A evolução da bolha imobiliária PARTE 3 – CA

Você pode gostar...

Comments
  • Felipe. 14 de outubro de 2014 at 09:12

    Cyrela tem queda nos lançamentos e vendas no 3o tri

    SÃO PAULO (Reuters) – A construtora e incorporadora Cyrela Brazil Realty registrou queda em lançamentos e vendas no terceiro trimestre, conforme prévia de resultado operacional divulgada na noite de segunda-feira.

    Entre julho e setembro, os lançamentos da empresa, isoladamente, recuaram 44,2 por cento sobre um ano antes, a 509 milhões de reais. Considerando parceiros, a queda foi de 36,6 por cento, a 783 milhões de reais.

    No período, não houve lançamentos para o programa de habitação popular do governo Minha Casa, Minha Vida, informou a Cyrela, acrescentando que sua participação nos lançamentos caiu de 73,9 por cento no terceiro trimestre do ano passado para 65 por cento em igual etapa deste ano.

    Na mesma base, as vendas contratadas da empresa tiveram declínio de 24,7 por cento, a 772 milhões de reais. Na cifra que engloba parceiros, a baixa foi 27,1 por cento, a 992 milhões de reais.

    Segundo a Cyrela, as vendas contratadas de produtos de luxo e alto padrão somaram 610 milhões de reais no trimestre, redução de 31,6 por cento sobre um ano antes.

    Já o indicador de vendas sobre oferta (VSO), que mede a relação entre o total de unidades vendidas e a oferta de imóveis novos, atingiu 48,5 por cento em 12 meses, abaixo do patamar de 54 por cento registrado um ano antes.

    No acumulado dos nove primeiros meses de 2014, os lançamentos da Cyrela subiram 11,6 por cento, a 3 bilhões de reais, embora tenham caído 9,2 por cento pelo parâmetro que considera projetos com parceiros, a 3,6 bilhões de reais.

    As vendas contratadas da companhia, por sua vez, caíram 7 por cento de janeiro a setembro, a 3,2 bilhões de reais, tendo recuado 22,5 por cento quando considerados os resultados com parceiros, a 3,8 bilhões de reais.

    “http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN0I314020141014

    0
  • Azufrebh 14 de outubro de 2014 at 09:13

    7) Oferta e preço dos alugueis versus preços do imóveis: a rentabilidade dos aluguéis para os proprietários tem variado entre 0,30% e 0,50% dos preços dos imóveis, em termos BRUTOS.

    Se, explicado esse ponto, a pessoa não entende, eu paro de tentar explicar. Valeu, CA.

    Muito legal o seu trabalho, CA, um marco na bolha do Brasil. Parabéns.

    0
  • Bolha BOSS 14 de outubro de 2014 at 09:14

    A bolha que não é bolha – Gustavo Cerbasi

    http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/gustavo-cerbasi/noticia/2014/10/bolha-que-bnao-e-bolhab.html

    A teoria explica que as bolhas econômicas se formam quando preços sobem muito mais rápido do que a média histórica, acompanhados de um intenso debate sobre as oportunidades e as perdas de quem está por fora. De repente, algum fenômeno econômico causa ruído, a bolha estoura e provoca perdas em pouco tempo.

    Nos últimos anos, tivemos no Brasil uma valorização imobiliária bem acima do crescimento do PIB, com incontáveis casos de enriquecimento rápido daqueles que aproveitaram oportunidades. Tão intenso foi o fenômeno que, para muitos, pareceu natural interpretar essa valorização como uma bolha, similar àquela que ocorreu há meia década nos Estados Unidos. Com a bolha, surge o óbvio temor do estouro e das perdas.

    Dados recentes mostram um evidente esfriamento dos negócios imobiliários e a queda generalizada nos preços. Será o estouro da bolha? Tenho meus próprios argumentos contra a polêmica interpretação de bolha no mercado imobiliário.

    Lembremos que a ideia de bolha apavora investidores, em razão dos potenciais efeitos devastadores do desmoronamento de um mercado supervalorizado. O termo bolha foi adotado para explicar a possibilidade de ruptura abrupta do fenômeno.

    No Brasil, a alta de preços dos imóveis não nasceu da simples especulação em torno da valorização. Grande parte dos imóveis vendidos nos últimos anos era composta por lançamentos imobiliários, projetados para atender a uma população que passou a ganhar mais e teve acesso a crédito. Ela aproveitou a oportunidade não para investir, mas para melhorar seu padrão de moradia. As construtoras não atenderam à demanda, e os preços subiram. Esses imóveis estão ocupados. Não aguardam compradores.

    Agora, o crédito se esgotou, e o número de compradores diminuiu. Construtoras que não souberam prever o fenômeno têm de liquidar suas unidades disponíveis, e investidores que não se prepararam para o longo prazo têm de baixar preços, não raro com prejuízo.

    Daí para o estouro da bolha, há uma grande distância. Eis o que temos: 1) um esfriamento do mercado; 2) uma redução média de preços, mais para esvaziamento lento que para estouro; e 3) dificuldade maior de encontrar as oportunidades que ainda existem.

    Quem comprou seu imóvel para morar não venderá. Sem negócios, os preços ficam mais para estagnação que para queda. A inflação se encarregará de aumentar a perda real. Os mesmos brasileiros que ignoraram a inflação e os custos de cartório atrás de grandes lucros nos últimos anos também ignorarão a inflação e não perceberão a perda maior. O problema existe, mas, para a maioria, doerá menos do que se imagina.

    0
    • Azufrebh 14 de outubro de 2014 at 09:20

      “Esses imóveis estão ocupados. Não aguardam compradores.”

      ?

      Não por aqui.

      Sem contar os comerciais. Prédios e prédios inteiros para alugar e que não alugam.

      0
    • douglasfantonio 14 de outubro de 2014 at 09:31

      Tudo isso pode ser verdade, (nao acredito que seja, já que o estoque é record), mas construtora vive de construir, se não há mais compradores nem para o estoque atual, quiçá para novos empreendimentos, ou seja precisando de caixa, as construtoras vao liquidar e liquidar seus estoques, forçando o preço para baixo…. quanto mais passa o tempo, mais evidente fica o estrouro… essas promoçoes de 40% só estão retardando o processo.

      0
    • Pablo 14 de outubro de 2014 at 10:06

      Típico texto da fase da negação!

      0
      • Nosferatus 14 de outubro de 2014 at 15:18

        Típico texto na base da comissão!

        0
    • observador interno 14 de outubro de 2014 at 10:20

      concordo…. o mercado está trancado e estagnado. e os preços meio que congelados. quem comprou comprou e quem não comprou não vai mais poder comprar. alguma oportunidade aqui e acolá deve surgir. as construtoras vão morrer abraçadas com o seu estoque. e os proprietários vão ficar anos com os seus 70m2 de 750K por 600K anunciados. alguma venda isolada aqui e acolá …. para mim esse é o cenario dos proximos varios anos …..

      0
      • eu te disse 14 de outubro de 2014 at 11:21

        Pra mim, se o PSDB assumir, os preços desabam, pois virá um choque econômico necessário, coisa que o pt não vai fazer.

        0
        • Inside Job Brazílis 14 de outubro de 2014 at 12:13

          Não há dúvida. Não há cura sem a ferida sangrar primeiro…

          0
    • FHmartins 14 de outubro de 2014 at 10:51

      Acho que tem um erro ai nessa reportagem
      o Correto não é
      Esses imóveis estão ocupados. Não aguardam compradores.
      Mas sim

      Esses imóveis estão ocupados?
      Não !
      Aguardam compradores !!!

      0
      • Boba Alegre 14 de outubro de 2014 at 12:40

        Esses imóveis?????
        Estão ocupados não!
        Aguardam compradores !!!!!!!

        0
        • Juquinha 14 de outubro de 2014 at 15:45

          Aguardam compradores nada. Aguardam é bananense 666, bando de otários que adoram parcelinhas que cabem no bolso, adoram comprar imóvel na planta, financiam até comida no supermercado e depois ficam inadimplentes e entram no SERASA E SPC por 5 anos e depois voltam a fazer a mesma m…………

          0
      • talexbh 14 de outubro de 2014 at 17:07

        Deve ser igual ao lance da taxa de desemprego, que considera ocupados os indivíduos que estão procurando emprego.

        Seguindo essa lógica, imóvel anunciado pela imobiliária NÃO é imóvel desocupado. Ele está muito ocupado, tentando seduzir algum trouxa! rsrsrs

        0
        • Pró bolha 15 de outubro de 2014 at 00:10

          Você quis dizer “que não estão procurando empregos”.

          0
    • CA 14 de outubro de 2014 at 11:06

      O autor do texto desconhece uma infinidade de informações, como por exemplo, o estoque absolutamente anormal e equivalente a ANOS de vendas, a total desproporção entre preços dos imóveis ofertados e renda das famílias, a PÉSSIMA situação financeira de VÁRIAS construtoras ao mesmo tempo, algumas de grande porte com Ações na BOVESPA, o volume ABSURDO de especuladores nas mais diversas localidades, o volume crescente que já é uma verdadeira ABERRAÇÃO quanto a distratos, a total desproporção entre preço de venda e aluguel, mais todo o impacto na economia real que será cada vez mais refletido nas famílias e o que está previsto no cenário externo, com impacto explosivo destes últimos dois sobre os itens que mencionei anteriormente neste parágrafo.

      Ignorando tantos aspectos acima e ainda assim escrevendo um “artigo” a respeito, ou age de má fé tendo sido contratado ou orientado por alguém para amenizar o problema, ou é só mais um generalista que olha de forma superficial para apenas um aspecto relacionado ao tema e sai “explicando” o que está acontecendo, algo extremamente comum no meio jornalístico…

      0
      • hannamanana 14 de outubro de 2014 at 11:16

        O número de reportagens na televisão a respeito de distratos ou da falta de entrega dos imóveis subiu muito. Obviamente ainda falta colocar o dedo no ponto central da ferida, mas já é um fato escancarado.
        A falta de abordagem de modo mais abrangente do tema ainda faz com que muitos ainda tenham ilusão que é alimentada por este tipo de informação veiculada, onde o autor “desconhece” (rá) uma série de dados que deveria ser levado em conta.
        No meio disto tudo, algumas grandes construtoras pensam seriamente em fechar capital, o que seria uma saída que pode ou não dar certo dependendo da situação.

        0
        • JAPA FEARED 14 de outubro de 2014 at 14:27

          Flatou dizer que vem convite para conhecer os empreendimentos desde Agendinha de filha de escola infantil à Pizzas…

          0
      • FHmartins 14 de outubro de 2014 at 11:19

        Concordo CA
        Antes de tudo parabéns pelo excelente artigo

        Sem falar que do ” estoque ” de imóveis das corretoras se juntam os imóveis dos Distratos. E muito em breve os imóveis das recuperações judiciais

        0
        • CA 14 de outubro de 2014 at 14:04

          Obrigado pela avaliação do trabalho!

          É, faltou que eu mencionasse os efeitos colaterais sobre os financiamentos imobiliários junto aos bancos, com o esperado aumento de leilões e que a aberração dos distratos tem efeito super destrutivo sobre um segmento onde o desequilíbrio entre oferta e procura já é absolutamente anormal, obrigado por complementar.

          0
      • Lucas 14 de outubro de 2014 at 12:03

        CA, olha os últimos 3 parágrafos, os eufemismos de sempre, a negação do óbvio de sempre.

        1- Existem bilhões em estoques nas mãos das construtoras
        2- O mercado, segundo dados deles próprios, é até 80% investidor, a maioria comprou no mínimo 2, um pra morar o outro pra lucrar, isso quando não se comprou 10, 20, o andar inteiro, basta ver o ILCA21.
        3- Depois que ocorre a ocupação, a compra ainda não foi finalizada, resta pagar as parcelinhas por décadas, mesmo fingindo de morto num cenário de estagnação não faz sentido uma dívida tão alta para algo que custaria no max. 25% do valor mensal se a pessoa simplesmente alugasse, restando os outros 75% para economizar.
        4- Sim ele tem razão investidores não souberam fazer as contas e estão tendo prejuízo, mas o mercado se mantem insano, vide o fingezap, na esperança dum milagre, que antes era os subsídios da Dillma, e agora que viram a inflação colateral mais rpejudica do que ajuda, trocaram de aposta no áecio, mas do mesmo modo esperança fantasiosa, o problema é sistemático o ajuste já começou e levará anos.

        0
        • CA 14 de outubro de 2014 at 14:02

          Lucas,

          Sim, ele trabalha com informações muito superficiais, “lugar-comum”, de forma completamente ALIENADA em relação a uma enormidade de fatos, típico de quem não se informou antes de escrever. Tem MUITA informação disponível, mas como eles tem a obrigação de escrever sobre muitos temas, acaba virando isso aí, uma opinião sem nenhum embasamento, ou ainda o que coloquei antes, algo “encomendado”…

          0
      • Inside Job Brazílis 14 de outubro de 2014 at 12:13

        Ele não leu o Blog….

        0
    • Cash-for-crash 14 de outubro de 2014 at 13:03

      O Cerbasi já pode dançar ciranda com o amorinha…….
      Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar……..

      0
  • Mat 14 de outubro de 2014 at 09:14

    O mesmo se repete por Londrina, Maringá, Ponta Grossa.

    Muitos imóveis novos, poucos compradores; lojas fechadas nas ruas à espera de locatários.

    Shoppings com 4 anos de funcionamento ou mais com um número alto de lojas para locar.

    Complicado

    0
  • cmsl 14 de outubro de 2014 at 09:27

    Texto extraído do Valor Econômico, sobre a próxima crise mundial. Essa é pra quem acha que o ploc é exclusivo do Brasil:

    Próxima crise financeira será a maior da história, diz autor de best-seller americano

    Compartilhar:

    Por Chris Taylor | Da Reuters, de Nova York
    Você já se perguntou quando será a próxima crise? Possivelmente dentro de apenas dois anos com o “esperado colapso do sistema monetário internacional”. Esse é o subtítulo não muito sutil do livro de Jim Rickards, “The Death of Money” [“A Morte do Dinheiro”], lançado neste ano. Conforme você pode intuir, o gestor de recursos do West Shore Group, também autor do best-seller “Guerra das Moedas”, não acredita que os investidores terão um caminho tranquilo pela frente. Pense em 2008, mas pior.
    A reportagem conversou com Rickards sobre o quanto deveríamos confiar nos números que estão em nossas contas bancárias. Ao longo de sua carreira, o gestor ocupou altos cargos em instituições como Citibank, Long Term Capital Management (LTCM) e Caxton Associates, e foi o principal negociador do resgate do LTCM patrocinado pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano).
    A maioria das pessoas assume que o dinheiro que elas têm em suas carteiras está a salvo e seguro. Mas está mesmo?
    Jim Rickards: Não e por duas razões. Primeiro, conforme vimos na década de 70, quando tivemos um período de inflação alta, o valor do dólar foi cortado pela metade em apenas cinco anos. Portanto, isso pode acontecer muito rapidamente. A segunda vulnerabilidade é que o dólar é na verdade uma moeda digital. As pessoas chamam o Bitcoin disso, mas o dólar também é. Hoje em dia, uma porcentagem enorme de transações é digital, a começar pelos trilhões de dólares do mercado de títulos do Tesouro americano. A última vez que as pessoas tiveram bônus de papel de verdade em cofres de bancos foi na década de 70. Antigamente, o governo tinha meios de parar totalmente as coisas em períodos de crise, como decretar feriados bancários ou fechar bolsas de valores. Com a moeda digital, poderemos ficar muito vulneráveis durante o próximo pânico financeiro.
    Seu livro é intitulado “The Death of Money”. O que isso significa para o senhor?
    Rickards: Significa uma possível perda de confiança. Sempre haverá algum tipo de dinheiro no mundo, seja Bitcoins ou conchas de mariscos. Qualquer coisa pode ser dinheiro, contanto que as pessoas tenham confiança nela. Mas no momento em que a confiança é perdida, essa coisa deixa de funcionar como dinheiro. E uma vez perdida a confiança, é muito difícil reconquistá-la. Dinheiro é dinheiro até o momento que deixa de ser. Portanto, a verdadeira questão é: quais dinâmicas estão em ação que podem levar as pessoas a perder a confiança no dólar? É por isso que quando o Federal Reserve imprime dinheiro para estimular a economia ele está jogando um jogo perigoso.
    A que prazo estamos nos referindo para uma possível perda de confiança no dólar?
    Rickards: Muita gente está concentrada no único floco de neve que provoca a avalanche. Essas pessoas querem saber quando vai acontecer e como será. É claro que eu não sei isso mais do que qualquer pessoa. Mas você pode estar certo de que será uma avalanche. Outra boa metáfora é o terremoto. Dia desses estive na falha de San Andreas e nada se mexia. Isso não significa que tudo está estável; é apenas uma questão de tempo. É nisso que acredito em relação ao sistema financeiro. Eu diria que é questão de uns dois anos [até uma grande crise], e não de dez anos ou mais.
    E qual será o tamanho da próxima crise, em sua opinião?
    Rickards: O próximo pânico financeiro será o maior da história. Estive envolvido no caso do [fundo hedge] Long Term Capital Management, como conselheiro-geral – e mesmo na época estávamos a horas de derrubar todos os mercados do mundo. Naquela época, Wall Street socorreu um hegde fund. Vamos avançar rapidamente para 2008 e desta vez foi o Fed que socorreu Wall Street. Cada socorro financeiro é maior que o anterior. Quando o próximo pânico acontecer, ele será maior que o Fed. E aí o que vamos fazer? Continuar imprimindo trilhões de dólares?
    Então, como resultado disso, o que os pequenos investidores precisam fazer?
    Rickards: Eu aconselharia essas pessoas a olharem para o que Warren Buffett está fazendo. Em um de seus negócios mais recentes, ele comprou uma rodovia – um ativo com valor intrínseco que ganha dinheiro transportando outros ativos com valores intrínsecos, como carvão e trigo. É claro que os pequenos investidores não podem comprar ferrovias, mas podem investir com o mesmo espírito e procurar ativos fixos ou imobilizados. Você pode comprar ouro, obras de arte ou ações com foco em energia, transporte, recursos naturais, água e agricultura. Uma carteira dessas vai ajudar a preservar seu patrimônio no cenário atual.
    Onde o próximo pânico poderá começar?
    Rickards: Ele poderá começar em muitos lugares diferentes. Mas um lugar para se ficar de olho é a China, que está à beira de um grande colapso no mercado de crédito. Esse poderá ser o floco de neve que vai começar a avalanche global. (Tradução de Mario Zamarian)

    © 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso.

    0
    • LZ 14 de outubro de 2014 at 09:46

      Quando vejo empresas como Facebook comprando o WhatsApp por mais de 15Bi de Dólares.
      E vejo empresas que criam produtos de consumo comprarem os concorrentes como foi o da ZF comprando a TSW por um valor muito inferior, você percebe que as coisas estão fora do controle.

      WhatsApp não tem valor intrínsecos, uma empresa que fabrica peças no caso da TSW tem seu valor intrínsecos, pois possui fábricas, estoque, funcionários, produtos pra venda.

      Quando a bomba estourar estas empresas www vão quase todas pro saco ou vão virar quase pó.

      0
      • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 09:52

        E o Face, que vai atacar de “ad senses” agora.

        No ataque ao mercado consumidor final*, vai fazer um estrago de proporções bíblicas, e gerar um fluxo de riqueza para a empresa como poucas vezes viu-se na história.

        A não, ser, claro, que apareça alguma “mutação” não prevista no mundo da informática, tão produtivo nisso, e seja rapidamente ultrapassado no campo.

        * No mundo do negócio á negócio, pela ferramenta de buscas, o Google ainda é imbatível, e vê poucas ameaças, mas não fala com “pessoas” e sim, “com pessoas em suas atividades”.

        0
      • FHmartins 14 de outubro de 2014 at 10:56

        Se faltar Energia Facebook/WhatsApp e etc deixam de existir assim tipo Puff!!!

        0
      • Vincent 14 de outubro de 2014 at 11:02

        2008 foi um aviso para os americanos (e seus seguidores ideológicos). Não se constrói ou mantém uma economia viável criando banalidades virtuais ou especulando com ativos financeiros de fundamento duvidoso.

        Não aprenderam esta e outras lições e como resultado estão cedendo o status alcançado com muito custo pelas gerações anteriores aos seus rivais.

        0
      • Çanguinolento 14 de outubro de 2014 at 13:25

        Bingo.
        Sempre achei estranho pagar bilhões e milhões para empresas como o WhatsApp.
        Não faz sentido pra mim!

        0
      • Juquinha 14 de outubro de 2014 at 16:03

        Peraí. Como ficam os bananenses 666 que querem trocar mensagens no zapzap e postar sua fotos e seus seufis no feicibuqui? Bananense precisa de diversão, pois o que iriam fazer no tempo livre? Trabalhar? Ah, isso é um sacrilégio. Querer que Bananense 666 trabalhe. Melhor ficar esperando o $$$ do bolsa familia, bolsa escola, bolsa mendigo, bolsa gás, bolsa luz, bolsa maconha. KKKKKKK………..

        0
    • Fausto Luiz 14 de outubro de 2014 at 10:14

      Não vai ter jeito, o cenário caminha para uma guerra mundial de cunho geopolitico-econômico. Conquista de mercado. EUA, Europa, China e Rússia – Cabeças de chave, depois o sorteio dos menos favorecidos: Brasil, argentina, em bancarrota; México, o cocoçal dos países centro e sul-americanos, África e parte asiática. Brasil perderá parte da Amazônia como forma de pagamento da dívida externa contraída em virtude da estratosférica dívida interna – Uma possibilidade plausível.

      0
      • observador interno 14 de outubro de 2014 at 10:21

        PQP !

        0
        • Fausto Luiz 14 de outubro de 2014 at 10:31

          Lembre-se da Conferencia e Potsdam na Alemanha e Yalta na Criméia, durante a II GM – A antiga URSS (Stalin) – EUA (Roosevelt/Truman), GRÃ-BRETANHA (Churchil -hoje representando a Europa) e URSS (hoje Rússia), hoje o quadro seria o mesmo, incluindo apenas a China de Mao Tsung.

          0
    • Inside Job Brazílis 14 de outubro de 2014 at 12:18

      Será que barra a de 1929?

      0
  • mldm 14 de outubro de 2014 at 09:44

    CA, primoroso texto!

    0
  • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 09:49

    DÁ-LHE CA!

    ( Repetitivo isso… 😉 )

    OFF

    Socorro!

    Tive de postar num debatinho irritante no Facebook para um personagem que sabe-se lá como acha que SELIC alta não atrai capital internacional especulativo.

    Em que mundo imaginário e fofinho estas pessoas vivem?

    Ãh…

    “Grande parte dos imóveis vendidos nos últimos anos era composta por lançamentos imobiliários, projetados para atender a uma população que passou a ganhar mais e teve acesso a crédito. Ela aproveitou a oportunidade não para investir, mas para melhorar seu padrão de moradia. As construtoras não atenderam à demanda, e os preços subiram. Esses imóveis estão ocupados. Não aguardam compradores.”

    Olhos arregalados, traços na face de perceber-se confusão e incoerência…

    O_o

    Idem.

    0
    • Azufrebh 14 de outubro de 2014 at 09:50

      FQ, que notícias você dá do calor e da crise do setor energético?

      0
      • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 09:56

        Não tenho ficado muito “ligado” no setor energético, mas do pouco que pego, pode estar vindo uma crise hídrica aí, e empurrando a produção para o gás natural, e com isso, pressão nos preços e custos e lógico, entrando no bolo que já existe das elétricas.

        Detalhe: pintando verão pavoroso no sudeste, de onde a refrigeração vai cobrar seu preço no consumo.

        Irrigação corre em paralelo, pois não se faz bombeamento sem gastos energéticos e não se promove logística nenhuma no Brasil sem diesel, aquela coisa que hoje estamos importando.*

        Pai Xicão, acima de tudo, é um profeta do óbvio.

        * Aqui, o que chamaria de “pesadelo de nosso parque de refino”.

        0
    • Anonymous 14 de outubro de 2014 at 11:14

      Sim, repetitivo 😉

      0
    • Tenho paciência 14 de outubro de 2014 at 12:43

      Melhorar moradia -> vende um e compra outro. Qual o resultado da equação ?

      0
      • ryku 14 de outubro de 2014 at 13:10

        A resultante tem módulo maior e sentido oposto 😉

        0
  • Bolhudo 14 de outubro de 2014 at 09:55

    Dentro do Tópico:
    -Dono de material de construção onde comprei todo material para construção de minha casa e com quem tenho certa intimidade, me confidenciou que numa reunião de lojista do ramo foi informado sobre estoque de imóveis em Curitiba que é de dez anos no mínimo.
    -Construtor dos famosos geminados me contou que a oferta de imóveis MCMV de até 170k está muito alta e não está vendendo ( só não falou que o povo está sem renda mesmo dentro desta faixa de preços para aprovar os financiamentos ), e que agora vão focar em imóveis de 250k para a pessoa que ganha entre 5 e 7 mil, e que procura por casa de três quartos e 02 vagas.

    0
    • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 09:58

      “Dono de material de construção”

      Pegando a deixa.

      Cliente pensando em simplesmente … fechar, dado o que chama de “paradeira”.

      Claro que tem u pouco de histeria entre um café e água mineral com gás e outra, mas a coisa é nítida.

      Sangue de Rosa,Sangue de Rosa, poderoso, abundante, por onde escorres?

      0
    • Pablo 14 de outubro de 2014 at 10:11

      … para a pessoa que ganha entre 5 e 7 mil …

      Este pessoal sabe fazer conta e acaba indo para o aluguel, investindo o capital em outras formas de investimento cujo rendimento paga o aluguel, o condomínio, o IPTU e ainda sobra para viajar 1 vez por ano para o exterior!

      0
      • EngenheiroMG 14 de outubro de 2014 at 10:13

        nem todos…. e acho até que a minoria sabe fazer conta.

        0
        • observador interno 14 de outubro de 2014 at 10:23

          A minoria menor !

          0
      • Gabimozinha 14 de outubro de 2014 at 11:02

        Oi!
        Esse patamar de renda, já colocado aqui que corresponde a um percentual pequeno da população, na verdade é uma renda pequena ( governo considera classe média ou classe C, quando tem renda mensal
        de R$ 1.064 !!! Um deboche!!! ) ; devemos considerar os gastos com a família ( incluindo escola e plano de saúde ainda que inferior ), que consome praticamente tudo no mês pois considerando o custo de vida, quase nada ou nada sobra. Este cidadão na verdade nem faz conta, está é aprisionado a essa perversa lógica do mercado que o mantêm na condição de aluguel e não sobra nada para investir, a não ser migalhas, se sobrar alguma coisa. Enquanto isso, nas cidades há muita oferta de usados para venda e quase ninguém está podendo comprar, a não ser através de um endividamento impossível. Aqui no Rio percebe-se claramente que os imóveis estão subindo, – em dois meses um imóvel de 300 mil passam para 340 mil, um de 260 mil para 320 mil e já aparecem muitos que há pouquíssimo tempo ( esse ano) estavam na faixa de 300 e poucos mil para 400 mil e até acima com uma facilidade impressionante, não consigo entender uma explicação para isso!

        0
        • Tenho paciência 14 de outubro de 2014 at 12:48

          Eu entendo. O sujeito herda um imóvel, abre o jornal e vê um parecido a 800k. Vai na imobiliária e as aves dizem que vale 900k porque o andar é mais alto e o prédio da frente (sim, é o que se enxerga em Copacabana fora da av. Atlântica) é mais bonito. Você acha que alguém vai anunciar por 700k ? Só se tiver com a corda no pescoço.

          0
          • Juquinha 14 de outubro de 2014 at 16:07

            Do jeito que estão as vendas o cara leva anos para vender. Se existisse um mínimo de massa cinzenta na cabeça desses otários ele pensaria o seguinte: “vou abaixar o preço para vender já e deixo esse $$$ aplicadinho. Em pouco tempo vou recuperar o desconto que eu dei nesse imóvel e daí só lucro”. Mas como o cara é idiota, vai colocar o preço mais alto e não vai vender. Aqui na Banania otário nasce que nem erva daninha.

            0
            • Tenho paciência 14 de outubro de 2014 at 21:49

              Aí alguns se enrolam durante a vida e resolvem vender na pior hora. Você que está líquido chega pisando no pescoço e jogando o preço embaixo. Aí vagabal chora, diz que você é aproveitador. Quando ganham na especulação adoram o capitalismo, quando fazem melda e perdem, querem socializar o prejola.

              0
      • SAPO_BOLHUDO_JDI 14 de outubro de 2014 at 11:04

        Fiquei triste com o seu comentário,com este salário não dá pra ir pro exterior, ou não estou sabendo fazer contas.

        0
        • observador interno 14 de outubro de 2014 at 12:48

          vc tem que comer mais ovo

          0
  • Fry 14 de outubro de 2014 at 10:00

    Prévia operacional da Cyrela veio horrorosa. Tudo em queda! Quero ver da Eztec e da MRV agora.

    0
    • Fry 14 de outubro de 2014 at 10:01

      Faltou o link: “http://www.bmfbovespa.com.br/Agencia-Noticias/ListarNoticias.aspx?idioma=pt-br&idNoticia=18201410140013&header=201410140905CYRELA+REALT+(CYRE-NM)+-+Previa+Operacional+3T14+%7C+9M1418201410140013&tk=e5858431d085685334f31eb1ebfdee65&WT.ac=CYRELA+REALT+(CYRE-NM)+-+Previa+Operacional+3T14+%7C+9M14

      0
    • LZ 14 de outubro de 2014 at 10:07

      Se a Cyrela tá desse jeito imagina VIVER, Rossi e PDG ?

      Ta-lhe-pau hauahua

      0
    • Juquinha 14 de outubro de 2014 at 16:09

      Putz, nao acredito. Como vendendo ativos que valorizam 30% ao ano eles podem estar ruins das pernas? Hahahaha………….

      0
  • Daniel 14 de outubro de 2014 at 10:28

    O Pé não sai do freio!!!

    ”http://oglobo.globo.com/economia/imoveis/mercado-de-imoveis-do-rio-pisa-no-freio-registra-descontos-entre-10-20-14239488

    0
    • Vicente 14 de outubro de 2014 at 13:44

      Mas a zólimpiada nem chegou ainda?

      0
    • MrJaime 14 de outubro de 2014 at 15:24

      Tópico!!!!!!!!! Tóóóóóópicoooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      UuuuááááááhhH!!!!!!!!!!!!!!!!

      0
  • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 10:28

    Gente!

    Momento OFF “AI, EU ME AMO!”

    Lembrou-me de certo ponto “textos sem nenhuma profundidade” que li aqui, acho que até mais de ano atrás.

    Parte de e-mail recebido hoje:

    “O tema do trabalho é “Análise Enantiosseletiva de fármacos: contribuições da cromatografia líquida de alta eficiência e eletroforese capilar”; como estamos tendo este semestre as disciplinas de Química analítica e Métodos Instrumentais de Análise, ainda não temos domínio sobre o tema e sua postagem “Síntese enantiosseletiva” me deu uma base sólida para poder argumentar sobre o texto.”

    🙂

    Agora vou bater no meu “Das Ich” (ego) até ele acomodar-se e já volto…

    Ah, antes de eu ir colocá-lo na casinha de novo, anotem um OFF, lembrado por esta postagem:

    Perceberam que o papo sobre produção e volume de importações da Petrobras anda meio acomodadinho?

    Assim, “deixa quieto”?

    Aguardem o que vem por aí…

    OFFÓLEOS VIRÃO!

    O que tem a ver com “mercado imobiliário”?

    Para quem já assistiu o Leandro Hassum, falando sobre OVNIs:

    “MACAÉ?! MAS… MACAÉ?! “

    0
    • PBR 14 de outubro de 2014 at 20:59

      “Perceberam que o papo sobre produção e volume de importações da Petrobras anda meio acomodadinho? ”

      Explico:

      Quando este assunto estava em pauta (faz 1 ano), a produção estava em declínio e as importações de derivados em franca expansão, ainda na esteira das vendas recorde de veículos dos anos anteriores. Estes dois fatores, aliados a grande diferença entre o preço doméstico e o internacional que havia naquele momento, configuravam um cenário de catástrofe iminente para o caixa da petrobras.

      Acontece que, de lá para cá, houve uma série de aumento nos derivado e a produção, que vinha em declínio, estagnou e agora está voltando a crescer. A demanda, que vinha em franca expansão, estagnou devido ao arrefecimento das vendas de veículos e também devido a redução do consumo de derivados, em virtude dos aumentos de preços e do quadro geral da economia, que é recessivo.

      Assim, este assunto saiu de pauta simplesmente porque os fatores que apontavam claramente para um desastre viraram e agora não apontam para nenhum quadro definido. Acho que, em grande parte, todo o quadro macroeconômico do brasil está neste mesmo estado de indefinição.

      0
  • BReakfast 14 de outubro de 2014 at 10:35

    Enquanto isso na cidade maravilhosa…

    “http://oglobo.globo.com/economia/imoveis/mercado-de-imoveis-do-rio-pisa-no-freio-registra-descontos-entre-10-20-14239488

    0
    • BReakfast 14 de outubro de 2014 at 10:45

      Conversa de Corvo:

      “Leonardo Schneider, vice-presidente do Sindicato da Habitação do Rio (Secovi Rio) e presidente da Apsa, concorda: diz que desaquecimento não significa queda de preços direta generalizada, mas, sim, uma possibilidade maior de negociação, que pode resultar nestes descontos”

      0
      • BReakfast 14 de outubro de 2014 at 10:47

        Ou Seja:

        “desaquecimentonãosignificaquedadepreçosdiretageneralizada,mas,sim,umapossibilidademaiordenegociação,quepoderesultarnestesdescontos”

        0
        • motumbo_hardcore 14 de outubro de 2014 at 10:52

          Será que está acabando o estoque de traficantes e jogadores de futebol?

          0
          • BReakfast 14 de outubro de 2014 at 10:58

            Parece que até eles não estão comprando mais 🙂

            0
    • Joao RJ 14 de outubro de 2014 at 13:50

      Mercado de imóveis do Rio pisa no freio e registra descontos entre 10% e 20%

      Ia postar essa! Agora vai! pra baixo

      0
      • Joao RJ 14 de outubro de 2014 at 14:14

        Imagina o cara que se endividou no pico e aí ve essa noticia.

        0
        • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 15:53

          10 , 20% o caráio!
          No Hell de Janeiro – tem que cair 60% para começar a se equiparar com outros locais.

          0
          • Giuliana 14 de outubro de 2014 at 16:37

            Concordo!
            Aqui no Rio a ficha da bolha imobiliária ainda não caiu.

            Estou de olho num apê de 4 quartos que vi aqui na Tijuca, na Rua Bom Pastor.
            Há 4 meses fui ver o local e ele custava R$1.400.000,00.
            Como eu gostei muito do apê, cheguei a oferecer R$1.000.000,00, considerando que o imóvel estava recém entregue pela construtora e vazio…o corvo riu da minha “pobreza” é só faltou me xingar de pobre e “mandinga”.
            Nesse final de semana olhei no Bom Negócio e o apê está por R$1.600.000,00.
            Como assim?!?!
            O troço não vende e o corvo aumentou o preço?!?!

            Tudo bem que o prédio é de luxo, supostamente, mas ele fica na beira do morro e perto da entrada da favela do Salgueiro.

            Eu não consigo entender quem compra esse tipo de apartamento…
            À remuneração bruta aqui em casa é alta e eu não tenho a menor condição de comprar ou financiar qualquer coisa nesse preço.
            Então quem é que compra?!?

            Agora já desisti da compra de imóvel pelos próximos 5 anos e renovei meu aluguel pelo mesmo preço que eu vinha pagando.
            Ces’t lá vie….

            0
            • The End 14 de outubro de 2014 at 19:02

              Essa rua é furada, ainda mais essa fortuna toda.

              0
  • Diógenes 14 de outubro de 2014 at 10:46

    Sinal dos tempos…
    Mercado de brechós cresce 210% em cinco anos e já reúne mais de 11 mil empresas no país
    ‘http://oglobo.globo.com/economia/mercado-de-brechos-cresce-210-em-cinco-anos-ja-reune-mais-de-11-mil-empresas-no-pais-14159834

    0
    • QQ_Wilson 14 de outubro de 2014 at 10:54

      Interessante que a cultura no Brasil é sempre comprar coisas novas. Lá fora (pelo que leio/assisto) os países mais desenvolvidos tem o mercado de brechó mais “maduro/evoluído”.
      É claro que aqui, pela eminência de uma crise, esse mercado irá crescer…de forma forçada é claro 🙂

      0
      • DRN 14 de outubro de 2014 at 10:58

        Acompanho o mercado de leilão há 10 anos e a evolução nos últimos dois anos foi fantástica, quer em número de leiloeiros, quer em número de licitantes, quer em número e diversidade de mercadorias.

        0
        • DRN 14 de outubro de 2014 at 11:04

          Acho que em muitos lugares do mundo a produção de bens está saturada. Não tem para quem vender. Se eu fosse presidente de uma multinacional, estaria muito preocupado em ocupar espaço em países carentes, como os africanos. O problema é a completa ausência de infraestrutura, segurança jurídica, segurança física e sanitária (ebola etc.).

          0
          • Lucas 14 de outubro de 2014 at 13:15

            acompanho leilão de imóveis há 3 meses

            cresce 30% ao mês a quantidade

            já o valor…

            0
    • Fausto Luiz 14 de outubro de 2014 at 10:57

      Brechó em paralelo é +/- como um penhor. Se desfazer de algo de grande estima sentimental para satisfazer o credor. Trágico

      0
  • Leonardo Alves 14 de outubro de 2014 at 10:50

    Caso já tenha sido postado, favor desconsiderar:

    “http://atarde.uol.com.br/economia/noticias/1630696-caixa-estima-crescimento-zero-para-o-credito-imobiliario

    Destaco:

    “A projeção atualizada é de que a liberação de empréstimos imobiliários pelo banco alcance até R$ 136 bilhões em 2014, patamar igual ao verificado em 2013. A Caixa antes estimava que os financiamentos chegariam a R$ 155 bilhões, alta de 14% em relação a 2013.”

    “Se chegarmos a R$ 136 bilhões, já será um excelente desempenho para este ano”, disse o diretor executivo de Habitação, Teotônio Rezende, ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado. De janeiro a setembro, os financiamentos somaram R$ 95 bilhões.

    0
  • Fausto Luiz 14 de outubro de 2014 at 11:05

    PARA COMEÇAR ESTÁ BOM 20% isso agora final de 2015.

    Mercado de imóveis do Rio pisa no freio e registra descontos entre 10% e 20%

    As negociações para longo prazo estão mais flexíveis

    O GLOBO

    por Raphaela Ribas

    14/10/2014 8:17 / Atualizado 14/10/2014 10:38

    Publicidade

    RIO — Um ano de muitos eventos, preços atingindo o teto e crescimento da oferta de imóveis no mercado do Rio estão levando imobiliárias e construtoras a estarem mais abertas para negociar. E isso pode significar descontos entre 10% e 20% no preço final da compra, seja de novos ou usados. Para Rogério Quintanilha, gerente-geral de vendas da Apsa, o setor no Rio de Janeiro não se beneficiou tanto quanto esperava com a realização dos eventos esportivos, nem com a indústria de extração de óleo e gás.

    — O consumidor está aumentando o tempo de análise de compra. As Olimpíadas continuam movimentado a cidade em termos de renda, mas quem compra imóvel começa a ter uma visão de médio e longo prazos. Há uma percepção de aumento do desemprego, então, o endividamento extenso faz com que pessoas pensem mais. O processo eleitoral também afeta. Alguns esperam o resultado para decidir sobre a compra. O mercado veio com expectativa muito grande de aumento e estes valores ficaram muito acima da realidade. Agora, as negociações levam a redução de preços entre 10% e 20%.

    Na linha de que a questão do preço varia conforme a oferta e procura, o presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Matos, explica, entretanto, que, mesmo com negociações mais flexíveis, pode haver regiões mais supervalorizadas ou superofertadas. Em seu ponto de vista, 2014 tem sido um ano atípico, por conta dos vários eventos que a capital recebe, o que resulta em um desaquecimento.

    — O mercado veio crescendo muito forte nos anos anteriores e, agora, se deparou com vários eventos atípicos: carnaval em março, feriados em abril, Copa do Mundo e eleições. Tudo isso fez com que o mercado ficasse mais devagar. Claro, afeta o setor e pode levar as construtoras a darem descontos. Mas o setor vai voltar ao ritmo após as eleições — aposta Matos.

    (…)

    0
    • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 11:38

      ” o setor no Rio de Janeiro não se beneficiou tanto quanto esperava com a realização dos eventos esportivos, nem com a indústria de extração de óleo e gás.”

      Como não pensamos nisso também?!

      0
      • BReakfast 14 de outubro de 2014 at 11:43

        “http://www.zerohedge.com/news/2014-10-14/5-reasons-oil-prices-are-dropping

        0
      • Lekson Bronson 14 de outubro de 2014 at 13:08

        Mas pode esperar que logo depois disso voltarão a valorizar 30% aa, não, perái, vai valorizar logo 90% aa.

        Vai sim…

        Que sofram.

        0
    • Riodetudo 14 de outubro de 2014 at 18:53

      Por isso está cheio de investitolo no Rio com imóvel encalhado. O mais triste, é que não vão dar o braço a torcer e vão preferiria ficar dez anos com o apartamento vazio para vender com o preço de hoje!! E aí vai dizer, viu, eu disse que ia vender por esse preço! Esse é o cidadão bananense! Vamos alugando minha gente e aproveitando a vida com o dinheiro investido que está muito melhor!!!

      0
  • Fausto Luiz 14 de outubro de 2014 at 11:05

    Digo final de 2014. Até!

    0
  • Max 14 de outubro de 2014 at 11:11

    “— O mercado veio crescendo muito forte nos anos anteriores e, agora, se deparou com vários eventos atípicos: carnaval em março, feriados em abril, Copa do Mundo e eleições. Tudo isso fez com que o mercado ficasse mais devagar. Claro, afeta o setor e pode levar as construtoras a darem descontos. Mas o setor vai voltar ao ritmo após as eleições — aposta Matos.”

    kkkkkkkkk, que ridículo. Sr. Matos, na boa, mude de profissão.

    0
  • Anonymous 14 de outubro de 2014 at 11:12

    Parabéns CA.

    0
    • CA 14 de outubro de 2014 at 14:05

      Anony,

      Obrigado!

      0
  • Mr. Kowalski 14 de outubro de 2014 at 11:17

    Pergunta para os entendidos. Considerando o cenário atual com quedas acentuadas nas vendas, não é natural que aumente a procura por imóveis para alugar? Isso não pode puxar o preço dos aluguéis pra cima?

    0
    • GordoNerd 14 de outubro de 2014 at 11:24

      Aumentar mais? Aluguel tá no limite, e pra quem estava acostumado com o fluxo de caixa do aluguel, a vacância dói mais.

      É diferente da ilusão do “não vendeu, mas valorizou”, em que psicologicamente o camarada acha que ainda está no lucro.

      0
    • CA 14 de outubro de 2014 at 11:28

      A questão passa pela relação entre oferta e procura, como em tudo.

      Exatamente devido a queda brutal nas vendas, a oferta de imóveis para alugar dispara e os preços caem.

      Leia a parte deste trabalho que fala sobre São José dos Campos, é um caso típico: preço de venda caiu 25% em função de super oferta e preço incompatível com renda, com isto a oferta de aluguel subiu 300% porque investidores desesperados partiram para esta opção e daí aluguel teve queda de preços entre 8% e 10%. Todas as evidências (links) constam no tópico.

      Leia ainda outro trecho do trabalho do tópico que fala sobre aumento anormal na oferta de aluguel em alguns Estados.

      Outro ponto: hoje o próprio SECOVI SP fala que o preço mínimo do aluguel é inviável para a maioria das famílias em São Paulo e pede um “aluguel social” ao Governo, que obviamente não ocorrerá e se já temos diversos proprietários reclamando que não conseguem alugar na cidade, levando até a este apelo patético do CRECI porque imobiliárias e corretores não estão faturando, não resta outra saída a não ser baixar ainda mais o preço do aluguel.

      Lembrando que no exemplo de São Paulo, o percentual de crescimento de contratos de aluguel vem despencando nos últimos anos: o que crescia mais de 50% em 2.010, passou a crescer menos de 25% em 2.011, menos de 15% em 2.012, menos de 10% em 2.013 e por aí vai, ou seja, o preço do aluguel, embora “baixo” se comparado a opção de comprar imóvel, também está muito alto quando comparado a renda e com toda a piora na economia e tendência de aumento no desemprego esta desproporção ficará cada vez pior.

      Podem ocorrer casos isolados de aumento de aluguel em algumas localidades, mas a regra tem sido super oferta levando a redução dos preços.

      0
      • Ligado - Poa 14 de outubro de 2014 at 11:47

        Sempre preciso CA. C “the shooter” A.

        0
      • Mr. Kowalski 14 de outubro de 2014 at 14:29

        Verdade. Faz sentido. Valeu pela explicação!

        0
      • Medico Bolhudo 15 de outubro de 2014 at 06:08

        Saindo dos dados econômicos e partindo para Vida real, se verifica mesma coisa.
        Atualmente venho procurando um novo apt p alugar e visivelmente a oferta estarem maior e o preco do m² caiu.

        0
  • DRN 14 de outubro de 2014 at 11:21

    ON TOPIC.

    Acho que o melhor parágrafo do texto é esse, especialmente porque é o que há de novo no debate:

    10.7) “A teoria do santo milagreiro = se a oposição vencer as eleições, teríamos uma onda de otimismo que permitira a recuperação do segmento imobiliário”: No caso da oposição vencer, uma das promessas é que não vão dar continuidade à farra do crédito, o que por si só, acelera a explosão da bolha. Sem contar que se cumprirem o prometido, não vão utilizar Petrobrás ou o câmbio para combater inflação e não teremos mais maquiagens contábeis, portanto, não haverá outra saída para combater a inflação a não ser o aumento de juros, o que é outra forma de fazer com que a bolha imobiliária exploda antes. Se mantiverem as promessas feitas, a oposição não irá fornecer auxílio casuístico para empresas do segmento imobiliário para estas darem continuidade ao seu esquema de pirâmide financeiro. O “otimismo” não resolve os outros 9 itens citados acima, ou seja, não faz com que a super oferta “evapore”, não faz com que preços e renda alcancem o equilíbrio “da noite para o dia” sem que se mexa nos preços, não reequilibra aluguel e venda, não salva as empresas do segmento imobiliário ou diminui o volume absurdo de distratos, não elimina da noite para o dia os problemas intensos da economia ou ameaças externas, em outras palavras, esta é apenas a ilusão da vez que o segmento imobiliário tenta vender. Ações prometidas pela oposição, tais como reforma fiscal (rever impostos e gastos públicos), incentivar produtividade via investimentos em infraestrutura, educação e tecnologia, dentre diversas outras, em sua maior parte não são executáveis e com resultados para o primeiro ano de Governo, em parte por questões legais (reforma tributária se vota em um ano para aplicar no ano seguinte), em parte porque serão atrasadas por uma resistência ferrenha da “nova oposição” (Governo atual) que sempre trabalha com a política do “quanto pior melhor” quando está na oposição e em parte, requer trâmites burocráticos mais demorados para implantação, sendo que quando os agentes internos e externos perceberem tudo isto, o mito do “santo milagreiro” será desfeito. Lembrando que se descuidar da inflação em nome do crescimento, como fez o Governo atual, já sabemos do resultado, logo, esta não é opção viável e mesmo que acontecesse, seria ainda mais destrutiva para nossa bolha imobiliária, como explicado acima sobre nossa economia e as bolhas imobiliária e de consumo.

    0
  • SwineOne 14 de outubro de 2014 at 11:30

    OFF para o From_The_Tower, ou outro que possa ajudar.

    Estava pesquisando no matrix.itasoftware.com e encontrei uma passagem da minha cidade para JFK, voando Gol da minha cidade até GRU e American de GRU-JFK. Depois a volta seria JFK-GRU pela American, e até a minha cidade pela Gol. O vôo é indicado como sendo Gol mesmo, não é codeshare da American (nem sei se tem acordo de codeshare com a American).

    O problema é que não tenho ideia de como emitir essa passagem pelo preço que vi no matrix.itasoftware.com. Se coloco o mesmo trecho no site da American, a American não encontra nenhum vôo disponível (já que eles não operam na minha cidade). Se pesquiso na Gol, o preço é bem mais caro, pois não é a American que faz o trecho internacional. Via Submarino Viagens ou Decolar.com, entendo que precisa pagar uma taxa extra para estes sites. Existe alguma forma de emitir essa passagem sem pagar taxas extras?

    0
    • Cuiabano 14 de outubro de 2014 at 11:32

      Sei que no site da american tem a opção de marcar todas as companhias aéreas, mas não sei se aparece gol.

      0
      • SwineOne 14 de outubro de 2014 at 11:36

        Muito obrigado, era isso que estava faltando!

        0
    • Anonymous 14 de outubro de 2014 at 12:20

      Compre diretamente na AA, colocando as cidades de origem e destino.

      “http://www.aa.com/

      0
      • SwineOne 14 de outubro de 2014 at 13:23

        Eu fiz isso, mas faltou marcar “All Carriers” com o Cuaiabano sugeriu.

        0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 13:41

      Esse é o código tarifário dessa busca completa.
      No site da AA não é possível alguns casos pois o voo do parceiro – no caso GOL – não encaixa.
      Em agência de viagem eles irão honrar essa tarifa – mas irão cobrar a comissão.
      Já os consolidadores – Decolar ou Submarino – passam a faca nas taxas tb. O ideal é sempre acompanhar o resumo final da ópera. Eu prefiro emitir com milhas – mas para quem pretende emitir sem milhas o ideal é parcelar na agência de turismo – ou no próprio site que aceite esse tipo de pagamento.

      0
  • Totonho 14 de outubro de 2014 at 11:32

    OFF
    Vejam a quantidade de apadrinhados que foram dispensados em S. J de Meriti (Baixada Fluminense)

    “Meriti ‘acorda’ com menos onze secretarias e três mil demitidos”

    O fim de 11 secretarias e a demissão sumária de todos os funcionários com cargos comissionados da Prefeitura de São João de Meriti, na manhã de ontem, desencadearam uma onda de protestos no município. Pelo menos, três mil pessoas ficaram sem emprego e outras tantas sem a certeza da continuidade de vários projetos sociais. De acordo com a administração municipal, a medida drástica foi tomada para adequar o atual orçamento à arrecadação deste ano, que sofreu um baque, decorrente da diminuição dos repasses de verbas federais e estaduais.
    (…)

    Prefeito quer ‘pessoas que realmente trabalhem’
    Em meio às justificativas e promessas de dias melhores, mais de cem de ex-empregados do município realizaram protesto ontem de manhã, em frente à sede da prefeitura. Desesperados, muitos diziam não saber o que fazer diante do desemprego que veio seguido de, pelo menos, dois meses de atrasos salariais.
    (…)
    h ttp://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2014-10-14/meriti-acorda-com-menos-onze-secretarias-e-tres-mil-demitidos.html

    => Reparem que foram dispensados cerca de 3.000 apadrinhados, mas só um pouco mais de uma centena foram protestar. Talvez só estes é que realmente trabalhavam…

    O final de ano chegando e os prefeitos “pira” com a LRF.

    0
    • Fernando BH 14 de outubro de 2014 at 11:36

      Muitos querem ter um emprego mas querer ter um trabalho é diferente.

      0
      • FBI80 14 de outubro de 2014 at 11:45

        prevejo isso acontecendo em brasilia em breve…. hehehehhe

        0
    • Marcus A 14 de outubro de 2014 at 11:46

      Com a falta de dinheiro no Brasil os municípios serão os primeiros a cair.

      0
    • Inside Job Brazílis 14 de outubro de 2014 at 13:16

      Aqui em Brasília a cambada de comissionários do governo do PT já começou a chorar…. Próximo governo, que deve ser do Rolembéqui, vai passar o rodo em todo mundo…. chora PeTralhada!

      0
  • DACAR 14 de outubro de 2014 at 11:32

    Cyrela tem queda de 36,6% nos lançamentos no terceiro trimestre.

    Lançamentos da companhia, somente, recuaram 44,2% na mesma base de comparação, a R$ 509 milhões

    Considerando parceiros, as vendas caíram 27,1% ante igual trimestre do ano passado, a R$ 992 milhões

    Os lançamentos da Cyrela Brazil Realty caíram 36,6% no terceiro trimestre sobre um ano antes, a R$ 783 milhões, em cifra que considera parceiros, informou a construtora e incorporadora em prévia operacional na noite de segunda-feira (13).

    Os lançamentos da companhia, somente, recuaram 44,2% na mesma base de comparação, a R$ 509 milhões.

    Entre julho e setembro, as vendas da empresa tiveram declínio de 24,7% na comparação anual, a R$ 772 milhões. Considerando parceiros, as vendas caíram 27,1% ante igual trimestre do ano passado, a R$ 992 milhões.

    “http: // economia.ig.com.br/empresas/2014-10-14/cyrela-tem-queda-de-366-nos-lancamentos-no-terceiro-trimestre.html”

    0
  • MrCitan 14 de outubro de 2014 at 11:32

    OFF TOPIC – Impostos de Compras no Exterior
    Padeiro, você está por aí?
    Por favor, me responde o seguinte? Quando você fez suas compras na terra dos livres, você pediu restituição de impostos?
    Eu vi que é possível isto na Alemanha, mas nos EUA eu não sei se isto é possível.

    0
    • FBI80 14 de outubro de 2014 at 11:43

      no japão, algumas lojas de departamento, yamada denki, bic camera, etc te restituem os impostos na hora nas compras acima de 10 mil ienes (+-100 dolares). Nos EUA nunca vi nada do tipo.

      0
      • Inside Job Brazílis 14 de outubro de 2014 at 13:19

        Na Espanha eles fazem isso mas somente para turistas. Em 2010 quando comprei uma máquina lá ele devolveram uma pequena parte.

        0
    • JPM 14 de outubro de 2014 at 12:03

      Nos EUA, AFAIK, não rola. Cheguei a perguntar no balcão de informações do aeroporto, na volta da minha primeira viagem, e a moça até brincou: “Não, nós vamos mesmo ficar com seu dinheiro!”
      Mas na Europa eu vi, em mais de um aeroporto, um balcão para você receber de volta o VAT, mas somente para compras acima de um certo valor. Não me lembro os números exatos agora.

      0
      • RalaTudo 14 de outubro de 2014 at 16:03

        Os EUA não têm o conceito de “ICMS” ou “Value Added Tax”. Então como eles não cobram este imposto não tem o que devolver.
        Na Europa o VAT é para todo o bloco, com variações entre países, por exemplo na Espanha é 19% enquanto que na Holanda é 21%.
        No momento de comprar tem que comprar e informar o vendedor que você vai pleitear o reembolso, você recebe um formulário. Aí na hora se sair do país tem que passar na Duana (alfândega) e carimbar. Só com este carimbo você consegue o reembolso, e mandar o formulário para copanhia que vai intermediar o reembolso.

        Claro que ninguém trabalha de graça, então você não recebe tudo que tem direito, pois vai pagar uns 20 ou 30 Euros como taxa de administração. Então só compensa se você fizer uma compra grande em uma mesma loja.

        espero ter ajudado.

        0
    • mmmmm 14 de outubro de 2014 at 13:26

      Existe sim. Em alguns estados você encontra algumas lojas de empresas que fazer a restituição do imposto pago por visitantes. No Texas eu posso dizer que existem nos principais outlets e em alguns aeroportos

      Contudo, não são todas as lojas de varejo que são aceitas. As principais são.

      Você precisa ter em mãos o passaporte, passagem aerea, e as notas, (atenção que se for em cartão tem que ter seu nome da nota)

      Depois disso tudo, eles te devolvem metado do imposto. A outra metade fica como comissão.

      Usei uma vez, peguei de volta 10 dolares, todas as outras vezes não valia muito o tempo perdido.

      0
      • RalaTudo 14 de outubro de 2014 at 16:04

        uops… foi mal.. dei informação errada sobre os EUA… desculpa aí

        0
      • so observando... 15 de outubro de 2014 at 00:33

        correto.
        tem outros estados como o Delaware que tem zero tax! tax free mesmo.
        tem mais um estado americano alem do texas que tem o tax refund, eh na meiuca, nao lembro agora o nome, mas nao eh dificil achar na net.
        outra forma de nao pagar a taxa e por compras online. se vc compra de uma loja em um estado e pede pra entregar em outro (que nao tenha filial da loja) normalmente nao paga nenhuma taxa.

        0
    • Rolha 14 de outubro de 2014 at 13:33

      Eles devolvem se tu for no posto do país. Senão tem que mandar por correio.

      Exemplo: fui a Milão e já peguei um voo para Berlim. Andei 20 dias de Berlim até Milão novamente de carro e trem, portanto não passei em outro aeroporto na Alemanha.

      Todos os Lugares que passei na Alemanha e Itália (Rep Tcheca não lembro) ao pagar eles me davam um papel que dizia os lugares para tu pedir a restituição.

      Em Milão ao voltar pro BR levei todas as notas porém só as notas emitidas na Italia eu consegui a “devolução”. As compras feitas na Alemanha eu deveria ter feito lá na Alemanha. Não o fiz, desta maneira tinha que pegar o papel que eles davam e mandar pelo correio as notas pedindo a restituição. Mas nem fiz isto, comprei pouca coisa na Alemanha. Não sei se funciona.

      0
      • Rolha 14 de outubro de 2014 at 13:34

        USA não conheço ninguém que fez. E na Argentina tu consegue devolução se for de produto produzido no país.

        0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 13:43

      Mr. Citan, eu nunca fiz nos EUA – só na Europa.
      Mas parece que alguns estados americanos estão estudando essa possibilidade. Se eu souber de algo – aviso.

      0
    • MrCitan 14 de outubro de 2014 at 14:21

      Pessoal, obrigado pelas dicas. É sempre bom saber se há possibilidade de alguma restituição de impostos.
      Nos EUA a maioria das minhas compras de roupas foi no Jersey Gardens, na qual eles não cobram imposto.
      O baque foi o eletrônico em NY, na qual cobraram quase 50 doletas de imposto. 🙁

      0
    • Medico Bolhudo 15 de outubro de 2014 at 06:13

      Nao existe Tax Refund na maioria das cidades Americanas, SW nao me engano apenas o Estado da Lousiana e a cidade de Portland faz. Mas nao sei como funciona (valores mínimos etc)

      0
  • Ligeiro 14 de outubro de 2014 at 11:33

    Imovel na zona sul de SP ( sobrado, 3 dormits), com lançamento em outubro 2013 = r$ 750.000.
    Esse mesmissimo imovel à venda em Outubro 2014 = r$ 685.000.
    Imovel : sempre um bom negocio….

    0
    • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 11:45

      Desconto de dinheiro de pinga. Mal dá para comprar um BMW na fixa do legalzinho.

      😀

      0
  • FHmartins 14 de outubro de 2014 at 11:38

    Faltando dinheiro literalmente

    Fabricação de moeda cai e troco some do mercado

    Comerciantes e lojistas estão fazendo de tudo para conseguir moedas. De brindes e descontos aos clientes que facilitam o troco ao recurso a vendedores ambulantes e flanelinhas, vale qualquer esforço atrás dos trocados. Os apelos chegaram até mesmo às igrejas em busca do dinheiro miúdo. Essas táticas passaram a ser usadas depois que se tornou cada vez mais difícil obter moedas e notas de baixo valor nos bancos.

    As causas para o sumiço do troco na rede bancária são os cortes sucessivos no orçamento do Banco Central. Sem recursos, a instituição foi obrigada a reduzir as encomendas de moedas para menos de um terço dos pedidos feitos no ano passado. Em cédulas, foram solicitadas menos da metade das unidades de 2013, segundo o contrato firmado entre o BC e a Casa da Moeda, responsável pela fabricação de dinheiro no País.

    No ano passado, a Casa da Moeda produziu 3,15 bilhões de cédulas e 2,3 bilhões de moedas de todos os valores para o BC. Neste ano, a previsão é fabricar 1,2 bilhão de cédulas e somente 945 milhões de moedas. Essas são as quantidades previstas em contrato para todo o ano. Mas, passados nove meses, a fabricação está muito abaixo dessa previsão. E o orçamento destinado para esse fim já foi praticamente todo gasto.

    De janeiro a setembro, a Casa da Moeda produziu 654 milhões de cédulas e 286 milhões de moedas, quantidade significativamente inferior à dos últimos anos. Em 2012, foram 2,8 bilhões de cédulas e 1,2 bilhão de moedas. Até o momento, porém, não há evidências de que essa produção menor tenha se refletido em diminuição da base monetária – o dinheiro em circulação. Uma hipótese para isso é que, para economizar, o BC tenha, por exemplo, mandado imprimir uma nota de R$ 100 no lugar de cinco de R$ 20 ou de 50 de R$ 2.

    Corte

    Defensor da austeridade fiscal do setor público para a contenção da inflação, o BC provou do próprio “remédio”: o orçamento da autoridade monetária com custeio administrativo e despesas com investimento foi cortado em 28% neste ano.

    Dados obtidos pelo jornal O Estado de S. Paulo mostram que, para a produção de cédulas e moedas, o Departamento de Meio Circulante teve aprovados R$ 208,1 milhões em 2014. Nessa conta estão também a produção de moedas comemorativas, como as da Copa do Mundo, que são mais caras. Desse valor, R$ 205,6 milhões já foram gastos até o dia 10 de outubro. Em 2013, o orçamento para a fabricação de dinheiro foi 500% maior: o BC tinha R$ 1,261 bilhão, do qual R$ 1,234 bilhão foi efetivamente gasto.

    O BC admite que a contenção de gastos atrasa a reposição das notas desgastadas e danificadas pelo uso por novas cédulas. “O BC vem buscando aumentar o prazo de circulação das notas, sem contudo descuidar-se de recolher aquelas com elevado nível de desgaste”, disse, em nota.

    Em média, a vida útil das cédulas de pequeno valor, que circulam mais, é de pouco mais de um ano. As novas notas, da segunda família do real, receberam uma camada de verniz para aumentar a vida útil.

    Neste ano, foram colocadas em circulação 690 milhões de unidades de novas moedas – número superior à quantidade que foi fabricada. Ou seja, o Banco Central tinha unidades fabricadas guardadas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    0
    • Lord Henry 14 de outubro de 2014 at 16:18

      Só digo isso: Vou rir pra não chorar.

      0
  • PapiranteSalg 14 de outubro de 2014 at 11:48

    Inadimplência do consumidor no Brasil cresce 19,6% em setembro, aponta Serasa

    “A inadimplência entre consumidores brasileiros registrou forte alta em setembro, subindo 19,6 por cento sobre igual mês do ano passado, de acordo com dados da Serasa Experian divulgados nesta terça-feira.

    No acumulado dos primeiros nove meses do ano, a inadimplência entre consumidores avançou 4,2 por cento sobre um ano antes.”

    “Os cheques sem fundo, as dívidas bancárias e os títulos protestados viram crescimento de 0,4 por cento, 0,8 por cento e 16,7 por cento, respectivamente, ante agosto.”

    fonte:”http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN0I31LW20141014

    0
    • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 11:52

      Problemas com o volume de crédito?

      Taí uma coisa que jamais alguém tratou aqui neste blog.

      Bando de nulidades!

      0
  • Dozer 14 de outubro de 2014 at 11:49

    CVR

    Quero comprar, mas não cabe no orçamento… Esse está implorando para ser motumbado!!! rsrsrsrs

    ‘http://www.reclameaqui.com.br/10386146/mrv-engenharia/ajuste-de-cobranca/

    COMPRAMOS UM APTO. RES. ÁGUA DOCE, AP 208, BL.C. CAMPINAS/SP, FECHAMOS COM A CEF EM SET/2014, JÁ FOI SACADO NOSSO FGTS DAS CONTAS EM 10/09/2014 E ATÉ AGORA NÃO FOMOS CHAMADOS PARA ASSINAR NADA…DAÍ PASSOU O MÊS E O IMÓVEL FOI REAJUSTADO – NOSSO SALDO A PAGAR DE ENTRADA FICOU DE R$ 10.800,00 PARA R$ 12.400,00….ENTRAMOS EM CONTATO COM A MRV PARA FAZER UM ACORDO E PAGAR ESSES VALORES, E NOS OFERECERAM O SEGUINTE: ENTRADA DE R$ 1.000,00 + 36X R$ 440,00 – COMO PODE ISSO!
    O NOSSO FINANCIAMENTO FICOU EM R$ 1400,00 POR MÊS, CONFORME NOSSA RENDA = 30% DELA E AGORA MAIS ESSE VALOR DE R$ 440,00 ULTRAPASSA…
    QUEREMOS PAGAR O QUE CABE DENTRO DO NOSSO ORÇAMENTO, ESTAREMOS MORANDO LÁ, COMO NÃO PAGAR…NÃO PODEMOS ASSUMIR UMA PARCELA TÃO ALTA ASSIM.
    PEDIMOS ENCARECIDAMENTE QUE OLHEM NOSSO CASO E FAÇAM UMA NOVA PROPOSTA…TEREMOS OUTRA DESPESAS…COMO PAGAR ISSO! QUEREMOS DAR ENTRADA E PAGAR NO MÁXIMO R$ 200 OU R$ 250,00 POR MÊS….
    AGUARDAMOS BREVE CONTATO DA MRV!

    0
    • LZ 14 de outubro de 2014 at 12:02

      Hahah pegadinha do Malandro motumbado hueehueu

      0
      • FBI80 14 de outubro de 2014 at 13:26

        conforme ja comentado aqui inumeras vezes. a maior parte do credito imbiliario brasileiro é subprime sim, os caras se endividam até o máximo permitido. Qualquer resbalo o cara da uma “pedalada” nas prestações do bolhudinho

        0
    • Kimbs 14 de outubro de 2014 at 17:52

      Chega a dar dó dá ignorância financeira.
      O camarada poderia estar com 10k investidos, pagando 1k de aluguel em um imóvel superior e guardando 440 todo mês.
      Viver passando aperto é questão de querer muito.

      0
  • Neco 14 de outubro de 2014 at 11:54

    CA. Muito bom o texto, parabéns.

    0
  • [email protected] [email protected] 14 de outubro de 2014 at 11:54

    Meu CVR – CASO DA VIDA REAL –
    NOITE DO CÃO CHUPANDO MANGA

    Transito pesado para chegar em casa, 36 graus no início noite, um calor infernal. Na torneira de água da rua, nada de água. O racionamento já está em 3 dias por semana aqui… Jantamos em família e depois lavo a louça, porque era meu dia. Já estou craque em lavar louça do jantar com pouca água. Esquema duas cubas, retiro restos, pré-lavo, esfrego, repasso, faço tudo com uns 10L de água.

    Decido dar uma passada no BLOG e ver os comentários, depois vou ver o OLX para ver as ofertas bolhudas de apartamentos em SP. (Tenho um dinheiro rendendo nada em FGTS, cogito comprar um apartamento para morar mais próximo de clientes em SP. Como muitos Bananenses, sofro no transito e gasto fortunas com gasolina e pedágios.)… Preços Bolhudos demais! 500 mil DILMAS para 65 m2… teria que colocar um tanto a mais próprio e ainda se meter em algum financiamento. (Lembro-me do CHICO: “Haverá crédito, mas não haverá quem queira pegar”.) Deixo a ideia em stand by.

    Tomo banho com outros 10 L de água, abrindo e fechado o chuveiro como um louco. Me sinto patriota! Quero fazer minha parte! Me troco e vou ver TV. Procuro por notícias, mas assisto ao horário eleitoral. Lá vem a DILMA terrorista, falando que o PSDB vai detonar a ECONOMIA do País. (Me lembro que os f*d*p do PT tiveram 12 anos para debelar a inflação e tornar isto aqui o melhor país do mundo, mas só se preocuparam em …) Fico nervoso. Decido ir ver outra coisa para esfriar a cabeça…

    Quarto quente, paredes emitindo ondas de calor. Ligo o ar condicionado, deito na cama… finalmente algum conforto. Me conecto na internet para ver algum documentário… 5 minutos e então…. Tcham! Tudo Escuro! BLACKOUT total. Saio lá fora e vejo pelo menos 10% da cidade às escuras…(Lembro-me da BRUXA falando pra comprar um gerador e dizendo que vai ser um 2015 daqueles…) depois de 20 min, a energia volta.

    Ar condicionado não dá conta, mas, mesmo assim, durmo… Acordo de madrugada, calor infernal de novo, abro as janelas, uma leve brisa fria entra, mas o ar externo está carregado, poluído, com cinzas de QUEIMADA de alguma mato pegando fogo e fuligem caindo em meu quintal. Fecho a janela e decido chamar o cara do Ar Condicionado para dar um jeito. Penso em toda a poluição que a gente respira, aqui no interior, fumaça de escape de motores dos carros (Lembro-me que alguém disse que carro de hoje vai ser nosso cigarro de amanhã).

    Durmo mais um pouco, e acordo de novo às 5h, cansado, pensando nas contas, nos preços subindo, na inflação, no dinheiro do banco sendo corroído, sem água, sem energia, com ar poluído e vamos lá para mais um dia… Faço café para a família, levo o menor na escola e sigo pra minha rotina.

    (Começo o dia, mas sigo pensando… Porque merecemos políticos tão ruins? Porque, com tanta terra, alimento é tão caro? Porque as pessoas não conseguem comprar sua própria moradia, como fizeram nossos pais? Porque não temos transporte de massa com qualidade? Porque vivo aqui?)

    Chego no escritório e 1/2 hora mais tarde encontro um maluco GRINGO para vir com a família para o BRASIL. (Me pergunto o que é que esse louco veio fazer no BRASIL? Ele diz que gosta do calor! O FOG não pode ser tão ruim assim! Vontade de lhe dizer que entrou na maior roubada! Melhor, não! Vou perder o amigo! Penso melhor, vou brincar com ele. Vou comprar um bóton pra ele, tipo: “Sou Bananense e não desisto nunca!” Vou mandar fazer um! Um não, melhor 2, um pro tonto aqui, também…)

    0
    • RosinhA 14 de outubro de 2014 at 12:00

      Hahaaha excelente CVR 😀

      0
    • SAPO_BOLHUDO_JDI 14 de outubro de 2014 at 12:02

      Ih espero que você não seja aqui da região de Jundiaí, porque 4 dias de incêndio na Serra do japi, isso aqui ta parecendo o inferno.

      0
      • UNEKA 14 de outubro de 2014 at 12:04

        Sapo

        Falando ontem com minha mãe, o que será de nós com essa serra do japi todo dia com uma queimada….tá complicado… 🙁

        0
        • SAPO_BOLHUDO_JDI 14 de outubro de 2014 at 12:14

          Hoje vim até o Distrito industrial pela pincinato margeando a Serra infelizmente por não poderem gastar água,não foi apagado 100% o incêndio,então está contido porém não foi apagado,vamos sofrer até a próxima chuva.

          0
    • Lucas 14 de outubro de 2014 at 12:10

      que cidade?
      guarulhos?

      0
      • UNEKA 14 de outubro de 2014 at 12:13

        Jundiaí – SP

        0
    • mmmmm 14 de outubro de 2014 at 12:12

      Ohh Miséria

      0
    • Inside Job Brazílis 14 de outubro de 2014 at 13:26

      Faça um botom para mim que eu pago…

      0
    • Cash-for-crash 14 de outubro de 2014 at 13:42

      Muito bom…..
      Porque você se esforça pra ser um sujeito normal?……..

      0
  • veigalex 14 de outubro de 2014 at 11:59

    Pessoal, help.

    Recebi uma cartinha da CEF.
    Assunto: Cssão de Creditos, informando que a “RB CAPITAL COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO” passa ser a credora do meu financiamento e que nada muda.. tudo continua com a caixa.

    Entrei em contato com a Geranta.. e nao senti firmeza quando disse que era procedimento normal.

    Procurei no oráculo (Google) e nada claro.

    Processo nornal da Caixa?
    Duvida: Por que a caixa cederia isso para uma empresa.. vai entender..

    0
    • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 12:01

      Acho que a CEF VENDEU seu crédito pra eles.

      0
      • Cuiabano 14 de outubro de 2014 at 12:06

        Me parece ser exatamente isso. Mas é normal a CEF fazer esse tipo de operação?

        0
        • Neco 14 de outubro de 2014 at 12:08

          normal não é, mas quando se precisa de dinheiro se vende qualquer coisa. E vende a vista e abaixo do preço. Com certeza quem comprou, comprou com um deságio de no minimo 20 a 30%.

          0
          • FBI80 14 de outubro de 2014 at 13:33

            humm, compra e venda de creditos imobiliarios??? ja vi algo parecido em algum lugar, lá por 2008/2009…

            0
          • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 13:57

            Perdão, mas é normal sim. Bancos negociam carteiras de crédito como o padeiro negocia pãezinhos.

            0
            • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 14:01

              Mas como se dá essa negociação?
              eles dão um desconto e recebem á vista esse montante?

              0
              • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 14:31

                Compram por valor de mercado, ué. Como vc faz com ações, títulos públicos, etc.

                Em geral os bancos pequenos estão no “front” do crédito, montam uma carteira razoavelmente equilibrada e vendem a carteira inteira para bancos médios.. Estes por sua vez juntam essas carteiras em outras maiores e revendem para os bancos grandes.

                Porquê é assim? Pq os bancos grandes estão mais preocupados com operações bilhonárias com mega-empresas e não podem perder tempo migalhando trocados com o seu Manoel da esquina, é muito mais negócio comprar uma carteira prontinha e pagar por ela.

                0
              • AlexJLL 14 de outubro de 2014 at 14:38

                Mas em geral só vendem créditos podres, já em situação de inadimplência, que não têm mais perspectiva de retorno.

                Se estão vendendo parte da carteira de crédito BOA, é porque a coisa está pela hora da morte.

                Run to the hills!

                0
                • [email protected] [email protected] 14 de outubro de 2014 at 14:50

                  Na CAIXA é o contrário: vendem o que é bom para algum empresário companheiro e ficam com o que há de mais podre para socializar depois com todos aqueles que pagam impostos…

                  0
    • mmmmm 14 de outubro de 2014 at 12:09

      Papai trabalhou com isso durante todos os anos 80 e 90. Na época existiam várias empresas gestoras de crédito imobiliário. Até 2010 a maioria estava mal das pernas, até que 2006 papai foi para a Rua. Devem estar voltando, na medida em que a Caixa deve querer se livrar do volume que carrega. Eles compram o lote, levam uns bons e uns podres e dividem os lucros e prejuízos.

      0
    • veigalex 14 de outubro de 2014 at 12:15

      Será que estão fechando a torneira lá?

      A caixa de pandora será aberta logo logo..

      0
    • Inside Job Brazílis 14 de outubro de 2014 at 13:27

      Vixi, prepare-se que parece que o Motumbo quer te pegar…

      0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 13:49

      Hummmmmmmmmmmmm…… tem boi na linha. Créditos abutres logo logo na CEF. O que não der vai para a EMGEA.

      0
    • Bolha de Tudo 14 de outubro de 2014 at 17:18

      a caixa de pandora econômica do brasil (CAIXA ECONÔMICA FEDERAL ) está com tanto dinheiro que não é dela emprestado (cerca de 600.000.000.000 emprestado para 28.000.000.000 de patrimônio, ocaso é o seguinte para cada 1 real que a caixa tem ela está com 37 reais emprestado ), se apenas 5% destes empréstimos não forem pagos a caixa simplesmente vira PÓ!!!!!!!
      Caindo a CEF vai por extensão todo o sistema bancário????? Como fazer para salvar????? Novo confisco????

      0
  • FHmartins 14 de outubro de 2014 at 12:06

    Para garantir leilão, governo vai mudar cálculo de preço de energia

    Teto do mercado de curto prazo será reduzido, para incentivar geradoras a participar de disputa

    Governo quer evitar novo fracasso como o de 2013, que gerou um prejuízo de R$ 19 bi às distribuidoras em 2014

    MACHADO DA COSTA

    DE SÃO PAULO

    Para tentar garantir o sucesso do leilão de energia marcado para 3 de dezembro, o governo vai reduzir o te- to do preço no mercado de curto prazo, chamado PLD (preço de liquidação das diferenças).

    O objetivo é desestimular que empresas deixem de vender energia no leilão para obter um preço maior no mercado de curto prazo em 2015.

    No leilão de dezembro, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) tenta garantir oferta de energia suficiente para que as distribuidoras de energia não enfrentem um problema semelhante ao deste ano, quando registraram um prejuízo de R$ 19 bilhões.

    Isso aconteceu porque, em 2013, dois leilões não atraíram geradores em volume suficiente. Eles preferiram apostar na alta do preço no mercado de curto prazo.

    Com a oferta menor, as distribuidoras não conseguiram contratar o volume de energia necessário para garantir o fornecimento de energia. Tiveram, assim, que recorrer ao mercado de curto prazo.

    Atualmente, o teto do PLD é de R$ 822,83 por megawatt-hora. Como comparação, o custo médio de geração das usinas que aderiram ao plano de renovação das concessões em 2012 é de R$ 30 por megawatt-hora.

    O governo quer reduzir o PLD em até 50%. Algumas possibilidades ainda estão em estudo. Uma delas é trocar a usina que serve de base para o teto –que hoje é a de Camaçari– por uma mais barata. Outra é definir como teto a média ponderada de todas as termelétricas do país.

    O Ministério de Minas e Energia afirmou que o corte está na pauta de reunião da Aneel, marcada para esta terça (14). A Aneel se pronunciará somente após a reunião.

    Os efeitos desse corte, no entanto, podem elevar encargos cobrados do consumidor, já que o pagamento das usinas termelétricas é feito pelo custo de operação, calculado pelo governo.

    Se o Operador Nacional do Sistema define que usinas mais caras que o teto do PLD devem ser ligadas, o custo extra é cobrado na conta de luz.

    Se o PLD baixar, portanto, como o custo de operação das térmicas continua o mesmo, cresce essa diferença que é repassada ao consumidor.

    Cristopher Vlavianos, da comercializadora de energia Comerc, diz que usinas mais caras do que o teto atual somam menos de 500 megawatts de potência. Com um possível corte de 50%, usinas que somam cerca de 10.000 MW (15% da demanda) ficarão acima do novo máximo.

    “Hoje, os encargos não ultrapassam R$ 40 milhões por mês. Com o corte, isso poderia subir para quase R$ 1 bilhão mensais”, afirma.

    Outra reclamação é sobre o efeito econômico: com pouca oferta de energia, seu preço deveria subir, o contrário do que irá acontecer.

    Ildo Sauer, do Instituto de Energia e Ambiente da USP, diz que a discussão sobre os custos da energia precisam ir além do PLD. Segundo ele, o sistema está desequilibrado e a fórmula de medição do valor da energia é equivocado.

    “Fatores aleatórios, como a chuva, são os definidores dos preços da energia no Brasil. Isso causa instabilidade e insegurança. É preciso um debate amplo, de preferência no Congresso, para estabelecer uma nova base de cálculo.”

    0
  • Mr. Martini 14 de outubro de 2014 at 12:08

    Correio Braziliense mostrando que as destrutoras e uruburárias voltaram a pagar pelas matérias:

    Preço dos imóveis do Minha Casa, Minha Vida vai subir em 2015

    O valor dos imóveis do Minha Casa, Minha Vida deve encarecer no próximo ano, admitiu a secretária nacional de Habitação do Ministério das Cidades, Inês Magalhães. A afirmação foi feita durante um evento do setor da construção, em São Paulo, mas ela não detalhou qual deve ser o reajuste e quando ele passará a vigorar. O aumento do teto do custo de casas e apartamentos é um pleito das empreiteiras, que reclamam que os gastos com as obras aumentaram nos últimos anos e os recursos repassados pelo governo são insuficientes.

    Apesar de sinalizar mudanças no programa habitacional, Inês avaliou que é preciso cautela antes de anunciar aumento de preços para que os empreiteiros não deixem de lado os projetos com valores atuais. “Nós trabalhamos para desindexar a economia e não criar expectativas. Os empresários seguram o investimento para aproveitar o preço maior depois. O que nos queremos é que haja investimentos contínuos”, comentou.

    Ela ainda ressaltou que a pasta faz análises periódicas dos custos de construção e promove reajustes sempre que necessário. O comentário da secretária ocorreu após a presidente da República, Dilma Rousseff, anunciar que 3 milhões de novas unidades devem ser contratadas na terceira fase do programa, além dos 350 mil imóveis anunciados durante a transição para o próximo ciclo.

    Leia mais notícias em Economia

    Para o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Rodrigues Martins, a atualização nos preços é natural, sobretudo porque há três anos nenhum reajuste no valor dos imóveis foi concedido. “A inflação nesse período foi significativa. Imagine no Distrito Federal, construir um imóvel com R$ 190 mil. Esse aumento é necessário e é uma demanda do mercado”, destacou.

    Fonte: “http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2014/10/14/internas_economia,452300/preco-dos-imoveis-do-minha-casa-minha-vida-vai-subir-em-2015.shtml”

    0
  • FHmartins 14 de outubro de 2014 at 12:09

    Vão usar isso pra justificar o m² no largo da batata

    Cobertura de cinco andares é negociada por R$ 1 bilhão

    DE SÃO PAULO – O luxuoso Principado de Mônaco, no sul da França, ganhou mais um item para poucos.

    O Tour Odeon terá 70 unidades de um a cinco dormitórios e dois dúplex de 1.200 metros quadrados.

    O projeto inclui aquela que vem sendo comercializada como “a cobertura mais cara do mundo”, com 3.300 m? distribuídos em cinco andares.

    Segundo o jornal “The Guardian”, ela vale £ 260 milhões (mais de R$ 1 bilhão).

    “Estamos olhando para 1% do 1% de pessoas mais ricas no mundo, um membro de família real do Oriente Médio ou alguém da Rússia, da Europa, da China ou da América do Norte”, diz Edward Morgan, corretor da imobiliária Knight Frank, que assumiu as vendas do empreendimento

    0
    • BReakfast 14 de outubro de 2014 at 12:43

      Posso parcelar? Quanto fica a parcelinha?

      0
      • Cash-for-crash 14 de outubro de 2014 at 13:46

        Mil parcelas de um milhão!!!!!!!!
        Fora o juro!

        0
  • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 12:11

    OFF

    Acabo de ler que o Mirante do vale finalmente foi ultrapassado em altura pelo Millenium Palace, em Camburiú (CHUPA, DUBAI!).

    Como diz minha irmã (arquiteta), “quase um cabaré argentino”:

    “http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1095783&page=19

    0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 13:51

      Aqui não tem bolha!

      0
      • boom 14 de outubro de 2014 at 15:31

        Existe 1 morador neste prédio que é o Maior do Brasil…

        Realmente em BC não existe Bolha nem Super Oferta….

        0
        • boom 14 de outubro de 2014 at 15:34

          Outra Coisa…

          Deixaram de molho com toldo e tudo em outro projeto da mesma construtora que já tinha Showroom há 4 anos… Na Brasil entre a 1201 com a 1141,

          Não venderam nada desistiram ….

          0
  • Cuiabano 14 de outubro de 2014 at 12:14

    CVR

    Incêndio na parte elétrica de um prédio entregue em 2002 pela construtora Plaenge, muito forte também em MS e Paraná. Me chamaram a atenção alguns detalhes. Rua estreita que dificulta o trabalho dos bombeiros. Apartamentos voltados para dentro do condomínio onde não há acesso para a escada magirus. Prédio muito alto, fazendo com que a escada não alcance todos os andares. Resultado: Só conseguiram evacuar o prédio após 7 horas do início do incêndio. Os bombeiros tiveram que usar a escada, o helicóptero e empregar técnica de rapel inclusive.

    “http://www.reportermt.com.br/geral/incendio-atinge-predio-de-luxo-no-araes-bombeiros-evacuam-local/39944”

    0
    • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 12:15

      LIXOS URUBULÁRIOS.

      0
  • SAPO_BOLHUDO_JDI 14 de outubro de 2014 at 12:18

    Os imóveis em Jundiaí vão valorizar muito ainda, imagina o corretor oferecendo imóveis com a linda vista da Serra do japi queimada.

    0
    • UNEKA 14 de outubro de 2014 at 12:23

      kkkkkkkkkkkkkkk

      Sapo, fico imaginando os moradores daqueles apartamentos novos na rotatória da Avenida Jundiaí, deve ser o máximo ter o privilégio de estar pertinho da serra do japi sendo queimada, espalhando fumaça por toda a redondeza…rs

      0
      • SAPO_BOLHUDO_JDI 14 de outubro de 2014 at 12:54

        Morro a 8 km do local to passando mal imagino quem ta perto.

        0
        • UNEKA 14 de outubro de 2014 at 13:09

          Eu moro na Vila Rami, perto da Gráfica, sinto as consequências também…

          0
          • Abomineve Homem das Naves 15 de outubro de 2014 at 03:57

            Lendo aqui a discussão sobre as faixas de ciclismo, e escutando Radiohead …
            Logo a música Fake plastic trees rsrsrrs

            0
  • civilizado 14 de outubro de 2014 at 12:32

    Sobre o tópico….. quando vou em ferragens, madeireiras e afins….noto que os preços dos materiais de construções ñ baixam, ao contrário sobem…..e isso ñ está sendo muito levado em conta , digo do início de uma obra até o acabamento…..ñ seria isso um motivo de ñ haver uma queda + brusca nos imóveis?

    0
    • Ligado - Poa 14 de outubro de 2014 at 13:16

      Preço do CUB baixo a alto padrão: 900 a 1400 dilmas. A margem tá muito alta. Não acho que o preço do imóvel esteja a trelado ao custo do material de construção de maneira definitiva…
      Ontem recebi ligação de corva oferendo lançamento a 7k o m2 para investimento. Comprei 2… #SQN

      0
      • Ligado - Poa 14 de outubro de 2014 at 13:17

        *atrelado.

        Corrigi… vai que Grammar passa por aqui…

        0
  • Elanaine Santana 14 de outubro de 2014 at 12:48

    Está acontecendo

    “http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2014/10/14/interna_cidadesdf,452305/moradores-reclamam-de-incomodo-causado-por-frequentadores-da-peninsula.shtml

    Chavismo a todo vapor. Nem o endereço mais caro de BSB, onde moram Sarney, Nene Constantino e outros, está livre da invasão da gentalha.

    0
  • Elanaine Santana 14 de outubro de 2014 at 12:52

    Brasília: 3º lugar em concentração de 666s endividadas. Um verdadeiro estudo antropológico sobre essa espécie escatológica que se endivida, acima da capacidade financeira, pra manter as aparências

    “http://www.jornaldebrasilia.com.br/noticias/economia/574828/brasilia-ocupa-o-terceiro-lugar-84-das-familias-tem-debitos/

    0
    • MINEIRO SPY 14 de outubro de 2014 at 12:59

      Pois é. Brasília e RJ, acho q nem soltando uma bomba e começando do zero resolve.

      0
      • halt 14 de outubro de 2014 at 13:10

        Grande parte da população de maior renda de Brasília veio do Rio de Janeiro, na transferência da capital.

        0
        • MINEIRO SPY 14 de outubro de 2014 at 13:29

          2014 já mudou muito. Isso foi há 30 anos

          0
    • Tenho paciência 14 de outubro de 2014 at 13:15

      Chegava a ser engraçado quando eu saía com a sra. Paciência e o povo de BSB. A gente vestido normal, meio despojado, destoava do resto. A cambada toda emplumada, neguinho se enfeita todo até para ir a shopping.

      0
      • Lucas 14 de outubro de 2014 at 13:22

        … até pra ir no carrefour

        0
        • Pedro 14 de outubro de 2014 at 14:40

          Até para ir no Carrefour… Hahahahaha. Muito boa!

          0
          • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 15:17

            Em BSB o único jeito d e ver gente é assim, né…

            0
            • Lucas 14 de outubro de 2014 at 18:24

              ou quando tem atropleamento no eixão

              0
  • EngSJC 14 de outubro de 2014 at 12:58

    Grande, CA!
    Obrigado pela coletânea sobre São José dos Campos!! Só não vê quem não quer…
    Explode de vez BOLHA DE SJC!!!

    0
  • novinha 14 de outubro de 2014 at 13:04

    Grande CA arrasando. Material valioso.
    Parabéns

    0
    • Beatrizbsb 14 de outubro de 2014 at 14:06

      E com a inovação do consignado para aposentados os parentes ainda ficam na cola para fazerem empréstimo em suaves parcelas…

      0
  • TiTo 14 de outubro de 2014 at 13:16

    OPA ! OPA !

    Caixa estima crescimento zero para o crédito imobiliário

    A queda nas vendas de imóveis no País mudou os planos da Caixa Econômica Federal, que já prevê mais com uma ampliação dos financiamentos neste ano.

    A projeção atualizada é de que a liberação de empréstimos imobiliários pelo banco alcance até R$ 136 bilhões em 2014, patamar igual ao verificado em 2013.

    A Caixa antes estimava que os financiamentos chegariam a R$ 155 bilhões, alta de 14% em relação a 2013.
    “Se chegarmos a R$ 136 bilhões, já será um excelente desempenho para este ano”, disse o diretor executivo de Habitação, Teotônio Rezende, ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado.

    De janeiro a setembro, os financiamentos somaram R$ 95 bilhões.
    Nos últimos meses, as vendas de imóveis foram afetadas pelo baixo crescimento econômico, pela queda na confiança de consumidores e empresários diante da indefinição sobre os rumos do País, além de um calendário repleto de datas que afastaram visitantes do estandes de vendas, como Copa do Mundo, do carnaval tardio (em março) e eleições.

    Para o diretor da Caixa, porém, o cenário não representa uma crise para o mercado imobiliário, mas uma acomodação após um período superaquecido. “O período de euforia está sendo revisto, e o mercado voltou a colocar os pés no chão.”

    Preço

    Segundo Rezende, um reflexo disso é que o preço dos imóveis está se estabilizando depois da forte valorização.
    “A tendência para o preço da habitação é chegar, no máximo, ao nível da inflação”, estimou.

    Ele lembrou que, em algumas regiões, há incorporadoras fazendo liquidações.

    O executivo da Caixa disse que é cedo para detalhar perspectivas para 2015, mas adiantou que o banco trabalha com a estimativa de que o financiamento imobiliário fique estável ou avance até 10%.

    Rezende comentou que os bancos não têm mexido nas taxas para disputar clientes.
    “O momento não é propício para isso”, observou.

    Segundo ele, essa carteira é importante para os bancos, mas a estratégia de captação de clientes tem sido mais baseada na agilidade dos processos e na oferta de serviços do que na redução nos juros.

    Questionado pela reportagem se a Caixa planeja ajuste nas taxas do financiamento imobiliário, o diretor negou.
    “Não estamos pensando nisso. Se houvesse algum movimento, seria para cima. Até 0,5 ponto porcentual.”

    As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    “http://atarde.uol.com.br/economia/noticias/1630696-caixa-estima-crescimento-zero-para-o-credito-imobiliario”

    0
    • Fabiano SJC 14 de outubro de 2014 at 13:19

      Mas os corvos vão continuar dizendo que a valorização de 20 % ao ano do bolhudo esta garantida rs

      0
    • Augusto Strike 14 de outubro de 2014 at 13:33

      Será que este ano vai financiar menos que o ano passado????? Santo Deus!!!!!!!!

      0
  • Thiago666 14 de outubro de 2014 at 13:28

    OFF
    Vejam o release que me chegou:

    Queda de 1,5% nas vendas do Dia das Crianças

    O volume de vendas a prazo no comércio brasileiro na semana que antecedeu o Dia das Crianças, entre os dias 5 e 11 de outubro, caiu 1,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Este foi o pior resultado para o setor nos últimos cinco anos. Desde 2010, o comércio vem desacelerando o seu ritmo de crescimento para a data. Nos anos anteriores, as expansões foram de 3,15% (2013), 4,83% (2012), 5,91% (2011) e de 8,5% (2010). O indicador foi gerado a partir das consultas realizadas ao banco de dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) que tem abrangência nacional.
    Em 2014, com exceção da Páscoa, o comércio apresentou resultados negativos nas demais datas, como Dia das Mães, Dia dos Namorados e Dia dos Pais. Para o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Júnior, o atual cenário de menor ritmo de concessão de crédito por conta dos juros elevados, inflação mais alta e inadimplência em crescimento tem desestimulado o consumo a prazo. “Os consumidores estão mais preocupados em não comprometer o próprio orçamento com compras parceladas, por isso que, neste ano, houve um redirecionamento para os presentes mais baratos e geralmente pagos a vista”, explica Pellizzaro Júnior.
    Para Pellizzaro Júnior, o varejo não conta com os mesmos fatores macroeconômicos que ajudaram a aquecer o setor anos anteriores, como os altos índices de geração de emprego, expansão da renda, incentivos fiscais e a larga oferta de crédito mais barato. “O ciclo de crescimento mais vigoroso do varejo ficou para trás. Apesar do ano mais difícil, a nossa expectativa é que as vendas apresentem ligeira melhora no último trimestre, devido à proximidade das festas de fim de ano, pagamento de dissídios e abono de Natal”, afirma.

    0
    • Lucas 14 de outubro de 2014 at 13:51

      vendas a prazo caiu 1,5% porque tá todo mundo pagando à visa

      tá sobrando dinheiro, tá todo mundo rico

      0
      • Lucas 14 de outubro de 2014 at 13:52

        sqn

        0
  • jucira 14 de outubro de 2014 at 13:30

    Cvr de bh.
    Aumento considerável de vendedores ambulantes aqui,a cada dia mais e mais pessoas com sacolas e tabuleiros na mão,até semana passada eram só mulheres,esta semana homens ja estão também na rua vendendo alguma coisa.

    0
  • Bob Simpsom 14 de outubro de 2014 at 13:34

    O artigo do CA é perfeito, mas muito pessimista. Não vejo motivo para os imóveis desvalorizarem, ainda mais com falta de água, energia, índices de violência 10x piores que a faixa de Gaza, economia em franca recessão, super-estoque de imóveis, inflação descontrolada, preço da energia e combustíveis represados, crescimento da inadimplência de apenas 19%, ameaça do ebola e da dilma e outros pequenos detalhes.

    Afinal, ¡la vivienda nunca baja! 😉

    0
    • Lucas 14 de outubro de 2014 at 13:38

      rsrs, outros pequenos detalhes, é só o fim do QE e subida de juros americano, nada muito relevante.

      0
      • Marcus A 14 de outubro de 2014 at 14:15

        Ai pegou pesado.

        Tem a ajuda do fundo dos BRICS!

        0
  • dautonico 14 de outubro de 2014 at 13:36

    CVR bolha veículos
    Domingo sai para inciar o projeto ‘quero passar dos 30’ e fui caminhar pelo bairro, mesmo o danado já tendo o selo “FIXOOOOOOO” por parte da Bruxa de Santo André ™ e pela primeira vez notei carros ‘novos’ abandonados em garagens, juntando muito pó, sinal que estão esperando o busca e apreensão? As parcelinhas pesaram quando o valor da alimentação subiu?
    CVR Eleições / guerra virtual:
    Já vi MAV colocando o oposto de Aécio 45 em comentário de foto de batizado e até usando o termo como ponto final em frases dos mais diversos assuntos.
    CVR Empregos na industria construtora bolhistica™
    Meu sogro, que trabalha de domingo a domingo com direito a minha namorada dizer que fica com saudades dele mesmo morando na mesma casa, esta com medo de perder o emprego de pedreiro, já começaram os rumores que a construtora para qual ele trabalha, que já trocou de nome algumas vezes, irá terminar as obras atuais e fechar.
    CVR Pagamento convênios médicos
    Existe um padrão governamental novo de comunicação entre os prestadores de serviços da área da saúde e os convênios (TUSS 3.02) que era para organizar e acabar com a bagunça dos padrões anteriores, mas em vez disso, notamos que cada convenio esta criando novas regras em cima disso, principalmente nos itens mais caros, dificultando e muito a cobrança dos mesmos.
    CVR Ambulantes
    Há muito tempo que a unica coisa que eu via sendo vendido nas ruas no esquema “estoque nas costas” era Biju e pacotes de pipoca doce, porém agora pouco antes de almoçar fui parado na rua por um cara vendendo brinquedos de fazer bolhas de sabão da galinha pintadinha, informalidade voltando forte ? Cade o pleno emprego?

    0
    • dautonico 14 de outubro de 2014 at 13:40

      Esqueci de um CVR pós eleições:
      Ontem recebi spam via SMS no celular, de um numero ‘pirata’, onde um candidato agradecia os votos que teve, mas que não foram suficientes para reelege-lo, diante disso pensei comigo: “Graças ao bom Deus, e tu ainda ta gastando com o envio dessa mensagem….”

      0
  • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 13:43

    Vincent 14 de outubro de 2014 at 11:02

    2008 foi um aviso para os americanos (e seus seguidores ideológicos). Não se constrói ou mantém uma economia viável criando banalidades virtuais ou especulando com ativos financeiros de fundamento duvidoso.

    %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%

    A crise de 2008 não acabou, ela está em “pause”. A quantidade de dólares represado nos bancos americanos é algo nunca visto antes na história do mundo. Também acho que virá uma crise sem precedentes – mas acho que ela ainda está um pouco longe de acontecer. Tem muito lugar do mundo pros EUA exportarem inflação ainda antes disso ocorrer.

    Além disso, a crise de 2008 não foi criada por especulação financeira e sim por excesso de crédito sem lastro.

    0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 14:00

      Mas o excesso de crédito sem lastro alimenta níveis maiores maiores de especulação financeira? ( exuberância irracional)

      0
      • CapEnt 14 de outubro de 2014 at 14:10

        Sim. Se o crédito está sendo distribuído a esmo sem lastro nenhum, vai ter gente investido em porcarias sem critério algum e brincando de especular.

        Mas não acho que a crise de 2008 esteja em pause. Os EUA estão sim fazendo um esforço tremendo para colocar as contas em ordem. O único erro (em minha opinião) deles é não estimular de uma vez por todas a consolidação do sistema bancário deles dando um fim nas centenas de “micro-bancos” que eles tem.

        0
        • LZ 14 de outubro de 2014 at 14:12

          Qdo o FED tem um dono de Banco por lá como hoje existe.
          Qual é a iniciativa do cara em fechar os micro bancos ?

          Nenhuma.

          0
        • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 14:15

          Mas a criação de outros bancos advém nesse momento da desconfiança gerada pela derrocada de alguns grandes. EUA é um imenso país não consigo vislumbrar uma concentração maior ainda. Alguns segmentos da sociedade são contra. Até cooperativas de crédito estão aflorando por lá.

          0
        • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 14:17

          Vc acabou de descrever com outras palavras isso aqui: Cartelização.

          Sério que vc acha que isso vai “resolver” alguma coisa?

          0
        • Vincent 14 de outubro de 2014 at 14:46

          Devo lembrá-lo que o maior assalto já feito contra os contribuintes americanos, que contou com a aprovação de quase todos os políticos daquele país (incluindo o então candidato Obama), foi justificado precisamente porque as instituições financeiras em crise eram “grande demais para falir”.

          Para mais info:
          ‘http://en.wikipedia.org/wiki/Emergency_Economic_Stabilization_Act_of_2008

          0
          • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 14:49

            Aí foi o pulo do gato.
            O Henry Paulson que liderou o resgate. Tem até Documentário no Netflix tentando aliviar a barra dele.

            0
      • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 14:15

        Exato, eu quis apenas tomar o cuidado de mostrar o que é causa e o que é consequência. A expansão do crédito é a causa. A especulação (principalmente com derivativos podres) foi a consequência.

        0
        • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 14:20

          Eu imaginei que você tinha feito isso para esclarecer o tema.
          E agora uma perguntinha …. afinal de contas o FED é uma instituição pública ou privada? Qual é a razão de ter várias unidades nos EUA? Vocês sabem de fato como funciona o sistema de remuneração na maior fábrica de hedge do mundo?

          0
          • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 14:28

            Não lembro onde li isso, mas provavelmente no mises, só que não achei onde. Pelo que lembro o FED é privado pero no mucho, pois seu presidente deve ser indicado pelo governo dos EUA.

            Mas depois que ligaram as impressoras tanto faz quem é o dono.

            0
            • Vincent 14 de outubro de 2014 at 15:02

              O FED, assim como quase todo banco central no mundo incluindo o nosso, é um cartel dos grandes banqueiros internacionais estabelecido com a colaboração dos Estados nacionais.

              Não é público, nem privado. É união dos dois e, portanto, algo ainda mais nocivo.

              Recomendo que assistam esse vídeo de Edward Griffin que trata do assunto (parte 1 com legendas):
              ‘https://www.youtube.com/watch?v=YocaEuldzKY

              0
    • Vincent 14 de outubro de 2014 at 14:13

      Concordo, por isso não sou *tão* alarmista. Os EUA têm capital (humano, financeiro, industrial, militar, etc) para durar no mínimo algumas décadas.

      Será uma longa decadência.

      0
      • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 14:16

        Tb acredito que será a longa a decadência.
        Mesmo decadente em alguns locais – os EUA ainda assim são melhores que dezenas de outros países.

        0
        • mmmmm 14 de outubro de 2014 at 14:26

          Em síntese: Qualquer semelhança é mera coincidência ou os erros se repetem ou O acaso do ocaso.
          A queda de roma;

          O declínio econômico
          Durante o seu auge nos séculos I e II, o sistema econômico do Império Romano era o mais avançado que já havia existido e que viria a existir até a Revolução Industrial. Mas o seu gradual declínio, durante os séculos III, IV e V, contribuiu enormemente para a queda do império.
          A massiva inflação promovida pelos imperadores durante a crise do terceiro século destruiu a moeda corrente, anulando a prática do cálculo econômico a longo prazo e consequentemente a acumulação de capital, que somada ao controle estatal da maioria dos preços teve efeitos desastrosos. Então, Roma começou a ter uma queda pelas demais expansões. A falta de condições financeiras e a falta de escravos para uso de mão-de-obra em todo o império geraram tais quedas.
          Essas medidas tiveram consequências desastrosas pois, com quase todos preços artificialmente baixos, a lucratividade de qualquer empreendimento comercial foi anulada, resultando num colapso completo da produção e do comércio em larga escala e da relativa e complexa divisão do trabalho que existia durante a Pax Romana.
          A população das cidades caiu por todo império devido ao colapso comercial e industrial. Enquanto o número de cidadãos (homens adultos e livres) durante o Principado em Roma era de 320 mil, em Constantinopla no século V havia apenas oitenta mil cidadãos (25% do número de cidadãos em Roma). Considerando que em Constantinopla existia um número menor de escravos, isso poderia resultar em uma população total cinco vezes menor. Os trabalhadores desempregados se fixaram no campo e tentaram produzir eles mesmos os bens que queriam, desmonetizando a economia e acabando com a divisão do trabalho, ocorrendo uma drástica redução da produtividade da economia.
          Esses fenómenos resultaram na criação do primitivo sistema feudal baseado na auto-suficiência de pequenos territórios economicamente independentes.
          Com seu sistema económico destruído, a produção de armas e a manutenção de uma força militar defensiva se tornaram infinanciáveis, o que facilitou enormemente as invasões dos bárbaros.

          0
          • mmmmm 14 de outubro de 2014 at 14:27

            Ahh, Como está na Wikipedia em pt-br

            0
      • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 14:16

        nenhum império morre de per si.
        Sempre sangra muito antes.

        0
        • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 14:18

          Você quis dizer: ÇÇÇÇÇANNNGUIII!

          Rá, chupa USA, estamos sangrando MUITO MAIS do que vcs, seus lixos atrasados kkkkkkkkk

          0
          • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 15:14

            Oh céus!!! kkkk!

            0
      • PapiranteSalg 14 de outubro de 2014 at 22:33

        A queda do Império Romano se deu por conta do enfraquecimento do mesmo e não por uma evolução dos povos bárbaros vizinhos. O mesmo vai acontecer com os EUA, vão perder poder por conta de fraquezas próprias e não por conta de fortalecimento de adversários como Rússia ou China, por exemplo. Também concordo que a queda vai ser lenta e gradual, até porque não existem opções no momento.

        0
  • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 13:50

    Louro José,

    Postei um link ontem sobre a questão da amostragem, dê uma olhada:

    –http://www.ime.usp.br/~abe/lista/msg01865.html

    Basicamente é o que tenho dito, não adianta usar uma amostra que não é aleatória e aplicar fórmulas que presumem aleatoriedade de amostra para gerar os resultados. É no mínimo irresponsável. No máximo, manipulação.

    0
  • Boneco do posto 14 de outubro de 2014 at 14:24

    CVR

    Até minha mãe, andando de carro comigo, está notando e comentando que muitos e muitos comercios estão fechando as portas inesplicavelmente, mesmos que tinham bom movimento de pessoas.

    A coisa está ficando tão nitida que não dá mais pra cobrir o sol com a peneira…

    Se Dilmanta ganhar vai ser game over. Mas e se Aécio vencer? Será que a confiança em Arminio vai estancar a sangria de saida de capitais e os impactos da soltura dos preços administrados e cambio não vão ser tão impactantes para a economia?

    0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 14:29

      A correção do mercado está chegando independentemente do chefe de governo.

      0
      • Julio 14 de outubro de 2014 at 14:33

        A m. já está feita. O mercado espera para ver se o país vai quebrar de podre (Dilma/Mantega) ou vai ter que parar para balanço e correção de rota (Aécio/Armínio).

        0
        • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 14:35

          Exato.

          0
        • Lucas 14 de outubro de 2014 at 14:55

          perfeito

          ou quebra ou fecha pra balanço

          0
    • Pablo 14 de outubro de 2014 at 14:33

      Estão todos indo para a Construção Civil, afinal temos um déficit de 5 milhões de casas para sanar.
      E TV, geladeira, MO, TODOS tem 2 ou + …

      0
    • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 14:34

      Eu torço para que ele suba a Selic e acabe com o crédito direcionado, que é o verdadeiro motor da crise econômica. Mas ele já sinalizou que possivelmente até mesmo vai baixar a selic, então…. vai saber….

      0
  • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 14:51

    Mr. Citan
    Sobre os Salex Tax
    “Louisiana
    O valor da “sales tax” na Louisiana é de 4%.Têm direito à devolução do imposto na Louisiana os turistas estrangeiros de posse do passaporte, com passagem aérea marcada para o prazo inferior a 90 dias nos EUA. Para solicitar seu reembolso, o turista deverá fazer suas compras numa loja participante do sistema Louisiana Tax Free Shopping (LTFS). É preciso mostrar o passaporte e pedir o voucher para devolução do imposto. O voucher deverá ser entregue na partida, nos guichês de reembolso do LTFS no Aeroporto Internacional de Nova Orleans, ou ainda, pelo correio. O valor da taxa cobrada pelo serviço varia conforme o valor total das compras. Estudantes estrangeiros não têm direito à devolução da taxa. A partir de uma compra de US$ 50, o visitante paga US$ 1 de taxa pelo reembolso. Para até US$ 500 em compras, o reembolso da sales tax pode ser feito em dinheiro e a taxa é de US$ 11. Os reembolsos de valores inferiores a US$ 500 podem ser pagos em dinheiro. Acima deste valor, o reembolso será providenciado em cheque, e enviado pelo correio.

    Oregon
    Não há cobrança de “sales tax” no estado do Oregon, por isso cidades como Portland são mundialmente famosas pelas opções de compras que oferecem. Já que o preço cobrado na etiqueta não vem acrescido do imposto de venda, como acontece no restante daquele país.
    “http://www.viajenodetalhe.com.br/dicas-de-viagem/tax-free/

    0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 14:53

      “http://www.aprendizdeviajante.com/index.php/2014/01/27/onde-comprar-nos-estados-unidos-sem-taxas-tax-free/

      0
      • MrCitan 14 de outubro de 2014 at 15:13

        Padeiro, muito obrigado por compartilhar esta matéria.

        É bom saber aonde posso comprar eletrônicos na América, sem levar a facada dos impostos. 😀

        0
        • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 15:14

          Pertinho de onde você costuma ir – tem Delaware. Parece que tem umas praias legais ali – cheia de loiras do olho azul. DáZelite Americana!

          0
  • Pablo 14 de outubro de 2014 at 14:52

    Só comendo O V O e morando na casca mesmo!

    Inadimplência do consumidor cresce 20% em setembro, aponta Serasa.

    Recessão econômica, inflação perto do teto da meta e a encarecimento do crédito motivaram avanço na comparação com setembro de 2013.

    […]
    A inadimplência entre consumidores brasileiros registrou forte alta em setembro ao avançar 19,6% sobre igual mês do ano passado, de acordo com dados da Serasa Experian, divulgados nesta terça-feira. Em comunicado, a entidade atribuiu o resultado à recessão econômica, inflação próxima ao teto da meta e ao encarecimento do crédito

    No acumulado dos primeiros nove meses do ano, a inadimplência entre consumidores avançou 4,2% em relação ao mesmo período de 2013.

    “http://veja.abril.com.br/noticia/economia/inadimplencia-do-consumidor-cresce-20-em-setembro-aponta-serasa

    #Mãe, a Luiza tá loca!

    0
    • FBI80 14 de outubro de 2014 at 16:53

      uma hora a fatura do cartão e os boletos chegam!!!!
      CVR 1/2 off
      Semana retrasada fui até o extra da tancredo neves/Saopaulo/SP, que é frequentado por gente bastante humilde, e é um dos mais caros que ja fui. Coisas mais caras que no Zafari/Bourbon (sou gaucho e dou umas passadas la de vez em quando, quem é da terra entende), ou seja um super que supostamente seria popular com preços absurdamente altos, mas enfim, chegando no caixa a familia na minha frente para a conta de 300 e poucos reais em 3 catões diferentes.
      Esse domingo no walmart do Jabaquara, ou caso parecido 120 no cartão e mais uns 5 reais em dinheiro.

      Como dizem por aqui, credito não é renda, uma hora tem que pagar.

      0
  • RodpalacioRJ 14 de outubro de 2014 at 14:56

    CA,

    E a bolha no Rio de Janeiro? Se sustenta até com preços “olimpicos até 2016?

    0
    • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 15:16

      O que tu acha? é a pergunta do mês…

      0
  • Inside Job Brazílis 14 de outubro de 2014 at 15:06

    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2014/10/14/internas_economia,452301/niveis-das-principais-hidreletricas-indicam-percentual-menor-do-que-em-2001.shtml

    Reservatórios das regiões que respondem por 70% da energia hídrica do país devem atingir apenas 19,9% de água armazenada, percentual menor do que em 2001, quando houve programa de redução de consumo, de 21%

    0
  • Gustavo Lorena 14 de outubro de 2014 at 15:08

    CA,

    Primeiramente gostaria de agradecer pelo texto de ótima qualidade produzido por você. É um trabalho extraordinário, profundamente embasado, e que mostra grande qualidade técnica. Parabéns!

    Gostaria, se possível, de ter acesso a alguma análise acerca do mercado de imóveis na cidade do Rio de Janeiro? Você já fez alguma análise?

    0
  • Junior 14 de outubro de 2014 at 15:11

    ótimo trabalho, estou querendo comprar um imóvel e estes posts tem me ajudado muito a entender melhor o momento econômico atual e sua relação com a bolha imobiliária.

    0
  • SasBomber 14 de outubro de 2014 at 15:12

    Apenas uma dúvida quanto ao mercado de Curitiba, em 2012 vi uma entrevista do presidente do Secovi falando que a demanda “natural” por imóveis novos em Curitiba era de 10.000 unidades por ano. Este ano ele falou que o nível de estoque está quase batendo um ano de vendas, será que é isso?

    0
    • Racional 14 de outubro de 2014 at 15:25

      contabilidade criativa

      0
    • Fernando 14 de outubro de 2014 at 16:19

      até pode ser de 10.000 unidades/ano, porém esse número isoladamente não quer dizer muito. É preciso saber também a renda da população, preço do imóvel, o momento econômico favorável/desfavorável, localização, enfim… uma série de variáveis.

      0
  • Fernando 14 de outubro de 2014 at 15:19

    Hoje assistindo um canal de tv regional, vi que agora abriu oportunidade para coaching de corretoeres. Segundo o profissional “muitos corretores estão corretores, mas são profissionais de outras áreas, e não corretores profissionais”. Então esse treinamento/curso/palestra, se lá, auxiliará o “estar corretor” a ser um verdadeiro profissional.

    0
    • DRN 14 de outubro de 2014 at 15:36

      KKKKKKKK

      Ladrão que rouba de ladrão tem cem anos de perdão.

      0
  • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 15:21

    KKKKK, do blog do Schwartsman:

    1995-98 Brasil cresce 1,0% aa a menos que o mundo
    1999-02 Brasil cresce 1,4% aa a menos que o mundo
    2003-06 Brasil cresce 1,4% aa a menos que o mundo
    2007-10 Brasil cresce 1,1% aa a mais que o mundo
    2011-14 Brasil cresce 1,8% aa a menos que o mundo
    E o problema do nosso baixo crescimento agora é o mundo?

    E o melhor comentário:

    Mas você não pode comparar o Brasil com o mundo!! Tem que comparar o Brasil com uma cesta de países, cuidadosamente escolhida pelo Mantega, e que pode variar conforme o período de análise.
    Fazer uma análise horizontal dessas é injusto!!

    0
    • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 15:27

      Esse comentário aí no final não foi sério.

      0
      • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 15:29

        óbvio

        0
        • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 15:30

          Pois quem tem que escolher os países da cesta é a Dilma, e não o Mantega.

          0
          • Lucas 14 de outubro de 2014 at 15:33

            cesta de ovos?

            0
            • DRN 14 de outubro de 2014 at 15:41

              Já que não pode comer carne, vamos pelo menos incrementar e fazer omeletes temáticos:

              -http://www.comidaereceitas.com.br/ovos/ovos-a-moda-russa.html

              0
              • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 15:44

                Mas não era pra comer mais frango?

                0
                • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 15:47

                  comeremos frango na origem!

                  0
                  • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 15:49

                    Frango na planta!

                    0
                    • DRN 14 de outubro de 2014 at 15:50

                      KKKKKKKK

                      0
  • Carlão_RJ 14 de outubro de 2014 at 15:29
  • sefazpiauidf 14 de outubro de 2014 at 15:40

    CVR Petrobras
    Copiado da lista de e-mail de conhecidos…muito bom:

    ‘Dados da Petrobras 2002 x 2014

    2002 2014
    Dívida 30 Bi 308 Bi
    ROE 34% 5,75%
    Margem 11,70% 6,35%

    Trabalharam bem pacas! É como se eu descobrisse que ganhei 10000 reais na telesena e fosse no banco financiar uma ferrari de 1 milhão para pagar em 30 anos. Parcelinha de 10 mil por mês. Sendo assim, ganhei um prêmio e tô com um “patrimônio” de 1 milhão.
    Pela lógica Petista, melhorei de vida.
    Além de terem leiloado o campo de libra com a estorinha de “concessão”, mas pra eles será por pouco tempo…40 anos. E ainda tem a pachorra de falar que se quiserem, tomam de volta. kkkkkkkkkkkkkk!!! Faz-me rir! Se eles conseguem tomar assim qdo quiser, pq não tomam a concessão da rede globo que eles tanto odeiam???

    Pra esse povo tem que desenhar pra ver se entende.

    Ainda tem mais, MUITA GENTE desse partido fez fortuna para pelo menos 3 gerações de sua família. E tem uma estrela vermelha cravada na testa.

    Pior de tudo é ver gente defendendo um lixo de pessoas como essas…

    Segue o barco.

    0
  • Santista Bolhudão 14 de outubro de 2014 at 15:55

    Os empreendedores brasileiros conseguem lucrar R$330 mil em um dia só! QUE ORGULHO DESSE PAÍS!!

    ”’http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2014/10/assaltantes-levam-r-333-mil-de-agencia-bancaria-em-guaruja-sp.html

    0
  • Alexbhz 14 de outubro de 2014 at 15:57

    vendas de galões de água despencam e comerciantes do ramo amargam prejuízos

    “http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2014/10/14/internas_economia,579409/vendas-de-galoes-de-agua-despencam-e-comerciantes-do-ramo-amargam-prejuizos.shtml

    á 20 anos no mercado, Klester Gama, proprietário da Ibiza Alimentos Disk Água, que atua exclusivamente no ramo de água mineral, está abandonando o segmento. “Para se ter ideia, no ano passado, eu tinha 13 funcionários e, hoje, tenho três. Vendíamos uma média de dois caminhões por semana, com 700 galões de 20 litros cada. Hoje, é um caminhão por mês”, lamenta e diz que, em breve, mudará de ramo, já que o da água mineral não tem valido a pena. “As pessoas estão diminuindo o consumo, a economia do país não vai bem.

    0
    • JAPA FEARED 14 de outubro de 2014 at 15:59

      Aí que burro!!! Vai sair na melhor hora!!!

      0
      • Rafael km 14 de outubro de 2014 at 16:05

        Acho que é devido ao uso de filtros e não à economia… Conheço muitas pessoas que compraram filtros nos últimos anos. Eu mesmo utilizo um da IBBL, que gela bem a água (tem compressor) e elimina completamente o gosto do cloro.

        0
  • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 15:58

    OFF – Banco Sofisa

    Hj venceram as primeiras aplicações que fiz neste banco – as maiores por sinal. Resgatei uma parcela e reapliquei outra. Pra quem tem medo de banco pequeno, fica meu pequeno relato que pelo menos até agora deu certo.

    Ainda assim não recomendo a ninguém deixar mais do que 15% do seu patrimônio em bancos pequenos…

    0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 16:00

      Não façam como o conhecido do Jacob.

      0
      • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 16:01

        aquele que deixou 5372728202893903 mil reais no banco CORVAL?

        0
      • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 16:01

        A Corval era uma corretora, não um banco 😐

        0
        • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 16:04

          Eu sei. Mas a lição é a mesma.

          0
      • jacob 14 de outubro de 2014 at 16:40

        Ele está viajando, quando tiver novidades atualizo, mas a ultima vez que conversei com ele, o mesmo nao estava muito esperançoso sobre o 1/3 que estava com a corretora mas nao estava aplicado em nada. O resto ele confia no FGC, mas até onde sei nao recebeu ainda.

        0
    • Bolha POA 14 de outubro de 2014 at 16:42

      Esses relatos são ótimos, também estou querendo investir nesse banco.
      Gostaria também de receber relatos de como funciona o FGC. De pessoas que tinham investimentos em Bamerindus, Panamericano, etc.

      0
      • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 16:51

        Bamerindus – a galera recebeu ! Está lá nos relatórios do FGC.
        E o Panamericano – o FGC salvou!

        0
    • Ligado - Poa 14 de outubro de 2014 at 17:05

      Hum… Eu lembro do Banco Santos e fico meio cagão…

      0
    • Naga 14 de outubro de 2014 at 17:13

      Eu sou meio fraco no assunto investimentos mas sei mais ou menos o basico do que flui aqui. Qual a diferença de deixar em um banco como sofisa ou na minha corretora que oferece lci com 99% do cdi?

      0
      • rockblues 14 de outubro de 2014 at 23:04

        Naga, as diferenças são poucas. Se vc abre a conta diretamente no banco, e ele quebrar, o seus recursos que lá vc tiver aplicados serão levantados automaticamente pelo BC e vc sera ressarcido pelo FGC. Ao aplicar num banco via corretora, para “pequenas” aplicações (acho que é por volta de 50 mil” pode te dar uma dor de cabeça de receber pelo FGC se a tua corretora não tiver certificação pela CETIP. Qual é a sua corretora?

        0
        • Naga 15 de outubro de 2014 at 00:45

          Obrigado. Estou atualmente na wintrade, em 7 anos não me deu problema algum. E achei interessante essas novas opções de investimento que incluiram no site como renda fixa lca e lci, e entrei em contato, me disseram que poderiam me dar essa rentabilidade de 99% do cdi.

          0
          • Naga 15 de outubro de 2014 at 00:53

            Na verdade quando abri o site para ver a nova modalidade, a primeira coisa que aparece é uma imagem que são certificados pelo CETIP

            0
          • Naga 15 de outubro de 2014 at 02:25

            Se alguem souber informar se os riscos de confisco tanto no banco quanto na corretora seriam os mesmos da poupança seria grato.

            0
  • FHmartins 14 de outubro de 2014 at 16:03

    [off]

    Toda vez que vejo coisas assim primeiro lembro da Enron depois penso
    Vai da merda


    Dan is a 35 year old computer programmer from Pittsburgh who lives a busy life. Along with balancing work, his marriage, and raising his three boys, Dan spends much of his time actively involved in all things Bitcoin. After discovering Bitcoin in 2011, his love and obsession for the crypto-currency was born, revealing an uncharted world of new possibilities for him to explore. Join us as we take a journey through the rapidly growing world of Bitcoin. Along the way, we’ll follow the stories of entrepreneurs and startups that are helping shape the new financial frontier. We’ll look at the competitive mining market and the various subcultures within the Bitcoin community. You’ll encounter a variety of characters and opinions as we examine the social and political impact of an open-source digital currency. Will the rise of Bitcoin bring a monetary paradigm shift that will forever change the world?
    The Rise and Rise of Bitcoin 2014
    Documentary
    Directed by: Nicholas Mross

    0
    • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 16:04

      Cês sabem há quanto tempo eu falo que isso ainda vai dar MERDA….

      0
      • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 16:05

        FrozenCoins é a bola da vez.
        Congelamos o poder de compra da moeda!

        0
        • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 16:07

          Sei não, parece meio inflacionária depois que põe no forno.

          0
  • Çanguinolento 14 de outubro de 2014 at 16:08

    CVR 1/2 OFF.

    Tenho medo de como a Banânia será daqui há alguns anos.

    Tenho 30 anos e vejo como as coisas são/estão estranhas.

    Esses são divagações minhas que vejo hoje na empresa que trabalho:

    – Pessoas com 24/30 anos não tem nem ideia do que querem do futuro. Só trabalham para pagar contas;

    – Pessoas com 17/18 anos não tem nem ideia do que querem do futuro e se enfiam em dívidas para comprar AÌPHONE 5. O maior objetivo de vida dessas pessoas é um celular “top” como dizem. Eu, o do contra, pergunto ao incauto: por quê você não junta esse dinheiro para comprar um carro ou tirar a carta por exemplo? “Ah, o celular tá parcelado…não tem problema!”

    – Pessoas com 17/18 anos que não tem ideia da vida, do trabalho, etc. Já chegam colocando “banca” que sabem de tudo, que conhecem tudo, que mandam em tudo. Arrogantes, escrotos.

    – Pessoas de 17 a X anos que não sabem escrever português. Quiçá inglês/espanhol, embora digam que tem a língua “fluente”, não sabem nem falar o portunhol.

    – Pessoas que por estarem 20 anos na mesma empresa, viram gerente mesmo não sabendo metade do que precisava saber e por isso acha que é a última bolacha do pacote e ainda acha que tem o direito de ser arrogante com você.

    – Fora, claro, como a economia vai. As pessoas não pensam em economizar, simplesmente. O cara chega com um Corolla ZERO mas não tem dinheiro pra ir em happy hour!!!

    Não consigo imaginar o futuro da banânia.
    E pensar que com 18 anos eu já trabalhava há muito tempo e só comprei meu primeiro carro com 20 anos (carro já veinho), a vista.

    RIP BANANIA

    0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 16:10

      e 1 % de trabalhadores visionários vendem produtos e serviços para esse tipo de besta!

      0
    • Rolha 14 de outubro de 2014 at 16:19

      sabe o que mais me conforta? é saber da existência dos:

      1. nem nem
      2. bolsas miséria
      3. geração z (que como tu mesmo falastes acham que são os reis da cocada preta pois sabem mexer em celulares, internet e tablets, que às vezes os pais deles não sabem)

      Certamente, mesmo na crise, se o socialismo não se institucionalizar sempre haverá um lugar ao sol pra mim.

      Os mais novos na empresa que trabalho e nas empresas que trabalhei e tenho contato, sempre perguntam se não quero voltar e tal pq a “nova leva” que entrou são alienados, formando grupinhos estranhos e que são meio “fora” da casinha, com pouca postura profissional. Fazem o básico, são desligados, não se atentam a detalhes. Ultimamente eu fico olhando o que a geração Z faz “braçal” e verifico se está ok para liberar para o cliente. Pois SEMPRE falta algo, até uma coisa banal ou erro de português em um relatório por exemplo. Coisas que eles saberiam fazer mas não o fazem por falta de atenção.

      0
      • Çanguinolento 14 de outubro de 2014 at 19:10

        BINGO!

        0
    • Mr. Kowalski 14 de outubro de 2014 at 16:59

      Junte o modelo prussiano de ensino (que adestra ao invés de educar) com a nossa cultura rasa baseada em aparências e na Lei de Gerson, e temos esse povo conhecido mundialmente pela alegria, mas que entre 4 paredes sobrevive à base de rivotril e anti-depressivos diversos.

      0
    • Casper 15 de outubro de 2014 at 09:14

      Sensacional o seu CVR!!!!!! kkkkkk

      0
  • Shock 14 de outubro de 2014 at 16:12

    Fala gangue!
    A espera do CAOS..?! hehehehe..
    O projeto estilingão não vai mudar em nada, nem que mude o presidente, afinal é tudo farinha do mesmo saco, que recebe a grana dos mesmos doadores, então não espere mudança a SEU favor.
    Caminho único para se eleger: prometer mais bolsa família e casa de graça..
    Aumento de ambulantes vejo muitos dizerem, aí te digo, é muito mais LUCRATIVO ser ambulante do que ser empregado.
    Ainda não vi crise nenhuma por aqui, material de construção bombando, casas falta pra vender, terreno preços estratosféricos….supermercados então, parece uma lata de sardinha, é fila pra todo lado, pra entrar e pra sair em todos que conheço, inclusive em cidades vizinhas .
    Ainda não sei em que mundo vocês estão vivendo…
    A inflação está se sustentando porque o consumo está ABSURDAMENTE ALTO…tenho parentes que trabalham em supermercados, e eles aumentam o preço indiscriminadamente, simplesmente porque VENDE…!!
    Lhes garanto que minha realidade é a de 90% do país, logo, acho que voces estão vivendo nos outros 10%….

    0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 16:14

      YEAH !!!!!!!
      Que continue assim!!!!!

      0
    • Azufrebh 14 de outubro de 2014 at 16:15

      Ciente, próximo.

      0
    • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 16:16

      aham…sei… é…
      Tava fazendo falta, sabia?

      0
    • DRN 14 de outubro de 2014 at 16:17

      Pândego, bobo da corte, brincalhão, comédia. Pode-se escolher qualquer nome.

      Pelo menos serve para fazer rir.

      0
      • DRN 14 de outubro de 2014 at 16:18

        Tem o moderno “fanfarrão” também.

        0
        • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 16:20

          Para o Shock: Shock os OVOS!
          Tudo bombando com a economia em Recessão! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

          0
          • Cascavel do PR 14 de outubro de 2014 at 16:44

            Esse shock só pode estar sendo irônico

            0
            • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 16:47

              é troll, mesmo. Nem dê ideia.

              0
    • jucira 14 de outubro de 2014 at 16:19

      Menino,em que parte do país você mora? Quero me mudar pra lá ainda hoje.

      0
      • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 16:20

        Assiste TV depois do jornal nacional, que aparece esse país lá… na propaganda da dilma!

        0
        • hannamanana 14 de outubro de 2014 at 16:44

          Sabe que por um lado eu acharia é bom mesmo que fosse a realidade de 90% do país!?
          Porque se esse povo todo tá indo pro buraco, construindo patrimônios efêmeros, consumindo hoje o depois de amanhã e pagando fortunas por qualquer coisa, e ‘eu’ estou na contra-mão do negócio, logo, terei um futuro muito mais feliz que essa corja toda. 🙂

          0
      • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 16:20

        Ele mora na propaganda eleitoral do PT.

        0
    • DRN 14 de outubro de 2014 at 16:20

      Enquanto isso, no mundo real, 181 pedidos de falência apenas em SETEMBRO de 2014, dos quais 51 dirigidos contra grandes empresas.

      0
      • DRN 14 de outubro de 2014 at 16:26

        Shock, se vc souber ler, dá uma lida no relatório do SER-CORVO:

        -http://www.secovi.com.br/files/Arquivos/pmi-agosto-2014_1.pdf

        Só tombo…

        Olha como é a construção argumentativa dos jênios: em relação a agosto de 2013, agosto de 2014 foi uma ERDA, mas em relação a julho de 2014, houve recuperação.

        JÊNIAIS!!!

        0
        • DRN 14 de outubro de 2014 at 16:49

          Em São Paulo-SP, terão vendido em 2014 cerca de 1/3 do que venderam em cada ano anterior de 2007 até 2013.

          NÃO VENDE. Simplesmente NÃO VENDE!!!

          0
        • Lucas 14 de outubro de 2014 at 16:51

          não pode levar a sério

          a gente podia falar do pib caindo da percapita caindo, dolar, bolsa, vendas, o diabo, mas pra quê?

          as vezes eu penso que é o próprio bolha boss agitando o site

          0
          • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 16:54

            ESPULÇA ÊLE, BOSS!

            0
          • hannamanana 14 de outubro de 2014 at 17:04

            Quiii… o Boss criou umas rotinas automáticas aqui pro site e desde domingo está tomando um Blue Velvet com cerejinha lá em Port of Spain.

            0
            • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 17:08

              PORCO RENTISTA.

              0
      • hannamanana 14 de outubro de 2014 at 16:55

        Você me fez lembrar que esta questão das falências é uma das bandeiras que algumas pessoas utilizam para enaltecer os últimos anos de governo onde há uma enorme queda no número de pedidos em relação aos anteriores. Porém, claro, quando demonstram estes dados se esquecem que a dinâmica estabelecida pela nova Lei de Falências (2005) mudou tudo, né.

        0
        • DRN 14 de outubro de 2014 at 17:06

          Exato. Os pedidos de recuperação retardaram as falências. Mas a falência é tem sido inevitável. E a recuperação judicial prejudicou tudo.

          Antigamente, a concordata estipulava quanto e quando ia pagar.

          Agora, não. Nego põe “haircut” (linguagem dos engomadinhos) de 30% e quer pagar em 20 anos somente com correção monetária inferior à inflação. E ainda coloca que se não vender algum bem, emite ação da companhia PRÉ-FALIDA para entregar aos credores.

          Em suma, CALOTE na cara dos trouxas.

          0
          • hannamanana 14 de outubro de 2014 at 17:20

            Mas eu tenho percebido uma tendência cada vez maior de que os credores não aceitem o plano. Antes era praticamente certeza que haveria o aceite (claro que depois de muito blablablá). Hoje já acompanhei casos que o credor mais importante disse: não, que pegue fogo!!!

            0
            • DRN 14 de outubro de 2014 at 17:28

              Hanna, tem de ser assim.

              Pensa comigo. Pela lógica do livre mercado, o consumidor, senhor soberano, já disse que quer a falência (por isso a crise econômico-financeira). Bom, o Estado vai intervir para “forçar a barra” contra a vontade do consumidor, permitindo que o devedor altere suas obrigações. Vá lá. Tem o interesse na manutenção da organização dos bens de produção. Só que a empresa tem de ser viável. Conceder recuperação só pro cara se endividar mais ainda, aumentar o número de credores e diminuir a fatia do que os atuais credores receberão na falência??? Que venha à falência de uma vez, então.

              Esse tem sido o raciocínio.

              0
              • hannamanana 14 de outubro de 2014 at 17:38

                A princípio, sim.
                Acredito que se chegou a um ponto que você precise de 10 anos pra pagar suas dívidas, significa que alguém tem que fazer caridade pra você. Empresas capitalistas tem que dar lucro e se você não deve fazer caridade para os outros, porque os outros devem fazê-lo por você? Isso falando friamente.
                No entanto, o que ocorre é que muitas vezes o próprio credor não estava preparado para isto, pois deixa os saldos chegarem a tal ponto tão alto que acaba optando pela recuperação pensando em recuperar uns 10% pelo menos. Ele até entende que vai quebrar, mas deixa correr mais um pouco pensando nestes 10%. Quando você tem máquinas de produção envolvidas no negócio é ainda mais tenso o negócio.
                (você deve acompanhar e saber tudo isto… só estou pincelando pra ilustrar aos demais)
                Se você tem corporações multinacionais envolvidas, ai a coisa enrola mais um pouco, pois nem sempre quem está lá fora (e que dá a palavra final) compreende nosso glorioso sistema que não é para amadores.
                Porém, realmente tenho percebido que o “quer saber, que estoure tudo” está pouco a pouco sendo escolhido pelos credores, justamente agora em tempos de crise.

                0
    • Lucas 14 de outubro de 2014 at 16:21

      kkkk

      achamos alguém que acredita na propaganda da dilma

      ou fumou ovo podre.

      0
    • Pobre Paulista 14 de outubro de 2014 at 16:22

      Quantos metros? É perto do metrô? Vem com faxineira embutida?

      0
    • JAPA FEARED 14 de outubro de 2014 at 16:37

      Chock Chock Chock Chocolate bate meu coração!!!

      0
    • CA 14 de outubro de 2014 at 17:40

      Vamos por partes: com relação ao texto, como SEMPRE, ele não apresenta NENHUMA evidência, ou seja, vomita uma série de MENTIRAS e depois vai embora. Excelente para demonstrar as “técnicas” adotadas pelo segmento imobiliário.

      Vamos aos FATOS, para cada item que ele mencionou:

      Trecho do Shock: “Ainda não vi crise nenhuma por aqui, material de construção bombando,…”

      FATO: CONSTRUÇÃO TEM PIOR DESEMPENHO EM 14 ANOS

      Link: “http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,construcao-tem-pior-freada-em-14-anos,1570953

      Trecho do Shock: “…casas falta pra vender,…”

      FATO: SETOR IMOBILIÁRIO TEM MAIOR NÍVEL DE ESTOQUE EM 10 ANOS

      “http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/09/1522343-setor-imobiliario-tem-maior-nivel-de-estoque-em-dez-anos-saiba-onde-estao-as-oportunidades.shtml

      Trecho do Shock: “…terreno preços estratosféricos….”

      FATO: CONSTRUTORAS VENDENDO SEUS TERRENOS PARA CONCORRENTES ABAIXO DO PREÇO DE ANOS ATRÁS

      Acesse relatório trimestral da Even, que consta na página oficial dela e menciona que está comprando terrenos mais baratos agora do que antes, graças a necessidade de várias construtoras com problemas (Viver, Rossi, etc.)

      Trecho do Shock: “supermercados então, parece uma lata de sardinha, é fila pra todo lado, pra entrar e pra sair em todos que conheço, inclusive em cidades vizinhas .
      Ainda não sei em que mundo vocês estão vivendo…
      A inflação está se sustentando porque o consumo está ABSURDAMENTE ALTO…tenho parentes que trabalham em supermercados, e eles aumentam o preço indiscriminadamente, simplesmente porque VENDE…!!”

      FATO: CONSUMIDOR ENDIVIDADO PREFERE CORTAR ORÇAMENTO PELA COMPRA DE ALIMENTOS.

      “http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/07/1491686-consumidor-endividado-prefere-cortar-orcamento-pela-compra-de-alimentos.shtml

      Fora que a queda geral do consumo é mais que óbvia, ou ele não viu que acabamos de ter recessão técnica por 2 meses seguidos de queda no PIB???

      Trecho do Shock: “Lhes garanto que minha realidade é a de 90% do país, logo, acho que voces estão vivendo nos outros 10%….”

      FATO: A MENTIRA TEM PERNA CURTA !!! (evidências acima)

      0
  • Ploc Verde de Limão 14 de outubro de 2014 at 16:20

    CVR
    Cidade: Santos/SP
    Logradouro: Bairro Campo Grande(Canal 2) altura 300
    Modalidade: Posto de gasolina Shell

    Descrição: Posto de gasolina alugou espaço para um restaurante mexicano chamado Los Taqueros na Bernardino de Campos.
    Primeira vez que minha esposa e eu visitamos, estava fora de horário, mas o gerente encheu a boca para falar que tinha um chef internacional.

    Segunda vez fui numa Segunda-Feira e me informaram que era dia de limpeza. Ok, já estávamos desconfiados.
    Terceira vez, no último sábado. Rapaz falou que todo mundo sumiu e deram calote no aluguel. Já era.
    Na hora pensamos: PLOC! Temos que por isso no bolha!

    0
  • Cuiabano 14 de outubro de 2014 at 16:21

    Aconteceu aqui na cidade. O trem foi feio lá. Fumaça tóxica proveniente de curto circuito. Edífico localizado em rua estreita, dificultando o trabalho dos bombeiros. Apartamentos com sacada para o lado oposto sem acesso para a escada magirus. Prédio muito alto, fazendo com que a escada não alcance todos os andares. Resultado: Só conseguiram evacuar o prédio após 7 horas do início do incêndio. Por sorte não ocorreu uma tragédia.

    fritz
    JH:
    fogo em predio novo (conhecido como torre) por causa da fiação eletrica
    moradores saindo de helicoptero…
    agora vai,!!!!
    …. queimar
       3 likes

    0
    • CapEnt 14 de outubro de 2014 at 16:32

      O mais legal é: não tinha saída de emergência?

      0
      • Diego F. 14 de outubro de 2014 at 16:37

        Conheço inúmeros prédios que não têm. This is Banânia.

        0
      • Cuiabano 14 de outubro de 2014 at 16:38

        Tinha, tanto que um casal de conhecidos enrolou os bebês deles em toalha molhada e desceram pela escadaria. Fora isso não tem outra saída de emergência não. Aconteceu também de muita gente ficar com medo de se deparar com fogo e ficar dentro do apartamento mesmo.

        0
        • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 16:40

          falta de treinamento – culpa da administração do pre´dio – deste tamanho e sem brigadistas?

          0
          • Cuiabano 14 de outubro de 2014 at 16:42

            Falando nisso desconheço prédios residenciais que tenham brigadistas, inclusive onde moro, mas adoram torrar com segurança armada.

            0
            • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 16:47

              Muitas vezes as empresas de segurança oferecem o funcionário com formação de brigadista, cobrando adicional. Onde trabalho é assim, e em Niterói os predios mais chiques – caros – têm brigadista.

              0
              • hannamanana 14 de outubro de 2014 at 16:58

                No prédio de mananasister não tem pq o custo adicional no valor do condomínio não foi aprovado. O povo lá tá quase se matando por qq aumentinho depois das trolladas que levaram ano passado. Felizmente, ela mora de aluguel e sairá de lá mês que vem.

                0
            • Lucas 14 de outubro de 2014 at 16:50

              o meu tem, fiz o curso, sou em teoria brigadista, já que a empresa de merda não emitiu os certificados, o que diz um pouco sobre o curso.

              isso deveria ser ensinado na escola, igual uzamericanu

              0
              • fritz 14 de outubro de 2014 at 19:33

                eu tbm já fiz curso 2x, e treinamentos de primeiros socorros 2x e diferentes

                um passeio num shopping de itajaí é pra deixar qualquer um de cabelo em pé (escadas desligadas ou trancadas, só sai só por elevador ou emergência (que ninguém sabe onde fica na hora do aperto).

                0
          • Racional 14 de outubro de 2014 at 16:43

            prédio de luxo – lixo de instalação elétrica

            0
            • CapEnt 14 de outubro de 2014 at 16:44

              Olha as fotos da fachada do prédio e me diz se aquilo sequer tem aparência de luxo? Mais uma tranqueira da era da bolha.

              0
              • Anonymous 14 de outubro de 2014 at 16:51

                E por que os sprinklers não funcionaram? 😉

                0
                • civilizado 14 de outubro de 2014 at 16:55

                  Anony…..lembro certa vez que tu falaste que é + fácil adquirir cidadania na Europa que Canadá….é verdade?…e porque?

                  0
                  • Anonymous 14 de outubro de 2014 at 17:30

                    O melhor negócio está sendo oferecido pela Hungria. Voce deposita cerca de 850 mil Reais por 5 anos (o dinheiro é seu, não precisa investir em nada) e ganha um visto de residência permanente por 5 anos. Depois desses 5 anos, se depositar por mais 3 anos, poderá pedir a cidadania, o que abrirá as portas da UE.

                    0
                    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 17:32

                      Muito bom.
                      E por consequência esse país oferece as melhores atrizes PN do mundo. kkkk

                      0
                    • MrCitan 14 de outubro de 2014 at 17:42

                      Eu achava que era a Suécia. 😉

                      0
              • Alexbhz 14 de outubro de 2014 at 16:52

                Valorizou quanto depois que os micos apareceram?!!

                0
                • Cuiabano 14 de outubro de 2014 at 17:00

                  Os bombeiros já lançaram suspeita de alguma instalação mal feita de ar condicionado antes da perícia entrar no prédio. Se brincar a construtora vai promover uma operação abafa. Acabei de ver um anúncio aqui pedindo R$ 580.000,00 em julho. “http://mt.bomnegocio.com/regiao-de-cuiaba/imoveis/apartamento-edif-sunset-boulevard-18-andar-39922245”

                  0
              • Cuiabano 14 de outubro de 2014 at 16:56

                Não, não é de luxo. Falaram que é só porque foi construído pela Plaenge, a queridinha dos endinheirados e daqueles que se acham endinheirados. Falando nisso, vejam como a rua é super estreita:
                “https://www.google.com.br/maps/@-15.5889113,-56.0929008,3a,75y,242.42h,79.84t/data=!3m4!1e1!3m2!1suTBFCGUS4Lts5GpD9m1Pag!2e0

                0
    • TG Brasil 14 de outubro de 2014 at 16:55

      Informação de um instrutor durante um curso de brigada que fiz no ano passado:

      – Essas escadas só atendem até o 10º andar….
      Pergunta minha:
      – E esses prédios de 15 – 20 andares?
      – Deveria ser proibidos!
      (…)

      0
      • civilizado 14 de outubro de 2014 at 16:58

        mas nesse caso, os prédios deveriam ter centrais de abastecimento de agua em cada 10 andares….pelo que eu ouvi certa vez de um bombeiro….

        0
        • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 17:02

          Efeito Joelma.
          Prédio com mais de 15 andares sempre é mais complicado. As escadas DEVERIAM ser externas mas nos projetos sem espaço que temos isto não se faz…

          0
          • civilizado 14 de outubro de 2014 at 17:08

            E a o que a gente vê de escadas laterais em filmes americanos, ñ está no gibi…..e aqui eles ñ aprenderam isso….ainda!!!

            0
            • CapEnt 14 de outubro de 2014 at 17:20

              Aprender com a experiência dos outros? Má quê. Você pede demais.

              0
              • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 17:49

                É APRENDER COM A NOSSA, MESMO!
                Joelma e Andraus e o Andorinha foi pouco, tinha de morrer mais gente, né…

                0
  • bolhayesornot 14 de outubro de 2014 at 16:56

    Pessoas do site, boa tarde!

    Como minha primeira visita no blog, estou aqui pois me chamou muita atenção o afinco e a certeza que vocês tem quanto a existência real e concreta de uma bolha imobiliária no Brasil, pois bem. Preciso da ajuda e expertise de vcs para tomar uma decisão. Estou querendo comprar um apto na zona oeste de São Paulo, desde seu lançamento em 2011 acompanhei os preços do mesmo, na ocasião era R$ 365.000,00 (valor de tabela), um apto de 62 m². Para os patamares da época achei algo surreal e totalmente fora da realidade, pois bem, ao longo desses anos, acompanhei o mesmo imóvel e hoje recebi informativo com valor de R$ 465.000,00, ou seja, uma suposta valorização de R$ 100.000,00 em 03 anos, ou quase isso. Tentei negociar por e-mail e telefone e chegamos a um valor de R$ 415.000,00 muito aquém, ainda, dos R$ 365.000,00 na época, os quais, com desconto sairia por R$ 315.000,00. A impressão que tenho é que mesmo com esses mega-descontos de 30%, 40% e até 50% que acompanho ao longo de todos esses ano a impressão que tenho é que os preços estão cada dia maior e temo muito que estabilizem ou aumentem ainda mais, pois se de fato os preços não cairem, me dei muito mal em não ter comprado na ocasião. O fato é que ainda existem imóveis encalhados, apenas 10 aptos, segundo o corretor, do referido projeto e como ele não deu abertura para mais negociações isso me levou a crer que realmente não há um desespero tão grande como o que é pregado aqui no site. Enfim, gostaria de uma opinião realista e ponderada de vocês que sabem mais do assunto do que eu e, que, dessa forma poderei tomar decisão após verificar os dois lados da moeda.

    Conto com a ajuda de todos,

    Obrigado,

    0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 18:47

      Preço ofertado é uma coisa. Preço negociado e concretizado é outro.
      Eu só fiz bons negócios na minha vida comprando de quem PRECISAVA muito vender.
      E vendi para quem QUERIA MUITO comprar.

      0
    • George... oinc oinc... 14 de outubro de 2014 at 18:48

      Compre cara… não perca mais tempo.
      De nada. Abraço. Seja Feliz.

      0
    • civilizado 14 de outubro de 2014 at 18:54

      Euuuuuu, ñ faria negócio agora, esperaria pro ano que vem…..euuuuuuuu!!, mas tu sabes aonde aperta o sapato!!…..depende tb a região que estais procurando…tb o crediário farto inflou o mercado, mas com certeza este preço está bolhudooo!!, 365K já é caro!!!

      0
      • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 18:59

        E em 3 anos os investiotários pagaram bastante condomínio, chamada de capital, IPTU , perderam custo de oportunidade nas aplicações e possuem outros 09 concorrentes no mesmo prédio. É de fato – um EXELENTE (só com x mesmo) negócio!

        P.S> – Cadê os 30% a.a.?

        0
    • Cash-for-crash 14 de outubro de 2014 at 19:04

      Você já esperou três anos. Quem comprar agora vai perder.
      Esse blog oferece noticias diárias, retiradas da imprensa em todo pais, com evidencias da bolha. E ainda comentários e análises muito inteligentes…
      Acompanhe o blog por 3 meses. Va lendo o primeiro acesso.

      0
    • cesar 15 de outubro de 2014 at 09:16

      Se esse valor for menor que 150 vezes o aluguel então compre, senão alugue.

      0
  • Gonzales 14 de outubro de 2014 at 17:10

    Galera como funciona esse problema da dívida com o banco aumentar? A taxa de juros não é pré fixada? Queria que vocês me explicassem quais são os maiores problemas com as destrutoras (além dos preços bolhudos).

    0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 18:44

      A dívida da pessoa física junto aos bancos cresce – porque a maioria dos contratos são de juros pós-fixados. Leia mais no Primeiro Acesso – e leia o histórico da TR. Veja também o BNH nos anos 80.

      0
  • MrCitan 14 de outubro de 2014 at 17:14

    OFF TOPIC
    O Anonymous comentou certa vez aqui que o visto de residente para a Áustria custa 10 milhões de dólares, um dos mais caros do mundo.

    Mas a partir de hoje este visto é desbancado pela Austrália, no qual emite um visto de residencia permanente por 12,5 milhões de dólares.
    “http://g1.globo.com/economia/noticia/2014/10/australia-anuncia-visto-premium-para-milionarios.html

    0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 17:16

      Eu falei pro Anony riscar a Austrália do Manual.
      Tão si achando!

      0
      • Anonymous 14 de outubro de 2014 at 17:24

        Já havia tirado 😉

        APÊNDICE

        1 – Alguns países como Australia, Austria, Espanha, Portugal, Suiça não podem ser levados à sério para a compra de residência ou cidadania, pois os países listados acima oferecem um negócio muito melhor.

        0
        • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 17:30

          Men At Work – This IS ANONYMOUS!

          0
    • mmmmm 14 de outubro de 2014 at 17:16

      Tem gente fugindo.

      0
    • Carlos 14 de outubro de 2014 at 17:25

      Pessoal, estes artigos geralmente são furados, o nível de analfabetismo funcional dos “jornalistas” da folha é notório. Eles recebem releases de outras agências e traduzem, como a maioria dos jornais.

      É muito mais fácil procurar direto na fonte, para investimentos por exemplo:

      “http://www.immi.gov.au/Visas/Pages/891.aspx

      0
    • Anonymous 14 de outubro de 2014 at 17:26

      A Austria sempre vendeu a cidadania direto, sem a necessidade de passar pela residência permanente.

      0
      • civilizado 14 de outubro de 2014 at 17:31

        civilizado
        Anony…..lembro certa vez que tu falaste que é + fácil adquirir cidadania na Europa que Canadá….é verdade?…e porque?
           0 likes

        0
        • Anonymous 14 de outubro de 2014 at 17:35

          O Canada vende a residência permanete por $ 800 mil CAD (cerca de $ 715 mil USD), o que é mais caro do que o Green-Card pelo visto EB-5 ($ 500 mil USD). O melhor negócio está sendo oferecido pela Hungria – basta depositar cerca de $ 850 mil Reais por 5 anos e não precisa investir em nada, o dinheir continua seu na sua conta e atualmente em Euros.

          0
          • civilizado 14 de outubro de 2014 at 17:38

            ……valeu,…………mas que caro, ñ?

            0
  • mmmmm 14 de outubro de 2014 at 17:29

    CVR – OFF – Desventuras Bananenses

    Muié me pergunta lá do outro escritório. Ô M´s da uma olhada nesse e-mail para mim. Não estou entendendo. Bananense tá me falando que já me enviou documento 2 vezes e está re-enviando uma terceira agora depois de 2 meses. Poxa, não recebi nenhum, será que o servidor do gmail deu pau.

    – tem recebido e-mail por lá recentemente? – Tenho sim. Sem problemas. – Tá manda o e-mail para mim que dou uma olhada.

    e-mail chega. Dou uma olhada no fluxo de mensagens.

    Provas do delito mal feito

    1 – Não há encadeamento de mensagens anteriores.
    2 – Um dos e-mails destinatários está escrito errado, falta uma letra dentro do hiperlink
    3 – Diferem cabeçalho das mensagens prévias, das mensagem realmente enviada.
    4 – Comparo situação similar de exemplo com dados reais, não consigo o resultado.
    5 – Muié liga para a outra destinatária pergunte se recebeu. Como está, me parece trapaça. Muié liga, a outra informa que nunca recebeu.

    Fato. Profissional mentiroso, com vislumbre a ser professor. Não sabe mentir, não sabe forjar documento, se acha um gorila, mas é mico. Esquece que tem jênios muito melhores por aí

    Bananense, não tem jeito.

    0
  • Capitão Caverna 14 de outubro de 2014 at 17:40

    Os consumidores encontram cada vez mais dificuldades para honrar compromissos com as condições atuais da economia. Levantamento divulgado hoje (14) pela Serasa Experian revela que a inadimplência subiu 19,6% em setembro, na comparação com o mesmo mês do ano passado.

    De acordo com a Serasa Experian, o baixo crescimento da economia, a inflação perto do teto e o aumento dos juros são os principais responsáveis pelo aumento da inadimplência no acumulado de 12 meses. Em relação a agosto, no entanto, o indicador caiu 0,8%, o segundo recuo mensal seguido.

    Conforme a entidade, as quedas mensais ocorreram não porque os consumidores passaram a pagar as prestações em dia, mas porque estão evitando assumir novos compromissos financeiros. Esse movimento interfere no volume de inadimplência, mas não em intensidade suficiente para reverter a alta acumulada em 2014.

    Nos nove primeiros meses do ano, o valor médio da inadimplência com os bancos caiu 4,8%, em relação ao mesmo período do ano anterior. Entretanto, as demais categorias apresentaram alta. O valor médio das dívidas não bancárias, dos cheques sem fundos e dos títulos protestados subiram 15,1%, 5,3% e 4,4%, respectivamente.

    Para medir a inadimplência, a Serasa Experian considera as variações nacionais no número de cheques sem fundos, títulos protestados, dívidas vencidas com bancos e dívidas não bancárias (lojas em geral, cartões de crédito, financeiras, prestadoras de serviços como fornecimento de energia elétrica, água, telefonia etc.). De acordo com a entidade, a metodologia permite captar ocorrências de inadimplência que se manifestarão no sistema bancário entre seis meses e um ano.

    0
    • hannamanana 14 de outubro de 2014 at 17:57

      E vai ficar ainda melhor:
      +http://www.telegraph.co.uk/finance/economics/11162217/BIS-warns-on-violent-reversal-of-global-markets.html
      Basicamente o BIS (Banco de Compensações Internacionais) alerta para uma possível virada abrupta dos mercados globais em parte porque os investidores estão muito complacentes, apostando suas fichas de que em uma eventual ventania, os Bancos Centrais irão socorrê-los e termina tudo bem, além do fato de que estão comprando posições de ativos que nem estão tão líquidos assim e que na hora que todo mundo resolver sair de suas posições o negócio vai complicar.
      O artigo destaca a situação do BRICS e blablablablablbalá.
      Eu pensei que só a gente era pessimista? 😈

      0
  • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 17:41

    OFF

    Meditações econômicas de PXdPF

    Essa lambança tosca de quinta do “ovo e frango” lembrou-me do quanto estudei inflação (pois em terras bananenses, é necessário a todo profissional envolvido com custos).

    O básico que sempre se aprende é que “inflação é fenômeno essencialmente macroeconômico”.

    Assim, o comer ovo e frango pode até ter algum impacto no preço da carne bovina – digamos – pois cortando-lhe a demanda, obriga o setor á reduzir preços, mas…

    Isso só resolve questões setoriais, jamais globais, pois ao que parece, a joça do leite, digamos, se lixa para o consumo de carnes “alternativas”.

    E assim, ad infinitum, em todas as combinações da miríade de produtos.

    Uma solução mais impactante – e aí está a ironia – seria dizer aos bananenses: COMAM MENOS! TODOS AO MESMO TEMPO!

    Enquanto isso, assistindo-se estas tonteiras, a capacidade de choque de oferta na Banânia continua quase nula, ou disfarçando, como no setor de têxteis, forte desinsdustrialização, e as pressões macro, que causam inflação, como despejo de dinheiro via bancos públicos (uma volta à maligna “conta movimento”) em paralelo com deficit público, continuam se lixando para os ovos e frango.

    0
    • Lucas 14 de outubro de 2014 at 18:21

      seu comentário muito pertinente me ensejou 4 pensamentos

      1- Boi é o novo Bode
      Alimentos tem sido o bode expiatório do governo, o boi é o novo bode expiatório, mas se vc pegar uma faixa mais ampla vai perceber que alimentos estão segurando a inflação

      2-Carne é fumaça
      Com essa discussão idiota se cria uma nuvem de fumaça pra esconder da onde vem a verdadeira inflação, os preços administrados pela incomPeTencia

      3- Boi é o tomate de ontem
      Se pegar a inflação dos produtos específicos a gente vê a sazonalidade, talvez o aumento fosse algo natural da entresafra ou das secas periódicas do el nino, ou quem sabe descobriremos que ovo subiu relativamente mais que carne.

      4- Boi de piranha
      Inflação não é só aumento de preço, é aceleração. A queda de poder aquisitivo está na raiz de tudo, o país produz mais dinheiro do que produtos, pra pagar pela própria incomPeTencia, o mercado ajusta como um todo, neste caso o boi foi primeiro.

      PS: estou recomendando “ceticismo político” ver no google

      0
      • mmmmm 14 de outubro de 2014 at 18:26

        Isso é verdade. A relação entre a cesta básica e o salário mínimo não tem ganhos reais desde 2006.
        ver gráfico”http://goo.gl/rN2Bzm

        0
  • CA 14 de outubro de 2014 at 17:42

    Simulando um “quote” para o texto do nickname Shock:

    Shock 14 de outubro de 2014 at 16:12
    Fala gangue!
    A espera do CAOS..?! hehehehe..
    O projeto estilingão não vai mudar em nada, nem que mude o presidente, afinal é tudo farinha do mesmo saco, que recebe a grana dos mesmos doadores, então não espere mudança a SEU favor.
    Caminho único para se eleger: prometer mais bolsa família e casa de graça..
    Aumento de ambulantes vejo muitos dizerem, aí te digo, é muito mais LUCRATIVO ser ambulante do que ser empregado.
    Ainda não vi crise nenhuma por aqui, material de construção bombando, casas falta pra vender, terreno preços estratosféricos….supermercados então, parece uma lata de sardinha, é fila pra todo lado, pra entrar e pra sair em todos que conheço, inclusive em cidades vizinhas .
    Ainda não sei em que mundo vocês estão vivendo…
    A inflação está se sustentando porque o consumo está ABSURDAMENTE ALTO…tenho parentes que trabalham em supermercados, e eles aumentam o preço indiscriminadamente, simplesmente porque VENDE…!!
    Lhes garanto que minha realidade é a de 90% do país, logo, acho que voces estão vivendo nos outros 10%….

    RESPOSTA (CA):

    Vamos por partes: com relação ao texto, como SEMPRE, ele não apresenta NENHUMA evidência, ou seja, vomita uma série de MENTIRAS e depois vai embora. Excelente para demonstrar as “técnicas” adotadas pelo segmento imobiliário.

    Vamos aos FATOS, para cada item que ele mencionou:

    Trecho do Shock: “Ainda não vi crise nenhuma por aqui, material de construção bombando,…”

    FATO: CONSTRUÇÃO TEM PIOR DESEMPENHO EM 14 ANOS

    Link: “http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,construcao-tem-pior-freada-em-14-anos,1570953

    Trecho do Shock: “…casas falta pra vender,…”

    FATO: SETOR IMOBILIÁRIO TEM MAIOR NÍVEL DE ESTOQUE EM 10 ANOS

    “http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/09/1522343-setor-imobiliario-tem-maior-nivel-de-estoque-em-dez-anos-saiba-onde-estao-as-oportunidades.shtml

    Trecho do Shock: “…terreno preços estratosféricos….”

    FATO: CONSTRUTORAS VENDENDO SEUS TERRENOS PARA CONCORRENTES ABAIXO DO PREÇO DE ANOS ATRÁS

    Evidência: acesse relatório trimestral da Even, que consta na página oficial dela e menciona que está comprando terrenos mais baratos agora do que antes, graças a necessidade de várias construtoras com problemas (Viver, Rossi, etc.)

    Trecho do Shock: “supermercados então, parece uma lata de sardinha, é fila pra todo lado, pra entrar e pra sair em todos que conheço, inclusive em cidades vizinhas .
    Ainda não sei em que mundo vocês estão vivendo…
    A inflação está se sustentando porque o consumo está ABSURDAMENTE ALTO…tenho parentes que trabalham em supermercados, e eles aumentam o preço indiscriminadamente, simplesmente porque VENDE…!!”

    FATO: CONSUMIDOR ENDIVIDADO PREFERE CORTAR ORÇAMENTO PELA COMPRA DE ALIMENTOS.

    “http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/07/1491686-consumidor-endividado-prefere-cortar-orcamento-pela-compra-de-alimentos.shtml

    Fora que a queda geral do consumo é mais que óbvia, ou ele não viu que acabamos de ter recessão técnica por 2 meses seguidos de queda no PIB???

    Trecho do Shock: “Lhes garanto que minha realidade é a de 90% do país, logo, acho que voces estão vivendo nos outros 10%….”

    FATO: A MENTIRA TEM PERNA CURTA !!! (evidências acima)

    0
    • JAPA FEARED 14 de outubro de 2014 at 17:49

      Coitado CA deixa o menino brincar de CORVO 😀

      0
    • Lucas 14 de outubro de 2014 at 18:05

      ei CA, 2 semestres, não 2 meses … E não é recessão técnica, não caia nestes eufemismismos, é recessão recessão mesmo

      outra coisa interessante, a fonte dele são parentes que trabalha no supermercado, pode ser a tia caixa, o sobrinho embalador, fontes insiders quentíssimas

      Parabéns pela paciência e pelo estomago em ver algo de útil naquilo.

      ps: estou recomendando pra todo mundo o site ceticismo político, tem muito a se aprender lá, as armas do marketeiro do lulla nas nossas mãos, veja a série de guera política, e tudo mais.

      0
      • CA 14 de outubro de 2014 at 18:30

        Lucas,

        Verdade, errei, foram dois TRIMESTRES seguidos de queda no PIB e o papo de recessão “técnica” é fato comprovado, só se desmente se manipularem os números na próxima revisão…

        O interessante nas “técnicas” dos corretores, é que sempre tem algum parente deles que é “super confiável”, que dá “informações quentíssimas”, as quais valem mais do que toda e qualquer pesquisa conceituada com abrangência nacional, aliás, dados vindos na maioria das vezes do próprio segmento imobiliário, como as informações sobre a maior parada da construção civil em 14 anos e o maior estoque de imóveis em 10 anos que coloquei acima.

        Eles não tem NENHUM fato para se defender, jogam suas mentiras, se colar e conseguirem enganar algumas pessoas, ótimos, senão, o que vão perder? O interessante, é que eles sequer percebem que quanto mais mentem e são desmascarados, mais prejudicam as vendas futuras que já são escassas, afinal, quem vai confiar em quem mente e inventa estórias o tempo inteiro?

        0
    • Luis Augusto 14 de outubro de 2014 at 18:09

      Aumento de consumo no supermercado pode ser sintoma de ansiedade. Sempre que antecede alguma crise há um aumento significativo nas vendas de produtos alimentícios. Aumento também de fieis em igrejas dizimistas, aumento de consultas a cartomantes, taro, feiticeiros; enfim, tudo sintoma de algo não vai bem.

      0
      • civilizado 14 de outubro de 2014 at 18:10

        sem falar nos divãs…..

        0
      • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 18:11

        Eu falei sobre isso esse ano. Eu estou vendendo mais doces açucarados para a galera dar uma rebatida na ansiedade. Nos EUA após o 11/09 a venda de doces e calmantes bombou.

        0
        • Floyd28 14 de outubro de 2014 at 18:14

          durante a crise de 1929, o governo americano autorizou a venda do Seven Up com lítio em sua formula para diminuir o numero de suicídios.

          0
    • Tenho paciência 14 de outubro de 2014 at 22:08

      As filas no mercado é porque mandaram metade dos caixas embora. O próximo é ele.

      0
  • Kimbs 14 de outubro de 2014 at 18:01

    Quando alguém me fala que a bolha daqui é diferente da dos EUA, eu sempre concordo. Diferente pois o brasileiro ganha muito menos que o norte-americano e paga muito mais em um imóvel.

    ‘http://www.educacao.cc/financeira/comparacao-de-salario-no-brasil-com-eua-alemanha-e-outros-paises/

    0
  • Luis Augusto 14 de outubro de 2014 at 18:03

    CVR

    Dois pedreiros numa loja de construção: A coisa tá feia mesmo!

    0
    • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 18:06

      Falei disso hoje mesmo. O setor de “complementos e reformas” de construção é um termômetro de que alguns “fenômenos dominó” na economia estão ganhando aceleração.

      0
  • Cuiabano 14 de outubro de 2014 at 18:15

    Para encerrar o assunto, essa informação é muito importante e demonstra bem o perigo desses prédios enormes.
    “Os últimos a serem resgatados foram dois jovens que estavam no 23º andar.
    O resgate deles demorou mais de 7 horas, por conta da altura e da fumaça que impedia os bombeiros de chegar lá.”
    Fonte: “http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=3&cid=213198”

    TG Brasil
    Informação de um instrutor durante um curso de brigada que fiz no ano passado:
    – Essas escadas só atendem até o 10º andar….
    Pergunta minha:
    – E esses prédios de 15 – 20 andares?
    – Deveria ser proibidos!
    (…)
       2 likes

    0
    • Mestre dos magos 14 de outubro de 2014 at 20:58

      Muito Obrigado. Iria perguntar no corpo de bombeiros antes de fechar meu ap. Precisava desta informação, pois sempre pergunto isso, e ninguém sabia me responder. Como ainda estou longe de adquirir um ap próprio, pelo menos agora já sei que vai ser no máximo no 10º andar.

      0
  • civilizado 14 de outubro de 2014 at 19:07

    DÀ UM TÓPICO:

    Caixa estima crescimento zero para o crédito imobiliário

    Diretor nega crise no setor e fala em “acomodação após período superaquecido”

    De janeiro a setembro, os financiamentos para imóveis somaram R$ 95 bi

    A queda nas vendas de imóveis no país mudou os planos da Caixa Econômica Federal, que já prevê mais com uma ampliação dos financiamentos neste ano. A projeção atualizada é de que a liberação de empréstimos imobiliários pelo banco alcance até R$ 136 bilhões em 2014, patamar igual ao verificado em 2013. A Caixa antes estimava que os financiamentos chegariam a R$ 155 bilhões, alta de 14% em relação a 2013. “Se chegarmos a R$ 136 bilhões, já será um excelente desempenho para este ano”, disse o diretor executivo de Habitação, Teotônio Rezende, ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado.

    De janeiro a setembro, os financiamentos somaram R$ 95 bilhões. Nos últimos meses, as vendas de imóveis foram afetadas pelo baixo crescimento econômico, pela queda na confiança de consumidores e empresários diante da indefinição sobre os rumos do país, além de um calendário repleto de datas que afastaram visitantes do estandes de vendas, como Copa do Mundo, do carnaval tardio (em março) e eleições.

    + Vendas de imóveis em SP caem 30,4%, diz Secovi

    Para o diretor da Caixa, porém, o cenário não representa uma crise para o mercado imobiliário, mas uma acomodação após um período superaquecido. “O período de euforia está sendo revisto, e o mercado voltou a colocar os pés no chão.” Preço Segundo Rezende, um reflexo disso é que o preço dos imóveis está se estabilizando depois da forte valorização. “A tendência para o preço da habitação é chegar, no máximo, ao nível da inflação”, estimou. Ele lembrou que, em algumas regiões, há incorporadoras fazendo liquidações.

    + O mercado imobiliário não é no momento um bom investimento

    O executivo da Caixa disse que é cedo para detalhar perspectivas para 2015, mas adiantou que o banco trabalha com a estimativa de que o financiamento imobiliário fique estável ou avance até 10%. Rezende comentou que os bancos não têm mexido nas taxas para disputar clientes. “O momento não é propício para isso”, observou. Segundo ele, essa carteira é importante para os bancos, mas a estratégia de captação de clientes tem sido mais baseada na agilidade dos processos e na oferta de serviços do que na redução nos juros. Questionado pela reportagem se a Caixa planeja ajuste nas taxas do financiamento imobiliário, o diretor negou. “Não estamos pensando nisso. Se houvesse algum movimento, seria para cima. Até 0,5 ponto porcentual.”

    0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 19:08

      E tinha um louco que afirmava:
      TEREMOS CRÉDITO E NINGUÉM QUE O PEGUE!

      0
      • civilizado 14 de outubro de 2014 at 19:12

        Bom, com essa, entregaram os pontos!!!!……vitória do blog!!!

        0
        • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 19:15

          “-Jamais subestime a teimosia patológica beirando a insanidade alheia.

          – Como, Pai Xicão?

          – Tem passarinho de brioco explodido que continua engolindo abacate, mizifio!” – Diálogos Cheios de Fábulas Grosseiras de Pai Xicão

          0
          • civilizado 14 de outubro de 2014 at 19:17

            Quiumento…….CABOU-SE!!!!!…pra mim é o ápice da Bolha Imobiliária!!!

            0
            • Çanguinolento 14 de outubro de 2014 at 19:20

              Já disse uma vez, em tempos remotos, um ser chamado de Pai Xicão e uma Bruxa.
              Ambos foram queimados!

              0
              • civilizado 14 de outubro de 2014 at 19:25

                estes lokos ,estão de parabéns!!….pois as nossas “profecias”, é uma realidade e DOCUMENTADA pela CEF…..querem +!!!!!…..

                0
            • Lucas 14 de outubro de 2014 at 19:21

              será que um bando de loucos dum blog obscuro estavam certos?

              0
              • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 19:25

                Não somos um blog obscuro.

                Veja a luz que irradiamos! Perceba o brilho!

                O_O

                EITA, CACETE! É A DONA CIÇA, MINHA DIARISTA, SAINDO DA COZINHA EM CHAMAS!

                0
                • Çanguinolento 15 de outubro de 2014 at 08:07

                  kkkkkkk!!!

                  0
            • Francisco Quiumento 14 de outubro de 2014 at 19:23

              Na verdade, dependendo da abordagem (e até dos termos), pode ser a beirada do precipício.

              Sou do grupo do André-ZS, que afirma e defende que o ápice da curva de preços foi em junho a agosto de 2012. Agora, chega-se ao colapso, a flexão após a teimosia doentia da “negação”.

              Traduzindo-se entre uma visão (a sua, p.ex.) e a “nossa”, dá no mesmo.

              O mecanismo é um cruzamento de alavancagem insustentável na CEF e outros e o esgotamento da capacidade de tomar crédito do mercado.

              Sem excedente de renda manobrável, não há juros pagáveis.

              Há quanto muito, juros prometidos.

              Por este simples motivo contábil, já estava certo que CABÔ-SE!

              0
              • Lucas 14 de outubro de 2014 at 19:34

                concordo

                Essa estagnação no crédito mostra a transição da fase FEAR pra fase CAPITULATION

                Sendo que os preços atingiram auge de preço/liquidez e vem caindo desde a fase Negação DENIAL de fins de 2012, fontes seguras de pesquisa direta de mercado que fiz e de sites de leilão podem confirmar isso.

                Nesta imagem, Capitulation é a beira do precipício.

                “There is a tipping point where a critical mass of market participants either decide to sell or are forced to sell”
                – os números da Caixa indicam isso

                “In residential real estate, people are compelled to sell by anxiety, and the mechanism for force is foreclosure*”.
                – Ou distrato na versão bananica

                “Once a critical mass of selling is reached, the selling causes prices to decline further which in turn causes more selling”.
                -A descrição da beira do precípicio

                ” This convinces even more people the rally is over yielding even more selling: a downward spiral (precipício ou espiral viciosa / negativa)”.
                – corrida de vendas, nesta fase atingiremos recorde de anuncios nos sites.
                (Profecias dum velho gaga)

                O que vc acha CA?

                fonte
                “http://www.irvinehousingblog.com/2009/08/17/vermillion-quail-hill-irvine/

                PS: somente nesta fase capitulation que o mercado admite o problema, mas ainda não vão usar a palavra Bolha, esta será usada apenas na fase DESPAIR

                0
                • civilizado 14 de outubro de 2014 at 19:42

                  é verdade “acomodação após período de superaquecimento”…..mensagem subliminar!!!

                  0
                  • Lucas 14 de outubro de 2014 at 19:48

                    leia os comentários deste link que mandei

                    veja que foi postado em 2009, auge do Panic americano e os proprietários falando que não acreditam em capitulation antes de 2014-2015

                    Veja lá os mesmos argumentos daqui, os mesmos medos, gente falando de emrpesas prestes a quebrar, incrível, parece um roteiro do nosso futuro, venho acompanhando e tá seguindo direitinho.

                    0
                    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 19:51

                      Já li esse blog. É incrível como o bicho homem é parecido.

                      0
                • Delphos 14 de outubro de 2014 at 20:22

                  Não esquecendo que uma boa ( ou seria péssima ?) parte dessa oferta “a preço de banana” vai ser de LIIIIXXXXOS ( by Rose).

                  0
                • CA 14 de outubro de 2014 at 21:50

                  Lucas,

                  Respondi no lugar errado, ficou lá embaixo, replico aqui:

                  Concordo que estaríamos entrando na fase Capitulation e que a fase de negação se iniciou desde o segundo semestre de 2.012, não só com as promoções e descontos das construtoras que se iniciaram naquela época, mas também com resultados das construtoras de forma geral, volume de distratos que mais do que dobrou e até pesquisas do CRECI SP e outros que começaram a apresentar quedas nos preços REAIS, o que se intensificou a partir de 2.013.

                  Apenas sobre a relação das evidências com conceitos minha leitura é diferente em poucos detalhes, explico:

                  “There is a tipping point where a critical mass of market participants either decide to sell or are forced to sell”
                  LEITURA: O crescimento de 15% das ofertas de imóveis usados em São Paulo no primeiro quadrimestre de 2.014, foi causado principalmente pela NECESSIDADE de vender para poder quitar o novo adquirido anos atrás na planta, como não conseguiram nos preços almejados, isto ajudou a alimentar os distratos, o que tem relação com o próximo trecho que você destacou. O aumento anormal no número de promoções por construtoras e sua intensidade em Agosto/2014 foi outro fato em linha com este evento, no caso as construtoras eram forçadas a venderem para pagarem suas dívidas. Mais um ponto de destaque foram os descontos para usados atingindo 30% em praças estratégicas (Rio de Janeiro e São Paulo), com as próprias imobiliárias convencendo os vendedores a fazerem isto. O conjunto da obra mencionado aqui, combina com a descrição do trecho que você colocou.

                  “In residential real estate, people are compelled to sell by anxiety, and the mechanism for force is foreclosure*”.
                  LEITURA: O distrato ocorreu em níveis mais elevados do que o ANORMAL de anos anteriores e seu papel foi pressionar por mais descontos uma vez que eles alimentam de forma muito relevante os SUPER ESTOQUES, neste ponto creio que nossa avaliação é coincidente.

                  “Once a critical mass of selling is reached, the selling causes prices to decline further which in turn causes more selling”.
                  LEITURA: creio que este efeito em cascata AINDA não aconteceu, mas estamos próximos dele, se foi isto que você quis dizer com “a beira do precipício”, concordo.

                  ” This convinces even more people the rally is over yielding even more selling: a downward spiral (precipício ou espiral viciosa / negativa)”.
                  CONCORDO COM SUA LEITURA, QUE REPITO AQUI : corrida de vendas, nesta fase atingiremos recorde de anuncios nos sites.

                  0
    • thiago fm 14 de outubro de 2014 at 20:55

      É…

      Parabéns a todos! Essa perda de fôlego foi professada, publicada e desenhada em primeira mão no blog. Esse é o mesmo fôlego que deu suporte ao movimento especulativo dos imóveis novos e que está se desfazendo agora.

      Muita gente acreditou que o crédito cresceria de forma consistente até satisfazer a suposta demanda reprimida, principalmente da classe média. Agora vemos que tudo não passou de uma ilusão, pintada pelo governo e comprada por altíssimo preço pela população.

      A especulação de preços da bolha imobiliária se disfarçou basicamente em duas frentes principais: venda fictícia na planta combinada com crédito imobiliário crescente e acessível. E agora José, que não se pode justificar o preço nem por um nem por outro? E agora José, que o preço bolhudo ficou sem pai nem mãe? Quem vai querer adotar o imóvel?

      Que venha a crise para apressar os desapressados.

      0
    • Louro José 14 de outubro de 2014 at 21:04

      Tópico. Nós avisamos.

      0
      • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 21:27

        fantástico ler essa porra aí. Vai dar merda, mas é impressionante o nível da vanguarda do pessoal do blogue em prever o volume e a intensidade da merda.

        0
      • thiago fm 14 de outubro de 2014 at 22:26

        O pior é que vai ter gente que vai usar a mesma notícia para desmentir a bolha, alegando que o crédito não bateu nem os 10% do PIB…bla..bla..bla.

        A verdade é que apesar do crescimento meteórico, o crédito está se “estabilizando” num patamar que pode ser considerado baixo para a realidade da população brasileira. Quando ele não foi subsidiado, atingiu uma camada quase sempre restrita e elitizada das famílias das classes média e altas do país, compreendida entre 3 a 4 milhões de domicílios. Por esse motivo, prefiro qualificar o processo como uma bolha de preços, com características híbridas em alguns momentos, mas não de crédito exclusivamente, visto que o atual sistema de crédito imobiliário, que se pretendia democrático, acabou evoluindo de forma seletiva e restrita, muito em virtude da própria disparada dos preços. O que certamente não evoluiu de forma seletiva foram os preços, que subiram de forma generalizada e indiscriminada.

        O esfacelamento de mais um dos pilares da bolha – a ideia do crédito fácil para a compra de imóveis- mostra que a bolha se apoiou sobretudo em expectativas, total ou parcialmente falsas, que juntas empurraram os preços para cima e acabaram esvaziadas aos poucos, uma a uma:

        – Atendimento da demanda reprimida por imóveis;
        – Diminuição ou extinção do déficit habitacional;
        – Parcela do financiamento menor do que a do aluguel;
        – Imóveis de melhor qualidade, mais modernos e confortáveis que os antigos;
        – Crédito acessível para as famílias em geral e para a classe C ascendente;
        – Fortalecimento do setor de construção civil;
        – Valorização constante dos preços;

        O mercado precificou expectativas e a realidade se mostrou bem diferente.

        0
  • RosinhA 14 de outubro de 2014 at 19:28

    Quem disso isso ??? eu me caso com esse louco 😆

    From_the_Tower
    E tinha um louco que afirmava:
    TEREMOS CRÉDITO E NINGUÉM QUE O PEGUE!
       1 likes

    0
    • From_the_Tower 14 de outubro de 2014 at 19:41

      Ei! Ele é casado e tem 2 filhas!!! ;)_

      0
  • Armando T 14 de outubro de 2014 at 19:49

    Ca esta o rombo:

    Foi dada a largada para a reforma do CEF e BB

    http://www.terra.com.br/istoedinheiro-temp/143/economia/eco143_03.htm

    0
    • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 23:23

      ESTA MATÉRIA É VELHA.

      0
  • Manoel Joaquim 14 de outubro de 2014 at 21:25

    CVR

    Estou procurando apartamento para alugar em uma cidade de 600 K habitantes do interior de SP.

    A oferta de imóveis disponíveis para locação é tão absurdamente alta que, ao perguntar o valor do aluguel, a resposta é sempre acompanhada de “mas o proprietário aceita proposta…”.

    Vou mantê-los atualizados do andamento.

    0
    • RalaTudo 14 de outubro de 2014 at 21:32

      Ajudaria se desse nome aos bois… Sorocaba?

      0
  • Louro José 14 de outubro de 2014 at 21:27

    Tópico
    ‘http://oglobo.globo.com/economia/imoveis/mercado-de-imoveis-do-rio-pisa-no-freio-registra-descontos-entre-10-20-14239488

    0
    • Louro José 14 de outubro de 2014 at 21:28

      Demorou, mas aí está a última resistência rompida.

      0
  • CA 14 de outubro de 2014 at 21:37

    Lucas,

    Concordo que estaríamos entrando na fase Capitulation e que a fase de negação se iniciou desde o segundo semestre de 2.012, não só com as promoções e descontos das construtoras que se iniciaram naquela época, mas também com resultados das construtoras de forma geral, volume de distratos que mais do que dobrou e até pesquisas do CRECI SP e outros que começaram a apresentar quedas nos preços REAIS, o que se intensificou a partir de 2.013.

    Apenas sobre a relação das evidências com conceitos minha leitura é diferente em poucos detalhes, explico:

    “There is a tipping point where a critical mass of market participants either decide to sell or are forced to sell”
    LEITURA: O crescimento de 15% das ofertas de imóveis usados em São Paulo no primeiro quadrimestre de 2.014, foi causado principalmente pela NECESSIDADE de vender para poder quitar o novo adquirido anos atrás na planta, como não conseguiram nos preços almejados, isto ajudou a alimentar os distratos, o que tem relação com o próximo trecho que você destacou. O aumento anormal no número de promoções por construtoras e sua intensidade em Agosto/2014 foi outro fato em linha com este evento, no caso as construtoras eram forçadas a venderem para pagarem suas dívidas. Mais um ponto de destaque foram os descontos para usados atingindo 30% em praças estratégicas (Rio de Janeiro e São Paulo), com as próprias imobiliárias convencendo os vendedores a fazerem isto. O conjunto da obra mencionado aqui, combina com a descrição do trecho que você colocou.

    “In residential real estate, people are compelled to sell by anxiety, and the mechanism for force is foreclosure*”.
    LEITURA: O distrato ocorreu em níveis mais elevados do que o ANORMAL de anos anteriores e seu papel foi pressionar por mais descontos uma vez que eles alimentam de forma muito relevante os SUPER ESTOQUES, neste ponto creio que nossa avaliação é coincidente.

    “Once a critical mass of selling is reached, the selling causes prices to decline further which in turn causes more selling”.
    LEITURA: creio que este efeito em cascata AINDA não aconteceu, mas estamos próximos dele, se foi isto que você quis dizer com “a beira do precipício”, concordo.

    ” This convinces even more people the rally is over yielding even more selling: a downward spiral (precipício ou espiral viciosa / negativa)”.
    CONCORDO COM SUA LEITURA, QUE REPITO AQUI : corrida de vendas, nesta fase atingiremos recorde de anuncios nos sites.

    0
  • O Bancário 14 de outubro de 2014 at 21:37

    CVR

    Estagnação no crédito na pessoa física.
    Ninguém quer saber mais de pegar dinheiro em banco. E quem quer tomar, não tem mais condições. Eu pessoalmente evito falas negativas do tipo, “O banco não aprovou o crédito”, mas falar algo do tipo “O Sr. já está sendo bem atendido.”
    Nessas horas tem que ter sangue frio pra lhe dar com pessoas endividadas, é pisar em teto de vidro, geralmente essas pessoas estão passando por grandes dificuldades, e esperam que uma visitinha ao banco vá resolver seus problemas.
    Empréstimo pessoal só com garantias reais e taxas diferenciadas, o que é bem raro de acontecer.
    O que tá salvando um pouco é o consignado, e um ou outro crédito imobiliário. Mas no geral tá bem parado mesmo.
    Tá soda.

    0
    • Beatrizbsb 14 de outubro de 2014 at 22:27

      Pois é, divulgar que as taxas do consignado aumentaram consideravelmente que é bom… colega pegou consignado para comprar carro em 48x com taxa de 1% no início do ano e agora está 1,8% no BB…

      0
    • W.K. 14 de outubro de 2014 at 22:32

      Crédito?
      -Todo mundo quer comprar um carro 0km, mas ou esta endividado até o talo, ou a renda não comporta a parcela, ou ainda a soma dos dois fatores acima (e isso que nem mencionei os negativados no SPC e SERASA)

      -Tenho conhecimento de uma pilha de gente que, se o banco não emprestar 5k HOJE! AGORA! Vai literalmente passar fome. E nenhum banco vai emprestar 5k para o vivente pois ele já esta endividado em todos os bancos até o talo.

      -Tenho visto pessoas tentando vender até os móveis da sala para conseguir equilibrar o orçamento.

      -Um contato meu, que é bancário, me comentou que ele tem reparado que muitas pessoas tem comparecido em sua agência para abrir uma conta com a unica finalidade de pegar um empréstimo. E estamos falando de operários, faxineiras, frentistas e afins, gente que ganha no máximo 1k, precisando de 20 ou 30k em dinheiro na mão para “pagar umas continhas”.

      Acabou, pois quem pode pegar empréstimo é quem não precisa e não quer, e quem não pode pegar é quem quer e precisa.

      Españistán manda lembranças…

      0
      • Beatrizbsb 14 de outubro de 2014 at 22:47

        Quem tem ganha na mão está aproveitando a compra de carros com entrada de 60% e parcelando os 40% sem juros (na prática com as tarifas fica na faixa de 0,3 a 0,4%), desde o ano passado tem essas condições e nem por isso as vendas deixaram de cair…

        0
  • Mateus 14 de outubro de 2014 at 22:14

    Pro pessoal de Bh, o que podemos esperar por exemplo de imoveis como esse: Qual a opinião de vocês de preços justo para este imovel por exemplo, localizado em bairro de classe media alta em BH
    http://www.imoveisgl.com.br/empreendimento/ed–ramalhete-21

    0
    • bolha vendedor 14 de outubro de 2014 at 23:46

      Depende muito da localização… pode ser bairro classe média alta, mas ao lado de uma favela, e o preço mudaria completamente.

      0
  • fbl 14 de outubro de 2014 at 22:44

    Topico:
    “http://oglobo.globo.com/economia/imoveis/mercado-de-imoveis-do-rio-pisa-no-freio-registra-descontos-entre-10-20-14239488

    0
  • MND 14 de outubro de 2014 at 23:15

    Anta disse que “tem certeza” que a inflação vai fechar o ano dentro da meta.

    Sabendo que os dados podem ser manipulados e contabilidade maquiada à vontade, fica fácil ter essa certeza!

    E ela mais uma vez atribui a “culpa” à estiagem, à seca. Assumir a incomPTência? Nunca…

    0
    • Barnabezinho 14 de outubro de 2014 at 23:16

      Deu raiva ver ela falando isso.

      0
      • Awulll 14 de outubro de 2014 at 23:18

        Nisso dava pra falar de SP, onde o Alckmin foi atacado por causa da seca. Então em SP a seca não era culpa pra falta d’ água, mas pro governo federal é capaz de aumentar a inflação?

        0
  • veigalex 14 de outubro de 2014 at 23:23

    #OFF

    Pessoal, o que acham…(Chico, help too..)

    Palio 2004

    1) Correia dentada..
    2) Esticador..
    3) Limpeza das velas..
    4) Limpeza de bicos..
    5) Filtro de Ar..
    6) Valvula Termostatica..
    7) Interruptor temperatura..
    8) Manutenção na mangueira com ramificações que sai do radiador, pelo que entendi como ela tem um cano de ferro, ele coseguiu reparar perto do interruptor de temperatura de Ar quente( nao sei se expliquei corretamente, mas me orientou a trocar futuramente..custa nova mais de 100 pilas)

    Carro tinha travado a valvula termostatica e aproveirei para trocar correia e limpar a injeçao

    R$ 490,00 em duas vezes.( Peças e MO)

    Justo ou motumbado?

    0
    • liquid 15 de outubro de 2014 at 01:04

      eu mandava pro desmanche.

      desculpe, minha opinião racional e pessoal.

      0
      • SwineOne 15 de outubro de 2014 at 01:42

        Exato. Tenho medo só de imaginar a despesa que um FIAT de 10 anos de idade deve dar.

        0
    • TG Brasil 15 de outubro de 2014 at 09:00

      Não sou o chico.. mas… acho que tem muito serviço ai desnecessário…
      Limpeza de vela e bicos??
      Velas trocam… se os cabos estiverem ruins troca-se também.. dai aproveita e troca o rotor… não sei como é o Palio, mas no gol, já olho tampa do distribuidor, se estiver trincada, troca-se também… Se todos esses componentes estiverem ruins, Após a troca vc percebe uma diferença imensa no carro… partidas, saídas.. etc..
      Limpeza de bicos? A Rozinha já deu o macete aqui, com CAR 40… já fiz… chupimba…
      Troca de filtro de ar agora?? Filtro de ar troca-se quando faz troca de óleo e filtros.. dai se troca filtro de ar (se estiver sujo), filtro de óleo e filtro de combustível…
      Manutenção de mangueiras de ferro do radiador? Estava vazando? Enfim…
      Só um detalhe: Você usa aditivo no radiador? Talvez o uso do aditivo te poupasse a válvula termostática, essa mangueira do radiador, e futuramente infiltrações internas… Fica a dica!
      Outra coisa: Geralmente eu tiro a válvula termostática dos meus carros…. exceto se forem a álcool!

      0
  • ryku 14 de outubro de 2014 at 23:56

    Eita Boss maligno! O google now agora está me enviando alerta de novo tópico do BolhaBlog!
    Gosti 😀

    0
    • CapEnt 15 de outubro de 2014 at 00:06

      Viva o Google!!!

      0
  • mmmmm 14 de outubro de 2014 at 23:56

    e o terceiro pior crescimento da história da república. Durma com um barulho desse gente.

    0
  • Al 14 de outubro de 2014 at 23:56

    Ele deve desmascarar a tal taxa de desemprego e perguntar se bolsafamilia é emprego no governo petista.

    0
    • Banzé bolhudo 15 de outubro de 2014 at 00:31

      Isso. Deve falar de quantos da crasse c e metalurgicos perderam emprego.

      0
  • Rafael Km 14 de outubro de 2014 at 23:57

    70% dos trabalhadores ganha 2 salários mínimos!!!!!!!

    E porque 25% da população precisa de bolsa família??

    0
    • Oriundo 15 de outubro de 2014 at 07:22

      ATÈ 2 SM …

      45% ganha ATE 1 SM ..

      Brasileiro é POBRE Rafael.

      Tudo que estamos vendo por aí não passa de especulação.

      Guarde seu dimdim que a hora está chegando….

      Sem crédito (pode-se entender também por incapacidade de contraí-lo) vamos ter ajuste nos preços …

      0
  • Rocky 15 de outubro de 2014 at 00:00

    Segundo a Sra Presidenta, 70¨% dos trabalhadores ganham até 2 salários mínimos, então alguém me explica como em um pais assim a maior parte dos imoveis tem preço acima de 300 mil

    0
  • Rodrigo 15 de outubro de 2014 at 00:03

    Pleno emprego com 50 km de bolsa familia?

    0
    • GustavoFP 15 de outubro de 2014 at 00:05

      Desempregado é quem procura emprego. Quem ganha bolsa procura emprego?

      0
      • Al 15 de outubro de 2014 at 00:10

        Isso na lógica do PT.
        Desempregado = quem não tem emprego. Se tem condições físicas e prefere não trabalhar, deve entrar na estatística de desempregado.

        0
    • Rodrigo 15 de outubro de 2014 at 00:15

      50 milhões recebendo bolsa familia.
      É recebimento indevido?

      0
  • Rolha 15 de outubro de 2014 at 00:05

    Sem inVestimentos privados e com desemprego real uns 20% como a senhora vai criar tanta creche, sustentar tanta bolsa familia, mcmv, pronatec e o caramba?

    0
  • Pró bolha 15 de outubro de 2014 at 00:35

    Uma pequena questão: se temos quase pleno emprego, por que temos 50 milhões de pessoas no Bolsa Família ?

    0
    • JAPA FEARED 15 de outubro de 2014 at 08:16

      Porque elas não estão desempregadas, são “pobres”.

      Se você perguntar para uma delas o que você faz da vida, resposta: Sou Pobre.

      0
  • Exterminador de corvos 15 de outubro de 2014 at 00:47

    Boa noite galera.
    Venho aqui de novo pedir uma opinião. Como já comentei em vez anterior, estou largando a barra da saia de mamãe. E, como bom bolhista, estou indo para o meu primeiro contrato de aluguel.
    Pesquisei bastante a região que eu busco, descartei muita porcaria (como tem porcaria a preços absurdos) e cheguei num apto que me atenderá muito bem, já reformado e etc., na região que eu buscava….firmeza. Estou analisando o contrato aqui….e surgiu a seguinte dúvida dada a seguinte configuração do contrato:

    1 – o proprietário em vez de definir em contrato um valor de aluguel e etc., somou ao valor do aluguel o condomínio e IPTU e etc., chamando no contrato todo esse valor de aluguel;

    2 – Há cláusula no contrato específica dizendo que todos os custos de condomínio, provisões e IPTU são de responsabilidade exclusiva do proprietário e não integram em absoluto o valor mensal de aluguel;

    Conclusão: se o IGP-M for estratosférico daqui um ano, meu tobinha vai arder muito porque o reajuste será em cima do valor cheio…….se o condomínio subir ou um elevador quebrar, o proprietário tomou no tobinha, porque não terá como me repassar esse custo.

    Pergunta: é normal esse tipo de contrato ? Estou um pouco apreensivo com os rumos da economia no ano que vem….
    Algum colega me daria alguma opinião ?

    Obs.: $$$ na renda fixa me rende 60% do custo mensal do contrato…

    .

    0
    • Exterminador de corvos 15 de outubro de 2014 at 00:48

      Outra coisa: a multa está em 3 aluguéis proporcionais ao tempo de contrato…

      0
    • Cícero Silva 15 de outubro de 2014 at 00:58

      Não há o que acrescer.

      Vc já fez corretamente a leitura.

      Não é usual esse tipo de contrato.

      0
      • liquid 15 de outubro de 2014 at 01:24

        opa! condomínio e iptu por conta co proprietário? yesss!!!

        isso é despesa do proprietário, evidentemente! quem compra e tem patrimônio arca com as despesas e impostos, tá na lei. qual o problema?

        vc vai pagar apenas a variação anual do igpm. sobre o preço total acordado em contrato, como manda a lei do inquilinato, ou outra correção prevista em contrato, de comum acordo entre as partes.

        0
        • liquid 15 de outubro de 2014 at 01:33

          eu sou proprietário e inquilino.

          nos meus imóveis eu pago todas as obrigações relativas: condomínio, iptu, taxas extras, etc, etc… estas despesas são nominais, relativadas à propriedade.

          embuto tudo no aluguel.

          no imóvel q alugo, estas despesas são exclusivamente do proprietário, e pq eu pagaria isso???!!!

          0
          • liquid 15 de outubro de 2014 at 01:38

            qdo eu digo “no imóvel q eu alugo” quis dizer “no imóvel q moro, alugado” pra não levantar controvérsias.

            0
          • JAPA FEARED 15 de outubro de 2014 at 08:12

            Porque o consumidor final sempre paga todos os impostos e taxas.

            Você mesmo respondeu, embute o IPTU no Aluguel.

            Por dentro ou por fora, o povo é quem paga…

            0
            • liquid 15 de outubro de 2014 at 08:23

              exatamente. quem paga o pato é o consumidor final. e ponto.

              0
  • Cuiabano 15 de outubro de 2014 at 01:05

    Prezados, uma amiga petista me mostrou o Bresser Pereira dizendo que votaria na Dilma e que o dólar deveria valer 3 reais para o país crescer. Não sei de onde ele tirou isso. Não consegui entender. Alguém saberia explicar?

    0
    • Anonymous 15 de outubro de 2014 at 01:11

      Esse sujeito foi formado na época da estratégia das “substituições das importações”. Por isso, ele só consegue pensar em fechar o país para tudo ser produzido internamente, não importando o quanto custe. Do ponto de vista de quem aplicou o manual do anonymous, merece todo apoio 😉

      0
      • Cuiabano 15 de outubro de 2014 at 01:19

        “A esta causa estrutural de apreciação cambial (a não-neutralização da doença holandesa[*]) devem ser adicionadas duas políticas equivocadas normalmente adotadas pelos países em desenvolvimento. A política de crescimento com poupança externa (de déficit em conta-corrente) e a política de âncora cambial para controlar a inflação apreciam o câmbio no longo prazo. Elas são responsáveis por cerca de mais 10 pontos percentuais de apreciação da taxa de câmbio que devem ser somados aos 25% acima referidos. Logo, a desvantagem total das empresas brasileiras em relação às empresas de outros países que exportam para os mesmos mercados que nós é, em média, de 35% ( 25% 10%), e a desvantagem total em relação às empresas estrangeiras que exportam para o mercado brasileiro é de 23% (35% – 12%). Estas duas desvantagens desaparecem nos momentos de crise financeira, que, mais cedo ou mais tarde, decorrem necessariamente dessa sobreapreciação.

        Quando digo que a presidente não teve “condições”, estou dizendo que ela não teve poder suficiente eliminar essa desvantagem competitiva de longo prazo. Ela tentou: iniciou o governo fazendo um ajuste fiscal, reduzindo os juros, e promovendo uma depreciação real de cerca de 20%. Mas ela recebeu do governo anterior, marcado pelo populismo cambial, uma taxa de câmbio brutalmente apreciada, de R$ 1,90 por dólar, a preços de hoje. Por isso, a elevação da taxa de câmbio para cerca de R$ 2,28 por dólar não foi suficiente para torná-la competitiva.

        A taxa de câmbio que torna competitivas as empresas competentes existentes no Brasil (que denomino “de equilíbrio industrial”) deve estar em torno de R$ 3,00 por dólar. Em consequência desse fato e da retração da economia mundial, a depreciação não foi suficiente para levar as empresas a voltar a investir; foi, porém, suficiente para aumentar um pouco a inflação. Diante desses dois resultados negativos, os economistas do mercado financeiro e a mídia liberal gritaram, mostraram erros do governo (como o controle dos preços da eletricidade e do petróleo e a “aritmética criativa” para aumentar o superávit primário) e assim, sob forte pressão e preocupada em não ser reeleita, a presidente foi obrigada a recuar.”
        Cara doido!

        0
    • Barnabezinho 15 de outubro de 2014 at 01:15

      Na moral: BRESSER a uma hora destas?
      chamem o Delfim logo de uma vez.

      0
      • Cuiabano 15 de outubro de 2014 at 01:21

        Desculpa a ignorância quanto ao tema barnabezinho. Mas como a pessoa é gente boa, apesar de ser petista, vou alerta-lá depois. Ela estava se vangloriando que ele vai votar na Dilma mesmo tendo sido do PSDB kkk

        0
  • AndersonSilva* 15 de outubro de 2014 at 02:46

    a bolha na Record News
    reportagem mostrando os distratos

    “http://noticias.r7.com/jornal-da-record-news/videos/?idmedia=543ddc700cf24bfc6b337ad0

    a partir de 20 min e 20 seg

    0
    • Jovem Estudante 15 de outubro de 2014 at 02:55

      Se separar esse trecho aí dá um bom tópico

      0
  • AndersonSilva* 15 de outubro de 2014 at 03:37

    outra reportagem na Record ontem

    Mesmo com queda no preço dos imóveis, venda e aluguel ficam negativos

    “http://noticias.r7.com/economia/mesmo-com-queda-no-preco-dos-imoveis-venda-e-aluguel-ficam-negativos-15102014

    0
  • Amadeus de Sampa 15 de outubro de 2014 at 05:44

    From_the_Tower
    Eu falei sobre isso esse ano. Eu estou vendendo mais doces açucarados para a galera dar uma rebatida na ansiedade. Nos EUA após o 11/09 a venda de doces e calmantes bombou.
       3 likes

    Dr. Lustig nao aprova essa mensagem!
    _http://www.drbayma.com/entrevista-robert-lustig-acucar-causa-dependencia-como-alcool-e-cigarro/
    _http://www.theguardian.com/lifeandstyle/2014/aug/24/robert-lustig-sugar-poison
    _https://www.youtube.com/watch?v=VGr22rjJX-Q
    _https://www.youtube.com/watch?v=RXE6IB8yIzg

    0
  • Junior 15 de outubro de 2014 at 07:37

    MAis uma cantada aqui no blog
    Bom dia Brasil agora: aumenta numero de criancas que saem da escola particular e vao para a publica por questoes financeiras

    0
    • Eric Cartman 15 de outubro de 2014 at 08:06

      é foda.
      o grande baque quem sente são as crianças….que estavam acostumadas com um padrão e vai para outro bem diferente nas escolas do estado.

      0
  • marcelo do catarrentinho 15 de outubro de 2014 at 08:12

    Da série imóvel nunca cai (sqn)
    noticias.r7.com/economia/mesmo-com-queda-no-preco-dos-imoveis-venda-e-aluguel-ficam-negativos-15102014

    0
    • Bob Simpsom 15 de outubro de 2014 at 08:16

      Esse é o Bolha, as más notícias atraem de volta os bons participantes!! 😉

      0
      • marcelo do catarrentinho 15 de outubro de 2014 at 08:22

        Não tem como esconder mais nada… o mrv de guadalupe rj continua com o mesmo preço de 2012;
        O mrv de parada de lucas-cordovil rj continua com o mesmo preço de 2013;
        O ap. de madureira continua o mesmo preço de 2012;
        Porém:
        Bairros como ilha do governador, bonsucesso , ramos , olaria , penha , tijuca, zona sul, etc, continuam altos , mas não vendem.

        Dependendo da rua em que o imóvel se localiza, vende rápido , por incrível que pareça , mas com desconto.
        Acompanhei uns 3 casos assim em bonsucesso….

        Falta pouco, paciência…

        0
  • navlig00 15 de outubro de 2014 at 09:10

    Preço do petróleo desaba e zera defasagem da gasolina no Brasil –
    ‘http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/10/1532639-preco-do-petroleo-desaba-e-zera-defasagem-da-gasolina-no-brasil.shtml

    Gasolina sobra em posto, e álcool cai menos para o consumidor
    ‘http://www1.folha.uol.com.br/colunas/vaivem/2014/10/1532524-gasolina-sobra-em-posto-e-alcool-cai-menos-para-o-consumidor.shtml

    0
  • Juca 15 de outubro de 2014 at 09:34

    um off topic, só para variar…

    Alguém ai tem alguma opinião sobre o colapso do dollar ???
    Estaria o mundo realmente disposto a deixar de importar a inflação americana?
    O que substituiria o dollar?? talvez o ouro ?

    Alguém ai sabe do que estou falando ?

    http://www.youtube.com/watch?v=tQBia1Mw9Vw

    0
  • Pablo 15 de outubro de 2014 at 09:48

    MANIFESTO DE PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS DE ECONOMIA.

    Este texto é um manifesto de um grupo de 164 professores universitários de Economia, ligados a diversas instituições no Brasil e no exterior. O nosso objetivo é desconstruir um dos inúmeros argumentos falaciosos ventilados na campanha eleitoral.

    “https://sites.google.com/site/manifestoeconomistas/

    0
  • windville 15 de outubro de 2014 at 10:15

    Bom dia pessoal,

    Gostei do debate ontem conforme analisamos aqui no blog.
    Aproveitando viram isso que o Pablo acabou de postar:

    Original: “https://sites.google.com/site/manifestoeconomistas/”
    Imprensa: “http://veja.abril.com.br/noticia/economia/em-manifesto-economistas-dizem-que-crise-alardeada-por-dilma-nao-existe?google_editors_picks=true”

    Acaba com os petralhas, e fala que a crise é mais interna do que fora. Vale a leitura!

    Boss se sair 2x apaga um.

    0