretendo usar eles em menos de 90 dias.. com isso não dá para ir para os LCAs opressores.. nem TD dos sonhos..
    Hoje eles estão na Porpança da Dilmete! (perdendo a cada dia….)

    Posso usar essa grana para abater o Bolhudo.. Pago menos juros para a Caixa no final das contas.. porém o juros do financiamento é baixo.
    Uso esses 10k para trocar o bolhudo movél por um mais novo.. Não pagando Juros.. pois de automóvel é mais caro que Imovel (Certo?)

    Estou nesse pequeno impasse, tendendo a amortizar o bolhudo e ficar com o Palio mais alguns meses.. kkk

    Abraço!

    5+
    • avatar
    • avatar
    • Barnabezinho 8 de janeiro de 2016 at 10:16

      dollar?

      Tenho mais ou menos o seu problema, valor similar, carro igual (hehehe) e problema identico (trocar de carro).
      Pensei em dollar pra manter valor até junho, mais ou menos. Não tenho certeza…

      6+
      • avatar
      • avatar
      • Veigalex 8 de janeiro de 2016 at 10:28

        To cabreiro com a Doleta.. tá estranho! Já deveria estar um pouco mais alta. Estão segurando nessa faixa.. Tenho receio de vir alguma medida populista ai e ele voltar um pouco.. se bem que poderia chegar a 4,30.. mas para essa quantidade pequena.. não existe muitas opções.

        3+
        • avatar
        • SPSPJULIANO 8 de janeiro de 2016 at 13:18

          Acredito que o que está pegando com o dólar é que todas as notícias negativas já aconteceram (perda grau investimento, saída Levy, déficit público gigantesco (120 bi)) e só tem aparecido notícia que faz com que o povo não saia correndo comprando dólar (possibilidade do aumento da SELIC, reversão da Balança de Pagamento (US$ 9 bilhões positiva (tudo bem que pelos motivos errados, mas positiva). Governo com bala na agulha para intervir qd dólar subir demais (reservas, swap), mundo complicado (economia engasgando na china, dólar não rendendo nada de juros e governo federal dos EUA reduzindo o poder de compra da moeda com QE (Quantitative Easing).

          Ou seja, parece que pelo menos por enquanto, o fato de nossa dívida pública estar indo de 65% para 75% do PIB não está fazendo nenhuma diferença para o preço do dólar; o mundo ainda está nos bancando. Até quando? (a resposta vale alguns bilhões de dólares).

          14+
          • avatar
          • avatar
    • GustavoFLP 8 de janeiro de 2016 at 11:01

      CDB com liqudez diária?

      3+
      • avatar
      • Veigalex 8 de janeiro de 2016 at 11:37

        Achei essa simulação.. tem IR .. isso que lasca.. kk

        +http://www.sofisadireto.com.br/rentabilidade/

        3+
        • avatar
        • Jovem Estudante 8 de janeiro de 2016 at 15:05

          Mesmo com IR fica bem rentável. Pode acreditar.

          2+
          • avatar
  • Wolf 8 de janeiro de 2016 at 10:10

    OFF
    Wolf Rei dos OFFs ultimamente

    Aproveitando que tem muita gente de T.I no Blog como eu era, alguém indicaria alguma plataforma de E-commerce ? Estou verificando algumas como a Moovin, que achei muito interessante, mas os custos são elevados demais para inicio.

    Alguma outra?

    4+
    • avatar
    • windville 8 de janeiro de 2016 at 10:25

      Fala Wolf, se você quer fazer por conta tem o Magento, entre outros.
      Já se for contratar um serviço tem esse que você mencionou, mas também a ezcommerce, adena, ciashop etc. Talvez vale a pena dar uma lida nesse artigo: “https://www.ecommercebrasil.com.br/artigos/escolhendo-melhor-plataforma-de-e-commerce/”

      3+
      • avatar
    • Bolha BOSS 8 de janeiro de 2016 at 10:31

      Wolf, quando você receber todas as sugestoes e anotar, dê um reply notificando que já leu para poder apagar, ok ?

      5+
      • avatar
      • avatar
    • Vinicius 8 de janeiro de 2016 at 10:37

      Eu uso o Opencart. Acho bem satisfatório.

      3+
      • avatar
      • Wolf 8 de janeiro de 2016 at 10:41

        Já estudei algumas outras, não quero fazer nada na mão, nunca foi minha praia e não tenho tempo para isso.
        Alguém aqui uso a WIX? O qu acham da plataforma?

        4+
        • avatar
        • Wolf 9 de janeiro de 2016 at 10:07

          Boss pode apagar

          Irei estudar as plataformas, tem muita pegadinha. Tem umas que a mensalidade é baixa, mas cobram uma porcentagem maior nas vendas efetuadas.
          Outras cobram valores altíssimo no setup inicial coisa de 8 mil, 10 mil só para colocar sua página no ar.

          1+
          • avatar
    • Bolhicio 9 de janeiro de 2016 at 15:31

      Estou usando o nuvemshop a pouco mais de 1 mes. Escolhi ele por ter integração com as principais ferramentas de divulgação e pagamento e por ter layouts responsivos, alem deles nao cobrarem percentual em cima das minhas vendas (apenas a taxa dos gateways de pagamento). Apesar de ser saber programar, trabalho com isso, nao tenho tempo para meter a mão nesse codigo (a loja é pra minha noiva).

      Se quiser trocar umas informações e ideias, acho que pode ser bom para nós 2, vamos ver um jeito de manter um contato.

      0
  • From_The_Tower 8 de janeiro de 2016 at 10:17

    LCI Santander Select pagando 88% do DI.
    1 ano. Sem liquidez diária.
    Segundo a minha gerente não existe LCI com liquidez diária na instituição. Um bolhista comentou que tinha final do ano passado.
    PNJ !

    3+
    • avatar
    • Investidorpb 8 de janeiro de 2016 at 10:56

      Peguei LCI no satã a 90% do CDI. Promoção de Black Friday. Sim, sem liquidez e com vencimento em 6 meses ou 1 ano. Cliente Select.

      3+
      • avatar
      • From_The_Tower 8 de janeiro de 2016 at 13:00

        Inveja boa ! 😉

        3+
        • avatar
        • avatar
      • Curioso 8 de janeiro de 2016 at 13:27

        90% para 6 meses? Explique melhor.

        1+
        • avatar
    • O Bancário 8 de janeiro de 2016 at 19:00

      Corretora do Bradescão tá oferecendo LCA do BNDES.
      90% CDI – 1 ANO
      91,5% CDI – 2 ANOS
      92% CDI – 3 ANOS

      Valor mínimo por papel: 50k

      Carência de 90 dias, não possui taxas da corretora. Existe o risco se vender o papel antes do prazo pelo valor de mercado e perder dinheiro. Se manter até o fim, você recebe a variação do CDI.

      Quem for correntista, faça o cadastro na corretora. Quem tiver cadastro, entre em contato!

      Abraços.

      1+
  • windville 8 de janeiro de 2016 at 10:20

    Obrigado Boss pela aprovação. Favor ignorar os outros pedidos de cadastro.

    2+
    • avatar
  • Veigalex 8 de janeiro de 2016 at 10:30

    # OFF
    Se tiver algum oitentista aqui.. com spotify.. escutem a minha playlist.. Veigotico.

    +https://open.spotify.com/user/veigotico/playlist/6lKuYDIffdhRu7I9oNSB8h

    3+
    • avatar
    • avatar
    • Vai pela Sombra 9 de janeiro de 2016 at 09:42

      Excelente pra um churrasco! Valeu

      0
  • Mizeravi 8 de janeiro de 2016 at 10:35

    Tijolu Takaro

    Construir ficou 5,5% mais caro em 2015, diz IBGE
    Taxa ficou abaixo da registrada no ano anterior, de 6,2%.
    Mão de obra subiu mais que os materiais de construção.
    ‘http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/01/construir-ficou-55-mais-caro-em-2015-diz-ibge.html

    1+
    • avatar
  • edzf 8 de janeiro de 2016 at 10:40

    Alguem duvidava que isso iria acontecer?

    ‘http://www1.folha.uol.com.br/educacao/2016/01/1727211-quase-metade-dos-devedores-atrasa-pagamento-do-fies.shtml

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Ilusionista 8 de janeiro de 2016 at 11:00

      muita gente, investindo tempo e dinheiro que terá que pagar, em profissões que não tem mercado em tempos de crise…

      10+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Azufre 8 de janeiro de 2016 at 11:21

        Em crise?

        Fisioterapia
        Nutrição

        Vc balança uma árvore e cai uns 3 de cada um

        Se o profissional não for monstro em alguma dessas área (e 99,9% não são), vai sempre receber menos que a mensalidade.

        Ninguém vai pagar FIES e o gov não vai cobrar.

        22+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Ilusionista 8 de janeiro de 2016 at 13:09

          empregos na área da saúde, se tiver vontade de trabalhar tem serviço em qualquer hospital do Brasil e do mundo, dá para ter três empregos em regime de plantões, de quebra ainda dá para fazer uns bicos para idosos e doentes.
          Gastronomia, agora com muita gente deixando de comer fora de casa, engenharia, arquitetura e decoração com a crise no mercado imobiliário, devem ficar muito difícil arrumar emprego, corretores de imóveis quem lotavam aos montes os estandes de vendas em todas as esquinas nem se fala……
          E olhe que tem uma infinidade de gente se formando em áreas de atividades supérfluas que não serve para nada em tempos de crise…..

          23+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
    • Duas Barras 8 de janeiro de 2016 at 11:01

      O que me leva a uma dúvida: Vejo muitos “estudantes” na faculdade que não vão formar. (não vão cara, os cara estão no Cáculo 1 em 3 anos de engenharia) E são FIES, você tem 7 anos pra formar, se não perde tudo.
      Ao perder e ou trancar a faculdade, esse tempo deverá ser cobrado certo? tipo, 3 anos de faculdade deverá ser restituido ao governo? Mesmo se o cidadão não formou?

      Se sim, prevejo 90% de inadimplência do FIES em alguns anos, um estrondo na economia. Junto com Caixa + BNDES + Bolha Imobiliária…..

      Bem vindo a selva!

      26+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Bolha BOSS 8 de janeiro de 2016 at 10:41

    Índice Big Mac mostra real com subvalorização de 32,0%

    http://noticias.r7.com/economia/indice-big-mac-mostra-real-com-subvalorizacao-de-320-07012016

    O preço do tradicional sanduíche no Brasil é de R$ 13,50 (US$ 3,35) e a taxa de câmbio de mercado usada na pesquisa é R$ 4,02. Entretanto, o índice Big Mac indica que a taxa de câmbio, com base no custo do sanduíche, deveria ser de R$ 2,74. De acordo com a pesquisa, a subvalorização do real atualmente é a maior desde maio de 2004 (41,4%).

    14+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Amadeus de Sampa 8 de janeiro de 2016 at 11:06

      Seria a isso devido a baixa produtividade aliada ao alto “custo Brasil”…. Nao vejo outra explicacao.

      9+
      • avatar
      • avatar
    • fernandobotafogo 8 de janeiro de 2016 at 15:20

      Porém se o cálculo for feito considerando a renda média do bananense, a Banânia fica entre os top 10 ou mesmo top 5.

      3+
      • avatar
      • avatar
  • Duas Barras 8 de janeiro de 2016 at 11:08

    “http://www.credicasabv.com.br/site/index.html?utm_source=Infomoney&utm_medium=Slider&utm_campaing=2016_CrediCasa_Finan&utm_content=BannerArroba_chat”

    Esse tipo de empréstimo está se tornando bastante comum.

    Será que vai ter gente dando casa como garantia para quitar dívidas?

    2+
    • avatar
  • Rodrigo ABCDM-SP 8 de janeiro de 2016 at 11:31

    Ai ai…

    Investigamento imobiliário em alta. Selic em baixa!

    http://sp.olx.com.br/sao-paulo-e-regiao/imoveis/investimento-imobiliario-em-alta-selic-em-baixa-31255821?xtmc=Centro&xtnp=2&xtcr=19

    Vou comprar 3, um para morar, um para investir e outro para alugar. Sqn!

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • GustavoFLP 8 de janeiro de 2016 at 11:33

    Essa inflação de 10,67% é mentira. Dei uma passada ontem no mercado e reparei no preço de produtos que normalmente não compro.
    Resultado: TUDO muito caro, qualquer coisinha na prateleira era praticamente 10 desvalorizados. A gordura hidrogenada da Garoto que era 200g já está em 120g mantendo o mesmo preço. Uma pizza daquelas prontas da Sadia que ano passado era possível encontrar por menos de 9 dilmas ontem estava DOZE desvalorizados.

    25+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Mão de Vaca 8 de janeiro de 2016 at 11:39

      Exatamente. A realidade do aumento dos preços nos mercados, shoppings, impostos, em tudo é bem pior do que os números anunciados. Quem é assalariado e controla o dinheiro sabe muito bem disso.
      Tenho uma pequena impressão de que a inflação também está sendo maquiada para não gerar pânico.

      22+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Awulll 8 de janeiro de 2016 at 12:45

        Pode trocar impressão por certeza.
        Os produtos subiram muito mais do que 10%.
        E digo mais… Do final de 2014 pra final de 2015, que produtos entre os mais necessários (alimentação, água, luz, combustíveis) não subiram menos de 10%?

        12+
        • avatar
        • avatar
  • windville 8 de janeiro de 2016 at 11:50

    Com o fim da lei do bem, que eu particularmente achei o maior tiro no pé, preço de eletrônicos subiu bem nessa virada de ano. Claro que isso não entra no cálculo da inflação. Mas produtos como remédios também foram impactados pela revogação da lei. E na minha opinião com certeza esse 10,67% é muito maior. Aqui um exemplo de preços para eletrônicos. Fonte: “http://canaltech.com.br/noticia/motorola/fim-da-lei-do-bem-smartphones-da-motorola-ja-estao-ate-r-500-mais-caros-55731/”

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • LZ 8 de janeiro de 2016 at 12:00

    Após terminar o ano com ação a R$ 1,63, PDG anuncia venda de ativos
    Empresa quer vender terrenos e imóveis avaliados em US$ 461 milhões.
    Recursos serão usados para reforçar o caixa e amortizar dívidas.

    A PDG Realty, que em 2015 foi a empresa com a maior queda do valor da ação na Bovespa, anunciou nesta quinta-feira (7) que pretende vender terrenos e imóveis avaliados em US$ 461 milhões para reduzir dívida e reforçar seu caixa.

    A construtora e incorporadora assinou memorando de entendimentos com o Banco Votorantim e BV Empreendimentos e Participações e concedeu um prazo de exclusividade para a negociação de um acordo definitivo.

    Se acordo com o comunicado da empresa divulgado ao mercado nesta quinta, os recursos serão usados para reforçar o caixa da empresa e amortizar dívidas com o Banco Votorantim. Com o negócio, a alavancagem ampliada da PDG será reduzida em cerca de R$ 1,578 bilhão de reais, cerca de 23% do total.

    Segundo informações da Reuters, a PDG contratou no ano passado assessora financeira do Rothschild para ajudá-la na reestruturação de dívida.

    A companhia informou em setembro que não realizará lançamentos de imóveis no curto ou médio prazos, diante de uma situação de endividamento e estoques elevados agravada pela situação macroeconômica brasileira.

    Os ativos envolvidos no potencial acordo desta quinta têm um custo a incorrer de cerca de R$ 673 milhões e dívida financeira líquida de R$ 444 milhões, que serão assumidos pelos interessados, caso a venda se concretize, disse a PDG.

    Queda na bolsa
    De acordo com informações da Economatica, a ação que registrou a maior queda anual em 2015 foi a da PDG Realty. O papel perdeu 95,82%, passando de R$ 39 em 2014 para R$ 1,63 no fechamento do último pregão de 2015.

    8+
    • avatar
    • avatar
  • caipira_priv15 8 de janeiro de 2016 at 12:20

    CA.

    Obrigado pela explicação do “Despair” no outro tópico !!!

    3+
    • avatar
  • RightOneIn 8 de janeiro de 2016 at 12:40

    Não sei se já postaram antes, mas o BC liquidou a corretora TOV:

    +http://economia.uol.com.br/financas-pessoais/noticias/redacao/2016/01/08/bc-fecha-corretora-tov-o-que-acontece-com-os-investidores-agora.htm

    Espero que ninguém tenha conta lá.

    4+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Davy Jones 8 de janeiro de 2016 at 13:47

      Eu não sei vocês, mas eu não tenho mais idade para passar esse tipo de emoção.

      “Berzaghi ainda relata que tem encontrado dificuldade para liquidar suas opções e, com isso, pode perder bastante dinheiro. Ele já tem se mobilizado e está em um grupo de ex-clientes da corretora para agirem em conjunto. “Estamos totalmente perdidos, pensando que vamos perder dinheiro”
      -http://www.infomoney.com.br/onde-investir/acoes/noticia/4508533/tov-corretora-liquidante-nao-atendem-clientes-apos-liquidacao

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Onion 9 de janeiro de 2016 at 11:05

      Situação complicadíssima. Sou cliente TOV e só não tinha ativos e dinheiro na conta neste momento por pura sorte.
      Serve de alerta para todos nós. Como dizem por aqui: “banania não é para amadores”.

      3+
      • avatar
      • avatar
  • RightOneIn 8 de janeiro de 2016 at 12:42

    Duas perguntas sobre essa nova regra de IR no envio de remessas ao exterior:

    1) Afeta wire transfer entre contas do mesmo titular? Se eu for mandar dinheiro do Itaú pro meu banco nos EUA, vou morrer com 25% também?
    2) Uma amiga trabalha em agência de turismo, e parece que as agências vão ser afetadas. Confere? Se sim, como ficam sites como Booking, Hotels.com, etc?

    5+
    • avatar
    • Portuga 8 de janeiro de 2016 at 13:25

      1) Pelo que entendi até o momento, não há incidência do IR de 25% para transferências entre contas de mesma titularidade. Fiz simulação no ITAU e via um corretora (Confidence) para me certificar, e o custo para a transferência é 0,38% de IOF + a taxa de conversão da moeda da instituição financeira.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 8 de janeiro de 2016 at 13:28

        Só tem Imposto de Retido na Fonte para remessas com o objetivo de manutenção de residentes no exterior e ou pagamento de serviços de turismo, aluguel, despesas no exterior, etc.

        Sob a rubrica: “Enviando recursos para a sua conta” não existe IRRF. (ainda) 😉

        7+
        • avatar
        • avatar
        • RightOneIn 8 de janeiro de 2016 at 13:33

          Well, que bom. Pelo menos não vou sofrer essa paulada aí nas próximas transferências. Agora, o pessoal de agência de viagem parece que conseguiu prorrogar a isenção a partir do dia 11/1, e entre 1/1 e 10/1 o imposto também vale. Que confusão dos diabos.

          1+
          • avatar
        • Renato C 8 de janeiro de 2016 at 19:04

          Isto afeta envio por Western Union tbm?

          1+
          • avatar
  • Cesar_DF 8 de janeiro de 2016 at 12:49

    Já estava falando ha meses que haveria demissão em massa em janeiro.

    “Demissão em massa na Rede Globo poderá ultrapassar 700 funcionários, incluindo artistas famosos”

    “http://www.diariodobrasil.org/demissao-em-massa-na-rede-globo-podera-ultrapassar-700-funcionarios-incluindo-artistas-famosos/#

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • From_The_Tower 8 de janeiro de 2016 at 13:01

    Boss, você está RICO e não me contou!???
    kkkk
    Veja esse comentário no Infomoney sobre a declaração do Shiller:
    Thiago Albuquerque:
    “á notaram que são sempre as mesmas pessoas que ficam pregando essa tal bolha? Bolha Imobiliária, Pedro Bevevides. Em tópicos de 2011 tão lá os mesmos. O dono do blog da bolha ta rindo a toa ganhando encima de bestas que ficam lá postando todo dia. Sao sempre os mesmos. É hilário. Pra eles dedicarem tanta atenção só podem ta querendo ganhar algo em troca!!!! Kkk.”

    27+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Louro José 8 de janeiro de 2016 at 13:04

      O Pedro Benevides também tá rico. Eu agaranto.

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 8 de janeiro de 2016 at 13:06

        kkkkkk. Esse é fera.

        6+
        • avatar
        • avatar
        • Louro José 8 de janeiro de 2016 at 13:08

          Tem vários que são fera!
          Tem um tal de Velasco que arrebenta

          7+
          • avatar
          • Barnabezinho 8 de janeiro de 2016 at 15:44

            Papagaio engraçadinho… hahaha

            5+
            • avatar
    • Louro José 8 de janeiro de 2016 at 13:06

      Eu to ganhando eNcima de otários.
      Otários que pagam meus juros espontaneamente, nem preciso escrever nada na internet

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • From_The_Tower 8 de janeiro de 2016 at 13:09

        (2)
        PNJ !!!!
        Comprem o máximo de tijolos que puderem e financiem !!!!

        7+
        • avatar
        • Louro José 8 de janeiro de 2016 at 13:12

          Em 35 anos de preferência

          9+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
      • Jovem Estudante 8 de janeiro de 2016 at 15:43

        Parece aquele papo de “trabalhe em casa”

        3+
        • avatar
  • Louro José 8 de janeiro de 2016 at 13:17

    Cadê a Rosinha pra falar pra gente aonde este cara vive? hahahahaha

    Tem alguém aqui com dinheiro que se transformou em MICO? hahahahaha

    O sumiço, creio eu, que se deve a queda da atividade econômica no país.

    Grande parte das discussões aqui centradas em um passado não tão distante, versavam sobre a existência ou não de bolha imobiliária, e as possíveis consequências de sua explosão, ocasionando grandes oportunidades de compra de imóveis e terrenos na bacia das almas.

    O fato é, que isto não ocorreu. A economia brasileira, quase chega ao fundo do poço, e por incrível que pareça, não conseguiu arrastar os preços dos imóveis e terrenos a mesma velocidade de desgraça, em que nos colocou Dilma Rousseff.

    Ao contrário, o que ocorreu, foi que aqueles que criam na existência da bolha imobiliária, e mantinham seu capital aplicado em especulações financeiras, viram seus recursos serem comidos pela inflação e pelo aumento do custo de vida.

    A velocidade da corrosão da moeda brasileira foi muito maior do que podiam imaginar, frente a possível queda de 80% ou até 100% dos preços dos imóveis e terrenos de uma possível existência de uma bolha imobiliária que nunca existiu.

    Para se ter uma idéia, a aplicação em caderneta de poupança, já está dando prejuízo frente aos diversos índices inflacionários brasileiros.

    A caderneta de poupança, aliás, já perdeu R$ 48,5 bilhões de reais, desde o início do ano de 2015; o maior valor em 20 anos. Tal perda se verifica principalmente, ao fato de que o brasileiro poupador se vê obrigado, a sacar suas economias, para cobrir o custo de vida.

    Tempos atrás, aqui mesmo neste tópico, eu havia alertado que quem ficasse com o dinheiro na mão, iria ficar com o mico.

    As conturbacões políticas e a falta de credibilidade na política econômica federal, além de proporcionar aumento da inflação, trazem a desvalorização da moeda brasileira frente ao dólar, o que por conseguinte gera um fato nefasto e moto – perpétuo de aumento das taxas de juros e aumento da taxa de inflação, gerando mais corrosão ainda ao poder de compra do brasileiro.

    Tivemos até gurus estrangeiros, economistas famosos, ganhadores de premio nobel, prevendo a grande explosão da bolha imobiliária, e por conseguinte, imóveis e terrenos a preço de banana.

    O que se viu e o que está se vendo, não é nada disso.

    PH7, 14 Set 2015
    #3982

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • GustavoFLP 8 de janeiro de 2016 at 13:25

      Enquanto uns e outros estão com cada vez mais medo do amanhã, sem saber se no próximo mês irão conseguir pagar as parcelinhas (bolhudo, bolhudo móvel, bolhudo fone, etc.), pois não sabem se terão emprego ou se irão receber o salário em dia, eu estou cada vez mais tranquilo vendo o MICO se acumular na minha conta.

      27+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Crocs 8 de janeiro de 2016 at 13:33

        Engraçado, também tenho visto o MICO se acumulando na minha conta! PMJ!

        13+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Rafael km 8 de janeiro de 2016 at 16:29

          O mico da conta do banco eu consigo transformar em churrasco de picanha todo o final de semana. Quero ver é conseguirem transformar o bolhudinho em churrasco.

          13+
          • avatar
          • avatar
    • Dutra 8 de janeiro de 2016 at 14:22

      É só o começo, a ficha de muita gente não caiu ainda, só aparece noticias e fatos desanimadores, o dinheiro está acabando na mão da maioria das pessoas. Fora o clima de negatividade que vem aumentando, eu especulava comprar um imóvel no primeiro semestre do ano que vem, já estou partindo para o segundo semestre e dai para pior, pois do jeito que as coisas andam, mesmo guardando dinheiro e investindo no Brasil a gente nada contra a maré, já os sem noção estão morrendo afagado e os pródigos já morreram na praia.

      12+
      • avatar
      • avatar
  • Dr. Brown 8 de janeiro de 2016 at 13:23

    Fiquei feliz agora. Comprei uns equipamentos (celular) aqui para a startup e o pessoal dos EUA me mandou o refund via paypal. Deixei o dinheirinho lá, já que que tinha pago de qualquer maneira. O Paypal está mantendo o meu saldo em dólar. O melhor é que mandei a cobrança quando o dolar ainda estava mais barato, e por uns problemas técnicos a empresa lá demorou para conseguir ser validada pelo paypal para fazer a transferência.
    É pouco dinheiro, mas já é alguma coisa.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • Nilson 8 de janeiro de 2016 at 18:28

      tenho créditos em dólar na minha conta do google voice dos tempos que era R$1,80 . Sempre faço ligações a $0,01 o minuto mais nunca acaba

      2+
      • avatar
  • Sobra 8 de janeiro de 2016 at 13:43

    Aloou galera do Blog, um 2016 melhor para todos.
    Uma vez bolhista, bolhista para sempre !

    25+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Crocs 8 de janeiro de 2016 at 13:53

      Qualé Sobra, andou sumido! Seja bem-vindo!

      9+
      • avatar
      • avatar
    • Barnabezinho 8 de janeiro de 2016 at 15:45

      Prazer rever, Sobra. Sempre lembrado!

      6+
      • avatar
      • avatar
    • Azufre 8 de janeiro de 2016 at 17:18

      Oi, Sobra!

      Bom que voltou

      5+
      • avatar
      • avatar
  • RAGNAR 8 de janeiro de 2016 at 14:13

    Tive um papo sério com o Papai Noel nesse fim de ano e ele me confidenciou que é pra todo mundo acreditar que o novo ministro da fazenda vai conseguir arrumar a economia com suas maravilhosas políticas desenvolvimentistas e keynesianas. Em março, me reunirei com o Coelho da Páscoa para confirmar se é verdade mesmo. Aguardem!

    16+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • JPM 8 de janeiro de 2016 at 17:34

      Espero que você, pelo menos, não acredite em Duendes!

      Eles são muito mentirosos…

      3+
      • avatar
  • cads 8 de janeiro de 2016 at 14:19

    Para o CA, do tópico anterior:

    CA escreveu: “Ah, mas está próximo de São Paulo, o pessoal da Capital vem “aos montes” querendo morar em Jundiaí e trabalhar em São Paulo e blá, blá, blá, de novo, tudo papo furado: com o aumento dos combustíveis, impostos (exemplo: IPVA), pedágios, custos de manutenção dos veículos, etc., não é mais tão viável gastar 3 horas para ir e outras 3 horas para voltar todos os dias (gargalos nos acessos de Anhanguera e Bandeirantes às Marginais em São Paulo onde se perde pelo menos 30 minutos por trajeto por dia, mais o trânsito de passar por Marginais em si), se você trabalha em Jundiaí, que tem cada vez menos vagas, OK, caso contrário, não vale a pena usá-la como “cidade-dormitório”. Além disto, como a super oferta também está claríssima em São Paulo, você consegue negociar um preço próximo ao que pagaria em Jundiaí, por que ter toda esta dor de cabeça se você continuar trabalhando em São Paulo? ”

    Concordo com quase tudo que você escreveu, somente discordo do tempo entre Jundiaí – SP – Jundiaí: moro lá desde 2011, quando vendi meu apto aqui em SP (Vila Nova Cachoerinha) e comprei um apto em Jundiaí (Jd. Bonfiglioli). Venho trabalhar todos os dias em SP de fretado, pego o mesmo às 06:15 na Nove de Julho e desço às 07:30 na Vila Madalena (antes o fretado para na Barra Funda e Metrô Sumaré). Na volta pego o fretado às 17:45 na Vila Madalena, ele passa no Sumaré, depois na Barra Funda, e chego na Nove de Julho por volta das 19:15. Ou seja, 1:15 na vinda para SP e 1:30 na volta para Jundiaí.
    Para você ter uma ideia, uma vez cheguei a levar 1:30 para percorrer um trecho de 13 km entre meu antigo apto na VN Cachoeirinha e a Vila Madalena, no período da manhã. Foi um pico de congestionamento em SP, mas nunca levei menos que 40 minutos, isso de carro.

    De resto, realmente, Jundiaí está muito bolhuda, quem tem imóvel lá acha que tem o rei na barriga, pede preços absurdos, muitos lançamentos na cidade mas ninguém baixa o preço. O shopping novo (Shopping Jundiaí na Nove de Julho) vive às moscas (exceto praça de alimentação e cinemas), o custo de vida lá é tão alto quanto SP e a qualidade de vida nem é tão melhor que outras cidades (exceto pela água, que nunca faltou por lá).

    8+
    • avatar
    • avatar
    • CA 8 de janeiro de 2016 at 14:29

      Sobre o tempo para ida e vinda, foi baseado em experiências próprias quando tive que ir para Zona Sul de carro a serviço dentro do horário de pico. Também tive referência de profissional que saiu da empresa que trabalho e foi para São Paulo, que informou este mesmo tempo total.

      No meu caso levava entre 30 e 40 minutos de estrada (contando com o pedágio), depois demorou quase 30 minutos só para entrar na marginal Pinheiros e depois aproximadamente 1:15 horas para chegar até a ponte do Morumbi e mais 45 minutos só para cruzar a ponte do Morumbi e chegar ao destino que ficava do outro lado.

      Sim, a maior parte do tempo era dentro de São Paulo mesmo, mas quanto ao gargalo na ligação entre estradas e marginal é inegável, quando comecei a trabalhar em Jundiaí morava na Vila Leopoldina e ia no “contra-fluxo”, sempre observava este grande congestionamento na chegada da marginal. Para quem já podia ficar até duas horas na marginal, uma hora a mais faz muita diferença, acredite (morei mais de 30 anos em São Paulo Capital, demorava 1 hora para fazer percurso de 7 KM).

      Atenção: estou falando sobre “porta-a-porta” e não só até a estação do metrô, além disto, não me referia a opção fretado + metrô, até porque depende de ter metrô muito próximo do seu destino final, tanto que também falei sobre os custos relacionados a transporte de CARRO como um dos impeditivos. Dependendo de sua área de atuação e destino dentro de São Paulo, você pode gastar muito menos tempo, mas se na sua atividade os horários são flexíveis, então a opção do fretado não é muito viável…

      7+
      • avatar
      • avatar
      • CA 8 de janeiro de 2016 at 14:32

        Em tempo: o stress do profissional que mencionei acima com as horas perdidas em idas e vindas foi tão elevado, que menos de 1 ano na empresa (que ele dizia gostar quanto ao trabalho) e ele já queria voltar a trabalhar em Jundiaí ou Campinas.

        6+
        • avatar
        • cads 8 de janeiro de 2016 at 14:58

          De carro realmente não compensa, tanto que deixo o meu na garagem. Os custos, o tempo de deslocamento e o stress do trânsito de SP deixam qualquer um com vontade de ir embora. Eu fui embora por causa desse stress no trânsito daqui e também porque Dona cads é de Jundiaí e praticamente me intimou a isso (kkk).
          No meu caso trabalho na Vila Madalena, não tenho outros custos e deslocamentos além de JDI – SP – JDI. No caso de quem trabalha em outros lugares de SP realmente o tempo é maior.

          5+
          • avatar
  • mestre dos magos 8 de janeiro de 2016 at 14:34

    Dinheiro da compra de votos está acabando. Jornal hoje falou que 800mil pescadores não irão receber o seguro defeso. Um juiz do Stf declarou parte do decreto ilegal, e o pagamento vai ser cancelado. Vão aproveitar para efetuar novo recadastramento e diminuir os que ganham irregularmente. Mais 1,5bi a menos na economia. Acabou o dinheiro, acabou o amor. Mais 800 mil famílias xingando a Dilma.

    27+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Dickinson 8 de janeiro de 2016 at 15:16

      De 800 em 800mil, de 10% em 10% de inflação, assim o gado vai se rebelando.
      Só sobrarão os doentes, fanáticos, intelectuais da vadiagem.

      27+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Ilusionista 8 de janeiro de 2016 at 17:19

      O seguro-defeso é uma modalidade de seguro-desemprego e tem por finalidade promover a assistência financeira temporária ao pescador, no período em que se encontra proibido de exercer sua atividade, no chamado período de defeso (piracema).
      Piracema – Período em que os peixes formam cardumes, saem das baías e lagos, viajando pelo canal dos rios em busca de áreas apropriadas para a desova. Nesse período os peixes estão cansados pelo esforço da migração, tanto que se descuidam das suas estratégias de proteção, tornando-se presas fáceis. A captura nessa fase interfere no processo da reprodução, conseqüentemente na renovação dos estoques.

      sem dinheiro, vão sair para pescar para sobreviver…..imagine o impacto ambiental no futuro….

      4+
      • avatar
      • JPM 8 de janeiro de 2016 at 17:43

        Eu acho seguro-defeso uma aberação. Se o sujeito quer viver da pesca, ele precisa se preparar para sobreviver durante o defeso, seja com outra atividade ou com dinheiro poupado. Pagar seguro-defeso para o pescador é análogo a pagar um “seguro entressafra” ao agricultor, porque enquanto a plantação cresce ele não pode colher e vender. O defeso é o equivalente à época de plantio.
        O resultado prático dessa aberração é a quantidade enorme de “pescadores” que nunca puseram o barco na água, mas se declaram como tal para receber uma ajudinha do governo.

        30+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Emer 8 de janeiro de 2016 at 15:31

    Caros,
    Acabei de receber essa informação de nosso despachante aduaneiro:
    Os valores pagos, creditados, entregues, empregados ou remetidos para pessoa física ou jurídica residente ou domiciliada no exterior, destinados à cobertura de gastos pessoais, no exterior, de pessoas físicas residentes no País, em viagens de turismo, negócios, serviço, treinamento ou missões oficiais, no período de 01.01.2011 a 31.12.2015 estavam isentos do IRRF por força do art. 60 da Lei nº 12.249 de 2010 e IN 1214 de 2011.

    A isenção também se aplicava às remessas para a pessoa jurídica, domiciliada no País, que arcasse com despesas pessoais de seus empregados e dirigentes residentes no País, registrados em carteira de trabalho.

    O valor isento correspondia ao limite global de R$20.000,00 ao mês.

    Ocorre que, como a lei previa prazo de vigência para o benefício e não surgiu nenhuma outra lei o prorrogando. Agora a isenção está totalmente extinta.

    Assim, despesas com serviços considerados turísticos, como por exemplo, gastos com hotéis, transporte, hospedagem, aluguel de veículos, estudos, pagamentos de cursos, treinamentos, taxas de inscrição, congressos, seminários, gastos com livros e apostilas, despesas com dependentes no exterior (residentes no país), e demais despesas para fins educacionais, científicos, culturais, bem como gastos com treinamento e competições esportivas no exterior, voltam a ser tributados pelo imposto de renda.

    FONTE: TRIBUTÁRIO NOS BASTIDORES

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • caipira_priv15 8 de janeiro de 2016 at 15:32

    Sobre o povo comentando de Jundiaí.

    Eu moro em Barueri e trabalho em SP. Moro em Barueri pois minha esposa trabalha aqui.

    Os preços de alugueis aqui em Barueri estão bem difíceis de abaixar. Deve ser o movimento migratório do povo de SP para as cidades no entorno de SP. Ou também que o povo não está financiando e partindo para o aluguel.

    Meu contato de aluguel vence em 2 anos, porém estou sondando imóveis semelhantes ao meu com melhores preços e está difícil.

    Atualmente minha porcentagem, aluguel/valor do imóvel = 0,42% (Considerando o menor valor de imóvel em sites de vendas)

    6+
    • avatar
  • caipira_priv15 8 de janeiro de 2016 at 15:36

    CVR

    Conversando com conhecido, A Tv do Bispo vai mandar 400+ embora. Engraçado que isso os blogueiros chapa branca não falam nada né ???

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • joselito 8 de janeiro de 2016 at 17:30

      Falam sim.

      Falam que a globo mandará 700.

      4+
      • avatar
      • avatar
      • caipira_priv15 8 de janeiro de 2016 at 18:00

        kkkkkk

        Só falam da Globo os safados kkkkkkk

        A mídia golpista

        6+
        • avatar
        • avatar
  • Chapolin 8 de janeiro de 2016 at 15:40

    Vocês já perceberam que o ZAP está com um espaço publicitário todos os dias na capa do G1? Quase um espaço de humor…

    “O novo cenário pode animar o mercado imobiliário nos próximos semestres. O aumento da procura deve elevar o valor dos aluguéis na segunda metade de 2016, o que pode atrair investidores conservadores interessados em imóveis para alugar”, disse Schaeffer em entrevista à Folha de SP.

    “http://g1.globo.com/especial-publicitario/zap/imoveis/noticia/2016/01/busca-por-aluguel-e-maior-que-de-compra-aponta-pesquisa-do-zap.html

    8+
    • avatar
    • avatar
    • Barnabezinho 8 de janeiro de 2016 at 15:46

      Filho, o zape vai fazer concorrência com os blogues!!!!

      “http://g1.globo.com/imoveis/blog/conexao-imobiliaria/1.html

      8+
      • avatar
      • avatar
      • carioca_real 8 de janeiro de 2016 at 16:30

        Vamos lá floodar o blog do FingeZAP

        4+
        • avatar
        • avatar
    • CA 8 de janeiro de 2016 at 16:48

      Chapolin,

      A cada declaração de um representante do Zap Imóveis, Revista Zap Imóveis, FIPE Zap, Núcleo Real Estate da Poli USP e afins, fica mais clara a total parcialidade e o quanto eles estão engajados, para não dizer, desesperados, para atraírem o máximo possível de sardinhas e salvarem o negócio deles, que é faturar com anúncios (faturar não só no Zap Imóveis, mas nos diversos canais das Organizações Globo, a qual o Zap pertence), ou faturar diretamente com a especulação imobiliária, como quem tem a renda 100% dependente do segmento imobiliário (exemplo do time do núcleo Real Estate da Poli USP, 100% composto por profissionais que tiram seu sustento do segmento imobiliário).

      Já faz 1 ano pelo menos que o segmento imobiliário tenta convencer que as quedas nas vendas e o agravamento da crise econômica farão com que a procura por aluguel cresça e com isto os preços de aluguel “disparem” e este se torne um “excelente negócio”, que vai atrair muitos investidores em imóveis que vão comprar para colocar para alugar.

      Será?

      Para começar, vejamos o que diz a última pesquisa do CRECI SP (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis), que é feita junto a centenas de imobiliárias na cidade de São Paulo, tendo como base os negócios intermediados por estas imobiliárias, tanto de vendas quanto de locações para imóveis USADOS. Trata-se da pesquisa de Novembro/2015:

      Link: “http://www.crecisp.gov.br/arquivos/pesquisas/capital/2015/pesquisa_capital_novembro_2015.pdf

      “Título”, logo no começo da primeira página no documento acima: “Venda de imóvel usado tem queda de 44,03% em novembro: pior resultado do ano na Capital”

      Foi o terceiro pior mês de todos os tempos da pesquisa do CRECI SP quanto a vendas de imóveis, não apenas comparando com Novembro, mas com qualquer mês do ano e desde 2008 quando dados são comparáveis.

      Seguindo a sempre “brilhante” lógica do pessoal do Zap Imóveis e assemelhados, teríamos então uma grande procura por aluguel, afinal se as pessoas não estão comprando, certamente estão alugando mais, não é mesmo? Vejamos outro trecho desta mesma pesquisa do CRECI SP:

      ” Já o número de devoluções de chaves foi 33,18% maior que o de novas locações, superando percentualmente as devoluções registradas em outubro.”

      Para quem não entendeu, tivemos 33,18% a mais em CANCELAMENTOS de alugueis do que em novos aluguéis! Em outras palavras, uma grande REDUÇÃO no volume liquido de aluguéis realizados, o que significa aumento na VACÂNCIA, maior número de imóveis parados sem encontrar um inquilino! É exatamente o contrário do que diz a galera acima…

      O CRECI SP, apesar de mostrar os dados da realidade, também tenta DESINFORMAR, só que de outra forma: eles falam sobre crescimento nos aluguéis, mas na verdade, a cada ano os aluguéis tem caído na comparação com ano anterior, só que eles nunca fazem este tipo de comparação, eles preferem comparar dentro do ano, assim se dezembro sempre aluga mais que janeiro, vai sempre parecer que está tendo um crescimento. Outro ponto é que eles nunca fazem a comparação dos aluguéis líquidos, abatendo o quanto foi cancelado no mês. Claro que eles tem que fazer assim, afinal são corretores de imóveis e tem que demonstrar algum tipo de “otimismo”, senão de onde viriam os clientes (lembrando que quem paga a comissão deles é o vendedor ou proprietário que coloca o imóvel para alugar).

      Sobre a evolução dos preços dos aluguéis, foi de 6,70% no período de dez/14 a nov/15, contra uma inflação de 10,48% no mesmo período e de quebra, com preços de vendas que variaram nos últimos 2 anos, em termos nominais, com uma queda superior a 28% (se somar inflação, queda de 45% no preço do M2 para venda de imóvel usado em São Paulo nos últimos 24 meses). Estas informações podem ser conferidas na página 27 da pesquisa anexa com link logo acima.

      Vejamos então, pelo que consta acima, como é um “excelente investimento” comprar um imóvel e colocar para alugar:

      Há uma vacância elevada e crescente levando a inevitáveis despesas sem receita (condomínio, IPTU, manutenção, etc), a valorização do preço do aluguel fica muito aquém de qualquer aplicação financeira CONSERVADORA, até mesmo uma poupança e de quebra, o imóvel está desvalorizando rapidamente e de forma acentuada. E aí, muito parecido com as PROMESSAS sem nenhum conteúdo do pessoal da Zap Imóveis e assemelhados?

      13+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • CA 8 de janeiro de 2016 at 17:02

        Para não dizerem que a situação acima é só quanto a imóveis USADOS, vamos então falar sobre imóveis NOVOS e ver a notícia que está em destaque na primeira página do site do SECOVI SP (Sindicato das Construtoras):

        Link: “http://www.secovi.com.br/noticias/em-12-meses-aluguel-residencial-cai-21-na-cidade-de-sao-paulo/10989/

        Título: “Em 12 meses aluguel residencial cai 2,1% na cidade de São Paulo”

        Trecho do link acima:

        “Em 12 meses, a retração atingiu 2,1%, ante uma inflação, medida pelo IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), de 10,7% no acumulado do mesmo período do ano passado. “Os números de novembro mostram que, a um mês do final do ano, 2015 vai se caracterizar pela queda nos valores de locação – em razão da flexibilização das negociações entre proprietários e inquilinos, dada a situação macroeconômica que o País atravessa – e pelo aumento dos estoques de imóveis vagos”, diz Mark Turnbull, diretor de Locação do Secovi-SP (Sindicato da Habitação). Ele lembra que as imobiliárias notam um aumento na entrega de chaves e dos índices de inadimplência.”

        Será que precisa dizer mais alguma coisa?

        14+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • joselito 8 de janeiro de 2016 at 17:33

          Quando falarem que o aluguel ta rendendo 1,5% do valor do imóvel eu termino de ler o que o povo do 4♣ (jogadores de truco entenderão) publica.

          3+
          • avatar
          • avatar
  • Jovem Estudante 8 de janeiro de 2016 at 16:40

    É do Zap?
    Imagine o CA quebrando os caras na ideia.

    4+
    • avatar
    • avatar
  • Curioso 8 de janeiro de 2016 at 16:50

    Excelentes inserções do CA nestes últimos tópicos!!!

    Muito esclarecedoras!
    Toma meu LIKE formalmente!

    17+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Polaco 8 de janeiro de 2016 at 16:53

    Levy será diretor financeiro do Banco Mundial

    “http://oglobo.globo.com/economia/levy-sera-diretor-financeiro-do-banco-mundial-18436334

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • My name is James Bond 8 de janeiro de 2016 at 17:03

    Obrigado Boss,
    estou de volta ao mundo real.
    Grande abraço a todos.

    4+
    • avatar
    • avatar
  • Sport87 8 de janeiro de 2016 at 17:08

    “http://www.infomoney.com.br/onde-investir/renda-fixa/noticia/4508717/liquida-banco-azteca-dos-mil-clientes-menos-ficarao-sem-cobertura”
    O Banco Azteca foi mais um daqueles que “salvou” muitos 666!

    7+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Homero 8 de janeiro de 2016 at 17:11

      Para mim exemplo de como o Brasil não é para amadores !

      7+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • Margarida 8 de janeiro de 2016 at 17:13

    Inflação oficial a 10.67. Ok. Não consigo entender como varias pessoas aqui já contaram que pagam aluguel, parcial ou integral, co
    dinheiro de juros. Comofaz?

    5+
    • avatar
    • Dimattos_RJ 8 de janeiro de 2016 at 17:24

      Como exemplo temos investimentos pagam IPCA+6%, esses 6% precisam ser suficientes para cobrir o seu aluguel.
      (valor investido) * 6% = Aluguel * 12

      3+
      • avatar
      • Margarida 8 de janeiro de 2016 at 18:08

        Desses 6%, uma parte teria que ser reservada pra compensar a inflação real, não?
        E ainda tem o IR, certo?
        100 x i aluguel, mao consigo fechar essa contAa.

        4+
        • avatar
        • CA 8 de janeiro de 2016 at 18:51

          Margarida,

          Seria muito difícil você encontrar investimentos de baixo risco com liquidez diária e ainda alta rentabilidade acima da inflação, seria contra qualquer regra básica de economia, em especial a que trata da questão de risco versus retorno. Se você seguiu o manual do Anonymous como o blog sempre recomendou, ganhou mais de 45% só em 2015 com a alta do US$, porque você desistiu do aspecto “conservador”. Agora voltando ao tema das aplicações tradicionais, conservadoras:

          Toda vez que o pessoal fala sobre pagar o aluguel com os juros, o raciocínio levado em consideração é o de custo de oportunidade. Em um país com alta inflação, reforçando, você só vai ganhar da inflação com aplicações de maior risco, esta é a regra. Então a questão que fica é: como vou perder o mínimo possível, tendo baixo risco?

          Imagine o seguinte: você mora na cidade de São Paulo, comprou um imóvel usado por R$ 500 mil em novembro/2013, ao invés de alugar. Como ficaria sua situação ao comparar com a opção de alugar desde então?

          Segundo pesquisa do CRECI SP junto a centenas de imobiliárias e com base em preços reais, praticados, negociados, o preço médio do M2 do imóvel usado em São Paulo CAIU mais de 28% em termos NOMINAIS de dezembro/13 a novembro/15 (últimos 24 meses apurados), ou mais de 45% de queda em termos REAIS (considerando a inflação). Considere que o que você pagaria de aluguel ao mês, em média no caso da cidade de São Paulo, seria no máximo 0,40% e que uma aplicação conservadora rende liquido 0,80% ao mês.

          Pesquisas do CRECI SP, ver página 26 da primeira e página 27 da segunda, que contém tabelas com dados acumulados dos últimos 24 meses quanto a evolução do preço do M2 de imóvel usado em São Paulo:

          “http://www.crecisp.gov.br/arquivos/pesquisas/capital/2015/pesquisa_capital_novembro_2014.pdf

          “http://www.crecisp.gov.br/arquivos/pesquisas/capital/2015/pesquisa_capital_novembro_2015.pdf

          Link para quem quiser calcular juros compostos: “http://www.clubedospoupadores.com/simulador-de-juros-compostos

          Enquanto aqueles R$ 500 mil aplicados rendem 0,40% ao mês ao longo de 24 meses para o inquilino que está pagando aluguel (liquido, já descontando o que você paga de aluguel todo mês), chegando a um valor acumulado de R$ 550.274,15 após estes 24 meses, o “feliz proprietário” do imóvel em questão saiu de R$ 500 mil iniciais e ficou ao final com R$ 412.686,31 (valor atualizado do imóvel após queda de preços e somando o aluguel que ele recebeu todo mês como se ele tivesse investido todo o aluguel em aplicação financeira a cada mês, com rendimento de 0,80% ao mês, considerando juros compostos nestas aplicações).

          Pelo exemplo acima, o inquilino ganhou R$ 50.274,15 ao longo de 24 meses e o proprietário, mesmo que tenha alugado seu imóvel e ainda aplicado tudo que recebia de aluguel, perdeu R$ 87.313,69. Em outras palavras, o proprietário, considerando o custo de oportunidade, teve um prejuízo de mais de R$ 137 mil em apenas 2 anos (poderia ganhar R$ 50.274,15, mas perdeu esta oportunidade e ficou com prejuízo de R$ 83.313,69). De novo, se você colocar a inflação na conta, verá que perdeu nos 2 casos, mas quem perdeu mais? Outro ponto: ao final dos 24 meses, se você realmente quiser, embora não seja vantajoso financeiramente, você poderá comprar um imóvel muito melhor que antes disto. Entenda que estou sendo MUITO generoso nestes cálculos, SEMPRE a favor do proprietário do imóvel, em função dos seguintes fatores:

          1) Fiz algumas simplificações grotescas no cálculo acima: você recebe 0,80% ao mês em aplicação conservadora, não deve abater os 0,40% do aluguel todo mês, porque enquanto você tem juros compostos sobre os 0,80% TODOS OS MESES, os aluguéis sofrem variação apenas ANUALMENTE;

          2) 0,40% obtido a título de aluguel por um proprietário na cidade de São Paulo, é extremamente otimista, este é o percentual em relação ao preço anunciado, na prática este percentual tem sido cada vez menor e a maioria dos aluguéis está fechando com um percentual entre 0,30% e 0,35%;

          3) No caso do proprietário, sequer descontei o Imposto de Renda que ele tem que pagar anualmente sobre os aluguéis recebidos, que é de mais de 20% sobre o montante, dá uma boa diferença também;

          4) Existe uma elevada taxa de vacância em São Paulo, esta também não foi considerada, mas se você a considerar, temos despesas para proprietário durante este período, sem receitas (manutenção do imóvel, IPTU, condomínio, etc.);

          5) Você encontra aplicações conservadoras que dão rendimento superior a 0,80% ao mês, o que beneficia muito mais o inquilino do que o proprietário no exemplo acima;

          6) Na aplicação financeira conservadora acima, o inquilino ainda tem a liquidez diária, contra um imóvel que não possui liquidez e demora uma prazo absurdo e cada vez maior para ser vendido, ou seja, o proprietário tem prejuízo elevado sem liquidez e o inquilino tem liquidez diária e lucro (sem considerar inflação);

          7) Até em função do item 6, o inquilino tem muito mais flexibilidade para mudar para onde seja mais vantajoso para ele, até por questão de trabalho, ou ainda, porque a vizinha se tornou péssima e ainda pode fazer isto de uma forma muito mais rápida;

          8) Não coloquei nos cálculos acima, as taxas para aquisição e venda do imóvel no caso do proprietário, como por exemplo o ITBI que custa 2% na aquisição, taxas de cartório, comissão de 6% para corretor caso venha a vender, Imposto de Renda caso venha a vender, etc., etc., etc., enquanto no lado do inquilino, o rendimento financeiro considerado acima já é liquido de tudo isto.

          Possivelmente ainda tenha esquecido de alguma coisa, ou até cometido alguma outra simplificação / engano, mas duvido que mude a conclusão quanto a este tema e acho que foi o suficiente para exemplificar porque o pessoal considera muito mais vantajoso receber juros e pagar aluguel com estes juros do que comprar o imóvel, o que você acha?

          23+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • avatar
          • Margarida 8 de janeiro de 2016 at 20:14

            CA,
            Eu levantei essa questão porque ela martela na minha cabeça há tempos. Mas eu estava digitando no celular e não dava pra explicar direito essa minha dúvida, que não era relacionada à comparação entre o investimento num imóvel e em outras aplicações. Como investimento, eu não acho que comprar um imóvel seja vantajoso. Pra residir, pode ser vantajoso (financeiramente) em alguns casos excepcionais, mas não como regra.

            A questão era outra. Era com relação aos juros reais que se pode obter em investimentos conservadores. Você falou em aplicações conservadoras com rendimentos de 0,80, mas eu não consigo ver esse rendimento.

            O Dimmatos citou, como exemplo, IPCA + 6% (o que já te dá menos de 0,5 a.m.). Daí:

            1) Desses 6%, ainda sai o imposto de renda, então já virou 5%, correto?
            2) Sendo o IPCA o índice oficial, quanto desses 5% são corroídos pela inflação real? Quanto desses 5% são rendimentos reais?

            A Azufre falou em algum momento nesse post mesmo, esses índices não refletem a perda real do nosso poder de compra. Minha questão, estava relacionada aos juros REAIS, pois eu penso que, tendo em mente a preservação das suas economias, só este pode ser considerado rendimento mesmo.

            É por isso que 100 vezes o valor do aluguel investidos, como o Money falou, não fecha. O multiplicador aí, pra São Paulo, por exemplo, de um aluguel pra uma pessoa ou família bem pequena, teria que ser uns 300 (considerando 5% a.a.), ou bem mais que isso, se esses 5% não signifiquem rendimentos reais por conta da inflação real.

            3+
            • avatar
            • avatar
            • CA 8 de janeiro de 2016 at 20:31

              Margarida,

              Desculpe-me, mas acho que você está “misturando as sintonias”.

              0,80% de rendimento liquido ao mês não é em termos reais, ou seja, não é descontando inflação, não disse isto em nenhum momento. Este é um rendimento ainda modesto para aplicações conservadoras, não entendi sua dúvida (exemplo: LCA BB dá mais que isto, tem liquidez diária). Todos os cálculos que fiz foram sem considerar inflação e mencionei isto mais de uma vez.

              IPCA + 6% ao ano, o IPCA já é a inflação, os 6% já é acima disto, como saber o quanto destes 6% acima da inflação são consumidos pela inflação “real”, que é PESSOAL??? Inflação “real” de cada ser humano é diferente do outro, só você pode calcular o seu, mas o rendimento de qualquer aplicação tradicional NUNCA vai cobrir a inflação oficial, quanto mais a sua particular e ainda te dar um extra, isto não existe em nenhum lugar do Mundo, assim como, pelo fato de não existir e não fazer sentido, não vale a pena especular também.

              Você questionou o porque do pessoal falar que paga aluguel com juros e considerar vantagem, expliquei e DEMONSTREI em detalhes, o que seria esta “vantagem”, que é em termos COMPARATIVOS. No exemplo acima, comprar para morar também não vale a pena e na grande maioria dos casos, dentro da nossa bolha, também não.

              OBS: lembrando que rendimento acima da inflação implica necessariamente em menos liquidez, como falei antes, não temos alto rendimento, mais característica conservadora e liquidez diária.

              6+
              • avatar
              • avatar
              • avatar
              • Margarida 8 de janeiro de 2016 at 20:46

                Eu estava tentando explicar exatamente isso: eu não questionei o porque do pessoal falar que paga aluguel com juros e considerar vantagem. Eu só questionei a parte de pagar com juros. Nem passei perto de questionar a vantagem de outros investimentos em relação a imóveis, porque pra mim esta parte já está bem clara. A questão era só em relação a juros reais e inflação.

                2+
                • avatar
          • CA 8 de janeiro de 2016 at 20:18

            kkkk

            Ainda teve mais um erro MUITO a favor do proprietário:

            9) Se ele pegou os R$ 500 mil para investir no imóvel e colocar para alugar, ao invés de investir, o cálculo correto para o custo de oportunidade para ele é considerar que ele teve uma perda de R$ 87.313,69 pela desvalorização do imóvel, mesmo somando o aluguel a receber e considerando que o mesmo tivesse sido aplicado integralmente todo mês, mas se ele tivesse pego estes R$ 500 mil e aplicado a 0,80% ao mês, ao final do período teria R$ 605,372,62, ou seja, o ganho na aplicação financeira seria de R$ 105.372,62. Em outras palavras, a perda por ter comprado o imóvel para alugá-lo, considerando o custo de oportunidade para o proprietário do imóvel seria de R$ 192.686,31, isto apenas no curto período de 2 anos e com base em um valor inicial de R$ 500 mil, sem contar os 8 itens acima, que só pioram a conta para o proprietário.

            OBS: a comparação que fiz antes era o quanto o inquilino tinha a ganhar e o quanto o proprietário tinha a perder, mas são 2 elementos diferentes, o cálculo de custo de oportunidade tem que ser com base em apenas 1 elemento, como acima. Não fazia sentido no cálculo anterior comparar com investimento só com 0,40% de rendimento ao mês, pois o proprietário não vai pagar aluguel para morar, ele já tem um imóvel onde mora e este é valor para investir, tem que comparar com o retorno “cheio” do investimento financeiro.

            5+
            • avatar
          • Margarida 8 de janeiro de 2016 at 20:21

            Ah, sobre você ter esquecido alguma coisa, tem o seguinte: você fala que em períodos de vacância o proprietário arca com custos de manutenção, mas vários desses custos ainda existem mesmo enquanto o imóvel está alugado, e são despesas do locador. Não muda muita coisa, só mais uma desvantagem do proprietário pra lista.

            3+
            • avatar
            • avatar
    • Money_Addicted 8 de janeiro de 2016 at 17:30

      eh “simples” eh soh ter aprox 100 vezes o valor do aluguel, exemplo proprio, com o valor q eu tenho investido eu pago o aluguel onde moro e de um na praia q penso em mudar para ca (estou na praia) definitivamente e entregar o outro, mas isso ja eh outra historia.

      o mercado esta tao distorcido, q esse valor q tenho investido nao daria para comprar nenhum dos dois 🙂

      Obrigado brick lovers e 666 ostentacao

      PMJ

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Number0101 9 de janeiro de 2016 at 17:09

        Acho q só nascendo de novo que consigo juntar esse montante.

        0
  • Dimattos_RJ 8 de janeiro de 2016 at 17:19

    Cancelei:
    Conta da Vivo, voltei para o pré pago
    Spotify: Escutava poucas músicas e tem muito serviço grátis por aí.
    MSF: Esse foi difícil, mas cancelei pois já completei 5 anos de doador.
    Netflix: Estána ponta da agulha para ser cancelado, mas esse eu uso muito.

    9+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Sir Ploc 8 de janeiro de 2016 at 17:23

      Mudei de um plano pós para o Controle 1Gb da Tim por 50 reais e ainda tem o Deezer liberado para música (sem descontar no pacote de dados).

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • arnoldo 10 de janeiro de 2016 at 00:35

        O meu plano é esse também, custo beneficio está valendo a pena.

        0
  • Just A Simple Bubble Man 8 de janeiro de 2016 at 17:23

    Funcionários públicos tremei. Esse é o ano. AS reservas estão prontas?

    Depois que os hospitais do Rio de Janeiro colapsaram por atraso no pagamento de médicos e enfermeiros, o desastre nas finanças estaduais entrou de vez no radar da opinião pública.

    Ao contrário do rombo do Tesouro Nacional – que tem profundas implicações na economia, mas não é tão perceptível para o cidadão – a quebradeira dos Estados é sentida diretamente pelas pessoas.

    Não é só o Rio de Janeiro que está com problemas financeiros. Pelo menos Rio Grande do Sul e Minas Gerais atrasaram pagamentos dos décimos terceiros salários dos servidores públicos. Em Minas, o governo não sabe como pagará os salários dos próximos meses.

    Os governadores culpam a recessão, que reduziu a receita com o ICMS e outros impostos, e dívidas deixadas pelos governos anteriores, mas o problema é muito mais grave e estrutural.

    No primeiro mandato, a presidente Dilma autorizou o aumento do limite de endividamento para os Estados, permitindo que eles captassem bilhões e bilhões com bancos e organismos internacionais, para custear obras de infraestrutura e saneamento.

    Na época, Dilma disse que os Estados “abrirem espaço para investimento, ter finanças equilibradas e, ao mesmo tempo, serem capazes de investir, é uma conquista do Brasil”.

    A mudança quebrava uma regra de ouro da renegociação das dívidas dos Estados com a União no governo FHC, que impedia que os governadores tomassem mais dinheiro emprestado e contratassem novas despesas.

    O ex-ministro Guido Mantega foi ainda mais longe e afirmou que os Estados contribuiriam para um círculo virtuoso. “Eles investem, o país cresce, aumenta a arrecadação e a situação fiscal melhora”, disse.

    A avaliação não poderia estar mais equivocada. A maioria dos Estados não utilizou os novos recursos para investir em infraestrutura, mas deslocou o dinheiro para bancar e até elevar sua já onerosa folha de pagamentos.

    “Quando o crédito foi cortado, os Estados ficaram sem recursos para investimento e uma folha de pagamento alta para pagar. É o típico caso de dar corda para enforcado”, disse à coluna Bernard Appy, um dos maiores especialistas em tributação do país e ex-secretário executivo do ministro da Fazenda na gestão do ex-ministro Antonio Palocci.

    Também há outras razões para o caos, como aumentos salariais concedidos por antecessores que tem impacto para vários anos. Ou ainda o peso dos reajustes do salário mínimo em parcelas significativas das folhas de pagamento estaduais.

    A solução que vem sendo encontrada pelos governadores é a mesma de sempre: ao invés de cortar gastos, aumentam tributos, que vão reduzir ainda mais a renda da população e os investimentos das empresas, agravando a recessão e gerando inflação.

    É mais um erro de política econômica que vai custar caro ao país. Só que, dessa vez, o problema estará evidente nos doentes barrados na porta dos hospitais, nas famílias de servidores com salário atrasado que não pagam suas contas e etc, etc, etc.

    “http://www1.folha.uol.com.br/colunas/raquellandim/2016/01/1726979-as-razoes-da-quebradeira-dos-estados.shtml

    30+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Crocs 8 de janeiro de 2016 at 18:07

      Muita gente vai arder! Não só FPs, mas também muita gente que depende dos FPs! O cenário é sinistro!

      15+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Ilusionista 8 de janeiro de 2016 at 18:32

        aqui em SP funcionalismo sem reajuste da inflação 2014, data base em março e até agora nada. Isto porque é o Estado mais rico da nação e que mais arrecada. Várias categorias de FPs se mobilizando….

        Podem esperar, mal atendimento e longos períodos de greves….

        12+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • avatar
        • Ilusionista 8 de janeiro de 2016 at 18:36

          alias, falando em arrecadação….

          “http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2016/01/08/receita-federal-registra-queda-de-r-245-bilhoes-em-multas-em-2015/

          0
        • AndersonSilva 9 de janeiro de 2016 at 01:17

          Executivo Federal tbem tah sendo devorado pela inflação. Sem reajustes até agora. Promessa de 5,5% em agosto de 2016. O acordo está firmado entre o mpog e alguns sindicatos. o partido do governo tem forte apoio no funcionalismo. Como o $$$ tah secando as relações podem ficar estremecidas

          8+
          • avatar
          • avatar
  • Sardinha 8 de janeiro de 2016 at 18:27

    Dica pra quem gosta de relatórios sobre investimentos: a Verde Asset (do Luis Stuhlberger) publica mensalmente um relatório de gestão de cada um dos seus fundos.

    +http://www.verdeasset.com.br/performance/lista-de-fundos/

    São relatórios curtos, de 1 a 4 páginas, mas ajudam a dar uma luz.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Homero 8 de janeiro de 2016 at 19:18

      Luis Stuhlberger é bastante respeitado como gestor de fundos no Brasil.

      No mês de novembro passado sai uma nota do site Infomoney tratando de um artigo publicado pelo NYT em que ele foi protagonista.

      “http://www.infomoney.com.br/mercados/noticia/4428487/brasil-nao-esta-financeiramente-viavel-piorara-muito-antes-melhorar-diz

      Me chamou especialmente a atenção, dentre outros interessantes, o trecho em que diz:
      ” Enquanto ele vê a crise brasileira se aprofundando, a maior parte da sua alocação está em títulos protegidos contra a inflação, além de derivativos cambiais que gerarão desempenho positivo se o real cair, além de uma pequena posição em títulos da Petrobras e posição vendida em ações.”

      Denotando o forte viés conservador em razão das circunstâncias de um gestor sofisticado como é ele. Muito alinhado com o que temos lido neste blog há algum tempo !

      9+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Margarida 9 de janeiro de 2016 at 12:33

      Muito legais esses relatórios.

      1+
      • avatar
  • Dutra 8 de janeiro de 2016 at 18:34

    Enquanto isso aqui na ilha da fantasia (Grande Vitória), novos lançamentos de imóveis com foto de presidentes e diretores de construtoras sorrindo, animados e citando valorização em 2017. kkkkk Podem construir, constroem mais e mais que agora vai ….
    Segue link da reportagem abaixo:
    http://webclipping.mile4.com.br/webclipping/visualiza.php?cd=58214

    4+
    • avatar
  • Abestado abc 8 de janeiro de 2016 at 21:26

    Boss, obrigado pelo login concedido. Apesar de não ter bagagem para contribuir, me sinto parte da família, pois aprendo muito aqui.
    Aceita uma humilde sugestão ?
    E se na parte lateral houvesse links de blogs parceiros ou úteis ??
    Abraços

    5+
    • avatar
  • From_The_Tower 8 de janeiro de 2016 at 21:35

    Os pilotos e aeroviários do blog nos atualizem em caso de greve parcial ou paralisação. Tenho viagem marcada para dia 14/01 para a Terra dos Livres. Não me venham com mais essa. 😉

    6+
    • avatar
    • avatar
    • Polaco 8 de janeiro de 2016 at 21:48

      Tem link dessa notícia?

      2+
      • avatar
  • Veigalex 8 de janeiro de 2016 at 23:05

    Galera.. assistiram o The Big Short?
    Novo filme sobre a bolha de 2008?
    +https://www.youtube.com/watch?v=R0aKPegDWHY
    O filme é muito bolhista.. kkkk

    2+
    • Justiceiro 8 de janeiro de 2016 at 23:31

      Assisti ao filme e ele é verdadeiramente muito bom, em total sintonia com os entendimentos econômicos do blog.
      Alguns dos personagens poderiam ser bolhistas.
      O cara que “descobriu” a bolha (personagem que faz o Batman) interpretou bem.

      4+
    • windville 9 de janeiro de 2016 at 08:52

      Está na lista para ver. Achei esse aqui no Netflix esses tempos, O Dia Antes do Fim, vale olhar também: “http://www.netflix.com/title/70167125”

      2+
  • Veigalex 9 de janeiro de 2016 at 00:15

    O filme é ótimo demais.. Boss .. se nao assistiu .. assista.. tem legenda e torrent…
    Se alguém quiser a dica eu passo.. kkk

    É um filme fantástico sobre a bolha americana

    3+
    • Beto 9 de janeiro de 2016 at 11:16

      Fala Veigalex,

      passa a dica ai, pois so consegui o The big short sem legenda.

      1+
      • avatar
      • Veigalex 9 de janeiro de 2016 at 13:57

        Beto.. Tem no piratesby.. Torrent. VC sabe baixar?

        1+
        • avatar
        • Beto 9 de janeiro de 2016 at 14:44

          Veigalex, no pirate nunca baixei, tentei agora mas ele bloqueia. Eu baixei a versao s/ leg, pelo extratorrent. Manda a dica ai. Te procurei no google , e se for vc quem eu achei , mandei ums msg com e-mail ( caso o Boss lime).
          Val

          1+
          • avatar
  • Rolde 9 de janeiro de 2016 at 07:11

    “http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,bc-diz-que-alta-de-precos-administrados-e-dolar-explicam-estouro-da-meta-da-inflacao,10000006560”

    2+
  • Rolde 9 de janeiro de 2016 at 07:16

    “http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,bank-of-america-coloca-brasil-entreos-tres-frageis,10000006573”

    2+
  • Rolde 9 de janeiro de 2016 at 07:22

    Agora o meu CVR,estou muito feliz comigo mesma,e muito agradecia a vcs.Pois á partir destas noticia eu ja consegui fazer minha analise.O dollar nesta segunda deve subir,na próxima reunião selic tmb vai subir,consequência desemprego e bla bla bla…kkkk

    6+
    • Vai pela Sombra 9 de janeiro de 2016 at 10:06

      Explica como chegou a essas conclusões. Eu n consegui ter essas certezas ainda.

      3+
      • avatar
      • Rolde 9 de janeiro de 2016 at 10:41

        KKK Eu acho que o dollar sobe até a reunião,dependendo do resultado .

        1+
        • avatar
  • Irineu 9 de janeiro de 2016 at 10:42

    Curti esta mensagem que recebi no Internet Banking do BB:

    “A partir do dia 15/01/2016, o limite mínimo para efetuar transferência de recursos entre bancos, via TED, passa a ser de R$ 0,01.

    O envio de transferência por meio de DOC permanece inalterado, sem valor mínimo e com o máximo de R$ 4.999,99.”

    4+
    • avatar
    • avatar
    • Crocs 9 de janeiro de 2016 at 10:52

      KKKKKKKK. Sinal dos tempos! Tempos ruins!

      2+
      • avatar
    • From_The_Tower 9 de janeiro de 2016 at 11:26

      Irineu, do RGS?

      1+
      • avatar
      • Irineu 9 de janeiro de 2016 at 12:23

        Correto. Banco do Brasil do Rio Grande do Sul.

        2+
        • avatar
    • Annoying Brick in The Wall 9 de janeiro de 2016 at 11:53

      Pois é Irineu. Também não entendi a diferença entre limite mínimo de R$0,01 e “sem limite mínimo” rs

      4+
      • avatar
      • avatar
      • Irineu 9 de janeiro de 2016 at 12:22

        Bem… Não há diferença. O destaque da notícia é que o limite mínimo atual para TED é de R$ 250,00 e, em outros tempos, ele já foi R$ 750 e R$ 3.000,00, por exemplo. Para DOC, já não há limite mínimo hoje.

        A vantagem do TED em relação ao DOC é que o dinheiro transferido é visto na conta destino ainda no mesmo dia, enquanto o DOC precisa de 1 dia útil para processamento. Exemplo: se eu tiver menos de R$ 250,00 e ainda assim quiser investir esse trocado em Tesouro Direto, eu poderei fazer a ordem de compra e, em seguida, um TED direto para a minha conta da Easynvest.

        5+
        • avatar
        • avatar
        • avatar
  • Crocs 9 de janeiro de 2016 at 11:52

    OFF – LCA

    Kátia Abreu afirma que LCA não será taxada. Ministra da Agricultura disse, no entanto, que regras para o CRA podem mudar

    -http://epocanegocios.globo.com/Dinheiro/noticia/2016/01/katia-abreu-afirma-que-lca-nao-sera-taxada.html

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Annoying Brick in The Wall 9 de janeiro de 2016 at 11:54

    Olá Boss. Teremos a bodega da bolha?

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • solrac 9 de janeiro de 2016 at 11:55

    CVR
    1 .Meu contrato de aluguel vence agora em janeiro e com pouca conversa o proprietário aceito uma redução de 20%, sendo que no meio do ano passado ele já havia aceito não reajustar o valor.
    2. A imobiliária disse que quase todos estão aceitando reduzir os valor para não perder o bom inquilino.
    3. A própria imobiliária mudou de uma casa para uma sala comercial.
    PS. região sul de sampa.

    Um novo bom ano a todos os bolhistas.

    Acompanho o blog a vários anos na minha opinião é um dos melhores sites colaborativos de economia.
    Parabéns Boss pelo novo formato do site.

    19+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Leonardo M. 9 de janeiro de 2016 at 12:58

    Estou em um dilema

    Faz 2 anos que moro no mesmo local. Estou apenas 1,5km de onde trabalho e é um bairro muito procurado para morar e voou ter um reajuste no aluguel de 8%
    Será que aceito ou procuro outro lugar?

    1+
    • avatar
    • Rafael km 9 de janeiro de 2016 at 14:22

      Tem que colocar no papel até o custo da gasolina ou transporte para o trabalho, além do valor da mudança e quanto vale financeiramente este stress da mudança e o tempo extra de deslocamento…

      2+
      • avatar
    • Number0101 9 de janeiro de 2016 at 17:00

      mas como está o preço do aluguel na região? vc está pagando abaixo?

      2+
      • avatar
    • SampaBoy 9 de janeiro de 2016 at 22:03

      Depende da sua disponibilidade de ratreamento local. Caso voce nao tenha tempo para nada, aceite a contra gosto. O ideal porem seria consultar locais semelhantes nas redondezas e fazer ofertas para ver o que consegue. O poder de ser inquilino so se realiza se voce tiver pesquisado e barganhado em varios locais semelhantes que voce gostaria de morar.

      1+
      • avatar
  • Dgvl 9 de janeiro de 2016 at 13:26

    Cvr

    Meu irmão veio me mostrar o seu zap, um amigo desesperado pedindo 400 dilmas emprestados. Dizendo que perdeu o emprego, que o seguro desemprego foi alterado e ele não tem direito, que a conta de luz está atrasada. No final dizia, não conta pra ninguém.
    Pediu minha opinião. Eu disse: Irmão, se ele está te pedindo sem ter tanta intimidade contigo, nem é próximo a você. Pode ter certeza que não irá te pagar.
    Irmão, não adianta ter pena, ela só irá fazer você tomar prejuízo e perder um “amigo”.
    Convencido disse que não vai emprestar.
    Tem muita gente passando sufoco por aí.

    18+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Onion 9 de janeiro de 2016 at 13:36

      Se tem uma coisa que eu não faço é emprestar dinheiro pra ninguém. Cada centavo que tenho na minha conta é fruto de muito suor e privações. Não soube se planejar ou se proteger? O problema não é meu, vai chorar na cama!

      21+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Henk 9 de janeiro de 2016 at 13:53

      Conhecido muito próximo meu que até já esnobou pra cacete em cima de mim e muita gente que conheço, quando estava no boom da construção o nariz vivia empinado , dava nojo.
      Estes dias fiquei sabendo que o sujeito está com pouquíssimo serviço , não conseguia pagar as contas e teve que vender baratinho o último carro pra pagar as dívidas mais prioritárias e está a pé . Só que ele nem toca no assunto com ninguém e o nariz desempinou . Acredito que esse tipo de gente não muda e é só ele ter uma nova chance para que humilhe novamente as pessoas. Hoje ele vive de falsa humildade, se me pedir algo sei que terei de negar.

      17+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Ilusionista 9 de janeiro de 2016 at 18:37

      orientação para ajudar amigo ou parente 666 a sair da crise?
      fale para ele parar de gastar mais do que ganha, não comprar coisas que ele não precisa para mostrar para pessoas que ele não gosta.

      4+
      • avatar
  • rintintin 9 de janeiro de 2016 at 14:39

    #OFF

    Pessoal, compensa comprar usado de locadora (Localiza)? Seria um de nível melhor, não aqueles 1.0 que sabemos são usados para bater…alguém já fez negócio desse tipo?

    1+
    • avatar
    • Mente do Mal 9 de janeiro de 2016 at 14:44

      Sugiro colocar no google “seminovos localiza reclamação” e “seminovos localiza satisfeito”.

      5+
      • avatar
      • avatar
    • Final Countdown 9 de janeiro de 2016 at 20:35

      são caros em relação aos seminovos em geral.
      minha esposa comprou um há 13 anos, foi bom…

      2+
      • avatar
  • CA 9 de janeiro de 2016 at 14:51

    Sobre o tópico:

    É muito curioso que tenhamos pessoas falando sobre a possibilidade de dominância fiscal, onde o aumento de juros já não adiantaria mais. Será que faz sentido?

    Olhando para inflação de Dezembro/2015 contra a taxa de juros SELIC, temos um juros real (juros menos inflação = SELIC – IPCA) em dezembro/2015 equivalente a 3,58%. Quanto foi o juros real desde 2002 até hoje?

    2002: 12,47%
    2003: 7,20%
    2004: 10,15%
    2005: 12,31%
    2006: 10,11%
    2007: 6,79%
    2008: 7,85%
    2009: 4,44%
    2010: 4,84%
    2011: 4,50%
    2012: 1,41%
    2013: 4,09%
    2014: 5,34%
    2015: 3,58%

    Pelo que podemos ver, o juros real de 2015 foi o segundo menor de todo o histórico.

    Isto significa que o juros SELIC está muito abaixo do que deveria para poder combater a inflação, ou seja, o Governo (BC) está deixando a inflação crescer, intensificando sua leniência, com a finalidade de não fazer com que a recessão se aprofunde, ao mesmo tempo que estamos enfrentando as consequências represadas de todos os golpes para “conter” a inflação de maneira heterodoxa no passado (FORÇAR queda da SELIC em 2012 para esconder efeitos das bolhas, conter reajuste de combustíveis ajudando a quebrar a Petrobrás, diminuir à FORÇA a tarifa de energia elétrica, segurar o câmbio para o US$ não afetar a inflação, dar redução de impostos ou juros subsidiados seletivos esperando que o segmento agraciado “em troca” não aumentasse preços, fazer pedaladas e maquiagens, etc.).

    A partir de 2009, depois que o Brasil já havia ganho o seu “grau de investimento” e a situação estrutural e conjuntural eram favoráveis (boom de commodities, QE americano, melhor equilíbrio fiscal, trabalhando com o tripé da economia: controle de inflação visando centro da meta, câmbio livre e responsabilidade fiscal, etc), o Brasil conseguiu praticar um juros real bem menor, só que ao invés de utilizar isto para buscar melhorias relevantes em infraestrutura logística e diversos outros itens que melhorariam a produtividade do país, permitindo que estes ganhos fossem mais lentos, só que mais duráveis, o Governo preferiu adotar soluções populistas alimentando cada vez mais as bolhas imobiliárias e de consumo, que traziam resultados imediatos melhores, mas absolutamente artificiais e insustentáveis.

    A própria bolha imobiliária em si, em conjunto com a bolha de crédito para o consumo, foram destruindo as condições estruturais e conjunturais que chegaram a ser melhores no passado. Deixamos de ter equilíbrio fiscal, fomos lenientes com a inflação e as vezes até forçamos o seu crescimento de forma insensata, o boom da commodities se foi, assim como os efeitos do QE americano com os US$ 85 bilhões despejados na economia todos os meses, junto com uma infinidade de ações heterodoxas que foram se intensificando, destruindo a economia, como mencionei mais acima.

    Hoje estamos com uma situação muito pior do que em 2008, tanto estrutural quanto conjuntural, precisaríamos de um juros real em patamar no mínimo equivalente ao que tínhamos em 2008, ou seja, no mínimo uma SELIC de 18%. A questão é que este é um Governo populista, de perfil socialista bolivariano, então significa que NUNCA fará um aumento relevante dos juros para combater uma inflação muito elevada e vai tentar continuar tapeando e “empurrando com a barriga”, não é a toa que Venezuela e Argentina viram a inflação deles disparando ao longo dos anos pela persistência e aprofundamento nesta “brilhante” estratégia. Qual a consequência esperada no Brasil?

    Inflação continuar alta, mesmo que possa ocorrer alguma pequena queda em virtude da recessão, mas ainda permanecendo em patamar inaceitável. Como já aconteceu em anos anteriores, a leniência explícita quanto a inflação é um dos estimulantes para que ela se espalhe. Quando você garante uma indexação sem sentido na atual conjuntura, como aumento do salário mínimo, é outro incentivo. O desequilíbrio fiscal, juntamente com a demora excessiva para resolvê-lo, a sua total falta de efetividade no último ano, o foco em aumento de impostos para combatê-lo ao invés de redução de gastos, são outros pontos que alimentam a inflação. Energia elétrica e combustíveis não tem espaço para redução nos preços, dependendo do que acontecer, podem até voltar a subir. Sim, a redução de consumo no Brasil e na China estimulam a redução de preços, indo em sentido contrário, mas dependendo do que acontecer com a China ao longo de 2016 e como estiverem vendo o “risco Brasil” no Exterior, o US$ pode explodir de novo e pressionar a inflação, principalmente com os eventos concorrentes de já termos perdido o grau de investimento e os EUA estarem aumentando gradualmente os juros deles.

    A teoria da dominância fiscal tem sido usada de forma muito SUPERFICIAL e IRRESPONSÁVEL, pois o mínimo para que pudéssemos acreditar nisto, seria que tivéssemos pelo menos TENTADO um “choque de juros”, com juros real em patamar bem mais elevado que o histórico recente e se não tivesse dado certo e não existissem outros motivos para ter falhado, daí poderíamos especular sobre dominância fiscal. O pior é que além de termos tido uma claríssima leniência com a inflação, ainda temos claros o motivo da super-inflação de 2015, como mencionei mais acima, o aspecto fiscal é só um pedaço, mas como ignorar questões de câmbio, preços de combustíveis e tarifa de energia elétrica?

    33+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Sr. Silva 9 de janeiro de 2016 at 15:01

    CRV

    Um condomínio foi lançado em novembro de 2010 com previsão para entrega da ultima fase em Abril 2013
    Preços no Lançamento:
    1Q – 115 Mil
    2Q – 127 Mil
    3Q – 141 Mil

    Em Setembro de 2012 um futuro morador comprou o de 3Q por 157 mil.
    Em Maio de 2013 a unidade finalmente é entregue. O morador nunca se mudou para o imóvel e não pagou as prestações da Caixa.
    Em Fevereiro de 2015 a Caixa finalmente retoma o imóvel e paga o ITBI sobre o valor de 189 mil e o manda para concorrência em Novembro de 2015 pelo valor mínimo de 178 mil (Contando a comissão dos representantes da Caixa). Em Dezembro de 2015, sem interessado na concorrência a Caixa o coloca para venda direta por 168 Mil valor equivalente a 2013 o ano em que foi entregue.
    Detalhe: Tem diversas unidades a venda no local, mas todos que possuem a mesma planta querem vender com preços médio de 225 mil. Até agora só vi um ser vendido para uma pessoa desinformada que veio de fora da cidade, mesmo assim com desconto.
    Tenho diversos colegas que moram nesse condomínio, acho ele legal. Por isso decidi compra-lo pelos 168 Mil ofertados pela Caixa. Forma de pagamento? À vista é claro.

    12+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Veigalex 9 de janeiro de 2016 at 16:55

    Beto e Demais..
    Baixe o programa utorret.. Ele é o que vai ser usado para baixar o torrent.
    No site Legendas.TV..VC acha a legenda.. Basta procurar The Big Short.Baixe ela..descompacte e coloque numa pasta.
    No site abaixo.. VC vai baixar o filme.. Esqueça toda publicidade e pornografia..kkk Clique no ícone de um “Imã”. Ai abrirá o utorret.. Salve no mesmo local da legenda….

    QQ coisa manda email para o Veigalex arroba gmail.com

    Demais fiquem a vontade!

    4+
    • avatar
  • Veigalex 9 de janeiro de 2016 at 16:55

    +https://thepiratebay.se/torrent/13110748/The.Big.Short.2015.DVDScr.XVID.AC3.HQ.Hive-CM8

    5+
    • avatar
    • avatar
  • Bolhicio 9 de janeiro de 2016 at 17:22

    OFF

    Onde encontro o manual do annonymous tão citado aqui?

    1+
    • avatar
  • Just A Simple Bubble Man 9 de janeiro de 2016 at 18:17

    Mais pressão na nosso dragãozinho:

    Com arrecadação em queda, Estados por todo o país aumentam o ICMS

    “http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/01/1727692-com-arrecadacao-em-queda-estados-por-todo-o-pais-aumentam-o-icms.shtml

    O impacto desses reajustes regionais já começa a ser projetado por economistas na inflação de 2016 —Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Pernambuco fazem parte dos 13 Estados que entram no cálculo do índice oficial, IPCA.

    Eulina também lembra que o Paraná, primeiro Estado a aprovar um tarifaço ainda no fim de 2014, teve a região metropolitana com o IPCA mais elevado do país em 2015 entre as 13 metrópoles pesquisadas.

    4+
    • avatar
    • avatar
    • W.K. 9 de janeiro de 2016 at 18:30

      Aumentam o ICMS, o que reduz o consumo, o que reduz a arrecadação, o que vai fazer eles aumentarem o ICMS…

      Depois ainda vão colocar a culpa de tudo no capitalismo…

      11+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • Nilson 9 de janeiro de 2016 at 22:35

        vejo muitos partindo pra informalidade pra sobreviver

        4+
        • avatar
        • W.K. 9 de janeiro de 2016 at 22:51

          Do jeito que o Estado anda apertando o cerco, vai ser difícil…

          Em breve, voce não vai poder comprar nem mesmo um chiclete velho sem deixar o CPF para a cruzarem os dados junto a receita federal…

          6+
          • avatar
          • avatar
          • avatar
  • Alemon Fritz 9 de janeiro de 2016 at 18:37

    mercado_imobiliario_de bh_registra_queda nos negocios

    tendo queda de 13% e espera-se mais uma queda de 15% esse ano

    -http://www.diariodocomercio.com.br/noticia.php?tit=mercado_imobiliario_de_bh_registra_queda_nos_negocios&id=164756

    1+
    • avatar
  • Joao RJ 9 de janeiro de 2016 at 19:18

    Alguem ja comprou debentures como investimento? É uma boa? Tem alguma boa para pegar por aí?

    2+
    • avatar
  • Ilusionista 9 de janeiro de 2016 at 19:20

    neste ano muitos FPs , federais, estaduais e municipais, com a crise e a diminuição da arrecadação, não estão recebendo ao menos o reajuste da inflação e nem deve receber pelos próximos anos com a crise atual.
    vale lembrar que no passado, na época da URV muitos FPs não receberam também a correção da moeda e ganharam na justiça o direito aos atrasados. Hoje gerou valores bilionários em precatórios para todos os entes de governo pagar e eles vem “pedalando” a anos aumentando cada vez o rombo das dívidas públicas…..

    STF

    “Ainda segundo o ministro, a revisão geral anual está assegurada na Carta Política, no artigo 37, X. Para ele, correção monetária não é ganho, nem lucro, nem vantagem. O reajuste, disse o ministro, é um componente essencial do contrato do servidor com a administração pública. Além disso, é uma forma de resguardar os vencimentos dos efeitos perversos da inflação.

    Assim, nem mesmo a alegação de eventual impacto financeiro negativo nas contas públicas justificaria a inobservância do dispositivo constante do artigo 37, X, da Constituição, asseverou o ministro Marco Aurélio…”

    Agora, imagine o que vão surgir de ações judiciais daqui para frente, isto sem falar no quanto o Estado terá que pagar de indenização, correção e juros dos atrasados..
    é dívida de novos precatórios para juntar aos antigos não pagos até hoje….

    8+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • Ilusionista 10 de janeiro de 2016 at 08:33

      diminuição do poder aquisitivo causado pela inflação e, ainda sem reajuste, não dá outra…….
      e ainda dizem que irá beneficiar 1,05 milhões de FPs….

      “O decreto assinado pelo governador, amplia o número de parcelas para empréstimo consignado aos servidores públicos. Antes o limite de parcelas era 60 meses e agora saltou para 96. De acordo com a Secretaria da Fazenda a medida vai beneficiar 1,05 milhões de funcionários públicos do estado de maneira direta, pois além de obtenção do empréstimo, há também a possibilidade de renegociação de dívida.

      O limite de consignação também aumentou de 30% paroa 40%. A Secretaria da Fazenda irá editar norma disciplinando o acréscimo da margem consignada. órgão de Administração pública também estão habilitados a serem consignatários. O servidor pode ainda escolher, o banco para fechar o empréstimo.”

      3+
      • avatar
  • Justiceiro 9 de janeiro de 2016 at 21:14

    “http://www12.senado.gov.br/ecidadania/visualizacaomateria?id=123433

    Pessoal, peço que votem CONTRA. Vamos lá!!!

    2+
    • avatar
  • BOLHUDO_MINEIRO 9 de janeiro de 2016 at 22:26

    globonews falando sobre o comperj que não saiu….e os predios e shoppings vazios.

    6+
    • avatar
    • avatar
  • StanHulk 10 de janeiro de 2016 at 00:44

    Não sou de postar muito.
    CVR:
    1 – Fui visitar uns parentes, moram em ap alugado, e jogaram o cvr em mim.
    Nem lembro em como chegamos no assunto, mas falaram que havia muitos apartamentos vazios, que os proprietários não querem negociar. Reclamaram do condomínio alto >R$600,00 (isso na zona lost de sp, perto de uma estação do metrô), pois a inadimplência é altíssima.
    O incrível é que, depois de falarem tudo isso, ainda achavam que imóvel não caí de preço.

    E aí vai? Não, não vai mesmo….

    2 – A rede de lojas “Aluga” só cresce. Foi virar o ano e vi mais placas pelo bairro. Estava observando uma loja, bolhudinha, em bairro periférico de SP, foi virar o ano e fecharam. Não durou 2 anos, creio que completou 1 ano e fecharam.

    13+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • From_The_Tower 10 de janeiro de 2016 at 07:50

      Mas imóvel não cai de preço mesmo na cabeça dos brick-lovers. Quando eles percebem já perderam toneladas de energia e dinheiro na manutenção e custo de oportunidade dos mesmos. É o tipo de gente que perde todo o crédito próprio, dos outros para tentar manter os tijolos. As vezes abrem mão da saúde para isso.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • From_The_Tower 10 de janeiro de 2016 at 07:47

    😉
    He´s back !

    1+
    • avatar
    • From_The_Tower 10 de janeiro de 2016 at 07:47

      Comment to Sobra.

      3+
      • avatar
      • avatar
  • Azufre 10 de janeiro de 2016 at 08:46

    Está difícil a vida dupla de blog!

    1+
    • avatar
    • From_The_Tower 10 de janeiro de 2016 at 10:40

      já me convidaram para mais de cinco .
      .Com.
      .Net.
      BolhaBrasil.com (Pedro)
      Bodega do Nunes
      etc.

      Bolha de Blog da Bolha.

      6+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
  • AM 10 de janeiro de 2016 at 08:50
    • Azufre 10 de janeiro de 2016 at 08:51

      A fábula do escorpião.

      3+
      • avatar
      • mestre dos magos 10 de janeiro de 2016 at 09:17

        Realmente eles vão dobrar a meta, impressionante. Avoa juros.

        6+
        • avatar
    • FabianoSJC 10 de janeiro de 2016 at 09:43

      kkk só se a caixa mudar seu nome para Crefisa , crédito para os bolsa familia negativados rs

      8+
      • avatar
      • avatar
      • avatar
      • avatar
    • Margarida 10 de janeiro de 2016 at 10:00

      Seria cômico… Perguntam pra ele se vai haver cortes de despesas e o cara responde “sim, aumentaremos impostos”. Literalmente.

      4+
      • avatar
    • L.A. 10 de janeiro de 2016 at 10:48

      E quem pegará crédito como país em crise?
      Ainda mais que as taxas não deverão ser subsidias, conforme a reportagem.
      Então isso vai dobrar a meta, dobrar o tempo que as empresas irão quebrar de vez, pois quem iria quebrar irá atrás do empréstimo e quebrará depois.

      3+
      • avatar
  • Davy Jones 10 de janeiro de 2016 at 09:17

    Valeu a dica! Vou entrar nessa também.

    2+
    • avatar
  • Cesar_DF 10 de janeiro de 2016 at 10:22

    Quando procuro no site Reclame Aqui utilizando a palavra “distrato” já retorna a PDG Incorporações como first
    “http://www.reclameaqui.com.br/busca/?q=distrato
    944 – PDG
    314 – Brookfield
    290 – MRV

    6+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • Fino 10 de janeiro de 2016 at 10:25

    CVR

    Parente é medico nesses AMA de São Paulo são contratados pelo Albert Einstein, disse que o facão começou a rolar solto, Drs. estão recebendo a cartinha de demissão muitas vezes no final do plantão, já mandaram embora 1 ortopedista , 2 clinicos gerais, 1 pediatra, 1 cirgião geral e tem mais em fevereiro, querem passar o facão em pelo 1/3 dos medicos em cada unidade. Chefes de plantão querem que os medicos que não trabalham na emergência comecem a atender as mesmas diminuindo o atendimento de consultas. Enfermeiras e tecnicas escaparam por enquanto, mas não estão livres em fevereiro.

    Capital do estado mais rico do brasil vai sofrer na saúde pelo menos na periferia pois de acordo com a fonte já há falta de medicamentos basicos, em muitos casos o paciente recebe apenas soro sem qualquer medicação e tem alta, pois não estão sendo repostos.

    O melhor ficou para o final, mesma fonte falando no apocalipse que ocorrerá no SUS nos proximos anos será épico pois estamos entrando em um tempestade perfeita, onde corte de gastos no SUS e a falta de dinheiro da população e empresas para arcar planos de saúde irá gerar um efeito dominó que fará sumir do mapa não só diversos planos de saúde, como também clinicas e pequenos hospitais a G.O.M.E. poderá ganhar novos tons.

    11+
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
    • avatar
  • bolhista santista 10 de janeiro de 2016 at 11:56

    Morador de Praia Grande põe faixa na frente de casa contra ladrões.
    Essa é a situação de muitos proprietários com casas de veraneio no litoral paulista.

    http://www.atribuna.com.br/noticias/noticias-detalhe/policia/morador-de-praia-grande-poe-faixa-na-frente-de-casa-contra-ladroes/?cHash=4798ad61e6b8b33b5a4f92ae44ce8afe

    4+
    • avatar
    • avatar