Pra quem diz que os preços dos imóveis nunca baixa…

Você pode gostar...

Comments
  • Leno 4 de julho de 2012 at 21:44

    Eu queria ler o blog, e preciso estudar um pouco… mas quem aguenta essa barulhada infernal por causa desse jogo?

    Ai no Rio ou Curitiba é assim tambem ? caso não, vou começar a considerar a possibilidade de mudar de estado.

    0
    • jacob 4 de julho de 2012 at 21:54

      Meu amigo, estou no interior do Sergipe neste momento e estou ouvindo foguetes.
      Quer se livrar deste fanatismo bobo, siga a dica do anonymous e mude pros EUA….hehe

      0
      • O Irritado 4 de julho de 2012 at 22:43

        Que o anonymous não me escute, mas eu recomendaria, neste aspecto, Escandinávia ou Nova Zelândia, Canadá…

        … ou, se insistir nos EUA, creio que Washington (o Estado), Oregon ou o interior (norte) da Califórnia devem ser mais calminhos (mas nisso o anonymous deve saber mais do que nós)

        0
      • Leno 4 de julho de 2012 at 22:59

        Interior de Sergipe ? caramba!!!!

        Cara, nada contra eles comemorarem, fazerem a festa deles… mas amanhã é quinta-feira, dia de trabalho ainda. Passar a noite em claro por causa de jogo é f…

        0
      • Rui 4 de julho de 2012 at 23:15

        Sorry man! mas hoje voce errou feio. Hoje la’ nos States e’ 4 july. Dia de independencia dos EUA. E eles comemoram, com o maior esporro de fogos de artificio. ‘.Um festival de barulho ensurdercedor. Um esporro apocaliptico dos infernos, muito perigoso para a sua saude auditiva. Nao mude para os States, no 4 july. Vai querer voltar correndo, para os foguetes do interior de Sergipe. ahahahaha To de sacanagem! o barulho e’ so de 30 minutos. Se realmente quiser sossego, EUA e’ um paraiso.
        A lei de silencio, e’ cumprida a rigor , depois das 10:00 da noite.

        0
        • Leno 4 de julho de 2012 at 23:42

          Cara, mas uma coisa é fazer festa por causa de um marco histórico, um simbolo de patriotismo. Outra coisa é parar a cidade por causa de jogo de futebol. Amanhã podem anunciar o estouro da bolha ou um golpe de estado que não vai ter mais espaço do que o jogo de hoje. Ou seja, pão e circo.

          0
          • O Irritado 5 de julho de 2012 at 00:03

            Dia ótimo para publicar as “más notícias”, se é que você me entende… quem sabe não será o “Jacob Day’s” e (quase) ninguém irá notar?

            Só especulando….

            0
          • Rui 5 de julho de 2012 at 00:04

            Concordo contigo! O deles e’ um barulho primeiro mundo. Tudo dentro do figurino das leis. E os americanos , sao extremamente enquadradissimos. Em geral nao pisam na bola. respeitam, como eles falam por la’ , as leis da terra. O nosso barulho tupiniquim e’ uma anarquia. Cada uma faz a zorra que quiser e caga e anda para os outros. Nao ha conceito de respeito pelo proximo.Nego faz forrobodos nos terracos,tarde na noite despejando toneladas de alta decibelagem de esporro, nos ouvidos dos vizinhos. para quem precisa dormir , para trabalhar no dia seguinte, isso e’ quase o apocalipse ou fim do mundo. E’ soda no canudinho!

            0
            • O Irritado 5 de julho de 2012 at 00:19

              Assino embaixo.
              A propósito, nos EUA usam esses malditos Nextel e similares como aqui (sim, quem “ensinou” o povo por aqui a usar QUALQUER celular como se fosse um rádio????)?

              0
          • Paulo - RJ 5 de julho de 2012 at 01:29

            Nos EUA não haverá baderna por causa de futebol (soccer) simplesmente porque eles não gostam de futebol. Mas algumas cidades tem baderna devido a campeonatos de basquete, por exemplo.

            0
    • O Irritado 4 de julho de 2012 at 22:37

      Leno,
      um conselho a quem NÃO gosta de bagunça e barulho (de todos os tipos e intensidades): fique o mais longe possível do RJ… (testemunho de um carioca).
      Mais do q “varanda gourmet” um item quase obrigatório por aqui são janelas antiruído e/ou similares. A não ser que se consiga morar em andar bem alto e com vista “indevassável” (mai$ caros$), e torcer para não ter vizinhos (acredite, um amigo meu não aguentou e teve que se mudar – era vizinho de dois casais de surdos). Aqui até eles expelem seus decibéis a esmo e o resto que se dane!

      Tente usar a madrugada (se puder) e boa sorte nos estudos!

      0
      • O Irritado 4 de julho de 2012 at 22:38

        … mas se quiser estudar, NÃO acesse o blog, porque é viciante 😉

        Depois não diga que não avisamos!

        0
        • Leno 4 de julho de 2012 at 23:03

          Eu sei que o blog é viciante, mas eu me controlo bem rsss…

          0
          • Cleyton 4 de julho de 2012 at 23:12

            Haha, eu não! Esses dias andaram me perguntando alguma coisa que não lembro bem o que era, só então percebi que estou dando mais atenção ao blog que à todo o resto (exceto o sexo, é claro)

            0
            • O Irritado 4 de julho de 2012 at 23:41

              Bem, então, você já passou da fase da “negação”, hehe.
              Se você não lembra nem do que te perguntaram nem do que você respondeu, já era 😀

              0
              • Cleyton 5 de julho de 2012 at 00:25

                “Quem não sabe onde está nem para onde quer ir tem todas as chances de se perder”

                Bolha, faz uma poupança aí que vou te processar pelo tempo “perdido” aqui.

                0
                • Bolha Imobiliária 5 de julho de 2012 at 00:35

                  Eu heim…

                  0
  • jacob 4 de julho de 2012 at 21:51

    Saudade da antiga veja, que falava com compromisso sobre os assuntos.

    Interessante como o povo tem memoria curta. Isso foi 94, nem tem tanto tempo assim.

    0
    • MrLBS 4 de julho de 2012 at 22:03

      Em 94 eu nem sabia o q era economia. Estava acabando o antigo 2° grau. 🙂
      Mas lembro do zumzumzum da entrada do real.

      0
      • hannamanana 5 de julho de 2012 at 09:39

        Em 94 acho que eu estava assistindo Carrossel (1) huahuahuaa

        0
        • Noivinha 5 de julho de 2012 at 18:42

          e Castelo Rá-Tim-Bum!

          0
      • jacob 5 de julho de 2012 at 09:50

        Pois eu estava no meio do segundo grau em 94, mas nao tem como nao lembrar do impacto na vida de todo mundo.
        A epoca de carrossel ja tinha passado, e eu odiava…rsrs

        0
    • O Irritado 4 de julho de 2012 at 23:57

      Sei não, é impressionante ler ali os mesmos termos usados hoje, partindo das mesmas “figurinhas carimbadas” (“especialistas”, avaliadores de imóveis superisentos et caterva):

      “a hora de comprar é agora”, “depois do real, só vai subir”, “pode acabar de uma hora para outra”, “num mercado que tradicionalmente valoriza mais que os outros” (rendimento idêntico ao da inflação – Schiller nos lembrou isso recentemente, no longo prazo, é melhor que todos os outros, ações, por exemplo?)

      Na alta ou na baixa, o comprometimento da mídia com as mesmas quadrilhas é decepcionante.

      Deveríamos ler mais essas “antiguidades”, iria nos ajudar demais a ler as “atualidades” e até melhorar o nível de acerto de nossas profecias.

      Porém, releiam o segundo parágrafo, está bem interessante, quase didático. Só que nesse caso não era uma previsão, mas uma constatação, uma explicação do porquê os preços haviam caído. Quando poderemos ler novamente esse 2o parágrafo numa revista fresquinha, recém-impressa?

      0
      • hannamanana 5 de julho de 2012 at 09:44

        Eu fiz isto que você falou e vi com mais atenção que parece algo que, pelo andar da carruagem, poderemos ler no futuro…

        0
        • Rico 5 de julho de 2012 at 10:30

          Bem lembrado.

          “Eu vejo o futuro repetir o passado”, como já dizia Cazuza…

          0
          • hannamanana 5 de julho de 2012 at 10:58

            Boa lembrança.
            Tudo neste mundo é muito cíclico…

            0
    • alex 5 de julho de 2012 at 00:12

      Hum… me parece que hoje você gosta da IstoÉ.

      0
      • Rico 5 de julho de 2012 at 09:48

        Outro lixo.

        0
    • Rico 5 de julho de 2012 at 09:48

      Também tenho saudade da antiga Veja, da antiga Quatro Rodas também. As revistas até os anos 80 eram mais imparciais…

      Hoje tudo é vendido e as matérias são escritas por estagiários. E isso não é exclusividade da Veja.

      0
  • Shakespeare 4 de julho de 2012 at 22:05

    cheguei a comprar uma casa de 150 m2 em MG por 15 mil dólares em 1994

    0
  • Rui 4 de julho de 2012 at 22:45

    Tenho visto aqui, a galera, chamar os paises desenvolvidos de ricos. Foram ricos. Nao sao mais. Agora sao paises sem dinheiro. Devedores. Falidos.Ricos mesmo, sao os credores. Um pool de paises, empresta por dia, 3 bilhoes de dolares para os EUA. Se parassem de mandar o dinheiro, O EUA entraria em colapso economico, no dia seguinte. A prosperidade dos paises desenvol vidos, nos ultimos 40 anos, foi baseado em divida. Riqueza artificial. Agora chegou a fatura. La’ por 2030 esses paises terao
    um per capita de terceiro mundo. Vao paulatinamente, virar uma comunidade carente. Vamos ter novamente a medio prazo, americanos, alemaes, italianos etc emigrando para Brasil, como no passado. E ai’ nos vamos achar bom ter-mos sido colonizados por tugas, em vez de alemaes, americanos etc , que hoje tanto idolatramos, com nosso ridiculo complexo de inferioridade.

    0
    • Money addicted 4 de julho de 2012 at 22:57

      amigo, ate concordo com o q vc disse, no entanto nao entedi qual a vantagem de ter sido colonizado por portugas….e ainda……mesmo com a crise q eles estao enfrentando ainda estao MTO melhores q nos

      []’s

      0
      • Rui 4 de julho de 2012 at 23:35

        Money, o que eu quiz dizer, e’ que nos, que somos invencao de portugues, injustamente desmerecemos nossos ancestrais, avacalhando com eles. A Colonizacao portuguesa, nao foi nem melhor nem pior que as outras. Eles ja provaram, que apesar de serem um pais pequeno com pouco populacao, construiram um dos maiores imperios do mundo. Ao contrario da lenda, que nos ensinam nas escolas, trouxeram tudo para Brasil. medicina, engenharia, arquitetura, etc ate’ o feijao com arroz, ingredientes que nao existiam no Brasil eles trouxeram. Na nossa area geografica da america do sul, as colonizacoes de outros povos, nao foram melhores. Guiana dos ingleses, suriname dos holandezes, guiana francesa , e america espanhola. Claro que quando os tugas, foram a maior potencia mundial, suas colonias tambem eram as mais ricas, como Malaca, goa etc, quando perderam o poder e foram substituidos pela inglaterra, suas colonias passaram a ser as mais ricas. Deixa te confessar uma coisa, eu nao troco o Brasil de colonizacao portuguesa, por nenhuma outra nacao. Gosto deste pais pracara’, criado pelos tugas. E acho que os de alemaes , italianos, espanhois etc, que vieram para ca, devem achar o mesmo, porque nao voltaram mais para seus paises de origem. E mais uma coisa: os alemaes italianos, etc poderiam ter ido para suas colonias, mas preferiram vir, para um pais ex colonia portuguesa. Certamente por aqui era melhor. Portanto nao tem cabimento, desmerecer a colonizacao da tugada.

        0
    • O Irritado 4 de julho de 2012 at 23:22

      Rui, não sou esquerdopata marxista, mas sempre odiei e achei o cúmulo a repetição impensada esse termo (país desenvolvido/subdesenvolvido/emergente), porque, por pior que uma sociedade possa parecer sempre haverá um aspecto que, mesmo que seja no passado (infelizmente, há algumas culturas que hoje estão em plena decadência), esta sociedade teve/terá de mais eficiente/inteligente do que todas as outras.

      Há algumas mais vividas, experientes, outras menos (AméricaS, por exemplo), umas rígidas, outras mais flexíveis (latinos) e por aí vai. Os atuais desenvolvidos simplesmente foram competentes em aproveitar os seus momentos para dar seu “upgrade” (Inglaterra no séc XVII, EUA/Alemanha no XIX, Japão e escandinavos no XX, Coreia no XXI…), quer tenha sido em boa parte à custa de outros ou não.

      Acredite, Portugal e Espanha eram as “potências” do séc. XV (veja hoje), a França já teve seus “dias de glória” e alguns dizem que a China está dando um “revival” no seu período quando era dona do Oriente, há uns mil anos atrás.

      O conceito de “desenvolvimento” não se resume à economia.

      Pode ser polêmico, mas de maneira nenhuma considerei os EUA um país “desenvolvido”, mas sim “rico”. Eles exportaram muitas das mazelas de sua cultura (não adianta, todas têm) para o resto do mundo (e são ainda um dos nossos maiores problemas “globais”).

      Muito menos a China (ugh!).

      Caso você conheça alguém que more na Austrália, por exemplo, faça suas comparações e tire suas próprias conclusões sobre se a Austrália é um país “desenvolvido” ou não (seja no conceito somente econômico ou não). O mesmo para Costa Rica (!), países escandinavos, Itália, Eslovênia, Rep. Tcheca, Chile…

      Mas de uma coisa tenha certeza: se a situação em 2030 for essa que você sugeriu (e hoje nada nos assegura que não será assim, vivemos, digamos, “tempos muito interessantes”), penso que americanos e (alguns) europeus não virão para cá como antes, humildes e cabisbaixos, para colaborar, com seu esforço próprio, na evolução do país que o recebeu, mas sim na condição de superioridade. Detalhe: em um mundo submetido à China e/ou Rússia num arranjo que nos fará termos saudades dos anos 1930.

      Resta a nós saber (ou querer) recebê-los da maneira que seja melhor PARA TODOS (e não apenas para nós, afinal, o espectro da Lei de Gérson em 2030 não deveria mais estar entre nós, e muito menos o complexo de inferioridade).

      Porém, me desculpe, pelo que nós temos visto (e sentido na pele) não consigo ser otimista com o Brasil pós-Copa e Olimpíadas. Poderíamos sair desses eventos melhor que entramos (ou, melhor ainda, não termos caído na armadilha de sediá-los). AS bolhaS estão aí para nos lembra de nossa verdade.

      Uma coisa é certa: vivemos um momento crucial, não conseguimos ver claramente (é impossível) agora, mas novas “janelas de oportunidade” estão surgindo (e outras se fechando). O mundo pós-2012 será bem diferente. Quem entrará em decadência e se retirará de dena? Quem emergirá de verdade?

      Mas é apenas minha opinião.

      0
      • Rui 5 de julho de 2012 at 00:40

        Irritado, concordo em muita coisa com voce.Voce e’ uma pessoa inteligente, que sabe pensar por si mesmo.Coisa rara , hoje em dia. Mas nao tenho a minima duvida, que Brasil, vai se tornar paulatinamente, uma das maiores potencias economicas do planeta.Estou extremamente bullish sobre Brasil. O Brasil ja se tornou uma superpotencia agricola. Segundo produtor mundial e em breve desbancara EUA. E comida, daqui para a frente, vai ser uma mina de ouro. Os precos dos alimentos vao disparar.A populacao mundial esta crescendo rapidamente As novas classes medias mundiais estao crescendo rapidamente e com mais poder aquisitivo, estao comprando mais comida. Brasil vai ser o principal abastecedor de comida do planeta. Com o crescimento da economia mundial, Brasil vai exportar mais do que nunca commodities, que continuarao, devido a forte demanda mundial, a subir de preco. Brasil tem massivas reservas de energia, e pode exportar o excedente a precos altoissimos. Claro que o Brasil esta de desindustrialiazando, porque a elite mundial, nao daria ao Brasil isca, anzol e chumbada, para pescar. Mas hoje em dia, o que da grana, no duro, nao e’ mais produtos industrializados e tecnologia. Esses setores economicos estao com os precos em deflacao, cada vez fazendo menos dinheiro. Ha um excesso de capacidade mundial. Os precos vao continuar caindo e os paises que tem como base esse tipo de economia, vao empobrecer. A economia e’ feita por ciclos economicos. E o ciclo economico , nas proximas decadas vai favorecer commodities ( nao todas) e alimentos. Como no passado, quando Brasil fortunas, com ciclo do cafe, gado, ouro etc. Pode ser duro de voce acreditar, mas o Brasil, nas proximas decadas, vai ter um futuro brilhante. Chegou a hora do Patropi!

        0
        • O Irritado 5 de julho de 2012 at 02:04

          Rui,
          grato pelas suas palavras.
          Não precisamos necessariamente concordar para podermos aprender e ensinar, num bom debate.

          Pode parecer meio esquizofrênico, mas torço todos os dias para eu estar completamente enganado.

          Sim, ÁGUA, ENERGIA e alimentos sempre serão as verdadeiras riquezas inestimáveis que sustentarão a humanidade (até daqui a milênios). Sempre foi assim. Toda a parafernália pós-moderna ultra-high-tech está estruturada em cima disso. A humanidade precisa mais da maçã do que da Apple.

          Porém, a biologia faz isso há bilhões de anos: a população chega a um ponto crítico até que a disputa pelo que realmente é essencial “elimina o excesso” e reequilibra o processo. Lógico que, levando em conta aumentos de produtividade, não vamos aqui ressuscitar o Malthus, claro.

          Repetindo o que escrevi mais acima, a II Guerra Mundial foi um desses “freios de arrumação”. Tremo só de pensar qual será o próximo fator eco-equilibrante (desculpe-me, não consegui pensar em palavra melhor). Tomara que seja algo atuarial (tipo envelhecimento médio da população e redução da natalidade) ou o fato de haver muito, mas muito desperdício na sociedade de consumo atual, ou seja, daria para reduzi-lo bastante e aumentar nossa sobrevida com uma população maior que a atual. Mas são soluções “lentas demais”, e teremos que acreditar na “cordialidade natural” do ser humano, mesmo havendo muitos arsenais armazenados mundo afora…

          Num cenário menos apocalíptico, caso se confirme o tal rebalanceamento do valor relativo tecnologia/commodities essenciais que você bem notou , o Brasil e a África, sim, terão abertos para si (mais) uma grande janela de oportunidade. Mas isso é só parte da história. Fatores culturais (internos) e geopolíticos/militares (externos) poderão privar-nos de aproveitar essa vantagem. Tudo vai depender de nossa visão estratégica (multidisciplinar, não apenas econômica ou militar) do que está para vir. Neste ponto sou irritantemente pessimista.

          Muito embora (agora vou “viajar” mesmo!), o futuro NÃO deveria apontar para algo como “nossa oportunidade”, “grande potência”, “nós x eles”. Acho que só sobreviveremos a esse futuro quando (ou “se”) conseguirmos agir globalmente, TODO (O) MUNDO se desenvolvendo, REALMENTE junto, não por filantropia ou boa-vontade, por instinto de sobrevivência mesmo já serve. Pronto. Aterrisei de novo.

          Quanto aos ciclos econômicos, são um FATO (embora dramaticamente amplificados pelo sistema bancário de reservas fracionárias, sem lastro, rodando só no “fiduciário”). Sem eles, náo haveria as grandes bolhas especulativas (nem seus ganhadores e perdedores), só os choques “naturais”. Os ciclos são as ondas em que os grandes surfam e os despreparados se afogam.

          Não dá para adivinhar. Vivemos, repito, numa época fértil de história. Só, por exemplo, as consequências da destruição (em breve) do castelo de cartas do “financialismo” (vide “Inside Job”, 1929, 2008 e o ainda recém-nascido caso do Barclays semana passada, que deve dar muito o que falar) são por si só imprevisíveis, muito embora só ver a economia “real” retomar sua importância já seria um bom prêmio a quem sobreviver.

          É isso.

          Continue racionalmente otimista, em breve precisaremos muito dessa visão (na sua versão “patropi”)
          Ou não. 🙂 (só para descontrair…)

          0
          • Fernando II 5 de julho de 2012 at 11:10

            Parabéns a Rui e Irritado, mandaram muito bem nos argumentos! Irritado parece entender bastante de mercado financeiro, falou do caso do Barclays e a saída do Diamond. Realmente, desde Bretton Woods e o fim do lastro das moedas em ouro que as economias ficaram mais fragilizadas perante crises financeiras cada vez mais fortes alavancadas por livre circulação de capitais e derivativos financeiros que foram erroneamente interpretados por Greenspan como ganhos de produtividade da engenharia financeira.
            Em tempo, convoco os leitores do site a continuar escrever nos comentários da isto é “independente” na coluna do Ricardo Amorim.

            0
          • Rafael K 5 de julho de 2012 at 12:28

            me desculpem de verdade a intromissão… o debate de vcs está ótimo… to igual espectador de tenis, uma hora olha pra um jogador, hora pro outro…. mas como me perguntei uma coisa enquanto estava almoçando inclusive… talvez vcs me ajudem….

            Será q a industria alimenticia hj, já nao faz a gente ingerir de tabela muitos componentes do petróleo?

            0
            • Dricamara 5 de julho de 2012 at 13:08

              “o debate de vcs está ótimo… to igual espectador de tenis” (2).

              Infelizmente, debates com tal nível de argumentação e respeito mútuo se tornam cada vez mais raros, quer seja no mundo real ou no virtual…

              0
              • Keyser (CE) 5 de julho de 2012 at 13:42

                Tem alguns pontos que não estão sendo considerados, que pra mim fazem toda a diferença.

                1) Grande parte do aumento da produção de alimentos (Ex.: Soja) veio exatamente do fato da mecanização, associado à engenharia genética (conheço vários produtores de soja, já até visistei plantações e falo por experiência própria, eles mesmo adimitem que se a soja não fosse trangênica, não teriam como produzir aos preços que produzem, muito menos na quantidade que produzem). Em um cenário em que o Brasil não investe quase nada nessa áreas (tudo é importado), como achar que os países desenvolvidos vão aceitar essa mudança de poder? Eles param de mandar a tecnologia e a gente num tem nem pra se sustentar.

                2) Os EUA tem uma extensão territorial maior que a do Brasil, apesar de haver muitas cidades extremamente grandes e desenvolvidas, existe muito espaço para se aumentar a produção, seja via avanço tecnológico (mecânico e genético) seja aumentando a quantidade de terra utilizada para plantação. Aqui pode até ter mais terras férteis (não posso afirmar isso), mas o pessoal no oriente plantava pratimente no deserto e conseguiam, alguém acha que com o poderio tecnológico dos EUA eles não podem plantar em qualquer pedaço de terra que exista por lá?

                Na minha visão, pouco importa para os países desenvolvidos qual será a bola da vez, eles estão muito melhor preparados para aproveitá-la que o Brasil, por isso que não concordo com o que falara mai, se acontecer isso, pode ter certeza que são grandes empresas multinacionais explorando a terra aqui e mandando os lucros pra lá, nos relegando como sempre a país de terceiro mundo.

                Pro Brasil virar potência, ele tem que necessariamente buscar independência tecnológica, e isso ele não tá nem um pouco preocupado em fazer. Na pior da hipóteses sofreremos uma guerra para derrubar o PT ou qualquer partido no poder, sobre qualquer pretesto e acabou, eles tomam e pronto. Pra mim tem que ser muitop ingênuo pra achar que quem tá lá em cima vai aceitar virar pobre sem fazer nada.

                0
            • O Irritado 5 de julho de 2012 at 15:30

              Rafael, você quis dizer derivados do petróleo?

              Até que nível ? Explico. É que petróleo não serve só para ser queimado em engarrafamentos e “pegas” (ou “rachas”), pelo contrário, sua utilização mais importante/nobre é na síntese da grande maioria de compostos orgânicos que consumimos (aditivos alimentares, inseticidas, pesticidas, quase todos os remédios, alguns corantes/tintas, e por aí vai), sem falar no famoso PLÁSTICO (nome popular dos polímeros).

              É por isso que essa bagaça dita quase todos os preços na dita sociedade ocidental moderna (lembra do choque de 1973? Pois é, desde então muita gente morreu por causa desse óleo maldito).

              E quando esse negócio acabar?

              Em tempo: por via das dúvidas, para almoçar mais tranquilamente, quanto menos alimentos industrializados/processados, melhor (mas para o alimento, mesmo in natura chegar até você, já rolou um caminhão a diesel…) 😉

              … e pomadas/cremes contra torcicolos de espectadores de tênis também deve levar algum derivado 😀 Obrigado pelo seu comentário 🙂

              0
              • RafaelK 5 de julho de 2012 at 21:31

                pois bem… eu sempre brinco q a industria alimenticia hj embala qualquer produto que nao mate o consumidor de imediato… qt ao q compoe algum produto, aí a regra é adicionar algo barato, e q necessariamente não precisa ser lá mt parecido com alimento… passo pelo estomago nao matou tá valendo… a industria alimenticia hj na minha opniao é um crime contra a humanidade…

                Eu não acredito que chegarei aos meus 70 anos (2052) em plena crise alimenticia no mundo… o alimento existe em quantidade suficiente para esta população de hj, é claro mt mal distribuido e desperdiçado… uma diminuição per capta de ingestão alimenticia nao mataria boa parcela desse mundo… (claro q nas areas criticas, tirar da onde nao se tem nada, a fome vai matar mesmo). Acredito q outros paises poderão desenvolver culturas de plantio que possam atender a Fome em regiões mais criticas, até mesmo pela mudança do clima que pode gerar condições … porém a diversidade claro ficaria com o Brasil…

                Mas já q é pra falar de futuro e chutar pra lateral… fico imaginando se nao criarão algum um alimento com derivados apenas do petroleo… ?!?!?

                0
                • jacob 8 de julho de 2012 at 12:12

                  Cara, tenho formacao na area de alimentos. Realmente, quase todas as embalagens sao derivadas de petroleo. Mas nao conheco muito sobre aditivos e nao sei de nenhum que seja derivado de petroleo, mas pode ser que exista.
                  Existe ate um derivado de inseto, o corante rosa (carmin colchonilha) do iogurte de morango e outros produtos e feito a partir de um pequeno besouro.
                  Mas de petroleo, nao conheco…hehe

                  0
                • jacob 8 de julho de 2012 at 12:15

                  Cara, tenho formacao na area de alimentos. Realmente, quase todas as embalagens sao derivadas de petroleo. Mas nao conheco muito sobre aditivos e nao sei de nenhum que seja derivado de petroleo, mas pode ser que exista.
                  Existe ate um derivado de inseto, o corante rosa (carmin colchonilha) do iogurte de morango e outros produtos e feito a partir de um pequeno besouro rosa.
                  Mas de petroleo, nao conheco…hehe

                  0
          • Lucas 6 de julho de 2012 at 08:06

            Acredito que energia, agricultura e água, como escreveu o Rui e o Irritado são elementos de grande porte em uma economia. Entretanto, alta tecnologia (produtos industrializados ou não) é e continuará sendo o motor de toda riqueza. Alta tecnologia é um produto valioso da Educação. Desconheço na história da humanidade um país rico e sem educação. Produzir alimentos hoje é tecnologia, e alta tecnologia, uma tecnologia muito acima de qualquer produto eletrônico. O melhor exemplo para quem não está na área de ciências e tecnologia é a produção de soja, soja recombinante. O Brasil produz grande parte da soja mundial, assim como os americanos, mas a tecnologia é americana e o Brasil paga por isso, e caro. O Brasil paga pela semente que produz mais, que resiste mais as intempéries da produção em larga escala, que gera mais óleo e etc etc etc.
            E mais, toda agricultura depende de insumos de alta tecnologia: 1. defensivos agrícolas: anos de extensivos e intensivos estudos científicos, caríssimos, realizados por profissionais que estão na borda do desenvolvimento técnico e científico, bem pagos, e que passam 12- 15 horas por dia trabalhando, as vezes sábados e domingos. 2. Adubos: O mesmo nível de conhecimento anterior. 3. O feijão, arroz, carne, frango e toda e qualquer comida que está hoje na nossa mesa, inclusive a agricultura orgânica, muito mais ciência e tecnologia ou, no mínimo, o mesmo nível de tecnologia que qualquer produto eletrônico hoje no mercado. Portanto, em se tratando de agricultura, quem tem educação (ciência e tecnologia) continuará dando as ordens. Agricultura é um a indústria como qualquer outra.
            Agora sobre energia. Não preciso escrever muito sobre isso. Energia atômica, eólica, solar, química ou qualquer outro tipo de energia que será muito utilizada no futuro não existe no Brasil. Temos pouco ou nenhum cientista trabalhando com isso. E o Petróleo apesar de ser uma energia suja ainda tem muitos anos de uso e demanda tanta ciência e tecnologia como as outras. O Brasil tem pouco disso e vai demorar de 20 a 30 anos para ter domínio nesse ambiente hostil se começar a trabalhar agora, Já. Começou? Não, olhemos as escolas públicas de ensino fundamental (isso é outro debate).

            Vender soja ou qualquer outro alimento sem o domínio da tecnologia é o mesmo que vender petróleo cru e importar gasolina, minério de ferro e importar carros e afins. É o que Brasil faz hoje.

            OBS. Lembro que o Lula lulou bastante para trazer um tipo de tecnologa para o Brasil, um ramo de tecnologia que poucos países tem. Ele não queria o domínio da tecnologia, queira apenas que os japoneses utilizassem a mão de obra de local para produzir. Depois de 2 anos de estudos os japoneses falaram para o Lulinha que o Brasil não tinha condições técnicas e científicas para um grupo de empresas com alta demanda por profissionais de altíssima qualificação profissional. Educação é tudo em tudo.

            0
        • Lucas 5 de julho de 2012 at 06:33

          Acredito que energia, agricultura e água, como escreveu o Rui e o Irritado são elementos de grande porte em uma economia. Entretanto, alta tecnologia (produtos industrializados ou não) é e continuará sendo o motor de toda riqueza. Alta tecnologia é um produto valioso da Educação. Desconheço na história da humanidade um país rico e sem educação. Produzir alimentos hoje é tecnologia, e alta tecnologia, uma tecnologia muito acima de qualquer produto eletrônico. O melhor exemplo para quem não está na área de ciências e tecnologia é a produção de soja, soja recombinante. O Brasil produz grande parte da soja mundial, assim como os americanos, mas a tecnologia é americana e o Brasil paga por isso, e caro. O Brasil paga pela semente que produz mais, que resiste mais as intempéries da produção em larga escala, que gera mais óleo e etc etc etc.
          E mais, toda agricultura depende de insumos de alta tecnologia: 1. defensivos agrícolas: anos de extensivos e intensivos estudos científicos, caríssimos, realizados por profissionais que estão na borda do desenvolvimento técnico e científico, bem pagos, e que passam 12- 15 horas por dia trabalhando, as vezes sábados e domingos. 2. Adubos: O mesmo nível de conhecimento anterior. 3. O feijão, arroz, carne, frango e toda e qualquer comida que está hoje na nossa mesa, inclusive a agricultura orgânica, muito mais ciência e tecnologia ou, no mínimo, o mesmo nível de tecnologia que qualquer produto eletrônico hoje no mercado. Portanto, em se tratando de agricultura, quem tem educação (ciência e tecnologia) continuará dando as ordens. Agricultura é um a indústria como qualquer outra.
          Agora sobre energia. Não preciso escrever muito sobre isso. Energia atômica, eólica, solar, química ou qualquer outro tipo de energia que será muito utilizada no futuro não existe no Brasil. Temos pouco ou nenhum cientista trabalhando com isso. E o Petróleo apesar de ser uma energia suja ainda tem muitos anos de uso e demanda tanta ciência e tecnologia como as outras. O Brasil tem pouco disso e vai demorar de 20 a 30 anos para ter domínio nesse ambiente hostil se começar a trabalhar agora, Já. Começou? Não, olhemos as escolas públicas de ensino fundamental (isso é outro debate).

          Vender soja ou qualquer outro alimento sem o domínio da tecnologia é o mesmo que vender petróleo cru e importar gasolina, minério de ferro e importar carros e afins. É o que Brasil faz hoje.

          OBS. Lembro que o Lula lulou bastante para trazer um tipo de tecnologa para o Brasil, um ramo de tecnologia que poucos países tem. Ele não queria o domínio da tecnologia, queira apenas que os japoneses utilizassem a mão de obra de local para produzir. Depois de 2 anos de estudos os japoneses falaram para o Lulinha que o Brasil não tinha condições técnicas e científicas para um grupo de empresas com alta demanda por profissionais de altíssima qualificação profissional. Educação é tudo em tudo.

          0
        • jibs 5 de julho de 2012 at 19:15

          Rui,
          sou estrangeiro, moro no Brasil ha mais de uma decada e amo este pais. Honestamente, gostaria que o brasil fosse esse “farol” de prosperidade no qual voce acredita mas a dia de hoje nao posso mais que discordar de sua megalomania patriotica.

          Te resumo minha opiniao em alguns pontos chave:
          1) O ciclo das commodities esta prestes a acabar.
          2) O eixo atlantico vai sair desta, custará mas sairá, e a tercera onda da crise talvez vira da China e os satelites produtores de commodities (Brazil, Africa, etc.) enquanto o dinheiro retorna as economias atlanticas
          3) Brazil chegou tarde a era do petroleo.Tem petroleo para nadar nele durante decadas, sem contar com o possivel breakthrough que encerrará esta fase. Nao apostaria um tostao no presal
          4) O brasil nao teve ganho de produtividade nenhum em sua decada “prodigiosa” nem na produccao de commodities (infraestrutura sem avanços) nem no capital humano. é um pais muito menos competitivo que 10 anos atras, e um exemplo de despilfarro e “doença” holandesa que se lembrara por decada. A arrecadaçao vai arrefecer, os preços dos produtos exportados tamben e assim o desequilibrio fiscal é externo será insuportavel nos proximo anos

          O lulismo tem sido uma imensa mascara de prosperidade artificial sustentada no boom chines (já em modo hard landing) e o bolhudo consumidor interno consequencia do credito e da moeda valorizada (já em modo hard landing)

          5) Um futuro multipolar com influencia dos BRICS é muito mais perigoso e desagradavel para a humanidade que o mundo Atlantico que conchecemos. Simplesmente repassa as principais carateristicas dos BRICS:
          – Brasil, uma cleptocracia
          -Russia, um estado mafioso
          -India, um estado amoral
          -China, uma ditadura repressora
          -South africa, um polvorim racial

          6) Eu vivi a bolha iberica, a crise sulamericana de uma decada atras, enquanto agora a bolha emergente e a crise iberica. Por muitos problemas que tenham espanha ou portugal basta dar um passeio por qualquer cidade para enxergar os trilhoes torrados. Lamento muito, mas em brasil ainda nao vi uma universidade, hospital, estrada, aeroporto ou ferrovia nova. Cade o dinheiro fruto de arrecadaçoes fiscais record nos ultimos 5 anos? Que ganho de produtividade tem havido?

          0
    • alex 5 de julho de 2012 at 00:14

      Discurso esquerdista tosco!

      0
      • Rico 5 de julho de 2012 at 09:51

        O dinheiro está e sempre esteve na mão de Judeus e Árabes.

        0
    • MrCitan 5 de julho de 2012 at 10:48

      Na boa senhores, mas este blábláblá, além de não acrescentar nada ao tema do blog, ainda cria um sentimento de ufanismo digno dos contos da Polyanna.

      É só pegar qualquer livro de história, e ver que nos últimos 100 anos, as melhoras dos ciclos economicos do Brasil foram verdadeiros vôos de galinha.

      Os portugas trouxeram progresso a colonia? Balela!
      É só lembrar que a relação do Brasil com Lisboa era de, colonização extrativista, nada mais.

      Só foram trazer estas melhorias mesmo em 1808, porque Napoleão pôs a corte de D. João VI pra correr, e eles tiveram que vir pra cá, raspando o tacho.

      Os pernambucanos tiveram mais sorte, quando Nassau chegou por lá, e deu um upgrade por aquelas quebradas…

      Mas depois tiveram o azar de ver Nassau sendo posto pra correr pelos portugas.

      O Brasil ser uma potência na questão agrícola? Muito difícil…

      Olhe o exemplo deste ano. Uma puta seca, e nenhum plano B.

      Nos EUA os caras levam a água aonde puder. Aqui ainda precisamos rezar pra São Pedro…

      Com isto as exportações caíram, os preços da comida aumentaram, e olha a crise aí batendo a porta.

      Sem contar a falta de estrutura pra escoar a produção de anos anteriores, e nenhum esforço pra evitar desperdícios na logística.

      Melhor mesmo cair na realidade, e deixar esse complexo de Polliana, pois como se vê, este modelo tupiniquim de governança, não vai mudar tão cedo.

      0
      • Rui 5 de julho de 2012 at 23:56

        Quer dizer que os portugas nao trouxeram progresso a’ colonia? ahaha Atrasaram a colonia, que era desenvolvidissima. primeiro mundo. ahaahaha Se nao me falha a memoria, parece que no final, foram os portugas que botaram o Napoleao, para correr de Portugal. Napoleao chegou a dizer, que o fim do imperio dele, comecou com a derrota militar para Portugal. O Mauricio de Nassau chegou na vaselina, querendo agradar, para depois do poder
        consolidado, levar tudo o que tinha direito, como os holandezes fizeram no Suriname. Se os holandezes eram tao bonzinhos e eficientes, porque nao fizeram do Suriname, uma colonia rica? Tem gente que gosta de se iludir com balelas historicas.Felizmente os lusos-brasileiros, que nao eram burros, e sacaram qual era a dele,botaram o Nassau para correr. Se o cara era tao eficiente assim,porque perdeu a guerra ? Mais balela! Haja balela! ahahahah Os Estados Unidos sofrem periodicamente, de grandes secas, que devastam tudo, Cade a tal de agua? e toma de balela!

        0
        • Roger SIlva 6 de julho de 2012 at 10:56

          Cara… na boa acho que esta um pouco falha esta história… quem expulsou Napoleão foi a Inglaterra… e assim a corte portuguesa voltou para lá…. fora isso… estariam aqui…. Este discurso que as melhorias foram os portugueses que trouxeram isso sim é a maior balela e mentira… eles exploraram este país até o talo…. não vem com esta não..

          0
        • serpentarius 11 de julho de 2012 at 17:43

          É amigo, parece que uma verdade tb tem que ser dita mil x pra se tornar verdade.

          Achava que era só a mentira do Ministro de Marketing de Hitler

          0
    • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 11:20

      Só dando uma passadinha rápida por aqui:

      A população dos EUA em 1967 era a que o Brasil tem hoje. Como já tinham um mercado consumidor desenvolvido, é de se esperar que fossem potência econômica há muito tempo.

      Hoje a população dos EUA superam os 300 milhões.

      Outra curiosidade sobre os EUA:

      “(…)Não obstante o grande volume de produção mundial de arroz, apenas cerca de 5% é destinado à exportação. Em 2004, quatro países foram responsáveis por 75,7% da exportação de arroz: Tailândia, 34,5%; Índia, 16,5%; Vietnã, 14,1%; e Estados Unidos, 10,6%; o que resultou numa movimentação de U$ 8,9 bilhões com a transação desse produto.(…) ”

      fonte:

      http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Arroz/ArrozTerrasAltasMatoGrosso/index.htm

      Sim, os EUA em 2004 exportavam arroz! É por isso que fico fulo com o complexo de vira-latas que faz nhém-nhém-hém que exportamos commodities, etc.

      Essas pessoas vêem o copo meio vazio. Eu vejo o copo meio cheio, sem ufanismos, mas também sem complexo de vira-lata.

      Potência que é potência, produz e exporta muito.

      0
      • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 11:32

        (…) produz e exporta muito, SEJA O QUE FOR. A Alemanha, por outro lado, exporta muitos Mercedes, BMWs, Porsches, mas até há pouco tempo foi considerado o maior exportador mundial de café solúvel, algo bem prosaico.

        Já foi cogitado do Brasil importar café de qualidade inferior, para produzir café solúvel e exportá-lo. Importar café? Sim, isso mesmo, pois o café aqui produzido é de boa qualidade, sendo desperdício produzí-lo solúvel, que não precisa de cafés de tanta qualidade assim.

        0
        • Anonymous 5 de julho de 2012 at 11:57

          Para sua informação, já faz pelo menos 3 anos que acompanho o preço da banana nos EUA e posso assegurar que está mais barato aqui do do na Banânia. Parafraseando Dante, sugiro colocar uma placa nos aeroportos com o seguinte: ABANDONE TODA ESPERANÇA AQUELE QUEAQUI ENTRAR.

          PS: Deixai, deixai logo a Banânia, ide ao Velho Mundo ou à Terra dos Livres.

          0
          • GB 5 de julho de 2012 at 12:03

            A banana dos EUA parece que é produzida em gigantescas propriedades na Colômbia, a preços super competitivos.

            0
          • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 12:15

            Terra dos livres para quem tem grana e não possui dívidas, como na maioria das terras.

            Eu é que não gostaria de ter ser sido bucha de canhão no Vietnã, enquanto os vendedores de armas ao governo dos EUA palitavam os dentes à beira de uma piscina.

            De lá para cá o serviço militar deixou de ser obrigatório e boa parte das forças armadas dos EUA são compostas por “cidadãos” latinos que em troca da nacionalidade americana aceitam expor sua vida desse jeito. Há também os ferrados de sempre, os negros e os brancos do interior.

            Ou será que você, ilustre morador dos EUA, nunca ouvir falar em “white trash”?

            0
            • GB 5 de julho de 2012 at 12:23

              Eu iria hoje para lá, mas lá meu cargo público bananense não vale nada, então se não conseguir comprar nada vou continuar juntando $$$$ e quando me aposentar vou para lá, muito legal isso.

              E eles precisam dos “J.I.Joe”, tipo mantendo a segurança dos poços de petróleo dos EUA que estão fora do país deles, kkkkkkk.

              0
            • Anonymous 5 de julho de 2012 at 12:41

              Sugiro voce ler o seguinte livro:

              Manual do Perfeito Idiota Latino Americano
              “http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/389342/manual-do-perfeito-idiota-latino-americano/”

              Nunca existiu e não existe isso que voce está imaginando de servir as forças armadas Americanas em troca da cidadania ou mesmo residência permanente. A França fez, e talvez ainda faça algo parecido com a Legião Estrangeira.

              0
              • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 12:45

                Idiotice latino-americana é acreditar que aquilo é um “paraíso perdido” por Adão e Eva.

                Brasileiro vai à Disney, dá uma passadinha em Miami (misto de balneário e “Paraguai” de luxo – bom para trazer muamba) e acha que conheceu os EUA.

                Chega numa roda de amigos ou parentes e, tal qual aquele vizinho que quer impressionar com seu popular 1.0 comprado em 72 prestações, anima a conversa dizendo o que encontrou por lá.

                0
                • MrCitan 5 de julho de 2012 at 14:58

                  Realmente é um desperdício que os caras só vão pra Miami para as compras, e depois pra Disney, pra depois afanar chaveiro em loja de presentes.
                  Tanto passeio histórico por lá, sem contar que Cabo Canaveral é ali perto.

                  E brasileiro quando vai pro exterior, esquece que NÃO está no Brasil, e faz aquele algazarra.

                  O engraçado é que, dos brasileiros que conheci que foram para a Europa ou pros USA, elogiavam horrores da ordem e civilidade dos locais.

                  E na volta, ao invés de absorver estas qualidades de civilidade, voltam a cometer os mesmos jeitinhos.

                  USA e Europa não são e nunca foram paraíso, mas o Brasil vai demorar décadas pra estar no mesmo nível.

                  0
              • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 13:31

                Em tempo,

                “EUA oferecem alistamento de imigrantes em troca de cidadania”.

                http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,eua-oferecem-alistamento-de-imigrantes-em-troca-de-cidadania,324215,0.htm

                É um tal de soldados com nome de guerra “Rodriguez”, “Hernandez”, etc.

                0
                • Anonymous 5 de julho de 2012 at 17:18

                  Observe que a possibilidade de tornar-se cidadão é para quem já tem a residência permanente (green card). Entretanto, na minha opinião, a cidadania Americana traz mais DESVANTAGENS do que VANTAGENS, ou seja:

                  1 – Possibilidade de votar – dá para dispensar na minha idade.

                  2 – Possibilidade de ser eleito – dá para dispensar na minha idade.

                  3 – Passaporte Americano – dispensável, pois serve para voce tornar alvo no mundo todo.

                  4 – Terá que pagar imposto sobre ganhos no exterior – dispensável. Aliás, o co-fundador do facebook RENUNCIOU à cidadania Americana para não ter que pagar imposto.

                  Observe que todas essas desvantagens, SE voce sobreviver à GUERRA. É escolha para débil mental ou para quem compra apartamento na planta.

                  “http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,eua-oferecem-alistamento-de-imigrantes-em-troca-de-cidadania,324215,0.htm”

                  Os imigrantes que são residentes permanentes nos EUA, com documento popularmente conhecido como a “green card”, puderam ingressar nas forças militares há muitos anos. Desde 2002, o presidente George W. Bush abriu caminho mais para que estes imigrantes adquiram cidadania mediante o serviço militar.

                  0
                  • serpentarius 11 de julho de 2012 at 17:52

                    É anonymus …

                    Vc tem que rever alguns conceitos

                    Tenho acompanhado alguns bons aqui do blog

                    Mas neste tópico vc se escancarou.

                    Deu a cara a tapa mas foi pra ser batida mesma, até sangrar. Não está admitindo erros, simplorios até, como se vc conseguisse usar da retórica pra persuadir os incautos.

                    Ah!!!! Verdade … persuade os incautos mesmo. Mas não os que sabem entender.

                    0
            • serpentarius 11 de julho de 2012 at 17:47

              Foi assim que começou a derrocada do Império Romano. Com tropas formadas por cidadãos não americanos/romanos.

              Não. Aos que deturpam não. Não quis dizer que os latinos sao inferiores

              0
    • Troll 5 de julho de 2012 at 18:15

      Em realidade, ter sido colonizados por portugueses foi algo ruim. Disto resultou que temos a pior mistura possível: portugues + indios + escravos. Isso explica grande parte da história do Brasil.

      0
      • serpentarius 11 de julho de 2012 at 17:55

        VC quer dizer alguma coisa: ou portugues não presta, ou indio ou negro. Ou talvez todos os 3.

        Ah … vc deve ser ariano puro. E escapa da mistura ruim. Ola eu sou 100% europeu de sangue. Mas tenho orgulho de dizer que sou 100% brasileiro, 100% misturado. E meus filhos são assim. Cada um parece uma coisa. Um europeu, outro Obama, outro indiano.

        E fico ofendid[issimo com o que vc postou.

        0
    • Marcos Eliziario Santos 6 de julho de 2012 at 20:17

      Amigo, nós fazemos parte do mesmo sistema. Sem a bolha de crédito dos Europeus, a privatização das nossas telecomunicações não teria dado certo e hoje uma linha de celular custaria 10.000 reais. Sem a bolha de crédito chinesa, estaríamos numa recessão de dar gosto porque eles não comprariam tanto das nossas commodities. E por aí vai. Estamos todos na mesma merda.

      0
  • Shakespeare 4 de julho de 2012 at 22:52

    Bilionário dos supermercados no Maranhão prepara invasão nacional
    Dono de um grupo varejista que fatura R$ 2,3 bi por ano, Ilson Mateus anda de carro popular e mora em apartamento alugado

    ht tp://economia.ig.com.br/bilionario+dos+supermercados+no+maranhao+prepara+invasao+nacional/n1596937082630.html

    0
    • O Irritado 4 de julho de 2012 at 23:29

      Por que será que ele mora em apartamento alugado?
      Não dizem por aí que é “jogar dinheiro fora”?
      Ou ele não entende nada de finanças/contabilidade/economia?

      Por favor, “IRONIC MODE ON” (Copyright by GB – 2012 – All rights reserved)

      “invasão nacional” ?? HA! HA! Gostei.

      0
    • Neo 5 de julho de 2012 at 01:24

      kkkkkkkkkkkkkkkkk

      Fatura mais de 2bilhoes por ano e anda de golzinho branco pelado 2008

      Agora estou mais tranquilo por andar com ford ka 1.0 pelado

      e tem uns quebrados aqui que se acham com essas porcarias que chamam de “japones” quando na verdade é montado no mexico!

      0
      • Neo 5 de julho de 2012 at 01:38

        “aqui” é no meu trabalho e não no forum 🙂

        0
        • JPires83 5 de julho de 2012 at 09:07

          Tenho um amigo q está todo fudido financeiramente e anda de C4 Pallas completão.

          Tem horas em que eu acho q deveria ter nascido mais burro, talvez assim eu não me preocuparia com o futuro e seria mais feliz.

          0
          • hannamanana 5 de julho de 2012 at 09:53

            Pô… ou tem mais um (ou mais uns) ou temos o mesmo colega em comum. Rssss
            Se você precisar que este meu colega te empreste dez reais, ele não tem.
            Vive de rolar dívida, troca de carro porque dá sempre o anterior cheio de parcelas em troca de um outro novo cheio de parcelas novamente.
            Mora de aluguel num condomínio fechado top daqui, mas acredito que não seja por planejamento financeiro e sim porque quer morar bem, ostentar, mas nunca teve dinheiro pra comprar um imóvel no padrão que ele acha que merece.
            Eu heim

            0
          • Rico 5 de julho de 2012 at 09:57

            Cara, eu acho que são escolhas. A pessoa escolhe como quer viver. Eu não consigo viver de aparência.

            Em tempo: Tenho um carro popular 2009, bem basiquinho…

            0
            • JPires83 5 de julho de 2012 at 14:06

              Devem ser escolhas mesmo, tenho outro colega de trabalho que tem uma Captiva, uns 3 celulares e só anda “super fashion”, sempre com óculos e roupas da moda.

              Detalhe é que o salário dele é o mesmo que o meu. Eu não tenho carro, estou juntando grana pra comprar um ap meia boca pq o meu MCMV que eu comprei, na planta, em 2009 ainda não está pronto.

              Ou eu não estou sabendo administrar o meu dinheiro ou alguém não está se preparando pro futuro.

              0
              • Anônimo 6 de julho de 2012 at 08:54
                0
                • Marcos Eliziario Santos 6 de julho de 2012 at 20:41

                  Isso é verdade. O brasil é um país muito corrupto, mas as pessoas acham que a corrupção só existe no setor público. Balela. Antigamente o roubo era só no setor de compras, as comissões, os por-fora, os presentinhos. Agora, a coisa está disseminada. São projetos de ERP, escritórios de projetos, consultorias de six-sigma e muitas outras coisas, que embora sejam boas em essência, são desvrituadas pelos contratantes. Nem todos roubam as empresas em dinheiro diretamente, mas tem os que usam os recursos da empresa pra se promover no mercado. É o caso típico do sujeito que leva a empresa a fazer um mega-investimento de retorno duvidoso, só pra depois ficar com o cacife de ter administrado um mega-projeto no currículo, e dali ele sai de gerente pra diretor em outra empresa, deixando o abacaxi pra trás, cria outro abacaxi na próxima empresa, e dali sai pra ser CEO de outra, se bobear sendo capa da Exame ou Você S/A.
                  A corrupção no Brasil é endêmica e epidêmica, um agudo problema crônico 🙂
                  Na dúvida, suponha que o sujeito está roubando.

                  0
            • Sangue Bom 5 de julho de 2012 at 15:45

              Me desculpe mas, não compro carro zero. Todavia também não compro carro popular, por mais que ache importante a economia, a segurança minha e da minha família é mais importante, por isso sempre busco a melhor opção dentro das minhas prioridades, ano passado troquei de carro e a minha principal prioridade era a segurança, por isso o carro tinha que ter Air Bags e Freios ABS, depois de muito pesquisar, peguei um carro 2008 por menos da metade do preço que o dono havia comprado, completo, não me apertei financeiramente e estou muito tranquilo com o mesmo. Enfim, economia é importante, mas no transito não se brinca, vemos ai muito maluco que compra moto por que quer economizar, derrepente (nem por culpa dele) sofre um acidente e fica paraplégico. Ótima economia champs.

              0
      • hannamanana 5 de julho de 2012 at 10:00

        E a melhor parte que eu achei: “Rapaz, esse carro resolve a minha vida, então não penso em comprar outro, não”
        Eu admiro pessoas que vivem com o que acha que lhes é útil e não em função daquilo que te faz ” ” ” crescer ” ” ” perante os olhos dos outros.
        Cada um tem o direito de comprar o carro que bem entender, mas passa por ridículo aquele que nem tem onde cair morto, mas quer viver de aparências.

        0
    • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 11:34

      Será o nosso Warren Buffet?

      0
  • cristiano 4 de julho de 2012 at 23:14

    rui vc tem que entender o seguinte, o mundo vai estagnar economicamente, isso é um fato, a economia como existe hoje não se sustenta por muito tempo, não matematicamente, a diferença é que os paises ricos pobres ficarão sem crescimento mas com uma infraestrutura e tecnologia ja existentes e o brasil com suas favelas, estradas esburacadas, analfabetismo e etc, esta é a diferença

    0
    • Revoltado 5 de julho de 2012 at 09:35

      Concordo com isso amigo. Inclusive ja falei sobre aqui no blog.
      Não existe mais como sustentar esse modelo de “crescimento economico”.
      Já colonizaram tudo que podiam, e usaram o dinheiro do futuro (crédito) para sustentar o crescimento atual. Agora só se colonizarem outro planeta. Estamos prestes a fazer prédios de carros empilhados, porque as ruas já nao comportam mais e continua-se a vender quantidades enormes todo mês.

      0
  • MrLBS 4 de julho de 2012 at 23:29

    Alguém sabe quais são os números que estão faltando aí próxima página – que está em falta – da Veja?
    O apartamento de Us$ 750k e Us$ 40k caíram para quanto ?!?!

    0
    • O Irritado 5 de julho de 2012 at 01:02

      O pessoal de Salvador pode inferir o de US$ 40K…
      Agora, o outro…

      PS: já não há unhas para tanta curiosidade. Mas o texto da reportagem fala em 40% de queda (em US$ ?) em menos de cinco anos, o problema é: este número é confiável? 40% em 5 anos, se não em engano, equivale a uma queda entre 9% a 12% a.a. (em US$). Estatísticas desse tipo em eṕocas de hiperinflação não é mole, não!

      0
      • Rafael KM 5 de julho de 2012 at 01:58

        Por isso publicaram em dólares e não em cruzado, cruzeiro, cruzeiro novo ou o que fosse a moeda na época do preço do imóvel. Deste modo teria que descontar a inflação do dólar (dos EUA) no período, desvalorizando o imóvel ainda mais.

        0
        • Rico 5 de julho de 2012 at 10:00

          Aliás, alguém conhece um índice confiável de taxa de inflação do dólar?

          0
          • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 11:38

            Não sei se é confiável, mas existe o CPI (Consumer Price Index).

            0
      • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 11:43

        O dólar se valorizava muito naquela época, e nenhuma renda acompanhava isso.

        Acho normal, portanto, que os preços em dólares tivessem desvalorização com o passar dos anos.

        O uso do dólar era apenas para facilitar a referência de preços numa época em que a inflação chegava a 1% ao dia! As transações (pelo menos, as legalmente feitas), eram em moeda local, pelo valor do dólar no dia da assinatura da escritura.

        Se o sujeito estava interessado em vender e não achava comprador (por falta de renda para acompanhar tal valorização do dólar), aos poucos o mercado ia se ajustando referenciando em valores em dólar nominalmente mais baixos, com o passar do tempo.

        0
  • Rui 4 de julho de 2012 at 23:51

    Cristiano, me desculpe, mas eu acho o oposto. A economia mundial esta crescendo. E’ possive a curto prazo haver uma pequena retracao economica, devido a grandes reajustamentos economicos em paises como China,India, Brasil etc Que vao deixar de ser economias basicamente exportadoras, para comecar a construir grandes sociedades de consumo. O chines ate agora nao consome o que produz. Mas brevemente isso vai mudar, com a decadencia europeia e americana, que vao paulatinamente perder a capacidade de comprar os produtos da China, devido a suas gigantescas dividas e desvalorizacao de suas moedas, a China ja comecou a subir rapidamente o poder aquisitivo de sua populacao, para que grande parte do que produz, seja consumido, por seu povo. A CHina vai se tornar a maior sociedade de consumo do planeta, substituindo os americanos e europeus, que vao cair na maior pindaiba.Quando esse reajustamento comecar a deslanchar, Brasil vai crescer a taxas acima de 6% ou mais. Exportando basicamente recursos naturais e comida,a precos estratosfericos, para suprir esses imensos mercados, que estao comecando a ser criados. Ao contrario do que alguns pensam, Brasil vai entrar na era de ouro de sua historia .

    0
    • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 00:03

      Rui, numa boa, vc já parou pra pensar nos efeitos do colapso econômico dos USA?

      Já ouviu falar nas cidades fantasmas chinesas?

      Esqueceu que aquilo é uma ditadura comunista com dados maquiados?

      Já viu os documentários mostrando a situação de pobreza dos chineses fora dos centros urbanos?

      Já procurou se informar sobre a bolha imobiliária chinesa que faz a nossa parecer uma bolhinha ridícula?

      47% das exportações chinesas são para USA e Europa. E em caso de um colapso os cidadãos chineses vão suprir da noite pro dia esses 47%?

      Quem vende a maior parte das commodities para a manufatura desses bens exportados?

      Brasil né? E quem vai se fú?

      Crescimento? Era de ouro?

      Camarada qdo vejo comentários como o seu me entristeço, pois vejo o quanto as pessoas estão despreparadas para o que virá.

      Estamos prestes a assistir a maior mudança econômica da história da humanidade e tem gente achando que está tudo bem CARAMBA…

      0
      • Leno 5 de julho de 2012 at 00:17

        Sem falar nessa falacia:

        “..Vao paulatinamente, virar uma comunidade carente. Vamos ter novamente a medio prazo, americanos, alemaes, italianos etc emigrando para Brasil, como no passado.”

        Ele acha que EUA e Europa vão falir e o Brasil sem nenhuma infra, saude, transporte, educação, emprego etc…vai estar economicamente saudavel a ponto de virar opção para os gringos. Oras! não sei qual barulho é pior.

        0
        • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 01:16

          Olha que tenho estado feliz por ver que o blog abre os olhos das pessoas qto a nossa situação interna, mas para fazermos as pessoas entenderem um pouquinho que seja de economia mundial seriam necessários 10 blogs.

          0
        • realidade 5 de julho de 2012 at 09:20

          Esse Rui acho que é pouco viajado. Vai ver, é um PeTralha disfarçado. Tá esquecendo do povinho que reside aqui…O Brasil nunca será primeiro mundo! Vai estudar história!!!.

          0
          • Revoltado 5 de julho de 2012 at 09:45

            PARA REFLETIR:

            infelizmente ja cheguei a mesma conclusao.

            Não é interessante que o brasileiro tenha cultura e educação, porque ai ele vai reclamar das coisas que estao MUITO erradas.

            O ideal é manter a massa alienada, vendo novela, futebol e bebendo a sua cerveja. Afinal, está tudo bem, não há com o que se preocupar!

            Enquanto isso o dinheiro suadamente conseguido é extraido de nós pelos impostos e desviado por politicos e agentes públicos corruptos.

            Mas o importante é saber se a Nina vai dar pro Tufão, se a Carminha vai ser desmascarada ou quem vai ganhar o Campeonato Brasileiro.

            Afinal, o dinheiro desviado não é meu mesmo né?

            0
          • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 11:49

            O Brasil tem muito, mas muuuuito chão pela frente.

            Mas esse seu derrotismo é coisa de OLAVETE disfarçado. Faça como ele, mude-se para os EUA, a pátria de coração.

            0
            • Sangue Bom 6 de julho de 2012 at 14:04

              Se eu pudesse me mudaria mesmo, estou cansado de ver essa baderna aqui.

              0
        • MrLBS 5 de julho de 2012 at 17:45

          Cara.. mil vezes um EUA ou Canadá falido que o Brasil brilhando.. reluzindo avanços econômicos.

          Dá uma voltinha pelas terras canadeses que vc voltará com outra percepção… Não tenho síndrome de colonizado, digo apenas o que é verdade.

          No momento que adentrei na Universidade de Toronto para visitá-la, conversar com alguns professores e tal, pensei: “O Brasil NUNCA chegará a este nível de educação, lisura e comprometimento com o futuro. NUNCA!

          Leia-se educação tanto no sentido do trato social, como no investimento em cultura, ciência e tecnologia.

          Quando eu vi uma turma que acabara de ter aula, saindo no maior silêncio para não atrapalhar as aulas adjacentes, lembrei-me imediatamente das federais aqui no Brasil: quando a turma larga é uma [email protected] só. Haja barulho!!

          Está no nosso sangue latino: a lei de Gerson impera. Olhamos para o nosso umbigo e nada mais.

          0
      • Rui 5 de julho de 2012 at 01:37

        Andre , o colapso economico dos EUA, e’ feito by design. Vai ser gradativo, ao longo do tempo. Se dizia uns anos atras, que quando os States espilram, o mundo fica gripado. Mito! os States estao indo mal e a economia mundial esta crescendo. Quando a inglaterra decaiu a’ 60 anos , como a maior potencia economica do planeta, outros paises sem turbulencia economica a substituiram. veja as voltas que o mundo da. Agora sao os comunas chineses, que estao financiando o capitalismo americano e europeu, lhes emprestando dinheiro. O estouro da bolha imobiliaria chinesa, como a brasileira , vai ser benigna. Vai beneficiar as pessoas que querem comprar casa, mas nao podem pagar, os precos desvairados atuais. Se eles construiram essas imensas cidades vazias, e’ porque vao brevemente criar as condicoes economicas, para as povoar. Chines, de burro nao tem nada! Os 47% que voce fala, a pouco e pouco vao ser direcionados, para outros paises com a e economia em bullmarket e grande parte para o mercado interno . A europa e EUA, nao vao entrar em colapso polaroid. Instantaneo. Vai ser gradual e vao continuar importando produtos da China, so que numa escala muito menor.
        Nao compartilho do seu catastrofismo. Os tempos estao mudando Andre. O mundo nao e’ estatico. A dinamica agora e’ outra.

        0
        • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 02:07

          Cara em que mundo vc vive? Economia crescendo?

          Rui numa boa ou vc é muito muito otimista, ou está tentando indiretamente defender soft landing.

          Acompanho em tempo real a bolsa brasileira, americana e principais da Europa e Asia, sem falar em inúmeros canais sobre economia no mundo.

          E não estou vendo esse quadro que vc está pintando.

          É como ler todas as notícias de desaceleração da economia que estamos postando varias vezes ao dia aqui e dizer que a economia brasileira está crescendo.

          0
          • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 02:15

            Rui apesar do momento de revisionismo histórico e caça as bruxas, não tenho a menor vergonha de dizer que sou neto de um ex agente do nosso extinto SNI. Se teve um coisa que aprendi com meu avô foi a olhar a história como um único quadro cíclico e atemporal, os ciclos se repetem, e principalmente, fui ensinado a ler nas entrelinhas econômicas e politicas, esse seu discurso me parece papo de vendedor de sonhos, não me leve a mal. Mas está na cara a M* em que estamos nos afundando.

            E não precisa ser especialista em história da 2ª WW e profundo conhecedor das estratégias de Goebbels para ver a incrível campanha de desinformação levada adiante pelo nosso governo. E o teu discurso é igualzinho.

            Sorry man.

            0
            • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 11:55

              André,

              Após o fim da II Guerra, os EUA eram 45% da economia mundial, com uma Europa totalmente destroçada, ressalte-se.

              Hoje são 21%. Importantes, sem dúvida, mas perdendo a importância relativa paulatinamente. Para isso ter acontecido, é razoável supor que outras partes do mundo cresceram mais rápido.

              Não estou vendendo sonhos, acho que teremos um tempo difícil pela frente, mas o que mencionei são fatos.

              0
          • Rui 5 de julho de 2012 at 23:12

            Andre, vou te aplicar o principio da reciprocidade. Estava falando contigo numa boa, sem agressividade e educadamente. so’ expondo minhas ideias.Mas parece que voce esta’ me estranhando. Voce me manda acordar. Diz que eu estou a desinformar. Que eu vivo noutro mundo.Vendedor de sonhos. Se voce prefere provocar, em vez de debater ideias, comigo mesmo! xacomigo!
            Quem afirma que a economia mundial esta crescendo, a um ritmo de 3% ao ano, e’ as Nacoes Unidas.Mas voce prefere a ilusao, que a realidade.Vou dar zero, para voce nesse quesito! ahahaha voce esta gastando ilusao, a’ toa,achando que o Brasil, vai para o brejo. E como voce gosta de errar,ainda alega que o Brasil nao esta crescendo.Cara pensa!. pensa antes de falar! Voce parece marido enganado. O ultimo a saber, que o Brasil esta crescendo. Mas sua maior ilusao,cara, e’ pensar que seu erro esta certo. Sorry baby!
            Agora, se voce voltar a debater maneirinho, com respeito, tem aqui um amigo. tambem estou nesse business de acompanhar e comprar acoes na bolsa de valores da Bovespa e Dow Jones e nasdaq. Ta vendo, como temos interesses comuns!Gostaria de bater um papo contigo, sobre acoes. Topas?

            0
            • Marcos Eliziario Santos 6 de julho de 2012 at 20:51

              a 1.2% de crescimento populacional anual, 3% de crescimento mundial já é preocupante. E o importante é que o crescimento está diminuíndo. Às vezes o valor que a gente precisa saber está na segunda derivada 🙂

              Sem contar que acho que em breve veremos que as contabilidades nacionais de vários países por aí não batem com a realidade concreta das coisas.

              0
          • Maurizio 6 de julho de 2012 at 17:24

            Andre Louis, it is just a question of scale, clearly there is a problem in words economies that will plague us for a few years; in 3 to 10 years a new growth cycle will have started, mostly the same players with slightly different importance, now if the level of education does not get better Brazil will always be a marginal player
            Maurizio

            0
    • CAMBALHOTA 5 de julho de 2012 at 00:03

      Rui vc me desculpe, mas como comentários no BLOG existem para a troca de idéias, eu discordo do que escreveu em gênero, número e grau.

      Vc fez uma suposição sem citar qq forma de COMO a China vai tornar seu mercado interno capaz de absorver sua produção.

      Se vc conseguir explicar isso de maneira coerente, eu serei tbm coerente para concordar com vc.

      0
      • Rui 5 de julho de 2012 at 01:01

        Cambalhota, A China esta criando uma grande sociedade de consumo, com os trilhoes de dolares , que tem em suas reservas nacionais, os lucros dos retornos dos investimentos massivos que tem no exterior. Anda comprando tudo pelo mundo. O Yuan unidade monetaria da China esta na eminencia de comecar a se supervalorizar e se tornar a moeda mais forte do planeta, que por tabela tornara’ as importacoes chinesas baratissimas. China esta aumentando aceleradamente os salarios de seus trabalhadores, que com mais poder aquisitivo , comecarao a comprar os produtos que produzem, gerando mais crescimento economico, para a China. O CHines ao contrario do europeu e americano ,nao esta endividado, e tem economias nos bancos.

        0
        • Neo 5 de julho de 2012 at 01:16

          isso se e somente se os EUA devolverem os trilhoes de dolares em titulos que os chineses compraram

          Mas isso muitos sensatos duvidam.
          Duvidam se devolvem.
          Duvidam se no caso de devolverem o dolar terá algum valor.

          Particularmente eu acho que já era, nao devolvem nada, e quando os americanos anunciarem o calote, babau ploc intergalatico

          0
          • Marcos Eliziario Santos 6 de julho de 2012 at 20:54

            Pessoal se esquece que ter trilhões de dólares na forma de títulos que provavelmente não vão ser pagos, não adianta porcaria nenhuma.
            É mais ou menos como o vendedor que se gaba de ter tido as maiores vendas do shopping porque vendia tudo no cheque pré-datado em 24 vezes sem consulta ao SPC e Serasa.
            A maior parte do dinheiro no mundo é fictícia, são instrumentos de crédito podres que não tem mais como ser rolados. O dólar vai continuar sendo a reserva mundial, os EUA vão continuar sendo os EUA, mas no meio do caminho vamos ter um grande reset.

            0
        • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 01:20

          Mais uma vez amigo, procure pesquisar sobre os reais efeitos do colapso dos USA.

          Já ouviu falar do termo Master Reset?

          Vc acha que essa reestruturação toda que vc acabou de citar ocorreria sem no minimo uma 3ª grande guerra?

          Acorda camarada.

          0
          • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 01:36

            Isso mesmo Neo, se poderia acontecer algum apocalipse maia, seria o estouro da bolha da dívida americana.

            Ploc Intergalático.

            Foda!!!

            0
        • Francisco Quiumento 5 de julho de 2012 at 15:52

          “O Yuan unidade monetaria da China esta na eminencia de comecar a se supervalorizar e se tornar a moeda mais forte do planeta, que por tabela tornara’ as importacoes chinesas baratissimas.”

          HEIN???????

          😉

          0
    • O Irritado 5 de julho de 2012 at 00:15

      Rui, raciocínio bastante interessante, porém, sou menos patriótico.

      Não consigo conceber que seríamos os fornecedores de insumos à maior potência do planeta e isso constituiria nossa “era de ouro” (ciclo da cana, do ouro, do café, do cacau, da borracha….lembra?). Simplesmente eles colocarão gente aqui para fornecermos a ele pelos menores preços possíveis e sabotando ao máximo nosso desenvolvimento autônomo, nada mto diferente do que os ingleses e, depois, os americanos (com o nosso consentimento feliz e descontraído) vêm (ou vinham, segundo alguns) fazendo desde uns 200 anos.

      Observe agora mesmo o modelo chinês de “cooperação” funcionando na África, por exemplo.

      Aliás, a China não poderá ser a maior de consumo do planeta simplesmente porque, se isso acontecer, não haverá planeta. A não ser que eles dêem uma grande prova de inteligência e abracem firmemente um modelo de desenvolvimento mais “sustentável” (palavra da moda, o que posso fazer?). Bem, pelo menos dizem que eles estão começando a despertar para isso, a conferir.

      0
      • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 00:19

        Outro ponto importantíssimo, nosso planeta não suporta outras economias de consumo.

        Nosso planeta não suporta mais consumo.

        Ou aprendemos isso, ou aprenderemos o significado do conceito depopulação…

        E o que não falta e gente interessada nisso;.

        0
        • O Irritado 5 de julho de 2012 at 00:44

          Raciocínio matemático:
          Qual seria a população mundial hoje se não tivesse havido a II Guerra Mundial ?

          0
        • Francisco Quiumento 5 de julho de 2012 at 15:54

          Consumo não relaciona-se direta e necessariamente com gasto de recursos do ambiente.

          Este raciocínio parte de premissas FALSAS.

          0
      • hannamanana 5 de julho de 2012 at 10:03

        Aê… comentário sensatíssimo

        0
    • Davi 5 de julho de 2012 at 09:08

      O planeta acaba antes, não suportará uma CHINA, INDIA consumindo como os americanos, não dá!

      Há 140 anos o mundo não tinha 1 BI de pessoas, hoje com mais de 7 BI … não sei como tem gente que não exerga que isso não vai dar certo . A sorte do planeta é que a grande maioria destes 7 BI vivem na pobreza e o consumo médio de energia é muito inferior ao dos americanos.

      O maior imóvel que temos é o proprio planeta, não dá para comprar ou alugar outro.

      0
      • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 14:39

        Ainda bem que o programa espacial dos anos 60 não achou um planeta melhor que o nosso.

        Senão, estaríamos ferrados, iam fazer disso aqui balão de ensaio.

        0
  • mauricio 5 de julho de 2012 at 00:18

    VAI CURITCHA:

    O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (4) a medida provisória 568/2012, que reajusta a remuneração de 30 carreiras do Executivo. Segundo o Ministério do Planejamento, os aumentos beneficiam 669.462 servidores, entre ativos e inativos, e custarão, em 2012, R$ 1,5 bilhão ao Tesouro Nacional, recurso já previsto no Orçamento. A partir de 2013, os reajustes vão custar R$ 2,717 bilhões por ano.

    VAI CURTICHA

    A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (4) projeto de resolução da Mesa Diretora que acaba com a vinculação da remuneração dos servidores concursados e comissionados ao salário dos deputados. Com isso, futuros reajustes salariais dos parlamentares não levarão a aumentos automáticos para os funcionários da Casa.

    V A I C U R I T C H A ! ! ! ! ! !

    0
  • cristiano 5 de julho de 2012 at 00:29

    rui a economia esta crescendo isso não tenho duvida, a minha duvida é a seguinte, predios estão crescendo pelo mundo e levarão 30 ou 40 anos a serem pagos, e não me refiro ao financiamento e sim ao dinheiro que no brasil por exemplo o governo levanta vendendo titulos com vencimento para 30 anos em media e usam esse dinheiro para capitalizar o bndes que empresta para a ogx que usa para convencer investidores a deixar mais dinheiro que é usado para construir uma infra incerta e por ai vai, foi só um exemplo minimizado de tantos outros, o dinheiro que esta sendo usado para este crescimento todo não existe e é em media 15 vezes maior que os ativos reais exitentes pelo mundo ( esta é uma estimativa de economistas pessimistas os quais eu considero os mais reais ) o lucro deste dinheiro inexistente esta se concentrando cada vez mais ( dai a enorme quantidade de bilionairos pipocando mundo a fora ) mas o ponto é ou a matematica que me ensinaram esta errada ou a ilusão do crescimento tem data marcada para o final, e no meu ponto de vista esta data marcada esta chegando, um exemplo claro disso é o brasil que no ano passado consumiu ( doga-se este consumo o de pessoas comuns fisicas ) mais do que produziu ( diga-se produziu a parte produtiva que se refere ao pib do pais excluindo-se gasto publico, gasto com violencia, gastos maleficos em geral e tambem os lucros que são de empresas estrengeiras atuando no brasil mas que exportam seus lucros ) ai vem então o milagre como pode um povo que mesmo que produz com 100 por cento de lucro ( ? ) gstar mais, de onde vem o dinheiro, é um milagre

    0
    • EngSJC 6 de julho de 2012 at 01:04

      Cristiano,
      justamente este tem sido o modelo econômico mundial há décadas, estamos sempre “vendendo o futuro” no presente. Isso só vem se intensificando.
      Nesses últimos anos, alcançou-se um feito só antes observado no pós-guerra, o PIB mundial dobrou em 10 anos (~USS 80 trilhões PPP). Quando comparamos a soma diária das negociações nas bolsas no mundo todo em relação a esse PIB mundial, vemos que tal fator tem aumentado rapidamente, estávamos em 10x há 5 anos e estamos chegando a 15x! O que só consigo ver é o esgotamento deste modelo de crescimento. Bolha mundial.

      0
  • Ricardo C. 5 de julho de 2012 at 00:31

    Nesse contexto de reviver o passado vale lembrar essa reportagem do oglobo alertando para o risco de bolha no mercado carioca (só que um passado recente, de 2 anos atrás). A reportagem levantava a hipótese dos preços terem chegado ao teto.
    Sem querer dar uma de advogado do diabo aqui, mas desde então os valores na zona sul do rio dobraram (triplicaram, em alguns bairros como J. Botânico).
    Por isso eu digo que o frenesi do mercado imobiliário do Rio é um caso a parte no Brasil. Foi onde tudo começou e certamente onde ploc tende a ocorrer primeiro. Há 2 anos atrás a opinião geral já era de que os preços estavam fora da realidade, que tinham “passado do teto”. Imagina hj então né…

    h t t p : / / oglobo.globo.com/imoveis/precos-medios-de-imoveis-na-zona-sul-disparam-para-especialistas-valores-teriam-passado-do-teto-3019853

    0
    • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 00:39

      Como disse um colega aqui um tempo atrás, vai faltar merda pra tanto ventilador!!!

      0
    • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 10:57

      Esse é o problema de qualquer bolha, ninguém sabe exatamente até onde ela vai, apesar das evidências.

      Observo que, na área onde moro, se os preços caírem 25% (percentual nominalmente considerável), ainda assim retornará tão-somente aos valores do último trimestre do ano passado. Não preciso dizer que moro na ZS do Rio, preciso?

      0
      • Ricardo C. 5 de julho de 2012 at 15:31

        Isso mesmo. São valores absurdos comparados a valores de anos atrás que já eram foram da realidade.

        0
  • O Irritado 5 de julho de 2012 at 00:41

    Bolha,
    o RSS de comentários não está funcionando ou o problema é comigo?

    Até hoje 16:11 eu estava recebendo normalmente.
    A propósito, o RSS de posts continua OK.

    0
    • Bolha Imobiliária 5 de julho de 2012 at 00:42

      Acho que é culpa dos caracteres HTML nas mensagens, tipo, negritos…Eles quebram tudo os RSS
      Vou ver se acho correção para isto

      0
  • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 01:04

    ATENÇÃO PESSOAL

    A Kassia está neste momento atacando o site nos coments da coluna do ricardo amorim.

    Por favor todos lá agora, não podemos permitir contra inteligência de quinta categoria contra o blog!!!

    0
    • GB 5 de julho de 2012 at 01:53

      Nem precisaria, quanto mais ela atacar, mais curiosas as pessoas vão ficar sobre o Blog.

      0
    • Ploc verde de limão 5 de julho de 2012 at 01:59

      É eu, vi já postei lá em alguns posts como Marc. Não sei se ela vive no fantástico mundo de Bob, se está desesperada com algo, se é louca ou está trollando mesmo.
      Nada do que ela fala faz sentido ali. Ela vive no mundo ideal, onde todo mundo tem grana e não tem dívidas.E acredita justo no Ricardo Amorim ?
      É ingenuidade ou burrice mesmo acreditar num cara vendido desses, que tem uma má reputação.

      0
      • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 02:22

        Se ela é realmente investidora deve ter tomado forevis e tá só trollando agora pra extravasar.

        0
        • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 02:25

          Em tempo galera, tá meio estranho o movimento por aqui no blog, cheio de defensores (proprietários) de soft landing disfarçados.

          Não é que as pessoas não tenham direito a opinião, mais a guerra é de informação e não podemos dar munição (espaço) pro adversário.

          A informação real precisa circular.

          0
          • GB 5 de julho de 2012 at 08:08

            Ahhhhhhh, tecnicamente eu defendo o Soft Landing pois não tenho pressa e para mim seria mais interessante, tipo fico no aluguel, já sei que o valor vai congelar (não vai aumentar no ano que vem), continuo guardando $$$$$ e quando os preços estiverem realmente no fundo do poço eu apareço como salvador do dia desses proprietários e compro um negócio a preço bastante justo (baixo) e sem intermediários se metendo no negócio (corretores).

            Nada mal para quem ia comprar um apê de 60m² por R$ 185k, viu o mesmo cair para R$ 160k e ainda estar encalhado mas agora já está pensando num terreno de 1.000m², com muito mais espaço, sem vizinhos grudados, nem paredes de Dry Wall, podendo ter cachorro, um viveiro bem grande de calopsitas e um pé de lixia, sem briga por vagas de garagem, e essas coisas que acontecem com a convivência com gente que nem paga condomínio em dia.

            0
            • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 09:39

              Mas vc não é defensor (proprietário) o que quer soft landing pra dar a especuladinha final.

              0
            • hannamanana 5 de julho de 2012 at 10:08

              Ao mesmo tempo que tempo pela economia e os reflexos disto no meu empreguinho ou ex-empreguinho, estou torcendo pra este dia chegar logo…
              Perto de casa, um terrenão que namoro desde a adolescência começou a receber umas máquinas… parece que vão lotear…
              Não sei… mas, provavelmente se sair por agora, vão pedir uma fortuna.
              Queria comprar, mas num preço Keira Knightley, não num preço Queen Latifah…

              0
        • hannamanana 5 de julho de 2012 at 10:12

          Ah Kassia Travares está irada, heim!?
          É tão bobinha.
          Pois um vídeo de uma entrevista antiga de um cara que fica rindo dos entrevistados…
          O que é que te a ver? O que ela quer dizer com isto?
          Eu acho que ela ganha pra fazer isto, heim?

          0
      • chapolin 5 de julho de 2012 at 11:14

        Achei este comentário no site do Ricardo Amorim excelente. Ironia fina.

        RD85

        EM 05/07/2012 09:43:25

        Em maio de 2008 a hora era de comprar Ibov (alguém deu uma dica de que sairia de 72k para 200k). Agora é hora de vender Ibov (principalmente quem comprou em 2008 e está esperando 200k) e comprar imóvel na planta, porque o cimento per capta é promissor e o “índice preço pedido” sobe 1% todo mês.

        0
    • O Irritado 5 de julho de 2012 at 02:56

      Fala sério !
      Essa mulher é louca ?! Casou com o Cirilo ? Só pode ser!
      Pensei que ela não tivesse mais coragem de voltar à cena!
      Sai, zumbi !

      0
      • Eng japa 5 de julho de 2012 at 09:31

        Na verdade o cirilo gastou o que tinha e que não tinha pelos próximos 30-35 anos, e com isso teve de vender até as bol… Cof cof

        0
      • MrLBS 5 de julho de 2012 at 17:55

        Eu acho que a Kássia é um homem…acho que ‘ela’ é um tal de Fullgencio do Fórum Skyscraper City.

        Podem investigar. Tenho certeza que é!.

        0
        • MrLBS 5 de julho de 2012 at 17:57

          Ou então o Fullgencio é uma mulher…. é a Kássia…

          0
          • Eduardo Farias 6 de julho de 2012 at 09:56

            Ela é dona deste blog, incentivando as pessoas a comprar imóveis

            http://www.politicaeconomia.com/2012/07/imoveis-o-momento-de-comprar-e-agora-e.html

            0
            • MrLBS 6 de julho de 2012 at 12:17

              Eduardo,

              Eu sei. Veja a correlação entre os posts no blog da Kássia e os posts do tal Fullgencio no forum SkyScraper City.

              Com disse, tenho certeza que são a mesma pessoa.

              0
              • Eduardo 12 de julho de 2012 at 17:10

                E o meu pressentimento é que ela trabalha na imobiliária Lopes Royal.

                0
  • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 01:58

    Bolha acredito que os acessos estejam subindo desordenadamente, e deve aumentar nos próximos dias, precisamos organizar as informações para que todos que venham aqui buscar informações sobre a bolha as encontrem no topo.

    Não seria possível colocar a carta do engenheiro ricardo no head line junto com um FAQ sobre a bolha abaixo da carta dele. E em second line sempre o ultimo post.

    Abraços!!!

    0
    • O Irritado 5 de julho de 2012 at 03:21

      Boa ideia.
      Não só a carta do Engenheiro Ricardo, mas outros posts “históricos”.
      De repente, um link específico para os debutantes, à direita, lá em cima, bem visível.

      É uma pena que quem chegue agora não perceba que vários clichês (e outros argumentos mais inteligentes, mesmo que não correspondessem à realidade) foram jogados no liquidificador do blog e, mesmo expostos agressivamente por pseudo-investidores travestidos de pseudo-debatedores (sem falar dos corretores), foram derrubados um a um, mais de uma vez, após muito debate (alguns até bem “quentes”) e, principalmente, que muito do que acontece hoje, em 2012, havia sido “cantado” aqui anos atrás, nadando contra uma corrente comparativamente muito maior que a atual (embora devamos estar preparados para atos mais agressivos a cada dia que passa, não nos enganemos, muito bolhudo “vai morrer atirando”).

      Caso contrário, temo que sem isso desavisados caiam facilmente no conto de que aqui é um blog de fanáticos sonhadores (embora haja mesmo alguns “radicais”, o que é bom, uma das virtudes do blog é não ser dogmático), pois hoje os pró-bolha são minoria nas discussões, mas antes não era bem assim.

      Continuo reforçando a sugestão de um “plano de contingência”, pois com certeza o blog será alvo de ataques, pode acreditar. Se os patrocinadores dessa insanidade (que pudemos constatar recentemente – me refiro àquele evento do BC – remonta a 2007) fizeram o que fizeram, derrubar um site é mole.

      Guardadas as devidas proporções, claro, lembra do Assange? Pois é.

      0
  • O Irritado 5 de julho de 2012 at 02:09

    Meu Deus…. sem comentários….

    “http://oglobo.globo.com/pais/operarios-aceleram-obras-para-inauguracao-com-presenca-dilma-5395018”

    OBS: Atente para 42 m2 avaliado (pela Prefeitura!) em R$ 63k: R$ 1,5k/m2

    0
    • self 5 de julho de 2012 at 09:41

      Qual é a família que consegue morar, com qualidade, em 42m²? Cade o espaço para os filhos estudarem em casa, entre outras coisas? Esse pessoal da habitação popular tá de brincadeira.

      0
      • hannamanana 5 de julho de 2012 at 10:14

        Depende de como esta família vivia antes… hehe

        0
  • RGD 5 de julho de 2012 at 03:39

    A minha namorada me mandou o último artigo do Ricardo Amorim por e-mail. Diz que recebeu como motivação de vendas. Lembrando novamente, ela trabalha em uma das maiores imobiliárias do país. Ela não entendeu muito bem o argumento dele. Achou principalmente estranho ele usar consumo per capita de cimento para justificar que não estamos vivendo uma bolha imobiliária.

    Aproveitando, vou fazer um balanço do trabalho dela nesse último semestre. Ano passado ela vendeu muito pouco apesar de ter dezenas de clientes em potencial, recebeu menos de 10 mil reais o ano todo. Basicamente pagou para trabalhar. Estava super desanimada. Os negócios não aconteciam de jeito nenhum. Construtoras e proprietários negociavam muito pouco. No primeiro semestre desse ano, ela vendeu 3 apartamentos e já ganhou 38 mil reais de comissão. O bom é que finalmente os vendedores estão dispostos a negociar mais.

    O apartamento em que ela ganhou a maior comissão desse ano saiu com um desconto de 15%, o que era praticamente impossível há um ano. Mesmo assim achei o preço final ainda muito alto apesar do cliente dela estar super satisfeito com o negócio. Esse cliente sofreu muito na mão de vários corretores, ligavam, por exemplo, dizendo que se ele não fechasse o negócio imediatamente, perderia o imóvel. Sempre falei para ela se quisesse dar bem nesse ramo, teria que sempre buscar a ser honesta com o cliente, nunca usar táticas de venda deploráveis usadas por outros corretores, e procurar o melhor negócio possível. Com esse cliente, ela fez tudo certo, procurou e mostrou dezenas de apartamentos, foi paciente e honesta o tempo todo, nunca o pressionou, e depois de um ano encontrou o imóvel dos sonhos do cliente com um desconto de 250 mil reais em relação ao preço do ano passado.

    Esse final de semana ela vai trabalhar no lançamento do novo Alphaville em Belo Horizonte. Me disse que eles já tem mais de 1000 reservas para pouco mais de 400 lotes. Achei estranho foi o fato deles nem anunciarem o valor dos lotes. Com certeza, é estratégia de vendas. Querem que o lançamento fique super lotado de tal forma que as pessoas comprem no impulso. Esse tipo de tática de venda deveria ser proibida. Só gera especulação. Ela mesmo está desanimada com o formato do lançamento. Na semana que vem, eu relato como foi.

    0
    • Sr. LB 5 de julho de 2012 at 09:58

      Aqui em Brasília também estão lançando a 2ª etapa do Alphaville. A primeira etapa parece que foi toda vendida na primeira semana (mais ou menos dois anos atrás). Hoje há dezenas de ágios tentando revender pelo mesmo preço do lançamento.
      Detalhe: o Alphaville Brasília fica no estado de Goiás, a uns 30 quilômetros do centro de Brasília.

      0
      • Henrique 12 de julho de 2012 at 17:17

        O Alphaville Brasília é o maior mico que existe! Se você acha os condomínios do Lago Sul longe, aquele condomínio é o fim do mundo. E fica no fim de uma estrada que nem duplicada é, não tem nada, comércio, nada. E pedem o olho da cara em um lote. Mas tem gente que paga, ou ao menos, corretor que compra para revender mais caro mais tarde.

        0
    • hannamanana 5 de julho de 2012 at 10:49

      Conta mesmo que queremos saber.
      O que você relatou creio que ilustra bem a realidade do mercado nos dias de hoje.
      Os donos que insistem em não dar nenhum desconto sobre a sobrevalorização de seus imóveis não estão encontrando compradores fáceis. Quando abrem mão de pelo menos 10%, conseguem compradores mais fáceis.
      Ainda sim, tem muita gente ainda comprando imóveis bolhudos (muitíssimo menos do que antes, mas tem)
      Ontem a noite, uma colega me contou que comprou um imóvel bolhudo semana passada. Ela disse que não aguentava mais esperar desde outubro do ano passado pela baixa no preço dos imóveis que ela também confiava que ia acontecer.
      Disse-me que só via os preços subirem, subirem, subirem e ficou com medo. Eu preferi nem falar nada mais sobre o assunto. Só disse: que legal.
      Agora vamos ver como será o segundo semestre para todos…

      0
      • RGD 5 de julho de 2012 at 15:44

        Não diria que tem muita gente comprando imóveis bolhudos, mas as vendas ainda acontecem. O mercado está bem parado considerando a quantidade enorme de pessoas tentando fazer negócio (vender ou comprar). Esse último cliente mesmo dela precisava vender 2 imóveis bolhudos para comprar o bolhudo que queria. Acabou comprando sem vender os imóveis porque recebeu ajuda do pai. Na verdade, esse é um tipos mais comuns de clientes dela: que quer trocar o imóvel que tem por um melhor ou maior. Muitos no final desistem porque não conseguem vender o imóvel que tem ou acham os preços dos imóveis que querem comprar muito alto ou fora do orçamento. Uma hora esse mercado terá que voltar a normalidade.

        0
        • hannamanana 6 de julho de 2012 at 09:55

          Exato.
          E o duro vai ser se estes imóveis bolhudos, que no final ele não precisou vender porque obteve ajuda, acabarem diminuindo muito o preço de venda.
          Uma hora ou outra a família vai precisar deste patrimônio.

          0
        • Henrique 12 de julho de 2012 at 17:24

          E o que acontece quando a pessoa compra um apartamento na planta com a esperança de pagar o saldo devedor na hora da entrega com o dinheiro da venda do imóvel onde mora.

          Muita gente vai se dar mal nesta transação, pois há oferta demais.

          0
  • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 5 de julho de 2012 at 06:25

    “http://blogs.estadao.com.br/jt-seu-bolso/quem-desiste-de-imovel-recebe-menos-do-que-deveria/

    Quem desiste de imóvel recebe menos do que deveria

    3 de julho de 2012 |
    23h03 |
    Tweet este Post

    Categoria: Casa própria, Construção, Consumo

    LUCIELE VELLUTO

    Comprar, desistir e sofrer para receber o que pagou de acordo com a lei. Essa tem sido a sina de consumidores que decidiram adquirir o imóvel próprio, mas cansaram de suportar a falta de respeito por conta da demora e atrasos na entrega.

    Dados da Associação dos Mutuários de São Paulo e Adjacências (Amspa) mostram que as reclamações contra as construtoras por causa da devolução do dinheiro quando o contrato é rompido cresceram 60% de janeiro a maio de 2012, em relação a igual período de 2011 – de 80 para 128.

    Para o presidente da Amspa, Marco Aurélio Luz, o aumento ocorre por causa do crescimento das vendas de imóveis associadas a problemas de atraso. “Muita gente compra por impulso e não lê o contrato. Aí desiste e vai à Justiça para ter o valor correto a ser devolvido.”

    Lendo ou não o contrato, o fato é que a construtora pode reter no máximo 15% do valor pago para o custeio de despesas administrativas e de publicidade. No entanto, há abusos de cobrança de índices superiores a 20%, e pior, do valor do total do imóvel, e não do que foi efetivamente pago até o momento da desistência.

    Outro motivo que tem levado mais consumidores à desistência da compra do imóvel é a valorização da unidade relacionada à demora na entrega. “Quando o imóvel está em construção, seu valor é corrigido mensalmente.

    Dependendo do aumento, o consumidor não consegue financiamento e acaba desistindo da compra”, diz o presidente da Associação Brasileira dos Mutuários de Habitação (ABMH), Leandro Pacífico.

    No caso de devolução do imóvel e rompimento do contrato de compra, o consumidor que fez a opção por um problema pessoal tem direito a receber 90% do valor pago à empresa, corrigido por índices de inflação, e de uma vez. “Há uma súmula da Justiça Paulista que trata do tema. A empresa fica apenas com o que precisa para cobrir custos de administração de publicidade”, afirma Pacífico.

    No caso de o rompimento ocorrer por irregularidade no empreendimento ou atraso na entrega, o comprador tem direito a reaver 100% do valor, com correção. “A empresa só pode usar os seis meses do contrato para atraso por motivo de força maior, como uma enchente no local. Se o cliente se sentir lesado, cabe ação de danos morais”, diz Marco Aurélio Luz.

    Mas não é isso que tem ocorrido. De acordo com o advogado Marcelo Tapai, especialista em direito imobiliário, as empresas continuam cobrando muito a mais do que determina a Justiça no caso de desistência por parte do consumidor por causa de problemas na obra.

    “Há empresas que colocam em contrato um porcentual que ficará com a empresa sobre o valor total do imóvel ou um porcentual muito maior do que 10% ou 15%. Se o consumidor não souber do seu direito, ele acaba ainda devendo à construtora na hora da desistência.”

    Tapai explica que as cláusulas são abusivas e, mesmo em contrato, podem ser contestadas na Justiça. “As empresas não têm o que perder e, enquanto o consumidor não souber dos seus direitos, vão continuar abusando. Como pouca gente reclama, a situação fica cômoda.”

    O Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis de São Paulo (Secovi-SP) foi procurado, mas não se manifestou.

    0
    • GB 5 de julho de 2012 at 08:14

      Pra esse tipo de coisa o Secovi fica de boca fechada, mas se fosse algum jornaleco perguntando sobre “valorização eterna” eles dariam a opinião porca deles rapidinho.

      0
    • hannamanana 5 de julho de 2012 at 11:19

      A grande maioria não lê realmente o contrato ou pouco sabe sobre os seus direitos.
      Eu conheço vários que desistiram de imóvel no ano passado e até agora não viram nem a cor do dinheiro.
      E tem aquele caso que contei que ouvi numa festa do cara contando que o imóvel “se valorizou” tanto durante a fase de construção, que acabou “desenquadrado” do MCMV e agora a prestação aumentou absurdamente.
      Outro motivo que tem levado mais consumidores à desistência da compra do imóvel é a valorização da unidade relacionada à demora na entrega. “Quando o imóvel está em construção, seu valor é corrigido mensalmente.
      É só entrar no Reclame Aqui pra ver estas reclamações que ainda são poucas por lá. Os que eu conheço não postaram nada na internet (por enquanto) com medo de “represálias”.

      0
  • Pablo 5 de julho de 2012 at 07:53

    E viva ao Curintia!
    Parabéns ao TiTe.

    Agora voltando à realidade Brasileira:

    Pedidos de falência cresceram 16,5% no 1º semestre, diz Boa Vista

    Empresa de informações de crédito diz que alta da inadimplência de consumidores e empresas ao longo parece se refletir na solvência das empresas

    O número de pedidos de falência cresceu 16,5% no primeiro semestre, na comparação com igual período do ano passado, informou nesta quarta-feira a Boa Vista Serviços.
    Considerados apenas os números de junho, houve um aumento de 11,5%, na comparação anual, mas um declínio de 19,5% ante o mês imediatamente anterior.
    No caso de falências decretadas, houve um crescimento de 6,6% no semestre e de 13,5% em junho, em ambos os casos na comparação ano a ano.
    Já os pedidos de recuperação judicial e o deferimento dos pedidos de recuperação subiram 148,6% e 78,6% no semestre, respectivamente, ante janeiro a junho de 2011.
    “Os pedidos de falência vêm aumentando ao longo de 2012 na comparação com o mesmo período do ano anterior, o que não ocorria desde 2009”, observou a Boa Vista, em nota.
    A instituição considerou também que a alta da inadimplência de consumidores e empresas ao longo parece se refletir na solvência das empresas.
    Para a Boa Vista, a expectativa é de que o cenário favorável do mercado de trabalho mantenha a demanda interna aquecida e o consumo em alta em 2012, especialmente com a ampliação de medidas de apoio à indústria e a redução nas taxas de juros.

    0
  • ICF 5 de julho de 2012 at 08:07

    Pessoal,

    Diário de Pernambuco de hoje (57): “Nova fase no mercado de aluguel”. Presidente do Secovi admitindo que os aluguéis devem baixar de 10 a 30% nos próximos dois anos!! Ele recomenda que os proprietários não devem insistir em alugar por valor muito alto pois não irão conseguir e será pior deixar o imóvel vazio por período muito longo. Diretor de grande imobiliária (Arrecifes) admite que o futuro é de queda nos valores dos contratos. Aposta que os imóveis de desvalorizem em até 20% nos próximos 24 meses (isto mesmo, declaração de diretor de imobiliária = corretor). Não tenho o link direto para a reportagem, mas o site o jornal é o diariodepernambuco.com.br

    0
    • GB 5 de julho de 2012 at 08:21

      No Dilmanic quando a água bateu no joelho é que o pessoal começou a se desesperar.

      Não adianta, esse povo não vive de vento, eles têm gastos, corretores até podem viver de uma venda aqui e outra ali no semestre e complementar a renda vendendo NATURA ou os salgados da mãe enquanto tenta empurrar um imóvel, mas imobiliárias e construtoras não podem.

      Nem precisava ser nenhum Einstein para prever as quedas de tão óbvias, com o sumiço dos investidores, só sobram os consumidores finais e estes já estavam fora do mercado há muito tempo devido aos valores cobrados, hoje só compra quem for muito desavisado.

      Essa deve ser a 1ª vez que um Presidente do Secovi fala em certeza de baixas significavas, logo outros virão, isso afasta ainda mais os investidores.

      0
      • hannamanana 5 de julho de 2012 at 11:21

        ou Jequiti hahaha
        Acho que estas declarações ficarão mais frequentes.
        O que a Kassia teria a dizer sobre isto?
        Capaz de falar que a gangue do Bolha colocou uma faca contra a garganta do cara pra ele dar esta declaração.

        0
        • Bolha Imobiliária 5 de julho de 2012 at 11:46

          Eu não entendo aonde que estas pessoas contrárias ao blog querem chegar com estas provocações. Parecem crianças mimadas. Muito pelo contrário, em 2008 eu tinha recém me formado, pagava para trabalhar, e lógico, eu não tinha um centavo para comprar um imóvel. E continuo não tendo, pois este crescimento de renda defendido pelo governo, pelo menos para mim não existe, e acredito que seja assim para a grande maioria. E também não sou tão idiota de comprar algo financiado em uma economia tão instável como a brasileira, ficar 35 anos pagando por um absurdo. Continuo pobre, feliz, pagando aluguel, trabalhando com honestidade, e não devo 1 centavo pra ninguém. A critica alheia é a nossa audiência.

          0
          • O Irritado 5 de julho de 2012 at 13:04

            Repetindo o mantra:
            “Primeiro te ignoram, depois te ridicularizam, depois te combatem e por fim você ganha”
            Gandhi (mas poderia ser também Peter Schiff Norris)

            Mas você sintetizou com menos caracteres ainda: “A critica alheia é a nossa audiência” (posso usar?).

            Confesso que, depois desses últimos anos, em que havia sido difícil nadar contra a corrente, (todos nós escutamos muito), a paciência às vezes se esgota e fica difícil ignorar esses Morlok’s.

            Em tempo: aumento de renda? (onde?) É claro que houve, mas a inflação a engoliu antes, daí a sua sensação. O que importa é renda REAL (não somente “em reais”). Mas, com tanta gente perdendo, deve haver alguns ganhando, alguns pouquíssimos segmentos da sociedade teve,sim, ganho real (até agora).

            0
          • hannamanana 5 de julho de 2012 at 13:52

            Parece coisa de criança mesmo!!! Mas, quem leu atentamente cada declaração, vai vir atrás do Bolha pra saber – que raios de site é este que estão combatendo.
            Ai cai no que você falou. Sua crítica faz o meu IBOPE. Vai ser um tiro do pé dado por eles.
            E concordo com o que você falou sobre renda.
            Em 2008 o terreno um terreno que eu simpatizava custava 25.000.
            Agora custa 95.000 e não aconteceu nada de significativo no lugar para haver valorização de quase 4 vezes.
            Além disto, mesmo se eu economizasse todo o meu salário, eu ainda levaria X anos pra juntar o dinheiro (desde que congelasse nestes 95k Dilmas, como diz o GB). E este X eu considero um absurdo!
            Desculpa, mas nenhum dos argumentos que apresentam me convence que estes preços são justos! Que a valorização é correta.
            Minha renda não quadruplicou desde 2008.
            Eu acho comprar muuuuito fácil. Pagar é que o negócio!!!!

            0
    • ICF 5 de julho de 2012 at 08:21

      Na mesma reportagem, contraditoriamente, o presidente do Secovi dá uma “dica” aos que moram de aluguel: “é hora de pensar em comprar um imóvel”.
      KKKKK PLOC

      0
    • xyz 5 de julho de 2012 at 08:24

      Essa matéria é “estranha”.

      Na minha cabeça, o sindicato dos construtores quer mais é que os proprietários peçam preços absurdos, pois assim tira o imóvel do mercado e ainda pressiona a demanda para a compra.

      0
      • GB 5 de julho de 2012 at 09:33

        Não tinha pensado nisso, tipo destrutoras bancando matérias dizendo que o mercado está aquecido e que os proprietários merecem receber valores absurdos, enquanto isso, contraditoriamente, ela dá descontos e tenta vender os dela mais barato e se salvar por mais um trimestre torcendo para que as coisas mudem (a.k.a. torcendo para que aumente a renda do pessoal).

        Muito perspicaz meu caro xyz.

        0
        • O Irritado 5 de julho de 2012 at 13:09

          Atitude típica de um Maquiavel Nazi – com um segmento desse (ainda) prosperando livremente entre nós quem precisa de inimigos externos?

          0
    • Rico 5 de julho de 2012 at 10:19

      Isso é bom, pois meu aluguel está em vias de ser renovado.

      0
  • nathália 5 de julho de 2012 at 08:17

    Preço de imóvel desacelera – Jornal do Commercio (PERNAMBUCO), 05/07/12

    HABITAÇÃO Índices ainda mostram alta, mas na comparação com o histórico recente do Grande Recife, houve redução no movimento

    Giovanni Sandes

    Depois de acumular, nos últimos anos, altas expressivas nos preços de imóveis, a subida nos valores de apartamentos recifenses começou a desacelerar, segundo corretores e empresários do ramo imobiliário. Isso não significa haver queda de preços: os índices ainda mostram alta, especialmente se comparados ao resto do Brasil. Mas, na comparação com o histórico recente do Grande Recife, houve redução no ritmo de alta. O mercado fala em “acomodação” de preços.

    Um exemplo é um apartamento de 70 metros quadrados no Bairro de Campo Grande, que custava por volta de R$ 150 mil em junho de 2010. Em 12 meses, ele subiu para R$ 230 mil. Porém, em mais um ano, alcançou R$ 280 mil.

    “Está realmente havendo uma acomodação de preços. Não quer dizer que seja uma baixa, nem bolha, mas passamos da euforia do mercado”, afirma Frederico Mendonça, diretor da Imobiliária Arrecifes.

    “Nesta época do ano, geralmente, há uma baixa na procura. Isso é normal. Agora, que os preços desaceleraram, estão se estabilizando, isso é verdade”, comenta o corretor da E&M Imóveis, Emanoel Lima. Ele dá como exemplo de um apartamento de dois quartos e 70 metros quadrados em Boa Viagem, hoje oferecido a R$ 300 mil, mesmo preço, há um ano, de um três quartos mais dependência de empregado. “Os valores chegaram a um nível muito expressivo”, suaviza.

    O presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-PE), Daniel Melo, diz que a categoria tem comentado o movimento de mercado. “A subida de preços deu uma desaquecida. Mas não queda”, diz o presidente do Creci-PE.

    Apesar de não traduzir com fidelidade o comportamento do mercado, por se restringir a preços registrados no Portal Zap Imóveis, o FipeZap, produzido com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), mostra que no segundo trimestre deste ano, período normalmente de redução nas vendas, os preços subiram 2,2%. Embora no mesmo período de menos negociações, no mesmo trimestre, em 2011, a houve alta de 5,8%.

    Edneide Carvalho é corretora há mais de 20 anos. Ela diz que os preços não estacionaram, mas que houve uma reduzida na marcha. “Os preços subiram muito e o poder aquisitivo da população às vezes não alcança”, acredita a corretora. É o que pensa Frederico Mendonça, da Arrecifes. “Se não chegamos ao topo dos preços, estamos perto. As pessoas não estão mais tendo condições de suportar.”

    Diretor da DMC Imóveis, José Carlos Miranda, ressalta que não há desaceleração nas vendas. “Estamos experimentando uma redução de oferta de apartamentos novos, porque ainda não se resolveu a burocracia para a emissão do memorial de incorporação. Sem ele, as construtoras não podem fazer lançamentos”, explica José Carlos.

    Ainda de acordo com o diretor da DMC, o problema é que o cliente tem preferência por imóveis novos, por falta de poupança para comprar um usado ou a entrada de imóveis nos saldos remanescentes das construtoras – prédios recém-entregues, mas com apartamentos não vendidos.

    Aumenta ritmo de vendas dos novos

    O menor ritmo de aumento de preços de imóveis não implica em menor velocidade nas vendas dos apartamentos novos. Segundo o Índice de Velocidade de Vendas (IVV) da Federação das Indústrias de Pernambuco, produzido por sua Unidade de Pesquisas Técnicas (Uptec), no acumulado de 2012 até maio, houve alta na comparação com o mesmo período do ano passado.

    O IVV não vale para todo o mercado. Ele não alcança imóveis usados, a maioria absoluta das vendas, mas somente os novos. De acordo com a pesquisa, em maio foram ofertados 3.849 imóveis novos. “Cabe ressaltar que o estoque apresentado no acumulado de janeiro a maio de 2012 continua baixo quando comparamos a anos anteriores, sendo a segunda menor oferta para um mês de maio desde 2001”, informa a pesquisa.

    Danyelle Monteiro, economista da Uptec, afirma que o mercado da Região Metropolitana do Recife continua aquecido, embora tenha havido um pequeno aumento na quantidade imóveis em estoque em maio, uma alta de 1,2% no total de apartamentos disponibilizados pelo mercado.

    Há dois anos, o estoque de imóveis do Grande Recife girava em torno de 6 mil unidades.

    Mas o grande apetite no consumo de apartamentos pelo consumidor local e também a falta de terrenos disponíveis para a construção de novos empreendimentos, comenta a economista, terminou dificultando a expansão das construtoras na capital.

    Por causa disso, ainda que de forma tímida, áreas não muito tradicionais começam a ser captadas como alvo de alguns lançamentos das empresas, como em Paulista, tanto no centro da cidade quanto em Arthur Lundgren e Janga. Também aparecem no IVV ofertas na Imbiribeira, no Recife, e um volume de imóveis um pouco maior no Bairro da Boa Vista.

    “As localidades tradicionais continuam a predominar na pesquisa. Boa Viagem, sozinha, respondeu por 33,8% das ofertas. Mas eu diria que o aparecimento das novas áreas na pesquisa podem indicar a aposta do mercado em áreas alternativas. Isso é um processo lento, não é da noite para o dia. Leva um tempo até essas novas regiões amadurecerem”, afirma Danyelle.

    0
  • nathália 5 de julho de 2012 at 08:28

    A matéria do Diário de Pernambuco:

    Nova fase no mercado de aluguel (Diário de Pernambuco, 05/07/12)

    Valores dos contratos de locação começam a se estabilizar nos imóveis residenciais e caem nos empresariais

    Quem acompanha o mercado imobiliário observa que o tempo, agora, é outro. O preço do aluguel, que, por dez anos, subiu acima do que deveria, já se mostra mais estável desde o ano passado, quando passou a acompanhar a inflação. Mas e daqui para frente? Como esse mercado vai se comportar?

    Para o presidente do Sindicato da Habitação de Pernambuco (Secovi), Luciano Novaes, as previsões para os próximos dois anos variam de acordo com o tipo de imóvel. O residencial que se encontra alugado deve manter o valor atual. Já o imóvel desocupado deve ter seu valor reduzido na ordem de 10%, a fim de atrair inquilinos.

    Quanto aos imóveis empresariais, a queda dos preços deve variar de 10% a 30%. “Salas de empresariais de luxo devem sentir menos a queda dos preços: de 10% a 20%. Imóveis situados em empresariais de médio padrão devem ter seus preços reduzidos em 30%, patamar que pode ser enfrentado também por empresariais de estrutura mais simples”, prevê Novaes.

    Luciano Novaes recomenda que proprietários fiquem atentos às propostas de administradores e corretores de sua confiança, e acrescenta que é importante observar o cadastro do inquilino. “Caso haja procura pelo imóvel, o proprietário não deve insistir em um valor muito alto. A maneira mais fácil de danificar um imóvel é fechá-lo: o importante é que ele esteja ocupado”, sugeriu.

    Para o diretor da Arrecifes Imóveis, Frederico Mendonça, o futuro do mercado de aluguel é de queda nos valores dos contratos. Mendonça aposta que, nos próximos 24 meses, os imóveis se desvalorizem em até 20%.

    Para quem mora de aluguel, uma dica do presidente do Secovi: é hora de pensar em comprar um imóvel. “É mais rentável optar pela compra do imóvel do que prolongar a locação. Esse é o momento para reunir recursos”, finalizou. Outra dica para quem pensa em comprar o imóvel para investir é a localização.

    Segundo Mendonça, a proximidade da praia, do shopping e de colégios faz com que Boa Viagem ocupe o topo da lista de regiões mais procuradas. Já o contato com praças e colégios, além da proximidade em relação ao Centro da cidade, leva muita gente a optar pelo bairro da Jaqueira.

    0
    • self 5 de julho de 2012 at 09:43

      Se o próprio SECOVI já admite queda, só resta uma alternativa: proprietários, fujam para as colinas!

      0
  • Ralph 5 de julho de 2012 at 09:13

    A liquidacao esta a todo vapor, veja o e-mail que recebi hoje (por sinal ja havia sido qualificado como spam e estava na lixeira).

    http://emkt.corretorlopes.com.br/emkt/tracer/?1,914388,80286c99,b0d9

    se ja estao oferecendo 30% via e-mail, imagina com $$$ na mao !!!!!

    0
    • Felipe 5 de julho de 2012 at 13:16

      ROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOONAAAAAAAAAAALDDDDDDDDDIIIIIIIIIIIINHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH ……………..

      0
  • Rodrigo 5 de julho de 2012 at 09:14

    Olha quem discutindo com o André?

    “http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/colunista/35_RICARDO+AMORIM

    Kassia Tavares
    EM 05/07/2012 01:19:53

    André, qual dos membros do Bolha que deu essa entrevista para a TV alemã sobre a bolha imobiliária brasileira? Achei muito boa a entrevista. Veja no vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=Xu9U30GhFQg E informe qual o frequentador que deu a entrevista. Estou curiosa para saber!!

    0
    • Bolha Imobiliária 5 de julho de 2012 at 10:53

      Ah, mas isto vai ter troco…hahahaha

      0
      • Crase 5 de julho de 2012 at 12:12

        Bolha, na boa, há muito que eu não ria tanto. O cara realmente foi muito talentoso, digno dos melhores videos de paródias de “a queda”. kkkkkk…
        kkkkk…
        kkkkk…

        Lembremos, entretanto, que se subiu 400% basta cair 80% pra voltar ao valor inicial, e que se subiu 100% então 50% recupera o valor inicial. Sem falar que no caso de 100% resulta menos de 50% dada a inflação.

        P.S. Tem que ter troco mesmo…

        0
        • Bolha Imobiliária 5 de julho de 2012 at 12:16

          Eu já fiz um video do famoso Valair, lembrando da sátira “Valair na bolha”…Acho que temos argumentos muito mais engraçados do que estes apresentados…hehe

          0
    • Corvo 5 de julho de 2012 at 14:58

      Como todos já sabem:

      “Primeiro te ignoram, depois te ridicularizam, depois te combatem e, por fim, você ganha”.

      Que bom, já passamos da fase de sermos ignorados…
      Na verdade, parecem que já querem nos combater…….

      0
  • Rodrigo 5 de julho de 2012 at 09:15

    Olha quem discutindo com o André?

    “http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/colunista/35_RICARDO+AMORIM

    Kassia Tavares
    EM 05/07/2012 01:19:53

    André, qual dos membros do Bolha que deu essa entrevista para a TV alemã sobre a bolha imobiliária brasileira? Achei muito boa a entrevista. Veja no vídeo:
    “http://www.youtube.com/watch?v=Xu9U30GhFQg
    E informe qual o frequentador que deu a entrevista. Estou curiosa para saber!!

    0
    • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 09:30

      pois é, nem dei bola e ela sumiu kkkkkkkkkkkkkassia

      0
      • Rodrigo 5 de julho de 2012 at 09:41

        Boa André!

        0
    • charles 5 de julho de 2012 at 11:26

      Caso os colegas não saibam: a Kassia é corretora de imoveis em BSB.

      Outro ponto importante a destacar é que no blog dela a maioria das postagens não tem nenhum comentario, e quando chega ao pico de 3 comentarios são pessoas a ridicularizando por suas ideias em seu próprio espaço.

      Ela surtou e está invadindo outros sites para tentar disseminar seus delirios. Afinal, ninguem liga para o que ela escreve no seu blog!

      0
      • Ploc verde de limão 5 de julho de 2012 at 12:14

        Eu sou uma dessas 3.
        Como ela deve ser pau mandado, ou sofreu aquelas lavagens cerebrais só vai reconhecer quando alguém disser para ela reconhecer.

        0
      • Eduardo 5 de julho de 2012 at 13:35

        E caso você não saiba, as reportagens da Kassia saem sempre depois que surge alguma discussão sobre algum assunto no fórum do skycrapercity sobre bolha imobiliária.

        Por exemplo, teve discussão sobre demora nas obras de infraestrutura do Setor Noroeste (um bairro novo, num local nobre, mas que ainda não tem nada, mas estão pedindo R$ 10 mil no metro quadrado), logo depois surge uma reportagem da Kassia no blog dela:

        http://www.politicaeconomia.com/2012/06/setor-noroeste-brasilia-situacao-das.html

        Depois surge discussão sobre cobrança de juros no pé, pelo STJ, e logo depois surge algo no blog da Kassia, parabenizando o Tribunal:

        http://www.politicaeconomia.com/2012/06/stj-permite-juros-antes-das-chaves-em.html

        Muita coincidência, não?

        E agora recentemente, muitas pessoas foram banidas do fórum, por criticarem o forista corretor de imóveis, chamado Fullgencio.

        0
        • Fernandão Bolhudo 5 de julho de 2012 at 22:00

          Ué….

          Mas essa Kassia do Blog Política e Economia e o usuário Fullgêncio não são a mesma pessoa????

          A Kassia, no uso do pseudonimo Fullgêncio faz referência expressa ao seu Blog Política etc no seu perfil!!! O padrão de escrita é o mesmo e as notícias e argumentos também.

          Oras… Eu sempre achei que esses são a mesma pessoa. Por que essa dúvida está surgindo agora?

          0
      • hannamanana 5 de julho de 2012 at 13:54

        Tá explicado!!!

        0
    • O Irritado 5 de julho de 2012 at 12:18

      Sei que não deveria, mas após essa não deu, tive que passar lá de novo!
      Pô, não dá para lidar com esse pessoal,mentem até nas legendas.
      Só resta às pessoas de bem a leitura labial!

      Em tempo: o vídeo original é engraçado (e NÃO é alemão!! Karamba, nem isso…. ), mas eu ri muito mais, mas muito mais mesmo, foi com aquela piada do “consumo de cimento per capita”. Já é antológica (de “anta”, bem entendido)!

      0
    • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 5 de julho de 2012 at 19:42

      “http://www.snk-neofighters.com/forum/index.php?showtopic=42012
      Esse é o video orifginal que conta a historia do apresentador que foi demitido
      è Belga

      0
  • self 5 de julho de 2012 at 09:52

    Do boletim “Bom Dia ADVFN” de hoje:

    “A Alphaville Participações entrou com procedimento arbitral contra a Gafisa para resolver uma controvérsia na compra da Alphaville Urbanismo. A Gafisa entende que devem ser emitidas 70,2 milhões de ações ordinárias, ao preço de R$ 5,11, enquanto a Alphaville Participações calcula o preço de emissão de R$3,70, com a emissão de 97 milhões de ações…”

    Fechamento GFSA3 de ontem: R$2,57

    Tirem suas conclusões.

    0
    • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 09:58

      Mais barato que pão plusvitta kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      0
    • GB 5 de julho de 2012 at 10:04

      Droga, quando estava quase em R$ 1,99 os caras deram um jeito de vitaminar a coisa.

      Com todas essas notícias ruins, o interesse da sardinhada pela Bolsa de Valores faz a astrologia parecer uma ciência exata.

      0
      • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 10:06

        Acho eu que a queda da GAFEsa será o sinal para o estouro da manada.

        0
    • Seu Madruga 5 de julho de 2012 at 16:13

      Com certeza o valor da ação da Gafesa não vale o patrimônio dela declarado em balanço. Só não deixam ela quebrar pois o patrimônio da Gafesa é baseado em terrenos e empreendimentos bolhudos, se contabilizarem em valores reais não deve dar 1,99 por ação. Por isso não declaram falência desse Zumbi, pois poderia ser a primeira pedra do dominó das construtoras.

      0
  • Eng japa 5 de julho de 2012 at 09:57

    Para ver a reportagem completa acessem http://veja.abril.com.br/acervodigital/home.aspx a reportagem está na edição 1344 pág 106 e 107

    []s

    0
    • Bananildo 5 de julho de 2012 at 11:38

      Ótima dica, Japa! Obrigado!

      0
    • Laranja 5 de julho de 2012 at 11:44

      Muito bom!

      0
    • Seu Madruga 5 de julho de 2012 at 16:13

      Obrigadão!!!

      0
  • indião 5 de julho de 2012 at 09:59

    mais uma da série “os efeitos da inadimplência”

    http://economia.ig.com.br/empresas/2012-07-04/pedidos-de-falencia-cresceram-165-no-1-semestre-boa-vista.html

    by the way,
    repararam que ninguém que refuta a “hipótese de estouro da bolha” fala sobre o verdadeiro gatilho da mais recente e famosa bolha do mundo?

    explico =
    bush tinha sido eleito em 2000 (lembram da eleição das cédulas ???) e menteve déficits fiscais sustentados por enxugamento de liquidez via aumento dos juros (de 1% ano para 4% a ano).
    Não precisa ser economista para imaginar o efeito disso na prestação dos financiamentos imobiliários a juros PÓS fixados.

    daí até o nascimento das “cidades de lona” nos states foi um pulinho.

    o gatilho? inadimplência!

    1) qual a diferença entre não pagar a prestação por que aumentou ou por que perdeu o emprego, ou por que o orçamento apertou?

    2) com o aluguel caindo, vcs tb acham teremos gente devolvendo imóvel e voltando pro aluguel?

    0
  • MrK 5 de julho de 2012 at 10:08

    O maior problema das pessoas é aceitar como verdade tudo que lêem na midia

    por exemplo: Faltam imoveis nas cidades
    por exemplo: Preço de imovel nunca cai
    por exemplo: A europa está quebrada e aqui estamos bem

    A gente precisa exercitar nosso poder de crítica, ande nas ruas e veja se faltam imóveis mesmo, veja no passado recente se o preço realmente nunca cai, veja em outros países… dê uma volta na Europa e veja se os países estão quebrados e vivendo pior que a gente, veja a educação que um espanhol recebe e pense se em 10 anos é crível ultrapassarmos este nível…

    esse é a máxima do Andre (ex do blog) “se saiu na mídia e tem um indicador calculado então é verdade”, ou seja, confia-se mais no Ricardo Amorim e no índice de cimento que ele inventou do que no que está a frente do seu próprio nariz! Pena eu não ter tempo, se eu saisse com uma filmadora pela ZS do Rio e Barra, com menos de 5 minutos do youtube eu desmascaro toda essa falácia da mídia

    0
    • hannamanana 5 de julho de 2012 at 11:26

      Extamente…
      Enquanto isso… repito exaustivamente… quem pode me explicar o que está acontecendo com a florada das plaquinhas na minha cidade???
      Vende-se, aluga-se, vende-se, aluga-se…
      Conheço vários que ainda estão comprando. Um número muito menor do que antes, mas ainda tem…
      No entanto, as plaquinhas se acumular e florescem a cada dia mais e mais…
      Nenhum corretor me dá uma explicação.

      0
      • Luiz 5 de julho de 2012 at 12:40

        MRK, SEM FaLAR QUE SE CONTENTAM COM pouco

        Bastou um descontinho de no maximo 15% e esvaziaram o patio das montadoras, sem imaginar que o mesmo carro custa menos da metade do preço nuim país civilizado e com renda muito maior.

        0
  • EngSJC 5 de julho de 2012 at 10:34

    belíssimo texto….

    TÔ COM O SACO CHEIO DOS POPULISTAS. CHEGA! DEIXA O PAÍS CRESCER.

    Voltava pela Avenida Aricanduva. O sinal fechou. Olhei à direita e, encostado no muro que separa a casa da rua, vi um homem olhar em direção à sala. Seu olhar buscava a cozinha e ele gritou: “Traz a ampola, nega!”.
    Em algum cemitério da cidade, o corpo putrefato do Estevam virou. “Tô fora da decisão da Libertadores. Sem terceiro tempo, sem nada.”
    Agora a economia deve pegar no breu! Mantega e suas previsões nunca incluíram a variável determinante do crescimento. O otimismo popular!
    Taí. A inadimplência que vá ao inferno. Ao consumo, galera. O Coringão levou a taça! E a economia vai retomar.

    Acordei.

    Tudo “continuava como d’antes, nol quartel de Abrantes”. Crédito seletivo, montadoras demitindo, bancos preparando as demissões, siderurgia enxugando e, no campo, a área plantada sofrendo reduções. O consumo de insumos também.

    Menos produto, por hectare. No sistema de saúde, o caos está instalado. A educação acompanha a saúde. A insegurança cresce. Ônibus são incendiados todos os dias e, todos os dias, policiais militares são mortos. Quartel é incendiado no Pará.

    Dilma reina no Mercosul. Está preocupada com a democracia no Paraguai. A democracia é fundamental no bloco. O Corinthians é o campeão da Libertadores. O futebol é o ópio do povo.

    Precisamos organizar um congresso de estudantes. Que tal em Ibiúna? Para presidi-lo, Patriota na cabeça, Dilma na vice-presidência.

    Enquanto isso, no Paraguai, se expulsa o embaixador venezuelano. O próximo pode ser o brasileiro. Na Bolívia, a Petrobras não entra mais. No Peru, o candidato socialista finge não ver nada.

    Viva a anarquia, viva as ideologias. Pragmatismo é coisa do Corinthians. Ganhou e isso basta.

    Fonte: blog Grisi

    0

  • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 10:34

    Lembro-me que no começo do Plano Real vi uma casa na Urca (!!!) anunciada por 80 mil dólares. Precisava de reforma, mas não estava detonada.

    O Real ficou muito valorizado naquela época, tal qual vimos há pouco tempo.

    Converta o valor de uma casa na Urca hoje, a mais mixuruca que for, e veja a inflação em dólar.

    0
  • Rico 5 de julho de 2012 at 10:36

    Olha aí mais um post:

    h t t p : / / www1.folha.uol.com.br/mercado/1115353-alta-no-preco-dos-imoveis-novos-desacelera-em-sao-paulo.shtml
    Leitura real: “A casa caiu!!!”

    Após forte alta em 2011, os preços dos imóveis novos na capital paulista estão desacelerando. O valor do metro quadrado subiu 6,3% entre janeiro e maio, ante crescimento de 10% no mesmo período do ano anterior.

    Análise: Segmento residencial vive fase marcada pela prudência

    A previsão do setor é encerrar o ano com elevação entre 10% e 15%, segundo dados do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), bem abaixo dos 26% de 2011.

    Segundo especialistas, apesar de estar crescendo em menor velocidade, a alta é significativa, uma vez que os preços já estão em patamar elevado.

    “A economia está desacelerando e o governo vem revisando as previsões para o PIB [Produto Interno Bruto]. Apesar disso, a alta dos imóveis chegou a 6,3% neste ano”, afirma Emílio Kallas, vice-presidente de Incorporação e Terrenos Urbanos do Secovi-SP.

    Um dos principais fatores de pressão no custo é a escassez de terrenos que servem para incorporação.

    “É cada vez menor o número de terrenos com possibilidades de construção.” Para minimizar o problema, Kallas diz que seria necessária a revisão do Plano Diretor de São Paulo, de 2002.

    A revisão prevê mudanças nas diretrizes para o ordenamento da cidade, como as regras do uso do solo.

    “Além disso, a burocracia nos processos de licenciamento dos projetos resulta em maior custo dos empreendimentos, que é repassado para o consumidor.” O prazo para aprovação de um projeto chega a quatro anos.

    LANÇAMENTOS

    A redução na oferta de imóveis também poderá pressionar os preços neste ano.

    Os lançamentos de unidades residenciais na capital paulista recuaram 31,4% nos primeiros cinco meses do ano ante o mesmo período de 2011 e atingiram o menor resultado entre janeiro e maio desde 2009, auge da crise internacional.

    Ao mesmo tempo, as vendas de unidades novas tiveram alta de 13,1% no período, segundo dados do Secovi-SP.

    Para Ana Maria Castelo, coordenadora de projetos da construção da Fundação Getulio Vargas (FGV), o mercado passa por um momento de ajuste.

    “Houve formação de estoque durante o ano passado como resultado das vendas fracas. As empresas agora estão reduzindo os lançamentos como forma de equilibrar a oferta.”

    Eliane Monetti, professora da Universidade de São Paulo (USP), destaca ainda que as construtoras reduziram o ritmo após dificuldades para entregar empreendimentos dentro do prazo nos últimos anos.

    O crescimento dos negócios também é resultado de uma base de comparação mais fraca: as vendas em 2011 na comparação com 2010 recuaram 21% e chegaram no menor nível desde 2005.

    A pesquisa mostra ainda que o VGV (Valor Global de Vendas) ficou em R$ 5,08 bilhões até maio, valor que corresponde a aumento de 6% sobre o resultado dos cinco primeiros meses de 2011.

    0
    • Revoltado 5 de julho de 2012 at 14:37

      bem, os indices oficiais ainda apontam alta.

      Pelo menos o discurso já não é mais de 30% ao ano.

      0
  • halt 5 de julho de 2012 at 10:37

    Destaques na página principal do UOL hoje:

    “Alta no preço dos imóveis novos desacelera em São Paulo”

    “Preços para baixa renda desaceleram em junho, aponta FGV”

    0
    • Shakespeare 5 de julho de 2012 at 18:21

      é para contrapor com esta daqui:

      “http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/0992/noticias/a-maior-alta-do-mundo

      0
  • Rico 5 de julho de 2012 at 10:38

    É impressionante. As vezes acho que vão vender os apartamentos para mortos-vivos, pois o cemitério é o único lugar que consigo imaginar vir tanta gente para ocupar o número de imóveis que estão sendo construídos.

    0
    • JPires83 5 de julho de 2012 at 11:08

      Rico, se for assim eu estou quase lá, pq o meu apartamento é pouco maior que uma cripta, ele possui (47m²). Pior é que estão fazendo apartamentos menores que o meu a preços absurdos.

      0
      • halt 5 de julho de 2012 at 11:14

        Eu moro em um flat de 34 m² sem mobília em Brasília que custa R$ 1.900,00 por mês. É foda.

        0
        • RosinhA 5 de julho de 2012 at 18:48

          Caramba 1900 em um flat tá tudo errado mesmo !!!!!!!

          Se usar para se alimentar sem comer fora, come-se do bom e do melhor !!!!!!

          0
          • Luiz 5 de julho de 2012 at 20:26

            1.900 por mês da pra ficar num hotel aqui em SP

            0
            • JPires83 6 de julho de 2012 at 08:45

              Por 1500 reais por mês vc pode ser mensalista em um hotel razoável e perto do trabalho aqui em Vitória.

              0
    • Felipe 5 de julho de 2012 at 11:47

      depois dessa, vamos ter a bolha das catacumbas.

      0
      • Pena 5 de julho de 2012 at 12:23

        Já tem. Já viu o preço de um cantinho no cemitério? Nas capitais então…

        0
  • seeder 5 de julho de 2012 at 10:53

    Só notícia boa.

    +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    05/07/2012 – 08h46
    China corta juros pela segunda vez em um mês

    A China reduziu sua taxa de juros para empréstimos pela segunda vez dentro de um mês, em uma nova tentativa de reestimular a economia.

    O banco central chinês anunciou nesta quinta-feira que a taxa de juros para operações de um ano será rebaixada em 0,31 ponto percentual, para 6% ao ano, nesta sexta-feira.

    A medida vem a reboque de uma sequência de iniciativas para reestimular uma economia em processo de desaceleração.

    MAIS > http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1115419-china-corta-juros-pela-segunda-vez-em-um-mes.shtml

    +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    05/07/2012 – 09h00
    Banco Central Europeu reduz juros para nível recorde

    O BCE (Banco Central Europeu) anunciou nesta quinta-feira a redução da taxa básica de juros para a zona do euro de 1% para 0,75% ao ano, o mais baixo desde a criação da moeda comum.

    A medida era amplamente esperada pelos mercados financeiros.

    MAIS > http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1115424-banco-central-europeu-reduz-juros-para-nivel-recorde.shtml

    +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    05/07/2012 – 04h45
    Governo já fala em PIB de 2% e adia recuperação para 2013

    O governo Dilma adiou mais uma vez a previsão de recuperação da economia brasileira e já trabalha com um crescimento neste ano de apenas 2%, menos do que a última projeção oficial do Banco Central, de 2,5%.

    Na avaliação de assessores presidenciais, o tombo da indústria em maio mostra que a retomada da economia está demorando mais do que o previsto por conta de endividamento, comprometimento da renda familiar e baixa competitividade da indústria.

    MAIS > http://www1.folha.uol.com.br/poder/1115330-governo-ja-fala-em-pib-de-2-e-adia-recuperacao-para-2013.shtml

    0
  • seeder 5 de julho de 2012 at 11:11

    E prá quem optou por “PAGAR O PATO”…

    3 de julho de 2012
    Quem desiste de imóvel recebe menos do que deveria

    Comprar, desistir e sofrer para receber o que pagou de acordo com a lei. Essa tem sido a sina de consumidores que decidiram adquirir o imóvel próprio, mas cansaram de suportar a falta de respeito por conta da demora e atrasos na entrega.

    Dados da Associação dos Mutuários de São Paulo e Adjacências (Amspa) mostram que as reclamações contra as construtoras por causa da devolução do dinheiro quando o contrato é rompido cresceram 60% de janeiro a maio de 2012, em relação a igual período de 2011 – de 80 para 128.

    MAIS > http://blogs.estadao.com.br/jt-seu-bolso/quem-desiste-de-imovel-recebe-menos-do-que-deveria/

    0
    • seeder 5 de julho de 2012 at 11:16

      Uai, por que o Secovi não se manifestou? Eles são tão proativos quando o assunto é alta no preço imóveis, demanda e estabilidade do mercado… muito estranho, né?

      TRECHO: “O Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis de São Paulo (Secovi-SP) foi procurado, mas não se manifestou.”

      0
  • Eddie 5 de julho de 2012 at 11:20

    Sei que não temos indicadores estatisticamente e metodologicamente confiáveis para os preços dos imóveis, mas é interessante ver que para ô mês de Junho que passou as estatísticas de preços mostrada pelo site Agente Imóvel mostram no Rio de Janeiro queda de 1.4% no preço mediano do metro quadrado e queda de 2.8% no preço mediano dos imóveis. Ao mesmo tempo, a oferta de imóveis aumentou 14.3% (infelizmente não achei a base de cálculo).

    Interessante.

    Abçs.

    0
  • Luciano-ctba 5 de julho de 2012 at 11:21

    Calote muda crédito para carros
    A escalada da inadimplência, que em maio superou o nível histórico de 6%, mexeu com o mercado de financiamento de veículos no país. Os grandes bancos promoveram uma forte redução das concessões de empréstimos, como mostram os dados de registro de automóveis do sistema da Cetip, obtidos pelo Valor.

    Um dos que mais perderam participação foi o Itaú Unibanco, que saiu de uma fatia de mercado de 21% das liberações de empréstimos, em abril, para 16% em maio. Bradesco e Santander também desaceleraram o ritmo.

    O único dos grandes que ganhou participação foi o Banco do Brasil. O banco cresceu com uma mudança importante de estratégia, passando a conceder empréstimos primordialmente em suas próprias agências, deixando de lado as concessionárias e as agências de carros usados, diz Paulo Caffarelli, vice-presidente do BB.

    Nesse cenário ruim para os bancos comerciais, as instituições ligadas às montadoras saíram ganhando. A pressão dos controladores para destravar a venda de veículos e diminuir os estoques fez os braços financeiros das fábricas despejarem dinheiro no mercado com taxas subsidiadas. “Feirões”, “promoções” e “taxa zero” viraram palavras de ordem.

    O resultado foi a disparada da participação de mercado desses bancos, que saltou de um patamar de 26% em abril para 33% em maio (recorde da série). “Desde abril, as montadoras e seus braços financeiros passaram a fazer mais vendas com taxas subsidiadas”, afirma Décio Carbonari, presidente da Anef, associação que reúne bancos de montadoras.

    Fonte: Valor Econômico
    Data da informação: 05/07/2012

    0
    • hannamanana 5 de julho de 2012 at 11:30

      “O resultado foi a disparada da participação de mercado desses bancos…”
      Claro. Ou eles entram no mercado pra financiar pros ‘altoriscos’ ou então, nenhum banco que gosta muuuito de lucrar vai bancar este mercado…
      Pra mim estas montadoras já ganharam muito dinheiro. O custo Brasil é alto, mas os reais ganhos deste povo ficam numa caixa preta e são muito, mas muito compensadore.s
      Ma va bene…
      Vamos ver no que daá

      0
  • charles 5 de julho de 2012 at 11:31

    Por acaso alguem assistiu no Jornal da Glogo ontem as filmagens que fizeram das declarações do Mantega na FIESP?

    Fico imaginando: Como é que centenas de empresarios podem ouvir aquele palavrorio de asneiras e ficarem calados sem se revoltarem ou manifestarem qualquer reação contraria? Será que não perceberam que ele está levando o país ao abismo?

    Por outro lado: É dificil morder a mão que os alimenta, mesmo sendo clara a posição facista do governo!

    Confesso que senti medo dos delirios do senhor “menistro”.

    Que deus tenha piedade do povo brasileiro…

    0
    • Rico 5 de julho de 2012 at 11:42

      Charles, quando você houve uma declaração de qualquer entidade que seja (FIESP, FEBRABAN, ANFAVEA, SECOVI, GOVERNO, etc) é preciso filtrar.

      Cada um protege seus interesses, ou seja, puxa a sardinha para seu lado.

      A Fiesp vai sempre falar que o custo Brasil é alto e sente concorrência do chinês. Só não fala que eles mesmos compram maquinários chineses…

      A Anfavea vai reclamar e falar que vai causar demissões. Só não fala do recorde de vendas e do lucro absurdo por unidade vendida.

      O Secovi vai falar em valorização. Não fala que o mercado está travado.

      O Governo fala em crescimento. Só não fala que sem renda e sem educação não há crescimento sustentável.

      Os bancos falam em inadipência… Não fala dos altos spreds…

      Cada um dá sua visão otimista puxando benefícios para seu lado.

      Infelizmente a vida é assim.

      0
  • Luciano-ctba 5 de julho de 2012 at 11:50

    Análise: 2012 já é um ano perdido para o setor industrial

    Cada vez que o IBGE divulga os resultados da produção industrial mensal os analistas procuram explicações para o novo fundo do poço. Não foi diferente para os dados divulgados ontem. A produção industrial em maio caiu 0,9% em relação ao mês anterior. No acumulado do ano, a queda já é de 3,4% em comparação com o ano passado.

    A novidade negativa foi a queda da produção em quase todos os segmentos, com a exceção de bens intermediários. Os setores que mais impactaram negativamente o resultado foram veículos (4,5%) e alimentos (3,4).

    Produção industrial recua 4,3% e tem nona queda consecutiva, diz IBGE

    Agora, além da redução da produção de bens de capital e de consumo duráveis, houve significativa queda nos bens de consumo semiduráveis e não duráveis (cerca de 25% da indústria).

    O governo vem tentando reagir: a redução da Selic, o controle da escalada da apreciação cambial, o Plano Brasil Maior, a desoneração da folha e a redução do IPI mostram a preocupação governamental com a indústria.

    Essas medidas ainda não surtiram os efeitos esperados, e dificilmente a indústria irá se recuperar neste ano –mais um ano de estagnação industrial ou até de queda. Elas deverão surtir efeitos positivos nos meses finais de 2012.

    O governo adota políticas pontuais sem atacar as questões estruturais. É preciso construir uma política industrial que articule o tripé dinâmica do mercado interno, ampliação dos investimentos em infraestrutura e tecnologia para impulsionar a produtividade da indústria, que caiu 0,9% a.a de 2000 a 2009.Competitividade deveria ser a palavra de ordem do governo. Só o câmbio não resolve.

    A única perna desse tripé que está funcionando é a do mercado interno. O investimento em infraestrutura está em ritmo lento em virtude da manutenção do ajuste fiscal e de problemas de gestão do governo. Num cenário atual de crise internacional, o empresário não investe.

    É preciso que o governo amplie sua capacidade de investir por meio da flexibilização fiscal temporária (para induzir expectativas empresariais) e por meio da descentralização da gestão pública que parece muito centralizada na figura da presidenta.

    O problema é ainda maior quando olhamos a questão tecnológica. Fala-se muito nisso, mas os resultados são inexpressivos. Não há política clara de inovação e tecnologia no Brasil. Basta olhar a situação dos centros de tecnologia e das universidades. Os sinais de longo prazo são preocupantes. A indústria brasileira está em perigo.

    Fonte: Folha de São Paulo
    Data da informação: 04/07/2012

    0
    • hannamanana 5 de julho de 2012 at 14:02

      O governo sempre usou como uma das desculpas para o desande da atividade industrial, o baixo preço do dólar.
      Pois bem, o dólar neste ano ficou bem mais alto do que no ano passado e a atividade industrial piorou mesmo assim.
      Pacotes atrás de pacotes.
      Toda a hora dão uma dipirona pra algum setor, ao invés de atacar o problema como um todo, sem simples paliativos…

      0
      • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 15:44

        A indústria sempre demora a reagir.

        0
  • Luciano-ctba 5 de julho de 2012 at 11:53

    Imóveis têm valorização modesta em junho

    Os preços dos imóveis residenciais no Brasil tiveram alta de 1,0% em junho, índice mais ou menos estável em relação a maio, quando a alta foi de apenas 0,9%, a menor variação mensal desde o início da série histórica em setembro de 2010. De acordo com o relatório do Índice FipeZap, que acompanha os preços dos imóveis residenciais em seis cidades e no Distrito Federal, a valorização de junho continua confirmando a tendência de desaceleração nas altas dos preços.

    O dado mais significativo nesse sentido é a valorização acumulada em 12 meses. O índice composto, com todas as cidades, registrou alta de 18,4% em junho de 2012 contra junho de 2011, 1,5 pontos percentuais a menos do que o observado em maio de 2012 contra maio de 2011. O caso mais notório foi o do Rio de Janeiro, cuja alta em 12 meses foi de 22%, metade dos 44% registrados em junho de 2011 frente a junho de 2010.

    A menor variação mensal em junho ocorreu em Belo Horizonte, onde houve ligeira queda de 0,2% nos preços. Já a maior alta foi registrada em Fortaleza: 2,6%. São Paulo registrou valorização de 1,2%, a menor para o mês de toda a série histórica, iniciada em 2008. O Rio teve alta de 1,0%. Um ano antes, as duas maiores cidades do país haviam registrado valorizações de 2,6% e 3,0% respectivamente.

    O preço médio do metro quadrado foi de 6.661 reais. O menor valor é encontrado em Salvador (3.694 reais) e o maior, no Distrito Federal (8.280 reais). Em São Paulo foi de 6.525 reais e no Rio de Janeiro o preço médio do metro quadrado ultrapassou os 8.000 reais pela primeira vez, registrando 8.072 reais.

    Veja abaixo a tabela com os preços do metro quadrado e as variações sofridas em maio e junho em cada região:

    Local Variação mensal em maio Variação mensal em junho Preço do metro quadrado (R$)
    Composto nacional 0,9% 1,0% 6.661
    Belo Horizonte 0,4% -0,2% 4.862
    Distrito Federal 0,5% 0,3% 8.280
    Fortaleza 2,4% 2,6% 4.637
    Recife 1,9% 0,8% 5.329
    Rio de Janeiro 1,1% 1,0% 8.072
    Salvador -1,3% 2,1% 3.694
    São Paulo 1,2% 1,2% 6.525

    Fonte: Índice FipeZap.

    Fonte: EXAME.com
    Data da informação: 04/07/2012

    0
    • Silas Coul 5 de julho de 2012 at 15:00

      E eu que fui motivo de chacota quando falei há uns meses que iria esperar até agosto para especular pq os preços ainda iriam aumentar para finalmente vender meus imóveis e lucrar. Não estou aqui para falar o que os colegam que ainda não tem o seu teto querem ouvir. Falo a realidade e minhas projeções são baseadas nisso, e não em como eu desejaria que fosse.

      0
      • RGD 5 de julho de 2012 at 16:03

        Silas, tome cuidado com esses índices nada confiáveis. Os preços já começaram a cair. A minha namorada é corretora de imóveis e posso te dizer isso em primeira mão. Não está fácil assim vender imóveis por preços bolhudos. Boa sorte!

        0
      • Seu Madruga 5 de julho de 2012 at 16:20

        Arranjou comprador?… Ainda não?… Continua especulando!!!!

        0
        • Silas Coul 6 de julho de 2012 at 02:08

          Vejo aqui q vc é um belo exemplo do nível intelectual do nosso povo. Não consegue entender um texto de 4 linhas. Parabéns amigo, vc tem um grande futuro pela frente!

          0
  • Neide 5 de julho de 2012 at 12:01

    TV Gazeta: A jornalista Maria Lydia Flandoli entrevista Walter Barelli sobre Mercado de Trabalho

    http://www.youtube.com/watch?v=oQxAVIK01U4&list=UUNl_i-ggJbZNyOLlhE7yyhw&index=3&feature=plcp

    Será que o Sr. Walter Barelli não sabe que as montadoras estão com PDV a pleno vapor?

    0
    • Rico 5 de julho de 2012 at 14:46

      Sempre esteve… Conheço esse jogo a anos.

      As indústrias de caminhões estão com os pátios cheios porque adiantaram a produção para não ter que produzir atendendo o Proncove 5.

      Os operários venderam todos os finais de semana no segundo semestre de 2011 e agora estão folgando na segunda. A montadora manda todo mundo embora e quando baixar o estoque contrata terceiro, exteriorizando os encargos sociais.

      É uma bela economia em custo de mão de obra não?

      Depois reclamam que não tem mão de obra qualificada… Para ser tratado como gado? Melhor ser corretor, vendedor de loja de eletrodoméstico, etc…

      E é isso que está causando falta de mão de obra, não excesso de demanda.

      0
  • GB 5 de julho de 2012 at 12:08

    Vocês acreditam que faz mais de 3 meses que eu não ligo a TV ?

    Ela não faz falta alguma se você tiver internet e você não fica propenso a propagandas governamentais dizendo que “pode comprar, está tudo bem na Banania, somos melhores que os outros países”.

    Eu fico sabendo do que acontece por Blogs, aí a informação é bem mais completa.

    0
    • GB 5 de julho de 2012 at 12:12

      Obrigado à Guerra Fria por ter incentivado o pessoal a inventar a internet.

      “Brazil, endivide-se ou deixe-o para quem quer se endividar.”

      “Não roube, os políticos não gostam de concorrência.”

      0
      • Mr. NK (2.0) 6 de julho de 2012 at 13:11

        Eu já não ligo a televisão há 7 anos… hehe.

        Nem mesmo para assistir DVD, prefiro o meu notebook ou monitor de desktop.

        A internet realmente é primorosa nesse sentido, nos oferece a possibilidade de procurar informações mais críveis, e assim, salva-nos da alienação e passividade típicos de meros expectadores de tv.

        0
    • Anonymous 5 de julho de 2012 at 12:45

      Já faz 1 ano que abandonei TV. Concordo que as informações obtidas pela Internet, principalmente de website “underground” são de melhor qualidade, apesar de existir muita desinformação. Na minha opinião, o que segue é o melhor.

      “http://www.zerohedge.com/”

      0
      • O Irritado 5 de julho de 2012 at 13:59

        O site em que soube pela 1a vez do “Master Reset”…

        0
      • EngSJC 5 de julho de 2012 at 14:58

        “On a long enough timeline. The survival rate for everyone drops to zero”

        The most terrifying Truth! rs.

        0
    • Ze Bom Dirolo 5 de julho de 2012 at 13:57

      Eu ligo so no horario do jornal nacional e da globo. Nao tenho a minima ideia do resto.

      0
      • Pablo 5 de julho de 2012 at 15:44

        O JN é o profeta do acontecido.
        Era legal quando não tinha internet!
        Nada mais é do que um telejornal de noticia velha com imagem.
        Para quem esta aliendado é uma beleza!

        0
        • Ze Bom Dirolo 5 de julho de 2012 at 18:20

          No fundo não gosto do Jornal Nacional, mas assisto só para não ficar tão distanciado do que passa no mundo.

          0
          • Taliu 5 de julho de 2012 at 22:14

            Cara, sinto muito em dizer mas a melhor forma para vc ficar distanciado das notícias do mundo é assistindo o jornal nacional!

            0
            • Ze Bom Dirolo 6 de julho de 2012 at 00:50

              Pode ser….

              0
    • Corvo 5 de julho de 2012 at 14:37

      Eu ainda vejo só pra mostrar pros outros como a mídia é vendida…fora o delay que tem entre a info captada na net e o que sai na TV……

      Contra-informação total.
      Hoje mesmo estavam Sademberg e Miriam Porquinho conversando na C_B_N sobre o panorama geral da economia….nota-se bem que eles sabem o que tá rolando, mas não tem a moral de dizer no ar…..deprimente…….

      0
      • EngSJC 5 de julho de 2012 at 15:14

        Mauro Halfeld, idem!

        Já o Ricardo Amorim é um filho da p**** mesmo! Do que esse cara fala ou escreve considere o extremo oposto! (candidato a Guru do ADVFN…..putz!)

        0
  • Ploc 5 de julho de 2012 at 13:28

    Ontem fui assistir a GloboNews, confesso que fiquei assustado. Parece que ao entrar julho alguem virou uma chave e desligou toda luz dá festa.
    Gente só noticia ruim e o pior os entrevistados, que geralmente davam suas opinioes imparciais, não estão tendo pena não. Eles estão falando na lata que a coisa mudou e não existe expectativa de cenario positivo.
    Agora mesmo meu pai me ligou e disse: Desculpa meu filho voce estava certo ( ele dizia que imovel sempre valorizava) acabei de receber uma informação de pessoa do governo que a coisa no mercado imobiliario vai despencar feio. Acho que ganhei na loteria.
    Meus pais conseguiram vender seu imovel por preço bolhudo semana passada na ZS do Rio. O italiano que comprou está todo feliz com a aquisição.

    PLOCCCC
    :

    0
    • hannamanana 5 de julho de 2012 at 13:56

      Até o final do mês, muita coisa mais vai acontecer do jeito que as notícias têm pipocado nesta semana.
      Lembrando que o segundo trimestre acabou.
      Veremos como fechou o PIB

      0
      • O Irritado 5 de julho de 2012 at 14:11

        Só para desabafar descontraindo (ou descontrair desabafando):

        “Miguel Jacob falou,
        Miguel Jacob avisou”

        (ParaBolhas do Sucesso)

        Quem já andou em montanha-russa conhece a sensação quando se chega no topo e….
        (pior é escutar os delírios do Filho da Mãetega, “até agora tá tudo ótimo”, “piorou para poder melhorar”, já vi tragédias horríveis em passagens de nível por menos que isso)

        Tem que tomar muita colher de azeite para proteger o estômago ao ouvir esse indivíduo…

        0
    • Ze Bom Dirolo 5 de julho de 2012 at 14:05

      Quero saber da sua mãe. O que ela fala?

      0
    • MrCitan 5 de julho de 2012 at 14:30

      SO MUCH WIN !!!

      0
    • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 14:30

      Não nego que as coisas estão complicadas, mas no dia em que a Globo News começar a dar uma série de notícias boas, a água vai virar vinho.

      Tem que filtrar um pouco, pois vejo muitos interesses escondidos nas “notícias” e “debates”. Só faltaram xingar a mãe do Tombini quando a SELIC caiu inesperadamente em agosto passado. Não faltavam “desinteressados” analistas da renda fixa para esculachar.

      0
      • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 14:32

        Em suma, o negócio deles é vender pessimismo e apreensão, independentemente do cenário real.

        Cenário este, que, ratifico, está complicado na minha opinião.

        0
      • hannamanana 5 de julho de 2012 at 15:56

        Isso é que mais tem.
        Por isto que a gente tem que ler tudo com olhar de ponderação

        0
    • Laranja 5 de julho de 2012 at 14:30

      Ontem, no programa de debates Conversas Cruzadas da TVCOM=RBS TV=GLÓBULO, o assunto era educação financeira, inadimplência, etc.
      Entrevistado: … e nós estamos vivendo uma bolha de automóveis.
      Mediador: Fale um pouco desta bolha.
      Entrevistado: blá, blá, blá… e em breve teremos o estouro da bolha do mercado imobiliário, é só questão de tempo!
      Mediador: ……………………. (passou a palavra para outro debatedor)

      RBS=Maiojama

      0
      • ch0qw3 5 de julho de 2012 at 15:12

        Essa eu queria ter visto. A mídia está fazendo de tudo para abafar, mas está cada vez mais difícil. Não vejo a hora dessa gente hipócrita se ver obrigada a abrir o jogo. Não tem saída, o tombo é certo!

        0
      • O Irritado 5 de julho de 2012 at 16:08

        Lembra do Samy Dana no SPTV? Ou do Sidney Rezende no “Conta Corrente” (G. News)?
        É o famoso “pano, rápido!”

        0
    • RGD 5 de julho de 2012 at 16:50

      >> acabei de receber uma informação de pessoa do governo que a coisa no mercado imobiliario vai despencar feio. Acho que ganhei na loteria.

      Ploc, poderia dizer que tipo de informação é essa ?

      0
      • Ploc 5 de julho de 2012 at 17:37

        Passei a informação como chegou dos meus pais que eram céticos em relação ao mercado imobiliario. Estou tentando buscar quem é esta fonte . Assim que tiver mais detalhes e não comprometer ninguem eu publico aqui.
        PLOC

        0
  • Pablo 5 de julho de 2012 at 13:28

    [email protected];

    Ferramenta da web para ver se vale a pena financiar o imóvel ou optar pelo aluguel:

    “http://economia.estadao.com.br/ferramenta_financiamento_ou_aluguel.htm#menu

    No meu caso, mesmo sem este calculo, já havia optado pelo aluguel à exatos 2 anos e to na boa, esperando a bagaça se definir!

    PLOC, hoje ou amanhã não importa, se é 20, 30, 40, 70 % também não sei, mas que vai rolar à vai!

    Quero mais que o mar pegue fogo, para comer peixe frito!

    0
  • Eduardo 5 de julho de 2012 at 13:52

    A última da Kássia Tavares

    http://www.politicaeconomia.com/search/label/bolhaimobiliaria

    Vale a pena ver.

    0
    • Ploc 5 de julho de 2012 at 17:58

      Eu poderia perder meu tempo para fazer este video com o mesmo entrevistador rindo do cara que comprou finaciado e agora não consegue pagar pois caiu no conto do Brasil do futuro.
      Tenho certeza que o meu video teria muitos comentarios de pessoas na mesma situacao.
      Eu só tenho um pensamento neste momento: Fico impressionado como a bolha tem caracteristicas bem definidas afinal é definida simplesmente pelo homem.

      ————————— do site bolha imobiliaria —————————–
      5. Estamos na fase da negação da bolha

      Entre ganhar as capas de revistas e azedar, há uma fase que é a “negação da bolha”. Em 2009, havia comentários sobre o temor de uma possível bolha imobiliária. O fato é: enquanto há um certo temor, a coisa está sob relativo controle. Agora, quando a manada entra na fase da negação (chegando ao ponto de vituperar os “pessimistas”), aí definitivamente o estouro está próximo.
      ——————————————————————————————————-

      Fico muito feliz com o material criado pois significa que se uma pesso apode colocar tanta energia para cirar algo deste tipo é mais uma prova que o fim chegou e que estamos certos.

      Abraços a todos e boas compras (em breve)

      PLOC

      0
      • Eduardo 6 de julho de 2012 at 01:58

        Você falou uma coisa importante. Como alguém pode tirar tanta energia para rebater a existência da bolha imobiliária do Brasil?

        Vamos pensar juntos.

        Será que a Kássia é uma pequena corretora de imóveis? Ou será ela dona de uma grande imobiliária ou construtora, que talvez esteja tendo prejuízos em virtude dos nãos de muitos compradores, que devem, constantemente, falar que não compram imóveis com medo da bolha imobiliária?

        Pelo tipo da argumentação e conteúdo do seu site, a Kássia deve ter ajudantes, como empregados e programadores, capazes de ajudá-la a criar o seu site e todas estas reportagens, muito bem feitas, apesar de fracas em argumentos.

        0
    • POCBR 5 de julho de 2012 at 21:02

      Eu ri… rs…
      Foi engraçado … ninguem pode negar….

      A parte do Miguel Jacó tbm foi foda ….

      0
  • KQT 5 de julho de 2012 at 14:16

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1115353-alta-no-preco-dos-imoveis-novos-desacelera-em-sao-paulo.shtml

    Hunn.. Essa enxurrada de noticias das ultimas semanas é sinal que a festa realmente acabou..

    0
    • RosinhA 5 de julho de 2012 at 18:33

      KQT a deles acabou precisamos saber quem é o DJ da nossa festa……..

      Sem Funk e sem Vai Curintia por favor !!!!!!

      0
  • hannamanana 5 de julho de 2012 at 14:25

    Poxa… agora estou aliviada com esta notícia:
    »Mantega diz que inadimplência começa a dar sinais de queda.04/Jul
    Oh, no… falei cedo demais…
    »Inadimplência dos consumidores só irá recuar em 2013, diz Provar (Programa de administração do Varejo)
    »Itaú espera perda líquida com crédito de R$ 18 bilhões em 2012, diz Setubal
    “O lucro é grande, mas a inadimplência é muito grande”, disse o presidente do banco

    Acontece, que na primeira reportagem faltou o Setubal dizendo que a inadimplência mostra sinais de redução realmente… mas a de curto prazo. A longo prazo está mais pra alta…
    Lembrei agora daquela música: eu presto atenção no que eles dizem, mas eles não dizem nada… ié ié…
    Explica esta ministro.

    0

    • Luiz 5 de julho de 2012 at 14:32

      “e é tão fácil ir adiante, quando a coisa toda tá errada”

      0
      • hannamanana 5 de julho de 2012 at 14:52

        A história se repete mas a força deixa a história
        mal contada…

        0
    • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 14:59

      Mantega sempre foi parlapatão, acho até compreensível que uma autoridade venda otimismo, está no seu papel.

      Mas exagerou tanto que acabou virando algo caricato, mais ou menos quando qualquer celebridade da moda (BBB, jogador de futebol) que quando fala algo, por mais insignificante que seja, é amplificado em cem vezes e acaba virando polêmica de mesa de bar.

      Mesmo que ele faça uma palestra de dez horas, fale um monte de coisas e apenas uma única vez faça um prognóstico (irreal) do crescimento, vai ser praticamente o único assunto estampado em letras garrafais. O estigma colou.

      Lembro-me do governo Itamar, cuja tiração de sarro era ser irritadiço: “O presidente Itamar irritou-se quando…”

      Ou do FHC, “assim não pode assim não dá”.

      0
      • Luiz 5 de julho de 2012 at 15:22

        as 2 ultimas colunas do MIng estão excelentes, eles ficaram parecendo os idiotas que são

        0
    • Ploc 5 de julho de 2012 at 20:56

      Agora chego a conclusão que a única coisa que falto no Mantega é um (i). O resto ele tem todas as propriedades.
      PLOC

      0
  • Luiz 5 de julho de 2012 at 14:30

    NOTICIAS DO MUNDO:

    Canadá e Australia começama aparesentar queda nos preços após o pico no 1s12. Provavelmente ligado ao efeito-china

    0
    • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 15:05

      Que tipo de preços? Preços ao consumidor, ao produtor, etc?

      Grato.

      0
      • Luiz 5 de julho de 2012 at 15:20

        dos imoveis,
        ver em world housing bubble

        0
  • JohnnyRJ 5 de julho de 2012 at 14:32

    Acho que desistiram de vender para pobres mortais. Vejam só neste anúncio, o foco deles são os investidores:

    Próximo Haddock Lobo! Atenção Investidores! Condomínio R$200. Copa do Mundo já está aí! Sala 01dormitório suite cozinha.
    http : / / w w w . zap. com. br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-1-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-TIJUCA-/ID-3135022

    0
    • O Irritado 5 de julho de 2012 at 14:43

      Tem um orelhão embaixo da janela !!!
      O pior é o “copa do mundo” no anúncio… PQP !!!

      0
      • self 5 de julho de 2012 at 15:21

        Tem toda pinta de ser térreo (ou seja, o incauto comprador conviverá com ratos e baratas). É minúsculo (42m²) e não tem garagem. E “próximo à Hadock Lobo” para mim é eufemismo para dizer que é na Barão de Itapagipe – ou seja, nas barbas do “pacificado” Morro do Turano.

        Uma joça dessa não deveria valer 70K.

        0
        • Socorro!! 5 de julho de 2012 at 15:38

          Self

          o que vc acha de um AP na conde de bonfim… na alturla da Garibaldi ??predio novo…

          …quem mora ali sofre pra descer a conde de bonfim de manha,…engarrafa muito ??

          0
          • O Irritado 5 de julho de 2012 at 16:03

            Socorro,
            Infelizmente engarrafa, sim (isso inclui domingos de sol, em direção ao Alto/Barra de manhã e vice-versa ao fim da tarde). Trabalhei 8 anos quase nessa esquina.

            Mas esse trecho (Garibaldi) fica muito próximo ao Borel, embora, desconsiderando o entorno, tem alguns prédios antigos interessantes. Você planeja continuar morando por ali após agosto/2016?

            E, após 2014, dará para ir a pé até a nova estação terminal de metrô “Uruguai” da linha 1 (mas é um “fator de valorização”, se estiver preparado para ouvir isso continuamente…)

            Perto da Garibaldi tem um ex-esqueleto (creio que da Encol), mas a Cde Bonfim é a rua principal, o comércio/serviços ficam quase todos nela.

            Enquanto não houver transporte de massa (metrô?) DECENTE para a Barra a tendência da Cde Bonfim é só piorar.

            Mas essa é apenas minha opinião.

            0
            • Socorro!! 5 de julho de 2012 at 16:34

              …na verdade nao moro ali..estou procurando apartamento na Tijuca.. vi um que achei num bom preço ( para o padrão atual mas bolhudo comparando com 2008) e tava pensando em tirar uma onda com o corretor pra ver ate onde ele vai….pelo que vi ele fica na conde de bonfim altura com garibaldi.

              hj na tijuca quais as melhores ruas ( ou região) ,na sua opinião ,para morar?..um cara me falou que na afonso pena é a região mais valorizada.

              0
          • self 5 de julho de 2012 at 16:30

            Apesar do Borel, eu gosto dali. E não é exatamente longe da Saens Peña.

            0
            • Socorro!! 5 de julho de 2012 at 17:07

              “http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-TIJUCA-RUA-CONDE-DE-BONFIM/ID-3236856”

              este e o imovel que to falando..corretou acabou de me ligar..ja foi vendido…ele me falou que tinha vista pro inicio do morro da formiga…ta vendendo outro no predio mais e 100 K mais caro….

              segundo ele ,este vendeu barato pq o proprietario tava com divida para pagar..

              0
              • self 5 de julho de 2012 at 17:29

                Peça a ele um desconto de 150K então. Aliás, este é mais um dos apartamentos que têm um absurdo arquitetônico que não entendo e nunca vou entender: área de serviço sem separação alguma da cozinha, roupas secando ao lado do fogão. Quem explica?

                0
          • Rodrigo 5 de julho de 2012 at 18:28

            Socorro,

            Já morei em um prédio na altura da garibaldi. O que posso dizer, é que antes de UPP aquela área era um inferno. Tinha época que o tiroteio era diário, entre formiga e casablanca. Acredito que hoje esteja melhor, mas até quando? Eu não arriscaria e tentaria algo entre a saes pena e a uruguai. Pra mim, a melhor área é perto da Uruguai, dona delfna, andrade neves……até descendo a uruguai um pouco (até o hortifruti também é bom. Quano ao anúncio desse corretor, acredito que seje mentira. Eles sempre fazem isso, anunciam algo que não existe, por um preço atrativo para pegar seu telefone e te oferecer outra coisa. Daí dizem que o apartamento anunciado já foi vendido.

            0
        • O Irritado 5 de julho de 2012 at 15:44

          Está no “dicionário dos corretores”:
          “próximo a” = entre 1 a 9,9 km de distância

          Mas, pelo que se vê no anúncio, o apartamento é, na verdade, próximo à calçada 😉

          A primeira vez que não aguentei e discuti sério com um (…) desses foi quando ele me queria empurrar um na r. Oito de Dezembro (fica a metros do morro da Mangueira, quase Vila Isabel) travestido de “Tijuca, longe de comunidade”. Apostou no meu desconhecimento (como sempre). Detalhe: foi nosso primeiro (e último) contato, ou seja, sem noção nenhuma de qualquer estratégia de venda, era um autêntico “atravessador” mesmo. Como um indivíduo desse recebe até 5% de uma transação de R$ 500k ???!!!

          É cada um que aparece…

          0
          • self 5 de julho de 2012 at 16:31

            Fiquei curioso em saber como foi a discussão :o)

            0
        • Rodrigo 5 de julho de 2012 at 16:25

          Barão de Itapagipe = Baile Funk da quadra do COMPLEXO do Turano, os vidros das janelas tremem…

          0
    • Ricardo C. 5 de julho de 2012 at 15:29

      Que tenso cara. Quarto e sala térreo, velho, fudido e sem garagem na tijuca por 200mil. É o fim dos tempos mesmo.

      0
      • JohnnyRJ 5 de julho de 2012 at 16:25

        Isso é o cúmulo do absurdo realmente. Onde vamos parar?
        Daqui a pouco um quarto e sala em Copa vai estar 1milhão.
        Outro dia um corretor me ligou oferecendo um apto de 2 quartos no pé do morro dos macacos em vila isabel por 300mil. Ali não valia nem 130 mil antes da UPP.

        0
    • Rico 5 de julho de 2012 at 18:30

      O que acham que vai acontecer na copa? Se SP suporta passeata gay, formula 1 porque não ia aguentar 1 jogo.

      Veja bem.. .1 jogo. 1 JOGO!

      0
  • Fred 5 de julho de 2012 at 14:37

    Por falta de interessados em comprar apartamentos de um prédio de luxo lançado em São Paulo, construtora está refazendo o decorado. Será que adianta?

    0
    • RosinhA 5 de julho de 2012 at 18:30

      hahahaha nunca imaginei ouvir isso, é fundo de poço mesmo !!!!!

      0
    • Sol de Sampa 5 de julho de 2012 at 18:57

      Fred, qual empreendimento

      0
      • Fred 5 de julho de 2012 at 20:47

        Sol, não posso dar detalhes, há pessoas muito próximas envolvidas…

        Eu também nunca tinha ouvido falar disso, Rosinha. Parece que não tem mais volta.

        0
  • Revoltado 5 de julho de 2012 at 15:12

    aqui nesse link o mesmo imovel é anunciado para alugar por 3 valores:

    5.000 , 4.200 e 3.950

    “http://www.agenteimovel.com.br/imovel/alugar/ipanema/rj/1379981.htm

    0
    • Álvaro Guilherme 5 de julho de 2012 at 15:39

      E o tosco FIPEZAP deve tirar uma média aritmética dos três.

      0
      • So observando... 5 de julho de 2012 at 22:13

        apartamento micro, velho e o lugar horroroso. de frente pro morro do cantagalo, (a foto da vista esconde a vista do morro). nao pago 2k
        um conhecido alugava por 2k no centro de ipa, fundos, 3 quartos, 110m reais, vaga, na vp.
        esse era o preco antes dessa maluquice toda.

        0
  • Ze Bom Dirolo 5 de julho de 2012 at 15:42

    Só tem uma coisa que me tira a paciência nesse blog. Quando alguém vai colocar algum endereço e escreve: w w w. u ol.reportagem dasemana.com. br . esses espaços….

    0
    • O Irritado 5 de julho de 2012 at 16:06

      Concordo 100%.
      Basta colocar o link entre aspas, não é isso?

      0
      • Ze Bom Dirolo 5 de julho de 2012 at 18:24

        Eu costumo copiar o link a mais. Quem quiser só copie após o http://www….

        //www.bolhaimobiliaria.com/2012/07/04/pra-quem-diz-que-os-precos-dos-imoveis-nunca-baixa/#comments

        0
        • Ze Bom Dirolo 5 de julho de 2012 at 18:25

          Ops…copie após o ww

          0
          • Ze Bom Dirolo 5 de julho de 2012 at 19:43

            Nossa, ainda nem bebi nada hoje e já estou difícil de se entender.
            Vamos lá.

            Eu costumo copiar um pouco mais do link.

            Tipo:
            /www.bolhaimobiliaria.com/2012/07/04/pra-quem-diz-que-os-precos-dos-imoveis-nunca-baixa/#comments

            Mas as aspas no início sugeridas pela Rosinha também são uma solução.

            Menos: w w w.espação que causa irrita ção.com . b r

            0
      • RosinhA 5 de julho de 2012 at 18:29

        uma aspa no começo somente para ninguém ficar IRRITADO 😉

        0
        • Ze Bom Dirolo 5 de julho de 2012 at 19:32

          Rs…ótimo…é muito irritado por aqui…hahaha

          0
          • O Irritado 5 de julho de 2012 at 20:55

            Perai, que eu saiba, só tem um ! (*)

            Mas, claro, se eu entrar naquele labirinto de espelhos (me sinto assim ao entrar numa imobiliaria) verei mais, muito mais. 😉

            Putz, meu captcha começa com “PT”….

            (*) Recuse imitações 😀

            0
  • Pablo 5 de julho de 2012 at 16:08

    Talvez isto explique uma parte dos imóveis com as luzes apagadas à noite!

    Ex-presidente da Valec é preso em Goiânia pela PF.

    BRASÍLIA – A Polícia Federal prendeu na manhã desta quinta-feira em Goiânia o ex-presidente da Valec, José Francisco das Neves, conhecido como Juquinha. A prisão temporária é motivada por investigação por lavagem de dinheiro decorrente de superfaturamento das obras da Ferrovia Norte-Sul, em contrato firmado com a empresa Contran, na época em que Juquinha presidia a Valec (2003 a 2010).

    A Valec é uma empresa pública responsável pelas ferrovias do país, e está ligada ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

    O Ministério Público Federal e a PF já apreenderam mais de R$ 60 milhões na operação, denominada “Trem Pagador”. Também foram presos temporariamente a mulher de Juquinha e seus dois filhos.

    O MPF diz que se deparou com “vasto patrimônio imobiliário” em nome de Juquinha e, principalmente, sua mulher e seus filhos, ao fazer um levantamento patrimonial para entrar com ação de indisponibilidade de bens, para pedir a devolução de danos resultantes do superfaturamento das obras da Ferrovia Norte-Sul. Por isso, foi lançada a investigação por lavagem de dinheiro, iniciada em agosto de 2011.

    Entre os bens localizados estão fazendas, lotes e casas em condomínios fechados, apartamentos e empresas que administravam esses bens. Segundo o MPF, o valor do patrimônio seria “absolutamente incompatível com sua condição [de Juquinha] de empregado público” e os familiares estariam sendo usados como “laranjas”.

    Quando candidato a deputado federal, em 1998, Juquinha declarou à Justiça Eleitoral ter patrimônio inferior a R$ 560 mil reais, segundo o MPF. Além das prisões temporárias, nove pessoas tiveram suas contas bancárias bloqueadas pela operação Trem Pagador, que busca localizar e apreender documentos e informações que possam revelar outros bens ainda não identificados.

    0
  • Luiz 5 de julho de 2012 at 16:08

    Acho impressionante o desespero e a insistencia desses corretores.

    A Inês já é morta, os preços estão baixando sim, agora mesmo acabo de ver meia dúzia com preços cerca de 20% abaixo do pico. Se os indices oficiais e oficiosos não mostram isso, azar dos indices, mais provavel haver problema neles, conforme observamos, sempre algum erro de metodo, alguma manipulação, alguam serie escolhida a dedo.

    Deixem que se riem de nós, tanto melhor pra gente se convencerem todos os trouxas que restam, sobra mais pra gente, menos cocnorrencia no fundo do poço (isso sim me interessa saber)

    0
  • RGD 5 de julho de 2012 at 16:12

    Mais uma notícia ruim.

    Venda de materiais de construção tem nova queda e setor diminui projeções
    No acumulado dos últimos 12 meses encerrados em junho, a queda nas vendas de materiais de construção foi de 6%

    “http://economia.estadao.com.br/noticias/economia+brasil,venda-de-materiais-de-construcao-tem-nova-queda-e-setor-diminui-projecoes,118483,0.htm

    0
    • EngSJC 5 de julho de 2012 at 17:18

      Ahh, mas se o cimento tá estável o Ricardo Amorim falou que a bolha não estora não…

      “…Dos 13 segmentos contemplados no estudo, fechaduras (-6%), metais sanitários (-5%), argamassas (-4%) e tubos e conexões de pvc (-3%) foram os que apresentaram maior diminuição de vendas. Já os setores de cimento e telhas de fibrocimento permaneceram estáveis“.

      0
    • Mineiro BH 5 de julho de 2012 at 19:16

      Gente, esse ponto é muito importante pra passar batido…

      Se ainda há muitos imóveis em obras, fruto da farra 2009-2010, pq as vendas estariam já caindo ?????

      0
  • Mr. D 5 de julho de 2012 at 16:21

    Acho que o manteiga tá derretendo o cérebro… não é possível

    O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou, nesta terça-feira (4), que o país está começando um novo ciclo de crescimento em linha com “o grande ano de 2010”, quando o país cresceu 7,5%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    “Superamos uma crise pior em 2008 e estamos em condições de ter um crescimento próximo ao grande ano de 2010. Estamos prestes a iniciar novo ciclo de expansão forte da economia brasileira”, disse.

    Mantega sugeriu aos empresários que eles ainda não estariam vendo a nova realidade de crescimento, que abram os olhos para aproveitar as imensas oportunidades que se colocam no Brasil. Quem percebeu que as atitudes do governo “renderiam frutos” ganhou mais após a crise de 2008-2009, disse o ministro. “Estamos deixando de ser o último peru gordo de natal que ensejava ganhos especulativos para ser o país da produção, que gera ganhos para muitos.”

    “Não há otimismo vazio”, disse Mantega. “A despeito da crise e da desaceleração, estamos mais preparados que em 2008”, afirmou, mencionando a taxa de desemprego e o crescimento da renda real. Para o ministro, os brasileiros só não podem se “deixar impressionar pelo mau humor do mercado internacional”.

    Para o ministro, o crescimento dos últimos trimestres foi bem abaixo da capacidade do país.

    Segundo ele, as medidas tomadas pelo governo nos últimos trimestres foram acertadas e o “revolucionário” impacto da política econômica do governo – “que alia juros baixo a uma política fiscal sólida e à competitividade do real” – ainda vão ser sentidos na sua totalidade.

    Crise
    A atual crise econômica representa uma conjuntura adversa para a economia e tornou o ano difícil para as empresas brasileiras, de acordo com o ministro. “A crise europeia já se mostra quase tão seria quanto a de 2008, é um realidade inequívoca que não poupou nem os emergentes”, disse.

    O ministro considerou que a atual taxa de câmbio está mais alinhada à realidade do país e disse que o governo vai prosseguir reduzindo o custo do trabalho, desonerando a folha de pagamento.

    O ministro discursou no prêmio Melhores e Maiores da revista “Exame”, em São Paulo.

    ‘Instinto animal’
    Em evento pela manhã, Mantega já havia cobrado investimento dos empresários, afirmando que as medidas pontuais que o governo está tomando, somadas às estruturais (como política de queda de juros e de câmbio favorável à produção), devem servir como estímulos aos empresários para que façam investimentos.

    “Cabe aos senhores [empresários] vislumbrarem, porque o empresário é aquele que vislumbra e consegue enxergar coisas adiante, e tomem medidas não depois que as coisas se tornaram óbvias, mas antes de elas se tornarem óbvias, para aproveitar o momento. É o espírito animal que tem que funcionar”, afirmou .

    0
    • Curioso 5 de julho de 2012 at 17:10

      Algum corretor, por favor, mande uma caixa de Gardenal pro Sr. Manteiga… URGENTE!!!

      0
    • ch0qw3 5 de julho de 2012 at 17:12

      Esse otimismo todo do ministro tem nome: PÂNICO!

      O desemprego está crescendo e vai ser muito complicado manter os índices de aprovação do governo. No final, é só isso que interessa para estes populistas.

      0
      • Luiz 5 de julho de 2012 at 17:45

        na bolha americana o desemprego foi o ultimo indice a sofrer, ja quando a coisa tava mais que preta, e na recuperação a mesma coisa, está sendo a ultima a reagir.

        basta aos [email protected] adiar o reflexo da crise o suficiente, pq o estouro já ocorreu no mês do jacó

        0
      • Luiz 5 de julho de 2012 at 17:55

        A fantasia de Mantega
        05 de julho no EStadao

        É difícil duvidar da sinceridade do ministro da Fazenda, Guido Mantega, quando ele afirma estar conduzindo uma política de longo alcance, com medidas calculadas para tornar a economia brasileira mais eficiente e mais competitiva.

        A ação oficial, segundo ele, vai muito além de um conjunto de medidas setoriais e destinadas a estimular o crescimento no curto prazo

        O ministro deu a impressão de acreditar nas próprias palavras e esse foi o aspecto mais preocupante de seu pronunciamento…

        0
        • ch0qw3 6 de julho de 2012 at 01:35

          Excelente texto, Luiz.

          Segue o link…
          “http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,a-fantasia-de-mantega-,895868,0.htm”

          0
  • Pablo 5 de julho de 2012 at 16:50

    Interesse do investidor estrangeiro pelo Brasil dá sinais de queda.

    SÃO PAULO – Quando se consideram as expectativas de investimento entre 2012 e 2014, o Brasil caiu uma posição no ranking dos destinos preferenciais de Investimento Estrangeiro Direto (IED), segundo o World Investiment Report 2012 (WIR 2012), da Conferência das Nações Unidas para Comércio e Desenvolvimento (Unctad), divulgado com exclusividade no Brasil pela Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transnacionais e da Globalização Econômica (Sobeet). Pelo levantamento, o Brasil deixou o quarto lugar para ocupar a quinta posição. O estudo foi feito com investidores em economias estrangeiras.

    A boa notícia é que o Brasil subiu três posições, do oitavo para o quinto lugar, no ranking dos principais destinos de IED na passagem de 2010 para 2011, de acordo com o estudo. Em 2009, o País ocupava o 14º lugar entre os 20 maiores destinos de investimentos estrangeiros no mundo.

    Segundo o documento, o Brasil recebeu no ano passado o equivalente a US$ 66,7 bilhões a título de investimento estrangeiro. O valor é 37,4% maior que os US$ 48,5 bilhões que ingressaram no País em 2010. Na frente do Brasil se mantiveram, pela ordem, Estados Unidos, China, Bélgica e Hong Kong. Para chegar ao quinto lugar, o Brasil deixou para trás Cingapura, Reino Unido e Ilhas Virgens, que estavam à sua frente em 2010.

    Com o salto no ranking das economias que mais receberam investimentos estrangeiros, o Brasil passou a responder por 4,4% de todo o fluxo de investimentos mundial em 2011, ante participação de 3,7% no fluxo global em 2010. Em 2006, período pré-crise, o Brasil recebia apenas 1,3% de todos os investimentos estrangeiros no mundo.

    Na análise por região, a América Latina – na qual o Brasil é o destaque -, foi a que teve maior crescimento no ingresso de investimentos estrangeiros, com alta de 15,8%. No ano passado, a região recebeu US$ 217 bilhões em IED. O destaque ficou por conta dos investimentos voltados a atender o mercado consumidor dos países da região.

    Ainda de acordo com o levantamento, as economias que pertencem ao bloco dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) receberam, no total, US$ 280,9 bilhões em investimentos estrangeiros em 2011, com crescimento de 21,1% em relação a 2010. Os Brics responderam por 18,4% de todo o fluxo de investimentos no mundo, em 2011.

    Recuo

    Segundo a Unctad, houve um recuo no volume de investimentos feitos pelas economias emergentes no exterior. Isso ocorreu, de acordo com a entidade, por conta de mudanças nos fatores econômicos e financeiros no mundo, como diferencial de crescimento entre regiões, taxas de juro e câmbio. Com isso, a participação de investimentos provenientes de empresas sediadas em países em desenvolvimento no fluxo global de IED caiu de 27,6% para 22,6%, na passagem de 2010 para 2011.

    No movimento de desinvestimento, o Brasil ficou em segundo lugar na lista dos países que mais repatriaram recursos investidos no exterior. As empresas brasileiras desinvestiram US$ 12,6 bilhões, ficando atrás apenas de Hong Kong.

    0
    • GB 5 de julho de 2012 at 17:36

      Yeah !!!

      0
    • Eskeleto 5 de julho de 2012 at 19:22

      Lógico teve muitos investimentos sim, investimentos especulativos, afinal quase metade dessa grana deve ser de especuladores.

      0
  • Luiz 5 de julho de 2012 at 17:47

    Vamos fazer um bolão pra prever o fundo do poço???

    BOLHA: abre uam enquete. quando será o fundo do poço e de quanto

    meu palpite, quedade 80% sobre o pico até 2017

    0
    • self 5 de julho de 2012 at 17:55

      …em valores nominais ou ajustados pela inflação?

      Meu palpite: queda real (ajustada pela inflação) de 70% até 2016.

      0
    • RosinhA 5 de julho de 2012 at 18:27

      Meu palpite 40% do pico no geral variando entre 25 a 45% na porcentagem dos descontos dependendo de região, estado, bairro, localização etc.

      Previsto para o final de 2015

      0
    • RosinhA 5 de julho de 2012 at 18:40

      Caraca 80% moço….. mais um pouco vão te pagar para ter o imóvel…..

      Falando sério agora Luiz, porque tem essa visão tão otimista? Gostaria de saber quais suas opiniôes, fundamentos e análises, KKKKK quase um interrogatório 🙂

      0
      • Rafael KM 6 de julho de 2012 at 22:51

        Concordo com o Luiz. 80% é a minha estimativa.

        Justificativa: no Brasil o efeito manada é maior que lá fora. Vide BOVESPA.
        tenho outras também.

        E acredito que o fundo do poço não demore tanto quanto pensa o Luiz. Fundo do poço entre 3 meses e 6 meses a partir do final da Copa.

        0
    • Shakespeare 5 de julho de 2012 at 18:48

      Eu acredito em 55% nominal em final de 2014

      0
    • O Irritado 5 de julho de 2012 at 21:17

      Meu palpite no “Bolhão” (desculpe, não resisti):

      OBS: se limita ao RJ.

      Não dá para adivinhar (nem chutar direito) antes dos malditos “eventos”. A ansiedade pré-copa x números e fatos x manobras inconcebíveis gerará (já está gerando) muita fumaça na bol(h)a de cristal.

      Por isso, infelizmente, sou obrigado a mirar em 2016 (o período 2012-2016 será interessantíssimo, porque começará a enorme ressaca da copa, com seu festival de escândalos, crises, dívidas etc e o oba-oba olímpico terá seu primeiro teste de resistência).

      Eu gostaria que caísse mais (como aqueles 80% real), mas não dá para esperar muita coisa dos bananenses, matarão (!) e/ou morrerão para não praticar o preço “justo” (nisso são muito unidos, é impressionante): entre 50 e 60% REAL (descontado a inflação e calculado em cima do pico da bolha), dependendo, é claro, dos infinitos fatores que influenciam naturalmente os preços (localização é um deles).

      Já no RJ, por exemplo, haverá certamente mudança de preços relativos em relação ao período pré-bolha: ZS, (Novo) Porto, Sta Teresa, Barra, Zona Oeste, Zona Norte e áreas vizinhas aos corredores (Trans-Isso/Trans-Aquilo, tudo menos um metrô decente!!).

      Mas juro que vou torcer para que eu esteja errado e consiga comprar meu ap a 80% (REAL) abaixo do pico da bolha 😉

      0
      • O Irritado 5 de julho de 2012 at 21:19

        ops! eu quis dizer “o período 2014-2016 será interessantíssimo” !

        0
      • André Luis ZS/RJ 6 de julho de 2012 at 01:02

        O que eu vejo é muita gente de saco cheio desse argumento fajuto de evento, só hj ouvi de 4 pessoas diferentes, 3 moradores de Ipanema com imóvel próprio e 1 de Copacabana também com imóvel próprio, falando no quanto é ridículo esse argumento, podem fazer o que quiser, mais um coisa é certa, quanto maior o numero de pessoas cientes desse absurdo e dispostas a não pagar antes da queda de 80%, menor a possibilidade desse absurdo perdurar até o fim dos eventos.

        Em tempo, tenho ouvido com frequência o valor 80%.

        O que acho interessante é que ouço isso de diferentes pessoas, muitas de fora do mercado financeiro ou imobiliário, e suas avaliações não são embasadas em fatores econômicos como as que aqui fazemos, elas se baseiam no simples bom senso.

        Pode não cair 80%, mas duvido que não aconteça antes da copa.

        No mais amigos, o maior fator é a crise que irá estourar agora no segundo semestre.

        0
  • RosinhA 5 de julho de 2012 at 18:36

    RGD e outros recebi informação quente que logo vem pacotão para setor da construção civil, desoneração de impostos para funcionários, materias, entre outros……

    Por isso os lançamentos estão sendo adiados segundo o cara, pena que não tenho confiança total nele, as vezes enche muito a bola ele é da Brookafileda.

    0
    • Luiz 6 de julho de 2012 at 11:05

      c tá atrasada Rosinha

      já ta todo mundo sabendo disso, o mercado inclusive já precificou.

      0
      • RosinhA 6 de julho de 2012 at 11:23

        Luiz avisa a gente pra não passar vergonha caramba :mrgreen:

        0
  • Paty 5 de julho de 2012 at 18:46

    Quarta-feira, 4 de julho de 2012
    Famílias com renda de até R$ 3.200 mil não conseguem financiar mais do que R$ 100 mil

    As famílias com renda entre R$ 1.700 e até R$ 3.200 não estão conseguindo financiar mais do que R$ 100 mil, apesar do anuncio de financiamento de 100% do valor do imóvel, juros mais baixos e ampliação do prazo de pagamento.

    É o que destaca a matéria publicada no último dia 24 de junho, no jornal Extra. Essa faixa de renda está fora do grupo beneficiado pelo subsídio do programa Minha Casa, Minha Vida.

    Para essa faixa de rendimento, a Caixa Econômica Federal financia o valor total do imóvel desde que custe até R$ 100 mil. Esse limite torna árdua a tarefa de encontrar a sonhada moradia.

    “É a renda que determina o valor máximo de financiamento. Se quiser um imóvel acima do valor concedido, será preciso pagar a diferença de entrada. Mas, apesar da carência de unidades nesse preço (até R$ 100 mil), é possível encontrar opções em alguns bairros das zonas Norte e Oeste”, afirma Nelma Tavares, superintendente regional da Caixa no Rio.

    O jornal Extra simulou o valor máximo para cada faixa de renda até R$ 3.200. Quem ganha R$ 1.700 pode ter um imóvel 100% financiado, se encontrar uma unidade de até R$ 68.602 — dentro da modalidade de crédito com uso do FGTS.

    Fonte: Redação

    0
    • Neo 5 de julho de 2012 at 21:25

      ou seja, os que ganham até 3200,00 foram jogados pra favela ou muda pra um cidade pequena….. só tem um problema, nao leva o salario pois 3200,00 de salario em cidades pequenas é um dinheirao!

      0
      • Álvaro Guilherme 6 de julho de 2012 at 12:18

        Ainda acho que o maior fator para estourar esta bolha não é uma crise propriamente, mas a falta de alcance da renda para adquirir esses imóveis.

        Só se sustentaria por algum tempo se os juros caísse muito, mas muito mesmo. Aumentar prazo com esses juros atuais é quase inócuo.

        0
  • Eduardo Farias 5 de julho de 2012 at 19:03

    Alguém aqui acredita neste tipo de reportagem?

    Sucesso de vendas no Setor Noroeste de Brasília

    http://correiobraziliense.lugarcerto.com.br/app/noticia/ultimas/2012/05/25/interna_ultimas,45850/lucro-do-setor-imobiliario-supera-os-r-3-5-bilhoes-em-vendas-no-noroeste.shtml

    Vale a pena ver os comentários dos leitores.

    0
    • RosinhA 5 de julho de 2012 at 19:31

      Tem outra Sp, tem escassez de imóveis em vários bairros, para venda.

      “http://noticias.bol.uol.com.br/economia/2012/07/05/secovi-sp-aponta-escassez-de-imoveis-em-bairros-paulistanos.jhtm

      0
      • Seu Madruga 5 de julho de 2012 at 20:14

        Putz, esse pessoal desse setor imobolhário… Se tem lançamento de imóveis, o preço vai subir, se não tem lançamento… Também!!!
        Segundo o Secovi TUDO é motivo para subir preço de imóveis: crise, economia bombando, economia parada, chuva de esterco, peste negra, o velório do anão…
        Uma vez teve um corretor que argumentou comigo que os preços dos imóveis usados iria subir… Porque estava chovendo muito!!!! E as obras dos novos iriam atrasar, puxando o preço dos usados!!! Vai se f%$#@!
        Feliz do lagarto que não tem orelhas para escutar ladainha de corretor…

        0
        • Seu Madruga 5 de julho de 2012 at 20:20

          “iriam subir..”

          0
        • Mr.Crowley 5 de julho de 2012 at 20:54

          Kkkkkkkkkkkkkkkkkk

          0
      • Fernandão Bolhudo 5 de julho de 2012 at 20:19

        “Ou já tem escassez ou vai ter num futuro próximo. Vila Leopoldina, Moema, Itaim Bibi, Vila Nova Conceição e Paraíso não têm estoque ou lançamentos.”

        Cara, para quê mais lançamentos nesses lugares se já há um puta estoque nesses bairros de usados VAZIOS???? Conheço esses bairros aí e tem muito usado vazio à venda e que está encalhado por causa do preço bolhudo!

        Vai querer que eu caia nessa conversa para poder aumentar o preço?? Quer me dar um “passa moleque” corretor?

        0
        • xangai 5 de julho de 2012 at 20:53

          yeph ..
          pelo flipzupt so nesses bairros citados sao 12.400 aptos tentando vender !!!

          alias..
          flipzupt tem imoveis repetidos no anuncio ?! sim tem
          flipzupt tem todossss os imoveis a venda ?!? NAOOOOO !!!!!
          flipzupt tem detalhadas unidades dos lancamentos!?!? NAO !!

          entao da pra imaginar ai uns … sei la … 20.000 aptos !!

          0
        • RosinhA 5 de julho de 2012 at 21:44

          E te pergunto mais Fernandão para que construir nessas áreas, se não pode receber nem um amigo porque nem lugar para estacionar não tem.

          As vezes acho não tenho certeza que os caras pensam que todo mundo é idiota, e só falar alguma coisa mais de 4 vezes e ela já vira realidade.

          Agora seu Madruga prefiro ser um camaleão….

          e Xangai acho que o número pode ser até maior hein ……..

          pode virar os dois olhos para lados diferentes, muda de cor fingindo que é do mesmo ambiente, e é parecido com o lagarto sem orelhas…….

          o bichinho safado de esperto !!!!!!……

          0
          • RosinhA 5 de julho de 2012 at 21:45

            Desculpem e xangai ………. deveria estar no final não no meio

            note véio hehe

            0
    • Ze Bom Dirolo 5 de julho de 2012 at 19:35

      O que eu vejo é desespero na rua para vender imóveis no Noroeste, isso sim….

      0
      • Ze Bom Dirolo 5 de julho de 2012 at 19:38

        Eita…que doido…saiu errado.
        Para Rosinha:
        ótimo…..assim não vai ter tanto irritado por aqui….rs.

        0
    • RosinhA 5 de julho de 2012 at 19:35

      Tem uma coisa esquisita…..

      O comércio tá realmente bombando, esperava no fechamento do primeiro semestre igualar ao ano passado, superamos em 30%, e nesse mês a meta prevista até o dia 10 batemos hoje já dia 5……..

      Alguém pode comentar se são ramos isolados, ou tem alguns ramos que realmente começa a se perceber quedas significativas. Isso seria muito importante para o debate dos ramos que estão mais sofrendo com a crise…

      Meu ramo é prestação de serviços 90% e vendas 10%.

      0
      • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 23:49

        Pois vou te falar uma coisa, aqui no RJ está as moscas, todo mundo comentando que o movimento nos supermercados caiu, nos restaurantes sempre lotados já apresentam diminuição de movimento e as lojas já liquidando coleção de inverno em pleno incio da estação, tenho consultório na rua Sta Clara em Copacabana, na penúltima quadra antes da praia, ao lado da galeria onde tenho consultório tem trocentas lojas femininas famosas, TODAS em liquidação.

        Alguma coisa está fora da ordem…

        0
        • RosinhA 6 de julho de 2012 at 06:39

          Valeu Andre alguém mais ? Legal seria saber por regiões do país tb.

          0
        • self 6 de julho de 2012 at 08:49

          Se movimento em SUPERMERCADO tá caindo, é porque a coisa tá bem mais feia do que o governo e a mídia admitem.

          Agora, muitas dessas “liqüidações” são apenas para bobão ver, na verdade.

          0
        • Rodrigo 6 de julho de 2012 at 09:45

          Esse coisa de “os restaurantes estão vazios” são coisas bem pontuais. Onde moro (Tijuca), estão TODOS LOTADOS!

          0
        • JohnnyRJ 6 de julho de 2012 at 11:06

          No Shopping Iguatemi em Vila Isabel, percebi 3 lojas de roupa e uma papelaria fecharem ao mesmo tempo, num período de 2 meses.

          São quatro lojas com adesivos do tipo: “Em breve mais uma atração para você”…

          0
    • Ze Bom Dirolo 5 de julho de 2012 at 19:52

      Achei engraçado um corretor que disse que aqui só tem servidor público, portanto, não teria possibilidade de calote. Eu pensei: ué…..servidor público é o que tem menos possibilidade de elasticidade em seus rendimentos. É o que tá mais f…. para pagar……não consegue nem fazer bico, sem cair em uma falta funcional.

      0
      • RMJ 6 de julho de 2012 at 01:44

        Dirolo,

        BSB tem muito servidor público. Isso é fato. Ocorre que muitos estão endividados até o pescoço. A estabilidade somada com a facilidade de obtenção de crédito fez com que parcela significativa dos servidores se endividasse além da conta. Muitos já estão inadimplentes. Na minha opinião, a situação desses servisores se agravou nos últimos tempos em razão da alta da inflação e da não concessão de reajuste de vencimentos pela União e pelo DF.

        0
        • RMJ 6 de julho de 2012 at 02:03

          Bolhistas de BSB,

          Acho que daqui há alguns meses serão veículadas na imprensa de BSB notícias relacionadas aos prejuízos sofridos por pessoas beneficiadas pelo MCMV em cidades do entorno do DF.
          O problema está relacionado a casas e apartamentos construídos especificamente para o MCMV.
          Os mutuários estão descobrindo que as construções são de péssima qualidade e que seus imóveis valem bem menos do que o preço pago às construtoras.
          Algumas associações de mutuários estão prestes a ingressar com ações judiciais visando a redução dos preços do imóveis acima citados. Aguardem!

          0
          • JohnnyRJ 6 de julho de 2012 at 11:20

            RMJ, há um tempo sondei um empreendimento na Z Norte do Rio, que começou no programa MCMV a partir de 100mil e hoje uma unidade de 2 quartos de 50m2 é anunciada por 230 mil.

            Nesse blog encontram-se vários relatos de moradores insatisfeitos com o projeto. Quando chove, o estacionamento inunda, entra água por tudo que é lado:

            “http://www.maismoreno.net/cyrelaliving-e-brookfield-fazem-mais-de-900-compradores-de-palhacos-no-norte-village/”

            0
  • RosinhA 5 de julho de 2012 at 19:28

    As notícias são dadas da forma que convém somente….

    Quanto ao aumento das vendas de autos procurando rapidamente encontrei:

    – Produção de veículos cai 9,4% no semestre e 2,6% em junho

    – O setor de veículos puxou o recuo de 0,9% na produção industrial do país em maio, na comparação com abril.

    – Em relação ao desempenho de junho de 2011, a produção de veículos teve queda de 7,6%.

    – No primeiro semestre foram fabricados 1.553.278 veículos, o que equivale a uma queda 9,4 % sobre a soma de janeiro a junho do ano passado, que registrou 1.714.767 unidades produzidas, quando foi alcançado número recorde de produção.

    – Apesar da forte alta nas vendas, a produção de automóveis e comerciais caiu 1,8% em junho, com 261.333 unidades no mês contra 266.027 em maio. Sobre junho de 2011, a queda foi de 4%. Com 1.474.460 produzidas no primeiro semestre, este nicho registra declínio de 7,1% frente às 1.587.531 unidades do ano passado.

    – A produção de caminhões caiu 22,4% em junho (8.749 unidades), comparando com as 11.275 de maio. Sobre junho de 2011, a baixa foi ainda mais forte, de 55,8%. No primeiro semestre de 2012 saíram das fábricas 62.926 caminhões, 39,8% a menos do que em igual período de 2011 (104.514).

    Para quem quiser acreditar na fonte: Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

    O Ipi não funcionou totalmente foi apenas uma paleativo para desovar os estoques que hoje estão na faixa de 30 dias, e reafirmo grande partes da vendas foram de frotistas e locadoras, perguntem a quem está no ramo.

    Adeus carro novo !!!! Feliz foi o ano velho !!!! será a música cantada na virada de 2012/2013.

    0
    • André Luis ZS/RJ 5 de julho de 2012 at 23:56

      Pois Rosinha vou te falar uma coisa dita por um paciente que tem cargo de chefia em vendas licitadas de uma das 3 grandes, ele me disse o oposto, que na verdade a venda para frotistas agora no mês de junho caiu muito.

      A situação é mito pior do tentam pintar.

      0
  • Gerson 5 de julho de 2012 at 20:32

    Texto interessante do Ricardo Gallo. Ao falar sobre a crise na europa, torna bem assustador o tamanho do buraco em que podemos estar entrando…
    http://colunistas.ig.com.br/ricardogallo/2012/07/05/licoes-dos-bancos-europeus/

    0
  • ray 5 de julho de 2012 at 21:21

    Uma pergunta: como manter nosso poder de compra até o estouro com essa miséria de rendimento da poupança?

    Bolsa nem especialista se aventura mais…

    Andei pensando em tesouro direto, mas to começando a ver propaganda demais nas mídias comuns, isso assusta… será q estão aprontando alguma pra fisgar sardinhas?

    0
    • Anonymous 5 de julho de 2012 at 23:35

      Sugiro abrar conta nos EUA e transferir o dinheiro pelo sistema bancário. Procure pelo manual do Anonymous que detalha os passos a serem seguidos. Quem seguiu essa sugestão aumentou o valor em Reais em 20% nesse primeiro semestre.

      0
      • Marcus 6 de julho de 2012 at 01:44

        Porra “anony” … vc lê e INDICA o zerohedge e tem coragem de repetir paulatinamente seu discurso pró dolar ???

        Santa contradição batman.

        Haja “manuel” pra sustentar tanta abobrinha.

        0
        • Marcus 6 de julho de 2012 at 02:04

          Todos os dias os caras postam “kilos” de matérias apontando as vunerabilidades do sistema financeiro americano e defendendo aplicação em metais.

          Vc é seriamente bipolar ou está posando de “coolzinho” antenado mas não lê o site …

          “http://www.zerohedge.com/news/thunder-road-report-death-march-approaching-new-financial-system”

          0
  • veigalex 5 de julho de 2012 at 21:26

    Os comentarios no site do Ricardo Amorim.. foram desabilitados?

    You win …. Perfect!

    Ataque soviético total.. parabéns pessoal.

    Toma trouxa….

    0
  • veigalex 5 de julho de 2012 at 21:32

    Bolha.. meus comentarios estão moderados. devido ao email?
    É o mesmo desde o começo…

    Libera ai .. é curintia.. mano. .. rsss

    Não sou curintia..mas a overdose da globo neste dias.. estão me diexado.. automatizado..

    Chego no serviço: meu chefe..
    Bom dia..
    Eu falo.. vai curintia..

    Chego em casa minha esposa: Oi amor
    Eu .. é curintia.

    na hora do rala e rola..
    vai curintiaaaaaa

    kkkkkkk
    insanidade coletiva.. total..

    0
    • Cleyton 6 de julho de 2012 at 00:09

      Porra nem fale, de tanto tocar na TV esse hino nojento até grudou na cabeça, que saco, quanto mais força você faz pra ele ir embora mais toca (na cabeça).

      0
  • RosinhA 5 de julho de 2012 at 22:00

    Gafisa e Alphaville não unificam caixa

    (Valor Econômico – São Paulo/SP – 05/07/2012 – Pág. B10)

    A decisão da Alphaville Participações (Alphapar) de levar a controvérsia com a Gafisa a respeito da parcela de 20% remanescente de Alphaville para a arbitragem adia não só o pagamento dessa fatia, como o momento em que a incorporadora poderá utilizar o caixa e os recebíveis da empresa de loteamentos urbanos para ajudar a melhorar sua situação financeira.
    Procurado pelo Valor, o presidente da Gafisa, Duilio Calciolari, não comentou o assunto.
    “No meu melhor entendimento, as empresas continuam autônomas nos termos da lei e com vida própria, sem integração das contas”, diz o diretor-superintendente da Alphapar, Nuno Lopes Alves.
    O executivo disse que quando a Gafisa não aceitou a proposta de que fosse pago o que a incorporadora propunha pelos 20% de Alphaville e que a diferença fosse levada à câmara de arbitragem, recusou também a possibilidade de promover a integração geral das duas empresas, incluindo a do caixa. “Os caixas são, hoje, rigorosamente separados e permanecerão assim até a conclusão da arbitragem”, afirma Alves.
    Segundo o executivo, o volume de recebíveis de Alphaville disponíveis para securitização é muito superior ao que a empresa de loteamentos precisará para garantir seu crescimento.
    Ontem, as ações da Gafisa caíram 3,01%, cotadas a R$ 2,57. Foi a maior queda do Ibovespa. O mercado não gostou de Alphapar e Gafisa não terem chegado a um acordo em relação à parcela ainda não paga de Alphaville.
    A compra de Alphaville pela Gafisa foi fechada em 2006, quando a incorporadora pagou 60% do total da empresa de loteamentos. A segunda parcela, de 20%, foi paga em 2010, e a última tranche, de 20%, prevista para 2012, ainda não foi quitada. Gafisa e Alphapar não se entenderam quanto ao valor dessa última parcela.
    A Gafisa contratou o JP Morgan para definir o valor a ser pago, e o banco avaliou a Alphaville em R$ 1,12 bilhão. Alphapar solicitou análise ao Credit Suisse, que estimou os 20% restantes em R$ 386 milhões. Esse valor cai para R$ 359 milhões, se descontados os R$ 27 milhões referentes a perdas potenciais e “stock options” para premiar funcionários.
    O UBS foi chamado para ser o terceiro avaliador e projetou valor superior ao do Credit em pouco mais de R$ 50 milhões. A decisão foi então considerar o valor da segunda avaliação.
    A Gafisa fará o pagamento em ações e, para calcular a quantidade de ações de sua emissão, utilizou a média das cotações do quinto ao vigésimo dias que antecederam o laudo do Credit. Com essa base, chegou ao preço de R$ 5,11 por ação, o que resulta em 70,252 milhões de ações de sua emissão.
    Para a Alphapar, se o valor de Alphaville foi conhecido depois da avaliação do UBS, o prazo para cálculo da média das cotações deveria ser do quinto ao vigésimo dias que antecederam esse laudo. Nesse critério, Gafisa teria de pagar 97,056 milhões de ações de sua emissão, ao preço de R$ 3,7 por ação.

    0
  • RosinhA 5 de julho de 2012 at 22:03

    Venda de imóveis novos em São Paulo tem alta de 35,9% em maio, diz Secovi

    (DCI – São Paulo/SP – SERVIÇOS – 05/07/2012)

    Paula Cristina – AE

    SÃO PAULO – O mercado de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo apresentou elevação das vendas em maio em 35,9% ante abril, apontou o último balanço do Sindicato da Habitação (Secovi-SP). Por outro lado, o volume de lançamentos ao longo do ano apresentou um recuo de 31,4%. Os números, no entanto não desmotivam a entidade, que prevê alta de 10% das vendas ante a 2011.
    Entre janeiro e maio, foram lançadas 7.496 unidades na cidade de São Paulo, um recuo de 31,4% em relação ao total apurado nos cinco primeiros meses de 2011, de acordo com dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp).
    Com a retração do volume de novos projetos nos primeiros meses do ano, o Secovi-SP diminuiu em 17% as projeções de lançamentos para 2012. Antes, eram esperadas 36,2 mil novas unidades; agora, este número deve ficar em torno de 30 mil, segundo o presidente da entidade, Cláudio Bernardes. “Consideramos modificar nossa previsão quanto aos lançamentos, que devem totalizar aproximadamente 30 mil unidades este ano”, disse.
    As vendas, por sua vez, mantiveram trajetória de crescimento. Em maio, foram vendidas 2.728 unidades na capital paulista, volume 35,9% acima do total de abril (2.007 unidades) e 14,6% acima do registrado em maio de 2011 (2.380 unidades). Nos primeiros cinco meses de 2012, o número de imóveis vendidos atingiu 10.135 unidades, um crescimento de 13,1% ante o do ano passado.
    O valor global das vendas chegou a R$ 1,37 bilhão em maio, alta de 51,9% ante abril e de 3,7% ante o mesmo mês de 2011. Entre janeiro e maio, o valor global das vendas atingiu o R$ 5,08 bilhões, alta de 6% ante a 2011. Para o presidente do Secovi-SP, o bom desempenho das vendas permite confirmar as estimativas de encerrar 2012 com 31 mil unidades vendidas, um aumento de 10% em relação ao ano passado.
    Rio de Janeiro
    O Rio de Janeiro, que já conta com o segundo metro quadrado mais caro do Brasil, vem verificando variação de preços, dentro dos próprios bairros, que beira os 50%, segundo pesquisa do Sindicato da Habitação (Secovi-Rio) com dados de junho.
    Exemplo disso, de acordo com a pesquisa, é a Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio que registra variação de até 46,3% dentro do bairro. Ipanema e Leblon, na zona sul, têm variação de 41,7% e 25,7%, respectivamente. Em Copacabana, a fama do calçadão, conhecido internacionalmente, também tem seu preço: o metro quadrado na Avenida Atlântica custa 35,7% a mais que nos outros locais do bairro.

    0
  • cesar bolhudo 5 de julho de 2012 at 22:12

    Para introduzir este assunto, segue um trecho do livro “A decolagem de um sonho – a história da criação da Embraer” de Ozires Silva. De forma lúcida e resumida, o engenheiro Ozires traduz claramente as desvantegens do país quando o assunto é produção industrial.

    Nos parágrafos abaixo é feita uma comparação entre a produção aeronáutica norte-americana e a montagem de aviões nas instalações da Embraer. Cabe destacar que trata-se do mesmo produto (aviões da Piper), portanto, um bom parâmetro de comparação.

    (…)Um aspecto sempre tinha sido do nosso maior interesse. Queríamos compreender como era possível nos Estados Unidos empregar-se um número tão reduzido de homens-horas por quilo de estrutura fabricada. Durante nossas discussões com a Piper, quando da colocação dos dados básicos no contrato, ficamos realmente surpresos com a pequena quantidade de mão-de-obra requerida para montar cada avião. Os números americanos, baseados na própria experiência industrial da linha de produção, eram basicamentea metade do que conseguíamos no Brasil.

    Buscávamos explicações e, contudo, em todas as visitas que fazíamos às linhas de produção americanas, não somente da Piper, mas também da Cessna e da Beech, encontrávamos mais ou menos os mesmos métodos de trabalho, sem grandes diferenças no que se referia à automação da montagem. Apesar de todo o esforço colocado para compreender as diferenças entre os métodos empregados pelas duas empresas, as únicas explicações possíveis vinham do nível cultural e de treinamento dos operários e da maior eficiência global do sistema de vida norte-americano em relação ao nosso.

    Por essas razão decidimos enfatizar ao máximo o treinamento do pessoal para que, no resultado final, tivéssemos a possibilidade de chegar perto dos índices de performance da nossa parceira. Ao nosso departamento pessoal foi solicitado preparar adicionalmente cursos de elevação de nível que funcionassem como uma espécie de supletivo educacional, que acabou por ter grande aceitação entre nossos empregados. Através deste mecanismo, muitos deles lograram conseguir melhores níveis de escolaridade que foram reconhecidos pelo sistema educacional, dando-lhes oportunidade de fazer outros cursos de progresso pessoal.

    Contudo, a despeito de todo o esforço do nosso pessoal, nunca conseguimos igualar o número de horas, por avião produzido, que a Piper ostentava na produção de seus aviões. Esse aspecto particular de nossas linhas de produção, para frustração nossa, não afetava somente a Embraer. Tivemos inúmeras oportunidades de discutir o problema com dirigentes de outras empresas brasileiras, também fabricantes de artigos licenciados de produtores norte-americanos, e o resultado observado era o mesmo. Enfim, da nossa experiência, parece que isto está mais ligado à cultura local do que efetivamente aos métodos de trabalho implementados pelas empresas. Creio que a explicação é simples demais para ser aceita sem análises mais profundas e, no momento em que a produção e a comercialização internacionais se globalizam, os fatores detectados em nossas linhas de fabricação podem tornar-se cruciais na capacidade competitiva do país.

    A partir dessas referências decidimo-nos filiar ao Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (da FIESP – Federação Paulista das Indústrias do Estado de São Paulo) para encontrar um fórum mais amplo para a troca de idéias e conseguir mais dados sobre o assunto para trabalhar no sentido de encontrar solução a fim de superar essa desvantagem que, por todos os modos, não deveria subsistir, sob pena de reduzir dramaticamente a competitividade da produção nacional.

    No Brasil, sempre que colocamos esses aspectos em discussão, as pessoas buscavam argumentos técnicos para justificar a disparidade dos dados confrontados. Uns diziam que eram os métodos de trabalho, outros argumentavam a favor de os custos de capital no Brasil serem significativamente mais caros que nos Estados Unidos, requerendo assim mais intervenção humana dos operários, que não era solicitada naquele país. Entretanto, após muito pensar e discutir, prefiro concluir que a cultura da sociedade, reagindo de forma diversa perante os problemas em geral, gera maior ou menor eficiência no sistema produtivo. O fato de o Brasil ser realmente um país de decisões demoradas e complicadas afeta, sem dúvida, a eficiência com que o sistema produtivo nacional trabalha.

    Isso gera uma grande frustração, pois um povo mais pobre, como o nosso, na realidade deveria ter o direito de comprar produtos mais baratos, produzidos com maior eficiência e, por consequência, mais acessíveis. No entanto, vivemos em uma situação inversa. Nos Estados Unidos, em geral os custos de produção são menores e, por esta razão, os americanos, melhor remunerados que os brasileiros, conseguem sempre os mesmos produtos a preços mais baixos. Um paradoxo que trabalhamos contra nós, os brasileiros. (…)

    Leia mais (Read More): Poder Aéreo – Informação e Discussão sobre Aviação Militar e Civil

    0
    • cesar bolhudo 5 de julho de 2012 at 22:18

      Pessoal, me desculpe quem achar o assunto fora de foco, eu percebo que alguns se não todos neste blog apreciam entender (ou tentar) o mercado Brasiles, e discutir as opções que temos.

      0
    • cesar bolhudo 5 de julho de 2012 at 22:25

      Em tempo, isso aconteceu nas decadas de 70-80, hoje a coisa já mudou muito, e a eficiencia na cadeia produtiva mais elaborada esta quase no mesmo nivel (ou perto disso, creio)

      0
    • Jack Daniels 6 de julho de 2012 at 16:29

      Se o problema é cultural, temos que avaliar a cultura em geral.
      Uma característica tipicamente humana é ver defeitos nos outros, e nunca em nós mesmos. Os líderes brasileiros sempre enxergam defeitos em seus funcionários (que TEM defeitos), mas nunca se auto-avaliam. São perfeitos!

      Existe diversos eventos históricos em que o Brasil se envolveu e sempre aparece um traço característico do nosso povo: o grande distanciamento entre os que mandam e os que obedecem. Prevalece o coronelismo, que hoje esta oculto (oculto é algo que existe mas é não observável!).

      Os funcionários dessas empresas são pessoas sem poder real de decisão que pouco se importam com a empresa. O que interessa é tirar o dela e ir embora. Não é causa, nem consequência. É a cultura que se instalou. Você nunca vai saber se os caras que mandam são toscos porque os funcionários não assumem, ou se os funcionários não assumem porque os líderes são toscos. Dilema Tostines.

      0
  • Ricardo C. 5 de julho de 2012 at 22:17

    A variação na barra da tijuca é gigante assim porque metade do que hoje se chama de barra na verdade, até pouco tempo, era Jacarepaguá…As construtoras chamam de barra para poderendobrarem o preço. Mas ainda assim essa “barra olímpica” custa obviamente muito menos que a “velha” barra.

    0
    • Álvaro Guilherme 6 de julho de 2012 at 12:24

      A Barra da Tijuca já chegou a Guaratiba, rs.

      0
  • F. Paes 5 de julho de 2012 at 22:49

    http://www.politicaeconomia.com/2012/07/membros-do-site-bolha-imobiliaria-em.html

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. O vídeo é uma comédia!

    0
    • Felipe 5 de julho de 2012 at 23:34

      Acho que a Kassia e o bolha têm um caso de amor…

      0
      • Leno 5 de julho de 2012 at 23:38

        Para aguentar as besteiras que ela fala tem que ter uma compensação muito boa , se é que me entende.

        0
    • Ricardo C. 6 de julho de 2012 at 00:17

      Ainda vai chegar o dia do pessoal daqui dar o troco. Vão pensando nas ideias pro vídeo hahah

      0
    • halt 6 de julho de 2012 at 00:24

      Pior que ficou engraçado! 😛

      0
    • Neo 6 de julho de 2012 at 01:29

      Depois desse video e desse site jegue esses corretores dessa nova geracao pós-bolha nunca verão um real do meu bolso.

      0
    • GB 6 de julho de 2012 at 07:07

      Muita legal, eu não falo alemão, mas está na cara que a legenda não tem nada a ver com o que esrão falando, talvez o assunto nem seja Bolha Imobiliária, eles falam do profeta Miguel Jacó e de outras coisas que acontecem aqui, a não ser que o MJ tenha ganho fama internacional.

      Mas mesmo que essa tradução seja verdade, lembrei-me do vídeo “Peter Schift estava certo”, a bolha especulativa é tão óbvia, tão baseada apenas em boatos e ganância e os interessados estão se esforçando tanto para negá-la que é so dar um tempo que logo o estouro acontece, aí nem vamos nos lembrar desse pessoal que dizia o contrário.

      0
  • seeder 6 de julho de 2012 at 00:51

    Hahahaha! O mais engraçado é que ambos postaram no mesmo dia. Até agora,esse post do bolhaimobiliaria.com tem 396 comentários e o dela tem zero.

    0
  • EngSJC 6 de julho de 2012 at 01:27

    Pessoal,

    E por anda nosso Profeta Miguel Jacó????

    Sumiu sem falar Tchau???

    0
    • RosinhA 6 de julho de 2012 at 06:57

      Está recluso em um lugar distante da civilização, no cume mais alto, cercado apenas pela natureza, sem nada de valor, apenas com um iphone, recebendo notícias e se preparando para próxima profecia :mrgreen:

      Todos sabemos que é uma brincadeira chamar o jacó de profeta, antes que meia dúzia venham reclamar…… ou tem alguém que realmente acredita em possuir visão do futuro, se for assim vou ligar para mãe Diná ou Walter Mercado, eles nunca erram :mrgreen:

      0
      • EngSJC 6 de julho de 2012 at 11:37

        É uma pena que o figura esteja distante… a presença dele trazia um bom “suspense” pro Blog…kkkkk

        0
    • GB 6 de julho de 2012 at 07:11

      Ele está no monte mais alto do Himalaia, com seu Mestre Xan-Xen-Xin-Panzé, recebendo suas orientações.

      0
      • GB 6 de julho de 2012 at 07:17

        “- Mestre, já é hora de comrpar um imóvel na Banânia ?

        – Grilo, comprar imóvel na Banânia você não deve enquanto preços absurdos ali estiverem.”

        0
        • Rodrigo P 6 de julho de 2012 at 10:43

          MInha conversa em visita a uma casa de 290m2:

          corretor: ótima casa nova, bla, bla o preço tá muito bom: R$1.250.000,00
          Eu: hum …..
          corretor: veja bem é uma casa de 290m2 em condom. fechado extremamente valorizado e com certeza vai valorizar ainda mais!!!
          Eu: huuuummmm……
          Corretor: olha só acho que voce pode oferecer R$ 1.000.000, 00 que acho que o dono fecha!!
          Eu: huuummmm……
          Corretor: e aí vamos fazer proposta
          Eu: fica pra próxima.

          Agora observem que eu não falei nada e o cara após falar de extrema valorização “desembolha” 20% do preço……

          Sinistro…

          0
          • EngSJC 6 de julho de 2012 at 11:17

            Aqui em São José dos Campos, tenho visitado os condomínios fechados em busca de terrenos e as coisas tem sido assim nos últimos 2 meses:

            1° Preço: terreno de 250m2 por $230K

            2° Preço: após visita ao condomínio, conversa daqui e ali, cai para $210K

            3° Preço: Poucos dias depois, corretor informa que entrou um terreno de “ocasião”, é pegar ou largar, $200K!

            4° Preço: Mais alguns dias depois, falando diretamente com proprietários, terrenos saem por $180K.

            Resultado: Em 1 semana, desconto de 20% do valor inicial!

            0
            • EngSJC 6 de julho de 2012 at 12:06

              Só faltou dizer… os preços aqui estão, no mínimo, 50% acima da realidade… os preços devem estar abaixo dos $140K que riam os corretores, secovi, aconvap!

              0
          • Alex 6 de julho de 2012 at 16:29

            Pessoal

            Na boa, adoraria dizer o mesmo. Mas parece que as historias aqui nesse blog não se repetem em jundiai

            Vi um terreno de 490m2 em um condominio fechado por R$ 450 mil.
            E o corretor disse que o proprietario tinha tido um AVC e que queria vender.
            Respondi educadamente que estava muito caro, e assim nem tinha como negociar.

            Esperei 1 mês, após a bolha estourar, a profecia do Miguel Jacó acontecer (aconteceu alguma coisa no dia 02/07????), e hoje fiz a proposta:

            R$ 300 mil pelo terreno que ele está pedindo R$ 450 mil !!

            E a corretora me informou que o terreno já foi vendido por R$ 450 mil mesmo.

            Outro terreno que estava por 450 mil, e eu ofereci R$ 410 mil, foi vendido por R$ 450 mil, e depois de 15 dias revendido por R$ 480 mil.

            Que bolha é essa que só estoura nesse blog?

            Desculpem o desabafo, mas aqui não esta acontecendo redução nenhuma!!!

            0
            • Bolha Imobiliária 6 de julho de 2012 at 16:37

              Esta compra que logo se revende, não se caracteriza uma pirâmide ?

              0
            • EngSJC 6 de julho de 2012 at 17:19

              Alex,

              Curioso isso, hein???

              Aqui em SJC há uma oferta enorme de terrenos e casas em condomínios e muitos ainda estão para serem liberados pela Prefeitura, não consigo ver valorização no médio prazo aqui com a economia do jeito que está e realmente os próprios corretores reconhecem que as coisas arrefeceram!

              Como está a oferta aí? Esse condomínio é muito específico? Perto de Shopping ou uma benfeitoria pública? Como estão os demais condomínios em Jundiaí?

              Talvez a maior proximidade com a capital explique um pouco isso???

              0
              • AlexJund 7 de julho de 2012 at 17:18

                EngSJC:

                Vou começar a assinar como AlexJund pois tem outro Alex na área.

                Esses condomínios ficam bem próximos da Anhanguera, já na saída para SP. Então são estratégicos para quem trabalha em SP, pois também são bem próximos do centro.

                E também há a noticia de que o Shpping Iguatemi será construído bem próximo daqui.
                O trânsito de manhã e final da tarde já é enorme, imaginem quando sair o Shopping…

                (moro neste local, em uma casa alugada)

                0
  • ch0qw3 6 de julho de 2012 at 01:40

    Excelente texto trazido pelo Luiz.

    É tudo o que a gente já sabia a respeito das super ultra medidas do heróico governo petralha para acabar logo com esta crise boba e feia. 🙂

    Vale a leitura.

    “http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,a-fantasia-de-mantega-,895868,0.htm”

    0
    • CapEnt 6 de julho de 2012 at 09:17

      Estamos virando uma Argentina. Nosso governo está acreditando na própria propaganda.

      0
  • Anonymous 6 de julho de 2012 at 02:21

    Anonymous disse: 28 de fevereiro de 2012. O ponto interessante é que o link não está mais disponível!!!

    Coloquei em letras maiúsculas o que já aconteceu numa situação normal quando a Banânia já estava utilizando sua moeda atual. Note que nessa época não foi necessário sequestrar o dinheiro como na época Collor e o preços de um tipo de imóvel DESPENCOU. O povo que esquece sua história esta condenado a repeti-la.

    Investir em flats?
    “veja.abril.com.br/vejasp/especial_guia_imobiliario/p_124.shtml”

    Tinha tudo para ser um excelente negócio. Na cidade que recebe quase 9 milhões de visitantes por ano (a maioria a negócios), os flats pareciam a alternativa ideal para oferecer conforto e serviços a quem dispensasse hotéis de luxo. Melhor ainda se os prédios fossem novos, modernos e confortáveis. NO FIM DA DÉCADA DE 1990, INVESTIR EM FLATS FOI TIDO COMO UM NEGOCIÃO. OS CORRETORES PROMETIAM UM RENDIMENTO MENSAL EQUIVALENTE A ATÉ 1,5% DO VALOR DO IMÓVEL, PORCENTUAL CONSIDERADO EXCELENTE POR INVESTIDORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO. OU SEJA, QUEM PAGASSE 70 000 REAIS POR UM APARTAMENTO DE 25 METROS QUADRADOS RECEBERIA CERCA DE 1 000 REAIS POR MÊS. TAMANHA PROCURA FEZ OS PREÇOS DISPARAR: O METRO QUADRADO CHEGOU A SALTAR DE 2 800 PARA 5 000 REAIS. O NÚMERO DE UNIDADES CONSTRUÍDAS PASSOU DE 7 000 FLATS PARA IMPRESSIONANTES 35 000 ENTRE 1998 E 2003. A demanda por hospedagem, no entanto, não acompanhou esse ritmo.

    O setor entrou em uma crise tão grande que no ano passado não ocorreu nenhum lançamento. “Houve uma superoferta, e muita gente teve de baixar as diárias para conseguir hóspedes”, afirma o engenheiro Caio Calfat, presidente da Sociedade Latino-Americana de Estudos Imobiliários (Lares). QUEM TENTOU VENDER SEUS IMÓVEIS DESCOBRIU QUE O FLAT PASSARA A VALER MENOS DA METADE. OS QUE INVESTIRAM EM UM APARTAMENTO NO HOLIDAY INN PARQUE ANHEMBI, POR EXEMPLO, PAGARAM 113 000 REAIS HÁ QUATRO ANOS. HOJE, O MESMO IMÓVEL É VENDIDO POR 40 000 REAIS. Exceções existem, claro, mas são raras.

    0
  • Nasrú 6 de julho de 2012 at 04:50

    Eu não poderia relatar isso que vou relatar, porque é deveras pessoal e pode me causar consequências, mas gosto muito disso aqui e PRECISO COMPARTILHAR.

    Bom, hoje conversei com uma pessoa que é de uma família que controla um dos maiores bancos privados bananenses (isso é o máximo que posso falar – não posso relatar nomes e nem absolutamente nada que identifique porra nenhuma). Enfim, durante a conversa sobre assuntos aleatório (nesse momento eu lhe relatava conclusões de uns experimentos comportamentais), essa pessoa, em resposta, disse-me: “- Saber disso vale um milhão de dólares!”

    Nesse momento, percebi uma brecha para extrair informação do alheio. Falei, jocosamente, claro, alá hipnose ericksoniana, algo mais ou menos assim: “- Huuruuuu! Isso é muita grana. Com isso posso até comprar kitnet em Copacabana a vista!” – e fiquei atendo, silente, esperando o feedback dessa pessoa.

    No mesmo momento, com um sorriso escondendo certa preocupação (contração de musculaturas da testa e olhos), essa pessoa falou: “- Olha, isso vai dar uma merda! Uma merda violenta e generalizada.” – o silencio se manifestou e senti que o rapport estava já pra se perder.

    Desesperadamente, mudei de assunto para algo que eu sabia que essa pessoa gostava (filmes), procurando dar-lhe aprovação social (falei que um tal filme que essa pessoa havia comentado era maravilhoso, mesmo sem nunca tê-lo visto). éee…… é…. é…

    é… PLOC MONSTER

    0
    • hannamanana 6 de julho de 2012 at 08:48

      Medo…
      Medo…
      Muito medo…

      0
    • Eduardo 6 de julho de 2012 at 08:51

      É preocupante!!!

      0
    • JPires83 6 de julho de 2012 at 09:03

      “- Olha, isso vai dar uma merda! Uma merda violenta e generalizada.”²

      Adorei essa parte

      0
    • O Irritado 6 de julho de 2012 at 10:09

      Tenso…

      0
    • Muca CG Muita Treta 6 de julho de 2012 at 13:03

      Tava conversando com o Walter Salles? rs

      0
  • antonio henrique 6 de julho de 2012 at 08:04
  • Salles 6 de julho de 2012 at 08:21

    www. youtube.com/watch?v=XaofuVkOzv4&feature=related

    0
    • Zoom 6 de julho de 2012 at 09:25

      Muito bom o vídeo.

      0
    • Será... 6 de julho de 2012 at 11:13

      Bom vídeo pra mandar pros amiguinhos…rs

      Tenho uns conhecidos que no ano passado quando eu falava de crise ou bolha imobiliária aqui no Rio e no Brasil me chamavam de pessimista, sem visão, perdendo o bonde, etc…

      Agora mando todos os vídeos, links de notícias e demais informações para deixá-los atualizados, e a maioria já entra em debate concordando, reclamando dos preços, salário, crises, etc…
      O ruim é que o povo só abre os olhos (quando abre) quando a merda já ta na porta…rsrs

      0
  • ch0qw3 6 de julho de 2012 at 08:38

    Meio off topic, mas um excelente texto do Sardenberg. Andava meio decepcionado com ele, mas com este texto ele se clareou.

    Em síntese, começamos a colher os resultados do populismo de Lulla. Eu sempre dizia que, para manter 80% de aprovação popular, muita coisa tinha de estar errada.

    “http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/feira-livre/custo-lula-por-caros-alberto-sardenberg/”

    0
    • hannamanana 6 de julho de 2012 at 09:22

      “Como uma empresa como a Petrobrás pode cometer um erro de planejamento desse tamanho?”
      Um dos grandes maus dos homens de negócios.
      Já fiz alguns projetos de investimentos nos quais eu elencava possibilidades pessimistas interferindo no fluxo de caixa e potencial de retorno da empreitada e vira e mexe eu escutava: mas, você não está entendendo, o projeto é ótimo e isto não vai acontecer.
      Eu diz, em tom mais polido “problema seu, se quiser que eu assine este projeto, vai ter que conter estes cenários e as minhas observações”.
      Ai, o cara não aceitava.
      Ai, o cara fazia com outro.
      Ai, o cara mandava tocar o negócio.
      Ai, em até no máximo 18 meses eu ficava sabendo que o cara quebrou.
      Neste relato aconteceu algo semelhante. Alguém que não tinha condições técnicas pra avaliar a viabilidade e retorno do investimento mandou fazer, ninguém contestou por pura politcagem e agora, amargam um prejuízo plenamente evitável.
      E outra… confiar no Chavéz… Sem comentários.
      Preocupante pra economia que uma grande estatal esteja fazendo isto.
      Em tempo – falando de atividade econômica, ontem no jornal regional relataram a situação preocupante da indústria na região onde 11.000 postos foram fechados e há pessoas especializadas na condução de máquinas industriais sem trabalho há quase 6 meses.

      0
      • hannamanana 6 de julho de 2012 at 11:00

        *afff um dos grandes males e não maus

        0
        • RosinhA 6 de julho de 2012 at 11:22

          Hehehehe a Hanna acordou Trisáfica hoje !!!!!!!

          Legal Hanna desabafa e mete o pau !!!!!

          0
          • hannamanana 6 de julho de 2012 at 14:00

            hahahahaha como dizem lá em casa… no 330v kkk

            0
            • Bananildo 6 de julho de 2012 at 16:12

              Eita, Hanna, tá dando choque??? kkkkk

              0
    • PBR 6 de julho de 2012 at 13:08

      Excelente texto, essa política de investimento desastrada, ao lado da política de controle da inflação com base no preço da gasolina e do conteúdo nacional, são as três grandes amarras para o aumento da produção da petro. Se não houver um ajuste destas políticas, os petralhas podem ser capazes de fazer algo que nenhum governo conseguiu nos últimos 60 anos: matar a galinha dos ovos de ouro.

      0
  • RPL 6 de julho de 2012 at 08:45

    Mauro Halfeld acabou de falar na CBN que: “tivemos um boom imobiliário no Brasil.Na Espanha e nos EUA, o preço dos imóveis tem perdido da inflação então, tem de tomar cuidado ao investir em imóveis”

    0
    • homeless 6 de julho de 2012 at 09:10

      Acabei de ouvir também, muito interessante e bate com o que falamos aqui. Segue o link:
      http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/mauro-halfeld/MAURO-HALFELD.htm

      0
    • Ploc Monsters 6 de julho de 2012 at 09:19

      Ué ?? acabou a verba do Secovi pro cidadão ?

      0
    • Zoom 6 de julho de 2012 at 09:27

      Estão afrouxando….

      0
    • hannamanana 6 de julho de 2012 at 09:28

      Fiquei escrevendo lá embaixo sobre isto enquanto você postou e por isto não vi sua postagem.
      Sorry

      0
      • RPL 6 de julho de 2012 at 09:49

        hannamanana,

        Você escreveu de forma mais completa lá embaixo!

        0
        • hannamanana 6 de julho de 2012 at 10:59

          Mas, foi bom você ter escrito, porque mostra que não fui só eu quem entendeu o recado.
          Achei que pudese estar entendendo errado, mas acho que é isto mesmo né? – hora de cuidado

          0
    • Júlio Cesar 6 de julho de 2012 at 11:12

      O Guru das Sardinhas disse que houve um boom(eufemismo – leia-se BOLHA) imobiliário e que é possível que os imóveis valorizem menos que a inflação. O cardume deve estar agitadíssimo hoje, é sardinha vuando pra todo lado kkkkkkkkk.

      0
  • veigalex 6 de julho de 2012 at 08:53

    O video e sobre um programa de tv.. onde o apresentador tem entrvistados de varios assuntos.. nesse dia era sobre erros medicos.. a mulher teve um problema na coluna e o cara era nas amidalas e ficou com aquela vozinha… o apresentador se rachou.. da voz do cara.. detalhe.. toda producao foi demitida no dia….

    é so procurar no youtube.. tem um relato do apresentador..

    procure.. apresentador ri de entrevistado.. o programa chamava boomerang.. acho.

    0
    • Ploc verde de limão 6 de julho de 2012 at 09:21

      É um ótimo programa de humor, não me lembro de onde é.
      Vi outro sketch tipo pegadinha onde levantam um automóvel em uma rua estreita e colocam na contra mão.

      0
    • GB 6 de julho de 2012 at 09:25

      kkkkkkkkkkk, ai que bom que alguém traduziu aquele vídeo, realmente está mais para “erros médicos” que “os bolhas sendo entrevistados”, kkkkkkkkkkkkkk.

      Se eu fosse entrevistado num programa desses eu estaria maior feliz lá, dizendo que escapei de comprar um apê de R$ 185k que hoje está encalhado e sendo vendido (tentando) por R$ 160k, que prefiro um Soft landing pois assim o $$$ rende para mim na poupança e consigo tempo para poupar mais enquanto os proprietários estão arrancando os cabelos, ligando para corretores que não fazem milagres, se perguntando se o imóvel deles é tão bom assim, por que não vende ?, ou seja, tudo está dando muirto certo.

      Inclusive a gente podia processá-la por essa brincadeira de mal gosto, além da retratação no site dela e retirada do vídeo, poderia dar uma grana pra gente gastar com um anúncio nos jornais.

      0
      • RosinhA 6 de julho de 2012 at 11:16

        Coitada GB ela tem 2 apartamentos em construção para um pagar o outro, nem deve ter as entradas, seria melhor juntar caixas de papelão como disse o capent para ela ter uma moradia digna nos dias de frio pelo menos

        KKKKKKKássia

        0
  • Cigano 6 de julho de 2012 at 09:09

    Parece que o BC nao sabe muito bem o quanto estamos individado…..

    Fazenda usa dado ‘secreto’ para medir endividamento

    JULIA BORBA
    DE BRASÍLIA

    O Ministério da Fazenda está usando um indicador “secreto” para medir o nível de endividamento das famílias brasileiras.

    Para a Secretaria de Política Econômica da pasta, o estoque da dívida bancária das famílias brasileiras corresponde a 64% da sua renda anual. Para o Banco Central, essa estimativa é de 44%.

    A discrepância ficou evidente numa apresentação feita há cerca de duas semanas por Márcio Holland, secretário do ministério. Em um dos slides, também divulgado no site da Fazenda, a nota de rodapé dizia: “Os dados devem ser utilizados tão somente para discussões internas e não devem ser publicados”.

    Mantega diz que governo vai trabalhar para crescimento maior do que 2011

    O documento da Fazenda defende que a estatística do BC não deveria ser utilizada para realizar comparações com outros países porque a autoridade monetária adota uma metodologia “significativamente diferente”.

    O nível de endividamento das famílias está no centro do debate econômico nacional. Para garantir a retomada do crescimento, o governo aposta no estímulo ao consumo por meio de crédito, ideia que vem gerando críticas.

    Em junho, a presidente Dilma Rousseff rebateu as críticas. Disse que o crescimento do consumo significa inclusão social. “Não temos um nível elevado de endividamento das famílias, é só pegar os padrões internacionais de endividamento e olhá-los.”

    A apresentação da Fazenda mostra estatísticas para Estados Unidos, França e Alemanha com índices bastante superiores, de 124%, 99% e 97,5%, respectivamente.

    Para o economista José Márcio Camargo, mesmo que a situação brasileira pareça menos alarmante, a dificuldade de pagamento no Brasil merece destaque. Com elevadas taxas de juros, os brasileiros encontram condições menos favoráveis para quitação. Além disso, o endividamento no Brasil é mais concentrado em uma parcela da população, o que distorce as comparações.

    “Essas dívidas são feitas por famílias com renda entre R$ 1 mil e R$ 5 mil. Nesse grupo, a taxa de endividamento é muito maior”, explica.
    O Banco Central não quis comentar. Já o ministério retirou o documento do site após ser procurado e afirmou que a publicação havia sido feita por engano.

    0
    • Ploc Monsters 6 de julho de 2012 at 09:16

      Esse governo MENTE descaradamente, e tem muito mais coisa podre debaixo do tapete por aí, ou alguém acredita por ex no IPCA do PT ??

      0
    • hannamanana 6 de julho de 2012 at 09:30

      É só conversar com as famílias do Brasil pra saber que elas estão endividadas em, no mínimo 50%.
      Este BC só engana que aciona o PCMD* do cérebro.
      (*Pensar Com Mais Discernimento… Activate)

      0

    • Zoom 6 de julho de 2012 at 09:32

      Fonte: -http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2012/07/06/fazenda-usa-dado-secreto-para-medir-endividamento.jhtm

      0
    • O Irritado 6 de julho de 2012 at 10:15

      Devem ser os mesmos dados “secretos” que utilizam na distorção vergonhosa do IPCA…

      0
  • hannamanana 6 de julho de 2012 at 09:14

    Um ouvinte relatou ao Mauro Halfed da CBN Dinheiro (que tem dia, ao ouvir fico com raiva de alguns relatos idiotas) as características das aplicações financeiras de um amigo para as quais, parte está investida em imóveis (na planta ainda!!!!!!!!!!!! Adorei esta parte).
    O total de aplicações era de quase 2 milhões, pelo que eu entendi, e o seu rendimento atual era de 8K Dilmas (adoro esta moeda do GB). Falou o salário atual, as despesas e os objetivos de vida e tralalá, tralalá e o desejo de parar de trabalhar e viver só de renda.
    Entre muitas coisas que o apresentador disse (que em resumo é: você não vai conseguir manter o padrão de vida pretendido se parar de trabalhar), o final me chamou muito a atenção quando ele falou dos imóveis.
    Disse ele que o aluguel poderia ser considerando o melhor rendimento da carteira do ouvinte, porque, costumeiramente, dá um retorno bem melhor sobre o capital investido (valor do imóvel) que as outras aplicações de renda fixa relatada. Porém, economias que passam por um boom de valorização, como aconteceu nos Estados Unidos, depois não conseguem mais manter esta premissa e segundo ele, lá (nos EEUU) eles não estão conseguindo obter retornos satisfatórios, então que não era pro ouvinte contar com isto agora.
    Mas, não sei se é pensamento viciado da minha parte, mas até por citar os Estados Unidos o recado seria – não pense que vai lucrar grande coisa com imóveis a partir de agora, pois estamos passando por um boom e mais pra frente as coisas tendem a ficar mais parecidas com o cenário norte-americano pós boom.
    E o que aconteceu no pós boom, minha gente?
    Isto seria mais uma mensagem velada?

    0
    • GB 6 de julho de 2012 at 09:30

      Yeah !!!!!

      Gente, vamos processar a Kassia pela bricadeira infeliz dela, é nítido que houve dolo naquilo ali, inclusive mencionando nomes do pessoal daqui.

      0
      • hannamanana 6 de julho de 2012 at 10:02

        E o novo vídeo do site dela.
        Já viu?
        Hahahahahahaha…
        Toda a vez que você ensina um descompensado a fazer uma coisa nova, ele sempre fica repetinho a tarefa exaustivamente.
        Ensinaram-na a fazer videozinhos… agora, pronto…
        Ela deve receber pra isto… só pode!

        0
      • Ze Bom Dirolo 6 de julho de 2012 at 10:21

        GB, quem tá na chuva é para se molhar….

        Ela não está errada. Só que o que tem que ficar claro é que alguns deixaram de ganhar e não que perderam…

        Agora a preocupação dela deve ser por pensar que seu imóvel a deixaria rica ou pq está com um financiamento nas costas.

        0
      • CapEnt 6 de julho de 2012 at 13:37

        Processar pra que? É propaganda grátis para nós!

        0
    • Rafael K 6 de julho de 2012 at 09:37

      é a famosa em cima do muro e com tom de voz baixinho .. faltou coragem para uma resposta precisa… o MH é sempre conservador, e eu gosto!!
      mas depois q explodir ele vai ser o tipo daqueels que provavelmente vai dizer: EU AVISEEIII (em caixa alta mesmo)!

      0
      • hannamanana 6 de julho de 2012 at 10:52

        Hahahaha… é… “eu avisei em mensagens cifradas, vocês não pescaram?” rssss
        Ele é bem prudente e não está errado, pois o problema é que não existe dado plenamente confiável para sustentar nada na mídia, já que quem lança as estatísticas são também os principais interessados no que elas mostram.
        Mas… vamos aguardando

        0
    • RosinhA 6 de julho de 2012 at 11:20

      Deve ser um “amigo” que ligou, ele relata coisas bem parecidas aqui, decide aí cara que lado estás, agosto já está chegando

      0
      • hannamanana 6 de julho de 2012 at 14:01

        Então, RosinhA… como dizem aqui no Blog…
        Run to the hills

        0
  • Pablo 6 de julho de 2012 at 09:21

    Eis a visão do Inferno:

    O economista Michael Feroli, do J. P. Morgan, assim falou sobre os novos índices do ISM – Institute for Supply Management: “Agora estamos (nos EUA) começando a sentir a infecção”. Ele reflete a mudança de opinião da maioria dos analistas, que vinha, até então, excetuando a economia americana do rol das mais afetadas pela crise europeia. Agora não mais.

    O desapontamento geral veio do índice ISM, que caiu do patamar de 53,5 em maio para 49,7 em junho, cruzando a barreira do escore de 50 pontos (mais de 50 pontos, expansão; menos de 50, contração). O fenômeno se repete na Europa e na Ásia.

    A pesquisa traz mais aberturas importantes: a medida de novas encomendas, que vinha na casa dos 60 pontos, despencou para 47,8 – o recuo mais forte numa década. E as encomendas do exterior declinaram de 53,5 pontos para 47,5.

    Os segmentos em contração mais expressiva foram os ligados ao mundo das commodities, cujos preços vêm derretendo em velocidade assustadora, afetando, sobretudo, as indústrias de petróleo, plásticos e produtos químicos.

    Na esteira desse recuo está a redução significativa do crescimento de vários emergentes, sobretudo da China e Índia. Nesta última, a crise de confiança é tão aguda que o primeiro-ministro Singh resolveu assumir, pro tempore, a pasta das finanças, de onde é egresso.

    A economia americana segue sendo um problema menos grave do que a europeia. Contudo, é a velocidade da parada múltipla na demanda de vários países, todos ao mesmo tempo, que torna o cenário à frente muito grave.

    Este aspecto foi ressaltado na fala do ministro da Fazenda, Guido Mantega, no evento conjunto da Fiesp-Lide, esta semana.

    Ele deixou claro o grau de preocupação do governo com esta nova etapa da crise, embora o Brasil, segundo ele, tenha condições de resposta muito melhores e diferenciadas, pelo grau de estabilidade alcançado por nossos principais indicadores fiscais e de dívida.

    Sem tirar a razão do ministro, tanto em relação à intensidade do novo choque quanto à capacidade de resposta da economia brasileira, é preciso lembrar que nosso país sofre de uma síndrome de improdutividade em grau máximo, por ser um dos que mais escalou sobre o bolso do contribuinte.

    Se, de um lado, garantiu nível invejável de (quase) equilíbrio às contas públicas e redução significativa do endividamento interno, por outro lado a avalanche fiscal não é tão indolor e vazia de consequências como se dá a entender pelas falas oficiais.

    O aumento incessante da carga tributária, que propiciou o ajuste fiscal do Brasil, agravou em igual medida a fragilidade financeira do setor privado, cujas empresas perderam boa parte de sua capacidade de investir.

    A geração de caixa é comida, no nascedouro, por uma multiplicidade de tributos, que não encontra paralelo em nenhuma outra economia séria ou, inclusive, nas mais desorganizadas e rústicas.

    Este verdadeiro “moedor de eficiência empresarial”, ligado 24 horas a fio em 220 volts, que devora a produtividade geral da nossa economia produtiva, pode colocar o Brasil como um dos mais vulneráveis na nova onda da crise mundial.

    Daí a urgência de medidas estruturais no campo fiscal, que o governo ainda reluta em tomar. A sociedade brasileira, pagadora da conta final, tem que se mexer, se não quiser perecer.

    0
  • JPires83 6 de julho de 2012 at 09:34

    “http://www.dci.com.br/pedidos-de-falencia-no-pais-crescem-11-no-primeiro-semestre-id301480.html

    Pedidos de falência no país crescem 11% no primeiro semestre

    SÃO PAULO – O número de pedidos de falência no país cresceu 11% no primeiro semestre, em comparação ao mesmo período de 2011. Os dados do Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações, divulgados nesta quinta-feira (5), mostram que de janeiro a junho foram registrados 975 pedidos ante 877 dos mesmos meses do ano passado. Do total de pedidos de falência, 529 (54,2%) foram de micro e pequenas empresas, 286 (29,3%) de médias e 160 (16,5%) de grandes empresas.

    O levantamento apontou também aumento nos registros de pedidos de recuperação judicial. Este ano, até junho, houve 395 requerimentos, 65,2% a mais que nos seis primeiros meses de 2011 (239). As micros e pequenas empresas, com 202 (51,2%) requerimentos de recuperação, lideram o número de pedidos

    “A falência pode ser uma forma de pressão de pagamento. Ela pode ser sobre empresas que estão com dificuldades, mas pode ser também pressão de cobrança. É Importante notar que as empresas em dificuldades são as que estão em recuperação judicial”, disse o economista da Serasa, Carlos Henrique de Almeida.

    A crise internacional, a baixa nas vendas e a alteração no preço do dólar e na política cambial, de acordo com o economista, estão na origem das dificuldades. “O dólar alto impactou as dívidas que as empresas tomaram no exterior, e elas buscaram muito crédito um pouco antes da crise americana. A diferença de taxas de juros, de custo financeiro, valia muito a pena”, declarou. “De repente, agora, este ano, sobretudo a partir de fevereiro, o dólar começa a subir, e o governo muda a política cambial efetivamente. A empresa que tinha o crédito contratado e tem de pagar essa dívida. Ela comprou [o dólar] a [R$]1,75 e agora tem de pagar R$ 2”, completou.

    Na opinião de Almeida, a valorização do real está ajudando as empresas a exportarem mais. Mas isso não significa um resultado garantido. “Porque a crise é global, e a demanda por produtos importados das outras economias também caem”.

    O economista da Serasa ressalta ainda que o cenário atual é de dificuldade e não de “quebradeira” e que os dados do levantamento também apontam para uma melhora no segundo semestre. “Costuma ser melhor, sobretudo para aquelas empresas que são ligadas a bens de consumo e varejo, elas vão sentir mesmo uma melhora já no último trimestre desse ano”, disse.

    0
  • Zoom 6 de julho de 2012 at 09:48

    Quem entende esse cara?

    “Crise retarda benefícios de medidas de estímulo, diz Mantega

    SÃO PAULO – Juros mais baixos, controle fiscal e estabilização do real em um patamar mais baixo em relação ao dólar compõem, para o ministro da Fazenda, Guido Mantega, uma nova matriz macroeconômica, que vai estimular o crescimento da atividade do país nos próximos anos.

    Falando a empresários ontem à noite durante evento em São Paulo, Mantega ponderou, contudo, que a crise na zona do euro, o baixo crescimento da economia dos Estados Unidos e a desaceleração de China e Índia estão retardando os efeitos das medidas que têm sido adotadas pelo governo para estimular a economia brasileira.

    A queda na taxa de juros, por exemplo, foi citada por Mantega como um fator que estimula investimentos. “Estamos seguindo em direção a um nível normal de juros. Estamos deixando de ser o paraíso da arbitragem para sermos o país do capital produtivo.”

    O ministro da Fazenda afirmou que a estratégia do governo para acelerar o crescimento da economia não está calcada apenas no estímulo ao consumo, como foi feito há três anos, e defendeu a diminuição do Imposto sobre Produto Industrializados (IPI) para alguns setores da indústria.

    “Atacamos os dois lados do problema com a crise atual, que deriva da de 2008/2009. É fantasia dizer que as medidas de estímulo ao consumo estão com capacidade esgotada. Basta ver as vendas de linha branca e automóveis para perceber que essa tese cai como um castelo de areia. O governo também está atuando com medidas estruturais para sustentar a produção e o consumo no longo prazo, mas, como em toda reforma, os efeitos dessa nova matriz levam algum tempo para serem sentidos”, afirmou.

    A expectativa do ministro é que o Brasil cresça entre 4,5% e 5% ao ano “quando a crise amainar” e as medidas macroeconômicas fizerem efeito. “Tomamos as medidas necessárias e temos experiência em passar por crises.”

    Mantega também voltou a dizer que novas desonerações em setores da indústria deverão acontecer.

    Mais cedo, em entrevista exclusiva concedida ontem e publicada na edição de hoje do Valor, Mantega disse que a atuação dos bancos públicos – no crédito de longo prazo, no financiamento ao consumidor ou no capital de giro das empresas – tem impedido uma desaceleração mais acentuada da economia brasileira. Ao mesmo tempo, criticou a retração das instituições privadas na oferta de crédito.

    (Rodrigo Pedroso | Valor)”

    0
  • hannamanana 6 de julho de 2012 at 10:11

    Dez notícias para lidar com os mercados nesta sexta feira:
    “http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/10-noticias-para-lidar-com-os-mercados-nesta-sexta-feira–81

    0
  • Pablo 6 de julho de 2012 at 10:15

    China adverte bancos para evitar recorrência de bolha imobiliária:

    “http://www.portaldoeconomista.org.br/noticias/china-adverte-bancos-para-evitar-recorrencia-de-bolha-imobiliaria.html

    A inesperada decisão chinesa de baixar os juros, pela segunda vez em menos de um mês, revelou o grau de preocupação de Pequim com o esfriamento de sua atividade econômica.

    Mas o anúncio, ontem, do corte de 31 pontos-base na taxa de juros de referência para empréstimos por um ano e de 25 pontos-base nos juros de referência sobre depósitos veio ao lado de outra mensagem. Juntamente com o comunicado sobre as taxas de juros, o banco central da China tomou a rara decisão de advertir as instituições financeiras para que “continuem a suprimir investimentos especulativos em habitação”.

    “Esse é um sinal claro de que, embora o governo queira estimular a economia, está também cada vez mais preocupado com um reaquecimento dos preços no mercado habitacional”, disse Du Jinsong, analista do Credit Suisse.

    Segundo Du, os dados coletados por seu banco indicam que em junho os preços dos imóveis residenciais já haviam começado a se recuperar nas grandes cidades.

    Segundo pesquisa realizada pelo Sistema Índice Imobiliário Chinês, o preço médio de novas casas em cem grandes cidades chinesas subiu 0,05%, entre maio e junho, após nove meses de queda.

    Após mais de dois anos apertando a política monetária para esfriar um mercado imobiliário superaquecido e conter a inflação, no fim do ano passado o governo chinês recomeçou a afrouxar cautelosamente a política monetária.

    Em março, a maioria dos economistas estava aplaudindo os mandarins pequineses por engendrarem um pouso suave e previa uma recuperação da economia a partir do segundo trimestre.

    Esse consenso foi despedaçado por um fluxo constante de estatísticas que revela uma desaceleração da economia muito maior do que esperava a maioria dos analistas.

    O corte de juros determinado ontem por Pequim sugere que uma série de dados a serem divulgados na próxima semana pintarão uma cena desoladora.

    Diversos sinais – do excesso de capacidade e esfriamento nas atividades dos setores do aço e do cobre ao corte de empregados por fabricantes de maquinário para construção civil -, sugerem que, pela primeira vez em uma década, a desaceleração chinesa foi puxada por um declínio na atividade de construção imobiliária.

    Isso é em larga medida resultado das ações do próprio governo.

    A partir de 2010 as autoridades impuseram restrições draconianas à compra de moradias na maioria das cidades grandes, inclusive proibindo que famílias adquirissem um segundo apartamento.

    Mas, apesar da desaceleração global, o governo manteve-se firme na posição de que as restrições ao mercado habitacional não podiam ser suspensas.

    Nesta semana, a mídia estatal chinesa informou que o vice-premiê Li Keqiang rejeitou apelos por um relaxamento das restrições no setor imobiliário para manter a economia crescendo e insistiu em que elas permaneceriam em vigor.

    O governo está preocupado com que o levantamento das atuais restrições possa provocar o ressurgimento de uma bolha imobiliária, desestabilizar a economia mundial e exacerbar tensões sociais no país autoritário.

    Mas a construção imobiliária foi diretamente responsável por estimados 11% do PIB chinês no ano passado, um número alarmantemente elevado, sugerindo que o crescimento provavelmente perderá sustentação se não houver uma recuperação da atividade da construção civil.

    “É difícil ver como eles poderão manter um crescimento sustentado durante os próximos dois ou três anos, em face do declínio da construção imobiliária”, disse Nicholas Lardy, economista do Instituto Peterson de Economia Internacional e especialista em economia chinesa. “Eles provavelmente poderão manter as coisas andando por mais alguns trimestres, mas não vejo como a construção civil pode continuar a ser o grande condutor [da economia chinesa], como foi nos aproximadamente últimos sete anos.”

    Ele citou um estudo do governo chinês segundo o qual apenas cerca de 15% das famílias acreditam que os preços das moradias continuarão a subir, em comparação com cerca de 45% há apenas três anos.

    Visitas a cidades de segundo e terceiro níveis em toda a China sugerem que grande parte do país foi alvo de investimentos excessivos em construção de moradias de alto padrão nos últimos anos, e que poderá levar anos até que os estoques atuais sejam absorvidos pela demanda.

    0
    • André Luis ZS/RJ 6 de julho de 2012 at 22:33

      Publiquei fazem 4 semanas… Eu avisei…

      . A proximidade de uma crise gigantesca, que tenho discutido com economistas próximos e que pouco é noticiado, pois em grande parte ela é mascarada. E em momento algum, será falado abertamente nos jornais e telejornais, que o governo tem sido ineficiente e pior ainda, fomentado os fatores que agravarão essa crise em detrimento do lucro de instituições bancárias e da indústria automobilística. Portanto, publico este pequeno texto contento algumas das reflexões surgidas em rodas e grupos de estudo nas ultimas semanas. Nosso povo não pode ser pego de surpresa por essa grande armadilha montada por grupos econômicos completamente descompromissados com o nosso bem estar. Tentarei resumir de forma clara e direta, apesar da profundidade do assunto.
      Comecemos pela china, a beira da crise e nos últimos anos encenando um crescimento artificial.
      Proprietária de praticamente metade dos títulos da dívida pública norte-americana e maior compradora das commodities (produtos básicos de amplo consumo, sendo eles agropecuários, industriais e financeiros, no nosso caso, agropecuários e industriais) brasileiras. Os nossos amigos chineses possuem um PIB composto em 20% por obras de construção civil, o mesmo vem promovendo a construção de verdadeiras cidades fantasma (sim, cidades vazias, sem ocupação. Vídeos com documentários sobre o assunto podem ser vistos no youtube) a fim de manter a sua economia aquecida, some-se a isto, o fato de lá também haver uma especulação imobiliária sem precedentes, com preços exorbitantes e muito acima da capacidade de compra do cidadão médio chinês e atual estagnação nas vendas (qualquer semelhança ao nosso país não é mera coincidência) não é difícil de perceber, sem a necessidade de um diploma em economia, que esse mecanismo não será sustentável. E uma grande prova disso, é que enquanto discutimos uma queda de juros até o final do ano para talvez 7,5% o governo chinês anunciou ontem a redução de sua taxa de juros que foi recebida com uma baixa na bolsa, afinal ao contrário dos tolos brasileiros, os investidores perceberam que essa medida evidencia um esforço antecipado do governo ao anuncio das estatísticas macroeconômicas de maio, objetivando a manutenção da sua economia aquecida. Trocando em miúdos, haverá sim um decréscimo da economia chinesa, e só aqui no Brasil, é que achamos que é uma boa notícia a redução de nossa taxa de juros. Medida essa tendo como único objetivo, aumentar o consumo (aquecer/movimentar a economia) e disfarçar o indisfarçável, que a nossa economia está combalida, com índices de desemprego e o endividamento crescendo insidiosamente. Enquanto isso apoiado pelo estimulo do governo para compra de automóveis e a aquisição de imóveis, por meio da baixa temporária do IPI, diminuição de juros de financiamento e aumento do prazo de financiamento, cresce assim o endividamento da virtual classe média, e maior será o problema após o estouro da nossa bolha imobiliária. Nossos financiamentos que segundo o nosso governo foram concedidos com excelentes critérios de avaliação, na verdade já começam a se revelar novas fontes de inadimplência, já sendo inclusive criada uma empresa pública para a compra dos títulos podres dos nossos bancos. Isso mesmo amigos, fomentaram o problema e ainda irão transferir para o povo brasileiro a resolução do mesmo. Uma vez que a empresa pública vai comprar os tais títulos podres com dinheiro público. O seu e o meu imposto. Os automóveis, que foram financiados em incríveis 80 meses, com a fabulosa isenção de IPI, já não são mais pagos pela classe média. E não espere ler isso nos jornais. E como todos sabem, a matemática é clara, quanto maior o endividamento, menor o consumo. E quanto menor o consumo, maiores as demissões. E quanto maior às demissões, maior a inadimplência, menor o consumo e assim vai… Alguma dúvida de que estão nos empurrando para o abismo. Mas tudo bem, desde que a bomba estoure apenas depois das eleições, ou depois da Europa, aí fica fácil jogar a culpa nos outros. “Foi reflexo…”
      Mas voltemos por hora à China, enquanto nos distraímos acompanhado a crise na Grécia e o socorro aos bancos espanhóis, não estamos nos focamos no que realmente causa medo ao Sr. Obama (Além da M….. bater no ventilador antes das eleições norte-americanas). Apesar de a China estar diversificando suas exportações, já sendo responsável por 41% da exportação de navios para o mundo, e sendo a exportação de maquinário tanto leve como pesado, responsável por 38,7% de suas exportações, visando mercados como Índia, América do Sul e Oriente Médio. São para os Estados Unidos, Japão e Europa que ainda correspondem 48% das exportações chinesas. E assim, como uma via de mão dupla, em caso de uma crise chinesa ocasionada pela diminuição de suas exportações para a Europa e Estada Unidos em crise. E colapso iminente de sua indústria de construção civil, um possível leilão de títulos da dívida pública norte americana pertencentes ao governo chinês, inundaria o mercado, desvalorizando o dólar, causando o estouro da pouco divulgada, bolha dos títulos da dívida pública norte-americana. E isso sim causaria um legítimo colapso econômico mundial (e se você gosta de acreditar no papo do governo e acha que estamos 300% preparados para a crise, basta se lembrar que nossa economia se encontra apoiada em grande parte na exportação de commodities, e quem consome metade delas? Isso mesmo, nossa amiga China. Você ainda tem dúvidas que afundaremos juntos?). Aí se encontra o motivo pelo qual o Presidente dos Estados Unidos tanto tem se queixado, pedindo soluções para a crise européia, a qual estaria supostamente impactando e impossibilitando a recuperação da economia norte-americana (tudo bem, pelo menos isso tem um fundo de verdade. Um fundo.). Neste momento obviamente vocês devem estar se perguntando, de onde vem o problema então? De todos os lugares. (e olha que nem me delongarei na crise européia, escolhida para retirar o foco da próxima bolha norte-americana, ou até mesmo na impressão desenfreada de moeda norte-americana sem lastro) Assim como em um organismo, com órgãos interdependentes, em um mundo globalizado as economias dos países também o são. Vivemos uma crise sem uma única causa e sem uma única bolha, mas na verdade com varias bolhas sobrepondo-se. E como maior risco, o estouro da bolha dos títulos americanos (ocasionando a quebra do dólar na opinião de muitos) que para nossa preocupação, já e discutido por economistas em todo mundo, não como algo que possa acontecer, mas quando vai acontecer. Se isso lhe soa como impossível e/ou ficção científica, para muitos, isso interessa, pois o desejo e a sanha dos banqueiros internacionais por uma moeda única, impressa pelo FMI, não e coisa nova (lembrando é claro que a mesma já se encontra cunhada, podendo ser visualizada no Google, e o seu lema, “unidade na Adversidade” aguardando apenas a sua implantação), mas um desejo antigo de famílias tradicionais como os Rothschilds e Rockefellers. Tendo isso em vista me pergunto: Não seria muita coincidência uma bolha imobiliária estar explodindo no Brasil esta semana, os bancos espanhóis recebendo ajuda pelas perdas com a inadimplência também gerada por uma bolha lá? E é claro, nossa amiga China, caminhando para a crise e com uma colossal bolha imobiliária prestes a explodir, implodindo a indústria de construção civil chinesa. É muita coincidência junta. Se um conselho é cabível nesse momento, seria o de não endividar-se. Não cair na armadilha de assumir um financiamento de imóvel (com preços bolhudos) ou de automóvel, o compromisso do governo não é com o seu bem estar, mas tão somente com o lucro dos bancos. Se você está especulando no mercado imobiliário (comprou imóveis para uma posterior venda supervalorizada), acreditando que o seu imóvel independente de onde for, iria valorizar eternamente, por mais que ele tenha valorizado nos últimos dois anos, acorde para a realidade, a desvalorização já está ocorrendo, e se aproxima de uma queda abrupta. Trocando em miúdos, venda logo antes que ele perca o valor (um dos motivos da bolha imobiliária ter se formado, foi o interesse de ganhar dinheiro fácil com essa absurda, e injustificada super valorização). Esteja atento quanto a sua empregabilidade. E poupar é a melhor opção neste momento. Cabe aqui mais uma observação, se você acha que a crise de 2008 está acabando, e que há crescimento no Brasil, procure pesquisar o termo: “Alavancagem da economia”. Não estamos crescendo, e a crise que virá, deixará a de 2008 parecendo um passeio de roda gigante. The party is over my friends. E a trilha sonora? Run to the hills – Iron Maiden.
      O último como sempre apaga a luz.

      0
  • Luciano-ctba 6 de julho de 2012 at 10:17

    Endividamento crescente afeta 64% das famílias

    Por Soraia Duarte | Para o Valor, de São Paulo

    A cada cem famílias brasileiras, 64,2 estavam endividadas em maio, de acordo com a Confederação Nacional de Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O número é maior do que o verificado no mesmo mês de 2011, quando 58,7% das famílias declararam ter dívidas. O principal tipo de dívida? O cartão de crédito, indicado, segundo a CNC, por 71,8% das famílias.

    Além disso, a capacidade de pagamento vem diminuindo. Dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), elaborados com base em informações divulgadas pelo Banco Central, indicam que a taxa de inadimplência das pessoas físicas, em abril, atingiu 7,6%, mais que os 6,1% observados no mesmo mês de 2011. Esse crescimento também aconteceu em cartões de crédito. No mesmo período, registrou 8,5% e 8,3%, respectivamente.

    O cartão de crédito ganhou mais peso no endividamento das pessoas porque também passou a ser mais utilizado. Carlos Almeida, da Serasa Experian, comenta que o cartão de crédito é o meio de pagamento em 34% das transações. O cheque, por sua vez, paga 15% delas. Há cinco anos, o quadro era o inverso. O cheque respondia por 38,3%, e o cartão, por 24%. “Parte dos usuários do cheque passou a ser usuário do cartão de crédito”, comenta. “Se não tinha bom comportamento no cheque, passou a não ter no cartão também”, diz.

    Mas é o crédito rotativo, utilizado para refinanciar o valor das faturas, o vilão do endividamento no cartão. “As taxas cobradas no rotativo tornam a dívida impagável”, afirma Hessia Costilla, economista da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), mencionado que a média dessas taxas é de 237,9% ao ano.

    Dados da Abecs indicam que o cartão de crédito responde por 18% da carteira total de crédito a pessoas físicas, que em abril totalizou R$ 673,3 bilhões. Com isso, dos R$ 121,5 bilhões financiados pelo cartão, 69% foram utilizados em pagamentos de uma única parcela. Os 31% restantes representam o volume destinado a financiamento pelo cartão, incluindo o parcelamento sem juros e o rotativo. Sobre essa fatia, que soma R$ 37,7 bilhões, 60% não estão expostos a juros. Sobre os outros 40% – R$ 15,1 bilhões – recai o rotativo.

    Eduardo Abreu, diretor da Abecs, comenta que a associação vem incentivando os bancos a desestimular o uso do rotativo. Isso, segundo ele, seria alcançado por meio de iniciativas de educação. “É preciso ensinar o cliente a usar o cartão”, destaca.

    O foco das iniciativas, recomenda Abreu, deveria ser o de tirar o cliente do rotativo, ou não permitir que ele assuma tais encargos. Uma das formas, de acordo com Raul Moreira, diretor da área de cartões do Banco do Brasil, seria oferecer linhas de crédito com taxas de juros mais baixas, algo que o banco já vem praticando. E já há resultados nesse sentido. Moreira comenta que, ao comparar o primeiro trimestre deste ano ao mesmo período de 2011, o volume de crédito rotativo apresentou queda de 7%. O faturamento em cartões, por sua vez, teve uma expansão de 24% no mesmo período. “O uso do cartão foi intensificado, mas o endividamento vem caindo”.

    Outro ponto importante, diz Moreira, é reforçar o cartão como meio de pagamento, e não como um instrumento de crédito.

    0
    • Rodrigo P 6 de julho de 2012 at 10:33

      Finalmente a Tia Kássia deu as caras no site dela!!!! Dando uma de jornalista russsa fazendo graça com a gente.

      Olha lá no http://www.politicaeeconomia.com

      Abs

      0
      • Ze Bom Dirolo 6 de julho de 2012 at 12:41

        É bom ela juntar um bom dinheiro, pois se o negócio pipocar vai ter que procurar outro emprego.

        0
  • luiz (esperando a bolha) 6 de julho de 2012 at 11:01

    Não sei se já foi postado!

    Do Le Monde

    Uma cidade fantasma construída pela China no coração de Angola

    Cidade Nova Kilamba é uma cidade nova, feita de edifícios brilhantemente coloridos e imaculados, construídas em menos de três anos a trinta quilómetros de Luanda, capital de Angola. Cidade Nova Kilamba está quase vazio, uma cidade fantasma construída por uma empresa estatal chinês – China International Trust and Investment Corporation (CITIC) – para uma gritante $ 3,5 bilhões. Onde estão as 500.000 pessoas que podem acomodar este complexo urbano refletindo tanto em torno da capital angolana?

    Um repórter da BCC visitou a Nova Cidade Kilamba, descrevendo um lugar “surpreendentemente silencioso, as vozes saltando fora das paredes de concreto fresco e estradas vazias. Não há praticamente nenhum automóvel e ainda menos pessoas. Apenas Dezenas de linhas de apartamentos coloridos é infinitamente repetido, as janelas fechadas e varandas vazias. Depois de dirigir em torno de quinze minutos, não vimos nada, exceto os trabalhadores chineses, muitos dos quais viviam em pré-fabricados ao redor do local “.

    A cidade, um novo deserto, é o trabalho do estado chinês que tem sido prestado, como é frequentemente o caso na África, com prioridade de acesso aos recursos naturais; de óleo no caso do Angola. Tecnicamente, o gigantesco projeto foi amortecido pelo governo angolano. O problema é que ninguém vem. Dos 2.800 apartamentos disponíveis em 750 edifícios de oito andares, apenas 220 foram vendidos. As dez escolas do complexo, apenas um punhado funcionam.

    O projeto é defendido com unhas e dentes pelo governo do Presidente José Eduardo dos Santos, que antes do início de seu mandato prometeu construir um milhão de casas em quatro anos. O problema atual é que as residências da Cidade Nova Kilamba – cujos preços variam entre 120.000 e 200.000 dólares – são inacessíveis para a grande maioria da população, dois terços dos quais vivem com menos de 2 dólares por dia, de acordo com As estimativas das organizações internacionais.

    “Simplesmente não há classe média em Angola, só os muito pobres e muito ricos. E assim não há ninguém para comprar este tipo de habitação”, explica Elias Isaac, membro da Open Society Iniciativa da África Austral (OSISA), citado pela BBC. O governo de Angola promete facilitar o crédito à habitação, e constituem um elemento de habitação social no parque habitacional. Os críticos dizem que ele quer sobretudo concorrer para a eleição presidencial em 31 de agosto de 2012.

    China ajudou a construir esta cidade fantasma, porque na realidade é que quer os recursos de propriedade de Angola. Bem-vindo a um mundo feito pela China para a posse dos recursos petrolíferos.

    fotos:”http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-cidade-fantasma-de-angola”

    0
    • self 6 de julho de 2012 at 11:23

      Baixe o preço, oras.

      0
  • homeless 6 de julho de 2012 at 11:19

    Pessoal, na boa, parem de falar dessa Kássia, parem de dar ibope pra ela, ignorem, elevem o nível da discussão.

    0
  • Luiz 6 de julho de 2012 at 11:23

    País produziu 1,2% menos de barril de petróleo por dia, em maio

    Queda confirma estagnação da produção de óleo pela Petrobrás que vem sendo constatada desde 2009

    (fonte: Estado de S.Paulo, hoje)

    Produção no pré-sal de 171 mil barris/dia representa apenas 8% da produção nacional.

    Há duvidas sobre a viabilidade técnica-economica dessa fonte, o que faz alguns especialistas duvidarem do real potencial de produção de hidrocarbonetosetrolífero no Brasil. “Não seremos nunca uma Árabia Saudita”, revelou um técnico.

    0
    • RosinhA 6 de julho de 2012 at 11:25

      E com essa notícia nossa Manteiga começa a derreter e logo vai começar a feder, credo é horrível cheiro de coisa podre.

      0
  • Socorro!! 6 de julho de 2012 at 11:33

    este e um retrato do RIO..acabei de receber..qause R$11K o M2

    ATENÇÃO INVESTIDORES!!!
    ÓTIMA OPORTUNIDADE EM UM DOS MELHORES BAIRROS DA CIDADE.
    RUA ALMIRANTE TAMANDARÉ (QUADRA DA PRAIA) NO FLAMENGO.
    PRÓXIMO À TUDO, INCLUSIVE METRÔ.
    EXCELENTE CONJUGADO COM 24m² COM PREÇO IMBATÍVEL.
    SOMENTE R$ 260.000,00
    AGENDE AGORA SUA VISITA

    0
    • Ploc verde de limão 6 de julho de 2012 at 11:47

      Quem é o tonto que vai comprar isso ?

      0
      • Ploc verde de limão 6 de julho de 2012 at 11:48

        Já to indo agendar, para rir da cara de um cara que faz uma oferta dessas.

        0
    • GB 6 de julho de 2012 at 12:48

      Vinte e quatro metros quadrados ? É tão pequeno que nem consigo imaginar alguém morando num negócio desses, tipo para abrir a porta tem que mover a geladera pro canto, tem que ser vendido pra investidor mesmo, kkkkkk.

      0
    • self 6 de julho de 2012 at 13:40

      “Excelente” e “conjugado”, tratando-se de Rio, são palavras que não combinam. Por exemplo, nunca vi um conjugado arejado e com garagem nesta cidade. Já vi em outras.

      0
      • Álvaro Guilherme 6 de julho de 2012 at 15:26

        Conjugado não dá nem para ter máquina de lavar e fogão direito, então carro é “luxo”.

        0
    • charles 6 de julho de 2012 at 15:19

      24m²… Imagina isso!

      É tão pequeno que se voce peidar vai ter que cheirar tudo até o final, pois não tem pra onde correr…

      0
  • João Miguel 6 de julho de 2012 at 11:35

    Não sei se isso já havia sido postado aqui, mas achei uma análise muito interessante em cima do argumento mais sólido que eu vejo para explicar o descompasso dos preços de imóveis, argumento esse que utilizo para afirmar que vale mais a pena , financairamente falando, alugar do que comprar.

    http://www2.camara.sp.gov.br/cci3/revista/2/rev_parlamento_2_17_debate1.pdf

    Vale um novo tópico?

    0
  • charles 6 de julho de 2012 at 11:38

    Só noticia boa!!!

    Ironic

    Aproveitando o post: Recebi a informação que a GAFE isa está liquidando imoveis prontos para morar, em SJ dos Campos, de 500 por 250 mil.
    Alguem de SJC confirma a informação?

    0
    • RosinhA 6 de julho de 2012 at 11:41

      Prefiro o conjugado acima de 23m2, posso colocar tudo o que sempre desejei e ter 4 cães de porte médio.

      Brincadeiras a parte começem a apertar os cintos o piloto sumiu !!!!

      0
    • Tomaz 6 de julho de 2012 at 11:51

      Eu sei de imoveis que foram vendidos por 280/290k ha dois anos, subiram para cerca de 400k e foram recentemente comercializados a 320k aprox.

      Tambem sei de imoveis que estavam 550/600k e foram colocados a venda por 350k/370k.

      Todos Gafisa.

      0
    • Luiz 6 de julho de 2012 at 11:54

      250 mil em SJC, putaqueospáriu, 99% da população do interior nunca eu disse nunca viu esse dinheiro na frente.

      0
      • RosinhA 6 de julho de 2012 at 11:59

        Há Luiz SJC, não é uma cidadezinha, o interior tem muita diferença de Sp, mas tem muita gente com grana sim, o Pib do interior de SP dá pau em muitos países. E tem coisas que é mais barato, própria alimentação se for busca direto e orgânica de melhor qualidade e alguns serviços como seguros, o que pega são saúde e educação aí fica devendo bastante.

        0
        • Luiz 6 de julho de 2012 at 12:04

          Rsoinha eu conheço SJC, os unicos que ganham bem lá são os da Embraer e mais meia duzia de diretor de multi, que aliás nem mora lá, prefere outras cidades da região, mas isso é 1 em 1 milhão e eses nao vao morar em casa de cosntrutora nunca. A gafisa faz imovel rpa classe media/alta, conheço bem aquela região, quem ganha melhorzinho ou precisa ir pra SP ou pro rio, não tem a menor condição esse preço em SJC, nao por alguma construtora

          0
          • RosinhA 6 de julho de 2012 at 12:08

            Sim apenas comentei o 99% da população nunca viu esse dinheiro.

            O interior de sp é quase 50% do estado, e a região ao redor de campinas é muito rica todas as cidades ao redor possuem pelo menos uns 5 condominios de alto padrão fora residencias comuns.

            A coisa tá mudando já disse descentralização vai ser necessidade.

            0
            • Luiz 6 de julho de 2012 at 12:30

              e não viu mesmo, 250 mil é mta grana ainda mais no interior que o custo de vida é baixo
              P cada 5 comdominios de alto padrão tem 5 mil bairros de baixo padrão e densidade muito maior, e diga-se nestes de alto padrão a gafisa não tem qualidade pra construir nem a portaria, e eu não toh exagerando.

              alias a maioria dos condominios de alto padrão foge de SJC pq é uma cidade operaria, saturada e violenta, tem opções melhores por perto,

              0
              • Fabiano 6 de julho de 2012 at 13:03

                Charles a noticia procede sim estão queimando os aptos encalhados , porque os mesmos atrasaram mais de ano para ser entregues e muita gente desistiu da compra e pegou a grana de volta resultado estão cheios de aptos devolvidos
                Agora quanto ao que o Luiz disse nos seus comentarios rs rs esta totalmente equivocado em tudo.
                O custo de vida aqui é muito alto devido principalmente a especulação e pelo fato de muitas pessoas de SP estarem vindo morar aqui transferir suas pequenas empresas para cá
                Condominios fechados pipocam por toda parte inclusive recentemente um empreendimento Alphaville esta sendo construido aqui e por incrivel que pareça todos os lotes foram vendidos em 48 horas , lotes a partir de 380 k não me perguntem quem comprou pois não faço a minima idéia mas sei que tem muita gente com grana por aqui , mesmo os bairros mais humildes só tem sobrado gigante , para vcs terem uma idéia um operador de empilhadeira da GM com curso basico de Senai ganha R$ 3,6 k por mes .
                Qualquer apto meia boca de 49 metros quadrado estão pedindo 140 , 150 k
                eu tinha esperança que os preços fossem baixar para poder comprar um apto maior aqui , mas o maximo que tenho visto são os preços estaveis mas sem nenhuma perspectiva de baixa.

                0
                • Luiz 6 de julho de 2012 at 13:20

                  operador de empilhadeira a 3,6k só com cursinho basico, sem experiencia nenhuma, nem na Dinamarca

                  Se fosse assim facil os cursinhos do senai tinham lista de espera, vai lá ver quanta gente tem na sala, e olha que o curso é gratis

                  Vaga de motorista aqui em SP a 2 mil reais é o sonhos de 11 em cada 10 alunso do senai, vai ver o Eike achou petroleo em SJC

                  0
                  • Luiz 6 de julho de 2012 at 13:45

                    ô BOLHA vc e EU estudamos anos a toa

                    com diploma de segundo grau tirado em qualquer intesivão e cursinho gratis a gente entra de cara com 3.600 iniciais que tal?

                    Duro mesmo deve ser um caminhoneiro pilotar um blog

                    0
                    • Bolha Imobiliária 6 de julho de 2012 at 14:12

                      É cara, para você ver…somos uns bostas…:(

                      0
                  • Paulo Rocha 6 de julho de 2012 at 13:54

                    O pior é que na Dinamarca qualquer um que trabalhe ganha mais do que r$3600! Lá isso seria salário ruim!

                    0
                    • Fabiano 6 de julho de 2012 at 14:27

                      Luiz pode fazer a ironia que quiser rs

                      como te falei moro aqui e te garanto que conheço mais da realidade da cidade do que vc
                      vc acha que a GM esta indo embora de SJC porque ??
                      porque os salários são muito altos , eu tb acho um absurdo um operador de empilhadeira ganhar tal salário , é por essas e outras que abriram o PDV para mandar esse povo embora e contratar novamente ganhando um salario bem menor

                      0
                    • Luiz 6 de julho de 2012 at 14:36

                      fabiano, não é ironia é realidade
                      nem quero fulanizar
                      será q vc n foi contaminado pela ilusão e não ta percebendo?

                      imagina 360k um terreno comum no interior do interior,

                      pergunta pro anonymous qual o tamnaho do terreno que vc compra 18
                      k dolares

                      0
                    • Fabiano 6 de julho de 2012 at 14:41

                      Luiz eu fico tão indignado quanto vc acho que os preços são absurdos
                      eu tenho uma pequena empresa de TI e tenho que ralar muito para conseguir ganhar “miseros 100 K”
                      como te falei eu fico P da vida quando vejo semi analfabeto que aperta parafuso e que ganha 3 , 4 K por mes
                      o que acontece aqui em SJC é que maluco quer aparecer quanto mais caro mais “estatus” tem
                      não sei de onde vem o dinheiro , mas que o mercado esta totalmente fora da realidade por aqui esta
                      o custo de vida esta muito alto , prestação de serviço e comer fora aqui em sjc esta totalmente maluco
                      os imoveis então nem se fala , casas em condominio aqui falam de de 1d milhão comos e fosse dinheiro de pinga.
                      é como vc mesmo falou SJC é uma cidade com um PIB muito elevado porem não existem tanta agente assim para pagar preços tão absurdos não sei onde vamos parar

                      0
                    • GB 6 de julho de 2012 at 14:33

                      Corretor deve tirar mais que isso aqui, senão não tinha tantos enchendo o nosso saco, tip tira “os zóio” e deixa o $$$ da minha poupança quieto lá rendendo pra mim.

                      0
                    • Fabiano 6 de julho de 2012 at 14:34

                      GB pra vc ter uma idéia a PLR dos apertadores de parafuso foi de 12 K
                      e o sindicato achou pouco e queria 15 k é mole ou quer mais rs

                      0
                    • Luiz 6 de julho de 2012 at 15:01

                      Vamos aos numeros
                      Renda média per capita de SJC
                      cerca de 3 salarios minimos
                      (fonte IBGE)

                      atualizando pra 2012
                      = 1.800 reais na melhor das hipoteses

                      até que é alta sim, são apenas 11 anos sem gastar 1 centavo pra juntar 250k

                      0
                • Kabess Rhaxard 6 de julho de 2012 at 16:26

                  Fabiano,

                  Então vc não está procurando direito. Batendo perna pela Vila Ema e Aquarius achei vários apartamentos com preço de R$2500 o m2. Ano passado os mesmos aptos e casas custavam R$4100.
                  Estou quase comprando a minha casa em Urbanova de volta…vendi começo do ano passado, agora estão revendendo por quase 25% a menos do que vendi…
                  O mercado aqui está estagnado e com a perspectiva da GM ir embora está rolando um desespero.

                  Falando em salários, o salário inicial de um engenheirinho recem formado na Embraer é de R$6000,00. O padrão de salários na região central é muito alto.

                  0
                  • Luiz 6 de julho de 2012 at 16:49

                    com essa renda financia o que? 100K 150K?

                    1/3 do liquido não chega nem perto dos kitnetes de 40 metros quadrados, mesmo se enforcando por 35 anos

                    Sem falar que um engenheirozinho incial da embraer estudou 5 anso no ITA (nem vou falar do vestiubular 20:1, nivle medicina) mais especialização mais QI perfil 85%, mais provas, testes, fases, dinamicas e o escambau…

                    do dia p noite todo mundo no BR virou rico, inteligente e bonito

                    normal aqui só Eu e o BOLHA, né amigo Bolha?

                    0
                    • Bolha Imobiliária 6 de julho de 2012 at 16:56

                      É cara, falou e disse…

                      0
                    • Paulo D. 6 de julho de 2012 at 17:01

                      tem que avisar meu irmão que é engenherio na embraer e depois de 9 anos lá chegou no salário de engenherio recém formado que vcs disseram aí……..

                      0
                    • Kabess Rhaxard 6 de julho de 2012 at 17:14

                      Então avisa pra ele que é salário de PEE que ele vai saber o que é.

                      0
                  • EngSJC 6 de julho de 2012 at 17:29

                    Confirmo os valores do Kabess Rhaxard e acrescento que na GM e VW Taubaté, os salários de engenheiros estão nessa média, variação entre $6K a $10K!

                    Os salários da VW, Renault-Nissan e Bosch em Curitiba são em média 20% menores.

                    0
                    • Leno 6 de julho de 2012 at 19:45

                      Não é só a GM de SJC que paga estes salarios. Os operarios da VW SBC tambem ganham bem. Tem apertador de parafuso ganhando 3k facim facim. Mas não é salario inicial, são trabalhadores que estão a um bom tempo e tiveram esses aumentos através das negociações do sindicato.

                      É por isso que quando se fala em demissão nas montadoras ocorre todo esse barulho, por que a maioria não vai conseguir se recolocar ganhando nem a metade do que ganham. E o que as montadoras querem não é reduzir o número de funcionarios, querem apenas deixar de pagar 3k ou 4k para apertador de parafuso.

                      0
              • EngSJC 6 de julho de 2012 at 17:03

                Luiz,

                Não sei de qual cidade vc é, mas se vê que vc não conhece absolutamente nada de SJC…. então as pessoas estão fugindo daqui? está saturada?? o que está saturado?

                SJC tem uma área 2,5x maior que Curitiba com 1/3 da população. Os 3 shoppings da cidade estão se duplicando por que?

                Pensei que as pessoas estavam fugindo é da Grande SP. Reduzir SJC a apenas a Embraer??

                Bem, assim como em outras cidades em um raio de 100km de SP, os condomínios fechados só tem se multiplicado nos últimos 10 anos.

                O que acha melhor? Morar em SP e cruzar a cidade pra trabalhar ou ir morar no interior em um espaço bem maior com qualidade de vida e ainda gastar menos tempo no trânsito? Alguns se sujeitam a morar perto de áreas industriais de SP, conhece como são?Outros se sujeitam a pagar um alto valor por morar perto de áreas comerciais e escritórios. Mas tenho visto que mais e mais famílias optam por migrar para o interior.

                Campinas, Valinhos, Vinhedo, Atibaia, Jundiaí também enfrentam a mesma onda.

                Somando-se que a região do Vale do Paraíba paulista é uma grande área industrial do estado, o custo de vida por aqui só tem subido.

                0
                • Luiz 6 de julho de 2012 at 18:50

                  EngSJC conheço aí menos que gostaria, a cidade é uma merdinha mal adaptada a cidade grande, tem todos os problemas de SP numa área minuscula com rua projetada pra passar carro deboi.

                  Mas fica calmo, acnteceu o mesmo nos EUA. Varias cidadezinhas pequenas diziam aqui não tem bolha, aqu é sério, aqui é sustentavel, vcs podem no maximo adiar, se bem que eu achoq não consegue, a bolha vai despencar tudo poraí sim

                  O Vale é um região gigante, semidesértica, cujo unico recurso é o lençol subterraneo

                  NADA EXPLICA ESSES VALORES, NADA

                  a não ser é claro que o Eike tenha achado petroleo no pré-guarani 9o aquifero)

                  0
                  • EngSJC 12 de julho de 2012 at 12:11

                    Luiz, incrível como tu escreve bosta cara .. então o vale é semidesértico, por isso que é considerado uma região de várzea??KKKK a vegetação aqui deve ser caatinga então????KKK

                    cara, pouco me importa o que vc sabe sobre SJC e me parece que vc tem sérias dificuldades de compreensão…. eu tenho cada vez mais mostrado os absurdos dos preços aqui da região… queria mais é que esse bolha tivesse estourado há tempos e acredito que muito do que se escreve nesse blog tem feito muitas pessoas refletirem sobre a sandice dos imóveis… se não tem nada a acrescentar então não atrapalha mas se tiver dados que poderão ajudar a todos aqui será muito bem vindo.

                    1+
    • EngSJC 6 de julho de 2012 at 16:21

      Charles,

      Muito bom ver aqui o debate sobre os preços em SJC. Torço para que isso ocorra mais vezes. Fomentar essa discussão é o motivo de eu participar desse Blog e incentivo outros moradores de SJC a fazerem o mesmo.

      Vc deve estar se referindo ao Vila Nova São José, da Gafisa. Ele está em liquidação há meses desde que entregaram a 1° Torre no início deste ano, época em que tb se intensificaram as devoluções.

      Tenho amigos engenheiros da Gafisa e posso lhe garantir que os descontos praticados tem sido “reveladores”! Precisam realizar “caixa” urgente, descontos à vista foram agressivos numa época em que muitos ainda discutem se há bolha ou não!

      Em maio deste ano, houve em SJC o Feirão da Caixa, mas a Gafisa, assim como outras construtoras, não conseguiu desovar seu estoque.

      Há pouco mais de um mês a Gafisa intensificou os “feirões” e os aptos de 125m2 foram negociados a $340K à vista (~40% de desconto em relação ao preço antes praticado $550K!!!!).

      Alguns aptos de 90m2 foram negociados a $245K à vista (preço “normal” $400K).

      Interessante não??? Se pesquisarmos os anúncios não conseguiremos achar nada por menos de $3400/m2 no Aquarius, mas a Gafisa aceitou vender por $2700/m2!!! Sentiram ou não a retração do mercado? 🙂

      Com esses sucessivos feirões, das 5 Torres praticamente prontas, sobraram ainda alguns imóveis mas sinceramente acho que ainda haverá mais pois apenas 15% desses imóveis estão ocupados!!!

      0
      • Kabess Rhaxard 6 de julho de 2012 at 16:57

        Uma amiga minha comprou o ap de 120 m por R$300k.

        Tenho amigos doentes pq compraram no lançamento pra revender e agora a propria construtora está fazendo concorrência desleal.

        Outro condominio no desespero é o Premiere…estão vendendo por cerca de 15% a menos do que no lançamento…

        0
        • EngSJC 6 de julho de 2012 at 17:34

          Sim!! O Premiere da Tecnisa simplesmente patina há , pelo menos, um ano! A imobiliária Nova Freitas estava com uma promoção este fds e um amigo do trabalho ficou puto pq tava menor do que qdo ele comprou direto com a construtora na planta há 2 anos!

          Abram o olho em SJC! Não aceitem descontos menores que 30%… isso pra quem realmente precisa comprar alguma coisa agora…. 2013 promete!

          0
        • EngSJC 6 de julho de 2012 at 17:44

          Aaah, Kabess. parabeniza então tua amiga , ela conseguiu 55% de desconto cara!!!

          Quem me informou o valor de $340K foi uma amiga engenheira da Gafisa sobre os pouquíssimos casos que compraram à vista!!

          0
          • Rafael KM 7 de julho de 2012 at 00:01

            Se SEM ESTOURAR a bolha já há queda de preço de 55% (ou desconto não é queda de preço????) ainda acham que a queda não pode chegar a 80% (descontando inclusive a inflação) como fundo do poço???
            Primeiro numa cidade, depois em outra, e mais outras…

            0
  • estudante 6 de julho de 2012 at 12:07

    A máxima do capitalismo:
    Se você está obtendo lucro (e digamos de passagem, altos lucros) com algo, nunca, mas nunca alardearia ou comentaria com alguém como estou fazendo ou conseguindo isso.

    Agora no mercado imobiliário todo mundo é mágico e conhece o truque, e o melhor, ensina para todo mundo como fazer a mágica.Tem algo errado ai.

    Se algo fosse tão bom você não venderia dessa maneira.

    O mais engraçado que hoje qualquer pessoa física é investidor, ou até mesmo construtor de residências sem ao menos ter conhecimento de como é feito um imóvel.

    Continua assim que está certinho campeão.

    Enquanto isso vou salvando o meu.

    0
    • Rodrigo P 6 de julho de 2012 at 12:18

      Boa Estudante!

      Pra mim vc já vira professor!

      Super legal ouvir os Cornetores ensinando como vc vai ganhar mares de dinheiro investindo em imóveis com valorização infinita….

      Alguns ainda dizem: “Só não faço por que tá caro…”

      Impressionante

      0
      • Luiz 6 de julho de 2012 at 12:33

        estudante, esse seu raciocinio é de uma clareza, simplicidade e perfeição comuns apenas a grandes QIs.

        na mesma linha q vc escreveu
        Leia esse link
        “http://opequenoinvestidor.com.br/2012/07/licoes-que-aprendi-como-investidor/

        o cara é dos nossos

        0
        • GB 6 de julho de 2012 at 13:00

          “16. Ativos geram renda; passivos geram despesas. O segredo da riqueza é ter muitos ativos e poucos passivos.

          17. Se você é proprietário da casa em que você mora, ela é um passivo. Não entendeu? Leia o item 16 novamente.”

          Esse item 17 é o que eu sempre digo aqui e joga por terra o argumento de que “aluguel é $$$ jogado fora”.

          Sim, pois se você mora na casa em que é proprietário, você está perdendo a chance de fazer $$$$ com ela, é por isso que bancosnão compram os imóveis de suas agências, eles alugam todas e com contratos de 15 anos, mas por outro lado eles insistem para que você compre sua casa própria (meio incoerente isso), o tal “sonho” da casa própria.

          0
        • GB 6 de julho de 2012 at 13:02

          “24. Uma bolha não é definida por seu estouro, mas por preços injustificados.”

          0
          • Keyser (CE) 6 de julho de 2012 at 13:40

            Que isso, a minha visinha está pedindo 220k num AP que era 50K em 2005 e tem uma excelente justificativa: O imóvel que ela quer comprar é 220k.

            Penso seriamente em falar pra ela comprar meu carro popular por 80k, afinal o carro que eu to querendo tá valendo isso ai.

            Só num mercado sem parâmetro nenhum é possível escutar uma pérola desse naipe.

            Sinceramente espero que quando esse país se atolar até o pescoço nessa M… que ele tá fazendo, surja um índice confiável para os imóveis.

            0
            • Luiz 6 de julho de 2012 at 14:38

              keyser a bolha vai estourar em silencio
              nossos indices não foram criados pra indicar porra nenhuma
              os indices só servem pro discurso de qeum paga

              0
        • GB 6 de julho de 2012 at 13:09

          “91. O governo quer que você se endivide – assim como ele.”

          0
          • Luiz 6 de julho de 2012 at 13:11

            Zuckeberg mora de aluguel,
            no outro extremo Warren Buffet só tem uma casa (a própria)

            0
    • Leno 6 de julho de 2012 at 16:50

      Já tinha reparado isso tambem. No meu circulo de amigos e colegas tem alguns que se auto-intitula investidores porque compraram imoveis na planta para revender. A maioria deles não tem a minina idéia de mercado, entraram nessa por causa de outras pessoas que fizeram o mesmo, e com certeza vão se dar mal quando estiverem em uma situação que requer conhecimento e experiência de verdadeiros investidores.

      Parece que junto com a nova classe “C” surgiu também o novo investidor “C”.

      0
      • Paulo D. 6 de julho de 2012 at 17:20

        no mesmo tom: quando todo mundo começa a fazer uma coisa, pode ter certeza, vai dar m&%*$

        ou

        qdo todo mundo se acha esperto, todos estão sendo burros.

        0
  • Será... 6 de julho de 2012 at 12:28

    O melhor são as fotos…me divirto!

    Casa de 3 quartos com 216 m² em Campo Grande/RJ
    R$30k

    Quero ver um corretor pegar essa ai pra vender e dizer assim…

    “Oportunidade de momento para investidores…Olha a Copa e as Olimpíadas ai gente…”kkk

    “http://www.bomnegocio.com/rio_de_janeiro/grande_rio_de_janeiro/casa_10877367.htm?”

    0
    • Renatao 6 de julho de 2012 at 13:43

      O que passa na cabeça do cidadao que quer vender o imovel ficar colocando foto da familia dele?

      E pelo jeito nao vale nem 10k essa casa.

      0
      • self 6 de julho de 2012 at 14:52

        Sabe o que é? Apertar botão é fácil. Qualquer um acha que tira foto hoje em dia.

        0
        • Paulo D. 6 de julho de 2012 at 17:23

          não é isso, não precisa ser fotógrafo pra saber que se eu quero vender a casa eu ponho foto DA CASA, mesmo que mal tirada….

          o problema é que todo mundo acha que seu cerebro funciona…

          0
    • Neo 7 de julho de 2012 at 23:55

      a casa caindo aos pedaços e uma antena de tv paga, moveis novos,

      na cidadezinha dos meus pais, todos tem carrao novo, é até engracado, vc passa e vê as casas velhas, de coahb e um carro semi-novo na garagem !

      finan forever

      0
  • João Miguel 6 de julho de 2012 at 12:39

    Não sei se isso já havia sido postado aqui, mas achei uma análise muito interessante em cima do argumento mais sólido que eu vejo para explicar o descompasso dos preços de imóveis, argumento esse que utilizo para afirmar que vale mais a pena , financairamente falando, alugar do que comprar.

    www2. camara. sp. gov. br /cci3/revista/2/rev_parlamento_2_17_debate1.pdf

    Vale um novo tópico?

    0
  • Senhor X 6 de julho de 2012 at 13:07

    Aprecio esse site há algum tempo, os caras aqui são feras com as informações que debatem…

    Já que muito foi dito sobre a bolha imobiliária, investimento improvável nesse momento e tal, o que podemos falar sobre investimento em consórcio imobiliário ? vale a pena ter uma carteira nesse momento ?

    Valeu a todos.

    0
    • GB 6 de julho de 2012 at 14:26

      Não vale, um dos maiores problemas está na avaliação feita pelo consórcio quando liberam o $$$$.

      Quando você é contemplado, vamos imaginar que seja um plano de R$ 200k para comprar uma casa nesse valor, a empresa manda um perito avaliar o imóvel (você paga para ele ir lá) e se ele disser que vale R$ 150k é esse o valor que ela vai liberar, o resto fica para o final do plano, aí você tem uma carta de crédito mas não consegue comprar o imóvel.

      Tamos que nos lembrar que é como num financiamento bancário, depois que sai a carta de crédito o imóvel é da empresa até você acabar de pagar o plano, então ela não quer se arriscar a pagar um valor bolhudo.

      Pode até não ter juros, mas tem tantas taxas e aquele aporte inicial de 2% que você nunca mais vai ver, eu não entraria num consórcio, prefiro guardar e deixar rendendo para mim para depois dar uma entrada de arrebentar e depender menos de bancos.

      Fora que todo ano você precisa ficar prestando contas sobre o imóvel, nesse aspecto elas são piores que bancos.

      0
    • Jack Daniels 6 de julho de 2012 at 14:27

      Se um investimento direto já não apresenta bons resultados, quanto mais consórcios que são dependentes de sorte e tem que dar lucro pra mais um atravessador.

      Ex: O comércio de feijão não dá lucros. Mas você pode entrar num consórcio para ganhar um saco de feijão para daí poder negocia-lo. Enquanto você não é contemplado no sorteio, você vai pagando pelo saco e dando o dinheirinho pro cara que vai la comprar o saco todo mês.

      0
      • Luiz 6 de julho de 2012 at 15:05

        existe uma matematica exata que faz o consorcio valer a pena

        se vc a conhece, entre, aliás quem a conhece nem teria duvidas

        se vc nunca ouviu falar disso, cuidado pra n fazer parte dos otarios uteis

        0
    • charles 6 de julho de 2012 at 14:52

      É FRIA!!!

      Já postei sobre isso aqui. Ja fiz pesquisa de mercado e a acaitação da carta é muito restrita e a liberação do dinheiro é burocratica demais.

      Procure no site reclameaqui opiniões de pessoas que estão insatisfeitas com consorcio e se surpreenderá com os relatos.

      0
    • Pablo 6 de julho de 2012 at 15:01

      [email protected];

      Em resumo fuja de tudo que tiver a palavra “imóvel próprio” e “sonho da casa própria”, ao menos por hora.

      0
      • Ze Bom Dirolo 6 de julho de 2012 at 15:32

        Rs..

        0
  • self 6 de julho de 2012 at 14:54

    GFSA3 despencando 4,2%, cotada a R$2,47 agora. Mais barato que uma passagem de ônibus.

    0
    • Luiz 6 de julho de 2012 at 15:12

      IMOB desabando as vesperas da redução do IPI da construção
      é pra pegar o repique

      PDGR3 3,36 -5,62%
      BBRK3 6,66 -4,72%
      LPSB3 34,43 -4,49%
      RSID3 4,90 -4,30%
      GFSA3 2,47 -4,26%

      0
    • Pablo 6 de julho de 2012 at 15:15

      Logo chega à R$ 2,00(Qdo emitirem o balanço do 2º trimestre) e voce poderá optar também por uma aposta de 6 numeros da Mega!

      0
      • GB 6 de julho de 2012 at 15:21

        Aposta por aposta eu fico com o bilhete da Mega.

        0
    • GB 6 de julho de 2012 at 15:16

      Yeah, mais um dia normal na Banânia.

      Ver esse tipo de notícia dá até mais disposição pra gente trabalhar.

      0
  • Luiz 6 de julho de 2012 at 15:27

    Já é o sexto corretor que vem aqui falar que eu estou INDIGNADO

    eu não…

    to é me divertindo com o circo pegando fogo, com a ignorancia do povo se enforcando com a propria corda

    agora mesmo acabo de ver na ZO de SP a primeira oferta abaixo de 200 mil, corre negada, corre.

    0
  • Pablo 6 de julho de 2012 at 15:29

    As dez melhores cidades para se viver, segundo ranking do grupo Economist.

    “http://exame.abril.com.br/economia/mundo/noticias/as-dez-melhores-cidades-para-se-viver-segundo-ranking-do-grupo-economist#

    Nada como ler uma noticia que não foi comprada pelo Cirilo!

    São Paulo e Rio de Janeiro, as duas brasileiras entre as 70 cidades listadas, só aparecem nas 36ª e 42ª posições, respectivamente.

    0
    • GB 6 de julho de 2012 at 15:52

      Mas no ranking dos corretores e da Tia Kassia o Rio está em 1º, e agora ?

      0
      • augusto 6 de julho de 2012 at 18:00

        Pede para a tia kassia ir para aquele lugar e largar de encher nosso saco

        0
    • MrCitan 6 de julho de 2012 at 18:11

      Sinceramente não sei como essa cidade é a melhor pra se viver!!!

      Quem fez esta lista, se baseada em que?

      Hong Kong, além da poluição, é apinhada de gente, e uma cidade muito cara.

      Prova disto são as pessoas que ganham pouco, e que moram em gaiolas, por não terem dinheiro para o aluguel.

      “http://www.dailymail.co.uk/news/article-2084971/Hong-Kongs-cage-homes-Tens-thousands-living-6ft-2ft-rabbit-hutches.html”

      E lá a bolha imobiliária é alta, só quem é rico é que consegue comprar uma casa.

      0
  • Ze Bom Dirolo 6 de julho de 2012 at 15:35

    Curiosidade. Quem tem o dinheiro em cdb, colocou em apenas um banco ou dividiu?
    o FGC só garante 70 mil.
    Eu particularmente estou com quase todo meu dinheiro em um cdb. Não pensei em pulverizar, por enquanto.

    0
    • O Irritado 6 de julho de 2012 at 16:13

      Ze,
      eu não quero fazer propaganda involuntária de nenhum banco por aqui, apenas aconselharia a pulverizar (mesmo com o sacrifício de obter taxas menores do que com o valor total, muito embora há um pequeno truque para eliminar esse inconveniente), em no máximo R$ 50k a R$60K (pois no futuro deverão chegar a R$70k) no maior banco estatal e nos maiores bancos privados. Não são as melhores taxas nem os melhores bancos, eu sei.

      Mas CDB é um investimento do tipo conservador, então deve-se avaliar esse aspecto não-numérico (a saúde do banco, que pode mudar num estalar de dedos). Se seu alvo é mais que 101% do CDI, CDB começa a ficar um negócio arriscado, mto embora uns CDB’s de longo prazo (com taxas crescentes com o tempo de aplicação, cada banco usa seu nome-fantasia) dos “bancões” acima chegam a isso em 3 anos, até lá rendem bem menos. Dependerá do seu horizonte(prazo) de aplicação.

      Há um tempo atrás passei um aperto num certo banco ibérico por conta dos boatos vindos de sua sede, aprendi que é melhor deixar os anéis se irem e permanecer com os dedos.

      Mas, renda fixa hoje está uma m…

      Se estivéssemos num país decente eu estaria festejando (juros altos demais é um veneno mortal, investidores inteligentes não deveriam torcer para os rendimentos de suas aplicações em RF subirem demais), mas juros baixos por aqui resulta sempre em inflação embalada por consumismo tacanho, especulação e banalização da estupidez, sem falar nas malditas bolhas

      Em tempo: você ainda crê no FGC?
      Mas é apenas minha opinião…

      0
      • augusto 6 de julho de 2012 at 17:59

        Os dois grandes bancos estatais não estão livres em futuro próximo de um congelamento de depósitos semilar ao corralito de nossos hermanos. Continuem a apklicar seu dinheirinho lá e continuem correndo risco desnecessário, pois pagam taxas similares ou até menores a bancos privados que não estõa sob as rédeas do governozinho atual.
        É incrivel ver a força que gerentes do BB fazem para vender aos seus clientes porcarias de investimentos como titulos de capitalização, que dão rendimento negativos no final de dois anos. Só trouxas compram tais investimentos ridiculos

        0
      • Ze Bom Dirolo 6 de julho de 2012 at 18:42

        Pois é Irritado, o meu questionamento foi justamente para ver a opinião de alguém que entenda do assunto. Eu particularmente não acredito em FGC, tanto é que nem penso nisso. Acredito que existem uns bancos muito fortes no Brasil, inclusive a nível mundial.

        Mas então, o que você sugeriria então? É essa opinião que quero ouvir. CDBs diversificados/ CDBs e Tesouro?

        0
    • Cleyton 6 de julho de 2012 at 22:03

      “FGC só garante 70 mil”

      Desculpe a cretinice da pergunta, mas não seriam 70 mil por CPF?

      Neste caso se houver contaminação generalizada dos bancos (improvável mas não impossível) o pau ia comer igual.

      0
  • Pablo 6 de julho de 2012 at 15:45

    Bolha Imobiliaria;

    ESTE VALE UM TÓPICO NOVO;

    ValorInveste: Invisto ou compro uma casa?

    “http://www.valor.com.br/financas/2741582/valorinveste-invisto-ou-compro-uma-casa
    .
    .
    .

    Apesar do otimismo exibido por muitos compradores, a festa pode estar no fim, ou, pelo menos, na fase de declínio. “Ninguém acha que o preço dos imóveis vai cair, mas é um mercado cíclico”, alerta o economista Luis Calado, vice-presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef) de São Paulo.

    0
    • O Irritado 6 de julho de 2012 at 16:15

      Essa frase do Luís Calado diz tudo.
      A hora já chegou, até os “calados” estão falando…

      0
    • MrK 6 de julho de 2012 at 16:35

      honestamente, quero mais que todo mundo compre a invista, quanto maior a euforia maior a queda, estou confortável de aluguel, quero só ver a oferta crescer, crescer, crescer e a demanda estagnada e caindo…

      acho que já houve euforia suficiente pra uma bolha, mas se continuarem comprando acima da demanda real só vai ser pior lá na frente…

      o segredo do jogo é ficar tranquilo em esperar, um erro pode custar 30 anos e muito, mas muito dinheiro, nesse xadrez perde quem tem pressa em se mexer! Sempre achei que 2013 será um ano bom pra compra (ainda acho), mas se o cenário me forçar a esperar até 2014, assim farei.

      abraços

      0
      • Luiz 6 de julho de 2012 at 16:44

        to nessa, tinha me preparado para 2015, mas pelo visto vou poder adiantar a compra, tá caindo mto rapido, e o aluguel tá bombando de ofertas, não preciso nem sair da minha rua

        0
  • Ghaspar 6 de julho de 2012 at 16:25

    E o indice zipt ZAPtzum continua subindo. este mes (junho). Segundo ele, os imóveis no Rio subiram 1% ( hum por cento)……e tome Rio maravilha, festa de Copacabana, Patrimonio da Humanidade (só a zona Sul) …
    Zona norte não é Rio….pro Globo depois do tunel é tudo Baixada……e vamo que vamo……….

    0
  • Alex 6 de julho de 2012 at 16:36

    Pessoal

    Na boa, adoraria ter o mesmo otimismo. Mas parece que as historias aqui nesse blog não se repetem em jundiai

    Vi um terreno de 490m2 em um condominio fechado por R$ 450 mil.
    E o corretor disse que o proprietario tinha tido um AVC e que queria vender.
    Respondi educadamente que estava muito caro, e assim nem tinha como negociar.

    Esperei 1 mês, após a bolha estourar, a profecia do Miguel Jacó acontecer (aconteceu alguma coisa no dia 02/07????), e hoje fiz a proposta:

    R$ 300 mil pelo terreno que ele está pedindo R$ 450 mil !!

    E a corretora me informou que o terreno já foi vendido por R$ 450 mil mesmo.

    Outro terreno que estava por 450 mil, e eu ofereci R$ 410 mil, foi vendido por R$ 450 mil, e depois de 15 dias revendido por R$ 480 mil.

    Que bolha é essa que só estoura nesse blog?

    Desculpem o desabafo, mas aqui não esta acontecendo redução nenhuma!!!

    0
    • Luiz 6 de julho de 2012 at 16:41

      cara aqui em SP a merda tá solta, a pesquisda que fiz hj os preços voltaram a 2010, não todos claro, só os que vendem.

      toh muito satisfeito, já toh pensando num 3 quartos com 2 vagas

      tem um aqui que foi o absurdo, começou em 210, bateu 320 e agora tá em 230, vender vende, mas continua sem morador, ta pensando de mao em mao de especulador há quase 3 anos

      0
    • Pablo 6 de julho de 2012 at 16:51

      Pesquisa por ai para ver se o Eike não achou petróleo num dos terrenos do condominio.

      0
    • GB 6 de julho de 2012 at 16:57

      Ei, sou de Jundiaí e conheço bem por aqui, já andei pesquisando terrenos e vi uns terrenos por R$ 450k em condomínio fechado.

      Eu também faço propostas mais baixas e eles sempre vem falando que “já venderam”, mas se você reparar bem os anúncios continuam ali e eles falam que o “novo comprador também tem interesse em revender” e consegue fazer isso em menos de 1 mês, mas pelo mesmo preço (???????, mesmo pagando taxas e corretagem ele vend epelo mesmo valor ?).

      Isso é só conversa para tentar aquecer o mercado na base da boataria e manter os prçeos altos, pois o pessoal comenta que “vendeu” e mantém os preços, nisso eles são especialistas, hoje eles têm bastante tempo para inventar essas histórias.

      0
      • GB 6 de julho de 2012 at 17:12

        E uma dessas corretoras me respondeu o e-Mail dizendo que o terreno de R$ 450k foi vendido e que eu devia parar de ficar falando em Bolha pois isso não existe, que o Brasil é sólido, blá-blá-blá e que esse tipo de coisa só visa causar pânico nas pessoas.

        Depois dessa, nem respondi pra ela.

        Eu jamais pagaria mais de R$ 100k num terreno vazio, ainda mais num desses que nem 500m² tem, eu dou valor ao meu $$$$$, deixo essas “oportunidades imperdíveis” para os outros, nem quero ser vizinho de gente burra assim.

        0
      • AlexJund 7 de julho de 2012 at 18:30

        GB
        Você conhece os terrenos da “malotinha” aquele conjunto de 7 condominios antes de chegar na Malota?
        Lá há terrenos de 500m2 por 300mil.
        É furada?

        0
    • GB 6 de julho de 2012 at 17:04

      Esse colega das cortinas me disse que o pessoal tem 3 anos do início da construção para tirar o Habite-se nesses condomínios fechados.

      Ele terminou a casa em 1 ano e está enrolando a prefeitura, mas ele vai ter que tirar o habite-se dentro de 3 meses e os impostos da casa vão subir pra caramba, então ele decidiu vender a casa antes disso e passar o problema para outro, bem esperto, mas acho que ele não vai conseguir.

      0
    • Anonymous 6 de julho de 2012 at 17:20

      … foi vendido por R$ 450 mil, e depois de 15 dias revendido por R$ 480 mil ..

      É fácil constatar que é MENTIRA, pois em 15 dias a documentação não fica pronta, mesmo SUBORNANDO a Dilma.

      0
      • JPM 6 de julho de 2012 at 17:56

        Fora que ele teve que pagar os custos da escritura, e pode ser que tenha que pagar também o IRPF pelo “lucro” de R$30K.
        Ou seja, SE fosse verdade, o “esperto” especulador teria quase empatado.

        0
      • Alex 6 de julho de 2012 at 19:25

        Anonymous

        É verdade, 4 diferentes imobiliarias contaram a mesma historia, eles não conseguiriam combinat tão bem.
        A proprietária queria comprar uma casa na Malota, e precisava vender o terreno de 450k. O terreno entrou na negociação da compra da casa por este valor, e agora o novo proprietário (que vendeu a casa e ficou com o terreno como parte do pagamento) estava revendendo por 480k – para pelo menos ficar com o mesmo valor liquido tirando a corretagem. E já tem imobiliaria anunciando por 510k.

        0
      • Cleyton 6 de julho de 2012 at 21:50

        “É fácil constatar que é MENTIRA, pois em 15 dias a documentação não fica pronta”

        Muito perspicaz Anonymous!

        0
    • Paulo D. 6 de julho de 2012 at 17:46

      é preciso ter calma, em qual condomínio fechado vc está vendo?
      jundiaí tem poucos condomínios fechados de padrão alto, provavelmente o número de terrenos seja limitado o que faz com que o preço demore mais para cair… .mas calma, vai cair…..

      por curiosidade, qual condominio é? portal, novo mundo?

      0
    • augusto 6 de julho de 2012 at 17:53

      [moderado] para acreditar em suas afirmações.. Acorda meu amigo , e vá contar suas lorotas em outro local

      0
      • Luiz 6 de julho de 2012 at 18:59

        hahaha boa augusto, cada um querendo salvar o proprio quintal

        será que o eike vai se mudar pra jundiai?
        será o trem paulista de alta velocidade (isso é verdade mesmo)

        0
      • Alex 6 de julho de 2012 at 19:16

        [moderado]

        0
        • Bolha Imobiliária 6 de julho de 2012 at 19:37

          Pessoal, vamos conter os ânimos por aqui, sem ofensas, please

          0
          • AlexJund 7 de julho de 2012 at 17:20

            Agressão grátis. Não admito isso.

            0
      • Alex 6 de julho de 2012 at 19:36

        Augusto
        Respeite mais a opinião dos outros. Se não concorda, fica sua sua, calado, e respeite. Exijo isso.

        0
  • GB 6 de julho de 2012 at 17:07

    Sessão terror para as sardinhas: IMOB -1,54%, mas não ia cair o imposto para construir ? Ninguém entende a Bolsa.

    Ativo Últ. R$ Var.Dia%
    MRVE3 10,02 1,31
    BRML3 22,72 0,49
    IGTA3 43 0,07
    MULT3 50,3 -0,12
    ALSC3 17,94 -0,33
    JHSF3 5,78 -0,34
    BRPR3 23,05 -0,47
    EZTC3 20,79 -1,05
    TCSA3 7,1 -1,93
    HBOR3 8,6 -2,27
    EVEN3 6,72 -3,03
    GSHP3 9,18 -3,37
    BBRK3 6,73 -3,72
    CYRE3 14,78 -3,84
    RSID3 4,91 -4,1
    PDGR3 3,41 -4,21
    LPSB3 34,4 -4,58
    GFSA3 2,46 -4,65
    BISA3 3,33 -5,13

    0
  • Paulo D. 6 de julho de 2012 at 17:37

    alguém postou mas passou meio batido….
    Estudo técnico analisando a situação imobiliária de SP capital, parece que foi publicado em alguma revista ligada a camara de SP…… vale todos lerem
    ‘http://www2.camara.sp.gov.br/cci3/revista/2/rev_parlamento_2_17_debate1.pdf

    0
    • Fernandão Bolhudo 6 de julho de 2012 at 17:40

      Esse estudo está sensacional!!!!

      Merece tópico com certeza!

      O estudo baseia-se em dados empíricos, que desmentem muitas fraudes comuns de se ouvir de corretores e outros dogmas que se formaram pela burrice coletiva em torno do tema dos preços dos imóveis hoje.

      0
  • amadeos de sampa 6 de julho de 2012 at 17:41

    Bolhistas, ao invés da gente ficar enchendo bola de blogueira desocupada, vamos continuar nossos relatos e ideias. Muito se fala em bolha imobiliária mundo afora, mas muito pouco em como preveni-las.

    Acho macroeconomia um tema muito interessante, e gostaria de escutar de vocês sobre essa “solução” abaixo – a ideia é de se limitar o crédito imobiliário para esfriar esse mercado que parece viver fadado de eternos BOOMS & BURSTS.

    A ideia eh a seguinte, texto do Professor Steve Keen. Tradução by Google + pequenos ajustes:

    CENÁRIO: Assumir dívida é necessário para se comprar uma casa, uma vez que o custo de construir uma casa nova excede em muito o salário médio. Mas a dívida maior do que talvez 3x (três vezes) a média dos salários anuais tende não a construção de mais casas, mas sim a criação de bolhas dos preços da habitação.

    SOLUÇÃO: Alavancagem Limitada a Renda do Imóvel (“PILL” Property Income Limited Leverage) iria quebrar este ciclo de feedback positivo (retroalimentação), baseando o máximo que pode ser emprestado para a compra de propriedade, não sobre a renda do mutuário, mas em um múltiplo do potencial para gerar rendimentos da propriedade em si.

    CONCLUSÃO: Com esta reforma, todos os potenciais compradores estariam em pé de igualdade com relação ao seu nível de endividamento-para-compra, e a única maneira de superar um outro comprador seria colocar mais capital próprio para a compra de um imóvel.

    Ainda seria necessário pagar mais de 10x (dez vezes) o valor de aluguel anual de uma propriedade para comprá-la. Mas então o excesso do preço sobre o empréstimo seria realmente as economias (poupança) do comprador, e um aumento no preço de uma casa significaria uma queda da alavancagem, ao invés de um aumento da alavancagem como agora. Haveria um loop de retroalimentação negativa entre os preços dos imóveis e alavancagem.
    Possivelmente isso iria parar de vez as bolhas imobiliárias, em primeiro lugar, e tomar as habitações fora do reino da especulação e de volta para o reino da habitação, onde eles pertencem.

    “http://www.debtdeflation.com/blogs/2012/04/16/inet-presentation-minskian-perspective-on-instability-in-financial-markets/

    0
  • EngSJC 6 de julho de 2012 at 17:56

    Pessoal,

    Fico muito feliz em ver aqui comments sobre SJC e neste post foram muitos!! Os absurdos deste mercado imobiliário ainda vão dar muito o que falar, mas por hora chega!

    Feriadão bom pra todos vcs!!

    Até terça!

    0
  • Anonymous 6 de julho de 2012 at 18:02

    Siga o manual do Anonymous ENQUANTO AINDA DÁ TEMPO!

    Cristina Kirchner proíbe que argentinos economizem em dólar

    “http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,cristina-kirchner-proibe-que–argentinos-economizem-em-dolar-,896567,0.htm”

    O Banco Central da Argentina (BCRA) anunciou na noite de ontem que argentinos e estrangeiros residentes no país não poderão mais usar a compra de dólares para engrossar as economias pessoais. O objetivo do governo da presidente Cristina Kirchner é forçar a população a economizar em peso, a moeda nacional.

    0
    • Anonymous 6 de julho de 2012 at 18:06

      Esqueci a melhor parte.

      Por trás das barreiras contra o dólar está a necessidade desesperada do governo argentino – assediado pelo fantasma do déficit fiscal – de impedir a saída da divisa.

      Ainda ontem, o BCRA oficializou o que Cristina antecipou em discurso na quarta-feira: os 20 maiores bancos do país terão de destinar 5% de seus depósitos privados em pesos para conceder créditos a todas as empresas do país com taxas de juros mais baixas do que a inflação real. A medida atinge dois bancos brasileiros, o Patagônia, controlado pelo Banco do Brasil, e o Itaú Buen Ayre, do Itaú.

      0
    • Anonymous 6 de julho de 2012 at 18:09

      Sou obrigado a concordar com essa parte 😉

      Além de dólar, Argentina também restringe compra de reais

      “http://economia.estadao.com.br/noticias/economia+geral-economia,alem-de-dolar-argentina-tambem-restringe-compra-de-reais,118617,0.htm”

      0
      • Luiz 6 de julho de 2012 at 18:54

        ô anonymous, estas restrições nos sempre tivemos
        o BR é a economia mais fechada do mundo, pior que a china comunista

        a argentina está se abrasileirando, pobres coitados
        a proposito um imovel lá é muuuuito +barato que aqui

        0
  • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 6 de julho de 2012 at 18:11

    Eu penso que essa bolha nada mais do que um movimento especulativo de piramide – os investidores entraram no mercado e pretendem não sair dele sem seus “lucros” e para isso aumentaram os preços esperando a teoria do “tolo maior” funcionar. De fato funcionou por algum tempo mas agora ja não – as vendas caem e os preços aumentam (ou congelam) – mas isso ainda vai levar algum tempo – alguns investidores começam a dar sinal amarelo mas resistirão ate a copa. Na Espanha os imoveis continuam caindo mas ainda assim estão caríssimos – os preços la são em Euros e o mercado continua parado. Creio que aqui ja não precisamos nem esperar a crise ou q.q outro fator – o aumento do preço foi tão brutal que mesmo os mais descrentes ja sabem que tem algo de errado. Os valores cairão por sí só – por estarem fora da realidade – agora se a crise vier a queda só será mais rápida. E isso que penso. Em todas as bolhas a coisa em comun era o alto preço e valorização excessiva – mas bastou um fator que fez o povo precisar de $$$ e todo mundo baixou o preço. Nos EUA não houve febre de construções mas mesmo assim formou-se a bolha – porque? Por pura especulação – na Espanha Idem, e aqui igual – Todas tem caracteristicas diferentes mas todas tem 1 fator comum – preços excessivos e impagaveis. O final é sempre o mesmo PLOC.

    0
  • Silas Coul 6 de julho de 2012 at 18:24

    É o que venho falando aqui. Há bolha, mas NÃO tem a menor chance de estourar esse ano. Não adianta querer mudar a realidade ao seu gosto. Não adianta generalizar a situação do RJ para o resto do país. Ela continuará inflando pelo menos até as eleições, como falei há meses. E PODEM ANOTAR: o estouro iminente da bolha será precedido pela corrida aos bancos para sacar a poupança, o inverso do que está havendo nesse momento.

    0
    • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 6 de julho de 2012 at 18:30

      Silas mas é como te disse – vai ficar nesse faz de contas – ninguem compra e os preços aumentam…- eles os donos, acham que estão ganhando pois seus imoveis estão valorizando (mesmo que não vendam 1 agulha) – O problema deste jogo são as construtoras – elas terão que vender e ai por incrivel que pareça – serão as primeiras A BAIXAR OS PREÇOS – enquanto isso continuo na minha sussa, só assitindo de camarote – as jogadas estão cada vez mais próximas sa zona de impacto.

      0
      • Luiz 6 de julho de 2012 at 18:52

        Andre vc percebeu que o esforço deles agora é dizer que ainda não entraram em panico que os descontos de 40% são pontuais (50% em SJC)

        (me passa o sal andre que a pipoca ta pronta, rs)

        0
        • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 6 de julho de 2012 at 19:32

          Luiz, podem nos ridicularizar a vontade essta tal de Kassia, o Tal do “independente” Amorim o diabo que for a verdade é que as vendas travaram e eles (propriotários) ja sentiram que ficar rico não é tarefa facil. Agora partem com tudo – midia, telejornais – economistas independentes – construtoras – qualquer e todas as armas serão usadas, mas de nada adiantará pois o que eles ainda não entenderam é que não há dinheiro que pague por um imovel embolhado. O ploc ja se deu em setembro, mas eles não acreditam….lançam noticias de recuperação das vendas, de aumentos de lançamentos de escambal a quatro mas a realidade doi…podem rir mas com certeza acabarão chorando…quantos ja não perderam com ações, carros, e outros investimentos mal empregados….eles serão apenas mais uns…que o diabo os carregue.

          0
    • GB 6 de julho de 2012 at 19:48

      Eu não tenho pressa, fico poupando e fica rendendo para mim, para desespero de construtoras e corretores tem bastante gente pensando assim e o número está crescendo, não se vê mais filas de interessados madrugando na chuva para comprar um imóvel no lançamento.

      0
      • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 6 de julho de 2012 at 20:11

        GB
        De fato, não só não se vê filas como sequer não se vê uma alma viva….quem sabe a gente passando na porta casualmente encontre o Ricardo Amorim e a Kassia investindo a grana deles?
        Sabe GB, hoje, e ate antes de hoje lá em meados de 2009, sempre vi com “outros olhos” todo este burbuirinho imobiliario. Ja vi coisas assim antes, te garanto, daqui a 10 anos vamos lembrar de tudo isto e dar risada, estaremos vendo todos esses locais que hoje são “o must” mas que amanha serão “pombais” lotados de aps pra vender a q.q preço tudo com cara de um gigantesco presidio. E pior ainda, mesmo tendo passados 10 anos, vai haver gente que tem 20 anos pra pagar “a pena” – nem presidiario fica tanto tempo preso. Deus me livre…sou ateu graças a Deus…

        0
    • Cleyton 6 de julho de 2012 at 22:01

      “o estouro iminente da bolha será precedido pela corrida aos bancos para sacar a poupança”

      O por que razão?

      Corrida aos bancos ocorre quando o pessoal acha que ele vai quebrar ou que vai ficar insolvente em papel moeda, de qualquer forma também não ficaria restrito à poupança, além do mais se o banco está quebrando aí sim que o pessoal procuraria “real state” como reserva de valor e isso teria efeito exatamente contrário, ou seja, faria os preços subirem novamente.

      O estouro pode nem ter nada a ver com os bancos, a “tese” defendida por aqui é que os muito alavancados vão baixar os preços e isso vai refletir no preço dos outros, só isso basta.

      0
  • F. Paes 6 de julho de 2012 at 18:46

    http://www.politicaeconomia.com/2012/07/membros-do-site-bolha-imobiliaria-em.html

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Galera, desculpa mas não me aguentei. Esse é o novo vídeo da Kássia, que conheci aqui no blog. Pode falar o que quiser, mas que é engraçado, isso é!

    0
    • F. Paes 6 de julho de 2012 at 18:49

      É o segundo vídeo

      “Veja também a repercussão da bolha brasileira na imprensa internacional no vídeo abaixo.”

      0
      • GB 6 de julho de 2012 at 19:53

        Muito louco, muito engraçado. tô começando a gostar dela.
        .
        Tia Kassia, te quiero.

        0
    • Carlos Eduardo 6 de julho de 2012 at 19:58

      Homens ofendem por medo ou por ódio!

      by: Maquiavel

      0
  • xangai 6 de julho de 2012 at 19:54

    06/07/2012 – 18h47
    Fitch rebaixa Brookfield para “BB-” com perspectiva estável

    “http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/valor/2012/07/06/fitch-rebaixa-brookfield-para-bb–com-perspectiva-estavel.jhtm”

    dividasss… leveraged …

    0
  • Andre da Bolha de Plastico (Para evitar Homonimos) 6 de julho de 2012 at 20:35

    Bolha, só para constar este feriado (só em Sampa na 2 feira) estarei em Curitiba a lazer e ficarei hospedado bem no centro prox. a praça da facu de direitro e do guaiba – vou dar uma especial atençao as placas de vende-se. Vou constatar em carne e osso quanta placas de vende-se existem por ai. Curitiba…me aguarde.

    0
    • Bolha Imobiliária 6 de julho de 2012 at 20:40

      Opa, aproveite o passeio, traga casaco e guarda-chuva, já viu como é a nossa cidade…Frio e chuva para os próximos dias…
      Veja as placas mais aos arredores do centro, você vai ver tamanha oferta…

      0
  • Pedro 7 de julho de 2012 at 00:17

    Sugiro aos colegas que não assistam aos vídeos de kKkKKAtia

    Os blogs vivem de acessos, e me parece que só nos assistimos e prestigiamos o site dessa sociopata.

    Os vídeos originais sao idiotas, então legenda-los e tarefa fácil, por isso o sucesso dela (segundo nos mesmos)
    Desculpe a pontuação

    0
  • Fritz 7 de julho de 2012 at 15:31

    Ainda estou lendo (e ficando indignado), ….

    http://www.valor.com.br/financas/2741582/valorinveste-invisto-ou-compro-uma-casa” ”

    abraços!

    0
    • xangai 7 de julho de 2012 at 17:13

      os caras insistem … eh mesmo para ficar , no minimo , indignado !!

      alias.. ja ha algum tempo qq operacao de risco ( p.ex ) tem a exigencia de se colocar explicitamente que eh ” uma operacao de risco” … pode se ganhar ou peder.

      e para imoveis ?!? o cara entrar num financ .. depois de 10 anos ter o valor do saldo maior que 3 imoveis iguais !! ou ficar sem poder pagar as prestacoes por 3 meses 3 perder tudo !!

      0
  • claudia 8 de julho de 2012 at 08:37

    LEIAM ESTA: NOTÍCIAS SOBRE O LANÇAMENTO DO CONDOMÍNIO ALPHAVILLE EM MG (PUBLICADO NO ESTADO DE MINAS DE 07/07:
    O lançamento do condomínio horizontal ontem, no Mineirinho, foi um dos novos recordes do grupo paulista Alphaville Urbanismo. Cerca de 3 mil clientes passaram pelo local e às 16h todos os 542 lotes comerciais e 15 comerciais já tinham sido comercializados. “Acredito que a localização estratégica ajudou. Estamos no vetor de desenvolvimento imobiliário, perto da Cidade Administrativa e do aeroporto de Confins”, afirma Fábio Valle, diretor comercial de novos negócios do Alphaville.
    CADÊ O PLOC QUE VCS PREVIRAM PARA JUNHO, GALERA????????

    0
    • Cleyton 8 de julho de 2012 at 21:02

      Ahãm, senta lá claudia.

      0
    • JPM 8 de julho de 2012 at 21:33

      O Alphaville de Ribeirão também vendeu tudo em poucas horas. E já está com toda a infra pronta. Mas até hoje ninguém começou a construir (já que são todos especuladores), e tem um monte de lotes NOVAMENTE a venda, inclusive no stand oficial.

      0
  • Visitante Carioca 9 de julho de 2012 at 16:55

    Eu achei a matéria. Deu um pequeno trabalho, mas só me tomou 20 minutos.

    Veja, edição 1344. De 15/06/1994. Página 106 e 107.

    Olha, eu acreditava em bolha também, até a SELIC passar a cair e a poupança passar a ser indexada à SELIC.

    Se a taxa de juros chegar a 2% real, e o crédito imobiliário subir em proporção ao PIB ( o que ainda tem espaço de sobra), infelizmente os preços seguirão subindo indefinidamente.

    A única chance disso não ocorrer é se a inadimplência seguir subindo. Essa é a única chance dos preços virem a cair nominalmente, ou pelo menos em níveis reais ( inflação subir mais que os preços dos imóveis) com a política monetária que o atual governo está conduzindo.

    O ruim é ficar torcendo para o mal dos outros. Enfim, vamos ver no que isso vai dar. Ah, se o nível de desemprego se elevar ( o que conseguentemente vai reverberar na inadimplência) os níveis podem voltar a cair.

    0
    • Bolha Imobiliária 9 de julho de 2012 at 17:07

      Valeu pela busca.

      0
  • RosinhA 12 de julho de 2012 at 12:25

    O que acha melhor? Morar em SP e cruzar a cidade pra trabalhar ou ir morar no interior em um espaço bem maior com qualidade de vida e ainda gastar menos tempo no trânsito? Alguns se sujeitam a morar perto de áreas industriais de SP, conhece como são?Outros se sujeitam a pagar um alto valor por morar perto de áreas comerciais e escritórios. Mas tenho visto que mais e mais famílias optam por migrar para o interior

    Gostei de seus argumentos Eng, tb não concordo nenhum pouco achar que nosso interiro é arcaico e desprezível…..

    Como podemos aceitar a idéia de um país com dimensões continentais, sem problemas de água, clima, entre outros fatores naturais totalmente favoráveis, as pessoas terem que morar enfiadas em caixotes que não vêem a luz solar, problemáticos, violentos, poluídos, etc….

    Estamos investindo bilhões em transportes públicos de péssima qualidade, lotados, sujos, para trazer e levar pessoas cada vez de lugares mais distantes…..

    O interior de SP cresceu e cresceu muito, dizer que a vida noturna acaba ás 9:00 da noite, para muitos que moram nos pombais metropolitanos seria um sonho realizado….

    Problemas todas as cidades possuem, ainda estamos em um país que está em desenvolvimento…..

    Minha opinião Pessoal é que não vejo a hora de deixar a loucura para os loucos, a sujeira para os sujos, os apertos para sardinhas, etc, penso apenas em ter um pouco de qualidade de vida, em um lugar onde não me falte nada do necessário, e que minhas filhas pelo menos conheçam a natureza, brinquem em locais abertos e vejam a luz do sol, isso para mim é vida, mais uma vez opinião pessoal…..

    As vezes ganhar 20K não significa que viva melhor ou seja mais feliz do que uma pessoa que ganha 2 mínimos por exemplo, sei que o interior não paga e não possui as mesmas oportunidades de grandes capitais, mas em minha balança o peso de qualidade tem valor de chumbo…

    0